Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10941


This item is only available as the following downloads:


Full Text

LT7

!>.

-


|



lili lilil
-
Jlafr

g^H
i
AMO XLIL HUMERO 85
i, MT
PtrtMrteIpg*eB!rQMlOdiMdol.#mei
liten depois dos 1.' lo das do comeco e teatro do qnartel
Pteac*rrete por tres raes...........
8ooo
6*000
75o
** -ib *ii*
SfflA FEIRA 13 BE ABRIL DS 1866
m
for ano pago dentro do 4 o das oVi.0 mez.
Forte ao crrete por nm aono....., ,
....
*
Jooo
DE PERNAM

BNCARREGADOS DA SBSCRIPCAO DO NORTE
.
.
.
Parahyba, o Sr. Antonio Alex?odrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lenos Braga; Ceara, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. heraldo Antonio Alves &
Filaos; Amazonas, o-Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SBSCRIPCAO DO SL.
Alagoas, o Sr. Clandino Falco Dias; Babia, o
8r. Jos Martins Alvos; Ro de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinbo. I
PARTIDA DOS ESTAPETAS.
Serinbem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Bar-
reros, Agua Preta Pimentelras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL
Olinda, Cabo, Escada e estacSes da via frrea at
Agoa Preta, todos es dias.
Igaarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala. Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Boro
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tergasJTribunal do commereio: segundas o qulr
p,j'iL w.....ii. n n i r. Re,aco tercas e sbados s 10 horas.
Pao d Alho, Naiareth, Limoeiro, Brejo, Pesqneira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, galgueo e Ex, as quartas
feiras.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Julio do commereio: segundas as ii horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do chrel: tercas t sextas ao meio
dia.
era*c,,,i:, ">m" f^'^" "--
li 8a?r,a- S- Lei0 Mano P- df">'- da egr.
12. Quinta. Ss. Victor e Vessia mm.
ro. Sexta. S. Hermenegildo principe m.
DAS DA SEMANA..
! Segunda. S. Demetrio m.; S. Hogo b.
hora da tarde.
EPHEMERIDES DO MEZ DE ABRIL.
8 Quarto raing. as e h., 22 m. e 5* s. da m.
15 La nova as 4 b., 44 m. e 10 s. da m.
21 Qoarto cresc. as 8 h., 12 ro. e 4 s. da t.
29 La eheia as 7 h., 4 m. e 14 s. da t.
14. Sabbado. S. Domnina v.; s. Tiburcio m.
15. Domingo. S. Pancracio; S. Eottriqoio mm.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 2 oras e 5i m. da tarde.
Segunda as 3 horas e 18 minutos da manhaa.
PAfoTIDA DOS VAPORES COSTBIROi.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o non
at a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Peraaa-
do nos dias 14 ios mezes de Janeiro, marco, mato
julho, setembro e novemirre.
AS9IGNA-SE
no Recife,
PARTE OFFICIAL
i
f
OVEBXOliV PROVINCIA.
Expediente do dia o d; abril de 1866.
Uliicio ao inspector da thesouraria de fazenda.
Se nao boover inconveniente, ande V. S. adan-
lar ao capito-director da colonia militar de Pimeu-
teiras, que asslm o-solicitou em of&ciode 3 do cor
acquisigo recoramendo nesta data ao mesmo di-
rector trate de promover coa brevldade.
Dito ao Dr. jaiz de direito de S. Anto.Remet-
to incluso a Vmc o requerimento documentado
em que Joo Dmasceno e Silva, pede ser prvido
na serventa vitalicia do olflcio de escrivio priva-
tivo do jury e exeeog5es criminaos do termo da
Lscada, afim de que faca juntar certido de idade
]> como se determinou em aviso de 10 de marco ul-
timo.
Dito ao Dr. juiz de direito Interino da comarca
na livraria da praca da Independencia
ns. 8, dos propietarios Manoel Figueiroa de Faria
& Filiio.

f



rente, sob n. 83, a quantia de 1:400*000 para oc-, de "nda. Sciente pelo sen offlcio desta data de
correr as despezas daquelle estabelecimento no pre- acnar-se Vmc. anojado pelo falleclmento de seu
sent trimestre. mano, tenho resolvido desanoja-lo, aura de que
Dito ao mesmo.Faca V. S. recolber aos cofres : continu no ejercicio de seu cargo como convem
dessa thesouraria a quntia de 12*000 que ser ao^eirigo: o que _lhe declaro para ter execugo.
apreseotada pelo director da colonia militar de Pi
menteiras, proveniente de sepulturas concedidas
no eemiterio daqoelta colonia no trimestre proxim)
Ando.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.Em
vista do que expoz o professor publico de rastruc-
cao primaria da freguezia de Nossa Senhora do O'
de Goianna Virgilio Vieira da Costa Pinto no inclu-
so requerimento, sobre que informou o director ge-
ral interino da instrueco publica em 10 de marco
ultimo, sob n. 52 e essa thesouraria em 28 do mes-
mo mez o. 100, mande pagar ao mencionado pro
Portarla. vice-presidente da provincia con-
formando-so com a proposta apreseotada pelo te-
nente-coronel do 3o batalho de infamara da guar-
da nacional do municipio do Recife, sobo que in-
formou o respectivo commandante superior em of-
flcio de 2 do correte, resolve de conformidade
com o art. 48 d lei n. 602 de 19 de setembro de
1850, promover a tenente da companbia do mesmo
batalho o alferes porta-bandeira Manoel Joaquim
mosa questao poMtica, dizendo que a vista do ac-
crescimo de nquet, e instrueco entre as classes
operaras da Inglaterra, unto nos pequeos circu-
ios ( boronghs ) como nos condados, a jostiga pedia
que o censo requerido para votar fosee redolido, de
modo que nos condados a taxa viesse a ser de 14
e nos cborouRbs de 7, o que elevarla o numero
de votantes na Inglaterra de um milbo a um m -
Ihao e qoatro centos acil.
Este accrescimo sem davida importante, sobre
todo por qae'sij! refere smente a Inglaterra e ao
principado de Galles, sem contar a Escossia e a
Irlanda ; entre tapto a opinio publica liberal cen-
sura o projecie que tem por (ira IntroduiHo, dizen-
do que a medida do governo nao devena limitar-
se, como fax, a augmentar o numero dos votantes
deixano todava
po de voluntarios da patria Jos da Costa Villar,
por ter-sido dissolvido o mesmo corpo.
AoSr. tecenta do 36> corpo de voluntarios da
patria Manoel Ribeiro Soares do Nasciroento, e aos
>rs. alferes do 26 corpo Francisco de Paula Ges-
Despaehos do dia 4.
Requerimento.
Bernardo Jos de Aojo.Em vista da informa-
cao nao tem Ingar.
Estevo Jos de Miranda.Indeferi em rteta
da informara"o.
Escolstica Mara do Amparo. Em vista da
luforraacao nao tem logar.
Padre Francisco Adelino de Brito Dantas. In-
forme o Sr. director geral da instrueco publiea.
Feliciano do Reg Barros.Informe o Sr. enge-
nheiro ebefe da reparti das obras publicas.
Irmandade de Nossa Senhora do Livramento
desta cidde.Informe o Sr. thesoureiro das lote-
ras.
Padre Joo Baptista Soares.Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria provincial.
Joaquim Martins de Souza Beltro. Informe o,
Sr. commandante superior da guarda nacional do PrevlDir Pr ** medidas os abusos que occor- elle tomara primeramente oo 1 chas antes de emprender qoalqufr ataque con- !SXiS!S!*&*!! Perei <**** 'lor,
coonecera finalmente as repblicas de Guatemala,
Hondura, San-Salvador, Nicaragua e Coia Rica.
tiste expediente na actualidade em que a Hespanha
receiava talvez a colligago daquella* repblicas
Pnt V,0f mo'ivo d erra contra o Chile e
reru, reputado hbil e poltico tanto mal mi a .
resolveu questoes pendentesSaSltongosaooo?' "t*' 5 *Fm MtOa0 *"**<** G*'^-
O tratado que estabeleceu esse reconheceu foi a '- Tambem fo' approvada"a disoensa dft 8erv
signado ltimamente em Madrid entre oSr. Ber-
%S1SSZ p,eniP,eneiar'- res-


A esquadra hespanho-la do Pacifico acaba de re-
ceber importantes reforcos, de modo qoe nada re-
ceiava do ataque da esqoadra Chilo-peraena. Es-
ta unha perdido dous dos seus raelhores navios o
8 a inhabilitara anda maisde tomara of!en*iva.
appro vada a dispensa doservieo do
exercito concedida pelo commando em ctaefe do
l" corpo de exercito braslleiro em operacSes contra
o Paraguay aos senhores i
Tenente-corooel do te corpo de voluntarios da
patria Jos Pinto da Silva.
Hajor Francisco Aatonio de S Birrete; capito
iuviniano do Nasoimemo Vlanna; tenentes Leode-
ino Liberato Pereira Caldas, Joaquim Herculano
j deixando todava de providenciar acercado urna! 0 almirante Nunez'rea iiaufl^MMs "refrnnre fe-reir Ca,d.as e Antonio Muniz fa vares";" alferes
SSSS ^TL^"^m dLVa,pa."!-..^ eralmenteSiSr A>*?~ Paes_B.rreto.>Silk>_Lniz Colho,
abril de 1866.
N. 81. Offlcio do primeiro secretario da assem-
fossor, o seu ordenado correspondente aos das de-' t,*.A;.nt. j. ....,.. j > ,. A
corridos de 8 a 14 de Janeiro deste aono em que Illllien d seereUno do governo do da 6 de
por molestia deixou elle de dar aula consideran-
do-s assim abonadas essas faltas.
Dito ao mesmo.Communicando-me o chefe da
repartigo das obras publicas, em offlcio de non- .le* legislativa provincial. O Exin. Sr. vice-pre-
tem, sob n. 113, naver o empreiteiro do empedra- > s'dente da provincia manda iransmittir a V. S. pa-
mento de 300 metros correles, na estrada que.ra ser Presente a assembla legislativa provincial,
conduz a villa do Cabona parte entre o arco da le- aAm d.e resolver o que entender conveniente o of-
vada do Garepa e o pateo da matriz daquella villa, DC'J Junto por copia e documentos a que elle se
executado metade das obras do seu contrate de con- refere em que a thesouraria provincial solicita ao
formidade com o respectivo orcamento, recommen- nesrao Exm. Sr. um augmento de crdito na ira-
do a V. S. que em vista do competente certificado, ponancia de 1:428992 ra., para conlinnaco da
mande pagar ao mencionado empreiteiro a quantia ipeza com ajuda de casto ao* Srs. deputados a
de 1:6334500 correspondente a prestado a que tnesma assembla, e de que trata o S 2- do art. i"
tem elle direito. da le do orcamento vigente.
Dito ao mesmo.Recoramendo a V. S. que em | P; S. Dito ao mesmo.S. Exc. o Sr. vice-presi-
vista do pret junta em duplcala e nao havendo in- uente da provine a miBda remetter a V. S., aflrn de
conveniente, mande pagar ao sargento Jos Pran- ser^submeitidoa considerado da assembla legisla-
Limoeiro. rem_ Pr occasio das eleigoes.
Joaona Francisca dos Anjos.Informe o Sr. di- K embora Mr. Gladstone tenha declarado qoe o
rector do arsenal de guerra. governo se propoe a apreseotar successlvaraente
Joo Baptista Rodrigues de Souza. Informe o' edidas naquell sentido, a mesma opinio publica
I Sr. eogenbeiro chefe da reqartico das obras pu-' Proclama a necessidade de urna medida integral, e
blicas. com esse fundamento o conde Grosvenor apresen-
Jos Faustino Marinbo Falcio. Informe o Sr.: toa n.ma ProPua de emenda ao projecto na c-
mara dos ceumuns, emenda que ser discutida
antes da segunda lellura do projecto e que se for
de Parias e a alferes da 7' o sargento ajudaote i
mliul&t^^mmeoa'U >0 COm' direc,or da "tmo Publica:
mandante superior do Recife. Landelino de Luna Freir. Informe o Sr. de-
zembargador provedor da Santa Casa de Miseri-
cordia.
Alferes Manoel Lniz de Siqueira. Informe o
Sr.inspector da thesouraria provincial.
Manoel do Nascimento Farra. Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
EXTERIOR.
CORRESPONDENCIAS IH BIA
RIO E PEFlf AHBl CO
iiOiwin.
Londres 23 de marco de 1866.
S hontem recebemos aqu a mala do Brasil vin-
da pelo paquete de Bordeaux, qae d'esu vex che-
cisco Lios, conforme soliciten o commandante su-; Wwprovincial ainelusa copiado offlcio do inspector I gou Urde de Wanillac e
/perior da comarca de Palmares em offlcio de 21 de da thesouraria provincial, datado de 5 do corrente i sido o mez ultimo ue 28 dias A noticia do encon
margo ultimo os vencimentos acontar de 19 de fe- *. >. f a deraonstragao a que elle se refere, I tro no Paso de la Patria entre as trooas narasuavas
vereiro desteanno,at21 do citado mez de marco, pedradonm crdito supplementar naimptrtancia ,e aguarda avangada do exercito arienUno nao
do destacamento rte nanlas niriimi: insania a* l:zoUtJw para continnacao das dannAiaa xt o I mun mi,j. ji........_, : .,,. 7
do destacamento de guardas nacionaes existente d I;z3*wo Para continuagao das despezas at o! causou aqu irapresso desfavoravel i
Da ta de Agua Preta. n do correte exercieio do 3; do art. S3 da le I porqae foi orna aegao sem resultado ficando' ca
Dito ao delegado de polica do Brejo.-Devolvo a orgaraento vigente, visto ser insuffieiente acn- lado em suas antigs oosiedes- airrda-M atada
Vmc. a relago ministrada por essa delegada dos i sigoacao marcada para tes despezas, o qual dei- com anciedade a primeira batalha entre o exercito
presos existentes na cadea desse termo durante es! J00.de ser4ODCedido a,teD, o disposto no art. 4", alliado e o paraguayo o que parece estar inmioeu-
mezes de margo a junho do anno prximo passado I '" 575 de 5 de abril de 1864. t. a presenga do almirante Tamao^arfnVtne*
aflrn de que seja assignada e nella se fagam as de-!. ,N- w- Para, ser presentes a assembla legis-1 tro da guerra inspira em Inglaterra viva confianca
claracoes constantes do parecer junto por copia da 'at'va provincial paaso por copia at. maos de V. S. | porque o valor desse offlciat-geueral aaui bem
contadona da thesouraria provincial a que se re- i de "'>> ^ Exc. o Sr. vice-presidente da pro-; coohecido, sendo que as suas rstenles oroesasTem
ere o offlcio do respectivo inspector, datado de 3 vincla> em sologao ao seu offlcio de 8 de margo Paysand esto anda gravadas no animo do nu-
do corrente, sob n. 110, sera o que nao podero ser {*x,m findo *2, a informago qoe miois- blico. A imprensa de Londres acaba de annunciar
pagas as despezas feilas com taes presos, durante i a ihesouraria provincial acerca do projecto n. que esse almirante se achava com 2o navios no al-
mezos, segundo consta do prdlto of-,33do anno P*8***, que acompaohou o seu citado
i offlcio.
aquellos
ficio,
P'^tart*-O vice-presidente da provincia em vis- i
ta do offlcio de 2 do correble, em que o juiz moni- J
cipal supplente era exercicio no termo do Limoeiro
Mlieita a noraeacao de um substituto para servir
no cartorio de orphos, ausentes, capellas e resi-
duos do mesmo termo durante o impedimento por ,
molestias do escrlvao Luiz Francisco Barreto de
Almeida, resolve de conformidade cora o disposto
Offlcio ao Exm. e Rvm. blspo diocesano.Reco-
nbecendo bem fundadas as razoes que V. Exc. ex-
poz no offlcio que me dirigi em 5 da correte, so-
licitando ser augmentada a congrua qae actual-
mente percebem os coadjutores das freguezlas des-
la provincia, o mandei submetter ao coobeciraento
to Paran, prompto a secundar as operagfies do
exercito alliado sob o commando em chefe de Mi-
tre.
Os jomaos ingleses aunonciaram igualmente qae
no dia 17 do corrente fra laucado ao atar no Rio
de Janeiro o terceiro navio eneonragado que se
construir no Brasil desde o principio da guerra
do Paraguay; facto este qoe aqu apontada com
alto loovor para os recursos do imperio, qoe na
no art, do decreto ni 94de 16de eaLX da as9embla legislativa provincial afim de ella re- actualemergencia tem desenvolvido a maior ener-
?? .Lva _ailatCreI0 l'""1 d8. lb de dezembro ,.,_ ....r,.., : da. Em Inclaterra esln ainrla m-----.-- Mr
solver o que julgar acertado. i 8|a- ^ra Inglaterra esto anda em coDstrugo por
Renov a V. Exc. os meus protestos de estima e conta do nosso governo tres navios encooracados,
considerago. que devero estar proraptos a seguir de dentro de
Dito ao Dr. chefe de polica.Em resposta ao \ alguns mezes; e deste modo a nossa marinha de
sea offlcio de 25 de margo ultimo, tenho a dizer-lhe guerra vira' a contar com mais de dez navios en-
que lie a appro vada a deliberago que V S. lomou | couragados que formarara um ncleo importante;
de dispensar do servigo as 26 pragas da guarda i Para o maior desenvolvimento do nosso poder ma-
nacional do Buique que sob o commando do cap-! ritimo. Que podero no futoro as entrgas das re-
a i Antonio de Hollanda Cavalcaoti se apresenta-' publicas do Prata contra tamaoho poder principal-
rain nessa villa em consequencia de sua requi-' mente depois dos feitos de Riachoelo. O resultado
sigo. | queo Brasil colhera' dos sacrificios immensos que
Dito ao inspector da thesouraria provincial.An- esta' fasendo sero enormes, comanlo que se nao
nuindo ao que solicitou o chefe da repartigo das, lance n'uma poltica frouxa.
obras publicas em offlcio de honiem sob n. 115,' A durago da lucia, porm, qae o Brasil susten-
acabo de autorisa-lo a receber definitivamente a tao Prata, hade necesariamente produzir aqu
do dia 5 de obra do ca|Camerj'u da ra -da Aurora, que j se mus effeitos, por mnito tempo ao menos, para o
| acha concluida ha quasi dous anuos, termo medio, crdito financeiro do Imperio a' vista das despezas
segundo consta do predlto offlcio :
de 1853, nomear a Belarmino Belmoote de Barros
Brando, para servir interinamente esse lugar por
nao poder ficar a cargo do escrlvao companheiro o
respectivo cartorio sem prejuito do strvigo publico
como deciaroo aquelle juiz.Fizeram-se as nece-
sarias commuuicagoes.
Dita.O vice-presidente da provincia cooforman-
do-se cora a proposta do chefe da repariigo das
obras publicas cuntida em offlcio de hontem, sob n.
114 resolve nomear o bacharel em sciencias phy-
sicas e mathematicas Joo Bezerra de Mello, para
exereer interinamente o lugar de conductor do 3
districto.Fizerara-se as necessarias comraunica-
goes.
Expediente do secretario do governo
abril de 1866. segundo consta do predlto offlcio: o que declaro a
Offlcio a Francisco Gora'es de Meoezes, procura- V. S. para seu coobecimento e direego.Comrau-
dor da cmara municipal da Floresta.Accuso re- nicoo se ao chefe da repartigo das obras publicas.
cebido com o seu offlcio de 14 de margo ultimo os! Dito ao raesrao.A vista de prets assignados pe-
2 ternos de medidas a que elle se refere. i lo commandante da companbia provisoria de poli-
6 i cia, mande V. S. entregar ao alferes Amador de
Offlcio ao inspector da thesouraria de fazenda. Araujo Pessoa, a importancia dos vencimentos at
Recoramendo a V. S. que em vista das duas inclu-'. fim dejnnbo prximo vindouro das pragas docor-
immensas com que o nosso thesouro esta' carre-
gando. Ninguem ignora de mais que as repbli-
cas argentina e Oriental sao suppridas pelo Brasil;
e em taes circomstaneias qnal nao sera' o alcance
do nosso empeoho, quando sabido que esses dous
governos s difcilmente podero satisfaz* r seus
actuaes compromissos pecuniarios.
A prolongago da guerra nao pds> por conse-
approvada importar ama grande censura para o
ministerio Giadstone-Russell.
O partido tory e os liberaes prudentes combate-
ram vivamente esae projecto de reforma que paseen
em primeira lellura, e votaro contra elle se tlver
segunda discosso.
Os radicaos aponra porm a proposta do gover-
no, e vota-labio pala razio de com isso ganbarera
mais nm pasto ao caminho do suffragio universal
que o sonho desse partido commandado por Mr.
Bright.
A existencia do ministerio parece entre tanto
gravemente comproraeltida por virtude da propos-
ta de lord Grosvenor, qtie ser apoiada como ja se
sabe pelos lories alm dos dlssideotes do partido
wtlg, o qae ledo dar ama forte maiora a opposi-
co.
Um vol de censura as actuaes circumstancias
Importara a retirada do conde Russell, e a transfe-
rencia do governo para as mSos do conde Derby
que o chefe do partido tory, elemento que na coa-
lisao esperada figurar por certo em maioria. O
publico espera pois com anciedade a hora em que
o projecto de Mr. Gladstone seja novarnente discu-
tido, sendo qoe.no entre tanto a imprensa da op-
posicao attaca fortemente essa medida, e o partido
radical avangado rene meetings para exigir
do governo matares conoessoes.
O ministerio est cora tu do disposto a sustentar o
sen projecto, e nem transigir com a emenda apre-
senuda pelo conde Grasvenor. E' evidente, po-
rm, qae, em caso d'um voto contrario, e conde
Russell teri de dar com seus collegas a sua demis-
so, porque nao serla indieavel o acooselhar a rai-
nha a dissolver um parlamento que apenas acaba
de ser eleito e que demais esta de accordo, na sua
maioria, com o paiz acerca da questao da reforma
eleitoral. Nem a imprensa iogleza calcula com es-
ta hypOthase.-verqoB seria julgar poucp dto patrio-
tismo do conde. Russell, attrlboiodo-lne a intengo
de indozir a soberana em erro s pelo desejo de
conservar e poder. O partido Tory tem celebrado
diversas reunios, em que se tem discutido a atti-
tude que a opposigao tomar por oecasijo do ser
Rundo debate do projecto de Mr. Gladstone; e
fra de duvida que o partido conservador votar
i! carga cerrada contra essa medida.
Finalmente, se pode dizer qae.o projecto de re-
forma oo popular ; todos gritara contra urna
medida, que nao resolve integralmente a questao
da reforma eleitoral em Inglaterra, inconveniente
que tanto maior quanto a optnlo publica sen-a-
ta receta a prolongago da agitago que aqui reina
por motiva dessa questao. As classes operarlas do
Reino-Unido eslo actualmente multo mais doulri-
oadas, e comecam a comparar a sua posicao polili-
tica com a que em outros paites liberaes tem as
classes anlogas, e da -desfavoravel coroparago
para as pnmeiras que o elemento conservador era
Inglaterra receia urna agitago cojos limites nao
sena fcil calcular. Em summa, a medida de Mr.
Gladstone teria sido bem acceila pela maioria do
paiz, se, alm da reduego do censo, ella providen-
ciasse ja acerca d'uma raelhor distnuiigao dos cir-
cuios para o effeito de equilibrar o nornero dos
representantes da nago que em alguns condados
e borougbs nao esta hoja em relagao com o
augmento da populago, e se estabelecesse clausu-
las contra o frequepte suboroo que tem lugar por
occasio das eleigoes : taes lacunas sao a causa do
i*. ?)eia id0 3I* Mo Eduardo Pereira Boges."
que alias foi le-1 aizatm *n cd* i. -. S ,
do governo. A opinio publica recohece
*BBlimngL5& Torear iV *^T .doPrefarido 2, corpo de *0,oi*riM da
tra o Chile. O Equadoceleb'rorj"fioamente nma ,0dr.8d.0-3,, S?R* volunta"< da Pa"-a-
alllanga offensiv^e defensiva cora o (ThHe 1 PeT si&^SST0?0 e.0eira Jaoior do
contra a Hespanha, cedeodo s araeaoas detu j3eorpo ? otantonos da patria,
duas repblicas. Este acontecirenTnfo in irai- nSSTlSEL ^J*. U. Francteo
dar todava a Hespanha, qoe para reduzr o Euua- ? *,, e Ftt3*&' do U corP tntanos
dor bastar bloquear oanortoI de Kaqe.i de iJ?l,tt; J040 Nepomuceno da Costa Soares,
raais a desunan rein ^aa\r! ^^ lo^' G^1' de Andrade Barros
-caba le levantar o esLtt"Ot, ff % eXrt^T "* GermaD M"
oceupado Arica onde reuni reforcos imeortantes: B,r0l2?-do 46"
CamtiM rt*i. corno de voluntarios da patria
nha, por quanto no Pr'mVartid^'Vontr\4gue^ drtAA acaba de levantar o estandarte da ravolta, ten io t
tador Prado se conserva ainSora'algums^
CapiUes do
gino Fin
Tenentes do dito corpo FeHppe Borges Leal, e
mas este seria um meio
pela Inglaterra.e Franga
honroso para transigir.
As noticias dos Estados-Unidos chegaro at 10
corrente, o presidente Johnson pareca dlsposto
a interpor novarnente o seu velo as leis que tem
por nm impedir o Tennessee e a Pensylvania de se
tncorporarem constitnctonalmente na Unlo, visto
como essa medida seria contraria a poltica de re-
construegao sob i base da conciliacao adoptada
pelo presidente Johnson.
O partido conservador apoia francamente Mr.
Johnson, e esta disposto a combater vivamente o
partido radical que qaer a conquista (de facto) dos
Estados do Sul.
3 movimento fenian continua agitado nos
Antonio Arthur
Henrique de Mi-
"*M^>*5r*&JSSSSSiSS.SL^" ^"^
tro inglez, segma de
niano Jos Cardoso; e do 51
Moreira de Meudonga e Antonio
randa.
Capito Bento Jos de Andrade, tenentes Joao
Moreira de Goes e Jusliniano Alves da Cunna Ba-
callar, e alferes Antonio Carlos da Silva Seixas e
Pedro Jos Pinneiro, lodos do 43a corpo de voitl?.:
tarios da patria, por haverem pedido, em conse*
queacia de excederem o numero preciso.
Teoeuta Jos da Silva Bastos, alferes Francisca
de Paula Lana e Joaquim Jos Kerreira Piraentel,
lodos do 2 corpo de voluntarlos da patria, por
contessarem-se inhabilitados para exereer as func-
gdes de seus posto.--.
Capites do 51 corpo
e Pedro Alexandri-
faego: Receiava-seomoodia de"snpbartrtciodT|5r!fif!" tf'**taWM"Hfi*e"c""'e'-
de margo; o Canad fosse Invadido petas fenins <*aA?r;,aPdelXClerem ao T Wcii0* ,
pelo que o govarnador lord Monck convocara dait .- & -9* corno de vol ulano da paula
mil voluntarios para gSrrSS-ffiSSl 1": 58,ino Edaardo da Cosla> Por mot""J da ^~
wsffiB^taffits Pr2sa tarJB *saett a?
iraiidade. O premio do ouro tTava a 13016 o ewn--"?** de raa G,s,ro' Sebasao LePldo
bio a 143.
IBTERIOR
RIO F JA\KIRO
28 de margo.
Castello Branco e Leolindo de Araujo Costa, lodos
do 19 corpo do voluntarios da patria, por oxcede-
rem ao estado completo do corpo.
Capito do dito corpo Joaquim Luiz de Aievedo
Quintaes, a vista do resallado da inspecoao de
suiia parque passou.
^ Tenente do 7 corpo do Totalitario da patria
uustavo- Adolpbo Peixoto de Azevedo, pos exceder
ao estado completo do corpo.
Alferes do 21 corpo de voluntarios, da patria
fe .fSln S,pteJPedida Pela 'IwrNcao1 Joaquim Rodrigues Pinheiro e Pedro Eugenio de
do ajudante geoeral em 24 do corrente eotrahimos I Cerqoeira Lima, pelo mesmo motivo.
sas contas documentadas e nao havendo inconve-' po policial que se achara destacadas no centro da gointe se nao aggravar a nossa situauo finauceira i aescon'entamento geral, e que, como disse, podem
onta m..j n..,. .....i. j. ....h;. o... nufaua n'.ia mi.Mi ~,-i ----'.:_aJ!.. ...i muiio fa c 11 ni e a t e determinar a queda do minis-
provincla. u este mercado, mal que sera' a inda maior se ti-
Dito ao commandante superior da guarda naci- vermos de recorrer novarnente a Praga de Londres
a {tojo d'um novo emprestimo. Urna prompta e
cabal soluco daquella lucia p&de smente evitar
esse contratempo; e permita Deas qae dentro de
pooco tempo possamos registrar esse desejado re-
sultado.
dres a 86 3/4, 7/8. O banco tem descontado a 6
0/0," e os Ioinle Stock Banks a 5 7)8. Fundos do
Brasil de 5 0/0 (amigos) a 96 e 97: ditos de-1860,
73 1/2 74 1/4; ditos de 4 1/2 0/0 a 67 e 69, Chile-
nos 6 0/0 a 99. Eyplios 7 0/0 a 89 1/2. Peruanos
niente, mande pagar ao gerente da companbia Per-
nambucana que as>ira o solicitou em offlcio de 3
-do c mente a quantia de 188085 proveniente de [ nal dos municipios do Cabo e Ipojuci.Para pre
retes e passagens dadas a Dordo .dos vapores da- enchiraento dos postos que existen] vagos no est-
quena corapauhia sendo 615333 por conta do ra- do-maior desse commando superior faz-se necessa-
nicterio da jusliga e 1264751 pelo da guerra. \ no que V. S., de conformidade com o qoe est de-
Dito ao mesmo.Era vista do que eipoz o ma-' terminado no aviso circular da justiga de 26 da
rechai commandante das armas no offlcio junto por maio do anno passado, constante da copia jnnta,
opia datado de hoje e sob o 612 recoramendo a V.: aprsente duas proposlas distinctas e separados : o
S. que mande pagar ao amanuense da enfermara t que Ihe declaro era resposta ao offlcio n. 218 de
militar Marcolioo Augusto da Silva Villar os seus 26 de marco ultimo com qae V. S. enviou-an a
vencimentos relativos ao mez de margo ultimo, | proposta que devolvo.
pois que autorisou esta presidencia a continuago Dito ao director do arsenal de guerra.Annuin
de seus sevigos at que possa ser substituido por do ao que V. S. propoz em seu offlcio de 3 do cor- 5 0/0 a 66. Portujuezes 3 0/0 45 1/2. Hespanhoes
praca do exercito. rente sob o. 585, acabo de providenciar para que 3 0/0 a 42. Russos 5 0/094 1(4 Sardos 5 0/0 72
Dito ao inspector da thesouraria provincial.! ama oommisso coraposta dos Drs. Alexandre de iH.- Italianos 5 0/0 60 14. E Turcos 6 WO 68 e
Transmiti a V. S. o pret junto em duplicata que Souza Pereira do Carino, Pedro de Athayde Lobo 69.
me remeUeu o commandante superior da comarca Moscoso e Miguel Joaquim de Castro Mascarenhas Algodo de Pernamboco tica colado em Liver-
de Nazaretb cem offlcio de 2 do correte, sob n. se dirija a esse arsenal a 10 horas da manhaa do' pool de 19 d. e Ifi a 21 d. por libra; dito do Ma-
256 a tira de que nao havendo inconveniente sejam i dia 10 do corrente, afim de examinar e dar o-sen ranbo a 21 d. Cacao de 40 s. 70 s. por cwt. ca-
pagos o Jos Maria Ferreira da Coraba, os venc- j parecer sobre as amostras de farinha remedida ni- f de Ia qualidade de 72 a. 84 s. ewt; dito de 2 de
ti mmente para o presidio de Fernando, parle da 60 s. 68 s.; e ordinario de 47 .. 59 K por cwt.
i: qual foi d'alli devolvida por ser de ma qualidade, Pa Brasil de 60.s. a 70c por tonelada. Assuear
segundo deciaroo o respectivo commandante. I branco de Pernambuco e da Parahlba de 24 96
' Dito ao chefe da repartigo das obras publicas. s. por cwt; dito da Babia 23 s. 25 s. por emt;
Para salisfazer a deliberacao da assembla legisla- mascavado de 19 a. a 23 s. por cwt.; couros seceos
tiva provincial mande V. S examinar se as despe-
zas cujo pagamento pede o vigano de Santo Anto
na petigo documentada que inclusa remeti, ta-
rara feilas com concerlos e reparos da respectiva
matriz, bem como se nesles reparos e concerlos
ter-sti despendido a quantia
lerio.
na cmara dos lords est annunciada urna in-
terpellago do conde de Grey, que cheia de toda
a gravidade pelos ciroumstanoias em que se acba
a Irlanda. Lord Grey estadista moderado e do
partido whig propia a' cmara um exame acer-
o segumte
Publico, de ordem de S. Exc. o Sr. coneoJheiro
mioislro e secreiario de estado dos negodos da
guerra, as disposigoes e occurrenclas qae se se-
gu, afim de qoe chegoem ao conhecimeuto do
exercito e tenliara a devida execoco.
Capito do 42 corpo de voluntados da patria
Manoel Jos de Magalhes, pelo mesmo motivo.
Tenente do extincto 14 corpo de-'olanlarios da
patria Jos Jlibeiro Goimares, por, naver pedido
em consequencia da inspeegao de saftde porque
passou.
r ^TTrTiZX- ,";: desheAral)arador da "la- Capito do extracto 55 corpo de voluntarlos da
tar S21 a P hS 3' Pafa ca,K de i pa,f,a Jos An,ni0 de Sampaio, e alferes da ttf.
n?^ TA0SA*iitu> SOprera mUM de da naciODal da cdr,e WnliJo A"vedo Vieira,
1 *Z2;ntm ,d5 ld dJ erreDte m,8Z- Por terem sido inspeccionados de saide e julgados
Tenente-coronel da guarda nacional da proviocia mcapazes do servigo do exercito.
do Kio-Grande do Sul, Manoel de Oliveira Bueno, I Alferes do 21 corpo de voluntarios da patria
para coronel de commissao.-Aviso de 6 do cor-1 Joaquim Jo-. Olinda Tavares, pelo mesmo moti-
ele- vo; e do 1 tambem de voluntarios Manoel Rodri-
roram approvadas as OoineaeOm interinas, feitas Bues Branco, como pedio por exceder ao estado
pela presidencia da proviocia de Mmas-Geraes, dos! completo do corpo.
Srs. alferes reformados Miguel Antonio Duarte, e' Relago dos Srs. offlciaes. subalternos promovidos
por decreto de 3 do corrente e que tarara distri-
buidas pelos differentes corpos do exercito.
3." corpo de cagadores a cavallo, tenente Pedro
Flix de Medeiros Mailet.
i." batalho de infamara, tenente Carlos Jos
Euzebio Jos Gonzaga, para capites d corpo
policial da mesma provincia.
Dispensas do servigo do exercito.Poram dis-
pensados dos postos de eommisso que tinham no
exercito os senhores:
Capites do 7 corpo' de vohiatarios da patria' Van-Ns.
Raymundo Alves dos Santos Prado Jnior, e Joa- 3." batalho de Snautarla, tenente Joo Luiz da
quim Comptoo de Elbou*, em consequencia do sea Silveira.
8." batalho de infantaria, lente Joaquim Ame-
rico da Silva.
mu estado de sade,Era 14 do correte.
Capito do dito corpo de voluntarios Antonio I
Ferraz do AataraL como requeren.Na mesma:
data.
Tenenle do 29 corpo de voluntarios da patria!
iNicolo Marques de Lacerda, como pedio.Em 19
do corrente.
Tenente
do desgragado em que se acba a Irlanda, no inluj-1 dn^nm^l^H3'R"?io> em C0Dse1Qencia
to de e estudar o modo de remediar os males que do SL2*|?St' ^ .,
afflieem amiPii n!.Fia rtn Boba-itoMa Atieres do 24-carpo de voluntarios da patria
Jos Fernandes dos Santos,
-consolidadosing.ezesficamn.PragadeLon- |*fj V* nossam ter determinadoo.esu- Ct1"f^-*. *V*>* ^a patria
affligem aquella parte do Reino-Unido.
Ora, agora que o governo da ra nha carcter sou
meatos correspondentes ao mez de margo ultimo
do destacamento de guardas nacionaes existente
aquella cidade.
Dito ao mesmo.Expega V. S. suas ordens para
qoe em vista da conta e relago juntas e nao ha-
vendo Inconveniente, seja paga ao alferes Francis-
co Ludgero Nunes Vianoa conforme solicitou o de-
legado encarregad j do expediente da repartigo da
polica em offlcio de hontem, sob o. 443
aquella excitago de rebellio, tendo at suspendi-
do na irlanda o habtat-cofjfus, aquella interpella-
go nao pede seno embaragar a marcha do gover-
no qoe s busca restobelecer a autoridade das leis
deixando para man tarde indagar os motivos re-
motos, justos ou injustos, que a Irlanda poss ter
para atacar a soberana da ratona ; por este lado
que a ioterpellaco de lord Grey parece ser intem-
pestiva, se bem que a autoridade do interpellante
Ibe procurasse um bom acolblmento. veremos o
resultado deste assalto, mas prevejo que lord Rus-
sell appellara para a salvago publica, afim de dif-
ferlr um debate que agora seria ipnoportuno. Na
Irlanda a (ermentaco sempre grande, e, apezar
das coodemnages
n. Yi' a quantia
de 90*000 despendida nos mezes de Janeiro a mar-
qa deste aono com o snstento dos presos pobres da poda legtimamente
cadea do termo de Olinda. i pedida.
Dito ao commandante superior da guarda paci- Dito ao Dr. juiz de direito de Cabrob.Trans-
nal do Rio Formoso e Serinhaem.Expeca V. S.' mittoa Vmc. para ter execucao a inclusa copia da
as suas ordens para que um dos corpos da guarda lei n. 652 de 23 de margo prximo findo determi-
nacional do Rio Formoso preste urna guarda de
bonra para assistir aos actos da festa de S. Jos que
deve ter logar na igreja matriz daquella cidade no
dia 15 do corrente, bem como acompanbar a pro-
cis.-o do mesmo santo.
Dito ao director do arsenal de guerra.Annuin-
do ao que solicitou a eommisso de exposigo em
offlcio de 4 do correte, recoramendo a V. S. que
d as convenientes previdencias para que nos pn-
xneiros dias de junho prximo vindouro, sejam en-
tregos ao commissario elassifleador da mesma
nando ficarem reunidos no termo de Salgueiro pa-; FhurdeMaurice <10) para Pernamboco; de Liver-
do rio de 6 d. a 8 d. por libra, aa* cooaemnages e numerosas prisoes, o vice-rei
Do Brasil chegaram a Inglaterra os seguiutes Dao ,em eonseguido melhorarj situagio actual; o
navios : de Pernambuco Gallito (8) a Livarpool; 8OTerno tem expedido novos reforcos para all, de
do Rio Grande Orltnaa (8) a Falmoutb; de Per-, modo que aquella parle do Reln-Unldo se acha ec
nambuco Chauz* (12) a Liverpool; do Maceta' | c"pada militarmente, -
Isabella (12) a Liverpool; e da Baha Brodte (13) Na cmara dos comamos o ministerio foi nter
a Gravesend. ..... l peiiado por Mr. Selwin acerca da execugo das leis
De Inglaterra para o Brasil segnlram : de Deal. de neutralilade, por parte da Gr-Bretanha, na
Elipttca (8) para Pernamboco; de Gravesend Do-' questao entre o Chile e a Hespanha; ponderando
n Francisca (10)- para a Babia*, de Liverpool que o governo deveria impedir quaesquer arma-
ra serem exercidos por um s tabellio do publico
judicial e notas, os offlcios de escrivao do civel,
enme, orphos, residuos e capellas.
Portarla.O vice-presidente da provincia alten-
deudo ao que ponderoa o alferes do batalho n. 51
de infamara da guarda nacional do municipio do
Pao d'Alho Conrado Ferreira da Costa em sua pe-
tigo instruida com documentos e informago do
respectivo commandante superior dos qnaes cons-
ta que elle se achava com licenca no serto e tra-
pool Cuina (15) para Pernamboco ; o de Liver-
pool Johanne fif) para o Rio Grande do Sal.
Sua mageslade a rainua permanece por em
quanto no Castello de Windsor, donde partir po-
rm em breve para a liba de Wnight. Mls tarde
essa augusta senhora ira fazer urna excursao a Es-
cossia, onde voltar de novo no mee de setembro
depois da viagem que provavelmeate far a Alle-
manha. .......
O casamento da prioceza Helena teri lagar em
eommisso Dr. Gervasio Rodrigues Carapello, no ; lando de sua saude, qundo foi "designado para o, julho prximo, e-a cmara dos communs woncedeu
palacio da presidencia das 9 boras da manhaa at servigo da guerra, o queso chegeu ao seu conheci-; ja a sua alteza real como dote a somtna de triota
as 3 da tarde, nao s o que tiver esse arsenal pre- j ment em dezembro do aono prximo passado, re- rail libras esterlinas alm de ama penso annnal.
parado para a exposigo, como tambem os produc- j solve considerar sem effeito a porta ra de 16 de O principe Alfredo, que segundo filho de sua ma-
tos da arte nacional, que possam existir ahi. outuboro do anno pcoiimo lindo pela qual foi o gestade a raraha, foi tambem contemplado pelo par-
Igual ao inspector do arsenal de marinha. mencionado alferes suspenso por tempo indetermt-
Dito ao commandante do presidio de Fernando. | nado e submettido a conseibo de disciplina como
Pela leitura da inclusa informacio do director inenrso uas penas do art. 100 da lei n. 602 de 19
do arsenal de guerra, sob n. 591 e data de 4 do! de setembro de 1850, e determina que fique dis-
orrente, ver V. S. que dos objectos pedidos per pensado do servigo da guerra para o qual nao
esse presidio tem sido fornecidos quasi todos parte
dos quaes acharase j embarcados no blate Sergi-
pao, (altando apenas os qae vio Indicados as re-
lace es annexas a citada informago com este sigoal
-J- era razio de nao bave-los no mercado, e cuja.
propno por soffrer de molestias que para elle raba
bilita.Remelteo-se copla desta portara ao refe-
rido commandante superior para os devldos effei-
tos.
lamento com orna penso annual e vitalicia, que
pereener anda quando tenha socesder a coroa
ducal de Gotha.
O parlamento acaba de entrar as ferias de pas-
choa, e s depois ser nelle discutida a segunda
leitura do projecto de reforma eleitoral, qae ful
cara tueito apresenudo por Mr, Gladstone na ses-
alo de 12 do corrente.
Nessa occasio o chaneeller do exebequer desen-
volveu as ideas do governo a respeitc desea for
mentas de nanos dos beHigeraates nos por tos da
laglaterra. Mr. Loryard responden principio dessa guerra nenbam armamento leve
lugar nos porto/ da Gr-Bretanha, e qoe o governo
de sua magesUdWiavla de loatter escrupulosa-
mente as leis da oeutraljdade. Deste modo termi-
nou aquella interpellaclo, para ser talvez nova-
mente Irazida a' discusso, quando a opposigao ea-
rece de quaiquer expediente para encommodar o
, pelo mesmo moti-
vo.Em 17 do correte.
Alferes do 31 corpo de voluntarios da patria
Jos Portes de Lima Franco, pelo mesmo motl-
vo.-^Em 17 do corrente.
Alferes do 36 batalho da guarda nacional da
provincia de Mmas-Geraes, Emygdio Pacheco de
Agular, pelo mesmo motivo, como requeren.Em
19 do corrente.
Capito. do 3 corpo de volaatarios da patria
Eduardo Sevenaoo de Almeida Catanho, pelo
mesmo motivo como
rente.
Tenente-coronel de eommisso commandante do
extracto 25 corpo de voluntarios da patria Joo
Bernardino de Vasconcelos Colmbra, era conse-
quencia do seu ran estado de sade.
Capito do 4 corpo de voluntarios da patria Jos
Mara, Goncalves, pelo mesmo motivo.
Alferes de eommisso Augusto Candido da Costa
Goimares, pelo mesmo motivo. Em 6 do corren-
te mex.
Capites: do 14 corpo de voluntarlos dajvtria
Augusto Cesar Galvio, da34* Jos BapjH R,bera
de Souza: lenles: do 1 corpo M/ool Jos do
Silva Juoior, do 14 Jos Ribero" Goimares, do
29* Joaquim Jos da Costarfioes, do 34 Luiz
Francisco Torres; e a,fc'res: do 4 corpo Lniz
Carlos dos Santp^ tofl. Joaquim Jos de Oliveira
Tavares, do 2rx,motneo Jos dos Santos, e do 45
Eugenio Lfeiaoo de Sampaio, em consequencia do
ministerio.
9." batalho da infamara, tenente Constantino
Martins Fernandes,
10. batalho de infamara, tenente Bento Jos
da Costa Yasconcellos.
11.' batalho de infantaria, alferes Alvaro da
Serra Carneiro.
12.* batalho de infantaria, tenente Jos fran-
cisco Soares.
15.a batalho de infantaria, tenente Joaquim Al-
ves da Cuaba.
Transferencias. Dos Srs. alferes Florentino
Jos Pereira, do 1. batalho de iofautaria para o
da mesma arma ; e Jos Sergio Ferreira J-
nior, deste para aquelle batalho.
Dos soldados da extincta companbia de avalla-
ra de Peroambuco, Manoel Rodrigues topes, Ma-
noel Joaquim de Saol'Anna e Thomaz Jos de
Aqu no e Costa para o 1. regiment de oavallaria
iigeira.Em 17 do correte.
Do soldado desertor do extracto corpo de guar-
requereu.Em 17 do cor- i nlgo de s. Paulo, Manoel Izidro, para nm dos cor-
' pos do exercito em operages contra o Paraguay.
Em 10 do corrente.
V
Felizmente para nos, ninguem tem (aliado nos^
s*1 DVo estado de sade.Era 19 do corrente
meiy
.^"pito do 46 corpo de voluntarios da patria
, Mnstanlino Jos Viegas, dito da guarda nacional
**1 do Paran, Luii Mathias Ferreira de Abreu, dito
armamentos que o Brasil esta fatendo e fez na
Graa-Bretanha ; perqu isso rrarla comsigo o gra-
ve inconveniente de fechar-nos um mercado fcil
onde temos obtido grandes recursos bellicos. En-
tretanto quaiquer coergo seria.agora tarda, por
quanto pouco nos resta a execntar aqui das nossas
encoramendas, visto como tudo ou quasi tudo tem
(a sido espedido para o Brasil. O Paraguay tena
perdido pouco cora a rigorosa execugo das leis da
oeutralidade, porqae nao tendo recursos pecunia-
rios nada comprou aqui; mas o Brasil teria sof-
fndo gravemente, apesar dos recursos proprios que
est desenvolvendo.
As noticias de Madrid publicadas nos jornaes de
Londres anouijqanj que o gabinete bespaabol re-
*o 19 corpo de voluntarios da patria Jos Antonio
dt-'Mnoab, teneotes do 12 corpo de voluntarios
da pA-.'v Jos Elisiario da Silva, Quiotaaha, dito
do 52* dos Santos iwnvedo; alferes do quarto corrpo
de voluatarios x patria Chrisante Eloy de
Medeiros, do 7 corpo Sandio de Paula Machado,
do 24 Joe Paulo de Barra 25 Candido Alva-
ro de Noronha, do 42 Jos l. -lo de Toledo, por,
terem sido julgados incapates u rvlgo do esen
cito.Em 10 do corrente. s
Foi approvada a dispensa do servico 4o exercito
concedida pelo commando em chefe do 2 carpo aa
exercito brasileiro em goerages contra o Para-
guay :
Ao Sr. (Beoie-ooroQel comman.t}ajte do 28 cor-
ReformaPor decreto de W. do corrente mez
loi roforraado, na conformidade do 8 1. do art. 9.
da lei n. 648 de 18 de agosto de 1852, o Sr. alfe-
res do 15. batalho de infantaria, Carlos Cesar
Maciel AranJ^^ttTSWfiVtW'toil'-.fcuiWM'ifutr
o torna incapaz de wiiooar so servigo.
lilieclmenios. Dos Sis. ; capito *> ** corpo
d voluntarios da patria Victorino de Qaeiroz
Paiva, em 18 de dezembro do anno prximo pas-
sado, em Urugayana. ; .
Alferes do 17. baUlho de iofautena Hygmo
Jtvs de Oliveira Coelho, em 12 de fevereiro fiado,
no hospital militar de S Borja.
Tenente reformado Manoel Ferreira de Almeida,
em 30 de ontubro do anno prximo passado, na
provincia de Pernambuco.
Foro de Odalgo.Ao Exm. Sr. mareeaal de cam-
po reformado Ernesto Augusto Cesar Eduardo da
Miranda foi coocedldo o foro de fidalgo cavalleiro
da casa imperial.Decreto de iQ de Janeiro do
corrente auna i al vara de 22 do dito mez.
Uceogas concedidas.Aos Srs. b/itadeiro hono-
rario bario de Jacohy, oommandante ua I. dm-
so do 2. corpo de exercito braslleiro em opera-
ges contra o Paraguay, tres mezas para tratar de
sua saude.Aviso de 7 do corrente.___
Tenente do 4. batalho de Infantera Fredenco
Carlos Cesar Rarlamaque, deas meces, com tolda
e etape, para tratar de sua saude.Portara de 13
da correte.
Alferes do 8 batalho de infantaria Caltsto
Jos Ferreira, dous mezes, com saldo e etapa para
tratar de soasando na provincia da Babia.Por-
tara fcnTo tarjante mez. '
jHferes reformadoVfl,Francisco Avellno Xa-
le, para residir na fdvineia de 8anta-Catta.r
r\na.-Portaria de 10 do corrente mez.
Ao 1.* sargento refarmado Canato Gaqqigg $b




..*s
ion iw ir-mi
anm

}


tarto *e Vwwmkmm ~ cita flra i de Abril de 1866.

nos, para residir na provincia de Peraambnce.
Portara de 13 do corrento ro.
E' approvada a lieeoca da qoatro mezes conce-
dida pelo eommaodo em ctaee dd i! corpo de
exerclto braailairo em operoste, contra o Para-
Suay, ao 8r. 1.a eirargiao do corfo de sande Dr.
agosto Victorino Alve do Sacramento Blik, para
tratar da sna sande nasta corte.
Desigoacoes de reforma. A dt> Sr. cirargiao-
mc de di vuo do corpo de sande, Br. Joi.0 Ma-
nos! de Oliveira, no posto de eirarglo-mr do
exercito, vencendo o respectivo sold per lotel o,
na cooformidade das leis de 1.a de deeembro de
1811 e II de julho de 1853.Plente de 9 de fe-
vereiro Ando.
A do Sr. major do corpo de astade-roaior de i *
classe Antonio Pedro Lecr e ao mesmo posto,
vencendo o respectivo so!do por Ioteiro, na coo-
formidade das leis cima citadas.Patente de 8 de
fevereiro fiado.
A do Sr. ctpfto do corpo de gnarntcf o de Ama-
zonas, Maooel Joaquim da Costa, no mesmo pos-
to, vencendo o respectivo toldo por ioteiro, oa coo-
formidade das leis cima citadas.Patente de 9 de
fevereiro fiado.
- A do Sr. capilo do 5.* bat I bao de afamara
Heoriqoe Jos de Carvalho, no mesmo posto,
vencendo o respectivo sido por ioteiro, na eon-
formidade das leis cima citadas.Patente de 9
do dito mez de fevereiro.
A do Sr. 1.* cirurgio do corpo de saode, Or.
Macario Paropbilio Nogoeira, oo mesmo posto,
vencendo treze vigessimas guilas partes do res-
pective sold pela tabella do 1.* de dezerabro de
1841 e lei de 14 de julho de 1835.- Patente de 9
do dito naa da fevereiro.
A do Sr. major do corpo de estadormaior de 2.'
classe, Aatooio Tallo Brrelo, no posto de te-
neato-eoroael, vencendo o respectivo sold por io-
teiro, oai cooformidade das leis do 1.* de dezem-
bro de 1841 i i de jamo de 1853.Patente de 8
do referido mei de fevereiro.
A do Sr. eapitao do dito corpo Diogo Pinto Ho-
rnera, no mesmo posta, vencendo o -respectivo
sold por ioteiro, na conformldade das leis cima
citadas.Patente de 9 de fevereiro Ando.
A do Sr. tenente do dito corpo Segismundo de
Agolar, no mesmo posto, vencendo vinte quatro
vigessimas quintas partes do respectivo sido, pela
tabella e le cima eiladas.-Patente de 9 de feve-
reiro lindo.
A do Sr. alteres do dito corpo Silverio
3* dtecossae de projecto n.... que aotorisaa res- Joaooa, erioula, fllho natural de Serifaa Maria da
cisao do contrate Mamede. | ConceicSo.
Palla o Sr. Rifceiro que maoda orna emenda up- Julia, branca, lha legitima de os ioaqam Gon-

prlmindo, por snperfluas, as palavras tcom tanto
que nao hala prjaize para a provincia.
acerrada a discussao o projecto approvaao
com a emenda.
1'discussao do projecto 56 de 1863, extre-
mando eertos limites da fregoezia de Garanhons.
Ha om requerment empaudo em que se an-
da oovir aoSr. cispo.
.calves Bastos e Amelia Danta* BaMoa.
tranetaeo, pardo, fllho legitimo de Fi
Cor i man e Maria do
Jos*
Brgida, parda, filha de Fablaoa, escrava *oo> Joi-
qoim d'AImeida Pinto.
Franeetaoa, parda, fllha de Rosa, escrav* de Ama
lia Alexandrioa da Cotha.
Encerrada a discosso e reqaerimento appro- [ Amalia, branca, fllha natural de Ftermda Maria do
Reg Barros.
Marta, parda, fllha legitima de Mnoel Antonio
Cosme Munii o Marcolioa Maria fastos Mar-
410.
Cetaria, branca, fllha legitima ele Joeaoim Fehcio
de Sa Brrelo e Mara do Carino Carneiro de Si
Brrelo.
Francisco, pardo, Bino natural de Manaba Rila da
- Saudade.
Antonio, pardo, fllho legitimo de Joao los Cardoso
eJesnlna Mara de Jasas.
Maria, parda, escrava, fllha de Emilia, escrava de
Laurentino Jos de Miranda.
Manoel, pardo, fllho legitimo de Maaoel Ignacio de
Lyra e Josefa Urbana dos Prazeres.
Manoel, pardo, iho de...... escrava de Joanna
Baptista de Araojo.
vado.
3* discussao do projecto. a. 33 deste uno, an-
dando admittir no Gy noasio provincial os tres fl-
Ibos menores de Hollanda Chacn.
Val a mesa ama emenda do Sr. Correa de Brito,
para que seja (analmente admittido o menor Her-
cnlano da Rocha.
Encerrada a discussao a emenda approvada,
flcaodo o projecto preso para ser votado depois de
se resolver sobre aquella.
Ia discussao do projecto n. 37 dest anno, sobre
os repetidores do G-ymnasio provincial e creado
de om logar de preparador para o moseu.-Ap-
provado sem debate.
Conlinaacao da f discussao do projecto o. 69 de
1865, que reforma o compromisso da irmandade
da Ordem Terceira do Carrno.
cicada, que tenho sido victima de soa m vootade,, Jos Guilherme Gnimaraes, com
de Jess, oo me?mo posto, vencendo o respectivo
sold por Bteiro, na cooformidade das leis cima
citadas.Patenta de de fevereiro fiado.
Entra igualmeate em discussao o parecer da Jostino, pardo, filtra de Clara, escrava de Maria
commissio de constituico e poderes que julga a I francisca do Amparo.
assembla competente para reformar dito compro- Diooizio, pardo, escravo, fllho de Benedicta, escra-
misso. I va de Joo Baptista de Moraes.
Falla contra o parecer o Sr. Boarqoe e a favor o Maooel, pardo, fllho natural de Josefa Maria da
Sr. Armioio. t Conceico.
Ver i ficando-se nao'haver casa, o Sr. presidente' Casa mantos :
levanta a sesso, dando a seguate ordem de da:; Manoel Apolioario de Sani'Aona e Joanna Justi-
1* discussao dos projeo, os as. 46,47, 48, e 57 deste: niana Pereira dos Santos,
anno j 2* do de n. 29 de 1860, e contiooaco da an-, Dr. Antonio Morelra Tavares e Clotilde Moreira da
terior. Silva.
____________________ i Dr. Vicente Ferreira Gomes e D. Serafina de Ar-
roda Cmara.
Dr. Francisco Leopoldino de Gusmao Lobo e D. Ma-
ria Emilia Belfort Sabino.
Abrio-se com effelto na qoarta-feira o Santa ha-' ~ Passagoiroa do vapor Mamangmpe entrados
bel, caja represeotacao de estrea eorreepoodondo do Acarac e partos intermedios:
a expectativa, fez lembrar aos dileltaoli os raelho-1 Antonio Maaoel Sampaio Jnior, Antonio Fernan-
res dias do nosao theatro, quando ama pleiade de es ,i Silva, Francisco Casimiro de Sonsa, Ber-
,artistas de merecimeolo recoobeeido abi se os- nardioo Lopes de Amorim, Pedro Jos de Amorim,
teotava ao apreco pobUeo, a conquistara as devi- Francisco Aiexaodre Naoes Tombada, Bonifacio
; das ovacdas a um trabaHio intelUgeote e cooscien- Francisco da Rocha, Raymondo Pedro de Sonta e
Aotooio cioso. 11 criado, Freekiio de A. Maiveira, Joaquim Gor-
REVISTA DIARIA
E' justica, coofessar que a eompaobia est eons- fi6' do Amara), Carlos Antonio de Araujo, Antooio
titoida de modo satisfactorio, o que os esforcos do o^ de Mello de Alboquerqae Moote-negro, Jos
digno emprezario, oe sea eaeriicios mesmo em Gomes Je Amorim, sua senbora e 2 escritas, Joio
k n i ""i01" d" ^'P0' Jos* Constantino monta-la em taes condicea, nao foram mallogTa- Deodato Boomao, /os Goocalves de Araojo, Jos
liooo Botelho, oo mesmo posto, veocendo o fes-] dos ; pois na represen t.icao a que nos refera os, .Gomes de Amorim Jnior, 1 escravo a entregar,
peetivo sold por ioteiro, oa cooformidade das lei1 boove ama prova loquete disto. i Joaqulm Amaocio Pegado Cortez, Joaqnim Ignacio
aC'f0 ejJ*d*';--p*tBte de 8 de fevereiro findo. O solar de Monl'arg tere ertamente om des- Pereira Joolor, Joo Jos Rodrigues, Manoel Fer-
,. 'fere do 1.a regimento de cavallarla empenho, que era de esperar dos artistas, que -elle i reir Borges e 2 criados, vigario refreir Lostosa
iigeira, francisco Goiiberme .Cardoso de Lemos, Agoraran. I e 1 Ulho, Maooel Joaquim de Arrodo o i fllho, E-
-esmo posto de alferes, vencendo viole riges- a Sra. D. Adelaida sublimou-se a altara do ge-
partas de respectivo saldo, pela nio, em que paira o seu talento, que devidamoote
do dito (coohecido e apreciado eotre nos; e o Sr. Paiva
sostentou o reoome de galn dramtico, qoe obte-
no
simas quimas partas de
tabella e lei cima citadas.Patente de 9
mez de fevereiro.
i__J_& fl,*y.banU,bio dA ,nfin,ar,a'|'^'^^'im^^'^lto^l^vm a
TIS?06 Cote Pere,r\ D m-S22 i a"0 Mctrs'c > personagem, eujai felcoes
posto, venceodo viole e ama vigsimas quintas retratava no palco "- '" i ^^
ruXd.!Sa0 nldV.eta to^"*.e t6 ?Cl"" I Apar d,e868 c'lores ni"tivera- os demais
ciiadai.-1?atente de 8 do dito mez de fevereiro. I rma se ancarreearam da nan -iiilm.nta im-
Lr*E&l22h Raymuodo Jos de aro Joaqoim, qM _^ve-so roalSStobom oo seo;
boa, pedindo doas mezes de lleeoea para vir ieo Sr. Gr-?a; qqe>bi-TOm fazer
corle.
rejavenescer a
. h.i.ihs h nossa scen* S0b lnflQX0 da Primavera de om ge- Mariaona, frica,
sr. 2.a tenerrte-seereune do 1.a baUlhao de n\n uetn _> on,... au,. ._.i.i .. ".J pbtysica pulmonar.
artilbaria a p, Joaquim Piaheiro Ferreira, que
foi ltimamente transferido para a arma de Iofao-
tana, pedfodo transferencia para o corpo do esta-
do-maier de classe,
SeoMecas proferidas em proeessos de eonselho de
guerra qoe foram mandadas cumprir.
Hospital mitar brasileiro em Moatevideo.Ex-
escrvo Miguel Eustaquio Fernaodes Alvares.
oio faceto, qoe encanta e deleita o espirito oa pre-
seoca de urna natureza predisposta para a graciosi-
dade.
roigdio Leoncio da Cunha Piaheiro, podre Loiz F.
Peleneo e 1 criado, Felippe Leoaard, Candido M.
Monteiro, Catharioa Fraocelina do Amor Divino e
1 escrava, Dr. Antooio Angosto da Silva, Taldivi-
no Fobricio da Costa, Manoel Jos de Seque Ira Pi-
tanga, Maooel Luiz Pereira Gares.
Passageiros do vapor francez Novare, sahi-
dos para os portos do sol:
Orlen irrna da caridade, Anna Dambor, Trii-
tlo de Aleocar, toa motor 1 cria ac, a t criada.
traiTOHO PUBLICO, OBITUARIO 00 NA. 9 M
ABRIL DE 1866.
40 annos, escrava, Boa-Vista;
Tertuliana, Pernamboco, 17 annos, escrava, Santo
Antonio; megelite.
Congratulamo-nos, pois, com o publico pela al- Maximiana, Parnaaboco, 30 annos, escrava, Reci-
tara em qoe esta de presente o ooaso Santa Isabel, fe ; hepatite.
e igualmente feliciamos ao Sr. Coimbra per isto, BoOna Cecilia, Pernamboco, 48 annos, viuva, S.
pediodo-lhe oo eotreuoto que faca cessar os nter- Jse tubrculos pulmonares.
vallos tao longos e a extiaccao da Hluraioacio lao AdeJaide, Peraamboco, 3 aooos, S. Jos ; espas-
I rpida, circumstancias qoe notamos no espectculo' ,.mo-
a eanta *^*iJ? Iw h.' aPreseUndo sobre que tracamos estas lionas; porquanto se orna, Manoel, Peroamboco, Santo Antonio ; oo oasce-
eStotSKffiani -,. mac"ens: nassa aos espectadores, a ootra cos3-!h o in-', Nf_
r9S^)E!_Sl2 de$ jySSS dPerV.epDe'.?f '* *"* e!Carid0, *" I ^:"1"'0' ""*' ***** ^ ^
guerra declioou de si por ser o reo paisano. Con-
firmada a deciso do eonselho de guerra pelo eon-
selho supremo militar de jostica a 7 de fevereiro
findo.Maodou-se cimprir a 19 do correte.
42.* corpo de volontarios da patria.Alferes
Joo Antonio de Paula Vieira.Haver perooitado,
fora do quartel estando de esUdo-maior.Condem- fere-
nado pelo eonselho de guerra a dous mezes de
priso oo estado-maior do corpo.Reformada, a
senteoca pelo cooselbo supremo militar de justica
a 7 de fevereiro fiodo para coodemnar o r> a um '
mez de prisao.Mandou-se cumprir a 19 do cor-
rete.
6. corpo de cavalraria da guarda nacional da
provincia do Paran. Tenente. Lncv Mendrs oe
Almeida Sampaio.Iosabordioaco e desobedien-
cia a seus superiores.Condemnado pelo eonselho
de guerra a om mez de prisao.Confirmada a
senteoca pelo cooselbo supremo militar de justica
a 7 de fevereiro fiado.Maodou-se cumpir a 19
do correte.O marecbal de campo, Polydore da
Fonseca Quintanilha Jordo, ajodante-geaeral in-
terino.
De cooformidade com a consulta (da seccao de
guerra e marinha do conseibo de estado", foi inde-
lerido o reqoenmeoto em que o guarda oaciooal
do monicipfo de Raguaby Manoel Joaquim Bar-
bosa, designado para o servlcn do corpo desta-
cado, pede delle dispensa, entrando para os cofres
pblicos com a quantia de 000,5000.
annos, solteiro, Boa-
Olinda;
Repetimos este artigo, que bootem transcre-
vemos da Semana Ilustrada, par baver sabido in-
Sado de erros que desvirtuara o sentido do escripto
o contemporneo, com desproveito do coaceito por
Me firmado, acerca da pessoa a quem se re-
A ultima novidade ama novidade triste.
Nao diluvio, nao triumpho de opposicae,
nao peste, nao secca, peior qae todo isto
junto, ...
O Graca val-se erabora I
Partir o Graca, isto o riso, a gaitera, o sal
cmico. O velhofiraca. o Grcihs, o d_rtata es-
timado, lio applaodido 1
< Coofesso que nao posso reler as lagrimas nos
olhos.
Sabei onde elle vai-l -
Val ver se acaa na provincia alguraa facllida- Mara, Peroamboco, 8 dias, S. Jos ; espasmo.
de de vida, que a corto nao offerece ; o Rio de Ja- Francisca Rosa Gomes, Peroaoobuco, 110 annos,
neiro est assim pondo para fora os artistas mais I solteira, Boa-Vista ; velhice.
nouveis ; Baha, Pernamboco, e as outras provin- 10
cias irmaas vo ganhando cora esta dispersio. 0i' Peroamboco 15 mezes,
< At onde Ira parar isso I I C^s.
Ninguem contesta esu grande perda ; a arte' M:iria da Pa de Miranda, Peroamboco, cidade de
Igoacio, Peroamboco, 8 mezes, escravo, S. Jos
desinteria.
Americo, Pernamboco, 15
Vista; caria verbral.
PauJiBo, Pernamboco, 7 annos, S de
anemia.
Bertoleza Maria do Nasciraento, Peroamboco, 60
aooos, vmva, S. Jos ; eoogesto cerebral.
Maria, Pernambuco, 7 aooos, Santo Antonio; febre
maligna.
Antonio Jos de Freilas Guimares, Pernambuco,
32 aooos, easado, S. Jos ; Jile.
Jovaniana, Pernambuco, 2 annos, S. Jos ; convol-
CSes, '--; ->
Pedro Meadas, Maranbio, 45 anace, Boa-VisU;
tubrculos pulmonares,
feliciaao Jos, Peraamboco, 52 aooos, solteiro,
Boa-Vista; iolenor.
qoe elle sao rae quer pagar o que deve, ele, etc.
Kie exacto nada disto. Teoho rae contentado
ooicamente em fazer valer o meo direito, nao ac-
ceitaado aa a/oposus do Sr. Saoliago^ porque,,
NaaltTiimo de leafe de sonta toes como elle as aprsenla agora,
foram sempre de malta desvantagem para mim.
Antes pora de me occopar aellas convm mos-
trar do qoe parte esti o calculo t a malte*. Se
lento etpalkado peraote os jolses qoe decidiraoi, e
vio anadiado nossas qoestoes qoalquer cooaa oo-
Ira mea ogro a te-lo feto por meios jodielae,
uso nio consuria apeoas, mas serta eerto, o apre-
aentarjam as provas. Logo ? em particular po-
derla eu provenir nossos dignos jotaes, e o avia
calculada i wuliciotamenU. flanailg mesmo en
fcase capaz disso, nao o fana tea orto-de qae oe
julzes de primejra, e "tfpp^ lnin<>i _0 (ro
oommereu! leen bastante "honra, e dignidade para
so nao dirigirem em saas declsoes polo eme se an-
da espalhando.
Occopar-mehei agora das propostas qae o Sr.
Santiago me tem feito.
Depois da senteoca e penbora obtida por mira, o
Sr. Santiago por meto fie alguos amigos, i quem
se dirigi, cooseguio eu acceitar elle pagar-me
com a melado das safras anoaalmeate, amortlsao-
do por essa a soa eiecacao Succedeu porm
que depois de urna remessa de 32 saceos com as-
sucar, viodo elle a esta cidade, e fazendo pazes
com o Sr. Manoel Alvos Ferreira, Ihe bypothecara
todos os bens havidoa e por haver, iaciuindo ex-
pressa mente os bens penborado_ Com essa hypo-
Iheot jolgOB-se garanHdo o Sr. Santiago, e neo fez
ais remessa alguma. Ainda e aooo passado
vendeo ao mesmo Sr. Manoel Alves duas safras,
presente e futura.
Em outobro de 1863 o Sr. Jos Norberto Castal-
io Branco apracentou ama proposla para reunir a
minha divida i de meo pai, o Sr. Gabriel Antonio,
isto o principal de ambas, recebendo o dinbeiro
de deposito qoe era om cont dtenlos e tantos
mil res, e o resto a pagamentos de um a cinco
aooos, perdeodo toda aa costas, os joros venci-
dos, e nflo vencendo loros pelos orases.
Em dezerabro de 1864, o Sr Santiago pedic-me
para ir i casa do Sr. Dr. Fonseaa, e propoz dar-
me 2;000i>000 i vista, o o resto a pagamentos de
2:000^000 annuaes no mez de maio, sem premio
algum, e sem gamita. Nesta occasio existia
mais em deposito ora cont quatrocentos e tantos
mil res, producto de assucares arrematados, e em
meu poder seisceotos e Untos mil res de assucar
que tlnha recebido.
Em ou'.ubro de 1865 appareceu o Sr. Dr. Agoiar
por sna parte em casa do Sr. Dr. Fonseca para'
promover urna accommodaco, e qoe en flzesse a'
proposta. Respond qoe a proposta devia partir
delle, e qoe achava bom qoe o Sr. Santiago viesse
ao Recife. Nesta occaslio tende-se de eflectoar
penbora oo engenbo, e fabrica, meu pai foi ao ea-
genho do Sr. Sanuago e propoz urna accommoda-
co, mas o Sr. Santiago responden que nada podia
fazer sem o ceoseoliroeoto do Sr. Maooel Alves
Ferreira; o por isso veio-ao Recire. Reanimo-nos
em casa do mesmo Sr. Maooel Alves onde compa-
recen o Sr. Dr. Agoiar; depeis de eu fazer diver-
sas considerares o Sr. Manoel Alves disse qoe,
sendo ms as circunstancias do Sr. Santiago com-
prara*; a diilJ, uto fi, por menos fio principa!
dando parte vista e para ee pago ment*.
O Sr. Alfredo tambe-i me apresentoa ama pro-
posta, que Ihe fra dada pelo Who do Sr. Santiago,
oa qual dtzia qae sen pal dava 3:000,5 i visn, e o
resto a pagamentos ; juataooo-ae aoprmcipal ai
cusas someato. sem-aromio algum e sera garan-
ta, prometiendo apenas o Sr. Maaoel Alves pagar
os venclraentcs, seco queTer loavia assignar pa-
pel aleom.
ltimamente o Sr. Jos Francisco AecWy Los
Propoz pagar o priocipal o cusas smente, dando
6:000* a vasa o o reato i prasoo, sem premio al-
gom veneido e por vencer.
Teatro recebido 2:1255337 por vetes; existe em
deposito 3:300* e tanto mil ris pooeo mtrs oa
meos -, existe em poder do 8r. Maaeel Alvos Fer-
reira. aa -oleque ea me foi adjaovedo por ovo
cooto eeato taatoa mil r+s. Do mteiro qoe re-
cebi 1:2805 o tantos mil ris estovo em deposito
particular triota meses, e duzeo tos o tantos mil ris
foram de cusas qoe receloi ao deposle, e depois
peohoroi.
Do qae temos dito se coocloe : 1
Domrbgos Majtlns de
ro, com.
Barros Montel-
105000
Recife, 12 de abril de 1866.
HUMA VIDA SALVA!
Nao temos conhecimento algum de neaonm
caso que t3o perfeitunente mostr d'uma m*.
neira a mais ciar e persuasiva o poder da
Seiencia JMica sobre a molestia ; qnal eeja o
de A ntomo JOAO.IM Pereira, da Babia.
Este hornera infeliz havia mais d'um anno que
soffria aa dorea aa mata atrozes e pungente*
proveniente de
Treze
Terriveis Chavas Abertas
eepalhadaa por sobre difieren tea partee de sea
corpo, sendo orna das qoaea sobre o peito do p
urna funda e maligna cliaga, a qual o privava
de andar, cauzando-lhe as dores as mais agoni-
Bantee quer de dia quer de noute; continuada-
mente atormentado por taes aflliccoes e dorea,
e quat que aborrecido da continna^io de aim-
iliante vid*, tendo poeto de parte toda a t a
08flaneo emmedednas, e na realidade pareca
qu pan. elle nao Ihe rusta va mais esperanza
alguma; aserm pois resignado eaperava eom-
pacienda o termo final da aeaa mutlplieadoa
soffrimeutos, eis que milagrosamente por for-
tuna ana Ihe receitaro o grande purificado*
do sangue
A Salsaparrilha
DE BRISTOL
Boa-Vista ; convol-
taber-
PERNAMBUCO.

ASSEMBLA LEGISLATIVA PROVINCIAL.
3ES><"> ORDINARIA EM 9 DE ABRIL DE
1866.
PRESIDENCIA DO SR. VIGABIO FRANCISCO PEDRO DA
SILVA.
As 11 ^ horas da manba, feita a chamada,
verifica-se a presenca dos Srs. deputados Francisco
Pedro, Hamos, Avies, J. Reg Barros, Tibowino,
Correa da Silva, Costa Ribeiro, Augusto de Sorna
Leo, Buarqoe, Paea de Aodrade, Amyntas, Arml-
nlo, Emigdio Marques, Jaosen, Borgos, Caudido
Maros, Jerooyrao, Cicero, Joaqaim Tavares, Amo-
rim, Soares Braodo, Lopes Machado e Sabiao.
Abre-se a sesso.
L-se e approva-se a acta da sessao anterior.
O Sr. 1' Secretario l o seguate
EXPEDIENTE.
Um officio do secretario do goveroo, remetiendo
por parle de S. Exc. o Sr. vice-presideote um offl-
cio do Exm. Sr. hispo diocesano, reclamando con-
tra a iosnrBciencia da congrua dos coadjutores.
A' comassao de occamsalo.
lima pelico do Antonio Jos Pisto, solicitando
indeawiisacrtodo sea torreoo occapado pelo cemite-
rio publico de Afogados.A' eommissao de orca-
meoto municipal.
(Jet reqaerimooto da eommissao de orcamente,
para qoe seja ouvida a ihesourana provincial so-
bre as polifoes de f. Caooto da Boaviaoem e Jos
Cesarlo de Mello.Apprevado sem disenssao.
C lido e julgado objecle de deliberaco om pro-
jecto abriodo etous crditos suppJameniares reala-
madotaolo presidaeie.E' dispensado da impres-
sao a pedido do Sr. Boarqae.
E' ueo m. paoecec da meem* aornmteftio, dsfe.
rindo a pretanf do promaeor Castro Nuaes ao
pagaoteolo do que aa Ibe est a dever paoveaiente
de aiugnel da casa da sua aula Approvado.
Er!!&refe ;i>lffa0Wec_, *e deiiberago
om projecto autorisando o. fKTesidente da proai'ocia i
a comprar ana, tyiographia para a pnblicaeo oVJ
Olioda ; hepatite.
Seraphioa, Pernambuco, 3 annos, S. Jos;
calos mezen tercos.
Maria Narcita da Costa, Portugal, 75 aooos, viuva,
Recife ; amolecimeato cerebral.
Maria dos Praieres, Pernambuco, 3 aooos, Boa-
Vista ; tubrculos mexenterios.
Theodora, Pernambuco, 5 meses, Boa-Visla ; con-
vulcdes.
Aioda na quarta-feira pelas5 horas da manhaa
foi victima, de om delles, om uosso distribuidor.que
ao deitar o Diario por oaixo de orna porta na pi-
ca da Sania Croa, qaaado ergaia-se da inclioacao
dada ao corpo para isto, soffrea o ataque de um,
qae mordea-o ainda sobre o peito apanbando-lbe
as coslellas.
_' preciso fazer eomprebeader, qae nao a
roa lugar proprlo para criacao de caes. Qaem os
possoe, qoe oa leaaa em seas quintaes, oa em an-
tro quaiquer logar qoe oto seja as roas.
Arriboa booie ao nesso pono a barca fran-
eeza Eugenia, qae ia de Meorevido para o Havre
para largar a trfpolacSo e S passageiros da galera
"^ri0"^ "unt * ^laLllaWelonr.34aBO'.3eParls M
um jornal ofBcia e do espediente das repartieres! __| _25____?__? p* Hng-Kong (China),
A imprimir. CO"8 a?23___'f0-J" kt>fot\ne, glo e pize. Era
Outro, coocedendo ama sabvencao de 3:9004 ao Iam ramrJiavio,_ de 1375 toueladas, com 26 pes-
conservator 10 dramtico.A imprimir. j ??ai "8 tr*Po*^ eonmrando de Willlam
E' .ida a entra em diseossao a rdaselo do pro-1 Grant.
nJta_!" ** SObre m****3 d0 P>r I Amaaha se eztriir i _a parte da o.' lo-
yUu* a mawwa os Srs. Corroa do Brll.,5!^ ^^
Cicero e Baarque, que cooclnem mandando a mo i
sa um requeruaealo para
morreo.
Isto qae ainda vemos um exforeo supremo,
ama trela aobre de algaas destroeos; mas a arle
est morta e enterrada I
c E l vai o Graca mar em fora, em busca do
porto do Recife, oode a arte acba agora protec-
co.
< Simples capricho I
O Rio de Janeiro como qoe o recife da arte,
e o Recife o porto de salvamento.
c Vai, e adeus, Gtaca I
..1! 0Mr* aos PeMinboc*nos o teu "so, o teu Exposifao dos productos agrieelas, industriis e de
taleoto : v se ganhas algumas moedas, e volta, hra a'.ri H. nr,'kn,
oh grande cnarlata,.ceao e robusto. Mrt darles de Pernamttco.
* & Mvl.,10'oll'a teva *" grajas. A eommissao directora da exposicSo resolveu
Nos s Uahamos ama, e essa mesma acaba de t om sessao do 4 do correte mez, que por meo de
nos ser roubada. > : repetidos annuncios se pobiieasse o segninte :
Se ues palavras do contemporneo sao lison- Qoe segando as ordeos do goveroo imperial
geiras para o actor festejado, nao sao meos para se deve abrir a exposicao desta provincia oo da
dos Peroambucanos e para o digno empresario, i-0 de julho prximo:
que assim se cerca de actores de nota e de accei- 3. Qoe a recepcao dos preductos destioados
tacao gerai. expsito priocipiar ao dia 1.a de jouhe ;
- No dia 15 do corrate celebra-se oa matriz' 3LQ.ae a d?mora qa.e h0UTe,r oa ren,,essa do9
da Boa-Vista a festividade da SeSa da SoSe E2"! ",,*__,,,W S "*'" _____W,floi>
que all se veoera. t-uuu" ooieudoe oca^ao, cooforme a respectiva importancia;
A bandeira ha>k.ofl sn ,mhr *n ai. .-. ** Qe T,,M,(, t01*08 atropeladamente as ves-
rlo I^I^VS^&Vm^S^ fia da abermra daHPos,ao' nera "
rio da guarda nacional, havendo1 aa ave marias a- Pde9alcD,ar P60 reqoerem e se
dainha '"""' u eam as ave manas Ia dever aproreptar, oen fazer soaresahir os pro-
Ora aa festa o Rvd. Sr. Leonardo Joao Grego e ^T' espacand-8> e co"ocn>08 convemeote-
no le-Deum o Rvd. Fr. Joaquim do Espirito Santo. n
rk. .... o. Qae ao agente designado pelo commlssario
arTSa^T.- ^ ** S?^* fl8** chssiflcador, oSr.Dr.Glrrasio RodrifueT Cam
K?vf SS&fL*^ qae ***** so,tos Pel*: Pio. se oevero entregar os productos no palacio
Boi-,Y.to mor(,eado.a? r^antatJPi Pssam. ao overno do rererid^ ,|i ^ Jnnno W
le, e desde as 9 horas da manba at as 3 oa
tarde;
.'que a narra^
cao qoe a etfrrespoodeocia faz das proposlas do
Sr. Santiago oio exacta ; 2 qae estas sempre fo-
ram desvantajosas pora mim; 3a qoe o Sr. Maaoel
Alves nunca qaia garantir os pagamentos do Sr.
Sanago'mesmo qnaodo promettia vocalmente.
O Sr. Maaoel Aires, qoe tem tomado ama parte
tio activa em todos estes negocios longe de servir
o mediaaairo aflm de aoatar eon aa nossas -jues-
toes tem smente se eoearregado de difflculur por
todos os meios a eobranea do qoe se me deve.
Tem sido o embargante 3a de qoaatas apprehea-
c5es posso ir fazeaoo ea assucares do meo deve-
dor, qaaado mesmo posso mostrar sua procedencia
apezar dos Domes modados.
Nao contente coa urna hypotbeca qae Ibe asse-
gurava o pagamento de soa divida o Sr. Manoel
Alves cooseguio orna oatra a ututo de ratificacao,
mas que estendia a primeira a lado quaoto pos-
sne o Sr. Saotlago, a todos oa seos bens
isto
e mediante a eua giande efficacia e excellend
elle ae achou dentro de pouco tempo, livra de
aeu irremediarel estado de desespero, e a doce
e risonha eaperanca tomn de nove a revlrer
em aen eoracio sob a poderosa e benvola ia-
fluencia deste admiravel medicamento, aa auai
:hagas em breve princioiwio "' um ca-
rcter favoravel diminuindo o aspecto de ana
malignidad. A maesa do aangne e mala
humores do svstema tornou adquirir urna
appareneia clara e aaiuiavel, as dores ator-
mentadoraa d'ootro era o deiiarlo, e urna doce
s suave tranquUlidade principiou precorrer
todo o aeu syatema, reatanrandoJhe a desejada
paz e aocego d'eapirito; aa chaga* nana 4 ama
ae forio fechando at que DmUmeate ae cica-
trizario d'um todo, e hoje acha-ae perfeita-
mente aio, goaaado d'um perfeito catado de
~ude, depois de ae ter visto privado d'eete
grande gozo durante mala d'um auno. Elle
duraste esta sua cura,, apenas fea nao do
Desasi garrafas da Ge-taina Salsaparrilha
da Briatol, preparada exclusivaente por
LANMAN & KEMP,
Be NOVA YORK.
Beecenda-ae mui particularmente aoa
Doentee d'ambos oa sexos, que empreguem
toda a cantella na cscolha d'eete admiravel
remedio, afini que nio obteabSo outra eaaa-
poBivo quaiquer, que nao seja a Salsaparrfl-
h* Genuina de Briatol, pois que todas aa
mais preparacoes e imitaedea d'esta natoresa
ato aaaa nio poasuiDo virtude alguma.
Vende-se as boicas de Caors & Barbosa
e C. Bravo d C.
0 s 104000 os quaes augmopUm os Bovimenlos irrta-
--- tivo pnoaia absorcSo, vos 9 cernen-
iMwpiwuii rqae aognerrtan os nor-terrlo
- '_ w Ia cooslituem as seeresoe.
e qoe sem a precisa combi-
nado e modtQcacSo n5o {>dde *r elle appI
cado i^a*nctoerite. Murta. Tezes o pra-
tico deixa e fswr applicacio do ferro por
conheeer suspettar qae o findo, o bofe 00
pulmio, eor8aoeDdtrespr3C5o ^
oulra eoiraoba Mt e*MMi; entretanto
qoe, se se tivesse ar^Headn cu tempo se
poderla ter evitado o desenvlvi_io da
molestia. Assim, pois, o xarope prepara-
do como fica exposto se pdde usar sem ris-
co por n5o offender as entranbas. As mo-
lestias contra as quaes o xarope tnico re-
frigerante pode ser applicado coi proveito,
sao: as amenorrheas, ou sospencao do (la-
xo menstrual das molheres, anemia, 00 di-
minuig-o da massa do sangue e sua consis-
tencia alterada, dores de estomago, debili-
dade dos orgaos digestivos, fastfe, flinos
mucosos, flores brancas, chlorose, molestias-
do sexo femenino, caracterisada por lan-
guor geral, acclorisacao pallida da cOr ou
esverdinhada, eBapobreeimento do singue,
enfartes-ebronicos das visceras abdoanaes,
alporcas ou escropbulas, etcorbutos', opHa-
co, pallidez, e os estragos pixtds-ios pe-
las molestias sypbiliticas: aethenia an /alta
de forfas; fraqueza geral: e ba bydrope-
sia anazarca e ascites; tendo-se o oidado
de observar nestas doas ultimas Motestias
principalmente, e ea todas S~ etrtras, qoe
um dos effeitos salutares dwte xaropa te-
ro-ventre corrente, e as urinas deseabara-
Cadas.
O modo de osar-se e regufar-se Tai des-
cripto no leireiro pregado no frasco.
Vende-se nicamente na botica da ra
Direita n. 88 de
Jos da Rotka Parsnhot.
TTENCaO.
verdadeiro remedio em sea verda-
deiro temto.
Jamis se dever fazer pouco caso da
tosse e das constipacoes, e nem tao pouco
esperar, at que os pulmoes infiammados
e ulcerados nao deixem mais esperanca al-
guma. Logo ao primeiro e mais leve symp-
. havidbs e toma acuda-se itnmediatamente, e lancease
credor aos quaes se acba~ especial mete ofcriga- Pu m?nar COObectdO. O Pettoral Ai Ana-
ios alguos de seus bens oo pode sem o proposi- cantuta de Kemp por sem duvida alguma
to de ditlicultar o devido pagamento fazer orna hy- O remedio mais poderoso e efficaz para com-
_.TiS35t -* _* "__ft ^ 2_*___
todas estas questoes procorado todo qoaoto ibe W* a sciencia te" encontrado, a experien-
suggere a chicaoa a lira de qae ea nao receba coosa Ca com; r o vado, e O tcstemunho humano
aigama 5 e taoto isto verdade qoe a eicepco de perfeitamente approvado. A sua composi-
J3 saceos com assocar, qoe o Sr. Santiago me en- cj0 inlairamente veirplal ( nrfila_ipntA
vioa aotes de taier as pases com o sen correspoo- ^___2?!__________? Rneia,nente
deote,nada teoborecebido a oo ser jodlcialraeo-. moffensm' COnservandO-se inalteradamente
te, depois de mil oiBculdades e oppeeicdcs. | em todos os paizes, adaptando-se admira-
0 Sr. Saotigo quer me pagar, o Sr. Maooel Al- velmente a todas as idades, t mperamentos
ves quer garadr seos pagamentos ; acceiUndo as e eonstituicoes Sinn rnrat rnaravilhAa
proposus eu oo perda nada, ea soa am pb.rrooi- Zn^"S?8' ,U^- CB_?! n"08
co que s qaer receber depois de pagar cusas, de. ~0 completas, n5o demando nada a dese-
gastar tempo e trabalbo; eis o qae se diz na cor- jar-se. E' de summa 111ilidade em todos OS
respoDdeocia e o qne se torna ridiculo depois do casos extremos; porm vale mais usa-lo
Xarope arcboolfeo de vjame, preparado
pelo pbarmaceatico Jos da RocbaParanhos,
estabelecido com botica na ra Direita a.
88 esa Pernambuco.
Este xarope ineontestavelmente superior
a todos os xaropes depurativos, de enjar
composico o seu maior elea ente a salsa
parrilha, pois que se tem conbecido ser o
veame mais enrgico parsMi prompta cura
das molestias, coja base ,'essencial depende
da purificacSo do sangue; assim pois sn
tem verificado por muitas pessoas que se
achavam desengaadas, as quaes acbam-se
hoje restabdecidas com o referido xarope
aleboolico de veame; entretanto qae al-
guos, tendo usado do xarope do Cermier,
de Larrey, de salsa parrilha, de saponaria*
oleo de figado de bacalbo, e outros agalles.
de*ta ordem nada conseguiram. E' elle de
facH digesto, agradavel ao paladar e ao ol-
pbato. Argnns mdicos desta cidade e da
de Macei o teem recommendado para a ca-
ra das
Impigens, tinha, escrophulas,
Tumores, ulceras, escorbuto.
Cancros, sarna degenerada, fiuxo alvo.
Todas estas afiecces provm de hsbo cau-
sa interna; nao ha pois razio alguma em
crr que ellas se podem corar com remedio
externos. Tambem se prseme o xarope
aleboolico de veame para o tratanenio das-
affecces do systema nervoso e fibroso, tae
como:
Gotta, rheumatismo, paralys'ia,
Dores, impotencia, esterilidade.
Marasmo, hypocondria, enmagrecimento.
O xarope alchoolico de veame sobre
tudo, da maior utilidade para curar radi-
calmente, e em pouco tempo o rheuma-
tismo.
Adverte-se que o verdadeiro xarope s se
vende nesta cidade na botica cima indica-
da, do abaixo assignado; e em outra quai-
quer parte que se tem annunciado nao da
mesma composicao, e nem o abaixo assigna-
do se responsabiliza.
Jos da Rocha Paranhon.
COMMERCIO
que temos dito.
Joaqum Elvtrio Aktt Silva.
Publicacoes a pedido
qjn o projecto voite i
corna>isaje
Enconada, a discussao o requeriawoto appro-
vado.
Contina a diseasiao astada sobre o yojecto o.
42 desta aoao, qoe autorisa o dispeadio de 3.0004
paraauaiUo a xpesico iodustrial da proviocia.
Fallara os srs. Costa Ribeiro e Correa de Brito.
6. Que a todos os expositores se passira recibo
de seus productos, declarando, conforme elles de
termioarem, se o desuno do objecto exposto 6 dei
xado ao arbitrio da eommissao, se deve seguir para
a exposicio da corte, on ser restituido ao expositor,
logo depois da exposicSo;
7.a Qae podeodo ter accedido qoe oo tenham
c negado a sen destino algo mas das circulares e
instrucedes- por ella dirigidas a todos os cldados
qoe julgou poderea contribuir para a exposicio,
Ibes roga que prescindindo de convites especiaes,
contrlbuam para esta feetaiodastriafr em cojo bom
oa mo xito vo de algum modo os orlos da oro
viuda. e
Sala das sessdes da commissio directora da ex-
posrcio oo Pernambuco, 5 i abril de 1146.
M. Buattque de Haced;
l Secretario.
Communicados
Fm casa de Antonio Correa de Vasconcellos A
C, Sea-se promoveodo urna subscripeo em benetl-
clo do indigente e mono-maniaco Tbnmaz- de Aqoi-
oo Pereira de Vasconcellos, ex-soei aa aatigt casa
na roa do Cabog dos. Sra. Peres & Vasconcellos, o
qual actualmente reside na Porto.
Tem-se obdo o recebido () as assigoaturas dos
Srs. abaixo meDdeoados, e algn* de seos amigos
Ojue quierera umbem coacorver para esse tro,
queiraai dingir-?a a referida casa aa ra do Cres-
po n. 13.
Beroardioo Gomes de Carvaioo, com.
porem
logo desde o comecb de quaiquer urna mo-
lestia.
Vende-se as pharmacias de Caors & Bar-
bosa e J. C Bravo & C.
Xarope tnico refrigerante de veame e de
ferro preparado pelo pharmaceutico Jos
da Rocha Prannos, estabelecido na cidade
do Recife provincia de Pernambuco, ra
Direita n. 88.
Este xarope, que d tom ao movimento
muscular por sua qualdade frrea, ao
mesmo tempo purgativo pela parte do ve-
lame que encerra, e refrigerante peta par-
2004000!
Antooio Correa de Vasconcellos, com. 2000000 jte aci(Ia ^m da precisa para perfeita so-
los Caetanod*Carvaito.coa...... 2O0AO00 lucao e combinacSo do ferro; este atacado
Jos Peres da Croz, eom 4........... 200*0 pelo acido fica em extrema divisSo, e as-
Keller & C, com.................. 100|000
Saunders Brothers, com............ 100*000
F. Laaraae C, com.............. 100*000
N. O Bieber & C. Saceeasoras, com... 100*000
Jamos Ryoer & C, com............ 100*000
30*. 00
50*000
50*000
50*000
..
........
*
AO BBBLra
tttenco.
! discussao do projecto n, 84 da 1864. auoexan-
do ao termo de Caroai o dielricio de Carapaioes
perUaceotBr^o.--Reieiiado sem debate.
de
o proxi-
tal 1:960*600.
BelacSo dos baptisades feiioe na
3* discBsao do projecto n. 14 deste aqno, toroan- Santo Aatooio do Recife, no mez d
do eiteosiva todos os impostos a eobranea feiu mo flodo. *
pelo eonraiade provincial para as decimas das ea-. Migoel, branco fllho _Mitimft tas de mprucipio dg Recife, que eram arrecadadas Drumond Cavalca_F '-islqtierque e Jacintba
pela cjJlectoria de Olinda.-Approvado sem discos-! Saturnina da gi_jf7.jucmerque.
% r$ *> nm fc toJ(Wte5. Kr. trasy1^ *"* e"r", *"""""
7oaguim, pardo, ntho de iraria, escava de Angela
i Maria de Lima.
branco, Slbo legitimo de Joao Gtrtoittdo Pin-
e Candida Godofredo Pinto.
^o-leracio do bilbetes da lotera^* offere-
cidos pelo thetoareiro das loteras para auxffto das
des petas da guerra. \
Meio*. n.D" v M irak joik nofi iiir MQ OaTO o Sr. tenenfe-coroneJ Francisco San-
2199, J1W 2609- Uto^3116 3121 SSr ffi^0 B*m" D0,,,,c*r M Diario STnontem
3880 3899' *" FHrrespondencia i flm de mostrar qoe as exe-
Ouinto ni 580 1004 x&nsMSEHBm. T> j. _iXt-af-5-"asK
Para provar que a culpa i miaba diz elle que
capim para ven4ei> fovado sera debate".
3 discosso do pnJtto n 34 desiTaano, flxan-
do o ordeosdo tlojwfesior de instruccao primaria
da Cidade A* Vlctori,-Approvado sem debate
qoatro vezas tenho recusado as propostas de paga-
mento, que se me tem feito, em todas aa quaes
nada perdendo certamento ea tusa a anhar. v
A ser assim bavena mais do qoe pberronismo
em* meu modo da. proceder. Nao querer receber
o integral pagamento d'uma quantio avoluda s
para ter o man gosto de otar phenoras tu quaes
sabe Dos qtunto me custam) orna verdadeira
perversidade. Para mostrar ainda mais qual o
I mea desejo de persegnl-lo, principia o 8r. Santia-
go npr dizer qne Ibe consta andar en maliciosa e
1 ealcaUdamente espalhando lio s por entre partl-
cnlrtf, mas tambem peraote 01 jnizes de primei-
ra e seggoa Instancia do foro oommerelal desta
30*000
30*000
20*000
20*000
20*000
20*000
20*000
20*000
20*000
20*000
20*000
20*000
20*000
Patn Nasb C, com...........-.
JobBstoa Pater C. eom.........~.
Ferreira di Araojo, eom.............
Antonio Goocalves de Aievedo, oom~
Joaquim Goocalves Pereira Cascaa,
com..........................,
Al ves Haraburger & C., com........
Tbomaz Hardiog, cota........._v..
bindem Wild C.,com..
beodoro CrUUaoseo, eom..
D. Si Fenelly, com.................
Carneiro Nogaeira, com..........
Alfredo Jos Aniuoee Guiraarae, coa*.
Monteiro, tope A C,coro..........
Francisco Goacalvea Ireuo, eom.....
Vai di Leaiicoov..................
Loiz Antonio Siaaowa, eom.........
Fraocisco Ferreira Roeta Leal, com..
Ferreira & Matheua, co...........
Aodrade & Reg, eom..............
Sonta, Atdrada C, co......,...
Jos da Silva Lojs,com............
Jos Joaquim de Cada. Machado, com.
Heniiqne Burle, coa...............
Mello Lobo 4 C, om............,,.
Loiz Domingas da Silva- Monteiro,
com..............r..,.......
Antonio Valentina da Silva, Bairoca,
com............................
Henrique & Azevedo, com......#.
Angosto C deAbrea.com........... 10*000
Joo Pereira Mouiinbo, com.......... 13*000
Custodio Montuno da Silva, com.....
Manoel Jos Machado, com..........
JosadeAzeve4oAndrade.com...... |i
Marques Sames &C, eom........... 10*000
{) Con excepcSo de om s assigaanle.
sim o mais soluvel qoe possivel, de sorte
que j nio tSo dependente de ser diger co
pelos cidos traeos, que se acham nosuedo
gstrico durante a digestio. Os expositores
de medicina sio de opiniSo qne o ferro e
todas as suas preparacoes gozam das virtu-
des eminentemente tnicas, que aproveita
em todas as molestias que sao caracterisa-
da s per fraque; e com effeito acho exac-
ta essa opinio; nao mas dado o ferro em
substancia pelo mo resultado que tenho ob-
servado, (e que j fia publicar) en certas e
determinadas mole-tias; porexempto: ano
mia, e febres intermitentes, terminam mui-
tas vezes por anazarca, que e accomulacSo
de serosidade no tescido cellular (agua quao-
do est entre a pelle) e. depois ascite ouhy-
dropesia de ventre, que accumulacJo de
PRAGA DO RECIFE.
Cotafoes offlciaes.
12 de abril.
As 3 1|2 horas da tarde.
Homero.
Algodo sorte 18*300 e 18*300 por arroba.
Dito do Rio Grande Jiorte20* por arroba posto a
bordo.
Cambio sobre Londres90 div. 27 li2 e 27 li*
d. por 1*000. '
Hoje.
Assocar mascavado regular de Maceld-1*800 por
arroba, posto a bordo.
Algodo 1* sorte18*200 por arroba.
Algcdlo !sorte20*500 por arroba posloa bordo.
Algodo da Parahyba19*700 posto a bordo.
Algedao de Macelo17*500 posto a bordo.
Cambio sobre Londres 90 d|v 27 1)2 d. por )*.
Dubourcq Jnior,
Presidente.
Sirvefra,
Secretario.
Voto banco de Pernam-
buco.
O Novo Banco descoma letras a 12 por eent
ao aooo, toma diobeiro a praso fixo on em eealav
corrente pelo premio e condiedes qae se e envea
cionar. e saca sobre a praca da Babia
Noto Banco de Pernambuco.
O novo banco paga o 16a dividendo ne
razio de 6*150 por accao.
20*000
20*000
20*000
20*000
10*000
10*000
10*000
10*000
10*000
ALFANDEGA.
Rendlmento do ola 1 a 11.....
dem do dia 12..............
357:*fSl>
27:401*971
385:075*521
MOVIMErTTO D ALPAND1GA
Volumes entrados com fazeadts... 235
a c com gneros... 678
20*000 serocidade no peritoneo.
E' sabido que o ferro um dos agentes
mais:importante para qae o sangue se pre-
pare e aperfeiooe debidamente, e por con-
seguinte o mais propino para impedir o des-
eo velvimente destas molestias; mas sendo
elle um efficaz excitante, srbante esecer-
nente, claro que s- associado como se
acba nesta xarope, pode dar o resaltado
que se espera, e a experiencia me tem de-
monstrado sera risco do offender as entra-
_bas.
Os effeitos dos incitantes, s5o: promover
as secrecoes, e absorcSes, augmentar o ca-
lor natural, e remover aquellas dores que
nascem da falta dos movimentos irritativos.
97
913:
Volumes sahidos cem fazendas...
com gneros....
___ l.Ott
Descarregam hoje 13 de abril.
Barca logleza aton faritba de trigo e mais la-
neros.
Barca mgleraIr Patacho sueco 7./iw-farinha de trigo.
Patacho bamburguexMarta Imzodiverso ga-
neros.
Patacho tespanfcola Antonietavmbos.
Brigne ioglez-Wtoaiabacalbo.
Vapor inglarCandiversos genero de estiva.
Brigne ioglea Nevobacalbo.
Barca fraaceza Guillotine Tell-mercadorias.
Barca inglezaAn*e aoymercadorias.
Barca- portoguaaFrrreiro Piryra aniultuii
sias.
Barca loglezaMexandrt car vo.
Barca loglezaMaraaAdo-idem.
Barca iogle*a-fidfa Manondem.
Brigne mgiec CanHm-iem.
Bngoo iogtec- Har BeUdem.
Brlfw inglez Joan & Elnnlmtk ideo.
Galera nactonafe-Mradirtn ateta.
Brignt tcrwajQen-& Jaaa-Mam.
Paucho hespanbolAoVio-le-denv



v;
"'v
t
S
'4
?
1 '
* -





/
e reraiMMM ftext*|#lr 1 de
de
sanaca nespanh;
Vipor aacioi
rac, manir**
DaCe.
40 barricas
oro rama, t barricas lar
ma maehiaa, a ordem.
De Macan.
ca xes cora 41 arrobas e 8 libras velas
carnauba, a Antonio ** Sil P. Gaiauriei.
M ditos coro ti arrtS a 16 Abras telas de
-aroauba, aHaaoet de Sonta Carnet Pimpio.
Patacho | toguez Garrrf, entrado no Rio de
Janeiro, consignado a Amorira Irmao manfestoa c
seguinte :
8,198 arrobas 1S libras de carao aecca e 70
cooros sceos, sos mesmos.
Bacc* inglesa Unten, entrada de Pbiladelphia,
consignada a Mstheus Ausiins & C manifastou o
nguinie:
1,905 barricas farioba de trigo, 25 ditas uta de
mimo, 130 eaixM kerosene, 3 ditos saisa parrilba,
S driei oteo do amsndoa, i volantes fogdei e por-
uees. 4 ditos caderras de bataneo, nos mesmos.
30 caas maebioas de desearrocar algodao, a
l-arente Vianna 4 C
3 caitas conserva, a T. Admson Jnior.
i lata oleo para maebioas, 1 caixa ignora se, a
Viova Machado di Filbo.
Brigne ingle: Tttcmia, entrado de Terra Nova,
oonsignado a J. Patar & C. raiaifestoa o seguate :
J:458 baVriene bacaibo, 6 canas salmn, 8 ditas
anos, ios meamos.
tunea inglana Traveller, entrada de New-York,
consignada a Pnipps Brothers & C maoiestou o
segninte :
3,000 bames fariaha de trigo, aos mesmos.
Bripie logitz Nma, entrado de Term Nava, con-
igUM a J. Jfcter 4 C manifestou o segante :
3,115 barrases baealaio, aos masmef.
Barca inglesa Qneem, entrada deterra Nava,
eoiaelguaia ataaatfers Brothers & C. mawfsetou
seguate :
3:002 barricas bacalho, 1 dita salmn, oos mes-
roo?.
Barca nacional Amizade, entrada de Mentevid,
oosignada a Bailar <& ulivelveira manifastou o
sesutote :
4,433 qutntae* (hespanboes) carne secca, 200
saccas farello, 70 coaros vaccans seceos, nos mes-
mos.
ECEBEDORJA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO
Rendlmeuto do da 1 a 11..____ 8:7535815
IdemdolUlx............... 993*402
>
9:749*417
CONSULADO PROVINCIAL
Rendiraento do da 1 a 11..
de:n do da 13)..........
38:7615762
5:67o*5i8
44:437f270
MOVIMEHTO DO PORTO
Navio entrados no dta 12.
Acarar e partos intermedios7 dias, vpor nacio-
nal Mamanguape, de 237 toneladas, commandan-
te Trajano da Costa Mello, equipagem 20.
Montevideo27 dias, barca franceza Eugenia, de
264 toneladas, capitao Sicard, eqalpagem 11,
carga coaros ; ao mesmo capitao.
Navios sahios no mesmo dta.
Rio de de Janeirobrigue nacional Marta & Alfre-
do, capitao Candido Gooiart de Sonza, carga as-
soear.
Rio de Janeiro e Bahiavapor francez Navarre,
commandanle Massenet.
EDITAES
O Dr. Tristao de lencar Araripe, oBcial d
imperial ordem da Rola e jutz especial
do commercio, nesta cidade do Recife de'
Pernambuco por S. M, Imperial, etc.
Faco saber aos qae o preseote edita! vi-
rem e delle noticia tiverem, qae no da 16
de abril do correte anno, se ha da arrema-
tar por venda a quem mais der em praca
publica deste jyizo o seguinte:
As quatro stimas partes da casa terrea
sita na raa Imperial com o n. 164, a qnal
ltem porto e muro na frente, sendo a casa
collocada no centro, com janellas e porta na
frente e nos oitoes, com grande terreno at
a mar, e os fondos at o rio Capibaribe,
avaliada ditas partes por 2:2850712.
Um terreno na roa Imperial com 30 pal-
mos de frente com os fondos para a mar
pequea, foreiro marinha, avallado por
300, a qual casa e terreno foram p en ho-
rados por execucSo de Francisco Alves de i
Moraes Pires contra Francisco Botelho de
! Andrade. E nao ha vendo lancador que ca-
bra o preco da avaliacSO, arrematarlo se-
r feita pelo prego da adjudicado na forma
da le.
E para qae chegue ao conbecimento de
todos mande I passar o presente que ser pu-
blicado pela imprensa e afixados nos luga-
res do costume. Recife, 7 de marco de 1866.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Na sciment,
escrivao o subecrevi.
TristSo de Aletear Araripe.
O Dr. Tristao e Alancar Araripe, offlcial da im-
perial Ordem da Rosa e jur de direito especial
do commercio desia cidade do Recite de Par*
nambueo por Se Magestade Imperial e Consti-
tucional o Senbor D. Pedro II a quem Dos
guarde etc.
Faco saber aos que o presente edital viren
delle noticia verem ana ao dta trata de abril
do corren le auno se ba de arrematar por venda, a
quem mais der em praca publica deste jnizo o se-
guate :
Duas pequeas casas terreas sitas na Capnnga
no lugar Bal xa Verde, as qoaes nao tea numero,
teado cada omadesenove palmos de largura e trin-
ta a seis a mato palmos da largara, digo de fondo,
com urna porta e janella na frente, duas pequeas
salas e oro quarto, costaba, na sala de detras qoin-
s
DE
n ,, ElPREZA-CMBiU.
Sabbadol4deabrildel86&
Representar se-ba c drama em 5 aetoa
0 SOLAR DE MONTARGIL
Dar flm o espectculo a comedia em 1 acto
ornada de canto
O.pai e o noivo.
Os Srs. asslgnantes tem preferencia aos saos
camarotes e cadeiras at o dia 13 do correnta.
Os bilbetes esto a venda no logar da costme.
Coroecars 8 turan.
AVISOS MARTIMOS
1866.
< OH1MM1IA BRASILEIRA
PAWRbI. TANI.
Dos portos do sal esperado
at o dia 14 do correte o vapor
Paran, cammandaata o eapio
da fragata Santa Barbara, o qual
depois da demoTa do costame,
seguir para os portos do norte.
Desde ja recebem-se passageiros e engaja-sa a
carga que o vapor poder conduzir, a goal devera'
ser embarcada no dta de soa chegada, encoumen-
das e dinbeiro a frete at o dia da sabida as t ho-
ras : agencia rna da Cnn n. 1, escriptorio de An
oaio Lniz de Otiveira Azeveao A C
AOS g:oooooo
Corre amaiiM
Acham-se a venda na respectiva theso*-
laa, a roa do Crespo n. 15, os bilhetes,
meios e quintos da 2a parte da 6a lotera
(57), a benfico de theatro de Santa Isa-
bel, cuja extraceno ser no lugar e hora
do costume.
Os premies de 6:0003000 at iOtfOdO
serlo pagos urna hora depois da extracglo
at as 8 horas da tarde, e os outros depois
da distriboiga'o das listas.
As encommendas sera" o guardadas se-
ment ate a noite da vespera da extraccae.
O thesoureiro,
Aotonio Jos Rodrigues de Souza.
GASA DA FORTOIU.
Aos-^OOilQOO.
CttlPANBU BBASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E esperado dos portea do norte
at o da 17 de abril o vapor
Cruzeiro io Sul.commandanle Al-
eoforado, o qual depon da demora
_______. do costume seguir* para o* por-
os do sol.
Recebem-se passageiros e engaja-sa a carga que
o vapor poder conduzir a qual devera ser embar-
S1
r
nheiro a frete at o dia da sabida as 1 horas
agencia ra ta Craz n. 1, senatorio de Antonio
Lor de Oliveira Azevedo & C
COMPANHIA PERNAMBCANA
tal em aberto, avaliada por quatro centros mil res,' cada no dia de soa chegada ; encommendas e di- || de abril de 1866
cada orna; as ques foram penhoradas por ezeco-'"
cao de Libanio candido Ribeiro & C*. contra Anto-
nio Luis Nones.
E nSo bavendo langador que cnbra o prego da
avaliaeo, a arrematagao sera feita pelo prego da
adjudicacao na forma da lei. E para que chegue
ao eonhecimento de todos mandei passar o presea-
te qae sera publicado pela imprensa, e afiliado nos
lagares do costume.
Recife 12 de marco de 1866. Eu Maooel Maria
Rodrigues do Nascimento, escrevo, o subscrevi.
Taistio de Alencar Araripe'
ESTRADA DE FERRO
DO
Recife a Sao Francisco.
Feita dos Prazeres.
Dominga) 15 te abril de 1866.
AKWn dos uens ordlnartos da passageiros hava-
raP*s$! dia os segeintes aapedaes :
Treajtreas de id i de Cinco Pootas a' Prueres, a
saber*
. As 9, IB a 11 boras da maabaa.
Qoatro trens de volta de Prazeres a' Cinco Poe-
tas, a saber:
As 4 e 3 boras da tarde e 7 e 8 da noite.
Esses trens paratao em Atogados a Boa-Viagem
Unto na ida como na volta.
Os bilhetes podero ser comprados, desde a ves-
para na eaueao de Cinco Pomas.
Escriptorio da superintendencia, Villa do Cabo,
Na roa Kreita n, 114, lo^
jja de otirives
eompra-sa oro e pratt t relofios veibos da fodas-
as(juaiida*>s,.paga-sanem. Dilaetee fraaitldoa.
faajr Mi>n nl#nr n fann?a AAPCRESP0N-KCAftASDOOOSTMB
LJ9B pwa alijar la Ldpunea Oabauoassignadovennennaaseos muitofelt-
Alogase nmo na roa das Pexnambu-, tes bilbetes garantidos a lotera qae se acaboa
canas na Capunga, tem 4 salas, $ quartos, cozinha de axtrabir, a beneficio da Saalo Casa de Mise-
ro e copia", e mais 3 qnarfos tora, 1 banaaro e, neordia para canaUsaeia d'aaa* e su no hospital
eaenhtiro, e todo o sitio murado, acabado de aovo?: Pedro II, os seguintes premios :
a tratar com Aotonio da Silva Ramos na raa da N. 1980 don* quiotos com a'#orie d S0005-
Prala n. 78-; o preco 4 eommoojo.
O fiscal ea. fregaa^a da I Jos faz' publico
para eonhecimento da qnem interessar, qae de
baje em diaale se- vendara' na mareado publico
desta rreonasia,. todos os das das 6 hora* da-roa-
nbaa as 6 na tarde, farlnba de Santa Catbarioa, a.
wB rs. a eota.
Jeranymo Jos Parren.
mtt* ********
Dr. Igoaeio lcilbdes Velleze.
M*UICu V
Rl/A DA IMNRATRtZ N. W. ^
Trauespecialmtotenas moiastlas sy- ]
Wt philitiMs e de criancas. >m
n4r** *
m\
N. 3924 traai|ntolot con a serte de 1:200*.
It. 1327 tres quintos com a so/te de 500)000.
E outras moitas sortes da 100*. 404, e 20*.
Os possnidores podem vir reeeber sena respec-
tivos premios sean as nnneontos das leisuacasa
da Fortuna roa do Crespo n. 23.
Aeham-se a vaada os da 3* parte 4a 6- lo-
tera (17*) do theatro e Siota tsaba!, qae se ex-
trabra' sabtwdo U do cnrr*-ni.
MIECO.
Bilhetes.....64000
Mein*. 31000
Quintos.....1*200
as Besanas qne eomprann) de 1005000
par cima.
Bilhetes. ". 9|500
Betos......2#750
uituos. .... 14100
Manoki Masti.-Fii:za.
Para
Precisa-ee de urna ama para engommar:
Da roa do Brun n. 72, prineiro andar,, pe- kga, o Ulbete inb-iro n. 820 da lotera qae deve
Joaquira Newton deCarvalho, comorou por or-
dem do Sr. brigadeimJos RodriguasLeile Pitn-
easn
DE
Rayegaco costeira por vapor.
Parahyba, Natal, Maeo. Aracaty e .Cear.
O vapor Mamanguape, com-
mandanle Belmire, seguir' para
G. O. Mana,
Superintendente.
Declaro pelo presente que comprei ao Srs.
David Bloch Irmao fjoalheiros) amas argolas do
brilhanies peta qqantia de 1:2004, e tendo vindo
DECLARACOES
O Dr. Virgilio de Gusmao Coellio, juiz mu-
nicipal supplente da 2.1 Vara em exerci-
cio nesta cidade do Recife de Pernambu-
co etc. etc.
Fago saber aos que a presente carta de
ditos virem em como a unta administrativa
fez a peticao do theor seguinte: Diz a
junta administrativa da Santa Casa da Mise-
ricordia dn Recife. que quer fazer citar a
viuva de Manoel Antonio Carneiro, para
primeita d'estejuizo fallarem aos termos de
um libello em que llie quer pedir o sitio n.
20 particular no lugar Carreira dos Mazom-
bos, as salinas, do qual se acha de posse a
supplicada por titulo de aforamenlo feito ao
dito Manoel Antonio Carneiro, visto ter a
supplicada cahido em commisso, como me-,
lhor.i ente expressar em seu libello, pena
de revelia, ficando logo citada para todos os
termos da causa at final execugo. E por
que a supplicante ignore quem seja essa
viuva, porisso requer aV.S. qnese digne de
mandar passar carta de editos com o praso
de til) dias para ser citada a supplicada por
todo o contendo n'esta.- Pereira e Souza.
Proc. civ. notta 203 por tanto pede ao Illm
Sr. Dr. juiz municipal da 2.a vara lhe deli-
ra. R R. M. Como procurador Jos Theo-
dore Gomes,
Cuja peticSo sendo-me apresentada n'ella
dei o dispacho do theor seguinte:
Destribuida, como requer. Recife 22
de fevereiro de 1866. V. Coelbo.
Em yirlude de dito meu dispacho foi a
ac;3o distribuida ao escrivao Cunha, e este
passou a presente por bem da qual e sen
theor citada a viuva de Manoel Antonio
Carneiro, para fallar aos termos de um li-
bello civil que lhe vai propor a junta admi-
nistrativa da Santa Casa da Misericordia do
Recife, pedindo-lbe a entrega do sitio n. 20
no lugar (.'arreira dos Mazorabos as salinas,
?isto ter eahido em commisso; como ludo
declara a peticao aqui transcripta, afim de
que no praso de 60 dias contados da data
do presente, compareca em juizo por si oo
por seu procurador a allegar o seu direito,
e defesa, sob pena de revelia; para o que
mando a todas as pessoas, parentes, amigos
ou conhecidos da viuva de Manoel Antonio
Carneiro, lhe facam aviso de que por este;
citada para oque cima fica dito.
E para que chegue 'ao eonhecimento de
todos, mandei passar o presente que ser
publicado e affixado no lugar publico do
custume.
Dado e passado com o praso de 60 dias
n'ista cidade do Recife aos 3 de marco de
1866. Eu Pedro Tertuliano da Cunha, es-
crivao o escrevi, Virgilio de Gusmao Co-
Iho. Vai pagar a quantia de 250 rs, de di-
reitosde chancellada. O escrivao Cuaba.
N. 1223 250 rs. Pagou 250 rs. dedirei-
tos de chancellara. Recife 3 de marco de
i 866. Chaves,Limoeiro,
Vai pagar o sello d'este edital que impor-
ta em a quantia de 400 rs. 0 escrivao
Cnntia. Eslava o sello n. 56400 rs.Pa
gou 400 rs. Recife 3 de marpo de 186*.=
Chaves. Sena.
Etaw o einete das armas Imperlaes do
Tribunal da Relacao. Firmiop Antonio del D
Seuza, presidente. Transilou peU chanceM __-...
iaria Recife 6 de marco de 1866. O
escrivao Francisco dosReisNunes Campello
Jnior. Lancado a fl. 100 do livro
Pi*aCa ttve occasio de mandar avaliar ditas, argo-
las qne no maitrao fetran avalladas por 300J, fa-
go publico a preseote dedaraejio afim de prevenir
o incautos frlaierncieote aos Srs. Bloch & tr-
os porto cima do da 21 do cor-1 Sf? tUL&BftSZ ^"n ?' coaIo.rme
renta ai S horas da tarda Rai-. 'tl a don,,na de ^to ioarme. Detaro em tempo
CSlSfil55an1n^l^to^tej^yo '^^ ">'* 4 encommendas passageiros e dinbeiro a frete at ""fS?2*2 ?ln.h.orf.3 i8lLawr ne8ocio!' '
as 2 horas do dia da sahida : escriptorio no Porte
0H^V
Pela inspectora da alfandega se faz publico
que no dia 13 do crreme a' 1 hora da larda se
ha de arrematar a porta da mesma, ama ealxa
cora a marea LF n. 5.viuda de H.mburgo no na-
vio banoverlano HeltM, entrado em 23 do prxi-
mo passado, contendo bonecos de massa avadados,
a qoal fol abandonada aos respectivos direitos por
Ladislao Jos Perreira e avaliada em 30$.
4.* seceso da alfandega de Pernambuco 11 de
abril de 1866.
O V escripturario,
Joo de A. Pereira Rocha.
CRREIO GERAL
Pela adminisiracao do crrelo desta cidade, se
faz publico que em virtude da convenci postal
celebrada pelos governos brasileiro e francez, se-
rao expedidas malas para Europa no dia 15 do
crreme pele vapor inglez.
As cartas sero recebidas at 2 horas antes da
qne fr marcada para a sahida do vapor; os jor-
naes at 3 horas antes.
Admintstracao do crrelo de Pernambuco, 9 da
abril de 1866.
O administrador
Dominios dos PMsnsJHiraada.
AdminisiracSo de eofreto desta "ci-
dade precisa de seis homerrs para o serv*
co de catninheiros: quem estiver ne&tai
competente ilIT-' Recife Te marco de circnmstanc'ias e quizei-se engajar dirija-se
1866. Campello. E na mais ge continha a meema.
em di la carta de editos aqu copiada que en Da1 ortem do lita. Sr. inspector da thesonra-
escriv) bem fielmente copiei do nronrio rladefazenda des provincia, se faz pnbHco a
Expsito dos productos a-
gricolas e iadustriaes da
provincia.
A commisso incumbida de dirigir os ne-
gocios da exposicao desta provincia, previ-
ne aos artistas que desejarem coocorrer com
os seus productos mesma exposicao. e
que nSo o possam fazer por falta de recur-
sos, que devem dirigir-se ao secretario da
commisso para obterem os auxilios neces*
sarios aequisiejo das materias primas des-
tn idas aos ditos productos.
Sala da commisso 15 de margo de 1866.
O secretario,
__________Manoel Buarque de Macedo.
De ordem do Illm. Sr. engenheiro em chefe
da reparticao das obras publicas, se faz publico,
para conbeciraeoto da quem interessar possa, que
a partir de segunda-reir, 16 do crreme, riear
interrompido o transito de animaes, carros, mni-
bus e -quaesquer jiutros vehculos de condcelo,
Da ra da Imperatru, entre a travessa do Perreiro
c a ra da Anrora.
Secretarla da repartilo das obras publicas, 9 de
abril de 1866.
________________Joao Joaqun] da S. Varejao.
Tribunal do commercio"
Pela secretaria do tribunal do commercio de
Pernambuco se faz publico que em sesso do mes-
mo tribunal de 12 da crreme foi considerado va-
go o offlcio de corretor desta praga, qne exercia
Frederico Lopes uimaraas, o qual o abandonou,
e quo a flanea prestada em favor do mesmo cor-
retor persiste por seis mezes, contados desta data;
e que lica marcado o praso de 60 dias, para dentro
delles se babilitarem os concorrentes ao referieo
ofQcio.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco 13 de margo de 1866.
O offlcial-roaior
______________________Julio Galmaraes.
A cmara municipal desta cdade]~tedo~de
contratar a arborizarlo da mesma, as diversas
pracas eces, e bem asslmem algumas ras, con-
vida a quem se qulzer encarregar deste servico a
apresentar sua proposta no paco municipal em o
da 11 do corrente as 12 horas da manhaa.
As condicoes para o contrato acham se na secre-
taria da referida cmara, onde se facultar aquel-
les que pretenderem contratar o mesmo servico.
Pago da cmara municipal do Recife, 4 de abril
de 1866.
Lniz Jos Pereira Simoes,
Pro-presidente.
Francisco Canuto da Boaviagem,
Secretario.
do Matas n. 1.
COMPANHIA PERNAMBCANA
Tendo os legtimos propietarios das aceces des-
ta compaohia abaixo mencionados, declarado que
haviam se desencamishado de seu poder as de ns.
886 a 895 e 2786 a 2790, pela gerencia da Compa-
ohia Pernambucana e par ordem da directora se
declara que da data deste a 30 dias, a vista da
reqoisico dos mesmos Ihes vao ser entregues no-
vas aegoes de igual numeraco em substituido
aquellas que Ucara asslm sem valor algum,
Pernamboco 14 de marco na 1866.
______ O gerenteF.F. Borges.
Para o Aracaty
O hiate Dous Irmaos, para carga trata-se com
Tasso Irmos oa com o Sr. Quintal no trapiche do
algodao.
Compaohia Pe mam boca na
BE
Xa vegada costeira por vapor
Aracrj e escalas.
O vapor Parahyba, commandante Martins, satu-
ra' para os portos cima no dia 14 do corrente as
5 boras da tarde.
Recebe carga gmenle atfo dia 13, passageiros,
encommendas e dinhero a frete at as 2 horas da
tarde do dia da sahida : escriptorio no Porte do
Maios n. 1.______________________
Para o Para' nat*nde salr ea poneos diaa
o patacho PARAENSE, por ter o seu carregamen-1
to quasi proropto, e para o pouco que lhe falta Ira- j Jf igSgftJgfigjg ^S!*" Gloria de Go'-
ta-se com o consignatario Joaquina Jos G jacal ves
Recife 12 de abril de 1866.
Joo Paes da AJmeida Lias.
OSirece-ae urna ama pira cosmtiar : na raa
larga do Rosario n. 37, segundo andar.
Antonio Jiw GmeaWes Pixes deisou de ser
caixeiro do Sr. Antonio do Rogo Medeiros desde o
dia 22 de margo prximo passado, e ao mesmo
tasan agrad-*ee aoSr Reiro Medeiros o bora tra-
tamento que teve dnranta o taonoo que foi seu cai-
xeiro. Recife 13 da abril de 1866.
A' cinco mezas, pouco mais ou menos, ausen-
tou-se da casa de abaixo asignado o seu escravo
Romo, crieulo, idade 41 annos, cor fula, baixo,
atgama censa grosso, ponca barba, com algnma
falta de dentes na frente, com o umbigo crescido,
ps apalhetados : roga-se portaoto as autoridades
policiaes oo a quem o pegar levar na casa do abai-
Beltrao, na ra do Vigarlo o. 17, 1 andar.
Para Lisbia a sahiral ao da 11 do corren-
te, o brigue portugus Lidador da primaira elasse,
recebe algoma carga mfuda a frea : para miu
no escriptorio Amorim &_ Irmos, ra da Cruz n.
3, oo com o capitao Jos Gomes Avallar.
Para o Rio de Janeiro pretende sabir em
poneos dias a veleira galera MIX DEL LO, por ter
quasl todo o earregamenie tratado e para o resto
que Ibe falla e eseravos a frete para o que tem
bous commodos : trata-se com o coasignatario Joa-
quim Jos Gongalves eltrao, na ra do Vigario n.
17, primeiro andar.
ta, que ser gratincado com 505.
Marcelino Corris de Farias.
LEILfiES.
LEILA
UE
Urna casa de pedra e cal na ra
da fc-'s pera ac n. 9.
Urna taberna na ra das Xinphas
freguezia da Boa-vi tu.
O agente Martins fara' leilo por ordem do Illm.
Sr. Dr. Claodino de Arao]o Guimares eonsnl de
Porlugal.de urna casa terrea de pedra e cal sita
na ra da Esperanca (terreno proprio) e de nma
armacao de louro e gneros existentes na liberna
da rna das Ninphas pertencente ao espalio do sub-
dito portuguez Jos Pedro Marques da Silva.
IIOJI
As 11 horas do dia na mesma taberna.
GUIA DO ViWTE
Guia Lu
mu
LUSO BKiSILEIRO
DO
viajante na Europa
POR
Ignacio Manuel de Lemos
Obra importante para as pessoas que vao viajar
a Europa, assim como para aquellas que desejam
saber o que ha de mais curioso e importante no
velho mando, nm volume de 530 paginas: Ven-
de-se na lavraria Econmica, defronte do arco de
Samo Ant mio.f
Criada.
Precisa-se de urna criada qne saiba cozinhar e
: fazer as compras no mercado para casa de unas
' moca solteira : a tratar na ra da Roda, em fren-
te a cocheira prxima a raa de Santo Amaro, 2o
andar.
mm
lm:ilmo
D movis, loica e uniros objectos.
Amauha 14 da ementa as 11 horas.
No armazem a ra da Gadeia do Recife nu-
mero 29.
CORDEIRO S!ES
fara' leilo de quantidada de,-movis novoi e usa-
dos, louga, campoteiras/aarrnfts, copos, calixes,
candielros, relogios e outros muilos objectos de
gosto. _____________
~ iii:iiiV
De eerca de 300 libra de carne fu-
mada daSuissa.
CORDtlftO SWMES
por coma e risco da de cerca de 300 e tantas libras de carne fumada
da Suissa, isto
Amanha as II horas.
No armazem a rna da Cadeia do rtecife n. II.
LILO
De fazendas avariadas
Sabbado 14 de abril.
Phipps Brotbers & C. faro leilo por inlerven-
(lo do agente Pinto e por canta e risco de quem
pertencer de differentes fazendas inglezas avaria-
das a bordo da barca idgleza ORION, as 10 boras
do dia cima dito em seu armazem
po Santo.
Em contlnaagao vender' tambem
Albums para photograpbia, albums em
branca para desenho, collecco de photo-
graphtas: formato grande para quadros, for-
mato para albums.
NAUVRARIA FRANCEZA
N. 9J~ Ra do Crespo N. 9.
Ama de leite.
Precisa-se de orna ama de leite : na ra da Ca-
daia p. i. __________^____________
ao commercio,
Nastas-dias vai urna pesjoa bem conhecida a' Ga-
meleira, Rip Formoso, Serinhem, Baneiros, Agua
Preta e Trombeta, e encarrega-se de algumas co-
hrangas nstes lugares com interesse razoavel;
quem precisar d parte na laja do Sr. Gaspar An-
tonio Vieira Guimares, na ra do Qneimado a. i
para ser proet*ado.
ga-se bem,
~ O afcafko assignans sono gerente tfa
commerciai nesta cidae, qagyra sob a Irma
lotonio Cor eia e Taacoicelles C,
avisa ao publico e espaHalatanteao corpa doeom-
mercio, ajar? tendo de seguir jara a Europa no
prximo pwjuete ingle, deixa como procuradores
da sociedad'em primeiro logar ao seu caixeiro
o Sr. Joaqotru Duarle Cmipos, o qnal lea na a4-
miiaistraca} de sna casa e de todos o negocios da
mesma : a em segunda logar os Srs. Jos ImrriHa
da Paria Machado, DMgoaco Joaquim de Souza
Leso e Bermrdino Goaans de Carvalho.
Aproveila esta occastjo para daspeoir-se de to-
das as seusamigos vistj nao te* tempo para fa-
z-to pessoalmente.
Antonio Crrela de Vasconcettoe.
Precisase alngar eseravos por mez on sema-
nas a 1 por dia : quem pretender contratar di-
rija-se a roa, Direita o. 66, sagnnno andar, das 7
as da maaha e das 3 as 6 da tarea.
correr no dia terea-fetra 10 do eorreaie.
Ama, omy, ama.
Precsase de nma ama na, roa de Santa Thereza
.la, e na ma do Vibrio n. 6, Kimeiro andar.
Na praga da Iadependenaia firra&a n. 8,
existe nn carta parao SS Dr. Candido Casado
Lima. _____^_________
Precisase4e dons catToee*rospara trabalba-
Precisare
alagar ama ascrava de bons costnmes para
o servico e urna casada ponca familia : nj
da Vigario n. 26.
fazer
rna
Preotea-se de ama ama para comprar, cosi-
ohar a engommar para casa da pouaa familia, pa-
ga-sa bem a vista do seu traba I ho : na toa larga
da Rosario n. 21, primeiro andar.
Precisa-se de urna ama para cosinhar ^t
em casa de hoasem soileiro : na ra do !
Vigario n. 2i, i* andar.
" 'mm mmmmmmmmmm
1TISO
proprie-
da villa
Caetano Correia de Queiroa MonUiro,
tario do engenho Campestre da freguezia
da Escada, previne a onatyuer peasoa que ti ver
de posse de ama letra da quaalia de 3305 aceita
pete annuneiante, venc l em jaoeiro do correte
anno, e como at a presente data anda nao lhe foi
apresontada para ser paga, e como nao conve-
niente pagar premio algum, protesta em tempo
para o possoidor nao ter reclamaco alguma a fa-
zer nessa transaeeao.
Arrendase urna padaria pertoda prara, me-
nos de mela legoa, bem afreguezada, e montada
em todos os seus prtences ; na ra de S. Googa-
lo n. 86 se dir'.______________________________
Testomeato
Achon-se o de D. Joaquina Rosa de Carvalho,
que pode ser procurado na travessa da Madre de
Dos n. 11.____________
-t>eapparecen da eollecio do Bom Ouse'.lio o
escravo Galdino, de 9 para 10 annos de idade, aca-
boclado. o qual foi vestido de calca azul de qua-
dros raiudos, camisa branca e bonet : quem o pe-
gar e levar ao dito collegio, raa da Aurora n. 50,
ser gratificado.
em carrogas, as pessoas qae se nuizarem con-
tratar nodem dirigir-se a taotrns do Sr. Fialtio, em
frentudo guarta Precisase lugar una* niuihar (orra ou cati-
va qne saiba bem.coswbar, par o servido de duas
pessoas, pagase bem; na roa do Hospicio n. 44.
Prec!a-se na um copero para o"servi(jo n'uma
easa estrangeira; a tratar na ra do Trapiche
n. 3 prlmeko andar.
Precisa se de urna am* da- leite, qne seja de
bons costuaaes; coa da C/ur n. 8.____________
-_Preci#-se de alagar ama escraa para lodo o
servgo de urna casa, emtora nao saiba cossnnar
nem aogormnar qnem ti ver para alagar dirija-se a
roa do Hospicio a. 38 para tratar.
Precisas-e de urna eof ommadeira : na rna
do Imperador n. 17 ___________
Precisa-se de om foiaero pita padaria e
tiimbtm de iraballiaderes cjQu lenham as habilita-
res n-resaarias, na paderia da ra larga do Rosa-
rio n. 16.______
Precisa-se de um trabalhador de masseira, na
ra tnreita padaria b. 69.
Precisa-je de om ho*ro para tranlhar em
um sitio a que emenda de cortar capim, na roa
Direita n.|69.
IVIARITimOS
CONTRA FOGO.
A companhia Indemeisaora, estabeleci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercadorias e mobilias:
na ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.
forra para casa
dlrija-se
Quem precisar de urna ama
de homem solteiro on de ponca familia
a travessa do Caldeireiro n 1.
Precisa-se de um caixeiro qne entdnda da
escripia, e qne d dador de sna conduela : a tra-
tar na ra do Amorim, fabrica da licnrs^________
andar com
Precisa se do um criado
urna caixa de jolas todos os das :
do Hospicio n. 33.
para
a tratar na ra
Ignora-se a morada do Sr. Andr Jos Dias
Pereira, e por isso vaoba reeeber na olaria n. 13
na rna do Mondego, ama caria sobre negocio qne
nao ignora.
A' livraria Econmica, defronte do arco a San
to Antonio, acaba de reeeber as seguintes obras, e
vende por prego* commodos :
Bibliotbqoedn Mdecln-praticien on resume g-
"OSA DE BANHOS
O Paleo 1n Carne 96.
| Neste estabelecimecto to impor-
tante para a saude e asseio do cor-
: po, aciiam- se montados bauhei-
nos, que sao servidos com a ordem
e asseio que para desejar-s*. Qua-
tro destes banbeiros s9o especial-
mente reservados pora senlioras e
por isto acbam-se eoliocados em lu-
gar reservado, aonde s tem eatra^
da as pessoas de urna mesma fami-
lia.
PREgOS DE BANHOS AVULSOS.
1 banho fri, momo oa de
chovisoo...... 500
1 dito decb.Qque .... 1)5000
1 dito de farello., .... i^OOO
1 dito aroma usado A 000
PRESOS POR ASSIGNATURA.
30 beohos por mez trio,
morno ou dechovisco. sO^OOO
25 banlies com cartes pa-
ra os mesmos ....
12 ditos ditos ditos .
12 ditos ditos de choque.
12 ditos ditos de farello,.
O estabeecimento estar aberto
nos dias uteis das 6 horas- da ma-
nhaa as 10 da noite, nos dias sao-
; tfllcados da.s 5 as 5 hpras da tarde.
5
Precisa-se de um moleqne que nao exceda a
16 annos : na ra da Saudade, segunda casa nova
do Ellas Baptiza.__________
Antn io loaqulm de Maia, sundito portuguez,
retra-se para fra do imperto._____________
Precisase de nma ama que compre e cozini.e
para urna casa de ponca familia : na ra nova de
Saota Rila n. 33.

100000
5*000
l
tomo
..L a! r? Br-d 8 les onvrages de cllniqne medcale e
praca no uor- chlrorfloai, par une sacete de medidos, publis
.,m i,,.-.,!OUr direhon do doctear Pi'bre, 15 volames.
. S.?"?!* Gaide de Mdeein-pratlelen oa resume general
de ferro (cofre) tamljem com avar.a dagna sal- de pathologte inlerne el de thrapeotique appliqus
8*da- par Vallelx, fi volames.
AVISOS
Antonio Joaquim
para i Enrona.
quem Interessar possa, qne amanha 13 do corren-
proprio
original a que me reporto, e este fie sem ^SS^OT^a^^
cousa que duvida faca, conferido e concerta- tos as penadas do Honte-Pio as Servidores do
o m forme deeslylo. erdarle rleftecife Eatado, vencidos at 31 de aren ultimo. Seere-
aes 6 dias de maree de 1860. Escrevi e T1* gA_,SeS?n.r"i de fMen ^rnamnnco,
mignrr emf de ewlndl.-- O escrivao Pe-
dro rertuliaae da Ceoh. I
taria da ihesonrarla
ti de abril de 1866.
Servindo de officlal-maior,
Manoel Jos Pinto.
CLIB
1
erreira Port, retira-se
Domingo 15 do correle haver reunio
familiar.______________ ii
~ Deseja-se comprar ou aforar 50 pal-
mos de terreno o' wfgura com fundo pro-
porcional ha Soledade ou Uamirtho Non): a
tratar com e solicitador Barroso na roa da
Concordia sobrado n. 13.______.
A premio.
D-se dinbeiro em pequeas quaatias: ea rna! po de sobra,
larga do Rosario n. 21, f andar.
Traite de Patbalogla externe et da medclne ope
ratoire avec des resumes d'anatomie des tissos et
des regipn^ par A. Yylal (de Cassis) 5 volumes.
Hiatore da la geperation de l'homme, par Gn-
aqd'te Canx, et Maitln Sant'ange, 1 volume.
Diccionario de Medicina Domestica e Popnlar,
por Lagaard, 3 volamos.
Hita de Medicina Domestica e Popolar, por Cher-
eoviz, 3 votmnai. v
Guia Medica, pelo mesmo, 1 voUime.
PREPARATORIOS
UNQUA INOtEZA.
i HILURD'SFirst Cas* Reader. in 12.a
- MOTTA Gramiiwtici pratic da lingua
iigleza, in &? ;
, SADLER Gour$,complet de langue 3jr>
jaise.
1 SAnLEflDictionaire franoais-anglais -^
af glais-francais, in 8.
* SPIERS Ciconaire fraocais-anglais t-
alglaisfraocais, Sin4. e
10LLENDORF.Metfeede d'anglas, in 8.
RTJB6EL ~ Gorso de lingea ingleza, se-
PH0TOGR4PI1I4
lETISTICA AMERICANA
ROA DO IMPERADO N. 38.
Artista americano
Artista americano.
Artista americano.
Artista americano.
Retratos-^RetratosRetratos.
Em porcelanaNiepcotypie.
Era lencosArchrotypie.
Em vidroAmbrotypie.
Em metal==Daguerreotypie.
Em papelTalbotypie.
No grande salo da ra do Imperador n. 38
j No grande sali da ra do Imperador n. 38
Neste estabeecimento tiram-se retratos
em todos os systemas, com asseio e promp-
tidlo, desde as nove horas da manha
at as cinco da tarde; assim como tem
sempre a venda grande sortimento de cai-
xas finas de diversas formas. Quadrcs
ovaesPassepartouts e todos os mais ob-
jectos e productos chimicos, relativos a ar-
te e recibidos ltimamente dos melhores
fornecedores de PARS e Nova York, tendo
, de tudo, para todo es gosto* e para todos
o* preco*. -irt-^rs
$aiao da roa do-fmpeaarior n. J8.
Salo da roa do mperedor n. 18.
IIIIMMIIIIilI&l
Pade-se encarecidamente as pessoas que de-
ram raneas para Ungir na cata a rea da Impera- gundo 0 methodo Robertson 3 in 8
*tz ir.-e?, que as venham buscar no praso de 16
dias contados desta data, do c< ntrario sarao vendi-
das para pagamento do irabelho do abaixo assig-
nado. Recife, 12 de abril de J866
Antio tweira Saldanha.
~ Pedid.
Pade-ae aos Ulnas. Srs. administradores da massa
de Mosquita di Dutra, por parte do Banco 4a Per-
namboco que liqoldem esta massa, pols j tem lem-
T
m credor pobre.
VIEIRA Dictionary of the english and
portuguese languages, 2 in 4.*',
WALKER -Prononcing dictioniary, in 8o
NA LIVRARIA FRANCEZA
N. 9 Roa do Crespo N. 9.
Sr. J. P.
Cauto e phantasa.
7 .Umvolume iu 42, impresso e en-
t^adeenada em Pars c em easa dos
edtctQres
LfVRARIA FRANCEZA
tf;*-^Rua
i
oar
no armazem da bola aroareHa no oilao da secreta-
ria da polica, recebem-se encommendas de fogo
doaf para dentro e t^da^fajiBcia._______ .
Tnjecgao BROW,
- Pergunu-se ao Sr. J. F. C., nal o motivo; Remedid infallivei W monteas antigs
naao ?.. isto deseja saber nm i e franceza ra da Crut n. 22 uao pref8 tre
Ex-socio da mesma sociedad^-1 30000.

I
^3i*W


". ". 3.-'
Mari* ae rmaakiM Serta ** 1S ie Abril e 1866.




g gRsa
5 Os .o 8
o "0 a
n A P
3
3
o s
w
9
111
3 2 ?
irla
H I
9
s?
* ? H
5,CS
>2

>
03
i:S i8
"*, 5 ff. o o- 5
o- 2 ar S re ?
sI 5 ff i La
ff H ? g
12! i- a. i a
14 I 1 o ?
-* I ff B so
M
y.
INJECTION BROU
Hyglcnlea lntallivcl e Presrrvailva, absoluumenlo a uuica que cura sem nenhum adUinvo. Viutfe-se
MprtDdptolic* do mundo. (Exigir a oitruccao do uto). (M auno de exifUneb.) Parii, en cu*
INJECCOe CAPSULAS
3TEGETAES aoMaTW
GRIMAULT&CLEPHflRMACEUTicosEwPARIS
Noto traunento preparado com as folhat de Matice, rvore do Perv, para a cura rpida e Infallivel
da Oonorrhea sem rccio algum da contracto do canal ou da inflammacio dos intestino. O celebre
doutor Ricord, de Pan, ter renonciado, desde sua apparico, ao emprgo de qualqner outro tra-
lamcnto. Emprcga-se a Injeccao no cmico de fluxo; ax capsulas em todos os casos chronicos inve-
terados, que resistirlo as preparacOes do copahu, eubeba e as inieccoes com base metallica.
Deposito em Parts. 48. ru Richelieu.
alxz ariete
Tinta Inalteravel
Para escrever
de P. MAIRER & C\
PERNAMBUCO
Esta tinta recommenda-se pela sua com-
posica e fluidez como a mellior e a mais
segura de todas as tintas at hoje conheci-
das. Nao ataca as pennas de ac, d at
tres excellentes copias, mesmo nuitos dias
depois de escrever, e preferivel a qual-
quer outras tintas particularmente para
livros de commercio, documentos etc de
que se careca longa conservaca.
Vende-se na livraria franceza rui do Crespo tyrna Nova n. 18 de
P. MAURER & C,
PERFUMERA da casa oger
Boulevart Sebastopol, 56, Parlz.
Dei medalnas, a condecoracio da Legin I CREME LAB I ALE de mee* de Rocas.
dhonneure a grande reputacao que tem lhe POMMADA VELOUHS para amaoiar
dad pubhco, Uessiourecompenia que o pelle. "^
?eIT1??,_J!,?e**do, industria merecerao a] ELIXIR OOONTOPHILE.

erta importante can desde saa fundacao em
0U4.
ITum sortimento de mais de 600 artinfl
u Mssoas elegantes etcolherao os swomtes!
rosee ou paraois, extracto superfino
para lenco.
POMMADA CEPHALIQUE contra a cal-
vicia.
agua verbena para o Untador.
OXIMEL MULTIFLOR.
VINAGRE OE PLANTAS HYGIENICAS.
TINTURA VIRGINALE de beijoim.
ROSEE OE LYS, verdadeira ana de
Jouvencio.
SABAO dedicado a damas americanas.
SABAO do bouquet do Franca.
o> de flores de alcen rosea,
d* do loras printanires.
d* de bouquet do entono,
d* do perfume exticos,
d aurora, dedicado aos dedos eor i
rosa.
de flores das ""^fiahti,
do cheiro de oin nouveaux.
de blueti cheirosos.
de althea balsmica.
d
d*
d-
d*
d*
diapr, caixa rica, fantesia pari-
sience.

Ama de leite
~y
Precisase de orna ama de le te : na roa da
Lroz do Recife p. 48 segando andar r :
J Precisa-se de um noapdo "de i a iTaos
para/caixeiro da taberna- da ra doRangei n. 78
qoe tentia pratlca> ae fiador a ana conducta. (
Na ra oXHaogel n. 9 precita se alagar ain*,
- ireta escurra 106 iba cosiohar e engommar/
- Na praca da Independencia n. 33, leja de
onrlveg, eompra-se ouro, prau, e podras preciosas,
e lambem se tei qaalquer obra de encommenda, e
todo e aoalqner concert.
>M Henrlques da Silva precisa de aro cria-
ao qoe seja boleejro, pode ar procurado no pateo
oo oarroo n. Idon na Patsagem n. 14, para tratar.
>
vv.^ rAwxw

A NACIONAL
Companhia. geral hespanaola de seguros mutuos
sobre a vida
AT0R1SADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1889
Orna fianca en dinheiro, depositado nos cofres do estado, garaate a boa ad-
ministra cao da companhia.
BANQUElftOS DA COMPANHIA | DIRECCO GERAL
O Bae* de llespanha
Madrid: Roa da Prado n. 19
FABRICA A VAPOR
99 RA DO MONDEGO 99
Deposito na ra lVova n. 5 loja de relojoeiro.
Delouche dorios (leste estabelecimento partecipa ao respeilavel publico que sua fa-
brica est montada com as melhores machinas que existem na Europa, e qoe pode
fabricarcom raelbor perfeico possivel. Todo o chocolate desla fabrica est garantido, e
poro, o que nao se pode encontrar naquelle qoe vem de fura, e qne se vende por preco
baixa, visto os productos serem do paiz. Na etiqueta tem sempre urna aguia.
c PRECX).
Meia libra. '........ 400
Urna libra. -...... 800
Urna arroba........195000
Na mesma fabiica acaba de se montar urna officina com serrara a vapor para
obras de marcineiria propria par edificio, para o qoe encarreg i-se de fazer portas, ja-
delias, assoalbos (parqu francea como se usa na Europa,) e armacbes, tudo com brevi-
nade e'perfeigao. Toma-se qualquer encommenda para fra da cidade, entregando-se
prompia a collar-se no lugar.
DE

COjEIdlIO *fc FKEITAS
Ra da Crai n. 16.
Continua a haver diariamente nm sortimento de pastis, podins, bolos inglezes,
empadas etc., etc. Os donos deste estabelecimento, acham-se as melhores condic5es
de poder satisfazer encommeodas concernentes sua arte, em consequencia do socio
Freitas ter sido administrador chele"de algumas das prncipes fabricas na corte, sendo
urna a do Sr. Joio Goncalves Guimaraes (confeitaria de Leo) antiga casa de Carceller.
Todos os trabalbos sao differentes dos que se fazem em casas particulares.
Os proprietarios deste estabelecimento nao se tem poopado a despezas, nem se
pouparo, se houver concorrencia como esperara ; tendo continuadamente bom sorti-
mento de doces para cha; presuntos e ditos em fiambre, tambera se recebem para se-
rem preparados ; assim como doce de caj novo superior, secco e crystalisado, dito em
calda em latas hermticamente fechadas, podendo durar annos em perfeito estado.
Para jantares e partidas recebem-se encomnendas dos seguintes objeelos; ban-
deijas ricamente enfeitadas sem armaco pecas de amendoas (nogaces), ditas de tmaras
de ovos, pies de l enfeitados com disticos anlogos a qaalquer fim; ditos montados,
kechs simples e enfeitados com fructas ingleza; gatheaux de la reine, ditos de le d-
chese, tortas de fructa, massa folhada; ditas de peixe e carne; cremes e doces de ovos
de differentes especies.
Tambem tem um completo sortimento de vanos engarrafados, como sejam: vinho
do Porto snperior, Figneira, Madeira, Lisboa, Cherez, Bordeaux, Champagne fino, ser-
veja, licores, charopes e conservas. Para festas: bonitas caixinhas com amendoas, con-
feitos e mais enfeites. Muitos destes objectos mencionados podem-se perfeitamente ac-
condicionar tanto para a provincia, como para fra.
FICWRAS
Acabam de receber bonitas figuras para bandejas de doces, sendo grupos para
baptisado, casamento, annos, ditta a phantasia, bonitos enfeites para bollos e circular pra-
tos de doces finos, tudo por precos razoaveis.
Vende-se licores em duzia muito em conta.
FAR A OUARESMA
Acabam de receber G. Paes do Amaral & C.
5 RA DO CRESPO 5
Antiga casa de Callherme da Silva Guimaraes
Ricos cortes de vestidos de gros-de-naples preto, com.lindas barras bordadas.
Moire-antiqne preto em cortes e em pecas, liso, ondeado e com palmas.
Gros-de-naples preto, de diversos precos e larguras.
Gorgurao preto, fazenda superior a todas pela qualidade, e bonito tecido.
Este estabelecimento
acha-se sonido com numerosa quantidade de filos pretos, de algodSo, de linho e de se-
da, manufacturados em
ckales
retondas
algerienes (bournus)
anamites
aMcaiues
pontpadour
DE FANTHASIA
Receberam tambem bonitos cortes de popeline de listras de cores, e matisadas,
muito modernas, de gostos inteiramente novos; e outras muitas fazendas de gosto, viu-
das pelo ultimo vapor.
G. P. DO AMARAIj G.
5 AR OD CRESPO 5
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de sspervivencia dos sen
os sobre a vida.
Nelia pode se User a subscripto de maneira que em nenhum caso mesmo por morte do-
segurado m perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao to suprehendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole deA NACIO-
NAL,qne anda mesmo dimtnuindo urna terca parte do interesse produzido em recentes liquida-
ces e corabinando-o com a mortalidade da tabella de Oepareieux que adoptada pela companhia.
para seus clculos e Hquidaeoes, em segurados de idade de 3 a!9 anuos, urna imposicao annua.
de 100 prodaz em effectivo metlico:
No fim de 6 annos. ....... 1:119*300
de 10........3:912*600
> de 15........11:208*300
de 20 ..... 30:250*000
i de 25 i .-.....80:331*000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consid'eraveis.-
Prospectis e mais ioformacSes serio prestadas pelo sub-director nesta provincia.
oaquim Fiuza de Oliveira, ra da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista ra da Imperatri n. 12, estabeleci-
mento dos Srs. Raymundo, Carlos.Leite & Irmio.
"OTnABS~
AO GRANDE S. MAURICIO
riCOi KSNOS APERFEICOADOI
PARA *
Tlngir, llmpar e lustrar a vapor.
F. UALINliRE & G.
29 Ra 7 de setembro 29
Defronte da roa nava do Onvidor (Ra de Janeiro)
Os proprietarios deste estabelecimento, o primeiro no sen genero no Brasil, por
trabalbar com as machinas mais aperfeicoadas para tingir e lustrar, de que se faz uso na
Europa, e ajudados por alguns dos melhores ofBciaes de Pars e Lyao, podem assegu-
rar seos freguezes urna perfeigo no trabalho, a qual senao pode chegar pelos proces-
sos ordinarios.
T'mgem, lavam, limpam e demofam com a maior perfeicSo e brevidade qualquer
qualidade de fazendas, tiram nodoas e limpam secco sem molbar as sedas e as vestimen-
tas de senioras e de homens.


DE
FAZENDA E ROUPA FEITA
HITA MOTA \. 94.
Reg & Moura, proprietario da loja de fazendas e roupa feita, sita ru;Tova
n. 24, verdadeiramente penhorados e reconhecidos para com seus amigos e freguezes,
pela aceitacao e confianca que delles tem merecido no curto espaco de tempo em que
se acbam estabelecidos e perfeitamente escudados na sinceridade dos seus tratos, decla-
rara para sciencia daquelles que o quizerem honrar com seus officios, que, em vista da
grande concurrencia que tem merecido o seu estabelecimento, especialmente no que
relativo a roupa feita; acabam de admitt ir para a sua officina de alfaiate maior numero
de artistas, inclusive o seu contramestre, dirigido pelo hbil mestre Lauriauo Jos de
Barros, o qual n5o sepoupa a exforgos para satisfazer com a presteza possivel qualquer
obra de encommenda.
Os mesmos annunciam aos seus freguezes que acabam de comprar um novo e
muito variado sortimento de fazendas finas e de bom gosto, proprias para o tempo da
quaresma, as quaes eso dispostos a vender por precos muito commodos e mais barato
que em outra qualquer parte.
Como sempre escusamos essa enfadonha prolixidade dos annuncios bombsti-
cos ; preferimos mostrar na singeleza deste nosso convite os bons desejos que nutrimos
para bem servirmos quelles que vierem ao nosso reclamo.
BASTOS
RIJA DA CADEIA X. &G A.
DE
DE
f. VIGNES.
M. 55. RIJA DO IMPERADOR M. 55.
O pianos desta antiga fabrica sao hoje asss conhecidos para qne seja necessario insistir sobre a
ina suporwrldade, vaotugense garantas que offerecetn aos compradores, qaalidades estas incontesta-
tIs que les tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecide nesta praca ; pos-
mindo nm teclado e macblnismo que obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas, sem
nunca ralbar, por serem fabricados de proposito, e ter-se eito ltimamente melboramentos importan-
ussimos pan o clima deste paiz ; quanto s vozes, sao melodiosas e flautadas, e por isso muito agrada-
reis aos ouvidos dos apreciadores.
Pazem-se conforme as encorn- endas, unto nesU fabrica como na de Sr. Blondel, de Pars, socio
sorrespondente de J. Vignes, em cuja capital ioram sempre premiados em todas as exposicSes.
No mesmo estabelecimento se achara sempre nm ezplendido e variado sortimento de msicas dos
Minores autores da Europa, assim como harmnicos e panos harmnicos, sendo tudo vendido por
procos commodo* e razoaveis.
PECHINCHA SEM IGUAL
oB'SS? corte* ie aror5 d* preto* adamascados para vestido com 13 metros
ou 18 a 20 covados cada corle, largara de chitt francesa, polo barattsslmo preco de 50*
cada corte : na loja das columna, da ra do Crespo n. 13 de Antonio Crrela de Vaseon-
cellos & C.
OTE 108000
Recebeu grande sortimento de machinas verdadeiras americanas de desearocar slgodo de 14
16, 18, 20, 25, 30 e 35 serrotes de ac refinado, as quaes sao das mais superiores do mercado e que^
as vende peio preco de 10* o serrote, e que continuara' a vender, vistoeesperar grandes sortimentos
em direftara da America.
Companhia fidelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Janeiro.
AGENTES EM PERNAMBUCO
Antonio Liii de Olivera Azevedo k G,
competentemente aotorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no seu escriptorio ra da
Cruz n. 1.
O Dr. Carollno Francisco de Lima San-
tos contina a morar na ra do impera-
dor n. 17, segando aodar, tendo alias seu
gabinete de consultas medicas, logo ao
entrar, no primeiro.
O mesmo doutor, qne se tem dado ao
estudo tanto das operacSe* como das mo-
lestias internas, presta-se a qaalquer cha-
mado, quer pan dentro quer para fon
da cidade.
Quer-se urna molher de mea idade para'cosl-
nbar o diarlo de ama casa; na roa do Apollen, 14
armazem do assucar.
Freciza-se de nm cozinbelro : na ra do Ran.
gel padaria D. 9.
Cealnhe.ro
Preclsa-se de um cosinheiro para casa de fa-
mili : a tratar na roa da Cro n. 6, escriptorio.
Sergio Antonio Alves, portoguez, e sua mn-
Iher D. Antonia Alve Mara de Jess, vio para
Enrona.
Preclsa-se de nm caiieir qde tenha pratiea
do Pharmacia : na roa Larga de Rosarlo d 34
botica.
Em casa de Theod Christiansen, roa do Tra-
piche-novo n. 16, nico agente no aorte do Brasil,
de Brandenbnrg frres, Bordeaux, encontrase ef-
fectivamente deposito dos arligos seguintes:
St. Julien.
St Pierre.
' Larose.
Cbatean Loville.
Cbatean Margaux.
Grand vin Chateau Lafltte 1858.
Cbatean Lalitte.
Haut Saoternes.
Chatean Sauternes.
Cbatean Lataur Blanche.
Chateau Yqoem.
Cognac em tres qualldades.
Azeite doce. Precos de Bordeau.
Casa de conmsso de estrave* na a do Impe-
rador a. 45, terceir andar.
Recebem-se escravos unto do mato como da
praca para serem vendidos por commissao, affiao-
ca-se o bom tratameato e segnranca para os mee-
mos. O abaixo assigoado nao ponpa esmreos aflm
do os vender oom proraptidao, nesU mesma casa
ha sempre para vender escravos de ambos os sexos.
Antonio Jos V. de Souza.
Alaga-se o sobrado de doot andares na Ps-
sagem da Magdalena i. 7, prximo a ponte, com
eommodos pan nomerou familia. TraU-se na
roa do Trapiche n. i.
Joao da Silva Ramos,' medico m
pela universidade de Coimbra, d H
consultas em sua casa das 9 as "
11 horas da manhaa, e das 4 as 6
da tarde. Visita os doentes em suasl
casas regularmente as horas para
isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serlo soccorridos em
qualquer occasiao. D consultas aos
pobres qoa. o procuraran no hos-
pital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da
manhaa,
Tem sua casa de sade regular-
mente montada para receber qual-
quer doente, ainda mesmo os alie-
nados, para o que tem eommodos
apropriados e nella pratiea qualquer
opperacSo cirurgica.
Para a casa de sade.
Prime ira classe.. 3.JOOO diarios.
Segunda dita___34500 >
Terceira dita. ..2000
Este estabelecimento j bem
acreditado pelos bons servicos que
tem prestado.
O proprietario espera que elle
continu a merecer a confianca de
[que sempre tem gozado.
1
1
1
I
I
1
!
Antonio Jos Rodrigues de Boma na
dinheiro i
roa do
Crespo n. 15, toma dinheiro para mandar entregar
na Babia, Pan e Miranbao.
GARBAUX, DE LAJXHACAR & C.
LIBBIRIE FRANCAISE
RA DO CRESPO N. 9.
Livros nacionaes e estrangeiros.
Religio, dtreilo, litieratura, etc.
Papelaria, objectos para escriptorio.
Papis pintados para forrar casas.
Assignaturas para os jornaes da Europa.
Precisa-se de um reitor pan om sitio saito
perto desu cidade : a IraUr na (abriea da travs-
sa do Carioca n. 2, caes -do Ramos, oo ra Impe-
rial sobrado n. 64.
Ama
. Precisa-se de ama ama para o soMeo interno de
urna casa de posea familia .- a tratar aa praca do
Orpe Santo n. 17, 3 -andar.
>

.
anana


K P-
de Pernambuco Se
>lrl. de Terna
xiafelraia.fc4brj.de
1866.


Irritado dos pulmoer. angi-
nas, tese, esearros de
sangue, crupo ou garro-
tilho, catarro, rouquidao
e todas as innumeravei molestias que affec-
jSo aos orgSos da respiracfld
DESAPPARECEM
ediante a accio da balsmica e irrev
ANACAHUITA

PEITORAL de KEMP.
a anacahuita mexicana que di o nome es-
pecial este incomparavel remedio, urna
arvore, cuja madeira por muito tempo se
ha usado no lampreo para a cura das n-
fermidades cima mencionadas. Foi tam-
bem ensatada e approvada pela academia
medica de Berlina. O peitoral de Kemp
um xarope delicise inteiramente livre de
opio, acido hydrocyanico e outros ingre-
dientes nocivos.
A' venda as drogaras de Caors & Bar-
boza, Bravo dG. e em todos os stabeleci-
mentos pharmaceuticos do imperio.
Deposito geral em Pernambuco ra da
Gru n.22 em casa de Caros___________
mmn de puno
Jos Goelbo da Silva e Ara ajo contiua a
leccionar piano: na ra do Livramento n.
21, terceiro andar.__________________
Samoe Power Johnston & Companhia
Ruada SenzalaNova n. 4.
AGENCIA DA
Fundido deLev Hor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos,
Moendas e meias moendas para engenbo.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios d<\ carro para um e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
****;^ >;*:;<; mmm
DEPOSITO DE CALCADO g
FABRICADONA CASA DE DETENCO
Roa Aova n. I. jg[
Ahi se encontraro otras Je di- mt
versas qaalidades, e por preco mui !
diminutos, a retalho e em porcoes. nm
S se vende a dinheiro. Wb
Dormentes
Os concessionarios do previlegio do cammho de
.ferro de Appucos contratara dormentes de ma-
deiras da qrialidadi'S, qum pretfindpr compareca
a ra do Imperador u. 55, segundo andar.
Precisa-se de um pequeo de 14 a 16 annos
de idade com alguma pralica ou sem ella, para
aixeiro de taberna preferindo-se dos ltimos che-
gados na ra do Principe n. 32.______________
AUiga-se a casa da ra Imperial denominada
viveirodo Muniz, com um sobrado de um andar
que accomraoda grande familia, dous grandes vi-
veiros para peixe, grande terreno para planta/joes
e duas otarias; quem pretender dirija-se a ra do
B ngel o. 54.
Aluga-se a casa da ra Direita n. 80. em ar-
mazem. por isso propria para qualquer estabele-
cimento : a tratar na roa Direita n. 24. ____
Mauricio Francisco de Lima, tendo de reti-
rarse desta cidade para a villa do Pao d'Alho, on-
de pretende fatec sua residencia, declara nada de-
ver a pessoa alguma, tanto nesla praca como fra
della ; porem, se algoem por qualquer titnlo se
julgar seu credor, aprsente sua conla n ra do
Brum casa n. 56, que sendo verdadelra a divida
sera' immediatamente paga, e isto no prazo de tres
das.
As Pilulas Catharticas
r>E ayer.
O purgante mais efteaz at Iwje cenliecUIo.
Estas pllaUu lio paramente veg~
n////////// Lj H//w|UMlV ,is"0 nci" nl*"urio ntm oatto
f^^Q^Kfin//7/!// Ingrediente mineral ; sao iano-
----- i.-'' oantes para as eriancaa e pessoa
mai.4 delicadas, so meono tempo
qae, cmaoslas como aio de vegi-
tai- mu forte, sao bastante acti-
vas e efieazes pan u pessoas mate
robusta*.
Estas pfUdu catharticas purgio e purifica todo systen
.humano seas mercurio.
Nao se tem paspado trabalho nem despeza para lavar estas
fillas a um frao de perfeccao tal, que nada deixa a desejar;
Bie.o resultado de naos de eatudos laboriosos e eeasUattes,
ara aleanear todas aa vantagens que resalta* de aso de eattiar-
tlcoiteiu-sr combinado sanate as vlrtuiem fursNmu da*
plantas que sao eaafaasjadaa na cwafeeeo das pimas. Saa
compoaicio tal qaa a* enfermidades que esto ao al raaos
ale sua aagao, raras rezes podem resistl-laa ou evad las.
Suai prupriedadus peoetraaies ezplorao penetrao, aorlficao *
dio vJjror todas as partes de organismo humano; pols oerrlgcm
a sua aceo rielada e faz recuperar a sua vitalidad*. Urna das
rostasiju enojas dataa aroprtadadss e qaa o doeate, abatido de
dr e Utilidad* pliy i lea, adnra-ee de enion trar, tio depressa,
coa laude c enerfiia recuperadas por mel d' um remedio tio
imples e agradavet.
As molesAs que estto ao seo alfa aya sao.
Prizto dereitire RiaimstUmo, Dr te eabeom, A Setralgia,
Ewaqueca, tvhfetUo mal do estomago, BtmtrrhoUat,
FaDECIXEsJTOS DO FiaADO,
Mv gaitro-hepatlca, OnitrUt, afecetei B&oioi Lombriga,
Erutlpda, Hydrop$ia, turdes, etgvira partiai, ParalyHa.
MO alsaajaafc e Man al da Ssssde do Dr. Ayer, qus se publica
todos os aanos para dUtrlbd*ao gratuita, eHCoatra-s um tra-
tado sobre as diversas decaaos que eatao ao aloaaoo da
BKMEDI08 PSOAIfTES.
Acka-se em todas aa Botleoa Drogaras do Imperio.
O Peitoral de Cereja
DE ATEB,
PKA A PBOMPTA CUSA DA
Anana, de OonatipaeosMi, Totaes, Rouquldio Infla
osa, Bronchito, Tiaioa primaria, Tubrculo
pulmonares, todaa aa modestia do
Peito, aaaim como para aliviar
ot tnioo declarado.
Aa pnpanoae* do Db. Arn tio vfBdidat aa priadaaM
drogara! e boUau do Imperio,
Vende-se em Pernambuco:
__Ib na
PHARMACIE FRANCAISE
cP.MAURER&G1.^
CALCADO-
,45 Huavireita- 45.
, primera condicao indispensavel con-
servacio da sade traeer os ps bem de-
fendidos contra os ataques da humidade;
calcado bom e seguro o nico preserva-
j tiyo dessas mil eufermidades a que est sa-
jeito e nossoeu. Um chnelo velho cal
cado por um dandy patuscante, ou urna
botina acalcanhada em pequenino p de en-
cantadora deidade alm de acensar que-
bradera horripilante, prova contra as acui-
dades intellectuaes dos calcantes, e nao ha
qnem, tendo bom senso, queira passar por
maluco, ou pobre de surrao : ergo, cor-
ram a:
*RA DIREITA4.
e attendam a' barateza.
Homens.
Borzeguins barcellonezes de lus-
tre e de porco 6(SOO0
Ditos de Bordeaux ; .. 70000
Ditos parisienses de bezerro e
cordarlo....... 8)000
Sapatoes de Nantes de duas ba-
teras rasas ..'.... 5rJ000
Sapatos de lona, sola de borra-
cha..... ; 2^000
Ditos aveludados..... 40600
Ditoi do tranca bons 40600
. Senhords
Borzeguins enfeitados. 50000
Ditos de laco...... 40800
Ditos Usos......, 40500
Sapatos de borracha .... 40ttOO
Selleiros, corrieiros e segeiros 1
Sola de lustre, meios grandes 200000
E um completo sortimento de calcado fa-
brreado nopaiz.
A o publico
Acaba de sabir do prelo Nocoes de systema m-
trico decimal, por Jos Antonio Gomes Jnior, 2*
edicao augmentada e dividida em doas partes ; a
pnmeira parte conlm fJ tafeoas de converso das
medidas mtricas nos valores que Ibes correspon-
den) no actual systema de pesos e medidas do Bra-
sil, substituido pelo systema mtrico fraocez, nos
termos da lei de 26 de jinrho de 1862; a 2* parte
contro 8 taboas de nmeros fixos pelos quaes co-
ndecido o preco de nma arroba de qualquer gene-
ro, per urna simples muliiplicaco se coabece o
producto de qaalqaer totadade de arrobas, libras
e oncas, que se queira saber o seu Importe. Nada
diremos respeito a parte, pois que j bem co-
hecida do publico; qnnto a 2* parte (taboas de
nmeros fixos) o seu uso far a sua recommenda-
{3o. Vende-se na ra do Imperador livraria Aca-
dmica e Universal, arco de Santo Antonio, livraria
Econmica, a If o exemplar.
Dao-se bolos de vendagem at onze horas da
manha, e aviam-se -bandejas e encommendas de bo-
los, etc. : na roa Imperial n. 32.
Xovissiiuo Hez de Mara.
Sahio afinal a luz, o mostrado novissimo Mez de
Mara, nao s como annunciamos no Diario de Per-
nambuco a. 73 de segunda-Ieira 2 de abril, mas
anda com aignns enfeiles que deixamos de annun-
ciar, e acba-se a venda na typograpbia do seu pro-
pietario, ra do Imperador n. 15, defronte do con-
vento de S. Francisco, das % boras al as ii da lar-
de, de todos os dias nteis.___________________
Precisa-se de urna ama para cosinbar e en-
gomar para casa estrangelra de ponca familia : a
tratar na ra do Trapiche n. 8, segundo andar.
|0 Dr. Francisco Pires Machado!1
Portella
MEDICO E OPERADOR
PELA
sFacnldade de Pars.
continua no exercicio da sua prolisso,
especialmente as molestias de olbos, de
Vas uil..*r,...i u d<. polla, para cujo tra-
tamento julga-se oabilitado ltenla a pra-
lica adquirida nos hospitaes daquella ca-
pital, e os instrumentos mais modernos
que possue.
Accode proaiptamante a qualquer cha-
mado para Tora da cidade.
E encarrega-se de coilecar olbos arti-
flciaes.
No pateo do Carino n. 2, esquina da
ra de Horta?, das 6 as 10 horas da ma-
niia, e das 3 as 5 da tarde.
Precisa-se de
urna casa de familia
ceiro andar.
urna ama para cozinhar em
na ra da Cruz a. 8, ter-
Cobrancas.
A pessoa ,'jue tlver pratica do furo e iotelllgencia
preciza para cobrar quer amigavel, quer Judicial-
mente, que^oeira se encarregar de cobrancas
para fora da idade, e por provincias limitropbes
dando para isso idneo fiador : queira dingir-se a
roa do Amonta n. 33 segundo andar.
Ama
Precisa-se de urna ama que cosinhe para duas
pessoas : na roa do Queimado n. 12, 1* andar.
Fog*o do ar
Valdlvioo da plvora se acha com fabrica de
Diademas dourados,
enfeitados com aljofares, pedras,
ele, para meainas e seobor??.
apuia-bratci vepdo bonitos e modernos da
fogos arlificiaes ra i i ha do Maruim, com grande deiTias dourados, enfeitados com aljofares e pedras
porcao de fogos de 1' sorb, j preparados a espera I proprlas pira meninas e seoboras.
de festejar o grande dia que ttrer noticia de qaal
quer triumpho de Bossas armus dentro de Par-
oay ; todos aquellas que tiverem a mesma satis-
icao dirlja-se ao armazem do sal na roa Imperial
n. 221.
EDgeiimage Z
com asseio, promptidaoe pre^s raioaveis :.na ra
Angosta n.5, loja.
PAPIS PINTADOS
Sortimento de papis pintados e
lindas guarnicoes para forrar casas.
NA LIVRARIA FRANCEZA.
N. 9 Ra do Crespo N. 9.
FRANCA E BRASIL.
O Sr. J. Mercier alfaiate fraocez precisa de boas
offlciaes e boas costoreiras : largo do Corpo Santo
o. 27, primeiro andar.
Precisa se a lugar
Urna ama que leona bastante leite e que nao
tenha filbo -, a tratar na ra larga do Rosario
n. 34 segundo andar.
Precisa- da Concordia n. 33.
para sitio; na roa
A luga-se
Um magnifico sitio na Capnnga (Baila Verde)
com frente para o rio Capibaribe, Ocaodo defront
da Passagem da Magdalena, todo murado, com ea>
celiente casa de vivenda, leodo a mesma 2 salas
forradas, 11 qoartos todos com janellas para fra,
1 soto com 8 janellas, tendo vista para todos os
quatro lados, e orna grande cozinba. O sitio tem
boa baixa de capim, exeellentes froctelras como :
sapolizeiros, Iaraogeiras de ombigo, limeiras, etc.;
oroam Ihe dous jardins de pedra e cal, sendo um
na entrada e ootro na frente da casa, ambos enfei-
tados com estarnas de porcelon, cocheira, estriba-
rla para 4 cavallos, 2 qoartos p;ira creados, 1 casa
de banho com tanque de pedra e cal, 1 gallinheiro
de pedra e cal gradeado de ferro, 2 cacimbas com
excedente agua de beber com repocbos, tendo orna
deltas um tanque para lavagem de roopa, 2 latri-
nas de pedra e cal, uro grande parreral sustentado
por 44 columnas de pedra e cal, etc., etc. -, o sitio
distanta da cidade nm qoarto de legua, coltocado
entre os sitios do Or. Ferreira e Paulo Jos Gomes:
a tratar com o agente Olympio, no armazem da
Praga do Commercio n. 48.
COMPRAS
Compra-se onro, prata e pedras preciosas
em obras veltias: na ra da Cadeia do Recite
cja de onrives no arco da Conceigo.
Onro e prata. ~
Em obras velbas : compra-se na praca da ln
dependeocio p. 22. loja de bilhetes.
Compra-se urna burra de ferro, ingleza ou
mesmo das antigs; na roa Nova n. 3L_______
Selim e silhao.
Compra-se nm selim e um silho usados : na
roa do Caldeiro n. 74, das 6 as 10 da manbaa e
das 3 as S da Urde.
Bofeltos thapezloiioa
de palba fina e atencaes para meninas.
Attenco I
Attencao!
Atten^ao!
Grande sortimento de fazendas pro-
pras para a q na resma.
Acaba de chegar a este novo estabelechneiiio aa Imperalriz n.- ttfl, de Lourenco Pereira
6SilI
Pecbincha
S ra
ioja e armazem da Arara, ra
um grande e variado sortimento de fazendas pro-
_ .-.-... ( ,,_, sa, SHUUb V. 'Ul IOJJ ttVIUUIVUlW
ao obras estas de que os bons pais de familia | pras para a quaresraa, a saber :
se nao podem escusar de comprar, por fazerem el-
las parte do asseio e bom gosto com que Irajaro
suas bellas fllhlnhas. A aguia-branca te'm o pra-
ter de ver qoe to bellas e precisas obras foram
devidamente apreciadas e compradas em sen nl-
obo. Os chapeozinhos, alera de serem d'uma pa-
Iha mui fina, sao de mui bonita forma e ultimo
Rosto, enfeitados cora toda a perfeleao: os aven-
taes, porm, sao de fina cambraia, guarnecidos de
babadinhos bordados; o qoe Ibes da mua graca.
Os precos desles, 5000, e daquelies, I0; de
quanto sao elUs baratos conhecera o pretndeme,
qoe se dirigir a' luja d'aguia-branra, na roa do
Queimado n. 8.
VIdrllkos de cores e aljofares,
imitando
(ir. sdenapli s prelo a 1.s(>00 o coudo.
Vende-se um grande sortimento de grosdena-
ple a 11600, 1,5800, ? e 2M00 o covado ; dito
muito superior a 28U0 e 99 : na ra da impera-
lriz n. 72, loja de Goimaraes & Irrao.
Moriantique preto a 2^800.
Vende-se um grande sortimento de moriantique
a 2(800, 3 e 35500 s covado.
.Chales de renda pretos a SjOOO.
Vende-se tambera um variado soriim nto de cha-
les de renda a 8, 9500 e i0 ; ditos muito lino.-
a Uta e 12S>; ditos de seda fazenda muito una a
20t1000.
Retondas pretas a iO?.
Vendem-se retondas pretas pel barato preco de
n. 72, loja de
ac, para enfeiles de vestidos.
A aguia-branca na roa do Queimado o. 8 rece-! 0> e 11*1: na roa d Imperatriz
beu om bello sortimento dos objectos cima pro- Guimaraes & Irmo.
prios para enfeiles de vestidos, etc., etc., e esl Grande pecbincha panno preto a
covado.
vendendo coramedamente.
Novidades.
Na Agola branca roa do Queimado n. 8 rece-
beu diversos objectos de muito gosto e inteiramen-
te novos, sendo:
Bonitos e delicados nenies dourados e prateados,
tendo entre elles algoos de filigrana obra moi per-
feita e de elevado gosto.
Ditos com cbapa de madreperola.
Brincos de filigraoa e ootras qualidades.
Fiveilas de dita e oulras tambem de diversas
qualidades.
Cintos moi bonitos, enfeitados em toda a exten-
cao com caracteres doorados e prateados.
Filis enfeitados eom moedinbas doorads,e lan
tejollas, aljofares & &, sendo para coque, e toda a
cabeca, e outros com plumas &.
Bonitas vollas de jaspt. com cruzes, tendo lam
bem algumas de doas cores.
Luvas e meias
de lia vegetal, para qoem soffre de frialdade, pa-
ralesya etc. Vendem-se na ra do Queimado loja
d'Aguia branca n. 8.
Randoline de roza
para segorar on conservar perfeitamente atado os
cabellos das seoboras. Vende-se na ra do Quei-
mado loja d'Agoia branca, 1*1000 o frasco.
Enfeiles pretos para vestidos
A Aguia branca recebea novos enfeiles pretos
para vestidos, sendo bicos com vidrilhos e sem
elles, trancas com pendentes de vidrilhos e sem
elles, cordao grosso tambem com vidrilhos e sem
elles; assim como galdes e franjas de diversas lar-
!loras, fitas de velludo etc. como sempre os bons
regnezes encontraro commodidade de precos nos
objectos qoe se vendem na loja d'Aguia branca roa
do Queimado n.8.
Rotes devidro
com enfeiles d'aco no centro.
Esses botoes qoe tanto servem para melhor se
poder enfeilar om bom vestido preto ou de cor,
acbo se a venda na roa do Queimado loja d'Agoia
branca n. 8.
20000 o
Vende-se panno preto proprio para cairas e pa-
litots a ii e 2200 o covado ; casimiras pretas
a 1*1800, -i, 2*1400 e 2*1500 o covado.
E' muito barato cortes de casimira a 3#o00.
Vendem-se cortes de casimira preta a 3J500
4X e 4*1500 ; dita muito fina a 6*1.
Admira cortes de brim de cores a
1,280
Vendem-se cuites de brim de cores para calca a
1*280,1*600, 1*800 e 2* : na roa da Imperatriz
b. 72, loja de Guimaraes & Irmo.
E' baratsimo a 120 ris e covado.
Vendem-se riscadinbos muito pwpnos para ron
pa de escravos, a 120 ris o covado; ditos escoce-
zes muito Unos a 240, 280 e 300 jis o covado.
Lazinlns a 3co rs.
Laazinbas de quadnnhos a 300, 320, 360 e 400
rs. o covado ; duas muito Anas *V 800 e 560: na
roa da Imperatriz n. 72, loja de Goimaraes & lr-
mof.
Corles de la a 50000.
Acaba de chegar a este importante estabeleci-
menlo um sonimento de cortes de laa qoe se ven-
de por 5* e 5*1500; ditos a Mara Pia, fazenda
muito moderna a 129,14*1, 18*1 e 20*1; ditos com
camisinha, cinta e grvala a 25* e 28*.
Chitas francezas largas a 260 ris
Vende-se nm grande sortimento de chitas a 260,
280, 300, 320 e 360 rs. o covado : ditas preciares
a 400, 440 e 500 rs.
Cambraias de cores a 280 rs o
coyado
Vendem-se camlraias francezas a 280,300, 320,
360 e 400 rs. o covado.
Cambraias lisas a 3.0001 s. a peca.
Vende-se om grande sortimento de cambraias
lisas pelo barato prego de 3*. 3*500, 4$, 4*1500 e
5* ; ditas muito floas a 5*500 e 6*; ditas victoria
a 6*500 e 7*; ditas de orna vara de largura a "
a ra do Quimado n. 8
acaba de receber:
Lentiyonlss d'aco para enfeites.
Pennas brancas e de cores, para gorfos e chapeos.
Enfeites filets. mui bonitos e modernos.
Sapatinbos de setim parJ baptisados.
Meias de seda para o mesmo.
________^_____^^_ | Bonitos chapeosinbos de setim para dito.
Comprara-se libras esterlinas : na praca da Bsa? camelias e ootras qualidades.
Independencia n. 22, junto ao relojoeiro. j Novos brincos, fiveilas, pentes e pulsaras de flli-
A'caba de cbgar aloja da agnia branca | e 9*; dius para rorrea 1*600,25 e 2*1200 : na
a ruado Queimado n. 48.
Cbromaco-roe para tingir cabellos.
Hoild walier para dito.
Tintnra de L. Marques para dito.
^ gmia branca

roa da Imperatriz n. 62.
BOUPA FEITA.
Vende-se om completo sortimento de roupa fei-
ta felta. assim como sejam palitots. calcas, eoleles,
camisas francezas a 1*600 e i800 ; ilas finas a
2*1 e de linho a 2500, 3* e 3*500 -, seroulas de
1,1200, 1*400 e 15600, de linho a 2*1 e 2*1500 : na
ra da Imperatriz n. 72, ioja de Guimaraes & Ir-
mo.
Compram-se doas rodas para carroca ou
nma carroca qne esteja em bom estado : no arma- ''
zem da bolla amarella no oitao da secretaria da
polica.
8SBEam*W^
trroba.
Compram-se
Guia n. 9.
latas vazias de gaz : na ra da
Compra-se notas do tonco da Babia
ua Caaea ao necwc u. io, i.. An o
na roa
Cobre lato e chombo
No armazem da bola amarella no oitao da
secretaria de polica, cempra-se cobre, lato e
sarja i
i .ia de gorgoro, desenbos novos
cintos.
Carteiras com agnlhas._________
s
irgoi
bonitos
para
chambo.
At tenca o.
Grande armazem de tin-i
| tas medicamentos etc. '
Roa do Imperador n. 22.
aloSo Pedro das Xevcs (ce-S
rente) tena a venda o
Compra-se nm boi para carrera no armazem da
bola amarella no oitao da secretaria de polica.
Comprase
Urna
teiro & Agr se dir qoem compra.
vende se a loja de livros da praca de Pedro II
i n. 6, muito propria para qualquer principiante por
ter poneos fundos, fazendo-se ao comprador os
abatimentos qoe forem razoaveis, e dando-se-lbe o
prazo qoe se cooveocionar para o pagamento, com
tanto que d algom dinheiro a vista. Em falta de
. comprador far-se ha negocio com a armaeio so-1
I mete, a qual serve para qualquer oulro negocio
difireme : a tratar na mesma loja. ou na roa No-
va o. .17, 2 andar.
Fazendas para a tmaresma.
segnlnte:
Productos cuimitAia i
|(liai-
auis empregados
em
terrea a roa Nnva em m< No arma"n3 d Porla ,arga. rna da Imperatriz,
-rrea, n, m easa de Qoin- grosdenap|e preto a 1*1400, 1*1600, 1*1800, 2
' 2*500, moreantique prelo de diversas qaalidades,
Dr Vallo los mais ricos CDa,es de renda Pretos, e retoodass
I com moita roda, fazenda da oltima moda no mer-
cado : do armazem da porta larga n. 52, na rna
da Imperatriz.
Precisa-se
alugar nm preto para servico de padaria, paga-se
bem : na ra Dlreityn. 24, padaria.__________
Precisa-se de orna ama forra on captiva para
cosinbar para casa de rapaz solteiro : na roa do
Imperador o. 40.
SALDOS CONTRA O PAIZ
Primeira coala corrate
Reflex5es polticas
DE
Marco Amonio.
a venda na livraria franceza, ra do Crespo n.
9, a 500 ris cada eiemplar.________________
Antonio Luiz de Ollveira Azevedo & C lem
para vender no sen escriptorlo, roa da Cruz n. 1,
vinho do Porto em caixa de dozia, fio bamborgoez,
pola da Babia superior.____________________
Precisa-se de ama ama de leite, qoeseja bem
morigerada ; a tratar oa roa do Apollo n. 9.
Aluga-se om andar de sobrado do caes do
Ramos n. 32 : a tratar na roa do Crespo n. 8 B.
Nos abaixo asslgoados declaramos baver re-
cebido em 12 de Janeiro do anno prximo Ondo de
1865, do Sr. Bento Severiano da Fonseca Puta, a
quantia de 1:415*510 rs., importe de ama letra
aceita-pelo mesmo senhor aossa ordem, sacada
em 18 de maio de 1864, e vencida em 18 de no-
vembro lo mesmo auno; e como se tenha desen-
caminado dita letra com o respectivo recebido na
mesma fazemos a presente poblicacSo pela qual
desobngamos a responsabilizado do d ito Sr. Bea-
to, ficaodo nos obrigados a responder por qual-
quer exigencia qoe Ilcitamente lbe seja feta por
terceiro. Outro sim declaramos, qoe Seamos de
cootas justas com o mesmo senbor e quites al es-
ta dala, quer pelo litlo cima declarado qoer por
ootro qualquer. Recife 9 de abril de 1866.
______ Aotonio Crrela de Vasconcelos & C
Lava-se e engomma-se por preco commodo :
oa roa do Caldeireiro o. 11.
PrecJsa.se de om escravo para servico de
ama casa : na rna da Croz n. 24, botica.
Garvalbd & Nogueira sacam sobre o
Porto, Lisboa e-Rio de Janeiro, a' vista ou a
prazo: na roa do Apollo n. 20.
Coslnhelro.
Precisa-se de umeosinbeiro forro ou cap-
tivo que d fiador a sua con ucta: na ra
da Cro n. 48, primeiro andar.________
Comprase om cavado que seja manso e grande
para achina de padaria : na ra do Raogel n.9.
Comprase
ama e sera va preta oa parda, sadia e sem vicios,
moca, e que saiba coser, eogommar e cozinhar:
na rna da Imperatriz n. 7, 2- andar.
Ouro amoedado.
Nacional e eslrangeiro : compra-se na ra do
Trapiche Novo n. 21
VENDAS
MIMIAS
PARA 1806.
Acabam de sahir luz as folhinhas de
algibeira e de porta para o anno de 1866, o
mais correctas possivel tanto no(alOTWdas
las e eclipses, como as diversas festas
que a igreja celebra; vendem-se nicamen-
te na livraria da praca da Independencia,
160 ris ai de porta e 320 ris as de algi-
beira.
Vende-se ama armacSo para diviso de es-
criptorio, de amarello, com porta e balaasfros,
obra muito boa: a tratar na ra do Mondego, ota-
ria n. 13.
Pecbincha admirare!
Lazinhas de qoadrinhos que parece seda a 240!
rs. o covado, ama grande pecbiucha, est se aca-
bando : na loja n. 52, armazem da porta larga de
Paredes Porto.
Na ra da Imperatriz n. 28
Vendem-se cortes de cambraia brancos eom 4.
a e 6 babados a W$ e 25.
Fil de seda prelo com flores a vara i.
Cambraias brancas de ama vara de largara fi-
n a i* e 800 rs.
Ricas lampadas e candieiros a gaz por grosso
e a retalbo.
Pechiucha
Vende-se a taberna da roa da Guia n. 36 pro-
prio para principiante, e o motivo se dir ao com-
prador.
^m
;va N
Precisase de ama ama para casa de ponca fa-
mllla : na roa do Torres 14 segondo andar.
Precisa-se de orna ama para cosinbar : na
rna do Imperador n. 46, armazem.
Precisa-se
n.S..
de nma ama; a roa K trozes
Veodem-se garrafas e botijas vasias "e lava
das : na roa da Soledade n. 38.
Farfulla de mandioca
a 4J5*0
Multo boa e chegada ha pouco tempo, vende-se
na roa da Cruz n. 33.
jmmmmamwmmmmi
Boa acquisico.
HK Vendem-se 4 casas terreas novas, lim-
S; pas, bem alagadas e por mdico preco:
h os pretendentes entendam-se com o es-
M crivo Athayde qoe -se acha antorisado
S pelo respectivo propriettrio a realisar as
2R referidas vendas.
I
OLHEH
E' rarissimo! a
Lavas de peiiea de todas as cores para Odmeos
6 8tDtI8 pel r,ro dmiravel e nanea visto pre-
SS 4 a *" f*r' *irte- a excellento# qua-
lidade da fazenda, ao menos por curiosidad ve-
nham a Ioja da roa do Queimado o. 67, qoe, em
presenca da pechiocha no delzario de comprar.
Sacadas e .portas.
Vende-se na roa do Queimado n, 1, doas saca-
das de ferro com 22 palmos cada ama, tambem se
vende 8 pares de oajxilhos e algumis portas, todo
por preco cepjmodo,
Copos amargos
Para as pessoas qoe soffrem do estomago,
vende-se oa pharmacia do Pinto, na roa larga
do Rosario n. 10.
Vende-se urna prco" de ferro brtoT"serve
para obras de ferreiros, e por preco muito com-
modo : a tratar na roa Imperial n. 1, Ia andar.
Vendem-se doas preas mocas e sadias sa-
neado lavar e coser e proprias tambem para la-
voora, o motivo da venda terse de retirar o sen
senbor para fora do imperio : para tratar no ar-
mazem a roa da Cruz n. 33.________
Vende-se um escravo preto,. crionlo, de 20
annos de idade, pouco mais oa menoe, do servico
de campo e sem defeitos : na roa de Apollo n. 7,
andar.
Vendem-se 400 pedras para ladrilbo, viadas
da lina : a tratar na roa do Vigario o. 14.
Vende-se ama rotla nova de loaro : a tra-
tar na roa do Hospirio o. 28
CAVALLO
Vende-se um bom eavallo de sella muito novo,
grande, de bonita figura e bstanle gordo, o qnal
presta.se para om excedente cavado de carro;
na roa do Imperador n. 13, das 9 horas da ma-
nbaa as 3 da urde.
.- ... ilii
Farinha
Rna da Madre de Dees
A 4f 500.
Vende-se farinha de mandioca desembarcada
hoja do plbabote Beberibe, pelo barato preco ci-
ma, a melhor qoe existe no mercado, saccas
grandes.
ceuticos os
medicina.
Tintas para todo o genero de pin-
tora e para tinturara.
Productos industraes e tintas I
para flores, como botoes de Aeres j
e modelos em gesso para imitar $
fructas e passaros com o compe- |
tente desenho. sg
Productos chimicos e ndustriaes g>
para pholograpbia, tinturara', pin-
tura, pyrotecnia etc.
Montado em grande escala e sup- W
prido directamente de Pars, Loo-
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa S
pode offerecer productos de plena 5
conanca e satisfazer qualquer en- SI
commenda a grosso trato e a reta- |
lbo e por preco commodo. gjg
mmmm mmm-mwmmmmm
colares Royer on colares ano-
dinos
para facilitar a denticio das mangas e preserva-
las das convolsdes.
O feliz resaltado obtido immensas vezes pela
prodigiosa forca magntica dos colares Royer, nos
casos de convols5es, e denti'ao das crianzas, tem
altamente elevado o sea bem merecido prestigio,
e boje j se pode dizer qne estao geral mente con-
ceituados, e estimados de innumeraveis pais de
familias : de ans porque do uso desses salutares
colares viram salvos do perigo seos charos filbi-
nhos, e de outros porque colheram daquelies tao
proficuo exemplo para igualmente preservar os
teas. Assim, pols, a aguia branca, teodo em vis-
tas a uillidade e proveito desses prodigiosos cola-
res anodinos oa Royer, mandoa vir o novo sorti
ment qae agora recebea, e continuar a recbe-
los para qae em tempo algara a falta delles possa
ser funesta aos pais de familia, os quaes ficaro
certos de os achar constantemente na roa do Quei
mado, Ioja d'agqla branca n. 8._____________
Feijo.
Vendem-se saccas com feijo amarello, branco
rajado e preto, mais barato qae em qaalqaer par-
te : na rna da Madre de Dos n. 5.___________
FABTCA
De cal de reiro c londico de ferro, si-
its e bronze; com os escravos,
Vende-se a grande fabrica de ealderelro e fon-
dicao de mstaes da roa Imperial ns. IS4 a 158 ;
e tratar com a vlnva de Sebastiao Jos da Silva,
na roa ftova o 35, ou na roa da cadeia o. 87.
Vende se a armacSo da fabrica de charutos
da roa da Imperatriz o. 1S, e janctamente todos os
majs objectos existentes na mesma ; quem preten-
der dirjase a roa da casa de Dettencao n. 7, ta-
berna.
Mendos Guimaraes.
Arara vende essas a 240 rs.
Vendem-se cassas Trancezas muito finas para
ve.li?os Sn* rs' ovado, chitas escuras e claras
a 160 e 200 rs. o covado : s na loja da Arara,
ruada Imperatiiz n. 56.
Cortes de casemira preta a 3$SIXS
Vendem se corles de casemtra preta paMf*J!5a
a 3J1500, hi e 5, cortes de coiim para calca a
' i280, ditos de brim de quadrinhos a ii, cortes
de ganga e brim de cores a ij.400 : na ra da
Imperatriz n. 56.
Arara vende cortes de cassa franeza o 2>00.
Vendem-se cortes de cassa fina a 2o00, ditos
de chita a 35, ditos de cassa de barra a 25 : na
ra da Imperatriz, loja e armazem da Arara nu-
mero 56.
Lenros lirancos a 240(10 a dotia.
i Vendem-se lencos brancos fios a Ii, 24600 e
'>&, guardaoapos para mesa a 28O0 a duzia : na
rna da Imperatriz, ioja da Arara a. 56.
Arara vende chitas a 160 rs. o eevao
Vendem-!e chitas escoras a 160 e 260 rs. o co-
1 vado, chilas francezas finas a 280, 320, 360 e 400
rs. o covado : na roa da Imperatriz n. 56..
Riscade francez a 240 o covado.
Vende se riscado fraocez para vestidos a 210 o
covado, cassas francezas finas a 240 e 280 o cova-
do : ra da Imperatriz n. 56.
Arara vende madapole a 4(5,
Vendem-se pecas de madapolio de 12 jardas a
4500 e 4$, dito de 24 jardas a 45, 55, 65. 75,
8 e 105 a peca, pecas de algodao a 35, 45, 65 e
85, dita de bretanha de rolo a 35 : s na loja da
Arara, la da Imperalriz n. 56.
Riscado a 120 rs. o covado.
Vende-se riscado escuro para vestidos de escra-
vos a 120 rs., dito de linho para roopa de meninos
a 240 o covado, gangas de cores a 400 e 440 rs. o
covado, colarinhos a 500 rs. a dozia : roa da im-
peralriz n. 6.
Arara vende laiiolias a 200 rs.
Voprfem-so lazinhas para vestidos a 200, 320,
400 e 300 rs. o covado, ditas lisas e matizadas a
oUO e 560 o covado : ra da Imperalriz, loja e ar-
mazem da Arara o 56.
Rramante a 2,5600 a Tara.
Vende-se bramante de 10 palmos de largura a
28500 e ?5600 a vara, panno de linho para len-
foes e loathas a 640 a 700 rs. a vara, hamburjro
para leucoes e toalhas a 560 : rna da Imperalriz.
loja da Arara n. 6.
Roupa feila e camisas para senbora a I -Sino
Vendtm-se camisas para senbora a 15500, cal-
cas de brim a 25, ditas de casemira a 55, 6 e 8i,
paletots de panno prelo a 65, 85 e 105, ditos de
brim de cores a 25 e 35, camisas francezas a 5
e 25600, dilas inglezas de pregas larga?0 oe linho,
a 25500, 35 e 35500, reroolas a 15600 e ?5, co-
larinhos econmicos a 500 rs. a duzia : ra da
Imperatriz n. 56.
Aspas fories para boles.
Na ra do Queimado loja de miudezas n. 16, veo-
de-se aspas de ac fortes, e de differentes larguras
para baldes.
Bonitos quadros para retratos.
Vendem-se na roa do Queimado loja de miude-
zas n. 16, bonitos qoadros con raordura pr,e'.a e
dourada, todos por prteos rasoaveis.
Garrafas brancas
e de cores com superior agaa da colonia.
Vendem-se na ra do Queimado, loja de miude-
zas n. 16.
Novo gosto
Penles, fiveilas, e brineos de feligrana.
A aniiga e bem conhecida ioja n. 16 na ra de
Queimado, recbeu um sortimento de diversos ob-
jectos de novo e bom gosto, sendo pentes brancos c
dourados de moldes enteiramente novos e mui a-
gradaveis, tendo entre elles alguns de filigrana obra
de muilo gosio edeficil execujao, e bem assim fi-
veilas e brincos as mesmas circunstancias.
Tambem receben alguns cintos o que d-' mais
|.moderne e bonito, se pode encontrar em tal genero.
Alm disso encontraro os pretendentes um com-
pieto sortimento de fiveilas de madreperola. rhrls-
tal, tartaruga, e dourados, brincos de cbristal, n
jaspe, vollas e cruzes de dilo e muitoa coiroe cbjoa
bu h oa^io n nnaes mnlinna-'-- a vender CTlimo-
damente.
Penentes de madreperola, e enfeites filets
A loja de miudezas ua roa do Queirr.dn n. iC,
recebeu bonitos penles com chapa de rna.:,-, erla,
e novos enfeiles filis ornados de lanlejoias Ho-
radas, moedinhas, aljofares, vidrilhos etc., ti nao
grandes para toda cabega e pequeos para i qu:
reculando os precos de 25 a 45000 rs.
Binitas caixiiitjas
com arranjos dourados para costura, lendo erm
musirs e sem ellas. Vendem-se na roa do Quei-
madu loja de miudezas n. t6.
Trancas pretas
com vidrilhos, e bicos com ditos e sem elles pira
enfeites ou vestidos.
Na ra d< Queimado n. 16 loja de miude;a> a-
charo os pretendentes um bello sortimento dos
objectos cima ditos, cascarrilhas, franjas etc. ttt
e tudo est sendo vendido por precos commodos.
Botoes pretos
de vidro enfeitados d'aco.
A loja de miudezas n. 16 ror. do Queimado
vende moi bonitos botoes pretos de vidro com en-
feites de ac, os quaes muito se uzam para enlejiar
vestidos, qoem os pretender pode dirigirse a dua
loja n. 16 roa do Queimado.
Vendem-se na loja de mlndezas
a rna do Queimado n. 16.
Bonitos loques de sndalo e ontras qualidades.
Bonitos cintos com fiveilas de diversas quali4*-
des e moldes.
Brincos e cruzes de crystal.
Abotoadoras de dito para coletes.
Bonitos port-relogios.
Delicadas caixas com msica e sem ella, para
costura.
Agulbas e liabas para chrochei.
Reiroz superior em carriteis.
Rendas pretas e bicos com vidrilhos.
Filas de velludo com lislras dt cores para en-
feites de gorros e vestidos.
Ditas de grosdenapoles, lisas e lavradas, brancas
e matisadas.
Para tingir cabellos.
Hoild Waher.
Vende-se na roa do Qoeimado, loja miudezas
n. 16.
Giro maco-ine
Para tingir cabellos.
Vende-se na loja de mindezas, a ra do Quei-
mado n. 16.
Tintura de L. Marques
Qara fazer os cabellos pretos.
Vende-se na roa do Qoeimado, a loja de miu-
dezas n. 16.
Missangas miadas, aljofares imitando
ocaevidrilhos decores
para enfeites de vestidos ; vende se tndo | isso por
precos razoaveis na 'oa do Qoeimado n.l oja 16,
de mindezas.
n. &
esterlinas ; vende-se na roa
26, loja de looca.
larga do Rosario a.
Vende-se sai grosso: a tratar oa roa da Ma-
dre de Dos o. 2.
Vende-se um engenho
d'agua denominado Triumpho oa comarca de San-
to Antao junto ao engenho Coqneiro, com trras
para safrejar de 500 a 800 pies, com boas obras e
casa de vivenda por preco commodo : quem o pre-
tender queira dirigirse a roa da Praia n. 76, para
tratar al o m do crreme mez de abril._______
HOTEL "
Vende-se o hotel de Italia, sito na roa do Trapi-
che, com grandes accoramodacSes acceiadas e me-
buhadas com todo necessario e algum trem do sea
trafego, por quererem seus propietarios retirarse
para fra do imperio. A localldade e o estado do
esubeleelmeoto garanten) bom resoltado ao com-
prador e lbeMsegurn_pjwpj^idade.________
Vendem-se malas e bahos osados muito em
conla : na roa estrella do Rosarlo n. 24, loja de'
trastea.
*
Tasso Irmos
Vendem do seo armazem roa do
Amorim n. 35,
Licor fino Carabao em botijas e meias botijas.
Licores finos sonidos em garrafas com rolhas dt
rfdro e em lindos frascos.
VinhosCberes.
Santernes.
Chambertin.
Hermitage.
Borgonbe.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
Bordeaox.
- Cognac.
OMTon,
-PAoteilanilol. '
_ ~ Vende-se, oa aluga-se o sobrado amarello da
: a tratar oa r0a do Imperador a. 27.
Caf imperial
O superior caf do Rio de Janeiro, ven-
de-se a 125 a arroba ; na roa do Vigario
n 24, escrlptorio.

.~<.-r-mitMtmimmmmmm
:rx
ILEGVEl
*P



Diarlo de Per sexta felra 13 de Abril de 1866.
.
mmm
par Jk quabesma
Chegaram a loja de Augusto Porto & C.
11 Rua do Queimado-m- -11
Superiores cortes de sed prela.
Molreantique prelo de flores e de listas bellos padroes.
Grosdenaple preto de diversas largaras e qualidades.
Retoodas, bouruus e diales de guip e de rendas.
Pannos pretos, casemi: as pretas, bombasina. .
Laas, canto, merino e selestrinas pretas.
Lindas mantas de seda para pescogo.
Ricos cortes de seda de cores para bailes ou casamentes.
Ricos cortinados bordados dos mais bellos desenbos.
Moir branco, seda branca, capellas e mantas para noivas.
Relias colchas de seda e de lia e seda para cama de ooivas.
Saias de flnissima cambreia ricamente bordadas.
Pateadas de pregas para saia que se (azem com ama so costar e tambem tem
o cordo tecido.
Hadapolo francez a 400 e 480 rs. a Tara.
Alcatifa de linbo para salas e gabinetes a 480 rs. o covado.
Pasenda especial de qoadros para fazer redes a 35300 a vara.
Superiores esteiras da India para salas.
11Roa do auelwado11
com
5
CORTES DE SEDA t
Chegaram pelo paquete ingle riqaissimos cortes de moreantlqae de cores, e seda lanada pa-
rtas inteirameite botos. AAA .
Seda de quadros por 1$000 o covado
5RA DO CRESPO-5 m
Gregorio Paes do Amaral k Compamala.
BOM SORTIMEWO DE
FAZENDAS PRETAS
NOTOS GERENTES
DOS
TRES GRANDES
ARHAZENS DE MOLAMOS
DENOMBADOS
PROGRESSIVO pateo do Carmo d. 9
UNIO E COMMERCIO rua do Queimado a* 7.
VERDADEIR0 PRINCIPAL rua do Imperador n. 40
DUARTE CARVALHO PERIRA #C.
CIRURGICO
?$
Fazem scieate o respeitavel publico, e com espeeialidade aos sentares de en-
lenhos, lavradores e mais pessoas do centro, que para mais facilitar snas compras deli-
beraran! os proprietaos dos tres grandes arraazens, reunir todos os seis estabeleci-
meotos em nm s anmincio, pelo qual o preco de ara ser de todos, promette-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, aununciar os gneros
por um preco, e na occasiSo da compra quererem por outro, como socede constante-)
mente em outras mutlas casas, perm nos nossos esiabeiectmeutos nao se dar isto:
anda mesmo com prejuizo nosso, qualqoer pessoa poder mandar seas (malos que
ier3o tambem servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seos
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaes, remetiendo nos uma conta
pela qual se ver os preces tal qual aonuociarmos, o que seno arrepeoder pessoa
algnma que fizer so despenca em domos estabelecintentos; pe ponpar mais de
8 por cento na sua despeza diaria.
DR. PEDRO DEATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MEDICO, PARTEIRO B OPERADOR.
3 Kua da Gloria, casa do Fanttog
O Dr. Lobo Moscoeo d consultas gratuitas aos pobres todos os dias das 7 s H
aoras da manhao, eas e meia as 8 borne da aoite, i excepto dos tfaifantificados.
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio na sempre o mais appropriado sortimento de carteirai
tobos avulsos, assim como tinturas de varias dvnmaaisacOee e pelos precos seguate*-
Carteiras de 12 tubos grandes. 12,5000
de 24 tubos grandes. 484000
> de 36 tubos grandes. 244000
> de 48 .todos grandes. 304000
de 60 tubos grandes. 35000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se flzer, e com os remedios
que se pedir. ^""
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 14000.
Sendo para cima de 12 custaro os precos establecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
Gros de aple* preto a 10500,14600, 24, 34, 34500 atB Mgfci
Gorgueo pro de superior qualidade a 24500, 2#800, 3* e 44-o co-
Va0' Superiores moreantiques a 24500, 2460O, U, 3500, 44" i-540(>
covado.
Bons cortes de moreantique.
dem de gorgurSo adamascados.
Bons pannos e casemiras. ^^ .
Sup riores alpacas, priocetas, merinos e benaoazinas.
Bons villudos pretos. .
Grande variedade de chales de fil preto e de guipare a 54, & 4,
105, 124, de 160 a 205, e de 254 a 804 cada um.
Superiores retondas de fil preto e de guipure a 84, 104, 12pe-25fc
e de 304 a 604 cada urna. a ,a
Superiores algerienes de fil preto e de guipure- de 124 a 254* e de
303 a 604 cada urna.
Boos chailes de seda preta. ____
Ditos de Merino preto bordados e outras muitas- fazendas pretas que
seria enfadonhe enumerar, na
S'Q
DE
IiOJA DAS COMJHfSTAS.
A.NTONIO CORREIA DE VASGONELLOS & 6.
RCA DO CRESPO W. 1*
RUA DO BRUJA! W# 38.
O proprieta rio deste estabelecimento desej a chamar a attenco do$senhorepro-
,: -i--,nos aos acreiitados mechanismos que continua afornecer; os quaes garante-ser,
'.,... i sempre, da melhor qualidade possivel:
Machinas de vapor
. i
e acabando coa a
do trabalhoque
, de 2 Va cavallos para cima. As menores sao mui proprias para motere sde
> arocamentos de a'godao; as maiores para moer carina; ha tambem que podem junta
u ^taradamente moer canna e descarocar segundo suas proporcoes, Estee vapores
-;'-.ii finios na onstruccao, e seregem por qualquer pessoa mtelligente, a factlida-
1 condcelo sen lo especialmente considerada, tanto que nao ha lugar em> que nao
>-> e podem-se applicar a qualquer moenda ja existente sem outra mudanza do que
, ibstituieSo das rodas da almanjarra. Ellas tem depsitos d'agua e boeiros de ferro,
c nao preeisam para o seu assentamento de obra alguma, qur de carapina> quer de aU
venara O tempo para assenta-las nao excele de doze das a mais, e em casos de
m res de animaes ou arrombamentos de acude?, etc., garante-se o assentamento esa
oit. dias. Lembra-se aos senhores de engenho que a-venda dos animaes e o servico da
gente occopada no seu tratamento osho de recuperar da maior parte da despeza do
vapor deixando-lhes a vaotagem de uma moagem certa e accelerada;
dospeza da compra continuada de novos animaes. com os desgostos
se tem com elles.
Rodas d'agua de ferro, mu maneiras e moendo com qualquer altura
'sarllkos eom crozetas de ferro para as mesmas, quando se desege fazer
e resto da roda de madeira, tornando-se assim a roda ligeira no trabalho.
Moendas de canna de todos os tamanhos, desde as mais pequeas chama-
das do serto. Obra perfeita em feitio e acunhamento.
Rodas de espora e angulares de todos os tamanhos e proporcoes.
Paroes ou coches para receber o caldo.
Crivos de ffornalha para assentamentos, frescos para o foguista, fazendo
grande calor com pouco combustivel, e duradouro.
Portas de fornalha de todos os tamanhos e de diversos systemas.
Fornos c molnhos para a fabrica de farinha e tambem chapas redondas
para fornos pequeos.
Roabas simples e de repucho.
Talxas de ferro batido e fundido e de cobre.
Formas de ferro batido galvanisado para purgar assucar, leves para carregar
e isemptos de quebrar-se. .
Alambiques de ferro de todos os tamanhos, eustando so a terca parte do
preco dos de cobre, mais regulares na distillacao e igualmente durareis.'
Elioa e rodas de carro com mang-s de patente, obra mu segura para
carregacao de peso. .. ,
Arados, srades, enehados a cavallo e outros instrumentos de agri-
c -j tura. E finalmente todo o objecto de que possa precisar um engenho.
Machinas de descansar algod&o.
Na fabrica se fazem obras novas encommenda e concertos, com a maipr preste-
z e solidez. O grande deposito de pepas e objectos habililam-na muito para este fim.
O proprietario ser sempre mui feliz de poder ter qccasio de dar nformacSes ou
e- larecimentos aos senhores que se servirem de seu prestimo.
D. W. Bowmak, engenhetro.
__________________________________i_------------------- ... ----------------------------
L-ivas de pellica pretas e ou
tras cores.
Cbegaram para a luja de miudezas
yueimado n. 16. ____
\ENDE-SE.
Taxos para refinado
Vendem-se na roa Nova n. 35, loja da viava de
Sei stio Jos da Silva.
"" Yende-se e faz-se todo negocio com o depo-
siio da rua do Vigario n. 29, multo proprio pera
um principiante que queira ptmeipiar sua vida
com pouco nbeiro ; ao cof>r*4of "e dtr o me*
tive da veoda.
roa do fraDde armazem da roa do Apollo n. 38 e W,
i proprio para om raazem de 'assocar ou prensa
de alfodo em ponto grande, por lar 6 portas de
frente com mais de 67 palmos de largara e 300 e
tantos palmos de eomprimento, indo coberto e so-
j bre arcadas e para comodidade dos compradores
se vende oom o prazo de i anuos on o qoe a con-
venciGnar orna vez que seja oom segoraaet e pa-
pa ndo-se pela demora om mdico jaro : as pes-
soas a qaam centier esta compra podero enioa>
der se coro Antonio Alves Barbosa na roa dos Gu-
rnales n. 78.
MiYTEllM
Manteiga ingleza perfeitamente flor bo-
gada ltimamente a 1,120 rs. a libra, e
em barril ter abatimento.
Manteiga franceza da safra ora a 8oo rs.
a libra e em barril ter abalmeoto.
BANHA
Banha refinada superior 64o rs. e em
barril ter abatimento.
CH4
Cha uxin deprimeira e superior qualida-
de a 2,8oo rs-.
dem hyseen o melhor neste genero a
2,6oo rs., e sendo em porc3o ter' abatimen-
to, tambem ha proprio para negocio' de 2 a
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de l,8oo a 2>5oo rs.
a libra.
Latas com superior btscouto inglez ^di-
versas marcas a 1,200 rs-. a lata.
Botaebtehas
Latas com .bolachinbas da acreditad fa-
brica do beato Amonio, proprias para dar
doeutes de 2,ooe- a> Sjoow. a lata.
dem com quatro libree de bolachinhct>de
soda a 2,ooo rs. a lata.
Vinagre .
Superior vinagre de Lisboa- a 2,ooo rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tamben ba
mais baixo para 2oo rs. a garrafa e l,4oors.
a cacada.
Azeiie doce
Superior azeite doce de Lisboa a Too rs. a
garrah e a 5,5oo rs. a eanada.
FU.KO CAPORAL.
Lata com superior fumo caporal a {,80o
rs. a lata.
Passas-
Snperiores passas a 2,5oo o qoarto e
9,5oo rs. a>caixa de arroba hespanhola e a
56o rs. a libra.
6KVEBRA
Genebra de 1 aran ja verdadeira a lo,5oo a
duzia e 1,000 rs. ao frasco.
Genebr de Wolanda verdadeira a 6,soo
rs. a fiasqoeira e a 56o rs. o Frasco.
Idom de Hollando em botijas a- 4oo rs. ca-
da ums.
Garrafoes- oom 24 garrafas de genebra de
Hollanda 8,oeo- rsv o garraflo. Tambem
ha garrafoes com 5 e-14 garrafas- de 3,2oo a
IIVROS.
A melbor obra da homeopathia, o Mannal de Medicina HonwopathiGe d Dr. Jarh
dousgrandes volumes com diccionario............ iOOO
Medicina domestica do Dr. Hering......... lAAonn
Repertorio do Dr. Mello Moraes.......... aX
Diccionario de termos de medicina......., '., 3|90O
Os remedios desfe estabelecimento sao por demais coahecides e dspenaam por
tanto de serem novamente recommendadoa as pessoas que quizerem usar de remedio
verdaderos, enrgicos e doradores: ba tudo do melbor que se pode desejar, globos de
rerdadeiro assucar de leit, notaveis pela sua boa conservacSo, tintura dos mais acredi-
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acorada preparacao, e portante a maior
energa e certeza em seus efleitos. ^^
Casa de saude para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade on ftzer--m aoalauar
operac5o, para e que o annunciante julga-se sufficientemente habilitado.
O Iratameoto o meihor possivel, tanto na parte alimentar, como aa medica
funcionando a casa ha mais de quatro annos, ha mokas- pessoas de cujo coneetto se nao
pode du vida r, que podem ser consultados por aquelles que desej arem mandrseos
doentes.
Paga-se 2 per dia durante todias e d'abi em diante 14500.
As operaces ser2o previamente ajustadas, se ne se quizerem sujeitar aos preces
razoaveis qne costuma pedir o annonciante.
ARMAZEM DE F^ZEMDAN
DE
c*
Qoeijos flamengos chegados pelo ultimo
vapor de 2,3oo a2;5oo rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespanhol a 1,000 e i,2oo rs.
a< libra, francez e suisso a t,ooo rs. a libra
e portuguez a 800 ts. a libre em porgSo
ter abatimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secoa,
6,000 rs. cada um.
VELAS
Velas despermacete a 64o rs. a- libra.
dem de-carnauba- de lo a 12;ooo rs. a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
PEIXE
Peixe em. latas j preparado de- i,ooo a
1,200 rs. a lata
ALPKTA E PAINgO
Alpista e- paineo muito novo de 3>800 a
4,000 rs. a bra.
CHARUTOS.
Superiores charutos-do fabricantes Simas,
- e outros de
DnauflTd PortT Vefho s'cen LmirtTto''taria<'s Delicias' P8*8^ e outros de
SaSf, S5r^VA?%rWTgKl ^ &*>**&* R mau ca.xa; tambem
temos Suspiros, Havaneiros, Ligueiros e
mas Doces e outras marcas a-l,ooo a garra-
fa e 9,000 a 12 000 rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa, das memores
mareas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3,ooe,
3,5eo e 4,000 rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a-84o
rs. agarrafa ea 4,5oo rs. a caada.
Superior vir.ho de Lisboa- e Figueira em
aneoretas de 8-e 9 caadas a 24,ooo rs. an
cereta.
Superior viaho branco proprio paramis-
saa 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oe> 000 rs. a garrafa e 3v2oo a
3>5oo a caada.
Caixas com uma duzia de garrafas de su-
perior vinho. Bordeaux a 7,ooo rs. a aixa e
Too rs. a garrafa.
CAFES
Caf do Rio de 1.* o 2, qualidade de
6,800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
s.iitio
Sabio maca de primeira qualidade de 24o
rs. aibra.
Serveja
Superior serveja Bass dos melhores fa-
bricantes, como sejam: Shlers & Bell. T. F.
Ashe a 7,5oo e 7,ooo rs. a duzia e a 7oors.
a garrafa. Tambem ha de outras marcas
como seja: Victoria e Alcope a 5,ooo rs. a du-
zia e a 5oo rs. a garrafa.
BOIOES VASIOS.
BoiSes vasios, louga mgleza muito pro-
pria para manteiga e deposito de doce de 4
a 12 libras a l,2oo e 2,5oo.
FARINHA DO MARANHO.
Farinha do Maranhao a 240 rs. a libra.
SAG'.
Sag muito novo a 4oo rs. a libra.
ARARTA.
Araruta Yerddeira a 4oo rs. a libra. .
outros muitos que vendemos por- mdico
preco.
Lleeres
Licores- francezes e portuguezes a !<,ooo e
l,4oo rs. a garrafa ou frasco.
Roees
Doce- daicasca da goiaba em cakoes e la-
tas a l,2ooo caixaae-,8oo rs. a lata.
Vratas
Frotas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pra, pecego, ameisa rainha Claudia, al
perche e outras frutas a 00 rs. a lata*
Tambem ha latas grandes para l,2oo rs. a
lata.
AZElEDE REFINAvDO
Superior azeite francez refinado a 8,eoo
rs, a garrara e a 9,ooo rs. a duzia.
MOLIO ING1EZ SAUCE
Molho inglez Sauce em frascos grandes
eom rolha deVidro a l,8oo rs. o frasco em
duzia ter abatimento.
BATATAS.
Gigos com 3o libras de batatas a 1,00o rs.
o gigo. .
SARWNHAS.
Latas oom sardinhas de Nantes e Lisboa
de 400 a 46o rs. a lata.
FUMO AMERICANO.
Superior fumo m chapea 1,400 rs. a
libra.
ERVILHAS
Lafas com ervilhas e feijao verde j pre-
parado 64o rs. a lata.
MASSA DE TOMATE
Latas com 1 libra de massa de tomate a
64o a lata.
VERMUTH
Esta bebida muito fresca e estomacal e
muito propria para a presente estaco. a
qual vendemos a 2,000 rs. a garrafa e 18??
a duzia.
CUSTODIO ARV1LBO
27 RUA DO QUEIMADO N. 27
Madapolo francez muito fino, tendo pouco mofo, cada peca com 27 varas por
10000.
La de cores a 308 rs. o covado.
Cambraia francez a 260 rs. o covado.
Finos organdis a preco de 800 rs avara.
Lencos brancos para algibeira a 2P0O a duzia.
Funis perclaras a preco de 400, 440 a 560 rs. o covado.
Ricos cortes de la- de barra de 100 a 300000.
Chales de fil preto e outras umitas fazendas.
Pimenta, cominho, cravo, canella. ervadoce, alfazema, tijollo para limpar facas pa-
litos para dentes, palitos de fogo, e outros muitos gneros que se ternaria enfadonho
mencionar, afianzando cinceridade nos presos e o bom acondicionamento de qualquer
genero.
ROMANCES BARATOS
Vendem-se, na livraria da praca da Inde-
pendencia n. 8, a 400 rs. o volunte, os ro-
mances portuguezesseguintes, em brochn:
A voz do sangro, $ vulumes.
Connemara, I ditos.
A noite e S. Silvestre, 1 dito.
O filho de Titiano, I dito.
Adonis eu o bom negro, 1 dito.
O jMrthi de Bada, 1 dito.
Trilby, 1 dito.
Ignez de la Sierra, 1 dito.
Joven Siberiana, 1 dito.
Cofas, cont suisso, 1 dito
G\Z.
No armarem da roa do imperador 3
Cae: e Pedro II n. 2, tem para ,wder-se
bcr gaz existente do mercado.
en no
o me-
Fariuha de mandioca.
Vende-se de boa qualld^U de Si Catbarina a
bordo da escona oldoatbaifbea t*au% a traur
1 a ber4o do mesmo navio oa no escriptoiTO de Amo-
I rlm Irmlos, roa drCraz h. 3.
Gevadinha de Franca
a 160 rs. a libra, e de 8 libras eara cima a 110
fia armazem da Liga, rua Nova n. 69.
rs.
Laairjdli
A loja da Aurora, m roa larga de Ho?ario n. 36,
recebe! sertimeeto de lantijolas multo delicadas e
proprias para qualquer eMte, assim como tam-
bem receben lavas de Jouvin brancas e de cores
para hornera e sentara, multo frescas, chegadas
pelo ultimo vapor, tudo isto na loja da Anrora,
roa larga do Rosarlo n. 38.
Veude-se ama masseira de amarello em per-
feito eftado, e mais pertences para uma padaria,
na estrada nova, segovda taberna a direita, depols
de sobrade grande : a tratar na roesraa, das 4
boras da larde em diatue.
Pe chincha
Na raa do Qaeimao b. 40
Cortes de laatinha de cor, bonitos gostos, com
15 covados a 3600.
Castas orgaodys de ceres, eovade a 140, pecas
de algodaozlnbo largo com 17 varas a 4.
Ditas de dito cena (7 varas, muito encorpado,
com pequeo defelto, a 4S90.
Grosdenaple preto muito superior, covado 39-
Dito dito a i600.
Retondas de renda preta a 10j.
Chales de renda preto a 8.
Grande pichincha de madapoln con
a vari*.
PaTeffes Porto vende uma grande porcjSo de ma-
dapolao avarisdo, rateada de 10a e 125 a peca, a
6#500 e 7 com pequeo toque : na rua da Impe-
ratrlz n. 5j; armazem da porto larga junto a pa-
daria franceza. 1
Novidades do Vigilante
RUA DO CRESPO N. 7.
Este estabelecimento apezar de sempre-
se achar bem sortido como todos sabem,.
hoje mais eme nunca, nao-s pelo que rece-
be de sua propria conta,. mas tambem pelo-
tque recebe de consigna?5es; parece sem
duvida qoe deve offereeer grandes vanta^
gens para o respeitavei publico tanto em
precos como na escolba dos objectos, e co-
mo acaba de chegar grande remssa pelo
vapor tDouro> e o na#io Solferino de
diversos objectos de gosto e proprios do
tempo dos quaes se mencionado algtms,
por n3o ser possivel mencionar todos. O
dono dsste estabelecimento espera a pro-
tecc5o de todos.
Riqaissimas -caixinhas ornadas e com
msica propria para om delicado mimo.
Caixinhas de msica tanto de veio como
de corda.
Ricos porta joias e necessarios.
Riquissimos est jos a feitio de om bausi-
nho ou chapeuatoho.
Ditos em csea de noz e de outros gostos.
Leques de madeperla de sndalo e de
faia e madeira.
Chaposinhos e touquinhas de muito
gosto para enancas.
Meias e sapatinhos de seda para as mes-
mas.
Meias de seda para senhoras.
Capellas e grinaldas de flores proprias
para casamento.
Enfeites e capellas de muito gosto para
senhora.
Riquissimos porta boquets.
Boquet de flores com urna borrachinha
com cheiro.
Lavas verdadeiras de Jovin.
Ditas de seda e de Escocia.
Riqaissimas plumas e guarnieres para
enfeitar chapeos.
Contas e tubos de ac branco, que ba
mu lo se desoja va para enfeites.
Brincos, fivea8 e ernzes de crystal.
Fivellas e cruzes de tartaruga, madripe-
rola e dourados.
Alfinetes para grvalas.
Botoes com croas para punhos.
Gravatinhas e mantinhas de muito gesto,
tanto para homem como para senhora.
Riquissimos aderemos pretos, assim como
caixinhas com alfinetes pretos.
Bengallas de canna com cabo de marfim.
Ditas de fealeia, borracha e de outras
muitas qualidades, assim como chicotinhos.
Riqaissimos penles de tartaruga do ulti-
mo gosto; assim como de arregaco pan
menina, pois neste artigo ha um completo
sortimento de todas as qualidades.
Diademas pan eabeca do ultimo gosto.
Riquissimas fitas lavradas e lizas. ,-
MACHINAS DE PATENTE
DE TRABALHAR M6 Pj\RA DESCA-
RUCAR ALGODAO
FABRICADO POR
PLANT BBOTHEBS & 6.
OLB-AM.
Estas machi-
sbe&ss? ^ as podem des-
T^fl^j e^S l^^carocar qual-
qoer especie de
algodo sem
estragar o.fio,
_ sendo bastante
"* duas pessoas
para o traba-
lho; pdedes-
carocar uma
arroba de al-
godSo em ca-
roco em 40
minutos, oo
18 arrobas por dia ou cinco arrobas de al
godao limpo.
Assim como machinas para serem movi-
das por animaes, que descarecam 18 arro-
bas de algodao limpo por dia; e motores
para mover uma, duas ou tres dessas ma-
chinas.
Os mesmos tem para vender um bellissi-
mo vapor que pode fazer mover seis destas
machinas mencionadas; para o que convi-
da-se aos senhores agricultores a virem ver
e examina-lo, -no a mazem de algodao, no
largo da ponte ova n. 47.
Samadera Brothers A C.
Rectfe praca doCorpo Santo n. li.
Os nicos agentes neste paiz.
O castello de Gwsville.
Traduzid de franerz per A. J. C. da Crii.
Vende-se este bello romance en quatr
tomos pelo baratissimo preeo de 300C
oa praca da Independencia, livraria ni.
6 e8.
eisco Jos uermano
RA NOVA N. 22,
acaba de receber om lindo e magnifico sor-
timento de ecolos, lnnetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gosto da Europa e oca-
ros de alcance para obserracSes e para o
martimos.___________________.
LSa de barriguda, oque de melbor bapari
encher travessefros : vende-se na raa daMadr
de Dea, bo armaaemtiomo a igreja
dre
Trancas pretas eom vidrilho e de cores.
Pulseiras tanto para senhora como pera
meninas.
Ligas de seda e de aigodSo.
Suspensorios de seda e de algodao e mui-
tos outros objectos que se nao podem an-
nunciar por n3o se torear enfadonho.
-STPJtSatto-Tigllante roa do Grospo n4 7.
Roupas feitas de todas as qualidades
Vende-se ronpa feita, sendo calcas de cores e
pardo a it, ditas de brm branco de linbo a 3J500
e i, calcas de casemira preto a S$, 6 e 8*, di-
tas de cores, meia casemira, a 3J e 35500, ditos
de casemira a 62, 75 e 85, paletots de brim da
cores a 25, 35800 e 35, ditos 4* Ma raneo a
a 4J500, ditos de alpaca preto a 35 e 45, ditos da
casemira de cores a 85, 6, 7, 8 e 105, ditos de
panno prelo a 65, 7, 8 e 105, colletas de ores a
15000, de casemira a 35 e 45, owoota hasceza a
15600 e 25200, camisas francezas Anas brancas e
peitos de corea a 95 e 25*00, ditas ioglezas de li-
nbo de pregas largas a 25500, 35 e 35300 : na
roa da Imperatriif tajada Arara n. 86.________
Em casa de Rabe Sehmettaa C.
roa da Cadeia n. 18, vende-se:
Champanha.
Cognac de superior qtwlidade.
Vidros para espelhos da todos os Uma-
nhos tudo a precos mnito-coMMiodott.
tara enoresmr.
Tesonras de todas as grossuraa para eacrespar
.t5?? "*? WU loto de
Azevedo & (rmio.
Vmdem-*e
n

ILEGVEL
___-..-


Diaria de perumbiei -t ftexta felra 13 de Abril da 1866.
11

-



NOVA LOJA
ENCICLOPDICA
l>* Roa da Imneratriz armieH
da porta larga a t.
Junto a padarla f raateeza do
Neste esubeleeimecte encontrar* o respeitavel
publico am uriado sotitnetto de fazendas france-
xas, Inglesas, suissas e allemes, que se venderao
por prego commodo.
Prele Parte
Vende chales de renda de cores qne se vende-
ramaI8l est vendeodo por 0*, ditos pretos, fa-
senda nova, 5$, 6, 8 a iOf, um sortiroento com-
pleto de manteletes, capas e.sontambarques 14 a
25*. Ra da Imperatriz n. 41, junto a padarla fran-
cera, armazem da porta larga.
Paredes Porte
Receben am completo sortimento de llasinba a
540, e 180 rs. covados, par acabar, cambraias de
c6r a *W rs. o co vado, riscado escossez para ron-
Ki de menino, fuslao de linho a 420, 400 e 500 rs.
na da Imperatriz n. 52 junto a padaria franeexa.
armazem da pona larga.
Paredes Porto
Recebe* para cortinados para cama franceza a
li* a peca cambraia lisa to a 3* 4* al 10* a
peca, cortes de tarlatanade bonitosgostos a 3*500
**, cambraia com flor de seda, gostos inteira-
mente novos a 400 e 800 rs. o corado, no armazem
da pona larga n. Si, ra da Imperatrz junto a pa-
daria franeexa.
Parefa Porto
Receben pelo ultimo paquete um sortimento de
cruzes com pedras psm o peseogo, bonitos caxinels
de ia para pescoco de seobora. Roa da Imperatrii
n. 52, armazem da porta larga.
Preo Parla
Vende cortes degorgurao preto para vestido com
31 eovados cada am 35*000, grsdeoaple preto a
1*600, 1*800 e 2* o covado, ISas lizas Unas 100
rs. o covado, lias de quadrinho para vestido, nfes-
ud, a 320 rs. o covado. Roa da Imperan-fe n. 52,
armazem da porta larga.
Ronpa feita
Roa da-Troperatriz n. 52 armazem -da porta lar-
ga junto a padarla franceza, rconrra-se este es-
labelecimenio nm completo sortime-nto de paletos-
saceos e sobrecasacos, de todas as qtaKdades, cal-
cas, colletes, ceroulas, camisas, grvalas, meias,
chapeos de sol, ditos franceses pan abega, por
presos cemmodos, ronpa para menino e outras
omitas ff zendas por precos commodes, armazem
da porta larga.
No mesmo estabeiecfmento encontrara o respei-
tavel pobiieo, sempre noa completo -sortimento de
roupas fettas de todas as quaJidades, como sejam
paletos de alpaca preta-e de cor, ditos sobrecasa-
cos a 4* e 5*, ditos de ferina pardo a 7*800, 3* e
3*500, ditos finos a V*, ditos 'metas eazemira a
3*500, 4* e 5*. ditoe-cazemira-saecos a 6*. 7*, 8*
e 10*, ditos sobrecaeacos a 10 e 8*. ditos de pan-
no saceos a 6*, 8* e ?*, ditos sobrecasacos a 12*
o 2, ditos de merMhi preto a 6*, 7* e 10*, cai-
cas de brim de diversas qualidades a 1*800 a 4*,
ditos brancos a 2*509 e 6*00, ditos eazemira 5*,
* e 7*. ditos pretos a W,**, 8* e 10*, ditos
metas cazemiras a-8* e 4*, toletes de diversas
cualidades, seroulas rancezas de algodao, ditas de
linho, ditas de braawote a 2*e3*500, carnizas de
algodao de linho francesas de 4B800 e 3*. Graa-
qaalidades e brancas para casamento, grande sor-
timento de meias para Minoras, ditas para bomsas
-a 3*. superiores -c 3*500 e i*.
Um completo sortimento de chapeos de sol-de
alpaca a 3*, ditos de seda a-'*. 7*, 10* e-M*.
ditos francezes pera: cbeea, grande sortwwuto
a 6*.
Yestidos
Pe chencha son Igual.
Chegou a loja-de Paredes Porto nm bonito -sor-
timento de vestidos de taruiata de cores e branca;
que serve para partida por ser urna pbantasia to-
teiramente de gesto pelo barato prego e'-fi? e
braceos a 4*500, esto acafeaodo-se : no armazem
d porta larga roa da Imperatriz n. 52, junto- pa-
daria franceza.
Cortinados.
Cbegoa a loja de Paredes Porte am completo
sortimenio de -cortinados'Mcamente bordados
preco de 25*. 3% e 43* : aa ra da ImpeKtrii
o. 52, porta larga,;unto a padaria franceza.
Rieas romeiras.
Paredes Porto rece be u pele ultimo paquete am
sortimento de roweira de. guipare pretas edoi-Sl
.a preco commodo na ra da Imperatriz .-52,
.porta larga junto padaria franceza.
GRANDE ESTABJBLEIEftTO
PARRILHA M AYER
ARA A CURA RADICAL
de escrfulas e molestias escrofulosas, tumores, ulcera, chaga, feridas ve-
Ib**, bronchocele, papo ou papeira, a syphilis, enfermidades venerias ou mer-
curiaes.
AS MOLESTIAS DAS MULH1RES
reteo?.3o, menstro doloroso, uleeracBes do tero, flores branca, etc., ulcera-
q5o, debilidade, expoliado dos ossos, a nevralgia e convulsa epilpticas no ultimo de dezembro de 1865, resolveram vender
maito-mau barato do que costomam aura do cada.
vez mala agradare aos seos numerosos fregu-
; por tanto Ihes offerecem um avulado sorti-
* da Iamparatrlz, N. 60
DI
GAMA & SILVA.
LOJA E ARHAZIK DI FAZENDAS.
Tendo os proprlelarlo* deate grande estabeleci-
n>eBia ettonm grandeabatimento em muius de
las. pela occaslo do balogo que deram
Vendem-sa snperlores toalhas de linhos para
rosto pelo baratissimo preco de 7*500 a duela ou
a 640 cada um*
Gnardanapos de linho adamascado para meza a
2*800 a duzia ou a 240 rs. cada um.
Superior atoalbado de linbo com oito palmos de
largura sendo branco e pardo, e vende-se mais ba-
rato do que em ootro parte-, na loja do Pavio na roa
da Imperatriz o. 60 de Gama & Silva.
Os corpinhs ae seda pretos do Pav3o.
Vendem-se os mals ricos corpinhs de seda prB-
tos, ricamente enlejiado?, pelo barato preco de 12*
cada nm : na lora do Pavao na ru* da lmperairH'.
n. 60, de Gama & Silva.
Os portes de cambraia braceo bordados na
loja do Pavao.
Vende m-se os mais ricos cortes de cambraia ri-
camente bordados com barras e babados a 20* ca-
da um : na loja1 e armazertl do Pavo na ra da
imperatriz n. 60, de Gama & Sirva.
jRfoo ve!Idos a- 80000 rs.
' pccttiwba adruiraifl.
S o Paveo receben pelo ultimo vapor franeez
um grande sortimento dos mais ricos cortes de
vestidos transparentes com lindas barras e enfeites
de seda, sendo estes vestidos multo prbprios pa^ imperatriz n. 60, de Gama 'silw
baile e passeios, e vendem-se pelo baratissimo
preco de 8*000 rs. cada-om, na loja do PavM) na
roa-da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
ti* Mea pretos de renda do Pavio a 8,5000 rs.
Vendem-se os mais ricos chales prett s de renda
jy0IroH3&$J<
Cortes de laa escocesa para vestido 'a 3* o or-
te:.na ra aa Impetotrlz n. 52, loja da porta iar-
aj joato a padaria raneeza, estao se acabando.
Para hito.
Laas pretas com salplces brancos a 400 e 500
js. o evado : na rna da Imperatriz n. 52 junto ai
.padaria franceza armaaem da.noria larga.
um
Chapeos do ool
Vendem-se chapeos de sol de panno a 1*400 e-
orna grande pechincha sopara acabar : na rna da
Imperatriz n. 52 armazem da-porta-larga de Pare-
des Porto.
A l#S0t,
Vandem^e pecas de tranca preU 4ra enfeites
de vestidos, soutembarquw, capas de seobora a
l*wO com 10 varas, urna grande peobincha : na
roa da Imperatriz n. g2 junto a padaria franceza.
J0
Chales de renda pretos.
Vende-9* cnale? de renda- preto a 4*000, anicc
loja qne pode vender na roa da Imperatriz a. 53,
armazem da nona .larga, da Paredes Porto.


13
o,
i--2
o
o t
-. O"
O. aa
8-5'saz.r
3 3 s
**?MSafH
quaudo cansadas pala escrfula.
ERYSIPELaS ERPES; ETG.
Eofern.Idades cutneas, erupcio, borbulhas, pnstolas,
aselda, ote.
0 extraclo composto de falsa parrilla, confeccionado pelo Dr. Ayer, urna
combinacSo dos melhores depurativos e alterantes conhecidos medicina; confeccio-
nado sefrundo as regras da sciencia, approvado ereceitado pelos primeiros mdicos dos
Estados-Unidos da America do Sul e Central, das Antilbas, do Mxico e das indias, e
martas ontras partes do mundo: o resultado de estudos apurados e minuciosos, e de
experiencias feilas pessoalmente pelo Dr. Ayer, por muitos annos, nos principaes nos-
pitaes e enfermadas da America ; tcm sido approvado pelas academias de medicina e
juntas de hygienne das principaes capitaes da America de Norte; para prova disto vde
os attestados authenticos no Almmak e Manual de Saude do Dr. Ayer, es quaesiedis-
tribuem gratuitamente nos lugares onde se vende o remedio.
A SALSA PARILHA DE AYER
Especialmente efOcaz mi cura das molestias qne tem ana orlgem
na escrfula, na Infeecio venrea, no uso
exeesslvo do merend oa qnalajuer Impureza do sangne.
. A molestia ou infeccao peculiar, conbecida pelo nome de CTcrw/Wtr, e-um dos ma-
les mais prevalecentes e universaes que ba em toda a exiensa lista das enfermidades que
atacam a nossa raca; disse nm celebre escriptor da medicina que mais de urna terca
parte de todos aquelles que morrem antes da velbice s3o victimas ou directa ou indirec-
tamente de escrfula; por isso s nlo la destructiva, porm a principal causa de
muius outras enfermidades que nao Ibe sao geralmente a ttrbuidas.
nma cansa directa da tsica pulmonar, das molestias do figado. do estomago
e affeccSes do cerebro; enlre seus numerosos symptomas acham-se os seguintes: falta
de appetite, o semblante pado e enchado; aa vezes de urna alvura transparente e outras
vezes corado e amarillento irregular, fraquea e molleza nos msculos ao redor da boc-
ea ; digestao fraca e appettite, falta de energa; ventre enchado e evacuao irregular;
quandoomal tem sen assento sobre ospulmoes urna cor azulada mostra-seem roda dos
olbos; quando ataca os org2os digestivos, os olhos tornam-se avermelbados; o bali-
to ftido, a lingua carregada; dores de cabeca, tonteiras, etc. Naa pessoas de disposi-
fSo escrofulosa appareoem frequentemente erupc5es na pelle da cabeca e outras partes
dooorpo ; s3o predispostas s afeopoes dos pulnwes, do figado, des rins, dos org5os
digestivos e uterinos. Portanto, nao sao sement aquelles que padeceovdas formas ul-
cerosas e tuberculosas da escrfula* que necessitatt de pretecejo contra os seus estragos;
todos aquelles em cojo sangue existe o virus latente deste terrivelflagello (e s vezes 'e^^aw pon^'sendF^
Hereditario), esto expostos tamben a soffrer das enfermidades que -elle causa, que slo:' ratissimo preco de 8*.
A tsica, uloeraces de figado, do estomago e dos rins; eropcoes e enfermidades 'i. **#20*.a{*
eruptivas da cutis, rosa ou erysipela, borbulbas, pstulas, nascidas, tumores, rheuma,
carbnculos, ulceras e cbagas, iteumatismo, dores nos ossos, as costas e na cabeca,
debilidades femminas, flores branca causadas pela ulceraco interior, e enfenrdades
-uterinas, bydropcsia, indigestae, enfraquecnento e debilidade -geral.
Ofifereoemos a estas pessoas um abrigo seguro e um anidoto eflBcaz contra esta
molestia e suas ocosequencias na
^ SALSA PARRILHA DE AYER
que opera directamente sobre-o sangue, purlficando-o e expulsando delle a correpcao-eo
veneno damoteslia; penetra'todas as partes e todos os or-g5es do corpo buanano, IfvraB-
do-os daua ae?5o viciada eiospirando-lbes novo aigor. um alterante ipoderosissimo
para a renovaeio do sangue, ^ d ao corpo j enfraquecido pela doenea, orcas eener-
gias renovada&eomo as da -joventude.
E tarabem o melhor aaty-syphilkico conheddo
cura peraianentensente as peiores formas-de syphilis e as-suas consequencias. 'Pouca
necessidadeha de informaro publico do inestimavel valor de um remedio que, orno
este, livra o sangue desta torrupc9o e arrebata a victima das garras de urna mor te lenta
e ignominiosa,,porm inevtavel, se o*mal m. um poderosissimoelterante para; renovacSo dosangue e-para dar nove tor-
ca ao corpo j enfraquecido i pela doeca.
Sendo coeaposto deiproductos vegetaes, este medicamento inooeente eaeaes-
mo tempo efiGcaz, um facto-e immetsa importancia para aquelles que o tomam ; por-
que muitos dos remedios afterantes onereciSos ao publico'tem por base-o mereurio ou o
arsenwo; e sendo assim, bem que s veies-podem effectuar curas, comtudo deixam suas
victimas carregadss de urna Icnga serle tenales, muitas vezes peior-do que o mil ori-
ginal. *A nica cousa necessaria para obteruma cura radical seguir-com juizo-e^cons-
a tocia s direccoes que acempanbam cada'frasco.
TSTo .pretendemos promftlgr, nemiqueremos qe-e mBw qtwesta twiammgp a
um roaoedio infalivel para a.cura de todos os padecimentos humanos; infelizmente
escrfula e a syphfits s5o enfermidades tae sutis as suas nalurezas, e arreigam-e to
firmemente no syatema, que muitas vezes'vadem eresistem aos remedios mais ^pode-
rosos que ascieooia bumanapde inventar para combat-las: o que dizemos que o
Extracto composto de salsa pamlha de Ayer
a melbor preparado at-boje descoberta para esta e outras molestias analogas,.que
urna combinado dos alterantes unis effieasea conhecidos, e que esta- combina to tea sido
regulada por longas e laboriosas ex perienci&s, e finalmente que teoos-oonsciencia de of-
ferecer ao publico o melbor resultado que-possivel produzir, da intelligencia e-pericia
medica dos nossos lempos.
Este remedio^deve ser tomado com systema e regularidade, e nd com abaadono,
pots e um remedio on5o bebida.
Quando aS" molestias dotfigado no-tem sua origem na escrfula, o remedio
mais proprio as plalas catharteas de Ayer, que sao efficazes na curadamolesliavqoe
m por causa um desarranjo dos orgSos digestivos. Pedi a salsa,parrilaa de Ayer e
nao aceita: outra preparaco.
Pernambuce^ rna Nova e.. 18, pharmacia francezade P. Maurer^c C.
Cortes de cambraia. com palmas na leja do
Pav?o.
Vendem-se cortes de cambraia branca com pal-
mas, sendo fazenda multo bea, pelo baratissimo
preco do 250Q para acabar: na Jote e armazem
do Pavo na roa da Imperatriz d. 60, de Gama
Silva.
Lencos brancos a *#OM rea a
duzla.
Vendem se lencos brancos farenda motto boa
Sedas Largas
Na leja do Pavo,
Chegou para a loja do Pavao um modernissimo
sortimento das mais lindas sedas para vestidos,
sendo urnas de listrinhas e oolras Oe florzmhas
com as mals huas cores, e algomas propnas para
as seoboraa- qne estivercm do luto e vendem-se
pelo barato prego de 2,5000 o covado, tendo esta
razeoda qualro palmos de largura, que facilita fa?
zer-se um vestido com poneos covadt, isto na
C baratissimo p'reoo de 2* a darla, Hitos com toi e armazem do Pavo na rna da Imperatriz o
a de cor a z000 isto para acabar na loja d- bO de Gama & Silva.
Pavio na rna da Imperatriz n. 60 de Gama & Sio
va.
Poupelinas modernissimas a 400 e 500 rs.
o covado na loja do Pavo.
Veodemse poupelinas multo finas sendo fazenda S^"cts co.n> g,seDdo triBSi)e"!es e ve-
atento de fazendas francezas, ingieras, as qoaes nraho moderna de qoadrmhos e liza vendendo-se dem1"se pel baratissimo prego de 5,5000 o corte,
_-j. :. t_. ... iDa |0ja e armazem do Pavao na ra da Imperatriz
n. 60 de Gama & Silva.
Novidade
Para vestidos.
. Cbegarara as desejadas cambraias ou tariauna'
vendero mais barato do que era ontra qualqoer potos baratos precos de 400 e 600 rs. o covado na
Siarte, comprometiendo- a mandar levar ooalqoer loja do Pavo na ra da Imperatriz n. 60 de Gama
uzeada em casa dos fregoezes qne oaopoderem di Sirva.
o'penhor' .fm^ISS-"!-""'"^^ ^r ^*eil*Peg P**i** do Pavo.
As cabaias do PaySo a 2$00O
o covado.
Chegaram para a loja do Pavo as mais lindas
2'' "?Mcomo enyidalB a,s Pessos- >J Vendem-se superiores grosdenaples pretos pelos
uegcciam em menor escala que neste grande esta-, baratissimn? nrpm Aa lAxnn ijutnn laann a a\
belecimento eneootrarao um grande-6 aavflaMM \oSSm^S1 SSo bafao 5S ac ^11 Pa a io|a do Favao as mais lindas
tanto a retalho como por atacado, vendendo-se-lbo 7m loteaamwLniM& PdI imS"' P.abaias de seda p,ra vestidos-seDdo com os mai8
apenas oelos precos que comprara nas casas ingle-' w' ""'"'* anc"" '
us, sendo com o dinheiro a" vista.
As toalhas de lio lio do Pavao.
i n- 60- de Ga i "ndos gostos de flores e listas, tendo entre ellas al-
Itvamanrf* 11.1.a a n.wS I gtlmaS r0XaS e Pretas Para I"1 PS'iver iQtO,
* ae Itabo do PavO. tendo esta nova fazenda 4 palmos de largura qao
Vende-se superior bramante de linho com 10 facilita fazer-se um vestido com poneos ovados, o
palmos de largura, prrprioa para lences, pelos vende-se pelo baratissimo preco de 2s000, oolea-
baratlssimos precos de 2 e 2{600 a vara, assim mente na loja e armazem do Favo roa da imoe-
como panno de linho muito fino pelos baratissimos ratriz n. 60, de Gama & Silva
precos de 640,700 e 800 rs. a vara : na loja e ar-
mazem do Pavo, roa da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma &' Si I va.
Cambraias lisas da Pavio.
Armazem do Pavao,
Vende-se cera de carnanba da melhor qualidade
era saceos, mais barato que em outra qoalqqer
Vendem -se pecas ae cambraia lisa muito snpe- i Parle n0 armazem do Pavo na roa da Imperatriz
rlor, pelo barato preco de 3*200 o 3500 a peca, n. 60, de Gama & Silva,
ditas muito finas a S*, 6*, 7* e 8* : na loja e \fT~~
arroaiem do Pavo, rna da Imperatriz n. 60, de li O
Gama & Silva.
PECHINCHA !
a 2,5000, para calcas, s o Pavio.
Vendem se superiores cortes de meia casemira
com msela de seda a 2*, ditas Garibaldlnas a
2*800, ditas escoras a 2*800, ou a 1*600 o cova
do : na-loja e armazem do Pavo, rna da'Impera
triz n. 60, de Gama & Silva.
PENTEADORES
ou rOupSes de cambraia bordados proprios
para as senhoras vestirem de manha.
hegoa esta novidade paia a loja do Pavao,
multo1 lindos o do melbor gosto at boje, por pre
Cos muito razoaveis : na loja do Pavo, rna da
VENDE-SE
o armasen! de M. *. Han e Silra & euro, rna do rigaro
n. 11, constan teniente, ossegHinteo artigo*, pee
reeefrent por eneomnienwa pmpria de
IORI,
Leg i tima-salsa parrilha de Bristol, preparada por Lanmao & Kemp.
Verdadeira agua Florida^ preparada pelos mesmos.
Saz em latas de cinco gates, o mais purificado que se pode desojar da acredi-
tada marca F. W. D. & C.
Relogios perfeHos reguladores, com corda de quatro a oito das, dos afamados fa-
bricantes E. N. Welch.
Gra.ixa em latas grandes da bem conhecida marca las. S. Masn de iRhiladel-
phia).
Superior oleo para machinas de costura.
A guias para as mesmas.
Breu em .barrica* grandes e pequeas.
Vende-se tambem:
BORDEAII
1.a qualidade.
St. Estephe.
St. JoJien.
C. Margaux.
C. Lafitte.
Medoc.
PORTO
l'onlidade,
Principe Real.
Pedro V.
Diaria Pia.
Princeza D. IsabeL
Victor mmanuel.
Duque.
Malvazia.
Vinho fino do Porto em barris de 5/, 10/ e 20/.
Superior vinho do Rheno.
Cera de Lisboa em velas' e em grume.
Bren em barrica? peonen*.
or*aa velas deteOxoi
Bagiaa.
Manarlo.
Na. rna do vitartOB.il>, primelro andar.
yaade-s^aaaoaarafoparaaopotwt crlaaa
de boa figura e mostr carreiro : a tratar na ra
do Qaeimado n. 4i.
Qieijts.iasertit !"
Vasdy-a wn<3r(p^4aaajflo: n ruad*
Madre de Beos, armazem Junto Sgreja.
Z7 RIJA BO Q1J1II1IADO ^. fTa
Bfaapolo.
Tinas pecas de madapelJo com 10 varas a 9<5.
LENCOS,
Lencos de cambraia branca, duza t$.
dem de cores flxas para meninos, duzia 2)5(400.
CanioralaH.
Cambraias de cores a preco de 2 Gnardanapos.
Guardanapos de linho,. duzia 34(500.
Afcedao.
Algodo trancado de duas farfcuras, pTeprio para toalhas de esa, t prec de
14300 a vara.
Bramante.
Superior bramante de linho ihglez e franeez.
Cambraia de linbo propria para leos.
ATOHLHAB0.
Atoalhado branco para mesa a* I#800 a vare,
Entremeios de cambraia muito Anos, preco f#.
Lenco? de seda para'aljrlWfra a ?fjiro.
Rotondas de dito a 10*.
Manteletes de renda, tacenda muito superior a
1000.
Capa* o satbambaT^ties de grosdena(>ls bor-
dados, fazenda inteirameote nova, por precos mais
baratos que ero outra ffoalquer parte.
Isto na loja arroaeem do Pavao na roa da Im-
peratriz n. 60 de Gama O Silva.
Oschales do pavao a 2ooe 2Soo rs.
Vendem-se cuales -de merino estampados a 2*
6 25500 cada um.
Ditos de merm liso a 3*500.
Ditos estampados de repon a 6* 7*, e 8,8000.
Ditos pretos bordados com franja de seda a 14*.
Na loja armazem -do Pavo na ra da impera-
triz d. 60 de Gama & Silva.
Para hite vende o Pavio.
Setim'da Chioa com 6 palmos do largura, fazen-
da preta para luto,-propria para vestidos roupas
para borneas, sendo esta nova fazenda sem lustro o
de muito 'boa qualidade, garantmdo-se nao flear.
rossa eom o tempo-e -vende-se pelo "barato preco d;
2* e-2*300 o covado, assim como oeste estabeleci-
ment tem nm grande sortimento de todas as fa-
zendas pretas como sejam cassasechitas pretas,
lias tapadas e transparentes, princesas, alpa-as,
sarjas,-etc. : na loja e armazem do Pavao na rna
da Imperatriz n. 60, o> Gama ; -Silva.
Os bafes do PavSo.
Vendom-se superiores baldes de muculina com
multa-roda a 5*., ditos crioolines com 35 arcosa
38O0, ditos com 20 e 25 a 3*, ditos para meni-
nas,-sendo brancos o encarnados* 2* e 2*500 :
na loja 4o Pavao na rna da Imperatriz n. 60. do
Gamav4Hva
Cambraias de forro a 14600 e na loja
do Pavo.
Vendem-se pecas de cambraia de forro com no-
ve varas'Cada pega, pelos baratissimos precos do
1*600$: na loja e armazem do Pavo na roa
da Irapepatrix n. 60, do Gama &-Silva.
Os cortinados do Pavao.
Vendem-se superiores cortinados adamascados
para carnes pelo-baratissimo preco de l cada par,
ditos muito Anos ricamente bordados para camas
on jaaetias a l*, -20JJ e 25* o par : na loja e ar-
mazem do Pavio na roa da Imperatriz n. 60, de
Gama -Suva.
Panno preto a 2# na loja do Pavao.
' Veade-ee.panno preto. fazenda moito boa, pelo
barato preco de U o covado, dito muito flno a
3*500, 4*,-j* e 65, assim como casimira preta de
cordo a. 2* o covado : ioa loja do Pavio da roa da
Imperatriz n. 0, de Gsma A Silva.
c espartilhoe do Pavo.
Venden-seoma grande -e variado sortimento de
espartilbos dos mais bem eitos que tem 'viudo ao
mercado, eeodo de todos os tamanbos, vendendo-se
por um preco.muito razoavel: isto na loja do Pa-
vio na roa dailmperatriz n.<00, de Gama & Silva.
As safas bordadas do pawo.
Vendem-se-saias bordadas sendo fazenda moito
boa, sendo ricamente bordadas e com mnia roda
vendendo-se pelos baratos presos de 6* 8$ e 10,1
reis cada uroa.-na ioja do Pavao na roa dailmpera-
triz o. 60 de fiama & Silva.
BreUabas de rolo a 3s0005
Vendem-se pe?as de bretanha de rol eom 10
aras cada peca, pelo baratissimo preco de 3* :
na loja e armazem do Pavao, ra -da Imperatiz u.
i(j, de Gama & Silva.
Ronpa fella.
Na loja do Pavo
Veade-se neste ecubeleciment oaa grande-sor-
timento de roupas, tanto de panno como caxemiras,
e brins e pelos baraltesimos precos-como sejam
calcas de casemira preta a 6* 7* e 8*000res, pa-
leto de panno preto -saceos a 6* 8* e 12*000
ditos sobrecasacos de panno flnlssimo a i2* 18* e
25*000 feis, e ontros mnltoB artigos qoo-serla en-
fadonboe aqu relata-los; s na loja e armazem do
Pavao roa da Imperatriz 60 de Gama k Silva.
Leja de pavo
Cu-andes peeMnehas.
Sediibas a SO re. o avado
edinaaa a SOSra.
sotnnaa a aoe re*.
Vende-se na loja do Pavao, tre grande sorftmea-
to 4e sedobas listradas com as mais bonitas cores,
sendo os padrCs ais novos rme tem mo aa mer-
cado^ e vende-se pelo paraUssimo pfaflpv^eioco
tosidas o corado, sendo (aseada que vatem muito
mais dmbeiro, e grande pBehinfcta jwr se ter
eoBipraeo orna graode'peinida. vm fweada^B
loja o armaaem de acend de- Pavio, isa 4*Im-
peratriz n. 60 de
Certes de vestidos.
Pretos a 30*000.
Vendem-se cortes de vestidos pretos bordado a
veludo pelo barato prego de 30*,para acabar; na
loja do Pavita n. 60- de Gama & StlVa-.
Cassas francezas a 240 rs. o cavado.
Vedem-se bonitas cassas francezas de eores fi-
zas pelo baratissimo preco de 240 o covado.
Ditas a 280, 320 e 360.
S na loja do Pavao, roa da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Grsdenaple preto a 1$600.
E' grande pechiaeball
Vetrde-se grsdeoaple preto, sendo moito encor-
pado e de boa largura, pelo baratissimo prego de
1)600 o covado : na rna da Imperatriz n. 60.
Os cachinez do Pavao.
Vendem-se bonitos cachinez de 12a ou agazalbos
pira cabeca pelo baratissimo prego de 35000, s
01 Iota do Pavo, na ra da Imperatriz n. 60.
MANTAS PARA O PESCLO
al*, s o Pavao.
Vendem-se bonitas mantas para o pescoco, pelo
barato prego de 1* : na loja do Pavo na roa da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Madapoloes a 3,500 rs. a pessa.
S a loja do Pavo.
Vende-se pecas de madapolSo Uno com 12 jar-
das, pelo barato prego de 3*500 e 4*000.
Chales de renda.
Na loja do PavSo.
Receberam-se os mals lindos cbales pretos de
renda, assim como as mais modernas e compridas
mondes, e manteletes da mesma fazenda,e vnde-
se mals barato qne em outra qualqner parte: na
loja e ajmazem do Pavao na ra da Imperatriz n.
66 do Gama & Silva.
Castor a 31 0 rs. 9 covado.
Para calcas.
Vendem-se superiores castores mnito encorpados
padroes escaros pelo barato prego de 320 rs. o co-
vado, servlodo esta fazenda tambero para escravos
por ser de moita duraco; na loja e armazem do
Pavao roa da Imperatriz n. CO de Gama & Silva:
Chapees para meninas a 6,000.
S na loja do Pavao.
Se vendem os mals bonitos e mais bem enfeita-
idos cbapoeinhos de palba da Italia, proprios para
meninas, pelo baratissimo prego de 6*000; na loja
e armazem do Pavao na roa da Imperatriz o. 60
de Gama & Silva.
Attenc&o.
ULTIMA NOVIDADE
PENTES, E1STEITES, CINTOS.
Gama & Silva, acabam de receoer pelo ultimo
vapor franeez, nm grande sortimento dos mais ri-
cos enfeites pretos e de cores proprios para cabega,
sendo guarnecidos com as mais lindas flores, e com
vohas das mais booitas perolas; assim como os mais
modernos e engranados pentes da verdadeira tar-
taruga, marebetados sendo a oltima novidede
que-tem vindo de Pars, o os mais neos cintos com
Otas mathisadas e fivelas largas, conforme ltima-
mente-se usa nas primeiras capitaes da Europa, e
vende-se por prego em conta por ter ebegado em
direitora para a loja do Pavo, rna da Imperatriz
n. 60 de Gama 4 Silva.
Grande pechiiicha
Em chitas.
A meta pataca.
A niela pataca.
A meia pataca.
Vende-se oa loja do pavo um grande sortimento
de chitas ingleza, sendo rozas e cor de rosa, com
padrees maiu-miudos e mals grados, aCBangando-
se ser de cores tizas, e vende-se pelo baratissimo
prego de a pega, tendo 38 eovados, e retalba-se
a 160 rs., sendo fazenda qne sempre se vendeu a
9* a pega ou se retalbou a 280 rs.; esta grande
pecbincha llqoida-se por este prego na loja e arma-
zem do pavao, roa da Imperatriz o. 60, de Gama &
Sirva.
mmm
Para
mmL
quaresma
Os chales do Psto a 64 7* e 84.
Vendem-se ricos cbales pretos de renda muito
grandes com quatro pomas, sendo os mais moder-
nos por terem ebegado pelo ultimo vapor franeez,
e veodemse pelo baratissimo prego de 6*, 7* e
8* -. na loja do Pavao, roa da Imperatriz o. 60, de
Gama A Silva.
A% vtandas de pavo a 8 e lQ.s,
Veaiem-se aa mai* ricas cotandaf de renda pre-
ta, ando moito grandes, que sao as que mais se
usam, pelo baratissimo prego de 8* e 10* : na
ioj aanuaem do Pavio, coa da Imqgatria.n. ata,
de Gama Silva.
f Chitas pretas a 160 rs:
Vendem-se chitas pretas ingieras, sendo fazenda
mnffo Mis'befo baratissimo preco de 160 rs. o oo*
vado/aar*5S0 apegaeo 38 ovadas: s na
104a d* Ravio, roa da imparatrii n. 60, de Gama &
armazem de azendas
baratas de Santos Coelho
Rtia do ttuelmado n. I.
Vende-se o seguinte :
Cobertas de chita da India a 2*400.
Lencoes de panno de linbo a 2*200.
Ditos de bramante de linbo de um s panno a
3*100.
Lencos de cassa brancas proprios para algibeira
a 2#000 a dnzia.
Algodao enfestado com 7 ii2 palmos de largura
a 1*200 a vara.
Atboalbado de linho a 2*800 a vara,
Dito de algodao a 2* a vara.
Guardanapos de linho a 3*800 a duzia.
Pegas de cambraia de salpicos a 4S00.
Laazinha abena de cores a 320 o covado.
Cambraia branca de forro a 3* a pega.
Fil de linbo liso flno a 800 rs. a vara.
Dito de dito com salpicas l* a vara.
Panno de linho flno com 9 lj2 palmea de larga-
ra pelo barato prego de 2*400 a vara.
Madapoloes Anos a 8J, 9*, 10*. 115 e 12*
Cambraia lisa de 4*500, 5*. 65, 7* e 8* a pega.
Pegas de bretanha de algodao com 10 varas,
propria para saia, pelo baratissimo prego de
35500.
Laazinha lisa de cores a 500 rs. o covado.
Cambraias finas de cores miudinhas a 360 rs. o
covado.
Esteira da India propria para forro de sala de
4,5 e 6 palmos de largura, per menos prego do
que em outra qualqner parte.
Neste armazem tambera se enconara nm grande
sortimento de roupa feita e por medida.
Vende-se urna porejo de telba ja ser-
vida : na ra do Crespo n. 7, loja do gallo
vigilante^_________________ ____
Vende-se 00 permuta-se por ilgom predio
nesta praga, a parte do engenho Imohama do ter-
mo de Igurass, que por partilha tocn ao casal
de Francisco Lopes Hachado, na importancia de
8.000*, a qnal parte acha se livre e desembaraza-
da, quem pretender dirija-se a roa da Mangueira
n. 1.__________________________________
Chapeos manilha a 10$.
Na rna estrella oo Rosarlo travessa do Quema-
do n. 18, loja de mlodezas de Maia & Larai i.<
Escravos fgidos
Desaparecen da povoagao da Gloria do Go.;a
da comarca do Pu d'Alno, nm menino branco u<<
nome Francisco, com 13 annos de idade, e aurx
de o a 6 palmos, cabeflorcTefpos, e com um signa!
vermelho arrouxicado em urna das venillas d-j ia-
manho de um botio, sendo o dito menino morador
no sitio das Pocas da mesma freguezla. SuppO- su
ter ido para o serto, e por isso roga-se as autor:
dades e qnalquer pessoa, qoe delle liver noticia a
apprebeusao do dito menino, participaudo ou en-
viando-o ? Antonio Firmino Pereira da Cunta, qoe
pagar toda a despeza. ___________
Fugio no dia 14 do corente anno, do enge-
nho Pago, fregnezia de Santo Anto, o escravo
Vicente, com os signaes segnintes : cor bem pre-
ta, representa ter 25 annos de idade, sem barba,
alto, grosso s moito corpolento, rosto grande e re-
dondo, nariz chato, denles perfeltos, alvos e meio
abortos, canellas grossas, ps grandes e chatos,
andar banseiro, tem a onha do dedo mnimo do
p dlreito arrancada, e no mesmo p urna marca
de ferida, olhos grandes, brancos e na flor do ros-
to, e lovoo roupas de brim de algodao. Ha certe-
za de qne este escravo foi pela via frrea at
Trombetas, e dalli seguio para Macelo, onde este-
ve trabalhaodo como forro em um trapiche em
Jaragu, e provavel que tenba procurado as ban-
das de Muricy. onde tem parentes, e onde foi com-
prado ao Sr. Jos Joaqolm de Helio. Roga-se, por-
tanto, aos senhores capitaes de campo a appreben-
sao do referido escravo, podeodo ser entregue ao
Sr. Joao Baptista de Oliveira, no largo do Corno
Santo n. 21, oo a seo dono no referido engenho
Pago, que sero generosamenle gratificados.
Fugio no dia 24 de fevereiro prximo passa-
do,-do engenho aticun, do termo de Barreiros, o
mulato de nome Francisco, idade 34 annos, estatu-
ra alta, seco do corpo cor um tanto plida, com
pannos pelo rosto, nm ponco beigodo, pouca barba,
algnns denles podres, cabellos caraplonos, tendo
em urna das pernas urna sicatriz, de orna ferida, e
consta ter dito que ia sentar praca de volunta-
rio. Roga-se por tanto Srs. commandantes de cor-
pos, as autoridades poliefaes, capitaes de campo,
bem como a qnalquer pessoa, de o pegarem, e de
remette-lo a sen legitimo sennor Francisco Paes
Brrelo, lavrador do referido engenho, ou a ra do
Imperador n. 42 terceiro andar, que se gratifi-
car.
200$ de gratifcalo.
Km 31 de ootnbro do anno passado, fugio a es-
crava Claudica, cabra alta e seca do corpo, qoe
pertencen ltimamente aos Illms.Srs. Jos Joaquina
da SHva, Manoel Mauricio de Sena e D. Mariana
Ignacia da Castro-e Silva que a venden a Jos M-
meos Ferreira qoe pagar 200*000 a quem lbe
entregar dita escrava na rna da Cadeia n. 62.
Ldamnhas matisadas a 340 rt.
Vendem-se at mata lindas ISatlnbas matisadas
com os mals bonitos 4dBbes, peto barato preee-da
320 rs. o covado ; na toja do Pavao a roa da Im-
par atru n. 60 de Gama St Silva.
Os chales de giripure a 12# e
16^000,
Vendem-se oanaarsrieos cbales de Guipore e de
renda de linbo e teda, pelos baratissimos precos de
12* e116*; grande pecbincha em reiacio a boa
qualidade e tamanno delTes : s na loja do Pavie,
rna da Imperatriz o. 60, de Gaa & Silva.
Laazinha* a 200 rs.o
j.. Pavo.
Vaa*ea*aa modernas laaainbas com lindlssimoi
gostos, pelo baratissimo proco da 200 rs. ; gran-
de peentneha : s na loja -Pavio, nada Impo-
ratru i. o, de Gama & Silva.
ATESTA
Grande novidade a toO rs
Malta a MW
Atlanta a 206 rt.
Atlanta a 200 rs.
Chegon para a leja do Pavao e mal lindo sor-
timento desta noveneeada, cora o ltalo de allanta i
acepraa para veOidj roopas. para meamos, sen-
do esta modernisalma faieoda de lia com os mais
lindos gostos de nirlnbos e listras leudo entre
ellas de e*r roza pttta, com listras e qoadros
brancos proprias para luto, e veodea-se pelo fc-
ratissimo prego de 200 rs. o covado nicamente na
loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
As chitas do Pavo a 200 o cevade.
Vende-se o mals bonito sortimento ie chitas i-
enraae roas seidg-nflaeai, rna eam e panas
aaaajnaaai van-
barato proco da
Continua fgido o escravo pardo Sebastiao
d 18 annos, alto, cabellos carapinhos e roivos
olbos castantoa a grandes, sem barba, nariz cbaio,'
com todos OTdntes, orelbas pequeas, tem a mar-
ea de nm talbo sobre o labio snperior, marcas de
bichos nos calcanhares, sabe ler e eacrever, traja
caiga de brim e eanSaa de a%o#a branco : quem
o pegar leve-o as Cinee- Paatae n. 152, qne sera
recoinpeasndergeaerecarneBtoj
Esn-ins^nirda casa de-sea senhor desde-31
de margo prozimo passado, o escravo por nome
Joao, nacao Zongo, de meia idade, levon caiga
branca, camisa- de algodao fucbleada, chapeo velbo
de couro, tem cara grande, ventas regagadas, nariz
chato ; foi escravo de Sr. capMm Joaquim Francis-
co Lavra, e tem sido encontrado nas roas do Ran-
gal, pana do Caino a Campo Grande i roga-se a
quemo pegar leva-loa casa a roa dalmperatrit
n. 80, que ser recompensado.
i .i i a .... i i i .
Ausenton-sa da casa da sua seobora, desde
dia ido correte, o escavo Trajano, molto, de
20 annos de idade pouco mals oo menos, com os
sfWmajainfnMUtnr regalar, rosto redondo,
sea barinV canana grandes e bem adrado, le-
von caiga e Jaspe encontrado nat ras desta cidade: quem o petar
e leVa-to a' casa de toa senhora, a viuva 4o V
nerte-eorenl Remeto, na roa da Imperatriz n.
6i seai raeeaapaaaado.
Anta fogitea escrava de nome Ada, qoe
representa ter 26 annos, baixa, fula, com algunas
neteaa O satis: roga-se poU aa aatonaadafi pe-
200 reja .n^H a a 7*200a poca, garantind- IicJa.es on a quem encontra-la de entzaga-U ao i _
se trsn nrnWdbs cada pega esrem de cores senbor abalxo assignado na travssa de Joio Fer-
KmWm o avnaaett' dPavea na ro 6s. vxamTierra-*
iraott o, 60 de Gama & Silva. 1 Ur. Gvpriaa F. & Alcamrmle.






LTITERATRA.
A praga.
i
Na urde de 16 de jolho de 1752 eslava Madrid
formosissima.
Os iloos do espagoso convento de Merced, atroan-
atravessoo a Pim Mayor, mercado na-
paella poca cbeio de logares de nortada, e mel-
tendo-se no f callejn del mvernoi paroa era fren-
te da imagen) de Nossa Sentara do Carmo, collo-
cada qaasi ao meio d-aquella esireiu a miaerarel
viella.
Era esta imagem do potreo mais de orna vr,
pregada na parede, leudo pintado de azul um largo
do os ares, annunciavam aos devotos habitantes da- esP4C0 9* formara como um tfocel porm grossei-
qaelles bairros que estava proiima a terminar, a ro e de m4 88,-
solemne funccio qae os religiosos daquella saeta
casa celebravim em bonra de Nossa Senhora do
Carmo.
Estreitas e bastantemente sojas eram todas as
roas qne rodeavam o convento ; havla porm tanta
alegra, reinava tanta aoimag&o n'ellas, qae fazia
gosto contemplar os grupos farmadois portas das
casas e como dancavam c graciosas' seguidillas
ao corapasso de enormes pandearos e de casta -
liblas,
A fesla de ama das. invocares da virgem era
Duas lamern qae pendlam do ano- davam ama
escassa lu, attnoada ainda pela claridad do cre-
psculo, em ama especie de aliar, para o comple-
mento do quadro, esiavam varios jarros de flore,
olTerendas de algnos devotos no da da fesii.
Mais abalxo em grosemos caracteres negros
lia-se ;
Por oecupado que rayas
saldame "con el ngel
dicindeme Ave Marta
que yo dir Utos te guarde:
Pararam em frente deste retbalo os doas man-
toureiro
para os madrileos motivo de grande regosijo; e
sem descararem os deveres religiosos, enlregavam.' ''"' e Rosarl olhando filamente- para o
se todava aos prazeres do baile, gracioso e ligeiro j disse*lne '
qaasi como nos lempos primitivos. Joo jura-rae aqu solemnemente qoe ver-
A' porta de urna das casas da roa Cosme de 2?! *" "r qae bas ***" mm e8pos0'
Me-licis,, casa de regular apparencia, sobre cajo Jaer^ ^^ ^o mmto qwdvidede ta-
porto se lia em caracteres gravados em pedra L ^ lma pa'm* tM e teliz-
nossas corridas defenderam-se cada iim como pCe
dos toaros.
Por ultimo Juanillo com a capa em ama das mo
e com urna peque farpa na ooira, em forma de
bandarilha, marcBou altivo e arrogatte cb a mando
o touro, qae se resolvea com faria Mi sentir o cija'
mar do tooreiro.
Juanillo oi com ar marcial para a lera e agitan-
do a capa com a mo esqaerda, espern firme e
resoluto que o touro o acommettesse para Ibe met-
ter a farpa e atirar-lhe a capa aos ofros, qae era
como errto se fazia a sorte.
municaco recta entre a margen emerfcana e a
dito, utfflsando-se a par(r da bar-
ragem qae fleca de p.
i
Sio pean tras os mezes deewrldos neite adnb
e tantas eomo'os metes teera sido as grande* rbr-
hinas portogaezas qae por motiva de morte tees
passado a oulras maot. JP
Pol a primeir a do St. Antonio 4* Sonza Lobo,
da Reboleira, no Porto.
A segunda a da 9ra. D. Mara Cbrispkn Dogllo-
0 tooro' porm avancando eom demasiado ardor ni, riuv, natural de Paro, fallecida em Londres.
sus, Mana, Jote. Se reedifico* aimo de 1568, ba-
va um desses bailes qae, sem se differencar dos
outros, teria cbamadu particularmente a alinele
do observador carioso.
Eram-tres os pares ; as jovens todas de frescas e
praseoteiras pbisiooomias a de franca e encanta-
dora modestia porm como eram assim todas as
Joio contemplou-a nm momento serrindo; aper-
toa-a ligeiramente centra sea corageo respondeu-
Ihe com voz doee :
Pois possive Rosario qoe dnvides da ai'
nba honra ? Amo-te de toda a min! alma, c se
tea pai nao me nega a toa mao por ser toareir...
Rao prosiga Joao ; o Sr. mu pai na* se op-
nio dea lempo ao toureiro para sahir-se- beurda
sorte e apaahou-o com o pao esquerao e ioroifa-
xio-lb'o pelo Hado lreito at o cora^ao.
Um gnto de- horror resooa em toda a pra$a.
Quando o tcurelro ainda palptame fbl retirado'
da arena nio pronuncios mais do 7110 estas pala'
vrat^
Tirgem do Catino I' Rosarlo I Perito I
A fon* contnueu depois- deste soceesso, e os
toaros merreram, ea'domadse pelos cies-ou fer-
elos por am dos matadores:
Nao soba al canead o maior per fe Icio a arte
tauromaetMca.
PUG. Manriqs*
O P0CC9!DI TODO.
jovens do povo, nao eram astas circcmstancias as ^n qae e.a MJ* feWz e *en offleiey com quaa-
qae faziam interessante aquella quadro. ,0 per80' J sabes que elle o consids* digno, se
O que dava ama edr de melanclica poesa, o ^iio > onrav
qae realcava em bellea, era ama linda rapariga I ~.Pis beo' *'** miniw, varaa-aos e-na
de uns dezeseis anaos,4e-olhos negros e rasgados *"** pedreiro J ba de esur em tna casa
qae as vezes se enehiam de lagrimas, sentada no
degro da porta cantando -segointe tmpne e
acompanhando-se com urn paadairo :
A la virgen del Carmen
contrita rnego
si tu palavra es .falsa ,
te mire muerto ; 1
Que los amores
es justo qae castigaea
los traidores.
Em quanto cantara coa, a.-aw voz do aiafta
que ligeramente commwijbi, oiljara, como reeeiosa
posto "que apaixonadissiott expressio para qm ga.
(bardo mancebo de sajssa negra, t montera,jalo-
na de pao e meias.de seda, o qual parado jaito de
outros formando coro, devorava com irdentes.
ornares, se benvqtt parecesse apenas que prestara
itenlo a queadanoara.
_ olha, JoaniHo, fte disse am ancilo de fronte
larga e calva, vestido da maneira mais elegaate
que aslels d'aqaelletempo concediam aos--------f
e operarios :-estanoierem tocar Cypnano, o pe.
dreiro, e quizera qoe nao faltasses, por que estim-
te muite e deseje ter-te em minba companoia; em
flm ta vaes amanbaa tourear, e... pode acontecer-
te ama desgraca.
_ E' verdade pai, nao mnilo pengoso esse
offi'lo t disse a rapariga pondo no chao o pandei-
ro e metteodo-se na cenrersaflo; qoizeram antes
jue Juanillo foise fosqueador. tomo rosa merc,
do que tooreiro : tenoo tanto medo sempre que
eiU vM a pradal e depois dizem que esse offlcio...-
E' vil, nao isso T Pois olha, Rosario, sera
mas o proprio rei roandou fazer a
cantando e tocando gailarra e pden>aar pela.toa
falta.
o que quizerem,
Vim aqni ir dos teas labiss^ejn bas d*
casar com migo, nao me roo enibora sem que me
facas urna promesee- braael, qaa a Swt* Virgen
ouvir la nos reos.
Pois bem, ea o jora. 7aaios eseiee contente T
A Virgem. Saafcesima qaeira qoe nio saja
vo o tea juramento. Se o fossse, pemitla em saa
jusca qae te otate s car a praga.
Um ligeiro. estoeawcimaato pa'ssoa. rpido nal
tooreiro.
Rosario eaabofpf ao*lagrima coca. a. costa daj
sua branca delicada taao, anatas- voltara a
tomar o caoaono: da. roa de Cosme de Mdieie,
(toando ja as- sombras envolvan ec deasa obsoa-
rid/tde os habitaste* da edrto das Hespanbas.
II
Urna fuoce da qnalqoor genero qae fosa ex-
citava o regosijo do povo madftleao no sea.aais
artistas all S'u ; porm ama faaecjao de toaros e n
pragu aova, devlda tres annos antes real mual-
cencia de Fernando VI era cansa que loo&va ea
delicioso jubilo e qoe fazia /pensar neita. logo que
os primeiros raas de lat viessem aanaasiaido o
da.
Desde muito cedo os qoa haviam da ir aos toa-
ros e os que nao haviam de presencian-a testa es-
tavam vestidos com as suas melhoros coopas, de-
sejosos de se iespnchatem, da msea, para se nao
occaparem de ootra cousa que nao fosse toaros|e
toureiros.
De urna pequea aasa, terrea miseravel da rua-
das Negras, sabiam, na. manha, do da 17 de jalao
de 1752, era qae se-veri Oca va una grande corrida
pra?a e dea-i ao santo hospital para qae com o sea de lonr0s, duas mulhores orna velba e ootra aova
renihmenDsoccorra aos enfermos pobres; j vs 1
se nos, que com o nosso trabalho contribuimos
para obras lo caritaUvas, podemos ser mais no" 1
hres nem ter otBclo em qa mh>r strvauWs o
ausso prximo.
Todos os offlcios s5o bons quando se tem o
santo temor de Deus. Roas tardes Juanillo ; espe-
ro-te noite para te fallar de nm assumpto que te
interessa.
E aquello honrado artista entrou em casa, nao
sem primeiro dirigir um olhar de ternura aos dous
jovens.
Parece que ests triste, Rosario, disse o tou-
reiro passando familiarmente o robusto braco pela
flxivel e delicada cintura da joven. No le ale-
gras em ter-me a teu lado ? Pois, a miro, so a toa
presenea me encanta de modo tal que, se as tivera,
esqueceria as minhas desgracas embriagado na fe-
ticidade de olhar para ti.
Adulador I Nao sei onde aprendes essas pa-
avras to doces 1 Rem sabes tu quanto en te
quero e se ba para mim fortuna maior do qae es-
tar 1 tea lado; porm vens ver-rae tao poucas ve.
zes, foges tanto de acompanhar-me quando vou a
passeio, que a mea pezar tenho medo de que me
hajas engaado, por que isso me faria morrer de
desesperaco e de vergonba. E Rosario comecou
a derramar amargo pranto qae o sea amante se
apressou a enchngar dizendo-lbe com voz cari-
nhosa.
Vamo?, tontinba, confia no meo carinho, qae
esta noite mesmo fallarei com o Sr. Thomaz e lhe
direi qae quero casar comtigo. Ficas contente 1
Sempre o estou, estandj) ta contente ; porm
bem vs o sentimento qae terlara os seohores meas
paissedescobrissea... Nao permita Nossa Se.
nbora dos Remedios tal cousa.
Nao o permittlr, que Deas oonbece a toa in-
nocencia, e sabe tambera qoo leaes sao os meas
seatimentos.
Dizes a verdade, nao mentes, Juanillo? Poi
rem, acompanha-me a jurar isso mesmo diante da
santa virgem do Carmo ; acreditar-te-hei, e resti-
tnirme-has vida.
DIzendo estas palavras a formosa Rosario pegoa
na mo do sea amante, e benzendo-se ao passar
por diante do Santo Cristo que estava no moro do
convento, esquina da fd da t Merced, na mes-
ma roa de Cosme de Mediis, > tomn firme o re-
soluta pela roa de Burros, viroa a de Tole-
e extremamente- liada, tras fcomens de idade>bas.
tante avanzada, e Juanillo, o toureiro, cojo, rosto
estava pallido a eeus. bfilhantes rsgdo6 olhos
manifestavam. tristeza, on para melbor diier urna
extraordinaria perUubacjo.
A joven, vestida oom toda a modestia daquell
lempo, sedazia pelo sea aceio e graca com que
levava o seu vestido de mangas curtas,, e a sua sala
guarnecida de transelira as coslnras, porm en-
cactavamais qae todo pela immQosafelicidade qae
denunciavam o sea semblante e alegra de seas
olhos azaes.
Logo que Juanillo, o tooreiro, apparacea na um-
breira da porta, a joven poz-se ao lado delle e assim
j foram andando silenciosamente para a parochia de
San Millan, alegre e tranquilla a joven, sombro e
meditabundo o tooreiro.
Quando aquello grupo entrou na igreja, a velba
com as lagrimas nos olhos disse aos jovens ; Jua-
nillo e ta Mercedes, val finalmente cumprir-se o
vosso desejo. Qae Deas vos faga bem casados,
meas futios 1
E Deas faca com qae esta tarde seja a allima
qae este va correr touros, replicoa Rosario, para
qo termos qae chorar algnma desgraca.
Juanillo estremecen; dirigi um olhar de indefi-
nivel angustia para Mercedes e entrou no tem-
plo. "V*.
ni
A praga dos toaros actual nao era nos lempos a
qae nos referimos precisamente como boje, ainda
que a differenca nao seja muito consideravel.
As trincbelras de madeira e as galeras sem os
camarotes qne hoje a embellezam, formavam nm
todo agradavel, qoando se via, como na tarde em
que se passaram os factos que vamos narrando, a
praga qaasi ebeia de povo que impaciente grltava
para que o espectculo comecasse.
Oaviram-se finalmente os tambores, e depois das
formalidades do cosame naqaelles lempos appare-
ceu a quadrha, tal como agora apparece as
funegoes de novilhos; lsto sem ordem nem
aecordo, cada qnal sallando a praga como e quan-
do quer.
Tomou a tocar o tambor e sabio am toaro negro
grande e multo bravo, nascido e creado as ferela
pastos das riberas de Plsnerga.
Os picadores montados em cavados de qaasi to
m apparencia como os qae se apreseniam as
As cataratas-do N'iagaro-j nio exfetim !
N*uma carta publicad.por- am jornal framrar,.
MtVByog, BMmbro da academia eeientifica d*
phiiadeiphlar d conta d ste facto extraordinario,
preeedido de rourtos phenoaaenos-que- tinba nsa>
i/estado semuas antes: atgnns pedregnlhos do-j
O volme eonskleravel, que formavam a summ-1
dade da moral ha natural qoe se oppoeha ao curso-
das aguas, Uabaat-se destaaado, e pelas-largas bre-
chas assim (alteadas, aetnndo a agua-tira escoa-
doaro mais rceide, orecipitaw-se em .actos eoor--)
otes, muito ateo dos limites onde cabenas aguas
das doas cataratas.
Eis-aqul atonas extracRs-da carta *)-3rV. Byng,
datada-am ltd8 fevereiso^Jnpscreveme-los sob
teda a reserva-: *
A neute paseada, as da* liaras da madrugada,.
meio de eetroiido qoe-aqpda das- catad upas
produz sem cessar, um.detonagao formidavei
aeordou TeaafMiaamenis- todos os hesitantes da
hospedara aroxima.
Quando fi a jane do-atea qaarvade ala-
da oaviro eeco a'esse esttoado, que oan-m compa-
rar com oast qaalquef..
Teria skt teeeora aeooarar n'este momento ia-
iagar a causa que o erigiaara.
A nouu-astava estftfieskM e faita nm fro de-I
racbar.
Mal a aurora. despumo, dirig mono. t cata-
ralas.
Nio fa .ssm espanto qae descob jkos a
d'esse estroodo exiraordtaario.
Junte.a Iba, via-se- Ama brecha abena,
mais de trinta metros de largara.
A agua precipitava-se com faror.-por esta- abav-
tura, e, descreveada. um arco de- atis de cinco-'
enta,t*etros de rato, la desagoac aquillo a qu ae
na fysica cbasaamosurna vea Intuida cotossai
cosapletamen independente das aguas das. cata-
dupas, na baca.interior, e cujas.aguas, misieradas
de um'lodo aLuaeealo se assaaaelbavam a.uaa im-
;menso tanqjia- de leite qua- estivesse em eba-
lico.
Eram, oilo. horas da mannaa ; o vento, aorta as-
soprava eom violencia; a aguas agitadas como
00 mar alto formavam vagas enormes- que, ape-
zar da sapidez da correte, cbegavaia a lamber as
barr geos.
As aove horas, o temporal, subic. de ponto.
Wr-se-hia que o soto, tremia dbauo dos noesos
ps, to intenso se tornara o esinoado, comparado
ao do trovad, que kziam as aguas descendo des
grandes lagos coa um volme inusitado.
De repente, a trra, o rio, lodo o que nos. ro
deava foi sacudido por ora violento abalo, e acha-
mo-nos envolvidos n'uma auvem de vapores, impe-
netraveis luz, no meio da qual estalavam todos
os foraedes. das Corditbeiras.
O qaa foi qae dea logar a islo 1
Alguas segundos depois, este ruido medonbo
ha via-se extinguido.
O vento, aiu tardn m dissipar as trevas, e,
como que por mgico prestigio, a sceaa qae, mo-
mentos antes, libamos diante de nos, estava com-
pletamente modada. /
A barragem do norte, qua ebegava margem
americana, acabava de desabar, sem deixar oalro
vestigio mais do que ponas de rocha, qae mais se
adevinbavam do qae se viam por entre a correte
das aguas que dlligeociavam todas sahir por esta
porta sbitamente aborta.
Lancando o olhar no alto do rio, viam-se as
aguas chegarem com ama rapidez vertiginosa so-
bre nm pendor de mais de tres mil metros de
comprimento, e ferverem em cachao, formando
escadarias semelhantes aos degros gigantescos da
pyramids do Egypto.
Os rochedos qae servem de barragem do lado
da margem canadiana esiavam qaasi intactos, po-
rm elevavam-se, solados, como ama maralba
gigantesca de 40 metros da altura.
E'-me impossivel descrever-vos desde ji a Iba
que flcou empoleirada na sammidade da brecha, e
que ameaca ralea ; a ponte suspensa n'uma ele-
vaco qae, s de pensar n'isso, faz arrepiar os
cabellos gente ; a mudaoca radical qae este ni-
velaroento opera no regiroem das aguas do Ni-
gara e talvez dos lagos que o allmentam.
Freflro deixar-vos entregue vossa frtil ima-
ginago.
Este resaltado era previste pefa sciencia geol-
gica ; porem, at aqu, nio se suppunha qae bou-
vesse de ser lio aproximado.
O qae certo qae o espirito essencialraente
nratico dos meus compatriota aproveita-se d'isso,
para estabelecer, segundo ooeo dizer, orna eom-
Teslou mais de dois- milbdes de croeados.
fi' a tereelra a do Sr.conde de Perreira-.
fa ainda ootra- coincidencia.
As tres fortunas anda por tres mil cont?.
Malsootras coincidencias.
Nenbuma dae tres pessoes fallecidas- detxoa fi-
Aos.
Todas tres fizeram testamento dispondo de for-
ma que nove pessoas Ucaram ricas alm das que
ficaram remiadas.
Se anda querero wtra coincidencia no tem-que
todo lsto aconteceu te mesmo, tempo em que as
cmaras de Portugal se tratara d deiarmolWnjtsv
Effeetivarnente parte das tres fertonas qae mu-
daram de possuldores; estar como amorU-
sadas.
Tambero-as tres pesseas fallecida* eram de de j
de avangada.
Onde esta'-o bem apparece a barrswa do mal;
daqui vem difflculdade do bem.
Assim eom os bomeQSras-consas.
* A naloriaoHiBi n'm sd vegetal mm o mais
trrivel vaaeao o alimento- atis precioso.
E' o ra da mandioca, atr(rpha manihot das
amphoniiaceae,- que se encentra a fcula, nutritiva
juota aos uceo acre e mortfero, a que-se chama
igma-i^.tmmdiooa.
A t^ressae a aegao do calrico baotaa para
estrabir, e volantisar o principio toxico e tilisar
sem perigo a-faaba.
O Dr. Frrari $Memoires?iWacademi-fc Berln
176i) acbando-se em Cayeaa fez diversas expe-
riencias sobee-aoaaes ; distiando a fogo brando
50 libras do sueco natural daqaella planta, reco-
lando as prlmeiras tres oaoas do producto, e ad
naisiraado'Jarartimente S^SJtava a ca escra-
vo conderoaed morte, oja-ecplron eav seis mi-
aatos entre aovatedes terwieis- e grito ee mais
lastimosos.
Eis comoajeslica bumaaa aprecia o heotem< da
sciencia : chama-lite barbar*.porque saortfea um
ao bem de todos, proscreveado um pemgo ; o do-
lando a oreen .especie coa auis-um vaoano.
autor motlra pmjsuir da epocha em que* ts par
sana as siena cjne deseaba.
O femoral Dipfomtiaue annBBc qae o gabi-
nete da Tulherias, recebe ha poneos das, os es-
clareclmentos que hav! sollicitdo em' floma e em
Florenca, relativamente aos diversos elementos da
divida ponliScia.
A discussio- do algajisnw d'esta divhfa; qae se
trata de transferir para d transferir para-a Italia
devera' portante- brevemente eomecar entre Pars
e Florenca, ou antes entre o ministro de Franga na
Italia e o governoo rei Vctor Emmanael.
Por ora, nada srpdde aventar acerca do resul-
tado d-esta discusso) por isso qae as doas poten-
cias sesto de aecordo por emqomio sobre ne-
cessidade de executarem o artigo I? da convenci
assignada em 15 de setembr, no qaal a Italia sei
declara prestes a tomar sea cargo ama parte da*
divida pontificia. <
Todava,- lado faz snppor qae a iniervencao do
do parlamento sera' admiaida para a ratificacio do
convenio que se flzer.
Nessa harmona infinita
Se vos rege hi restricta
De terdade soberana
Dizd-rae, ove lei humana
No meo gemer acredita f....
Se o meo coraete rclalha
A ddr qoe a saudade alea
Qoando ooeo i urde u'atda
Gemidos qae o brenze espalba...
Deas, Dos, o co me vaina
Este gemer me conforte
Antes qoe paluda morte
Com mao myrrada e segara
Comigo na sepultara
Sepulte a mioba Inste sorte.
No prolimo mez de juoho de ve ser aberto ao
servigo pubtieo o camiabo de ferro de Madrid a
Lisboa.
<\
Remettemraes esta nenia a
MOBTE BB YO O l
Yojo.o cidado mais eonbecido
Por. seas f el los de-heroica liberdade,
Morreu! ecobtio.de dure lato-
C. coragoes do aioleques da cidade.
Lreo. sempre livre detrabalbos,
Passeiando oifi pragas e ribeiras ;.
Comia o que encontrara, e nao.pagara,
Nos aboleiros. das pretas quUandeiras.
Ob I que vida folgada e milagrosa
tiozoa sil sem que fixesse oalculo !....
as roas dtvertindo a popoJaca,
Dando gratis sublimes espectculos I
JA nao ti ve o genio galnofeiro...
fi queea substitui-lo jamis pode ?....^
Morrea com elle o gewo, e os moleqpos
Cboram lameDUmdoYoyo bode I
Choram os bodes, cabras, eabritinliss,
Qailandeiras, e moteques da cidade ;
A falta irreparavol de Yoyo,
Qae morrea apregoando a libeidade.
A lei e o costme na Suceia teera adortlido as
mulheres aos eropregos administrativos e-nas car-
reiras liberaes. <
Ha ja moito- lempo qae sio admittidao; e eom
bom resaltado,- em tartas adataistracoes, eomo a
Ulegrapbiea e a-postal.
A instraccio primaria para ae criancas do*sexo
(emiaino em grande parte confiada s morberos.
Especialmen'e-na capital sao ellas qae eBetoam
as escolas gratuitas os pobres-de ambos os sexos,
9-sao multo melhcr retribuidas -ae que em Pranca
perqoa os seo ordenados varia entre 173>e 2X5
rail rs. (700 a 909->rixdalers). Oa, ao actual mi-
nistro da instraccio publica em 1 Franga etftoa
matto elevar o mnimum dos ordenados das pr*es-
sonaa 71 ou a 108 mil rs. segando as woali-
dadesv
ttaa a Suecia tambera um paksde progressov e
nooaaer parar nesse- ponto.
Parece qae as mulaeres da BUeopa mendtooal
leras o ireito de-plegar as bochechas do-sexo
aascBno este verso a qae darlo am torca
nova:
GTestda Nord aujouraVtoui que nous vient la lootierel
K'do septentrlio fne nos vem hojea luz l
Ocaso qae i dieta de Stockotao apresen* a
eemmtssao econosaiea ama pro posta-, que podgrii
parecer-ama verdadeira re vola gao..
Tem por flm coacedef s mulheres.. o direito de
passar por exames das escolas elementares supe-
riores, de fazer parte do corpa docente daaaiver-
idade, de se acarem oxamlaar em qaatouer fa-
cuWade, salvo a de iheologia.
Se a proposta passar, ah Qcam.as mamares ad-
mitiidas com os bomeos na adaiolstragio da ins-
trucgio publicare adquinndo,. por eieropio, o di-
solto de ensinar todas as materias qae pertencem
ao grao de donior. em medicina, e podeade, por
conseguate, obtero direito de-exereer a medicina.
Posto que parece extraordinaria, nem.por isso a
proposta deixa. de ter probabilidades desuccesso
em Siockolroo.
A ordem dos propietarios, ruraes- e a dos bur-
guezes sio-lho favoraveis.
A nobreza faz-lhe algamas objeceSes, mas marca
por am modo bastme liberal-as. earreiras, fono-
goes e graos a que as-mulheres poderio ser ad-
mittidas.
S o clero, mas o clero casado, que lhe.^a
opposice.
As mulheres, o livre Amefica, lambem dosem-
penbam muitas funegoes e goaam llberdades.que a
nos, meridlonat* pajacami tacompaliveis eom o
sea sexo.
Mas se a experiencia so ilzesse n tria e seria
Suecia, talvez o exornlo chegasse a ser contagioso
as rlsonhas e vivas populaeSes do sujj que sio
mais rotineiras do que ecldam.
Falla-se coueentbusiasmo na bolsa de Paris de-
orna ncva empresa para a constrnecio de um ca-
miabo de ferro, em linha seguida, de Marselha a
Calais, passando- por Paris.
A einpreza ligar-as eommuaieagdes do mar das
indias com Fransa e Inglaterra pelo- isttmo de Suez,
Maaselba, Paris a-Calais.
ate caminbo de ferro crozara toda a Franca,"e
econenisara' aos 300 kilomeircs-no-lrajeeto do cor-
reordas Indias, com relago is-lianas de Lyon, do
Mediierraueo e do norte.




Diz um jqraai de Baltimore, qu segando os re
gistos do thesooro, o algodao abandonado as pa
ntcies do Mississipi e apprentmddo pelo governo
legitimo, fura avallado em 5,74*:000.
Desta somma o governo julgou-se com direito a
5,300:000 e reslilue o resto aos proprietarios a
quem haviam sido feitas apprehensoes ndivda-
mente.
Se o facto se dsse eom outros governos nio res-
tituiran) cousa alguma.
O mais que se faria seria crear ttulos aius,
verdes ou araarellos para iodemnisagoes.

E' da S-. Jaeintbo Tocantins, a segointe poesa :
GBHIDOS.
Geme o vento na floresta
~ for alta noite queixuaies,
Passa a brisa entre perfumes
Gemendo nenias s&sia.
Do sol i ultima aresia
Geme o mar fonda harmona,.
Ja convulsa a lu do da
Fago coro i natureza,
Gemo eu tambero de tristeza,
Gemo eu tambera de agona.
Traoser avernos o segniote:
Eu quero agora glosa
Constabas mil duvidoeasy
Qae sejam ellas jocosa,
Vou novidades contar :
Todo o cbopo mamar.
Toca no sino .0 badalo,
Qaem nada sabe earallo,
Por causa desta treslencia
Tem o ministso exceileucia,
Soldado da roca gallo.
Milbo cosido cangica,
Homem sem roupa anda n,
Meche a eolner o ang,
Auna qualqoer Anica :
A filba do mono mica ;
Pedaeo de cara anco,
O prato quebrado caco, "
Qaem toma pelo nariz
A todo qae encomia djz
Fumo moldo tabaco.
Perve o caldo na panella,
Pala at com ligeireza.
Por ordem da nalareza
Nao ba padre sem costella;
Salta no campo a vitella :
Hoje o rablsco pintura,
Mel coaihado rapadura ;
Ha na Babia a pacora,
Buraco no chao cova,
Banha de porco gordura.
Filbo de porco lelo,
Milbo estalado pipoca;
Se esconde o negro na toca,
Quem pequeo anas,
Homem qae faria ladrio,
Um pao no buhar taco
Mora o tat no buraco,
Adao foi feilo de barro,
Fumo pieado cigarro,
Lasca de pi cavaco.
Segando lemas n'om jornal inglez, osignaes de
tempestado esubelecidos pelo almirante Fxroy
continuavam, ba poucos dias, a est-.r am. perma-
nencia nos observatorios de todos os nonos da
Graa-Bretanba.
Nao ha memoria, pelo que di cespeito a mo
lempo, de am periodo comparare! ao das seis ulti-
mas semaoas.
Foi, para assim dizer, ama corda de vento se-
guida.
Um simples facto habilitara os nossos leltorse a
formaren) orna idea da imaensidade das perdas
que o commercio martimo soSreo, ou ames as
companbias de seguros na Inglaterra.
Um dos melhores advogados de Liverpool, no
que toca a qaestSes de direito e segaros martimos,
recebeu, durante o mez de Janeiro somente, mais
declaragoes de naufragios do qae dorante q* 27
mezes precedentes.


0 c Judea, romance por Camilla Castello Brau-
co, em dois volumen,
K' a historia, superiormente escripia, do infeliz
dramaturgo Antonio Jos, do qaal se representa-
ran) varias pegas desde 173't, at 1738, no theatro
do Bairro Alto, em Lisboa, e foi qneimado quando
linha 34 annos de Idade, no auto inquisitorial de
18 de outubro de 1739.
Este livro um dos melhores do fecundsimo
escriptor.
A < Defeza do Raoiooalismo e Analyse da F >
por Pedro Amorim Vianna.
E' ama das mais notaveis obras que nos altimos
annos se tem publicado em Portugal.
.Amorim Vianna um talento prodigioso.
- Compulsa com a mesma facllidade as paginas
dos santos padres, os livros da philosopbia ane-
mia e os tratados das setenlas exactas.
Versado nts lingoas vivas e raortas, poneos tem
orudlgio lie robusta, e eagenho tao elevado.
t o Filbo do Raldata romance histrico do Sr.
Arnaldo Gama, em continuagio i Ultima Dona
de S. Nicolao.
Tem sido olhado como asss eslimavel pelo de-
sedbo dos caracteres, e pelo eonbecimento qne o
nio era Isso o qae me agitavs, porque fcilmente
lhe poderla explicar aquella postara supplicante,
porm no plbar qae elle fita va em mim bavta tan-
ta amargara e ama colon lio sombra, apeaar de
soffreada, qae nao pode daridar que elle tiresse
. aicaugado o segredo do mea amor por sua filha.
Sem dizer nada, o Sr Pavelyn puxou pelo cor-
dio de orna campaiub a esperou a bagada de
am criado. Foi nm momento de aociedade ; havla
na sala am silencio sepulcral; Rosa tlnha os olhos
pregados no chao ; ea eslava mais mor lo do qae
vivo e tive de encostar-me pedra do fegio para
poder ter-me as pernas tremolas.
Apparecea am criada. O Sr. Pavelyn disse-
lhe:
Va' dizer i senhora qoe amenina deseja que
rento ja' ter aqui com ella.
Logo qae a criada sabio, o mea protector, irri-
tado, disse-me eom ama roz coja alteracao me ge-
loa o saogoe as velas : -
Veoha comige preciso de fallar-lhe a sos.
Como em mioba psrturbacio e desfalleeimepto
gao me dan preesa om obedecer.lbe, agarrou-me
em ama mi e levou-me para fon da sala. Che-
gando a porta, volri a eabdea pan tru n mov
FOLHETIM
A SEPULTURA DE FERRO
POR
Henrique tonscience
(Connuagao.)
XXVI
E ajoelbei, derramando abundantes lagrimas e
erguendo para ella as mos sapplicanies. Passoa-
se nella nio sei o qu qoe me assombrou : exces-
siva alegra loe radiava na pbysionomia.
Os bemaventurados que ebegam a ver aberto o
cea nao teem am sorriso mais cejaste. Quando ea
repella a mioba supplica com mais ardor, ella
apresentava-me a sua mao edina-me :
Ah eu etuva ceru dlsso, e, comiedo, nao
m atreva a dar-ibe crdito abwlnto ; agora ee-
vaeceu se a duvda. Obrigada, Leao, obrlgada I Se
Di us decidlo da minha vida, agora poseo mor-
rer I
De repente tomou-me urna agiugio ternvel, pnz-
me em p de am' sallo e curvei a aboca, soltando
nm grito abafada Abrira-se anta pajinan-sr.Pa- n^ inroon^; W ilnjii ala qne, por
veiyo vira-me ajoelhado aot p* de ato Uto l Mas J ^ mm 0Mi qaerU fliMr tterno a4tas 4 alma
3
qae ella rava Vi Rosa, de p, como ama pro-
phetis -, spas feigoes despediam luz; a espe-
raoea 4 a t rradiavam lhe nos olbos. Apontando-
me par e ec, comprehendi neme dizia adeus
at ao seio de Deus.
O Sr. Pavelyn parec dolorosameate impresio-
nado com aquella postara de sua filha, porque me
apertava o pulso, e larou-me oomsigo a passos Ur-
ges para um quart retirado, cuja porta fecho.
Acorvad ao peso da vergonba e qaasi iusensi-
vel, fiqaei tramovel no lugar onde o meu bemfei-
tor me largou o pulso. Elle cruzou os bracos sobre
o pello e olhou para mim em silencio ; nio pode
sopportar aquello, olhar a cahi sobre um ca-
detra, escondendo com as mios o aspecto e at la-
grimas.
Ento assim qoe me paga I gritn o Sr.
Pavelyn com a tai alterada. A enanca que tirei
4a pobreza, a quemquiz como a filho mea, a quem
liberalisei beneficios, nm sarpente qae se met-
tea no seio da minha familia para envenenar-nt
vida 1 O filho do taroanqueiro, nio te eontantaa-
do com atrever-se a levantar o* olbos para a her-
Inclinagao T Nio via qoe la commetter ama infa-
mia e am crime T O qae foi qae se atreven a pen-
sar e a esperar T Ah I orna maldigao de Deas I
Ea trema; torca as mios em desesperac&o 1
estendia of bracos para o Sr. Pavelyn, balbucan-
do palavras confusas.
A miaba extraordinaria H'tcao,* najb* mor-
tal angustia e a miaba descaperaoio. em umitas
despertaram algam compaixao no coragio do meu
bemfeilor ; porque oi ji com menos colera que
elle tomou :
Nio, nio repita a confissio do seu criminoso
desvario. Ouvi todo. culb'o perdoe 1 Emquan-
to ea Ibe dar largamente a minha amisde, e pen-
sara de dia e de noite no sea futuro, o senhr fal-
lan a mino filba em um amor que bavia de abre-
viar a vida de nos todos e oobrir a nossa sepultu-
ra eom opprobno eterno! ^>
A ferda dolorosa que me fes aquella ttceusacio
oen-me ferga para tallar ; entre sol neos tratet de
fazer comprebender ao Sr. Pavelyn qae ea nanea
tinba, antes desse dia fatal, revelada por ama pa-
lavra nem por am signa! a desgranada piixao qae
deira da minha fortuna e do meu nome, qaereria [me inspiran Rosa, Disse-lhe quanto tinba laclado
impelllr a miaba Olta anjea a corresponder ao seo e soffrido ; eomo tinba Ido pan Bodegbsta com a
criminoso amor 1 Insensato l Eolio a gratldfo nio! lntencio de nanea mais trllhar mas de Aatoeraia,
floto foreabastante 01 waUna pan abalar u|'ecomo talaba tnagre a miaba, fobre nao
Em grande, alegre expansio
Gema varia nainres,
Porm de funda tristeza
S geme o mea coragio.
Esta acerba confusad.
Este gemer desesp'rado
Sio preceitos de meu fado
Ingrato, doro, inclemente,
Sio angustias do presente,
Sio lembrancas da passado.
Ave que fostes as beiras
Da costa i noite pousar
E aos lgubres sons do mar
Gemestes noites metras;
Pardas aves augurelras
Qae tambem gemeis assim;
Vos chos do bosque erafira
Que nao gemeis de alegra
Fazeis perfeita harmona
Aos meus gemidos sem flm.
Auras da urde que em ais
Passais sussur rando a medo;
Voz do que geme em segredo
A' sombra dos laraojaes;
Estrellas qae o ee bordis

.-
Os joroaes de Nova.York registrara novas catas-
tropbes.
A caideira do barco a vapor W. A. Carttr fu
explosao em 3 de feverelro, as 4 horas da madru*
gada, em frente da lina n. 98, as margens.do Mis-
sissipi.
A caideira penetrou at ao salao dos passa-
geiros.
Logo em seguida o navio incacAon-se, e conli-
nnou a arder at as 7 horas, ohrfgsndo a todos os
qne a explosao poupra a lancarem-se ao rio.
O navio foi poaco depois a pique.
O capitio Hurd, qua acabava de entrar de quar-
t, foi um dos primeiros qae foi tragado pelas
ondas.
Havia a bordo do Crter 200 passageiros, das
qaaes pereeeram 125.
O vapor Evtning Star recoibea a bordo todo os
que poderam conservarle a superficie d'agna, e
transportou-os a Viscksburgo.
Lia-se em ama cadeira da Faculdade o direito
publico, e veio a tratarse do veto.
Alguns collegas do dootor perguatam lhe :
Ento o que entendes pelo sfo T
Ora, qoe asneira I lsto de prlmeira intai-
cao. Veto a rsuniio do coosalno de astado.
V
eram senao a coasequencia do desesperado com-
bata que travara comigo mesmo. Por fim lancei-me
aos ps do meu bemfeitor, e, eom lagrimas copio-
sas, implore! compaixao a perded. Disse-Ibe que
quera fogir, ainda qoe toase para o flm do mun-
do, mas que nio detcarregasse sobre mim o peso
da so* mniiigao. Levantou-rae com um gesto bre-
ve e responden :
Infeliz, arnei-o Unto, que ainda posso crer
agora na sua inuoceucia I Nio lhe farei mala cen-
saras inutels. Diz que nio ha ninguem no mundo
que saiba do sea louco amor nem da sua fraqne-
za? Bem! ama grande fortuna I porque se al-
guem tivesse aicaugado esse lerrivel sagrado, onde
havia eu de esconder a minha vergonba ? E como
hvla de tupportar minha molber o peso da sua
desgraca T B que dira Conrado de Somergbem,
vendo-se engeiUoo por causa de am... Nio; re-
frearei a mlato colera e a mioba indiguago. E'
urna consolagio para mim que, ao meaos agora, o
seohor sinta o que um dever inexoravet lhe exige.
Basta. Oslleooio ed eterno esquecimento deve
sepuiur MU segredo. Pens que entena que deve
sahir imoediaumente d'esta casa. Vi e vi pan
loog, pan muito looge; qoe oenhum de 061 oo-
ca mais (aliar da si. Qae miaba ftlto pessa esque-
cor Queomhor existe. Pecq-|be, talo, toppco-
lhe, se grato aos meus beneficio, qua. se 1 Bleaet-
U do bom grado e com consciencu a ceta neeessi-
date. Para correr mundo precisa dlnjiairo e eu
nao quero qua lhe falte nada.
Dizendo itto, poz urna bolsa ao meu i lo sobre
orna mesa, mas eu, entoniecido com tanta bondada
corri para elle e apertei-lhe as mos, qoe ftlftgiwf
oom lagrimas, exclamando:
Ob, obrigada I obrigado t j
a Deus qae lhe conceda as sois
Tenas d de am infeliz cujo dern suspiro
sert um brado de gratldio aos seo beoeflcios I
Oh I meas Deas... Adeas I alma nob t, generoso
protector, adeus I
E fugi. Acheime na ra eomo e oago, a sal-
teado por angustias e desesperaco, eorri sen M*
ber para ondejsem saber o que taxi. SahN
dade pela prtmerra nona qoe nninnnanni
qoando ch^eguei fon no arratoU a vi
aberto diante de mim, del am grito 4a alegt a
dobrei a prest eom que camlnhava, como u cada
paseo qae me apartav da. casa do mea bemfeitec
devesse dimiatrir o peso da minha vanganto a o
horror de meo crime.
(Con/Mmar-ic-Aa.)
._______________f'ii
HHtfAW^^pv DB M- MWF. & PIWJQi
-*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EE1RGR7DQ_GW4RKU INGEST_TIME 2013-09-05T03:55:36Z PACKAGE AA00011611_10941
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES