Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10938


This item is only available as the following downloads:


Full Text
i
i
V
m

I
i
i
i
I
II '
M.
1
fif."'"'-:
- .
AHIO.XLII. J8KER0 82
(
Idea depos d i," 1 w di comeco e deitre de naKci
Perte ae cerreie #er tres aezs.....7 '
DIARIO
8|Hi
6*eee
75o
KNCARREGADOS DA SBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr." Antonio Alexsndrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonia Marques da Silva; Aracaty, o
'Sr. A. de Letnos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Olivetra ; MaraohSo, o Sr. Joaqalm Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Pilho3; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SBSCRIPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falcao Das; Bahia, o
Sr. Jos Marlins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAPETAS.
Olinda, Cabo, Escada 0 estaceos da ra frrea at
Agoa Preu, todos es dias.
Iguarass e Goyaooa as segundas e sextas reirs.
Santo Antlo, Grvala, Bezsrros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhaos, Buique, S. Bento, Bom
Gonselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingateira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Oarcufy, Salgaeiio e Ex, as qaarlas
feiras.
DE ABRIL DE 1866
Per aino paje 4itro de iojino ,. mez.....
Porte ao cerreie tor ib ano.....
i9ooo
JWooo
Serinhem, Rio Formoso,Tamandar, Una, Bap-
reiros, Agua Preta Pimeotelras, ana qntntae
feiras.
r i w > -
AUDIENCIAS DOS TRIBNAE8 DA UUlI
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relagao: tercas e sbados is 10 boras. \ i
Pateada: quintas s 10 horas.
! Jaizo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphSos: tercas e aextas as 10 horas.
Mjjjrtra tara do crwlr tercas sextas ao mel
Sagunda vara do efenU qoartao e sabbades a i
ora da tarde.
EPHEMERIOES DO'MEZ BE ABRIL.
8 Qoarto mfng. as 9 hh 2*m. ? s. da m.
16 loa nova as 4 b-, Mm. e- 10-s.da m.
al Qoarto cresc. as & h.,.12 %,e 4 s. da t.
9 Loa cfaeia as 7 h., 4 m. e 14 s. da t.
DAS DA SEMANA.
9. Segunda. S. Demetrio m.; S. Hugo b.
10. Terca. S. Ezequiel prof.; S. Terencie m.
H. Unarta. S. Leo Magno p. dout. da ear.
11 Qumta. Se. Vctor e Vessta mm.
ii nf" Hermenegildo principe m.
14. Sabbado. S. Domnlna v.; S. Tiburcio-m.
15. Domingo. S. Pancracic; S. Euthiquie mm..
PREAMAR DE HOJE.
fPrimeira as O horas e 30 m. da tarde.
ISegunda asO horas e 5 minutos da manbia.
PARTE OFFIGIAL
COVEBWO A PRO VI Vi fl.
Expediente do dia 2 de abr! de 1860.
effectuar conforme propoe a troca por oulros dos
dois bols a que alinde, atientas as razes que ex-
p5e, convlndo (torm que nessa troca naja o malor
cuidado afim de que a fazenda publica nao venba
a ser prejudlcada.
Circular a todos os jaizes de direit).Remello a
" para que tenha a devlda execucao o incluso
PARTIDA DOS VAPORES COSTEROS.
Para o sul at Abgoas a 14 e 30; para o non*
at a Granja a 7 e 22 de cada vez; para Fernan-
do nos da 14 -ios mer.es de Janeiro, margo, mal
jnlho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livrara da praca da Independencia
ns. 8, dos propietarios Manoel Pigueiroa de Faria
& Filho.
commando superior preste urna guarda de honra
com msica para acompanhar a procisso do-Sao-
tisslmo Sacramento aos enfermos, a quai tem de
sahir da greja do Corpo Santo no dia 8 do cortan-
te as 6 boras da manbia.
Dito ao delegado encarregado do expedanle da
repartigo da polica.Respondendo ao sen officio
Offlcio ao Exm. Sr. Dr. Joaquim Florlano de To- emplar da Imperial resolugo sobre consulta da de 31 de margo prximo fiado acompannado do
ledo, vice-presidente da provincia de S. Paulo. secfo da jusiiga do conseibo de estado, decidindo que a essa repartigo dirigi o sobdelegado do 1o
Pelo sen offlcio de 5 de margo prozimo findo, 0-' aQe a Pena 'mposta ad* advogados pela ordenado districlo da freguezia da* Boa-vista pediodo provi-1
quel intsirado de haver V. Ezc. na qualidade de llvro **> ,i,al 383 13, esta' implcitamente dero-1 denclas que facam obstar os actos de toncara pra-'
sen 3o vice-presidenie entrado no exercicio da ad- jfa,depois do cdigo criminal, e a vista do art. | tlcados por Bernardina Teixeira de Brlto tenbo a
Vmc.
da Mello.- Approvado sem capia, afim ^ fa de ^
sora Joaquina Delfina
flebate.
?l? Ia ^m11" e negocio aeclesiastieos,
indeferiBdo a pellcao do vigario da freguezia da
Victoria.
Pallain o Srs
Vero
Gaspar e Ramos.
lado requermenlo junto para dar eordeacao ao
muro-que Adriano Augusto de Atareida Jordo
pretende fazer em seu terreno na frente do Hospi-
cio freguezia da Boa-Vista ; deciara que tal eor-
dea?ao nao pode ter lugar, visto aehar-se o terreno
minlstrago dessa provincia, por ter de ir, o Exm.
presidente Dr. Joo da Silva Garri, tomar assento
na cmara dos Srs. depotado?.
Dito ao Exm coramendador Dr. Domingos de
Souza Leo, presidente da associaco protectora das
familias dos voluntarlos da patria.Tendo-se apre*
nico a V. Exc. para os fios convenientes.
Relaja* dos offlciaes a que se refere o offlcio
supra.
Tenente Joao Eduardo Pereira Borges.
Dito Antonio Muniz Tavares.
Dito Leodgario Liberato Pereira Caldas.
Dito Joaquim Herculano Pereira Caldas.
Alferes Bazilio Luiz Coelho.
Dito Antonio Hennque de Miranda.
Dito Joaquim Herculano Pereira Caldas Jnior.
Dito Antonio Jos de Souza e Silva.
Dito Antonio Artbur Moreira de Mendonca.
Dito ao mesmo. Constando de commnmcacao
do quartel general do commando em cbefe do ex-
ductos agrcolas, tadustrhes e de arte'
.,1 louv*'l resolocao daqnell'a gerencia,
J%"** a d,sc06i0' *aPPwrado o requer-' ~ ^seextrabira' a4' parte da 2 lotera' Outro d^mesmo, informando setore o que pede
^vSi-* ... Sfh,!f'^ 1* Santa Casa da fsericordia, gwcia Mara de Frenas no sea reanerinTnto aae
naes compete a apphcagao da pena que conforme \ soasob cuja .guarda e dlrecgao [>.Me a alienada, tgU de Olinda. _^ As J ^ Las por.as de" sa eTS. *Stn
inr, MiiAX .-.1 ^ .. .1 r'<>- em duas janellas, mas quaoto a raeia agua, que pre-
tende edificar no fundo da dita casa, deve ptece-
perador o... ou na oraca' da 'tadVoedenciaV '' ^r Deeefana eordeacao e nivlameos-Man-
Ao-Reete podem ding-se a sacbriTa dS Corpo' ^u^"' ,
Santo, ou a loja de llvros de Jos Barbosa de MeU J raes w5' informa>d requenmenlo no
lo roa da Cruz n. 52 "el ; *"' P"c'sco Meodes Martins> arrematante da
dos eoncertos do acongne e ribeira da Boa-
ultima presta-
ja concluido a
1S1 g cotaber contra os advogados que am de recolhe-la ao respectivo Hospicio, e que se Ve a mesa nasa emenda 4o Sr. Boarqoe esta- dreo ralinCa/S I ..eremk" co,,ef> do Pen- em di
vSStl ?^e,ie,l? da, cilii* ordeIna,ao- fr Rigente participe-o esta presidencia para se beleoendo a ortigado da empreza que se encarre- fndice rSn^,ii Z&& ^^ Procurar o (leae
Dito ao administrador do correo.-Informe Vmc. expedir as ordens convenientes. garda obra coosuoir uniramal para o povoado S J Jas e llm,s roa do Iat' sra
com o seu parecer acerca da inclusa representa-
sentado vlndo da crle no vapor f7rzro io Sul, j ao do consol inglez que val coberta cora a infor-: teiras.Remetiendo incluso per copia o offlcio que
que hontem seguio para o norte os offlciaes do cor-1 macao dos agentes da companbla Brasileira de pa- em 26 de margo ultimo me dirigi o presidente da
po de polica constantes da inclusa relago, os; I1""63 a v^Por. commissao da exposigao em vista da sua informa-
quaes foram dispensados do servigo da guerra ; Portara.O vice-prestdente da provincia, tendo gao de 15 de feverelro deste apno tenho a recom-
contra a Repblica do Paraguay: assim o commu-1 *m visla 1fl requereu o capitao do batalhJo; mendr-lbe que opportanamente e do' raelbor rao-
de iofantaria da guarda nacional do municipio do' dopossivel envi para esta capital a seren entre-
Recife Joaquim da Costa Ribeiro, e bem assim o gues aquella coraraissao as amostras de madeiras
que a esse respeito informou o respectivo comman- requisitadas em dito offlcio.
te superior em offlcio de 31 de marco ultime, sob! Portara.O vice-presidente da provincia, alten-
n. 91, resol ve conceder ao predilo capitao tres me- d<>ndo ao que requereu o tabellio de notas, eacri-
zes de liceoga para ir- corte a tratar de sens ne- vio do erime e civel da comarca do Pao d'Alho
particulares.
... ------- ....... para o povoado
Jilo ao director da colonia militar de Pimen- de Beberibe, inoependeoiemente de maior auxilio.
Ora contra a emenda o Sr. Bruto e a favor o Sr.
Buarque.
O Sr. Bmio manda i mesa ama nova emenda,
*1 ^t^J'*,isS*r "* o.Sr.Bnar. Hoje se vender'por autorisacao da W^i Vjstt, nene non Inn a*T5i a
ue, awnstrucsao do ramal para Beberibe tenha Khal a casa terrea n. 2 sita a ra do Brum e o Sao W* ,oe dev"1. visto bavet
gocios
Dita.O vice-presidente da provincia, atten-
dendo a proposta do Dr. cbefe de polica de 15 de
marco'proximo passado, resolve demtttlr ao 1 e o
2 sopplentes do subdelegado de polica do dis-
triclo de Baixa-Verde no termo de Flores, os cida-
daos Jos Antonio dos Sanios Rendeiro e Francis-
co Jos Dinii, este por pedir a sua exoneradlo e
ercito em operagSes, datado de 22 de fevereiro ul- aquelle por se ter mudado do distrieto.Commu
timo, terem fallecido no hospital de Corrientes o 4 oicou-se ao Dr. chele de polica.
sargento Joaquim Vctor Pereira Falco e o solda-
do Manoel Francisco de Mello, ambos do corpo de
polica desta provincia, este no e aqoelle em 30
de Janeiro prximo findo, assim o commamco a V.
Exc. para os flos convenientes.Communicou-se a
tbesoura-ia provincial.
Dito aj Exm. conselheiro presidente da relagao.
Incluso remeti a V. Exc. o offlcio de 15 de margo
prximo passado do juiz municipal supplente em
exercicio, do lermo de Flores, Francisco de Paula
e Andrade Snassuna, aflra de que o devolva esta
presidencia acompanbado do parecer de V. Exc,
acerca da materia que elle contera.
Dito ao inspector da inesonrarla de fazenda.
Tomando em coosideragao o que expoz o director
do arsenal de guerra, em offlcio de 24 de marco
!t n" l7^- sobre aae versou a sa* Informagao
n. 187 da 28 do mesmo mez, dada coas referencia
a outra do predilo dia 24 e com o n. 167, autoriso
V. S. a mandar pagar sob minha 'responsabilidade
nos termos do decreto n. 2884 do 1 de fevereiro
de 1862, is despezas .que se tiverem de fazer por
conla do ministerio da guerra sob a rubricaar-
senaesat a quantla de 15MNOJ000 equivalente
ao augmento de crdito, que sentido consta do
parecer di contaiomOess tbesourana, foi pedido
para esse Ora aqueta mfoisterio.
Dito ao mesmo. Tomando em eonside*ago o
que V. S. expoz em sen offlcio de 14 de margo ul-
timo sob a. 137 e o que consta da informagao do
marechal comraandante das armas em 28 do mes-
mo mez, o autoriso a mandar pagar mentalmente
e era vista das competentes contas o dficit que
se der as despezas com a enfermarla militar desta
capital, atientas as circunstancias acluaes e ex
traordinarias em que se acha a mesroa enfermarla
e nio obstante o disposto no aviso do ministerio
da guerra n. 583 de 13 de dezembro de 1861.
Dito ao mesmo.-Transmuto a V. S. para os de-
vdos effetos copia do decreto de 20 de margo ul-
timo, a que se refere o aviso do ministerio da fa-
zenda de 24 do mesmo mez, e pelo qual foi apre-
sentado Joaquim Mara de Camino, no lugar de
thesoureiro da recebedoria de rendas desla pro-
vincia, com o vencimento que Ibe competir na for-
ma da lei.
Dito ao mesmo. Communico a V. S. para seu
conheciraenlo e flm conveniente, que, segundo
constou de aviso do mloi-terio da fazenda de 24
de margo ultimo, por decrete de 20 do mesmo
mez foi demilildo Joaquim Jos de Miranda, do lu-
gar de thesoureiro da alfandega desla capital.
Dito ao mesmo.Recommendo a V. S. que em
vista da folha junta em duplcala e nao havendo
inconveniente mande pagar ao Dr. Manoel Buar-1
que de Macedo, conforme solicitou o commaodan- ]
te superior da comarca de Cabrob, em offlcio de
28 Je fevereiro uliimo, os vencimenlos relativos
aquelle m.jz do alferes Tiborcio Ferreira Neves,
commandanle do destacamento de guardas nacio-
naes existente na villa de Granito.
Dito ao mesmo.De ordem do Exm. Sr. minis
tro do imperio, comida em aviso de 22 de margo
prximo flodo, declaro a V. S. em solugao ao seu
offlcio de 5 d'aquelle mez, sob n. 7, qae flea con,
cedido um crdito de 3:454,5980 rs. por coma da
verbaobras especiaes o mesmo ministerio para
cobrir a despeza fella no exercicio actual cora as
obras do edificio da catbedral de O inda, annullan-
do-se igual quantla no crdito de 11:005^800 con-
cedido no exercicio anterior para as referidas
obras.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Annuindo ao que solicitou o delegado encarregado
do expediente da repartigio da p Ucia, era offlcie
de 28 de margo ultimo sob n. 415, recommendo a
V. S. que em visla das 4 inclusas comas, cobertas
ora o parecer do administrador da casa de deten-
^io, e nao havendo inconveniente mande pagar a
empreza da illuminagao desta capital, a qaantia
de 470(511.0, em que importou o gaz consumido
com a illuminagao d'aquelle e>tanelecimento du-
rante os mezes de novembro do anno prximo pas-
sado, at fevereiro deste asno.
Dito ao mesmo.A,Jos Mara Ferreira da Cu-
nta, man le V. S. pagar seno bou ver inconve-
niente a quantia de 196840 rs. em que segundo
o pret junio em duplcala que me remellen o cora-
mandante snperior da comarca do Limoeiro, com
offlcio do ;. de margo nltimo, importan) os venci-
menlos relativos ao mez de fevereiro deste anno,
do destacamento de guardas nacionaes existente
n'aquella villa.
Dito ao mesmo. Estando em termos a coota
junta em duplcala, e nio havendo inconveniente
mande V. S pagar ao pbarmacentico Leocadio
Jos de FgueirJo, conforme solicitou o delegado
encarregado do expediente da polica, em offlcio
de 28 de marco ultimo sob n. 413, a quantia de
4>2#080 rs., proveniente de medicamentos forneci-
des aos pr sos pobres da cadela do termo de Gola-
oa no semestre de jolito a dezembro do ano pro-
zimo passado.
Dito ao mesmo. Annuindo ao que solicitou o
cbefe da rspartleao das nbras pobMcas, em .offlcio
de 28 de marco ultimo sob n. 108, recommeado a
V. S. que mande entregar .ao agente Bel pagador
d'aqoella repartilo mais 2:000J000 por coota do
respectivo orgameoto para occorrer-se As despezas
a fazer-se com as obras do canal para abasteci-
menlo d'acua a cidade de Oada, vtttt enar se
esgoda a quantla que para esse flm foi adian-
tada.
Dito ao mesmo.Autoriso V. S. nos termos de
na ipforinagao de 17 de osaren nlUmo sob n. 97,
mande entregar mediante flanea idnea ao padre
Jos Porfirio Gomes, adasinbtrador das obras da
apella do S. Jos de Taawndar l:00O#OG0 vota*
do pelo J 5* do art. 15 da lei do orcarnento vigente
para aquolias obras.
Dito ao director da colonia militar de Pimentei-
ras.Bes,[>cndo aes aws rnelos de 1* a 8 de mar-
go ultimo, sob ns. TI e 70, duendo trae pode Voje.
Dita.O vice-presidente da provincia, atienden-
do a proposta do Dr. cbefe de polica de 15 de
margo prximo passado, resolve nomear para os
cargos de 1, *>, 3, 4, 5 e 6 supplentes de sub-
delegado de polica do distrieto de Baixa-Verde no
termo de Flores, que se acham vagos os cidadaos
seguiotes :
1.-Capitao Angosto Octaviano de Souza.
2."Pedro Americo Barrozo Galvao.
3.Igacio da Cruz e Souza.
4.Jos Ferreira Pinto de Campos.
5."Jos de Souza Dioiz.
6.Margal Ribeiro Vianna. Communicou-se
ao Dr. cbefe de polica.
Expediente do secretario de gorerne de dia 2 de
abril de .866.
Offlcio ao inspector da thesouraria de fazenda.
O Exm. Sr.
vicepresidente.da provincia manda
transmittlr a V. S. as quinze inclusas ordens, sen-
60 e 61, tres do ministerio da guerra datadas de inspeccionado. vuu""*u" u *>"
Francisco Antonio Brayner de Souza Rangel resol-
ve cenceder-lhe 60 dias de liceoga para lanar de
sna saude onde Ibe convier.
Expediente do secretarle de feverao de da 3 de
abril de 1866.
N. 78 -Offlcio ao Dr. 1 secretario da assembia
legislativa provincial.Para sor presente a assem-
bla legislativa provincial passo por copia as raios
de V. S. de ordem de S. Exc. o Sr. vice-presidente
da provincia e em solugao ao sen offlcio de 21 de
marco prximo Ando sob n. 28 a a inclusa infor-
magao que ministro o juiz de drito da comarca
deGoianna acerca da divisi do cariarlo de or-
pbos da raesma comarca, deixandb de Ir A do
respectivo juiz municial por nao ter sido anda re-
celada.
Despachos do dia 2.
Requerimenlos.
Antonia Florencia dos Santos. Dirjase ao Sr.
Keneral commandanle das armas para attender a
snpplicante.
Alferes Conrado Ferreira da Costa.D-ae a eer-
tidao requerida.
Francisco Pereira de Carvalho. Informe o Sr.
director da colonia de Plmenleiras. .
Hermino Ernesto de Lemos Amaral.Remeltido
ao Sr. inspector da thesouraria de fazenda para de-
ferir ao supplicante.
Henrique Francisco deMoraes.-Apresente.se do
para ser
13 e 21 de margo ultimo, e quatro em duplcala
expedidas pela repartigo do ajudante general, sob
ns. 506a 509, e bem assim tres oficios dois da di-
rectora geral das rendas poblieas de 14 e 21 do
citado mez de marco, e um da secretaria 4o minis-
terio da fazenda de 20 do mesmo mez.
_ 3
Offlcio ao Exm. general commandante das ar-
mas.Respondo ao sea offlcio d* hontem datado,
sob n. 598, dizendo-lbe que o guarda de-ignado
Antonio Correa dos Santos, que fdra mandado
apresentar a V. Exc. pelo delegado encarregado do
expediente da repartigo da polica, deve ser alis-
tado no 1" corpo provisorio.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Mande V. S. pagar em vista da folbae pret juntos
era duplcala, que me remellen o commandante
superior merino da guarda nacional do munici-
pio do Recife com offlcio de hontem sob n. 92, e
se nao houver inconveniente os venciraentos dos
offlciaes e pracas do 4 batalhio de infamara qae
esteve aquartellado para o servigo da guarnigo da
praca, sendo os dos offlciaes, a contar do 1 de mar-
go ultimo at o ldesse mez e os das pracas desde
16 do citado mez de margo al o predito dia 1*.
Dito ao mesmo.Recommendo a V. S. que nao
Padre Jos Porfirio Gomes. Dirija-se a the-
souraria provincial.
Tenente Joaquim Jos do Nascimento Wander-
ley.Remeltido ao Sr. Inspector da thesouraria de
wL^lL H *" stobvencao kilomtrica. sitio que foi 2|3 partes do finado Sebaslio Jos- da m-esa,a obra i Iz que nada tem. a oppor a en-
.-W1*'!* tlnilHllwdnt todas as SUva, 6m Beofiea, Passagem da Magdalena, do 5fo do peticionario, por quaoto bs eoncertos por
!^^fnd0. o^oJ^ Presoatqae ser- sera vendido ras belmente, na ra da Cade elle fc s** eiecutados de-aecordo com o or-
i.?V"a "'"P888? sobre aquellas. n. 85, ptimeiro andar, esenptorio do aeente En- sameoto.Mandou-se pagar. -
Jft* i*> do projeeto n. 43 de 1808, aebio. 88enie ^ Oolro do fiscal da fregSezia des Afogados, repre-
removenao a sede da freguezia de Itamarac. Casa db ortencao. sentando acerca de um vallado que fez era frente.
sn^ ^nniiS' on.. 'M.a^enl0 da casa de detened do dia 8 de abril ?e se" sitio na traversa do Ijjca para o Bongi, o
,nS2?" discussao do projeeto o. 30 deste anno de> 1666. Dr. Joaquim Antonio Carnero da Caoba Miranda,
aotorUando a compra on constroegao de ama oasa I Existiam 375, eotraram 11. sabiram
para o pago da assemWa. 385. ,rara
Vera i mesa urna emenda mandando snpprmir, A saber :
a patena compra, ssignada pelo Sr. SUva Ramos. Nacionaes 262, molheres 16, estraogeiros
Encerrada a oiscosso o projeeto approvado mulberes 2, escravos 72, eecravas 3 total 385
^JafWJE ,o Alimentados a cosU dos cofres pblicos 196.
lerceira discussao do projeeto o- 33 de 1862, Movimenlo da enfermara do da 9 de abril da
restaurando a cadeira de desenho do Gyranasio.- 1866.
1, existem
30
do qual resultou nao s eslreitar a estrada, seno
tambera que neila se teobanv precipitado muilas
pessoas, pede t cmara ama providencia.A' com-
missio de edificagdes.
O Sr. Costa Montero pede a palavra a qnal sen-
ao-lhe concedida, reqoereo que se remettesse a
presidencia o cfflclo adiad em sessao de 12 da
abril do anno passado, acerca da medida tomada na
AW*foy sen debate. Teveram baixa: i de 28 de mago do mesmo anno para a revogacao
Tereeira discussao do projeeto n. 17 de 1865, Antonio Joaquim Pereira, saroas. i da postura municipal approvada pela lei provincial
autonsando a conslrucgao de mais nm raio no Antonio Rodrigues de Almeida, difiuxo. in- ^2 de 20 de abril de 1863, relativamente a en-
edificio do hospital de caridade. Approvado sem Manoel Antonio Carnero,diarrhea. \ Preza Cambronne.
: Venancio, eseravo de Joio Figneiredo, pneumona. 9 Sr. presidente propoz para qne ficasse adiado
nouvarOe prefertr ress
nio daclA rannar. Mk-A
Conuna a discussao sobro o projeeto o. 24 des-
te anno, approvando diversos crditos supplemen-
tares. ,
Ora o Sr. Ribeiro.
O honrado depatado diz que protesta contra a
Inierprelacao'que se tem querido dar i emenda
que elle manou ao parecer da commissao, sop-
ponde-ae qne o sen acto importa va o reconbecimen-
to da frregularldade do acto do Sr. Caslello
Branca.
Kalla em segaldjko Sr. Boarqoe, declarando que
os termos da emeffla do Sr. Ribeiro sao taes qae
outra nio pode ser a iolelligencia, e que elle ora-
dor snppooha ter convencido o seo collega dessa
irregolatidade; que se o Sr. Ribeiro nio quer que
a opimio publica assim jalgae, manda nova
emenda.
ista Ribeiro requer a retirada da saa
qne a casa consente, e remelle urna
iecendo que o pagamento felto ao Sna-
o Drummoad foi vaotajoso aos inte-
provincia, e qne o Sr. Caslello Branco
Lourengo, idem de Manoel Jos, timpanites.
Valduvino, idem de Tasso d trmo, diarrhea.
: Antonio, idem do mesmo, diarrhea.
M
2
>
>
o
a
>
o*
e i

ts
00
OSr.
emenda
outra
dob
ex
Masculino.
ai
C5
Fcminino.
2
>
O
S
n
ce
assumpio deste requer-1 obroa regalarraente'e cooforme lei abrindo um
faaaada para examinar
o seu despacbo sobre o
ToaoLni, da Silva Qaeiroa. Dinja-ee >0 Or. f%%l *>#'P* eflec,oar essa ^~
inspector da tbesonrarla provincial. I Encerrada a discussao n laa Sneit^ S SS **fk~ &"" TI q^TvoUgao orainaFpit't TJS5& no
ta concedendo a licenga requerida pelo snppli- que a casa consente. 7~~~~'
I I Masculino.
Feminino.
en
cante.
Manoel Francisgo Jalobl.Informe o Sr. inspec-
tor da thesouraria de fazeoda oavindo o procura-
dor fiscal.
Pedro Gomes da Silva. Passe portarla
dendo a liceoga pedida nos termos do artigo 106
do regulameato de 27 de ootabro de 1860.
Sebaslio Gomes da Silva. Prove o qae allega
no praso de 20 das, que para isso fica marcado.
Masculino.
PERNAMBUCO,
uno ao mesmo.Kecommeodo a V. b. que nao AVWTMUI f l icriSTiTiri nnnviYriii
havendo inconveniente, mande pagar ao gerente da I"?iM LfcljISL.l 11\ A I KU>l.\tI\L.
SESSO ORDINARIA EM 6 DE ABRIL DE
1866.
companbia Compaohia Pernambucana que assim o ]
solicitou em offlcio de 2 do correte a quantia de
11:166^666 corespondente a snbvengao relativa ao
mez de margo ultimo cora que o governo imperial
auxilia mensalmente aquella companbia, a qual,
segundo consta do predito offlcio cumprio as suas
obrigag5esrnaquelle mez.
Sao approvados o reqaerimeoto do Sr. Buarque,
o projeeto e a emenda da commissao.
O Sr. Arminio requer que a votago nominal so-
tre a emenda do Sr. Costa Ribeiro se faca por; 5
conco partes.
Procedendo-se a votagao da prraelra parte, vo-
tara a favor os Srs. Andr, Costa Ribeiro, Arrainlo, I 5
Cicero, Hisbello, Jeronymo, Mergulhio, Tavares, I "
Correa da Silva, Sooto e Sergio ; e contra os Srs.
Angosto Lelo, Ayres, Emydio Marques, Epaminon- S
das, Brillo, Brando, Ramos, Buarque, Paes de
Andrade, Maximiano e Jansem.
Ficando empatada a emenda, ser submetlida a
nova discussao. "~
Votaram a favor da segunda parte os Srs. Ao-1
, dr, Costa Ribeiro, HisbelioTMergulhi, Tavares, I
Correa da Silva, Sonto e Sergio ; e cootra os Srs.
Arminio, Angosto, Ayres, Cicero, Emydio, Epam-
nondas, Brillo, Brando, Jeronymo, Ramos, Buar-
Feminino.
o
5
i-

a &


co
Masculino.
Feminino.

I I
I I
a
Masculino.
PRESIDENCIA DO SR. VIGARIO FRANCISCO PEDRO DA
A 1 hora e 3|4, fHitaTcamada, veriflea-se esta- qai: ?*!? d! Andrade, MaxinUano' e Jansem.
rem presentes os Srs. deputados Francisco Pedro,, LK,,0,".e,?d5 a se0Dda pa,"eH ,. .
Ayres, Mergolho, Ribeiro, Corroa da Silva. Bnarl I ._frJme,r* dlscosslodo projeeto n 31 deste anno,
Fcminino.
I
i
TOTAL.
00
l o citado requerimento at a prmeira sessao.Foi
approvado.
O Sr. Silva do Brasil pede a palavra e fas as se-
grales propostas:
1' Que se mandasse caiar o muro do cemilerio
da freguexJaOb'Poco da Panella ;
2.a Que fetsVnomeada ama commissao, fazendo
parle della o engnheiro cordeador, para o fim de
: escolber um terreno para o Jardim publico.Pos-
'< tas em discussao, a prmeira nao passoo e a se-
gunda ficou adiada requerimento do Sr. Gustavo
j do Reg.
O Sr. presidente declarou a cmara ter recolbido
ao cofre as letras que resoltaram dasarrematagSes
i ltimamente feitas, das rendas mnnlcipaes.
Autorisou-se ao procurador a desaproprtar ami-
gavelmente pela quantla de 3:000,5000, a casa da
, ra do Rangel pertencente a Bellarmino Alves de
! Arocba, a qual esta' destinada na plauta para ser
demolida.
Despacharam-se as petigoes de Antonio do Reg
j Medeiros, Adriano Angosto de A. Jerdae, bacharel
Antonio d'Assumpgo Cabral, Claudlano de Olivei-
i ra, Feliz Sauvage & C, Francisco Jos Rodrigues,
Francisco Mendes Marlins, Francisco Manoel de
Silva Tavares, Francisco Solano Pereira Ramos,
Goncalo Jos Affonsc, Geltrodes de Miranda, Igna-
cia Mara de Freitas, Ignacio Bento de Loyola, Jos
i Francisco dos Santos Miranda, Jos Francisco de
; Carvalho, Jos Caelano de Carvalho, Joaquim Jos
de Sant'Anna, Dr. Jos dos Santos Nones de Oii-
veira, Jobn Donelll, Lourengo Jos Lopes, Luiz Mi-
guel de Oliveira, Manoel do Nascimento Rosas, Ma-
noel Rabello de Almeida, Manoel Roque, Manoel
! Dias da Silva Lopes, Marcelino Jos Lopes, viava e
, herdeiros do ur. Pedro Ignacio da Cunba, e levan-
| (ou se a sessao.
Ea Francisco Canuto da Boa-Viagem, secretario
a subscrevi.-Pereira SimSes, pro presidente.
Reg. Costa Monierj. Fonseca. Pinto.Dr.
Villas-Boas.Dr. Seve.-Santos.
da Silva liuar -i." uoiumu u ihujbuiu u o uis iuuu,
Dfto'ao mesmo.-Remello por copla a V. S. para qeVceVo"Soa?es''B7n^to""Andr Aavntts" auforisando o constroegao de orna Imha lelegra-
es devidos effeitps, o offlcio do inspector do arsenal Epammondas, Tiburtmo Sergio Auzste de Son-' phlca.P"a interior da provincia. Approvado
de manoha n. 1,091 de 2 do correte eo termo por: za Leo, Arminio, Lopes Machado, Correa de Brito, SeprK!v Aa .n ,
que se conlrataram na provincia da Baha, de con-, Ramos, Hisbello. Joaauim Tavares Amorim Paes! F"rae,'a do de n 40 deste anno, autonsando a
formidade com as ordens imperiaes, 50 operarios ; de AMr^hn^^Ii k^S e ?analisa0 d'agua potavel para a c.dade da Vic-1 Nicolao Antones Correa, jrysfpeto na, Berna.
carpinteiros, calafates e carapinas, para servirem gjo,
ADVERTENCIA.
Na totalidade dos doentes existem 160, sendo.89
homens e 71 ranlheres.
Foram visitadas as enfermaras estes dias :
As 7, 6 1|4, 6 1|4, 6 3|4, 6 112, 6 Ii2, 6 lt2 pelo
Dr. Ramos.
*. A's 9 1|4, 9 1|2, 9, 8 i|4,9 Ifl, 9 1|2 pelo Dr.
Sarment.
Falleceram
naqoelle arsenal.
Dito ao mesmo.^Transmitto a V. S. a folha e
pret junios em duplicata que me remellen o mare-
chal commandanle das armas com offlcio de hon-
tem sob n. 585, e recommendo-lhe que nao haven-
do inconveniente, mande pagar os vencimenlos dos
Abre-se a sessao.
L-se e approva-se a acta da sessao anterior.
O Sr. 1 Secretario l o segointe
EXPEDIENTE.
Um offlcio do secretario do governo remetiendo
loria. Approvado sem debate.
Prmeira discussao do projeeto n. 35 deste anno,
alterando os limites dos actuaes districtos da Esca-
da e de Muribeca.
Fallara contra o Sr. Gaspar e a favor os Srs.
Sergio e Soares Brando.
Verificndose nao haver casa, o Sr. presidente
Delfina Mara da CooceigSo, gastro hepalite.
Caetana do Sacramento, gangrena serrll.
Pedro Mendes, tubrculos pulmonar.
offlciaes e pragas do deposito, sendo os daquellas informagSes acerca da petigao de Andr Avelino leTanl? a sessao,_dando a segointe ordem do dia :
relativos ao mi rin marco nrmimn nassurin a ns i d Marros__A' quera fez a reauisican. K, 5" discussao dos projectos ns. 81 de 1864,
! prn
32, 42 e 43 deste anno ; segunda do de os. 27 e
relativos ao mez de marco prximo passado e os i de Barros.A' qoem fez a reqoisigao.
destas a ultima qoiozena do mesmo mez. Outro remetiendo o quadro da divida passiva de. 5V ~ "" """" "MUW > "1
Dito ao inspector da thesouraria provincial. ejercicios findos. A commissao de fazenda e or- es,e ann0 i 'erceira dos de ns. 12 e 33
Providencie V. S. para que em vista da folba e pret, camento. anno > contrauago da anterior,
juntos em duplicata que roe remetteo o marechal Oatro dn direnor j f.... ..---
commandante das armas com offlcio de hontem sob JSSS^, X^ h SSSftfSfi
u. 586, e nao havendo inconveniente, ^m^^jSSSSUSSBSL^tTm "**
importancia dos vencimenlos dos offlciaes e pragas {{1rna\ml^ a. ZSL^i a o- .<
corpo provisorio, sendo os destas relativos a Sacramento indade do Sant.ssimo
deste
do 1*
segunda quinsena do mez de margo nltimo, e os
daquellas a todo o predito mez.
Dito ao mesmo.Restitoiado a V. S. as inclusas
contas qne vieram anuMas ao seu offlcio de 28 de
margo ultimo sob n. 99 naTroportancia ae !:115800
e relativas ao sustento dos presos pobres dacadeia
do termo de Garaobuos dorante os mezes de no-
vembro e dezembro do anno prximo passado, Ja-
neiro e fevereiro sobseqaentes, tenbo a dizer em
resposta ao citado offlcio qae mande pagar ao ne-
gociante Joio Baptista dos Golmagaes Peixoto para
isso indicado em offlcio da presidencia de 21 do
predito mez de margo smente a qaantia de ....
1:109,6600 era qne segundo o parecer da contado-
ria dessa tbesourana importan) taes despezas, por
ter de dedazlr-se da coota correspondente ao mez
de dezembro a somma de 6J>200 despendida com o
preso Manoel Jeronymo de S que nao se acba con-
templado na relagao ministrada pelo delegado da-
quelle termo. .
Dito ao mesmo.Estando em termos os pret i
juntos em duplicata, e nio havendo inconveniente,
mande V. S. pagar a Joaquim Jos Gomes de Sou-
za, conforme solicitou o commandante snperior da
comarca do Brejo em offlcio de 21 de fevereiro ol
timo os vencimenlos a contar de 5 de janeiro deste
anno at 19 do eitado mez de fevereiro dos guar-
das nacionaes destacados na villa de Cimbres.
Dito ao mesmaCommanieando-me o cbefe da
reoartigo das obras publicas em offlcio de 31 de
margo ultimo sob n. 107, haver receido proviso-
riamente a obra da reconstrueco da bomba sobre
o riachoMei de Cava lio-no 6* lauco da ramifica-
gao do Cabo por Ji se acnar concluida de contar-
midade com o respectivo orgameoto, assim o decla-
ro a V. s. para sen epnbecimenio e afim de qae
em viste do competente eertolcado pegas ao arre-
matante daqaella obra Jos de Moraei Gemas Fer-
reira, nio s a ultima pres:aga do contrato primi-
tivo mas tamben] a quantia de 418*380 provenien-
te do orgameoto soopiemetilar e a qae tiver elle
direito secando cnate do predito offlcio.
Dito ao commannente superior da guarda naci
f *
(ja?
REVISTA DIARIA
'iiu iu cinuiuaoaraie superior a guaiua imuiu-
do Recife. Bxpeea V. 8. as suas ordens ara
) nm des cornos Ja guarda ntefeOn fot) 0
da Boa-Vista, pedlndo a qnantia
4:000*000 para reparos das obras de saa matriz.
Oatro dos morad res da pevoagao de Nossa Se-
nhora da Conceigo da Una de Itamaracl, repre-
sentando contra a madaoga da sede da freguezia.
A' commissao de estatifica.
Oatro de ttotilio Toleotioo de Figoeiredo Lima,
escrlvo interino do jory e execucSes crirainaes do
termo de Santo Anteo, pediodo a janego do offl-
cio de escrivo privativo do crirae a aquellos.A'
commis.-o de Jostica civil e criminal.
Oatro de Jos Ribeiro do Amaral, sollicitador da
fazenda nacional peraote a relagao, pedlndo urna
gratifleago.A' commissao de ordenados.
Outro de Belarmoo dos Santos Bulco, escrivo
do crime do termo de Santo Anto, pedrndo auio-
nsagao pera a cmara municipal da eldade da
Victoria pagar-lbe a importancia das castas dos
processos decahidos. A' eommlssio de orga-
ment municipal.
Oatro da commissao de ordenados, qne conclue
por um projeeto augmentando o ordenado do bar-
beiro da casa de detengao.A imprimir. ,
Oatro da mesma commissao, que conclue por ra
projeeto augmentando o ordenado do bedel do
Gymnasio.A Imprimir.
Oatro da mesma commissao, concloiodo por uro
projeeto augmentando o ordenado do fiel do the-
soureiro da thesouraria provlociei. A Imprimir,
Outro da mesma commissao, Indeferindo a De-
licie de Jos Faustino Marineo Falcao.
Foram apoiados e mandados imprimir os segra-
les projectos assignados pelos Srs. Ayres Gama,
Corris de Mello e Correia da Silva, creando o la-
gar de contador e destribuidor dos feiiea da fazen-
da e assgnado pelos Srs. Paes de Andrade e
Mareaban, mandando arreeadar pelas col lee tonas
o strtwWro do giao.
O Sr. faenes Machado talla pela ordem e conclue
apresentantando um reqaerimeoto, pedlndo infor-
msedes sobre um soldado do corno i* polica qae
delxoa de seguir para o sal E* enprmdo o re-
queflownlo.
ORDEM DO DA
Entra em disenssao o parecer adiado da eom-
mlssio de orderjdot sobre a pretengao da profes-
Pende da diciso do corpo legislativo provincial,
de nma petlgio de concesso de privilegio para cons-
traegio de urna ponte sobre o Capibaribe, ligando
a ponte de (jeboa a Torre. .
Esta comrauoicaco por mel de ponie- urna ne-
eessidade palpitante para o ultimo povoado, que
sendo ora dos melhores arrabaldes desta cidade por
suas condigdes de salubridade, e petas proporgdes
C41AR1 MUNICIPAL DO RECIFE.
SESSO EXTRAORDINARIA EM 28 DE FEVE-
REIRO DE 1866.
Presidencia do Sr. Pereira Sanees.
Presentes os Srs. Aquino Fonceca, Gustavo do
Reg, Santos, Costa Montero, Silva do Brasil, Pin-
to, Dr. Villas Boas e Dr. Seve, abre-se a sessao, e
lida e appprovada a acta da antecedente.
L-se o seguinte
EXPEDIENTE.
Ura offlcio do Exm. presidente da provincia de
22 do correte, communicando a cmara em res-
posta ao seu offlcio de 14 do mesmo, sob n. 12, que
naquella dala expedita as oecessarias ordens ao
capitao commandante da companhia pro vis ira de
polica para mandar por diariamente um cabo e
tres soldados a dlsposigo do subdelegado da fre-
guezia de S. Jos, afim de estar elle habilitado para
de vlr a ser em pouco um povoado Importante, tem : sa,lsfaier as requIsigSes do agente da mesma cama-
aJbma *i I*a n\a>J> ^ i. P ___ -i__. ra ntli fnrorr nonocixiriio <\' Arnnnnn Aa chic fsr.
todava at hoje ncado estacionario pela circuras-
tancia dessa falla, qne Ibe extende a loogitude.
Mas logo que cesse este motivo, cessar tambera
esse lorpor; a edificagao tomar entao impulso, e
com isto vira a ampliacao das rendas pnblcas.
Mas despezas da ponte nio entrando os cofres
pblicos, e da saa existencia devendo resaltar as
vantagens publica e particular, qae aponamos r-
pidamente, de crer qne seja concedido o privi-
legio requerido, Unto mais qnanto delle nio pro-
veen detrimento algom, e sica beneficio na abrevia-
gao do eamiabo, arada que por isto se tenba em
compeosagao de pagar um pedagio estabelecldo ; o
qae hoje mais oa meos faz-se atravessando o rio
em canoa.
Amanhaa abre-se o nosso tbealro, comegan-
do no correte anno os trabalbos scenicos da em-
esa Coimera, que effeeuvamente nio omlitio es-
s, nem mesmo sacrificios para baver orna
ohia dramtica, cojo pessoal correspondesse
expectativa publica.
Alm disto, o repertorio das pecas qne deve le-
var scena, pelo nome dos autores, qnande nao
fosse conheoido o raereclmento Iliterario dolas, ga-
rante qoe teremos bellos seres no Santa Isabel,
convidando assim a coocorreneia; e diste ji nma
prova o Solar de Moni'argel, com qne amaania es-
tra a empresa.
A 7 do crrante, foi encontrado da lat. 10*
25 e loog. 35 18" o patacho portagaez Espera
P. qoe ttete proeedentt da
Lpeel.
Baha para Llver-
A agenda da companbia pernambucana ex-
pedio ordem para tafea tennepetudes gratuita-
mente nos respectivee veneres qnaesnaor objectos,
que do pqrtqs rjjs suas escalas se djasttqeixi 9 a
ra, qae forem necessarias a' execucao de suas or
dens. Inteirada.
Oatro do jaiz municipal da segunda vara, Dr.
Francisco de Araojo Barros, communicando ter
deixado no dia 22 do correle o exercicio de sea
cargo, afim de ir tomar assento na cmara tempo-
raria.Inteirada.
Oatro do solicitador, remetiendo a conla das
despezas feitas com as cansas mnnlcipaes do 1 de
setembro do anno passado at 31 de Janeiro do
correte, e exislindo apenas um saldo de 150 rs. a
favor da cmara, pede a quantia de 50f para as
que tem de fazer.Mandou-se ordem ao procura-
dor para entregar a quantia pedida, e que a conta
fosse remetiida a eommlssio de polica.
Outro do engnheiro cordeador, informando o
requerimento no qnal Theodoro Beozene dos San-
tos, pede para que lhe teja permittido continuar as
obras qne comegara na travessa do Pocinbo, na
parte que faz frente para a ra da Palma; diz que
nada ha qoe oppor s pretengao do peticionario.
Concedeu-se.
Oatro do mesmo, informando o requerimento no
qual Francisco Jos Rodrigues, rendeiro da casa
n. 3 na ra da Sania Crui, freguezia da Boa-Vista,
pede pera que.ibe seja permittido fazer no quintal
da mesma casa nm pequeo foroo para cozobar
pi e bolacha ; diz qae nada ha na planta da cida-
de qne a opponha a coestrnecio intentada, visto
qoe a casa qne alti tem de ser cortada para dar
mais larga sabida a roa da Alegra a de n. 1, e
nio a de n. 3, de qae trata o peticionario, se po
rm ha on nio alguma postura qae so opponha a
construeeio de tees obras dentro da cidade, melnor
podera' Informar o respectivo fiscal. Pomo ea
dlecussie, mandoa-se remetter ao fiscal pan tai
formar.
Ootro do mesmo, diteqdo qqe sgd>lhe apresen
Exposigao dss productos agrcolas, ioduslriacs e de
obras d'artes de Pernimluco.
A commissao directora da exposigao resolver
era sessBj de 4 do correte mez, qoe por meio de
repelidos annuncios se publicasse o seguinte :
I." Que segundo as ordens do governo imperial
se deve abrir a exposigao desta provincia no dia
1." de ralbo prximo :
2.* Que a recepgao dos productos destinados
exposigao pnneipiar no da l. de jnnbo ;
3." Que a demora que houver na remessa dos
productos ser nociva a' sna mais conveniente col-
locagao, conforme a respectiva importancia;
4.a Que vlndo todos atropeladamente as ves-
peras do dia da abertura da exposigao, nem se
pode calcular o espago que elles requeren) e se
dever apromptar, nem fazer sobresahir os pro-
ducios, espagando-os, e collocando-os conveniente-
mente.
5." Qae ao agente designado pelo commissario
classificador, o Sr. Dr. Gervasio Rodrigues Cam-
pello, se devero entregar os productos no palacio
do governo do referido da 1.a de janho em dian-
te, e desde as 9 horas da manbia at as 3 oa
tarde;
6.a Qae a lodos os expositores se passar recibo
de seos productos, declarando, conforme elles de-
terminaren!, se o destino do objecto exposto dei-
xado ao arbitrio da commissao, se deve segoirpara
a exposigao da corte, oa ser restituido ao expositor,
logo depois da exposigao ;
7." Que podendo ter succedido que nio tenham
c negad o a sea destino alga mas das circulares e
iostrucgSes por ella dirigidas a todos os cidadaos
que julgou poderem contribuir para a exposigao,
Ihes roga que presciodindo de convites especiaes,
contrlbnam para esta festaindustrial; em cojo bom
ou rao exilo vio de algam modo os bros da pro-
vincia.
Sala das sessoes da commissao directora da ex-
posigao em Pernamboco, 5 de abril de 1866.
M. Buarque de Monedo,
Secretario.
__________________ I IBIISBi
PubKcacfles a pedido
40 FULIGO.
Attencao!
Constando-me que me genro o Sr. Joaquim El-
vira Alves da Silva tem maliciosa e calculadamen-
te espalnado, nio s por entre pessoas particula-
res, ma tembem peraote os jaizes de prmeira e
seguoda instancia do fdro commercial deste cidade,
qoe tem sido victima da minha mi vontade e qae
nio qaero pagar o que lhe devo, etc., etc. E po-
dendo ser elle acreditado, attenta a minee condl-
go de devedor, e dahi resoltar-me prejnixos e
mesmo dotar a minha repoueao, i do meo rigoro-
so dever, reslabelecer a verdade dos facios, fazen-
do sentir a todos, no anime de quea, pode porveo-
lura semeiaante alicantina ter sallado, qne nio
exacto o qne a respetto lea dito o memo meoan>
ro : pois que s delle tea dependido o ser pago ;
eeffioqoeseo nio esta'a si e a sea pberronfsao
deve imputar esta falte, viste quatro vezes tem re-
w propostas de pagite **
, em todas as quaes nada perdeodO elle cena-
ba 1 ganbar,




J~

i
- i

i
wjNP11 >' '*aae6r -
enea
^^a_-_r_H




?

ftlarl*

"-* r-



rx
HjHHj
------- -
- -,;. Hk
Tert* Ir4ra t* de
=Sz=
aprecie..* queu^attw contrr-ts-quae^ -o xarope tnico re-
ra.l.a !?!i fr8 fctt; W'I(**C*^;** % hespanhes de
Mas para que o publico, meluor-
veatio de dizer, devo expor era iouca
3ue (omigo e u diio meu genro se lein passado,
iocerovuto ao debito,-que oom elle comrahl.
Tie ecntas cora o Sr. Joaguim JElyra e do que,
Ihe fiquei Revendo acc'eitei letras com os joros ca-
pilaiisados, as quaes sendo reformadas subiram ao
computo j 10:918*000.
Por tactivos que nao vrra appello referir, pro-
moveu-ae o sr. Elvira judicialmente a cobranca
desia qi.antia, e debalde tenho, como ja' dlsse,
per quatio vezes temado orna* accommodacio ra-
soavel e vanlajosa para amina ; porquauto da pri-
meira ve.!, logo nc principia ca qoesto propuz re
ceber ella os dloheiros depositados (producto de
asqueares que remeta! para meu correspondente, alporcas 00 escrophulas
e qoe por o Sr. Elvira"foratn arrestados e arrema
lados) que com
I
xo menstrual da* malherts, wem, ou di-' New-York
minuicao da massa do saagoe e sua consis-
teocia alterada, dores de estomago, debi- .carga far.nba de tr,go
dade do* orgSos digestivos, fastio, floxos y^g, tikidot n
mucosos, flores brancas, chtoroM, molestias PeMbyba-EniouauoverhHi
do sexo femenino, caxaclerisada por lan- ^gjl *^ M *
guor geral, acclorisaco paluda da cor oa B
esverdinhada, empobrecitnento do sangue,
eufartes-ehronicos das visceras abdominaes,
escorbutos, opla-
lo, parra a primeira dste juizo fallarem aos
'anu libello, em que Ibes quer pe-
16 sitio tlil particular as salinas, no
logar dednninado Carreira dos Mazombos,
303 toneladas, capitio G. HTTMflefS^q^Vfai do qual sitio se acham de posse os suppli-
Rio de Janeiro24 da, pataclii < porto gn as &at-
rtt, de 278 toneladas, arpillo
Aluieida, equipagem 10, carga W8ft quiaMM
e
Jolio, cargM^ad.
a Pblpps "Brothers
dina, capi-
eapfto Joio
tl TAIS
seisctotos mil ris que em si |a
linbajotlavara p..r tres cornos, com mais tres >n-
lo ai vl-u (alfas 6:000|) e o resto do debito em
pgamenos de tres cortos annoaes, com a garanta
do Sr Manoel Alves Ferreira I pois nao ihe con-
velo.
Depoi: pnvozlhe ao escriptorio do Sr. Dr. Fon-
seca em presenta do Sr. J^So da Cunha Waoder-
ley recelier o Sr. men genro os dinheiros deposita-
dos que com os seiscenlos mil ris que em si de-
viam eolio montara seis contos de ris, com mals
dois cornos a vista, (alus 8:000$) e o resto dividi-
do em pigamentes de dois contos annuaes com a
mesma (aramia. Tambera nao quiz I
Terceira vez propuzlhe o raesmo que da segun-
da, accroscentando a inderouisaco das costas e
despezas (eius por ell#, sement com o abale des
joros, e designando elle mesmo os prasos das le-
tras. Ainda nao Ihe conveio.
Kina'.-'iente-agora nos das vindo do seu eoge-
Dbo Sebir do Cavalcaoti o meu genro Jos Fran-
cisco Accioli Lius, e achando-rae nesta cdade pro-
pos ao Sr. Joaquira Elvtro o pagamento de todo o
seu priocipal, cusas e despezas a vista, nigindo
apenas m mea beieticio a reraissao dos juros I t
Pois bem, nao fol alteodido a despeito de todas as
diligeLd as empreadas. E entretanto este hornera
que diz, qoe eu nao Ihe qovro pagar, e lem-roe
felo toda, a sorte de persiguicoes que imagibar-se
pede I II
A visa do referido, que-nai pode ser contesta-
do, avahe a publico de que lado esta' a razao, e
c3o, pallidez, e es estragos produzidos pe-
las molestias syphiliticas: asthenia ou feita O Dr. Virgilio de osmio Goeiho, jmz mu-
de torcas; fraqueza geral: e ha hydrope
sa anazarca e ascites; tendo-se o cuidado
de observar nestas doas ultimas molestias
principalmente, e em todas s potras, qoe
um dos effeitos salutares de* te xaropo te-
ro-ventre corrente, e as urinas
cadas.
ATTENCO.
nicipal supplente da segunda vara envex-
ercicio nesta cidade do Recife de ar-
nambuco, etc.
Faco saber aos que a presente carta de
editos virem, em como a junta administra-
desembara- tiva da Santa Casa de Misericordia do Reci-
fe, me fez a peticSo do theor seguinte:
O modo de usar-se e regular-se vai des- Dia a junta administrativa da Santa Caa
cripto no letreiro pregado no frasco. de Misericordia do Recife, que quer fazer
Vende-se nicamente na botica da ra citar aos herdeiros de Miguel Ferreira de
Direita n. 88 de < Mello, para a primeira deste juizo fallarem
Jos da Rocha Paranhos. termos de um libello em que- lhes quer
pedir o sitio n. 15 particular, sito no lugar
i denominado Salinas, do qual se acba de pos-
j se em virtude do aforamento feito a aquello
Xarope alchoolico de veame, preparado' fallecido, visto terem cabido em commisso,
pelo pbarmaceutieo Jos da Rocha Paranhos,! como melhormente expressar em seo li-
estahelecido com botica na ra Direita n. .bello pena de revelia, fleando logo citados
88 em Pernambuco. Para ^^os os termos da causa at final exe-
Este xarope incontestavelmente superior' cuc3o. E porque a supplicante ignore qoaes
a todos os xaropes deparativos, de coja sejam os herdeiros do mesmo fallecido, por
composico o seu maior eleaento asalsai3so requer a V. S. se digne de mandar
parrilha, pois que se tem conhecido ser o passar carta de editos com o praso de; PO
veame mais enrgico para a prompta curadias para seren citados os sopplicados por
c^hec"ase"eu7olsque apT^OaTsr. iviro e dasmoleslias, coja base [essencial depende todo o conteudo oesta: Perera e Souza
bem assim se elle ramha victima ou eu sou a fa purificaco do sangue; assim pois se proc. civ. nota 203: portanto pede ao il-
dene. ..Mao! tem verificado per muitas pessoas qoe se.lustrissimo Sr. Dr. juiz municipal da se-
aSftSCSEfiirtfUfu! achavam desenfadas, as SS4#*f^^flj SEt
rio a, hoje restabelecidas com o referido xarope. Gemo pro jurador Jos Theodoro Gomes.
FrmccoSantiago Ramos. alchoolico de veame; entretanto qoe al-1Coja peticao sendo-me apresentad,nel-
Reetf.e de abril de 1866. gUnS) lm0 asa0 ,j0 xarope de Curinier,' la dei o meu despacho do theor seguinte:
i de Larrey, de salsa parrilha, de saponaria, i Distribuida, como regoer. Recife de
Aviso de 38 de seiembro de 1865.-Segnnda oleo defigado debacalho, e outros agentes fevereirode 1866V. Coelho. ^
seccao.Ministerio dos negocios da justi^a.Rio esta ordemnada conseguiram. E' elle "de Em virtode do dito meu despacho ro a
de Janeiro, ** de seiembro de 1865.-uim. *> Exm. ,acj gest30 agradavel ao paladar e ao ol- accio distribuida ao escriv2o Cunha, e es-
^ToS^v^*7ffSK IE Phato >gunsKmedicosdes,a cidade e <>. {^a5!^^hrJS SifiJS
so*re a dnvida suscitada ewre o juz dos orphaos de Maceio o teem recommendado para a cu-, tneor sao citados os herdeiros de Miguel
do terao de Loosa-Alegre eo juiz de direito da radas Ferreira de MeHo para fallarem aos termos
comarca da'iaguary peto faeto- de ter aqueiie irapjgens tmna escrophulas, i de um libello civil, que Thes vai propor a
!^^^%Z^ TornoV ulceras, escorroto junta ad^trativa daSanta Casa de Mise-
coosaiicr do* negocios da jostca, visto o parecer Cancros, sarna degenerada, fluxo alvo. ricorara. do Recife, em que mes pede a en-
da secciio de josiia d conseibo de estado, de 18 Todas estas,affecc5es provmde urna cao- trega do sitio n. 15 no lugar das Salinas,
docdm-ntemez, hoave per bem decjdir: sa interna; nSo ha pois raz5o algoma em, visto terem cahido em c mmisso como ludo
kcmS de crr que ellas se podem curar cos remedies' declara a petico aqui transcripta,
1.a Que a disposico -do art. 15 1
Drocesso criminalautorisando os
paz-para sem dependencia de despachopassar externos. Tambem se prescreve o xarope que no praso de 60 das, contados da data
ceidlo do que oaocofliiver wgredo, em tanto alchoolico de veame para o tratamento das do presente comparecam em juizo por si
qoe sejam vtrbo ad verbum conforme a dootnna afleccges d0 svstema nervoso e fibroso, taes ou por seu procurador a allegarem seu di-
do avien de i de seterabro de 1833, urna provlden- "7" J roiin o hwfin cAh nona Ae rovolia mn a
cia genrica commnm a justica criminal, e a insti- como: reito e juslica, sb pena de revena, para 9
$a civil e appiicave por consequenaa*a todos os Gotta, rheumatismo, paralysta, que mand:> a todas as pessoas prente*,
juizos, tanto mais porque tan disposigao se fonda Dores, impotencia, esterilidade, amigos, e conhecidos dos ditos .herdeiros
no principio da pubiicidade, que o elemento Mara9n0) hypocondria, emmagrecimento. de Miguel Ferreira de Mello lhes facam avi-; marcj de 4866. Eu Guilb.er.me Augusto de
i 0 xarope alchoolico de veame sobre se de que pela presente-*o citados para o Athayde, escrivo osobsorevi.
tudo, da maior utilidade para curar radi- quecima tica dito.
clmente, e em
cados por--titulo de aforamento feito aquella
fallecido, visto terem os suppHeados cahido
em comnaisso, como melhormente se expres-
sara em seo libello, pena de revelia ; futen-
do logo citados para todos os termos da cau-
sa at final execugo.
E porque a supplicante ignora quaes se-
jam os bJWeiros, por isso reqoer a V.S.
se digne mandar passar carta de edital com
opcazo deSOdias, para serem citados os
sopplicados por todo o conteudo nesta. Pe-
reira e Souza, Proc. civ. n. 203 r portanto
pede ao Illm. Sr. Dr. juiz municipal da se-
gunda vara assim Ihe defira. Espera receber
merc. Como procurador, Jos Theodoro
Gomes.
E eesta petizo que me foi apresentada
dei o despacho do theor seguinte: Dis-
tribuidas como requer. Recife, 28 de feve-.
reirode1866.Coelho.
E sendo feita a distribuicSo ao escriv3o
d'este juizo Guilherme Augusto de Alhayde,
este em observancia a este meu despacho,
fez passar o presente, pelo qual e seu theor,
chamo, sito e hei por sitados aos menciona-
dos herdeiros do fallecido Manoel Pinto,
para que dentro do prazo de 60 das compa-
recam ante este juizo, por si ou por seus
procuradores, allegando e provando o que
for a bem de seus direitos e justica, sb pe-
na de se proceder soas revelias.
Portanto toda e quahiuer pessoa, prente,
amigo ou conhecidos dos referidos herdei-
ros, po ler-lhes-hao fazer sciente de todo o
expendido. E para que chegue ao conheci
ment de todos mande i fazer o presente que
ser affixade nos lugares do costume, e pu-
blicados pela imprensa.
Dado e pastado nesta cidade do Recife de
Pernambuco, aos 3 demarco de 1866.
Eu Guilherme Augusto de Athayde, escri-
vo o subscrevi. Virgilio de Gosmo Coe-
Iho.
N. 60.Rs. idOrs.pagou 400 rs. Reci-
fe 3 de marco de 1866.;Chaves.Sena.
Vai pagar 250 rs. de direitos de chancel-
lara. Recife era supra.Oesciivao, Athay-
de.N. 1221. Pagon 2B0 rs. de direitos
de ebaneelbrria. 'Hedf'3''deiirarco de 1866.
Chaves.Limeeiro.
Trausitou pela chancellara. Recife, 3 de
marco de 1866.O escrivo, Francisco .dos
Reis Nunes Campello Jnior.
, liancado a B*. 400 do competente livio
n. 13. (recife 3 de marco de 1866.Cam-
pello Jnior. Firmino Antonio de Souza,
presidente. Estavam .rs armas imperiaes.
E nada mais se contioha em dito edital
aqui copiado do, proprio original.
Dado e passado nesta cidade, aos 5 de
1:0670000
181*000
186,1000
M95000
135*000
1533000
169*000
156*000
204*000
156*090
198*000'
168*000
essfBclal de toda a organisaco jodiciaria nos
paizes livres;
S. Qe pela mesma raiao os jolzes de direrto
nao d*iendrm dos joites monicipaes para olrterem
certifls do* >clos respectivos; sendo qoe outro
sim como autorldade competente paraproeessar, e
ponr os erim.es de responsalldade nao devem ser
embarazados por qualquer modo nos meios iodes-
pensavels nara ezercer essa jurisdio.
D'a* Barde a V. ExcJos Tnomaz Nabaco
de Araoje.Sr. presidente da provincia de Minas
Geraes.
pouco tempo o rheuma-
tismo.
Adverte-se que o verdadeiro xarope s se
vende ne6ta cidade na botica cima indica-
da, do abaixo assignado; e em outra qual
E para que chegue
todos mandei passar
publicado e aflixado
costume.
Dada e passada com
ao conhecimento de
o presente que ser
no lutfir publico do
o prazo de 60 dias
quer parte qoe se"tem annunciado n5oe da'nesta cidade do Recife, aos 3 de marco de
mesma composic5o, e nem o abaixo assigna- 1866. Eu Pedro Tertuliano da Cunha, es-
Ministerio dos negoiios da justica.Rio de Ja!
neiro em 22 de Janeiro de 1866.Illm. e Exm
Sr.Sua mageslade c Imperador, a quera foi pre-
sente o offlelo de V. Exc. av10 do corrente raer,
sob n. 6, papis que o acompanharo : ha por bem
approvar a deciso dada por V. Exc. a consulta do
juia de direito da comarca do Pombal, declarando-
!he, que; alm das costas, coja cobranja aotori-
sada pelos artigos 9i, 95, 96 e 97 do regularaento
de 26 de abril do anoo passado, nada mais podem
haver os offlelaes do registro geral das hypothecas,
visto entrar em do vida o referido Juizo, se o offldal
do registro daquella cmara, tirina direito raza da
escriptoraco feita os cadernas, que devem ser
inutilizado?.
Deos-noarde a V. ExcJos Thomaz Nabnco
de AraojnSr. presidente da provincia de Minas-
Gerae*.
Diario Oficial de 4 de fevereiro n. 26 do cor-
rente aono.
doseresponsabilisa.
Jos da Rocha Paranhos.
COWMERCIO
criv5o o escrevi. Virgilio de Gusmo Coe-
lho.
Vai pagar a quantia de 250 rs. de direi-
tos de Chancellara n. 1224. 250 rs. PagQUAHO logar denominado Sali*?, do qaa
ncellariar-Chaves "
250 rs. de direito* de ch
Limoeiro.
Vai pagar o sello deste edital, que im-
porta em a quantia de 400 rs O escrivio
Cunha.
Estava o sello n. 55400 rs. Recife 3 de
marco de 1866.Chaves Sena.
Estava o sinete das armas imperiaes do
NOVO BailCO de r emambllCO. tribunal da relaco. Firmino Antonio de
O novo banco paga o 16 dividendo nc Sou,za- presidente.
Transitou pela chancellara. Recife, 6 de
Xoto banco de Pernam-
bueo.
O Novo Banco descoma letras a 12 por cento
ao auno, toma dinheiro a praso fixo ou em conta
corrente pelo premio e condicoes qoe se conven
clonar, e saca sobre a praca da Babia
O Dr. Virgilio de Gusmo Coelho, juiz municipal
supliente em exercicio da sefnda -vara desta
cidade do Recife de Pernambuco e sen termo,
por soa magestade imperial e constitucional o
Sr. D. Pedro II, a qoem Detts guarde etc.
Face saber pelo presente que a junta administra-
tiva da Santa Casa de Misericordia do Recife, por
seu procurador me enderecen a peticao da theor
seguinte-:
Diz a junta administrativa da Santa Casa de Mi-
sericordia do Recife, que quer fazer citar aos her-
deiros de Miguel Ferreira de Mello, para a primei-
ra deste juizo fallarem aos termos de um libello
em que lhes quer pedir o sitio de n. 18 particular,
" se acham de
Estabelecimeolt* de carulade.
' Roa N. 1 particular e Hk&Mtto, sobra-
do-de 1 andar.......679*000
Roa do Qoetmado.
N. 2 idem e 15 dem, sobrado de 3
adares. 1:605*00
Ra Direita-.
N. 3 dem e 8 idem, sobrado de 2
aedares..........
Roa 4o Padre Florlano.
N. 5 idem e 49 Man, cata terrea. .
. N. 6 idem e 47 idem. casa terrea. .
N. 8 idem e 43 idem, casa terrea. .
Ra do Facnodes.
N. 11 idem e 32 idem, casa terrea .
Travessa de S. Jos.
N. 13 idem e 11 dem, casa terrea.
N. 14 Idem e S idem, casa terrea. .
N. 15 idem e 7 idem, casa terrea .
Ra dos Pescadores.
N. 16 idem e 11 idem, casa terrea .
Roa das Calcadas.
N. 18 Idem e 32 idem, casa terrea.
N. 19 Idem e 3i idem, casa terrea.
N. 20 idem e 36 idem, casa terrea.
N. 21 idem e 38 idem, casa terrea.
Ra das Cinco Pontas.
N. 23 dem e 90 Idem, casa terrea.
N. 25 idem e 110 dem, casa terrea.
Una da Virarlo.
N. 26 idem e 7 idem, casa terrea. .
N. 27 idem e 19 Idem, casa terrea.
Rna de Santa Tbereza.
N. 31 idem e 7 idem, casa terrea. .
.Y 32 idem e 5 dem, casa terrea. .
Roa larga do Rosario.
N. 33 idem 24 Idem, sobrado de 3
andares.........1:288*000
N. 34 idem e 26 idem, primeiro an-
dar........... 332*000
dem dem segando e terceiro anda-
dares..........603&00O
Ideo idem leja.......642*000
Roa do Cabug.
N. 34 idem e 1 A idem, loja. .
dem idem e IB Idem, loja. .
dem idem e 1 C idem, loja. .
dem Idem e 1D idem, loja. .
N. 41 idem e 3 idem, sobrado de 3
andares..........1:602*000
Roa Nova.
N. 42 idem e 27 idem, casa terrea. 566*000
N. 44 idem e 55 idem, sobrado de 1
andar...........666*000
X. 4' idem e 57 idem, sobrado de 1
andar...........1:053*000
N. 46 idem e 48 idem, sobrado de 1
andar..........1:000*000
Roa do Calabonce.
N. 40 dem e 18 idem, casa terrea.
Be:co do Quiabo.
N. 49 idem e 8 idem, casa tenea. .
Roa da Gloria.
N. 51 idem e 55 idem, casa terrea.
.ROAdo Encantamento.
N. 52 idem e 3 latan, sobrado.
Roa da Moeda.
N. 55 Idem e 41 idenJ, sobrado de 1
andar..........128*000
Roa da Cadeia do Recife.
N. 63 idem 23 idem, sobrado de 1
andar...... ... 681*000
Roa da Moeda.
N. 64 idem e 37 idem, sobrado de 2
andares..........276*000
Ra do Padre Floriano.
N. 67 idem e 65 idem, casa terrea. 50*000
Roa do Apollo.
N. 91 idem e 24 idem, sobrado de 2
andares..........1:400*000
Ra de S. Bom Jess das Crioulas.
N. 61 idem e 8 idem, casa terrea. 131*000
Patrimonio de
'MMi^tteadewaMkder.nwa ce tnuua 4o norte
! at'Qraflja. ________
IriMial do commercio
Pela secretaria do tribunal do commercio da
Pernambuco se faajiublico que em sesso do mes-
mo tribunal de itm corrate fol considerado va-
go o offleto de corraler desta praca, que exercia
Fredenco Lopes Gataarlas, o qaal. o abandoDou,
e quo a naaca prestada aa\ favor 4o mesmo cor-
retor peista por safe matas, cootados desta data ;
e qae flea marcado o pratoJe 60 atas, para dentro
dalles se oabilitarem os correales ao referio
offlelo.
Secretaria do tribunal do aagoereio de Per-
nambuco 13 de nwrfo de 1906.
O iifnV?il-T'ai"*'
Jalio Gotmares.
COMPANHIA PERNAMBDCANA
Tendo os legtimos propietarios das accoes deg-
216*000 la comPaDnia abaixo mencionados, declarado qae
; haviara se desencamlnbado de sea poder as de ns.
1281000 i 886 a 895 e 2786 a 27y0, pela gerencia da Cotnpa-
149A00(i' Dn'a PerDambucaDa e por ordem da directora se
176*000 declara 1ue da data deste a 30 dias> a vj5U da
i i7000 '" reHu''?a0 dos raesmos lhes vo ser entregues do-
*^ vas acedes de igual nnmeracao em sabstitoi^ao
atncnnn aquellas que licam assim sem valor algum,
Inixfan Pernambuco 14 de marco de 1866.
201* UW 0 eereBle-F. p. Bo^eg.
417*000
810*000
408*010
478*000
Inspecco do arsenal de marioha
Faz-se publico qae a commisso de peritos,
examinando, na forma determinada neregulamen-
to annexq ao decreto a. 1,324 de 5 de fevereiro de
1854, o casco, machina, ealdeira, apparelo, mas-
treaco, vtame, amarras e ancoras do vapor Per-
smunga da compaihia Pernamboeana de navega-
gao costeira, achou todos esses objectos era estado
de poder o vapor navegar.
Inspecco do arsenal de marintia de Pernambuco
7 de aoril de 1866.
O inspector,
_______________//. A. Barbota di Alnuidm.
Kecolhimento tic Vossa Weaho-
ra da CoacelcSo de Olio da.
Neste recclhiment foi ltimamente creada por
ordem de S. Exc. Rvma. o Sr. bispo diocesano
orna escola publica para meninas, regida por mes-
tras habilitadas era diversas prendas necessanas
ao sexo, com o fim priocipal de auxiliar a ib sime-
cao gratuita s filhas dos habitantes d'aqaella ci-
dade e de seus arrabaldes.
A matricula esta aberta al o flm do corrate
me i, poden do os pas de familia entenderse com
a madre regente, para demlsso de suas fiilias.
185*000
141*000
144*000
400*000
or
paga
razao de 6150 por accao.
ALFANDEGA.
Kendimeoto do dia 1 a 7...... 245,197*848
Idem do du9............... 39:756*632

284:954*480
MOVIME.MO DA ALFANDEGA
Volumes entrados com fazendas.
- com generes..
1,
137
413
125
Volumes sabidos cera fazendas...
i < eom gneros
------2,013
Desearreeam boje 10 de abril.
Barca francezaGuillaume Tell-mercadorias.
Xarope tnico refrigerante de veame e de
ferro preparado pelo pbarmaceutieo Jos
da Rocha Paranhos, estabelecido na cidade
do Recife provincia de Pernamboco, ra
Direita n. 88.
Este xarope, que d tom ao movimento
muscular por sua qualidade frrea, ao
mesmo lempo purgativo pela parte do ve-
lame que enoerra, e refrigerante *^^5B3EE5E
te acida, alem da precisa para perfeita so-, patache sueco JAor-farinha de trigo.
lucao e combinado do ferro; este atacado'Lagar ingiezBodo/namercadorias.
pelo acido ffea era extrema divisao, e as- j Br/ue ingiez- u/waiw-mercadorias.
sinvn mais nlnvpl nnp p nnssipl Ip snrV Polaca hespanbolaAnlomert-vinhos.
Sim 0 maisSOUJVe quee possive, ue SOrie,Barca ,ng|eza-ffida^o-ferro e pedras.
queja n3o tao dependente de ser digerido Barca ingieza-Orwn-idem.
pelos cidos fracos, que se acham no sueco: Barca iogleza Gueen-laeta.
gstrico durante a digeslo. Os expositores. Patacho bamourguezMarta Luiaadiversos ge-
de medicina So deopin50 qe 0 ferro e | Bar^iigleaa-^xandre-carvao.
todas as suas preparacoes gozam das virtu-1 narCa ingieza-MaronAo-idem.
des eminentemente tnicas, que aproveita Brigue ingiezcantosdem,
em todas as molestias que s3o caracterisa-g"*06.'^'61-^* Bellidetn.
Barca ragleza-UdiA Marindem.
marco de 1866.O escrivao, Francisco dos
Reis Nunes Campello Jnior.
Lancada a fl. 100 do livro competente n.
13. Recife 6 de marco de 1866.Campello
Jnior.
E nada mais se continha era dita carta de
editos aqui copiada, qoe eu escrivao bem e
; fielmente copiei do proprio original, a que
550 me reporto; e esta fica na ver dade sem cou-
sa que duvida faca, conferida e consertada
oa forma do estylo. Cidade do Recife, 6 de
margo de 1866. Escrevi e assigno em f
de verdade.O escrivao, Pedro Tertuliano
da Cunba.
O Dr. Tristo de Menear Araride official
da imperial ordem da Rosa, juiz de di-
reito, especial do commercio desta cida-
de do Recife de Pernambuco, e .eu ter-
mo, por Sua Magestade Imperial e Cons-
titucional o Sr. D. Pedro II, quem
Deus guarde etc.
Faco saber pelo presente, que no dia 30
posee por Ututo de afo*meDlo feito ao dito Miguel
Ferreira do Mello, visto terem os sopplicados ca-
bido em comrais.so como melhormente se expres-
sar* em seu libello, pena de. revelia, Orando logo
citados para todos os termos aa causa at final exe-
cucao.
E porque a sopplicante ignore quaes sejam es-
ses herdeiros, por isso requer a V. S. se digne
mandar passar cartas de editos, com o prazo de 60
dias para serem os sopplicados citados por todo o
conteudo nesta.Pereira e Souza.Proc. eiv. n.
203.
Portanto pede ao Illm. Sr. Dr. juiz municipal da
segunda vara assim Ihe defita.E. R. M. M.Co-
molprocurador Jos Theodoro Gomes.
E nesta peticao qae me fot apresentada dei o
despacho do theor seguinte:
Destrbaida como requer. Recife, 28 da feve-
reiro de 1866.Coelho.
E sendo feita a distribuido ao escrivao deste
juizo Guilherme Auguro de Athayde, este em obser-
vancia a este meo despacho, fez passar o reseme
edital pelo qual e seu theor, chamo, cito e bei por
citados a todos os herdeiros do mencionado soppli-
cado Miguel Ferreira de MeHo, para que dentro do
prazo de 60 dias comparecam por st ou por sens
procaradores ante este juizo, allegando e provando
o que fdr a bem de seu direito e jostra, sob pena
de se proceder as suas revelias.
Portanto toda e qualquer pessoa, prente, amigo
ou conhecidos dos referidos herdeiros, poder-lhes-
bo fazer sciente do todo o expendido.
E para que chegue ao conhecimeeo de todos,
mandei fazer o prseme que sera* afflxado nos lu-
gares do costme e publicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 3 de marco de 1866.
Eu Guilherme Augusto de Athayde, escrivao o
subscrevi.Virgilio de Gusrao Coelho.
N. 59 rs. 400. Pagou 400 rs. Reeife, 3 de man;o
de 1866.- Chaves. -Sena.
arrematar por venda quem mais dr em.
das por fraqueza ;_e com effeito acho exac- Gaera" Mci7nai-mdeHo-ide. ca respectiva, os bens segrales:
ta essia opraiao; nao mas e dado o ferro em Brigue nacionalf7Mmtne-cbarque. uma cj^ tewa de pedra e-eal sita
substancia pelo mO resultado que tenbO Ob- Brigue nacionalMarmho J/-idem. nnvn9rgn fin Mnntp'trn am chn fnreirn
servado, (e que j fiz publicar) em certas e Brigue portuguez-s Me-idem P Hj^^JJ^ J2 T^'
rfptirminnriaJ mip ti? nnr ATPmnln anp- P^bo hespaoholAdiau-idem. wnao i janeita exportas na rrenre, 2 salas,
determinadas mole lias, por exempto. ane- sumaca hespanhoia-Guodafup<-idem. ,4 quartos, cozraha fra, quintal murado e
raa, e lebres intermitentes, termraam mu- Brigue iogiez John & fisa6rt6-earvao. i cacimba, tendo mais 3 quartos no quintal
tas vezes por anazarca, qoe e accomolaco avalid nnr i-9nnAfinn
de serosidade no tescido ceular (agua quan- n.f*> I610"1 FerreiranB^V tSESd? Uma cLa terreV de lina sita na travo.-
n pii Pntrp a nM*\ p rlpnnia acitP na hv- R, de Janeiro consignado a Baltar, & Oliveira ma- uma casa terrea de laipa, Sita na traves-
ao esta entre a pene) e oepois ascite ou ny- njfest0ll 0 seguime: ^ d0 Quiabo da mesma povoacSo do Mon-
dropiisia do ventre, qae e accumulacao de
serocidade no peritoneo.
Vai pagar 250 rs. de direitos de chancellara!
do mez de abril do corrente anno. Se ba de Recife, 3-de marco de 1866.-0 escrivao Athayde.
N. 1222. Pagou 250 rs. de direitos de craancel-
praca publica deste iuizo depois da audien- lar'a- Recife, 3 de margo de 1866.Chavas.Li-
moeiro.
E' sabido que o ferro um dos agentes cha. 23 "as barricas aaas; a ordem de
di
mais importante para que o sangue se pre- "^ DacQBal Beberibe mnio do Rl0 de Ja.
pare eaperfeicoe devidamente, e por con- neiro consignado a Antonio Luir deOUveira Aw-
seguinte o mais proprio para impedir o des- vedo & C, manifstou o seguinte:
envolvimente destas molestias; mas sendo! 55 barris de vlnbo, 100 ditos banha, 2 amarra-
pIIp m Pffir-av AirilantP nrhpnlA p vr.!d9S "'"P* de IIa> 3:706 saccas fannba de man-
ene. um emcaz exaiante, sorpente e secer-, di g diUg afl^ 20 diUg cevadft 126 roHo8
nenie, e claro que so associado como se iamo, il quartolUs e 1 barrica azeite de sebo, i
acha neste xarope, pode dar O resultado dita linta de esejever ; a ordem de diversos.
que se espera, e a experiencia me tem de-
monstrado sem risco de offender as entra-
nbas. *t
49o volumes^barricas; abatidas 468 teiro, em ch3os foreiros. com 3ianellasde
fe, 46 rolos defamo, 10 jacazes toucinbo, 1 cando f .' *
caffe
Os effeitos dos incitaatet, sao: promover
as seereces; e ahsorc5es, augmentar o ca-
lor natural, e reaower aquellas dores que
nascem da falta dos movimentos irritativos.
Os scirbentes sao tambem aquelles agentes,
os qoaes augmentan) es movimentos irrita-
tivos, que fonnam absorco, e os 9 cemen-
tes atmelles que augmentam os movimentos
irritalives que constituem as secresoes.
Asatnu, pois, v-se que sen a precisa combi-
nacao e modificacSo nao pode ser eHe appli-
cado iodistinctameote. Murtas ^ezes o pra-
tico deixa de fazer applicacSo do ferro por
canto*er suspeitar que o gado, o befe ou
puimSo, eorgSoessencial da respiraco, ou
outn entranba est offeadida; entretanto
qoe, se se tivesse applicado em terapo se
podei:ia ter evitado o desenvolvimenio da]
mola. Assim, pois, o xarope prepara-
do como fica exposto se pode osar sen ris-
co por nSo offender as entranhas. As mo-
frente, 2 salas, 3 pequinos quartos, cozinha
fra, quintal cercado e cacimba propria,
tendo mais 1 quarto no quintal, avallada em
aOrjOOO, as quaes v3o a praca por execu-
c3o de Antonio Moreira de Mendoneat con-
tra Jorge Vctor Ferreira Lopes e sua mu-
lher.
Em falta de licitantes ser arreraatacao
feita pelo preco da adjudicado com.o aba ti-
men to respectivo da *ei.
E para que chegue ao conhecimento de
todos, mandei fazer o presente edital que
Transltou pela chancellara. Recife, 3 de margo
de 1866. O eserivo Francisco dos Reis Nunes
Campello Jnior.
Laucado a Os. 100 do competente livro n. 13.
Recife, 3 de marco de 1866 Campello Jnior.
Firmino Antonio d Souza, presidente.
Estavam as armas imperiaes.
E nada mais se continha em dito edital aqui co-
piado do proprio original.
Dado e pasudo nesta cidade do Recife, aos 5 de
marco de 1866.
Ba Guilherme Augusto de Athayde, escrivao o
subscrevi.
Virgilio de Gusmo Coelho.
DECURACOES
7:317*405
Gneros Reexportados.
20 pipas, 2 meias diltas e 10 barris de 5 vicho;
a ordtm:
KECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
HendimenuTdia0! 8^^ 4:831*439'g* jaflixado nos lugares do costume,4 pu-
idem do dia 9................ 2:485|966, Wicado pela mprensa.
Dado e passado nsta cidade do Recife de
Pernamboco aos $0de marco de 1866.
En Manoel Sllvlno de Barros FaltSo, es;
crivao interino, o subscrevi.
Triso'de AUncar Araripe.
- O Dr. Virgilio de Gusmo Coelho, juiz mu-
26:270*487 oicipal supplente em exercicio da segunda
" nara deala cidade do Recife de Pernaot-
bucoeseuten, por S.Hf. I. eC. oSe-
nhor D. Pedro II, a quem Deus guarde,
etc., etc.
Faco saber pelo presante ministrativa da Santa Gasa da Misericordia
CONSULADO PROVINCIAL
Randimento do da 2 a 7....... 20:056*654
demdodia9............. 6:213*833
MOVIMENTO 00 PORTO
Navios entrados no da 9.
Habor Graee25 dias;, arca Ingleza Queen, de
mtooetadM,c(Hao Baclay^agnlnafam 13,car-
a ifiQ* barrica com bacaibao; a Saunders do Recife, por seu procurador, me indire-
Rio de Janeiro27 dias, galera ingleza Ocsan Tra- j nii irnL mmi^MtiBa A* i
xkr, Ue l,0W tonelada, capitio James M. Cal-! "*Ifl '
mu, Malparan K, em lastro; a JohnstonPa-! mrnnmm W&9mt, que quer ftzer
ter & C. J citar aos herdeiros do fallecido Manoel Pin-
da Santa Case
Exposigo dos productos a:
grieks e idustriaes da
proviaoia.
A commisso incumbida de dirigir os ne-
gocios da exposicao desta provincia, previ-
ne aos artistas que desejarem concorrer com
os seus productos a mesma exposicao, e
que nao o possam fazer por falta de recur-
sos, qoe devem dirigir-se ao secretario da
commisso para obterem os auxilios necea*
sarios acquisicSo das. materias primas des-
tinadas aos ditos productos.
Sala da commisso 15 de marco de 1666.
O secretario,
Manoel Buarque de Macedo.
m
26500O
1894000
193*000
146*000
Da ordem do Illm. Sr. engenheiro em chefe
da reparticSo das obras paMcas, se faz publico,
para conhecimento de quem -ioteressar+essa, que
a partir de segunda-feira, 16 do corrate, flear
Ioterrompido o transito de animaes, carros, mni-
bus e quaesouer outros vehculos de eondncco,
na rna da Imperatrh, entre a travesea do Ferreiro
e a ra da Aurora.
Secretarla da repartico das obras publicas, 9 de
abril de 1866.
________________Jlo Joaqoimda S. Varejao.
MKBII GERAL
Pela adrainisiragao do correio desta cidade, se
faz publico que em vlrtude da convenci postal
celebrada pelos governos brasileiro e fraucez, se-
ro expedidas malas para Europa no dia 15 do
corrente pelo vapor ingiez.
As cartas sero reccbldas at 2 horas antes da
que fr marcada para a sahida do vapor -, e os jor-
naes at 3 horas antes.
Administrado do crrelo de Pernambuco, 9 de
abril de 1866.
O administrador
Domingos dos' Passos Miranda.

Ra do Rangel.
Casa terrea n. 6 particular e 56 pu-
blico. ......
Praca da Boa-Vista.
Sobrado de 2 andares n. 7 particular
e 13 publico.........800*008
S. Goncalo.
Casa terrea n. 10 particular e 22 pa
blico. ....
dem n. 11 idem e 24 idem. .
Rosario da Boa-Vista.
dem n. 14 particular e 58 publico.
Cadeia do Reeife.
Sobrado da. 2 andares o, 17 particu-
lar e 59 publico.......1*600*000
dem n. 18 Idem e 57 idem. 9565)000
Madre de Dos.
Sobrado de 1 andar n. 22 particular
e 9 publico.........301*000
idem de 2 andares n. 24 idem e 26
idem........... 720*000
dem de I andar n. 25 idem e 24
idem..........i:001#000
Madre de Dos.
Casa terrea n. 26 particular e 20 pu-
blico..........
dem n. 28 idem e 18 idem. .
dem n. 29 idem e 16 idem.
dem n. 31 Idem e 12 idem. .
dem n. 33 idem e 8 dem. .
Becco das Boias.
Sobrado de 2 andares n. 37 particu-
lar e 14 publico....... 3611000
dem n. 39 idem e 18 idem. 501*000
Ra da Lapa.
Casa terrea n. 41 particular e 2 pu-
blico.......... 150*000
Roa da Moeda.
Casa terrea n. 46 particular e 47
publico..........302*000
dem n 47 idem e 49 idem. 202*000
Ra do Amorim.
dem n. 55 particular e 24 publico. 739000
Azeite do Pelxe.
Sobrado de 1 andar u. 62 particular
e 18 publico........1:0031000
s
IMIEATRO
DE
601*000
420*600
496*500
761*(00
301*000
Idem
503*000
pu-
97*000
83}0O0
553*000
501*000
*
n. 63 idem e 14 dem- ..
Roa da Cacimba.
Casa terrea n. 65 particular e 5
blico..........
dem n. 67 idem e 10 idem. .
Ra dos Burgos.
Casa tarrea n. 68 particular e 19
publico...........101*000
Ra do Vigario.
Sobrado d 2 andares n. 72 particu-
lar 27 pubHco (! andar). ; 180*000
dem idem (f andar). ... 0 180*000
dem idem (toja)......30OJ000
Koa do Encantamento.
Sobrado de 2 andares o. 76 particu-
lar e 11 poblico........807*000
Senzala Velha.
Sobrado de 2 andares a. 78 parlicu
lar e i36 publico.....-
dem a 79 dem e 134 idem. .
dem n. 80 idem e 132 idem. .
Casa terrea n. 81 particular e 18 pa
blico....... 193*000
Roa da Gala.
Casa terrea n. 83 parcalar e 27 ____
publico..........132*000
dem n. 04 idem e 29 idem.... 125*000
Rna da Cruz.
Sobrado de 2 andares n. 89 partieu- mn.mnnn
lar e 14 publico. *......JO *000
dem n. SO dem e 12 idem. 701*000
Roa do Pilar.
Casa terrea n. 91 particular e 105
poblico..........168*000
dem n. 92 idem e 103 idem. .. 164*000
demu. 93idem e 101 idem. 174*800
dem n.94 idem e 99 idem.
dem n. 95 idem e 89 dem,
dem n. 96 idem e 2 idem.,.
dem n. 97 idem e 110 idem
Idemn. 105 dem e 94 idem.
Sitio a 1 no Parnameirira. .
dem n. 5 no For no da Cal.
Secretaria da Santa Casa de
Recife 6 de abril de 1866.
O amanuense,
_________Francisco Gomes Castellao.
Aaaaara BMMJrisal aaeidaaa, teodoe
MI diversa
mas, cao-
ser vica a
laao
(4o auno da empreza CeimlVa.)
ESPSCTAOJW BE ABERTURA
tnarta fdra 11 de atoll de 1866*
KSTRRA DOS ARTISTAS
PA1VA E GUACA.
Primeira representado do novo drama em 5-
actos
0 SOLAR DE MONTARGIL
PERSO.NAGENS.
Fernando de Balsemao, 30 anuos. Sr. Paiva.
Roberto de Albuqaerque, major do
exercito portuguez, n'frica, 50
annos.........Sr. P. Joaqun
Cesar de Pontevel, 24 annos. Sr. Lisboa.
Carlos de Villar, ten eme de um
dos reg memos da provincia do
Alemtejo, 28 annos.....Sr. Santiago.
Adolpho Montenegro, 25 annos. Sr. Teixeita.
O commeodador Tiburcio,40 annos. Sr. Pontes.
Felippe Maldoaado, 26 aanos. Sr. Silva.
Jerooymo, 60 annos.....Sr. Pinto.
Um regedor........Sr.Santa Rosa,
Um criado........Sr. P. Jnior.
A baroneza de Mootargil, 70 annos. Sr* D. Jesuina
Angela de Pontevel, 21 anuos. Sf .Adelaide
Rosina de Albuqaerque,* 18 annos. Sr'D. Emilia P,
Josepba, 20 annos......Sr-D. Joaquina
Convidados, camponezes, diados e cabos de po-
lica.
poca actual
O 1 acto pasea-se em ama casa de campo nos
arredores de Lisboa.
Os quatro ltimos no Salar de Montargil, perto
de Saniarem.
Acancao bacbica-do Ia acto do mestre da
canto da coropanhia o Sr. Colas.
Terminara' o espectculo com excelleate come-
dia em 1 acto, ornada de canto
0
pai e o noivo.
PERSONAGENS.
Tbiago.........Sr. Graca.
Segisrauodo........ .. Sr. Paiva.
Dorotbea............Sr* D. Jesuina
Cecilia.. ....... .Sr-D.EmiliaP.
Joanna..........Sr'D. Joaquina
Os Srs. assfgnantes podem desde j mandar
bnscar os seus cartSes ao escriptorio do tbeatro.
Est em ensaios o drama em 4 actos, ornado de
canto-Vida da Bohemiae acornedla em 1 acto
Tchang-tching-bung:
ambos para a estra da actriz Clelia de Carralbo
e do actor Raymundo.
AVISOS martimos
COMPANHIA BRANILEIRA
DB
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do sol esperado
at o- dia 14 do correte o vapor
Paran, commandante o capitfio*
da fragata Santa Barbara, o qaal
depois da deraofa do cosame,
seguir para os portes do norte.
Desde Ja recebem-se pasageiros e engaja-se a
255*000 carga que o vapor poder cooduzir, a qaal devera'
230*000
79*000
. 163*000
. I74S00O
240*000
. 150*000
Misericordia do
contratar a ufaohMaio
pracas e caes, a htm assim em a
-vida a quem m imtmunnr-
aprmaur na praposta ao
dia il do crreme a* ti baa
As condicoes para o cntrate
m aa seere-
Santa Casa da Mswtardia #;a2^
Pam da saman municipal do Recife, 4 de abril
do Beeife,
A Illm.' junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia o Recife manda fosar publico que
no dia It do corrente pelas 4 oras da una aa
ala de suas sessdesJam aa Ir araca a randa das
eam abao declaradas por tempo e ni a tres
aaoai.
0 pretendentes devem comparecer acompanha-
dos de mu fiadores ou munidos de cartas destes.
de 1086.
Lata Jos Piwn Sisaba
Proptnldnn
1 jW
Pala admiaistracio do crrele desta ttflg
ser embarcada no dia de saa ehefada, eucomman-
das e dinheiro a frete at o dia da sabida as 2 ho-
ras : agencia roa da Cruz a. 1, escriptorio de An-
onlo Luiz de Oliveira Azeveao 4 C.
CnlrWBUJUSILEIRA
PAQUETES"A VAPOR.
' asenle se enras do aorta
at o Aa 17 de abril o vapor
Cvisanr n Sm, eonrmandaove A1 -
cofanao, o qaal denotada Inn
do cessnne sefotn" para os por-
os di) sul.
Recebem-e passagelros e el
o vapor poder eaodtuir
cada no dia de ana ebefna ,
nhekroa frete al odia da sabvdi as
agecia roa da Crox n. 1, escriptorio da
Lat de Oliveira Azevedo-& C.
aja-se a earga qae-

ta-se coi
se fu publico que aoje (teJIHRoras da (arde'Tasnlr raplebaO
lechar-nbie as aulas qae o vapor costeiro Nr-1 algodao.

'
f

.
-;
*.
-
i
i
.j






Ca Mptahla ta Knsat;<-rljB* Iafr
pemiles.
AlodlaUdo
correnta mez es-
pera se 4a Euro-
pa o vapor fran-
caz Navarre, o
i qual desos da
i demora do coslu-
1 me, seguir para
Bha e Rio de
Jim Ira
rara coadueCffs, fretes e passagens, trata-se na
**"'* roa do Trapiche n. 5._______
COUPANffiA PBRNMBUCANA
Ravegaco costeira por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Aracaty, Cear,
Acarac e Granja. i
O vapor PersiHHHga, comraan-
daate Ratis, segu para os refe-
ridos portos no da 10 do corren-
te as 5 horas da larde. Recebe
carga soraente at o dia 9 ; en-1
omneodas, diaheiro a (rete e passagens al as
3 horas da tarde do dia da sahida : escriptorio no
Forte do Matos d. 1.
LEliO
Das dividas da naso* fallida de Ano-
rim, Fragoto, Saltos* C la impor-
tancia de 104,690*283 rs.
Ordeiro Sioiees
por mandado do Illm. Sr. Dr. jaix de direito espe-
cial do commeroio levara' pela terceira -ve a lei-
lo os utalos de vidas da raassa fallida de Amo-
f'coAf^ Sioto8 & c-> Da importancia de....
104:090*383 rs.. servindo de base a offerta obtida
no leilao de 4 do crreme mez, isto
Quintafeira 12 do corrente
as 11 horas, no armazem a ra da Cadeia do Re-
clfe n. 29.
Preeisi-ee H* ama ana
do Carao ir.jS.
nat**|#Catil>ua i<
CRIAD.
A o pblico
do Nocoes de svslemaa
Aolooio Gomes Juuiif _
'a dividid em daas partea,; a]
mee 19 ttboas de conversao das |
cis nos valores que Ihes corresion-
dea no actual systema d pesos e medidas dofra-
medid
Preclsa-se de um moleque pan mandados, na J|'J^^"<}'-0Jpe2 svs,enu mtrico francez.ffl
Sg!
Coropanhia Peraambucaaa
DE
I%'aTega<*5o cestelra por vapor
Araerj e escalas.
O vapor Parakfa, commandaote Marlios, sahi-
ra' para os portos cima no dia U do corrala as
& hor.is da larde.
Recebe carga rnente ate o dia 13, passageiros,
encoaimendas e dinheiro a frete at as 2 horas da
tarda da di* da sabida : escriptorio so Forte do
Maios n. 1. _____
Para o Para'pretende sahir em poneos das
o pati.chj RARAENSE, por ter o sea- cairegameu-
toquasi prempto, e para o piuco que Ihe falta tra-
ta-s :om o cOjgMlao Joaqu Jos OOMaNe
Beltro, aa rea b *TgkAoJ.VlJ%> aftar"
Para Lisboa a sabir artTioTltrlt" do corren-
te, o lirigue portugus -Ltdeubr d* prtmtin classe,
recebo al gama carga miuda a frote : aara- tratar
no escriptorio Amorim & Irmaos, rna da Cruz n.
.,, oo eom o capilio Jos Gomes Avellar.
JLEILAO
De faiendas, miudezas e ferragens.
Quiata-feira 12 de abril aa 10 horas.
(por corta de diversas gasas rstranosiras AF1M
DR FBCHAR G0HTAS DE VENDA.)
NO ARMAZEM DO AGENTE
OLYMPIO
48-PRAgA DO COMMERCIO-48
O agente cima espera a concorrencia de seos
amigos, continuando o mesmo a fazer em seo ar-
mazem dous leudes de fazendas por mez, sendo
nos dias 10 e 23 annunciando 3 dias antes.
AVISOS DIVERSOS
roa do Trapiche n. 48 'erceiro aodar
Perdeu-se do poder dos abano assignado, o
meio bilbete garantido n. 2,118, da lotera que se
extrae boje40 do crrante, por isto previne se ao
thesoareiro que nao pague sera ser aos meemos
abaixo assigados.
Joaquim Ribelro de Albuquerqe.
________Joaquim Alpido R. da Costa. .
No caes do Ramos n. 24 vende-se urna batanea
decimal, em perfeito estado, quem precisar diri-
ja-se a mesma casa.
Precisa se de (aliar com o Sr. Aalonio Jos
Teixeira de CaTviHho Ha ra ib Quulmado n. 65,
subdito portugnez, que j fol cmico do ibeatro de
Santo Isabel.
Precisa-so da um pequeo de 14 a 16 annos
de idade com alguna pratica ou sem ella, para
caixeiro de taberna preferindo-se dos ltimos che-
gados na rna do Principe n. 32.
termos?.da lei de 26 de Junho de 1862; a 2" parte
co" fcboas de nmeros flxos pelos quaesco-
aneceeio o preco de orna arroba de qualquer gane-
> simples multiplieacio se conheee o
lila-as
.^eaejjtieira saber o seu Importe. .Nada
diremos rtapetto a f parte, pois que j bem 'co-
nhecida da publico; quaoio a 2* parte (taboaa de
numeras (lxo) o san uso far a sua recorameada- __T ?3K"Lai uma* ^amn Ajve, pro*ro;s
cao. Vende-se na ra do Imperador livraria Ata- "S ,aliraqP Gymoasia.prereBe leccionSr a fisci-
daaaiea e Universal, arco de Santo Antonio, livraria #* do-*, mnilsier*, p-inclpiando do da-9 do
Econmica, a 2a o exemplar.______________ cerdele-* sua casaba ra da Inperatriz n. 28
m^l^T^tOS e ve!,aBem a, onze hora df E?,e,__ d'a.err, dianas-. q.
a, e aviam se bandejase encomiendas debo- *--------
Canto* phantaalaa.
Ua^voluraa i* 1^.smpres80.fi ea
'ealjtnado em Pars: erafcasa dos
editores
UVRARJtA FtANCCZA
PK> Ruacdo Crespo -- N. 9.
Mmmmauammmmi
Praffio da Cuaba Morira Uve, prq
^ I, etc. : na ra Imperial n. 32.
"Aluga-se ura moleque : na ra das Lafaa-
ffliras p. 10. ^___________________
~ Xowtntmo Mez de Mara.
Sanio atinal a luz, o Ilustrado novissimo Mea de
Mana, oio s come enunciamos no Diario de Per-
wmbucon. 734e segunda-feira 2 de abril, mas
anda com algoas enfeites que deixamos de annon-
ciar, e acha-se a venda na typograpbia do sen pro-
pretarm, rna do Imperador n. 13, defronte do con-
ceueole-ri sua casan ra di Imperante
OTlmeiro andar, senJo o aaMcici d'aila das 10
artas do dia.em diana-, qaanv-se qnizer utilizar do
syi prestlmo pode prooora-lo na casa e u>ra cima
indicada. f\
- A pessoa que da oOO sobre bypotheca em Tl^t*^**' 8 6r" a, M 8 da ,ar-
ns de raz, jwM Air^iZ .. ya.nt Rin> j <*M jg** w-dwa alis. ___________!
ben
n. 83.
Oaabaixo assigados participam ao respeta-
- D. Josepba"Ayrrde"Almeida Albuquerqne, l^J*T,S ?n5Sr- H0!!"6 Ant0B0
faz sciente ao nnh'icn nn landa pntreodn n ir de M,raoda que fazia parte dasociedade que gyra-
- Joanna Peres Campello Wanderley, mandan- jaUnS-Pranehw de AlbuK social Francisco L
do,, no dia 13 de abril pelas 7 horas a aanhaa,: SSaV ba^ ^ Goncalves oa Ira & Sobrinho, delxa de ser
judiciaes, que boje ero. dianleflcam sacados todos os S^* mes0D D"*desde q dia 12 de feverjro
poderes que era dita procuraeoJoram transferidos Pro^P0 payado.
LEILOES.
_
celebrar algomas missas, as aaatrizes de Limoeiro,
S.Lourenco, Boa-Vista e no convento da Gloria, pelo
aapaaso.eterno da alma de seu presa** rido, Dr.
Vicente Jeronymo Wanderley, convida a todos os
seas amigos e prenles para assistir a este acto de
religiao e caridade, e desde j agradece a lodos
ellos.
Antonio Joaquim
para Enropa.
"?3
erreira Porto, retirase
Joaquim Sevenano de Albuquerqe Arco-
Verde subdito braslleiro vai para Roma.
Antonio Soares Nevos, subdito portugnez, re-
tira se para Portugal.
LEILA
Da pa dara coa lodos os p'rtences h
ra detraz da nutriz da Boa-Vista
h. 26.
Cordeiro luie
ompetenleroeote-autorisab- tara* leilo da paa-
rla e seas pertences situada a roa aciqa mencio-
nada, isto
IIO JE.
10 horas em ponto.
"Leilao
HOJU
Terra-feira 10 do corrente as ti horas.
Peltagente Euzebio
a' hja da cadeia n. 5o primeiro andar.
Por mandado do lttm Sr. Dr. Joo Antonio de
Araujo Prekas Henriques, jaiz de direito da 1 va-
ra e autorisacio da caixa filial se vender' em lei-
lo os predios, abaixo deseriptos:
A casa terrea n. 2 defronte da fabrica de sabo,
aa ra Jo *rnar, om 3 portas de frente, sem di-
viso interna, quintal murado, alm de ontro e
mais terreao extramuro at ao alinhamento do no-
vo caes projectado.
De un sitio em BemSea, Fassagem da Magdale-
na, propriedada que foi f2|3) do fallecido Sebastio
Jos da Silva, cora grande baixa de oapim, divi-
dindo des lados com ^o sitios dos Srs. Bailar e
Barroca, sobrado de um aodar, sotao cora 5 portas
de frontil.e;cerca de 30 palmos, com 110 de fon-
do, salas, gabinetes, diversos qoartos, jardim, gran-
de latadi ue ferr 3 pira narrnira!. casa particular
da hanhc, alm de quartos externos tndepeuJeu-
ees da casa, cacimba e outras bemfeilorias, vanta-
jreus reconhecidas, qne os preteo'dentrs verificarlo
examinando para o que aeharao abi as ob LELO T
Da barca sueca Iguez.
Transferido de 7 para \ 1 do torrente.
Teado o maior lance por esta barca chegado a
preco rnui o inferior ao da saa avaliago o cap-
tao Th. Sahlsberg convida de novo aos pretenden-
tes para que se dirijam a bordo da mesma barca
tandeada no aocoradoaro da descarga deste porto,
afim de me hor conhecerem da seu estado e valor
real aoten de offcrece-la outra vez em leilo, o
qual tera lugar deoitivamente por intervencao
do ajrente Oliveira, e conta e risco de quera per-
tencer.
Qaarta-feira II do correte
*o meio dia em ponto, a' porta da Associacao Com-
clal desla pra^a.
Antonio de Oliveira subdito portogaer, segu
para Portugal a tratar de saa saude, ao vapor in-
glez que esperado em 14 do cor/ente.
Josepha Maria da Costa Viefra, subdita porta-
e?a, retira se para Portugal.________
O Sr. Gusiavo A. Walbaum retlra-se d'esta
provincia. ______ __________
' Mahoel SoaTes Pinheiro, subdito portaguez,
vai a-Portugal.
Na ra Direita n. 114, lo-
ja de ourives
compra-se ouro e prata e relogios vemos de lodas
as qualidades, paga-se bem.
LOTERA
Aos 6:00s00O.
Acham-se venda-.na respectiva thesou-
raria, rua do Crespo n. 15, os bilbetes,
meios e quintos da 2a parte da 6* lotera
(57), a beneficio do theatro de Santa Isa-
bel, cuja extraerlo ser no lugar e hora
do costume.
Os premios de 6:000^000 at 10,5000
ser5o pagos urna hora depois da extracc2o
at as 3 horas da tarde, e os outros depois
da distribuic5odas listas.
As encommendas sero guardadas so-
mente at a noite da ves pera da extracto.
G ihesoupeiro,
Antonio Jos6 Rorlpignft ra finura.
Carvalha 4 Nogueira sacam sobre o
Porto, Lisboa e Rio de Janeiro, a' vista ou a
prazo: na ra 'h Apollo n. 20.
ao mesmo Santiago.
Recife, 7 de abril de 1866.
Quem precisar de urna ama para casa de
bomem solteiro ou de pouca familia, dirjase a ra
larga do Rosario n. 37 segundo andar._________j
Precisase de urna ama para servigo interno e
externo, na ra -Anausja a. 19.
-- Pri.cisa-.sa d< urna ama para andar com me-
ntos e urna outra que cosinlie e saiba engommar,
para ama casa la paiiuena familia e estrangeira.
fi Aluga-se o sobrado de dous andares oa l'as-
sagem da Magdalena o. 7, prximo a ponte, com
commodos para numerosa familia,
ra do Trapiche n. 4.
Julio firas FerreiHi declara que pereo o '
bilbete o. 1746 garantido e asgnalo, previne ao
Sr. tliesiureiro que nao pague se alo ao'mesmo
J. V. F. (se for premiado.)_________________ I
.O abaixo assignado roga aos Srs. ourives
que nao facara negocio com um trancelim cora \
urna moeda de ouro e urna medelha portugueza de
16 contendono mesmo trancelim, mais 4 moedas
de 16#, urna de iOt, b> em sdalas, 4 cortes de
caigas sendo 2 pardos e 2 brancos, cajos objectos ] ]
loram retobados no dia 8 do correar da ra de
Joao Fernandos Vieira n. 8, na occasio que o
mesmo abaixo assignado fura passar o dia (ora.
__________Marcolino dos santos Perelra. '
Precisa-se de urna ama para cosinhar :
ra do Imperador n. 46, armazem.
. Francisco Jos Qoncalves da Silva.
Manoel Joaqdim Gongalves.
mmmmmmmmmmm
Precisa-se de urna ama para cosinhar
era casa de hornera solteiro : na ra do
Vigario n. 24, l- andar. ___
Si3ift a!iSiase;5aSf->a^K>4
Precisase alugar urna ^egrinha para peque.
na lamilla : na roa dja Concordia casa sem nutie-
ro, junta a je n. 67.______________ ,______
Precisa se de ama ama para cosiobar e en-
gomar para casa estrangeira de pouca familia : a
Trata-se na tratar na rna do Trapiche n. 8, segundo andar.
Precisare de ama
pesseas : ua ra do
inT'

a que cosinhe para daas
io*4 n. 12, 1 andar.
% secretario da foifraria de S. Jos
d*Sgonia
Em uume da mesa f ogedora convida a todes os
seos chantemos irmaa-para wimparecerem oo do-
mingo 8 m corrente, pelalOhorasda manJiaa no
consistorio da mesmaaainfrarw para eleger a no*a
mesa quaaem d sertJt lBTa 1867.
^Ponsisarioda^onfOriaaM. Jos da Agona, 5,
ffe.abril JJH866,
Joaguim Gopgalves Salgado,
_ _____ rfec/elrtio interino.
Pi*s*isco l'ereimd9.MedoncaVaTrEi7rnpa,
e*ena-oaaerencla oa-sedTn'gocio seu irmiojos
Joaquim freir de S^ndonga, e por fconsequeni
seu primatro procuradsr, segundo saa primo J,
jJreir%a>'Mendongoem terceiro Feroaado Go-
mes da SHva.
mmmmvmmmmmmmm
ABenco. &
p Precisa-se de officiaes de alfaale pan m-
obra miuda : na pa da Cadeia do Reci- Wi
fe n. 38, primpiro.andar. K
1
mmmmmmmm mmm
1U Dr. Francisco Pires flai
Portella
Hachad
na
Nos abaixo assigados declaramos ha ve r re-,
cebido era 12 de Janeiro do anuo prximo findo de
1863, do Sr. Banto Severiano da Fonseca Pitia, a
qnantia de 1:1155510 rs., Importe de urna letra
aceita pelo mesmo senhor a ossa ordem, sacada
em 18 de raaio de 1864, e vencida em 18 de no-
vembro do me*mo anno; e como se tenha desen-
eaminhado dita letra com o respectivo recebido na
mesma fazemos a presente publicagao pela qual
desobrgamos a respoosabllidade do d lio Sr. Ben-
lo, ficando nos obrigados a responder por qual- >
quer exigencia que inicuamente Ihe seja feta por
tercena. Outro slm declaramos, que Seamos de
cootas justas cora o mesmo senhor e quites al es-,
la data, quer pelo titulo cima declarado quer por
outro qualquer. Recife 9 de abril de 1066.
MEDICO ffOPERArOR
' PELA ''
Vacuidad* d Parla.
coniiiiu.i no exercicio da sua proflsso,
.especialmente as molestias de olhos, de
vas urinarias e de pe le, para cujo tra-
tamento jalga-se nabilitado atteola a pra-
tica adquirida ros hospilaes daqueiia ca-
i pital, e os instrumentos mais modernos
que pos-ue.
Accodo proraptamenie a qualquer cha-
mado para fora da cidade.
E encarrega se de collocar olhos arti-
IfUes.
-Ko pateo do Carmo n. 2, esquina da
rna do Hortas das 6 as 10 horas da ma-
nhrtn. e das 3 as 5 da tarde.
Precsa-se de ama ama para cozinhar em
una casa de familia : na ra da Cruz n. 8, ter-
cefro andar.
Arrjga se a casa terrea aa Suledade, prlnei
pie da e^stada de Joao de Barros a. 7 cona 9 sa
hrs, 3 quartos, cosmha, quintal morado e cachtoa:
a tratar m ra Direita n. 24padaria.
'. Precisa-se
rcjflsr amjreto para servigo de padaria, paga-se
m : nroa Direita n. 24, pad*ria.
ntonlo Hodrlgiies de ou-
za Martina
Roga a todos os seus amigos e partieolar-
niente a seus collegas e contemporneos o
especial obsequio de assislirem as 7 h.iras da
maabaa do dia 11 do correle, a urna missa,
que manda celebrar no convento de S. Fran-
cisco desla atdade, palo repouso eterno da
alma de seu tire tjitor o ftlecido coronel
Elias de Souza Martins.
Aula de msica.
Lidio Purpurario Santiago de Oliveira, professor
de msica, faz publico que contina a leccionar em
sua casa, roa da Gloria o. 46.
= Precisa se de ama. criada
Antonio Crrela de Vascaheellos 4 C. la Velha n. 108, andar.
na ra da Senaa-
LiiTa.Gtt a njjma.c imr "ricJ commodo :
na ra do Caldeireiro n. 11.
LEIJLJLO
De 248 barricas com fariuha de Irigo
com a varia.
Quarta-faira i i de abril no largo da caes
do Apollo entre as pon'tes.
O geme Pial fara' leilo a requerimeoto deE.
A. Hurle S C, com autorisagao e em presenga do
Illm. Sr. cnsul de Franga e por conta e risco de
qnem per:encer, de 248 barricas marca S A Ba-
rn, com farinba de trigo avariadas a bordo da
barca frauceza Santo Andre na sua ultima via-
gem d> Havre para este porta, o leilo sera' effee-
tuadoas 11 horas em ponto no largo do caes do
Apollo entre as duas pontos.
Do armazem de mol hados ra de
.tH.5'l a. 73, intitulado pharol.
CORDEIRO SIMES
a* requeriraento de Antoaio Jos Silva do Brasil, e
mandado .lo IUm. Sr. r. juiz de direito especial
do commerclo, fara' leilo de grande qoiaiidade
4e gneros, armacao dearaarello, utencilios e to-
atoaos mas perieoces do estabelecimento cima
Uto, o quid fora arrestado a Joao Jos da Silva
Villar & C, cujo inventario esta em podar do re-
ferido ase ate a esame de quero pertender, e o lei-
lo sera' effectuado oo dia
Qoarta-feira fl do correte
as 10 honia em ponto, visto ter de effe-tuar oeste
da i: na mesma ra o leilo do ontro estabeleci-
mento ds mesmos arrestados.
JLEIL 40
Da tiibema a ra do Ban-
gel n. 10
CORDEIRO SIMOES '
a' requenmento de Antonio'Jos Silva do Brasil, e
man lado do Illm. Sr. Dr. juiz de direito especial
do rororaerclo, fara' leilo de todos os generoi ar-
Coslahelro.
Precisa-se de uraeosiolieiro forro ou cap-
tivo que d fiador a sua con ucta: na ra
da Cruz n. 48, primeiro andar.__________
GASA DA FORTOHA
Aos 6:000#000.
Bllhetes garantidos.
A' RA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTUME
O abaizoassignado venden nos seus muito fali-
zos bilbetes garantidos da lotera que se acabon
de extrahir, a beneficio da igreja de N. S. do
Guadelupe de Olinda, os seguintes premios:
N. 1500 um bilbete inielro com a sorle de
6:0004.
N. 716 dous quintos com asorte de 1:200$-
N. 3397 um meio com a sorto de SOOaOOO.
N. 1820 dous meios com a sorte de 200$.
E outras muitas sortes de 100$, 40$, e 20$.
Ospossuidores podem vir receber seus respec-
tivos premios sernos descontos das leisnacasa
da Fortuna ra de Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da. 4* parte da,.2" lo-
tera (56"J beneficio da Santa Casa da Miseri-
cordia para canalisagao d'agua e gaz no hospital
Pedro If, rjue se exlrahira' terga-feira 10 do cor-
rente.
PREQO.
Bilhetes.....6$000
Meios......35000
Quintos.....1$200
Para as pessoas que omprarem de 100^000
para cima.
Bilhetes.....5$500
Meios......2$730
Quintos.....1,5100
Manokl Makttns Fiza.
Manoel Jos Moreira, avisa ao resneitavel
publico, que de hoje em aiante assi?oar-se-ha por
Manoel Fldelis Moreira, visto haverem outros de
igual nonx>.
R-ieife, 6 de abril de 1866.
K;. Manoel Fidelis Moreira.
Henrlque Jos dos Santos estabelecido com
padaria na ru> Direita n. 128, leodo de retirarse
para tratar de saa saude dispon do mesmo esta-
belecimento com toaos os pertences, tendo dous
fornos, quem quizeTalrlja-se ao mesmo que se fa- Aluga-e a casa da ra Imperial denominada
ra todo o negocio ou com Joao -Terreira da Silva viveiro'do Muniz, com ura s brado de ura andar
na mesma ra n. 105 ; assim como roga a lodos os Que accottimoda graude familia, dous grandes v-
seos devedores de vlrem no prazo de Lidias sa- veiros para peixe, grande terreno para planlag5es
tisfazerem seus dbitos do contrario sero cobra-
das judicialmente visto o mesmo ter tambera com
promissos a satlsfazer.
e duas olarias
R ngel n. 54.
quem pretender dirija-se a ra do
Ama
Precisa-se de ama ama captiva ou forra para
casa de mnito pouca familia : na ra da Concor-
dia n. 34 sobrado do armazem do sol, pagase bem
Precisa-se de um escravo para servigo
urna casa : na ra da Cruz n. 24, botica.
de
r

I
A baroneza de Beberibe, seus filhos D.
Anna L. de Oliveira, Dr. Eduardo Augusto
de Oliveira, D. Emilia A. de Oliveira Cot-
Ibo, D. Amelia A. de Oliveira, seos genros
commendador Miguel A. de Oliveira, Dr.
Virgilio Coelbo, Eduardo Candido de Olivei-
ra e seus enteados Dr. Augusto F. de Oli-
veira e Franclsoo Antonio de Oliveira, agr-
"decem couUaJmente a odas as pessoas que
Ibes fizeram a fineza de assistir ao funeral
desenmallo caro fUtio, irmao e eunhado
Callos Augusto de Oliveira a, ao mesmo
tempo convidam a todos os sens amigos pa-
ra assistirem a missa que por sua alma se
tem de rosar aa matriz da Boa-Vista no da
11 do corrente as 8 horas da manhaa.
Precisa-se de um menino para caixeiro : na
ra do Rangel n. 41. _____
Quera precisar de 1:300$000, dando por hy-
potheca urna casa nesta cidade, llvre e desembara-
da : annoncle para ser procurado. _________
Francisco Al ves de Miranda Varejo, rendei-
ro do engenho Dourado em Ipojuca, faz sciente a
quem estiver de possue de urna letra por si aoeita
de 1:600$000 proveniente da renda do dito enge-
nho, a vencer-se em 27 de maio do corrente anno.
que no veocimento a pde'mandar receber de Jos
Lourengo Gongalves : a ra da Cadeia da Recife
--- Precisa-s- de urna ama que tenha
bom e abundante leite : na praca da Inde-
pendencia n. 6.
DEPOSITO DE CLCALO
m FABRICADO M CASA DE DETEXCAO
jf Roa Nova n. 61.
'& Ahi se encontraro obras de di-
o versas qualiJades, e'por preco mui
{3 diminutos, a retalho e em porges.
?M S se vende a dmbeiro.
Francisco Perelra da Silva Sanios e Manoe-
Lopes Ferreira, fazem scienle ao rcspeitavel pu-
blico e com especialidad aooorpo docommercio,
qne nesta data dissolverara amigavelmenle a socie-
dade que tinham no estabelecimento da taberna da
ra da Casa de Deteopo n. 7, que girava sob a
firma social de Francisco Pereira da Silva Santos i i
C, ficando o ex-socio F-irreira na posse do estaba
lecimenlo e obrigado a' llquidaco do activo e pas-
sivo oa extracta firma social como nico respoa-
savel.
Recife, 4 de abril de 1866.
Fraacuco Pwroira da Silva Saotos.
Manoel fftpes Ferreira.
Alnga-se a casa da ra do Manguinho defron-
te da igreja : n. 24 a tratar na ra da Madre da
Dens u 14.
*
Jos Heqriques da Silva precisa de um cria-
do que seja boleeiro, pode ser procurado no pato
do Carmo n. 15 ou na l'assagem n. 24, tiara tratar.
Anda fgida a escrava de nome Ada, qrre
nesta"cidaoe'"rda~"mesmVVraa"7cTentiflc,'Bno; rePreseQJa fer 26 annos, baixa, fula, com algumas
.________i ^_^_^_. ^ ;_________r i. marfa nf* heTtaa rnii.io nina qc onrnrirtnrlao no.
nao pagara : protesto e juros por falta de apresen
lar no lempo competente.
Pernambaco 6 de abril de 1866.
A LEGITIMA

Fugio do dia 14 de marco prximo, o escravo
maguo e u encilios do estabelecimento cima man- I de nome Jos eom os signaes seguintes: preto, bal
cionado, o qual fra arrestado a Joao Jos da Silva
Villar & C, cajo Inventarlo pode ser visto em pe-
der do referido agente, tendo lugar o leilo no dia
Quarta-feira U do corrente
as 11 hora < em ponto, depois de effectuado o lei*
lio do outra estabelecimento j annunciado.
1 eiiao de predios.
Como tejam :
Urna casa terrea a raa da Mangueira na
Botf-vJiiti n. 12.
xo, corpulento, mao e ps perfitas, tem adr do
toraoselo do p direito orna marca branca, fetedes
grosseiras, beigos rosaos, can bexigosa, limpo de
costas, algnma coosa prosista, tocador de berimbo,
unha grande do dedo poiagar, poaca barba, Idade
30 annos pouco mais oa aeos ; foi comprado ao
Recife ao mez de deiembro prximo pastado, ao
Sr. Prxedes de Gastoso, por intervencao do cor*
rector Jlo Jurista pelo propriotarlo JerlalaDo Irl-
neo Paos Barrete Graiiflca-se a quem der noticia,
oa for leva-lo no gaono Barra-Nova, ou na roa
lrei la n. 10, legano andar.
m sobrartode u andar na mesma roa ntl- porte e portarla ; liram os para dentro e Tora do
mero '{$. imperio, per coaimoao ppeoe e prealta : na rna da
Cordeiro slaea Prai* Primeiro *ndar n i7-
btiduacoapeMnte autorisagao, fara" leilo dos 0 abaiao~asiado declara aos inquilinos
predios aeina descriptoe, oa qoaee desde ja podem que oceupam es teot predios fia cidade de Olinda,
sor sainadas, eqnalquer inforataaio o mesmo. uno tem inloriado ^o ir. Joao Pate da Conna,
agaate sanifart, eole leilo sera' effectuado. morador na mesma cidade para receber os alaguis
\ aflatan Ma floo eanaate dos ditos predios. ^
ai 11 hor, oo arauaem a ra aa Cadeia do B* i Recife, 9 abril de 66.
VID. | Manoel Marques de Oliveira.
DE
BRISTOL.
PREPARADA NICAMENTE POR
LAMAN AKEIP,
NOVA TOBK.
Composta de substancias, gozando das
propriedades eminentemente depurativa*
approvada pelas juntase academias de me-
dicina ; usadajnos principaes nospitaes, ci-
vis militares e da marinha as Antilhas e
no continente americano; receitada peloi
facultativosos mais distinctos do imperio de
Brasil e da America bespanliol
CUBA KAWCALHEmB
escrophulas, rheomatismo.tscOrbuto, en-
ermidades venreas e mercuriaes, cbagat
antigs, morphea e todas as molestias pro-
venieatesd'um estadWieioso do sangue.
Emqaanto existem varias imitacoes e
(alsificacos, preciso a maior cautela paira
evitar os engaos,
A legitima-salsa de Bristol vende-se per
CAORS* BARBOZA
JOO DA C. BRAVO & C.
Jlo da C Bravo ai C.______
Remedio infallivel as agnorrheas antigs
recen, tes, nico deposito na pbarmacia
e fraoceza roa da Cru n. 22 e ao prego de
marcas de bexiga : roga-se puis as autoridades po
liciaes ou a quem encontra-la de entrega-la aosea
senhor abaixo assigoado na travessa de Joao Fer-
nandos Vieira n. 2.
s t l\ ur. Cypriano F. G. Aleoforado.
Mauricio Francisco de Lima, tendo de ret"
rar'e deta cidade para a villa do Pao d'Alho, ou-
deprelende fazer sua residencia, declara nada de-
ver a pessoa alguma, tanjo nesta pja.ca como fra
I della ; porem, se alguenj por qualquer titulo se
f julgar seu credpr, aprsenle sua conta na ra do
TJrum casa n. "6, que sendo verdadeira a divida
Ttl yanedja tanteo te paga, e Isto no prazo de tres
as. j I '. C*_______________________
D. Mara Rosa da Conceigo Moraes, embar-
a paca ion do imperio, o sen itio Henriqae Frau
cisco de Moraes, de menor idade.__________.
Aluga-se um moleque de 12 a 14 annos de
a de : ojfna do Tambi n. 30.______________
Coslnheiro
Precisas ao nm coiiubjapaT para casa de fa-
^ItJ^.tr0jOa rna (afea* n^ 6, escriptorio.
Offerece-se um rapaz .para caixeiro de'loja
d niudexas ou ferragens, eom 18 annos de idade,
d fiador a sua conducta, quem quizer dirlja-se a
ra do Dique n. 20 que achara com quem tratar.
4 .----- -.- .S~--------------------------
Cobranzas.
A pessoa que tlver pratica do foro e intelllgencia
preciza para cobrar quer amigavel, quer judicial-
mente, que qoeira se encarregar de cobranzas
para fora da cidade, e por provincias hmltrophes
dando para isso idneo Oidor : queira dingir-se a
ra do Amorim n. 35 segundo andar.
Preciza-se de urna ama para casa de hornera
solteiro, preferindo-se portugjeza : a tratar no
Bateo do Para izo n. 30.
Os abaixo assigados fazem sciente ao carpo do
commercio desta cidade e Pernambuco, que dis-
solverara amigavelmente em 28 defeverero ulti-
mo a sociedade que ento glrava sob a razao Li-
ma Irmaos.
Mamauguape, 10 de margo de 1866.
Clemente de Araujo Lima Jnior.
_ Jos de Araujo Lima.
Precisase de urna ama forra oa captiva para
cosinhar para casa de rapaz solteiro : na ra do
Imperador n. 40. -
' i Perdeu-se nm correntio de ouro de lei, a
.oessoa que o achou querendo restituir leve-e a ra
Larga do Rosario n. 13 qua tera 305 de gratifi-
cado.
tAULA RAP1ISTA
Compendio de tvieoria e pratica do pro-
cesso civil.
Compendio da hermenutica jurdica pelo
Dr. Francisco de Paula Bptist.
As duas obras encaderaadas em um vo-
lume in 8.
NA LIVRARIA FRANUEZA
N. 9. Ra do Cresno N. 9.
tftuga se
6 Jobrai) m frente ao hospital PedroB. a' mr-
wvn do rio Caortbe, com tres sala?,jpei8 qaar-
to, estnti.ra, ^illo com rilroTrtf)iieir e muilo
outras fructelras, com o reeonirriniave|> banhos
i salsad..s airaz d^ caw, pero tfdftiH de 4000 : a
i irat r uos Coelhos com o Sr. *iftnnio Crnelro da
Cunlia.
Aluga-se nm anda,r do ibradu do caes do
; Ramos n. 32 : a tratar na ru do Co-srw n. 8 B.
m
VERDADEIRO LE RO
de 8IGNOBET, Docteur-Mdotin
Ru do Seine, 51, a PABIS.
%"*
jad* garrafa, ral, ente a rolha o tapcl azul
|que leja o rntu. tinclt, um fotuto iinfuii m
relio com o Hlo tarRiti. do ovAno fiucii.
N. B. Hemeltc-ao-te ana lettra ! Paris, acailavrl CO U*s de vist, ao mximo,
i-te do abaairnto e do uior incolo.
Deposito prlaclpal
13$ legitimo I.t Ko.v
Iroi Caza do asso
nlco agente pela
Srazil a isa Aimi-
|mo FaaiK : d U-
Icmd f Bafeta e
[nos prineipa aar-
Imaceutwi. "*
liu.c uo laaior efcoc

FERRO QUEVEHNE
ApprnvtJo pila Academia ie .VoSicina,
Auctoritado flor circular especial 4o Mltittro.
O FSltRO QUEVaSUNE se usa em -toderos ca-
aos par as quies o ferreos sao preseriptos; nao
Tac os (leiiH's tk-arem. pretos; be a preparado a
Htais aativa, a majs agraflavel e a mais ccono-
**ica; muitas veze*jni truco h sufflcienfe! para
curar orna chlorosis.
A experieucia m* prorou que nenhuma pre-
parodio frrea lie supportada mais fcilmente
que e ferjoo QuevHNE, em obaerrudo as
-limita* de tloscs muito raguladas.
Bouchaiuat, Annvario da tkeraptutic*, 1S63.
O Ferro QiT.vr.xsE redc-se em frascos da
y V"->- tmwilr*--^ig^!!*. I
Medida d. ine. lW|nafai, S
Deposito geral em casa de Baaile Generla,
14, ru des Beeux-Arts, em Part, e em tedas as
boticas. Exigir-o Sinele Quevenne. e a marca
de Faerict acema.
Le se no Munitcur at ta 'ltarmaee,
A electricidade hoje empreada por todos os
mdicos afamados para o trataminto de muitas
molestias, mesmo para as que-resistem as outras
mrdicflces.
A electridade produiida pela friccao tem urna
auperioridade incontestavel, ea vantagem de nao
dar abalo?, e de poder ser graduada pelo doente.
A causa a mais frequente das molestias a
estagnaca do sangue ou dos outros lquidos tI-
lies. I'ii'Slablceen'do se a ci culaca no orga-
nismo, curarao-se as molestias.
guauuo se sent alguma dor em quelquer
parte docorpologo, e instinctiramente, seerfrega
o luzu endolorido com a mao, c isto allivia. Isto
explica o resuiiaao mcontestare qne flete pro-
>duzir um apparelho elctrico. Por isso temos
pra/cremannunciarao Publico queo Sur Buisson
sde Bmllier residente, boulevart du Prince-
Eugne, 18, em Parir, dotou a medicina de um
appnrelto Electro Magntico, sob a forma de
urna escora, com o T'"' "HJ*""-----se Poderao
aturar sem nehuma ujr^menTcieS. Os mdicos
que a tera experimentado, altestan que a
ElcovA LaoTBoaiAQirarrMi eflica2yara
curar: es Sfanauatatinnaava ftaaalrsia, Cotta,
riquiM dassneatkos, Columna rer-
tebral. diihilidadte geral, Kevralgias, etc.
Estaraos certos que breve cada familia possuira
> esta escora que prestara grandes servicos.
> A pedido de muitas pessoas, o autor deeidio-se
a establecer um deposito de seos apparelhos no
Rio de Janeiro, em cata do Sn Didib Ronri,
raa nov* do Ouvidor, n* 33.
2
HOJE
Desappareceu d.r'ua do Rangel u. 9 no dia 22
de margo prximo passado o preto de nome Anto-
nio, que ropreseota ter 40 anoos, bateo e chert/do
corpo bem couheci Jo por ter um lubiuba no la-
do direito do queiio e ama ferida oo caloaohar la-
do esquerdo foi escravo de Joao Jas topes da Sil-
va que leve taberna no becco das Rarreiras na Boa-
Vista, costuma andar pela Bi>a-Vi>ta ou Recife, foi
visto segunda-feira na ponte da Boa. Vista ; levou
paliit de casemira desbolado ciozento e oalca
branca, chapeo preto; quem o pegar e levar a sua
qod 96r# rocowppn^Bffo.
\lt>OH ( o\ti\a a F11/
KIDALIA DE OGRO. pmiio oeis.mof;
auiiMA
1 As. 0 horas da tarde haver reoniao dos devotos
do Senhor Sauto Christo des Mllagres, na saerlstia
da igreja do Divino Espirito-Santo. Roga-se aos
mambro das comrnlssSes, e aos mais devotos de
comparecerem para te tratar de negocios ur-
gentes.
---------------------------
Primeira coala torrete
Reflexoespqliticas
ar v rn4*a* Inaaria fcraaooca, va' do Qrao
, a 800 rla c^e^emply,

Febrfugo e Fortificante
SStHlOR 10! I11B0J l IltOPB U QIII1.
Btprimentada com pleo successo nos
bospitae^, a (juini Laroche (ou extracto
FUfo le quina) una prepararlo
excepcianal, por ser privada do amargo
da quina. Agrada por conseatointe as pessoas
"as mais intolerantes e aos paladares os mais
delicad.s, pois nem muito doce ncm muito
riscosa, sendo de urna limpidez constante.
Emprega-se com muito proveito nos casos
gastralgia, dj-spepcia, nevralgia, ane-
ia, tarasano, eaehenaa, magreza,
fas ti o sena causa ajtparente, conra 1 e i ce n
as demoradas, chlorse e escrophulas
E o especifico das molestias bris.
OIM UPWSHE FERW6IN0M
Ibiii teimufnfittue km 6 susi.
Sal PARIZ,
15, rm Drnot.
J?. MAUkEi. '& C.
-.* rna No n. 8.
urwe nlc.s
n.

Os oncespioDurlrr do ra*vili>*rio dn rammli > de
ferro de Apipucos contralam ij.rinenii's i- ma-
derrJS'Be qnalidad.-s, querg pre)eoder compareQa
a ra d iatoerador i 85,-*egrm'1> andar.
Aluga-se a casa da roa Direita n. 80. emlr-
mazer, por isjo propria pira qualquer estabele-
cimento': a tratar na roa ireila o. 24.
eJtijofll(is.
^aj)lara de Dua!. fauas j-(estacio Gamellelra),
VeotrStn te ToYirras para assocar, t^lhas eiijollos de

tara vean.,
rinho do Porto em caixa
ma da Babia snpyjot.
ta, oo hambur^ua^
)* .uiahentoa LlTis obre hypotbeca
bens de rait, |im pieetxar annoaeie.
Precisa-se d>
Morigerada : a tratar aatua do
i, qqlseja p
pollo n. 9.
em
&*?#]?(& C. tan JadrthDH de atrasrarla, todo |wr pfveo mais barato
.que-em t)utr* qunlrroev j>ai*le. HfflHt!ca>se a boa
quarnrkde : .tratar na Olla otaros.
, O cuoellieiro .*; .Ueulo da Uunlr r'isuei-
redo e o Tiacharel Jos Beolo da Cunba ttigueiredo
JUDwr.-mudaram su escnlpi<)nio 4 atl'oejcia para
t* wJw^^tv^araa^dsv^etopics de 7
it*ebimbro. ,s ua 3:
i
-4ia___i_____L.
. 'jAwiaa a.a.v
Me4lo Lobo d, tendo entregue em data
saque des aenunciaotes e aceite de diversos, consta
des aaeeraas, de as nao pagarem serno aos annonciai
cedam aquellos dos signatarios a qum taes letras'
Recife, 5 de abril de 1866.
N. 4310, saque d 8 de fevereiro de 1860. a vencer em 8 de outubro de 181
N. 4W3, saque de 9 de fevereiro de 1866, a vencer em 9 de outubro de 18
" ...... "
ib 10
i
i do corrente^eom endossp da ana Qrraa eai branoa^ Sn. .Adult-ho Cwhwlvtoaeaamnii
i da nota bateo ; ehavenio o dito Sr. Corio perdido as mencioaadan ,ltv*. rjnjaraaa's
a, ou ao ditoSt, CWO prateetaodo-sa desde \-tmm uaeta a*awasate3enDri*se
em apresentadas por pessoa extranha a propriedada 4tii.
reinen da
malarios
iga pro-
, aceite per Alyplo Das Machado, Parabyba, IJo^UrUO-
. aceite por Firmino Leocadio de Lima, Pilar, 2.94944*0.
602*300.
N. 4314, saque de .16 de fevereiro de 1866. a vencer em 16 de outubro de 1866. aceite por Jos de Azevedo Maia. Parabyba, 2405000.
N. 4918, saque de 27 de fevereiro de 1866, a vencer em 87 da ouinoro de 4801, aceiie por Joaquim Antonio Pereira v ina^re & C, Parabyba,
\
ontihro
N. 43, saque de 28 de fevereiro da 1866, a vencer em 28 de oatubro de 1866, aceite per Adolpbo Eugenio Sares, Parabyba, Inifiio.
N. 4311. aaqae de 8 de fevereiro de 1866, a vencer em 30 de ootabro e 1866, aceite por Adolpho Eugenio Soares, Parhyba. 78O8800.
N. 4312, saque de 8 de fevort*Ml 1806, a vencer em 30 de outubro de 1800, aceite por Adolpho Eugeaio "oares, Parabyba. 7732000.
N. 4200, saque de24 de jaavh> de 1806, a vencer em 30 de outubro de 1866, aceite por Jos Antonio de Almaida Guimaiaes. Mar.ri. o:196A290.
N. 4318, saque de 20 de fevereiro d6 1806, a vencer em 31 de outubro de 1866, aeettepor Jos Antonio Teixeira Pinto, Macul, 7341400.
N. 4319, saque de 28 de fevereiro de 1866,a vencer em 31 de outubro de 1866 aceite por los Antonio Teixeira Pinto, Macei, 160*300.
N. 4363, saque de 9 de marco de 1066, a vencer em 9 de novembro de 1806, aceite aor Joao Laiz Vieira Jnior e Nemesio Dacio d* Carvalho Ga-
sa, S. Miguel, 348*700.
4
.4
-,


M


lUri>*lttiWlK- i^fchlfil'llltl 1866.

H j smica lnlalllvcl e Preservailva, absolutamente a nica que cura sem uenlium additivo. Veude-s
Das principies boticas do mundo. (Exigir a butfuccao do uto). ( annos de mlalinrii) Par, em casa
de iorentorBaorj.bouleYard Magenta, Mi. ^ '
INJECCAO E CAPSULAS
JWEGET AES aoMATCO;
GRIMATIIT&C'pharmaceuticosemPARIS
Noto tratanento preparado com as fouu de Matico, aore do Per, para a enrt rpida e infallhel
da-Gonorrhea sem rtecio algum da contraccio do canal ou da inflammaco dos intestinos. O celebre
doutor Kicord, de Pars, ter renunciado, desde sua apparico, ao emprego de qualqner outro tra-
tamento. Emprcga-se a Iqeefio no comQO de fluxo; as capsulas em todos os casos chronieos bt-
terados, que resistirlo is preparares do copabu, cubeba e s injecedes com base metallica.
Deposito em Par. 48, rae Richelieu.
.

/.l:z.^:hs
Tinta Inalteravel
Para escrever
de P. IHAMER k C\
PERNAMBUCO
Esta tinta recommenda-se pela sua com-
posica e fluidez como a mellior e a mais
segura de todas as tintas at lio je conheci-
das. Na6 ataca as pennas de ac, d at
tres excellentes copias, mesmo muitos dias
depois de escrever, e prefer vel a qual-
quer outras tintas particularmente para
livros de commercio, documentos etc de
que 6e careca loriga conservaca.
Vende-se na livraria franceza mi do Crespo e roa Nova n. 18 de
P. MAURER & C.
PERFUMERA oa casa oger
Boulevart Sebastopol. 56, Pariz.
(Dez medalhas, a condecorac&o da Legin
d'honneur e a grande reputacao que tem lne
dado o publico, tae* sao at recompensas que os
trricos prestados a industria merecerao a
esta importante casa desde sua madacao em
1804. ^^
N'um sortimento de mais de 500 artigas,
as pessoas elegantes escolherao os seguintes:
rosee DU paradis, extracto superfino
para lenco.
POMMAOA CEPHAUQUE contra a cal-
Ticia.
AGUA VERBENA para o toueador.
OXIMEL MULTIFLOR.
VINAGRE DE PLANTAS HYGIENICAS.
TINTURA VIRGINALE de beijoim.
ROSEE DE LYS, Terdadeira agua de
Jouvencio.
CREME LABIALE de suece de Botas.
POMMADA VELOURS para amacar a
pello.
ELIXIR ODONTOPHILE.
8ABAO dedicado as damas americanas.
SABAO de bouqoet de Franca,
d* de flores de alce* rosea,
d* de flores arintanires.
d de bouquet do outono.
d de perfumes exticos,
d* aurora, dedicado aos dedes cor de
rosa.
d* de flores das montankas.
d* de cheiro de bina nouveaox.
d* de bluets cheirosos.
d* de althca balsmica,
d* diapr, caixa rica, aatesia pari-
sience.
FABRICA A VAPOR
99 RA DO MONDEGO 99
JBepoftito na roa Nova n. 5 laja de relojocira.
Deiouohe donos deste estabelecimento partecipa ao respeitavel publico que su fa-
brica est montada com as melhores -machinas que existem na Europa, e que pode
fabricarcom raelhor perfeicao possivel. Todo o chocolate desta fabrica est garantido, e
puro, o que nao se pode encontrar naf uelle que vem de fra, e que se vende por preco
baixo, visto os productos serem do paiz. Na etiqueta tem sempre urna guia.
*eco.
Meia Ubi* ........ 400
Urna libra* ........ 800
Urna arropa........19,5000
Na mesla fabrica acaba de se mo&tar urna oficina com serrara a vapor para
obras de mareineiria propria para edificio, para o que encarregi-se de fazer portas, ja-
dellas, assoaloos (parqu francez como se osa na Europa,) e armacoes, todo com brevi-
nade e'perfeieao. Toma-se qualqner eoeommenda para fra da cidade, entregando-se
prompta a collar-se no lugar.
DE
COfiJLHO Hna la Cruz n. 16.
Continua a baver diariamente nm sortimento de pastis, podios, bolos inglezes,
empadas etc., etc. Os donos deste estabelecimento, acham-se as melhores condicoes
de poder satisfazer eneommendas concernentes 6ua arte, em consequencia do socio
Freitas ter sido administrador chefe de algumas das principaes fabricas na corte, sendo
urna a do Sr. Joo Goncalves Guimaraes (confeitaria de Leao) antiga casa de Carceller.
Todos os trabamos sao difierentes dos que se fazem em casas particulares.
Os proprietarios deste estabelecimento nao se tem poupado a despezas, nem se
pouparao, se houver concorrencia como esperam ; tendo continuadamente bom sorti-
mento de doces para cha; presuntos e ditos em fiambre, tambem se recebem para se-
rem preparados ; assim como doce de caj novo superior, secce e crystalisado, dito em
calda em latas hermticamente fechadas, podendo durar annos em perfeito estado.
Para jantares e partidas recebem-se eneommendas dos seguintes objectos; bao-
deijas ricamente enfeitadas sem armaco pecas de amendoas (nogaces), ditas de tmaras
de ovos, pes de l enfeitados com disticos anlogos a qualquer fim; ditos montados,
kechs simples e eiafeitados com fructas ingleza; gatheaux de la reine, ditos de le d-
chese, tortas de fructa, massa folhada; ditas de peixe e carne; cremes e doces de ovos
de difierentes especies.
Tambem tem um completo sortimento de vinhos engarrafados, como sejam: vinho
do Porto superior, Figoeira, Madeira, Lisboa, Cberez, Bordeaux, Champagne fino, ser-
veja, licores, charopes e conservas. Para festas: bonitas caixinhas com amendoas, con-
feitos e mais enfeites. Muitos uestes objectos mencionados podem-se perleramente ac-
ondicionar tanto para a provincia, como para fra.
FIGURAS
Acabam de receber bonitas figuras para bandejas de doces, sendo grupos para
baptisado, casamento, annos, dilia a phantasia, bonitos enfeites para bollos e circular pra-
tus do doces finos, tudu por precos razoaveis.
Vende-se licores em duzia muito em conla.
QARESMA
AosSrs- acadmicos.
Feitor.
Precisa-se de Um feitor para um sitio' Vende-se por %f> cada exemplar eocaderuado
perto da praga, Portaguez ou Brasileiro ; Macarel direito poltico--: oa loja de livros da
prefere-se casado: na ra Direita n. 45. Pra*d6.redro u D-6 onde "08 *8 vendem
Joaqaim Newton de Carvalho, comproa por or-
(!em do Sr. brigadeiro Jos Rodrigues Lene Pitan-
za, o bilhete Dteiro n. 810 da lotera que deve
correr do dia terca-feira 10 do correte.
por diminuto pre<;o para acabar alguroas
obras de direita
outras
Preciza-se de urna ama
n. 142 primeiro andar.
na ra de Hortas
Acabam de receber G. Paes do Amaral & C.
5 RA DO CRESPO 5
Antiga casa de Gollherme da Silva Guimaraes
Ricos cortes de vestidos de gros-de-naples preto," com lindas barras bordadas.
Moire-antiqoe preto em cortes e em pecas, liso, ondeado e com palmas.
Gros-dernaples preto, de diversos precos e larguras.
Gorguro preto, fazenda superior a todas pela qualidade, e bonito tecido.
Este estabelecimento
acha-se sortido com numerosa quantidade de filos pretos, de algodSo, de linho e de se-
da, manufacturados em
ckales
retoiidas
algerieiies fbournus) .
anamites
africaines
pompadour
DE FANTHASIA
Receberam tambem bonitos cortes de popeline de listras de cores, e matisadas,
muito modernas, de gostos in teira mente no vos; e outras muitas fazendas de goslo, viu-
das pelo ultimo vapor.



y
G. P. DO AMARAli & .
5 ARU OD CRESPO 5

SJ kM
i DE
.
f DE
f. VIGNES.
X. 55. RA DO IMPERADOR N. 55.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoja asss conhecldos para que seja necessario insistir sobre a
toa superioridade, vantogens e garantas que offerecem aos compradores, quaudades estas incontesta-
teis que elles tem deflaltivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta pra;a ; pos-
inindo nm teclado e machinismo que obedecem a todas as vontades e caprichos das pianistas, sem
aunca falbar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melboramentos Importan-
tissimos para o clima deste paiz ; quanlo as vozes, sao melodiosas e flautadas, e por isso muito agrada-
reis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as eneommendas, Unto nesta fabrica como na do Sr. Bloodel, de Pars, socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposicSes.
No mesmo estabelecimento se achara sempre nm explendido e variado sortimento de msicas dos
oelbores nteres da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo todo vendido por
precos cornmodos e ratea veis.
PECHIMH4 SEM IGUAL
l
Ricos cortes de gorgurSn de seda pretos adamascados para vestido com 13 metros
ou 18 a 20 covados cada corte, largan de cbit* franceza, pelo baratisslmo preco de 50}
cada corte : na loja das columnas da ra do Crespo o. 13 de Antonio Crrela de Vascon-
celos & C.
Na praca da Independencia livraria n. 8,
existe orna carta para o Sr. Dr. Candido Casado
Lima,
.0 Sr. Jos Pedreira Franca Jnnior, tem orna
carta to escriptorio de Joaqaim Jos Goncalves
BeltrSe : ra do Vigario n. 17, andar.
Aloga-se ama preta, escrav
cosinna e en-
gomma-se, quero preclzar dirjase a roa do Pdre
Fioriaoo n. 28.
Cosinheiro
Precisa se de om cosinbeiro
roa do Imperador n. 17.
ou cosinheira : na
Na qolnta-eira santa perdeuie da Igrejado
Carmo a' roa das Trincheiras, urna palseira cbata
de cabello, com orna palma de oaro em cima da
chapa: quem a acbar querendo eutregar dirjase
a lofa de Passeio Publico n. 12, que se gratificara'
com atar doobjeeto.

IS , -
1
Jt

m
Oomp.Siia7 geral hespanhola de seguroi mutuos
sobre a vida
.UT0R4SDA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE* 1859
tma laucam dinheiro, depositado nos cofres do estado, garaete a boa ad-
ministraeo da cempashia.
FANQE1ROS DA COMPANHIA JWRECCO GERAL
O Banea de Hespaaha | Madrid: Ra da Prado n. IS
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinscoes de supervivencia dos sen
6 sotre *-vida. "
Nella pode se tazer a subscripjao de maneira que em nenhum easo mesmo por morte do
seguradq se perca e capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao taosuprahendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole deA NACIO-
NAL,-que anda mesmo diminaindo ama terca parte do interesse produzido em recetuos liquida-
dles ecorabinando-o com a mortalidade da tabella de Depareieui que adoptada pela-eompanhia
para leas calcules e liqutdacoes, em segurados de idade de 3 al9 annos, ama imoosteao annua.
e iOO>produz-em eflectivo metlico: *
No fim de 5 annos.......i -.1194300
* de 10- >.......U: 942*600
> de 18 1.......1I:208J200
> de 20 s.......30:286*000
> de 28 a.......80:331*000
as idade* menores de 3 annos e maiores de 30, os prodnetos sao mais considerareis.
Prospecta e mais informacoes serio prestadas pelo sub-dtreetor nesta provincia.
oaquim Fiaxa de Oliveira, roa da Cadeia n. 82, oa a Boa-Vista ra da Imperatriz n. 12, estabeleci
ment dos Srs. Raymundo, Carlos.Leite & Irmo.
AO GRANDE S. MAURICIO
Vl
PROCEIS^OS APERFEI^OAUIM
PARA
Tiaglr, Umpar e lustrar a vapor.
F. A. SALINGRE & C

29 Ra 7 de setembro 29
Defroote da roa nova do Onvidor (Rio de Janeiro)
Os proprietarios deste estabelecimento, o primeiro no sen genero no Brasil, por
trabalhar com as machinas mais aperfeicoadas para tingir e lustrar, de que se faz uso na
Europa, e ajadados por alguns dos melhores officiaes de Paris e Ly5o, podem assegn-
rar seus fregoezes urna perfeic5o no trabalho, a qual sen3o pode chegar pelos proces-
sos ordinarios.
Tiogem, lavam, limpam e demofam com a mainr perfeicSo e brevidade qualquer
qualidade de fazendas, liram nodoas e limpam secco sem molliar as sedas e as vestimen-
tas de senhoras e de homens.
DE


FAZENDA E ROPA FEITA
UVA NOVA tf. S4U

Reg & Moura, proprietario da loja de fazendas e roupa feita, sita ra Nova
n. 24, verdaderamente penhorados e reconhecidos para com seus amigoij e freguezes^
pela aceiiacao e confianca que deles tem merecido no eup< cspaco de tempo em que
se acham establecidos e perfeitamente escudados na sinceridade dos seus tratos, decla-
rara para sciencia daquelles que o quizerem honrar com seus ollicios, que, em vista da
grande concurrencia que tem merecido o seu estabelecimento, especialmente no que
relativo a roupa feita; acabam de admittir para a sua ofllcina de alfaiate maior numero
de artistas, inclusive o seu contramestre, dirigido pelo hbil mejslre Lauriaao Jos de
Barres, o qual nao se poupa a exforcos para satisfazer com a presteza, possivel qualquer
obra de encommenda.
Os mesmos aonunciam aos seus freguezes que acabam de comprar um novo e
muito variado sortimento de fazendas finas e de bom gosto, proprias para o tempo da
quaresma, as quaes esto dispostos a vender por precos muito cornmodos e mais barato
que em outra qualquer parte.
Como sempre escusamos essa enfadonha prolixidade dos annuncios bombsti-
cos ; preferimos mostrar na singleza deste nosso convite os bons desejos que nutrimos
para bem servimos quelles que vierem ao nosso reclamo.
Companhia lid el idade de segaros j
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PERNAMBUCO
Antonio Lnii de Oliveira Atevedo k C JP
competentemente autorisados pela direc- gaj
toria da companhia de seguros Fidelida- 2
| de, tomam seguros de navios, mercado- ?
^2 rias e predios no sea escriptorio raa da T
m Cruz n. 1. m
mrnmmmmmmmm wmwm
mmm wmwm mmmmmm
1 O Dr. Carollno Francisco de Lima San- ]Q|
K tos contina a morar na raa do Impera- MK
dor n. 17, segundo andar, tendo alias sea
gabinete de consultas medicas, logo ao jtt
entrar, no primeiro. ^
O mesmo doutor, que se tem dado ao I
estado tanto das operacoes como das mo- jf
lestias internas, presU-se a qualquer cha-
mado, quer para dentro qaer para fra
da cidade.
MARTIMOS
Em casa de Tbeod Christiansen, raa do Tra-
piche-novo n. 16, nico agente no norte do Brasil,
de Brandenbnrg frres, Bordeaux, encontrase ef-
lectivamente deposito dos artiges seguintes :
St. Jnlien.
St. Fierre.
Larose.
Cbateau Loville.
Cbateau Marga ux.
Gran vin Cbateau Latte 1858.
Chateaa Lafitle.
Haut Saulernes.
Cbaleao Saulernes.
Cbaleaa Lataur Blancbe.
Chateau Yquem. > -.
Cognac em tres qualidades.
Aieite doce. Precos de Bordeaux.
O bacbarel Francisco L. de Gusmao Lo-
bo transferio a sua residencia para a roa
estrena do IV nrio n. 41, 1.a andar, e ah
tem o seu esa i-torio de advogado, poden-
do ser procurado em lodos os das otis
das 9 horas da ir.uhaa s 3 da tarde.
Gasa de eeaaissio de estraves na roa do Impe-
rador 4a, lerceiro andar.
Recebem-se escravos tanto do mato como da
praca para serem vendidos por commissao, arBan-
ca-se o bom tralameoto e seguraoca para os mes-
mos. O abaixo assigoado nao poupa esforgos aflm
de os vender coa prompiidao, nesta mesma casa
ba sempre para vender escravos de ambos os sexos.
Antonio Jos V. de Sooza.
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnisadora, estabeleci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e peas carregamentos, e contra
fogo em edifi.ios, mercadorias e mobilias:
na roa do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Na praca da Independencia n. 33~loJa de
onrlves, comprare ooro, prata, e pedras preciosas,
e tambem se faz qualquer obra de encommenda, e
todo e eualquer concert.______
Antonio Jos Rodrigues de Sooza na ruado-
Crespo n. 15, toma dinbeiro para mandar entregar
na Babia, Para e Maranhao.
a
Albbms para photograpijia, albums em
branco para desenho, collecco de photo-
graphias: formato grande para quadros, for-
mato para albums.
NA LIVRARIA FRANCEZA
N, 9| Ra do Crespo N. 9.
Ama
Precisa-se de urna ama par* o servlco interno del
ama casa de pooca familia : a tratar na praca da
Cerpo Santo n. 17, 3* andar.
Joo d Silva Ramos, mdico
pela universidade de Coimbra, d I
consultas em sua casa das 9 as ]
11 horas da manhaa, e das 4 as ti
da tarde. Visita os doentes em suas
casas regularmente as horas para
isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serlo soccorridos em
qualqner occasiao. D consultas aos
pobres que o procararem no hos-
pital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 is 8 horas da
manhaa,
Tem sua casa de sade regular-
mente montada para receber qual-
quer doente, ainda mesmo os alie-
nados, para o que tem cornmodos
apropriados e nella pratica qualquer
opperaclo cirnrgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe..3i>000diarios.
Segunda dita....34500
Terceira dita .2(5000 >
Este estabelecimento j bem
acreditado pelos bons servicos que
tem prestado.
O proprietario espera que elle
continu a merecer a confianca de
[que sempre tem gozado.
i
I
1
1
I
GARRAUX, DE LAILHACA.R & C.
LIBRARME FRANCAISE
RA DO CRESPO NT9.
Livros nacionaes e estrangeiros.
Religiao, dtreito, literatura, etc.

i
Papelaria, objectos paraescrip
Papis pintados para forrar casas.
Assignaluras para os joroaes da Europa.
' Prt*B>M ddiMi feitor patam siUo1fito
parlo desta eidade; a iralar na fabrica da/ifaves-
sa do Carioca n. % caes do Ramos, oa ra Impe-
rial sobrado n. 64.
.*. irtfr^ wjet

--------!------------



*hms*h*WHte*" "eTS&toM4'Wl de
1866.
PASTILHAS
VERMFUGAS
i




NOTA YORK.
DE COR CUEIHO E SABOR AGRADAVEIS
Infinitamente mais efficazes do que todos
os mais remedios perigosos enauseabundos
que existem para a expulsao daslombrigas-
Nao causam dores e prodmem seu effeito
sem precisar logo depois de purgante ne-
nhum e taoincitantes em apparencia e deli-
ciosas em gosto, que as crianzas estao
promptasa lomar mais do que marca a re*
ceita.
Uteis como um exceltente meio de fazer
remover as obstruoooes do ventre, mesmo
co caso de nao existirem verme algum, as
>ASTILHASVERS!FUGAS DE KEMPS S50 promp-
tas einfailiveis na sua operaco e por todos
os respeitos dignas deconfianea e approva-
(3o de todos os aes de familias. Prepa-
radas unicametfte por Laman & d,
Nova Yrk.
Deposito geral em PeraamDuco rtm Cruz n.22ma casa de Caros____________
PROFESSOH DE PIANO
Jos Coelbo da Silva e Araujo coBtiua a
leccionar piano: na^rua do Livramento n
21, terceire andar.___________________
Samuel fower Joknston & Oempanhia
ftuada SenzalaNova n. 4.
AGENCIA DA
Pnadlc-So deLow Hoor.
Machinas -a vapor de 4 e 6 cava los.
Moendas e meias moendas para engentes.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
PHOTOGRAPIHA
artstica americana
RA DO IMPERADOR N. 38.
Artista americano
Artista americano.
Artista americano.
Artista americano.
RetratosRetratosRetratos.
* Em porcelanaNiepcoiypie.
Em lencdsArchrotypie.
Em vidroAmbrotypie.
fim n*et.t=Daguerreotypie.
Em papelTalbotypie.
No grande salao da ra do imperador n. 38
No grande salto da ra Neste estabelecimento tiram-se retratos
em todos ossystemas, oom asseio e promp-
tidao, desde as doto horas da mantte
t as inco da tarde; assim como tem
sempre a venda grande sortimento de cai-
xas finas de diversas formas. Qaadros
ovaes Patsepartouts e todos os mais ob-
jectos e productos chimicos, relativos a ar-
te e recibidos Itimamente dos melhores
foroecedores de PARS e Nova York, tendo
de todo, para todos os gostos para todos
os precos.
Salao da ra do Imperador n. 38.
Salo da roa do Imperador n. 38.
LIVROS
DE
Cerapram-se latas valias de gaz
Guia h. "9.
Arreios di- carroara nm e dous cavalos.
Relogios de o uro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar Igotiao.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Medico e operador.
O Dr.Joao Raimando >Pereira da Silva,
'tendo frequentado os mais ooiaveis hospi-
' ifies de>Paria, pode ser procurado para os
roysteres de sua proissao na ra da Cruz
d.40, segundo andar, 'fia consallas todos
os diSdasTT as 10 horas da mantisa. Es-
pecialidadesmolestias de oIIis, partos e
va? orinaras.
1L1VR0S
oe
PREPARATORIOS
EINGUA INGLEZA.
HILLARDS-First ClassReader. in Vt*
IMITA Grammatica pratiea da lingua
ingleza.n 8.
SADLER Cours complet de laogue ae-
glaise.
SADLERDictionaire francais-anglais=
anglais-francais, in 8*
SPIERS Dictionaire francais-anglais
aDglaisfraocais, 2 in 4.
OLLENDGKF.Methode d'anglais, inS-."
RUSSEL Curso de lingua ingleza, se-
gundo o methodo Robenson 3 in 8.
VIEIRA Dictionary of the english and
portuguese languages, 2 io 4.
WALKER Pronuncing dir.tannary. in 8o
NA LIVRARIA FRANCEZA
N. 9 liua do Crespo N. 9.
CHBRNOVIZFormulario ou guia medi-
ca, 7/ edicao in 12^
CIffiRNOViZDiccionario de medicina
popular, 3.a edicao, 3m 8.;
LANGGARDArte obstretica, io'8.
Diccionario de "-medicina
domestica e popo lar, 3 in 8. 1865.
BONJEANNovo manual do fezendeiro,
2 in 8.
^BEIRO -Compendio de materia medica
e-de therapeuti a, 3nn 8.
GOMESElementos de pharmacologia
feral, in 8.
LA'MERTPreservacao pessoal. 42.a edicao
ia!2.
MACEDO-PINTO-^Guia do afretar 2.*
-edicao in 12.
MELLO TIORAESPhysiologia das pai-
'es 2.a edico 3 iu8.*
MESMER-Magnetismo animal, 1 in 8*
MUREMedico do povo, 1 in 12.
NA.tIVRARlA FRANCEZA
N. :9 Ra do Crespo N. 9.
m, S<>..
n
Precisa-se -de
24.
urna ama : na ra das Crozes
f
As Piluas Catharticas
E AYER.
O purgante mo.lt c/icat mi hoj* Jucido.
Estas pllnlaacSo-peramente rrg-
(,..10 rendo na. sua eompo-
i$ao -tem mercurio nem nutro
tfreinmte mineral; fo inno-
/ oiiu.es para aa criminas e pessoaa
iii delicada", no mecnio lempo
qe, caraponta como o de ve/rl-
tac BHli Sattet, o bastante oli-
va e efieazea para as petoas mala
robadlas.
ata pMalaa enthartleas porgo c juelBcio toda syatema
humauo sem aercorao.
Nao ce tem {aupado trabalfis neat dcapeu para lerar ettaa
;-,JuIai a um grao de perfecco tal, que naaa dulxa.a .deaejar;
tfia o resultado de uuo de eaUdoe labuaiairnn e eonatantea.
?Aara alcanzar toda aa \?intugena que reaultM4e uso de catfaar-
l.Cs, tcm-ac combinado aataentc mr rlrtue rurttllrot im
:->lats que alo emprendas na eeafecfo 4a> pUulaa. fiaa
:omposicno i tal qu# aa eulcrnidadea que eato uo aloaace
de aua acco, rara vejes poder* reaisU-las on evu4i las.
Suaaipropriedadas peuetrautea ezploro pesetro, purificaos
do vigor todfus aa p.rteadeorgiil8mo humano; poia corrigom
a aua oeeao viciada e fax reeuperar a aua ritalidade. Urna daa
cOBsequeueias dataa pronriedadei que o daente, abatido de
dr e debitidade plij tica, lUUnira-se da ncoatrar, to depceasit,
eoa anude e energa recuperadas per meio d' um remedio lao
teiplea e atj-adavel.
As molestiu.- que esto ae seo alcance ao.
PrizOo de veare liheumatmo, Mr 4 toca, A Neuralgia,
Etucagueca, JnMftttio t mal do tstomag, BtmorrhoUUu,
PAPEonaarros no fiqado,
,f>6re gactro-h'patea, Gastrii, affcoBei DiUoias Lombrigat,
Xrypeta, Jl'jdropiia, eurdez, ce/uira parelal, t Paralytia.
lo almauak e Manual de Saode do Dr. Arar, que ae publica
loileaug auuoa para distribuijao gratuita, e.tcontra-aa um tr-
i mo e^ore aadivcraaa doescas que esto ao aicaute* i
KBMEDIOB FUBOaJTTUI.
Acha-se e todas as Botieos e Drogaras do Imperio.
1 CASA DE BAiMIOS!
26 Pateo de Carino 26.
Neete estabelecimento to impor- j
*5 tanie para, a saude e asseio do cor- I
po, acham-se montados 20 banhei- ,
ros, que sao servidos com a ordem j
0. e asseio que paradesejar-se. Qua-
^ tro dostes banueiros sao especial- ',
Sj mente reservados para senhoras e i
' poristoacham-secilocados emlu- I
gar reseiH-ado, aonde s tem entra- j
RE da as pessoas de umamesma femi- \
M l'a- j
& PREGOSrDE BANHOC AVLSGS. j
g 1 banho fro, morno onde
m chovisoo...... SSO j
s 1 dito de choque .... 1,$G00 !
[ i dito de fardo.. .. .. .. 1(00) \
I 4 dito aromalisado .. .. 1(5000 S
PRECOS FOR ASSIG4TRA. \
$0 banhos por mez fro,
morno ou.de chovisca. 10;>(!00 'j
.2t banhes com cartes pa- G
xa os mesmos .... OoOOO
.12 ditos ditos ditos SfiOQO J
,12 ditos ditos de choque. O000 \
,12 ditos ditos de farello.. l^OCO i
0 estabelecimento estar aberto \
.nos dias uteis das 6 horas da ma-
nha as 10 da noite, nos das san- |
cados das 5 as &,horas da tarde. I
%%\>
1
Precia-se d'ama mt captiva oa fem para
casa de poaca familia ni ra da Concordia n, 34
sobrado do armasen! do sol, pagase beaa. _
Joaqolm dTSoza'Maia, subdito porluguez,
vai a Portugal, levando era sua compauliia um
criado porluguez de norae Manoel FraocUco do
Xascimento : o mesmo gcieotiQca ao respeiUvel
corpo do commercio, que, dorante soa ausencia,
deixa por seos procuradores os Srs. lianoel Joa-
quim Gomes. Jos Antonio de Carvalho, e Manoel
M o reir de Sonza.
ATTENCA.
H>nry Forster d C, ra do Trapiche n. 8
tem para vender:
Preiuas para enfardar algodo.
Machinas de de.-carocar algodao, de 30 a
60 serrotes, com motores, assim como moto-
rs que servirSo para qualqner servido, e urna
machina de 120 serrotes comjuma machina a
vapor, propria para a mesma.
COMPRAS
Compra-se onro, prata e pedra preciosas
em obras veihas : na roa da Cadela do Recite
cja de onrives no arco da Cocceicj.0. _
Onro e prata.
Em obras veihas: compra-se na praca da lo
dependenclo n. 82, loja de bi I he tes._______^^
Compra-se urna borra de ferro, ingleza oo
mesmo das antigs; na ra Nova n. 3L_______
Selim e silhUo,
Compra-se nm selim e um silhao osados: na
roa do Caldeiro o. 74, das 6 as 10 da manba e
das 3 as 8 da urde.
Gompram-se doas redas para carroca oa
urna carrosa qae esteja cm bom estado : no arra-
zem da bolla amarella no oitio da secretaria da
porlcia. _____^_______
tmprarrr-se libras esterlinas : na praca da
hidependepcia n. i% jonto ao relojoelro._______
Compra-se na prensa de algodo de Saunders
Brothers & C. sementes de algodo a 800 rs. por
srroba. ,-j
ca roa da
Comprase notas do banco da Babia : na roa
da Oadeia de Recite b. 13, loja do Boorgard.
Compram se qoatro bonos, sendo nm para
teHa: a tratar na rea doimperadorn. 431. andar.
Libras sleriinas.
' Assim como qoalquer oatra especie de
amoedado: compra se na ra do Trapiche
n. 22.
onro
Novo
VENDAS
PARA 1866.
Acabam de subir luz as folhinbas de
algibeira ede porta para o anno de 4866, o
mais correctas possivel tanto no clcelo das
las e eclipses, como as diversas testas
que a igreja celebra; vendem-se nicamen-
te na livraria da praca da Independencia,
160 rts as deporta e 320 ris as de algi-
beira.
tenco.
3
vnde se a loja de livros da praca -de Pedro II
n/i, muio propria para qualquer principiante por
ter poneos fundos, ateodo-se ao comprador os
abatmientos que forem razoaveis, e dando se-lhe o
prazo que se conveoeionar para.o pagamento, com
tanto que d algum diH'iteiro a vista. Cm falta de
comprador far-se na negocio com a armacao so-
meme, a qual serve para qoalqoer oulro negocio
d'ifferente : a tratar na mesma loja. eu na ma No-
va x. 17, 2o andar.
CALCADO.
45 Ra uireita 4&.
A primtiira condic5o indispensa^l con-
servaco da sade irazer os ps bem de-
fendidos contra os ataques da humidade;
calcado bom e seguro o nico preserva-
tivo dessas mil enfermidades a que est su-
jeito o nossoeu. Um chnelo velho cal-
fado por um dandy patuscante, ou urna
botina acalcanbada em pequenino p de en-
cantadora deidade alm de aecusar que-
bradera horripilante, prova contra as acui-
dades intellectuaes dos calcantes, e nao ha
qoem, tendo bom senso, queira passar por
maluco, ou pobre de surr5o : ergo, cor-
ram a:
4oRA DIREITA4*.
e attendam a' barateza.
Homens.
Borzeguins barcellonezes de lus-
tre e de porco 6(5000
Ditos de Bordeaux .... 70000
Ditos parisienses de bezerro e
cordavSo....... 8,5000
Sapatoes de Nautes de duas ba-
teras rasas...... 5)5000
Sapatoa de lona, sola de borra-
cha..... ; 20000
Ditos avelndados..... 16600
Dito; de tranca bons 10600
Senhors
Borzeguios enfeitados. 50000
Ditos de lago...... 40800
Ditos lisos......, 40500
Sapalos de borracha. 10600,
Selleiros, corrieiros e segeiros 1
Tasso Irmaos
Vendern no sea armazem roa do
Aorim n. 35,
Licor Sao Curasao em botijas e meias botijas.
Licores linos sonidos em garrafas com rottias t
ldro e em lindos frascos.
Vlnbostheres.
Santernes.
Cbambertin.
Hermitage.
Borgonbe.
'Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Gldjon.
^Aezei lagniol. _______
fio annazem de azendas
baratas de Santos Coelbo
Ra do Qiiciaiaijo a. 19.
Vende-se o segarnte :
O ltorta de chita da Iodia a 24400.
Ta-va-vo vm2i T>n-A..,As^------- r.-fj"W'4paonode..Unbo-a 2200.
ldXS para reilna^SO mu HotWMte delloho^e um $6 paoaoa
Vendem-se na ra-Nova n 33, loja da i ova d--. |-i\100- \
Sebastio Josefa Silva. Lencos de-cassa brancas raerlos para algibeira
_----------j--------------------------------------- 4*30000 a -dcM,. ^-
iazendas para a quaresma, L }Sjjfc cra|rad0 co"'7 *'2 palmos de Ur*ura
No armazeaa da porta larga, ra da-imperatriz, | Athoaiha rosdenafile pr^to a WW 15600, fJWO. U \ St%l U .^SS ^
^."iSlPaet ^dlVer.S*6 '"SL'^*' nardawlp de lindo a 3^890 a dozia.
mais neos-chales de renda preos, .ecetondaas ; PeCaS de mbraia de sajp.cos a 4*800.
da ultima moda no mer- :azinha aberta de cores a 330 o covado.
a. az, na ru*| Cambra tranca de forro a 3*5 a pega.
__________ I F6 de lieiw liso fino a 800 rs. a rara.
Peehintha edmiravd i *it0 de.dii?com "Wo" ** vara.
Laazinhas de qoadrinlos que parece seda a 240 ; r/r,aoI)0hd!,iah0 I>a "25 jLi<2 palm8S **,argu*
re. o covado, ama grande pechincha,est se ac- &**!?50 iiX!$lJtm L.
^ado : na loja 3, armaem da port larga de! fl2KB SZu&N&i'AZ ,,S*"
Paredes Porta ;*4aDraia-i"a i^oG, &MA 7 e 8* a peca.
-----,--.-,=rl------------------- re?as de cretanha de algoto com 10 varas,
nao a ra Attentfiio!
Atten^o!
Attengao!
Grande soiliniculode fazeiidas pro-
pria s para a i oa resma.
Acabada chpgar a este nevo estabehcimento
um grande e variado soriimento de fazendas cro-
pnas para a quaresma, a saber :
tr sdej.ap.ts prclo a 1600 o covado.
. e'inA"m.8.ande ortimento de grosdena-
ple a U600, #800. ? 200 o covdo ; dito
mallo superior a ?*800e 3 : na roa da Impera-
trli n. /3rioja de uimaraes J Irmo.
Moriantique prcto a 2800.
Vende-se um grande sortimento do monamiaue
a 2S800, 3# e 3|300 o covado. q
Chiles de renda pelos a 80000.
Vende-fctembem um variado soriimtnto de cha-
les de renda a 8$, 9580O e 10,5 ; ditos muito unos
a 11,5 e 122 : ditos de seda fazenda mullo lina a
20000.
Retondas relas a tog.
Vendem-se rt toncas |retas peto barato prego de
102 e lia : na ra dalmperatriz n. 72, loja de
Guixaraes & Irmo.
Grande pechincha panno preto a 20000 o
covado.
Vtnde-se panno preto proprio para calcas e pa-
litcte a 2 e 22200 o ^cotado -, casimiras preus
a 12800, *2, 22400 e 2|500 o covado.
f muito barato corles de casimira a 30500.
Vendem-se cortes de casimira preta a 32300
42 e 42500"; dita muito fina a 62.
Admira cortes de brim de cores a
1,280
Vendem-se re tes de brim de cores para calca a
12580,12600, 12800 e *2 na ra da Imi eratriz
n. 72, lija de GuimarSes <& Irmo.
iE' baratissimo a 120 ris o covado:
Vendem-se riscadinhos muito proprios para ron-
j pa de escravos, a 120 ris o covado; ditos tscoce-
zes DJUito fleos a 240, 280 e 300 ris o covado.
Laazinhre a 3oo rs.
Laazinhas de qnadrinbos a 300, 320, 360 e 400
rs. o covado ; ditas muito Gnas a 500 e 560 : na
ra da Imperalriz n. 72, loja de Guimares & lr-
mao.1.
Cortes de la a 50CCO.
Acaba de chegar a este importante estateleci-
mento um sortimento de cortes de laa que se vio-
de por 52 e 52500; ditos a Mara Pa, fazenda
muito moderna a lis, 142, 182 e 0i; ditos com
camisinha, cinta e grvala a 252 < -*S-
Chitas francezas largas a 260 ris
Vende-se nm grande sorlimento de chitas a 200,
280, 300, 320 e 360 rs. o covado ; ditas preciares
a 400, 440 e 500 rs.
Cambraias de cores a 280 rs o
covado
Vendem se camlraias francezas a 280,300, 320,
360 e 400 rs. o covado.
Cambraias lisas a 3.000 Vende-se um grande sorlimento de camlraias
Sola de lustre, meios graDdes 200000
E nm completo sortimento de calcado fa-
bricado nopaiz^_____________________
Diademas dourados,
enfeitados com aljofares, pedras,
etc. para meninas e senhoras.
A agula-branca vende bonitcs e modernos dia-
demas dourados, enfeitados com aljofares e pedras
proprias para meninas e senboras.
Bonitos ehapozinhos
de palba fina e aventaes para meninas.
Sao obras estas de que os bons pais de familia
se nao podem escusar de comprar, por fazerem el-
las parte do asseio e bom gosto com que trajam
snas bellas filhinbas. A aguiabranca tem o pra-
zer de ver qne to bellas e precisas obras foram
devidamenle apreciadas e compradas em seu nt-
nno. Os cbapeozinhos, alm de serem d'uma pa-
lba mui fina, sao de mu bonita forma e ultimo
gosto, enfeitados com toda a perfelcao: os aven-
taos, porm, sao de fina cambraia, guarnecidos de
babadinbes bordados; o que Ibes da moita graca.
Os precos destes, 5,5000, e daquelles, 102'. e de lisas pelo barato prego de 32, 32500, 42, 40
os
eom moita. roda, fazenda
cado : do artnacem da porta larga
da Imperatriz.
fu6, tem para vender o segGinte :
Vtoho bordeaos tinto em juartollas, baatris e em I J^azinha lisa de cores a"S00 rs. o covado.
^'35: CarBbraias'fiaDs decores miadtnbas a 36
Vinho bordeauK oranco S*a4ernes. | ce-vado.
Champagne de iaa qaaltdate. .EsSeira da faflb propri* para forro desala
Absinth.
Kirt
rs. o
de
do
4,i'-e Sue-crn outra-qaalqner parte.
Neste armazen tambem se-oocootra um grande
sarticieuto de raapa feita e por medida.
Vende-se. ota aiuga-se o sobrado amarello da
PoiMe 4:Ucha : a tratar na ra 4o Imperador n. 27.
-Tende se oa pormota-se por algum predio! I^Pndft-fi'ft 111T1 ^llrATllin
nesu prafa, a parte de engenhomnhama do ter-1 ., t*iu.u-&v U.U1 ^aigOJJUU
rno de gaarass, que.por partilia tocou ao-easal d H6ua denominado Triumpho oa comarca de San-
de Francisco Lopes Alachado, na importancia de t0 Aatao junto ao ngenho Coqneiro, com ierras
8.0002,a qoal parte aofaase livre,8 desembaraca-' para safrejar de afl) a 800 pes,com boas obras a
da, quera pretender >trija-se a roa da Hangoetra casa <*e ''oda por preco commodo : quem o pre-
Fogo do ar
Valdivino da pottvora se.acba com fabrica .de
fogns a r ti fie la es na Iba do Marui, com grande
porcao de fagos de l*orte, j preparados a espera
de festejar o grande dia qae tiver noticia de qual-
quer triumplio de Bossaa armas dejKro de Para-
guay : todos aquellesque tiverem a mesma-satis-
fago dirjase aa axmazeai do sal na xua Imperial
au. 221.
O. 1. _
Chapeos maffllha a 10$.
Na ra estreila oo Rosario iravessa Jo Qaeima'
.do o. 18, loja de roludezaso'e Mata & Landelino.
Ma ra da Imp&atriz ai. 28.
Vendem-sexorles de cambraia braneos com 4,
5-e 6 babados.a 202 e 2S2-
Fil de seda,preto com flores^ vara 12.
Ccmbraias brancas de urna .vira de larcura 0-
na a J2e 800 k.
.Ricas lampadas e candieiros a gaz .por crosso
e a retalho.
tender queira dingir-se ra dafraia'n. 76.
tratar at.o fim do earrente mez de abril.
pa
O
Eom-ae
om asseio, promptidao e preees razoaveis : na ma
Auflsu n.5, loja.
AH-0
>
O Peitoral de Cereja
DE AYER,
TAMA A PROMPTA CDBA
DA
iuitfaa, da Conatipaoea, Toases, B*aqnldao Infla-
enft, Bronohit, Tisioa primaria, Tubarculoa
pulmonares, e toda* aa mftiTftl de
Peito, aasim como para ariskr
os ethioos doelarados.
. As Kcpcaatts do Db. Am iao vciuUdaj as prnda**
(trogarias e botloai do Imperio,
Vndense em Pernambuco:
na
IPHARMACIE FRANQAISEl
Deaappareceu da loja de onrives na roa do Ro-
sarlo estreita n. 10, no dia 28 do mez passado. o
mulanho -de nome Lniz, um pouco idiota com ida-
de de 14 annos, lendo vestido caifa de panno fino
i azul e camisa branca com piolas encarnadas, cor
| clara, cabellos f retos estirados, e qnando abre as
roaos os dedos mnimos ficara torios. 6uppSe-se
tr-se perdido ou ter sido furiado. Pede te, pols,
as autoridades poltciaes e capilaes da campo a cap-
tara do mesmo mnlatinho no poder de qoem se
aebar, sendo condozido a mesma loja que satis-
far as espeas
Fejsio.
Venden-se saccas com feijao amarello, branco
rajado e preto, mais barato que em qualquer par-
te : na roa da -Madre de Dos o. 5.
OOlare Boyer oa colares aao-
tno
pan facilitar a dentico das changas e preserva-
las O feliz resaltado abtido invmensas veas pela
prodigiosa forca magntica dos colares Royer, nos
casos de.convulsdes,* dentigao das crianeas, tem
altamente elevado o sea bem merecido prestigio,
e hoje j e pode dizer que estao feralmente cn-
ceituados, .e estimados de inDiimeraveis pais de
familias: e uns porque do uso dosses salataros
Vende-se a taberna da raa da Gola jl S6 pro- w^res virara salvos do pero seas baros filbi-
prto para principiante, e o noiivo se dar aa com- atwf> e de onVos porque eod-heram daquelles lio
"Vendem-se OO pedras para tadrilbo, vustas
da liba a tratar isa roa do Vtgaxioo. 14.
prador.
Copos
amargos
Para as pessoas que soffcem do esloougo.
vende-se na pliarmam do Pinto, na ra larga
do Rosario n, 10.
ser tone&tfi aos pas de
proficuo exeroplo para iguahneoie preservar os
*eut. Assim, pols, a agnia branca, tendo em vis-
tas a ntllidade e proveitn desses prodigiosos cola-
res anodinos oo Rover, mandn rir o hoto sorti-
mento 4oe agora reeebeo, e contl.wur.-i a recbe-
los para ae em lempo algum a falta delles possa
familia, os qa&es flearo
qnanto sao elles baratos conbecera o pretendente,
que se dirigir a' luja d'aguia-branca, na ra do
Queimado n. 8.
vldrilbos de cores e aljofares,
imitando ac, para eefeites de vestidos.
A aguiabranca na ra do Queimadon. 8 rece-
beu um bello sortimento dos oLjectos cima pro-
prios para enfeites de vestidos, etc., etc., e est
vndendo commodamenle.
Novidades.
Na Agula branca ra do Queimado n. 8 rece-
ben diversos objectos de muito gjsto e inleiramen-
te novos, sendo:
Bonitos e delicados pentes dourados e prateados,
tendo entre elles algnns de filigrana obra mui per-
feita e de elevado gosto.
Ditos com chapa de madrepsrola.
Brincos de filigrana e outras qualidades.
Flvellas de dita e outras tambem de diversa*
cualidades.
Cintos mui bonilos, enfeitados era toda a exten-
$oo coui caracteres dourados e prateado5.
Filis eoteitados com moedinhas dourads,e lan
lejoilas, aljofares & &, sendo para coque, e toda a
(Mbeeat e outros com plnrr.asjfc._________
Bonitas voltas de jaspt com ernzes, tenBO-tfla.
bem algumas de doas cores.
Loras e meias
e la vegetal, para quem soflre de friald?de, pa-
ralesya etc Vendem-se oa ra do Queimado loja
d'Aguia branca n. 8.
Bandoline de oza
para segnrar oo conservar perfertamente atado os
cabellos das senboras. Vende-se na ra do Quei-
mado loja d'Aguia branca, 42000 o frasco.
Enfeites pretos para vestidos
i pera vestidos, sondo bicos com .vidrilhos e sem
eMes, trancas com pendentes de vidrilhos e sem
Res, cordo grosso tambem com vidrilhos e sem
elles; assim como galoes e franjas de diversas lar-
guras, fitas de velludo-t<\ como sempre os bons
fregeezes encontrarlo ommodidade de precos nos
objectos qne se vendem na loja d'Aguia branca ra
do ifeaeimado o. 8.
Boties de vidro
com sfeites d'aco no centro.
Beses botoes que tanto servem para merbor se
poder nfeitar ara boa vestido preto oa de cor,
acbo^se a venda na ra do Queimado loja d'Aguia
branca n. 8.
Acabae dragar aloja da aguia frasea
a ra do Qoeimado n. 48.
Cbromaco-rae para tingir cabello?.
Hoild scalter para dito.
Tintura je L. arqnes para dito.
jgmiao-ranca
a roa do Quintado n. 8
acaba dereeebcr:
Lentiyonlss d'aco para enfeites.
-Pennas braneaB e de cores, para gorjos e chapeos.
Enfeites .filis.mui bonitos e modernos.
Sapalinbos de setim par baptisados.
lelas de seda para o mesmo.
BQDttos obapeosinbos de selim para dito.
Rosas camelias e nutras qualidades.
Novos ivincos,.Avallas, pautes e pulsgiras de flli'
gran.
Fitas de seda de cores para debronhar vestido.
Dita dearjacom dinerentes cores e largaras.
Diu de gsrgorio, desechos novas e bonitos para
cintos.
Carteiras om agulhas..
ofi : ditas muito Goss a -joO e 6>; ditas victoria
a 6500e 7fi; ditas de urna vara de largura a 8
e 9 ; ditas para forro a i600, 25 e 20 : na
ra da Imperatriz n. 63.
ROUPA FEITA.
Vende-se um completo sortimento de rr ui a fei-
ta feita. assim como sejam palitols, calcas, coletos,
camisas francezas a 1600 e i800 ; oilas tinas a
25 e de lioho a 2*800, :,$ e 3oOO ; seroulas in
1^.00, 15100 e 15(100, de linho a 25 e 25300 : na
ra da Imperatriz n. 72, loja de Guimares & lr-
mao.
******* **xf mmm
Farinha de mandioca. nSlVar^^en,e,urBa*)ttae-
Vende-se de ta. qnaUdade de Santa enharina a
bordo da escuna oldemborgoeu atsn, a tratar
a bordo do mesmo navio en no escriptorio de Amo-
rim Irmo?, ra da Cruz n. 3.
nudo, loja nTaguia branca n. 8.
G4Z.
No armazem da rna do Imperador n. 3
PAPIS PISTADOS
Sortimento de papis pintados e
lindas guarnieses para forrar casas.
NA LIVBARIA FRANCEZA.
N. 9 Roa do Crespo N. 9.
Precisa-se de orna senhora solteira on viuva,
honesta e de bons costantes, que seja s, com as
babililacOes precisas para ensinar as primeiras le-
tras, costuras, etc., a doas meninas d'ori engenho
na freguezia de Sanio Anlo : quem pretender d-
rlja-se ao larg do Carmo n. 1.
. Joao. Rodrigues de Oliveira, Portugnei, sol-
teiro, morador em Olinda, segu viagem para Lis-
boa do fim de correte mez de marco at o melado
de abril; se hoover qoem Ihe queira fallar, dirl-
ja-s a roa do Amparo em Olinda o. 4.
-- Vende-se o engenho Uocamblque na fregu- Caes de Pedro II n. t, tem para tenderse o
zia da 5. Loarenco, na Campia-Grande, eom a bor gas eristente no mercado.
frente para o rio, na estrada, msate e correte, a ------,, ? r :-------------------3
vapor, Jambique de patente; oa a dinheiro, u mocas
troca-se por predios nesta praca : quem pretender
dirija-se ao proprietario que faz negocio.
I
ou no
me-
Fanaha de mandioca
l#500
Mallo boa e chegad ba pouco lempo, vende-se
na ra da Cruz n. 33.
Vendem-se daasi'prdtas mocas e saaos sa
bendo lavar e coser e proprias lambem para la-
vonra, motivo da venda terse de retirar o sen
i seobor para fora do imperio : para tratar no ar-
mazem a roa da Cruz 11. 33.
Vende-se sal grosso : a tratar na ra da Ma-
dre de Deas n. 2.
Vende-se um escravo preto, crionlo, da 20
ama cadeirinU de quatro brao~s 5"0'd" idade' Pi"r mais oa me*06' ido ?Prvico
ias eem mallo bom estado, por, }.e J? e sem deftos: ** 'M < Apollo n. 7,
Vende se
com suas correias
preco commodo, assim como cima lina grande"de '
amarello propria para banho, lambem em muito MlMMWt
bom estado e por preco rasoavn|-| a tratar na roa *-
de Santa Rita. n. 83.
Panno de algodao. trancado
Chegaram alguns fardos da fabrica Ferrao Ve-
Iho e vendase,fta ra da Cadeia armazem n. 4.-
Vende-se urna loja cora fazendas todas ven-
dajeispara pagamento dos seas eredores ra do
Passelo Publico n. 8, das 6 horas da manba as
8 da larde eneontrario sen proprletirlo o qual tara'
lodo negocio com desobrlgi ao seus eredores.
Caf imperial
O superior caf do Rio de Janeiro, ven-
de-se a 125 a arroba ; ta ra do Vigario
n 24, escriptorio.
Vande-se a fabrica de charutos da Trivessa
de S. Pedro n. 1 : a tratar na mesma.
Veodemrse malas e bahus osados muito em
conta : roa f?frofa do Rosario n, 14, loja de
trastes. '
-rftnde armazem de tin-l
tas medicamentos etc,
loa do Imperador n. 22.
Io3o fedro das Xeves (ge-
reate) (en a venda o
seguate:
Producto* .chimicos e' pharma-
ceaticos os rais empregados em ,
medicina.
Tintas para todo o genero de pin- '
tora o para tinturara. -
Producofi. ioduslraes e tintas i
para llores, como botoes de flores
e modelos em. gesso para imitar
frnctas e paosaros com o compe-
tente desenh'o.
Productos chimicos e industriaes
para photographia, tio'tirara, pin-
tura, pyrotecnia et\
Montado em grande escala e sup-
Sprido directamente de Pars, Lon- ,
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa
K pode offerecer productos de plena '
K coefianca e satisfazer qualquer en-
"" commenda a grosso trato e a reta-
lbo e por preco commodo.
Aspas fortes para boles.
Na roa do Queimado loja de miudezas n. !6, ven
de-se aspas de ago fortes, e de differentes larguras
para baloes.
Bonitos quadros para retratos.
Vendem-se na ra do Queimado lija de miade-
zas n. 16, bonitos quadros com mordura preta
dourada, todos por precos rasoaveis.
Garrafas brancas
e de cores com superior agua da colonia.
Vendem-se na ra do Queimado, luja de di;ade-
las o. 16.
Novo gosto
Pentes, vellas, e brincos de felisrana.
sAanga e bem conbecida loja n. 16 na ru do
Queima^, recbeu nm sor"im'"'o de diver- s ob-
jectos de noVCLe bom gosto, sen. i--ntes bi;: -os e
dourados de moldea.enteiramenu- i-v-s e mu. a-
gradaveis, tendo entr'-eljes algnns oe l grana onra
de muito gosto e dtticil ejfe^co, e bem ..-im -
vellas e brincos as mesmas ciPWjmslanci.^.
Tambera recebeu alguns clDlossOonede raais^
moderno e bonito, se pode encontrar eiHrt gentn.'
Alm tisso enccnlraro os pretendenles um com-
pleto sorlimento de flvellas de madriperola, ;hris-
tal, tartaruga, e dourados, brincos de cbristal, e
jaspe, voltas e crozes de dito e muitos outros objec-
tos de gosto, os qnaes continoa-se a vender eommo-
demente.
Pnenles de madreperola, e enfeites filets
A loja de miudezas na ra do Queimado n. 16,
recebeu bonitos pentes com chapa de madreperla,
e novos enfeites filets ornados de lantejoas dou-
radas, moedinhas, aljofares, vidrilhos etc., tendo
grandes para toda cabega e peqoenos para c; ac
regulando os pregos de 25 a 45000 rs.
Benitas caisinhas
com arranjos dourados para costura, tendo cora
msicas e sem ellas. Vendem se na ra do Quei-
mado loja de miudezas n. 16.
Trangas pretas
com vidrilhos, e bicos com ditos e sem elles para
enfeites oa vestidos.
a ra de Queimado n. 16 loja de miudezas a-
cnaro os pretendentes um bello sortimento dos
Objectos cima ditos, cascarrtibas, franjas etc. ele
e tudo est sendo vendido por pregos commod...
Botoes pretos
.de vidro enfeitados d'aco.
Aloja de miudezas n. 16 ra do Queimado
vende mui bonitos botoes pretos de vidro com en-
feites de ago, os tjuaes incito se uzam para enfeilar
vestidos, quem os pretender J?dS dirigirse a ca
loj n. 10 ra do Queimado.
veadeau-se aa toja de miudezas
a roa do Unelwado u. 16.
Bonitos legues de sndalo e ABras qualidades
JSSSTem m iives S**-
Brincos e crozes de crytaf.
Abotoaduras de dito para coletea.
Bonitos pori-relogios.
cosuraCaflaSCa,aSCmniCttca e sm eI,a' *'*
Agulhas e liabas para ebroebet.
Retroz superior em carriteis.
Rendas pretas e bfcos com vldrilbos.
Htas de velludo com listras de cores nara n.
lenes de gorros e vestidos. P en
e masSadd6asgrOS(,eDiP0reS' *** e lamdas bTia
Para liogir cabellos
_ HollJWalter.
o Ve^nde-se na. roa do Qoelmado, loja miudezas
('fin ni ac-ni o
Para lingir cabellos.
Vende-se na loja de mindeza?, a roa do Oae-'-
maao n. 16. w
Tiotora de L. Marques
Qara fazer os cabellos pretos.
Vende-se na roa do Queimado, a loja de miu-
0673b D, lo.
Eissangas rniudas, aijaates imibiido
acevidrilhos decores
para enfeites de vestidos ; vndese todo Isso por
pregos razoaveis na 'na do Queimado n.l oja 16,
de miudezas.
t
Vende-se m mulato sadio,
e copeiro ppm i? ennos d idade
res n. t*.
bom cosinheiro
P rpa dos Pf
De calde'reiro c landicao de ferro, si-
no& e broazc; cmosescravos.
Vende-se a grande fabrica de calderelro e un-
digao de metaes da raa Imperial ns. 154 a 158
e tratr com a viava de Sebastio Jos da Silva!
"Lf" flOTIt a ^ o > ro da cadeia n. 57.
- Vende se a arroagio da fabrica de charutos
da roa da Imperatriz n. 15, e junctameote todos os
mais objectos existentes na mesma ; qoem preten-
der dirija-se a ra da can de Dettengao n. 7, ta-
berna.
Vendem-se garrafas e botijas vasias e lava
das: oa roa da Soledade n. 38.
9
\

I


i

larlo de
i-erc felra 1# de Al

;g<;
vsmm mm
PARA A QUARESM A
Chegaram a loja de Augusto Porto & 0.
11 Ra do Queimado-11
Superiores cortes de sed preta.
Motreantique preto de flores e de listas bellos padrees.
Grosdenaple preto de diversas largaras e qualldades.
Retondas, bournus e cales de guip e de rendas.
Pannos pretos, casemitas pretas, bombasinas.
Las, caoto, merino e selestnnas pretas.
Lindas mantas de seda para pescoco.
Ricos cortes de seda de cores para bailes ou casamento?.
Ricos cortinados bordados dos mais bellos desenhos.
Moir branco, seda branca, capellas e mantas para noivas.
Bellas colchas de seda e de la e seda para cama de noivas.
Saias de flaissima cambraia ricamente bordadas.
Fasendas de pregas para saia que se faiem com urna s contar e tambero tem com
o ordao tecido,
Madapolao fraocez a 400 e 480 rs. a vara.
Alcatifa de llnno para salas e gabinetes a 480 rs. o covado.
Fazeoda especial de qaadros para fazer redes a 35300 a vara.
Superiores esteiras da ludia para salas.
II Ra do Queimadoi i.
SBtwe
LEIAffi TODOS!
NOVOS GERENTES -
DOS
TRES RAJVDE&
ARIAZENS DE MOLAMOS
DENOMINADOS
PR0GRESSIV0 pateo doCarmoo. 9
UNlAO E GOMMERCIO ra do QHeimado o- 7.
VERDADEIRO PRINCIPAL ra do Imperador n. 40
aec'
TORIO EDtCO-IRKM0
DO
9RO DE ATTAHYDE LOBQ MQS0SO3
EISICO, PAHTBIBt OPERADOR.
DE
CORTES DE SEDA
Chegaram palo paquete inglez riquissimos cortes de moreantique de cores, e seda lavraaa pa-
tries inte; ramate novos. u/%/\/\ a
Seda de quadros por 10000 o covado
5RA DO CRESPO5 m
Gregorio Paes do Amaral k Companhla-
M SORTfflEYTO DE
FAZENDAS PUTAS
vado.
Gros de aples preto a 1*300,10600, U, U, 3450O e U o corado.
Gorgoreo preto de superior qualidade a 20500, 20800, 30 e 40 o co-
Superiores moreantiques a 20500, 20600, 30, 30500, 40 e 60000-0
covado.
Bons cortes de moreantique.
dem de gorguro adamascados.
Bons pannos e casemiras. .
Sup riores alpacas, priocetas, merinos e bembazinas.
Bons villados pretos. H at
Grande variedade de chales de fil preto e de guipare 5& 60, 80,
100, 120, de 160 a 203, e de 250 a 800 cada um.
Superiores relondas de fil preto e de guipure a 80, 10& 120 e 250,
e de 300 a 600 cada urna. __- .
Snperiores algerienes de fil preto e de guipare de 120 a 250, e de
300 a 600 cada urna.
Boas cbailes de seda preta. -.
Ditos de Merino preto bordados e outras muitas fazeadas pretas que
seria enfadonhe enumerar, na
liOJ 4 DAS COIaMJSSSA
DE 4NT0NI0 CORREIA DE VASGONCELLOS & 6.
RCA O 7RESPO S. **
DUAKTE CARVALHO PERIRA # C.
Fazem cente ao respeitavel publico, e com* especialidad.? aos senhores de en-
genhos, lavradores e mais pe9soas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
beraram os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir todos os seus estabeleci-
tnentos em um s annuncio, pelo qual o prego de um ser de todos, promette-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os gneros
por um prego, e na occasio da compra quererm por outro, como socede constante-1
mente em outras muitas casas, joorua nos nossos estabelecimeatos nao se dar isto
aioda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seos fmulos que
serio tambem servidos como viessem pessoa I mente Jazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos orna conta
pela qual se ver os preces tal qual annunciarmos, o que senao arre pender pessoa
alguma que fizer soa despenca em "w* tfataiwfaninMjiwi iv nmmiri me h
5 por cento na sua despeza diaria.
Dffi/MMI
DU W ttiffl
UA DO HHM # 38o
O roprietario deste estabelecimento deseja chamar a attencSo dos-senhores pro-
r ros aos acre litados mechanismos que continua a fornecer ; os quaes- garante ser,
com sempre, da meihor qualidade possivel:
Machinas de vapor
h -a de 2 A cavallos para cima. As menores sao mui proprias para motore sde
arocamentosdeagndio; as maiores para moer canna; bs tambem que podem junta
' SSSta molr eanna e descaros segundo soas proporcoes. Estee vapores
,o ssimOs na c -mitracc*. e se regem por qualquer oessoa_ inteligente a fac.l.da-
i ( conduccao sea io especialmente considerada, tanto que nao ha lugar em que nao
', s c.miazir, qar por trra, qar embarcado. Ha com moendasjuntas oa sen
/rpodem-se applicar a qualquer moenda j existente semoutra mudaoca doque
,l,stS das rodas da almanjarra. Ellas tem depos.tos d'agua e boetros de ferro,
prSn para o seu assentamento de obra alguma qaer de carap.na, quer de al-
; OTmpo pora assenta-las nao excele de doze dias ao mais, e em casos de
sde animaes ou arrombamentos de acudes, etc., gar.nle-se o assentamento em
, i dias Sbra-se aos senhores de engenho que a venda dos an.maes joto da
nte ocupada no seu tratamento osho de recuperar da ma.or parte da den do
: or deixando-lbes a vaotagem de urna moagem certa e acelerada; e acabando com a
;,;4^fi compra continuada de novos anlmaes. com os desgostos do trabalhoque
itemcmnelles. ^^ de ferro, mui maneiras e moendo com qualquer altura
aSU3's;arIhos eom crucetas de ferro para as mesmas, quando se desege fazer
r -?sto di roda de madeira, tornando-se assim a roda ligeira no trabalho.
- esl Q^rogaaemaup j^ ^ ^^ q$ tamanhos< desde as mais peqaenas chama-
da do erto. Obra perfeita em feitio e acunhamento.
nodas de espora e angulares de todos os lmannos e proporcoes.
aroes on coches para receber o caldo. ,
Jjrlvos de ornatha para assentamentos, frescos para o foguista, fazendo
crande cahr com pouco combustivel, e duradouro. .
granne tari ^ fopnaIha de tolos os tamanhos e de d.versos systemas.
rarnos e moiahos para a fabrica de farinha e tambem chapas redondas
pira fornos pequeos.
llenabas simples e de repucho.
latas de ferro batido e fundido e de cobre. ,-,.
Formas de ferro batido galvanisado para purgar assucar, leves para carregar
e ^emptos^qato^se. ^ ^^ ^ ^ ^ ^^ ^^ ^ ^^ ^ Q
p-co doi le cobre, mais regalares na distillaco e igualmente daraveis. _
Uivos e rodas de carro com mangas de patente, obra mju segura para
carregaco de peso. .. V ._.
Arados, gradea, cuchados a eavallo e outros instrumentos de agri-
cultura. E finalmente todo o objecto de quepossa precisar um engenho.
Machinas de descarocar algodao.
Na fabrica se fazem obras novas encommenda e concertos, com a maior preste-
n e solidez. O grande deposito dep($cas e objectos habilitam-na muito para este flm.
0 proprietario ser sempre mui feliz de poder ter occasio de dar nformacoes ou
evlarecimentos aos senhores que se servirem de seu prestimo.
D. W. Bowman, engenheiro
nossos estabelecimento*; pois poupar mais.de
Vinagre
Superior vinagre de Lisboa, a 2,ooo rs. a
Manteiga ingleza perfeitamewltllr che- caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ha
gada ltimamente a 1,12o rs. a libra, e mas baixo para 2oo r. a garrafa e l,4oors.
em barril lera abatimento. a caada.
Manteiga francera da safra nova a 8oo rs. ~0\40 Ant**
libra eem barril ter abatimemo. >cuc u>uvc
BANHA Superior azeite doce de Lisboa a 7oo rs. a
Banha refinada superior a 64o rs, e em garrafa e a 5,5oo rs. a caada,
barril itera abaltmento. FUMO CAPORAL.
^?jgl^ Latas com superior fumo caporal a l,8oo
Cbi uxim de praeira e superior quaSda- rs. a lata,
de a l^oo rs. PMsai
dem bysson o melbor neste genero a Superiores ptssas a 2,ooo o quarto e
2,6oo rs., e sendo em porotera abatimea- 9,5oo rs.; a caixa de arroba heepaotala e a
to, tambem ha prprio par aegocio de 2 56o rs. a libra. __
2,4oo rs-. a libra. C F VlHt V
dem preto superior de l,8oo a 2,ooo rs. Genebra de laranja verdadeira a 10i5oo a
a libra. Rwia e l.ooo rs. ao fraseo.
Blseonto* Genebra de Hoilaada verdadeira- a 6,ooo
Latas com superior biscouto ie^lez de di- r. a fiasqueira e a 56o rs. o frasee,
versas mareas a l,2oo rs. a lata. Idom de Hollatda era botijas a 4eo rs.ca-
Bolaehtohas da ums. .
Garrafbes com 24 garrafas de genebra de
Bollanda a 8,ooo rs. o garrafo. Tambem
ha garrafes com 5e 14 garrafas de Sr2oo a
6,eoo rs. cada um.
VELAS
Velas de spermacete a 64o rs. a libra.
dem de carnauba de le- a 12,ooo rs-. a
arroba e de 36o a 44o m a libra.
\ PEIXE
.Peixe fem latas j preparado de i,ooo a
l,2oo re tlata
ALPISTA E PA-ngo-
Alpista e 'painoo rauito novo de 3,8eo a
4,ooo rs. a arroba e d 14o e 160 rs. a li-
bra, s
CKATOTOSv
Superiores charutos do fabricantes Simas,
Latas com bolachinhas da acreditada fa-
brica do beato Antonio, proprias para dar a
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata.
dem com-quatro libras de bolaehinha de
soda a 2,ooo rs. a lata.
Queijos
Queos flamengos ebegados pelo,- ultimo
vapor de 2,3oo a 2,5oo rs, /*""
CHOCOLATE/y
Chocolate hespanhol a>,oo el,2oo rs.
a libra, francs e suissp a l.ooo rs. a libra
eportuguez a 800 ,fs'. a libra, em por?5o
ter abatimeato. J
Superiorjpjnho do Porto das mais asredi-
Clrcas, como sejam>: Madeira Sfecca,
3Ba da Gloria, casa do Fundaog
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os dias das 7 s f <
boras da manhao, e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepcJo dos dias santiheados.
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio ba sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisafoes e pelos preeos seguiniM:
Carteiras de 12 tubos grandes. 121000
> de 24 tubos grandes. 184000
> de 36 tubos grandes. 245000
de 48 todo grandes. 3030OO
de 60 tubos grandes. 355000 w
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedioi
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 1)5000.
Sendo para cima de 12 custarao os preeos estabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
* MVROS.
.A melbor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Honeopathico do Dr. Jarb
dous grandes volamos com diccionario............ 20)5000
Medicina domestica do Dr. Hering.......... 10)5000
Repertorio do Dr. Mello Moraes............ 6i5O0O
Diccionario de termos de medicina........... 30OO
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam por
tanto de serem novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios
verdadeiroa, enrgicos e duradores: ba tudo do meihor que se pode desojar, globos de
rerdadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservac3o, tintura dos mais acredi-
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparadlo, e portante a maior
energa e certeza em seus effeitos.
Casa de saude para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operaco, para o que o annunciante julga-se sufficientemente habilitado.
O tratamento o meihor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica,
funecionando a casa ha mais de quatro annos, ba muitas pessoas de cojo conceito se nao
pode duvidar, qae podem ser consultados per aquelles que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se 2$ por dia durante 60 dias e d'abi em diante 14500.
As operaces sero previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos preeos
razoaveis que costuma pedir o annunciante.
AKM1ZE1I DE FA/E\I> 1N
DE
c.
CrSTOWfO IRVAIJIO &
27 RA DO QUEIMADO K. 27
Madapoln fraoeez muito fino, tendo pouco mofo, cada peca com 27 varas por
10)5000.
La de enres a 300 rs. o covado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a preco de 800 rs a vara.
Lencos brancos para algibeira a 2<5<3O0 a duzia.
Finas perclaras a preco de 400, 440 a 560 rs. o covado.
Ricos cortes de laa de barra de 10)5 a 30,5000.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.
lOUUO
3S2S marcas, como sejam-: maaeira &eca, ,mnftriaes DeIicias. Parisienses e outros de
Duque do Porto, Velho Seeeo, Lagrimas do fff^JS^YSS^x tambem
Douro, Maria Pia, D.Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces, e outras marcas a l.ooo a garra-
fa e 9,ooo a 12 ooo rs. a duzia.
Vinbo Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3>ooo,
3>5oo e 4,ooo rs. a caada*
Superior vinh chamisso em barril a 64o
rs a garrafa< e a 4,5oo rs a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
anceretas do-8 e 9 caadas a 24,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs, a garrafa e 3,2oo a
3,ooo a Canad.
Caixas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeas* a 7,ooo rs. a caixa e
7oo rs. a garrafa.
CAFE
Caf do Rio de 1." e 2, qualidade de
6,8oo a8,2oo rs. arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
iABiO
Sabo maca de primeira qualidade de 24o
rs. a libra.
OU-
L x vas de pellica pretas e
tras cores.
Chegaram para a loja de miudezas a roa do
Queimado n. 16.
Vende se urna por cao de ferro broto, serve
pira obra de ferreiroe, e por preco moito com-
nioilo : a tratar aa ro* Imperial d. I, 1" andar.
Venile-se e fat-ietodo negocio com o depo-
YENDE-SE
o grande armatem da roa do Apollo n. 38 e 40,
proprio para om armazem de fassoear on prensa
de algodao em ponto grande, por ter 6 porta* do
frente eom mais de 67 palmos de largora e 300 e
tantos palmos de comprmeme, todo eoberto e so-
bre arcadas e para comodidade dos compradores
se vende com o prazo de 2 annos on o qae se con-
siw da ro do Vicario n. 29, maito proprio pera rencionar urna ver qoe seja com segoranca e pa
ora principiante,qi
com pouco diobelr
tivo da venda.

ine qoelra' pnnciplar "soa vida
o : ao comprador se dir o mo
do Assti
Vi!nde- a bordo do patacho Paraenu e para
irsi r cooi Joaqoim Jos boDcalYes Beltrio na roa
do VlgariJ n. 17, primeire andar. ________
" Veile-se a taberna n. 5 da roa do Cordoniz:
,-,[ii atar na mesma.
gaade-se pela demora am mdico Jaro :~as pes
soas a qoem eonvier esta compra podero eaM
der se com Antonio Alve Barbosa na roa dos Gaa-
rarapes n. 78.
Uagaas
Na roa da cadeia do Recite n. W.veaVfagot
de primeira qualidade do Rio Grande do Sol a 120
res cada orna. _____________
Vende-se orna rotla nova de looro : a tra-
tar na ra do Hospicio o. 28
Serveja
Superior serveja Bass dos melhores fa-
bricantes, como sejam: Shlers & Bell. T. F.
Ashe a 7,5oo e 7,ooo rs. a duzia e a 7oors.
a garrafa. Tambem ha de outras marcas
como seja: Victoria e Alcope a 5,ooo rs. a du- libra,
zia e a 5oo rs. a garrafa.
BOlOES VASIOS.
Boies vasios, louca ingleza mito pro-
pria para manteiga e deposito de doce de 4
a 12 libras a l,2oo e 2,5oo.
FARINHA DO MARANH.O.
Farinha do Maranho a 240 rs. a libra.
SAG'.
Sag muito novo a 4oo rs. a libra.
ARARTA.
Araruta verdadeira a 4oo rs. a libra.
2,2,5oo e 3,ooo rs, a meia oaixa: tambem
temos Suspiros, Havaneiros, Ligueiros e
outros muitos que vendemos por mdico
preco.
Licores
Licores franceses e portuguezes a l.ooo e
l,4cors. agarrafa ou frasco.
Doces
Doce da casca, da goiaba. em caixes e la-
tas al,2ooocaixao e 2,8oors. a lata.
Frats
Frutas em cada e em latas fechadas her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pera,pecego, arneixa rainha Claudia* al
perche e outras frutas a oo rs. a lata.
Tambem ha latas grandes para l,2oo vs. a
lata.
AZEITE DE REFINADO
Superior azeite francez refinado a8,ooo
rs. a garrafa e a 9,ooo rs. a duzia.
MOLHO IN61EZ SAUCE
Molho iaglez Sauce em frascos grandes
com rolba de vidro a t,8oo rs. o frasco em
duzia ter abatimento.
BATATAS.
Gigos eom 3o libras de batatas a 1 ,ooo rs.
o g'go.
SARDFNHAS.
Latas com sardinhas de Nantos e Lisboa
de 4oo a 46o rs. a lata.
FUMO AMERICANO.
Superior fumo em chapa a 1,400 rs. a
ERVILHAS
Latas com ervilhas e feijan verde j pre-
parado 64o rs. a lata.
MASSA DE TOMATE
Latas com 1 libra de massa de tomate a
64o a lata.
VERMUTH
Esta bebida muito fresca e estomaed e
muito propria para a presente estago. a
qual vendemos a2,ooo rs. a garrafa e 18
a duzia.
Pimenta, cominbo, cravo, canalla, ervadoce, alfazema, tijollo para limpar facas pa-
litos para dentes, palitos de fogo, e ontros muitos gneros que se tomara enfadonho
mencionar, aflancaodo cinceridade nos preeos e o bom acondicionamento de qualquer
genrro.
ROMANCES 64RAT0S
Vendem-se, na livraria da praca da Inde-
pendencia o. 8, a 400 rs. o volume, os ro-
mances portugueses seguimos, em brochara:
A voz do sangue, 2 volmes.
Connemara, 2 ditos.
A noite de S. Silvestre, l dito.
O filho de Titiano, 1 dito.
Adonis ou o bom negro, 1 dito.
As duas amadas, 1 dito.
O pacha de Buda, 1 dito.*
Trilby, dito.
Igaez de la Sierra, 1 dito.
Joven Siberiana, 1 dito. ^^__
Veode-se orna masseira de amarello em per-
feito eftadp, e mais pertences para orna padaria,
na estrada nova, segunda taberna a direita, depois
do sobrado grande : a tratar na mesma, das 4
horas da Urde em diante.
Pechincha
Na roa do Queimado n. 40
Cortes de Ifazioha de cor, bonitos gostos, eom
18 aovados aflflOO.
Cassas orgaodys de cores, covado a 240, pecas
de algodaozlnho largo com 17 varas a 44.
Ditas de dito com 17 varas, moito encorpado,
com pequeo defelio, a 4S5O0.
Grosdenaple preto muito superior, covado 2S.
Dito dito a 1*600.
Retondas de Toada preia a 10J.
Chales de. renda preta a 8*.
Grande eckiocls de mafaielse cta
varia.
Paredes Porto vende orna grande porcao de ma-
bpm receben loas de Joovin brancas e de corw dapolSo avarlado, (azeada de 10 e ISA a peca, a
para beowm e senhora, mnito frescas, ebegadas Mm o U es posasao ioqw : na roa a Irnos-
pelo nitioK) vapor, todo Isto na loja da Aurora,'rairix n. 52, armaiem da porta larga Junto a pa-
rta larga do Rotarlo n. 38. darla franceza,
Oevadiha de Franca
a 160 rs. a libra, o de 8 libras para cima a 120
rs.: no armazem da Liga, roa Novan. 60.
Laatljlas.
A loja da Aurora, na roa larga do Rosario n. 38,
receben sortimento de lantijoUs moito delicadas e
proprias para qualqoer eflfelte, assim como tam-
Novidades do Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Este estabelecimento apezar de sempre
se achar bem sonido como todos sabem,
hoje mais que nunca, n5o s pelo que rece-
be de sua propria conta, mas tambem pelo
que recebe de consignaces; parece sem
duvida que deve ofterecer grandes vanta-
|gens para o respeitavel publico tanto em
preeos como na escolha dos objectos, e co-
mo acaba de chegar grande remessa pelo
vapor Douro eo>navio Solferino de
diversos'objectos de gosto e proprios do
tempo dos quaes se mencionarlo alguns,
por nao ser possivel mencionar todos. O
dono deste estabelecimento espera a pro-
tecclo de todos.
Riquissimas caixinhas ornadas e com
msica propria para um delicado mimo.
Caixinhas de msica tanto de veio como
de corda.
Rices porta joias e necessarios.
Riquissimos estajos a feitio de um bausi-
nbo ou chapeuzinho.
Ditos em casca de noz e de outros gostos.
Leques de madeperola de sndalo e de
aia e madeira.
Chaposinhos e touquinhas de muito
gosto para crian cas.
Meias e sapatinhos de seda para as mes-
mas.
Meias de seda para senhoras.
Capeflas e grtealdas de flores" proprias
para casamento.
Enfeites e capellas de muito gosto para
senhora.
Riquissimos porta boquets.
Boquet de flores com urna borrachinha
com cheiro.
Luvas verdadeiras de Jovin.
Ditas de seda e de Escocia.
Riquissimas plumas e guarnigoes para
enfeitar chapeos.
Contas e tupos de ac branco, que ha
muito se desejava para enfeites.
Brincos, fivellas e cruzes de crystal.
Fivellas e cruzes de tartaruga, madripe-
rola e dourados.
Alfinetes para grvalas.
Botoes com croas para punhos.
Gravatinbase mantinhas de muito gosto,
tanto para homem como para senhora.
Riquissimos aderegos pretos, assim como
caixinhas com alfinetes pelos. .
Bengallas de canna com cabo de marfim.
Ditas de baleia, borracha e de outras
muitas qualidades, assim como chicottnhos.
Riquissimos penles de tartaruga do ulti-
mo gosto; assim como de arregace para
menina, pois neste artigo ha um completo
sortimento de todas as qualidades.
Diademas para cabeca do ultimo gosto.
Riquissimas fitas lavradas e usas.
Trancas pretas com vidrilho e de cores.
Pulseiras tanto para senhora como para
meniaas.
ligas de seda e de algodie.
Suspensorios de seda e de7algodao e mui-
tos outros objectos que se no poden an-
nunciar por naose tornar eifadootao.
S no Gallo Vigilante ra do Cresao i. 7.
^-Uflfe
MACHINAS DE PATENTE
DE TRABALHAR MO PjVRA DESCA-
RU^AR ALGODAO
FABRICADO POR
PLNT BROTHERS & G.
OLDAM.
Estas machi-
nas DOftem des-
carocar qual-
Iquer especie de
''algodao sem
estragar o fio,
sendo bastante
duas pessoas
para o traba-
lho; pode des-
carocar urna
arroba de al-
godao em ca-
rolo em 40
minutos, ou
18 arrobas por dia ou cinco arrobas de al
godao limpo.
Assim como machinas para serem movi-
das por animaes, que descarocam 18 arro-
bas de algodao limpo por dia; e motores
para mover urna, duas ou tres dessas ma-
chinas.
Os mesmos tem para vender um bellissi-
mo vapor que pode fazer mover seis estas
machinas mencionadas; para o que cbnvi-
da-se aos senhores agricultores a virem ver
e examina-lo, no aimazem de algodao, no
largo da ponte nova n. 47.
Saunders Brothers fc C.
Recife praca do Corpo Santo n. II.
Os nicos agentes neste paiz.________
O castello de Grasville.
Traduiido do frasees por A. J. C. da Crnx.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 3#00G
ua praca da Independencia, livraria ns.
6e8.
Frameisco Jos liermano
RA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifio
timento de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gosto da Europa ftj
los de alcance para observacBes
martimos.
Ua.de barriguda, o que de me
encher travesseiros : vende-se na ra
de Dens, no armazemjjooto a' igreja.
Roupas feitas de todas as qt
Vende-se roapa taita, sendo calcas de cores
pardo a tS, ditas de brim branco de linho a 3J0OQ
e 4J, calcas de casemlra preta a 5J, 61 e 81, di-
tas de cores, meia casemira, a 31 e 3^500, ditas
de casemira a 61, 71 e 81, paletots de brim
cores a 2, 3500 e 3$, ditos de brim branco a
a 41500, ditos de alpaca preta a 31 e 41, ditos do
casemira de cores a 51, 6, 7, 8 e 101, ditos da
panno preto a 6J, 7, 8 e J04, colletss de coreo a
14600) do casemira a H H, eeroala franceza a
11600 e 21200, camisas franceas finas brancas o
peitos de corea 2f 2JWO0, ditas iDgleas 4e li-
nho de pregas largas a 21500, 31 e 34500 : na
rna da Imperatrii, loja da Arara n. 56.
Em casTde Rabo Scometu C.
ros da Cadeia n. 18, vende-se:
Champanha.
Cognac de superior qualidade.
Vidros perrespelhes de ledos os tama-
nhos tudo a procos muito commodoe.
tara eHcrespar.
Ieaooras de todas as grossaras jra eneroseor
btbados : veoom se na roa do Qiretaado loja da;
AoowdD A facoto.
-
nW issjsjpssjpjsjssssssjosjsji
isz-
mam l



%
s -
.:l
i
^IHmK
Diarto lie pernajabaje* -E Ter^a felra O de Aferll de 1866.
ENCICLOPDICA
* Vina da Imperatriz armazeat
da parta larca *
Junto a padarla fradceza de
Paredes Porto.
Neste esUibeleeimento encontrar o respeavel
publico qbd variado sertiraento de fazendas france-
xas, iaglezas, suissas e aliemes, qae se Tenderlo
por preco commodo.
Paredes Perl
Vende chales de renda de coks qae se vende-
ram a I89 est vendeado por 65, ditas pretos, fa-
xenda nova, 55, 65, 85 a 205, nm sortimento com-
pleto de manteletes, capas e.soutambarques 145 a
555. Rna da Imperatnz n. 42, junto a padarla fran-
ceta, armazem da porta larga.
Paredes Perte
Receben am completo sortimento de lasinbas a
240, e 280 rs. covados, para acabar, cambraias de
cor a 240 ni. o covado, riscado escossez para ron-
Bi de menio, fustaa de linbo a 420, 400 e 500 rs.
aa da Imperatriz n. 52 junto a padana franceza.
armazem da porta larga.
Paredes Porta
Receben para cortinados para cama franceza a
115 a peca cambraia lisa Boa a 35 45 al 405 a
peca, corte!) de tarlatana de bonitos gostos a 35500
45, cambraia com flor de seda, gostos ieteira-
ment3 novos a 400 e 500 rs. o covado, no armazem
da porta larga n. 52, roa da Imperatriz junto a pa-
daria franceza.
Paredes Perte
Receben pelo ultimo paquete nm sortimento de
crtues com pedras para o pescoco, bonitos caxinels
de la para pescoco de senbora. Roa da Imperatriz
n. 52, armazem da porta larga.
Paredes Porte
Vende cortes de gorguro preto para vestido com
21 covados cada nm 355000, grsdenaple preto a
15600,15830 e25 o covado, las lizas finas a 400
rs. o cavado, las de quadriouo para vestido, enfes-
tada, a 320 rs. o covado. Ra da ImperatrU n. 52,
armazem dit porta larga.
Ronpa feita
Roa da Imperatriz n. 52 armazem da porta lar-
ga junto a padarla (ranceza, encontrase neste es-
taibekcimento um completo sortimento de paletos-
saceos e sobrecasacos, de todas as qaalidades, cal-
cas, collet'is, ceronlas, camisas, grvalas, meias,
cbapos di) sol, ditos francezes para cabeca, por
pregos commodos, ronpa para menino e outras
muitas (agendas por precos commodos, armazem
da porta larga.
o mesmo estabeledmento encontrari o respe-
tavel publico, sempre um completo sortimento de
roupas fetas de todas as qualidades, como sejam
paletos de alpaca preta e de or, ditos sobrecasa-
cos a 45 e 55, ditos de briro pardo a 25800, 35 e
35500, ditos finos a 45, ditos meias eazemira a
35560, 45 e 55, ditos eaaemira saceos a 65, 75,85
e 105, ditos sobrecaeacos a 10 e 125, ditos de pan-
no saceos a 65, 85 e 105, ditos sobrecasacos a 125
e 255, ditos de merino preto a 65, 75 e 105, cal-
cas de brim de diversas qualidades a 15800 a 45,
ditos brancos a 25500 e 500, ditos eazemira 55,
65 e 75, ditos pretos a 55, 65, 85 e 105, ditos
meias cazemiras a 35 e 45, coleles de diversas
qualidades, seroulas francezas de algodao, ditas de
iinbo. ditas de bramante a 25 e 25500, carnizas de
algodao do Hnho franems de 25500 e 35. Gran-
de pecbiacba neste genero, grvalas de todas as
qualidades e brancas para casamento, grande sor-
timento de meias para senboras, ditas para bomens
a 35, superiores a 35500 e 45-
Um completo sortimento de cbapos de sol de
alpaca a 35. ditos de seda a 55, 75, 105 e 145,
ditos francezes pera caneca, grande sortimento
a 65.
Vestidos
Pechtacha sem Igual.
Cbegon a loja de Paredes Porto om bonito sor-
timento d vestidos de tarta lata de ores e brancas
que serve para partidas por ser urna pbantasia In-
teirament de posto pelo barato prego de 45 *
brancos a 45506, esto acabando-se : no armazem
da porta larga ra da Imperatriz e. 52, junto a pa-
daria francesa.
Cortinados.
Chegou a loja de Paredes Porlo um completo
sortimento de cortinados ricamente bordados *
preco de 355, 355 e 455 na roa da lmperatr::
n. 52, porta Ic-rga junto a padaria franceza.
Ricas ,romeiras.
Paredes Porto receben pele ultimo paquete cm
sortimento de romeira de guipure pretas e de Co
a prego commodo : na ra da Imperatriz n. 32,
porta larga jcoto a padaria franceza.
5S000
Cortes de iza escocesa para vestido a 35 o -cor-
te : na rna do Imperatriz n. 52, loja da porta lar-
ga, junto a padaria franceza, estio se acabando.
Para kto.
Laas pretas com salpicas brancos a 400 e 500
rs. o covado : na roa da Imperatriz n. 52 jumo a
padaria franceza armazem da porta larga.
I,j400
Chapeos de sol.
Vendem-se chapeos de sol de panno a 15400 e
urna grande pechincha so para acabar : na roa da
Imperatriz n. 52 armazem da porta larga de faro-
des Porto.
A IjpOO,
Vendem-se pecas de tranca preta para enfeites
de vestides, sootembarques, capas de seniora a
15600 coca 10 varas, urna grande pecbincba : na
:rua da Imperatriz n. 52 junto a padaria fraaceza.
48000
Ohales de reada pretos.
. Vende se cuales -de renda preto a 45000, nnicc
toja que pode vender na ruada Imperatriz a. 52,
armazem da porta larga, de Paredes Porto._____
GIUKDE ESTABELECIIENTO
DO
da Imperatriz, N. 60
DE
fAMA & SILVA.
LOJA I ABMAZIM DE FAZEKDAS. ,
Tendo os proprleUrios debte grande estabeleci-
mento feito um grande abatimento em multas de
suas fazendas, pela occasiao do balu$o que deram
no ultimo de dezembro de 1865, resolvern vender
muilo mais barato do que costamam aura de cada
vez mals agradarem aos sena, numerosos fregu-
es ; por tanto Ibes offerecem nm avnlado sorti-
mento de fazendas francezas, inglezas, as quaes
vendero mais barato do que em ouira qualquer
iarte, compromettendo-se a mandar levar qualquer
azeoda em casa dos freguezes que nao poderem
vir a loja, on a darem as amostras, deixando flear
o penhor, assira como convidam as pessoss, que
negociara em menor escala que neste grande esta
tanto a relalbo como por atacado, vendendo-se-lbe
apenas pelos pregos que comprara as casas ingle-
zas, sendo om o dinheiro a' vista.
As toalhas de lbho do Pavao.
Vendem-sa superiores toalhas de linbos para
rosto pelo baratissimo prego de 75500 a duzla ou
a 640 cada urna.
Guardanapos de lioho adamascado para meza a
25800 a dnzia ou a 240 rs. cada um.
Superior amainado de linho com oito palmos de
largura sendo branca e pardo, e vende-se mais ba-
rato do que em outro parte, na loja do Pavao na ra
da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Os corpinhos ae seda pretos do Pav3o.
Vendem-se os mais ricos corpinhos de seda pre-
tos, ricamente enlejiados, pelo barato preco de 125
cada um : na loja do Pavao na ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Os irles de rambraia braceo bordados na
loja do Pavao.
Vendem-se os mais ricos corles de cambraia ri-
camente bordados com barras e babados a 205 ca-
da um ; uJi e armazem do Pavao na ra da
Imperatriz n^r, de Gama& Silva.
Ricen vestidos a 80000 rs.
pecliineha admiratel.
S o Patio receben pelo ultimo vapor franeez
um grande sortimento dos mals ricos cortes de
vestidos transparentes com lindas barras e enfeites
de seda, sendo estes vestidos mnito propries para
baile e passeios, e vendem-se pelo baratissimo
preco de 85000 rs. cada um, na loja do Pavao na
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
6s chales pretos de reda do Pava a 8^000 rs.
Vendem-se os mais ricas chales pretcs de renda
alfa
erBBOOi 5-*"oogS1.
d > ai as so-a = Sp

OJ
9 m 2*<* o
151
CU
g'.SaS.aSsg.lS
25P
B*Q
P"tr

Vrd'i em barricas peques**.
Cera em velas de todos o* Mmanhos.
Bogfaa.
Manarte.
RS rait do vigarto n. 19, primeiro andar.
"T'Veade-sa nm aacrava para antaobo, erioalo
de lio* fiiura e mostr carreiro : a tratar na roa
doTjaelBiaaon. 44.___________' ________
Mt^4tserUf
_aa.aoj st nuda
Madr* da Boos, armazem junto a igreja.
SALSA PARR1LHA Bfi AYER
PARA A CUBA RADICAL
de escrfulas e molestias .escrofulosas, temores, ulcerai, cliagas, feridas. ve-
lhas, bronchocele, papo qu papeira, a syphilis, eofermidades ?enerias ou mer-
curiaes.
AS MOLESTIAS DAS MULHERES
retengo, menstro doloroso, ulceraeSes do tero, flores brancas, etc., ulcera-
do, debilidade, expoliacao dos ossos,. a nevralgia e convulsQes epilpticas
quando causadas pela scrofula.
ERYSIPELAS ERPES; ETC. t,
Enfermldades cutneas, erupcio, borbulhas, pstalas,
aseldas, ete.
0 extracto composto de salsa parrllba, confeccionado pelo Dr. Ayer, e urna
combinac5o dos melhores depurativos e alterantes conhecidos medicina; confeccio-
nado segundo as regras da sciencia, approvado e rceitado pelos primeiros mdicos dos
Estados-Unidos da America do Sul e Central, das Antilhas, do Mxico e das Indias, e
muitas outras partes do mundo.: o resultado de suidos apurados e minuciosos, e de
experiencias feilas pessoalmente pelo Dr. Ayer, por muitos annos, nos principaes bos-
pitaes e enfermaras da America; tcm sido approvado pelas academias de medicina e
juntas dehygienne das principaes capitaes da America do'Norte; paraproTa disto vede
os attestados aulhenticos no Almanak e Manual de Saude do Dr. Ayer, os quaes se dis-
tribuem gratuitamente nos lugares onde se vende o remedio.
A SUS A PARILHA DE AYER
Especialmente efueaz na cura das molestias que tem sua origem
a escrfula, na Infeccao venrea, no uso
excesslvo do mereualo ou qnalquer Impureza do sanguc.
A molestia ou infecc5o peculiar, conbecida pelo nome de escrfula, um dos ma-
les mais prevalecentes e universaes que ha em toda a extensa lista das enfermidades que
atacam a nossa raca; disse um celebre escriptor da medicina que mais de urna terca
parte de todos aquelles que morrem antes da velhice s3o victimas, ou directa, oumdirec-
tamente de escrfula; por isso s nao lao destructiva, porm a principal causa de
muitas outras enfermidades que nao lbe s5o geralmente attribuidas.
urna causa directa da tsica pulmonar, das molestias do figado, do estomago
e affec{5es do cerebro; entre seus numerosos symptomas acham-se os seguintes: falta
de appetite, o semblante plido e enchado; as vezes de urna alvura transparente e utras
vezes corado e amarellento irregular, fraqueza e moeza nos msculos ao redor da boc-
ea; digesto fraca e appettite, falta de energa; ventre enchado e evacuado irregular;
quando o mal tem seu assento sobre os pulmoes urna cor azulada mostra-se em roda dos
olbos ; quando ataca os orgos digestivos, os olhos tornam-se avermelhados; o bali-
to ftido, a lingua carregada; dores de cabeca, tonteiras, etc. Naspssoas dedisposi-
cjto escrofulosa apparecem frequentemente erupces na pelle da cabeca e outras partes
do corpo ; s3o predispostas s affecfes dos pulmoes, do figado, dos rins, dos orgosj
digestivos e uterinos. Portanto, nao sao smente aquelles que padecen das formas ul-
cerosas e tuberculosas da escrfula que necessitam de proteccao contra os seus estragos;
todos aquelles em cujo sangue existe o virus latente deste terrivel flagello (e s vezes e com quatro popus, senda rouio grandes pelo na-
bereditan), esto exposlos tambem a soffrer das enfermidades que elle causa, quesSo: 1^S>JSUSttiA m 205 255
A tsica, ulceraces de figado, do estomago e dos ria; erupces e enfermidades !
eruptivas da cutis, rosa ou erysipela, borbulhas, pstulas, nascidas, tumores, rbeuma,
carbnculos, ulceras e cbagas, rheumatismo. dores nos ossos, as costas e na cabec3.
debilidades femininas, flores brancas causadas pela ulceracao interior, e enfermidades
uterinas, bydropesia, iudigesto, enfraquecimento e debilidade geral.
Offerecemos a estas pessoas um abrigo seguro e um antidoto effioaz contra esta
molestia e suas consequencias na
SALSA PARRILHA DE AYER
que opera directamente sobre o sangue, purificando-o e expulsando delle a corrupto e o
veneno da molestia; penetra todas as partes e todos os orgJtes do corpo humano, livrar>
do-os da sua accSo viciada e inspirando-lhes novo vigor. um alterante poderosissimo
para a renovacSo do sangue, e d ao corpo ja enfraquecido pela doenca forcas e ener-
gas renovadas como as da joventude.
E tambem o melhor anty-syphilitioo conliecido
cura permanentemente as peiores formas de syphilis e as suas consequencias. Pouca
neoessidade ha este, livra o sangue desta corrupeo e rrebata a victima das garras de urna morte lenta
e ignominiosa, porm inevitavel, se o mal n5o logo combatido com energa.
um poderosissimo Iterante para a renovacSo do sangue e para dar nova for-
os ao corpo k enfraquecido pela doeaca.
Sendo composto de>productos vegetaes, esie medicamento innocente e ao mes-
mo lempo eficaz, um fado -de immensa importancia para aqwelles que o tomam ; por-
que muitos dos remediosateerautes offerecidos ao public tem por base o mercurio ou o
arsnico; e sendo assim, bem que s vezes podem'OffectuaT-curas, comtudo deixam suas
victimas carregadas de urna longa erie de males, muitas vezes peior do que o mal ori-
ginal. A nica cousa neoessaria para obter urna cura radical seguir com juizo e cons-
atocia as direccoes que acompanbam cada frasco.
NSo pretendemos promulgar, nem quereaios que se infira que esta composicao a
um remedio infallivel para a cura de todos os padecimestos humanos:; infelizmente
escrfulas a syphilis sao enfermidades tao suis as suas nalurezas, e-arreigam-se t
firmemente no systema, que muitas vezes evadem 'e resistem aos remedios mais pode-
rosos que a sciencia humana pode inventar par-a comba t-las: o que dkemos que o
Extracto imposto de salsa pamlha de Ayer
a melhor preparagao at boje descoberta para estas e oatras molestias anlogas, que
urna combinado dos iterantes mais efficazes conhecidos, e que esta combinacio tem ido
regulada por longase laboriosas experiencias, e finalmente que temos consciencia de cf-
ferecer ao publico o melhor resultado que .possivel produzir, da iotelligencia e pericia
medica-dos nossos tempos.
Este remedio eve ser tomado com systema e regularidade, cnlo com abandono,
pois em remedio e nao bebida.
guando as molestias do figado n5o*em sua orgem na escrfula, o remedio
mais proprio as ptalas catharticas de Ayer, que sao efficazes na ora da molestia, que
m por causa um desarranjo dos org5os digestivos. Pedi a salsa parrilha de ftger e
nao aeeitai outra prepararo.
Pernambuoo, ra Nova n. 18, phannacia francezade P. Masrer A C.______
VENDE-SE
No armazem de H. I. Ramos e Iva A euro, *u* do Tlgasio
u. 11, constantemente, ossegulmtes artigo, que
reeebem por encommenda
Cortes de cambraia com palmas na leja do
Pavao.
Veadem-se corles de cambraia branca com pal-
mas, sendo fazeoda muito boa, pelo baratissimo
Sreco de 25500 para acabar; na loja e armazem
o Pavao na ra da Imperatriz a. 60, de Gama &
Silva.
I.enees brancos a OOO res a
duzla.
Yendem se lencos brancos farenda muilo boa
telo baratissimo preco de 25 a duzla, Ditos com
iirra de cor a 25000 isto para acabar na loja do
Pavao na ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Sil-
va.
Poupelinas modernissimas a 400 e 500 rs.
o covado na loja do Pavao.
Vendem-se poupelinas muito filias sendo fazenda
muito moderna de quadnnhos e liza vendendo-se
pnlos baratos precos de 400 e 500 rs. o covado na
loja do Pavao na ra da Imperatriz n. 60 de Gama
& Silva.
tlrosdenaples pretos do Pavao.
Vendem-se superiores grosdenaples pretos reos
baratsimos precos de 15500, 15600, 15800 e SU
belecimento encontraro um grande sortimento J0 covado, sendo fazenda muilo boa, s para ac
bar : na loja e armazem do Pavao, ra da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Bramante de Hnho do Pavao.
Vende-se superior bramante de linbo com 10
palmos de largora, proprios para lences, pelos
baratsimos precos de 25 e 25600 a vara, assim
como panno de lioho muito flno pelos baratlssimos
precos de 640,700 e 800 rs. a vara : na loja e ar-
uazem do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Canbraias lisas do Pavo.
Vendem se pecas ae cambraia lisa muito supe-
rior, pelo barato preco de 35200 e 35500 a peca,
ditas muito finas a 55, 65. 75 e 85 na loja e
armazem do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
PECHINCHA I
a 2000, para calcas, s a Pavio.
Vendem se superiores cortes de meia casemira
com msela de seda a 25, ditas Garibaldinas a
25800, ditas esenras a 25800, ou a 15600 o cova-
do : na loja e armazem do Pavao, ra da Impera-
triz n. 60, de Gama & Silva.
PEKTEADORES
ou roupoes de cambraia bordados proprios
para as senboras veslirem de manbaa.
Chegou esta no vida de pata a loja do Pavao,
muito lindos e do melhor gosto al hoje, pur pre-
cos muito moaveis : na loja do Pavao, ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cassas frantezaa a 240 ra. a cavado.
Vendem-se bonitas cassas (rancezas de cores fi
xas pelo baratissimo prego de 240 o covado.
Ditas a 280, 320 e 360.
S na loja do I'avao, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama iSilva.
Grsdenaple preto a 1#600.
E' grande pecbincba I!
Vende-se grsdenaple preto, sendo muito encor-
. I pado e de boa largora, pelo baratissimo preco de
15600 covado : na ra da Imperatriz n. 60.
Os cachinez do Pavao.
Vendem-se bonitos cacbinez de 12a ou aoazalbos
para cabeca pelo baratissimo preco de 35000, s
na loja do Pavao, na ra da Imperatriz n. 60.
MANTAS PARA O PESCOCO
a 15, s o Pavao.
Vendem-se bonitas mantas para o pescoco, pelo
barato preco de 15 : na loja do Pavao na ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Madapolcs a 3,360 rs. a pessa.
S na loja do Pavao.
Vende-se pecas de madapolao fino com 12 jar
das, pelo barato preco de 35500 e 45000.
Chales de renda.
Na loja do Pavo.
Roi.ahoram.cn ns mais lindos chales pretOS de
Sedas Largas
Na Jeja do Pav5o,
Chegou para a loja do Pavao um modemissimo
sortimento das mais lindas sedas para vestidos,
sendo ornas de iietrinbis e outras de florinnas
cem as mals finjas cores,-ealgamasproprias para
as senboras que estivere'm de luto e vendem-se
pelo barato prego de 25000 o covado, lendo esta
fazenda quatro palmos de largura, que facilita -
zer-se um vestido com poneos covades, isto na
loja e armazem do Pavio na ra da Imperatriz n
60 de Gama-& Silva.
Novidade
Para vestidos.
Cbegaram as desejadas cambraias ou tarlatana*
brancas com ll.-trinhas Isendo transparentes e *en-
dem-se pelo baratissimo preco de 5'5*X)0 o curte,
na loja e armazem do Pavo na ra da Imperan iz
D. 6 de Gama & Silva.
As cabaias do .Pavao a 2$000
o covado.
Chegaram para a loja do Pavao as mais lindas
cabaias de seda para vestidos, sendo cora os mais
lindos gostos de flores e listas, leudo entre ellas al-
gumas rozas e pretas para quem estiver de lato,
I tendo esta nova fazenda 4 palmos de largara que
facilita fazer-se um vestido com poucos covados, e
vende-se pelo baratissimo preco de 2006, nica-
mente na loja e armazem do vavo ra da Impe-
ratriz d. 60, de Gama & Silva.
Armazem do Pavao,
Vende-se cera de carnauba da melhor qualidade
em saceos, mais barato que em outra qualquer
parte no armazem do Pavo na ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Retondas de dito a
Manteletes de renda, lazenda mallo superior a
155000.
Capas e sauthambarques de grosdenaples bor
dados, fazenda inteiramente nova, por precos mais
baratos que em outra qoalqoer parte.
Isto na loja armazem do Pavao na roa da loa*
peratrlz n. 60 de Gama A Silva.
Oschales do pavo a 2ooa e 2ooo rs,
Vendem-se chales de merino estampados a 25
e 25900 cada um.
Ditos de merm liso a 35500.
Ditos estampados de crecen a 65, 75, e 85000.
Ditos pretos bordados eom franja de seda a 1*5-
Na loja e armazem do Pavo na ra da Impera-
triz n. 60 de Gama & Silva.
Para luto vende o Pavo.
Setim da China com 6 palmos de largura;' fazen-
da preta para luto, propria para vestidos roopas
para bomens, sendo esta nova (azenda sem lastro e
de muito boa qualrdade, garantindo-se nao car
russa com o teropo vende-se pelo barato prego de Receberam-se os mais
25 e 85300 o covado, assim como neste stabeleci: | renda, assim como as mais modernas e compridas
ment tem nm rande sortimento de todas as fa-
zendas pretas como sejam cassas e chitas pretas,
laas tapadas e iranspajentes, princezas, alpa-as,
sarjas, etc. : na loja e armazem do Pavao na ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Sirva.
Os baies do Pavio,
Vendem-se superiores baldes de mucuiina com
fnoita roda a 55-. ditos, crioolines com 35 arcos a
35300, ditos com 20 e 25 a 35, ditos para meni-
nas, sendo brancos e encarnados a 25 e 25500 :
-na loja do 'Pavao na ra da imperatnz n. 60. de
Gama&SHva
Cambraias de forro a i $00 e H na loja
do Pavo.
Vendem-se pecas de cambraia de forro com no-
retonde?, e manteletes da mesma lazenda, e vende
se mais barato que em outra qualquer parte: na
loja e ajmazem do Pavao na roa da Imperatriz n.
66 de Gama & Silva.
Ca^oi' a 310 rs. 9 covado.
Para ca'cas.
Vendem-se superiores castores muito encorpados
padroos escaros pelo barato preco.de 320 rs. o co-
vado, servlndo esta fazenda tambem para escravos
por ser de mnita duracao; na loja e armazem do
Pavao roa da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Chapeos para meninas a 6,000.
So na loja do Pav5o.
Se vendem os mais bonitos e mais bem enfeita-
os cbapeosiDftos de palba da Italia, proprios para
ve varasada peca, pelos baratlssimos precos de !s "3T3ST 7 MiT^ "Tfii- na loia
15600 e25: na foja e armazem do Pavo na ra ^^i^^.^^^^^^S."1^
da Imperatriz n. 60, de Gama i Silva.
proprla d
Legitima salsa parrilha deBristol, preparada por Lanman &'Kemp.
Verdadeira agua Florida, preparada pelos mesmos.
tada marca F. W. D. & C. m
Relogios perfectos reguladores, com corda do quatro a oito dras, fl
tricantes E. N. Welch.
Graixa'em lata grandes da bem conhecida marca Ia. S. Masn (doPaadel-
phia).
Superior -oleo para machinas de costura.
Agulhas para as mesmas.
Breu em bariicas grandes e pequeas.
Vende-se tambem:
BORDEAIIX
1.* qaalidade.
St. Estephe.
St. Julien.
G. Margaux.
C.lafitte.
Medoc.
PORTO
t4quala4e,

Principe Real.
Pedro V.
Maria Pia.
Princeza D. Isabel.
Vctor Emaianuel.
Duque.
Malvazia.
Vinso fino do Porto em barris de 5/, 10/ e 20/.
Superior vinho doRheno.
Cera de Lisboa em velas e em grume.

if300
QUEIMADO
Madapolao. J*
Finas pecas de madapelo com 20 varas a 90.
F LENQOS,
Lencos de cambraia branca, dnzia 20.
dem de cores Asas para meninos, dnzia 20400.
Cambraias.
Cambraias de c6res a proco de 260 a 300 rs. o eo?ado.
Ctarardaaapos.
Guardaapos de linho, doito 30509.
AlfOdo
Algodao trancado de dnas hffgaras, proprio para toalhas de mesa,
a vara.
Hrasasotc.
Superior 'taante de lipbp inftez ffaocez.
Cambraia de Hnho pTopra para lencos.
ATOALHADO.
Atoalbado liranco para mesa a 4#909 a vara,
BiUDtfMw de cambraia raurto finos, preco i0.
Lttcfeffrseda para algfbeiri-a IPOO,
aira$o de
Os cortinados do Pavo.
Vendem-se superiores cortinados adamascados
para camas pelo baratissimo prego de 15 cada par,
ditos muito Anos rlcameotfl bordados para camas
on jauef las a 155, 20& e J55 o par : na loja e ar-
mazem do Pavo na ra da imperatriz n. 00, de
Gama .& Silva.
Panno preto a 20 na loja do Pavao.
Vecde-se panno preto. fazenda muilo boa, pelo
barato preco de 25 o covado, dito muito fino a
355O0. 45, 55 e 65, assim-como casimira preta de
cordo a 25 o covado: a loja do Pavo na ra da
Imperatriz n. 60, de Gima A Silva.
Os espartanos do Pavao.
Vendem-se urna grande o variado sortimento de
espartilhos dos mais bemfeitos que tem Ivindo ao
mercado, sendo de todos os famanbos, vendendo-se
por -um preco maito raa*el : isto na loja do Pa-
vo ta ra da Imperatriz n. 60, de Gama <& Silva.
:l salas bordadas do pavao.
Vendem-se saias bordadas sendo fazenda muito
boa, sendo ricamente bardadas e com multa roda
veadendo-se peles baratos grecos de 65 8* e 105
res cada ama na loja do Pavao na rna da impera-
irix a. 60 de Gama Silva.
Bretaikas de-rolo a 3s000S
Vendem-se pecas de bretanba de rolo -com 10
varas cada peca, pelo baratissimo preco de 35 '
na.joja e armazn do Pavo, ra da Imperatriz n.
6Me Gama di Silva.
Moapa feita.
Na toja < do Pavio
Vende-se neste estabeleoimento um grande sor-
Umante de roopas, tanto de panno como caaemiras,
e brins e pelos baratlssimos precos como sejam
calcas de caxemira preta a-65 75 e 85000 res, pa-
letees de panno preto taceos a 65 85 e 125O60*rs.
ditos sobrecasacos do panno finissimo a 125 485 e
255OOO res, e oulros moitos artigos que sepia en-
fadoabos aqu relaU-los; s oa loja e armazem do
Pavas ra da Imperatriz -n. 00 de Gama 4 -Silva.
Leja do Pavo
Grandes, BaoUnchas.
Sediahas a SdA ra. 4 cavado
Sediihaa a uOOr*.
mvvvMbs jt ww rs.
Viode-se na loja do Pavo, um grande sortimen-
to de sadinbas listradas eom asmis bonitas cor-es,
sendo os padros mais novos qne tem vindo aa mor-
cado, e -vende-se pelo paratisslmo preco de cinco
tosteles o covado, sendo faseada que valona omito
mais diubeiro, a grande pecbincba por se ler
comprado ama grande partida desta fasenda, na
loja e armazem de fasenda do Pavo, roa da Im-
pertTit n. (60 de
Cortes de vestios*.
Pretos a 300000.
Vendem-se cortes de vestidos pretos bordado a
vetado pelo barato preco de 305, paca acabar; na
loja do avo a. 00 de Gama & Silva.
Lasmho matizadas a 320 rs.
Veadom-se aa mais lindas laaiiabas aaatisadas
com os mais bonitos desenbos, pelo barato preco de
320 rs. o covado ; oa loja do Pavo a roa 4a Im-
peratriz a. 60 de Gama & Silva.
Os chales de guipure a 12*) e
160000,
Vendem-se os mals reos chales de G ai pur e de
renda de linbo e seda, peto* baratissimo precos *
125 e 165; e Brande pecbiacba em relapao a boa
Mliae e lasaobo dalles : e aa toja do Pavie,
roa da ImperatrU n. 60, de Gama & Suva.
* L&azinhas a 500 n, s o
Pavo.
Vaodem-se modernas liaziobas eom lisdtwioMi
ratea, peto baratiuioo ptaeo, di.MO r. t tu-
S&aectedu : so wjs-so-Pavao, roa dalBf*-
rtrs.W, oa Gama & Silva.
co
0
o armazem do Pavo na ra da Imperatriz n.
de Gama & Silva.
Attenco.
ULTIMA NOVIDADE
PENTES, ENFEITES, CINTOS.
Gama & Silva, acabam de recener pelo ultimo
vapor franeez, om grande sortimento dos mais ri-
cos enfeites pretos e de cures proprios para cabeca,
sendo guarnecidos com as mais lindas flores, e com
voltas das mais bonitas perolas; assim como os mais
modernos e engranados pentes da verdadeira tar-
taruga, marebetados sendo a ultima novidade
que tem vindo de Paris, e os mais neos cintos com
Otas mathisadas e fivelas largas, conforme ltima-
mente se usa as primeiras capitaes da Europa, e
vende-se por preco em conta por ter chegado em
direitura para a loja do Pavio, ra da Imperatriz
n. CO de Gama & Silva.
Grande pechincha
Em chitas.
A meia pataea.
A meia pataea.
Amela pataca.
Vende-se na loja do pavio um grande sortimento
de chitas inglezas, sendo roas e cor de rosa, com
-padroes maiu miudos e mais grados, amanendo-
se ser de cores tizas, e vende-se pelo baratissimo
preco de 65 a peca, tendo 38 covados, e retalha-se
a 460 rs., sendo azenda que sempre se vendeu a
95 a peca ou se retalbou a 280 rs.; esta grande
pechincha llqaida-se por este preco na loja e arma
zem do pavo, roa da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
mmm mmimm
Para a quaresma
Os hales do Pavio a 60 70 e 80.
Veodem-se neos bales pretos de renda muito
grandes com quatre puntas, sendo es mais moder
nos por terem chegado pelo ultimo vapor franeez,
e venoxn-se pelo baratissimo preco de 65, 75 e
85 : na loja do Pavio, rna da Imperatriz o. 00, de
Gama & Silva.
As r-staatlas d# pavo a 8 e 1Q,
Vendem-se as mais ricas rotandas de renda pre-
ta, sendonuilo grande*., que sio as que mais se
usam, pelo baratissimo preco de 85 e 105 oa
loja e armazem do Pavo, rna da Imqeratriz n. 60,
de Gama k Silva.
Chias pretas a 160 rs:
Vendem-se ebrias pretas inglezas, sendo fazenda
muito boa. pelo baratissimo preco de 100 ra. o co-
vado, ou 55500 a peca com 38 covados : s na
loja de Ravo, roa da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
ATLANTA
raadle aovMade a lOO ra.
Atlanta a 200 ra.
Atlanta a 200 r.
Atlanta a 200 rs.
Cbagoa para a leja do Pavio o mais lindo sor-
timento desta nova fazenda, com o titulo de allanta
proprla para vestido e roopas para meninos, sen-
do esta modernissima fazenda de lia com os mais
liados gostos dequaiiinhos e. I i si ras tendo entra
ellas de cor roxae preta com listras e quadros
brancos proprias para luto, e vendem-se pelo ba-
ratissimo preco de 200 rs. o covado nucamente na
loja do Pavo ra da ImperatrU o. SO de Gasta A
HasSt
4 eaUasoofavao a 200 o covado.
Vende-se o mais bonito sortimento da calta* aa-
curas e rosas sendo inglezas, mas eom os naoaos
tao eneorpados como oa das francesas qae te
dama 400 reis, e Hqrtilo-se peto barat preco e
ataris* condo oo* 35*00* peoa, |araaMaj*-
se terem 38 covados cada peca ajaren coras
mmm
Pechicha
, So na ija e armazem da Arara, ra
da Imperatriz n. 56, de Lourenco Pereira.
Alendes Guimares.
Arara vende essas a dO rs.
Vendem-se cassas francezas muito Onas para
vestidos a 240 rs. o covado, chitas escuras e claras
a 160 e 200 rs. o covado : s na loja da Arara,
ra da Imperatriz n. 56.
Corles de casemira preta a 3$b00
Vendem se cortes de casemira preta para caica
a 35500,45 e 35, cor,es de CGl,m l'ara ca''.'a a
15280, ditos de brim de quadrinhos a 15, cortes
de ganga e brim de cores a 1 SU)0 : na ra da
Imperatriz n. 56.
Arara vende cortes, de cassa fraoieza o 20oOO.
Vendem-se cortes de cassa fina a 255/00. ditos
de chita a 35, ditos de csea de barra a 25 : na
ra da Imperatriz, loja e armazem da Arara nu-
mero 56.
Lentos brancus a 20OCO a duiia.
Vendem-se lencos brancos finos a 25, 25500 e
35, guardanapos para mesa a 25&00 a dnzia : oa
rna da Imperatriz, loja da Arara u. 56.
Arara vende chitas a 400 rs. o covado
Vendem-se chitas escoras a 160 e 260 rs. o co-
vado, chitas (rancezas Boas a 280, 320, 360 e 400
rs. o covado : na roa da Imperatriz n. 56.
Riscado franeez a 240 oeovado.
Vende-se riscado franeez para vestidos a 240 o
covado, cassas frabcezas finas a 240 e 280 o cova-
do : roa da Imperatriz n. 56.
Arara vende madapolao a 40,
Vendem-se pecas de madapolao de 12 jardas a
450OU e 45, dito de 24 jardas a 45, 55, 65. 75>
8 e 105 a peca, pecas de algedo a 35, 45, 65 e
85, dita de bretanha de rolo a 35 : s na loja da
Arara, ra da Imperatriz n. 56.
Riscado a 420 rs. o cavado.
Vende-se riscado escuro para vestidos de escra-
vos a 120 rs., dito de linho para rcupa de meninos
a 240 o covado, gangas de cores a 4C0 e 44o r. o
covado, colariohos a 500 rs. a duzia : roa da Im-
peratriz n. 56.
Arara vende lazinhas a 200 rs.
Vondem-so lazinhas para vestidos a 200, 320,
400 e 500 rs. o covado, ditas lisas e matizadas a
500 660 o covado: roa da Imperatriz, lj% e ar-
mazem da Arara n 56.
Bramaute a 20000 a vara.
Vende-se bramante de 10 palmos de largura a
2J500 e 25600 a vara, paono de linho para leu-
coes e toalhas a 640 a 700 rs. a vara, hamborjjo
para lengoes e toalhas a 50 : rna da Imperatnz,
loja da Arara n. 56.
Ronpa feita e camisas para senbora a i ;>.!>00
Vendem-se camisas para senbora a 15500, cal-
cas de brim a 25, ditas de casemira a 55, 6 e 85,
paletots de panno preto a 65, 85 e 105, ditos de
brim de cores a 25 e 35, camisas francezas a j>
e 255OO, ditas inglezas de pregas larga?0 ae linbo,
a 25500, 35 e 355OO, ceronlas a 15600 e "&,
lannhos econmicos a 500 rs. a duzia
Imperatriz n. 56.

co-
ma da
Imperatriz o
a armazem do Pavio na roa da
de Gama & Silva,
Escravos fgidos
Fogio no dia 3 do correte a escrava crioula de
nome Luzia, e tem os sigoaes segnintes : estatura
alta, bem preta, rosto coroprido, testa larga, bocea
grande, bei?os grossos, esperta por ser acosluma-
da a vender na roa e levou vestido de chita de an-
enlo branco com flores mludas e desbotadas, cha-
les amarello cora urna palma e desbotado, ps des-
caaos, foi vendida pelo Sr. Antonio Jos de Soma
Carvalho, da Pbarabyba, que este a tinha servindo a
urna familia que mora na ra do Raogel, por cima
do armazem Pharol 2o andar desta cidade, e tendo
a dita escrav fgido em o 4 do correte anno foi
arrancada do soto da casa da ra do Encanta-
mento n. 12 em frente para a ra da Cadeia por ci-
ma da teja de seleiro do Sr. Placido, soto este alo-
gado pelo preto crioulo de nome Manoel Barboza
Tavares intitnla-se forro amaslo da dita, e tendo
o senbor da dita escrava descoberto naquella occa-
sio que eslava acornada por este, foi com 2 pracas
tira-la deste lugar, e nesta occasio acontecido o
mesmo cima expendido, empregouse meios de
agaarra-la no mesmo lugar, mas nao foi possivel
por esta se evadir com o dito preto, deixando no
soto da dita casa, o taboleiro e mais objectos que
levava para a ra fazer venda; portanto desde ja'
protesta contra o dito preto Manoel Barbosa Tava-
res como seductor da dita, ou a quem a tiver a-
coutada em sua casa, pelo que rogo a pessoa que
descubrir oa agarrar a dita escrava gratificar com
igenerosidade. Constando nesta occasio que o dito
preto mora aa Cabanga, por ter sido visto eom a
dita escrava, roga-se pois as autoridades desta ci-
dade o favor de coadjuvarem, afim de ser entregue
ao senbor da dita na roa do Vigario n. 49 segundo
andar 00 27 segundo andar, escripterio.
200$ de gratificado.
Em 34 de ootubro do anno passado, fugio a es-
crava Claudioa, cabra alta e seca do corpo, que
pertenceu ltimamente os Illms. Srs. Jos Joaquim
da Silva, Manoel MaorMe de Sena e D. Mariana
Ignacia de Castro e Silva que a vendeu a Jos Ma-
tbeos Ferreira qae pagar 48005000 a quem lbe
entregar dita escrava oa ra da Cadeia n. 62.
Contina fgido o escravo pardo Sebastiao
de 48 annoe, arto, cabellos carapinnos e ruives,
olbos castanbos e grandes, sem barba, nariz cbato,
com todos os dente, orcinas pequeas, tem a mar-
ca de om talbo sobre o labio superior, marcas de
bichos nos calcanhares, sabe ler e escrever, traja
calca de brim e camisa de algodao branco : quem
o pegar leve o as Cinco -Ponas n. 460, que aera
recompensado generosamente.
Est ausente da aaca de seu senbor desde01
de marcp prximo passado, o escravo por nome
Joo, nafio Zongo, de meia idade, levou calca
branca, camisa de algodao fucblcada, chapeo velbo
de couro, tem cara grande, ventas regacadas, nariz
cbato ; foi escravo de Sr. capillo Joaquim Francis-
co Lavra. e tata-sido encontrado as raaa do nan-
ga!, paleo do Canato- e Campo Grande: roga-ea
quem opegar leva-lo a casa a roa da lmperain
n. 80, qoe ser* recompemaoo.
. r


?

W
I
- Ausntense da asa de soawn>o^esdeo
dia 0 do cerrenie, o _*^X is*Vw*nt*n*
. I.TI I. J
aeatoaaraan^L^L^L^L^H
63, sera nacon^pflsanoo.




.
Diario de Ferflaabite Ttrt}i felra i 6 Afcrf efe (866,
*
LTITERATRA.
\




i
i
Resposta do gorerne hespaahol
a de Italia.
Madrid, 16 d fevereiro d 1866.
Eira. Sr.No di* 11 deste mez, o marquez de
Tagliicarne veio fazer-me a Miara de um despa-
cho que Ihe havia dirigido o Exm. Sr. general La-
maraiora, com data de S, que antes de cbegar ao
meu :nheciraento tinba sido publicado no numero
Q0 dii 9, da Gaieta Ofjkial de Florenga.
L' i?.1 depois da sua leitnra, a 11, recebi quasi
ao mesmo lempo a copia que servia enviarme o
representante Ji^liaoo, e a noticia telegraphoa de
que 04 jornaes francotes reproduziram as suas co-
lummis aquella commuicagac.
Esta publicidade anteclpada, eflectivamente pon-
co de acoordo com as praticas diplomticas geral-
meni seguidas, e que me dispensa de enviar a V.
Me. o documento de que se trata, d a esse docu-
mento ura carcter Jdistincto e mais significativo
do que de ordinario tem as commuoicagoes entre
d )H8 governos amigos, e colloca me na necessidade
de publicar tambem o presente despacho, para cor-
responder nesta minha resposta a maneira por que
aq'uell) Sr. ministro dos negocios estrangeiros me
dirigi as observares, de que passo occupar-me.
Antes, porem, de responder a ellas, julgo conve-
niente recordar alguna antecedente?.
Quando o governo da rainha animado do desejo
de renovar as suas antigs relacdes de amizade
com o reino da Italia, fez espontneamente a pri-
meira iadicagao deste sea intento ao baro Caval-
chini, ento encarregado de negocios de S. M. el-
rei Vctor Manoel, leve todo o cuidado de Osar
previamente, de urna maneira clara e terminante,
a siguiflcago e verdadeira importancia do acto que
se propunba vericar.
Em presenga disto, o general Lamarmora, ani*
mado de idntico desejo, adiantou-se a declarar,
um igual espontaneldade pela sua parte, no des-
pacho de 5 de Julbo do anno passado, que na sua
opinio, o faci de um estado reconhecer ootro nao
tinba ita si nem mais nem menos alcance, do que-
o restabelecimento paro e simples das relacdes di-
plomticas em devida forma, sam que de maneira
aiguma podesse ligar a poltica de um dos doas
estados a do outro.
A esta definigio nao equvoca do que significara
9 reconheclmento, na opinio de S. Exc, corres-
pondern) nojmenos francas explicagSes dadas por
mira, n'am despacho dirigido em 12 daqaelle mez
ao encarregado de negocios de Hespanha em Fio-
renga, e commnnicado pelo Sr. Zarco del Valle,
mediante a soa leitur e entrega de nma copia, ao
ministro dos negocios estrangeiros do re de Italia.
Principiando por mostrar naqaelle desp cbo, de
accortlo com o governo italiano, que o reconheci-
mento nao poda, no qae respeita ao passado nem
ao fot uro, ligar a poltica independente de nenhama
das duas naes, accrescentei qae a Hespanha nao
uuba occullado a sua opinio aserca dos aconteci-
mentos occorridos na pennsula italiana, dorante os
ultimes annos, e qne, por conseguinte, nem o re -
conbenimenlo implicava a approvagSo retrospecti-
va da poltica seguida pelo governador de S. M.
el-rei Vctor Manoel, acerca da qual a Hespanha se
bavia reservado seiapre a mais completa liberdade
de opinio, nem lesar os direilos estranhos nem
mesmo prejudicar as questoes que delles se origi-
nassein.
Etpressando o general Lamarmora a maneira
por que entenda e ioterprettva o acto de reconbe-
c:mee to, e aceitando-a ea na forma por que acabo
de ex por, da vamos ambos ama tai prova de sioce-
ridadn e ampia franqueza, que nao parecia que ja-
mis oodesse soscitarem-se duvidas a este respeito.
A He.-panha, poi?, mediante as anteriores declara-
coes, cava na plena liberdade de seguir, anda
mesmo depois do reconheclmento da Italia, a po-
ltica qae mais conveniente julgasse para os seas
interesses.
Neste estado de consas, nao podia deixar de sor-
prendor-ue qua o general Lamarmora julgasse de-
ver actualmente mostrar se queizoso e resentido,
pelos passos qae a Hespanha tem dado ou trate de
dar acerca da questo romana, especialmente quan-
do esta questo eslava tambem prevista, expressan-
do-se a respeito della o governo da rainha, de urna
maneira to explcita qae nao deixava fundamento
para o menor equivoco.
Sem por em duvida, dizia eu no citado despacho
de 12 de jalho, as intengoes, publica e frecuente-
mente manifestadas pelo governo italiano, de res-
peitar a autoridade espiritual e o territorio da san.
ta s, o gabinete de Florenca ha de comprebender
os devores que oos impde a nossa sitaago de po-
tencia exclusivamente catholica. E neste caso, pa-
rece-Be quasi intil accrescentar qae, renovando
as nos;as relagoes com o governo de el-rei Vctor
Manoel, o reconhecendo a sua nova e engrandeci-
da monarchia, nao entendemos enfraqaecer de ma-
neira alguma o valor dos protestos formulados pela
corle de Roma.
Nada poderia baver de mais explcito ; se reco-
nbecemos o fado da annexago ao novo reino de
Italia de algamas provincias que outr'ora perten-
ciam aos dominios ponteQcios ; se, apesar disso,
nao queramos enfraqaecer o valor dos protestos
do santo padre, e se esses protestos, qae assim res-
peitavs.mos, se referiam a acontecimeatos passado?,
evidente qae, a nao incorrermos n'uma grave e
inconcebivel inconveniencia, as palavras qae aca-
bo de transcrever davam a entender anticipada-
mente a nossa opinio, contraria a toda a poltica
qae propendesse a desmembrar de futuro o terri-
torio qae entao, como actualmente, constitua o pa-
trimer.no em que o summ o pontfice exerce a sua
soberana temporal.
Segindo pois constantemente os principios que
com tanta clareza e franqueza me conbe a honra
---------------------------------------- ------------- i i ^ i m
de expdr naquella occasiao ao ministro dos neg-' por intermedio do erabaixador
cios estrangeiros de llalla, a Hespanha nada pratl- em Pars. Mostrando-nos estr,
con de novo, era mostrou mudanea algoma na do conveaio de li de setembro,
sua maneira de proceder oo as soas ideas em qne conseqaencia, qae nos nao comp
S. Etc. possa fandar-ne para dizer que os passos nem cumpri-lo, nao pode isto si
dados pelo governo hespanhol nao estao de accordo disse, qae fosse indifferente no qa
com as declarages qoe precedern o reconheci- tSo de Roma, nem qoe reconhec
ment ; declarag<$es que pela minha parte Ibe devo
recordar apoiando-me no texto dos nessos respec-
tivos despachos, dirigidos aos agentes diplomticos
de urna e ouira nago.
magestade
celebragio
indo por
prelalo
como ji
qaes.
val-
compe-
um e
> Queirt \, Er pois, Metalar ao ministro ios
negoeio eslftargerrea qae, se i Hespanha, fiel s
suas promessas e aos teas eomprorajsso, e em vir-
tude da liberdade qoe w reserva a das declama-
ges qne fez quando renovoa as soas relagoes di-
plomticas, se inters tivamente pela conserva-
gao da soberana temporal da sania s, nao diirxa
de experimentar pelo reiao da Italia a maior ami-
zade e symptbia. E' disto, pois, nm bom teste-
mnnbo a espontaneidade do reconheci ment, como
o sao tambem os discursos por mim pronunciados
da a dontrina de qoe s Italia e a
te o direito de se occaparem do que t
tado, Inlepeodente, como a santa s, e muito me-
nos pode privar-nos da faculdade e de direlto, de
De boa f e animados da mais viva sympathia fazermos observagdes a um governo amigo, caja no senado
ir^n r?S/' ta"a' lalcomohoJe opinllo acerca d'aquelle accordo era idntica i1 Por ultimo, nao dar o general Lamarmora
,J, !!""!:^.:...^/.COaSega,nte'qualqU8r modI" *. m como nos Igual importancia davldar da slnceridade cora qoe desojamos conser-
conservago do poder temporal, e cojo consent-! var e estrellar as boas relagBes que nos unem a
ment, para que1 Roma chegasse- a ser capital do nm povo, qae tem ama origen igual a''nossa, e
novo reino, havia declara Jo ser necessarro, um dos Instrucges semeihanies s nossas.
bomens mais notareis da Rali, o conde oV Cavonr. | rte V. Exc. fezer leitnra deste despacho
Nao pratlcamos, por tanto, oenbum acto de ao Sr. ministro dos negoeios estrangeiros,-e deixar-.
ingerencia, quando manifestamos qne listramos de lhe nma copia se elle desejar.
ficagao que no futuro tivesse logar traria as eousas
a um novo e dislincto esudo, qoe nem a Hespaoba
nem a Europa reconheeeram on saccionaram de
antemo, e qae seria portanlo licito s nagSes re-
conhecer on nao com absoluta liberdade.
Mas a snrpreza do general Lamarmora an-
da mais inexplicavel se attendermos a qae antes
mesmo do despacho de U de jalbo, tinha-mos an-
nanciado publicamente a firme intengao em qne
estavamos de proceder apoiando o poder temporal
do papa. No meu despacho da.SK' de jnnho ultimo
dirigido ao erabaixador de Hespanha em Roma, di-
zia en qne f para um dia ser til aos interesses
< permanentes e sagrados do pontiieado, era m
dispensavel que a Hespanha renovasse as snae
relacdes polticas com o reino da Italia, entrando
no accordo earopeu, e habilitando se d'este modo
para fazer ouvir a sua voz, e empregar a in-
fluencia qae lhe fornecessero as circotnstancias
< a favor da independencia e dignidad da santa
t s. Este despacho oi impresso nos jornaes
italianos do dia 10 de jalho, e nao podia portanlo
deixar de ser conhecido do general Lamarmora.
Mas S. Exc. apoia as suas observacSes e os
seos argumentos no que ba de explcito as soas
declaragoss acerca da eonvengao de 13 de setem-
bro ; e sendo assim, julgo do mea dever recordar
os fados qoe as motivaran.
Partindo de um erro commettido pelo baro
Cavatcbini quando den conta da conferencia qoe
comgo tivera acerca d'estes delicados assumptos,
emenden S. Exc. qae governo hespanhol quera
fondar a resoluco em qae eslava di reconbeeer a
Italia no fado da concluso da dita convenci, e
qoe alm d'isso pretenda por em davlda a manei-
ra de Interpretar esse pacto solemne. N'este erra-
do conceito julgoa opportano recordar-me qne os
doas oslados tinbam ja' fizado entre si, em boa e
devida forma, e pelos raeios diplomticos, a inter-
pretago que deva dar-se as suas clausulas.
c Esta declaragao provocou ama resposta da mi-
nha parte, na qual convim em que, sendo as refe-
ridas estipularles obra exclusiva da Italia e da
Franga, explosivo era igualmente o direito qae am-
bas as nagoes tmham de entender a sna interpre-
tarlo e cumprimento; mas aerescentei tambem
qoe, tratndose de um assumpto que to directa-
mente anecia va todas as na coes catholica, a Hes-
panha tinba seguido desde o principio e com o
maior interesse, nao s as negociagdes, mas os
commentarios pblicos e officiaes qae aqaelle con-
venio tinba suscitado por parte de ambas as poten-
cias signatarias; e qae em virtade d'essas expli-
carles, e mu particularmente da que dea Mr.
Rouher no corpo legislativo na sesso de 15 de a-
bril, o governo da rainha tinba formado a sua opi-
nio definitiva a este respeito.
< As explicares a qae me referia constam dos
despachos de 28 e 30 de outubro de 1864, dirijidos
por Mr. Dronyn de Ltiys, ao baro Malarat, minis-
tro de Franga em Florenga, e do citado discurso de
Mr. Rouher, no qual afflrmou que a annexago de
Roma a' Italia era ama questo de equilibrio earo-
peu, e entrava na jorisdigo de todo o orbe catho-
lico.
c As declaragfles qae aquellos documentos con-
teero, e qae fixam a significagao do convenio, pro-
cedem de urna das duas potencias qoe o celebra-
ran), e foram feitas antes do restabelecimento das
nossas relaefies com a Italia. Foram essas decla-
racoes que nos serviram de guia; cora ellas e por
ellas formamos a nossa opinio sobre to impor-
tante pacto, e por tanto importa qoe o general La-
marmora considere, e V. Exc. devera' chamar a
sua attengo sobre este ponto, que se as consequeo-
cias d'essas declaracoes e doutrinas nao esto con-
formes com as ideas de S. Exc, se as teera como
urna negarlo do proprio direito publico italiano, e
julga que se ebegassem a realisar-se, o povo e o
territorio de Roma se veriam redozidos a ama es-
pecie corporacao de mo mora em proveito do ca-
tolicismo, nao ao governo da rainha, por mais
de accordo que esteja com ellas, que deve dirigir
os seas argumentos para as refular.
c Eotendo que S. Exc. caio n'um equivoco, as-
segorando qae o governo hespanhol se reconhece-
ra estranho completamente a todas as questoes po
Htlcas e territoriae?, ligadas com a soberana pon
tificia porque, se certo que confessoa ser estra
nho a celebrarlo do convenio de 15 de setembro,
nao certo que se tenha mostrado indfferente a'
questo de Roma. Urna prova irrefragavel do que
Oca exposto encontra se no despacho de 12 de ja
lbo em cajo texto se assegara, e mais de nma vez,
o vivo e constante interesse que inspira a' Hespa-
nha a corte do pontificado, e a conservago do po-
der temporal, sem tambem se occaltar qae, na opi
nio do governo de S. M. el-rei Victor-Emmanael,
da resoluco em qae esta' de por termo as agita-
goes da Italia, e proporcionar ama garanta publi-
ca para a Europa. Note-se bem que, ento nada
d'isto provocou observago alguma ou reparo da
parte do gabinete de Florenga.
c Temos, pois, o direito de afllrmar qae nos nao
desviamos da llnha poltica qae tragamos, e qae
longe de encobrir, manifestamos desde o principio,
com leaidade e franqueza. Tambem se nao pode
chamar ingerencia, como o general Lamarmora diz,
aos passos qae demos jauto do governo imperial,
FOLHETIM
A SEPULTURA^ DE FERRO
POR
Henriqae Conscience
(Coolionagio. J
XXIV
Una manba em qne ea la sahir para dar co-
mego a o mea passeio solitario, chamo u-me mea
pal a sna loja. Declaruu-me que o mea preceder
lhe pareca censaravel e tanto menos comprehen-
sivel quanto mais ea ate calara acarea das minhas
intengoes para o fu taro. Disse-me qae ea era ji
um bomeme qae derla ter bastante nobreza de
carcter para nao querer estar aesopre a cargo do
Sr. Pavelyn. fio alada nao eslava completamente
curado da minha badisposico e mea pal bem en-
tenda que ea tinba necessidade de descango, mu
tambem entenda qae isso nao poda obstar a qoe
pensas.se no mea futuro.
Reconheci o acert das sois admoestacSes e pro-
metti seguir o sea coaselho. Com effotlo, logo qae
me ri ronda aWeia, nos eampoi, paz-roe a reffee
tir sobre o qoe me cumpria fazer. Nao qoiz rol-
tar a intaerpia. Nao me sealia coea roatade i
aproximar-me de Rosa. Ella casara o esqnacer
se-Wa de mim. Desojara sinconaente qoe ella
foasa Miz, mas nanea ruis a veria ; esta va bem
Deas guarde, etc.
Asslgnado) M. Btrnadez di CaO
(Do Jornal do Commercio, de Lbas.)1
UM POUCO DE TUDO.
de castello na- ar, que nao reare,
que ideas chimeneas, vai passar
tantes, com a qual parece qae a oolra deve estar
conforme.
Mas anda quando bouvesse razo, qae certa-
meuie nao ba, pan accosar a Hespaoba de Inge-
rencia, jolgo qne era ao governo fnncez qae com-
accordo com a signifisagu qae o convenio ten,na
opinio do governo imperial, nem quando osamos
o direito qae nos assiste de nos ecuparmos de
ama qoestao, cojo interesse para a fltoptnlra nan-
ea oeeaHamos ; e, se alguma prova se- carece da
verdade (Testa afirmativa, basta considerar qoe a
Franga, loage de regeilar as-nossas opiaiSes, oavio'
a e recebeo-as no mesmo sentido ami--a*el em qae A expressao
as fizemos. E era natoral que assim sneeedesse ;' 9^,^ malg 0 ^
os esforgos da Hespanha a favor do poler tmpora, raas aos Americanos, da flc5o.para'a realidade.
estao isentoa de todas as vistas-ulteriores, qoe pos- j^.^ de ^^1 nas raa8 de Nova-Tork
sam lazer eem qae pangara interessados as soas- Yii3 ferreas snpportads por pitere da altara de
opimoes estao igualmente de accordo, com o qne a djesete ps, e as qaaester-se-ha accesso por raeio
este respeito eapoz repelidas rezos-o governo ira- de escadarias llgerras, collocadas as esquinas das
perial, cujas dedaragSes foram reproduzidas n'ma rot8.
poca muto reeeate, segando consta do despacho a forga motriz sera fornecida por ama Bova ma-
que dirigi o bario Malaret ao ministro dos neg- china, qoe circular- sem ruido, e estar exempta
cios estrangeiros do imperador, eom dula de % de dos perigos da lecomotiva actual.
Janeiro ultimo. Dizem os autores do projeelo, que estes eami-
N*esse despacho, entre outras c^s, di'se nnos de ferro areos nao estorvam a circalacao
terminautemente ao representante francez, qoe, nao encommodam os- habitantes e logistas, e qoe
por mais de urna rez, liana manifestado em nome a sua construego e to llgeira, qoe as pontes por
do sen governo a S. Exc. o general Lamarmora,. e|les formadas serven-at certo ponto de ornato s
qae a Franca, quando ajustara o conreara de 15- de ruas.
setembro, e bavia feito com o proposito de assegn-
rar a co-existenca na Italia de dnas soberanas dis-
tinctas ; a do papa, redazida s soas actoaes pro-! Em Weymouth-Landln (Massachnsets) susciten-
porgues, e a do novo reino. Este estado de coasas se ltimamente urna grave questo, a- de saber se
foio qoe a Hespaoba reconbeceu ao renovar as as mulheres, qne hariam recebido ordens religie>
suas relagoes com a Italia ; por Unto nao pode ser! sas, podlam ou nao ministrar o sacramento do roa-
aecasada, com fnndamento, de querer intrometler- [ trimonks
ae na inlerprelagao do conrelo, pois qae na ac- E' preciso dizer qae n'aqaella locahdade ba orna
tualidade nao faz mais do que adherir explicago! senhora, a reverenda Orympia Browa, que exeree
stantemente dada por urna das partes contn- as fongerjes de ministre-, nao sabemos de qae igreja.
Segundo a ordenago do estado de Massacna-
setts, qualquer ministro do Evangemo, ordenado
em conformidade dos da saa proflsso de f, pede
ministrar os sacramentos do matrimonio.
Ora, ni citada ordenago, o pronome masculino
pria manifestar a censura qae mereca esta manet- eHe e sempre empregado- para designar o miaistro
ra de proceder, e de modo algnm a & Exc. o ge-' e por isso appareceu a duvida acerca da capaeida-
neral Lamarmora, junto do qual nao demos passo' de legal da Sra. Brown. '
algum, nem fizemos a menor tentativa acarea d'este' A qaestao nao era de pooca importancia; o sa-
negocio. Em resumo, o governo da rainha, nao era rae ato do matrimonio ha multo qae eslava sen-
pode considenr como dingidas a elle obserragoes do ministrado por aquella reverenda.
qoe nao sao promovidas pelo sea procedimento,' A cmara electiva ocenpou-sa ultintamente de
nem por declarado es ou doutrinas, que espontanea- urna proposta, cajo fim era Ssar a jarisprodeoeia
menta apata a considere como suas. acerca deste assumpto, e a commiaso judiciaria
N'ootra parte do sea despacho, geoeral La- foi eocarregada de examinar se o caso pedia legis-
marmora, correndo mesmo o risco de destruir urna ,a5 especial,
das principaes bases de suas queixas, reconhece a! a commisso apresenlou o sen parecer coa-
completa liberdade e reciproca independencia qne cuindo por aoaolmldade, que orna raulher regl-
ameos os gorernos, hespanhol e italiano, se reser-; mente ordenada est apta para minislrar o sacra-
raram na occasiao de renovarem as suas rela$5es;; ment do matrimonio,
mas depois attnbae-me nma lingnagem e actos I ^^___^
pouco benvolos para com a Italia.
Se essas notas a que allade, sao apenas aquel- i Ha oito mezes una joven parisiense, de rara bel-
las que se deprehendera dos documentos publica- leza, Sophia 6..., sahio do convento para casar
dos, deve V. Ezc. assegorarlhe que, desejaodo a cora um mancebo que ella conbecia de ba muito.
conservago do poder temporal do papa, nao me Este casamento era feilo com o consenlimento
anima nem anima o governo da rainha, sentimento das doas familias.
algnm que ddxe de ser beoevolo para a monar-1 Por infelicidade, Sophia foi cpnfiada, depois qne
cha italiana. sahio do convento, a nma ala to depravada como
c Nao son o uoico, nem a Hespanha a nnica bypocrita.
potencia que julga til e necessano o poder tem- Esta muiner ocetrttava sob a mascara da virtude
poral para o exercicio digno e livre das attriboi- um proceder desregrado.
coes espiriluaes do pai commura dos fiis5 mas nio uma BOjle sabio com a joven G..., e s voltou
se pode concluir d'aqnl, como faz o general La-1 a mannaai seguinte.
marmora quando lamenta ver-me collocado n'este' A aia fo espedida e a menina tornou para o
terreno, que eu baja sustentado como conveniente COuvenlo-
a confuso dos poderes espiritual e civil nas rea-1 jQ|gaodo a corrigida e arrependida, seus pais'
g5es de Roma com os de mais citados, catholicos. qoe golim de alguma fortuna, tornaram a manda-
O paragrapho que se l no despacho de 8 de ia vr para casa,
novembro, a qoe V. Exc. se refere, nao significa j a infeliz Joven nao pensava senao em diaman-
nem annoncia a esperanca de que certas prorin-; tes, cavallos e carruagens; o seu arrependimento
das, boje comprehendida no reino de Italia, se se-' era simulado.
parem d'elle no futuro. O governo hespanhol jal- ltimamente abandonou segunda vez o domicl-
ga, e nao o nico que nutre esta opinio, que nm lio paterno.
ajuste e.molaa bnciliago, convem tanto a Roma, j Foi procurada por toda a parte, mas sem resnl-
como Italia, desde o momento em que ambos os \ tado. Seus pais eslavam coosteroados.
convencido de qae o amor qne me inspirara nao
morreria seoo commigo; mas, se nao me era
dado vi ver na saa presenga, tena no meu corago
a sna memoria e a saa imagenr at qae a sepul-
tura se fechasse sobre o mea sofTrimento. Por-
tanto, nanea mais entnria no recinto de Antuer-
pia. O qae poda fazer era ir a Braxellas para
procurar trabalbo em casa de qualquer escalptor.
Mas qae dira o Sr. Pavelym de tal resolacio ?
Dar-lh'a a conbecer seria Imprudente e ridiculo,
porque nunca me permlltiria qoe fosse tnbalbar a
jornal em casa de ootro artista, nem mesmo de
procurar a fortuna e a oomeada em ama cidade
remota, oode nio poderia tomar parte nos meas
successos e liberallsar-me nalavras de animagao.
Refiectind assim como poderla execotar o meo
projecto sem offeoder o meo bemfeitor, tinba cor-
rido grande distancia por campos e me encostara
ao parapelio de ama ponte a ver correr vagarosa-
mente a agaOdo ribeiro, mas nio ra nada. Todas
as faculdades do mea espirito estavam concentra-
das sobre a questo qua, semelbante a nm enigma
insolovel, baria nina hora qae so apreaaoura a#
mea cerebro.
Eis qae ougo pronunciar o mea nome. Oibo
par* traz ; era minha ir mi a mais ora qae me
asMkara procunadu e corra para mim com oa aaaa
tamancos aa mi.
Mano, Oenha depressa t preciso ir o cas-
tello. 0 Sr. Parelyn est em Bodegbem.
estados tlverem de existir nm diante do outro apio
mesmo tempo.
c Partindo desta principio, se o general Lamar-
mora tornar a ler o paragrapho de que se trae,
julgo que ficar convencido de qne a phrase a qae
allude pode ser considerada como nm argumento
a favor do lira que rae propunha quando a escre-
via; argumento baseado em exeraplos recentes e
na possibilidade de no vos aconteci memos na pe-
nnsula, em consequencia dos quaes pode aconte-
cer que Roma ebegasse a entrar de novo na posse
de algamas das suas antigs provincias, sem detri-
mento para a unidade, e que isso se realisasse pa-
cificamente ocm o consenlimento do proprio gover-
no italiano, e em proveito de todas as partes inle-
ressadas.
c Julgo ter respondido, argumento por argu-
mento, ao despacho dirigido pelo general Lamar-
mora ao representante da saa nago junto da nos-
sa corte; mas nao concluirel S9m encarregar a
V. Exc. de procurar dissipar qaalqaer prevengo I
que
Por fim liveram a triste noticia de qne Sophia
estava encerrada n'uma casa de detengio.
O pai, sabendo esta terrivei desgraga, entrn no
seu gabinete e poz termo a' vida, dando ura tiro
no ouvido.
A mt nao pode resistir a estas commogoes e
perden o juizo.
Qoaoto ao futuro da infeliz rapariga, encontra-
ran o seu corpo inanimado a boiar no Sena : o
pobre rapaz tinba annanciado a todos os conheci-
dos o seu casamento com aquella que elle amava:
a vergonha e o desespero conduzirara-o ao sui-
cidio.
Como dados curiosos, anda que nao sejam in.
teiramente fidedignos, l-se no Jornal ao Commer-
cio, tanscreverei aqu os que fornece o Standard
sobro os recursos e meios beligerantes.
Cumpre observar que esse jornal, tendo sympa-
possa conservar o governo italiano relativa-' thies muito contiendas pelo partido blanco, eos-
mente aos sentimentos
rainha.
que animara o de S. M. a
luma s vezes achar-se bem informado, e nao lem
sido dos mais hostls ao Brazil.
O Sr. Pavelyn I pergantei, tremendo de sar-
preza. E a senhora e a menina___ nenm
com elle ?
Nao, mano; elle veio s. Vi-o descer do
carro e encarregou-me de dizer-lhe qne quera
fallar comsigo. A mii mandn qne o procurasse.
Por fortuna, o ferrador soube dizer-me por onde o
mano sabio da aldeia.
A certeza de que Rosa nio acorapanhara sea
pal linha dissipado completamente o meu susto.
Em quanlo ea rollara com rainha irma aldeia,
I respondendo a urna ou outra phrase da sua inno-
1 cenle conrersagio, o meu espirito tmido qnlz in-
quietarme, pergontando me por qae razio viera a
Bodegbem o Sr. Parelyn e porque qoera fallar
commigo, mastranquilisei-me reQectlnde que, visto
que e man proctedor costamara passar cada se-
mana pelo meos meio dia no sea castillo, mais
razio baria para admirar qae deixasse passar tres
semanas sem l apparecer. Demais, porque, es-
tando elle na aldeia, havia de voltar para Antaer-
pia sem me ler visto T
A' entrada do castello, encontrel nm criad qae
me diese qne o Sr. Pavelyo andar a passear no
jardim e qoe provarelmente o acbari no bosqne,
oo nm da avenida de faias, porque so tinba diri-
gido para esta parte.
Sagai o cantono indicado eperoorri rpida mate
a oomprlda avenida d velbas ai. Qoaado che-
guei ao bosque, vi a alguma distancia o men pro-
ohoes. Hmeos'
6 450
6 400
0 400
0 400
6 400
4 300
4 300
4 300
4 275
4 275
7 230
4 550
4 400
4 100
4 100
4 10
Fallando da esquadV brrzilelra em Corrientes,
dh elle qoe soa orea #' seguate:
Nanos.
Amazonas ......
Beberibe......
Mag.......
Belmonte ,.....
Parnabyba ......
Mearim. ......
fvahy.......
Hajay .......
Aragaary......
Iguatemy ......
Ypiranga.......
Recite.......
Brigoe.......
Brazil (encouragado) .
Tamandar (dem). .
Barrote-{Wem..... 4
- 77 4,400-
Nao s-ha algum erro nessw relago, sobretado-
quaato s gaarnigcies, mais atada nao esto nella
coraprebendidos os pequeos vapores Taquary,
Onm de Junho, Undoia, o encoaragado Baha, as
chatas, etc., com todos os qaaes devia contarse,
posto qae j iara subindo o Paraca. Ha tambem
diversos transportes brazileiros d'e vapor, que po-
den tomar parte nas operagSe?.
Podem calealar-se quando meos- em 30 os na-
vios brazileiros qoe ho de tomar parte nellas,
sendo proprlamente de guerra 2*ou'24.
Ha tambem- tres pequeos vapores argentinos
juntos esquadra brazlleira, o qne permittir
historia chamsr-lhe esquadra alliada.
Ougaraos, porm, o Standard nos outros dados
que fornece f
Na margen opposia (Passo da Piria)os para-
guayos tem concentrado suas forgas,.de 10 a ....
20,000 bomens,. e com 50 pegas de artilbaria de
calibre 8 a 32, e mais duas de 68 tomadas no Ria-
chuelo.
Do Passo da Patria a Humana nao lamis do que
nm eaminho limitado por espessos bosques.
Est elle defendido por bateras, entre as quaes
ba algumas dispostas pan fazer voar,. qnando as
bateras sejam tomadas.
Abi se achara, as bagagens, as cavalhadas e o
gado.
Acrrdlta-se que o inlmigo, depoia-de locommo-
dar na passagem, se ar forte em senas posi-
g5es.
U eaminho de Hamat ba de ser to trabalhoso
como sanguinolento; mas quando o exercito tlver
ehegado as bateras, a guerra estar fiada.
Logo qae o exercito penetrar no territorio para-
guayo ficar separado da esquadra.
Ha nas Tres Boceas um banco (barra) de forma
que na maior endiente o rio tem 12: ps d'agua.
Os Paraguayos teem ah, do lado do Chaco, urna
guarda de 13--horneas com um ofliaal.
Acredita-sa qoe existem torpedos (machinas ex-
plosivas) no lugar chamado Curuputi, onde tam-
bem existe luna batera de 30 pegas, sendo a pro-
faodidade do rio de 12 a 14 ps, e suspeita-se qoe
as mesmas machinas existen) de distancia em dis-
tancia al Humait.
Os torpedos teem sido collocadcs a 8 ou 9 ps de
profondldade da rio Compem-se- de mercurio, en-
zorre, carvo, etc., devendo faae ezplosio apenas
forem tocados por algum navio ao passar.
Debaixo- das bateras de Humail ha 5 vapores,
e a passagem esta trancada por 3 correntes, que
teem de- ser cortadas sob o logo de 100 pegas de
artilbaria. *
Tanto a esquadra como o-exercito teem al Hn-
mait urna jornada sangrenta, mas ehegado ahi,
Lpez est perdido. >
Como pode o Standard, no segredo qoe o Para-
guay guarda sobre todos os meios de aggresso e
de defeza, ter fleado to ao fado dos troperos flu-
viaes ou terrestres oppostos a marcha dos a4lia-
dos ?
S elle poderia diz-lo, porm seria talvez acer-
tado fazer a parte da imaglnago do eseripter
brltannico na descripgo que acaba de lr-se.
Dado mesmo que tudo seja exacto, o poder mili-
tar dos alliados, quer pela via fluvial, quer pela
terrestre, ha de esmagar Lope!, sem lbe dar tempo
acaso para fazer jogar o apparelho scenico na defeza
do seu territorio.
A Estrella da Beira, de Alpedrinba, conta o
segninte :
A natureza acaba de despreciar a cora da
creago humana com mais um dos seus capri-
chos.
Maria Joaquina, casada cora Casirxiro Simo
Manaia, d'Alcongosla, povoago a 3 kilmetros
desta villa, deu a luz ama menina, que desde os
joelhqs at o umbigo negra como azeviche, apre-
sentaodo em loda a facha negra muito cabello,
basto, e bastante comprido.
No resto do corpo aprsenla outras malbas negras
com cabello, lornando-se noiava tres destas, urna
nas costas de cada mo e outra na barba, que pelo
comprido dos cabellos, parece j a barbuda Glofuia
(mulber que pela sua grande barba mereceu estar
a exposigao do publico lisbonense.)
Esta menina j foi baptisada e receben o nome
de Joaquina.
Conta j 3 mezes; anda nedia e gorda e d
esperangas de urna longa vida.
A mal vive o mais degostosa possivel, e oceulta-a
o mais que pode vista dos estranbos.
O Jornal da Baha publica:
Acaba de chegar para o Ilustrado Sr. Dr. 0.
Wucherer urna obra preciosissima, da qual exis-
ten apenas seis exemplares em toda a Europa, e
ha boas razoes para se sppdr qae nenbum no
Brasil.
lector; estava assentado em ora banco de madeira
ao p de nma arvore, com a cabega cahlda sobre
o peito e os bragos cruzados, como hornero sub-
merso em graves reflexdes. Receiaodo surpre-
bende-Io desagradarelmente, flz rumor para ao-
nunciar a minha presenga, mas j estar multo
peno d'elle quando ergueo a cabega e rolveu para
i mira os olhos. Melgo e afectooso sorrlso lbe des-1
' lisou pelos labios; esteodeu-me, aera se levantar,
' a mo e disse :
Vieste, Leo; roigo mnito de te ver. Como
pasas agora ? Aioda estas muito magro; o ar do
campo oo te tem restabelecido completamente,:
mas isso ha-de vir com o tempo.
Conhecia Unto a vos do mea protector, tinha-lhe .
to alternamente observado todas as enloagdes da-
rante toda a minha vida, qae fiquei persuadido de
qoe o seo corago estava eolio estava ento cheio
de profunda tristeza. O mea aspecto revelou pro-
rarelmente o mea pensameoto, porqoe elle nao me
den tempo para exprimir a minha inquitagio.
O mea aspecto diz-te aa* sofro, nio ver-
dade, Leao? Pois nao te engaas; soffro; sinto me
muito desgranado. Ha alguos das parece-me o fu-
turo negro como a aoite. Todava anda tenho orna
esperanga ; lembron-me qae to, por qaem tenho
velado como pal carinhoso, poderla ser talvez qaem
salvasse a alaba relhice da urna dr sem fim a
pareceu-roe qoe Dio me nefarias o sarvico qae ve-
nbo pedir-te.
Com lagrimas assegorel-lbe qae me leria por
muito feliz se Deus me permitisse que provasse a
minha gratidio aos meus bemfeitores!por qualquer
sacrificio, embora fosse casta da miaba vida.
O-que roa pdlr-te, continaoa elle, urna cousa
bem estranba, mas nao exige da taa parte nenbum
sacrificio. S desejo que, se acceitares a misso
qoe ron confiarle, empregnes toda a toa eioqoen-
cia e fagas todos os leus esforgos por lcancar bom
resaltado; porque, sa esta tentativa tambem fosse
intil como todas aa oatraa, adeos esperaocas e
traoquiUidade da minha vida I Assenta-te aqni, ao
p de mim, e ouve o que voo dizer te.
Profundamente commovido pelo toro triste e so
lame do Sr. Pavelyo, assentei-ne, sem dizer na-
da, ao sea lado, e elle comegou assim:
Sabes que Rosa nunca tere nma sande robus-
ta. Soa mil e ea, durante sua infancia, recelamos
maltas vezes perd-la. Por isso, quantas gragas de-
mos a Deas quando ella voltou de Marselha, tio
fresca, tio bonita e com tio boa sade I Mas a nos
sa alegra doria ser de pooca dar. Ha poucos me-
zes qae ella est em casa, e ji est magra e doen-
te como d'antes. Urna dr secreta, sem causa co-
nbecida,debellava-lbe as,Jareas, eestaaaos outra
roa aos terrlvels sastoa qae tinham amargundo
ama parta da nossa vida. Nio roe atrevo a diz-lo
a niogoam, mas oro peosamento borrivel me taro
paraagoido. Taobo visto coostaaiaroeate apta meas
otos 99Q oro pbantastna a o)Mcar Oiaaa IBaa
J meiwH l
comproava ella a um curioso negociante, qoe a
tinoa no m masen de raridades a cidade de
S chafa osea, (Srissa) onde reside.
E1 a Historia do Brasil, publicada em 16t por
Gaspar Bariofir. ~T'
Escripia em bomenagem ao principe Mauricio
de Nassau, nao pode ser considerada Totalmente
imparctai; mas nao deixa por isso de ser impor-
tante, nao s pelo histrico dos acontecimentos
dorante a dominago hollandeza, como pelo grande
numero de gravaras que conten. *.
Consta a obra de tres volomes. *.
Um eseripto em Jatim, eom grandes lypos e
ornado de gravuras represenUndo as principaes
paisagens.
Outro coafendo smente ama serie de grava-
ras.
Outro eseripto em allemo, traduego do pri'
melro e coptUago das principan gravuras do
segundo.
Este volumeso e em oitavo.
O das gravaras- em forma de maesa-.
O ootro, que contera a historia era ltiro, no
frmalo inteiro do-papel commum.
A obra foi de grande aprego no seo rompo, por
qae a impresso -nRrda, quanto poda sor eolio,
os volomes sao (curados. *
As gravaras representara a Baha, PeraaeBboe,
Jfennho, Cear, Pirabyba, rio de S. Praociseo',
ilha de Itamarac, axB-iaeeodio dos engenhos da
Babia; baulhas ero Kamarac e Porto Calvorvarios
engeohos de assucar,.pesca de rede, combates na-
vaes^nas cosas do pais, todos os fortes que entao-
havia, edificios principaes, babiuges dos geaeraes
hollandezes, arvores, typos do paii etc.
Algans engenhos se cercados para defeza das-
indios e das feras.
Nas-combales navaes- apreeiam-se, nao s or
plaoos mas al a constroetura dos navios, qae en
interessantissima.
Em qoasi todos os raappas ba linhas tngadas
indicando os pontos pelos quaes se havia feito a>
navegago, e bem assim. a profondldade de diver-
sos lugares da Bahia, hazles-, Ibas, e etc.
Ha coajunctamente aroa parte histrica e des-
criptiva de Loanda, S. Thom e de mais possessSes
portoguezas na frica, qpe- os hollandezes pelo
mesmo lempo baviam conquistado.
t

E'do Sr. Catrato esta-poesa.
iiaa aanai
Yaya-d-me oro beije-, oh I d, meu feitigo]
Nao den, deixe d'isso ;.no quero brinquedo.
Uro beijo saaaale
Este homaro o que tem ?
Nfto digo a nieguen, ea guardo segredo.
Voc contina, eu fleo zangada !
Nao costa-ihe nada, me d um beixinho...
Nao dou que oo quero !
Meo liado feitigo,
Que-grega tero isso?
Vtc bebenvohoT...
Nao, prenoa querida,, mas quero n'um beijo
Malar um desejo que tenho 00 peito.
Qoe bomem teisseso I moga solteira
Qoe faz essa asneira nao perde o conceito T...
Qual perde, querida, nm beijo nao aada,
Ea fico beijada-, vocfr vai-se embora,
Oh 1 tem conflanga na minha alma pura
Nao crelo na jora- do qoe aroa e namora.
Son firme, donzella, nio deixes men peito
Era dores desfeilo. sera paz, sera abrigo I
Nao diz que d'amar-me lem muito desejo,
Nao quer dar-rae um beijo, pois case coraigo
Pois bem, est dito, eu hei de casar-me,
Um beijo has de dar-me primeiro, donzella,.
Eu tenho- receto...
Nao seja medrosa,
Son tao vergOBhosa..-.
Por isso fc to bella.
Voc nao me engaa ?
Descanga, meu bem,
Nao diz ninguem ?
Nao digo. Consente t
Nao sei o que faga...
Matei o desejo I
' .Nao deu sempre o beijo!... Quegragas... exent.'..
'

-
O enimdo acaba era Madrid, na qoarta-feira de
cimas, ao cahir da noite; este o dia mais diver-
tido e de maior bolicio: faz-se o enterro da sor-
dinha.
O povo reone-se n'am vasto campo chamado La
Pradera del canal.
Um tropel de mascaras leva all, em procisso
burlesca, um caixao fnebre contando urna sardi-
nha ; abre-se urna cova, abi se deposita o caixao,
cobrem-no de trra, depois comegara as dangas, e
acaba esta ceremonia no meio de repetidas liba-
goes e da embriaguez; acontece as vezes armar-se
orna contenda que decidida as facadas, mas isto
nao obsta a que a brincadeira carnavalesca con-
tinu.
Este enterro da sardinha urna verdadeira ano-
mala, por estarraos na quaresma, poca em que so
deve comer de magro; este costme mu antigo,
ignora se qual seja a sna origem.
J se disse qoe o bloqoeio das costas do Cbili
estava redozido aoa dous portes de Valparaizo e de
Caldera.
As fragatas bespaobolas Ciudad de Madrid, Blan-
ca, e a escuna Vencedora bloqueiam Valparaizo;
a Numancta, a Berenguella, o marques de la Vic-
toria e o Mafias Comino bloqueiam Caldera.
No dia 27 de dezembro, tere lugar urna escara-
muga entre os chilenos e os bespanboes na bahia do
Caldera.
Os lanchoes armados da Numaneia e da Beren-
guella tinbam conseguido peoetrar n'uma pequea
eoseada e apoderarse do rapor chileno Corbahm,
quando ama compaohia de infamara, eom nm nu-
trido fogo, os obrigou a bater em retirada abando-
nando o rapor, que j iam levando a reboque.
a implacavel molestia que se chama a pbjyslca.
Descorei e despreodeu-se-me do peito involunta-
rio grito de angustia, mas o Sr. Pavelyn dando ao
mea abalo a mais natural interpretago, contlnuou:
Fui em segredo a Braxellas e consultei um
medico afamado que foi meu contemporneo aoa
estados. Pan melbor jnlgar o estado de Rosa, foi
elle a Antuerpia ; passou ama tarde Inteira com-
nosco, na compaohia de Rosa, como velho amigo
qoe nao quera retlrar-se de Antuerpia sem ir ver-
me. Antes de aos separarmos, levei-o pan o mea
gabinete para saber se havia razio pan o meo ter-
rivei receto. Declaron-me qne Rosa nio estava phty
sita. Levante as mos para o coa com um frito
de alegra.
Neste ponto lnterrompi-o, chamando como um
doudo:
Ob, gragas, mea Deas I loria sido nma cousa
bem cruel I
Nao ha motivo para moita alegra, disse tris-
temente o Sr. Pavelyn. Prouvera a Daos qae se ti-
mitasse qaillo a a>clari^o do naedtoo l Mae aia;
den-me a entender qae Rosa, sem ter os pulmoes
affectados, estava, corotudo, Dengosamente doente,
e que provavelmente morreria, depois da longa lan-
gaMec, so ea aa* a aprataaaaa a laagar saia do
alelo nico que atada poma salva-la. Esse ntio, aa
soa opbao, era cas.
'
PHRUM.BV<
Ci
i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQQEJ05KQ_331L8T INGEST_TIME 2013-09-05T00:07:39Z PACKAGE AA00011611_10938
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES