Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10933


This item is only available as the following downloads:


Full Text
JBOH
ti i i ii

AMO Ifl. HOMERO 77
P*r fitrl^iig ditre*des 10 dias do i. mez ....
dem depois d#s i\M i dias do comeco e deitro dt qnartel
Pirte at etrreit | tres mezes .",........ ,
nit



ENCARRSGADOS DA SUBSCRIPTO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Una',
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lentos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranbao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para; os Srs. Geraldo Antonio Alves
Filkos; Amaxonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudico Faleao Dias; Babia, o
Sr. Jos Martina Alves; -Rio de Janeiro, 9 Sr. Jos
Ribeiro Gasparlabo.


QARfA FEIRA 4 DE ABRIL E 1866
far aino paga deitra de lo dias dal. mez. mMt
Parte ao correio por om aana C;......; \ \ ^

:
.i-., i
m
Serinhem, Rio Formoso.Taraandar, Un, Bar-
reiros, Agua Preta o Pimetttelras, as quintas
feiras.
PARTIDA DOS BSTAPETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estagdes da ra frrea ata
Agoa Preta, todos es dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextasfeiras.
^Af^^"BKPb^^ adiencas dos TRfBNAM DA "-
Conselho. Aguas Bellas e Tacaratd, as tergas
feiraa.
Pao d'Alho, Nazaretb, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Bgaieira, Plores, Villa Bella, Cabrob; Boa Vis-
ta, Ouricury, Salguen o eEx, as quartas
feiras.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relacao: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas. v
Juizo do commercio: segundas a li horas.
Dito de orphaos: tergas e sextas s 10 horas.
rara do eivel: tercas sextas ao
yw*. do clvei: quartas sabbad
fcrfc
..:
. B|fcBMERlDES DO MEZ 08 ABRIL.
8 Quino ming. as 6 b., 22
! m. e 5Svda m.
19 LQa tora ai 4 b., 44 m. o 10 s. da m.
21. Quera rese, as 8 b., 12 m. e.4 s. da t.
29 La ebeii as 7 h., 4 m. e 14 s. da t.
DIAS DA SEMANA.
\ 5!Gn'|- S-Nicolao b.; S. Tbeodora.
3. Jerga. Panerafilo b.; S. Vulpiaao m.
4. Quarta. S. Isidoro are. dout. da eet
5. Quinta. S. Ira v. m.; S. Zeoon. .
6. Sexta. Ss. Diogenes t Platonides rara.
7. Sahbado. S Eplphatlio b. S. Refino ra.
8. Domingo. S. Amancio b.; S. Elisio to.
PBEAMAR DE HOJE. '
Primeira s 7 horas e 42 m. da manbaa.
iSegnnda as 8 horas e 6 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTURO!,
Para o sal at Alagpas a 14 o 30; para o noru
at a Granja a 7 e 22 de cada mea; para Ferian
do-nosdias 14 4os meses do.Janeiro, marco, uta
julho, setenabrq e novembro.".
AS3K7NA-SE


PARTE OFFICIAL
IIII.ITOIIIO
apreseotado. pelo Exm. Sr.
res, que se expediram, nem e registro de quasi to-
da essa escriptorago.
Contina a copia dos Hvros amigos, se bem que
cotn algoma morosidade, devida difflcaldade de
lr-se a lettra quasi apagada.
Senhores depotados a assembla legislativa pro
~M-
no Recife, na livraria da praca da Independencia
ns. 8, dos prpprletariQs Manoel Pigaeiroa de Faria
& Filho.
demoligo do passadico feito era Molocolomb para
a coucluso das obras da ponte de ferro all era
construegad. -
Dito ao director geral interino da nstrueco pu-
"HST .ra P0-61" "sfeer a requisigo da as-
sembla legislativa provincial acerca do ocioso

f
selhelro Soko Luscos* da Cu
o ha iParauagn, assembla
provincial, por occastao da
abertura da sesso do corre-
te aniao, no da Io de marco.
(Conclosio.)
Assecugo protectora das familias dos volun-
tarios DA PHTHIA.
Esta associagao que nao vos estranba, devida
ao patriotismo de cidadaos respeitaveis ; foi funda-
da no i* de margo do anno passado, e tem sido in-
caosavel eni prodigalisar es seos beneficios, aquel-
les a quem auxilia.
Actualmente subvenciona s familias de 628 in-
dividuos que, como voluntarios da patria, guardas
nacionaes, e pertencentes ao corno de polica, se-
guirn! para o sul cora destino a guerra; e cora
estes soccorros mensalmente despende a quantia de
6:8*9,1.
A sua receita que foi de 65:090*302 at dezem-
bro ultimo constou de donativos por uraa s vez, de
offerecidos pelo
con- vincial. Conelulndo esta imperfeita exposigao do requeriraento do professor de latim Jos Faustino
estado dos negocios pblicos; asseguro-vos que po- Marinho Palco, informe Vmc. sobre
deis contar cora a mioba decidida cooperacSo para pontos :
o eograndeciniento e prosperidade desta importan-
te provincia.
Palacio do govecno de Pernambuco, em 1 de
marco de 1866.Jo3o Lustosa da Cunha Para-
nagua.
os seguimos
1." Desde quando deixou o peticionario de reger
a cadelra de latim de Nazaretb, e passon a ser ad-
dido a secretaria dessa reparttgo.
2. Qual a raze porque deixou o peticionario de
reger a mesma cadeira, e qual o numero de alum-
nos que tinba quando Uto se dea.
fAssignado.)Francisco Stoio de Oliveira.
Est coofcrme.Ettevth Jote Ferraz, tenente
ajudante de ordens interino nsarregado do deta-
MW
em
tra da alfandega desu capital, Jos Ribeiro Guima-
raes, e bem assim o que a esse respeito iuformou
as repartieses competentes, resol ve conceder-Ibe 2
mezes de licenga cora vencimentos na forma da
le, para tratar de sua sade onde Ibe cobvier.
CO VER'O DA PROVINCIA.
Expediente do di a 21 de mareo de 1866.
Offlcio ao Exm. e Rvm. bispo diocesano.Pelo
offlcio que V. Exc. se.servio dirigir-me em 20 do
crreme, fiquei inteirado d baver V. Exc. exone-
rado nessa data o Rv. visarlo encommendado da i ~LIitZ.Z~7? -TT-TT."*?" TT!Bj^mJT!7??.: .
I villa da Boa-Vista, Jos Vjeira de Sampaio da re- ftPed'ente do secretan do jmnw do da 1 de
gencla daquella .freguezia nmadb para substi-., mre de 1806.
tui-lo na mesma quaidde o Rv. Mnoel Zacaras N. 57.Offlcio ao Dr. 1 secretarlo da assembla
de Mello. legislativa provincial.De ordem de S. Exc. o Sr.
Reitero a V. Exc os protestos de minha estima ; vice-presidente da provincia, passo por copia s
, e consideraejo. maos de V. S em solucio ao eu offlcio de 8 do
Dito ao; Exm, general comraandante das ar- corrente, sob n, 11, para ser pfeseute a assembla
eereftria do bfspado d rer-
nunbaea.
S. Exc. Rvma manda de novo fazer publico, que
administrarn nto Gbrise as matrins da Boa-
v,5,n(V orrewe mez, de Sato Antonio
no da 15, fc S. Fre Pedro Goncalvs do "Recife no
da 2!, o de S. Jos no da 4* pelas 9 horas da ma-
nbaa impreterivelmeote. Recommenda .anda que
Poriaria.-0 vice-presidente da provincia tendo |10* snc?,?"df ^efe - vista o que requeren o ajudante do stereome- dos com Ste"men' tf cohnss3o,-como J ro an-
nunciado.
Palacio daoledad.fde abrir de 1866.O co-
nego secretar, Marcelino Antonio Dornellas. .
7S^wX\^X\Z^ZZ AnI"--PM VJxo.^r.ttirque-"conrin-ue-e"mpe- W1M provluciaf,"ool
actual eraprezano do theatro de SMtataM An d enfermara militar, at que possam ser ?3, em que a cmara" n
tonio Jos Duarte Coimbra e de beneficios de lote
ras.
Deduzfndo-se da receita a quantia de 36:779^140
em que imp jrtou a sua despeza no mesmo periodo
v-se que fleoo um saldo de 28:311 3162 do qual
Novo Banco a quantia de 19:6025.
Como vedes com o pequeo saldo que Ihe ficou,
por pouco tempo poder a associacao contiaaar a
soccorrer as familias daquelies cidadaos que sacri-
ficando os seus commodos e affeigoes domesticas
ao amor da patria, tao nobremente se dedicara a
deeza do paiz na guerra em que est erapenbado.
Reclamo para isso a vossa attenco, e peco-vos
que auxiliis a to humanitaria iostituicao conce-
dendo-lbe algumas loteras e decretando a sua pre-
ferencia na extraceo, cujos beneficios garantam a
continuadlo das despzas a seu cargo.
SAUDI PUBLICA.
O estado sanitario da provincia foi em geral sa-
tisfactorio, em relago aos annos anteriores
A excepcao da
substituidos por, pragas de lnha nao s o ama-
nuense e enfernfpiro mor, cuja'contiuco autori-
sei em mea offlcio de 15 dste mez, mas tambera
os enferraeiros, serventes e cosinheiro, conforme
V. Exc. solicita em seu offlcio de 17 do crreme
foi por ordem do seu digno presidente recolbida ao V"J*%lZ, w, ZZLSu
VomHma nat n* iq-m S0^.P- su> ^ue fica as?lai respondido.
Dito ao raesmo.Slrva-se V. Exc. de infor-
mnnicipal do Recife apr-
senla tambem por copia' o relatorio da commissao
encarregada de examinar os seus livros e a sua
contabflidade.
N. 58.Dito ao mesmo.Transmiti a V. S., de
ordem de 8. Exc. o Sr. vice-presidente da provin-
cia, para ser presente a assembla legislativa pro-
vincial, o incluso artigo de postara addicional que
ASSEIBI
PERNAMBUCO,
" -
marras acerca do que pede no incluso requer-', remmetteu a cmara municipal do Recife, com offl
ment Joaqnim Jos Carlos. ci de 14 do crreme, sob n. 22, junto por
Dito ao inspector da thesouraria de fazen-'cPta.
da.-Pode V. S. conforme indica em sua informa- j Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.S.
cao de hornera, sob n. 154, mandar sob minha res Exc. o Sr. vicepresidente da provincia manda
nos termos do decreto n. 2,884 do traosmittlr a V. S. as tres i ociosas ordens em du-
visto nao haver crdito P'icata, sob n. 503 a 505, exponas pelo ajudante-
de 4003000 a que tem general do exercito.
ponsabilidade
Io de fevereiro' de 1802,
para esse fim, a quantia
direito para preparos de viagem, o -2* confereme
da alfandega desta capital Jos Thomaz de Aguiar
Pires Ferreira, promovido a primeiro da do
Para.
Dito ao mesmo.Se n5o houver inconveniente,
mande V. S. pagar ao gerente da corapanhia Per-
deraico na villa de Iguarass, nenhuma outra rao- ggRJ'gfig* iesUa se nunisbsloa deba.xo de semelhaate ca StflrolJAJn ^L *i 22K2
racIer aaqueiia corapanhia, sendo 51^664, per conta do
Entretanto o inspector da sade publica chama
ministerio da justica, 31*999 pelo da guerra e 255
._ 22 _
Offlcio ao inspector di thesouraria de fazenda.
Com as informagoes juntas por copia, ministradas
pelo mareobal commandante das armas e comman-
dante superior da guarda nacional da comarca de
Olinda, satisfago a requisicao de V. S. comida em
offlcio de 10 do crreme, sob n. 130, relativamente
aos officiaes do 9* batalho de Infamara daquelle
muuieipio que destacaram para o presidio de Fer-
nando.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
a =,=^SS= fi. s-> ~ a 3 d_ ,xr,, tjLmtgtsm^fimm
que por seu desenvolvimenio rpido e grave, tem
concorrido grandemente para augmentar o obitua-
rio desta capital, e que elle attribue a differentes
causas, entre as quaes enumera o ser de ferro a
canalisaco d'agua pota ve I, a falta quasi absoluta
de vegeuco iiesta cidade e ao dsfeitoofo sysiena*
de edificaco, pelo anal as habitagoes sao pouco
ventiladas, o na" loui as condigoes hygienicas que
tanto convm.
A pbtysica pulmonar a gastro-interite e o espas-
mo, merecem epecial mengo, por isso que sendo
de 2274, muero dos fallecidos o anno passado,
nesta <>v>tal coo.be a primeira 483, a segunda 254
a terceira 508.
Submettendo ao vosso conheeimento este objecto
de to vital interesse, estou convencido de que lhe
prestareis toda a attenco que merece.
VACCINA.
O servigo da vaccina s feito cora algoma re-
gularldade nesta capital; as dems cidades e vil-
las da provincia est era completo abandono por
nao baver nessas localidades pessoas, que sem re
muneracao, queiram incumbir-se da vaccinago.
D'ahi resulta os estragos que faz a varila quan-
do se desenvolve epidmicamente, e para lamen-
tar que conbecidos os beneficios da vaccina nao
sejam procurados por todos com a solicitude que
despena o iostincto da propria conservagao.
No decurso do anno prximo lindo vaccinaram-
se nesta capital 2:014 pessoas, a saber :
Do sexo masculino 1600.
Do sexo feminino 414.
Livres 231.
Escravos 1731.
Mas cumpre observar que aquella algarismo ele-
vou-se miiiio cima do do anno anterior em conse-
quencia da vaccina praticada em grande numero
de pragas do exercito e armada, que seguirara pa-
ra a campanha.
tUVOMMAflO POBLICA.
O servigo da illominago nao tem sido feito cora
a regulandade que fra para desejar.
O pouco asseio que se nota nos candeeiros, de
modo que a luz se torna pouco brilhante, e o der-
raraamento de gaz, que constantemente se escapa
da caoalisago e dos apparelhos, nao obstante os
repetidos concertos que se Ihes fazem mostra que o
pessoal da empreza ou negligente ou nao tem as
habilitagoes precisas para o servigo de que se acha
encarregado.
Entretanto os prejuizos que d'ahl resultara reca-
ben) smente sobre o consumidor, que tem de pa-
gar urna grande quantidade de gaz de que se nao
utillsa.
Oeste modo a illuminagao a gaz torna-se mais
dispendiosa do que econmica; e esta considera-
cao me. tem suggerido a idea de mandar admiltir
outra vez a illamioago antiga nos estabelecimen-
tos pblicos e cora parlicourdade nos quartejSr
onde a despeza avultadissima, se por ventura a
empreza nao procurar melhorar o servigo da illu-
minagao.
Fiz "i destribuigo dos lampeSes antorsados pelo
artigo 21 da lei do orgameoto vigente, e a empreza
ja den comego aos trabalbos do encanamento uas
roas em que tem de ser collocados.
O desenvolvimiento que todos os dias vai tendo a
edificarlo nesta cidade, reclama anda mais cora-
bustores para ontros lugares que se achara priva-
dos deste beneficio.
Chamo a vussa atteogao para o que pondera o
engenneiro em ebefe da repartigo das obras pu-
blicas sobre a conveniencia de ser a illuminagao
desta cidade por toda a noite durante os mezes de
abril, maioe junho.
Com effeito naquelles mezes em que o invern
mais intenso, acontece muitas vezes Dcarem as
ras em completa escnridSo em as ncltes em que
a la nao se deixa ver.
A despeza a fazer-se com semelhante melhora-
mento seria de 10:96O em vista do disposto na se-
gunda parte da condico 7* do contrato da empre-
za, e calculando se em 4 horas o augmento da il-
luminagao.
SECRETARIA DO GOVERNO.
era duplcala. I nao havendo inconveniente mande pagar os venc
Dito as mesmo.Recoramendo a V. S., que se i mentos relativos a primeira quinzeoa deste mez,
nao bouver inconveniente, mande pagar em vista, das pragas da guarda nacional destacadas as fre-
do pret jnnto em duplcala que me remellen o gnezias dos Afogados e Varzea, bem como as po-
commandante superior da comarca de Olinda cora voagoes da Passagem da Magdalena e Peres, visto
offlcio de lo do oorrenO. os vencroentoa relativos assim O haver solicitado '0 commandante superior
ao mez de fvereiro ultimo,, das pragas da guarda I Interliio deste municipio em offlcio de bootem. M*
destacadas na fortaleza de Itama-
nacional
IMti
Dito ao inspector da thesouraria provincial.Es
lando era termos o pret junto em duplicata e nao
havendo '
cimentos
n. 85.
Dito ao mesmo.Recoramendo a V. S.
vista dos inclusos prets, e nao havendo inconve-
niente, mande pagar a Simplicio Jos de Mello,
nconvenienle, mande V. S. pagar os ven-! conforme sollciton o commandante superior interi-
relativos ao mez de fevereiro ultimo, do! no da comarca do Brejo era offlcio do Ia do corren-
LEGISLATIVA PROVINCIAL
SES&AOORDiNARlA EM t DE ABRIL DE
1866.
PUESIDKNOA do SS. VICARIO FRANCISCO PEDRO OA
SILVA. '.
As onze horas e tres qoartos frita a chamada,
verlfica-se iiuirem presentes os Srs. depntados
Prancsco muro, Ramos, Ayre?, Ribeiro, Corra da
Silva, Buarqfl, Candido Martins-, Cieero, Soares
BrandSo, Andr, Amyotas, Epaminondas, Tiburti-
no, Sergio, J: Kego Barros, Augusto de Sonza Leao,
Joaquim Tarares, Hisbello, MergulMo, Amorm,
Paes de Aodrade, ArmhUo, Maebadb, Burgos e Jos
do Reg Barros.
Abre-se a sessao.
L-se e approva-se a acta da sessio anterior.
O Sr. alcitrrABio l o seguinte
; v. BXPEDIENTK.
Um offlcio do secretario do goverqp, remetiendo
o balango da receita e despeza da cmara munici-
pal da villa 4a Brejo.A' commissao d efcamealo
municipp. J ..
Outro do mesmo, traosmittindo Informagoes do
director geral da tnstiucgo paoUna, aaarca da pe-
tigo de Joaonia Defana de Mellp, pro(ea*ra ju-
bilada, de Pora de Portas.A" quem fez a requl
sico.
REVISTA DIARIA
- "
Chrisma do>
freguezia da
B
I
- i ^

Outro do mesmo, remetiendo por copia a infor-
macao ministrada pelo director geral Interino da
nstrucgo pabtiea, acerca da peticao do professor
de latim addido aquella repartigo Jos Faustino
Marinho Fideo.A' quem fez a requisigo.
Outro, remettendo ioformaco ministrada pelo
delegado eoearregado do expediente da repartigo
da polica,'sabr o requerimente do barbelr da
casa de detengao Cypriano Alves de Jess.A'
quem fej a^aquisigao.
Oujrio4aiVdlumeoto ao de n. 56, remettendo
copia *r seniooga o jolz dos feitos da fazenda.
caro d> coroi^au Klta pclU U11|( que em Menszes Vasconceilos de Dmnmnd.A' qnem
' fez a requisigo. ~
Outro, remettendo o offlcio em que o chefe da re
partigaods obras publicas, cousulu acerca 4o ano
no de ajada de costo a nm praticaote daquella re-
partigo.A' commissao de ordenados.
Outra, remetiendo por copia em soiucao ao ffl
S-Exc. Rvma. administra o Santo
mlgo 8 do crreme, na matriz da
Boa-Vista, pelas Choras da manba.
HO^,TS!n0 ,,rt ^"'da no da 15 na matriz
desufregnaziade Santo Antonio; no da 2*na '
mamz da freguezia de S. Pr. Gedro Gncajves e
Do a 29 na matriz da freguezt de S. Jos. |
Foi borneado Ipromptor publleo da comarca!
deJicoblna, na provincia da Baha, o Sr. Dr. Er,
nestoOdilon Maciel Montelro, nosbcomprovinciano.;
Reassumio o exerclcio da subdelegada Anta
freguezia de Santo Antonio, o Sr. Mani&l Amonio
de Jess, Jqnlor, que ha lempos pdr impedimento
pessoal o havia deixado ao seu supplente a Sr. Se-
venano Jos de Moura, qqe bera se houve neHe.
Voltando assim o Sr. Manoel Afttohlo 44 fadigas
inherentes aos lugares da polica, d mais ama vez
prova de que nao se poopa ao servigo publico, e de
que cima dos seus commodos particulares colloca
os deveres do cidado para com a sociedade era
que coexiste.
Na praca da Boa-Vista, do lado da poente do!
chafanz, e J ao voltar para a ra do Arago, exis-1
te um charco, de que ex bala um ebeiro ptrido e ]
contra o qual reclamara moradores da ra.
Sao aguas de chuva, estagnadas all, dificultan-
do o transito publico e principalmente damnifican-
do a saude dos habitantes das casas adjacentes.
Ha urna especie de boa disposigo no solo para
conservar essas aguas sem evacuarem por rauitos
das, inconveniente este que nao se pode deixar de
attribuir se nao a falta de calcamento.
Solicitamos, portanto, providencias da cmara
municipal no sentido de acabar dess'arte com esse
foco de miasmas doenlios; alm do que, por outro" I
lado, o calgamemo d'a malla ra de incon'esta- 31-1
vel aformoseamento e otilldade publica.
Communicara-nos o seguinte :
Notavel' imprudencia ha da parte de certos
agiotas, que vendem pelas ras bllbetes de loteria,
invadindo as casas particnlares e querendo a for-
tiort, com Instancias, com supplicas e outras estra-
teglas adrede estudadas, que se compre o engodo,
t Ora esta I,.. E* preciso que a polica tome
coma dessa teoacidade sajpeila e talvez immoral.
de pulmona, 1 de lar.yngile. 1 de tubrculos pnl-
menares, l de gastroibepatite chrooiee, 1 de ao-
traz, 1 de amollecimento.cerebral e lile febre per-
niciosa.
ra
Masculino.
sal S
Feminino.
o

9
l I
s
Masculino.
Feminino.
Masculino.
v
?
i'
8
[
S.
n
f
S?
Feminino.
<
Masculino.
Feminino.
K
71
Masculino.
Feminino.
x
TOTAL.

2
Na sessJo do tribunal do jary do termo de
Garantuns, cujos trabalbos comegarara a 14 de fe-
vereiro e terminara no dia 28 do mesrao mez, fo-
rara;julgados 28 reos, comprehendidos em 20 pro-
cesaos, sendo 26 do sexo masculino e 2 do feme-
nino, maiores de 14 anuos 1, da 17 annos 6, de 21
anuos 15 e de 40 annos 6; todos brasileiros, dos
quaes erara solteiros 8,
ADVERTENCIA. ~" ^T"
Na totalidade dos doentes existem 17!, sendo 92
homens e 79 mulheres.
Foram visitadas as enfermaras estes dias :
As 7 1|2, 7 1|2, 7 1|4, 7 U2, 7, 6 1|2, pelo Dr.
Hamos.
A's 9 1|4, 10 *|4, 8 3|4,9 1|4, 9, 9, 8, pelo Dr.
Sarment.
Falleceram :
Bernarda Mara do Livramento, tubrculo pulmo-
nar.
.,- erara solleiros 8, casados 18 e viuvos 2: i M,., ,., r-.- t
responderam presos 26 e pessoalmente, estando i J"! iS ?ffiBbflrca, palm0Mr-
afflangados 2, sendo amores de crimes 22, de sim- ullU't ,yg"- .
pies tentativa^ e cmplices 2 ; os cr.raes por Kj SEL^Xg^'KE*
typhoide
o-Conga, interite chronica.
responderam ditos reos foram" segomes -"nom! ^Q,00-,? ,os-*** da si,va M,r0 iwari,e-
destacamento de guardas nacionaes existente na te, a importancia dos vencimentos, a contar de 22
villa de Iguarass, visto assim o haver solicitado o de Janeiro at 22 de fevereiro deste anno, do des-
o respectivo coramandante superior era offlcio de acmenlo de guardas nacionaes existente naquella ci sob n. 30, o parecer que deu o chele da repar-
to do crreme. villa. i tigo das obras publicas, sobre os requerimentos do
Dito ao mesmo.Providencie V. S., para que em! Dito ao commandante superior da guarda naci-1 bactiarcl Joaqulm Francisco de Miranda, tenonte-
vsta das inclusas comas e relagoes, e nao havendo nal do Recife. Partlcipando-me em offlcio de 191 coronel Justino Pereira de Ferias, Arisrtdes Duarte
inconveniente, seja paga ao negociante Joao Baptis-1 do crreme o delegado encarregado do expediente Carneiro da Canha Gama e Andr de Abren Porto,
ta dos Guimares Peixoto, cenforne solicitou o de-! da repartigo da polica, que na noite do da 18
legado do termo de Garanbuns, em offlcio do 1 do ] deste mez o batalho de infantaria da guarda na-
corrente, sob n. 22. a quantia-de-l:115J800, des-cional sob seu commando superior, deu apenas 6
pendida com o sustento dos presos pobres da cadeia homens para roodar na freguezia da Boa-Vista, fl-
daquelle termo durante os mezes de novembro cando as outras sem patrulhas, cumpre que V. S.
e dezembro do anno prximo passado e Janeiro e i providencie, afim de que nao continu a faltar a
ltimos, como se v das mencionadas forga indispensavel ao servigo das rondas.
I Dito ao director do arsenal de guerra.Respon-
' do ao seu offlcio de 21 do crreme sob n. 568, di-
zeudo-lbe que pode encaxotar e remetter para a
corte quando estiverem promptos, os objectos de
ferdameoto e eqmpamento mencionados em seuei-
lado offlcio, e que se esto manufacturando nesse i
arsenal era curapriraento do aviso do ministeroda I
guerra de 11 de margo de 1865.
fevereiro
comas.
Por essa occasio julgo conveniente declarar
a V. S. que segundo consta do mencionado offlcio
predito delegado, tendo rscebide sraente em 10
do citado mez de fevereiro, os 400J, que por essa
thesooraria foram adiaotados para taes despzas
resolveu que tivessera elles applicago de margo
vindooro em diante.
A' qnem fez a requisigo.
Outro, finalmente, remettendo o offlcio em que o
provedpr da Sama Casa de Misericordia, declara
que as rendas daquelle estabeleclmento soiTrem um
desfalque de 8:000/5..v commissao de orgamento
municipal.
Um requerimenlo do padre Joo Jos da Costa
Ribeiro, orofessor substituto das cadeiras de latir
desta cidade, pediodo que sejam elevados seos ven'
cimentos as ditas partes dos daquelies quem cos-
luma substituir.A' commissae de ordenados.
Outro de Tbom Joaquim do Reg Barros, fiel do
tbesoureiro da thesouraria provincial, pedindo que
elevados
sejam elevados seus vencimentos a quantia de
1:600$. A' commissao de ordenados.
Dito ao mesmo.A' Thomaz de Aquino Alves | Dito ao regedor interino do Gymnasio.Respon-1 Cm abaixo assignado de irmaos da Ordem Ter-
do Nascimento, mande V. S. pagar se nao houver dendo ae offlcio de 14 do crreme, era que Vmc., ueira do Carmo desta cidade, pedindo a approvago
inconveniente, a quantia de 2065, despendida com pede exonerago dos lugares de censor e regedor ao projecto o. 64 do anno passado.A' commissso
a lavagem da roupa da enfermarla da casa de interino do Gymnasio Provincial, afim de poder sa- de negocios ecclesiasticos.
deteogo, a contar de 9 de novembro do anno pro- tisfazer os seus deveres na qualidade de cooego da Um requerimenlo do Sr. Gaspar, pedindo infor-
ximo passado at 12 de margo correte, como se cathedral de Olinda, tenho a dizer-lhe que deca-' magoes sobre a questo movida contra a Casa de
v da conta junta era duplcala, que me remetteu rando-me o Exm. bispo diocesano nao duvidar
o delegado encarregado do expediente da repart- dispeisa-lo por mais alguos mezes da residencia
gao da polica com o offlcio de 19 deste mez sob coral, se esta presidencia entender conveniente
n- 362. consrvalo no Gymnasio, tenho resolvido nao con-
Dito ao raesmo.Respondendo. ao offlcio de 15 ceder a exonerago pedida, e espero que Vmc. con-1 Correa de Brito, Soares Brando e Ramos, autori-
do correte, sob n. 85, em que V. S. me partiei- tinuara' a servir aquelles lugares ao menos pelo autonsando o dispendio de 3:"0003 para auxilio
pon haver Manoel Thomaz de Albuquerque Mar- lemdo preciso para se lhe dar successor, que raos- a exposigao agrcola.A' imprimir,
nho^dando por fiador Luiz de Albuquerque Ma- ira o mesmo interesse e zlo que Vmc. temtldo' Outro do Sr. Ramos, regulando a percepcao dos
ranhao, arrematado com o abate de 1 por cento no pelo bom servigo desse estabeieeimulo.-Fizeram- irapostos provinciaes.A' imprimir,
valor do respectivo orgamento a obra da estrada se s necessarias communcagoes.
do Pao d'Alho a Nazaretb, tenho a dizer que sendo Circular a lodos os delegados de polica. Re- ORDEM DO DA.
insufflciente esse abale, mande por novamente em commendo a Vmc. que d com urgencia o conve- 1,ra m dlscns!li o parecer adiado das com-
praga a mencionada obra nos termos do regula- niente destine as inclusas circulares dirigidas pela m,s8pes d6 ponslituigao, poderes e negocios eccle-
memo de 9 de jolbo de 1864, tendo-se em consi-1 commissao directora da exposigao dos productos I slastlco> sobre o Qu' en> > palavra o Sr. Gas-
derago a proposta qoe inclusa devoiva apresen-1 agrcola, industriaos e de obras d'arles aos dver-1 pat
MisericQrdia.
Posto em discosso retirado a pedido do seu
autor.
E' lido e apoiado um projecto dos Srs. Buarque,
cldws 7, tentativa de dito 1, infantecidios 3, resis-
tencias z, tirada ou fuga de presos 7 e 8 da fali-
mentos e oQensas physicas; os processos comega-
> fla-i. id i ,,, jvuuui.ii uupiuiuuior,
que sustenton todas as aecosagSes perante o tribu-
nal ; foram absolvtdos pelo jnry 26 reos, condem-
nados 6 e urna acgo julgada pererapta ; appella
rara e presidente do tribonal de 1 deciso e o pro-
motor de 2 j dos reos sabem ler e escrever 4, sao
analphabetos 24, agricultores 26 e de servigo do
mestico 2 e todos livres.
De uraa carta da corte, dirigida um dis-
tlncto negociante desta praga, copiamos, por coo-
cesso sua, os seguimos periodos
O bapisamento do principe ter lugar no dia
8 de abrir, sendo padrinnos, segundo corre de pta
no, S. Magestade o Imperador e a Imperatriz dos
fraocezes. Nao se admire de que ura boeto do
rei Luiz Felippe teoba por madrinha a mulher de
Napoleao III; por que a razo de estado nao res-
pelta escrpulos, nem resentmentos pessoaes. E
a nao ser Isto, as naces viverara em continua
guerra.
t u ministerio fazse com trra de atravessar o
temporal que se tem levantado contra elle ; mas
cr-se que a siia retirada ser nfalllvel, em pre-
senga da opposigo vigorosa que tem em frente.
t O brilhante discurso do ministro da justica
orova com evidencia o estado tibio e vacillante da
maioria, a cuja face atirou o nobre orador o raais
soleara cartel de desafio, sera que ella se levan-
lasse a repellir o stygma.
t Entretanto, devo dizer-lhe que o discurso do
hbil Sr. Nabuco prodozio no momento bom effeito
iio.-a. Mara da Conceigo, gastro intente.
-* Rbpartiqao-da POU1CIA. ^
Extractes das partes do dia 3 ahrirv 1866.
\n*. .^n\w.A i. ..* ao UBiaucio oo dia 2 do
A' ordem do subdelegado do Recife, Manoel, es-
cravo de Francisco Antonio de Albuquerque Mello,
a requerimenlo deste ; e Alejandre John Mounrol,
inglez, a requisigo do respectivo cnsul.
. O chefe da 2* secgo,
. 1. G. de Mesquita.
CAMARi MUNICIPAL Dd RECIFE.
sesso Extraordinaria em 12 de feve-
reiro DE 1866.
Presidencia do Sr. Pereira Smoet.
Presentes os Srs. Aquino Foocaca, Gustavo do
Reg Santos e Dr. Seve, abre-se a sesso, e lida
e appprovada a acta da aniecedente.
L-se o seguinte
EXPEDIENTE.
Um offlcio do Exm. presidente da provincia, di-
zendo ler ogoverno imperial resolvido que em
todas as capltaes das provincias se faca e: te anno
urna exposigao dos productos agrcolas e indus-
tries e de obras de arte, para o que expedio as
inslrucgoes constantes dos exemplares impressos,
juntos, recommenda a cmara que procure disper-
tar o espirit publico no seu municipio, afim de
que todos os que poderem, concorram para a ex-
posigao que tem de ser aberta nesta cidade no l
de junho prximo vindouro, e que tendo a referida
exposigao por lim nao s mostrar o estado de nos-
pelos rasgos de sua eloquencia : mas creio oue< .".lsaSao> mas principalmente promover o des-
' industria, espera que a
se refe-1 sos senbores de engenbo desse. termo, razendo-lbes I,,Este nonrado deputado reqner o adiamento da
, sentir as vantagen* de. elles concorrerem para ii***?!"? *? ?> <*.
2" disctnsao do projecto n. 23 deste anno, auto-
rfsando o presidente a mandar fazer desde j os
concertos do agude do Bonito.Apprevado sem de-
bal.
tada por Jos Angosto de Araujo, e a que
re a sua informago de hontem n. 91.
Dito ao mesmo.Em vista das inclusas contas, I exposigao que dver ter lugar nesta provincia no
e nao havendo inconveniente, mande V. S. pagar Io de julbo deste anno.
a Antonio uomiogues de Almeida Pocas, conforme Multo confio no seu patriotismo, e para isso es-
sol icitou o delegado encarregado do expediente da pero que envidar os seus esforcos para nue o De-
Esta_ repartigo foncciona regularmente sob a
direcgo do illu;.trado e zeloso secretario Dr. Fran-
cisco de Paula Salles.
O maior desenvolvimento que (em lido certos ra-
mos do servigo e a creacao de outros novos, exi-
gem para facilidade e promptido do expediente, o
augmento d > pessoal e nma distribuigao de traba-
Iho mais justa e methodlca do que aquella que
existe actualmente creada pelo regulameoto de 27
de Janeiro de 1853.
Julgo pols conveniente a creagio de mais ama
secgao, e rerorraa daquelle regulamento, exglndo-
se o concurso para a admisso dos empregados, co-
mo um meio de obter melhores aptidoes.
Parame o anao flodo proleriram-se 6,395 des-
pachos, eftzeram-se 29,870 pegas offleiaes, nao
comprehendendD-se o grande numero de clrcqja-
reparticao da polica em offlcio de 17 do crreme,
sob n. 354, a quantia de 725 despendida durante
os mezes de Janeiro e fevereiro deste anno com o
sustento dos presos pobres da cadeia do termo da
escada.
Dito ao mesrao.Anndndo ao que sollciton o
delegado encarregado do expediente da repartigo
da polica era offlcio de hontem, sob n. 368, re-
coramendo a V. S. qoe em vista da coma docu-
mentada junta em duplicata, o nao havendo incon-
veniente, mande pagar ao Dr. Joao da Silva Ra-
mos, a quantia de 7163 despendida com os presos
da casa de detengao mencionados em dita conta, e
que foram tratados de bexigas e sarampos na ca-
sa de saude daquelle dontor.
Dito ao consol de Franga.Pela communicago
que em data de 17 de crreme, fez-me o Sr. Os-
mim Laporte, consol de Franga, fleo Inteirado de
baver o Sr. Georges Passoz, assumindo uaqulla da-
ta as fancgdes do cargo de cbanceller desse consu-
lado para qoe fora nomeado.
Renov ao mesmq Sr. consol os protestos de mi-
aba estima e distiocta considerago.Fizeram-se
as necessarias commoaicagdes.
Dito ao commandante do presidio de Fernando.
Em vista do parecer da contadoria de fazenda a
qoe se refere o respectivo inspector em sna infor-
mago de 13 do crreme, sob n. 139; joma por
copia e do que dispde o aviso de 14 de agosto de
1860, de ve o fardamento aos guardas nacionaes
destacados nesse presidio ser fornecido em dinhei-
ro na razo de 100 rs. diarios. O qoe declaro a V.
S. ero respesta ao seu offlcio de 20 de fevereiro
ultimo, sob n. 364.
Dito ao eogeobeiro em chefe da repartigo das
obras publicas.Inteirado do cometido do offlcio
que V. S. me dirigi em 19 do crreme, sob n. 91,
tenho a dizer em resposta que fica approvada a
deliberagao que tomou de offlciar a thesouraria
provincial no sentido de ser posta em arrematago
pela quantia de 200* as madeiras provenientes da
dido daquella commissao seja coroada de bom re-
sultado.
Expediente do secretario do geverno do dia 22
de maree de 1866.
N. 59.Offlcio ao Dr. Io secretarlo da assem-
bla legislativa provincial.De ordem de S. Exc.
o Sr vice-presidente da provincia, passo por copia
as mos de V. S. para ser presente a assembla le-
gislativa provincial a informago que ministrou o
inspector da thesouraria provincial acerca do pro-
jecto n. 62 do anno prximo passado.'
Fica assim satisfeita a requisigo da mesma as-
sembla constante do offlcio de V. S. de 13 do cor-
rete sob n. 19.
Dito ao Dr. Joaquim Pires Machado Porteila.
S. Exc. o Sr, vice-presidente da provincia, manda
declarar a V. S. que o tem designado para servir
de procarador fiscal ad boc da thesouraria provin-
cial em ama pretengao do commendador Antonio
Gomes Netto.
CUMIANDO DAS AMAS.
Quartel general do comisando das armas de Per-
nambuco na cidade do Recife, 3 de abril de
MI.
Ordem do da n. 221.
O marecbal de campo commandante Das armas,
declarando para os fias convenientes qoe hontem
aqaarteloa o 1* batalbo de infamarla deste muni-
cipio, para fazer o servigo da guarnlcso da cidade,
em nbsiialgao ao 4a da mesma arma e munici-
pio ; declara igualmente qoe o referido 4* bata-
lho emqaanto esteve aquartelado servio regular-
mente, dando deste modo urna prova da sua disci-
plina e de quanto por ella se interessam o sea dig-
no chele o Sr. tenente-coronel Jos Francisco Pires
e os respectivos Srs. offleiaes.
2* diseussio do projecto n. 33 deste anno, man-
dando admittir no Gymnasio Provincial, os Albos de
Feliciano Chacn.Approvado sem debate.
2* do de q. 19 deste anno, concedendo um anno
de licenga ao secretarlo da thesooraria provincial.
Approvado eom ama emenda do Sr. Soares Bran-
do, dando a forma de aatorisagd ao projecto.
2* discosso do projecto o. 10, de 1860, autori-
zando a cmara do Bonito a construir orna casa de
mercado, e a provincia a emprestar para este Bm
a quantia de 4:000*.
Sao approvados sem discosso os arts. 1 e 2.
Entrando era discussao o art. 3, vera a mesa urna
emenda, mandando qoe o emprettimo se faga com
ara particular.
Ora contra o artigo os Srs. Buarque e Ramos, e
a favor os Srs. Candido Martina e J. Reg Bar-
ros.
Encerrada a discosso, o artigo approvado.
Faliam pela ordem os Srs. Buarque, Ribeiro e
Ramos.
Vem a mesa done artigos additivos ao projecto,
mandando que a provincia empreste, sob condigoes
Idnticas, 10:000*000 a cmara de Pao d'Alho, as-
signada pelo Sr. Lopes Machado, e 4:000*000 a
cmara do Limoeiro, assignada pelo Sr. His-
bello. .
Pallara sobre os additives os Srs. Hisbello, Lopes
Maahado, Rogo Barros, Ramos, Brito e Gaspar.
O Sr. Gaspar propSe qoe a medida se estenda a
todas as cmaras. .
Nao havendo numero para se votar, o Sr. presi-
cente levanta a sesso, dando a seguinte ordem do
dia: 3' discosso dos projectos ns. 33 de 1862,17
e 54 do anno passado e 5 e 14 deste auno; 2* dos
de ns. 50 de 1864,30 e 34 deste anno; i- dos de
ns. 35, 36 e 39 ueste anno; continaagd da antec-
deme.
nao haver na cmara ora s magistrado qoe vote
pelas incompatibilidades absolutas, e abi temos
novo embarago para o ministerio. E qoera o subs-
tituir ? Ninguera o pode prever, pois que o bori-
sonte est asss nublado. Em todo o caso, creio
que a situago propriamente progressista tem che
gado ao seu termo. Tome nota desta proposigao..
O publico ja' esta informado da ebegada do
Rvm. fre Serapblm a esta cidade ; "resta-nos po-
rra. neticiar os servicos deste distiocto missona-
rio durante a sua misso.
Tendo elle d'aqni sabido a 12 de seterabro do
anno passado, foi primeiro a N. Senhora do O", co-
marca de Goyana, d'abi ao Brejo da Madre de Deus
e Cimbres, e percorreu toda a ribanceira de Paje
at Talbada ; por todos estes lugares pregn, bap-
lisou, confessou e ca-ou muitos que viviam em
unios Ilcitas, nao se poopando a's fadigas, quan-
do se tratava de servigo de Deus e bem do pr-
ximo.
Excusado, referir as inclemencias porque pas-
sou este bom religioso em sua misso apostlica,
nao s porque nao as ignoram os conbecedores dos
envolvimeoto da nossa
mesraa cmara, no interesse de seus municipes,
faga com que o maior numero dalles concorra para
a citada exposigao.Posto em discussao delibren-
se que fossera feitos editaes no sentido recommen-
dado por S. Exc. .......
Ouiro do mesmo concedendo a autorisago pedi-
da pela cmara era offlcio de 7 do crtente sob
n. 11, para dispender raais no exercicio crreme
com os negocios judiciaes intentados por ella, a
quanlia de um cont de rls, visto ser insufflcien-
te a quota designada no 9 do artigo 2* da lei do
orgamento municipal vigeole.inteirada.
Outro do juiz de paz do 2* anno da freguezia de
S. Jos, Joo Jos de Albuquerque, commueicaodo
ter entrado em exercicio do mesmo cargo.Intei-
rada.
Outro do juiz de paz do 4 anno do primeiro dis-
trteto da freguezia dos Afogados, Paaliao Rodri-
gues de Oliveira, communicando que por impedi-
mento do 1*, 2 e 3 acbava-se em exercicio do
dito cargo.Inteirada.
Outro do engenneiro cordeador, informando o
requerimenlo no qual D. Joaquina Mana dos Pra-
nossos sertoes, como porque para ellas nao olham zeres pede para que lhe seja permittido levantar
os verdadeiros Albos de S. Francisco.
Km Calomby. hoje denominado S. SeraAm, as-
sen tou o Rvm. frei Serafim, os alicerces de ama
fatura egreja, e em S. Jos de Paje fez om bello
e elegante cemiterio.
Em sdmma, os servlgos do Rvm. frei Serafim
desde qoe d'aqai sabio at que se recolheu ao seu
hospicio sao dignos do reconhecimeoto publico,
como todos os que prestara constantemente os bous
padres capochinhos, qnem o publico nao pode
deixar pagar um tributo de gratido, conlessando
ao meaos o bem que deltes recebem.
Hoje se extrahir a ultima parte da 5* e
1* da 6* loteria, (55a) a beneficio da igreja de Nos-
sa Senhora de Guadalupe de Olinda, sendo o maior
premio 6:000*.
Movimente do hospital de S. Lzaro, do 1 a
31 de margo de 1866 :
Existiam 11 homens e 14 mulheres, entrn 1
bomem, evadio-se 1 hornera, existem 11 borneas e
14 mulheres.
Observagdes.
Foram visitadas as enfermaras pelo medico o
Sr. Dr. Ignacio Firmo Xavier nos das 2,9,14,17,
20,23. e 27.
Existem 8 empregados no estabeleciraooto, a sa-
ber : 1 capello, 1 medien, 1 regente, 1 dita, 1
barbeiro, 1 cos^bero e 1 srvenles.
O mordomo do mez,
A. J. Goma do Correio.
O regente,
Diniz Ignacio P. ios Santos.
Movimento de hospital portngnez de Benefi-
cencia em Pernamhuco, sob a direcgo do Dr. P.
Pitanga, no mez de margo de 1866.
Existiara 36, entraran. 27, sahiram 30, falleceram
9, existem 24.
ama casa de madeira com viole palmos de frente
em o seu terreno 00 Wrgo dos Remedios, diz que
precedendo a necessaria cordeagao, nada tem que
oppor a pretengao da oeticionaria: Mandou-se
cordear.
Outro do mesmo, informando o requerimenlo de
Jos Gongaives Ferreira Costa, pedindo lhe seja
permeltido levantar a ceberta de qoaire casas que
a pouco fizara na roa da Fu o d gao en Santo Ama-
ro, e que recoobece baver ficado balxa, declara
nada ter que oppor a seoeRunte pretengao. Con-
cedeu-se.
Outro do mesmo, participando ter-lhe sido apre-
sentado o requerimenlo qoe devolve, para dar
cordeagao a casa que na estrada de Joao de Bar-
ros pretende construir Jos Antonio Ferrad de Fi-
gaeiredo, declara qoe no lagar, onde o peticionario
pretende construir dita nasa oo ba que dar-se
cordeagao, por quanto posto que presentemente
fique ella a face da estrada, todava como pela
planta approvada tem essa estrada de avanga* mui-
tos palmos, ficara a mesma casa mnito affastada
delta, o que j communicou ao peticionario. A,
vista do exposto pelo engenneiro, conceden-se a li-
cenga Independente da cordeagao. -
Outro do mesmo, informando o requerimenlo no
qual Amonio Domingues Piolo, pede para qoe iba
seja concedido contiaaar o cano de esgbto, que
atravessa a roa do Sol em segalmeoto ao boceo
por onde esgotam as aguas da ma de Santo Ama-
ro, levando-o al os fundos da casa de sua proprie-
dade sita a roa Nova n. 58, diz que nada ba que
oppor a pretengao do peticionario, sendo o cano
em qaesto proprieiade da eamara, mas no caso
contrario, como loe parece qoe tem lagar, claro
qoe nao a ella'qne perteoee dar a licenga ped-
da.-Addlado.
Outro do romo, Informando o requerimenlo do

,
-

Os fallecidos foram : 1 de bydropericardia, 2 f$i John Gates, proprietario do sitio n. 9 na rga.


iT

y
W*

Diarla ie rerbeo Qaara Jelra 4 de Abril de
1866.
X
25:
**
-s"
4os 2, 93
24* nao recla-
madas.........
Diversos.
Saldo de xwiasco
tas. .......
Lmctos e perdas.
Lucros sujeitos a
liquidacao. ..

10:674*000
282:052*772
lo:220*433
16,417:438*823
O guarda livros,
Ignacio Nones Corra.
Communicados
. cbeiro dessas Essencias ordenaras, o seu
'mimoso e delicioso aroma pode*
extinguivel, inapagavel, emi
: M>utro lado a verdadeira
em seu genero, que de urna'
mais viva, nos faz.agradavelmenlerecQj
trazendo-nos a mente o deletatele geanlno
perfume das aromtica* e florescentes flores;
n'uma palavri nella existe lloreeee a belle*
za eo encantamento.
O volume do delicado aroma epargido de
derramadas sob o lenco,
de Corredor do Blspo, portende ua -toe ioja caa--
cediJo demolir o porto existente na trente ao
mjsrao sitio, e MtaWo por outro demaior Ur-
,re, e ufctaW^alear roa na Oreo do dito sttlo
a que nada-0*,que opoor.a pret*oc^o do.peticio-
na no, ama vez que o novo porto conserve o al i
nt amento do actual, e o calcamento da rqa seja
eito sob a inspecgo de pestoa fllnrisada pela
cmara.Concedeu-se a lieenca M sentido da ia-
ormacao, fleando o engenheiao eoreador encarre-
gado de inspeccionar o calcamento.
Outro do mesmo, informando*) reqaerimento da
jaita MI admirativa da.Santa Can da'lisericordia
qae pS mica para fier ejgamas alteracoes
ms poraBsjjaoellas da frente -rio obrado, sito
na da Gloria da Boa-Vea a. W, e parlenceate a
rossraa Santa Cas, e bat sete "reedMear o por-
to como marcara as (JoMaras declara nada ha
queopper a seeilJ:t'eten?<, GeBcedeu-ae.
Outro do iniao.ltrinando o requerimenio no
qnal BenmiWae -late da Silva, propnetano da
oasa terrea 0,78 da'roa do Rangel, pede para .
mu seja pera iwo cotfcertar a coberta da mesma qual se narra va o fectode ter o syndico da c0 eija por Irio n30 tem sea igual, entre mucosos, flores brancas, chlorose, molestias
?ISSSSiTI^S^VsSSl2s.EJlr,s:JSS0*125*!toda_sa?maisa*aa?chenMtoporuto. t^^j^^^^^y^:
Conceden-se.
oa$o nao pode ser elle appli-
ttemente. Muitas vezes o pra-
B'fazer applicacSo do ferro por*
Wgpeitar que o figado, o bofe 00
e^orgSo essencial da respirado, on
utra eniranha est offeadida; entretanto
que, ae se tivesse applicadem tempo ae
poderla ter evitado o desenvolthnento da
molestia. Assim, pois, o xarope prepara-
do como flea exposto se pode asar sem ris-
co por nlo offender as entranhaa. As mo-
lestias contra asqaaes o xarope tnico re-
alga mas gotas .
verdadeirameote maravilhoso e deleitavel; e ngerante-eJlMe ser apphcado eom prvido
como nm ageda velme de restablecer So: as amenorrheas, ou sospwcao deflu-
desnaaioe,^ertigeo8^^efeedees*etrassim xo menstraai-das nmmeras. anemia, un di-
unubM rjsKCEiKAUL b. utAHUW). como servindo de odorfero adorno i psssoa minuicao-da massa do sangue e sua consis-
Sorprendido ficemos oom .pblicacSo fei- e ao paladar, qoando osada em diluido ce- tencia alterada, dores de estomago, debili-
to do Rangel, pede para que ta neste Diario de 20 do mez passado, na m0 unj enxagoamento de bocea ou cosmeti-. dade dos orgaos digestivos, fastio, fluxos
lo Annnbrfir a nhorta n mpsma filial CA narnn A {rttsw Aa lap t\ cxrnliin ra .. "... ~*. *J~ _. t 'ClA mnAAi Outro do d;cal da fregaezia do Reeife, infor-
mando acerca do oficio do inspector d'alfandega
quantia de 3:0000 da caixa a seu cargo, um (Tente**, pas,-lado o cuidado derami- guor geral, acclorisacao paluda da cor ou
mez antes do pagamento, pois esta sorpreza Dar e ver que os nomes de Murray eLan- esverdtnhada, empebrecimento do sangae,
nos veio em raz3o do artiga97 dos estatutos wulM) m%ch^ax inscriptos e gravadossob eofartes-ehronicos das visceras abdominaes,
Sdt fnSnio TlTiZt ofic.o'Sd^ l J ^dfm .combinado com os artigos 46 e ^d* envoltorio, letreiro e garrafe e aa falta ilpprcas ou escropbulas, escorbutos opila-
dociaradne com^cnca deiie se fai despejo de v, determinarem ficar os mheiros da or-,os mesmos, fcil < sospeitar dasua falsi- t5o, pallidez, e os estragos produztdos pe-
cisco e ootras malarias entre a ponte da descarga
d' alfandega e o trapiche denominado do algodo, sendo os claviclanos, ministro, secretario.. YetjfU.se as uharmacias de -fiwrs jt!dc Jorjas; frmrcza Jreral: ea liydrope-
ci.niln ajrin luu >llaillr rferlilil luis UTO 0)60- _______t____________________1. ^.-L. i, t.m .1 r. TT,.__________ _*_--- ~ __3-__- __: J__1-
sendee qaee-4egarreteridoiiete
turo, isto de longa data, porm que bonvesse per-
mistao de sna parte para que all se fizesse des-
pejo de IIxo, eeatres materias, ioteirameote fal-
so, e que nao aitarisou a laacar-se fogo nesse
Uto.Posto em discasso mandoa-se responder ao
rn^Dmd^^e!^;?'v5^^^g^? ter-se.apossado/'seg
dem recolhido a um cofre de tres chaves,' 3e
molestias syphiliticas: asthenia ou falta
*?
e syndko, e que quando tenba cte Mtliral- garbosa,e J. da C. Bravo & C.
gama quantia soja observado eertas formali-
dades.
Ora, tendo se dado o facto do Sr. Jos de
'Mello Costa Olivara, syndico actual da or
tilo de evitar qne oouvesse cntinuagao do despe-
jo do lijo naquelleMngar.
O Sr. Sautos pedio a palavra e'spresentou dous
orcaaieeios das oblas de que aecessita a matadou-
ro pilleo, e reqiftreu a cmara para ".qne, toman-
do ofti lelles por. base, mandasse por em praca
parajaetem anaaBJEda as mesma obras.
Oaeeretario airesentou o adtogrpho do relato-
rio, qnal sendo ldo e posto em discussio, resol-
veos iaiiaarpasaaf a-Umpo-augmeauado-se com
nials^Iuroas medidas lembradas pelos Srs. Reg,
sanies I Pifio.
Ma**t-se reroeM^r a eeroraissaoide polica para
dar o sea perecer, o orgamento apreseatado pelo
contador para o exerciclo futuro de 1866 a 67.
0*r.bpresden te fazenmiidar temporariamente os nscaesde urna
tara oulra freguezla. e sendo aporovada semelhan-
le mbdi4>,-tfetfiaiiueu-se qne1 o da-freguezia do
Reeifi pbssasse a servir na de Santo Antonio, o
da dfS Jos naMo Reeife, o de Santo Anionio na
da Boa-Vista, e o desta m de S. Jos.
Despacharm-e as peticSw de Antonio Alvos de
Olivejr'Bra|a, Associago Commercial Beneflcen-
to, Fi%dtreco-tfsnoel da Silva Tavares, Francisco
^lentBsJMartins, (i) James Ryder & C. D. Joaqui-
na ftQrft des Prazeres, Joo LuirFtrreira Ribeiro,
Mantel e Senza "Tavares, 'Manoel FlgDeiroa de
Faria"& Frttio (21 e levaoteu-se a sessao.
Ea Francisco Canuto da Boaviagem secretario
snbsore*!Permra"SlmCs, proprsrdenteSilva
do BrastRego-*-F.oBeear-Dr. Villas BoasDr.
ie veantas.
-------1 -----------
f.elafo das pessaas da comarca de .Mazaret, qae
mandeiam suas o le r tas ae respectivo jaiz de
direib) Joo Paule Hdbtiro de -iidrade para se-
ttm estregu a eerBetiseie desti provincia pa-
ra 'cuastrucao de um Asylo de Invalides 4a Pa-
tria aa corle.
Os Srs.:
Antonio Miguel de Andrade Lima. JW5OOO
Antonio da Multa Silveira Caval-
caate............. ,lW)00
Ignacio Xavier Carneiro de Albu-
querque.......... 40a)0
Jos lavares tossoa da Araajo. J -'301000
Manoel Jos de Oliveira Helio 20;O0O
:i)r. J.- Jeroovmo Pacheco ie Albu-
querque Maranbo...... 30(000
.loao da Costa lUbetree aoza JOJ00O
Antomo Virginio Pereira Lima. 109000
Jos Ignacio Pereira Torres.... OjOOp
Seratim Velb^Camello Peaseade Al-
an^.
boquenfae^. ..... SOftOOO
los Felieio riwi Ju fa?" oiflflitl
Francisco Xavier Carneiro de Albu-
querqne.......... OOOO
Dr. Jos Ignacio de Andrade Urna SO9OOO
Or. Jos Martn iano Cvale ante de
Albuquerque........ lOtOOO
Joo Tenorio Pereira de Moraes 10&000
Antonio Manoel (i>vo..... IO9OOO
Manoel Barroso de Moraes .... OJOOO
Francisco Tavares Pessoa de Araujo. IOjOOO
Vigario Jeronymo Jos Pacheco de
Albuquerque Maranbo .... 10*000
Loiz Scipio de Aibuqoerque Mara-
nho.......... 10000
Aureliano Cavaicante da Bocha Wao-
derley.......... JOOO
Dr. Joaquim Eduardo Pina.... 05OOO
4305000
nina
Caia filial do banca do Brasil em Per-
ambuco
BALA.NCETE EM 31 DE MARCO DE 1866
ACTIVO.
Letras descontadas.
Com duas asigna-
turas residentes
no lugar do des-
cont....... 1:819JS87
Com uiua so dita
dito....... 2:814*799 4:064*786
quella quantia, um mez antes do pagamento,
quem o responsavel por tal abaso? em fa-
ce dos artigos citados o Sr. ministro, por-!
que no,principio de sua administrado nao.
ordenou que fosserecolhuios osdiabeirosao
cofre da ordem; verdadeque tem sido pra-.
xe seguida na ordem ficar em peder do syn-
dico todo o dinbeiro, e o Sr. ministro d3o
querefldo acarretar odiosidade, rnesmo por-
que 03o bavia razo par-a por em duvida a
probidade do actual syndico, nao fez que a
lei nesta parte fosse cumplida; mas depois
do fircto publicado, pergnntames ao Sr. mi-1
nistro, a probidade do actual syndico est 1
-illibada? e como consenteS. S. que o dinhei-
ro da ordem continu em poder delle ? e-a6
faltas que apparecerem depois daquelle pro-
cedimento, quem ser o responsavel vista
do artigo 43 ?
Afm disto, toado o syndico prejudicado
os intereeses da ordem, por ter tomado o sa-1
que a praao, como poder S. consentir \
qne-os drbelros da mesma cont!nne s e
nicamente >em poder do actual tbesonreiro,
contra a letra c.\.ressa da lei?
"Pandado nos precedentes at enKo segui-
dos? N5o, primeiro porque precedentes
contra a lei nHo se admittem, sao abusos es-
candalosos, e jamis devem ser tobados;;
segando, porque, se os syndicos passados'
bem serviram e geiiram os negocio da or- j
dem, de maneira aos ministros tolerarem
taes abasos; no rnesmo caso nao est o pre-
sente, que basta o facto praticado, para S,;
S. tomar as cautellas necessarias e fazeraae-.
cutar fielmente a lei, sb pena de ser re-
ponsavel nao s pelos qae possaui ter lagar,
eomo tambem pelo praticado, coja reapoo-1
sabidade n5o se pode repartir < om a mesa
regedora, vista do artigo 43; forlanto-to-
do esperamos de S. S.
Estamos-eertos de que j nao ordenou,
eomo lile compre, qde fo.se recoloidp o di-
nheiro ao cofre das tres chaves, por nao que-
rer deagostar ao syndico, e por seu bom co-
racao repugnar seaelbaote proceder, mas
nos loe diremos^ que essas consideraces de-
vem desapparecer, et vista ao cargo que &.
S. oceupa, tanto mais quanto a lei deve ser
por S. S. posta em execooo, tantas vezes
quantas se tornar preciso, afim de qae os
interesses da ordem, cooGados a seu cuida-
do, como seu primeiro representante, sejam
zelados pelos irmaos mesarios -, pois se os 1
ministros anteriores nao pozeram nesta par-
te em execucSo a lei, foi porque os oatros'
syndicos n3o procederara como o Sr. Jos
de Mello Costa Oliveira.
Sentimos que S. S. Sr. ministro, seacbe
em posico tao melindrosa, vista do seu
bom corarlo, mas preciso Vencer e Superar
o constrangimento que o coradlo possa sof-
frer, pelos bons resultados que necessaria*
mente tem de apparecer com a execucSo da
lei, em o qne tudo desordem, delelxo e
desmoralisaco.
Nos o esperamos e confiamos em S. S.
O Patuscada.
CURA
Espanta e Admiravel
DE U3A tmAGA
>,\m
^
CANCROSA E
* eo
PLIPO \0 NARIZ.
sia anazarca e asctes; tendo-se o cuidado
de observar nestas duas ultimas molestias
'principalmente, e em todas s outras, qoe
om dos effeitos salutares ddste xaropo te-
1 ro-ventre corrate, e.as urinas dosembara-
cadas. .
O modo-de asar*se e tegOTarr-se -ni des-
cripto no letreiro pregado no frasco.
Vende-se nicamente na botica da 1
Oireita n. 88 de
Jos da Rtreha Paranhos.
l&WM S
4 cascos barro para rogo, 80 telbs, 5:905 tijol-
lot; a Tb. Jefferes. .... i .. ,
1 caixa mantas e tapete de la, 3 caixa* ceveja; ~*
1 Modbard dt-c. '0'1>r. tirgio de'GustnSo Coelbo, jaiz mu-
.
Urna creada de servir residente etn Pernam-
bo8o pefieuct-ilU a EtT'Seflr! TtMOMuteea,
DE Golvnna, foi attacada d'uma terrivd cha
ga cancroea e roedoraou Polypo no arix.
A mem involvia e tomava todo a puto ia-
ferlor do naTl, amesando j distrui t*aw a
parte earttlagteosa corAo 6 nemo oM; <%t
(on primeiro por appareeer' sob o belfo aup-
ri^r 6 parte da fSloe, exttftdeildo^e por "tal
forma e com tal rapidez, qne em pouco amea-
fava transformar todo o rosto n'uma enorme
charga -viva e asanaMam Durante aodo eaaa
WntVtd'HNado, U>*m tm rtmw nwnUcimu
que em taes cazos se nato foro abundan te-
mente smpregados, em que de leve nzaaae
pl a marcha laata e ditruidsra da ti hor-
rivel enfermidade, e todos oe meioe eelifcoa
forao baldados, e no em tanto o mal oread ela
qne por milagrosa fortuna da infelia eatando
aa couzaa neste ponto, se espriaentou pela
tum

veaprrmeraa
SALSAPARRILHA
DE BRISTOL.

O effeito produzido, quasl que instantneo
por este" lneetimavel remedio foi verdadeba-
mente manvilAcao e eem igual; este grande
purifiMpior do aangue e doa bumorea de sy
tema, hmaedlatamentepoz um tefTno a mar-
cha disas t roa e fatal da molestia, derramand>
m e infiltrando-ee atraves dos teoidos os maia
deliBadosdo colpa, expellindo ate: i Wma
propriedade ou vestigio virulento da uljliiUa,
e dentro d'um curto eaparo de tanapo produc
9 calas pbospboros; a Jos Joaqaira Alves.
20 ditas ditos; a Ferreira & Lwrelro.
JOO saceos arror, 1 ado estopa; a R. Schmet-
un & a
S fardos e 1 cala lencos de algodo e cassas, S
toneladas pedra; a J. Pater & C
1:090 canas sable, 5 fardos panno para ccos ;
a Saunders Brotber A C
11 barricas cervato, 4 calas biscoHos, 1 dita
carne fumada, 1 dita molbo, 1 dita mdHeJda; a
W.J. Goocelves da Poeae.
0 barricas e 1 caixa lerwgens, 100 dilarfolhas
de Flandres, 1 di 13 e 96 afros louea.
Polaca hespanola AnonWa, entrada de Barce-
lona, consignada 'a Tasso Irmaos, manrfeston :
140 pipas, 8 neias- ditas, 440 qaintos, 80 deci-
mos vioho tinto; 260 qniotos ditobranco, 198 caU
xas, 400 meias ditas e 400 qaartos de dita passas ;
a' ordem.
Vapor nacional Cruzeiro do Sui,. entrado dos
portos do sal, roanfestoa do Rio de Janeiro :
1 caiio charutos e famo; a Jos Leopoldo Boor-
gard. *
2 caiioes livros impressos, e 1 dito papel pinta
do; a J. N. de Soma,
1 caiio diversos objectos; a P. Q* de S. Pi-
tanga.
1 dito livros; ao Dr. Luiz V. de Reiende.
2 caias livros; a Garraux Leilbacar & C.
1 dito ditos; -a Joo W. de Medeires.
l.dito nwrcadorias; a A. P. de Abren Jnior.
1 dito ditas; a Coelbo & Freitas.
2 canas eonfeitos; a Jos D. dos Santos.
1 dita blendas ; a L. Weydmond.
1 dito mercadorias; a Antonio Joaqoim Panagco.
1 dito iivros; a Guimaraes & Oliveira.
1 dito chapeos do Chile ; a Ferreira & Araujo.
520 rollos amo, 1 caixao instrumentos, 2 cai&as
rap, 1 dita amo picado, 4 volantes iivros, 2 ditos
queijos, 1 aromado estantes, 1 embrnlho altaos,
1 caiio larope, 8 fardos algodo; a* ordem.
Da Babia:
1 caixa (aseadas; a .'auvage & C-
2 saceos So de algodo; a Lino Faria & C- ,
ALFANDEGA DE PERMMBUUO.
pauta dos ntqoi do* mERos sajinos a Ditetftos
DE EXPORTAS AO. SEMANA DB 2 A 7 DO MEZ DE
ABRIL DE 1866.
Mercadorias.
Abanos........ .
Agurdente de ena ....
dem restilada ou do reino .
dem caxaca.......
dem ginebra......
dem alcool ou espirito de agua-
ardente
dem descascado ou pilado
Assucar mascavado .
dem bxanco
I
Letras caucionadas.
Por euro, pratae
ttulos coffimer-
eiaes .......
Letras a reeeber.
Letras de concn-
datas ........ a.
Ttulos em liqui-
dacao.........
Banco do Brasil
s/c saldo a sea
debito.........
Banco do Brasil c/
de natas do o-
verno substitui-
das. SaWo a seu
debito,........
Caixa filial do B.
doBaasil na Ba-
bia s/c. Saldo a
seu debito.....
Diversas. Sato de
varias contae. .
Caixa petos jejnintes valores.
Em ouro amoeaa-
dado nacional. 1,173.470*000
Em ooro aoweda- ..^^
do estrangeiro. 1,084:580*000
Em notas do tbe-
souro do valer
de 10*000_____ 62:000*000
Em notas do tbe-
souro meneres
de ItsOOO 7:990*000
Em prata e cobre. *161
Em notas do ban-
co do Brasil e
de anas caitas
Gliates...... 164:400*000
Era notas desta
( caria......... 127:*10*000
13:879*391.
60:346*037
6:992*650
723:887*954
11,805:132*863
102:000*000
55:70I*93
743:554*053


I
<

..*
2,619:859*161
16y417^438*823
PublicacOes a pedido
Milita atten$o.
a.
CURA
Completa e Radical.
Este felii quio admiravel resultado foi ob
do apenas com o simples oso
D'aiua so nica Garrafa!
d'eete inoomparavel e inapreciavel depuratorio,
recommendamoe portante a todos ea Doaatea
qne procurem obter com o maior cuidado a
nica e verdadeira Saliaparrilha de Briatol,
nicamente preparada por
LANMAN&KEMP.
De XOVA YORK,
ae, certera de que, tedas aa mais preparaoas
imitativme nao valem para couza lguma
Vende-se as botona de Caors & Barboas
e C. Bravo -C
ATTENCSO.
Xarope alchoolico de verame, preparado
peto pbarmaceutico Jos** Rocha Pataihos,
estabelectdo cora bdtica, na roa Difeita n.
88 em Pernambuco. ,
Est xarope nentestavelmenle superior
a todos os, sarapes depurativos, de euja
eomposi^io oseo maior eleaento a salsa
parrima, poi6 qne se tem conhecido ser olAigaio'emcaroo
veame mais enereico para a prompta cora dem em rama ou em la
das molestias, coja base [essencial depende Arroz com ca
da purificarlo .do alague; assim pois se
tem verificado per muitas pessoas que se
fjehavato desetrganadas/m qtraes abam-se' dem refinado
boje restabelecidas cm o referido xarope'Azeite de amendoim ou mendo-
ttcboolico de ttame; entretanto qoe HsSWBa.......
flunai ten*) osado-ao xarope a^Curini,^mde maJSona ; ; ; ;
de Larrey, de salsa parrilha, de saponaria,. Batatas alimenticias .
aleo de figado de bacalho, e antros agentes Bolacha ordinaria, propria para
desta ordem nada conseguiram. E' elle de
facit difesae, af radavel ao paladar-e ao ^HSStfboa
phato. Alguns mdicos desta cidade e da "
de Macei o toem racommendado para a ca-
ra das
Impigens, tinha, escropbulas,
Tumores, nlceras, escorbuto.
Cancros,sarna dggenerada, fluxo alvo.
Todas- estas-iffect&eeiprovm de urna-cau-
sa interna; nao ha pote r*a3o algoma em
crr que ellas se Jodem.curar comTemedios
externos. Tambem.e prescreve o xarope;Cha
; alchoolico de veame para o tratamento das Charutos .
I afieqjoes do systema nervoso fibroeo, taes I %**$**>
como:
Gotta, rbeumati6HW, paralysia,
Dores, impotencia, esterilidade,
Marasmo, hypocondria, emaiagrecimento.
0 xarope alchoolico de veame soire _
tudo, da raaior utilidade para curar radi- Doces'secos"
clmente, e em ponco tompo o rneuma- dem em gela ou maesa .
(jg0j0 dem em calda .....
Adverte-se que o verdadero xarope t^ ; ; ;
vende nesta cidade na botica cima indica-1 Esteiras para forro de estivas
da,, do abaixo assignado; e em outra qual-
quer parte que se tem aanunciado nao da
mesma composicio, e nem o abaixo assigna-
do se responsabilisa.
Jos da Rocha Paranhos.
Unidades. Valores.
3*500
800
800
340
800
900
eento
caada


i
i
arroba
c '
1
f
t
c
f
caada
i
i
arroba .
V
>
'
libra
um
dem escoma ou restolho. ,
dem torrado.....
Caibros........
Cal........., arroba
dem branca .... >
Carne secca (xarque)
Carneiros ....... um
Carvao vegetal ..... arroba
Cavernas de sicupira urna
Cera de carnauba em bruto. libra
dem dem em velas ...
, ,. i
.... cento
. .. u um
, cento
Colla
Couros de boi,. salgadoj.
dem dem seceos espichados
dem idem verdes .
dem dem cabra eortidos ..
Wem idem de onca .
t .
libra
<
a
um
- >
libra
>
um
4*19
16*500
1*500
2*600
1*850
3*000
3*900
000
1*600
1*000
1*500
3*000
7*000
6*500
6*000
4A0
360
320
580
3*500
4*000
i 000
3*000
300
500.
2
3
1.
4*000
600
150
240
05
360
10*000
1*000
320
520
4*000
2*000
COMMERCIO
O labrego coberto de negros crimes e vicios, qne
a sooiedade o expellio de sen gremio, depois de
seus proprlos prenles entregarem-no ao circulo j
da gentalna, nao encontrando arrimo em casa al-
Suma devdoa na m ndole e costme deprava-
di, esti hoje de mios dadas com algnero, qoe acre-
ditando as doces rjalattas do aerverso, pretende
FBACA DO RECIPE.
Cotetfoes oi'Qciaes.
3 de abril.
Aa 8 li2 horas da Urde.
Assncar mascavado purgado (tfO por arroba.
Assucar mascavado americano 1*830 por ar-
roba.
Assncar mascavado Canal1*700 por arroba.
Algodo 1* sorte17*700 por arroba.
Algodo de Mecei"-'17*500 e 17*300 per arro-
ba'posto a bordo,
(lambi sobre Londres0 d|v. 37 3|4 d. por 1*.
uescontos1* 0i0 ao auno.
Frete para o Canal{fOj e 5 0|0 de primagem.
uubourcq Jnior,
Presidente.
Silveira,

Xarope tnico refrigerante de veame e de
ferro preparado pelo pbarmaeetitico Jos
da Rocha Paranhos,estabelecido nacidade
do Reeife provincia de Pernambuco, ra
Direita n. 88.
Este xarope, quedtom eo movimento
muscular por sua qualidade frrea, ao corrente pelo premio e codieSes
at associa-io ao ramo de sea-negdeio. I esrao tompo purgativo pela parte do ve-
Vai teta, val monsiro, vai cholera morbus des- lame que encerra, e refrigerante pela par-
envolverte no lar domestico, eqnando tompteta- te acida alm da,pwciaa,para Jierfeita so-
res teus meos inteqto-.ioniba eeseameee daqnel-',...3. /.omhinacSn dn fprrn- pstft atacado
le qoe se illndiomlanuriameate. ,U\d0 M1*30 ao ierro, este HRNH
Obi pois anda ha quem s Ultra oom sewerban-^pelo acido fica em ratrema diviso, e as-
te La Brego ? pois nao esto publicados a maior slm o mais soluvl qne posslvel, desorte
parte des fetos desse tratante Vlinda a potreo nao flue a nao tao dependente deser digerido
foi banldo da casa de sen prente e protector I... ridos fraais ,aac se atham no snefio
Pois bem, como algoe, Po-tran*e, *raerdes- Pos#auao iracos,_que se acotan nosaow
mentir o jaio geral, en von me oceultar, a espera gstrico dorante a dtgestao. Os expositores
do brado do desespero, qoe ser dado tarde, visto de medicina sao de opiniao que 0 'ferro e
que, esse infame labrero para conseguir seas'llns,1 todas as suas preparacoes gozam das virtu-
- des eminentemente tnicas, que aproveita
em todas as molestias que o caracterisa-
das por fraqrjeza- e wm fflWto acbo exac-
Seoretario.
Ainda tempo, se qoer prever censquenclas ra-
aesfas, pois quem I he acon?elha 6
Mtltr'dtetCtn.
" "" '. la eeaa opimao^ sao Jrnas dado o ferro^m
a 24ae'rnarco, detldneiaftdo Inctas do jni Qollhr-1 _,.,..,,_ ZZ a fa Boihlirar^ pm frtfl a
me Cintra em Serlnhaem com umrerto fOtentaio,'\\*r* *5'}ue J "Pa008^ em e
escoadeu o trome eife -, ttmbm fez mysttfrto de: determinadas molestias; por exempo: ane-
ratazanas pridas pela mdntaha; mas. como \ mia, e febres intermitentes, terminam mui-
semana anta est mbada, e multo -natdrai aoe' tais vezes por anazarca, que a accumulacao
\ovo banco dePernam-
baco.
O Novo Banco descoma letras a 12 por cento
ao anno, toma dinbeiro a praso fixo ou em oonta
corrente pelo premio e condieSes que se conven
clonar, e saca sobre a praca da Babia
Novo Banco de Pernambuco.
O novo banco paga o 16 dividendo na
razio de 6(9130 por aeco.
de navio........ cento 15*000
Estopa nacional ..... -arroba- 1*800
Farinba de de mandioca alqueire 2*500
dem de ararutt..... arroba 4*000
Feijao de qualquer qudlldade 2*800
Frecbaes ....... um 5*000
Fumo em tolba, bom arroba 15*000
dem ordinario ou restolho 8*000
dem em rolo bom..... 10*000
dem ordinario ou restolho. 8*000
Gallinhas ....... urna 800
Gomma........ arroba 2*600
Ipecacuanba (raiz)..... *^*999
Lenha em aehas..... cento 2*000
Toros......... 11*000
Linhas e esteios...... um 6*000
Mel ou melaco...... caada
Milho......... arroba 1*500
Papagaio8 -....... um 3*000
Pao Brasil .... fUintal 5*000
dem de jangada. ..... um 5*000
Peoras de amolar .... urna 800
Wem de filtrar ..... i 6O0
dem de rebolo ..... 1*000
Piassava........ molho 120
Pomas, ou chires de vaccas ou
novilhes ....... cento 3*600
PraHchoes de amarello de dous
costeaos....... um
dem de louro...... >
Rap......... libra
Sabio......... *
Sal........... alqueire
Salsa parrima....... arroba
Sebo em rama ......
dem em velas......
Sola emlvaqueta...... urna
Tabeas de amarello..... duda
diversas .....
nidpai aupptate da-4.'* rara wn'ejerci-
cio nesta cidade do Reeife de Pernambu-
co etc. etc.
Faco saber aos que a presente carta de "
editos virem em comoanta administratiTa
da SMtaCwa de Mi etterdia do Reeife, me
fez a peticao o thearaegaiale: Diz a
junta adraiDisirartt di tanta fesa daMise-
ncordia do Rete, que epeer fazr citar a
viuva de UaBoel Antonio Oetneiro, para
primeira d'este juizo faliaram ^^s termos de
mn liberto em qtreihe quer peolr o sitio n.
20 partcuhr no logar Carreir* dos Ifttzom-
bos, oas salinas, do qual se acha de posse a
supplicada por titulo de aforamento feto ao
dito Manoel Antonio Carneiro, visto ter a
supplicada cnido em commisso, como me-
Ihormeute expressar fim seu libello, pena
de revelia, cando logo citada para todos os
termos da causa at final xecu^So. E por
que a suppcante ignore quem seja essa
viuva, por isso requera V.S. atiese digne de
mandar passar carta de editos com o praso
de 60 das para ser citada a supplicada -por
todo o contoado n'esta. Pereira e Sotrza.
Proc. civ.notta 203iper tanto pedeao lllm.
Sr. Dr. juiz municipal da 2.a vara lhe deli-
ra. E r. M. CeiaoipaoeupedorJos Theo-
dore Gomes.
Cuja^ ptiSo send-me apresfitSda n'ella
deio dispaclio do thedr seguidte:
Deeiribida, como rguet.--- Reeife 22
defeverii'o.ae 1868. V. GQlho.
Em virtude de dito mea dispacho foi a
acg.ao distribuida ao. ascrivao Cunta, e este
passou a presente por bem da qual e sen
theor citada a viuva de Manoel Antonio
Carneiro, para fallar aos termos de um li-
bello civil que lhe vai propor a junta admi-
nistrativa da Santa Casa da Misericordia do
Reeife, pedindo-lhe a entrega do sitio n. 20
no tugar Carreira dos Mazombos as dinas,
visto ter eahido em commisso; como tudo
declara a policio aqu transcripta, afim de
que no praso da 60 das contados da data
do presente, con)parecam,juizorpor siou
por seu procurador a allegar o seu direito,
e defesa, sob pena de revelia ; .pera o que
mando a todas as pessoas, pareles, amigos
ou conhecidos da viuva de Manoef Antonio
Carneiro, lhe i'acam aviso de que ,por este;
citada para oque cima tica tkto.
E para que rhegue ao contwclmento de
todos, mandei passar o presente qde ser
publicado e alBxaJo no lugar publico do
Custume.
Dado e passado com o praso de 90 dias
n'esta cidade do Reeife aos 3 de marjjo de
1866. Eu Pedro Tertuliano da Cuaba, es-
crivao o escrevi, Virgilio deGusmao Co-
Iho. Vai pagar a quantiade S80rs,dedi-
reitsde chancellara. O escrMo Cuoha.
N. 1223 250 rs. agou 280 rs. dedirei-
tos de cha rallara, Reeife 3 de marco de
866.- Clwves,Limoeiro,
Yai pagar o sello d'este edrtal que impor-
ta em a quantia de 400 rs. O esuivo
Cunda. Eslava o sello n. 56400 rs. Pa
gou'IOOfs. Reeife ademar* de W66.=
Chaves.Sena.
Eslava o sinete das armas Imperiaes do
Tribunal da Relaco. Firraino Antonio de
Seoza, presidente. Transiloa pela chancel-
taria. Reeife 6 de marco de 1866. O
escrivao Francisco dos Res Nunes Catapello
Jnior. <*-Laacadoa (1. 100-do livro
competente n. 13. RecffeO de mareo de
4866. Campello. "E na mais se camtha
em dita carta de editos aqu copiada qoe eu
escrivo bem fielmente copiei de proprio
original a que me reporto, e esto-z sera
cousa que duvida faca, conferido e concerta-
do na forma do estylo. Cidade do Recite
aes 6 dias de marco de 1866. Escrevi e
assigno em f de verdade O escrivo Pe-
dro Tertuliano da Cunba.
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, officia 1 da
imperial ordem da Rosa e juiz especial
de commercio, nesta cidade do Reeife de
Pernambuco por S. M. Imperial, etc.
Faco saber aos que o presente edital vi-
ren e delle noticia tiverem, que no dia 16
de abril do corrente anno, se ha de amina-
260 tar por venda a quem mais der em praca
ALSMODBGA.
Readimento do da i ........
Idem do da 3
'? *
MOVIMENTO DA ALFANDBOA
Volnmee entrada*com fatendas...
a c com gneros.
lolnmes-sabldos cem fazendas...
t com gneros....
217
1:871
------- 2,ft88
132
315
Desearref am boje 4 de abril.
Brlgue inglezUety Martimercadorias.
Baraa Haflea-Hta^o-raercadorlas.
Brigne iatlei-Wu^er-idem.
88
ra que venha a''ifllseussao"declinndoos nmes dropesia do vehtre, que
dos im-fohntadom Ntasaaa daiando os em- serocidade no periten.
bncanwnias em qoe se eavwtve, e tirando a.masca-
ra com itoe e e8coUi-*Pca.o, que achannos-ha
prompto a recbelo em combate com telrades-
ctda e ceito a descebarlo.
PA6SIVO.
Banco do Brasil tonta ie cafitai.
Valorfornecidope- ._ tr.K,nn
la caiaa matriz. 2,000; 000*000
Banco do Brasil
. Valer em oircoli
Conus eorreates
si afies........
Dividendos do B.
do Brasil. Saldo
'13,682:120*000
104*60*671
E' sabido que o ferro um ,dos(agentes
mais importante para qae o sangue; se pre-
se acdtftrsaflo, rae poremos a eaiva jipare e aprferfue'tievidamerrte, e'per eon-
mostra, e nao deixaremos eseaTtarcam vida ne- seguinte o mais proprio para impedir o des-
nharrra Has lendkis qne se aninnamem saa basta Jenvolvimento destas mleitiae; mas eendo
virao todas para a xpsfcao, rtte^m:efflcarei%itmte, soitianie fcseeer-
cabeltttra.
Fique ceno
qne
qne negocio ao da.
O Venfs.
.....aia*
Agua de Fierlda le Murraj te
neote, Wato qtm so asoclado como se
acha heste Xarope, pode dar o resultado
que se.eaperey.e -xperiencia me tem de-
monstrado sem TlsoaTle:offender aS'entra-
abas.
Com quasi toda a certeza pdense por em Os eleitos dos incitantes, sao : promover
duvida seas mil e moa variaveis llores as secieeaes, ie.absereees, augmentar o ca-
que adornavam e derj-amavam t5o delicioso, lor natural, e remover'aquellas dores que
parfume sob o aeHreaaante.tiardim do Pa- nascemdaJ'raHa^dos-movilnentos irrftativos. ^
raizo--8DaftiOBW fcagranoia BaaisifiH- Os soib'entes sao tambem aquellesjigen'ta, jyttrja de-wn-o; a D. W. Bcrwmin.
ra e delicada aa itmrjsptera, do que mella os quaes augmentam os movunentoa irrita- 5 a rjl tottttffas d earv*o, i; cal CDiP*?d6
qae se adonde e oacbe-Ofabmtte de vestir, tivos, que formam absorcSo, e os siicernen- sol^ seda e ditos de algodo -, a HenTlqne ar Ate-
accumulacao de tBana freaeeia--aaiia-#ialos.
Patacho banovenaao RamrteMM armna de
trigo.
Cagar1 tngleeBedoinnJoio.
Barea inglesa--Jteraa*e--*arao 4e f edra.
Galera sariooaiMti*ilo~*.rw.
rea itfkzaAi*w>-ideni.
rea ingleza-Edi/j Manonidem.
Bngue inglezHar Belldem.
Brigae inglezCTffs idm.
Brigae naeioae-*flutiiep*Bniqoe.
Brigne nacionalAmano ndem.
Dataeko aggeaiwa Jhntmtdtt Idem.
Patache haspanh!Adelatdeidem. ,
Sumaca'hespahdlaA-Guda lmpartacio.
Lugre inglez Booorru, entrado de Liverpool,
consignado a, manffeston o f^guiote :
33. jigos tonca ,-a'Tbam B."* Roben.
1 calxallta eiasnca; a Mello Lobo i& C
4 Wdos eonVbWsscwsBarassaear, Saltos
i*5hlflw'BrdtneTS & C.
20*000
10*000
1*000
160
400
25*000
5*000
7*000
2*0001
140*000
87*000
3*000
2*000
6*090
300
10*000
8*000
6*000
600
Tapiocas.........arroba
Tatajoba........quintal
Travs.........urna
Unbasdeboi ...... cento
Vassouras de de piassava
48:374*980 Ditas de timbo......
27:979*5ti Ditas de carnauba.....
* Vinagre.........caada
76:354*550 Alfandega de Pernamuco, 31 de marco de 1866.
BADiTAsnmarro.
Cera de carnauba arroba 60400
Cassueiras de Jacaranda, duzla 95)51000
Encharnela. um 1#500
EsteiraB de eareatrba., urna 160
Ossos. .... arroba 200
Palia de carnauba .. molho 800
Peana de ema libra 24 JOO
Sapatosdecourobranco. par 800
Era ut supra.
Approvo-Alfandega de Pernambuco, 31 Ve mar-
co de 1866. A. Eulalio.
0 1. conferete, Stanoil Teregrinqia Stva.
O i." conferete, Jos Bapista de Castro eliilva.
Conforme. O 4. escnpturarlo, AleXandrino
Ihomaz de Aquiao Colho.
RBOBBEDOIllA DE RENDAS JrTTERNAS GE-
RAES DE PERKAMBDCO
Rendlmento do dia 2
dem do da 3......
..........
vedo.
ou Roudoir, no qual se haja aberto amfirag- tes aquellos que augumilWi"iesnorrment08|T^bOTleM oerveje,- csixas genebra, 2 ditas
eodeBte oorftra e deleitawl agua de etaei- irriutives que eonstituem as secresoes. tiicoitos; a Silva & Cardoso.
ro. Comparada com o passageiro e voltil Assim, pois, v-se que sem a precisa combi-j I caixa tecido de laa; a M. R e.Slva & Genros.
748*452
85**532
"lM02*M4
OONSLABO PROVINCIAL
Rendlmento dq dia 2.........
dem do 'da 3 ..........
4:863*494
2:212*060
7:076*10
wiovftKEirro do porto
Natos skms odMi'3.
Havre-barea Ittraeera 8. ndrf, capftSo Perrtt,
caira algxXMo. n ^ _
Canal-escana inglez PrU vfth Sowt,- capitao
WfcHe, earga assncar. _
Observado.
Nao houveram entradas.
publica deste juizo o seguinte:
As quatro stimas partes da casa terrea
sita na ra Imperial com o n. 164, a qual
tem porto e muro na frente, sendo a casa
col locad a no centro, com janellas aporta na
frente e nos oitoes, com grande terreno at
a mar, e os fondos at o rio Capibaribe,
avahada ditas partes por 2:285712.
Um terreno na raa Imperial com 30 pal-
mos de frente com os fundos para a mar
pequea, foreiro marinba, avahado por
3003, a qual casa e terreno foram penho-
rados por execucao de Francisco Alves de
Moraes Pires eontra Francisco Botelho de
Andrade. E n3o ha vendo lancador que cu-
bra o preco da avaliacao, i arremata^ao se-
ta feita pelo preco da adjudicaco na forma
da lei.
E para que chegue ao conhecimento de
todos mandei passar o presente que sera pu-
blicado pela imprtnsa e affixados nos luga-
res do costume. Rec-fe, 7 de marco del866.
Eu Manoel Mafia Rodrigues do Nascimento,
escrivo o sobecrevi.
Tristo de Alencar Araripe.
0 Dr. Virgilio de Gosmao Coelho, juia mu-
nicipal supplenteem exerciclo da segunda
vara desta cidade do Reeife de Pernam-
buco e sea termo, por S. M. I. e C- oSe-
nhor D. Pedro1 II, a quem Deas guarde,
etc., etc.
Faco saber pelo presente que a junta-ad-
ministrativa da Santa Casa da Misericordia
do Reeife, por eu procurador, me Inaire-
cou a peticao do theor seguate:
Diz a junta administrativa da Santa Cas
da Misericordia do Reeife, qae quer fazer
tar aos herdeiros do fallecido Manoel ^Pin-
to,.para a primeira deste juizo fallaretn aos
termos de um libello, em qae ibes quer pe-
dir o sitio n. 21 particuler nte salina*, no
lugar dedemlnado Carceira dos "Mazombos,
do qual sitio se acham de prrsse os sqppli-
cados por titulo de aforamento feito aquella
fallecido, visto terem oe auppeados cabido
em commisso, como melhormente se expres-
sara em eeo libello, pena .de revelia ; fian-
do logo citados para todos os termos dacau-
saat final execucSo.
E porque a sapplicante ignota qnaes se-
jam os herdeiros, por isso requar a V. S.
ae digne mandar passar carta de adal eom
o.pMlQ de30 dias,'para-sevem eitedoa oe
supplicados por todo o conteudo nesta. Pe-
reira a.Souza, Proc. civ. a. 203 : portanto
peda aolllm. Sr. Dr. juiz muokipal daae-
^unda vara assim lhe defira. Espera recebar
merc. Comoiirocurador, Jos Tbeodoro
Gomes.
E nesta peticao que me foi apresentada
!
I

ILEGJVEl



MMMMMHM
__ .
WarW de -araeJ-e* ** latea 4 de Atoll de 1866.
dei o despacho do theor seguinte : Dis-' se de que pela presente sSe citados para o
tribuidaj como requer. Recife, S6 de feve- que ciiua tica dito.
reiro da,186(>.>-CoelJft>. E para que chegue ae conhecimpnto de
E seado frita a distribuicao ao eacrivo .todos mandei passar o presente que ser
d'eitejeto Guilberme Augusto d Athayde, publicado e afiliado no lugar publico do

' ---------r-
TIIEATIM
itais
t{
este em obsertaaeia a ette meu despacho,
fez passar o presele, pelo qua| e stu theor,
c! amo, sito e hei por sitade aos menciena-
dos brdeteos de fajlecido plano/al Pinto,
para no dentro do prazo de 6.QJUs C0p*
recvame este jaizo, por s on por seus
pt ocaradores, allegando e provaad o que
TAP 1 Km** A n. nki.'. *h-.ja----_ !...ilinn An r\\
costune.
Dada e passada com o prazo de 60 das
nesta cidade do Recife, aos 3 de marco de
48G6. Eu Redro Tertuliano da Cunba, es-
GFiyaopescrevi.Virgilio de Gusmao Coe-
lho.
Val pagar a qqaqtia de 250 rs. de direi-
for a bem d seus-direitos e justiea, sb pe- tos de chancellara n. 12144. 250 rs. Pagou
na de *e proceder oes reveaae*: 260 rs. de direitot de cbaocelaria .Cha ves
Por tanto toda e qualquer pjfQa,.paKentQ, Limoeiro,
amigo ou cohnecidos dos referidos herdei- Yai pagar o sello deste edital, que im-
res, po Jer-lbes-ho fazer sciente:de todo o porta em a qoantia.de 400 rs. O escrivo
expendido. E para que ohegoe ao conheci- Cunha.
ment de todos mandei fazer o presente que Esta va o sello n. 55 -400 rs. Recre 3 de
ser afflxad nos logares do costme, e pu- marco de 1866.Chaves. Sena.
blcaios pela imprensa. | Esteva o bete das armas imperiaes do
Dado e passado nesta cidade do Recife de tribunal da relaeSo. Firmino Antonio de
Pernambuco, aos 3 demarco de 1866. Soaza,.presidente.
Eu Gailherme Augusto de Athayde, escri-, Transitou pela chancellara. Recife,6 de
?o o subscrevi. Yirgilio de Gusmao Coe- marcade 4866.O escrivo, Francisca dos
Ris Nones Campello Jnior. 1
Laneada afl, (00. doJtro competente n,!
13. Recito 6 de marco de 1864$. Campello
Jnior.
E nada mais se continua em dita,carta de
editos aqu copiada, que eu escrivo bem e
fielmeate copie do Voprie-original, a que
rae reporto; esta ate na verdade sem cou-
sa que duvidfl faca, conferida e consertada
a forma do/estylo. Cidade do Recife, 6 de
marco de 1866. Escrevi e assigno emfi
de vrdade.O eacrivo, Pedro Tertuliano
da Cunha.
< a vonfade dos compradores: quarra-
lo correle pelas 10 horas da maohaa.no
Azeredo defronte da ascadiuha^a

Iho.
N^OO.Rs. 400 rs. pagou 400 rs. Reci-
fe 3 de marco del866.K-Chaves#.-n-Sepa.
Val pagar 250 rs. dedireites de chancel-
lara. Recife era supra.O escrivo, Athay-
de.N. 1221. Pagou 250 rs. de direitos
de chancellgfa. Reeife 3 de marca d48t5.
--Ctves.-SLiDqBeif).
Transito* pe chancellar a. Recife, 3 de
murco de I4(;G*-Oesrrivao, Francisco dos
Reis Nunes Campello Jnior.
Lancado ai fls. 100 do-competeerte livve
n. 13. Recife 3 de marco _tJ866.Cam-
pello Jnior. Firmino Antonio de So.uza,
presidente.., Etavam as armas ia>periaa.
E nada mais se contioha em dito edital
aqui copiado do proprio original.
Dado e passado U*ta cidtde, aoe 5 de
marco de 1856. Eu Guilherme Augusto de
Aihayde,,t|crivao osubserevi.
O Of. Virgtyi de Gnsawc%oelho, jaiz municipal
*toplenje*rn exerwio seguida vara desta
Cade de ttecife defeaambiieo e sea larra,
por su atestada imperial e coeetitooiooel o
Sr. D. Pedro II, a qaem Deus guarde etc.
Paco saber pelo presente que a junt -administra-
tiva da Saota Casa d!*sewcMl- sea procarador me enderegou a peticad (do theor
sejruinte: lail'
Diz a janta administrativa da Santa Casa de Mi-
sercjjrdu. do llecite, que qoar (a*er citar aos ber-
deiros de Miguel Ferreir de Mello, para a primei-
ra deste juizo fillarem aos termos de um Iibello
a> que Ibas qaer pedir o sitio de n. 18 particular,
no lugar denominado Salais, do qual se acharn Ce
posse por titulo de aforamento feito ao dito Miguel
Ferrera do Helio, visto tareoj os sopplicados ca-
bido em-eommfsso como melhormeote se expres-
sara' em sea libvllo, pena de revelia, ficando rogo
citados para todos os termos aa causa at final exe-
cutio.
E perqu a supplicaote ignore quaes sejam es-
ses tierdeiros, por isso raquer a V. S. se digoe
mandar passar cartas de editas, com o prazo de 60
das para serena os supplicados citados por todo o
coiteudo nesla.Pereira a Soaza.Frac. civ. n.
m.
l'ortanto pede ao Illm. Sr. Dr. jaiz manicipal da
segunda rara assim Ihe defira.E. R. M. M Co-
mbiprocurador Jos Theodoro Gomes.
E oesta pelieao que me foi apresentada dei o
daipacho do tlnor seguinit:
I>estnbuida >mo requer. Recife, 28 de feve-
relro de 1866.Coelho.
E seodo feita a dislrtMeSo ae escrivo deste
juUoGuilberme Augusto de Athayde. este em obser-
vancia a este mea despacho, fet. passar o presente
edital pelo qual e sea theor, chamo, cito e hai por
citados a todos os berdeiros do mencionado suppli-
cado Miguel Ferreira de Mello, para que dentro do
prazo de 60 das compareeam por si on por seos
procuradores ante este juno, allegando e provando
o que fr a bem de seu djreito e justlca, sob pana
de sa proceder as snas revelias,
I' ji *n u11 toda e qualquer pessoa, prente, amigo
oa conhecidos dos referidos herdelros, podeMues-
bo fazer scieete do to-lo o expendido.
E para que chegue ao conhecimeno de todos,
maedei fazer o presente que sera' alisado nos lo-
gan do costme e publicado pela linprensa.
Dado o passado nesta cidade do Recite de Per-
nambuco, aos 3 de marca de 1866.
Eu Guilherme Aogusto de Atbayde, escrivo o
subscreTi.Virgilio da Gusmao Coelho.
N. 59 rs. 400. Pagou 400 rs. Recife, 3 de margo
de 18 Vai pasar 250 rs. de direitos de chaneellaria|
Recife, 3 de margo de 1866.O escrivo Athayde.
N. 1222. Pagou 250 rs. de direitos de chancel-
lara. Recite, 3 de margo de 1866.Chaves.Li
rooeiro. >
Transitou pela chancellarla. RacMe, 3 de marco
de 1966. O escrivo Francisco dos Reis Nunes
Campello Jnior.
Laucado a fls. 109 do competente lrvro n. 13.
Recife, 3 de marco de MJ66 Campello Jnior.
Firmino Antonio de Soara, presidente.
Estavam as armas imperiaes.
E uada mais se continua em dito edital aqui co-
piada do proprio original.
Dado e passado nesta cidade do Recife, aos 5 de
arco do 1866.
Eu Guilberme Augusto de Athayde, escrivo o
subscrevi.
Virgilio de Gusmao Coelho.
(4o auno da empreza Ceimfc-a)
ESPECTCULO DE 4BERTBM
Qiiarta-fetra l i de abril de 489*.
SSTBEA DOS ARTISTAS
PAIVA E GBA$A..
Prlmeira representarlo do novo d/ami en 5
actos
0 SOLAR DE mONTARGIL
PKRSONAGENS.
Fernando de Dalserao, 30 annos. Sr. film.,,
Roberto de Albnqoerqua, major do, ."
exerclto portoguez, n'frica, W
annos.........tr.Rlaaa.aini
Cesar de Pontevel, 24 annos. Sr. Lisboa. '
Carlos de Villar, lente de ura
dos regimenaoadp provincia do 4
Alemtejo, 28*ansi .- Si'. Slaysgo.
Adolpbo Montenegro, 25 annos. S-. Tweira.
O eommaaMof T0|iir*o.O aaaow Sr. Ponte.
Fallope Maldonado. 26 ana*, Sr. S^ll^
Jeronymo, 60 amos. .... 8r- Piala.
Um regedor........ Sr.Santa Rosa.
Ua criado........Sr. P. Jeraior.
A baronexa da Montargil, 70 annos. Sr D.
AGUA FLORIDA
HEKBDVIZFormaiario oa guia mfii-
c#5.7-* feto in 12. ,
GHERIfOViZDjcciooario de medie i oa
popular, 3-a edc5o,.3 i? 8.'
LANO^RDArta oastftica, in 8.
** Dieciooawa omestica e popular/ 3 ip 8- 1665.
-UONJBANNovfjjnattai dfffazandftiro.
iB 8."
EIBJB -Compmdio de materia madica
e de* thTapeuti a, n,fi,? *"
GOMESElementes s dj pharaacologia
geeal, ore*
Angela de Pontevel, 21 annos. Sr -Adelaide Cadeia do Recife. n, 53, as tO l|i horas d* da aei-
Rosina de Albuquerque, 18 annos. Sr' D. Emlik P.' ma do.
, IILAIF "
Jazendas em continuaco
. Hoje 4 de abril.
i.. J^??"** Christiansen continua hoje o seu lei-
" Maas comecado hontem e por interven-
ntho agtfttePQl' flrD S6U armaZein rUa d0 Tra-
^**#**M 40 horas.____________
De urna mobM .4 jacarada' constando de 12
cadeiras de guaroleo, idUas de bracos, 2 ditas de
balanco, 1 sof, 2 consolos com pedra e mesare
meio de sala, 1 rico piano francez, 2 espelhn* 1
candelabro de cryslal, 1 par de lanternas comis
*MWro, bauarda vestidos, 1 cama francea de fferai .-m* w vmmu^wv^a Adagua florida (9 Muri^jy & Lanmaa
commodade amarello, 10 cadeiras americanas, 1T12.0 tem podido serfWlada WW^prefaracoes
i nwqiiea, i P,r de jarros, i par de campotei- MACTE-PINTO-Gura do alveitar 2 a nws cnstosas: conserva, sao-aroma, co-
ras i jr de garrafas, i appareiho de poreelaia (fc^n irrts mo se formasse iirte da peenda a que ella
doorado para almoco, 1005a de jantar, copos para! eQii'c l?-*. -"-
agua, tapate* a ouiros objeetos do uso domestico
de urna familia.
QuiuU-feira o do carrale.
O agente Martlns far leilao dos movis cima
per ordero e OMtade um seu amigo qne se retira
para fo'a da infera. No armazera da ra da
MWBY & LANMAN
*m
H I......
DECURACOES

*
ExROsico dos productos a-
gricolas e iudustciaas dk
pwimsia. r
A commisto incurahida de dirijjr o$ ne-
gocios da exposigao des provincia, previ-
ne aos artistas que dsej'arem concorrer com
os seos productos mesma exposigao. e
que nao o possam fazer por falta de recur-
sos, que devem dirigir-se ao secretario da
commissao para obterem os auxilios neces*
sanos aequisiclo das materias primas das-
tin idas aos- ditos predoctos.
Sala da commissao 15 de marco de 1866. j
O secretario,
-________Manoel Buarque de Maeedo.
Tribunal do wmmercio
Pela secretaria do triboaal daeommarcio de
Pernambuco se faz publico que em sessao do mes-
mo tribunal de 12 da correte foi considerado va-
go o offlcio de corrotar deta praca, qaa azercia
Frederico Lope* Guimarfia, o qual o abandonan,
e quo a fianca prestada ero favor do nwsme cor-
retor persiste por seis mezas, contados dasta data;
e qne lita marcado o praso de 60 das, para dentro
dalles se habilitaren) os ooncorreates ae reterio
ofDcio.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco 13 de margo de 1866.
O offlcial-oaior
________________Julio gafantes.
COMPANHIA PERNAMBCAIfA
Josepha, 20 aonos......Sr'D.Joaqu
Convidados, caraponezes, cjiados e cabos- ii-if-
Hela.
poca actual.
O 1* acto passa-se em ama casa de campo nos
arredore? de Lisboa. ......
Us quatro ulaws no Salar da Santarem.
De 1 mesa tastio, 1 piano de armirio, 1 cama
de Jacaranda', ksamoano, 1 lavatorio cora pedra,
1 toucador, I secretaria, I candelabro, 1 armarlo,
1 apparelho para almoq,. !, to- para jantar, 1
costoreira, 1 lustre, tcadeiras de balanco.l mar-
A-ccIpbacbica-dol-axto do mastra da 'SSSSZ mMOS bect03 qo8 se for0a eatl
canto da companhia o Sr. Calas. '
Termina' o-spaeUonto com excellente carne-
da em 1 acto, ornada de canto
O
. SrQraca.
, Sr'rajel
iftr
ina
Qiiita.fci'-a-o to corre leas M lloras
Oajrente Mutins farV tile dos objectos cima
mencionados por cena de diversos cujos ohjectos
serio vendrdos pelo maior preco ae correr 4o
martello.
ttUA DA CA3BIA N.J53.
- i
dtci
pai e o noivo.
TKRSO>A(ai Tbiago. .
egkmaodo..
Dorethea..
KSL"; :. i :;; :.: :USStInp. ^^ie$a&4idtaa>raiM fwrodt
Os Srs. assigaantes podem desde ji mandar Sala COID avaria d'agaa saldada,
buscar os seas cartes ao escriptorlo do thearo. Qaita-feira 5 dp ahr as ll hnraa Am nnn.
Est em easaio o drama em i actos> ornaoo.de wu,uw aLa2"li as.Ju '10ras em Pon
canto-Vida da- laheaa-e a comed.a em t arto n l aa-fftile.da alfandega.
ambos para a estra da actriz Gleba de Carvalho u *Kenle Pinto far leilao por conta e risco de
e do actor Raymundo. : V (aB*apertencer de 50 pecas de esleirs da China,
avahadas a bordo da escuna^SUSLENA, vlnda da
Haraburgo; as 10 horas em ponto do dia cima di-
to a*_port da aUasdega.
ME5MER-Magnetismo animal, 1
iuitf: -Medico de pc*o, i niz."
i LIYRAWA FR4XCBZA
N. 9 Hua d Creado -N. 9.
ItfELL MOJIAEPh-ysiolotia das pai-' le2*U"2i ., ,' i,
96 2?'R(\tiZo>3 iojS,.0 '^l eroacia to d^ffead, comoelegan-
- Etia g Cn
ii

Preciis de um;
pessoa ;a tratar na
anaar.
lea
"Z I !
na ama p*a casa da-urna s
rua-do Torres n. 14, safuado
ama'
^reclsa^ade orna aifi> na ra do Vigario n. 6,
pjweirojBiar, para caja de ama s pessoa
Q 8 o tes sao saos multiplicados usos-, qnr seja
empreada como artig dotoacadar, qur
ao qso do banho, ou jomo suaviaador da
peBe depois- que se tan ha feito a barba;
j pjra mpa/ as gengrvas .oa aronaatisar o
balito.
- D suavidade, hrilb e elaeticidade as
C0mpleic5es, depo4dee haver lanado; al-
livia a irritago de:rupOesordinarias; faz
daaaaparacer o desagrada re aspacto dos
pannos; das sajas,'o astor r4ga9* toda a
casta de ebulnjes, e d3 vigor e frescura a
parle qnde quej que se-apprtque. la effi-
ateMMr e elegancia, sS^igaalmnta infalli-
AVISOS r#ARiTIWOS
Companhia de paquetes a vapor entre
es Estados-Guidos e Brasil.
At odia, 9 do.
De urna escr.ava.
O agente Martins fara' leilao por conta e riseo
correntb espera-]de qaem perleoeer de urna escrava. robusta e sa-
se oos portas da dia propria para qaalqoer serv4?o.
para
spt o vapor ame-
ricano South.inf-
rien, com man-
dante Tinkle-
pangh, o auai de-
pois da demora
New-York tocando no
Quima eira 5 do cor-rente.
No armaiem da ra da Cadeia do Recife
a urna bora da tarde.
n. oj.
Leilao
De 600 moiobos de pedra proprios para moer mi-
mo, chegados ltimamente da Ilha de S. Miguel.
Seila-fetraC do corrate as 11 horas.
>0 ARMAZGV DO AGENTE
Tendo os legtimos proprietano* daa aecflas des-
ta companhia abaixo mencionados, declarado que
haviam se desenaaminhado de seu poder as de ns.
886 a 893 0,1786 a 27i*e, peta gerencia.da Compa-
nhia Pernambucana e por erdamda directora se
declara que da data deste a 30 das, a vista da
requisico dos mesraos Ihes vio ser entregues no-
vas acedes de igual numeradlo em- subsMIuicao
aquellas que licam assim sem valor algum,
Pernambuco 14 de marco de 1866.
0 gerenteF. F. Borges._______
Gaasela de compras navae!
O conselho promove no dia 5 de abril prozimo
v i n do uro a compra dos seguinte i objectos do ma-
terial da armada. '
50 arrobas de almagre, 100 pares de cbiflellas,
10 lanternas de patente, 30 arrobas de ocre, 50
ditas de oleo de linhaca, 4 ditas da pregos ripares
de cobre, 4 ditas de pregos de batel de cobre,
600 libras de tinta branca de zinco, 100 chapeos
de oleado, 30 resmas de papel pautado, 4 arrobas
do tachas de cobre, 10 duzias de limas chata-. 10
ditas de limas triangulares de dez a desasseis pol-
lagadas, 10 ditas de limas meia cana de doze a
vinte poilegadas, 60 travs da qualidade de trnta
edous trinta e quatro palmos de com primen toe
oito a nove poilegadas de grossura, 80 travs de
qualidade de quarenta a quarenta e cinco palmos de
comprimento e oito a nove poilegadas
ra, 16 duzias de taboas de assoalho de loro, 12 i tier : na Ponte dos Carbalhos com Joao Chrysos
ditas de taboas de assoalho de amarello, 10 ditas tomo de Oliveira Felagio, e em Jaboatao com Fe-
de taboas da forro de amarello, 4 ditas de cous- j lix Ramos Leotier.
suras de Jacaranda, 100 varetes de cobre 8 78,
do costum seguir'
Para' e S. Tbomaz.
Para fretes a passageiros trata-se com os agen-
te Honry Forstar i C, rea.do Traplet n. 8.
Para, o Bio de Jaaeiro.
Val sabir por- asfes das o brigue Mana & Alfre-
do recebe carga mida e escravos a frete, tracta-
se com o consignitario fc'R. Rebello, ra do Tra-.
ptehao. 44 aaaly ________________>
ParaoRiodeJanaijQ
pretende sega ir at o fin da p re sen te semana a
barca nacional Ovara!, apenas recebe carga talu-
da e escravos, para osquaealem oseeltentes com- (P0R com'K DB diversas casas bstbancsibas afibi
OLYMPIO,
48~Prpa do Cmataoiercio-48
fajeadas, miudezas e ferragen
Terca -feira 10 de abril as 10 liaras.
rati
-
De
modos : trata-se com os seos consignatarios Anto-
nio Loiz de Oliveira Azevedo & C, no sen eserip-
lofio roa da Cra* o. i._______________-_
Para o Aracaty
O hiato Domt Irmaot, iwra carga trala-se aonfcl
Tassairmaos on com o Sr. Quintil no trapicha a
algoift.____________________
Parao Para' pretende sahir pceos das
O patacho PARAENSE, por ter o sea carregamau-
to quasi prompto, e para o pone que- Ihe falla tra-
ta-se com o consignatario Joaquina Jos Goagalves
BeltrSo, na roa do Vigario n. 17, 1* andar.
Vende-se a barraca' TetmandaW que se aeha
neste porto do Recite alguma cousa arruinada,
com todos os saris pertences em bom estada, por
preco commodo : a tratar em frente d esiajao da
via-ferrea com Francelino Augusto de Alboqoer-
. que Mello; uos Afogados com Francisco Gancalves
de grossu- (Servio ; em Sant'Anna com Pedro Ramos Lea-
Para a Baha
pn ment.
Promove o conselho a compra sob as cotdjcoes
do estylo e vista de propostas recibidas naquelle
dia o de abril prximo vindouro ate as lrooraa^
da maohaa.
O Dr. Virgilio de Gusmo Goelbo-, jaiz mo-
nicipaJ supplente da segunda vara em ej-
ercicio nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, etc.
Fac.o sabor aos que a presente carta de
editos virera, em como a junta administra-
tiva da Santa Casa de Misericordia do Reci-
fe, me fez a paticio doheor seguinte*
Diz a junta administrativa dt Sania Casa
de Misecordia .4o Recife,, que quar fazer
citar aos herdeiros ib Miguel Ferreira de
Mello, para, a primeir deste juizo faHarem
ao termes de um Iibello axqrie Ihes quer
pedir o sitio n. 15 particular, sita no lugar
deiwmirtadb Salinas, do qual saacha do pos-
se em viriude do aforamento feito aaquelle
fallecido, visto terem cabido em cotmnisso,
como melhormente espressar em a Ii-
bello pena de revelia. ficando logo cHios
para todos os termos da causa at final exe-
cuco. E porque a supplicante ignore quaes
sejam os berdeiros do mesmo fallecido, por
isso requer a V. S. se digne de maarfar
passar carta de editos cora o praso de 60
das para serem citados ossupplicados por
todo o conteudo nesta: Pereira e-Souza
proc. civ. nota 203: portanto. pede ao il-
lstrissimo Sr. Dr. jjz municipal da se-
gunda vara Ihe defira. E recebar merci.
Como promrador Jds Theodoro Gomes.
-Cuja peticao sendo-me apresentada, nel-
la dei o mea despacho do theor seguate:
Distribuida, como requer. Recife 24 de
fevereiro de 1868.V. Coelho.
Em viriude do dito, meu despacho foi a
aeco distribuida ao escrivo Cunha, a es-
te passou a presente por bem da qual a seH
theor sao citados es berdeiros de M^uel
Ferreira de Mello para fallarem aos tepaaos
de um Iibello civil, que Ihes val.progr a
junta administrativa da Santa Casa de Mise-, -
ricordia do RprifP pm rinV JhM naftapn-:^80' M'"^*. orne'** WWI'H* Yleonta
tlTJ, L Kecire;-m aue*w Peaeen-.Ferreirt ^ pordoacaU JjiKHvoMlae 4'A-
trega do sitio n. lo no lagar das Sakaas, ra0jo Pernambuco,T/mei Amrt*a *|va,
V?1TS*i _^c,^^comoldo yggffgs^SffpSS^ *-
- *F Pela adminiitracao do conrea* dta
cidade se fez publko a qeem interesuar pes-
s*, que se acham retidas ni mesma, admi-
9 nstracao por falta de pagamentos de- salo
i rJaTerentes cartas e conliecuiientos destipa-
s Aos a diversas estarces do camio|a. da via
100 ditos de cobre de urna pollegada, 30 ditos de
cobre de urna e meia pollegada. ltO ditos de.ferro
quadrado de tres quartos de pollegada, 150 ditos
de ferro qaadrado de urna pollegada, 100 ditos de
ferro qaadrado de seis oitavas a ama e mata pol-
legada, 100 ditos de ferro de iifi a 5|8,100 ditos de
de ferro em barra de doos 4fS,,e tw ditos de! Segae para Liverpool tocando era' Lisboa
Ierro em barra de tres a 3|8. I vapor inglez THaLSS, do di .5 deste mez, para
Os varoes de cobre e de ferro de 14 ps de cora- passageiros e eneroroedds trata-se com os con-
O hiate CALLADO segu para a Baha eom a
carga que ti ver no da 7 do crtenle : a tratar cora
Tasso Irmos ou com o capilo Manoel Martins da
Costa.
Sala do conseibo de compras navaes 27 da mar-
co de 1S66.
O secretario, t*t
____________Aleandre Rodrigo.es do Aojas.
Acha-se nesta subdelegarla um 'nf de boro
com ama pedra verde, que foi tomado a um es-
era vo, visto ser Taado : qaem pois.se Jalgar com
direito no mesmo anel, procoraado ser-lbe-ba, en-
treguen
Subdelegada de polica do 1." disUlctoda.fregue-
zia de Boa-Vista.________________' ______
Pela administrarlo do correio desia cidade
se faz publico, que de conforraidade com .o decreto
n. 187 de 15 de maio.de 1861 e respectivas ins-
truegoes, ter' hoje lugar o procasjo da abortara
das cartas a trazad as pertencentosao mea de-margo
de 1865, condemnadas a consammo pelo art. 138
do regnlamento dos correios de 31 de dezembro
de 184a, assistindo a esse procasso o eommerc-i
ate Manoel Jos da Costa Pereira. Uesta abertura
nada se havendo encontrado procedeu-se a quei-
ma de -tedas as cartas de que se lavrou o respec-
tivo termo qoe e qoe se aegue: Crrelo de Per-
nambaco 3 de abril de 1866.
O administrador.
Domingos dos Passos de Miranda
Termo de consummo das cartas em ser do mez
de marco de 1895.
Aos 3 dias do mez de abril de 1866, na salla
da administracio do correio desta cidade, acaan-
do se presentes o Sr, administrador e tbesoareiro
Domingos dos Passos Miranda e mais empregadag
abarco declarado, pTecedeu-seeinvirfade do art.
138 do regnlamento dos correios de ti de dezem-
bro de 1844, o con*ummo de t# cartas e 7 jor-
o 88 aanaaa** 18W7 jornaes nao sel-
lados, oa imponincil flir llfmO res que nesta
data Oca descarregada, ao mesmo admlntraier e
thesoureiro. E para constar se lavrou o raseme
termo em que aislgnaraa o raesme administrador
e thesoureiro a dms iMnplis. E eu Eduardo
Firmino da Silva ajadite oslador o^eecrevi.
Adnibistracao- do cocreio d4 EerMibac* de
abril> de 1866. administradoc, Damoga dos
signatarios Saonders Brothers & C, lacgo.
po 8anton. 11. do Coa- .
DE FBCHAn GOflTAS DE VSMDA.)
NO ARMAZBM DO AGENTE
OLYIV1PIO
' >48 PRAfA DO COMMERC10-48
O agi or.ima espera a concurrencia de seos
amigos, coatinoandoo mesmo a faxer em aa ar-
mazera doos leilOes de fazendas por mez, sendo
no dia 2o aonunciando 3 dias antes.
wmm
JUMSOS DIVERSOS
luslilulo Areheologico e eo-
graphico Peroanaa>acaao
5j convidados todos os ocjos do Insti-
tuto que de presente se acham no Recife a-j
asrfstirem'*prxima sessao de quinta feira,
5 do correnle abril, pela (1 horas da
manba, na qual.ter lagar a posse da nova
mesa administrativa, e aidiscoeco do or?a-
mento para o anao de. 1866-1867, em con--
formidade do actigo 27 dos estatutos.
. Secretaria do Instituto, 2 de abril da
186.
Jos Soares d'Azevedo.
________ Secrtario perpetuo.
..2 Em 31 de outubro dttnno passad
ccfeva Claadwa, cabra STta e seca do C-
pertenceuttimamfnte aosIllms.Srs. Jos
daJblva, Mnoel Mauricio de Sja.e D. Mariana
Igtucia de^stro e Silva queJU a J*tV' Ma-
ttlaae Ferrflfia que pagar fOO^OKi a quem-lhe
entregar djia. escrava na ra Aluga-e a casa da ruaTmpatiardeaaiinada
viveiro do Maniz, com uro sobrado de am andar
que-accomjaada grande familia, dous graada vi-
vetros parapBixe, grande terreno para plantagoes
e deas olaetas ; qusm pretender diriia-se a ra do
Ratel n- o4>_________________________
.Pede-se ao Sr. Subdelegado do'a|a|a..dfl'fSe-
cifa, que lanse as suas vistas para a>rua da San-
zalla velha, sobrado n. 126, no qaai mora moa ca-
mellas, que trocara a noote pelo da adm d4 en-
coromodarem a vlsinaanga com algazarra e pala-
vras obsenas.
Um vtstobo._________
-"Perdeu-se ua lo de sed preto da ra da
inaoeratriz, a roa da Concetdia. que, aodou que-
reado restitoi-lo pode ealrefltr na roa Imperial
defrpnte do chafariz venda-1. 37, que sera' gaar
tifleado._______
- Precisa?aede ama pessoa para co-
brador deste DIARIO, o ;qual deve dar
fia*)?a ; na praca da Independencia n. 8.
*ft SKSHKff.
VAKELL1
Canfoi e phantasiaa.
Um volme ia 12. impresso e en-
i veeax)s casos*0m q-te sfija freciso appbca-
la como estimajanta.e antisptico, nos con-
jeuHDs
cadernado
edictores
em Paris em casa dos
LIVRARIA FRANCEZA
B N. 9 Ra do Crespo N. 9. 1
hB3_i mm m mmmmm

AL16A-SE

O terceiro andar do sobrado da ra do Trapi-
piebo n &S, om ooiuinodua o BOmrista a ti alai
com o agente Otymeje no armaiem do noesaa
onde se acba a okave.
s e assemblas nameosa, as loca-
lidades iftecciosadas, na alcova de um en-
ferruo, assim.como um antidoto excellen-
te-para oa-desBia'ujs causados por cansado
op sullucatao. Preparada nicamente por
Lanman & Kenjp, Nova York, e a venda por
Caors. 4 Barbota. .
Jo5o di C. Bravo & C.
Deposito geral em ^ermmtmco na da
Crow.2fcemjeaaa.ile (Jaron
rmmm di piano
Jos C^tibo^da^glva-e Awujo contiua a
leccionar piano: oa fu d'>Livramento n.
21, terceiro andar.
00 i-. Francisco Pires lachadt>S
P#r(eJJa
ME3IC0-E O^ERAJOR
IT.I.
: Patpulda^ dte Parla.
ooniinoa no ezereiclo.da sua nrousslo, S
especialmepte as molestias de olhos, de m
vas urinarias e de palle, para cujo tra-
taniento julga-se MbiltUdo atienta a pra- S
tica adquirida no hospifaes daqaella ca- ]
pital, e os instrumento* mais modernos 1
qe possue.
Accoe premptamenta a qualquer cha- _|
ruado para tora da cidade.
E eacarrega se de coilocar olbos arli- 9
Qciaes. ^i
-\o pateo do Carmo o. 2, esquina da 3
roa de Hurtas, das.6 as.10 eras da ma- S
nb.ia, e das 3 as 9 da tarde.
mwmmwmmmmmm-mmm
Precfsa-se de urna ama para cozinhar em
ama easa de familia : na ra da Cruz n. 8, ter-
ceiro andar. _~
SI
FLORES DA NOITE
POEZIAS
na
LYOIJIGLI
Um-volme
EAJVA.
brochu-
Um outro Manoel Jos Moreira com 70 aeaoe
de 4(4il que nao o primoiro aem a segundo Ma-
noel Jqjj .iwria; scienufica. ao* Sr?. Maneis Ja-
ses Moreiras, que contina a assignar-se Manoel
ios Moreira.
________________Maneel Jote Moreira.
Profiri da Cunta Moreira Alves, profro
de lam do Gymnasio, pretende leccionar a. dsci-
pHa>d*,sou mapsierio, pocipiando do dia 9 do
correla em sna casa a roa d* Imperatriz n. 28
primeiro andar, senda o exercicio d'auU das 10
horas do dia em diante*. qnem se quzer utilizar do
seb'presmepode)rocnra.-!o na .casa e J)pra cima
indita^, '
;n^:Jfo0il. Reis, declarau que nao
jsponcablTsa peto pagamento de objecto algv
LOTERA
L EIL fl E S.
II
fallida de Amorim,
Santos &ifi., ai tuporlaacia da.
Das dividas da masta
Fragos
104:6900283 rs.
Cordero Shnes
por mandado do IIIm. Sr. Dr. juiz de direito es
cial do commercio levar de dqv a leflp os
los de dividas da massa alldj*#e Ag^erio,
zo, Santos & C, na importancia de 104:6909!
cuja relacao e titulas estjam- pody d Mtarido
agente a eiame, e t#aiflM_^Mila no,dia
as 11 boras no armazem a roa da Cadeia do Red
fe n. 29.
t
i
Aos. 6:0j0O$00O.
Corre terea-feira 10.
Acham-se venda na respectiva thesou-
raria, ra do Crespo n. 15, os bilhetes,
meios e quintos da- 4f parte da 2? lotera
4o6)- a beneflcMuda Santa Casa de Miseri-
cordia 'para canafisacSo d'agua e gaz no
hospital Pedfo H, cuja extracto ser no
lugar e or* de costume.
Os premios de 6:000000 at 105000
aerapagos urna bonrdepois da extraerlo
at as 3 horas da tarde, e os outros depois
o- ala diaaribeicjio das lisias.
i* M' enoommendas ser5o guardadas so-
mente at a noile da xfpeja da extracto.
esoureiro,
se.
algum
amostra sob
raspn
que prMCwata comprar on trazer
seu nome.________________
flrecisa se de uma^ama para coslnbar e coa
do
prar, para casa de pouca familia ; na roa
seio loja de fazendaf n. 3. _______
Urecisa-se de m>- aga paca .jjosinta*.
roa doJmperador d. 45 armasem.
Precisa-se de urna senhoraj|^l&gVa&qae
tenba oons costumes, para servico
ma do.Imqerador n. 46^nnasBi:.
casa
PAPIS PINTADO*.
Sortimentos.de.papejs,panudos e.{
lindas' guarnieres para forrar "casas.
NA UYl^au FBANCEZA^,.,
N. 9 Raa.do Creepo N. ft
{rfH cera.200 a mat, paquea, atampanha-
de a> netret. o^jr. :Mttgfm" ;1 >'
r-atla fraJc*^w(|h|rfedeLai-
! Ib&aar 4 C, a roa. da Gfm-a. Preco
'.ja.
io m
FiBKrCADO.\Aaiiu*\Dk\CW
Ra Xova I. ^
Aht sa encontrarlo obras dfjdi- n
versas qualidades, e por precogaui *
I diminutos, a retalbo ^emporafes. >
MK S se vende a dinheiro.
MmmrnmmmmKwmmmm
Precisa-se de urna cozibelra, |prefermdo se cap-
Uva pagase bem : no Hospicio a. 36.
i Jftf^P e operador.
ODr.Jolo Raimando Peneira da Silva, |
lando frequentado os mais netaveis hospi- |
faes de Paris, pode ser procurado para os }M
mysteres de sna proflsso na ra da Cruz 5
d. 40, segundo andar. D consullas todos ;S$
o?,dias das 7 as 10 horas daJmanbaa. Es- JaS
pecialidades molestias de olhos, partos e 5
pee
vias urinarias.
II
Feitor
AvIWWrTes K
s de Souza.
declara a petizo aqui tcahafcxj
que no pras de SOdisJ^
do pi-esente T~fla,|Qiigj em ji
a p ge-ypaaa?ir~ tiegai
reito ejustrpa, atM> pena (ferpy^a;
que mand? a todas as p*$oas.
amigos, e coahecidos do* ditac'_
de Miguel Ferreira de Metlo Mea acam tm Iwrea.
LEILAO
m
De trastes crystaes, objectos de
ouro e prata e outros mmtos
artiqos
HOJE
Quarta-feira 4 de carrate as 11 horas
NO GRANDE ARMAZBM DO AGENTE
de Janeiro,
QLYV1PI0
48 Praca do
T
De movis, lo
Coaamerclo
48
--
Antonio Joaquim
jara Bu ropa.
AchafTier
Ferreira Porto, retira-se
&
Compan
bia sacam sobre o
. .. 4-IB8l&&
O capitao John P. Asbley retira-se para os
Estados Unidos.__________________________
PAULA BAPTISTA
Compendio de theoria e pratica do pro-
cesso crvil.
Compendio de harmeoeutica jurdica pelo
Dr. Francisco, de Paila Baptista.
^e daas obras encderaadas em um vo-
lme in 8.'
NA LIVRARIA FRANCEZA
N.% ".Roa?*M3retpo N. 9.
'i. i ... ,r ,,.....*
O commendador Antonio Jos de MageJaeS
separa a Enropa, e sup-
n'esia praca ; todava pede
credor que aprsente sua
in 11 ii i
' do corrate de casa de seus
1-+. esuada do Arraial, a ewrava Joaquina,
Qnartafeira4 do corrate no arma- criouii,deijadessannospoacomais oa otaos,
7Pm rita da raia 9Q as 4 4 ". *ca do corpo, bonita figura, bastante aspl-
Manoel Machado Brnro, subdito 'portugus,
operario da fabrica de sabao dos Alegados, vai fa-
zer nraa viagem a Europa; percoade-se nada da-
ver a mogoero, porm se algoem se julgar seu cre-
dor, pode apreseotar sua conta na dita fabrica,
que sera' paga em continente..
SEA MALUCO 1 :
O mea amigo que quer saber qaem botoa am
annuncio contra elle, poisolheqne ofilhaiQjIfce
nao mole.O Lomba,
Oarece-sa
icco da Lama n.
baeco
i .Precjsa-sa para om sitio grande um feitor, que
l eatesda de jardim ; a dirigtr-sa. a Augusto F. da
Oliveira, oa no sea sitio da Ponte de Uchoa, ou no
sea escriptorlo, praca do Corpo Santo n. 17.____
Perdeu-se no dia t de abr) do sobrado da
roa da Imperatriz n. 23 at a matris da Boa-Vis-
ta urea pulseira de ouro : qaem a acbou e queira
restfaui-ra sera' gratificado. _____
Aluga se urna sala com 2 quarlos, no 1 an
dar do sobrado da ra das Cruzes n. 41 : a tratar
na taberna contigua ao mesmo sobrado, ou na roa
da .Mangue!" o. 6. ______________
LIVROS "
>Hl

C
i' II
Be 35 borneas con cerraja.
O.iaeafe Peelta!fefB'.ladaa pepr epta* a riac tada, eOa-
dd qm pyienaar dt, 3, barkaaio-
marta AJ Sopp, se w rewcvada puco
mesma mo em virtude da dita quemadura-
Desooaaa>sB esue a mesma escrava aeoitada em
Ma paste. Qualquer pessoa qaa a agarrar,
leve-a a prensa de atgodao de FraoctRO Antonio
fjJP^B* "^ C*M 4,AD0%qae sera,
gaag*^

easa da ra da Bsperaaca n.
pe-
amadas orelbas fura da e a outra
xm der laforttcfls > tal
Aloww pwa pbotegplie-, boms em .
poco para dejej^, foJJ^^Q dejb^, gfg^
ito para albaaaai i : ., .isboASAi
LIBBftftIE FBWtCAISE
] Livros nacionaes e egtrafigejfos.
Relim^u. in, lHteratura, etc*.
Papelaria, obpeieat paaaasaciptoeio.
I Papis, pintado paw orrar-easas".
Assignatnras para os jornaes da Europa.
HLtMlIFSLWrstftfcateavJer. Jn 12.
I MeTTA--Oraraaiatieai- pratica da lingua
iiglaza, ia&.*
SAdJiiift --Cooaow^ef de lan|ue an-
Aviso
Precisa-se alagar aseatalmente urapreto escra-
'0-i. Mn^ianraatdofcir^ *&
Qae#waiaajp da ae awa. parn
pouca familia cu home MHteiro dituf-se a
dJLCUeJt-Nova /H. ________________
de
roa
fltetiooaiie-l'aofiaiipanf lais -
anglais-francais, in 8.
SMBR -^,ieM(afpe franei-an|lais
f.-i
MtISSE&^a--dadkajaagl
gundp o methodo RQbertsqn 3:if8.
poptaguase laagaaieac^ttA.;
WALKffi^PrtjaaawBf'dtetoriDa
rfA MVIftfHlA3 FR^BZA.
N. 9 Ra aVCrespo- N. 9.
Precisa-se alagar, urna oegrinba para peque- .
na familia : na raad*Ceacordia.casa sem nurae-
roionto-Atdaja.a7^ ?.-:-r~A
- Precisa-se de Ott mestr dL__m- 'STT- .
daria em Santo Amaro auraa dafuafceig do Sr.
&Un- tq emusit^..
Precisa-se de ama ama
nhar ; oa roa Nova n. 38.
urna eicelieale casataa teeawaea daBaeJJo-maito
para comprar, cos- -frese a coa/iiwlm pi aaarfeadlia : na
1 roa do Imperador n. 44, 3* andar.

' I
I
t


>?
.%*

Mario de
- QaarU tetra <*c Abril ie 1866.
-,



S g^i S H
1 BS"S M
8 s Si o
a fl a n
2 9 P 1^ o
ffi o S' u >
2T1
***

w^

o W ?
B4I

ce
9
8-
1 a
n s?
5' s
o 3 3
5 3 S5
rsrf
II s
? S ST 68 2-
p P 1 2
Iffft
5 o 3
a. s 2
r4 a*
T

era 9
1 ^ B" 9
i sr i
I I-i111 s s-
s,0m B 5
i g I i
B 3 2.
irs lia.***
*s #*
1 I- o C3
INJECTION BROU

INJECCAO e CAPSULAS
JEGETAES aoMATICO^
GRIMAULT&CLepharmaceuticosemPARIS
Noto tratamento preparado com as folhat de Maico, rtor do Per, para a cura rpida e nfallivtl
da oonorrea aem reccio algum da eontraccao do canal ou da indammacio dot intestinos. O eelebie
doutor Ricord, de Paria, ter renonciado, desde sua apparicio, ao emprgo de qualquer outro tra-
tamento, Emprega-se /ryecfoo no cmico de fluxo; os capsulas em lodos oa casos enrmeos inve-
terado, que resistirlo as preparares do copaba, eubeba e s injecces com base metallic.
Deposito em Pttru, 45, rne Richelieu.
Tinta Inalteravel
Para escrever
de P. MAIRER i C\

PERHAMBUGO
Esta tinta recommenda-?e pela sua com-
posica e fl.uid.ez como a melhor e a mais
segura de todas as tintas at hoje conheci-
das. Nao ataca as pennas de ac, da at
tres excellentes copias, mesmo muitos dias
depois de escrever, e preferivel a qual-
quer outras tintas particularmente para
livros de commercio, documentos etc de
que se caraca longa conservaca.



Pernambuco, ra Nova n. 18 pharmacia franceza de
P. MAURER 4 C.

PERFUMERA d casa oger
Boulevart Sebastopol, 56, Parlz.
"
Del medalhas, a condecoracio da Legin
d'honneur e a fraade reputacao que tem lhe
dado o publico, taes sao as recompenns qae os
trricos prestados a industria merecerao a
esta importante casa desde na fuadacao en
1804. ^^
N'um sortimeato de atis de 600 artigo*,
as pessoas elegante* escolherao os teguintes:
ROSEE OU paradis, extracte superfino
araleace.
POMMAOA CEPHALIQUE contra a cal-
ticia.
AGUA VERBENA para o toucador.
OXIMEL MULTIFLOR.
VINAGRE DE PLANTAS HYGIENICAS.
TINTURA VIRGINALE de beijoim.
ROSEE DE LYS, Terdadeira agua de
JoUTenco- _______________^__
CREME LABIALE de sueco de Rosas.
pommada velours pan amaeiar a
pelle.
ELIXIR ODONTOPHILE.
SABAO dedicad* u damas americaas*.
SABAO de bouquet de Fraaca.
A* de flores de alce* rosea.
d* de flores printaaires.
d de bouqoet do outeao.
> de perfames erticos.
> aurora, dedicado aos dees cor le
reta.
d* de flores das montanaas.
d* de cheiro de foias aouTeaux.
d* de blueta cheirosot.
d* de althea balsmica.
d diapr, caca rica, aatetia pari-
sieace.
-'.op'.i rq i *
smuii ti''- vk. Aluq.
Preclsa-se alogar ama eserav para casa de
-71>an?rrMU!i: narqaVeina ?. 17;___________
*" P? teaha aigama pratica de motilados e d Bador a
sua conducta :~na rua'ejo r^dorniz a. .
4ir?>* t^eeBs^acee ama ana eooilet*, prefere se
.0 : i^oe nkl tetrna silbo : sa roe do Arsgie n. II.
.isba

FABRICA A VAPOR
99 ftUA DO MONDEGO 39
Deposito na ra Nova n. r loja ele relojoelro.
Delouche donos deste estsbeecimento partecipa ao respeitavel publico que sua fa-
brica est montada com as melhores mchicas que existem na Europa, e qoe pode
fabricarcom melhor perfeicSo possivel. Todo o chocolate desta fabrica est garantido, e
puro., -o qae nao se pode encontrar naquelle qoe vem de fra, e que se vende por preco
baiio, visto os productos serem do paiz. Na etiqueta tem sempre urna aguia



PRECO.
Meia libra. ...... 400
Urna libra. ........ 800
Urna arroba........190000
Na mesma fabrica acaba de se montar urna ofaeina com serrara a vapor para
obras de marcineiria propria para edificio, para o que encarreg i-se de fazer portas, ja-
dellas, assoalhos (parqu francez como se usa na Europa,) earmacSes, ludo com brevi-
nade e perfeico. Toma-se qualquer encommenda para fra da cidade, entregando-se
prompta a collar-se no lugar.

-
DE


< Oi:i,itO FRJEITAS
Ra ala Craz n. 16.



Continua a haver diariamente um sortimento de pastis, podios, bolos inglezes,
empadas etc., etc. Os donos deste estabelecimento, acham-se as melhores condices
de poder satisfazer encommendas concernenles sua arte, emeonsequencia do socio
Freitas ter sido administrador chefe de algumas das princij aes fabricas na corte, sendo
urna a do Sr. Joo Goncalves Guimaraes (confeitaria de Lelo) ntiga casa de Carceller.
Todos os trabalhos sao differentes dos que se fazem em casas particulares.
Os proprietarios deste estabelecimento nao se tem poupado a despezas, netn se
pouparo, se. houver concorrencia como esperam ; tendo continuadamente bom sorti-
mento de doces para cha; presuntos e ditos m fiambre, tambem se recebem para se-
rem preparados ; assim como doce de caj novo superior, secce e crystalisado, dito em
calda em latas hermticamente fechadas, podeodo durar annos em perfeito estado.
Para jantares e partidas recebem-se encommendas dos seguintes objectos; ban-
deijas ricamente enfeitadas sem armacao pecas de amendoas (nogaces), ditas de tmaras
de ovos, pSes de l enfeitados com disticos anlogos a qualquer fim; ditos montados,
kechs simples e eBeitados com fructas ingleza; gatheaux de la reine, ditos de le d-
chese, tortas de fructa, massa folhada; ditas de peixe e carne; cremes e doces de ovos
de differentes especies.
Tambem tem um completo sortimento de vinhos engarrafados, como sejam: vinho
do Porto superior, Figueira, Madeira, Lisboa, Cherez, Bordcaux, Champagne fino, ser-
veja, licores, charopes e conservas. Para festas: bonitas caixinhas com amendoas, con-
feitos e mais enfeites. Muitos destes objectos mencionados podem-se perfeitamente ac-
condicionar tanto para a provincia, como para fra.
FIGURAS
Acabam de receber bonitas figuras para bandejas de doces, sendo grupos para
baptisado, casamento, annos, ditta aphantasia, bonitos enfeites para bollos e circular pra-
tos de doces finos, tudo por precos'razoaveis.
Vende-se licores em duzia muito em conta.
Companhia. geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTOiUSADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
Urna flanea em dinheiro, depositado nos cofres do estado, garaile a boa ad-
ministraco da companhia.
BANQUE1ROS DA COMPANfflA* DI^ECQO GERAL
O Banco de Hespanha | MaelrId : Ra d Prado n. is
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinacSes de supervivencia dos sega
os sobre a vida.
Nella pode se tazer a sabscripeo de maneira que em nenbom caso mesmo por morte do
segurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao tao suprebendentes os resaludos qae prodazem as sociedades da ndole deA NACIO-
NAL,que anda mesmo dimlouindo ama terca parte do mteresse produzido em recentes liquida-
ces ecombinando-o com a mortatidade da tabella de Depareieux qae adoptada peta companhia
para seus clculos e liquidares, em segurados de idade de 3 a!9 annbs. urna imposfeoaunua,
de iOO prodaz em effectivo metlico:
No fim de 5 annos...... i:H 9*300
> de 10 ........ 3:942*600
de 15........ 11:208*200
de tO ....... 30:256*000
de SS........80:331*000 -
as idades menores de,3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospectos e mais informacSes serio prestadas pelo sab-dlrector nesti provincia,
oaquim Pinza de Oliveira, raadaCadeia n. 52, ou a Boa-Vista roa da Imperatriz n. 12, estabeleci-
mento dos Srs. Raymnndo, Carlos,Leite & Irmao.

TINTURARA
AO GRANDE S- MAURICIO

PROCESAOS APERFEI^OAUO
PARA
Tlnglr, llmpar e lustrar a vapor.
F. A. SALIMRE & C.

'
29 Ra 7 de setembro 29
Defronte da roa nova do Onvidor (Rio de Janeiro)
Os proprietarios deste estabelecimento, o primeiro no seu genero noi Brasil, por
trabalhar com as machinas mais. aperfeicoadas para tingir e lustrar, de que se faz uso na
Europa, eajudados por algunsdos melhores ufficiaes de Paris e Lyo, podem assegu-
rar seas freguezes urna perfeico no trabalho, a qual sen5o pode chegar pelos proces-
sos ordinarios.
Tingem, lavam, limpam e demofam com a maiif perfeico e brevidade qualquer
qualidade de fazendas, tiram nodoas e limpam secco sem molhar as sedas e as vestimen-
tas de senhoras e de homens.
PARA A QARESMA


.
Ana
P recisa-se de orna na para e servico de
urna spessoa: na ra da Cruz n. 16, se-
gundo andar, paga se bem.
Ama.
Na roa Direita n. 68, 1* andar, precisa-se de
nma ama.
Acabam de receber G. Paes do Amaral & C.
5 RA DO CRESPO 5
flntiga casa de Ciailherme da Silva almaries
Ricos cortes de vestidos de gros-de-naples preto, com lindas barras bordadas.
Moire-antique preto em cortes e em pecas, liso, ondeado e com palmas.
Gros-de-naples preto, de diversos precos e larguras.
Gorgarao preto, fazenda superior a todas pela qualidade, e bonito tecido.
Este estabelecimento
acha-se sortido com numerosa quaotidade de filos pretos, de algodSo, de linho e de se-
da, manufacturados em
ckales
retondas
algerienes fbournus)
anamites
africaines
pompadour
DE FANTHASIA
.
.
<
Receberam tambem bonitos cortes de popeline de listras de cores, e matisadas,
muito modernas, de gostos inteirameotenovos; e outras muitas fazendas de gosto, viu-
das pelo ultimo vapor.
G. P. t^O 4MIRAL C.
5 RA DO CRESPO 5

.

DE

n
X. 55.
J.
LA
DE
ViGNES.
DE
FAZENDA E ROPA FEITA
RA WOVA I. 4U
Reg & Moora, proprietario da loja de fazendas e roupa feita, sita ra Nova
n. 24, verdaderamente penhorados e reconhecidos para com seus amigos e freguezes,
pela aceilagao e confianca que delles tem merecido no curto espaco de lempo em qoe
se acham estabelecidos e perfeitamente escudados na sinceridade dos seus tratos, decla-
rara para sciencia daquelles que o quizerem honrar com seas officios, que, em vista da
grande concurrencia que tem merecido o seu estabelecimento, especialmente no que
relativo a roupa feita; acabam de admittir para a sua officina de alfaiate maior numero
de artistas, inclusive o seu contramestre, dirigido pele hbil mestre Lauriaoo Jos de
Barros, o qual n5o se poupa a extorco para satisfazer com a presteza possivel qualquer
obra de encommenda.
Os mesmos annunciam aos seus freguezes que acabam de comprar um novo e
muito variado sortimento de fazendas finas e de bom gosto, proprias para o tempo da
quaresma, as quaes esto dispostos a vender por precos muito commodos e mais barato
que em outra qualquer parte.
Como sempre escusamos essa enfadonha prolixidade dos annuncios bombsti-
cos ; preferimos mostrar na singeleza deste nosso convite os bons desejos que nutrimos
para bem servimos quelles que vierem ao nosso reclamo.
Companhia hdelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Janeiro.
AGENTES EM PERNAMBUCO
Antonio Lnii de Oliveira Azevede & C,
competentemente antorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Pidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no seu escriptorio ra da
Crux n. 1.
DO IMPERADOR M. 55.
Os pianos desta antiga fabrica sao boje asss eonhecidos para que seja necessario Insistir sobre a
sua superiondade, vantugens e garantas qne offerecem- aos compradores, qualidades estas incontesta-
vett que elles tem definitivamente eonqnistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; pos-
Hundo um teclado e machinisrao que obedecem i todas as vontades e caprichos das pianistas, sem
aunca falbar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melboramentos importan-
tissimos para o clima deste paiz ; qaanto s vozes, sao melodidsas e flautadas, e por isso muito agrada-
reis aos ouvidos dos apreciadores. H
Fazem-se conforme as encommendas, unto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
eorrespondenle de J. Vignes, em cuja capital forantaempre prestado* eafaM a* expoeices.
No mesmo esUbelecimento se achara sempre am explendido e variado sortimeato de msicas dos
(Minores amores da Europa, assim como harmnicos piano* harmnicos, seado todo rendid* por
proco* commodo*e razoaveis. ..
$
PECHINCHA SEN IG14


O Dr. Carollno Francisco de Lima San-
tos contina a morar na ra do Impera-
dor n. 17, segondo andar, tendo alias seu
gabinete de consultas medicas, logo ao
entrar, no primeiro.
O mesmo doutor, qne se tem dado ao
estudo Unto das operares como das mo-
lestias internas, prestase a qualquer cha-
mado, quer para dentro quer para fra
W da cidade.
siiiw* nmmiiRim w>ici
Em casa de Theod Christiansen, ra do Tra-
piche-novo n. 16, nico agente no norte do Brasil,
de Brandenburg frres, Bordeaux, encontrase ef-
fectivamenie deposito dos artigos segointes:
St. Julien.
St. Pierre.
Lareee.
Cnateau Leoville.
Chateau Margan.
Grand vin Chateau Lafitte 1858.
Chateau Latine.
Haut Santernes.
Chatean Sauternes.
Cbalean Lataur Blancbe.
Chateau Yquem.
Cognac em tres qualidades.
Atesta doee. Precos de Bordean!.__________
Engomna-se
com asseio, promptidao e preces rasoaveis : na roa
Augusta n.5. loja.______________________'\
Ao commercio.
Como guarda-livros offerece os seus pres-
timos um allemao, que tem muita pratica
nos trabalhos mais complicados do escrip-
torio e que escreve e falla as linguasmoder-
nas mais em uso : no hotel do Universo.
SEGUROS
MARTIMOS
CONTRA FOGO.,
A companhia Indemnisadora, estabeleci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercaduras e mobilias :
na roa do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Na praca. da Independencia n. 33, loja de
ourives, compra-te oaro, prau, e pedras preciosas,
e tambem se faz qualqner obra de encommenda, e
todoe oualquer concert.
OfTerece-se dous engenbos moentes e cor-
rentes com agua a qoem quizer arrendar on com-
prar, sendo um na freguezia de Santo Antao dis-
tante da cidade da Victoria 4 legua* e 3 para a es-
cao de Frexeiras, boa cata de viveoda, sepzala,
cercado em valade e muita mata, e moudo do
necessario como seja casa para bagasso e estufa.
Outro aa freguezia de Ipojoca disuote doas leguas
e meia para a esiaaao da Escada : quem pretender
dirija-se ao engenho Slbir da Serra ou da Atba-
laia que achara" com quem tratar.
Antonio Jos Rodriges'"de"Soiua na roa do
Crespo n. 15, toma dinheiro para mandar entregar
na Babia, Para e Maranbio.
i
.o 2? cor,e* de iorrio de Pr*108 adamascados para vestido com 13 metros
oa 18 a SO corados cada corte, largara de chita franceza, pelo baranaataio preco de 50
cada corte : na loja das columnas da rna do Crespo n. 13 de Antonio Crrela de Vascon-
celos 4 c
Na praca da Independencia livraria n. 8,
existe nma caru para o Sr. Dr. Candido Cando
Lima. ..
- Na ra dos Coelhos n. 10, dir-se-ha quem da
algumas qnantias a premio de X por cento sobre
boa* garantas. o*
Precisa-ee de urna ama para o ervico mter-
, no e entino de urna casa de familia, paga se bem; imionir fraaeas portuguez esa
a roa do Llrramento n. 33, segundo andar.
Antonio Luis de Oliveira Azevedo & C. tem
para vender no ten eatrMtorlo, ra da Cruz n. 1,
vinho do Porto em cala de dtazba 0o hamburgus,
sola da BaUa snperior.
Predsa-se de urna ama para casa de ponea
familia, paga-te.bOn: u M do Hospicio n. 68.
a mogo basunte babilKado offereoe-se para
algum ogenho;
roa Direiu n. 75.
1l
Preclsa-se de nma ama para comprar e cosi-
nhar, para nma t pessoa ; aa roa da Craz n. 13
1. andar.
DesapaareeeH
hontem 30 do correte o mulato claro de nome
Manoel, magro, cambeta das peroas, em am das
quaes tem ama terlda qnasi sia, com idade de 90
a aa ana**, principiando a bucar : quem o pegar
e levar ao sea sensor na roa do Imperador n. 71,
1* andar, e gratificar.
a roa do Vicario p. 247
to,'crec-
sa-se fallar com a Sr* D. Claudina de Leraos Ca-
valcanti, vin va do portoguez Jos Ribelro T* vi res
e mana do Sr. Caeuno, coaretor de eKravea, ou
com a pessoa a quem a mesma senbora autorise
para este nm, a negoci de seu interesse.
Precisarse alagar um moleque de] 16 a 18
annos : na roa das Laraagelras n. iO. __^__
a roa da Imperatriz n. 40 precisa-se da orna
una para urna casa estrangeira de poae familia.

Silva Ramos, medico
pela universidade de Coimbra, da
consultas em sua casa das 9 as
II horas da manhSa, e das 4 as 6
da tarde. Visita os doentes em suasl
casas regularmente as horas para
isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serlo soccorrdos em
qualquer occasiao. D consultas aos
pobres que o procurarem no hos-
pital Pedro O, aond encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da
manhSa,
Tem sua casa de sade. regular-
mente montada para receber qual-
quer doente, anda mesmo os alie-
nados, para o que tem commodos
apropriados e nella pratica qualquer ,
opperacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe. .34000 diarios.
Segunda dita-----34500 >
Terceira dita. ..24000
Este estabelecimento j bem
acreditarlo pelos bons servifos que
tem prestado.
O proprietario espera que elle
continu a merecer a confianca de
ie sempre tem gozado.
- Aluga-se urna cata na ilha do Retiro confron-
te a ponte da Passagem da Magdalena, com &,-
teedos para grande familia, tenlo a casa um gran-
de botio e sitio com arrredos, por preoo ooombo-
do : aiiwar. "
meiro andar.
-





tt rio cambttco Quara feira 4 dc Ab|>1| de lg66

<


'
Precisa-s de ama ama para casa de rapaz sol-
teiro : na roa do Qoeimado a. 39, loja de fazenda.
' Xa roa da Cadsia o. 40, escriptorio, deseja-
se fallar ao Sr. Manoel K. de Bett Corte Real..
Precisase de urna ama para comprar e co
ziohar para ama pessoa : na roa do Hospicio ou
enero 71
Queni tiver achado ama palselra de concha
.sem esmalte, na matriz de Santo Antonio, queren-
ilo eatregar, dirija-se a roa do Rosario da Boa-Vis-
U n. 46, que sera' generosamente recompensado.
Antonio Martin? Lisboa faz publico que de
sna casa desappareeea um livro de recibos que
exista em cima de ama mesa, e como em sua casa
intra umitas pessoas, prevfne-se a quem o tiver,,
que o mande entregar no becco do Campello n. 4-
com qaanto este livro pareca de mnita Importan
ca, a nao tem. por qoanio j se acha bogado estes
pagamentos nos livros competentes, o qnal pode
ser confrontado com os livros das pessoas qoe com
elle tem conta, qoe di em resoltado a venflcaco
dos pagamentos, e nao prodoz o mal qoe a pessoa
que tem occulio, pensa, ao qaal se previne que nao
esite na entrega por sappr de grande vaniagem
ou especulado.
Atten^o.
R)ga-se pessoa qoe por engao levau ara cha-
peo de sol quasi novo, deixando ootro velbo, o fa-
vor de ir desfazer o engao, podeodo entregar ao
Sr. Cazumb, na matriz de Santo Antonio.
lYERDADEIRO LE ROY
de SIGNORET, Docteur-Mdecin
Ru de Seine, 61, PARS.
n

.
Em cad garrafa, val, catre a rolha e o papel zul
fjHe lera o meu liarle, um rotulo impresto em ama-
relio con o Sillo Imperial DO co yerno FfiAKCEz.
JV. B. Remeliendo-teumi lettrade Seo franco*
sobre Pars, aceitarel a 60 das de vista, ao mximo,
goza-te do aliallmento e do maior detconto.
DepOBto"printipal
do legitimo Le Boy
em Caza do nosto
nico a(ente pelo
Brazil a Ski Anto-
Inio Fiunc : de Li-
le; un i na lialiia e
Idos principas phar-
Imaeeuteot.
GASA DA FORTiMi
Aos 6:000,5(000.
liUhetes garantidos.
A' RA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTUMR
O abaixo assignado vendeu nos seas maito f li-
tes bilhetes garantidos da lotera que seacabon
de extrahir, a beneficio da igreja de N S. do Li-
vraroento do Recife, os seguinte* premios :
N. 3321 om meio com a sorie de 6:0005.
N. 2378 tres qointos com a sorte de 1:2005.
N. 1919 tres quintos com a sorte de 500*000.
N. 3979 dous qointos com a sorte de 2005-
E outras mnitas sortes de 1004, 404, e 204-
Ospossuidores podem vir receber seos respec-
tivos premios sernosdescontos das leisnacasa
da Fortuna roa de Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da ultima parte da 8*
e 1* da 6* lotera (35*) i beneficio da igreja de
N. S do Guadelupe de Olinda, que se extrabira'
qaarta-feira 4 ae abril.
PRECO.
Bilhetes.....64000
Meios......34000
Qointos.....14200
Para ai pessoas que compraren! de 1004000
par cima.
Bilhetes.....54500
Helos......24750
Quintos.....14100
______________Manoel Maktihs Fidza.
Samuel Power Johnston k Companhia
Ra da Senzaia Nova n. 4.'
AGENCIA DA
Fundido delaow Jloor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos,
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios de carro para om e dons cavalloe.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas ara descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Precisa-se de orna ama de leite, queseja bera
morigerada : a tratar na roa do Apollo n. 9.
FERRO QUEVENNE
Approvado pela Academia de Medicina,
Aucltruado por circular especial do Ministro.
O FERRO QUBVENNE se usa em todos os ca-
sos para os quies os ferreos tio proscriptos; nao
fai os denles fiearem pretos; h a preparacio a
ais activa, a mais agradavel e a mais econ-
mica; mnitas vezes um frasco h suflicicxite para
curar urna chlorosis.
A experiencia me provot que nenhuma pre-
parario fcrrea he supportada mi'
que o rranno Qun-vKmNE, em O
limites de doses muito reguladas.
Boucharuat, Annuariu da therapeutica, 1863.
0 Ferro Quevernk vende-se em frascos de
->20SptM, 5 .
lOOfrMfmi. 3 i
observando as
Medid* da dote.
Deposito geral em casa de Emite Genevoix,
14, rae des Beaux-Arts, em Parit, e em todas ai
botica*. Exigir-o Sitele Quevenne e a marca
de Fabrica cima.


*M 'tapymo P 40u mii
aiioa aaiaifj us op vni si 'ojiaun/ ap ojji
oa soqiaacdde toas ap ojisodsp na xaoaiqeisa i
K-oipiaap jeint o 'seossad sciinm ap epipad v
soaujas sopuej ejeisajd anb oata ira
wmssod eiiioibj pea aaajq aub souaa someisgt
ais '(aiSrauajg 'lajaS ap*P!U1aP |Ojqjj
|oj p Mtjtttiai op aunha.j.
CASA DE BANHOS
26 Pateo do Carmo 26.
Neste estabelecimento tao impor-
tante para a sande e asseio do cor-
> po, acham-se montados 20 banhei-
! ros, que sao servidos com a ordem
i e asseio que para desejar-se. Qua-
tro destes banheiros sao. especial-
\ mente reservados para senhoras e
por isto acham-se collocados em lu-
! gar reservado, aonde s tem entra-
! da as pessoas de urna mesma fami-
i lia.
| PRESOS DE BANHOS AVLSOS.
1 banho fri, momo ou de
chovisoo ...... 500
I dito 4e choque 1^(000
l ditodefarello...... 1^000
4 dte aromalisado 1<$000
ttHL$OS POR ASSIGNATRA.
30 banhos por mez fri,
morno ou dechovisco- 105000
ij banhes com cartes pa-
ra os mesmos .... I0:S00O
'42 ditos ditos ditos. 5^000
12 ditos ditos de choque. 10)5000
12 ditos ditos de farel lo.. 100C0
O -estabelecimento estar aberto
nos dias ufas das 6 horas da ma-
nliaa as (Oda noite, nos dias san-
tificados das 5 as 5 horas da tarde.
mmmmmmmmmm
mrmmmmmmm
m FREDERlCi^MCKE,pf0ress7d^aT
S*ao conheeido Kiesla cidade, teado reeente-
] mpnte chegado da Europa, eferece-se pa-
^ ia dar licSesde piaoo e canto : pode ser
" oroenrado no botel de Europa roa do
Trapiche o. 2.
!
PHOTOGRAPHIA
artstica americana
RA DO IMPERADOR N. 38.
Artista americano i
Artista americano. ,
Artista americano.
Artista americano.
RetratosRetratosRetratos.
Em porcelanaNiepcotypie.
Era lencosArchrolypie.
Em vidroAmbrotypi.
Em metal=Daguerreotypie.
Em papelTalbotypie.
No grande salSo da ra do Imperador n. 38
No grande salo da ra do Imperador n. 38
Neste estabelecimento tiram-se retratos
em todos os systemas, com asseio e promp-
tidao, desde as nove horas da manhaa
at as cinco da tarde; assim como tem
sempre a venda grande sortimento de cai-
xas finas de diversas formas. Quadros
ovaes Passepartouts e lodos os mais ob-
jectos e productos chimicos, relativos a ar-
te e recibidos ltimamente dos melhores
fornecedores de PARS e Nova York, tendo
de tndo, para todos os gostos e para todos
os precos.
Salo da ra do Imperador n. 38.
Salgo da rna do Imperador n. 38.
Novissima edi$o

CALCADO.
*5 Hua DireUa S.
A primeira condicao indispensavel con-
servac3o da sade trazer os ps bem de-
fendidos contra os ataques da numidade;
calcado bom e seguro o nico preserva-
tivo dessas mil enfermidades a que est so-
jeito o oossoeu. Um chnelo velho cal-
cado por um dandy patuscante, ou urna
botina acalcanbada em pequenino p de en-
cantadora deidade alm de aecusar que-
bradera horripilante, prova contra as frial-
dades intellectuae8 dos calcantes, e nao ha
quem, tendo bom senso, queira passar por
maluco, ou pobre de surro : ergo, cor-
ram a:
4oRA DIREITA4*.
e attendam a' baratea.
Homens.
Borzeguins barcellonezes de lus-
tre e de porco 6<5OOO
Ditos de Bordeaux .... 70000
Ditos parisienses de bezerro e
cordavSo....... 8^(000
Sapatoes de Nantes de duas ba-
teras rasas ...... 54000
Sapatos de lona, sola de borra-
cha. .....;.. 2(J000
Ditos avelodados..... I 600
Ditos de tranca bons 40600
Senhoras
Borzeguins enfeitados. 50000
Ditos de laco...... 40800
Ditos lisos....., 40500
Sapatos de borracha .... 40600
Selleiros, corrieiros e segeiros l
Sola de lustre, meios grandes 200000
E um completo sortimento de calcado fa-
bricado nopaiz.______________________
Diademas dourados,
enfeitados con aljofares, pedras,
ele, para meninas e senhoras.
A agnla-branca vende bonitos e modernos dia-
demas dourados, enfeitados com aljofares e pedras
proprias para meninas e senhoras.
Bonitos eliapoziulios
de palha Uva avencaes para meninas.
Sao obras estas de que os bons pais de familia
se nao podem escosar de comprar, por fatrem el-
DO
Mez Mariano
O proprietario da typoeraphia da ra do ,as Parle d0 asse0 b0"1 o*<> >n> qoe trajam
1 .* ( (file KollakO fllhMkakfl 1 nrru.ex Kbamab n noa
Imperador n. 45, defronte do convento de S.
Francisco, previne ao respeitavel publico, e
principalmente aos seus freguezes, que est
a saliir do sea prelo, at o dia 3 ou 4- do
prximo vindouro abril, a 2.a edico do mez
de. Mara, copia fiel da sua primeira edico
(que foi geralmente seguida) mais correcta,
e coBoideralvemente augmentada, com uai-
Dormentes



I
aitOf) 'if X|a*j[ 'somsiivoiiiMfH UCJB3*
jd ieoy 9 TDiaaioTji oLioais vaoosji <
anb oejoisane 'ope)09iu3dxa nai i anb<
woipam to "oeSeaLpaB uido emn^su mas juut
ouapod M saiuaop so jenb o moa 'cioasa raroc
ap enaOJ e qos 'oaiiaaguje "Jjoau oq|3JBddl<
can ap aapipaui t noiop *2|jc aonuj p iJc3|noq 'JiuapS3J usii'ia ap<
oossma jusoaob oaiiqnj oa aspando* ou jmkkJ r
seaia) ossi joj -oauaaia oqiojcddc om Jiznp.
-ejd a.iap anb paeisaiaea| opci|nsaj e3i|dia
ojj eu!||e osi a 'gen moa opuoiopna jbSh| o*
aUijjaM 'aioaaju|pDiiMfa oakJiodiosop ajaed.
aaobpnb aga aop cran3|c anas as opucnf> .
tepta|ouf oe ac-ocaauna 'oas|a <
-*8jo oa oeiimajta t ac pnaaatqiica)|"(ai
-l foprab sojmo op no ao&m op oeaenaeia
o a t*p|oai vp auisnbaj] sield itna y.
ajajop o|d ipenpeiS ass asjxid ap a 'so|Eqe jcp
oenap raqt>i a a 'pieicaiooaai apEpuotaadns
bojn oai oElauj *|ad ppnpoad apEpuiaap y
saaaeaapaoi.
opaatemawreai anb t aoaowaoi tiaiiiiii
cunwi ap oiaaaieie.il o uid topaian min
o sopoi jod aajdaia afoo. a apcpppoap y
ailMA
LAROCHE
ELIXIB Ferifijo Firticute
Ktnm 1N TUMI I UMMt II III
Experimentad, cea pleno saceetM no*
kospilaes, a juini La/oche ( extracto
completo de tfaam) tuna preparado
excepcional, por ser privada do amargo
da quina. Agrada por conxyuinttaapwtoai
as mais intolerante* e ac paladares oa Bilis
delicad j, pois netn rauiLo doce nena muito
titeosa, acodo de ama limpidez coosUnie.
Emprega-se com ratto proreito nos casos
de g U.lgi., ifOflftim, nerr.IgU, .ase
aMaa. mart) cackeiiai, ntpn.,
1-M.o- ~-.,T,-r-t.,U
a JeaaaraHat, ckloroM maiiiplialai
BowpeclieotlainiolestastebrU.
Hm LaaocMc rammm
liaoitaMaiaianiriitiiat.lam.aaooa,
EMPARIZ,
li, rw Drttut.
F. MAURER & C.
ra Nova n. 18.
Os concessieoarios do prenlegio do caramba de
ferro de Apipuces contratam dormentes d ma-
detras de qaalidides, quero pretender comprela
a-raa do Imperador n. 53, seguodo andar.
Ama de leite
Precisa-se de acia ama de .lele
-Pragrsso n. 7 (Soledade.)
na rae do
snas bellas filbinbas. A agnia-branca tem o pra-
zer de ver que tao bellas e precisas obras (oram
devidamente apreciadas e compradas em sen ni-
nbo. Os cbapeoxinnos, alm de serem d'oma pa-
lha mu tina, sao de mu bonita forma e ultimo
gosto, enfeitados com toda a- perfelcao: os aven-
taes, porm, sao de fina cambraia, guarnecidos da
babadinbes bordados; o qoe Ibes da multa graca.
Os precos destes, BfOOO, e daqueiles, lu; e de
quanto sao ellas baratos conbecera o pretndeme,
segundo exemploextrandoda 2.aedic5o de g^fflftf ,o '^^"ca, amado
Lisboa, ornada com 32 gravuras annalogas, vldrllhos de cores e aljofares,
e proprias para cada um dia do mesmo mez, j miuodo ac, para enfeites de vestidos,
e muttas vinhetas, contendo versos novos,! a agnia-branca na rna do Queimadon. 8 rece-
para se cantarera todos os dias, a instituicao, beu om bello sortimento dosobjectos cima pro-
e indulgencias do SS. Rosario, os misterios Drios Par* enfeites de vestidos, etc., etc., e est
gozosos, dolorosos, e gloriosos de Mara iveDd60d<) cominoda v601^ e
t^Mnar^T^^Zm a^^' S6D"' Na An,i branca 4mado Queimadon. 8 rece-
do elle ornado com 34 estampas proprias, e bea diversos objectos de mnito gosto e inteiramen-
abrangendo o preciso para quaquer chritSo te oovos, sendo:
desde ao amanhecer at o anoitecer. Bonitos e delicados pentes dourados e prateados,
,m. .. r- endo entre elles alguns de filigrana obra mu per-
- Antonio Joaqaim Ferrelra Porto, tendo de feita e de elevado gos retirarse para Europa, deixa na sna ausencia por ; Ditos com cbapa de madrenerola.
seus bastantes procuradores, encarregados de todos; Brincos de filigrana e outras qualidades. ,
aVr iSh^J"Tro tagar ao sea !.rra,S'! Flvel,as dta ostras tamben, de diversas
o br. Domingos loaqmm Ferreira, em segundo Ib- analid.'.":
f/rc0aLSno\^Gc!;0p!S/er^r de "ell0>, ".! mu bomtos, enfeitados em toda a exten-
d\ s iva g Ppe ^ rT' cum caraeieres dourados e priteado?.
a"_______________________________t-'ilets enfeitados com moedlnhas dourads,e lao
Antonio Joaqom Ferreira Porto, esiabeteci* i^ollas, aljofares &, sendo para coque, e toda a
do com casa de mol hados na rus da Matriz da'Boa- caneca, e uniros com plumas &
Vista n. 54, tendo de retirarlas para Europa, roga > Bonitas voltas de jaspt com cruzes, tende tata
j todas as. pessoas que se jaigarem sens^crtdores^ I*n algunsjle duas ,eores.
najam de apreseolai1 Ihe suas comas no praio de Luvas e meias
cinco dias cara Se/em paga*, assim cometToga fel* vagoiau^.n. 4uemoiTro de frlaldade, pa-
tambem aos-seas devedores para que no mesroo ralesya etc., Vendem-se na ra do Oaciomio ioj
praro venham pagar seus dbitos, para qoe depois d'Aguia branca n. 8.
nao sejam enoommodados pelos procuradores que,' Bandolioe de.xa encarregados de sens,negocios. ; para se|?,rar 0Q conservar peritamente-atado os
Aspas fortes para boloes.
roa do Queimado toja de miudezas n. 16, ven-
de-se aspas de ac fortes, e de differentes larguras
para baldes.
Bonitos quadros para retratos.
Vendem-se na ra do Queimado leja de miude-
zas n. 16, bonitos quadros con tnordura prela e
dourada, todos por precos rasoaveis.
Garrafas brancas
e de cores com superior agna da colonia.
Vendem-se na ra do Queimado, loja de miude
zas n. 16.
Novo gosto
Pentes, fiveilas, e brincos de feligrana.
A amiga e bem conocida leja n. 16 na rna do
Queimado, recbeu um sortimento de diversos ob-
jectos de novo e bom gosto, sendo pentes brancos e
dourados de moldes eDieiramente novos e mol a-
gradaveis, tendo enlre elles algnns de filigrana obra
de muito goslo edelicil exerucio, e bem assim fi-
veilas e brincos as mesmas circumsianclas.
Tambem receben algbus cintos o qoe de mais
moderno e bonito, se pode encontrar em tal genero.
Alm disso encentra rao os pretendentes um com-
pleto sortimento de fiveilas de madreperola, chris-
tal, tartaruga, e donrados, brincos de christal, e
jaspe, voltas e cruzes de dito e muitos ouiros objec-
tos de gosto, os quaes contioua-se a vender commo-
da mente.
Pnenles de madreperola, e enfeites filets
A loja de miudezas na roa. do Queimado n. 16,
reeebeo bonitos pentes com cnapa de madreperola,
e novos enfeites filets ornados de lanlejoiias don-
radas, moedlnbas, aljofares, vidrilhos etc., tendo
grandes para toda caneca e pequeos para coqne,
regulando os precos de 2 a 4JO00 rs.
B mitas caixinbas
com arranjos doorados para costara, tendo com
msicas e sem ellas. Vendem-se na rna do Quei-
mado loja de miudezas o. 16.
Trancas pretas
com vidrilhos, e bicos com ditos e sem elles para
enfeites ou vestidos.
Ka roa du Queimado n. 16 loja de miudezas a-
cbaro os pretendentes um bello sortimento dos
objectos cima ditos, cascarnlhas, franjas etc. etc
e todo est sendo vendido por precos com modos
Botes pretos
de vidro enfeitados d'aco.
A loja de miudezas n. 16 i rcu do Queimado
vende mu bonitos boioes pretos de vidro com en-
feites de ac, os quaes muito se uzam para enfeilar
vestidos, quem os pretender pode dlrigir-se a dita
loja n. 16 i roa do Queimado.
vendem-se na loja de miudezas
orna do Queimado n. 16.
Bonitos loques de sndalo e ootras qualidades.
Bonitos cintos com fiveilas de diversas qualida-
des e moldes.
Brincos e cruzes de crystal.
Abotoadnras de dito para colotes.
Bonitos port-relogios.
Delicadas caixas com msica e sem ella, para
costura.
Agulnas e linhas para ebroebet.
Retroz superior em carriteis.
Rendas pretas e bicos com vidrilhos.
Filas de velludo com listras de cores para en-
feites de gorros e vestidos.
Ditas de grosdeuapoles, lisas e lavradas, brancas
e matisadas.
Para fingir cabellos.
HolldWalter.
Vende-se na ra do Queimado, loja miudezas
n. 16.
Chroniaco-me
- Para tiogir cabellos.
Vndese na loja de miudezas, a ra do
mado n. 16.
Tinlnra de L. Marques
Qara fazer os cabellos pretos.
VeBd-se na ra do Queimado, a loja de miu-
dezas D. 16.
Missangas miudas, aljofares imitando
ac evid-filhos decores
para enfeites de vestidos ; vende se ludo llsso por
precos razoaveis na ra do Qaeimado n.I oja 16,
de miudezas.
Quei
Atten$o!
Atiendo!
Atten$io!
Grande sor limen lo de fazeudas pro-
prias paTST- a < Ac.ab*^e"<**g*r aflste novo estabelecimento
um fcranae e variado sortimento de fazendas pro-
prias para a quaresma, a saber :
(ir. stfenaaJf s prelo a i$600 o covado.
VndMe nm Efe bortimento de grosdea-
ple a U600, 1W9 e Um o covado ; dito
muilo superior a 2*800e 3 : na roa da lmpera-
triz n. 72, loja de uimraes 5 Irmo.
Moriantiqoe prelo a 2^800.
Vende-se um grande sortimento de morianiidue
a 2$800, 3*..e 3*500 e covado.
Chales de renda pretes a 8000.
Vende-se tambem um variado sortimento de cha-
les de renda a 8, 9*500 e 10# ; ditos muito finos
a 115 e lzj : ditos de seda fazenda muito fina a
203000. *
Uetoudas pretas a i#.
Vendem-se r^landas pretas pelo barato prego de
105 e HA : m ra da Imperatriz n. 72, loja de
Guimaraes & Irmo.
Grande pechincha panno preto a 20000 o
covado.
Vende-se panno preto proprio para calcas e pa-
litots a H e 2A200 o covado ; casimiras pretas
a 1*800, *, 2J400 e 2|00 o covado.
E' milite barato corles de casimira a 3o00.
Vendem-se cortes de casimira prea a 3*500
4* e 4*500 ; dita muito fina a 6*.
Admira cortes de brim de cores a
1,280
Vendem-se curtes de brim de cores para calca a
1*280,1*600, 1*800 e 2* : na roa da Imperatriz
n. 72, loja de Guimaraes & Irmao.
E' haratissimo a 120 ris o covado.
Vendem-se riscadiobos muito proprios para roo
pa de esc.ravos, a 120 ris o covado; ditos escoce-
zes muito finos a 240, 280 e 300 ris o covado.
Lazinhas a 3oo rs.
Lazmhas de quadrinhos a 300, 320, 360 e 400
rs. o covado ; ditas muito Linas a SOO e 5'GO : d>
rna da Imperatriz n. 72, loja de Golmares V Ir-
mo.'.
Cortes de 15a a 50000.
Acaba de chegar a este imporlanle estabeleti-
mento um sortimento de cortes de ia que se ven-
de por o* e 'l'.JW ditos a Hara Pa, fazenda
muito moderna a.lf, 14*, 18* e 20* ; ditos cum
camisinha, cinta'e grvala a 25* e 28*.
Chitas francezas largas a 260 ris
Vende-se um grande sortimento de chitas a 200,
280, 300, 320 e 360 rs. o covado : ditas preciares
a 400, 440 e 500 rs.
Cambraias de cores a 280 rs o
covsdo
Veodem se camlraias francezas a 280,300. 320.
360 e 400 rs. o covado.
Cambraias lisas a 3.000 rs. a peca.
Vende-se um grande sortimeolo de cambraias
lisas pelo barato pn.ro de 3*, 3*600, 4*, 4*300 e
3* ; ditas muilo fioas a 5*o00 e 6*; ditas victoria
a 6*300 e 7*; ditas de urna vara de largura a 8*
e 9* ; ditas para forro a 1*600, 2*e 2*200 : na
roa da Imperatriz n. 62.
ROUPA FEITA.
Vende-se om completo sortimento de roupa fei-
ta felta. assim como sejam palitots, caifas, coleies,
camisas francezas a 1*600 e 1 $800; ditas flc;.s a
2* e. de Moho a 2J500, 3* e 3*500 ; seroulas de
1*200, 1*400 e 1*C00, de linho a 2* e 2*500 : na
ra da Imperatriz n. 72, loja de Guimaraes & Ir-
mo.
Pechincbal
COMPRAS
Precisarse de om calxeiro para deposito : na cabellos das senhoras. Vende-se na roa roa da Cruz u -35. mado loja d'Aguia branca, 1*000 o frasco.
Enfeites pretos para vestides
A Aguia branca reeeb9u novos enfeites pretos
para vestidos, sendo bioos com vidrilhos e sem
elles, trancas com pendentes de vidrilhos e sem
Gomora-se miro nrat nndras nrwinias Iel,es' cord5 grosso tambem com vidrilhos e sem
em obns efe na ra (ffi dSTedfe e,,es;; assitn como gafies e fraD,as de d,wa" lar"
ITdemcS^oncL^^kio furas,.taS de velludo etc como semore os bons
cja oe ounve-s no arcojta. UMceicao._________ freguaees encontraro commodidade de .precos nos
Comprare ama oasa de sobrado no aterro objectos que sevendemn* loja d'Aguia tranca ra
da Boa-Vista ou ra da Aurora : a fallar oa roa do Queimado o. 8.
do Crespo a. 47.
. Ama
Precisa-se de una ama para o-cervigo interno te
urna casa depones familia : a. tratar na praca do
Carpo Santo n. 17, 3 andar.
A vinva do tinado Joo Joaquim de Souza
I Abren e Lima e seus filos, agradecen) eor-
dialaente a todos os amigos do seu finado
esposo e pae qoe se dignaran .assistir as di-
rsasmlssas que se mandaram celebrar
pelo repooso eterno do mesmo; fioado, e es-
| .pecialmente confessam-se eternamente gra-
tos a -officialidade do 4* balalbo -da guarda
nacional e a socledade Uniao Coemerclal.
Recife 31 de marco de 1866.______
ttnro e pratta.
Em obras velhas : compra-ee na praca da ln
dependencto n. 81. loja de bilhetes.
Coropra-se urna burra de ferro, iogleza ou
mesmo das antigs ; na roa Nava n. 31._______
Sellm e sao.
Compra-se am selim e um silho usados:: na
na do Caldeiro.n.:7i, das 6 as 10 da manhaa e
das 3 as 5 da tarde.
Compraan-se -duas rodas para carroca ca
orna carroca que esteja em bom-e?tado : no ansa-
zem da bolla amarslla no oitio k secretaria a
Mikia.
Perdeu-se
um embroliio de dous papis, sendo um urna pa-
tete de irmaodade do Divine Espirito Santo, de
D. Mara Amada de Jess Ferreira en 1838, e
orna snbscripco da mesma, isto na visitaefio das
Igrejas : quem a achar, queira ler a uondade de
mandar a roa de Hortas n. S, ou aonunete sna
morada para ser proeurtau. [ ,_______
Ama de leite. "
Na Capunga, porto do Lacer, sitio com urna
grande saogMira do lado direito, ha ama boa
ama com multo bom e abundaot* leite para se
alagar._______________________________
Na casa de madame Millocheao, ra da Im-
peratriz n, 1, precisa te it co=tarelra, pagase
bem.
Fog*o do ar
Vaidivino a plvora -ae acha com -fabrica de
fogog artificlaec na liba de Maruim, com grande
porco de fogos de 1* sorte, j preparado* espera
de festejar o grande dia qoe tiver noticia 4e qnal-
quer triompfao de Bossas reas dentro de Para-
guay : lodos aeoelles que -uve/era a mesma satis-
face o dirija-se ao armazem de sal na ra Imperial
o. 221.
O bacnaxel Francisco C de tosmao
bo transferio a ana residencia para a roa
estrella do Rosario o. 41, i.* andar, e abi
tem o seu escriplorio de advogado, poden-
do ser procurado em todos s dtas otis
das 9 horas da manhaa as 3 da larde.
Compram-se libras esterlinas : na praca da
Independencia n. 22, junto ao relojoeiro._______
-Compra-se na prensa de algodac de Sader*
'Brothers & C. semenles de algodie a -500 rs. por
trroba._____________________
Compra-se um escravo qoe seja robusto e
qoe sirva para tedo servico, e ama escrara qoe
teja cozinneira, engoromadeira, qoe seja sadia e
em vicios ja roa da Senzaia Velha n. ^4. -
Comffjm-se tres escravas que sejam boas
quiiandeira : na travessa do-Carmou, 1.
Comprase urna carroca de duas rodas para
bol e que esteja em nom estado:: qaem tiver para
vender dirija-sc a ra do Apolle andar. '"'
Compram^e urna ou daas Mgrinbis de"
8 annos de idade; oa roa Augusta a. 26.
Precisa-se alagar urna ama forra oa captiva
para casa de pouca familia: a tratar oa ra Nova
oo segundo andar por cima da loja de Madame
Theard.
Casa de commisso de escrivos oa rna de Impe-
rador i. 4o, terceire andar.
Recebem-se eteravos tanto do malo como da
praca para serem vendidos por commisso, afflao-
ca-se o bom tratameoto e segoranca para os mes-
mos. O abaixo assignado nao poopa esforgos afim
de os vender coa promptidSo, nesta mesma casa
ha sempre para vender escravos de ambos oe sexos.
Antonio Jos V. de Souzi.
Irmandade 4o S^ Sacraneoto do
lecife
De ordem da mesa regadora convido a todos os
irmos a reunlrem-se no consistorio desta irman-
dade domingo 8 do eurreote, pelas 6 horas da ma-
nhaa, afim de acompaobarroos o Santissimo Viatico
ao enfermos.
O escrivSo,
J. da C MagalhSes Jonior.
(Jasas
vasias.
Alugam-se as easas terreas das roas da Santa
Rita n. 21 e largo do Forte das Cinco Ponas o.
45 : a tratar na roa do Qaeimado com Atevedo
Irmio.__________ .
Precisase de urna ama qoe cozinhe pana casa
de homem solleiro : na rt Djreft n.78, rei-
nacJo.
Compram-se ama oa dnac carrocas, com
bois, oa sem elles, em bom estado, na ra do Co-
tovello o. 31 venda -. tambem precisa-se alngar
oa arrendar om sitio graode com bata de capim.
Boioes de vidro
coraeat.'eites d'aco no centro.
Esees botoes que tanto servem paca melhor se
poder eafeltar om bem vestido preto oa de cor,
acho-se a venda na roa-do Queimado loja d'Aguia
branca n. 8.
Acaba Je chgar aloja da agoa ranea
a ra do Qaeimado o. 48.
Chromaco-me para tiqgir cabellos.
Hoild 'walier para dito.
Timara de L. Marques para dito.
A gmia branca
a ra do Qoimado n. 8
acaba de receber:
Lenliyonlss d'aco para enfeites.
Peonas braacaB e de cores, para gor|os e bapeos.
Enfeites filets. mal bonitos e moderaos.
Sapa ti o hos de setim paraba plisados. '
Meias de seda para o-mesmo.
Bonitos chapeosiobos de selim para dito,
llosas camelias e outras qualidades.
Iovos brioens, fiveilas, peales e pnlsCiras de fili-
grana.
Fitas de seda de cores para dettranbar vestido.
Dita de sarja com differentes cotes a larguras.
Dita de gorgorac, desenhos oovqs e bonitos para
ciatos. -
Cariaras com agulhas.
SLnaioja e armazem da Arara, ra
da Imperatriz n. 56, de Lourenfo Pereira
Mendps finirnarfis.
Arara vende essas a 4 rs. f
Vendem-se cassas francezas mnito finas para i
vestidos a 240 rs. o covado, chitas escuras e claras |
a 160 200 rs. o covado : s ne loja da Arara,
roa da Imperatriz n. 36.
Cortes de casemira prela a 3p00
Veodem se cortes de casejira preta para caiga
a 3*300, 4* e 5*, cortes de cotim para calca a
1*280, ditos de brim de quadrinhos a 1*, cortes i
de ganga e brim de cores a 1*400 : oa ra da '
Imperatriz n. 36.
'ATara vende coftes de caesa franezi o 2#>00. !
Tendem-se corles de cass fina a 2*300. ditos i
de chita a 3*, ditos de cassa de barra a 2* : a :
r-ua da Imperatriz, loja e armazem da Arara nu-1
mero 56.
Leapos brancos a 2^000 a duiia.
Vendem-se lengos brancos finos a 2*, 2*300 e
3*, guardaaapos para mesa a 2*800 a dozia : na
rna da Im^ratriz, loja da Arara u. 56.
Arara vende caitas a I((> rs. o covado
Vendem-se chitas escaras a 160 e 260 rs. o co-
vado, chis francezas Boas a 280, 320, 360 e 400
T6.-0 covado : na roa da Imperatriz n. 56.
Macado frnaeoc a 240 o covado.
Vende-se riscado francs para vestidos a 240 o
ovado, cassas francezas finas a 240 e 280 o cova-
do ruada Impcrainz a. 56.
Arara vade madapolao a -i>,
?endem-se pecas de aoadapolo de 12 jardas a
*|)0 e 4*, dito de 24 jardas a 4*, 5*, 6*, 7*,
8 e 10* a pepa, pecas de algodo a 3*, 4*. 6* e
, dita de bretanha de rolo a 3* : s na loia da
Arara, ra da Imperatrir o. 56.
Justad a A3 rg. o corado.
Vende-se riscado escaro para vestido; de escra-
vos a 120 rs., dito de liofeo para roopa de meninos
a 240 o eovado, gangas de cores a 400 e 440 rs. o
covado, colarinhos aSOO.rs. a dozia : roa da Jm-
peralrjg n. 56.
Arara vende liaziahas a 200 rs.
Vondem-se laazinbas para vestidos a 200, 320,
400 e 00 ts. o cavado, ditas lisas
Grande armazem de tin-
tas medicamentos etc.
Roa do Imperador n. 22.
Jo5o Pedro das Heves (ge-
rente) tem a venda o
seguate:
Productos chimicos c Dharma-
ceuticos os mais empregatics em
medicina.
Tintas para todo o genero de pin-
tora e para tinturara.
Productos induslriaes e titilas
para flores, como botes de Dores
e modelos em gesso para imitar
fructas e passaros com o compe-
tente desenho.
Proluctos chimicos e mdustriaes" ^
para photograpnia, tiniuraria, pin- &
tura, pyrotecnia etc. $fe
Montado em grande escala e sup- |jg
prido directamente de Pars, Lon-
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa ^
pode offerecer productos de plena I
cenanca e satisfazer quafquer en- W
commenda a grosso trato e a reta- }g|
lbo e por prego commodo. s
m
m
m
I
Vendem-se 400 pedras para radrilbo, viudas
da IM:: a tratar, aa rondo Vigarion. 14.
FAZENDAS BAHAT4S
N. 27 Ra do Queimado N. 27.
GRANDE PECIIIVIU
Cambraia branca para forro a 240 e 400
rs. a vara.
Lencos bancos para lgibeira duzia a
24OOO rs.
Retondas pretas a 9,A000
Cambraia morsulina de cores propria para
vestidos o covado a 300 rs,
Moreantique preto superior a 2*5800 e
3,5000 o covado.
Grande orlimento de grosdenaplespre'c
Milito
VENDAS
No trapiche bario do Llvramento, vende-se tac-
eos com mimo de Lisboa a 7J500 o sacco onteo-
dd 0 alqieirea eada om daguelle mercado.
Vendem-se duas pretas mocas e sadias sa-
bendo lavar e coser proprias lambem para la-
voora, o motivo da venda ter-se de retirar o sea
sechor para fora du imperio : para tratar no ar-
mazem a roa da Cruz o. 33.
Vetde^
VOLIIMAS
PARA 18B6.
Acabam de sahir luz as folhinhas de
lgibeira e de porta para o auno de 1866, o
mais correctas posiivel tanto no calculo das
las e eclipses, como as diversas esias
que a igreja celebra; vendem-se nicamen-
te na livraria da praca da Independencia,
160 ris as de porta e 320 ris as de lgi-
beira.
i*e e (az-ie todo negocio com o depo-
fsiio d ra do Vfgario o. 29, mnita proprio pera
um principiante que queira principiar sua v|da fonerjlriz n. 56.
com poueo dioheiro ; ao comprador se dir o roo
Uve da venda.
SOO e m covado : roa peratriz^ja'e'ar- P* tod?S Pr^s:
mazem da Arara o 56. j Rolondasdeda r,quiimas a'gerinaspsn
Branuiite a 2^600 a vara.
Vende-se bramante de 10 palmos de largara a
28500 e 2t30O a vara, panno de Kobo para len-
coes e loaibas a 640 a 700 rs. a vara, hambariro
Era leocoes e toalnas a 560 : roa da Imperatriz.
a da Arara n. 86. ^
Roupa feita t camisas para senhara a Io00
Vendem-se camisas para seolvora i 1,5300, cal-
cas de brim a i&, ditas de casemira aS, 6 e 8>
paletols de panno preto a 6*, 8 e 10#, ditos d
brim de cores a 25 e 35,
24500, ditas iogleus de
a 1*500, 3J e 35500, ceroolas
iartahos ecooomicos a 500 rs. a dozia : ra da
,
Vende-sesatgrosso: a tntlai tu raidMa-
dre de Dens n. 1_________ -.
Veodem-se garrafas e botijas vasias e java
yv*rdt&4'Mt pr^leiale com-
mnm Apipucos: quem qolzer anonncie.
TB4VES DE L01I0-
Vendem-se travs de loo.ro com 40 palmos da
eomprimento e 8 a 9 pollegadas de trowora : aa
ra Nova de Santa Rita n. SI, serrara.
Veode-seuma rica armacao envidra cada com
todes os perteaow para urna Uberoa ; a tratar na
ruado Rangel t. 49._____________________
Vende se a armacao da. fabrica de charutos
da roa da Irap3ratriz o. 15, e jooctaraeute todos os
mais objectos existentes oa mesma ; quem preten-
der dirlja-se a roa da cata de Detteneto o. 7, ta-
berna.
Fogo do ar
no armazem da bata amarada no oitao da aecreta-
ria da polica, recebem-te encommendas de foco
do ar para dentro o fra da provincia.
mjECCAO BROW.
Remedio infaflivel as agnorrbeas antigs
rocen, tes, nico deposito na pliarmacia
e franceza ra da Cru o. ii e ao preoo de
3^000, r
reijao
Vendem-se saccas com feijSo amarello, braoco-
rajado e preto, mais barato qoe em qualquer oar-
na ra da Madre de Pepa a 5.
Na rna do Vlgarl |5._
Vendem-se e alugam-se Lichas da Hambureo
ebegadas ltimamente._______
Ohapos manilha a 0|7
Na roa estrella oo Rosarlo travessa do Queima-
do o. 18, loja de miudezas de Maia & LaodeUno.
Vende-se ama armacao
senhoras.
Guardanapos para meza a 30500 rs. a du-
zia.
Superiores baloes de arcos a 3,5200 rs\
celare Royer oa eolares :mo
daos
para facil.ur a *nticIo das crianas e preserva-
n ,. *I*s das convulso^,
.camisas francezas a 25 i prodJmsatorci'mam^^iT?^ vDezes ^"
tSSJtL1*^ *2T Ia*9MSb fi* efD-
ceiloados, e estimados de tnooraeraveis pas de
familias : de oos porque do uso desses saluiares
colares viram salvos do perigo seus charos filbi-
nnos, e de outro? porque cofheratn daquells tac
proncuo exemplo para igoalmeoie preservar or
seus. Assim, nols, a agola branca, tendo em vis-
tas a ntilidade e proveito desses prodigiosos cola-
res anodinos en Royer, mandn vir o novo sbrn
ment que agora receben, e continuar a recte-
los para que em lempo algum a falta deiles poss?
ser funesia aos pais de familia, os quaes flearev?
certos de os acnar constantemente na roa do Quei-
mado, loja d'agtrla branca n. 8.
-
envidracada
de barbiro.
bem envernisada e
a tratar na ra Oir la n. 33, loja
Vende se urna escrava de cor perfeita .mn-
camba, idade 22 annos, com as melhores habilida-
des, i bonita moleca, 1 lindo moieqne idade 13 a
14 annos, 1 escrava moca propri i do campo por
6005 : na travessa do Carmo n. i.
Vende-se xm escravo preto, crionlo, de 90
annos d idade, pouca mais ou menos, do servico
de campo e sem defeltoi: na roa de Apollo o. 7,
! andar.
Na ra da Imperatriz n. 28
Vendem-se cortes de cambraia brancos com 4.
5 e 6 babados a 205 e 255- <
Fil d seda preto com flores a van 15.
Cambraias brancas de urna vara de largura fi-
n a 15 e 800 rs.
Ricas lampadas e candielros a gaz por grosso
eriide pochiocu ae aaiapola cao
avorit
. *** *w voade urna grande poreJo e raa-
damlao avarudo, fazenda na 105 e 5 > pe?a, a
o5500 e 75 com pequeo toqoe : na ra da Im pe-
nis n. 52, armazem da porta larga junto a Da-
taria franceza.

_..*

. aaaaajl UM
"t
MW


Diario de Peramoc ... guara letra 4 e Abril de 1866.
PARA A QUARESMA
Chegaram a loja de Augusto Porto & 0.
11 Ra do Queimado-11
Superiores cortes de seda preta.
Moireaotiqae preto de flores e de listas bellos padrees.
Grosdenaple preto de diversas largaras e qualidades.
Retondas, bournus e caales de fuip eje rendas.
Pannos pretos, caiema*gretas, bombasinas.
Lias, canto, merino e selestrinas pretas.
Lindas maulis de seda para pe?coco.
Ricos cortes de seda de cores para bailes ou casamento;.
Ricos cortinados bordados dos mals bellos desenbos.
Hoir branco, seda branca, capellas e mantas para noivas.
Relias colchas de seda e de la e seda para cama de noivas.
Saias de flnissima cambraia ricamente bordadas.
Faiendas de pregas,parasaia que se farem com ama so costar e tamben tena con
o cordo tecide.
Madapoln fraoeet a 400 e 480 rs. a vara.
Alcatifa de llano para salas e gabinetes a 480 rs. o ovad.
Fazenda especial de qoadros para faier redes a 3#500 a vara.
Superiores esteiras da ludia para salas.
41 Roa de Queliuado-li


NOVOS GERENTSS
DOS
TRES GRANDES
ARMAZENS DE MOLAHOS
DENOMINADOS
PROGRESSIVO pateo do Garmo n. 9
UNIO E COMMERCIG roa do Queimado a- 7.
VEHDADEIRO PRINCIPAL rea do Imperador n. 40

DE
PUARTE CARVALHO PERIRA C.
CORTES DE SEDA _
Chegaram pelo paquete ingle riqnissimos cortes de moreantiqae de cores, e seda iavraaa P-
MN inteiramente novos. W.AA *
Seda de quadros por 10000 o covado
5RUft DO CRESPO-5 M
Gregorio Pee de Amaral eJfc compaeJiia.
30 e U(MOf
Gros de aples preto a 4,5500,10600, 20, U. *!&&/*!!!!.
GorgorSo preto de soperior qualidade a 20500, 20800,
' Superiores moreantiques a 20500, 2,5600, 30, 3*500,
covado.
Bons cortes de moreantiqae.
dem de gorgurao adamascados
Bons pannos e casemiras. .
Sup riore alpacas, princetas, mermas e bembazioAS-.
Bons villndos pretos. K a oa
Grande variedade de diales de fil- preto e de guipare a 50r Bft 9*
101, m, de 165 a 205, e de 255 a mcada um. i******
Superiores rotondas de fil preto e de guipure a 8fc 10*, 12e250,
e de 305 a 600 cada urna. ,
Superiores algerienes de fil preta o de guipare de 12* a 25#j- e de
30* a 60* cada urna.
Boos chailes de seda preta. ___ .*, mna
Ditos de Merino preto bordados e outras muitas fazeodas preta* que
seria enfadonhe enumerar, na
IOJ i DAS CDIiUlWA
CORRElA DE VASCONCELL08 & G.
. Fazem sciente. ao respeitavel publico, e com especialidadaos senhores de en-
fenhos, lavradorese mais pessoas ao centro, que para mais facilitar suas compras deli-
beraran! os proprietarios dos i tres grandes armazn?, reunir todos os seus estabeleci-
mentos en um s ann unci, palo qu a I o prego de um ser de todos, promette-
(Dos que nao infringiremos a- tatatta que abaixo vaj publicado, aonuapiar os generes oag grandes volumes com diccionario
por um preto, ena ocoasiao da compr-a quererem por oatre, como socede constante-1 Medicina domestica do Dr. Hering
ente em outras murtas casas, po**m nos nosso establecimepatos ^5o se dar isto. Repertorio do Dr. Mello Moraes
anda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
aero tambem servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
podidos, em cartas feixadas; para evitar qoalqner engaos, remetiendo nos urna sonta
pola qual se veri oe preoos tal qoal aoounciarmos, o que senao arrepender pessoa
alguma que fizer saa despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
S por cento na saa despeza diaria.
Manteiga ingleza perfeitameute 6r cbe-
gada althnamente a l,ooo' re.' a libra, e
e*U>arril lera abatimento.
Manteiga francesa da satra nova a 8oo rs.
a libra e em barril ter abatinento.
BUBA,
Banha refinada- superior
barril ter abatimento.
Cto uim de pficaetra e superar qpahda-
dea2,8or.
dem hyssoa o mefeor neste genero a
rs., e. sendo en> pjelo teca abatinep-
; tambem ha -propia* para negocio de 2 a
2,-4oo rs. a libra.
Ideas preto superior de l,8eo* 2jBee ra,
a libra/ '
Latas com superior biscooto inglez de di-
versas mercas a i ,2oo ps-. adata.
Bolaebaaahaa
Latas- com bqlacltfnbae da- acredjada fa*
ferica do beato Antonio, proprias para dar*a
doentes de- 2,ooo a 3,ooo rs. a lata.
dem com qaatro libras-ie bolacbinha de
Superior vinagro de Lisboa a 2,ooo rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ba
mais b&ixo para 2oo rs. a garrafa e l,4oors.
a caada.
Azeite dote
Superior azeite doce d Lisboa a 7oo rs. a
a 64o re. o em garrafa e a 5,5oo rs. a caada.
FUW<2A*OK*L>
Latas com soperior fumoeaporal a l,8oo
rs. a lata..
JP*MW
. SupjBriqres pascas a-2,5op o quarto e
9,5oo rs.j a caixa. de arroba hespenhola e a
96o rs. a libra.
. i \lltlC 4
Genebra de laraojaverdftdaira aio,5oo a
d*zia,e l,ooo rs. ao fraseo.
Senebra de Hotiaada verdadeir a 6,ooo
ra afiasqoeira e a p6o-*s. o frascoi.
Idom de Hollaoa em boticas a 4oo rs. ca-
Garrafoes cora 24 gacrafes de genebra de
Hollaada a 8,000 rs. o garrafao. Tarooem
ba gaprafoo8.com 5 e 14 garrafas de 3,2oo a
CONSULTORIO MEDICO-CIRDRGICO
DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO WOSG08O,
MEDICO, PARTEIRQ E OPERADOR.
3-m-Ena da Gloria, casa do Fun#)g
O Dr. Lobo Moscoso da consultas gratuitas aos pobres todos os diaa das 7 as 11
oras da manbao, edas 6 e moja s 8 boras da aoite, eicep?5o dos das antificadoi.
Pharmacia especial homeopflthica
No mesmo consultorio ba sempre o mais appropriado sortimento de earteiru
tobos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisacoes e pelos pregos aegomtes-
Carteiras de 12 tubos grande^. 12i000
de 24 tubos grandes. WiOOO
> de 36 tubos grandes. 240000
> de 48 todos grandes. 300000
de 60 tubos grandes. 330000
Prepara-se qualquer carteira conformo o podido que se fizar, e com os remedioi
Koe se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onga 10000.
Sendo para cima de 12 custarao os presos estabelecidos para as carteiras.
Ha tobos mais pequeos cada um a 500 ris.
IjIVROS.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Hemeopathico do Dr. Jarb
:...... 200000
...,.. 190OOO
/. JV ^-*r *".* W J 60000
Diccionario de tenaos de medicina:. ,. .. .,...,, At ., 30000
Os remedios des te estabelecimento -sio por d^mfis cqiheoijs:- dj^soisem por
tanto de serem novamente recommendado as pessoas que q'^tfim, n.yd rfeedos
verdadeiros, enrgicos e duradores: ba ttdo do melbor que se pW-desejr, slSos do
verdadeiro assucar de leite, do lavis pela et boa. cenoervafSei -tiotert do um -acredi-
tados estabelecimentos europeos, a mais SjMil MflMMl prsfissajis^pso snergia e certeza em seus effeitos.
Casa de saude para eicrwo&
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou faze>se-lhe qf alquer
operaco, para o que o aonunciante julga^se suBcientemente babiitado,
O Iratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, coo na aeiica,
funecionando a casa ba mais de quatro annos, ba nraias pqssoas.de cujo conceito se nao
pode du vi dar, que podem ser consultados por aquejes que desej a rem mandar seus
doentes.
Paga-se 20 por da durante 60 dias e d'ahi eje diaa te 10500.
Asoperacdes sera o previamente ajustadas, se nao .se qitizerem sojeitar aos procos
razoaveis que costuma pedir o annunciante.
ARM15KEM DE FAZEUDAS
DE
c.
CUSTODIO CABVALHO
27 RA DO OEIMADO N. 27
MadapolSo francez muito fino, teno\> pooco mofo, cada peca com 27 varas por
{00000.
Laa de cores a 300 rs. o covado.
Cambraia. franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a prego de 800 rs. a vara.
Lencosbrancos para algibeira a 2-5000 a duzia.

DE ANTONIO
RA DO CRESPO *_.
RA OU Bftl'H *
0 pronrietario desle estabelecimento deseja-cbamar a attenco dos senbores pro-
, lu-is aos acreditados mecbanismos que continua a fornecer; os quaes garante ser,
som4 sempre, da melhor qualidade possivel:
Machinas de yapor
para motore sde
4,000 re. cada um.
VELAS
Velade^permawte a 64o rs. a libta.
Idonv de carnauba de lo a 12,ooo re.
soda a 2,ooe rs. a lata.
Queje*}
Queijos ffemengos chegadoo pelo ultimo ^ 8. ae 360 a 44o ra. a He*a.
vapor de 2,3oo a 2,5oo rs-.
GHOGQLAXB
Chocolate hes,paobol a #,ooo e 4 #00 rsv
a libra, francez.e snssaail,Qoo rs. a libra
i*:P0gez a 8ft0.rs.a'Wjrav em porcfiO'
ter abatimento.
fo"-a de 2 'i cavallos para cima. As menores sao mu proprias
5 arocamentos de a'godo; as maiores para moer canna; ha tambem que podem juMa
,paradamente moer canna e descarooar segundo suas pnpefMMW vapores
s-j mmolissimos na cnitruccao. e se regem por qualquer pessoa inteUigente, a facilida-
w da cunduccao senio especialmente codsiderada, tanto que nao ha lugar envque nao
o ,am conluzir, qnftr por trra, qur embarcado. Ha com moendas jautas ou sem
eilasepodom-se applicar a qualquer moenda ja existente seaoutra W^.m
wM&SZ das rodas da almnjarra. Ellas tem depsitos d'agua e boeros de taro,
p ni. precisara para o seuassentamento de obra alguma, quer de carapiaa, qaer de ai~
veoaria O tempo para assent-las nao excede de doze dias ao mais, e em casos de
mories de animaes ou arrombamentos de acudes, etc., garaate-se o assentamento em
oit dias. Lembra-se aos senhores de engenho que a venda dos animaes e o servico de
gente oecupada no seu tratamento osho de recuperar da maior parte da despeza do
va"or dexando-lhes a vantagem de urna moagem certa e accelerada; e acabando g ,
despeza da compra continuada de novos animaos, com os desgostos do trabalhoque
6 tem Hodas'd'agaa de frra, mui maneiras e moendo com qualquer altura
dagUa'sarIIhos eom crucetas de ferro para as mesmas, quando se desegefazer
p resto da roda de madeira, tornando-se assim a roda ligeira no trabalbo.
Mocadas de canna de todos os tamanhos, desde as mais pequeas chama-
das do serto. Obra perfeita em feitio e acunhamento. ...
Rodas de espora e angulares de todos os tamanhos e proporcoes.
paroes on coches para receber o caldo. ,iLLl.
Crivos de ffornalha para assentaraeotos, frescos para o foguista, fiuendo
grande calor com pouco combnstivel, e doradouro.
Portas de fornalha de todos os tamanhos e de diversos systemas.
Fornos e mtanos para a fabrica de farinha e tambem chapas redondas
para fornos pequeos.
Bombas simples e de repucho.
Tallas de ferro batido e fundido e de cobre. .>
Formas de ferro batido galvanisado para purgar assucar, leves para carregar
e lsemp^JamjJ e fePro de todos os tamanhos, castrado s a terca parte doj
preco dos de cobre, mais regulares na disllacao a igualmente duraveis.
v.lxos e roda do a*twcom mangas de .patente, obra mu segura para
VUVHQS
Superior viabo do^Perio .dassmais jwed>-
tadas marcas como sejam: Madeira Seecav
Duque do Porto. Yoiho Secco, Ugroas:dO'
Douro, Matia Bia. D.Le, Pedro V, Lgri-
mas Doces a outras maceas a> 1,00o a garra-
fa o o.ouo a *2 000 rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa-da* melhoes-
marcas a 4oo e 5oots.srtgawafa* e a 3,eoe.
.35oo e 4,ooo rs. a casada.
Superior viobo ebemisso em-barril a 64o
re. agarrafa e-a 4>5oo rs. aoanada.
Superior vinho de Lisboa e-Figueira em
anceretas do *e 9 caadas *24,ooots. a ao-
coreta.
Superior viabo branco proprio para rtts-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
go para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
Caixas coa urna duzia do garrafas de su-
perior vinho Bordeaos, a 7,ooo rs. a caixa e
7oo rs. a garrafa.
CAFE
Caf do Rio de 1.* o 2. qualidade de
6,800 a 8,2o rs. a arroba, e de 24f>a28o
rs. a libra.
Sabio asaca de primeira qaalidado de 24o
rs. a Ubre.
Serveja
Superior serveja Bass dos melhores fa-
bricantes, como sejam: Sblers & Bell. T. F.
Ashe a 7,5oo e 7,ooo rs. a duzia e alors.
a garrafa. Tambem ha do ootras marcas
como seja: Victoria e Alope a ,ooo rs. a du-
zia e a 5oo rs. a garrafa.
BOlOES VASIOS.
Boie* vasios,- iouoa ingleza muito pro-
pria para manteiga e deposito de doce de 4
a t2 libras a l;2oo e2,5oo. '
FARINHA DO. MABANHAO.
Farinha do Maranho a 240 rs. a libra.
SdLGU'.
Sag muito novo a 4oo rs. a libra.
ARAIWTA.
PfifXE
Peo em latas j preparado de l,ooo a
l,2oo rsv a lata
ALPISTA E PAIN^O
Alpista- e painco muito no*o de 3,8o a
4,000 rsv a arroba o de 44o e-160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS.
Superiores charutos.do fabricantes Simas,
mperiaesi Delieias, Parisienses- e outros de
2,2,5oo e 3,000 rs. a> meia cama: tambem
temos Suspiros, Havaneiros, Ligueiro^ e
oulros muitOS 400 vudomos por mdico
preco.
lAaores
Licores francezeaeportugnozes a l.eooe
l,4oo r& a garrafa ou frasco.
Peeee
Doce da casca da goiaba enfccaixes e la-
tas a 1,2006 caisSo e 2,800 rs. a lata.
Virutas
Frutas em calda e em latas- fechadas- herr
meticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pera, pecego, ameia rainha Claudia, al
perche e outras frutas a 00 rs. a lata.
Tambem ha latas- grandes para 1,2o rs. a
lata.
AZEITE: DE REFINADO
Soperior azeite francez refinado a 8,000
rs. a garrafa e a9,ooo rs. aduaia.
MOLHO INGIEZ SAUCE
Molho inglez Sauce em frascos grandes
com rolha de vidro a l,8oo rs. o frasco em
duzia ter abatimento.
BATATAS.
Gigos com 3o libras de batatas a i ,000 rs.
o gigo.
SARDINHAS.
Latas com sardinhas de Naotes e Lisboa
de loo a 46o rs. a lata.
FUMO AMERICANO.
Superior fumo em chapa a 1,400 rs. a
libra.
ERVILHAS
Latas com ervilhas e feijo verde j pre-
parado 64o rs. a lata.
MASSA DE TOMATE
Latas com 1 libra de massa de tomate a
64o a lata.
VERMUTH
Esta bebida muito fresca e estomacal e
muito propria para a presente estaco. a
qual vendemos a2,ooo rs. a garrafa e i8#
a duzia.
Finas perclaras a preco de 400, 410 a 36 rs; o-eovado.
Ricos cortes de lia de barra de 10| a 30500O.
Chales de fil preto e outras muias fazondas.

i:ixo* e roda
Arados, grades, enchados a carallo e outros instrumentos da agri-
cultura. E finalmente todo o objecto de que possa precisar um engenho
Machinas de d&earooar algodo.
Na fabrica se fazem obras novas encommenda e concertos, com a maior prest'
ze solidez. O grande deposito de pecas e objectos habilitam-na maito para este flm.
O proprietario ser sempre mui fez de poder ter occaao de dar nformacoes ou
esclarecimentos aos senhores qae se servirem de seu prestimo.
D. Wrf Bowman, engenboiro^
L:ivas de pellica pretas e ou-
tras cores.
Chegarara para a loja de mindezas a ra do
(jaeiroado n. 16.
"tarinha de rnaadieea a 4$8ee
res o sacco, morto aova, nltiiOament* cbfegad|;
veoiJe-se na ruar da Croz n. 33.
"Luvs de pellica
preta?, brancas t ootrts differeDies eom chega-
das de novo: a raa Nova n. 7, loja do vapor.
Sal do Ass
Venle-se a bordo do patacno Param e para
tratar com Joaonim Jase Gongalves Beltrio na roa
do Vgario n. 17,primeiro adar. .^
Vende-se a taberna 0. 5 da raa dtf (JrWBiz:
a iraur na mssm.
VENDE-SE
o grande armazem ^a raa dtt ApWl* b/38 e'40,
proprio para um armazem-di'asocar os prensa
de algodao em ponto grande," por ter porta* d"
frente com mals de.67 palmo de largara -e 300 e
tantos palmos d oomprimeno, todo eeberte e so
bre arcadas e para comodidade dos compradores
se vende com o prazo da t annos o o qoe se-*on-
vencionar ama vex qae teja com segaranca e pa-
gaide-se pela demora um mdico joro : as pes-
soas a quem eonvier esla compra poderlo enten-
der se com Antonio Alves Barbosa na raa dos Gua-
rarapas n. 79, ._ ,________
Llagnas
Na raa da cadeia do Recite n. 53,vende-M llngaas
de primeira qualidade do Rio Grande do Sala, i JO
I res cada urna._________ '
"^"Vede-se nma rotalvnota de ibar :
I tar na ra do Hospicio n.
Araruta rerdadeira a 4oo rs. a libra.
Pimenia, comioho, cravor caoeMu ervadoce, atfazema, tijollo para limpar facas pa-
litos para tientes, palitos de fogo, e outros muitos gneros que se tornara enfadonbo
mencionar, afiangaodo cinceridade nos procos o o boa acondicionamento de qualquer
genero.
ROMANCES BARMOS
Vendem-se, aalivraria da praca da Inde-
pendencia n. 8, a 400 rs. o veame, os ro-
mances portugaezesseguinles, embrochura:
A voz do sangue, 2 volumes.
Gonnemara, 2 ditos.
A noite de S. Silrestre, i dito.
O fflbo de THiano, 1 dito.
Adonis ou o bom negro, 1 dito.
As odas amadas, i dito.
O pacha de BudaL i ditor
* Trby, 1 dito.
Igeez de la Sierra, i dito.
^evafinna, de Franca
a 10 rt. a libra, e dt 8 lmrts par* ctaa a 110
n.
Veade-se nma masseira de amare!lo em per
falto eRado, e mais pertences para nma padaria,
na estrada aova, segunda taberna a direita, depols
do sobrado grande : s tratas na mesma, das 4
boras da tarfe em diaale.

n aTsaaen da Liga, re* Ifova m 98.
.a.il f~ 'Sj_, 1 ni i 11 iMil i|
Ladtljlas.
" A lji di Anrora, a raa larga do Roario n. 36,
tenlo de lauliW*. maito delicadas e
aim cotio tan-
ocas edaicores
-.3
ovas de Joo
ratdta-e sesbora, mnttb
pelo rttlao por, tndO isto na loja
raa larga do Rosario n. 38i
Pee
-
a
Ha na dt Queimado i%
Crws de laaainto de cer, bonitos gostos, eom
15covados3#600.
Cassas organdys de cores, eovade a 240, pecas
de atgodfoztntJO largo com 17 varas a 4#.
Ditas de dllo com 17 vara, moflo eneorpado,
eom peejoeoo deleito, a 4*500.
Grosdenaple preto maito superior, covado 2S,
Dito dito a 1*600.
Hetoodas de renda preti a 10*.
Chales de retida preta a 8*-
VINHO COLLARES.
Venda-se vdho Golares- de superior qua-
lidade, ;CfPDranda ola, io a este merca-
de* quinto-: roa da Cadeia,
*""* escriptork) deLeal Keis.
Navidades do Tigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Este estabelecimento apezar do sempra
se achar bem sortido como todos sabem,
boje mais que nunca, nao s pelo que rece*
be de sua propria conta, mas tambem pela
que recebe de consrgtiagoes; parece sem
duvida que deve offerecer grandes vanta-
geos para o respeitavel publico tanto em
precos como na escolha dos objeetos, e co-
mo acaba de chegar grande remessa pelo
vapor Douro e o navio Solferino de
diversos objectos do gosto e proprios do
tempo dos quaes se mencionarlo alguns,
por n3o ser possivel mencionar tedos. O
dono deste estabelecimento espera a pro-
tocolo de todos.
Riquissimas caixinbas ornadas e com
msica propria para um. delicado, mimo. -
Caixinbas de msica tanto de veio como
de corda.
Ricos por la jotas e necessarios.
Riqnissimos estojos a feitio de um bausi-
nho ou chapeozinho.
Ditos em casca de noz e de outros gostos.
Legues de madeperola de sndalo e de
faia e madeira.
1 Caposnhos e touquinhas de muito
gosto para oriancas.
Meias e sapatinbos di seda para as mes-
mas.
Meias de seda para senheras.
Capailas o grinaldas de flores proprias
para casamento.
Enfeites e capellas de muito gosto para
seubora.
Riquissimes porta boquets.
Roquet de flores com urna borrachinha
com cheiro.
Loras verdadeiras da Jovin.
Ditas de seda e de Escocia.
Riquissimas plumas, e guarnieres para
enfeitar chapos.
Gontaa e-tobos de ac branco, que ba
muito se desejaya pata enfeites.
Bfjocos, flvellas e cruzes do crystal.
FMIsa e erases roh e dourados.
Alfinetes para gravatas.
Rotees cemoras para prmhos-.
Gravatiobaae BMnlinbas.de muito gosto,
tanto para homem como para senbora.
Riqnissimos aderegos pretos, assim como
caixinbas com alfinetes pretos.
Beagallas de canna com cabo de marflm.
Ditas de baleia, borracha e de outras
muitas qualidades, assim como chicotinbos.
Riqoissimos peoie* do tartaruga da ulti-
mo gosto; assut cosno de arregaco para
menina, pois neste artigo ha um compieto
sortimento de todas as qualidades.
Diademas paca cabecs do ultimo gosto.
Riquissimas fitas lavradas e lizas..
Trancas prslas com; vidrilho e de cores.
meninas..
Ligas de soda o de algodao.
Suspensorios do aeda.e de atedio e muir
tos outros objectos que se n3o podem an-
nnnciar por nSorsetoraar ifcdoobQ,
Uno, Gano Vigilante raa do Crespo n. 7
MaCWIWS BE PATENTE
DE TRABAJ.HAR MO PARA DEGA-
,Rl^AB ALGODAO
FABRICADO POR
PLANT BROTHERS & C.
OLDARL
Estas machi-
nas podem des-
carocar qual-
uer especie de
algodao sem
estragar o fio,
sendo bastante
duas pessoas
par* o traba-
lho; puedes-
carocar urna
arroba de al-
godao em ca-
roco em 40
minutes, ou
19 arrobas pee da ou cinco arrobas do al
godJo limpo.
Assim como machinas para serem movi-
das por animaes, qoe descarocam 18 arro-
bas, de algodao limpo por dia; e motores
para mover orna, duas on tres dessas ma-
chinas. t
Os mesmos tem para Tender um bellissi-
mo vapor qoe pode faaer mover seis destas
machinas mencionadas; para o que convi-
da-se aos senhores agricultores a virem ver
e examina-lo, no a mazem de algodao, ao
largo da ponte nova n, 47.
Samadera Urotliers etc.
Recife praca do Corpo Santo a. 11.
Os nicos agentes ueste paix._________
O castello de 6b#wller
Traaiide de frasen per A. j. C. da Cre.
Veade-se esto bello romanc em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 300C
ua praca da Independencia, livraria ni.
os. .};
RA NOVA N. n,
)a.de rocober um lindo e magnifico sor-
ente de ocular luaetos, binocolot, do ul-
io.e mais-apurato gslo da Europa e ocu-
i de alcance.Jr^ta;oDservac3es efara os
- MPBdfrfcamfod, gjik de nrelbor .^ia pira
ttravewetros : veade-se na roa ca Madre
V igyja..
' Bns, no armatemt,^
Ropta feitas de-todas a qualidades
Tendere nmpa fWta,.ende.eiJs da*ores e
pardo a JE, ditas de brim brinco daInao iSfSOO
aU. calcas de casemira. treu a 5* 61 a 8*, di-
tdecoras^roelacasemiei^,3*..6.3*501, ditas
fcaseautAa47^*a|VBSielet d* o de
tares a, % 3#500 e 3*, diMe brtaa fcranco a
aa4*500, dito de alpae pwt '<* e U,
emiradseaeeaa ttsV W. tOl,
Do.prete a. 61, 7,8- W0, de cmmbu a 3* e 4J, oeroala fr
"le,tpso,esaAa3 fanceeMne*"
de corera-VA XKG0, ditas ngl
nbo de pregas hr|e ifSfO, 3* e 31500
roa da Imperatrit, H>ja da Arara n. 88.
Em casa de Rabo Schmettau & C.
ra da Cadeia n. 18, vende-se:
Champanha.
Cognac de superior qualidade.
Vidros para espelhos. de todos, os tama-
nhos todo a preoos maito comtnodoa.
tara eaereapar.
Tesonras.da tedas as gr--------
babadoe: Tendem se na raa
Aevedo 4 Irmao.
ossasaspara encrespar
aa do Qi
Queimado leja de
Vendem-se

aaaericaaaa de sairet¶ deecawear
algodao: na na da Seaxala ova i. 41
y
.


\
Mk
Diarlo e iiiomm 4- Qoarta f eir 4 4c Abril de 1866.
fflJ*"*
Roa Cu inapcratHz armazem
a porta larca *.
uto a pagarla fradeeza de
Paredes *orto.
Neste estabeleetnento encontrari o respeltsvel
publico nm variado sortimento de fazendas france-
zas, inglwas, anisaos e allemaes, que se venderse
por pre$o commodo.
Paredes Porte
Vende chiles de renda de cores qne se vende-
rain a 1H est Tendeado por 64, ditos pretos, fa-
xendA toa, 54, 8*, 84a 3*4, um sortimento com-
pleto de manteletes, capas e soulambarques 141 a
.4.Rua da Imperatnz n. 42, junto a padaria fran-
cesa, armazem da porta larga.
Paredes Porto
Receben nm completo sortfmento de ISasinbas a
540, &90 r*. covados, para acabar, cambraias de
cor a 240 rs. o covado, riscado escossez para rou-
Bi de menino, fusto de liobo a 420, 400 e 500 rs.
na da Imperatriz n. 52 jnato a padaria franceza.
armasem da porta larga.
Paredes Porte
Receben para cortinados para cama francesa a
114 a.paca cambraia lisa fina a 34 44 at 10* a
peca, cortes de tarlalana.de bonitos gostos a 3*500
o 44, cambraia com flor de seda, gostos inteira-
mente rovos a 400 e OO rs. o covado, no armazem
da porta larga n. 62, roa da Imperatriz junto a pa-
daria franceza:
Paredes Porto
Receben pelo nltimo paquete nm sortimento de
crines eoronpedras para o pescoco, benitos caxinels
de lia para pescoco de senhora. Roa da Imperatriz
n. 5*1, arome da porta larga.
Paredes Porto
Vende cortes de gorgoro preto para vestido com
SI covsdos cada nm 35*000, grsdenaple preto a
1*600,1*800 e 2* o corado, lias lizas finas a 400
rs. o eovade, lias de qoadrirrbo ara vestido, enfes-
tada, a 310 rs. o covado. Ra; da Imperatriz n. 53,
armazem da poru larga.
Ronpa 'cita
Roa da Imperatriz n. 52 armazem 4a porta lar-
ga junto a padaria franceza, encontra-se neste es-
tabeiecimento nm completo sortimento de paletos-
saceos e sobrecasacos, de todas as finalidades, cal-
cas, enlistes,xeronlai, camisas, grvalas, meias,
Chapeos de sol, ditos franceses para cabeca, por
precos ecrarmodos, roapa para menino e ontras
maltas Aseadas per preeos eemmt)dos, armare
da poru larga.
o mesmo estabetecimento encontrara o respei-
tavel publico, sempre um completo sortimento de
ronpas fetas de todas as qnalidades, como setem
paletos de alpaca preta ede cor, ditos sobreeoea-
cos a 4* e 5*, ditos de brrro pardo a 2*800,4* e
3*500, ditos toes a 4*, ortos meias eazemira a
3*500, 4* 5*, ditos careaiira-s ecos a 6*, 7*, 8*
e 10*, ditos sobrecasacos a 10 e 12*, ditos de pan-
no saceos a-6*, 8* e 10*, ditos sobrecasacos a 12*
e 211*, artos ae merino preto a 6*, 7* e *#*, cal-
Ss de fecha 4e diversas qnalidades a 148*0 a 4*,
tos brascos a 2*500 6*00, ditos eazemira 5*,
6* e 7*, ditos pretos a 5*, 6*, 8* -e 104, ditos
meias cazemlras a 3* e 4*, coletes de diversas
qualidades, serenlas franems de algode, ditas d
linho, ditas de bramante a 2* e 2*500, carnizas de
algodo de linho francezas de 2*500 o 3*. Gran-
de pechincha neste genero, grvalas-de todas as
qaalidades e brancas para casamento, grande sor-
timento de meras para senhoras, ditas para bomens
a 3*, superiores a 3*000 e 4*.
Um eompleto sortimento de chapos de sol do
alpaca a 3*, ditos de seda a 5*, ?*, 10* e 14*,
ditos franceses tpm cabeca, grande sortimento
atit*.
Vestidos
Pecfclncha sen Igual.
Chegou a WJa de Paredes Porto nm bonito sor
tlmento de vestidos de tartalata de cores e branoej
que serve pan partidas por ser u m a phantasia to-
teiraioente de gosto pelo barato preco de 4* c
brancos a VJt'OO, esto acabando-se : no armazn
d porta larga rea da Imperatriz n. 62, junto a-.pa-
daria francesa.
Cortinados.
Chegou a leja de Paredes -Porto um complete
sortimento de cortinados ricamente bordados a
preco de 233, 35* e 45* : m roa da impertan:
n. 62, porta larga junto a padaria francesa.
Ricas romeiras.
Paredes Tono receben pele ultimo paquete om
sortimento de romeira de -guipare pretas ede fil
a preco eemmodo : na ra da Imperatriz n. 62,
poru larga jucu a padaria franceza.
A
SALSA PARRILHA DE A1B
PARA A CURA RADICAL

de escrfulas e molestias escrofulosas, tumores, ulceras, chafas, forithi ve"
Ibas, broachoceJe, papo eu papeira, a syphilis, enfermidades venerias ou mer-
curiaes. *
3S000
GRANDE BSTABELSMOTO
Roa
60
da Imperatriz, N.
na
GAMA & SILVA.
LO JA E ARMAZEM DE FAZENDAS. _
Tendo os propietarios deste grande eslabeleci-
mento feito nm grande abatimento em umitas de
suas fazendas, pela occasiao do balando que deram
no ultimo de dezembro de 1865, resolveram vender
muito mais barato do qne costamam afim de cada
ves mals agradarem aos sens numerosos fregue-
ses ; por tanto Ibes offerecem nm avulado sorti-
mento de fazendas francezas, inglezas, as quaes
zas, sendo com o dinheiro a' vista.
As toaHias e 1b*o Pa-vie.
Vendem-ss -superiores tonthas de rtehos para
rwto pelo (Mraiissimo'pneo de 7*500 a dozia ou
a 40 cada urna.
Guardanapos de linho adamascado para meza a
2*800 a dnzia ou a 1240 rs. cada nm.
Superior atoalbado de llnbo com oito palmos de
largura sendo 'branco e pardo, e vende-te mals ba-
rato do que em outro parte, na loja do Pavo na roa
da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Os corpinhos ae seda pretos do PavSo.
Vendem-se os mals, ricos corpinhos de seda pre-
tos, ricamente entenados, pelo barato preco de 12*
cada om : na loja 4o -Pavo na ra da Imperatriz
n. '60, de Gama & Silva.
O cortes de cambraia branco bordados na
loja do Pavo.
Vendetb'seDSTnafs'-frcos -cortes de cambraia rt;'
carnete bordados com'-barras e babados a 20* ca-
da! um : na loja e armazem do Pavo na ana da
imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Ricos vestidos a &$000 rs.
pechincha admiravel.
S o Pavio receben pelo ultimo vapor francez
nm grande sortimento dos mais ricos cortes de
vestidos transparentes co lindas barras eenfeltes
del seda, sendo estes vestidos muito pandea para emperatriz n. 60, de Gama & Silva.
baile e passeios, e vendem-se pelo baratissimo
preco de 8*000 rs. cada um, na loja do Pavo na
roa da Imperatriz n. <0 d Gama & silva.
Os rales reles de renda de Pavo a 8,5000 rs.
Vendem-se os mais ricos chales -pretcs de renda
Cortes de laa escocesa para vestido a 3* -o cor-
te: na ruana Imperatriz n. 52, loja da per lar-
ga, junto a padaria franceza, esto se acabando.
Para luto.
Laas preUs com salplees brancos a 400 -e 600
rs. o covado : na roa da Imperatriz n. 32 noto a
padaria franceza armazem da poru larga.
12(400
Chapeos de sol.
Vendem-se chapos de sol de panno a 4400 e
urna grande pechincha s para acabar : na ra da
Imperatriz:C 52 armazem da poru larga de Pare-
des Porto.
A 10SOO.
Vendem-se pecas de tranca preta para eneites
de vestidos, soutembarques, capas de senhora a
1*600 com -M varas, orna grande pechincha : na
ra da Imperatriz n. 52 junto a padaria franceza.
AS MOLESTIAS DAS MULHERES
retenclo, meostro doloroso, ulcerares do tero, flores brancas, etc., ulcera-
do, debilidade, xpoliaclo dos ossos, a nevralgia e connilsoes epilpticas
qoando causadas pela escrfula.
ERYSIPELAS ERPES; ETC.
Eofermidades itaneas, ernpco, borbulhas, pastillas,
aseldas, etc.
O extracto composto de salsa parrllha, confeccionado pelo Dr. Ayer, urna
combinacSo dos melhores depurativos e alterantes conhecidos medicina; confeccio-
nado segundo as regras dasciencia, apprevado ereceitado pelos primeiros mdicos dos
Estados-Unidos da America do Sul e Central, das Antilhas, do Mxico e das Indias, e
umitas outras partes do mundo: o resultado de estudos apurados e minuciosos, e de
experiencias feitas pessoalmente pelo Dr. Ayer, por muitos annos, nos principaes nos-
pitaes e enfermaras da America; tcm sido approvado pelas academias de medicinae
juntas de hygienne das principaes eapitaes da America do Norte; para prova disto vede
os attestados authenticos no Almanak e Manual de Saude do Dr. Ayer, os quaes sedts-
tribuem gratuitamente nos lugares onde se vende o remedio'.
A SALSA PARILHA DE AVER
Especialmente effleaz na cura das molestias qne tem sua orlgem
a escrfula, na Infeccao Tenerea, no nso
excessiro do mercui io ou qnalqner Impureza do angne.
A.molestia ou infecc5o peculiar, conbecida pelo nome de escrfula, um dos ma-
les mais prevalecentes e universaes que ha em toda a exrensa lista lasenfermidades que
atacam a nossa raca; disse um celebreescriptor da medicina que mais de urna terca
parte de todos dnsHesque nerrera antes da velbice sao victimtrs, ou directa ou indirec-
tamente de escrfula; por isso s n5o 15o destructiva, porm a principal causa de
muitas outras enfermidades que nao Ibe sao geralnrente attribuidas.
urna cansa directa da tsica pulmonar, das molestias do ligado, do estomago
e affecces do cerebro; entre seus numerosos symptomas acham-se os seguintes: falta
de appetite, o semblante plido e enchado; as vezes de urna alvara transparente e outras
vezes corado e amarellento irregular, fraqueza e moeza nos msculos ao redor da boc-
ea; digestab fraca e appettite, falla de energa; ventre enchado e evacuado irregular;
quando o mal tem seu assento sobre os pulmbes trma cor azulada mostra-se emroda ^os
olbos; quando ataca os ergios digestivos, os olhos tornam-se avermelhados; bali-
to ftido, a lingua carregada; dores de cabera, tonterras, etc. Naspessoas dedisposi-
CSo escrofulosa apparecem frequentemeote erupc5es na pelle da cabeta> e ontras partes
do corpo ; sao predispostas as affecces dos pulmes, do figade, des r/ms, des orgfc
digestivos e uterinos. Portante, n5o s3o smente aquejes que padecem1 das nsas *xA"
cerosas e tuberculosas da escrfula que necessitam de proteccSo contra os seus estragos;
todos aquellos em cujo saogue existe o virus latente deste teTrivel flagello (e s neaes com qsatro pona?, senda TauioigraBdes polo ba
hereditario), estSo expostos tambem a soffrer das enfermidades que Me eausa, que So: l4Smlfn2 ^re 8*-IK- IftJI ,,. ,-
A tsica, ulceracoes de figado, do estonargo e dos rins; eropces e enfermidades
eruptivas da cutis, rosa 00 erystpela, borbulbas, pstulas, mscidas, 'tumores, pbeuma,
carbuncuios, ulceras e cbagas, rheumatisrao, rJftres nos ossos, as costas e na caneca,
debilidades femininas, flores brancas causadas pela ulceracl interior, e eafermdades
uterinas, hydropesia, indigesto, enfraquecimento e debilidade gend. j_
Offerecemos a estas pessoas um abrigo segwro e nm antidoto effieaz contra esta
molestia e suas conseqoencias na
SALSA PARRILHA DE AYER
que opera directamente obre o sangue, pnrificando-<3 e expulsando delle a corrupeo e o
veneno da molestia; penetra todas as partes e todos os orgSes do corpo humano, livran-
do-os da sua aoco viciada e inspiraodo-lhes novo vigor. um alterante poderosissimo
para a renovado do 'sangue, e d ao corpo j enfraquecido pela doeoca, tercas e ener-
gas renovadas como as da joventude. ... 4.4 -
E tambem o melhor anty-syphilitfeo ooohemao
cura permanentemente as peiores formas de sypbilis e as stras coTfsequerJcias. Penca
necessidade ba de informar o publico do inestimavel valor de trm remedio que, como
este, livra -q sangue-desta rorropcSo e arrfebata a victima das garras de urna morte lenta
e ignominiosa, porm inevitavel.'se o mal n5o logo combatirlo com energa. -
mn poderosissimo alterante para a renovaco do sangue para darcova tor-
ca ao corpo j enfraquecido pela doenca.
Sendo composto de productos vegetaes, este medicamento innocente eao mes-
mo tempe flBcez, um facto de imnrensa importancia para aquelles que otomam; por-
que muitos dos remedios alterantes offerecidos ao publico tem por "base o mercurio ou o
arsnico^ e sendo assim, bem*ques vezes podem effectuar curas, comtudo ciaixam suas
victimas earregades de umalonga serie de'males, muitas vezes pekif do o^ie o nal ori-
ginal. H. nica eousa neessaria para olrter urna cura radical seguir com jaizo e coos-
atncia as fitreccTfes qne aconpanham cdda frasco.
Nao pretendemos promulgar, ncm queremos que se infke que esta'ComposicSo a
um remedio infallivel para a cuTa de todos os padecimentos humanos; infelizmente
escrfula e a syphits sao edfermidades tao sulis oasuas nalurezas, e arreigam-se 15o
firmemente no systema, que muitas vezes evadem e resistem aos remedios- mais pode-
rosos'que a sciencia humana pode inventar para combate-las: o que dizemos que'O
Extracto composto de salsa parrilha de Ayer
a melhor preparaco at boje descoberta para estas e outras molestias anlogas, que
urna combinarlo dos alterantes mais eflicazes conhecidos, e que esta combinarlo tem sido
regulada por lorigas e laboriosas experiencias, e finalmente que temos eonsciencia de of-
ferecer ao publico o melborresultado que possivel produzir, da intelligencia e pericia
medica dos nossos lempos.
Este remedio develar tomado com systemae regula/idade, e^nSocom abandono,
pois um remedio e nao bebida.
Quando as molestias do figado o3o tem^ua origem na escrfula, o remedio
mais proprio as pillas catoarticas de Ayer, que^o efficaaes na cura da molestia, que
m ,por causa um desarranjo dos orgos digestivos. Ped a salsa par-r-ilha de Ayer e
nao aceitai outra preparaco.
Pernambuco, ru Nova n. 48, pharmacie franeexade P. Maurer A C.
Cortes de cambraia com palmas na leja do
Pavo.
Vendem-se cortes de cambraia branca con pal-
mas, sendo (azenda muito boa, pelo baratsimo
preco de ffSOO para acabar: Da loja e armazem
do Pavo na roa da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Lencos braneos a %$Q%% res a
dnzia.
vndense lencos braneos farenda moiio boa
pelo baratissimo preco de 2$ a dnzia, Ditos com
barra de er a 2JO0O isto para acabar na loja do
Pavao na ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Sil-
va.
Poupenas modernissimas a 400 e 500 rs.
o covado na loja do Pavlo.
Veodem-se poupenas muito finas sendo fazenda
multo moderna de qaadnnbos e liza vendendo-se
venderao mais barato do que em ontra qoalqaer pelos baratos precbs de 400 e 500 rs. o covado na
arte, comprometteodo-se a mandar levar qaalqner leja do Pavo na ra da Imperatriz n. 60 de Gama
fazenda em casa dos tregese que nao poderea & Silva,
vir a loja, on a darem as amostras, deixando ficar drosdenaples pretos do Pavo.
opeohor, assim como ooavidwa ae pessoas, ftO 1 Vondeos-se superiores crosdenaples pretos pelos
negoclam era menor escala beleeimento encontrarao nm grande sortimento 9 cgvado, sendo azenda moiio boa, s jara ac
tanto a retalbo como'por atWaSo,'vendendo-se-rbe -
apenas pelos precos qneicenpran asesas nejle
fiara
bar : na loja e armazem do Pavao, roa da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Bramante de linho do PavSo.
Vende-so superior bramante de linho com 10
palmos de largura, proprios para lences, pelos I sendo" trinas"
baratsimos presos de 24 e. 24600 a vara, assim
como panno de linho muito fino pelos baratissimos
preeos de 640,700 e 800 rs. a vara : na loja e ar-
aiiom do Pavo, rna da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma Silva.
Cambraias lisas do Patio.
Vendem-se pecas ae cambraia lisa muito supe-
rior, pelo barato preco de 34200 e 34500 a peca,
ditas muito finas a 54, 64, 74 e 84 : na loja e
armasen do Pavo, roa da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
PECHINCHA I
a 20000, para calcas, se o Pavo.
Vendem se superiores cortes de meia casemira
com msela de seda a 24, ditas Garibaldinas a
tieOOi ditas escoras a 24800, on a 1400 o cova- Vf
do : na loja e armazem do fcavp, rna da Impera- iw
triz n. 60, de Gama & Silva.
PENTEADOBES
ou roupoes de cambraia bordados proprios
para as senhoras vestirem de manha.
Chegou sta novtdade pata a loja do Pavao,
muito lindos e do melhor gosto at boje, por pre-
cos muito razoaveis : na toja do Pavao, roa da
ATLANTA
Grande novfdarle a O rs.
Aanta a 200 rs.
Atlanta a 200 rs.
Atlanta a 200 rs.
Chegou para a loja do Pavo o mais lindo sor-
timento desta nova fazenda, com o titulo dd allanta
propria para vestido e ronpas para meninos, cen-
an esta modernissima azenda de la com os mais
lindos gostos de quadrlnhos e lisiras tendo entre
ellas de or roa e preta, com listras e quadros
brancos proprias para loto, e vendem-se peto *>
ratissimo preco de 200 rs. o covado unicamenJe na
loja'do Pavo roa da Imperatriz n. 60 de Gama 4
Silva.
As chitas do Pavo a 200 o covado.
Vndese o mais bonito sertimento de chitas es-
coras e rosas sendo Inglesas, mas com os pannos
to encornados como os das francezas que se vea-
dem a 400 res, e liquido-se pelo barato preco de
200 ris o covado ou a 74200 a peca, garantindo-
se terem 38 covados oada peca e seren de tures
fias uto na loja e armazem do Pavao na ra da
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Sedas Largas
Na loja do Pavo,
Chegou para a loja do Pavao nm modernissimo
sortimento das mais lindas sedas para vestidos,
de llstrinbas e ootras de florznhas
com as mais lindas cores, e algumas proprias para
as senhoras que estiverem de loto e vendem-sa
pelo barato preco de 24000 o covado, tendo esta
fazenda quatro palmos de largura, qnt facilita fa-
zer*se nm vestido com poucos covados, isto na
loja e armazem do Pavo na ra da Imperatriz a
60 de Gama & Silva.
Novidade
Para vestidos.
Cbegarara as desejadas cambraias ou tariaiana-
brancas com llstrinnasisendo transparentes e ven-
dem-se pelo baratissimo preco de 54000 o sorte,
na loja e armazem do Pavo na roa da Imperatriz
n. 60 de Gama & silva.
Retondas de dito a f
Manteletes de renda, tazra da nal to superior a
158000.
Capas e sanibaxoharqoes de grosdenaples bor-
dados, fazenda inteiramente nova, por precos mals
baratos qne em ontra qntfqoer pane.
Islo na loja armazem do Pavao na roa da im-
peratriz n. 00 de Gama & Suva.
Gschales do pavo a 2oo e 2ooo rs.
Vendem-se chales de merino lampados a 24
24500 cada ora.
Ditos de merm liso a 34o00.
Ditos estampados de crepon a 64 74. e 84000.
Ditos pretos bordados com franja de seda a 144.
Na toja e armazem do Pavo na rna da Impera-
triz n. 60 de Gama & Silva.
Para ruto vende o Pavo.
Setim da China com 6 palmos de largara, fazen-
da (treta para loto, propria para vestidos e roupas
para homens, sendo esta nova fazenda sem lustro o
demnito boa qoatrdade, garantindo-se nao ficar
Cassis francezas a 210 rs. o coTado.
Vendera-se bonitas cassas francesa de eores fi-
las pelo baratissimo preco de 240 o covado.
Ditas a 280, 320 e 360.
' S na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Grsdenaple preto a I#600.
E' grande pechincha!!
Vndese grsdenaple preto, sendo muito encor-
pado'e de boa largara, pelo baratissimo preco de
14400 o covado : na roa da Imperatriz n. 60.
Os cachinez d Pavio.
Vendem-se bonitos cachinez de lia on agazalbos
para cabeca pelo baratissimo preco de 34600, s
na loja do Pavo, na roa da Imperatriz n.
MO QIMESH4
PECHINCHA ADMIRAVEL.
Grsdenaple preto a 4 600
Vende-se superior grsdenaple preto, fazenda
muito encorpada, pelo baratissimo prego de 1600
o covado, sendo fazenda que val muito mais di-
nbeiro : na loja e armazem de Pavao na rna da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
MANTAS PARA O PESCOCO
a 14, s o Pavo.
Vendem-se bonitas mantas para o pescoco, pelo
iadaattes a 3,300 rs. a pessa.
S na loja do Pavo.
Oales de renda pretos.
Vende se cnales de renda preto 4400Q, nice
loja,qne pode vender na ruada Imperatriz n.33,
armazem da porta larga, de Paredes Porto.^
Q < o s = > < S w ^ tf s
S ^^t acoca s^ SSBo
3-iI 3 &-.! pS-S 3 I g
,5
2.
Fi,,8 -
O
aififs.
la

l
o
.
Dren em barricas peqoent*. "
Cera em velas de todos os tamanbes.
BaglM. ..
Heronrio.
Na rna do vif ano n. 19,
o andar.
Jta
VENDE-SE
Wo tmUM de M. Ramos c Silva & enro, roa do vigarlo
n. it, constartemente, os sega lotes arCtgoa, ae
reeebem por eoeommenda projprla
de
XEW-YOUH.
Legitima salsa parrilba deBristol, preparada por Lanmaa & Kemp.
Verdadeiraagna Florida, preparada pelos mesmos.
Gaz em latas de cinco aloes, o mais. purificado que se pode desejar da acredi-
tada marca F. W. D. & C.
Relogios perfetfos reguladores, com corda de quatro a oito das, dos afamados fa-
bricantes E. N. Wefch.
phia).
Superior oleo para machinas de costura.
Agulhas para as mesm as.
Breu em barricas grandes e pequeas.
Yene-se tambem:

UORDIVI V
1.a analidade.
ISt. Estephe.
St. Juen.
C. llargaux.
C. Lafitte.
i Medoc.

.

.
' '
PORTO
Ia qaalidade,
Vinho fino do"Porto em barris de'r/, 10/ e 20/.
Superior vinho do Rheno.
Cera de Lisboa em velas e em gromo.
Principe Real
Pedro V.
Mara fia.
Princea D. Isabel.
Vctor Emmanuel.
Duque.
Malvazia.
'
i
Pechincha aduiravel
Uazlnhas de qoadrlnhs qne p>reee?Cfla a 240
rs. o eondo, non tnttiwehtotiu, eeO e ae*- i
beodo : na loja n. 82, armazen da porta larga de
Paredes Porto. .._.
Vende-se a taberna da rna da Gaia b. 36 pro-
prio para principiante, e o mc-vo so dir ao com-
prador.
Vende-se nm escravo para engenho, crtnlo
de boa figura e mostr carrelro : a tratar a ra
do Queiaado a. 44.
Qieijw o sertas
Vndese sopertoTaTseijo de serOo : n
JUdre de Seos, armazem junto a igreji.
mi
FABRICA
Be caldeireiro e fondieo de ferro, si-
sebrsaze; como&e&cravos,
Vndese a grande fabrica de calderelro e fun-
Blco de melaes da rna Imperial ns. 181 a188 {
e tratar eom i vio va de BeMSte Jos a Sdva,
na roa lWea_a_3C, oq na rna ia-cadoia n. 87.
"i- Ka roa 4o IooJradorn^/li* so^rtor w-
iasbambtrgnoMi para e vender em porcoes e a
retalbo e tambem se alogam.
Fazendas para a cuaresma.
No armazem da poro tar#a, rna da Imperatriz,
grsdenaple preto a 14400, 14600, 1*800, 24 .
24300, moreantique preto de diversas qnalidades,
os mais ricos chales de renda pretos, e retotidass
com moiu roda, (aseada da ultima moda no mer
cado : do armazem da porta larga n. 52, na rna
da Imperatriz.
~ Vaoitise S ferio_de loroo broto, tarv
para obras de ferreiros, o por preco nmito eem-
modo : a tratar na rna imperial .n. 1,1* andar.
Suaerier do fiaraahnas
lOnn o eOer^ooeivel: a roa do Qoetaado,
Segunda loja n. 18.
f>f imperial
O-sopertor caf do'Rhfdeianerre
arroba na
eo>'
Vigasio
tOaessej
I n. 4i, escriptorio.
-- Venfoae nm carillo cstr*do, orto, boa
andador, bom para viagens, de tr lati e novo;
na cocheira do caes de Apollo n. 7.
ment tem um grande sortimento de todas as fa-
zendas pretas orno sejara cassas e chitas pretas,
lias tapadas e transparentes, princesas, alpacas,
sarjas, etc.: na tojn e armazem do Pavao na rna
da Imperatriz n. O, de Gama ; Silva.
Os baldes do Pavio.
VVendem-se superiores baes de mocolina com
meita roda a 55., ditos crinolines com 35 arcos a
3JS0O, ditos com 20 e 25 a 34, ditos para meni-
a*s, sendo brancos e encarnados a 24 e 24300 4
i loja do 'Pavao na roa da imperatriz n. 00. de
Gama & Silva.
Cambraias de forro a 40600 e 20 na loja
do Pavao.
Vendem-se pecas de cambraia de forro com no-
ve varas oada poca, pelos baratsimos preeos de
14600 e 3: na loja e armazem do Pavo na rna
da Imperatriz n. 60, de Gama A Silva.
Os cortinados do !PavSo.
Vendem-se superiores cortinados adamascados
para camas pelo baratissimo preco de $4 cada par,
ditos moto finos ricamente bordados para ocmas
on janellas a 154, 309 o 234 o par : na loja e ar-
mazem do Pavo bt roa da Imperatriz n. 60, de
Gama $ Silva.
Panno preto-s 20 na loja do Pavo.
Vende-se panno preto. fazenda moito boa, pelo
barato ;sreco de 24 o covado, dito muito tino a
34500, 44, 54 e 64,-assim como casimira preta de
cordoa 24 o covado : na loja do Pavao na rna da
Imperatriz n. 60, de-Gima &Sr!va.
Os esportilho do Pavlo.
Vendem-se nma grande -e variado sortimento de
esparcios dos mais bem feitos qne tem :}vdo ao
mercado, sendo de-todos os taasanbos, vendendo-se
por um preco maito razoavel : isto na loja do>Pa-
vo na ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
A alas bordadas do pavio.
Vendem-se saias-bordadas sondo fazenda muito
boa, sondo ricamente bordadas e com muita roda
vendendo-se pelos baratos preces de 64 8 e 404
res cada ama na loja do Pavao na rna da Impera-
triz o. 0 de Gamv& Silva.
Bretanbas de rol*-1 3.sO0Ofl
Vendtm-se pocas .de bretanba -de rolo com 40
varas eada peca, pelo baratissimo preco de -3? :
na oja e armazem do Pavio, rna 4a Imperatriz n.
O, de Gama & Silva.
Roapa fcita:
Na loja do Pavio
Vende-se neste estabeleclmento non grande sor-
timento de ronpas, tanto de panno como caiemiras,
e brins e pelos -baraiissimos proeoe como sejam
calcas de casemira preta a64 74 e.'fifOOOreis, pa-
letols de panno preto saceos a 64 84 e 124000 rs.
ditos sobrecasacos de panno finissimo a 124 184 o
254000 reis, ontros moitos artigosqne serla en-
fdennos aqnireltalos; s na loja e armazem do
iPavio rna da Imperatriz n. 00 de-Gama A Silva.
L*ja dsfav*
armazem de azeudas
baratas de Santos Oeio
Ra do Quelmado n. 19.
Vende-se o segninte :
Cobertas de chita da India a 24400.
Leneoes de panno de linho a 24200.
Ditos de bramante de locho de nm s panno
342OO.
Lencos de cassa brancos proprios para algibeira
a 2^000 a dnzia.
Algodo enestado cora 7 lf2 palmos de largara
a 14200 a vara.
Atboahado de linho a 24800 a vara,
Dito de algodSo a 24 a vara.
Goerdanapos de linho a 34900 a dnzia.
Pecas de cambraia de salpico* a 44500.
Laazinba aborta de eores a 320 o covado.
Cambraia branca de forro a 34 a pega.
Pil de linho liso fino a 800 rs. a vara.
Dito de dito com salpicos a 14 a vara.
Panno de linho fino com 9 1|2 palmes de largu-
ra pelo barato preco d 24400 a vara.
Madapotes finos a 84, 94,104, tti e 124-
Cambraia lisa de 44500, 54,64, 74 e 84 a pepa.
Pecas de bretanha de algodao com 10 varas,
propria para saia, pelo baratissimo preco de
34500. -
Liazinba lisa de cores a 500 rs. o covado.
Cambraias finas de cores miodinbas a 360 rs. o
covado.
Estelra da India propria para forro de sala de
4,5 e O pnlmos de largura, per menos preco do
qne em ontra qualqner parte.
Neste armazem tambem se encontra nm grande
sortimento de ronpaleita e por medida.______

Sedabas a 300 rs. o covado
SedHuu a 500 re.
Sedkhas a SO* rs.
tende-ee na loja do Pavio, nm grande sortimen-
to de aedObas listradae com aais bonita* eores,
sendo os padros mais aovos qne tem vindo ao mer-
ea*o, e v 4eetoe8 o covado, sendo fasenda qne valem mito
mais diobelTO, e ga4e pechincha por se 4er
cempradonma grande partida desta fasenda, aa
loja e armazem de fasenda do Pavao, rna da la-
peratriz n. 60 de
Para a qurreftaa.
Vende o Pavao.
Superior grsdenaple prto a 14600.14800 e 24,
e ontro multo largos 14800, 34 e 3200, e o supe-
rior mire-atMiquo a 24*SO* H, seda preta-Javra-
da a 24 a 14809, o setim preto 4 34500; aa loja
do Pavio rna da Imperatriz n. 60.
' Cortes de vestidos.
Pretos a 300000.
Vendem-se corteado vestidos pretos bardado a
velado pHo barato preco de 304, para acabar; na1
loja do Pavo n. 60 de Gama & gilva.
Lasinhas matisadat a 320 rs.
Vendem-se es mals lindas laasiabas matizadas
com os mais bonitos desenhos, pelo barato preco de
320 rs. o coraflo; na loja oo'PavSo a rna da Im-
peratriz n. 60 de Gama & Silva.
Os efcates ^ guipure a 12# ltf,&000,
Vendem-se os mote ricos ebalos de Gnlpnroa de
randa So unto e seda, pelos baratissimos procos do
124 e 164; grande pechincha em reiacio a boa
qualidade e lamanbo dalles: s'na loja 00 ravae,
roa da Inperatrli n. 60, de Gama & Sirva.
Vende-se pecas de madapolao fino com 12 jar
das, pelo barato preco de 34500 e 44000.
Chales de renda.
Na loja do PavSOV
Beceberam-se os mais lindos chales pretos de
renda, assim como as mais modernas e compridas
relondes, e manteletes da mesma azenda, e vende-
se mais barato que em outra qualqner parte: na
loja e*jmazem do Pavo na roa da Imperatriz n.
66 de Gama & Silva.
Castor a 3(0 rs. a covado.
Para caicas.
Vendem-se superiores castores mnito encorpados
padrees escaros pelo barato preco de 320 rs. o co-
vado, servindo esta fazenda tambem para escravos
por ser de muita duraco; na loja e armazem do
Pavo rna da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Chapeos para meninas a 6,000.
S a loja do Pavo.
Se vendem os mais bonitos e mais bem enfeita-
dos chaposinnos de palba da Italia, proprios para
meninas, pelo baratissbno preco de 64000; na loja
e armazem do "Pavao na ra da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
Attencao.
ULTIMA NOVIDADE
Para sabfoado de Alleluia
PENTES,33NFEITES, CINTOS.
Gama^t Silva, acabam de receoer pelo nltimo
vapor Irancez, nm grande sortimento dos mais ri-
cos enfeites pretos e de cores proprios para cabeca,
sendo guarnecidos-eom as mais lindas flores, e com
voltas das mais bonitas perolas; assim como osmais
modernos e engranados penies da verdadeira tar-
taruga, marchetados sendo a nltima novidade
que tsm vindo de Pars, e os mais ricos cintos Com
Otas maitinadas e ftvelas largas, conforme ultima-
mente se osa as primeiras eapitaes da Europa, o
vende-se por preco em conta por ter chegado em
direitora para a loja do Pavo, ra da Imperatriz
tu 60 de fiama 4 Silva.
Glande pechincha
Em chilas.
A tela pataca.
A meia potara.
A meia pataca.
Vende-se na loja do pavaum grande sortimento
4e obttas inglesa*,-sendo fxzs e cor de rosa, com
padroes mals miados e mais grados, afflancando-
se ser de cores flus, e vende-se pelo baratissimo
preco de 64 a peca, tendo 3* covados, retalha-se
a 460 re., sendo laceada que sempre so venden .a.
04 a jieea ou se raulbou a 280 rs.; esu grande
pechincha llqaida-se. por este prego na loja e arma-
zem do pa3o, rna da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
mmm mmmmL
Para a quaresma
O* chales lo n*ao a U U e 844
Vendem-se reos chales pretos de renda muito
grandes eom qnairo ponas, rodeos mals moder-
nos por ttem chegado pelo SUBO vapor francez,
e veadem-M pelo baratissimo preco de 64, 74 e,
84 : na loja do Pavio, ra da Imperatriz n. 60, de
fGama di Sirva. _^
As rvtanas dafavi* a 8 e 4%
Vendem-se as mais ricas rottndas de renda pre-
ta, sendo mnito grande?, ano lo as oe mois se
usam, feto baratissimo preco de 84 o 104 : na
toja a armazem do Pavo, rna da Imqexatriz n. 60,
de Gama & Silva. :
Chitas pretas a.lOrs:
Vendem-se chitas pretas inglezas, sendo fazenda
mnito boa.-aelobaratisslmo preco de 160 rs. o co-
Tasso Irmaos
Vendem n* sea armazem rna do
Amerim n. 35.
Licor fino Cnraco em botijas 8 meias botija;.
Licores finos sonidos em garrafa? com remes d*
vidro o em lindos frascos.
Vinhosliberes.
Santernes.
Chambertin.
Hemitage.
Borgonbe.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
Bordeanx.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniol. ____________________
Aitenco

Na antiga e bem conhecida refinacao a* ra dac
Larangeiras n, 12, encontrara' o respeitavel pu-
blico um completo sorlimenlo de assucar de ear-
co, refinado e candi, bem como caf em grao e
moido, sevada moida, cha' verde e preto de muito
boa qualidade, velas de composicao ; e tndo por
precos moito commodos.
Casa de bilhar.
yende-se a casa de Lilhar e caf com os buha-
res, mesas de pedras, sofas, cadelras, espelhos, re-
logios e todos os pertences.do referido estabeleci-
mento, podendo os pretendentes obter qaalquer
informarao no primeiro indar do sobrado da rna
da Cruz n. 38.
Quem duvidar venha ver.
Moreaotiqne superior a 24800, grsdenaple su-
perior a 24, dito mnito largo a 14280, chales ren-
dado muito grandes a 74, retondas novos desechos
a 84, cortes de cambraias riquisslmos gostos a im-
peratriz Eugenia a 54300, ditos de la a Mara
Pa per 64, cobertas de chita da Persia a 24100,
chitas inglezas a 64 a peca ou 160 rs. o covado,
para acabar : s na ra do Queimado n. 17, junto
a botica. ______.
m.
oo no
o me-
No armazem da ra do Imperador n. 3
Caes de Pedro II n. 2, tem para kvender-se
bor caz existente no mercado.
CARNAUBA
Vende-se cera de carnauba mals barata do qne
em outra qualqner parte) ifna rna da Madre de
Dos n. S.
Escrayos fgidos
KSB
a peca com 38 covados : s na
roa da Imperatriz n. 60, de Gama &
Lazinkas-a 200 rs.,so *
Pavo.
Vondom-ee modetoas lazinbas com "lindlssirnos
gostos, peto baratissimo prego de 200 rs.; gran-
de pechincha : s na loja do Pavao, rna da Impe-
ratriz n.-flO, de fiama & Silva.
Fomteipo ______
Vendem-se caixSesde'lbmade Flandres
n 00 rs. fiada un: na ra da Cruz n. 6,ar-
'.imazem.
No da 7 do crrante fogio o preto Manoel,
baixo, groeso do corpo, tem as pernas nm pouco ar-
queadas, e mnito conbecids por Manoel cangama,
quem o levar rna de Apollo n. 30 armazem de as-
sncarde A. H. Rodrigues, ser bem gratificado.
" Ausentou-se da casa de Feliciano Jos Go-
mes o sen escravo crloulo de nome Felippe, esta-
tura regnlor e picado no rosto de sgnaos debe-
sigas, tendo sabido do logar da Boa-Viagem san-
bado a urde lOSo torrate mez e M visto em 15
no engenho CSHsjar), ellOOda se ausentou no
mesmo dia : qdem'o pegar elevar a sea dono na
roa do Apello n. 06, ser geaonsamonte recom-
ponsado.
Fogio de nm sitio da estrada do Arraial o
cabra Manoel, natural da Parabyba, tendo os sig-
naes segointes: oKura e corpo regulares, rosto
multo bexigoso, e diz se cazinboiro e pedreiro, tem
o dedo inmediato ao mnimo da mo esqnerda
aleijado de nm panaricio, levon calca de casemira
cor de sima ja \-elha, camisa de fazenda qnasi se-
melbante aoda^catea eohapo de fel-o ansbean
velho :.a#essoa que o apprabooder le veo a pren-
sa de algodo do caes de Apollo n. 59, qne ser
recompensado.
i i. "
Fug epreta .erieola de orno Beaodiota,.-de
esutura baix, orno regnlar, pos apalhaudpf,
testa pequea, tem nma grande marca de ferlda
em mn doswcos.aeinIdenira*ir,Tevonoas
vestido, no*i01oxae etnOraa o abuvlseos e
oilre de toa coso ramagem da coros, o um panno
preto fino bandado de ourelo ; esta preta costoaa
mndar o nome e dizer-se forra, soppe se estar
aconudaemalguma cisa : quem a pegar levea-a
a* ra Wrelta o. 4 oo a a seo aenbor Joa Jere-
nymo da Silva, qne ser recompeafieao oem geao-
rositade.



--- :?!
^-^**


8
Diario ele *Pernaaee> ~ -Vi
-"
LTITERiTDRA.
0::era campllce, mu imitou a Catio de Utfoa na
porseveranca contra a tyrannia, e imitarla Lacano
na raorte, se os Stuarts tivessem tido sede do sin-
gue do poeta romano. Seja qual fr a causa, o
bomens flzeram da constancia nnu virtude ; ella
parece elevar o bomem cima da Crian, es
dolo vulgar da noss frgil bomaaidade.
Honve de mais na ta* 0 Beluario
MIXTO*-
(Lamartine.' Trainero de T. A. A. Jnior.)
XXVII
A viuva de Milln definnou na obsenridade e in-
digencia, e morreo' de isolamento poneos annbs *"s poetas, ires cousai'-fB-J*
depois delle. As filhas desposaran) pobres ajrlistas rara a sua memoria affectoosa n'aloii dos horneas
do, arrabaldes, que tinham habitado cora o pal. de piedesa admiracao: a velhlce, a indigencia, e
... a cegaeira.
Dois destes artezes eram teceloes. As urnas ae Hi)m. aan n.mn
Milln teceram panno com seas maridos. Trinta J^J e"9' era *'* prto
anuos depois da sua morte, quando o Paraiso-per- ^w?" ^J? *"? meBno
m, por multo tempo desconhecido, lornou-se ce- eSr^^KbfKl" "" ""
lebre ; qoando os seos corapatrioUs, por urna des-
sas vclssUudes, que exhumam os livros, como os ( As creaocas, que condaziam Milton pelas colli-
horneas, exhnmaram o poema de Milton e coroa-, J88 d Londres, eram saas proprlas nihas, lasc -.
ram o poeta, como Ignex de Portugal depols da,s de wus amores com sua prmelra mulber, coa-
sua merte, vanos curiosos de gloria buscaram na m objecto de saudades. A ternura filial e o re-
oacundade os descendentes do grande bomem. {conbecimento paterno acorescentam assim a ter-
Dsbora, sua fllha querida, anda viva na casa do nr 8 moralidade i velhice, miseria, e i infer-
tecelao de Spilflelds, qun,,a tinba desposado. : mldade do poeta ingles.
Apresentaram-lhe oa retrato coroados de looros,| Os melbores retratos de Milto o representan
a ella recoahecendo-o e abracando-o, exciamou : sentado junto de um carvalho, ao por do sol, com
Oh mea pai I Oh meu cbaro pai I porque nlo rost0 TOl,ado Par* "los d "ro, dictando
has de poder sabir do tmulo para ver a la glo- f"0,3 a 3M mal 1Qer,da. Dbra- DD<>r* e
na urda brotar sobre o rosto de tua querida fl- JS* ?OIkdo pal; sua mamer abel **"*
lh, .-"" ,""' ,C0IDO observava o esposo depois da cuipa
Adisson, o celebre crit.co ingles, que era por; Cig0 *" du" fl,bM mais mo" coian> fl-
esse tempo ministro da marinba, obteve desta prin- Z^TST' l V F "**'" 'OrS
ceza urna gratificaco de cincoenta guineos para a *** B22 d9 *"**"" 8WM s*uhos-
oobre Debora L Pensemos ovolunuriamenle no que virio a ser
esta esposa e estas meninas depois da raorte desde
O grande posta lyrlco da Inglaterra, Dryden, insigne e augusto velbo, e o poeta, assim reprodu-
leodo o Paraiso-periiio, exciamou : sido, mais pathetico do que o poema.
t A memoria deste bomem offusoara' a todos Felizes os horneos, que assim teem urna lagrima
nos! sDre a sua gloria I Esta gloria ento desee at o
Dryden enganava-se na torca do entbusiasmo. craco, e s no coracao o poeta verdadeiramen-
Havi&s mais preoccupac&o e patriotismo do que
verdade na opinHo, que exaltou Milton cima de
todos os poetas da GraaBretanba, trra da poesa.
Os Ingleses orgulhavam-se por ver um poema pi-
co, forma de poesa, que ento pareca a obra pri-
ma do espirito humano. Os Franceses tlveram mais
tarde a mesma illuso sobre a Herniada. A Hen-
riada morreo, o Paraso perdido anda subsiste e
merece subsistir por algumis das suas passagens.
Porm Milton devia baixar e Sbaksneare engran-
decer de seclo em seculo na posieridade, porque
Milion era imitador e Sbakspeare creador.. Urna
scena de Romeo e Julieta revela mais agudeza e
contm mais lagrimas do que todo o Paraso-per-
dido,
Tasso bavia cantado o ultimo dos poemas picos.
A epopa, sorte deapotbeose ou narraco dos h-
roes histricos ou dos deases imaginarios, nao se
. coaduma mais com o mundo moderno, que busca
os seos hroes na historia, e Dens na razio.
A poesa dos grandes bomens acba-se nos acon-
teca: en tos reaes da sua vida ; a poesia do cu
acha-se na rejigio ; o maravilbo encontra-se na
natoresa commentada pela sciencia. As fbulas,
em vez de engrandecer os hroes, a natnreza e
Deus, amesqunnam ludo.
Se anda devem os futuros poetas (azer urna epo-
pa, sera' a epopa intima do coracao humano.
te immortal.
FIM.
Pois eu'snapuna, acode o interlocutor, que
era para livrar o administrador e os seas amigos
dos enormes e numerosos eompromissos, a que se
sujeitarara para vencerem orna eleicio.
BataeJH rejo os presidentes nlo devem
tatervir em-eleices ?
Assim recoramraenda o governo.
E, por orde Sera Intrvm os presiden-
tes em eleices"?
Isso agora qoe nao sei.
A VIDA DO ESTO
Olba para o relogio impertinente,
Mal acorda o estudante entorpecido,
Coitado I A hora d'aula pe-se em (rente
L nio vou I brada elle enfurecido.
Espreguicase na rede aborrecido ;
Pragueja contra explicares do lente,
Que, de dormir t flear podrecido,
O privam do dirnto tio Ingente.
Da licao nem se quer pesco um bocado
A caderneta de faltas est se enebendo;
Perco o annol exclama o pobre apoqueutado,
Enfla calcas, paletot e sabe correndo.
Ghega n'aula de saor lodo bnibado,
E com medo de espixa entra espantado t
----------^------------
Depois que urna epidemia eessou de fazer gran-
des estragos em Franca, na til familia das galli-
nceos, ebegoa o turno da familia dos pansa-,
rinbos.
l'M PtCO DE TODO.
L-se na Gutentu de Bordeus:
Um d'estes dias, pelas 2 horas e meia da aile
gritos agudos se faziam onvir em urna easa da rna
Cron.
Debrucada n'oma das janellas urna mulber an-
da nova, em attilode angustiosa, bradava por soc-
corro com vos afflcta.
Dentro de cinco minutos os visiobos e os mora-
dores da roa pozeram-se em movlmento o aaudi-
ram Iigeiros.
Ao abrir a porta do aposento, a cha ram-se em
presenta de um horroroso espectculo.
Ura bomem de idade de 60 aunos, segundo ditem
o Sr. V., jazia estendido no cbo, sem dar stgnal
algnm de vida.
E' interrogada a molher, porm dominas per
urna viva emocao e por orna pungente dr, respon-
de apenas por soluco.
Examioam de mais peno o desgracado e no-pei-
to golpeado por nm instrumento cortante reeonhe-
cem vestigios de cinco eridas.
Ao lado delle jazia urna navaiba ensanguentada
Os pardaes e os pi tasugos, que ess enfermi da-
de ataca, de preferencia sos outros pasearos, vera
adejar em redor das pessoas, como se estivessm
domesticado*.
Esta sorprendentemetanmrpnose dbvida a um*
cegueira qnasi completa.
Os olhos destes pobres animaeslnbo estie co-
berlos por urna memOrana esbranqoicatin, asss
espesas, a qual deixa apenas entrever papilla,
qoe se toruou opaca, i
Na rmpossibilidade de-procurarem o se aumen-
to, os pobres volatis vem-se reduzidos a morrer
de fomer qoando nao csiism-nas garras do bomem,
o a de algoes animal.
A esos desta enfermidade- preciso evidente-
mente procura-la no ar.
Porm o ar um Anido mai complexo.
Encootram-ses vezes no-sito mar bancos- 8uc-
tnantes de peiies morios, como se tives ;em sido
envenenados por um agente- desconhecido.
Acaso nao pederemos sopper que pbenomeaos
anlogos-se produzem no ocean gszoso, qoe de to-
do os lados cerca o globo- terrestre, e em enjo
fundo nos habitamos ?
Vasto poema, que tomasse o homem no berco \ e sobre urna mesa nm copo conservando aindn. ras-
que o condnzisse ao tmulo atravs das vicissitu-
des, alternativamente felizes ou desgranadas da
existencia ordinaria dos bomens ; que pintasse e
nascimento, as idades, a familia, o tecto domesti-
co, a ternura, as delicias do lar, a religio, as pai -
sagens, as proQs.'Oes, os misteres, os encontros, as
separacaes, os amores, os obstculos, as lacera-
(oes, as alegras, as agonas, as resignacoes, as
mortes da especie humana, e que Qzesse brotar
destas scenas vulgares os sentimentos, os gritos, e
as lagrimas do coracao humano, tal poema, mol-
durado por pincel verdadeiro e pathetico as mag-
niBcentias e as tristezas da creaco material, se-
ria a epopa do sentimento, o poema do bomem,
os Fastos do Ovidio da civilisaco moderna. O
poeta, qoe tentasse canta-lo aos bomens dos nossos
dias, nao necessiiaria de outro sobrenatural seno
a creaco de outro maravilhoso seoao o inOoito,
de ontra fbula sene a verdade, de outra lira se-
no o propno coracao. Esse seria lido no palacio
e na cboupna, no campo e na officina, na opu-
lencia e na miseria, at que neva ordem de socie-
dade transformassa as condieoes humana;, os ho-
mens e as cousas, em outra civilisaco desconbe-
cida, que por sua vez creasse nova epopa.
Nem Milton, nem Voltaire conceberam cousa
igual: eis porque a Herniada caducou, e porque o
Paraso-perdido nao passa de um monumento de
bibliotheca. A poesia corre as mas, e os poetas vo
procura-la nasnuvens.
Feliz aqnelle que encentrar, onde ella esta', isto
. na verdade e por toda a parte Esse nao nasceu
anda.
XVIII
Seja como fr, o nome de Milton fleon e Bcara'
memoravel por dois ttulos na historia dos espiri-
to; eminentes, qoe balizam os seculos : grande
pela poesia, grande pela poltica. Quanto a' sua
poesia, nos a temos caracterisado em suas cita-
coes -, mui!as vezes imitada, mas o plagio em
Milton digno da anliguidade, que elle copia.
Quanto aos seus actos nos os reprovamos em sua
glorificaco do regicidio. Mas se a sua penna foi
um da cruel, o sen carcter cvico ao menos nan-
ea foi indigno. Elle nao abandonou a repblica
vencida e martyrisada, quando esta foi trahida por
Monk e pela fortuna. Nao deu Ignobeis desculpas,
nem se desdice miseravelmente diante dos trium-
pbantes Stuart; nao fogio como culpado aterron-
ado pela pena, ou envergonbado do crime; ficou
corajosamente na Inglaterra, com a responsabili-
dade das suas opinides e dos seus actos, prompto
para dar seu sangue a liberdSde, como desgraca-
damente lbe dera por penbor a cabeca de Car-
los L
-Milton leve eonstanc-a na missiva, a mais rara
das virtudes humanas. Imilava Mario as prej

tos de um liquido corrosivo.
Foi ento fcil a explicado do que se tinb pas-
sado.
Alm dlsso, a Sra. V. fez comprebendv qoe
seu marido havia tentado contra seus proprios
dias descarregando em si urnas poocas de faca-
das e tomando orna grande poreo de acido de ni-
trteo. '.)
V. nao esta va mor lo. ':,
Foram-lbe, portanto, ministrados os mais soilici-
tos soccorros, at que" a justiga fosse tomar eonbe-j
cimento do facto.
Tres das eridas parece nao apresentarem gravi
dade alguma; as outras duas sao mais graves.
Qual foi o movel d'este acto de desespero ?
DiBerentes versoes circulara; daremos a nica,
que nos parece verdadeira e que > effectlvamente
mais plausivel.
O Sr. V. bavia comprado nm magnifico colla* de
diamantes por 6:000 francos.
nicamente a barateza d'esta pega o levara a fa-
zer a sua compra, com tene.5o de fazer d'ella. pre-
sente a sua mulber.
Algn* dias depois, V. soube qne o colla* provi-
nha de um ronbo e que o seu valor real era de
60:000 francos.
Esta noticia causon-lhe umadesfavoravel impres-
so e desde ento comecou a ser agitado, por temo-
res que lhe nao deixavam repouso algum.
Foi em consequencta desta perturbaco de espi-
rito que concebu o piano e chegou a manifestar
designio de por termo a existencia.
Um destes dias pela manhaa pareca mais perse-
gu.du por aquello pensamento.
Por diversas vezes procarou, sob di Eferentes pre-
textos, affaslar sua mulber.
Esta conservou-se sempre junto d'elle, vigiando
os sens menores movimentos.
A's 2 horas da noite pedio-lhe para ir a adega
buscar vinho.
. A mulher annuio e durante a sua curta ausencia
que o Sr. V. pz em execuco o seu fatal in-
tento.
No-diafl do correte, as 8 horas da manbia, teve
lugar em Versalhes^ em presecoa de urna granda
mnllidao composta em grande paite de gente dos
arredores de Par.;a execuco- de Poaset, assassino
do Sr. La varga.
O-oondemnado, qoe, depois * imprvido
o sea recurso do tribunal superior, liaba perdidos.
firmeza que at ento mostrara^, recobrou alguma
para sabir ao cadalalso, apoiade no veneravel oa-
pello-das prisoe, qoe lhe predigahsea at os ulh-
mos- momentos as consolares da religio.
Ae*eoucao lase sem nenboma eircumstaasia
notavel, e ainda obegavam maltes cariosas
a triste ceremocu-ja eslava tsrmioada.
crustada de mar^m, prata e sacar. O navio tinba
urna na aooMajn, ama blbliomeca e nm corpa le
guarda para os soldados, defendido per grossss
torres de madelra e ebeias de exceiientas machi-
nas de guerra. r^
Esta galera monstruosa. era de 12:000 tonela-
das.
Por nio haver na Sicilia porto algum que lhe
podesse dar asyio, Hleron dieldio-se a fazer pre-
sente d'ella ao rei do Egypto. '
Se se deve dar crdito ao mesmo alhenea a a
Plutarco, ceno navio de Plolomen P|l|opator nao
foi nem menos esplendido.
O seu comprimento era, dizem ellas de quatro
ceios e vinte ps e a largura de sessenta.
Tinba dote andares; a proa elevava-se cima da
agua setema e dus ps. Um trplice esporo de-
fenda a sua proa bizarra. .
Qoarenta ordens de remos impelllam esta massa
gigantesca; os da ultima ordem linbam setenta e
dous ps de comprimento.
Dous mil soldados guarnsciam as plata-frmas
dos castalios, assim cmo a galera col locada ci-
ma de todas as ordens de remos.
Bosquesinbos, canteiros eheios de Sores as mais
raras, recreavam, pelas saas variegadas cores, a
vista do orgolboso monarcha; os metaes preciosos
reaicavam a sua popa esculpturada e guareciam,
em caprichosas alfavacas, os vastos flancos do co-
tos marinho; as suas velas de parpara e trama I
de onro despediam mil cores aos ralos do sol.
Finalmente, quatro grandes remos, servindo de
lemes, .cortavam com as saas superficies dooradas
as cures sciotillantes do rico navio reflectido as
a'razo
Transcrevemos o segulnte:
Perguntando um sujeito a outro qual
porque de ordinario os presidentes eram demitiidos
depOis de terem assistido qnalqaer eleicio na pro-
vincia, responden este: .4
E' porque todos elle?, depois de orna eleicio,
acham-se mais ou menos complicados-no art. 101 do
cdigo criminal; e nao qaerendo o governo sujei-
U-los a um processo, na tncertesa da pcnlcio, e
para evitar delongas, appliea-lhes logo a pena de
perda do emprego, que est na aleada do poder eie-
cutivo, e deixa as de prisio a multa, cuja applica-
E' do Sr. Godofredo Autran i
DEVAKEIO.
Soitdao, soiido deixa em lea sei
Reclinar docemente a miaba fronie ;
Abre-me os breos teas, nio le amedrante
Na flor da mocidade o qne pranleio t...
A anrora da paixao boje receto
Da vida ven brilbar no borisonte ;
D'amor as- illusoes, d ojoas affronte.
Vi vendo no tea seio em doce enleio.
aguas.
Segae-se o cDrago de Alaf; depois, no XII s-
cula, a au de Byzancio.
N o XV scalo figura nma caraca (navio de 200
toneladas) a Charata*.
Este ultimo nao o oais clebre da ana epo-
cha; a Marie-la-Coriire, commandada por Primo-
goet, tornou-se nsnavel (em 1513) por piodlgios.de
valor, L
Um outro grande navio desla pocha, construin-
do por Jaques IV, ret de Escocia, tinba duzentos e
qoerenta pea de com pudo e trinta e seis de largo y
o sea costado era tao espesso, qoe oenbuma bala
de artilheria poderla atravessai-o.
E-elle occopou toda a Escocia para ser lancado
a agua.
Eslava- armado com seis- caabdes e tres basilis-
cos de cada lado, e alm d'isso com treseatas boc-
eas de logo de pequeo calibre, a saber: pegas de
rodizo, falcoes (pegas de 3 polegadas de dimetro)
e quartos de falcao, slings (fondas), com arcabu-
zes, cciumbrias, arcos de fracha, etc.
Tinba trezentos marinbeiros para a manobra,
ce oto e vinte artilbeiros e cem bomens de guerra.
O Grtat-Harry, parece lar sido urna das obras
i primas. ? s* ,
As saas-velas a gamardetes eram de brocado de
oro.
O estandarte real floctoava aos- quatro santo do
castello de pepa.
Este navio condasie-em IfiOo re de logia ierra-
a' entrevista para oja o conoidra Francisco I.
Era de mil desalas tonelada e armad de cea.
to a vinte a duas boceas de fogo.
D'esta s.quatro que podiam ter verdadera-
mente o nome de caabdes.
Anda que fosse a maravllha do lempo, nao pas.
sava, comtndo, de nm navio de parada.
Muito annos antes que o Geat-Harry ardesse,
um outro navio, cuja existencia devia ser mais r-
pida ainda, se cooetrnio no Havre.
A Frtnceva foi o sea nome, mas nao poda ser
Uancado ao mar. f
O CuragwM. teve no IVkvr a mesma sort.
O grande navio Corda, lev ua flm menos tra-
fic.
Fzia parte da esqnadra que Rchelieu procara-
va reorganrsar.
Ja que a sorte feliz me-nlo coosen te
Gozar dos meigos sonos da ventura ;
S benigna e me acolite meigamente.
Qu'ioporia viver sempre em noite eseiwa 11
A frieza que teas meo ser nao sent,
Pois qu me d encantos e docura. .
O Great Easttru, nao o nico navio cojas di-
mensoes coilossaes tenham lancado urna especie
de desafio aos furores do Ocano.
De urna breve reseoha, mas cheia de interesse,
dos grandes' navios que teem sulcado os mares,
feita reoentemente n'uma obra do Sr. Bernardo.
i As mar vil has da arte naval, um jornal fran-
cez exlrabe os s'guintes cariosos documentos:
< Um dos mais amigos gigantes do mar a galera
de Hieran, que, segundo diz Alhenea, tinba vinte
ordens de remos.
Foi arebimedes que deu o piano para ella.
Trezentos carpinteros e grande numero de
aprendizes construiram-na n'am auno i gastaram
oomelia tanta madelra quanta era precisa para
I 1 lc E' do Sr. Carneiro Vilella:
OS DOL'S PRIMOS.
(Baladas.) -
Queros ver o sol nascente
c Como doura docemente
c A nossa bella casinba ?
c E quer es ver como arrulba,
. Junto a fonte qne borbulba,
< A nossa amiga rolInbaY f
i Picoa deluda:
c Monta aqui, qoe assim montada
Irs com menos abalo.
Ir aonde?
Ir a casinba,
Ver a candida rolinha 1
Ficalonge?
Muito parto!
Vas voando I..
Nogallopel *
Tenho medo que elle tope I...
t O cavallo.'..
E' muito experto 1
J nao vejo a nossa casa I..
Pouco importa I
Primo, praxa,..
Praza aos cus qne eu chegue j 1
Cbegars!... olba o vestido...
Qoe camlnbo lo comprido I...
J chegamos ?
Sperall
Voa cablndo I
Pois segara,..
c Agarra bem na cintura I >
Gomo? assim?
Nao f
+ Mais?
Assim I
Obi que vejo ? tanta gente I...
< Tenho* medo I
Son valente I >
Ai! i
Segura mais em mim 1

-Obi meo Deus I que feia era I
- Nao le assostes I >
Primo, pira I
c Ja nao possot eston caneada!
-J chegamos l *
Qne casinba t *
E' bella f
-Sin I
Pois minba. ?
KoJU H do corente, eonta ama folba fraoqeaa,
C6tej|*'l dfl San, ,e'o do Monte
em *, no mwo da ub numeroso coaeumo, o
fuoefWde wr. Labrooste, director do cofleglo'de
Santa Barbara.
A Srav C, cojo' marrido um dos nossos duiinc*
los pintores, achava-se na nave, :qnando ae sentlo
aperlada por um mancebo anda omito novo e ves-
tido de colleglal, que eslava ao p d'ella.
O' senbor, tem a bondade de me apenar me-
nos ? disse-lhe ella.
- Perdao, senhera, respoodenHbe He, nao
por querer, porque me apertam ttmbem.
A Sra. C. bavia sentido como que bnliremlhe na
algibeira do vestido ; quiz levar a mo a ella, mas
a mnltido qne se apertava para sabir, impediio-a
vendse por Isso obrigada a esperar alguna ins-
tantes.
Quando se vio ura pouco mais i vontade, deu
pela desapparico de um porte-monnaie que trazia
com dous bilhetes do banco de 100 francos e a
quantia de 60 francos em ouro.
A Sra. C. sospeitou do roub omanceboquea
apenara e que, segundo todas as probabilidades,
nao era mais do qoe algam preeoee ratooelro inde-
vidaaMnie revestido do uniforme do coiiegio.
Teoleu ver se o encontrara, mas os seus passos
foram baldados e apenas pode levar as saas quei.
xas ao conheci ment da autor idade.
; -'
Tna, primo Tf
-Ests tortada I

Eu? rooflada?l
Quera duvida?
Me engaaste I -
Minba vida
r E' tna desde o momento
rEmqaev! Tris caso I
Se tu queras... ea me caso...
Ah se acaba em casamento!
-
Promptament*... si quizares I...
Qoe perguota I....
Pois. taqueros?
c Aates sejes minba irma I
Ueste caso von-me embora I.
Ab!' priminba r
Que demorall... *-
Clisaremos a manhaa I
- Quero, sim! i
--Pois vem comigo.
Vamos logo ?
J te sigo,
i Vou bascar a tua irma.
Vem depressa qae-te espero.
-Nao I
Porque?
Mas o qne dir mam ?
Porque oo quero I

cripcSes sanguluolana&Wepublica, de qoem se I So nao lhe compete
ti
\
FOLJETIM
A SEPULTURA DE FERRO
POR
Henriqne Conscience
(Continoaco.)
XXI
Qoando en estar a trabalhar em silencio para
dar ao mea grapo as formas ptofrtu i expressio
final do mea pensamento, abrfo-ie de repente
pona do mea quarto, e antes qne ea podesse dar
nm passo para ver qoem ia encommodar me com
lo penca ceremonia, o Sr. Pavelyn apertou-me nos
bracos, dando-me alegres parabens pela minba vic-
toria. Havia apenas meia hora qoe os juizes do
concurso tinbiim dado a saber a sna deciso. O
mea generoso protector, qae bavia multo tempo
que prometen ao bedel da academia ama boa re
iiempeaso se fosse elle o primeiro a qoem desse
tio fausta noticia, recebera immediatamente aviso
da deciso solemne, e correa sem mais demora a
cemprlmentar a feliz vencedor, o artilla qae lbe
devia o seo talento e o sen loeeesso.
Rebentaram-me as lagrimas, nio unto de alegri
pelo meo triampho, como de commocao por caos
da tema amisade do Sr. Pavelyn. Elle esttva mais
contente do qne en ; brtmava-lb nes olhos orgn-
Iho radiante e regosijava-se com tanta sincerj-
dade como se fosse elle qoe obtivesse a coroa de
louro.
Depols da primeira expanso da sua alegra, da-
se qoe bavia mnito lempo qae tinba resolvMo fa
zar me um presente se en ganhasse o premio gran"
de da academia. E oiereceu-m'o logo. Era um
relogio de ouro, com cadeia da onro, e ama podra
preciosa engastada na chave.
Tremolo de intimo abalo vista de to rico pro
sent, vivamente sensibillsado pela generosa deli-
cadeza com qne me era offerecido, levado de nm
movimento irreflectido de gratidio, abrace! com
transporte o mea bemfeitor, chorando com ama
ternura como se elle fosse mea pai.
Era a primeira ves na minba vida qoe me dei-
xa va levar de um movlmento assim. Mal (loba
estrellado o Sr. Pavelyn ao mea pello, recaei, re-
celoso de qae a minba ousadia bonvesse aggrava-
do o mea protector, mas elle contemplava-me com
olhos hmidos e pareca commotf do a ponto de nao
poder fallar.
Paseado nm momento de silencio, pegoo-ffle na
mi e disse :
Tinba tres andares ou tres pontes. .
O interior (especie d pora o) servia para metter
o rastro e as mercadonas; no do meio tinba trinta
cmaras de quatro camas cada ama! Finalmente
na ponte tinba um pavimento de mosaico repre-
sentado a guerra de Trota.
Sobre ama parte do^ cooves, ele va va-se anda
nma especie de gatera chela de arbustos e flores
raras, no meio dos quaes havia, meio occalto, um
tombadilbo, que servia de saino para as mulberes,
sumptuosameote toaibado de agatha e cora:.
Todas as paredes internas desta galera era
revestidas de talba em madeira delicadamente in-
Que dir?......-
Sim, acordando,
Se me chamar, nao me achando,
(Qoe dir?... qoe pensar?
Que foste s margeos do rio,
Junto ao ingaseiro sombro.
Colber os tractos do inga, a
Mas tio cedo? >
Pouco Importa ? >
Ah escota, abrindo a porta
Deves fazer penca bulba. >
Sim, caminbal
E a morenlnba.
Foi ver a amiga rolinha
Junto a fonte qae borbulba.
Pouco depois o priminbo
Voltava... porm sosinho,
Moudo ao sen cavallo.
Minba irma?

@
dor do meo quarto come doado qae nio sabe o qoe
las. O qoe me desveirava de alegra nio era a
aova do mea triamppe; verdade qne essa felici.
dade seria snfHciente para caosar-me .vivissima sa.
sfajo ; mas, aperar da minba razio e da minba
vontade, o mea pobre eoracio anciava tanto todo o
Leo, tens nm coracao nobre. Eu darla me
tade dos meas ha ver es para que Deus me cooee-
desse um Albo com um eoracio como o tea. Mas
ao menos permittio-me qae te proteges.se como pa
e qae assegurasse a toa felicidade n'este mundo.
Tenbo-me por'bem pago com o tea reconneclmeo.
lo e com a esperaoca de haver dado a patria um! que podesse aproxima-lo de Rosa, que, entre todas
artilla distineto. Vou me embora, mea Blho; estes | as razos qoe tinba para estar contentisslmo, nio
abates ao me fazem bem; e, de mais, i o deves es- apreeiava se nao a que podio lacear um raio de
ere ver I m mediata mente a teas pas annnnciando-! la na sa* sombra desesperance.
Ibes o leo triompbo. Apparece esu urde, s tres
horas, depois de fechada a Bolsa. Entio j bave-
Nio tinba dito o Sr. Pavelyn qae dera metade
lo qoe tinba para qoe Deas lhe bouvesse conced*
mos de esur mais socegados. Del ordem para que do um Albo como eu ? Estranbas e mysteriosas
se preparas-e a mesa como para nm banquete-
Rosa parece agora nm pouco mais animada e ale-
gre*, contentou a a noticia do tea sueeesse. Adeos
at de tarde; saudaremos com nm boa copo de
vinho o tea premio grande e conversaremos alegre*
mente algnmas hora.
Aoertoa-me ontra ves a mi e deseca a oseada.
Fiqnel por am ponco em p junto do porta do
pal&vras I t Rosa tinba-se alegrado com a noti-
cia do meo triompbo I Deas na sua bondade in-
finita terla reeolvldo enener-me em nm s dia de
mal felicidade do qne comporta um fraco mor-
lalt h
Ful dietrahido d'estes aensamentos anosos pela
abogada de mestre Joio o da Sra. Petronilha, a
qoem o Sr. Pavelyo dtatara qoe ea bavia ganbado
meo quarto, com a cabeca descabida solfeas mios Fea,l ****** ** Ia pareceram
perguntando a mim mesmo se nio estarla pasean- mea B*,t0 com otM *"' d vinbo branco
do por um sonho, mas essa davida foi momela-' e tres copos para am brinde ao t primase
nea. Um sorriso de alta ventora illoniinou-me el Antes de despejada a garrafa, levomme o bedel
tost, e, ergoendo mios para o eo, sorrl de rr aoademla o aviso offleial oa eclslo do jory
A Patrie, orgo semi-offleial do governo rraoeex,
noticia nos seguinies termos a medida conceroen-
te ao general Prim adoptada, ha dias, pete gover-
no porlugoez :
A medida adoptada pelo governo portuguez con-
tra o general Prim nao fui desapprovada pelas
cortes..
Esta medida justifica se plenamente pela-atUta
de do conde de Reas, o quaJ, ao dirigir nma pro-
clmaco ao povo hespanhol, olvidoa a compro-
misso, qne bavia tomado de se abster de qualquer
manitestaco hostil.
O citado jornal diz o seguinte, n'oatio artigo :
Ja noticiamos qoe, para tranquilisar o commer-
cio maritimo de Catalonha, o governo bespanbol
tinba organisado ama estaco oaval, a qual tara'
o sea cruzeiro no estreito de Gigraltar at a solu-
cio da pendencia do Ghili.
Somos informados de que o ministro da mari-
nba hespanhola acaba de dirigir de Madrid ao
commandante dessa esiaco um despacho annon-
ciando-lhe que o general Prim devia partir de Lis-
boa para Gibraltar, e prescrevendo-lbe vigiar o
general, no caso em que, como corre o boato, elte
tentasse entrar em Hespanha por Algesiras ou ou-
tro qualquer ponto da costa.
O governo dos Estados-Unidos seqoestrou, no
porto de Nova-York, o Meleore, barco a vapor, de
1,400 toneladas, que tinba sido comprado pelos
agentes do Cbili para ser transformado em cor-
sario.
Osjornaes americanos, ltimamente ebegados'
publicara numerosos pormenores de varias catas-
trophes: em primeiro lugar, o vapor Mime, na-
vegando no rio Mississipi, foi aos ares pela expo-
sio das'caldeiras e submergio-se is 7 horas da
noite.
Morreram 150 pessoas.
Attribue-se este desastre falta do capitao, o
qual permittio, que aquecessem as caldeiras tubu-
lares com a maor torga de vapor, aQm de lnctar
em velocidade com o Silver-Moon e o Dictador.
Em 31 de Janeiro, as 2 horas da madrugada, o
vapor Missouri faz a explosao no rio Oblo, a pouca
distancia do rio Green.
De 120 pessoas qne se acbavam a bord deste
vapor, apenas 20 puderam ser salvas.
O Times annuncia que no da 19 de fevereiro foi
lancado a' agua com bom exilo o barco-charuto
construido nos estajeiros do Sr. Hepwortn, por
conta do Sr. Winam, o inventor deste syslema.
Este barco, de qoe ja tlvemos occasio de fallar,
receben o nome de Rose Winan, vai ser sujeito a
diversas experiencias, esperadas com muita impa-
ciencia por todas as. pessoas qoe se i n ter essa m
pelos progressos da navegaco.
logo depols snbiram correndo ao meu quarto al
guns dos meus condiscpulos; e como a nova da
minba victoria tinba rpidamente corrido pela c.
dade, todos os mens amigos e conbecidos foram
successivamente levar-me felicilacoes. N'estas idas
e rindas mal Uve tempo- para escrever a toda a
pressa a meas painje qoando ebegou a hora em
qoe eo devia ir a casa do Sr. Pavelyn, fui obrigado
a fechar a porta s visitas para poder dar algnns
minutos ao trabalhovde vestlr-me conveniente-
meato. + i
Sahi coro oxoracio alegre e animo desafogado.
Todas aquellas fellcitaces e compriraentos linbam.
me realcado aos meas olhos; o qae o Sr. Pavelyn
me dissera enchera-me tambem de estima de mim
mesmo, e parecia-me que, posto qne nunca podesse
baver igualdade entre p lilao'do bnailde aldeio e
a Alba dos sens bemeitere, a distancia ficava sin-
gularmente abreviada pelo triumpho qoe alcanza-
ra o artista. Mas como todos os meas castalios no
ar se desflteram logo qoe del o primeiro passo na
easa dos meas protectores i Rota achara-so mij
de repente e esteva de cama ; d'esta ves Oo era
orna indisposicio Imaginaria nem ama exqulslties
I nervosa. Tinba-se mandado chamar um medico,6
i He declarara que Rosa tinba Jffato ftbre,
Os jornaes parisienses oceupam-se de um pbeno-
meno artstico, do qoal nao podemos dear de fa-
zer menco.
La stanorina Mella, urna joven milanau de 18
para 19 annos de idade, a qaal acaba de ebegar a
Pars, pessoe urna linda voz, o qoe mol vulgar na
Italia ; mas o que nao volgar, que eeea vos,
ama voz... de tenor, nio de meio tenor (tenorino),
mas de tenor potente; urna vz vibrante forte,
como foi a de Tamberlick.
A Sra. Mella fez-se oavlr, ha pouco, em caa de
Rossinl.
O xito foi dos mais lisongelros.
A bella cantora teve de repetir o tereetto da Ita-
liana in Algeri do meio de ama sorpresa geral.
A bailada do Rigoletto, ama aria do Elisire e
ama romanza francesa madaram esta sorpresa em
enthasiasmo.
Esta artista, qae acaba de descontar no borison-
te, vai estreiar-se segundo se diz, no no, em Pars, desempeohaodo o papel de Elvlno no
Elisire' d'Amore.
Em Franga eslava toda a gente persuadida qae a
cabeca de cardeal Rchelieu descansava cora os
sens restos no tmulo do celebre ministro de Luis
XIV.
Nada disto assim e acaba de saber-se qae
existe em poder de Mr. Armez, amigo depatado
das cortes do norte, o qual a berdoa de sea pai, e
este, a seo turno, comprou-a a um mercieiro da
ra da Harpe.
O tendelro foi um dos qoe violaran em 17W o
tmulo do cardeal, e d'aJli lovoa a caneca; porm
as supplicas d esposa do revolucionario, assastada
por urna reliquia tao imponente, decidlram sea ma-
rido a vende-la a Mr. Armez, qoe codeo crneo
da caveira mediante urna qnaniia consWeravel, a
nm colleccion'ados de objectos raros.
A cabegqae governou a Europa inteira, dividi-
da em duas partes, pertencen a um meaoeeiro, a
fez parto da curiosidades de um antiquario
Tal o fim das grandezas humanas I
m....... c i
Segunde. lemos n'um jornal francs, acorvetas
cooracadas- lndependtnokt e Huesear ; nertencea-
tos a marinba de guerra peruviana, sabiram do
porto de teest no dia 25 do pessado.
Foram escoltadas ai aos limites das agnas-fran-
cesas pela, fragata coorasada Flandre.
As autoridades martima* francezas nio podiam
sequestrar as duas corvetas peruvianas, por terem
sido construidas-na Inglaterra, d'ond se dirigi-
rn) para Brest, porm nao Ibes foi permittido
alistaren! marinheisoe francezas nem. compraren!
neste poeto material de guerra.
O navio loglez Thames, o qual tinba ebegadoa
Brest com nm oarregamento de petrecbos de gaer-
ra, destinados a estes dons navios, nio obteve- li-
cenga para desembarcar a soa fazenda clandesti-
na, sahio, depois do sen capitao ter sido oon-
demnado a seis das de prisio, pon haver infringi-
do os regalamentos do porto.
Diz o mesmo jornal francez, qoe os principias
que acabam de ser applicados Independencia o i
Huesear, se-lo-bo brevemente- fragata coa-aco-
da Tetuan, da marinha hespanhola, se, como se
julga, elte arribar a algnm pono fraaeea, proce-
Qendo s suas experiencias nuticas.
Ser-lbe-ba apenas permutido prover-se de vive-
res e carvio, como tambem foi oair'ora permitti-
do aes navios americanos do sul e do norte, o la-
boma e o Eearsage, dorante a sua estada memora-
vel no porto de Cnerburgo.
O principe Cousa, ltimamente desunido pelo
povo em Bucharesi, capital dos rriacipanos Danu-
bianos, foi posto em llberdade a pedModo corpo
diplomtico, e parta para a eidadedn Brassow,
mais coobecida sob o nome de Cronstant, na Tran-
lylvaaia.
Este eidade est situada a 130 kilmetros, de
Bochares!, com a qoal faz nm comnercio mai
activo.
Diz-se que o principe Conza tencin patear de
Cronstadt para Vienoa, d'onde se dirigir aom a
sua familia pira Pars, e ah Asar a sua resi-
dencia A
*
. Morrea oo dia i na Haya, capital da Hoilanda, a
cavalhelro Huyssen van Kattendyke; ministro da
marinha.
Tinba cincoenta annoe.
A Sra. Pavelyn, depois de rae ter dado os para-
ban, deixoa-no para Ir velar junto lo leilo de
sna fllha; nio assistio ao jantar, e s appareceu
ama vez na solapara di zar-nos que Rosa nao esta-
va peior e que pareca dormir sosegada.
O Sr. Pavelyn eslava inquiete com o estado de
toa fllha ; o qae elle dizla nio desfasia a tristeza
qae me assombrava o espirito. Por tanto, oo ban-
quete em minba honra nao heore alegra ; o- Sr-
Paewyn, alheadoem paatamenlos inqoietos, faitea
poaeo. Rosa estara, com effeito, realmente doaa.
to ? 0 recelo da qoe assim fosse faila-tse tremer
e descorar. Terla fingido aquella Indisposioao pa-
ra eviiar a minha presenca e para nio se ver obli-
gada a felictar-me ? Fosse o qoe fosse e qnalqaer
qae fosse o romo qae ea desse ii miabas refle-
levde todos os lados nao vala nio motivos de
magua e angustia.
Por Isso, qoando sahi da casa do meo protector,
tuha o eoracio mais affrontado e o animo mate
daiaabiio do que se houvesse perdido o premio
grande.
(Confinaar-ie-Aa.)
iPB^AMBUCO.-n'P. DE M-JF-DE F. & FHB0
i J
I

'



i
\


i
l

; *
ftf
\\
\
V
l
i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E6IJ4GX81_5JF1IO INGEST_TIME 2013-09-05T03:14:44Z PACKAGE AA00011611_10933
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES