Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10930


This item is only available as the following downloads:


Full Text
V
i

-ai
>M>I
JMh
MH
SMUnBfni
*
"
1*
' >


I

AHBO mi 1TOMER0 74
Par qurtel aaga deitra das 10 dias da 1.a mu ....
idea debis las l.0* la lias da caneca e deatra da faartel
Parte aa carreja atf tws aiwes...........
Kiaaa
>5a
DIARIO
-i
SABBADO 31 DE MARCO DE 1866
Par ana yaga deitre.de la das da 1. mez.
Parte aa carreta par um aiaa......
ityeea
PwT/w
ENCARREGAD03 DA SUBSCRIPQAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alex?odrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonia Marae da Silva ; Aracaty, o
Sr. A. -de Lentos Braga;. Cear, 0 Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drignes; Para, os Srs. Gerado Antonio Alves &
Filbos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SBSCRIPgAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Clandino Falca o Dias; Bahia, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho
PARTIDA DOS ESTAPETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estagdas 4a Ta frrea at
got/Pretaj todos" 6s das.
Iguarass Goyanna as segundas 0 sextas feiras.
Santo Antao, Grvala, BexarrMt Bonito, Caruar,
Altinbo, Garantios. Buiqne 8. Bento, Bom
Conselho- Aguas Bellas Tacarat, na* tercas
feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cbrob, Boa Vis-
ta, Ouncury, Salguefro e Ex, as qnartas
feiras.
PERNAMBUCO.
Serinbem, Rio Formoso,Tamandar, Una, Bar-
reiros, Ama Preta Pimentetraaians quintas
feiras. "**
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relago: tercas e sbados s 10 boras.
Fatenda: quintas s 10 horas.
Jnlzo do commercio: segundas as 11 boras.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Tara 4o civel: tercas sextas ao meioI
Prtnwira
da.
Segunda vara do civel:
hora da tarde.
EPHEMERIDES DO MEZ DE MARQ.
1 La chela as 9 b., 33 m. e 16 s. da m.
9 Quarto ming. a 1 h., 33 m. e 53 s. da t.
16 La nova as 7 b., 17 m. e 33 s. da t.
3 Quarto crese. as 10 h., 44 m. e 27 s. da m.
31 Loa ebeia as 2 h., 12 m. e 22 s. da m.
DAS da semana.

26. Segunda. Ss. Lodgero e Braulio ab.
quartas sabbades a 1|27. Terca. S.Leandro b.;S. Roberto*.
28. QnarU de Trevas. Sss. Prisco e Maleo mr.
29. Quinta. S. Bertboldo c.; S. Baracbisio m.
30. Sexta da Paixo. S. Rudezindo b.
31. Sabbado de Allelnia. S. Veremondo.
1. Domingo. S. Macario b.; S. Valerio ab.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 4 horas e 30 m. da Urde.
Segunda as 4 horas e 54 minutos da manha.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas'a 14 e 30; para o aorta
at a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Penan-
do nos dias 14 4os metes de Janeiro, nutren, malo
julbo, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praca da Independencia
ns. 8, dos propietarios Manoel Figneiroa de Paria
& Filho.
PARTE OmCIaTr
Isio
X,doc
>^r01
JUMSTKUIO nomPEHio
Senhor. Pelas informa oes 'que chegaram ao
idou conhecimento,por intermedio do ministerio da
guerra, sao dignos de remuoeragao os relevantes
servigos prestados j Astricto millar de Miranda, loojo V||e|u de Caslro Tavares.
Passou a exercer s fnncgSes de assistente do
A torga acampada do outro lado da 3* divi-
sao composta de dez corpos de cavallaria ao mando
coronel Manoel Lucas de Lima, ol" batalho
rovisono de linha e o 19 corpo de cavallaria da
vjso ligeira, que faz a vanguarda do exercito ;
alin dessa torga pasou nos Garruchos a divisao
Purtinno (!) com 9 corpos de cavallaria.
f Foi aomeado secretario do corpo de pontonei-
ros o Sr. capito do stade-maior de 1* classe An-
durante invaso paraguaya na provincia de Ma
to-Grosso, pelos efflciaes, pragas e paisanos, cajos
noraes constam da relago junta. E, achando-se
comprehendidos esses servigos nos de que tratara
os 1* e 3* do art. 9 do decreto n. 2853 de 7 de
dezembro de 1861, tenho a honra de propor a V.
M. Imperial que se digne coofenr-lhe as condeco-
rares que se acharo designadas na mesma rea-
cao.
Son, senhor, com o mais profundo respeito, de
V. M. Imperial, subdito reverente. Mrquez de
Olinda.
Altendeodo aos relevantes servigos prestados no
disincto militar de Miranda, durante a invaso pa-
raguaya na provincia de Mato Grosso, pelos offl-
ciaes, pracas e paisanos, cujos nomes constam da
relago que com este baixa, assignada pelo mar-
quez de Olinda, conselbeiro de estado, senador do
imperio, presidente do cooselbo de ministros, mi-
nistro e secretario de estado dos-negocios do impe-
rio, e de conformidade com os gg 1* e 3 do art. 9*
do decreto n. 2,853 de 7 de dezembro de 1761, hei
per bem conferir-ibes as coodecoraedes que se
achara designadas na mesma relaco.
ioE?'.w -. S d Jan?,ro' fm. 9 de, n,arp?0md! restabelecido, e perfeilaroente curado o Sr. tenante
1866, 4o da independencia e do mperio.-Com a | c lYCaasnra.
semanarios, algons membros do ministerio, o ins-
pector do arsenal e varios outros offlciaes generaes.
- 19 -
Entrou hontem do Rio da Prata o transporte de
guerra Lamego, com datas de Buenos-Ayres at 7
i e Montevideo at 9 do correte.
Tioha chegado ltimamente de Corrientes o va-
por La Porten? com noticias do tbeatro da guerra
i at 2 do marco, resumidas uestes termos pela Opi-
I nton Nacional de Montevideo.
c No dia 4 sobem para o rasso da Patria os se-
guimos vapores : encouraca Jos Tamandar, Baha
j e Barroso ; vapores e canboneiras Parnahyba,
, Iguatemy, Ivahy, Jtajahj, Mearim, Araguary, Ypi-
i ranga, Hennque Martins e Chuy.
Todos estes vasos vo sob o conomando do vi-
co-almirante visconde de Tamandar.
< Ficam em Corrientes debaixo das ordens do
deputado do quartel-mestre general junto 2* bri
gada o Sr. capito Hortencio Mara da Gama Soo-
za e Mello. s
c Havia cessado a publicacao do boletim.
1 Em S. Borja tinha chovido 12 dias consecu-
tivo?. 1
t Com a tropa que est alm do Uruguay exis-
ten) 4,000 cavados de reserva, alguns bois e car-
retas.
c linha sido nomeado director do hospital o Sr.
majar Campo Limpo.
c O coronel Ourives dura parte de doente.
c Por communicacoes vindas do Sallo a 2, cons-
tavaachar-se ainda alli o corpo de Sant'Anna do
Rio dos Sinos.
c A marcha.do exercito de S. Borja s comecar reuoiro aos outros.
de 15 a 20 oeste mez. < A caohooeira Belmonte val entrar em
se que faziam boje 12 das, que dous indios o apa-; da, por urna casa desta praca, exlrabimos os se-
nnararo, o vesWam e o apresentaram ao Sr. gover- guintes pormenores sobre o naufragio da alera
nador em coja, presenga fez -estas mesaj deca-1 franceza Nouvelle Pauline, que deu costa ao or-
rages. M teda Babia:
airo se
PerguntadrJ se os Paraguayos tinbam commu
nicaglo com a nossa Rente, disse que nao sabia.
c Pergontado se sabia limntf, diese a.oe nao.
t Estas declaragoes foram tomadas por ira
mesmo e por ordem do Sr. governadnr.
1 Corrientes, 23 de feverelro de 1866.Genaro
Mrquez.
Este navio parti do Rio no dia 15 de fevereiro-
com destino a Marselha, e tendo encontrado sera'
pre ventos de nordeste* de leste, contrarios oseo
rumo, bordejava, quando na noite de 23 pira 24
cabio sobre os baixios denominados Mangue Seeeo.
S no dia 26 pdde o eapitao communicar com a
autoridade do lugar, que immediatamente prestou-
Ultimatnente tioha chegado a Corrientes o trans- se a cuadjuva-lo no esforgo de salvar o carrega-
porte Prmceza de Jomville com o material para ment ; todava, jolgava-se que pouco se consegu-
an hospital capaz de receber 600 doentes. Este ria retirar de bordo, pela deficiencia quasi absolu-
hospital seria de madeira perfeiamente ventilado, ta dos meios para tal Om indispensaveis.
Apenas ebegou Bahia aquella noticia, segui-
ram para o logar do sinistro dous vapores, levan-
do um o chanceller do consulado francez naquel-
la cidade, e indo no outro alguns empregados da
alfaodega.
Compunha-se o carregamento da Nouvelle Pau-
tra-
e com todas as comroodidades possiveis, e ja'
balbavam mais de 200 bomens a levanta-lo.
A malor parte das chatas e canoas para a passa-
barao do Amazonas, que fol nomeado chefe do es- gem do exercito ja' tionam cabido a agua,
lado-maior da esquadra, os seguales : eneouraga-! Urna correspondedclr escripia de bordo do vapor
do Brasil, vapor Amazonas, caohoneiras Mag e Be- de guerra argentino Guarda Nacional, diz :
6*ri*'- Desde a sabida do ultimo paquete at esta da- hne de' 7,736 saccas d"caf, 20 barricas de assu-
_c o motivo de nao subirem j estes vapores, ta, tem eonlinuado a ebegar navios transportes com car e 89 cogoeiras de Jacaranda.
nao baver agua snfflciente para ellos no passo do munigoes e petrecbos de guerra em numero con- a
Arajo, mas como isto durar poneos dias, por que siderayel.
o rio cresce e baixa alternativamente, em breve se Na verdade, faz pasmar a accumulacao de po-
derosos elementos que os nossos ainados esto fa- i
concer-1 zendo neste porto de Corrientes ha algum tempo,'
rabrica de S. M. o Imperador. Mrquez de O-
linda.
Relago dos offlciaes, pragas e paisanos que se
desiioguiram no districio militar de Miranda,
durante a invaso paraguaya na provincia de
Mato-Grosso. e que sao condecoradas por decre-
to desta data.
Ordem de Christo.
Cavalleiros.O capito do 1 corpo de cagadores
a cavallo Pedro Jos Rufino.
O tenente do mesmo corpo Manoel Pereira de
Mesquita.
O paisano Victoriano Baptlsta Dias Prestes.
Ordem da Bosa.
Cavalleiros.O alferes do 1 corpo de cagadores
a cavallo Manoel Rodrigues Bemfica.
O alferes do mesmo corpo Joo Baplisla de Ar-
roda Penteado.
O sargento-ajudante do mesmo corpo Jos Felip-
pe Santiago.
O particular do mesmo corpo Jos Goncalves de
Oliveira.
O cabo do mesmo corpo Jos Floriapo Paes.
O paisano Ja* Mara Anselmo Tavares.
Dito Pedro Rodrigues Froes.
Secretaria 4e estado dos negocios do imperio,
em 9 de marco de 1866.Mrquez de Olinda. .
Ministerio dos estrangdros.
< Era crescido o numero de desergoes dos cor- tos em Corrientes. sendo iuuli! dizer as suas qualidades condigOes,
pos provisorios desta provincia. 1 < Apenas o exercito brasileire, o argentino e o por que notorio que tudo do melhor.
c Na forga que Dea de guarnigo fronteira | oriental vierem ao Passo da Patria, a esquadra lim-. No da 6 embarcou em Buenos-Ayres no va-
compreheendem-se as brigadas ao mando- dos Srs. I para o rio e saas margeos dessa chusma para- por Cutne para a cidade de Corrientes o Sr. con-
Nobrega e Trindade. I guaya, por mais resistencia que esta opponba, fiada | selbeiro Octaviano.
O Sr. Dr. Pinheiro Machado j se achava quast as suas fortieagSes. | Em Montevideo appareceu o primeiro numero de
< Havera sacrificio de vidas, mas a victoria ser um peridico escripto em liogua portugueza com
nossa.
Esta varredura geral far-se-ha sem falta na
primeira quioteaa de margo, e em seguida snbi-
rao al a Trauqueira de Loreto as canhoneiras lien-
rique Martins e Chuy, para proteger a passagem do
exercito do bario de Porto Alegre.
Para a segunda quiozena de margo liram
escuna haooveriana Fanny, procedente de New-
Castle, com 73 dias de vlagem e carga de carvo.
A 28 chegra ao mesmo porto o vapor Jaguan-
be, que daqui satura na qualidade de paquete.
- 15 -
Por carta imperial de 9 do corrente mez foi
naturalisado cidado brasileiro o subdito portoguez
Joaquim Caetano da Costa.
Por decretos do mesmo dia 9 :
Foi feita a merc do titulo do conselho a D. Jos
de Assis Mascarentias, na qualidade de roembro do
, supremo tribunal de justiga.
Foi concedido o foro de moco fidalgo com exer-
! cicio na imperial casa a Thomaz Fortunato Salda-
I nba da Gama, filho legitimo do gentil-homem An-
I ionio Saldaoha da Gama; e o foro de fidalgo ca-
Secgo central.Ministerio dos negocios estran- valleiro ao marech.l de campo Manoel Antonio da
geiros, em 10 de marco de 1866.
Illm. e Exra. Sr.Na circular de 18 de novem-
bro do anno prximo passado, declarei|a V. Exc.
que o goveroo imperial mantra-se na mais es-
tricta neutratidade durante a guerra que infeliz-
mente sobreveio entre a Hespanha e o Chile.
A essa repblica associou-se agora a do Per,
por meio de um tratado de alliaoga offensiva e de-
fensiva.
A neulralidade do Brasil, ionge de ser alterada
por tal eircumstancia, estende-se a todos os inci-
a Esta va a seguir para essa capital o Sr. gene-
ral Bittencourt.
t No dia 3 de fevereiro, aniversario da batalba
de Caseros, em que o Sr. general baro de Portn-
Alegre soube destingnir-se, comroandando-a em
chefe, todos os offlciaes o foram felicitar.
< A noite, depois da retreta, o general offereceo
um baile aos seus commandados. >
O tenente-general Caldwel partir para S. Borja | esquadra, "e todas essas centas de rosario enriadas
a 22. que se cbamam operagoes de guerra, mas de urna
Obrigadeiro graduado Oliveira Lobo recebera > guerra que urna vez disparado o primeiro tiro, nao
ordem de seguir para aquella locahdade para ser-: lera' treguas nem descanso at que o nescio provo-
' vir de vogal no conselho do brigadeiro Canavarro. cador caa eovolto nos ltimos despojos do sen ephe-
No dia 22 perdera-se na barra do Rio-Grande a! mero poder. >
25 tinha-se
o titulo O Correto.
hh
A passagem do exercito adiado;
< O forgameoto da fortaleza de Humata' pela
Por decretos de 17 de feverelro e 9 do corrente
foram nomeados :
O capito retornado da extincta guarda policial' correspondencia do brigadeiro Mitre
A 25 tinha-se reunido na tenda do general em
chefe o primeiro conselho de guerra que durou
duas horas, e a que assistiram os generaes Flores
e Osorio e o visconde de Tamandar. Repetiram-
se ainda estes cooselhos at que a 28 volleu o vis-
conde de Tamandar a esquadra, cujas operagoes
revelariam o que se linha accordado.
Tambera se haviam feito varios recoBhecimentos
as imroediacdes do Passo da Patria, dos qoaes om
pelo general Mitre, e outro pelos generaes Ocerio e
Nelto pessoalmente.
Os Paraguayos, depois da sua ultima proeza em
Itati, nao tinbam repassado o Paran' para a mar-
gem argentina. Concentradas todas as suas toreas
as (mmediacoea de Itanir, dlzia-ee que nao tinha
Lpez um s hornera que oppdr ao exercito brasi-
leiro do alto Uruguay, havendo apenas ons 500 Pa-
raguayos de Apip at a Candelaria.
As folhas publicam o seguinte interrogatorio fei-
to a um soldado que, fgido do Huimata', lograra
vir pelo Chaco a Corrientes :
t Pedro Mendoza, tem 26 annos de idade, logar
do sen nascimeoto Villa Rica.
Pergnnudo o tempo que tinha de servigo, dis-
sem-
cbidos no ataque de Butuhy, acham-se por isso
impossibilitados de procurar os meios de sua sub-
sistencia ; e a Joaquim Das Collago, soldado do 4
batalho, que. tendo ficado aleijado da uo dimita
era consequencia da exploso de cma pega com
que trabalhava, Gcou como os sapramencionados
imposibilitado de adquirir o* meios de subsisten-
cia.
denles da guerra que possan surgir, nao s entre
a Hespanha e o Chile ou Per, mas tambem entre
a primeira potencia e as duas outras, na acgo
coramuro que estas adoptara.
O governo imperial, fazeodo esta declarago,
recorda a V. x. que tem a norma do seu proce-
dimenlo as duas circulares expedidas por esle
ministerio no 1. de agosto de 1861 e 23 de Ju-
ana de 186), cuja execugo Ihe especialmente
recommendada.
Julgo todava do meu dever consignar aqui as
segrales disposigd'es:
Os subditos brasileiros devem abster-se de todo
o acto que possa ser considerado hostil a qualquer
dos beligerantes, e por tanto contrario aos deveres
da neutratidade.
E' prohibida a exportagao de artigo? bellicos,
para fortes pertencentes aos beligerantes. Da referida capital chegra no dia 1 ao Rio
E' prohibido o armamento de corsarios. Grande o vapor Juparana com destino a Montevl-
Neuhum navio com bandeira de um dos bellige- do, conduzindo artigos bellicos,
rantes e que esteja empregado na presente guerra No mesmo da entrou a barra o vapor de guerra
ou a ella se destine, nudera" sw-*provisionado, es- Greenhalgh, sahido d) nosso porto para
(juipado ou armado nos portos do imperio; nao Prata.
Fonceca Cosa.
Foi nomeado 2 offlcial da bibliotheca publica o
praticaote da mesma bibliotheca Joo Cesario da
Silva.
Foi approvada a dlsposiglo addltlva ao art 22
dos estatutos da calxa municipal de beneficencia
da corte.
Foram concedidas as penses de 400 rs. diarios se que 10 annos na arma de artilbaria e que
a Rufino Bastarrachea e Ildefonso Jos da Assump-! pre permanecer no Humana'.
gao, pragas do 16 corpo provisorio da guarda na- j c Perguotado quando sanio do Haroaita', disse
cional da provincia de S. Pedro, os quaes, tendo G- i que boje 23 de fevereiro faziam 12 dias, quer dizer
cado aleijados em consequencia de ferlmentos re- que sabio a 11 do corrente.
da provincia do Para, Silvano Joaquim de Souza
Rodrigos, teneote-coronel commaodante do bata-
lho de infantaria n. 21 da guarda nacional da
mesma provincia;
O capitn Antonio Correa Dantas, major-ajudan-
te de ordens do commando superior'da guarda na-
cional dos municipios do Lagarto, Itabaianinha,
Campos e Simo Das, da provincia de Sergipe.
Forana declarados vagos oso fflcios de 1" tabel-
lio do publico, judicial e notas, escrivo do crime
21
Eotrou hontem do Rio da Prata o paquete fran-
cez Carmel, com datas de Bueoos-Ayres at 13 e
Montevideo at 15 de corrente.
Do theatro da guerra temos noticias ate 9 de
margo. A dlvlsao da esquadra com que o viscond
de Tamandar devia subir a 4 para as Tres Boceas,
nao tinha desaferrado ainda do porto de Corrientes.
Nao eram bem conhecldas as cansas desta demora:
attribuiam-a nos a nao estarem concluidos todos os
aprestos, outros a ter baixado mullo o rio. Urna
carta escripia daquelle porto para a Nacin Ar-
gentina, diz a este respeito : \
Proraptos e lestes para seguir para o nosso
destioo no dia 6, receben o vice-almiraote nma
com a desig-
nago de mmto urgente; concluida a leltura, de
pois de algnraas demoostragdes de raiva, e preferi-
das algumas palavras que denotavam o seu mo
humor, o vice-almiraote deu contra ordem para a
sahlda, e aqui Acarnos sem sabermos aioda por que! mana6
motivo.
Os exercitos de trra mantinham-se as mesmas
posigdes.
As hordas de Lpez festejaram o combate de 31
de Janeiro, formando em alas, e fazendo passar por
dessa d'Eu, os ministros de estado, os presidentes
das duas cmaras legislativas, os cooselbeiros de
estado, os grande do imperio, os offlciaes-rores da
casa imperial, as pessoas 4o servigo de semana e
o medico da imperial cmara, assistente ao nasci-
meoto, para autheoticarem, como aatbenticaram, o
nascimento do sereoissimo principe, sendo o recem-
oascido apresenlado a todos os presentes por sea
augusto pal.
Assigoaram os dous termos aathentteoe de nasci-
mento :
Sua Magestade o Imperador.
Sua Magestade a Imperatrlz.
Sua Alteza Imperial.
O Sr. conde d'Eu.
O visconde de Abae't, presidente do senado.
O baro de Prados, presidente da cmara dos
Srs. deputados.
O marques de Olinda, presidente do conselho de
ministros e ministro do imperio.
Angelo Monz da Silva Ferraz, ministro da guerra.
Jos Thomat Nabuco de Araujo, ministro da jas-
liga.
Francisco de Paula da Silveira Lobo, ministro
da marioba.
Jos Antonio Saraiva, ministro de estrangeiros.
De. Antonio Francisco de Paula e Souza, minis-
tro da agricultura.
Visconde de Jeqoitinbonha, conselbeiro de os-
udo.
Jos Antonio Pimenta Buenos, conselheiro de es-
tado.
Manoel Felizardo de Souza e Mello, conselheiro
de estado.
Bernardo de Souza franco, conselbeiro
lado.
Mrquez de Caxias.
Baro de Pirapama, grande do imperio.
Baro de Maroim, grande do Imperio.
Baro de Suruhy, grande do imperio.
Visconde de Cacboeira.
Visconde de Lages, grande do imperio.
Viscoode do Bomfiro, grande do imperio.
Augusto Duque Estrada Meyer, camarista de se-
de es-

e civel, e offlcial do registro geral das hypothecas en!re ellas os prisiooeiros argentinos que tlobam
da capital da provincia do Cear, seodo obrlgado o podido eolher naqnella jornada.
serventuario que fo nomeado a prestar a Candido i Lma correspondencia do quartel-general argn-
t Pergontado qual era a razio que o obrigou a
desertar, disse que a fome e a nudez.
Perguniado o numero de tropas que exisliam
no Rumana' e mais numero de sua anilhana, dis-
se que havia rail artilheiros e 60 pegas de artilha-
ria
Jos Pamplona, que os exercia, oa forma do art. 2a
do decreto h. 1,294 de 16 de dezembro de 1853, a
terga parte do vencimento, segundo a respectiva
lotaco.
ii 1
Da ordem do dia n. 509, expedida pela repart-
gao do ajodante-general em 17 do corrente, ex-
trahimos O segrate :
Publico, de ordem de S. Exc. n Sr. conselbeiro
ministro e secretario de estado dos negocios da
guerra, as djsposigoes abaixo transcriptas, afim de
que ciegtwm ao conbeeimento do exercito e te-
nham a devtda exeengo.
Em virtude do aviso de 20 de fevereiro prximo
passado, devem desde j ser creados na fortaleza
de S. Joio e em cada orna das provincias de S. Pe-
dro do Rio-Grande do Sul, Santa Catbarina, Babia,
Peroamboco, S. Paulo e Paran, um deposito espe-
cial de iosfruego, segundo as instrucgdes de 14
do dito raez, publicadas na ordem do da n. 505 de
o do corrente; observando-se a respeito dos mes-
mos depsitos as nsposiges seguiates :
O da fortaleza de S. Joo ser para a arma de
artilbaria.
O da provincia de S. Pedro do Rio-Grande do
Sul, que se estabelecer na cidade de S. Gabriel,
para a arma de cavallaria.
O da provincia de Santa'Catharina, na cidade do
Desterro, para a arma de infantaria.
Os das provincias da Babia, Pernambuco, S.
Paulo
tino na Ensenadita, datada de 8, diz qoe nos ulti
mos tres das s tioha visto fazer frequotes va-
geos do Hnmalt para o Passo da Patria om vapor
paraguayo com moita forga a bordo, tendo-se at
deixado ficar fondeado en Itapir mais de 21 ho-
ras, sem se saber o motivo destas idas e vindas.
Continuara a publicar-se declararon de deserto-
res paraguayos. Agora temos urna de um tal Jos
Venancio Decoud, que se diz perteocer a urna das
priocipaes familias do Paraguay e que informou
assim:
Catala o exercito de Lpez no Passo da Pa-
I tria om a,OO0 Innau, dos fiut pAnas 7.000 de
peleja, sendo os ontros velhos ou criangas. No Hu
roait esto somente os artilheiros; e no Passo da
Encarnagao on Itapa, cima da Tranqnera do
. Loreto, dizem baver ons 3,000, o qoe bem pode
ser falso.
No acampamento do Passo da Patria rlzeram
grandes terraplenos como para assestar artilbaria,
pois julgava-se que all se faria a resistencia.
t Aa jornada de 31, em qne se achoo elle De-
coud, tiveram os Paraguayos 200 morios e 'M fe-
) ridos, dos quaes quasi todos raorreram.
Uos prisiooeiros do general Flores liobam tor-
nado a passar uns 68.
A morlalidade entre a tropa coatinuava, tanto
I pelo pouco e mo alimeoto, como pelo nenhum cui-
! dado que se punha na cura dos doentes.
Diz anda urna correspondencia :
44 restantes de 24 a 16 e de 12.
< Pergontado se havia infantaria no Huimata',
disse que nao havia infantaria algoma nem caval-
A barca Valle, entrada hontem, trouxe nos datas '. Pis do Rio-Grande ate 2 do corrente. *. L- j. u__.; h,
Na capital da provincia tinha-se feito a eleicoi Pergontado se mais abaixo do HnmaHalbavia
da nova directora da companhia Jacuhy. Fra I algama Batera, disse que era Compaty, duas le-
nomeado presidente o Sr. Antonio
l'aranhos.
da Silva Santos
se comprehende nesta prohibigo o fornecimento
de victualhas e provisdes novas, Indispensaveis
continuago da viagem.
Nao sera permittido a navio a'gdra de guerra
ou corsario entrar e permanecer com prezas nos
nossos portos oa bahas mais de 24 horas, salvo o i de Jess, maior de 60 anno, e seu tlho Joaquim
caso de arribada torrada, e nao Ihe ser oe-mutido
guas abaixo do Humana', havia 18 pegas de 32.
o Perguntado se havia correntes de ferro no pas-
so de Huimata', disse que havia tres passadas do
meio mesmo da batera.
Perguotado se havia algama outra obsiruego
debaixo d'agua, disse que nao havia nenhuma mais
o Rio'da do aue as correntes.
< Perguntado quantos vapores existem em
O Jaguaribe devia largar no dia 2 para o sol, na\ disse que estavam alli dez vapores; o lgu-
conduzindo um pequeo contingente de tropa. I rey, Ibera, Paran, Pirabebe, P^ L-se no DiarkTila ultima data: Foram hootem recoihidos a cadeia civil, pro- o chefe da esquadra o eapitaoi Cabra1.
cedeotes de Saota Catharioa, escollados, Anoa Ro-1 Perguntado quem o chefe de Huimata, disse
artilbaria. A' approximagao da vanguarda brasi-
leira dispararam estes alguns tiros, que nenhum
damno causaram.
c O coronel Payva com a divisao argentina do
Alto Uruguay ficava a 5 no Passo das Piedras de
Aguapey. A sua torga e a do coronel Reguera ele-
vaya-se a 1,200 homens.
Sentimos ter de aonunciar o fallecimento do ge-
neral Antonio Manoel de Mello, commandante da
nossa artilbaria. Sucumbi na cidade de Corrien-
(jisporem das mesmas prezas oa de objectos deltas
roveoienles.
Os corsarios, ainda qne nao conduzam prezas,
nao serao admittid.os dos porfos do imperio, por
mais de 24 horas,' salvo o caso de arribada for-
gada.
Tenho a honra de reteirar a V. Ex. as seguran-
gas de mlnha perfeita estima e distmcla conside-
rago. Jos Antonio Sarama. AS. Ex. o Sr.
residente da provincia de...
NlHTERIOR."'"""
BIO DE JAEIKO
13 de margo.
Pela escuna Antonia & Mara, entrada hontem,
recebemos #atas do Rio Grande do Sul al 28 do
passado.
A assec'iago cocomercial reunira-se no dia 27 e
resolveu dirigir ao goveroo imperial ama supplica,
pa; que coadjuve com todos os meios ao sea al-
ca.nce a conJrucco da estrada de ferro que, par-
t odo do littorsJ deve atravessar a baca carbonfera
d e Candiota e .us afflueotes.
Em Pelotas arder na ooite de 23 para 24 a
grande casa de morada do Sr. Manoel Francisco
Moreira, propriedade dos tk-rdeiros do fallecido
M,in Jacintho de Mdooga, situada na charqueada
a margem esqueja de S. Gongalo.
fo Alegre alcangavam a 2o de fe-
I
tjni
que q coronel paraguayo Aqui no.
c
_ e Paran, as respectivas capitaes, para ca-
na batera Londres 5 pegas de 68, 11 de 32 e | gadores a cavallo.
Os depsitos de instruego das provincias de S.
Pedro do Rio Grande do Sol e de Santa Catbarina
sero de primeira ordem, brando entretanto consi-
derados de segunda, em qnanto nao tiverern o nu-
mero sufficieole de pragas para constituir duas oa
mais companhias, na forma do art. 2 das referidas
instruccoes.
Quaesquer companhias provisorias de linha ac-
tualmente .organisadas em lugares estranbos ao
theatro da guerra devero ser incorporadas aos
mais prximos depsitos de Instruego.
Devem tirar desde j definitivamente creadas,
como determina o aviso acim citado, oa confor-
, midade do 3* do art 3 do decreto n. 3,555 de 9
Hu- de dezembro de 1865, as escolas de tambores, pifa-1 tes aps alguns dias de enfermidade, e diz a Na-
ros, cornetas e ciarlos qoe, em virtude do aviso tun Argentina que foi substituido no commando
de 30 de roaio do anno prximo passado, foram pelo coronel iiruce.
mandadas crear, tanto no deposito da provincia de | As noticias do Pacifico, datadas de Valparaizo 19
Santa Catbarina, como na fortaleza da Praia-Ver- de fevereiro, referem um combate navil pelejado
melha, oade se estabelecer orna escola de musi-1 no dia 7 entre a ilh Chilo e a Ierra firme. Guia-
eos, a' qual servir de base a actual msica da es- das por dous praticos as fragatas hespanholas Villa
atooio Pereira aecusados a nbos de haverem as- Perguntado se as Tres Boceas havia bate-; ca militar. de Madrid e Blanca, foram descobrir all atravez
i ras, disse qoe nao havia mais bateras no rio | aviso. Declara que os filhos dos doutores em emmaraohados caoaes, junto da ilhota Abto. a es-
Paragoay at o Humaita'se oqas que tinha deca-i (jjreitoe em medicina devem ser reconbecidos sol- quadra chileoo-peroaoa, composta das corvetas
; rado. dados particulares. Gabinete do ministro.Rio Union e America, canhoneiras Covadonoa, Esme-
I < Perguntado onde se acharo Lpez e Barrios, de Janeiro.-Ministerio dos negocios da guerra em ratdy,Maipu e Apurtmat
| disse qne no Passo da Patria. 5 de margo de 1866. Tendo chegado ao conbeci-, ros lestes vasos estavam apercebidos para o com
c Perguntado qual o numero do exercito para- ment do governo Imperial qne se tem recusado bate, qoe efectivamente se travoa entre elles e as
guayo oo Passb da Patria, disse que 20,000 ho- recoohecer como soldados particulares os filhos le- duas fragatas. A respeito do resaltado chegra nos
meos, entre velhos e mogos, era todo o exercito. | gimos dos doutores em direito oa em medicina; duas versSes, urna bespanbola e outra chilena. Se-
Perguntado o numero de artllharia que havia manda S. M. o Imperador declarar que, segundo os | gando a primeira os navios chileno-peruanos fica-
oo Passo da Patria, disse que nao sabia, porra que estylos nunca interrumpidos, e pelo contrario con- ram inutilisados, a Covadonga foi retomada e os
em Itaplru e Passo da Patria nao havia se nao ba-; firmados pela ordenago do liv. 3a til. 59 g 16, sao fortes de Ierra bombardeados e arrazados. Segn-
tenas volantes. | reputados nobres os cidadaos em taes condigdes, e do a segunda as fragatas hespanholas, apezar de
< Perguntado pelo estado sanitario do exercito, | que, a' vista do decreto de 4 de fevereiro de 1820, disporem de 90 caohdes contra 33 do inimigo, fo-
disse qoe era man, que qnaodo esteve o exercito no i anda qaando este nao Ihes recoobecesse essa qua- ram obrigadas a retirar, leodo sofirldo umitas ava-
Humaita' morriam de 140 a 160 homens por dia, I itdade, deveriam seus filhos legtimos, ser reconhe- i ras e perdido maita gente. Dizia-se que o comba-
que dos 1,000 homens que ba no Humaita' mor- cidos orno soldados particulares, por Isso que el-1 le tioha sido renovado oo dia 8, mas sobre isto nao
riam de 16 a 20 homens diariamente. les gozam de considerago civil na sociedade, nao
i Pergontado pela qualidade de alimentos qoe! S pelo grao seientiftco que lm, como pela nobre
Ihe davam, disse que as costellas de urna rez para profisso que exercem : o qoe commooico a' V. 8.
dez homens e que nao Ihes davam outro alimento. | para seu conbeeimento e devida execugo.
t Perguntado pelo estado do camloho de Homai- j Dos guarde a V. S. Angelo Motuz da Silva
ta' ao Passo da Patria, disse qoe cinco leguas por Ferraz. Sr. Polydoro da Fonceca Quiotaoilla
trra e se te pelo rio. Jordo.
Perguotado pelo estado do camlnho do Humai-, 20-
maia' ao Passo da Patria, disse que era mo e moi- [ Temos a satisfacio de anmnciar que hontem s
to pelor tirara' por que liobam onido por meio de qoatrodoras e quinte minutos da tarde Sua Alteza
vallas os diferentes bracos do rio, de modo que as- a Sra. duqueza de Saxe deu luz um principe.
Monsenhor Flix M. de Freilas e Albuqaerque,
vigario capitular e vice-capellio-mr do Imperador.
Paulo Barbosa da Silva.
O conselheiro Dr. Candido Borges Monteiro.
Aotonio Heoriques de Miranda Reg, veador de
semana.
Joaquim Raymundo De Lamare, chefe de es-
quadra, veador ao servigo de SS. AA. os Srs. duque
e duqueza de Saxe.
Joao Pedro Car val ho de Moraes, guarda roupa de
semana.
ur. Loiz Carlos da Fonseca, medico de semana.
Ado Seitz, cooselheiro de S. A. o Sr. duque Er-
nesto I de Saxe-Cobargo Gotta.
-23-
Por decreto o. 3,626 de 16 do correte foi mar-
eado o ordenado ioual de 03 ao earcereiro da
eada da villa de Pao dos Ferros, na provincia do
Rio-Grande do Norte.
Temos datas de Goyaz at 9 do prximo pas-
sado. nada na ae maiur iiopvi anata. t>o ama
carta que temos presente, consta que o presidente
ia seguir at ao Coxim, para dar providencias
relativamente s torcas alli acampadas.
No dia 17 do corrente pelas seis e meia horas
da tarde foi recebido em audiencia de despedida,
por S. M.o Imperador, oSr. D. Boaventura Seoane,
ministro residente da repblica do. Per.
Na occasuio de entregar a S. Magestade a sna
carta revocatoria, o Sr. Seoane proferio o seguinte
discurso :
t Senhor. Chamado pelo governo do Per a
outras funegoes, tenho a honra de depositar as
raaos de V. Magestade a carta aotographa que
I p5e termo miaba misso.
i O chefe supremo do Pera, ao aoouociar-me a
c Temos noticias rcenles do exercito brasileiro; raioha retirada, eocarrgou-me de communicar a
do Alto Uruguay s ordens do tenente-general ba-1V. Magestade qu continuara' aimanter as boas re-
no de Purto-Alegre. Nos primeiros dias de marro lardes que existem, como consequencia da visi-
achava-se o grosso do exercito em S. Carlos, tendo nhanga, amizade e necessidade de commercio, en-
chegado a vanguarda at defronte de Itapa, onde! tre arabos os estados,
havia ons 300 Paraguayos com algnraas pegas de < Ja era tempo, senhor, que o meu governo me
As datas de Poi
vereiro.
O Jornal do G
do noticias de S.
que recebemos p<
O exercito.
mercio da referida cidade, dan-
orja, at 10, anteriores 5 das as
9 va de Buenos-Ayres, diz :
o Sr. general baro de Porto Ale
gre ja esta va todo do oulro lado do Uruguay, res-
tando apenas em S. Borja qoatro corpos, o estado-
maior general, e a divisao ao mando do coronel
Jos Gabriel da Silva Lima, que flear gaaroecendo
ageite ponto da frouteira.
c U rugdkay eslava muito cheio.
f O Sr. bieio de Porto-Afegre espera va apenas a
volta do pequeo vapor que mandara a Montevideo
buscar dinbeir e tardamente, para racorporar-se
ao exercito e seguir o seu itinerario at ao campo
do inimigo. )
o atado sanitario da tropa era o melhor oes-
sivel. I
Bm geral todo o xareito atara nem armado
e equipado, restiniindo-s apenas algons-corpos da
falta de araaffllstto.
sinado seu esposo e pai.
Estes aecusados sao moradores de Santo Ao-
oio de cima da Serra, e foram presos em Lages,
provincia de Santa Cathanna.
O assassioato nos coosla que teve lugar ba 17
annos. >
16
S. M. o Imperador houve por bem conferir a
gra cruz da imperial ordem do cruzeiro a Sua
Magestade o re dos Belgas.
Por carias imperiaes de 3 do corrente (orara
condecorados: u Sr. bario Araedo Picke, enviado
extraordinario em misso especial do rei dos Bel-
gas oesta corte, com a gra-crnz: o Sr. Alfredo,
Madoux, 1. addido dita misso, com o offlciala-
to; e os Srs. Alfonso de Smet e Hennque de Ces-
ve, addidos. com o habito da ordem da Rosa.
S. M. a Imperador bouve por bem oomear o
seu ministro em Pars, o sr. cooselheiro Jos Mar-
ques Lisboa, enviado extraordinario, em misso es-
pecial, para comprimeoiar S. M. o re dos Belgas
pela sua asceocao ao Ihrono e apreseolar-lhe as
insignias da imperial ordem do Cruzeiro.
--------------^iaHi..... i
Pelo bngue Ledo recebemos folhas do Rio-Gran-
de at 3 do c.rrente, que adiaotam um da s que
tlntaamos.
Diz o Diario do Bio Grande:
< Aote-oootem o hiate Dourado, de propriedade
doSr. Antonio Jos da silva Mala, abairoou nesle
porto ao hiale Benjamn, que eslava fun leado, fa-
zendo-lbe a varias oa popa e oa lancha. >
L-se no Commercial:
t O Sr. Dr. Heorique Beroardino Marques Cana-
rim foi exonerado, a sen pedido, do cargo de dele-
gado de polica desta cidade. >
18
Cahi rara ao mar hontem as 2 e meia
tarde, dos estaleiros da ilha das
bardeiras, destinadas a auxiliar
nossa esquadra no sul.
As qullhas anales navtes foram
taleirot no dia 20 de ovi
As suas
120 ps
da?.
Igaaasdl
30, e as
60 cavatina* foram
: rinha.
Assistiram a eereflB| mFImmlm, SS
AA, aSr. priaoni nao fKo; seus
horas da
s hora-
da
segura va qne do Passo da Patria at ao Homai ta
nao ha que passar se nao agua e mos caminos.
< Perguntado pelo espirito das tropas de Lpez,
disse que parecen) querer pelejar.
t Perguntado se havia tropas na Assumpgo e
qoem as commaodava, disse que havia muito pou-
ca gente, e qne Venancio Lopes qne as comman-
dava.
c Perguotado qoe presos argentinos havia no
Humaita', disse que s eslava alli o coronel Lote-
ro e qne.as familias estavam na villa do Pilar.
Perguntado se sabia qne tratamento davam as
familias argentinas a aos ornen*, sea que nao sa-
bia, que s tinha fll guardado por sent-
nellas.
c PaigautaJnjfltT
tJMKe*
qu
inteiro receber com jubilo a noticia
O Brasi
de qoe a dynastla do fundador do Imperio canta clarando' contrabando de gorra o carvio de pedra
mais um penhor de durago, e far votos para qne I das minas do Chile. Assigoaram este protesto os
urna dilatada vida permita que o augusto recem- agentes consolares de Portugal, Hatnburgo, Fran
naseido se mostr digno herdeiro das virtudes dos' ga, libas de Sandwich, Soeciae Noruegna, S. Sal-
seus uiaiores.
X
cbamasse patria. A consideraco que merec,
durante a minha longa estada neste palz, da parte
de V. Magestade, do seo goveroo e da sociedade,
originaran! ero mea corago seotimeotos de gra-
tido to profundos qne o fazem palpitar ao mes-
mo impulso que os dos brasileiros, e desojar como
elles, a prosperidade e as glorias do imperio.
Estes seolimentos do a medida do pesar que
experimento oesta occasiao, ao dar a V. Mages-
tade, mais que a glacial despedida do diplmala, o
doloroso adeos do hornera reconhecido.
i E, ao da lo, permita V. Magestade qoe Ihe
rogae continu a ser do Per o amigo siocero, leal
e desioteressado que tem sido at aqui, e para o
meu sucessor lo accessivel e bondadoso como foi
para mira.
S. M. o Imperador responden :
c Multo agradaveis me sao os stntimentos que
me exprims da parte do governo do Per. O
meas nao sao menos sinceros, e, desejando-vos
feliz regresso vossa patria, aioda espero tornar a
raldy, Maipu e purmac. Stneote os tres primei-1 ver-vos aqui, onde Unto e cora to bom xito vos
empenhastes sempre em desenvolver as reiagoes
de cordial amizade qne ligam nossos doos pases.
- 24
Eotrou hontem de Montevideo e portos do sul do
imperio o vapor Jaguaribe. .
As datas qoe trouxe do Rio da Prata sao ante-
riores s que recebemos pelo transporte Lamego e
paquete francez Carmel.
Do Rio Grande do Sul alcancam as folhas alie
de Santa Catharioa a 16 do corrente.
O chefe de polica da provincia de S. Pedro tinha
partido da capital para a colonia .de S. Leopoldo, em
commisso de servigo publico no dia 7.
. A promotor* publica da 2* vara crime de Por-
to-Alegre dera o seo parecer oo processo instaura-
do ao negociante Frederico Bier, pelo crime de
morte na pessoa de sen caixairo Carlos Schihtter,
e pedir a pronuncia do acensado como incurso no
ari. 193 do cdigo penal.
Alera desie processo, ia o mesmo Bier ser sob'
mettido a outro, para o qne foram remedidos a
promotor publico pelo chafe de polica, diverges
documentos relativos ao assassinato de nm es-
cravo.
Consta va qoe a 27 de fevereiro nltirao o capttio
de voluotarios Manoel Joaquim Ferrelra, da briga-
da do coronel Luaas, assassinra, no 4* dlstncto de
de Albuqaerque,
se da va certeza.
As fragatas voltaram a Valparaso, e a Blanca,
desta vez acompanhada da Numancia, tornou a sa-
bir em bosca da esquadra alliada, tirando a Villa
de Madrid a reparar avarlas.
Segando a Patria, o goveroo chileno regeitou a
mediagb aoglo-fraoceza, pelo duplo motivo de se-
rem ioadmissiveis as coodigoes propostas, e nao se
poder tomar resologo algama sem accordo dos al-
liados.
O corpo consolar de Valparaizo protest ou contra
a resologo do chefe da esquadra hespaohola, de
m, a. o.- S. Jerooymo, a Patricio Manoel
vador, Guatemala. Austria, Breraeo e Oldemburgo,, daoio-lhe urna tacada no pello.
Haoovre, Suissa, Dinamarca, Italia, repoblica Ar
I"
trans oittiam
intermedio
medlagoei;
rfliasaa
Entrou hontem de Montevideo, d eonde sabio na gentos, Saxonia, Brasil, Blgica, Hollaoda e Esta-
maoha de 13, o traosporte de guerra S. Fruncs-; dos-Uoidos.
co. Nao trooxe folhas: asseveramnos, porm, O Per, esteva aprompuodp mais vapores para a
que nenhuma noticia rcenle havia do theatro da guerra, e expedio aos corsarios Instrocgoes analo-
g0erra. I gas s do governo do Chile, respeilaodo os direitos
Na mesma cidade de Mootevido o nico facto' dos neutros,
qoe tioha cansado alguma sensago.era o de om Por jura protocollo, assignado na cidade de Quito,
duello entre capito "Servando MaiUni e Busta-
mante, redactor da Tri'euna. Tendo trocado algo
mas atavras asadas n'uma reuoian aleitoral que
i ll,desafiaramiM,;samaram pa
Mihoe, partndo para a villa a >Jaiin alli se
ivtram, ai 5 taras da tarde, i piste* e a 15 >as-
sos d dtstaocia. Martia cabio morto por urna
qne Ihe varea o cito esqasMo; Bustemsnte
md ignjd arte tiveram nadrintas, om
m era o coread Flores, fimo do goverua-
provisorio da repubttee.
i 11 ~
D ami cwu no sos t^bw viiof*R9D.ie confia-
a 30 de jadeiro a repblica do Eqoador adherio
alliaoga chileno-peruana na guerra eonlra a Hes-
panha, e na Bolivia o general Melgarejo, tnum-
pbando da revolocao, revogoo logo a le que auto-
risava a declarago de guerra ao Chile, e ia enviar
a Santiago om plenipotenciario, de n odo qoe se
reputava ja quasi um (acto eonsummado a entrada
desta asarte repblica para a alllanca offeosiva a
defensiva contra a Hespanha.
p jjj mi ra i ii -
A^Mrttua, qnaodo S. A. a Sra. duoMca de
Sana tnsfiavasa (Us suosesso, esuvmm DNStratse
SMW7tapeflaos, SS. AA. os Srt- COfll OMI^
Fura nomeado delegado de polica da cidade do
Rio Grande o teneote-coronel Francisco da Silva,
Flores, em sabstitoicao do bacharel Marones Gana-
rim, exonerado a seo pedido.
Chegra da capitel a mesma cidade .vapor (al-
ijo, e tica va a largar para Montevideo com artigos
bellicos.
Tinbam fallecido o oommendadot Antonio Tei-
xeira de Magalbes, capitalista abastado, e o (asen-
deiro do municipio de Jaguaro Francisco Rodrigues
Footes.
L-se no Commercio de 8;
Do Echo Gabrieimse, qoe recbeseos at 25 4o
mes da fevereiro, exmannos o segedme 4
O Sr. manchal Francisca Antonio da Silva
Biuencourt chegon no dia 93 a este cidade.
< Lanwnlsmos qonf. Ato. eaagassa enfermo.
t Aa qoe nos oenste, tao pvosjnstose ache no
ease de viajar, partir S. gen. pan a capital da
turnis.
0 Halo Mtilario mi Borji vio ra bom.
**

'
i


*


V
I

O typho con
,
*r=m
r\f i flfi a
, m operar o Sr. wto i
Mari* ie rermkmbueo
1 mili US UTIOS 0 O;, fuaio oth ij
ho5piUaYe!tmm cheios Blwno. -TAtofre.
t AioSr.Dr. Pioneif Machado foi atoado d* Algumas divergencias que exist*
peste, e-JUMUA decidir, acaodo a uliima d.* toflafo UiH ftkJBMM ?'
convalsq^^Hm minadas hoaros
O t*mm&& Porto-Atogre' di a seguirte noti-
cia das cotonas da provincia :
Sawia Cruz. Esta colonia, que aclualmeole
(isio era 31 de detemip de 1S63) coatt *,Si2
almas, aprsenla uro aspafto mailo favoravel, era
grande parle devido aos jBfcos no sea *gao di-
rector, o Sr. teoeole-coronifTlabild*.
< Durante todo o annoVl86S nao se dea qm>-
sa numerosa populacao um *o caso' criminal, Bao
bouve urna s diligencia policial, nem too pooco
um processo que nao foJTde ttorea cotnmer- lendo perdido o oso do nrco e toW
ci,l H w ataque de Paysando, toea imposaibttitodo do pr
'Dorante o me4jn*anoohoova*t7nasoiraento curar o meifls de ana. ann>itoaeia; *Pn*n(H
e 11 bitos, o que Torcerlo omi proporcao muilo porra, a merc da approvacao da assembla gera
legislativa. -
i Porto- cramenos nao
a offlcirtrdade.
entre a Fei construido era Liver
W- Mr. Lalre Brothers: de 196
ps do comprlraonto do roda a
todas as resisteectos e coovocoa o jagresio para regado.
resolver sobre a presidencia. Esta bellamrqalMdo^aerra
0 Sr. d-emlarandor Jjsd BmfBtaJMga W
nomea.lo adjunto do opre > e*ut*o em
soeatltuicno do f. conaolbeim U. Jon a A
Mascarenhas.
Por decreto de id do corrente, fui concedida a tor,
peasio aoaual de 11(9000 a Manoel de Deus Ha- -
citado, praca refrmala do batalbao naval, o qual,
Mareo de i

lunado pela DfrToa Providencia
O as nacSes civllisadas, clrcun-
AnaCtbuita pelUral de Kemp. Francisco Fe ix Nogaeira, carga assocar oa-
b4'
natnraes de que dotado, medi^.^UIMIIte'rizip *****UldKl|fl jttfeapttlr $fS!g 5Sde*e^os'Se3bsP*8W
me, o ardentes deaejos de seas^o em pronunciar o sueco da balsmica ana- California Bjroa domiwbs Qet.% apitio
i Assis
a de Wflhvrert* de
essura da eonraca
& l|3 do rorro.
duas torrea girantes no
vidas por simples
s torro* a mesma da caniae* do c
a oo toni-
08.
"coroi reforjada junto daaberturas
ssam as aecas por chapas 4* 7 pollegai
A san marca* em conto5es toveraveto na 11
a 12 milbas por hora, sendo o navio movido P^r
i machinas de fora de 75 cavados cada urna, sa-
bidas das lUlcioas de Mr. lUvcuhilt de UaJlfes,
o mals simples e acommodado que ha nesse gene-
! Tpovoaco de Sania Ca ccaU 37? almas, Por terse dado ttaif/eau.lftfdde na exirao
mi hnhiiim ti m cafica e ouira' 2esteV esse trabalho; o respectivo wsoure.ro cfotou aojro; tem duas hlices, e pode virar sobres, mes-
TEiiTem er wda^colonu 4 escolas, 2 brasi. Sr. ministro, da toieada, comraunicaodo o faci. mo oom toda rapldea; o que do granda Hlidado,
ierras e 2 allemaes, frequentadas por 110 alumnos Ao offlcio do presidente da oommissao da a* principalmente nos nos. >
tambos i exoV traccao das loteras da corto, pedindo provideacta Essa noderosa machina de gu&ra devo custar
Dnranle o anuo de 1865 entraram na colonia sobre o faci de que dorar nolieta os joroaes. ros- ao nosso governo !
68 emigrantes europeas.
A colbeila deste anno prometlla ser muito ira-
portante ; infelizmente, porm, vieram as chovas
dos alunaos metes prejodica la multo. \
O fumo, que o genero principal da colonia,
esta em grande parte apodrecendo ; o trigo, a ce-
vada e ootros cereaes anda nao estao trilhados,
mas rambem forana pxejudicados petas chovas. '
A nica colheiU boa que se espera do rai-
Itao, que est mnito bonito ; feijao tambera bro-
too, devido a ebuva, pelo que perdeo mullo de menor deasa lotera,
valor '" t Art. 28. Se, concluida a eiiracyaq, sobrar um
Do i 54* habiUBtes da colonia perteocem ou mais nmeros, alm des que devmm ser emit-
2,317 a igreia calhorlca e 2,225 a protestante. tidos, o Ibesoureiro entrara para o inewuro publi-
Accresor que na somma total dos habitantes cocom urna quaotia tres vesos maior do que o me-
nao se acham incluidos os nascimeotos dos proles- or p>eraio que poderia ter cada um desses nume-
Ihesoureiro pretende
tro da faxeoda pa-
ra o cooselbo de estado* por eutnader que o (acto
mtilatodo-o-
o das-
te, qae oea
sedeotos do
racSeskqaa
i do cbaroo
lo, em que
-. ,,.- eahuiU mexierna,' como om especifico posl-
^^VSjSS'Y mi Lfi? e todas as rritaCo oa
urdena corte do imperio. tnflammacoes cj garganta e dos vasos bron-
S* ama ksta qae perlence a todos oa Brasi- chios.
NSo ba nenhum caso de ronqnido, tosse,
catarrho, excrjria^o da garganta ou irrita-
do dos broncbMI qu* possa resistir as suas
admira veis qualiades atli irritantes.
Ella restitua a *oz quando perdida ou en-
raquecida, pe!w afltecres ou sensacoes de
aspereza bo paltrto; fw eessar a expectora-
do saiiguioia e impede a accumulagao de
mucosidades nos org5os da respirafao que
E del dos os lados vos responderSo : E" pela' partea dos- pulmSes. -
indastna outr'ora acaohada pelo egosmo, e hoje Inteiramente (Mercnte na sua coraposico
: desenvolvida pelo espirito de assoclaco, que se je todos OS rnais p'eoraes manufacturados
de fructas adstringentes, cascas, raizes, etc.,
Tsee IXIX, com jusu
sowttaiaafces-, tera sido tai
coserlas psravilhosas e primo
lem legado genios transcendeo
glorias, e. levados por gen
parece ter hi'-o surgir a
lodoso dn ifnorancia e einbr
jaieo por untos ""i'"
Mas perguntareis. Porque raetos poderosos teem
esses nosso contemporneos conseguido ehegar a
to estupendo alcance 1
Watrig, carga assocar.
Rio Grande doiV.orto-Briflaeporlagnez Borro*H,
capillo Manoal'de Oliveira SalDs, em lastro.
Aracarn e porto toterortdtoe VapT brasHeiro-
Parahyba, coaamaodaato Raa.
.Veon Rio do Janeiro iatiia6 da, por franesz Ex-
trmaduif, de 1179 loajelad, com mandante ti.
de Soraer, eiraifagera t|6, earfa differentes g-
neros.
Rio Grande do Sol22 din, pgacbo portoguet
Novo Lima, de 171 toneladas, espito Jco Lopes
Martins, e.juipagem 10, carga 11,205. arrobas do
ea'roe : a Amonio fctrit tre Otrreira Azevedo
C.
iYai'W sahido no mesmo dia.
Bordeanx e portos i o ter mediosVapor francs
Estremaduri, commandante Somer, carga algo-
dio e ootros geoe>w.
com que
refere S. Esc, sao os seguales c
t Art. 27. Se, concluida a estracerjo, se verificar
a falla de um ou mais numero?, o ihesoureiro sera
obrigado a pagar ao poiUdor ou portadores do bi-
lheie ou bilhetes desses nmeros, que nao tiverem
sahido da roda, ora premio igual a seis tantos do
taeles qte balancanos com seas bitos dartam, ros
por um calculo de probabllidade, mais 7 almas, Ioformam nos que o Sr. ih
acoresceotar semrna total, que enlo se elevara recorrer da decisao do }r. wats
4 618 almas r* caselbo de estado, por eu
' No mesmo anao de 1865 houve na colonia 13 que se deu nao esto cumpreheodido na hypoibsses
samealos, sendo 9 etholicos e 4 protestantes. previstas r,a lei de 24 de *>>*&
< A iereia catholica est prvida ; para a pro- (arrenles, 2 de marco de lSo.-Meuarn go.-
casameolos
A iCTeja cduiuii^a cra uiv*.i' iifc
testante acaba de ehegar daJIuropa om pastor que Honlem pade apeaas escrever-lhe algumas tabas,
vai alli exercer as fuacedes de lacerdole Jaquella porque todo o da e;uvmos recebendo medica-
c>mmoohao menlos. e, com urna coramissao medica, exami-
,Vora Peiropohs.-Tambera nessa colonia a co- nando os enfermos que ha a bordo.
Iheita rtoixa de sor favoravef, por causa da ecca no Todos os das nos chegam vapores com iropa,
mes de novembro a das cotlooas chovas de 15 de muoicoes, ele ~ ,rcnrta Pl,-,- a.
dezembroem diante; s o milho nrometie um bora unegoa ulliraamenlTo transporte n'**
resultado IoincIe,trazendo todo o material para um nospitol
Semaram-se na colonia 600 quartas de cea- onde se accommodem 600 duMto.
leio, as qaaes poderiara dar em termo medio urna Tracou e o plano, e naisde 800homen> eslSo
eolheita de 3,000 saceos, cm lugar de 1,600 que ef boje oceupados, nesse trabalho. U hospital sera
fectivaraente se colneram. de made.ra, perfeitomeoto veaulado e com mu.tas
fgjalraeule foram seraeadas 700 quartas de e boas commoiidades.
tngq que deviam dar 60Q saceos, ao passo que s v Sera sea director o hbil operador Joao Jos
derW 30 Damazio, medico da esquadra brasileira.
, A plalago de feijp, elevou-se a 600 quarlas, Depois da chegada do uosse dislinM. e moito
mi colhidos somente -2,000 saceos, em vez de esmado almirante vizconde de Tamandare, temos
3,000 que podiara s lo se o lempo bouvesse corr- en:rado na vida activa,
do melhor Na 58* vulu da conferencia que teve com o
Esses'transtornos de colheita causaram aos general Milre e oulros generaos, mandou preparar
colonos de Nova Petropolis urna perda de cerca de todos os navios, activar os hospilaes. e t espera a
10:000*, que, porra, era parle foi resarcida pelo chegada dei enconracado Ba*w. para seguir para o
fabr.c7de 10 000 varas de faieoda de linho.de ca- Msso da Patria, aflra de acabar com as forlilka-
nhamo colhidb lecido na colonia, que se fatiricou Q5es paraguayas qne ali ba, e era seguida manda-
no anno de 1865, e que, importadas importaran) r suoir urna diyisjo is ordens do experimeatado
pelo menos em 8:000-3. cnefe Alvim- a^ a Tran'Jue'.ra d. Lorel0' balf
t A divida dos colonos para com o comraercio e os navios paraguayos, que ali eslao, com o lira de
de cerca de 21:000S e pode ser paga com urna ou nao "eixar as for.cas do barao de Porto-Alegre
atravessar o rio.
t Teremos, portanlo, oulro cembate naval, ou
aotes urna nova victoria.
< Quaalo a nos, estamos contentisslmos, pols
afinalapresenta-se-rns a occasiao denos encontrar-
mos com os intitulados russos da America,
c Na mioha segunda carta ihe contar- i tudo o
Hoje e ajnjnhaa sao os bailes de pliaatasia
ao ibeeiro de Sileabei; os quaes derera conservar
a orden e o bibantismo dos que alli liveram lu-
gar por occasio do carnaval. i
Noticias de Tacaral do oJallecimento do
Sr. major Jos Rodrigues de Mora^dayera principios
deste mez de margo. + '
Bsto verdade eoluiliva; o os pases mais eivi Bravo Ce Caors Barbosa.
Usados recooJiecaaaa a. sua importancia, procuram
despertar nos eoraedes deseos fithos essa motta do Xarope tnico refrigerante de veame e de

Totoaao pede-nos a leguioto er-
seu engrandecimiento e prosperidade, fazendo
coordenar em esplendida reunio todo quanlo fr
de bello o proveitoso, para apresenlar em solemne
eiposicao, onde o espirito se esclarece, as ideas se
propagan), e a iotelligencia sorve a tongos tragos
novas concepedes, para produzi-las com novo es-
rnalie e bnlhaotismo.
E', pois, a segunda vea que. vamos ter o prazer
EDITA ES
O Dr. Virgilio de Gusmo Coelhp, juiz mu-
nicipal supplente da segunda vara em ex-
ercicio nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, etc.
Faco saer aos que a presente tX'.a de
editos^vrem, em como a junta admiBistra-
ferro preparado pelo pharmaceutico Jos
da Rocha Prannos, estabelecido nacidade JJ* da SaDta Casa de Misericordia do Reci-
do Recife provincia de Pernambuco, rua^rie, me fez a petiejo do theor segninte:
Direita n. 88. Diz a junta administrativa da Santa Casa
Este xarope, que d tom ao movj/nento |de Mise; icordia do Recife, que qner fazer
Mirn ha 7 Vena vote- tos *was e '< ff^ece em grande copia
imn n') ultim veaO na( Q neoeseario para oseu consumo, e o preoiso
iido-io, e n) uiumo veo gMaM ahastecimeato das suas fabricase
pa
offliiinas, eomo oara augmentar o ja crescido oa-
thalogo dos gneros de exportaco, que sustentara
o seu eommercio asss floreaeenle.
- O genio industrial lambem Ihe nao fallece; e se
bem que j oo teora tocado a meta do seu aper-
fecoamento, tambera seria demasiado rigor exigir
tanto de um povo que apenas vai entrando agora
oa sua adolescencia, quando ootros de idade asss*
provecta, taivez Ihe nao estojara mais adu-
lados. ------- -
Todos es productos artsticos e iaduslnaesJ que
boje flguram no grande theatro das arles, nao te-
riam anegado ao seu esmero se o genio prodoctor
duas boas colheitas que tiverem
t S. Leopoldo. Forneceram ao jornal allemao
urna iuteressante estatistica da instruegao no mu-
nicipio de S. Leopoldo, da qual tmateos os segura-
res e altamente favoraveis dados:
t as differentes liuhas da anliga colonia S.
Leopoldo existero (entre publicas e particulares)
56 escolas, com 49 professores e 7 professoras, que que occorrer, e parece-me que os BjM<'pawyodos
no flm do anno de t89o eram frequeniadas por no tero pouco que lamentar quando souberem a
"1,958 alumnos de ambos os sexos, de*sorte que so- q0e Qcaram reduzdas as celebres fort'caces do
bre cada 100 habianles contam-se 12 alumnos, e passo da Palria.
esta proporcao muilo favoravel se considerarmos Felizmente comecamos agora a > [Tensiva, o
que na PrUssia, onde mais adiantado se acha o eo- qUe qner dizer, venceremos; mas nceremos ra-
sino publico e elementar. tocara 17 alumnos a pidamenle, porque cada combate sea' urna vicio-
cada 100 babilantes, sendo a dilTerenca, portanl, ra para as n0ssas armas,
muito diminua. c Se, eome se espera, ehegar hoje o Bahia, sma
a Aindamis: na Prassia conta-se nm profes- nnaa ao romper da .aurora estaremos em ataque
sor em 775 habianles ; em S. Leopoldo contase contra o inimigo.,
um professor oa professora em 293 habitantes. Adeus at a visto.Sea amigo, Mantequira.
Oxala' o resto da-provincia apresentasse pro- p. s.Abro esta para commuoicar-lbe que
porcSes idenlicas para o ensino publico e particu- partimos esla noite"para o Passo da Patria.Ama-
lar, e somente de lastimar-se, que grande parte nnaa oa de combate, dto de gloria para as ar-
dessas escolas sejam puramente allemaes e nellas mas ajiladas. .
nan a enema o odua voroeuiw, iiw ucccsaai lu Do Jornal do Commtrcio copiamos as segura-
aos futuros cidadaos do paz, para poderem gozar tes noticias coraraerciaes :
de seus direitos polticos. Cambio.laxluiudo as transacc.5es realisadas
* Um mal terrivel e pooco defloido lem cifa- hoje a 25 l|i, 25 3i8 e 25 1|2, soramam os saques
do muilas e preciosas, vjdas.de cieancas em S. Leo- por;i o paquete Extremadurt:
poldo. t Sobre Londres cerca de 300,000 a 25 d. o
E' urna doenca da garganta, que tem seme- pape| bancario a a 2o, 25 1|8, 25 i|4, 2o 3|8, 25
Ihaocacom o croop, mas que uo obslanie parece i|2 e 25 3|8 d. o particular,
ser outra e ter ouira origem, visto que frequeate- < Sobre, franca cerca de frs. 750,000 aos extr-
mente comeea com darrhea. mos de 374 a 380 rs.
.va nnmi.^tJ rrur i nnhtioada no Diario de de ver orar se esse acto popular, nesla bella e
^l^^TS^^VS^X^J?-gff^ que nao devanear qm de
%?aal-esCp*, 4. verso, emenda se dtvo, em A provincia de Pernarnbuoo rica como de produc
lugar de da; na ultima
mos-lhe, em logar de votemo
do, em lugar do ao..
Passageiros d-> vapor francez Extretnadure,
eotrado dos portos do sol :-C. William, Joephioe
e Gabrielle irraaas de caridade, Joao Cavalcate
de Albuquerque, Jaques Schupu, Modeoa Leonar-
do, Modeoa Raphael, Patrodi Michell.
Passageiros do vapor nacional Parahyba, vin-
do de Femando :
Jos Machado e 4 sentenciado* de justica.
Passageiros do vapor Peninungaryiodo dos
portos do norte : r
Joao Joaquim Al ves, 2 irmos, 1 cunhada, 1 pri-
ma e 2 sobriohos, Manoel da Costa Machado, Ao-
toaio Marlins Vianna. BrazFuriato, Vicente de An-
tonio, Joao de Dos GoBcalves, Joao Alexandre da n5o houvesse feito o seu primeire esboco.
Silva Braa, Joaquim de Souza Mooleiro, Maaoel ET assim que se vai chegando ao cimo
Joaqoim Barboza Pido, Jos Flix1 da Sitveira Va- aperfeiooameato.
relia, Manoel Borges Soares, D. Francisca Rosa da Urna exposicao nacional nao somente a exhib-
Silva, Luiz Canuto Eraerenciano, Julio Cesar Paes cao de artefactos delicados, e objectos de luxo e
Brrelo, Fraocisco Theophilo da Rocha Bexerra, J. faolazia : estes devem servir como de esmalte
. Graff, J. Jacob Graff, Theophilo Antoaio TNe- outra* obra anda qae menos delicadas, por onde
raistocles Simonete, Richard Villlg, 1 escrava a se veja lu'zir o genio da inenc3o, com proveito
entregar, Jos Luis do Reg Luna, Antonio Leite; das artes, da agricultura e do eommercio, que sao
de Magaihaes Bastos, Raymundo Nevywn. Antonio' as fontes d&riqueza de qoalqoer paiz.
Joao Ramos, Dr. Araerico de Figueijaedo Mello, Ma-! Esperamos, pols, coa anciedade esse dia festivo
noel d'Azevedo Belmonte, 2 praeas de polica. em-^oe esto rica capital, vestida de gatos e atavia-
Passageiro do patacho porluguez Novo Lima, da com os adornos d'arte, chela de "modesto enlevo
eotrado do Rio Grande do Sul :Jos de Faria sorrf aos seus albos dedicados que houverem
Machado, concorrdo para o sen brilhsntismo, nesse graode
Passaseiros do vapor francez Bj/rnndur,sabi-hatro.em que nm importante papel Ihe est
do para Bordeaux e portos intermedios :D. P.. destIBMO. ^ ^ ^
Wild, sua seohora e 2 fllhos, L. Coffraoe, L W.
Graf, J. J. Graf, Antonio da Silva Guanta, Ignacio
do Reg Maia, J. P. da Costa Motta, Ignacio Jos
Lopes, Manoel Mesquia Cantoso, Manoel Lopes Ro-
drigues Guimares.
do
citar aos herdeiros de Miguel Ferreira de
Mello, para a primeira deste juizo fallarem
aos termos de um libello em que Ibes quer
pedir o sitio n. 15 parlicabfi sito no lugar
denominado Salinas, do qual se acha de pos-
muscular por sua qualidade ferrfwf, ao
mesmo tempo purgativo pe^arpre do ve-
ame que encerra, e refrigerante pela par-
le acida, altin da precisa para perfeila so-
lucSo e combinado do ferro; este atacado
pelo acido ficar em extrema diviso, e as-! se em virtude do aforamento feito a aquello
sim o mais sJuvel que possivel, de sorte fallecido, visto terem cabdo em commisse,
queja ncre tao dependente de ser digerido como melbormente expressar em seu li-
pelos cidos fracos, que se acham no sueco bello pena de revclia, ficando logo citados
gstrico durante a digesio. Os expositores para todos os termos da causa at final exe-
p1 medicina sao de opiniao que o ferro e cupao. E parque a supplicantc ignore qaaes
^das as suas preparaces gozam das virtu-
des eminentemente tnicas, que aproveita
em todas as molestias que s3o caracterisa-
das por fraqueza; e com effeito acho exac-
ta essa opinio; nao mas dado o ferro em
substancia pelo mo resultado que tentao ob-
servado, (e que j fiz publicar) em certas e
determinadas^ mole tiaa;*por exemplo: ane-
mia, e febres intermitentes, terminam mul-
tas vezes por anazarca, que aecuraulaejio
de serosidade no tescido cellular (agua quan-
do est entre a pelie) e depois ascile ou by-
dropesia do venjre, que accumulacSo de
serocidade no peritoneo.
E' sabido que o ferro um dos agentes
Ha casas que leera perdido tres e quatro i
Ihos, victimas do terrivel mal, e poucas sao as que
nao tom sido atacadas.
i Vaieria a pena para os mdicos da capital es-
ludar, a natoreza desse mal, e consultando a res-
peilo com o provecto medico Dr. Hillebrandt for-
marein o diagnosticojdesse mal epidmico, que f-
cilmente podera' ser transplantado a capital.
< Consta-nos qae o Sr. Emilio Julien trouxe um
albo, seu, atacado do mal, para ser exarainadj pe-
los mdicos desta capital, que taivez possam descu-
brir a causa desse terrivel incommodo, qae tem
coberto de lulo a maior parte das familias de. S.
Leopoldo. > l
O vapor Brasil, procedente do nosso porto, tinha
alli chegado no da 10 e seguir para o sul.
Sobre H.ruurgo cerca de 5O.C00 m. b. a 715
res.
Sobre Lisboa e Porto vigorou a segrate ta-
bella :
c 120 0|0 a vista.
< 119 0|0 a :-.i> d|v
118 0,0 a 60 d|v.
117 o,0 a90d(v.
t Descont.Nao houve alteraco.
Fundos pblicos.A nica iransaegao a notar
urna pequea partida de apolices guraes de 6 0|0
a 90 0,0.
Metaes.-Exportaran) se de 12 a23 de marco:
DIARIO DE FEBNAMBUGO.
Deslios
Bordeaux...
Lisboa......
Rio da Prata.
Pernambuco
Ouro
4I:80
12:5005
129.3005
Prata
5
3:1005
5
5
183:8005 3:1005
Papel
5
5
5
72:3005
72:3005
.
.
Noticia
*^s>-
No dia 26 do corrento foi Julgado pelo eonselho
jderecurse, o alferes secretario do 3o batolho da
__._j cnanto naoional desle municipio Adriano da Silva
bxposiCAO dos productos agrcolas, industrues Faria> ^ crme dfl desrpet0) insUbordinacao
21 de e 'Dlr'98 pralicadas para
Acta da sessao
DE PERNAMBUCO.
da commissao directora
marco de 1866.
em
com seu comman-
e injurias
danto.
O eonselho, que se compa do Exra. presidente
A s 6 horas da tarde em urna das salas di> pala- ^ Tofr% Ho Jnle8errlrao joix de dlreito aud*-
co, cora assistenca do S. Exc. o Sr. vlcepres den- lorFde err'a desU ca ila, e do8 tenentes-coroneis
te, coropareceram os Srs. Drs : Sarment Gerya- ^^^ Joio B,rata "ne A'lineidJ, Laiz praacisco
:'0tTVfcil0Qie^rt,a^a0d0L,' de B^osBego, e Domingos Alves Matheus,
vrament e Dr. Buarque de Macedo.
vista do interrogatorio do reo, e da prova dos
O Sr. Dr. Sarment propoi e foi approvado que de d risS graa
se offlciase a S. Exc. o Sr. presidente para remet- maxjmo dQ ^ 98 ^ M
ter a commissao todo que relativo ajsxposj{ap e rfe lgg0 a
qoe se acha na sw.rStarra do gobern. Rmm
tiesolveu-se igualmente oficiar aoSr. Fraocisco., '"'"
Ferreira Borges, gerente da Companhia Pernara-
bucaoa, para empregar a sua influencia e esforeos,
aflm de que sejam remettidos exposi^o os pro-
ductos das provincias lirailrophes, ou de outras on-
de passera os vapores d'aquella companhia, e as
quaes se nao effectuem as exposicoes decretadas
pelo governo.
O Sr. Dr. Sarment faz sentir a conveniencia de |
solicitarse o auxilio do Exra. Sr. blspo diocesano,
aflm de que por sua intervencao os vigarlos e coad-
juctores das diversas freguezias promovam a ac-
quisigSo de productos destinados exposigao, o qoe
foi approvado.
K nada mais haveado a tratar deram-se por fin-1
dos os trabalbos.
Dr. Jos Joaquim de Moraes Sarment, presiden-
te.Gervasio Rodrigues Campello.Jos Joao de
Aroorim.Barodo Livramento.Maneel Buarque
de Macedo, secretario.
602 de !? de setem-
ser camprlda na torlalea do
HXJlVt
CASO IBM.1VE
sejam os i erdeiros do mesmo fallecido, por
isso requer a V. S. se digne de mandar
passar carta de editos coiu o praso de 60
das para serem. citados os supplicados por
todo o conteudo nesta: Pereira e Souza
proc. cfV. nota 203: portanto pede ao il-
lustrissimo Sr. Dr. juiz municipal da se-
gunda vara Ihe delira E receber merc.
Gamo pro :nrador Jos Theodoro Gome?.
Cuja petizo sendo-me apresentada, nel-
la dei o meu despacho do theor seguinle:
Distribuida, como requer. Recife 24 de
fevereiro de 1866V. Coeltao.
Em virtude do dito meu despacho foi a
aeco distribuida ao escrivo Cu tilia, e es-
mais impottaute para que o sangue se pre- te passou a presente por bem da qual e seu
D'IHA
Molestia Ulcerosa
Curada.
pare e aperfeice devidamente, e por con-
seguinte o mais proprjo para impedir o des-
envolvimento destas molestias, mas sendo
elle um efficaz excitante, sorbente e secer-
nente,' claro que s associado como se
acha neste xarope, pode dar o resultado
que se espera, e a experiencia me tem de-
monstrado sem risco de offtnder as entra-
nbas.
Os effeitos dos incitantes, s5o: promover
as secreces, e absorc5es, augmentar o ca-
lor natural, e remover aquellas dores que
nascem da falta dos movimenlos iri ilativos.
Os sorbenles sao tambem aquelles agentes,
os quaes augmentam os movimenlos irrita-
tivos, que formam absorbo, e oss cernen-
tes aquelles que augmentam os meimentos
irritatives que constttuem as secresoes.
ASsim, pois, v-se que sem a precisa combi-
na?5o e modificacao nao i de ser elle appli-
cado indistinctamente. Militas vezes o pra-
tico deixa de fazer applicapo. do ferro por
conhecr srapeitar que o figdo, o bofe ou
pulmo, e or.o essencial da respirac3<>, ou
ou'ra enlranba est offeodida; entretanto
que, se se tivesse applicado em tempo se
i poderia ter evitado o desenvolvimento da
molestia. Assim, pois, o xarope prepara-
do como ca exposto se pode usar sem ris-
co por nao offender as entr?nhas. As mo-
lestias contra as quaes o xarope tnico re-
- -!
Communicados
No coraraonieado, que o Rvm. Sr. Pedro Manoel
da Silva Burgos publicuu no Diario de Pernambuco ,
de 21 do corrente, querendo defender se de aecu-
sar,oes, que Ihe teera sido feitas, de baver posto era-
baragos ao Sr. lente coronel Siqueira Campos na
formarlo do i." cerpo de voluntarios da palria, jal-
Temos visto joroaes do Rio e Bahia, trazidos
pelo vapor francez Estremadure, chegado hontem,
com datos do 1 at 34 e da segunda at tti do
MA?oemo.dade do dia de hontem, a bora adan- com **[; Ai)^?^^?/,^ c.m.i4;
Caf.Venderam se 2,200 saccas, sendo 1,500 goa 4 'proposit referir-se aoieoente coronel de 1."
para os Estados-Unidos, 330 para o Caoal oa norte lHina mandado pelo Exra. Sr. conselheiro Pirana-
da Europa*e 300 para o Mediterrneo.
Algodo.Nao bouve yenda. .
Chegaram de P<-roambuco: a'.ll obrigueNormo
gua, para auxiliar a organisacao d'aquelle corpo, e
tiscalisar o emprege dos dinheiros pblicos.
A accosaco do Sr. padre Burgos consiste em
lia ver o mesmo tenente connel abusado da confan-
toda em que recebemos os jornaes meio dia) e a Sabiram : para Pernambuco a 13, o' P^o ca d Sr. Paranagoa, subsiabeleceodo era raembros I
taita de compositores apeaas nos perraittiram dar ", a barca bamburgueza MWU|MH da familia Campos os poderes, que recebeu para
as noticias mais urgentes, deixaudo para o numero c.no P<>rtoguez Gcvrelt, e a 20 ^barca Por">goea reerutar com moderaco:
de seguodafeira o mamo dos trabalhosdas cama- Janota 'e Par? Maj-anbao, a 18, a galera porta- AcCresceoia o Sr. padre Burgos que, n essa espe-
ras e aoiicias das provincias ialermedias do sul. S""* mva, 'nt5^e. ____, ci de subdelegado, excedea-se o mandato confe-;
Sob a rubricas Parto ofRaal e Interior dann-s *(Fi"ma "ra P Pernambuco o brigue rido pe|0 geveroo, qoe, para evitar cooBagraco \
um decreto e um aviso e ai noticias do thealro da Sa$a_Cruz .:.**^Por^u5^!*,.r.,a"_. !* violencias, que o Sr. padre Burgos refere va-
guerra.
Sania Cruz e a barca portugueza ilaria.
Baha Comecaram a fonecionar, no dia 15,
7mm JAaniRo.-No dia 17 comeearam os traba- as aulas da facnldade de medicina.
Ibos da caaaara do deputados, sendo eleitos para Pur portara de l S. Exc. Rvm. o Sr. arce-
a, respectiva mesa : presidente o Sr. barao de Pra- m9po suspenden correccionalmente ex infrmala ?>eQ P-' Sr. lente coronel Jos Lacas Soares
d^boniST^volos^em^ i sedulas^; ^ice-presidentes consHentta o Rev.conego Manoel Jorge franco, chan
tre da caihedral, do offlcio sacerdotal e do benefl
ci canonical, al qoe d provas de emendae cor-
receo
ai Sr Barbota de Almeida com 58 votos era 6o
sdalas, Fabio com 50 e Marcondes com 44 ; 1*
secretario o Sr. Alfonso Celso com 66 votos era
76 sedlas, 2a Uto o Sr. Ponseca Vianna ; 3 e 4*
em 65 sdalas sabiram eleitos os Srs. Belfort cora
63 e Ambrosio Machado com o votos-
No da 22 eniroa em segunda discasso a pro-
posta do governo sobre a lei do orcaineut> para o
gamente, reprebendeu o seo agente, e den! outras
providencias acertadas. ,
O otlicial trasido baila pelo communicante,
Elle se acha auzente, e eu nao devo, Bem posso
deixar de proslestar contra as gratoitas assercoes
do Sr. padre Burgos, que se conhecessel) carcter
- Mais am encouracado, construido em Ingla- ie sentimentos d'esse, a quera allude, nao o sopporia
trra, tocoa neste porto, no dia 22, sob a bandeira caP de reprovado, e anda menos poderia
ingleza considralo instrumento de qaem qner qoe sejaI
- Teodo pedido exoneraco de menibro da cora-1 Nao b-. M""d* fin afflrmarse; (e fdra meu
misso directora da exposicao provincial, o Dr. Je- Pai reprehendido pelo Sr. conselheiro Paranagoa,
exercicio de 1866 a 1867, parto relativa ao miis- ronymo Sodr Pereira, foi nomeado para substitu- jde qnem, alias,elle sempre recebeu provas Vapre-
lo o Sr. Nicolao Carnero Filho. > o0"8"^ i **<*<> "<1 '^l tortant co todos
Ffcava a. carga para Pernarabncj : o paiacbo administradores, com qaew servio aqnl, e o outras
D. Luiz. provmolas.
lovoqoe o Sr. Burgos, como en iovoco, a opiaiao
Sahiram para esse porto: a 23 o pajapo, o Sr. Dr. Adelino Aatonio de Lona Freir, e dos
Bratiense ; e 24 a sumaca hespaahola Ondina, homens honestos da comarca de Plores, e todos a"
Regolavao cambio sobre Londres 26 3/4, sor Uma voz Ihe attestaram a honrade, Jmparoallda-1
bre Pars 3o3 e 355 res, sobre Hambargo 66o a e e ciMumspecco de mea pai no desempeaho da
670 res a sobre Portugal 102 a 103 V ; honrosa, mas dicrt ewnmissao, de que foi ncar-'
Sergipb. As ultimas datas, recebidas na Babia, regado,
alcancam IS de corrate. Elte leve de proceder ao recrotamento: ma ne
No dia 17 recebaa, o presidente da provincia ama desatienden a qnem linda isempco legal
raensagem de felicicao, raanifesUado a doce es-j Provoco o Sr. padre Borgos para exhibir provas
.peraoca que nutre a assembla provincial de que d0 contrario.
sua admiuistraco seja ebeta de beneficios, para a Nao o fazendo, me dar' dlreito a lamentar ainda i
provincia. \ UBa vez a factiiaae extrema, eom qae em nossa
I Para felicita* S.M. o Imperador, pujo seu feito' terra se atacantas repntoQ5es, ainda qoe bem Ir-
...^^.de (evereiro. te lagar o conellio dos ragresso cOrle do imperio, segundo.a indicacao madas. fisst^hrifMmfe, no caso em qoesio.se!
generas Mito*. Taaaaodar, Flores e Osario. apresentada' pelo Sr. depatodo Accioll de Menezes, aggrava rnuito pelo earaeler, deque se acha reves-
' Parece q#e a esquadra deuar uaa divisan fol eleito ama commissao coraposta dos Srs. coose- tido o aggressor.
para auxiliar a passagem do exercito e o resto ir Iheirus Brita e Saraiva, deputado Urbaatt commen-
terio do imperio.
Oraran os Srs. Jos Bonifacio e Tavares Bastos.
Estovara com a palavra contra es Srs.: Nenias,
Macedo, Morira, l'rbano, Ratisboaa, Martinlio,
Barbosa, de Almeida, Pinto Lima, Per reir da Vei-
ga, Godoy, Buifort, Mello Franco e Pedro Loiz. A
favor : Barros Pimeolel, Alfonso Celso, Brando,
Sonto, Hurto, A. Lobo, Moura, Dantas, Araujo Bar-
ros, ilvaira do Souza, Silviuo e Barbosa de Oli-
veira.
L se no Correu Mercantil :
Oe ama carta escripia de Buenos-Ayres, em
dato de 6, e que aos foi obsequiosaaeieute eommu-
uicada, extrapia^es o segointo : -
Kmbaftioo boje pa Corrientes o Sr. eoose-
Iheiro Olaviano.
operar conlra Hamaiu, de sorte qae esses dous
movinwoto stocara simrjltaneyraeote, obrigando
o inimigo a dividir as suas torcas,
Asseveiam agentes coafletonciaes que o rio Pa-
raga*y esta, ebeio de tocpndes e machi ais mos o-
feroaes. Todava ha qaem.devtde da ellcaeia de-
ses machioismos, e o Sr. Tamandare levou de Bue-
nos Ayres diversos raeie ygneeUmdo peJo nro-
os*ppae, quer paca abrigar oe- totpedos a fazeram
dador. Aatonio Dias e deputado Barros Pimentel.'
PERHJWBUCfl."^
Recife W de asaren de 1866.
Or. flabrtal Mcidet apoza da Cmara.
as
s=
._-,,-------_
y .i i i ii
REVISTA DIARIA
O vapor Cruzeire do Sul devja partir do Rio de
^^X4*"^!^<>To^^ ssft* **deve e,ar em omoot*hoje
f A f aM *,to^*i*m0f>i#,i^segwid c*m d> coi- '
BatTrontar com ama dlvtoao at
boin de Bel-
da tocar na Baha, o afjnmtndMjn-
es pelo governo imoerial 4 jad la e
agoeBaraai^iato.1#ad%8ean>fente, fmkeUobmo,armadocabaMf},(tooptt- a<^wmtarjan,Wr-dntm+ nMnpeo-
ioftssM Patria, e mandar pe jusnos visos ateo, o constrojio : espacojo.e disponao de bons velloso ao progresso social e ao engrandecimento i
PubcacOes a pedido
Exposig* ajerie! e.tritffctHal.
Urna graaaWfesto nacional tea de ser exhibid* |
este anua n#pe>n glorias apcelaeio dn coa-
correncia aobrtc; onde ans spreaaitfataaianao
meros axacude, enaaandoi* ttive ooaaltes,
de totoftato, toanJgaacto, ,a aatia% analtoaado-a
eaai toa* ojiaet: da ericn, aulorisarao da jai-
;zes severos para jalgaiaa, on da dtOefeaya dai
Todoe aquelles que se achilo sujtitos sof-
frer molestias scroilosas, ulcerosas, ou svphi-
liticas, ainda mesmo as reputadas de peior
natureza, apenas necessitao de lr o segninte
caso maravilhoso, para que se slnt9o inteir-
mente convencidos que a sua propria cura,
nao s meramente possivel mas sim absolu-
tamente certa.
Joao Jse Ferredia Babboz, residente
na Cidade de Maranhao, tinha todo o sen
corpo coberto de chagas ulcerosas, e durante
algunos annos se achava debaixo do tratamonto
de mdicos os mais afamados, tendo usado
durante todo este tempo quasi toda a especie
de medecinas que em tes casos empregada
pela faculdado edica, porem debalde sem
obter o menor beneficio ou alivio: achando-se
pote em taes apuros elle finalmente reeolreu-
te, depois de repetidos e baldado esforcos i
fuer uso da]
Salsaparrilha
DEBRISTOL.
No todo elle ap&nm, cnegou a tomar Oine*
Garrafas de Saitaparrii/ia e qumlro fraseos daa
Pulat Vegetae Auucaradeu,'e o resultado
fol elle obter una completo e perfei ta cui.
" O Sefirs. Febrejra & Ca, Droguistas da
Maranhio, fotao quem juppriio o medica-
mento, e achSo-ee perfeitamente o tocto
d'eate case, oa meemos Senhores, nao so se
achao promptoe & confirmar o mesmo, como
tambem em foraeeer o actual adresso do Ser.
Barboza, i toda e qualquer pessa que por
ventara se detaj informar da verdad*.
Recommenda-se mui particularmente aos
Doentes que tenbao o maior cuidado naescolha
deste exceUento remedio, nio osando ontro
najo sai a Oaouto* gatoaparxUka de Brlatol,
qual e eidnsivamente preparada por
LAN1A1I&KEMP,
l>e 3OVA YORK,
theor sao citados os herdeiros de Miguel
Ferreira de Mello para fallarem aos termos
de um libello civil, que Ihes vai propor a
junta administrativa da Santa Casa de Mise*
ricordia do Recife, em que lhes pede a en-
trega do sitio n. 15 no lugar das Salinas,
visto terem cnido em c mmisso como tudo
declara a petizo aqu transcripta, aflm de
que no praso de tu dias, contados da data
do presente comparecam em juizo por si
ou por seu procurador a allegartm seu d-
reito e justifa, sb pena de revelia, para a
que mando a todas as pessoas parentes,
amigos, e conhecidos dos ditos herdeiros
de Miguel Ferreira de Mello lhes fagam avi-
so de que pela presente sao citados para o
que cima flea dito.
E para que chegue ao conhecimento de^
todos mandei passar o presente que ser"
publicado e afflxado no lugar publico do
costme.
Dada e passada com o prazo de 60 dias
nesta cidade do Recife, aos 3 de margo dd
1860. Eu Pedro Tert liano da Cunua, es-
crivao o escrevi. Virgilio de G6mao Coe-
llio.
Vai pagar a quanlia de 250 rs. de direi-
tos de chancellara n. 1224. 250 rs. Pagou
250 rs. de direitos de ch ncellaria.Chaves
Limoeiro.
Vai pagar o sello deste edital, que im-
frigerante pode ser applicado com proveito, port em a quanlia de 400 rs. O escrivao
sao: as menorrheas, ou suspenco doflu- Cunha.
xo menstrual das mulheres, anemia, ou d-
mimiiro da matsa do sangue e sua consis-
tencia alterada, dores de estomago, debili-
dade dos org5os digestivos, faslio, fluxos I
Eslava o sello n. 55 -400 rs. Recife 3 de
marco de 1806.Chaves Sena.
Eslava o sinete das armas imperiaes do
tribunal da relac5o. Firmino Antonio de
mucosos, flores brancas, cblorose, molestias
do sexo femenino, caracterizada por lan-
guor gera!, acclorisa5o paluda da cor ou
esverdinhada, empobrecimento do sangue,
eofartes-ehronicos das visceras abdominaes,
1 alporcas. ou escrophulas, escorbutos, opila-
' c5or pallidez, e os estragos produzidos pe-
! las molestias syphiliticas: asthenia ou falta
' de forcas; fraqueza geral: e ha hydrope-
sia anazarca e ascites; tendo-se o cuidado
de observar nestas duas ultimas molestias
principalmente, e em todas s outras, qt-e
\ um dos effeitos salutares de.1 te xaropa te-
1 ro-ventre corrente, e as urinas
cadas.
O modo de usarse e regular-se vai de?
cripto no letreiro pregado no frasco.
Vende-se nicamente na botica da n
Direita n. 88 de
Jos da Rocha Parankos.
i n ni i ......... _...____________ !_._.!
Souza, presiden'e.
Transitou pela chancellara. Recife, 6 de
marco de 18 6.O escrivao, Francisco dos
Reis Nunes Campello Jnior.
Lancada a fl. 100 do livro competente n.
13. Recife 6 de marco de 1866.Campello
Jnior.
E nada mais se continha em dita carta de
editos aqu copiada, que eu escrivao bem e
fielmente copiei do proprio original, a que
me reporto; e esta tica na verdade sem cou-
sa que duvida faca, conferida e consertada
na forma do esiylo. Cidade do Recife, 6 de
desembara- marco de 1866.'- Escrevi e assigno emf
/erdade.O escrivao, Pedro Tertulian
a Cunha.

COMMERC.O
PRAGA DO RECIFE.
'oaces oiciaes.
28 de marco.
A i 1|2 horas da larde.
Assocar mascavado americano1830 por arroba.
Algodo 1* sorte17t300 por arroba.
Algodo da Parahyba195 e I9i00pesloa borbo.
Cambio sobre Londres90 d|v. 27; 7|8, 27 3|4, 27
, 5|8,27 l2,e 27 3,8 d. por 1*)00.
Cambio sobre Parte90 d)v. 347 rs. p r franco.
90 d|v. 670 rs. por m. b.
O Dr. Virgilio de Gusmo Coelhd, juiz mu-
nicipal supplente em exercicio da segunda
vara desta cidade do Recife de Pernam-
buco e seu termo, por S. M. I. e C. oSe-
nhor D. Pedro II, a quem Deus guarde,
etc., etc.
Faco saber pelo presente que a juota ad-
ministrativa da Sai ta Casa da Misericordia
do Recife ^or seu procurador, me inaVae-
cou a peticao do theor seguate:
Diz a juota administrativa da SanW Casa
da Misericordia do Recife, que qujr fazer
citar aos herdeiros do fallecido Manoel Pin-
to, para a primeira deste juizo faVlarem aos
termos de um libello, em que lhs quer pe-
dir o sitio n. 21 particular as salinas, no-
poto que Mdaa as osis sio in
ompree;
edei
I cu
Mica* dfc.CaoraBarboas'
e C. Bravo A C.
^^^a^'^^MZ'V^\\ug dedeminado Carreira dos M^zombos,
preosio. do qual sitio se acham de posse osv soppli-
Freto ae assncar para Liverpool-32/6 e S cafjos por. tltuj0 e af0ramentO feito /aqXjeUe
| fallecido, visto terem os supplicados oabiV
em comaaisso, como meih' miente se expresV
sar em seu libello, pena derevelia ; flcan-\
do rogo citados para todos slennos da can-'
sa at final execucSo. -
E porque a suplicante igoora qnaes ser.
jam os "herdeiros, por isso requer a V. 5.
se digne mandar passar carta de edital com
o prazo de 60 dias, para stt-em citados, os
supplicados por todo o contAudo Beata. Pe*
reir o Sooza, Proo. civ. n. ^03: pertanto>
pede ao Illm. Sr. Dr. juiz municipal da se-
gunda vara assim Ihe defira. Espeaj recebar
merc. Como procurador, Jos|Theodro>
Gomes.
E nesta peticao que me foi
dei o despacho do theor- sfiguint
tribuidas como.requer. Recife^
rerrodei86.--Coelbo.
E sendo feita a distribuirlo^
d'este juizo Guiiherme Augusto^
este em observancia a este mei
IOS' jMisba o proSnM?! ^^^Bg^^^^^H
chamo, sitfr e hei por sftade
Prele de assue.tr para o Canal-60) e 5 0(0
Frete de assocar da ParahybaS8| e 3 0|0
uubonrcq Jnior,
Presidente.
Silveh-a,
Secretario.
Noto banco de Per Bam-
buco.
O Novo Banco descoma letras a 12 por centc
Sin oo, toma dinheiro a praso fizo oo em conta
reate pelo premio e coadicoes que se conven
clonar, e saca sobre a praca da Babia
NovoBanqp de Jjprnambuco.
o novo banco paga o 16 dividendo na
razio de 601O por accao-
MaVaHIEEITO DO
.Parlala'A:
secaalQ!
I aalaaav
i pagem 11
Ateto entrado na
elido
369 10-
baqoiaj
Para-palbaote
ndo Paquete, capitao-dos herdeiros do tallecido 5
.-.v.^i'-r

V
.- h
>



;r


M k


i


h

I86ft.
1 i w
n ai
dotfSfc allegando
Boa w' seus di
iroe pijWfedcr S
I^ItantMtoda e qua
.amiga (mohecidos _
roSj^lerHtes-hJo r&r
.
mi
Wmmmv&^*mm*^^mmml8#IT a qostitia d? fttrfS, h> di-
ta por seus reitosde chancellara ^- O escrivao C&ulia.
qgft 'f. 1>3 ^JBH>~, Pagou SOrs dedxei-
sti$a. sSb i*-
oa, viento,
ReclfMemCode
r*6r._ Chaves,~Li
Val pagar seilo OHHRP que por-
ido* hwdel- ti em a quantia de 40 rs. O e*riv5o
te de todo o' CftnHX Est ,va o sello n. 56400 i s.- Pa
DOS lOgafl
Dado a
naraboco,
EaJ|
iuteri
Trio da Alentar Araripe.
DECLARACOES
dido^'E para que cCe*e a9coohect- gou 400 rs. Recie 3 demwpo de 186C.==
' de tfJdos mandeifazer o pmentt que, Chaves.Sea*.
serrHffixa$tnos lugares dft costume, p*K( Eslava o sioete das armas Imperiaes do
blioidrjs permprensf. Tribunal da RelacSo. Firmino Antotio de
Dado e passado ne>ta*cidade doReoife de Souza, presidente. Transilou pela cbancel-
Perjombucar aos 3 de maree de 4866. laria Reeife6 de mar$o de 1866<*- O
Eu#ilherme Augusta de thayfle, escrt- escrivio Francisco dosIteisNunes Canpillo
*aosubs iho. i compleme a. 13. Recie 9 de marco de
II, ,00.Rs. 400rs.pagorj 400rs. Reci- 1866. CampeHo. E na raais se contiaha
fe de mareo de 1866.;Clraves.-^SeRa. em dita carta de editos aqu copiada qoe eu
Vj pagar 250 rs. dedifeltos decbancel- escrivao bem fielmente co;ie do praprio
liria. Recite era supra,eerivie, Athay- original a que me reporto, a este Qfsem
de.-V' 122.1. Pagou 60 rs. fje diceitos couaa que duvida faca, conferido e concerta-
je iuncellaria. Recifa 3 de marco de 486ti. | do na forma*do eitylo. Cidade do Recife
Giiaves.Limoeiro, aos 6 das de marco de 1866. Esceevi e
Trnsitos-pela cbaneellaa. Reeife, 3 de.assigao emft de verdade. QescrivloPe-
marfiQ de fSJW.-rO ettrivfo, Francisco dos' dro Tertuliano da Cunha.
Reii Nunes Campello Juoior. ^ Dr- Tnst" de Alenear Araripe, offlcial a> im-
Laocado a l* \ Ofl <1n rnianptpnte liv.o |"l Ordeaj |Ja Rosa e juiz de direito especial
n n n!lfi !n**l ^TiaflA r 3p amrelo esta cidade do Recife de Per- Pernarabuco se fat publico que em sesso do mes-
n. Id Recife 3 (|e marco a;e 188g.Ca-j naipbucopor Su Manestade Imper.al e Gonsti-
pelle Jnior. HirmirjO Aatonio de Souza, tuciooal o Senaor D. Pedro U a quera Deus
presidente,. Estavam as'armiis imperiaes- ""la f!p-
E nada mk a rnminh am Hm arl'ital *C0 saber aos que o presente edital tirera e
,a,d!n i! f ? mi W1, delta ooiiela tiverem qae no da trila de abril
aqur Copiado do proprio angmal. do arenle auno se ba de arrematar por vada, a
Dado passado nasta cidade, aos 8 da
Expsito dos "odiictos a-
gricolas e iadustriftes da
provincia.
A commiss5o incumbida de dirigir os ne-
gocios da exposicao desta provincia, previ-
ne aos artistas que desejarem concorrer com
os seus productos mesma exposicao. e
que nao o possam fazer por falta de recur-
sos, que devem dirigir-so ao secretario da
comraissgo para obterem os auxilios neces-
sarios acquisicao das materias primas des-
tinadas aos ditos productos.
Sala da commisso 15 de marco de 1866.
O secretario,
__________Manoel Buarque de Macedo.
Tribunal do commercio
Pela secretaria do tribunal da commercio de
rao tribunal de 12 da corrente fui considerado va-
go o offlcio de corretor desta pra?a, que exercia
Fredenco Lopes Gaimaras, o qual o ab|ndonou,
e qoo a anga pcastadj era. favor do meamo cor-
retor persiste por seis 'metes, cootados desu data ;
e que Qca marcado o praso de 60 das, para dentro
quero raais der em praga publica dste juizo o se- delles se habiliurero os cioncorrentes ao retario
guite
Duas peqseoas casas terreas sitas ni Capianga
lugar Baixa Verde, as quaes nao tem numuro,
no
tendo cada orna desepove palraos de largura.* trill-
aos
marc > de 1866. Eu Guilaewe Augusto de
Athayde, esrirao o swsorevi.
O Dr. Virgilio de Gusmio Coelho, jais ooicipal ,
ffleaiA r "clew .da seginiU ara deau ,M s 8 rae,0 palmos de largura, d-go de fundo,
cidade do Becife de Parnambuco e^eu termo, i -
nur sua ma^estade imparial e coostf
Sr. p. PedrJl, a quem J)eus guarde
Faco .~aber p-lo presentj-que a junta ;
t.va da Sania Casa de Misericordia do Recile, ^vc* de Llbanio'caodido Ribeiro &C-. contra Anto-
seu procura/* me enderjiaou a petizo .do tbeor d^^ Nuae,
se*moto: E nao -^vendo lanzador qae cubra o preco da corre'nT
avaliacao, aV^arremaiago ser Tita pelo pre^o da
"o D#"
offlcio.
Secretaria do tribunal do commercio de Per
narabuco 13 de marco de 1366.
O official-maior
Julio Gulraaraes.
MARTIMOS
' jj,%r|aB*a FerB#ircana
DE
Maregfio c*a(efr* por vapor
Macei e escalas.
Sbue no da 31 as 5 huras, da
tarde o vapor Perununga, com-
mandaBte Belmlro, para os por-
tas acira indicados. K-cbe,pn.
___^ coramendas, pasagelros e di-
nfcairoa fre* at i horas da tarde do dia da sabi-
da A carga tara teceaida al a dia 39 as 6 horas
da tarde : escriptorio no_ Forte do Matos n. 1.
COM* 4*111 a brasileir^i
DE
rtOlETES A VAPOB.
E esperado dos porte do norte
at o da 3 de abril o vapor
Santa Cruz, comruandante Carlos
Gomes, o qual depojs da demora
do cosame seguir' para os por-
Desdo ja recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder cooduzir, a qual devera'
ser embarcada do dia de sua ebegada, encomraeit-
das e diolisiro a reie at o ni da satiida as i o-
ras : agencia roa da Crut o. 1, escriptorio de An-
onto Luiz de Dliveira Azeveao A C____________
O capitScTjoun P. Ashby da barca
americana LucyE. Ashbey, ltimamente
naufragada nos arrecifes deste porto na soa
recente viagem de Shanghai para Ne^-
York, queremio reembarcar caro de 1000
caii'as co cha parte dq crramento sal-
vada de djto nario, pede propo%tas para le-
var as mesraas aoportqde seu destino. Os
pretendentes podem dirigi-las em cartas fe-
chadas ai Sr. cnsul dos Estados-Unidos
at sdpunda-feira 2 de abril.
imni
FLGRES DA NOITE
DE
LICURGO J. H. DE Prtft
L'm volumrf furniHiu em 4* em bruchu,-
ra. cora 200 a mais pagoas, acompanba-
do do reirt< do autor. Assigoa-se na li-
vrarla fraocea dvs Sra Garraux de Lai-
Ihac^r & C a roa do Crespo n. 9. Proco'I
_ 54000.
*mmm mmm ni a a
VERDADEIRO LE ROY
de SIGNORET, Docteur-Mdccin
Ru de Seine, 51, PARS.
junta administrativa da Santa Casa de Mi-
senrordia do Ri-ciff, que quer fazer citar aos hr-
deirjB de Miguel Ferreira de Mello, pa/a a primel
ra riusie juitoallarem aos termos de boj iUtello
em quo Ihes quer pedir o sitio fe n. 18 particular,
no lugar denominado Salinas, do qual seacbam de
pone por titulo de aforamento-iajfo ao dito figuel
Ferreira do Mejjo, visto terem os supplicados ca-
que se acha a barca iogleza
de carvao de pedra, e dsmancba-la, a
sua proposta em carta (ecbada at o
Capitana do porto de Pernambuco 33 de margo
de 1866.-0 secretarlo
Dedo de A quino Ponseca.
" COMPSpiA PERWAM BACANA
Tendo os legtimos proprietartos das acedes des-
ta companhia abaixo mencionados, declarado que
baviam se desencaminhado de seu poder as de us
a coavid r arft o Bio de Janeiro
do rflgalamento das I pretende seguir at o fim da presente semana a
rar do lugar em i barca nacional Guarain, apenas recebe carga miu-
Fr.lisbella, carregada I da e escravos, para os quaes tem excellentes com-
presentar modos : tratase cop os seus consignatarios Anto-
da 21 do nloLoiz de Oliveira Aievedo &C, no sea escrip-
torio roa da Cruz n. 1.
adjudicago n*-

ao'conheciment oV lodus maodei passar o presen-
te ooe ser pubiicadAteela imprenta, e afflxado nos
lagares do cusame.
Recife 12 demarco de 1866.- Eu Manoel Mara
Rodrigues do Nasciraento, escrevo, o subscrevi.
Taisto de Alecar Ararini'
hiio eni cominjso como melhormente se exprs- ,. Tf-.oXf, j AipnMP Ararnl* nflfinal 886 a 895 e 2786 a 27a6, pela gerencia da Cimpa-
sar,' n seu l*ello, pena de revelia, (cando logo Xl'illS S%l L T\- **> PernamhucaBa e por orden da directora se
da imperial ordemda liosa, juiz de di- dec,ara qae da datk deVte a 30 dias, a vista da
reitO, especial do Commercio d'esta Cida- requisigao dos mesmos Ihes -vo sr entregues no-
de do Recife de Pernambuco, e -eu ter- j as acg5es de igual numeragao em snbstlluigao
mo, por Sea Magestade Imperial e Cons-1 '^SESlttS^JSSSt**
tituctonal o Sr. D. Pedro II, a quem
Dei gua/rde etc.
Faco saber peto presente, qae no dia 30
nm co- ^ mez^e a')r'i corre,?t;e aa00. se ba de
F* .arramair por venda quem mais dr em
da dei o praca publica deste juizo tiepois da audien-
cia respectiva, os bens .-eguintes:
Fe?rtT!m.-ZLTe'- ~ ReC'ft" Um? C3S' terrea. de Va e 8ila
E ondo feita a distnbuigao ao esenvao deste |K> oar;o do Monteifo, em chaos foreiros,
juizoGTuiherme Augusto deAtiiayde.este em obser- tendo 1 janeila e 2 portas na frente, 2 salas,
vatieia a este uiwi despacho, fez passar o presente 4 quartos, cozioba fra, quintal murado 6
citados para todos os termos aa causa at final exe-'.
cugio. "
E jorque a sopplicante ignore quaes aejam es-
tes hardeiros, por isso requer a V. se digue
mandar passar cartas de editos. com o praio de 60
dias paxa serem os supplicados ciladoj por todo o
coutSudo nesia.Pereira e Souza.Pror. aY- *>.'
S03.
Por tanto pede ao Illm. Sr. Ilr. juiz m
segunda vaia assim ihe delira.E. R.
moiorocuraJiT Jos f^eodor Gomes.
E esta peticao que me foi jares
desjwcfin do th-or scauuie :
Recife, 8 de feve
Pan o Aiacalv
O hiate Dous Irmaos, para carga traia-se com
Tassolrmos ou como Sr. Quintal no trapiche do
algodo.
Em cada garrafa, val, entre a rollia e o papel azul
le leva o met tete, in rotulo miprrsso m ama-
que
relio com o Sbi.lo Imperial do covckno 11. \ m.i z.
N. B. lemellendo-si'uina lettra de 500 francos
sobre Pars, acrilarel a (0 dias de vista, ao mximo,
goza-sc do abalimrnlp e d:> malor descont.
Priwsito principal _f
[do l
pn
nico agente pelo
Brazil a Ssr Antu-
vio Fbm. : ie La-
cerda na Balda' e
no prlncipacs phar-
maceutco,.
a-sc do abalitnrnlp e u:i mamr
deposito principal 4t
legilioio Le R0.1 /~\^7'
Caza do nosso -i2X/ o*s
fir^s
I'EA Oi
tOtlda<1e de l*arU
lacii
s
aoaMMkno exercicio d soa proflfcso, |
espocialroente as molestias da olhi.s, de |
US arrMris e de peile, para cajo ira- M|
tamemo juJaa-se uabd.lado alteata a pr- H
tica adquirida aos hospitaes daque la ca- g
(tita!, os instrooientos mais modernos WM
que, poasoe. _g
Ai4e n/opiament- a ijualijuer cba- g
mado para fott 4a dade.
E encarrega se deWMlocar olhns arti- !
m tii-iae.
ffiji No pateo do Carino o. 2, esquina da a
^2 rna de Hurtas, das 6 as 10 horas da ma- i
as tU' -" 1 din 3 as 5 da tarde.
mmmimmm &wm-nmm
!'h/,5 Perna mbacuno
A rariida do mez de marco tera' lugar
\t iiujie (11 dia3l.
Ai I mi ti. m-se mascaras, as fluaes serio ti-
radas da .. eia noite em oanle.
Havrrj urna cQmuiiso iid apdar twreo
pirarecotihecer os Sis. gocioi que vjercm
ni^sc rdos.
GASA DA FORTO
Aqs 6:000^000.
Uilhees garantido.v
A' RA DO CRSRO N.-23 E CASAS LX) COSTUME
O abaixoassignado vedeu nos seas maito fli-
tes bilhetes garantidos da lotera qoe se acaboo
de oxiraliir, 3 beneficio da igreja de N S. do Li-
Pernambaco 14 de marco de 1866.
O gerenteF. F. Borges.
Coiiselho de compras navaes
O conselho promove no da o de abril prximo
yindouro a compra d js seguintes obyectos do ma-
terial da armada.
50 arrobas de almagre, 100 pares de chioellas,
10 lanternas de patente, 50 arrobas de ocre, 50
ditas de oleo de llohaca, 4 ditas de pregos rlpares i men, B Jja^unn Frap- -. p da Silva Jnior, ser-
de cobre, 4 ditas de preeos de batel de cobre, Vl,, d* basa a ojfe rustid 1 uo le;| i.j passado:
600 libra de Unta branca de lineo, 100 chapeos I o inventario esta .em poder dj referido agente, cu-
de oleado, 30 resmas de papel paulado, 4 arrobas jo leitao sera_ellectuadi
LSlLES.
LElUO
Oh taberna a ra das Laran
geiras n 1>.
Cordelro Slmes
i-or mandado do Illm. Sr. Or. juiz de direilo espe-
cial do commercio, levara' pela segunda vez a le-
lao os gneros, arniacSo e utencilio's du es'.abele-
cimento anima noel Fraucisco dos Santos e Silva r a requeri-
suppi- cacin108 teodo mais 3 quartos no quintal,
b lachas de cobre, 10 duzias de limas chatas. 10
itas de limas triangulares de dez a desasseis pol-
prj-tiradores ante est juizo, allegando
"o que fr a bem de sea direito e jastlca,
de se proceder as suas revelias.
Portauto toda e gualquer pessoa, pare
ou cjihecjdos dos referidos herdeiros,
'fcan faier scifole do lodo o expendido.
E para que chage ao .conheclmeno de todos,
man l--i azer o presente que sera' afDxado nos lu
ares do costume e publicado pela imprensa.
Piando sa rj0 Quiabo da mesma povoaco do Mon-
)ftna tei-o, em chaos foreiros, com 3 janellas de
frente, 2 salas, 3 pequinos quartos, cozinha
fra, quintal cercado e cacimba propria,
tendo mais 1 quarto no tiintal, avahada em
250^000, as quaes vo a pra^a por eecu-
co de Antonio Moreira de iMendonca, con-
t, amigo
er-lhes-
dital pelo qual e seu tbeor, chamo, cite
.citados a todos os herviros do mencionado suppli- ?"" l<5""" vis qyaiios uv qu""1/ laidas, 10 ditas de limas raeia cana de doze a
vlnle poilegadas, 60 travs de qualidade de trinla
prazo de 60 dias omparecam por si o por seus Uma casa terrea de taipa, sia na travs-' e^oos trinta e quatro palmos de cqmprimento e
oltoa aove pollegadas de grossura, 80 travs de
qualidade dequarenta a quarentaecinoo palmos de
.comprlmento e oito a nove iiaMegadas de jrogsu
ra, 16 duzias de taboas deassoalbo de louro, 12
ditas de taboas de assoalho de amarello, 10 ditas
ae laboas de Lrro de amarello, 4 ditas e cous-
suras de Jacaranda, 100 varoes de obre de 7|8,
100 ditos de cobre de uma pollegada, SO ditos de
cobre de urna e meia pollegada. 110 ditos de ferro
quajrado de tres quartos de pollegada, 150 ditos
de /erro ijuadrado de uma pollegada, 100 ditos o>
ferro quadrado de seis oilavas a uma e meia pol-
legada, 100 ditos de ferro de 5|6 a'5i8,100 ditos de
de ferro em barra de dous a 4(8, e 100 ditos de
Ierro em barra de tres aS|8.
O varoes de cobre e de ferro de 14 ps de com-1
primento.
Promove o conselho a compra sob as cndilos
do estylo e vista de propostas recebidas naqaelle
da o de abril prximo vindouro ateas 11 horas.
da manhaa.
Sala do conselho de compras navaes 27 de mar-
co de 1866.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Aojos.
de Per- tra Jorge Vctor Ferreira Lopes e sua mu-
lher.
, Em
Dado e passado nesta cidade do Recifi
aainliui-o, aos 3 de marc > de 1866.
Eu Guilherme Augusto de Athavde, escrivao o
iniiscruvivirgiiio de Gusmo Coelho. i, .fm falta de licitantes sera arrematacao
N. 9 rs. 400. Pagou 400 rs. Recife, 3 de marco, feta pelo preco da adjudicaco com o abati-
de 1866.-Chaves. -Sena. ment respectivo da le
V^i pairar 250 rs. de diritos de chancellara! p nara nn uta an
Recife, :j de rnarCo de 1866. -O escrivSq Athavde.
Segunda-Jeira 3 ,de abril
as 11 horas eaj nonio na mesma taberna.
L)as dividas da mas^ fallida de Amorim,
Fragos Santos & C, na imjjorlancia ;e
tOi:S9^243 rs.
Cordeiro Simoes
por mandado do Illm. Sr. ftr. juiz de direito espe-
cial do commercio levar de novo a leilo os ti tu
los de dividas da massa fallida de Amorim, Fragn-
zo, Saatos & C, na importancia de t04:690^|83,
cuja relaco e ttulos esta' em poder du refe.-ido
agente a exami, e lera' lugar o leilao to dia
Quarta feira 4 de abril
as ti horas 00 armazem a ra da Cadeia do Reci
fe o. 29.
FERRO QUEVENNE
Apjirotailo pela Academia de Medicina,
Auclvnsado por circular especial 3o Ministro.
0 FEMlO QUEVENNE se usa em todos o ca-
sos para s quaes os ferreos sao prescriptos; nio
fax os Ji ni,'.- i:i-:;i\-in pretos; li a proparucio a
mais activa, a inas agradavcl e a mais econ-
mica ; muitas vezo um frasco h sufliciente para
curar uma rhlorosis.
A experiencia me provou que nesliuma pre-
pai-m.rm frrea lie supportada mais fcilmente
que o rkr.11 o yti.\ k.we, em observando as
limites de oses muito reguladas.
BoiciiAiii' \r, .-iTiiiHuno ifo lAerupeilica, 1863.
O Ferro Qcevesse vendeja em frasco de
-y IDO M4iiu, S 5
10. r,i':NTiyj^^2oorl.i. 5 .
Slcd,,!,. da d. Wv-fi-. S .
Deposito gcral cm casa de EmUe Genrioli,
14, ruc des eaux-Arts, fui Parit, t em todas as
boticas. Exigr-o Sinel Quetenne e a marca
de Fabrica acia*.
S. 3U79 d.jus quintos cun a sorte 6 2S0i-
E outras muitas sorles de lOA, 40, 20.
Ospossuidore podem vjr recefcer seas respec-
tivos premios semns desceios das leisnacasa
da Fortuna ra du Crespo n. 23. [
Acbatn-se a yenda os da diurna parte df 5*
e t d;i )$ lotera (5^J peneaZm da 'ifrcji de
I N. S do Guadetipe de OiinM, que -e etrnira*
quarta (eir 4 de abril.
PRECO.
lllietes T 6*000 -
Meios. : 3)00
Quintos.....1*200
Par* as pessas que eemnraren dr 409^000
para cima.
tilhetes. 34S0
Meios......Um
QuidIos.....1*100
______'_ Manoel Marti.ns Ficza.
PfMiaheirp.
Precisa se de ora cosibeiro para comprar e t-o-
Sinhir : na lija da lu'a Nova n."28.
I'recisa-se de am cozintieiro : na ra do Tra
piche n. 1.__________> s
Preeisa-se- de uma ama para cos+ntsr a
ra do Imperador u. armazem.
Alnga se ama esa de taipa edm" eominndov
para pequeoa lamilia, acabada e pintada d* nov,>.
muito boa agiu de bcier, algomas fructriras, o)u|-
t fresca e cora terrenos que conyler pfra plau.tar
no cilio da tamanneira, para ver e yactar jia
venda do mesmo rltlo.
N. lili. Pagou 2o0 rs. de direitos de cbancel-
iaria. Recife, 3 de margo de 1866.-Chaves.Li-
moeiro.
Tran-ntou peta ehancellaria. Recife, 8 de margo
de iMiii. O escrivao Francisco dos Res Naoes
Campello Jnior.
Laucado a fls. 100 do competente livro n. 13.'
Recife,' 3 de margo de 1866 Campello Jnior.
Firmino Antonio de Souza, presidente.
Estavam as armas imperiaes.
E uaria mais se continha em dit edital aqu co-
piado do propno original.
Dado e passado nesia cidade do Recife, aos 5 de
mareo de 1866.
Eu Guilherme Augusto de Athayde. escrivao o
subscrevi.
Virgilio de Gusmao Coelho.
conhecimento de
todos, maridei fazer o presente edital que
se afiixado nos lugares doeostume, e pu-
blicado pela imprensa.
Dado e passado n sta cidade do Recife de
pernambuco aos 20 de margo de 1866.
Eu Manoel Si I vino de Barros Falco, es-
crivao interino, o 6ubscrevi.
Tristao de Alenear Araripe.
O Dr. Tristao de Alenear Araripe, official da
imperial ordem da Rosa e juiz especial
do commercio, nesta cidade do Recife de
PeroaiBbuco por S. M, Imperial, etc.
Fago saber aos que o presente edital vi-
rem e del le noticia tiverem, que no dia 16
O Di-. Virgilio de Gusmao Coelho, juiz mu- e abril do corrente anno, se ha de arrema-
nicipal supplente da 2.a vara em exerci- Ur pjr venda a quem mais der em pra^a
ci nesta cidade do Recife de Pernambu- publica deste juizo o seguinte:
co etc. etc. As quatro selimas partes da casi terrea
Fa<;o saber aos que a presente carta de sita na roa Imperial com o n. 16, a qual
editos virem em como a unta administrativa tem porto e muro na cente, sendo a casa
da Sania (Jasa de Mi ericordia do Recife, me collocada no centro, com janellas e porta na
fez a peticao do tlieor seguinte; Diz a frente e nos oites, com grande terreno at
juma administrativa da Santa Casa da Mise- a mar, e os fundos at o rio Capibaribe,
incordia do Recife, que quer fa/.er cilar a avallada ditas partes por 2:2855712.
viuva de Manoel Antonio Carnero, para Um terreno na ra Imperial com 30 pal-
primeira d'este juizo fttljlarem aos termos de mos de frente com os fundos par? a mar
um libello em que llie quer pedir o sitio n. pequea, foreiro m'inba, avadado por
20 pailicular uo lugar Carreira dos Mazom- 300#, a qual casa e terreno forana penho:
bos, as salinas, do qual se acha de posse a radas por exe-ucao de Francisco Alves d
sup[)!icuda por titulo de aforamer'o feito ao Moraes Pires contra Francisco &4elho de
AVISOS DIVERSO
dito Manoel Antonio Carnero,
supplicada cabido em commisso
lhor .ente expressaf em sea li
de revelia, ficando logo citada p
terajtns da causa at final esecupa1
que a supplicante ignore quem
r a Andrade. E nio bavendo lancador que cu-
%- bra o preco da avalia,i;iw, i arfeintaco se-
r feita pelo preco da adjudicaco na orxna
da lei. *
E para que ebegue ao connecinento (de
_ ssa todos maodei passar o presente que ser pu-
viuva, por isso requer aV.S.'quese digne de blicado pela imprensa e afBxads nos luaa-
ni.aodar passar carta de editos com o praso res do costume. Rec fe, 7 de marceo de 1846.
de K titas para ser citada a supplicada por Eu Manoel Marja Rodrigues.d.0 Nascimeato,
todo oAcoateodo n'esta Pereira e Souza. escrivao o subsejevi.
Proc. civ. aotta 203 por tanl* pede ao illm. Tri^j de Alenear Araripe.
Sr. ^r.\juiz municipal da 2.a ya,ra Iho defi- O ur, Tr,Uto:e AJeAcar Apare; offlc)ai ,daim-
ra FSR. M. Como procurador Jos Theo- PeriaI .orden ,da Ros?, juiz de , . 'po p Lp, commercio desta cidade do Recife de Pernambu-
OOie uome, j.n-l co, sea termo, por Sua Magestade Imperial e
Cuja [Mielo sendo-me apresentada n ell? Constitucional o Senhor D. Pedro II, a quem Deus
dei n dispafiho do tbeor seguinte: y guarde etc.
Dtstriburtda, como requer. Reetfe22! 50 saber pelo presente qae perante esto jolzo
An f,iirtr da fifi__ V CnMfa eearlorio do escriv#o que este subscrejreu, corre
uuuuuiiiwiow. v^3*niu.. ama execuQo de sentenca entre partes a gaber :
Em virljUde de aito^fltu dispacho foi a como exequentes Oencker 4flarrbs, econjoexe-
accio dislrfbuida arr^g'scrLvSo -Cunjia, e^ste cuuioioio Ferreira deCtvaiho, # carrenlo dita
passou a
tlieor ci
Cameiro.
bello civ
niajtrativ;
Recife, u;
nojug^r'
CQRMQ) UUi
Relaco das cartas seguras, viudas do sul pelo
vapor francez ExtranaiWt, para os senbores.
abaixo declarados:
Augusto Cezar de Medeiros. (2j
Antonio Pedro Ferreira Lima.
Adolpbo Curoio.
Arislides Penalva de Faria.
Augusto Alvares Guimare;.
Arnpliilolio Freir de Carvalho.
Demetrio Jo.- Teixeira.
Jos dos Saotos i\eves Jnior.
Jos Ferreira Mariobo.
Jos Rodrigues de Souta.
Luiz Jos da Silva Guimares.
Miguel Kerreira Dias dos Santos Jnior.
Dr. Pedro Auiran da Ifatta e Albuquerque.
JjJJi I". lUUgg
TIIE.VffllO
DE
S. ISABEL.
Grande baile mascarado
A PAliISlE OS.
NOS DIAS
margo
m4
Ao aviso impresso no Diario de
responde o Dr! Prxedes Pit.apga qu est prompto
a pagar pelo Sr. Antonio C"e Castr Alves, a quem
diz o avi-o ter servido de fiador, o que de direito
Ihe mpozer o titulo de-Banca, visto como nunca
se exiouu a pagamento a que se respunsat>ilisasse,.
como se deve deduzir de declaraco quj faz o
mesmo Dr. de que nada dev a pessoa alguma, e
iiae est pro/opto a paga,r a qu-m quer qae se ,
julgar seu cre'dor, apresentando-se legalmenie ba '
bilitado.
Ao aiinun.'-ianie declara o Dr. Prxedes Pilaoga
queojimal s serve tiara publicar avisos aos;
que iio querem pagar, ou que nao tem residencia i
C'iohecida, o que aao acontece com o respondeote,'
que mora a muitos anuos, aa roa da imperatriz n.!
78, e que sempre pagou de prompto a quem Ibe :
?presentou coola iegalisada.
A Sr. Joo'Cameiro, aconselba o ur. Prxedes!
Pitauga que ase dos meios qae a lei Ibe faculta,
que ieiialisada sua conia, se o sea aOap^ado nao
pagar, elle pagar immediatamente em vista do 1
titulo d sua fianza. '
Diz ao publico o Dr. Prxedes Pianga para que
nao pense alguem que o Sr. Joio Cameiro nao ;
conseguiu o pagamento que annnnciorj querer re-
cebar, pois s monos mezes depois que o Sr- Cas-
tro Al ves mudou-se da casa qae era pelo respen
dente afianzada, foi que o Sr. Carneiro se dirig u
pela primira vez i avisar qae elle tinha flcado
trazado em mezes de casa; tudo contra expressa
ciaussula de titulo -fe. Ganga.
Recife, 30 de margo d 1866. ______________
lleclaruvo.
O Dr. J0S0 Jos Pinto Jnior pode ser procu- i
rado para os misteres de sua profisso na ra do
Imperad r, sobrado da um andar, o, 29, para onde
ja transferio o seu escriptorio, e vae transferir
lambem a sua residencia.
Le se no Monileur dla Pharmacie.
A electricidade t hoje empregada por todos 09
mdicosafamados, para o tratamento de muilas
molestias, mesmo para as que resistero as outras
medicaces.
A clLtiridade produiida pela friefao tem un
ssuperioridade ncontestavel, e a vantagem de nao
dar abalos, e de poder ser graduada pelo (lente.
A causa a mais frequente das molestias a
estagnaca do sangne ou dos oulros lquidos vi-
laes. nestabiecendo se a chxulaca no orga-
nismo, curai ao-se as molestias.
Quando se sciue alguma dr em quelquer
parte docorpologo, einstinctivamente, seerfrega
o lujar endolorido com a ma, e islo alUvia. Isto
explica o rebultado incontcslavel fue deve pre-
dotir um apparelho elctrico. Por isso temos
prazer cm annunclar ao Publico queoSur Buisson
>de BivilUer' residente, boulevart du Prince-
-11 ,.!..-, it n,r, Antmt a metlicipa de um
apparelho Electro Magntica, sob a forma ae
turna escora,com o qual os doentes se poden
i turar sera nebuma outra medicai;ao. Os_ mdicos
que a tem experimentado, attestara que >
.Iicova rxcTaoMAOWBTicA cuica 1 par
Curan OS Bheumatif mos, Paral y j ia, Gott,
Iraqueza dos membros, e da Columna e-*
tebral debilidade geral, Hevralgias, ele.
Estamos certos que breve cada familia potsuira
esta escova que prestara grandes servicos.
1A pedido d muitas pessoas, o autor decidio-s
a establecer um deposito de seos apparelhes no
Rio de Janeiro, em caa do Sn Dorna Rouri,
> ra nova do Ouiidor, n' 83. >
kx'
t'recisase He qma ama pjr'a CQmprar e cpsi
nhar, para urna 6 pessoa ; na'rua 4aCruz a. '15
1." acidar.
ATTENCA.
Itenry Forsler d C, ra do Trapiche n. 8
tem para vender :
Prensas para enfardar algodo.
Machinas de de.-carogar algodSo, de 30 a
60 serrotes, com motores, asim como moto-
rs que s.erviro para qualqur servir;, e urna
raacliina de 120 serrotes comjuina machina a
vapor, propria para a meana.
41
ocao
6
seDtvS bem da qua e mq ??Sl2i1!2,-l!!: -?T2SS^,!.Jfe,1;m S4^dS'SS^,taS!LP^-dB """'i
Sabbado 51 de marco,
Domingo 4o de abril e 1866.
O grande salo de Dangaqae comprehende
toda sala e cusa .do theatro, acba-se slidamente
construido affian^ando a mais completa segnranQa.
llMS? gioro mais e8"Mend,dam9t- Veude-se tainhas de Alagoas muito noves
O salo acha-se ricamente ornado cora lustros, a 20 rt- no larg d Cawno, esqama da
estatuas, quadros, espelhos, vasos com flores, ban-' ra de Ilortas, armazem 0. 2.
delras etc.. etc., sem' que para' ste rim se tenha
poupado despeza alguma.
A banda de msica do Io b >talbo da guarda
nacional deste municipio, sob a direcgo do seu
distincto meslre e qoe tem de funeciouar nos ex^
plendidos bailes cima mencionada-, a qual tocara.;
HEDALHA DE OLRO. premio de ib.boof.
auiNA
IfJil'HIM
*
ELIXIR Febrifngo e Fortificante
lirilK IOS IISH9JIIUWU U Qllll.
Experrmentada com pleno successo no"
hospitaes, a quina Laroche '(ou extracto
completo de quina) uma preparado
excepcional, por ser privada do amargo
daquina. Agrada por consojuinte as pessoas
as mais intoleranles e aos paladares os mais
delicad. s, pois nem muito doce nem muito
viscosa, sendo de .uma limpidei constante.
Emprega-se*om multo proveito nos casos
de gastralgia, djrrpepoia, nevralgia, ue-
mia, marasmo, eaebezias, magread,
faitio sem oausa aiiparcnt e, convale scen-
rs demoradas, olorose e esarophnlas
o especifico da* molestias febris.
QUIN LAROCHE FERRUGINOSA
Iwiildt UJ ii iriDristaiu l< ftt h fin.
BMPARIZ,
15, ru Drttnt.
P. KAUJt&Ji'A C.
ro Nova n. 18.
LOTERIJ
Aos 6:000$O0O.
Corre quaita-leira 4 de 'abril
Acham-se venda na respectiva thesou-
. emfdinbairo, em virtude do aue em audienia pu- iOa dara c"5 o movimento.
\ de Hanol Aatomo CrlcVleie juizo pelo solicitador Ignacio arroso Segnindo-se bellas e harmonlosas-Quadrilbas-' rana, ra do Crespo n. 15, OS bilbetes,
r la!lar aos tarmoi le WO Ii-1 de MeBo, ae oi faito o requerimeo do ihjsor se-' Walsas-Polkas-Schotisch et., etc.
te *be vai Mopor a jBU dmi- cuate t Para dar flmao baile a banda de raosica tooar
da Santa G?sa 4a Mi^riGOrdia do deze^ove de qnreo de im, oe^ta eidade do^ <> '>
^jiie^bu^&jaoiSra^ GALLOFE INFERNAL
arreiratios Maxombos fias salinas, > solicitador Ignacio Barroso de Mello procjrador com toques de .campas, sinos, estrepidos e rebom-
TistO ICf eahrio era comraisso; como tud .-d* eaequeaes fteacker -Barroso *ora acfiusada bos dp trovio.
lpi'Jui't npti,5n anu irinsirnh ifim do a penhora feita em diotieiro na quantia de....... No salo haver uma pessoa
n 21 T rq? ,Vra,)ST?a' Wi' e O04*ld6 rs., eaisteom no deposit pHllico i per- bilitade para ormar os parea e dirigir as
que no praso fy .t}tl 4U1S .CQntaiJos da data ,enEenle ao execuudo J .ao Ferreira de Ca&alho.; Ibas, aflm de evitar confus5es.
por seu procurador a allegar o seu direito. dias a penbora como tambera os dei dii
e 4fesa, sob pena de r/eve\ia ; para o que!or" ^.-soMena >*". f*
7^. ryx l l ..:se Ihe dsse os edHaes do estvllo. O
do j*re.sejite, COmpateca em jilizo por Si O jequarendo que oio s tkassem assignados s seis
das das ere-
para cajo fim
- m estvllo'. O que Ouvido
libido a todas as fiem*. pajeles, BigOS j^ Jote M|n) ,1a.,} o presente l pro
OUfCOiikecidos da Vwa de Manoel Antonio toclo d adieneus e junto a carta prcatoxia co-
mo 4e/mo de peohora.
Eu Manoel Sllvino de Barros-Raiceo, escrivao
interino o escrevi.
Em observancia do que o respectivo escrivao
interino fez passar o presente edital com o praso
Carneiro, Ibe facam aviso de gue por este,;
citada para oque cima fica'dito.
I para que chegue ao conhecimento de
todo*, niandei passar o presente que ser
publcalo e afiixado no lugar publico do
eusturnt.
f)vk< e passado coaa o.pcaso de ,60 dias
n'esta cidade do Recife aos 3 de margo de
4866 Eu Pedro Tertuliano da Cunha, es-
rivaj u ascrAvi,-- Yirf io de Gusm*) Go- ouadei hter p
de dez dia?, pelo qual e seu theor chamo, c>to z
hei por citado a todis os credo/es *pcectos do he-
rido executado, para.qne denlro de daras com-
parejam ante este jtiip allegando e provaorfo. o que
for a beta do sei e jostra sob pena de e
proceder as suas revelias.
E para qae ebefu* ao conhecimento de todos
A entrada geral a sabida narz os mascaras e es-
pectadores pela porta da (rept do theatro.
Os carros depeis de dlxarem seus donos fkaro
postados ap sol do aditicio.
0' escriptorio para veoda los bilhetes j> ao lado
do.botequim oudp eslar illuminadn.
O raglamento pi polica que (em de ser obser-
vado ja foi publicado. -Jt'
PRESOS DAS ENTRADAS.
? .posse 4a camarote-da 1' ordera 40f..
dem ideo d 3* o'rdam 8*.
Entrada geral *#.
As se oh oras mascaradas aturada gratis.
meios e quintos da ultima parte da 5a e Ia
da 6a lotefia (55), aj)ecierlcio da igreja .de
Nossa Senhora do Guadalupe de alinda,
cuja extracc5o ser ao lugar jeJbto/a do eos
turne.
Os premios de 6:000 ' seraopa,gos uma hora derfo da extracto,
ateas 3 libras datarle, e os outros dpo>
da distrihuigo das listas.
A.s encommendas serio guardadas jo*
mente at a riolte da vespra da etracgjfj. |
Qi&ssQuretro,
^etouio Jos,fiodrigues de Souia.
quadri-
Jos Ctelho da Silva e Mm
leccionar piano: na ra
21, tercetro aftar.
WANO
ujo contiua a
amento n
As senhor,
i tfe S,
t sms entradas.
e os
dmeos
a .mont.)
am
Precisa-se de nmi ama para todo o servico de
uaia casa Vi usa s pesaoa : ta .i da do Torres
- H^Utaaaadar
Joao da Silva Ramos, Medico
pela univriitla je de Coimbra, d
consultas 'm sua casa das 9 as
11 horas da manhaa, e das 4 a$ 6 fl
da tarde. Visita os doeutes em suas']
casas ivgularrnerite Das horas para
isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que sero soccorridos em
qualqur occasiao. D consultas aos
pobres que .o procurarem no hos-
pital Pedro II. aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da
manhaa,
Tem sua casa de sade regular-
mente rooiUada para receber qual-
qur doente, ainda me^mo os alie-
nados, para o que tem cpmrnndos l^
apropriaiins enedapratica qualqur*^
0p,p,e;;ag4'j Cdrur^a.
Para a ,casa de sade.
.^rimeira lasse. .3^000 diarios.
Segunda dita___3(5500
Terccira dita .2^000
Este estabelecimento ja bem
.acreditado pelos .bpn,s servigus que
\ftm prestado. -
,9 px0pr.fliju-.io espera que elle
continu a merecer a confiarca de
je sempre tem gotado.
.Na"rrsr -RBgl oftrdo ri. 4i
aadar, prf cua-se de ana ama para comni
alonar.
Irritado dosfttlmoer. angi-
nas, tosse, eg^ivos sangue, empo ou gafro-
tlio, catarro, miquido
e todas a.s iniium.eri-.yei mle.s.tias que affeo
l5o aos igaos da respir'ftcao.
PES.%PP^R|C.K|
odiante a acgS'o 4?:>lsai> rtv
ANACAHUITA
PEITORAL k W*.
\
'
*
.-'

V
'

I





\
f
FABRICA A VAPOR
99 RA 00 M0NDEG0 99
Deposito M ra No*a m. se loja de relojoelro.
Delouche donos deste estabelecimento partecipa ao respeittvel publico que sua fa-
brica est montada com as melhores machinas que existen na Europa, e que pode
fabricarcom melhor perfeicJo possivel. Todo o chocolate desta fabrica est garantido, e
puro, o que nao se pode encontrar naquelle que vem de fra, e que se vende por preco
baixo, visto os productos serem do paiz. Na etiqueta tem sempre urna aguia.
PREgO.
Meia libra....... 400
Urna libra......... 800
Urna arroba........19,5000
Na mesma fabrica acaba de se montar urna officina com serrara a vapor para
obras de marcineiria propria para edificio, para o que encarreg-i-se de fazer portas, ja-
dellas, assoalbos (parqu francez como se usa na Europa,) e armacSes, ludo com brevi-
nade e'perfeiclo. Toma-se qnalqner encommenda para fra da cidade, entregando-se
prompta a collar-se no lugar.
DE
COEMIO Ra 4a Cruz n. 16.
Continua a baver diariamente um sortimento de pastis, podins, bolos inglezes,
empadas etc., etc. Os donos deste estabelecimento, acbam-se as melhores condices
de poder satisfazer encommendas concernentes sua arte, em consequencia do socio
Freitas ter sido administrador chefe de algumas das princii aes fabricas na corte, sendo
urna a do Sr. Joao Goncalves Guimar5es (confeitaria de Leo) antiga casa de Carceller.
Todos os trabalhos sao differentes dos que se fazem em casas particulares.
Os proprietarios deste estabelecimento nao se tem poupado a despezas, nem se
pouparo, se houver concorrencia como esperam ; tendo continuadamente bom sorti-
mento de doces para cha; presuntos e ditos em fiambre, tambem se recebem para se-
rem preparados ; assim como doce de caj novo superior, secce e crystalisado, dito em
calda em latas hermticamente fechadas, podendo durar anuos em perfeito estado.
Para jantares e partidas recebem-se encommendas dos seguintes objectos; ban-
deijas ricamente enfeitadas sem armagao pecas de amendoas (nogaces), ditas de tmaras
de ovos, pies de l enfeitados com disticos anlogos a qualquer fim; ditos montados,
kechs simples e enfeitados com fructas ingleza; gatheaux de la reine, ditos de le d-
chese, tortas de fructa, massa folhada; ditas de peixe e carne; cremes e doces de ovos
de differentes especies.
Tambem tem um completo sortimento de vinhos engarrafados, como sejam: vinho
do Porlo superior, Figueira, Madeira, Lisboa, Cherez, Bordeaux, Champagne fino, ser
veja, licores, charopes e conservas. Para festas: bonitas caixinhas com amendoas, con-
feitos e mais enfeites. Muitos destes objectos mencionados podem-se perfeitamente ac-
condicionar tanto para a provincia, como para fra.
FIGURAS
Acabam de receber bonitas figuras para bandejas de doces, sendo grupos para
baptisado, casamento, annos, dilta a phantasia, bonitos enfeites para bollos e circular pra-
tos de doces finos, tudo por procos razoaveis.
Vende-se licores em duzia muito em conta.
PARA A QARESMA
Acabam de receber G. Paes do Amaral & C.
5 RA CRESPO 5
Antfga casa de Guilherme da Silva Guiarles
Ricos cortes de vestidos de gros-de-naples preto, com lindas barras bordadas.
Moire-antiqoe preto em cortes e em pe,cas, liso, ondeado e com palmas.
Gros-de-naples preto, de diversos precos e larguras.
Gorgurao preto, fazenda superior a todas pela qualidade, e bonito tecido.
Este estabelecimento
acha-se sonido com numerosa quantidade de filos pretos, de algodD, de linho e de se-
da, manufacturados em
ckales
retondas
..algerienes fbourniis)
anamites
africaines
pompadour
DE FANTHASIA
Receberam tambem bonitos cortes de popeline de listras de cores, e matisadas,
muito modernas, de gostos inteiramentenovos; e outras muitas fazendas de gosto, viu-
das pelo ultimo vapor.
G. P. 1IO 1MIRAL 5 RA DO CRESPO 5


DE

DE
91. 55.
J. VIGNES.
RITA DO IMPERADOR HJ. 55.
O puos desta antiga fabrica sao hoja asss connecidos para que seja necessario insistir sobre a
tu sopenoridade, vantDgense garantas queofferecem aos compradores, qualidades estas incontesta-
veis que elles em denit.vameme conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca : dos-
I2?.0fTh.Cl*d.0 e mac,h'n'8mo ** 0bed9Cem Mu as vontades e caprichos das pianistas, sem
nunca albar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melboramentos ImporUn-
Sft ^'V 'i"" 6St- 5a,z ; qaant0 s V0M8' melodiosas e flautadas, e por isso nVuito.agrada-
veis aos onvidos dos apreciadores. *^
fmmt mtam untomtomiu,tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
correspondente de Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exnsicoes.
No mesmo esUbelecimento se achara sempre um eiplendido e variado sortimento de msicas dos
nelbores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendida por
A NACIONAL
Companhia. gerai kespanhpla de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORlSDA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
l'ma Sanca em dinheirt, depositad* nts etfrw do estado, % arante boa ai-
ministraeio da comptiiia.
BANQUE1R03 DA COMPANHIA DIRECCO GERAL
O Banco de Hespaaha | Madrid : Ra do Prado n. I
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinares de supervivencia dos sega
os sobre a vida.
Nella pode se faier a sabscripcao de maneira que em nenhum caso mesmo por morte do
segurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao tao suprehendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole deA NACIO-
NAL,que anda mesmo dimtnntndo orna terca parte do interesse produzido em recentes liquida-
coes e combinando-o com a mortalidade da tabella de Depareieux que adoptada pela companhia
para sem clculos e liquidacSes, em segurados de idade de 3 a!9 anuos, ama imposico annoa.
de 100J produz em effectivo metlico:
No fim de S annos.......1:119*300
> de 10........3:942*600
t de 15 i.......11:208*200
de 20 .......30:256*000
i de 25 *.......80:331*000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospecta e mais informacSes serio prestadas pelo sob-director nesta provincia.
oaquim Fiuza de Oliveira, raadaCadeia n. 52, ou a Boa-Vista ra da Imperatrii n. 12, esUbeleci-
mento dos Srs. Raymundo, Carlos,Leite & Irmo.
TituraT
AO GRANDE S MAURICIO
PROCESSOS APIKItHOAIOS
PARA
Tloglr. llmpar e lastrar a vapor.
F. A. SALINGRE & C.
29 Kua 7 de setembro 29
Defronte da roa nova do Oavidor (Rio de Janeiro)
Os proprietarios deste estabelecimento, o primeiro no sen genero no Brasil, por
trabalbar com as machinas mais aperfeicoadas para Ungir e lastrar, de que se faz uso na
Europa, e ajudados por alguns dos meHiores officiaes de Paris e Ly3o, podem assegu-
rar seas freguezes urna perfeico no trabalho, a qual seplo pode chegar pelos proces-
sos ordinarios.
Tingem, lavam, limpam e demofam com a mai r perfeicSo e brevidade qualquer
qualidade de fazendas, tiram nodoas e limpam secco sem moldar as sedas e as vestimen-
tas de senhoras e de homens.
gmm mm
^ DE
FAZENDA E ROUPA FEITA
11UA XOVi \. 4.
Reg & Moora, proprietario da loja de azendas e roupa feita, sita ra Nova
n. 24, verdadeiramente penhorados e reconhecidos para com seus amigos e freguezes,
pela aceitado e confianca que delles tem merecido no curto espaco de lempo em que
se acbam estabelecidos e perfeitamente escudados na sinceridade dos seus tratos, decla-
ram para sciencia daquelles que o quizerem nonrar com seus officios, que, em vista da
grande concurrencia que tem merecido o seu estabelecimento, especialmente no que
relativo a roupa feita; acabam de admittir para a sua officina de alfaiate maior numero
de artistas, inclusive o seu contramestre, dirigido pelo hbil mestre Lauriaoo Jos de
Barros, o qual nao se poupa a xforfos para satisfazer com a presteza possivel qualquer
obra de encommenda.
Os mesmos annunciam aos seus freguezes que acabam de comprar um novo e j
muito variado sortimento de fazendas finas e de bom gosto, proprias para o tempe- da
rpiarocma, as quaoo osto diapusiot a vender por precos muito commodos e mais barato
que em outra qualquer parte.
Gomo sempre escusamos essa enfadonha prolixidde dos annuncios bombsti-
cos ; preferimos mostrar na singeleza deste nosso convite os bons desejos que nutrimos
para bem servirmos quelles que vierem ao nosso reclamo.
Companhia fldelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Janeiro.
AGENTES KM PERNAMBUCO
Antoai Lnii de Oliveira Aievedo & C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companbia de seguros Fldelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no sea escriptorio ra da
_ Croi n. 1.
kBsDKlaBCiAf laKMlaK MMtfa
O Dr. Carollno Francisco de Lima San-
tos contina a morar na roa do Impera-
dor n. 17, segando andar, tendo alias sen
gabinete de consultas medicas, logo ao
entrar, no primeiro.
O mesmo dontor, que se tem dado ao
estado tanto das operagoes como das mo-
lestias internas, prestase a qualquer cha-
mado, qner para dentro qaer para fra
da cidade.
X
s
m
;
Em casa de Tbeod Christiansen, ra do Tra-
piche-novo n. 16, nico agente no norte do Brasil,
de Brandenburg frres, Bordeaox, encontrase ef-
lectivamente deposito dos artigos seguintes:
St. Julien.
St Pierre.
Lanas.
Cbateau Loville.
Cbateaa Margaaz.
Grand vin Cbateaa Lafltte 1868.
Cbateau Lafitte.
Haat Saoternes.
Chatean Sauternes.
Cbateau Lataur Blancbe.
Cbateau Yqaem.
Cognac em tres qualidades. ** *
Azeite doce. Precos de Bordeaox. ,
Engommage
com asseio, promptidao e prec&s razoaveis: na roa
Augusta n.5, loja.
AMA
PECHIi\CHA SEN IGUAL
Luvasde pellica pretas e ou-
tras cores.
Cbegaram para a loja de miudezas a roa do
Uueimado n. 1S.
Ama
Antonio Lufc de Oliveira Auvedo C. tem
Pfr* 'S0^ no sea escriptorio, roa da Croa n. i.
vinbo do Porto em calza de doxia, flo hambarguez.
Ma da Babia superior. .
Attencu.
Precsa-se de ama ama para oasa de boaem
n ... ficBWo u un ama para casa ae boaeo
preciuse de ama ama de leite : na roa da aolteiro, prefenndose portoflaei: a tratar no m
Unceicao sobrado n. 8. ten do Paralzo o. 30.
Precisa se de urna ama que saina corinbar e
comprar, pagase bem: no logar da Caponga, por-
to do Jacobina, ou ra das Pernambucanas, sitio
que oi do finado padre mestre Capristano.
SEGUROS
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnisadora, estabeleci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercadorias e mobilias:
na ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Na praca da Independencia n. 33~loja de
oorives, compra-te oaro, pratt, e pedras preciosas,
e tambem se fax qualquer obra de encommenda, e
todo e aualquer concert.
Lavam-se chapeos de palha para se-
nhora e do Ghili para hornera e se informam
pelo systhema moderno: na ra da Impe-
ratriz n. 28, loja. __________________
OTerece-se dous engenbos moentes e cor-
rentes com agua a quem quizer arrendar ou com-
prar, sendo um na fregoezia de Santo Anto dis-
tante da cidade da Victoria 4 leguas e 3 para a es-
gao de Frexeiras, boa cata de vivenda, senzala, I
cercado em valado e muita mata, e montado do
necessario como seja casa para bagasso e estufa.
Outro na fregoezia de Ipojuca distante dnas leguas
e meia para a estacao da Escada: quem pretender
dirija-se ao engenho Sibir da Serra ou da Atba-
laia que achara' com quem tratar.
Precisa-se de urna pessoa para entrar de so-
ciedade em orna taberna : a tratar na roa do Hos-
piclo n. 88.______^^
Na praca da Independencia livraria n. 8,
existe orna carta para o Sr. Dr. Candido Casado
Lima.
FIGA
Agencia de passaporte.
Claodioo do Reg Lima despachante de passa-
porte e portaras, tiraos para dentro e fora do im-
perio por commodo preco e presteza : na roa da
Praia primeiro andar n. 47;
Manoel Jos Moreira adverte ao Sr. Manoel
Jos Moreira, que continua a asslgnar-se Manoel
Jos Moreira.
Precisa-se alagar ama preta de meia idade e
gue sirva para todo servlco : a tratar1 na. roa Im-
perial n. 39, taberna.
Esta para se alogar a casa da roa do Tam-
bin 30; a tratar na roa da Imperatriz loja- nu-
mero S8.
Ao commercio.
Como guarda-livros offerece os seus pres-
timos um allemao, que tem muita pratica
nos trabalhos mais complicados do escrip-
torio e que escreve e falla as linfuasmoder-
nas mais em uso ; no hotel do Universo.
- Desappareceu da roa da Esperanca casa o. 7,
no dia li do correte urna cabra (bixo) toda pre
ta e algumas malhas na barriga, tem orna orelba
trincada e outra furada : quem achou queira en-
tregar na mesma casa cima, que sera' recompen-
sado, oa de declarar onde esta' o dito animal.
Aluga-se um moteque para criado em casa
de hornero solteiro e vende-se ora ootro bonita fi-
gura para engenho com 18 annos de idade : no
Corredor do Bispo n. 15, a tratar a qualquer hora,
tambem se vende nm palanqoim muito em conta.
ATTE\J\0
Aluga-se ou permuta se, o sobrado amarello da
Ponte d'Ucbda : a tractar na roa do Imperador
n. 27. _______________________________
Carvalho Nogueira na ra do Apol-
lo n. 20, sacam a vista ou a praio sobre
Lisboa, Porto, liba de S. Miguel e Rio de
Janeiro.
Precisa-se de urna citada para o servico
ponca familia; na roa Augusta n. 5, andar.
d9
Na roa doa caemos n. W, ir*se-ba qbem da
algumas quantias a premio de x por cento sobre
boas garantas.
- Precisa-se de urna sebora portafneza qne
seja morigerada para ervtco domestico de orna
casa de familia ; i roa do Imperador o 46 ar-
masen).
al:za?.:fs
Tinta Inalteravel
Para escrever
de P. MAURER k (;'.
PERNAMBUCO
Esta tinta recommenda-se pela sua com-
posica e fluidez como a melhor e a mais
segura de todas as tintas at hoje conheci-
das. Nao ataca as pennas de ac, d at
tres excellentes copias, mesmo muitos dias
depois de escrever, e preferivel a qual-
quer outras tintas particularmente para
livros de commercio, documentos eto de
que se careca longa conservaea.
INJECTION BROU
rtfcalea infalllvel e PreMrvaUra, .bsoluuairr-
dm principts boticu do mundo. (Eligir itutrucuo
do MTealor B10D, boalorard Migcala, fit.
que cura tm neobuoi addiiio. Veuoe-K
UDOt de exuncii.) Ptru, em um
IN JEGCAO e
TJ^OJ
VEGETAES aoMaTICO
GRIMAULT&C'JpharmaceuticosemPARIS
Novo trattaHento preparado com as folhas de Matico, rvort do Per, para a cura rpida e infallWe (
da Gonorrhea sem j^ccio algum da conrraccio do canal ou da inflammafio dos intestinos. O celebn,
doutor Ricord, de Parr^6t'enonc'al'0> desde sua apparicSo, ao en|prego de qualquer outro tra-.
Umcnto. Emprega-se a /ne{a>*o comeo de fluxo; capiulat em todo os casos chronicos iiiTe..
terados, que resistirlo s preparfoe^o copahu, cubeba e as injeccoes com base metaUica.
Deposito en Paris, 45, rae Richelieu
Pernambuco, rua ovXn. 18 pharmacia franceza de
P, lYIAURFBL i C,
PERFUMERA da casa oger
Boulevart Sebastopol, 56, PaB?^i
Des medalhas, a condecoracAo da Legin
d'honneur e a grande reputacao qne tem Ihe
dado o publico, taes sao as recompensas qne oa
senricoi prestados a industria merecerao a
esta importante casa desde sua fundacao em
1804.
N'um sortimento de mais de 500 argoi,
as pessoas elegantes escolberao oa seguintes:
ROSEE DU paradis, extracto superfino
para lenco.
POMMAOA CEPHALIQUE contra a cal-
vicia.
AGUA VERBENA para o toocador.
OXIMEL MULTIFLOR.
VINAGRE DE PLANTAS HYGIENICAS.
TINTURA VIRGINALE de beijoim.
ROSEE DE LYS, verdadeira agua de
Jouveacio.
CREME LABIALE de snece de Ro
POMMADA VELOURS para
pelle.
ELIXIR ODONTOPHILE.
SABAO dedicad* u damas amer'
SABAO de bonquet de Franca.
o>
d*
*

d>
d
d*
'
d*
d
de flores de alcea rosea,
de florea printanires.
de bouquet do outono.
de perfumea exticos,
aurora, dedicado aos dedos cor
rosa,
de flores das montankaa.
de cheiro de foins nouTcaux.
de bluets cheirosos.
de althea balsmica.
diapr, caixa rica, faatesia pari-
neoce.
'

'





^
7
l
Americo F. S. tendo de mudar sea esUbele-
cimento de commissdes a roa da Cadeia do Recite
n. 8, roga a todos seas amigos qne hajam de vi-
rem receber seus objectos ou importe deijes no ca-
so de vendidos no prato de 3 dias, a contar desta
data Ando os qoaes sero vendidos em leilio pelo
malor preco para isto annnnciado.
Precisa-ae de caxatro qne tenha protica-
de Uberna; na raa da Matriz da Boa-Vista a. 37.
Feitor

Precisa-se para um sitio grande un testar, qne
emenda de jardlm ; a diriglr-se a Aoguto F. de
Oliveira, ou no seu sitio da Ponte de choa, ou no
sen escriptorio, praca do Corno Santo 17.
Ama.
Preciza-se de urna ama
milia ; a tratar na ron do
mea fa-
**-> "*


p
L
' V
)
AGUA FLORIDA
MURRAY & LANMAN
A agua florida de Murray & Lanman
olhada como um artigo de perfume, nao
tem podido ser igualada pelas preparacoes
as mais costosas: conserva seu aroma, co-
mo se formasse parte da prenda a que ella
se applica.
Sua efficacia tao delicada, como elegan-
tes sao seos multiplicados usos, qur seja
empregada como artigo de toucador, qur
no uso do banho, ou como suavisador da
pelle, depois que se tenba feito a barba;
j para limpar as gengivas ou aromatisar o
balito.
D suavidade, brilho e elasticidade as
compleices, depois de se haver lavado; al-
livia a irritacao de erupces ordinarias; faz
, das sardas, do rosto, rugas e toda a
v- u6 ebulic5es, e d vigor e frescura a
parte onde quer que se applique. Sua efi-
ciencia e elegancia sao igualmente infalli-
veis nos casos em que.seja preciso applica-
la como estimulante e antisptico, nos con-
cursos e ssemblas numerosas, as loca-
lidades infeccionadas, na alcova^de um en-
fermo, assim como um antidoto exceden-
te para os desmaios causados por cansaco
ou soffocaco. Preparada nicamente por
Lanman & Kemp, Nova-York, e a venda por
Caors Barbosa.
Joo da C. Bravo & C.
Deposito geral em PernamDuco ra da
Cruz n.22 em casa de Caros
Offerec-se urna ama para comprar e cosi-
nhar para casa de homem solteiro : a tratar na
roa do Fogo n. Si.
GARRAX DE LAILHACAR & C.
LIBRAIRIE FRANQAISE
Raa do Crespo p. 9.
LIVROS NACIONAES E ESTRANGBIROS
RellfiioPkikMpUa Jnipndeada Litlera-
tara-Silencias e arte.
Papelaria, objectos para escriptorio.
Samad Power Johnston Companhia
Ra da Senzala Nova n. 4.
AGINCIA DA
Paadlcio deLow Moor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cava I los.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreos de carro para nm e dous cavalloi,
Relogios de obro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.________________
Precisa-se de ama ama de leite, qaeseja bera
morigerada : a tratar na roa do Apollo n. 9.
PHOTOGRAPRU
ARTSTICA AMERICANAS alteada a
CALCADO-
45 Hua Direita -- 45.
A primeira condic5o indispensavel con-
aorac3o da Mude trazer os pa'bem de-
fendidos contra os ataques da humidade;
calcado bom e seguro o nico preserva-
tivo dessas mil enfermidades a que est so-
jeito o nossoeu. Um chnelo velho cal-
cado por um dandy patoscante, ou urna
botina acalcanbada em pequenino p de en-
cantadora deidade alm de acensar que-
j bradeira horripilante, pi ova contra as acui-
dades intellectuaes dos calcantes, e nao ha
quem, tendo bom senso, queira passar por
maluco, ou pobre de surrSo : ergo, cor-
ram a:
4RA DIRTflTA4*.
Qaem tiver para alagar orna negra que jai-
ba engommar diri ja-se a roa do Trapiche o. 4i,
segando andar, ou annancle para ser procurado.
DEPOSITO DE GALCADO g
FABRICADO NA CASA DE UE1INCA0
Ra Sova n. 1.
Aai se encontraro obras Je di- mt
versas qualidades, e por preco mui !
diminutos, a retalho e em porces. !
S se vende a dinheiro.
CASA DE BANHOS
26 Pateo do Carino 26.
Neste estabelecimento tao impor-
tante para a saude e asseio do cor-
po, acham-se montados 20 banhei-
ros, que sao servidos com a ordem
e asseio que para desejar-se. Qua-
tro destes banheiros sao especial-
mente reservados para senboras e
por isto acham-se collocados em lu-_
gar reservado, aonde s tem entra-
da as pessoas de urna mesma fami-
lia.
PREQOS DE BANHOS AVULSOS.
i banho fri, momo ou de
chovisoo...... 500
i dito de choque .... 1#000
i dito de far6l!o...... I#000
i dito aromatisado I 000
PRECOS POR ASSIGNATURA.
30 banbos por mez fro,
morno ou dechovisco. IOjSOOO
25 banhes com carloes pa-
ra os mesmos .... 10:>000
12 ditos ditos ditos 30000
12 ditos ditos de choque. 100000
12 ditos ditos de farello.. ljOCO
O estabelecimento estar aberto
nos dias uteis das 6 horas da ma-
nha as 10 da noite, nos dias san-
tificados das 5 as 5 horas da tarde.
RA DO IMPERADOR N. 38.
Artista americano
Artista americano.
Artista americano.
Artista americano.
RetratosRetratosRetratos.
Em porcelanaNiepcotypre.-
Em lencosArchrotypie.
Em vidroAmbrotypie.
Em metal=Daguerreotvpie.
Em papelTalbotypie.
No grande salo da ra do Imperador n. 38
No grande salo da roa do Imperador n. 38
Neste estabelecimento tiram-se retratos
em todos os systemas, com asseio e promp-
tidSo, desde as nove horas da manhSa
at as cinco da tarde; assim como tem
sempre a venda grande sortimento xas finas de diversas formas. Qudros
ovaes Passepartoots e todos os mais ob-
jectos e productos cbimicos, relativos a ar-
te e recibidos ltimamente dos melhores
fornecedores de PARS e Nova York, tendo
de tudo, para todos es gostos e para'todos
os presos.
Salao da rna do Imperador n. 38.
Sallo da roa do imperador 38.
Os abaixo assignados fazem scienie ao cor-
ro do cemmercio desia cidade de Pernamboco que
dissolveram amigavelmente em 28 de fevereiro
ultimo a sociedade que ento gyrava sob a raio
Lima Irmaos.
Mamaoguape 10 de marco de 1866.
Clemente de Araojo Lima Jnior.
Jos de Araojo Lima.
barateza.
Homens.
Borzeguins barcellonzes de lus-
tre e de porco .,...-
Ditos de Bordeaux : .
Ditos parisienses de bezerro e
cordavSo ."......
Sapatdes de Naotes de duas ba-
teras rasas ......
Sapatoa de lona, sola de borra-
cha. ....;...
Ditos aveludados.....
Ditos de tranca bons. ,
Senboras
Berzeguins enfeitados. .
Ditos de laco......
Ditos lisos......,
Sapatos de borracha ....
Selleiros, corrieiros e segeiros I
Grande esposado defazendas
baratas na ra da Impera-
trii loja e armazem da ara-
' ra n 56.
DE
Larenco Pereira Mandes Gatearle
Chitas a 160 ra ISO o covado.
Vende-se chitas e;curas e claras de cores filos.
a 160 e 210 rs. o novado : s no armazem da Ara-
ra ra da Imperatriz n. 56.
Rucados escuros a 24C.
Vende-se riscados escuros para vestidos a 240
o covado, ditos francezes Anos a 280, 320, 360 e
400 rs., cassas de cores para vesiidos 280, 320
o covado : s o Arara ra da Imperatriz n. 56.
Arara vende as saias a 35500.-
Vende-se saias bordadas para senhpra a 3&500
e 44, vestidos brancos bordados a 4#500, ditos
bordados a lia a lf> e 95 : ra da Imperatriz no-
mero 56.
Balees da Arara a 14500
Vende-se baldes com toque de avaria a 14300.
ditos linos a 34, 34500 e 4, cobertas de chitas a
2 e 29200 : rna da Imperatriz n. 56.
Arara vende camisas para senboras e me-
ninas a 10OO.
Vende-se camisas "para senhora e meninas a
14300, gollinbas a 240, 320 e 590, camisinhas a
H,\-i e 34500 : ra da Imperatriz n. 56.
Madapolao da Arara 46000.
Vende-se pegas de madapolao de 12 jardas a
44 e ifi'OO, ditas de 24 jardas com pequeo toqae
a 4*, 5 64, 7 e 84, algodao a 35,44500, 6j500
e 74. breanha de rolo a 'i> a peca : ra da Im-
peratriz n. 56.
Para a semana santa chales de fil de linho
a 6$O0O.
Vende-se chales de fil de linho a 65, 7$ e 85.
dito apompadour de seda de pona redonda a 145
IfjttiOO i e 18$, relondas a pompadour muilo Bas aPJ e
105, chales de linho de ponta redonda a 85 e 71,
ditos de merino de cores a 25 e 45 : ra da Im-
6#OO0
7,J000
80O0
5^000
2.9000
1,5600
14600
54OOO
44800
44500
Aluga-se ou |veode-se um piano forte em
bom estado : na roa Augusta n. 1, primeiro andar.
Alleluia
Medico e operador.
O Dr. Joae Raimundo Pereira da Silva,
tendo frequeotado os mais notaveis ho^pi-
taes de Paris, pode ser procurado para os
my.-leres de sua prdflsso na ra da (.un
B. 40, segando andar. D consultas ledos
os dusdas 7 as 40 horas da maobaa. Es-
pecialidades modestias de olhos, panos e
vas afineras.
Ama de
Precisa-; de urna ama
Progresso .7 (Soledade.)
de leite : na roa do
Cm moco bastante habilitado dfferece-se para
|eccionar francez e portoguez em algum engenho;
tratar na roa Direita n. 75.
O IFeitaral de Oereja,
3)0 DR. AYER,
PARA A <"ntA SADICAl. E CEU-
TA de todas as'molestUs do pett
e da garganta;ttwsc, consUpaeSea,
Bronchite,'mia, defluxos, roqui-
dao, Coqnelache, angina, Diptheria.
Este xarop.- peltora o resul-
tado de longos annos de estado
por um dosrpnmeiros medios Ha
America 4o Tiorte, e de experi-
encias miaacisas nos principas*
bospltafs do monee; deste secuto na aualinica particular; portanto digno de1 oda
confiar.ra, 1, por lar efficaz, alcancaadiroom urna ccrtciaiaal-
irel'O-assento'datnolestia e arraacando'lhe as raizes, assim
lando aos orgosdtectados nina accao- natural e s:&por
ur innocente e appW-aml a qvalgntr pema de quaiqntfUade
ou fio, ao homcm robusto ou crlancada mais tenraidaSc,
cada frasco sendo accompanhado de ^BTecces minuciosas :
3o, e^Mimo, por-nt ser um remedio aecriio, pois qualquermed-
icoon i.liannaocntico pdc obter a (rmala da sua compaeicao,
lirigrndo-sc pessoalmentc ou porearta>ac agente geral,: H. M.
Lase a ra DuroBa No. 1S, IUode Janeiro.
Mu i tos casos da ecieui'iu tem ido curados racDealnitTitc com o uso io
Pcitral de Oereja.
As'peesoas ntaetfas de toase, lefia* r. Dbr da t/arrjemia,
BamcMle, asma/Ac., c outros cynrptonnu; da (sica prima-
/-ia reralmenir aacni pouco caso (lo sem padecimento^at
qne-s^- tarde pra cura-lo. Nao desoaideis d' urna tosse
porqoe agora panece de poaca importancia ; urna tosse
Tubrculos no ptioies.
KfiinuHia cana de familia eve star sem nm fraseo
leste-xaropc.'i'Biiio ; pois nos ataques repentinos te
Anaim, ile Ci-ouy,, c nos paroxianMSiiio Coqueluche;<
tosae ompfCda acjae csto sujeit^s as.-eriancas, nao ha
terapolK chamar am medico, nem (le azer remedios, e
este xanrpe alitiammediatamentc c -pe o filho qacrido
sao o salvo, lora di; jtorigo.
As molastias qae lo PRXXOMAI. (BE CEBJBJA
Defluxoa, Toaaea, Asma, Esquinencia, Bronchte,
Cojuluche, Toase ferina ou convulsiva.
Begnido, Tedaa as molestias * arganta. Oensumpco los Pul-
m6ee ou Tsica pulmonar.
Acba-se niodas as 'Boticas e Drogaras de amperio.
Jos de Castro Redondo e Jos Sibeiro da
Cunli Guimares, fazen publico principalmente
ao respeiuvei cerpo doommercio, que na melhor
confortrridade e amigavelmente dissolveram a so-
ciedade qoe tinbam na taberna da na da Penba n.
8, ncande o ex-socio Guimares, -encarregado e
responsa*el pela Ikjuidacao e pafamentos para
coro todes os eredores da extincla irma Castro &
Goimaraes, (cando o ex-socio Castro livre de quai-
quer responsabilidade.
Reorfe, 26 de marco de 1866.
Jos de Castre Redondo.
Jos Ribeiro da Cunta Guimares.
Calxelro.
Ka roa da Imperatrii n. 38,3 andar, se Orra*
qoen precisare umrapaiinhe para caixeiro de
aberna, que ja* tenba algonja(iratica.
AUML
Precisa-sede urna ama para casa de urna s
ipessoa : na tu a do Vipano'o. 6.
mwbm mamas
(ale imperiHl &
O superior caf dotfiode Janeiro, -ven- *
de-se a t2 a arroba-; oa rna do Vtgario
n. 14, escriptorio.
Ferda
Domingo 25 do correte da estaeao da Escata
ae sabir na da Cinco Pentas, perdeu-se urna pai-
ceira de oaro de lei obra do porto, teedo no centre
do esanetie dous pedrxabas roas e urna bolinha te
oaro, qoeai achou querendo restitoi4e ieve na rtw
de Hortae n. 122 qoe -eer recompensado.
Preciza-se de urna ama para esa de poma
amilta : na roa do tatperdor n. 71.
t*ara aatii mmmmt&m.
Na-ra de Santa J sabe I n. 3, ba nm sortneflla
de tooMs, chicards e Tetis, de soda, qne seaia-
gam por pregos mutraioaveis.
lisiip
Pilulas Oatlaffticas do Dr. Ayer
ctjbIo
PrUSo do uetr*, XnoXgestSo, Conttipaefio, Itheu-
tnmtiomo, Henttmorritoidan, I>r de cabera, jL Kenrmt-
gi*, mal do entunan, Etunquoca, mal do atoado,
GmotrUo, Febre aatlro-hepattea, lyombrigat. JSr^tip-
.ellat Hydropiia, IitoremotHo 4*> bao.
Tonas as Molestias ae provena do uso exeeaaivo .do
jllteiaO.
O mlhor purgante at hoje conhecido.
Etlas plalas astucaradas Sao puramente vegitaes.
PtTJCO E PtrEinciO SEM XBBCVBIO.
A osada esa todas as Botica e Drcgajfas do Imperio.
AABnTTX (IEHAI,
l M. LAE, Ba* XHbvUo So. 16,
Bio cU/onairo.
Vende-se em Pernambnco:
oa
ARl/AP.ir FRANCAISEg
.R&CIL !?
rerov-se nm rotogio de prata galvanieao,
qnem o achou queroodo restituir dirija-se a traca
de Pedro Ii n. 6, quesera' recompensado, enjo n-
logio-fe: perdido da >raea de Pedro 4( at Sanio
A raare,tpertencent ao Serra Graade.
Precisa-se de uuucosiDbeiro -ou cosinbei-
ra.iBa.faa do Imperador n. 17 i." andar.
16:00(^000
Precisa-se de 6:0000 a premio dano-se bypo-
theca em.um on mais predios nesueidade : qasa
ii ver anaoncie on dirija-so a ra do Imperador
o. 12.
s
FRBBERIC LEMdBE, profes8or^"pia-
no conhecido nesta cidade, tendo recente-
mente hegado da Enrona, offereee-se pa-
ra dar iicoes de piaoo-o canto : pode ser
proenrado no Hotel de Borona roa do
Trapiche n. ii.
Para os bailes de mascaras que se preparan)
para sabbado de alleluia e domingo de paseboa
allugam se vestuarios do diversos gostos e precos
mais mdicos do qne em qnalqner ontra parte,
na ra Estrella do Rosarlo n. 21, segundo andar.
Por causa eos calotes sojfridos, previne-se qne nao
se allugam vestuarios sem qoe o pretendeote, seja
quem for, deixe o importe do allupuel ou nm pe
Sola de lustre, meios grandes vmtlSEkSguSZXIkl
E am completo sortimento de calcado fa-
bricado nopaiz. ^^=^~^_^^^
Diademas dourados,
enfeitados com aljofares, pedras,
ele, para meninas e senhora*.
A agola-branca vende bonitos e modernos dia-
demas dourados, enfeitados com aljofares e pedras
proprias para meninas e senboras.
Bonitos chapozlnhos
de palha fina e avencaes para meninas.
Sao obras estas de qne os bons pais de familia
se nao podem escasar de comprar, por fazerem el-
las parte do asseio e bom gosto com que trajam
suas bellas filhinhas. A aguia-braoca tem o pra-
zer de ver qne tao bellas e precisas obras forana
devidamente apreciadas e compradas em sen nl-
nbo. Os cbapeozinbos, alm de serem d'ama pa-
lha mui fina, sao de moi bonita forma e nltimo
gosto, enfeitados com toda a perflcao: os aven-
taes, porm, sao de fina cambraia, guarnecidos de
babadiobos bordados; o qoe Ibes da moita graca.
Os precos destes, SjSOOO, e daqaelles, 100; e de
qaanto sao elles baratos conbecera o pretendente,
qoe se dirigir a' loja d'aguia-branca, na rna do
Queimado n. 8.
vidrilhos de cores e aljofares,
imitando ac, para enfeites de vestidos.
A agoia-branca na roa do Queimado n. 8 rece-
Arara vende para a ultima semana da qua-
resma a 1(5600
Vende-se grosdenaple preto bom a 1|600,1^800
e -2> o covado, dito moito largo a S300, morean-
tique preto a 2^800 e 3$ o covado : roa da Impe-
ratriz n. 86. -
Corle de casemira preta para caiga a 3$500.
Vende-.'e corles de casemira preta para calca a
311500, k> e o<$ e Gy, cortes de casemira de cor a
3J500 e a 541, ditos de meia casemira a 2,5500,
cortes de bnm a i600 e 25, ditos de cotim a 1,
e 1*280, ditos de castor, para caiga a 1*280 e
19400 roa da Imperatriz loja da Arara n 56.
Grande pechincha chitas a 160 e 200 rs. o
covado
Vende-se chitas escoras e claras a 160 e 200 rs.
o covado, fil de linho de coresN 160 o covado,
tarlatana de cores para vestidos a 800 rs. a vara:
roa da Imperatriz loja e armazem da Arara na-
mero 86. _______________^n______
Aspas fortes para boles.
Na roa do Queimado loja de miudezas n. 16, ven-
de-se aspas de ac fortes, e de differentes larguras
para baldes.
Bonitos quadros para retratos.
Vendem-se na roa do Queimado loja de miude-
zas n. 16, bonitos quadros con mordura preta e
donrada, todos por pregos rasoaveis.
Garrafas brancas
- lOiporte u i un uu yucnuduu u. t
nhor equivalente ; e allogando s para a noite de beu nm bello sortimento dos objectos cima pro- e ? "rei com fPe/,or "f" d ,cIn.'a-.
?..j _...a------M. vendem-se na ra do Queimado, loja de miude-
zas n. 16.
honver levado.
Brevemente vio ser publicados os uomes de al-
gorra mogos futro honrados, qne -desie o carnaval
inda se nao resolveram a pagar o que devem, e
de outros qoe nem ao menos ainda restituirn) os
proprios vestuarios, que levaram em coofianQa,
terao, pois, de pagar novos alhigueis nao fazendo
* restitoioo anf de skado prximo.
Em te rapo se avisa.
Aos socios~da S. B. dos [Artistas
Alfafates.
O abaixo assigoado em nome dos dose socios,
qae reqaereram ao Illm. Sr. director a convoca-
cao de ama assembra geral, vem convidar todi,,
os demais socios a comparecerem na sala u*s
sessoes no dia i de abril do correte auno as 8
horas da manha como designon o mesmo direc-
tor efim de se tractar de negocios de alta impor-
tancia para a uresma sociedade.f
iVlcter Angelo Grigor*.
Novidades.
Na Agnla branca roa do Queimado n. 8 rece- i
beu diversos objectos de moito gasto e inteiramen-
te novos, sendo :
Bonitos e delicados pentes dourados e prateados,
leudo entre elles algans de filigrana obra moi per-
feita e de elevado gosto.
Ditos com chapa de madreperola.
Brincos de filigrana e ootras qualidades.
Fiveilas de dita o ootras tambem de diversas
qoal ludes.
. c mus mui bonitos, enfeitados em toda a exlen-
f> com caracteres dourados e prateados.
Filis enfeitados com moedfnhas donrads,e lan
Novo gosto
Pentes, fivellas, e brincos de felrsrana.
A amiga e bem conhecida lo.a o. 16 na roa do
Queimado, recbeu nm sortimento de diversos ob-
jectos de novo e bom gosto, sendo pentes brancos e
dourados de moldes enteiramente noves e mui a-
gradaveis, tendo entre elles alguns de filigrana obra
de mui lo gosto e deficil execucao, e bem assim fi-
vellas e brincos as mesmas circumstancias.
Tambem receben alguns cintos o qne de mais
moderno e bonito, se pode encontrar em tal genero.
Alm disso encontrarlo os preteodentes um com-
i pleio sortimento de fivelas de madreperola, chris-
i tal, tartaruga, e dotirados, brincos de christal, e-
Atenlo I
Attentfo!
Atten^ao!
Grande sorliraentode fajeadas pro-
arias para a d na resma.
Aeaba d chegar a este novo estabelecimento
um grande e arfado sortimento de fazendas pro-
prias para a qoaresma, a saber:
(ir sdnpit-8 preto a .$600 o covado.
Vend-se um grande sortimento de grosdena-
ple a U600, 1*800, 2* e 2*500 o covado ; dito
mallo supe ior a 2*800 e 3 : na roa da Impera-
triz n. 72, loja de Guimares & Irmo.
Moriatique preto a 2,5800.
Vende-se um grande sortimento de moriaotiqoe
a 2$800, 3* e 3*500 a covado.
Chales de renda pretas a 8)5000.
Vende-se tambem nm variado sortimento de cha-
les de renda a 8*, 9*500 e 10* ; ditos muilo fios
a 11* e 12*; ditos de seda fazenda multo fina a
20*000.
Retoadas pretas a if.
Vendem-se retonoas pretas pelo barato prreo de
10* e II* : na roa da Imperatriz n. 72, loja de
Guimares & Irmo.
Grande pechincha panno preto a 2#0O0 o
covado.
Vtnde-se panno preto proprio para calcas e pa-
litots a 2* e 2*200 o covado ; casimiras pretas
a 1*800, 2*, 2*400 e 2*500 o covado.
E' aila barate cortes de casimira a 3o00.
Vendem-se cortes de casimira preta a 3*500
4* e 4*500 ; dita rr.uito fina a 6*..
Admira cortes de brim de cores a
1,280
Vendem-se cSrtes de brim de cores para calca a
1*280,1*600, 1*800 e 2* : na rna da Imperatriz
n. 72, loja de Guimares & Irmo.
E' baratissimo a .20 ris o covado:
Vendem-se rlscadinbos muilo proprios para ron-
pa de escravos, a 120ris o covado; ditos escoce-
zes muio finos a 240, 280 e 300 ris o covado.
Liiazinhas a 3oo rs.
Laazinhas dequadrinhos a 300, 320, 360 e 400
rs. o covado ; ditas muilo finas a 800 e 860 : na
ra da Imperatriz n. 72, loja de Guimares & Ir-
mo;.
Cortes de la a 5000.
Acaba de chegar a este importante e>tabeieci-
mento um soriimento de cortes de la que se ven-
de por 5* e 5*500; ditos a Mara Pia, fazenda
muilo moderna a 12b, 14*, 18* e 20* ; ditos com
camisinha, cinta e grvala a 28* e 28*.
chitas francezas largas a 260 ris
Vende-se um grande sortimento de chitas a 260,
280, 300, 320 e 360 rs. o covado ; ditas preciares
a 400, 440 e 500 rs.
Cambraias de cores a 280 rs o
covado
Venden) se camlraias francezas a 280,300, 320,
360 e 400 rs. o covado.
Cambraias lisas a 3.000 rs. a peca.
Vende-se um grande sortimento do cambraias
lisas pelo barato preco de 3*, 3*800, 4*, 4*500 e
5* ; ditas muito finas a 5*500 e 6*; ditas victoria
a 6*500 e 7*; ditas de orna vara de largura a 8*
e 9* ; ditas para forro a 1*600, 2* e 2*200 : na
ra da Imperatriz n. 62.
ROUPA FEITA.
Vene-se nm completo sortimento de roopa tai-
ta felta. assim como sejaro paIiTf?r^4l22iLClelea>
camisas francezas a 1*600 e 13800 ; oifl! nW*in&_;
2* e de linho a 2500, 3* e 3*800 ; serratas de-
1*200, 1*400 e 1*600, de linho a 2* e 2*500. na .
roa da Imperatriz n. 72, loja de Guimares- & I -
mo.

tejoilas, aljofares & &, sendo para coque, e'lofta a rVp? volUs crmes dedUo e mu,tcs lroS 0biec"
COMPRAS
Compni-se earo, prata e poOr-as preciosas
m obras verbas : nc roa da Cade do ReoHe
cja de ourives'Do arco da Conceiijo.
Compra-se urna casa de sobrado no aterro
da Boa-Vista ourua da Aurora : -e. fallar na roa
do Crespo o. 17.
NN e
Em obras velbos : compra-se'na praca da ln
dependeoio n.-^g. loja de birhetes.
Gotn)3ra-se>Bma bom '*^erro7 iogteca on
mesmo das antigs; na roa Nova n. 31.
sUMo.
cbeos, e outros com plumas $.
I Bonitas vortas de jaspe com cruzes, tendo lam
bem aIgurnas de duas cores.
k Luvas e meias
^e laa vegetal, para qaem soffre de frial&rde, pa-
ralesva etc. Vendem-se na roa do Qoetnado loja
*Aguia 'branca n. 8.
Bandolioe de roza
para segurar on conservar perfeiiameBte atado os
cabellos das senboras. Vende-se na ra do Quei-
mado 'loja d'Aguia tn-anca, 1*000 o frasco.
Enfeites pretos para vesiidos
A -Agnia branca receben novos enfeites pretos I
para vesiidos, sondo bioos com vidrilhos e sen'
elles, trancas oom pendentes de vidrilhos e sen
elles, cordo grosso tambem com vidrilhos e sen
elles; assim oomo-galoes e franjas de diversas lar-
guras, Otas de velludo etc. como sempre os 'boas
freguezes encontraro ommodidade de precos os
objectos qae -se vendem oa loja d'Aguia branca roa
-_-_ do Queimado .'8.
'Boes devidre
eom enfeites d'acono centro.
Esses bolees qae 'tanto serven para melbor se
ipoder enettar um'bom vestido .preto ou de cor.
das 3 as 3 da tarde.
Compnm-se duas rodas para
orna earroe&qae esteja en ban estado
zem da bolla anarella no oo da secretaria
polica.
dai
Sim. e
Conpra-se um selim o mn -alUo osados : -na chao so a venda namia doQueimado toja d'Agoi
ruadoCaeiro. 74, das *s 10 da nailbaa>e jxbjanca 8.
------------kicaba t hgar aloja da -acnia inraoea
carroca on j a roa de Qaefmado n. 48.
na-1 Cbromaoo-me para tingir cabellos.
Hoild ^walier para dito.
Tintura de L. 'Marques para dito.
\(jmia oranca
a roa-do'QuimadO'0.8
acaba de receben
Lentiyootss d'aco para enfeites.
. Peanas braacaS e do cores, para^orjos e chapeos.
, Enfeites fitets. muhbonitos e modernos.
I SapatinaoB de setim parg baptisados.
I Meias de soda para- mesmo.
. Bonitoshpeosiohos de setim para dito.
Rosas camelias e outras qualidades.
Novos.brincos, fivellas, pentes pulsfiiras de fili-
grana.
Fitas de seda de cores para dobranhar vosiido.
Dita de saajacom diOerentesoros e lurgoras.
i Dila de:go^oro, dosechos novos {cintos.
j'Carteirasaam agolhat _
Oompntase libras estenlinas : n .praga de
Independencia'n. 22, junio ao 'rclojoeiro.
Compra-se na prtsa-ieTlgod de^Sandere
Brothers fr C.-somentes d aigedo a 308 rs. por
erroba.
VENDAS
tos de gosto, os quaes continoa-se a vender commo-
damente.
Pnenles de madreperola, e enfeites filis
A loja de -miodezas na ra do Queimado n. 16,
receben bonitos pentes com chapa de madreperola,
e novos enfeites lilets ornados de lantejoilas dou-
rados, tnoedtobse, aljofares, vidrilhos etc., tendo
grandes para toda cabeca e pequeos para coque,
regalando os precos de 2* a 4*000 rs.
Bonitas caixinbas
ni mojos dourados para costara, tendo com
msicas e sem ellas. Vendem-se oa rna do Quei-
mado leja de miudezas n. 16.
Trancas pretas
! com vidrilhos, e bicos com ditos e sem elles para
; erJfeftes oa vesiidos.
Na roa do Queimado n. 16 loja de miudezas a-
charo os preteodentes um bello sortimento dos
objectos cima ditos, cascarritbas, franjas etc. ele
e tudo est sendo vendido por procos commodos.
MotT.es pretos
de vidro enfeitados d'aco.
A loja de miodezas o. 16 ra do Queimado
vende mu bonitos ooioes pretos de vidro com en-
eiies de aoo, os quaes muito se uzam para enfeilar
vestidos, qoem os pretender pode dirigir-se a dita
'loja n. 16 a roa do Queimado.
Vendmse ana loja de miudezas
a roa do Inelnaado a. 16.
Bonitos loques de sndalo e ootras qualidades.
Bonitos (otos con fivellas de diversas qualida-
des e motaos.
Briaeos e crocos ie crysta!.
Abotoadnras de dito para colotes.
Bonitos port-relogios.
Deikaoas eaiaas eom msica e sem ella, para
costara.
Agulnas e iinbas para cbrocbel.
Retroz superior em carriteis.
Reodas pretas e ticos com vidrilhos.
Fitas de velludo com listras da cores para en-
feites de gorros e vestidos.
Ditas de grosdenapoles, lisas e Javradas, brancas
e matisadas.
Para tingir cabellos.
Hoild Walter.
na roa do Qoeimado, loja miodezas
m.
Dormentes
Ot oncessioaarios do previlagio do cammbo de
fearo de Apipoocs contratam .tormentes e ma-
doiras de qualidades, quem pretender compareca
a ra 4o Imperador n. 55, segundo andar.
-o convenio do Carmo, .celia n. 18, eciste
para ser entregue a Sra. O. Bernardina de Sena
Se ver i na, urna carta'Vi nda da Pacay6a. qae Jbe
rnaadoasaa mi.
PARA WS.
Acabara -de sahir luz as folbiahas de'
algibeira e de porta para o aono de 4866, o
mais correctas possivel.itaoto no.caloalo das No trnttMB1 d, ^^ lnjpera loas 6 ecltpses, como ae diversas fesUS; Caes de Pedro II n. i, .tem para .raarier-se
que a igreja.celebra; vendea-se unicamen- b"r fa existente no mateado.
rte na livraria
460 ris as
beira.
Srande armazem detia-
tas medicamentos etc.
Ruado Imperador d.. 22.
1 Joo Pedro das Weves (ge-
\ rente) tem a venda o
'< seguate:
\ Productos chimicos h phariL.'.-
ceuticos os mais empri^ulos em
t medicina.
Tintas para todo o genero de-pm
* tura e para tinlorariav
t Productos industriaes e tintas
i para flores, como botoes de flores
I modelos em gesso para imitar
e'(rucias e passaros com o compe-
| tente desenho.
K Productos chimicos e industriaes
I para photographia, tin'.BFaria, pin-
I tura, pyrotecnia etc.
I Mentado em grande escala e sup-
1 prid directamente d* faris, Loo-
f dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa
I pode offerocer producto* Je plena
I confianca e satisfazer qoalqcier en-
| commenda a grosso trato e a rata-
| ilbo e por preco comnwdo.

.


no
--VUM.U.U, .uuinaroo >umvnu(/u------f -..-.. .. _-...~ ^^^^^^^
ada praca da Jodependeocia, i (jainrri envidar VfillTll vor
de^rtaeaaOdTastkalgi-r^1, mUV*~.OJ*eiIlt11 rr'
v ^1 nloreantique superior a 2,8800, grocdeoaple sn-
ilonlam 36 do correte, dena^arocen da por-
ta da (averna da iraveesa da roa da*Cruzes o. M
um cavallo .russo, capado e pequeo, tendo ama
bexiga no esninhaco ; cajo cavado aujipoe-se ler
sido roobado, ,Bor tanto roga-se as aoioridades ou a
outra qunlqoer pessoa que tiver coanoeimeDto
delle o aprebendao e o latan ao engento Passa-
sunga, a Manoel Gomes de lloara e Silva, 00 nes-
ta praca a Mariis* A Lebre, na referida taberna
que ser gratificado, _______
Avlsa-se ao [Ha. Sr. Or. Prxedes Pitanga
eoaio primeiro fiador eao Sr. Angosto Alvos Gui-
mares como secando, qoe o Sr. acadmico An-
tonio Aires, ainda nao pagou os 34000 qoe deve
de ailnguel da casa em qoe moroa na roa dos
Coetnoi.
Antonio Jos Rodrigos de Sooza na roa do
Crespo a. 15, toma dinheiro para mandar entregar
na Babia, Pari e Maranbao._______________
Baile ale antaleafeei.
a rna do Qoeimado loja de (erragens n, 14,
tem-dminos de velludo e seda para o baile par
preca razoavel e de bonito gosto.____________
Fariaba de -mandioca a 4$oo
res o -saceo, muilo nova, e oltimamente cheaaal;
vende-se na ra di Croz n. 33.
* Linguas
Na roa da cadeia do Recite n. 53,vende-se lingual
de primeira qaalidade aofio Grande do Bola 190
reis cada ama. ________
Luyas de pellica
pretas, brancas e outras diferentes cores eoega-
daa de novo'. a roa Nova n. 7, loja do vapor.
Veode-se superior potasea : na rna do~Apol-
lo armazem n. 36.
Veode-se ama rotula nova ae looro : a tra-
tar na roa do Hospicio n. 28.
Vende-se sal grosso : a tratar na rna da Ma-
dre de Dans o. S.
peator a 24, dito mnitolacgo a 1*280, bales ren-
dado muilo grandes a "5, .rotondas novas deaenbos
a-titl, corles de eaii)hraiaTiiuissimos gostos a im-
aerairiz Eugenia a 5j30t), ditos de la a Karia
Pia .por 6A, cobootas de obita da Peria a 2|r00,
cbitac inglezas a Si a peca ou 160 rs. o covado,
para acabar : s na roa do Queimado n. 17, junto
abottoa.________
Fonde-se um eseravo preto, crionlo, de O
annos de jdade, pouco mais ou menos, do servieo
de campos sem defeitos ; aa roa de Apollo a. 7.
! andar. '
Veode-se
n. 16.
Ch ruin ac-me
Para tiogir cabellos.
Vende-se na loja de miodezas, a roa do Que;-'
mado n. 16.
Tintura de L. Marques
Qara fazer os cabellos pretos.
Vende-se na rna do Queimado, a loja de
dezas n. 16.
lissaagas miudas, aljofares imitando
acoeviovilhos decores
para enfeites de vestidos; vende se tudo iisso por
precos razoaveis na rna do Qoeimado n.l oja 16
rl ai indaa\o '
mi-
FAZENDAS BABAm
N. 27 fua do Queimado N. 27
GRANDE PECHIACH t
Cambraia oranca para forro a 240 e 400
rs. a vara.
Lencos bancos para algibeira du'zia a
2.5000 rs.
Retondas pretas a 9000
Cambraia morsulinade cores propria p'aia
vestidos o covado a 300 rs,
Moreantique prtto superior a 2Mo
3*000 o covado.
Grande sortimento de grosdenaplespreid
para todos os precos.
Rotonda de seda riqusimas algerinas para
senboras.
Guardanapos para meza a 30500 rs, a du-

zia.
de miudezas.
VENDE-SE
CARNAUM
Veode-se cora de carnauba mais barata do qoe
on outra analeanr parte :|na roa da Madre de
Daoan. g.
Vendem-se 400 pedras para ladrilbo, viudas
da una : > tratar na ra do Vigario n. 14.

Ama ,
Precisa-sa da orna ama para o servieo ioierao de
orna casa deponen familia : a tratar na praca do
Cerpo Santo n, 17, andar.
Precisa-sa de ama ama que saiba cozonhar e
eomprar : na roa da Croa a. 86, primeiro andar.
Cilindro
Vende-se am cilindro de padirla j otado : a
tratar na Travesea do Qoeimado n. 1. ________
Attengo.
Vende-se no deposito da Lingiieta a. 43, leite
poro a 3S0 reii garrafa examinado palo fiscal.
Miiho
No trapiche bario do Ligamento, vende-se tac-
eos com milbo de Lisboa a 74500 o saceo conten-
do 6 alqoelres cada nm dajoelle mercado.
Vendem-se doas pretas mocas e sadias ta-
beado lavar e eoser e proprias tambera para la-
voora, o motivo da venda ter-se de retirar o seo
tenhor para fora do imperio : para tratar no'ar-
mazetn a roa da Crnt n. 33.________________
Veode-se e faz-te todo negocio com o depo-
--------------- sito da roa do Vlgarlo o. 89, moito proprio pera
Vende-se um eavallo oatlrado, gordo, bom am principiante qoe queira principiar soa vida
aadador, bom para vligeoi. de cor lazio t Wfo; com pooco diPbeiro : ao comprador se dir o mo-
na eoebeira 4o caes d Apolo n. 7. |jve da venda.
o grande armazem da roa do Apollo n. 38 e 40
proprio para um armazem de assacar ou prensa'
de algodo em ponto grande, por ter 6 portas de
trente com mais de 67 palmos de largora e 300 e
tantos palmos de comprimento, todo coberto e so-
bre arcadas e para' comodldade dos compradores
se vende com o prazo de 2 annos oo o que se coo-
vancionar orna vez que seja com segurauca e pa-
gande-se pela demora nm mdico juro : as pes-
soas a qoem coovier esla compra podero enten-
derse com Antonio Al ves Barbosa na roa dos Gua-
ma pes n. 78.
_Snperiores baloes de arcos a 3^200 rs. -
colares Royer on calares aa Attenco.
Na amiga e bem conhecida reflnacao a' roa das
Laraogeiras n, 11, eocontrara' o respeltavel pn-
blico um completo sorlimeolo de assucar de caro-
co, refinado e candi, bem como caf em grao e
moldo, sevada molda, cha' verde e preto de muito
ba qnalidade, velas de composicao ; e lado por
precos maito commodos. -
dimos
para facilitar a denticao das enancas e preserva-
las das convors8es.
O feliz resoltado obtido immensas vezes pela
prodigiosa forca magntica dos colares Royer, nos
caaos de coovulsoes e denticao das crianoas, tem
altamente elevado o sea bem merecido prestigio,
e hoje j se pode dizer qae esli feralmente con-
ceituados, e estimados de innmera veis pais de^
familias : de uns porque do aso dnsea^M-|M1.M
colares viram salvos oo pertKji^fTbvoB fllbi-
abas, e de oatros porque tSinm daqaelles lio
proscao exemplo para ifnalmenio preservar os
eos. Assim, poli, aagnii branca, tendo em vis-
us a utilldade e proveito desses prodigiosos cola-
res anodinos oo Royer, mandn vir o novo sorti-
mento qae agora receben, e continuar a recebo-
ios para qae em lempo algum a falta delles possa
ser funesta aos pais de familia, os qoaes flearo
certos de os achar constantemente na roa do Qoei-
mado, loja d'agula branca n. 8.
Na ra da Imperatriz n. 28.
Veodem-se cortes de cambraia brancos con 4.
5 e 6 babados a SO* e 2K*.
Fil de seda preto com flores a vara i.
Cambraias brancas de orna vara da largora fi.
ni a I* e 800 rs.
Ricas lampadas e candielros a gaz por irosso
e a reuibo.
Veodem-se doos motores para 3 e 4 cavallos
proprios para mover machinas de descarocar al-
godo e cyliodros de padaria, etc., e oza praosa
hydraulica de grande forca, propria para enfardar
algodao : di fabrica da travessa do Carioca n.
caes do Ramos.
Grande pechiacba de nudapole con
avaria.
Paredes Porto veode orna grande porco de ma-
$S$ ?''*?. feod do lo* e 124 peca,'a
1800 e 7* com pequen rW
ratri n. Si, armazem JS poru larg junto a pa-
darla franeeia. r

i
.
\



PARA A'QUAMHSMJi
C&efearam a loja de Augusto Porto & C.
11 Ra do Queimado-"\
Superiores cortes de seda preta.
Molreaotiqae preto de flores e de hstts bellos padroes.
Grosdenaple preto de diversas largaras e qualidades.
Retoodas, bournus ediales de guip e de reodas.,
Paone* pretos, easemiras pretas, bombasioas.
Laas, caotiro, merino e selestripas prelas. .
Lida* mantas de seda para pesclo.
Ricos cortes de seda de cores para bailes ou casamento.
Ricos cortinados bordados dos mals bellos desenhos.
Muir raneo, seda branca, capelias e mantas para noivas.
Bellas colchas da seda e de ia e seda para cama de noivas.
Saias de flnissiraa cambraia ricaraeote bordadas.
Faieodas de pregas para saia que se fazem com nma s costara 9 taaabem tem
o cordio tecida. .. _.
Madapolao fraaeez 400 e 480 rs. a vara.
Alcatifa de Moho para salas e gabinetes a 480 n.9wna.
Faxla especial de qaadros p*ra faxer redes a 3*500 a vara.
Superiores esteiras da ludia para salas.
IIRaa do inclinado 11
TRES RAMMM
ARMAZENS DE MUIDOS
Dt NOMINADOS
PROGRESSIVO pateo do Carmo n. 9
UNIO E COMMERCIO ra do Queimado n- 7.
VERDADEIRO PRINCIPAL roa do Imperador n. O
CONS
PEDRO
1"
DO
c
MOSCOSO.
MTOH'
DE
m
DUARTE CARVALHO PERIRA Jg C.
CORTES JE SEIBA
CHimn fio h inta ciqoasimo. orla de amuliq d. ooros,. Md. WM fr
^'"""""Seda" de quadros por 1^000 o covado
5 RA DO CRESPO-5
recorto Pac do Anaaral **: Companhla.
Fazem scieate ao respe'itave publico, e com specialidade aos senhores de en-
genhos, lavradorese mais pessoas do ceetro, que para mais facilitar suas compras deli-
beraram os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir todos os seas estabeleci-
mentos em um s annuncie, pelo qual o preco de um ser de todos, prometa-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os gneros
por* um preco, e na occasiSo da compra quererem por outro, como socede constante-f
mente em outras militas casas, porra nos nossos estabelecimentos nao se dar isto'
anda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
serSo tambem servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar sea
pedidos em certas feixadas; para etitor qualquer engaos, remetiendo nos ama* conta
pela qual se- ver os presos tal qaa'f' annuociarmos, o que senao arrepender pessoa
ilgnma que 6zer soa1 deaeenca em oossos estabelecimentos;. pois poupar mais de
5 por ceoto na sua despeza- diaria'.- -
ATTAHYDE
9, PARTJEIRO B OPERADOR.
3Ba da Gloria, casa o td&o-* g
O Dr. Lribo Moscoo d consultas gratuita aos pobres todos os da das 7 s 11
aoras da manhao, edas 6 e meia s 8 oras da eoife, i exeOpcSo do* da anlificadoi.
Pharmacia especial homeopathica
No aesmo consultorio ha sempre o mais appropriad flSKmento d
tobos avulsos, assim como tintaras de varias dymnamisages e nelos prec
Carteiras de 12 lobos graades-. 12|OO0
> de 24 tobos grandes. 18100
* de 36 tobos grandes. 244000
> de. 48 todos grandes. 300000
de 60 tobos grandes. 350000
Prepara-se qoalqner carteira conforma o pedido que se fuer, e com os remedios
qae se pedir. .
Um tubo a valso ou frasco de tintara de meia onca 10000.
Sendo para cima de 12 eustaro os precos establecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
carteiras
seguinte*.

Gros de aples preto a ^ffi^ffi*^
Gorgurao preto de superior quahdade a 20oO, 2?800, & e 40 o cu-
iji e 50000 o

Vad covado.
Bons cortes de moreantiqoe.
dem de gorgurao adamascados.
Bons pannos e easemiras. .
Sup riores alpacas, prineetas, merinos e bombazina.
Bons villudos pretos. .' ,.; .
Grande variedade de chales de fil preto e de guipure a
100, 125, le \U a 205v e de 2"h5 a 800 cada um.
Superiores retondas de fil preto e de guipare a 8*, 105, 125 e255,
e de 305 a 605 cada ama. A
Superiores algerienes de l preto e de guipure de 125 a 255, e de
305 a 605 cada urna.
Sl^WSw eou.mUa3 faldas preus ,u. |
seria enfadonhe enumersr, na
IiOJ 4 DAS COIiUM^AS
DE 4NT0NI0 CORREU DE VASCONCELLOS & C.
RA DO CRESPO ff. 13
MA^TEIGl
Hinteig iigeza perfeitameatffr che-
gada oltimameiite a f]ooo rs. a libta, e
era barril ter abatimento.
Manteiga franceza da safra nova a 800 rs.
9 libra e em barril ter abatimento.
BANHA
Banha refinada superior a 64o rs. e em
barril ter abatimento.
Cha uxira de primeira e superior qaalida-
dea2<8oo re.
dem hysson o mettwr neste genero a
tfioo rs., e sendo em porotera abatimen-
to, tambem ha proprio para negocio de 2 a
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de l,8oo a 2,3oo rs.
'libra.
lHCOIltOS
Latas com superior biscouto inglez da -di-
versas marcas 1,2oo rs. a lata.
Vinagre
Superior vinagre de Lisboa a 2,ooo rs. a
anadae 280" r:s. a garrta. Tambem ha
mais baixo paca 2oo rs. a garrafa e l,4oo rs..
a caada.
Azeite doce
Superior azeite doce de Lisboa a 7oo rs. a
garrafa e a 5,5oo rs. a caada.
FU VIO CAPORAL.
Latas com superior fumo caporal a l,8oo
rs. a lata.
Passa*
Superiores passas a 2,5o o qaarto e
9,5oo rs. a caxa de arroba hespanliola e a
56o rs. a libra.
CEVEBHA
Genebra de laranja verdadeira a lo,5oo a
duzia e l.ooo rs. ao frasco.
Genebra de Hollanda verdadeira a 6,000
rs. aftasqoeira e a 56o rs. o frasco.
Idom de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
LIVROS.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopatbico do Dr, Jaih
dooS grandes vol ornes com diccionario............ 205000
Medicina domestica do Dr. Hering ." ...... ,......, 105000
Repertorio do Dr. Meh Moraes............. 6500a
Diccionario de termos de medicina........... x.&*
Os remedios deste estabeleciment s3o por demais conhecidos e disptouo**
tanto de serena novamente reeommendados as pessoas que quizerem usar dr-*J"'~
rerdadeirot, enrgicos e duradores: ha todo do melhor que se pode desejar,
rerdadeiro assucar de leite, notaveis pela soa boa conservacao, tintara dos.mais acreai-
udos estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparado, e portanto a maior
aoergia Casa de saude para esaravos
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfamidade ou fazer-se-lhe qualquer
operaco, para o que o aonunciante julga-se suficientemente habilitado.
O iratHmento o melhor possivel, tanto a parte alimentar, como na medica,
funecionando a casa ha mais de qaatro aonos, hamoias pessoas de cujo conceito se n5o
pode duvidar, qae podem ser consultados por aquellos que desejarem mandar seas
doentes.
Paga-se 25 por dia durante 60 das e d'ahi em diante 15500.
. As operaces ero jpt'eviam,ente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
razoaveis que.eostuma pedir o annunciante.

RUI DO BiiCM T. 3S.

irieiario deste estabolecimento deseja chamar a attenco dos senhores pro-
UMUrioi aos acre iitidos mechanismos que continua a fornecer; os quaes garante ser,
como sempre, da melhor qualidade possivel:
Roaehlnhas da ums.
Latas com balachinh.s da acreditada fa- Garrafes com 24 garrafas de genebra de
brica do beato Antonio, proprias para dar a Hollanda a 8,oeo rs. o garrafJo. Tambem
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata. ha garrafes com 5 e 14 garrafas de 3,2oo a
dem com qaatro libras de bolachinha de 6,000 rs. cada um.
soda a 2,ooo rs. a lata. VELAS
nnni/\o Velas de spermacete a 64o rs. a libra.
UUeiJOh em de wrnauba de lo a 12,ooo rs a
Queifos flamengos chegados pelo ultimo joroba e de 36o a 44o rs. a libra,
vapor de 2,3oo a 2,5oo rs. de-iyf
Chocolate hespanhoU 1 000 e l,2oo rs.! M em latas j preparado de l.ooo a
a libra, francez e saisso a l.ooo rs. a libra L200 rs. a pitNrn
*SZLm rS- "Ubra' ** Pr ^ Alpista eT5maiS ter abatimento. ^ ^ ^ Jf^ q & ^ e m fS a u.
. VINHOS '.b-' CIUBUT0S.
Superior vinho do, Porto, das mais acredi-1 g ^ ^^ do fabri,a(ltes simis,
tadas marcas, como sejam: Madeira Seca,,, ^iaes Delicias Parisienses e outros de
Duque do Porto, Velho Secco Lagrimas OOj J^0e3,ooors'. a ,n5ja caixa- tambem
Douro, Mana Pa, D. Lu, Pedr nv; f" I temos' Suspiros, ilavanairos, Lig.
masDoceseoutrasmarcas a l,ooo a^.rra- uil^s vendemos por
fa e 9,000 a 12 000 rs. a duzia. 1
Vinbo Figueira e Lisboa das melhores,i"cv'
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3,ooo,! Ljc()res frances e portugaezes a 1,000 e
AlUtf AZJEitl 1>E FIKG^MN
DE
< USIOIHO CiRVlliHO
27 RA DO QUEIMADO N. 27
Madapolaa francs maito fino, tendb pouco mofo, cada pega com 27 vara* por
105000. .
L5a de cures a 300 rs. o covado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a preco de 800 rs a vara.
Lencos brancos para algibeira a 25fO0 a duzia.
Fioisperclaras.a preco de 400, 440a 560 rs. o covado.
Ricos cortes de la de barra de 105 a 305000.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.




Machinas de vapor
tambem
e
mdico
forca de 2 Vi cavatoe nara cima. As menores sao mui proprias para motore sde
'e- arocamensdea'g.>do; as maiores para moer canoa; ha tambem que podem junta
u SS!o te n.) r can .a e descarocar segundo suas proporces. Estee vapores
S simp5ssm*T4 c Mtroc^a, e se regem por qualquer pessoa inteligente, a fac.hda-
. SSSSSto ilo especialmente considerada, tanto que nao ha lug.r em que nao
t 1 or liuir. qar pr t^rra, qur embarcado. Ha com mondas juntas ou sera
ett e podem-se applicar a. qualquer moenda j existente semtoutra mudanga do^que
So das rodas da almanjarra, Ellas tem depsitos dagua e boe.ros de ferro,
me' sam para o seuassentamento de obra alguma, quer de carap.na, quer de al-
vV iaP 0 tipo para assenta-las nao excede de doze dias aomais, e em casos de
utoneteoEooarwmabaaentos de acudes, etc., gacante-se o assentamento em
o o dias. Lembra-se aos senhores de eugeaho que a venda dos animaos e o servico da
Seoccupada no seu tratamento oshaode recuperar da ma.or parte da.despeaJo
va > deixand -lhes a vantagem de urna moagem certa e acelerada; e acabando com a
" len ^ compTa :ontinuada de novos anlmaes. com os desgostos do trabalhoque
eteiURodisS'd'agna de Ierro, mui maneiras e moendo com qualquer altura
d a"Ua'sarIlho8 eom eruzetas de ferro para as mesmas, quando se desege fazer
e resto da roda de madeira, tomando-se assim a roda ligeira no trabalho.
Mocadas de canaa de todos os tamanhos, desde as mais pequeas chama-
das do sertao. Obra perfeita em feilio e acunhamento.
Roda de espora e angulares de todos os tamanhos e propones.
Paroes ou coches para receber o caldo. .
criaos de tomaina para assentamentos, frescos para o foguista, fazendo
rande calor com pouco combustivel, e duradouro.
portas de fornalha de todos os tamanhos e de diversos systemas.
Paraos e naolahos para a fabrica de farinha e tambem chapas redondas
pira fornos pequeos.
losabas simples e de repucho.
Talxas de ferro batido e fundido e de cobre. '._i_
Formas de ferro batido galvanisado para purgar assucar, leves para carregar
* '^^AUmbquesde ferro de todos os tamanhos, custando s a terca .parte do
preco dos de cobre, mais regulares na distillago e igualmente duraveis.
Elxos e rodas de carro com raang s de patente, obra mu segura para
ngaAradosTgrades, cachados a cavallo e outros instrumentos de agri-
cuitura.- E finalmente todo o objecto de que possa precisar um engenho.
Maehinas de desearooar algodao.
Na fabr:ca se fazem obras novas eucommenda e coacertos, com a maior preste-
-**j. solidez O grande deposito de pecas e objectos habihtam-na muito para este m.
-*^ 3-U^rieior sempre mm feliz de poder ter occasiSo de dar informales ou
* iarecimeotos aos senhores que se servirem de seu pre^imo. ^^
Licores
Licores francezes e portuguezes
l,4oo rs. a garrafa ou frasco.
Doces
Doce da casca da goiaba em caixes
tas a l,2ooo caixo e 2,800 rs. a lata.
Frutas
e la-
3,5oo e 4,000 rs. a caada.
Superior vinho chamisso era barril a 64o
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
anceretas de 8 e 9 caadas a 2i,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs, a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
Caixas com una duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaiix a 7,ooo rs. a caixa e
7oo rs. a garrafa.
CAFE
Caf do Rio de l.1 e 2. qualidade de
6.800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
.m.io ,
Sab3o.maca de primeira qualidade de 24o
rs. a libra.
a ogigo.
Sfirveja sardinhas.
Superior serveja Bass dos melhores fa-f. Latas com sardinhas deNantes e Lisboa
bricantes, como sejam: Shlers &BeH T. F.de 4oo a 46ors a lata
Ashe a 7,500 e 7,ooo rs. a dazia e a 7oo rs.; FUMO AMERICANO,
a garrafa. Tambem ha de outras marcas Superior fumo emxhapa a t,400 rs. a
como seja: Victoria e Alcope a 5,ooors. a du- libra. eRVILU \S
zia e a 5oo ^iIa0gT*fJsIOS> % [ Lm com ervftl.as e feijao verde j pre-
Boioes vasios, loufa inglesa muito pro-: parado 6iors. alat.
pria para manteiga e deposito de doce de 4 i MAS.A
Novidades do Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Este estabelecimento apezar de sempre
se achar bem sonido como todos sabem,
hoje mais que nunca, n5o s pelo que rece-
be de sua propria conta, mas tambem pelo
que recebe de consignaces; parece sem
f ? 1 1 a k^ duvida que deve offerecer grandes vanta-
Frutas em calda e em latas fechadas her- respeilavel publico ^^ em
mlicamente, muito bem entortadas, conten- como na escolha dos objectos, e co-
do pera, pecego, ameixa rainha Claudia, al
perche e outras fruas a o> rs. a lata.
Tambem ha latas grandes para l,2oo rs. a
lata.
AZEITE DE REFINADO
Superior azeite foancez retinado a 8,000
rs. a garra'a e a 9,ono rs. a duzia.
MOLHO ING1EZ SAUCE
Molho inglez Sauce em frascos grandes
com rolba de vidro a l,8oo rs. o frasco em
duzia ter abatimento.
BATATAS.
Gigos com 3o libras de batatas a 1,00o rs.
a 12 "libras a 1,2o-) e2,5oo.
FARINHA DQ MARANHAO-
Farinha do Maranho a 240 rs. a
SAG'.
Sag muito novo a 4oo rs. a libra.
ARARTA.
Latas com 1 libra de massa de tomate a
I 64o a lata.
libra. VERMUTH
Esta bebida muito fresca e estomac l e
'muito propria pan'a presente estaejo. a
I qual vendemos a 2,ooo rs. a garrafa e IW
a duzia.

RIA HA CADEIA 1%. 56 A,
1
(kmUmia a ler graBde e ompleto ortifflpto de a a~
Machinas americanas para descarocar algoaao
4o ,n,lhort5 fabricar ), 4. 1*. *6, 48. ^t^^i?ZK*&^\^ WW"
i4i,eia confeqoati. naweas ter reeobWo* coota propri ios Estaioi-Oirtias.
Araruta verdadeira^ 4oo rs. a^bra.
Pimenta, cominho, cravo, canella. ervadoce, alfazema, tijollo para limpar facas pa-
litos para dentes, palitos de fogo, e outros imiitos gneros que se tornara enfadonho
mencionar, afiancando cipceridade nos preco e o bom acondicionamento de qualquer
gen ro. **
Vendem-se, na livraria da praca da Inde-
pendencia n. 8, a 400 rs. o votume, os ro-
mances portuguezesseguintes, em brochura:
A voz do sangoe, 2 volumes.
Gonnemara, 2 ditos.
A norte de S. Silvestre, l dito.
Ofilhodefitiano, 1 dito.
Adonis ou o bomnego, 1 dito.
As du'S amadas, 1 dito.
O pacha de Buda, 1 dito.
Trilby, 1 dito.
Ignez de la Sierra, I dito.
Joven Siberiana, dito.
"Cevadiha de Franca
a 160 rs. a libra, e da 8 libras para cima a 420
rs.: .ndarmaxam-da Liga, roa Nova n. 60.
jLao|M.
A lja da AiMor, aaa larga do Ro?ario n. 38,
recebe sorliaaento de lantijolas multo delicadas e
proprias para qoalijaar eoaita, issira como am-
J'lww wwiii lnrag -de Jootii brancas e de <*ores
liara homem e penhora, multo Jresea?, cheRadas
pelo ultimo vapor, todo isto na loja da Aurora,
roa larga do Rosarlo n. 88.
Vudese nma masseira de amarello em per-
feito etado, e mais pertences para orna padaria,
na estrada ova, segueda taberna a direita, depols
do sobrado grande : a tratar na mesma, das 4
horas da tarde em diante.
l*e chiuchi*
Ha rea lo Qucinatlo a. 40
Cortes de laaiinha-de cor, bonitos gostos, com
15 covados a 3$60O.
Cassas orgaodjs de cores, covade a 840, pegas
de algodaoilnho largo rom 17 .raras a 4.
Ditas de dito com 17 varas, muito eacorpado,
com pequeo defelto, a 5500.
Grpsdenaple preto -mito superior, covado *J.
Dito dito a 4*600.
Retondas de renda preta a 10*.
Chales de renda preta. a 8*.
ma imiMfis.-
Vende-se vhtho ollares de superior qua-
lidade, como ainda n3o veio a este merca-
do, em barris .de quinto: ra da Cadeia,
escriptorie de Leal Reis.
mo acaba de chegar grande remessa pelo
vapor tDouro e o navio Solferino de
diversos objectos de gosto e proprios do
lempo dos quaes se mencionaro alguns,
por nao ser possivel mencionar todos. 0
dono deste estabelecimento espera a pro-
teccao de todos.
Riquissimas caixiohas ornadas
MACHINAS DE PATENTE
DE TRABALHAR A MO P.ARA DESCA-
RGAR ALGODAO
FABRICADO POR
PLANT BROTHERS & C.
OLDM.
Estas machi-
nas podem des-
carogar qual-
quer especie de
algodo sem
estragar o fio,
sendo bastante
d u a s pessoas
para o traba-
lho; pode des-
carocar urna
arroba de al-
godo em ca-
rolo em 40
minutos, ou
18 arrobas por dia ou cinco arrobas de al
msica propria para um delicado mimo.
Caixinb,as de msica tanto de veio como
de corda.
Ricos porla joias e necessarios.
Riquissimos est jos a feitio de um bausi-
nho ou chapeuzinho.
Ditos em casca de noz e de outros gostos.
Leques de -madeperola de sndalo e de
faia e madeira.
Chaposinhos e touquinhas de muito
gosto para criancas. -
Meias e sapatinhos de seda para as mes-
mas.
Meias de seda para senhoras.
Capelias e grinaldas de flores proprias
para casamento.
Enfeites e capelias de muito gosto para'
seuhora.
Riquissimos porta -boquete.
Boquet de flores com urna borrachinha
com ebeiro.
Luvas verdadeiras de Jo vio.
Ditas de seda e de Escocia.
godo limpo.
Assim como machinas para serem movi-
das por animaos, qae descardeam 18 arro-
bas de algodo limpo por dia; e motores
para mover urna, duas ou tres dessas ma-
chinas.
Os mesmos tem para vender um bellsi-
mo vapor que p Je fazer mover seis destas
machinas mencionadas; para o que convi-
da-se aos senhores agricultores a virem ver
e examina-lo, no a mazem de algodao, no
a enm ,ar? da Ponte nova n- 47-
Manadera Brolhers & C.
Recife praca do Corpo Santo n. 11.
Os nicos agentes neste paiz.
0 castello d rasville.
Traaiide do fraaeez por A. i. C. da Crni.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 3^000
ua praca da Independencia. -Jivraria os.
,6.e*.
Framsco Jos Germano
RA NOVA N. 512,
acaba de ret^ber ,om lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lelos, binculos, do ul-
timo ornis apurado gosto da Europa e ocu-
los de alcance {tara fbservacoes e para os
martimos.
Riquissimae plumas e guarnigoes para
enfeitar chapeos.
Contas e tubos de ago branco, que ha; Laade barriguda, o que de melhor ha para
mnim so rtpcpiava nara pnfeites lencher travesselres : vende-se na roa da Madre
muiio se aesejaya para enieues. \ D no artDazemjjDnt0 l(?reja. .
Brincos, fivellas e cruzef; de crystal. ].._ > *-'*-" ,'a <
FiaeUaa e cruzes de tartaruga, madripe-^ >P*S '> as 9aaU;
rolae doorados.
Alfinetes para gravatas.
Botes com croas para punhos.
Gravatinhas e mantinhas de muito gosto,;
tanto para homem como para senhora.
Vende-se ronpa Jeita,
sendo calcas de cores e
pardo a 2, ditas" debrlm branco de linho a 34500
e 44. cateas de caseroira preta a 54, 64 e 84, di-
tas de cores, meia casemira, a 34 e 34800, ditas
de caseroH-a a 64, 74 e 84, paletots ^e ftrwi -da
cores a 24, 34800 e 34, los de brim fcraoco a
a 44500, ditos de alpaca preta a 34 e 44,dites de
uiu jaia uuuuiu isuwu p uinim, (ubi m --------Kt 7 o lili JU a
Riquissimosaderecospretos, assim como.^ffljy^ft f& A^Jl
caixiohas com alfinetes pretos.
! *4600, de casemira a 34 e A}, ceroia traoeeca a
lAiuuaa wui" F.v. if6w,4eeasewra 3 e #, erowa-waweea
Beugallas de canna com cabo de marfim.. 14600 e 24200, camisas francezas finas brutos e
Ditas debaleia, borracha e de oatras peitosdecores a 5>e 24500, ditas inateas de -
muitas qoalidades, assim como chicotinhos. *. de = largas. ^0 34 MSoo i na
Riquissimos pentes de tartaruga do ulti
mo gosto; assim como -de arregace para
menina, pois neste artigo ha um completo
sortimento de todas as qual ida des.
Diademas para cabeca do ultimo gosto.
Riquissimas fitas lavradas e lizas.
Trancas pretas com vidrilho e de cores.
Pulseiras tanto para senhora como para
meninas. '
ligas de seda e de algodao.
Suspensorios de-seda1 e de algodao emui-
tos outros objectos que se nao podem .an-
nanciar por n5o se tornar obdonho.
S no Gallo Vigilante ra do Crespo n. 7.
ra da Iroperatrir, loja da Arara n. 56.
- im caa, de .^abe" jScbmeitajj C.
raa da Cadeia n. 18, vende-se:
I Cbampanha.
Cognac de superior quaiidade.
Vidros para espelhos de lodos os tama-
nhos tudo a, precos maito commodoe. .
tara encrespar.
Tesouras >'e todas as grossuras para encrespar
Jojade
/
/ 8
/
( I
*





de aroo de 1*66.
OVA LO JA
k t Rna da Imentrt armazem
da porta larga t.
ito a pdarta fradceza de
Paredes Porto.
Ueste estabeleeimlnto encontrar o respeitafel
publico nm varladoiertimejito de fazendas france-
xas, inglezas, salssfl e allemes, que se venderlo
por prego commjjio.
y Paredes Per
Vende chales de renda de cores que se vende-
rn) a 189 est vendendo por 6*, di tes pretos, fa-
zenda nova, 5*, 6*, 8* a 20*, um sortimento com-
pleto de manteletes, capas e soutambarques 14* a
25*. Rua da Imperatrun. 42, junto a padarla fran-
cesa, armazem da porta larga.
Paredes Parto
Receben um completo' sortimento de liasiahas a
340, e f ^ -4. covado*, para acabar, cambraias de
o covado, riscado escossez para rou-
.iu, fusto de linbo a 420. 400 e 500 rs.
>eratriz n. 52 junto a padaria france.
"ta larga.
Paredes Porto
Recebeu para cortinados para cama franceza a
i ti a peca cambraia lisa tina a 35 4* al 104 a
peca, cortes de tarlatana de bonitos gestos a 3*500
4*, cambraia com flor de seda, gostos metra-
mnte novos a 400 e 500 rs. o covado, no armazem
dar porta larga n. 52, roa da Impera triz junto a pa-
daria franceza.
Paredes Porto
Recebeu pelo ultimo paquete um sortimento de
cruzes com pedras para o pesclo, bonitos caxinels
de lia para pescoco de senbora. Roa da Imperatrix
a. 52, armazem da porta larga.
Paredes Porto
Vende cortes de gorgurio preto para vestido com
21 eovados cada um 35*000, grosdenaple preto a
i*600,1*800 c2u covado, lias lizas finas a 400
rs. o covado, las de quadrinno para vestido, entes-
tada, a 320 rs. o covado. Ra da taperatriz n. 52,
armazem da porta larga.
Koupa feita
Ra da Imperatriz n. 52 armazem da porta lar-
abelecimeiito um completo sortimento de paletos-
saceos e sobrecasacos, de todas as qualidades, cal-
jas, colletes, ceroulas, camisas, grvalas, meias,
chapeos de sol, ditos franceses para cabera, por
presos commodos, roopa para menino o outras
maitas fazendas por pregoe commedos, armazem
da porta larga.
No mesmo estabeiecimenlo enec -m.
tavel puniico, sempre um comp"
roP'" .as de todas ^, **
'3.1-' de alpaca preta e de .
*Zm a 45 e 55, ditos de brim i
35500, ditos finos a 45, ditos meia* ,
35500, 45 e 55, ditos cazemira saceos a 65, 7, a
105, ditos sobrecasacos a 10 e 125, ditos de pan-
ao saceos a 65, 85 e 105, ditos sobrecasacos a 125
e 255, ditos de merino preto a 65, 75 e '0*, cal-
cas de brim de diversas qualidades a 15800 a 45,
titos brancos a 25500 e 6500, dites cazemira 55,
.'i e 75, ditos pretos a 55, 65, 5 ft.105, ditos
meias cazemiras a 35 e 45, coleles de diversas
cualidades, seroulas francezas de algodo, ditas de
ilnho, ditas de bramante a 25 e 25500, carnizas de
algodo de Itnho francezas de 25500 e 35. Gran-
de pechincha neste genero, grvalas de todas as
cualidades e brancas para casamento, grande sor-
timento de meias pera senhoras, ditas para tiomens
a 35, superiores a 35500 e 45.
Um completo sortimento de chapeos de sol de
alpaca a 35, ditos de seda a o*, 75, 105 e 145,
ditos francezes para eabeca, grande sorlimento
i 65.
/ Vestios
Pechincha sem igual.
Cbegou a loja timento de vestidos de taria'.r.ta de cores e brancas
que serve para partidas por ser urna pbantasia ln-
teiramente de gosto pelo barato prego de 45 *
brancos a 45500, esto acafeando-se : no armazem
d porta larga ra da Imperatriz n. 52, jauto a pa-
daria franceza.
Cortinados.
Cbegou a loja de Paredes Porto um completo
sortimenlode cortinados ricamente bordados a
preco de 255, 335 e 455 : na ra da imperatri:
n. 52, porta larga junto a padaria franceza.
Ricas romeiras.
Paredes Porto recebeu pele allimo paquete um
sortimento de romeira de guipure pretas e de fil
a preco comm&do : na ra da Imperatriz n. 52,
porta larga junto a padaria franceza.
GIlJUKDE ESXAKUBdlEKro
DO
ftaa da Imperatriz. W. 60
H
GAMA & SILVA.
LOJA E AJUUZM DE FAZENDAS.
Tendo os proprtelarios deate grande estabeleci-
mento Xito um grande abaumeuto em muias de
suas fazendas, pela occasiao do bataneo que deram
no ultimo de dezembro de 1865, resolvern) vender
muito mais barato do que coslumam aflm d cada
vez mais agradaren) aos seus numerosos tregua-
zea ; por tanto Ihes offerecein um avalado sorli-
?Di_.(,e ^azeQdas francezas, inglezas, as qnaes
fazenda
4 SALSA PARBUHA M AYER
PABA A CURA RADICAL
de escrfulas e molestias escrofulosas, tumoro, ulceras, charas, ferkitf ve-
Ibas, bronchocele, papo eu papeira, a syphilis, enfermidades Teneras ou mer-
curial.
AS MOLESTIAS DAS MULHERES
retencSo, menstro doloroso, ulceracCes do tero, flores brancas, etc., ulcera-
cao, dtbilidade, expoliacao dos ossos, a nevralgia e convulsoes epitepticas
quando causadas pela escrfula.
. ~ ERYSIPELflS ERPES; ETC.
Enlermldades cutneas, ernpcio, borbulhas, pstulas,
aseadas, etc.
O extracto composto de salsa parrllha, coleccionado pelo Dr. Ayer, urna
combinaco dos melhores depurativos e alterantes conhecidos medicina; confeccio-
nado segundo as regras da sciencia, approvado erecejtado pelos prineiros mdicos dos
Estados-Unidos da America do SuU Central, das Antilhas, do Mxico e das Indias, e
umitas outras partes do mundo: o resultado de estados apurados e minuciosos, e de
experiencias feilas pessoalmente pelo Dr. Ayer, por muitos annos, nos principaes hos-
pitaes e enfermaras da America ; tem sido approvado pelas academias de medicfoa e
juntas de bygenne das principaes capitaes da America do nrte; para prova disto vede
os attestados authenticos no Almanak e Manual de Saude do Dr. Ayer, rs quaes sedis-
trbuem gratuitamente nos lugares onde se vende o remedio.
,, A SALSA PARILHA DE AYER
Especialmente efflcaz na cura das molestias que tem sua origem
na escrfula, na Infecelo venrea, no uso
excesslvo do mereu lo ou qnalnner impureza do sangue.
A molestia ou in/eccao peculiar, conhecida pelo nome de escrfula, um dos ma-
les mais prevakcents e universaes que lia cm toda a extensa lista das enfermidades que
atacam a nossa raca; disse um celebre escriptor da medicina que mis de urna terca
parte' de todos aquelles que morrem antes da velhice sao victimas, ou directa ou indirec-
tamente de escrfula; por isso s nao to destructiva, porm a principal causa de
muitas outras enfermidades que nao ibe sao geralmente attriluidas.
E urna cansa directa da tsica pulmonar, das molestias do figado. do esjpmago
e affeccoes do cerebro; entre seus numerosos symptomas actaarn-se os seguintes: falta
de appetite, o semblante plido e enchado; as vezes de urna alvura transparente e outras
vezes corado e amarellento irregular, fraqueza e moeza nos msculos ao redor da boc-
ea; digestao fraca e appettite, falta de energa; ventre encbado e vacuaco irregular;
quando o mal tem seo assento sobre os pulmes urna cor azulada mostra-se em roda dos
olbos ; quando ataca os orgSos digestivos, os olhos lornam-se avermelbados; o bali-
to ftido, a liogoa carregada; dores decabeca, tonteiras, etc. Naspcssoas dedisposi-
c5o escrofulosa apparecem frequentemente erupces na pelle da cabeg e outras parte
do corpo ; sao predispostas s affeccoes dos pulmes, do figadt, d( s rins, dos orgM
digestivos e uterinos. Portanto, n5o sao smente aquelles que padecem das formas ul-
fSSfnniSfS'^! eSCrfU,a; qUC n6Cef ^T d P.r0tfC5 ^^ S S?US StragS
toaos aquelles em cujo sangue existe o virus latente deste jiTivel-flagello (e s vezea com quatro pomas, senda multo grandes pelo ba-
Teditano), estSo expostos tambem a soffrer das enormidades que elle causa, que sao: ratissimo preco de 8$.
A tsica, ulcerarles de figado, do esjcjigo e dos rins; erupooes e enfermidades gj $}' ,8*>W>25*-
vas da cutis, rosa oh erysint'r,,, oorbulhas, pistolas, nascidas, tumores, rbeuma,' Manteletes de renda, tzenda muito superior a
unciii&, w ae!rnin rheumatismo, dores nos ossos, r*
Crtes de cambraia com palmas na leja do
Pav5o.
VeBdem-se corles de cambraia branca com pal-
mas, sendo fazenda multo boa, pelo baraiisslmo
PHkjB de M500 para acabar na toja e armazen
do Pavao na ra da Imperatriz o. 60, de Gama Si
SU v.
Lencos brancos a *J duala.
ATLANTA
Cirande novldade a SO# r.
Atlanta a 200 rs.
Allana a 200 rs.
AUanU a 200 rs.
Cbegou para a loja do Pavo o mais linda sor-
tmenlo desta nova fazenda, com o titulo d< allanta
---------- ; proprla para vestido e roopas para menino, een-
vendem se lencos brancos fazenda muito boa de esta modernissima fazenda de lia cora os mais
pelo baratissimo i.reco de ->t a duzla, Ditos com j lindos gostos de quadrinhos e listras lendo enue
barra de c6r a 2^1000 isto para acabar na loja do ellas de cor roxa e prela, com listras e auadros
Pavao na ra da Imperatrij n. 60 de Gama 4 Sil- u
va.
Poupelinas modernissimas a 400 e 500 rs.
o covado na loja do Pavio.
Yendem-se poupelinas muilo finas sendo fazenda
muito moderna de quadrinhos e liza vendendo-se
brancos proprias para lulo, e vendem-se pelo ba-
ratissimo preco de 200 rs. o covado nicamente na
loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
As chitas do Pavo a 200 acorad*.
Vende se o mais bonito sortimento de chitas es-
nfrtP rnm ^ ^ T T 1u tuer Pe's baratos preces de 400 e 500 rs. o covado na coras e reas sendo iDgleza
L,^ promelte,ndo;se a mandar leT!r ^ua, .. ---------- ,^ma ,. VI das francezas que se vea-
v.r a ii. "LTS, re*arle* 1m' n, ^^ $,Sllva-J dem a 400 ris, e Jiquldose pelo barto preco o>
of^ior'^J^ltl^^T^^^^L MlPe8 prttOS do Pavo. 200 ris o covado ou a 7*Wapeca, garaniiudo-
Seflam em 2, .11^1 Jl^Zl' i,?' u VendeD"-se nperiore!Tgrosdenaples prelos pelos se terem 38 eovados .cada peca e sVrem de cores
E&K2^J^S23SS: br">08 precos de 1SOO, ltOO, 1*800 e U ""> n loja e armazem^do Pavo na roa da
unmTS?,iC0D,rarao um "S orttaepto 0 covado, sendo fazenda muil boa, s para acT
1L. lS?,h0 como por alacad0' ve"oen(1-3e-H)e br : na loja e armazem do Pavo, rua da Impe-
apenas pelos precos que compram as casas ingle- tMa 6o, e Gama & Silva.
Bramante de Ilnho do Pavio.
Vndese superior bramante de linho com 10
palmos de largura, preprios para ieases, pelo
zas, tendo com o dinbeiro a' vista.
As toallias de li ho do Favo.
Vendem-S3 superiores toalhas de linhos para
rosto pelo baratissimo preco de 7*500 a duzia. ou
a 640 cada urna.
Gdanapos de linho adamascado para meza a
2*800 a duzia ou a 240 +s! cada um.
Superior aioalhado de linho coro oito palmos de
largura sendo branco e pardo, e vndese mais ba-
rato do que em ootro parle, na loja do Pavo na rua
da Imperalriz n. 60 de Gama & Silva.
Os corpinhos ae seda pretos do PavSOj/
Vendem-se os mais ricos corpinhos de seto'pre-
los._nie exiwiadovpeki-bjiu.Vb ^req de 13*
Imperalriz n.60de Gama & Sirva.
Sedas Largas
Na loja do Pavao,
Chegou para a loja do Pavo um moderni/simo
sortimento das mais lindas sed., oara ve^iidros,
- sendo nmas ** 'i'istr'i'Das e oairas" de WomiiH*
mazem do Pavao, rij da Imperalriz n. 60,
ma & Silva.
ovidade
pelo barato preco de 2*000 o covado, lendo la
e "* fazenda qualro palmos de largura, qhe facilila U-
, zer-se um vestido com poucot eovados, isto na
^ Umbralas lisas do Pavao. i loja e armazem do Pavo na rua da Imperalriz a
-vendem se pecas oe cambraia lisa muito snpe- 60 de Gama & Silva.
rior, pelo barato prego de 3*200 e 3*500 a peca,
ditas muilo fluas a 5*, 6*, 7* e 8* : na loja e !
Gam"&'sdlvPilV0' fUa d* ImperalrZn'60, ^ Par11 ******
cada um : na loia do Pavo ct rua da Imperatriz I V*' PprHINrHA iJ!iga-am nftZH**? c?mbra,as tiriawna-
n. 60, de Gama & Silva / ""f6"14 FEUiJNLHA I brancas com Ihtrtnbas fsendo transparente? e veu-
Os cortes de cambraia Aranco hordados na / "' pava calfa8' s P*ta'- den!'s-e pel baralis!imn P.reco de ***** w,
v tui ico ue am.rdia^rjrafico ooroaaos na | veodem se superiores cortes de meia casemira ? '"ja e armazem do Pavo na rua da Imp?ratrit
lOja orpavao. com msela de seda a 2*, ditas Garibaldlnas a
vendem-se os mais /icos cortes de cambraia ri- 2*800, dilas escoras a 2*8U0, ou a 1*600 o cova
ctmenie bordados cofi barras e tobados a 20* ea- do : na luja e armazem do Pavo, rua da Impera-
ba um j n*. loja e fcrmazera do Pavo na rua da, triz n. 60, de Gama & Silva.
perairiz n. bOjfa GamaiS; Silva. PENTEADORES
*^Vestnlos a 8^000 rs. 0n roupoes de cambraia bordados proprios
s o P*6n r!! adm'r"el- ; para as senboras veslirem de manba.
**ao recebeu pelo ultimo vapor franeez
sortimento dos mais ricos cortes de
ti as rv -aS -Sx-s ^K ss tVaft
J! l"D-'Psre,n,es com lindas barras e enfeile jos muito razoaveis : na leja do Pav, rua da
nail?, ntleeSteS TT& mlt0 ProPr'!. Para imperalriz n. 60, de Gama & Silva. '
oaile e passeos, e vendem-se pelo baratissimo f. d^mm. oju r A,^.d.
preco de 8*000 rs. cada um, na loja do Pavo na v 'r*8 '"C"8 M" i- cavada,
rua da Imperalriz n. 60 de Gama & Silva. Vendem-se bonitas cassas francezas de eores fi
Os ekales pretts de renda do Pava a 80000 ra. t%SSSSl& de 24 CVad'
Vendem-se os mais ricos chales prelts de renda
- Jo
Cortes de laa escocesa para veslido al* o cor-
te: na roa oa Imperatriz n. 52. loja da pona lar-
ga, junto a padaria franceza, esto se acabando.
Para luto.
Laas pretas com salplces brancos a 406 e 500
rs. o covado : na rua da Imperatriz n. 52 junto a
padaria francza armazem da porta larga.
1$400
Chapeos de sol.
Vendem se chapeos de sol de panno a 1*400 e
urna grande pej;hincha s para acabar : na rua da
Imperatriz n. .">-' armazem da porta larga de Pare-
des Porto.
A 1$500,
Vendem-se pegas de traoca preta para enfeites
de vestidos, soulembarques, cipas de senbora a
1*600 com 10 varas, urna grande pechincha : na
rua da Imperatriz n. 32 junto a padaria franeeza.
S na loja do Pavao, rua da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Grosdenaple preto a 1$600.
E' grande pechincha!!
Vende se grosdenaple preto, sendo muito encor-
pado e de boa largura, pelo baratissimo prego de
13*000.
Capas e sanlhatrbarqoes de grosdenaples bor- -.
dados, fazenda inieiramente *>va, por precos mais 1*600 covado : nf .rna aa Imperalriz n. 60.
baratos que em outra qualquer parle. Os cachinez do Pavao.
Isto na loja armazem do Pavo na rua da Im-1 Vendem-se benilos cachinez de 15a oaagazalhos
peralriz n. 60 de Gama & Silva. para eabeca pelo baratissimo prego de 3*000, s
Osthales do pavo a 2ooo e 2Soo rs.!Da l0Ja d0 pavSo'Darua da '^peratnz n. 60.
Vendem-se chales de merino eslampados a 2* P II
e 2*500 cada um.
Vitos de merino liso a 3*500.
Ditos eslampaios de crepon a 6*, 7*, e 8*000.
Ditos prelos bordados com franja de seda-a 14*.
Na loja e armazem do Pavo na rua da Impera-
lili
Vende-se
PECHINCHA aDMIRAVEL.
Grosdenaple preo a lliOO
superior grosdenaple preto,
fazenda
trie n. 60 de Gama & Silva. i muito encorpada, pelo baratissimo prego de 1*600
Para luto vende O Pavo. ovado, sendo fazenda que val mnito mais di-
Sem da China" eom 6 palmos de largura, fazen- heiro : .na loja e armazem do Pavo na rua da
carDunciol, Z'SSZVL % 1h"/gas, rheumatismo, dores nos ossos, as costas e na cbeos,
debilidades femininas, flores brancas causadas pela ulceracao interior, e enfermidades
uterinas, hydropesia, indigestao, enfraquecimento e debilidade geral.
Offerecemos a estas pessoas um abrigo seguro e um antidoto efficaz contra esta
molestia e suas consequenoias na
SALSA PARRILHA DE AYER
que opera directamente sobre o sangue, purificando-o e expulsando rielle a corrupcSo e o
veneno da molestia; penetra todas as partes e todos osorg5ts do corpo bomano, Hvran-
do-os da sua aceao viciada e inspirando-lhes novo vigor. cun alterante poderosissimo
para arenovagao do sangue, e d ao corpo jenfraquecido pela doenca, forjas e ener-
gas renovadas como as da joventude.
E tambem o melhor aRty-sj^philititx) conhecido
cura permanentemente as peiores formas de sypbilis e as suas consequencias. Pouca a0preupmTtor^pVaa,pa7aesito & "silva",
necessidade ba de informar o publico do raestimavel valor de um remedio que, como *ara homens, seod'o esta nova fazenda sem tusiroe mantas para o pescoco
este, livra o sangue desta 1 orrupcao e arrebata a victima das garras de urna morte lenta de mu't boa qualidade, garantindo-se nao Qcar Vtn.OF co ,a.f'!i,t,11s"
e ienominiosa norm inevitavflI p n mal nan p lnan rnmhtf dn rcm pnproia T0Sfa com ,en,P vende-se pelo baralo preco de!. Vendem-se botillas mantas para o pescogo, pelo
c iguvimniusd, j,juitu) trjeviia\ei, se o mal nao e logo comoatio com euergia. g, e iiSfj^ 0 as ^ estableci- baral Preco de '* : na ,0Ja do Pavo na rua da
L um poderosissimo alterante para a renovaco do sangue e para dar nova for- mento lem um grande sonimento de todas as fa- taperatriz n. 60, de Gama & Silva.
ca ao corpo j enfraquecido pela doenca. zendas pretas como sejam cassas e chilas prelas,' Jlilliapolocs a 3,500 f'S. a Dessa.
Sendo composto de productos vegetaes, es1* medicamento innocente eaomes- 'aas lapadas e iransparenies, princezas, alpa-as, 5 ua ioja do paT5o
mo tempo eScaz, um fado de immensa importancia para aquelles que o tomam ; por- 'ar as^:r:7Da '$*,? 'rrmaie7 d.aPa*ae ua ma Vende-se pe$as de madapoio Ono com 12 jar-
que muitos dos remedios alterantes offerecidos ao publico tem por base o mercurio ou o
arsnico; e sendo assim, bem que s vezes podem effectuar curas, comtudodeixam suas
victimas carregadas ie urna tenga serie de males, muitas vezes peior do que o mal ori-
ginal. A nica eoosa necessaria para obter urna cera radical seguir com jaizo e cous-
atncia as direccoes que acompanbam cada frasco.
Nao pretendemos promulgar, nern queremos que se inflra que esta composicle a Gafi? Silva rua pe "' *
um remedio infallivel pata a cura de todos os padecimeotos humanos:-; inelizmente Cmferaias de forro a 1JI600 e S$ na loja
escrfula e a syphilis sao enfermidades tao sulis.nas suas nalureaas, e arreigamse to do Pavao.
flrmemente no systema, que muitas vezes evade eresktem aos remedios mais pode- Vendem-se pecas de cambraia de forro com no-
rosos que a sciencia humana pode inventar para ombat las: o que dizemes que o ve varas cada pega, pelos baraiissimos precos de
Extracto composto de salsa pamlhft de Ayer ^^"WSi*!^1
n. 60 de Gama & Silva.
: No armazem de tazndag
baratas de Santos Coeliio
Rua de Queiaiad* u. 10.
Vende-se o seguinte :
O bertas de chita da India 2*400.
LencOes de panno de Ilnho a 2*200.
Ditos de bramante de lipho de um s panno a
3*200.
Lencos de cassa brancos proprios para aleibeira
a 25OOO a duzia.
Algodo entestado com 7 Ii2 palmos de largura
a 1*200 a vara.
Atboalhado de linho a 2*800 a vara.
Dito de algodo a 2* a vara.
Goardanapos de linho a 3*800 a dozia.
Pecas de cambraia de salpicos a 4*00.
Lazinha abena de cores a 320 o covado.
Cambraia branca de forro a 3* a peca.'
Fil de linho liso flnoa 800 rs. a vara.
Dito de dito com salpicos a 1* a vara.
Panno de linho Sno com 9 1|2 palmes de larga-
ra pelo barato preco de 2*400 a vara.
Madapoles Unos a 8*, 9*, 10*, 11* e 12*.
Cambraia lisa de 4*o00, 3*, 6*, 7* e 8* a peca.
Pecas de brelanha de algodo com 10 varas,
propru para saia, peJo baratissimo preco de
3*500.
Lazinha lisa e cores a 500 rs. o covado.
Cambraias nnas de cores miudinbas a 360 rs. o
covado.
Esleir da India propria para forro de sala a
4,5 e 6 palmos de largura, por menos pre$o o
que em outra qualquer parte.
Neste armazem tambem se encentra nm graada
sortimento de roupa feita e por medida.
Silva.
Os -baioes do Pavo.
Vendem-se superiores balees de muoulina com
moila roda a 5*., ditos crinoKnes com So arcos a
3*300, ditos com 20 e 25 a a*, ditos para meni-
nas, sendo braneos e encarcados a 3* o 2*500 :
a melhor preparaco at boje descoberta paraostas e outras molestias anlogas, qee
urna combinac/' dos alterantes mais efficazes conhecidos, o que esta combinacto tem ido
Os cortinados do Pavo.
das, pelo baralo prego de 3*500 e 4*000.
Chales de renda.
Na loja do Pavo.
Receberam-se os mais lidos chales pretos de
renda, assim como as mais moderuas c compridas
retondes, e manteletes da mesma lazenda, e vende-
se mais barato que em ouira qualquer parle: na
loja e ajmazen) do Pavo ua rua da Imperatriz n.
66 de Gama & Silva.
Castor a 3( 0 rs. a covado.
Para caigas.
Vendem-se superiores castores muilo encorpados
padroes escuros pelo baralo preco de 320 rs. o co-
; vado, servindo esla fazenda tambem para escravos
-, .*., *w .iuuv *-^-.a ii. nuil imui/cui uaia nua"')
Vendem-se superiores cortinados adamascados por ser de muila duracao ; na loja e armazem do
ra-camas neta lisrainimn nrenn de A& (ana nw n....__. j. t_____._:___*n i. r\___ e -. ._
guiada pelongas ^ laboriosas experiencias, e finalmenteVe temos
terecer ao puDUco o melnorrosultado que possivel produzir, da iotelligeDcia e pericia ou jaoeiias a s*, 20 e 25* o par: a loja e ar
medica dos DOSSOS tempos. maaem do_ Pavao na rua da Imperalriz n. 60, de
Este remedio eve ser tomado com systema e regularidade, -e no com abandono,
pois um remedio enao bebida.
Gama & Silva.
Panno preto a 2(5 na loja do Pavo.
Vende-se panno preto. faeenda muito boa, pelo
.barato preco de 2* o covado, dito muilo tino,a
mais proprio e as pilulas cathertieas de Ayer, que sao efficazes na cora da molestia, que 3*500, 4*. 5*< 6*, assim como casimira preta de
Quando as molestias do figado nao tem sua origem na escrfula, o remedio
ro por causa um desarranjo dos org5os digestivos,
nao aceitai outra preparac5o.
Pedi a salsa parrilha ^e Ayer e
Peraambuco. rua Nova n. 18, pharmacia franGeeade P. Maarer & C.
Chales de renda pretos.
Vende se cuales de renda preto a 4*000, un ice
loja que pode vender na rua da Imperalriz a. 52,
armazem da porta -larga, de Paredes Porto.
w o o < o';e"p5'>?B!5g'
9. ?s ocr? sr"^. o"
g-s K. a, a. S="-^
o. B a d-
a> 03


g-OQ .
S,5,2{ ^ 2
*t "t r* ^ ?i
" -3 v
* S?
piii h
VENDE-SE
.
\o armazem de M. a. Ramos e Silva & Genrro. rna do vigarlo
n. 11, eoastantemente, osiaegaintea rticos, qae
- reeebea por enconnenda propria de

IEII-YOBK.
.

Legitima salsa parrilha de Bristol, preparada por Lanmati & Kemp.
Verdadeiraagua florida, preparada pelos mesmos.
Gaz em latas de cinco gale6, o mais purificado que se pode desojar da acredi-
tada marca F. W. D. & C.
Relogios perfeHos reguladores, com corda de quatro aoito dias, dos afamados fa-
bricantes E. N. Wkh.
Graixa em latas grandes da bem conhecida marca las. S. Mason~ (de Philadel-
phia).
Superior oleo para machinas de costura.
Agulha6 para as mesmas.
Breu em barricas grandes e pequeas.
Vende-se tambem:


9
O
a; 3
o a, a>
5? < 2
3 OHDKAlV
4.a qulidade.
f
St. Estephe.
St. Julio.
C. Margaux.
C. Lafitte.
Medoc.
PORTO
Ia qaalidade,
Principe Real.
Pedro V. /
Maria Pia/
Princeza p. Isabel.
Vctor Enomanuel.
Duque. .
Malvaziaj
" Breo em barrica peqoenaa.
Cera em velas da todos o tamaafces.
tofias-
arcuno.
Na rua do vigano o. 19, primelro andar.
ZTvwida'Se um ecravo nara-^ngenho, criTo
de boa figura e mestre carreiro : a tratar na roa
do Qaeunado o. 4i.
Vinho fino do Porto em barris de 5/, 10/ e 20/.
Superior vinho do Meno.
Cera de Lisboa em velas e era grue.
. __ __^______, _^_________i ___'_ .. ^)
Pechincha admiravel
Laazinbas de quadrinhos que parece seda a 240
ra. o eovado, & orna grande pechincha, est se aca-
bando ; na loja n. 52, armazem da noria larga de
Paredes Porto.
Pecbiiicba
Qoeijos desertao
J*H*t6 soperior qneija toaaeto : na
jUdre di Dos, armazem junto a igreja.
Vende-se a taberna da rua da Guia n. 36 pro-
prlo para principiante, e o motivo se dir ao com-
prador.
......
FABRICA
De ealderetro e fondico de ferro, si-
mas broaze; caaos escravos,
Vndese a grande fabrica de caiderelro e fun-
digo de nitaes da rna Imperial ns. 184 a 198 ;
e Mtenooo a tiaa 4 SabasOia los- a O0rt,
na.wu^. 3^.eo na qiAda.oidi6H.a47.
Vandwn-s* kU para destilo 4eaaea*
avanc
Franoez barrica
Porand ideny.
Km perfeito estado: /
Prancerbarr'lca
Portland idftm
Htt da e depon lo i% mel, e pipas vasi&a i oa fabjuta
travesa do Carioca n. 2, caes do Ramos.
da
fazendas p
ITo armazem da po
grosdenaple preto a
1*108, moreantKjua
o-,mais ricos chales
com milita roda, faze
cado r do armazem "
da Imperalriz.
" Vende se u
para obras de e;
mo# : atrattr
' SarUr
Fumo o melfior poi
segunda toj o. 87
10*000
U*0O0
No armazem de Tassjo Irmaos eea dolApollo.
a a cuaresma.
larga, roa da Imperalriz,
"V 1*600, 1*800, J*t
de diversas qualidades,
renda prelos, e retondass
a da ultima moda no mer
porta larga n. 2, na rua
ofcjSo~"de ferro rato","" serva
' pot pre^o muito com-
IfnpMht n\ 1, l4 andar.
na roa do Queimado,

cordao a 2* o covado : na loja do Pavao ua rua da
Imperatriz n. 60, de Gima & Silva.
Os epartilhos do PavSo.
Vendem-se urna grande e variado sortimento de
espanilhos dos mais bem feitos que lem Ivindo ao
mercado, sendo de lodos os Lmannos, vendendo-se
por um prego muilo razoavel : isto na loja do Pa-
vao na rua da Imperalriz n. 00, de Gama & Silva.
As salas bordadas do pavo.
Vendem-se saias bordadas sendo fazenoa muito
boa, sendo ricamenie bordadas e com muila roda
vendendo-^e pelos baratos pregue de 6* 8a e-10*
reis cada urna na toja do Pavao na rua da impera-
triz n.-GO de Gama Silva. -
Bretanha de rolo a 3,s000p
Vendem se pegas de brelanba de rolo com 10
varas cada peca, pelo baratissimo preco de 3* :
na oja e armazem do Pavo, rua da Imperalriz n.
0, de Gama & Silva.
Roupa feita.
Na loja do Pav2o
Vende-se neste esta^elecitaento um grande^sor-
timenio de roupa.-, tanto de panno como caxemiras,
e brins e pelos baraiissimos precos como sejam
calcas de caxemira prela a 6* 7* e 8*000 res, pa-
lelols de panno preto saceos a 6* 8* e 13*000 rs.
ditos sobrecasacos de panno rlnissimo a 12* 18* e
23*000 reis, e oulros muitos arligos que serla en-
ndonhos aqu relala-los; s na loja e armazem do
Pavo rua- da Imperatriz n. 60 de Gama a Silva.
Loja do. Pavo
Grao des pechinehas.
Sediahas a OO rs. o cavado
Sediulias a 500 rs.
Sedinbas a oOO rs.
Vende-se na loja do Pavo, um grande sortimen-
to de sedinbas Nitradas com as mais bonitas cores,
endo os padrSs mais novo9 que tem viudo ae mer-
cado, e vende-se pelo paraiisslmo preco de cinco
mides o covado, sendo fasenda que vaiem muilo
mais dinheiro, e grande pechincha por se. ter
comprado urna grande ponida desta fasenda, na
loja e armawm de fasenda do PavSe, rua da Im-
peratriz n. 60 de
Para a quaresiua.
Vende o Pavao.
Superior grosdenaple preto a 1*600.1*800 e 2*,
e outro muilo largo a 2*800, 3* e 39200, e o supe-
rior moire-anlique a 2*800 e 3*, seda preta lavra-
da a 2* e 1*809, esetim preto a 3*500; na loja
do PavSo roa da Imperatriz n. 60.
Corles de vestidos.
Pretos a 30*000.
Vendem-se cortes de vestidos pretos bordado a
veludo pelo barato prego de 30*, para acabar; na
loja do Pavo n. 60 de Gama & Silva.
Lasmhasmatisadas a 320 rs.
Vendom-.se as mais linda lasinbas matisadas
com os mais bonitos desenbos, pelo barato preco de
320 rs. o covado ; na loja do Pavo a rua da Im-
pondra n. 60 de Gara & Silva.
Os chafcs de guipure a 12$ e
1^000,
' Veste** os ttmt rico* chales de Gal tare o de
resd* de liana e seda, pelos barattettttos pregas da
12* e 16*; grande pechincha em reiacac a boa
qualrdade e lamanno dalles : s na Iota1 do PavSe,
roa d Imperatrhn, 60, doGama iSilva.
Chapeos para meninas a 6,000.
S na loja do Pavo.
Se vendem os mais bonitos e mais bem enfeila-
dos cbaposlohos de i al ha da Italia, proprios para
meninas, pelo baratissimo prego de 6*000; na loja
e armazem do Pavo na rua da Imperatriz n. 60
de Gama di Silva.
Attencao.
ULTIMA OVIDADE
Para sabbado de Alleluia
PENTES, ENFEITES, CINTOS.
Gama k-Slva, scabam de receDer pelo ultimo
vapor trancez, um grande s riimeoto dos mais ri-
cos enfeites prelos e de cores proprios para eabeca,
sendo guarnecidos com as mais lindas flores, e com
vollas das maiabonitas p modernos e engragados penles da verdadeira lar-
taruga, marcbeados M.-nd > a ultima ovidade
que lem vindo de Pars, e os mais ricos cintos com
filas malhjsadas e fiVtlas largas, conforme ltima-
mente se usa as primeiras capitaes da Europa, e
vende-se por prego em conta por ter chegado em
direilura para a loja do Pavo, rua da Imperalriz
n. 60 de Gama & Silva.
Grande pechincha
Em chi as.
A meia pataca.
A meia pataea.
A meia pataca.
' Vende-se na loja do pavo um grande sortimento
de chilas ingleza, sendo rosas e cor de rosa, com
padroes maiu miodos e mais grados, amanendo-
se ser de cores lisas, e vende-se pelo baratissimo J
preco de 6* a pega, tendo 38 eovados, e retalba-se
a 160 rs., sendo fazenda que sempre se venden a
9* a pega ou se rlalhou a 280 rs.; esta grande
pechincha liquida-se por este prego na loja e arma-
zem do pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
R4IQ PECtflMM.
Para a quaresma
Os chales do Pavo a fi 7$ e 8$.
Vndem-se ricos chales prelos de renda muito
grandes con quatro ponas, sendo os mais moder-
nos por terem chegado pelo ultimo vapor franeez,
e vendem-se pelo baraliss.mo prego de 6*, 7* e
8* : na loja do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de
Gama & Sirva.
As rotondas do Pavae a 8 e 1Qs\
Ven jem-se as mais ricas rolandas de renda pre-
la, sendo muila granees, que sao as que mais se_
usam, pelo baratissimo prego de 8*e 10* : na'
loja e armazem do Pavo, rna da Imqeratriz n. 60,
de Gama & silva.
Chitas pretas a 160 rs:
Vendem-se chitas pretas inglezas, sendo fazenda
muito boa; pelo baratl- simo prego de 160 rs. oco-
vado, ou 5*500 a pega- com 38 eovados : s na
loja da Ravo, rua da Imperalriz o. 60, de Gama &
Silva.
Lazinhas a 200 r$ ,s o
Pavao.
Vendem-se modernas laazinbas com lindlssimos
Rostbsi pet-barailssimo prego de 200 rs.: gran*
de pflchincb* : s oa loja do Pavao, rua da>Imp-
rttrn.fi0, de Garza & Silva.
TSeiro
Voadeoo-cai)osdafoiba de Fkndxes
b 500 rs. cada xm na rua da Cruzo. 6, ar-
mwmm.
Tasso Irmaos
Vendem no sen armazem roa i%
Amin'iii) n. 33.
Licor fino CuragAo em botijas e meias botijas.
Licores finos sbrtidos em carrafa* com rolbas da
vidro e em lindos frascos.
VinbosCheres.
Santernes.
Gbambertin.
Herrnitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordea..
Cognac.
Oid Ton.
PAezei lagniol.
Collares de crysal
A loja da Aurora na rua larga do Rosario
n. 38, pertencente a Manoel Jos Lopes
& Irmio,
receberam riqoissimos collares de crystal, iat
de jaspe, brincos, pulceiras de jaspe, cruzes e
brincos iguaes, cruzes de crystal, fivelas de dito,
flvelas muito modernas a princeza, douradase pra
teadas para' senhoras e meninas, llias de moitc
boa qualidade para cintos, tanto largas como es-
trellas, bons leques de madeira a imitago de sn-
dalo muito baratos, ditos de inarfim, ditos de ma-
dreperla, ditos de osso tanto grandes para senho-
ras como pequeos para rreninas, riqnfssimos en-
feites modernos paracabega tnfeitados com fitas e
aljofares prateados, ditos de mais gosto enfeilades
de flores todo islo s na loja da Aurora na rua
larga do Rosario n. 38, qoalqner senhora qo
qneira comprar f?zendas e que qoeira amostras
pode mandar buscar pois dase a qualquer pessoa
que traga_penhor.
Vendem-se garrafas e botijas v*asias e lava
das: na rua da Soledade n. 38.
nimill MU IIIHH
Escravos fgidos
150j^degratificaco.
Fugio no dia 21 de margo do anno prximo
passado, da casa de seu senhor, o escravo cabra
escuro, de nome Benedicto, com idade de 23 a 26
annos, levou vestido caiga de algodo de listra,
camisa de algodo da trra, chapeo de couro de
abas largas; linha cortado cabello a escovioha,
altura regular, ebeio do corpo,olbos pretos e mnito
vivos, nariz e boca regulares, muito pouca barba
no queixo e um pequeo busso, todos os denles,
ps regulares, etc., etc. Foi comprado naqutHe
mesmo dia 9 on 10, ao Sr. Jos Antonio Porpes,
como procurador do Sr. Andr Ahfes de Paiva,
morador na idade Santa, par-onde fagio o
referido escravo, segomto aviso que temos do refe-
rido Sr. Paira, e alti anda refogiando-se algunas
vezes para a serra denominada Jo: Luiz. Roga-
mos portanto a (odas as antoridades policiaes e aos
senhores capitaes de campo, a captura do dito
escravo, e remllelo a casa de nossa residencia
a rua do Imperador n. 83 segundo andar, e por
cojo trabalho gratificaremos com a quantia sn-
pra.
Reclfe, 28 de fevereiro de 1866.
Abre* & Vero.
No dia 7 do correte fugio o preto Hanoei,
baixo, grosso do corpo, tem as pernas um pouco ar-
queadas, 6 mnito conhecida por Manoel cangalha,
quemo levar roa de Apollo o. 30 armazem da as-
sucar de A. li. Rodrigues, ser bem gratificado.
Auseniou-se da casa de Feliciano Jos (te-
rnes o seu escravo crloalo de nome Felippe, esta-
tura regular e picado no resto de signaos d< Di-
sipas, tendo sabido do logar da Bo-Vtogra s*v-
bado a tarde 10 do correte mez e foi visto em 10
do eogenho Camassan, d'one 8* ausenioa no
mesmo dia : quem o pegar e levar a sea dono na
rua do Apollo n. 36, ser generosamente recom-
pensado. ___________-t
Fugio no dia 22 do corrate o preto Antonio,
baixo, chelo do corpo, representa 40 annos. coa
os signaes seguintes: nm lubinnO no queixo lado
direito e ama ferida no caleaninr Ao pe lado es-
qoerdo, palatot siniento de casemira, caigas bran-
cas, oosluma andar pela Boa. Vista na Santo Anto-
nio : auem o pegar e levar a roa do Rangel o. 9,
padaria, sera' recompensado. ______'
Fugie do eogpnuo Par* oo dU 21 do cor-
rente mez, o raulalinho Umbelloo, de estatura re-
gular, cabellos corridos, olhos grandes, nariz afila,
do, com.u dente quebrado na fre\ or dhn
oom-alguma man* de'bixo nos caieanaares. re-
presanU ter i a 16 annos de idade, q qual ja
Santa Rita n
-K.
y
y


\




JU.
-
i-rt giiiaM iiiAnWma nr1^1 m^wWJtWkf^Mt fruir
LTITERaTRA.
IM P9DC0 DI TEDO.
No Apoifeto, l-se o seguate:
0 MELHORAMENTO DO PA1Z.
I
No coracio do hornera ba um seotirnenlo con-
genito a' sua existencia, que nada pode disiroir e
anniquilar, o amor da patria.
oitavas do oatil, e assim'como na oiUtu da pas-
coa, na reaniio de suas familias, refocilando o es-
pirito das fadlgai anouaes, e entregando- alga-
mas aos actos qae a religiio, creadora de todo es-
se bem, commemora em lembranca oi cayaterios
do cbristianismo, existe mais; todo sacrificoa-se
em o aliar 4a cablea, ioimiga de toda a fellcidade,
e tanto mais inimiga quinto mais a basca e pro-
mette.
IV
O mesmo acontece Mm a' lavonra.
No lempo em qae Btmingo e o da de precei-
Nem qoando a ingratida deHoma armoa con-
tra s o braco de Corolano lhe ext.ngoio no peito ,0 '^gloso era mais refte.tado, o agncaltor colhia
esse amor que tora allis a caosa de sna vinganca a abastanga do rncto do sea trabalho ; boje qae
e de sua morte, e elgamas vexes nem a proprla se aproveita o lempo como ooro, falta o oaro e
ingratidio, qae punge no intimo d'alma, tem forca '' tempo i e de toda a parte se lastima o Des-
bastante para arrancar do coracio esse doce sent- s"o estado de nossa lavoara, sobre qae pesara
ment dos caracteres nobres, como o mostron esse
otnro lltastre Romano salvando a patria, de qae
fra banido. i
Oeus e a patria, eis os dous mais sublimes me-
ses para o homem de bem.
todos os males.
Nao mais felix a industria, nem mais felices
as artes.
Todo pedem pao, e os escassos lucres do ope-
rario e do artista mal chegam para o sustento da
familia, aue mais ou menos quer acompanhar o
todos os lempos, at quando bumanidade moriamto progressivo ao laxo e dos rosos so-
clafaftkva as ignominias da idolatra, vio te bri- cjaes
luar o>aarpTrriirOTIuwwUelha divina Pergnnlai cada Qma das c|ass3S dg socieAii
que resista a toda presso ooeerros nts weas. _se ,ne basta 0 qainh50i que |ha cabe por sorte
e 08 cestumes. nesla coBunnnhap de interesses, e ouvireis tio las-
Paalo Emilio vencedor de Perso applaamo os timosas qneixas que vos nao de persuadir um sol-
triumpbos de Roma por entre as mais sensives frimento geral.
perdas de sua familia. Por sobre todas essas ruinas do edificio social
Phocion, condemnado por seos proprios compa- v emo urna ave agoreira de nossos males o ge-
trotas, prestes a beber a fatal cicuta, recommen- Di0 lgubre e medonno de urna desconflanca sem
dava a' sea fllho de servir a' patria cora tanto zelo limiles. 1 mata lodos os bons sentimeolos, oo
quanto elle, e sobre lude de esquecer que se paga Pel menos entorpece a vida da naci,
vam os grandes servidos de seu pal com urna mor-
(Franca) Mre o Sr. Eimeric Crtnffon, fimo pri-
mognito do director do Correten, e o Sr. Dous-
saud, adrogado em Brives, por causa de um arti-
go publicado por este ultimo ao Conciltatmr.
O Sr. Doassaod foi ferido na cara : a arma do
sen adversario tocon-llie levemente no labio infe-
rior.
As testemanbas fizeram parar combate.
Hi actualmente em Moodraeon (Hespanha) doos
centenarios : um, chamado Joao Calliot, tem 100
annos e olto meses; o outro Aim Boucbard, tem
101 annos.
Calliot gosa sade perfeita, mas infelizmente
Boucbard parece que esti prestes a suecumbir ao
peso dos seus longos annos.
Boucbard tem um Gibo de 80 annos.
te injusta.
De todas as alliancas nenhuma ba mais cara, di-
zia Cicero, do que a qae temos com a repblica.
Caros sao os pais, caros os Albos, os prenles, os
fmulos, porm todo isto se comprehende no nome
complexo de patria. Cari sunt patentes, cari i-
beri, propinqui, famltares sed-omnes omntum ca-
ntales patria una complexa est. (Cic.) offle.
II
Se o amor da patria merecer tanta veneracio e
culto as aras do paganismo, em que se prostitua
o incens as paixdes mais ignobeis, e a digoidade
Entretanto a superficie da sociedade parece ri
sonha e bella ; tudo progride com melboramento
apparente : o povo ri nos theatros, folga as pra-
vas, e dansa nos bailes.
Esse encanto de ama vida Inebriante de gosos
e prazeres urna ou outra vez interrompida pelo
echo esirondoso das fortunas coilossaes, qae desa-
bam sobre as caberas dos pobres, que em suas
economas e soores Ibes formaram as bases; mas
estes gemidos ficam suffocados pelos sons roavio-
sos dos festins al nova catastropbe.
V
Todava todos seotem que isie vai mal, e que
mais tarde ou mais cedo ba de soar a hora fatal
foumaua descia a adoracao dos vicios, que esse de urna punlcSo solemne na Justica dej^eus, e en-
-
i


i
sentmento nalural, que Dos gravara to profun-
damente no coracio do hornera, era mais forte que
tudo; e boje qae o cbristianismo tem regenerado o
Somera, elevando sua nalnreza vilipendiada e aba-
tida a' altura, que Ibe dera o Creador, cima de
quanto creara em roda do primeiro amor do ho-
rnera, esse senlimenio se deve erguer mais nobre
atada, mais valente e sublime-
s. Ambrosio exclama.
E' mais grato repellir as desgracas da patria do
que os proprios perigos grattus excidia patria
repalisse quam propria pericula.
O mesmo filbo de Deas, qae ensinou o despreso
do mando santificou com o seu exemplo e com
sua doutrina o amor da patria.
Esse amor ama le natural, e elle declarou
que nao veio destruir a lei, mas aperfeicoa-la-
Non veni solvere legem, sed adimplere.
Levado para o patbulo por seas proprios con-
terrneos, testeraunhas e objectos dos seos benefi-
cios, Jesus-Cbrlsto, chorava sobre os males da ci-
dade ingrata, com esse amor de um Deas para
com snas creatoras, e de um hornera para com o
sea paiz.
III
Que este amor natural e santo ninguem ha
pois que o desconheca; mas nem por isso delxa
algumas vezes, como lado o qae ha de mais natu-
ral e sanio, de ser sacrificado ao interesse pessoal,
e outras vezes desviado dos seus trunos legtimos
e verdadeiros v o bem onde s existe o mal.
Clamamos todos pelo melhorameDto do paiz, e
qcasi nao ba quem seno queixe desse declive
por onde se vai abysmando a sociedade em qae vi-
vemos.
-Cegos de patriotismo procuramos o melhoramen-
to do paiz, em que havemos nascido, em lado, ex-
cepto onde esse melhoramento existe.
Antes de todo o interesse material occopa todas
as altencoes, como se fra da materia nada mais
bouvesse digno de attencao.
E' verdade que de quando em vez, como o fu-
ztlar do relampo, em urna athmosphera carregada
e tenebrosa, falla-se de melhoramenlos moraes,
mas para logo este lampejo da razo e da cods-
ciencia publica desapparece para dar logar to-
dos os interesses matenaes.
Ento todo o afn para o commercio, em fa-
vor do qaal al se priva o hornera do descanco ne-
cessario s suas torgas physicas; e nao ba para o
trabalbador e as repartieres publicas domingos e
dias .santos, porque em auxilio dessa avareza nun-
ca saciada suprimiram-se os dias de preceito reli-
gioso.
E o que se lucrou com isto ?
Ficou a naci mais rica ?
Se ficou, nao ficaram os brasleiros; e parece
isto um paradoxo, mas urna verdade, porque as
quelxas dos necessilados formigam de toda a par-
te, os negociantes quebrara, os empregados pbli-
cos choram, as familias gemem, e bem poucas se
juigaro felizes.
Nem esse to saudavel e social periodo de des-
canso no fim do lidar de um anno de trabalho, em
o qual o empregado publico passava os dias das
L-se no Monileur de tArme :
Muitos jornaes tem feito conhecer o
de urna corrida que teve lugar ltimamente no Cai-
ro, entre um cavallo inglez e um cavallo arbe, e
na qual a superiodade d'este ultimo para as corri-
das longas ficou provada brilbaniemente.
O Sr. ebefe de esquadres Pollard, raembro da
misso militar no Egyplo e director da escola de
cavallaria e das candelarias, no Cairo, deu conta
d'esja corrida ao ministro da gaerra, n'uma carta
de que nos foi permitiido extrabir as seguimos pas
sagens, que nos parecern) dever Interessar viva-
Esperamos, afre, qafl 0 eto brbaro do .coro-
nel Meadas o*e Acara' latan*, e qae ros dignareis
dar oidens para que sejam observadas as lels em
vigor entra as naecivlisadas, Protestamos pois
enrgicamente contra esse acto inqualificavel. >
( Segoem mais de duzentas assignaturas.)
la peticao foi dirigida aos representantes da
naco belga :
< Senbores: A questao mexicana (em por vos
sido frequentemente dlscatid, mas principalmen-
te debarxo do ponto de vista da legalidsde ou da
illegaltdade do recrutamento feito para a organisa-
mais alta gravidade obriga-nos chamar a vossa
attencao para esta questao. Importa a vida de 100
prisioneiros belgas.
c Tratada a questao mais ante riormenle, lem
braremos que deviamos fazer s o servico de ama
guarda de honra, offerecida voluntariamente para
! a proteccio de ama princeza belga. Has o impe-
1 rador, sem alteoder ao servido especial para que a
legio havla sido alistada, nem a neatralidade da
legio belga, ordenou que entrassemos em campa-
nha, e levados pelo enthusiasmo gaerreiro, proprio
dos soldadas belgas, obedeceraes e marchamos re-
solutamente a' frente das fileiras.
Com qeanto alcanc,assemos vantagens, tambera
infelizmente soffremos revezes, e duzeot )s dos nos-
sos forain feilos prisioneiros. Sem Ibe Importar a
nossa situago particular, o imperador publicou re-
cernemente um decreto que pode ler terriveis con-
sequeaclas. Este decreto annuucia aos republica-
rigldo por intermedio 4o capitao Mlnon. VI com
prazer os seotlraentos da huraanidade, que profes-
sam e que vos loduzem a proceder nestas clreums-
lancias. Sentiodo ea tambera desejo de vos auxi-
liar nesla empreza, estou dispoeto a fazer todo
quanto for possivel para ebegarmos a um accordo.
Tenho, pois, a honra de vos informar qae del as
ordens para ter lugar a troca dos prisioneiros em
Acleo, a 2 de desembro, das oito is dez horas da
mantea.
< Nessa troca ponho eu vosea dsposicio:
< 1.* O general Canto, e todos os offlciaes feitos
prisioneiros com elle pelo general Pothier ;
t I. Todos os offlciaes feitos prisioneiros era Ti-
cmbaro pelo coronel Vandersmlssen; -
< 3.* Todos es offlciaes feitos prisioneiros em
Amallhas>pelo coronel Mndez -,
4. Todos os soldados prisioneiros que se en-
contrara em Moreiia ;
Foram logrados,
Pfatiiefain^ojtifai,
TSo denodado? i
*
O Sr. Edmundo Buschmann, profe9sor,*bibliotha-
cario real e membro da academia das seieoclas
Berlim, noreado recentemente oflcial da legio
fraocezes, que
igioai do Cosmos
rabotdt.
Idt passou ama
iz entregue a
mente os nossos leitores :
S. A. o priBlpe^altm ttnha anuunciado, Mvia I qa, depois do da 15 de novemnro, serao fasi-
muito lempo, que apbstava dez contra um, que um "1" <<>as P^oas que forera presas com as
cavallo atabe de sangue paro vencera um cavallo Ia
tao, talvez bem tarde, se advlrta que nao pode ha-
ver paz nem verdadeiro progresso onde nao ba
moralidade.
De que servem lodos esses melhoramenlos que
alardeamos, se a sociedade se v ferida no cora-
cao I
Em todos os lempos infelizmente bouve immora-
lidade, esse croel e prfido inimigo de todo o bem,
mas hoje eHa regorgita e vem tona d'agua cora'
um desfacamento incrivel.
Nos theatros ella se aprsenla recebendo ap-
plausos, as casas de commercio ostentando-se
as mais nojentas pbotographias e pinturas expos-
tas aos olbos das familias, e o que mais para
tremer pelo futuro do paiz. efferecendo se s vis-
tas inexperientes e vidas da mocidade.
as ras ella gosa de toda a licen^a das pala-
vras e dos gestos os mais torpes.
At a imprensa, sublime instituicao do genio do
homem, alavanca poderosa da civilisacao, se cur-
va ao seu iofluxo, prostituindo se ponto de se
converter em crrelos de correspondencias, que
de outro modo nao penetrariam talvez no seio das
familias.
E tudo isso se passa em face das autoridades e
das leis, que nao receberam o puder seno para
manter a ordem social, que de certo nao pode
surgir desse cabos.
VI
Tal estado de cousas nao pode deixar de pungir
a todo o homem, em cujo rosto ba pudor, em ca-
jo espirito ba temor de Deus, c em cojo coracio,
ha amor da patria.
E' por isso que, com tristes gemidos de urna
dr bem justificada, alguos escripios hao appareci-
do ltimamente discutindo e lembrando os meios
de melhorar esta situado bastarda e fraudulenta.
I-'ns opinara por maior elemento no poder publi-
co, que rege o paiz, ootros por maior deseovolvi-
mento no elemento constitucional, aquelles pelo
suffragio directo nos qpmicios eleitoraes, estes na
descentralisaco das provincias.
Pela nossa parte, myopes como somos nos nego-
cios pblicos, julgamos que nada melborar era-
quanlo nao melborarem os homens. Todas as re-
formas, lodos os recursos e providencias sero il
ludidos, quando urna consciencia recta e pdica
nao respeilar o justo e o honesto.
Melherai os homens, e tereis melhorado ludo.
O principe e a princeza de Hohenzollern (cunha-
do e irmo de S. M. el-rei D. Luiz) parliram lti-
mamente de Pars para o palacio que possuem as
margeos ds lago de Geuebra, e onde receberiam
por estes dias a visita do principe e da princeza
Napoleo.
L-se na Independencia belga :
O imperador Napoleo, segundo o uso tradicio-
nal dos soberanos, envin um bracelete, que vale
900000, a madamaisella Thereza que cantou na
presenta delle em casa do general Fleury.
.Na terca-feira, 19 de fevereiro, honve um duel-
|o espada em Saiot-Bonnet, perto de Brives
inglez, qualquer que fosse, n'ama extenslo de 90
a 100 milhas Ingieras.
Mr. Sraark, negociante, accejloa a aposta e troa-
xe de Inglaterra o Alabama, caballo de sangue pu-
ro, que j havia corrido bonradaVate do oatro la-
do da Mancha. O Alabama, fez as suas proras no
Egypto, gaahando a corrida de cinco" milhas no
Cairo com o nome de Peklawan ( em rabe Glada
dor ) ; um bello cavallo baio escoro, conslil
forlemente, raaito alto, mas multo grosso para t
vallo de corrida, u seu competidor, Dahman,
nm cavallo balo da sangue puro, oriundo da Syrla;
nao tem nada de notavel; muito regalar as for.
mas, membrudo, mas fallo de distineco.
As coodiedes do desafio eram as segrales : 90
milhas (33 leguas) a percorrer na estrada de Suez,
voltar a mel camrabo, a roda da estacio e regres-
sar ao pouto da partida a porta do Cairo. O peso
era igual, 136 arralis, poaco mais ou menos. O
Pehlawan era montado por um cavalleiro ioglez,
qae gosava de repuiacao como amador das'corri-
das (sportman ), e o Dahman por um cavalleiro
circassiaoo.
A partida teve lugar as 7 horas da manbaa: o
lempo eslava fri e o vento era multo forte, As 42
pnmelras milhas foram corridas em 3 horas 17
minutos; na 71* o cavallo inglez, j caneado, pa-
rou. O cavallo rabe cootinuou a galopar, e a 8
kilmetros do Cairo, eocontrei-o e vi que vinna a
galope de caca.
Segoi-o ao lado, e pude recoobeeer, n'ama corri-
da de 5 kilmetro*, que a resptracio do cavallo ara-
be era regalar, que ja n> suava, e qae a roda dos
olbos e da bocea e das silhas estava urna ligeira
fila e esbranqaicada de ospuma, secca havia j
muito tempo. Segando observe!, o jockey poz o
cavallo a passo por 800 a 600 metros e depois se-
glo a galope at ao fim, onde ebegou s 8 horas
menos 9 minlos.
Na barreira estavam S. A. o principe Halim, M.
de Lesseps, o bario Clary S. Esc. Alipach, Mr.
Smart e todos os inglezes do Cairro. Tendo-se pro-
cedido a pesajero, recanhecea-se qae o jockey tt-
nha perdido tres arratets do peso do sea corno
pela digestao e fadiga de ama tio tonga corrida.
Damos abaixo alguns documento, que julgamos
importantes, a respeito da questao do imperio do
Mxico, que, na actualidade, tanto prende as atten-
?5es.
A Opinione Nationale assegora,! que o seguinte
protesto foi redigido pelos soldados' belgas, prisio-
neiros dos juaristas, e enlregue ao imperador Ma-
ximiliano, ao mesmo teraqo que for urna peticao
ao parlamento belga.
t Sire : -Soubemos com horror e coosiernacao,
do acto pratieado pelo corooel Meodes, que, vio-
laudo as leis da hamamdade e da guerra, deu a.
morle a um certo numero de oUciaes do exercito
liberal que liaba feito prisioneiros. Em todos os
pazes civilisados, os offlciaes respetara os prisio-
neiros de gaerra. O exercito liberal, ao qual re
cusaes o nome de exercilo, professa tambera o-
raaior respeito por essas lels, como o nao fazem os
chefes das torcas, por qae o que estamos prisio-
neiros, somos respetados por todos, desde os gene-
raes at os simples soldados.
i Se nos nao achasseraos em poder de tropas-
francamente liberaes, o aoto do coronel Meodes
provocara sanguinolentas represalias; e ns> bel-
gas, que vlemos ao Mxico- eora o propostto de ope-
rar como guardas de honra junto da nossa. prin-
ceza, mas que temos sido toreados a combater con-
tra principios idnticos aos nossos, poderiamos- ter
que expiar com o nesso-saagae o crime de um bo-
raemTq*"" traidor ao sen poprio paiz.
< No principio deste mez nm corooel Imperia
lista chamado Meados, ex-repablicano qae se ven-
den ao Imperto, homem que tem odio aos belgas,
fez u'um combate um grande numero de prisionei-
ros ao exercito republicano, eatre os quaes dous
generaos e muitos offlciaes superiores. Mandou-os
fusilar, com violacio das leis militares, sem espe-
rar mesmo que tivesse terminado o prazo fixado
pelo decreto. Depois da execocao disse aquelles
ue Ibe dirigiam censuras a respeito da enormidade
in, eu crime : Pois bem I que se vinguem nos
belga"s I > Todos os ootros prisioneiros (francezes)
linbara sido effeclivaraente trocados.
^ Esperavamos que todos os prisioneiros belgas
fossera morios; mas a repblica mexicana, grande
e generosa como todas as nagoes livres, nada tem
querido fazer at agora, sem saber qaal era a ma-
neira porque preceda a adminstra;ao do imperio
a respeito do coronel Mendes.
Senhores, pertence vos intervir neste nego-
cio. A legio belga deseja ha muito tempo re-
gressar ao sea paiz natal; deseja nao tomar mais
parte algama nesta gaerra injusta, e nao quer ser-
vir por mais lampo* nm imperio onde se permute
praticar semelnaistes actos.
t Como representantes 4a naco deveis proceder
todas as vezes qae se invoca o nome belga. Isto
nao urna questao de partido, mas sim urna ques-
tao de nacionalidade.
Representantes da Blgica, lembrai-vos da
nossa divisa: "t Uaio e forca. Dirigimo-nos a
vos em nome da Blgica, caja honesta confianza se
enganou. Campre-vos evitar que o sangue belga
seja sacrificado. Em nome do paiz eumpri cora o
vosso dever.
Era nome de todos os belgas prisioneiros do
exercilo republicano.Brentr.
Estes protestos foram entregues pelos signatarios
do general juarista Rlva Palacio, com a seguate
carta :
Sr. general.Apenas tiveaos coobecimento do
crime coramettido pelo coronel imperialista Men-
des, em muitos offlciaes do exercito que coraman-
da va (auodou-os fusilar conforma o decreto de 3
de oulabro), o nosso corceo eaebea-se de indig-
nacio, e nao podemos deixar de dirigir a Maximi-
liano o protesto junto. Estamos convencidos de
que ba de merecer a approvae,ao de todos os nos-
soo irmios de armas. Pediao-vos bontem, Sr. ge-
neral, para o fazer communicar aos deraais prisio-
neiros que se achara em Zirandaro, e todos dacerto
se apressaro a assigna-lo.
Acceitai, Sr. general, os sentimantos respei -
tosos de vossos prisioneiros reeonhecidos. (Seguem
as assignaturas).
A' publicaco destes docussentos accrescenla a
<)pi nion Naticmale, o seguinte :
< O general iva Palacio cooformou-se desde
logo com o desejo manifestado- pelos prisioneiros, e
o seu protesto foi naturalmente dirigido a Maximi-
liano por intervengo do marachal Basaine. O ca-
pitao Mison, portador dos documentos, eotregou
igualmente ao raareehal urna carta particular do
general Riva Palacio, na qual-se encontrara forma
ladas as bases mais equitativas para a troca de lo
dos os prisioneiros.
f Nao leme iotormacSes a respeito do acolbi
ment que o protesto dos belgas, eueontrou no im-
perador Maximiliano, e nao- sabemos se o sea go-
verno dea ordem para a derrogaco do decreto de
3 de ootubro de 1865. Mas o marocha! Basaine
dirigi immediatameate ao general Riva-Palacio a
seguate carta:
c Corpo expedicionario do Mxico.Gabinete do
comraaoitaale em ebefe.Mxico, 16 de novembro
de 1865. j
t Sr. general.Reoebi a carta que- me havia di-
honra, offereceu ao imperador
se digno aceita-lo, manuscriptoj
a ora gigantesca de Alexaodre I
Sabe-se que Alexanare de Aao
grande parle da sua vida em
aturados trabalbos scientincos e em continuo coa-
tacto com as summidades da sciencia, das artes,
da litteratora e da poltica.
A alma do prodigioso sabio pertencia sempre a
Franga, diz o Sr. E. de Baschraann as notas qae
acompanham o raanascripto, e por este motivo
que o possuidor do manuscripio teve a idea de o
Finalmente, segundo os desejos qne mani- ^^ N ,aSo 0 imperad. tt t
(estaes, es geoeraes Tapia e Rarairez, feitos prlsio-, pr._ca
neiros era Apara, e delidos era Puebla. | Q, Mdor S0Q uffl maBaS( ^
Todos os prisioneiros que se achara em More- hQ d.es(e va|Qr dev|a 9ef architf, ^
lia ser-vos*o entregues nodia 2 de dezembro. i dQ estaJo ^ ^ ^
Quanto aos generaes Tapia e Ramrez, tomo do (Bauscri l0 da Cosmos a MVtomci iamM
sob a minha palavra de honra o compromisso de
Ibes dar a liberdade em Puebla, com salvos con-
ductos, para que possara "ir pare onde quizerem,
logo que eu esteja informado de que a troca se ve-
rificou.
c Confie! aocapita) Bo-Carm, do regiment
belga, a misso ae presidir troca dos prisionei-
ros ; sera' acompanhado do capitao Salgado, e es-
eottado, para ir a aldea de Acoulcbo, por urna com-
paobia belga, de 50 a 60 borneas, e por alguma
cavallaria mexicana.
< Desejo, Sr. general, que fiqaels bem convenci-
do da boa vootade de que don provas nesta occa
siao. Nao quero concluir esta carta sem vos agra-
decer as excelleotes disposicoes e os sentimentos
de benevolencia, que sempre teodes tido para com
os nossos prisioneiros.
< Acceitai, Sr. general, a seguranca da mioha
consideraco muito dislincta. O raareehal de
Franca, Bosaine.
FOLHETIM
A SEPULTURA DE FERRO
POR
llenriqe tonscicnce
( Continuado.)
XXI
A Sra. Petronilha velou ao p do raen leilo al
que o aecesso passoa de todo ento, depois de Ibe
baver assegurado que o meu estado nao era para
dar cuidados, exig que fosse descansar. O seu
quanto era apenas separado do meu por delgado ta-
bique; se ea carecesse de alguma cousa, batera
para Ib'o dar a saber.
Logo que ella sabio, cabi em profundo somno,
que foi agitado toda a noite por mil sonhos assos-
tadores.
Quando outra vez cahi em modorra e os meus
olhos se fecbaram, achei me em casa do Sr. Pave-
lyn. Era no da em que os joizes do concurso de-
vam reuoir-se e esperavamos a sua senteDca com
confianza. De repente apparece o bedet da acade-
mia ; saudam-no alegres acclaraacoes, qae aateoi-
pam o annuucio do meu triumpbo; mas elle faz sa-
ber que outro concurrente mereceu a palma e que
eu s obtive o segundo luear.
O mea bemfeiior aecusa-me de negligencia e de
presumpcio, e retrame a sua proteccio. Rosa de-
clara qae nao podem continuar relacoas entre ella
e um bomem que nao tem bastante coragem nem
engenbo bastante para pela arte se erguer at al-
UM LOGRO.
Hontem sabi
Ao meo passeio,
Sem ler recelo;
Um vulto vi
fc>n certa roa,
E esfioihpd--------
Ao clarao da la.
E, firmo e quedo,
Nao se allerava,
Nem sOspirava ;
Era um penado.
E recuei,
E espreitando,
Me oceultei.
Elle trajava
Velba casaca;
1.'m chapo-jaca,
At o peseoco,
Tomava formas
D'um colosso.
Oh I quem ser
Este magano ?
Se nao me engao,
E... qnem dir?
Mas na esquina
A estas horas,
Pobre menina !


:
Urna janella
Algoem abri,
2 logo ora tio
Dea ama bella;
Mas com terror
Fugio do metro,
Cheia de horror.
Disse comigo.
Abl inim Fero assassioo,
Que o crime almeja,
Quem sera a viciima "
Deus a proleja I
E sem detenga,
Sem fazer bulha
Com a patrulba
Achei-m'em presenca.
Narrei o fado,
Segu com ella
Semapparalo.
Soldados bravos
Foram avancando,
Armas calando
Como zuavos.
Prendar deixoo-se
O melro, firme,
Nao alteroo-se.
Fioou-se no seculo passado em fiespanha um va*
rao de quem licito afflrmar que bem mereceu
da patria, se o celebrado dito de Napoleo I, quan-
do interrogado sobre qual era a molber mais be-
nemrita do seu imperio, pode ter applicacao a
todos os lempos e lugares.
Algum curioso esmerilhador de coasas antigs
irouxe a lome o fandameoto da benemerencia
desse hornera por raeio de um documento publica-
do n'om jornal hespanbol. D'esr trasladamos o
documente, que a copia de um assenlo de bito,
e qae reza assim :
Dr. D. Francisco Blanco, cura mais antigo da
igreja de S. Lourenco -em Sevilha, certifico : qae
em um dos livros de asseatos de bitos que come-
cou era 1764 a folhas 20, ha um assenlo qae do
heor seguinte :
No da 1 de novembro de 1788, os beneficiados
desta igreja enterraram no jazigo dos sacerdotes o
corpo do licenciado D. Juan Manuel Bastamente
Caldern l Barca, presbytero capello desta
*e 131 annos; fez testamento pe-
vio. patifaoTS-aV -odici-
. 'ortillo.
..sa de corpo presente e por soT
. >paro para perpetua memoria se poz o
seguinte.
Foi casado cinco vezes, a primeira com D. Lacia.
Agollar, a segunda com D. Auna Zamora, a tercei-
ra com D. Maria Arana, a quarta com D. Violanta
Seio e a qainta com D. Violanta Obregon, viuva.
Teve desles matrimonios 42 filhos e 9 bastar-
dos.
Foi de veneravei pessoa e mui capaz.
Quando morreu, estava compondo ara livro de
loovores a Maria Santissima e aos 116 annos com-
poz outro de varios assumptos.
Foi aguazil mor, desle arcebispado.
Navegou muitos annos.
Foi religioso de S. Joio de Deas e sabia seta lia-
gaas.
Foi mordomo do convento de Santa Elena, es*
crivo da cmara e do accordo desta real archi-
contraria. '
Foi secretario dos contratos, notario mor da re-
ligio de S. Ioo.
Ordenoo-se de sacerdote aos 99 airaos.
Celebrou at ao fim de seas annos e morrea da
queda que deu nos passadicos do collegio de S.
Francisco de Paula d'esta cidade.
Pode tormar-se um povo de 300 visinnos com to-
da a sua familia.
Abencoada creatura que na sua mora teve 600
(ontes de lagrimas a prantea-lo 1
e a presagiar-me desgraca cuja possbilidade era
bastante para que ea tremesse acordado I'
Eu tinha medo do somno que me enleiava se ra
pre em taes sonhos, e fazia penosos esforcos para
conservar os olbos abortos ; mas depois de looga
lucia sent que as torcas fraqueavam me ; de novo
saecumbi, e, veacido, deix'ei cahii sobre o traves-
seiro a cabeya eslonteada.
A minba imaginacao tinha d certo esgotado a
serie dos espectros que podiam atarrar-me, porque
desde ento o meu somno nao tornoo a ser pertur-
bado nem interrompido por. sobaos ; e qoando acor-
dei, alto da, por algum rumor que a Sra. Pelroai-
tura. Com a cabera baixa, com o coracu dilacera-
do e morto de vergonha, saio da casa dos que fo-
ram meus bemfeltores. Ellas expulsavam-me e a
sua senlecca: < Tu nao s ora artista I a segra-
me como urna maldicao.
Foi-me preciso mais de urna bora para dominar
Primeiro vi-me em nm templo magnifico, onde 'a mpresSao dolorosa que me fizera aquella visio.
msica deliciosa;
cautavam padres e-tocan ama
nuvens de incens enebiam o sanio recinto.
Ea sonra um marlyrio croel e chorava do fon-
do d'alma, porque defronte do altar estava ajoelha-
da ama nsnlher com coroa de noiva e ao lado del-
ta um mancebo, que pelo trajar era o noivo.
Como o meo coracio se geloo de deseeperacao
e terror qoando o sim fatal se desprenden dos la-
bios da Rosa, e a ben^io do sacerdote a ligou para
sempre ao inimigo da minha tolicidade I
Comtodo, quando ella passoa por mim dando o
braco a seo esposo, ergui para ella nm olbar de
qoeixome; a ni nha alma imploran ora poaco de
compaixio pare o mea soffrimealo mortal, mas Ro-
sa deitou-roe um olbar chelo de averso e sen ma-
rido atame eora triamphante despreso.
Ura grito de angasua as me desprenden do pello
robora no templo, a acordei con a trale w-
andado na mor fre.
Iha fazia no meu quarto, nao me sent muito toen-
te, mas estava em extremo (aligado e profunda tris-
leu me assombrava o animo.
Depois de ter bebido daas chavenas de cha e de
ler valido com algumas latas de pao s nscessida-
des do estomago, procarei adormecer otra vez,
mas a porta abri se,e minha mil, que tinha sabido
da aldea ao romper do da, entrn ento no meo
qnarto.
Saltaram-lhe as lagrimas dos olbos; apertoume
nos bracos, soltando om grito de inquietado e de
compaixio, nio interrompendo suas caricias seno
Da guarda o cabo
E os camaradas
Em gargalbadas
Do o diabo,

Entretanto, toroei emflm a adormecer, e ento a
Imaginacio levoo me para a minha aldeia natal.
Nio sei como meus pais Unham pereebido o segre-
do de mea coracio, mas eu va o olbar de meo pai
iofiamraado de colera e as faces de minha mii co-
bertas de lagrimas. Ambos me censuraran spera-; P '"" b'^ente por nao lhe ter i da-
mente o lenco orgalho que rae levara at i mais do leticia da minha doenca. A minha magreza
| i i dio na cor assuslavam-na, -e faziara que chorasse i
" Eu8tlnha ousado ergoer os olbos para a filba dos 1 **** as w*^ levan,av c,beca para
meos protectores, tioba dssipado todas as torcas conteraplar me.
da minba alma a affagar esse criminoso seotlraen- Abracel-a com infinito reoonhecimento, e proco-
to e falseara assim o Ora dos beneficies cbidos, re convence la de qne tinha apenas algama febre;
Deas tlnha-mo castigado prlreudo-me da luz do qoe esa febre fazia emmagrecer em poaco tempo,
espirito e do fogo do engenbo. Minha rali qneixa- mas nao era perigosa nem de cura difflcH; e qae
va-se com palavras chelas de amargura de a ter fel- ot ji estarla bom se o concurso da academia nio
todesgneadare moa pi, ceg por nme colera fa- me ttvesse agittdo e fatigado em grande extremo,
rlosa esmagan-rae com sna maldicio. Pera dlssipar os seos recelos e coosola-la, fing ale-
Qae noite qnel!a, tio cbel de osoiHos8 visaes grla, e \tM to rlr o roeojor para lhe Mr M*f
qoe nao tioba razo para se inquietar com o mea
estado de saide.
Ao- principio resisti a todos os meas esforcos,
mas pouco 4 poaco foi socegaodo e as suas lagri-
mas deixaraun de correr.
Ento pozeiaos-aos a conversar mais livreroente
sobre differeau:. cousas, fallando da esperanca qne
eu tinha de sabir, bem da minha Incta, e de men
pal, e de mJoha irmaas, o do Sr. Pavojyn e do
Rflsa. /
Ao passo que ka esvaecia a tristeu. de minha
mai, crescia a minba melancola ; ea ja' nao sen-
lia a necessidaderde parecer alegre; deraais, a
conversaco, versando sobre Rosa, abrio-ma a fe-
rida do coracjioye fez-me cabir o espirito em io-
venclvel abatitaento. Minha mil ooocruto dos meus
queixomes vagos e das minbas retieencias que
en quera occultaV lhe alguma cousa importante.
Nao pude resistir por mallo tempo s suas ter-
nas instancias, e por ^flm eonfessei-lbe a verdade-
ra causa da minha dr\ provavelmeote tambera
da minba doenca ; disse\he qoe havia algum tem-
po qoe Rosa me tinha om\ odio inexplicavel o fu-
gia da minba presenca ; qaie quando me fallan
era com azedume e que militas vezes me humilha-
va com iotenoso. ^,
Nio ousei confessar-lhe qpe meu eoroeao estava
incendiado por nm amor secreto, porque tinha ver-
gonha dessa paixo criminoia e sabia qoe a mais
leve suspeita de tal desvarif teria desesperado mi-
nba mil, mas lembrei-Ihe nm obrases fogosas que
Rosa tinha abrigado a mioma infancia sombra
protectora da sna amlsade eVqae era a cansa ni-
ca de todos os aconteclmentos iflue jloham modado
o curso minba vida. Qne a :ua avoriao me fl-
zesse ter por desgracado, er^ coosa do qne minha
mii nio podio dnvldar, e ni ;o era pira estrenhar
qae essa otersao, joma i oot'ras. cangas de inqule-
tacao, me turbasse o espirito e me fizesse cahlr
doente.
Minba boa mai meneoo a cabeca eom increduli-
dade e at torne ouvindo a minha explicado. Ds
sa que a minba dr era um absurdo e sem razo
de ser, e que talvez eu sem o saber, tivesse dado
a Rosa alguma causa para despeiio passagtiro
e assegurou que- boba provas impugnavefs a menina Pavelyn coalinnava a ter-me a aVeicao
de ootros lempos. Nao bavla anda cinco semanas
qne Rosa, por om du de sol claro, tora a Bodeg
hem com sua mii.
O duque de Ossuoa, que como ha lempos disse-
mos, vI casar com urna princeza deSalms, sua
parenta, talvez o personagera que rene maior
numero de ttulos honorficos.
.' dez vezes duque, vlnte vezes grande de Hes-
panha de primeira classe, onze vezes marqaez, on-
ze vezes coade, e, alm d'isto embaixador de Hes-
panha em S. Petersburgo.
Mariano Tellez Girn Beaufort Salms de Toledo,
duque de Ossuna, ao mesmo tempo duque de
Arcos, titulo a que est ligada a grandeza de pri-
meira classe, duque -de Bejar, duque ee Ganda, do
Infantado, de Lerma, de Medina de Rio-Secco, do
Pastrana, de Plasencia, duque e conde de Bena-
vente.
E' alm d'isso, marquez de Algecilla, de Alme-
nara, de Argueso, de Cnete, Gibralcun, de Lom-
bay, de Penanel, de Santiltiana, de Tavora, com
grandeza de primeira classe, assim como de Za-
nara.
E' tambem conde de Bailen, de Belalcazar, de
Cezares, de Fontanar, de Mayorga, de Melgar, de
Oliva, de Real de Maazanares, de Saldanha, de
Villada, de Uruena, e visconde de Puebla de Al-
cocer.
Foiam ltimamente descobertas oas monta-
anas da ilha de Corsega urnas pedreras de mar-
more e jaspe, to formosas como os melhores mar-
mores e jaspes aotigos.
amisade, e que, sdm eu saber porque, tinha come-
Cado a odur-me desde o momelo era qae outro
sentimenlo mais vivo e mais forte se apoderara do
sea coracio: Para confirmar o qoe Ibe dizia con-
fidencialmente, contei todo o que me bavla succe-
dtdo desde emito ; como, em qualquer ocessiio
qae fosse, Rosa me fallara com azednme e despei-
k> como me magoava com inteoc.ao e (aneara mi
de lodos os pretextos para sabir de casa qoando
en la xisitar seo pai.
N Contei todo islo em um toro lio magoado e in-
undo tanto nos promenores que. provaram a
Rosa nio me dissesse nada dessa passek) e que s
a Sra. Pavelyn me trouxesse lembrancas de meus
pais.
Minba mai contoa-rae coa ama especie de ale-
gre entbnslasmo que Rosa, em lugar de aproveitar
o bom tempo que ento fasta, passara todo o da
com ella, e Ibe testemunbara mais amisade e al-
feioio do qoe al abi; qoe cem vezes fallara de
mim, da nobreza do men carcter, do brilbante fu-
turo que me esperara e da satisfacao que senta
quando se (embrava de ter de algum modo contri-
buido paro assegorar-me ama sorte feliz neste
mundo. Sim, Rosa lhe confessara qoe todas as noi-
les erguia para Dens fervorosa proeo para que eu
alcancasse o premio no concurso acadmico.
En esoutava com assombro. A vos de minba mai
pareca me doce como ama msica encamada e o
mea coracio bata coa torca ouvindo o qae ella
contara;mas era apenas passagelra illosio, por
ISII
fave
isso sabia-o eo, e havia-me magoado muito qae la versa & que Rosa me tinha, que miaba s* ficoa
sem saber o qoe havia de pensar. Suppoz mesmo
quo o mea receto podesse ser bem fundado e con-
soLou-me o melhor que pode, fazendo-oe esperar
que u mo eestado de saude de Rosa a caosa qae
lhe pareca quasi certa, pois que, segundo a mi-
nha explicado, o Sr. Pavelyn e sua mulber tam-
bem se queixavam da melancola de sna filba;
alera disso, fez -rae notar que en ja' era na bo-
mem, e que ja' nio poda baver entre mim e'Rosa
a contianca que baria quando eramos duas crian-
cas innocentes. ,
Depois de minba rai ter passado algumas ho-
ras junto do meu leito, levanlou-se e disse me que
nio podia voltar para Ccdebem sem comprir com
o sen dever indo a casa do Sr. Pavelyn, Podia ala-
da passar orna parte da manbaa comigo, mas es-
peran que, se podesse ver Rosa e fallar-lbe, sabe-
rla delta qne eram imaginarios os motivos qae ea
tinba para quexar-me, senlo em todo, pelo menos
qoe, logo qoe delxava de fallar, dospootava ante em parte; se assim fosse, irla levar-me esaa oon-
meus olbos a Imagera de om altivo e bello man-
cebo, e appareciame de novo a fatal realidade.
DeeUrel a miaba mil qae bata algum totopo
que ama viva incllnacio se manifestara no%ora-
Co de Roa por um ropos de alto naaeimento e
avaltaflos hateras, qae o amor abafara nellaa
lacio com grande alegra, e em todo o caso, onda
voltaria para conversar comigo mais algara tempo.
(C PBWWMfeCQ^tY. D8 M-iF-DS.F.^ WlitU
W. ^

,
U.U
'"T*^*-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EG5CC6UA4_L14C3J INGEST_TIME 2013-09-05T03:51:28Z PACKAGE AA00011611_10930
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES