Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10921


This item is only available as the following downloads:


Full Text


I
>

AMBO ILU. HOMERO 6S
ftr qiartel paga !* das 10 ias VI.* mti .....
He* itpis ** t* 1* do ca* e ieatra a Parte at ctmia aar tras Beses............
DIARIO
Mtf <
S|aaa
6 75o

*llftJ4l
URCA FrMA 20 D MARCO % 1866
*
Par ana faga deatra a> fadiasaVii'awi.
Partea earreia pan in aana _' .
- .. 49aaa
wfWWw
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexpodrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonia Marques di Sil Ya -, Aracaty, o
Sr. A. de Leraos Braga; Cear, o Sr. J. Jos da
Oliveira ; Marauho, o Sr. Joaquina Marques Ro-
drigues ; Para, o's Srs. Geraldo Antonio Al ves
Pilaos; Amazonas, o Sr. Jeronyrao da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. dandi do Faleio Lijas; Babia, o
Sr. Jos Martins Al ves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribelro Gasparteno.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estafes da va frrea at
Agoa Preta, todos es das.
Ignarassri e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala, Bexsrros, Bonito, Caraar,
Altinho, Garanhnns, Buique, S. Bento, Boro
Conselho. Aguas Bellas e Tacarati, as tercas
feiras.
Pao d'Albo, N'azareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Plores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Oaricnry, Salgueo e Ex, as quartas
feiras.
Serinhem, Rio Formoso,Tamandar, Una, Bar-
reiros. Agua Preta Pi raen tetras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribnnal do cotaraercio : segundas e quintas.
Relago: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda: quinta as 10 horas.
Jnlzo do eommercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphaos: tercas- e seataas 10 horas.
........>* > -
Primeira vara do civel: tercas a sextas ao mel
di!.
Segunda vara do civel: quar:a* sabbades a 1
. hora da tarde.
EPHBMERIDES DO ME2 DE MARCO.
1 loa cbeia as 9 h., 33 m. e s. da m.
19 Quarto ming. a l h., 33 m. e 53 s. da L
1 Loa nova as 7 h., 17 m. e 33 s. da t.
23 Quarto cresc. as 10 h., 4taa e 27 s. da m.
31 Loa cbeia as 2 h., 12 ni. e 22 s. da m.
DAS DA SEMANA.
g Segunda. S. Jos esposo do N. Sennora-
20* Tetca. Ss. Faustino e Anatolio mm.
21: Quera. S. liento ab,; S.-Blrillo b.
22-ajnla. Ss. Bjsilissa Calecina mm.
23. .Sexta. Ss. Viclorinne Fromenclo mm.
24. Sabbado. S. Agapuo-n.; S.Latino q.
35- Domingo de Ramos.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 7 horas n.42 m. da manba.
Segunda as 8 horas e & minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPOR COSTKIR08. *
Para o sul at Alagoas a,14 e 30; para 0 non*
at a Granja a 7 e 22 de cada mex; para Penua-
do nos das 14 ios mezes.Je Janeiro, mareo, man
julbr, setembro e novembro.
A5SIGJCA-SE <
ao Reeife, na livraria da* praca da independencia
na. 8, dos proprietarios Bfanoei Pignelra de Fana
Filbo.
PARTE OFFIGIAL
RELATO RIO
aprearntado. pe* Eua. Sr. eam-
sella el r nha Paraaaagn, assembla
provincial, por occasISo da
abertura da. sessao do rorrea
de inno. o 41a Io de mareo
(Coutiaoacao.)
PRESIDIO DE FERNANDO.
E' commandado actualmente pelo coronel do
corpo de engenheiros Luiz Jos Monteiro.
Este aaloso e intelligente militar com a dedicacao
e probidade qne o caractensam no cumprimento
do sea dever, tern promovido com o mts vivo m-
tereese os raelooramentos que esto a sen alcance,
e que tornaran) se precisos naquelle presidio.
Quer em relago a marcha regular da adu
que illudiram as previsoes dos agricultores, pro-
1 mettem este anno urna colheita abundante, que se
calcula em 4,000 arrobas.
1 E' para lastimar, porm, qne as suas grandes
maltas, ricas de madelras preciosas para a cons-
trucgo naval e civil, para a marcineria, emfim
para todoi os mysteres da arte, vio sendo irapru-
dentemeote devastadas, muilas vezes para seren
reduzdas a carvo madeiras, que a le tem reser-
vado para Qns mais uteis.
A's autoridades incumbidas de velar na conser-
PERNAMBUCO.
ASSE1BLEA LEGISLATIVA PROVINCIAL
SESS' ORDINARIA EM 15 DE MARCO
DE 1866.
PRESIDENCIA. DOM. VICARIO FRANCISCO MEDRO DA
SILVA.
vago dess maltas, tem esta presidencia feito re- j dr0) Ramos, Ayres. Gaspar, Corroa da Silva, Mego | senJ*Kj?* ,
commendacSes no sentido de obstar a Ues destru- Barros. Joaouim Tavares. Tiburtino. Meraulbo. 5.**p/_ "?/
nter prer cao da le n. 622.A' commissao de le- E* por tanto a commissao de parecer que se
gistapo. adopte a seguinte resoltieo :
Oatro do capello do recolbimento de Iguarass, i Art. i" Ficam approvados, e como taes fazen-
pediedo quota para as obras do mesmo recolbi-; do parte da lei do ornamento do exercicio de 1864
ment.A'commlssolde faaenda e orcamente. a 1865 os crditos snpptementares ,mesma lei
Uatt requerimenlo da commissao de legislacae,, abertos por. portanas da presideocia de 2 de jr>
pediodo inforraacfosao govsrno, para poder deferir ano, 14 e 19 de agosto e 16 de setembro
a petizo de Joaqmm J Billa.-E" approvado se, eorrer s segointes verbas de despezas '
disenssao. I 1." Expedienta da bibliotheca pro- "
Um parecer da commissao de legislaco, remet- viocial........,,..........*,...
2. Empregados do consulado!,'..*"
j:sr&%&x^esAt sstanusiss^tsiat
seotadona do 2 offlcial d secretaria da assemblaa.
commendaedes
c5es pelos meios legaes.
ESTRADA DE FERRO.
Nao pode deixar de ser objectoda maior alten-
cao para o governo a estrada de (erro desta pro-
vincia.
Nella est empenhada urna boa parte das rendas
publicas que annualmente se destina ao pagamento
da garantia dos juros, e que do maior interesse
que seja amortizada pela receila da mesma es-
trada.
traSla, ordem e direeco no trabalho dos sentencia- Tem sido conslderavel otrafago dallnha la
dos, quer a respeito da maior economa, que tem respectiva receita tem excedido diurnamente a toda
promovido em beaeflcio da fazenda publica aquel- a espectativa.
le digno militar tem prestido servicos importantes.
O estado sanitario do presidio boro, a soa tran-
quiHidade esteve a ponto de ser alterada no da a
de agosto ultimo por urna insurreicao dos senten-
ciados, que felizmente foi descoberta no momento
de ser levada a effeilo.
O commandante deu logo as providencias que no
aso cabiam e tomou a deliberaco que approvei de
sobr'estar na remessa para esta capital de 70 pragas
do 4* baialho de artilharia qne eo havia mandado
render por outras tantas da guarda nacional de
Olinda, as qaaes haviam ebegado a ilha no dia se-
guale.
No anno prximo Ando, prodnzio a estrada.....
542:5512980 reis de receita, sendo a despeza d
353:024*834 ou 65, o 7 /t-
0 augmento de receita o'aquelle perodo foi de
113:269^662 reis.
Este resoltado revela o desenvolvimento que de
dia em dia vai tomando a estrada.
Coovm entretanto observar que ainda sao sus-
ceptiveis de mnito desenvolvimento os recursos
com que a estrada alimenta o seu trafego. Para
Isto convm abrir estradas districtaes que commo-
niquem com as estacos intermedias e a ultima es-
Barros, Joaquim Tavares, Tiburtino, Mergulbo,
Cicero, Arminio, Boarqoe, Emygdio, Epaminoadas-,
Gitirana, Candido Martins, Amorim, Manee de
Carvalbo, Jeronyme e Burgos.
Abre-se a sessao.
Le-se e approva-se a acta da sessao anterior.
EXPEDIENTE.
Um oJBcio do secretario do governo, remetiendo
qoaretta ejemplares do relalorio da reparttoao das
obras publicas.A' distribuir.
Qairo, remetiendo os balancos relativos ao ulti-
mo exercicio rindo e ao Ia semestre do correte.
A' distribuir.
Outro, remetiendo o balanco e oreamento da c-
mara municipal de Flores.A" comissao de orea-
mento municipal.
Oatro, declarando que o Esm. Sr. vice-presiden
te, ficon inteirado da licenca cootedida ao portel-
ro da assembla e da aomeacio de outro para
substitui-lo.a' archivar-sfc,-
Outro, remettendo as inlormacdes da cmara
municipal desta capital, sobre a construccao dos
dous mercados autorisados pela assembla.A'
quem fax a requisico.
Outro, declarando que s. Etc. o Sr. presidente,
manda sollicitar a abertura de um crdito supple-
4d na
Expediente do consulado....
Illuminaoao publica.......
RestituioSes
Aprovado e posto em discusso o requer meato,
hila contra o Sr. Correa de Bruto.
O iliustre orador pansa que se nao deve por
em duvida a competencia da assembla em mate-
lia desia ordem; que se a assembla pode o mais,
^ isla legislar para todos os empregados, evi-
para oc-1 deate que o pode faaer igualmente para cada um.
Enteode qne se tem restringido multo as attri-
A7JUU B0*C8 d*s asserobles provinciaes, e qne elle se
o.iSafSo Pdesse coneorreria sempre com o sea voto para
..llSKSi O honrado Sr. Brillo diz que o empregado de
i-voSofl qa9m se lral0 C00U mis de 3 ainos de ex-
5 cellentes servicos ; qn em sua Idade
Rveniiia' -"'.ruvt.mi "" ttijos ; i em mi taaae ja avanzada
tveniuaes.................. 5:000*000 e cercado de enfermedades pouco podera gosar do
V
4*
6.'
ts fa.il^'^Jfalmen,e .aPPvad0S. M?! favor que a assembla Ihe conceder'
taes fazendo parte do oreamento vigente, os credi- r preciso, accressenta o .ilustre orador, que
a -u\a me.Sm or,?ameDloaD",os1emcoDdi55esto.dolorosas, venharaos em arrimo
10 de outubro, 6 de novembro e; Q0 boa, servidor do estado (apoiados).
Encerrada a diseassao approvado a requer-
ment do Sr. Bnarqne.
tos supplemenlares
por portarlas
1:3195071
503,5691
taco da linha ; augmentar o seu material rodante i mentar, para occorrer certas despezas antorisa
A guarnicao do presidio consta presentemente de e remover a estaco central para logar mais con- i3 pe|0 oreamento vigente.A' commissao de or-
um capitao, um subalterno e noventa e seis pracas veniente dentro da cldade. camenlo provincial.
de prel do 4* balalbo d artilharia a p; e de um Estas medidas sao consideradas como indispen-, Oatro, remettendo as demonslracSes dos crditos
capitao um lente e dous alferes, e cento e quln- saveis ao roturo da empreza, e opiniao, quer do supplemenlares abertos por portaras da presiden-
ze pracas de pret, liradas dos baialbSes n. 9,10 e engenheiro fiscal, qner do proprio agente da com- cia.A" commissao de oreamento municipal.
11 de nfantaria da guarda nacional de Olinda. panhia, que realisadas ellas, em breve Bcar o toe-! Urna peticao do Sr. Ramonda, sollicitando urna
Acabo de expedir ordem para que seiara subsll- souro pntlico livre do onus da garantia. : gubvencao para organisar ama companbia lyriea.
luidas trinta pracas e um subalterno do 4 batalhSo Tendo a mesma opiniao, pens que urge levar a, _a' commissao.de petioes.
de artilharia por qnarenta guardas naclooaes, sen- effeito semelhantes medidas. Oatra de Pornro C. AJbnqoerqne Magalbaes, pe-
do aquellas artilheiros bem como as de artfices O estado das obras em geral satisfactorio. l00 augmento de ordenado.A' commisse de
que ha pouco i partir'para o sul destinados ao ser- A conservado das prlmeira e segunda secQoes,, ordenados,
vico da guerra. flzeram se com toda a regolandade. Oatra de Felippe Benicio, pedindo orna morato-
Os oeriBos de sablevaco dos sentenciados que Por occasiao das nltimas chuvas torrenciaes as ria.A' commissao de oreamento provincial,
existen! naquelle presidi em numero de 1,076 a obras destas secc5es soffreram alguns estragos, que ootra de Joaquim de Soau Pereira, pedindo aug-
mento de ordenado.A' commissao de ordenados.
E' approvada a redacto dos projectos ns.
i65tn i deste anno.
FOt lido e julgado objrcto de deliberaco um.pro
jecto de le, creando oadeiras de ensino primario
em Traibauba e Nossa,. Sen hora do O' de Goyanna,
assignado pelos Srs. lavares de Mello e Cornea da
Silva.A imprimir.. 5 de dejerabro, para occorren s seguimos ver-
Ootro, assignado. pelos Srs. Gittranna, h Reg bas de despezas :
Barros, Epaminondas Martins de Almeida, auto- 1.' Expediente e serventes da Es-
nsandoreparos no.a?ude do Bonito.A imprimir, cola Normal.......................
Contina a diseusso do requerimenlo do Sr. 2.* Expediente da casa.de deten-
Drummond, sobce os voluntarios da patua. co....:^.................v.,......
Ora o Ilustre depulado o Sr- J- do Reg Barros, 3. Aloguel de casa e< movis das
que faz largas consideragoes em sentido a mostrar aolas primarias.................... 4:600*000
a necessidade de ser approvado o requerimenlo-
Tendo expirado a hora do expediento passa-se
ORDEM DO DIA. L-se e entra em dfsoussao um reqoerimento do
i." diseassao do projecto n. 8 de 1860, sobre o Sr. Dr. Gaspar Drummand, pedindo por copia ao
aende de LjmoeiroE' regeitado sem dbale. governo alguns decumentos relativos indemnisa-
Ultima diseusso da emenda ao, projeeto subsli- c de qne falla-o pareeer cima transcripto,
tulivo do de n. 7, sobre a rede da estradas na pro- O honrado depulado diz que precisa desses do-
vineia.E'approvado sem dibate e igualmente o curaentos para coraifltnaaa inexactldao de que se ped'"a TaDada""oitr7m i"l"'d. (Y
projecto, gue se achava preso. resente o parecer SdMissao de orrameno, em Timbanb outra em tanoeiras nutra em^Slnc?
3,d.scussao do projecto a.4 de 1854. -kT W quem est SutS^T ver sempre sedimentos de \ JSTpS^^'S^lS^XS'-
3. diseusso do den. 55, sobre as obras do ana-/ Obrador dj. qnenao deseja que nem de leve! g^obert".'fregnealft Cm Jeaos'oate.ji
do vigario Barreto.-Approvado sem debate. plrem snspaitas na casa acerca da leg.timidade %inaat^^^^^i^SuS^
l diseusso do de o. 18 de 1854.-E1 regeilado dessa indemoisacao, principalmente indo essas sus- \^^^t^Sou^lS^&
sem debate. peitas ferir pessoa que Ihe muilo chara. ll0' para q
1.* diseusso do de n. 39 de 1856.E' regeilado O i Ilustra membro diz que
sem debate. i mlssao todos os documentos; qne indo qnanto exi-
1.* do de n. 8 deste anno.Approvado sem de- | gio o Sr. procurador riscal da fazenda provincial
bate. : fez-se, e que foi em consequencla disto qne elle
i.' do de n. 9 deste anno.Approvada sera de- chegou um accordo com o orador, pelo, que o
bale. | proprio Sr. fiscal reclsaou do governo o pagamen-
I.' do de n. 5de 1860. -Approvado sem debate, lo da indemoisacao a que se alinde.
Qnanto regulardade do crdito, o orador nao
discute ; emende qne a commissao de oreamento
2.a diseusso do projecto n. 48 de 1865, aato-
risando um crdito de cem contos de reis. desti-
nados exclusivamente constrnco d eadeias no
interior da provincia.B' approvado sem dis-
eusso.
2.* diseusso do projecto n. 5 de 1860, antori-
frrin' H, 2TX "* dlsPosl5es 9 C0D- sando a crwco de urna cadeira d instroeco pri-
maria era Queimadas.
Vem a asesa, san lidos e enlrao em diseassao
diversos additivos, creando as segnintes eadeiras
dos ditlerentes sexos : urna em Tigipi, oatra em
S. Jos de Ingazeira, outra em Ponta de Podras,
oulra em Altinho, outra em Bengalla, ontra em
os additivos bem como o projecto sejara remettidos a
O Ilustra memoro diz que nao enriaran com- commissao de instrucgo publica, para contemplar
saber 790 de iustica e 286 militares zeram-me deram lugar a interrupcao do trafego.
Dispensa-se o intersticio para entrar na ordem
do dia, pedido do Sr. Souto Lima.
1.* diseusso do projecto n. 2 de 1855. Regei-
lado.
1.* discussaado de n 10 de 1860, sobre a cons-
ternar por melbor accordo nao retirar inteiramen-
te a pequea forca regular que l existe, antes re-
orca-la como effectivaraentesuccedea, approvando
en a deliberaco a que alludi do commandante do
presidio. i
DIRECTORA DA OBRAS MILITARES.
Tendo seguido para a corte, em cumprimento .
as terceira e qnarta seceo tem sido a conser-
vado mais dispendiosa em conseqnencia de gran-
de numero de dormentes substituidos. *
Entretanto a companhia procara attender os re-
clamos do engenheiro fiscal do governo adoptando
as medidas por elle recommendadas.
As estaces esto em excedente estado, com ex-
Gili-
Kego
Ouira do tenenle-coronel Jos Francisco Pires e; lr^K*L0'a **J& T^ ^,nt
outros moradores do Poco da Panella, pedindo urna : Onm[T&iL d. Pat& da a J
quola para a continuacaodas obras da capella da- "n> Amorim, Mariins de Almeida e J.
Ha lugar-A' commissao de oreamento provin- tj- % ^^ q gr Gigpar DrommonJ) e pr0.
Foi lido, e licou adiado por ter pedido a palavra | P? uspensio dos trabalhos, para que os Srs. de-
o Sr. Gaspar, um pareeer da commissao de neg
putados possam acompanbar a procissao do Sr. dos
vanla a sessao, daodo a segrate or-
das or>Bs7m'peria7vo coroneTde"estarJo"maior de : cepeo do'ediflcio de madeira que serve de estaco ctos'atclasias)i^rjaa ! cUsse Manoel Ignacio de Bricio, a qoem se acha-. central, e cojo estado deploravel. satisfazer o qne pede o vigario da Victoria. "*
va raanada-a,duafifia das obras militares nesta O governo anda nao resolveu sobre os memora- Outro da eommisia de ordenado, .concluindo
provincia, dWrgn go o capitao de engenbeiTes Domingues Jos Ro- estaco. de ordenado, pedido pelos serventes e continuos da
drigues, que assuraio o exercicio das respectivas E' insignificante o material rodante de que di6- secretaria do governo.A' imprimir.
anccoe's m 17 de Janeiro ultimo. poera a estrada sobre este ponto exprlme-se o s-
Por intermedio dessa reparticao foram execola- cal do governo nos segnintes termo.
das durante o anno prximo passado por autonsa- : Para dar urna medida da imp,tancras. mi-
cao da presidencia varios concertos e melhoramen-' nhas declaragSes sobre teo grave assumpto dire a
precisos nos diversos estabelectraentos militares da V. Exc, e para as minhas palavras peen a
provincia
COLONIA MILITAR DE PIMENTE1RAS.
Este estabelecimento est sob a direeco do cap;
to reformado do eslado-maior de 2* classe Jos
Ignacio de Medelros Reg Monteiro.
Edificios.
Alm de varios concertos feitos na casa, que ser-
ve de secretaria e de arrecadago, e em urna ou-
tra, que serve de residencia do capello, e na qual
foram levantadas duas paredes de alvenana, re-
construio se tambera, desde os alicerces, duas ca-
sas contiguas ao oratorio. Para a conclusio destas
reslam apenas porm fazer os compartimentos in-
ternos.
maior
attenc, que esta estrada de ferro tem recusado
transporte a mercadorias e algumas vezes passa-
geiros, e se acha na mais completa impossibilidade
Contina a diseusso adiada sobre o requerimen-
lo do Sr. urummood, pedindo infarmacoes acerca
da ergaoisicao dos corpos de voluntarios da pro-
vincia,
Ora o honrado depotado o Sr. Gilirana.
O orador, diz que estava disposto a prestar o seu
voto ao requerimenlo, mas qne foi (oreado a reti-
ra-lo, para impngna-lo
presidente le<
defcat) d:
CeUlinuaco da anterior ; 2 diseusso dos pro-
jecios ns. 37 de 18J8 e o de 1860; 3' dos de ns.
19 de 1865 e 1 de 1866 ; 1" des de ns. 10 e 12
deste anno.
as mais urgentes,
Outro para que de preferencia vo commissao
de oreamento.
Oatro para qae, alm dos additivos, vo tambera
os projectos existentes na casa creando eadeiras
de instrncco primaria.
Oram sobre a materia os Srs. Souto Lima, Costa
Ribeiro e Ramos,
Encerrada a diseusso approvado o ultimo re-
querimenlo, Qcando prejudicados lodos os ontros.
Falla pela ordem o Sr. Gaspar Drummond, pe-
dindo a apresentacao do projecto de forca policial,
e que se d para a ordem do dia o seu requeri-
menlo sobr os voluntarios da patria.
O Sr. Correa de Brillo pede dispensa das com-
SESSO ORDINARIA EM 17 DE MARQO DE 1866
PRESIDENCIA DO SR. VICARIO FRANCISCO PEDRO DA
SILVA.
Ao meio dia fez-se a chamada e esto presentes
os Srs. deputados Francisco Pedro, Ayres, Ramos,
J. Reg Barros, Correa da Silva, Joaquim Tavare?,
., pela marcha que teem to
^SrTcS ttKaff SggV I ^ est sugeito to grandes e continuados reparos acredilar que a maiona era decuriada. Este pro- Cicero, Sergio, Gaspar, Buarque. Amynthas, Amo- Piados, a verba eventual s des mada a pa-
que brevemente fallar o lempo indispensavel para Slelo'S Lu Iga, d^ o Sr Gu.rana ; nao *.. fores Brando. Ainorim Burgos, Epamraou- g^^""SKafS nao" se STi
colloca-lo em estado de dar transporte seguro. ; pde passar sem reparo, porque ollensivo aos ; das, Gilirana. Jeronyrao e Br.tto. i S^^??^.MLT
Em vislad'isto de suppor que o goyetno no pro-1 merabros da maiorla. Nao lia decuriSes na casa : l Abre-se a sessao.
prio interesse do paiz, por si, ou exigindo da com- < caa-a um vota com a independencia que lhe pro
panhia, providenciar sobre acriuis$o de maior, pr|a. (Apoiados.)
numero de vehculos de transporte e de locomocao j o illuslre orador faz largas considerares sobre: Barros, di
para estrada. a materia do requerimenlo, e conclue peta sua re
O tel^grapho elctrico produzo urna receita de gego.
3:1345370 reis, rauito superior a do telegrapho pu- ora ainda o Sr. Joaquim Tavares, que abunda
mais habilitada para examinar esse acto da pre-
sideocia.
Entretanto o honrado depulado pede descolpa
de se ter oocupado de ama questo qne lhe diz
respeito, e pede aos seas eottegas como favor es-
pecial que approvera o seu reqoerimento.
Falla em seguida o Sr. Buarque.
flii?nr2v?.. ?.em Uma da"oe'las occasi3e1LP.ra I mistfea ^'^BaJakao'e poderes e de pulida,
o indmurLm^i'J l "^ SS?-^ 222? Para 1e havia sidoeleito, allegando motivos de
. avET2S V~TJ8M0 de or5ament0' da i saude que o imposibilitara de trbalhar.
qn,0TS-dTns*- a .. Consultada a casa, resolve negativamente.
JfMaajMlMhi oreamento tendo examina-; ,. iiSC g proj(Clo *deste a0 abrin.
do os crditos snpptementares abertos nelo nresi-: ^ m u.^..r.HTJL11-t ^..-f-.^ r... ,.
dente via-aa na necesswaat, para poder apreeia-tos, verno._F mSm& sera debate.
de pedir as respectivas demonstrases e igaalmen- Tendo ffi a hora Sr presideI,,e |mBto a
te todos os docDmentos relativos a indemnisa5ao sess dando ordem do dia 0 segain,e :
paga ao finado brigadeiro Drnmmond ; e que so ,. dijCassao dos projectos ns. 21 deste anno,
depols do mais escrupuloso exame foi que redigio; !4 17< 18 19 e 47 de' 186i. 3 e 14 de 1856; 2.
o parecer que foi lido na casa. dos projectos de crdito, do n. 18 deste anno, 10
O Sr. Buarque pondera qne foram dous os pon- de ,857 2 de im pareceres adiados, e contina-
los de reparo da commissao, nm com relacao a c5o da aD[erj0,
forma do crdito, e oulra com relaco s objeccoes '
feilas pelo procurador fiscal. ""
No primeiro caso, diz o orador, nao devia o pre-
sidente abrir um crdito supplementar verba
E' admutido no salo com as formalidades do I Quanlo ao segando ponto, o orador diz que nem
eslylo, e presta juramenlo o Sr. Jos Joaquim do de leve quiz ferir ao seu collega e moi menos
A obra da casa de mercado em construccao vai
em andamento, e espera o director que brevemente blico da c rte. as considerarles feilas na sessao passada.
esteja concluida. E'uma fonte de receita que todos os dias aug- ORDEM DO DIA.
A antiga capella e as duas casas adjacentes es-: menta, e que susceptivel de grande desenvolv- Contina a diseusso adiada do projecto n. 7
to multo deterioradas. O cemllerio acha-se em bom i ment. deste anno sobre a freguezia de Cruaogy.
estado. A commissao incumbida de liquidar as contas, p Sr. vigario Jerooymo requer a retirada do
Dorante o anno prximo passado foram inhuma- da garanta trabalhou regularmente e proceden a I projecto, no que concerne a casa dpois de orarem
dos 76 cadveres, sendo 15 de adultos; dos quaes todos os exames nos respectivos documentos da es- os srs. Buarque, Brillo, Hamos e o proprio autor
10 do sexo masculino e 5 do feminino, e 64 de irada.
prvulos, sendo destes 31 do sexo roascallno 33 __.. !
Depois de glosadas as despezas que lhe parece-
rain irregularmente levadas a conta do costelo, o
resnliado da liquidaco do semestre Ando em ju-
nho ultimo foi o seguinte :
Receita do semestre............... ?3!:i!?if i do "construir um caes 'al a cidade de Olinda, e ca
l5J:&tt>#Z85 na|isar 0 r| Capibanbe.E" regeitado sem de
do feminino.
A otaria, casa de fabrico de farinba e outros edi-
ficios carecem de proraptos reparos.
Pessoat.
CompSese do director, do seu ajndaote, um ci-
rurgio e um capello, ao.qoal,.alm.das funecoes Uespeza...
do sea ministerio, incumbida a instruccao ele-
mentar dos colonos na respectiva escola, na qual
matricularara-se no decurso do anno prximo lindo
12 lumnos ; desles a maior parle, ou quasi todos,
apresentam maior ou menor aproveilaraesto.
Forca.
Em conseqnencia da deficiencia de tropa de li
nha nesta provincia
do requerimenlo.
!. diseusso do projecto n. 23 de 1857, aotori
sando a construccao de diversas obras, upprimm-
districio.
L se e approva se a acta da sessao anterior.
EXPEDIENTE
Um ollicio do secretario do governo,. participan
do que a presidencia ficava
notneado para o lugar de 2'
da ass^rablea o 34 da mesma Pedro Paulo dos
Santos, que foi substituido por Francisco Paes
Brrelo Larnenha Lins, e que foram expedidas as
coraraunicacoes respectiva reparticao.loteirada.
Uma petigo de Francisca Theodora de S. Jos,
regente do recolhimenlo de Nossa Senhora da Con-
ceico da cidade de Olinda, sollicitando da assem-
bla a quantia necessarla para os reparos do mes-
venera vel memoria de seu pa, cidado respeltavel
pelos seus servicos ao paiz; que nao ha nada no
parecer a que se possa emprestar esse pensamento.
Declara anda que a commissao referi apenas, e
sciente de baver sido | mu ligeirameote, o que disse o Sr. procurador
offlcial da secretaria fiscal em seu offlcio ; que oenbum dos documentos
do a reparticao d obras publicas -E' regeilado sem mo estabelecimento.-A' <*&J*fgE
debate Outro de Alexandra Americo de Caldas Branaao,
1." diseusso do projecto n. 6 de 1860, mandan-
Saldo.............................. 142.034*830
Joros devidos pelo governo geral... 165:213^217
Ditos por esta provincia........... 66:085*2g7
Depois de largas consideraeoes sobre os recursos
e futuro da estrada de ferro, que no anno proxi-
! escripturario da ihesouraria provincial, pedindo
a assembla restiloicao dos seos vencirnentos cor-
respondentes ao lempo era que esteve doente.A'
commissao de ordenados.
Um offlcio do r. Antonio Vicente do Nascimen-
to Feitosa, participando que ficava sciente de ter
sido nomeado para a commissao que na corte lera
de fellictar a 8. Magestade Imperial.A archi- j
bate.
!. diseusso do projeclo n. 17 de 1865, aatorl-
sando a construefo de mais um raio para o edi-
ficio do hospital de caridade.Approvado depois
de orar o Sr. Ramos.sasiemando a conveniencia ao
projecto. '
1 di oenciencia ue irup* uo --zz. nmnmln nm inrn r'nre , foram chamados e achara se ; ^S^JSSSSJBi conc Se pelo seguinte \ 1864, autorisando a construccao de uma rJe
eOeetivamente ^t9S/tSTSt >dV?obre ^^^^S>ZZST' ^^ *M eo estabelecimento de
5ao e pollciameato da cotona 16 colonos del ^ am&famtomto protaada, que "fifiS*"^. em disCQS3a0 o oara-
C'aSSe- Popuacuo me Pare "0 ser 'mer"i0acredi,,ar ,arabem qae rapn o. u ivo doT d? 2*&
Segundo o o.timo^cenfeamento monta ella a tolro de te do. o ^"$Jg ~ S^SSrmo? f
1188 pessoas. Destas 1173 solivres e 15 escravas, tena de pagar 1*?***JF*L*+ A's pessoasou companhias que se anearregnem
M-. 7 d ,. ,.,... 8 ^-^sst^^frzsz tsessssasasjxss
da loma o movimeoto aa iran, esias previsoes po- onnrnuaojn rt, assemhl Fpram presentes a >a
dem realisar-se mesmo antes d'aquelte termo.
REVISTA DIARIA
Rene-su boje em sessao extraordinaria a asso-
ciagflo commercial beneficente de nossa praca, afim
de tratar de negocios tendentes a colonisacao po-
laca no Brasil.
Nao era de esperar outro procedimento da parte
de ama corporacao to importante : e estamos cor-
tos que do conselho que nella lem de ser tomado,
resultara urna declso esclarecida, patritica e
adjuvante de uma idea grandiosa, como a emi-
grado espontanea para o nosso paiz, e cuja pro-
moco nao licito a ninguem excusarse.
Ora, se individualmente isto uma verdade, com
que foram presentes a 'commissao, que entretanto relacao aos corpos conectivos uma obrigaro que
pedio todos os que houvessem sobre a materia, mos-1 torna-se indeclinavel principalmente na sitoagao
Ira o que afflrmou o seu collega. Entretanto, ob- actual do paiz, que, abatido em soas industrias,
serva o Sr. Buarque, a commissao nao lera duvi- agorentado em sna propriedade agrcola, reclama
da em suppriair essas mesraas palavras do pare- > lodos os esforcos de salvaco da parte de seus fi-
cer que desagradou ao Sr. Gaspar, se elle apresen-1 Ihos e dos sens amigos, a quem offlcioso ba presta-
tar na casa os documentos que pede em seu reque- do bospitalidade.
rmenlo e qne mosirem o qne o nobre depulado re
ferio.
O orador lea todos os documentos'qne foram
presentes commissao, os qaaes confirman) o pa-
recer, e conclue declarando qae vota pelo reqoe-
rimento.
Falla anda o Sr. Gaspar urnmmond.
Encerrada a diseusso, o reqoerimento ap-
provado por unanimidad!1.
ORDBM DO DIA.
Primeira diseusso do projecto n. 9 de 1860. E'
var-se.
L se e vai a imprimir um parecer da commis-
sao de posturas e negocios de cmaras, approvan-
do os arligos de postaras da cmara municipal da
cidade da Vicloria.
L-se e approva-se a tedaeco do projecto o. 55
de 1858.
L-se e approva se, depois de orarem os Srs.
Soares Brando e Silva Ramos, a redacto do pro-
jecto substitutivo ao de n. 7 de 1864, sobre a rede
de estradas na provincia.
L-se e vai a imprimir o seguinte parecer da
approvado sem debate.
Primeira diseusso do projecto n. 101 de 1864
sobre llancas criraes. *
Falla o Sr. Buarque, ponderando que devendo
o imposto ser regulado annualmente prefervel
qne a materia do projecto seja tratada na lei do
oreamento.
Encerrada a discosso o projecto regeitado.



1
.
-


Pernarobuco que primeiro dea o passo para a
promoco d'essa colonisacao, nao deve agora esta-
car, e deixar de concorrer com a sua parte, para
qne a sociedade fundada no Rio de Janeiro consiga
seas tras, qne foram os nossos quando constituimos
I aqui uma sociedade. e que ainda o sao agora, que
i nos irmanamos aquella em espirito.
Em materias de tal ponderaedo, o egosmo nm
pygmo. Creatora liliputiana, passa desapercibida
para enxergar-se somente o que deve ser visto ;
porque oesta viso vo inleresses moi vuaes para
a riqueza da trra em que nascemoe, visto qne to-
dos os dias a realidade nos exhibe o desequilibrio
entre as faculdades productivas do paiz e os meios
de activa-las e deseovolve-las de modo proficiente
para a soa prosperidade.
Os iniciadores da idea da sociedade de colloni-
| saco polaca, creada nesta provincia, deram em -^
boa hora o patritico exemplo de. abstencao dy
Primeira diseusso do projecto n. deste aono, resentlmentos egoisticos^rn^fcTlda a4n-WlCva-
coocedendo nm anno de licenca com vencirnentos, gao da sua sociedade fe vendo qne a idea encerra
ao professor publico Jeronymo Thaotonio da Silva um interesse conectivo, que a causa sendo com-
(Conltnuar-u-ha)
COflMWO DAS ARMAS.
feminino, dos quaes 296 adultos e 277 prvulos.
Agricultura.
Sao rouito feriis nao s os terrenos da colonia
ooe nos termos do art. 4 do regolamenlo de 9 de ;
novembro de 1850, devem ter a extenso de orna
legna em quadro, seno tambem todos os que lhe
ficam prximos, e onde existem trras devolotas,
as qoaes, bem como o stricto da colonia, anda Qnarl<| qf f ral de cemmando das armas de Per-
nao foram demarcadas, e en parte se acharo occu- ed>de fc Rfldf u de
padas por proprios, cojos mulos tem ae ser veno- .
cados looo.
Banhados pelos rios Pirangy e Fervedor, con-1 Ordem do dta n. 217.
fluentes do rio Una, e pelo riacho Espelho, que em (
suas enchentes do transporte s madeiras corta- 0 raarecna| de campo commandante das armas
approvaQo da assembla. 17" presentes a -coarmiasao de fazenda e
t O contratante podera", independenteraente des- oreamento as portaras e deeaonstraedes dosxedi.
ta approvaco, dar comeco aos estados prepara- tos sapptemeolares abertos pela presidencia da
cao dos planos das obras, os qaaes ficaro perten. proV ocia ero datas de 2 de V*
endo a'provincia, medante indemnlsago, caso agoslo, 16 de setembro, 30 de oatubro 6 de no-
nio seja approvado o dito contracto.-Buarquedejvembro e 5 de dezembro, tndo do anno prximo
Macedo.
Ora o Sr. Buarque, mostrando as vantagens do
substitutivo qae offerecen.
Encerrada a diseusso approvado o substitu-
tivo do S Io, Bcando 0. projeeto preso at que se re-
solva em oatra diseusso sobre o mesmo substitu-
tivo.
!. diseusso do projecto n. 8 de 1860, acerca de
das as matas, esles terrenos prestam-se admira- {il puD||C0 para ronheclmento dos empregados do ora arude em Limoeiro.
velmente a grande e peqoena cultura. | extinto hospital militar desta provincia o aviso que Reconheeese nao haver casa.
O algodo e a canoa de assucar produzem ,a secrelarja do estado dos negocios da guerra O Sr. presidente declara que vao ser remetlidas
ah to bem o feijo, o milbo, o arroz, a mandio- fo, expedd0 a | do corrente mz, o qual por copia lels saeco, para o qoe oomda os Srs. torrea ae
ca, etc. lhe foi iransmeitido com offlclo do vice-presldencia Brito, Hsbello e Amyntas.
Nao muito distante^da povoagodos Montes, para.i datado de 15
onde podem ser facllmeaie remeitidos os seus pro-1 4/ directora geral. 2 scelo. Rio de Janeiro,
doctos, a estrada de ferro Ibes oflerece ahi rpido | jumsterio dos negocios da goerra en>6 de mar-
e commodo transporte para o mercado desta ca- ^ de iggg
pital.
Illm. e
Exm. Sr. Tendo S. M. o Imperador sido,,868-
desenvo ver por lodos os modos, manaei pea re / ue ,"0,"" ^ ', mrnha e de farenda
pariicao das obras publicas fazer os esludos precl- salta1 das.seccSe1 de guerra. nga^de fazenaa
sos e levantar a planta de nma estrada de rodagem do conselho eesttdS "' ..^Sres nao
qoeseri SUS entre a co.on.a e aqael.e po- emprendo, ^jSSSt!^SS%3m
Assim,o.terrenos, de qoe fallo, oOerecem 0$\****W\QJJ&
mais vantajosas condoes a agricultura, e s espe- aprove.tados^noshospitaes ^>2 J- e"0"
rara o emprego de capitaes e de tiabalbo in.elligen-: citos em f^^*$sf^^^J^a
faltara! 'f. acha mais desenvolvida na co- da Silva Ferrax. Sr. presidente dapromci de
lonia a do algodo, devido isto seguramente ao PerDWLnoo. m
nVsaSa^!eTK..ar dos damnos caosados .iadanu de ordens \MtowmW* aeta-
pelas charas do mez de outubro prximo flqdo, e i lhe.
lindo de 1865
A commissao, examinando minuciosamente to-
dos os documentos relativos aos ditos crditos,
apenas reconheeeo em sna humilde opiniao que o
crdito supplementar verba eventuaes da lei do
orgamento do exercicio de 1864 a 1865 nao tinha
sido regularmente antorisado.
Este crdito foi dest nado ao pagamento de
ama indemoisacao ao finado brigadeire Gaspar de
Menezes Vasconeellos de Drnmmond, pelo terre-
no de soa propriedade, denominado Trapiche, oc-
cupado pelo canal de juocco dos rios Serinhem e
Forrnoso.
Pensa a commissao qoe o pagamento em ques-
to s poda ser antorisado por esta assembla,
por isso que se iratava de nma despeza provenien-
te de uma obra comecada e terminada nos exerci-
cies de 1855 a 1858, como observa o inspector da
thesonraria, e nao por nm crdito sopplementar
como se denominou o que a commissao chamara
SESSAO ORDINARIA EM 16 DE MARCO DE 1866. ames um crdito extraordinario, para o que nao
fresidoncu do su. vicawo fhakcisco FEoao da. "' aoiorisada t presidencia.
SILVA. Pondera ainda a commissao a esta assembla,
Ao molo dia, felta a chamada, veriflea-se estarem que o procurador fiscal da fazenda provincial im
Em seguida levanta a sessao, dando a seguinte
ordem do dia : 1.* diseusso dos projectos ns. 2 de
1856, 39 de 1856 e 5 de 1860; 2.' discosso do de
n. 18 de 1854, e 3' dos de ns. 4 de 1854 e 55 de
Loureiro.
Fallam sobre o projecto os Sr*r Boarqoe e Bur-
gos, qne do -assemtofa as Becessarias Informa-
les sobrios motivos que assistem ao peticionario,
para sollicitar aquella graca.
Encerrada a discosso o projeclo approvado.
mam, communs devem lambem ser os esforcos,
porque da uo idade d'aquel la resulta a unidade des-
tas para surtir o desejado effeito, flzeram ainda
mais; vieram a imprensa protesta-I o de modo so-
lemne.
Assim o vimos, de tacto, pelo orgo antorisado
Primeira diseusso do projeclo n. 10 deste anno, *> noew amtap, o Ilustrado Sr. Dr. Sabino Olega
concedendo a gratifleaco wdlda por Vicente de no Ludgero Prabo, qne depois de historiar todas
Tf res Bandeira, pelo lempo em qne exercea o la- occorrencias da tentativa pernarabucana, con-
gar de escrivoda f?zenda provincial. E* approvado c'uio aconselhando o concurso de todos a sociedade
sem debate.
Terceira diseusso do projecto n. 19 de 1865,
approvando os contratos celebrados com os Drs.
Francisco de Paola Salles e Joaquim Pires Macha-
do Portella, para a poblicac&o da classifleagao e
ndice das leis provinciaes. E' approvado sem
debate.
Primeira discosso do projecto n. 12 deste anno
elevando es ordenados dos professores da escola
normal. E' approvado sem debate.
1.a diseassao do projecto n. 109 de 1864, man-
encorporada na corle com idntico flm.
A' associago commercial cumpre agora, com o
sen prestigioso amparo, tornar ama realidade este
concurso aconselhado por aqoelle cidado, e qae
mesmo nao pode deixar de estar n consclencia
de todos como nma necessidade imperiosa para a
prosperidade de nossa patria, a quem assim se ser-
ve do modo o mais fecundo aproveftoso, dando-se-
lhe orna colonisacao de individuos que por todos
os litlos Ibe sero sympatbices.
A' associaclo commercial de nossa praca est,
portaoto, fadada a misso de dar corpo a esta as-
- ..-- ; xendo afloal ao Brasil os bracos livros de que Unto
presentes os Srs. deputados Francisco Pedro, R'a
mos, Ayres, J. Reg Barros, Correa da Silva, Ar-
minio, Andr, Sergio, Cicero, Buarque, Lopes Ma-
chado, Tiburtino, Augusto de Soma Leo, Soares
Brando, Burgos, Jeronymo, Gilirana, Epaminon-
das, Amorlm, Paes de Andrade, Candido Martins,
Briito, Emygdio, Mergolhio e Gaspar.
Abre se a sessao.
L-se e approva-se a acta da sessao anterior.
EXPEDIENTE
Uma peticao de Claudio Dnbeox, sollicitando a
pugnou, por motivos que parecem procedentes, a
regulardade da iinuldacao promovida peto finado
brigadeiro Drummond, reconhecendo Ilegitimo o
pagamento pedido pelo mesmo trigadeiro ; entre-
tanto, tendo o presidente da provincia, como onico
poder competente, e sem recurso, para resolver
questes desta ordem, em ultima lostancia, deter-
minado que se effectaasse aquella pagamento, pen-
sa a commissao que neobum mel mais resta as-
sembla para remediar 0 mal que porventura, if
tlvesse feito.
Encerrada a diseusso, regeitado.
2.* discosso do projeeto n. 83 de 1864, man
dando construir Igualmente algumas obras.-E
regeitado sem debate.
1.* discosso do projecto n. 55 do anno passado,
melhorando a aposentadora do ex-offlcial maior
da secretaria da assembla.
Falla sobre a materia o Sr. Buarque, declarando
lar duvida em sea espirito acerca do ficto da as-
sembla legislar nomraalmente sobre aposentado-
ras, como se pede entender do projecto-, e se
regular qoe se abra uma excepjo na lei que re- ra
gola as aposenudorias, e qae manda apenas con- mandar 1
tar o ordenado como base para os vencirnentos
carecemos, e com elles a perfeico do trabalho, a
meibona da coibeita, emfim a fecnndaco pela in-
teligencia das footes das riquezas qae ora psam-
enos sem o, apreco devido.
U vapor Douro foi do sal portador para esto
provincia de 8,000 e de 116:140^000, a entregar
a diversos.
Acaba-se de informar-nos o seguinte:
Sabbado ultimo apreseuton-se na toja n. 30, a
do Llvramento, um moco pedindo afim de
cambraias bran-
cas ao 2.* andar do sobrado n. 32 da roa Dire ta.
anoseatados. < Eflecvamente foi um caixeirtnho lavar a fazen-
*oZBSS*173^tffKSSdredWa ( 3 poca, t maaMh. tal moco
de principio? e manda a mesa nm reqoerimento em tombo na Iota de um eitmalfcador d^daahto
owa oue seja oavlda a commissao de oonstitaiolo el e, reanio-se ao menino, e entrn no toteado? n.
5"odoSs sobre a materia do projecto. I fia oqja escaa manda o ffl&abo esperar





-
14M-^ ra' Aii'a Ajp
fi ao2.' 3aa mostrar a fazenda Ho aono passado entraram 3,039presos e
DlarU de Feramfcueo Terca felra to de Mareo de 1806.
, .____aMi
do-lh< e i 5o5. aaf mosfrff a*faiencta 1 To aon passaSomrarara"3,039*r*eore"re- toes e facto que entregues ao
para ver e agrada va. ----- fTressaram (Toutras prsSes 173, que,raaldo ,39 Jarv de sentenca, que se rMr
Ora o caixeirinho se-ii saspeitar nada, e mesmo qae existiara do anao antecederle, eleva a 3,592 o mambros dille a sata secreta pela
falto de esaerieMia, (edeu* ajli plaptou-se 4 es- numeaa do* arases qaeH*** aaitMiylfcssariVTonde toa as 2 cora soas
mesmo lempo sahlram 3.Jl.hUewi# rara, parar o anno crreme 3M. ] o Jury de sentenca, em
RKPARTigAO DA POUOA
pera que rile desees*", o que aconteceu algara
lempo ihiiatwplIrnnlt "" enio,- qtie soiisse
aflm de aja.'tar sobre o ollimo prego.
Sobe o caixeiro e p5e-se a andar o laraplo sem
demonstrar qae tinba em si aa tundas. No ea-
iretanto, nem no 1.a, era no L* sanar appareeeraa
as cambraias, e nem o poda pols arara extranhos
a esperteza do larapio.
Tal industrioso seria bota* ene fosse posto bera
guardado.
Foi encontrada nalat. H. > 9'*aloog. OIV a
17" a barca sueca Osca>\ qae la da Whilby para
Bomba y, levando eolia)/ 64 das de viagem.
Cora a cprrentez? da mar en-se no sabbado
ama especie de conlradansa pouco agrada*! entre
a barca ingleza Ktdalgo, e a sueca Ignez ; as quaes
por TOi-se acebrado o viradouro da prhneira e ar-
rabiado por isso a segunda, foram sobre a barca
poriuguea Conitante III, qae sabio da restae*
cora aisjomas avahas.
No da SI do correte celebra-se em Olioda,
no respectivo mosteiro, a festa de S. Beoto, deven-
do presidir ao acto toda a solemnldade e pompa
proprias do nosso caito exteroo.
Pontifica o Exra. D. abbade com assistencia do
Exm. e Revm. Sr. hispo diocesano.
Ora o Revm. capello do seminario, e Sr. padre
Sebastio.
A nossa caixa lial val proceder a venda em
hasta publica dos objecin de oaro, prata e diaraan-1
tes, qae all foram despositados em eauc.ao por
letras.
Esta deliberaco assenta em terem-se vencido
as mesmas letras, e nao haverem sido pagas pelos
seas aceitantes ; e alera disto est conforme ao
proscripto nos estatuios.
No da 16 abriraru-e os trabalhos lectivos
da Faculdade de Ovalo, e os respectivos I mes
foram distribuidos pelos anuos e cadeiras do modo
seguinte :
NI.' anno.I." cadeira Dr. Silvtlra de Souza,
das 12 a 1 hora, na sala grande ; 2." cadeira Dr.
Jos Reato, das 11 as 12, ua sala grande.
No Io anno.i. cadeira Dr. Aprigio, das 8 s
9, na sala grande; 2.a cadeira Dr. Vilella Tavares,
das 9 as 10, na sala grande.
No 3." aoao.1." cadeira Dr. Braz, das 6 s 10,
na lerceira sala; 2.a cadeira Dr. Aguiar, das 8 as
9, na 3.a sala.
No 4 anno.1. cadeira Dr. Loureiro, das 10
s il, na 1.a sala ; 2.a cadeira r. Portelle, das 9
s 10, na 1.a sala.
No 5.a anno.1.a cadeira Dr. Baptista.das 8 s
9, na 2.' sala; 2.a cadeira Dr. Autrao, das 11 s
12, na 3.a sala ; 3." cadeira Dr. Reg, das 9 as 10,
na 2.a sala.
No programma do ensino foram contemplados os
mesmos compendios adoptados no auno findo.
O vigario Joo Jos da Costa Rlbeiro mudou
a sua residencia para a rna da Roda n. 17.
Pedem-nos esta publicarlo:
Seropre qne temos occasiao de registrar o con-
ceit, que no paiz adqnirem os homens de mrito
pela sua InteHlgencia e trabalho, satlsfazemos com
praier esta tarefa.
O pequeo e importante discnrso do Sr. Dr.
Sarment, recitado por occasiao da reunio, qae
leve logar no theatro publico para se tratar da so-
ciedad* de colonlsaco nesta provincia, tem sido
acolbido favoravelmente na corte. Transcrevemos
aqu o qae diz o Diario do Rio de Janeiro de 6 de
marco a re-peilo :
c Todos os das nm novo testemanbo nos vm
asslgnalar a marcha progressiva da grande Idea
que preoccopa hoJ6 todos os espirllos.
c Do norte e do sul traz nos a imprensa as pro
vas do eothusiasmo e da dedlcaco com que todos
os homens importantes se occopam da resolucao
desse grave problema. O pensamento, qae servio
de base a organisaco da sociedade Internacional
de Emigraco, ja' acbou echo e deu orlgem a for-
maco de urna sociedade idntica aquella, no sea
. bjecto essencial, na provincia de Pernambnco.
O nosso activo e illustrado correspondente
nessa provincia offereceu aos leitores do Diario o
bello discorso proferido pelo Dr. J. J. de Moraes
Sarment na reunio popular em qae resolvea fun-
dar a sociedade.
Para os habitantes da corte qae, sraras vezes
00 s ao seio da cmara, tem occasiao de apreciar
os grandes talentos das provincias, devem ser gra-
ta a leitura desse nolavel discurso. Fondo e for-
ma, tudo nelle recommenda. Com grande sope
..,,'ui.uv i. ji. ai. odiiueuiu esiuia tonas 3S lilas
questoes que se referem a esse assumpto. >
Com data de 14 de fevereiro prximo pas-
sado temos a seguinte caria escripia do nosso
exercilo de operacoes contra o Paraguay :
< Ha dous dias que estamos acampados em
Tala'-Cor, a menos de urna legua do Passo da
Patria e a 5 de Humayt.
t Ja' v, pois, que muito breve mediremos as
nossas armas com as do inimigo.
O general Mitre esta' a meia legua distante de
nos, e o general Plores um pouco mais adiante.
Depois do combate (se escapar) Ihe conlarei
da festa. >
Chegou hontem de Lisboa o vapor inglez Gla-
diator, da linha de Liverpool, que adianta 2 dias
as dalas qae recebemos pelo Exlremadure. Nao
recebemos carias nem joruaes, era vieram na
mala para pessoa algama ; entretanto ieformarn-
nos qae nao foi elle portador de noticia digna de
mencao.
Durante o anno de 1865 dram-se as segua-
les alit-racoes na populaco da ilha de Fernando,
seguddo os mappas estilsticos enviados pelo digno
capello desso presidio, o Rvm Manoel da Vera
Cruz, a S- Exc. Rvm. o Sr. bispo diocesano.
Houveram 38 nasciraentos, sendo 22 do sexo
masculino e 16 do feraloino, dos quaes 4 flbos de
empregados, 4 de paisanos e 30 de sentenciados.
Baptisaram se 40 pessoas, sendo 22 di sexo
masculino e 18 do femioino, dos qua'S 4 fllhos de
empregados, 7 de paisanos. 27 de sentenciados e
1 escravo.
Casaramse 4 sentenciados com paisanas.
Fallecern) 2 soldados, 10 sentenciados, 5 pai-
sanos e 10 prvulos, sendo 3 do sexo masculino e
7 do feminino, ao todo 27.
O vapor Sania Cruz da companhia brasleira
de vapores, em sua ultima viagem dos portos do
sol para os do norte, gastn apenas 6 '2 dias, de-
morando-se o lempo devido na Babia e Alagoas.
E' ama bella viagem, qae muito honra ao sea
digno com mandan te, o Sr. Carlos Gomes, o que
demonstra a snperioridade desse novo vapor da
companhia e poe em evidencia que s por ei reun
stanciss extraordinarias fez elle ama rna' viagem
da primeira vez qae veio ao norte.
Acabam de chegar de Inglaterra para nm
posso amigo alguns poneos exemplres do Vocabu-
lario symbolico anglo-franrez. W ama bella obra,
de grande-valer nao s para as pessoas qae deso-
jara estodar estas linguas, como para todos era
geral, visto qae nelle vem mencionados os termos
de todos 03 objeetos da vida comraum, com o com-
petente desenlio representativo de cada uro.
Acbam-se a' venda, a 5*000 o templar, as fi-
vrarias Econmica e Praeeeza, ra do Crespo
ns. 2 e 9.
Hoie nao hatera' leilio de movis da socie-
dade Bella Harmona confirme foi anunciado.
Amanheceu hontem roobada a taberna da
rna do Trapiche, de qae propietario o Sr. Ma-
linas Gomes Perreira, por arrombameato pratica
do na techadora da pona da entaada.
Foram subtrahidas, \m de vanos gneros, dif-
erentes obras de ouro que existia em urna gaveta
Lera como 16*000 ris m dinheiro, snbindo a to-
talidade deete roubo ns 160*000 ris.
Procedeu-se a competente vistoria, e tracta-se
de indagar qaal o autor do facto criminoso.
As 10 1/2 e 10 3/4 hora* de boje, par ti rao
do commercio os mnibus para e lello de movis
carros e cavallos, conforme acha-se anunciado por
interveneao do agente Pinto.
Hoje agente Euzeblo, vender' era sea
esenptorto i ra da eadela n. S5 1.* andar, o sitio
que foi do fallecido Sebastiao Jos da Silva, ama
obre chcara, eora maltas vatuagens reconheei-
das; os seohorespreteodentes aproveilem a oppor-
tuoidade de fazer urna boa acqaisleao.
Na sexu-feira, pelas 8 horas da manbaa, S.
Exc. Rvma. reeeberi a aijaraeio de om preso re-
colhido a casa de deleogo, e ua respeeffva protes-
tacao de f, baptisando-o em seguida.
No relatorio do digno administrador da casa
de deteocao, o Sr. Dr. Rufino Augusto de Almeida,
colbemos os segaiotes dados esUUsticos:
Dorante o quinquenio de 18611865 entrara
no edificio 16,587 pessoas, sendo 1468 era 1861,
-3,264 em 1862,-3,403 1863,-4,240 ara 1864
e 3,212 ara 1865: atetndole a deepeza da ali-
meatacao 131:915*727, sendo 37:350*360 era
1861,- 26:7*f)M era 18M,-23:494*821 en
1863,-21:447*581 ea 1864,- 23:415*068 ara
186C
Extracte da parte dodia 17 de margo de 1866.
Foram recomidos casa da deiencio no da 16 do
corrate :
A ordera do Dr. delegado da capital, Lauriaao,
menor, at que se verifique sua verdadeira candic-
fio.
A ordem do subdelegado de S. Jos, Gnilherraina
da Conceigo, por briga.
A ordem do do Peres, Jeio Bapiista Carada, por
crirae de estellionato.
O chefe da Ia saecia,
/. G, de Mesquitq.____
P
1 :
l:
i?
a
e
1
u
00
&'
' =1 SI 8

m I ao
3
Masculino.
Feminino.
Masculino.
Feminino.

Masculino.
*" I
Feminino.
CA
O
i
Masculino.
i i
(O
Feminino.
: t
Masculino

s
Feminino.
I
I TOTAL.
i
I
O
Dr. juiz de direito absolveu o reo conaaranaado" r
municipaltdade as casus e levaatoa a sesso ad-
diaado para o Ua 12 3o correle,las K) horas da
maaaia.
-,
fl DK ARCO DB,.WB6.
PrajMmea do Sr. Dr. J060 Antn it Araujo Frei-
im Bmrtquetijtm d reito to pmeira vara
Btfe HarmOnia. XOTO banc dFPernaaj- 8,023 alqueires de far.nba de mandioca : j or-
^.^X"^&<** Pe'o premioe condicops que se conven do4^.aaailM-aMlBltAj;
Paratwje
jggjfc^--; ua pussa ier lugar por oru, .(aflrrente pelo premio e condicoes
HtmaiigpMos como ex membros da comraissao CJ0Dar e saca obre a Dracada Batiia
Wjaidaiaria horneada em sesso da assembla ge- M S0Dre Prava*<1 D"oia
jal de 12-4Mprrente, euieodea dawdeclarar 8;#v,|-, nn.i ** a*-*. a
pornuti naiaconheciraeoto Im isaatafr" i" aaao, a miai ao naico ao
sabara em Pernaabaco.
Teaao a soejedade ebegado a ponte da se eoasl- De ordura da directora se fas pulico que o
derar tasustaatavel, j pelo debituavaUado qae tem I thesoreir) desta oaixa se acba auorisado a pagar
a pagar aaeaassidaue de compra sapslilall di-., o dividendo do seoeste;ado em 31 de dezembro
versos objeetas, j pelo redusldissicao nuuaara de prximo passado, na razao de 12*000 por aoco.
Brasil
00
t
B
8-
puhlico Dr. Joo Ihajn avlilva.
Joaqaira Francisco de Bita Estevas
Clmenle.
Advogado o Sr. Antonio Paulino Cavalr.anti, es-
ldante do tercerro auno da faculdade de direlto.
Reo EirmiBO Francisco Regs.
Feta a chamada as 10 horas da manba, achaai-
se presentes 41 senhores jurados.
'Foi dispensado por molestia o seguinte senhor :
Manoel Francisco Marques.
Foi dispensado a bem do servico publico o se-
nhor segrale :
Tenenle coronel Antonio Francisco Paes de Mello
Barrete. -
Foram multados em mais 20*000 cada ora dos
jurados ja multados nos anteriores dias de sesso
o a cada ara dos seguales senhores :
Tenenle Joo de Sinueira Campello.
Jasada Barros Corroa Satis,
Dr. Bento Borges da Fonceca.
Joaqnint Jos Aires de Albuquerqne.
Ur. Joo Alfredo Correa de Oliveira.
Dr. Joo Neporaaceno Das Fernaases.
I Aberta a sesso procedea-se so sorteio do jury
de sentenca, ao qual foi deferido o respectivo jura-
mento : fot o reo interrogado e lido o precesso des-
envolvida a aecusacao e defesa e depois da replica
e ireplic, fot resumida a materia da aecusaca j e
da defeza ; propostas as questes de facto que fo-
ram ellas entregase com o proeesso ao presidente
Interino do juiy de sentenca, e retirndose este
cora os de mals membros do mesmo, pan a sala
secreta das conferencias pela 1 hora da tarde de
onde volloo a I 1)2 com suas rososlas, qae lidas
em alta voz pelo presidente do jury, em vista ^e
coja deefslo o Sr. Dr. jale de direlto condemnou o
reo a 1 mez de prise e multa correspondente a
metade do lempo, e levantou a sesso adatando a
para o da seguinte pelas 10 horas da manhia.
Caixa
da 1866.
ocios que caatava, j por nao pode, anli
funecionar como sala de danoa, parqaa a
compareca asa dias proprios, ja porque quereB
converte-la em um pequeo club, teria infallivel-
mente de-so mudar mimilia casa, e tal casa ato
apparece com as convenientes proporses, e, para CaX8 PtiU 4tt
searraajar sena preciso gastar alguns contos de
ris; por ludo isto era sesso da aseembla gerol
ue a de fevereiro a commisso directora apresen-
lou a proposta de dissoluco. Sobre esteve-se nella
porque a requerimenio de um socio, o Sr. Joaquim
Francisco da Silva Jnior, foi oomeada urna cora-
rnissao para ver se se ppdia evitar, que a sociedade
se desmoreasse por urna vez, mas nada tendo po-
dido fazer a dita commisso, novamente se reuni
a assembla geral jera 12 do crrante, e exposto o
estado da soei.ade foi posu em (Ucunso, e de
pois votada -por unammidade a sua dissoluco.
Elegeo-se ama wmmisso hquidataria, e quiz a
assembla grai que ficasse ctrarpostr dos mesmos
membros que constiiuiam a cummiss^o directora,
cujas funecoes acabavnj aa tarsainar.
Assim, legaltaeote ettaeta a sociedade, a com-
misso lii|uidaiaria entrando em ejercicio, mandou
fazer os aannnoies para o leo, qae sj teeia visto.
neste Diario e no Jornal do Recife, para lmmedla-
lamenta pagar o avultado debito da sociedade, e en-
tregar o restante, segunde determina o art. 58 dos
estatutos, aaeinipilaes perluguez e-de Pedro II em
partes jguaes.
Foi entio oae o Sr. Antonio Agostraho Seixas da
Fonceca, memoro da commisso hquidalaria e mais
tres ou uuairo ex-socios que tinkam totaio pela
filial do basco do Brasil. 15 da Janeiro
O guarda-vroi,
Ignacio Nunes Crrela.
Banco 81 Brasil e
reruambuco 10 de marco- de 18662
De ordem da directora se fas'publico aquellas
pessoas que lera objeetos de ouro, prata e diaman-
tes depositados sob caucao nesla caixa, que estan-
do ja vencidos e nao pagas as letras, que aceita-
rain pelos referidos depsitos, se val proceder a
venda em hasta publica dos mesmos objeetos, con-
forme o proscripto nos estatutos desta caixa filial.
O guarda livros,
Ignacio Nunes Crrela.

ALFANDEGA.
Re*4imento- do da 1 a 17.....
fuera do dii 19...............
* Ir*, ljffu i -w
34:498*299
vt0a
Aztve-
13,516 arrobas de cbarqae, 70 eonros vaccane
de refago, 50 saceos cevada, 20 barricat. 139 arro-
bas de sato, 45 arrotas de graflPlm bex'gas; a
ordem.
Brigae nacional Invencel, aataddo do Rio
Grande do Sul, consignado a Araarlsn irmaos, raa-
nifestea O asgulnia :
10,2tt>af*pbas daehaaaaa, IM ai tas de gractia
em aaaigas, 60 barrieas 388) arsaaas de sebo coa-
do, 58 saceos cevada e &aauca taccons de re-
fugo ; a Maa, Espirito Sania.
rlfue nsetonal Othelo, entrad do Rio Grande
do Sul, consignado a Maia t Espirito Santo, maoi-
IvoaOU 0* MMhBIB T
',256 arrobas o> tbiRjae, 10 soaraiA'Mcons da
refugo ; a Amorim lrraos.
1879 arrobas de charque e 6 couro vaoeans de
rofugoe300 arrobas da gracha era ftesttas : a
Mala & Espirito Santo. ""
ALFANDEGA DEPERNAMDCO.
IAUTA DOS PISPOS DOS GBNEH0S SUJIITO A DIREIT09
DE KXPOaTACAO.SKUANA DS 19 A 24 DO MEZ BS
MARQO DB 1866:
Meroadoxias. IJaidades. Valores.
Abanos. ....... eeato 2*000
Agurdente de cana .... caada 800
dem restilada ou do reino _. 800
Idemoaxaea..... 340
dem geneara, fAfjnff/^ r/rfJil | ef**
____:.___wem geneara, ff\tfTT'^ '!'&&
478:631*373 '^^ *^t*d* '***' \
MOV MENT DA ALFANDEGA
Volomes entrados cora fazendas...
t c coro gneros...
Volumes sabidos cem fazendas...
* com gneros....
197
467
"ll9
492
-----611
ADVERTENCIA.
Na totalidade dos doentes existem 179, sendo 96
homens e 83 mulheres.
Foram visitadas as enfermaras estes dias :
As 7 3(4, 7 3|i, 7 3(4, 7 3l4, 6 1|4, 6 1|4, pelo
Dr. Ramos.
A's 8 3i4, 8 3|4, 8 1|2, 8 3|4, 9, 8 1(4, pelo Dr.
Sarment.
Falleceram :
Emilia Mara da Conceicaa, tubrculo pulmonar.
Mara Tbereza de Jess, iotene.
Antonio Francisco dos Santos, infeceo purulenta.

Correspondencias
Descarregam hoje 20 de marco
Barca francesaJin BaptiHemereadorias.
dissoluco, juntaudo-se a alguns oulros que ucn a Barca francesa Santo wdridem,
sesso unham ido, oomacaram a clamar qae a so-1 Barca inglezaHidalgo -dem,
ciedade ne se baria Ue acsaar-, que ella nao esta-1 Escuna dinamarquezaBeaneediversos gneros
va extincta, e outros disparates desta n alu reza; < de estiva.
pde-se, pois, fazer cabal idea do desenvelviraento Gelera inPleza-Hprmionecarvo de pedra.
iutelleciu.il desses senoore, dizendo que elles ten. [ Brlgue nacionalF/umiN do votado pela dissoluco da sootedade, eoleude- j Brigue nacionalMarmho //idem.
rain que dissoluco significa va continuaco... E' '
Algodo em caroco .... arroba 3*875
| dem em rama ou em lia t ^ 15*500
Arroz com casca ..... 15500
6 w i dem* iMcastado apiladla'. 'i HfSm
Assaear msca*aaa'<4i. a '. 4*900
drroSad" '" ^f>"
Azeite de mendoim ou menaV '-'"'**'
bhn ...... eaaadh"t*000
Idemdeedca....... A(ctsh6O0
Sis. redactores.Recommendar estima publi-
ca ura cldadao que em loogos serricosa' causa na-
cional tero conquistado direilo Irrecusavel ao titu-1
lo de benemrito,' e prestar am servico so paiz qae
precisa conhecer aquelles em cujo zelo e dedicaco
pode descancar a sua confianza. Com este intuito
a elles mesmos que esto confiados actalmmts os
destinos da extincta sociedade Bella Harmona, que
pretenden) reanimar soprando ihe dentro collegas
da mesma forca, a rnaoeira de ar vivificador...
Quera nao se apressara' a entrar para as fliei-
rasl...
Como lica dito, principiaran) aquellas senhores a
fazer balburdia, a quererem torear a entrada na
sociedade, de manelra que para evitar um conflic-
to e nao ter da se chamar a polica, deixou a com-
vimos a imprensa fazer conheCidoe da optniao os misso liquidataria de funccionar na noite de ler-
CHKMCA JL-DIGUHU.
TRIBrX.lL DA REL.VV*'
SESSO DE 17 DE MARCO DE 1866.
PltESIDE.XClA DO EXM. SR. CONSKLHEIBO
SOUZA.
s 10 horas da manbaa, presentes os senhores dio, a reparagao de nutras para boa guarda dos vi-
desembargadores Santiago, Gitirana, Guerra, pro- veres, servico da secretarla, prs5*s, etc., a qasi
curador da cora, Loareaeo Santiago, Almeida Al- completa reorganisagao das olcinas, das quaes
buquerque, Molla, Assis, Doria, Doniintuts da Sil- teem sido expedidos mais de cinco mil pares de sa-
va, Vieira da Costa e Aecioli, e o jotz de direilo patos e outros artigos. a edicaco de nm grande
bons servicos que Da tarefosa adminlstraco do
presidio de Femando tem prestado o iotegerrimo
coronel do corpo de eogenheiros Luz Jos Mootei-
ro, ja' applaadido nesla proviocla pela proveltosa
adrainistrago que fez to importante eslabeleci-
mento do arsenal de guerra.
Em chegando ao presidio no meiado do penlti-
mo anno, foi o primeiro e continnou a ser o inces-
sanle labor do providente commaodante dar se ao
reparo dos forles e rauraibas de defenso, prover
aquelles de petrechos e collocar assira o presidio
em estado de offerecer meios de seguranza no In-
terior e defeza no exterior.
A administra'cao eeonomica nao Ihe merecen me-
nos desvelado interesse : a ediBcaeio de casas
adaptadas as necessidades econmicas do presi
ga-teira passada; dirigiram requenmentos ao juizo
municipal da primeira vara para o fazer inlervir
na qaesto, Agorando at nesses requerimenlos os
nones de altnns socios eliminados, e ferviara as
ameacas contra nos que nao podamos applindir
semeloantee desieraperost, e em consequencia disso
nm dos membros da commisso liquidaiana, o Sr.
Res, rosigoou o cargo. Nos abalxo assignados,
igualmente membros da dita comraissao, quizemos
oppornos ao procedimeoto absurdo, nada racional,
do Sr. Antonio Agostlnho e seus dignos amigos e
sectarios, e acceilar a quesio no terreno judicial;
mas vende que d'abi s nos pi oviriam detgostos e
incommodos racompativeis eom a nossa posico,
como empregados de casas comraerciaes, preferi-
mos entregar a pasta, lembrando-oos, como tende
alguma appiicacaoao caso,do amigo e muito cenhe-
cido rifoalbarde-se o burro vontade do dono;
e effectivaraenle em ame reunio de varios ex so-
cios da extracta sociedade Bella Harmona, que te-
ve lugar na aoile de 17 do correte, reunio era
Silva Neiva, abrise a sesso. estabeleclmento para o fabrico da farioha, onde' qae heuve urna farca deaemlnada eleico, entrega-
Passados os feitos, deram-se os sagumtes teem sido manipulados mais de tinco*mil alquei-' mos os papis e livroe que estavam em nosso po-
juloambntos. res, nao obstante a molestia das rocas, a construc | der, e agora podem esees senhores fazer o que bem
Recurso criroe. cao de molbhos, sao outros tantos deseonhecidos ihes parecer, cerras de qoe, se alguem Ibes toraar
Recorrente, Jos Alfredo de Carvalho ; recorrido, servidos a' que o- enrgico commandanle tem acn-1 contas, nao s-eremos nos.
ojuizo. dido com incessante actividade, zelo pouco com
Relator, o Sr. desembargador Loureoco Santiago, mam e interesse todos os dias renovado.
Sorteados os Srs. desembargadores Domiogaes da | g* (r,r este modo e com taes industriosos dese-
Silva, Assis e Molla. nbos que o lllustre militar, que tem sua conta o
Desprouunciaram o recorrente. presidio, ha conseguido elevar a exportaco dos
habbas coarus gneros e augmentar no interior a cultura' e a
eram soltura a Joo Jos de Sonta, e flcoa td- crea?o dos gados, dando incremento todos os,
diado o de Jos uome rereira ae ura, a espera Waterea, ^enao presente a" waas as necessidade:
de informarles pedidas.
DILIGENCIA CRIBE.
Com vista ao Sr. desembargador promotor da'
justica
Appellante, o promotor; appellado, Feliciano, es-
cravo.
e assira implantando o amor ao trabalho no rrteio
de urna popnlagao em g*ande parte estragada e
corrompida pelo vicio
E' ainda para fazer sobresahir a ordera e regn-
laridade esiabelecidas nos varios ramos do servico,
e a polica activa e severa qae tem conseguido di-
Appellante, o promotor ; appellado, Manoel Jos mittr' escalla dos crimes, previnir os disturbios
de Almeida Jnior. e rixas to frequentes, e manier a seguranza indi-
Appellante, Jos Felippe Bandeira de Monra; Tidaal abrigo de quaesqner offenas.
appellado, o julio. E' assim que o lllustre commandanle, acadindo
Assignou-se dia para julgamento dos seguales a- l0ljas as exigencias do servio, tem aofendo o
feitos : proveito de mais de 30:000a ero bem do estado,
A.appellaco crime. quando sob outros commandos as cousas se passa-
Appellante, Manuel do Reg Barros ; appella- Vara por modo sabidamente desfavoravel ao inte-
da, a justica.
As appellacoes civeis.
Appellante, Dr. Bento Jos da Costa Jnior; ap-
pellado, a irmandade de Sant'Anna.
Appellante, a cmara municipal; appellados, F-
lix da Cuoha Teixeira e outros.
PASSAGENS.
Do Sr. desembargador Gitirana ao Sr. desembar-
gador Lourencp Santiago
A appellacocrime.
Appellante, Manoel Jos Teixeira Bastos ; appel-
lado, a justica.
resse do thesouro nacional.
Em meio dos incessanles labores qoe divldem a
sua attenco, nao esqaecea o ilustre administra-
dor quanta a torca moral do sen tmenlo religio-
so no seio de ura i popuiaco grande parte relega-
da das cidades come justa punicao a' seas desvos.
Asslmque, catholieo extremoso, o intelligenle
militar deu se com fervor ao restabelecimeoto das
praticas salnlares da igreja, fazendo reedificar um
templo quasi em ruinas, fazendo-lhe doac5es de
cusi, e por seu impulso promovendo a oelebraeio
de ceremonias e solemnidades religiosas proprias
Conclaindo, protestamos contra a exislensia fic-
ticia da sociedade Bella Harmona, dissolvida por
volacao unnime em sesso da assombla geral de
12 do correle raer, e prevenirnos as provedorias
dos nospitaes l'ortugnez e de Pedro II, para que,
fazendo valar os direilos que Ihes coofrre o art. 58
dos estatutos daquella extracta sociedade, nao con-
sintara era que mais se augmente a avallada di vi-
I que sobre ella ja1 pesa, dirainuiodo o bolo que po
dia ir estancar as lagrimas de alguns infelizes.
Adveraremos anda s pessdac, que a cordel esto
sendo reeruladas para se diverttrem na casa onde
funecionou a extincta Bella Harmona que, qosn-
do mais nao percam por causa da alguins finta,
perdero joia e mensalidades que pagarem, por isso
qus a sociedade nao pode mais continuar fformem
outra se quizerem, mas depois de enmprido o art
58 dos estatutos) e mesmo no da 31 deste mez
lem de ser a chave da casa entregue ao propieta-
rio, que della precisa, e, segundo nos consta, nao
o fazendo assjm,a inutitdlada sociedade,como com-
pensaco do prejuzo que caucara' pela nao entre-
ga da chave, vera' esgotarse em pagamento de
alugoels o pouco que, fela a liqudaco, podia
anda tocar aos hospilaes.
Os Srs. membros das duas provedorias que acu-
dam emquanto teropo de salvar o bolo dos po-
bres.
Recife, 20 de .margo de 1866.
Jos Ribeiro da Fonceca.
J. M. Nunes Belfort,
-------i ii ii i
Do Sr. desembargador Guerra ao Sr. desembar- para Dcitar, dispertar c alimenta* a f, esse pao
gador Lourencp Santiago
As appellacoes elveis.
Adpellante, D. Mara Cavaleanti Meira Lima; ap-
pellado, Feliciano Rodrigues da Silva.
Appellante, Vicente Vieira Pinto; appellado,
Claudio Calumbi de Azevedo.
Do Sr. desembargador Lourencp Santiago ao Sr.1
desembargador Almeida Albuquerque :
As appellacoes civeis.
Appellante, Francisco Ribeiro Pontes; appellados |
Silva Leo & C.
Do Sr. desembargador Almeida e Albuquerque,
ao Sr desembargador Motta :
A appellaco clvel.
Appellanles, Fautaieo e Margarida ; appellado
Joao da Silva Faria e outro.
A appellaco crime.
Appellante, o-juizo ; appellado, Manoel Saraiva
de Menezes.
RL-Grande do Norte.
das almas
Sao estes outros tantos atteslados do zelo e lon-
vavel p rcia do illustrado administrador. Em pn-
blica-los eremos prestar um servico antes ao palz
do qoe a elle proprio.
Recife, 19 de marc,o de 1866.
Publica ZELO RELIGIOSO
Ordem terceira de S, Francisco.
A religiSo capa para alguns, atraz da
qual se descobrem pessoas e factos admira-
veis e reveladores das inteaces pessoaes e
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembar- j religiosas de taes devotos.
A niesa regedora da veneravel ordem ter-
gador Assls
Appellacoes civeis.
Appellante, Damio Goncalves Rodrigues Fraa- ceira de b. Francisco, ordenou ao Sr
ea; appellado, Francisca Jos Vianaa. de Mello Costa liveira, syndico (thesourei-
Appellaate, Joao Correa de Araajo; appellado, ro) da meso, qae tomasse um saque da
ao tXSJSS^SSSS Silva : TP* ^ *f montos de ris, o que effec-
a appellaco eivei. ituou a Praz "e um mez, rjaag.no mesmo da
Appellante, BernarcliiiVLopes- dei31iveira j ap- em que asagOQU a tetra- retirOtt da oaixa a
peiiado.apreuEugeaia. -^e-trgr'igual somma; nisso diris eoffl^
gao'r vierT g desembar- n?SC0) q3o ha Qada de atraorfinar^ 0 synl
a appeUacao civei. dico eoteodeu ser lucrativo por a juros a
Appellante, Andr Piras Visgaeiro; appellado quaotia, afim de compensar O prejuizo cont
Jos Felippe Bezerra de Menezes. j* gaque ser tomado a prazo; porUntO dig-
dor^Lmiir g ^"l00 ^e louvor pelo tino flnanceiro e provena
A appellaco clvel. ^ veneravel ordem em que teve a mira nes*
Appellante, a (aseada; appellado, Ago;tinho sa transaeco; se assim tivesse acontecido
Eduardo Pina e seas irmos. n5k) era extraordinario: entretanto n3o cori
i ta que se fizesse descont da letra, do quatj
trouxesso lucro para a veneravel ordem;
i nao foi ella acreditada no iivro do syndico
por jaro algum dessa importancia, por tanto
o zeloso Sr. syndico s quiz ter em sua
mao o dinheiro 30 dias antes 4o vencimento
da letra, o fim de seu procedimunto foi por
execuclo
AO PUBLICO.
O abaixo asfignado leva ao conhecimento 40
publico que fra sem o seu conhecimento, que o
seu amigo Porfirio Aoiobio do Auiaral pagara ao
EjBSf P'olioo de Castro Medeiros a quanlia de
10*000 de armazenagem, que este senbor odevida-
mente preiendera cobrar do abaixo assignado, por
trila saccas de algodo qae fez recolber era seu
armazem, a titulo de compra, que depois por am
frivolo pretexto, deixou de efJeciuar ; tendo o des-
plante e audacia de reter em seu poder, contra todo
o direilo, ama das ditas saccas de algodo, como
garanta pretendida armazenagem. E como se-
melnante intervengo de seu amigo, empregada
sem duvida com a melbor iouneo e ba f, como
o abaixo assignado o primeiro a reconhecer, pode
importar algum dezar ou quebra de sua digoidade,
vem o abaixo assignado pressuroso esclarecer o
mesmo publico sobre o desenlace dessa pendencia
em que, seu amigo mal Informado aos precedentes
e convencido de fazer urna composicao amigavel e
In'h I Bunru'a> erapregara os seus bt ns officios, bem longe
i de pensar que proceda incompaiivelmente com a
dignidade do abaixo assignado; por quanto. oas
condicoes em que o caso, se acnava, s pelos meios
judiciaes Ihe cumpria baver a sua propriedade,
retida de am modo lio violento quanto infame e
ar bit Natal, 20 de fevereiro de 1866.
Femando Cerqueira Carvalho.

JLV DO RECIPE.
10 de Manco BE 1866.
Presidencia do Sr. Dr. Joao Antonio de Araujo Frei-
tas Uenrtques, juiz ie direilo 4a primeira vara
criminal.
Promotor publico Dr. Joao Tnom da Silva.
Escrivo Joaquim Francisco de Paula Estevas certO garantir a regisiiade na
^vogtde o sr. Antonio dos Pasaos Miranda, es- fde sna obrigacSo. e ao como alguns conjec-
tadante do qoarto anao da faculdade de direilo. turam, tirar um lucro ou commiss5o pelo
Reo Jos Gomes Pereira. trabalho do saque; conjectura nao autoriza-
FeiU a chamada as iO da manha, acham se pre- da pelo facto acuna, CUJO resultado ser
senles 43 senhores jurados.
Foram multados era 20ft000 cada ura dos Jura-
dos j multados nos anterieres das de sesso e a
cada nm dos seguioles :
Dr. Beato Borges da Fonceca.
Manoel Francisco Marques.
Vicente Licinio da Costa Campello.
Joo Ignacio de Medeiros.
Miguel Joaquim do Reg Barros.
Aborta a sesso prooedeu-se ao sortera do conse-
lao de sentenca, o qual presin o respectivo ara*
tenlo : foi o rao atarragado e ldo o proeesso da
formacao da culpa, fot desenvolvida aecusacao e de-
feca e depois da replica e treplioi, resamida a ma-
teria da accasaco 0 defeza foram propostti as qaes-
desgostar t5o religioso e zeloso syndico, para
que a tbesouraria v ser entregue a alguns,
que tanto desejam, e tudo empregam s e
nicamente por amor a religto.
forca confessar que melbor esplica?So
nao podemos encontrar, mas eremos ser bas-
tante para o publico e tranquilidade da com-
ciencia do syndico da veneravel ordem ter
ceira de S. Francisco 11
m misario,
HXiV)Til-----1
Paatllhaa Terinlfagas de kemp.
Criancas atormentadas por vermes podem
ser alliviadas com urna s dse de pastilbas
vermfugas de Kemp, que sao incitantes em
apparencia, e deliciosas demais no seu gos-
to para serem regeitadas. Estas pastilbas
sio muito procuradas por quatro motivos:
nio contm mineraes; nao precisam depois
de purgante; effectuam o que se de jeja sem
causar dr; as crianzas estao promptas a
tomar maior dse do que a marcada na re-
ceita. Nenhuma man qne ji as tenhas expe-
rimentado unja vez quer outro vermfugo
na sua casa.
A' venda por todos oh primeiros droguis-
tas no imperio, e em Pernambuco por Caors
Barbosa e J. da C. Bravo & G.
COMMERCIO
rRACA DO RECIFE.
CJ(a^ea offlclaes.
19 da marco.
As 3 1|2 horas da tarde.
Assucar masoavado broto americano bom1^900
e 1*880 por arroba,
uescontos11 ufi ao anno.
Frete de assucar para o Canal 326( e 5 OfO de
jprimagem.
.vubourcq Jnior,
Presidente.
Silveira,
Secretario.
Barca nacional -tuarahindem.
Polaca argentina .Monfei-i^o-ldera.
IavprtacSo.
Brigue nacional Mannlto It. entrado de Buenos-
Ayres pela Babia, consonado a Amorim Irmaos,
manifestou o seguinte :
3,430 quintaes de charque, 60 raros vacenns
seceos; aos mesmos.
Brigue nacional Imperial Marinheiro, enjrado do
Itio Grande do Sul, consignado a Miguel Jos Al
ves, raanifristou o seguinte :
9,700 arrobas de charque, 50 ditos de gracha em
bexigas, 50 couros vaceuns, 1,000 reste as cebollas,
8 barris peixo e 30 saccas cevada; ao mesmo.
Cter nacional Emma, entrado de Penedo, consig-
nado a Chaves & Vianna, manitcsiou o seguinte :
De Villa Nova.
10 1/2 alqueires de arros cora casca ; a ordem.
292 pedras de amolar; a Manoel Jos de Aguiar
& C.
De Penedo.
201 saceos milho ; a diversos.
20 latas oleo de ricino ; a Chaves & Viaooa.
100 incbams; a Manoel Jos de Aguiar.
20 latas oleo de ricino, 1 barril dito ; a ordem.
10 barricas familia de trigo ; Jos Duarte das
Neves.
Brigue portnguez Lua I, viudo do Porto, mani-
festou o seguinte :
60 caixas de azulejos, a C. Pereira & C, 3 barri-
cas de earvo animal, 1 barrica de ameodoa, a Co-
Iho e Freitas; 20 barris de toucinho e 20 de chou-
ricos, a Jos Joaquim de Lima Bairo ; 2 cajxas
diversas, 4 de leos, drogas e ervas, a Joo da Sil
va Faria ; 1 caixa de livros, 50 barris de vinagre,
150 de cal e 13 barricas de cera em grumo, a Ma-
noel Ignacio.de Oliveira & Fi.ho ; 2 surrSes de
eraviuho, 30 barris de vinagre, 200 saceos de fa
reilos, 600 de seraeas, 20 barris de azeite, 234 de
toucinho, 20 de chourlcos, 30 de vioho, 2 caixas
de man, 1 fardo de alfazema, 36 barris, 14 barri-
cas e 36 meias ditas de sardinhas, 2 caixas de ca-
nda, 80 de cera em velas, 200 de ceblas, 22 de
cb, 23 saceos de plmenta, 5surr6e$ de cominos,
E. R. Babello; 25 barris de cevada e 23 saceos
de farellos, 2 barris de vioho, a Joo Ribeiro Lo-
pes ; 76 1/2 varas de lageJo, a Joaquim Jos Perei-
ra Albandra ; 2 barricas de earvo animal, 9 pi-
pas e 5 barris de vinho, a Joaquim Jos Gongalves
Beltro ; 4, yoifijgs de drogas, a Bartholomeu &
C, 6 barlos de .cal, > ordem ; 542 varas de lage-
do, ao baro do Livramfo"; 7 caixas de figos, 6
atados de passas, 7 pipas e 6 meias dilas de vinbo,
3 pipas, 20 barris, 30 ancoras de vinagre, 1 bar-
ris de chouricos, 2 ditos de vinagre, a Antonio Joa-
quim Ramos ; 50 pecas de cabos de cairo, a Ma-
noel Joaquim Ramos Silva & Genro; 10 caixas de
canella, 100 barris de toucinho, 8 saceos de cera
em grumo, 14 barricas de c minos, 30 caixas, 30
meias e 60 quartos de passas, a Thomaz de Aquiuo
Fonseca & C. ; 5 barris de vinho, a Amorim Ir-
mos ; 20 barris de cal, a Jos Pereira da Cunha
& Filho ; 80 ditos, a Domingos Rodrigues de An-
drade; 50 barris d banha, a Suva & Cardse ;
250 saceos de milho, a Ferreira 4 Loureiro; 1 cai-
xa de calcado, a Salyro Serapbim da Silva; 1 dito
a Luiz Antonio de Slqneira ; 20 barris de sardi
nba, a Jos Antonio Pinto Serodlo ; 10 barris de
azeite, 5 de alpista, a Jos Mara Pal meira ; 10 bar-
ricas de earvo animal, a Jos Antonio Carpinte-
ro da Silva; 5 volumes de drogas, a Jos de P. Bor-
ges ; 1 volume de drogas e 1 de brochas, a Jaa-
quim Marlinho da Cruz Correa; 11 ancoras de
vinho e 25 de vinagre, a Antonio Lopes Braga &
C.; 1 volme de drogas, a Igaacio Jos Cont ; 1
dito, a Jos Alexandre Ribeiro ; 1 volume de dro-
gas, a Caors & Barbosa.
Vapor nacional Mamanguape, entrado dos portos
do norte, manifestou o seguinte:
Do Acarac.
30 saceos 101 arrobas de cera de carnauba, 200
meios de sola, 1 pacote 1 arroba e 26 libras de pen-
as de Erna ; a Lino de Farias & C.
....
dem de mamona .... >
Batatas alimenticias .... arroba
Bolacha .ordinaria, propria para
embarque........
dem fina......
Caf bom .......
dem escolba on restolho.
dem terrado...... libra
Caibros ........ nm
Car.......... arroba
dem branca ....
Carne secca (xarqne) ...
Carneiros ....... am
CarvSo vegetal...... arroba
Cavernas de sicnpfra nina
Cera de carnauba em bruto. libra
dem idem em velas ...
Cha .........
Charutos ....... cen
Cevados (porcos)..... um
Cocos (seceos)..... cento
Colla........ libra
Couros de boi, salgados.
dem idem seceos espichados t
dem idem verdes ....
dem idem cabra cortidos nm
dem idem de 0115a ....
Doces seceos ...... libra
dem em gela ou massa
dem em calda ......
Espanadores grandes nm
dem pequeos.......
Esteiras para forro de estivas
de navio......, .' cento
Estopa nacional ..... arroba
Parrara de de mandioca alqucire
dem de araruta ; arroba
Peijao de qualquer qudlidade
Frechaes ....... um
Fumo em iolha, bom arroba
dem ordinario ou restolho >
dem em rolo bom..... 1
[dem ordinario ou restolho.
Gallinhas ....... urna
Gomma........ arroba
Ipocacuanba (raz)..... *
Lenba em achas ..... cento
Toros.........
Linhas e esteios...... um
Mel ou melaco ...... caada
Milho......... arroba
Papagaios ....... um
Pao Brasil....... quintal
dem de jangada...... um
Pedras de amolar .... urna
dem de. filtrar ..... t
dem de rebolo .....
Piassava........ molho
Pomas, ou chifres de vaccas ou
novihes....... cento
Pranchoes de ainarello de dous
costados....... um
dem de louro...... 1
Rap......... libra
Sabo.........
Sal........... alqueire
Salsa parrilha....... arroba
Sebo em rama......! *
dem em velas......
Sola empaqueta...... urna
Tabeas de amarello..... duzia
< diversas......I >
1*000
1*500
3*000
7*000
6*300
*00O
440-
36
3*0-
580
34500
4*000
1*000
3*000
300
500
25000
3*000
15*000
4*000
600
150
240
100
360
10*000
1*000
320
320
4*000
2*009
15*000
1*800
2*000
4*000
2*800
5*000
15*000
8*000
10*000
8*000
800
2*600
25*000
2*000
11*000
6*000
260
1*300
3*000
5*000
5*000
800
600
1*000
120
3*600
20*000
10*000
1*000
160
400
23*0PO
5*000
7*000
2*000
140*000
87*000
3*000
2*000
6*000
300
10*000
8*000
6*00
600
Tapiocas......... arroba
Taiajuba........ quintal
Travs......... urna
L'niias de boi ...... cento
Vassouras de de piassava
Ditas de timb...... >
Ditas de carnauba..... a
Vinagre......... caada
Allndega de Pernamuco, 17 de margo de 1866.
EM ADITAMENTO.
Cera de carnauba arroba
Cassueiras de Jacaranda, duzia
Enchameis...... nm
Esteiras de carnauba. urna
Ossos........ arroba
12 saccas 55 arrobas e 14 libras de algodo, 32 Palia de carnauba
1 pacole 12 libras de penna de
de velas; a Joaquim Flix
couros salgados e
Erna; a ordam.
3 caixas 5 arrobas
Maclrado.
Do Halan
14 saccas com 70 arrobas de algodo ; a Souza
Andrade & C.
Do Cear.
Mereadorias estraogeiras.
5 caixa leos, 1 dita sedas e 18 volumes barricas
vasias; a ordem.
Xacional.
20 barricas sebo em rama, 116 arrobas e 8 li-
bras ; a ordem.
Do Acarac.
100 meios de sola ; a Francisco Vieira Perdigo.
360 dilos dita ; a Jos Joaquim da Silva Gomes.
49 dilos dita ; a viuva de Manoel Goncalves da
Silva.
. 2 saccas algodo e 12 meios de sola; a Juan
Boson.
465 meios de sola ; a Albano & Irroo.
260 ditos djia; a Joo Jas da Carvalho Moraes.
3,232 ditos dita, 12 atanados, 23 saccas algodo.
2 eonros salgados e 2 volumes cera de carnauba ;
a Jos de Sa Leuao Jnior.
Patacho hespanhol Adelatde, entrado de Monte-
video, consignado a ordera, manifestou o seguinte :
3,i00 quintaes hespanhes do cbarqae e 20 coa-
ros vaceuns ; a ordem.
Brigae nacional Marta & Alfredo, entrado do Rio
de Janeiro, consignado a E. K. Rabello, manifestou
o segrale :
Genero estraogeiro.
17 pipa* e 63 barris vinho, 400 caixas kerosn!,
39 pipas vastas, 20 ditas azeite da mendoim, 1
masiro de pioho, 800 barricas j servidas, 23 vo-
lumes ditas intuoadas, 440 meias dilas abatidas, 1
escrivaninba de raogoo com roupa de uso as ga-
vetas ; a ordem.
Genero nacional.
800 saceos farinba de mandioca, 376 ditos caf,
10 pipas grachas, 158 rolos fumo, 62 volomes bar-
ricas vasias e 50 ditas sebo coado ; a ordem.
Escuna ingleza Slotm Btrd, entrada do Rio
Grande do Sul, cousigaada a Maia & Espirito San-
to, maniiesloo o seguinte :
9,454 arrobas de charque, 58 couros vaccuus
avariados; aos mesmos.
1 pacote dinheiro em papel ; a Rabe Scbamel-
leau & C
Patacho hespanhol Guadalupe, entrado de Mon-
tevideo, consignado a Amorim Irmos, manifestou
o seguinte 1
3,640 quintaes bespanbes de charque e 30 coa-
ros de poltro ; a Amorim Irmos.
Patacho oldemburguex Lienen, entrado de Santa
Catbarlna, consignado a Amorim Irmos, manifes-
tou o seguinte :
molho
libia
par
6*400
950000
10500
i6d
200
800
20OO
800
Penna de ema
Sapa tos de couro branco.
Era ut supra.
Approvo. Alfandega de Pernarabnco,17 de mar-
co de 1866.------A. Eulalia.
(Assignados):
O conferente, Manoel Caldas Brrelo.
O 2.s conferente, Jos Mara Cesar do Ama ral.
Conforme. O 4." escripturario, Alexandrino-
Ihomaz de Aquino Coelho.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO
Rendlmento do dia 1 a 17.
(dem do dia 19...........
39:236*381
:976*878
42-913*239
CONSULADO PROVINCIAL
Rendimento do dia 1 a 17-----
dem do dia 19.............
92:509*907
4:974*910
97:404*82
MOVIMENTO DO PORTO
Navios entrados no dia 18.
Rio. Grande do Sul 21 das, brigue hraslleiro-
Oiheio, de 181 toneladas, capillo Francisco Jos
de Oliveira, equipasen) 13, carga 9,000 arrobas
de carne ; a Mala & Espirito Santo.
Montevideo28 dias, patacho hespanhol Adelaidc,
de 133 toneladas, capilo Jos Ferrr, eqaipagem
10, carga 3,100 quintaes hespanhes de carne ;
a ordera.
Rio de Janeiro10 das, brigue Inglez Pragress, de
448 toneladas, capito Joan Davies, equpagem
10, em lastro ; a Jobnston Pater & C.
Liverpool50 dias, brigue inglez Uon. de 178 to-
neladas, capito J- R. Wreyford, equipageiQ 9,
carga 1,199 barris com plvora e outros gne-
ros ; a Mills Latbam & C.
Dunkerque26 dias, galera ingleza Daumtone, de
493 toneladas, capito Jaures, equpagem 13,
em lastro ; a Johnston Pter & C.
Rio Grande do Sul38 das, barca porlugueza rv%
de 245 toneladas, capito Maibias de Souz jfa-
ciel, equipagera 11, carga 13,000 arrobas da
carne ; a Antonio Luiz de Oliveira Az,evedo & C.
Montevideo22 dias, sumaca hespanhola Guada-
lupe, de 133 toneladas, capillo Juan Foqlanells.
equpagem 12, carga 3,600 qnintaes hespanhes
de carne; a Amorim Irmos.
Havre-4S dias, barca francesa Sotare, de 3 to-
neladas, capiuo Ribas, eqaipagem 18, carga fa-
zendas de algodo ; a Tlsset freres.
Rio de IaMiro-18 das, brtgutnortngaet Utotor,









Avallar, J se di
raz
SLaoenf, Mppl
de carne; a
andar pa
e 6frdias
)5 Mr to
az^Proc ______
dTllm, Sr. Dr. iuiz mudioiDalidase-
*iaa*ra assmi fe* ie^rtSSMSbtt-
merce. Como procurador^ fu TteoteQ
Gomes.
reiw e
peuVa
J Musa atara.*** of %
Mf>. eaoiti Iftile, equf-
lasTpriiM 1 edenal /
_M capUo Aftfooio Albi-
:RltflSK,&i?,,|11,,,ID0 aif-W .*****toaraiiAV^MMMltoHO.
m/o joboi no mimo s. que
Arjicalvbiaie nacional Graciola, capiteo Cosme reiro de 186ti.Coetfo
W^tt a.E.'*n.d0PV W3o ae^scrivao
. w> Jffir. ^ ^^ d'estejurzo Guilherme Augusto de Athayde,
HMwton.Roads-rpAiwbo ingles (M Wiiiiaos, carga assacar. fez passar o presente, pelo qual e seu tbear,
& Aw, de 197 toneladas, capitao, Antonio M. de aos Mraeiros do tallecido Maawant ftnto,
Aimaid, e.juipagem 7, carga, 10,000 arrobas P^ra q dentro do prazo *e 80 chas compa-
tecama aecca; a,AniQ(Jilrm5o, ... recam ante este juizD, por si oa por seus
ewoipagem 7, carga 12,108 arrobas de carne; or? bem de aana.diroitos e JU^tica, s6b pe-
a ate & Espirito Sanio. 1 na de se proceder suas revelias.
le Janeiro 19 dias, barca iogieza Montego, I Por tanto toda e qualfjer pessoa, prente.
ducto& a-JC
trjaes di
1*n*'*mm*mrpm,iM
W, por exe-
contra Manoel
Santos.
A coaaaVrseBo twomiMdadedirigir os ne-
gpcios da expsito desta provincia, previ-
ne aos artistas que desejarem concorrer com
Enasta peiicfo^ie me fot apresentada a*pfOotaetoa k-metan posic5o, e
- rtMMrfcw perifolla 4 recua
jevem dirigir-se ao secretario da
coma sm para obtaeam m auxilios neces*
sarips acquisicao das materias grimas des-
tn dfrs as ditos productos.
Sai la commissao i3 demarro de 1866.
O secretaria,
__________Manoel Buarque de Macedo.
de 448 looetedes, capttao Bemjamio. Xarreco, amiffo ou CODJMCififte ds rforirln*hArrl
equipagem 10, era lastro; a Thomaz Jofferoii-di Lw u^t- r ^ j .,
e sofiuio para Macelo. r0* Pa-.**Mbee-hao fazer scieote de todo o
di?, escuna hoiiaadezr expendido. E ptqaechegu*aoconbeci-
Neu, de 226 toneladas, capitn P. B. XoismaB^-ttento de todos raandei fazer o presente que
equipagem 7, ora laatro a Amot. Irmao. ser affixade OOS lugares do COStume, 6 pu-
d, velo receter
Rio de Janeiro 2o
Liverpool por Lisboa- 24 dias a 1* pafiv o 17 *,.
rtWrreladas, ""^f**8 pela '"^Prensa.
e outros gneros, a Thomaz Jrtferet9 & O
do *.*, vapor ingtee QiujmU.tfg W
cspiiao i. Oaefd, equipfn iS, cAr;
5;
azendas
Liverpool 21 das, barca iqgteza Qimda, de 253
toneladas, capillo Samuel Proewse, equipagem 10
carfa car va; a Sanadnos terotow & C.
Ru de J*uifuJt 4Uh.ta*ca pfW^uata, Burros
4a 2td loitalada, eapia JtMoei de OUveira
Barras, ejuipageai li, em lastro; a Tboaaaz Je-
ff,-rcls Si C.
Rh de Janeiro 37 dias, brigae inglez Jtnnei
Morey. 481 loimladas, capi:io Manoel Molleo,
equipado JO, era l^feo, a Sowihal Meores
&C.
Porto 27 dias, barcaportoguez Sumpathta.Ae 262
touelada?, capitao Paulino Antonio Cardozo,
qoipagem 17, carga viabo a outtos ganaros, a
BalUtt & ftoilu
Navio sahido no mesnio Ha.
Rte da t"ta bngue arfedttao Voiante, eapitao,
D Jajue, carga assncar.
Dado e pasada nesta cidade d
Pernaibucfc am 3 !de marco d
Eu Gnilhere igwto de Atha
tao o subscrvi.- Virgilio de Gam
lho.
ede
scri-
Coe-
_ Cmmtum Hinil|ral.
*elo contadura da cmara mmricipal desta ci-
oada se fai publico qoe nos ews de feveTeiro e
Meca se recebe a hooca o- cofre o imposto mu-
nicipal tore casas de negocile acuelles que nao
Ptren nesle tempe esto sujeitos a multa na
forma da art 32'do regulamento n. 360 de 13 de
jUQfao de 1844.
Contadoria lde fevereiro de 1866.
O contador.
CaetoJiiT 9*+verro- da Silva.
^Aa galmente deMoltadoe ooatro ca-
f*farmds, sen-
52e21,*LSJ6j**0* am '5'.'Masiiho e om
|C***attbo : nana, pois, sa ju%ar*om direi-
? *ls MMDoa cavatla, |>rovanda, .|*-es-hao en-
tregaes.
A" cas de delenco se achan recomidos, Catro,
au**r o*cnn de ora 8f. Gukn.res, armase
m deassucar na roa do Twpiobe, e Guilher-
Jqft4 tarobein ser serava de D. Mara,
"J" m ,DW : QeV fertaaio, se julgar se-
*tr*M referidos escratM, presentando tiulos
rr??tal0,,"Mrie,l cassbocraMBto de taixa ser-
IbewWo eturefaest
Bobdeegaeta d#poicla to-t dotricto da fregu
zida Boa-Visla de narce da t*H.
esaMetecato,
Decio de Aquino Foaseca.

CuHfBIA IlILEIBA
D
PAQUETES A APOR*|
, Bw parlo 4a norte esterado
com os sitios dos Srs. Baltar e Barroca:
grande proprledadeJjflnaVdLanlar eisot
5 portas e crea de"5S#*rhjd| dTfre
de fundo, cooMndSas awommolBfeei
rosa amia, sillo oonrbalxa dj ripwr; ,_.
tada de ferro para parreral, diversos quartos para
servlco externo, tanque para baah> pocUcular. e
outras bemfeltorias, que sa com a (tata os^eten-'
denles satisfaro : as ctia*atsiarao*thi na iiesmo
aillo, a roa da Cadela do Reeife n. 55, i. autor.
~ LBUO.
HOoIE
Terca-feira, 20 de marco as t* horaa, a roa da Cav
deia o. 551 andar.
Pelo agente Euzetuo.
ue ama mobtlia nova de Jacaranda.
De urna casa lerrea a. t, do beco da Ass
rende por anao 9dJ.
Uo sobrado n. 27, chaos proprios, na
da no Reeife, rende por aono 360) e o
da massa Jos Antonio Dias de Figuoiredo a '
lor de 9945700, por autorisagao da Iba. Sr. fte
jaiz especial do coramerci, a rnqnnilaiu daa
credores, proveniente de fumo, cbarutos e cigar-
ros foroecidos ao armazem d. 2 pa ra da Madre
mea1oJBSifl0,0ob*** escra-
A commissao eocarrega di*drV vista
dW^iu na sexta-feira 23 do corrnte mez, pelas
|mrde, em procisao olemos, a imagen
4a4anartau Jess dos Passos e soa Sanlisima
r*5*''*5tflsahir da '?re* d 8n HiMKdag ras que (em de percorrer:
Cruz, Cotovello, travessa da
^pateo da Saota Cruz, roa da
Gloria, Matriz, Hospicio, principio da
ua Forraosa^fMMw, Iraperatnz, Praqa, traves-
sa do Veras, ra VeTrra*poleo da Saota Croz, roa
do Arago, [Conceico; Rosario, a recolher-se. A
mesma commissao pede aos senbores moradoee
das ras aonde tem de passar a procissao o oboe-
jo de omadarem llmpar as frenfes^de suas casas.
mww
Tribunal do commereio
Pela secretaria do tribunal do commercio de____________
Pernambuco se faz publico que em sessao do mt%- os partos mo tribunal de 12 da corrnte foi considerado *or> Uasdejirecabera sa pasaasero
t*?'?T*e -J3!*?r_f|str"P*>C^r QQ9 exercia carga que o vapor perder couduzir,
LEILO
at. o cantms, commandante o prlraeiro
tenente Araojo. o qual depois da
de costme seguir para
e aagaja-se a
Lop*|jBiiaiSs, o'aVo'ab3Ddoncru, ser embarcada no da derchegada, eaeom-
iquo a lanca Jpstada fi fav# do mesmo cor- mendas e dinheiro a frete at o da da saWda as
Etor petslste per seis j|zes, cojjtados desia data; 2 oras : agaoeia r^ia da Cruz n. i, esoriptorio de
ovqo-flaomaraadoo.praoo de c*-"- ----- ------- -.,-;. i..:- ..._.
E5ITAES
O Dr. Tristao de Asentar Aroripa, ofOciai da im
perial Ordr da Besa e jaiz detdireito especia
do commercio dea a cidode do Roeife do Per
nambuco por Sua Magesde Imperial e Coniti-
tucioaal o Seuhor D. Pedro II a quem
goarde etc.
Paco saber aos que o presente edilal virem
d* coffosi*.aaaa sa ba,e arrematar por venda, a
quem (oais der aoa pracapnaUca deet jooo o se-
guinte :
Duas peqnenas casas terreas sitas na Capoafa
na lagar Baixa Verde, a quaes nao tenmumero,
toado cada uuadaseaove palmos de largura e trin
N.-60.Rs.^pare.BagDit 400 rs. Red-
fe 3 de marco dti866.Chaves.Sena.
Vai pagar 250 rs. de dlreitos de chance!-
lar*. Reeife e^njx-ae|cJt*l|a
fle.^N. 1221. Pagou 250 r*d'a,irSnOs
de chancellara. Reeife 3 de marco de 9W.
Chaves.Limoeiro.
Transitou pela chancellara. Reeife, 3 de
marco de 866.O escrivo, Francisco dos
BeiiNune flampello Jnior.
jpcadihft As. 100 do competente vi o
Rmih 3 de avnrjp de i8C.-.Gamr
Jumov Fiowirj Antonio de Sooz
presidente. Estavaai as armas imperiaes.
E nada mais se otMitinna em dito edfltrt
aqui copiado do p^oprio original. ,
Dado e passado nesta cidade, aos'5 de
marc^de 18G6. EGttilherme Augusto de
Dejis Athayde, escriifo osubsarevi.
O Dr. Trist5o^e Ajencar Araripe, officialda
imperial ordem da Rosa e juiz especial
do commercio, nesta cidade do Reeife de
Peraaiabuco porr3. M, Imperial, etc.
Paco saber aos que o presente edital vi-
rem e delle noticia tiverem, que no dia16
de abril do corrnte anno, se ha de arroma-
dlas, para dentro
concorrenies ao reterio
do o. pr.
dalles se habilitaren] os
joffleio
' Seorelaria do tribunal do commercio de Per-
namhnm 12 de marco de 1866.
" offlfial-n
raes.
Acham-se recolbidos casa de detencio, e
sero entregues a quera provar pertencer-lhes, os
escravos segpintes : Antonio, que diz ser escravo
doJoa>Ferr*, que diz tambem ser escravo de um Sr. Guimares
com armazem de assucar nrrua do TVapehe,
Achara-se tambem legaloHite depositados
cavallos,r|m pe-aaeno, cor jftfcdo, e oaaro ruco :
queaj, poratato. &a julgaraaat direito aos mesmos
(*I'0VP*y*d* sT-ihea-iao entregue?.
SOTdwegSrffiawpolicra dD 1" disincto da fregue-
ate da Boa-Vista- ID de margo de 1866.
O sobdelogado,
_____________Decio de Aquiao Fonseca,
AntonioLuizdaOlivera Amvedq & C.
(Pi\HII ItRA^llIK \
BE
k
tte 20 barris com peixe
Quarta-feira 2i doeorreote.
O agente Pestaa tara leiiae por coma e risco
de qoem pertencer de20 barris com peixe de sai-
raoura moiro- freeeo desembarcado esta semana
em lotesa vontade: quartafeira-21 do correte no
armazem do Sr. Aooes defronte da alfandega.
JLBILIO
De movis, realj, chocolate, lonca,
Mt9M v vi4roe etc.
Coralero Blamm
por cauta e risco aVqacoi pertenter (aral-teiiao da
mobiuas de amarello e,jJcaraod> guarda roupa de
B- eepwo*) dos portes" de norte! *mar,, e caranda, camas franeezas nova e usa-
t da &*> abrM aTaoorl? oe arraagao, cadeiras, marquezas, so
Saate Citen, oomnaadaote Carlos e ra"os oalros lrasles novos e QSados-
MAlS
?*^l,y*je a paliteiradeprata, 1 rico realejo
de gratificado
a quem apprehender a escrava Benedicta qoe asta
fgida daada a a 27 de setembro de 1865, com'
os signa* cfegutates : alta, cor fola, testa larga,
ponea caaello e muito pegado que faz aberlas polo
cseo, evadaasJatgaa^WoafJ corpo, nadegas
empinadas, tem unas marcas pelo rosto que pare-
ce ter tidb bexrga, bfeos multo pretos avista da
cor qoenawce^er sMo alor dwflgwd', rama ai-
lo cachimbo e aaa beberrooa, e enana asta
bebada tica lesa sen sabor o que faea, juiga se
aodar nesta cidade veodeodo agua, que isto era a
sua oceopagad,'u enfn para o snl em um etige-
nho de prenles do Sr. Gabriel Autonio, aonde ella
tem fllhos, e que de la j em outra occasio Teio
amarrada : rogado a todas as autoridades, Unto
policiaes como cpitaes de campo, a apprehenso
de dita eso/ave, etova le no Reeife no Passeio Po-
blico, loja n. 5. gna raoobUira' a graiillcacao cima.
Ne ara 7 d>c*riite f*jr n'preto Manoel.
baixo, groao do corpo, toaa-apenas onrvooeo ar-
queadas, e aoMocoabecida pac abaoei^aaigalba,
quem o levar ruadeApollo o. 30 armazem de as-
guear de A. H. Rodrtgnes, sert bem gratiflcado.
V

Gomes, o qual depois da domora
do costme segofra' pafa os por-^
os do su
Desde ja reeebem-te passageires a enjpja-se
/im''carfa (,oe vapor p0(ler couduzir, a qual devefa'
s ser embarcada nodia de sua chegada, encorame/i-
das e dinbelro a frete at o dia da sabida as 2 ho-
ras : agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de An
ionio Loiz de Oliveira Azeveao 4 C.
COMPAMU BKASILEIA
Dio La
E nao
ta e seis o meio palmos de largara, digo-de fondo, tar por venda a quem mais der em Draca
com urna por la e janalla na frente, duas pequeas publica deste MlRa A seoiiinie
salas e um qoarto, cosinha, na sala de detras quin- v .. ,,!!:*! 8e*lln,
tal en aborto, avaliada por qMtre cenaros mil res,! .,s uatri stima partes da casa terrea
cada ama; as ques foraoa peohoradas por- execu- s,t* Da rua Iraperial com o n. 164, a qual
Libanio undido aibeiro & c. contra Anto- tem porto muro na frente, sendo a casa
havlndo lancadorquecobrao prefoaa 2^? T' com Jallas e |)0rta na
aTliaco, a arrematago ser feita pelo prego da **me ? nos Oltoes, com graude terreno ate
adjudicaco>B forma da lei. E para que chegue a tare, e OS fundos at 0 rio Capibaribe,
ao-coabeeiaiento de iodos maoei passar o presea- avaliada ditas orles Dor 22855712
CtsTcSS'mf PeU impreasa'8 afflXad mt | Um terreD na rua Imperial com 30 pal-
Becife 12 de margo de 1866.- Eu Manoel Mara,mos de frente com 0fomdSrpar a BMIi
Rodrigues do Nascimento, escrevao, o subscrevj. pp^aena, foreiro marinha, avaliado por
n nr T,n *a ai?a Aiencar Araripej 300^, a qual casa e terreno foram penhe-
O Dr. Tnslao de Alencar Araripe, offlcial da im- radas rw>r asa,usv. a* !?.; *i j
perial ordem da Rosa e juiz de direito especial Por eoucao de FraoctSCO Alves.de
do commercio desta cidade do Reeife de Peroam- ai0ra^ Pires contra Francisco Botelho de
buco por Sua Magestade imperial e Coosiitucia- Andrade. E n3o havendo lancador que cu-
al o Sr. D. Pedro ii, a qoom Deus guarde etc. bra o preco da avaliaco, arrematacao se-
Pago saber aos que o presente edilal virem e del- r, foiif.iX r-^Tju^ icuiduivdw !>e
le noticia tiverem que por parte do cnsul porto- Y* pet0 preco da IjuJ'Cacao na forma
guez, como administrador da beranoaae Jos Mari a Lla lei
Rlbeiro, me foi dirigida a petigao do theor segnlnte: E para que chegue. ao COrifceeimeBtO de
LS^ST' Juiz.d0. comenercio.o cnsul de Por- todos mande! pasear o presente queser pu-
tugal nesta provincia devendo Jos Francisco Co hli.'srln nol imn^n- n ir, aSTUTa .
lares a heranga do fallecido subdito portugoez Jos DIUT pela imPrensa e ffiados nos luga-
Marla Rlaeiioaimporiaucifcde qualro letras qoe res COStume. Rec fe, 7de mrf;o de 1866.
acceitra, e que esto veocidas desde 1861, sendo Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento,
uow de 1:0005, em 31 de Janeiro, outra de 462j>150 escrivo 0 snbscrevi.
Tribunal do commercio. --f
Pela secreuna do-t*ri*aai do commercio de Per-
nambuco se faz publico que nesta dala farapj ins-
criptos no registro publico do commercio :
Odisbalodasociedadede Jos Baptlsta Braga,
Aolonio Joaquim afaretra Sampaio e-Aatooio Go-
mes deOliveira por seu testaoMateiro, cuja-socie- os
dadegyrava nesta cidade soba Arma de Oliveira, R
sampaio df C, que flca dlssolvlda e liquidada des- o v,
de 17 de f^veteire uirtHw.
O contrato, de' soeieade as Antonio Pedro de
Souza Soares e Jos Alves de Souza Soares, Porta-
gnezes, estabelecilos nesta cidade sob a firma de
Souza Soares A Irmq,on o capital de 17^44j887,
para o qualantnt o ffoo Ij4:33i#667, < SP com
3;a08pat0; demuda dita su|iedade durar por lem-
po da tres anoo% contado df 1 de Janeiro do cor-
rala aooa.
O contrato da saciedad* te Francisco Googalves
Netto, Portuguez, Alfredo Henrique Gapeta e Joa-
quim Alvaro Garcia, Brasileiros, estabelecidos ces-
ta cidade sob a lirma de Alfredo Gama Vlrmao,
com o capital da i20)080$, para o nal entra o i
socio.com 97:771JA6, o '* cora fcttnfStO. eo
3' com li:G92jO8 ; sendo a duragao desta socie-
d^de tizada am tres annos, que sera enojados do
1 de Janeiro do correte.
Secretaria da irib^naal doomraorcio da provin-
cia de Pernambuco 13 de mareo de 18*6,
O offlclal-maior
Joho Guimares.
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos pertos de sui esperado
at o diadO do crreme o vapir
fh-ufttro -4o 3*1,. coa mandante
Aliiuforado, o qua! depois da de
mora do costume, seguir para
norte.
m*fe passageiros e engaja-se a earpa qoe
r poder conduzr a qoal dever ser embar
cadano dia de^ua chegada ; encemraendas e di-
nheiro a frete al o dia da sahia as 2 horas :
agencia rua da Croz n. 1, escriptorio de Antonio
Lolz de Oiveira Aznvedo & C.
do 3jcylittdros/eons>ndoj;ada," cylindro 10 peoa-
7f lilrasa'e caocoaUe, a^rgc de joiaa/do onro, d
bnlhojite,esera|oas.rubaM, perotas oto.
Arojaubf a 21 de crrante
s fl oras no armazem a rua da Cadeia do Reei-
fe a. 29.
Ijilu.
De 3 rolos com fuxno.
Qnarta-feira 21 do corrnte as 11 horas.
No armazem a rna da Cadeia do Reeifen. 29
a requenmento de Joaquim Francisco da Silva J-
nior e despacho do IIIm.. Sr. juiz da paz da fregoe-
zia do Reci/e ir a le | os tres reos de runo ci-
ma dito os quaes, foram arrestados a Antonio Mar-
tins Lisboa
Eio de Jaheiro.
Vai sahir at o dia 28 do correte o brigae bra-
sileiro Marta $ Alfredo, recebe nicamente car-
ga miada e escravos a frete, tratase coa E. R.
Rabello rua do Trapiche o. 44.
Para~^ffio~^~Janeiro
Pretende seguir com ronita brevidade o palna-
bota nacional PIEDAE, tem dooo tergos do seu
carregamento tratado, para o reslo que Ihe falta
trata se com os seos consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azeveda.a'&j no oaescriptorio rua
ca Cruz o. 1.
UnElliAO
De candieiros a gaz
Rua da loperatrz armazem de faxendas a. iS.
O propietario deste importante estabelecimento
tendo de se retirar para Earopa fara leilao de
grande sorrimento de caadrairos a gaz cotondns,
em um ou mais lotos a voolade dos eompradores.
Qtiula-feira 22 do eorreite as 10 ho-
ra em ponte.
m 9b '-
Ama fe iette
Ollerece-se para ama de leite urna senhora casa-
da; quem precisar dirija-so ao Corredor deJBispo,
beeco amarello em fenla aotpalavio, qae ah acba-
ra com gaeai ira lar, j > ,
Oilerece-se urna animara port
sorvigo dnaesilco da-una cata di f m _
a rua do S: Btin Jmus d^'Crrooras n. 2i*
,que ai cba-
ugnefe pira o
milla i aoratar
em 29 de margo, outra de 681^200, era 29 da abril,
e outra finalmente de 701>780, era 29 de julho do
mesmo anno, e querendo o supplicante, como legi-
timo administrador da mesma heranga, interromper
a prescripgo que j se acha imminente, requer a
V. S. se digne mandar tomar por termo seu protes-
to, e que seja intimado por editos ao supplicado na
forma do art. 4 53 3 do Cod. Cjdb.," visto estar el-
le ausente em lugar nao sabido, designando V. S. ti7a da Santa "Casad* MJserlcordi'a
eza do lugar 3as,,Qea5So da aDsencia e ipeer-1 "i^wador dorafiou a potio fM theor
P^de a V. S. assim defira.E. R. M.Fonseca.
Tristo de Alencar Araripe.
O Dr. Virgilio de GosmSo, Coelho, juiz municipal
supliente em exercicio da segunda vara desta
cidade do Reeife de Pernamboco e sea termo,
por soa magestade imperial e constitucional o
Sr. D. Pedro II, a qoem Dos goarde etc.
Fago saber pelo presente que a junta administra-
do 'Recite, por
seguate:
Diz ajuma administrativa da Santa Casa-de Mi-
J022 **"oVMP"ho:-Tom*seo sericordla do RecifV, qoe qner fazer citarTos hfr-
^Sif!f Ja8"a'1Qe a aUSeDCia marC0 deiros de M1Kl "reir de MeUo, para a primel-
aSH.Si .. ra deste J'uizo faHareo) aos leemos de ora libello
SS#E2!5-& l866.-Alencar Araripe. [ em que Ihes quer pedir o sillo de n. 18 particular,
JSSSMZm me P.T dS8'; no lQgar "enomina'do Salta.,, do qual se achara de
ribalda ^escrirlo destei juizo Manoel Mara Ro- pog8e por titulo de atorameoto -feito ao dito Miguel
imento, o qoal lavrou o termo de Ferrelra de Mello, visto tewra os supplicados ca-
I bido em commlsso corno melhormeote se expres-
| sara' em seo libello, pena de revelia, fleando logo
Aos 20 de janeiro de 1866, na cidade do Reeife,; citados para todos os termos aa causa at final exa-
era meo cartorlo, appareceu o supplicante per seu CUCa0 v "B OT ,erm98 aa caasa Me DQal exe^
H?StpDn=efl,proCQHad0r e adv1u8ad.0 Dr- Joa(>oim Juos E porque a supplicante ignore da Fonseca, e dtsse perante mira e as testemunhas ses herdeiro or isso reouer a V Sr niaim
infra assigoadas que reduzia a protesto o cometido mandar oassar cwtas de Slo oW X
de soa pe.igio retro a qual offereceu como ^Z^m^mTSSm^SiSX^ Mol
da presente que fica sendo; e de como asim o dis- SE m^JESkn^XZTS^t^
se e protestou lavrei este termo, no qoal, depois de 203.
Novo Banco de Pernambuco.
Em comprmanlo do artigo 23 dos estatutos do
Novo Banco de Pernarabuoo, conwdo aos Srs. ac-
cionistas a reuolrem-se em assembla gei ai no dia
21 do correte, ao mel da na casa do mesmo
Para a Baha pretende sabir com muita bre-
| vidade o veleiro patacho Sanio Antonio, por ter a
| maior parte da carga tratada, e para o pouco qoe
Ihe falta trata-se com o consignatario Joaquim Jos
Gongalves Beltro : na rua do Vigarlo n. 17 pri-
meiro andar.
f*nra a Rada
Banco rua do Traoieae n. 34, afim do Ibes serora Pretende segnir cora muit brevidade
inroconuUc 1B m ZmZT. >-_ ,.-.., ote nacional Dous-rmaos, tea parte do seu car-
o palha-
apresentadas as contas rotativas ao anno social
lindo em 28 de fevereiro ultimo, e proceder-se
eleigo da mesa da assetnbla geral, da commis-
sao flseal e da dlreecls que teem de funcclonar no
bieaoie prximo.
Racife, 16 do marco de 1866. {
O presidente da assgrnbla geral,
V. de Camaragibe.
Pela snbdelegacia do Peres feram apprehen-
dido* dous cavallos easiaohos e castrados, sendo
um poldro, do poder de uos cargoeiros que se- ,
gniam a estrada da cidade da Victoria, e consta
que ditos cavallos foram fuados do lugar da Tor-
re oo Lea : quem for sea dono comparega, que .
medame pxova Iba seu entregue.
Subdelegada do Pares (6 de margo de 18S6.
O subdelegado,
Alexandrino Martios Correia Barros.
regamenlo prompto para o resto que Ihe falta tra-
ta-se cora os seas consignatarios Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo & C ao. seu escriptorio roa da
Cruz n. L________ ______
Precisa-se tomar a risco martimo sobre o
asco e appareihps de brigae inglez Jedio, a Wil-
soo Mtstre, a quantia de 12:000# mais on menos,
para os reparos noeessarios para dilo navio voltar
em lastro para um porto na <5raa Bretanha. ^ro-
postas em cartas fechadas devem ser entregues no
dia 20 do correte al meio-dia uo escriptorio de
Saunders Brothers & C.: praca do Carpo Santo
n. 11.
i litio
De faveudas Cimpas e ava-
riadas.
Quinta-feira 22 de marfo.
Mills Latham & C. farlo leil3o por intervengo
do agente Pinto e por coma e risco de quem per-
tencer de differentes fazendas avariadas a bordo
de diversos naviositaglezes, em coaiMioaeio vaac
rao tambera dlffereoies fazendas inglezas NJBpfl
cujas facturas deverao ser fechadas antes da via-
gem a Europa do socio Joseph Latham, o qoal
apoveitar a occasio para despedirse dooeos fre-
guezes e amigos.
J leilo principiara' as 10'horas em ponto.
Plf De lata casa
drigues
protesto do theor seguinte :
Termo de protesto
IMo se lirmou eom as ditas testemonhas.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento, es-
crivo o escrevi Joaquim Jes da Fonseca, Claudia-
no da silva Rego.Coriolano de Abreuie Silva,
Portaoto pede ae Illm. Sr. Dr. juiz municipal da
segunda vara assrm Ihe defira.E. R. M. M.Co-
inojprocorader Jos Theodoro Gomes.
E nesta petigao qoe me foi apresentada dei o
hle"'i? 2 suPP|icaote Produzido suas testemu-1 despacho do'tbeor sgointe":
Zmvsau, rsrt.8: szsbc: jnVfxsr- -Recl,e-w de ,eve-
^l^FtS^i^^^^m^nt\'^^*^ meo desPach0' fez'passar presente
'. V^lrTftX.edl1!1 pel qaal e sen lheor' co> ello e he por
citados a todos os berdeiros do mencionado suppli-
. .------------------------------------.--~, v d*iuf MffOUUV l|UQ
seja citado por editos de trinta dias para o lira re-
qoertflo a folhas 2; pagas as costas er-caosa.
Reeife 13 de fevereiro de 18156. Tristo de
Alearar Araripe.
Por (orea da qual o referido escrivo fez passar
o presente editl, pelo qual chamo, cito e bei por
citado o^ito supplicado para que comparega oeste
joizo dentro do dito prazo afim de allegar o qae fr
dejusiiga.
Guara que ebegue ao coaiiecimento de lodos
maod -i passar o presente qua ser publicado pela
imprensa e afRxado nos lugares do costurae.
Reeife 17de fevereiro de 1866.
Eo Manoel Maria Rodrignes do Nascimento, es-
crivo o subscrevi.
Tristuo de Alendar Araripe,
O Dr. Virgilio de Guspjjo Coelho, juiz mu-
iicipei supplente em-exeroicio da segunda
vara desta eidade do ftaeife de Pernam-
buco e seu; termo, porc-$.' M. I. e C. oSe-
nhor D, Pedro II, a quem Deus guarde,
ete.,ertc. -
Faco saber pelo preseote que a junta ad-.
miaistraliva da Saeta Casa da Misericordia un2S0 I"?' too
o Ree%, por sen procurador, me indire- Reeife; 3 de margo
Cou a petigao do theor seguinte :
Diz
cado Miguel Ferreira de Mello, para qoe dentro do
prazo de 60 dias comparegam por si ou por seos
procuradores ante este juio, allegando e provaodo
o qoe fr a bem de seu direito e jullga, sob pena
de se proceder as suas revelias.
Portanto toda qoalqnor pessoa, prente, amigo
on condecidos doe-rererides hefdeiros, poder-lhes-
ho faaer scif nte do todo o expendido.
E para qoe chegue ao cooheeimeoo de todos,
mandei fazer o presente qne sera' affixado nos lo-
gares do costme e publicado pela iraprensa.
Dado e passado nesta cidade do Reeife de Per-
nambuco, aos 3 de marco de 1896.
Eu Goiiherme Aogusto de Athayde, escrivo o
subscreviVirgilio de Gusmo Coelho.
N. 59 rs. 400. Pagou 400 rs. Reeife, 3.de mareo
de iS66.-Cbaves.-6eoa.
Vai pagar 250 rs. de dlreitos de chancellaria|
Reeife, 3 de margo de 1866.-0 escrivo Atbayde.
N. 1222. Pagou 250 rs. de direitos de chancel-
lara. Reare, 3 de margo de a86d.-Cbaves.-iLl-
mooirn.
Translloo peJa_chaocellaria. Recite, 3 de margo
de 1866. O escrivo Francisco dos Reis Nunes
a jtutta administrativa da Santa Casa
a>lleticorn1a do Reeife, .qae per faier
citar aos berdeiros do fallecido MaooeUSa-
to, para a primeira deste juizo fallarem aos
teMtos de um libello, em que Ibes quer .pe-
dir o sitio n. 21 particular as salinas, no
lugar dedeminado Carreira dos ataembos,
do qual siiio se acham de possa os sappli-
cados por utolo de afoTamertto feitr/ aquello
fallecido, visto terem os supplicado*> caiiido
em comaaisso, como melbo;
sar enam libailo, pana e revelia; _
do logo citados para todos os termos da cau-
sa al final execuc5o.
E jftsf que a soplicaote ignora quaes se-
jam os berdeiros, por isso requer a V. S.
do competente Itvro a. 13.
de 1866 Campello Juaior.
Firmino Antonio de Souza, presidente.
Estavam as armas impertaes.
E nada mais se contiehaem dit edital aiui co-
piado do proprio original.
Dada a passado nesta cidade do Recite, aos 5 de
margo de 1866. .
Eu Guiiherme Augusto de Atbayde, escrvio o
subscrevi.
Vtrflli de Gosmo Coerct.
Ao dia 20 do corrnte depois di
do juiz de paz de Santo Amonio, tem de ir em pra-'
ga para serem arrematados igaos movis peoho-
rados a Joo da Costa, por exeeugao de Antonio
Francisco dos Santos.___________._________^^
De ordem do Illm. sr. inspector da thesou-
raria de fazenda desta provincia sao convidados
aquelles Srs. offlciaes nella .reudontes que servi-
r m no exercito dorante a Iota da independencia
e qoe nao pereebem etapa algoma a comparece-
reo) a dita theeouraria para tim de liqaidarem o
seu direito a etapa de iju
Wanted on Bottouny on Hull Jackie of the
British Brig jeddo a Wilson raaster Ihe Sum of
Iwelrs Tbensand m res more or less ur Ihe oe'
cessaoy repairs of said Te.-.el (br ber retwm m
a'udlen'cia Batta,ttoa P011 "> the limited kmgdom.
Jenders recerred up to raeddeny of the 20 Ib.
lost at the offleo of Sandders
Corpo Santo o. 11.
Brotls, praca do
do 8 de julho do aono poonmo Ando.
Secretaria da tbesouraria de fazenda de Per-
nambuco 17 de mareo de 1866.
Servindo de offlcial maior,
_____________Carlos Joao de Sonta Correia.
Pela secretaria da^camara municipal desta
cidade se faz publico, que a mesma cmara dar
principio a soa primeira sessao ordinaria deste an-
no do da 14 do correte, e nos seguintes.
Secretaria da cmara municipal desta cidade 12
de margo de 18 6.O secretario, Francisco Cana
to da Boaviagem.
~~CMPAHA PERXAMBUCANA
Tendo os legtimos proptielanos das accSas des-
ta companhia abaixo rn^tiaionaij-, ttedirado que
havlam se deseocarainhaao de seu ppler as de ns. I
886 a 89J e 2786 x 27te, pola gerepeip da Campa-'
nhia Pernambucana e por ordem da directora se i
declara qoe da data desle a 30 dias, a vista da '
reqoisigao dos mesmos Ihes vo ser entregues no-'
vas acgOes de igoal oomerago em substltuicSo
aquellas que ficara asslm sem valor algura,
Pernambuco 14 da margo de 1866.
___________ O gerente-F. F. Borj;ts._______
(Bseifla de compras navaes
O conselho premove a compra no da 24 do cor-
rentemez dos seguintes objectos do material da
armada.
rfaO* aijr I
O hiate Dous Irmaos, para carga trata-se com
Tasso Irmaos. ouxuuw Sr. Quiaul o trapiche do
algodo.
Macei e Peaedo.
Pretende sahir cora muita brevidade o cter
traia"o decretop" t3hm^ ft P-o.*astoda carga que lha,Ua, trata
se com os consignatarios na rua do Rosario n. 22,
Chaves l Via ma, ou com o capitao na ua do Vi
gario, taberna de Manoel Jos de Aguiar.
Frease um navio de~MrO a 2f0 lonelladas
para o Rio de Janeiro : a tratar ua roa da Con-
cordia com C. U. Bradiey.
Para o Rio d^JSero-
pretende segnir at o (im da presente semana a
barca nacional Guarain, apeoas recebe carga miu-
da e escravos, para es quaes tem excellentes com-
modos : tratase com os seus consignatarios Anto-
nio Luiz de Oliveira Azevedo dt.C-, no seo escrip-
torio rna da Cruz n. 1.
LUIlfrM.

fie
EJEHLA
amis, aoca, crvstaes, carros
e cavallos.
hoje.
Per iutervengo do agente Pinto.
Na travessa de Joao Fernandas Vieira, casa do
Sr. Joseph Latham (o qual retirase para Europa)
devendo partir as Mi lr e 10 3(4 horas do dia aci-
KO travos ita ,i),^ ,. ,, "|wmi *s ro i|s e iu jt oras ao ata aci-
aZSSEZ* MP ^ 3l piln2s 2!m *t0 d" I"*** d0 Commercio os dous mnibus
S S'miaHdSdiLfr^'S d? gtT9t* 80 PW transporteVfgrat.s) dos concorreates ao re-
_.!.? S S -*" a *' palmos de coaipri- [ ferldaJoilao.
cea sitio id
Boveila.
Sexta-feir 22 de marco as 10 horas.
O ageoie Pinje, fara leilao a requenaenio de
Antonio Bzerra^avalcante "de Albaqnerque ad-
ministrador de soa mull t Ermloda fl. Pire de
Figueiredo Camargo e Isabol A. Pitea do Pigaei-
redo Camarge.par mandado do Uta* Sr. Dr. jaiz
dos fetos da fazenda, da casa terrea com sujo oo
Poco da Panella, qoe perteoceu a fallecida D. Vir-
ginia Candida de- Ftgneiredo Camargo, para paga-
mento da execooo promovida pela fazenda pro-
vincial, pelo sello de lie ranga da dita casa : o lei-
lao ser effectuado no escriptorio do mesmo agen-
te roa d Cruz n.
38.
AVISOS IJIVERSOS
= Daniel Pancracio Wild, cidadao suisso, sua
mulher e dous entiados vo para a Europa.
Luiz Coffrane, Suisso, vai para a Enropa.
LOTERA
Aos (i:OO.sOOO.
Corre srva f Ira ts
Acham-se ,venda na respectiva tbesou-
raria, rua do Crespo n. 16, meios e quintos da ultima parte da 5.a e 1.a
da 6.a lotera (52), a bepefcio do theatro de
Santa Isabel, sendo a extraccSo no lugar e
hora do costume.
Os premios de> (fciOOjOOO at 10,9001
serio pagos urna hora depois da extracto
ateas 3 horas da tarde, e o s.oat/os depois
da distribuigao das listas.
As encommencras sero guardadas so-
mente at a noite da vespera da extraccSo.
O theapurairo,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
"rauci Sh MacH! f
Portella
AMA
, Precisa-se de ama ama para comprar e cozinhar
para urna pessoa s : na rua da Cruz n. 13, pri-
meiro andar.
Aluga-se mu criado oara co^eiri o tambem
cozinha soffrivelmente: na praca la iadepaadedoia
ns. 14 e 16.
Troca-se um bonito relogio de uuro, patele
Inglez, novo, de prego de 2at3|J, por um cavallo de
igual valor: quem qoizer annuncie.________
= Aluga-se o segando andar da casa da rua do
Encantamento n. 12 : a tratar na roa da Cideia n.
64, priaeiro andar por cima da loja de looga.
N roa Nova o. 69, segundo andar, precisa-
se alugar urna engomraadelra escrava oo livre,
paga-se bem.
Ama
Preoisa so da urna ama para casa de pouca fami-
lia, sendo pessoa de bom coraportamento e qae
saja de idad : no pateo de S. Peale o. 13, casi
terrea,
O abaixo assignado peta presente srieotifica
ao Sr. Antonio Mamas Duarte qae do dia 5 do mez
damaio e dojpte osa roa i* responsavel pela
carta de nanga aa sua casa da rua da Concordia
p, 2i, e pera cajOf lar-passe o presente para nao
se chamar a igaoranaja, a-:im como a fez particu-
larmente. Recite 19 de margo de 1866.
s
0 Dr:
- <
ni i i maaawa
DECLIRACOES
Bividlendo.
Paga-se an eacriptoric da Camejaaea P.inun>
bocana, somante aos sabbadea e em presea- das
respeetivas aegiJes.o priieir dividendo a rasas
de 10 per aegio : oo es:ripterio largo da assem*
bla n. 1.
ment e 8 a 9 potegadas em quadro, 10 duxlas de
limas meia-caoa de 12 a 20 poiegadas, 10 dozias
de limas triangulares de 10 a 16 poiegadas, 20 car-
rinbos de raao, 16 dnzias de taboas de assoalho de
louro, 10 dozias de taboas de lorro de amarello,
12 duzias de taboas de assoalho do amarello e 100
chapeos de oleado.
Promove o cooselho a compra sob :is confligSes
do estylo e vista de proposlas receidas naquelle
dia 24 do crreme mez at as 11 horas da maoha.
Sala do cooselho de compras oavaes 19 de mar-
go de 1866..
0 secretario,
__________r_^e*an4ra Rodrigeafdas Aojos,
Pela delegada do segondo distrmlo do'R"-
nite, se faz publico qoe no da 14 do correte a'
noite foj encontrada nma borra em trras
.
IKIXI
de movis, looga, erystaes e mais objectos perten-
cenes a casa de familia.
1 carro de 4 rodas em perteilo estado.
2 cvalas- itroprios para Qmpsvp e.jtn oahrio-
lal aaeriMEo de dnaa rodof, tan amias. ^-'
T'aT0Ca>jrJE3
Terca-feira 2*^ marco r;48r56) na travessa
de Joao Fernaades Vieira,
iosept) Lathan tendo de retirar-se com sua fa-
nrma pra fora do imperio far leUap por interven-
gao do agente Pinto; de todqs ps movis, looga,
erystaes e mais objectos, existantes^.m.casa de soa
residencia, e tambem de um carro de 4 rodas, 2
de om carro de
do en-' cavallos proprios para o mesmo e 1 cabrlolet ame
genbo Calende, na estrada da Vctor! qoem pois ricaoo de duas rodas, com arrotos na travessa de
se jolgar com diroiie dever a presen tnr-se ntffla' Ja0 Fernandos Vieira, onde se effeetaara o leilo
delegada no eogenho Viagem, que jostifleando Ihe'as ^ noras em Pntu do dia cima dilo, devendo
sera' entregue. j segolr para ahi am mnibus, o qoal partir as 10 X
Delegada do segando distrieto em Jieoetio 16,Doras da Praca do Commercio.
de margo de 1866.
Foi tcaasbrida
Boda a a
vara desta
frente a
de largara e
MEDICO E OPERADOR
Faculdade de Parts.
i continua no exercicio da soa. proosso,
especialmente as molestias de oibos, de
vas urinarias e de pelle, para cujo tra-
| tamemo julga-se nabilitado altela a pra-
tica adquirida nos bspitaes naque: la ca-
pital, e os instrumentos mais modernos
que possoe.
Accode prpmplamento a qoalquer coa-
mado para fora da cidade.
E encarrega-se de collocar olbos arli-
ficlaes.
No pateo do Carmo n. 2, esqoioa da
roa de Hortas, das 6 as 10 horas da ma-
oha, o-das 3 as S da tarde.
boa
para Earopa.
tmjde um criado para compras
raer n. 17, 2 andar.
aTBra
oa
Brande, subdito italiano, relira-se
om paoa^ooMeaa laias>oaaVrfb Luiz de Oli-
veira Azevedo & C, no seu escriptorio rua da Croz
numero 1.
f Rovatse aos Srs. Ramos & C. que procurem
a encomineiidyha que Ihey fura remettiJa do
o de Janeiro ha tres raezes': na roa Direita n.
18, 2 andar.
. Francisco [naci Pisto dsja filiar ao 8r.
Evaristo Teiotra Pin* Joator, V*ndo de pro-
curadlo por ignorar sua raoradia.
U4CIM4S
Lopes
toes
Gaiarae,
Manoel
Bor\ pa.__
Na rna Bella n. 22,Vrecisa-se de uro criado,
qae cosiobe para andar no mato, cora ama. pe*o, J
paga-se bem.
Nt ras Berra n. a, compra'-se om baodo
com bons vidros em segunda mi.
Na rua Bella n.22, comprase um alfloete
de peito para senhora, moderno, om segondi mi.
Na rua Bella n. 22, precisa-se de orna ama
!ireferindo-se escrava, para casa terrea, de pouca
amllla, paga-se bem.
Ama
Max
D^carocar atgodJlc.
eric#iias ileaerroles de ac..
Vetimm; s raeotorsifir di Canma o". 56 no
armazem de Silva A. Alves, qoe atiangam aos
sei**ref ani>ritar|a|aperioridade do seo roa-
*iW1^p*ttW!lltr9 1ualauer ne aqui tem
^raW^poT ptriefai'lar sois machinas tirar qua-
lro saccas de algodo por dja, com o emprego de
orna s pessua; sende dndl raChUias de rodas de
rearo coto (tentadoras de e!j;o. puente de rpido
moTrmento, CBrirserras de ag espee/almobte tem-
perado para fazer muito algodt de pluma em
pouco tempo.
ledos
Precisa se do orna ama
pessoa : aa roa do
4TTENCA.
Henry Forster C, rua de Trapiche n. 8
tem para vene.
Prensas para enfardar algodio.
Machinas de descarocar algodo, de 30 a
60 serrotes, com motores, assim como mto-
> para quakjrjerservico, e urna
* me machina a
>
*
100 de grakfieaeao.
Anda se aclia au-orite desde ootubro passado a
escrava Latea, cabocla, de Made 2 annos, estatura
regular, com falta de denles, sahio eom cabello
appataMamas de soppor qne o deixasse crescer
para amarrar; esta escrava veio do Bjo Graude do'
Norte, onde a-eomprou o Sr. eapRAe' Lobato, e do
p-uifr deste seabor fez diversas fundan, soado en-
(o capturada ao Barro, CaonMho. Noao, e entras
lugares prximos da cidau>, intiulaodu-e furra :
qoem a levar a rua do Appoifo vn 30 armazem,
reoeber a gratificagao anm-a <\* t00|l.
Veneravel eenfraria do Senhor llun Jesos i\
Via'Saera da oreja da Swtaruz.
O escrivo da mesma conrraria por ordem da
meza, convida a todos ossees'L-irioMinrns irmaos
confrades para comoa/ecerem oe.4aa 23 doeor-
reote naquella igreja pelas 2 l/i koia da larde
aflm de incorporados acorapanharera. a iirocisso
do Sr. Bom Jesns-dos Passos e su ir Mi Saalissima
que lera de sotiir da mesma reja da Santa Cru.
Recite 20 de moj-oo de 1866.
Jos C. P. Soares,
Escrivo.
Veneravel cmifrai i de Saala ita
ile lassia.
Em ame da masa regedora da eonfraria de
basta Rita de Casaia, convido a ladea os aossos
charissimos irmaos a sa reunirem emnosso eonsis-
lorio no dfa 23 do correte, as horas da tarde,
para em corponcao aoomiwDtwrmos a procissao
as fteanor dos Pasaos, que tem de sahir da igreja
da Santa Cruz. Consistorio da contraria de Santa
Rita de Cassia, 19 de margo de 1B68.
O escrivo,
_________________Antonio Das d Stft'a CartKat.
Ama.
Precisa-se de urna ama, j.refere-se escrava : na
Fuglo no dia J6"*o 6otHme o escrito-Ma-
noel, idade 18- aooos, cor prata,aiio, secco, ananas
acambetadas, ps pisando por banda por Ihesahi-
Nra era vos. levando camisa e caiga av Plgodo le-
trado, montado era um cavallo caxito com a mo
diente, malha branca na testa e cassoaes com qae
buha viudo vender leite ne>ia orara, elle bebe
agurdente : quemo pegar leve o ao' sitio Fundo,
ou oa roa Aagustar-n. 68, qae sera' recompensado.
Preci>a-*e.de urna amp de>leiie para criar
um menino de donsmezes : no largo do chafariz
D- 61 A, casa da esquina.
>








1




i
-
. I
I
I
i


--
i
'A
***** *mmm*9 ~
PASTURAS
VERMFUGAS
FABRICA A VAJPO
99 RA 00 MONDEGO 99
Deposito na ma Xoya n. 5 lo ja de relojoclro.
Delouche donos deste estabelecimento partecipa ao respeitavel publico gae sua fa-
brica est montada cora as melhore machinas que existem na Europa, e que pode
fabricarcom melbor perfeicao possivel. Todo o chocolate desta fabrica esta garantido, e
poro o que nao se pode encontrar naquelle que vem de fra, e que se vende por preco
baixo, visto os productos serena do paiz. Na etiqueta tem simpre urna aguia.
PREQO.
Meia libra.........
Urna libra......... 800
Urna arroba........90OUU
Na mesma fabrica acaba de se montar urna oficina com serrana a vapor.para
obras de marctaeiBia prepria para edificio, para o que encarreg i-m de fazer portas, ja-
dellas, assoalhos (parqu francez como se usa na Europa,) e armacoes, ludo com Drevi-
nade e'perfeic3o. Toina-se qualquer encommenda para fra da cidade, entregando-se
-roinpta a coilar-se no lugar.
CASA DA FORTOi.
DE
FREITAS
16.


< OfcSMIO Ra da Cruz
Continua a baver diariamente um sortimento de pastis, podins, bolos inglezes,
empadas etc., etc. Os donos deste estabelecimento, acbam-se naa memores condicoes
de poder satisfazer encommendas concementes sua arte, em consequencia do socio
Freitas ter sido administrador chefe de algumas das princii aes fabricas na corte, senao
urna a do Sr. Jo5o Goocalves GuimarSes (confeitaria de Leao) antiga casa de Carceller.
todos os trabalhos s5o dfferentes dos que se fazem em casas particulares.
Os proprietarios deste estabelecimento fio se tem poupado a despezas, nem se
poupario, se houver concorrencia como esperara. ; tendo continuadamente bom sorti-
mento de doces para cha; presuntos e ditos em fiambre, tambem se recebem para se-
rem preparados ; assim como doce de caj novo superior, secco e crystalisado, dito em
calda em latas hermticamente fechadas, podendo durar annos em perfeito estado.
Para jantares e partidas recebem-se encommendas dos seguintes objectos; oan-
deijas ricamente enfeitadas sem armaco pecas de amendoas (nogaces), ditas de tmaras
de ovos, pes de l enfeitados com disticos anlogos a qualquer fim; ditos montados,
kechs simples e eBfeitados com fructas ingleza; gatheaux de la reine, ditos de le d-
chese, tortas de fructa, massa folhada; ditas de peixe e carne; cremes e doces de ovos
de differentes especies.
Tambem ternura completo sortimento de vinhos engarrafados, como sejam: vinno
do Porto superior, Figueira, Madeira, Lisboa, Cherez, Bordeaux, Champagne fino, ser-
veja, licores, charopes e conservas. Para festas: bonitas caixinhas com amendoas, con-
feitos e mais enfeites. Muitos destes objectos mencionados podem-se perfeitamente ac-
condicionar tanto para a provincia, como para fra.
FIGURAS
Acabam de receber bonitas figuras para bandejas de doces, sendo grupos para
baptisado, casamento, anuos, ditta a phantasia, bonitos enfeites para bollos e circular pra-
tos de doces finos, tudo por precos razoaveis.
Yende-se licores em duzia muito em conta.
NOTA YORK.
DE COR CHEIRO E SABOR AGRADAVE1S
Infinitamente mais efficazes do que todoi
os mais remedios perigosos nauseabundos
que existem para a expulsSo daslombrigas-
N5o causam dores e produzem seu effeito
sem precisar logodepoisde purgante ne-
nhum e taoincitantes em apparencia e deli-
ciosas em gosto, que ascriancs estao
promptasa tomar mais do que marca a re-
Uteis como um excellente meio de fazer
remover as obstrucces do ventre, mesmo
no caso de nao existirem verme algum, as
PASTILHASVERM1FGAS DE KEMPS S50 prOmp-
tas einfalliveis na suaoperacao e por todos
os respeitos dignas deconanca e approva-
c5o de todos os paes de familias. Prepa-
radas nicamente por Lanman & d,
Nova York.
Deposito geral em Pernambuco ra da
Gnu n.22 em casa de Caros______
O padr? Flix Barrete de Vssccncellos extin-
gui a iula particular de lalim que t'raha em sua
casa, e d'ora em diaute ensinar smenle no col-
legio do Sr. professor JeroAvmo Villar, na ra lar-
ga do Rosar i-i, un do .iiii-CoiiSflhn, ua rtia ta
Aurora- l> alumnos quf quizerem aprender com
o annubnanie, tolendanw com o director de
qualquer um dos referidos collegios. .
Samuel Power Jfhnstoi & Campalhia
Ruada Vnzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fundlfio deliOW tioor.
Machinas a vapor de i e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engeDho.
Taias de ferr" coado e batido para enge-
nbo,
Arreios d.- carro para um e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descansar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Joao Jos de Carvalho Moraes & Irm5o, sac-
cao sobre a praca do Rio de Janeiro.
Compauhia. geral kespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORIZADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
Osa lauca e dinieir, depositada ios cofres da estada, {traite baa ad-
ministra ca da eanpaaiia.
BANQUE1R08 DA COMPANHIA I DIRECCAO GERAL
O Banco de Hespaaha | Madrid : Kua do Prado n. 19
Esta companhia liga pelo systema muluo todas as combinagoes de supervivencia dos segu
os sobre a vida. .
Nella pode se tazer a subscripcao de maneira qne em nenbnm caso mesmo por morte do
segurado se perca o capital nem os joros correspondentes a eates.
Sio tao s aprehndeme os resultados que prodoxem as sociedades da ndole deA NACIO-
NAL,que anda mesmo dimlnuindo ama terca parte do mteresse producido em recentes liquida-
c6es ecombinando-o com a mortalidade da tabella de Depareieux que adoptada pela companhia
ra seus clculos e tiqaidacoes, em segurados de idade de 3 a!9 anuos, urna imposicao annua.
100J produz em effectivo metlico:
No fim de 5 annos..... 1:1*9*300
. de 10....... 3:941*600
, de 15........H:t08#aoo
, de O........30:256*000
, e 23 ........ 80:331*000
as dades menores de 3 annos e malores de 30, os productos sao mais consideravels.
Prospect is e mais inormacoes serao prestadas pelo sub-director nesU provincia,
oaquim Pinza de Oliveira, ra daCadeia n. 52, oa a Boa-Vista ra da Imperairu n. 12, estbele*.-
ment dos Srs. Ray mundo, Carlos,Leite & Irmo.
sfar*ntt*alotena que seacabou
r, a benefleiU da matrii de Sargueiro,
los 6^)00^00.
Bilhctes caraatid*
A* RA DO CRESPO N. 1(6A8A8 DO C03TUME
O abaixoassignado venden nos seas multo feli-
ces biihef.es MraitttDsaaloteri
de eitrahir,
os seguintes premios:
N. 85 dous quintos eom a sorle de 500*.
E outras moitas s.ortes de 100*, 40*, e 20*.
Ospossuidores podem vir receber seas respec-
tivo* premios sem os descootos das leis na Casa
da Fortuna i ra de Crespo n. 23.
Acbam-se a venda os da ultima parte da 5*
e 1* da 6* lotera (53*) benebcio do theatro de
Santa Isabel, que se extrahir sexta Cetra 23 do
correte.
PREGO.
Bilhetes. .... 6*000
Meios......3*000
Quintos. 1*200
Para at pcsseas \*t comprarcm de 100^000
par* cima.
Bilhetes. .... 5*500
Meios. 2*7>
Qaiolos. 1*100
Manuel Mai.ti ;s Piuxa.
%%%.
TINTURARA
AO GRANDE S. MAURICIO
PKOCE^MON APERFEI^OAIIOS
PARA
Tiaglr, limpar e lustrar a vapor.
Preoisa-se de urna ama forra
ra casa de pouca familia: a tratar
n. 68,1 andar.
ou escrava pa-
na ra Direita
F. i SAL
Um criado ou um cseravo.
Precisa-se de um criado ou de um escravo que
seja fiel e deligente : paga-se bein, a ra do Hos-
picio n. 56._______________________
Joaquim Bernardo dos ReU subdito brasilei-
ro val a Eoropa e dorante a sua ansencia defxa
como seu primeiro procurador o Sr. Francisco
Antonio da Rosa, e em segundo o >eu caixeiro o
Sr. Mauoel BaplisU de Albaide.
Precisa-se de ama ama para comprar e cosi-
nbar para casa dehomem solteiro : quein e-tiver
nestas circumstauclas diriia-se a luja da Aarora Da
roa larga do Rosario n. 38, para tratar.
29 Kua 7
Defrooteda roa nova
DEPOSITO DE CALCADO g
FABRICADO M CASA DE DETENQAO m
Rea -\ova n. 1. JP
Ahi se encontrar5o obras Je di- ^
veraas qualidades, e por preco moi ^
diminutos, a retalho e em porces. m
S se vende a dinheiro. M
de setembro 29
do Ouvidoi (Rio de Janeiro)
Os proprietarios deste estabelecimento, o primeiro no sen genero no Brasil, por
trabalhar com as machinas mais aperfeicoadas para tingir e lustrar, de que se faz uso na
Europa, e ajodados por alguns dos melhores officiaes de Paris e Lyo, podem assegu-
rar seos freguezes urna perfei.So no trabalho, a qoal senao pode cbegar pelos proces-
sos ordinarios.
Tingem, lavara, limpam e demofam com a mai r perfeicSo e brevidade qualquer
qualidade de fazendas, tiram nodoas e limpam secco sem molhar as sedas e as vestimen-
tas 'de senboras e de hom'ens.
A QUABESMA
Acabam de receber G. Paes do Amaral & C.
5 RA JJO CRESPO 5
Antiga easa de Cntlhcrme da Uva nlmaries
Ricos cortes de vestidos de gros-de-naples preto, com lindas barras bordadas.
Moire-antiqae preto em cortes e em pecas, liso, ondeado e com palmas.
Gros-de-naples preto, de diversos precos e larguras.
Gorgoro preto, fazenda superior,a todas pela qualidade, e bonito teeido.
Este estabelecimento
acha-se sortido com numerosa quantidade de filos pretos, de algod5o, de linho e de se-
Precisase alugar orna preta de meia idade e
me sirva w 'o^0 sorvijo j irair na ra Im-
perial n. 39, taberna. _______'
MONTE PI POPUL IR PER-
da, mam factura os em
ckales
retondas
algerienes fbournus)
ananjites
africaines




i
De ordem do irmo director convido a todoi os
i nessos irmos que se aeham em dia, para a reu-
! nlo de as ' pelas 7 horas da noite, afim de se traur de nego-
cios multo importante para o Monte Pi.
Secretariado Monte Po Popular Peroambucano
16 de marco de 18C6.
Joao Xavier e Silva.
Io secretario.
Precisa-se alugar um escravo que seja fiel
para o servico de portas dentro de urna lithogra-
pbia, viudo as 8 horas da manria e largando as 4
da urde : quem o tiver e queira alugar, dirija-se
ao 1. andar do sobrado o. 46 da ra da Cruz do
Recife, que achara' com quem tratar
luga se dous pretos que sejam robustos
para o servico de padarla, paga-se bem : na roa
Direita n. 24.
DE


pompadour
As Pilulas Catharticas
DE FANTHASIA
Receberam tambem bonitos cortes de popeline de listras de cores, e matisadas,
muito modernas, degostos inteiramentenovoS; e outras muitas fazendas de gosto, vin-
das pelo ultimo vapor
G. P. DO 4M %Iilli Je C.
5 RA DO CRESPO 5
DE AYER.
O purgante maU efeen* *U Jioje conhtcldo.
Y.ttu plloliu o paramente vtg-
Une, mi tendo na sna compo-
fi<*:'.o nem mrreiirto nem oatro
ii; di. nte mineral; sao lnno-
e r para as enancas e pessoas
luiil- i'i-licada, ao mesmo tempo
qm, eumpoitaa como sao de vegl-
-tucs i u i fortes, sao bastante acti-
vas e elieuzes pura as pessoas mais
robastas.
Estas pilulas catharticas purg^io c puriticao todo svstema
humano sem mercurio.
X.io *e tem poupado trabalho nem despega pora levar estas
plalas a um grao de perfeceo tal, que nada deixa a desejor;
cao o resoltado de annos de estados laboriosos e constantes.
Faro alcancar todos as vantagen* que result.io de uso de cathor-
ticos, tem-se combinado somente as vtrtiufei ruratiraii das
plantas que sao cnipregadas na confeceo dad pUulas. Sna
composteo tal que as enormidades que estao o alcance
de sua accao, rafas vezes podem resist la- on evadi las.
Suos propriedades penetrantes cxploro peaetrao, purilico e
dio vigor i todas as partes de organismo humano; pols corrigen!
n sua ncco viciada e 0z recuperar a suu vltalidude. Lma das
consequencias dstaa propriedades que o doente, abatido de
dOr e debllidade phyeica, ailmir.i -e de encontrar, to depressa,
sua saude o'energln reo/penidns por mel d' um remedio tao
simples e ugraduvel.
As molestias que estao 00 seo alcance o,
Prbio de veaUc MemnaUtrno, Dir Os pianos desta antig fabrica s3o hoje asss conbecldos para que seja necessario insistir sobr* a x*z- wHgatto e u ,to utomago, iiemorrhoi,tat,
toa superioridade, vantugens e garantas que oflerecem aos compradores, qualidades estas incontMta-1 PADKCIMElfTOS, DO HQADO,
veis que elle* tem definitivamente conquistado sobro todos os que tem aPPrecdo nesta praca-, .pss-1 (^* si*, i^/-**
uindo am teclado e machinismo que obedecem todas as vonUdes e caprichos das pian stas, sem ^^^^^^^^^Z^'
nanea falbar, por serem fabricados de proposito, e ler-se feito ltimamente melhoramentos Importan- ^SniaTZ^Id^
tissimos para o clima este pait; quanto s voies, sao melodiosas e flautadas, e por isso muito agrava-
reis aos ouvidos dos apreciadores.
DE
J.
DE
VIGNES.
m
FAZENDA E ROUPA FE1TA
ti'A VOY A M* 94.
Reg & Moora, proprietario da loja de fazendas e roupa feita, sita ra Nova
n. 24, verdaderamente penhorados e reconbecidos'para com seas amigos e freguezes,
pela aceitacSo e conflanca que delles tem merecido no curto espaco de tempo em que
se acham estabelecidos e perfeitamente escudados na sinceridade dos seus tratos, decla-
rara, para sciencia daqaelles que o quizerem bonrar com seus officios, que, em vista da
grande concurrencia que tem merecido o seu estabelecimento, especialmente no que
relativo a roupa feita; acabam de admittir para a sua officina de alfaiate maior numero
de artistas, in.lusive o seu contramestre, dirigido pe hbil meslre Lauriaoo Jos de
Barns, o qual nSo se poupa a exforcos para satisfazer com a presteza possivel qualquer
obra de encommenda.
Os mesmos annnnciam aos seus freguezes que acabam de comprar um novo e
muito vanado sortimento de fazendas unas e de bom gosto, proprias para o tempo da
quaresma, as quaes estao dispostos a vender por precos muito coinmo.Jos e mais barato
que em outra qualquer parte.
Gomo sfmpre escusamos essa enfadonha piolixidade dos annuncios bombsti-
cos ; preferimos mostrar na singeleza deste nosso convite os bons desejos que nutrimos
para bem servimos quelles que \ierem ao nosso reclamo.
A Sra. O. Kosa Mina da Concento e os Sr.-.
Antonio Feneira Alves da Silva e Jos Firminn Hi-
beiro Filbo, qoeiram vir a admioistraco do cor-
reio desta cidade para recebereio cartas viudas do
sol.

Precisa-se alagar urna ama para comprar e
coiinhar: a tratar na roa do Apollo n, 9.___
Antonio Jos Rodrigues de Souza na ra do
Crespo n. 15, toma dinheiro para mandar entregar
na Bihia, Para e Maraohao.
Os senhores acadmicos do 3o anno podem
querendo, dinglr-se a ra da Saudade n. 9 a' com-
prar o compendio de direito civil patrio, approvai
do pelo governo imperial.___________________
N. O. Bieber 4 C, sucessores, sa-
cam sobre o Rio de Janeiro a vista ou a pra-
zo conforme se convencionar.
Offerece-Je ama ama para comprar e cosi-
nhar para casa de homem solteiro : a tratar na
ra do Fog" n. 5i.
GARKAUX DE LAILHACAR & C.~~
LIBRAIRIE FRANQAISE
Ra do Crespo a. 9.
LIVROS NACIONAES E ESTRA.NGEIROS
ReligioPhilosopbia Jurisprudencia Liltera-
lura Scieacias e artes.
Papelaria, objectos para escriptorio.
Offerece-?e dous engenhos moentes e cor-
reles com agua a quem quier arrendar ou com-
prar, sendo am na freguezia de Santo Anlo dis-
tante da cidade da Victoria i leguas e 3 para a es-
cao de Frexeiras, boa cata de vivenda, senzala,
cercado em valado e muita mata, e montado do
necessario como seja casa para bagasso e estufa.
Ouiro na freguezia delpojuca distante duas leguas
e meia para a estacao da Escada : quem pretender
dirija-se ao engenho Sibir da Serra ou da Atlia-
laia que achara' com quem tratar.
^"Antonio Graciano de Araujo Guarita, brasi-
leiro, solteiro, natural da provincia da Parahiba
do Norte, retira-se para Europa.
B
X. 55. Rl'A OO IMPERADOR X. 55.
Ayer, que se publica
todos os annos para distribuidlo gratuita, encontra-se um tra-
tado sobre as diversas doeucas que estao ao oaaoe de
Fazem-se conforme as encommendas, Unto nestt fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados ern todas as exposicSes.
No mesmo eslabelecimen se achara sempre am esplendido e variado sortimento de msicas dos
melhore6 autores da Europa, assim como harmonice* e pianos harmnicos, sendo todo vendido por
precos conimodof e razoaveis.
REMEDIOS PURGANTES.
Acha-se em todas as Bolleos e Drogaras do Imperio.
^gg^.^o PECHIMhW SE IGUAL
Ricos corte de gprgurao de seda pretos adamascados para vestido tora 13 metros
oo (8 a SO covados cada corte, largara de chita fr&ocez. pelo baratsimo pre^o de 50
cada corte : na loja das columnas da roa do Crespo n. 13 de Antonio Crrela de Vascon-
celos & C
Precisa-se ie um menino de li a 16 annos :
na fabrica de charutos, na travep do Marisco n.
7. Na misma se precisa de om picador de
famo.
Luvas de pellica pretas e ou
tras cores.
Chegaram para a jloja de miodezas a roa do
aeimado n. 16.
O hospital portugoez do beneficencia precisa ;
de um enfermeiro : qoem se julgar habilitado e
quizer contratar-se dirija-se ao 8r. provedor An- j
toBiXoni Pwlr> de Melle a ao secretario Mo
Pereira (tabello Braga. a
h________i____________.^-------------I
DE AYER,
TARA A rnOMPTA VU.\ DA
Amtina, de Constipacoea, Toases, RouquJdo Influ-
enaa, Bronohite, Tli3a prlmr.ri.i. T .'croulcs
pulmonarea, e todaa as tes'. ,.j
Peito, aaalm oomo para u.
oa thioos declarado;,
As prcparaooe* do Dk. Avtn sao vendidas um prioeipaea
drogaras e boticas do Imperio.
Vetde-se em Pernambuco:
na
PHARWA
1
Antonio lft de Oliveira Azeveo & C. tem '
para vender no sen escriptorio, ma da Cruz ni,
inbo dj Porto em caia de duzia, fio hamburguez,
cola da Babia superior. ~ ~ V.
lili. .
{ Companhia fidelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PEHNAKBUC0
Antonia Lnix de Oliveira Axevedo & C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de segaros Fidelida-
| de, tomam seguros de navios, mercado- I
rias e predios no sea escriptorio ra da S5
8 Crui o. 1. 9
mmmmmmmmmm wmm
m mmmmm mmmmmm
^ O Dr. Carolioo Francisco de Lima San- [
mt tos contina a morar na ra do impera- ja
dor n. 17, segundo andar, tendo aliis sea g
gabinete de consaltas medicas, logo ao j|
entrar, no primeirr). Mg
O mesmo doutor, que se tem dado ao j
I estado tanto das operacOes como das mo- jB
Klestias internas, prestase a qualquer cha >gi
mado, qoer para dentro quer para fra S
^ da cidade. Jjlj
***** *kk*k mmmm
CosiQheiro.
Precisa-se de um cosinhelro que seja escravo a
na ra Nova n. 60, armazem da Liga.
BOMBAS DE PATTE
Ra Nova n, 30.
Chegaram as nelhores bomhas americanas do
melhor systema que ha, assim como as pessoas
qoe pretender encanamentos para agua pode se
dirigir a mesma loja que tem sempre canos, chum-
bo, tomeiras, choques, vlvulas etc.___________
O Sr. Francisco Jos de Frats Gui-
marSes, queira ur a rxndade deappare-
cer na livraria n. 8 da prava da Indepen-
dencia._____________________________
' Em casa de Theod Christianfto.rua do Tra-
pjfhe-novo n. !6, nico agente no norte do Brasil,
de Brandenburg frres, Bordeaux, enconlra se ef-
feclivamente deposito dos artigos seguintes:
St. Julien.
St. Pierre.
Larose.
Cbateau Loville.
Chateaa Margaux.
Grand vin Chaleau Lafilte 1859.
Chateaa Latine.
Haut Sauterues.
Chatean Sauterues.
Chateau Lataur Bianche.
Chateau Yquem.
Cognac em tres qualidades.
Azeite ri'Ce. Trecos de Boideauz.__
No sobrado da roa Nova n. 56, aluga- |
se ou compra-se orna escrava que teja
perfeila eogommadeiri.
mmmmm-mmmmmmm,
Ea|onma-fe
com asseio, prompiiao-e precis ratoaveis : na roa
Aogosl n-5. loji.________. ________
O hachare! Miguel Augusto do Nascimet
Pellos, avisa a, rejpeavel publico desu cidai",
que est assjslindo na villa de Iguarass, o'onde
fireee,os seus servico como avogadn, p dando
quem com elle quizer tratar, dirigir-se ou a mes-
ma fHteii ao escriptorio -o seo Irmao o Dr. Ao-
linio V. do N. FiloM, resta cidade.
\
viso
O cirurgiao Joaquim Jos Alves de Albuquenjue
madou o seu consultorio para a freguezia de -"an-
to Antonio, ra Direita casa o. 13, onde oode ser
procurado das 8 horas da manhaa at as 4 da tar-
de. Pt-di-enrarecida (nenie a seus amigse mais
pessoas qoe o procurcm na freguezia do Recife
que deixem os seus chamados por escripia na bo-
tica do fallrcido Luiz E'edro das Xeves, rua da
Croz n. 24, onde ser encontrado al urna hora da
tarde
Declara mais eme tendo sido por espaco de 33-
anoos o nico profe.-sor da enfermara de mariuho
desta provincia, teve sempre a seu cargo um nao-
pequeo numero de doentes atacados de djverscs
soffrimentos, alm das operacSes por elle pratica-
rjas aates e depois da revoluco de 1849, que em
I85 fora encarregado do lazareto da liba do Pina,
por occasiao da febre amarella, assim coioo em
1856 do hospital de cholericos na Ireguezia do Ue-
cife, que os seus conheciraenlos professionaes, theo-
ricos e praticos adqueridos no decurso de tantos,
annos em taes estabelecimeolos, o tem habilitado a
tratar de qualquer enfermidade : por isso espera
. i qoe continuar merecer a eslima e conflanca de
na roa do Vigano n. 4, pavimento terreo. ^odos aqaeiles que qQiierera ui,lar de SUa pro-
Na praca da Independencia n. 33, loja de flssao.
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A companbia Indemnisadora, estabeleci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
ore navios e seus carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercadorias e mobilias:
oorives, comprare ouro, prata, e pedras preciosas,
e tambem se faz qualquer obra de encommenda, e
todoe Qoalqoer concert._________________
Associaco Commerci! B oeflceole,
A direceo da Associaco Commereial a qoem
foi prsenle peto Sr. conde Anlooio Ladislao Ja-
.-icn.-ky os estatutos e peticao em favor da colooi-
sa(o polaca, convida os Srs. associados a compa-
recerera a' reuni.io extraordinaria da assernbla
geral da mesma associaco oo da 20 do correle
ao meio dia, afim de ser discutida a conveniencia
do objecto, e promover-so a sabscrip(o4e assig-
naturas, se assim for decidido.
Associaco Comrnercial Benefcente de Pernam-
buco, 14 de margo de 1866.
Candido C. G. Alcoforado,
Secretario.
si
Na fabrica a vapor de marcenara da rua do
Uoudego o. 99 precisa se de alguns rapaces de 16
a 18 annos, de boa conducta e sem ofBcio para
aprender a trabalhar com as machinas, se dir'
alguma cousa logo que entrar, e qaando souber
bem trabalhar podera' ganhar bom jornal._
Precisa-se de ma ecrava para o servico de
casa, e que saiba engorare ar: na rua da Cadeiado
Recife n. 27, andar._______
Thereza de Jess Ribeiro Campos, parteira
examinada, moradora no pateo do Hospital a '->
annos. defronte do oitao da retlnaco, casa d. 5,
fax scienie ao respeiivel publioo que coatioa sua
morada na mesma casa. ___________
- o abaixo assignado, estabeleeldo com taber-
na na rua das Crazes n. 24, jalga nada dever nes-
ta praca nem fra della ; mas se algnem se jnlgar
1 seo credor, tenba a bondade de apresentar-lhe no
; praso de tres das para ser paga. Recife 19 de.
I margo de 1866.
Coatodto Collago Pereida Jnior.
FEITOR.
Precisa-se de um ft-ilor para um sitio em Sanio
i Amaro : a tratar na rua do Brum o. 66.
-- Na rua da nzala Nova n. 38, es-
criplorio, compra-se urna escrava boa en-
gommadeira, nao se olhaa preco agradando.
Precisa-se de um homem que entenda do
servigu de campo para trabalhar em um sUiper-
lo desla praca : a tratar na estrada de JoSo de
Barros, segundo sitio a direita passaude > bomba,
Lavam-se chapeos de palha para senbora e
do Chiii para homem e se informam pelo systema
moderno : na roa da Imperatrii n. 28, U>ja. _
~ Na praca da Independencia existe ama carta
para o Sr. Dr. Candido Casado Lima.
CAXEIRO.
Precisa-se de am c&txeiro que lesna afiante
pralica de taberna e que do coabecimenlo d sua
cfuducta, prefere-se portogaei: na rua Direita
Medico e operador
O Dr. Joo Raimundo Pereira da Silva,
JP tendo ffequentado os mais notaveis hospi-
taes de Pars, pode ser procurado para os
mysteres de sna proflsso na rea da Croz
e. 40, segundo andar. Di consultas todos
os diisdas 7 as 10 horas da n>.a\ r..
pecialldades molestias Je u.Ujf, pai la e
nI vias urinarias.
Albino Baptisu da Rocha, re[o
joeiro e dourador portugaex, n*
praca da Independencia n. It, faz
qualquer roncerto pertencente a
barato do que ouiro
abilisa-se pelo
como tambem
coupraretog* rs de ooro.
T
na fii>ifr!c vM^ne^itaa de beber, e prec commo pma enho, ou familia heneU> oai la n^sia
doTn1?a.^T&ls B. 9, Sir qaett cfdade o coohecimente
jljjot de Borlas o. w.
O lenente-coronel Mariauo
drica vai a Europa, levando em
menor Antouio.
Ramos de Meo-
sua companhia o
Urna pessoa com bons attestados de sua con-
ducta se ufferece para criado : quem precisar di-
rija-se a praca da Boa-Vista n. 3-2.
,ue
ar.
Precisa-se da urna pes*oa para criado, e
r>
saiba bolear : oo pateo do Carmo n. 15, I* an
achara' com quem tratar.
0 lente Pedro Bezerra Cavalcanu Maciel,
pede a lodos os seus devedores que teuham bon-
dade de mandar pagar os dbitos que devem ao
mesmo.______
Aluga-se o 3 andar do Sobrado sito na roa
Imperial n. I, com commodos sulBcientes para fa-
milia e por prego razoavel: a tratar no i andar
do mesmo sobrado. _____ '
Alaga-se urna sala com dousquartos, propria
para dormida de rapai solteiro ou escriptorio, na
roa da Crar n- Ct: i tratar no armazem.
OSr. lj^bel?JlieUps.Bra, queira cora-
\iter-i Seereatta daSrasa da Misericordia
deeu cidade, a negocio que Ihe.diz respeito.
Jos Theodoro Gomes. .
M
m

r
Am.-





I


Diaria
eir e llardo t

y
\ *
t
i .



Pernambuco, ra Nova n. 18 pbarmacia franceza de
P. MAURER & C.
PERFUMERA d casa oger
Boulevart Sebastopol, 56, Iariz.
Dea ir edalhas
. a condecorado da Legin
d nonneur e a grande reputacao que tem lae
dado o p ubi ico, u es sao as recompensas que os
servicos prestados a industria merecerao a
esta importante casa desde, sua fundacao em
N'um sortimento de mais de 560 artigo*,
as pessoas elegantes escoinerao os seguintes:
ROSEE DU PARADrS, extracto superfino
para lenco.
POMMADA CEPHALIJJlilE contra a cal~j
vicia.
AGUA VERBENA para.o-toucador.
OXIMEL MULTIFLOR.
VINAGRE DE PLANTAS YGIENICAS.
TINTURA VIRGINALE.de beiioim.
ROSEE OE LYS, verdadeira agua de
CREME LABIALE de suca de Rosas.
POMMADA VELOURS para amaar a
.pelle.
ELIXIR ODONTOPHILE.
SABAO dedicad* as tamal americanas.
SABAO de bouquet de Fraara.
i' de flores de alcea rosea.
d* de flores printanires.
d* de bouquet do outona.
d* de perfumes exticos.
d* aurora, dedicado aos dedos cor le
rosa.
d de flores das montanhas.
d* de cheino de foins ooaveaux.
d* de bluets cheirosos.
d*. de althea balsmica.
-d diapr, eaka rica, fautetsa pari-
sience.
COMPRAS
CALCADO
45 hua Direita 45.;
A primeira condigno indlspensavel con-
servado da sade trateras ps bem de-
fendidos contra os ataques da humidade;
* Comrjl-M curo, prau e pedras preciosas
em obras velhas: na roa de Cadea do Recife
cja de oorlves no arco da Conceico. __
Compra-se carosso (sement) de algodo: no
armazem de algodo de Saunders Brothers & C.' calcado bom e seguro O nico preserva-
ooeaes de Apollo.------------------------------- yQ (sm m1 enfefmi(]ades queat su.
e m^rrit^^ ra chine,ve,ho ^
tica.____________________ !catl Pr ota dandy patuscante, ou urna
Compra-se orna casa de sobrado no aterro-' boot Galcanhada em pequenino p de en-
da Boa-Vista ou ra da Aurora : a fallar na roa i cantadora deidade alm de accusar que-
do Crespo n. 17. -___________________ bradera horripilante, prova ce ntra as f icul-
Ouro e prata. llades intellectuaes dos calcantes, e nao ba
Em obras velhas: compra-se na praca da le qnem, tendo bom senso, queira passar por
dependencio n. ti. loja de bilhetes.__________ maluco, ou pobre de surr5o : ergo, cor-
Compra-se orna borra de ferro, ingleza oo ram a :
roesrao das antigs ; na ra Nova n. 31. 4*RA DIREITA 4.
Compra-se garrafas valias braoc as e vidro
vasloe; na roa Larga do Rosario p. 10._________
Compram-se libras esterlinas : na praca da
Independencia n. 88, junto ao relojoeiro.
Compra-se om cavallo de boa figura e cora
alguns andares : na roa do Livramento n. 19.
Compram-se portas feltas de amartillo que
tenham 13 palmos de alto e 6 e i |5 de largura :
quem liver algomas falle na roa larga do Rosario
lojade looca n. 28._____________
Comprase na prensa de algodo de Saunders
Brothers & C. sementes de algodo a 500 rs. por
arroba.
VENDAS
VIIUMAS
PARA 1860a
Acabam de sahir luz as folhinbas de
algibeira e de porta para o anno de 1866, o
mais correctas possivel tanto no calculo das
teas e eclipses, como as diversas fesias
te na livraria da praca da Independencia,
160 ris as de porta e 320 res as de algi-
beira.
Carneiro de sement
Vende-se am lindo caroeiro de rao* Ingleza na
cocheira da toa da Imperatriz. n.
Vende-se om cabriolet de qaadro rodas ame-
ricano, attatar: patea GIZ.
No efrtnazem da roa do Imperador n. 3 oh ao
I Ces de Pedro II n, i, tem para vender-se o ue-
i ixw rfz existente no mercado.
; Vendem-se garrafas e botijas "valias tHava
das:: na ra daSoledade n. 38.
e attendam a' baraieza.
Homens. {
Borzeguins barcellonezes de lus-
tre e de porco .
Ditos de Bordeaux ....
Ditos parisienses de bezerro e
cordavJo.......
Sapatoes de Nantes de duas ba-
teras rasas .......
Sapatoa de lona, sola de borra-
cha.....; .
Ditos aveludados .
Dito de tranca bons ,
Senhoi'ds
Bortegums enfeitados. .
Ditos de laco......
Dito lisos......,
Sapatos de borracha ....
Selleiros, corrieiros e segeiros 1
Sola de lustre, meios grandes
Aspas fortes para boloes.
Na roa do Qaeimado lojade miodezag n. 16, veo-
aspas da ac fortes, e de diflerentes larguras
ra baldes. ? s-
Bonitos quadros para retratos.
Vendejji-se na ra do Qaeimado loja de miode-
zas n. fc, bonitos quadros ron mordara preta e
turada, todos por pn eos rasca veis.
Garrafas brancas
e de cores com superior agoa da eoleoia. -
Wudem-se na ra do Qaeimado, loja de miude
tas n. 16.
Novo gesto
Ptijles, Bvellas, e brincos Je feligrana.
A anliga e bem ce onecida li ja n. 16 na roa do
Queimado, recebeu om soitirr.enio de diversos ob-
jeclos de novo e bom goslo, sendo pentes brancos e
doorados de moldes enteiramente novos e moi ;i-
giadaveis, lendu entre elles alguns de filigrana obra
de muilo goslo e dtticil exe vellas e brincos as mesrnas cirt-umsiaacis.
Tambera receben alguns cintos o goe de mais
; Atengo I
Attencao!
i Attengo!
; Grande mu liment de faieadas-pro-
naspara a cuaresma.
I Acaba A rtifgar a" este novo estabelecimento
om grande e variado sortimento de fazendas t>ru-
prias p^a-a quaresma, a saber :
'61- sdenapl's prefo a 4$600 o cevado.
! Vende-fl tim grande ortimento de grosdeoa-
ple a U600, US*. ?* e JoCO o covado ; ftfi
multo supeib.r a ?i80e 38 : na ra da Impera-
triz n. 71 luja de Guimares & irmao.
1 Moriantique preto a 2800.
Vende-se un granee ortiimDto de morianiitiue
a 2J800, Z& e 3l300-r covado.
Chales de renda pretos a 86000.
Veode-se tambera om variado sorlim nto de cha-
modeino e bonito, se p_ode tnccnlrar em tal genero, les de renda a 8#\ 9J500 h Idf ; ditos muito uuos
E om completo sortimento de calcado fa-
bricado no paiz.
No armazem de tazendas
baratas de Santos Coelb.o
Ra da 4|uelmadt* a. 1.
Vende-se o seguinte :
Cobertas de chita da India a 24400.
Lencoes de panno de linho a 84200.
Ditos de bramante de linho de um so panno a
34100. ^
Lencos de cassa brancos proprlos para algibeira
a 39000 a dozta.
Alfodo enfestado com 7 Ii2 palmos de largura
a 14800 a vara.
Athoalbado de linho a 24800 a vara,
Dito de algodio a 24 a vara.
Gnardanapos de I rabo a 34800 a dozia.
Pecas de cambrakt de salpicos a 44800,
Laaziuha abena de cores a 320 o covado.
Cambraia branca de forro a 34 a peca.
Fil de linho liso fino a 800 rs. a vara.
Dito de dito-com salpicos a 14 a vara.
Panno de linbo 600 com 9 Ii2 palmes de largu-
ra pelo barato preco de 24400 a vara.
Hadapoloes tinos a 84, 94,104, U4 < 124-
Alm disto encontrarao os pretendeutes um com
pleto sortimento de -Bvellas de madreperola, chris-
| tal, tartaruga, e doorados, brincos de christal, e
(i-)OOO jaspe, vollas e cruzes de dito e moitos oulros objec-
7/1000 ,os ,*e 0S, os 1",es continoa-se a vender commo-
"^ da mente.
ftAnnn' Penentes ^e madreperola, e enfeites fllets
o^DUU i ^ j0ja ,je rniudt'zas na roa do Qaeimado n. 16,
' recebeu bonitos pentes com chap? de madreperola,
5i000 e novos enfeites liletv ornados de lantejoilas rir.u-
radas, moedlnhas, aljofares, vidrilhos ele, tendo
a*nnn 8rands Para lo^3 cabeca e peqoenos para ceqoe,
1 no re8ulaDdo S Pr,,C0S ae 2* a 4* rs-
lbOO 13 ,ntas calimbas
l660 coro arranjos doorados para costara, tendo com
mnsicas e rem ellas. Vendem-se na ra do Quei-
55000 n,ado ,0'a ('e rniude'as 16-
taonn' Trancas prelas
aJtKnn com *WHlho*, e bicos com ditos e sera elles para
ha ene,,es ou "flidos.
If>ti00 Na ra dv. Qaeimado n. 16 lojade miodezas a-
' charo os pretendentes um bello sortimento dos
20/1000 0Decl0S ac,ma ditos, cascarnihas, franjas etc. etc
etodo est sendo vendido por precos-commodos
Botoes pretos
de vidro enfeitados d'aco.
A loja de miodezas o. 16 r vende moi booitos bot5es pretos de vidro rom en^
i feites de ac, os quaes muito se uzam para eofeltar
I vestidos, qnem os pretender pode diriglr-se a dita
i loja n. 16 roa do Queimado.
venar tu se na loja de mludezas
a ra do Quelmndo n. 16.
Bonitos leqoes de sndalo e nutras qoalidades.
Bonitos cintos com Bvellas de diversas qualida-
ties e moldes.
Brincos e crozes de crystal.
Abotoadoras de dito para coletes.
Bonitos port-relogios.
Delicadas caixas com mosica e sem ella, para
costura.
AgQlnas e linhas para chrochel.
Retrnz superior em carriteis.
lieuuas pfetas e bicos com vidrilhos.
i-'itas de velludo com li-tras de cores para en-
feites de corros e vestidos.
Ditas de grosdenapoles, lisas e lavradas, brancas
e matisadas.
.- a
A agula ranea. ; Cambraia lisa de 45500/34,65,""4 e 84 a pega.
Arut'do Queimado numero 6, w&m de bretanba de algodio coai 10 varas,
fccaba.de receber lavas de pellica de toass'.-JKSfri* <*ra saia> P6'0 baratisskDo pre?o de
/acres inciask'e preta. 4500-
Laazioha lisa de cores a 300 rs o covado.
Cambraias finas de cores miodinhas a 360 rs. o
covado.
Esleir da Iodia propria para forro de sala de
4,5 e 6 pamos de largura, per menos preco do
que em ootra qoalqoer parte.
sortimentode roopa feita e por medida.
Grande pechinefaa
Em chitas.
-A-oaeia pataca.
A aacia pateca.
A niela ipataca.
Veode-se Da loja VaavD um graoeN? sorlimento i
de chitas inglezat, seco rxas e cor de Tosa, eom I
! padrSes-mab miados-e mais grados,^flBancando-
9 se ser de cores -ttias, vende-se pelo baratissimo
I preco de 64 a peca, tendo 38 covades, e retalha-se I
: a'160 rs., sendo 'aneada qoe sempre se vendea a
194 a peca ou se retmou a 280 rs.; -esta grande
I pechiocha liquidarse por este preco na loja e arma-'
zem do pavo, roa da'Imperatriz o. 0, de Gama &
1 11 1 i ; Chales de fil prelos pelo baratissimo (ireco de
vende-se ou arreoda-se o eonho Acauass, 64OOD.
moecte e correte, dtstanie da pra?a tres leguas, i IMreantiaaes pelos de diversos padrees a
244OO; 24600 e 24800.
Grosdenaples de diversas larguras
Novidade!
O bamteiro vende:
sito na fregoem de Jaboatao.seo terreoo de boa
prodaeco, era rostas bem cooservadas-t; com
cercado bem tratado. Tambera se divide.em pro-
piedades ou shios, a vonude ;dos compradores,
sendo uns pelo rio Mocahiba e outros -pelo rio
Acaaass : pata .qoelquer dos referidos negocios
procurem. nos Afogados o coronel Jos Gomes dos
Santos Pereira de Bastos.
Grande pecaica de maaapolo coin ,
ovara lissaiigas miadas, aljofafcs imitando
Paredes Porto vende urna grande porco de roa- aCi e vidrilhos (le cores 1
?m2!J0 avaria,io fazenda de 10 e ?4 a peca, a para enfeites de vestidos ; vende se tudo Jsso por'
64aO0 e 74 com pequeo loque.: .na wa da lape- procos razoaveis na roa do .Qaeimado n.l oja 16, l
ratriz n. 52, armazem da porta larga junio a pa- de aMudezas.
dara franceza. 1--------------------------------------------------------
1
Em casa de Kabe Schroettati *- atea da Cadeia n. tr6, vende-se:
Cbampantw.

Cognac de supetr qualidade.
Vidros para-espemos de todos os taaa-
nas tudo a precos finito commodoe
Joo da Silva llamos, mlico
pela uoterdaJe de Coabra] d
consultas en sua casa das 9 as
II horas da manha, e das as H jH.K
da tarde. Visita Os doentes eu suaslJR i f
casas regularnaerite as horas para 8| j
isso designadas, salvo os caso* ur- fl |a
gentes, que serao soccorridos ea'Sjl
c'jualquer flccasiao. D consultas ios
pobres que o procurarem no ho*-
p*tal Pedro l, aonde encontrado
diira mente das ti s 8 horas da
maehSa,
Tem sua casa de sade regular-
mente montada para receber qual-
quer doente, anda mesmo os alie-
nados, para o que tem commodos
apropriados e nellapratiea qalq|ier
opperaco drurgica.
Para a casa de sade.
Primeira clase..3^000diario*.
Segunda dita___3500 >
Terceira dita ..20000
Este estabelecimento j beta
acreditado pelos boa servicos que
tem prestado.
O proprietario espera que elle
continu a merecer a conlianca de
|[que sempre tem gozado.
Ainencaiias de Serrotes de Ac
Verta Si GaimarBes, estahelecidos na ra da
Odeii n. 59, avisara aos Srs agricultores, que aca-
bam de receber de^ew-Yrk as verdadeiras ma-
1 chinas americanas de serrotes para descarocar al-
vende-se sal grosso : a tratar oa roa da Ka-- godao, com eixo patente, e rodas de dentadura de
dre de Dens n. 2.
Boa Fama ra do Quei-
mado.
Kecebeu pelo ultimo vapor chegado de
iPas-cbapeospara menina do ultimo goslo.
Diademas dourados,
eafeitados com aljofares, pedras,
etc para meninas e senhoms.
A ^gula-branca vende bonitos e modernos dia-
Pteste armazem tambera se encontra am grande Jdemas doorados, enfeitados com abofares e pedras
iproprias para meninas e senboras.
ouitos eftapozlnhos
Sao obras estas de pie os bons pas de familia
i se nao podem escasar de comprar, por azerem el-
| lae parle do assek) e bom goslo com qoe trajam
: soas bellas Albiabas. A agaia-branca tem o pra-
zer de ver qoe to beas e precisas obras foram
devidameote apreciadas e compradas em seu ni-
nbo. Os cbapeozMibos, alera de serem d'uma pa-
lba mui fina, sao de moi bonita forma e nltimo
' ro.-io, cifeitados eom teda a perfeicao : os aven-
taes, porm, sao de fina cambraia, guarnecidos de
babadkrlios bordados: o qoe Ibes da muita grana.
Os precos destes, 55060, e daqoelles, 104; e de
quanto sao ellas baratos conhecera o pretndeme,
que se dirigir a' luja d'aguia-branca, na ra do
Qaeimado o. 8.
Vidrilhos de cores e aljofares,
imitando ac, para eoeiles de vestidos.
A agaia-branca na ra do Queiraado n. 8 rece-
beu nm bello sortimento dos objectos cima pro-
I prios para enfeites de vestidos, ele, etc., e est
\ veodendo corninidamenie.
Novidades.
Na Agula branca a ra do Qaeimado n. 8 rece-
beu diversos objectos de muito gasto e inteiraraen- '
te novos, sendo : I
Bonitos e delicados pentes dourados e prateados, i
tendo entre eles alguns de filigrana obra mui per- i
feita e de elevado goslo.
Ditos com chapa de madreperola.
Brincos de filigrana e oulras qualidades.
Fivellas de dita e ouiras tambem de diversas I
qoalidades.
Cin'os mui bonilos, eofeitados em toda a exlen- ,
cao com caracteres dourados e prateados
Pilis enfeitados com moedinhas donrads.e lan
a 114 e 114 ; ditos de seda fazenda muito boa a
204OO.
Hetondas pretaa a lO.
Vendem-se retoodas pretas pelo barato preco de
104 e 114 : na roa da Imperatriz n. 72, loja oe
Guimares & Irmo.
Grande pechincha panno preto a 2000 o
covado.
Vende-se panno preto proprlo para calcas e pa-
litos a 25 e 242OO o covado ; casimiras pretas
a 14800, 24, 24100 e 24500 o covado.
E' muito barato corles de casimira a 300.
Vi ndem-se cortes de casimira preta a 34i"00
44 e 14500 ; dita o tutu fina a 64.
Admira corles de lniin de cores a
1,280
Veodem-?e. coi les de brim de cores para ralea a
14280,14600, 14800 e 24 na roa da Imperatriz
n. 72, loja de Guimaraes & Irmao.
E' baratissimo a 20 ris o covaiio.
Vendem-se riscadinnos muilo proprlos para roa-
pa de escravos, a 120 ris o covado; ditos escoce
zes muilo finos a 240. 280 e 300 tis o covado.
La/inij? a 3oo rs.
Laannhas de quadrinhos a 300, 320, 360 e 40W
rs. o covado ; ditas omito linas a 500 e 560 : na
roa da imperatriz n. 72, loja de Guimaraes ,' Ir--
tnao:.
Cortes de laa a 5^000.
Acaba de chegar a este importante estabeleci-
mento nm sorlimento de cortes de la que se ven-
de por 54 e 54500; ditos a Mara Pa, fa^nda
muito moderna a 129,144, 184 e -204 ; ditos com
camisinh'a, cinta e grvala a 254 e 284-
Chitas francezas largas a 260 ris.
Vende-se oro grande sortimento de cbias a 260,
280, 300, 320 e 360 rs. o covado ; ditas preciares
a 400, 440 e 500 r?.
Cambalas de cores a 280 n; o
covado
Venden se caml raas francezas a 280,3C0, 320,
360 e 400 rs. o covado.
Cambraias lisas a 3.000 is. a peca.
Vende-se om grande sortimento de cambraias
lisas pelo barato preco de 34, 34500, 44, 44500 e
54 ; ditas muilo finas a 54500 e 64; ditas vieioria
a 64500 e 74; ditas de lima vara de largura a 84
e 94 ; ditas pira forro a 14600, 24 e 24200 : na
roa da imperatriz o. 62.
ROUPA FEITA.
Vende-se om completo sortimento de roopa i-
ta feita. assim como sejam palitois, calcas, col?
camisas francezas a 14600 e t$800; ditas rir
24 e de linho a 2s500, 34 e 34500 ; serouli- ai
14209. 14400 e 14600, de linho a 24 e 24500 : oa
ra da Imperatriz n. 72, loja de Goimares & ir-
mSo.
e qualidades
a 1S600, 14800,24, 24*00 e 24800.
Cambraias de core* finas a 300 rs. o covado.
E oattae muitas fazeodas de gosto que se ven-
dem .por menos do qoe em outra -qaalquer parte,
para poder sustentar sua fama de barateiro, e de
todo -se da amostras : na do barate ir o.
m
m
movimeoto rpido, assegurando que seu macbinis- i ,;' ,T #
-Vende-se ou.penmutta-se poralg^ma ^-2*jfc-j* "S*!9ft XSASB" "^'^ "
rapidez cora qae ero proco tempo descarocb as
snas machinas multo algodae, sendo em seu ar-
mazem o nico deposito das machinas de serras
patentes de aeo temperado para fazer seis saccas
6 dia com o servico de urna
Grande armazem de tin-&
tas medicamentos etc. S
^ Ra de imperador n. 22. .S
Saoo Pedro das Nevea (?e"a
*0 rente) tem a venda o '<*
m segninte: II
^ Productos chimicos ," ^harm,, ^
ceuticos os n'!.- empregi. :> s em '
ase medicina. *
Tintas para todo o genero de l .
m tara e para tiatnraria.
&: Productos induslriaes e tintas
m para flores, como botoes de flores
fe e modelos em gesso para imitar
gg fructas e passaros com o compe-
S tente desenbo.
H Prouctos chimicos e indostriaes
S para pholograpbia, lin uraria, pn-
p tura, pyrotecnia etc.
!? Montado em grande escala e sup- 3
prido direclamente de Paris, Lon- 5"
i dres, Hamuurgo, Anvers e Lisboa 8
J pode offerecer productos de plena M
I confianca e satisfazer qualquer en- g
commenda a grosso trato e a reta-
g lho e por preco commodo. {&
m
m
com
CASA DE HWHOSI
26

Gratlfica-se com
exacta noticia oa entregar na roa estrella do Rosa-
rio n. 31. 2 andar, ama trouxa de roupa com as
iniciaes J F R, marcada com linba encarnada, e
alguma dita de senhora cero as ditas M R, coja
roopa esta' perdida oa roabada desde o dia 7 de
janelro, B foi entregue no porto das canoas a um
canoeiro por nome raz, para entregar em Apipo-
eos lavadeira por nome Aooa Joaquina qoe lava
no acode.
Prtcza-se de ama ama oapltva para fazer o
servico de dentro de ama casa : na raa do Monde-
go o. 99 fabrica a vapor.
Pateo do Carino 26.
Meato estabelecimento t5o impor-
tante para a saude casseio do cof-
| po, acbaa-se montados JO banhei-
t ro, que ao servidos com a ordem
I e aseio qoe para de6ejar-se. Qua-
| tro destes banheiros sSo especial-
menie reservados para senooras e
Sl por isto acham-se collocado6 em lu-
gar reservado, aonde s tem entra-
[ da as pessoas de urna mesraa aoii-
\ lia.
\ PRESOS DE BANHOS AVULSOS. |
\ i bando fri, morno ou de
chovisoo ....'.. 500
I 1 dito de choque .... 1,5000
[ 1 ditodefare'lo...... i$OGO
i 1 dito aroma usado JAOOO
PREQOS POR ASSIGNATIJRA.
' 30 banhos por mez fri,
morno ou decbovisco. 10^000
2o banhes com car toes pa-
ra os mesmos ....
12 ditos ditos ditos. .
12 ditos ditos de choque.
12 ditos ditos de farello..
O estabelecimento estar aberto
ww d.V uti? dr* i.or ulJ3a as 10 iOiie, nes dia san-
tificados das 5 as 5 horas da tarde-
caza terrea desta cidade om sitio de tenras
noilogar do Loreto,(oom arvores fructferas
quasi todas novas, e ;grande poreao de .co-
queteos.quem o pretender dirija-se ao pateo d* a,edao em "">
deS.fedro n. 24, gue achara com quem l^j .........
tratar. "" "eD,'e-}e e faz-se todo negocio
_ sit d* raa do Vigario n. 29, muito proprio
(U6II dllVlfll' VAllhfl VPP I om principiante que queira principiar sua
.. .- i.^ Vef*; com Puco dDheiro 5 ao comprador se dir
Moreantqae superior a 2$800, grosdeoaple su-1 uva da venda.
perior;a.2a, dito moito largo a i*280, chales ren-
j dado muiiorandes a 7, retondas novos desenhos
a 8j5, curies de cambraias riquisf irnos gostos a im-
f>erairiz>Euaenia a 5^500, ditos de la a Mara
fia por 6$, cobertas de chica da fersia a 2200
cbitas ioglezas n 6f a peca ou i60 rs. o covado'
paca acabar : na roa do
a botica.
o depo-
pera
Que-imado n. 17, junto'
por
11.
Ovas do serto,
Veadem-se ovas do serlo moito frescaes
prego eommodo : na roa do Queiaado loja n.
Veadem se duas prelas mocas-e sadias sa-
bendo iavar e oser e proprias lamben para la-
voara, o motivo da veoda ter-se de rearar o sea
senhor para ora du imperio : para tratar jo ar-
mazem a roa da Cruz n, 33.
Brides e picadeiras de Ipejuca
Vendem-se a roa do Queimado loja de
Azeyedo& Irmo.
Ronius vollas de jaspt. coro crozes, tendo tato
bem algomas de duas cores.
Luvas e meias
de laa vegetal, para quem soffre de frialdad?, p-
ralesya etc. Veodera-se na ra do Qaeimado loja
d Aguia branca n. 8.
Bandoline de roza
viJa : P'4 *f8irar ou conservar perfeitamenle atado os
o mo-! cabllos "* senboras. Vende-se na ra do Quei-
| mado loja d'Aguia branca, a IfiOOO o frasco.
Enfeites pretos para vestidos
A Aguia branca receben novo* enfeites pretos
para vestidos, sendo bicos coro vidrilhos e sem
elles, trancas com pendentes de vidrilhos e sem
t elles, cordo grosso tambbm com vidrilbos e sem
Mi aataataataat aSH Wg-MWWtf* s' assim como ^aldes e fraDJas de diversas lar-
u W^iai aaH.SB?aJ; goras, Blas de velludo etc. como sempre os bons
j ~ Ven da Una ; a tratar na roa do Vigario n. 14.____ objectos qoe se veodem Da loja d'Agaia branca roa
do Queimado ti. 8.
Botoes de vidro
colares Royer 011 colares ana-
para facilitar a denti^'T enancas e preserva-1 "fll^e^e^lo^rvem Para meihor se
poder enfeilar um bom vestido preto on de cor,
las das convulsdes.
O feliz resultado obtldo immensas vezes pela
prodif osa forca magntica dos colares Royer, nos
casosjde convulsdes, e dentico das criancas, tem
ote elevado o sea bera merecido prestigio,
Vende-se ama preta moca e de bonita figora e hoje se pode dizer qoe esto geralronte con-
boa^cozinheira^ e eogoinmade-a ; a tratar oa roa ceuados, _e estimados de iooomeraveis pais de
alao.
da Cadeia do Recife a. 47, loja do
Vendcm-se escravos de ambos sexos, entre
ellee ba alguns moleqaes, doas Bolecas de 10 a It
aonos de Idade.e orna preta, boa qaitandeira ; na
roa d Imperador n. 43, *> andar. Na raesma casa
se vende cerca de ama a doas arrobas de doce de
caj secco, moito bem feto.
'AfllC
familias : de aos porque do oso desses slatares
colares virara salvos do perlgo seus charos filhi-
nbos, e de oatros porque colheram daqoelles to
proficuo exemplo para igoalmeoie preservar os
teas. Assim, pols, a agnia branca, tendo em vis-
tas a ulilidade e proveito desses prodigiosos cola-
res anodinos oa Royer, mandn vir o novo sorti-
mento que agora receben, e continuar a recbe-
los para que em tempo algum a falta delles possa
ser funest ao pas de familia, os quaes flearo
certos de os acbar constantemente na roa do Quei
, mado, loja d'aguia branca n. 8.
1041000
.,5000
lOjJOCO
1OAO0O
ULTIMA NOVIDADE
Para sabbado de AUeluia
PENTES, ENFEITES, CINTOS.
VfiME-SE
AMA
Precisa se de urna ama que saiba corinhar e
comprar, paga se bem: no lugar da Capooga, por-
to do Jacobina, oa ra das Pernambucanas, sitio
que fol do fioado padre roestre Capristaoo.
Precisa-se de ama ama que saiba cozonhar e
comprar: na ra da Cruz n. 56, primeiro andar,
o grande armazem da roa do Apollo 0. 38 e 40,
proprio para nm armazem de assacar oa prensa
de algodo em pooto grande, por ter 6 portas de
Gama & Silva, acabam de receoer pelo ultimo frente com mais de 67 palmos de largara e 300 e
vapor irancez, om grande sortimeoto dos mais ri- ^ntos palmos de compriroento, todo coberto e o-
ro en.eiles. prelos e de cores proprios para cabeca, bre arcadas e para cemodidade dos compradores
seudo guarnecidos eom as mais lindas llores, e com j se vende com o praao de 2 aonos t- qn<> s ron-
vollas das mais bonitas perolas; assim como os mais! vcnci.nar urna vez qoe seja com seguijnt;, e, ,.
modernos e engracados pentes da verdadeira tarta- gande-se pela demora nm mdico juro : as nes-
ruga, marchetadosa 4,5, sendj a ultima novidade so?s aquem convier esla compra podero enlen-
que tem viudo de Pan< e os mais ricos cintos cora der fe cora Antonio Alves Barbosa na ra dos Gua-
ntas roaihisadas e flvelas largas, conforme ultima- rarapes n. 78. yH
mente se usa as prlmeiras capilaes da Europa, e
vende-se por preco em coota por ter chegado em
dir^luJ,raara a |0J* d0 Pav3n' o* Imperatriz
n. 60 de Gama 4 Silva.
Aviso.
Vende-se urna padarla na roa do Moodego o. 47,
com todos os pwierjcw par trahalhar : a tratar
na mesraa padarla.
Velas de carnauba
Gomes de Mallos Irmos recebem do Aracaty, e
oa ra largi do Rosario
vendem commodamente
numero 34.
WI
de Lisboa chegada no Laia
19 primeiro andar.
OTtt
oa roa do Vigario 0.
acho se a venda na roa do Queimado loja d'^cuia
branca n. 8.
fximm mW\Y
N 27 Hua do Queimado N, 27
GRANDE PECHINCHA
Cambraia branca para forro a 240 e 400
rs. a vara.
Lengos bancos para algibeira duzia a
2^1000 rs.
Retondas pretas a 9^000
Cambraia morsnlinade cores propria para
vestidos o covado a 300 rs,
Moreattiqe prtto superior a 208CO e
3#0C0j covado.
Grande sortimento de grosdenaplesprelo
para todrs os precos.
Rotondas de seda r qniimas algerinas para
senboras.
Guardanapos para meza a 3#500 rs. a du-
zia.
Snperiorcs bal5es de arcos a 3#200 rs.
Vestidos
Peehlneha sem igual.
Chegon a loja de Paredes porta om bonito sw
tlmento de vestidos de lanalata de cores e branca;,
que serve para partidas por ser ama phanla^ia r-
teiramente de gosto pelo barato preco de
brancos a 45600, esto acabando-se : no armazem
da porta larga roa da Imperatriz o. 52, junto a na-
darla franceza.
Cortinados.
Cbegou a loja de Faredes Porto om complew
sortimento de coriioados ncamenie bordad'* a
preco de 2oJ, 33* e 4o* : na ra da Impera:-:
D. 52, porta larga junto a padaria franceza.
Eicas romeias.
Paredes Per to recebeu pele al limo /.aquele oro
sorlimeuto de romeira de guipure prelas e te
a preco coromodo : na ra da Imperatriz p.
porta targa jumo a padaria franceza.
filo
61
Cortes de laa escocesa para vestido a 3* o cor-
te: na roa oa Imperatriz a. 52. loja da pona iar-
ga, junto a padaria franceza, eslo se acabando.
Para luto.
Las prelas com salplces brancos a 400 e 600
rs. o covado : na roa da Imperatriz o. 52 junto a
padaria franceza armazem da porta larea
1^400
Chapeos de sol.
Vendem se chapeos de sol de panno a 1*400 e
urna grande pechincha s para acabar : na ra da
Imperatriz n. 5? armazem da porta larga de Pan-
des Purto.
A 1,0500.
Vendem-se pecas de traoja preta para enfiles
i cVSli 1*600 com 10 varas, urna grande pechincha : na
roa da Imperatriz n. 52 junto a padaria francesa.
Farello
A' 40&OO
Ra da Madre de Deus n..5
. Saceos grandes farello novo.

Vende-se a casa sita na ra Velha n. 47 :
3aero pretender dirija-se a roa do Caboga', botica
o Sr. Cruz Crrela.
Chales de renda pretos.
Veode se chales de renda preto a 4*000, nnie
loja qoe pode vender na roa da Imperatriz o 52
armazem da porta larga, de Paredes Porto.
Vende-se urna capa de gorgurau rv xa
em muito bom estado com murcj, propria
da irmandade das Cbagas: na rea da toda
n. 4.


i
L


<+,

ie l*era*le *er*a letra *O e Marco d 1866.
iOyoWr *wP^3Cr Tftuiw osuimr^W9T!r*S59
PARA A QUABESM A
Chegaram a loja de Augusto Porto & C.
11 Ra do Quemado-11
Superiores corles de sed pela.
Molreantique preto de flores e de listas bellos padrees.
Grosdenaple preto de diversas largaras e qualidades.
Retondas, bournue e diales de guip e de rendas.
Pannos pretos, casimiras pretas, bonrtasinas.
Laas, caotao, merino e selstrinas pretas.
Lindas mantas de seda para peseoco.
Ricos cortes de seda de cores para bailes ou casamemoi.
Ricos cortinados bordados dos mais bellos desenbos.
Moir braneo, seda branca, capellas e mantas para noivas.
Bellas colchas de seda e de la o seda para cama de noivas.
Saias de Baissima cambraia ricamente bordadas.
Faiendas de pregas para saia que se fatem com ama so costura e tambem tem com
o cordo tecldo.
Madapolo francei 40 e 480 rs. a vara.
Alcatifa de lioho para salas e gabinetes a 480 rs. o covado.
Fazenda especial de qaadros para fuer redes a 3,3500 a vara.
Superiores esteiras da ladia para salas.
IIRoa do aneimado 11
CORTIS RE SERA
Chegaram pelo paquete inglez riqaissimos cortes de moreantique de cores, e seda lamda pa-
Seda de quadros por 1#0Q0 o covado
5RA DO CRESPO-5 M
Gregorio Pac do Amaral A Compaahla.
LEIaM TODOS!
NOVOS GEREIfTES
DOS
TRES GRAUDES
ARNAZENS BE MOLAHDOS
DENOMINADOS
.PROGBESS1VO pateo do Carmo n. 9
NlAO E C0MMERCI0 ra doQueimado o- 7.
VERDADEIRO PRINCIPAL ra do Imperador a. 40
DE
DUARTE CAflVALHO PERIRA C
3B
!

0-CIRMCO
:**>
mente em putras muitas casas, porm nos nossos estabeiecimetitos nao se tara isto
anda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poier mandar seos fmulos que
serao tambem servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seos
.pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remettendo nos ama conta
.pela qual se ver os precos tal qual aonunciarmos, o que senao srrependar pessoa
ajguma que fizer sua despenca am nossos estabalocimentos; pais poupari mais de
5 por centolauadejipeaa diaria.
Gros de aples preto a l500, 1^600, U, 3, 3500 etf o covado. ,
Gorgorito preto de superior qualidade a 20500, 2#800, 30 e 4# oxo- *
Vad' Superiores moreantiques a 20500, 20600, U, 3*500, 40 e 50000 o
covado.
Bons cortes de moreantique.
dem de gorgurao adamascados.
Bns pannos c casemiras.
Sup riores alpacas, pancetas, merinos e bomoazinas.
Bons villudos pretos.
Grande variedade de chales de fil preto e de guipure a 50, 60, 80,
100, 120, de 160 a 200, e de 250 a 800 cada um.
Superiores relondas de fil preto e de guipure a 80, 100, 120 e 250,
e de 300 a 600 cada urna.
Superiores algerienes de fil preto e de guipure de 120 a 250, e de
300 a 600 cada urna.
Bods chaiies de seda preta.
Ditos de Merino preto bordados e outras muitas fazeadas pretas que
seria enfadonho enumerar, na
IiOJA DAS COIiUitOAS
DE ANTONIO CORRElA DE VASCONCELLOS & C.
RA DO CRESPO W. 13
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidade aos sentares de en-
fenbos, lavradores e mais pessoas .do centro, que para mais facilitar suas compras deli
beraram os propietarios ds (res grandes armazens, reunir todos os seus estabeleci-
mentos em um s annuncio, pelo qaal o prego de um sera de todos, promette-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, anunciar os genero (jAp^nrandes vol|meom-4scioari
por um preco, e'qa occasiSo da compra quererem por outro, como socede constaute-aj Med$ttoadamesGca*di|Dr. Herirn
DK. H5DR* M 3*AHBE LOBO ttSCOO,
HE0ICO, PAltTER E OPERADOR.
2 Rfca O Dr. Lobo Moacoso d cobsuHs gratuitas aos-pobras todos osdias das 7 s 11
Horas da manhao, e das 6 e *eia as 8 horas da noite, excepcjto^hdias saBtifltyado*.
Pharmmia eipcial hwneopatkica
'No masmo co:nliorio hajempre o mais approprMa sortimenio de caiteiras
tobes avul9$, assim .*ora<*lnturas 5b varias dysaisaces e pelos presos aegftntea-
' M raboa^randea. 12^000
i000
que se
Ctieiras de.
~^ .de-'** tBbos grand^T .
vi r^de $ ttbos grandes. .
de 28 todos grandes. .
S, .de 60 tobos grabes. .
Prenaxa-se quatper rteira conforme paii>
qpieae pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura dajneia onca ijQOO.
Sendo para cima dr^l custorae os proeja esthaiecidos Dar a* carteiras
Ha tobos mais pequeas cafla sm a 500 res.
A nrtfhor pbraala bdiaeopathia, o Jaanual^e Medicina Heeopathico do Df. Jarb
ap*ooo
100000
e com os reaedioi
JfAHFVIttJBtA
Manteiga iugleza perfeitamente flor che-
gada ltimamente a l,ooo rs. a libra, e
em barril ter abatinieuto.
Manteiga franceza da safra nova a 8oo rs.
a libra e em barril ter abatimento.
BANHA
Banba refinada superior a 64o rs. e em
barril ter abatimento.
CJA
Cha uxim de primeira e superior qualida-
de a 2,8oo rs.
dem hysson o melhor neste genero a
2,6oo rs., e sendo em porgSo ter4 abatimen-
to, tambem ha proprio para negocio de 2 a
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de l,8oo a 2,5oo rs.
a libra.
BlSfOHtOS
Latas com superior biscouto inglez de di-
versas marcas a l,2oo rs. a lata.
Bolaehiahas
Latas com bolachiobas^ da acreditada fa-
brica do beato Antonio, proprias para dar a
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata,
dem com quatro libras de bolacbinha de
soda a 2,ooo rs. a lata.
Queijos
Queijos flamengos chegados pelo ultimo
vapor de 2,3oo a 2,5oe rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespanhol a-l,ooo el,2oo rs.
a libra, francez e suisso a l.ooo rs. a libra
e portuguez a -800 s. a libra, em porgao
ter abatimento.
VINHOS ,
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
vlaag^re
a
&
Supenar vinagre deXiabaa a t,ooo rs. a .
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ha
mais baixo para 2oo rs. a garrafa e l,4oors.
a caada.
Azeite doce
Superior aceite doce de Lisboa a Too rs. a
garrafa e a 5,5oo rs. a caada.
FUMO CAPORAL.
Latas com superior fumo caporal a l,8oa
rs. a lata.
Pasa a
Superiores passas a 2,5oo o quarto e^
9.oo rs." a caixa de arroba hespanola e a
56o rs. a libra.
CEEBHA
Genebra de faranja verdadeira a lo,5oo a?
duzia e 1,000 rs. ao frasco.
Genebra de Hollanda verdadeira a 6,000-
rs. afiasqueira e a 56o rs. o frasco.
Idom de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da ums.
GarrafOes com 24 garrafas de genebra de^
Hollanda a 8,000 rs. o garrafao. Tambem
ha garrafoes com 5 e 14 garrafas de 3,2oo a
6,000 rs. cada um.
VELAS
Velas de spermacete a 6io rs. a libra.
dem de carnauba de lo-a 12,ooo rs a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
PEIXE
Peixe em latas j preparado de l,ooo a
l,2oo rs. a lata
ALPISTA E PAINQO
Alpista e painco muito novo de 3,800
Rep#Horio Diccionario de iertoos de medjsjn ........... 80000
Os remedios daste siabeleciniente aSo por tMHB conhecidos e dispensam por
tanto de iaaf*m novamantoucommetlados as pcaaaa ajue quizetem usar de remedios
verdpdeiroar.enrgicos e duradores: ha tmte do melrqr que je pode esejar, globos de
rerdadeiro ssucar de'Jeite, notaseis pela sua boa conservis*, tintura dos mais acredi-
tados estabelecimentos europeos, a mais xacta e acurada preparado, e portanto a maior
energa e certeza em seus effeitos.
Casa de saude para estraves.
Recebe-se escraros para operag3o,-pwa o queso annunciate julga-se sufficientemente habitade.
O Batamento n> melhor posstoel, tasto na parte alimentar, cmo na medica,
funccionarrtto a casa ha mais de quatro amos, hmuiias.peseas de cojo conceito se nao
poeto duvrdar, qae podem ser consultados for aquejes doentes.
Paga-se 20 por dia durante 60 das e d'ahi em diaate 40500.
As operages serao frawiamente ajustadas, se nao se quizercm ujeitar aos preces
raaoaveis que costumaper o anunciante.

AR^IAZEII

RIJA DO BRUJH !. 38o
O proprietaro deste estabelecimento deseja chamar a attengo dos senhores pro-
prietarios aos acre litados mechanismos que continua afornecer; os quaes garante ser,
orno sempre, da uielbor qualidade possivel:
Machinas de vapor
torca de 2 /> cavados para cima. As menores sao mui proprias para motora sde
ies.arocamentos de a'godo; as maiores para moer caima; b-a tambem que podem junta
i.n separadamente moer canoa e descarogar segundo suas proporces. Esteo vapores
sa.j ^lmp]i3simos na c.mstruccio, e seregem por qualquer pessoa mtelligente, a facilida-
de da conduego sent especialmente considerada, tanto que n5o ha lugar em que nao
se p jssamconduzir, aor por trra, qur embarcado. Ha com moendas juntas ou sem
ellas e podem-se applicar a qualquer moenda j existente sem outra mudanga do que
a substituido das rodas da -almanjarra. Ellas tem depsitos d'agua e boeiros de ferro,
e nao precisara para o seu assentamento de obra alguma, qur de carapina, quer de al-
venaria O tempo para assenta-las nao excede de doze dias ao mais, e em casos de
monos ie animaos ou arrombamentos de acodes, etc., garante-se o assentamento em
oito dias Lembra-se aos senhores de engenho que a venda dos animaos e o servico da
ente occupada no seu tratamento osho de recuperar da maior parte da despeza do
vapor deixando-lhes a vantagem de urna moagem certa e accelerada; e acabando com a
despeza da compra continuada de novos anlmaas, com os desgostos do trabalbo que
se tem com elles. ...>>.. ;.
Rodas d'agua .de ferro, mu maneiras e moendo com qualquer altura
arilhos eom craaetas de ferro para as mesmas, quando se desege fazer
e resto da roda de madeira, toinando-se assim a roda ligeira no trabalho.
Moendao de eanna de todos os tamanhos, desde as mais pequeas chama-
das do sertao. Obra perfeita em feitio e acunhamento.
Rodas de espora e angulares de todos os tamanhos e proporces.
B*aroes ou coches para receber o caldo.'
Crivos de fornalha para assentamentos, frescos para o foguista, azendo
grande calor com pouco combnstivel, e duradouro.
Portas de fornalha de todos os tamanhos e de diversos systemas.
Pernos c niolnhos para a fabrica de farinha e tambem chapas redondas
pora fornos pequeos.
Bombas simples e de repucho.
Talxas de ferro batido e fundido e de cobre.
Formas de ferro batido galvanisado para purgar assucar, leves para carregar
e isemptos de quebrar-se.
Alambiques de ferro de todos os tamanhos, custando so a terca parte do
prego dos de cobre, mais regulares na dislillago e igualmente duraveis.
Elxos e rodas de earro com mang-s de patente, obra mui segura para
carregaco de peso. .
Arados, "grades, cuchados a cavallo e outros instrumentos de agri-
cultura. E finalmente todo o objecto de que possa precisar um engenho.
Machinas de descarocar algod&o.
Na fabrica se fazem obras novas encommenda e concertos, com a maior preste-
za e solidez. O grande deposito de pegas e objectos babilitam-na muito para este fim.
O proprietario ser sempre mui feliz de poder ter occasiao de dar informagoes oa
esciarecimentos aos senhores que se servirem de seu prestimo.
D. W. Bowman, engenheiro.
JA DA CADEIA H\ 56 Ai,
4,000 rs. a arroba e de 14o e 160 rs. a li-
bra >-
CHARUTOS. .
Superiores charutos do fabricantes Simas,
i Imperiaes, Delicias, Parisienses e outros de
Duque do Porto, Velho Secco Latsjas^o \ \ > 3 xa. tambem
Douro.Maria Pa, D.Luiz, Pedro V, Lagn- ^ ^^ Ham8r0S> Liguelros e
outros muitos que vendemos por mdico
DE
CUSTODIO CAHVAUIO ti.
27 RA BO QUEIMAPO N. 27
^ Madapolo francez muito fino, tosdo poucoofo, cada pega eom
io,aeoo.
L5a de cora*f00rs.o covado.
Cambraia franceza a 130 rs. o covado.
Finos orgu*disaftfe|od889 rs aTara.
Lengos brancos para algibeira a 2-5000 a duzia.
Fin:is perclaras a prego de 400, 4UU 560tts. ocovaBo. "
Ricos cortes de la de barra de 105 a 305000.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.
27
X
-
varas por



mas Doces-e outras marcas a l,ooo a garra-
fa e 9,ooo a 12 ooo rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3,ooo,
3,5oo e 4,ooo rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 64o
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
anceretas de 8 e 9 caadas a 24,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho braneo proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,iioo a caada.
Caixas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa e
7oo rs. a garrafa. ^
CAFE
Caf do Rio de 1/ e 2, qualidade de
6,8oo a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
NABiO
SabSo maga de primeira qualidade de 2io
rs. a libra.
Licores
Licores francezes e portogaezes a l.ooo e
l,4oo rs. a garrafa ou frasco.
Doces
Doce da casca da goiaba em caixes e la-
tas a l.ooo caixo e 2,8oo rs. a lata.
Frats
Frutas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pera, pecego, ameixa rainba Claudia* al
perche e outras frutas a 00 rs. a lata.
Tambem ha latas grandes para l,2oo rs. a
lata.
AZEITE DE REFINADO
Superior azeile francez refinado a 8,ooo
rs. a garrafa e a 9,ooo rs. a duzia.
MOLHO ING1EZ SAUCE
Molho inglez Sauce em frascos grandes
com rolba de vidro a l,8oo rs. o frasco em
duzia ter abatimento.
BATATAS.
Gigos com 3o libras de batatas a l.ooo rs.
n ogigo.
Serveja sardinhas.
Superior serveja Ba9s dos melhores fa- Latas com ssrdinhas de Nanles e Lisboa
bricantes, como sejam: Shlers & Bell. T. F. de 4oo a 46o rs. a lata.
Ashe a 7,5oo e 7,ooo rs. a duzia e a 7oo rs. FUMO AMERICANO,
a garrafa. Tambem ha de outpas marcas Superior fumo em chapa a 1,400 rs. a
como seja: Victoria e Alcope a 5,ooo rs. a du- (libra,
zia e a 5oo rs. a garrafa. ERVILHAS
BOlOES VASIOS. Latas com ervilhas e feijao verde j pre-
BoiSes vasios, louga ingleza muito pro-1 parado 64o rs. a lata,
pria para manteiga e deposito de doce de 4! MASSA I rOMATl
a 12 libras a l,2oo e 2,5oo.
FARINHA DO MARANHAO.
Farinha do Maranbo a 240 rs. a libra.
SAG'.
Sag muito novo a 4oo rs. a libra.
ARARUTA.
Araruta verdadeira a 4oo rs. a libia.
Latas com 1 libra de massa de tomate a
Gio a lata.
VERMUTH
Esta bebida muito fresca e estomacal e
muito propria para a presente estagao. a
qual vendemos a 2,ooo rs. a garrafa e 185
a duzia.
Pimeota, cominho, cravo, caneka. ervadoce, alfazema, tijollo para limpar facas pa-
litos para dentes, palitos de fogo, e outros muitos gneros que se tornaria enfadonho
mencionar, aflangando cinceridade nos pregos e o bom acondicionamento de qualquer
gen ro.
Cominaa a ler grande e completo sorlimeolo de
Machinas americanas para descarocar algodao
do raelhores fabricantes de tO, l, 14, i6, 18, 13,30 e 3S serrotes qae as vende por prtso resu-
Didcs.em eonseqoencia de ltimamente as ter receido de conta propria dos Estados-Unidos.
ROMANCES BARATOS
Vendem-se, na livraria da praga da Inde-
pendencia o. 8, a 400 rs. o volame, os ro-
mances portugueses seguin tes, embrochura:
A voz do sangue, 1 volumes.
Connemara, 2 ditos.
A noite de S. Silvestre, 1 dito.
O filho de Titiano, 1 dito.
Adonis ou o bom negro, 1 dito.
As duas amadas, 1 dito.
O pacha de Bada, 1 dito.
Trilby, 1 dito. %
Ignez de la Sierra, 1 dito.
Joven Siberiana, 1 dito.____________
"Cevactnhalie Franca
a 160 rs. a libra, e de 8 libras para cima a 1)0
rs.: na armazem da Liga, roa Nova n. 60.______
Laitljlas. v
A loja da Aurora, na.na largado Re.ario n. 38,
recebeu sorlimeolo de laatijotas multo delicadas e
proprias para qualquer enfeiu, aula como tam-
bem receben lavas de Jouvin brancas e de cores
para hostem ahora, mufto fresets, etegadas
pelo ultimo vapor, todo Isto na loja da Aurora,
ra larga do Rosario n. 38.
Para os bailes mascaradas.
A aguia branca est vendando por baratsimos
pregos, para acabar, os objectos segointes, que ser-
vem mui bem aos que tomam parte nos bailes mas-
carados, sendo :
Helas de seda a 15 o par.
Enfeites de dores a l#, i e 35 oada ftffi.
Filas lavradas de 3Oa i> a vara.
Cintos largos com pontas cabidas.
Veude-se ana masseira de amarelio em per-
(dito eftado, e mais perteoees para urna padaria,
oa estrada nova, segunda taberna a direila, depols
do sobrado grande : a tratar na nwma, das 4
horas da tarde em diante.
Pechincha
Na raa dt Qaeimado n. 40
Cortes de liainba de cor, bonitos gostos, com
15 covados a 3*600.
Cassas oraandys de cores, eovade a 240, pecas
de algodaotlnho largo eom 17 varas a 45-
Ditas de alto com 17 varas, muito encorpado,
com pequeo defeito, a 44300.
Grosdenaple preto muito superior, covado t.
Dito dito a 15600.
Retoodas de renda preta a ln-
chales de renda preta a 85-
Novidades. do Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Este estabelecimento apezar de sempre
se acbar bem sortido como todos sabem,
hoje mais que nunca, nSo s pelo que rece-
be de sua propria conta, mas tambem pelo
que recebe de consignaces; parece, sem
duvida que deve offerecer grandes vanta-
geus para o respeitavel publico tanto em
precos como na escolha dos objectos, e co-
mo acaba de chegar grande remessa pelo
vapor Douro e o navio Solferino de
diversos objectos de g;osto e proprias do
tempo dos quaes se mencionarlo algmns,
par nao ser possivel mencionar todos. O
dno deste estabelecimento espera pro-
taceo de todos.
'Riquissimas caixinhas ornadas e com
nuisica propria para um delicado mimo.
Caixinhas de msica tanto de veio como
da corda.
'Ricos port joias e neeessarios.
Riquissimos estajos a feitio de um bausi-
nho ou chapeuzinho.
Ditos em casca de noz e de ontros gostos.
Leques de madeperola de sndalo e de
faia e madeira.
Chaposinhos e touquinhas de muito
gosto para criancas.
Meias e sapatinhos de seda para as mes-
mas.
Meias de seda para senhoras.
Capellas e grinaldas de flores proprias
para casamento.
Enfeites e capellas de muito gosto para
seuhora.
Riquissimos porta boquets.
Boquet de flores com urna borrachinha
com cneiro.
Lnvas verdadeiras de Jovin.
Ditas de seda e de Escocia.
Riquissimas plumas e guarnieres para
enfeitar chapeos.
Contas e tubos de ac braneo, que ba
muito se desejava para enfeites*.
Brincos, fivellas e cruzes de crystal.
Fivellas e cruzes de tartaruga, madripe-
rola e dourados*.
Alfioetes para gravatas.
Botbes com croas para punhos.
Gravatinhas e mantinbas de muito gosto,
tanto para hornero como para senhora.
Riquissimos aderecos pretos, assim cono
caixinhas com a! fine tes pretos.
Bengallas de canna com cabo de marfim.
Ditas de baleia, borracha e de outras
muitas qualidades, assim como chicotinhos.
MACHINAS BE PATENTE
DE TRABALHAR A MO PARA DESCA-
RtCAR ALGDAO
FAIIRICADO POR
PLANT BROTHERS & C.
OLBAM.
Estas machi-
nas podem des-
carocar qual-
quer especie de
"algodo sem
estragar o fio,
sendo bastante
duas pessoas
para o traba-
lbo; pode des-
carocar urna
arroba de al-
godao em ca-
roco -em 40
minutos, ou
18 arrobas por dia ou cinco arrobas de al
godo limpo.
Assim como machinas para serem movi-
das por animaos, que descarecam 18 arro-
bas de algodSo limpo por da; e motores
para mover urna, duas ou tres dessas ma-
chinas.
Os meamos tem para vender um ballissi-
Jmo vapor que pode fazer mover seis destas
machinas mencionadas; para o que convi-
da-se aos senbores agricultores a virera ver
e examina-lo, no a raazem de algodao, no
largo da ponte nova n. 47.
alindera Brothers Recie praca do Corpo Santo n. 11.
Os nicos agentes neste paiz.________
O castelio de Grasville.
Traniide do fraaeex por i. J. G. da Crni.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo prego de 30OOC
oa praca da Independencia, livraria na.
6 e8.
Frameisco Jos Germano]
RA NOVA N. 22,
acaba de receber um Hado e magnifico sor-
timento de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gosto da Europa e ocu-
los de alcance para observares e para os
martimos.
Manual do Cidado
Vende-se o Manual do Cidadao em um
Governo Representativo ou principios de
Direito Publico Constitucional Administra-
tivo e das Gentes, por Silvestre Pinheiro
Ferreira, em 3 volumes broxurados por 30
cada obra : na livraria o. 8 da praca da
Independencia.__________
Orvtja gflada
Ha diariamente i, venda por prego commodo;
no armazem da Liga, raa Nova n. 60.
Ronpas feitas de todas as qualidades
Riquissimos pentes de tartaruga do ul- StS. %?*!& A^aSK
mo gosto; assim como de arregazo para
menina, pois neste artigo ba um completo
sortimento de todas as qualidades.
Diademas para cabeca do ultimo gosto.
Riquissimas fitas lavradas e lizas.
Trancas pretas com vidrilho e de cores.
Pulseiras tanto par senhora como para
meninas.
Ligas de seda a de algodao.
Suspensorios de seda e de algodSo e mui-
tos outros objectos que se n3o podem an-
nunciar por nao se tornar enfadonho.
S no Gallo Vigilante ra do Crespo n. 7.
e 45,calcas de casemira preta aU, 6i e 85, di-
tas de cores, aaela easemira, a .15 e SSBOO, ditas
de casemiraa 65, 7| e 85, paleRHs de brim de
cores a 25, 35500 e 35, ditos de brim braneo a
a 45500, ditos de alpaca preta a 35 e l#, ditos de
easemira de cores a 55, 6, 7, 8 e 105, ditos de
panno preto a 65, 7,8 e 105, colletes de cores a
15600, de easemira a 35 e 45, eeronla francesa a
15600 e 15*00, camisas franeeias finas brincas e
peHos de cores a V 15060, fitas intleas e h-
bo de pregas largas a 5500, 35 35500 : os
ra> da larperatrii. loja da Arara n. B6.
Lavas de Jan va pretas e tttraa
carea
Ctafanm para a loja de saiudszas : n roa
Qaeimado n. 16.
i
, i




l
I


Diuli 4e VcrNtftet ftH ***** Mftiry 4o *m
1
i
NOVA
ENCICLO
ti lina da issprrathrrr afnazen
di port Urfi II. '
Junto a pagarla fraieeza de
Paredes Parto.
Nesto estabelecimeate encontrar* o respeitavel
publico nm variado sortimento de fazendas france-
tas, ieplezas, sulssas e attemies, qne se venderao
por prego comando. m
Prete Part
Vende ebales de renda de cores qne se vende-
ram a 18 esii vendendo por 6*, ditos pretos, fa-
xenda nova, 5*, 6*, 8* a, 20*, nm sortimento com-
pleto de manteletes, capas e.sontambarques 14* a
25*. Una da Imperatnsa. tt, jnnto a padarla fran-
ceza, armazem. da porta larga.
Pared Pwto
Recebea um completo sortimento de llasbas a
240, e 180 rs. covados, para acabar, cambraias de
cor a 540 rs. o covado, riscado escosset para roo-
Ki de menino, ustao 4fiJinJULfcJUO, 400 e 600 rs.
na da Imperatriz n. 52 junto a padaria franceza.
armazem da pona larga.
Paredes Porte
Receben para cortinados para cama francea a
11* a pera cambraia lisa fina a 3* 4* at 10* a
peea, coitos de tariataoa de bonitos gosios a 3*500
4*, csaabrara eom flor de seda, gestos inieira-
meote naves a 400 e 600 rs. o covado, no armazem
da porta larga n. 5 i, ra da Imperatriz junio a pa-
darla fraieeza.
Pare** Parta
Receben pelo ultinro paquete nm sortimento de
cruzes coni pedris para pescoco, bonitos caxineis
de ila par pescoco de senbora. Rna da Jmperatrix
o. 55, armasen de porta larga.
Paredes Parte
Vende cortes de gorguro preto para vestido com
51 covados oada am 351000. grosdenaple preto a
1*6004 1*^00 e o covado, lias lizas finas a 400
rs. o covado, lias de quadrinbo para vestido, enfes-
lada, a 350 rs. o covado. Rna da Imperairiz n. 52,
armazem da porta larga.
Roupa feita
Ro da buseratriz n. 52 armazem da porta lar-
ga joato a{xidaria francesa, encontrase neste es-
tabetocinen*3 um completo sortimento de paletos-
saceos e> sobi ecasacos, de todas as cualidades, cal-
cas, collees, ceronlas, camisas, grvalas, meias,
chapeos de sol, ditos franceses para cabega, por
precos oommodos, ronpa para menino e ootras
muitas azendas por preoos commodos, armasen
da porta larga.
No mesmo estabelecimento encontrar o respe-
tavel publico, sempre um completo sortimento de
roupas eitas de todas as finalidades, como sejam
paletos de albaca preta ede cor, ditos sobrecasa-
cos a 4* e 5*. ditos de *rim pardo a 2*800,3* e
3*500, ditps linos, a 4*. ditos meias eazemira a
3*300, 4* e 6*. ditos oizemi ra sj ecos a 6*, 7*. 8*
e 10*, ditos sebrecasacos a 10 e 12*, ditos de pan-
no saceos a 6*, 8* e O*, ditos sobrecasacos a 12*
e 25*, ditos de merino preto a 6*, 7* e 10*, cal'
cas de brim de diversas qualidades a 1*890 a 4*,
ditos brancas a 2*800 e 6*00, ditos eazemira 5*,
6* e 7*, ditos pretos a 5*. 6*, 8* e 19*, ditos
meiaa cazemiras* I* e 4*. coletos de diversas
qualidades, seroaies francezas de algodo, ditas de
'inbo, ditas de bramante a 2* e 2*500, -carnizas de
algodo de linho fraoctzas de 2*500 e 3*. Gran-
de pecbinoba neste genero, grvales de todas as
qualidades e brancas para casameato, grande sor-
timento de meienpara senhoras, ditas para bomens
a 3*, superiores a 3*600 e 4*.
Um completo sortimento de chapeos ,de sol de
alpaca a 3*, ditos de seda a 5*, ""*, 10* e 14*,
ditos francezes para cabeca, grande sortimento
6*
Pwliiiclia admirovtl.
Grande sortimento de chambres a 4*600 e 59,
lencos de cambraia para homem a 2* a dnzia, di-
tos de linho a 4* e 5*.
Grande sortimento de roupa para meninos e ou-
iras muitas qualidades que sera enfadouho men-
ciona-las.
Paredes Porto
Receben oefa nltimo paquete francez ricas lias
granadinas em flores de sede a 400 e 500 rs. o
covado, estao acabando-se, cambraia preta para
luto. Porta lerga junto a padarla "franceza, a roa
da Imperalr o. 52.
Paredes Porto
Recebea pelo nltimo paquete -esaartilbos a pre-
guicoso por 9, sao bons, lencos de seda para se-
nbora e homem a 19, ricos cortes de cambraia
bordados de &6g a 79, por ter um oque de mofo,
estao se acabando, na ra da Imperatriz n. 52, jun-
to a padarla franceza.
Paredes Porto
Vende um completo sortimento de fazendas
brancas, come sejam madapolao a 4*500, 5*, 6* e
100, pecas de algodo por barato preco, chita fran-
cesa a 240, 360, 320, 360 rs. o covado, precalias
muito finas a '60, 400 rs. o covado, chita ingleza
i200 e 240 rs. o covado. Ra da Imperatriz n.
52, junto a paiaria franceza.
Fazendas.
Vndese superior merino preto.proprio para ca-
pas do senhorae vestidos a 2*, lustrim da China
a 1*800 o covado. Ra da Imperatriz, porta larga.
Paredes Porto.
Vende em son estabelecimento tiras e ntremelos
bordados, araste sortimento de corpinbos rica-
mente bordadoe a 3*, 4* e 5*. So-o Paredes Por-
to, rna da Imperatriz no 52; porta larga junto a
padarie franceza.
a> tx as u a
-i S a -i E-
airs g*8
|*fffl
t*ltf:
O O -i s*S as
O. O. a 23 ~-C
As a> 0-3 D "
o o> o o- a. 5-
fttsf'J
g..M S l

aifti-l
4 SALSA PABRILHA DE AYER
PARA A CURA RAWCt
de escrfulas e nooettias -escrofulosas, tumores, ulceras, cassas, feridas ve
Ibas, bronchocele, papo ou papcira, a syphilis, enferaiidades venenas ou mer-
curiaes.
AS MOLESTIAS DAS MULHERES
reteoSo, menstro doloroso, ulcwaes do tero, flores brancas, etc*, ulcera-
c3o, debffldade, expoliarlo dos ossos, a nevralgia e convulses epitepticas
quando causadas pela escrfula.
ERYSIPELS ERPES; ETC.
Enfermldades cutneas, crupeo, borbalnas, pnstulas,
ascldas, ete.
0 extracto composto de salsa parrlHia, confeccionado pelo Dr. Ayer, uma
combinac3o dos melhores depurativos e alterantes conhecidos medicina; confeccio-
nado segundo as regras da sciencia, approvado ereceitado pelos prceiros mdicos dos
Estados-nido9 da America do Sul e Central, das Antilbas, do Mxico e das radias, e
muitas ontras partes do mundo : o resultado de estudos apurados e minuciosos, e de
experiencias feitas pessoalmente pelo Dr. Ayer, por muitos annos, nos prirjcipaea bos*
pitaes e enfermaras da America ; teta sido approvado pela. aadMiias ds medicina e
juntas de hygienne das principaes capitaes. da America do Noria; para prova disto vede
os attestados authenticos no Almanak e Manual de Saude do Dr. Ajer, os quaes se dis-
tribuem gratuitamente oes lugares onde se vende o remedio.
A SALSA PAWLHA PE AYER; m
Especialmente efflcaz na cura das molestias que tem sua orlgem
na escrofnla, na InfeccSo Tenerea, no aso
exeessivo do mereus lo on qnalqner Impureza do sangue.
A molestia oo infecc5o peculiar, corAecida pelo nome de escrfula, e um dos ma-
les mais prevalecentes e universaes que ha em toda a extensa lista das enfermidades que
atacam a nossa raca; disse um celebre escriptor da medicina que mais de ma terca
parte de todos aquelles que morrem antes da velbice s3o victimas, ou directa ou indirec-
tamente de escrfula; por isso so dSo 15o destructiva, porm e a principal causa de
muitas outras enfermidades que nao Ihe s8o geralmente aitrituidas.
urna causa directa da tisica pulmonar, das molestias do figado, do estomago
e affeccoes do cerebro; entre seus numerosos symptmas acham-se os sguintes: falta
de appetite, o semblante plido e enchado; as vezes de urna, alyqr^ transparente e outras
veres corado e amarellento irregular, fraqueza e molleea nos msculos ao redor da boc-
ea ; digestio fraca e appettite, falta de energa; ventre en,c.bado e esacuacjiQ. irregular;
quando o mal tem seu assento sobre os pulmoes urna cor azulada mostra-se em roda dos
olbos ; quando ataca os orgos digestivos, os olbos tornam-se avermelbados; o bali-
to ftido, a liogua carregada; dores dabeca, tonteiras, etc. Naspessoas dedisposi-
c5o escrofulosa apparecem frequentemente erupobes na pelle da cabeca e outras partes
do corpo ; sao predispostas s affeccoes dos pulrnes, do figadr, des rins, dos orgaos
digestivos e uterinos. Portanto, nao sao somonte aquelles que. ^ecepxdas formas ul-
cerosas e tubeteulosas da escrfula que necessitam de proteccSq contra,qs seqs estragos;
todos aqoelles em cujo saogue existe o virus latente deste terrjvel fla.aellQ, (e as vezes
hereditario), estao expostos tambem a soffrer das. enfermidades. que elje causi, que s3o:
A tisica, ulcerc?les de figado, do estomago e dos ros; erepooes e enfermidades
eruptivas da cutis, rosa ou erysipela, borbulbas, pstulas, 'nasudas, tumores, rbeuma,
carbnculos, ulceras e cbagas, rbeumatismo, dores nos ossos, as costas e na cabeca,
debilidades femininas, flores brancas causadas pela ulcerac3o inferior,, e enfermidades
uterinas, bydropesia, indigestSo, enfraqoecimento e debilidade geral.
Offerecemos a estas pessoas om abrigo seguro e um antidoto efficaz contra esta
molestia e suas coosequencias na
SAB54 PARRILHA DE AYER
que opera directamente sobre o sangue, purificando-* e expulsando dalle a corrupcSo e o
veneno da molestia ; penetra todas as partes e todos os orgSos do corpo humano, livranT
do-os da sua aco3o viciada e inspirando-Ibes novo vigor. un alterate-poderosrssmo
para a renovafSo do saDgoe, e da a-corpo j enraquecido pela> doenca, for5as e ener-
gas renovadas cerno as da joventude.
E tambem o m cura permanentemente as pciores formas de sypbilis e as suas eonseqoencias. Pouca
necessidade ha de informar o publico do inesUnavel valor de um nmedio que, como
este, livra o sangue desta orropcao e arrebata a Victima das garras de urna morte lenta
e ignominiosa, porm inevitavel, se o mal nao logo combatido com energa.
um poderosissimo atepante para a renovacSo do sangue epara dar nova for-
ca ao corpo j enfraquecido pela -doenga.
Sendo composto de productos vegetaes, este medicamento hmoeente eao mes-
mo tempo efflcaz, um fado de immensa importancia papa aquelles ^ue o tomara ; por-
que muitos dos remedios alterantes offerecidos ao publico tem por base o mefcorra ou o
arsnico; e sendo assim, bem que s vezes podera effectoar curas, cocotudo dersara sua9
victimas carregada* de urna looga see dmales, muitas vezes peior do que o mal ori-
ginal. A nica .cousa necessaria para obter urna cura radical seguir com juizo e cods-
alncia as direccoes que acompanham cada frasco.
Nao pretendemos promulgar, nem queremos que se infira que esta composico a
um remedioinfallivel pata a cura de todos os padecimentos humanos; infelizmente
escrfula ea syphilis sao enfermidades tao sutis as suas naturezas, e arreigam-se t3o
firmemente no systema, que muitas vezes evadem eresistem aos remedios mais pode-
rosos que a sciencia humana pode inventar para combate-las: o que dizemos que o
Extracto composto de salsa parrilha de Ayer
a melhor preparacao at boje descoberta para estas e outras molestias anlogas, que
urna combinar'-o dos alterantes mais eflicazes conhecidos, e que esta -combinado tem sido
regulada por Iongas e laboriosas experiencias, e finalmeate que temes conscieacia de of-
ferecer ao publico o melhor resultado que possivel preduzir, da intelligencia e pericia
medica dos nossos lempos.
Este-remedio deve ser tomado com -systema e regaladade, e So com abandono,
pois um remedio e nao bebida.
Quando as molestias do figado n3o tem sua origen* na escrfula, o remedio
-mais proprio as pilulas caibarticas de Ayer, que sao efcazes na cera da molestia, que
jn por causa um desarrqjo dos orgSos digestivos. nao aceitai outra preparacao.
Pernambuco, rua'Keva n. 18, pharmacia franoezade P. Mawer A G.
GRANDE EWBELBtlllTO

Cortes de cambraia com palmas m leja do
Pav5o.
VasoeoMa cortas te eamsnia branca cem pal
bus, sendo fazenda muito boa, pelo baratisslno"
preco de (!00 para acabar: na loja e armazem
Pavo na roa da Imperatriz n. 80, te Gama $
va.
neos braneos a M dnzla.
Vendem se lencos braceos fazenda muito boa
pelo baratissimo preco de 2 a dnzla, Ditos com
barra de cor a 2000 isto para acabar na loja do
Pvao na rna da Imperatriz n. 60 de Gama & Sil-
Vi-
Grande,tftfwzem ^^oja da
Ba da fmperairlr. %
, i>B
GAMA $ SILVA.
, LOJA E ARMAZM DB FAZBMDAS. '
Tendo os proprleurlos de>te grande esUbeleci-
mento Kilo ua grande a*atimento em multas de
uas fazeada*, pala occasUo do balafo que deram
DOnJlJ{-*l4W*rate 186o, resolver vaadar, ,,
vez mais agra'da'rem as seus numerosos (regu-1 bl*4f||Jt rLuiliriVillA.
es 5 por tanto Ibes offerecem um avalado sorti- Lsihas a 120 'S. DA leja do PavO.
^n^frrl*^"^ u^u** iaeW*- a IS2?L?8 ral, d0-w e50UW qualquer do boa fazsnda a 120 rs. o cofado. Ditas muit:Arara v,dap iSa./irih. ar-
parte comprometindose a mandar levar qualquer flBM de quadrinhos a 480 e 320 rs., dius enesta-1 vfi ,- iaaKz,Dha Para ,ui ao00 rs.
fazenda em casa dos fregueses que nJo peoerem d a 400^rs ditas mathizadas a 320 rs ditas! JeDde-se ,5azi,ba "sa para vestidos de luto a
o penher, assim como convidara as pessoas, que ^ CWB sa,pcos a gOO rs., para acabar na loja e Pa^ Pre^.a o00- g^ 800 o covado, bombazma
neRoclam em menor escala que neste grande esta- armazem do Pavo na ra da lnmeratriz a. 60. de 5 Tes"(l0.s a 1#'00 e ^O o coado : na ra
beleeimento encontraro am grande sortimento Gama & Silva imperatriz loja da Arara n. 56.
rs. AlgodSo avariado da Arara a 3$.
Veade-se pecas de algodo com pequeo toque
de-avariaa3#,diiaslimpos a ^m, ti, 7 e
da Imseratriz ". 56.
Neste aalaMacimeato eacootrart) semprsm
completo sortimento de fazendas francezas, ftw-
sas, aiiemaes e mglezas a vootade do*comprador,
se venae mais barato qne em ootra apalquer parte
Chttaa da Arara a 60 a peca.
VenaiH pecas de cbitat decores eom 38 co-
vados as, em covado a 160 rs., nscad.nho para
calcas de escraves a 120 rs. o covado : na ra da
Imperatriz d. 56.
GrosdeDaple preto para r quaresma a 10600
Venoe-se grosdenaple preto para vestidos a
1*00, 1*800, 2J o 2eOG, mer^ntince preto na
ra vestido a 3 e 2j800 o covado : na ra da Im-
peratriz d. 86.
luto
oeieeimenio encontraro am granqe sortimento Gama & Silva.
tanto a retaJuo como por atacado, veoteodo-salba. pofinP|inag mndpmi'ima<5 a 400 e S00
apenas pelos presos que cprapram aas casa* iagla-, ^P^" m0deJn'SS ma* p*"J e 5UU
zas, sendo com o dinheiro a viita. coa ano na loja ao ravao.
Vendem-se poupelinas muito finas sendo fazenda 5 na iu d?lmir ^. H.^fr.i
.Dito moderna de quadrinhos e liza vendendo-se *Ar?r vna^ n ^r k ?ri*
pelas baratos precos de 400 e 50 rs. o covado na ^ra.ra Aende PQOO de lino a 640.
loja do Pavo na ra da Imperatriz n. 60 de Gama! ../"-"A"" M?no de ,,nb Pra 'tes trou-
AJSllva. ilas. ?.T e 70 a vara> cobertores de algodo a l>
Cirosdenayies pretos do Pavin. V*k rua da Imperatni ,0Ja da Arara DU"
Peohlnrha a SJf0 e ifi*(\0
AS MELPOIBNMDO PaVAO.
Veudem-se booitos corlas i aa melpcaaene para
vestiqos de senhoras, sendo dos padres mais mo-
dernos pelo baratissimo prego de 3000 cada um.
Ditos de indiana, tendo olto e raela varas, pelo
baraMlno preco de S500 r*.
Isw para acabar ea loja do Pavo, roa da Im-
peratriz b. 60, de Gama & Silva. cavado, sendo tazenda muio boa, so para ac
A&iaaihao di> lii ho ra Pavas bar : na ^ e a^a"m do Pavo, rua da Impe
a a iiMJiias e m lun.aa ravas. .rz D 6(j^de Gama & sIva
Veodem-$3 superiores tulbas de hubos para iiPani"iiif e fio linho do Pavo.
rosto pelo baratissimo preco de ?o00 a dnzla ou., v2r~.V ?-*ii-hf oZn in
a 640 cada urna ?* ~i Venoe-se superior bramante de linho com 10
Goardaaapos de litrho adamascado para meza a i IS'SSl & E2&!' Z'
Um i doua ob a 340 f s. cada um, i ^r*U^Hno precos de 2* e 2*600 a vara, assim
'superiPloaltooo te ifnho ccToito palmte ^ ^f tt fiS'S a^va'r S SS."^
ta^"~l^IP^ P^.'T^fe^1.'^ t p\0v3o?ruaTampVaa.razn .Vte & S
ma Silva,
rato do que em ootro parte, na loja deTPavso na ma
da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva,
Os corpiuhos oe seda pretos do Pavio.
Vendem-se os mais- ricos corpinhos de seda pre-
tos
cada
3^500, 4*, Si e 6*, cortes de castores para calca
a 1*, cortes de colim a 15580, cortes de ganga e
brim a lj)400 e 1#600: na rua da Imperatriz nu-
mero 36.
Arara vende as satas a 3#500,
Vende-se saias bordadas para senhoras a 3*560,
vestidos braned bordados a 4*300, ditos bordados
a la e seda a 6*300 e 9*, ditos de barras de la
>*e8* : na rua da Imperatriz- loja da Arara
n. 56.
Cambraias lisas do Pavo.
Vendem-se pecas oe cambraia lisa muito supe-
o. 60, de Gama 4 Silva.
Os cortes de cambraia braDeo bordados na
loja do Pavo.
Vendem-se os taals ricos cortes d cambraia ri-
camente bordados com barra* e babados a 20* ca-
da un : na loja e rmate do Pavao na ruada
rua da Imperatriz n. 60, de
t
armazem do Pavo,
Gama & Silva.
PKCH1NCHA
a 2Oi0, para calcas, so o Pavio.
Venden se.superiores cortes de meia casemira
com msela te seda a 2*, ditas Garibaldlnas a
' 2*800, ditas escoras a 2*800, ou a 1*600 o cova-
I da : na loja e armazem do Pavo, rua da Impera-
un d. 60, de Gama & Silva.
PENTEADORES
Impe.rairiz, n. 60,. de Gama 4 Silva,
ilicoft tcs^s a 80000 rs.
pechincba admjravel,
.."nn^^A 3T\Y% r0QP58 de cambraia bordados proprios
vestidos transparentes com lindas barras e enfaites.
para as senhoras vestirem de machiia.
de seda, sendo estes vesildos muito proprios paral Cbegou esta novidade paia a loja te Pavo,
baile e passeios, e v'endem-s pelo baratissimo \ muito lindos e do melbor gosto alboje, pur pre-

VENDE-SE

Ko armazean de H. f. llamos e Uva Cienro. ras do vigario
u. i l, constantenaente, ossegninsca asrlfoa, que
recebeni por encomneuda pr-opria de
P
lasso Inoaos
Vendem os tea armazem rna da
Ameriw n. 35,
Licor fino Coraeio em botijas e meiae botijas.
Licores tinos sortidos tm garrafas com rolbas te
vidro a em lindos frascos.
VnoosCberes.
Santernes.
Chara bertia.
Hermitage.
Borgonbe.
Champagne.
Moscatel.
Relio.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniol.
Bren"era barricas pequeas.
Cera em velas de todos os umanhos.
BofUs.
Mercurio.
Na rua do vigario n. 19, pripeiro andar. |
Vende-se um escravo para engenho, crioulo
de boa Sgura e mestre carreiro : a tratar na rna
do QaeiaiaaO n. 44. ____________
Qaeijta 4a serlit
Veoda-se superior qneije do sertao : na roa da
Madre de Dos, armazem unto a greja.
Legitima salsa parrilha de Bristol, preparada por Laoiaan & Kemp.
Verdadeiraagua florida, preparada pelos mesmos.
Gas em latas de cinco gales, o mais purificado que se pode desejar da acredi-
tada marca F. W. D. & C.
Kelcgios perfettos reguiadores, com corda de qualro a oite dias* doi,ifndo&a-
bricaoes E. N. Welch.
Graixa em latas grandes da bem conhecida marca las. S. Masn ( pliia).
6uperior oleo para machinas de costura.
A gulhas para as mesmas.
Brea em baricas grandes e pequeas.
Venderse tambem:
BORDEAUX
1.a oulitede.
St. Estephe.
St. Julien.
G. Margaux.
C. Lafitte.
Medoc.
PORTO
Ia qaalidade,
Principe Real.
Pedro V.
Mara Pia.
Priaceza D. Isabel.
Vctor Emmanuel.
Duque.
Maivazia.
Vinho fino do Porto embarris de 5/, JO/ e 20/.
Superior vinho doRheno.
Cera de Lisboa em velas e em grumo.

Boa occasiao para um prin-
cipiante.
Vende-se ama loja de miudezas com poneos fun-
dos, muito em coota, em bom logar e bem acredi-
tada : quem pretender dirija-se a rua Angosta,
taberna n. 1, que se dir quem tem para vender.
Na mesma taberna se dir quem tem para vender
urna mobilia completa de emarello en&no iba.
Pechincha admiravel
Laazinbas de qoadrlnbos que parece seda a 240
rs. o covado, urna grande pechincba, est se aca-
bando : na loja n. 31, armazem da porta larga de
Paredes Porto.___________________
Lia de barriguda, o qne te melhor ha para
encher travesselrcs : venie-se na rua da Madre
de Deus, no armazem jonte a' igreja.__________
Pecbiucha
Vende-M a taberna da rna da Guia p. 36 pro-
prio para principiante, e o motivo se dir ao com
prador.
3JI&3 & ^s7
avariado.
Francez barrica 5*000
Portland dem 8*500
Em perfelto estado:
Francez barrica 19*000
PorUand idean 11*000
No armaiem de Tasso Irmao caes dolApollo.
Fazendas para a quaresma.
No armazem da porta larga, roa da Imperatriz,
grosdenaple preto a 1*400, 1*600, 1*800, 2*
2*500, moreanlique preto de diversas qualidades,
os mais ricos chales de renda pretos, e retondass
com rouita roda, fazenda da ultima moda no mer-
cado : do armazem da porta larga n. 52, na roa
da Imperatriz.
. Gomma de milho branco
americana,
Vende-se empacles de ir! libra : no armazem
de Jos Femantes Lima roa Nova n. 3.
preco. de 8*000 rs. cada um, na loja do Pavpo na
rua da Imperatriz n. 60 de Gama Silva.
Os ebales preto* te repte do Pavio a 80Q0 rs.
Vendem-se os mais. ricos, chales pretts de.renda
eom quairo poous, senda mujto grandes pelo ba-
ratissimo preco d 8*.
Diws de goepore a lo*, 18*, 20*, 2o*.
Retonas te Aito a 10*.
Manteletes de renda, tazenda muilo superior a
150OO.
Capas e saothambarqoes de grosdenaples bor-
dados, fazenda inieiramenie nova, por presos mais
baratos qoe em ou tu qualquer parte.
Isto na lua aroatem do Pavo na roa te Im-
peratriz o, 60 de Gama A Silva.
Ose hales da pavo a 2ooe c 2oo rs.
Vendem-se chales de merino estampados a 2*
e 25500 cada um.
Ditos de merino liso a 3*300.
Ditos estanipa.ios de crepon a 6*, 7*, e 8*000.
Ditos pretos bordados com franja de seda a 14*.
Na loja e armazem do Pavio na roa da Impera-
triz n. fi de ama & Silva.
Para luto vende o Pavao.
Setim da.Cbina com 6 palmos de largura, fazen-
da preta'para loto, prpria para vestidos e roupas
Sara bomens, sendo esta nova fazenda sem lustro e
e muito boa qualidade, garantindo-se nao licar
rossa com o lempo e vende-se pelo barato preco de
2* e 280e-*-rovde,afMS#- como ae*t-esube|eci-
mento tem um grande sortimento de todas as fa-
zendas pretas como sejam. cassas e chitas pretas,
las tapadas e transparentes, princesas, alpa"as,
sarjas, etc. : na loja e armazem do Pavo na roa
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os bai5es do Pa?3o.
Vendem-se superiores baldes de moculina com
rooita roda a 5*., ditos crinolfnes com 35 arcos a
3*300, ditos cora -20 e 25 a 3*, ditos para meni-
nas, sendo braneos e encarnados a 2* e 2*500 :
na loja do Pavao ua rua da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Cambraias de forro a 15600 e 2 na loja
do Pavao.
Vendem-se pegas de cambraia de forro com no-
ve varas cada pega, pelos baraiIssimos precos de
1*600 e 2*: na loja e armazem do Pavo na rua.
da lajpcratriz n. 60, de Gama & Silva.
Os cortinados do Pavao.
Vendem-se superiores cortinados adamascados
para camas pelo baratissimo preco de 1* cada par,
ditos muito Anos ricamente bordados para camas
00 janellas a 15*, 209 e 25* o par : na loja e ar-
mazem do Pavo na rua da Imperatriz n. 60, de
Gama i Silva.
Panno preto a 2 na toja do Pavio.
Vende-se panno preto. fazenda muito boa, pelo
barato prego de 2* o covado, dito muito tino a
3*500, 4*. 5* 6*, assim como casztira preta de
cordo a 2* o covado : na loja do Pavo na rua. da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os espartilos do Pavao.
Vendem-se urna grande e variado sortimento de
espartiHtoe dos mais bem feitos que tem 'vindo ao
mercada, seado de todos os lmannos, vendendo-se
por um nseeo muito razoavel : isto na loja do Pa-
vo na roa da Imperatriz o. 60, de Gama & Silva,
As salas bordadas de pavo.
Vendem-se saias bordadas sendo fazenda muito
boa, sendo ricamente bordadas e com mnita roda,
vendendo-se pelos baratos precos de ti* 8 e 10*
res cada ama na loja do Pavao na rua da Impera-
triz b. 60 de Gama & Silva,
Bretaahas de role a 3.sOO0B
Vendnt-se pegas de bretanha de rolo com 10
varas cate peca, pelo baratissimo preco de 3* :
na loja e armazem do Pavo, roa da Iroperatrii n.
0, de Gama & Silva.
Gama A Sil va
Pechincba grande.
Os madapoies do Pavao.
Venderse, superiores pegas madapolao, sendo
muito largo, muUo eocorpado tendo 2* jardas
cada pega, pelo baratissimo prego de 8* e 9*000,
ditos S B*50o e 7*, b6a pechincba, e vende-se
na loja e armazem do Pavo, roa da Imperatrh n.
60 de Gama & Silva.
Cnftlntlras da escocia.
Na loja da PavSo
Chegou esta nova fasenda com o nom de ca-
semiras da escocia sendo muito encorpada pro-
pria para calas, e coletes. e vende-se pelo baratis-
simo prego do 2*800 rs. o corte on 19600 rs. o co-
vado, peemucha por que tem duas larguras, isto
so na loja e vanazem do Pavo, rua da Imperatriz
n.0de GanwSf-Silva.
Ronpa feita.
Na loja do Pavio
Vende-se neste estabelecimento um grande sor-
timento de roupa?, tanto de panno como caxemira?,
e brins e peta* baraiisimos precos como sejam
caigas de caxemira preta a 6* 7* e 8*000 reis, pa-
letols de panno preto saceos a 6* 8* e 12*000 rs.
ditos sobrecasacos de panno Onlsslmo a 12* 18* e
25*000 reis, e outros muitos artigos qoe serla en-
fadonhos aqal relata-los; s na loja e armazem do
Pavo roa da Imperatriz n. 60 de Gama i Silva.
. Loja do Pava
brandes oechinchas.
Sedinhas a 500 rs. e cevado
Sotokaa a 500 n.
g44yVl 1 oOQ ra.
Vende-se na loja do Pavo, um grande sortimen-
to de sedlnbas listradas com as mais bonitas cores,
sendo os padros mais novos qne tem vindo ao mer-
cado, e vende-se polo paratisslmo preco de cinco
tasioes o covado, sendo fassnda qne valem muito
mais dinheiro, e grande pechincba por se ter
comprado urna grande ponida desta fasenda, na
loja e armazem os fasenda do Pavio, roa da Im-
peratriz n. 60 te
eos muito razoaveis ; na loja do Pavao, rua da
Imperatriz n. 60, de Gama di Silva.
Chitas rdxas
a 6)5000 reis a pega
S na loja so Pavao
Se vendem pegas de chitas idxas inglezas, sendo
cores fixas tendo 38 covdos cada orna pega pelo
baratissimo prego de 6*000 res, a retalho a 160
r. o covado, ditas escoras e claras a 200 rs. o co-
vado, loja do Pavo rua da Imperatriz n. 60 de Ga-
ma & Silva, Gama & Silva.
Novidades do Pavo
OU PECHINCHA ADMIRAVEL.
Escossezas a 3*200
Cegaram os mais lindos cortes de escossezas,
proprios para vestidos, sendo fazenda inteiraraente
nova no mercado; e vende se a 3*200 o corte ou
260 rs. o covado na loja e armazem do Pavo, rua
da Imperatriz, n. 60, de Gama & Silva]
Cassas francezas a 240 rs. e covado.
Vendem-se bonitas cassas francezas de cores B
zas pele baratissimo prego de 240 o covado.
Ditas a 280, J2 e 360.
S na loja do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Grosdenaple preto a 1$600.
E' grande peeincha!!
Vende-se grosdenaple prero, sendo muito encor-
pado e de boa largura, pelo baratissimo prego de
1*600 o covado : na ma da Imperatriz n. 60.
Os cachinez do Pavo.
Vendem-se bonitos cachinez de ISa ou agazalhos
para cabega pelo baratissimo prego de 3*000, s
rit loja do Pavao, na rua da Imperatriz n. 60.
PAR4 X QUARESMA
PECHINCHA aDMHWVEL.
Grosdenaple preto a 1)9600
Vende-se superior grosdenaple preto, fazenda
muito encorpada, pelo baratissimo prego de 1600
o covado, sendo fazenda que val muito mais di-
nheiro : na loja e armazem do Pavo na rua da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
MANTAS PARA O PESCOCO
a 1*, s o Pavo.
Vendem-se bonitas mantas para o pescoco, pelo
barato prego de 1* : na loja do Pavo na rua da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Madapoies a 3,5()0 rs. a pessa.
S na loja do Pav5o.
Vende-se pegas de madapolao fino com 12 jar-
das, pelo barat prego de 3*500 e 4*000.
Grande pechincha.
LaasiDhas a 240 o covado
Vende-se bonitas lasmhas com os mais lindos
gostos escocezes a 240 rs. o covado; na loja do Pa-
vo na roa da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Chales de renda.
Na loja do Pavo.
Receberam-se os mais lindos ebales pretos de
renda, assim como as mais modernas e compridas
retondes, e manteletes da mesma tazenda, e vende-
se mais barato que em outra qualquer parte: na
loja e aamzem do Pavo na rua da Imperatriz n.
66 de Gama & Silva.
Castor a 360 rs. a covado.
Para calcas.
Vendem-se superiores castores muito encorpados
padres escuros pelo barato prego de 320 rs. o co-
vado, serviado esta fazenda tambem para escravos
por ser de mnlta duragao; na loja e armazem do
Pavo rna da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Chapeos para meninas a 6,000.
S na loja do Pavo.
Se vendem os mais bonitos e mais bem enfeita-
dos cbaposlnhos de palba da Italia, proprios para
meninas, pelo baralissnuo prego de 6*000; na loja
e armazem do Pavo na rua da Imtieralriz n. 60
de Gama & Silva.
Para a quaresma.
Vende o Pavo.
Superior grosdenaple prlo a 1*600.1*800 e 2*,
e outro muit largo a 2*800, 3* e 3*200, e o supe-
rior moire-antique a 2*800 e 3*, seda preta lavra-
da a 2* e 1*809, e selim preto a 3*300; na loja
do Pavo roa da Imperatriz. n, 60.
Corles do vestidos.
> Pretos a 30*000.
Vendem-se cortes de, vestidos pretos bordado a
veludo pelo barato prego de 30*, para acabar; na
loja do Pavo n. 60 de Gama & Silva.
Lasmhas matisadas a 320 ra.
Vendem-se as mais lindas lasinbas matisadas
com os mais bonitos desenbos, pelo barato prego de
320 rs. o covado; na loja do Pavio a rua da Im-
peratriz n. 00 de Gama & Silva.
Panno preto da Arara a 24 o covado.
Vende-se panno preto para caigas, paletots e
collees a 2*, 2*800, 3*, 4* e 6*, cast-mira preta
muUo fina a 2*, 2*500 e 3*800 o covado : na rna
da Imperatriz n. 56.
Arara vende os guardanapos a 20800 a
duzja.
Vende-se guardanapos para mesa a 2*800 a du-
, zia e 240 cada nm : na rua da Imperatriz loja da
Arara n. 56.
Arara vende as chitas a 160 rs.
Vende-se chitas escuras de cores fixes a 160,
200 e 240 o covado, ditas francesas a 280, 320 e
400 o covado, cassas finas a 280, 320 e 360 o co-
vado : na rua da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Madapolao enfiestado a 40 de 12 jardas.
Vende-se pecas ee madapoln entestado de Vi
jardas a 4* e 4*500, dito com toque de a vana de
24 jardas a 4*, 5*. 6*. 7*, 8*. 9* e 10* : na rna
da Imnerairiz loja e armazem da Arara n. 56.
Arara vende os vestidos a Maria Pia a 5*.
Vende-se vestidos de eassa com baaras a Maria
Pa a 5*, ditos de la a 6* : na roa da Impera-
triz loja e armazero. da Arara n.- 56.
Chales da i rara a 80 de fil.
Vndese chales de fil a 8*, relondas a 10.
chale de fil-de seda a 14* e 18*, chales de me-
rino estampados a 2*, 2*500,4* e 5* : na rua da
Imperatriz loja da Arara n. 56.
Oh que bella pinga 11!
Chegou a fina l a travessa do Que miado n. 1, o
verdadeiro vinho verde de Bastos e vende-se por
6*500 a caixa com 12 garrafas on 640 rs. a gar-
rafa, a elle que muil fresco e proprio para a
estagau.
mmm
Para a quaresma
Os chales do Pavo a 60 .7* e 85.
Vendem-se neos chales pretos de renda moitn
grandes eom quatro ponas, sendo os mais moder-
nos por terem chegado pelo ultimo vapor francez,
e vendem se pelo baratiss mo prego de 6*, 7* e
: na loja do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, do
Gama & Silva.
As i ota mas rio Pavo a 8e IQ-.
VenJem-se as mais ricas rotandas de renda pre-
ta, sendo muito grandes, qoe sao as que mais se
usara, pelo baratissimo prego de 8* e 10* : na
loja e armazem do Pavo, roa da Imqeralriz n. 60,
de Gama & Silva.
Os chales de guipure a 12$ e
16$000,
Vendem-se os mais ricos chales de Guipure e de
renda "de linho e seda, pelos baratissimos pregos de
12* e 16*; grande pechincba em reiacSo a boa
qualidade e lamanho delles : s na loja do Pave,
rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chitas pretas a 160 rs:
Vendem se chitas pretas inglezas, sendo fazenda
muito boa, pelo baratissimo prego de 160 rs. o co-
vado, ou 5*500 a pega com 38 covados : s na
loja de Ravo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva. "
Ldazinhas a 2 l'avo.
Vendem-se modernas lazinhas cem lindissimos
gostos, pelo baratissimo prego de 200 rs.; gran-
de pechincba : s na loja do Pavo, rua da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
PCHIrsCHA.
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descarocar
algodo : na rna da Sosala Nova n. 42.
B01T4 PECHIMHA
Florits te seda para vestidos a 720 rs. o covado,
cortes de la com 1S covados nm 3*800, lencos
de cambra de cor para meninos e meninas, do-
zia 1*200, chales de linho finos a 71, 8*. 42* e
18*, retondas de linbo tinas, ultima moda, a Me
10*4jrosdenaple encooracado, covado 1*800 **,
dito com duas larguras, covado 2*800 e 3*. e on-
tras multas 'arrodas propriss para a qMr^Msa :
na rila do Queimado ns. 43 e 45, lojas pintadas te
amarello, na esquina que volt par a coagre-
gaco
CAnmibH
Vende-se cera de carnauba mais barata do que
em outra qualquer parle,:|na rua da Madre de
Dos n. 5.
EsBravos" fgidos
150$ de gratificacao,
Fugio no dia 21 de marco do anno prximo
passado, da casa de sen senbor, o escravo cabra
escor, de nome Benedicto, com idade de 25 a 26
annos, laoa vestido. calca de algodo de listra,
camisa de algodo da trra, chapeo de couro de
abas largas; liaba cortado cabello a escovinba,
altnra regular, ebeio do corno, olbos pretos e muito
vivos, nariz e boca regulares, muito pouca barba
no queixo e um pequeo busso, todos os dentes,
ps regulares, ele, etc. Foi comprado naquelie
mesmo dia 9 ou (0, ao Sr. Jos Antonio Borges,
como procurador' do Sr. Andr AlVes de Paiva,
morador na cidade de Soma, para onde fogio o
referido escravo, segundo aviso que temos do refe-
rido Sr. Paiva, e alli anda refugiando-se algumas
vezes para a serra denominada Jos Luiz. Boga-
mos portanto a lodas as anteridades policiaes e aos
senbores capiles de campo, a captura do dito
escravo, e remette-lo a casa de nossa residencia
a rua do Imperador o. 83 segundo andar, e por
cojo irabalbo gratificaremos com a quantia so-
pra.
Becife, 28 de fevereiro de 1866.
Abren iS Veras.
R1B1* Aasenten-se da casa do abaixo assignado, desdo
o da 12 de fevereiro passado a roolafa sua escra-
va por nome Luiza, te idade 30 annos, pouco maia
ou menos, a qual tem os signaes sguintes : esta-
tura regular, bem fallante, leveo vestido on ronpio
a domin, cor escura, um pouco corto por nao ser
delta, coja escrava tem sobre o labio superior urna
cicatriz da lado esquerdo, cosluma quando foga
intitular-se forra e alogar-se : portanto, eu abaixo
assignado, rogo s pessoas que della souberem oa
trazerem-me a* ma da Cadeia do Becite n. 31, os
ao Bairroa Baixos n. 44, serio bem recompensadas.
~ Auseotou-se da easa de Feliciano Jos Go-
mes o sen eseravo crioulo de nome Felippe, esta-
tura regata e picado no resto de signaes de bo-
xitas, tendo sabido do lugar da Boa-Vlagem sab-
bado a Urde 10 do correte mez e foi visto em 1*
no eogesho Carneasen, donde se ausentou no
mesmo dia : quem o pegar e levar a sen dono aa
toa do Apollo n. 36, ser generosamente recbnj-
seifsado.
" Fuglo no dia 9 do crrante o mulato Fanstl-
o de idade de 26 annos para mais, baixo, grpsso,
olbos pretos, ps esparalhado e naris afilado, mana
curtas, roupa de algodozinbo : que o
sueira lvalo em Santo Amaro em casa de,
Custodio Peixoto Soares, qne ser gratificad.

*
i
*te
>


8
Diario ele teransa>4>oo> reren felra 4 arfo de 48fi6.


LTITERATOB.
MIXTON.
(Lamartine. Trad. oVjr/. A. A. /Oidor.)
*o a hnfua de Torquato, e que prometie fitole.
trra um grande ornear, ttm grande poltico, um
grande poeta. Os estrangeiros ais imparelaes
preveem um hornera na frente de seus compatrio-
tas. ir
I

VI
Milln nSo devla illudir oenhum destes anga-
Miltoa um dos tres grandes poetas obdistaos, rios>Q*ni a amizade dos homens emiaeates da lia-
qa i foram para a Uwogonia da mdloAdade o mes- "a- O'*^ em daas palavras a sua vida.
a.: qne Homero foi. para o elvmpoTfcio. Estes E' Propno do seculo ligar mais interesse ao ho-
* grandes poetas thelogicos sio Dante, Tasto e me(a do Ia* ,0 livro- O que se qoer do ItvTO o
Milln., iLomera- .9 qae seria Tasso seai seus amores e seu
A Dimita Comedia de Dante, a Jerusalemlibev- aree(] ^ 5eri?.'- Rousseau tem as suas
tada de Tasso. e o Paraizo perdido de Milton sio (con^soes ? O que seria VolUire sera sua corros-
as Diadas e Odyssas de nossa theologia. Estes poodeocia 1 A humanidade parece ler-se tornado
poemas sao poueo mais ou meaos da mesma dala, lod Iiisiorica; aoalysVse, coaiempU-se em cada
isio da poca em qoe os raysieros, anda uiuiio '. um dos borneas eminentes que coippSem am se-
sagrados, comecam sem embargo disto a servir de [ culo. O livro menie, o homem nunca; sua vida o
testo e mesmo de jogo a" imaginacao dos artistas: revela mi grado seu. Eis a ratio por que as
ooei rauito pengosa para os dogmas, com os be,|as biographias de Plutarco toroam-se em nosso
quaes o espirito se (amiliarisa, deixaodo os passar, leraP a parte mais transcendente da historia. Uta
do -anctuario para as letras I As rellgioes severas hornera retrata orna poca lote ra.
deveriam, cono Platio, expedir os poetas. (Joan- Vil
do alguem canta os seos deuses, esti a ponto de Milton nascido de pas nobres, que vjvlam eso
profana-los. Ha a tlrologia era tio inconlestada um dos suburdios de Londres, depois de terminar
a soberana no tempo de Dante, Tasso e Milton, que os seos estndos na nniversidade de Cambridge,
nao antevia o purigo. Consenta qoe os poetas im-1 onde apresentara symplomas de soperioridade de
puneraeote fizessem urna mistura de suas fbulas espirito em poemas latinos adairados pelos erodi-
soas verdades: todo e qaalqoer incens Ibe pa- i tos, foi mandado a' Italia por seu pal aflm de co-
recia bom, embora fosse composto das mais 3us- i nhecer o mundo e beber erudico, antes que ehe-
peitas flores di antiguidade myihologica; queria
at que seas soubns fossem cbristios.
II
Destes tres cantores da theologia que acabamos
de nomear, so um verdadeirameote original, isto
, aascido de si mesmo, de sua f, de seu paiz e
de seu tempo : Dante. Nao se assemelba a perso-
nagem algum da antiguidade potica ; um moa-
ge da idade barbara, que sonha sob um claustro
com um paraso, um purgatorio, um inferno mo-
nstico como sua imaginaQlo, e que despertando
com simplicidade narra aos seus irmaos cousas
ostranhas, pbaatasticas, atrozes, e algumas vezes
sublimes, que nunca antes foram contadas. E' a
apocalypse dos poatas, inintellgvel pelo sen'M >,
grandiosa e quasi antediluviana pela imagf.it, ,u-
comparavel e verdadeiramehte monumental pela
.'ingua.
III
Tasso imita Homero e Virgilio, conformndoos
a' religio, aos eesluraes, a' lingu, ao Rosto, e at
aos vicios de seu tempo. A religio nao o pre-
uxto de seu poema; a ca val lana, a guerra e o
amor sao a bate deste poema. Tasso mais aman-
n do que theologo. Suas narracoes sao graciosas
romo as pastoraes de Tbeocrito, melanclicas como
as elegas de Tibullo, romanescas como as aventu-
ra.- de Amadis; o romance da cavallaria passado
00) os rabes de Bagdad em Ferrara e elevado
pelo genio temo do Tasso a' digoidade e immorla-
l; l.de da epopa.
IV
Milton o menos original dos tres grandes poe-
tas ehristos, porque imita a principio Homero, de-
pois Virgilio e depois Dante e Tasso. Mas sen ver-
gasse a idade dos trabalhos e da poltica. Sednzido
pela amenidade do clima, pelo encanto das ma-
nieres, pela poesa dos sitios e dos homens, por
amisades Ilustres cornos guanes protectores dos
poetas do tempo, e pela suavidade do ar de ap-
les, que se infiltra as veas faz-nos esquecer
tndo, at a gloria e a patria, all demorou-se por
muitos annos. Elle proprlo o confessa, uestes ver-
sos escriptos na linguade Tasso:
i Esqueci o Tamisa pelo voljptuoso Arno. As-
sim o quiz o Amor, qae jamis atusa algama deseja
em vio ti
Dahi se v que havia 6ra Florenea ou era Pisa
urna outra Leonor para este ouiro Tasso. S o
amor commumca o segredo daquillo que parece
inexplicavel na vida dos homens e sobretodo dos
poetas. De qne maneira se desearedon semelbante
amor?
' o mysterio deste periodo da vida de Milln.
VIH
Em sua volta Inglaterra, encontrn o parla-
mento em guerra com o rei, todos em armas, ela-
borando o fogo das controversias religosas e pol-
ticas, em todos os espiritos. E,jtregou-se sata
reflexes, durante tres annos na solido sem pare-
cer inclinar-se nem para o lado jos realistas, nem
para a lado dos puritanos, nicamente absorto oes
estados preparatorios do futuro poema ja conce-
bido em suas viagens.
> Dirigirei um da, diz elle, nesla poca en urna-
carta cofldencial, posteridade alguna coas* que
nao deixar meu nome morrer, ao menos em mr-
nha ilba natal I
Assim todos os grandes homens logo principio
tem um sentimento aotecipado de sua futura glo
dadeiro modelo Dante. Toma o mesmo assump- ra, cousa que o vulgo toma por orgalbo e que ao mos iros doWtveetivas reciprocas, ja' asante nos-]
bavamo exprobrado I ..
Kva,, por su vez, arreoende-se e so- dedica a>
ooosolaqao -espeso..
Deixou da fallar e ador estampad* em sea
* .f?*6?* fs*pblante diseo-o resto. SM peneaoMntes tiabam
de tal maneiya^wattcipadamelg -apagado a> caamma
d* vida, que palidez da Basta ja" se vi Mjns
i>. *'
pa% *
(Contmm.)
to sobrenatural da theogonia chrisla; canta a' In-! passa da consceneia surda do genio,
glaierraoqueaulia j ouvio, a lucta dos anjos | passados estes tres annos, Miltoa emprazou o
creadas, revoltados contra o seu creador, os amo- j sen poema para tempos mais litei arios* se por ven-
res do Edn, a sedueco da mulher, a queda do I tura voltassem taes lempos, e adhorto ao partido
homem, a intercesso do Filho de Deus jonto ao j da liberdade. Havia muito lempo qoe
Pii, inoxoravel se nao fosse a morte de seu Fllho,! seguiam as cortes, porm elle foi testado pe* fto
a reo".......::'0, entrevista no fundo como o desfecho ria de ser em seu paiz o primelro poeta de ueos
desta >. .edia divina, emflm toda esta serie de mys- e do povo.
tertos que a philosophia traspasa com suas eoojec r ,
. Mas nem o doto nem os oonuas- tinaam ou.vi.
turas, qae o theologo explica e qoe o poett canta, v n m ...
.__ .______. .. TT i dos para verso?. Portanto elle lar#oo-sa a
sem indagar senao .) r hoso, as tmagens e as
eniocfies.
i armas estas quotidunas para o povo Que esta em
V 1 revotac^o. Seu talento, transformado porm nao
Ora, por que razio esc;a Milton este assump- gavillado, fez com aue em poucc- tempo seu nome
arena
pampbletos,
to de epopa theologica para canta-le para a logia
trra ouvir, tao rica em tradiij5es saxonicas oa os-
sianicas, j popularisadas e tao proprias para ser-
vir de texto a urna grande epopa original e na-
cional do norte ?
A resposta se encontra em seu carcter e em
sua vida, -^ua nalureza era theologica, e os seus
mais verdes annos se havam escoado na Italia. A
orimeira viagera de um homem um segundo nas-
cimeato. E' n'esta occasio que se inoculam em
seu espirito as sensaoes e primeiras imagens, as
quaes penelram em sua alma a ponto de operar
elte urna sorte de transformado. O phenomeno
de petrificai-o nao se opera smente pela influen-
cia d'agua sobre as plantas, tombem opera-se no
homem sob a influencia do ar por elle respirado.
Milln respirara em Roma e em iNapoles a poesia
e liberdade, estas duas almas de sua alma, no tra-
to que Azora com os grandes espiritos italianos de
poca; buscara a sociedade dos Italianos mais ce-
lebres e letrados dos differentes cursos e das dif.
ferentes tacoes, que havia visilalo. Tornra-se
Italiano na lingua, no ouvdo e no gosto, e por as-
sim dizer os polticos e lettrados Ilustres de Fio-
renga, de Roma e de iNapoles, antviam n'elle j
aiguma celebridade.
E' curioso hoje, quaodo se visita os archivos e
bibliothecas dos soberanos d'Itala, achar frequen-
temenle, as correspondencias dos poetas e sabios
do seealo, mencionado o nome deste mancebo in-
glez, amvjo das musas, que falla e escreve em ver-
tou-se argporcJo de suas taaocoes.
Seus irmaos vieram haWtar com elle orna opu-
lenta casa em Londres, u
Aos trala e eiaco tanoi e idade dasprezou Ma-
ra Powell, de raja e oplnioes realisUs. aa op-
posijoes polticas vieram envenenar o amor que
existia inoculado ao corceo dos jovens esposos*
Mara Powell, depois da algiins metes de casamen-
to, corou por amar a um republicano que prestava
sua peona ao ni raigo do rei de seus pas. Sobo
E sua mil eoaservava todas as palavras ao seu
eoraclo. jiJi j jnilJlff
rod se tinba dedicado na realisacao do bdlpilal i
aafcia que topas as manilas, a-fes de ir para reo-
nl5es de ministros, o prelado passava orna on daas
hars entre asas doeotesfeliciton-o e agradeceo-
Ilie to assigoalados servicos.
Chegando a' sala ja' referida, sea saniidade ex-
E Jess crescla em sabedoria, em Idade e em
gra?a diante de Deas e dos lateos.
A piedade e a devocao foram na opinio cora-
mam de todos os Interpretas deste evangelho, o
motivos qoe deierminaram Josas 0 Mana a empre- elamoa
hender esta viagem (fio longa e afadigosa, qual a de Qae pezar I serraos nos to pobres e nao po-
Nazareth a Jerusalem. j dennos comprar esta casa.
Aprendamos nesta exeajplo do Jess e Maria,' SanUssimo padre, responden Mr. Merode
praiexode TliuTa amlto, "abaVdonoa 'o domi- (ae b*8t* ornete cumprirmos o que de pre-; ajo-Uhando-se, tome! a liberdade de oflerece-la a
cilio conjugal, e recusen vehar para ahi. Milton, ceito, tambera bom e oaaito bom para exercitar a; vqssa santidada, porm cmprela ontem para
offendido por jim tal abandono, esereveu urna T"ude' Pra,lcar ac,9 de devo53 sollda e a-or-- doal ao esUdo-
dissertacao sobre o divorcio! 1 sada pela ,greja' como efa Wiue'le tempo visitar [ Pi IX chorava cemmovido.
i*n n. a. u- -lk- .i,iki j
., ??J ? '., ? n qT 9J Z eio, e sim o saeerdete. O amor e a concordia sao /" "
os flns do casamemo qaando ellos nao axistem eMn",to de Jesas e arla ,ambem nos. W*
entre os esposes, o casamento s ooe anpathias e 1" < P's e^m lerar seos fllhos, quaodo estas
opl
Bl
ffllntflai
dem WeiytiaaW
dem 0. S.^
dem Geo M. Ramso
Ca^aoW.al,Wal5r,l:SW.
dem B. F. Sands, 8:16.
dem Win d'Wche Keon, 28:W6.
, l'ma eslatistica feita em Londres estabelece ove
dorante a ollima esta{So, o principe de Galles ma-
odios.
IX
Milton j liaba obtido o divorcio, eslava prestes
a desposar ootra mulher, qoan io as recordagOes
do primeiro amor se dispertarara, talvez pelo cip-
ote, no coragio da esposa fugitiva.
Milton lembroo-se qae atiaba amado mullo, e
sentio qae alada a ama va. Os amigos prepararan]
um encontr sem qae os dois esposos soubessem.
Um da sendo o poeta eoovidado por am de seas
vlzinbos para o campo, melanclicamente conver-
sa va com este amigo sobre o Isoiamento o tristeza
de sua vida, saodoso dos ds de felcldade qae
passra junto a Maria Powel, cmtr'ora seo amor e
sempre objecto de suas saudades, qaando abrise
a porta de um quarto vizioho, atrs da qual Ma-
rta Powell eslivera escalando a eonversaeio-, e a
esposa de Miltoa cabio seos ps e com pooco es-
lava em seas bracos. Os arrependimentos, as la-
grimas, os abramos, acabaran a recoociUaeio e
delxaraox em Milton impresslo tio dilreiosa, qoe
mais tarde,em sua velhice, coropoz ama das ace-
as mais pathetteas de um poema : a recofftltiacSo
de Adao e Eia.
t
ebeguem a idade da razo, a igreja e mais logares,
onde vendo exemplo de piedade, aprendara a pra-
tica da le de Deas, e se acostamem a soportar des-
de sna meninice o jogo do Sensor.
Qoantos pas e mais nao ha por ahi qae apenas
nascidos seas filias se despreadem dalles, e ei-
xam sna edoeagao entregue a pessoas, caja piedade
e religio nio sio bem eonbecldae.
Muitos, verdade, nao proceden deste modo ;
mas na edacaco qae dio a seos filho* o qae me-
nos Ihe importa, inundiMties o temor de Detrs,
e instrur-los na pratica dos santos preceitos da
le.
Uro pal vlngaOvo, p'of elaiplo, s procura gs-
rar no eoraco do seo fllho a patxao que Ihe domi-
na de vingar-se de am iolmigo qae o insulta.
Um pal usurario procurar dispertar no espirito
de seu fllho olmmenso dinbeiro, e as riquezas qae
de ver amontoar.
Um pal deshonesto amatar com seas mos
exemplos. seo fllho pan o caminho da perd-
cao.
Cada pai. procurara transolltlr a seo Blhos as
palxSes que o de ver am, sem se lerabrarem qne- es-
m joroal esiraogeiro diz qne o fllho de impara-
dor .\apoleao quer comprar, do sea bolstabo par-
ticular, o material de guerra das tropas francezas
que oceopam Roma, para polo i drsposigio do
papa, que seu padrioao. '
.-
Ella por era, eom os olbos todo banhados em ta a razio de muitos fllhos tratarem aos pa*s-com
lagrimas e os seas coospridos cabelles desgreaha- indigufdade, sem aquMIa terur e respeito qoe he
dos, prostou-ie seo ps, e abracaodo-lho as i & devldbs.
pernas, implorou o perdao. I ^is aqu porque a sociedade esfteheia de meos
Nao me abandone aesim, o Adfio O e!*1 piedade e sera devocao, outfostintos infelries
(estemaaba do amor que* por ti nutro em meo e desgranados a qaem os- pas nem ao menos ensiH
bra a cabeca.
A casa liaba castado 50,000 franco?, cerca de
18:000*.
Mr. Merode tendo berdado esta qoantia algaas
das antes de ama prenla, quiz empresa-La em um
flm qae aproveitasse, tanto a alma da difunta, co-
mo a' apta s.
Eis aqu o homem qoe os revoloeiooarios aeea-, Na Mgla MU. daQdo cui(U(fos x trtcDll09e.
sam de delapidago dos dioheiros do estado e qua- pa eaaBara 0i representantes e no senado pedio-
s de coocumonario. se ao ministro do interior, a proposito da peste bo-
vina, que procuraste os meros da adre paiz a
salvo da lrwlnose; e este terror triehiwrl eslen-
deu-se at a' admiaistracae coinmuoal de innat-
!as, por qoe orna foioa d'aqnelra capital a>' noticia
de urna ordeio aossada a' dirergao dos matadoorco
para que sejaiH examinadas lodas as car-aii. de
poreo com um raioroscoplo qne augmenta odO vetes
as tfineuses dos objecto.
A este respeito diz um diario belga '
As descobertas dos physiotogos allemieo assas-
tam os nosso?, apesar de nao serem apalxaoados;
como o nossos- vstalos ailattwet, pela carne de
porco croo.
Ha mua gente que ja' nao- pede ver sem tremer
nao s presooto de Weetpbalia, mas at o innocen-
te presunto de Antuerpia, cosido-e recosido, perfel-
tameote Incapaz d introducir oa etooomia huma-
na a horriveP e mortal trehioa 1'
Ha monas mesas d'onde etVabsofatamente des-
terrada a carne de porco.
Al eonheceases pessoas qae levan a prudeneia
>o pomo de grHarera var rtVro i beMarrava,
provavelmeote per causa da :nta seoieWiaoea com o
clioungo; e Moyss; la 00 cea,.sua morada eterna,
ceraco 1 Se me deixaresr onde qaeres- que ea
viva T Ah I Veoba autes paz amentar entre
nos dois as pouca horas tal ves lio fugitivas, qae
temos- ajada de vi ver 1
c O suspiros vieram' interrompe la; soa hu-
milde awitude, esperando qae o--perdo e a paz
sablssem dos labios do esposo, enterneeea Adao.
Esle ficov eommovldo-por ver proslrada a seos
pes e baobada em lagrimas,, aqoetla qae savia
sido nao ha muito seo eoraco, sua-vida, seu ara-
zer e delicias ; ama creatara tio bella e poderosa,
implorando- agora o perdi, a correecao d'aqoeUe
a qaem desofradira.
Semelrmoie a' um hornera em cojas raaos se
despedatao as- armas, sentio vergar se teda sa
colera, ergoen-a raulherr e-com um* vea e para
vrae" saavtsadoras dissi-tiio: Levanta-te; levanta-^
nao fallemo* mais-em nosoea-infortomo !' deixe
naram os prlmeiros rudimentos da pfgiio.
Pas e m?, que professais a religjeo catbolica,
lembrai-vos qoe Mara Santlssima, a oteibor d to-
das as mais, desde qae dea a-luz do mondo o Me.
nio Jess, jmate se separou- defle, na o levando
a outra parte seoSo ao templo; apreodei della o
cuidado qae todos-vos deveis ter em educar e ins-
truir, vos raesmas, os vssos Albos, oa pefo menos
a nao ennria los, para este fio, senio a pessoas
cuja piedade e virtudes sejaro bem clara e pa-
tentes.
S assim formareis-bons ddadaos para a patria
e bons fttoos para a Igreja, qoea-miide awe to-
dos.
.
lastrasse pelo raeio da mullldo. Nao se poda dei-
xar de sentir o accento viril e n pablicano da an-
tiga Roma, que vibrava na alma de um puritana
brelo.
Cromwell, que em si ento personkava o. povo,
o exercllo, o zelo pela f, o orgnlho da raca, o di.
reito da nacao, tornou-se o Maehabo de Milton.
O poeta adherio sorle do protector, como fett:
cidade do paiz e de suas ideas. Via n'elle o cam-
peo do povo, o vencedor dos rjis, e um novo
juiz d'lsraei, como mesmo o disse em seus es-
criplos polticos d'aquella occasio. Cromwell era
a espada, Milln quiz ser a palavra da indepen-
dencia. Cromwell, que allava multo, porm mal
e que nao tinba tempo nem pac racia para escre-
ver, acolbea com aaca este talento viril, oioquen-
te e ardenle, que Milton pnnba a sna disposigo. O
velho soldado nao se satisfazla sornante com tri-
umphar nos campos de batalba da Escossia ou da
Irlanda: era-lne necessario triumphar da opinio.
u= realistas, os catholicos, as partidistas da igre-
ja reformada Ihe faziam urna gerra de pampheltos
que vlnha perturbar snas.noiles, e ameacar o sea
poder. Encarregou Milton de responder a estes
argumentos ou invectivas. Cbamou-o para mais
perto de si dando-lhe o titulo de seu secretarlo e
confiando delle a redacc.ao.dos aclos dogoverno.
As redeas do governo estava as miios do protector.
O presidente do gabioeta de Cromwell era na
realidade ministro do protectorado. Seu nome
veio a ser urna potencia, e saa fortuna augraen-
W POMO M TDO.
Sobre a- edoeacao dos Unes, boro considerar o
qoe diz o evangelho de S. Lajeas cap. Hj.qaa trans-
arevemos do Apostlo :
Qaando Jess leve deae annos, Jos-e Mara.lo-
ram coro elle Jerusalem. seguindo o cosame do
dia de (este.
1 acabados os das quo ella observa va, qoande
voltaram para casa,, ucou o Menino Jasas em Je-
rusalem, sem que seus pas o advertissera.
E cr.eado.qne elle vira, eom os da comitiva, ani-
daran) caminbo de um.dta e buscavam entre par-
rentes e eonhecidoSi
E corno o nao cbassom voltaram para Jerusalem
em busca delle..
E aconteceu. que tees das depois.o acharam no
templo-assentado nomeio dos doulores ouvmoVos]
e fazeodo-lhes per gamas.
E todos os qae o oavtam, estauam pasmadas da
sua iotelltgencia e-de suas respostas.
E quando a viiam se admiraram.
E soa roii Ihe disse :
Filio, porque asastes assim comnoseo-. Sabe
qae tea pai eo andavamos buscando-te eheios de
afUicco. .
E' cosmaaeem Romoj-l-se no JoMrr de rie,
enlregarero-se as sea habitantes ao mez de os-
bro a passoies recreativos a qae claamm ooMeea-
da (otiobrata); e o santo padre do correte aooo
satisez a esle cosame pela maneira segoiote v-
. Sahiodo de S. Pedro- fez oracooo Saatiseimo
Saoraraeoto, no tomlo de S. Pedro e examvoott
depois os trabalhos emprebendidos-para consipoo-
ejo do luaoto de Pi VHL f \
Sahiodo d S. Podro o papa drt}o-ee ao hospi-
tal civil do fo^uiw Sanaov percorreo- adas as sata*;
parando oas-oaaaas do- daeates, aoimoa-os eo
fpaUvrasoonoarioras. Sibliotheca,. gabinete aoa-
tpmico, pharmacia, tude-oatm merecen a aweaopo-
Oa Ilustre vJsitaMe.
Vctor Hago
Em frente esli o hospital nljtar pontifica^*' pnsameald'i
abe dirtgio-eeap o saot padre.
ESta segunda visita fo tio demorada e miDaeio-
a, como aprimeira ; de mesmo modo qoe aesta
sonfortoa saa santidade aos mitarea-doontes, abetv
eoaa os e agradeceu.aos-ctrargi3os,. irmaos e- reli-
giosas a sokeMade e caridade caro qae caaapaam
to arduos deveres.
E elle Ibes respondeu :
Para que me buscavais? Nio sabaiaque im~ o de pouca luz, por fioar-lhe ao lado ama casa,
porta occopar-me as coosas qae sao do. servico.de
mea pal ? d p
Mas ellas nao etlenderam a paLa.vra,.qaa 8.
disse. '(
E deseen com ellas, e veio a NaaejeUi,,freslava-
lhes sogeilo. -

FOLHETIM
SEPULTURA DE FERRO
POR
lleiirijae Coosciewce
(Continaaeio.)
XIII
Por tira Rosa poz termo a sea interrogatorio e
comecou por sna vez a faltar-me da sua estada no
bello paiz das ollveiras. Descreven-m'o eom tanta
admiracio, falloa-me com tanto sentimento da ma-
ravillosa nalurezeza do sul, que, por assim dizer,
fez-me viver com ella as praias do mar azol.
Eolio esqueci am pooco a minba dr para dar
ouvidos s soas palavras feticeiras. Sent extre-
ma alegra qaando, de certo por boodade, ella me
recordou os brincos da nossa singella infancia, o
bonito jardim, as borboletas, a ponte sobre o r-
beiro o mesmo as figuras de madeira qae de mira
havia recebido com tanto gosto. Perdame lodo,
em completo esquecimenlo do presente, no recor-
dar ci'esses tempos abencoados e pareeia-mo sor-
rir-me anda o rosto anglico da Rosa de annos
verdes debaixo das snas feices agora mais serias.
Era anda a mesma voz argentina, mas sonora e
mais rica de accento, mas sempre terna e affe-
ctuosa. Nova esperanza comecou a luzir no mea
eoraco. Talvez me livesse engaado 1 talvez a
Rosa de outros tempos, esse sonbo de minba alma
s estivesse velado debaixo de ama forma de mais
perfejcio I
Mas essa idea consoladora foi breve bafada
pela chegada de duas senboras, tnii e Alba, qae
tinn&m tido noticia do regresso de Rosa e nio
tinbam podido esperar mais tempo para a com-
priaientarem.
En levantra-me, e como pro va de respeito, do-
ra nm passo para irat. Depois de dirigirem 01
bre o alcance da nossa observagao O
Alba queria dizer redundava s em loor
senbor. Com edeito, se todos os axtis
distinctos e de boa familia, como este
primeiros comprimeotos a Rosa e a saa mil, as
daas senhoras tambero me saudaram com urna
amabilidade muito parlioular. Havia tanta cor-
dialidade no sorriso de ambas, qne era evidepte
que se enganavam a cerca da minha pessoa e' das soa presera seria para desojar em toda
mlnhas relaces com o Sr. Pavelyn. Em quanto \ mas bem sabp qae------- -.
Rosa allava da sua residencia em Marselha, para: Estas duas palavras pareceu-me q
Ibes satisfazer a cariesidade, ellas conteraplavam-; desagradavel impressio ao Sr.Paveryn
me com vizvel interesse. Especialmente a dentis interrompeu-a e poz se a demonstrar, eod>
Idade nio tirava de mim os olbos e de tempos a go mal reprimido, qoe era aUameiue honroso
lempos pedia a minba opinio sobre o qoe se di
ila. Pareca sentir por mira svmpathia e mesmo' terminou, como costumava, gabanoo-se
ceno respeito, porqne a menos valiosa phrase qne '" de m.m um artista de nome aeet*
en proferia fazla Ihe inclinar a cabeca com viva ser fllho de nm dos seo caseiro, de aafto!
approvacio. '
Por flm maolfeston abertamento o desejo de co
Antes de-voltar para- o Vaticano.visitn anda o
santo padre um recoUroente de- orphaas e deas
estabeleckaentes fondados peto principe Torloaia
no Janiculo; um para tratament das molestias de
olbos, e ouiro para ednea^io des-aaeninos do-Tran-
leveres.
Escrevem do Caire (Egypto) em data de 2 de fe-
vereiro:
Esta' finalmente resoivida a >okrraloavel qoes-
lo do canal de Soez i a grande noticia do dia.
No dia 36 de janerro, os commissaro noroeados
pe|a Franca, pela Turqnia, pelo Egypte pela com-
ee-nina do canal dirig ram-se aos logares que eram
caasa do litigio.
Antes da saa partida do Cairo; lioba havido ar-
gomas diflicaldades a respeito das quelee de pre-
cedeosia .-era saber qaem que devla fater pri-
meiro a visita; mas-esta qaesto-de precedecia-fui
cortada,, pracasiniervencao conciliadora de Soerif
Pacb, presidente do-eonselho de ministros do E-
gypto, que recebea cada cummiseario e os apreien-
too depois oos aos ootros antes de- partirem para
o islOmo.
O Sr. de Lesseps; que Hnba Ocado aqni, aflm de-I"116'8 *" con'iealiseimo por^ ver pbiUsteaa que
- Iseguem flelnieuit a cenes hygienicos da sua le.
, Iseguem fieimenie ao- que o seo povo sai' dos- pre-
qae se nao possa accasal-e-de qoerer eaercer inDa- M,iU.h.iu.lU *. ... i...
encia sobre oo-commissarros, leve un entrevista
com S. A. o vicere, e, n'esta entrevisf, lodas as
qaeatoes pendemes foram resolvidas a' sUsfagio
de todas as paries-inieressadae:
Nio se cooheceoainia 09 permeoeres aa pre-
eisos d'esle arran)e, que S. A. o vice-reideaej nao
stja publicado antes de ser levado ao conBestaKa-
lo de- snllio da Turqua. Entretanto, eis aqu o
que pode colher nos- crculos mtnar- informado*.
Os-terrenos de Ooadeb flcarao pertencenfe ao
governo egypclo, meduate ama sowma de di-mi-
lobes,.qae pagara' o vtee^rei.
O eaaat-de agaa doaesera' feMvpelo vcere
sna eoeta;
O* lerraaos banhadoa- por ele- eaaal fleartan
tambeej'seado propriedade do vics-m.
S. A. flea-obrigado a-pagar estas- seromas dwtr.
da- tres-aanos, em lugar de quioae eo desessete,
como se tinba decidido-primitivamente.
Acoapanhia Acara seba jurisdicaegypoia.
Tal ap/oxtmadament o resamo-da situsgcK.
Os fuasos qne vo eoarar brevemeate na cafo
da compaobia construcar permitlio-levar a cabo
esta grande empreza.
S. A. acaba de decidic o estabeleormento de aat-
camiptoode;ferro eorre Ismaile e o Saleo; o Sr- da
Lessps'porle 'amab^pr'a'e ocepa deife'lad-
eado.
escrevoa nao
o segu
Eis aaai ama oulobraaa de Pfo IX.
A visita do papa ao hospital militar pontifical
Iem bra am acto sublime, a aligo sim, porm desco-
nhecido aos qae nio sio romanos.
Moasenhur Merode, acabando de crear o hospi-
tal militar, ehamoo irmias da caridade rrmios de
S.Joao de Deus.. e habis eirurgioes, orgaoisoo a
admioislra{ao sobre bases- solidas, dotoa a. biblw-
tbsea com urna.colleccio dos melhores livros, e a
pUarmacia com todas os. iastrumerjtos-e appafellas
necessarlos : o bagar. saOoiateaenia vasto a ata-
jado era cora, tndo na, sata principal^ poqco a rejado
Jr. Merode nada poda fazer ofiaialmentev por
r esgotado u dinbeiro destinado para tal obra,
alm de qae Mr. Merode ja' liona supprido de sea
bolsinbe sommas nao pouco consideraveis.
L/ Em 18ti veio o papa visitar o esla.bebecimento.
Coabecia o zelo e desinteresse com qae Mr. Me-
zer&m
paaqoo
t.fb-
ra
um neaero o elevar-se pelas soas proprias toroas;
dadojoa
'de ea
bre ta

manqueiro.
Colirio-roe as taces o rubor da vergoala; cer-
cer.m rei os denles por ara moviuMlo nenb; seotla-
- E' o Sr. Wolvenaer^ esUtnario, disse Rosa, nw ferido e bomilhado.
- Carioso? pergaotou a tal senhora. Com vezes o Sr. Pavelya tinha. nqtfto, em pre-
- Nio, rainha senhora, nm verdadelro arlis-. enea das pessoas com qaem tratava, qoe mea pal
ta que destinen a saa vida a trabalhos para glora nm manqaeirc, Faiia o coro boa in.enc.ao,
da natria -e DDDca deixava fugir nma occasio de mostrar
Ella encolbeu os hombros, e respondeu com 1 P"104 88 ** W" < Blho
certo espanto e pesar : jde am. ,de5 ura honwm b*nB edoeadu; e nm ar'
- Estava engaada, porque pensei que este se-',,8U d"8WWo. *
nhor seria algum seu primo. Porqoe_sangrava en tao o mea cora* O
Soa fllho disse com om sorriso am poaco Iro-, revelacao da profissao de mea paifi.
. Era aquella a primeira vez que me salteava tal
D1 -: Ah 1 este senbor artista? Ninguem o ba- "**&> '."** *? ?*>; ^(rt.'.",B,M,,e **
tria de dizer. Maitos artistas ha hoje em Antuer
oaviodo
mpdadOrO^idtebumilbaoo. Quer njbdaria, ea
pur estar eolio a capa leguas de Rosa I Lntava
desesperadamente em mim mnnmnaaain a revolta
do mea orgalb aggravaao, qae se frritava contra
os meas bemfeitores, mas domjoei a miaba com-
oolraram na sala dous
sugeitds e repetiram-ma as mesmas ceremo-
nias. Fez me tremor Ida de sRrer segunda vez
a mesma bomilhaco. A pretexto de ser ento
Disse o tomlo ffoa: *
Desee orvalho qoe o co te enva em magua
aurora,, aa toas supplacas escolaado, que aees,
miseravel flor, que lio cedo morres-?:
A flor perguntou ao tmulo :
jaae roe, sepolobro horrendos qae fic>~ lo
da tantas entes -que arrebatas para. e lea regaeo 1
Ea sou, fonuosa o- innocente,dea os roen* aro-
masan vento. EmUeroa dos amores, ve u. pausar
no peno da linda donaella...
pobre-flor, i^sa de am dii,.deploro c-.teu ce
go crgulho. O- ana valem o a aroma as tua?
petates ; o qu la ? Merecoe o meu de#orezo 1
- Desprezasane !... No atea calixr-amor e
esperanza levo,.
Amor e-esperanga, dlzas tu !.... Eo reino
sobre o universo. Aos bons coracoes abro os bra-
gas ; regneno. os mos; e-om mim aalmas en
eontram orna, oseada para sabirem ao cao.
Diz a Chroaica de Nev*YorK que se tem repar-
tido O-milhees e meio de pezos fortes entre varias
ebefeida esquadra e commandantes d navios co-
mo parte que Ihe corresponda das prezas teitas
durante a guerra com,os-estados- do sal.
Ficam 600 prezas ainda pos ajudicar qua far
sabir a somma totaba lo militos.
Eis algumas sommas qoe teera correspondido
aos segulntes chefas,:
Vico almiraow Farragut, pezos fortes, 55:413.
Contra almirante S. P Lee, 99:456.
Uoearoos o qoe dizem os sabios-especiaHstas- so-
bre o assumpto.
Sabe primeiroja lerreiro o prndente da acadenwa
real de medicina de Broxellas, e falla assim:'
Aniolesiia da> trwbioas nao propria- de ho-
mem': nma afTee;a<^qne nos eammoaicada pela
especie suma.
1 Rtt-Mgiea nao a eanbeeemos vrOadeiraeaeote, e
prevevet qne nanea- veohamoe a ecnboeei-a sa
conimuarroos a viver cerno temoeviviao aiagora.
O que k qne a proveo f
E' a iBtroducco de eertft aoimalenles na econo-
ma qonade se oome earae de poree-eroa.
, Esle uso cinuito vulgar.em certas parles da-Al-
lemaDhaj.-iBas nao na atakica, oade>eom rarissi-
mas eseepc.0es, se faz neiacarne Je-aorco cosida.
CoDtliMie-se a comer earne de poreo perMta-
mente osi-Jy, isio cuja4bumiaa aMOJO completa -
tateme oagnteda, e oate-do que provavel qno-
nao tereirm- de aesignalareasos do moleslias devt-
das a' preseac das trlamnas.
Depc*s- falla sobre o aesuntpte a aeadwnla impe-
rial de medicina de Pri, e ieeanra qua as-tri-
chioas dtnuw de ser pengosas qoaoda se-aqaece
a carne a-una lumperatar de 60 a 70-graos.
l'or Bta.^.fifa*ta Mnitait de- Pars, la. como posi-
liv.i o seguiote :
A uosvdura regalar da-a#nes coaaaainadas poe
completamente a salvo da> afeccao.
Rigorosas- expereociae>repetidas cooa-iodo o coi-
dado petedouor Sehulizo-, ra demenaarado qoe as
irichiiia umj resistero a uma temperos ara. da 58 a.
60 grau*- -
Se ai esnvessemos no qnaresma,aceuselharla-
atos ao kerto que conMeap seca systo roata^caroa-
de porcoy.s8o tanto qa-a cei'essd boan..
(Jo iodividno meaos-roal trajado.. tum-s aprc-
sentado em. differentes lotes do seatnaa-mode:.
Entra oomo pessoa encapad por1 negocio argen-
te, e apreseniaodo euunana das aaia-carta-qaioo-
Ka da ojnbeiro, diz aclogista :
(.S4 F faz-ir Savor de 5Hb*kj que-pre-
Ciso pare, completar osle trco^
E motra o dinheito que tem aa.mo.
O Icgte hesita, e-logo o cutiese acoda ;
Pote nao me coabece, Sr. E ?* Soa.e.Artafa,
de Santoe. Ora, ao ose conheea-o.senbar.tr
Acal o Ariagu^ aeola* o Sosta? mafs-adlaate e
Liiu, conforme Ihe l-mbra.
Tudo isto se pas-sa 'nm relance,
L -homem este' ayressadb; alguem a. aspara e
portento nao s lemora; queao.os seus.33ft rls.
5' reconbecidi de tola a goaia e iogtete, as
vties deixa-se->urprehenl4er>.e.da-- es-530rls, e
o. arioso agraiiece:
Obrgada. Amanh qaando pasea para bai-
xp ih'os refJituo.
E sahe para ir repetir smesmo-naotra loja.
So.0.uniste diz que cao conheie o Sr. Arlaga,
00 o Sr. Sottu, diz elle :.
Passe muito
revoltar-me cnica o mea inexplicavel desvario e a
aecusar-me de loucura.
Qae tinba, ea esperado ? que ousava preten-
der? Rosa, nao Uoha sido amavel comigo..' Que
direito Uoba, ea para exigir oa querer mais ? A
mooo e nio maniiastei nada do qae ,s passava nroflssanda mea pai tioha-me ma corar como urna
dentro de mim.
Passado um asante,
affronte o lea eoraco resollara-so contra os
-meas bemfeitores 1 era, pols, o meu orgulho qae
tinha sido engaado! criminosa amor proprio
tinba laucado de minba alma a gralido I Ento
as exhorlacoes de minha mai nao tinham sido
incommodo aos meas bemfeitores e de ter alguem sera cao! Aquellos bons conselhos, tinha-se
pia I Ania-bontem, na rennlio das familias em ca-
sa 4o Sr. Decock, havia nnscinco ou seis.
Rosa percebea de certo, na expressio domen
rosto, qae as palavras das daas senhoras nio me
eram agradaveis, porque responden com inteoeio:
Uso prova qae o bom gosto e o amor Ai
artes se propagam as altas classes da sociedade
de Antuerpia. Nio ha nada qoe mais ennobreca
o commercio do qoe a proteccao qoe la' as artas.
Qneira descalpar-nos, minha hta amiga, re-
plicn a demais Utoa; pens qae se unganoq sq-
presslonado descobrindo em mim tal amor proprio
e flz am violento esforco por sobjeirar o mea des-
pelto.
As palavras do Sr. Pavelyn nio Bteram no ani-
mo das daas senboras o effeilo qo-felle espera va.
Quando souberam qae era apeas sen protegido,
as' soas eiodes exprimirara de re(ienle a iadifTe-
reaca oa algama censa ainda: mal dar e ellas
deram-se pressa era dar entro ramo %' cooversa-
cao, sem raais olharem para mim, abaoiaiamente
como se ea all nio eslivera.
O sangae fervU-me oa cabeca, 9 .ti-ao ioeom-
a esperar por mim em outra parte, ped licenga ao
Sr. Pavelyn para retirarme, prometiendo Ihe voltar
oo dia seguate pela maobaa.
A licenca foi-me concedida immedlatamenie,
porque, com efieito, en era all de mais, mas Rosa
disse-me qoe nao voltasse no dia segoiote, porque
linba de andar todo o dia por fra de casa com soa
mai a fazer visitas. .
Peguei no chapeo e sal depois de dirigir a todos
os meus comprimentos.
S Rosa me acompanhoa ot i porta. De certo
seria muito para agradecer-lbe esta benvola atten-
cao, mas a polidez de Rosa era tio ceremoniosa e
a sua phrase de despedidatato a vista, Sr. Wol-
veoaerl soou tio framente ao meas oavidos,
qoe sahi 'alli com a cabera aturdida e o ooraoio
esmagado.
Atravessou-ma o cerebro urna onda de pensa-. julgado com tanta severidade. Nao consagrava o
Aioiira que me afio. caobaea.
bem.
O cuitoso tem com altano, apaando os sens 300
ris ei.".. varias tojas.
S*te'no caso do ouiro, guaperarroa as-tojas-
pedlndo auxilio para, estabelecer um collegio,. eao
mesmo tempo medicando, am sacco oom oito ou.
dezr yecaa de S0i)O>ruX e ama relaco do oames,
d pessoas conheiiidas por dinheirosas, ojOfi-saba-
cieviam com avultaaas qnaatras para d til oofta-
*Wi .. ~-.
senuiento raais egosta do que a gralido rae Uoha
feito assim sansivel na preeoga de Irosa, I me
fuera tio mantate desejar a soa esttaaa e O soa
atuisede. Em ama palavra, suppoe- o senbor qae
eu a roa va Rosa, e nao s por aar mulher e por ser
beQjL, Engaa-se. Se o gerraa do tal senlinaaio
estaea, oocullo em am dos caobos mais reconditoa
do awu corago, como o demoostrarao as aconteci-
raentos futuros, nessa poca avada dorma igaonado.
de mira mesmo ea sua exiseoela influa tao pooco
sbbre as miabas ideas, que, dorante esse doloroso
exame do meu eoraco oro qae eu tinba tratado de
sondar todos os segredos da minha comnocao, 080
llnba suspeitado nem temido a preseoca de tal
seatimenio
Por Bm encarei a minha posicio eom mais sere-
nfdade e acabe! por escarnecer de mim mesmo,
como de um siaapies que creara para si um mondo
segundo as suas. recordaces eque prolongava in-
detnidameaie, a sua feliz lalaocla, sem ver qae 0
tempo tittba* de todos os lados, feito surgir a reali-
dade para dissipar neile as illasas desse telmosa
soubo.
Era, pols, natural que me tivesse reito mal esse
sbito deseiioaotameoio, mas o golpe nao poda
repetirse; a venda cahira e desde essa hora olha-
ria as cousas pela sua verdadeira face, eom olhar
esquecido; eovergonbava-me do meu humilde oas-
olmento, e tinha ousado orer que a igualdade e a
familiaridade coatlnuariam a existir entre pobre
protegido e a ftlha dos seas ricos protectora Don
do 1 Ento qae eu comprehendi bem 1 entre
mim e ella nio navia s o nascimento, havia tam-
bera o beneficio, nm mundo de distancia I
Acorvado ao peso destes tristes pensameotos,
levaotei-me de repente e coraecei a passear no
quarto; tinha medo de mim mesmo e bata na testa
com amarga dr. Pareeia-me borrivel a orgalhosa
prsompeio qoer jaigava ter achado em mim; e se
aidda havia lagrimas qpe podiam acudir-me aos
olbos, nasciam de urna especie de cega raiva contra
mim mesmo.
A final tambem essa agitaco se acarmoo. Ento | seguro, como o dever e a razio o exlgiam de am
perguntei a mim mesmo o qoe linha feito para ser I adolescente que nao tardara que fosse am ho-
rnelos; seatia imperiosa necessidade de estar s
para recolher-me e dar largas as minbas ideas. A
miaba dr esleve a ponto de trasbordar na
roa. Cuslava-me refrear as lagrimas qae me en-
tamesciam o coraejk) oppresso, e logo qoe abr a
porta do mea quarto arremessei-me sobre ama
mais pr"fuodo respeito e a mais sincera gralido
aos mus bemfeitores t Seria capas de fallar por
ama palavra oa mesmo por am pensameoto ao
rauito que Ibesdevia? E ento exclame! triara-
phaoie e com plena convieco:
Nio; antes morrer do qae deixar de recenhe-
mem.
Depois dess rerlexoes resolv, com notavel tran-
qniltidade de animo, portar-rae eom meas bemfei-
tores como se neo houvesse entre mim e ellas ou-
iro lago alm do sen bemfazer, e aceitar o miaba
sorte como m'a houvessem talhada hjQOdlih de
Detrs a a geoerosidade dalles,
(Continuav-se-ha.)
caaeira e deseatraneeLma m lagrimas arden- i cer, por orgulho ou por iogratldio, os beoeflcios
tes. kecebldos. Naoaa, oooca I I
Permanec muito tempe tmmovel, vergando ao O seohor esti a sorrir. Adivioboo-lhe o peasa-
peso de dolorosas reflexoas. E*r flm a etTasip 4a ment. Est a dizer la comsigo que a minha ag-,_____________________
dOr deu me ajgqi| (oei4es ao espirito. Coqjeeei a Ucjlo poda moli bem ter OBiri caasa; que p,m, PBRfiAMtGO.-TYP.DE H-.P-PB.F- 4TOUQ
I
/

1
1
r

\
!

r
>
.




#



L i
M
\


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2QQ3MHLD_NCHR2G INGEST_TIME 2013-09-05T01:33:03Z PACKAGE AA00011611_10921
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES