Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10920


This item is only available as the following downloads:


Full Text
i
\

I
I
I 1
t


I
-i
I
I f
I
f
ABRO XLII. SOMERO 64
> ?***
dem deitis dos 1.' i o das do chm$o e deotr dt qnartel
torte aVcatrrfo porte* mies .,...*......
78o
feft a ol
SEGUNDA FEIRA 19 DE MARCO DE 1866

Por ano pa| dentro de io das do l.mez.....
Porte ao eorreio tor o bbo ,........,
19oot
3#eot

ENCARAMADO DA 8UB8CMPCAO 0 HOOTS
Parahybn, a %r. Antonio AJfraodrino de Liras;
NataJ, o 8*. AnUto-Maro;es4a Silva; Araooty.oJ.
8r. A. de LejwJlroga; Caar, o Sr. J. Jos de
Gliveira ; Maraatfo, o Sr. Joaqoim Marques Ro-
drigues ; Para, .as Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos; Amazonas; o Sr. Jeronyrao da Costa.
ENCARREGADQS D> SU^CBIPCAO. DO SUL.
Alagoas, O Sr. Clandioo Falcao Dias; Baha, o
Sr. Jos MarlinaAlvea; Rio.de Janeiro, o Sr. Jos
Ribeiro Gaspariabo.
PARTIDA DOS B8TAFETAS.
Oiinda, Cabo, Baeada e estaedes da Ha farrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarasse Goyanua as segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Gravat, Bez9rros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhons, Buique, 8. Beato, Boro
Gonselho. Aguas Bollas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pao d'Alho, Nazarelh, Limoeiro, Brejo, Pesqneira
Ingazeira, Plores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio eEx, as quartas
feiras.
Serinhem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reros, Agua Preta Plmeuteiras, as quintas
feiras. ,.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAB8 DA CAPITAL.
Tribunal do commerclo: segundas e quintas.
Relacao: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda: quintas as 10 horas.
Jolzo do coromercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphaos: tersas e sextas s (0 horas.
>. i...,'. ', ,'.. =:
quartas
sabbadei a i
Prlmelra nra do cival: tercas sextas ao meio
da.
Segunda vara do clvel:
hora da tarde.
EPJffiMEBIDES DO MEZ DE MARCO.
1 La cheia as 9 h., 33 m. e 16 s. da m.
9 Qoarto nalng. a 1 b., 33 m. e 53 s. da t.
16 La nova as 7 h., 17 ra. e 33 s. da t.
23 Quarto creso, as 10 h., 44 m e 27 s. da m.
31 La cheia as 2 h., 12 m. e 22 s. da m.
'<..........'11
DAS DA SEMANA.
19. Segunda. S. Jos esposo do N. Seohora.
20. Terca. Ss. Faustino e Anatolio rara.
21. Quarta. S. Bento ab.; 8. Birillo b.
22. Quinta. Ss. Basilissa e Calecina mm.
23. Sexta. Ss. Victorino e Froraencio mm.
24. Sabbado. S. Agapito m.; S. Latino q.
25. Domingo de Paraos. 1

PARTIDA DOS VAPORES COSTEROS.
P3ra o sal at Alagoas a 14 e 30; para o non
at a Grai 'a a 7 e 22 de cada mex; para Fraa-
do nos dias 14 'ios roezes de Janeiro, marco, mato
jalho, setembro e novembro.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as O horas e 54 m. da manba.
Segunda as 7 horas e 18 minutos da tarde.

ASSIGNA-SE

no Recite, na livraria da oraga da rndependaacfa'
os. 8, dos propietarios Manoel Figneiroa de Faria
& Filuo.
PARTEOTFIGIAL
30VFB1TO DA PBOVIXCIA.
Rzpediente do da 5 de maride 1866.
Ando o prazo da le, e de haver prestado na the- nuense Panto de Albuquerque Gama cujos serv-
souraria provincial flanea Idoneac-beneflj da se- gos sao assfe necessarios nesta repartigo a que
ganda parte da quinta lotera extratodaim favor pertencemi
das obras d'aquella igreja, devendo o re<>ido the- *- ,. ,
soureiro prestar opportpnamente n'aonena repnrtt- rAUMlinA n.e .nH.o
a auantia de 1-492*200, proveniente do gaz 580 as respectivas cootas. ^..^ UflMAMNJ A AMIAS.
o tremesire de julho a setem-1 Dito ao di rector interino das" obras balitares. -
brigue escuna Ton i fovereiro prximo passado.Commanicouse ao
commandante do brigue-eseana Tonetero.
Ditff ao mesmo.Certo pelo offlcio que v. t>. rae
dirigi em 2 do correte sob n. 110, d(
paga
consumido dorante

GfHUUNDO das armas.
armas de Per-
broSTanMUSxo pa0taTi"co^VamInaVto|**Ta.qaa possa ser paga a empreza do Jornal do Qiurle, deraUo eomaaodO das
Offlcio .0 Exm. Dr. Manoel Cfm^^E^J&J W!!!B S^^SOV^' me "gSR^i**" *~* <*
lam de ?omar asseto no senado., convidla V. consumo de gaz naquetles>&*&Tm I conS.es Mcl?]a.t! be?Sa^Saria O mVrcl^m^P^o^n^.m^dajjrmas,
da
zer-lhe
consumo -.
oBcio junto por copia dirigido ao raarecnal com
mandante das armas em 19 de tevtjrero'oiti-
mo.
Exc. para assumlr amaoha a adminiilracao
provincia como seo Io fice-presidente.
Dito ao Exm. presidente da provincia do oeara, ^.
-Para ser submeitido ao conlweimanto do gover- Dito ao mesmo.-Remetto a V. S. por copla para
,,n imneml danois d1 sati-teitas as dlsposicoes do ter execucao na parte que Ihe toca o aviso circular
dec ^ 25o6Pdl 28 le mam de 1860 e das cir- do ministerio dajastica *> de everelro lt.mo,
calares d 31 de ootubroNli 1864 e 28 de juuho declarando de quando devem principiar os -venc-
de 1865 oasso as mos de V. Exc. com copia da mentes d0s empregados subordinados ao mesmo
ioformacao do commandante do presidio de Fer- ministerio, salvas as disposicfos especiaos do de-
naado de 19 de fevereiro ultimo o incluso requer- creto n. 687 de 26 de julho de 1850.
meato em que o sentenciado dessa provincia Luiz, Dito ao mesmo.-Manae V. S. ajustar contaate
escravo do floado Exequial Pessoa do Reg Gama 1 o Bm do mez correte, CffiS&'SiiESK
pede a S. M. o imperador perdi da pana de gales ment ao 5 lente do 4 batalhio de rtiinaaia _a
perpetuas que est curapr.udo no mesmo Presidio, p Jos Francisco Aaevrioi providenciando
Dito ao Exm. e Rvm, hispo diocesano. eceb umbem para que em os devidos lempos n mot
o offlcio de V. Exc firmado em 2 do correte e a consignado que esse oficial, segundo o r<
fico sciente de ter sido exonerado nessa data o
Rvd. deo Dr. Joaqoim Fraociseo de Faria da re-
gencia da eadeira-de theologia dogmtica do semi-
nario de Oiinda para assim o haver pedido.
Renov a V. Exc. 03 meas protesto de estima e
Dito ao Exm. desembargador provedor da Santa mento do exereieio prximo nudo, conforme indica
Casa de Misericordia.- Atteodeodo ao que reque- em seu citado oflucio, a despera da obra da
reu Candida Coulinho Ponce de Len sobre qa
versa a sua iolorraaco de 23 de fevereiro prxi-
mo (iodo sob n. 716 autoriso V. Exc. a mandar ad-
mittir bos respectivos collegios os orphaos l}'110*
da supplicante de nomes Austriciiniano 1
e 7 baialbdes de voluntarios desta provincia.
Gaspar Drummood.Costa Ribeiro Tavares de
Mello.J. do Reg Barros.
O Ilustre deputado diz que nao val tratar do Sr.
Dr. chefe de polica, e qne portante podem os
membros da maioria flcar tranquillos. Apeoas de
sej obter algumas InformacSes Acerca de certos
actos do Sr. conselheiro Paranagna', para qne so-
bre a soa administracao possa fazer umjuizo exac-
to, e dsapparecam'do sen espirito duvidas que a
epiniSo pnblica tem
dade desses actos.
O orador diz que \ opiniao tem 1 condetnnldo a
para a formago de diversos eorpos, o gobern
acreditou que se poda s br'estar na remenea d
tropas para o sol, e mandn qne os contingentes
existentes as provincias permaoecessem nestas;
semelbaote medida foi aioda om embaraco para a
cootinoaco dos alistamenlos que raais tarde se
recommendou e com todo o empeobo. (Apoiados).
Respondendo a' circum-tancia de ter o Sr. con-
selheiro Paranagna' organisado varios coraos, o
orador observa qoa 8. Exc. nao poda obrar por
formado acerca da regular!- forma diversa. (Apoiados). 8. Exc oba orden* do
goveroo para organisar o maior numero de baia-
ltiSes qne (osse possivel ; para isto iiaviam raides
1
mediante adtonsaco da preRfoTn3r-^*pC9Ssa^m 1 adminisiracio ab Sr; conselheiro Paraoagua, como de conveniencia publica, o qne se prendera a aetoal
offlcio de 20 de (eereiro prximo Ando, e em exe-!malbrattdOWlojjiireitos pblicos (no^apoiados,' guerra, que o orador entende nao dever referir r
. junto por copi
de fazeoda datado de 21 Taqelle mez, sob n. 98
-ii'i^^rSJ^.^inSL^^nin #n^mftirrnm ccSo dosTrtT2"'e 4'do" decreto" ."3,555 de 9 de reoJamagSes) naorgafff5^dos eorpos de" volun- 50oflou S. Exc. na provincia e nos elementos <\
5?tt" .ma CJP/,' Sn 3?S1 fr? dezembro dt anno oassdo InslrnccBes do mi-1 taos. Correm boatos o7ma>-4esagradaveis aos elle proprio preparou -, e se estes nao corresponde-
??il- SIS^^J!^^!.^ S^i??ff^t oor Serio daJnSr^e 3Se iaoeo olmo daelara^ crditos de bom administrador de$TO .-&C-g^E?m completamente, foi por cansas estranhas
guezia desse no_me do aono de I8W e informe por [gJSj Ja .rtfSe. Ala provincia sa (numerosos nio apoiados), e elle" orador deseja, meima-pWrtm-Jhyersos cidadio. deaunpiul
lu*iiu ^ v _______ ____sr________ -_j ..... nac* ra. pnm infnrm'i'Aos nerii/1< Pcrlarf
ment incluso pretende deixar de seu sold nesta
provincia.
da qaaliticacao" dessa villa, declarando nellas os
seas trabalbos.
Dito o presideote e membros da junta de quali
Acacio da freguezia do Kx.Respondendo ao of'
co de Vmcs. de 26 de Janeiro oltimo, tenho a di
Dito ao' inspector da thesonrariaprovincial-Res- {er-lhe que competindo a convocagao e erganisa
poodendo o offlck) que V. S. me dirigi em 2 do! cao da junta de qualiflcacao do ]U.z de paz do 1
correte sob n. 77, declarando qne ple maodar
pagar pelas sobras das consignagSes da lei do orea-
p !_ c.-^a Anfr>pma nHlCS
da estrada dos Afflicios e para esse Qm davolvo o
certificado a que se refere o predite ofDo.
Dito ao mesmo.-Autoriso V.S. de conformidade
com a sua informaco de 2 do correte sob n. 73,
a maodar entregar ao vigario da freguezia 1
qual qaaliflcacSo foi feta a ^..u. --------- -
a eleicao a que ltimamente se proceden na re- que se acha,em organismo, a qual passa nesta da-
ferida rreguezia para intzes de paz e vereadores. ta a ser substituida por outra denominadaopera-
Dtlo a cmara municipal do Granito.-Remetto rios miKtares do arsenal de gnerra-composta de
por copia a cmara municipal do Granito em addl- 1 coramandante, 4 cheles de turmas com gradua-
taraento ao meu offlcio flo'l de fevereiro prximo cao de 2- sargeotos, 8 cabos e 80 soldados; ao 10-
findo, o offlcio que nesta data dirijo a junta revisora do 93 pravas.
entregar .
snd-lhe dapois apresentadas as certidas de bap- Barreiros, Joo Baptista Soares, o cont de res,
tisrao dos n feridos orphaos. ^ ^ ^^J^J^f ^ffi^iWg |
A' esta companhia, que por emquanto sera com-
mandada pelo Sr. 2o lente de 5 batalhao de ar-
tilharia a p Honorio Domiogues de Menezes Do-; apoiados) envin dous eorpos
ria conforme deliberoo a mes na presidencia, licain
pertencendo as 22 pragas da exmela companhia
de artfices que abaixo vao mencionadas, e as 9
cao da junta de qualifleacao do juiz de paz do r restantes, incorporadas ao deposito a cojo Sr. com-
districlo dessa villa do Granito por ser a matriz mandante o Sr. 2 teoente Doria remetiera as res-
para onde foi transferida a sede da freguezia em pectivas gulas de assenlamento e soccorrimento.
vista do que declaram os avisos ns. 21 de 29 de Prafcu que ficam ptrtencendo a companhia ae opt-
Janeiro de 18491 9, 37 de 26 de margo de 1848,13 rarios. .
de jolho de 1851, 270 de 9 de agoste de 1856 e 356 Io sargento.Jos Tiborcio Ribeiro, crapina.
de 28 de agosto de 1860 sao nullos os trabalhos de .2 dito.Demetrio Chrysostomo Pires, marci-
revisao deque Vmcs. me remetleram copia com nefro.
o seu citado offlcio, os qnaes alm diste nao foram ArtiBce de fogo.Joo Francisco Santiago, serra-
I (retro.
feitos de conformidade com a lei.
Tendo )& determinado a cmara municipal no 1"
do mez prximo Ando qae expedisse as ordens oe-
Dito ao Exm. consemeiro presidente
c^ara ZSZZSZ ** V. Exc. o de lodo tri- m,\ eile com documentos competentemente lega-' jMe^jojj acaoo ue ,X
bunal da reUgao incluso remello, por copia o ,sadbs, que a sua costa fez eslaobra, na importan- ( MlMM<*qfiMAW*AWip" 1oe
a un do ministerio dos neeocios da ustiga de 12 cia cima citada. ... "L:^J"!!.u'^!n" f!iBI4!2:'i-,..
junta, de conformidade com o que acabo de expdr,
fot
aviso do ministerio dos negocios uju.* .- c.a.cima cuaua o'incluso requer-' Dito ao gereHte da companhia Pernarobucana
conduido em 26 de abril do mesmo anno : o que mil do Recife.Declarndome o Exm. Sr. ministro
declaro a V. Exc. aflm de qoa providencie neste da jnstiga em aviso de 16 de fevereiro Pro^.irao
sentido como julgar conveniente. lindo, que pelo major do corpo de polica da corte,
Dito ao mesmo. Informe V. Exc. sobre o que
para ir ao presi-.
compa-
nhia Pernamoucana que para all seguir, levando
os gneros constantes da relagao jnnta assignada
pelo secretario do governo, nao podendo porm ef- j
fceloar o desembarqne dos ditos geoeros sem que
Cabo. Antonio Lulz de Jess, carapina.
Dito.Jastino Jos de Almeda, correeijp.
Anspegada.Joo Evangelista da Silva, raarc
neiro.
Dite.-Jasoo Calislrato dos Santos, dem.
Dito Loi Antonio de Franga. funileiro.
Dito.Armio de Figneiredo, correeiro.
Dito.Panto Antonio dos Sanios, carapina.
Soldado.Antonio Alves dos Santos, marci-
neiro.
Dite.:- Pranelsco Ignacio de Paula, correeiro.
Dito.Simplicio de Mello Costo, serrralheiro.
Dito.Nanploo Xavier do Soccorro, marc-
neiro.
Diio.-Beaveotura da Silva, correeiro.
Ditd.Mignel Francisco Borges, marclnelro.
Dito. -Cesano Jos dos Santos, fereiro.
Mancebo addido.- Manoel Joaquim Dias de Amo-
3o batalhao de mfantaria da guarda nacional
municipio; assim o communico a\.b. para sen
pedm nos'"ocluVog raa"oerim"eoios o 2 argeoto'do cohecimentoV' Di,a Pedente da provincia, .
4o corpo de voluntarios Luiz Antonio de Magalhes
e o recruta Jas Thomaz de Atmeida.
Dito ao mesmo. -Communico a V. Exc para os
devidos effeilos qne o major reformado do exerci-
to Sebastio Antonio do Reg Barros
foi
Ditd.'-Maaoel Ferreira Lins, fonileiro.
Dito. Alfonso Ernesto de Seixas, serralheiro.
Dito.Abdr Mariaoo, carapina,
. fracasme team, incorporadas ao deposito.
1" sargento.-Frankliu Francisco Barrete, em
diligencia, no corpo n. 30 de voluntarios da patria
no posto de alteres quarlel-mestre em commis-
coni as ioformagoes pedidas, esclarecer-se acerca' e de todos os partidos, ch9ie*4e prestigio, offefece-
de tao grave assumpto. E' certo, diz o orador, que ram se com grandes contingent* Para organisa-
entre a administracao do Sr. Dr. Castello Branco e rara cornos de volontarios; S. fWo00 erapenno
a do Sr. Dr. Lnstosa Paranagna', ha urna sensivel! de alistar o maior numero de iwldado^*^000*
distlncgo, qne nao parece favoral este oltimo.] na influencia e esforeos desses cavalbeiros, p
(Nao apoiados.) j siten em confiar-Ibes tao importante misso, res-
0 Sr. ur. Castelld Branco, de quem esta provln-1 peitaode at, com a prudencia que tanto o deslin-
da deve recordar-se com saudades (apoiados e nao; gne, as conviegoes polticas de cada nm, e deixando
de verdadeiros vo-' completa liberdade aos voluntarios na escolba dos
luntarios que d'aqui parlirarn completos, com om j seus commandanles. (Apoiados).
dispendio insignificante; o Sr. Dr. Paranagna', com Mais tarde, diz o orador, algnns hornees presii-
verdadeiro esbaujameoto dos diobeiros pblicos, rnosos do interior offereeem os seos servigos ao
(o3o apoiados) eavion cinco cornos de voluntarios j presidente, e propSera se a organisar mais doos
da patria, qnasi com o mesmo numero de pravas; eorpos de voluntarios. 8. Exc, lilho do centro,
em soa totalidade. e at por ultimo fez partir nm conbecedor dos hbitos e educagao dos nossos ser-
batalbo com 73 pracas. Ao passo que o Sr. Dr (anejos, comprebendeu e comprehendeo mnito
Castello Branco s nomeou o commandante e offi- Lera, a vantagem de serem esses homens coraman-
ciaes dos eorpos quando estes se achavam comple-. dados por ebefes de sna confianca; e en direi mes-
tos, o Sr. Dr. Lostosa Paranagna coroegava a orga- lmo, que embora o espirite patritico dos nossos ho-
nisaglo desses eorpos pelo sen estado maior de of- mens do interior nao fosse desconbeddo, aquella
ficiaes, onerando assim por muito tempo es cofres con iigo era urna garanta ndispensavel para qne
pblicos. (Nao apoiados.) aci tduassem as promessas do governo e mar-
Corre nesta cldade, diz o orador, qne avultados cbassem desassombrados de todos esses preconcei-
prets foram pagos a esses batalpoes, enviados pelo tos e recelos, gerados ltimamente pela maledicen-
Sr. conselheiro Paraoagaa' -, que esses prets nio cia. (Apoiados, muito bem).
correspondiam s pragas desses cornos (nao apoia- Nunca foi, diz o Sr. Buarqoe, o pen3amento do
dos),e qne de mister que facto tSo serlo seja ave- Sr. conselheiro Paranagua' mandar par o sul ba-
riguado, para que se conserve iilesa a reputaco talhoes de voluntarios incompletos. Circnmstan-
do Sr. Paranagna' e seus agentes. cas extraordinarias determinaran! o governo impe-
Sorprende, diz o honrado depntado, qne o Sr. \ rial a fazer seguir para ali com a maior brevidade
conselheiro Paranagna', a quem hoje se qner tecer os eorpos taes quaes se achavam (apoiados); foram.
urna corda de louros, pelos servlcs prestados no estas as ultimas instruccoes que i
alistamento de voluntarios, tendo o mais decidido
apote do partido progresista, apenas podesse man-
dar o mesmo nnmero de pragas qne o sen ante-
cessor.
O'itlastre Sr. Gaspar diz, que preciso qne o
patz saiba se o Sr. conselheiro paranagua, |gulou-
se na soa administrago pelos mesmos princi-
pios de economa que o seu digno antecessor, com
quem parece qne S. Exc. veio rivalisar. ( Nao
apoiados.
.
tra qualquer bebida espirituosa.
auendendo ao
rnto a't'mandante suoerior da guarda naci- i que requereu o professor publico da cadeira da
J* SSSiK a V : l pBret junte em, villa te Ouncury Martinho Jos de Jeads,, mo ,
duolicaia aue veio anuexo ao seu offlcio de 2 de em vista a informagao do director geral interino
SS% dlffSbSS de farea-nento g^Jf*** ^SSSS
nomeado Jna mporlancia de 1075, para as pragas da guarda! Oodo, sob o. 33, resolve coocedr- he 30 das uteis
para commandar o forte do'Buraco, como me cons- nacional destocadas nessa villa, a contar, do.l" de de l.cenga com veocimentos, a contar do da 9 da-
tou de aviso da repartigo da guerra de 21 de fe- margo at 15 de junho do anno prximo passado, queile mez em diante.
vereiro nliimo. .___'..: visto nao se poder effectuar o pagamento de^taes
Dito ao mesmo.
soldado do 4'
tins Ramos como
nesta provincia Visiu ser awuuu "*" > raonloa rnnre
?55sttf& i-rmar ^otcSan^Srior da guarda ^^HFtSSlS!^^ Pnncipe
da Fonseca no ,, 72^ T-! ffifW^^ ao ; p^Z*"' **"
av S SrSart cao Ja iastica de 16 de fevereiro que me requereram Candida Rosa da Silva Lima o : Soldado.-Tnomaz de Aquino Rosa, dem,
nitmo d VS S urenci infeccionar Guilherraina Mara da Conceigo Padilha, e tendo Dito.-Manoel Francisco das Cnagas, dem,
no, manQ>V& gfJW]^?*** seu em vista as lntermag5es do director eral interino Dito.-Jos Francisco de Albuquerque Maranhao,
da lostrucgo publica, datadas de 3 do correte,' jBm.
Exc.
Diz o orador que o numero das pragas dos bata-
Ibdes de voluntarios mandados pelo Sr. Paraoagua'
com excepcao do 4, organisado em Paje de Flo-
res, e a qoe se qner dar a cor do partido conser-
vador, nao era inferior ao da maior parle dos cor-
pos enviados por ootras provincias. (Apoiados).
O Sr. Buarque pondera que o nobre depntado o
Sr. Gaspar o mais competente para julgar das
'. difflculdades cora qoe devia lolar o Sr. conselheiro
sao.
2 dte.Manoel Panlaleo da Costa Monteiro,
Dita.O presdeme da provincia, tendo em vista em diligencia no] 6o corpo de voluntarios da patria
Franca,
Indade Mello,
voluntarios da pa-
sobre o que pede Francisco Manoel
incluso requeriraento. .
uito ao mesmo. Mande V. Exc. dar baixa ao
voluntario da patria Tnoraaz Bassick por incapa-
idade physica. pela junta -
Dito ao mesmo.Queira V. Exc. informar sobre comaiando superior o chefe do respectivo estado
o que declara o inspector da ihesouraria de fazenda raaor Caetano de Oliveira Mello, qae solcita re-
no ineluso oIBco, providenciando logo como lor de forraa n0 p0SU) de coronel.
sentenciar no foro
lei para que se possa ehVctuar sem demora o pa
gamento dos vencimenios dos offlciaes do 4o cor-
po de voluntarios da patria, que tem de seguir
para corte no vapor que se espera do norte.
Dito ao mesmo. Satisfazeudo ao que solicita
V. Exc. em seu offlcio de 17 de fevereiro ultimo
sob n. 232, o auloriso a mandar considerar clsc-
tivo no corpo provisorio o alteres da guarda na-
cional de Goianoa Elias Jos de Mello.
Dito ao mesmo.-Informe V. Exc. sobre o que
pedem nos Inclusos requerimentos Leonel Caval-
cante de Albuquerque e Francelina Mara da Con-
oeigo.
Dito ao mesmo.-Queira V. Exc. informar sobre
o que pede o cabo de esquadra do i" corpo de
voluntarios Bellarmino Ferreira Moreno no inclu-
so requeriraento.
Dito ao inspector da ihesourana de fazenda.
Declaro a V- S. para os devidos elidios quo o Exm.
bispo diocesano commuoicou-ine ern offlcio de z
do crreme ter nessa data exonerado o deo ur.
Joaqnira Francisco de Faria da regencia da ca-
deira de iheologia dogmtica do seminario de
Oiinda por assim o haver pedido.
Dito ao mesmo.Ioteirado de quanlo V. S. ex-
sob n. 45 e 46, resolve nomea-las para regerem ln- Dito.Jos Ferro, preso por
ferinamente e mediante as gratiQcagdes annuaes commum per enme de morie.
l repartlco das i de 600,5, a 1 a cadeira de instruegao primaria da o 1 sargento da companhia exercer provisoria-
ob?apu.Ucfs -rendo nesta data approvado com povoago da Correles e a 2- a da villa de Buique. mente o lugar de chefe da f turma, ate que a seu
mndiricacoes constantes da cooia inclusa apre- i Fueram-se as necessarias communlcagoes. respeite a governo delibere.
^%SmSi Planta qne de- Dito.-O presidente da provincia, conformando- (Assignado.)-Francisco Sergio de Oliveira.
?."?.!. AP!1!T^ as propostas apresentadas pelo comman- festa couforme.-EWeyao Jos Ftrraz. teoente
u conhecimento e aflm de que! dante da secgao de reserva n. 5 da guarda naci- ajudante de ordeos interino encarregado do deta-
claro a V. S. para sec
me remeta o orgamento d'aquella obra para ter o
conveniente deslino.
Dito ao mesmo.Inteirado de quanto Y. S. ex-
poz em sua informagao do Io do corrente, sob n.
62, dada acerca do requwrimento da associagao
Commercial Beneflcente, recommendo-lhe que de-
pois de feito o calgamento das ras indicadas em
sua citada informagao, mande executar o do caes
entre o forte do Maltes e a alfandega velha 3. que
se refere aquella associagao. .
Dito ao mesmo.Em vista do que me represen-
tou o director da faculdade de direlte desta cidade,
era offlcio de 3 do corrente, mande V. S. com i
nal do municipio do Bonito, sobre que informou o
respectivo commandante superior fin offlcio de 21
de fevereiro ultimo, resolve nomear para a mes-
ma secgo os offlciaes seguales :
Estado-maior. i
Alteres cirurglo Jos Francisco de Lima.
1* Companhia.
Alteres Sergio. Clemenlino de Souto-Maior e Albu-.
qu erque":
Communicou-se ao respectivo coramandante j
superior.
Dita.O presidente da provincia, conformando-1
se cora a proposta apresentada pelo tenenle-coro-
43 de iofatarla
Ihe.

FERNAfflBUCa.
O orador conclue pedindo a approvagao do seu Paranagua' no alisaraento dos volonlarios da pa-
requerimento.que considera um simples pedido do tria. Qoe em Serinb9em organlsou-se um bata-
infomagdes e nao ama arma de opposigao ( moito ib3o, para cujo flm concorrea aqaelle depntado,
bem, nao apoiados.) qoe agora pode bem informar a' casa, dos motivos
Tem a palavra contra o requeriraento o Sr.Buar- qae hoaveram, para que esse corpo nSo chegasse
aqu complete. 0 nobre depuiado deve informar-
nos se mesmo para esse numero de pragas que se
obteve, nao foi preciso a nomeago de om tenente-
coronel e de muitos offlciaes. (Apoiados).
Agora perguntara' ao nobre depntado quem
responde, qual serla o criterio, que conflanga me-
recan) os actos e promessas do Sr. Paranagua, se
dissolvesse ou refundisse uns nos oulros esses cor-
nos, sem o accordo dos seus commandanles, e por
este meio desgostasse a massa dos seus soldados 1
E com que lira ? Apenas para ecqnomisar algumas
qne.
O orador diz, qoe o honrado collega que o pre-
ceden representa bem o sea papel de opposissio-
nista. Cada da o nobre depntado, sob a capa de
um pedido de informagdes, levanta na casa recri
minagoes e censuras caracteres honrados como
sao aquellos a quem est-confiada a autoridade oo
paiz ( apoiados); cada dia o seu Ilustre collega,
sob futeis pretextos, tonta esterillar os trabalbos
da assembla ( apoiados e nao apoiados.) O que
o orador acaba de oavir a cooflrmago do qne
ASSEMBLA LEGISLATIVA PROVINCIAL.
SESSA'
.. m annhirn hu rmuriii'ao ex lar o i De' commandanie do batalhao n.
S^Z^^^^^***M.r*'M d0 maripll
s: .?? Jt ".L,4.. mQ rafari.r. ramp.. sobre que informou o respectivo c<
faculdade e transmitame o referido exame.
Dito ao juiz de direito Dr. Abilo Jos Tavares da
Silva.Coostando-me de participag;io da repartigo
da iastica de 22 de fevereiro ultimo, que sua r
que
perior em offlcio de 10 de
ORDINARIA EM 14 DE MARQO
DE 1866.
PRESIDENCIA DO SR. VIGARIO FRANCISCO PEDRO DA
SILVA.
Ao meio dia faz se a chamada e verifica-se esta-
rem presentes os Srs. depntados Francisco Pe-
dro, Ramos, Avres, Joaquim Reg Barros, Ribeiro,
pectivo commandante su- Joi(.uUu lavares, Candido Martins, Correada Silva,
" Mergulhao, Cicero, Andr Cavalcanti Gaspar, Ar-
fevereiro ultimo, resol-
poz era seu offlcio do Io do corrente sob n. 406 estada o Imperador por deereio d 17 desse mez,
respondo recommendando Ihe que em vista do j,ouve por bem remover" a Vmc. da comarca de
aviso do ministerio da guerra de 29 de setembro oiinda para a vara dos folios da fazenda desta ca-
do anno prximo passado, mande effectuar, como uj,^ assim lh'o corarauoico para seu conhecimento
se recommendou em 23 de fevereiro ultimo opa. e agm e qtte enlre en) exercicio iodependente da
ve promover a cipito da 3' companhia do mesmo mjnj Lo Macnad0, Buarque, Manoel de Car-
bataihao, o teneote quartel-mesire Jos Pedo Velo- V4)h Amorira, Jeronymo, Brillo, Araynlas, Gilira
so da Sllveira Jnior.Commancou-se ao respec- M e BargOS_
livo commandante superior. i brese a essaa
Dita.Os Srs. agentes da companhia brasileira L.,e e approTa.;e a acta da sesso anterior,
de paquetes, fagam transportar para a Baha por
conta do ministerio da marinba no vapor que se
EXPEDIENTE.
Urna petigo de Jos Faustino Marlnho Falcao,
prazo de 3 mezes contados desta da'a.
Dito ao Dr. juiz de diraito do Brejo.Constando-
me de comraunicago da repartigo da justiga de
24 de fever.elro ultimo, que por decreto de 19 desse
mez, houve por bem sna mageslafle o Imperador
ci Borges Machado, que vai
vnola.
: A* commissao de ordenados.
gamento da quantia de 399fi000 a que tem direito aparesentarao do seu titulo que dever exhibi-lo no I espera do norte, o lente da armada ^s gna- piofessor de lalim, solicitando urna gralicago.-
Jos Pereira de Alcntara do O' por haver conclui-
do de conformidadeULifa contrato, a caiadura
e pintura de barras, ieciose"r>lps da enferma-
rla militar desia cidade. <
Dito ao mesmo.A' vista do seu offlcio n. I
de 2 do torrente auloriso V. S. a remoller ao al-1 por bem fafer merc a Eduardo Anlunes de Albo
moxarife do presidio de Fernando por intermedio queriue Mello aa serventa vitalicto dos offlclos de
do commandante do vaprr que breveraeuie tem t^aiMan ii nnta* a esanvao do erme. iurve das
de seguir para all, a quaolia d 21:000,JIOOO para
at o lira
tabellio de notas a eserivo do crime, jury e
execugSes criminaes do termo de Cimbres dessa
comarca ; assim o communico a Vmc. para que or-
dene ao agraciado qae solicite o stn Ululo na for-
ma da lei.
Dito ao juiz municipal da primoka v
occorrer as despezas do mesmo presidio
de maio prximo viodouro.
Dito ao mesmo.Cummunico a V.-S. para sea
conhecimento, que o governo imperial approvou,
como me constou de aviso da repartigo da guerra
de 16 de fevereiro ultimo, a deiiberago que lomei tes q0e em aVj de maodar abonar a ajuda de costo de um cont mODicou-ine o Exm. Sr. ministro da guerra, haver-
de ri3, ao coronel Jos Mara Ildefonso Jicome da se expeddo ordem para serem reioettidos a essa
Veiga Pessoa e Mello, commandante das armas do pr0VjnCia 0a crvela Benence com destino ao pre-
Amazonas sidio de Feroando de Noronha os 15 presos semen-
Dito ao mesmo.Providencie V. S. para que cados constantes da relago inclusa por copia,
nessa repartigo, seja recebida a quantia de 33*330 Djl0 ao mesmo.Remello a Vmc. por copia para
qoe segundo consta de offlcio do raarechal com- sea COnhecimento e fins convenientes os offlcios do
mandante das armas datado de 3 do correte e sob maj0r da praga e do commandante do presidio de
n. 433, tem de recolber o lente do 6o corpo de pernando datados de H e 14 de fjverelro ultimo,
voluntarios da patria Manoel Eloy Mandes, prove- d0s quaes consta ter sido arrebatado pelas ondas o
mente de vencimeotos de 3 pragas do me-mo corpo S8Dienciado desta provincia JoSo l,opes de Souza,
3ue se auseotaram antes de se fazer o pagamento em occaSio de estor pescando no mesmo presidio,
osdinberos tirados para ellas nos mezes de ja- rannPini do imi do
neiro a fevereiro do corrente anno, como se v da Dte ao jn.z municipal do j do
guia epret que .ociosos remeuo gmjojjco a 1^$$****
D.teaomesrao.-RecomraendoaV. 8.. que es Parl'c^ma^ar m3g^aae 0J ,mperador, por de-
servir naquella pro
... Outra de Hermino do Nascimento, eserivo em
Dita.Os Srs. agentes da companhia brasileira Limijeiro pedndo que se marque quoia na lei do
de paquetes, mandem dar urna passagem de proa orcaraeol para pagaraeniodo qae Iba esto a.deyer
por cont do mrnisterto da guerra, no vapor To- a camara daquella localldade.A' commissao de
cemin que se espera do norte, ao ex-praga do or?araeU0 municipal.
exercito Joo Baplisla da Silva.
Eipediente da secretario do governo do dia 5
de marco de 1866.
N. 14.Offlcio ao Dr. 1" secretario da assembla
legislativa provincial. Tendo o Exm. Sr. conse-
lheiro presdeme da.provincia de entregar, a ad
ministrago da mesma provincia ao 1* vice-presi-
capital.Declaro a Vmc. para os fins convenien-1 dente nomeado, ur. Manoel Clemenlino Carneiro
da Cuoha, por ter de seguir para a cdrle, aflm de
temar assento no sobado, assim o communico a V.
S. de ordem do mesmo Exm. Sr. presidente, para
qoe se digne de fazer sciente a assembla legislan
Outralde Feliciano Chacn, solicitando a admis-
.o de tres filbos no Gymnasio Provincial -A' com-
missao de instruegao publica.
Foi lldo nm parecer da commissao de petigSes,
propondo um projeclo de lei que concede um an-
no de licenga a Antonio Ferreira da Annunciago
A' imprimir.
Um prujecto aon'exando ao eserivo do jury em
Serinhem o privativo das execugoes civeis e cri-
mes.A' imprimir.
Outro, mandando construir urna ponte de madei-
ra em Serinhem no- Porto de Podras, assignado
Buique.
constou de
tando era tormos os inclusos documentos era dupli- reiro -...-- --- j recon.
cato e nao havendo Inconveniente, mande pagar a creto de 12 d aquelle^ mez, houve )or nem re o
e da companhia de cavallaria bem como do, hosp.- o ^^^^^^^l^uiMMto
tal militar durante o amia de outubro e oown- Di ,n~ a comrniss0 adulnislradora da
bro, e doa.eoncertot e Manilos coP^0*^"- MdeX Seohora do Rasarle da freguezia da
tllomioagao, a cootar dejniho daquelle anno al o "reJ *? """^ em visU a soa Ioformacao do
citado mez de novembro, como se v dos predi tes to*{tl*^VtBc.wm*r *olhwa-
dMDranoraesmo.-Mande V. 8. pagar com urgeo- !.i!o d'aquella a^nistrago ^i. Bujjj^Rg
cia o veucimettof dbs offlciaes e guarijlcao do mos, como solicita a me,n?a cdmqussao qepoii as
va provincia!, de qae o predito Io vicop-residente i pelos Srs. Gaspar e Ramos.A' imprimir.
O Sr. Io secretorio prop5e o 3o -offlcial Pedro
Paulo dos Santos para o lugar vago de 2 offlcial
da secretaria da assembla, e para 3 offlcial ao
Sr. Lamenba Lins.E' approvado.
O Sr. Gaspar Draramond pede a palavra pela or-
dem para justificar o segolnte reqnerimento, que
foi apoiado e posto em discasaao :
Requeremos qoe por Intermedio da presidencia
comparecer amaoha ao meio dia pernote a mes
ma assembla para prestar o jaramente do estylo
e tomar conta da administracao da provincia.
N. -18.Dito ao mesmo.De ordem de S. Exc.
o Sr. presidente da provincia, passo por copia as
mos de V. S. para ser presente a assembla legis-
lativa provincial, a informagao ministrada pela c-
mara municipal do Recite, em 24 de maio do anno
passado, relativamente a exigencia feta pela mes- se pegam as seguintes nformagSes :
ma assembla e consunto do offlcio de V. S. de 8 1." De quantas praga se compunha o
daquelle mez, sob n. 114. aflm de saber se da es- Ihio de voluntarios desta provincia, que
cripturago da mesma camara consta eslaram oo abril seguio para a corle ;
nao em debite para com os cofres municipaes al-, De quantas pragas se compunba o l. nata-
guos dos membros das cmaras passadas. Ihao de voluntarios, que para a cdrie seguio a zz
N. 21.-Dito ao mesmo. Transmuto a V.S. de junho do anoo Ando,
para lerem o conveniente deslino, os inclusos do- 3." Qual a importancia raensal dos prets aos re-
cumemos perlencentes ao archivo desaa assembla feridos baialbdes desde a data de sua oreacao al o
qa em vista de reqoisicao da camara municipal i ultimo recebimento.
do Recite de 21 de junho do aono passado, solicitei 4." Qual a importancia meosal dos sidos, e mais
a V. S. de ordem da presidencia da provincia em; vantogens, percebidas pelo commandante e oHciaes
a vanea. A' Ululo do sen honrado collega esclare-; migalhas de dinhero, com o risco da debandada de
cer-se sobre toctos, qoe talvez em sua propria cons- iodos. (Apoiados, muito bem).
ciencia nao tenbam valor, sobre dados que cons- Nao exacto, diz o Sr. Boarque, que o Sr. con-
tara dos relatnos dos doos ltimos administrada- selbeiro Paranagua' comecasse a orgaoisago dos
res da provincia, dirige as mais dolorosas censo- eorpos de voluntarlos pela nomeago dos seos offl-
ras ao Ilustre Sr. conselheiro Paranagua ( apole- ciaes; S. Exc. apenas nomeava os commandanles,
dos.) e isto quando j se bavia formado um grande na-
No este o meio de justificar um pedido de in-' cleo de pragas; e s proporgao que estos aug-
formag5es, que quasi sempre votado sem discus- meotavam, e quanto era indispensavel, realsava
sao na casa ( apoiadosi), e que anda nesta occasio' a nomeago d) respectivos offlciaes. (Apoiaaos,
nao seria recusado ao digno depuiado que o prece- muito bem).
deu se nao fosse a forma de que o revestio ( apoia-, Nao podi por ahi ser cabida a censura do illas-
dos. ) \ tre Sr. Gaspar. Multe menos pde-se acceilar a
O Sr. Buarque passa a apreciar cada ama das classibcago de malbarate dos dinheiros pblicos,
consideragoes que o seu collega fez sobre a admi- j (ella pelo honrado deputado, quando tez pairar sos-
oistragao do Sr. cooselheiro Paraoagua. peilas de que os prets dos voluntarios eram lalsifi-
0 illustre Sr. Gaspar, diz o orador, procuron es-^Cados,oo comprebendendo s os soldados verda-
tabelecer urna distiaega > entre os serviros presta-1 deirameole alistados.
dos pelo Sr. Dr. Castello Branco e o Sr.conselheiro B' ama injuria, faaer um juizo poaco digno
Paranagua, na honrosa misso qne a cada nm del- desta casa, pensarse que os nenemerlios cidados
les foi confiada de promover o alistamento de vo- eocarregados do alistamento de voluntarios nesta
luntarios nesta provincia. provincia, se honvessem locnplelado dos dinheiros
Nao comprehende o orador qual tenha sido o pblicos e Iludido a administrago por meios tao
pensamento do seo collega, procedendo de seme- torpes (apoiados numerosos, muito bem).
Ihante forma. | Nao me eonsta, diz o orador, qoe outros paga-
E' certo que aquelles dous Ilustres administra- mentes extraordinarios de prets se fizessem alem
dores prestaram bons servigo?, no tendente ao alto- dos vencimenlos pagos s pracas que depols de
tomento de voluntarios ; que cada um langou roo alistadas abandonavam as lileras, eram julgadas
dos recursos de que a siluago dispunha, e procu- jocapazes ou dispensadas (apoiadas). Estas des-
rou colher a maior somma de resultados que as pezas, e obvio, devem recabir sobre o ihesouro ; e
circum-tancias permlttiam ( apoiados.) sena imquo que o eocarregado do alistamento as
Essa comparago, que o illastre Sr. Gaspar quer supportassem (apoiados); sena mesmo impossivel,
estabelecer, odiosa e sem resultado. se o mirarlo se fizesse, achar qaem se encarre-
Qualquer qae seja o exame qae se queira (azer gasse de semelhaote alistameoto (apoiados).
dos servigos do Sr. Paraoagaa, neste ramo da sua j e sera' por actos desta ordem qoe o nobre de-
admoistrago, elle nao pode deixar de comprehen- putado o Sr. Garpar classifica de malbaratador dos
der as clrcumstancias em que S. Exc. achou a dinheiros pnblicos ao Sr. Paranagua' E urna
provincia e osfrecursos de qae dispoz. injustiga que* o nobre deputado fax ao carcter
O orador diz, qae o sea collega, habitaado a en- honrado d'aquelle illustre cavalbeiro (apoiados).
carar sempre as qaestBes da casa por ura lado po-1 o orador er ter respondido oo sea collega em
litico, qaiz tambera fazer sentir a inefflcacia do aa- todos os pontos do seu discurso. Declara qoe coo-
xilte do partido progresista prestado ao Sr. conse- sldera o requerimento em discusso, wstificado
Iheiro Paranagna. "** -------- como foi na casa, um estigma laucado a' admiois-
u Sr. Buarque observa que foi quasi exclasiva-, trago do Sr. conselheiro Paranagna' na parte de
mente com o auxilio do partido progressista e de qne mais gloria Iha resulten (apoiados): que sobre
alguns liberaos qne o Sr. Dr. Castello Branco ter- o sea espirito nao para a mais ligeira davida de
moa os dous eorpos de volootarios mandados para qoe aquelle conselheiro foi am dos mais dignos
o sul; qoe elle vio com-o mais profnndo petar que presidentes desta provincia; que, dotado de illus-
o partido conservador foi quasi indifferent ao alis- trago e experiencia como soube distribuir jus-
tamente dos voluntarios da patria durante a admi-; ijga", zelar os dinheiros da fazenda pnblica, promo-
nistrago do Sr. Castello Branco ( apelado); e que ver os verdadeiros inieresses desta provincia e por
sendo ceno que esse partido nao dispunha de rae- untos ttulos iornar-se merecedor da estima e gra-
nos f orga na administrago do Sr. Paranagua a tidao dos pernambucanos (apoiados, muito bem,
quem presten todo o apoio, do que na do Sr. Cas-, muito bem).
tallo Branco, nao podia o seu collega attribuir Ora em seguida o honrado depntado o br. tosa
fraqueza do partido progressista nrter esto pro- Ribeiro.
vincla mandado maior numero de voluntarios da O Ilustre orador diz que sorprendeu-lhe o pro-
patr3 i c-dimento dos membros da maioria da casa qae se
O orador diz, que respoode ao seo collega oes-, pronunciara contra o requerimento de que elle
te ponto para que elle se nao persuada que, o apoio um dos signatarios. ._,__!.
prestado aoSr. Paranagua, foi menos eficaz qoe o Peosa que se tratando de um pedido de Informa-
recebido pelo Sr. Dr. Castello Branco. 5es, em qae se proco verificar se os dinheiros
O Sr Buarque declara, que o Sr. conselheiro Pa-, pablicos foram malbaralados pelo Sr. Paranagua
_.'a .a1, mhMa da onvernn a misso de era antes dever da maioria prestarlhe o sen apoio
.


1 bata-
a 27 de
24 desse mez, e ms foram remedidos com o sen
offlcio de 7 de julho daquelle anno, sob n. 134.
Dito ao Dr. juiz de direito presidente do jury-
Rogo a V. S. se sirva dispensar de servir na pre^
sent sesso do jnry, para que foram porteados, Q
offlcial archivista JoioValeptiaj Y|telja e o jmv
de cada um dos batalhoes, desde a data em que
foram noroeados al a retirada para a corte.
5.a Em que dala foi feta a nomeago do com-
mandante e offlciaes, para cada nm dos batalhoes,
e de quantas pracas se compunha cada nm dalles.
6.' Iuformag5es Idnticas agerca iq 3o-, \k 8*, 6*
ranagu, tendo recebido do governo a misso de era antes dever da materia prestar
enviar coros de voluntarios aos campos de bata- (apoiados e nao apoiados).
bi"enSSu iasta provincia era condicoes mn.to; O illustre denotado diz que o Sr. Bo.rqne pro-
mas desfavoraveisqueoSr. Dr. Castello Branco. coron defender os actos do Sr. Paraoagaa com
aquella habilidade e talento que o distioguem, mas
Branco.
A provincia J havia prestado um numeroso con-
as necessidades agrcolas, -, --------, -
livres, eram mais palpi- cnmbto nao podia deixar de ser paluda.
industria, a
tingenie de'aeoa filhos fas necessidades agrcolas, qoe essa defeza, atteota a causa de qo
Assim
qe reeiamavam .br-^vjjjy.^ -^^ ^o SrTBuVrqe explic.-o .cte da nomeago de
.m-^ da falta de operarios. A' par varios commandanles de eorpos pela *^'.d*
^L^.o rtmpuidades n desanimo comecara a derra- de offerecerem garantas aos seus soldados por
lim^^Z^S^S^^^.^^^ da admmistrago do Sr. coi^
iTane Si we testomonhamos ( apoiados.) Iheiro Paranag*, e qae revelam a persegnico
4p2ucod!p6is d "beaa doSr.Par.na|ua,s 09 8 Exc. autonsou com o flm dealistor voIur-
qtMBdg ffi OS elementos estovjm prpar3o KUps (apoiados e nao apoiado).


J
Biaaapp|aMaanAMn*iHMB0MMkOTHB0HHi



H

ti

-
f .rfi.Hr
*-
Marlo e feriambie
3S
efmda felra 1 de Man* efe
1866.
A imprensa de todos os partidos ...trcres-ento o
orador,' deounciava iodos os das as arbitrarieda-
des e tropelas eqguneiiidas era Plores pelos agen-
tes do Sr. AMiSia.
Em Goyaana; Bpr instrucc(tes.do.Sr,r,a/anagua
(nao apoaoos) fe-se um reerutomento atroz e
cora o Qoi de se engrossarem as flleiras de um dos
coros de voluntarios (oo apoiado*}.
O Sr. Coi Ribeiro diz que orden* fl s|es foratr) rs. a 1
IEC;
tobiaaj
dadas mi ises recrutadores, que deleferaa os
seas poderee que principalmente no ft-dislricto,
para se orgaoisar o corpo d volunttrws de Flo-
res, houve urna verdadeira ierrami de medidas
desta ordem.
O orador diz que acceita a explicagao que Ihe
da' o collega o Sr. Buaqie de que este Tacto (oi
praticado p r um recrutador, sob soa rmica res>
ponsabilidade, e qne "o Sr. Pararagua' maootr
Almeida,. por ter ida tomar Meato na cmara lera
poraria o tffeclivo.
J^J *' -f d**rfcn/eHto Un***.....
17:802067 rs., e o consulado il:559W rs.
mesmo tempo entraran 1,920 saccas de
respectiva inspecco; regulando IfljaOO
liflde,14#J08al-el3#3(a5'.
a' carga para Liverpool: s tarcas hv
nw SAarpsftorer, e o brl#***glez
algod
Communiead
para o canal o brltjue OtMo leo
brifbelsVty a t; para Liverpool a escota Parta a
,' barca Tnjate a 8 e o brfe flfete I 7, todos
ingtezes e com'earregMmtos de assoear e algoo.
De Marleeta escreve nos corrr data de 6 do
corrente, communirandopos o seguinie facto^sue
ORDEM TGRCEIRA DE S. FRi
Depois que fizemo9 publicar no
Pernambuco de 13 do corrente, o oosse
comoiUBtcado, tomos tambo Merma* de
Vaacencellos morn por mujtos annos na pqvotco' inrf'SitilJi.^^JtiSS
de Gbyaninha, ozindo sempre de moito boa ropa- I ^&al!**!^*
a alTe&oe Mimabas priocipaes pestes I JS^SbsTSSSS 5 mVS
lugar eda v.s.Dhanca.coowfqoaes man- !TA^^^Tffi%VnX
tarde, segundo se diz, a
quelle infeliz.
succambir a mulher d'a-
; ou -se eu vindo do alto da
em combate franco e leal os
egoa-io como um foncciooario
Mr demiltido em consideradlo e
ade publica.
. ._ w, sendo forjado a mudar de're-
sidencia para evitar prisoes c.prichosas; mas no lacio da
iiajar, oa#r*ae*uei-me, o raen presada?, que es- 'aftelle
que^rmaoproarjaor^ r, Sr.AntomV^^
Jos Suva do Brasil na occasiBo em que a fio. A soiimnao me deixou viver aV-8oy
meia rejado raa faofccionar para? pprovar flq*> era -Uajlaoecca sou inspector i qanrt.
to asnete a efe? a P*** e exJ* L?r>**tS.30^ das pe.SS8as ^SeJ
gifi-faitee mit** cenSfeSpara a *&?&^^wh
m5*?fe 2 retirtSSe do COneisteriO, tfriclo. I VaKhncellos morn por sMNoMDoeWm tSm
o qm elleintB^iMaamte-MSim-0'fcenm, I. "qni posso fallar a?s,1ie aiua I ff gozando de boa reparfaeio e esttae*le rae* do- <
DO Obstante O rm5o nuistro ter declarado mnt-.i- "0 MoreLra de Moraes ? Instru- lugar; que nio commeiten cnme algara, que me
rme-rrarro fazta TPltrar ffsrtm nw Mti^J^r?'*!** S6B*-*ff>ri0S am'a* P" w*>r s havondo eontra *i peroeguleao poltica,
dera defender do oe&coucoito em que tm cabido,,qoe o fez mudar-desideocM. f,
Goyana, 10 de novembro de 1865.
AYtnbwt'A. Tavarn da Cmha Meti.
Documente n. 9.
Refire-iae ao attestado sopra, que em ceito verdadeiro.
Goyana, 10 de novembro de 1863.
Joo Joaqun da Cunha Reg Barro$.
.
Engenbo Retiro, 22 de ontobro de 1865. ,*,**. 1. ^ .iu. a- k
?*./iw-* ^azerT^
tiemUff"
Brevemente apresenumos a resolocao algans
Qoanto ao motivo qoeo detertoiDoa- a mudar de
residencia, nada atiesto, por nao saben
Goyana, 3 de noventa*) de 1865.
Joaquim tkarm deMtItoBairet*.-
Doroawnto-n. *.
..esto que o Sr. Olyat) OlsaJstaoo"CarBa*lo de>
e qne o
cacar essas ordeas, rateado sentir a irrefolaridade te : .Lr: ,_ i." rtf1T do acto do seu agenfe"; mas que a par desTe frcTO^^^Jr '
Sn",nS5rm,*n"0 ,rtnfrt"e aW***fld-> .Bernardina da' u), apanlgaad" de um cele- k" !" lenonaUrOEm.-tan-s, e9?,j^'mi houve sea resp,
n m i -. ** to-J)re.... de gionosos' tatos que aqoi tomas, de que sendo elle seu antecessor ii5o prat-'VoP,w*8^p*wl!!, l dV rtaijtiiii veja*9b1
aa?i toaaSr1"!! ^0mrlr/r^L^lnrnaf*) do pessimos Prec paaa, consMerando- Cait oqoe agora Cgia, tundo havido rgrjal fSSSST. V^' e Qtr ,a,IS nl raerfti
qoiz aispensar a nm guarda nacional oasaoo ao rerida kri cm tmn ariaiiimniii iBitmiBimh ^k... J _j_- ? *_ 1ce quem pratica os fados qne vou exor :
termo do Igarss,qaebavia sido designada para ^J0 J ^^bJ^0^^;,* j ttsa na ana admm.Stracao -JtO subdeleado de Goyann.nha cerea-se
a guerra; qne o acto arbitrario de b. Exc deixoa h0Wi da nou^ t0rtan*yiMQ totea aa ok> Pasaremos? pos, a moralisar semelhaflte de ladroes de cavallo, e os faz seos inspectores.
1 pobre familia na coosternaco, vindo 1 s de exjslja arraD0(|t(,0 %{w9einn HtDffi| AatbDk) PfOCedimentO, tfiOl de que DiO'Gque 80 68- Eaire HfiM raenclonarei Genniao, inspector do
deSouta, pasturando os seuscava*,e ahi desfe- qofecimento, O que S fieou reservado para 3*1, is^i^^I^'V S6^0^11611,165. ses,!a'
! cbn-lbe nm tiro, que acontecen erran mas nao a esclarecida intelriMnr do Sr Brasil :''*so;ao indlrt*s como J0S0 francisco e Fellp-
r. wjm niuBire i uu iuuc-v0--, (^e,t0 com esse ttaW volta a ca a carre- 1 miewiK*n01* ao br- ra8M pe'JVery, que vivem de jamaos toree*
ortom a mostrar que, motivos ha para que se sus- ,se110^ ppr este meto menoscabar i O subdelegadaUe^oyanateha por affeK
pe.te do malbarato dos dinoe.ros tab tees, prattca- ^ftc"0^,;.^ irmJos coniemplaelo deixa de proceder coma cer-
reqoerrareme-(muTtobem). ^T o 's^oTso^lrX. Tn^ga^ST^^0!01186 SeU m?5J e Proceffeffdo causn em Rosenda, mutoto Ma^TlCt
Sejmm.natribunaoillastreeputadooSr.Lo- sorS e aTut Sector cto amMiST^ p3a Wffl ^S rnlS convidados", por iss0tt, feritoeots graves; to graves que a pacienta
quem deram sclencia do caso, uaoae moveu I 'De, q*e.havendb elles recebido officios do irmd, Lp.en" f). pes Machado.
O honrado membro diz que ja nao Iba resta du-
vida som o proeesis em que -se acta a minora
de reufear a attenco da casa eom verdadeiras fu-
tilidades, aaresentados-para umpratetto-de opposi-
cao (apMlos).
Suppoz ooe os seo collegas, DMmrjtoe da aanro-
rla, ao ieeaatarem o grito de orposfcao contra o II-
Justradp Sr. cuoselfieiro Paranaga-se acbassem
munitoaiaedoettwoKJS-oa- faetas que pe*e'awBos
Qzeseeaa suspender a opioo justa e favoravel de
que digoainenteiresa asuete cavidero; eoireanio
observou que latlonao passoude verdadera deca-
magao^apeiades).
O andar itzo.ee aao eorapretrende com qncfiml
quizoljonradodeimudo Sr. Gaspar oonparar os
servaos prestados peto Sr. Paranagu eom os do
Sr. Castettoerwica? qae'Bta-ed h r^asnijisi
d abtar-pdUe cntber iufc JaiBlo o He-da bran>
nraneira que passou o cadver o reste da noote
eifiosto aos elTeiios da geada guardado pela caes,
que' mais compasslvos de qae oe bou**, elle ato
convidndoos .para comparece- \ Siauro^fffiSuS^^^^f'^.ft
secretario uuuTiuauam;o^iim kajoi^i evo- (
rrth no cansistofio da ordem, assim o fize- queote adro (S
s.'ndo
a
eram, appareceu a polica a taailoDw ioMtta, Igencja, porque com ella ia ferir a me-. fD' de cnaf'?'Para servir como'perito em'au
porm.pada proceden no sentido tooaatarar o noscabf uji^ffe ir'm3os; fazettdo1OSC0'Uc- '
(Segnem se outros attestados do Srs. Guilherfae
Pedro da Silveira, Antonio Rodrigues Causa, Joe
Antonio Rodrigues Cousa e Mauoel Bezerra d'As-
sumpcao, fallando todos da perseguido do subde-
legado, e assignalaodo-lbe a mesma cousa ja men-
cionada. Por brevidade os omitiimos.)
DocumwUo a. 10.
Illm. Sr. subdelegado de polica do districto de
Alaga Secca.Olyoto Otagislano Carneiro de Vas-
concellos, a bem de sea direito quer que V. S. Ihe
atieste desde ^oando.osupplicante mora n'este disr
te proceso, deixa o delin- tricto equal a sua conducta; assun como desde
; e s no outro da, QaaodcTow horas i vista *r^* n*devlsr'S. S. fax*r tal criminoso em.Goyanna; e o escndalo ebega
ponto de chmalo para servir
corpo de delicio e exames de-sanidad?, co
^^^^'^^^'fi^'^^^'^'T^^Krti p7rb"d^erres q'u^"Peanhalr hipouco'-BO',rtosso de Manoel
Reconn'ego que ao actual subdelegada -nao fa*-'n& PSSuem O respeitvel nome de 3. de | S> 0}^te>%&g$?. o amige-
m
possuem o respeitavel nome de 3. del
um os bon ejoi.'portjra achVnde s aiada- en- tima ordem ao digna-. -
redado aesse celebre processiastauJato ea> favor Se TJowb & ^.V ,,*n valer da
do maor iairaode cavallos queaqoi vive. jU, ^^.J^' ^..^IZJL 2?mt.^Jra
novas complicares, e a^ilhpufa. 'et^Sr m p9f1e d xl- 189 d0S el8lutos"PaM
Borges, primera vchr;,, ^^ joostrooeitodtv p7X't>^\ exigencia, neste caso'deverla tanv
gregos e trovapn; nuB, pehi so retirada da
utou, foi mantida a ordem a poto de aao tnais se
bem pedir que fossem retirados do consisto-
..jucia ; apeear das grandea difflcuWatos com;quen re os rrmlos ardiifista e andador, os quaes
desde qu fo.-am criados este lugaYes nal
collocarad*sc.s50)eque
cada a^ oaqaetos'adTmotsiraaorw prestou
servase no alistamonto tovotaatarids (apoia-dos).;.
O iilostrte Sr. Machado da que na relBortei*1
do propno 9r. CasteHb Braaco qaa seoncootrem as
respestas a molas das propralcdes dos membrbs da
minora. All mencionas* com ospemWeide- os no-
mes toa pessaas qae mais uitaTara a S. Exc, e:
d'eore esses-noraes elle nao disttof ue um s da 1
opposlco (apaiados).
Que levo proprio Sr. Calello Braoe qaem des-1
creveo o esuata depleravet em qae deisoo* a pro-
rado silvlb Horeira d Moraesf delxa-se peiur I
la pouco, receben elle de corto seohor deeoge-
ofio o donativo de canoas, que prbduzirara uns
cera paes de assoear, para frustrar os bous dose-
jos do promotor publico, que Ibe reqoerera auto
de corpo'd'delicto as Offensasphysicas, que diz-
.se terem resultado de castigo excessivo a urna es
cravinha, que matado livre. y.artificio, a qu
soccorreu-se para tal flm, foi faaer a vestoria em
ue soffre d pequeas feridas.
subdelegado de Goyaaninha amea^a as
m^^.S?4^ f^*^ penetrar Te mysteno, cuja-veo! soes das mesas regederas, con uetas como-l a-*" Osubd
dmqo. >CI lern ,efaDlada ^ gg 1 m fc &*&# sendo de not*r qae o irmSo Xs ih^"^am lT^i)hu'e - Bernardina de saunlco cora?oftmio iot-ari,hivsr;i Vclpnla-^ inntn an irm3awr>-' ,l- a a" pa-r*.e,PP,**ar em seu servigo. res-
o i pote 110 eogaaho Santo Aaro atoprwdato iartDl. ,lsta assent-se junto 30 rmao^secre- Uiu ndo-os depois feridos e estragados por excessi-
dBr.,Jos Fraoewco de Atouqaerqae na- provia-1lari0 lancando OS uespaCDOS as peUCoes SU"| vo trabalho : fez isto com'nm cavallo que se acba-
cia daParahyba, de parceria com Slustiaoo de IjeitS as deliberaces da mesa ; e S de tudo va em Pder de Mariana Figueira de Jeudooca,
tal, raatou_a cceleom pobreoooem. M 4stf setenek S. S., tanto qa quando f" %s?"ZJfflS ^iV^^h. ,Aft
E marvados desta ordea e outros eonsa Santo?; exrCrtfO Imrir dp ministm n5n-n tambem com duas mortee, por-aqu dormemo SS"S?| ? W^ .e mi?'sl n3 ?S.T,a Iverta de dizer ... rp do arlte previsto no
somnoda ioeoceneia embalados em um Jeito de l'rar dO CObStStortO, pde-se COnclUtr que SO ^rt^o 222, seguuda'parie.do-codigo^criratoal.^ As
rosas 11 1.. b
quaodo eierce o cargo de inspector d'esta povoa-
?o, e se tem 00 nao cumprido os deveres de seu
caag.
N'estes termos o supplicante pede a V. S. se din-
na de dar Ihe ^^^ioE. R. t.
.*,J,-&cca, 30 de novembro de 1865.
Olynto Otagutano Cmaro de Vasconcelos.
. Despacho.
Atiesto que o supplicante morador n'estapo-
voagao desde 13 de julho de 1863, onde tem-se por-
tado regularmente como particular. Foi nomeado
inspector de qoartefro da mesma povoajao em 13
de marco de 1861, e lem desempeohado com rao-
deraQo e energa todas as funceSes inherentes ao
dito cargo, pelo que tem merecido a conflanca de
todas os subdelegados d'este districto.
Povoagao. d'Alag*4>cca, 31 de outubro de
1865.
O subdelegado,
C. Rodrigues Manz.
, (Todos estes documentos esto sellados e reco
onecidos.)
modo a arretWcer o zato doraaprd|M>s.
co
fUAC
17 M marfil*8
As 3 1|2 boras da tarde.
AssueM'iaasaavato b/ao>aaieaicaoiMO|:por
arroba.
Assuear mascavato Caoai-1 #900 por arroto.
Cavbio sobro Lonresw90 d|v 28 d. por #000.
uubourcq Jnior,
ftmmm
Silveira,
Seeaetarlo.
1
.Voto banco de Pcrnam
btteex
ONovoBaaoo desooMa- letrars a tlporceato
ao anno, toma dinheiro a praso flxo' on em eootat
crrante pole-proaMo o coooictos qnt n c oavea
clonar, e saca sobre a praca da Bahia
calxa filial de) basteo do Brasil
em Pernamunco.
De ordem, 4a directora, se faz pojico qae o
tbesoreir j de%t* -cln se-ac*ar aHortsato- '^f '
o dividendo do setneste.fiado. SIT^'da dezembro-
prpilmo passato r* rata d. < ^^ por iC^^
t
V
O ecrfVIo ios" prtitsts" delelras Alvf dj
teae eso vista com a suaiexigeocta menosca-
bar os inHaos ooimdados. O qae awis nosJ
** nw." I Goncalves Rosa, que tambem ja oceupou o
Numeraos dos bilhewst'lotera 53* offe- lugar de ministro, nao satisfeilo do acto in-
recidos peto ikosoureiro das loteras para auxilio sivil do Sr. Brasil, quera que a mesa rege-
ftl2!w"l45*XM*'l759 2234 dora dseutfSe OW rqrJerimeritrj queapre-
Meios 320,-6, i2, 1592,1635, imi, 3534,' ^tou, procurando por este uieio extinguir
3869. a paciencia.dos irmaos convidados, afitn de
Quos 95, 773, 1328, 2368. 4088.' 2517, 9,' coflsufflir-se o tempe cm a discesslode
3422, 3910, 3912.
Os obotee da lotera
1:898#00.
Hi* a' 54.* prbduzirara
Casa de dutencIo.
Movfmmto da casa de detenr/So dodia 16 de mar-
ca de 1866.
Existiam 400, ent'raram 3,
395.
A saber:
vinc'neteato8 a guarda aacroaal, faCTtoToo^:BTito,wtIed'setra; a ra do'ln^ertfor'D. VS, revoltOrl-fbi" !qiie 0 Sr. Joaqulnl Mauricio
prebewMr qu^ em vista das dtflteaides qoasi i o- *
venctaeM qae1 encontrara na orgaoif*5e dosseus
couiiBgenw*, eslava dimposto a enpregar taaistar-1
de medidas extremas; entretanto s-m estas' medi-
das pode o Sfv'Paraaaga mandar om cerpo da
guardas-naciomres e organsar am segundo tapla-
dos).'
O honrado deputado tttz que 0 nobre depotado o
Sr. Cosa Ribeiro esta mal informado acero do fac-
i que1 refiri. Qne o individuo de opea* se 'trata
nao era casadoTjaMntofoi designa*; e qae s to-
mn osee estado, quando-vio que no-ottinrraa dis-
pensa que solicitava (apelados)-; qoe-a le nao isen-
uva-o pelo facto de se ler casado posletiormente a
desigacia, o por lano nito ta va o Sr. Paran agua
comaAtiKIo urna rregularMaiie (aportaos).
O illustre deputado diz que bem feliz o adrai-
1;:-irauor a qnal apeaaa a oppoacso pode Hnpotar
Tactos desta ordem ; e que Hotendo a minora le-
vantado unirs aceusaroas Me sema-a,'*aa-oeavie>
cao de qoo o Sr. Paranagu foi am eaoeWeoia'a*--
luinistrator (apelados, multo herir).
Ora anda ata ver do requerimetHo o Sr: Joa-
quim Tavwrer.
O orador toeupa-se especialmente de statelecer
o paralleki eMre a administrarlo do Sr. Castetlo
Branco e a do Sr. Paranapoa.
Mostra que dorante aquella primeira administra-
cao Guianna'deu duas companh'us de verdsdetros
voluntarios, ao passo que no tempe do sefoodo ad-
ministrador nomeoU'SVum recrutator que-alli fes
as maiores tropellias por ordem'do Sr. Paranagu
(nao apoiados).
O orador vivamente instado para declarar o
nome desse recrutador.
violentadas, de que ihe lembro, sao Roealina Mar-
lyx da Silva, Benedicto de tal e Felismina Maria
da Gonceifo, qq ja pao' vive. Afflrmam-me que
ha outras.
6. O soMelegado de Geyannaha arroga-se
poder que oo tem, excede os limites das funcroes
pteprias de seu em prego ; nao conheee oulra le i,
qu nao seja o seu capricho. Omiltindo muitos
outros facto*, citarel a soltura illegal de Francisco
Joo da Rocha, que se achava preso por oulra au-
tondaJe, e indiciado em mais de um rrme ina-
Qancavel. .
.Nao quero continuar; ficam optaos tactos em
reserva. Esta proposlo o desafio. O Sr. Silvino
Morelra d Mraes me encontrar na imprensa ou-
parante os iriboaaes, onde quier.
Documento o. 1.
Atiesto que o Sr. Olyoto Olagistauo Carneiro
de Vasconcellos fot morador por rauitos anuos na
Publicares a pedido
HUM
CASO iBBllL
riTii*
seu requerimento; nao ignorando que a
mesa naquella occasi5o tinlia-se reunido t5o
smentu pana pprovar a acta em a qual se
chava transcripto o qursKo qae tinha d
ser levado ao conliechriento da mesa con-
sahiram 8, existem joQCta, portn a cbicana de S S. icou b ir- povoaco de Goyanoha desta fregoeaia, e durante
lada, porque o ii-m ministro ntoMHteui^"p.wd?1s"/esWe'IC'* nesse lugar-sempre re-
Iw-j _._. 1 1 j conheci nelle boa conducta, sendo-o motivo de sua
Naclonaes 270, mulnres 14, estran^elros 3l,,?r O rqueriBentO por ]Ulg4-lo tnadmrs- retirlda para oulra comarca guer.ra.que Ihe faaia
nidlberes 3, escravos 76, escravas ^, l .al 303. Sivel o sdbdelegado Silvino Morelra de Moraes, despeita-
Alimentados a costo dos cofres pnbucos'2'17. Nada porm nos SOrpuebendeu mais, se-du Pr ter pelicioqarie em cumprimeolo de or-
Movmento da enfermara do da 17 de margo de! o-undo nos informen) do -one O Drocedimen-I^03 'eBa6S cercado a casa delle Silvino para
Tlvetapj alta ;
Antonio, escravo, sentenciado.
cionario
E' o que leabo
roeu cargo.
Sevenno Dantos de Arauio.
Jos Mfa:
Jjs, esefavo de D. MalbtldeS.
Falle*cn:
Dsmiao, escravo, sentenciado.
.
ministro, mostrando-se por sta
Passaperos viudos no vapor 'cimangiup dos forma ^ conirario daquillo que deve carac-
P0Silhermer,ep;.re,ra d'Azevedo, D. Joaupa B. A. ter'sar a dignidade do lugar que OCCupa
Vianda e 1 filho menor 3 creados, Joo Francisco em mesa.
Fique, pois, S. Rvma. convencido de que
ns legas cercado a casa delle Silvino para a
.captura de urna escrava fuad, quando era sub-
tO do RVd. T. padre COHimisBariOi qe de-!ae|ega(iodeGoyamub o capllao tuii Francisco
vendo admoestar ao Sr. Brasil para desistir de Albuqnerque, e inspector de quarleiro o peti
de sua exigencia.' nao o fizera, o que de cor-
to esperbamos, vista da docidadftcomJ!
que aconselha a caridade e modecaoao.'kisto
, quando Ihe ficam em opposicao asVjprnjrjes
do irmao
Povoaco de'Nossa Senbora
a attestar, e o affirmo em t d e
do O*, 3 de outubro
de 186
Padre Alanoel Paulino de Souza,
Vigario eocommendado da freguezia.
Documento n. 2.
Atiesto que o Sr. Olynto Olagistano Carneiro
de Vasconcellos foi moradorador em Goyaninha e
foi moradorador
O honrado deputado diz que esse recrutador nao | Ramos Sobrihho, Joanna Lurenca Moreira, e 1 Fique, pois, S. Rvma. convencido de que'motto ceubecido por mim : a cansa de sua retira
fazia mais do que cumprir as ordena do Sr. Para.; fl|n0 menor e 1 creada, Raymondo Nonato de Fre-! ft lilffar hp nennna nn IKa Ai n rlirnilA Ia da des,e la8ar fi ser rauil Perseguido pelo sub-
nagu. tas, Raymundo Ullmpio G. de Freitas, Elpideo J. C. I LrK3?a^2SL L SaT i de,aado SilvQ0 era ral5 de ter Sr 0,ynt0 C0B)0
Fai ootras muitas censuras ao Sr. Paranagu, e 1 e Souxa, Dr. Samuel F. S. UchOa, Francisco B. de
concloe duendo que elle foi mandado do Rio de Ja- Carvalho, Manoel B. Marles, Pascoal Brando, Fran
neiro para amarrar os Pernambucanos (numerosas | .,-0 P. A. Cedo, FraSeisco A. Botelho, Antonio Pe-
rtclamacSes e oo apoiados). | reir da Silva, D. Antonia Theodclioa de Mello e 1
t50 as claras apresentar-se em oppostClO,' inspector de quarleiro cercado a sua casa por mo
per tencendo a um lado, mas sim aconselhar tvo justo. Sempre o conbeci com mmto bda
a concordia, do contrario perde o respeilo conducta,
nnc tndm (\* ir.man que toaos os irmaos aovein ter a seu pre-- JoSo Camei> o de Mesqua Cmara.
lado. Documento n. 3.
E tempo de S. Rvma. COllocar-se na altura Atiesto e jurarei, se necessario fr, que o Sr.
M. O. C'sta, Vicente Andr, Jacob udre, Joaquim do luifar que OCCUDa, fazendo Chamar aos 0ly' Olagislano Carneiro de Vasconcellos natu-
Jos de Bessa, Antonio A. Sorna, Joo Tbomaz Ar irmaos ao nimnrimftnto dp spiw devpres im- ral des,a coma.rca e foi morador por muito tempo
nauld, Palmiro A. de Amorim, invino Alves Fer- ZSZ^mSSS^SSSS^l^^ Pvoaco de Goyantnha ;-queeu o conhego
que mesmo por esta circumstancia enteade dever | naodes, Aptonto Filgueira Secundes, Antonio Jos ponuo-mes- o preoeito na ODetliencia, como desde tenra idade e a toda sua ramilla;que tem
presiar o sea voto ao requarimeoto Ora o Sr. Dr. Ramos. I escravos, Thutbnio Jo- Pmhelro, Joao Francisco de MagalhSes. P"a 8. P0>a9>0 to' AJaga-Secca da comarca de
Toma a palavra o Sr. Hisbello.
O honrado Sr. Hisbello declara que pertence a
roaioria da casa ; mas que oo v motivo para tan-
ta celeiima, e muito menos para que se recusem as
inforraaepes pedidas (apoiados); que aprecien a
admimstracao do Sr. cooselheiro Paraoagu, mas
irmao menor, Jos C. e Silva, Francisco C. e Silva,
D. Etelvina C. Ferreira, e 1 Sitia menor, Luiz Ma-
noel Filgueira, Miguel Luiz Antunes, Padre Joaquim
O illustre deputado vota contra o reqaeriaMUlo,! aa Cunfa, Jos Lucas Alves, OJilon A Garca, Jos
cujo pensamento declarou nao ser outro senao o de FeHppe de Santiago, Tarqulnlo E. Brandao e 1
opposicao ao Sr. cooselheiro Paranagu, cuja ad
minlstrco dlgoa dos maiores. loavores (apola
dos).
Faz anda ootras consideracaais e coatne-decla-
rando Ooe recusara sempre o sen voto a re/jueri-
mentos seminantes, que como araaa de opoosioao
forem trazidos para a caa (apoiados, muito bem)-
creado.
Passageiros vindps de Penedo no cter nacional
Emma: Joao Henrique da Silveira,e Manoel An-
tonio de Olivelra.
OBITUARIO DO DA 13 DE
Porpm mi ii n tps ien ^m. onde file mora ba dous anuos, foi a cra
rorem quai toi oresuiiaao aesta- oneaien-> persegais0t qoe ^h9 fet 0 SQudeiegado deste dis-
co ; foi que estando os irmOS a espera da | tricto, Silvino Moreira de Mraes, pelo motivo de
a mesa havia feitO' ter o mesmo Sr. Ulynto, era qoalidade de inspector
de quartelro, no tempo do ex-subdelagado capilao
decisao da consalta que
ao Rvd. deQnitorio, ja'
se psnalh'ava ntie
,- a iu-. I Loh Francisco d'Albuqufiwue, cercado de ordem
ella vtnha a favor do Sr. Pinto de Magalhaes, i desle a casa do meanQ Sivbo para capturar urna
e alguem dizia, porm duvidamos de que
alguem
com quanto S. Rvma. tivewe assignado a con-
L.KMITKRIO PUBUCO,
MARCO DE 186C.
Falla em favor do requerireat o Sr. AndrCa-1 Manoel Rodrigues, Pernambuco, 50 annos, casado, 'sulla," com Dado manlara^se empenhar par-
valcante, que declara goalmenteperteacera maio- Boa-Vista ; bexigas. tinilarmanlp a favor d iniiftllfi irman pn
ria e acompaobar aqoeites aqueta grato pela j Joo Chrysostomo PernandesViann, Pernambuco, UW7.a l iq K', ^
sua elegi. 50 annos, casada P050 da Panella: phtjsica. C8S0 que tendo S. Rvifl. recebido do pro-
tm seguida toma a paiavaa o Sr. Arminio contra Antonio, frica. 65" aruios, solteiro, escravo, Boa- vincial 0 ofiicio fechado foi elle aberto e le-
0 reqnerimento. Vista; varilas confluentes. chado tantas vezes qua,ntas eram precisas,
O honrado membro estigmatisa o procedimeato gnacia Laurinda do Nasciraento, Pernambuco, 32 n eatkfaPr a /nrineirlada fl.c tnrlne hua
do recrulador deGolanna, que o Sr. Dr. Henri-1 annos, soiteira, Santo Antonio ; neplurila: Pra. satlSBier a CUriOSlOaae Qe toaos que
que Pereira de Lucena, que alM praticeu as maiores | 14 j quenam saber a dewsao sendo afilalo ofiuv-
arbltrariedades, cercando engentes e dwaslindo, Mafia, Pernambuco, 10 mezes, Boa-Vist ; meno- CO apre6eotldo por S. R?na. em mesa fe-
por assim dizer, a comarca. Qno panWo pregres- rigite. chado e lacrado,
sista nao pode ser respoasael pe*actosdesft or- CeiariO, Pernambuco, 4 annQS, Boa-Visto; coque-: pnrffimtaromaa aanr a dem pratteados por um libera*; a multo meaos a f luche. I rwgunuremosagor* a&. ttvma..
Sr. cooseBWir* Paraflau8, a queo o Sr. tucena! EaPlla Mana da Conceico, Pemambuce,30 annos, regularmente nto OPOertO.
aprsente* os infella* reerutados como volunto-J soiteira, Boa-vista ; entente^ | E es procerRmentO'nio dar'lugar a SUS-
Tertoriana. pernambuco; 11 meaes, Santo Antonio; peUar-se que S. Rvma. se interessava pelo
Sr. Pinto deJUagaJiee ? o publico qne o
i deeida.
escravo, Rectfe; Paremos aqai, para prosegairmos se for-
rios.
O orador diz que sega o seu voto ao requeri-
mento por que o considera urna arma deorpf 15 o
ao Sr. Paraiagoa, a qnem presta todeo apote. I ter i te.
Faz'ootrae cosIderace6 (muito bem). Joaquim, Pernambuco, 6 mezes,
Ignez, Pernambuco, 1 annos, Santo Antonio ; en-
Tendo expirado a hora, o Sr. presidente levanto' tosse convulsa.
a sesslo, e d a seguinie ordem do dia : conttnua- Luiza, Pernambuco, 20 annos, S. Jos ; phtysica
5I0 da antecedente e mais a 3* diseucsao do pro-1 pulmonar.
jecto n. 48 de 1805.
escrava tortada, que ah exista; sende isto feito
por forca de um precatorio vindo da povoaco de
Alagj-ova, ou de outro locar, de que me nao re-
cord, da provincia d PaxAiiyba do Rorte. E sel
mais que tonto o odio, que esse subdelegado
(Silvino) consagra ao referido Sr. Olynto, que, ja
achando-se o mesmo mudado desta comarca para
a de Nazaretb, e costumando vir a esto povoaco
oes das de fera com o seu negocio de bois, foi
pelo mesmo subdelegado aqu recrutodo, e remeiti-
do para a cidade de Goyanna; isto no dia 14 de
fevereiro de 1864, achando-se o dito Olyoto j mu-
dado, bavia mais de seis mezes, para Alaga-Secca,
onda inspector de quarteire.'de plena confian?/-
rou da autoridade local, e tem-prestado relevantes
servicos ao goveroo actual.
E' o que sei, e consta de sciencia propria; e que
verdadeaffirmo in fide sacerdotis.
Goyaaiaha, 5 de outubro de 1865.
Padre Joo Gomes de Silveira Marreca.
Dcmeaio n. 4.
Attesio que o Sr. Olyoto Olagislano Carneiro
Molestia Ulcerosa
Curada.
?*^*
REVISTA DIARIA
Eiposico dos. productos agrcolas, ndustriaes e salariada,
de abras d'artes de Peraambace.
que o
ms nhrioadrw a" newa nrrasiiSn mn'ararp-'dft Vasconcellos foi morador por mullos annos na
mos ODngaaos, e nessa occasiao mostrare ^^ de Goyaninha, onde gosoa sempre de bffa
mos que o consistorio da Ordem Terceira de- nemeada, e o nico motivo que o forcou a mu-
S. Francisco nao o senario do Apoto, aon- dar-se d'alll para Alagfia-Secca foi a cruel perse-
de alguem representara de dama e esta as* f?1?*0 Um iriutuhterctiro.
Acaba de ser agraciado, pelo gpverno porto- acta da L' sbssao da commsso DiaaciaBA
guez, com o habito de Nossa Senbora da Conceigao Aos 14 dias do mez de fe.verito, ao maio dia a NuJjUlaEaila de CAvaanlab
de Villa VlcpSi, o posso amigo o Sr. comaendador no logar do costupw, e cqm asjsiepxw de S. Exc, 1 ... ur. r^ -.
Manoel Luiz VrSes. Felicitmo-Jo por esja, pto.a o Sr. conselbpKo presidpie da provincia, raupi-! *i0 i09 poluto: conbeco-me multo pequeo
de apreco dada pelo governo pbrtognez aos seas ram-se os raerabxos da conraissaorfirectota. da ex,-1 P^ra tomar P*!16 f"1 ,atts Qe ao hoem pobre
relevantes servlcs. poslco; faltapdq os Exte. 8rs. Dr. Domingas de Isem ou'r aspiracao, qne nao seja a.de trabalhar
iSooza Lei-e baro do Livramepto, aqutlle por ; Para v,*?r honestamente, so trazen desgostos e
Foram nomeados, pela presidencia da pro- estar forj ^ cjipit^j oeste sem causa'pactecipada 'ncommodos.
vincia : ... Aberto a sessap.lea-sa e approvou-se a acta da rav*'raente "~
Para reger interinamente as cadeiras de instruo-
de Buijue, as Sras.
Lima e Goilbermlna
cao primaria de Correles e
D. Caadida Rosa da- Silva
Maria da Conceico PadiUia ,
Para a seccao de reserva n. 5 da guarda nacio-
nal do BonMo : cirnrglgo- Jos Fraacisco Lima,
alteres da t* companW Sergio' Clemeotioo de
Souto Maor Alhuquerque :
Para o batalbacr-n. 43 de SerioWwra, capillo da
3* companbia o tenente-quartel-mestre Jos Pedro
Velloso da Silveira Junier.
Chamamos a attenco dos oossos Uitores para.
o artigo do Forutu, publicado em nossa 8' pagina.
De presente coutiouarao com mais regularidade,
es-es artigos.
res dos arsenaes as circulares da comrolsso, vis
to ha ver na preparacSo dol prodoctos que teem
j de ser exposto despeza; que a mesma eommissio
i Dio pode autorisar por si. O mesmo Sr. doutor
Dos portos do corle de sua escala chegou propoz e foi resdlvido que se offlefasse ao Sr. ba-
hoDtem o vapor Mamanguape, sendo portador de rao director geral dos indios, pediado-lhe amos-
jornaes do Cear at 11 e da Parahlba at 15'do iras-d prtduetbs que possam ser ministrados pe-
cor rente, i ios Indios e de seu artefactos; qae se offlchtsse
Tendo sido pequea a concurrencia i reuniao, igualmente ao Sr. presidente da Associaclo Com-
convoeada na capital do Cear, para tratar-se da mercial pedmdo-lhe^u aquella assoeiaco coadju-
eraigra^o, foi additda para o dia 11 do correte, e ve a cottimlesSov procurando entre os seos conso-
nomeande se, entrataaio, urna commissao composta' clo e amfgo' promover a acquisl^io de productos
dos Srs. Sudar, Conha Freir, Maaoel tf. de Mello, para a exposicJo industrial da provinera:
Kalkma, Drr. Sonto e Jaguaribe-, paraenoarre-l E nadabais'ba vendo a tratar derarn-se por flo-
gar-se provlsortamenie^o qne fr tendente a esse dos os trabelhos.Dr.' Jos Joaquim de Moraes
oto. Sarment, presidente.Gervasio Rodrigues Cam-
Achava se servindo d> procurador fiscal Interino p*Hb.-Jos Joio de Amorim.-MlDoe1 Baarque
da /axenda, na Paraniba o Dr. Rufiro Tavares de,de Macedo, secretario.
Meu procedimento tem-sido inalle-
respeitar as leis do paiz -, prestar-
me ao servio poWteo, qaaado exigido o meo
fraco e inaiifconeurto-; acatar e vener-os bons
caracteres ; procurar a estima dos bomens de bem,
evitando ao mesmo lempo' ncorrer ao odio dos
maos.
Pratieando por--este esminno, glerio-a^e de po-
der exhibir hoje em roen favofos doeOmsotos,
que abaixo traoscrevo, firmados por pessoas res-
peitavew, da todis- as cores polltieas. Teubo esto-lS- Si'*!!,DJl?'e,ra;d* Morasaj
O Sr. Dr. Sarment propoz e foi approvado, que honra em conia de memor* mais segura do que
se escrevesse S, Etc. o Sr. presidente da pro- um cargo pollclah- daaO"1iBO!erecldamente, em
vincia, para qae remeito elle proprio ao directo- circumstancias excepcioaaee, a quem delle s po-
de usar para us eleitorses, vinganga-
sessao anterior.
Resolveu-se offlciar a S. Exc. o Sr. presidente
da provincia para no caso de se nao realisarem as
exptslc3s projectadas part'as-prbvtncjs limitro-
phes solicitar dos presidentes dessas provincias a
remessa dos productos que para all tlnharh de
concorrer aflm de que figurera na exposigao desta
capital.
e arranjos
igoobeis.'
O Sr. Silvino Morelra de Maraes, recebendo a
nomeacio de' subdelegado de Goyannirma, nao se
adsrrsgio i tarefa,' que Ihe foi commetttda ; mas
prestndose, como instrumento ceg, a todas as
exigencias da situaeao, que o elevot de peralvl-
Iho, sem- oflicio era beneficio, i autoridade do
districto, reservou-se o direito de ajusfar as suas
contas particulares. Eu eranm- dedeos devedores,
e nao tardn a vingane, qoe de mim resolveu
tomar.
Agora cbegoV a vea dVmlnha retlndicta. O
Sr. Silvino verano flra de*cool*s que n melhor se
vinga, se elle abusando de seo poder para perse-
gulr-me injustamente, porque ama vez foi oorga-
do por fbrea da le e por ordem de autoridade
competente a dar busca em ana casa e della tirar
districto, Sr. Silvino Moreira de Moraes, segundo
coasta-me-desabafo por baver o dito Sr. Olynto
coreado a casa do mesmo Sr. Silvino, para tirar
por ordem do ex-subdelegado capillo Luiz Francis-
0*Albuqnerque urna escrava friada, que ah se
achava; isto-em. camprimeata de *m precatorio
viudo, same nao engao, da povoace de Alaga
Nova da provincia da Parahyba. E' o que consto,
afflraxfc
Engeabo Boa-Esparanea,5 de outubro de 1865.
Vicente Ferreira Bezerra dos Santos.
Documento n. 5.
Attesle que.o peticionario Otyato Oragistan Car-'
neiro de Vasconcellos foi morador na povoaco de
GoyaDiaaa desda sua menorieade, gaaando sempre
da boa repuiacio, estima puWica; aMslande rea-
epaa nao s cora os habitaBtes da povoago, mas
tanbem coa os da visiahanga; e s depois que
occnpou o lugar de -inspeaior d quarleiro (que
dasejapenhou muito-be), compile ialngou-se o
actual subdelegado
deale dietaido* e Ihaaam eito cra guerra pela
motivo'de haver coreada sua casa em procura de
urna escrava perteaaen(eao alfares Francisco Bao-
deira de Mello, morador ein-iananaiM, da provin-
cia da Parahyba do Norte. Tendo scieacia propia
desle tacto, porque-era eotao subdelegado.
Eogeoho Jangadeira, 8 de 1 utubro de 1865.
Lun Francisco 4* Albuqnerque.
Documento n. 6.
Atieste que-o peticionario Olynto Olagislano Car-
neiro de Vasconcelos fot morador-na povoaco do
Goyaninha, gosaadesempre de boa reputaco e
estima- publica, maniendo relagSes com todos; e
que t depofs de malqaistar-se eom elle oSr. Silvi-
no Morelra de Moraes* em conseqoencia de baver
aqpelie cercado a casa deste em- procura de urna
escrava de orna pessoa moradora'em Bananeiras,
peto qne Ibe tem feita cra guerra, na qnalidade
de subdelegado que veio a ser, foi que vio-se obri-
gado a mudar de residencia. Sel, porque no-
torio.
Todos aquellcs qae se achio suj ritos eot
frer molestias scrofulosas, uloeroeu, on ovpU-
liticas, anda, mesmo as reputadas de rx-ior
uiitureaa, apenas necesaitao de ler o seguiote
caso maravilhoeo, para que se sintao inte ira-
mente convencidoe qne a sua propria cora,
nao 5 meramente poeerrel mas shn absolu-
tamente certa.
Joao Jos Ferhetjba Barboza, residente
na Cidade de Maranliao, tinha todo o sen
corpo ooberto de chagag ulcerosas, e durante
algunos annos se achava deba i x o do t ratamente
de mdicos os mais afamados, tendo osado
durante todo este tempo quosi toda a especie
de medecinaa que em taea casos empregada
pela feculdade medica, porm debalde sem
obter o menor beneficio ou alivio: acbando-se
pois em taes apuros elle finalmente resolveo-
ee, depois de repetidos e baldados esforjea
fazer uso da]
Salsaparrilha
DEBRISTOL.
No todo elle apenas ebogou a tomar Qhstt
Garrafas de Sahaparria e quatro fraseos das
Pulas Vegetaes Assuearadas, e o resoltado
foi elle obter una completa e perfeita cura.
Os Sers. Ferheiha & Ca., Droguistas da
MaranhSo, forSo quem eupprirao os medica-
mentos, e acuSo-se perfeitamente ao facto
d'este caso, e o meemos Senhores, nio ao se
acbao promptoe confirmar o meemo, como
tambem em fornecer o actual adresso do Ser.
Bakdoza, toda e qualqner pessoa qoe por
ventura se desej Informar da verdade.
Bocommenda-ao moi particularmente aos
Doentes que tenhio o maior cuidado na eecolha
deste excellente remedio, nao osando outro a
nio ser a Gonoina Salsaparrilha do Bristol,
a qual exclusivamente preparada poi
LANMAN & KEMP,
De XOV.l YORK,
pois qoe todas as mais sao inefficazes o de asa
aom pseetlsno
Vende-se as boicas de Caors Barbosa
e C. Bravo & C.
I I I !
Pede-se a resoiucao destes problemas.
1.
Um sujeito rooba a Gruta do ibesonreiro de urna
reparticao, e por este meio consegoe effectuar o
embarque de urna mercadoria, tendo subtrahido a
importaocia dos direitos.
Podara ser admeltido sem provar a faisidade da
aecusacio, para agenciar os negocios des meamos
individuos que figuravam no despacho coma rma-
falsiflcada.
!
Somem-se muitos despachos, em algtins mezes
mais de cem 1
Ser desculpavel nao dar-se contra esse abuso,
tendo-se d'elle sciencia a menor providencia ?
3."
O chele de urna-reparticao d ordem aos seus
empreados para nao impedirem o embarque de
gneros postos em despacho, quaado este for con-
cluido as 3 horas por falta de distribirieao, decla-
rando que essa formatidade poder ser aalisfeia
depois.
Por tar cumprido esta ordem, poder ser o era-
pregado suspenso ?
4.
Instaurase em processo que vai eomplicaado
nraita gente, faz-se grande espalhafato,-porque, por
lim de contas, tambem os juies vio (loando gra-
vemente coropromeltidos.
Ser crivel que esse processo venha aioda a ap-
parecer T
E se tal socceder, vira elle com todos os depo-
m-.ntos, circumstancias e casos qne n'eile se vio
ramificando?
&
Entraran para um armazem muito privilegiado
14 pipas de vinbo. sem indicios do terem falta ;
do 86.
do baace do Brasil"15. dejaBeiro-
-
O guardvlivros,
Ignaoto NuneaGorela.
aLKA^EGA.
r.endimeato do dia i a 16%.... 20:W*632
dem de diz, *7............... 24:li*44*

MOVIME^TO DA
444:13307i
ALFAJIA
Volamaaieaaradaa-eom fazenas... 315
* c eom geaero... 649<
Voluaie.sahidjs cera faiendas...
c com generes.-..
864
Mi
,92>'
----- l,28>
Desoarreeam h
Barca francea-^Jmn BajAuterBtrcaaoiia.
Barca trance Sania Andr idewy
Barca ingleza Escuna dinamarquezaBeatrtetdiunee feaoios
de estiva.
Brgue portuguezLata Galera inFleaHermtonecarvo de pedra.
Brtgue nacionalFluminense cPaa^ae.
Barca nacional Uuarakin idem.
Polaca argeotioaMontevideoIdent
ImportavSo.
Galera Ingiera Hermtone, entrada de Livarpoolr
consignada a Wilsoo & HaKe, maaifesioa o se-
guinie :
507 tonelada1 Inglesas de earvo oa pedra ; aos
oaesmos.
Barca nacional Favorita, entrada da Babia, con-
signada a Pereira dt Carneiro, maaifestoo -o se-
guinie :
Genero esiraofeiro.
7 caixas sapatos de borrieKa, 100 barrieaeajene-
fcrs, um circulo da 8 cavalhohos de pao-- a seua
portentos; a ordem.-
Gneros naelonaes.
1 caiides H1OO6 charutos ; a Saser Engelhard
aVi
1 dito 6,00 ditos; a Aren Campbea Si C.
1 dlW 6,080 ditos-; a Moahard &C
1 H-) 2,600 Hos ; a H. G. WIMs.
1 dito 6,060 ditos; a Keller & C.
10 fardos algodo ; a Andrade & Reg.
15 ditos* 69 arrobas de fumo ; a Jos Vicente de
tasa.
100 saceos farinba de mandioca ; a Jos Maria
Paimelra.
2 caixes- 30,)0 charutos ; a M. 9. P. de Vas-
eonceNos-.
2,013 saceos farioha do mandioca, 148 fardos
paunode algodio, 2 saceos 200 libras de Boca-
dito, 100 saceos iOO arrobas da eaf, 49 eaiafrs 7
pacotes e 4 fardos 567,80 charutos, 7t fardos 44*
arrobas e 24 libras de fumo ; a ordem de di-
versos.
Hiate nacional Nicolao I, entrado do Aracaty,
consignado a Prente Vianna & C, maaifesiou o
seguinie:
10 sancos 38 arrobas e 7 libras de algodao, 44
ditos 186 arrobas de carnauba, 616 caixas 648 ar-
robas e 7 libras 3/4 de velas de dita, 10 meios de
sola, 35 o-olhos 352 esleirs, 53 ditos 1325 coori-
nbos; a ordem.
Vapor nacional Santa Cruz, entrado dos portos
do sul, manifestou o seguinie :
Do Rio de Janeiro.
5 barricas caf, 30 latos e 36 rolos fumo, 2 jaca-
zes quetjos, 1 caixete cigarros, 20 barris potassa ;
a ordem.
1 caixao livros improsaos a G. de Labacar
tC.
1 dito ditos ditos; a Joao W. de Medeiros.
1 dito mappas ; ao presidente 4a provincia.
1 dito msicas knpressas ; a J. Vignes.
Gneros eetraogetros.
3 voiomes cnapPs do Ghile, 16 calas papal, X
ca toes chapeos, 1 caixa jo jas; a ordena.
5 caixoes papel pintado -, a J. W. da Medeiros.
1 caixole livros Impressos; a Jos Nofoeira de
Souza.
1 dito dito dito ; a 6amox L. & C.
1 dito dte dito -,- ao consolado B. Florentino.
1 caixo chapeos; a J de Souza Maia.
1 dito machina; a Francisco da Sil** Car*
ooso.
1 caixa de folh* roercadorias; a J. R. da Nati-
vidade Saldanha.
Di Babia.
1 caixoobjectos de pholograpbia ; a i. Pater G.
barris mantelga ingleza ; a Beraard* Jo
Araujo.
250 caixas*fM ; a Antonio Lw de*9tivewa Aaa-
vedo.
1 pacote pennas de estamenha, i caiaao caoivo-
tes ; a Carneiro & Nog-aoara.
Brigne nacional Intrpido, entrado da Baha,
consjgaado a BaMar & Oliveira, maaifestoa o s
guile :
10,068 arroba de carne secca, 306 resteae da
ceblas, 6 cascos com 1,300 tainhase- 60 cooros da
refugo ; a ordem.
Barca franceza Jean Bapttsle, entrada do Havre,
consignada a Tisset frares, manifestou o seguinie :
1,000 gigos batatos, tOO barricas larinha de tri-
go, 1 caixa cartGes, 2 ditas oleado, 50 barris ba-
nda, 2i0 ditos e 262 meks ditos manleiga; a Tis-
set Ireres.
1 caixa prensa de fumo ; a A. V. da Silva Bar*
rosa.
20 caixas e 3 fardos tenidos de algodio, do lia
e de Iinho e cobertores, 40 barris a 80 meio man*-
teiga, 408 gigos btalas ; a JoaoKeiler & C.
1 caixa estilarla', 1 dita lanteraas de papal, i di-
ta camisas de lia 5 a A. C. Hollaoda.
8 barricas oebroy i cana bao* de poro, a i
barrica sulphaio ; a Caor & Baaboss. 1
5 caixas banha do oreo; 40* ditas vetas, 50
barrise 250 meios manleiga; a Tasaolrms*.
6 caixas vinho, i dito calcado, 4 ditos pregos de
ferro, 1 dita madeira para settokes 2 ditas mobilia ;
a C. Leclere.
30 barra e 40 aaeios manleiga t a Aalonio de
Almeida Gomes.
630 caixas vinho, 8 barris agoardeoie ; a T.
Clir isliansea..
1 caita chapeo depalaa ; a Chri-atani freres.
4 di tas chapeos a Souxa Maia G.
3 ditas crinolinas e confeiaoes; a Monbard
me
4 fardos panno de casimirat 22 carias tocido de
agodo, meias de dito, palilois, leaooi, camisas,
cobertores e chales de la-; a Carneiro 4 No*
gneirat
2 caixas papel 5 a Cmara di Gairaaries.
10 ditos crstaes, vidros, mamioraa aricada 2
ditos couros; a Isidoro Nette4*CJ9
20 fardos papel, 5 caixas memaria, I ditarta-
cido de la, 7 ditas tonca marmere, cbapeoraao-
billa; a A. Hassaorgtr & C.
21 caixas caleado; a J.
3 ditas calcado' a Cara
5 gigos cerveja; a Lehataa
1 caixa papel; a A. Roberto.
50 gigos vinho; a Saunders Brothers & C
1 caixa papel; a J. C. Ayrts.
3 ditos pannos; 1 dito tecMa de 15, 1 dito ana.
peos; 9 ditos perfumara, objeclos pan cirg

V

'm
s
3
i
}
-*""
s>


.

e* .- eginrife fetra lft de *!?< tfe f86.
ftuinqollliaria, calcado e chapeos; a H. & Azevedo.
1 eaixa chapeos; J. J. Cas-alcaate Maia.
30 ditas talas, 50 bar_-ja e 50 meios manteiga; a
V.P.df Ctttt. .. t
ICaUa8oU;aOl9l^bfa.
*"i (Mas, fcidos; a Magalhes 41bm.
4MM V o*ftsA*Ms'-e4lgii3o e de S;
F. Saovaf a & C.
4 calM cidos a J. A P. Sefodo.
50 cairas velas; a Sodr da Metta.
$ ditas toasts di la, rneciasia,. tila?, 3 ditas
ciliado e qioquilharias; a A. S. Furia.
5 Caicas abales de la, tecido da algndo, coaros
e papo*-, a Cesar de Abran. ,_._ ,
3 cala coaros, 3 ditas confeigooi, 10 ditas el
fardo tocidot de algodao, dita abarato*, i dita eticado, I rta inercearla,
a L#odai Wild & C.
2 ctini laeMo de. alodio S Setiaphetlira & C.
4 caixas vMros, Sillas perfumarla, chapeos, e
joias falsa*; a L J. Ferreira.
1 caia fita velludo; a J. A. M. Dias.
30 barris SO meios manteiga, 4 caixas pelle?;
'A UG. Breckenfeild.
i eaixa perfumara; a Burle.
4 eaixa liosa de aigaar, a Vaz Leal.
4 ditas vidroa; a Daamjfereira.4 C.
1 ditas ditas; a a."F: s OittBlu.
200 glgos bautas; a M. P. de Melle.
1 eaixa mercearias; I. L. B.mrgard.
3 calas calcado; a M. Besual.
3 calas tecldo de algoSo, de la, I dita objec-
tos para cirgueiro, l dita cooos: a Mallo lobo _
oVoa1ca8-oeHao8 aferatra Sotoriotao.
25 caixas brioa,' 90>doe' de algodao, chapea,
l>er_BarUs, cnlaellas,.calcadosearmnicas; a _.
Lopes & C. _..,,
4 Caixas panno de linho; a O. P. Wild.
"I eaixa oleo de^lmetidoaTioCB, ditas pannos;
a Manrer 4 C. amis l dita productos chiruicos,
o i barril tinta, I -dita medicamentos.
i oatxa ferro fandido; a F.-Dabarry.
1 oaixa idros e-papel; a E. 4 Mauricio.
1 -caita igboro; a Moreau.
23. ditas lecido de algodio, 'chales de ta,
Navios sahtot m memo da.
Barca .ogleza Zilth, caatto Thomaz l|
rga-ossucar.
Rhaca _*panho_ Santo tirianna, .
espillo Estorfer, carga algodao. TA> _,
Navio entrado no da 18. rjez de marco' de 1866. Eu Joaquim da'
^Aearac e. attti ftttfaedios 7 cliaso do ittnmo giva f^gQ esCr}vo-mie raescrevi. AotO-
pflrto 14 horas vapor nacional Mamanguape, j
337 lons, commanle Ralis, ajtdpagera 22, carga
diferentes gneros.

1)1 T A ES
Sa-
cha-
.peo*, peafomalas, cartes, be ras, coor ae lustro,, ^ i0f. meio -(j ^^ ^ o ^^ ^^. #
a>/err*ira Jp-Martins.
1 di otunos; a X. O. Bmber.
i dita chapeos; a L. Siqueira- ^^^
j Htm nns e nl*.ado; a B. & wtveira.
8 ditas brins; a Rabe Sehmeteaux A C.
3 dUa mediwrntao; a ro Gorrea.
4 ditas *apel; a &>4 Lailhacw & C.
RECEBEDU1A DE RENDAS INTERNAS
RAES^ DE PBRNAMBCO
Renimento do ia t a 16...... 38:5^fS?
!demdodia!7................ _I=
39:835*381
GE
CftfiStaWO-PROVtNCtAL
Ren Uea do di. 17..........

91:123*968
1:385*174
92:o09*i42
PRAQA DO RECITE
13 DE m^o BE flSBO.
A'STRESHOttAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios........Saccoo-se sobre Londres
27
Vl,27V4e27X d. por 1*000,
sobre Paris do 338 a 340 rs. por.
fr., e sobre Lisboa de 94 a 96
por cento ao anuo; elevando-se,
a S 220,000 os saqoes effec
toados durante a semana palo
vapor ioglez.
Aleodo......... Vendeu-se o de Pernambucoa*
16*500 a 17*000 por arroba, o
de Macei. posto a bordo,
17* a 17*300, e o da4>arahyba,
tambera posto a bordo, de.....
18*200 a 18*500.
Assucar........Yendeu-se o branw de 3*300 a
3*800 a arroba, o somen* a *.n*\.
Jjaquim da Silva Bego cavalleiro da ordarn de
unristo, a escnviki do juiza de paz da fraguezia
fd"9StiS8imo Sacramento do bairro de Santo An-
tonio e HHetinaiaentefaffUMaiimein aedltt
freguezia em virtude da lei etc. etc.
-Certifico que a carta de edUos itre parta autor
Joaquim Francisco da Silva Jnior, reo Manotl
Francisco dos Santn e Silva, -do ?heor Mguiote:
O cidado Antonio Aegastoda Fooseca, cavalleiro
da imperial orden da Rosa o juit depai do 2*
anaoeaexerclcio-da fregueziado S S. Sacramen-
to do bairro de Santo Antonio da cldade do Re-
cife provincia de Peraambuco em virtade da lei
etc. etc.
Faco saber aos que a paesente carta de editos vi-
rem qae, por parle le Joaquim Francisco da Silva
Jnoior. me foideila apet^o do theor segninte :
Illm. Sr. Dii ioaqaim -Fronetico d Silva Ju-
nlor coramerciaota dasta proco qua Uaaoei Fran-
cisco dos Santos e Silva, esUelacxi ueste destric-
to com taveroa na ra das Laraageiras n. 16, ibe
devedor da quantia de 490*000, pro vi Dientes de
2 pipas com vinho noto, compradas pelo snpplicado
o Augusto da Fonceca.
Ao sello 300 rs.. vale sem sello ex-causa.
j'Aogwtof Fonceea.
1 Ntdi' mate se oofitlia-e dito riginal a
tjae-ae rtporto e dou f
'lecife i 5 de raaroo de 1886, subscrevo e
assigno.
Em f daverdade
O escrivlo,
Joaquim da Silva Reg.
Divieftido.
DECUfUCQES
ro deste anooe para satlimento da taearnaalo sup-
suppiicado em fufa abaodonapdo o sa esMoeleci
manto, e den aouppticantd dita quswtla, o quer
citar para, a f do juiro, pena de i evetla, on entre-
gar-lhe dita mercadoria em especie, visto a m f
com qne procastroiapagar-lnevoi auto oanciliato-
no a quautia cima. E porque estoja o suppiicado
ausente em lugar ignorado, e por rsto nao pos.-a
ser encontrado paraaeceber a citinjio, quer faie
Expsito dos productos ^a-
gricoins e iadustriaes da
prorincia.
A commissao incumbida de dirigir os ne-
gocios rjnerposrcIo,'desta provincia, previ-
ne aos artistas que desejarem concorrer com
os seus productos mesma exposicSo, e
que nao o possam fazer por falta de recur-
sos, que devem dirigir-se ao secretario da
no estabelecimento do supplicante a ^^^^jtOfinrtS*) pairoblre R auxilios neces1
pilcado; e porqe/pouros dia* depoisae patzesse o iarios acquilcSo das m*rias primas des-
isto requer a V. S. dtgoe-sea demitlil-o a justificar
a ausencia, marcando para isto dia e hora. Pede
ao Illm. Sr. juiz dd paz do di tn.-to deferimeoto
que recebera merce..Aivoitad- C*teliranco.
Na qual peti(o dei o dispacho seguinte.
Justifiqese, freguezia de Sano Antonio 9 de
Banjo de 1866. Augusio Em virtatle do qai Oispaebo se proceden a in-
quirigo de testemuahas qae depeseram sob o ju-
ramento dos antos'tojllhos, a respailo da aa-
oencia, itmetesa do trisar da res inicia de Man el
Francisco dos Santos o Silva; e sendo ludo authoa-
do e preparado, rae viramos ensostdactosos, a por
mira lido, nelles profer a sentenca do theor se-
gninte, visto provar se pelo depoiraeota da* teste-
muahas da fofhas, que o suppiicado Manoel Fran-
cisco-dos Santos a Silva, actia sa ausente em parte
mcerta, h'i por jnsiilk-ado a sna ausencia, e passe-
se carta de ediowscom o termo de 30 dias, pagas
ae cotias pelo justif cante.
Freguoziade S. Antonio daeidade 15deimarco
de 1866. Antonio Augusto da Fonseca.
Nada mals se emulaba em dita sentenca dada
nos autos por bem da ojial seipasson ao justificante
o prsenle edita I rom o preso de SO di pelo qnal
se chama e cita o referido Manoal Francisco dos
Santos e Silva, para que dentro dos 30 das compa-
(feca por-oi-otrpoT sen baante procurador para
se proceder os termos de concillado na forma da
patigo, e a ojudqaer oatra aessoa para qne Ihe faca
saber desta oiaema cila^Jo, afim d que elle nao ti
que indefeso.
O porteiro oeste juizo Manoel Praaekco de Al-
raeida, publicara' este nos lugares mus pblicos
desta freguezia, e o alisar passando cerlido era
forma.
Dado e passado nesta sobredita freguezia de S.
Antonio da cidaV do Recite, aos 15 da* do mei
de margo de 1866.
Eu Joajuim da Silva Reg, esexivo qea o es-
,~^-.. Antonio AUguete do Fjnaaca, ao sallolOt
2^29' mascavado purgado 4e T8> Valle sem sello a excusa.- Augusto da Fon
2*000 a 2*350, e o brotle.
1*600 a 1*850.
Agurdente.....Veadeo-se de 71*000 a 75*5990
a pipa.
Couros ........Os seceos salgados veaderam
se de 145 a 150 rs. I hora.
Arroz..........Opilado da India vea*eu-se a
3*050 a arroba.
Azeitedce......Vendeu-se o de Lisboa a 3,5000
u gelao.
Bacalho.......Em atacado vendeu-se a 17*000
a barrica, e a retalho de 17*000
a 19* a dita.
Batatas.........Venderam-se a 600 rs. a arroba.
Caf...........Vendeo-se de 7*600 a 8*500 a
arroba.
Cha............dem de 1*800 a 2*200 a libra.
Cerveja........Vendeu-se de 5*000 a 6*500 a
duza de garrafas.
Carnesecca.....A do Rio-Grande do Sul ven-
deu-se de 4*500 a 4*800 por
arroba da nova, e de 1*000 a
3*000 da velha, ficando em de-
posito 30,000 arrobas ; e a do
Rio da Prata nova, de 2*400 a
3*000 e a velha de 3* a 3*600;
ficando -em deposito 25,000 ar-
robas.
Fartnha de trigo. A de Philadelphia e Richmond
retalhou-sede 24*000 a 25* por
barrica, a de New-York de 22*
a 23*. a de Trieste de 25*000
a 26*000,e a franeeia a 24*000;
ficando em deposito, inclusive
ara carregamento ebegado da
Franca, 800 barricas da primel-
ra, 2,0n0dasegnnda, 800 da ter-
ceira, 6,000 da qoarta,800 da
quinta ; ao todo 10.4U0 barrica*.
Feijao.......... Vendeu-se de 8*000 a 10*000 o
sacco.
Louca..........A iugleza ordinaria vendeu-se
com 310 per eer"1 de premio so-
bre a factura.
Manteiga.......Vendeu-se a ingiera de 900 a
1*000 a libra, e a franceza de
380 a 640 rs. a dita.
Massas......... Venderam-se a 7*500 a eaixa.
Oleo de linhara.. Vendeu-se a 1*700 o galo.
Passas.........dem a 6*000 a eaixa.
Presuntos....... Venderam-se a 16*000 por ar-
roba.
Queijos........Os flamengos venderam-se de
4*730 a 1*900 cada um.
Sabao.......... O ioglez vendeu-se a 150 rs. a
libra, e o do Mediterrneo a 240
rs. a dita.
Toucinho.......Vendeu-se o de Lisboa de 8*300
a 8*500 por arroto.
Vinagre........O de Portugal venden-se de 90*
a 110* a pipa.
Vinho?.........Venderam-se os de Lisboa de
180* a 190*000 a pipa, e os de
outros (jotaes de 145* a 160 a
dita.
Volas..........As de composicSo Tenderam-se
a 600 rs. por pacote de 6 velas.
Descontos.......O rebate de letras regaln a
12 por cento ao anno.
Frete..........Para o Canal 52 /s 5 /.; para
Liverpool earregando aqu 1 d.
1/4 5"/. a vela < e 1 d. % 5 V. *
-vapor; earregando na Parabyba
1 d. Vs por libra sem primagem;
earregando no Rio Grande do
Norte 1 d. >/s por libra sem pri-
magem-, e earregando em Maoei
Vi d. a 1 d. por libra 5 7-
MQV,MEATO 00 PORTO
Navios entrados no dia 17.
Rio de Janeiro 25 dias brigue nacional Mana Al-
fredo, de 319 tons, capillo Antonio Gomes Flores
eqoipagem 12, carga diferentes gneros, a Eu
zebio Rarpbaal Rahello.
Rio de Jaoeiro 28 dias, galera ogleza Orcadion,
de 894 lons, capitn John Gocer, equipagera, 16
em lastro, a Jorinston Pater & C*.
Rio Grande do Sul 32 dias, brigue nacional Im-
perial Marinheiro de 188 tone, espitan Francisco
os Santos (Jouba, equipagem 11, caiga 40:000
arrobas de carne; a Miguel Js Alvos.
Penedo4 dias cter nacional Emma, de 51 tons,
capital Adelino Elpidiode Pinbo, equipagem 6, o referido
naga valho e -outros feaeres, a Chaves &
Vianna.
Liverpool48 ai, brigue ingles Belty Mary, de
l**4s, caplCo HOavie, erpipagom 8, carga
fHetjdava Sanders Brothers'& O.
tanta 6attrina 16 dias, senna oWembflrgoeza
l*m*e,dt 131 tons.eapKo H. Scnumar Noei,
etpwpafem 8, rim & Irmio.
seca.
Nada mals se eontlnha em dito original o que me
reporto e dou f Rucire 13 de marco de \ 866.
Subscrevo e aanajtot em f de verdad-, o escre-
vo.
Joaquim da Silva Reg,
Joaquim da Silva Reg, cavalleiro da ordem
de Christo e escrivSo do jizo deDaz da
freguezia do SS. Sacramento do bairro de
Santo Antonio da ciclado do Recife, pro-
vincia do Pernambuco, e interinamente na
subdelegacia de dita fregue/ia.am virtude
da lei, etc.
Certifico que a carta de ditos, aire -par-
tes, anthores Amaral, Moreira & Compaohia,
e reo Manoel Francisco dosSaatos e Silva,
do theor seguinte;
O cidadSo Antonio Augusto da Fonceca, ca-
valleiro da imperial ordem da Rosa e juiz
de paz do segundo anno em exercicio da
freguezia do SS. Sacramento do*rro de
Santo Antonio da cidade do Recfe, pro-
vincia de PerBtambuco, em tirtiie da lei,
etc.
Faco saber aos que a presente carta de
editos virem, que por parte do Amaral, Mo-
reira & Companbia me foi enderegada a pe-
ticSo do theor seguinte:
Illm. Sr. juiz de paz da freguezia de San-
to Antonio. Amaral, Moreira & Companbia
oommerciantes e moradores nesta cidade,
seodo-lhes Manoel Francisco dos Santos Sil-
va devedor da quantia de 45>j&iO, impor-
tancia de raercadorias compradas para seu
estabelecimento de taberna sita na ra das
Laranjeiras n. 4r> desta mesma cidade. o
pretendem fazer citar para em eoaciliacSo
prime-ira deste juizo, com a pena de re-
velia, pargar-lhes a referida quantia. E
porque o suppiicado tenha se ausentado
desta praca para lugar incerto e nao sabido,
e deu lugar a que os supplicantes reque-
ressem arresto em o indicado estabeleci-
mento perante o Dr. juiz de direito especial
do commercio ; requerem os suppHcantes
a V. S. seja servido os admiltir a justificar
a ausencia do suppliccdo, o que feito e jul-
gado por aenteuca, seja o mencionado citado
por editos, com o praso da lei, Asstm de-
de a V. S. ihe defira. E R. M. O solici-
tador Joaquim Piolo de Barros.
Na qual p8ticio dei o deapa Justifique-se. Freguezia do Santo Antr>
nio 42 de marco de 1866. Augusto da
Fonceca.
Em tirtude do qual despacho se proce-
deu a inquirioao de testemunoas que depo-
seram sb o juramento dos Santos Evangc-
Ibes a respeito da ausencia, incerteza do lu-
gar da residencia de Manoel Francisco dos
Santos e Silva; e sendo tudo antoado e
preparado me vieram os autos concias s, e
por mim lidos, nelles profer a sentenca do
theor seguinte:
Visto provar-se polo depoimenlo das tes-
temunhas de Os. que o suppiicado Manoel
Francisco dos Santos e Silva acha-se ausente
em parte incerta, hei por justificada a sua
ausencia e.pasee carta de edictos com of ra-
so de 30 dias pagas- as custas pelos justifi-
cante. Freguezia de S. Antonio da cidade
do Recife 15 de marco de 4866. Antonio
Augusto da Fonceca.
E-nada nrais se continha em dita senten-
ca dada nos autos, por bem da qual se pas-
90u a justificante o presento edital com o
prazo de 30 dias, pelo qual se chama e cita
4ltneel Francisco dos Santos e
Silva, para que dentro dos 30 dias compa-
rera por si, ou por seu bastante procurador,
para se proceder aos termos de conciliaclo
na forma da pelicSo, e a quaiquer outra
pessoa para que rjajtaaber desta mesma
citacao, afira de que elle rr3o fique tadefeso.
O porteiro deste juizo Manoel Francisco de
publicar este nos lugares mais
freguezia^ e 0 afijar pas- Paga.^ oescriploriolll coujpanhia Pernam-
em forgKi. Freguezia de b., htmua, toawnta-aos at*bad(>te^m'pMienca das
cidade doAecife aos 15 dias do respectivas acafies a pjrimiro' diaiindo a razao
dB'10-p6r accJu : Oo cfnUdrielaCno da Assem-
bia n. 1. ..-.'. __________
Pela sulid-legadia do .Petas farara apprehen-
didos-^onn oavaili>-castanl)o e dirtrados sendo
unkteljro, io poder -do nBS'-miuiJWu que se-
^faiaro a estrada que ditos cavados foram- fortlos do lagar da Tor-
re oo Luca : quem for eu Oono oaaparega, que
mediante prova Ine s*ri entregue
8abdelegcia do Peres 4IMB*aars O abdetairado,
Atemnlrloo-Martios florreia Barros.
Ao dia 20 do corronte depois di audiencia
do juiz de pai de Santo Antonio, tada ir em pra-
ca para seren arrtioatade^'alguos ejofals peaho-
rodos a Jaao da Ctste, por execir^t) d Antonio
gaanjco*losjaono,__________. ________
De ordem do Illm. sr. inspector da thesou-
raria de fatenda desta provincia sao convidadas
aqaelles Srs. offt'rtaes nella residentes que servi-
ram no etercito durante a tata da Independencia
e qne ao percetxm etapa atavma a comparece-
rema dita TnesooTaria para o'flm'de'liqlidarem o
sea direito a etapa de qu trata decreto o- Si
de 8 de julho da.anno prximo lindo.
Secretartate-rhesotfrarta -de fazenda de Per-
nambuco 17 de marco de 1866.
Servindo de offieial maior,
Carlos Jo3o de Souza Correa.
De ordem do Illm. Sr. inspector da thesoa-
rana de fatenda dista' provincia se faz publico ao
MWnlM flf verlano- Antonio defretas ou a seu le-
gitimo procurador, que devera' prenotar na secre-
taria da mesma-ttiesoararia, <>ar* fare lo sallar na
estgao competente, o seu titulo de divida de exer-
cos lindos qae nao podera"ser reconbetfda sem o
preenc hi meato dessaformal idade.
Secretaria da thoseuraria de' fazenda de Per-
nambuco 13 de margo de 1866.
Servindo de offrciat maior,
Carlos Joao da Souza Corre ia.
do Brasil en
fernaoibiica 10 de marco de 1866
De ordem da directora se Ui publico aquellas
pessoas que tem ubjectos de onro, prata e diaman'
tes depositados*eb cauio-nes eatta, -que estan-
do ja vencidos e nao pagas as letras, que. aceita-
ran] pelos referidos depsitos, se val proceder a
venda em hasta publica dos mesmos objectos, con-
forme o presen po nos estatutos desta eaixa filial.
O guarda livros,
Ignacio Nunes Cdrreia.
Pela secretaria da cmara municipal desta
cidade se faz publico, que a mesma cmara dar
principio a sua primeira sesso ordinaria deste an-
no no da 14 do correte, s nos seanintes.
SecretariitMia eamara municipal desta cidade 12
de margo de 18 6. O secretario, Francisco Cana
to da Boaviagem.
~GfJMPNfflTTWrfAMBCCAlTA
Tendo os legitimes propietarios das acgdes des-
la companhia abaixo mencionados, declarado que
-tiavum *e desencaminhado de (eu poder as de ns.
886 a 895e 2786 a 27y6, pela gerencia da Cimpa-
nhia Peroambacaoa-o por ordem da directora se
declara que da data deste a 30 dias, a vista da
requisigo dos mesmos Ihes fio ser entregues no-
vas accoes de Igual aumengao em subsUtuigo
aquellas que ficam assimscm valoFalgum,
Pernambuco li de margo de 1866.
O (rente P. F. Borges.
"Ws-
LEU
tin ;das aostVtosprofuctoi.
Sal da tmmissa 15 de marco de 1866.
O secretario,
Manotel Buarque de Macedo.
De urna fabrica de cigarros.
O afate Man i os hra'-leilao por ordem lio Illm.
Sr. r. Claudino de Araoja tuiroaraes cnsul por-
tuguezjda fabrica de cigarros sita ao becco do
Porto, perleneente ao espolio do fallecido subdito
portugaez Jos Antonio de Carvttho Maciel
IIOJK.
As 11 horas do dia na mesma fabrica.

LEILAO
De faendas avaria^as.
HOJE
Seguoda-feira (9 de nrirco as 11 oras
em ponto.
Greenup & Schwinde farao leilo por interved-
cao do agente nio a por coota e risco de quem
pertencer de dlAVefltes fueodas inglezas avaria-
das a bordo do vapor inglez Adrazen, e existen-
tes em so i watt ert-da ra' da Craz a. .40, eade
se efectuara o leilo as 12 boras era ponto.
Novo Banco de Pernambuco.
Em aneaataraento -4o Wp 3 dos estatutos de Catixa' Filial do fiaUCO
Novb Banco de PenraorBued; convido aos Srs. ac-
cionistas a reunirem-se em assembla gerai no dia
21 do correte, lo meio dia na casa do mesmo
Banso ruado Trapiche n. 34, afira de Ibes serom
presentadas a^ cnlas relativas ao anno social
Ando em 28 do fevereiro ultimo, e prceder-se
eleica.) da meta da assembla geral, da commis-
sao fiscal da otrecr qoeleem de funeci mar no
biwnio prximo.
Kacile, 40 tlenaargo d46i3.
esidawa^da-iassaaibla geral,
V. de Camaragibe.
Cmara municipal.
Pelo contadura da cmara municipal desta ci-
dade se faz pnilice.aioe -nos mezes de fevereiro e
margo se recebe a bocea do cofre o imposto mu-
nicipal sobre easas Oe negocio, e-iaquelles que nao
pagarera ueste terapo esli ujeitos a multa na
forma do art. 32 do regulara en to n. 360 de 13 de
junho de !8i4.
Contatoria l-!ia fevereiro de 1866.
O eonador.
______Caetano-Silvarto da Silva.
Tnbwial do conraiercio
Pela secretarla' do tribunal' do commercio de
Pernambuco se faz publico que re sessao do mes-
mo tribunal de 12 da corrente foi considerado va-
so o ollkia de eorsetor desta praga,'qae exerria
Fredetico Lopes Gaiti^raa*, o qual o abaadonou,
e qno a flangapreSUifla erat favor do mesmo cor-
rotor perslste-poraais enes, contados desta data ;
e qne rica marcado ovias* de 60 dias, para dentro
Hlelles se babflitarBnr'os tSoncorrenles ao feferio
offlcio.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco 13 de margo de 1866.
<0 official-maior
______ Julio 8a*nfies.
"^Daaiem do Illm. Sr. Dr. delflfko lo i dis-
trfeto (Testa cidade, encarregado ala eepudraaje des-
ta repart gao, fago pu tilico para con hec i ment de
qnem 1nlersssr vjossarunr pelo Subdelegado do 1*
distrteto da CMbdt do Hin Formoso, fopprehendi-
do nm cavallo taado, catiaohn, c ni manchas
brancas, o qual (oi depositad pelo ui/.o municipal
daquella cidade, perante quem deve, a paasoa qne
sefaigar eemdireMo ao tllto eavatlo?- reqoerer a
tua entrega, mellante prova* Jo seu dominio legal
Secretaria da policio di fernatnbuco 9 de mar-
go de 1866.
Edoardo de Barros Falco de Lacorda.
____________'Secreta rio.
Acham-se recomidos a casa de detengo, e
serao entregues a qoem provar perteucer-lhes, os
escraaos segnintes :> Antonio, qnel diz ser oscravo
de Joao Ferreira, reslente qae diz tambero ser escravo de nm Sr. Gaimares
com armazetn le assucar na ra do Trapiche,
Aetam-se rambemtefalfneiite depositados doos
cava los, nm peqaeao, cor rodado, e outro rugo :
quem, portaDto. se jalgar eom direito aos mesmos
cavados, provando, ser Ities-hao entregues.
Subdelegacia de polica do Ia districto da fregu-
zia da Boa-ViiU 10 de marco de 1866.
O sotdelogado,
Docio de AnoiaoFetrseca,
Tribu Bal de coaiHertio.
Pela secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco se fazaublico qne nesta dala brara ins-
criptos no registro publico do ceaemercio :
distrato da sociedade-de Jos Baptisia Braga,
Antonio Joaquim Moreira Sampaio o Antonio Go-
mes de Oliveira por seu testamente i ro, cuja socie-
dade gyrava nesta cidade sob. a firma de Oliveira,
Sampaio & C, que Oca dissolvida e liquidada des-
de 17 de fevereiro oltimo.
U contrato de sociedade de Antonio Pedro de
Souza Soares e Jos Alvos de Souza Soares, Portn-
guezes, establecidos nesta cidade sob a firma de
C01IKEI0 GEiUL
Relago das cartas existentes na administraeo
do crrelo desta cidade, para os senhores abaixo
declarados :
Padre Francisco Xavier ders Santos (Victoria).
Henrique da Silva Ferreira Hauello (Pao d'Albo),
Dr. Joaquim JosA da Fonceca.
Jos dos Santos Neves.
Mariano de Mello N'ery.
Manoel Jos Dantas.
BLU-IJIUU
^AVISOS M1R1T,W0S
COMPANHIA BlASILEiRA
/ DE
PAQUETES k VAPOR.
Dos portos do norte esperado
at o dia 20 de margo o vapor To-
canfn*, commandante o primeiro
tenenle Araujo. o qual depois da
^$*3E ^demora do costnme seguir para
os portos do snl.
Desde ja recebem le passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
3er embarcada no dia de sua ebegada, encom-
mendas e dinlrelro a frete at o da da sabida as
2 horas : agencia ruada Orna n. i, escriptorio de
alomo Luiz de Oliveira Aaevede & C.
^___.II *!*< !! II
Companhia Pernambucana
n
Xavega ParalMfta, Natal, Mirto, Aracaty, Ceara'
e Acarac.
O vapor Mamanoimpe, com-
mindante Rales, satura' 'para os
portos acuna no dia 2i as 5 ho-
ras da tarde. Recebe carga so-
______ mente at o dia 21 ; passageiros,
eneommendas e dtnaeiro a frete at as 2 horas do
dia da sahlda : escriptorio no Forte do Mattos n. 1.
LEU AO
De movis, louca, crjslaes, carros
e cavalUs.
Terca-feira 20 de marco.
Por intervengo do agente Pinto.
Na travessa de Joao Feruandes Vieira, casa do
Sr. Joseph Latham [o qual retirase para Europa)
devendo partir as 10 1|2 e 10 3|4 horas do dia ci-
ma dito da praga do Commercio os dous mnibus
para transporte /gratis) dos canoorronies ao re-
ferido lilao._______________
i*eiiito
de movis, loog, erystaes e niais ob}ectos peften-
centes a casa de familia.
1 carro de 4 rodas era perfeilo estado.
2 cavados proprlos para o mesmo e um cabrio-
let americano de fluas rodas, com arreios.
Terca-feira 20 de marco ft866) na travessa
deJoJfo Fernandes Vi Ira,
Jaseph Lathan tendo de relirar-se com sua fa-
milia para fiera do imperio fara leilo por interven-
gao do agente Pinto, de todos os movis, longa,
crystaes e mais objectos existentes em casa de sua
i residencia, e tambera de nm carro de 4 rodas, 2
1 cavallos propfWs para o mesmo e 1 caonolet ame-
ricano de doas rodas, cora arreios na travessa de
Joao Fernandes Vieira, onde se eleciuara o leilo
as 11 horas em ponto do dia cima dito, devendo
seguir para ahi um mnibus, o qual partir as 10 .'i
lloras da Praga do Commercio._______
LEILAO.
Terga-f-ira, 20 de margo de 1866.
Pelo agente Euzebio.
Por autorissgao da directora da eaixa filial e
mais ennsenhores se vender'era leilo o sitio que
foi do tallecido Sebastiao Jos da Silva, em Bem-
fica, Passagem da Magdalena, dividindo dos lados
com os sitios dos Srs. Bailar e Barroca ; urna
grande propriedade, sobrado de 1 ahdar e toteo, de
& portas e cerca de 50 palmos de frente sobre 110
de fundo, com muitas accoramedagoes para nume-
rosa familia, sillo cera baixa de capim, jardim, la-
uda de ferro pata parrerl, diversos qtrartos para
tervlgo externo, tanque para banbo particular, e
entras bemfeitoriaa, que s com a vista os preten-
denles satisfaro : as chaves eslarao ahi no mesmo
sitio, a ra da Cadeia do Recife n. 53, L andar.
LE1LAO."
Terga-feira, 20 de marco as 11 horas, a ra da Ca-
deia n. 53 aHdar
Pelo agente Husebw.
De nma mobilia nova de Jacaranda.
De urna casa terrea n. 1, do beco da Assumpgo,
rende por airno 96fi.
Do sobrado n. 27, chaos proprios, ni roa da Me
da no Recife, rende por anno 360a e das dividas
da massa Jos Antonio Dias de Figneiredo, no va-
lor de 9945700, por autorisflgao do Illm. Sr. Dr.
juiz eipecral do rdramercio, a requerlmento dos
credores, proveniente de fumo, charutos e cigar-
ros remecidos ao armazem n. 2 na ra da Madre
de Deus, os objectos cima serao entregues pelo
mator prego.
O eirorgiSo Joaquim Jos Ahes de Albnqnerque
mudou o seu consultorio para a freguezia de -an-
to Antonio, ra Direita casa n. 13, onde pode s;r
procurado das 8 horas da manha at as 4 da lar-
de. Pede encarecidamente a seus amigos e mais
pessoas que o prjcorera na freguezia do Recife
que deixem os seus chamados por scripto na bo-
tica do fallecido Luiz Pedro das Neves, roa da
<3roz n. 24, onde ser encontrado at tioia *ora da
tarde.
Declara mais one leudo rtaO-Vior especo de 33
anno- e uaico profe.-sor da enfermara demarnho
desta provincia, teve setnpre a s>-u Cargo um nao
peqneno numero de doentes atacados de diversos
soffrimentos, alm das operagoes por elle pralica-
das antes e depois da revotugao de 1840, que em
1853 fura encarregado do lazareto da ilaa do Pioa,
or occasiao da febre amarella, ssim como em
854rdo hospital de cbolerteos na freguezia do Re-
cife, uuo o.s seus canhecimentos professiooaas. theo-
ricos e praticos adquendos no decurso de lautos
annos em taes estabeleclmentos, o tem habilitado a
tratar de qualquer eofermidade : por isso esper*-
qne continuar merecer a estima e conQanga de
todos aquelles que quizerem utilisar de sua pro-
nsso.________________________________
Na ra estreita do Rosario n. 43, segundo
andsr, precsase aluirir urna eserava para ama
de casa de familia, assira como una ama da leite
sem filho.

LEILO
Amanha 20 o agente Euzebio, vender' em seu
escriptorio a roa da cadeia n. 53 1.* andar, o sitio
que foi do fallecido SebastiSo Jos da Sirva, urna
nobre chcara, cora muitas vantagens recooheei-
das; os senhores pretendemos aproveitem aoppor-
tunidade de fazer nma boa aoquislcao.
LEILO
Para o Rio de Janeiro
Pretende seguir com nanita brevidade o palna-
teo^ScwMfttai, Me eVtialda 17:94*887 | **SS5I5J?? tSLttS1
para o qual entra o Ia com 14:334#667, e o 2* com
De 20 barris com peixc
Qoarta-feira 21 do corrente.
O agente Pestaa fara leilo por coma e risco
de quem pertencer de20 barris com peixe de sal-
moura muito fresco desembarcado esta semana,
era lotes a vontade: quarta-feira 21 do corrente ne
armazem do Sr. Aooes defronte da alfandega.
3:6084220; de vendo dita sociedade dorar por tem
po de tres annos, contados do 1 de Janeiro do cer-
rante auno.
O contrato de sociedade de Francisco Googalves
NeKo Porluguez, Alfredo Heoriifae Garca e Joa-
quim Alvaro Garca. Braorteiros, estabetecidos nes
ta cidade sob a rJrma de Alfredo Garca
eem e capital do 120:0004, para o qual entra o Io
socio com 57:771*462, o cora 56:186*510. e o
3C com 6:092f028; sendo a dorago desta socie-
dade flxada em tres annos. qne ser3o contados do
1- de Janeiro do corrente.
Secretaria do tribunal do commercio da provin-
cia de Pernambuco 13 de margo de 18fi6.
O offli'ial-ajaior
Julio Guimaraes.
Pela aaasma secretaria se faz igualmente publico
u,ue nesta. data flea registrado o contrato de socie-
dade de Pedro Tinoco, Joaquim Ferreira Diniz e
Francisco Ignacio Tinoco de Souza, Portugaezes,
estabelecdos nesta idade sob a firma de Vianna
& Guimaraes, com c apUal de 62:251*085, arma-
dos 19:300*013 pelo socio Pedro, 14:641*986 pelo
socio Joaquim, e 28:229*086 em commandita pelo
socio Francisco agnacio, consistindo o valor dessas
entradas em raercadorias, dividas do estabeleci
ment e 20:000* em dinbeiro entregue pelo com-
manditario ; devendo esta sociedade dorar por es-
pago do tres annos, cootados de 2 de Janeiro do
crrante.
Secretaria do tribunal do commercio de Pernam-
buco li de margo de 1866.
O offlcial-maior
Jallo Guimaraes.
Pela mesma secretaria se -faz igualmente publi-
co qne oesta data fie a registrado o papel de deca-
racao d haver sido dissolvida a soetedaoe que nes-
ta praga gyrava aob a Arma de. Antonio de Souza
Oliveira & C, qne se coropunba do mesmo Olivei-
ra, e Antonio de Souza Oliveira e Mello, por ter
espirado o praso marcado para sua duragao, e de
ter (irado a llqnidaga da mesma sootedade a car-
go do 1 ex-socio qae flcou com o estabelecimento,
e nmeo reeponswrejl pelo aaeaivo.
Secretaria 14 deaaargo de 1866.
O offlcial-maior
Julio Guimaraes.
Pela mesma secretaria'se faz igualmente publi-
co qae oesta data 8ca registrado o distrato naso
ciedade que trabara nesta cidade Joao Jos Ribeiro
Guimaraes, Redro maneo o Jaaquim Ferreira Di-
niz, sob afirma de Vianna i Guimaraes, qne foi
dissolvida, e de cujo passivo tieara responsaveis os
ex-socios Tinoco e Diniz. e delle exonerado o
ex-soclo Guimaraes que recebeu o seo capital e
lucros.
Secretaria do tribunal di commercio da provin-
cia de Pernambuco 15 de margo de 1866.
O offlcial-maior
Julio Guiraaraes.
do seu
carregamento tratado, para o reste que Ihe falta
trata se com os seus consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio roa
ca Cruz n. 1._______________________
-^~Para~a Baha pretende sahir com multa bre-
vidade o v8lelro patacho Santo Antonio, por ter a
maior parte da carga tratada, para o pooco qoe
& Irmo, Ihe.falta trata-secom o consignatario Joaquim Jos
Googalves Beltrao : na ra do Vffario n. 17 pri-
meiro andar.
'Para Baha
Pretende segnir eam multa brevidade o palba-
bote nacional Dous Amigos, tem parte do seu car-
regamento prompto para o resto qne Ihe falta tra-
ta-se com es seas consignatarios Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio ra da
Craz n. 1.
Predsa-se tomar a risco martimo sobre o
cseo e apparelhos do brigue ioglez itddo, a Wil-
oo Mestre, a qnantia de 12:000* mais ou menos,
ra os reparos necessarios para dito navio voltar
lastro para um porto na Graa Brelanba. Pro-
/oslas em cartas (echadas devem er entregues no
dia40 do corrente at meio-dia no escriptorio de
Saunders Brothers & C.: praga do Corpp Santo
n. 11.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Savegac cesteira por vapor.
Aracaj e osalas.
O vapor Parahyba, comman-
dante Martin-, sahira' para os
portos cima no da 20 do cr-
reme as 5 horas aa tarde. Re
______ cebe carga smente at o dia 19,
pasaageires, eneommendas e di nheiro a frete al
as 2 horas da tarde do dia da sahlda : escriptorio
no Forte do Para a Aracaty
O hiaie Dous rmeos, para carga trata-se com
Tasso irmaos ou coi o Sr. Quintal no trapiche do
algodao.
WantedonBottormytm Hall Jackle of the
Rritisb Rrig jeddo a Wilson master Ihe Sam of
Iwelrs Tbonsand mil ris more or less for the ne-
cessany repalrs of said Tessel for her retwm in
Rallast to a porl in the limited kiogdom.
Jeoders recerred up to meddeny of ihe 20 Ib.
lust at the orneo of Sandders Brotls, praga do
Co|*jaannni.il._________________
Pretende saWr cora _mrra brevWade o cter
Erna, e para o tnatea taifa qoe Ibe falca, trata-
se aaaB-__-wataa roa do Rosario n. 22,
tsmoeaai-k) na na do Vi
- ka>t*air.
avisos DIVERSOS
Aos estudantcs de philosophla.
- Acaba de chegar e acha-se venda as
principaes livrarias desta cidade o addendo
AS QESTES DE PniLOSOPHlA DE A. CHARM.
Arapliarao sobre a doutrina das Proposiges,
e sobre a applicaco d melhodo s sciencias
pbysicas, s exactas, s raoraes e historia.
Brochara indispensavel aos estudantcs que
tiverem de fazer exame de philosopbia.
Dauiel Pancracio Wild, cidado suisso, sua
mulher e dous entiados vo para a Europa.
Luiz Coffrane, Suisso, vai para a Europa.
LOTERA
Aos 6:00O.s00O.
Corre sexta-feira S3
Acham-se venda na respectiva tbesou-
raria, ra do Crespo n. 15, os bilhetes,
meios e quintos da ultima parte da 5.a e 1.a
da 6.a lotera (52), a beoefioto do tbeatro de
Santa Isabel, sendo a extraegao no lagar e
hora do costume.
Os premios de 6.0000000 at 10,5000
serao pagos urna hora depois da extracto
at as 3 horas da tarde, e os outros depois
da distribuicao das listas.
As eneommendas sero guardadas so-
mente at a noite da vespera da extraccSo.
O ihesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
^alflanaRanl ^eataK^ssr^sst ws^ns^at^saaana^a)
Pires Machado
GASA DA F0RT1U
Aps ftOOOtOOO.
Bilhetes carastlsU
A' RA DO CRESPO N. 23 EtiASAS DO COSTUVB
O abaixoassignado venden nos ) muitofeli-
zes bilhetes garantidos da tai a ne se acaboa
deoitrahir, a beneficio da matrii de Salgueiro,
os seguintes premios :
X. 85 doos quintos com a sorte de 5001.
K ostras muitas sorles de 100, 404, *0#.
Oipossuidores podem vir receber seus respec-
tivos premios sem os deseootos das leis na Casa
da Fortuna i roa do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da ultima parte da 5a
e Ia da 6a lotera (53a) beneicio do theatro do
Santa Isabel, qne se estrabir sextafeira 23 do
crreme.
PRECO.
V^hetes.....64000
V-Vjpi08......3.W00
(inintos.....1^200
Para as pesstas qoe compraren de 100MW'j
para cima.
Bilhetes.....Sfiso
Meios......2*750
Quintos. .... 14100
MANOBL MaHTIMS Fll'ZA.

O lente fedro Beierra Cavalcantl Maciel,
pede a todos os seus devedores qne tenham a bon-
dad de mandar pagar os dbitos que devem ao
mstho.
Aluga-se o 3* andar do sobrado sito na rna
Imperial n. 1, com commodds WHcrentes para fa-
milia e por preco razoavel M tratar no 1* andar
do mesmo sobrado. _____
Gratiflca-se com a quantia cima a qnem der
exacta noticia on entregar na roa'sn'elta do Rosa-
rio a. 31, 2* andar, orna lroxa to rpopa com as
ioiciaes J F R, marcada coro linha encarnada, e
alguma dita de -euhora com as dtlas M R, coja
rbnpa sta' pefdida ou roubada desde o dia 7 de
jaaelr, ofoi -enfrfgue no porto das cabrias a um
caooeiro por borne Waz, par entrojar em Apipn-
cos lavadeira por nome Atona Joarruina qoe lava
no acode.
Aiuga-se urna sala com doas quarlos, propria
pata iormida de rapaz solteiro on escriptorio, na
roa da Crut n. 62 : a tratar no armazem.
Manoel Antonio de^rtVedo, abaixo assigDa-
do, retirndose para Europa, faz oleo te aos raqui-
linos dos seos predios e s mais pessoas com quem
lera negocios, que deixa como procurador ao Sr.
Gaspar Antonio Vieira Guimaraes com poderes
sufBcientes para dirigir, receber, pagar, e final-
mente para resolver como se eu presente fosse.
Recife 15 de marco de 1866.
Manoel Antonio de Azevedo.
OSr. Manoel Jos Lopes Braga, queira com-
parecer Secretaria da S. Casa da Misericordia
desta cidade, a negocio que Ihe diz respeito.
Jos Theodoro Gomes.
AMA
Precisa se de ama ama que saiba corinhar e
comprar, paga se bem: no lugar da Capuoga, por-
to do Jacobina, ou roa das Pernambucanas, sitio
que foi do nado padre mestre Capristano.______
A luga se doos pretos qne sejam robustos
para o servico de padarla, pagase bera : na ra
Direita n. 24.___________________________
Alugara-se doas casas novas muito Iresca?,
na Capunga, com commodos para familia, quintal,
arvoredos. po<;o d'agua de beber, e preco comrao-
do: na Tki das Trincbeiras a. 9, se dir quem
aluga. ______>______
Thereza de Jess Ribeiro Campos, parteira
examinada, moradora no pateo do Hospital u 26
annos, defronte do oito da rfinacao, casa n. 5,
faz sciente ao respeitvel publioo que contina sna
morada na mesma casa.
Precisa-se alugar nm escravo que seja fiel
para o servico de parlas dentro de urna liihogra-
pbia, vindo as 8 horas da manha e largando as 4
da tarde : quem o tiver e queira alugar, dirija-se
ao 1. andar do sobrado n. 46 da ra da Cruz do
Recife, qne achara' cora quem tratar__________
Preven cao.
Nao foi anda al o presente restituidos os du-
zentos e qnarenta e cinco mil e tantos ris, assim
como os livros qoe se pedia oo Diario de 23 de Ja-
neiro do corrente anno, a pagina 4 Quem ava-
llar de quanto sera capaz aquelle i-nte impuro e
trai$oeiro se tal quanlia c objectos Ihe fossem rou-
bados ? I A fustiga divina Ihe dar a merecida re-
compensa por semelhante industria I ____^_
MONTE PI POPULA PEK-
S
Francisco
Portel la
MEDICO E OPERArOR
PELA
i acaldado de Pava.
continua no exercicio da sua proflsso,
especialmente as molestias de olbos, de
vas urinarias e de pelle, para cujo tra-
tamento julga-se nabilitado ttenta a pra-
tica adquirida nos hospitaes daqaella ca-
pital, e os iuslrumuotos mais modernos' I
que possue.
Accode promptamente a qualquer cha- j
mado para fora da cidade.
E encarrega se de collocar olhos arti-
ficiaos.
No pateo do Carmo o. 2, esquina da
ra de Hortas, das 6 as 10 horas da ma-
nha, e-das 3 as 5 da tarde.
Na praga da Indeaendeneia existe nma carta
para o Sr. Dr. Candido CaBadoJjma.__________
CAXEIRO.
Preci.sa-se da nm caixeiro qoe tanda bastante
pratioa de taberna e que d conheeimento de sna
candada, prefere-se portaanez : na roa Direita
n.72.
Jil
De ordem do irmo director convido a todo; os
nessos irmos que se acbam em dia, para a reu-
nlo da assembla geral no dia 19 do corrente,
pelas 7 boros da nota, afira de se tratar de nego-
cios muito importante para o Monte Pi.
Secretaria do Monte Pi Popular Pernambucano
16 de margo de 1866.
Joao Xavier e Silva.
1* secretario.
O abaixo assignado, establecido com taber-
na na roa das Crazes n. 24. Jolga nada dever nes-
ta praga era fradella ; mas se algoera se julg-*.r
seo credor, tenba a bondade de apresentar-lhe no
praso d tres dias para ser paga. Recife 19 de
, margo de 1866.
_____Custodio Lollago P^relda Jnior.
~ FEITOR.
Predsa-se de om feitor para um sitio em Santo
Amaro : a tratar na rna_ doBrunn. 66.
-~ Na raa da Senzala Nova n. 38, es-
criptorio, compra-se iita escrafa boa eo-
gommadeira, nao se olhaa prego agradando.
" Ansentou-se da casa de Feliciano Jos Go-
mes o sea escravo crloulo de nome Felippe, ena-
ltara regalar o picado ao resto de signaes de be-
xigas.tendo-eahide do lugar da Boa-Viagem sab-
bado a tarde 10 do corrente mez e foi visto era 15
no engenbo Gamassari, d'onde se ausentou no
i mesmo dia : quera o pegar e levar a seu dono na
[ roa do Apoi'o a. 36, era generosamente recora-
pensado.___________________________
Precisa-se de um homem que enlenda do
servico de campo para Irablhar em om siih per-
to desta praga : a tratar na estrada de JoSo de
Barros, secundo sitio a direita passaudti a bomba.
Pogio no dia 9 do corrente o mulato Fausti-
' no de idade de 26 annos para mais, haixo, grosso.
olhos pretos, ps esparalhado e nariz afilado, maos
! cunas, roapa de algodozinho : quem o pegar
' queira leva lo em Santo Amaro em casa de Manoel
Custodio Peixoto Soares, que ser gratiPcado.
Lavara-se chapeos de palba para seohora e
do Chili para hornera e se Informara pelo s-stema
' moderno : na ra da Iroperatrit 18, loj.
/



4
"


m
*
>-
V
I
T
-...--
/"





*
u
Sj'. A** *
~~~~l
i
m
1
"Jf HffPW***-: *c~v4MMflM# **<* *e tee.
^
A LEGITIMA
Cmpahia. gral Eespankola de seguros mutuos
sobre a vida
^
FABRICA VAPOR
99 RA DO MONDEGO 99
Deposito na ra Nova n. o loja de relojoelro.
Delouche donos deste estabelecimento partecipa ao respeitavel publico que 6ua fa-
brica est montada com as melhores machinas que axistem na Europa, e que pode
fabricarcom melhor perfeicao possivel. Todo o chocolate desta fabrica est garantido, e
puro, o que nao se pode encontrar naquelle que vem de'fra, e que se vende porpreco
baixo, visto os productos seren do paiz. Na eiiq.eta lera sempre urna aguia.

PREQO.
Meia libra..... ... 4C0
Urna libra. ........ 800
Urna arroba........19,0000
Na mesma fabrica acaba de se montar urna officina com serrara a vapor para
obras de marcineiria propria para edificio, para o que encarreg i-se de fazer portas, ja-
dellas, assoalbos (parqu francez como se usa na Europa,) e armacj.es, tudo com brevi-
nade e'perfeicao. Toma-se qoalquer encommenda para fon da cidade, entregando-se
prompta a collar-se no lugar.
DE


DE BRISTOL,
PREPARADA U1HCAMENTE POR "
LAMAN k KEMP,
NOVA YORK.
Composta de substancias, gozando da;
propriedades eminentemente depurativas 8
approvada pelas juntase academias de me-
dicina; usadajnosprincipaes hospitaes, ci-
vis militares e da marinha as Antilhas e
no continente americano; receitada pelos
facultativosos mais distinctos do imperio do
Brasil e da America hespanhol
CUSA RADICALMENTE
escrophulas, rheumatismo, escorbuto, en-
ormidades venreas e mercuriaes, chagas
antigs, morphea e todas as molestias pro-
venientesd'um estado vicioso do sangue.
Emquanto existem varias imitaces e
(alsificac5os, preciso a maior cautela para
evitar os engaos
A legitima salsa de Bristol vende-se por
CAORS & BARBOZA
JOO DA C. BRAVO A C.
Joo da C. Bravo & C.
Oeposito geral em Pernamnoco ra di
Cruz n.22 em casa de Caro?
AUTORIZADA PELO REAL DECRETO DE 21. DE DEZEMBRO DE 1859
(la* laica ea dinheiro, depositado ios cofres do estado, garaate a boa ad-
iinistracao da companhia. .
BASQUEMOS DA GOMPANHIA" DIRECCO GERAL
O Raneo de ilespanha Madrid: Ra do Prado n. 19
Ea cempanhia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de supervivencia dos segu
os sebre a vida.
Nella pode se fazer a subscripeo de maneira que em nenhura caso mesmo por morte do
segurado se perca o capital sen os juros correspondentes a estes.
SiolouPrneB NAL,q*e aiejja me*nK>dlmlnuindo urna terca parte do mteresse produzido em recentes liquida-
rles e comblnando-o com a mortalidade da tabella de Depareieux que adoptada pela companhia
Min2n* clculos e liqu/dacoes, .em segurados de idade de 3 al9 annos, urna imposicao annua.
te MMlf produz em enectlv metlico:
No fim de 5 annos. .....
..... r de 10 ...
I ra 'i**"86 de "i91* iaa- fof*" 0tt acr)lva pa-
ra de punca familia: a tratar na ra Direita
i* sonar.
Pr*^ "lado- ata Mera v spiVKit"!? .de Dm cri4(to oa"*e atb esoravo Que
So" **** : paga'e bia>> roa *> i.
so do arsenal de roa-
. T O encarregado do Pa?3U
credor pode dinglr-se j^^ffj
..... 1:119*300
..... 3:942*600
fc ....... 11:208*200
* de 20........ 30:256*000
.,, e 25 '.......80:331*000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
n-ospecl.s e mais Informacoes sero prestadas pelo sub-director nesta provincia,
oaquim Fiuza de Oliveira, ra daCadela n. 32, ou a Boa-Vista ra da Imperatriz n. 12. estabelcl-
mento dos Srs. Raymundo, Carlos,Leite & Irmo.
TINTURARA


AO GRANDE S. MAURICIO

PKOE^O APERFEIOAllOS
PARA
Tingir, I Impar e lustrar a vapor.
C OKJLIIO <*? FRJBITAS
Rna da Cruz n. 16.
Continua a haver diariamente um sortimento de pastis, podins, bolos inglezes,
empadas etc., etc. Os donos dote estabelecimento, acbam-se as melhores condicoes: ?a d0 Rosa.ri." Jo Bom-Conseiho, na ra da
de poder satisfazer encommendas concertles sna arle, em consequencia do 8IfSSSS^StU^SA^
Freitster sido administrador chefe de algumas das princi, aes fabricas na corte, sendo \ quaiquer um fa referidos coiie
urna a do Sr. Jo2o Goncalves Guiniar5es (confeilaria de Leao) antiga casa de Carceller.
Todos os trabalhos sao differentes dos que se fazem em casas particulares.
Os proprietarios deste estabelecimento nao se tem poupado a despezas, nem se
pouparo, se houver concorrencia como esperam ; lendo continuadamente bom sorti-
mento de doces para cha; presuntos e ditos em fiambre, tambem se recebem para se-
rem preparados ; assim como doce de caj novo superior, secce e crystalisado, dito em
calda em latas hermticamente fechadas, podendo durar annos em perfeito estado.
Para jantares e partidas recebem-se encommendas dos seguintes objeclos; ban-
ricamente enfeitadas sem armaco pecas de amendoas (nogaces), ditas de tmaras
F.A,
O padre Flix Brrelo de V*sconcelios extin-
gui a ula particular de lalim que tioha em sua
casa, e d'ora em diaole ensinara somente no col-
leglo do Sr. professor JeroDymo Villar, na roa lar-
" ""ario, e to do Bom-Conselho, na ruada
Os alumnos que quizerem aprender com
e com
collegic
Samnei Power Jobnston & Companhia
Ra da Senzala Nova n. 4. .
AGENCIA DA
Fuudlco de Low Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas do ferro coado e batido para enge-
nho,
de ovos pies de lenfeitados com disUcos nalogoTT quaiquer fim? ditos "montados," Arreiosd^ carro Da"r7~rnri P dnn^cavalioR
kechs simples e eefeitados com f.uctas inglesa; gathelux de la reine, ditos de le do- kXosde mn Sa ente intrlez
chese tortas de fructa, massa folhada; ditas de peixe e carne; cromes e doces de ovos Arados americ
ue differentes especies.
Tambem tem um completo sortimento de vinhos engarrafados, como sejam: vinho
do Porlo superior, Figueira, Madeira, Lisboa, Cherez, Bordeaux, Champagne fino, ser-
veja, licores, charapes e conservas. Para festas: bonitas caixinhas com amendoas, con-
fetos e mais enfeites. Muitos destes objectos mencionados podem-se perfeitamente ac-
condicionar tanto para a provincia, como para fra.
. K FIGURAS
Acabam de receber bonitas figuras para bandejas de doces, sendo grupos para
baptisado, casamento, annos, dilta a phantasia, bonitos enfeites para bollos e circular pra-
tos de doces finos, tudo por pregos razoaveis.
Vende-se licores em duzia muito em conta.
29 Kua 7 de setembro 29
Defroate da rna nova do Onvidor (Rio de Janeiro)
Os proprietarios deste estabelecimento, o primeiro no sen genero no Brasil, por
trabalhar com as machinas mais aperfeiooadas para tingir e lustrar, de que se faz uso na
Europa, eajudados poralgunsdos melhores officiaes de Paris e Lyao, podem assegu-
rar a seus freguezes urna perfeivo no trabalho, a qual seno pode chegar pelos proces-
sos ordinarios. r r
Tingem, lavam, limpam e demofam com a mai r perfeicSo e brevidade quaiquer
quahdade de fazendas, tiram nodoas e limpam secco sem molliar as sedas e as vestimen-
tas de sennoras e de homens.
americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.

OA
Joao Jos de Carvalho Moraes & IrmSo, sac-
cao sobre a praca do Rio de Janeiro.
g DEPOSITO DE CALCADO g
m FABRICADO XA CASA DE DETENQ0 M
g| Ra Xova n. Gl. gg
pm Ah se encontraro obras de ii- ^
' versas qualidades, e por pre?o naui \
diminutos, a retalho e em porgues.
So se vende a dinheiro.
- Joaquim Bernardo dos Res sniicUio brasilei-
ro val a Europa e dorante a sna auaiack di
como seu primeiro procur*dor o Sr. Fraocisco
Antonio da Bos,e ni segundo o tea eaixeiro o-
Sr. Manoe Baptisja de Aibaide.

Precisa-se de urna ama para comprar e cosi-
nhar para casa de horoem solteirot qaw estiver
nestas circumstancias dirija-ge a loja 4a aurora na
rna larga do Roario n. 38, para tratar.
A Sra. D. Rosa Mana da-- Concelcao e os Sr-.
Antonio Ferrejra Atves da Silva e Jo- Flrmino Ri-
beiro Filho, qaeiram vir a admioistraco do cr-
relo desia cidade para receberem cartas vindas do
sul.
Frease um navio de 150 a 200 toielladas
PMftS Rio de Janeiro : a Iralar na ra da Con-
cordia com a H. Bradiey.
~ Precisa-se7 alogar orna ama para comprar e
coilnhar: ajtralar na roa do Apollo n, 9.
Antonio Jos Rodrigues de Sonta na roa do
Crespo n. 15, loma dinbeiro para mandar entregar
na Bif-.ia, Para e Maraunao.
Carvalho & Noguerra narua do~Apolln.
20sacam sobLisbOa, Porto, liba de S. Migue*
Rio.de Janeiro, a vistaau a prazo.
Os senhores acadmicos do 3* anno podem
querendo, dingir-se a roa da Sandade n. 9 a' com-
prar o compendio de direito civil patrio, approval
do pelo govemo imperial.
N. O. Bieber C, sucessores, sa-
cam sobre o Rio de Janeiro a vista ou a pra-
zo conforme se convencionar.
Precisa-sft de om bom copeiro para nma casa
estrangeira : trata-se a
criptorio.
iua do Vigario n. 2, es-
Offerece-fe nma ama para comprar e cosi-
nhar para casa de homem solteiro : a tratar na
roa do Fogo n. gj. ______
GARRAUX DE LAILHAGAR & C."~
LIBRAIRIE FRANQAISE
Rna do Crespo n ?.
LIVROS NAQONAES E ESTRANGE1ROS
ReligtloPhilesophia Jnrisprndencia Littera-
turakiencias e artoi.
Papelaria, objectos para escriptorio.
Acabam de receber G. Paes do Amaral & C.
5 RA DO CRESPO 5
Autiga casa de Snherme da ilva Ciulmares
Ricos cortes de vestidos de gros-de-naples preto, com lindas barras bordadas.
Moire-antique preto em corles e em pegas, liso, ondeado e com palmas.
Gros-de-napies prelo, de diversos pregos e larguras.
Gorgura > preto, fazenda superior a todas pela quahdade, e bonito tecido.
Este estabelecimento
acha-se sonido com numerosa quantidade de filos pretos, de algodo, de hnho e de se-
da, manufactura !os em
tten
cka!e<
retondas
akerienes fboui*nus)
auamites






afriedines
pompadour
DE FANTHASIA
Receberam tambem bonitos cortes de popeline de listras de cores, e matisadas,
muito modernas, de gostos inteiramentenovos; e oulras muitas fazendas de gosto, vin-
das pelo ultimo vapor.
G. P. DO 111 tttlL Precisa-se de costureiras para m
I g fazer caigas de brim e cohetes: na M
a ra da Gadeia do Recife n. 38, pri- g$
|H meiro andar. s
mmmm mmm mmMm
*- Precisa-se alugar urna preta de meia idade e
goe sirva para todo servlco : a tratar na ra Im-
perial n. 39, taberna.
Precisa-se de um eaixeiro portuguez de~8 a
-0 annos, que tenba pratica de taberna e que d
informacao de sua conducta : no paleo da penba
numero 13.
As Pilulas Catharticas
P DE AYER.
O purgante mal efecaz at hoje eonhecMo.
FAZENDA E ROUPA FEITA
RCA MOVA I. 94.
Reg & Moura, proprietario da loja de fazendas e re upa feita, sita rua*Nova
n. 24, verdadeiramente penhorados e reconhecidos para com seus amigos e freguezes,
pela aceitago e confianga que delles tem merecido no curto espago de lempo em qu
se acham establecidos e perfeitamente escudados na siceridade dos seus tratos, decla-
ram para sciencia daquelles que o quizerem honrar com seus officios, que, em vista da
grande concurrencia que tem merecido o seu estabelecimento, especialmente no que
relativo a roupa feita; acabam de admitlir para a sua officina de alfaiate maior numero
de artistas, inclusive o seu contramestre, dirigido pelo hbil mestre Lauriauo Jos de
Barres, o qual nao se poupa a exforgos para salisfazer com a presteza possivel quaiquer
obra de encommenda.
Os mesmos annunciam aos seus freguezes que acabam de comprar um novo e
muito variado sortimento de fazendas finas e de bom gosto, proprias para o tempo da
quaresma, as quaes estSo dispostos a vender por pregos muito commodos e mais barato
que em outra quaiquer parte.
Como sempre escusamos essa enfadoba prolixidade dos annuncios bombsti-
cos ; preferimos mostrar na singeleza deste nosso convite os bons desejos que nutrimos
para bem servirmos quelles que vierem ao nosso reclamo.
5
RA DO CRESPO 5

DE
X.
J.
55. RA DO
DE
VIGNES.
IMPERADOR M. 55.
'

Entos pillas ro puramente vtg-
itaeg, nto leudo na sua compo-
si0 nem mercurio nem outro
ngredicnte mineral; cao inno-
centes para as cilancos e pessoas
mais delicadas, ao nie.-mo tompo
que, compostas como sao de vegi-
lacs inul fortes, sao bastante acti-
vas e eticazes para as pessoas mais
robustas.
Estas pilulas cut liarticas purgao e puriScao todo systema
; liumano *m mereurio.
Xo se tein poupado traballio nem despeza para levar estas
j pilulas n um grao de perfeccao tal, que nada deixa a desejar;
| tao o resultado de anuos de estudos luboriosos e constante;,
j Pan alcancar todas as vantagens que resulto de uso de eathar-
; ticos, tcm-ee combinado somente as rirtiule curativa* das
j plautas que sao cuipregudas ua coutcevao das pUulas. Sua
I .on.po.-i.;.in e tal que as enormidades que cstao ao alcance
de ua accao, raras vezes podem resistilas on evadi las.
Suas propriedades penetrantes explorao penetro, purifican e
rao vigor tortas *l partes de organismo humano; pois corrigen!
n sua ecko viciada e Taz recuperar a sua vitalidade. Urna das
j consequeneias dstas propriedades que o doeute, abatido de
ilr e dt-bilidade plijslcn, udmlru-se de encontrar, tao deprossa
tua saude c energa recuperadas por mel d* um remeti to
simples e agr.'.riuvel.
Aa molestia que esto ao seo alcance so.
7 EHAatiuaxt, Iiiditjatao e nuil to utemtigo. Hemorrhoidas,
PADEOIMENTOS DO FIGADO,
Companhia fidelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PBRNAHBUCO
"AuioHio Luiz de Oliveira Azevedo k C,
competentemente autorlsados pela direc-
tora da companhia de segnros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercadu-
ras e predios no seu escriptorio ra da
Crui n. 1.
MARTIMOS
O Dr. CaroHno Francisco de Lima San-
tos contina a morar na ra do Impera-
dor n. 17, segundo andar, tendo alias sea
gabinete de consultas medicas, logo ao
entrar, no primeiro.
O mesmo doutor, que se tem dado ao
estudo tanto das operacoes como das mo-
lestias internas, presta-se a quaiquer cha-
mado, quer para dentro quer para fra
da cidade.
lepres
f
Os pianos desta antiga fabrica sao boje assas conhecidos para que seja necehsano insistir sobre a
toa supenoridade, vantugens e garantas que offerecera aos compradores, qualidades estas iucontesta-
veis que elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; pos-
soindo am teclado e machinismo que obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas, sem 1 /t(" uMtro-hewtiai, Ga*t,te, s^fie aiiom* lombriga,
Qunca falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melboramentos Importan-1 ri>iJ"<. u t ssimos para o clima deste paiz; quanto s vozes, sao melodiosas e flauadas, e por isso muilo airada- ?a,UMU-k Maaui d sau.ie do ur. Ayer, que se publica
'""trlbuicao gratuita, eucontra-.se um tra-
tis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
eerrespondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposicSes.
No mesmo estabelecimento se achara sempre am explendido e variado sortimento de msicas dos
meihures autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendid por
precos commodos e razoaveis.
MINCHA SEN IGUAL
Ricos cortes de gorgoran de seda pretos adamascados pira vestido com 13 metros
ou 18 a 20 covados cada corte, largura de chita frsnceza, pelo baratissimo preco de 50J
_-f> cada cone : na loja das columnas da raa do Crespo n. 13 de Antonio Correia de Vascon-
'* cellos & t.
Jocosos auno, para distr-----,.. ..---------,-----,..,,:
tado sbr as alversas doencu *roi stao no alcance de
HBMBDIOS PUBOAlTES.
Acba-se em todas as lloticos e Drogaras do Imperio.
r,n7 v.P-ecif "stde Dm meD0 de 14 a 16 annos :. O hospital ponuguez de beneficencia precisa
ra fabrica dechamios, na travessa do Marisco n. de um enermeiro : qoem se joigar habilitado e
fumo ** PreC'i de um P|cador de 0zer contratar-se dirjase ao Sr. provedor An-
' ___ ___ i tonio topes Perelra de Mello on ao secretario Joo
r, ~ j. iTT------------------''--------Pereira Rabello Braga.
Luvas de pellica pretas e ou
tras cores.
miudezas a raa do
O Peitoral de Cereja
E AYER,
?ARA A ntOJIl'TA CL'ltA DA
Angpin, de Ccnstipaeea, Teesea, Bouquidao Influ-
enta, Bronchite, Ttaloa primaria, Tubrculo
pulmonares, e todas as molestias do
Feito, assim como para aliviar
os tnicos declarados.
As preparagocs do Dl. Aybii Sao vendidas as prlucjpae
drogaras e boticas do Imperio.
Vende-se em Pernambuco:
ria
Cosinheiro.
Precisa-se de um cosinheiro que seja escravo a
na ra Nova n. 60, armazem da Liga.
BOMBAS DE PATENTE
Ra Nova &, 30. :
Chegaram as n eltioreo bomhas americanas do
melhor systema que ha, assim como as pessoas
que pretender encanamentos para agua pode se
dirigir a mesma lojaque tem sempre canos, chum-
bo, torneiras, choques, vlvulas etc.
O Sr. Francisco Jos de Frenas Goi-
maraes, queira ur a bendade de appare-
cer na livraria n. 8 da praca da Indepen-
dencia.
Em casa de Theod Chrisliansen, roa do Tra-
piche-novo n. 16, nico agente no norte do Brasil,
deBrandenburg frres, Bordeaux, encontraseel-
feclivamente deposito dos arligos seguintes :
St. Jnlien.
St. Pierre.
La rose. -----
Cbateaa Loville.
Cbateau Margaax.
Grand vin Cbateau La filie 1838.
Chatean Lafilte.
Haut Sauterues.
Cbateaa Saaterues.
Cbatean Laiaur Blanche.
Cbateaa Yquem.
Cognac em tres qnalldades.
Azeiie doce. Precos de Bordeaux.
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnisadora, estabeleci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercadorias e mobilias:
oa_rpa do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Aluga-se a grande casa dama da~Florenlina
n. 20 com muitos e excellenles commodos para
nma grande familia morar muito folgadamente :
quera a pretender emendase com o proprietario
na ra do Hospicio n. 30, das 6 as 9 horas da ma-
uha, e das 3 as 6 da tarde.
Na praca da Independencia-nT33~loja de
ourives, compra-te ouro, prata, e pedras preciosas,
e lambem se faz quaiquer obra de encommenda, e
todo e quaiquer concert.
Associaco Couniuercial B aeiceote,
A dirci'eao da Asfociacao Comraercial a quera
foi presente pelo Sr. conde Antonio Ladislan Ja-
sicn.'-ky os estatutos e pecao em favor da coloni-
saco v>olaca, convida os Srs. associados a compa-
recerem a' renniao exiraordlnaria da assembla
geral da mesma associaco no dia 20 do corrente
ao meio dia,, aGm de ser discutida a conveniencia
do objectn, e promoverse a subscripeo de asslg-
naiuras, se assim for decidido.
Associaco Commercial BeneGcenle de Pernam-
buco, U de marco de 1866.
Candido C. G. Alcoforado, .
Secretario.
Offerece-se dous engenfos moenles e cor-
reles com agua a quem qnizer arrendar ou com-
prar, sendo um na fregnezia de Santo Anto dis-
tante da cidade da Vittoria 4 leguas e 3 para a es-
co de Frexeiras, boa cata de vivenda, senzala,
cercado em valado e muila mata, e moudo do
necessario como seja casa para bapasso e estuf?.
Ontro na freguezla delpojoca distante duas legis
emeia para a estacao da Escada: quem pretender
dirija-se ao engenho Sibir da Serra ou da Alba-
laia que achara* cora quem tratar.
Antonio Graciano de Araujo Guarita, brasi-
leiro, solteiro, natural da provincia da Parahiba
do Norte, retira-se para Europa.
Preciza-se de urna ama captiva para fazer o
servico de dentro de urna casa : na ra do Monde-
go n. 99 fabrica a vapor.
Precisa-se de ama ama qae saiba cozonbar e
comprar : na ra da Cruz n. 56, primeiro andar.
P lo do ar
no armazem da bola amarella no oilao da secrea-
ria ta polica, receDem-se encommendas de fugo
do ar para dentro e fra da provincia.
COMPRAS
Compra-se ouro, prata e pedras preciosas
em obras velhas: na ra da Cadei do Recife
cja de ourives no ireo da Conceicao.
Compra-se carosso (sement) de algodo : no *
armazem de algodao de Saund.ers Brothers & C.
no caes de Apollo.
Comprase um escravo que seja moco, sadio
e sem vicio : na ra larga do Rosario n. 34, bo-
tica.
Compra-se urna casa de sobrado no aterro-
da Boa-Vista ou ra da Aurora : a fallar na ra
do Crespo n. 17.__________________________
Ouro e prata.
Em obras velhas : compra-se na praca da ln
dependencio n. 22, loja de bilhetes.
Compra-se nma burra de ferro, ingleza ou
mesmo das antigs ; na ra Nova n. 31.
Compra-se urna escrava moca de 16 a 20 an-
nos, sadia e de muito boa conducta, ou duas ne-
grinbas de 10 a 11 annos, sendo tambem sadias :
no Recife, ra da Cruz n. 29.
Compra-se garrafas vazias brancas e vidro
vasios; na ra Larga do Rosario n. 10.
Coraprara-se libras esterlinas : na praca da
Independencia n. 22, junto ao relojoelro.
Compra-se um cavallo de boa figura e com
alguns andares : na ra do Livramenlo n. 19.
Compram-se portas feilas de amarelo q- e
tenhara 13 palmos de alto e 6 e 12 de largur> :
quem ti ver algumas falle na ra larga do Rosaiio
loja de louca n. 23.
.JIM.JMIIIII.J .,11
VENDAS
Chegaram para a Jlija <
Uneimado n. 16.
Antonio Luiz de Oliveira Azeveo & C. tem '
para vender no seo escriptorio, roa da Cruz n. 1,'
vinho do Porto em caixa de dnzi, fio bamburguez,'
cola da Babia superior. l
No sebrado da ra Nova n. 36, aluga-
se ou compra-se urna escrava que seja
perfeita eogomrnadetra.
Engomma-se
com asseto, promplidlo e preces razoaveis: na ra
Augusta n.5. loja. ___
0 bacharel Miguel Augusto do Nasciraento
Feitosa, avisa ao respeitavel publico desta cidadj,
que est assislindo na villa de Igoarass, d'onde
offerece os seus servicos como advogado, p dendo
quera com elle quizer tratar, irigir-se on a mes-
ma villa, ou ao escripturio do seo irmao o Dr. An-
tonio V. do N. Feilosa, nesta cidade.
PARA 1860.
Acabam de sabir luz as olhinhas de
algibeira e de porta para o armo de i866, o
mais correctas possivel tanto no clenlo das
las e eclipses, como as diversas festas
que a igreja celebra; vendem-se nicamen-
te na livraria da praca da Independencia,
160 ris as de porta e 320 ris as de algi-
beira.
Carneii'o de sement
Vende-se um liado carneiro de raca ingleza na
cocheira da ra da Imperatriz. n.
Vende-se um cabriolet de qaadro rodas ame-
ricano, airatar: narua do Livramenlo o. 38.
Vende-se a casa sita na rn* Velha n. 47 :
quem pretender dirija-se a ra do Cabuga', botica
do Sr. Cruz Correia.
Aluga-se por um anno on mais aooos, ou
vende-se um boro sitio com boa casa de moradia e
jardim na Capnnga nova, ra das Pernambucanas
n. 20, contigao ao do fallecido padre Capistrano.
para melhores informacoes a iralar na ra da
Cruz n. 33._____________________
Precisase de urna amn que saiba cozinh'ar e
comprar para casa de pouca familia : a tratar na
rna do Calinga n. 4, loja de miudezas._____
Precisa-se de dous trabajadores de padaria :
na ra d i fangal n. 9. _
mim
Na fabrica a vapor de marcenara da roa do
Mondego n. 99 precisa se de alguns rapazes de 16
a 18 annos, de boa conducta e era offlcio para
aprender a trabalhar com as macbiaas, se dar'
alguma coosa logo que entrar, equando sonber
bem trabalhar podera' ganhar Dom jornal.-
Precisa-se de naia escrava para o'servpjTde
casa, e que saiba engomn.ar: na roa da Cadeiado
Recife n. 27, Io andar.__________________._.
O tenenie-coronel Mariano llamos de M?n-'
doea vai a Europa, levando em sua companhia o
menor Antonio.___________________________ -
Preciza-se de urna ama para todo servico de machina de 120 serrotes omjuma machina a
ama casa e saiba engommar : na ra Direiu vapor, propria para a mesma.
n. 96.
Urna pessoa com bons aitestados d sna con-
ducta se offerece para criado : qoom .precisar di-
rija-se a praca da Boa-Vista n. 32.

ATTENCAO.
Henry Forster C, ra do Trapiche n. 8
tem para vender:
Prensas para enfardar algodSo. ...
Machinas de descarocar algodo, d3G a
60 serrotes, com motores, assim como nwto-
rs que servirSo para quaiquer servico, e ama
Precisa-se de urna pessoa para,.criado, e que
saiba bolear : no pateo do Carmo nflS, Io andar,
achara' com quem tratar.
INJECCAO BROW.
Remedio infallivel as agnorrhecs antigs
recen, tes, nmeo deposito na pliarmacia
e franceza ra da Crui n. 22 e ao piteo de
30000.
r
1
-,--


el
miitlm 4e ^ernambnco Segunda fejra l|Nj Vareo e 18G6.

NOVA LO JA
PCIOLQrlMfiA
* t Una 4a Imperatriz arnazeni
dapira lar|a *.
jm(oiHHi fradcexa de
Paredes Porto.
Neste esubelecimento encontrar* o respeiuve)
publico um variado sortimento de fazendas (ranee-
xas, lagunas, gQlssas e allemies, que se venderao
( por prego conjmodo.
\ Paredes Parto
V^ Vende chales de renda de cores qoe se vende-
rus *18# est venteado por 6*, ditas pretos, fa-1
zeada nova, 5*, 6*, 8* a 20*, um sortimento com-;
pleto de manteletes, capas e.sonumbarques 14* a
25*. Roa da Imperatriz n. 42, junto a pasarla fran-
ceza, armazem da porta larga.
SALSA
PARA
MAYER
A'CfRiA
de escrfulas f nfblesiia's escrofalosas, tumores, ulcraarchagas, feridas ve-
lhas, bfnchocele, papo ou papira, a syphis, enfermidades venenas ou mer-
curiaes. ,"'
AS MOLESTIAS DAS MULHERES
ratnelo, mensuro doloroso, ulcerac5es do tero, flores brancas, etc., ulcera-
cSo, debilidade, expoliacao dos ossos, a nevralgia e convirlses epilpticas
quando causadas pela escrfula.




Paredes Parte
Receben um completo sortimento de laasiafaas a
140, e 280 rs. covados, para acabar, cambraias de
cor a 40 rs. o covado, riscado escossex para ron-
Ki de menino, fostio de linho a 430, 400 e 00 rs.
ua da Imperatriz n. NI junto a padaria franceza.
anaazem da-porta larga.
Paredes Perl
Receben para cortinados para cama franceza a
1* a peca cambraia lisa Bna a 3* 4* at 10* a
peca, cortes, de tarlatana de bonitos gostos a 3*500
4*, cambraia com flor de seda, gostos inteira-
mente novos a 400 e 500 rs. o corado, no armazem
da porta, larga n. 52, ra da Imperatriz junto a pa-
daria franceza. .
Paredes Parto
Receben pelo ultimo paquete um sortimento de
oruzes cora podras para opescoco, benitos caxinels
de lia para peseoco de senbora. Ra da Imperatriz
n. 52, armazem da porta larga.
Paredes Parta
Vende cortas de gorgorao preto para vestido com
21 covados cada um 35*000, grsdenaple preto a
1*600,1*800 e2* o covado, lias lizas finas a 400
rs. o covade, lias de qnadrinho para vestido, entes-
tada, a 320 rs. o covado. Roa da Imperatriz n. 52,
armazem da porta larga.
Reipa frita
Ra da Imperatriz n. 52 armazem da porta lar-
ga junto a padaria franceza, enconira se neste es-
tabreeimento nm completo sortimento de paletos-
caceos e sobreeasacos, de todas as qualidades, ral-
bas, colletes, ceroulas, camisas, grvalas, meias,
chapeos de sol, ditos francezes para cabeca, por
pregos com modo?, roupa para menino e bu tras
muitas fazendas por pregos commodos, armazem
da porta larga.
No mesmo estabelecfmento encontrar o respei-
tavel publico, sempre um completo sortimento de
roupas fetas de toda; as qualidades, como sejam
paletos de alpaca preta e de cor, ditos sobretasa-
eos a 4* e 5*, ditos de brim parlo a 2*800, 3* e
3*500, ditos finos a 4*, ditos meias eazetnfra a
3*500, 4* e 5*, ditas cazemirasceosa 6*, 7*, 8*
e 10*, ditos sobreeasacos a 10 e 12*, ditos de pan-
no saceos a 6*, 8* e 10*, ditos sobreeasacos a 12*
e 25*, ditos de merino preto a 6*, 7* e 19*, cal
<;as de brim de diversas qualidades a 1*800 a 4*,
jilos brancos a 2*500 e 6*00, ditos cazemira 5*,
'* e 7*, ditos pretos a 5*, 6*, 8* e 10*, ditos
meias cazemiras a 3* e 4*, coletos de diversas
cualidades, sroslas francezas de algodo, ditas de
inho, ditas de bramante a 2* e 2*500, camitas de
algodo de linho francesas de 2*500 e 3*. Gran-
de pecbiacba neste genero, grvalas de todas as
cualidades e brancas para casamento, grande sor
iitoento de meias para senhoras, ditas para homens
a 3*. superiores a 3*500 e 4*.
Um completo sortimento de chapeos de sol de
alpaca a 3*, ditos -de seda a 5*. 7*, 10* e 14*,
ditos fnmeazes para eabeoa, grande sortimento
a 6*.
Pechincha admiravel.
Gmde sortimento de chambres a 4*600 e o?,
eaces de cambraia para bomem a 2* a duzia, di-
tos-de linboa 4* e 5*.
Grande sortimento de roupa para meninos e on-
tras muitas qualidades que seria eaadonho men-
iona-as.
Paredes Porto
Recebeu pelo -ultimo paquete francez ricas lias
granadinas com flores de seda .- 400 e 500 rs. o
covado. esto aeabando-se, cambraia preta para
luto. Porta larga junto a padaria franceza, a roa
da Imperatriz n. 51!.
Pareaes Porto
Receben pelo ultimo paquete spartilbos a pre-
guicoso por 3$, -sao bons, lencos de seda para se-
nbora e hornera a Jt, ricos cortes de cambraia
bordados de 18$ a 7 esto se acabando, na ra da Imperatriz n. 52, jun-
to a padaria francesa.
Paredes Porte
Vende nm completo sortimento de faarodas
brancas, como sejam madapoln a 4*500, 5*,$* e
10, pecas de algodo por barato prego, cbita fran-
ceza a 240, 280, 320, 360 rs. o-covado, precalias
muito finas a 360, 400 rs. o covado, chita iBgieza
;200 e 240 rs. o covado. Ra da Imperatriz n.
52, junto a padaria franceza.
fazendas.
Vende-se superior merino preto proprio para ca-
pa> do senbora vestidos a 2*. taslrim da China
a 1*800 o covado. Roa da'Imperatriz, porta larga.
Paredes Porto.
Vende em seu estabelecimento tiras e entremeios
bordados, grande sortimento de corplnhos rica-
mente bordados a 3$, 4* e 5*. S o Paredes Por-
40, roa da Imperatriz -na 52; porta larga junto a
padaria franceza.
ERISIPELAS ERPES; ETC.
Enfermidades cutneas, erupeo. borbulhas, piistitlas,
nascldas, etc.
O extracto composto de salsa parrilha, con'eccionado pelo Dr. Ayer, uma
combinacSo dos melhores depurativos e alterantes conhecidps medicina; confeccio-
nado segunde as regras da sciencia, approvado e receitado pelos priaeii os mdicos dos
Estados-Unidos da America- do Sul e Central, da Antilhas, do Mxico e das indias, e
multas outras partes do mundo: o resultado de estudos apurados e minuciosos, e de
experiencias feitas pessoalmente pelo Dr. Ayer, pormwfcos aiinog, nos principaes nos-
pitaes e enfermaras da America ; tcm sido approvado pelas academias de medicina e
juntas de hygienne das principaes capitaes da America do Norte; para prova disto vede
os attestados authenticos no Almanak e Manual de Saude do Dr. Ayer, os quaes aedis-
tribuem gratuitamente nos lugares onde se vende o remedio.
A SALSA PARILHA DE AYER
Especialmente effleaz na cura das molestias que tem sua origen
na escrfula, na infeccao venrea, no uso
exeesalvo do mercarlo ou qnalqncr Impureza do sangue.
A molestia ou infeccSo peculiar, conhecida pelo nome de escrfula, um dos ma-
les mais prevalecentes e universaes que ha em toda a extensa lista das enfermidades que
atacam a nossa raca; disse um celebre escriptor da medicina que < mais de urna terca
parte de todos aqaelles que morrem antes da velbjce sSo victimas, ou directa ou indirec-
tamente de escrfula; por isso s nao t3o destrucliva, porm, a principal causa de
muitas outras enfermidades que nao Ibe sao geralmente attriLuidas.
urna causa directa da tsica pulmonar, das molestias do figado, do estomago
e affecces do cerebro; entre seos numerosos symptomas acham-se os seguintes: /alta
de appetite, o semblante plido e enchado; as vezes de orna alvura transparente e outras
vezes corado e amarellerito irregular, fraqueza e molleza nos msculos ao redor da boc-
ea ; digesto fraca e appettite, falla de energa; ventre enchado e evacoacSo irregular;
quando o mal tem seu assento sobre os pulmes urna cor azulada mostra-se em roda dos
olhos; quando ataca os org3os dgestivos, os olbos tornam-se avermelhados; o bali-
to ftido, a lin.^ua carregada; dores decabeca, tonteiras, etc. Naapessoas dedisposi-
q5o escrofulosa apparecem frecuentemente erupcoes na pelle da cabeca p outras partes
do corpo ; sao predispostas s affeccoes dos pulmes, do Gga'dc, des rms, dos orgos
digestivos e uterinos. Portanto, n3o s5o smente aqueles que padecem das formas ul-
cerosas e tuberculosas da escrfula que necessitam de protecQ5o contra os seus estragos;
todos aqueles em cujo sangue existe o virus latente deste terrivel flagello (e s vezes
hereditario), estSo exposios tambem a soffrer das enfermidades que elle causa, que sao:
A tsica, ulceracoes de ligado, do estomago e dos rins; erupcoes e enfermidades
eruptivas da culis, rosa ou erysipela, borbulhas, pstulas, nascids, tumores, rheuma,
carbnculos, ulceras e chagas, rlieumatismo, dores nos ossos, as costas e na cabeca,
debilidades femininas, flores brancas causadas pela ulceracSo interior, e enfermidades
uterinas, hydropesia, indigesto, enfraquecimento e debilidade geral.
Offerecemos a estas pessoas um abrigo seguro e um antidoto efficaz contra esta
molestia e sas consequencias na
SALSA PARRILHA DE AYER
que opera directamente sobre o sangue, purificando-o e expulsando delle a corrupto e o
veneno da molestia; penetra todas as partes e todos os orgSos do corpo humano, livran-
doros da sua acc5o viciada e inspirando-lhes novo vigor. um alterante poderosissimo
para a renovado do sangue, e d ao corpo ja enfraquecido pela doenca, forcas e ener-
gas renovadas como as da joventude. 'J
E tambem o melhor anty-syphilitico conhecido ,
cwa permanentemente as peiores formas de sypbilis e as suas consequencias. Pernea
necessidade ha de mformar o publico do inestimavel valor de um remedio que, como
este, livra o sangue desta corrupeo e arrebata a victima das garras de um morte lenta
e ignominiosa, porm inevitavel, se o mal nao logo combatido com energa.
E um poderosissimo alterante para a renovarlo do sangue e para dar nova tor-
ca ao corpo j enfraquecido pela doenca.
Sendo composto de productos vegetaes, este medicamento innocente e ao mes-
mo tempo efficaz, um fado de immensa importancia para aqueles que o tomam ; por-
que muos dos remedios alterantes offerecidos ao publico tem por base o mercurio ou o
arsnico; sendo assim, bem ques vezs podem effectuar curas, cocotudo deixam suas
victimas carregadas o"e urna longa serie de mates, muitas vezes peior do que o mal ori-
ginal. A nica cousa necessaria para obter urna cura radical seguir com juizo e cons-
atncia asjlireccoes que acompantiam cada frasco. -~-
Nao pretendemos promulgar, nem queremos que se infira que esta composico a
nm remedio infallivel para a cora de todos os padecimentos liumanos ; infelizmente
escrfula e a syphilis sao enfermidades tao sulis as suas naturezas, e arreigam-se to
firmemente no systema, que omitas vezes rosos que a sciencia humana pode inventar para combatJ-!as: o que dizemos que o
Extracto composto de salsa parrilha de Ayer
a melhor preparacio at hoje descbberta para estas e outras molestias anlogas, que
urna combinado dos alterantes mais eflicazes conhecidos, e que esta combinafio tem sido
regulada por longas e laboriosas experiencias, e finalmente que temos consciencia deof-
ferecer ao publico o melhor resultado .que possivel .produzir., 4a iotelligencia e pericia
medica dos'oossos tempos.
Este remedio deve ser tomado com systema eregulandade, e n5o com abandono,
pots um remedio e n5o bebida.
Quando^s molestias do ligado nao lem sua^rigem na *scrofula, o remedie
mais proprio as pilutes catbarticafl de Ayer, que se efficazes.na ura dajnolestia. que
jn por causa um desarranjo dos orgaos digestivos. Pedi a salsa parrilha de Ayer-e
nao .aoeitai outra preparacao.
6R1!!fDE EmBEfvE IHEMO
DO

Ra da Impeeatrls, X. 00
da Imperatriz, X.
DE
K GAMA & SILVA.
^OJA E AIIMAZSM DE FAZIMDAS.
Tendo os profrietarios deste graude esubeleci-
mento feito um grande abatimento em muitas de
suas fazendas, pela r>ccasia do ultimo Se ilezembrtf de 186o, resolvern) vender
muito mais barajo do que i ostuinam alim de cada
vet-marsagradarem aos scus numerosos fregu
zea ; por lauto Ibes oflerecetn um avolado sorti-
mento de fazendas fraocezas, inglezas, as quaes
veodero mais barato do que era outra qualquer
parte, comprometiendo se a mandar tar quali|der
azeuda em oasa dos frejiuezes ijue ao poderem
vfr a leja, ou a darem as amostras, dctxando flear
8iapavjopalra8na l,j,do Grande armazem e loja da
Arara.
Roa da 1mperalrf| d. 06. "
Nene estabeleeimento enirtraro m ropre um
, complvio aoriiftenkrde Tizendas france?a, suis-
VeBdem-se cortes de cambraia branca com pal-
mas, sendo fazenda muitj boa, pelo baralissimo
precu de ,J500 para acabar : na loja e atssazem
do Pavo na ra da Imperaniz, u.-60, de Gama &
Silva.
Lencos blancos a *$UOO res a "',lfroS*'lf e mgleas a vonBde do comprador,
dtfzfa. ve"ae a.ls birauj qne em outra (jualquer parte
Vendnn se lenco branecs farenda milo Boa i Cultas da Arara a H a [tega,
pelo baratissimo ytco de>^* a duzia, Ditos coro,! _j5""?2f *" as de t""? de cores eom'*3S co-
barra de cor a 40G isto cara acabar na loja do | **f0};d em-covado^a lt rs., riscadinlio para
Pavao ua ra da Imperatiu n. 60 de Garha A Sil-
"GRANDE PtCHINHA!
Lsiulias a 120 rs. ua loja do Pavo
Vende-se lasinhas [retas propilas para luto sen
o covado
taptate z n. 6." "" "--------ouu Hrn da
! GrOdenaple preto para r quaresma a 1,5600
Vende-se ki..s. naple pi.to para vestidos a
1**00, I8C0 U < mm, tr.siean.inc 1 eto pa
ra vestido.a 3 e iPOOo cpvmIo : na ra da Im-
peratnz n. 86.
do boa fazenda a o rs. iinna ws """'J0 Arara vctde laazinha para luto a 500
linas du quadnnlios a 480 e H) rs., ditas enfela- -. w *. 5. ,s._-_t_.
rs.
das a 400 rs., ditas rnattizadas a 320 rs., ditas mTZr?2^\*S*JF^ iUt ,a
transparentes oro paima de sedas 400 rs., dius li- Ss'nrf.sTSn' SXttKrft' ^1 C S,
Vende-Se laazinba lis. para vestidos de
openhor; assun como convida m s pessoas, qoe ZTcm'^vZ. a!Mr nara Xba nato a e paca PreU a 500> CW e ^ ^^", bombana
Deleeimento encontrarao um grande sortimento Gama & Silva
tanto a retalho como por atacado, vendendo-se-lbe pn,inP|n,c mnlprniMimaq a 400 p SOO rs
apenas pelos piceos que comprara as casas ingle- n rs>
Pernembuco, ra Nova n. 16, pharmaoia fcancezade P. Maurer & C
2r Br ooi zt"-< i? o P K o
1
sS.|.

O (D
ilfiiHliffi^fi
8bbBoosoq,
S-B w p;-wE.a>P-s-s-
O.P
Hfii
a
8*
f= rrt

U B
T3
B>
-9
Be
S.
B
|
s
I-
*>
a
o. "
wo2
" Si S
o

o
tu
O.
O
ifSFga
o
ftj 03
|
sr
3.E.
}>
i 1 i
. I
: ,t
>
5
>


Tasso Irmaos
Vendem no seo arnazera roa do
Amorm ii. 3.
Lieor fino Curaeo em botijas e meias botijas.
Licores finos sonidos em garraiaa com rolbas de
vidro e em lindes Irascos.
VlnhosChores.
-Santernes.
Cbambertia.
Hermitage.
Borgonbe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniol.
VE9DE-SE

Xo armazem de n. J. Ramos e Uva enro, ra d ligarlo
u. l constantemente, os seguintes artlgos, qne
recebem por encommenda propria de

H'EW-YOIIH.
---------------------1-----------------------------------------------;-----------------------

-
LeRitima salsa parrilha de Brlstol, preparada por Lanman & Kemp.
Verdadeira agua florida, preparada pelos mesmos.
Gaz em latas de cinco galoes, o mais purificado que se pode desejar da acredi-
tada marca F. W. D. & C.
Kelogios perfei'os reguladores, com corda de quatro a oito das, dos afamados fa-
bricantes E. M Welch.
GraiiLa em latas grandes da bem conhecida marca las. S. Masn (de Philadel-
pltia).
Superior oleo para machinas- de costura.
a gulhas para as mesmas.
I3reu em baricas grandes e pequeas.
Vende-se tambem:
!
*
BORDEAUX
1.a palidade.
St. Estephe.
St. Julien.
C. Margaux.
C. Lafitte.
Medoc.
PORTO
t'qaaiMade.
Vinho fino do Porto embarris de 5/, 10/ e 20/.
Superior vinho doRheno.
Cera de Lisboa em velas e em grume.
Principe Real.
Pedro V.
Marta Pia..
Princeza D. Isabel.
Victor Emmanuel.
Duque.
Malvazia.
-r-
Bo^ occasio para um prin-
cipiante, i
Vende-se urna loja de miudezas com poucos fun-
dos, muito em coma, em bom lugar e bem acredi-
tada : qaem pretender dirija-se a ra Augusta,
taberna a. 1, que se dir quem tem para vender.
Na mesma taberna se dir qnem tem para vender
urna mobilia completa de emarello enano ilia.
Pee. bine ha admiravel
avariado.
Francez barrica 54000
Forlland dem 8*500
Em perfeito estado:
Francez barrica 10*000
Portland dem 12*000
No armazem de Tasso Irmaos caes dolApolln.

Breo em barricas pequeas.
Cera em velas de todos es tamaohos.
Bogias.
Mercurio.
Na ra do vigario n. 19, primeiro andar.
Vende-se um escravo para engenho, crioulo
de boa figura e mostr carreiro : a tratar -na ra
do Queimado 4i.
~ Qoeijo8 do serlo
Vende-se soperior qneijo do serta : na roa da'
Madre de Dos, armazem junio a igreja.
n!iAt&v*!&^S?.Fazendaa para a qu-jresma.
bando : na loja n. SS, armazem da porta larga de
Paredes Porto.
Ua de barriguda, o que de melhor ha para
encher travesselros : vende se na roa da Madre
de Deu?. no armazem junto a' igreja.
isf, sendo eom o dinheiro a'vista.
Pechincha a 8^000 e 2oOO
AS MELPOMEiNES DO PAVAO.
Vendemse bonitos cortes de roelpomene para
vestidos de senhoras, sendo dos padrSes mais mo-
dernos pelo baratissimo preco de 3*000 cada um.
Ditos de indiana, tendo oito e meia varas, pelo
baratissimo preco de 2*500 rs.
lato para acabar na loja do Pavio, ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
As toalhas de lMio da Pavo.
Vendem-ss superiores toalhas de iinhos para
rosto pelo baratissimo prego de 7*500 a duzia ou
a 640 cada orna.
Guardanapos de linbo adamascado para meza a
2*800 a dnzia on a 240 rs. cada um.
Superior aioalhado de linho com oito palmos de
largura sendo branco e pardo, e vende-se mais ba-
rato do que em outro parte, na loja do Pava o na rna
da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Os corpinhos ae seda pretos do Pavao.
Vendem-se os mais ricos corpinhos de seda pre-
los, ricamente enfeilados, pelo barato preco de 12*
cada nm : na loja do Pavio na rna da Imperatriz
n. 60, de Gama Silva.
Os cortes de cambraia braceo bordados na
loja do Pavo.
Vendem-se os mais ricos cortes de cambraia ri-
camente bordados com barras e babados a 20* ca-
da um : na loja e armazem do Pavio na ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Ricos vestidos a 80OOO rs.
pechineba admiravel.
S o Pavao receben pelo ultimo vapor francez
um grande sortimento dos mais ricos eortes de
vestidos transparentes com lindas barras e enfeites
de seda, sendo estes vestidos muito proprios para
baile" e passeios, e vendem-se pelo baratissimo
pre?o de 8*000 rs. cada ora, na loja do Pavao na
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Os chales pretos de renda do Pavio a 8000 rs.
Vendem-se os mais ricos chales preks de renda
eom qoatro pontai, senda muito grandes pelo ba-
ratissimo preco de 8*.
Ditos de guepnre a 15*. 18*, 20*, 25*.
Retondas de dito a 10*.
Manteletes de renda, (atonda muito superior- a
15*000.
Capas e sautbambarques de grosdenaples bor-
dados, fazenda inteiramente nova, por pregos mais
baratos que em ontra qualquer parte.
Isto na loja armazem do Pavo na ra da Im-
peratrlz n. 60 de Gama & Silva.
Oscbales do pavo a 2ooe e 2ooo rs.
Vendem-se chales de merino eslampados a 2*
e 2*500 cada um.
Ditos de'menno liso a 3*500.
Ditos eslampados de crepon a 6*, 7*. e 8*000.
Ditos pretos bordados com franja de seda a 14*.
Na loja e armazem do Pavio na roa da Impera-
triz n. 60 de Gama & Silva.
Para luto vende o Pavo.
Setirr la China com 6 palmos de largura, fazen-
da pr |.ara luto, propria para vestidos e roopas
pa' inens, sendo esta nova fazenda sem lustro e
' '. uito boa qualdade, garantindo-se nao tirar
^ssa com o tempo e vende-se pelo barato prego de
2* e 2*500 o covado, assim como neste estabuleci-
mento tem um grande sortimento de todas as fa-
zendas prelas como sejam cassas e chitas prelas,
las tapadas e transparentes, princesas, alpa-^s,
sar.ia*, etc. : na loja e armazem do Pavo na ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
0s baloes do Pavao.
Vendem-se superiores balSes de muenlina com
meita roda a 5*., ditos rrinolines com 35 arco| a
3*500, ditos com 20 e 25 a 3*, ditos para meni-
nas, sendo .braceos e encarnados a 2* e 2*500 :
na loja do Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Cambraias de forro a 1(5600 e 2,3 na loja
do PavSo.
Vendem-se pecas de camcraia de forro rom no-
ve varas cada peca, pelos tiaratissimos jirecos de
1*600 e 2*: na loja. e armazem do Paveo ta ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os cortinados do Pavo.
Vendem-se superiores cortinados aamascados
para camas pelo baratissimo preco de 1& cada par,
ditos muito finos ricamente bordados para camas
on janellas a 15*, 20$ e 25* o par : a loja e ar-
mazem do Ps-vo na ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Sita.
Panno preto a 2$ na loja do "Pavao.
Vende-se panno preto. fazenda muito boa, pelo
barato preco de 2* o covado, dito muito tino a
3*500, 4*,S*e 6*, assim como casimira preta de
cordoa 2* covado:: a loja do Pavo na rna da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os espartilnos do Pavo.
Vendem-se urna grande e variado-sortimento de
espartilnos dos mais bem eitos que tem 'vindo ao
-mercado, sendo de todos os tamaitos, vendendo-se
.por um preco mnito razoavel : isto na toja do Pa-
vo na ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
As salas bordadas do pavo.
Vendem-se saias bordadas sendo fazenda muito
boa, sendo ricamenie bordadas e com muita roda-
veodendo-se pelos baratos .pregos de 6* 8 e 10*
res cada urna ea loja do Pavao na ra da impera
triz 60 de Gama & Silva.
Bretaakas de roto a 3'GO0Q
Veadem-se pedas de bretaaba de rolo com 10
varas cada peca, pelo baratissimo prego de 3*:
na loja e armazem do Pavio, raa da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Gna Silva
Pechincha grande.
Os madapoif Vende-se superiores pecas madapolo, sendo
nuito largo, e muito eneorcado leudo 24 jamas
#da peca, pelo baratissimo prego de 8* e 9*000,
ditos a 6*o00 e 7*, ba pechincha, e vende-se
na loja e armazem do Pavo, ra da Imperatriz n.
60 de Gama & Silva.
Casimiras da escocia. *
Na loja da Pavo
Chegon esta nova fa senda com o nome de ca-
amiras da escocia seudo muito encorpada pro-
pria para earsas, < coletes. e vende-se pelo baratis
simo preco de 2*800 r>. o corta on i;600 rs. o co-
vado, pechiocha por que tem duas larguras, isto
s na loja e armazem do Pavo, roa da Imperalriz
n. 60 de Gama & Silva.
Ronpa felta.
Na loja do Pavo
Vende-se neste estabelecimento um grande sor-
tmenlo de roopas, tanto de panno como caxemira?,
e bros e pelos baraiissimos precos como sejam
calcas de caxemira preta a 6* 7* e 8*000res, pa-
letots de panno prelo saceos a 6* 8* e 12*000 re.
ditos sobreeasacos de panno finissimo a 12* 18* e
25*000 reis, e outros muitos artigos que seria en-
, fadonhos aqu relata los; s na loja e armazem do
Pavio ra da Imperatriz n. 60"de Gama A Silva.
Loja >!o l'aio
o covado oa loja do Pavo.
da Imperatriz loja da Arara n. 66.
Algodo avariado da Arara a 3;>.
Vende-Sb pecas de algodo com pequeo toque
i de avaria a 3*, ditas limpcs a 4*500, 6*, 7*
Vendeni se poupelinas muito finas sendo fazenda. 8* : na ra da Imperatriz loja da Arara n. 36.
muito moderna de quadrinhos e liza vendendo-se rara vpnl K n, pelos baratos precos de 400 e 500 rs. o covado na i *r .ra Nei
ioja do T
& Silva.
loja do Pavo na roa da Imperatriz n. 60 de Gama .J' "Jj;" J" ,,D.n P" '?"
& Silva. !' *. o 'Uu a vara, cobertores de al{
drosdenaplcs pretos do lavo
o serou-
. -Ipodao a 1*
e 1*400 : na ra da Imperatriz loja da Arara nu-
mero 66.
.^Ti/nnH,er]?fii ?oo^S tomsde esemira preta da Arara a 3d500.
?JA}^WW:*i Vende-se cortes de c'asemira preta para alga a
a 1*, corles de cclim a 1*280. cortes de ganga 'e
brim a 1J400 e 1*600: na rna da Imperatriz nu-
mero 56.
Arara vende as saias a 3(J500,
Vende-se saias bordadas para senhoras a 3*500,
vestidos braneds bordados a 4*300, ditos bordados
a laa e sfda 6*500 e 9*, ditos de barras de a
a 6* e 8* : na ra da Imperatriz loja da Arara
D. 56.
Panno preto da Arara a 2)5 o covado.
Vende-se pann
Vendem-se s
baraiissimos preco
o covado, sendo fazenda muilo boa, s para ac-
bar : na loja aro azem do Pavo, rna da Impe-; fT!A* e_? ro,.'Lde caMores. Pa'a <*'V*
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Bramante de linho do Pavo.
Vende-se superior bramante de linho com 10
palmos de largura, prrprios para tenges, pelos
baratissimos pregos de 2* e. 2*600 a vara, assim
como panno de lioho muito tino pelos baratissimos
pregos de 640,700 e 800 rs. a vsra : na lojs e ar-
mazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Cambraias lisas do Pavo.
Vendem se pegas oe cambraia lisa muito supe- 'JESffi&g&LFff iS?*.,?*' P.alel0,s e
impelo bara,o>ecn de 3*200 e 3*500_, pega, *gffljffig> *-gnj
da Imper*iriz n. 56.
Arara vende os guardanapos a 2800 a
duzia
Vende-se guardanapos para mesa a 2*800 a du-
zia e 240 cada um : na ra da Imperalriz loja ta
Arara n. 56.
Arara vende as chitas a ItlO rs.
Vende-se chitas escuras de certs rxes a 160,
200 e 210 o covado. ditas francezas a 280, 320 e
400 o covado, cassas finas a 280, 320 e 3*30 o *o-
vado : na ra da Imperalriz loja da Arara n. 36.
Madapolo entecado a 4)5 de 12 jardas.
Vende-se pecas ee madapolo enfestado de t2
jardas a 4* e 4*500, diio com toque de varia de
24 jardas a 4*, 5*, 6*, 7*, 8*. 9* e 10* : na rea
da Imrerairiz loja e aimazem da Arara n. 56.
Aiar vendeos vestidos a Maria Pia a $.
Vende-se vestidos de cassa com baaras a Mana
Pa a 5*, ditos de laa a 6* : na roa da Impera-
triz leja e armazem da Arara n. 56.
Chales da i rara a 8 de fil.
Vende-se chales de fil a 8*, relondas a IOS,
chale de ril de seda a 14* e 18*, rhales de rr.f-
rin estampados a 2*, 2*500,1* e 5* : na ra oa
Imperatriz loja da Arara n. 56^
Oh qne bella pingo .' 1!
Cbegon a6nat a travessa do Qoeimado d. I. o
verdateiro vinho verde de llastos e vende-se por
6*50'! a caixa com I? garrafa; ou 640 rs, a gar-
rafa elle que moi lo fresco e proprio para a
estagu.
Quem duvidar venha vei*.
Moreanque superior a 2*800, grosdf naple su-
perior a 2*, dito mnilo lar.:o a 1*280, chales ren-
dado muilo grandes a 7*. retondas novos desenhos
a 8*, corles de cambraias riquissimos gostos a im-
peratriz Eugenia a 5*500, ditos de laa a Mana
Pia por 6*, cobertas de chita da Persia a 2*200,
chitas inglezas a 6* a pega ou 160 rs. o eovan>:
para acabar : s na ma do Queimado n. 17, junio
a honra.
No armazem da pon larpa, rirada Imppratriz, ti*
t^cti uefa
grsdenaple preto a 1*400," 1*60,1, 1*800, 2* f
2*5#0f mareaaque preto de diversas qualidades,
os mais ricos cbales de renda pretos, e retondass
com mnita roda, ftzenda da ultima moda no mer
cadp : do armazem da porta larga s. 52, na ra
da imperatriz.
H \ Gomma de milho branco
Vende-se ataberna da'roa da Gula' n. 36 pro-
prio pira prjncipiaple, e o motivo a dir ao com-
prador.
americana,
Vende-se empacles de 1|2 libra : po afaiazem
rje Jos Fernandes Lima ra Nova n. 3.
Miabas a bO rs. covado
Sediuhas a 500 rs.
Sedinlus a OQ n.
Vende-se na luja do Pavo, um grande sortlmen-,
to de sediuhas lislradas com as mais bonitas cores,
sendo es padros mais novos'que tem v/rio aa mer-
cado, e vcude-se pelo paraiislmo p^co de ejoco
loslSej o covado, seodo asenda qu valem muito
mais dinheiro, e grande pechincha por se t*r
comprado,una grande ponida*dgta f.senda, na
loja' e nrazem d?. fa-eoda Pavo, ra da Im-
peratriz n. 60 de
or. .
ditas* muito finas a *, 6*. 7* e .8* : na loja e
armazem do Pavo, tua da Impeiauiz n. 60, de
Gama & Silva.
PECHINCHA !
a 20000, para calcas, s o Pavio.
Venden se superiores cor it s de meia casemira
com msela de seda a 2*, ditas Garibaldinas a
2*8G(), ditas e.>curas a 2*8u0, o a 1*600 o cova-
do : na ioja e armazem do Pavo, roa da Impera-
triz n. 60, de Gama & Silva.
PENTEADORES
ou roupoes de cambraia bordados proprios
nara as senhoras vestirem de manhaa.
Cbegon esta novidade para a loja do Pavao,
muito lindos e do melho- gosio at hoje, por pre-
cos mnito razoaveis : na loja do Pavo, rna da
Imperalriz n. 60, de Gama & Silva.
Chitas rdxas
a 6)0000 reis a pega
S na loja so Pavo
Se vendem pegas de chitas tosas inglezas, sendo
cores fizas tendo 38 covados cada urna pega pelo
baratissimo prego de 6*000 res, a retalho a 160
rs. o covado, ditas escuras e claras a 200 rs. o co-
vado, I. ja do Pavo roa da Imperatriz n. 60 de Ga-
ma & Silva, Gama & Silva.
Novidades do Pavao
OU PECHINCHA TiMIllAVEL.
Escossezas a 320U
Cegaram os mais lindos cortes de escossezas,
proprios para vestidos, sendo fazenda inteiramente
nova no mercado; e vende se a 3*200 o corte ou
260 rs. o covado na loja e armazem do Pavo, ra
da Imperalriz, n. 60, de Gama & Silvaj
Cassas francezas a 240 rs. o covado.
Vendem-se bonitas cassas francezas de cores fi
zas pelo baratissimo prego de 240 o covado.
Ditas a 280, 320 e 360.
S na loja do Pavo, ra da Imperatriz o. 60, de
Gama & Silva.
Grsdenaple preto a 1$600.
E' grande pechincha !!
Vende-se grsdenaple preto, sendo muito encor-
pado e deoa largura, pelo baratissimo preco de
1*600 o covado : na rna da Imperatriz n. 60.
Os cachinez do Pavao.
Vendem-se bonitos cacWnez de la ou agazalhos
para cabega pelo baralissimo prego de 3*000, s
na loja do Pavao, na ra da Imperatriz n. 60
PAR; *QUAnW
PECHINCHA ADMIRAVEL.
Grsdenaple preto a I M00
Vende-se superior grsdenaple prelo, fazenda
muito encorpada, pelo baratissimo prego de 1*600
o covado, sendo fazenda que val muilo mais di-
nheiro : na loja e armazem do Pavo na ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
MANTAS PARA O PESCOCO
a 1*, s o Pavo.
Vendem-se bonilas mantas para o p^scogo, pelo
barato prego de I* : na loja do Pavo na ra da
Imperatriz o. 60, de Gama & Silva.
Hadapoles a 3,300 rs. a pessa.
S na loja do Pavo.
Vende-se pegas de madapolo fino com 12 jar-
das, pelo barato prego de 3*500 e 4*000.
Grande pechincha.
Lastnhas a 210 o covado
Vende-se bonitas lasinhas com os mais lindos
fioslos escocezes a 240 rs. o covade; na loja do Pa-
o na roa da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva
Chales de renda.
Na loja do Pavo.
Receberam-se os mais lindos chales pretos de
reoda, assim como as mais modernas e compridas
relooae?, e manteletes da raesraa lazenda, e vende-
se mais barato que em outra qualquer parte: na
loja e ajraazem do Pavo na ra da Imperatriz n.
66 .d Gama & Silva.
Castor a 3(l0 rs. 9 covado.
Para calcas.
Vendecn-se superiores asiores muito encorpados
padroesscnros pelo barato prego de 320 rs. o co-
vado, serviodo esta fazenda tambem para escravos
por ser de muita durago; na Ioja e armazem do
Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Chapeos para meninas a ti.OU.
S6 na loja do Pavo..
Se vendem os mais bonitos e mais bin enfeila-
dos cbaposionos e oaraa da Italia, proprios para
meninas, pelo baratissimo prego de 6*000' fla loja
e armazem do Pavo na ra da Imoeratrir 60
de Gama & Silva.
Para a quaresma.
Vende o Pavo.
Superior grsdenaple prto a 1*600.1*800 e 2*.
e ouiro mnito largo a 2*800, 3* e 33300, e o supe-
rior rooire-antiqne a 2*800 e 3*, seda preta Jarra-
da a 2* e 1*809, e selim prelo s 3*500; na loja
do Pavo roa da Imperatriz n. 60.
Corles de vestidos.
Pretos a 304000.
Vendem-se corles da vestidos pretos bordado a
veludo pelo barato prego da 30*, para acabar; na
loja do Pavio n. 60 de Cuna i\ Silva.
Lasinhas matisadus a.^20 r.<.
Vendem-se as mais lindas lasinhas mateadas
cojn o; mais bomios dcfolios, pelo baraicpifco de
320 rs. o covado ; na loja do Pavo a ra da Im-
peralriz p. 60 de Gama ft Silva,
Aviso
Narrua do Vigario n., 24, escriplorio,
veiidi-se cera de carnauba de superior
qualidiilc, por barato prego.
Mili
MOTA PECHINCHA
Florite di seda para vestidos a 720 i-, o eovade.
cortes de la com 15 covados um 3&50O, lencos
de cambraia de cor para menin-- menina?. u-
zia 1*200. chales de linho tinos a 7*. 5, 1-' 0
18*, retondas de linbo lipas, 01 lima m i'a a 8 k
10*,prosdenaple encooragado, covado 1*800 p 2*,
dito cora duas largura?, covado 2*800 e o, ou-
tras muitas fazendas proprias para a quart-ua :
na ra do Queimado u. 43 e 45, lojas pintadas tic
amarello, na esquina que volla para a congre-
gagao__________________________________
Cal Nova
de Lisboa chegada no Lata : na ra do Vigario o
19 primeiio andar.
raule perliincli de madapolo wat
avtria
Paredes Porto vende urna grande porgo de ma-
dapolo avariado, fazenda de 10* e 12* a peca, a
6*b00 e 7* com pequeo toque : na rus da Impe-
ralriz n. 52, armazem da pona larga junto a pa-
daria franceza.
Em casa de Kabe Schmeltau & C.
ra da Cadeia n. 18, vende-se:
Champanba.
Cognac de superior qualidade.
Vidros para espelhos de todos- os taraa-
nhos tu do a pregos muito commodoe.
Vende-se sal grosso : a tratar ua ra da Ma-
dre de Deus n. 2.
Vnde-se ou permutta-se por alguma
caza terrea desta cidadenm sitio de tenas
no logar do Loreto, com arvores fructferas
quasi todas novas, e grande porgo de co-
queirs.quem o pretender dirija-se ao pateo
de S. Pedro n. 24, que achara com quem
tratar.
V
AUeoco
Na ra do Vigaiio *n. 21, escriptorio,
vende-se vela* de cera de carnauba de
superior qualidad* por prego barato.
' Vendem-se
machinas americana? de serrote para descarogar
algodo ; na ra da Sen:a?a .nov n. 4:.
mmm mmu-u
Para a quatesma
O chilles do l'aroa 6 7* e 8$~
e-ndeni-se ricos chales pret de renda muil /
wej com quatro pinta?, sfrdo o P^315 mod?
nos por terem chogado pelo limo vapor rri;."7
e vendem-se pelo haraWssno prego de 6*, 7**i
8* : na loja do Pavio, ra da Injpwa!ro. 60, <<
Gama & Silva.
As roteadas do pavo a 8 c iQs%.
Venlem-se^as mais. ricas roundas de renda ore
ta, seodo muito grandes, qoe sao as que mais usam, pelo baratissimo prego de 8* e 10* na
loja e armazem do Pavo, ra da Imqratriz n.' 60
oe Gama A Silva. '
Os chales de guipure a \2& e
16^000,
Vendem-se os mais ricos chales de Guipure e-de
renda de iinbo e seda, pelos baratissimos firma de
12* e 16*; grande pechincha em reiagao a boa
qualidade e lamarjho delles : s na loja do Pave
raa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chitas netas a 16<> rs-:
Vendem se chius preus inglezas, sendo fzendr.
omito boa, pelo baratissimo prego de 160 rs. o ,3-
vao, ou 5*500 a [ieca com 38 covados: so oa
loja Ravo. rna, da Impera-riz n. 60. de Gama &
Silva.
Laziniuisa 4^0 rs,

s
Pavo.
Vendem-se modernas lazinhas com lindlssitros
gostos, pelo baraliw'mo prego de 200 rs.; gran-
de pachincln : s na Pja do Pavea, ra da Impe-
ratriz n. 60, de Gatea Silva.
Ovas do sertao,
Vendem se ovas do serlo mnito frescaes por
prego c,mimado : na ra do Queimado loja n. 14,
Venden) se duas pretas tr.oj.w e sadlaj sa-
bendo lavar o cosr e proorias lantbom par I
vonra, o motivo da venda ter se de retirar o seu
senhor para >ra d imperio : para tratar no ar-
mazem a ra da Cruz o. 33.



flflR
1
til&tff&%hM*t* ttfttt i* de fcr*.<1e
1866.
PARA A QUABESMA
Chegaram a loja de Augusto Porto & C.
11 Ra do Queimado1 i
Superior cortes de seda pwta.
Motreanliqaepretode flores e de listas BeTIOs ptdrdes.
Grosdnaple preto de diversas largaras e qualidades.
RMondas, bournns e cuales de gnipu e de rendas.
PaBnos pretos, casemiras pretas, bombasioas.
Liai eafctao, merhi e setestrinas pretas.
Lindas manus de seda para pe?coco.
Ricos cortes seda de cores para bailes ou casaraentos. ^
Ricos cortinattos bordados dos mais bellos desenhos.
Moir branco, seda branca, capellas e mantas para noivas.
Bellas colchas de seda e de la e seda par* cama de noivas.
Saias de flnlssima carobrala ricamente bordadas.
Faaendas de pregas para saia que se fazem conl ama fl costara'e taMbem tem
o cerdo tecido.
Hadapoiao francez a 400 e 480 rs. a vara.
Alcatifa de llano para salas e gabinetes a 480 rs.'o cowdo.
Faienda especial de quadros para fazer redes a' 3*600 a Vara.
>eriores esteiras da ludia para
11Roa do iueiaado11
com
Sup(
salas.
NOVOS GERENES
DOS
TRES URAi\S
ARMAIENS DE H0L.4BD0S
DENOMINADOS
pROGfrESStVO pateo do Carne-n. 9
TJNIO E COMMRCIO roa do Queimado n* 7.
VEROADEIRO' PRINCIPAL roa do Impefattor n. 40
BE
Zim
CORTES DE SEDA
Chegaram pelo paquete Ingle riquissimos cortes de moreantiqae de cores, e seda lama p
ajes inteiramente novos. i u/\/\/\ J
Seda de quadros por 1#000 o covado
5RA DO CRESPO-5 M
Gregorio Pae# do Amaral dt CoaftpaaM.
o
DARTE CARVALHO PERIRA *'C.
Fazem seiemte ao reSpeitavel pblico, e cora1 especaldadcaos senhores de
(Buhos, lavradors e mais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras dMi-
beraram o proprietarios^dbs tres*< mentos era um s BUHflMo; pelo qual o prego de iim -ser del 0dos pfoitetto-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai puMreado,*- anntrafeiar os gere*
por Um preco, e na ocasia da*cdapra Tjttdrsfln por .gfo! ^ftmY'Sdftiffe eftiftWhtfe- \
mente em outras ouitasoasasi'porin nos nossos estfiWTecUleiittti hStl 'Se tlaff iSto
anda mesmo com prejuizo nosso, qualquer fMsoa' ptftlerStahrlaf eus fSrablos que
orlo tambem servidos como viesae pessoathlente fazerdo-rJos o fatfor de mandar seus
pedidos em cartas feixadsr ffftt>#ff"faafmjer)''ttjirabos, i*feeHett8ht6 ii6s tiAS'totita
Van qual se Vera os ptOs'ttt alguma que fizer saa despeaea em txftss etabelti tuecos; p'ois popar mais de
5 por cento na sua despesa diaria.
colutorio ipco-cii
OR. 1>DR0 DBATTAHYM Um J9SC0SO,
MEDICO, PARTEIRO E OPERADOR.
3 Ra da^owv1*^ Itat&o -*g"
0 Dr. Lobo*oscoso d Horas da manho, edas e meta s 8 Bdr da norte, elcepcSo dos dias santificados.
Phmr'tmm; especial homeopatlma
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimeoto de carteiras
tobos ivulso, assim como tinturas de varias dymnamisaceis o petos preces
Carteiras de 12 tubo grandes. 424000
> de 24 tubos-grandes. 180000
de 36 tobos grandes. 245000
de 48 tudos grandes. 300000
de 60 tubos grandes. 35*000
Prepara-se qualquer carteara conforme o pedido que se fizer, e com 'os remedios
que se pedir. -
Um tubo avulso ou fraseo de tintura de meia onca 1*000.
Sendo para cima de tenetarao os precos estabelecido pera aaearteiras.
Ha tobos mais pequeos eadauma 500 ris.
ROM 80
moreantiques a 2*500, 2*600, 3*, 3*500, 4
Gros de aples preto a 1*500,1*600, 2*,3*, 3*500 e 4*j) coYado.
Gorguro preto de superior qualidade a 2*500, 2J800, Wl 45 o ce-
vado.
Superiores
covado.
Bons cortes de moreantique.
dem de gorgurSd adamascados.
Bons pannos e casemiras.
Sup riores alpacas, princetas, merinos e bombaztnas.
Bons villudos pretos.
Grande variedad* de chales de filo preto e de guipare a-S*, U, W,
10*. 12*, de 160 a 203, e de 25* a 80* cada um.
Superiores retoadas de fil preto e de guipure a 8* 10*, T2* e*w,
e de 30* a 60* cada urna. aa aKM
Superiores algerienes de fil preto edegmpune de 12* a 2&0, e ae
30* a 60* cada urna.
Bons chailes de seda preta.
Ditos de Merino preto bardados e outras muitas fazendas pintas qtie;
seria enfadonhe enumerar, na
w*wk das cmxmasM
DE 4WTOfffO CORKEIa DE VASCONCEtLOS & C.
RA DO CRESPO S. 1
y



Manteig i glza perfeitamate flor che*
gada oltimaraente a l,ooo rs. aiMbra, o
em barril ter abatioiehte.
Matrteig'frabcea d!safh' flbva' 8oo rs.
a libra e ertrbarrrl tere aba timento.
BAfIA
Banha refinada superior a 64o rs. e em
barril ter abatimeoto.
Cha uxmtde:prrmelr superior qualida-
Ufe i^oft'ts.
I dem byssen o melhor neste genero a
2,6oe re., e sendo empWfteeri'aalimen-
to, temfea lifpwprio par'negocio'd 2 a'
l,4bo ti: a'tibra.
> dem preto superior de i,800 a 2,5oe rs.
a libra.
a jBloooato
Latas co superior^bisOBt'iflges'iW di-
versas mateaba" t'^td* rs.' a'Jata.
Uolaeblaba ^___
Latas com bolachinhas da acred*taOa fa-
brica do bato AWftoio, proprias-part dar j
doentes de 2,000 a 3,000 rs. a lata.
1 dem co quatro libras de- boiachioha de
soda a 2,000 m adata.
Qjjos
Queijos flamengos chegadoa pol ultimo
vapor de 2,30ea 2;5eo rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespanhol a Meo eUioo rs.
a libra, francez e. suiew a. I.eoo- nt. a tbra
eportognet a 8O0 r*. a liana, em por?3to
ter aaaticasato.
prietarios
como sempre
RA DO BRITM Mo 3o
O oro> rietario deste estabelecimento desoja chamar aaaneo do senlaores pr-
aos'acre litados mechanismos que continua afornecer; os quaes gafaateser,
V
1 11
da melhor qualidade possivel:
Machinas de vapor
forra de 2 /* cavallos para cima. As menores sao mui proprias Pa nwtw* sde
varocameotos de aig.d5o; as maiores para moer caaaa; ha tambem que pode junta
u Slele mott banaa e descaer segundo soas proporgSes Esteo vapores
soSS na enstruego, e se regem por qualquer pessoa taUgwte. a toclhda-
t da conducen sent especiHnente considerada, Unto que nao ha lugar em que uo
m o, s m SS por trra, qur embarcado. Ha cem moendas juntas nu sem^
SuTmSS plicar a qnalquer moenda j eristente sera outra mndMa do que
. >._ Enas tem depsitos d'agua e boeiros de telo,
VfHOS \
Superiorwabo do Porto das mais acredi-
tadas mareas, conwsejara: Madatfaj'Secca,
Lbuqaa do Porto, Velho Seseo. Latomas do
DouOvMasia Bia, D. Luiz, Pldro Y, Lagri-
?maeDoces eoutras marcas a t,eoe gaira-
fa e 9,000 a 2tOoo rs. a doa.
Yinho Figueira e Lisbfli das melhores
marcas a 4eo,e Soo.rs*, a flMnWk a 3,ooo,
3,5oo & 4,000 rs. a caada.
Superior Tiabo cbamisse ena-lwrril a 64o
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. acanada.
Superiof vinbo de Lisboa e Fjgaeira em
anceretasde Se 9 caadas a 24,oors. a,an-
coreia.
Superior limbo bnance proprio para mis-
sa a 640-rs. a garrafa, tambem na mais bai-
5 ^^S^^seuaSS d^obra'algu^qu^^^pina, qur de f
O lempo para assenta-las nao excede de doze das ao mais, e em
mor
oito dias.
casos de
o assentamento em
'"^Vle^nlmaesouarrombamentos de acudes, etc., garante-se
Lenrtra-se aos senhores de engenho que a venda dos an.maes e o serojo da
tratamento oshao de recuperar da maior parte da despeza do
a vantagem de urna moagem certa e accelerada; e acabando com a
com os desgostos do trabalbo que
Superior vinagre d Lisb'a a 2,ooo rs. a
caada e 280 rs. garifa. Tamb ha
mais baix' pafa'2oo rs. a garrafa e 1,400-ts.
a'cafiada. v
Amke deee
mpr^mot/'&erfiiimi 7no rs.a
garrafa e a 5*m. a eanafla.
latas e(W'|>r1ormrao caporal a f,8oe<
rS. *ata.
u
SbperioteS paisas a 2\*9oo o qflarto e
9,os.i,a1c10xt'd arfoba hespanhoia e a
56o rs. a IWra.
Genebra d lrnja verddeira a lo,5oo a
duzia e 1,00o rs. ao frasco.
Genebra de Hlland vrddera a-6,000
rs. a>fiasqueira e a 56o rs. o frasco.
Idom de- HoHaod* em botqas a 4oo rs. ca-
da orne*
Gerrafoes eom 24 garrafce- de genebra de
Hollanda a 8,aeo rs-. o ganaf3kx Tambem
ha garraroes com 5 e 14 garrafas de 3,2oo a
6,000 rs* cada am.
VELAS
Vtesde spermacete a 6io dem de carnauba de lt> a>44;ooors. a
arroba e-da 360 44o rs. a fibra,
PE1XE
Pee em latas j preparado de l.ooo a
l,2oo-P9. a lata
ALPI&TA E PAHCO
Aipifeta e paioce muito novo de 3,8oo a
4,00.Mi a,aoraba, a de i4n o*60 rs. a -
bra
CHABTOS.
Superiores charutos do fabf icaates Simas,
Imperiaes, DeHcias, Parisienses e outroa de
2, a^oo e<3ioeo.T5. a msia caixa: tambem
temos Siispirc, Uavaneiroa, Ligueiros e
eutro* inuitos que vendemos- por mdico
preso*
. I.K ore
Lifiores fraacezes e poriguezes a l.ooo e
1/too-rs. a garrafa 00- fraseo.
Vocea
Doce da casca da gowbojemcaixoes e la-
tasa 4l,2ooocai5o et,8ooPS. a tota.
Frats
Frotas ea calda e em latas fechadas her-
mticamente, muito bemeafeitadas, conten-
de- pera, pecego, ameixa panha Claudia, al
IIVROS.
A iwlbor abra da homeopathia, o Manual de Medicina, ffomeopathico de Dr. Jai11
dous grandes volumes com diccionario............ 20^000
Medicina domestica do Dr. Hering....... 7*-,-i* 10<000
Repertorio do Dr. Mello Moraes........... 6AO00
Diccionario de termos de medicina........... 3000
Os remedios deste estabelecimento s5o por demais conheci'dos e dispensam-por
tanto de serem novamente rcommendados as pessoas que qieerem osar de remedios
verdadeiros, enrgicos e doradores: ha todo do meibor qae se pode desejar, globos de
rerdadeiro assucar de leite, nota veis pela sua boa eoaeervaeae, tintara dos mais acredi-
tados estabelecimentes europeos, a mais exacta e acorada preparaban, e pertaoto a maior
energa c certeza em seus effeitos.
C%m de saude para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qnalquer enfemidade ou fazer-se-the qualquer
operacSo, para o que o annunciante julga-se snfficientemeote babilitade.
O tratamento o methor possivel, tanto na parte aumentar, como na medica,
ranecionando a casa ha mais de quatro anuos, ha muias pessoas de cuja coneeito se nao
pode duvidar, qae podem ser consultados por aqualles que desejarem mandar seui
doentes.
Paga-se2 por dia durante 60 dias e-d'ahi em diante ^yOO.
As operaces serao previamente ajustadas, se nao se qoizerem snjeitar ase preces
razoaveis que costuaaa pedir o annenciante.
AR]yIAE??I DE FASf3EXOA
DE
c.
CUSTODIO CARVALHO
27 RA DO QUEIMADO N. 27
Madapolo francez muito fino, tendo penco mofo, cada peca com 27 vara por
{90000.
LSa de eo*es a 300 rs. o eovado.
Cambrai* franceza a 260 rs. o covado.
Fines organdis a preco de 800 rs. a vara.
Lencos braocos para algibetra a 2<50O0 a duzii.
Finus perclaras a preco d 400, 440 a 869 rs. a covado.
Ricos cortes de la de barra de 105 a 300000.
Chales de fil preto e outras mui tas fazendas.
-



xopara 4oo, 5oo rs. a garrafa e t,$mA Kr3S frutas a 00 rs. a lata.
gente oceupada no seu'tratamento
e moendo com qualquer altnra
vjpor deixando-lhes
lespeza da compra continuada de novos an.maes
se tem com elles.
Rodas d'agua de ferro, mu maneiras
d a3Ua'sarIlho8 eom ernaetaa de ferro para as mesmas, quando se desege fazer
e -esto da roda de madeira, tornando-se assim a roda ligeira no trabalho.
Hoendas de canoa de todos os tamanhos. desde as mais pequeas chama-
das do serto. Obra perfeita m feitio e acunhamento.
Rodas de espora angulares de todos ostamanhos e proptreoes.
paroes ou cochea para receber o caldo. m L M
Crlvos de fornalna para assentamentos, frejeos para o foguista, fazendo
crande calor com pouco combdstivei, e duradouro. __^l.-_ +
granae "^ fopBalha de tdos os tamanhos e de diversos systemas.
Fornos e raolohos para a fabrica de farinha e tambem chapas redondas
pira fornos pequeos.
Bombas simples e de repucho.
Talcas de ferro batido e fundido e de cobre.
Formas de ferro batido galvanisado para purgar assocar
e isempjoj^qujbraMe^ ^^ ^ ^^ ^ ^^ ^^^ g. | ^ ^ ^
pr^co dos de cobre.mais regxdaresaa distiUaclo e igualmente duraveis.
Flxos e rodas de carro com mangas de patente, obra mu segura para
C3rregaCArdos,0rade., enehados a cavallo e outros instrumentos de./gri-
E finalmente todo o objecto de que posea precisar um engenbo.
leves piracarregar
cultura.
Machinas de descarocar algodo.
Na fabrica se fazem obras novas encommenda e ooncertos, com a mato r preste-
z i e solidez. O grande deposito de pecas e objectos habilitam-na' muito para' ^llm.
O propietario ser'sempre mui feliz de poder ter occas.ao de dar informacoes on
es-'-arecimentos aos senhores que seservirem de seu presumo.
ea' D. W. Bowman, engenheiro.
RA IIA CJLOEIA I, 56 I,
Continua a ter grande e completo sortiraeoto.de
Machinas americanas para descarocar algodao
do neihores fabricantes de 10,12,14, f 18,* O, 23,30 e 33 serrotes que as vende por preco reso '
midos.eaj eoneqoencia de ultiBwmahle as ter recebido de conta propria dos Estados-Unidos.
3,5qo a caada.
Canas com urna dvnia de garrafas de su-
perior vinho Berdeaus a 7,ooo rs. a caixa e
7oo rs. a garrafa.
CAFE
Caf do Rio de 1.* e i,* qualidade de
6,8oo a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
M4BAO
Sab3o maca de primeira qnalidade de 24o
rs. a libra.
Serveja
Superior serveja Bass dos melhores fa-
bricantes, como sejam: Shlers & Bell. T. F.
Ashe a 7,5oo e 7,ooo rs. a duzia e a 7oo rs.
a garrafa. Tambem ha de outras mareas
como seja: Victoria e Alcope a 5,ooo rs. a du-, libra,
zia e a 5oo rs: a garrafa.
BOIOES VASTOS.
Boi5es vasios, loucarngleza muito pro-
pria para manleiga e deposito de doce de 4
a 12 libras a i,2eo e2,5oo.
FARINHA DO MARANHO.
Farinha do MaranhSo a 240 rs. a libra.
SAG'.
Sag muito novo a 4oo rs. a libra.
ARARTA.
Tambem ha tetas grandes para l,2oo rs.
ata.
AZEITE DE REFINADO
Superior site fraaeez refinado a 8,ooo
rs. a garrafa e a 9,ooo.rs.4 duzia.
MOLHO INQIEZ SAUCE
Molbo inglez Sauce em fraseos grandes
com rolha de vidro a l,8oo rs. o frasco em
duzia ter aba tmenlo.
BATATAS.
Gigoscom 3o librasde batatas a i.ooo rs.
o gigo.
SARDINHAS.
Latas com sardinhas de Nanles e Lisboa
de 4oo a 46o rs. a lata.
FUMO AMERICANO.
Superior fumo am.chapa a 1,400 rs. a
ERWLHAS
Latas com ervilhas e feij3o verde j pre-
parado 64o rs. a lata.
MASSA DE TOMATE
Latas com I libra de massa de tomate a
64o a lata.
VERMUTH
Esta bebida muito fresca e estomacal e
muito propria para a presente estaco. a
qual vendemos a2,ooo rs. a garrafa e 18.3
a duzia.
Araruta verddeira a 4oo rs. a libr|
Pimenta, cominho, cmvoveaneHa. ervadoce, alfazema, tijollo para limpar facas pa-
litos paramentes, palitos de fugo, e outros muitos gneros que se tornada enfadonho
mencionar, afiancando ciaefiridade nos precos e o bom acondioionamento de qualquer
genero.
romances baratos
Vendem-se/na livraria da praca da Inde-
pendencia n. 8, a 400 rs. o volunte, os ro-
mances portuguezesseguimos, em brochara:
A voz do sangue, 2 vohimes.
Connemara, 2 ditos.
A noite de S. Silvestre, i dito.
O fimo de THano, I dito.
Adonis on o bom negro, 1 dito.
As anas imadas, i dito.
O pacha de Buda, i dito.
Trilby,- dito.
Ignez de la Sierra, i dito.
JovenSlbriana, 1 dito._____
~Cvadinia de Franca
a 160 rs. a libra, e de 8 ttbras para cima a 120
rs.: no artnaiem da Liga, mi Nova n. 66.
' uaftttflas.
A foja da Anrora, na ma larga do Rotarlo n. 38,
recebeoNgortimento de lantijolas mallo delicadas e
proprias para (TUatqoer enfeite, assim como tam-
torarrftttMA'IctTfe de Jotrrin brancas e de cores
para hame^l>sr*HO^,. maHo 'frecas, ebegadas
pdonitimovepob iud<> isto naloja da Anrora,
rea largvdoR
Para as bailes mascarados.
A aguia branca est vendendo por baratissimos
precos, para acabar, os objectos segnlntes, qne ser-
vera mui bem aos que tomara parte nos bailes mas-
carados, sendo:
Helas de seda alio par.
Enfeites de flores a 1, 2 e 35 cada um.
Fitas lavradas de 320 a 1 a vara.
Cintos largos eom pontas cnidas.
Vndese nma masseira de araarello em per-
feito eado, e mais pertMces para nma padara,
na estrada nova, segunda taberna a dlreita, depois
do sobrado grande : a tratar "na- mesma, das 4
horas da tarde em diante.
Peefaiactoa
Na roa doQaeinatie n. 40
eortese feaimha de cor, bonitos gostos, com
18 corados a 3*600.
Cassas orgadys de ores, eovade a 240, pe?as
de algodaoiloho largo com 17 varas a 45
Ditas de dito com 17 varas, muito encorpado,
com pequeo deleito, 4,1500.
Grosdenaple preto muito superior, covado 2S.
Dito dito a 4*600.
Retondas de renda preta a 10*.
-Chales de renda-preta a 8*.
Novidad^s do Yigikmte
RA DO CRESPO N. 7.
Este estabelecimento apezar de sempre
se achar bem sortida como todos sabem,
boje mais que nunca nao s pelo que rece-
be de sua propria conta, aaas tambem pelo
i que recebe de consigoacoes; parece sem
duvida que deve offerecer grandes vanta-
gens para o respeiiavel publico tanto em
presos como na escolha dos objectos, e co-
mo acaba de chegar grande remessa pelo
vapor tDouro o o navio Solferino > do
diversos objectos de gosto e proprios do
tempo dos quaes se mencionarao algnns,
por nao ser possivel mencionar todos. O
dono deste estabelecimento espera a pro-
teccao de todos.
Riqoissimas caixinbas ornadas e cem
msica propria para um delicado mimo.
Caisinhas de msica tanto de veio como
de corda.
Ricos porta joias e necessarios.
Riqoissimos estajos a feitio de um baosi-
nho on chapenzinho.
Ditos em casca de noz e de outros gostos.
Leques de madeperola de sndalo e de
faia e madeira.
Chaposinhos e touquinhas de muito
gosto para enancas.
Meias e sapatinhos de seda para as mes-
mas.
Meias de seda para senhoras.
Capellas e grinaldas de flores propria
para casamento.
Enfeites e capellas de muito gosto para
seuhora.
Riquissimos porta boqnets.
Boquet de flores com nma borrachinha
com cheiro.
Luvas ver da Je ras de Jovin.
Ditas de seda e de Escocia.
Riquissimas plumas e guarniees para
enfeitar chapeos.
Coutas e tubos de ac branco, que ba
muito se desejava para enfeites.
Brincos, fivellas e cruzes de crystal.
FiTellas e cruzes de tartaruga, madripe-
rola e donrados.
Alfinetes para gravatas.
Botoes com croas para punbos.
Gravatinhas e mantinhas de muito gosto,
tanto para homem como para senhora.
Riquissimos aderecos pretos, assim como
caixiubas com alfinetes pretos.
Bengallas de canna com cabo de marfim.
Ditas de baleia, borracha e de outras
umitas qualidades, assim como chicotinhos.
Riqoissimos peales de tartaruga do ulti-
mo gosto; assim como de arregaeo para
menina, poisueste-artigo ha um completo
sortimento de todas-as qualidades.
Diademas para cabeca do ultimo gosto.
Riquissimas fitas lavradas a lizas.
Trancas pretas com vidrilho e de cores.
Pulseiras tanto para senhora como para
meninas.
Ligas de seda e de algodo.
Suspensorios de seda e de algodo e mui-
tos outros objectos que se nSfcpodem an-
nunciar por nao se tornar enfadenho.
S no Gallo Vigilante roa do Crespo n. 7.
MACHIN4S DE PATENTE
DE TRABALHAR MO PARA DESCA-
ftugAH ALGODAO
FABRICADO POR
PLANT BROTHERS & G.
OIJDtAM.
Estas machi-
nas podem des-
carocar qual-
quer especie da
algodo sem
estragar o fio,
sendo bastante
duas pessoas
para o traba-
lho; pode des-
carocar urna
arroba de al-
godo em ca-
roco em 40
minntos, ou
i& arrobas por dia on cinco arrobas de al
godio limpo.
Assim como machinas para serem movi-
das por aniaaaes, que descarecam 18 arro-
bas de algodo limpo por dia; e motores
para mover ama, duas on tres dessas ma-
chinas.
Os mesmos tem para vender um bellissi-
mo vapor que pode fazer mover seis destas
machinas mencionadas; para o qne convi-
da-se aos senhores agricultores a virem ver
e examina-lo, no a mazem de algodo, ao
largo da ponte nova n. 47.
Banadera Brothers dr. C
Recife praca do Corpo Santo n. 11.
Os nicos agentes neste pau.________
O castello de Grasville.
Tradaiido i frutea por A. J. C. ti Cr.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 3*00C
aa praca da Independencia, livraria ns.
a$.
Frameisco Jos Germano]
RA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gosto da Europa e ocu-
los da alcance para observacoes e para oa
martimos.
Manual do Cidadao
Vendo-sao Manual do Cidadao em um
Governo Representativo on principios da
Direito Publico Constitucional Administra-
tivo e das Gentes, por Silvestre Pinheiro
Ferreira, em 3 volnos broxurados por Z$
cada obra : na livraria o. 8 da praca da
Independencia^______________________
Cerveja jetada
Ha diariamente a venda por preco commodo;
no armatem da Liga, roa Nota n. 60.
Roupas feitas de todas as qualidades
Vende-se roapa feia, sendo calcas de cores e
pardo a 2*, ditas de brim braaeode llnho a 3*500
e 4*. calcas de casetnira preta a 6*, 6* e 8*, di-
tas de cores, mela casemira, a 3* e 3*600, ditas
de casemira a 65, 7* e 8*, palatots de brim da
cores a 2*, 3*500 e 3*, ditos de brim branco a
a 4*500, ditos de alpaca preta a 3* e 1*, ditos de
casemira de ores a 5*, 6, 7,. 8 e 10*, ditos da
panno prele a *, 7, 8 e tO*;-rolletes de res a
1*600, de casemira a 3* e a*, ceronla fraaMca a
1*600 e 2*200, camisas franceas finas brancas e
peitos de cores a 2* e 2*500, ditas infftetas de li-
nho de- pregas largas a 2*600, 3* e 8*500 : aa
roa drfaaperatrii, jojana Arara n. 66.________
Lavs de Joavia fritas e tras
cares
"Chegaram para a lojaPde nrtode:as : na roa
QMattdu a.-16.

J!


'
<
*_^i'..
--i


i
! -



ni
ii
IHIH
,--------------
lwl dt Pcrn*o# Segnn =te
45
t 454
Alia
A prtmeira cndilo radispensavel con-
servado da sade trazo' os ps bem de-
fendidos contra os ataques da humidade;
calcado bom e segare o unifio preserva-
tivo dessas mil enfermidades a que est so-
jeito o Dosseeu. m chnelo velho cal-
cado por om dandy patnscante, ou nma
botina aealcanhada em pequenino p de en-
cantadora deidade alm de acensar qne-
bradeira horripilante, prow contra as facili-
dades intellectoaM dos calGante6, e nao ha
qnem, tendo bom senso, queira passar por
maluco, ou pobre de surrao : erge. cor-
rama:
4*-RA DIREITA4*.
e attendam a' barate.
Homens. |
Borzeguios barcelloneze* de lus-
tre e de porco 6OO0
Ditos de Bordeanx .... 70000
Ditos parisienses de bezerro e
cordavSo....... 80000
Sapates de Mants de duas ba-
teras rasas ...... 50000
Sapaloi.de lona, sola-de borra-
cha..... ; 20000
Ditos aveludados..... 10600
Ditos de tranca boas 10660
Senhoras
Borzeguins enfeitdos. 50000
Ditos de laeo.....* 40800
Ditoa lisos......, 40500
Sapalos de borracha, 10609
Selleiros, corrieiros e segeiros l
Sola de lustre, motos grandes 200000
E om completo sortimento de oleado fa-
bricado nopait. _________________
No armazem de tazendas
baratas de Santos Coelho
Rna Intimado 19.
VctJJe-se o sepuinte :
Coberta de chita da India a SAMO.
Lengoes de panno de linho a 24200.
Ditos de bramante de linho de om s panno a
3*200.
Lencos de cassa brancas proprlos para algibeira
a 2$00O a duna.
Algodo infestado com 7 1|S palmos de largara
a 15200 vara.
Atbeattwdo de iinho a 2*808 a vara,
Dito Oealgoan-a 14 a van.
Goarnanapos de linho a 3J800 a dozia.
Pecas de cambraia- de salpicos a i'OO.
LiailirtM abena de cores a 32tto covado.
Cawarala branca de forro-a 34 a peca.
Fil de linho liso fino a 680 rs. a vara.
Dito de dito cora salpicos a 14* vara.
Panno de linho fino coa 9 1|2 palmes de largu-
ra pelo barato preco de 2(400 a vara.
Madapoldes finos a 84, 94,104, 1 '4 e 434.
Cambra ia lisa de 44500. -&4.-64, 74 e 84 a peca.
Pecas de bretanba de algodo- com fO vara?,
propria para saia, oelo baratissimo -prego de
34900.
Laazioha lisa de cores a 500 rs. o covado.
Cambraias Gnas de cores miudinhas a 360 rs. o
covado.
Esleir da India propria para torro e sala de
4,5 -e 6 palmos de largura, per meaos preco do
que em outra qualquer parte.
Nesie armazem tambara se encostra am -grande
sor'.imenlo de roopa oia por medida.
Boa Fama rm do Quei-
mado.
Receben pelo ultime' vapor ebegado de
Paris chapeos para meuina do ultimo gosto.
Diademas domados,
enfeitados com aljofares, oedras,! I Garrafas brancas
, v "4VW^J* rv "> e e cores com superior agua da colonia.
e(C pira meDIDaS e senhoras. Venoem-se na roa do Qaeimado, toja de minde-
A agufa-branca vejide bonitos e motemos dia- ia-n. 16.
dems dourados, enfeilades-oom aljofares a pedraa Novo gosto
proprias para meninas e senboras. Pentee, flvellas, e brinco de lellerana.
Bonitos chapozlnhos A amiga e bem conbecida leja n. 16 na ra do
e palha fina e areneaes pira meninas. Qaeimado, receben om sortimento de diversos ob-
Sao obras estas de que.oa boas pai de amiHa leco d* novo e bom gosto, sendo pentes brancos e i
Vesties
a-}* de Paredes Porto m bonito sor-
vestidos de tarulala de cores e brancas
se nio podem escusar de comprar, por fazerem el-
s parle do asseio e bom gosto com que trajam
as bellas fllhinbas. A aguia-branca tem o pra-
zer de ver que to bellas e precisas obras loram
davidamenie apreciadas e compradas em sen ni-
nbo. Os chapeozinhos, alm de serem d'uraa pa-
lha mui fina, sao de mu bonita forma e ultimo
goste, entenados c*om toda a perfel^ao: os aven-
taos, porm, sao de floa cambraia, guarnecidos de
babadinbos bordados; o que Ibes d muita gra$a.
Qs precos destes, 54000, e daquelles, 104; o de
quaoto sao ellts baratos conhecera o pretndeme,
que se dirigir a' luja 'aguia-branca, na ra do
Queimado n. 8.
Vidranos de cores e aljofares,
imitando ac, para enfeites de vestidos.
A aguia-branca na roa do Queimado n. 8 rece* -
beu um bello sortimento dos objectos cima pro-
unos para enfeites de vestidos, etc., etc., e est
veodendo commodamento. I
Navidades. i
Na Agula branca ma do Qaeimado n. 8 reoe-
fceu diversos objectos de multo g jsto e inteiramen-1
te navos, sendo ;
Bonitos e delicados pestes dourados e prateados,
tendo entre elies alguns de filigrana obra mui per-
; feita e de elevado gosto.
Ditos com chapa de midrerx*ol.
Brincos de filigrana e outras qualidades.
Flvellas de dita e outra* "tamhem-de dvverse*
qualidades.
Cintos mui bonitos, enfeitados em toda a extea-
gao com caracteres dourados e prateados.
' Fllets enfeitados com moedinhns dourad?,e lan
^fjMfa^WiM paw,b&loei. -
Na roa doQoelmadp ioja.d| afezas n. 16,vd-
de-se aspas de aj fortes, e aii preites larguras
Ji ,? "^*^Z?LVJ?J!r:. teiramente de gosio pelo barato prego de 44
donra'rl.T tndTZr nr^ra^ve^ 5raDC0S a. 4*5>0>esl* abando-se : no armazem
dAgrularg, roa da ImperaTrir o. 82, junto i
Cortinados.
Chegou a leja de Paredes Porto um completo
sortimento de i cortinado ricamente bordados a
preco de 254, 354 e 454 : Da roa da. Iraperatrio
n. 52, porta larga junto a padaria fraoceza.
Ricas romeiras
Paredes Porto reeebeu, pele ultimo paquete x
donrados de moldes entetramente novos e mol a-
gradaveis, tendo entreolles alguns de Bn'grtna obra sortimento Je jomeirade gafrur r pela do 16, Vende se uro grande sortimento de
de muito gosioe dficit execueae, e bem assiso' fl-f a preco commodo : na ra da Imperatriz n. 52 Sow,^ oW o covado.
vellas e brincos as mesmas circumstancias. porta larga junto a padaria francera.
Tambem receben alguns cintos o que de mais "rtAAA
roodernoe bonito, se pode encontrar em tal genero. lirlYlTlfr'
Alm disso enoontraro os pretandentes um oom-
pleio sortimento de. flvellas de madreperola, cbfta-
tal, tartaruga, e dourados, brincos de chnsul, e
jaspe, voltas e erozes de dito e muitos ontros objec-
tos de gosto, os qnaes conlinua-se a vender commo- Cortes de laa escocesa par.avstid* a 34 o cor
damente. j te: na roa da Imperatriz n. 32. loja. da porta lat
Pnenles de madreperola, e enfeites fllets ga, junto a padaria ranceza, esto s acabando.
A loja-de miudewsi.aiuadoQueimadon.lt), PlTl llliO
receben bonitos pentes com chapa de,madteperota, ._ ._; ***',
a novos enfeites fllets ornados de lantejoilas dou- Laas PIas cn salplcss brancos a. 5XH) e 500
radas,-moedlnbas; aljoferes-, vidriHies-etc., tendo'. o covado-: na roa da Imperatriz n. 52 junto a
grandes para toda ca*ei..e'Beqeno>|>araoqe,; paaria/fraBee^ariMKmi* porta larra.
regulando os precos de 24 a 44000 rs. 1^400
Chapeos de sol.
Vendem-se chapeos.de sol de panno
urna grande pecbincha s para acabar
Attencfto t
Atten^ao!
Attenco!
' 6rande sor timen todo fareidas pro-
Jiras para a .varesma.
e chegar a este novo estabelecimeoto
um grande e variado sortimento de fazeadas pro-
prias para a cuaresma, a saber :
lir- sdenaples pelo a l.sGOO o covado.
Vende-se um grande sortimento de grosdena-
"ple-a 18600, 14800, 24 e 24500 o covado j dito
muito superior a 24800 e 3jj : na rna da Impera-
tra n. 72, loja de Gaimaraes & Irmflo.
Moriantique preto a 2^80Q.
Vende-se oro grande sortimento de
Bjnitas caixinbas
com arranjos dourados paras costara, tendo com
msicas e sem ellas. Vendem-se na roa do Quei-
mado loja de roiudezas n. 16.
Trancas preia* .
com vidrilbos, e bicos com ditos e sera elles tara
enfeites ou vestidos.
Na roa dt Qaeimado n. 16 loja de miodetas a-
chuao os pretendentes um bello sortimento dos
objectos cima ditos, cascarrilbae, francas etc. etc
lodo est sendo vendido por precos coanodae-
Botoes pretos
de vidro enfeitados d'aco.
A loja de miodezas n. 16 ro<. do Qoeimado
vende mui bonitos botSes pretos de vidre-comeo-
mmu
Wovidadfe!
O b&mtciro vende:
Chales de fil pretes pelo baraiisio prteo d
64000.
Moreantiques pretos de diversos padroes a
2^100, 24600 e ?4800.
Grosdenaples de diversas larguras e qualidades
a 1|600, 14800,24,200 e 24800.
Cambraias de core finas a 300 rs. o covado.
E ostras muitas laceadas de gosto que se ven-
dem por menos do que -em outra qualquer parte,
para poder sustentar sea fama de baraleiro, e do
todo se d amostras : aa ra do Crespo n. 1, ioja
do baraleiro.
tejoNas, aljofares & Si, sendo para coque, e toda a feites de ac, os quaes muito se uzam para-enfelrar
cabeca, e outros com plomas &. | venidos, quero os pretender pode dirigirle adtta'
Booits voltas de- jespt eon>'rntev ledo tan, tejw o. 16 roa do Queimado.
bem algomas de duas corra.' | Vendem-se na loja de mtadezas
Luyas e meias a rna do Quelmado n. 16.
de. laa vegetal, para quem soffre de frialdade, pa- Bonitos leqoes de sndalo e outras qualidades.
ralesya etc. Vendem-se na roa do Qaeimado loja Bonitos cintos com fivella9 Je diversas qoalida-
d'Aguia branca n. 8. dea e moldes.
Bandoline de roza Briaeose craaes deeryalai*,
para segurar oq conservar perfeitamente atado os Abotoadoras de dito para coletea,.
cabellos das senderos1. Vende-se na roa do Quet- Bonitos port-relogios.
mado loja d'Agoia branca a 14000 o frasco; Delicadas caixas com mosica e sem ella, para
Enfeites pretos para vestidos costar*
AAgoia braner- recebe bovos eafeites pretor Agotea.elH*a.parachrotUfiV
para vestidos, sendo bicos oom. vidrilhos e. semi. getroi superior em earrAets,
elles, trancas com peadeates de vidrilbos e sem, geodas pretas e bicos ldrao^ Mn .
elles cordao grosso tambem com vidrilbos e sem tas de velludo com; listras d. cores- para en-
elles ; assim como galBs e fraojas de diversas lar- f'f de gorros e vest dos. -. ....
goras, fitas de vellodo etc. como sempre os bons! Ditaada gr6deopoles,lltaa*-lwadaa) hcaocas
fregoezes encootrarSo commodldade de precos nos e matisaday,
objectos que se vendem na loja d'Agaia branca ru COlares Rover OW> colares no-
do Quemado o. 8. dlnos
Botea 'd'vidro- para facilitar a deaticaodas..oriaacs,aipresru,
com etffeites d ac no centro. | jas jas convulsCes.
Essesbotoes qu iaotrvem para melhorse 0 riiZ resollado obtido immensar vezes pelar "i
poder enfeitar um bom vestido BMtOJ on de-cor, ^jigiosa forca magntica dos colares floyoiy nos I
achiese a venda na roa do Queimado loja d Agota ^^ de convuises, e denlico, das criaosas tem
a 14400 e
na roa da
Imperatriz n. 52 armaiem/da ptria larga de Fara-
des Portp, :
k< imto
Vendem-se peeas^de tranca prett para enfeites
de vestidos^ oatembarqu?, capas de seBhora a
Chales de reada pretos a 8000.
Vende-se tambem um variado sortim-nto de cha-
le de renda a 84, 94500 e 104 ; ditos muito fino
a 144 e 124 ; ditos de seda fazenda muito fina a
204000-
Rotondas pretos a 10.
Venden-s retooaas pretas pelo barato preco de
1*jSell.4.: na roa da Imperatriz n. 72, loja de
Guimaraes & Irmo.
Grande pecbincha panno preto a 2^000 o
covado.
Vende-se panno preto proprio para calcas e pa-
Ittots a 24 e 2420 o covado casimiras pretas
a 14800, 24, 24400 e 24500 o covado.
K' muito barato corles de casimira a 3:>00.
Vendem-se cortes de casimira preta. a 34300
44 e 44500 ; dita multo fina a 64.
Admira cortes de brim de cores a
1,280
Vendem-sa cSrtas de brim de cores para calca a
142^0,14600, 14800 e 24 : na ra da Imperatriz
n. 72, loja de Guimaraes Si Irmo.
E' baratissimo a 12fr rts o covado.
Vendem-se riscadinhos multo proprios para ron-
Grnete, peohiuclia
ETlfas.
A niela pataca.
A mela pataea.
A mela pataea.
Vende-se na loja do pavo um grande sortimento
de chitas inglezas, sendo rdxas e cor de rosa, com
padroes mato miados e mais grados, afifencaado-
se ser de cores (lias, e vende-se pelo baratissimo
preco de 64 a peca, tendo 38 covados, e retalba-se
a 160 rs., sendo fazenda qoe sempre se venden a
94 a peca oo se retalhou a 280 rs.; esta grande
pecbincha Ifqmda-se por este preco na loja e arma-
zem do pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gatead
Silva.
Vende-se ou arrenda-se o en#enho Acauass,
moente e crrante, distante da eraca tres leguas,
sito.na fregoezia de Jahoatao.seo terreno de boa
prodoccao, com maltas bem conservadas e ejm
cercado bem tratado. Tambem se divide em pro-
prledadas. ou sitios, a vontado {dos compraderes,
sendo uns pelo rio Mocaniba e outros pelo rio
Acauassd : para qualquer dos referidos negocios
procuren do Alcgndos o-coronel Jos-Gomes dos
Santos Pereira de Saslo.%
-WMM
Chales de Vende-se cnales de renda, preto a 44000, unlc
loja toe pode vender na roa da Imperatriz a. 52>'
armazem da porta larga, de.Pacedes-Porto.
branca o. 8.
FlZEMI4SBAf4T^S
N. 27 Hua-doQuiwrmdoN', 11
GBARDrrcanat
Cambraia 'braticnipflM fOrr a -2*8 e 40
rs.a vara.
lencos bancos par"ar?ibei*a 91000 rs.
Retondasipretas a 9#000
Cambraia morsafioadecorpre!^ia para
vestidos o covado -a 300 rs,
Jdoreantiqne preto superior a 208OO' e
3*000 o covadO-
Grande sortimento de grostfenaptespr!o
para todos os preoos1.
Rotondas de seda riqusimas algerinas para
seaboras.
altamente elevado o seo bem merecido prestigio,
e hoje j so pode dizer-qae esto.feralmente con-
ceituados, estimado de innnmeraveia pas de
familias : de oo porque.do-nso. djses. salutar.es-
colares viram salvos do perigo seus charos filbi-i
naosj e de ontros por proficuo ezemplo para igoalmeoie preservar os
seos Assim, pols, 'a agola branca, tendo em vis-
ta&a urllidade e proveltf desses prodigiosos cola-
res anodinos oo Rovr, mandou v-ir-o novo sorti-
mento <|ue agora reoebeu, e coutlwier a recebe-
loe-para qoe em lempo algom a falta delles possa
seo fanesta aos pais de familiares quaes ficaro
certas de os achar constantemente a roa do Qoei-
mado, toja d'agaia branca, n. 8.
1,6600 coro40 varas,.moAsguaflde pechincba : na pa de-esenavos, a 120ris o covado; ditos escoce
roa da Impeajr,|z n. 52, jjootq. a padaria ranceza.. ta^muito Onos. a 240,. 280 e 300 ris o covado.
Laazinnas a 3oo rs.
Laaztobas de qoadrjnhos a. 300, 320, 360 e 400
rs. o covado; ditas muito finas a 500 e 560: na
ra dafmperalriz n. 72, loja de Guimaraes & ir-
mo.-.
Cortea de la a 54X100.
Acaba., de ebegar a este imporante estabeieci-
meQto om sortimento de cortes de la qoe se veo-
de por 54 e 545OO; ditos a Mario. Pia, fazenda
muito moderna a 12a,. 144, 184.0204 ditos com
camisinha, cinta e grvala a 254 e 284>
, Chitas ftancezas largas a 260 ris.
Vende-se um grande sortimento de chitas a 260,
280, 300, 320 e 360 rs. o covado ; ditas preciares
a 460, 440 e 500 rs.
Cambraias de ores a 280 rs o
colado
Vendem-se camLraias (rancezas a 280,300, 320,
360 e 400 rs. o covado.
Cambraias Usas a 3.000 is. a peca.
Vende-se um grande sortimento de cambraias
lisas pelo barato preco de 34, 34500, 44,44500 e
34 ; ditas muito finas a 54500 e 64; ditas victoria
a 64500 e 74; ditas de urna vara de largura a 84
e 95 ; ditas para-forro a 14600, 24 e 24200 : na
roa da Imperatriz n. 62.
ROUPA PET*.
. Vende-se um.complot* sorlkaeaU de reupa fei-
ta elta. assim como sejam palitots, cairas, coletes,
camisas francezas a 14600 e lc800 ; ditas finas a
24 e de linho a 2J500, 34 e 34500 \ seroulas de
14200,14400 e 14600, de linho a 24 e 34500 : na
roa da Imperatriz o. 72, loja de Gotmaraes & Ir-
ao.
\mmm
o gntode armazem da ra do Apollo n. 38 e 40,
proprio para um armazem de assnear ou prensa
de-aigodo em pontn gr*odfl,- por^ ter 6 portas de
freotecom mais devW palmes de largor-a e 300e
tantos palmos de compriroento, tudo coberto e so-
, bre arcadas e para comodidade dos. compradores
Guardanapos para meza a JKffiG rs, a dU-! se vende com o prazo de 2 anuos oo o que se con-
aia.
ftissaaps miadas, aljofares imitandt
ac e vid liaos de copos
para enfeites de vestidos; vendase lodo iisso por
precos razoaveis na ra do Queimado n.I oja 16,
de miodezas.
Superiores bafes de arcos a 3#200 rs.
Vende-se uraa capa de gorgurao roxa
em muito bom estado com mur^a, propria
da irmandade das-Cbagas: na ra-da Roda
c. 4._____________________________
Vendem-se garrafas" o botijas vastas e lava
das i na roa da Soledade o. 38.
veneonar urna vez que seja com segoranca e pa-
gaade-se i-ela demora om mdico joro : as pes-
soaeaqoem coovier esta compra poderao enten-
derse com Antonio Alves Barbosa na roa dosGua-
rar-apes o. 78._________________________.
Velas de carnauba
Cernes de Mattos Irmaos recebem do Aracaly, e
veodem coromedamente : na Toa larga do Rosario
numero 24.
armazem aetin*
tas medicamentos etos
Rna do Imperador n. 22,
Joo Pedro das Xe\ es (ge,-;
rente) tem, a, Yenda o
segnlnte:
Productos cbimicos e] pharma-
ceuticos os mdis empregados em
medicina.
Tintas para todo o genero de pin-
* tura e para tintnraria.
fi* Productos indnstriaes e tintas
%& para flores, como bot5es de flores
yM e modefcs em gesso para imitar
2g fructas e- pwr06 oom o compe-
5 tente desenlio-.
Productos cbimicos' e industriaes
mt parapbotograpbia, tinuraria, pin-
JI tura, pyrotcnia etc.
M i Montado em grande escala e sup-
m prido directamente de Paris, Loa-
S dresy Ham burgo, Anvers e
* pode-offerecer productos de plena
| conflanca e satisfazer qualquer en-
^ commenda a grosso trato e a reta-
g lho e por preco commodo.
mmmm
America de So?rote de Ac
Vianno. ^ Guimaraes, estakeleoidos na roa da
Cadeivn. SO, aviaam aos Srs agricultores, que aca-
bara de receber de New-York as verdadeiras ma-
chinas americanas de serrotes para descarbear al-
godo, com elxo patente, e rodas de dentadura de
movimenio rpido, assegurando que seo raachinis-
moomelbor que tem vindu a este mercado, pela
rapidez com que em ponco lempo descaroQao as
! suas machinas multo algodo, sendo em seo ar-
mazem o onreo deposito das machinas deserras
patentes de ago temperado paraifaaer seis sacra
de algodo em om ; da come, servigo de urna.
s pessoa.______________________
Vende-e e taz-se todo negocio com o depo-
sito da roa do Vigarlo n. 29, muito proprio pera
om principiante qne queira principiar sua vida
com ponco diotieiri;. ao comprador se dir, o mo
tive da vnda.
nTMnMIBBfiTM MM HaSHinlnl
jfa Brides |rieadiras-d JfjHW *
Vendem-se a ruado Queimado loja de s
R Azbvedo i ir-maa l
ntwaiMM BUK-a^inti9^^
nMHim BnWWlflWtw
Vendemos 400 pedras.para ladriUio, vindas
da liba.:, a tratar na ruado.Vigario.n, 14.
mmu
mais barata do que
ra da Madre de
Vende-se cera de carnauba
em outra qualquer parte : na
Dos o 5. _____________ n
Vende-so um-carro amewcaao com quatro
asientos, pucbado.por um cavallo, leve, em muito
bom uso : a tratar na ra da Florentina, coebeira
de Grosjean.
........ rf'n LIi
Eseravos fgidos
Mi\\\m
PARA
G4Z.
Desearo^r- algodftc.
As verdadeiras
Americanas de serrotes de ac.
Vendem-s fomente na ra da Cadeia n. 56 no
. armazem de Silva & Atve?, que arlangam aos
\ iehna S' senbores agricultores a superioridad^ do seu ma
chioismo, prefewel a outrv qualquer que aqui tem
viudo, por poderem as soas machinas tirar qua-
tro saccas de algodo por da, com o emprego de
Sma s pessua; sendo ditas machinas de rodas de
erro com dentaduras de eixo patente de rpido
movimento, com serras de ac especialmente tem-
perado para fazer moho algodo de ploma em
pouco lempo.
No armazem da roa do Imperador n. 3 oo no
Caes-de Pedro II n: 2; tem para vender-se o me-
bor ai existente no mercado.
A agula branca.
A ra do Queimado numero 8.
Acaba de receber (uvas de pellica de todas as
cores inclusive preta.
150j? de gratificara*
Fugio no dia 21 de marco do anno prximo
passado, da casa de seu senhor, o escravo cabra
escoro, de neme Benedicto, com idade de 25 a 26-
annos, levou vertido caiga de algodo de listra,
camisa, de algodo da jerra, chapeo de couro de
abas largas; linba cortado cabello a escovinha,
altura regular, cheio do corpo.olhos pretos e muito
vivos, nariz e boca regalares, muito ponca barba
no queixo e om pequeo bosso, todos os dentes,
ps regulares, etc., ele. Foi comprado naque lie
mesmo dia 9 oo 10, ao Sr. Jos Antonio Borges,
como procurador do Sr. Andr Alves de Paiva,
morador na cidade de Souza, para onde fagia o
referido escravo, segundo aviso que temos do ate-
rido Sr. Paiva, e all anda refugindose algutsas
vezes para a erra denominaos Jo Luiz. Roga-
mos portante a todas as autoridades policiaes e aos
senbores capites de carneo, a captura do dita
escravo, e remette-lo a casa de nossa residencia
a rna do Imperador n. 83 segundo andar, e por
cujo trabalbo gratificaremos com a quantia
pr*.
Reclfe, 28 de fevereiro de 1866.
Abrn A Veras.
Farello
A' 4g500
Ka da Madre de Deus n, 5
Saceos grandes farello novo.
su-
Aosentou-se da casa do abaixo assignado, desdo
o da 12 de fevereiro passado a molafa sua escra-
va por nomo Loiz, de idade 30 annos, ponco mais
ou menos, a qual tem os signaes seguintes : esta-
tura regular, bem fallante, levou vestido on roupo
a domin, cor escura, om pooco corto por nao ser
della, cuja escrava tem sobre o labio superior nma
cicatriz da lado esqoerdo, costuroa quaodo foge
lutitolar-se forra e alugar-se : portauto, eu abaixo
assignado, rogo s pessoas que della souberem ou
trazerem-me a' ra da Cadeia do Recife n. 31, oo
ao Bairros Baixos n. 14, serao bem recompensadas.
u
52"

DOS PREMIOS DA I. PARTE DA 1. LOTERA, CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 402 A RENEFICIO DA MATRIZ DE SALGUEIRQ. EXTRAH1DA EM 17 DE MARCO DE 1866.
Mi PRE34S
8 61
9
11
13
20
23
32
39
40
48.
49
50 -
8*
W
84
88
62
65
72
77
79
85
86
91
98
9
108
9
12
16
17
23
31
34
36
40
43
81
87
88
60
63
68
73
74
79
81
81
66
10*
6*
500*
20*
6*
NS. PRBMS. NS. PREMS.
192
97
98
209
10
18
20
21
29
39
41
42
44
47
48
50
54
55
56
37
89
60
61
69
74
78
76
79
84
93
99
300
2
4 1
10
13
14
17
23
27
31
43
44
47
81
57
63
69
6*
10*
6*
10*
6*
40*
6*
10*
6*
200*
6*
20*
10*
6*
10*
6*
:
381
84
88
89
90
92
93
95
400
1
17
18
21
22
23
31
34
38
38
43
48
49
50
53
84
63
66
69
70
71
72
75
98
98
99
804
9
13
21
24
27
43
50
84
64
66
68
83
8*
88
10*
6*
10*
6*
100*
6*
6:000*
6*
20*
6*
NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS". NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.
10*
10*
6*
20*
6*
20*
6*
387
. 89
95'
97
601
16
19
21
26
32
' 34
42
45
46
48
63
65
66
72
76
77
90
92
95
99
700
3
6
13
15
21
23
27
29
32
45
80
82
85
57
60
61
62
66
67
71
85
88
91
93
6*
20*
6*
20*
6*
100*
6*
796
807
14
16
17
28
30
35
36
37
44
54
86
89
64
72
. 74
75
87
89
92
96
900
8
7
8
9
12
22
24
26-
28
29
34
37
I 40
42
44
88
65
70
.74
75
. 82
91
1006
7
no
f 12
20*
6*
15 ut
6*1017
21
22
25
26
36
3
40
47
49
51
52
53
55
57
59
63
65
71
72
7*
. 78
83
85
90
' 91
u S2
,95
1106
nm
"16"
'
10
31
35
41'
42
44
80
10*1 SS
6*--W
03
6
70
74
7'
78
79
83
40*
6*
10*
bi-
l 87
91
94
95
97
1202 .
ir
20.
21
27-
33
36
40.
42
48
53.
54
67
74
75
83
87
88
89 ,
1308 '
1
3
8
10
11
22
29"
35
44'
_ 01
C*
67
.77
94:
98
99
1400
S
3
6
_ 8
_ 13
.i i
23
MS1. NS. PR
6* 1430
36
. 38
_ 43
iOj 45
6* 47 65
67
, 68
69
70
73
78
83
84
85
93
94
^^ 1502-.
w 3
_ 4
_ 6
^ . 8
- - 9
. 15
- 17-
^g 10
OH 22,,
24
_ 30
33
__ 42
Mt^ta 48
52
10* *a
6* n 60'
-01 '
76
_ Ka
_ - 60
__ 84
85
108* x 88
64 90
93
^^ 90
40* lw^^*
0* 7
21
34
6*
10*
6*
10*
6*
10*
6*
40*
6*
20*
6*
1637
40
46
59
61
63
64
67
68
70
73
74
76
91
92
97
99
170*
15
10>
17 i
21
34
41
48
61
62
65
66
67
i 69'
- 81
82
83
-.84 i
89
91
n
93
97
6*
*180
10*
6*
t n
15
17
19
20
27'
10-
33
20*
6*
6*
1837
39
41
42
45
80
55-
57
58
66
67
73
75
79
81
83
85
91
1011
13
20*1 17
6*
20*
6*
18
19
31
32
38
38
- 44
., 45.
40."
' 47
52
- 56
58
59
61
- 63
BU
67
-+ 71
77
78-
79
90
97
2000
7
8
1*
18
10*
6*
NS. PREMS.'NS. PREMS.
2020 6* 2198 6*
22- 2207
23 8 10*
29 21 6*
30 26
31 27 20*
31- 29 6*
33 10* 31 _
39 6* 34 40*
40 . 47.. 6*
41 48
44 53 .
45 58
46 66'
48 77
49 10* 78
53 6* ! 79*
60; 8
74*J ^^ 83 *
82 84
83--' i _ 80
86 100* 87
89
98
2101
3
4
8
' 9
20
15
34^
38'
37
41
42
47
40
'80''
84
50-
W
60'
OT'
78
80
81
88
89
20*
0*
20*
88
89
90
n
96
2300
' 4
12
13
19
25
31
42
44
49
50
82
83
88
60
68
71
74
81
81
84
88
1
10*
6*
NS.
2392
2404
8
19'
26'
27
37
41
i 42
43
44
43
49
52
. 57
, 65
. 69
70
74
75
.82
83
L. 90
92
94
96
98
2503
8
15
18
. 23
25
,. 30
35
. 37
40
48
56
60
61
66
76
83
93
95
98
HOt
5
8
PREMS.
6*
404
6*1
NS. PREMS.
10*
6*
2611
12
18
19
26
27
31
35
42
46
52
53
54
60
67
68
69
71
73
74
76
80
82
86
92
95
99
2709
8
II
12
16
17
18
22
23
26
27
29
32
34
35
41
42
43
44
48
80-
- 52
59
6*
20*
6*
104
0*
40*
200*
6*
10*
6*
20*
40*
0*
NS. PREMS. NS. PREMS. NS.PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.
2762 6*
64
65
66
70
76
77'
79
82
86
87
95
97 _
98 .
99
2804 _
7 _
11
10 10*
18 6*
25
27
29
31
33
43
46 40*
51 6*
57
4
73
80 -m
90
96
98
2903
5
9
12
13
14
16
21
n
23
39
40
43
50
10*1
6*
3110
11
12
23
2
31
34
39
2
64-
66
10*
6*
104
64
2931
54
55
58
60
61
64.
65
68
74
82
96
3000
7
8
10
13
15
l 16
21
29 -
32
36
37
38
i 39
42
47
50
54
59
60
63
66
68
87
89
10*
6*
10*
6*
3170
71
73
84
85
88
92
96
97
3203
5
6
11
14
17
23
.31
33
35
39
41
45
46
81
62
&
68
71
75
84
86
92
94
97
98
3303
7
12
13
14
18
20
23
40
46
64
83
53
-I OS
- 76
104
10*
6*
3382
83
84
96
97
3403
i 6
9
17
28
30
36
71
73
76
77
79'
80
82
84
85
89
92
93
96
10*.. M
104)3506
64- *9
26
30
31
34
37
44
30
68
67
68
78
79
85
89
90
104
64
:;
- 2
93
96
8600
3 .
5
6
64 3610
12
15
18
24
26
10*H27'
6*
20*
6*
6*
33
34
38
47
51
53
54
56
63
64
66
68
69
70
75
76
80
86
96
3700
10
12
' 13
17
20
25
27
29
39
42
6* 43
44
49
53
85
57
60
69
70
74
77
100*4 78
104
64
104
64
40*
6*
3786
3812
13
18
16
38
|M
40
43
44
46
56-
57
61
62
63
64
67
68
69
70
73
75
78
87
93
96
99
QQAA
JOTO
3
8
9
15
19
26
40
41
46
49
61
58
07
69
79
81
10*4 84
6*
10*
6*
10
6*
0*
81 -
91
94
404*
6*
204
6*
10*
6*

20*
64.

4900 -



i
Sirio e
- 9egsMU feira 19 1 Harc d> 1B6B.
JURISPRUDENCIA
Foriim.
Dcvemos daas palavras ao eollega 4 Ifemis
PcniambucaiM. Nao dos foi eolregae o n. 10
desse peridico, qae esta vanos habituados a receber
reguiarmeoie, por mera favor da respectiva re-
dacgo. So mu tarde foi que una amigo'se digoou
mo!rar-nos u numero aliudido, mas quando nao
podamos desviar toda nossa atiendo de outros b-
lenos muito urgentes.
Assim pois tomos tardos oo campnmeuto de um
dever; mas naa por colpa nossa.
Em tres artigos dlsuctos, na mesma folha, faz ***" **?''* to"****'
o coliega referencia ao Forum.
No priraeiro procara saber o que diremos sobre
... .*._.,. Soes> nao havia motivo para qoaquer resaibo de
o facto de exercerem a proflssao de advogados ^ ,
pessoas aparentadas com juizes. Era escasado o
A Tkemu accreaceoia : Teuba o collega ama ftNa totalidade de 507:338 atoa, oaUtn-ae..
palavra de favor ao despro.egidb V'fortuna* 7:82i padres e.freirs.
dos poderes do da : suspenda o. seu juico : pega-'
Ihe as pravos legaes. Mas nao venha com o peso
lili-*
de sua autorldade esraaga-l) ainia mais, e re-
calca-l no afiatimento a jes elle se julga reda-
lido peta fustigados trlbowis. A liga dos gran-
des contra o pequeo tara o carcter do des-
c agrado. Pode a voz desod otada da ddr ou de-
< sespero offender os borneas das altas posigSes :
mas a sociedada acolhe moitas vezes estes bra-
dos tortarosos.
Perdde-nos o cdllega. A tua reclaraago, sem
, dosdizer da benevolencia com que nos tem tratado,
injusta. Nao nos referimos a um homem redu- ^.^ smao g wa ^ ^ mn/Mn
poderes. 87lerwaindVstt:"p;ndnreVd7d'C|8io ou raendlgos, tereraos: 1:724 couveutos de frades
final. Alm de qne, em nenas breves observa-, Wl^05' **. de,T'l,g0S' ,. 1K1M
Os 1:506 conventos de frades contem 15:492 re-
o pleiteante, ea.a posico "^sos Profesaos, e 4:466 converso; na totalida
Roma, depois* destaples, a cidade mais popu-
losa da Italia.
Desde o anuo de 1860 houve um augmento de
30:000 almas.
Em 1884 a pop alacio era de 203,896, ds manel-
ra que no anno passado foi augmentada com.....
3:442 almas. j
ni
Os conventos que existem actualmente no reino
de Italia sao 3:382.
Divididos, segundo o sexo dos conveotuaes, te-
mos : 1:506 conventos de frades e 876 da freirs.
Doudejei pelas sombras cono am leuay [ +y
Pelas irevas da insania me Lape
Ebrio em meio do tnlho da-vIaptt
O mes ultimo soobo profanei.
Foi am ddtfflo, dirlo, de assim derar-me
Mas Deus saba se em meio arrependi-me,
ferimos a nossa opinio sobre o assumpto. Non
ca porra cbamanamos baila nominalraente ci
m vontade para com
alias, sob o ponto de vista em que a consideramos,
interrogatorio, vteto que ba muito lempo que pro- i H.
. ZL. nao ra a mais propna para despertar eoodoUm-
cia. Vimos um magistrado que no exerclo de suas
. aiiribuicoes dera um voto qui prevalecea, provo-
dadaos que estao no ivre gozo de um direito, alem tMmm.___.... ,, ,,
4 8 .. cando urna reclamacao publica, aspernma na fr-
de nos merecerem estima e consieragao. Q ^^ ^ ^^ Em
Nao contestamos que poss.ra resultar alguna cirCQmslanci a termos de mU[ir QOSSOjult0i
incouvenientes do facto a que a Themts se refere : i ,. ; ,,_
, _. ... __fc;t_ c. nao podamos fallar de maueira dltTerente por que
mas o cerlo e que nem urna le o prohibe, t _
quando se tratasse de estabelecer incompatlbili
dades no casa figurado, fdra preciso conceder urna
" .. ._..;; os que teem fome e sede de justica, porque del es ceio de am desmentido, pode dizer-se que e a me
razoavel compensagao aquellas a qaem ellas preju-1
dicassem. Gomecem os altos poderes do estado
pjr garantir a sorte dos servidores pblicos e de
vjas familias, para entlo poderem com mais fan-
aamento exigir a abstengan de certas vantagens, ^.venturados os mansos pacifico de cora-
qao, porque ettes veruo a Dos.
o fizemos.
O collega conclu duendo : Bemaventurados
de 19:960.
Os 876 conventos de freirs encerram 18:198
religiosas professas e 7:691 conversas; ao lodo
2os869 nnbeis involontarias.
Totalidade dos individuos domiciliados nos so-
breditos conventos 45:919 :
IV-
A populacho de Hespanba, sem contar as poncas
colonias que ainda Ibe restara, sobe apenas a 13
milhSes e meio d'almas ; populacho que sem re-
vantagens,
que entretanto nao darao nunca lugar a desvos
de um bom carcter.
Nao o facto mencionado, nem o procedmento
di raaior parte dos juizes que coacorre para cer-
ta .'eicao desagradavel do nosso foro. Eatre outras
causas, notase urna, sobre a qoal temos eerlo
acanbamento em asistir, porque se refere especial-
mente classe a que temos a bonra de pertencer.
Queremos fallar da maneira inconveniente por que
alguns patronos pouco escrupulosos, em vez de es-
perarem que Ibes afluam naturalmente os cons-
tituintes, procuram agenciar freguezias, eomo fa-
ria aigum corrector de assacir ou algodao. Urnas
vezes sao as partes aconselbadas para intentaren)
demandas injustas. Outras vezes adevinba-se que
um individuo pode ou pretende propor urna ques-
lio, e elle solicitado e al instado para confiar
certa pessoa a defeza de seus direitos. Tambera
ba quem desfaca nos trabalbos de um collega, para
cnamar a si, indirectamente, a preferencia.
Essas escobas forcaias, de que j ama vez ira-
toa a lliemis, concorram mais para nao ser apro-
veitado o verdadeiro mrito, do que ama simples
razo de parentesco com juizes.
Relativamente qnesto do testamento de Jos
Fernando da Craz, o collega o primeiro a lamen-
tar que ella se tornasse pessoal, reconhecendo que
urna oceurrencia como esta revela certa enfermi-
dade em nosso foro ; pols que o magistrado, sacer-
dote da justtga, deve estar rodeado de toda consi-
deracao.
Foi por isto mesmo que, admittindo em nossas
columnas am artigo communicado, fizemos' algnm
reparo sobre aqaella cccurrencia que o collega la-
menta.
Nao foi porra o communicante, nem tao pouco
o Sr. deserabargador Domiogues qaem torara o
negocio pessoal : digamo-lo por amor da verdade.
E o proprio collega parece que a coafirma de eer-
lo modo, citando a pab'licacao de 3 de fevereiro
que deu lugar polmica.
Agradecemos a parte que o collega freferiodo-se
a certa expressao acrimoniosa que Ine foi dirigida)
declara que tomara, si fessemos insultados. Fe-
lizmente nao nos resta o remorso de have admit-
ido em nossas columnas alguma palavra ir|jariosa,
nem mesmo do incgnito communicante qne a
Themis suppoe terse collocado sob a proteccao do
Forum.
Ha hyperbole em affirmar-se que blandimos urna
langa em favor do Sr. desembargador Doiningues,
e que fulminamos com todo peso de nossa \indigna-
cao o communicado de 3 de fevereiro.
' O conceito de qae goza esse magistrado aqui e
na sua proviucia natal, assira como o proouocia-
mento da opinio publica a" sea favor, sao factos
que asseveramos couvencidos.
O modo porque elle foi aggredido nao flea at-
enuado pela possibilidade de urna juslifieacao p-
tameos tribunaes.
Si, como reeonhece o collega, ha factos cujas
proras se exhibem in continenti, e ontros nao, acre-
ditamos que ao namero dos primeiros devem per-
tencer as iroputaces graves que se dirigem a am
h:mem de reputado tartajosa, e que como magis-
trado deve estar cercado de consideragSo. Seja
qual for neste caso o carcter do aggressor, elle
nao pode considerar se unta garanta viva e legal.
Antes pensamos que, em qaanto nao for demons-
trada a veracidade do facto imputado, a presmpgo
favorece o oendido.
O collega vio que nao entramos no fundo da
questao do testamento nullo, para pdennos apre-
ciar a circumstancia de nao se ter dado de suspeito
o Sr. desembargador Domingues.
o reino do co. tade daquella que a Hespanba poderla ter, em ra-
Mas tambem, com applicajio ao caso, se pode* zao da extenso e da feracidade do solo; todava,
n'esta populacao, relativamente diminuta, ella con-
ta 42:765 ecclesiasticos. padres e seculares -, ....
11:166 sacrstes; 1:335 sineiros -, 4:233 clrigos;
pinas e commlssdei, ou good-wills, > eomo ellas
a' ditero, mais oo meos escandalosas.
Neste momento urna centena desses bancos e
eompanhias esw tratando de liquidar amiga re-
mente ou perante os tribunaes competentes.
Urna das caneas do mal que boje opprlme o mer-1 ft
eado monetario de Londres, provm testamente1*
des prejaln mol consideraveis que essas empre- fc no ,e saudades do ryr .
zas abortadas infligen) aos accionistas crdulos em
demasa. Se das noites malditas do delirio*.
Os aicos Jolnt-Stock-anks de Londres qne pe|a aarora do goj me envergonbei,
paderam resistir as tempestades, que de vez em g na0 tjVe desejos de voltar-me
quando ameacam as fortuoas de mlhares de api-1 Ao repouso da vida que immolei:
(alistas no mar encapelado do mony-market,>'
sao em numero de cinco, a saber :
f Londen and Westmiaster bank >, fondado no
anno de 1834 ; o Londoa Joint stock bank >, fon-
dado em 1836 ; o Union bank of LoUdon fon-
dado em 1837; o Cit Bank > (andado em 1855;
e o c Bank of London o qual data do mesmo
anno. Bera dirigidas e hbilmente administradas,
estas nstiiuices de crdito tiraram um grande
partido das frequeotes variares e das saccessivas
elevagoes da laxa do descont ofDciai.
Cada variagio no joro annnneiada pelo banco de
Ioglaterra fazla ganhar es bancos de particulares
lacros mais avoltados.
Nos ltimos tres annos, eis-aqoi qoaes foram es
dividendos declarados e distribuidos :
London and Westminsler bank em
1863-28 por cento.
Se dos beijos mentidos da perdida
tu no tve palpites de caspir
Os resaibos do visgo tao nojento
De meas labios, que o el fes polluir.
Ut
Ob Miseria, meu Deus, eu fui um lonco
Nao mereco, nem valbo o leu perdSo,
Pols deixei, que nos seios da perdida,
Se esfolbasse o rosal do eoraco.
Maldita a miaba estrella I ah I sim, maldita I
Que miserias s deu-me no viver...
Se na vida nao tive ama ventura,
Nioguem chore por mira, qoaodo eu morrer.
na accrescentar
UM REPA.R).
Ha moilo que se mando a por em praliea a no-
va legislago bypoibecaria. Mas acabara de infor-
mar-nos pessoas competentes que essa execuco
no tem sido effectlva, ao menos nesta capital.
As bypotbecas a que estao sugeitos os responsa-
veis para com as corporacoes de mao morta, a'fa-
zenda geral, provincial e municipal, os menores,
interdictos, mulueres casadas etc., subsisten) como
dantes, sem que se tinha promovido a devida espe-
cialtsacao e insenpeao.
A demora pode prejudicar a garanta do direito
hypotbecario sobre os bens de taes responsaveis,
que por qualqaer clcalo ou tveataalidade podem
dar destino aos seus immoveis, com perdatalve
Irreparaveldos credores.
Inspiram-nos, porm, unta confianca, os func-
cionarios incumbidos de promoverem a fiel obser-
vancia dos terminantes preceitos da leglslacao ci-
tada, que estamos certos de ser brevemente sup-
prida qaalquer omisso qae por ventura lenha ba-
vido.
Recife, 12 de margo de 1866.
J. B. C. F. Jnior.
GH POUCO DE Ti DO.
Collecclonamos os seguintes dados eslatisticos
sobre diilerentes materias, e oflerecemos ao conhe-
nbecimento dos nossos leidres:
I
1:380 cantores de igreja ; 906 organistas; 321
guardas deigrela; 1:683 congregagoes de frades.
Fagamos a addlgo dos ecclesiastieos, sacrstes.
sineiros, clrigos, cantores de igreja, .organistas,
etc., teremos 62:107 individuos. ___
J Calculando, pois, que as 1:863 congregagoes de
frades tenbam, urnas pelas outras, 50 frades (al-
garfsmo que inferior ao verdadeiro) (eremos
84.150 frades.
Sommados estes deas algarismos, ter se-ba ora
de 146:267 pessoas, addidas directa ou indirecta-
mente aos exercicios ecclesiastieos.
A classe dos criados conta 401:833 individuos.
A dos militares era servico activo 147:145, qae
da urna differenca de 888 individuos a mais das
pessoas addidas ao tervigo ecclesiastico I
VII
No principio deste mes foi posta em etecnco
em todas as cadeias de Inglaterra e Galles a nova
le relativa a administrago e diseminas das pri
sbes.
O bato regulamento trata* muito- especialmente
d acelo qae deve baver as prisSes- e da instruc-
go- religiosa qae se deve dar aos presos.
A tei esta' escripia com clareza.
A respeito da instruego secular determina-se
que os-presos sejam instraidos em ler, escrever e
anthaetica, durante algumas horas, comanlo qae
essas boras nao sejam dedazidas das- destinadas
para trabalbos forgados.
VIH
Ura relalorio publicado pela academia-de S. Pe-
' tersburgo, acerca da edacagaodoscossaeos-do Uon,
mostra que a proporgo dos individuos qae rece-
Os jesutas publicaran) em Roma a estatislica biam tallraes5o primaria.ou secundaria naqoelle
dos membros da sua compaobia. : pa1 en> em 1838) { por cada 336,^ em 1858> t
Resulta deste trabalbo que s oa comarca ba475 p0f cada 380j e ^n-135^.4 por Cada.74k
jesutas dos quaes 385 residem em Roma, e os ou-
tros nos collegios de Veletri, Frosinone e VUerbo.
,r .tt -. n.La nnnii^>inrnm9nA- A cxlade de Lyon consomm anuo*lmente um
Ha 173 esuitas empregados no collcglo romano '
am w j u o y t, m mi ho de kilogrammas da seda preparada ou tor-
io empregam-se na redaegao do |ornal Ctvita Ca- B "
Mohca, 18 no collegio allemao; ti oocollegie da i* ddilfcreea maneiras.
Nobile 13 no collegio do sul da America, 54 vi- Pa obter na- gramma- de sed* sao preci-,
vera a casa da pfofissao, 79 no novlciad. e 28: -* ^^ST "^ "^ ^
conservam.se na do refugio. Q ^mfQ{q ^ da seda exWah,da j, unv
xNo ftm de 1864 havia 7:728 membros da ordem! eas0|O ^ lermo radio, 500 metros,
de Jess no mundo catbolico; havendo, porUnto,

1864-30 dem.
186530idem.
London joint stock bank em
186320 idem.
1864-26 dem.
1863-30 dem.
Union bank of Londoa em
186315 idem.
1864-20 idem.
186525 idem.
City bank em
186312 idem.
186416 idem.
186517 idem.
Bank of London em
i863-ti idem.
1864-20idem.
1865-20* dem.
Foi em outubro de 1863, que- o banco de Ingla-
terra invadi o campo das laxas usurarlas; don-
de apenas se eonservou ailastado-por espago de tres
mexes, para novamente all entrar e onde ainda
boje se manten.
Esta tctica foi-lhe favoravel at ao anno de
1864, porque pode distribuir aos seus- accionistas
o dividendo excepcional de 111|2 por cento.
Esta tctica no foi menos propicia'aos bancos
particulares.
Estes sentem, effectl varaente, a raaior satisfagao
todas as vezes,. que o instituto modelo eleva o ju-
ro pelo emprestimo de eapitaes.
Depositarios de avultadas- quantias, coja total ida-
de mi superior aos e- depsitos dU'banco real,
os 1 Joint stock, banks gravitam oa sua rbita
como obdientes satellites qae sao. .
O'banco de Londres deca rou que dava osea
dividendo do semestre, e bonos'na raaSo de vinte
por cento por auno ; o de Londres e Westmiaster
de 30 por cento, e o do London Jain9Sock Bank
-de 22 por cento.
Ninguera chore por mim ; pois fui am triste
Que do goso nos ermos s viv, -
Qae nao sube na vida o lar do bello,
Que as ventoras reaes no contieci.
Ninguero chore por mim, Deus me perdoe,
Pois as crengas do co t olvide!
Ful um doudo perdido as florestas
Das falsarias venturas, que sonhei.
Condozam me o cadver macilento
Entre os hymnos da louea virago,
E distante da vida, entre as mootaobas
Dm-me cva em secreta solido.
|or casualidade ou P^ fcMfc$H4j)" mar-
cha a Qceania, cujo 1 ti em plantas
e ontro* trrrbDfos malerraM,'** i'^arpMe
occorrer a idea de symbalUa-la W,t(me nadwai,
Tisto que se esse traje so se permitte em esculp-
tura.
1 Falla muita gente na repblica de Aodorja sem
saber bem oque sso oode e como aisle. A
Epocq.A* Madrid aprsenla como complejos e sotu-
rnamente exactos os seguales dados:
^Est; a repblica de Andpira, cojn""origra ba
qaem faga remontar a Carlos Maguo, entre as fren.
tetras de Hespanba e da Frauda.
Os direitos da Fraoga censisfem em nomear Dm
dos magistrados da repblica, e em cobrar uns
1885000 res a titalo de tributo como Ttdtnoisa-
gao pelos direitos aduaneires, sapprrmidos para a
pequea repblica.
A aita soberana exercida pelo bispo de fgal,
e o governo desempenhado por nm conselbo de
vlnte e quatro membros, eieiios polos cidados por
toda a vida.
O syndico que preside a este conseibo- est en"
carregado do poder ejecutivo, e a administrago
dajustiga compete aojulzoivH.
A povoagao do valle de Andprra nlo chega a
7,000 almas, das quaes sao 1,270 as da capital de
Andorra.
Os outros povos sao Gamillo, Camp, Masana, Or-
dino e San Jutian.
Em Andorra no ba forga armada permanente,
mas todos os cldadaos sao obrigados a acudir" ao
chmame oto dos seus magistrados quando se v
ameacada a seguranga do valle.. '




'
Os 4,200,000:000 caslos fiados anaaalmente pe-
la industria lioneza formara, nesta proporgo, um
fio de "2,100 milhares de mllnfies de metros, ou
Este emprmenlo quatorze veces a distancia.
I da trra ao sol e 3>494 vetes a da la a torra.
Poderia tambem dar 52,505 vezes a volla da ur-
mais 129 do que no anno de 1863.
A ordem divide-se em 21 provineas, das qoaes
4 perlencem a" Franga, o a' Ailemauba, Blgica e
Hollauda, 2 a' Hespanhia, 5 a' Italia, 1 ao Mxico,! 2,100,000,000 de kilmetros.
e as outras 4 pertencera
Estados-Unidos.
Em *186i havia 1:532 jesutas empregados em I
raissoes estraageiras, o que mostra um augmeoto, r* e 200,000 vezes a da loa.
de 242, comparado com o numero que havia em. X
1863. i Duraoteoanno de 1865 circularan) as vias fer
As missoes europeas sao 28, as da Asia 29b, as 1 ^ |rancezas 7l milh5es de ybj/MM.
da frica 213, as da America septentrional 276, | Estabe|ecendo a pr0p0rgo entre o numero dos
as da America meridional 199, as da Oceania 55,
1 '
e 15 padres iam de vagem.
Ha 25 annos, isto em 1841, havia apenas
3:563 jesutas, de maneira que desde aquella po-
ca o seu numero tem augmentado mais do dobro.
II
O recenceamento, publicado no flm de cada an-
co polo vigario de Roma, mostra que a popolago
da cidade no anno de 1865 era de 207,338 almas-!
incluindo os militares, os Judeus, os nao catholi
viajantes morios ou ferdos, e aquella cifra^ ocha-
se que morrea um por cada tSmilboes, e qpe ro
ferido ouiro por cada 900,000.
Esta, ultima 4ropor{So, ordtdaraaieote mais pe-
quena, deve o seu augmento ao accidente de
Roguac.
XI
O relalorio do Post Office da Gra-Brotnha ac-
ensa, no anno de 1864, um rendimento t de de-
FOLHETIM
SEPULTURA DE FERRO
zoilo mil cootos de res.
'Vnumero5 de ecclesiastieos e de estodantes era! Que bons dividendos r
de 4:661; o de freirs, novicas e educandas, 4:847. Tem-se organisado na Inglaterra urna mftmda-
o dos militares (romanos) 4:881; o dos nao ca-; de de bancos, desde o anno de 1867 que se ao
thollcos 437; o de Judeus 4:552; e o dos presos tem distribuido dividendos aos accionistas, melle
sentenciados 321. i ram no bolso dos seas promotores avultadas pro-
B' do Sr. Lycargo i. H. d Paiva :
18 db Haarjo :
r
So di a dos meas annos sa o brooze,
.Convidando os- fiis da Redempeao;
Dir-se-bia, que o mondo traja loto
Pois boje o domingo da paixao.
Vestem nevoas os cos, derrraam praaloe
Sobre a face da trra as nnven* d'agoa,
Creio at, qae apagou-se eternamente
Desta abobada a luz de Dos a aagoa*
Neste dia, era que a igreja commemora
Os mysterios da vida de Jess,
Dos meus annos rolados no passado
Quero os soahos depdr ao p da cruz.
Quero as flores ergaer da t re va insana -,
De mea praato baaha-ias de saudade,
Aperta-las ao seio inda am momento
Nesta quadra da vida em soledade.
E beija-las de amor arrepeodido,
Como o Judas fiel da tradigo,
Comprim-las ao peito... e oo delirio
Evoca-las a luz da iospiragio
Como um tenne conforto p'ra minh'alma,
Exhaurida oos erros deste mdo,
2fos desvos da vtda abandonae, 4 ..
Coavolsaado sem laz ao val immundo.
U .
Viv a vida ingioria e dolorosa
Do perdido da f n'um mando athea,
Neste valle, em que a sorte abandonou-me,
Viv a vida errante- do Jadeo,
Nos- amores nSo tive urna ventura,
Urrs goso na vida nao frai,
Segregado de tadb.com um impio
No silencio da ddr, abr so vi vi. '
Quero a sombra da cruz, que symbollsa
O descanso de urna alma, que viveu,
Esperar do juizo o dia de aguas,
Para as nodoas lavar do manto meu. -'
.V
Todo luto no dia dos meus amores I
Ja' nem s&a do templo o campanario I
Que tristeza,.mea Deus, parece o mundo
Urna sala de aspecto funerario I
O co, como o- da aolie negro e triste,
O bulicio do doto, surdo e lento
Sobre-os cor pos-o-ar pesa bisonhor
Como as fibras do petto um sofirlmenlo.
Ah-1 meus annos risonhos da innocencia,
Ah.! meas dias ditoso do passado
E pesar no s te-tos perdido,
Mas-lo mogo de ha ver-me profanado.
Minhas (lores adeus, auroras miulias,
Meus primeiros floroes da inventada,
Como a folba, rayrrada pelos valles,
Hc-ie rollo da vida sem virtode.
Minhas flores adeus, boje no dia
Dos meus annos nglorios vos enri
Ab f possa o canto do mancebo exhausto
A luz trazer-vos no infernal desvio.
-
Seahor;- meu Deus ab I nesta quadra um goso,
Urna ceotelha do co, que me illumioe,
Promettei-me de amar no novo trlho
De vedar que Satn me no fulmine i
1 i n m ---------


A estatlstica fonte perenne de proveitosas ti-
g5es.
Queris saber, por exemplo, qual o estado mo-
ral de urna cidade ?
Interrogai a estatistica.
Occupemo-nos de Pars, d'essa Babilonia da nos-
sa idade.
Segundo o ultimo reeenseamento, havia nos
11,314 botequins e casas de jogo dos vinte bairros
em que s divide aquella capital, 27,719 bilha'res
pblicos.
Nos circuios e casas particulares contavam-se
alm d'isso 3,127 buhares.
Ora calcule-se que cada bilbar publico deve reo-
der para o seu proprieuro, termo medio, 1*800
por dia.
Rendem por conseguinte os 27,711 buhares p-
blicos diariamente 48:879*800 res ou 18,206:127
por anno.
Comparando o namero dos boteqnins eom o das
hvrarias, e as bollas de marfim que servem nos
buhares com os voluuns qae se vendem, ehega-se
triste eoncloso deque em Pars ba mai9 casas
de biihares do que livrarias, mais bolas de bilbar
que livros I
A estatistica eosiaa, mas nem sempre consola.
.JS

.

POR
llenrqiie Gonscience
(Continuagao.)
x11
Havia meio auno qoe tinha passado a modelar
do natural, que era ento o mais alto grao do ensi-
no na academia de Antuerpia. Mais om anno e
estavam concluidos os meas estados artsticos.
Pooco a pooco nasceu em mtm om desejo impe-
rioso de experimentar na solidao do meu quarto a
minba forga creadora. J por cera veies tinha es-
bogado em barro as inspirag5es da minha pbanta-
sia, mas sahiame um trabalho fotil qoe era de novo
amassado para a modelago de ontras figuras.
Eu quera fazer nma obra conscenciosa, vaga-
rosamente, applicando-lhe todas as torgas da mlnha
intelligencia, e cora a perfelgo que o meu saber
me permilta dar-lbe.
Rosa tinha acceitado outr'ora com amcr a obra
informe de urna pobre creanga e accenddo assim
em seu corago o fogo sagrado do am&r das artes.
Agora a creanga era nm esculptor e confiava
bastaote na sua forga para applicar-se a urna crea-
go espontanea. ___^_
A qaem podia fer destinada a primeira obra do
artista se no aquella que era a cansa antea e a
origem da sua existencia intellectaal, do seu enge-
nbo e da sua esperanga ?
Como me sorrla essa Idela I Cegava-me a Ul
ponto que, apesar de serem aiada incompletos os
meas estados, no duvidava conseguir a produego
de "uma obra prima, e essa obra prima, cojas for-
mas estavam apenas desenbadas confusamente no
mea cerebro, admirava-a e ja' Ibe quera muito(
com estranba paixo, com f profunda.
Dentro de dous raezes devia voltar Rosa para
casa. Eu no podia ter acabado o mea trabalho em
to, ergafldo os bracos, dansaudo e cantaods de ale-
gra como ama creanga. Tinha ohegado Rosa!
Depois, cte to longa ausencia, fa vela em fim ou
ira vez t~ Mais alguns -minutos e tel-a-ia mlnha
vista I -D'essa vez nao era urna esperanga va, ama
Untad; era feliz- realtdade I
Vestj arpressa o menmelhor fatoe compuz-me
cora certa cuidado. Seria incivil fazer esperar
Rosa e> parecer indiferente, roas empreguei bis
taute lempo era arranjar-me. Quera apparecer
lao bonito quanto fosse posslvel. Esse desejo
to pouco terapo, raas o dia aooiversaro do seu vezes dorante boras e horas o meu pequeo qoar-
nascimento era no fim de Janeiro. lo, immovel, com o cinzel namio e com os.olhos
Era uma boa oecasio de fazer-lhe presente do pregados em xtasis no rosto da joven protectora,
priraeiro fructo dos meus trabamos e assim feria Pareciste que a miaba estatua vivia, qae me
bastanto terapo para realisar o mea projecto com fallava e qne tinha uma alma que estar em com-
0 mais minucioso cuidado. No dina nada a nm. municaga com a minba.
gera, nem mesmo ao Sr. Pavelyo. A alegra dos Esta loqcura fti-lhe abaoar a cabega.. Com
meas bemfeitores sera tanto maior so eu podesse effeiio, o senhor deve saber por experiencia que o
surprehendel-os de improviso com uma bella obra- espirito do artista deita os vds as vezes tao longe,
de arte bem acabada. que transpSeosTimites da reaudadee se.perdonas
Depois de ter roeito lempo scismado e reflecUdo, tr&ras da a.beqraco. Mas fcilmente c.ompr|Bo-
depois de ler eiaminado cmcoenia assompios e de dra' o que.assrm me enfeiiigaj na minba propria|p6Uflcft*a-se sufBcieatemenie ^para mira ; porque
ter esbogado quasi outros tantos, decidi-me ero lira obra. ~
por um quadro que devi, represeour t a Protac- Havia no" sorrtso qoe firradava do semblante
cao e ebegael, no sem longo estado, a assetar naouioa sobre o pobre rapazinho no sei o que tao
uma composigo definitiva. Ptico o altamente sympatbico,. que eu aTC
Em am soco figurando um assento de relva es- ma cada vez que cooteraplava o sorrisada mlnha
tava um rapazinho ajoelbado, com a eabega inel- estatua. >9 L.
nada sobre o pello, e na postara de crealara bomil- Nao era para admirar, aao assim t Aquelle
de e que carece de soccorro. O sea braco pousava orriso tiBba a mesma etpressao que baria illumi-
sobre as costas de uma ovelha a dormir e tinha es- do o rosto de Rosa qdlodo ella apertou, pela pri-
tendido aos ps o seu cajado. ** '? a mo do *">** mQ,Jo na bmM<> casi
Ao lado de pastorinbo, em postora grave, onira dos aldeoes. -
creanga, ama menina, cuja mi direta eslava pon- E sera' preciso acrescentar qne as fegbes do ros-
to da minha estatua eram as do anglico e de de-
licado vulto que se tinha gravado para sempre no
mea corago t Oh, os .annos. tioham produzdo
grande mudaoga em Rosa ; eu nunca mais a torna-
sada em signal de protecgo sobre a eabega do ra-
paz e cuja mao esquerda se estenda para o espa-
go, como sepila quizesse dizer :
Animo 1 alm fulgura o astro do tea porvir.
Eslava dominado pelas recordagoes da minha in- ria a ver tal como ella eslava sempre presente a-
fancia e por tmagens que viviam em meus olhds. loba iraagmacao, mas ao menos a minba estatua,
Isso impedio que segaisse as regras classicas da ninba querida creago; a fata revlver ante meas
./ olboj, siogela, delicada, meiga e encantadora como
"as minhas figuras oo eram bastante ebeias nem ja terna amiga do pobre Leo de ontro lempo,
de formas bem arredondadas. Havia as suas pro-
Seja-oos perraiuido fallar; apezar de eslarmos
na quaresma, de ama mascarada, representando as
quatro parles do mando, que figurn no baile da
costuraos dado era Pars pelo ministro da mari-
oba.
Rompa a marcha a Asia symbolisada por uma
rassa das mais beHa* e elegantes, a Sra. Rinski-
Corsakr7.com am traje asitico semeado de dia-
mantes, copiaodo a famosa odalisca de Eugenio De
lacrois.
Aos seus ps ia estendido um tigre, no de Ben
gala, mas representado por um ajudante do minls-
tro da marinha, coberto com urna pelle de tigre.
Appareceu depois a frica personificada pela
Sra. Tablonowka em traje de Cleopatra e aos seos
ps um leo.
A lindissima esposa do Sr. Montaot, director do
Journal illustr, montada n'um dromedario, e se-
guida de seu mando, vestido de rabe, representa-
va a frica moderna.
Um carro tirado por quatro meninos, represen-
tando o amor, symbolisava a Europa era traje de
bulle muito decolada e coberta de diamantes.
Uma americaoa i cousa uotavel) a Sra. Walker,
representava este papel.
Ao sea lado ia a Fraoga, personificada pela Sra.
Rarlbelemy.
A Hespanba no se sabia por quem era repre
sentada por que tioham disputado esta honra duas
bellissimas bespaoholas da colonia que reside em
Pars e uma Cranceza das mais elegantes d'aquella
cidade. .
A America la airar, da Europa, no se sabe se
Em quanto os fthoe da luz, as maiores lllustra-
gb"es do secuto trabaltiai para destruir o eathoM-
clsmo, vai este augmentando todos os dias o nume-
ro de seus ni los : touvemoso Sentior.
Era Pars abragou, Ka pouco, o catholicisrao ; ab-
jurando o erro en que viva, a baroneza eebacli,
mulber do ministro de Sasoma naquella capital.
E' preciso que o priacipe Chrisiias seja am
perfeito esposo, porque a prioceza Helena de logia- '
trra o esposou nicamente pelo sea mrito pes-
soal.
Em vez de se alliar a ara alto e poderoso senhor,
a filha da rainha Vicnrla escolhea ura marido bel-
lo, instruido valeote; mas sem esperanga de thro-
no o possaindo apenas ama fortuna avaliada em
7,500 francos de rendimento.
m m
Um jornal francez falla de am casameotOj que
brevemente ser celebrado em Pars.
Ura principe rosso, cujo'nome bera conherido
na Europa e particularmente era Pars, vai despe-
sar a formosa filha de um sapatelro.
Avalia-se a lortuna do principe era seteceBtos
contos de res de rendimento annual.

, ca ura dia solemne o Sr. Pavelyn nao gossaria
dV se eu me- apresetassa em sua casa vestido a des-
cuido ; mas o principal motivo da minha garrWice
era a imperiosa necessidade de obter a approvgo
por um mrito qoalquer. ~"
Quando ao cabo de um bom quarto de hora aira
vessei as- ras da cidade, a miaba impaciencia es
picagava-rae e faxia-me vir desajos de correr a toda
a presea,- mas contive-me e obriguei-me, pelo-con-
trario, a caminhar devagar.
Tiuha j surgido em mim o Sentiraeoto das con-
veniencias e precatava-me contra a minha propria
agitaco. Dizia-me que:nao era a Rosa creanga,
mas a Orna dos meas bemfeitores qae ea ia ver
recommeudava-me a circumspecgao, o respeito e a
couscieneia exacta de minha humilde posigo.
Lembrei-me dos conselhos de minha mal, resolv
moderar-a minha alegra e approximarme de Rosa
cem uma cortesa serena, at qne ella, pela amabi-
lidade do sea acolhimeato, me dsse jas a deixar
trasbordar o contentamento de qae o seu feliz re-
gresso rae enebia o corago.
Senhora, balbucleiem voz apenas intelligivelr
dou gragas a Deus de todo o meu corago por ter
permltido qae. voltasse sa e salva a sua pa-
tria.
Esta vamos a olhar um para o outro, eu com as
faces paludas eos olbos muito abertos, ella com es-
tranba liberdade de espirito, sem mais nenhum
signal de eraogao de que am leve sorriso que s
exprima certo espanto causado pela mudaoga que
se tinha operado na rainha estatura e as minhas
feigoes.
Era na verdade Rosa, aquella anglica menina
cuja meiga amsade liaba outr'ora derramado a
4uz da esperanga e da fjjllcidade as trevas da mi-
nba mudez, cujo apertar de mo eu aioda sentia,
ouja branda voz argentina ainda me eantava aos
ouvidos, cojos olbos azues radiavam fraterna affei-
co quando rae via ?seria porventura a mesma,
essa menina ja to alta como sua mal, vestida com
luxo, de to mageslosa estatura e lio admiravel
belleza, que depois do primeiro olhai eu nem se-
quer oasava filar ?
A' miaba toryacao juotava-se tambem certo seo-
timeato de magua e de amargara. Com effeito, no
me tinha engaado ; aquella Rosa cuja imagern
vivera al ento oos meus soahos ja no exista ;
a doce illusao de minha alma tinba se desvanecido
para sempre.
O Sr. Pavelyn e sua molher, qae me julgavam
assombrado com a mudaoga que sob re viera- na es-
tatura de sua filha, divertiam-se com o meu em-
bauco e dirigiram-me algans gracejes amigaveis.
Mas, Sr. Leo, disse Rosa, aiada nao estou
em mim. Qoaodo d'aqui fui, era o senhor aiada
igreza, uma especie de realismo de Era 3 de seterabro de 1811, pelas quatro boras da [ Quaodo ebegael a casa do Sr. Pavelyn.omeu umr.pulnho, agora esta nm hornera?,
torraas qu7fug.a da belleza grega, utas que se:a- Urde, estar eu a trabalbar com grande anplicgao corago batia-me violento, e a wpaciacia e neer.
nroximava das formas mais knmateriaes e mais [ ua mlnha estatua qoaodo rae baterara 4 poru do texa tatam-me gotej.r soor da testa.
ScVivelh..rtechri8t5,aqae86da'erri.Wto. Uto criado levava me* inesperada lela Ura cnado esafava-rae a parta, conduzw me
' de ter volUdo Rosa e acrescebtw que ella raartfes- ao sallo,... e ah, .vi-me de repente-na presebga
mente o epilheto de gotbica,
domo
Um orlado esperava-me a
o salicu-.- eahi, vUme
de Rosa^ue deu um passo mim.parou muito admi-
Ao oasso aae se adiantava a miaba obra e qae ara vcotade de ver-me sem doitora.
tomarara a saa expressao verdadeiro as caoeeas Contlve a mioha commoai ** qaaMooWo ra* e dlsse-me como saudago;
to NtaU que acaoei primeiro, cotaecei a sentir' estere preseutemas logo qie^lle deseen dar, Ir.Leao, como W crestrito I
uito amor pela minba creaglo, que esve multas raeiros degraus da escada po*me a saltar 09 qoar- ce o meuDQ,
temo-nos. Conte-me ajguma cousa da sua vida du
raote a minha ausencia. Est contente, no ver
dade ?
' Acceltei a cadeira que ella me oflerecia. A sua
voz era aiuda to. meiga como d'antes, mas havia
na sua liaguagem um tom de volubilidad, de au
tondade de protecgSo, que profandameole agita-
do coma eu eslava, pareceu-ne qtn signal e tadi-

----------^----------
Pi VII era o nico dos pontificas do scalo XIX
que no tinha o sea sepulchro na igreja basilica de
S. Pedro ; raa* com o producto de um legado do
cardeai Albaoi se ronstruio emflra o ditosepalcbro
que acaba de benzer-se em presenga de sua sauti-
dade.
Po Vil est representado de joelhos coa as mos
postas oo momeorr de comparecer ante o soptesoo
juiz; a maior altura se v a imagern. do Salvador
do mondo que Ibe estende os brgos, emquaoto os
apostlos S. Pedro e S. Paulo apresentam o pontfi-
ce a Jeeos Christo.
Na base do monumento,'que do uma rara bran-
cura esto esculpidas com verdadeira delicadeza a
prudencia e a jusiiga.
&i -

ferenea. Essa frleza fez-rae pairar na eonseiencia.
da ratona situago. Respond as soas perguntas
com oircumspecgo e cum respeito ras vezes tam-
bem com um ardor mal repnraido, especialmente
quando tuina oecasio de eijriioif-He o mere-
Cooiieciiuecto e de lembra-lhe qjie Ihe devia aven-
tura da minha vida ;que se ora dia podesso ob-
ter alguos successos na cacreira das artes, adqui-
rir alguma uouieada henrar a minha patria, no
esqueceria que a sua generosa bondae liaba deci-
dido da minha sorte ueste mundo. -
liosa pareca escutar. com gosto, oeo s os teste-
muntios da minba gratido, mas rudo o que eu di-
zia. foi prenso quo Ibefallasse dos meus estados
na Academia, dos livros que en nona lido e dos
couhacimentos ajujos principios adquirir s pela
torca da vontade.
Ella mostrou se francamente satisfeita dos pro-
gresos da minba instruego, e feeiiou me pela
pureza e elegancia do meu fallar. Na saa opinio
eu podia apreseutar me na melhor companhia, com
a certeza de nunca estar destocado pelo que locava
a engenbos e a usos.
A sua voz e as suas. palavras tiahara sempre o
mesrao tqm protector que claramente me fazla sen-
tir quo larga distancia pozera aptr'nos o tempo.
Ea, u.ue me faljiva' y me interrogava, era a Sra.
Pavelyo, berdeira de um dos mais ricos negocian-
tes de Antuerpia ; eu, que Ihe responda humilde,
era o pobre filtro da aldea a qaom a generosidide
de seurpaes dera alguma edacago algumas pro-
babilidades desuccesso no futuro. No podia nem
devia ser senao assira ; eu bem o sabia. Corajudo
isso me arrancava a minba mais querida llosao e
esse sbito desencaatamento tiuha rasgado em meu
corago uma ferida sangrenta. Por isso tudo o
qoe eu dina tinha o cuoho de urna tristeza resig-
nada ; havia em todas as minhas pajavras ama es-
pecie de melancola dolorosa que provocou mais do
orna observago da parle de Rosa, mas que resisti
as suas incitagSe,
- fCoHfimar-aolfr.)
PKR.KaMBUGO.-'^P. DE \j\*F-O K. & LO
1- -
-'.-.- -'V*.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E84DNIGQG_RC1WWI INGEST_TIME 2013-09-05T04:28:12Z PACKAGE AA00011611_10920
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES