Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10917


This item is only available as the following downloads:


Full Text
MU
1


\

AUNO XUI. HOMERO 61
J .
tw qurlcl !! itw its id fin d# i.#
WceMi8W,'0'lt4i*8dcmeceMtrqHarteI .
vffwn
75
)fe ^^w
fu l v/i

>tf HaJfl
KIRA 15 DE ARCO

Pr ai no pag titrt e W dias < 1. mez-.
Porte ao correi pfrt* im anno......
i

DIARIO DE PERNAMBUCO.
-'"''' .? i. i i ......._.------------------------------------------------------------------____ "_______________________________________________________________________________
ENCARREGADOS da subscripcao do norte
Parahyba, o Sr. Antonio Alex^drino de Lima;
Natal, o Sr. Antoie Marques da SiJva ; Arac.itv, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. lose de
Oliveira ; Maranho, o Sr. Joaquim Marijues Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRiPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Clandiio Faleao Ufas; Babia, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Serinhiem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiroi, AgaaPreu e Pimentetras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUMAES DA CAPITAL.
Olinda, Cabo, Bseada e estafes da ra frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala, Bezarros, Bonito, Caruar,
Allinbo, Garanhuns, Buique, S. Bento, Born
Coaselho. Agna* Bellas e Taearat, as tergas Tribunal do commercio: segundas quintas.
_. ""' t Releglo: tercas e sbados s 10 oras.
Pao d Albo, Nauretb, Limoeiro, Brejo, Pesqneira p,,pn-i- ninf ta hM.
Ingaieira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis- "ena Jn,nt8 10 orai.
ta. Ouricury, Salgneiio e Ex, as quartas Ja,zo fl0 emmerclo: segundas as 11 horas.
feiras. I Dito de orphos: tergas e sextas s 10 horas.
Tara do eivel: tercas sextas ao meio
quartas sabbades &
Prime! ra
dia.
Segunda rara-, do cfvel:
bora da tarde.
EPHEMERIDES DO MEZ DE MARCO.
1 La cha as^h., 33 m. e 16 s.'da m.
9 Quarto mlng. a h., 33 m. e 53 s. da t.
16 La nova-ae 7 h., I" m. e 33 s. da t.
23 Quarto cresc. as 10 h., 44 m e 27 s. da au.
31 Lqa cheia as 2 h., 12 m. e 2 s. da m.
DAS DA SEMANA.
12. Segunda. S. Gregorio Magno dom. da egr.
13. Terga. S. Sancha prineeza y. : S. MardooU.
14. Quarta. S. Matralda ratona de Allemanha.
i o. Quinta. S. Zachanas p.; S. Longuiolio sold.
16. Sexta. Ss. Cyriaco e Taciano diae. mm.
1/. Sabbado. S. Patricio b. ap. da Irlanda
18. Domingo. S. Gabriel arcb.; S Narciso are.
PREAMAR DE HOJE.
I Primeira as 3 horas e 42 m. da Urde.
ISegunda as 4 borase S minutos da manba.
PARTIDA DOS VAPORES GOSTEJROI.
Para o su I at Alagoas a 14*8-3*; para o aorta
at 4 Granja a 7 e 22 de cada mee; para Peraai-
do eos dias 14 f os mares de Janeiro, margo, maia
julto, setemhro e novembro.
ASSIGNA-8E
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 8, dos propietarios Manee! Figoeroa de Paria
& Filho.
PARTE OFFICIAL
Dito ao mesmo.Communico a V. S. para seo
conbecimento, que segundo consta de aviso da re-
partido do imperio de 17 de fevereiro prximo
resolve conceder-lhe licenga para remoller para o
presidio de Fernando, no vapor da companbia per
nambucana Parahyba, os gneros constantes da
GOVEB'e IA PROVnflV.
Expediente de da 2 de marro de 1866.
Offlcio ao Exm. presidente da provincia do Cea
r.Cora copia do oficio do commandante do pre
sidio de Fernando n. 343 de 28 de dezerabro ulti- depntados a assembla geral.
Ando, foi approvada por conta da verbaSoccorros' relago junta asstgnada pelo secretaria da governo,
Pblicosdo exerclcio actual a despesa da 64080' nao podendo porm effectoar o desembarque dos
que mandei fazer sob minha responsabilidade, com ditos gneros, sem que por parte do commandaDte
a gratiQcago, qne conced ao patrio e remadores | do mesmo presidio, se proceda a exame, afim de se
do escaler da repartigao da saude do porto, bem; verificar se ba agurdente ou outra qua'lquer beb-
como a autorisacao que dei a V. S. para pagar aos da espirituosa.
que segmssem desta | Dita.O presidente da provincia, resolve conce-
rno, pasfo as mios de V. Exc, afim de ser mbraet- provincia e aqoi solicitaren) as 'ajudas de cnsto que der a deroisso dos posto que solicitaram c
tido ao conheclraento do governo imperial, depols mes competem, correndo a despera que se realisar, | lio Benedicto Hortencio de Siqoeira Campos e os
de satisfeitas as dlsposig5es do decreto n. 2566 de pela verba respectiva doexercicio actual. i tenentes Julio Cesar Gongalves Lima e Manel da
28 de maio de 1860 e das circulares de 31 de ootu-1 Dito ao mearooTendo-me eommuoicado o Exm Costa Borges, todo* do 4? corpo de voluntarios da
bro de 1864 e 28 de jaoho. de 1865, a inclusa pe- Sr ministro da repartigao da agricultura, commer- patria.Expedlram-se a*s necessarias coramuoiea-
ticao etn que o Slteoclado dessa provincia Jos. co e obras publicas, em aviso de 14 de fevereiro coes.
Joaqnim de Almeida, pede perdao da pena de ga-' prozimo Ando, haver solicitado do ministerio da
les perpetuas que est comprindo Jno mesmo pre- fazenda a expedigo das precisas orden9,aflm deque
sidio o crdito destrrbuido a esta provincia, para occorrer
Dito ao Exm. eemmeudador Domingos de Souza as despezas com a verbaTelegraphosseja aug-
Leo, presidente 4a associago protectora das Fa- ( neniado com a quaniia de 8444536, na qnal vem
miiias dos Voluntarios da Patria.Tendo se-me a- incluida a^le 7853400, porque forara por esta pre-
presentado viudos da corte no vapor Tocanlins, por sidencia contratadas as obras de reparago da torre
assim o declaro a V. S. para seo qoeira.
Dita.u presidente da provincia, resolve nomear
para servirem em commisso no 4corpo de volun-
tarios do patria, os offlciaes seguintes:
Estado-maior.
AI reres secretario Raymundo Jos de Campos.
Capito servindo de fiscal o capitio da guarda na-
cional addido, Joao Baptisia de Athayde Si-
da prospridade de que dispSa o povoado de Var-
enles, e a decadencia quotidiana que se faz seatir
em Taquaretingua.
Conclue propondo que sobre o projecte seja oa
vido o Esm. Sr. blspo diocesano.
Ora em itnpugnacao ao projecto o depatado o
Sr. Sonto Lima.
O orador contesta a conveniencia do projecto;
mosira que o povoado de Taquaretingua offerece
melhores vantagens aos viandantes, qoe all re-
pousanve proruram o centro da provincia, qne pe-
H. je a noite evada a imagem do Senhor dos
Passos da matriz de-S. Prei Pedro Gongalves paraJ
o convento do Carmo.
Amanhia i^am eceljrpse do sol, mas iovh-
sivel para esta provincia.
--!7/emos Tetia,>io contra a existencia d
urna deuda na ra de Sania Cecilia
traz ella aos respectivos moradores
susto.
visto como
em cooslaat
Cumpre que se att^Ma a taes reclamacoes nou
la sna nosicao dispSe aquelle povoado de elemen- s3o ellas de ordem a nao serem neBliaanciada*: a?
tos para om grande desenvolvimento. tendido o estado da pessoa aue as nmuea
Usa da palavra o Ilustre deputado o Sr. Emyg-
serem joigados iocapazes do servico os voluntarios' dos sigoaes
do 3.* corpo desta provincia Joao Francisco Ribeiro { conbecimento. i. Cmk lia.
da Silva e Manoel Serafim da Silva Coulinho ; as- Dito ao mesmo.Em vista da folha e prets jun- Tenente Cleomenos JjMaa&jl Siqoeira Granja
sim o communico a V. Exc. para os fins convenien- tos em duplicata que rae remetteu o raarecbal Alteres Kaymundo fmmSio dos Santos.
tes. commandante das armas com offlcio de hoje, sob 2.a Gompanhia.
Dito ao Exm. general commandante das armas.i n. 426, e nao havendo inconveniente, mande V. S.i Tenente o altores UrMtoMflMeira Cmara.
Mande V. Exc. nao s eliminar do corpo a que pagar os vencimentos relativos ao mez de feverei- Alferes Domingos Fra*|co Blas.
estao pertencendo os guardas nacionaes Ignacio ro ultimo, dos offlciaes e pragas do 4* corpo de 3. C#prAia.
voluniarios desla provincia.- Communlcou-se ao Lunente Virgulino Epaminon4aj e Sa'.
dio Marques.
uiz qoe tendo sido chamado dteoosso para
dar alguns esclarecimentos sobre o projecto que
se discute, apresea se em satiifazer aos sens "col-
legas.
O honrado meinbro declara que notoria a de-
cadencia d Taquaretiogaa ; qoe nenhum movi-
ment, quer agrcola, quer comcaercial, quer in-
dustrial se observa naquella localWade. E'certo sitio de lnda, sil horas" em seu^VmzamTra
que s se dirige ao povoado quem tem reiag5es da Cadeia do Recife n. 29.
com o vigarlo da frpgoezia eu quem com elle tem
negocios_ tratar. Nao v poseibilidade, diz o ora-
pessoa que as provoca.
Anba-se >a assento, na torre do collegto, o
mastro em que se fazm os slgnaes dos navios-que
demandara barra, e antes do fim da semana deve
estar concluida toda a obra que all se eslava fa-
zendo. O masiro novo bastante alto, e da, tagar
a serem vistos os signaes de qualquer parte- da ci-
dade.
O agente SimSos effectuar hoje o teilao do
Vieira de Lima, Francisco Jos dos Santos e Joao
Correa de Aodrade, roas tambem por em liberdade
os recrotas Jos da Paz Thomaz, Manoel Valentim
dos Santos e Joao Peretra Bastos, que foram com
aquellos gnardas considerados incapazes do servico
em mspecco de saode.
Dito ao mesmo.Em vista das informagdes m*
nisiradas pelo teneate coronel commandante do 4.a
-corpo de voluntarios auioriso V. Exc. a eliminar do
mesmo corpo, dando Ibes baixa as prags mencio-
nadas na relar-So junta.
Relaeao a qoe se refere o offlcio snpra.
Rodrigo Gongalves Lima
Antonio Gongalves Lima.
Vicente Valfredo de Magalhies.
Pacifico Lopes de Siqueira Campos.
Telespboro Lopes de Siquelra.
Victorino de Athayde hiqueira.
Urbano Coelbo de Lemos Andrade.
Leopoldino Cesar de Moraes.
Belino Benigno Braslleiro Cmara.
Antonio Hereira de Souza.
Manoel de Campos Barbosa.
Dito ao mesmo.Queira V. Exc. informar sobre
o que pedem Jos Martinho de Carvalho e Violaota
Mara da Coneeicao, nos requerimientos que aqui
ajunto.
Di'io ao mesmo.Mande V. Eic. dar balxa ao
soldado do 6.* corpo de voluntarios da patria Inno-
cenco Perigrino Xavier Ramos, qoe casado
Dito ao mesmo.- Queira V. Exc. mandar por em
liberdade fleando eliminado do corpo a que estiver
pertencendo o guarda do 9. batalho de Infantaria
municipio de Olinda Joao Teixeira Lopes, que pro
voa nio ter desertado do destacamento da villa de
Flores.Commooicoo-se ao respectivo commandan-
te superior.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc de informar
acerca de que requisita o commandante do desta-
camento do 4.a batalhio de artilharia a p no offl-
cio qne aqoi janlo com o do commandante do
presidio de Fernando datado de 20 de fevereiro
oltimo.
Dito o inspector da thesooraria de fazenda.
Recommendo a V. S. que faga arrecadar a impor-
tancia dos direitos e emolumentos que pretende pa-
gar o padre Joaquim Bellarmino de Miranda, para
mareehal commandante das armas.
Dito ao inspector da thesooraria provincialAu-
ioriso V. S. nos termos de sua ioformago de hon-
l lera sob n. 71, a mandar pagar ao professor de
iostroegao primaria da villa do Granito, Jos Pei-
' xoto Silva, como pede no incluso requerimento, os
seus vencimentos correspondentes aomezesde ontu
Alferes Joaquim Jos Beerra de Mello.
Fizeram-se a's neceszariai cnprjwntcaroes.
Dita.Os Srs. agentes da comanhia brasileira
de paquetes, roandem dar ama pasaagem de estado
a r at o Ceara' no vapor Toca%tint, ao capitio
Jos Rufino Bravo Sassoarana.
Dita.Os Srs. agentes da companhia brasileira
bro a dezembro do anuo linio, ama vez que exhiba de paquetes a vapor, mandem dar transporte at o
elle urna certidao qoe ser aatbenticada com o vis
to do director gerai da instraego publica da por-
tarla pela qual se Ihe concedeu a licenga de que
gosa, visto ter fleado no temo de sua residencia o
original da mencionada portara.
MaranbSo no vapor Tocanttns, em logar de r des
tinado a passagelro de estado a Joao Baptista Car
neiro da Cunha.
Dita.O Sr. gerente da companhia persambo
cana, mande dar urna passagem de estado a r at
obtensao de sua carta de apresentagao na freguezia Da thesouraria de fazenda a conta da despeza que
de Nossa Senbora da Saude de Taearat. | se houver de fazer com essa condugao afim de ser
Dito ao mesmo.Ao aviso que rae dirigi Exm. | satisfeita.ufflciou se neste sentido a mencionada
Dito ao mesmo.Respondo ao offlcio qoe V. S. o Rio Grande do Norte, havendo vaga no primeiro
me dirigi bontera sob n. 74, declarando qoe ap- vapor que seguir para alli a Genesio Augusto Per-
provo a arremataco da obra do empedramiento da reir Lostosa.
estrada de Sant'Anoa, com o abale de 2 /o novator i DitaO Sr. gerente da companbia pernambu-
do respectivo orgamento offerecido por Joo Cri-; cana, mande dar orna passagem de estado a r at
sostomo de Oliveira, que deu por fiador o proprie- a cidade de Penedo, no vapor qoe para alli tem de
tario Joaquim Marques da Costa Soares. seguir no dia 14 do corrente, a Miguel Francisco
Dito ao mesmo.Mande V. S. fornecer ao admi- do Monte.
nistrador da casa de deienco, 4 livros em branco Expediente do seerettrio do governo do dia 2
de papel pautado cora 300 foihas cada un para o _., j. jo*
registro da correspondencia e dos valles daquelle M.0o at r*f ae ,M*-, .
estabelecimento. Communicou-se ao delegado ; 3, offlc, ao P^meiro secretorio da assembla
encarregado do expediente da repartico da po leS,s!a,lva previncial.S. Exc. o Sr. presidente da
licia. provincia, manda remetter a T. S. para terem o
Dito ao commandante superior da guarda naci- con1venj'!Iite destino, 40 exemplares das leis pro-
nal de Olinda e Iguarass.-Expega V. S. as soas n,niB.a?asHiD1 anno Passado- 0
ordens para qoe um dos corpos de infantaria do B N- 4 dlloao mesmo. De ordem de S. Exc. o
municipio de Igoarass, preste ama guarda de fr' Pre8,deD,e da provincia, passo a's raaos de V.
honra para assistir aos actos da paixao na sex-:S; para:8erera Presentes a essa assembla 39exem-
ta-feira Santa e Domingo da Ressurreico na igreia P,ar"s do re'a,(!rI0 com ^oo o Exm. Sr. Dr. Anto-
do Livramento daquella villa. > n, Bor8es Leal Castello Branco, deixoo a admlnis-
Dito ao director do arsenal de guerraMande i ,ra$* des,a Provincia.
V. S. conduzr dease arsenal para o qoartel do Hos-1 M,. un, ^
picio, os artfgos de fardamento, armamento, equi-'
pameuto e ntencilios, qoe forera r-endo fornecidos
ao 4 corpo de voluntarios da patria, apresentando
V. S. na thesouraria de fazenda, a conta da respec-
tiva despeza para ser satisfeita.
Dito ao mesmo.Recommendo a V. S. que faga i
conduzr com urgencia para o arsenal de raannha I
a bagagem do 4 corpo de voluntarios que tem de
seguir para a edrte no vapor que se espera do
norie at o da 6 do corrente; apresentando V. S.
C0M4M0 DAS ARIAS.
Qnarlel general do eomuando das armas de Per-
naraliucu na cidade do Reeife, 1 de m largo de
1866.
Ordem do da n. 214.
O mareehal de campo commandante das armas
determina que va servir interinamente o logar de
ajudante da fortaleza do Brum o Sr. alferes refor-
mado Jos Mara Benjamn) de Assls, em subs-
tuicao ao Sr. tenente ajudante reformado Joao de
Sequeira Campello^ que esta' impedido
Depois d'amanha se extrahira a. primeira
parte da primeira lotera (52;, a beneficio- da ma-
triz de Salgueiro, sendo o maior premio 6:0004000.
RapARTigio da polica.
Extracto das partes dos dias 13e-t4 de margo de
1866.
Foram recolbidos casa de detencao no dia 12 do
corrente :
A' ordem do
dor, de Taquaretingua prosperar; que os terrenos
de cultura sao poucos, e que a sua posicao me-
nos favraVT, que a de Vertentes para onde con-
vergen todo qoe procoram aquellas paragens.
(Muito b Eucerrada-r discussaa, approvado o requeri-
mento do Sr. Arminio.
Ultima oisossao da emenda apresentada en 3.'-, .
ao projecto s. 49 sobre a demarcagao da* trras de- Alves ae Br"? e Laci Jos
volutasoneedida a esta provinciaApprovada. ?"*, cojrecgao.
1" disanssio do pvojecto n. 37 de 1858, creando' A rdem do de Santo Auonio, Jovino Francisco
colletorias provinciaes em todos os municipios, e: "ssos. Pr desobediencia } Antonio Jos Perei-
regularido a arrecadagao dos bens do evento. ra> P0' l*r fado ,a8* a DH Preso ; e Manoel, es-
Ora o Si*. Boarqa, impagnando o projecto. craT0 a?IsaDel Mar'a da Chagas Guimares, para
O orador otuerva que nao v conveniencia na crrecgao.
adopgo de semelbanta medida ; qoe actaalroente _.A 5r?*md0 de o8 Pedro de Alcanlafa Ra-
subdelegado do Recife, Prudencio
Francisco Cavalcanti,
os Imposlos das comarcas do centro sao arremata-! mos V{ terimenlos
dos, e qoe so iherando-se o actual systema de ar- cor".5''.
e Manoel Jos Ferreira, para
recadando destes imposlos se podero crear essas
coliectorias. O Sr. Buarque diz que naojulga oe-
cessaria a madanga do svstema da arrecadagao,
que elle presume ser o melbor; que se os arrema-
tantes desses jmpostos aoferem grandes lacros, nio
pela extorsaooa irregularidades qaecomraeltam,
mas sira pela falta de licitantes as arrematares,
o que d logar a qoe estas se faetm por pregos
baixos. Pondera o orador, que a renda dessas col-
lectorias/depoisde creadas, nao sera suficiente pa-
ra que a porcentagein distribuida aos colleclores e
mais funcionarios baste sua subsistencia, o que
lera raides para assim acreditar qaaodo v as col-
iectorias geraes desproveas de empregados.
Quanio a (arma por que o projecto reqaer a ar-
recadagao dos bens do evento, o orador a jolga tao
complicadl para materia tao simples, que nao he-
sita era regeta-la
Ora em seguida o Sr. Gaspar.
ura em seguida o Sr. Gaspar. 'TET^ a,uineres rj, estrangeiros
O bonfado depotado mostra que o projeclo pode "-'peres 3, escravos 75, escravas 4, total 405.
A ordem do da Boa-Vista, Antonio Joaquim da
Silva, para correegao j Dionizio e Guilhermioa, esta
de D. Mara de lai e aquella de Chrisllanl, o pri-
meiro por oBensas a moralidade publica e a ul-
ma, por fgida.
- 14 -
A ordem do Dr. delegado da capital, DomiBgos
de Lima e Silva, para reernta.
A' ordem do subdelegado da Boa-Vista, Joo Bap-
tista da Cunha, para correego.
O chefe da 2" secgo,
/. 6. de esquita.
Casa dk dktbnqao.
Moviment.) da casa de detengo no dia 12 de mar-
ge de 1866.
Existlam 401, entraram 10, sahirara 6, exislera
A saber :
Nacionaes 277, mulheres 16, estrangeiros 30
Alimentados
a casia dos cofres poblicos 208.
Movimento da enfermara no da 13 de margo de
1866.

Sr. ministro da fazenda em 21 de fevereiro ultimo. ihesoraria;bem"corao"a'o7aglm7s'' i^lSmSm]^^^^^^,^1^100 Cm JQZ
hraiiPip a* n,,<.io .n" h i,.nanA.. I *"!**!" P'esente sessao ao jury.
(Assignado.) Francisco Sergio de Oliveira.
Est
veio annexo o decreto de 10 do mesmo mez, no-1 brasileira de paquetes a vap'or para dar transpor
meando o primeire conferente- da alfandega do Pa ; te a essa bagagem para a corte, e ao mspuctor do
r Joao Jos Henrlques para goal emprego na des- arsenal de marioha para a fazer embarcar e coai-
ta provincia : o que communico a V. S. para sea municou-se ao general commandante das armas,
conbecimento e fim conveniente. Dito ao mesmo. Remello por copia a V. S. I
Dito ao mesmo.Recommendo a V. S. que em para os fins convenientes a 1* via do conhecimento
vista da folha e pret juntos em duplicata a que se: dos anigos remettidos para esta provincia no vapor
| Paran' segundo comraunieou-me o director do i
ajudante de ordens
Ihe.
interino encarregado do deta-
refere o offlcio do mareehal commandante das ar-
mas, datado de boje e sob n. 424 e nao havendo in-
conveniente, mande pagar os vencimentos oos offl-
ciaes empregados oo deposito e das pragas de pret
a elle recolhidas, sendo os d'aquelles rorrespoe-
dentes ao mez de fevereiro ultimo e os destas a se-
gunda qninzena do mesmo mez.
PERNAMBUCO.
arsenal de guerra da curte em offlcio de 6 de fe-
vereiro ultimo.
r.nD,irL^'!.e,,T.doeDcanrregKado do"K^Z ASSKMBLEA LEGISLATIVA PROVINCIAL.
repartigao da polica.Receb o seu offlcio o. 269
de 28 de fevereiro ultimo e ficaodo sciente de ter
sido preso o -pardo Paulo, escravo de D. Thereza
Ditoao mesmo.-Aorando a o que snlictou o de Jess Paes Brrelo, o qual ferio gravemente o
mareehal commandante das armas em offlcio de
hoje, sob n. 428, recommendo a V. S. que em vista
do pret junto em duplcala, e nio havendo incon-
veniente, mande pagar os vencimentos a contar de
t a 28 de fevereiro nliimo de 12 recrutas constan-
tos do mencionado pret, os rnaes vieram da comar-
ca de Flores com o 4 batalho do voluntarios da
patria e foram destinados ao servign do exercito.
Communicou-se ao general commandante
mas.
Dito ao mesmo.Declaro a V. S para seu co-
nbecimento e afim de qoe o faga constar a quem
competir, que com avisos expedidos pelo ministe-
rio da fazenda em 21 daquelle mez me foram re-
medidos os decretos nomeando Leopoldo Tertulia-
no Valdetaro e o offlcial de descarga da alfandega
da corte Herculano Cezar Oltoni para segundos
conferente* 4>desta capital.
Dito ao mesmo.Constando-me de avisos do mi-
nisterio da fazenda datados de 21 de fevereiro ulti-
mo qne por decretos de 10 dquelle mez foram no-
meados : o 2o confrrente da alfandega desta pro
SESSAO ORDINARIA EM 13 DE MARCO
DE 1866.
PRESIDENCIA DO SB. VICARIO FRANCISCO PEDRO DA
SILVA.
As 11 horas e3 qoartos da maobaa faz-se a
chamada e veriflea-se estarem presentes os Srs.
deputados Francisco Pedro, Ramos, Ayres. Reg
guarda nacional Felippe Santiago da Rocha aguar
do o resaltado do respectivo processo que duva ser
instaurado cora a possivel brevidade.
Devolvo a Vmc. o offlcio do subdelegado do 1 ,
districto da freguezia da Boa-Vista de que trata o Barros, Correa da Silva, Arminio, Andr, Hisbello,
seu cima citado. Sergio, Cicero, Buarqae, Lopes Machado, Tiburti-
Dito ao comraaodante da companhia provisoria ?. Agusto, Soares Brando, Bargos, Jeronymo,
de polica. AlUte Vmc. na companhia sob seu ilirana, Epaminondas, Amorim, Paes de Andra-
das ar- commando o paisano Antonio Honorio Soares, que de- Cndido Martins, Brillo, Emygdio, Sabino, Mer-
foi considerado aptopara isso >ro inspecgo de golhaoe Gaspar.
saude.
Dito ao juiz municipal da 1* vara desta cidade.
Remello a Vmc. para os fins convenientes as in-
clusas certidoes de bito e autos de vestoria e de
identidade de pessoa a que se procedea no presi-
sidio de Fernando nos sentenciados de jastica des-
ta provincia Jeronymo Rodrigue Pimental, Fran-
cisco Machado da Luz e Manoel Severino dos San-
tos e da provincia de Sergipe Joo Francisco No- "" Uores, em que requer ama quota para a con-
pomaceno, escravo os quaes falleceram no mesmo ,inuaCj das obras da respectiva igreja.A' coin-
presidio como participoo me o respectivo coraman- m'ssao de orgamento. __
, dante em offlcio de 15 de Janeiro ultimo. Neste; 0atra do Padre Francisco Xavier dos Satnof, em
ymcia, Jos Ihomaz de Aguiar Pires Ferreira, para sentido offlciou-se au Exm. Sr. presidente de Ser- i 1B P*de PBameolo do. qoe Ihe esta' a dever a
l* conferente da do Para; o 2 escripturano Julio gpe f|Qanto ao sentenciado Joo Francisco Nepo- 'rn,andade da ig.eja matriz da Victoria.A' com-
Bento Pereira da Silva.
Passageiros do hiate brasleiro Nicolao I, en-
trado do Aracaly :
Manoel Pacheco Morera e Antonio Barcellos.
Passageiros do patacho dinaraarquez Beatrice,
ser emendado em 2* di-cussao; que as suas ideas,
quer qun'.o s coliectorias quer quanto a arreca-
dagao dos bens do evento podara ser aproveitadas ;
qoe ella nio toma a responsabilidade de todo o pro- Teve *!iiXi. _
jecto, de que nao signatario, mas emende qae|LO*oro TanciscoBezerra, indigestao.
nao deve ser regeilado, para que se offerega em 2" Tl'.eram alia ;
discosso a opporlunidade dos seas collegas o cor- "D0 Celesino da Cruz.
rigirem com as suas laxes.
Encerrada a discusso o projecto approvado.
! discosso do projecto n. 52 de 1858, autori-
sando a construegao de diversas obras pela malor
parte j construidas.E* regeltado.
2* discosso do de n. 45 do anno passado, crean-' Wrado de Londres :
do ura conselho de salubridada nesla cidade. Luiz Maia.
Falla sobre a materia o Ilustre deputado o Sr. "~ Lemitebio pubuco, obituario do da 10 de
Sergio de Mallos, que requer para que sobre o pro-1 JARCo DE 186C.
jecto seja ouvida a commisso de salnbridade pu- Ml|oel Arcanjo dos Santos, Pernambuco, 21 annos,
blica, tendo em considerago um projecto sobre .Po? da PaDe"a. molestia Interior.
igual assumpto existente na casa. Rita Joaquina, Pernambuco, 70 annos, solteira, Boa-
Ora em seguida o nobre deputado o Sr. Silva vista velhice.
Ramos. Joanna da Cruz, Pernamboco, 17 meres, Santo An-
Encerrada a discusso o requerimento do Sr. I .,onio> '"'Cao.
Sergio approvado. i Eliodoro, Pernambuco, 8 mezes, S. Jos diarrha.
2' discusso do projecto n. 62 do anno passado,! Ro3 Pernambuco, 6 mezes, S. Jos, febre perni-
sobre a reforma da thesooraria. *'sa-
Falla sobre a materia o Sr. Buarque, mostrando anoe.'. Pernambuco, 6 annos, Recife, desinteria.
que nao Ihe parece devidammte justificada a refor-1 A,Q,oni. Pernambuco, 5 mezes. S. Jos, ulceras.
ma daquella repartigao, nos termos era que os sig
aatarlos do projecto a recommeodavam.
O Sr. Paes de Andrade reqaer qae seja ouvido o
inspector da respectiva repartigao sobre a materia
do projecto.
Encerrada a discusso approvado o requeri-
mento, ficaodo o projecto adiado.
1' discusso do projecto n. 7 deste anno, trans-1
Mariano, Pernambuco, 46 annos, Afogados, aliena-
gao, escravo.
- 11 -
Manoel Jeronymo da Silva, Pernambuco, 40 anoos,
solteiro, Boa-Vista, ioflararaagao.
Francisca Romana, Pernambuco, 10 dias, Santo
Antonio, espasmo.
Anua, Pernambuco, 2 annos, Boa-Vista, sarampo.
ferrado a sede da freguezia de Cruaogy, para a ca-' Manoel. Pernambuco, 18 mezes Boa-Vista, sarampo.
Abre-se a sesso.
L-se e approva-se a acta da sesso anterior.
EXPEDIENTA.
I Um convite da irmaodade do Senhor Bom Jesos
I dos Passos assembla. para qae os seas membros
acorapanhem a procisso do mesmo Senhor.Re-
cebido com especial agrado.
Urna petigo da irmandade do Senhor Bom Jesos
pella do Rosario, na mesraa povoago.
Oram os Srs. Gaspar, Jeronymo e Reg Barros,
ficando a materia adiada pela hora.
O Sr. presidente levanta a sesso, dando a se-
grale ordem do dia : 1* discusso dos projectos
ns. 23 de 1857, 6 e 8 de 1860, 55 de 1865, 8 a 9
deste anno, e continuago da anterior.
Prvulo encontrado raorto jualo ao cemitero, Per-
nambuco, 4 dias, Boa Vista, bemorrbagia.
REVISTA DIARIA
CMARA MUNICIPAL UO RECIFE
SESSAO EXTRAORDINARIA DE 24 DE JANERO
DE 1866.
Presidencia do Sr. Pereira SimSes.
Prsenles os Srs. Aqoioo Fonseca, Gustavo do
. Reg, Santos, ur. Villas-Boas, e Pinto, abre-se a
Segando cartas qoe vimos do Rio de Janeiro, | sesso, e lida e approvada a acia da antece-
devem de hoje para amanha aqoi chegar a bordo dente,
do Santa Cruz tres artistas dramticos contracta.! l se o seeninte
dos para o nosso Santa Isabel, cojo empresario to-' expediente
do envida afim de organisar no crreme anno orna Uin offlcio do Eim nresiLnie da ntovinria d.
excelleote companhia, que nada deixe a desejar a J P~'5acer'ca ga Jn':
lo quo pede no incluso requerimento Jos Soarus
Silveira Lobo para igual emprego na da corte; muceno, escravo.
e por titulo da mesraa data o 4* escriturario An-
ionio Pedro Vaz tambem para igual emprego oa
alfandega da curte: assim o declaro a V. S. para
seu conbecimento e afim de qoe, fazeodo constar a
quem competir, man le, de conformidade com oo-
tros avisos de 22 do referido mez de fevereiro ato-
nar ao dons primeiros daquelles empregados as
ajudas de eosto a que tiverem direito na forma da
legislago ero vigor para preparos de viagem e seus
transportes e de soas familias.
Dito ao mesmo. -Constando de offlcio do gerente
da companhia Peraambacana datado de 28 de fe-
vereiro ultimo, haver aquella compannia -satisfetio
os seas comproisissos dorante esse mez, recommen-
do a V. S. que se nao houver inconveniente, man-
de pagar a prestago mensal relativa ao predito
mez de fevereiro com qae o governo imperial auxi-
lia a mesma companhia. j
Dito ao mesmo.-Declarando o Exm. Sr. uiinis-
raisso de negocios ecclesiasticos.
Dito ao mesrao. Com copia do offlcio do com-! ^ fcSS^ v*mf^ ESttng"
mandante do presidio de Femando, datado de 20 "555LSJ 1",,0'-~b comraissao de ordenados,
de fevereiro nltimo, rerhelto a Vmc. para terem o! I*S^^*1 da Aaouneiacao' In-
conveniente destino nao s as guias dos semencia o uados A- SSSS^f32Hf resPecuvo*
dos de justiga de que trata a relaco junta, os quaes, Wif2lTt7iL^^^A^L^tli n id
vieram do mesmo presidio no vapor Parahyba mas dn enSvase a redacca0 do P"^ D- 10
I tambem o attestado passado pelo cirurgio Fran-! u.Pul:" nh^. a a u .. -
cisco Gongalves de Moraes, aberca do estado phy-1. ""^ IftfmSSl eliberacao nm pro-
, sico do sentenciado Jos Matbias Gongalve*. i J*CTl SP'i^?5' anaS dua9TcadeLras do
! Dito ao juiz municipal de Serinhem.-Accos, XVpreSi-/*" rfmiPovoad,>s de Trombelas e
a recepgo do offlcio de 2 de fevereiro prximo!*red,a.rAJSSTaSL mr..^. ui u
providencias que tomou para guarda de alguns
bens deixados por elle, em resposla recommendo-
I Ihe qne em identics ocasos noticie immedlat iraen-
, le ao consol respectivo o occorrido, como termi-
nantemente dlspoe o artigo 10 da convenco con-
tro^ra^rio^^'u. 10 detevere,o pro^ .^^.br^ o Bng. o reino d Hespa-
mo Ando para o fazer constar a V. S. em solugo ao \nM' a 9 ae ieTer<9lro 18 sen offlcio de 26 de Janeiro ultima, sob n. 3, qae fl-1 Dito ao superintendente da estrada da ferro.
ca concedida pela verbaobras especiaos daquelle Recommendo ao Sr. superintendente da estrada de
ministeriono exercicio actual, o augmento de
968j(100 Ireqoisitado para os concerfos pretsos no
lazareto da ilba do Pina, bem como que a qoaotia
pedida para pagamento dos objectos fornecidos ao
mesmo lazareto, ja foi concedida por aviso de 24
do dito mez de Janeiro, devendo langar-se a despe-
za conforme se explicoo i verbasoccorros publi-
case nio a verbalazaretos; assim Ih'o com-
munico para ten conbecimento e direego.
Dito ao mesmo.- vista da conta que apresen-
car aaawa thesouraria o director do arsenal de guer-
ra ante V. S., pagar a pessoa competente a im-
portancia da despeza qoe se flzer com a condugao
de artigos de fardaraesio, armamento, equlpamen-
to e utencilios perlencentes ao 4 corpo de volun-
tarios da patria, do mesmo arsenal, para o qoar-
tel do Hospicio.
ferro qae expega a's soas ordens fiara serem trans-
portados no irem d'amanha at esta capital o al-
teres Lodgero Vital Bastos, ama praga da guarn-
gao e bagagem que exisiem na estagas de Uta
Dito aos agentes da companhia brasileira de pa-
quetes a vapor. Podem Vmcs. fazer seguir para o
norte o vapor Tocanttns, amanhia a bora indicada
em seu offlcio de hoje.
PortarlaO presidente da provincia, tendo em
vista o qae reqaereu Thomaz Pedro d'Aqoioo, al-
feres da primeira companhia do corpo de cavalla-
ria n. 3 da guarda nacional do municipio do Ouri.
cary, resolve eonceder-1he 3 mezes de licenga para
ir a provincia do Piaoby a negocio de sea particu-
lar interesse.
Dita.O presidente da provincia, attendendo ao
qne requeren Maooel de $oaza CarMtro Pitnpio,
prlmir.
Outro dos Sr3. Andr Cavalcanti, Sergio e Ra-
mos, revogando a le n. 526 na parte relativa ao
labellio do Rio Formoso.A' imprimir.
L-se e approva-se a resolugao de lei relativa ao
compromisso da irmaodade das almas de S. Loa-
rengo da Malla.
L-se e julga-se objecto de deliberagio nm pro-
jeclo de lei, creando mais oaa offlcio de justiga na
cidade de Goyanoa. A' imprimir.
L-se e approva-se nma proposta do 1 secreta-
rio, coocedendo seis mezes de licenga ao porteara
da assembla, e designando a Custodio Manoel
Theodoro, para o substituir.
ORDEM DO DIA,
1.* discosso do projecto n. 33 de 1856, ereando
um banco agncola nesta cidade.
Fallam os Srs. Ramos e Ribeiro, propondo esta
qae seja o projecto remedido i commisso de cona-
lituigao e poderes.
Encerrada a discusso a proposta do Sr. Ri-
beiro approvada.
1.* discosso do projecto a. 6 deste anuo, sobre
transferencia da sede da freguezia de Taquare-i
tngoa para o povoado de Vertentes.
Falla Sr. Arminio. O illastre orador faz largas
consideracoes em. orjeq a mostrar os elementos

composlgao do sea pessoal, sera embargo de nao
paqueaos sacrificios com qae se elle sobrecarrega
para copsecugo desle fim, e satlsfagio completa
do nossa publico.
, ,jt este lado v se as claras, que o Sr. Coira-
bra'deve e efectivamente tem de fazer grandes
despeas com ordenados de bons actores, coja ac-
quisigo procura realisar, nao fora de proposito
que espanque da scena verdadeiros enxertos, que
Ihe costando sempre dinheiro, produzem anda o
effeilo de arredar a concurrencia do publico aos es-
pectculos, cojo desempenho sabe-se de ante ms
que est confiado a quem nao acha-se as condi-
goes de poder tradozir o pensamento do escriptor.
Cortando por ah, pode o Sr. Coimbra ter ama
companhia que satisfaga, e Ihe d a remunerago
dos seas esforgos, em ajada dos quaes vira sea
davida o nosso corpo legislativo provincial votando
nm subsidio, com qae posea elle equilibrar as
grandes despezas em qae deve assim entrar.
Os tres actores cima referidos sao a Sra. C elia to estado, nio parece justo qoe deixe de ser pago
Carolina Freir de Carvalho, primeira dama do' o mesmo arrematante pela razo de haver excedido
Gvmnasio, e os Srs. Eduardo Jos daGraga e Joo, do orgamento, e acerca do crdito para o paga-
Lulz de Pal va, este primeiro galn e aquelle prw ment, elle existe, visto qae apenas sao decorridos
metro gracioso do mesmo theatro. I qoatro mezes do actual exercicio.
Sendo de presente o Gymnasioo 1* theatro da cor- { Outro do Exm. vigarie capitular, corr munieando
te, ao qual concorre o publico escolbido e Ilustrado qae tendo o Exm. e Rvm. Sr. bfepo diocesano da-
do Rio de Janeiro, e sendo aquellos actorts alli de I signado o dia 21 do correte para fazer a sua en- qoe total de 17:666421,qae reeoobeceo.no sen exa
me. Emende a commisso dever consigoar na pre-
sente exposigio as Irregularidades, qoe eacontrou
na escriptnragao da receita e despeza, e qne sem
davida deram causa ao proioogamento do seo exa-
me.
A escriptnragao da di vida activa urna perfeita
confusio, por quanto era systema adoptado langar-
requerlmenlo
Pinto Correa, arrematante dos reparos da estrada
do cemilerio publico, sobre que versa offlcio da
cmara de 17 do correte sob o. 6, raisler que a
mesma enmara informe se as obras que deraals fez
aquelle arrematante sao necessarias, e nesle caso
porque nao foram ellas oreadas e arrematadas, de-
vendo em lodo o caso emillir seu parecer acerca
do pagamento pedido, e se para elle ba crdito.
Posto em discosso, resol ve u -se responder a S.
Exc. qae as obras demais faltas eram necessarias,
e nao foram oreadas, porque estando a terminar-
se o anno municipal e achando-se a verba destina-
da para ebras desla natureza qoasi extracta, man-
dou-se orear somonte aquellas que fossem indis-
pensaveis, as quaes estando Ja em execogo, o ar-
rematante intenden qoe, para maior seguranga e
darago dellas, devia fazer anda as qae aceres-
ceram, e deixaram de ser orgadas; qne estando
felto este servico e acbando-se a estrada em perfei
Um offlcio do eogeobeiro cordeador, informando
o requerimento no qual Manoer de Souza Tavares
pede permisso, para fazer urna nova salgadeira
raargera do Rio Capibaribe defroole da liba de-
nominada de Anna liezerra, na distancia de mais
de mil e duzentos palmos-da ra Imperial; decla-
ra que o logar a que o peticionario se refere Oca
com effeito a margena do rio, tendo apenas em sua
vizinhanga algumas casas de palha, mas tambem
verdade que acba-se elle-mareado na planta para
edificares, estando j tragadas as ras que por
elle devem passar, nao eonvindo ficar ao arbitrio
do peticionario construir a salgadeira em questo-
no logar que mais conveniente Ihe parecer, pois-
que pode acontecer qae venha ella ncar no mel
de algumas das ras orojecladas.Mandoa-se cer-
dear.
Outro do mesmo, declarando que Ihe tendo sido
ordenado para apreseatar nma planta indicando o
lugar que na planta.geral deve ser alterado para
se maoter no beceo Tapado ao lado da matriz de
Santo Antonio o alinharaeoto em qoe se acfaa o
sobrado do Dr. Joo Baptista Casanova, afim de ser
esta alterago levada ao conbecimento da presi-
dencia, diz que Ihe parece desnecessario a planta
parcial, visto achar-se J concluida a planta geral
de todo o bairro de Sanio Antonio para ser levada
ao conhecimenlo da mesma presidencia, sendo
nesta planta attendida a alterago a qoe a cmara
se refere, entretanto se a mesma cmara entender
que independeote da planta geral deve ser snb-
mettida a considerago da presidencia a planta
parcial para a alterago projectad, elle a apre-
seniar na prxima sesso. Posto em discosso,
resolveu-se mandar declarar ao eogeobeiro nao ser
preciso a planta, e que dsse a cordeago como ]
Ihe foi recoraraendado.
Outro da commisso encarroada do exame das
contas do ex-procarador Jorge Vctor Ferreira Lo-
pes, dando o rebultado do seu trabalho, cojo offlcio,
a Ktjuerimento do Sr. Santos, mandou-se transcre-
ver na presente acta e o seguate, tendo-se antes
ordenado qoe se expedisse copia ao advogado para
continuar com a questo.
Illras. Srs. A commisso encarregada pela
Illustrissima cmara municipal da capital, de pro-
ceder ao exame da sua receita e despeza dos ejer-
cicios de 1852 a 1864, tem a honra de apreseniar
a mesma o resultado do sea trabalho. Lamenta a
commisso qae este seu trabalho nao podesse ser
completo e sahis-a como era de desejar, sendo Isso
devido a particular circumstaocia de qae nio teve
a commisso todas as bases essenciaes, sobre as
quaes podesse assentar o estado completo dos lac-
ios ; por quanto sendo-lhe indispeosaveis todos os
documentos, qne comprovassem as dispezas da
municipalidad^, e qae foram exigidos pela com-
misso em offlcio de 19 de jonbo ultimo, apenas
receben os que se referem aos exereicios de 1856
a 1858,1859 a 1861 e 1862 a 1863, notando-se an-
da que esses documentos nao comprehendiam to-
das as verbas de despezas de alguns dos referidos
exereicios.
Esta falta foi.mesmo observada pelo digno secre-
tario da assembla legislativa provincial no sen of-
flcio de 7 de julho, qaando fez remessa dos ditos
documentos,.qae se achavam na secretaria da re-
ferida assembla, donde se v qae nao existem
muitos papis por terem sido desde muito destru-
dos pelo cupim.
Assim pois a commisso, em vista das bases qae
teve pode em seu exame reconhecer a existencia
do desfalque de 17:6663421 a saber no exercicio
de 1852 e 1853,509*367. no de 1854 a 1855,.....
2:2843250, no de 1857 a 1858, 7:400*304, no de
1861 a 1862 2:7833500, no de 1862 a 1863.......
2:2883750 e no de 1863 a 18642:4003250, as ver-
bas que passa a referir que constara da demuns-
traga jonta.-Exercicio de 1852 a 1853.O im-
posto de carnes verdes produzio a somraa de......
13:1003000 de que se passaram 4 letras de......
3:2753060 cada urna, aceitas por Jos Lucio Mon-
teiro da Franca ; destas foram cobradas 2, e por
conta das outras 2 apenas foi paga a quantia de
1:6003000.
Tendo sido ajuizados e reformadas, em conse-
qaencia de moratoria que obteve o acceitante, foi o
sea debito de 5:0933670, inclusive as cnstas, re-
duzido a dez letras de 5093367, indossadas por
Joaquim Lucio Monteiro da Franca, e destas co-
braram-se nove, deixaodo de o ser a ultima.
Dos livros de escripturago da cmara nao se
conhece que destino teve esta letra, que em verda-
de ou foi ou ne cobrada, no primeiro caso deve-
ria a receita fazer a competente mengo, e no se-
gundo deveria fazer parta do saldo, oa como letra
era juzo, ou em mo de responsaveis.
Exercicio de 1854 -1855.Segundo a escriptu-
rago do competente livro v-se que a despeza do
cemitero neste exercicio de 25:4113054, o ba-
lango porm que corre impre-so, e foi apresentado
a assembla provincial contempla a despeza desla
verba com a somma de 27:6953304, d'onde resal-
ta era consecuencia desse augmento de despeza, o
desfalque de 2:2843250 que cima se nota.
Exercicio de 185758.Xas despezas do cemi-
lerio ba ura exesso de 3:8003000. Neste exercicio
foi qua teve a commisso todvs os documentos em
relaco ao cemitero, offereceodo assim dados se-
guros para se poder afflrmar a existencia desle
desfalque, que procede do exesso de 1:2003 as
despezas do mea de oatubro, e 2:6003 nos de de-
zembro de 1857, excesso reconhecido pela comms-
sio, nao s em vista dp respectivo livro, balancos
meosaes e annual, como mesmo em preseoga dos
proprios documentos. O balanco e respectivas ta-
bellas pertencentos a este exercicio, mostrara o sal-
do de 15:2313367. Esle saldo devia figurar no
bslaacete de 185859, como primeiro artigo da
receita, entretanto qae smente foi contemplado no
mesmo oa importancia de 11:6373063, d'onde ap-
parece a differenca para menos de 3:6003304, sem
explicago algoma.
Estas doas quantias procedentes do excesso das
despezas do cemitero e da differenca do saldo,
constitaemo desfalque cima notado de 7:4003340
neste exercicio.
Exercicio de 186164A receita de predios
municipaes no exercicio de 186162, segundo o
respectivo livro, de 28:6093550, o halaogo porm
que foi apresentado a assembla legislativa da pro-
vincia menciona como importancia arrecadada por
esta verba 25:8263050 do qae resalla o desfalque
de 2:7833500, da mesma forma no exercicio de
186163, esta verba de receita prodnzio a somma
de 26:0203446 e nao a que est representada no
balanco na importancia de 23:73136%, d'onde ap-
parece o desfalque de 2:2883750.
E finalmente no exercicio de 1863-64 a mesma
verba de predios mooipaes monta era 29:3453912,
e nio era 26 9453662 como se v no balanco deste
e xercicio, verificando-se por tanto o disfalque de
2:4003250.
A commisso jolga assim ter explicado o desfal
*


primeira nota e sempre festejados, Isto tambem i irada solemne na cidade episcopal, e tomar posse
o primeiro graute da excedencia da acquiscio,
que fez o Sr. Coimbra para a nossa scena. onde ta-
remos de aprecalos por nos mesaos em poucos
dias : visto ter o nosso theatro de abrir os seos
trabamos scenicos era coraego de abril prximo.
Damos na 8. pagina nm artigo do 8r. Dr
Sabino Olegario Lodgero Pnho, acerca da Associa-
gao promotora da colonlsago polaca, para cuja ei-
tara convidamos os nossos assignantes.
Completou hontem 44 annos S. M. a 1 rapara-
triz. Durante o dia astiveram embandeirados os
navios de guerra e mercantes e as estaede pabli-
cas, salvando os primeiros e a fortaleza do Brqm,
s 6 hora; <)a ojanhia, a { e s 6 da tarde.
do bispado, convida a cmara para assistir na ca-
tbedrai a esto acto, e ao solemne Ta-eum que no
fim se ba de celebrar.Inteirada.
Urna pehgio de Jos Soares Pinto Correa, arre-
maUBie da estrada do cemilerio publico, com des-
pacho da presidencia, mandando infarmar, na qual
o mesmo arrematante declara qoe tendo ul trapas-; se no livro de receita do exercicio em qoe late lo-
sado os limites do seu contrata, offerece o abat-1 gar a arreraalacio oa contrato de ama renda, a ar-
menio de 2683000 na quantia de 7683000 em qne reoadaga qae se razia, erabora em anoos mal pos-
foram oreados os accresslmos de obra qae fot, e teriores-, por exemplo, om* renda qoe fleasse por
pede a 8. fixe. Ihe mande pagar a qoaotia de 8003. artecadar no exercicio de 185253, mas qoe o fos-
Posto em discusso mandou se iuformar a S. Exc, se no de 185364. era etcrlptarada naqusile er-
que senda, coso de vaatagem o offereclmento ciclo, qaando ji se achava encerrado de moitoe
felto pelo arrtfrtatnnte a cmara eqtende qqe deve, annos, d'onde se ve qae liaba a commisso no sea
|ceHa *
M

- ----------"- '". i mwm '*-**-**>>!*<* "

-






-
_
i ;
tarto c P

Quinta felra i* e arco de 1866.
""tv"*!*?
3=
a. ,:;
e esta Oca na ver
' eeeorar para nao ficar em aberto o referido eemite-
rio.Que se reraettesse a commisso pura provi
de exercicios m^ftoWeriores oa poroutra, lo- Outro do administrador do ceraiterlo pobOco me reporto;
dos inteiramente oppo^ta a iodos os principios de a- Alma*.bVSMtCSff flffiT^V*"*""'** forma doeslylo. Cidade do
CTlRe?erTa5ajnd etoservar 'qae' imprativei, em vis Tprocarador du-|oiu%M(llo IWmSp.-*^ arco de 1866. Escrevi e
ta da escrlpwpo. o qutsreT aebit s cdtnErarico crjmtouutcasse ao procurador, de verdade.O escrivao, Pedro
exacta entre a arreeadacao da divida activa, e a Outro do mesmo, commonlcando que a grade do. jja rjunna>
sua descripcio. portio, ao lado do poeote daqoelle estatwlecimen-
A commisso nao pode deixar ItBWBcionarama lo, acn*ae careamida, eotviodo ser eonsertado o
falta grave que moilo inflae no erRerlo da werip- dito poni qoanto antes, visto que Ja o
turacao, e vero a ser qne o litro caita que servio
nos exercicios de 1852 a 1858, se acfca escriptura
do de orna forma imperf ita e aero f-alguma. denciar.
Nelle se nota que muitos laoewnantos de entra- Outro do meamo, declaraodo que os doasafrtea-
da no tem assignatura dos elavloularios a quem o nos livres admetlidos naqoelle estabeleclmefflo
regnlamento da casa incumbe ttl dew.de tnanel-'foraro logo emancipados em vi nade do deeretj
raque em regra nao aa re*amaveis por ues n. 3,310 de 14 de setembro de 1844,-e dtepoiede
laneamenlos. Accresoeiaoda ofaet extraordlna- Impossados das respectivas cartas, nranirwta-
rlo de que sendo essa caixa escriptorada at aquella ramlbe dselo de continuarAm apreaur osseus
pocade 1888-1889, ah paroo sem forraalldade servicos-no dito-estabelectniBino-nreolant frjOTnal
algoma.lsto sem somma total, nsm termo de que percebero os domis trabalhadores, o que tra-,
encerramento, e ento apparece urna outra caixa rendo ao conheclmento da cmara, esta o auiorisou
em subsUtuicao aquella, tendo eomeco a sua es- a acceita-los por offlcio de 13 de outubro do mesmo ,
criptoracio do exercicio de 1869-1860 por diante. anno. '
A commisso penborada pela immerecida esco- A commisso de polica apresentou am parecer,
Iba que derla fez a illustrissima cmara municipal, que foi approvado, dando por confiridas as coalas
incnmbindo-a desia ardna tarefa, eordealmente tomadas ao procurador nos mezes de julho a no
, vembro do anoo passado.
A reqnerimento do Sr. Gustavo do Reg, foi no-
1 meada u'roa commisso para por parte da cmara,
1 ir comprimentar a S. Exc. Rvina, o Sr. bispo, e,
; felictalo pela sua chegada a esta cidade, recahin-
do a mesma commisso nos Srs.asiavo do Reg,
NTO DO PORTO
ftatet entrados no dia 14.
l \m
m ii ^-*-------
r,w
me' reporto, e este-Sisen^ chaKtoiitoel*#*Gi: iiiados
i.faca,coDfepido*Jn2- dM^deir^lallpWl
da frmandde de
agradece-lhe esta prova de confianza, e mol res-
petosamente pede que Ibe desculpe as faltas que
encontrar oeste seu trabalho, devidas sem duvida
a defeiio de iotelligencia e nao a melhor vontade e
esforcoa empegados pela commisso para corres-
ponder a espectativa aa illustrissima cmara.
Deus guarde a V. S. Sala da commisso. 30 de j Dr. Villas Boas e Sautos.
Janeiro de 1866.-Illm Sr. presidente e vereado-1 Despacharara-se as petlc5es.
res da cmara municipal desta eidade.-Jos Fran-, Nossa Seohore do Livrametito da fri' r;
cisco de Salles B*-viera -Caetano Sllverio da Silva, m, Jos Joaqu.m da fHva Alves Jos Gonealves
-Eypoiyto Cassiaoo de Vasconcellos Albuquerque Salgado, Joao Ignacio do hMMMrtaJW
Mar anio ,0DI0 Forrao de Figueiredo. Joao Luiz berreira Ki-
' beiro, Jos dos Santos Nunes de Oliveira, Luz An-
Ootro da mesma, dirigido ao secretario, apresen- tolo Annes Jacorae, Manoel de .'-onza Ta vares,
lando seis massos dos docurrentos qne Ibe forara Theoduro Beeasem dos Santos; e levanlou se a
enviados para o exame de que eslava incumbida,! sesso.
e bera assim urna nota dos documentos que falla- j rjeolaro em tempo, que o Sr. Aqoino Fonseca !
ram nos competentes exerclctos conforme se acha, iMwa voUr ; t4deiiber*o da cmara, de
explicada na referida nota -Qu se Otease remes- taver emlM(do 0 Jn,I0 a liresidencia acerca do
sa desses documentos ao Exra. presidente da pro-1 pagamenta de accrescimo de obra felio na estrada
vincu* do cemileno publico, por Jos Soares" Piolo Correa,
Outro do contador, dizendo que as duas certiddes visto nao ter a mesma cmara tido em tempo
de cusas que remeltla pertencentes ao Dr. jola sciencla desse acresoimo.
municipal da i" vara, esiao conformes, pelo que I Eu Francisco Canuto da Boaviagem, secretario
nada lem que oppr ao pagamento.Que se pas-1 a subscre.Pereira SionSes pro presidente, Santos,
Mkmmwhi
fU* moe nMenMto aggfun de MnhQia
aso ajeataufHH4Mt taein a nuda clara e pennalT o poder d*
raimmamm pn mim r-vn^H*
d* Autojho Joaquim PKtaBBA, d aM.
Este homem infeliz havia mala d'um anno que
offria m dores u mala atroces e pungen tea
proveniente de
Trozo
Terriveis Chagas Abertas
l3!*Us,--barca brasilelra Traviata, de 326 acs- 6 dias de margo de 1866.
asslgoo em fe de ver'dade
Pereii ^ Tertuliano da Caoba.
original a que me
ansa que da vida.
on forma do estyW, ^f^8^^^riiFu^W
Escrevi e fe^nrittl*' M
-jCiOaU-
***- D^^^^.l^^^V^-^^^^ ^^or^mSo^pZ^o^l
,^qoipa>em 12,
rinba de oaadioca e oulros
Ccrael.
ahia'i
totMHas
-seota
t jttaracaty -*^
-47 tonelada.*,
sasse mandado.
1 Dr. T. Villas-Boas, Pinto, Reg.
TABEIAA DO RENDIMENTO DA ALFANDEGA DE PERNAMBUCO NO MEZDE FEVEREIRODE
CORRENTE ANNO FINANCBiRO COMPARADO COM OS DE IGUAES MEZES DOS DOUS ANNOS,
LTIMOS.
tnportttqao.

Direitos de consumo. .
Ditos addiciouaes de S %
Ditos de baldeaba e reexporlacao
Ditos de ditos e reexporlacao para a Coila.
d'Afriea.........
Expediente dos gneros estrangeiros na -e
gados por cabotagem ....
Ditos dos gneros do paiz .
Ditos- dos gneros livres. .
Armazenagens.......
Premio dos assignados .
Despacho martimo.
Aneoragem........
Di re los de 18 % das ernbarcacoes estraugei-
ras que passam a nacionaes .
Ditos de S*Vaj na compra e venda das emba>-
cacdes ..........
Exportando.
Direitos de 18 */ do pao Brasil .
Diraitosde 7 % de exportacao .
Ditos-de 2 % idem.....,
Ditos de I %-de ouro em barra .
Ditos de Vi dos diamantes. .
Expediente das capatazias. .
Interior.
Multas..........
Sello do papel fixo.....
Dito do papel proporcional. .
Emolumentos.......
Imposto dos despachantes .
Extraordinaria.
Receila eventual......
T
Dizimos da provincia das Alagas.
Ditos da provincia da Parahyba .
Ditos da provincia do Rio Grande do Nortd.
Contribuicao de caridade......
186o 1866
375:726^690
46:011^781
187889
670^360
C73I9
4:365t>9S
9*95970
1:909^767
3 6935990
2135000
165300

242:60i5*95
1:9145070
7515^98
6595380
2975340
835000
375500
680:9215717
5:1135030
9:2515138
3:0435962
3285995
1864 a 1863
477:0905343
60:7955684
1235713
85996
8875539
3:7885622
479530o
1:5695449
2:603579o
3005000
li 05O0O
163:4765825
*
i
2:0815920
2:4005758
4595020
1925180
495000
125500
,
698:6605862
718:438*314
5:3265886
14:2395610
2:8815213
5325955
741:4155878
1863 1864
484:0425430
62:6235969
26*098
518*876
741*043
2:993*860
444*435
1:271*609
*
3:188*550
43*068
4*000
*
197:137*509
5
*
*
2:4165420
8S85538
529*400
2485810
875500
*
787:823*778,
6:066*443 |
9:7i*348
1:893*814-
335875;
espalhadas por sobre diferentes partea de aea
eorpo, sendo urna das qnaes sobre o peito do p
urna fonda e maligna chaga, a qaal o privara
de andar, cauzando-Ihe aa dores as mala agonl-
santea quor de da, quer de noute; continuada-
mente atormentado por aea afflicooes e dona,
e qnasi que aborrecido da continoacao-de etan-
illiante vida, tendo posto de parte toda- a fe' e
ynpfi.pf am medncinaH, e da realidade pareca
qu para elle nao lhe resta va mala esperan ca
algoma; aasrm pola resignado esperava conv
paciencia o termo, final de seos mutiplicadoe
goffrimentos, eia qne milagroeamente por te-
tona ma lhe receitarao o grande pnrificador
do sangue
A Salsaparrilha
DE BRISTOL
e mediante a ana grande etBoaria e excellenda
elle se achon dentro de pouco tempo, livre do
sea irremediarel estado de desespero, e a doee
e risonlia esperan? tornou de novo a. revive
em sen ooracio; sob a poderoza e benvola in-
fluencia chagas em breve principiarao assnmir am ca-
rcter favoravel diniinnindo o aspecto de aoa
malignidade. A masea do sangue e mais
humores do systema tornou adquirir urna
apparencia clara e saudavel, as dores ator-
mentadoras d'outro ora o deizaiao, e-nrna doee
e suave tranquillidade principiou i precorrer
todo O >ea sistema, reetaurando-lhe a desejada
paz e socego 'espirito; as cbagas urna urna
se forao fechando at qne finalmente ae ciea-
triznrao d'um iodo, e boje aeha-ee perfeita-
mente sAo, gosando d'um perfeito estado de
ande, depola de se ter visto privado d'este
grande gozo dorante mais d'um anno. Elle
dorante ata sua cura,, apenas fez oso de
Desasis garrafas da Oenuina Salsaparrilha
da Briatol, preparada exclusivamente por
LANMAN&KEMP,
De NOTA YORK.
Recommeitda-se mol particularmente aoa
Doentee d'amboe os sexos, que empceguem
toda a cautella na escolha d'este admiravel
remedio, afim qne nio obtenhao outra com-
poai5o qualquor, qne nio seja a Salaapamll-
ha Genuina da Bristol, pois que todas as
mais preparaeSes e imitacdes desta natureaa
alo falsas nao poBsoindo virtode algoma.
Vende-se as boi cas de Caors & Barbosa
e G. Bravo A C.
brlgue brasileiro Inlrtmdo. de 208
Ito Martiobo Francisco de Soma,
, carga 10.068 arfabas de eawce
bar & Oliveira.
s, hiate brasileiro Np*ao J, de
capiio Trajaoo ThlMtomato de
Moura, equiagem 6, carga vt*B+mtMk* '
! outros getjetes ; a PareDte VIMNriNFC.
Thhia 10 alas, patacho porlognez Constancia, de
t lou toneladas, c^llau ttlUbl"0a~?
iem 10, carga assncar; a' ordem. Arribou cora
! -apa aberta," la"tr tiverpool.
Liverpool47 mas, barca lngteta'r*i/Oo,de 227
toneladas, capilio David Roberls, equipagom 13,
carga fazendas e plvora ; a Johnston Pater & C.
Liverpool 46 dias, galera ingleza Hermione, de
383 toneladas, capillo Gregorv, equipagem 15,
carga carvao; a Senpson & C.
Rio de Janeiro 21 dias, barca ingleza Teazer,
de 380 toneladas, eapitao I. P. Gibsoo, equipa-
gem 11, em lastro ; a Sawoders Broinres di C
Rio de Janeiro 24 dias, briaue belga Providence,
de 207 toneladas, eapitao H. 6. London, equipa-
gem II, em lastro;a* ordem.
Londre* 47 das, patachtrdlnaraarquer Beatrice,
de 247 toneladas, eapitao Wilhelm von Deurs,
equipagem 9, carga fazendas e plvora ; a Rade
Schameteau & C
Havre 48 das, barca"frenceza S. Andr, de
toneladas, capillo'ferrot, equipagem 12, carga
mercadorlas; a' E'. Burle & C.
Abrios sahtdot no mesmo dia.
Liverpool Galera- ingleza D. Mara, capilo W.
Cowih, carsaaBsucar e algodio.
Lisboa Patacho porluguez Jos, eapitao Fernan-
do Pereira, carga assncar.
Observando.
Snspendeu.dd lamaro para a Parahyba o brigue
ioglez W.H. B^Wow,apitao'D. B. Roberts, cora o
mesmo lastro que trouxe do Rio'de Janeiro.
wHilote
4llm. Sr. Or. joi> especial
for a bem de seeTeT^ireitMMica, sb pe-
0 Dr. TrislSo de Alencar Ararlpe, ofBcial da lm- jTa aJ. nrnpp"lTr"naaa*B
penal Orden, da Rosa e Juta de direilo-wprelal na^ *n^.CfteS,e' S^jf"5
do Hec.f8d Per- Por unto toda e^ualqfer paMDa, prente,
' c*fcs9tr '
B
esiade Imperial e Geasii- amigo-V Conhed*s 4m rfcrtdos" herdei-
decommercio dast cidade
iambuco por Sua tocional o Senhor
arde etc.
eo saber ao? qae o presente -~
noticia tiverero >que-por pane da -lfcDoeiftteaKyg tdaos aBTadef.latBli>0-freseiJte que
Carneiro me Midfchjida a s%Q|3o nonbeor ser:lEiai'O0*av|are9dOaMaurne, e pu-
blicados pela imprensa.
Pedro ib* queartaw r0S) peder*es-Mo faur scflMe d todo o
tai^Mem ^pOatattdo. iE fMo^MalhegnkaocoDbeci-
uO" COftlfOvBrCIO. iMl
L5* H5 Jt^rn^oToTlhe se^dTEo^ugo lTz I Bl+pimaH^tMte8S*&tod9
dasNeves de^sjdor de ama letra da'qtttrnttfde tres PBTTianvtoOflO, MS 3-'dE rfiafCO ae*f886.
ooqtos duzentos esesssnu e novo.mib treseaios e Eu Gailherme Augusto de Athayde, escri-
saccaa pelo supplicanle a vinte e nove v3o 0 8ubscrevi. Virgilio de G08to5o Coe-
de setembro de mil oito ceios e sessenta, e accei-
ta peto supphcado com o praso de seis mezes-
quer o sapplicaote protestar para o lira de nter-
romper a prescripcao em vista do artigo anatro
centos e quarenta e tres do cdigo commercial,
porm acontece que o supplicado se acha em lugar
iocerto e nao sabido, qaer jaetiScar a ausencia do
supplicado afim de ser intimado o respectivo" pro-
testo por editos.
Pede a V. S. assim lhe delira.
recebera' mercsV Joao Casiano de Aoreu pro-
iTurador. Na qual del o seguinle'despacho: Jus-
tifique a ausencia a manhaa as onze horas do dia.
Becife 6 de margo de 1866. Alencar Araripe.
Em vinude do que lora a mesma petlcio'disiri-
buida >o eserivdo desie joizo, Manoel Marta Ro-I
driRues do Naeimento o anal lavrou otermo de
I DI TAIS
Faculdade de 'Direito.
Rtetficacao do edital -publicad* no Diario de 6 do
aorrente.
De ordem do Exm. Sr. director faco publico'qae
em congregacao de 2 do*eoerenfe oram destribni-
dos e regulados os traballrosfdo auno lectivo palo
odo seguinle: WMibII
Primeiro anno. ,
i" cadeira r. A*asra ^de-Sooza, das J2 a 1
bora na sala grande.
.2' cadeira Dr. Jos Besito;las II as 12 na sala
grande.
Segundo anno.
1* cadeira Ur.Apsigio, das 8 as 9 na sala gran-
de.
2 cadeira Dr, VileHa.Tavaias,.das 9 as lOnna
sala grande.
Terceiro anno.
! cadeira Dr. Broa, das 9Sil0..a)a tercena
sala.
2' cadeira Dr.iAgoiar,idas 8 ds 91 na terceira
sala.
Quaito anuo.
1- cadeira Dr. Looreiro, das 10 as U-na prl-
meira sala
2* cadeira Dr. Portella, das as 10 na prrmei-
ra sala.
Quinto anno.
i cadeira Dr;>Baplieta, das 8 s 9 na- seganda
sala.
2" cadeira Dr. Autran, das-11 as 12 aa tercei
1 ra sala.
3" cadeira Dr. Reg, das 9 s 10 na segooda
i sala.
Para programma do ensino tarara adoptados os
! mesmos compeadios do anno pastado
Secrelaria daPacoldade de Dirfeito do' Recife,'. 1$
de margo de 1866.
O affictal na ausencia do secretario,
Manoel Antonio dosPassos e Silva Jnnior.
77635li233
Alfandega de Pernambuco, 28 de fevereiito de 1866.
Publicages a pedido
O escriplurario,
C. Bemcio lachado.
scien
MONTE PI PORTUGUEZ.
A directora provisoria desta lostituicio
tiGca ao Sr. Manoel Augusto Candido Pereira que,
pela circumstancia, que passa a mencionar, se pe-
dio a S. S., bem como a varios outros socios, em
um annuncto publicado neste Diario, o obsequio
de indicar o Ingar da sua residencia para poder
ser procurado.
S. S. assignon como instalador urna lista na
reunio qne houe no gabinete porluguez de leitu-
ra em 30 de margo de 1864 e posteriormente ins-
creveu tambero o seo nome em outra lisia confia-
da ao nosso digno consocio, o Sr. Jos Joaqoim Al-
ves. Qnando se recotheram todas as listas-foram
os noraes dos signatarios levados a um registro, e
como o sen nome figuraste em duas listas foi re-
gistrado duas vezes por natural inadvertencia, e
em duplcala se enrabio lambem o recibo da sua
jola, sem que o secretario houvesse nisso reparado.
A directora, por investigarles a que hoje proce-
den, verifico que effectivamente o Sr. Manoel Au-
gusto Candido Pereira j pagou a sua joia, mas ao
Sr. Jos Joaqun) Alves, que, em diligencia de ul-
timar a cobranga de ootras Jolas, arada nao entre-
gou aoSr. thesoureiro doMontepio as importan-
cias ja recebidas, e por isso nao poda a directora
provisoria ter anda sciencla de haver S. S. reali-
sado o referido pagamento. Por outrolado pedindo
a directora ao cobrador, a qnem ntregoo os reci-
bos dos socios instaladores, urna nota daqoelles
cujas residencias ignorasse, nessa nota velo inclui-
do o nome do Sr. Manoel Augusto Candido Perei-
ra, de qnem o cobrador nao sabe a moradia, no-
tan 'o-se qne trio se acba esta designada da lista
qne S. S. primeramente assrgooa no Gabinete.
Dada esta explica gao, a direeioria julga dever
observar ao socte, Sr. Candido Pereira, qne o an-
nuncio que fez pedinde a diversas pessoas o ob-
sequio de declararen) as suas moradias para pode-
rera ser procuradas, nenboma offensa envolve pa-
ra essas pessoas. e por isso parece nada haver qne
justifique o final da declararlo que S. S. hoje fez
ueste Diario; entretanto S: S. obrara' como me-
lhor o aconsethar o sea boro sent, depois de ma-
dura reflexao.
Secreiaris do Montepopertognez em Pernam-
buco, 13.de margo de MW6.
Jos-da Silva Loyo,
Presidente.
JoaquJm Gerardo de Bastos,'
2* secretarlo.
I to de Grvala Josioo com auestados provaodo ser
dito Almeida arrimo de seo pai e manos; aconte-
ce, porm, que Jozrao tem sedtuido 4 Joao Tho-
_________________________________- maz de Almeida para servir de arrimo a sua fi-
se em virtude do aforamento feito aaquelle JJ. ft^jSP'Jft E^.^-Ufi
, ., .i. j nn, ~:oo pai maior de 60 aonos, e manos ; e foi munido
fallecido, visto terem cah do em commisso, Je docanjeDto, representando como pal de Joao
como melormente expressar em seu li-! Thomaz ou procurador, pai da muiher queJosi-
j bello pena de revelia, ficando logo citados no Ibe qaer dar, roubando assim as virtudes de
" nara tmlns os ter 11M ra pansa at final pxp- um filho. 1ue clama aos cos e laio quanto
para todos os ter.i.os da causa attunaiexe nji^ o raesmo Joslno fossfl fMer COffl_
cucao. E porque a supplicanle ignore quaes,panhjaaj0aoThoa)aino sol) no m \Diastl9t
sejam OS lierdeiros-do mesmo fallecido,.por pois que to mogo como Joao Thomaz ; e as-
3S0 requer a V. S. se digne de mandar ,mm que um malulo quer illudlr as autoridades al
nascar-rarta ri<> prfitm pnin n nrasn rtfl fiO a primeira da provincia. Chamamos a altengao
passar earu de e tos com o praso ae w do El{ Sf esjdeole da provincia para que, D5o
das para serem atados OS supplicados por insiga Josioo arrancar um fllho a sea pae, par
todo o conteudo nesta: Pereira e Souza; d-io a um outro.
proc. civ. nota 203: portento pede ao il- Um de Gvati.
Para esta capital seglo Joao Thomaz 4b A'raei-
da, tendo sido recrutado em Plores e morador
em Gravai, com destino ao exercito; lambem par- junta administrativa da Santa Casa da Mise-
0 Dr.'Virgilio deOuamao 4-oelho, juiz mu-
nicipal supplente da"2.* vara em ejerci-
cio nesta cidade co te. etc.
Faco saber aos que a presente carta de
editos virnm am aamo a jur^i ajgjiQigafa
da Santa Casa de Mi ericordia do Recife, me
fez a petic^o do theor seguinte: Diz
\o*0 banca le Peraam
unen.
O Novo Banco descoma letras a 12 por cento
, Salinas, ftnnp, tma dij|lwir* . ? .__.... *: __,j -cotrente pejo premio e condigoes que se conven
"visto ierem cnido em c mmisso como todo aeo e-WaSE a praga da Babia
declara a pe ti o aqui transcripta, afm de -----
que no praso de 60 dias, contados da data Cala filial do banco do Brasil
do presente comparecam eaa juizo por si em Pernambnco.
ou por seu precordor a allegarem sen di- De ordwn da directora se tas poJco qne
ito.e jtfslica, tb pena de revelia, para e ^Sl^^^* M aet,a*aorU
que mando a todas as pessoas prenles,
amigos, e coabecidos dos dites herdeiros
de Migael Ferreira de Mello Ibes fagam avi-
so de que pela presente sao citados para o
nque-aciiM AJkOito.
Pelo mioisierio da fazenda foi declarado lhe
souraria da Babia, que a crdera-a. 241 de 24 de
agosto de 18Qa, resolverla eonsulu que faz no seu
ofBcio n. 280 de 17 de novembro do.anno pastado,
sobre os irapostos a que sao sujeltas as loteras
concedidas pelas assajabidas proviuciaes; e re
cotnmeodando-lbe qoefijac* .fiirt,aar a Indemnisa
vado na mesma provincia regra coalraria.
(Do DiarU da Baha}
O Dr. Virgilio de Guarni Goelbo, joiz mu
nicipal supplente da segunda vara em ex-
ercicio nesta cidade do Recife de Per-
nambueo, etc.
Faco saber aos que a presente carta de
editas virem, em como a junta adminutra-
tiva daobU Caca de jfitericordia do Reei-
fe, me te apeticio dotbeor segniate:
Diz a junta administrativa de Santa Gasa
de Misericordia do'ftVflfc que quer fazer
citar aos berdeiroe de-Miguel F*rrira de
Mello, para aiM-imeraowte jui Miarem
aos -tornos de um Mbello em que Ibes qaer
pedir o sitio n. 15 parculir, lito no logar
denominado Salinas, do qual se acba de pes-
lustrissimo Sr. Dr. juiz municipal da se-
gunda vara Ibe delira. E recebera merc.
Cerno pro;ur dor Jos Tueodoro Gomes.
Cuja peticSo sendo-me apresenuda, nel-
la dei o met despacho do theor seguinte :
Distribuida, como requer. Recife 24 de
fevereiro de 1866 V. Coelho.
Em virtude do dito meu despacho foi a
accao distribuida ao escrivSo Cunha, e es-
te passou a prsenleporbai da qual e seu
theor s5o citados os herdeiros de Miguel
Ferreira ile Mello parafallarem aos termos
xle um libello civil, que lhes vai propora
junta administrativa da Santa Casa de Mise-
ricordia do Recife, em que lhes pede a en-
t re a do sitio n. lo no lugar das
-HB
COMMERCIO
[PBAgA DO RECIFE.
Gotaces ol'ciaes.
14 de margo.
As 3 1|2 horas da Urde.
Algodio 1" sorte16AW00 por arroba.
Uescontos12 e 13 0|0 aoanno .
ubourcq Jnior,
Presidente.
Silveira,
Secretario.
ricordia do' Recife, qoe quer faier citar a
viuva de Manoel Antonio Carneiro, para
primeira d'este juizo fallaran aos termos de
um libello em que lhe quer pedir o sitio n.
20 particular no lugar Carreira dos Mazom-
bos, as salinas, do qual se acba de posse a
supplicada por titulo de aforamento feito ao
dito Manoel Antonio Carneiro, visto ter a
supplicada cahido em commisso, como me-
Ihornente expressar em seo libello, pena
de revelia, ficandoHogo citada para lodos os
termos da causa at final execugao. E por
Lque a supplicante ignore quem seja essa
viuva, por isso reaoer aVsS. queso digne de
mandar passar carta de editos com o praso
de 60 dias para ser citada a supplicada por
todo o eonteodo n'esta- Pereira e Souza.
Proc. civ. flotta 203 por tanto pede ao lUm
Sr. Dr. juiz municipal da 2.* vara lhe deQ-
ra. E' R; M. Como procurador Jos Theo-
dore Gomes,
Coja petico sendo-me apresentada n'ella
deiodispacho do tbeor seguinte:
Destribuida, como requer. Recife 22

. o dividendo do semeste.iodo em 31 da deiembro
lbo.
N. 60.Rs. 400 rs. pagou 400 rs. Reci-
fe 3 de marco de 1866.;Chaves.Seaa.
Vai pagar 250 rs. de direitos de chancel-
lara. Recife era supra.O eserivSo, Athay-
de.N. 1221. Pagou 260 rs:ie direitos
de chancellara. Recife 3 demarco de 1866.
Chaves.Limoeiro.
Tran6tou pela chaneeHaria. Recife, 3-de
marco de *866.OenTivo.Fwnisooalos
Reis Nunes Campello Jnior.
Lancado a fls. 100 do competente I i v. o
n. 13. R.ciie 3 de masen, de 4866.Cam-
pello Jnior. Firmino Antonio deJouza,
o qual lavrou otermo
protesto do tbeor seguinte :
Termo aaa protesto. Aos sete de marco de mil! presidente. Estavam as armas imoeriaes.
oito centos e sescenta e seis na cidade do Recife v Mfi M i:_u J;. i-.4i
em meu carlorio apparewu o soppl.eatite por ser E Mda maiB-se COntmha m dilO edttal
bastante procurador Joo Caetaoo de Abren, e Sis- aqu copiado do proprio original.
se pecante mira e as le.-teniunh man; i de 1866. Eu Guilhecme Augusto de
Athayde, escrivao o subsarevi.
qne redtnia a protesto o conteudo de soa pelicao
a qual orTerecen amo parte do presente que Sea
sendo, e de como assim o dlsso e protestou lavrei
este termo no qnal depois de tido se'ttrmou com
as ditas testemonhas : en Manoel Hara Rodrigues
do Masclmento escrivao o escrevi, Joao Caetano
de Abren, Secoedino Hellodoro da Cunha, Fran-
lino Otymplo Pereira de Oliveira. E tendo o
supplicante produzido- snas testemonhas, sellados
e preparados os aoiosubirara a minba eonclusojrem e delle noticia tiverem, aue no dia IB
n _!<> dni n Mnl.n*. Jn t,^.. ....... iIa i
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, olficial da
imperial ordem da Rosa e joiz especial
do commercio, nesta cidade doRecife de
Pernambuco por S. M. Imperial, etc.
Faco saber aos que o presente edital vi-
e neHea dei aanien?a do:theor seguinte
Jntgo proeedellte a justifleacao, e assim mando
que o reo ausente seja citad j por edites de trinta
dias para o Um requerido pagas as cusas ex can-' pUDIlca Oeste J01Z0 0 segOinte:
sa.
Recife 9 de ruarlo de 1666. Trislao de Alencar
Araripe
I Em vi rinde da qual o referido escrivao fez pas-
3ar o- pre.-ente pelo qual chamo, cito, e hei por
de abril do correnle.anno, se.ha.de arrema-
tar por venda a quem mais der em praca
As quatro stimas partes -da casi terrea
sita na roa Imperial com o n. 164, a qual
tem portao e moro na frente, sendo a essa
collocadano centro, com janellaseiiortana
de instiga.
para que chegue ao conhecknenlo de todos
aLKANDEGa.
Rend ment do dia 1 a 13.....
Memdo du 14...............
3M:S63*48I
53:124JB56
cao que devem.ier nfietrn, paDiicos do* prejuizoa ^50,rs. do direitos.de h inceHaria-H^kaves
soffrio^^rlle8 em cws^uefl^_de seter obserr .^Liooejro,
Vai pagar o sello teste edital que un
E para que chegue ao ooBhecimento de
todos mande i passar o presente que ser
publicado e affixado no lugar publico do
eestume.
Dada e passada com o prazo de flo dias
nesta cidade do Recife, aos 3 de marco de
1866. Eu Cedro Tertuliano da Cunha, es-
crivao o escrevi. Virgilio de Gusmo Coe-
. iwenu 313
Descarregam heje 13 de marco
Barca- france.fra Baptmta meredorias.
Soraaea argeara-Nota Cariotacharque.
portaemao^antia de400rs- O Mto'^gSlSS^^
de fevereiro de 1866. V. Coelho.
Em virtude 4 dito meu^^padio foi a maDel pa-sar 0 pFf9enle a pDMicad0pci,
accao distribuida ao escnvSo Gonna, e esie. Jn,preBsa e tfQiiQ nos lugares do costume.
passou a presente por bem da qual e sen, Recife I7de fevereiro de 1866.
theor -Citada a viuva.de Manoel Antonio; Eu Manoel Maria Rodrgnes do Nascimento, es-
Carneiro, para fallar aos termos, de um li- "ivo o sobscrevi. ^^ ^ ^^ ^^
bello civil que loe vai propor a junta aumi- Q Dr Virgilio de Gusm5o Coelho, joiz mu-
nistrativa da Santa Gssa da Misericordia ao Q a, ^ppj^^ ^ werccio da segunda
Recife, pedindo-lde a entrega do siDo n..Z. sm<^^ Cldaae^i-BMifa.deiBernam-
no lugar Caneim-dos Mazombos aas salinas,! boc(r e seu ,erm0 -,. S. M> |., hj c. o-
visto ter'eahido' m CMnrotsso; como ludo
deglara a peticao aqui transcripta, afim de
qae-no-araso de 60.dias contados da data
prximo passado, na r.tao de 12*000 poracc*, d0 ^re8ente "W _^t _? ~'[maoMr^a^dil^^
Caixa' filial do banco do Brasil 15 de ja
de 1866.
igM^WnesSW ^ooobedo* dAiota*e 'M*ioel Antonio 'to^^K7 IfuS '^e awTfVxe
Caimeiro, lhe feeam vtso-de que por este; etor,og.iwnieTrog 40faocido ManoelPiB-
xilada para o.qae cima fica dito. j40j p^, a ^1 este jurzo fallaremaos
,E para que chegoe ao conhecimento o?-^mog.jeflm libello, em aue Ibes quer pe-
todos, .maudei^assar a, presente quei sera g, 0,8tion- 21 particultr s SaHnas,Do
publicado e affixado no rtgir puWicodo ^u edeminado (^rwtra dos'Matombos,
custume.
MOViMEflTO DA ALPANDEGA
-Volumes entrados com fajeadas... 98
a com gneros... 263
Vai pagar a quanta de.350 rs. de^direi-1olDme8 "fj^jg PSPIhv
tos de chaneeHaria n. 124. 250 rs. Pagou
361
83
iCunha.
1 Ptfaea argenUBaMntevtdeo-Hwa.
Eslava osaUo n. 5o 400 rs. Recife 3 de
mareo de i866.-*Chaves Sena.
"Esteva o srvete das armas imprtaos do
tribunal da reiacao. Firmino Antonio de
Souza, presidente.
TraasUou-pela chancellaria. Recife, 6 de
marco de l*<6.O escrivao, Francisco dos*
Reis Nunes Campello Jnior.
Laneada a II. 400 do livro competente n.
?3. laelfe.* de marco de NM. Campello
Jnior.
E nada mais se contil em dita orU de
editos aqui copiada, que eu escrivao bem e
fielmente copiei do propro original, a que
late ateiotnl <&/*>,' Wrddo da BaWa-etfshj-
nado a TMso Frhltes>/manlfe?twi 0'9dgTe:
2,r30OalqQelres de fartoha de maediota; aos
metates.
R8CEBBD0MA DE RENDAS INTERNAS GE-
KAES DE PERNAMBUCO
Rd Irnealo do dia 1 a 13...... > 34:678*840
dem do di 14...
cuado o dito pata que comparsa neste julio den- frente e nos oites, com grande terreno, at
"' a mar, e os fondos at o po Capibaribe,
avahada ditas parles por 2:85o71.
Um terreno na ra Imperial coiftf 30 pal-
mos de frente com os fundos para amar
pequea, oreiro marinba, avahado por
300(5,-a qual casa e terreno foram penhti-
rados por ezecucSo de Francisco Alves de
Moraes Pires contra Francisco Botelho.de
.Andrade. E nao ha vendo lancador que cu-
bra o preco da avaliaco, arremtrtaco se-
r feita pelo preco da adjucafo na forma
da le.
E para que chegue ao conhecimento de
todos mandel passar o presente quesera pu-
blicado pela imprensa e afiliados nos inga-
res do costume. Recfe, 7 de marco de 1866.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento,
escrivao o sobscrevi.
TrislSode Alencar Araripe.
O Dr. Virgilio de GusnidO Coelho, juiz municipal
sappleute em exercicio da segunda vara desta
cidade do Recife de Pernambuco e seu termo-,
por sua magestade Imperial e constitucional o
Sr. D. Pedro 11, a quem Deus. guarde etc.
Faco saber pelo presenta qae ajuma administra-
tiva da Santa Casa de Misericordia do 'Recife, por
seu procurador me enderecen a peticao do tbeor
seguinte:
Dia a junta administrativa da Santa Casa de Mi-
sericordia do Recife, que quer fater Citar aos her-
deiros de'Miguel Ferreira d Mello, para a primei-
ra deste juizo fallaren) aos termos de nm libello
em que lhes quer pedir o sitio'de n. 18 particular.
no lugar denominado Salinas, do qual se achara de
posse por titulo de aforamento feito ao dilo Migael
Ferreira de Mello,, visto terem os snpplicados ca-
hido em commisso como melhormente se expres-
sar' em seu libello, pena de revelia, ficando logo
citados para todos os termos aa causa at final exe-
cugao.
E porque a snpplicante ignore quaes sejam es-
ses herdeiros, por isso requer a V. S. se digne
mandar passar cartas de editos. com o prazo de 60
dias para serem os supplicados citados por todo o
conteudo nesia.Pereira e Souza.Proc. civ. n.
203.
Portanto pede ao Illm. Sr. Dr. juiz municipal da
segunda vara assim Ibe delira.E. R. M. M.Co-
mo procurador Jos Theodoro Gomes.
E nesta pelicao que me foi apresentada dei o
cespacbo do theor segninle:
Destnbulda como requer. Recife, 28 de feve-
reiro de 1866.Coelho.
E sendo feita a distribuico ao escrivao deste
juizoGuilhermeAogusto de Athayde, este em obser-
vancia a este mea despacho, fez passar o presente
edital pelo qual e sea tbeor, chamo, cito e bel por
citados a todos os herdeiros do mencionado suppli-
cado Miguel Ferreira de Mello, para qoe dentro do
prazo de 60 dias comparecam por si ou por seas
procuradores ante este juizo, allegando c provando
o qne for a bem de sea direto e justica, sob pena
de se proceders suas revelias.
PorUnto toda e qualquer pessoa, prente, amigo
ou conhecidos dos referidos herdeiros, poder-lheg-
nao fazer scif nle do todo o expendido.
E para que chegue ao conhecimeno de todos,,
maodei fazer o presente que sera' affixado nos la-
gares do costume e publicado pela Imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 3 de marco de 1866.
Eu Guilberme Augusto de Alhayde, escrivao o
sobscrevi.Virgilio de Gusmo Coelho.
N. 9 rs. 400. Pagoq, 400 rs. Recife, 3 de marco
de 1866.Cba ves.-Sena.
Vai. pagar 230 rs. de direitos de chancellara.
Recife, 3 de marco de. 1866.-0 escrivao Athayde.
. 1222. Pagou 250 rs. de direitos de^cbancel-
raria. -Racife, 3 de margo de 186U-OifvM.Li-
moeiro.
Transltou pela chancellara. Recife, 3 de marco-
de 1866. O escrivao Francisco dos Res Nanea
Campello Jnior.
Lancado a fls. 100 do competente litro n. 13.
Recife, 3 de marco de 1866 -Campello ianior.
Firmino Antonio de Souza, presidente.
Estavam as armas imoeriaes.
E nada nais se continua em dito ediul aqui co-
piado do propro original.
Dado e passado nesta cidade do Recife, aoa 5 de
marco de 1866.
a Guilberme. Angosto de Athayde, escrMo o
aabscrevi.
Virgilio de Gusmio Coelho.
tro do indicado praso a lim de allegar o que for
de juslica ; e para que chegue ao conhecimento de
todos maodei passar o presente qae ser publicado
pela imprensa e affixado nos lagares do cosame.
Recife, 8 de marco de 1866.
Eu Manoel Maris Rodrigues do Naseimenlo, es-
escrivao o sobscrevi.
Trislao de Alencar Ararme.
O Dr. Trislao de Alencar Araripe, officlal da im-
perial ordem da Rosa e joiz de direilo especial
do commercio desta cidade do Recife d Pernam-
' boca-por Saa Mageslade Imperial e Codstiloclo-
naloSr. D. Pedro II, a qauri-Deas'- gaardeetc.
Faco saber aos que e presente edital virem e del-
ta noticia ti verem qae por parte-' do comal porlu-
guez, como administrad ir da heranca de Jos Maria
Wbeiro, me foi dirigida a pelicao do theor segrate:
Illm. Sr. Dr. juiz do commercio.O cnsul de Por-
ogal asta' provincia devendo Jos1 Francisco Gol-
lares a heranca do fallecido sofedilo portuyuez Jos
Maria Ribeiro a importancia de quatro letras qne
aecertra, e qoe eslo vencidas desde 186l>endo
ama de 1:000,5, ero 31 de Janeiro, ootra de 462*150
em 21 de margo, outra de 681S200,em 29 de abril,
e outra -finalmente de 701*760, em39 de juiho do
(.mesmo anno, querendo o supphcante, como legl-
limo-adMInistradorda mesma iteran;, mterromper
a prescripcao que j se acha imminente, requer a
V. S.>-se digne mandar lomar por termo sen protes-
to, e-qae seja intimado por edifus ao snprdicadb na
forma do art. 433 f 3 do God. Cam., vtslo estar el-
le ausente em lugar no sabido, designando V. S.
da e/hora para a justifleacao da ausencia e incer-
teza do lagar.
Pede a V. S. assim defita.-E. R. M.-Ponseca.
Na qnal dei o- Begolnte despacho -.-Tooie-se o
protesto e para qne se joMifi'jae a aosencia marco
a primeira audiencia.
Recife 20 de Janeiro de 1866.- Alencar Araripe.
ra virtode do qaal fra a mesma pelicao des-
tribtdda ao escrivao deste juizo Manoel Maria'Ro-
drigues do Naseimenlo, o qaal lavrou o termo de
protesto do theor seguinte :
Termo de protesto :
Aos 20 de Janeiro de 1866, na cidade do Reeife,
em rneu-cartorlo, appareceu e supplicante per seu
bastante procurador e advugado Dr. Joaquina Jos
da Fonseca, e disse peranle raim e as testemnnhas
infra assigoadas que rednzia a protesto o conteudo
de s-na peticao retro a qual offereceu como parle
da presente que fica sendo; e de como assim o dis-
se e proiestou lavrei este termo, no qoal, depois de
tildo e firmou com as dilas lestemunhas.
Eu Mauoel Maria Rodrigues do Nasclmento,es-
crivao o escrevi Joaqnim Jos da Fonseca, Claudia-
no da Silva Reg, Coriolano de Abren e Silva,
E tendo o sopplieaute produzido suas testemu-
nbas, seriados e preparados os autos sobiram I
micha conclusao, e nelles del a sentenca do tbeor
seguinte :
Procede a ju-uieagao pela qual moslra-se a-
laar-se ausente em logar no sabido o justifi-
cado JosFraneisco Collares, e assim, mando que
seja citado por editos de trinta dias para o fim re-
querido a fdlbas 2 ; pagas as custas ex-caosa.
Rectfe 13 de fevereiro de 1866. Tristao de
Alencar Araripe.
Por torca da qual o referido escrivao fez passar
o presente edital, pelo qoal chamo, cito e hei por
citado o dito supplicado para qne compare;a neste
jaizo dentro do dito prazo afim de allegar o qoe for
nhor D. Pedro II, a quem Deus guarde
etc., etc.
Faco saber pelo presente que a junta ad-
a ca !,.* q-al *io e acnam de posse os supph-
Dado e passado com opraso de btf das edM 4,t*ilo.da.afofamentO'feito quelle
n'esta cidade do Reatfe aos.3 demarco de .fmeeavwBto,treni **sapP11^08 e*oido
1866. Eu Pedro Tertuliano da Cunha, es- m ^j^^^ como-melh< rmente se expres-
civaoo escrevi, VirfcUtio toG^smoLoe- m mMU libe0) perja dereV Jbo. Vai pagar a quaaa,de 250 rs, ae ai- ^ fitados ^^ ostermos ^ aD.
raitos de chancellara.- O escnvSo Cunba. M al fiM, ^^^
IN, mi^ 0-rs. Pagou^tJOTS. dedirei- aplicante ignora quaes e-
tas de chancellara. Becie3demaTcotie jam os herdeir0Sj ^ iSs0 reqQer a ytS.
-1866. Gbavas,-tLimofiro, aeidigne mrtdar passar carta deedoleom
Yaipgajio sello d^teaittlque,mpor- apruo de.60.dUs,..para serem citados os
ila em a quantia de 400 rs. 0 escrivao supplicados por todo e eoateudo nesta, Pe-
Canh. Estiva oeeMon.6400 ra. Pa- reirSoom, Proc. civ. n. 103 : portanto
jm 400 rs. Recife 3 dMMrpo e 1866.= tfde ma! Sa^Br. jjt' fnioipal da se-
ttbavas^Seai.
f
r,
DECLARACOES
guada vara assim lhe flefia. Esfera rebeber
Como procurador, Jos ffbeedffo
Estava o sinete das acmas ,Imperiae*do merc.
Tribttoal da-RetecSo. Firmino Antooio'dXJomes.
Seura, presidente. Transitbu pela chanCel- E nesta petizo que

*
QtmUidJfO MOVlNCfAL
TUniaairntrr jir-fti *a^lS.....
Idaro d# dia 14..............
me foi apresentada
Mtiitt*!liria.~'k6 de mario de 1866. 0 -dei o despicho do theor seguinte: Dis-
777t escrivao Francisco dos Reis Nunes Campello tribuidas como taquer. Recife, 8de fere>
*= Jnior. bandado a ..-* do tiwo reirede <66:~Crjelho. _^
competente n.-4. RecifeU demarcode E sendo lelta a distrrbuicao'ao crMo
1866. Campello. Enamau se coatioha'd'este juuojGuilherme Augusto de Athayoe,.
em dita arta de editos aqu copiada qw b bu aaa-.otjgaaaaiii a aste audoavisno,
eserivSo bem flelaeute copiei do proprio I fez passar o presente, pelo qnl eseutneor.
4:mfU3
W-MttM
Cmara municipal.
Pelo contadoria da cmara rannicipal desta ci-
dade se faz publico qoe nos mezes de'fevereiro e
nurco-se recebe a bocea io Wre o rnrpu'mn-
aicipal sobre casas de negocio, e-atraerle aaa-alo
pagarem neste tempo esto sojeMoB 'arara'' na
\ formado art. 32 doTejulamento n.. W0 delBlda
iunhode l44. ^_,-
Comaderi 1 de feteretro la-was.
O contador.
. CaattBO-Sitverlo aWrfa.
Tribunal o wnnercro
Pala secretaria do trlbaaal do aoiaaiaaiai a
Pernarobaco eiaraCblKaieaB m*BMi
no Mbanal de tdarcflrantelBl.aBBT"
m odffleio de corfMor mtoqm&n
#rederico Lopes Oalmarlae, o qawl o
e quo a flaaca prosuda aan lavor o aaaarau-aar-
retor prsMa-iwmtegtaam-atijiajin larntrn;
a qae'flcdmareadooprawdeOdaaai pMriNeaiea
Mies ae fcibiliurem os coacerraatee o ntarto
offlcio. .:kj- _
Secretaria do trihnnai do tiiawirrB>adflar-
namboeo 13 de mareo-de MM.
O offlcial-maior
Jolio Goimaiies.

V.

r



.!
-
:-
i
i


_]

Wttftttr* Ift'JtrVfcre* le 1866.
>
Santa Casa a Misericordia
do ttecife.
A llia jm>.>toMimhn. Misericordia do Reaife manda fazer publico que
da 15. do crtente, pelu* horas da urde, na
de saas sessSas tem de Mr arrematado o fer-
neetroento dos gneros era segaida declarados, que
D0UT6r de consmsifo iiwmi astabolocirneotos
**?!.*'a*1 awaBifgama^Cisa no trimestre de
*%bi*l ajante protimo futaro, a saber :
Bstabeaswmemos-de- earWafle.
Manleiga fraaceza, libra.
Caf em.g rao, idem.
Cha' preto, dem.
Cha'-bysson, rdem.
wsnear refinado sorte, dem
Dilo de 2a sorte, dem.
Biloamiotro H sorte, dem.
Arroz pilado do Muranno, Mam.
Toueioho de sboa, tacalhao, dem.
' Tapioca, dem.
-Mtetria;team.
Carne seca,.dem.
Jsbe ameretlo, idem.
ttimo/rdero.
Velas de carnauba, M*m.
Ditas de spermacele. .idem.
Farinha de mandioca-da letra, ahraelre novo.
Feljo malatlnbo, idem.
Vinho tinto de Insboa.-garrafa.
Cito branco de Lisboa, idem.
Vinagre de Lisboa, dem.
Agurdenle-branca, idem.
Aieite doce, idem.
Dilo de earrapato, idem.
Ceblas, cento.
Farello, sacco.
Carne verde, libra.
Bolacha, dem.
o, dem.
Coileglo de orpbos.
Manleiga franceza, libra.
Assncar refinada 1' sorte, idem.
Dito dito,* sorte idem.
Ca, em groo, idem.
Cba' hysson, idem.
Arroz pilado do Maranhio, idem.
Bacarhao, idem.
Batatas, Idem.
Aietria, idem.
Tuucinbo de Lisboa, idem.
Ceblas, cento.
Farinha de mandioca da trra, atqueire novo.
Feijo malalinho, idem.
Azeite doce, garrafa.
Vinagre de Lisboa, idem.
Sal, cuia.
Lenba em adas, cento.
Carne verde, libra.
Dita seca, idem.
H -lacha, idem.
Pao, idem.
As propostas devem ser especiaes ja' para os
eslabelecimenlos de-cirtdade e ja' para os collegios
saoiambera aceitas propostassomente de carne ver-
ou de pao e bolacha para consumo dos bospitaes
Pedro li e dos Lazaros e para a casa dos exposios.
Becommenda-se aos concurrentes que observem
em saas propoHas a ordem, pesos,medidas e qoa-
lidades indicados: na reiaco dos Baeros descrip-
tos ueste edital.
Nesta secretara se dario os esclarecimentos de
qae os concorrentes precisarem, e ao acto da ar-
remaiago ilevero elles comparecer cero seus Da-
dores ou- munidos de cartas destes, qae (icario
respoo&av ispelo iateiro curapriraento dos respec-
tivos contratos.
Secretara da Santa Casa de Misericordia do Re
cife 23 de favereiro de 1866.
O amanuense,
_________Francisco Gomes Castellao.
De ordem do lllm. Sr. Dr. delegado do dis-
tricio desta cidade, encarregado do expediente des-
ta repartigo, fago publico para cnhecimento da
quero interessar possa.'que pelo subdelegado do i
districto da cidade do Rio Formosoj foi apprebendi-
do um cavado fortado, casta oh o, c >m manchas
brancas, o qual foi depositado pelo juizo municipal
daquella cidade, perante quem deve, a pessoa que
se julgar com direito a) dito cavallo, requerer a
5ua entrega, mediante pravas do seu dominio legal
Secretaria da polica de Pernamboco 9 de mar-
50 de 1866.
Eduardo de Barros Faico de Lacerda.
___________________Secretario.
Acham-se re col nidos casa de detengo, e
sero entre* ue* a quem provar pertencer-lhes, os
escravos segointes : Antonio, que diz ser escravo
de J'ji j Ferreir, residente em Caruar, e Castro,
que diz tambera ser escravo de um Sr. 'uiraares
com armazem de asucar na ra do Trapiche,
Acham-se tambem legaimente depositados doas
cav.is, um pequeo, cor rodado, e outro rog :
quem, portanto. se julgar com direito aos ruesmos
cavallos, provaodo, ser-lbes-hao entregues.
Subdelegada de polica do 1 districto da fregu-
zia da Boa-Vista 10 de margo de 1866.
O subdelegado,
__________ Decio de Aquiao Fooseca,
886 ajMe 2786 a 27!>,pela gerencia da Campa- [
nhia Pdroambefcana e por ordem da directora se <^
declaetvque da data ansie a SO dias, arsista daU.fl3E,e
wqou||o do mesrnca Ihes o ser eoteagaes no-:
tas aecoes de igual uumeraco em satutaxiigg
aquellas que Acara assimsem valor algura,
Pernambuco 14 de marco de 1866.
_____________Oferente -F.-F. Borges._______
Pela subdelegad do Peres-foi anudado re-
colher a deposito um avallo castanho", capado e
gordo: quem for sen dono compareca que proven-
-'mea-domialb ibvaera' entregue. "Subdetegacia
do Peres 13 de margo de 1866.
O sobdelegade,
*lwaiiftrhio* Ceari
quatro da o hiate Garikaiii, re-
1 carga i a tratar om tasso Ir-
a o capitao Gastadlo Joe Vianna.
Para Lisboa
Sam'ra depois de pequea de-
mora neste porto per ter a maior
parle da carga-engajada o brlgue
* nseft' rconTprfls iravaes.
Nao teodo-se effectuado o contrato para forneci-
rnento dos navios da armada e estabelecimentos
-da marraba, no trimestre prozimo vindoo.ro de
abril a janbo, de manleiga mgleza, arroz do Mara-
oso, manleiga fraacez, aietria, bolachioba ame-
ricana, velas itearinas e cb, o coaselbo convida
aos pretndanles ao dilo contrato nova eoncor-
rencia,ine tem lugar 00 da 17 do crranle mez,
as 11 horas da manhaa.
Sala do conselho du comoras navaes, 14 de
margo de 1866.
O secretario,
____________Aiewanire Rodrigues dos Anjos.
cao do agente Pinto, de todos os movis, taiga,
ra a todo o momento de Lisboa,
para o resto da carga e passagel-
n. 44.
Para Litooa
Sarrira' oestes poneos dias- trtmrca portugneza
Constante III, por ler prompto qmH ldo o seo
oarregamento, para o restante e iassageiros tra-
ta-se com Manoel Ignacio de Orivetra & Pilho, lar
go do Corpo Santo escriptorio n. 19, ou com
capitao na praga.
TiKII.VO
de tnovili, louga, crysaes a mais objectos DaHeiM
MteeaKMM^itaaiiita.
i oano-da i rodas am f erjtito estado.
i ovi 1 Ka proprios para o raesmo e um caHrio-
tel aaeric*o ae doas rodas,.oom atfelos. .
Terca-feira 20 de marco (1866) na travssa
d Jo5> F. roaodes Vteira,
Joseph Laihan lendo de retir*r-se >com sua fa

R/Rabell r"do" Trapiche 2a,"Slffi^^SS^Se"' '"--**
lospecco d arsenal de marinlia
Faz-se publico que a commissao de peritos,
examinando, na forma determinada ne reglamen-
to annexo ao decreto n. 1,324 de 5 de fevereiro de
183i, o casco, machina, caldeiras, apparelho, mas-
treagao, veame, amarras e ancoras do vapor Ca-
maragibez companhia Vigilante achon todos esses
objectos em estado da poder o vapor navegar.
InspecgSo do araenal de marintu de Pernambuco
14 de marn de 1866.
O inspector,
H. A. Barbosa de Almetda.
Para Porto.
Sahir impreterivelmDt* al o ata 16 do cor-
rente mez a barca portogaeza Seguranca, por ter
todo o seo carregamento prompto, para passageU
ros aos quaes offerece excellentes commodos, tra-
ta-se com os consignatarios Cuaba Irmios & C, a
ra da Madre de Dos escriptorio n. 3 ou com o
capitao na praga.
Para o Aracaty
Sai nestes dias, o biate afana Amelia, maatre
Francisco Ttomaz de Assis; para carga trata-se
com Prente Viaona & C, ou no trapiche da Algo-
dao com o Sr. Qoratai. -
. 4 rodb, 2
waaMos propno para o tneasno e 1 cabriolet ttne-
ncaooda duas rodas, com -arrios; na travesaa de
Joae Fernaodes Vieira, ende efrectuar o leilo
as 11 horas em ponto do da cima dito, devendo
seguir para ahi um mnibus, o qual partir as 10 \
ocaadal'raca do Commercio.
\S6Mto erecta*** canvnto de
SranciBo.
De ordem da raesaaegedora convido a todos oe
>ssos Iflnaos a coanjareccram esa naaso -censio-
Uario no da 16 do corre ni pelas 31ioras da tarde
adra deocorporador>compajharaios a procissio
do Senter Bum Jasar-dos Passos para o |aal (o-
s convidados.
Consistorio da Iranindaila. do Diviso Bspirrto
Francisco W de
rgo 11866.
Francisco t!MR|elBtr d?i9llva,
Secutarlo imertno.
THG4TBO
S. ISABEL.
GRANDE CONCERT
Vocal e instrumental
NO SALAO DO THKATEO DE SANTA ISABEL
Sabbado \1 A BENEFICIO DO PIANISTA BIUSILEIRu
HEKMEMGILOO LIGIORI,
com o concurso dos destinctos artistas : a Sra.
LEU OS.
De um guarda vestido de Jacaranda,
louga, 1 estante para livros e secretaria,
apparadores, 1 cama para casal, 1 santaario, 1
mobilia de araarell, 2cafleras de balance, 1 la-
vatorio, 1 armario, 12 cadeiras para sala de jaa
lar, 2 mesas >ie pinho, 1 mesa de ferro, 1
zo, 2 consolos e outros objectos.
Hoje as 11 Iku\>s
lina da Cadela a. 8.
O agenta Martios fara' leilo por coma
doSr. Amerie F. S., em sea armazem a
Cadeia n. 8,-do movis cima declarados,
mais existentes no rnesmo armazem.
guarda
par de
marque-
e ordem
ra da
e lodos
LEH
Dos movis da sociedade re
creativa Bella Harmona
Cordeiro Simos
por ordem ta commissao direciora daqtella socie
dade far 1siio-tte 60 caderras de JScarand, I di-
tas de brago. 1 sof, 4 consolos com tampo de pe
dra, i toihMtledito aseas pertences, 4 ricos es-
pernos de Jacaranda com moldura dourada, 1 me-
sa elstica, 2 ditas pequeas, cadeiras de amarel-
,0' qaariiaheira, 1 retogio de parede, ricos corti-
oaaos e louga para osmesasos, reposteire de 'da-
masco de seda, 2 lastras para gaz sendo om de 8
luzes e 1 de 4, louga para cb, jarros, escarradeU
ras, qaadros emoitostmtros objetos.
Terfa-feira 40 do eorren'te
as 11 hora no prlmeiro aod^r do sobrado da ra
da Ladeu do Hecif* o. 51.
LHLAO.
Terga-feira, 20 de margo de 1666.
Pelo agenle Euzebio.
Por aatorisago da directora da caita filial e
mais consenhoresse vender'em leilo o sitio que
fei dodaiiaado Sebastiflo Jos da Silva, em Bera-
oca, Passagem da Magdalena, dividindo dos lados
com os sitio* dos Srs. Bailar & Barroca ; urna
grande proprfldade, sobrado de 1 andar e solo, d*
5 portis e cerca de 50 palmos de frente sobre 110
Para
fetra 16 oVcorrente s 3 horas da tarde, *no con-
sistorio da dita irraandade, afim de corporados
1,1:1 IM O
De 69 barrs com baaha de porc
HOJE.
O agenle Pestaa fara' leilo por conta e risco
Pierrl, os Srs. maestro Smoltz, Muniz Brrelo, Ra-! de 1uem Pertencer de 69 barris com banba de
psreo desembarcada ltimamente em um ou mais
lotes a vontade dos compradores: quieta feira 15
de fundo, com multas accommodagoes para nurae- a iodosae carissimos irmos comparegam na sena
rosa familia, sitio cem batxa de rapiro, jardim, la- '
tada de ferro para parreral, diversos quintaos para
servigo externo. Hinque para banho particular, e
outras bemfeitorias,qu9 s coro a vista os pretan-
dentes salisfaro : as chaves eslaro ahi no mestno
sitio.
1.
monda e M. Llguori (pai).
PROGRAMMA.
Grande duelo da opera Lucia de Lamermoor
do maestro Donizetti cantado pelos Srs. M. Li-
gnori e Itamonda.
2.* Fantasa sobre motivos da sonmbula executa-
do pelo beneficiado.
ueto da opera Atila-verdi, pela Sra. Pierri e
e M. Liguori.
Fantasa na rabeca, pelo Sr, Muniz Brrelo.
Grande-galope da concer'o, pelo beneficiado.
2.' PARTE.
Duelo da opera AvestalMercadantepelo Sr.
Ramona* a M. Llgnori.
i. Cavatina da opera Maebelii-verdi pela Sra.
Pierrl.
3. Romance da opera Eleonora Mercadante
pelo Sr. M. Liguori.
4." Miserere do Trovador execulado ao piano ni-
camente com a tno esqnerda; palo benefi-
ciado.
&.* Grande terceto dos Lombardl-verdipela Sra.
Pierri, M. Liguori e Ramonda.
N. B. Todas as pegas sero acompanhadas ao
piano pelo destnelo maestro o Sr. S mol tez.
o beneficiado agradece desde j aos artistas ci-
ma mencionados, que graciosamente se prestara a
eoadjuva-lo em seu beneficio.
Comecar s 8 % horas.
Dividendo.
Paga-se no escriptorio da Companhia Ternam-
bucaoa, somente aos sabbados e em presenga das
respectivas acgdes o primeiro dividendo a razo
de 103 por acgo : no escriptorio largo da Assem-
blua u. 1.
De ordem do lllm. Sr. inspecior da thesoa-
rana de fazenda desta provincia se faz publico ao
ex-cabo Severiaoo Antonio de Freilas ou a sea le-
gitimo procurador, qae devera' procurar na secre-
taria da mesma thesouraria, para faze-lo sellar na
estago competente, o sea titulo de divida de exer-
cos fiodos que nao podera' ser recolnhecida sera o
preenchimento dessa formalidade.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco 13 de margo de 1866.
Servindo de offlcial maior,
Carlos Joao de Soaza Correia.
Filial do Banco do Brasil em
P<' r i a ib buco 10 de marco de 1866
De ordem da directora se faz publico aquellas
pessoas que tem objectos de ouro, prata e diaman-
es depositados sob caugo nesta caixa, qae estan-
do ja vencidos e nao pagas as letras, qne aceita-
ran) pelos referidos depsitos, se vaf proceder a
venda em hasta publica dos mesmos objectos, con-
forme o prescript nos estatutos desta caixa filial.
O guarda livros,
_______________Ignacio Nunes Correia.
Pela secretaria da cmara municipal desta
cidade se faz publico, qae a mesma cmara dar
priucipio a sua prmeira sessao ordinaria deste an-
co no da 14 do correte, e nos segaiotes.
Secretaria da cmara municipal desta cidade 12
de marco de 18 6. secretario, Francisco Canu-
to da Uoaviagem.
Conselho deeompras navaes
O coos.-lho contrata no da 17 .do correte mez a
lavagem de roupa dos estabeleeiraeutos de raari-
nha, e b fornecimento dos objectos de fardamento,
abaixo declarados, por lempo de tres mezas at ja-
nbo vmdouro.
OBJECTOS.
Para aprendizes artfices.
Bonets do uniforme, ditos para o servigo, blusas
de-brim branco, ditas dealgodo azul, caigas de
algodo azul, ditas de brim branco, ditas de panno
azul, cam-sas de algodaozlnho, cobertores de la,
colchas de algodo, colchSes de llnho chelos de pa-
Iba, fronhas de algodiozinbo, frdelas de panno
azul, lengo.s de seda preta para grvalas, leoges
de al aoninho, sapatoes feitos no paiz, saceos de
guardar roupa e travesseiros de linbo chelos de
paiba.
Para imperiaes marioheiros e aprendizes
ditos.
Boneis de panno azul, camisas de brim branco,
caigas de algodo azul, ditas de brim branco, ditas
de panno azul, camisas de algodo azul, frdelas
de panno azul, lengos de seda preta para grvalas,
sapatoes feitos no paiz e saceos de lona de mari-
Sbagem.
Pra fazileiros navaes.
Bonets de chapa e palla, caigas de brim branco,
ditas de algodo azul,camisas de brim branco, fr-
delas de panno azul, fardas de brim branco, gr-
valas de couro de lastre, polainas de panno preto,
e sapatoes feitos no paiz.
Contrata o conseloo sob as condigoes do estyjo e
a vista de prapapMe rn cartas fechadas receidas
no reforhio da 17 do crrante mez al as 11 horas
da manhaa.
S,a do- conaelaode compras navaes 13 de mar-
{O de (866. ,
O secretario,
Alexandre Badfiguas dos A ajos
UWAMHJA PEWisrtlJtHWA----------
Tdndo o< legilimos proprtetarfos das aoedes des-
Ucjmpanhiaanaixo meKloMdos. declarado que
Barara se desdaenaMabad* U ato nadar ai ni.
AVISOS MARTIMOS
COMPANHIA B1ASILEIBA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos porto? do norte esperado
at o da 20 de margo o vapor 7o-
cantins, comraandante o primeiro
lenle Araujo. o qual depois da
demora do cosame seguir para
os portos do sal.
Desde j recebem se passageiros e engaja-se a
carga qae o vapor poder conduzir, a qoal dever
ser embarcada no dia de sua c negad a, en com-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sabida as
2 horas : agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Laiz de Oliveira Azevede & C.
Companhia de paquetes a vapor entra
os Estados-Lui ios e e Brasil.
At o dia 17
do correte es-
pera-se de New-
York (com esca-
la pirS. Thomaz
e Para) o vapor
americano Sonth
America, com-
mandaateTinkle-
pangh, o qual depois da demora do cosame se-
guir' para os portos do sol.
P ra f re tes e passagens trata-se com os agentes
Henry For^ter & C, ra d* Trapiche n. 8.
Companhia Feroambneana
DE
Navegado eostelra por vapor.
Parahitoa, Natal, Maco, -Aracaty, Ceara'
e Acarac.
O vapor flfamanguap, com-
raandante Rales, salara' para os
portos cima no dia 22 as 5 ho-
ras da larde. Recebe carga so-
mente at o dia 21 ; passageiros,
encoramendas e dinheiro a frete at as 2 horas do
dia da sabida : escriptorio no Forte do Mallos n. i.
Rio de Janeiro.
rreteade sabir com brevidade a barca Jovem
Palmira, por ter a maior parte do carregamento
prompto para o resto qae Ihe falta e escravos a
frete trafa-se com o consignatario Joo Francisco
da Silva Novaes travssa da Madre de Daos n. 5.
Para a Baha pretende sahir com multa bre-
vidade o veleiro patacho Sanio Antonio, por ter a
maior parte da carga tratada, e para o poaco qae
lhe falta trata-se com o censiguatario Joaqui.pi Jos
Googalves Beilro : na roa do Vicario n. 17 pri-
meiro andar.____________________________
Para Aracaty
O biate Dous Irmos, para carga trata-se com
Tasso Irmos 00 com o Sr. Quintal no trapiche do
algodo.
Para o Rio de Janeiro
Pretende seguir com muita brevidade o palha-
bote nacional PIEDADE, tem doas tergos do sea
carregamento tratado, para o resto qae lhe falta
trata se com os seas consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo & C, no sea escriptorio roa
caCrpzo. 1. .........
C0MPM1IA PERNAMBUCANA
M
Savegofto costeira por vapor.
racaj e escalas.
O vapor Parahyba, comman-
dante Martios, sahtra' para os
portos cima no da 20 do cor-
renta as 5 heras aa tarde. Re-
cebe carga somente at o dia 19,
passageiros, scoomeadas e dinheiro a frete at
as 2 eras da lardado dia da sabida : escriptorio
no Forte do Mallos n. 1.
do crreme pelas 10 horas da maoba no arma-
zem doAnnes defronte da alfandega.
IBILAO
De 16 caias com agua do flor de la-
ranja.
HOJE.
O agente Pestaa fara' leilo por canta e risco
de quem periencer de 16caixas com agua de flor
de laranja em lotes a vontade dos compradores :
quinta feira 15 do correte pelas 10 horas da ma-
nhaa n armazem do Antes. _
LEILO
De caias com batatas.
UOSE.
O agente Pestaa fara' leilo por canta e risco
de quem pertencer de caixas de -2 arrobas com
batatas em lotes avoniadedos ewnpradoras: qnin-
ta feira 15 do crranle pelas 10 horas da maoaaa
no armazem do Annes.
LEILO
De 100 saceos con milho.
IIOJI
O agente Pestaa fara' leilo por conla e risco
de quem pertencer de 100 saceos com milho de-
sembarcado ltimamente em lotes a vontade dos
compradores : qoinia-lwra 15 do correata ao meio
dia em ponto no trapiche do Conha no Forte do
Matos._________________________________
LEILO
De nm sitio com casa de pedra e cal, cacimba
com excellente agua de beber, baixa para ca
plm, a muhos arvoredos da fructos, denominado
lionas, sito por detraz do palacio do Sr. liispu na
cidade de Olinda
Quinta-feira 1S do corrale as 11 horas.
No armazem a roa da Cadeia do Recife n. 29
Cordeiro slmes
competentemente autorisado fara' leilo do sitio
cima descripto, o qual desde ja' pode ser exami-
nado e qualquer tnformaeao o referido agente- sa-
tisfar', cu)o leilo sera'effectuado no dia, hora e
logar cima dito.
AVISOS Di VERSOS
Aos estudiantes de philosophla.
Acaba de etiegar e acha-se 1 venda ais
principaes livrarias desta cidade o addendo
AS QESTOES DE PM10S0PHIA DE A. CHARM.
Ampliacao sobre a dotrioa das Proposices,
e sobre a applicaeji d melbodo s scienefas
pbysicas, s exactas, s moraes e historia.
Brochura indispensavel aos estudantes qoe
tiverem de fazer exame de philosophia.
Dheiro ui ra do Cedornft n. 8.
J3#nim Manioe- do El rada,'' desda ho^e em
dtanle assignar-se liaTtJorsj^tfoimjJos^lartins.
Irma adato do StnnWRo ms das
Forjts.
'Por ordem da mean-egliara da irafndade da
Senhor Bom Jess daa-Ponas,' ereeta na igreja da
Sadr de Deus, sao convidados todos os Irmos da
mesma irmandade a-'comparecer Stxla feira 16 do
eorrente, pelas I tiaras da tarde na-reerida igreja,
allm de #ncorporalos"ireaiacompnba"f a procis-
so do Oemior' dos *assa, "que am de sahr-.do
convento fle N. go de 1006.
Jos Sa Leitao Jnior,
_________ 'Esofivo.
Yen::Ord:^/le N. S. do
^aumo^d^ecife.
O prior desta VenrtJW:, cenvida a todc*s seos
ipmos.3^ se reunireni tHXonsistorio de-.of*a
8rderai^arl^eracorpragV'a*impaohren.no da
16 do ftrasnte a proefeeo do Senhor Bom JehWos
Tassos do torpo Santey que sahir dneuvent do
Carmo.
O secrdsrlo,
_______________ Manoel Gomes de_S*._ |M*9r^fe ro|?|
Irmaudade de S. Jos d'Agonia erecta" Insistoriotl
no convetlo do Imi
O secantario em nome da mesatagedora eeovida
lotera
qae se
sabir do mesrao convenio.
O seiMffto,
Joaguim Fraucftco dos^KKos Maia.
Ama
-Precisa-sede urna ama recomida, raofta- naanz,
exom as habilidades precisas para lomar conta da
casa de tan estrangeiro solteiro, fazando todo o ser-
vico da casa em um sitio fra : a"qetn monvier
dirjase a rui Nova n. 19, aodar.
A DA FORTtf.
Aos dMdSOOi
Bllhetes caranildos.
A RA DO CRESPO N. HgfioSAS DObCOSTMI
.''''"''No vendeu uos sens^muito fett-
ses bilhetes garantidos da latera qne se aeaboa
ae extrabir, a beneficio da Santa Casa de Mise-
ricordia para canallsaco d*agua e gaz 00 bopittl
PedroILos Segoiates premios :
v'f?5 ??JTP "* 8or,e 6:000*.
-> ovo bilheteinleiro com a sorte dai:100|.
N. tdamnelo com a sorte de 300*.
N. 70i dous quintos com a sorte de tOO
E outrasVMttas sortea''de 100*, k/H, a0#.
Ospossuldores ptrttm vir receber snus respec
liTca-aaeania sera os desconiosdas leis na Casa
Ja Fortaau Amada Crespo n. 23.
Ach-swaaar^eana ts da i*, paae I* 1
(Si-) beneficio extrahir sabbado 17 o crranle.
. / *HECO.
Bilhbs.....*|OiO
Muios......3*000
Quintos.....4*200
as aessaai. que enmprarem flOO/jOOt
para Bilhetes. ..-. 1*910
"Matos.......2*7
Quintos.....1*10D
Mamob. MjTlKS FlOZA.
Medico e aperador
O Diripiv Raimando !J>erelra da S|va, tendo
frequemado os maisCnolveis hospttaea de Pars,
pode ser procurado *ara- mjlsieres de sua pro-
Bsso na ra daCrutn. tO, segundo andar. Di
consulias iodos os dfes da 7 as 10 horas da ma-
ntii. -njecialidades-niiiesibis da ollws, partos e
Tiaeenjaarias._____________________
Delzando^e tumAesa o sabbado 10, por
ralla de nnm re-iegwconrjda o-Sr. presidente da
irmandade de Nossaf)em*ra di C'tftceioio dos M-
aos raesarioe-de foraparncerem na
do WrreOTe, as 6 Horas da larde
re/Widaegreja, alim de tralarse
de negocios daOiencfenada irmandade. *
O secretario
__________ Jos Caetano da Silva.
Ama
t
da I cite.
Urna mulher do malo, moga, com abundancia de
aeempaTJhatmos a procisso da Pastos, que tem de'^ito se prepdey servir de ama, qnem precisar en^
tend-se
quem
aa luja do Alvaro, ra do Crespo que dir
(O Dr. Francisco tires
Portlla
Machado
MEDICO E OPERADOR
PELA
Faculdade de Pars.
continua no exercicio da sua proflsso,
especialmente as moloslias de olhos, de
vas'orinaras e de palie, para eujo tra-
ta meato jalga-se habilitado atienta a pra-
tca' adquirida nos bospitaes daquella ca-
pital, os instrumentos mais modernos
que' possne.
Accode promplamente a qaaiquer cha-
mado para fora da cidade.
E encarrega se de collocar olhos arti-
ficiaes.
i Cto-aatto-doiSaemo n. 2, eia,uina da
ra de Rrlas, das 6 as 10 horas da ma-
nhaa, e das 3 as 5 da tarde.
Joao do Reg Falco e seus soUrinhos Fran-
cisco das Chagas Botelho Netlo e Csrolino
Alexandrino Botelho Netto, agradecem cor-
dialmente a seus parantes e amigos que
acompanharam os restos mortaes de seu so-,
brinho e irmao Joao Botelho Melle ao cemi-
terio publico e de novo'Os convidara para
assistirem a missa nt igreja de N. S. do LI-
trmenlo as 6 horas da manhaa de sabbatMJ
17 do crrante.
Associacao (jommerfial B neicente,
A direegao da Associacao Comaiercial a qo%m
foi prsenle pelo Sr. conde Aatenio Ladislau Ja-
sicn.-ky os estatutos e peticSo em-favor da coleoi-
sago polaca, convida os Srs. associados a compa-
recerem a' renoiao extraordinaria da assembta
geral da mesma associacao no dia 20 do corrate
Agua Preta /
Atteneao j
Deciara-se qne os-anartbs do engepho Florenta
estJn de orelharSiorlAlas rconserva-sfe pelados de
tropeles, crinas- e cattdas, e to reBlev fue a can-
da esi no sabugo, como umbem f-rra\dos no lado
direito da anca e qaewo nnr um irtaDiiido de tres
ponas, dfruja3)raaeslM isemptcw deftegociar-
: se; rogase poftenlo as antoridades policiais que
nao deixpassar que ceHuzir algura desses enr
valles sera-cartt ou sigoae* do eupradito engenho.
Desta mesmo eagenha o aacravo Fidelis, crioulo,
idade de 40 anaos, bom raestre de assoear, reta-
.-eiro e carreiro, chelo do corpo, altura regular,
nariz chata, baria raspada-* as-vezs deixa suissa
(imperial,tima aicatri* dejto laibo em um lado da
testa, pTdvavei que stefaVirabslbando em algum
1 engeaho, ida de esjting/fta e talvw con surro
I de ovelha-aas costas, desarjpareteu -o dia 22 de
r*vr*iro-ia.ra se castr can aaaerna de um filho
do lenenle-corotrel Jlo Barbos Maciel : quem o
pegar oa levar Soticia certa ao referido engenho
sera' generosamente rteempensado, pwgando-se
aioda qualquer desriza.
Leilao
De 2 meias aguas em Fora de fo ta,
B. 12 e 14 na lrave?sa da Fundicaos
tendo oito para 'na dosGnararpes
e rende 7$ mensaes cada orna
Cordeiro Simos
obllda a competente autorlsagSo fara' leitia das
duas meias aguas cima mencionadas, as qaaes
podem desde j serem examinadas, cujo leilo ser
effectuado no dia
Seita-feira 16 do corrate as 11 horas
No armazem a ra da Cadeia do Recife nume
ro29. ________________-_________
LEILAD
De movis, louga, viiros, prata
e divesvs objectos.
Cordeiro Stoioes
por conta e risco de quem pertencer fara' leilo de
1 mobilia de Jacaranda a Luiz XV, 1 dita de ama-
relio a Laiz XV, 1 santuario de Jacaranda, 12 ca
driras de Jacaranda, 1 secretaria, 1 guarda roupa
asado, 1 dito aovo, 1 mesa elstica com 6 tabeas,
1 lavatorio com pedra, 1 selim novo, 1 caderinha
para senbora. 12 cadeiras de faia, toucadores, raar-
quezas, cadeiras de balaoco, sotas, mesas redon-
das de meio de sala, coosolos, espelbos grandes e
pequeos, cabides, caadieiros, apparelbos de louca
de almoco e jamar, garrafas, copos, clices, appa-
relbos de metal, temos de folbas e outros objectos
qae se torna eofadeoho mencionar.
AmanbSa 16 do orreate as 11 horas.
29-Rua da Cadeia do Recife29
LOTERA
Aos 6:0005000.
Corre depois d'auaubla.
Em consequencia de ler sido transferida
para o dia 8 a sahida do paauole bras leiro
Santa Cruz da cortepqra os portos do nor-
te, flea designado odia 17 para a ex tra cao
Mal parte da I* lotera(92), a beneficio
da matriz de Salgueiro, .gue ser no lugar e
hora do costume.
Os bihetes, meios e quintos acham-se
a venda na respetiva |tbesonraria a roa do
Crespo n. 15.
Os premios de G.-OOOJOOO at 40,5000
seraopagos nraa hora depois da"Bxtracc5o
at as 3 horas da tarde, e os outros depois
da distriboiclodas listas.
As encommendas ser5o guardadas so-
mente at a noite da vespera da extracc5o.
O rhesooreiro,
Antonio Jos Rodrigues de Soqza.
O padre Flix Brrelo de Vasconcellos extin-
gui a aula particular de lalim qne tioha em sua
casa, e d'ora ero dtaue ensinar somente no col-
legio do Sr. professor Jeronymo Villar, na rna lar-
ga do Resario, e no do Bom-Conselho, na roa da
Aurora. Os alumnos qne qnizerem aprender com
o aonunciante, entendam-se com o director de
qualquer nm dos referidos collegios.
do objecto, e promover-se a subscripeao de asslg-
naluras, se asslm for decidido.
Associacao Comnrereiai ReoeQcenle de Pernam-
buco, 14 de mareo de 1866
Candido C. <5. Alcoforado,
______ Secretario.
ATTENgAO SR. FISCAL 11 I
Nao possivel acreditar que exista no centro
desta cidade ama travssa ou becco igual ao que
da' sabida da rna das Aguas-verdes para a de
Horias, conhecido por beeco de Joo Patriota, to
inmundo como a mais inmunda praia, que serve
de despejo.
Se nao sao os moradores dos sobrados, que
fazera oitdes para esse becco, os mesmos que lan-
ga m toda aquella immnndicie, eolio elles devem
saber quaes sao essas pessoas, e quer n'um caso
quer n'outro, parece nos que taes moradores de-
vem ser advertidos, seno altados per essa la-
fraeco das posturas.
O que porm, verdade, qoepelo silencio
que guarda Id, radicam...: t>qTrB T "Que oS'TfScaes |
sao negligentes
"Nosrabaixa1 asaajnados declaramos ao publico
e principalmente aocarpo do commercio que dis-
solvemos aniigavelmatte a sociedade oue trabamos
no pfcarol do commercio na ra do Raatel o. 73.
ao meio dia, afim de ser dlsnatida a canvenleneia que gyrava-debaixo da Brrna da Villar &C fican-
do responsavel asocio-Villar pelo adivo e passivo.
Reeife 10 de marco de 1866.
Villar & C
._<4
Precisa-se de urna ama forra ou e.-crava para
easa de ponca familia : i tratar aa rna Uireita o.
68, andar.
Precisa se de um caUeiro
tratarla ra Imperial n. 37.
para taberna : a
AVI 0
Precisa-se de urna ama para o servigo interno e
externo de urna asa de peuca familia ': na roa do
forres o. 14, 2 andar.
PHOFESSiMt DE PTO.
Jos Coelho da Silva e Araujo contina a leccio-
Bar piano : na rna do Llvramento n. 21, terceiro
andar. ____________ '
Manoel Garnelro Pialo declara ao corpo do
commercio qne de hoje em dtanle seassignar por
Manoel Jos Carneiro Pinto. Recife 12 de margo
de 1866.
^k
*/, -^^
Leilo
De um cabriolet de 4 rodas
com todos os arreios.
Cordriro Sinies
por coala e risco de quem pertencer fara' leilo do
cabriolet cima mencionada, para ver na cocheira
da roa da Roda n. 58, o leilo
AmanbSa 16 do eorrente as 41 horas.
29No armazem na roa da Cadela29
LeMo
De dous escravos
PARA
Descargar algodfto.
As verdadeiras
Americanas de serrotes de ac.
Vendem-se somente oa roa da Cadeia n? 56 no
armazem de Silva & Alves, que aliangam aos
senhores agricahores a soperoridade do seo ma-
cbinismo, prefeiivel a outre qualquer que aqui lem
viudo, por poderem as saas machinas tirar qua-
tro saccas de algodo por da, com o emprego de
urna s pessua; sendo ditas machinas de rodas de
ferro com dentaduras de eixo patente de rpido
meviroento, com serras de-aco espeeiatmente lem-
perada para fazer muito algodo de pluma em
'noneo lempo. ___--__^_
Precisa-se de nm menino de H a 18 annos :
na fabrica de charutos, na travssa do Marisco n.
7. Na mesma se precisa de nm pleador de
uno.
Gratlfica-se com a quantia cima a quem der
exacta noticia ou entregar na roa estrellado Resa-
llo o. 31,'2 andar, ama trouxa de roupa com as
iciciaes J F R, marcada eom Unna encarnada, e
alguraa dita de senbora com as ditas M R, caja
roupa esta' perdida ou roobda desde o da 7 de
Janeiro, e foi entregue no porto das candas a om
canoeiro por nome braz, para entregar em Apipu-
cos lavadeira por nome Anua Joaquina que lava
no acude.
Precisa-se de urna pessoa para criado, e qae
salba bolear : no pateo do Carmo o. 15, 1 andar,
achara' com quem tratar.
Aloga-se a casa terrea n. 22 a' rna do Ouro,
com bastante commodo para familia : a tratar com
o solicitador Manoel Luiz da Veiga, na roa da
Gloria n. 94____________________________
Ra do Qiieimado n, 2, terceiro aodar.
Pede-se a' polica qae indague sobre om escra-
vinho por nome Vctor, qae desapparecea, e consta
andar nesla cidade, crioulo, idade 16 annos, com
nm taino bem saliente no beigo superior.
Ayiso.
Tasso Irmos fazem publico qae o Sr. Joo
Baptista Moreira deixoa de ser sea caixelro e des-
pechante d'alfandega.______________________
Precisa-se de ama ama que eoslnhe e en-
gomme para ama s pessoa : na ra das Crozes
n. 21, primeiro aodar.
Francisco Jos Laiz Rlbeiro faz publico que nes-
la dala coaipvoo- a Cruzes n. 41 qne foi do Sr. Monoel Joaqaim dos
Reis ao Sr. Custodio Jos de Oliveira, lirre e des-
embarazada de lodo e qualquer debito que possa
appareoer.
Recife, 9 de roaryt-de 1866.____________
Joaqnim de Almeida Gomes teno da fazer
viagem a Kuropa, faz scieote ao publico qae ven-
deu o seu armazem de sal, na ra ia>prUU O. 25 a
Jos Pires da Silva Rosa-par 550#, {ojo ja nace
Para a Baha
Pretende seguir eom molti brevidade o paiba-
bote nacional Bous Amigos, tem parte do sen car-
regamento prompto para o resto que lhe fattt tra-
ta-se cem as sens consignatarios Antonio Laiz de
Oliveira Aievedjii C,no sea escriptorio roa da
Croi n^i.
O agenle Martios far leirio de 2 escravos, be-
nitas figuras, mogos e sendo nm deiles coslnheiro.
Sabbado 17 do correte.
No armazem da roa da Cadela o. 8, as 12 horas. beu), fleaodo a ser caixeiroato da de "sua sahida
Precisa-se alagar meosalmente um escravo
nossante : a tratar na roa de Crespo n 4.
"naa aarte para a
nhia sen sobrinho Jo-
De
duas escravos.
O agente Manas far leilo per oonta e risco
de quem periencer de deas esararas macas eendj
ama dalias engommadaira, oostaraira aeosiabelra.
Sabbado 17 doorroate.
No armazem da roa da Cadela n,% ao mtlo dia.

e aaiba cozonbar e
nrinwiro andar.
para o servigo da
roa, 4a Cadeia do
Fugio do engenho Quands, na comarea de
Sanio Anto, no dia 7 de fevereiro, nm molatlnho
de nome Benedicto, de idade de 16 annos, pouco
mais ou menos, com os signaes seguales : me-
lara claro, cabellos corridos, qoe passa por torro,
muito ladino e servia de criado a' sea seabor, foi
comprado em AJaga-Cereada, e daseonfla-se estar
acoitado por algara empregado deste engenho qae
se retirou dias antes da faga do molatlnho : roga-
se, perianto, a qualquer antorldade ou eapllies de
campo que o pegar, de lvalo asen seabor no re-
ferido engenho, oa nesla praga a Jos Jaqaim da
Silva, roa estreita do Rosario o. 47, que sero ge
porosamente recompensados.
ATTENCA.
Henry Forster d: C, ra do Trapiche n, 8
tem para vender:
Prensas para enfardar algodo.
Machinas de descarocar algodo, de 30 a
60 serrotes, com motores, assim como raoto-
rs que servirlo para qualquer ser vico, e urna
machina de 120 serr tes. comjuma machina a
vapor, propria para a mesma.
INJECCAO BROW.
Remedio infallivel as agnorrheas antigs
rocen, tes, nico deposito na pharmacia
e fraoceza ra da Gru n. 22 o ao proco de
# 3*000.
Fugio no domingo de entrado, da rna larga do
Rosario o. 40, terceiro andar, um papagaio : pe-
de-se a pessoa que tiver apprehendido e qnizer en-
tregar ao seu dono, dirjase a ra larga do Rosa-
rio o. 26, loja, ou 40, 3a andar, que ser generosa-
mente recompensado.
Maooel Augusto Candido Pereira leodo assig-
nado 104 amo socio do MMte"Ffo Pottuguez, e
pago adiu joiaoo dia Io --de-eetwnbro do auno
Essado, aconlece ver o sea neme chamado pelo
ario sob pena de perdor'oj diiSeites do socio, em
vista de tal chamado, o mesmo annunciante deixa
de pertencer-a dita soWedada, fazendo presente de
sga joia.
trmiaihde 'VUNM Esjrtrfte Sisd-
Ccltejio.
De ofdem da esa ragedora coaia\> a todos os
nossos irmos a comparecerem em aossa igreja no
dia 16 do enfrente, pelas 3 oras da larde, alim de
eneorporados acompanharmos a procissio do Se-
nhor Bolo Jesa dos Passos, pava a qual Minos con-
vidados pela respectiva irmandade.
Consistorio da irmandade do Divino Espirito
Sabto do Corregi 12 de margo de 1866.
Francisco Beiamiiao -dos Santos Freitas
_________ Bscrrvao. ____
Irmandae'e VfMvIne Esprrltn Saeta do
Coirtoio.
Acharido-se vago o lagar da. guarda de nossa
igreja, convido de ordem da mesa regedora aos
nossos irmos qae estejam as circunstancias de
occoparem o dito lugar, a apreseotarem-me seas
reqaerimenlos na roa do Imperador n. 81, segun-
do andar, at o dia 17 do eorrente, afim de serem
presentes mesma mesa regedora ero sua prmei-
ra sessao : os preteodentes devem instruir saas
petigdes com a nanga de que trata o 16 do art.
40 de nosso compromisso.
Consistorio da irmandade do Divino Espirito San-
to do Coileglo 12 de marco de 1866.
O escrivo,
Francisco Belarmioa dos Santos Freibs
Um mogo habilitado ofJerece-se para easioar
meninos em algum engenho, sendo porlugoez, l-
tiro e franca : a pessoa que precisar deiie cana
fechada com as inletaes A. L._______
a cocheira da roa daUsda n. 60, ha para
vender um eicelleate burro novo, grande, de sella
e cangalha e rao i lo barato ______ _
1MMCA.
O agente Cordeiro Simdes aindou
Sue tinta oa roa da Croa n. 57, para
adeia do Recife n. 29.
o armazem
o da ra da
Na praga da Independencia existe ama carta
para eSr. Dr. Candido Casado Lima.
Aloga-se por um nano ou mais annos, os
veode-se om bom sitio com boa casa de moratfia o
jardim aa Capuaga nova, rna da Pernambucanas
a. 20, contiguo ae do fallecido padre Capistrano.
para malbores informacies a traiar na rao da
Cruz n. 13.
"~ -....
Irauadadr acadmica de Xoaaa Senaara de Bou
Ceaselhe.
De erdem do nosso irmo jaiz convido a todos
os;nossos irmos a comparecerem no consistorio
desta irmandade, sexta feira 6 do eorrente, pelas
3 horas da tarde, aBm de eneerporados acoropa-
nharraos a eroolssao do Seabor dos Pastos.
Snsisiario da irmandade acadmica de Nossa
ora do Bom Conselho 13 de marco de IM6.
A. dos^Pasos Miranda,
-'_______Secretario.____
de*fneia idade
qne salba
de lomar
24.
= Preeiza-se de otra madner
para nma casa de nm bomem solteiro,
engomroar e coslnbar e que seja capaz
conta da cata, a tragar aa rm^ra ldela a.
- Oflerece-se uml pesada- para (azer escriptu-
raco mercantil por partidas simples e dobladas
por mefes prega qoe ontra qualquer flzer, qnem
dio preeiur pode dirigirse a
saro na loja do sobra
qnem tratar.
*











:,


Mari*
4866.
ALEIITttU
SilSAFAfflftM
r

PERFUMERA da casa oger
Boulevart Sebastopol, 5 6, _Parl__.
Dez medalhas, a condecorado da Legin
d'honneur e a grande reputacao que tem lhe
dado o publico, taes sao as recompensas que os
serricoi prestados a industria merecerao a
esta importante casa desde roa fundacao em
180*. ^^
N'um sortimento de mais de 500 artigoi,
as pessoas elegantes escolherao os seguintes:
ROSEE DU PARADIS, extracto superfino
para lenco.
POMMADA CEPHALIQUE contra a cal-
vicia, i
AGUA VERBENA para o toucador.
OXIMEL MULTIFLOR.
VINAGRE DE PLANTAS HYGIENICAS.
TINTURA VIRGINALE de beijoim.
ROSEE DE LYS, verdadeira agua de
Jouvencio.
CREME LABIALE de sueco de Rosas.
pommada VELOURS para amaoiar a
pelle.
ELIXIR ODONTOPHILE.
SABAO dedicad* as damas americanas.
SABAO de bou que t de Franca.
d* de flores de alcea rosea.
d* de flores printanires.
d* de bouquet do outono.
d* de perfumes exticos.
d* aurora, dedicado aos dedos cor de
rosa.
d* de flores das montanhas.
d* de cheiro de foins nouveaux.
d* de bliets cheirosos.
d* de althea balsmica.
d* diapr, caixa rica, fantesia pari-
sieaee.
mmmm wmm mmm mmmm mmmm mmmm mmmmm m
K n K'fil No sobrado da ra Nova d. 56, aluga- 3g
2? I 4 V 4 IlL 4 iVUiv 25 Sseou coropra-se urna escrava que seja 52*
fe LA>r\ 3h IIAinU M KperfeUaengoinmadeira. &
mmmmm km *******
m
26 Pateo do Carmo 26.
Neste estabelecimento lio impor-
tante para a saude e asseio do cor-
po, acbam-se montados 20 banhei-
ros, que sao servidos com a ordem
e asseio que para desejar-se. Cua-
tro destes banheiros sao especial-
meoie reservados para senboras e
por isto acham-se collocados em la-
gar reservado, aonde s tem entra-
da as pessoas de ama mesma fami-
lia.
PREgOS DE RAMIOS AVULSOS.
1 banbo fri, momo oa de
chovisoo...... 500
I dito de choque .... 1,5000
1 dito de farello...... 10000
1 dito aromalisado I000
PREgOS POR ASIGNATURA.
30 baoLos por mez fri,
momo ou decbovisco. 100000
25 banbes com cartoes pa-
ra os mesmos .... 100000
12 ditos ditos ditos .'0000
12 ditos ditos de choque. 100000
12 ditos ditos de farello.. 100000
O estabelecimento estar aberto
dos das atis das 6 horas da ma-
nba as 10 da noite, nos das san-
tificados das 5 as 5 horas da tarde.
Antonio Luiz de Ollveira Azevedo & C. tem
para vender no sea eseriptoriu, ra da Crnz n. 1,
, viudo do Porto em caixa de duzia, lio bamburguez,
cola da Bahia superior.
Perdeu-se
O abati assigoado previne ao respeitavel pu-
blico quelendo perdido urna letra da qaaolia de
326| sacada por Jos do Reg Mello e aceita por
Guedes & Mello, por Uso previne ao ptblico para
qu nenbuma pessoa faea negocio algara com eesa
letra, e se algaem ti ver aebado e a quizar rcsu>
luir tuah.i a boodide de a levar a roa da Prala n.
37. armazem. Recife 10 de marco de 1866.
. Jos do Rago Lima.
Joo da Silva Ramos, medico i
pela universidade de Coimbra, d |
consaltas em sua casa das 9 as !
i i horas da manbaa, e das 4 as 6 fl
da tarde. Visita os doentes em suasU
casas regularmente as horas para !
isso designadas, salvo os casos or- |]
gentes, que serlo soccorridos em
qualquer occasiao. D consultas aos
pobres que o procuraren! no hos-
pital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da
manbaa,
Tem sua casa de sade regalar-
mente montada para receber qual-
quer doente, ainda mesmo os alie-
nados, para o que tem commodos
apropriados e nella pratiea qualquer
opperacSo cirurgica.
Para a casa de sade.
Prime ir a ciasse. .30000 diarios.
Segunda dita____30500 >
Terceira dita .20000
Este estabelecimento j bem
acreditado pelos bons servicos que
tem prestado.
O proprietario espera que elle
continu a merecer a confiaoca de
[que sempre tem gozado.
DE BRISTOL.
PREPARADA UNCAMENTE POR
LAMAN k K1HP,
NOVA YORK.
Composta de substancias, gozando da;
prqprieddes eminentemente depurativas s
approvada pelas juntase academias de me-
dicina ; usadajnos principaes hospitaes, ci-
vis militares e da marinba as Antilhas e
no continente americano ; recettada pelos
facultativosos mais distinctos do imperio do
Brasil e da America bespanbol
CURA RADICALMENTE
escrophulas, rheumatismo, escorbuto, eo-
! ermidades venreas emercuriaes, obagas
antigs, morphea e todas as molestias pro-
venientesd'um estado vicioso do sangue.
Emquanto existem varias imitaces e
falsificac5os, preciso a maior cautela para
evitar os engaos,
A legitima salsa de Rristol vende-se por
CAORS & BARBOZA
JOO DA C. BRAVO 4 C.
Jo3o da C. Bravo & C.
Deposito geral etn Pernamrrirf rna da
rruin.2* firo cas? t\f faros Barbo
Frofessora.
Era ara engenho perto do Passo de Camaragibe
(Alagas) precisa-se de urna senhnra que qneira
ensinar prlmelras letlras e mesrao francez e ir.usi-
ei, caso saiba: prefere-se solteira ou viuva com
pouca familia; a tratar na travessa da ra Bella
n. 6.___________________________
SamT Power Johnston & Cempauhi-
Ri:a da Senzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fnndtco de LOV Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos,
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios d carro para um e dous cavallos.
Relogios de o uro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Pede-se s pessoas que souberem onde se
acoita o menor Joaquim da Costa Maia, que em a
noule de qointa-feira 8 do correte ausentou-se
clandestinamente da casa n. 23 ra do Crespo ;
que por especial obsequio transmittam as inf rma-
goes que tiverem a tal respeito, aoabaixo assigna-
do.Jos da Costa Mala.___________________
joto Jos de Carvalho Moraes Irroao, sac-
co sobre a praca do Rio de Janeiro.__________
A Salsaparilha
_>_J AYER.
Para a cura radical de
Escrfulas, ulceras, ehagu.fer-
idaa valia, molestia lyphil-
itica, e mercuriae, Enermi-
dadei das mulhere, como rs-
tencao, menitro doloroso, ulcer-
acao do tero, e flore brancas.
A Nevralgia, Convulsdei, Ery-
sipelas, Enfermidadei Cutneas,
borbulha, nascidas, etc.
O extracto competi de SALSAPARILHA, confeccion-
ado pelo Dr. AYER, nma comblnaco dos melhores depura-
tivos e alterante conheddos i medicina; composto segundo
s lela da ciencia, approvado c recciudo pelos primeiros
mdicos dos Estados Unidos, da America do Sol, do Mxico,
das Indias e dos principaes Estados da Europa.
A SALSAPARILHA de AYER especialmente efflcaz na
cura da molestias que tem sua origem na escrfula, na
Infeccao venrea, no uso excessivo do mercurio ou em qualquer
impureza do Sangue.
Entre todas as molestias que affligem o genero humano, nao
ha urna mais universal e terrlvel do que a escrfula) por si
nio to destructiva, porem a causa prindpal de muitas en-
fennldades que nio lbe sao geralmente atribuidas.
nma cansa directa da tutea pulmonar do mal do
flgado, e ttlomago, affce^le do cerebro, Mlirnmalismo
e affeccie* do MfM: entre seo symptomas ha oa seguintes;
Falta de apetito, Fraqueza e moleza em todo corpo; Mi
cheiro da boca, semblante plido e incitado, is vezes d'uma
alvura transparente, ontras vezes corado e amarcllo ao redor
da boca; Digesto fraca e apetito irregular; Ventre incitado
e evacuacao irregular; Quando ataca os pulmoes nma edr
azulada mostra-se a roda dos olhoa, quando i no estomago
sao avermelha dos, Xas pessoas de disposlcao escrofulosa
apparecem frequentemente erupqti apelle da caboca eontras
partes do corpo; sao predispostas s affecciet dos pulmte, do
figado, dos rins e dos orgos digestivos e uterinos. Portante,
nao sao somente aquelle que padeccm da forma ulcerlas
e tuberculosas da escrfula que necealtam de protccao
contra os sens estragos ; todos aquellos em cojo sangue existo
o vira latente deste terrivel flagello (c as vezes hereditario),
sto expostos tambem a soflVer das enfirmidadas que elle
causa. .
Oflerecemo a esta pessoas um abrigo seguro e um anti-
doto efficaz contra esta molestia e suas consecuencias, na
Salsaparilha de Ayer
qne opera directamente sobre o sangue, purifleando-o e ex-
Eulsando delle a corrupeo e o veneno dnmolestia: penetra
tdas as partes c todos os orgos do corpo humano, livrando-
os da sua accao viciada c inspirando-lites novo vigor. K' um
alterante poderosissimo para a rcnovaeo do sangue, e d ao
corpo j enfraquecldo pela doenca forea e energa renovadas
como as da Juventude.
J TAMBEM O MT.J.HOK AVTI-BTPMII.XTICO
CONHECIDOl
cora permanenmente as peiores fdraias de SYPHILIS e as
ana* consequenciaa. Pouca necessidodu ha de informar o pnb-
llco do inestimavel valor de um remedio que, como esto, fivra
o sangue dessa corrupeo e arrebata a victima das garras de
urna morto lenta e ignominiosa, porm inevitavel se o mal
nao logo combatido com energa.
Nao pretendemo promulgar, era queremos qiie se inflra
A NACIONAL
Gompuihia. geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vMa
a
AUT0KB_.DA PELO REAL DECRETO DE DE DEZEMBRO DE 1859
Om faifa* dinheira, deaasittda aas cafres da estada, garaate a baa ad-
miaistraeia da companhia.
BANQUEIROS DA COMPANHIA 1 DIRECCO GERAL
O lUtro de Hespanha Madrid: Ra do Pradea. I
Eeu co-apaDbia liga pelo systema mutu todaeae eombBa2ee de supervivencia dos sego
os sobre a vida.
Nella pode se lser a sabscripcao de maneira que em nenhum caso mesmo por orte do
efarado se perca o capital nem os jaros correspondentes a estes.
Sao tao- saprehendentes os resultados qae prodazem as sociedades da ndole deA NACI-
NAL,que anda mesmo dimlnuindo ama terca parte do nteresse prodazido em recentes liqaida-
ees ecombinando-o com a mortalidade da tabella de Depareienx que adoptada pela empanla
para sena clcales e liquidares, em segurados de idade de 3 a!9 anuos, ama imposieio annoa
de IQQf produieca effectivo metlico:
No flm de 5 annos.......i-. 119*300
. de 10 ......... 3:9M*600
> de 15........11:208*200
de 20........30:256*000
de 25........80:331*000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospecta e mais informaedes sero prestadas pelo sub-director nesta provincia,
oaqnim Fiuza de OHveira, ra daCadeia n. 52, oa a Boa-Vista ra da Imperatrii n. 12, estabeleci-
mento dos Srs. Raymundo, Carlos.Leite & IrmSo.
Ditwe de W a 12:000* a joros mdicos, com
bypolheca em predios nesta eidade, recebendo-se o
premio de 8 ero 3 mezes oa pela forma qae con-
vier-meMior a qnem o precise : na roa do Crespo
n. 2 B, lofr-da eaqnlna._______
* ro do Imperador v. 27, precisa-se au-
gar nma ama forra on escrava para eosinbar so-
mente.
Lava-se e engomma-se eom toda
por preco commodo : na fregu oo beoco do Tamb casa n. 21.
perfeicaoe
.Boa-Vista
TINTURARA
AO GRANDE S. MAURICIO
PttOCESMI^ APERFEI^OAIiOS
PARA
Tlagir. Ilmpar e lustrar a vapor.
Precisase alagar orna ama para comprar e
cozlnbar: a tratar na roa do Apollo n, 9.
Precisa-se de urna escrava piraoservioo in-
terno e externo de ama casa de pouca familia : na
ra da Soledade n. 38.____________________
Antonio Jos Rodrigues de Sooza na roa do
Crespo n. 15, loma dlnheiro para mandar entregar
na Babia, Para e Maranbio.
Carvalrw <_ Nogueira na roa do Apollo n.
20 sacara sobLisboa, Porto, liba deS..Miguel-
Rio de Janeiro, a vi; te oa a prazo.________
Na roa doJVigario n. 24 precisa-se de duas
amas cozioheiras para homem solteiro.
Os senhores acadmicos do 3o anno podem
qoerendo, dinglr-se a roa da Saudade n. 9 a' com-
prar o compendio de direito civil patrio, approvai
do pelo governo imperial.
A tugase
um grande sitia na Croz d'Almas on Paroamei-
rlro conhecldo pelo sitio da Bstreiu tendo grande
baixa com capim para sustentar '* a 6 cavallos,.
solas para 3 ou 4 vaccas, com arvores de fructo,
jardim na frente e aos lados, boa casa e banbeiro,.
com casa iodependente para feitor, coebeira e es-
tribara e ouiros commodos mais : a tratar com
Manoel Pedro de Helio na roa do Lvramenio n.
38 ou no largo da alfandega n. 4 ou no mesmo
sitio das 5 heras da tarde as 7 da roanha.
N. 0. Rieber <_ C, sucessores, sa-
cam sobre o Rio de Janeiro a vista oa a pra-
zo conforme se convencional*.
Precisa-se de um bom cepeiro para casa es-
trangeira : trata-se a' roa do Vigano n. 2, escri-
torio.
F. A. SAL
29 Ra 7 de setembro 29
Defranteda roa nova do Ouvidor (Ria de Janeiro)
Os propietarios deste estabelecimento, o primeiro no sen genero no Rrasil, por
trabalhar com as machinas mais aperfeicoadas para tingir e lastrar, de que se faz uso na
Europa, eajodados por alguns dos melhores officiaes de Paris e Lyo, podem assegu-
rar seos freguezes urna perfeij5o no trabalho, a qual senao pode ebegar pelos proces-
sos ordinarios.
Tingem, lavam, limpam e demofam com a mai r perfeicSo e brevidade qualquer
qualidade de fazendas, tiram nodoas e limpam secco sem molbar as sedas e as vestimen-
tas de senhoras e de homens.
Precisase de um bom eopeiro para nma casa
estraogeira : tratase a iua do Vigano n. 2, es-
criptorio.
Na ra Bella n. 22, precisa-se de um criado
de boa conducta, e que saiba eosinbar, para andar
com ama pessoa em viagem pelo mato, e garan-
te-se bom tratamento._________
Oferece-se ama ama para comprar e cosi-
nhar para casa de homem solteiro : a tratar Da
roa do Fogo n. 54._____________________
0 hospital porlugoez de beneficencia precisa
de um enfermeiro : qaem se jnlgar habilitado e
quizer contratar-se dirija-se ao Sr. provedor An-
tonio I opes Pereira de Mello oa ao secretario Joc
Pereira Rabello Braga.
DE
FAZENDA E ROUPA FEITA
RA UOVA W. S4.
Reg & Moora, proprietario da loja de fazendas e rcupa feita, sita ra Nova
n. 24, verdaderamente penhorados e reconhecidos para com seus amigos e freguezes,
pela aceitacao e confianca que delles tem merecido no curto espaeo de lempo em que
se acham estabelecidos eperfeitamente escudados na sinceridade dos seus tratos, decla-
ram para sciencia daquelles que o quizerem honrar com seus cilicios, que, em vista da
grande concurrencia que tem merecido o seu estabelecimento, especialmente no que
relativo a roupa feita; acabam de admittir para a sua officina de alfaiate maior numero
de artistas, inclusive o seu eontramestre, dirigido pelo hbil mestre Lauriaoo Jos de
Barros, o qual n_o se poupa a exforgos para satisfazer com a presteza possivel qualquer
obra de encommenda.
Os mesmos annunciam aos seus freguezes que acabam de comprar um novo e
muito variado sortimento de fazendas finas e de bom gosto, proprias para o tempo da
quaresma, as quaes esto dispostos a vender por precos muito commolos e mais barato
qae em outra qualquer parte.
Gomo sempre escusamos essa enfadonha prolixidade dos annuncios bombsti-
cos ; preferimos mostrar na singeleza deste nosso convite os bons desejos que nutrimos
para bem servirmos quelles que vierem ao nosso reclamo.
GARRAUX DE LA1LHAGAR & 0.
LIBRAIRIE FRANQAISE
Rna do Crespo a. 9.
LIVROS NACIONAES E ESTRANGEIROS
ReliyioPbilosophia Jurisprudencia Liltera-
tura Sciencias e artes.
Papelaria, objectos para escriptorio.
H DEPOSITO DE CALCADO
m FABRICADO NA CASA UE DETE.\g.A0
m Roa Nova n. SI.
Ahi se encontrar5o obras de di-
versas qualidades, e por preco moi
diminutos, a retalho e em porgues.
S se vende a dinheiro.
mmmm mam i
Ama.
Precsase de nma qne saiba cosinhar : na ra
do Imperador n. 57.
%
VISO
QWW'm WkmmMMi'm ni
jgg Companhia fidelidade de seguros |
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Janeiro.
AGENTES EM PBRNAHBCO
Antonio Loit de Olveira Azevedo k C,
competentemente aatorlsados pela direc-
tora da companhia de segaros Fidelida-
de, tomam segaros de navios, mercadu-
ras e predios no sea escriptorio ra da
Croz n. i.
MARTIMOS
AVISO AS VENDAS
Na fabrica de vinagre a' rna Imperial
n. 1, prximo a estaco do camniho de
ferro vende-se vinagre tinto superior em
qualidade a ootro qualquer e por prego
mdico, assim como branco e incolor.
s
O Dr. Carollno Francisco de Lima San-
tos contina a morar na roa do Impera-
dor n. 17, segando andar, tendo alias sea
gabinete de consaltas medicas, logo ao
entrar, no primeiro.
0 mesmo doator, qae se tem dado ao
estado tanto das operares como das mo-
lestias internas, presla-se a qualquer cha-
mado, qaer para dentro qaer para fra
da eidade.
LO.
Cosinheiro.
Precisa-se de nm cosinheiro que seja escravo a
na ra Nova n. 60, armazem da Liga.
BOMBAS M
Ra Nova
n,
30.
firomulgar,
aiivel para a ra do todo o padec- raeihor systema qae ha,
ment humanos, o que dlzemoa que a I .. "__"__!_"_
Salsaparilha de Ayer
a melhor preparaco at hoje deaooberta para estas e outra
molestia anlogas, que urna combinaco dos alterantes
mal efficazea conheeldos, e que temo conscienda de o-erecer
publico o mcllior resultado que possivel produxir. da
enca e pericia medica do bosbos tempo.
Chegaram as n elbores bombas americanas do
assim como as pessoas
qae pretender encaoamentos para agua pode se
dirigir a mesma loja qae tem sempre canos, ebum
bo, torneiras, choqpes, val volas etc.___________
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnisadora, estabeleci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercadorias e mobilias :
na ra do Vigano n. 4, pavimento terreo.
Precisa-se de ama preta escrava para o ser-
vico de casa, e qae saiba engommar : na ra da
Cadea n. 27, 1 andar.
A.HYVERNAW
TSRa do Imperador S.
Deposito de joias francezas por atacado.
Casa em Pars e Re de Janeiro.
Recebem directamente por todos os paquetes.
Alaga-sea grande casa dama da Florentina
n. 20 com muilos o excellentes commodos para
ama graude familia morar mailo folgadamente :
qnem a pretender entenda-se com o proprietario
na roa do Hospicio o. 50, das 6 as 9 boras da ma-
nbaa, e das 3 as 6 da tarde.
~^~Na praca da Independencia n. 33, loja de
onrives, compra-te ooro, prata, e pedras preciosas,
e tambem se fat qualquer obra de encommenda, e
todo e aualqtier concert. ______
O cirurgio Joaquim Jos Aires deAlbuquerque
mudou o sea consnltono para a freguezla de ^ari-
to Antonio, ra Direita casa n. 13, onde podo ser
procurado das 8 horas da manha at as 4 da lar-
de. Pede encarecidamente a seas amigos e mais
pessoas que o procarora na fregaezia do Recfe
que deizem os seas chamados por escriplo na to-
nca do fallecido Luiz Pedro das Neves, ra da
Croz n. 24, onde sera encontrado at urna hora da
tarde.
Declara mais aue tendo sido por espaeo de 33
anoos e nico profesor da enfermara de marinho
desta provincia, leve sempre a seu cargo um nao
peqneno numero de doentes atacados de diversos
soffrimeotos, alm das operac5es por lie pratiea-
das antes e depois da revoluco de 1849, que em
1832 fra encarregdo do lazareto da ilha do Pina,
por occasiao da febre amarella, assim como em
856 do hospital de cholericos na treguezia do Ue-
cife, qnu os seus coohecimentos professiooaes, theo-
ricos e f raucos adqoeridos no decorso de tantos
annos em taes estabelecimentos, o tem habilitado a
tratar de qualquer eofermidade ; por isso espera
que continuara merecer a eslima e conaoca de
lodos quelles qae quizerem utilisar de sua pro-
flssao.__________________________________
Desappareceu da propriedade de Sant'AucB
urna vacca com cria a qual veio de Nazarelh ha
viole das ponco mais oa menos, levando urna
corda a ra>to e um chocalho. oo pescoco : quem a
liver pegado ou delta liver naiicia dirjase a mes-
ma propriedade que sera' bem recompensado.
lelte para
liver o
Precisa-se de urna mulher cora
amamantar orna manga, prefere-se a que
leite velbo.
mm^mmmmmmmmmmm
Precisa-se de costureiras para
fazer caigas de brim e colletes: na
ra da Gadeia do Recife n. 38, pri-
meiro andar.
m
_-! M-na-ie
com asseio, promptioao e prense rizoavels: na roa
Aoguta D.6. loja.
REMEDIO DE AYER PARA SEZOES
Infalivel as febrea intermittente, remlttente,
_"brea BUioiaa e tercia, mal do flgado, in-
cremento do baos, oegueira. Dor nos
ouridoa e palpit-cdss, quando
ao oaoa-dos pela
jTEBRBS INTBBMITTBNTS, OU BEMIITENTBS.
A preparaooes de Dk. Atbb lio renslda em toda as
Bottca e Drogara do Imperio.
Vende-se em Pernambuco:
oa
PHARMACSE
. Na roa Bella M pagase 20# e mate se
agradar, por ama ama escrava, para cata de pon-'
ca familia.
O Sr. Francisco Jos de Freitas Gui-
maries, queira ttr a bindade deappare-
cer na livraria n. 8 da praca da Indepen-
dencia.
Em casa de Theod Cbristiansen, roa do Tra-
piche-novo n. 16, nico agente no norte do Brasil,
de Brandenborg frres, Bordeaaz, encontrase ef<
fectivamente deposito dos artigos segninles:
St. Ja lien.
St. Pierre.
Larose.
Cnateaa Loville.
Chateaa Margaux.
Graad vin Cbateau Lafitte 1658.
Cbateau LaOtte.
Haut Saulernes.
Chatean Sauternes.
Cnateaa Lattur Blancbe.
Chateaa Yqnam.
Cognac em tres qoalldades.
Aaettedoce. Precoa dJU-r-ean,
Trooam-se duas imagen, de Nossa
Senbora da Conceico e Santo Antonio, obra
perfeita vnda de Portogal: a rut da Ca-
n. 47.
Precisase alugar nma preta de meia idade e
gne sirva para todo servico : a tratar na rna Im-
perial n. 39, taberna. _______________.
Joseph Latham, socio gerente da casa
commercial sob a raz3o Mills Latham e
t.'. tendo de retirar-se para a Europa,
faz sciente que a mesma casa continua seu
gyro commercial sem alterado alguma sob
a direceo de seus bastantes procuradores
os Srs. Henry C. Wrlls.e Jobn Robertsque
ficam munidos dos precisos poderes para
gerencia da mesma casa.
Recife, 9 de marco de 4866
Ycneravel orden terceira de S. Francisco do
Recife.
Em virtade do oflieio de convite d.Tigido pela ir-
mandade do Senhor Bom Jess dos Pasaos, o nosso
cbarissimo irmo ministro manda convidar a todos
os nossos charisslmos irmaos a comparecerem pe-
las 3 horas da tarde do dia 16 do corrate, em nos-
sa Igreja paramentados de seos hbitos, para em
communidade acompaoharroos a procissioda mes-
ma sacra santa Iraagem qoe tem de sabir da igreja
do Carmo.'
Secretarla 12 de marco de 1866.
Jeronymo Emiliano de Miranda Castro
Secretaria
O abaizo assignado declara qne 6 morador
com sna familia na fregaezia de Santo Antonio, a'
roa Direita sobrado n. 3, ha mais de 28 annos,
onde tem sido eaostanlemente qualiQcado e ende
prese_Us**er, e por liso, embira tenoa ar-
rendado no termo de Serionaem e regaexia des-
as. mesmo nome o eogenbo denominado Sant An-
ua, nio pode ser considerado afti morador e qoa-
liQcado nesse lugar, como preteoae.Ti seos de-
safectos. Recife 13 de mareo da 1866.
Jos da Fooieca fillva.
necia ra^o.
Joaquim Elias Maciel de Lyra e Albuquerque
Reg Barros, professor do Abreu de Una, declara
aos seas amigos e collegas, e ao publico, era geral
qae, d'ora avante, assignar-se-ba Joaquim Elias de
Albuquerque Barros.
Em 9 de marco de 1866.
~0 abaizo rssignado, scientiflea ao respeitavel
publico qoe nesia dala vendeu ao Sr. Francisco
Jos Luiz Ribeiro a armacao da taberna da roa das
Cruzes n. 41 qae foi do Sr. Manoel Joaquim dos
Res, livre e desembarazada de qualquer debito
qoe possa apparecer tendente a dita taberna flean-
do de nenhum effeito os aonuucios publicados no
Jornal do Recife dos das 8 e 9 do crrante publi-
cados pelos Srs. Ferreira & Almeida por me achar
pago e sati-feito da importancia da referida arma-
Cao assigno o presente.
Custodio Jos de Oiiveira.
Irmandade de
Mi dos
Nossa Senhora
Homens.
De ordem da mesa regedora convido a todos os
irmos desta irmandade a comparecerem na igre-
ja da Madre de Dos no dia sexta-feira 1*1 do cor-
rente pelas 2 1|2 horas da tarde, para encorpora-
dos acompanharmos a procisso do Ssnhor Bom
Jess dos Passos para a qual romos convidados.
Recife 13 de marco de 1866.
Jos Ribeiro da Fonseca,
Escrivao.
. .i
Attenco
Joto Pereira Pedroso de Lima firmaos drclaram
pelo presente que compraran) a taberna sita na
roa do Cotovello n. 49 ao Sr. Jos Paulino Lopes
de Almeida, e nio a Jos Paulinj da S.tva, como
por engao se annoncioo ; se algaem se jalgar
oeaa direito a mesma, aprsente se na pra.-o de tres
das, lindos oa quaes No se atteoder a reclamaca
Igoma. Recife 13 de Harn de 1866.
I
.


-
I


mi^LBH

LMHB

=-:
wmrfrffr^ee.
Compra-s onro,-
em obras velhas : na roa
cja de ourives no ?rco da
Compra-se caresso (teme
[ armazem de algodo de Sauoders
i no eaes de Apollo.
e pedras preciosas
.Cadela do Recite
[co.________
algodo: do
Ihers A C
| Compra-s ara escravo que seja
; e sera vicio : na ra larca do Rosario
tica.
Compra-se urna cas de sobrado
da Boa-Vista ou roa da Aurora : a (aliar
do Crespo n. 17._________
WiCABO-
45 Hua Direita 45.
A pnmeira condicao indispensavel con-
servacao da sede irazer os ps brtn de-
fendidos contra os ataques da bumidade;
calcado bom e seguro o nico preserva-
tivo dessas mil enfermidades a que est so-
jeito a njwsoeu. Um chindo vtlto cal-
cado por um dandy patuscaute, ou urna
-Boa Fama ra do Quei-
mado.
Receben relo ultimo vapor chegado de
Paris chapeos para menina do ultimo gosto
Diademas dourados ^
ciifeilados ele. para nicniuas e senhors.
A agula-branr vende \- mos e modernos lia-
, dems dourados, entenado cum aljofare e pedras
noafer botina acacanbada em pequenino pe deen-|pr0p,ag pan meninas pfM.horas
r na rk anudara aidade alm de accuSar aue-1 Koi
fc
Ouro e prata.
Em obras velhas : compra-se na praca
dependencio n. 22. loja de bilhetes.
Compra-se orna burra de ferro,
mesroo das antigs ; oa ra Nova n. 31.
da
- i Compra-se a obra de Carvalho Menezes inti-
tulada Direito Cambial: na roa dos Coelbos n. 10,
paga-se pelo doplo de sea valor.___________
i Compra-se ama casa no bairro da Boa Vi-fa
ate 2:0004 : oa ra Pireila n. 43, loja, se dir.
Comprase urna escrava moca de 16 a 20 ai-
j nos, sadia e de moito boa conduca, ou duas ne-
Deloucbe onos deste estabelecimento pariecipa ao respeitavel publico r que sua fa- grinhas de toa uannos, sendo tambera sadus i
brica est montada com as melhores machinas que existem na Europa, e que podo fr> Beeiie, roa da Cruz n. 29.______________
fobricarcom melhor perfeicio possivel. Too o chocolate desta fabrica est garantido, e | Compra-se garrafas vaiias brancas e vidros
puro, o que nao se pode encontrar naquelle que vem de fra, e que se vende por proco v
baixo, visto os productos serem do paiz. a etiqceta tem sempre urna aguia.
^atdora fleidade alm de accuSar que
Nafieira horripilante, pi ova contra as f col-
"~>s intellectuaes dos calcantes, e n5o ha
' mil .\endo bom senso, queira passar por
-i mtSu PO^e de surro: ergo
ragleza oo ram a : r
a ^aV^WA DIREITA#*.
e attendam a' ^lleu#
lloailo* Vestidos
Ptchincha sem Igual.
Chegou a loja de Paredes fono um bonito sor-
tmenlo de verMos de lana la la de cores e br.-.ucas
qne serve para partidas por ser on.a phaolaMa ib-
'.eiian.enin'! fMiq ielo r-aialu |-r. co de 44 *
biaocvs* *4500, estIW arabando-se : no armazem
da pulla, larga ma da Impeairiz n. 52, ionio a pa-
daria franceza.
Cortinados.
Cbegou a loja de Paredes Porto um completo
tortimenlo de cortinados ricamente bordados a
pieei lio Tai, 354 e 454 : na ra da Imperan i:
n. 51, porta larga jnntoa padaiia franceza.
Jiicas romeiim
cor-
ee pallia Una t aune rs para mininas.
Sao obras fila de qo- bons pais de familia j
se nao podem escobar de .-^n.prar, por fazerem .1-, Puedes Perlo recebeu pM. u.iuno paquete om
.-(Tliuieot'deromeira de KUii-iwe pretas
FABRICA A VAPOR
99 RA 00 M0NDEG0 99
Deposito na ma Xora n. 50 loja de relojoelro.
'.
PREGO.
Meia libra......... 400
Urna libra......... 800
Urna arroba........190000
Na mesma fabrica acaba de se montar urna officina com serrara a vapor para
otras de marcineiria propria para edificio, para o que encarreg i-se de fazer portas, ja-
dllas, assoalhos (parqu fraocez como se usa na Europa,) e armares, ludo com brevi-
rjade e perfeico. Toma-se qualquer encommenda para fra da oidade, entregando-se
prompta a collar-se no logar.


VENDAS

HITARA DOS IANA1S
DE
COfiMIO Roa da Crn 16.
Continua a haver diariamente um sortimento de 'Bastis, podios, bolos inglezes,
empadas etc.,-fJtc. Os donos deste eslabeleciaicOto, acbam-se as melhores condicoes
de poder satisfacer eneommendas concerne ti les sua -arte, em consequencia do socio
Freitas ter sido administrador chefe dealgumas das.princiaes fabricas na corte, sendo
urna a do Sr.-8oao Goncalves GuimarSes (confeitaria de leo) antiga casa de Carceller.
Todos os trabalhos *5o differenles dos queefaaem em casas particulares.
Os propietarios deste estabelecimeolo nao se tem poupado a despezas, nem se
pouparSo, se tiouver concorrencia como esperam ; tendo continuadamente bom sorti-
mento de doces ipara et;; presuntos e ditos em fiambre, tambem se recebem para se-
rem preparados ; assim como doce de caj novo superior, secco e crystalisado, dito em:
calda em latas hermticamente fechadas, podendo durar annos em peffehio estado.
Para jantarese partidas recebemos eneommendas dos seguintes -objectos; ban-
deijas ricamente enfeitadas sem armaco pecas de amendoas (nogaces), ditas de tmaras
de ovos, pes de l ehfeitados com disticos anlogos a qualquer fim; ditos montados,
kechs simples e enfeitados com fnietas i -mgleza; -gatlieaux de la reine, ditos de le d-
chese, tortas-de fructa, usassa folhada; ditas de peise e carne; eremos e doces de ovos
de differectes especies.
Tambem tem um completo sortimento de viahos engarrafados, como sejam: vinhe
doPorlo superior, Figaeira, Madeira, Lisboa, Choree, Bordcaux, Champagne fino, ser-
veja, licores, charapes e oonservas. Para festas: bonitas caixiobas com amendoas, con-
feitose maisenfeites. Mu tos destes objectos mencionados podem-se.perfei lamente ae-
condicionar-tanto para a provincia, como para fra.
FIGURAS
Acabam de receber bonitas flguras para -oandejas de doces, sendo grupos para
baptisado, casamento, aooos, dilta a phantasia, bonitos enfeites para fec-os e circular pra-
tosde doces finos, todo, por precos razoaveis.
Vende-se licores em duzia muitoem conta.
A




'\
I
Acabam de receber G. Paes do Amarais C.
3 RA DO CRESPO 5
Autiga casa de Gullherme da Silva Gnluiai^es
Ri;oS' cortes de vestidos de gros-de-naples -preto, com lindas barras bordadas.
Muire-antique pretoom cortes e em pecas, liso, ondeado e com,palmas.
Gros-detnaples preto, de diversos precos-e larguras.
Gorguro preto, fazea superior a todas pda quahdade, e bonilctecido.
Este estabelecimento
acua-se sortido com numerosa quanlidade de fils.pretos, de algod >, de nho e de #-
ckales
retondas
algemenes (boorap)
anamites
africaioes
^ompadour
DE FANTHASA
ikxeieram tambem bonitos-cortes de popelioe de listras de cores,-e-matisadas,
muito modernas, de.gostos inteiramente novos; e oulras muitas fazendas dejoato, \in-
das pelo altimo vapor
4. R. 1M> MARIL A: C.
5 RA DO CRESPO 5
FOLHIiVHAS
PARA 1866.
Acabam de sahir luz as folhinhas de
algibeira e de poita para o anno de 1866, o
mais correctas possivel tanto no calculo das
las e eclipses, como as diversas festas
que a igreja celebra; vendem-se nicamen-
te na livraria da praca da Independencia,
160 ris as de porta e 320 ris as de algi-
ias parle do a^eio e l<-m itOM com que ir; suas bellas liihmiias. A afcuia bwoca lemop*-,
ur de ver .oe la devidameo- apirdartas > compradas -m seu ni- ,
! iitio. Os clia|foiinhs, alera de seren d'uma pa-,
1 Iba raoi fina, sao de mui bonita forma e ultimo
1 posto, eofeitados com toda a perfelco: os aven-1
taes, porm, sao de fina carabraia, Ruarnecidos de |
65000 babadiohes bord.dos; o qoe Ihes da moita graca.
7A0O0 0 P"?08 desles' W00' e 10*; e de
qoanto sao ellrs baratos conhecera o preteodente,
qoe se dirigir a' loja d'auia-branca, oa roa do
Qoeimado n. 8.
i vidrll lio* decrese aljofare,
'4000 imilanda ac, para enhiles it vestidos.
A agoia-branca oa ra do Queimado n. 8 rtce-
2(500v. beu um bello soi tmenlo dos objeclos cima pro-
1600 -los para enfeites de ve.-tldos, ele, etc., e est
i iirui Vt~lendo commodameole.
,*0W, Novidades.
1 Na A>"la branca roa do Quema Leu diversa, 0bjecio8 de muilo s >sto e inteiraiueo-
le novos, sen^ :
Bonitos e deli^,jos penles dourados e pratedos,
tendo entre elies n,aD! ^e filigrana ebra moi per-
eita e de elevado gOj,,.
Ditos com cbapa de i^dreperola.
Briucos de filigrana e ourag qualidades
Flvellas de dia e ouiias tambem de diversas
e de
a piteo ci'inniodo : na ra da linperatrii o.
poru larga junto a pa-iarla franceza.
Borzeguins barcello,^'^ jus.
tre e de porco ,
Ditoa de Bordeaux ?- *
Ditos parisienses de bezerh.
cordavao.......g/JOOO
Sapatoes de Naotes de duas ba-
teras rasas ......
Sapatoi de lona, sola de borra-
cha.....; .
Ditos aveludados.....
Ditos de tranca bons ,
Senhora*
Borzeguins enfeitados. .
Ditos de lace......
Ditos lisos......,
Sapatos de borracha....
Selleiros, corrieiros e segeiros I
Sola de lustre, meios grandes 0)5000
E um completo sortimento de calcado fa-! qUaXdes.
bricado no pafz. *________ | Cimos niui bonilos, enfeiados t^
54000
4^800
4^500
f|Q00
tilo
51
Oirtes de Isa escocesa para vestido a3| c cor-
te : na roa aa Imperairiz n. 52. loja da pona lar-
ga, junto a padana franceza, esio se acabando.
Para luto.
Laas prftas com salples brancus a 400 e 500
rs. o covado : ua ra da iraperairiz n. 52 julk a
nadara fraoceza armazem da porta larga.
14406
Chapeo! de sol.
Vendem se chapeos de sol de panno a 1400 e
urna grande pechinctia s para acabar : na roa da
Imperatriz o. 52 armazem da porta larga de Pare-
des forio.
A 1#500.
Vendem-se pecas de tranca preta para enfeites
de vestido, soutembaiques, rapas de fennora a
i600 rom 10 varas, urna giaude pecbinclia : na
roa ua Imperatnzn. :,t junio a padaria ran .;i.
toda a exten-
e-se sal grosso: a tratar ua roa da Ha-
dre de Dos n. 2._______^______________
Teode-se om cabriole! americano de duas re-
das de balancia e coberta, todo em perfeilo estado,
quem pretender dirija-se a cocheira do Sr. Claudio
Dobem qoe achara' cora quera tratar_______
Vende-se ou permutta-se por alguma
caza terrea desta cidade om sitio de trras
no logar do Loreto, com arvores fructferas
quasi todas novas, e grande porejo de co-
queiros.quem o pretender dirija-se ao pateo
de S. Pedro o, 24, que achara com quem
tratar.
Vende-se e engenho Garoeiro, situado na
fregoetia de Seriohaem, comarca do Rio-Formoso,
raoente e correte, com todas as obras no melhor
estado, ararlo bom d'agua, e trras de boa prodoc-
cao; para lomar conta delle no fim de malo : os
preteodentes dirijam-se ao paleo do Carino n. 15, a
tratar com Gabriel Aotonio.
Missangas miadas, aljofares imitando
c e vidrilhos ifc ttr-cs
para enfeites de vestidos ; vende se lado isso por
precos razoaveis na roa do Qaeimado n.l oja 16,
de miudezas.
No armazem
baratas de Santos Coelb.o
K ii a do (Inclinado n. 19.
Vende-se o segointe :
Cobertas de ebita da lidia a 2400.
Lencoes de panno de Itabo a 1200.
Ditos de bramante de Itabo de um s panno a
3J200.
Lengos de caasa brancas proprlos para algibeira
a 29000 a duzia.
Algodo enfestado cora 7 lj2 palmos de largara
a 1200 a vara.
Ataoalhado de linbo a 28O0 a vara,
Dito de algodo a 2 a vara.
Goardanapos de linbo a 3800 a dozia.
Pecas de cambraia de salpicos a 4500.
Lazioha aberla de cores a 320 o covado.
Cambraia branca de forro a 3 a pe;a.
Fil de linbo liso fino a 800 rs. a vara.
Dito de dito cora salpicos a 1 a vara.
Paono de linbo fino com 9 112 palmes de largu-
ra pelo barato prego de 2 00 a vara.
Madapoi5es fios a 8, 9, 10, 11 e 12.
Cambraia lisa de 4300, o, 6, 7 e 8 a pega.
Pegas de bretanha de algodo com 10 varas,
propria para saia, pelo baratissimo prego de
34500.
Laazinha lisa de cores a 500 rs. o covado.
Cambraias finas de cores miodinhas a 360 rs. o
covado.
Esleir da India propria para forro de sala de
4,5 e 6 palmes de largura, per menos prego do
que em outra qualquer parte.
Neste armazem tambem se encentra om grande
sortimento de roupa feila e por medida. ___
i 3 I cao com caracteres douiaduse pratwo5
0.0 iaZ6H(iaS Rleu enfeitados com muedinhas d. ifads,e lan
FAZENDAS BAhATAS
l^antijlaa.
A loja da Aorora, na ra larga do Rosario n. 38,
receben sortimento de lanlijolas multo delicadas e
proprias para qualquer enfehe, assim eoroo Um-,^ 27 ftua q Queimado N. 27
nem recebeu luvas de Jouvm brancas e de cores
para bomem e seatiora, muito frescas, chegadasf
pelo ultimo vapor, todo Isto na loja da Aurora,,
roa larga do Rosario n. 38. )
GRANDE PECHimt
( vnbraia branca para forro a 240 e
i a.-a vara.
, Lencos bancos para algibeira duzia
' 20000 rs.
Retondas pretas a OOOO
400
tejoilas, aljofares & &, sendo para cuqov e tod^ a
cabeg, e ooiros ce m plomas &-
Bonitas volias de jaspt com cruzs, tenot um
bem algnmas de duas cores.
Luvas e meias
de laa vegelal, para quem soffre de frialdad?, pa-
ralesya ele. Vendem-se na ra do Queimado iija
d'Aguia branca n. 8.
Bandoline de roza
para segorar oo conservar pe feila mente alado os
cabellos das seoboras. Vende-se na ra do Quei-
mado loja d'Agnia branca, 1000 o frasco.
Enfeites pretos para vestidos
A Agnia branca receben novos enfeites pretos
para vestidos, sendo lucos com vidrilhos e seui
elles, trancas com pendeDles de vidrilhos e sem
elles, cordo grosso tambem cora vidrilhos e sem
elles ; assim como galdes e franjas de diversas lar-
furas, filas de velludo etc. como sempre os bons
regoezes encontraro commodidade de pregos nos
objectos qoe se vendem na loja d'Agoia bracea ra
do Qoeimado n. 8.
Bot5es devidro
I com eofeites d'aco no centro.
1 Esses boloes que tanto .-ervem para melhor se;
poder eofeilar om bom vestido preto ou de cor,.
achao se a venda na roa do Queimado loja d'Agnia
branca n. 8^_______________
"Aspasfortes para booes.
Na roa do Queimado loja de miudezas n. 16, ven
de-se aspas de ago fortes; e de diferentes larguras!
para baldes. I
Bonitos quidros para retratos.
Vendem-se na roa du Queimado loja de miude-
zas n. 16, bonitos qnadros con mordura preta e
donrada, todos por precos rasoaveis.
Garrafas brancas
e de cores com superior agua da colonia.
Vendem-se na roa do Qaeimado, lojt de miude-
zas n. 16.
Novo gosto
Penles, fivetlas, e hrineos de felierana.
A antiga e bem conbecida loja n. 16 oa ra do
Queimado, receben nm sortimento de diversos ob-
jectos de novo e bom gosto, sendo pentes ora neos e
dourados de moldes enteiramente novos e moi a-
Chales de renda pretos.
Vende se chales de renda prelo a 4000, im;a
loja qoe pode vender na roa da Imperairiz n. >2>
I armazem da porta larga, de Paredes Porto.
m

m
-1
M
Vendem-se garrafas e botijas rasias e lava
das : na ra da Soiedade n. 38.
BOA E.vGOMMADEIRA.
Vende-se orna boa escrava, engomma e lava
perfeitamente e tem algum principio de cozina,
representa ter 30 aonos de irtade : trata-se na ra! _oe^n. n ",,nvaifl a 100 P
Nova, loja de miudezas dos Srs. Antonio Pedro de '"**M8 .covalG a *5UU rS' .
Soma Soares & irmo. i Moreantique preto superior
3^000 o covado.
: Grande sortimento de grosdenaples pre.o plei0 gommento de flvellas de madreperoia, ebris-
para todos OS precos. tal, tartaruga, e dourados, brincos de chnsial, e
' i 'Rotondas de seda riqusimas algerinas para jaspe, volUs e crozes de dito e amitos oulros objec-
' tos de gosto, os quaes continoa-se a vender commo-
dameole.
bomta nmmak
.decores propria para fm&tBS&HStt
vellas e briocos as mesmas circomstancias.
a 2$800 e Tambem recebeu algons cintos o qoe de ma;
moderno e bonito, se pode encontrar em tal genero.
Alm disso encontraro os preteodentes um cora
M
m
m



-



cortes de la eom iS co vados um 3SO0, lencos ,
de cambraia de cor para meninos e meninas, Q-jfientOras.
zia i200, chalet oe iiuUo tinos a 7#, 8, t2 e Goardanapos para meza a 3$500rs, a du-
18, retundas de liulw linas, ullima moda, a 8 e x\Z.
40,grosdeoaple eneoaragado, covado 1*800 e 2, Bnprorpc hates dp are/w a S/f200 rs
du-) com duas lareuras, cavado ^800 e 3, e oo- aiPeiawe8P3
tras muitas tazeudas proprias para a quaresma :
oa roa do Queimado ik. 43 e 43, tojas pioladas de
marello, oa esquiaa que volia para a congre-
gac^ !o graode armazem da ra do Apollo a. 38 e 40,
Veode-se por juoio oa a retamo o terreno sito! prqjo para uto armazem de assocar ou prensa
.no principio da roa Imperial junto a fabrica do vi- \ YEMIE-SE
nagre:: para tratar ca na do Imperador, o. 43.
\Veode-se om terreoo ua ra do Prcgresso,
tomio 30 ,pa Irnos de freate 380 de .fondo, existe
no mes mu 5 meias aguas .novas e bem construi-
das e urna excelleote cacimba com aguapara be
toer, a qoal -ende de 33 a 43; a tratar na roa da ;. convier e
Conceieo.do bairro da Boa-Vista o. 56.


DE
i.
%. 55. ALA 1
DE
VlfiNES-
IO 11PGRADOR N* So.
frente eom mais de 67 palmos de largura e 300 e
tantos palmos de compritrnto, todo ceberto e so-
bre arcadas e para comodidade dos compradores
se vende com o prazo de 2 annos oo o que se con-
vencionar urna -vez toe seja cora segnranca e pa-
gaodo-se i>ela demora um mdico joro : as pes-
compra podero eoten-
Penentes de madreperola, e enfeites filets
A loja de miodezas na roa do Queimado n. 16,
recebeu bonitos pentes com chapa de madreperola,
e novos enfeites hlels ornados de lantejoilas dou-
radas, moedlohas, aljofares, vidrilhos eu., tendo
grandes para toda cabega e pequeos paia cique,
regulando os precos de 2 4000 r.
B mitas caixinbas
com arraDjos dourados para) costura, tendo com
msicas e sem ellas. Vendem-se na ra do Qoei-
mado loja da miudezas n. 10.
Trancas pretas
com vidiilhos, e bicos com ditos e sem ellos para
enfeites ou vestidos.
Na roa d< Qoeimado n. 16 luja de miudezas a-
charo os preteodentes um bello sortimento dos
der se com Antonio Aires Barbosa na roa dos Gua- objectos cima ditos, cascarnlhas, franjas etc. ele
Vende-se a propriedade Viiaeao, eom meia | rarapes n. 7i. e tudo est sendo vendido por precos commodos.
legoa, matas, e terreoo muito prqpri para planta- i Cman ...a.:_A_ ja mHn*UA Bptes prelOS
iU0- Grande peciioeha de madapolao eom de vidro enfeitadoTo'Co.
q&es de.cana por serem de opluna produi'co
to as ladeiras.oomo as varzeas, acreseeodo ter op-
tino cercado j desmamado, iinuito perto da es
a vai'lt A loja de miudezas "n. 16 to. do Queimado
Paredes Porto vende urna grande porgo de ma- ,e.nde fnui bonitos booes pretos de vidro com en
tacio da via-facrea de Gameteira : a entenderse t r avarido, fazenfla de I0 e 12* a peca, a Mies de ac, os quaes muilo se uzam para eofeilar
com earlbolomej do Reg Barras., oo novoado de
Gaoideira.
Aviso
Na ra do Vicario o. 24, e&crjptorio,
veode-se .cera de carnauba de
qualidade, por barato prego.
superior
| um principiante que
cora pouxo diobelro
Uve da venda.
u
Os ftanos desta antiga fabrica slo hoje asss coanecidos para qoe seja aeceseario insistir sobre a
ua .sopnrioridade, vantupens e garantiai .yue orlereceiu aos compradores, qualidades estas incontesta-
u> qoe -edles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido uesta praca ; pos-
fuindo um teclado e macbinismo casca falnar, por serem fabricado* 4e proposito, e ter-se falto ltimamente melhoramentos Importan-
tibsnos paca o clima deste paiz ; quaato s votes, sao melodiosas e flautadas, e por isso muito agrada-
ais aos ouv*os dos apreciadores.
fiazem-se conforme as eoeommenag, nlo aesta fabrica amo na do Sr. Blondel, de Paris, socio
correpondente de J. Vignes, em cuja capital foram eerapre premudos em todas as eiposicoe*.
to mesmo estabelecimento se achara cewpre ou explendldo variado sortimento de macas dos
nelboraa aotores (la Europa, assim como bariaooieo* e pianos narmonicos, sendo todo eodide por
precos .earamodos e ratea veis.
lleoco
m Na ra do Vigario n. 24, escriptorio,
s vende-se vetas de cera de carnauba de
9K superior quadade por preco barato.
ffattIKKftffffK
' Vende-se a labernajsiia ju ma dos Coelti..
u. i, propria para um principiante, por ser de pon
ot fundos, bem collocada, e pintada de novo : a
ilrjar na roa da Madre de eus n. 33.
Moleque de 18 annos
Vende-se um moleque de idade de 18 annos,
sadio a sem vicios : na roa Larga do Rosario
o. 30,
40300 e 7 com pequeo toqoe : na roa da Impe- vesUdos, quem os pretender pode dirigirse a dita
ratriz n. 52, armazem da porta larga junto a pa-' loj o roa do Qoeimado.
aria franceza. leiidrm se na leja de nlndezas
~ Vende-se e faz-e todo negocio com o depo- j a roa de Qaeimado B. 16.
sito da roa do Vigario n. 29, muito proprio pera! Boratos leques de sndalo e outras qualidades.
queira principiar sua vida
ao comprador se dir o rao- <
Bonitos cilos com flvellas de diversas qualida-
des e moldes.
Brincos e cruzes de crystai.
Abotoadoras de dito para coletes.
Bonilos porl-relogios.
Delicadas caixas com msica e sera ella, para
costura.
Agolnas e linhas para ebroenet.
Retroz sopenor em carriteis.
Rendas pretas e bicos coro vidrilhos.
Fitas de velludo com listras dt cores para en-
feites de gorros e vestidos.
Ditas de grosdenapoles, lisas e lavradas, brancas
Contina haver pao de Senteio nos das qnartas i e matisadae.
e sabbados, na padaria de Santo Amaro, alraz da
Bride* e pieadeiras de Ipejeca
Vendem-se a roa do Qoeimado loja de
Atevedo & Iroio.
< mmm-mmms
pao de m\m
PECHINCHA SEN IGUAL
Ricos cortee de gorguro de seda pretos adamascados para vestido eom 13 metros
ou 18 a 20 eovados cada corte, larpnra de chita franceza, pelo baratissimo preco de 50
cada corte : oa loja das coiomnas da ra do Crespo n. 13 de Antonio Correia de Vascon-
celos & C.
Ama.
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descarocar
algodo : na ra da Senzala nova n. 42.
fundico, e no Recife, roa da Cruz o. 46, ra lar-
ga do Rosario, taberna da esquina n. 50, ra Nova,
armazem da Liga, roa da Imperatriz, taberna do
Sr. Lemos n. 34._____________
Vendem-se 400 pedras para ladrilbo, viadas
da Una : a tratar na roa do Vigario o. 14.
CARNAUBA
Grande armazem de tin
tas medie? mentos etc. |
Ba do Imperador o. 22.
Joo Pedro das .\eve* (ge-
rente) lem a Tema e
segntate:
Productos chimicos e? pbarma-
ceuticos os m S medicina.
Tintas para todo o genero de pin-
i tura e para tinturara.
[ Productos induslriaes e tintas
f para flores, como botes de flores
I e modelos em gesso para imitar
; frudas e passaros com o compe-
tente desenlio.
Productos chimicos e industriaes
para photographia, tinluraria, pin-
tura, pyrotecnia etc.
Montado em grande escala e sup-
prido directamente de Paris, Lon- ^
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa
pode offerecer productos de plena
m confianca e satisfazer qualquer en-
y& commenda a grosso trato e a reta-
|tf lbo e por preco commorV.
AttencHo!
Atten^o!
Attengao!
(iraiide sorliuieutode fazendas pro-
prias para a i>uarcsm*.
Acaba de rhegar a este nevo esiabelecimento
um giaode e variaJo sortimento de fazendas no-
prias para a quaresma, a saber :
Gr sdeiiapl s preto a I06OO o co\ado.
Vender um grande sortimento de grosdeoa-
ple a litiuo, 14800. ty e 24500 o covado ; dito
muito superior a 800e 3 : na ra da Impera-
triz n. 72. loja de tjuimares & Irmio.
Moriantique preto a 2A800.
Vende-se um grande sortimento de moriantique
a 2J800, 34 e 34500 a covado.
Chales de renda pretas a SA000.
Vende-se tambem um variado sorlim nto o> cha
les de renda a 84, 94500 9 104 ; ditos muito Uno.-
a 114 e 154 : ditos de seda faztoda muilo tina
304000.
Reondas pretas a i.
Vendem-se retoodas pretas pelo barato prtco de
104 e 114 : ua ra da Imperatriz n. 72, loja de
Guimares & Irmo.
Grande pe< bincha panno preto a 2(0000 o
covado.
Vende-se panno preto proprio para cakas pa-
litots a 94 e 24200 o covado ; casimiras pretas
a 14800, 24, 244OO e 24500 o covado.
I' nuil* Barato cortes de casimira a 3.->:>(io.
Vendem-se cortes de casimira preta a 34500
44 e 44500 ; dita muito Gua a 64.
Admira cortes de brin de cores a
Vendem-se coi tes de brm de cores para caica a
14280,14600, 14800 e 24 : na ra da Imperatriz
o. 72, loja de Guimares E' baratissimo a 120 ris o colado.
Vendem-se riscaduihos muito propnos para rou
pa de escravos, a i20ris o covado-, ditos t-coco "
zes muito fios a 240, 280 e 300 tis o covado.
Laazinlns a 300 rs.
Lazmbas de quadrinnos a 300, 30, 360 e 400
rs. o covado ; ditas multo finas a 500 e 560 : na
roa da imperatriz n. 72, loja de Guimares A Ir-
mo;.
Cortes de lia a SfiCCO.
Acaba de chegar a esta importante esUbeleei-
mento um sortimento de cortes de la qne se ven-
de por 54 e 54500; ditos a Maria Pia, fazenda
Vende-se cera de carnauba
era outra qualquer parte : na
Dos 0.5.
mais barata do qoe
ra da Madre
ose/vico iniarno
pooca familia : oa
Precisa-se da urna ama para
no e externo de urna casa de
rea do Torres n. 14,2* andar.
______^_^___
- Quem tiver para alagar orna escrava qui
cosinhe e engomme, appareja a' roa do Trapiche
n. 14, segaoo andar, ou aoouocle para ser pro-
curado.
. Vendem-se urna perfeila inocamba, 3 etera- .
I vos, nma linda moiss, nm bonito moleque, am cercado bem tratado.
< bom escravo, de idades de 13 a 20 annos e de 30
a 40 di los: na travessa do Carmo n. J.

MOTTE.
O rochedo e os diamantes.
O aballo aesignado pede ao sen espacialisstmo
amigo Jos Plr, para que gloxe o molla cima,
Hdame Frederica.
Lia de barriguda, o qoe de meloor ba para
eocher travesseiros : vende-se na ra da Madre
de Deus, no armazem junto a' igreja.
Vendi*-se um eseravo com algum achaque
que tem o offlcio de alfaiate e por batato preco, i
assim como um mulato de 30 aonos, pooco mais
ou menos, sendo boa coxiohelra e engommadelra,
propria para qoalquer casa de familia: a tratar
na roa estrella do Rosario, loja de miudezas,
n, 2,___________________^^^^
Vende-se um carro americano com quatro
asseotos, puchado por um cavallo, leve, em muilo
bom oso ; a tratar na roa da Florentina, cocheira
de Grosjean.
Vende se ou arrenda-se o eogenno Acauass,.9* a P*?3 n retalhou a 280 rs.; esta grande
moeate e eorrfoie, distante da praca tres leguas, I Pichincha liquidase por este pre$.i na loja e arma-
sito na fregoezia de Jaboatao.seu lerreno de boa i*ero do P*0. ri>a da Imperatriz n. 60, de Gama o
prodoeco, com mallas bem conservadas e com k|lva- '___________________________
Tambem se divide em pro-
priedades ou sitios, a vootade dos compradores,
sendo uns pelo rio Mocahiba e oulros pelo rio
Grande peckmcha
Em chas.
A meia pataca.
A meia pataca.
A aiela pataca.
Vende-se na loja do pavo um grande sortimanto mado ,oja j.^,, braDCa 8
; de chitas ingletas, sendo rotas e rdr de rosa, eom '------ .--------------__
p^droes mais mindos e mais graddo3, aftlancando-
I se ser de cores tizas, e vende-se pelo baratissimo
preco de 64 a p*>ca, tendo 38 eovados, e retalha-se
160 rs., sendo fazenda que sempre se venden a
colares Roycr 011 colares ano-
dinos
para facilitar a entico das chancas e preserva-
las das cdnvulsdes.
O feliz resultado obtido iramensas vezes pela
prodigiosa forca magntica dos colares Royer, nos
casos de convulsoes, e denti^ao das criancas, tem
altamente elevado o seu bem merecido prestigio,
e hoje ja se pode dizer qoe esto feralmente con- aaiio moderna a 12,' l^iaiTdoi''dtto
ceituados, e estimados de ranumeraveis pais.de camisioba, cinU e grvala a 254 e 284.
familias : de uns porque do oso d de coUres viram salvos do perlgo seos charos filbi- vJSSt^ZX i f.g r<.
nhos, e de oulros porque colberara daquelles lio J^tS* &t ZTT ,chMas a,M0'
- i proficuo exemplo para igoalmeme preservar os! fii7n n^ ; S P,eclares
seus. Assim, pol=, a aguia branca, tendo etn vis- Vr' *?" e. _0j
I Us a ntllidade e proveit- desses prodigiosos cola- tamDraias de Cores a 29O IS 0
j res anodioos ou Royer, maodou vir o nove sorti-
mento que agora recebeu, e cuntlnuir a recbe-
los para que em lempo algum a falta delles possa
^ser funesta aos pas de familia, os quaes ficaro
certos de os acbar constantemente na ra do Quei-
untarn l.-.i ^mU !>.<. > a
m.
Acauassii : para qoalquer dos referidos negocios j No armazem da roa do Imperador n. 3
procorem nos Af< gados o coronel Jos Gomes dos J Caes de Pedro II n. 2, tem para vender-se
bor gas existente no mercado.
Santos Pereira de Bastos.
Na ra da Cadea do Recite n. *, 4 andar,
vende se doce de goiaba api latas de 4 libras a
14500 a lata.
ou no
o me-
Vende-se orna loja de cbaiutos cuja armacao
a dous flteiros naa cede d 160| ; quem qoizer
dirijasg a 10a do Gabag n. 1 R,
*C.
Em casa de Kabe Scbmetau
roa da Cadeia n. 18, vende-se:
Cbampanba.
Cognac de superior qualidade.
Vidros para espelhos de todos os tama-
nhos tudo a precos muito commodoe
Fa relio
A' 4#SO
CQVdQ
Vendem se canil raias francezas a 280,300 320,
360 e 400 rs. o covado.
Cambra'as lisas a 3.O0O -s. a peca.
Vende-se um grande sortimento de cambraias
lisas pelo barato preco de 34, 34500, 44, 44500 e
54 ; ditas muilo linas a 54500 e 64; ditas victoria
a 64500 e 74; ditas de urna vara de largura a 84
e 94 ; ditas pira forro a 14600, 24e 24200 : a-
ma da Imperatriz o. 61
ROUPA FEITA.
Vende-se um completo sortimento de roupa fe"
ta felta. assim como >ejam palilols, calcas, toleie,-
; camisas trncelas a 14600 e 1800; ditas (loas *
! ?* de ,l?n0 '50. 34 e 34500 ; seronlas dtf
14K), 14400 e 14600, de linbo a 24 e 24500 : o
, ra da Imperatriz o. 72, loja de Guimares & Ir-
mio.
Vende-se urna capa de gorguro roxa
Ra da Madre de Deus n.5 %^S?Z%,in*'
Saceos grandes farello novo. n. 4.



>

ra da Roda
'm.^*
- '>'


r
-.*
866.

P1M A #1ARRHH V
Chegaram a loja de Augusto Porto & C.
11 Ra do Qucimadoli
Superiores cortes- de sed pela.
Molreantiqoe pretd lie flores e de listas bellos padrees.
Grosdenaple preto de diversas largaras e qualidades.
Retondas, bramos e chales de guip e de retidas.
Pannos preWs easemiras preta*, borabasina?.
Lias, canto, merino e selestrrnas pretas.
Lindas mantas de seda para pescoco.
Ricos certas e seda de cores para bailes ou casa manto?.
Ricos cortinados bordados dos mais bellos desenos.
Moir branco, seda branca, capellas e mantas-para noivas.
Bellas colchas de seda 4*la e seda para cama de noivas. -
Salas de flnissima carobrala ricamente bordadas.
Pazendas de pregas para saia que se fuera com ama s costura e tambera tem con]
o cordao'teddo.
Madapolao franeez a 400 e 480 rs. a vara.
Alcatifa da liona para salas e gabinetes a 430 rs. o covado.
Fazenda especial de qoadros para fuer redes a 3*500 a van-
s Superiores esteiras da ludia para salas.
II Roa do lueluiado11
NOVOS GERENT
DOS /
4J^|iZMM& -a MfOLAHOOS
.NOMINADOS
padwisssv^8*60 ,<3Carmo n- 9
jjj^q pMMERCIO" roa do Queimado o* 7.
VEft|VdEIG PRINCIPAL ra do Imperador n. 40
i *
/' DE
rUARTE CARVALH6 PERtRA *ft
CONSULTORIO ifflMCO CIRURGICO
DR. PEDRO DE ATTAHffi:tSb8jSC0SO,
MEDICO, PAttTEIRO-JB OPBR1
3 Ra da Gloria,
Fundao
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidad^ aos senhores de en*
CenH' lavradores e mai pessoas do ceutro, que para mat facilitar soas compras deli-
Varam os propretarios->dos tresi grandes armazens, reunir todos os seas estabeleci-
Jientos em ua s annuacio, peto-qual o preg de um ser de todos, prmette*|
O Dr. Lobo Mostoso d consultas gratiHtaraoafpbres todos os das das 7 4s ({
Horas da mankao,dfi e meia s 8 bom,d*8i?i*ttepco dos dias santificados.
Pharmacia especifelmeopathica
No mesmo consultorio ba sempre o mais apprsprianV sortimento de carteiras
tobos avulsos, assim como tinturas dewias dymnamisai;es e pelos procos seguintes'
Carteiras de lHo*Dtrandes. 12^000
> de 24 tobos grandes. 18,5000
da 3MttfcS|aj)des.. 244000
temmmimfa- 304000
de 6rJtubos graorbs. 354000
Prepara-so qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco, de tintura de meia onca 14000.
Sondo pitra -cima de i i cusUrlo-cs^re^s eiUbJecido* .para-. carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris..
MVItON.
<
A memor obra da homeopathia, o Manual de Medicina1 Bofireopatnico do.Dr. Jaib
CORTES BE SE DA
Chegaram pelo paquete inglet riquissimos cortes de moreantiqae de cores. S8fl* ''"**
tres nteiramente novos. 3
Seda de quadros por 1J000 o ovado
5-RUA DO CRESPO-5
Gregorio Pe* do a mar al Compannia-
*os que nao infringiremos a tabella qH abao vai pobcado, annanctar os gneros 'ous grabes vdumescom diccionario......... '204000
por um preco, e na oct%tto'^ compra quererem por otr tomo socede constante-] Medicina domestica do Dr. Hering....... 104000
outras-maitas casas, pdrm nos nos:os eaeteeTtaentos nao se daristo' Repertorio do Dr. Mello Moraes-.........'. '. 64000
eo*prejuizo nosso, qualqoer pessoa poder mandar sus fmulos que Diccionario de termos de medicina........ 34000
Gros de; aples preto a 14500,14600, 24, 34, 34500 e 44 o covado--
Gorgurlo preto de superior qualidade a 24500, 20800, *fjf o co-


Superiores moreantiqiies a 24500, 24600, 34, 34500, 44 e- Sj^OOCPb
covado.
Bons cortes de moreaptique.
dem de gorgaro adamascados.
Bons pannos e easemiras.
Sup riores-alpacas, prinoetas, merinos e bombazinas.
Bons villudos pretos.


Grande variodade de
104, 124, de460 a 20*,-
lbales de fil preto e deguipure a 54, 64, 84
de 254 a 804 cada'uni.
Superiores retondas db fil preto e de guipure a 84, 104, 125 e 254,'
e de 304 a 604 cada urna.
Superiores algerienes de fil preto e de guipure de 124 a ibfi, <
304 a 604 cada urna.
Bons bailes de seda
Ditos de Merino pretb
3reta,
bordados
e outras muitas fazeadas pretas que
seria enfadonho enumerar, na
IiOJA llJJi COIal5M3AS
DE ANTONIO CORRElA DE VASCONGELLOS
RCA DO CRESPO S. 13
mente em
ainda mesme
ierao tambem serid"oa como viessmJpesoalme"ntefzendO'noe o^avor de-mandar seos
pedidos em carias feixadas; para etftar qualquer* fnganes, ?ens>|end|) 4b uml conta
pela qual se ver os presos tal qaal annusjciarM, of queseStl artepMeii(>es9oa
llguma que fizer sot despenea em aossos esUfcalecimentae; neis poaptr mais de
5 por^eoote na sua despeza diaria.


li
& C.
RA DO B1UH HT. 38.
0 proprietario deste estapelecimento deseja chamar a attencSo dos senhores pro*
pr i atados aos acre litados mecbanismos que continua a fornecer ; os quaes garante ser,
:ooi) sempre, da melbor qualidade possivel:
Machinas de vapor
sde
acabando com a
do trabalbo que
fofa de 2 l/t cavallos para cima. As menores s5o mui proprias para motare
dev-arocamentos de JgodSo; as maiores para moer canoa; ha tambem que poden junta
r u reparadamente moer canoa e descarocar segundo snas proporces. Estee vapores
sao simplissiraos na c.nsirucco, e seregem por qualquer pessoa intelligente, a facihda-
de la condueco sendo especialmente considerada, tanto que nao ha lugar em que no
se ;j)SsamconJuzir, qir por trra, qur embarcado. Ha com moendas juntas ou sem
ellas e podem-se applicar a qaalquer moenda ja esisteute sem ontra mudaaca do que
a substituico das rodas da almanjarra. Ellas tem depsitos d'asrua e boeiros de ferro,
e d3o precisam para o seu asseotamento de obra alguma, qur de carapina, qur do al-
venaria. O tempo para assenta-las nao exceie d doze dias ao mais, e em casos de
morios de aBtmaes ou arrombamentos de acude?, etc., garante-s o asseotamento era
oito dias. Lembra-ss aos senhores de engenho que a venda dos animaes e o servico da
gent oceupada no seu tratamento os ho de recuperar da maior parte da despeza do
vapor deixando-lhes a vantagem de urna moagam certa e accelerada; e *
despeza da compra continuada 4e novos an'.maes. com os desgostos
se tem com elles.
Rodas Tagua de ferro, mui maneiras e moendo com quatquer altara
arilhos eom cruzeas de ferro para as mesmas, quando se desege faZer
e resto da roda de madeira, tornando-se aseim a roda ligeira no trabalho.
Hocndis de' eamaia de todos os tamanhos, desde as mais pequeas chama-
das do sert5o. Obra perfeita em feitio e acunhamento.
Rodas de espora e angulares de todos os tamanhos e proporgoes.
Paroes ou edenes para receber o caldo.
Crlvos de fornalh' para assentameotos, frescos para o foguista, fazendo
grande calor com pouco combnstivel, e duradouro.
Portas* de fornalh de todos os tamanhos e de diversos systemas.
Fomos e molnnos para a fabrica de farinba e tambem chapas redondas
pira fomos pequeos.
llorabas simples e de repucho.
Talsas de ferro batido e fundido e de cobre.
Formas de ferro batido galvanisado para purgar assucar, leves para Carregar
e isemptos de qnebrar-se.
Alambiques d ferro de todos os tamanhos, costando s a terca parte do
preco dos de cobre, mais regulares na distillfcao e igualmente durareis.
E!lxos e rodas de carro com mango de patente, obra mui segura para
cirregacao de peso.
Arados, grades, eneliados acavallo e outros instrumentos de agri-
cultura. E finalmente todo o objecto de qtie possa precisar um engenbo.
Machinas de1 descarocar algod&o.
Na fabrica se fazm obras aovar eoeommenda e concertos, com a maior preste- Vendem-se, aa livraria da praca d Inde-
zt e solidez. 0 grande deposit de pecas e objectos habilitam-na moito para este fim. pendencia n. 8, a 400 rs. o volhnw, os ro*
0 proprietario ser sempre mui-feli de poder ter occasio de dar mformacOes oa juaneesportuguezesseguintes, embrochura:
e.-.iarecimentos aos senhores que se servirn' de sen prestimo.
D. W. Bowiian, engenheiro
HliA DA
Manteiga ingleza perfeitamente flor che-
gada oUimament!a-l,ooe* rs; a'Kbra, e
em barril ter abatimeoto.
Manteiga 'fraticeza da safra nova a 8oo rs.
a libra 'e em barfiftefa batrtabfitb.
Banha refinada superior a 64o rs. e em
barril ter batimento.
, CHA-
Cha uxim dprimeira e superior qualida-
de* SiWeMrs;1
dem..hyssea o mejhor neste" genero a
2,6oo rs., e sendo em por cao t era aba ti men-
t, tambem1'ha proprio paranegacie de2 a
2,4oOTS.**a libra.
dem preto superior de l,8oo a 2,S'oo rs.
a libra
Biaeoutos
Latas ooft'snperiori)iscouto inglez de di-
versas marcas a d,2oo rs; a lata.
BolateMnhas
Latas combolachiohas'da acreditada fa-
brica do'beato Antonio; proprias para dar a
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata
dem com quatro libras de bolachinha de
soda a 2,ooo rs. a lata.
Qneyos
Queijos flamengos chegados pelo ultimo
vapor de 2,3oo a 2,5oo rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespaaboi l.ooo ei,2oo rs.
a Hbra, frttncz e snisso- ari.ooo rt.a libra
e portuguez a 800 rs. a libra, em porcSo
ter abstimento. >
ViNHOS '
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: MadeiraSecca,
Duqae do Porto, Velho Secco, Lagrimas do
Douro,Mara Pa, D.Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a l,ooo a garra-
fa e 9,ooo a 12 ooo rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e ooo rs. a garrafa, e a 3.ooo,
3,ooo e 4,ooo rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 64o
rs. agarrafa ea 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de, Lisboa e Figueira em
ancoretas de 8 e 9 caadas a 24,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha maisbai-
xo para' 4oo, 5oo rs>a garrafa e 3,2oo a
A5oo a caada.
Cantas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Brdeaux a 7,ooo rs. a caita e
7oo rs. a garrafa.
CAFES
Caf do Rio de i.* e 2,* qualidade de
6,8oo a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
SABIO
Sabio ma?a de pftneira qualidade de 24e
rs. a libra.
Serveja
Superior servej a Bass. dos memore fa-*
bricantes, como sejam: Shlers & Bell. T. F.
Ashe a 7,5oo e 7,ooo rs. a duzia e a 7oors.
a garrafa. Tambem ha de outras mareas
como seja: Victoria e Alcope a 5,ooo rs. adu- 'bra.
zia e a 5oo rs. a garrafa.
BOlOES vasios.
BoiOes vasios, lou$a ingleza muito pro-
pria para manteiga e deposit de doce de 4
a 12 libras a l,2eo e 2,5o.
FARINHA DO MARANHO.
Farinba do Maranbao a 240 rs. a li
SAG'.
Sag moito novo a 4oo rs. a libra.
ARARirrA.
allbra.
vinagre
Superior vinagre de Lisboa a 2,ooo rs. a
cnida e 280 rs. a garrafa. Tambem ba
mais baixo para 2oo rs. a garrafa e l,4oo rs.
a caada.
Afeite- doce
Superior azeite doce de Lisboa a 7oo rs. a
garrafa e a 6,5oo rs. a oanada.
FlnrO CAPORAL,
Latas com superior fumo caporal a l,8oo
rs. a lata.
Passas
Superiores passas a 2,5oo o qoarto e
9,5o r$J-ata-de arroba hespanhola e a
56o rs. a libra.
GEVRBRA
Genebra de faranja verdadeira a lo,5oo a
dziae l.ood'rs.-aofWascO'.
Genebra -d Hollanda verdadeifa a 6,000
rs. afiasqueira e a 56o rs. o fraseo.
Idom de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da ums.
Garrafes com 24 garrafas de genebra de
Hollanda- a 8,000 rs. o garrafo. Tambem
ha garrafes com 5 e 14 garrafas de 3,2oo a
6,000 rs. cada um.
VELAS
Velas de spermacete a 6lo rs. a libra.
dem de-carnauba de lo a 12,ooo rs a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
PEIXE
Peixe em latas j preparado de l.ooo a
l,2oo rs. a lata
ALPISTA E PAINCO
Alpista e pam?o muito novo de 3,8oo a
4,000 rs. a arroba- e de 14o e 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS.
Superiores charutos do fabricantes Simas,
Imperiaes, Delicias, Parisienses e outros de
2,2,5oo e 3,000 rs. a msia caixar tambem
temos Suspiros, Havaneiros, Ligueiros e
outros muitos que vendamos por mdico
preco.
Licores
Licores rnceaes e portugueses- a l,ooo e
l,4oo rs. a garrafa ou frasco.
Doees
Doce da casca da goiaba em caixes e la-
tas al,2ooocaixSo e 2,800 rs. a lata.
Frutas
Frutas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muito bem eofeitadas, conten-
do pera, pecego, ameixa rainha Claudia, al
perche e outras frutas a oa rs. a lata.
Tambem ha latas grandes para~li2eo rs. a
lata.
AZEITE DE REFINADO
Superior azeite fraoGez refinado a 8,000
rs. a garrafa e a 9,ooo rs. a duzia.
MOLHO INGIEZ SAUCE
Molbo inglez Sauce em frascos grandes
com roma de vidro a l,8oo rs. o frasco em
duzia ter a batimento.
BATATAS.
Gigos com 3o libras de batatas a l.ooo rs.
o gigo.
SARDINHAS.
Latas com sardmbas de rfantes e Lisboa
de 4oo a 46o rs. a lata.
FUMO AMERICANO.
Superior fumo em chapa a 1,400 rs. a
Os remedios deste estabelecimento sao por dentis conhecidos e dispensam por
tanto de serem Devnente recommendados- as pessoas qtre qnizerem usar de remedios
Verdadeiro? onergicos eduraderes': ha todo do meftforque se pMe desejar, iobos de
terdadeiro assuear de leite, notaveis pela sna boa cooservar^O; tintura dos mais acredi-
tados estabetecimentos europeos, a mais exacta e acorada prepjracSo, e portante a maior
energa e certeza em seus effeitos.
Casa de saude para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fezerrse-lhe qpalquer
operacSo, p.ira-o que o annnnciante julga-se suffcientenente habilitad.
O irat^mento o melbor possivel, tanto oa parta alimentar, cerno na mlica,
fuaccionaudo a casa ha mais de quatro.annos, barauita pessoag detcujo xonceito se n5o
pode duvidar, qae podem ser consultados per aquslles que desejarem mandar seni
doentes.
Paga-se 25 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 1500.
As operacoes serSo previamente ajustadas, seno se quizerem sujeitar aos preces
razoaveis que costuma pedir o annuncicnte.
ARMAMEM HE FAKE^TDAS
DE
CUSTODIO CAH VIUO C.
27 RA DO QUEJMADON.^7
Madapoln franeez muito fino, tendo pouco molo, cada peca com 27 varas por
105000.
L5a de cores a 300 rs. o covado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a preco de 800 rs. a vara.
Lencos brancas para algibeira a 2#TO0 a duzia
Fins perclaras a preco de 400, 440a 560.rs..o covado.
Ricos cortes de.l3a de barra de 10A\a 300000.
Chales de fil preto e outras muitas. fazeodas.


libia.
ERVILHAS
Latas com ervilbas e feijao verde j pre-
parado 84e>Ti aflata.
MASSA DE TOMATE
Latas com 1 libra de massa de tomate a
64o a lata.
VERMUTH
Esta bebida muito fresca e estomac d e
muito propria par. a: presente estac5o. a
qual vendemos a-2;ooo rs. a garrafa e 18$
a duzia.
Aramia verdadeira a 4oo rs.
Pimonta, cominho; cravo, camella, ervadoce, alfazema, tijollo para limpar facas pa-
litos paradentes, palitos de fgo, e ootros muitos gneros que se toreara enfadonho
mencionar, afiancando ciacepidadeinos precos e o bom acondicionamento de qualquer
gemro.
R014NCES BAR4T08
CAI1EIA W.. 50 A,
CootiDoa a ter grande e completo sortimento de -
Machinas americanas para demvcar algodo
dos melhores fabricantes de iO.,12, 14, td, 18,20 23,30 e 35 serrotes que as vende por preco resu-
mido, em '.:on=eqoencia de oltimamsotess ter recebd>>ile ewta propria dos Estados-Ornaos.
A voz do sangue, 2 volumes.
Connemara, 2 ditos.
A noite d S. Silvestre, 1 dito.
O filho de Titiano, 1 dito.
Adonis ou o bom negro, linto.
As duas amadas, 1 dito.
O pacha de Buda, 1 dito.
Trilby, 1 dito.
Igoez de la Sierra, 1 dito.
Joven Siberiana, 1 dito.
Na fabrica de vinagre, roa Imperial n. 1,
prximo a estacao do caminho de ferro, vndese
vinagre Unto superior em qualidade a oulro qual-
quer, e por prego mdico, assim como branco e
lmiulut.
"CeYadinia-ie Franca
a 160 rs. a- libra, de 8 Wbra para cima a 110
rs.: no armaiem da Liga, roa Nora n. 66.
Cal de Lisboa.
VMfttM na roa do Brnm n. 66, &$ o barril.
Pare 48 bailes Bascara dos.
A a guia branca esta vendendo por barassimos
precos, para acabar, os objectos seguales, que ser
vem mol bem aos que tomara parte nos bailes mas-
carados, sendo :
Meias de seda a t o par.
Eofeites de llores a11 a, 24 e 3 cada um.
Pitas tarradas de 320 a 1 i a vara.
Cintos' largos com pontas cahidae.
Veude-se ama masseira de amarello em per-
feite fiado, e mais pertences para urna padaria,
na estrada nova, segnnda taberna a direila, depolt
do sobrado grande: a tratar na mesma, das 4
horas da tarde em diante.
Pechineha
Na roa do Qneimndo n. 40
Cortes de laatinha de cor, bonitos gosto?, com
18 corados a 3*600.
Cassas1 organdys de cores, eovade a 240, pejas
de algodiotlnho largo com 17 varas a 4.
Ditas de dito com 17. varas, muito encorpado,
com peqoeho defelto, a tfSOO.
Grwdenaple preto moito superior, covado 2|.
Dito dito a 1*600.
Retondas de renda preta a 10*.
Chales de renda preta a 8*.
Novidades do Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Este estabelecimento apezar de sempre
se achar bem sortido com fodos sabem,
hoje mais que nunca, n5o s pelo que rece
be de sua propria conta, mas tambem pelo
que recebe de consignaces; parece sem
lvida que deve offerecer grandes vanta?
gens para o respeitavel publico tanto em,
precos como na escolha dos objectos, e co-
mo acaba de ebegar grande remessa pelo
vapor Douro e o navio Solferino de
diversos objectos de gosto e proprios do
tempo dos quaes se mencionado alguns,
por nao ser possivel mencionar todos. O
dono deste estabelecimento espera a pro-
tecc5o de todos.
Riqnissimas caixinhas ornadas e com
msica propria para nm delicado mimo.
Caixinhas de msica tanto de veio como
de corda.
Ricos porta joias e necessarios.
Riquissimos est jos a feitio de um bausi-
nho ou chapeuzinho.
Ditos em casca de noz e de outros gostos.
Leques de madeperola de sndalo e de
faia e madeira.
Chaposinhos e touquinhas de muito
gosto para criancas.
Meias e* sapatlflhbs de seda para asmes-'
mas.
Meias de seda pata senhoras.
Capellas e gr i na Idas de- flores- proprias
para casamento.
Enfeites e capellas de muito gosto para
seuhora.
Riquissimos porta boquets.
Boquet de Adres com urna borracbinha
com cheiro.
Luvas verdadeiras de Jovin.
Ditas de seda e de Escocia.
Riquissimas plumas e guarnieres para
enfeitar chapeos.
Contas e tubos de ago branco, que ha
muilo se desejava para enfeites.
Brincos, fivellas e cruzes de crystal.
Fivellas e cruzes de tartaruga, madripe-
rola e dourados.
Alfinetes para grvalas.
BotSes com croas para puhhos.
Gravatinhas e mantinhas de muito gosto,
tanto para homem como para senhora.
Riquissimos aderecos pretos, assim como
caixinhas com alfinetes pretos.
Bengallas de cama com cabo de marflm.
Ditas de baleia, borracha e de-outras
muitas qualidades, asaiocomo cbicotinhos.
Riquissimos pentes de tartaruga do ulti-
mo gosto; assim como de arregaco para
menina, pois neste artigo ha um completo
sortimento de- todas as qualidades.
Diademas para cabeca do ultimo gosto.
Riquissimas fitas lavradas e lizas.
MACHINAS DE PATENTE
DE TRABALHAB M5 PARA DESGA-
RO^Alt ALODO
FABRICAD* POR
PLOT BB0THEB5 & C.
OLDAM.
Estas machi-
nas podem des-
carocar qual-
quer especie de
algodo sem
estragar o fio,
sendo bastante
duas pessoas
para o, traba-
lbo; pode des-'
carocar urna
arroba de al-
**^^ godSo em ca-
^ ropo em 40
minutos, ou
18 arrobas por dia ou cinco arrobas de al
godie limpo.
Assim como machinas para serem movi-
das, por animaes, que descargara 18 arro-
bas de algodo limpo por dia; e motores
para mover urna, duas ou tres dessas ma-
chinas-.
Os mesmos tem para vender um bellissi-
mo vapor que pode fazer mover seis destas
machinas mencionadas; para o que convi-
da-se aos senhores agricultores a virem ver
e examina-lo, no a mazem de algodo, bo
largo da ponte nova n. 47.
Mamadera Brothers tflr. C.
Rectfe praca do Corpo Santo n. li.
Os nicos agentes neste paiz.
O castello de rasville.
Trattiide do fraieei per i. J. C. da Crnx.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo prego de 300G
aa praca da Independencia, livraria ni.
6 e8.
Trancas pretas com vidrilho e de cores.
Pulseiras tanto- para senhora como para
meninas.
Ligas de seda e de algodo.
Suspensorios de seda e de algodo e mui-
tos outros objectos que se nao podem an-
nunciar por nao se tornar enfadonho.
S no Gallo Velante ra do Crespo n. 7.
Framdseo Jos Germano
Wk NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gosto da Europa e ocu-
los de alsance para, obaervaces e paraos
maritimos.
Manual do Cidadao
Vende-se o Manual do Cidadao em nm
Governo Representativo on principios de
Direito Publico Constitucional Administra-
tivo e das Gentes, por Silvestre Pinheiro
Ferreira, em 3 vokimes broxurados por 3^E
cada obra : na livraria n. 8 da praca da
Independencia._______________________
Na roa da Praia n. 10 vender om eacnvo
crioalo'com fUide d annoe, o mate proprio ars
todo o servico.______________________^
ReupaS faitaeie todas as qualid
calca:
>delinbo
s de
Vmde-ee refle* fata, sendo
pardo a 2*, ditas de brim branco
e 4*. calcas d eaeralr preta !#, 6* e flK di-
tas de ceresv- aaelatasetJif f a 3f. tr 3*00, ditas
de casemirr 6*. 7* -8^ paMtMs de brim do
cores a 2*, 3*900 e 3*, ditos dr Mm bmeo a
a 4*500, ditos de alpaca preta a 3* e 4*. dttoe de
casemira de cores a 5*, 6, 7, 8 e tOf, Meo e
panno relo a *, 7, 8 e 10*, oollato de ooms a
1*600, de casemira a 3* e 4*, ceronla franeea a
1*600 e 1*JO0, camicw francesas Anas brancas e
peilos de eores a JTe 4*890. ditas inglexas de ti-
nao de prajM larga* a-l*50, 3* e 3*008 : aa
ro d Iro*frtii,.toja ^ Arw n. W.
Lov s t Jvbti aretas e titrts
wreS-
Chegaram para a loja de miudas
Qaeimado n. 16.
na roa
/o



4666.

V
immf W r*irH frtftfeesa de
^arrales Iarto.
NeiteeetebelBeitteflo'encontrar o respelutel
pablMam arMk atrlNMato 4e fateodas freoc-
us, iaglezas, sulssas e alleme, qae se teaderao
por prejo commodo.
Paredes Porto
Vende chales de renda de cores qoe se vende-
ra a 4 est Yeewto por 6*, dites pretos, fa-
xenda aova, 64, *, 8* a 2*, um sertkoento com-
pleto, de manteletes, capas- e.sooiaaiberques 14* a
25*. Roa da Imperatriz n. 42, junio a padarla Irn-
cesa, armazem da porta larga.
Paredes Perto
Receben nm completo sortimento de Ilasintaas a
240, e MO rs. corados, par-acabar, cambralas de
cor a ttO rs. o covado, riscado escosser para rou-
Ki de menino, fuslo de linbo a 420, 400 e 500 rs.
oa di Imperatriz n. 52 junto a padaria franceza.
armazem da porta larga.
Paredes Perla
Recebe para cortinados para cama franceza a
11* a peca cambraia lisa fina a 3* 4* at 10* a
peca, cortes de tarlatanade bonitos gostos a 3*500
43, cambraia cora flor de seda, gostos inteira-
mente novos a 400 e S90 rs. o covado, no armazem
da porta larga n. 52, na da Imperatris junto a pa-
daria franceza.
Paredes Porto
Recebeu pelo ultimo paquete um sortimento de
cruzes cora pedras para o pescoco, benitos caxinels
de lia para pescoco de senhora. Ra da Imperatris
n. 52, armazem da porta larga.
Paredes Parta J
Vende cortee de gorgurlo prflto para vestido com
51 covados cada um 33*000, grsdenaple preto a
1*600,1*800 e2* o covado, as lizas finas a 400
rs. o covado, lias de quadrinno para vestido, enfes-
uda, a 3S0 rs. o covado. Rea da Imperattiz n. ex,
armazera da porta larga. _^-\----- -
Ronagfcita
Ra a Imperatriz. o. 2 armazem da porta lar-
ga junto a padarla franceza, eBContra-se este es-
tabelecimenio um completo sortimento de paletos-
saceos e sobrecasacos-, de todas as qnarldades, car-
eas, colletes, ceroolas, camisas, grvalas, meias,
chapeos de sol, ditos frantezes para cabera, por
precos cotn modos, rovjpa para menino e ootras
muitas fazendas por .precos commodos, armazera
da porta larga.
No mesmo estabelecimenlo encontrara o respei-
tavel publico, sempre um completo sortimento de
rapas eius de todas as qnalidades, -como .sejam
paletos de alpaca >preta e de cor, ditos sobrecasa-
cos a 4* e 5*, ditos de brim pardo -a 3*800, 3* e
3*500, ditos Unes a 4*, ditos meias eazeroira a
3*500, 4* e 5*, ditos eazemira sacros a 6*, 7*,.8
e 10*, ditos sobrecascos a 10 e 43*, ditos de pan-
no saceos a 6*, -8* e 10*. ditos sobrecascos a 12*
e 25*, ditos de'merino preto a 6*, 9* e 10*, cal-
cas de brim de diversas qnalidades 1*800 a.U,
ditos brancos e 1*500 e 6*00, ditos eazemira 5*,
6* e 7*. tes-pretos a *, 6*, e 10*, ditos
metas cazemiras a 3* e 4*, colotes de diversas
qnalidades, seroulas francezas de clgodo, ditas dc-
llnho, ditas de bramante a 2* e 2*500, carnizas de
algodo de heho francezas de 3*li00 e 3*. Gran-
de peediocba oeste genero, -grvalas de todas as
qnalidades e brancas para casamento, grande sor-
timento de meias para senhoras, ditas para bornees
a 3*, superiores a 3*500 e 43.
Um compilo sortimento de -chapeos de solide
alpaca a 3*, ditos de seda a M, 7*, 10* e US,
ditos frencezes para cabeea, grande sortimento
a 6*.
PechiRcha adwriravel.
Grande-sortimento de t*atrr*res a 1*600 *&$,
lences de eambraia para hornera a 3* a dnzla, "di-
tos de lin-ho e 4* e 5*.
Grande-eortimento de renpe, para meoines-e-ou-
tras muilas cualidades que seria enfadontio 'taen-
ciooa-las.
Paredes Porto
Receben -pelo ultimo paoeete francez ricas laas
granadinas-com flores de seda a 400 e 500" rs. o
covado. esteo acabando-se, ecmbraia preta luco. Porta larga junto a nadarla franceza, a ra
da Imperatric n. 52.
Paredes^ Porto
Recebeupelo ultimo pndete espartllbo* a .pre-
guicoso por 3, sao dobs, lencos de seda para se-
nbora e horaem a l, ricos cortes de cambraia
bordados de 18S a 7, porter nm toque de mofo,
esiao-se acafeando, na roa dd Imperatriz a.SS,'jun-
tc a nadarla franceza.
Paredes Porto
Vende ora completo sortimento de (azoadas
brancas, como sejam madafoiio a 4*500, 9/6* e
10$, pecas de algodo por barato preco, chita fran-
ceza a 340, .380, 320, 360 rs. o cowado, precatias
muito finas a 360, 400 rs. o ovado, bita ingleza
SWOe-140-rs. o covado. Roa da Imperatri: n.
52, junto a padaria franceza.
Fazeantas.
Vende-se saperior merino preto proprio para ca-
pas do senbera e vestidos a 3*, I astri da China
a 1*800 o covado. Ra da imperatriz, porta larga.
Paredes Porto.
Vende era- seu estabelecimeoto tiras e ntremelos
bordados, grande sortimento de corplnhos rica-
mente bordados a 3*, 4* e 5*. -S6 o Paredes Por-
to, ra da Impera triz no 52; porta larga junto a
padaria franceza.
SALSA PARfflUH M MU
F*RA A CURA RADICAL
da aattoulas e awlestias escrofulosas, temores, uictrw, botas, tenida "*"
ibas,-itfonobocele,-papo oupapeira^a ypbilis.enfeiwMaeMWeritsJoaiiBej'-
curiaea.
AS MOHCSHAS DAS MULHEBES
reten*io..Bienstro doloroso,. ulcefacBes do otero, flore brancas* etc., meara-
e5o,dobibdaa, aspobac5o.dos oaios, a nevralgia e eonvtrrsoes epitepticas
quando causadas pela escrfula.
HNSiPEUlS EGPES; ETC. M
Enfernldsdes cutneos, ernpcSo, borbulbas, porfalas,
aseldas, etc.
O estrado cotnposto do aalsa parrllha, confeccionado pelo Dr. Ayer, urna
combirwclo dos melhcres deparativos e alterantes conhecidos medicina; confeccio-
nado segando as regras da seiencia, approvado e receitado pelos prineiros mdicos dos
Estados-Unidos da America dd Sul o Centra!, da Anlhas, do Mxico e das Indias, e
militas oulras partes do mundo : o resultado de estudos apurados e minuciosos, e de
experiencias feitas pessoalmente pelo Dr. Ayer, por muitos annos, nos principaes nos-
pitaes e enfermaras da America ; tcm sido approvlado pelas academias de medicina e
juntas de hygienne das principaes capitaes da America do Norte; paraprova disto vede
os attestedos anthontkos ao Almanak e Manual de Saude do Dr. Ayer, os quaes sedis-
triboem gratuitamente nos lugares onde se vende o remedio.
A SA1SA PARILHA DE AYER
EIspeelalHieBte cfBcaz na cura das molestia ne teas sua origen
na escrfula, na infeceo renerea. no nso
excesslvo do mrrrti. io oh qnalqner Impureza do sangue.
A molestia oirinfecc^o peculiar, conbecida pelo nome de escrfula, um dos ma-
les mais prevalecentes e universaes que ha emtoda a extensa lisia das efifermidades que
atacam a nossa raca; disse um celebre escriptor da medicina que mais de urna terca
parte de todos acuelles que morrem antes da velbice sSo victimas, ou- directa ou indirec-
tamente de escrfula; por isso so n5o tao destructiva, porm a principal causa de
muitasoutras enfermidades qu nao lhe s8o geralmente attrituidas.
urna causa directa da tsica pulmonar, das molestias do flgaflo, do estomago
eaffec?5es do cerebro; eniroseus numerosos symptomas acham-se os segnintes: falta
de appetite, o semblante plido e enchado; as *ezes de urna alvura transparente ootras
vezea corado e amarellento irregular, fraqueza e moleza nos msculos ao redor da boc-
ea ;> digeano-fraca e 8ppettite^ tH quando o mal tem seu -assento sobre os pulmes tima cor azulada mostra-e em roda dos
nlhno nniri.ln ttap-t ao nrana i aiSBE EiTABELBCIISXTO
Cortes de cambraia com palmas na leja do
Pumo.
Vendem-se cortes de cambraia branca com al-
mas, sendo fazenda maito boa, pelo baratissimo
preco de 2*500 para acabar: na loja e armazem
#Pavo na ra da Imperatri* n. 00, de Gama i
Silva. _
Leucos brancos a t$OQO res a
duzla.
Vendem se len{os brancos fazenda muito boa
elo baratissimo preco de 2* a dnzla, Ditos com
ra da coca 2*000 isto para acabar na loja do
W.
ua da labpcjMUrAx, 9i. 60
fiAMA A SILVA.
LOJA B AB1UUM.DB F^UIWAS.
Uendo os propietarios deste grande uiAabele-
-t!lSllS."mn81rande '?"?"?^*e ^^ %ft'ta mWdaTmperoiT.'nO'de'Gama 4 Sil
snas fazendas, pela occasiao do balaoco que ilerara
no oltmo de dezembro de 186&, resolveram vender
muito mais barato do que coiumam ai de cada
vez mais agradaxeia aos seus numerosos fceiue-
es; por tanto Ibes offerecem nm avalado ..sorti-
mento de fazendas francezas, Inglezas, as quaes
venderlo, mais barato do qoe era entra qnalqner
parle, copremeundo8e a mandar tesar qnalqner i
fazenoa em casados fregutzes que nao peckrein. das a 400 rs., ditas malbizadas a'320 rs., ditas
vir a loja, ou a darem as amostras, deiundo ftar. uaasparentes com palma de sedas 400 rs., ditas II-
o penhor, assim como convidam as pessoas, qae zas e com lpicos a 500 rs., para acabar na lija e
neRoelam em menor escala qoe neste grandeesta- armazem do Pavo na ra da Imperalriz b. 0. de
beleeimento enconuaro um grande soiaioto ama & Silva.
tacto a retalbo como por atacado, vendendo-se-lbe. Poupelinas modetnissimas a 400 e 500 rs.
GRNDE PECH1BCHA!
L8uhs a 420 rs. na leja do Pavao
Vende-se lsinbas pretas proprlas para luto sen-
do boa fazenda a 120 rs. o covado. Ditas muito
Unas de quadrinhos a 480 e 320 rs., ditas enlesta-
apenas pelos precos qoe comprara as casas Ingie-
za, sendo com o dinheiro a' vista.
Pecblncha a 3$ e ft
AS MELPOMENES DO PAVAO.
Vendem-se bonitos cortes de melpomene para
vestidos de senhoras, sendo dos padroes mais mo-
deraos pelo baratissimo preco de 3000 cada um.
Ditos de indiana, tendo oiio e mela varas, pelo'
baratissimo precede 2*500 rs.
Isto para acabar na loja do Pavo, rea da Im-
peralriz n. 60, de Gama & Silva.
As toailius.de li. lio d- Pavao.
Vendem-sa. superiores loaibas de .linos para
rosto pelo baratsima preco de 7*500. a,dnzla ou
> 040 cada nina.
tuardanapos de linbo adamascado para meza *
2*800 a dozaeu a 240 rs. cada nm.
Superior amainado da linbo com oilo palmos de
largura sendo branco e pardo, e vndese mais ba-
rato do que em ontro parte, na loja do PavSo na ra
da Imperalriz Di 60 de Gama & Silva.
jOs corpinbosoe seda preto* do Pavao.
Vendem-se os mais ricos corpinhos de seda pre-
tos, Ticamente enlejiados, pelo barato preco de iz*
do Pavo na ra da Imperalriz
o covado na loja do PavSo.
, Vendem-se poupelinas muito finas sendo fazenda
muito moderna de quadrtnbos e liza vendendo-se
pelos baratos precos de 400 e 500 rs. o covado na
loja do Pavo na ra da Imperalriz n. 60 de Gama
pSHva.
Grosdcnaples pretos do Pavo.
Vendem-se superiores grosdenaples pretos pelos
baratsimos precos de 1*500, 1*600,1*800 e 2*
o eovado, sendo fazenda muito boa, s para aca-
bar : na loja e armazem do Pavo, roa da Impe-
ralriz n. 60, de Gama & Silva.
Bramante de linho do Pavo.
Vndese superior bramante de linho com 10
palmos de largura, prepris para lences, pelos
baratsimos precos de 2* e.z*ii00 a vara, assim
como panno de linho muito fino pelos baratsimos
precos de 640,700 e 800 rs. a vara : na loja e ar-
sMce.ni do Pavao, rna da Imperalriz n. 60, de Ga-
na, & Silva.
Cambraias lisas do Pavo.
Vendem-se pecas pe cambraia lisa muito supe-
rior, pelo barato preco de 3*200 e 3*500 a peca
cada um : na loja
d.'60, de Gama Sirva. Lfiama & Silva.
Os cortes de cambraia braceo bordados na y PECH1NCHA 1
teja dr/Pav3o. a 2^000, para caltas, s Pavo.
Vendem-ce os-mats* rices crtes'de cambraia rl-1 Vendem se superiores cortes de meia casemira
cimente bordados un barras e babados a 20* ca-1 em g^g^g e se(]a a 2*, ditas Garibaldlnas a
da um : na loja. e armazem do Pavo na ra da a*800,'4ltas escuras a 2*800, on a 1*600 o cova-
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Rico vestidos a 80000 rs.
pecliicjia admiravel.
So o PavSo receben pelo uirimo vapor francez
am grande sortimetilo des" malS'rices corles de
olbos; quando ataca os orglos d'gestivo/ os olbos tornam-se avermelbados;
to feudo, a lingua carregada; dores de cabeea, tonteiras, etc. Na pessoas dedtspost-
c3o escrofulosa apparecem frequentetnente eropcOes na pelle da cabera e outras panes
do corpo ; to predieiiostas s afleccoes dos pulmoes, do figado, des rins, dos orgaos
digestivos e uterinos. Portento, nioio smente aquees que padecem dasfftrmas ul-
cerosas e tuberculosas da escrfula que neeesBitam de pfoteccjlo contra os seos estragos;
todos aquelles em oujo rogue esiste o'virus latente deste terrrvePftagello feas vezes e
hereditario), estao^xpos'os tambm soffrer das enfermidades que elle osa que s5o: ^^^^SSTSSTSSr-
A tsica, tilceraces de figado, do estomago e dos rins; eropoes e enfermiaaaes ^ g^ ^^j,, ettes wsudos muito baile e passelos, e vendem-se pelo baratissimo
preco 4e 8*000 rs. cada on>, na loja do Pavo na
Os celes pretos de renda de Pavea a 80000 rs.
Veedem-se os mais ricos chales pretos de renda
com quatro ponas, senda muito candes pelo ba-
ratissimo preco de 8*.
Ditos de goepure a 15*. 10*,'20*,'25*.
Retonda de'ilto a 10*.
Manteletes de renda, tazenda mntio'superior a
15*000.
Capas e sautbeabarques da, grosdenaples bor-
dados,-fazenda lntelramente nova, por precos mais
vjaratos qoe em orjtratwalqwr parte.
Isto na loja e armazem do Pavo na ra da Im-
c o o - iSD-iS.aasiScoClSsi
a
ca
>4B-
a>
ra ir S
D 03
p-2
CA
X O 1= ._. g p E oq, P- ^* **
Vi CD
o
6. *3
- 1 2
H C "O P-"o 2

a m z.
eroplivaa da cutis, ro6aoo eryspela, borbulbas, pstulas, oascidas, tumores, rneuma,
carbnculos, ulceras e cbagas, Theumatismo, dores nos ossos, as cosU
debilidades femininas, flores brancas causadas pela ulceracao interior
uterinas, hydfopesia, iodigesto, enfraqueciruerto e debilidade geral.
Offerecomos a estas pessoas um abrigo seguro e um antidoto-sor contra este
molestia e suas consequencia&na
SALSA PARRILHA DE AVER
que opera directamente sobre o sangue, purfficando-o e expulsando delle a corrupcao e o
veneno da molestia; penetra todas as partes -e todos os ongaos 4o corpo humano, livranr,
do-os da sua aeco viciada -e inspirando-Ibes novo vigor. wn alterante poderosissrmo
para a renovar;5o do sangue, e d ao corpo j enfraquecMo pela doenca, torcas e ener-
giis renovadas como as da ijoventode. ."V^i. pera.rizn.eOdettama&SiU-a.
E tambem 6 melhor nty-sypilieeo conneoao oschaies o jwto a 2oo e 28to n.
cura peratanentementeasp*iora formas -de syphilis ^asnaconseqneTic?as. Pouca Vendem-se chales de merino estampados a 2*
necessidaoe ba de informar-o publico do-ineslimavel -valor de em remedie que, orno
este, hvra. o-sangue deta (OpropcSo e arrebata a victima das garras de urna norte renta
e ignominiosa, porm inevitatiel, se o mal n5o logo combatido com energa.
um poderosissimo alterante para a renovado do sangoe eparafdar novafcr-
cai ao corpo j enfraqueoido pela doenca.
Sendo composto de productos vegotaes, esiennedicamentofrinrroeeTite e ao mes-
mo tempo efficaz, nm acto de immensa importancia para aquelles que o tomam ; -por-
que motos-dos'reinedios alteFantes loferecidosao poblico tem por baseonneTruriO'ouo
arsnico; e sendo assim, bera que s^fezes podemotfectuar caras, comido deixam suas
victims arregadas.de-orna longa-serie demares, muitasivwes peior do que o mal ori-
ginal. A nica cousa necessaria para obter ma cura radicah segoiroem jnizo econs--
alncia as deceoes qe> acompanbamcada frasco. .
Sia pretendemos promulgar, nem queremos que se irtfira que esta compos*ao a
um reanedio-infallivelipaia. cura etodos os padeermentos humanos^ infelizmente e
escrofola e a'ayphiUa -&o enferoaidades o suliscas suas nainreas, e'arpeigara'fle to
Qrmeaente no sistema, que mtirtas^ezes evadem e resistera aos remedios mais pde-
rososque a seiencia 'omaaa pode ioveotar para eombat-las: o qnediaemos qee o
Extracto composto de salsa ,parrha de Ayer
a melbor preparacio al boje desce[erta para estas e oulras molestias anlogas, que
urna oombinac^o dos alterantes mais efScazes conhecidos, e qae esta cominnaco lem sido
regulada por longas-e laboriosas experiencias, e finaUnenteMiue temos eonsciencia deof-
ferecer ao publico o raelhor resultado que posswel produar, da intettigencia e pericia
medica-dos nossos lempos.
lEsle remeda dwe ser tomado oom systemi.e reguladade, e;no com abandono,
pois um remedio e nao bebida.
Quando as Molestias do figado* nao tem-saa origem na tescrofula, o remedio
mais proprio as ptelas caiharticas de Ayer, queso efficaaes na cara da molestia, que
m jor causa um desarranjo dos oxgSos digestivos. Pedi a salsa.parrilba de Ayer e
nao aeeilai outra preparaco.
Pernambueo. ra Nova n. 18, pharmaciefranceade P. Manrer & C.______j*

VENDE-SE
Vendem-se chales de merino
e 2*500 cada erro.
Ditos de merme liso a"3*800.
Ditos simpaaos- de crepon a 6*, 7*, e 8*600.
Ditos pretos bordados com franja deseca a la*.
Na lojae armuem do Pavao na ra a Impera-
lriz n.160 de'Gama & Silva.
Para loto vende o Pavao.
Setta'daCtaioa com <5 pateos de lngara, fazen-
da preta para-loto, propm pata' veslWos e roopas
para feomeavseodo etta de omito boa qualidade, garantindo-se nao Ucar
Tussa com o lempo e vende-se pelo'barato preQo de
2*e3*3tt9 ocovado, assim como ueste estateleci-
meow tem nm grindesonimeoto de todas as fa-
URdan preus-oomo .eira cassas-e chitas pretas,
lias lapadas e transparentes, priueeias, alpacas,
eajas,'etc. : 'na loja e armazem d-Pavao na ra
.aVamperarriz-B. -60, de-eeroa &-Sirva.
<%s baibes-do Pavlo.
xieBaera-se -enpeTiores*Kies de weBlina-eem
moitareda a5., ditos emollnes coa 35 arcosa
3*>W0, ditos com 20 e-26 a,3*, ditos para ment-
asi-sendo braceos e encarnados a 3* e 2*500 :
aloja do Pavo na rna da Imperatrrz n. 60, de
Gas,A Silva.
Cambraias de forro 4600 e 8# nalojt
do Ba*o.
Vendem-se.pocas de cacEbraia de forro com no-,
levaras cada,peca, pelos barallssimes precosde
*800 e 2*: oa loja e armazem do Pavo na me
da imperatric a. O, de *ma.& -Silva.
Osaornados do Pavo.
Vendem-se^mieriores .cortinados saamascados
pare camasnetobaratissiaprego de.i* tada par,
ttes mnito finos ricamente bordados ,para camas
a.mellas a l3, 20 e 253 o par : 'Ba loja e ar-
maaem-do' Pavao na ra da Imperatric n. 60, de
GatM & Silva.
Panno prto a 9A na (oja-do ;Pav3o.
Vende-se panno preto. (asenda mnito boa, pelo
ftrtjyqHire^aa.
Vme qPato.
Superior grsdenaple preto a 1*600.1*800 e 2*.
e outro muito largo a 2*800, 3* a 3^200, e o supe-
rior molre-antique a 2*80ov 3ft seda preta lavra-
a 2* e 1*809, e setlm prqto a 30: na loja
!o Pavao rna da imperatriz n. 60.
Corles de vestidos.
Pretos a 3C4000.
Vendem-se cortes de vestidos prelos bordado a
velado pelo barato preco de 30*. para acabar; na
loja do Pari n. 60 de Gima & Silva.
Lastnhas matisadas a 320 rs.
Vendem-se as mais lindas lasiohas matisadas
com os mais bonitos desenos, pelo bareto preeo de
320 rs. o covado ; na loja do Pavao a ra da ta-
peratriz n. 60 de Gama & Silva.
Grande armazem e loja~du
Arara.
Rna da Imperalriz d. 56.
Neste eoianelecimento encontraro sempre on
completo sortimento de fazendas francezas, suts-
sas, alleraaes o inglezas a vontade do comprador,
se vende mais barato qne em outra qoalquer parle
Chitas da Arara a 6 a peca.
Vende-se pecas de chitas de cores com 38 co-
vados a 6, em covado a ICO rs., risradinho para
calcas de escravos a 120 rs. o covado : Da roa da
Imperalriz n. 56.
Grosdeoaple preto para r quaresma a i(S6C0
Vende-se grsdenaple pelo para vestidos a
1*500, 1*800, 2* e 200, moreantique preto pa-
ra vestido a 3 e 2j00 o covado : na ra da Im-
peralriz D. 86.
Arara vende lazinha para luto a 500 rs.
Vende-se laaiiDba lis para vestidos de Into a
500 rs. o covado, cassas pretas a 320 ocovado, al-
paca preta a 500, 600 e 800 o covado, bombazina
para vestidos a 1*400 e 1*600 o covado : na ra
da Imperalriz loja da Arara n. 56.
AlgodSo avariado da Arara a 30.
Vnde-se pegas de algodo com pequeo toque
de avaria a 3*. ditas limpcs a .4*500, 6*, 7* e
8* : na ra da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Arara vende o panno de linho a 640.
Vende-se panno de linho para lences e serou-
ditas muito finas a 5*, 6*, 7* e 8*: DaiJa ias a 640 e 700 a vara, cobertores de algodo a 1*
armazem do Pavo, ra da Imperatriz n. cu, oe i e jAq na rua da lo|>eratrlI i0]a aa Arara DU.
mero 66.
Cortes de casemira preta da Arara a 30500.
Vende-se cortes de casemira preta, para calca a
3*500, 4*, 5y e 6*, cortes de castores para calca
a 1*, corte de eclim a l*i80. corles de ganga a
brim a lj400 e 1*600: na rua da, Imperatriz nu-
mero 56-
Arara vende as saias a 3#500,
Vende-se saias bordadas para senhoras a 3*500,
vestidos branedsbordados a 4*300 ditos bordados
a ia e seda a 6*500 e 03, ditos de barras de la
a 6* e 8* : na rua da Imperatriz loja da Arara
n. 56.
Panno preto da Arara a 2d o covado.
Vende-se panno preto para cairas, palelots e
colletes a 2*, 2*500, 3*, 4* e 5*. casemira preta
mnito fina a 2*, 2*300 e 3*200 o covado : na rna
da Imperatriz n. 56.
Arara vende os guardanapos a 20800 a
duzia.
Vende-? guardaoapos para mesa e 2*800 a du-
zia a 240 cada um : na rua da Imperatriz loja da
Arara n. 56.
Arara vende as chitas a 160 rs.
Vende-se chitas escaras de cores flxes a 160,
200 e 240 o covado, ditas francezas a 280, 320 e
400 o covado, cassas finas a 280, 320 e 360 o co-
vado : na rua da Impera,'.riz loja da Arara n. ii.
Madapolao enfettado a 40 de 12 jardas.
Vende-se pecas ee madapolao enfestaao de 12
jardas a 4* e 4*500, dito com toque de avarla de
24 jardas a 4*. 5*. 6*, 7*, 8*. 9* e 10* : na rua
da Imperatriz loja e armazem da Arara n. 56.
Arara vendeos vestidos a Maria Pia a 50.
Vende-se vestidos de cassa com baaras a Mafia
Pa a 3*, ditos de la a 6* : aa rna da Impera-
triz loja e armazem da Arara n. 56.
Chales da '.rara a 80de fil.
Vende-se chales de fil a 8*, retundas a iuS,
chale de fil de seda a 14* e 1P*, chales de me-
rino estampados a 2*, 2J500, e 5* : na roa da
Imperatriz loja da Arara n. 56.

Xo MfMTCM de M. I. liaras Silva Cro.
m. 11, c**tnatemea reeefaean por encommeiMla pro|ra de
2VEW-1TORK.
Legitima salsa pai>rIba de.BristoL preparada por Lanman k Kerap.
Verdadeira agua riorida, -preparada pelos mesaos.
Gax em latas de Uda.marca f. W. D. A C. l t. .<
ftelogios perfei'oB reguladores, om corda de qoatro a oilo das, dosaamaaosia-
b#ieantes E. N. Welch. .. _... ,
Gnxa em latas grandes da.bem conhecida marca las. S. Masn (flenuiaaw-
pbia).
Tasso Irmos
\'eide # seo armare rna da
Jimarimn.15,
Licor fino Gnraco em botijas a meias botijas.
Licores finoc sortldoa em garrafas cota refeai d
vdro e em badea iraaeos. m
VinbosCbaras.
Santernes.
Chambertin.
Hatattfge.
Bonoaae.
. Cnannacaa.
Moscatel.
rerno.
Boraaai.
Caaaae.
Od Ton.
PAeiei lagniof. ..,._
.1
Superior oleo para aiachinas de.costura.
Agulhas pararas mesmas.
Breu em bar icas grandes e pequeas.
Vende-se tambem:
BORDEAtl
l.^iaalfiade.
St. 'Estephe.
St. Junen.
C. Margaux.
C. Lafitte.
medoc.
{barato preco de2* o covado, dito muito tino a
3*fii0,-4*, 5*e 3, assim cono casimira preta de
^ -_ j^ vt -e-i A corda a 2* ocovado : na k>ia do Pavo aa rua da
' Imnatatrizn..60,doGma&*lva.
Os espartilhes- do Pavao.
Vendem-se urna grande e variado sormeDto de
espartiihos dos mais.bem feitos, que tem vindo ao
mercado, sendo de todos os tamanbos, vendendo-se
por nnt preco mnito-razoavel : dito na leja do'Pa-
vo nanada Imperatriz n. 60, de Jama & Silva.
As alaa bordada* do pavo.
Vendem-se saias bordadas sendo fazenfla boa, seado ricamentefcordadas e-com rnniu roda
^endende-eo pelos barato precos de fi*-8 e 10*
veis cada orna na loja de Pavao na fu da Imsera-
Itii n. SOdeGama&SHsa._____
Buetanbasderaloa^OeOB
Vendem-ce tecas de bretanha de rolo com 10
ras cada feca, pelo baratissimo preco de 8* i
aa loja e araaaaem do Pavao, rua da imperatriz a.
f, de Gama Silva.
Gama .dfiHva
Perliinclia crande.
0snwdapoi?3es4o PavSo.
V^ade^e wpartorea peca.Uapoiap. sendo
m*to largo, e mu lo encorpado leudo 34 IJ?
tafia iecaL pelo barasslmo preeo de 8* el#tWl,
l^qnlidiie,
I Principe Real.
11 Pedro -V.
1 Maria Pia.
Prioceza Di-Isabel.
Vctor Bmraaanel.
Duque.
Malvara.
Vinho fino do Porto embarris de'|5/, 10/ t"10/.
Superior vinbo doRheno.
Cera de Lisboa em vers e em grame.
r
de: na loja e armazem do Pavo, rua da Impera-
triz. n. 60, de Gama & Silva.
PENTEADORES
ou roupoes de cambraia bordados proprios
iara as senhoras vestiremde manba.
hegou esta novidade paia a loja do Pavo,
mtrito lindos e do melbor gosto at hoje, por pre-
ces mnito razoaveis : na loja do Pavo, rua da
imperalriz n. 60, de Gama & Silva.
tontas a i000.
De pura seda
Vende-se na loja do Pavo, mantas de seda pre-
tas e de orea, Bdos gosto pelo baratissimo preco
da 1*000 res, sao das roas largas, assim como tem
nm grande sortimento de grvalas de seda de cor
bordadas e de setim preto e ditas de selim branco,
e vende por presos mnito resumidoss, o Pavo na
rna da Imperatriz n. 60 loja e armazem de Gama
& Silva.
Chitas rxas
a 6yj000 reis a peca
S na loja so Pavo
^ vendem pecas de chitas roas inglezas, sendo
cores flxas tendo 38 covsdos cada urna pe^a pelo
baratissimo preco de 6*000 res, a retalho a 160
rs.o covado, ditas escuras e claras a 200 rs. o co-
vado, loja do Pavo rua da Imperatriz n. 60 de Ga-
"H* 4 Silva, Gama & Silva.
Noviades do Pavao
OU PECHINCHA ADMIRAVEL.
Sscossms a 3*200
Cegaram os mais lindos cotes de escossezas,
ftoprio para vestidos, sendo fazenda inleiramente
nova no mercado; e vende se a 3*200 o corte ou
860 rs. o covado na loja e armazem do Pavao, rna
da Imperatriz, n. 60, de Gama & Silva|
Cassas francesas a 240 rs. e evado.
Vendem-se bonitas eassas rancezas de cores fi
las pelo baratissimo precede 240 o covado.
Ditas a 380, 320 e 300.
S na loja do Pavao, pa da Imperatriz n. 00, de
Gama & Silva.
Cuitas averiadas.
Vendem-e finissimas chitas francezas, com pe-
queo toque de avaria, -pelo baratissimo preco de
280 o covado.
grande pechincta.
Assim eomo ditas ingieras roas e claras, sem
mofo nem varia, pelo baraiisslmo preco de 160 o
eovado; assim como, ditas muito boas a 200 e 240
oovado, lo na loja e armazem do Pavo, rua da
teperatri n. 60, de Gama dt Silva.
Grsdenaple $rett) a 1$600,
E' yramle pccltkicha !!
Vende-ee grsdenaple preto, sendo muito encor-
pado e de boa largura, pe' baratissimo pre^o de
1*600 o eovado : na toada Imperatrte n. 60.
Siseados a 40 rs.
Vende-se riscadinho escaro proprio para vesti-
dos oo roopas para horaem, pelo baraHssimo pre-
< de 120-rs. o eovado : s na roa da Imperatriz
u60.
Os cachinez 4o Pavao.
Vendteairse bonitos cachinez de la ou anazalhos
para cabeea pelo baratissimo prego de 3*000, s
a loja do Pavo, na rua dalmperairrz n. 0.
4dgod5ozirrho avariado.
Vendem-se pecas de algedadiiobo eendo muito
eocarpado, e ora 20 jardae,.pelo baratissimo prego
de o*000, por ter um pequeo toque de avaria.
O bramante do Pao.
Vende-se soperior bramanio de linho crt tendb
quairo palmos de largura, pelo baratissimo preco
de 00 rs. a tana, dito com 40 palmos a- 2*400 e
2*800 a vara, amainado de linbo adamascado,.alvo
e pardo, pe'o baratissimo preeo de 2*800 rs. a
ra, na lojaaraazeai do Pavao. oa roa da impe-
ratriz n. 60.
Keniedio efficaz para ery-
sipella.
Oleo de jandlroba.
Vende se este incomparavel remedio no grande
armazem de drogas e tintas na prara da Boa-Vis
n.:24, esquina da rua do Tambia.____________
Oh que bella pinga 11!
Gbegon afinal a travesa do Queiuiado n. 1, o
verdadeiro vinho verde de Bastos e vende-se por
6*500 a caixa com 12 garrafas ou 640 rs. a gar-
rala, a elle que muito fresco e proprio para a
esta^o.__________________________ .
t'emja gelada
Ha diariamente a venda por preco coomodo ;
no aDazem da Liga, rua Nova n. 60.__________
d^ 'vfysto'eU, '* pecbiaena, e ea^hw
l a earmazem do Pavo, rna da Imperatriz a.
6X,t Gama Silva.
Caxlnairas da esencia
Na leja da PavSo
Cbegou e*u nova fasenda com o neme de ca
-. -
Bren era barricas peqoena*.
Cera em velas de-lmliii nHiaMaaai
Botias.
Itetaarie.
WaTaa4^KaTio a. 4, prkawaro andar.
Boa occasio para umprin-
eipiaiite.
11 Vende-se urna loja de mlodeza* com fiontSd'ran"
dos, aaMo en eaau, em bem lugar fcm tadafmproder dirija-se a ru-AMBria,
" ;rna n. l.aue se dir quera tem paia vender.
meinl ubetna sedlt doeirtem plt* tender
anta moWIra-etfmpfcta' de emaretio eaaao Iha.
Petkiicua admiravel ,
xanUraCda Bcocia sendo mtilto eneorTW^aara *"3~LS2-' u 42000
pria par a cateas, e coletee, e vendad taa_ *is, pelo barato preco de 3*500. e **uw
amo preco de 2*800 ra. o aorta on ladOO rs. o an-
eado, pecblneha por que Um doas larguras, isto
so na loja e armazem do Pavo, rifa da Imperalriz
n. 60 de Gama & Sirva.
t

avariado.
Fraaeej barrica 6*000
PortUnd dem 8*500
Em perfelto estado: ____
Francerbarrlca IHW8
Pertlaadlden ?#..
rin laaMira de.Tasso Imadaaes-do|A4>ollo.
Lazinbas
'' TWide-sa nm eaeravo para
deJMia-flgara a mestre carreiro : a tratar
doilndln-don. 44.
erioolo
Qaeijdi t wrtt*
Vaada atludclui nmaU au'WWau ;
JUdre d Baos, araiawm junto a greja.
bando
-"Hato, da Trlnctelra* n. 26, ^diratjrm j n^ffc^h^eSajS^t^:
tnaWlate edo [comtn^a*Wn%^enda>aatwir mHIMW sv
jeado : toaran amida porta lar aa-it*BioBa;iani
da Imperairi.
veBtetimawWW W* Dttlleiro^bawailllate'
boaoaadneu.
Fechincha
Vonioaa adaaacaa da coa da finia n> 36 nio-
_ wadasiMio para principiante, e o moUvo te dir as em-
"ador.
Gomma de mhobrtMri
americana,
Vende-se empacotes de 1(1 libra
de Jos Fernandet Lima roa Nova n. 3.
PEDRA MARMORE
Vende-se superior pedra marmore para conso-
los, modelo a Luiz XV e urna ruobilia de igual mo-
rdelo : na rua da Cadeia n. oo, escriptorio, ni pri-
men-o andar. _______
Rap groas*
Atoja da Aurora,-na rua laga do Rosario n. 38,
recebeu rap grosso da fabrica de Estevo Gasee,
do mais fresco que tem chegado, assim como de
martas quadades. _______________
TTEMCO
Vende-se a loja de louga da ma larga do Rosa-
rio >n. 32, jnnto a botica : quem a pretender dir-
janse a mesma loja das 9 horas do dia as 5 da lar-
de, que acbar com quem tratar.
fARik0LAMESM4
,|?EGHL\'C0A aDMIBAVEL.
rosdenaaJe preto a l&m
Vende-se saperior grsdenaple preto,
Escravos fgidos
150$ de gratificacao.
I Fngio no- dia 21 de maree do anno prximo
passaa, da casa de seu senbor, o escravo cabra
escoro, de nome Benedicto, com idade de 25 a 26
aonos, levou vestido caiga de algodo de listra,
camisa de algodao da trra, chapeo de conro de
abas' langas; tiaba cortado-cabello a escovinha,
altura regular, cbeio do corpo,olhos pretos emuilo
vivos, nanz e boca regalares, muito poaca barba
fazenda no nxo e um pequeo bnsso, todos os dentes,
etc. Foi .comprado naottlie
. ao Sr. Jos Antonio Borges,
aheiro ;< aadoja.e armaeem do Pavo. na ana>dai)Mu0 procurador do Sr. Andr Alves de Paiva,
jpuito encorpada, pelo baratissimo pre?o del*8W ps regalares, etc.,
ocovado, sendo fazenda qne val moKe mala e> meaaaodia^.ao 40,
Imaratril r f(\ A" Gama & Silva.
^ aMaspara opescoc
a 1*, s o Pavao.
Vendem-se benitas mantas para o pescoco,
pelo
trala proco de i* : na loja. do Pavao na rna da ffl0S portaato a todas as autoridades policiaes e aos
Imperatriz o. 60, de Gama k Silva.
. lUdapoIes a 3,aQ0 rs. v vewa
M. aaJoja 4o Eavo.
Vaade-M jifteas de, audapojao flnooc- i^ar-,
Granee peehiwha;
,>IJanha&aat0.o
Veada-se bonitas lasiohas com os mais lindos
gostos escocezes a 240 rs. o covado -, na loja do Pa-
vd"aaToa da Imperatriz n. 0 de Gama &S\to*.
Chales de renda. >
raloia.do.Pav5o
Receberam-se os mais lindos chales pretos
Na loja do PaVJo
.Vender neste estabeledmento nm grande wr
tlmea de roapas, tanto de panae eoaweaiemlrav
e bro e pelos ba/alisaimoa wCM owno se)am
calcas de caiemira prett ad>.7AJftpalODre. ar
letou de panno prelo saceos a 6* 8* e *2*000 r
ditos sobrecascos de panno flnistimo WW
*M*80raia,eoako-ntavtos ara*aaioaneelaea-
ParacaJgas. _
. iw.AhA-m.se os niais lindos chales pretos de lararegolar^nvlallaate, lev
Lojt do povio
SadinaasaaOOrs.. cavada
ddkkaa a S00 r*.
Sedinhas-a 500 ra.
____________SSfUEttVSK*
N^g-se empacotes de i : no amaAdi XpJ* ** ^'^^ m ^^ ^ZSftln.
|perafB.Wd
do Pavo-aa rua da Imperatriz n.
e armazem d
por ser de mniu dnraeio; na loja
Vende-se na laja do Pavo. omdrande soxtlmen- pin.aat#aa)ceravii a. 0.^da gMl^W
loaTaatobaTrraOi^^ Chap*s para BUftiaUtt a 6,0W).
setOo o patttoa ttir atfvw maaKarata r r ?^.^
ais dtanetro, e grande V^^^ g ^JS^u^^mStm4
comprado ama grande perd. J| Iftendaj* ^^^JZT?S!^mZ>mwUit
morador na eldade de Sonza, para onde fugio o
referido escravo, segando aviso qoe temos do refe-
rido Sr. Paiva, e all anda refugindose alguaas
vezes para, a-sorra denominada Jos Luiz. Roga-
senhores capitaes de campo, a captura do dito
escravo, e remette-to a casa de aessa residencia
a,cna; do Imperador a. 83 segundo andar, e.Qpr
cojo trabalbo gratificaremos com a qaana sa-
,rReelfe, 28 le fevereiro de 1866.
=A6m*cf Viras.
.Aaneaten-seda casado abalxo assignado, desde
o da ideiejwreiro passado almalafa sua osera-
va por nome Luiza, de idade 30 annos, poaco mais
sa menos, a qual tem os signaes segnintes : esta-
tura regolar.'bem fallante, leveavwtido on roapio
a domiavor escura, am penco onrto por nao ser
i .o labio superior ama
costn quando foge
lotitnar-se torra-tr- atogar^e : assignado, Jago s pessoas quedelia seaberera on
trazerero-me a' rna da Cadeia do Recife a. 31, on
Blirrfjt'PaImn. 14, serio bem rec^pea^iaas.
lOQf egraiflm^o
Ainda-S8.*ch.aaeaate daede-aatoaro passade a
icrava Uiza, cabocla, de-idade-J*annos, estato-
l regalar, com falta de dentes, sabio Com cabelle
Mrado, mas de sdppdr que o deiilsse creseer
ira anartar resta werava veio do '.Rio Grande
>msrte.oote adoarprca o Or. gallo Ltala, a
sndeate sanaerteaalvataaa kgldas, saadt
hW
carco, Cam
larMde, '
e Apollo n.
acia de'1
:novo, e, ontrot
ind-WWr:
iT>

\

__ .....
c
D

f-


,
..t -:'<*'
wmm
8
Diarlo e reriahaco minia tetra f nar^o 4c 48*6.


SMCAS E AR ES.
OS HITOS.
u
( Conclusfo. )
-0 duplo aooel de Saturno" aprsenla, como u
proprio astro, phases que depender de sua posi-
cao relativa a' Terra e ao SjId. O dimetro
exterior d'esse annel nao menor de 71:000 le-
guas, sendo sua espessura de 50 e sua largura de
11:900 leguas. As eta^des d'esie astro sao roelbor
.-.i... lerisaJa do que as nossas e durara cada urna
7 anuos, 4 mezes e 13 das nossos, pouco mais un
menos, observando-se-lhe nos polos durante seus
largos invernos manchas esbranquigadas cuino em
Marte e na Terra.
A grande velocidade de rotaco de Saturno
produzio-lbe um grande achatamento nos polos re-
presentado por 0,1, asslm como a velocidade do
de Jpiter Ibe produzio o de 0,0535; esta ob-
servago mais urna prova da universalidade das
lels da natureza.
< As fachas alternativamente brilbanles e som-
< brias que apparecem sobre Jpiter e Saturno,
< diz Gamillo Flammaron, sao um indicio crio
-. n, variages que se operam as suas atmosphe-
. ras; a diversidade que se nota entre as cores das
! regioes polares e equatorlaes, a magnilicencia do
espectculo da ereac.au eni Saturno, onde as
singularidades dos mystenosos aunis devera
ser para seus habitantes d'um esplendor sera
igual, e ero Jpiter, onde esto reunidas as
< mais favoraveis condicoes de existencia, nos
asseguram quanto o dominio da vida esta' longe
< de ser limitado ao pequeo mundo onde vimos
i a luz .
Saturno acompanbado era suas digresses
por oito satlites que o Iluminara, e cujas distan-
cias ao astro variara desde 47:988 al 921-000 le-
guas, variando igualmente suas revolucoes desde
ti horas, 37 minutos e 22 segundos, al 79 dias, 7
horas e 53 minutos.
O planeta Urania, que quasi 96 vezes maior
que a Terra, elTectna sua revoluco em urna
urbita elliptica que elle percorre em 30:686 dias
rndio?, 19 horas, 40 minutos e 48 segundos. Sua
distancia ao Sol de 732,752:400 leguas, sna
densidade 0,2796 e a gravidade representada
por 1,05.a Urania acbatado nos polos, de on-
de se conclue que animado de nm movimento
de rulacao sobre si raesmo, como os outros plane-
tas do systema. em seus movimentos acompa-
nhado este astro por 8 satlites cujas distancias ao
centro de suas rotaces variara desde 50:960 at
723.400 leguas, variando as duragoes de suas re-
volucoes desde 2 dias, 12 horas 2 minlos e 2 se-
gundos at 107 dias 16 horas e 40 segundos.
0: satlites de Urania a presentara a parlicu-
laridade, que nao teto Igual no systema, de mo-
verem se de leste, para oeste, emqoanto que os
outros o fazem de osie para leste. Esta singnla-
ridade leva a' crer que o proprio astro animado
de urna rotado retrograda, e que elle gira d'orien-
te para occidente; no entanto nada de positivo se
pode dizer a respeito; pois, a' mmensa distancia
era que se acha este astro da Terra, nao tem si-
do possivel empregar cora vaulagem o telescopio.
O ultimo planeta conhecido do nosso systema,
Nepiono, se acha a' distancia de 1,147:528:000
leguas do Sol e effeclua sua revoluco em 60:126
dias medios 16 horas, 16 minutos e 48 segundos.
Suas esteoes durara mais de 40 annos, sendo o
seu anno de mais de 164 dos nossos. A densidade
deste planeta 0,222 e a intensidade da gravidade
em sua superficie representada por 1,10; a luz e
o calor que elle recebe do Sol 1:300 vezes
menor que a que recebe Terra. Neptuno
i acompanhado de urna la ou satlite que dista
d'elle 100.000 leguas e que ellectua sua revoluto
e sua rotagao em 5 dias medios, 20 horas, 52 mi-
nutos e 48 segundos.
Se o telescopio nao tera podido de cohrir plane-
ta algum alm de Neptuno nao devemos con-
cluir d'ahi que nao exislam ootros alm delle, nao ;
a estrella mais prxima do Sol distando desse
astro mais de 8,000 vezes a distancia media de
a Neptuno a elle, muito possivel e mesmo
muito provavel que nesse esparto muitos planetas
effecluera suas revolucoes, lano raaU quanto sa-
bemos que o cometas que tem o Sol para seu
cintro de revolugo, e que se achara distancias
excessivamente grandes desse astro, esto sugeitos
sua influencia.
Nada de positivo se ple dizor relativamente
aos cometas. O diminuto espago de lempo em que
elies se nos mostram, quando passam no < perin-
lio nao tem dado lugar fazerem-se serias ob-
servacoes, no entanto tem-se reconbecido que elles
nao teem Inz propria, e que essa que apresentam
reflectida do Sol .
Divergem as opinies dos astrnomos quanto a
conslituigo physica dos cometas; uns querem que
os ncleos desses astros sejam opacos e outros
transparentes, partilhando Arago essa ultima
opinio. As cabelleiras dos cometas variam de di-
metro e de intensidade luminosa, e notaado-se que
a sua luz augmenta gradativamente das bordas pa.
ra o centro, conclulo-se que ellas sao esphencas.
As caudas dos cometas, constantemente dirigidas
para a parle que elle acaba de percorrer, tambem
soffrem as mesmas variages que as cabelleirai, e
segundo Arago ellas teem a forma cnica ou
cylindrica.
Os cometas ou astros errantes sao pacficos ha-
bitantes dos espatos, que nao teem influencia alga-
ma sobre as cousas terrestres, como a ignorancia o
qu r, vendo nesses pobras astros os precursores de
desgragas e os annunciadores de castigos divinos.
III
Comparando os caracteres dos planetas e suas
posicoes relativas, se levado a estabelecer dona
grupos nesses astros separados pela regio dos as-
teroides quanto a poslgo, e destinaos pela vari-
dade dos caracteres.
No primeiro grupo acha-se Mercarlo, Venus, a
Terra e Marte A pequenez desses astros, sua
proximidade do < Sol a brevidade de seos an-
uos, a grandeza e equivalencia de seas dias, seos
elementos geodsicos semelhantes, e finalmente sua
ordera no mando planetario sao outros tantos ca-
racteres que os rennem approximando-os.
O segundo grupo formado por < Jopiter, Satur-
no, Urania e Neptuno Os caracteres que os
reunem sao : suas dimeosSes excessivamente su-
periores aos do priroeiro grupo, as enormes dis-
tancias que se acham do Sol >, grandea de
seas annos, a pequenhez de seos dias e finalmente
a importancia de que gosam no systema.
Nada mais fcil de ver do que a nenhnma su-
perioridade da < Terra sobre os outros planetas.
Suppondo sopposteao gratuita), que c Neptooo
seja o ultimo dos planetas, v-se que a Terra >
nao tem ralativamMle as distancias do Sol
ama posigio no systema que a faca de preferen-
cia ser habitada; ella nem occopa o mel nem os
extremos do systema. E' verdad* que nao pode-
mos afirmar que os outros planetas estejam em
melbores candieles que a Terra >, porm afir-
mar o contrario seria urna extravagancia inquali-
fleavel, tanto mais quanto ja" dissemos qoe entra mos o silencio, qo* temos guardado, ndl os mem-
Marte e a i Terra ha ana tal semelhanea de bros da projectada Astociacdo Promotora da Cok.
caracteres, que nos leva crer na hahitabiltoade nitagao Polaca-no Brasil, desojando que da oossa
do primeiro por seres, ceja organlsagio physica exposigo de motivos possa a nova associago co-
deve ser muito anloga nossa. lber os resaltado que trio aos fol dado alcanzar.
AdmittiDdo, como fajemos, a habiiabllidade dos Antes pM,fl de ^t1*"90* preetsgj das
astros, ads nos desligamos completamenle de ideas faus"> 1ae tem retardado em Pernambueo a.or-
terrqueas, e eremos pela torga das circumstan- < 8anl'acao defloitlTa da associago, compre asslg-
cias que os -eres planetarios variam de um a on-1Da,ar circQnl8'aooiM. tro nao s quanto orgmlsago physica, roas taro- decB' fanda5-
bero quanto ao m>ral, e estamos persuadidos que
o Omnipotente, eslabelecendo o universo, forman
coro elle urna escala grndaiiva para os seres qoe 8empre PPrira'da, mas sempre inspiraodo-se no
o occuparvgradsco que dependa das condiities San' *mt d* liber(,ade Para ''onquistir sna na-
pbysicas de cada planeta. elonalldade e Independencia. Por um esforgo sa-
Conslderaudo os planetas relativamente aos sa- gno' qae amor da patfi* aabe MIDPre ^soitsr
telites. T-te ainda que a Terra nao tera a pri- ** "** '"* Pr om poder eitraobo,
macis, no systema, pols qoe ja" dissemos que alguns *P*"receo e deseuTolTeo-se naqnelle palz a ultima
possuem at oito. A' proposito dos satlites diz reToloC5 a Cna de peripecias, heroicas de um
Flammaron em resposta aos que creem que a lado'e horroro8M do onire.
La e os outros satlites s tero por fim serera QQI a DivB1 Providencia qoe aioda d'esia vez
uleis aos seus planetas respectivos : Os habitan- 'osse sPren, patriotismo polons subjugado pelo
tes d'esses pequeos mondos (os satlites) toem D*rbro despotismo de seus crois oppressores I
Sabe o mundo das inauditas calamidades, qae
oeste secuto tem pesado sobre a infeliz Polonia,
certamente mais direito de se julgar privilegiados qae aintU a Poioaii' n <* de todo expurgada
e de sustentar que a Terra e os outros planetas', dos 8eus an"8* enos> das suas intermlnavels dis-
que reflectem multo mais luz, foraro formados ex- sen53e8 intestinas, qae a levaran ao sacrificio de
pressamente para esclarecer suas tongas noites: "* onomia.
e esta jalgamento unto mais foodado quanto ~ a reTolDSao'' e eom eH* caniram a be-
os planetas u'trapassam os satlites era extenslo 5a* f"? ** mMim P8*0 crinie de P0?na-
reflctente. E' assim que a Terra enva a' Loa *!?** ln,,ePende0C'a &* sua patria, pelo amor
treze vezes mais luz do que ella nos di, e que, ,? Pelos c08,omes. P8 Hnguagem, e pela
nao obstante o numero de satlites que tem Sa- r!"glao'(ae wdaram de seus motores I E, os qoe
turno, Urania e Jpiter, a dillerenga mais no- a pe,derim vida P6'" *""<>/ Pelo fogo.e pelo
* tavel para esses mundos. I "''. uos for*m manddos morrer aos milbares
- j nos glo da Stberia; otilros poderam fugir e pro-
se a La tivesse por fim lllumlnar a 1'erra curar amparo e proteego entre povos- mais huma-
multo melhor seria a" esta, diz. Augusto Comte nos; e o resto ficou encerrado no- proprio palz
possuir dois satlites de tal modo disposios qae o, guardado e vigiado por verdugos, qae nem lhe
levantar de um coiocidisse eom o por do oatro, opermittem' fallar a propria iingua, nem orar em
qoe s teria lugar se ambos percorressem a raes-seus proprtos templos, nem seguir as formulas
ma orbita> e a distancia entre elles fosse sempre de proscriptas pela- sua religiao I O mando inteiro
180 graos. i eseandalisado te ta espantosas desgrasas; enver-
Ns nao temos a pretengo de negar a otilidade' goohado da criminosa indifTerenga, eom qoe os go-
da La a' Terra ., nao; ella Ibe til sob muitos vernos europeas tteixaram eommetter lo brbaro
pootos de vista; nos o que queremos 6 que se lhe j sacrificio em pleno secuto XIX, tomn o nico ex-
nao d como fim uoico o servir-nos, e que se Ibe pedienle, que lhe cnmprla, para sua visar a-miseria,
nao negu a possibilidade de ter habitantes e de a qae se acbavam redolidos os desventurados po-
preeneber um papel activo no universo. Nao obs- i tacos t D'entre todos-os poros, sera disncgo de
tante a esterilidade que se toe tem descoberto e a religiao, se levanta-vara snbscripgSes pecuniarias
falla de atbmosphera, ele. nos pensamos como'om favor da Polonia catholica. Era o espirito da
Flammaron que esse astro pode ser habitado, caridade protestand solemnemente contra a op-
pois que a parte que nos Ibe nao perdemos ver pode' pressio e o despotismo, e exprimindo simultanea-
ran! bem ser a sede de ptimas condg5es de- vida. mente a admlragao da virtudes cvicas de um^>vo
A Terra pois, nao s menos favoresclda do syropathieo por sen herosmo e pela constancia,
que os grandes planetas, que- possuem mais sateli-1 eom que procura despedagar'os grilbes, qae Ibe
tes tendo menores noltes, cerno tambem o ainda tolbero a liberdade.
menos do que os satlites, que recebem mais lux j A' esea-concorrencia generosa nao podi o-Brasil
de seus planetas respectivo. ser iodttlrente; e era. algomas de suas provincias
Todo o ser vvente dependendo da atbmospbera e8,endta^, saas PopolagSes mo beneflcente-<*e to-
peto apparelho mechanice e chymico de respiragiofe,izes fi,bos de Si S*881**-
que traz em si, lgico que nenbum poderia exis- Nestas circumstaneins, aeonleceu aportar e pia-
tir semaalhmosphera.para oqual foi feito esse ap.'8" Pernamboc,,8 de polaco Sr. Antonio
parelho; de mais sem atbmosphera nao existira o Ladl8lo ,asi>skl sendo portador de ama caru.
soro, e o mundo que d'ella fosse desprovido serla ^"^de Roma Pek),ItevD Dr- Manoel **-Bego
no mundo de surdos-modos onde reinara um si. Mede,,08> entao siate sacerdote, e neje muito
leocio eterno; nao existira a difuso da loz e s
seriam visiveis os objectos expostos directamente a
luz, epirtanio o mundoque nao tivesse athmosphe-
digno hispo de Pernamboeo, carta dirigida-ao be
nemerito religioso Sr. Dt abbade do mosteiro de S.
Bento de ONnda Fr. Aotooio do Patrocinio Aranto,
ra nao poderia ter haWtages como as nossas, nao naqaa' pedia f">to>*-p*o*i*> para o expatra-
poderia haver para elle aurora nem crepsculo e d0 CODlle--Go,D a bondade, que tanto o disMngiw
ao clarao vivo do Sol socceder.a inconltaente a dlgno rel,i0i0 bopedoo-o em seu mostoito; e,
escuridao borriTel da noile. Sem athmosphera nao aPreswuan'10-0 >0 >, lhe facilitou.occaso
existiriam noTens nem co, e ama loz fastidiosa de IBler8a8a-103 e w, e em favor dos seos
faria ver a lgubre escuridao do espago en'eUe as imfor'anados compatriotas. Foi ento que a ge-
estrellas.o Sol e mais astros, sera belleza alguna. ner08a moc'dade acadmica, tomada de eatnosias.
Sem atbmosphera, todo o calor enviado peto Sol, mo P,a sympathia^ijuoa desgraga inspira em co-
sera irradiado pelo espago, e finalmente sem ath- r*sde* bem "*> ,eoo <' de si>n gaer-
mosphera nao seria possivel a existencia de liqai- re'f alilado T coa,ba,M efez "os diremos
dos. D'ahi segue-se que um mundo sem atbmos-
phera seria esseocialmente dillerente da Terra,
e a vida, a' ser possivel n'elle, se manifestara de
modo radicalmente incompativel e sem a menor
analoga eom a nossa.
e da liberdade de sua patria, promovso ama re
presen laca o theatcal, cojo produelo fci.applicado
ao soccorro de alguns infelizes. Man como Issb
tosse um pequeo bolo para quem motto desejav^
dar, bou ve a la branca de augmentar, esse soccorro
por meio da ama subscripcao, para, a-qoal tomos
Mas, sob o ponto de vlstada a.hmosphera,a .Ter-, envidados, assim como mui.os onUo*, que com-
ra tambem nao leva vantagem ao systema solar, nosco oaobesitaram era incumbir-se de tao huma-
pois que a La. e o asteroide .Vasta, sao os uoi- mUria lareb> Ea.reUoto sobreMJ0.nos 0
eos desprovidos de fluido invoWeote. a a oda assim___.. ,. ^ .
quanto La. isso problemtico. 'meDla qae >as ludas, que fossem as
Relativamente grandeza dos planetas, a .Terra Ef* Qe.8f p0(,98Sea, obler' apenas poderia'n
ainda nao oceupa lugar dislincto,pois que se ella Se",r a0X," n,omeDlaDe(J. 88m r8"ado d-
raaiorque Marte, menor que Jpiter e Sa-!rad0Ur Dem P"a qam! reC6tHa ^SS ***
. para quem o fazia, visto que a distribuigao, por
No que diz respeito densidade, igualmente a '
Terra nem oceupa a media nem o. extremo; ,
pois, tomando a sna por unidade, achou-se que a
mesmo que deitar urna gotta d agua no meio do
mar. Alero disso, a incerteza de eahirera essas
o
numero de necessilados, nao poda
' delxar de ser feita em pequeas, parcellas, que mal
podenam matar a tome por alguns dias. Seria a
densidade de Saturno sete vezes menor, e a de
Mercurio tres vezes maior que a della.
Quanto aos efleitos da gravidade na superficie
dos di Arenles asiros do systema, a Terra ainda
se nao ftz uotar, pois qoe sobre o Sol esse effei-
quanlias as mos de algum bomem de conseten-
cia plstica, d'esses qa faxem consistir a humani-
dade na sua propria pessoa, nos snggerio a idoa de
aproveitar as disposigdes philantropicas do povo
lo 29 vezes maior e sobre Marte metade menor brasileiro para eom os polacos em favor da agri-
qne sobre a Terra; igualmente ella nao sobr- cuitara e da industria do paiz. Entendemos que,
salic quanto ao peso comparado dos corpos na sa- em lagar de urna subscrpgo de efleito passageiro,
perficie dos astros do systema, pois que se sobre se organisasse urna associaco permanente, raml-
Mercurio elle um pouco e sobre Jpiter tres ficada em todo o Imperio, para o fim de promover
vezes maior, sobre Venus um pouco menor, I a emigrago de familias polacas, ou a viuda dos
sendo sobre Saturno, Urania e Neptuno emigrados, qoe existera em diversos paizes da
quasi igual ao peso dos corpos sobre a Terra. Europa, principalmente na Italia, onde defioham
Assim, pois,sob nenbum ponto de vista a Terra. jna miseria por (alia de trabalbo; e emprega-los
nao lendo supremaca no systema, nao ha razo al- era colonias agrcolas e industriaes.
gumapara crr-seque llaseja loiasolaque habi-
tada ; pelo contrario tudo nos idduz a crer qae a
vida se manifesta em todo o systema planetario, e
mesmo que o Sol um foco de vida.
O Sol tem por fim principal regularisar a mar-
cha do systema qae elle rege, ms a Natorea,
Desse modo recebenaro os Infelizes um soccorro
ceno e permanente, ao mesmo lempo que coocor-
rerlam eom o seu trabalho e industria para a pros-
poridade do Brasil, que sem duvida alguma Ibes
servira de patria. Este pensamento nos parecen
leudo em vista aproveitar sempre a mator somma,UBt0 maJs rand,oso auant0 nenhama ""P^asao
de trabalho ulil, muito possivel qoe, alm da co- **" wareetr relativamente ascreocas reiig.o-
roa governaliva do systema, lhe tenha dado habi- sas' T,it ser C^M^ a reU,ao> 18 Pfes-
tantes que sem duvida se julgaro bem felizes por *" amb09 os P9J08; cirenms.aneia que se devi,
nao coobecerem o invern, por gosarem de urna tur n,ui, em ^ Po^ejvruw dlfflcaWades e
ciandade constante e de um laxo de produego su-,abuso8 semPre ^f^d^s e pengosos em m.
* A loa o calor que recebe Urania do Sol
360 vezes menos qae a qae recebe a Terra.
-
perior todo quanto podessemos imaginar de mais
grandioso, e o qae mais anda, por terem sido
mimoseados pela Natureta eom urna inteUigen-
cia muito superior dos habitantes do oeso pe-
queo planeta.
As estrellas sendo, como o Sol, ootros lalos
centros de systemas planetarios na opinio dos as-
trnomos, pode ser-ibes applicado e aos planetas
sobre queexercem influencia tudo quanto dissemos
relativamente ao Sol e ao sea systema.
Eis o que tlnhamos dizer sobre o assurnpto.
Temos consdenoia de que ao nosso trabalbo mnito
ralta para ser completo, mas como nosso fim nico, j tomar todas as medidas para qae ella tosse realisa-
escrevendo o, foi expender as ideas que. nos sugge-' teria de colonisaeio entre povos de crencas diftV
rentos.
Consultamos a alguns dos horneas mais escla
cidos e importantes acerca destas ideas, e elles i
animaram a realisa-las ofierecendo sen valioso a<
tillo. .a^, Rb amisnuH *
Eis a origem da Associaco Promotora da Co-
lonttacao Polaca no Brasil, cuja primelra reuno
teve logar na capital da provincia de Pernambueo
no dia 10 de dezembro de 1864.
, PARTE II.
Aceitas por Ibase da associagio as considera-
goes mencionadas na parte anterior, tratou-se de
rio o estudo da astronoma, ideas qoe a leitura de
varias obras mais nos fizeram arraigar no ani-
mo, descancamos na benevolencia dos leitores, pro-
mettendo-lhes publicar mais alguma cousa loga
qae teouamos tempo.
Pars, 5 de Janeiro de 1866.
Felippe Fie igueira Faria. 3
Assdciaca Prtnttora da CtitafetCM
Ptftca.
PAHTE I.
Traundo-ie de erganisar nesia capiui ama asso-
ciaco con o fias de promover a emigrago estran-
gelra para eett prfvlBCis, a nella estabetieer co-
lonias agrcola* aoitrlaes, tempo de romper-
ver a aplido para o-trabalbo, do que recebe-los
por osmola. O eraprestirao aaleaa; a aneadla nm
certas circnmslaocias abate.
Tambem creo a commisiio dever prevlnir, quo-
10 fosse possivel, qu o espirito de parlldo, (dad
desgracadamenie penetra em todos os negoeios das-'
te paiz, e qoe unto tem entorpecido o desenvolv-'
ment de sua prosperldade), nao produzisse os seus
raaos efieitos invadindo a associagio, e promovendo
entre seus fflettbros a discordia, slemenlo multo
poderoso para aniquilar as raelhores insliluiges.'
Foi por isso qoe se resolveu conferir a presidencia
perpetua da associago aos bispos diocesanos, os
quaes, pela elevada posigo que oceupam pe-'
lo respelto qae respirara, e pela santidade de'
sna raissao, seriam sempre elemento de ordem e de i
estabilidade. Certo qae esses venerandos cida-1
daos nao poderiam obstar a todos os desmandos, I
que por ventura podessem apparecer; mas nin-
gaem ignora que, devendo elles, pela torga do seo
sagrado ministerio, ser estranhos s paixes polti-
cas, e sendo efectivamente essa a norma de vida,
que os bispos do Brasil teem adoptado e constante-
mente seguido, evidente que a adjpcao dessa me-
dida era urna garanta para a duragio da associa-
gio, e boa ordera de seus negocios.
Conbecendo a eommisso quanta vantagem po-
deria resallar a associago da facutdade de apre-
sentar a consideragSc do goveroo impertaf os no-
mes de algum dos seus aembros, que por seus re-
levantes servicos se flzeesein dignos de recoobecl-
meoto, lembroo que se solicitasse essa gracia, a
qual pareca nio dever ser denegada, visto que fl-
nba por fim remunerar servicos de ordem supe-
rior. 9e ceno que a espootaneidade dos ac-
tos de beneficencia e de patriotismo nao mira ou-
tra recompensa alm da satisfecao de haver prati-
cado o bem, tambem est na eonsciencia de todos
que ao espirito humano -apraz sempre ver que as
boas aegoes nao sao despresadas-, e qoe, pelo con-
trario, sao tdas no devido valor por aquelles, i.
quem esta' oommettida a direegao- das sociedades.
a remunerago- de taes servigos nb smente um
acto de reoonhecimento publico aos quo mereccro,
ainda um-estimulo, que induz os espirilos pouco
generosos-a-se eievarcm alm da esphera em que
gyravo por forga dnatureza ou da 3ducago. E,
como a modestia ne-permilte que c bomem seja
echo de suas propria* virtudes, necessario que
aquelles qae as tem observado de peKoT e as tem
apreciado em- todas as saas circunstancias, as
aprsenteos- e recommandem a quem pode remune-
ra las. Coocebe-se fcilmente o alcanee eata me-
dida ; e, pois-,.nao parece conveniente 'alero em
sua demonetrago.
Da leitura. dos estatutos, qae sero paMicados
em seguiraenlo,' ver-se-h qae, se elles oao sao um
trabalbo sem- dsfeitos-,. ao menos parece qoe em
sua confeccao presidio a prudencia e a-previ-
dencia.
Qalzemos formar nm soeiedade benoSceote -,
mas procuramos concillaras cousas de modo-, que o
beneficio se tornasse permanente e predoctivo,
sempre em proveito dos-beneficiados, e seovpre-
juizo dos bemfeltores.
PAUTE III
Os bons desejos dos pernambucanos para-cotn os
emigrados polacos encontraram echo immediato na
capital da provincia da Babia.
Havia a Associaco de Pernambueo commissio-
oado aoSr..conde Jasienski para promover novas
associagdes-nas differeutes provincias do imperio,
dando-lbe para isso as> convenientes instrucco's.
Em cumprimeBto.de-so missao dirigio-se -- Babia,
onde encontrn ptimo aeolhimento e sinceras
adheses ao nosso peasamento. Promovne ama
reanio, qoe leve lugar, no palacio do goveroo, sob
a presidencia do. virtuoso prelado da dtocese o
Exm. e Rrm. Sr. arcebtspo D. Manoel Joaquina da
Silveira reanio composia de cldados dos mais
distioctos, que ornam a soeiedade brastletra. Pe-
ralte tao Ilustrada assembla, desenvolvea e jas-
tificou os motivos qae- deram lugar a aquella reu-
no, o digno presdanle da provincia o Exm. Sr.
Dr. Luiz Antonio Borboza de Almeida. 3, tendo-se
decidido a encorpocago da Associaco Babiana, foi
oSs. Jasienski encarregado de volur aPernaraba-
eo com o fim de bascar os estatutos, qoe aqu ha-
viam sido organisadw, assegorando-nos-qae a men-
cionada associago desejava unir sua sorte a de
Pernambueo, regendo-se pelos mesmos estatuto,
tanto quanto lhe perrailtisoem as circamstancias
da provincia.
Essa prova de deferencia da Associago Bahiana
foi receida, cora especial agrado-pola Associago
Pernambaoana. Foi isso ama delicada cortezia para
com a provincia, d'onde havia partido a idea gene-
rosa de coioaisago polaca.
Promptos e assiguados os estatutos assim corno
o reqnenment de graga para sua approvago, fo-
ram apresentados ao Exm. presidente desta pro-
vincia, o alustrado Sr. Dr. Antonio Borges Lea|
Castello Braoco, para informar e remetter ao go-
veroo imperial. Alm de sua loformago, S. Exc.
dignou-se de eserever ama carta particolar ao
Exm. Sr. ministro da agricultura, e outra ao Exm.
Sr. presidente do conseibo de ministros, as quaes
demonstrava magistraimeme a grandeza, dos fias
da associago, e a necessidade de aproveitar e ani-
mar to boas disposiges philantropicas em bem do
palz. Dessas cartas foi portador o Sr. conde Ja-
sienski, quem a associago incumbi de procu-
rar na corte o complemento de seos irabalhos pre-
paratorios. A' S. Exc. o sr. ministro da agricultu-
ra foraro entregues todos os papis; mas nao sa
hemos por que fatalidade oio aprouve a S. Exc. dar
a menor solucio esse negocio I Commuoicou nos
apenas o Sr. Jasienski que nao baviam sido satis-
taitas todas as formalidades exigidas pelo decreto,
e reglamelos, que regem a materia; e qae o
EXm. Sr. ministro exiga taes modificagoes nos es-
tatuios, alm da suppresso de. alguns arligos. A
associago nao davtdaria de aceitar cora o devido
respeito as observares de S. Exc. logo que ellas
lhe fossem (ellas competentemente. Nio era pos-
ivel adevlnhar suas mtenges; e por isso cumprla
que nos ludicasse quaes as modinaagdes, qoe se
leviam fazer, e quaes os arligos que era necessa
io supprimir. Deste modo ncariamos habilitados
ra sabermos se podamos continuar na obra oo-
megada aceitando tu lotum as alteragdes ofiereoidas,
on se devoramos abandonar a Idea em vista das
difflculdades praticas, que porventura encontras-
semos em taes alterages.
Se os esutotos foram remedidos ao governo im-
perial por intermedio do presidente da provincia,
parece fra de duvida qae s por esse meto deve-
riam chegar ao conbeclmento da associago as mo.
dificagdes, ou allerages, que se exigan.
Como quer qoe seja, a commaoicago particular
doSr. Jasienski aio poda servir de base para
qualquer modincago, salvo se quizessemos con-
em* vista prevenir que o espirito da caridade nio
ehegasse a cansar pelas repetidas exigencias de
novas sommas para Os encargos da associago ; a
por isso estatuto que, tres annos depols de estabe-
lecldos, reslltaissem os colonos associagio, por
annuidade mdica, as qnantias, que se Ibes baviam
emprentado, Isso Ibe serla muito fcil, correndo
as ettages regularmente, una vez qae se dedlcas-
sem ao trabalbo, a quizesaum tirar dalle os meios
de eoncorrer sem o menor sacrificio de san eco-
nomas para a viada de novos colones. Sen du-
vida esta' mais de aocordo coa a dignidada huma-
na aceitar por emprestlmo os meios de dejenrtH-
das. Noroeou-se ama commissio para confeccio-
nar os respectivos estatutos, a qual, estudando a
materia, e encarando as qnestSes por todos os la-
dos, apr'esentou sen trabalbo associago, sendo
os saas srrtigos disentidos em sessio e approvados
ananimemente. Nesses estatutos teve a commissioJ friar M rer*8 d0 bom 8908 I9 paraaan exi-
gir toda a gravidade-a circumspecoio na maneira
de tratar dea negocios pabkcos.
Foi-nos bastante sensvel a falta de solugo acer-
ca deste objaata, tanto por que isso tem de algum
modo arrefeeldo o ardor, eom qae a popuiago
paraambocana ibragou to nobre pensamento,
como por que alguns espiritos meaos pacanles po-
dara langar mi dessa olvido para semearem a zi-
xanla entre o norte a o sal, cojos interseos pare-
cera Mr tratados de modos intei ramete contrarios;
o isto unto mais grava qoanto iodos veera o afn
com que o governo 'procura chamar para o sal a
migragio, taires por o/n, pegamento da alta pol-
tica, mas evidentemente contrario aos iuteresses
donarte.
-
E nem se diga que a razo da preferencia est
aa semelbanca dos climas do mi, com os climas
d'onde partera os emigrantes, tirando-se desta cir-
cqnmancia a necessidade de ebama-lt e estbale-
ce-Ios naqnelle lado de Imperio j Tjorqoanto contra
essa assergo protesta solemnemente o dominio hol-
laodez em o norte do Brasil, onde edificaram vas*
tas propriedades raraes, que cultivaram com gran-
de proveito, nao fallando dos portuguezes, que fo-
ram os primelros a levantar engenbos, e a traba-
Ihar na grande e pequea lavoura, sera que dos
climas tirassera pretexto para se entregaren! a pre-
guiga on abandonaren) o norte pelo sul. (*j
E' necessario que todas essas cousas sejam to-
madas na devida considerago ; por qae, unidas a
innmeras outras j accomoladas, e as que se vo
accumulaodo, podem por em perigo a nacional ida-
de collectiva. Nao se poderi lalvez obsiar a tr-
renle dos acontecimentos, quando o desgosto geral
levantar o primeiro grito de alarma.
Nao temos nenhnma pretengo a ser estadistas;
faltara nos para isso todas as babilitagoes; roas
parece-nos ver na mareba tortuosa qae tem loma-
do os negocios do paiz, a approximago de proce-
losa tempesiade poltica, que compre ainda evitar
pafa bem de todos.
PART IV.
Esperavaavoj ainda a deciso do governo impe-
rial, quando temos nos jornaes ta curte a noticia
de baverem alguns cidados dos- mais ilustres e
prestigiosos fundado ali urna associaco sob o mes-
mo titulo e com o mesmo fim da qae baviamo3
aqui premeditados Isso aos alegrou bastante, por-
que era urna prova loconcussa de que o pensa-
mento originado em Pernambueo adquira sympa
mas poderosas para ser reduzido a- meto ; tanto
porque a respeitabiKdade dos nomes, que abi figu-
ra sao urna garanta de estabilidad e de bous
resaltados, como porque desta falta o governo im-
perial nio teria difflculdades na approvacao dos
seus-estatales ou na indteacao de modifiaqoes ou
suppresso de algunsarligos, visto queja nao se
tratava da Associago de Pernambueo.
Com efleito nao nos engaamos; nenbum impe-
cilio Ireuve que obstasse a apparigo do decreto
o. 3575,' de 30 de dezembro de 1865, aulormndo
a encorperacao da companlua anonyma denomina-
daPromotora da Cokmuacao Polaca no'Imft-
io e approvando os respectivos estatutos.
No parecer e resultado dos Irabalhos da commts-
sao creada na reunido que-teve lugar no consistorio
da matr- da Candelaria-a 26 de agosto do asno
passado, diz o preclaro coneelheiro, Exm. Sr. Dr.
Sergio Teixeira de Macedo..apreciando com honro-
sas expresses o acto da sesuio pernambucana, o
seguinte s
Os estatutos que aquella rennio de Peraaur
< bucanos- notaveis organison e submetteu ao go-
verno imperial, nao nos admira qoe at hoje nao
< tenham obtido a neeessaria approvago, porque
evidentemente- escaparam-neHes disposiges con'
< trarfas a- le i e aos decretos, que regulara a ma-
teria no nosso paiz. .
Nao duvidamos que essa razo obstasse a appro-
vago dos- nossos estatutos-;.mas o que nao pode-
mos admit resignadameate que S. Exc. o Sr.
ministro da agricultura ne- se dianasse de dizer-
nos Isso pelos caoaes competentes, aura de emen-
darmos de modo conveniente os erros commettides-
A idea valia a pena do sacrificio de alguma for-
mula de etiqueta, caso houfesse; e os nomes- das
cidados aoe assignaram os estatutos, salvo o do
humilde aotor deste escripia, nio deshonravam*
alta posigo de S. Exc na-eoosagrago de alguns
minutos para indicar-Ibes- o qoe deveram fazer
de tiara:ocia com a lei em bem da bamanidade e
do paiz.
Nao tamos todava perdido de todo o nosso tem -
po e trabalbo, porqaa se acha autorisada ua.corte
do Rio de Janeiro a encorporacao da Soeiedade Be-
neficenit Promotora da- Cotomsaco Polaca** aP*
provando os seus estalatos. Os desejos dos per-
aambocanos eram soceorrer aos miseros polacos
de om modo per manate e efficaz, cbasaando-os
para o Brasil e offereeendo-lbes patria, liberdade e
irabamo. Satisfagamos to nobres desejos-concor-
reado com o nosso contingente para a prosperida-
de daquella soeiedade, cujos resultados nao podem
deixar de ser proficuos. Nio nos etnbargue o des-
pulo a voz da gmcro^idade e os senttmentos de
homanidade, de patriotismo e de religiao. O egos-
mo dos homens nao mata as Ideas, porque ellas
sao ludo e os homans pouco.
A emigrago polaca talvez a quomelhor con-
vem a' soeiedade- brasileira, tanto porque nao d lo-
gar a complicagdes religiosas, altela a identidade
de crengas, como porque, na impossibilidade de ob-
terem os polacos sua naclonalidade, recusando-se
obstinadamente ao dominio moscovita, nenh-uma
difficaldada- irarao a Brasil as. pendencias,, que
por ventura, possam ter, as quaes costomam In-
tervir os gosernos, a caja nacionalidade perteneem
os outros- emigrados. Elles comprebendero a ne-
cessidade de se manterem uaicamente sob a pro-
lecco da lais brasileiras.
As circumstancias especiaes, que deram origem
a' lundagao da Soeiedade Promotora da Colomsa-
go Polaca no Brasil, fazem que essa. associago nao
tenha semelhaoga com nenbuma outra do mesmo
genero, e nem mesmo com ellas, se possa fundir
sem alterar desconvenisntemeate a sua essencia;
ao passo qae nada se-oppoe a qoe todas as outras
prestem-lhe seu valioso auxilia para que ella con-
siga seus fins.
E por maiores que fossem os desgostos ocasio-
nados pela falte de atteocio do Sr. ministro da
agricultura para com a Associagio Pernambucana
nao cabem em nossos ooragoes sentlmentos egos-
ticos, para qoe deixemos de cooperar com todo o
espirito de caridade para a realisagao de um glan-
de pensamento.
Os nomes respeitaveis dos cidados, q.u*com-
pem a soeiedade do Rio de Janeiro, inspirara a
' mator confianca. E a proiecco de SS. MM. e AA.
Imperiaes nao permute a menor duvida na boa
gesio dos negocios sociaes, e conseguate mente na
permanencia dos fias, qne a soeiedade se propde a
preencher.
Concorrer para o desenvolvimeoto e estabilida-
de dessa soeiedade om acto meritorio, qae Deas
abenea e os homens bemdizero.
E qaanto maior fr u numero dos subscriptores
em Pernambueo, unto mais realgaro as virtudes
cvicas, religiosas e philwiroplcas, qne adornara
este povo magnnimo.
' Agora qne temos concluido a exposicao histri-
ca da Associaco Promotora da Colomtaoo Pola-
ca no Brasil, e que havemos demonstrado a ne-
cessidade de ajudar com as nossas assignaturas a
soeiedade estabeieeida no Rio de Janeiro, cmpre-
nos ainda accrescentar qae considrame ama ne-
cessidade publica a fundago da soeiedade inter-
nacwual de colonjagio, qoe alguns cavallalros ge
propem a levar a efleito nesta capital. Demons-
trar a otilidade, que dalla pode resaltar a' provin-
1 cia, seria um trabalho tanto mato ocioso, qaanto
' sabemos qae o sentimento de patriotismo faz o
! apaaagio dos habitantes do Pernambueo.
A encorporacao dessa sooiedade nio implica a
m i i -----------
() A este resnito lase o Importante discurso
do erudito Sr. Dr. Jos Joaqaim de Moraes Sar-
ment, poicado no Jornal io ftectft de W de fe-
Tinto do correte apop,
subscrtofo em favor da emigrado potoca: uio
contrario, afla a deve animar tanto mato, ojalo
tendo sido frastrada a tentativa {SatgOa-
rece qoe a emigrago comegari, a faier-se para
esta proTlneia, altelas as ordens, de-48a foi porta-
dor o Sr. conde de Jascinski para,, a Exm. presi-
dente, o honrado coyelheire Dr, ioio Lustosa da
Cunha Paranagu, que promptamanie faz expedir
offlcios as autoridades de Palmares, Bonito e colo-
nia de Pimenteiras.recommendando qoe prestassem
ao dito conde todos os auxilios, de qne carecesse
na exploraco de terrenos.
A coocurrencia de todos os homens earidosos
desta e das outr.s provincias habilitar a Soeiedade
Promotora da emigraedo e colonisaoao Polaca no
imperio a levar a efleito urna obra de grande mere-
clmento e de alcance social para o Brasil. E, como
sejam as ioscripges de pequeo valor, pode cada
um exercer o seu espirito de pbiiantbropia segun-
do suas posses, e generosdade. Salisfazeado deste
modo os deveres, qoe sobre nos pesavam, quer
como iniciadores da idea, qoer como eidado, nio
pedimos indulgencia para nossas faltas, mas pedi-
mos caridade para os infelizes, qoe esperamos
alcangar por amor de Deas e da nossa patria.
Dr. Sabino Olegario Ludgero Pinko.
DI POUCO DE TUDO.
E' do Sr. Z este soneto :
QUMZE DE MJHKJO.
Oh I tmpora, oh I mores f
Desde o qntnse de outubro que passeio I
A vida nesse tempo sonho d'ooro I
Qbe folias, mea Deus I que sorvedoaro
De tudo quanto bom I Oh I que flauteio I

A vida nm ovarlo anno I que reereio I
Nao vive-se, nao- desde o calouro
At o-p'de baneo>T Achara desdoofOT I
Pois erelam que noo que ea tambem creio r
Maldito sejas la, oh-margo austero
Que catearos, hedis-, lentes e lado
Me Qzeste tembrar C En nao te quero !
Foge para sempre, ob mez trombado,
Que afflieto o outubro s espero
O tempe para mim de mais estudo I

E' do Sr. A. Altico Leite :
DBSAUMTO.
Deus, oh Deus 1 quero deixa-la,
Mas nao pode o coragio I...
Ama-la smente ama-la,
No peito brada a paixo I
Ama-la meu Deus... nio possol.
Deixa-la, prendo em vo.....
Corago, porque te emflammas ?
Corago, porque me ehamas
P'ra onde nao posso eu Ir??
Nio vs adiante, a borrasca ?
A fenda, nao vs opaca,
Que pretende me engolir ?
Amei-a, dei-lhe meu peito,
Jurei-lbe que era per le 1 lo
Este amor que lhe eu tinba II
rallon-me com voz segura,
Jurou-me que sua jura
Era fiel como a minha.
Desde ento foi oossa sorte
Mais di tosa, que mais nao II
Recolbemos n'um s pello
Um e oulro corago;
A nossa vida era a amar-nos
O nosso amor todo sao I!
UM PEDIDO
Deste-me uro cravo,
Lindo, mimoso I
D-me nma rosa
Ainda em butao,
Que represente
Teu corago.
Nao queres dar m'a?
Que mal te fiz?
Sou bem infeliz I
Nem urna Ar
Merego em paga
Do mea amor 1...
Pois nm suspiro
Te vou pedir ?
Estas a surrir ??
Nao me das... oo I
Eu dou-le era jaga
Meu corau>u.






1( ESPOSTA

Querido aojo,
Recebe a rosa,
Que me pediste
Ainda em buto;
Fiel retrato
Do corago I
Vai to contente,
Lonca de amor,
A pobre flor
Te visitar,
Qne nem se iembra
Qne ha de marchar II
Marchar 11 qae digo ?
Nao marcha, nao;
Pois om butio
Pode viver
Bastante lempo
Sem fenecer.







Val, vai, ligeiro,
Lindo buto,
Dizer a rosa
Que acceite airosa
Meu corago.


-


O Correio Paulistano publica:
AS KUPCIAS DE THETIS E l'KHO.
A provincia de S. Paulo, bella como Tbelis a
a mato bella das Qlbas de Nenio, depois de reques-
tada por todos os maganes da Europa, verdadei-
ros danses do progresso, ligou-se em desposorios
com o genio anglo saxonleo.
Segnndo os orculos sagrados, d'este consorcio
devia nascer o maior d'entre os beres Le Boi
Colon o Achules da uberdAde americana.
O presente de nupcias foi- urna dajjflL owns-
tros cavallos, fabricados as foroalhasaaMkocbes-
tres, cojos pulmfte* da Ierro s respirara chammas
e famaea, cojas patas correm com a vntocktode
do relmpago, a gaigor milbas de distancia por se-
gundos.
Magnifico presente: mas maravilhoso que as
botas de 7 leguas, mais digno da nma' noiva ame-
ricana que o famoso cinto da Venas sphrodlto.
A Discordia, o diabo coxo dos tampoa mytoto
gicos, assisllndo as festas do ooivado, nao ponda
cobibir-se de fazer urna das suas: no mais doce
dos praxeres da festonea arremessoo aos ps da
noiva um pomo de ouro, a retiroo-se, na certeza
de qne Qcavam desfeitas a paz e harmona d'aquel-
le grupo de felizes. O magnifico pomo tinba de
nm lado esto inscrlpgoMradd de Sorocaba, e de
entro todo esta oulra i maii formta._____
m
Sua magestade el-rei de Portugal dignou-se acei-
tar um dettoado mimo, feito palo Sr. Joaqun. Pin-
to de Azevedo, alteres do estado maior do exoretto
brasileiro.
Consisto o presente em um brasio de armas
porluguezas tollas de penq as de diversas aves
* rarMde,tI^Wttei.}. ",.,.,
PBRlfAMWCQ.^TYP, PtKKMfr. 4 fsjm


r
j
1
<
--
t
p
.

N



fe.'
* I
n


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EFT6USOQ7_K46H4X INGEST_TIME 2013-09-05T00:04:47Z PACKAGE AA00011611_10917
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES