Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10915


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I
AMO ZLD. IUEBO. 59
Vn qairlel pag* dentro dos 10 das d 1.a mez .
I4Mde^i8dsl.0,loi8dcmeciedeBtrod#fMrte '
f*rte at ctirein pr tres Mezes.....,
DIARIO
ENCARRKGADOS DA SBSCRIPgAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexfodrlno de Lima;
Nata!, o Sr. Antonia Marques da Silva ; Aracaty, o
Sr. A. de Leraos Braga,- Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filbos; Amazonas, o Sr. Jeronyrao da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO DO SUL.
Alagoas, o 8r. Claodino Falco ias; Baha, o
sr. Jos Martin Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estagoes da vi,i frrea at
Agoa Preta, todos os das.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altmho, Garanbuns, Buique, S. Bonto, Boro
Conseibo, Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pao d'Albo, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqaeira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, galgueo e Ext, as quartas
feiras.
|Serinhiem, Rio FormosojTamandar, Una, Bar-
reiro8, Agua Preta Plmentelras.nas quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relaglo: tergas e sbados is 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Julzo do commercio: segundas as il horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
quartcs e sabbades a 1
rimeira tarado etal: tarcas seitas ao roeio
ato.
pognnda vara do civel:
hera da Urde.
. EPHEMER1DES DO MEZ'E MARCO.
e\Loa eheia as 9 h., 33 m. e 40 & da m.
t'Quarto ming. a l h., 33 m. e 3 s. da t.
1 La nova as 7 h., 17 m. e 335. da t.
t3 Quario cresc. as 10 h., 44 m e 27 s. da m.
ra Loa cheia as 2 h., 12 m. e t s. da ro.
parte ornciAL
O VERSO DA PRO VI Vil A.
Expediente do da 26 de fevereiro de 1866
Offlcio ao Exra. e Rvm. bispo diocesano.Pelo
olDcio que V. Exc. s servio dingir-me era 23 do
correte, flqaei ioteirado de haver V. Exc. conferi-
do a collago canoica na forma de dlreito ao co-
neg Joaqaira Francisco dos Santos e Ignacio An-
tenio Lobo, que foram apreseniados era cadeiras
este de meia prebenda e aquello de prebenda in-
teira da cathedral de Olinda.Communicou-se a
thesouraria de fazenda.
Dito ao Exra. general commandante das armas.
Cora este offlcio ser apresentado a V. Exc. para
ser inspeccionado e recolbido ao deposito o recruta
para o exercito Joo Pereira Bastos.
Dito ao mesmo.Informe V. Exc. sobre o que
pede no incluso reqnerlmento o guarda do Bata- das pravas.
Iho o. 36 do municipio do Brejo, Jos Francisco
do Nasclmento.
Dito ao raesmo.Queira V. Exc. informar sobre
o que pede Manoel Joo Gomes, no reqnerlmento
que aqu ajumo cora o offlcio do delegado do pri
meiro districto deste termo datado de 24 do cor-
rente.
Dito ao raesmo.Antoriso V. Exc. a mandar eli-
minar do 1." corpo provisorio de infantaria por ser
casado o guarda do balalhao o. 42 do municipio de
Serinhem Theotonio Lourenco Gomes, sobre que
vera a sna informara n. 82 de 13 de Janeiro ul-
timo. Communicou-se ao respectivo commandan-
te superior.
Dito ao mesmo.Srvase V. Exc. informar ou-
vlnd a junta de saude acerca do Incluso pedido de
medicamentos para a enfermarla militar do presi-
dio de Fernando.
taria Ignacio Francisco de Lima.Fica assim res-
pono-ido o sen offlcio n. 394 de 26 do correte.
Dito no mesmo. Queira V. Exc. dar as conve-
nientes providencias para que o 4 corpo de volun-
tarios da patria em organisacao, bem como o con-
tingente do 4 batalho de anudarla a p recolbido
do presidio de Fernando eslejam proroptos a em-
barcar para a corle no vapor Paran que esta' a
chegar do norte ; Qcando V. Exc. certo de que
nesta data offlcio ao inspector da thesouraria de
fazenda para mandar ajustar rontas aos offlciaes
do mesmo corpo at o Qm de margo prximo vId-
douro. e as respectivas pragas de pret at o da 15
desse mez.-Expedio-se a ordem de que cima se
trata.
Ditoao mesmo.Transmiti a V. Exc. para te-
rem o conveniente destino as guias de soccorri-
mento das pragas de pret do 4 batalho de arli-
Iharia a p vindas ltimamente do presidio de Fer-
nando no vapor Parahyba, bem como os termos de
inspecgo a que foram sujeitas quatro das refen-
DIAS DA SEMANA.
n &Dd I' ?!&!!!* Ma*ne do"<- la egr.
* Jrqa- % Sancha Priceia v. S. Mardooia
14. Quarta. S. Maihilde raiaha de Allemanha
i? s k'JS,i]yi,,l!.0 e Tae'ano diac- ""o-
17. Sabbado. S. Patricio b. ap. da Irlanda.
18. Domingo. S.Gabriel areb.;S Narciso are.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 2 horas e 6 m. da tarde.
Segunda as 2 horas e 30 minutos da manha.
rado pelo seu offlcio de 3 do correte sob o. 41, de rttdo do presidio de Fernando.-Communicou.se a
%?-Y: Ek. prestado juramento e tomado posse | iaesoarar.a de fazenda.
PARTIDA DOS VAPORES CGaVOM*.
Para o sol at Alagoas a 14 e Wi-fKn e norte
at-a Granja a 7 e 22 de cada mee* .pan reman-
do nos dias 4 ,'os metes de janeic*.mareo, nulo
;u!'t;>, setemaro e novembro.
ASSIGNA-SE "
aoRecife,nalivraria da praga (teiodependeneia
ns. 8, dos propietarios Manoel Ftgneiroa de Paria
& Filho. *^
Dito ao mesmo.Remeti a V. Exc. para ter o
conveniente destino a relagao das pragas do 4 ba-
talho de ariilhana a p que foram fornccidas d e
sapatos pelo almoxarifado do presidio de Fer-
nando.
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. eliminar do cor
po em que estiver alistado o guarda do 3" batalho
de infantaria deste municipio Seraflra Jos Lopes,
que foi recrutado para o exercito.Scienliflcou-se
ao commandante superior do Recife.
Dito ao mesmo.Informe V. Exc. sobre o que
pede o soldado do 4 corpo de voluntarios Joo
Thomaz de Almeida no incluso reqnerimento.
Dito ao mesmo.Srvase V. Exc. de Informar
acerca do qne pede no incluso reqnerimento o ex-
segundo sargento do 9 batalho de infantaria Joo
Jos Cesar de Lima.
Dito ao mesmo.Fico sciente de haver V. Exc.
24 do cor-
Dito ao mesmo.A V. Exc. sero aprsentados os coroo me participen em seu offlcio de
guardas nacionaes do municipio de Olinda Severi- rente n. 388, mandado prender o lente do 6
no de Oliveira e Sonta e Joo Teixeira Lopes, atim corpo de voluntarios da patria Mancel Eloy Men-
de que os faga alistar no 1." corpo provisorio de in- des por se deixar ficar nesta capital tendo recebi-
fantaria. -Commnnicou-se ao delegado encarrega- J ordem para seguir a corte no vapor Gerente.
do do expediente da reparlicao da polica. Dito ao mesmo.Mande V. Exc. dar baixa aos! te assignada de cooformidade
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. informar, so- dezoilo soldados do 4o corpo de voluntarios da pa- "
breo que pede nos inclusos requerimentos Jos tria constantes da relago junta, que foram consi-
gnarte Ribeiro Coutinho e Manoel Alexandre Xa- derados incapazes ao servido em inspecgo de sau-
vier Torres. j de, segundo V. Exc. declarou em seu offlcio n. 389
Dito ao mesmo.Sirva se V. Exc. de informar i de 24 do correte,
sobre o incluso reqnerimento do alferes reformado Dito ao mesmo.Faga V. Exc. apresentar ao
do exercito Lourengo Jos Romo. ; capito do porto os voluntarios Pedro da Silva u
Dito ao mesmoMande V. Exc. dar baixa ao Campos e Daniel Francisco de Oliveira, que segn-' tenente
Jn /**., fin AQ larniftD Annnwnr ha "-i. ff ,1'. ^ OOIl A-, 91 A-. 1 Al___ i
do cargo de presidente dessa provincia, para o
qual foi nomeado por caria imperial de 18 de no-
vembro prximo paseado, cabe me assegnrar a V^
Exc. que me encontrar sempre prompto a cum-
prir suas ordens, quer sejam relativas ao servicp
publico, qoerao particular deV. Exc.
Dito ao Exm. e Rvm. hispo diocesano.Devendo
ter lugar aioanna. a urna hora aa tarde a abertura
da sesso ordinaria da assembla legislativa pro-1
vlncial, assim o eommnnco a V. Exc. aflm de que '
se digne de providenciar no sentido de ser celebra-
da na igreja da Corpo Santo, a hora do costume a
missa votiva do Divino Espirito Santo.Offlciou-se
a cmara municipal do Recife, para mandar pre-
parar a igreja, ao commandante das armas para
que a fortaleza do Brum, d as salvas do costume e
ao commandante superior, para fazer apresentar
era frente daquella igreja, um dos corpos da guar-
da nacioaal atim de faier as honras do estylo.
Dito ao Exm. general commandante das ar-
mas.Ao offlcio qne V. Exc. me dirigiera 26 do
corrate sob n. 397, respondo declarandolhe que o
voluntario Thomaz Bassick deve recomer-se quan-
to antes a esta capital, aflm de n primeira oppor-
tunidade reunr-se ao 4 corpo a qne pertence.
Dito ao mesmo.Queira V. Exc. Informar sobre
o que asanla o cnsul de Portugal no incluso
offlcio datado de 27 do correte.
Dito ao inspector da thesouraria de fazen-
da.Mande V. S. passar revista de mostra a ma-
nhaa as 8 horas do dia ao 4o batalho de infantaria
da guarda nacional deste muAMipio destacado no
quartel da Paraizo.-Coramaoicou-se ao comman-
dama superior respectivo.
Dito ao mesmo.Nao havendo inconveniente, I
mande V. S. pagar ao ex-cadete do 6 corpo de
voluntarios desta provincia Demetrio Acacio de
Albuquerque Mello, corno-pede no Incluso requeri-
rnento, a quanlia de 40500 que diz flcar-se-llie
devendo de seos vencimentos, relativos a segunda
quizena deste mes.
Dito ao mesmo.Restitoo para o flm convenien-
te, a inclusa conta em duplcala e convenientemen-
te assignada de cooformidade com o seu offlcio de
22 de dezembro ultimo, relativas.aos apparellos do
gaz erapregados as casas da guarda e cochelra do
palacio da presidencia.
Dito ao mesmo.Communico a V. S. que falle-
ceu no da 30 de outubro do aooo prximo fiodo
seguodo -
Dito a' cmara municipal da Bo-Vita. De-
aiaro a cmara municipal da. villa da Boa-Vista
em resposta ao seu .fflcio de-28.de Janeiro p. Ando
qia approvo a arremaiaco dos imposios de que
tmam os termos de contrato* que por copia acom-
paanaram o seu citado offlcio.
Portara. O presidente da proviaeia, usando
da attrlbuico qne lbe coofare oarL 1 da le de
3 de dezembro de 1841, resolve nomear supplentes
do juiz municipal e de orphos do irmo do Ex,
comarca da Boa-Vista, os cldadaos consumes
desla portara, os quaes devero servir pela ordem
em que vo nella mencionados, e pelo lempo mar-
cado na tei:
l Teneme-coronel Manoel Florencio de Al-
ese*
1 Capilo Pedro Alves de Oliveira Caslro.
3o Capilo Antonio Bereira de Carvalho.
4o Major Jos da Costa Agr.
Tenente Manoel Rodrigues de Carvalho.
Antonio Cardoso de Miranda.
Fizeram-se as necessarias communicacSes.
Dita O Sr. gerente da companhia pernamba-
cana mande dar passegem de estado a r at Pe-
nedo no vapor ParaAjtba a Antonio Flix do Reg
Pinto. B
Expediente do secretario do governo do dia 26
de tevereiro de 1866.
fflcio ao Exm. general commandante
PERNAMBUCO.
mas.- S. Exc. o Sr. presidente da provincia man-
da eommuoicar a V. Exc. qpe nesta data despa-
chen para serem satsfeitos pelo arsenal de guerra
os quatro pedidos do 4o corpo de voluntarlos de
que trata o. offlcio de V. Exc. Armado em 23 do
correte sob n. 381.
ASSE1BLI& LEGISLATIVA PROVINCIAL,
SESSn ORDINARIA EM 10 DE MARCO
DE 1866. W
PRRSIDHKCIA DO SR. VIGAR10 FRANCISCO PEDRO DA>
. .. SILVA.
as u aoras e 25 minlos da manha faz-se a
chamada e veriflea-se estarem presentes os Srs.
deputados Francisco Pedro, Ramos, Ayres, Mh
qu mTavares, J. Reg Barros, Correada Silva, An-
Rtr^Ialan,te,o Tibartino' Jeronyrao, Arminio,
a!% ri So^M Lei0' Lopes Machado, Biitlo,
Emygdio, Cicero, Gitirana, Epaminondas, Hisbello,
iouto Lima, Manoel de Carvalho, Amonm.eCandi-
do Marlios.
Abre-se- a sesso.
L-se e approva-se a acta da sesso anterior. '
EXPEDIENTK.
Uto offlcio do secretario do governo, remetiendo
o resimo e documentos relativos a reeeila e des-
peza da cmara municipal dacldade da Victoria.
a Bommissao de orcamento municipal.
Uutro, remetiendo iguaes documentos relativos
cmara de Agua-Preta-A' commisso de orcamen-
to municipal. v
Ontro, remoliendo documentos identicesda cama-
ra municipal do Rio Formozo.-A' ccmmisso de
das ar- orgaraento municipal.
Oulro, declarando que S. Exc. o Sr. presidente da
provincia, fleava ioteirado de ter sido nomeado of-
nciai-maior da secretaria da assembla o Sr. ur.
Qaeiroz Fonseca.
Urna petico dos habitantes de Taquariiinga, so-
a remocao da sede da Ircguezia para o
. participou-me o marechaTcomraandani
da Silva das armas era offlcio de 22 do crrante, o segundo
, | -__,_ ^,ci .iwvuuu uo wii.cna, Mu6 segn- tenente reformado do exercito Maooel Ferreira de
seguodo sargento Claudino Florencio da Gama e do os termos annexos ao seu offlcio n. 389 de 2* do! Almeida, que resida na freeuezia de S Beato
soldado Amaro Jos do Aroaral, do corpo de i correte, foram coosiderados em iospeeso de Dito ao iosnector da thesouraria nrnvinrisAn.
voluntarios da patria, que foram cousiderados in- > saude aptos para o aenrieo da armada.-Neste sen- nuindo ao qu solicitou o commandanu sooer.or
capazes do servCo em inspeeeao, seguado consta tido offlciou-se aquella capitana. interino da comarca So BomtoTm offlcio do "do
correnta0neX0S ao seu offlcio 39i de 24 do -,^1M'Peor da thesooraria de fazenda crreme, recommendo Tvlql Travista dos
correte. Expeca V. S. as suas ordens para que a recebedo- dous prets juntos em duollcata e nao havendo in ;
Dito ao mesmo.-Respondo ao seu offlcio n. 386 na de rendan arrecade a importancia dos dlreiios | conveniente, mandebaear a Maihias de Azevedo
de 24 do correte, declarando que pode V. Exc. e emolumentos que (era de pagar o padre Fortu-! Villarouco os vencCos coISSndeX ais !
mandar orean.sar o conseibo econmico, para a nato DavidAmador, para obteocao do seu titulo de mezes de dezembro TtaLtomStoTUZ I
direcgao da enfermara militar, ficando esta sob a apreseniacao na reguezia de Nossa enhora da I dos mrtu r^ JSl
direccao do 1 corpo provisorio de infamarla, como I Conceigo de Itamaraca'. villa.Communicou-se ao resocTO ^mmandante
propSe em dito offlcio.-Communlcoo-se a theson-; Dito ao inspector da thesouraria provincial.-
rarla de fazenda. i Providencie V S. para que estando em termos o
Dito ao inspector da thesouraria de fazen- pret junto em duplcala a que se refere o offlcio
da.Reraetto a V. S. para os convenientes exames I do commandante superior da comarca do RioFor-
ve oroera de t>. txc. o Sr. presidente da provm- vil e ecclesiastica.
ca communico IV. S. para seu conheclmento que Um offlcio do secretario do governo reroettendo
seguodo coosta do offlcio de boje do ajudante de um requer.menlo dos contraio? e"aervef3
engeobeiro Jos Caroeiro da Rocha entrn elle que pedem augmento de seos venefmemos!-^
nesta data no exercicio do cargo de engenhairo commisso de ordenados
nn^nen'au?ieJ9rro; .. ... n Uma "P^^gao do ihesoureiro das loteras,
d^ n Pr'J 2#? e Urvaih0 9m9 Bran-: S0Dtra al S. Exc. o Sr. presidente da de servico a seu carga-A' commisso de petgoes-
provincia aecuso a recepgo do offlcio desta data
em que V. S. participa que na mesma data deixou
o exercicio do cargo de promotor publico desta co-
marca para tomar ssento na assembla legisla-
tiva provincial.
- 27 -
Offlcio ao juiz de dlreito Dr. Joao A. de Araujo
Frenas Henriques. De ordem de S. Exc. o Sr. seio felicitar a 5. Exc. o Sr. blspo
presidente da provincia aecuso a recepgo do offl- sua feliz chegada a esta caoilal
co em que V. S. participou ter nomeado o Dr. E' apoiada e approvada sem'discusso a referida
Joao thom da Silva para exercer interinamente proposu.
o lugar de promotor publico desta comarca por O Sr. presidente noma os Srs. Boarque, Ramos,
lerdeixado o exercicio deste cargo o bacharel: Joaqom Tavares e vigarios Jerooymo e Burgos pa-
Francisco de Carvalho Soares Brando. Cora- ra fazerem parte da corammissao
municou-se a' thesouraria de fazenda.
um parecer da cemmisso de ordenados, propoo-
do uraa resolugo para que se maude pagar a gra-
Bcagao devida a Vicente Torres Bandelra, pelo
tempo que servio como escrivo da fazenda pro.
vincial.A' imprimir.
Falla pela ordem o Sr. vigario Jeronyrao, propon-
*55* sembla mande uraa commisso do seu
diocesano pela
ORDEM DO DIA.
Entra em discusso o parecer adiado da commis-
so de negocios ecclesiasticos sobre ecompromisso
-18-
cJL.1'.. 0fflci0 0 P" o? .da Silva ftamos ** i ^
socreisrio da assembla legislativa provincial. j da irmandade das Almas de S. Lourengo da Matta
. exc. o sr. presidente da provincia a cujo co- estando cora a palavra o Sr Buarque
hm0C'^hDl Iei j>fl, que V- S; me diri': ?rador diz ane 4 habituado a acatar a com-
noje son o n. I, manda deolarar-lhe, ahm de que o missao de negocios ecclesiasticos; que a illustrago
e\.n',Z""T a SlV" l-u."=u,'u':"'""" "-.." suuwiu, u w-w. uu ii.urui- tuouemsea ouicio n. 56 de 23 d& crreme, para ,a*a C0DS'*'' assembla legislativa provincial,. dos leus membros e as qualidades oessoaes de ca-
ZSSZJtSSST'" -aWV 8 d,T" da 2Lrt.?.J6 2 CrreS,e-Sej-m P?fi0S i veocim,en- i """" eogajar os cornetas de que necessii'a o 7 <* araanhi a a "ora di tarde comparecer' no da um delles sao tolos que iTrSSSimZ
pago da mesma assembla, para fazer a leitura do justo valor em que a casa costnma ter as suas de
seu relatorio. ; cisSes; e que nao foi por querer oppr contestagoes
; ao seu parecer que pedio a palavra.
O Sr. Buarque observa que assembla cumpre,
enfermara militar do presidio do Fernando, rela-
tivas aos mezes de dezembro da anno prximo
passado e Janeiro do "qrrenle.
Dito ao inspector di thesouraria provincial.Se
superior.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Recife -Concedo a permisso que V. S. soli-
citou em sen offlcio n. 56 de 23 H crreme, para
! .cV^. _1 y, !. """"':' "iuudr eogajar os cornetas de que necessiia o 7
2 a. 55 de ]ann ""2 '1,moLdos gua/das i batalh0 de infantaria, visto que se acba fardado e
oac.ooaes destacados na villa de Serinhaem.-Com- armado em parte.-Communicouse ao inspector
municou-se ao predito commandante superior, da thesouraria de fazenda
- Dito ao mesmo.-Annulndo ao que soicitoa o | Dito ao mesmo.Exoeca V S as suas ordens
estiverem em termos a lolha e pret juntos em du- commandante supencr da comarca do Rio Formo-: para que um dos coros da uarda oacional sob
alicata, e nao havendo inconveniente, mande V. S. o em offlcio de 16 do crreme, recommendo a V. seo comraando superior aroraoanhe a ImSem do
pagar i o negociante desta praga Francisco da Cos- 8, que estando em termos o pret jonlo em dupli-1 Senhor Bom Jess dos Martynos que ten? de sahi?
u mata, conforme solicitoo o commandante supe- cata, mande pagar os vencimentos correspondentes de sua igreja em procisso no da 9 de marco pro
ioso, em offlcio de 19 ao mez de Janeiro ultimo do destacamento de guar zimo vtodouro, as 3 bons da tarde
i relativos ao mez de das nacionaes existeote oa novoaco deGamellei-, Timhon. m'._jn .. j______'
rior da comarca do Rio-Formoso,
Tambem mandou-se dar orna guarda de honra,
para acompanhar a procisso do Senhor Bom Jess
dos Afilelos, a qaal tem de sahir da igreja de S.
Jos de Riba-a ar.
Dito ao mesmo.Designe V. S. ura capilo, ura
tenente e 3 alferes da guarda nacional sob seu
ndo superior, para comporem o conseloo
do crreme, os veDcimenios relativos ao mez de das oaeionaes existeote na povoago u
Janeiro ultimo, do destacamento de guardas na- ra.Communicou se ao referido commandante su
conaes exisiente naquella cidade. Communi- perior.
cou-se aquelle commandante superior. | ,.n __n r *
Dito ao commandante superior da guarda naci- h "Ji0-*^"0'7R,ecommend? V. 9. qoe nao
nal do Recife-MandeV.S. designar dous offlciaes STSVSSSS' ***** ,ndemDlsar a San-
subalternos para destacarem no presidio de Fer- S%2fr Hcoal 80,,ci,ou f resPec-
nando na primeira opporlunidade. 272 Pf"*dor era offlcio de 23 do corrente, sob n.
Dito ao mesmo.Pode V. S. mandar
honras fnebres do estylo ao tenente do batalho,
n. 4 de ofaotar.a da guarda nacional deste muni-' ^S7uSVm!WT$JS ^T f
cipio Joo Joaquim de Souza Abren Lima, ficando I *rh" d*(Je,lBn;J?M,de l de, *bnl do afno.prox.-
V. S. certo de que o director do arsenal de guerra hP-asSado'leem s'do admitlidos nos coliegtos dos
est autorisado'a mandar fornecer o cartuxarae de, 2^ ~2J -**&*- conta-Com'DQ01-
mosquetaria sera balas que fr necessario para as coLse ao mencinado provedor.
descargas. v Dito ao commandante superior da guarda nacto-
Destemodo respondo aoseuofn>lon 60 desta' nal de 0lin,da e feuarass.-Communico a V. S. noraes dos offlciaes de diferentes corpos. que foram
data.-Offlciou-se neste sentido ao mencionado di- qu^ s^"nd0 declarou-roe o commandante do pre-' addidos ao 4 batalho de inrantaria para coadju-
rector. j sia, de Fernando, em offlcio de 20 do correte, re- va-Io no servigo de destacamento.
Dito ao commandante suoenor da cuarda nacln SIfl'S f0." PrJ P?r doenles os guar- Dito ao inspector do arsenal de mannha.-Mande
nal de75E5F-\\JSSS?TV^MSS' naS d bataln?nD- 9 de nfanlara do municipio de V. S fazer com urgencia, os concertos de que ue-
V^mSS^VRm^JmSl > Olinda Manoel Bernardo de Sana e Bernardlno de cesslu a coberta do edificio em que funeciona a
offlcio de 10 de deiembrI d SSS oroxTrao oassa i Serv, X*T" fapiUn,a d P"o.-Comrauolcou se aquella cap-
r'ai,l : nn Prox"nJ Pass? Dito ao director geral interino da iostruego pu-! Una.
Seiro at3daouCK Pro'' DUo ao chefe da repartlgo das obras publi-
wS&w3u^SS2?F$t do firnitn I "" t0?^** externos gratuitos os raeno-; cas.-Respondendo ao offlcio de hornera sob n. 59,
narainVrn^ nZ l K' res Manoel e Joao ms da viaTa GenordSa Mana em que V. S. participou haver erapreitado <""
do,os8ffi,ar^ ntrar para o nu- '
desBnagdos nfr n cnaeS desobe,,ieDtel- send0 ero dos internos quando houverem vagas.
cS^ re,oanannHnV1Q0dagaerr>'lla0,C0mpare' Dit0 ao eapiaodo porto.-Fago apresenUr a
MtaSo, ^+22?ZJ*2t* re^rmar V i Vmc- r' re"nta de marinea Antonio Angelo de San-
55S 2SL"S COm 0H0ffl.K JUnl'la ADa- Para 1ue lne destino depois de inspec
ia que me dirigi,* Inspector da Uiesoura- clonado.-Comrannicou-se ao delegado encarregado
do expediente da reparlicao da polica.
Dito ao Dr. juiz municipal da primeira vara des.
la cidade.Ponha Vmc. a disposigo do delegado
encarregado do expediente da repartigo da polica
os sentenciados que esliverem as circumstancias
uSSon^^
Fernudo' n oZlir\ZlXTlVmos &ln .? anIecedfe.aas respectivas guias, bem ; Dito ao jolz de direito da 2." vara desla cidade.-
BSOS^VSSft^ t ^^TvtSS^T-*"*"* W: -VmC- Pa/.-erviroajunUde
Dito ao gerente da companhia Pernambucana.
Pode Vmc. mandar ao presidio de Fernando at o
dia 10 de margo prximo viodooro, o vapor que se-
gundo o sen offlcio de 24 do correte, est destina-
do para o mesmo presidio.Offlcioa se ao director
N 2. Dito ao mesmo, Accoso receida com
o offlcio que V. S. me dirigi oesta data sob o. 2
a lista nominal dos deputados proviociaes, cujos
poderes foram verificados.
5 i0 Dr" Miguel Berardo Vielra de Amorim.
S. Exc. o Sr. presidentn da provincia manda
aecusar o recebimento do offlcio em que V. S par-
ticipa que deixou o exercicio de seu cargo a 24 do
corrente para lomar assento na assembla legis-
lativa provincial. Coramaoicou-se a' thesouraria
de fazenda.
em materia de compremissos, ouVir apenas o po-
der ecclesiastico na parte espiritual, e que achan
do-se o compromiso em qtipstao j approvado pelo
digno ex-vlgano capitular nao v ontro fundamen-
to, seno ura excessivo escrpulo da commisso,
para que de novo se submetta esse compromisso a
apreciago do Sr. bispo diocesano. O orador diz,
qoe (em no
E julgadoobjecto de deliberago-e entra em dis-
cusso o projecto substitutivo da concluso do pa-
recer, sendo approvado sem debate.
Entra em ultima discusso o additivo ao projecto
n. d deste anno, mandando constroir o ealcameoto
da praga e villa do Bonito. 1$ approvado, depois
de oraren os Srs. Buarque e Reg Barros.
i Primeira discusso do projecto b. 56 de 1R56,
au ornando o governo da provincia a promover a
co lonlsagao, medante certas-condigoes.
Le-se, apoia-se e entra em.dlscosso um reqaerl-
ment do Sr. Buarque para que seja ouvida sobre
o projecto a commisso de consllluicao e poderes.
Ora o Sr. Correa de Brillo.
O lllustre depuiado oppj5e-se ao projecto por Iba
parecer locooveoeote. Pensa qoe promover a co.
lonisagao no paz pelos metes indicados no projecto
o malbaratar os dinheiros proviociaes.
U orador enteode que davemos promover a emi-
gragao para a provincia, mas qoe isto se faga pela
emprego de meios indirectos, sem esses eogajamea-
tos fataes de colooos. E* sua opioio qoe de pre-
ferencia devemos subvencionar duas instituigoes
fundadas na provincia, com o flm de auxiliar a co-
lonisago.
Tem a palavra em seguida o Sr. Buarque, que
justifica o seu reqnerlmento.
i? orador dlz 1* ?obre o seu espirito pairara da-
vidas sobre a constitucionalidade do projecto Nao
encontra no acto, addiciooal neutraa disposigo
que autorise s assemblas provinclaes a sa oceu-
parem da coioaisaco. materia regulada por lfli ge-
ral. Por esta razo deseja onvlr o parecer da com-
misso de conslituigo e poderes, que dispoe de
raaiores recursos do que elle orador. (Noapoiados.)
Peosa que o projecto snsceptivel da modiflea-
goes aproveiteveis aos interesses da provincia, e
1ue se delje pode oceupar-se a assembla deve ser
adoptado^em 1- discusso para ser emendado em 2".
u Sr. Buarque faz diversas consideragBes sobre
a colontsago.
Encerrada a discusso sao regeiados o reqoeri-
raento e o projecto.
Primeira discusso do projecto de n. 48 de 1865,
autorisaudo o dispeodio de lOtKOOO para a coos-
truego de cadeias na provincia. E' approvado sem
debate.
Primeira discusso do projecto n. 109 de 1864,
autorisando a constrneco de diversas estradas.
Fallaram os Srs. Ramos e Sonto Lima, apresen-
lando o prlmeiro um requerimerjo de adiamento
para o projeets.
Encerrada a discusso foi approvado o requeri-
mento.
Segunda discusso do projecto n. 55 sobre a fm-
presso das obras do finado vigario Barreto. Sao
approvados os arts. Io e 2o e regeitado o 3o.
Primeira discusso do projecto n. 55 do anno
passado, autorisando a rescisao do contracto Ma-
mede.
Ora o Sr. Ramos, qoe cooclue pedlodo o ada-
melo do projecto, at qne venha a ioformacao pe-
dida sobre este assompto ao governo.
Verflcando-se nao haver casa, levama-se a ses-
so, dando o presidente a segrate ordem do da :
continuago da anterior, 1* discusso dos projectos
os. 43 e 67 de 186$; 2> dos de ns. 2 e 19 do aono
passado e 1 deste anno : 3* dos de ns. 49 de 1856
e 10 de 1864.
REVISTA DIARIA
na de fazenda em 20 d corrente sob n. 92.
Dito ao commandante superior deaOlinda e Igua-1
rassu Remello,- V. S. para ser archivada na se-1
cretana doy batalho de infantaria da guarda'
naciqo.y sob seu commando soperi r a inclusa re-1
laco de pagamentos e alterag5es occorrdas no mez
. ----------...... iuu wiucuk, auu u. ;u.auMu =u|-i mr, para comporem 0 couseino '
fa?r a<; 717, da QoaD,ia de 312^, despendida durante os que lem de julgar o cabo de esquadra do corpo de I ?F:'
~J mezes de dezembro e Janeiro prximo lindos, com ; polica Luiz Lopes Frazo oelo crime de deserco I ceD'a offlcl de 2i de fevereiro em que V. S.
aggravada, declarndome V. S., os noraes dos; PartlclPa l^e naquella data deixava o exercicio do
designados para ter lugar a noraeagao do mesmo seu, "r!0 Dara "tomar assento na assembla le-
conslho. : gis'auva provincial. Communicou-se a' thesou-
Dito ao mesmo.-Para que eu possa resolver rana de fazenda.
acerca do contedo do seu offlcio a. 59 de 26 do
corrente, faz-se necessario que V. S. me declare os
UOVERXO DO 11IS1 VUO.
Lista das dispensas matrimosiaes chegadas ulti-
mamf..nt2 do rio de janeiro, e que podem ser
procuradas na secretaria do palacio da soli-
DADE.
Afiimiaie licita no primetro grao de inha lateral
Jos Joaquim Barbosa e Antonio Mara da Con-
ceigo.
Joaquim Affonso de Mello e Francisca Mara da
Conceigio.
Germano Antonio do Nasciment e Generosa Ma-
na da Conceigo.
Lino Antonio da Silva e Antonia Maria da Con-
ceigo.
Pedro Antoni i da Costa e Joaquina Mana do Es-
pirito Santo.
Francisco Luiz Bellem o M mara.
Jos Luiz do Nascimeoto e Tbereza Maria da
maior aprego ao digoo diocesano, que
confia em suas luzes e aprecia era extremo as ex-
cellentes qualidades de S. Exc.; mas a queito nao
Dito ao Dr. Arminio Coriolano Tavares dos San- de Pssoa, do poder, e se este resida entao na
nnri!!>.-i An Cml. tl. O T? [Vl>S ,:'l >'\ m IH I ll 1-.1 r nnmr\ hm'n nA nnnnn An C C
tos, promotor publico de Santo Anlo. S. Exc.
o Sr. presidente da provincia manda aecusar re-
com
Ismael Gaudencio Purlado de Mendooga, mediante
i a quanlia de 2:665300 e sendo fiador Gustavo
Liziaseno Furtado de Mendoza, o empedramento
de 155 bragas correntes no lango da estrada de
Bujary a Goyanna, bem como os reparos da mesma
estrada; declaro-lbe qne approvo esse acto e
| disto mesmo don scientia a thesouraria provin-
cial. Commnnicoo sa a thesouraria provincial.
I Dito ao director das obras militares. Mando
Vmc. fazer com urgencia us concertos de que ne-
cessitara as portas dos 2 xadreses do quartel dojj Conceigo.
doi
nv
visluarios mencionados no mappa e relaga juma
fira de serem destribudos aos sentenciados mili-
tares excluidos definitivameote dos corpos a qoe
perteociam.
Dito ao mesmo.Mande V. S. fornecer as pragas
do 4 batalho de artilharia a p destacadas no
presidio de Fernando, os artigos de fardamentos
mencionados as relagdes que aqu jamo com co-
pias dos offlcios do commandante do mesmo pre-
sidio e do raarechal commandante das armas datado
de 5 e 24 do correte.
Dito ao mesmo.Recommeodo a V. S. que faga
que trata o art. 111 da lei o'. 602 de 19 de stembro
de 1850, e qoe tem de Julgar o incluso processode
conseibo de disciplina feito ao alferes do 3 bata-
lho de infantaria da guarda nacioaal do munici-
pio do Recife Adriano da Silva-Faria; assim Ib'o
communico para qoe compareca neste palacio no
-w K...- lu^iini yicsiuiu. viuciuu se au iotiui uuuiiuuuicu para que compareca neste palacio no
do arsenal de guerra e as de mais repartigoes para dia 20 de Margo prximo vindouro as 11 horas da
embarcaren) com antecedencia o Nque tiverem de manha.Recommendou-se ao respectivo comman-
remetter no mesmo vapor eom destino aquelle pre- dame superior, qne mande avisar os tenente co-
d...i. n ^SJ ronels Rodolpho Joo Barata de Almeida.LuizFran-
Portarla.-O. presidente da provincia tomando i cisco de Barros Reio e Domingos Alves Matheus
eal <;on[slderaco Qoe expox Jos Gomes Coimbra, j para servlrem de vogaes na junta de que cima se
apromptar com urgencia para serem enviados na; tabellio do registro geral das bypothecas e asen-' "trata.
5rL?^TdAd,V or,ca da eaarda n0'001' vio de orpbos, capellas e residuos do termo do I Dito ao Dr. jnic de direito de Flores Aecuso a
HCip.^.,,,e 0,JD<,a e I?1*r*sS>, d5sla6lda I Ro Pormozo, provando eom documentos achar-se recepgo do offlcio em que Vmc ozruS me
-aESSo?na reiacS .unta *" d6 ^ *9HSfMS, mleM3S de eo,U,,Mr W eier- T n dia 9 do %W^!&
l k^ rnnrnma0aS "S .nmnanhia nrovi0Ha i SSif SS222! L "?..--*.?.?? Z : ?"'!?.?? I* *relto para que foi noraeado
_ -- i www uo umiiiu o icuuo em visia u uue a esse
Dito ao commandante da companhia provisoria, respeito informarara os respectivos joizes de direito
de poIlcia.-Aliste Vmc. na companhia sob sea. e municipal era data do do correte, resolve de
commando, o paisano Jos Lourenco de Vascon- cooformidade com o art. do decreten. 1294 de
cellos, qne foi considerado apto para o servigo em i je de dezembro de 1853, nomear a Bernardo de Al-
IDPnrCiS?. ncde' k< o baqoerque Fernandos Gama, para exercer inieri-
roara.u Sr. gerente da companhia Pernam- mente aquelles offlcios em quanto dorar o impe-
na, mande dar urna oassagem de estedo a r dlmenlo do sopplicame e ordena que neste sentido
no vapor Parahyba at Macei, ao bacharel Fran
cisco Rodrigues Pessoa de Mello juiz municipal do
termo de Traip,
- 27 -
Offlcio ao Exm. Sr. general commandante das
armas.Sirva-se v. Exc. da mandar inspeccionar
toarla nacioaal do 9* batalho do infamarla do
municipio da Olinda Jos Antonio Yaz Salgado, de
*jne trata o incluso reqoerimento.
Dito ao mesmo.Informe V. Exe. sobre o que
peda Manoel Rodrigues dos Santos, no reqoerimen-
to qoe aqoi junto.
Dito ao mesmo.Pode V. Etc. empregar como
artfice de fofo na vaga qoe exista no laboratorio
pyrofeehnleo o ex-soldado do 9* batalho da isao-
wititvuiw mv <'Hr-r'Hvauiv *J VIUOUO IJUD UOwlD fDUNUV
se expecam as necessarias comrauoicagoes.Fize-
ram-se as necessaras coramunieagoes.
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernambuca-
na, d passagem de estado at a Parahiba no va-
Sir qoe seguir amanba para o norte ao bacharel
anoel Jaouarlo Bezerra MonteNeg ctua raulher
e orna cunhada
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernambuca-
na, mande por a disposigo da vtava D. Joanna'
Augusta de Castro Pagis, at a Aracaty deas tes-
tajea de t destinadas a passageiro* do governo
no vapor de 7 da margo prximo vindouro.
-18-
Offlclo ao Exm. Sr. Dr. Jqs Partir da Silva
.i para
por decreto de 18 de novembro p'roxlmo Ando;
ficando interado confio que Vmc. no exercicio
d'aquelle cargo prestar bons servicos adminis-
tragao da jostiga, fazendo effectiva a represso do
crlme, como mister.Communicou-se a thesou-
raria de fazenda.
Dito ao commandante da companhia provisoria
de polica. Em deferimento ao requerimeoto do
cabo de esquadra de polica Loif Lopes Frazo,
sobre que versa a sna informacio n. 73, de 24 db
corrente, recommendo a Vmc. qne mande addi-lo
a companhia,sob sea commando, tirando-lhe petes
prets dalla o sold qne Iba compete o qoal deve ser
redolido a metade nos termos do art. 161 do' re-
gulamento provincial de 1 de dezembro da 1853,
logo qne for nomeado o conseibo qoe deve jal-
ga-lo
Dito ao conseibo de compras Ao arsenal de guer-
ra.Recommendo ao conseno da compras do ar-
senal de guerra, qoe compre coa a postlval bre-
vidade 1,500 alqueires de farlqri de mandioca em
Flix Jos da Silva e Maria Jos da Conceigo.,
Galdino da Silva Lacerda e Getrudes Mara da
Conceigo.
Beoto Alves da Silva e Justloa Mara da Con-!
ceigo.
ConiaffuiiiMiuuV no segundo grao attingente ao
primeiro.
Santos e Antonia Maria de
e Anna Joaquina dos
da Con-
Jos Aristteles dos
Jess.
Manoel dos Sanios Feitosa
Santos.
Flix Vielra de Brito e Maria Pastora
ceigo.
Manoel Jos Bezerra e Mara
Jess.
Candido Antones Bezerra e Antonia Francisca.
Pedro Francisco Guedes e Maria Vindeaaai da
Santa Cruz.
i-----------7 fv w| \* tju anv i voiuin oa *u ua
pessoa ex capitular, como hoje na pessoa de S. Exc.
Rvma., nao v razo plausivel para que anda urna
vez seja adiada urna materia to importante para
; oovlrmos novamente a aotoridade ecclesiastea
, (apoiados, moilo bem).
Em vista destas cousiderages, o orador pede
j desculpa a commisso para que consinta que se
aprsente orna resolugo approvaodo o compromis-
so na parte temporal,'por isso que ella declara na-
da encontrar que merega correego.
E'lida a apoiada uraa resolugo assignada pelo
Sr. Buarqoe, como emenda ao parecer, approvaodo
o compromisso em discusso.
Toma a palavra o Sr. depotado Epamiooodas.
O honrado deputado diz que na qualidade de
marabro da commisso de negocios ecclesiasticos
i corre-lhe o dever de responder ao orador que o
preceden.
' Pondera que a commisso acatouldevidamente o
Sr. ex vigario capitular em seu parecer; que man-
dando oovir a S. Exc. Rvma. procorou apenas ter
mals nma deferencia para com o digno diocesano,
e proporcionar-lhe occasio de addicionar ou cor-
ngir algoma das disposigdes do compromisso, com
i o que o lempo decorrldo posteriormente sua ap-
provago livesse suggerido. O honrado membro diz
que tinha algunas duvidas sobre o fado da exis-
tencia de dous compromissos para a mesma irman-
dade, e que a este respeito desejaria igualmente
oovir a opioio do digno diocesano.
O Ilustro. Sr. Epaminondas insiste no approva-
go do parecer da commisso.
Falla em seguida o honrado Sr. vigario Jerooy-
mo.
O Ilustre orador declara que ne pode ser sos-
peito quanto ao Sr. ex-vlgario capitular; que con-
sidera este Ilustre cidado uraa das glorias do cle-
ro brasilelro ; e que de opioio que o seo gover-
no illostrou a diocese. Nao foi portante em menor
prego ao digno ex-vigario capitular que a commis-
so, nao obstante o sea parecer, acooselboa que
fosse novamente oovido o poder ecclesiastico-
O honrado deputado diz que sendo a primeira oc-
casio que se offereceo commisso tratar dos ne-
gocios da igreja, ella emenden do seu devor come-
Francisca de. car por acatar e ser reverente ao diocesano, solici-
tando o seo placel oa materia em qnesto. Qoe
nao existe em seu espirito dovida sobre a regulari-
dade do compromisso, que elle considera um dos
bem confeccionados ; qne foi ama mera qnesto de
5 i """' """cwuuaaos que ro urna mera quesiao ae
Emygdio Jacome do Araujo e Maria Rita da ton- deferencia qneolevoo a assignar o parecer da
ICaO. .AmiMlui. rr.r. .. > -. ....wl|.u
uiuoiu u ciu. m. u. jyo rereira aa oliva vinaue i,ow aiqueires ae nrtqna fle mandioca em
Monjes, presdame da provnola Ae Sarglne.Intej- ceas de S alqueires para proyKjaento do alanxa,-
ceigo.
Antonio Crispim dos Santos e Mana Antonia da
Conceigo.
Virginio Xavier de Oliveira e Lucinda Maria do
Espirito Santo.
Jos Manoel de Ura e Mana Jos da
ci.
Francisco Xavier Teixeira e Josefa Maria
Rosario.
Jos Francisco do Nasclmento e Anglica Maria
de Moura.
Manoel Joaquim de Maria e Maria Francisca da
Conceigo.
Luiz Maria de Abroo e Josefa Maria da Concei-
go,
JoaqoimGomei da Rocha e Kosalioa Gomes de
Azevedo.
Manoel Francisco Beterra e Anlcnia Maria da
Soledade.
Jos Barbosa de Lima a Florencia Mara da Con-
cefflie.
i-tSE- ^^ 'AUMqBejrqna a Maria da Gto-
rUffAtwarqae.
Monte Bescloa D'^ aos sanios e Tnerexa Ma-
na ne Jess.
commisso, mas que aceita a decisao da assembla
qualquer que ella seja. (Muito bem.)
O Sr. depotado J. Reg Barros, usando da pala-
vra, pede explicagdes commisso sobre o faci da
apresenlagio de um ootro compromisso da mesma
Concei- irmandade. O honrado depotado deseja ser escla-
recido sobre este ponto, por que pensa qoe tendo-se
do submettido o anno passado a apreciago da assem-
i bla um compromisso desta mesma irmandade, na-
da devemos praticar com relacao ao reoentemente
apresentado sem exaroinarmos a immeiro.
Respondem ao orador os Srs, Emapiaondas e vi-
gario Maranho.
Falla en seguida o Sr. epatado Silva Ramas.
Ora o Sr. Joaqaim Tavares.
O honrado depotado dii qoe nio qnallnca o tac-
to do desappareoimento do pnmeiro compromisso \
qoe oio deseja entrar nesta questo.
Concloe que eslava na persuasao de qoe a se-
gundo compromisso nao eslava approvado palo po-
dar ecctesiasUco, mas desde qne toa aaaagnram o
contrario, nio hesita em prettar4he o sen voto, re-
gatando assim o pareae da commisso.
Encerrada a firiessia, vota-se o parecer e re-
geitado.
Em outra parte deste nomero publicamos
hoja ura raappa da receita e despeza da estrada de
ferro oesta provincia em o mez de fevereiro ultimo
comparados com os de igual raez do anno pas-
sado.
Ha poucos dias tlvemos ja occasio de manifes-
tarmos nossa admirago pela prosperidade que vai
aposentando ltimamente esta nossa empreza e
ento dissemos aigumas palavras em ordem a cha-
mar a altengo do guverno para este ponto.
Estamos informados de que aadministrago a pe-
zar de ter em servico um numero de wag5es muilo
superior ao marcado as concessdes, constante-
mete obrigada a empregar carros de passageiros
no transporte de algodo, visto o trem rodante ser
muito iosufflciente. Chamamos a altengo do go-
verno para este faci, pois provaque se este torne-
cesse companhia os meios de desenvolver o tra-
fego, talvez dentro de um ou dous annos a receita
teria tal augmento que o paiz ficara livre do onas
da garanlia.
Tambem temos notado com pezar a grande falla
de espago na estago terminal das Cinco-Ponas,
cujas plataformas esto constantemente eccopadas
com assucar e algodo, o que causa grave iocom-
modo aos passageiros. E' portante de urgencia
que o governo trate da extenso da llnba at ao
centro da cidade, onde se devera' constroir a es-
tago permanente, com sufflcientes accommoda-
goes para o trafego de passageiros e mercadorias,
que mostra to rpido augmento.
Chamamos a altengo dos leltores para os
artigos, que hoolem e hoje publicamos em nossa
8* pagina, sob o titulo Os Mundos, escrlptos pelo
Sr. Dr. Felippe de Figueira Faria, de presente na
Europa, ouvindo os meslres Ilustrados na sciencia
que elle professa, a engenbaria.
De volta de sua viagem s provincias do nor-
te, e antes de seguir para a Europa, pretende o jo-
ven pianista brasileiro Ligaori dar um ollimo con-
cert, no sabbado prximo. Alm do beneficiado,
tomaro parte no concert a fixraa. Sra. Pieri os
Srs. Ramooda, Sraoltz e Ligoori pai, artistas apre-
ciados e bem conhecidos do publico. O program-
la do concert variado e promette ama nolte
deleitosa para os amadores.
No dia 8 do corrente foi encontrado, na to-
mada d'agna do engenho Caixoeira-Velka, do ter-
mo de Serinbem, o cadver da preta Catbarina,
escrava de Jos Henrique Marinho Wanderley,
morador no engenho Sapucaia. do mesmo termo.
Na vestoria declararan) os pentos, ter sido a raor-
te por snbmerso.
A' esteros do digno delegado sapplante de
Pao d'Alho, foram apprebendidos 8 barris de pl-
vora que, a' n jite, erara levados da Gloria do Coila
para a matta, leado sahido da casa de um nego-
ciante d'aii.
Acaba de ser promovido a' offlcial papelista
do nosso correio o Sr. Agoello Heraclio de Araujo
Pernambueo, que ali serve ha tres para quatro
annos como praticante, sempre com ioavor de seo
chefe pela sua assiduidads e intelligeocia. Damos-
Ihe nossos sinceros emboras, nio tanto pela sua
promocXo, como pela jusiiga que lbe tez o governo
imperial, attendende ao direito qne ihe assistia em
vista da le regulamentar daquella repart gio.
Para preenchimento da vaga de praticante, foi
nomeado o carleiro Sr. Manoel dos Pasaos Mi-
randa.
De moradoras da roa do Alecrim temos re-
clamacees sobre a existencia de um charco pest- '
leucal, que all serve al para o despejo publico,
com detrimento da sade des reapestivafc- morado-
res ; e acceitaodo-as oesta* termos, sahmettemo-
las a' apreciago da antendade a aam compete a
providencia, que remora o B* Jl
! de iocommodo s pesso
juizo a' sade publica.
O discurso do Sr,
! da bencio da banoaira i
; qoe pabUoamos nesu
rras aum vot d*-f








u

4


anamaaaHBi





? .
I

J IB '
- '
3K=:
De Goya
< Acha-se n ;sia cidade ana companhla drama1
tica dirigida peto actor Lisboa. O primeiro espec-
tteule ojop.du'24 de fevereiro. O lh*atrud*Hft
peqoeno para coutr os espectadores, qoe
affliem.
c Alm das vantagens pecuniarias, a companhia
nao p5de deixar da penhorar-se do benvolo ac-
Ifeiaento qas se loe teta dado, distinguodo se sos
obsequios o Sr. Dr. Firmino, aue ate perde fooita,
nen oecasiio de manifestarle enibusiasroado.
c Por tar amador do drama, qo como meio de
chamar A esla cidade comaoteias ase proporcio-
nen rarelo e dislnK^dej.Ataelle ilosire Goyn-
nisu por alopcte esmera se em traur
torea qae aqu vem.
=**
Mirto
VVa (tln i Mire* d 1866.
w
-**
Eiistiam 400, emraram 3, sanAm S, eiiMem
m .
A saber: saHaH
fWiojej 74, a****** 6
mnlberes 3, ssccavq* ?4,.ejcn
Alimntanos T casia dos eofres ,
Movimenio da enfermara no da 11 de marco do
1866.
Tere b>iu:
Joto leso iarbosa, eolite.
Tiveram alta ;
Luis Jos do Nascimento.
Aotoio Aires de Athayde.
Antoajio Vicente dos Santos.
bem os' ac- Laiz de Franca Ventana.
Manos! Francisco
< Entr oadbiMi Ptabeiro de Mea- B4WK*o da ouoia.
doea e o eserfvao Mtfnel Joeonlm de Fane Braga j Extracte das partes dos dns 11-041 de merco de
na riza reina, tne tem seas cresceotes e mlngoan-! i 166.
Dr. Gervasio Rodrigues Campellq,
Joo Valenttm Vilella;
Paulo de Albuqoerque Gama.
Dr. Manoel Buarqne de Macado.
Foram moitados em mais 20J
multados nos anteriores das de sei
Dr.iacinmoPereiratoRego. ^ M TJiM)} o collegio eleitoral anuu. a consulta, consa quente, o de defflcil digeetSo; ea tenbo obtido ptimos Mtajlados: naoseen-
^Xffioo SpwtSoj!e *? ***> 1 prodajfeejaeacto.
Iho de senleu
ra*#|tto : foi o reo iolerrogado e depoi de II4 o
:o da lormaote de colpa. deMMolrida aecn-
m defea e depeMa repite* e trepliea, resu-
__# mates da Mesacao fetefes foram pro
noatasas quetettMe 4* (apto $ entrena* cora o pro- -. .
tmo ao prenote (atprioo do jury > semenea e resaludo, s se elle for digno tejuateoidaee reduz-lo ao uso de tegetaee e lette.
* i*llMo-sa^'CQS>s oe ajs atemba aclis 0 farems, para que o publieo aoplia^Ktir
Pomas agora mesmo informados de qae
' aiMabae&m de se reunir noviaiente ewesa
cooiMMi, e a pessoa que o ee slterm,
comnnanfcteu-se de nos commnaicar 4> sao
tes; agoraatwgnii ^iUanUnunio oa-suaes-
candescencta. Nao, .larcrnos .entrar em longos
desenrolrimtntos a este respeito, e bstanos o que
fica dito como razo de ordem para noticiarmos
que o primeiro foi denunciado ao ebefe de polica
como autor da raorta de Jos Mara Cavalcanti ;
faelo qoe resuliou dos ferimentos cansados neste
qaande fugia da cadeia com ontros presos, sendo o
capitao Pioheiro subdelegado.
A malevolencia nio* perde occasio de mor-
der. Ilouve logo queco attribuisse a conselho e
direceo do Dr. Firmrao tal denuncia, que dliem
ser obra de seu sogro, o escrivao Braga, embora
figlire como denunciante ura prente do morto ; e
bouve imaginacio tao forte qae vio o mesmo se-
nbor recommendando ao georo, Dr. Araujo Barros,
-Pora reeolhidoa a casado deteocloifrd4e do
eorrente :
A' ordem do Dr. delegado da capital, Benedicto,
escravo de Francisco Cordeiro Cavalcanti, por *-
gido.
A' ordem do subdelegado do Reclfe, Luir da Oli-
veira, para correccao.
A' ordem do de Santo Antonio, Antonio on Jos,
escravo de Antonio Jacintbo Borgos, para cor-
ordem do de S. Jos, Nicapio, escravo de Joa-
qoim de tal, por fgido ; Martins Demetrio, para
reernta ; Antonio Lonreiro de Lemos, por inrto de
cavallos. _
A' or4m do da Boa Vista, Rasa Mara do Espi-
rito Santo, Francelina Mara e Tbeodora Mara da
a^la4tareia4aoferenciaa 1 boro e |roaqoar
4es, d'eede roHen-as i e nm qnarto, com soas res-
ppsias qrjn fnram lirias em alia vti peto prosidonte
do jury de sentenca, em vista de cafa deelso o Sr.
Dr- jftU $ reito ondemooa al mee de priiie e
multa correspondente a metade do lempo e casta ;
e levaotou a sesso addiando para o dia seguale
pelas 10 boras da manha.
maos toeWentos da OrfJm f^fceirade'R. que intervesse com o ebefe de polica para que a, Concelco, por dt&larhios.
denuncia se seguisse immediatamente ordem de 11
. W. A* maianm ,-t-. n Kfi ata rlrt l '
priso conira o denunciado
Ignoramos como o capitao Pioheiro soube que
A' ordem do subdelegado da Boa-Vista, Jos Be-
rerra de Qliveira Jnnior. e Sabino, escraso de D.
francisco.
Recife 12 de margo de 1866.
Vm irmo Jerceiro.
-o 0X00890 do eftyro fresco oppnma os-bofes
e accelere muito a circula gao do sangue.
Muitos doentes desta molestia se teem en-
tregue ao uso do oleo de figado de bacalbo,
Gragas a Deas i Val deixarnos o Sr. padre Joa-! e outras preparacoes de resinas e palsamos,
&X^rmn^f/,a^',^s^^ semquedellas tenham tirado proveito; e
breve e logo. Dando parabens a nossi sorte, las--
e fresca.
Todo o sen alimento se ha de dirigir a
moderar a acrimonia dos humores e a nu-
trir e suster o deenta, ,'iarg o que praciao
Toda comida e ttiida, fae se tomar be
o delegado, interpretando mal s ordens recebias, (Gorlrades de tal, por disturbios; e Jeaqulm Men-
havia determinado que se passasse mandado de des Teixeira, para reorutn.
prisao eontra elle : o certo qne aoj)itecfitt e nao O abofejda 2- secjao,
amaoheceu pesta edade, correo al a capital, on- / s>. MJMWtM-
tendeu se com o Ejtm. Sr. cooselheiro Paranagu, lkmitbrio publico, ojitario do e
e de la voltou livre do recelo de ir cadeia.
Consta-nos qoe ojala de direito leve ordem de
averiguar o facto, ao qae dar' cometo logo que
possa. Esse digno magistrado doenle, e seos
ioeommodos o impedem de despachar com brevi-
dade. Se livesse sade correspondente aos boas
desejos, de qae vive animado, nao veramos c
certo tantos hitos demorados umapno e mais.
pena I Uomens taes deviam ser a proprla sade
personificada...
Feliimente no caso de qne tratamos a demora
nao cansa prejoiio ao capitao Pioheiro, porque
esti sollo, tem consciencia de qae innocente, e a
DE
5IARQ0 DE 186G.
loo Btelbo Jetto, Paroambuco, 12 anuos, wm-
ro, Poco da Panella; mola6Ua de peilo-
Jjo Jos de Sapi'Aooa, l'ernambuco, 46 annos,
solleico. Boa-Vista ; phtysica. ? J.
Amelia, Pernambuco, 18 annos, solleira, Boa-Visu;
tubrculos pulmonares.
E* Marta Francisca de Garvalho, Peroaabuco, 40 au-
no?, solteira, Reclfe; hepatlte.
Gregoria Maria, Pernambuco, i* annos, solteira,
, Sanio Antonio ; congeetao cerebral.
Amelia, Pernambuco, 18 anuos, S. Jos; tosse
convulsa.
Peita a chamada as 10 horas da manha, achara-
se prsenles 40 seehores jurados.
Foram dispensados a bem do servio publico os
senhores :
Dr. Jeciotbo Pereira do Reg.
Jos Francisco de Salles Baviera.
Foram multados em 20J000 eada am dos jura-
des ja multados sos anteriores das de sessao e a
cada um dos seguintes : '
Dr. Beato B rges da Fonceea.
Dr. Gabriel Aladas Raposo da Cmara.
Dr. Gabriel Soares Rapoio da Cmara.
Caeiloo Domingos Jos Rodrigues.
Antonio Jes Cordlro Simde*.
Jae de Barros Correa Selle.
Manoel Francisco Marques.
Aberta a sessao procedea-se ao sortelo
tetto nao podemos dizer do Sr. Dias l Na phthysica, ebegando ao estado de gra- jyiliy gnann iQflfivnm r^jf. n lf|fjfi .fnmnr n
*, grque* S. S. pao para to4ftr*ade, q que mito,p i tanto faz estar emum como emsalvac5o do doentj, ajadafaot mkiwn Wte defierei de advertir o pufciieo, que
_ -approveitamos a occasio para tos o ar do campo, exercicio conveniente as astatatM frapaa<6 rjorme a razao porque, em certo ;e dieta, a qoal bSo deve ser de nenhumi nidas com outros ingredientes, e com elles
cousa quente, o de defficil digeetSo; e a tenho obtido opmos resietta4os: nao se en-
bebida cumpre que seja de natureza branda | gaoe o mesmo publico con outros qoe por
ah seannunciim, cojee pperagesignoro,
assim como oefroiainet4oaos enfermos,
a qaem jorvitMura teebawido applicados;
cada um res postee per i, eu affirmo com
verdede o quefu i teatMijBjado, cujos me-
ietmeatos nieta provM vendo em mi-
nha botica na ra Direita n. 8g.____^
/w do -Rocha Paranhos.
Nazreth doCabo, 7 o"eoetembrode 163.
Jllm. Sr. Jos da Rocha Prannos.Ci-m
o maior prazer lero ac conheciraento de V.
S., que o doente que V. 8. aeha-se admi-
nistrando-lbe remedios, acha-se no todo res-
tablecido, portanto, nada sent, tendo des-
apparecido no todo a tosse, tem muila dispo-
sigo comida e acha-se nutrido. Deixou
tomar os ltimos remedios que V. S. recti-
tou no dia 30 do paesado.r esta agora a V.
S. mandar-me dizer qual a dieta que o
doente deve conservar e-per qoawtoe lem-
pos, mencionando as comidas que dever
usar daqu era diaute.
Resta-me agora agradecer a V. S. o cui-
dado que tomou no tratmento do meu so-
brinbo, abaixo de Deus, devido o seu resta-
belecimento a pericia de V. S., e por tsso
pode V. S., sempre contar com os meus ai-
minutos prestimos, e desejarei em todo o
tempo dar urna prova do meu reconbeci-
mento.
Desejo a V. S. todas as ventaras, por ser
de V. S. muito respeitador e ubrigaaissimo
criado.Francisco Bertnguer Cesar de Me-
nezes.
alguns expositores de medicina comba tem
com muila razio esse tratamento.
costume carregar o estomago do /len-
te com medicamentos oleosos e balsmicos;
porm estes em vez de tirar a causa aug-
Presidenctado Sr. Dr. Joo Antonio de Araujo Fre-! limamos de todo o coracio os parochianos de Ta
tas Henriques, juiz de direito da ppimr vara carat. que vao ter tao bom pastor I
criminal 0Sr' Padre ,teHrnuno u na fregaetu de
Promotor publico. Dr. Jlo Tbom da Silva. : Guipap, bem tristes recordacSes ; os manojos do
Escrivao Joaquim Francisco de Paula Estoves den rinman vingance, foram por elles exercidos com o maior
dTado o Sr. Dr. Jos Amonio de Pinhe Ber-'desplante. Deuso Hvre de proseguir em urna car- mentam-na, esquentando o sangue, ao mes-
ees -xeria lao coiuxaru ao ounista na igreja.
6 Qotpapa Paneilas eram j um peso para o
Sr. padre Bella raneo, a que sopporlaram, como
urna verdadera caUmdade.
Louvores ao Exm. ur. Farias, que eonhecendo
dos factfe e cumprindo aa-palayra del le nos pre-
servou. Ne Ibe somos gratos.
0 Qoipapenses.
J.-BL.1
Publiea^5es a pedido
mo tempo que tiram o apetite, relaxam os
solidos, e sao de toda sorte perniciosos.
Todo que se fizer para extinguir a tosse,
alm do exercicio e rgimen apropriado de-
vem ser remedios de natureza acida, deter-
gente e calmante.
Os cidos possuem a virtude de produzi-
rem bons effeitos nessa enfermidade, por
qoe, nao s contribuem a apagar a sede
quando accommettem a febre ethica, mas
PastlllMS vermfugas de Mernp.! tambora, a refrescar o sangue.
Criancas atormentadas por vermes podem! Aos doentes desta eniermidade, quando o
ser alHviadas com urna s dose de pastilhas; seu estado de gravidade tal que i
vermfugas de Kemp, que sao incitantes em ethica os accommette, prescrevo-lhes.o su-
de seuisnca, ao euai foi deferido o respectivo jura- appareoeia, a deliciosas domis no seu gos- co de um hmlo dissolsido em urna chicara
memo: foi o reo interrogado e lido o processoda to para serem r formacio da culpa, desenvolvida a aecusacSo e de- ^0 mujt0 procuradas por quatro motivos: C(>P0 Para misturar com um papehnbo dos
fexa e depofs da replica e trepliea, feito o resumo e coolm mmeraee nao nrocisam detwis P^s refrigerantes para tomar, com que ali-
srsissrsafis drssrs; ffpSSa ?ssLt!ffS^s; ^ '-o s **
esta solio, tem consciencia oe que e ipnoceniB, | tu"'u'~-Dalamhnnn in ma. cantn Aol,-0. sentenca, que se reiirou com os de mais membros causar dr; as criangas estao promptas a .manba o xarope etberio de veame. enno
opinio geral como tal o proclama, pjmcipalmente Agosnnbo Pernambuco, 10 mozos, tuno ahkbio ,, ng^ | ^^ do jury fc sen(eo?a a 4 marcada na re- aconselhado, que facam uso de vegetaes de
^ijofttmbaco, iO meaes. IMtM*. \SE&SSSSn^ ^nhuma mi ole j as teohas expe-
gg-------------- ioanoososorava, Santo' p2E 5 *..!.. mentado urna vez querootro verm.fugo
antnn'in -iS Be*. <** deC|Sao Iromediatamente o Sr. Dr. joit de dlwlti na SOa casa.
na& costas e levaotou a sessao addiando a para o dia
segoiote.
de o direito criminal, declarou, firmado em todos
os criminalistas, qne o facto aliudido nao coolm
materia de aecusacio contra a autoridade policial,
em cujo tempo se dea.
O proprio Dr. Pirmino, desmentindo os seas
desaffectas declara a quem queira ouvir que a de-
nnBcia improcedente, e que nao seria elle em
caso algum quem a acnselhasse e apoiasse conira
um homem, a quem deve muitas altengSes e serv-,
eos luaprecaveis.
Havia por agu certa agitacao entre os
cooservajores, que esperavam, nao sabemos cem
que fundamento, alguma mudanza em oossa pol-
tica, sempre variavel; e bavia tambera da parle
dos progiessislas mallo desgosto, porque eacber-
gavam nos actos do governo imperial tendencias
para afrouxar os principios e sentimenlos, que re-
preseotaram Qelmeote aesta provincia os Srs. Dr.
Silveira de Souza e commendador Domingos de
Soma.-
< Agora inverteram-se os papis : os ltimos
despachos do ministerio tiraram aos conservadores
as esperaocas, que ja' deviam ter perdido, reco-
nbecendo que sao impossiveis; e deram aos pro-
gressists certea de que as altas regides esta
inabalavelmente Armada a convegio de que elles
sao necessarros para a regenerado e salva(ao do
para, graode Am, que nio pode perder de vista a
suprema razao encarregada da defeza perpetua do
Brasil.
0 Dr. Floripes, que esteve nessa capital, ha
ponco, voltou chelo de animaco e confidencias
para os amigos. ET procurado constantemente, e
tojos que se retiram de sua casa do signaes de
alegra, como se vessem oavido um bom
orculo.
t As safras estao quasl ultimadas. Foram
pequeas, e menores tornou-as o mo prego do as-
sucar. As chnvas vo prometiendo grande abun-
dancia as colheilas futuras. Wus o permita
ja' tempo. >
Em dala de 11 nos esrrevem de Pao o'Alho:
Antes de ludo Ibe digo que estamos em
paz. ,
t Tendo fgido seis escravos do engonbo Ora e
quatro do Coodado, correa que com outros se
acbavam reunidos as mattas d'Alda, e que pre-
tendan) accommeiicr esta villa, e circularan) taes
noticias que doas traites passamos aqu em conti-
naos sobresalto?. Houve at qaem visse grupos de
30 ou 40 ja' cuito perte.
< Muito ; ',de o mdo I
c O delegado que actualmente o 1 supplente
Dr. Cbristovo dos Santos Cavalcanti por se acbar
com parle de doente o e(lectivo, deu providencias,
mandando por piquetes. e patralbas em diversos
lugares, e afinal de coutas vieram entregar-se aos
rrspeciivos senbores boje des escravos, que com
efferto estavam armados, porque parte dessas ar-
mas foram entregues ao dito delegado. Logo Ihe
doa minuciosa conta de todo isto.
Esta' aqai nm destacamento que d'ahi veo eora-
mandado pelo alfares Lobato, que tem trazido em
muito boa ordem os seas soldados, os quaes tem-se
conduzdo multo bem, e parecem ser todos gente
disposta e escomida. Pertencem ao balalbao de
provisorio.
8e lem por la'ebegado alguma noticia roa,
afflanco qoe esta' por ca' todo tranqnillo, e o pen-
co qae houve ja esta' acabado.
c O invern comecou hontem. Temos lido
muila chova ; breve temos maita agua no Capiba-
ribe. i
Nameracodos bllhetes daloteria 52'offerec-
dos pelo thesoureiro das loteras, para auxilio das
desperas da guerra.
Bilhetes ns. 818, 1707, 4713, 344, 3632.
Meios ns. 338, 15, 155, 5032. 2967. 3353.
Qointos ns. 94, 184, 7GS, 1357,1364,2321,2556,
2802, 2859, 3929.
Oshilhetes das loteras H* a' 51* produram
1:885)200.
ceita. ^enhuma mu que ja as teohas expe- natureza acida, como laranjas, limes, pi-
tangas, uvas, etc., e applicaces de plantas
amargosas, que fortieam o estomago e ser-
k' tendTpor todos os rimeiros droguis- vem ao mesmo tempo para destruir e miti-
chite.
- 9
Rosa Joaquina da Silva Filba, Pernambuco, 26 an-
nos, solteira, S. Jos ; febre.
Rosa Mana da Concecao, Pernambuco, 30 annos,
solteira, S. Jos ; molestia de peito.
Joaquim, Pernambuco, 2 annos, Bocife ; tabre per-
melosa. ,
Joo, Pernambuco, 2 mezes, S. Jos; convol-
soes.
Anua, Pernambuco, 5 mezes, Boa-Vista; coivDl-
$5es.
Prudencia, Pernambuco, 23 anuos, eserava, Boa-
Visla ; dilatacao da orla.
tas no imperio, e-tm Pernambuco por Caors
Barbosa e J. da C.-Bravo & C.
Gommunicados
ORDEM TERCEIRA DE S. FRANCISCO.
Consta-nos quehavende a mesa regedora
M
9
M l
>
t
s
^JL
_r-i g-I-si
Masculino.
-.,' 1
**..
as.
rmtfMHO.
>
O
o
z
UataUino-
.1.
Ftminino.
a
A
Maetmiino.
Feminino.

A
s

Masculino.
M
Jfemntuo.
g
21
F
A
M
Maicvno
3
FWMJW.
VOCAL.
o.
f

X
3
ea
m
e
-8
8-
CHHOXICA JIIMCURIA.
TRIBV.'V.iL A RELAMI.
SESSAO DE 10 DE MARCO DE 1866.
PRES1BKNCIA INTERINA DO EXM. EB. DSSKMBARGADOR
SANTUGO.
As 10 horas da manha, presentes os senbores
desembargadores GiUrana, Guerra, procurador da
corda, Lourenco Santiago, Almeida Alhuquerque,
MolU, Doria, Dooaingues da Silva, e Vieira, ajtan-
do o Sr. desembargador Assis, abrise a sessao.
Passados os feitos, .deram-se os seguioles
JULCiMNTOS.
AGGRAVOS DE PBTlCO.
Aggravante, Jos Pedro Velloso da Silveira ; ag-
gravado, o juio. .
ReUiur o Sr. daembarga4or Vieira, sorteados os M
Srs. desembargadores Doria e Almeida Albaqoer-
que.
Negaram provlmeato.
Appellacao cursi.
Appellante, Geraldo Jos ; appellado, Jos de
Mendonca Alarcao.
esprezados os embargos.
Appellagoes crimes.
Appellante, o juio; appellado, Tbeodora Ma-1
tbilde da Coneeico.
A novo iury.
Assignou-se dia para jnlgamento das appellagoes
seguales :
A appellacao clvel.
Appellante, Manoel Patricio os Santos ; appel-
lado, Fabricio Gomes Pedrosa.
Revista civel.
Recrreme, Felicio Jos Borges; recorrido, Jos
Hendes da Costa Rodrigues.
PASSAOENS.
Do Sr. desembargador GiUrana ao Sr. desem-
bargador Guerra :
Appellante, AnVnio catiro deQueroz; appel- \ da Ordem Tercera de S. Francisco delibera-
lados os nerdeiros de Francisco Bernardo da "o, para que bouvesse uma mesa conjuncta,
Cunha. afim de tratar sobre a demiss5o pedida pelo
Do Sr. desembargador Guerra ao Sr. desembar- procurador de S. Antonio, fra pelo
ador ummfmfi- ; m-a0 moistro convidados, por officio do ir-
Appellante, Lourenco Beterra Martins Cavalcan- mo secretario, 4VW80S irmos para com-
li; appellado, Dr. Antonio Marques de Albuquer- ^r^cgtsxa. na .larde do dia 7 do correte DO
Cdentorgador Lourmco Santiago ao Sr. consistorio da ^esma ordem.
desembargador Almeida Albuquerque : Af sim acontece; eompsrecendo es inflaos
a appeiuco crime. que poderam em virtude do omcio que rece-
Appellaote, Manoel do Rugo Barros; Appella- Deram. e qUanrjo se estava procedendo a cha-
da,* jnica. m3i para se organar a mesa conjuncta,
Appellante, D. Frisca da Conha Bandeir* do comparecern, sem que ttvessem sido con-
Mello; appellado, Francisco Rodrigues dos Santos, vidados OS irmlos ex-miniB*ros 08 SODhores
Appeiiaote, Jcio da-Crnaesilva; appellado, -.jos joaquim Dias Fernandos, Jos Marceli-
DoJSrqdeTembSo^imeida e Albuqaerqae'no da Rosa e Antonio Pereira de Farias afim
ao sr desJmba^XlotuT de tomaromasoeato em mesa, representando
As appeiiatoes civeis. de orador o Sr. Dias Femandes, a coja pre-
Appellante, Manoel Pinto e Aranjo Fllho; ap- tenCg0 nj0 qaiz amrair 0 irm5o ministro, por
penado, Manoel Rodrigues de Aievedo. A' vista, pois, desta dects5o de toda jUStl-
Appeliante, Manoel Goncalves de Sonta; appel- 53,-por Ibe competir a scolha dos coiwida-
lado, padre Jos Barbosa Vendes ttoetn. Qs a yj^ta dos OStalutQS da ordem, fallaram
o r^donio^e^mlSo S/ '^ ',diversos "a0S i[eSPet0' ^ $*>.
Ao Sr. desembargador Assis: j-mMisIro nio podesse restabeiecer a ordem, \
Appellagoes civeis. vio-se obrigado a suspender ostrabafeos da \
Appellante, Dr.JJento Jos da Costa Jnior; ap- mesaj 0 qUfl j^q ^j aCoutecido teno 0S-
1 Temos, j)Qis, levado ao conhecimenlo do
publico, o que se nos acaba de commnnicar.
Resta-pos agora reflexionarmos sobre o
facto imprudente daqweHes inaaios, n5o se
lerabreado elle* de que deram de si urna 00
pia pouco digna do lugar que j oceuparamj
CURA
Espanto e Admiravel
DE UMA HAOA
CANCROSA E ROEDORA
ov
PLIPO W NARIZ.
gar a sede.
A Sra. D. Joaquina
de S Brrelo, tendo
ATTENCaO.
Xarope alchoolico de veame, preparado
pelo pharmaceutico Jos da Rocha Paranhosr
estabelecido com botica na roa Direita n.
88 em Pernambuco.
Este xarope incontestavelmente superior
a todos os xaropes depurativos, de cuja?
composico o seo maior ele-i en to a salsa
parrilba, pois que se tem coohecido ser o
veame mais enrgico para a prompta cura
umasua eserava fallecida destamo^estia.jub- das molestias, cuja base tessencial dependo
da purificado do sangue ; assim pois se
Uma, creada de servir resManto em Pernam-
tmeo e pertencente Ex SeDr; Viscomdkbsa
DE GoiannA, foi attaaada d'uma terrivel cli*
ga eaacroea e roedor on Polrpo no Narix.
A menna invoWa e toma va todo a parte in-
ferior do nariz, ames?ando j distruir tanto a
parte cartilaginosa como o menino oeo ; Come-
cou primeiro por appareoer aob o bei<;o rape*
rior e parte da face, extendendo-se por tal
forma e com tal rapidez, qne em ponco amea-
cav* tranaformaj todo o roato n'uma enorme
1 barga.viva asquerosa. Paranta iodo este
terrivel estado, todos os recursos medicnaes
qne em taes cazos se nzSo forio abundante-
mente empregadaa, aem que de leve fiaesse
parar a marcha lenta e distrnidora de tao hor-
rivel enfermidade, e todos os meios e esforcos
forto baldados, e no em tanto o mal creada eia
que por milagrosa fortuna da infeliz estando
aa emuaa neate ponto, se experimenton pela
rea primeiraa
SALSAFAERILHA
DE BR1STOL.


gador Assis
AappelU55o cvel.
AopeHante, Maria, eserava; appHaflo, Ignacio
de Moraes Sarment.
Da St. desembargador Do mingues da Sirva, ao
Sr. desembargador Vieira.
A appellacao crime
Appellante, o joo ; appellado, Flix Kobj-
A appellacao civel.
Appellante, alaria Jos das Trovas; appellado,
Antonia Jos Vianna.
A h hora da tarde encerre u- se a sesso.
na Ordem.

IURY DO RECIFE.
7 de HBCO ec 1*66-
Presidencia do Sr. Dr. Joo Antonio de Araujo Rui-
ku flemruniti, fuiz i iirtt'o da fi*m*a mora
O effeilo produzido, qnasi qne instantneo
por este inestimavel remedio foi verdadeira-
mente marviluoeo e sem igual; este grande
purifieador do sangue e dos humores do sys-
tema, {inmediatamente pz um termo mar-
cha disastroza e fatal da molestia, derramando-
as e infil trando-ae atrava doa tecidoa os xaaia
delicados do oorpo, espellindo -at ultima
propriedads on vestigio virulento da molestia,
e dentro d'um curto espaco de tempo produzio
urna
CURA
Completa e Radical.
Este feliz quio admiravel resultado foi obti
do apenas cem o simples uso
Iftraa so anjea Garrafa!
d'astoincomparais e inapreciaval depuratorio,
rsoommendamos portanto todos es Doentes
que yrocmem obter com o maior cuidado a
afea e verdadeira Sala apurrua da BriatoJ,
ajkamenteprnpssadi per
L ANMAN & KEMP,
De NOTA YORK, I
de qae, todas aa mais f spsM*gss
lialsailfas nao vaknn para couza algTima
Vende-se nasboicas do Caors de Barbosa
eC. Bravo AC.
Phthystfca
mettida ao tratamento de seu medico, resol-
veu procurar-me para tratar de um outro
escravo, que soffria da mesma enfermidade,
preserevi-lhe o xarope de veame, tem me-
I Inorado consideravelmente.
A senhora do Sr. Antonio Francisco Ho-
norato foi desengaada por habis mdicos
desta cidade, esteve prostrada, e nos ulti-
; mos paroxismos da morte, foi com o xaro-
pe de veame salva, como se v da carta
impressa no Jornal do Recife de 9 de feve-
reiro de 1863.
O escravo Emilio, do Sr. tenente-coronel
jRodolpho Jo5o Barata de Almeida. foi tam-
bem desengaado por habis mdicos, e
com o xarope de veUame acha-se completa-
mente re&tabelecido, como se v tambem
da carta impressa do mesmo Sr. tenente-
coronel no mesmo Jornal do Recife.
I O Sr. Atonio Cbristiano Fogt, lho do
Sr. Christiano Fogt, proprietario e estabe
lecido na cidade de Macei, o primeiro bem
conhecido nesta cidade, pois qne foi entre-
gado na casa do Sr. Len Chapollin, retra-
tista estabelecido na ra da Impcratriz, ac-
commettido desta molestia, foi daqui desen-
gaado por habis mdicos: retirouaae para
a Baha, e all continuou em tratamento ate
qoe foi segunda vez desengaado pelos m-
dicos dalli, ebegando eu em Macei, um
amigo pedio-me, que o acompanoasse at a
casa doSr. Christiano, para vrum doente
e prescrever-lhe algum remedio, encontrei
0 filno em uma cama desanimado e em es-
tado de prostraeao, pois que escarrava sua-
gue, e tinha completa inapetencia e fraque-
za a ponto de n3o se poder por em p, no
fm de uma garrafa do xarope etbereo de
I veame j se achava elle no estado de pas-
' seiar em casa, desapparecida a inapetencia e
os escarros de sangue ; e a tosse mitigados.
No fim da segunda j chei em estado de
faze-lo passearpelo sitio todas as manhSas.
Acabada esta o aconselhei, que continuasse
no uso do mesmo xarope etherio alternado
com o xarope aleoolico de vellame, e que
j usasse dos banhos salgados na pancada do
mar. Sentio elle nos primeiros banhos al-
gn choques, mas eo o aconselhei que con-
tinuasse, com o que se tem dado muito bem
pois que tenho recebido cartas de Macei,
em que se me commonica o seu bom estado.
Nesta molestia os expositores de medici-
na nao aconselbam banhos salgados, apenas
quando delles tratam, dizem ser applicados
as escrophulas, hypocondria, estherismo,
axneDorrhea, ractuismo, etc. ; entretanto'vi
i este bom resultado no lbodo Sr. Cristiano,
e outros fados iguaes tenbo visto as om-
1 slias siphyliiicas, e outras muitas que com
o uso do xarope aleoolico de. vellame tem-se
obtido cora radical.
0 Sr. Dr. Silva, medico hbil de Macei,
depoisde ter appcado a um seu doente de
rheumatismo o xarope aleoolico de vellame,
logo que elle se poz em estado de largar as
' moletas, em que anriava arrimado, o aconse-
{lbou que continuasse com o oso do mesmo
; xarope conjunclamente com os banhos sal-
gados, com que se tem dade muite bem, ej
um dos mdicos que all em Macei tero com-
I pleta confianca as preparacoes de vellame
por miro feitas, pelos boas resultados que
tem obtido emerja clnica.
tem verificado per muitas pessoas que se
achavam desengaadas, as quaes acbam-se
boje restabelecidas com o referido xarope
alchoolico de veame; entretanto que al-
.guns, tendo usado do xarope de Curinier,
de Larrey, de salsa parrilba, de saponaria,
oleo de figado de bacalbo, e ontros agentes
desta ordem nada conseguiram. E' elle de
fcil digesto, agradavel ao paladar e ao ol-
phato. Alguns mdicos desta cidade e da
de Macei o teem recommendado para a cu-
ra das
Impigens, tinha, escrophulas,
Tumores, ulceras, escorbuto, i
Cancros, sarna degenerada, fluxo alvo.
Todas estas affeccoes provm e uma cau-
sa interna; nao ha pois razao alguma em
crr que ellas se podem curar com remedios
externos. Tambem se prescreve o xarope
alchoolico* de veame para o tratamento das-
afiecces do systema nervoso e fibroso, taes
como:
Gotta, rheumatismo, para]ysia,
Dores, impotencia, esterilidade,
Marasmo, hypocondria, emmagrecimento.
O xarope alchoolico de veame sobre
tudo, da maior utilidade para curar radi-
calmente, e em pouco tempo o rheuma-
tismo.
Adverte-se que o verdadeiro xarope s se
vende nesta cidade na botica cima indica-
da, do abaiio assignado; e em outra qual-
quer parte que se tem annunciado nao da
mesma composic5o, e nem o abaixo assigna-
do se responsabilisa.
Jos da Rocha Paranhos.
COMMERCIO
[PRAA DO RECIPE.
Cotafes ofQclae*.
12 de marco.
As 3 1|2 boras da tarde.
Assnear mascavado porgado2JO00 por arroba.
Algodao 1* sorte17#000 por arroba.
Cambio sobre Londres 90 d/vista 28
por 1000
Cambio sobre Pars340 rs. por franco.
uuboureq Jnior,
Presidente.
Silveira,
Secretario.
i|8d.
Xov bae* de Pernaa-
btico.
0 Novo Banco descosta letras a 12 forcelo
ao ac o, toma dioheiro a praso fixo ou em coma
correte pelo premio e condicSes qoe se c ornen-
ciooar. e saca sobre a praca da Babia
Celia filial o bauco do Brasil
ean Peratanabaca.
De ordem da directora se faz poco qoe o
Ihesoreiro desta caa se acba aoorieaio a pa*ir
o dividendo do semeste.'lodo em M da deaombro-
prximo .aassado, oa razao do 11*000 por aeco.
Caixa fllsal do banco do Brasil *5 Janeiro
de 1866. v--
O goardik-iHros,
Igoacio Nones Crrete<__ _
Quando algnem se v com tosse vai ao me-
0 xarope.etherio de vlame por mim pre-! dito, este o examma e^declara-o senhor es-
E'bem sabido de todos a.raz2o,porque o parado meito tem eproveitado aosquesof- ti affectado dos jmlm5es-o doente desam-
,Sr Antonio PereirTdeFariafazopposiclio^ bilB*liiii.redo esta 'T^LS^.^SZ
co seUreefla,dtoselbrmospreroeaflaB, e;
aem procuraren o
'A JTBPSBWCIA.
Naiosolidoteeeaeoeiites-elstem 176, sendo 9%
botMM o MmBfbfres.
Fanss vHikWas as tarernarits estes das :
A*A ?^7/tWft *, 7, ftlo*er. Ra-i
s 9, 8 3i*, 8 |t, 9 li, 8 3f4, ijlVfete **
do EsfiirHoanto, ttteFealo al-
jM S^elaecao no dia il dejatr-
nesta occasiSo mencionaremos factos .que de
certo n3o se compadecem com a fraiernida-
de; ato eatirfeito S. S. eom ceta aointosa e
injDsta .opposico, quer constituir-se chefe
1 de uma lygarctia composta dejjens4ou
raasotor oobheo Dr. Joao Tbom a Sil va. \ Ptut^AM ai sr loa Uarmlirii da Rosa e
Eorivso Joaqnlm Francisco de Paola %tuem\ Cismisor Joaquim Mauricio Goncalves Rosa, alm a*
Advef ano o Sr. Dr. Asisto Beonqoes da 8rv*.! sefs oueete diffinidore8 pertencentes asna
&lsaLiit3r^^
mu------ rr ]"- ^nio conseguir plantar na Ordem ffereei-
Poeanidispaojados <> presente sessao par ms- ra sla Mgtrabia, porqae os inmos tercei
M>o de molestias os seguintes senbores
BeraMatoS6>isu Vicente de Paola de Oisoeira fUlaadsos.
AaMaso. JaeJcaaale.
CoaMtfeslfoJWroiAMran de kiatu tanaaornae.
Dr. Aatooio de Vaasoocass llneles -de Dmm-
aaoad.
De AotaoJo Aaaaa Jaeeate Biroi.
Dr. iBafalai da^gaian nannri.
aieahoras:
Dr. Jlo Viceau da SiiTa.Co
Umo$l4S$tmkm teJoaai |*ojwda.
Conseibelro Jo Bento a Cqooii Pigoeiredo.
Aogtuto de Si Albuqnerqoe.
ros bem cpnbeoem o fim qpe tem em Tista
S. S.
succrbem ft de taberctfls pulmonares,! teem demonstrado que muitos tendo proco
recoreo do.ratita e do rad o ugar apropriado, se teem salvado;
experiente, que rhes pdem iencamrnhar o
meio de sua salvaco.
O Sr. Braga com loja de ferwgens na ra
assim expikam muitos expositores de me-
dicina.
Ora, nessa provincia temos facilidade ho-
foi "dejengaedo por doos habis je e recurso do ar; *or que a via frrea
mediees, acha^^cornTliatomentopor w pTepo/c*ena,*oqueem bco tempe
uma pesaaa -que exirte nesta cidade fcil-
mente se transporta fiara as ultimas estacos
mim prescripto.
A Sra. Jeronyma Maria da CoecejcSo, mo-
redora na tra Kdwengeaada. tambem mim recor- t^e de mam.pontos SetETwlibMdi, '..q^Qto" foe<>simmiJpagares
SUm sobriotio do Sr. professor oefata- ] d3os5o mps, segundo pens, pnnqpai-
relh do Cabo, ,acha-ie boro^como se v de mele oo veio, ^ ^ "
iNi*ssas Afkmiu de Wivma reneeeenta- so* carta abaixo teaotcripU, altti de oatros MM'dtrvse-ba^oaBa^eimpeb m
door e represemoo na tarde ddm?W, qoe poderia agui meneteoar. : meio* de se twnenor
d^efttoV^.fartts.pefm^ie.oft-.! A'pWhysIca a tfestroicio e a magreza ^*^(gewq^e^log
Jos Marine daosa oACcompaobasse, i de todo eorpo, era consequencia de chagaa, '
ALFANDEGA.
Rendimenlo do dia 1 a 10.....
dem do du 12...............
246:6061661
41:8961083
289J03*V)44
-TT1 ^M
MOVIMENTO DA ALFANDBUA
Volantes irados con (aseadas... 187
s c com gneros... 141
Volames sabidos cem faxsndas.
c com gneros..
328
900
296
----- 496
Descarregam baje 13 de marco
Bar&a (raocezaVan BapaH-mereadoru!.
Sumaca argentinaNoca Cariotacbarquo.
Brisjne nacionalRinmndem.
Barca nacionaltara*rnidem.
Polaca argentinaatenteideodem.
laaa>4>rtfl^ie.
Patacho oacionii Palma, entrado do Rio -Grande-
do Sal, consignado a F. J. da Costa At*ojo, nani-
festn o segoiote r
8,600 araobas de cbArqne e'tK onros vaeeaas^
a ordem. _
Brigoe nornegtwnse Om, eatraflo Je amos,
consignado a Amorim Irmos, msmliestoo o ge-
gnlnte:
1,800 saceos com 7,509 ambas te rt; a or-
dem.
ALFANDEGA DE PERNAMBUCO.
PAUTA DOS PBBCOS DOS GalTROS SJBIT03 A DOUOT0S
aau m IX a 47 aaaai be
m laswiiatti isa
tumo M 1846.
Meaeaiotiaa.
de certo para nos um i
caaja,if (stsesy, pa anaar ado-ate
a S. S. sempre o rifemos como cord
eitamo coveDcidos, senSo fosse
nio daria o pao que ded.
que n3o lia anali- 4iil^<)ioe*Ti(mc-ee|io des boes e de ea> de, e mesmo
... ~ ...Ulliis nunsoliilkll lili
t Agurdente de cana .
caaes vatiaeA-aUgam-se por |ece comme- ideansatada oac retao
generes de priraeira idean
ttastetea.
. aOOBlO
Isajsjiiatramei e wfim twteatiee
vfdam wtaniow, como eseortmto,
galco, asthma, bexigas, sarampo.
necessidade alii se veadem pelos mesmos Mem
iverem nesti
ilo explicar os meios
ouemlia
1
o/v
eo
900
18*700
vi
V
ti
'


IHHIHHStfi^HHi
IWBFI^^VTfnnMBWWW^ *"* Iwfl IwlWr xTtT^W HVfi eW foro.

?
s.
Arroz con casca.....
dem descascado ou pilado i
Assucar mascavado .... <
Mu bronco........
Ideen refina* ......
Azeile de amendoim ou mendo-
bu* ........ casada
dem de eoeo...... *
4em de mantona ....
Batatas alimenticias .... arroba
Bolacha o diarla, propina para
embarque ....... *
dem fina.......
Cafbom .......
dem, escolha on restolho.
dem torrado...... libra
Caibros ........ um
15300 Em vtrarje da qaal o referido escrivao fes pao-
24000 sar o presta pelo qual chamo, cito, e bel por
15850 j citado o dito para que corapareea Jaste juizo den-
3|000 > tro do IndWBdo pfaso a IR) de allegar o qtt* for
34900 de jastica ; e para que chegae ao conhecimeio de
todos raandei passar o presente qoe sera publicado
pela impreos i afilado nos lagares do costme.
Recife, 8 de marco de 186(1.
Bu Manoel Mara Rodrigue! do Nasclmento, es-
criro o subescrevi.
Tristiode Aiencar Araripe.
DECLARACOES
440
360
320
580
34500
44OOO
14000
34OOO
300
500
24000
34OOO
154060
44OOO
600
150
240
100
360
IO4OOO
14000
320
520
44OOO
24000
Cal..........arroba
dem branca .... 1
Carne secca (xarque) ...
Carneiros .......um
Carvao vegetal .....arroba
Cavernas de sicupira urna
Cera de carnauba em brote. libra
dem idem em velas ... >
Ca........
Charutos .......cento
Cevados (porcos).....um
Cocos (seceos) ..... cento
Colla.........libra.
Couros de boi, salgados a. *
dem idem seceos espichados 1
Idm idem verde .... *
{dem idem cabra comidos um
dem idem de onca ....
Doces seceos ......libra
dem em gela on massa
dem em calda ..... >
Espanadores grandes um
dem pequeos...... >
Esleirs para forro de estivas
de navio........cesto 154000
Estopa nacional .....arroba
Farinha de de mandioca alqueire
dem de araruta.....arroba
Feijao de qualquer qudlidade
Frechaes .......um
Fumo em tolha, bom arroba 154000
dem ordinario ou restolho 84000
idem em rolo bom..... 104000
dem ordinario 00 restolho. 1 84000
Gallinhas .......urna 800
Gomma........arroba 24600
Ipecacuanha-(raiz)..... 254000
Lenlia em achas.....cento 24000
Toros.......... 114000
Linhas e esteios.......um 64000
Mel oumeiaco......caada 200
Milho..........arroba 14500
Pajiagaios....... nnr 34000
Pao Brasil.......quintal 54000
dem de jangada.......um 65000
Pedras de amolar .... urna 800
dem de filtrar ..... c 600
dem de rebolo ...... 14000
Piassava ......mol lio 120
Ponas, ou ehifres de vaccas ou
novilhes.......cento 34600
Prauclioes de a mar el lo de dous
costados.......um 204000
dem de louro...... 1 104000
Rap.........libra. 1400
Sabio......... 1 160
Sal........... alqueire 400
Salsa parrilha.......arroba 234000
Sebo em rama...... 55000
dem era velas...... 1 75000
Sola empaqueta......urna 24000
Taboas de amarello.....duzia 1404000
t diversas...... 874000
Tapiocas.........arroba 34000
Taiajuba........quintal 24000
Travs.........urna 64000
Unhasdeboi ......cento 300
Vassouras de de piassava 104000
Ditas de timb...... 84000
Ditas de carnauba..... 65000
Vinagre.........caada 600
Alt'andega de Pernamuco, 10 de margo de 1866.
EM ADITAMENTO.
Cera decarnaiba arroba 65400
Cassueiras de Jacaranda, duzia 95?000
Encharoeis......um 14500
Esteiras de carnauba. urna 160
Ossos........arroba 200
Paha defarnaba molho 800
Penna de ema .... libia 2J00
Sapatos de couro branco. par 800
Era ut supra.
Approvo. -Alfandega de Pernambnco.10 de raar-
50 de 1866.------A. Eitlalio.
(Assignados):
0 1. conferente, Antonio Carlos de PmkoBorges.
O 2. conferente, Joao de Freitas Barbota.
Conforme. O 4. escriplurario, Joaod' A. Pe-
rnra da Rocha.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO
Rendlmeoto do dia 1 a 10...... 26:4875440
dem dodia 12................ 6:0354730
^aula Casa da Misericordia do
Recife.
A Ulma. junta administrativa da Santa Casa de
dores on manidos, de cartas deles, que fleario
raBponsa is pelo inteiro curaprftoento dos reec-
ti#s cojfrltos.
SecrOria da Santa Casa dtliserieordia do Re
cife 2* de toefblro de 18fc*
O amanuense!
Francisco Gomes Castellao.
Dividendo.
Paga-se nn eseriptorio di Corapaoliia Pernam
bucaoa, somante ao sabbados e em preseoea das
respectivas acedes # pflwelro' diVMeid* a- razao
de 109 por aeco : 00 eseriptorio largo da Assem-
bla o. 1. _
Terca-feira 13;do corrente~mez, depois daan-
diencla-db Illm. Sr. Dr. juf* mooMpada 1' vara,
escrivao Cunba, sero arrematadas por venda, visto
ser a ultima praca, as 3 seguintes asas terreas :
Urna na ra do Hondego n. l, freguezia da
ConpftfMt ie ^ffUtfOs a ?apor ea!r# Ao aMazem a roa *lMI#l*gDtirft-4 Brasil. G#rdelro sUeer
At o dia ll
do correte es
pera-se de New-
_____
York (com esca-
la pirftThomaz"
e Para) o vapor'
americano Son(i
America, cooh
mandanteTinkle-
piogli, o qual depoh da demora do costme se-*
gWW pa* ospoftos do sdV
P-ra frates e passageos-rlMi-se com os agemesf
Haory Forter & C, roa d Trapiche o. 8,
Corapaahia Peroa_bucaaa
DK
MayegacSo eostelra por vapor.
mSXZZS*"*' mM,d> CKnTdar TT81 *3Z 50 Palmos dBe comprlmto e 20 de p^S^P*. "J i?**, ***?*
que quiera alugar as casas abane declaradas, largura, tendo doai salas, dous quartos, cozlnha rarabiba, Natal, Maco, Aracaty, Ceara
faaendo a soa cusaos concertos de qne ellas pre- f6ra. mommu nninii m.irarto mm rarirah. rho fl Ararsc.
teMlte aotorisado Ara'.', leUa* di sitio
acrua defrtjfo, o qual oaV* qairjner InformlMo onttfrido^ agente sa-
tisfar', cujoMlao sera' enectoedo no dia, hora e
ugff>cima-dKo.
Leimo

De mea easf terrea com parta- e janell (Mira a
cflrchos proprios, cciff-1 sala, 1 q'tlarte- e ca-
cMBa na tnfrpssa da Paodicao n. f, fura tHf
pdMas rede'74 a 8.
Qbarta-feira 14 do cotretil^as 11 horas.
NO GRANDE ARMOgEgflfl A
OLYIViPiO
qne ellas pre
cuam,a comparecerem na sala de snas sesSes as
quiotas-feiras as 4 horas da tarde adra de apresen-
urem sna propostas, podeodo o arreodamento ser
felto at nove aonos com autorisacao do Eim. Sr.
presidente da provincia!
Patrimonio dos Estabelf rimen tos de Caridade.
Rna Direita.
Casa de um andar n. 33 publico e qoatro partl-
enlar-
Rna do Azeite de i Casa de dois andares n. I publico e 35 parti-
cular.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife 5 de marco de 1866.
O oficial,
_______ Manoel Aotonio Viegas.
Sania Gasa de lisericordia da
Recife.
A Illma. junta administrativa da Sama Casa de-
ico que
280001 Msericord'a do Recife, manda (azer pnbl
44000!
24800
54OOO
fra, pequeo quintal murado com cacimba, chao
proprio, avallado em 9004-
Urna dita na raesma ra n. 24, com 57 1/2 pal-
mos de cumprlmento e vlote de largura- no vio,
sala a-ilaote e atrs, um pequeo quario e soto
com ama sala e um qaarto, coiioha fra, pequeo
quintal morado, com cacimba, cbo proprio, ava-
llada em 1:0004.
Urna dita na.roa da Ventara, no lugar da Ca-
punga da mesma freguezia, com 58 1/2 palmos de
compilmento e 23 1/2 de largura no vo,sala adan-
le e atrs, dons qaartes e cozmha fora. pequeo
sitio, cajo lado dlreito tem ama meia agua que ser-
ve para coxeira, sendo dito sitio smente murado
nos fundos e estando dito maro a aesmoronar-se ;
poucos arvoredos de f rucio, do as c: cimbas, divi-
dlndo pelo lado direile corff o s1ti*5ddAntoolo Jos'
de Castro, e pelo esqoenio com Orna estrada es
tretta, avallada por 1:2004, os quaes
-*A.
mmm
& Acarac.
O vapor Mamangmpe, com
mandanle Rate^,-6aHlrti' para os'
porto* cima nb'dia 22 as o ho-
ras da tarde. Recebe carga so-
manta al o di tV; passageiros,
encommendas e dinheiro a frete at as 2 horas do
da da sabida : eseriptorio no Porte dbMattos n. 1.
COMPAPiffiA PERNaMBCANA
DR
Navegscaa eesteira par yapor.
rttcaj e escalas.
O vapor ParaHyba comman-
daote Martin*, sahira' par* os
portes cima no dia 20 do cor-
rente as 5 horas da tarde. Re-
cebe carga'srbeme MV dla19,
passageiros, encommendas e dinbeiro a fret& at
eeerlptorio
predios vflo a
prafa por-execuato que eoeamiulia Manoel Jorge as 2 horas da tarde do dia 4a sabida :
da Souza. contra Francisco de Assis Perelra Freir no Forte do Hattos n. 1.
sua mulber. ______
Terca-feira 13 do corrate, Qoda a audiencia
do Sr. Dr. jmz municipal da prluieira vara, ira a
desta
Medico e operador.
O Dr. Joo Raimando Perelra da Sil vafe tendo
SOqooaiadoos mal nota veis hospiues dr Parto,
de ser procorado para os mysterl de soa pro-
Qssao na ra da Cruz o. 40, segondo anda. Da.
cOnsaHas todos os dhs das 7 a 10 horas da ma-
Aaa. Especialldades-awleatias de oihos, partos o
tas tftlnaria. "^
Deixando de haver mesa no sabbado 10, por
falta de numero legal, convida o Sr. preddeMe da
irmandade'de Nossa Senbora da Coocelelo fte Mt-
litores, e roga aos mesarlo* d* comparacereta oa
qoarta-feirt (14) do corren, M 6 hora* da tarde
no consistorio da referida igreja, afim de tratar-sa
de negocios da meacioaada irmandade.
O secretario
^r_tr ____Jos Caetano da silta.
Preelsa-ee faTP-eo o Sr. fc5orAlvj-do
Mour, ni*7"Je> da- IodBpndenew, lo]a de li-
vros n. 8. ______
Aaaa deleite.
Urna mulher dU-i*a*o, adbca, com-abnOdaneia de
leile se- propSe a servir d$ ama, qotn preciiir en-
teada-se> na lo>a'do Alvaro, roa do t&espo qo dir
qfiem .
Agua Preta*
. Alten cao
Declara-se que os qoarta'os do en^enbe Flarenta
estao de orelhs oorUdas e coaftrvaSe pelados de
trupetes, crinas e caudas, e ta djesli' noHabugo, orno lambem forados no lado
dTr*iteo>Bea eboeixo por um triangulo de Ires
pomas, de cuja'feTma estae isehiptos- de negeciar-
w^-roga-se poTtanto as btoridadie. policiaes qoo
AO esinraanaes ae pamosopana* nao deixe passar qoera cdftduzlf af]Bjfn desses ea-
Acaba de chegr e^-acha-SB venda- m ?!?6 5em._carta oa 'gnai do supradito engenbo.
48-FRAgA O (gMHWf:i0^48
De IDO reSWTas da papTde fcores para-embralho
e 34 barias de fortft enTSrnisae%.
Quarta-fk14 do creat^-s *4 hfitas.
Nrt-*RMAZE DO AfltVTK
OLYNIPIO
48-
PffAQA DO COMSfflRCl-^8
-'_______-_____________
aVI^OS DjtfEBSOS
contina em praoa a renda do sitio do Forte as
Candeias pelo lempo d 1 a 3 annos pelo prego
annoal de 1004000, o qual sitio fol adjudicado-a' praca amterreno em frente a' ra da Palma
mesma Santa Casa na execogo movida centra os cidade, murado por todos-o lados, tendo na frente
herdeiros de D. Anua Benedicta Boaventara do ama porta llrfa, forelro ao:conento do Carmo do
Carmo : tem 635 palmos de frente e 800 de fundo Recife e avallado em 3004, por execuo que mo-
com 81 pus de coqueiro. | ve Antonio Jos Vieira contra Maooel Joaquim da
Os pretendentes comparegao na sala das sessSes Silva Ribeiro, escrivao Santos,
da mencionada junta as quintas-feiras as 4 horas'
Para a Bhia
principaelWW'arias dela cWlde o abbndo
S QCESTOEfDE PHILOStfPHIA DE A. CHARMA^
AmpliacSo srJre a douffioa das Proptt^fie*,
regaaento'prompto para-oresie qaihofalta tra-jphyswas, anexadas, s^moraes e historia. '
da tarde com os seus fiadores ou carta dos mes-
mos.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife 5 de marco de 1866.
O offlclal,
Maooel Antonio Viegsa.
Santa Casa de Misericordia do
Eecife
A Illma janta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife manda convidar as pessoas
que quizerem reedificar a casa sita na rna do Bur.
gos n. 2 pnblico e 57 particular, pertencente .
Patrimonio dos Estabelecimentos de Caridade, e! principio a sua primelra sesso ordioatia desl an
bem assim as que quizerem edificar no terreno d i no_DO d,a I* correte; e nos seguintes.
Caia Filial do Banco do Brasil em
Pernamanca 10 de marco de 4866
De ordetn da directora se faz 'publico
pessoas que tem objectos deuouro, prata e diamao-
tesdepositados sob caugao desta caixa, qne estao-
do ja-.veaoMwerti> pagas a letras, que aceita-
ram pelos referidos depsitos, se val proceder a
venda em basta pobhca dos mesraos objectos, con-
forme o prescripto nos estatutos desta calxa filial.
O guarda llvros,
Ignacio Nunes Correia.
U'se-corB-es'seas consignatarios Antonio Lol" de
Oliveira AzevedoA C,no seo- eseriptorio ra-da
Cruz n. 1. ______^^^
Para o Rio de Janeiro
Pretende segulrcom malta brevfdade o paile-
bote nacional P1H"aTJE7 tem dous tercos do seu
aquellas carregameoto tratado, pra'e resto que Ihe falta
trata se com os seas consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo 4 C, no sea eseriptorio raa
ca Cruz o. 1.
Pela secretaria d cmara municipal desta
ao c>d/tde se faz publico, que a mesma cmara dar
BrocBura iridispensavef aos estudantcs qae
tivereav de fazer exarue Tfe philosaptta:
^ ^_ Soar&de Azevedtfr-
LOTERA
D^te-me.eogeuho o olera*' Frtelis-, crioolo,
idWe de 40 aOtaos, bom iBestr^de assu*ar, reta-
.meiro e"CI*NMro, cbeio do*corfja, a*nrr regular,
nariz chato, Karba raspad e alvezee deixa soissa
imperial, urna sicatrlz d# Para Lisboa
32:5234170
CONSULADO PROVINCIAL
fiendiuieuto do da i a 10.
dem do dia 12..........
66:9754181
8:1144748
75:0894879
m^
MOVIMENTO DO PORTO
Navios entrados no da 12.
Baha-18 dias, Mate nacional Calado, de 69 tone-
ladas, capito Manoel M. da Costa, equipagem 6,
carga 2,000 alqueires de farinha de mandioca ;
a Tasso & Irmao.
Rio raode do Sul 54 dias, patacho brasileiro
Palma, de 175 toneladas, capitao Manoel de Aze-
vedo Canario, equipagem 11, carga 9,100 arro-
bas de carne ; a Francisco Jos da Costa Aranjo.
Santos32 dias, brigae nornegaense Otto, de 284
toneladas, capito C. E. Frederekson.eqnipagem
II, carga 1,500 saceos com caf; a Amorim
Irmo.-
Rio de Janeiro25 dias, brigne inglez W. H. Be-
gelow, de 420 toneladas, capitao u. B. Roberts,
equipagm9, em lastro ; a Johnston Pater & C.
Rio de Janeiro20 dias, barca norueguense Deve-
co, de 500 toneladas, capito H. Natvig, equipa-
gem 14, em lastro; a ordem.
Naci sahido no mestno dia.
Liverpool pela Parahyba Barca ingleza Meteor,
capitao Craeg, em lastro de assucar.
Observado.
Fun.l -ou no laraaro um brigae saeco, mas nao
teve communicaca com a trra.
roa do Vigario prximo a casa em qae funccionea
o consulado geral, e onde foi ontr'era a casa n.
70 pertencente ao-Patrimonio dos Orpbos a com-
parecerem na sala das suas sesdes as quintas-
flras as 4 horas-da-tarde aim de proporem qonl-
quer negocio.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cite, 5 de marco de 1866.
O official,
. Manoel Antonio Viegas.
Cmara municipal.
Pelo cbntadorfa da cmara municipal desta ci-
dade se faz publico .qoe nos mezes de fevereiro e
marco se recebe a bocea do cofre o imposto mu-
oierpal sobre casas de negocio, e aquellas que nao
pagarem neste tempo esto sujeitos a multa na
forma do art. 32 do regulamento n. 360 de 15 de
junbo de 1844.
Coatadoria 1" de fevereiro de 1866.
O contador.
( .____________Caetano Silverio da Silva.
De ordem do Illm. Sr. Dr. delegado do 1 d~is-
trlcto desta cidade, encarregado do expediente des-
ta repartigo, faeo publico para conhecimento de
quera interessar possa, que pelo subdelegado do 1"
distncto da cidade do Rio Pormoso, fol apprebeodi-
do um ca vallo furtado, castaaho, cmi manchas
brancas, o qual fol depositado pelo juizo municinal
danweia ciaade, parante quein aave, a pessoa qae
se julgar com direito ao dito cavallo, reqaerer a
sua eatrega, mediante provas do seu dominio legal
Secretaria da polica de Pernambueo 9 de mar-
co de 1866.
Eduardo de Birros Falcao de Lacerda.
Secretatio.
Acham-se recolhidos casa de detenco, e
serio entregues a quem provar pertencor-lftes, os
escravos seguintes : Antonio, que diz ser escravo
de JoSo Ferreira, residente em Caruar, e Castro,
qae diz tambem ser escravo de am Sr. Guimaraes
cora armazem de assucar na roa do Trapiche,
Achara-se tambem legalmente depositados dons
cavallos, um pequeo, cor rodado, e outro rugo :
quem, perianto, se julgar com direito aos mesmos
cavallos, provando, ser-1 hes-hao entregues.
Subdelegada de polica do 1* distrlcto da fregue-
zia da Boa-Vista 10 de marco de 1866.
O sabdetogado,
Decio de Aquiao Fonseca,
ED1TAES
O Dr. Tristao de Alencar Ararlpe, official da im-
perial Ordem da Rosa e jaiz de direito especial
do coraraercio desta cidade do Recife de Per-
nambueo por Soa Magestade Imperial e Consti-
tucional o Senhor D. Pedro II a quem Deas
guudeetc.
Fago saber aos que o presente edital virem e
delle ni lela tiverem qae por parte de Antonio da
Silva l\mtss Guimares me foi dirigida a petlcJo
do ihe jr segunte :
Illm. Sr. Dr. juiz do commerclo Antonio da Silva
Pontes Guimares, qaer fazer citar a Jos Antonio
Domioi; :es de Pignelredo para fallar aos termos
de urna acgo ordinaria em a qual Ihe pretende
pedir a rbseisio do contrato qae celebraram no
dia 2'i lie Janeiro do correte anno restitindo-lhe
os fardos cora famo qae receben ou a quantia de
M8JJ99B, em que importaram, como todo raelbor
oxper nos respectivos artigos que offerecer na
competente audiencia, e porque o supplicado se
ache ausente em lagar ignorado, reqaer a V. S.
o admita a justificar a ausencia, e sendo quanto
a jalg-n; por sentenca mandando passar carta de
ditos para a eltaco do supplicado nomeando-lhe
curador in liten. Pede a V. S. defirimentoE. R.
M. a4rogado Brtto Macedo.
Na qual del o despacho do theor segolnte :
Cite-se, cerno pede, justificando a ausencia no
dia 2$ do correte as 11 horas da maohaa. Reci-
fe, 26 da kveretro de 1886.Alencar Araripe.
Em virtadedo goal fdra a.mesma policio des-
tribuiJt no escr-vio deste juizo Manoel Mara Ro
riguai do Nisci ment.
B tendo owppHcanta prodazldo snas (esterna
abas, sellados e preparados os antos sobiram a mi-
nba conclaso e aellas dei a'seatenca do teor se-
goitl'3 :
Jalgo procedente a jastificagao, e assim mando,
qoe o rey a osate seja citado por edito de 30
dfai para o tire requerido de folhas duas.Recife,
S de margo de 1866. Tristao de Alenear Araripe.
Santa Gasa da Misericordia
do Kecife.
A Illm' junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife manda fazer publico qae
no da 15 do corrate, pelas 4 horas da tarde, na
sala de suas sessoes tem de ser arrematado o for-
necimento dos gneros em seguida declarados, que
houver de consumir os diversos estabelecimentos
pos a cargo da mesma Sania Casa no trimestre de
abril a junhe prximo futuro, a saber :
Estabelecimentos de caridade.
Manteiga franceza,- libra.
Caf em grao, idem.
Cha' preto, idem.
Cha' hysson, idem.
As.-ucar refinado 1* sorte, idem.
Dito de 2' son, idem.
Dito em torro 1* sorle, dem.
Arroz pilado do Maraoho, idem.
Toucioho de Lisboa, idem.
* Bacalhao, idem.
Tapioca, idem.
Aletria, idem.
Carne seca, idem.
Sabo amarello, idem.
Fumo, idem.
Velas de carnauba, idem.
Ditas de spermacete. idem.
Farinha de mandioca da trra, alqueire novo.
Feijao mniatiobo, idem.
Vratio tinto de Lisboa, garrafa.
Dito branco de Lisboa, idem.
Vinagre de Lisboa, idem.
Agurdente branca, idem.
Azeite doce, idem.
Dito de earrapato, idem.
Ceblas, cento.
Farello, sacco.
Carne verde, libra.
Bolacha, dem.
Pao, dem.
Colleglo de orpbos.
Manteiga franceza, libra.
Assucar refinado Ia sorte, idem.
Dito dito, 2* sorte idem.
Caf, em grao, idem.
Cha' bysson, idem.
Arroz pilado do Maranho, idem.
Bacalhao, idem.
Batatas, dem.
Aletria, idem.
Toucinho de Lisboa, idem.
Ceblas, cento.
Fannba de mandioca da trra, alqneire novd.
Feijao mulaiinho, idem.
Azeile doce, garrafa.
Vinagre de Lisboa, dem.
Sal, cola.
Lenha em achas, cento.
Carne verde, libra.
Dita seca, idem.
Bolacha, idem.
Pao, idem.
As propostas devem ser espeeiaes ja' para os
estabelecimenlos de caridade e ja' para os collegios
sao tambem aceitasfropostas somante decana ver-1
on-de-pao e bolaco* pan--consono dos hospitae
PedroJJ' e dos Lazaros* para.a casa-dos expostet.
Recommenda-e aos coacorreotes qae observera
em saas propostas a ordem, pesos, medidas e qaa-
lidades indicados na relacio- dos gerrero* descrip-
too nesle edlwL
Nesta secretaria se darlo os- esclarecmentos de
qae os concurrentes precisaren), e na acto dr ar-
rematadlo deverib efes comparecer com sea fia '
Secretaria-da catsara municipal desta cidade 12
de marco da 18 6.U secretario,-Fraosco Canu
to da Boaviagem.
Pela admintstracao do crrelo- dsta cidade se
faz publico para fias convenientes, qae em virtu
de da coareogo postal celebrada pelos governos
brasileiro e francez, sero rpedidas malas para
Europa no da 1* do correnta mez pilo vapor
Douro.
As cartas serae recebidis at duas horas antes
da qaa for marcada para a sahida do vapor, e os
jornaes at tres horas antes:
Administrago do crrelo de Pernarabvjeo 10 de
marco de 1866.
O adminisiralr,
Dominas dos Paxsos Miranda.
ra a to*To o momento de Lisboa,
para o resto da carga o passagei-
ros trata se com E. R. Rabello, ra da Trapiche
n.44. T
ios 6:00.,'0flO.
Sex4a-fertT 16 do corren!, meft sw ex-
trahir&'al* parte da loteTrl!k($2$i a^be-
neflcio da matriz de Salgueiro (s9awtes
Satura depois de pequea de- dessedia tiverem seguido para o sul e nTtr|
mora neste porto por ter a maior os vapores americano e brasileiro que se
parte da carga engajada o brigue' esperam) cujaextracco ser no ItrtWrerbo-
portogoe* LaiH I, o qual se espe- ra Q ofjstume.
Os bilhetes, meios e quintoracham-se
a venda oa respetiva |tiiesouraria roa-do
Crespo d. 15.
Os premios de O.-OOO^OO at 10,5000
serJo pagos urna hoT depois? dl Uraecac
atas-3 horas da tarde, e o^dHtres* depois
da distfibuicao das listas.
A encommendas serSer* guardadas so-
mente at a noitfrda vespera da extraccSo.
O tbesoureiro,
Aotonio Jos'Rodrigues-deSbuza.
Para Lisboa
Sahira' nestes poucos dias a barca portogueza
Constante III, por ter promptoquasi i-nlo o seu
carregamento, para o restante a passageiros tra-
tase com Manoel Ignacio de Oliveira & Filho, lar-
go do Corpo Santo eseriptorio n. 1', ou com o
capito na praca. .
un timi
DB-
GRANDE CONCERT
Vocal e instrumental
NO SALAO DO THBATRO US SANTA ISABEL
Sabbado 17 da correte
A BENEnCIO DO P1ANTSTA. BRASrtEinO
HERMENEGILDO LIGLORI,
com o concurso dos destnelos artistas : a Sra.
Pierri, os Srs. maestro Smoltz, Muniz Barreto, Ha-
monda e M. Llgoort (pai).
PROGRAMMA.
1.a Grande dueto da opera Lacia de Lamermoor
do maestro Donizetti cantado pelos Srs. M. Li-
guorl e Ramonda.
2.* Fantasa sobre motivos da sonmbula execnta-
do pelo beneficiado.
3.a Dueto da opera Atila-verdi, pela Sra. Pierri e
e M. Liguori.
4.a Fantasa na rabeca, pelo Sr, Muniz Barreto.
5.a Gfande galope de concert, pelo beneficiado.
2.a PARTE.
1.a Dueto da opera AvestalMercadantepelo Sr.
Ramonda e M. Liguori.
2.a Cavatina da opera Maebeth-verdl pela Sra.
Pierri.
3." Romance da opera Eleonora Mercadante
pelo Sr. M. Ligoeri.
4.a Miserere do Trovador execotado ao piano ni-
camente com a raSo esqtarda; pelo benefi-
ciado.
5.a Grande terceto dos Lombardf-verdlpela Sra.
Pierri, M. Liguori e Ramonda.
N. B. Todas as pecas sero acompanhadas ao
piano pelo deslindo maestro o Sr. Smoltez.
u beneficiado agradece desde j aos artistas ci-
ma mencionado?, que graciosamente se prestam a
coadjuva-lo em seu beneficio.
Comecar s 8 i boras.
AVISOS MARTIMOS
COHIMXIII1 nn.MlLGIR.%
DE
A VAPOR.
E esperado dos portes do sul
at o da 14 do cerrente o vapor
Santa Cruz, o qual depois da de-
mora do cosime seguir' para
os partos' do norte.
Desde ja recebem-se passageiros e engaja-se a
carga qne o vapor poder conduzir a qual dever
ser embarcada no dia de sua ebegada, encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sabida as 2 bo-
ras : agencia rna da Cruz d. i, eseriptorio da An-
nio Luiz de Oliveira Azevedo & C
COMPANHIA BaASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPO.
Dos portos do noria esperado
at o dia 20 de marco o vapor To-
cantms, commandanle o primeiro
lente Araujo. o qual depois da
emora do cosame seguir para
os portos do sul.
Desdeja recebem se passageiros e engaja-se a
carga qne o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sna chegada, encom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sabida as
2 horas : agencia raa da Cruz n. 1, eseriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevede & G.
Companhla das Measagerica Im-
periales.
At o dia 14 do correte mez,
espera-se da Europa o vapor fran-
cez Estramadure, o qnal depais
da demora do costme seguir'
______para Baha e Rio de Janeiro.
Para coadieces, fretere passafet tratr-se na
agencia roa do Trapiche n. 9.
Tila de Janeiro.
pretende sabircdnr broMado a birca Jn-em
Pahnira, por ter- a raaler pan*- do carregamento
prompto para o re*m|M *e falt1 e .esoravos a
frete trafa-aa com o consignatario Joao Franalseo
da Silva Novaes travessa da Madre de Dos n. 5.
^k
^r^i
Pa-'-ae Porto.
Sahir impreterivelmente at o dia 16 do cor-
rente me/, a barca porlugaeza Seguranga, por ter
todo o sen carregamento prompto, para passagei-
ros aos quaes offerece encllenles commodos, tra-
ta-se com os consignatarios Cunta Irmos & C, a
ra da Madre de Dos eseriptorio n. 3 ou com o
capitao na praca._____________________________
Para o Araeatv
V
Sai nestes dias, o liiate Mara Amaia,jneslre
Francisco Thomaz de Assis; para carga tratase
com Parete Vianna & C, ou no trapiche da Algo-
do com o Sr. Quinta'.
LEUDES.
Eeiftto
De 97 Utas-com marmelada e 1 din com
peixe.
IIOJE.
O agente Pestaua fara' i-llaj por coota e risco
de quem pertencer dos gneros mencionados em
um ou mais lotes a vontade dos compradores:
tetca-feira 13 do correte pelas 10 hars da-ma-
nha no armazem do Anaes.
Q>oreanas costar desaparecen-no dia 22 de
f*vereir3*para se casar com a"icraa de ums-fllho
doteneme coronel Alo *rbd5*.Mac1ef-: quem o
pigal'!* levar notiA certa a* refirido eogenho
sera' gtneroBenM recompoosadC, pagando-se
anda quaiquer despoza.
Nos atoMb asignados dtla ramos ao poblico
e principalmente ao-eorpTWo commerclo que dis-
solvemos amlgvelmente fsoctdadto-qae-tinlrtmos
no pharol do ownmWo-oa ra oV-Rang^l o. 73,
q gyrava debaixo^Oa firma o> ViTfar & C flean-
dflarespotavePo sod VilHr r*1o adivo e passivo.
RecifrlO deCtoar?! de't866.
Jos JoaquimPeretra Barroso sobdito pprtu
toguez vai a Macei.
O padre Flix Brrelo 4a Vaseoneellos extin-
gui a aula particular de latim que tinha em sna
casa, e d'ora em diaoie eosinara somenta no col-
legio do Sr. professwr Jeronvme Viltr, na rtr lar-
ga do Rosario, e no do Bom-Cooselho, na roa da
Aurora. Os alonrae*.que quizerem aprender com
o annuaciaate, entendam-se com o director* de
qualouer um dos referidos collegios.
10 <.
Fraocisco Pires
Portella
Hachado]
LEILO
De Q saceos com feijao novo de di-
versas cores.
Cordelro simes
por conta e risco d qoem pertencer fara' leilo
de i)0 saceos com; feijao novo de diversas cores de-
sembarcado a tres dias do vapor Amason, islo
HOJE.
Terca-feira 13 do corrente as 10 horas em ponto
no armazem do Sr. Annes defronte da alfandega.
De urna casa terrea na travessa do Carce-
reiro n 2, em chaos proprios e rende
1651 mensaes.
Urna dita n. 12 na roa da Mangueira fo-
reira, tena 2 portas e janella corredor ao
lado.
Cordeiro Siruoes
por conta e risco de qaem pertencer far leilo
dos predios cima-descriptos os quaes podern des-
de ja serem eiamioado e qaalqoer inforroaco o
mesmo agente satisfar, cajo leilo ser effectuado
no dia lerca felra 13 do corrente, as 11 horas, no
armazem a rna da Cadeia n. 29.
LEIL44I
De movis, crystaes, jotas de
ouro & brilhantes.
Hojeas. 11 horas.
Raa da Cadeia n. 8.
Amerito P. S. fara \t\t em sea armazem da
comraissoas da ra >a Cadeia n. 8, por intervengao
do agente Martina, de diversos movis, crystaes,
pianos, louea para jantar, jolas de ouro de lei e
brilhantes, cajos objectos sero vendidos pelo maior
proco ao corres do martello.
MEDICO n OPDIliT'OH
PELA
nrernaade oc rari.
coatinua no exercicio da sua profisso,
especialmente as molestias de olhos, de
vas urinarias e de pelle, para cujo tra-
tamento julga-se Habilitado atienta a pra-
tica adquirida nos nospitaes daquella ca-
pital, e os instrumentos mais modernos
que possae.
Accode promptamente a qoalquer cha-
mado para fora da cidade.
E encarrega se de collocar olhos arti-
ficiaes.
No pateo do Carmo n. 2, esquina da
ra de Hortas, das 6 as 10 horas da ma-
ohaa, e das 3 as o da tarda.
Ulrc Keller cidadao suisso vai para a Eu-
ropa ___________________
GASA DA
Aos
lotera
que se
LKIt
De 1 mobllla de amarello, 1 guarda- vestido; 1
bagalella (jogo), toileis de mogno e Jacaranda, cant
dieiros a gaz, relogios novos de cima de mesa, di-
tos de ouro e prata para algibeira, commodas com
tampo de pedra marroore, marquezas largase es-
treitas, pianos de armario e mosa, ama porcio da
bacas de folba envemisadas, 100 resmas de pa-
pel para embrulho, pecas-de esteira-para forro de
salas, 2 burras de ferro e ootros mullos artigos.
Quarla-fir 1 i do correle as 11 horaa.
NO GRANOE ARMZBM DO AGBNTB
OLYMPIO,
48 Praca dt CtHnitrelo 48
LEILO
Qaarla-feira 14 de mareo as 11
huras oa rm da Cadeia n. 55, pri-
meiro an lar.
Pelo agente Euzebio.
Por antorlsaQao do Illm. Sr. Dr. juii erpecial do
commercio, a requerlmento de credores se vende-
ro as dividas da massa de Jos Antonio Domin-
gos de Flgaeiredo no valor de 994J700 r., a re
lagSo esta' no eseriptorio do" referido agente._____
Rilhete garantidos.
A' RDA DO CRESiOv. 2*E CASAfrDO COSfllE
O abaixoassignado ve*den nos seus muito fli-
tes Mneles rraranidosdaiotena que se acabos
deearahir, a benaticio da Si na Casa' de Mise-
ricordia.para canatisa^ao d'a?oa e gaz no hospital
Pedro II, os seguintes premios:
N. 6i6 um me* cohp* sorte- >' 6:000i:
N. 875 biltwelrnewo-eonri sorto de 1:200.
N. 906 um meio con*' a sorte' de 5003.
N. 7i dous quintos com a sorte de 2005
E outras mnitas sortes de iOfi, 405, e 205.
Ospossnidores podem virreceber seus respec-
tivos premios sera os descontos das leis na Casa
da Fortuna raa do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 1" parte da i
(52a) beneficio da matriz de Salgueiro,
extrahir sexta-feira 16 do corrente.
PRECO.
Bilhetes.....65000
Meios......35000
Quintos.....15200
Para as pessoas qne comprareis de 1000000
para cima.
Bilhetes.....5800
Meios......25760
Quintos. .... 15100
Manokl Mabtins Fioia.
i,, i ------------------------------------^
jBpue oj|em|Jd '9s -n znjo sp eaj en : judaioo
e jeqaozoo eqtts onbjerae eran ep as-es33Jd
-opesaedmooaj moq .ejas enb epepofidoid em
-som e os-eluip eioitea joaii e||ap no opcSad joau
e raanb : o5oasad oa oqiesoqj mn 9 oi^bj e epjoi
ema opaeA9| 'sonem no siem oonod seip oioia
eq hi3jbzbm op o\d\ \mb e eiia ooo eosea ean
aaav.ios 8P epepandojd ep uaoajeddBsarj
Precisarse d*Tim#'ama- forf o/voferava para
casa de puca .familia : a-trata*na ra- JJiretta n.
68, 1 andar.
nJ_. "" r
Preoua* de um caneia par! taberna : a
tratar na ra Imperial n. 3F.
rr i.
Predio frra atafir.
AJndaostpOraWgarorprlaaMro andsr da roa
ida Cadersn. 29^: a tratar^om o agatate Simos na
roa da Cruz t; 57, ou t pavimento terreo do
naoomo nyedio- n. 29?
PrWisa w alofar urna ama part casa de
oma-s pflssoav na ruaT de Af oas^verdes n. 2,
l*"aT*8ar. ^
AVld

gAttenco
S
Precisa-se de costureiras para
fazer calcas de brim e colletes: na
rna da Cadeia do Recife n. 38, pri-
meiro andar.
Fogio'no dorongo*de etrud/ & roa larga do
Rosario ri.- 40}terceiro aadar, om papacaio : pe-
d-se-a pessoa que tiver apprehendicfe e qoizer en-
irr-gw ao*eu deno,'dirija se a roa larga do Rosa-
rfenr; 26,.loja,on 40,-3a andar, que ser generosa-
mente recompensado.
-* PrWsa-sede ama ama para casa de hoe.em
sorWro : na ra do Codorniz o: 8.
Matel AtlgastCandido Pereir toado assig-
nado 105 como socio do Mjnto Pi Portugae7,"e
pago a dita joia.no dia Ia de setembro do anno
pausado, acontece ver o seu notne chamado pelo
D.,a ri0.. <* W?JA&2S&PMnfafln.tz
de pertencer a dita sociedade, fazendo presente de
sud juia.
Irmandade do Divino Espirito Santo 4o
Collegio.
De ordem da mesa regeoora convido a tedos o*
nossos irmos a comparecerem em nossa igreja no
da 16 d) corrente, pelas 3 horas da tarde, am de
encorporados acompantrarraos a procisso do Se-
nher Bom Je3us dos Passos, para a qual foraos con-
vidados pp|a respectiva irmandade.
Consistorio da irmandade do Divino Espiriio
Santo do Collegio 12 de marco de 1866.
Francisco Belarmioo dos Santos Freitas
_____________________Escrivao.
irmandade do Divino Espirito Santo do
ColfegiK
Achando-se vago o losar, de- guarda de nossa
igreja, convido de ordSm d mesa regadora* aos
nMS8JirmaqBeesaai nts1 circont?tnciM de
oeeuforeawio dtf litar;a apre>rtt*Tenrrae'seus
reqoaTinMoloriw roft^e fnipWWlW a. 8f, sogun-
doondar.al o da ir de orr^Wi aSM d srem
preseatos^'TOaomaMnwa^regtHlftta^e^sm-^
ra sesso: os pretendentes devem ur=trnir suas
pBtttoes com a-liatefl o> qae' trata' og 16 di art.
4ft do nosso coiprom*sO:
Costilo*ttrmamha( do iMvmo Esijiritoan-
to do Collegio 12 de margo de 1866.
O escrtvft,
Francisco Belarminq do? Sanios Freitas
u abaixo assgnado-coaprou?hoja por conta
do Illm. 8r. capito de fragata- Jos Antonio Cr-
rela, residente na Parnahybi,do Ptauhy, os bilhete
garantidos m. 401,1167, 1195 e 3259 da I- lotera
da matriz de Salgueiro desta provincia. Recife 12
de margo de 1866.F. de P. P.________________
Um moco habilitado oferece-se para ensinar
meninos era algam engenbo, sendo portagaez, la-
tim e francez : a pessoa qae precisar deiie carta
fechada com as iniciaes A. L.
Venerare! ordem terceira de S. Francisco do
Recife.
Em virtude do offlcio de convite ii.rgido pela ir-
mandade do Senhor Bom Jesns dos Passos, o nosso
cbarissimo irmao ministro manda convidar a todos
os nossos cbarissimos irmos a comparecerem pe-
las 3 horas da tarde do dia 16 do corrente, em nos-
sa Igreja paramentados de seos hbitos, para em
communidade acompanoarmos a nrocissio da mes-
ma sacra santa imagem que tem de sabir da igreja
do Carmo.
Secretaria 12 de margo de 1866.
Jeronyrao Emiliano de Miranda Castro
Secretarlo.
LEILO
de pedra e cal, cacimba
beber, bata para ca-
da Tractos, denominado
do palacio do Sr. Bispo na
s.
iiniwfimii
Declara q5o coa veniente.
O abaixo assignado lendo o Otario de Pernam-
bueo de sabbado 10 do corrente, n'eliedaparou com
om annuncio de Joo Pedrozo de Lima t Irmos,
onde decaravam ter comprado ama taberna na rna
do Cotovello a Jos Paulino da Silva, e tendo o
mesmo abaixo assignado nome igual ao da pessoa
qnem pertencer tal estabelecimento, sendo em-
pregado publico aposentado ; e nao possuindo casa
alguma de negocio commercial ; faz tambem apr-
senla dclracao afim de previuir duvidas e respon-
sabilidade que possam apparecer n'esse sentido.
Recife, 12 de marco de 1866.
Jos Paulino daSilv-
Deeliracia.
Joaquim Eltas Maclel de Lyra e Alboquerque
Reg Barros, professor do Abreu de Una, declara
aos seos amigos-e collegas, e ao pabHco, em geral
qae, d'ora avante, assigoar-se-ha Joaquim Elias do
Albaquerqne Barros.
Em 9 de marco de 1866.

.




\



LM
.
mafafajHapwp***- i?yo m***.** m4 *m
Pernambuco, ra Nova n. 18 pharmacia franceza de
P. MAURER & C.

PERFUMERA da casa oger
Boixlevart Sebastopol, 56, I*ariz.
Dez medalhas, a condecorado da Legin
d'honneur e a grande reputacao que tem lhe
dado o publico, taes sao as recompensas que os
serricos prestados a industria merecerao a
esu importante casa desde na fundacao em
tso*.
N'um sortimento de mais de 560 artigoi,
as pessoas elegantes escolherao os seguintes:
ROSEE OU PARADIS, extracto superfino
para lenco.
POMMADA CEPHALIQUE contra a cal-
vicia.
AGUA VERBENA para O toucador.
OXIMEL MULTIFLOR.
VINAGRE DE PLANTAS HYGIENICAS.
TINTURA VIRGIN ALE de beijoim.
ROSEE DE LYS, verdadeira agua de
Jouvencio.
CREME LABIALE de sueco de Rosas.
pommada velours para amaar a
pelle.
ELIXIR ODONTOPHILE.
sabao dedicado as damas americanas.
SABAO de bouquet de Frasca.
d* de flores de alcea rosea.
d* de flores printanieret.
d* de bouquet do outono.
d* de perfumes exticos.
d* aurora, dedicado aos dedos cor de
rosa.
d de flores das montanhas.
d* de cheiro de foins nouveaux.
d* de bluets cheirosos.
d* de altbea balsmica.
d diapr, caixa rica, fantesia pari-
sieace.
CASA DE B.\i\H0S
26 Pateo do Carino 26.
Neste estabelecimeDto tao impor-
tante para a saude e asseio do cor-
po, acbam-se montados 20 banhei-
ros, que sao servidos com a ordera
e asseio que para desejar-se. Cua-
tro destes banheiros sao especial-
mente reservados para senhoras e
por isto acbam-se coHocados em la-
gar reservado, aonde s tem entra-
da as pessoas de urna mesma fami-
lia.
PREQOS DE BANHOS AVULSOS.
i banbo fro, momo on de
chovisoo...... 500
l dito de choque .... 1)5000
1 dito de farello...... liSOOO
i dito aromalisado 1 5.000
PRESOS POR ASSIGNATRA.
30 banhos por mez fro,
morno ou de chovisco. lOOOO
25 banhes com cartes pa-
ra os mesmos .... 1041000
12 ditos ditos ditos 30OOO
12 ditos ditos de choque. 100000
12 ditos ditos de farello.. 100000
O estabelecimento estar aberto
nos dias atis das 6 horas da ma-
nba as 10 da noite, nos dias san-
tificados das 5 as 5 horas da tarde.
ASTILHK
VERMFUGAS
SML W No sobrado da ra Nova n. 56, aluga-
2 se ou compra-se urna escrava que seja
5 perfeila engommadeira.
<*
Perdeu-se
O abano assgnado previne ao respeitavel pu-
blico que leudo perdido urna letra da quauia de
32bM sacada por Jos do Reg Mello e aceita por
Guedes Mello, por isso previne ao publico para
|ue nenhum pessoa faca negocio algom com essa
etra, ese algoera a liver achadoe < qnizer resti-
tuir techa a bondade de a levar a roa da Praia d.
37, armazem. Rerlfe 10 de marco de 1860,
Jos do Rejo Lima.
Antonio Luir de Olfveira Azevedo & C. tem
para vender no seu escrlptorio, ra da Cruz n. 1,
vinho do Porto em caixa de duzia, fio baroburguez,
cola da Rabia superior.
Joo da Silva Ramos, medico
pela universidad de Coimbra, d jj
consultas em sua casa das 9 as [
11 horas da manhaa, e das 4 as 6 I
da tarde. Visita os doentes em suasi
casas regularmente as horas para i
isso designadas, salvo os casos ar-1
gentes, que serao soccorridos em
qualquer occasiao. D consultas aos
pobres que o proco rarem no hos-
pital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da
manh3a,
Tem sua casa de saude regular-
mente montada para receber qual-
quer doente, anda mesmo os alie-
nados, para o que tem commodos
apropiados e nella pratica qualquer
opperaco cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe. .3i>000 diarios.
Segunda dita....3*500 >
Terceira dita .2*000
Este estabeleeimento j bem
acreditado pelos bons servicos que
tem prestado.
O proprietario espera que elle
continu a merecer a confianca de
[que sempre tem gozado.
HE KEMP,
NOVA YORK.
DE CORXHEIRO E SABOR AGRADAVE1S
Infinitamente mais efficazes do.que todos
os mais remedios perigosos enauseabundos
que existem para a expulso daslombrigas*
Nao causam dores e produzetn seu effeito
sera precisar logo depois de purgante ne-
nhum e taoincitantes em apparencia.e4eli-
ciosas em gosto, que as criangas eeto
pronjptasa tomar mais do que marca a re-
ceita.
Uteis como um excellente meio de faeer
remover as obstruyes do ventre, mesmo
no caso de nao existirem verme algum, as
PASTILHASVERMIFUGAS DE KEMPS SO prODlp-
tas einfalliveis na sua operacSo e por todos
os respeitos dignas deconfianca e approva-
cSo de todos os paes de familias. Prepa-
radas nicamente por Lanman 4 d,
Nova York.
Deposito geral em Pernambaco ra da
frot n.22 em casa de Caros & Barbn
Professora.
Em om engentio nerto do Passn de Camaragibe
(Alagas) precisa-se -de un a senhora que qtfrira
ensinar pxiui'-ir.is lauta* e mesinu Irancez e mus-
ca, ca>o saiba.: pretow-se solleia ou viuva com
pouca familia; a tratar na travessa d ra Relia
o. 6.____
Samuel Power Jobeston k Companhia
da SenzalaNova n. 4:
AC.EflCIA OA
dlco de Low Woor.
Machinal a vapor de 4 e 6 cavallos.
\loen Taixas de Parro coado e batido para eng-
nbo, \
Arreios d'- carro para nm e dous cavallos.
Relogios de o uro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descansar algodo.
Motores para ditos*
Machinas de costara.________________
Na eocbeira da ra da Roda n. 60, ha para
vender um excellente burro novo, grande, de sella
e cangalha e mnito barato.
Precisa-se de urna ama para casa de pouca
familia : na ra do Hospicio n. 6.__________
Na padaria franceza preclsa-ae de um cosi-
pbelro forro ou escravo.____________'
r/recisa-se de urna pessoa com as habilita-
qoes necessarias para ensinar primeiras letras em
um engenho perto desta praca, e mailo perto da
via frrea : quem se julgar habilitado dirija-se a
ra do Apollo n. 28, primeiro andar, que achara'
com quem tratar.
> a l s a p a i i i-TT"
X>E AYER.
Para a cura radical de
Escrfulas, ulceras, chagas, fer-
idas velhas, molestiai syphil-
iticas, e mercuriaes, Eafermi-
dades das mnlhere, como re-
tenco, menstro doloroso, ulcer-
acao do tero, e flores brancas.
A Nevralgia, Convulsdes, Eri-
sipelas, fcfennidadei Cutneas,
borbnllua, nascidas, etc.
O extracto comporto de SALSAFARILHA, confeccion-
ado pelo Dn. AYER, ama combinado dos mclhores depura-
tivos e alterantes conheddos medicina; i composto segundo
s lcis da soleada, approvado e Tceitado pelos prmeiros
mdicos dos Estados Unidos, da America do Sul, do Mxico,
das Indias e dos principies Estados da Europa.
A SALSAPAKII.HA de AYER especialmente efficaz na
cura das molestias que tem sua orlgem na escrfula, na
infeocao venrea, no uso excessivo do mercurio ou em qualquer
impureza do Sangue.
Entre todas as molestias que amigem o genero humano, nao
ha ama mais universal e terrivcl do que a escrfula; por si
nao tao destructiva, porem a- fermidadea que nao lhe sao geralmente attribuidas.
urna causa directa da tsica pulmonar do mal do
flgado, e estomago, affeecSes do cerebro, Jtheumatismo
e affeccocs dos Jtins : entre seos symptomas ha os seguintes;
Falta de apetito, Fraqueza e moleza em todo corpo; Mi
cheiro da boca, semblante plido e incoado, s vetes d'mna
alvura transparente, ontrai vezes corado e amarello ao redor
Os, boca; Digesto iraca e apetito irregular; Ventre incitado
e evacuaco irregular; Quando ataca os pulmoes urna efir
azulada mostra-se a roda dos olhos, quando no estomago
sao avermelha dos, as pessoas de disposiciio escrofulosa
apparecem frequentemente empelles na pelle da cabeca e o u tras
partes do corpo; sao predlspstas s affecetes dos pulmtes, do
flgado, dos rins e dos orgos digestivos e uterinos. Fortanto,
nao sao somente aqueUes que padecem dos formas ulcerosas
e tuberculosas da escrfula que necessitam de proteceo
contra os sena estragos; todos aquelies em cujo sangue existe
o virus latente Ueste terrivel flagello (e s vezes hereditario),
etto expostos tambem a sofirer das enfirmidadas que elle
causa.
Oflerecemos a estas pessoas nm abrigo seguro e um anti-
doto efficaz contra esta molestia c suas consecuencias, na
Salsaparilha de Ayer
que opera directamente sobre o sangue, purificando-o e ex-
pulsando deUe a corrupcio e o veneno da molestia: penetra
todas as partes e todos os orgos do corpo humano, livrando-
os da sua aecao viciada e inspirando-lite* novo vigor. E' um
alterante poderosissfmo para a reuovaco do sangue, e d ao
corpo j enfraquecldo pela doenca forca e energa renovadas
como as da juventude.
TAMBEM O MELlIOIt AVTISTPHIZITICO
CONBECIDO i
cura persaanenmente as peiores formas de 8YPHILI8 e as
suas consequencia. Pouca uecessldadc ha de Inforsnar o pub-
lico do inestimavel valor de um remedio que, como'este, flvra
o sangue dessa corrupcTto e arrebata a victima das garras de
urna morte lenta e Ignominiosa, porm lnevltavel se o mal
nao logo combatido com energa.
Nao pretendemos promulgar, ncm queremos que se innra
que esto remedio Infalive] para a curu de todos os padeci-
mentos humanos, o que dizemos que a
Salsaparillaa de Ayer
a melhor preparaco at ltoje deseoberto para estas e outras
molestias anlogas, que urna eombinafio dos alterantes
mais efflcazes eonheoidos, e que temos cousciencia de oflerecer
ao publico o melhor resultado que e possivcl produzir, da
intelligencia e pericia medica dos nossos tempos.
A NACIONAL
Gompanhia. geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
ATORiSDA PELO REAL DECRETO DE 21 DEftEZEMBRO DE 1859
Una lama dinheiro, depositado nos cofres do estado, garante a boa ad-
ministraco da companhia.
BANflBIROS DA COMPANHIA* DIRECCAO GERAL
O Banco de Heitpanha Madrid : Ra de Prado n. I
Esta companhia liga pelo systema mutuo iodas as combinaoies de supervivencia dos segu
os sobre a vida. ,
Nella pode se laier a subscripcao de maneira que em nenbum caso mesmo por morte ao
segurado te perca o capital nem os jaros correspondentes a eites.
Sao tao snprehendentes os resultados que prodazem as sociedades da ndole deA NACIO-
NAL, que arada mesmo dimlnuindo urna terca parte do interesse proctaiido em recentes liquida-
ces ecombiaaado-o com a raortalidade da tabella de Depareieux qae adoptada pela companhia
para seatcalcalose ltquida;5es, em segurados de idade de 3 ai9 anuos, urna mposicao annoa
de iOQa brodutveja eJTectivo metlico:
No flm de 5 annos.......1:1194300
i de 10 .......3:912*600
. de 18 >.......11:208*200
s de 20 >.......30:2864000
. de 25 i.......80:3314000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais considerareis.
Propect.e mais informales serao prestadas pelo sub-director nesta provincia,
oaquim Fiuia deSrtiveira, rna daCadeia n. 52, ou a Boa-Vista ra da Imperatriz n. 12, estabeleci-
mento dos Srs. Ray mundo, Carlos,Leite & Irmo.
A.TENCAO
Madama Millochau declara ao respeitavel pu-
blico e ajs suas regueas que iodas as modas de
sua casa provea de Parn ou a imUago dessas
sao confeccionadas por ella mesma e nao por outra
pesoa, essa declaracao feia para desmentir cer-
U seohora qu para adquirir fregueii vai ganan-
do-se tjue os chapeos e vestidos da casa de Mada-
ma Millochau sao fe i tos por ella.
=Doede 10 a 12:0004 a juros mdicos, com
bypotbeea em .predios ntta cidade, reeebendo-se o
premio de 3 em 3 raezes ou pela forma que con-
vier melbor a quem o precise : na rna do Crespo
n. 2 B, loja da esquina. ____________
** Na rna do Imperador a: 27, .precisase ala-
gar orna ama forra ou escrava para cosnbaF so-
mente._________________________________
Lava-se e engomma-se com toda perfeieao e
por prego commodo : na frrgutzia da Boa-Vista
no beocodo Tamb casa n. >.
Copeiro
TINTURARA
AO GRANDE S- MAURICIO
PROCEROS APERFEI^OAllOf
PARA
Tinglr, limpar e lastrar a vapor.
F. A. SAL
Precisa-se de um copeiro, no hotel Trovador roa
larga do Rosario o. 11.
Aluga-se o 1 andar do sobrado n. 7 da tra-
vessa da Madre de Dos ; a tratar na mesma nu-
mero 15. ___________
Precisase de urna ama forra ou captiva para
coziobar e comprar para casa de rapaz soiteiro :
na roa do Queimado n. 7.
Precisa se de offlciaes de ehapelleiro : na fa-
brica de chapeos da praca da Independencia os,
24 e 30.________'____________________
Precisase alogar ama ama para comprar e
cozlnhar: a tratar na ra do Apollo n, 9.
Precisa-se de urna escrava para o serviee in-
terno e externo de ama casa de pouca familia : na
ra da Soledade n. 38.
29 Ra 7 de setembro 29
Defronte da rna nova do Onvidor (Rio de Janeiro)
Os propietarios deste estabelecimento, o primeiro do seu genero no Rrasil, por
trabaihar com as machinas mai6 aperfeicoadas para tingir e lustrar, de que se faz uso na
Europa, eajudados por alguna dos melhores offlciaes de Pars e Lyo, podem assegu-
rar seu* freguezes urna perfeieao no trabalho, a qual senSo pode chegar pelos proces-
aos ordinarios.
Tingem, lavam, limpam e demofam com a mai r perfeieao e brevidade qualquer
qualidade de fazendas, tiram nodoas e limpam secco sem molbar as sedas e as vestimen-
tas de senhoras o de homens.
Antonio Jos Rodrigues de Sonza na roa do
Crespo n. 15, toma dinheiro para mandar entregar
na B.iiia, Para e Maranbo.
Carvalho Nogueira a ra doApollon.
20 sacam sobLisboa, Porto, liba deS.Miguel
Rio de Janeiro, a vista ou a prazo. ._______
Na ra drjVigario n. 21 precisa-se de duas
amas cozinheiras para hornera soiteiro.
Os senhores acadmicos do 3 anno podem
querendo, dingir-se a ra da Saudade n. 9 a' com-
prar o compendio de direito civil patrio, approvai
do pelo governo imperial.___________________
Precisa se de urna pessoa que saiba cosiuhar
bem; na roa do Hospicio n. 41: paga-se bem.
luga-se
REMEDIO DE AYER PASA SEZES
InfaJivel as febre inteimittentes, remitientes,
Fabrea Biliosas e teros, mal do flgado, in-
cremento do ba^o, cegueira. Dar nos
auridos a palpitaffiea, quando
aso causado* pelas
FEBEBS INTEfiMIITENTES, OU BEMITTENTES.
As preparaoofs de* Dn. Atkr o vendidas em todas aa
Batlaas e Drogaras do Imperio.
com asseio, promptidao e prfs razoaveis: na roa
Augosu n.K, loja.
y ra Bella n. 21 paga se SOI e mais se
| agradar, por urna ama escrava, para cata de pon-
1 ca farola.
i
Vende-se em Pernambuco:
na
PHARWACIE FRANCAIf
[i^
18
DE
FAZENDA E ROPA FEITA
HIJA WOVA M. 4.
Reg & Moora, proprietario da loja de fazendas e roupa feita, sita ra Nova
n. 24, verdaderamente penborados e reconhecidos para com seus amigos e freguezes,
pela aJeitacJo e confianca que delles tem merecido no curto espaco de lempo em qne
se acham estabelecidos e perfeitamente escodados na sinceridade dos seus tratos, decla-
ram para sciencia daquelles que o qaizerem honrar com seus officios, que, em vista da
orando r-nnpnrranr-ia ano lom mwooiJo o oau ostahp.lpf.impnlt, oepecidlmonto DO que
relativo a roupa feita; acabam de admittir para a sua oflicina de alfaiate maior numero
de artistas, inclusive o seu contramestre, dirigido pelo hbil mestre Lauriaoo Jos de
Barres, o goal nao se poupa a exforgos para satisfazer com a presteza possivel qualquer
obra de encolnmenda.
Os mesmos aonunciam aos seus freguezes que acabam de comprar um novo e
mnito variado sortimento de fazendas nas e de bom gosto, proprias para o tempo da
quarosma, as quaes esto dispostos a vender por precos muito commodos e mais barato
que em outra qualquer parte.
Gomo sempre escusamos essa enfadonha prolixidade dos annuncios bombsti-
cos ; preferimos mostrar na singeleza deste nosso convite os bons desejos que nutrimos
para bem servirmos quelles que vierem ao nosso reclamo.
mmmm mmmmmm
| Companhia ndelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Janeiro.
AGENTES EM PERNAMBUCO
Antouio Lnii de Olireira Aievedo & C,
competentemente autorisados pela dlrec-
8toria da companhia de seguros Pldelida-
de.tomam seguros de navios, mercadu-
ras e predios no seu escriptorio ra da
Crut n. 1.
mmmmmmmmm mmmm
AVISO AS VENDAS
Na fabrica de vinagre a' ra Imperial
n. l, prximo a estacao do eamniho de
ferro vende-se vinagre tinto superior em
qualidade a ontro qualquer e por preco
mdico, assim como branco e incolor.

0 Dr. Carollno Francisco de Lima San-
tos contina a morar na ra do Impera-
dor n. 17, segundo andar, teodo alias seu
gabinete de consultas medicas, logo ao
entrar, no primeiro.
O mesmo doutor, que se tem dado ao
estudo tanto das operagoes como das mo-
lestias internas, prestase a qualquer cha-
mado, quer para dentro quer para fra
da cidade.
Losinheiro.
Precisa-se de uro cosinhelro que seja escravo a
na ra Nova n. 60, armazem da Liga.
BOMBAS DE PATATE
Eua Nova n. 30.
Chegaram as n elhores bombas americanas do
melbor systema que ha, as.im como as pessoas
3ue pretender encauamentos para agua pode se
irigir a mesma lujaque tem sempre canos, chum-
bo, torneirae, choques, vlvulas ele.___________
O sr. Francisco Jos de FreitasGui-
mares, queira ttr a bcudade de appare-
cer na livraria n. 8 da praca da Indepen-
dencia.
Em casa de Theod Christiansen, ra do Tra-
piche-novo n. 16, nico agente no norte do Brasil,
de Brandenburg frres, Bordeaux, encontra se ef-
fectivamente deposito dos artigos seguintes :
St. Jo lien.
St. Pierre.
Larose.
Cbateau Loville.
Chatean Margaux.
Graod vin Cbateau Lafitle 1868.
Cbateau Lafile.
Haut Sauterues.
Chatean Sauternes.
Cbateau Lataur Blancbe.
Chatean Yquem.
Cague em tres qualldades.
Ateitedoce. Precos de Bordeaux.
" Trocam-se doas piwgem de iNossa
Senbora da ConceicSo e Santo Antonio, obra
perfeita vinda de Portugal: a ra da Ca-
deia n. 47.
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnisadora, estabeleci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercadorias e mobilias:
na ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Casa ?asia.
Aluga-se a casa da ra do Nascente n. 14: a
tratar na ra do Queimado, loja de Azevedo &
Irmo.
nm grande sitia na Cruz d'Almas ou Parnamel-
rim contiendo pelo sitio da Estreita tendo grande
baixa com capim para sustentar & a 6 cavallos,
soltas para 3 ou 4 vaccas, com arvores de fructo,
jardim na frente e aos lados, boa casa e banbeiro,
com casa independente para feitor, eocbeira e es-
tribara e ontros commodos mais : a tratar com
Manoel Pedro de Mello na ra do Livramento n.
38 ou no largo da alfandega n 4 ou no mesmo
sitio das 5 beras da larde as 7 da roanha
N. 0. Bieber 4 C., sucessores, sa-
cam sobre o Rio de Janeiro a vista ou a pra-
zo conforme se convencionar.____________
Precisa-se de um bom cepeiro para casa es-
trangeira : trata-se a' ra do Vigario n. 2, escrip-
torio.
Precisase de um bom copeiro para urna casa
estrangeira : trata-se a ua do Vigario n. 2, es-
criptorio. __________________________
Ama
Precisase de urna ama, para casa de rapaz
soiteiro, na ra do Queimado n. 39 loja de fa-
zenda.___________________________
"Predio para alugar.
Aluga-se o Io, 2 e 3 andares do predio a ra
da Cadefa do Becife n. 29; todos com commodos
para familia, sendo que o 3o andar tem soto, sobre
soto e um mirante d'obde se goza urna bella vis-
ta : a tratar com o agente Cordeiro Simoes, roa da
Cruz n. 57 ou no pavimento terreo do mesmo
predio n. 29.____________________
Na ra Bella n. 22, precisa-se de uro criado
de boa conducta, e que saiba cosinbar, para andar
com urna pessoa em viagem pelo mato, e garan-
te-se bom tratamento.
Offerece-se urna ama para comprar e cosi-
nhar para casa de hornera soiteiro : a tratar na
ra do Fogo n. 54.
Hotel de Italia.
Mmc. Ferro, proprletana deste estabelecimento,
avisa aos seus freguezes que contina a receber
passageiros e pensionistas, em quaolo nao effecluar
a venda do dito hotel; pelo que, as pessoas inte-
ressadas nessa compra podem dirigir-se ao mesmo
para os necessarios esclarecimentos. No mesmo
hotel precisase de urna ama que saiba lavar e
epgommar; paga se bem.______________
O juiz dos feitos da fazenda pode ser procu-
rado, para os negocios da vara, todos os dias uteis
na casa n. 16 da roa do Imperador, 1" andar.
Precisa-se de urna preta escrava para o ser-
vico de cas, e qae saiba engommar : na ra da
Cadea o. 27, 1 andar.
A.IYVUUUTfG"
19Ra do Imperador 79.
Deposito de joias fraocezas por atacado.
Casa em Pars e Bie de Janeiro.
Becebem directamente por todos os paquetes.
Aluga-se a grande casa da ra da Florentina
n. 20 com muitos o excedentes commodos para
orna grande familia morar muito folgadamenle :
quem a pretender emendase com o proprietario
na ra do Hospicio n. 50, das 6 as 9 horas da ma-
nhaa, e das 3 as 6 da tarde.
Na pra^a da Indepehdencia n. 33, loja de
onrlves, comprare ouro, prata, e pedras preciosas,
e tambem se faz qualquer obra de encommenda, e
todo e aualquer concert.
Predisa-se de urna ama para comprar e co-
zinhar : na ra larga do Rosario n. 21.
Dase dinheiro a juns : nos Coelhos ra dos
Prszeres o. 18, se dir quem d.
Precisase de ama ama de leite, paga se Lera:
na ra da palma juato o n. 24.
Precisa-se de um caixeiro para taberna : a
tratar na rna dos Acouguinhos b. 20.
.0 hospital portugoez de beneficencia precisa
de nm enfermeiro : quem se julgar habilitado e
quizer contratar-se dirija-se ao Sr. provedor An-
tonio l opes Perelra de Mello ou ao secretario Joo
Pereira Rabello Braga._____________________
Precisase de uro criado para cosinhar e
e comprar: na ra do Crespo n. 9.
Fi'U'o do ai*
no armazem da bola amarella no oilao da secreta-
ria da polica, recebem-se encommendas de fogo
do ar para dentro e fra da provincia.
Precisa-se de urna ama para cosinhar : na
ra do Imperador n. 46 armazem.
GARRAUX DE LAILHACAR d C.
LBRAME
Precisa-se de urna ama para o servico inter-
no e externo de urna casa de pouca familia : na
roa larga do Rosario n. 21, loja de calcado.
Precisa-se alugar urna preta de meia Idade e
gue sirva para todo servico : a tratar na ra Im-
perial n. 39, taberna.
Aluga-se um mulato de 13 annos de idade :
quem precisar dirija-se a ra do Cabuga n. 3 A,
loja de onrives.______________________
* Joseph Latham, socio gerente da casa
commercial sob a razSo Mills Latham e
C.a. tendo de retirar-se para a Europa,
faz scienle que a mesma casa continua seu
gyro commercial sem alteraco alguma sob
a direccao de seus bastantes procuradores
os Srs. rjenry C. Wrlls e John Roberts que
ficam munidos dos precisos poderes para
gerencia da mesma casa.
Recjfe, 9 de marco de 1866.
FRANQAISE
Roa do Crespo a. .
LIVROS NACIONAES E ESTRANGEIROS
ReligioPbilosophia Jurisprudencia Liltera-
toraSeieneias e artes.
Papelaria, objectos para escriptorio.
mmm:mmmmmmmm mmm
m DEPOSITO DE CALCADO *
W FABRICADO NA GASA DE DETENCO j&
Rna Xova n. I. $<
Ahi se encontraro obras Je di- gg
[ versas qualidades, e por preco mui 5
(w diminutos, a retalho e em poredes. w
Sr S se vende a dinheiro. |
Quem qufzer morar era um sitio de graca,
dando-se-lbe um pequeo qoarto, na Capunga no-
va, dirija-se ao mesmo sitio, que faz esirema cora
o sitfo da igreja nova.
t_
VISO
O clrurgio Joaquim Jos Aires de Albuquerque
mudou o seu consultorio para a freguezla de san-
to Antonio, ra Dtreita casa n. 13, onde pode ser
procurado das 8 horas da manba at as 4 da tar-
de. Pede encarecidamente a seus amigos e mais
pessoas que o procuren) na freguezia do Recife
que deixem os seus chamados por escripto na bo-
tica do fallecido Luiz Pedro das Neves, ra da
Cruz n. 24, onde sera encontrado at nma hora da
Urde.
Declara mais aue tendo sido por espace de 33
annos e nico profe.-sor da enfermara de marinho
desta provincia, leve sempre a seu cargo um nao
pequeo numero de doentes atacados da diversos
soffrimeutos, alm das operacSes per elle pratica-
das antes e depois da revoluto de 1849, qne em
1852 fra encarregado do lazareto da liba do Pina,
por occasiao da febre amarella, assim como em
1856 do hospital de cbolericos aa ireguezia do- Re-
cife, que os seus coohecimeotos profassionaes, ihea-
ricos e pratlcos adqueridos no decurso de la
annos em taes estabelecimento.*, o tiro hbilit
tratar de qualquer euferuiidade ; por isso esfera
qae continuara merecer a eslima confianca de
todos aqueles que quizerem qtlisar de sua pro-
Ossio.




-

I
'..*tk4*MHBa



w
V
m*ru +****mkmm- fwc *** i a Mareo de i&*6.
i
lv)





FABRICA A VAPOR
99 RA DO MONDEGO 99
Deposito na ra Xot n. 5 loja de reojoelro.
Deloache donos deste estabelecimento partecipa ao respeitavel publico que saa fa-
brica est moDlada oom as melhores machinas que existem na Europa, e que pode
fabricarcom melhor perfeicJo possivel. Todo obocolate desta fabrica est garantido, e
puro, o que nao se pode encontrar oaquelle que vem de fra, e que se vende per prego
baixo, visto os productos seren do paiz. Na etiqueta tena sempre urna aguia.
PREGO.
Meia libra.......... 400
Urna libra. ,........' 800
Urna arroba ........i 95000
Na mesma fabrica acaba de se montar urna oficina oom serrana a vapor para
obras de marcineiria propria para edificio, para o que encarrega-se de fazer portas, ja-
deUas, assoalhos (parqu franeez como se usa na Europa,) eannacoes, ludo com brevi-
Bade^e'pereicSo. Toma-se qoalquer eooommenda para fra da cidade, eatregando-se
prorapta a collar-se no lugar.


DE
COEIilfO Ra da Cruz b. i 6.
Continua a bavar diariamente um sortimento de pastis, podins, bolos inglezes,
empadas etc., etc. Os donos deste-estabelecimento, acbam-se nasmebores condicoes
de poder satisfazer eneommendas occernecles a sua arte, em consequencia do socio
Freitas ter sido administrador chefe de algumas das principes fabricas na corte, ndo
urna a do Sr. Joo Gonoalves Gnimares (confeiraria de Leo) antiga casa de Carceller.
Todos os trablbos s3o difterentes dos que se fazem-em casas particulares.
Os propietarios deste estabelecimento two se tem poupado adespezas, nem se
poupar5o, se boo ver cancorrenca como esperam ; tendo continuadamente bom sorti-
mento de doces para eb; presuntos e ditos em fiambre, tambem se recebem para se-
rem preparados; assim como doce -de caj novo superior, secce e crystalisado, dito em
calda em latas hermticamente fechadas, podeudo durar annos em perfeito estado.
Para jantares partidas recebem-se eneommendas dos seguintes objectos; ban-
deijas ricamente enfeitadas sem armaco pecas de amendoas (nogaces), ditas de tmaras
de ovos, pes de lo enfeitados com dsticos anlogos a qualquerfim; ditos montados,
kechs simples e enfeitados com frustas ingleza^ gatheaux de la reine, ditos de le d-
chese, tortas de fructa, massa folhada; ditas de peixe e carne; cremes e doces de ovos
de differentes especies.
Tambem temum-completo sortimento de viohos engarrafados, como sejam: vtnho
do Pono superior, Figaeira, Madeira, Lisboa, Cberez, Bordeaux, Champagne fino, ser-
veja, licores, charopes -e conservas. Para festas; bonitas caixinhas com amendoas, con-
feitos e mais enfeites. Muitos destes objectos mencionados podem-se perfeitamente ao
condicionar tanto para-a provincia, como para fra.
t FIGURAS
Acabam de receber bonitas figuras para bandejas de doces, sendo grupos para
baptisado, casamento, annos, dilta a pbantasia, bonitos enfeites para bollos e circular pra-
tos de doces finos, tudo por precos razoaveis.
Vende-se licores em duzia muito em conta.
Jos Coefho da Silva e Ai
nar paao : na roa do Livi
andan
PUNO.
jo contina a leccio-
ment n. ti, terceiro
, CUCADO.
45 tina Direita 45
A primeira condico indispensavel con-
servado da safide trazer os ps bem de-
- Manoel Caroelro Pinto declara aocorpodO ^r* 7 ,. a? i ~IX
assignar por' 'OMiiaos contra os ataques da uumidade;
coromercio que de hoje em diante se
Maooel Jos Carnelro Pinto. Recito l de mareo
de 1866.
COMPRAS
calgado bom e seguro o nico preserva-
tivo dessas mil enfermidades a que est su-
jeito o nossoeu. Um chnelo velho cal-
cado por um dandy patuscante, ou urna
j botina acalcanbada, em pequenino p de en-
; cantadora deidade alm de aecusar que-
Compra- ooro, prata e perts preciosas bradeira horripilante, prova contra as f^cul-
^/*nrieJ?"n;!!J[ai.!in^ d ReC e I Mes intellectuaes dos calcantes, enaoba
cja de oonves no arco da Conceicao. nnmn, #/,j .,,.._______ _
i_--------------------.---------je__-------jqnem, tendo bom senso, queira passarpor
Comprase carosso (sement) de algodo : no .nai|ir ^ _nh j cnrrSn eran rnr
armazem de algodo de Sauaders Brothers & C '",. P0Dre fle surrao ergO, C
no otes de Apollo.________________________ ra#* "* v
Compra-se um escravo que seja moco, sadlo
e sem vicio: na roa larga do Rosario n. 34, bo-
tica.
Compra-se ama casa de sobrado no aterro
da Boa-Vista ou na da Aurora : a tallar na ra
do Crespo i. 17. _______
Ouro e prata.
Em obras velhas : compra-se na praca,
dependeocio o, tt, loja de bilhetes.
da ln
Compra-se urna borra de ferro, iogleza ou
mesmo das antigs ; na ra Nova n. 31.
Libras
a 9,0800
*GcTDpram-se hoje : na praca da Independencia
lionero 81 _________
Compra-se a obra deCarvalho Metieres inti-
tulada Direito Cambial: na ra dos Coelhes n. 10,
paga-se pelo dopto do sen valor._____________
Compra-se ama-cas* no bairro daBoa-Visfa
ate tiOQuA : na roa Direila n. 43, loja.se dir.
Compra se urna escrava moga de *16 a 20 an-
nos, sadia e de mnito boa*condacta, o duas ne-
grinbas de Ka 11 annos, sendo tambem sadlas:
no Recite, roa da Croe o. 29.
""vendas
e atlendana a' barateza.
Ilomens. |
Borzeguin barcellonezes de lus-
tre e de porco 6^000
Ditos de Bordeaux .... 7,J000
Ditos parisienses de bezerro e
corda?3o....... 80000
Saprt5es de Nantes de duas ba-
leras rasas ....... 5)5000,
Sapatoa de lona, sola de borra-
cha. ....;... 2,5000
Ditos avelodados..... 10600
Ditos de tranca bons lotOO
Senhora
Borzeguins enfeitados. 5)5000
Ditos de laoo ..... 4^800
Ditos lisos 40500
Sapatos de borracha .... 4(5*100
Selleiros, corrieiros e segeiros I
Sola de lustre, meios grandes 20)5000:
E um completo sortimento de calcado fa-
bricado no paiz.
No armazem de lazendas
baratas de Santos Ooelb.o
Ra do Queimado n. 19.
Vende-se o seguinte :
Cobertas de chita da Iadia a 24400.
Lenco es de panno de llnho a t200.
Ditos de bramante de linbo de um so panno a
3*200.
Lencos de cassa brancos proprlos para algibeira
at0O0adazia.
Algodo entestado com 7 1|2 palmos de largura
a 14200 a vara.
Athoalbado de linho a 24800 a vara,
Dito de algodo a 24 a vara.
Goardanapos de linho a 34800 a duzia.
Pegas de cambraia de salpicos a 44500.
Lazinba abena de cores a 320 o covado.
Cambraia branca de forro a 34 a pega.
Fil de linbo liso fino a 800 rs. a vara.
Dito de dito com salpicos a 14 a vara.
Panno de linbo fino com 9 1)2 palmes de largo-
Boa Fama ra do Quei-
mad'.
Receben pelo ultimo vapor chegado de
Paris chapeos para menina do ultimo gosto.
Diademas aburados,
enfeitados con aljofares, pedras,
etc, para meninas e se obtuve.
A agafabraoca vende ln mies e modernos dia-
demas donrados, enfeitados com aljofares e pedras
proprias para menina* <> st-nhoras
Booilos cha^uzlnhos
de palba fina e avenenes para meninas.
Sao obras esta^ de que us bons pais de familia
se nao podem escusar de comprar, por faiere el-
:m I las parte do asseio e bom posto com qne trajam
suas bellas lllhinhas. A aguia b.-ai.ta tem o pra-
ur de ver que lao bellas e precisas obras foMm
devidamente apreciadas e compradas em seu nl-
ono. Os chapeozinhos, alm de seren d'oma pa-
Iha mui fina, sao de mui bonita forma e ultimo
gosto, enfeitados com toda aperfelcio: os aven-
taes, porm, sao de fina cambraia, guarnecidos de
babadinhos bordtdos; o que Ibes da muita graga.
Os precos destes, 54000, e daquelles, 104; e de
quanto sio ellts baratos conhecera o pretndeme,
que se dirigir a' luja d'aguia-branca, na ra do
Queimado n. 8.
vidillhos de cores ealjofares,
imitando a0, para enfeites de vestidas.
A aguia-branca na ra do Queimado n. 8 rece-
ben nm bello sortimento dos objectos cima pro-
prios para enfeites de vestidos, ele, etc., e est
vendendo commodamente.
Novidades.
Na Agula branca a ra do Queimado n. 8 rece-
ben diversos objectos de muitj gisto e inte ir a ir en-
te nevos, sendo :
Bonitos e delicados pentes dourados e prateados,
tendo entre elies alguns de filigrana obra mui per-
feita e de elevado gosio.
Ditos com chapa de madreperola.
Brincos de filigrana e oulras qualidades.
Fiveilas de dita e outras tambem de diversa*
qoalidades.
Cintos mui bonitos, enfeitados em toda a exli-n-
cao com caracteres duvados e pratt ano'.
Filets enfeitados com moedinhas d.iuradas.e lan
tejoilas, aljofares & &, sendo pan coque, e toda a
caneca, e ootros com plumas &--
Bonitas volias de jaspt com croies, tendo tam
bem algumas de duas cores.
Luvas e metas
de laa vegetal, para quero, solre de frialdade, pa-
ralesya etc. Vendem-se na roa do Queimado loja
d'Aguia branca n. 8.
Bandoline de roza
para segorar on conservar perfeitamente atado os
cabellos das senboras. Vende-se na ra do Quei-
mado loja d'Agnia branca, 14000 o frasco.
Enfeites pretos para vestidos
A Agnia branca recebeu novas enfeites pretos
para vestidos, sendo bicos com vidnlhos e sem
elles, trancas com pendentes de vidnlhos e sem
elles, cordao grosso tambem com vidnlhos e sem
elles ; assim como galoes e franjas de diversas Ur-
f;uras, fitas de velludo etc. como sempre os bons
reguezes encontrarao commodidade de precos nos
objectos que se vendem na loja d'Aguia branca roa
do Queimado n. 8.
Botes de vidro
'
Vestidos
Pcehincha sera Igual.
Chegou a loja de Paredes Porlo om bonito sor-
timento de vestidos detartalata de cores e brancas
qae-serve para partidas por ser orna pbaota-ia m-
leiraniente ta gosiu felo barato prego-dt 44 e
brancos r4?3w;'i.-t56'acabando-se : no armazem
da pona larga ruada Imperatriz n. 52, jontC' a pa-
darla fraBceza.
Cortinados.
Cbe^oa a teja de Paredes Porto um completo
soi tmenlo de cortinados ricamente bordados a
prego dt Jp4, ->5>i5 f 'i54 : na rna da Imperatri:
n. 52, porta larga junto a padaria franceza.
Kicas romeiras.
Paredes Prto recebe u pele ultimo paquete um
ortitnento de romeira de ^nipure pretas e de fil
a prego con.mudo : na ra da Imperatriz n. 52,
porta larga junto a pa-taria franceza.
O
Cortes de laa escocesa para vestido a 34 o cor-
te : na roa aa Imperatriz n. 52. loja da porta lar-
ga, junto a nadara franceza, esto se acabando.
Para luto.
Las pretas com salpicas brancos a 400 e 300
rs, o covado : ua ra da Imperatriz n. 52 julio a
padaria franceza armazem da porta larga.
10400
Chapeos de sol.
Vendem se chapeos de sol de i anno a 14400 e
nma grande pechincba so para acabar : na roa da
Imperatriz n. 52 armazem da porta larga de Pare-
des Burlo.
A 1$500.
Vendem-se pegas de trsnga prcia para enfeites
de v,.ii(i(is, scutembarques, capas de senhora a
; 14600 em 10 varas, urna pranae pechincha : na
roa da Imperatriz n. 52 junto a padaria franceza.
AQUA

Acabam de receber G. Paes do Amaral & C.
S RA DO CRESPO 5
Antiga casa de Gallherrae da Mitra ulmares
Ricos cortes de vestidos de gros-de-naples preto, com lindas barras bordadas.
Moire-antiqoe preto em cortes e em pecas, liso, ondeado e com palmas.
Gros-de-naples -preto, de diversos prejjoi e larguras.
Gorgorito preto, fazenda superior a todas pela qualidade, e bonito tecido.
Este estabelecimento
acha-se sonido com numerosa guantidade de filos pretos, de algod), de linho e de se-
da, manufactura !os em
ckales
retondas
algerienes (bournus)
aaamites
africaines
pompadour
DE FANTHASIA
PARA 1866*
Acabam de sabir luz as foihinhas de
algibeira e de porta.para o aono de 1866, o
mais correctas.possivel tanlo no calculo das
las -e eclipses, como as diversas festas
que -a igreja celebra; vendem-se nicamen-
te M lrvraria da praca da -independencia, ra pelo barato prego de 24400 a vara.
160ris as de,porta e 320 ris as dedgi- r Madapoioes finos a84, 94,,io#, i!* 24-
kpira i Cambraia lisa de 44960, 34, 4, 74 e 84 a pega.
Deira-______________________| Pecas de bretanha de algodo com 10 varas, co? enre'te,i d a5 n0..c!n5;
Vesde-se sai^rpsso : a itar ua ra da Ma' propria para saia, pelo baratissimo preco de. ,sst
dre de'Deos n. 2. 34500.
Laazinha lisa de cores a 500 rs. o covado.
Cambraias finas de cores miudinbas a 360 rs. o
covado.
Esleir da India propria para forro de sala de
4, & e 6 palmos -de largar, per menos preco do
que em outra qoalquer parte.
Neste armazem tambem se encentra um grande
sortimento de reupa feiu e por medida.
(ge-
o
Vende se nmcabrlolet americano de duas re-
das de Aalancin e esberta, tudo em perfeito estado,
quem pretender dirlja-se a coffeeira do Sr. CUjidio
Dabeex>que achara' cora quem (ratar.
Vende-si1
^
Csses botoes que tanto servem para melhor se
poder eofeitar um bom vestido preto ou de cor.
acho se a venda na roa do Queimado loja d'Aguia
branca n. 8.
FAZENDiS BAnATAS
N. 27 Ra do Queimado N. 27
GRANDE PECHIMP.
''.mbraia brancaparaibrro a 240 e 400
i 2,5(900 e
Aspas fortes para boles.
Na roa do Queimado loja de miudezas n. 16, ven
de-se aspas de ac fortes, e de dilferentes larguras
para baldes.
Bonitos quadros para retratos.
Vendem-se na ra du Queimado loja de miude-
zas n. 16, bonitos quadros con mordura preta e
donrada, todos por precos rasoaveis.
Garrafas brancas
e de cores com superior agua da colonia.
Vendem-se na ra do Queimado, loja de miude-
zas n. 16.
Novo gosto
Pentes, fivellas, e brincos de felierana.
A amiga e bem conbecida loja n. 16 na ra do
Queimado, recbeu um sortimento de diversos ob-
jectos de novo e bom gosto, sendo pentes brancos e
dourados de moldes enteiramente novos e moi a-
emdavoia, tendo euiie elles alguus de filigrana obra
de mnito gosto e deficil execocao, e bem assim fi-
vellas e brincos as mesmas cirenmstancias..
Tambem recebeu alguns clnios o qne de maif
moderno e bonito, se pode encontrar em tal genero.
Alm disso encontrarao os pretendenles um com-
pleto sortimento de fivellas de madreperola, ebria-
tal, tartaruga, e dourados, brincos de cbrislal, e
jaspe, voltas e cruzes de dito e muitos outros objec-
tos de gosto, os quaes continua-se a vender commo-
Missuigas miudoti, aljofares imitando m




acoe vidifJJios deceres
para enfeites de vestidos; vende se (do isso por
precos razoaveis na ra 4o Queimado n.l oja 16,
de mjodas.
iiicfaa
Superiores bales de reos a 3 VE\E-St

Receberam tambem bonitos cortes de popeline de listras de cores, e mateadas,
muito modernas, de gostos inteiramente novos; e outras muitas fazendas de gosto, rin-
das pelo ultimo vapor
, P. DO IMIKAL 5 RA DO CRESPO 5

DE
DE
J. VIGNES.
St. 55. RA DO IMPERADOR X.
56.
nma coebeira na roa de Sanio Aaro
n. 4, com. .3 carros e orna calessa m
perfeito estado com todos os arreos
perteoceotes aos mesmos bem como 20 cavaMos
ja ensinado", : quem pretender aclara' com quem
tratar na dita cocheira._____________^^
Vende->se ou peomutta-se poralguny ;. avara,
caza terrea desta cidade nm sitio de trra, Lencos bancos para algibeira duzia a
no logar do Loreto, eom arvores fructferas 2)5000 rs,
quasi todas .novas, e grande poco de cor K Retondas prota* a 9$000
quemo.q*i*ji u (jicicnuj un ijd-Mi o puieu riml.a moroalina de cVjrca
de S. Pedro A.J4 que achara eom quem vestidos o covado a 300 r,
tratar.________________ i Moreantique preto superior a
Vende-se o engenho Carneiro, situado na ^9^00 O covado.
regneiia de Setiaaem, comarca do Rio-Formoso, | Grande sortimetrto de grosdenaplesprelo
rooente e correle com todas as obras no melhor para todos OS precos
^^^^^^^^ttl ^tondasdeseda r^kna. a.gerinasp^a
pretendentes dirijai-e ao pateo da Carmo o. 15, a senboras.
tratar com Gabriel Antonio. Guardanapos para meza a TR^OO rs, adu-' daeDle-
Penentes de madreperola, e enfeites filets
A loja de miqdezas na ra do Queimado n. 16
recebeu bonitos pentes com chapa de madreperola'
e novos enfeites filets ornados de lantejoas dou-
radas, moedinhas, aljofares, vidrilbos fie. tendo
grandes para toda caneca e peqoenos para coque,
regulando os precos de 24 a 44000 rs.
B mitas caixinf-as
com arranjos dourados paraj costura, tendo com
msicas e sem ellas. Vendem-se na ra do Quei-
mado loja de miudezas n. 16.
Trancas pretas
com vidrilhos, e bicos com ditos e sem elles para
enfertes ou vestidos.
Ka ra do Queimado n. 16 loja de miudezas a-
charao os pretendentes um bello sortimento dos
objectos cima ditos, cascarrnhas, franjas etc. etc
e tudo est sendo vendido por precos commodos
Botes prelos
de vidro enfeitados o'aco.
A loja de miudezas n. 16 roe do Queimado
vende mni bonitos botoes pretos de vidro com en-
feites de ac, os quaes muito se uzara paraenfeltar
vestidos, quem os pretender pode dirigirse a dita
lojk n. 16 roa do Queimado.
Vendem-se na loja de miudezas
ama do anelmado n. 16.
Bonitos leques de sndalo e outras qualidades. I
Bonitos cintos com fivellas de diversas qualida-
des e moldes.
Brincos e crozes de crystal.
Abotoaduras de dito para coletes.
Bonitos port-relogios.
Delicadas caixas com msica e sem ella para
costura.
Agalhas e linhas para chrochel.
Retroz superior em carriteis.
P.-ndas pretas e bicos com vidnlhos.
Pilas de velludo com listras de cores para en-
feites de gorros e vestidos., ,
Ditas de grosdenapoles, Usas e lavradas, brancas
e matizadas.
o grande arma/ern da ra do Apollo n. 38 e 40,
proprio pana um armazem de .assucar ou prensa
, de ajgodao era ponto grande, por ter 6 portas de
| frote com oaais de 67 palmes de largura e 300 e
i taniespaIrnos de comprironto, tudocoberto e so-
,, I re arcadas ara comodidade dos compradores
.\ende-se a i&berna da ra da Guia o.M pro- se vende com o prazo de 2 annos ou oque se con-
prm para principiante, e o motiva se dir ao eom- veoeioaar ama-nez que sfja com seguranca e pa-
prador.
gando-se peja damora um mdico juro ; as pes-
soas a quem convier esta compra poderSo enten-
der se com Antonio Al ves Barbosa na ra doeGua-
rarapes n. 78.
Laniljolas.
A loja da Aurora, na ra larga do Bosario a. 38,
recebeu fortimento de lantijoias multo delicadas e
proprias para qoalquer enfeile, assim como tam-
bem recelieu luvas de iouvio brancas e de cores
para hornera e senhora, muito frescas, cuacadas
pelo ultimo vapor, ludo uto na loja da Aurora Madre deJ??' *gSfJg2 a
a do osario n. 36. Graude pechiacb de madapolo com
Qnei{ do serto
Vende-se superiorqueijo do sertio : na ruada
igreja.
Vendem-se garrafas e botijas vasias e lava
das : na rna da goledade n. 38.
Vende-se om excellente piano de Jacaranda
avaria
irto vende urna grande porcao de ma-
iado, fazenda de 104 e 124 a peca, a
qoasi novn e em pereito estado,, no armazem de 64-500 e 74 com pequeo toqo : oa roa da Impe-
leuoes dobr. Americo ra da Cailea do Recife i ratriz n. 5% armazem da porta larga Junio a pa-
daria franceza.
Vende-se e faz-je todo negocio com o depo-
sito da roa do Vigario n. 29, muito proprio pera
tratar com o mesrao senhor.
Farello
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje asss conhecidos para que seja necessario insistir sobre a
ua sBperridade, vantugense garantas ue offereeem aos compradores, qualidades estas incontesu-
^t que altes tem definitivamente conquistado sobre todosvw que tem aparecido nest praca -nl-
lUindo om .teclado e macbnismo que ohedcem todas as vonUdes a caprichos das pianistas sem
nunca faltar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos Imno'rtaru
t'ilmos para o clima deste paiz ; qnanto s vozes, sao melodiosas e flautadas, e por isso muito aerada
vjs aos oovidos dos apreciadores. ~ *e|au-
Fazem-se con/orme as eneommendas, tanlo nesta fabrica como na do Sr. Blondel. de Paris socio
correspondente de I. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exoosicaes
No meamo estabelecimento se achara sempre om xplendido e variado sortimento de mosteas dos
melborea antores da Earopa, assim como harmnicos pianos tarmonieos, sendo tudo vendide or
preeos commodos e razoaveis. uuki por
em saceos grandes a 40500: nos armazens
de Tasso Irmos.
= Veode-se ceblas a 500 rs. o cento : no pa-
teo do Tergo n. 21.
BOA EiNGOMMADEIRA. \ "\
Vende-se orna boa escrava, eogomraa e lava
perfeitamente e tem algara principio de cozinba S
represenu ter 30 annos de idade : trau-se na ruai
Nova, loja de miudezas dos Srs. Antonio Pedro de/1
Souza Scares & IrmSo. 7]
BOMTA PECHINCHA
om principiante que
j com pouco diobeiro ;
, tive da venda.
queira principiar sua vida
ao comprador se dir o mo-
Chales de renda pretos.
Vende se chales de renda preto a 45000, ao loja que pode vender na ruada Imperatriz n. 'Vi-
armazem da porta larga, de Paredes Porto.
i
I
Grande armazem detin-p
I tas medicamentos etc.
Roa do Imperador n, 22.
*tlortt> Pedro das lleves
rente) tena a venda
Hk segnlnte:
I Productos chimicos e| pharma-
B ceuticos os mais empregados em
kg medicina.
H Tintas para todo o genero de pin-
i tura e para tintoraria.
gt Productos induslriaes e tintas
|K Para flfres, como botes de flores
B e modelos em gesso para imitar
S frucias e passaros com o compe-
B tente desenho.
H Productos chimicos e industriaos
Wl para photograpbia, tinluraria, pin-
jP tura, pyrotecnia etc.
m Montado em grande escala e sup-
le prido directamente de Paris, Lod-
B dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa
l pode offerecer productos de plena
< conanca e satisfazer qualquer en-
^ commenda a grosso trato e a reta-
i* lbo e por prego commo'I'1. ,
Attenc^o l
Af tencio!
Atiendo!
Oraiide sortimento de fazendas pro-
prias para a quaresma.
""f fn(,8ar este novo estabelecinnntc
um grande e variado sortimento de fazenda* oro-
pnas para a quaresma, a saber :
Gr sdenapi. s preto a ls6Q0 o covado.
. .e'^um praDde tonimento d grosdena-
ple a 1,600, i*800 U e 2S00 o covado ; d"
muito Menor a i-3800 e_3 : na ra da Impera-
triz n. 72. loja de cuimares & IrmUo.
Moriaolique preto a 2A800.
a 5uu, J e 3o00 a covado.
Chales de renda pretes a 8000.
Vende-se tambem um variado sortimento de" cha-
i l ^ %' 9?30O,fl iU ; dUos mD1Cl *>
20000 S faZeDda muit0 5a a
Retondas pretas a lOtf.
inef^m'5e relonoas Prelas pelo barato preco de
ra da ImneratriT n. 72, |0ja de
2d000 0
Brides e picadeiras de ipeJHca M
Vendem-se a ra do Queimado loja de yg,
Awvedo t Irmao.
mmmmmmmmmmmm^
PAO llf SENTEIO
COIares Rojcr ou colares ano-
Contina haver pao de Senteio nos dias qoartaa ,. dlnos
para facilitar a denticao das enancas e preserva-
las das convulsoes.
I#500, lengos pa do Rosario, taberna da esquinan. 50, rua~ova 'x-?,.'?'1* resnltado obtido immensas vezes pela
meninas, au- armazem da Liga, ra da Imperatriz, "taberna do fg*?0M for5a ">*goeca dos colares Rover, nos
PECHIXCIJA SEN IGUAL
.,i%^I!Ld^A^or*?e^ip/e^-t?,,c"dMP,r*tertMo com 13 met'i>*
ou 18 a 20 covados cada corte, larjtora de chita franeeza, pelo baratissimo preco de S0
cada corte: na loja das columnas da roa do Crespo n. 13 de Antonio Correia de Vascon-
celos & t.
de cambraia de cor para meninos e
zia 1^200, chales de linho tinos a 73, 82 l e
m, retondas de linho Unas, ultima moda, a 85 e
t, grosdenaple encarnado, covado 1J8OO e ti
dito com duas lanruras, covado 2800 e 35, e ou-
tras muitas fazendas proprias para a qoaresma : !
na ra do Queimado ns. 43 e 45, lejas pintadas de
amarello, na esquina que rolla para a
gacao
Sr. Lemos n. 34.
. Vendem-se 400 pedras para ladrilho. viDdas
dajlha : a tratar na roa do Vigario n. 14.
CARNAUBA
______ Vende-se cera de carnauba mais barata do que
Vende-se por junto ou a retamo ot.nvno sil*) S" ou,ra qualquer parte : na rna da Madre de
no principio da ra Imperial juoto a fabrica do vi- Peos 5.
nagre : para tratar na ra do Imperador n. 43.
.a7Qnn<,e,'SeU? T'800 M raa Progresso,
tendo 30 palmos de frente e 380 de tundo existe
no mesmo meias aguas novase bem constru"
das e nma excellente cacimba com agoa para be-
ber, a qual rende de 332 a 43; a tratar na roa da
Conceicao do bairro da Boa-Vista n. 56.
Vende-se a tabernaBsita nV~
Ama.
Preclsa-se de urna ama para
no e externo de urna casa de
rna do Torres n. 14,2* andar.
o rvico interno
pouca familia : na
mm
Qnem tiver para alugar urna ecrava que
cosinhe e eogomme, apparega a' ra do Trapiche
n. 44, sejooo aodar, on aDQUOcia para ser pro-
curado.
Joo PereiraJNsdrozo de Lima & lrmaos, com-
praram a taberna da ra d) Cotoveilo n. 49, ao Sr.
Jos Paolin>da Silva, se alguea se julgar com
direito a ella, dirija se a mesma no praso-de 3
ias, flndos os quaes nao sj attender reclama-
jae, Peroambooo de mjrso de 1866.
- ra dos Coelhos
n. 3, propria para um priocipianlo, por ser de pou-
eos fundos, bem collocada, e ptnuda de novo
tratar.na ruada Madre de euso. 32.
Vende-se a proprledade ViracSo.
Grande pechiucha
Em chas.
A meia pataca.
A niela pataea.
A meia pataca.
Vende-se na loja do pav5o um'grande sortimento
ae chitas inglezas, sendo rxas e cor de rosa, com
a padroes mala mindos e mais grados, afflancando-
se ser de cores tizas, e vende-se pelo baratissimo
Pr.eC<> de 62 a peca, tendo 38 covados, e reulha-se
casos de convulsoes, e denticao das enancas, tem
altamente elevado o seu bem merecido prestigio,
e boje j se pode direr que estao geralmente con-
ceituados, e estimados de innumeraveis pais de
familias: de ons porque do uso desses salutares
celares viram salvos ao perigo seus charos fllhi-
nnos, e de outros porque colheram daquelles to
proficuo exemplo para igualmente preservar os
eus. Assim, pols, a aguia branca, tendo em vis-
tas a ntllidade eproveito desses prodigiosos cola-
res anodinos ou Royer, mandan vir o novo sorti-
mento que agora recebeu, e continuar a recbe-
los para que em lempo algum a falta delles possa
ser funesta aos pas de familia, os qnaes ficarao
certos de os acbar constantemente na ra do Qaei
tnado, leja d'aguia branca n. 8.
.2 : na ra da Imperatriz
Guimaraes & Irmo.
Grande pechincha panno preto
covado.
v.J. 'JS pa prel Proprio para calcas e pa-
i%?L\XSS covado ; muirs preL
a 12800, J, 22400 e 22500 o covado.
E muito barato corles de casimira a 3S00.
uVaSS?1 rtPS de cl!!!"raira P^ta a 32500
# e 4*500 ; dita muito fiua a 62.
Admira cortes de .iui d creo-^
1,280
k-Y5denB"5e c8,,es de brim de cdres Para calca a
i280 1*600, 1*80!) e 2* : na ,Ua da Imperatriz
a. it, loja de Guiiiiarc? Irmo.
E'baratissimo a i 20 ris o covado.
\endem-se riscadinbos muito piopnos para rou-
pa de escravee, a 20 ris o covado; ditos escoce-
zes mo.to fios a 240, 280 e 300 ii; o covado.
L5azinh?s a 3oo rs.
Laazmhas de quadrinhos a 300, 3i0, 360 e 400
rs. o covado ditas muito Anas a 500 360 : na
n da imperatriz n. 72, loja de Guimares & Ir-
Crtes de 13a a 5^000.
Acaba de chegar a este importante estabeleci-
mento um sortimento de rtes de laa que se ven-
de por 5* e 5*300; ditos a Maria Pa. fazenda
muito naoderna a 12*, 14*, 18* e 20* ; ditos com
camisinba, cinta e grvala a 25* e 28*.
Chitas francezas largas a 260 ris.
n eSldJS"s|aSm ?nde rorllneio de chitas a 260,
; *n afl, -f360 rs> covado ; diIas Podares
a 400, 440 e oOO rs.
Cambraias de cores
covado
a 280 rs o
legTa mata e US, miS J'1'^ ? o.160 "sendo '"end* Pe sempre 'se ven u a
c^dnn,ilmH,,,0.prp,,0 Par*-P|aDU- 9* Peca ou se retalhou a 280 rs.; esta grande
varzeas, acrescendo ter op
timo cercado ja desmamado, muito perlo da es-
U5ao da via-fej-rea de Gameleira : a entenderse
con Bartbolomen do Reg Barros, no povoado de '
zem do pavao, roa da Imperatriz n. 60, de Gama &
silva. -
TS"
- Na ra da Prata n. 10 vende-se
GAZ.
or caz existente no mercado
ou no
o me-
yeDd? se """traas francezas a 280,300 320,
360 e 400 rs. o covado.
Cambraias lisas a 3.000 s. a peca.
Vende-se um grande sortimento de cambraias
lisas pelo barato prego de 3*. 3*500, 4*. 42500 e
o* ; ditas muio Anas a 3*300 e 6*; ditas victoria
a 6*500 e 7*; ditas de ama vara de largura a 8*
e 9* ; ditas pira forro a 1*600, 2* e 2*200 na
ra da Imperatriz n. 62.
ROUPA FE1TA.
Vende-se um completo sortimento de roopa fei-
ta felta. assim como sejam [.alitots, calcas, coletea
I TU! ^^""i a 60 U800 ; ditas floas a
1*200,1*400 e 1*600, de llnho a 2* e 2*500 : na
nu da fanperitni n. 72, loja de Gnimares i Ir-
n j ir i i tx ~ vende-8e urna capa de gorgnrSo roa
Kua ta Madre de DeilS n, 5 5m.rrjUlt'>bom estado com murfJ, propria
Em casa de Kabe Schmettau
roa da Cadeia n. 18, vende-se:
Cbampanha.
Cognac de superior qualidade.
Vidros para espelhos de lodos os tama-
nhos tudo a precos muito commodoe
Pa relio

Saceos grandes farello dovo.
dairmandade dasChagas:
n. 4.
na ra da Roda



Diario 4e *ermo%< ~ *ei^a *
PARA Jl QVARBS1H A
Chegaram a loja de Augusto Porto & 0.
11Ra do Queimado-i\.
Superiores cortes d seda p#ta.
Moireantiqae preto de flores e de listas bellos padrees.
Grosdenaple preto de diversas largaras e qualidades.
Retoodas, bournns e chales de gaip e de rendas.
Pannos pretos, casemiras pretas, bombasinas.
Laas, canto, merio e selestrinas pretas.
Lindas manUs-de seda para pescoco.
Ricos cortea de seda de cores para bailes on casamentas.
Ricos cortinados bordados dos mais bellos desenos.
Moir branco, seda branca, capellas e mantas para noivas.
Bellas colchas de seda e de la e seda para cama de noivas.
Saias de floissima cambraia ricamente bordadas.
Faiendas de pregas para saia que se faiem con urna so costura e lambeta tem
o corda teoido.
Madapolao (raneena 400 e 480 rs. a vara.
Alcatifa de Itabo para salas e gabinetes a 480 rs. o covado. .
Fazenda especial de qaadros para fazer redes, a JSo a vara.
Superiores esteiras da ludia para slas.
41Ra do Que lina do11
com
CORTES DE SEDA
Chegaram pelo paquete ingler riqusimos cortes de moreantiqae de cores, e seda lavn P*~
Mm inteiramentenovos. KA,.ft .
Seda de quadros por 10000 o covado
5RA DO CRESPO-5 M
Gregorio Paet do Amaral ** Componala.
HOVOS WEERTES
" DOS
5ERES GRANDES
\mmm de molahdos
DENOMINADOS
PROGJifiSSJVQ pafco do Carmo n. 9
UNIO E COMMERCIO ra do Queimado o* 7.
VERDADEIRO PRINCIPAL loa do'imperador o. 40
DUARTE CARVALHO PERIRA C.
Fazem sciente ao respeilavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
Ienhos, lavradores.e maispessoas 4o centro, que para mais facilitar suas compras deli-
beraran! os proprietarios os i tres grandes armazens, reunir todos- os seas estabeleei-
' meatos em um so anauncio, palo qual o preco de um sera de todas, promette-
doos que oo infringiremos, a. tabella que abaixo vai publicado, annunciar os gneros
por um preco, e na occasiao da compila quererem por outro, como socede constante-
mente em outras muitas casas, poim nos nosso* ertabelecimentos nao se dar isto
anda mesmo cemprejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
serao tam'iem servidos cooao viessem pessoalmeate fazendo-nos o favor de mandrseos
pedidos em cartas feixadas; para-e vtor qual.quer engaos, remetiendo nos urna conta
,pfila qual se ver os preces, tal qtial onunciarmos, o que sena o arrepender pessoa
aiguma que fizer sua des penca em nossos estabelecimentos; pois poupac mais de
5 por cento na sua despeza diaria. \

Gros de aples preto a t&OO, 10600, Ui W. 3^00 e-tf o corado.
Gorguro preto de superior qualidade a 2*500, 20800, 34>eU o co-
ad' Superiores moreantiques a 20500, 20600, 30, 30500, 40 e-HWW
covado.
Bons cortes de moreantique.
dem de gorguro adamascados.
Bons pannos e casemiras.
Sup riores alpacas, princetas, merinos e bombazinas.
Bons villudos preos.
Grande variedade de chales de fil preto e de guipure a 50,
100, 120, de 160 a 20$, e de 250 a 800 cada um.
Superiores retondas-de fil preto e de guipure a 80, 100, 129 e tty, i
e de 300 a 600 cada urna. .
Superiores algerienes de fil preto e de guipure de 120 a 25*, e ae
300 a 600 cada urna.
Boos chailes de seda preta.
Ditos de Merino preto bordados e outras muitas fazendas pretas que
seria enfadonbe enumerar, na
IiOJA DAS COtmWBSM
DE ANTONIO CORRElA DE VASCONCELLOS & C.
BIJA DO CBESPO W. 18
MJLMTEIGA
Manteiga ingleza perfeitamente flor che-
gada ltimamente a l,ooo rs. a libra, e
em barril tena abatimento.
Manteiga franceza da safra nova, a 8oo rs.
a libra e era-barril tera abatimento.
BANHA
Ranha refinada superior a 64ors. e em
barril ter abatimento.
Cha uxim de primeira e supenaMpialida-
dea258oow.
dem hyssen o melhor neste genero a
2,6oo rs., e sendo em porcao ter abatimen-
to, tambera ha proprio para negocio de 2 a
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de l,8oo a,2;5oo rs.
a libra.
BiSCOHtOS
Latas com superior biscoato ingles de di-
versas marcas a l,2oo rs. a lata.
Bolaehluhas
Latas'com*oiach'ibas da acreditada fa-
brica doUeato Antonio, proprias para dar a
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata. ,
dem com quatro libras de bolacbinha de
soda a 2,ooo rs. a lata.
Queijos
Queijos flamengos chegados pelo ultimo
vapor de 2,3oo a 2.5oo rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespaahol a-l,eoe el^oo rs.
a libra, francez e suisso a 1,ooo rs. a libra
eporragn'Sa"OD,rs: a-libra, em porcae
ter abatimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais- Medi-
tadas marcas, comosejam: Madeira-Secca,
Duque do Porto. Valbo Secoo, Lagrimando
RA DO RRUM W. SS.
0 proprietario desie estabelecimento deseja chamar a attencao dos senhores pro-
etarios aos aere litaos mechanismos que continua afornecer ; os quaes garante ser,
da melhor qualidade possivel:

pr
;.omo sempre
Machinas de vapor
As menores sao mui proprias para
tara cima. As menores sao mu prupwai y-.- motore sde
V arocamentosde^do; as maiores para moer canna; ha tambem que podem junta
u seSSmoeV canna e descaro^ segundo suas proporces. Estee vapores
stmSMimTna c Sslraefiao, e se regem por qualquer pessoa inteligente, a fac.da-
, e .1 ?ond3 sendo especialmente considerada, tanto que nao ha lugar em que n5o
SSSSE& qur por trra, qur embarcado Ha com moeudas juntas ou sem
eiias e podem-se appiiear a qualquer moenda ja existente semrata
mudanca do que
Las da almanjarra. Ellas "tem depsitos d'agna e boeiros de ferro,
na) i recisami para o seu assentamento de obra aiguma, qur de carapma, quer de al-
xm 0ISnp?para assenta-las nao excele de doze dias ao mais, e em casos de
l^^m^inmSS^^^st^k etc., garant-se.o assentamento em
rito d as Sra-se ao senhores de engenho que a venda dos an.maes e o serv.co da
te oLpadrno%eu Stamento osho de recuperar da maior parte da despeza do
S deixando-lhes a vantagem de urna moagem certa e accelerada
despeja da compra continuada de novos an.ma9s. com os desgostos
se tem com elles.
Radas dagua de ferro, mu maneiras e
dagua.
Vinagre
Superior vinagre d^ MdtaM a Sjaoo rs. a
caada e 280 rs,. a garrafa. Tambem ha
mais baixo para 2oo rs. a garrafa e l,4oo rs.
a caada.
Azeite doce
Superior azeitedoce de Lisboa a 7oo rs. a
garrafa e a 5,5oo rs. a caada.
FUMO CAPOBAL.
Latas tom superiorftmo caforal a l,8oo
rs. a laia.
PaMtas
Superiores pastas a; 2,5oo e quarto e
9,500 m; a caixa de arroba hes^anhola e a
56o rs. a libra.
CELEBRA
Genebra delaranjaverdadeira a lo,too
duzia e l,ooo rs. ao frasco.
Genebra de Hollanda verdadeira a 6,000
rs. afiasqueira e a 56o rs. o frasco.
Idom de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da ums.
Garrafoes com 24-garrafas de genebra de
Hollanda a 8,000 rs. o garraflo. Tambem
ha garrafoes com 5 e 14 garrafas de 3,2oo a
6,000 rs. cada om.
VELAS
Velas de spermacete a 64o rs. a libra.
dem de carnauba de lo a 12,000 rs. a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra
PEIXE
Peixe em latas j preparado de l,ooo a
l,2oo rs. a lata
ALPISTA E PAINgO
Alpista e paincp maito no?o de 3,8oo a
4,000 re. a arroba e de 14o e 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS.
Superiores charetos do fabricantes Simas,
Imperiaes, Delicias, Parisienses e outros de
tambsm
outros muitos que vendemos por mdico
preco.
Licores
Licores francezes e portuguezes a 1,000 e
l,4oors. agarrafa ou frasco.
Ooces
Dojo da casca da goiaba em caixes e la-
tas a l,2ooo caix5o e 2,800 rs. a lata.
Frats
Frutas em calda e em latas fechadas her-
DR PE0I6 E AWMWia^J^|(CpSO,
MEDICO, PABTEIRO E OPERABf.
3 Bna da filoria, catt & Fundao 3
0 Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuita* eoa-fOJKes todos os dia* das 7 s 11
Horas da manhio, odas 6 e taeia s 8 horas da otile, exeepelo dos dias santificado.
Pharmoeiu especial homedpathica
No mesmo consultorio ka sempre o mais apprtrpriade sortimento de carteirai
tobos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisaces e pelos preces segtotet:
Carteiras de 12 tute grandes. 12000
de 24 tubos grandes. 184000
de 36 tuba* grandes. ... 240000
t de 48 todosigraade. 305000
e 60 tubos-graiMtea- 35^000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remediof
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de, meia oca 13000.
Sendo para cima-de 12 cusUco os preg* eslabelecidos |ia aaearteiras.
Ha tubos mais, pequeos cada um a 300 ris.
XiITKO.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeqpathico do Dr. Jarb
dous grandes volumes com diccionario............ 205000
Medicina domestica do Dr. Hering........... 10#000
Repertorio do Dr. Mello Moraes............ 64000
Diccionario de termos demedicina........... 34000
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam por
tanto de serem novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios
verdadeires, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desojar., globos de
ferdadeiro assucar de leite, notareis pela sua boa conserocao, tintura dos mais acredi-
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada prepara gao, e por tanto a maior
energa e certeza em seus effeitos.
Casa de saude para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operaco, para o que o annunciante julga-se sufficientemente habilitado.
O Iratamento o meihor possivel, tanto no parte alimentar, como na medica,
funecionando a casa ha mais de quatro annos, ha mui tas pessoas de cuja eonceito ae nio
pode duvidar, qae podem ser consultados por aquees que desej ae manear seus
doentes.
Paga-se 24 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 14500.
As oporaooes serSo previamente ajustadas, se nose (ujzerem sujeitar aos preces
razoaveis que costuma pedir o annunciante.
e acabando com a
do trabalhoque
nno-m. Maa Pa. q.Luiz. Pedre V, M^t^J^^S^^^
mas Doces e outras marcas, a 1,000 abarra- nntrM mnitna nnP vnnitamos do
fa e 9,000 a 12 000 rs. a duaa.
Vinho Figueira e Lisboa, das memores
marcas a 4oo e Soo-ia. a garrafa, e a 3,ooo,
3,5oo e 4,000 rs. a caada.
Superior vinbe chamisso em barnl a 64o
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
ancerejas de 8 e 9 caadas a 24,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oe, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
Caixas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,000 rs. a caixa e
7oo rs. a garrafa.
CMM&
Caf do Rio de 1. e 2,* qualidade de
6,800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
SABIO
Sab5o maca de primeira qualidade de 24o
rs. a libra.
AItMAZEM BE FAZENDAS
DE
CUSTODIO ClRViLHO C.
27 RA DO QUEIMADO N. 27
Madapolao francez muito fino, tendo pouco mofo, cada peca com 27 varas por
104000.
La de cores a 300 rs. o covado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdfs a preco de 800 rs a vara.
Lencos brancos para algibeira a 24(100 a duzia.
Finas perclaras a preco de 400, 440 a 560 rs. o covado.
Ricos cortes de la de barra de 104 a 304000.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.
'
Novidades do Vigilante
RA DO CRESPQ N. 7.
Este estabelecimento apezar de sempre
se achar bem sortido come todos saben,
hoje mais que nunca, nao s pelo que rece-
be de sua propria conta, mas tambem pelo
que recebe de consignaces; parece sem
duvida que deve offerecer grandes vanta-
0 respeilavel publico
moendo com qualquer altura
sarllbes eom ernzetas de ferro para as mesmas, quando se desege fazer
e resto da roda de madeira, tomando-se assim a roda ligeira no trabalho.
Moeudas de canoa de todos os tamanhos. desde as mais pequeas chama-
rhs rio sertao Obra perfeita em feitio e acunhamento.
das do seruo^ ^ yjn^ ^ angnlare9 de todos os tamanhos e proporces.
Paroe u cocheo para receber o caldo. .
CrlVos de fornalha para assentamentos, frescos para o foguista, fazendo
Tnndp calor com pouco combnstivel, e duradouro.
gran,1porao deiornalha de todos os tamanhos e de diversos systemas.
JJen'lrtM para a fabrica de farinha e tambem chapas redondas
pira fornos pequeos.
Bombas simples e de repucho.
Talxao de ferro balido e fundido e de cobre.
Formas de ferro batido galvanisado para purgar assucar
e seu^lw^quetoaMe. ^ ^^ ^ ^ q$ ^^ custando g a ^ ^ do
nr^co dos de cobre, mais regulares na distilh\c5o e igualmente duraveis.
?Cloe rodas le carro com mangas de patente, obra mm segura para
CarregtraddsS,grades, eoehados acanallo e outros instrumentos deagri-
E finalmente lodo o objecto de quepossa precisar um engenho.
leves paracarregar
- Serveja c
Superior serveja Bass dos melhores fa- .
Shlers & BelL T. F. de 4oo a 46o rs. a lata.
rrutas ciu uaiua o m '' ---- | _ens _ara Q respeitavei puoiico tanto em
meticamente, muito bem enfeitadas, cooten-, como na escolha dos objectos, e co-
do pera,pecego, aroeixa rainha Claudia, ai ;mo acjba de ch de remessa pe!o
perche e outras frutas a 00 rs. a lata.
Tambem ha latas grandes para l,2oo rs. a
lata.
AZEITE DE REFINADO
Superior azeite francez renado a 8,000
rs. a garrafa e a 9,ooo rs. a duzia.
MOLHO ING1EZ SAUCE
Molho inglez Sauce em frascos grandes
com rolha de vidro a l,8oo rs. o frasco em
duzia ter abatimento.
BATATAS.
Gigos com 3o libras de batatas a l,ooo rs.
o gigo.
SARDINHAS.
Latas com sardinbas de Nantes e Lisboa
bricantes, como sejam:
Ashe a 7,5oo e 7,ooo rs. a duzia e a 7oo rs.
a garrafa. Tambem ha de outras marcas
como seja: Victoria e Alcope a 5,ooo rs. a du-
zia e a 5oo rs. a garrafa.
BOIOES VASIOS.
Boioes va8'ios, louca ingleza muito pro-
pria para manteiga e deposito de doce de 4
a 12 libras a l,2eo e2,5oo.
FARINBA D MARANHAO.
Farinha do MarauhSo a.240rs. a fibra.
SAG'.
Sag muito novo a 4oo rs. a libra. ^
ARARUTA. f
a libra.
FUMO AMERICANO.
Superior fumo em chapa a 1,400 rs. a
libra.
ERVILHAS
Latas com eryilhas e feijSo verde j pre-
parado 64o rs. a lata.
MASSA DE TOMATE
Latas com 1 libra de massa de tomate a
64o a lata.
VERMUTH
Esta bebida muito fresca e estomacal e
muito propria para a presente estaco. a
qual vendemos a2,ooo. rs. a garrafa e 184
a duzia.
Araruta verdadeira a 4oo rs. a upra. ^
Pimnta, cominho, cravo, caaell, ^rvadoce, alfazema, tijolio para lapar facas pa-
litos Daradentes, palitos d fogo. e outros muito* gneros que se tornara enfadonho
mencionar, aflancando cinceridade nos precos eeoom aconrcionamento de qualquer
gen to. ______ _
eu liara.
lacMnas de desearoQar algodo.
Na fabrica se fazem obras novas encommenda e concertos, com a maior pre^te-
,nlS; fJ wand deposito de pecas e objectos habilitam-na muito para este.flm.
23 Mllo%rieSS^rtSSpro mui feliz de poder ter occasiao de dar informacoe. ou
e^larecimentos aos senhores que ****^1^'^
DAS ICfllliS
A A CADEIA M 56 A
Continua a ter grande e complet sortilSento de
Machinas americanas para desearla? algmao
ios melhores fabricante? de 10,12,14, 16, 1*.SO, W, 30 e 33 serittes qne as vende por frefiO l
nid;, cm eon?eqoencia da ultimatneote as ter recebio de conta propria dos EsUflos-ur
ISCESBARITOS
Vendem-se, na. livraria da praca da Inde-
pendencia n. 8, a 400 rs. o volume, os ro
manees portuguezes seguinles, em brochura:
: A voz do sangue, 2 voluntes.
Gonnemara, 2 ditos.
A noite de S. Silvestre, 1 dito.
O fllho de Titiano, 1 dito,
Adonis ou o bomne^rp, 1 d As du 'S amidas, 1 dito.
O pacha de Buda, 1 dito-
Trilby, 1 dito. lm
Igeez de la^Sierra, 1 dito.
Joven Siberiana, 1 dito.
Na fabrica de vinagre, ra Imperial o. 1,
prximo a esttcao do camioho de ferro, vende se
vinagre Unto goperor em quaHdade a outro qual
Pora os bailes nascarados.
A agoia branca est vendendo por baratissimos
preoos, para,aoabar, os objeetos segaiotes, que ser-
vem mol bem aos que tomam parte nos bailes mas-
caradas, sendo :
Metas de seda, a t o. par.
Enfeites de flores a l>, 25 e 35 cada om.
Filas lavradas de 320 a 15 a vara.
Cintos largos com pontas cabidas.
Veude se orna masseira de amarello em per-
feito elado, e mais, pertences para ama padaria,
3a estrada nova, segunda taberna a direita, depois
o sobrado grande: a tratar na mesma, das 4
horas da tarde, em diante.
, I I. I I I l I .1 I IMi I i
Pechincha
mdico, assim como
qaer, e por prec,o
incolor._
Oevadinha de Franca
4k. Wwa-, S-tttH-tw cima
rs.: no armazem da Liga, rga Nova n. 60.
Caldt fikboa.
Na roa do Qacimado o. 40
bonitos gostos,
com
Vndese na roa do Brnm n. 66, a 6} o
Cortes de laaiinha de cor.
brancoelScovado6a3500.
Cassas orjandys de eores, eovade a 240, pecas
de algodioxtnho largo com 17 varas a 45.
as de dito eom 17 varas, muito encorpado,
UO! cora pequeo defelto, a 45500- _,
Grosdenaple reto Mito superior, covado 2.
Dito dito a 15600.
Retondas de renda preta a 105.
II. Chales de renda preta a 85-
vapor iDouro e o navio Solferino de
diversos objectos de gosto e proprios do
tempo dos quaes se mencionarao alguns,
por nao ser possivel mencionar todos. O
dono deste estabelecimento espera a pro-
teceo de todos.
Riquissimas caixinhas ornadas e com
msica propria para um delicado mimo.
Caixinhas de msica tanto de veio como
de corda.
Ricos porta joias e necessarios.
Riquissimos est jos a feitio de um bausi-
mio ou chapeuzinho.
Ditos em casca de noz e de outros gostos.
Leques de madeperola de sndalo e de
faia e madeira.
Chaposinhos e touquinhas de muito
gosto para crian gas.
Meias e sapatinhos de seda para as mes-
mas. | "-W
Meias de seda para senhoras.
Capellas e grinaldas de llores propri
para casamento.
Enfeites e capellas de muito gosto para
seuhora.
Riquissimos porta boquets.
Boquet de flores com orna borracbinha
com cheiro.
Lavas verdadeirs de Jovin.
Ditas de seda e de Escocia.
Riquissimas plumas, e guaraic&es para
enfeitar chapeos.
Coritas e tubos de ac branco, que ba
muito se deseja va para enfeites.
Brincos, Qvellas e cruzes de crystal.
FiveUas e cruzes de tartaruga, ra^dr i pe-
rola e dourados.
Alfinetes para gravatas.
Botoes com croas para punhos.
Gravatinhas e mantinhas de multo gosto,
tanto para homem como para senhora.
Riquissimos adereces pretos, assim como
caixinhas com alfinetes pretos.
Bengallas de canna com cabo de marfim.
Ditas de baleia, borracha e de outras
muitas qualidades, assim como chicotinhos.
Riquissimos penlee de tartaruga do ulti-
mo gosto; assim como de arregago para
sortimento de todas as qualidades.
Diademas para cabeca do ultimo gosto.
Riquissimas fitas lavradas e lizas.
Trancas pretas com vidrilho e de cores.
Pulsiras tanto para senhora como para
meninas.
Ligas de seda e de algodjio.
Suspensorios de seda e de algodSo e mui-
tos outros objectos que se nao padem an-
nunciar por nao se tornar enfadonho.
S ao Gallo Vigilante ra do Crespo o. 7.
!
-

'i
i
MACHINAS DE PATENTE
DE THABALHAR A MAO MMl DESCA-
RugAft ALGODAO
FABRICADO POR
PLAJIT BEOTHEBS & C.
OLDAM.
Estas machi-
nas podem des-
carocar qual-
1er especie de
algodao sem
estragar o fio,
- Mi hp^oa1
para o traba-
lho; pdedes-
carocar urna
arroba de al-
godao em ca-
roco em 40
minutos, ou
48 arrobas por dia ou cinco arrobas de al
gode limpo.
Assim como machinas para serem movi-
das por animaes, que descarecam 18 arro-
bas de algodao limpo por dia; e motores
para mover urna, duas ou tres dessas ma-
chinas.
Os mesmos tem para vender um bffissi-
mo vapor que pode fazer mover seis destas
machinas mencionadas; para o que convi-
da-se aos senhores agricultores a virem ver
e examina-lo, no a mazem de algodlo, no
largo da ponte nova n. 47.
Samadero Brothero fc C.
Recite praca do Corpo Santo n. 11.
Os nicos agentes neste paiz.________
O castello de Grasvle.
TradBiide do francez por A. J. G. da Crnx.
Vende-se este bello romance em quatr
tomo pelo baratissimo preco 4e 3500C
oa praca da Independencia. lfVrariani.
6 e8.
Frameisco Jos Germano
RA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gosto da Europa e ocu-
los de alcance para observarles e para os
martimos.
Manual do Cidadao
Vende-se o Manual do Cidado em um
Governo Representativo ou principios de
Direito Publico Constitucional Administra-
tivo e das Gentes, por Silvestre Pinheiro
Ferreira, em 3 volumes broxurados por 3)5
cada obra : na livraria n. 8 da praca da
Independencia. ^^______
Vende-se um mQlato~d~23 annos i dade
com bastantes habilidades, como boa cactoheiro e
copeiro : na ra da Imperairiz n. 14, andar.
Roupas feitas de todas as qualidade
Vende-se roupa leiO, sendo calcas de corOl e
pardo a 25, ditas de brim branco den io a 35800
e 45, cal;as de casemir preta a 65, Oj
menina, sois neste artigo ha um'completo u"oecores, meiacasemi,a35 ,e1^P**f
de casemira a 65, 75 e 85, paletols de brioa m
cores a 25, 35500 e 35, ditos de brlm braneo a
a 45500, ditos de alpaca preta a 35 e 4>,diIoa de
casemira de cores a 55, 6, 7, Se 105, dito* de
panno prelo a 65, 7, 8 e 105, eolleles de eores a
15600, de casemira a 35 e 45, ceroala francesa a
15600 e 25200, camisas francezas Anas brancas
peilos de cores a 25 e 05600, ditas ngleas Oe H*
Bbo de prega largas a %1/tf, 35 e
ra da Imperatrii, loja da Arwa a 56.,
Lov s de Joavin pretos e ool
cores
Cbgaram para a loja de miadai : na rol
Qoeimado n. 16.


L


nVinnl

(W*HHA*lr% fS de aUren de 4866.
NO
d
MCIGLQEEDK1A
tt Riti Intnerntria
4a nnrta larga *i
jBM Paredes Parta.
Neste estabelecimento encontrar o respeittvel
publico um variado sortimento de fazendas france-
zas, iiglezas, sutssas e attemes, qne se venderto
por pre$o commodo. '
Parnea Perla
Vende chales 4a- wnda de .cores qoe se vende-
rn) a 18{> est tandean aar 6*, dites proios, fa-
xenda nova, 54, 64, 8a2Q, um sortimerUo com-
pleto de manteletes, capas e.soutambarques 144 a
254. Roa da Imperatrrm. 42, junto a padaria fran-
ceza, armaiea da poru larga.
Paredes Porto
Receben om completo sortimento de laasinhas a
240, e 180 rs. corados, para acabar, cambraias de
cor a 240 rs. o covado, riscado escossez para ron-
Bi de menino, fastao de linbo a 420, 400 e 800 rs.
na da Imperatriz n. 32 jtmto a padana franceza.
armazem da porta larga.
Paredes Porto
Receben para cortinados para earoa franceza a
114 a pea cambraia lisa fina a 3* 44 at 105 a
peca, corle de tartetana de bonitos gosiee a 31000
o 44, cambraia com flor de seda, gostos ioieira
mente rovos a 400 e 500 rs. o covado, no armazem
da porta larga n. 52, ra da Imperatriz junio a pa
dara franceza.
Paredes Porto
Recebeu pelo ultimo paquete om sortimento de
ernzes com pedras para o pesclo, bonitos caxineis
de la para pescle de eenhora. Roa da Imperatriz
n. 52, armuesa da porta luga.
Paredes Porto
Vende cortes de gorgnra preto para vestido com
21 eovados cada om 354000, grsdenaple preto a
14600, 1*800 e Al o covado, lias lizas finas a 400
rs. o covado, las de quadriubo para vestido, entes-
tada, a 320 rs. o covado. Rna da Imperatriz n. 52,
armazem da poru larga.
floipa feita
Rna da Imperatriz p. 52 armazem da poru lar
ga junto a padaria franceza, encontra-se peste es-
tabelecimento nm completo sortimento de paletos-
saceos e sobrecasaeos, de todas as qualiddes, cal
cas, colletes, ceroolas, camisas, grvalas, metas,
chapeos de sol, ditos francezes para cabeca, por
precos commodos, roupa para menino e ontras
moitas fazendas. por precos commodos, armazem
da porta larga.
No tnesmo emhelflrimanU) encontrara o respei-
tavel publico, sempre um completo sortimento de
roupas fetas de todas as qualidades, como sejam
paletos de alpaca preU ede edr, ditos sobrecasa-
eos a 44 e o j, ditos de ferina pardo a 24000, 34 e
34500, ditos finos a 44, ditos meias eazemira a
34500, 44 54, ditos cazemjra saceos a 64, 74, 84
e 104, ditos sobrecasaeos a 10 e 124, ditos de pan-
no saceos a 64, 84 e 104, ditos sobrecasaeos a 124
e 254, ditos de merino preto a 64, 74 e 104, cal'
cas de brim de diversas qualidades a 14800 a 44,
ditos brancos a 24500 e 6400, ditos oazemira 54,
64 e 74, ditos pretos a 54, 64, 84 e 104, ditos
metas cuemirM a 34 o 44. eoletes de diversas
qualidades, seroalas francezas de algodao, ditas de
llnbo, diUs de bramante a 2 e 24500, carnizas de
algodao de linbo francezas de 24500 e 34- Gran-
de pecbinoba neste genero, grvalas de todas as
qnalidades e brancas para casamento, grande sor-
timento de meias para senboMS, ditas para homens
a 34, superiores a 34500 e 44.
Um completo sortimento de chapeos de sol de
alpaca a 34, ditos de seda a 54, 74, 104 e 144,
ditos francezes para cabeca, grande sortimento
a 64.
PeehiBcha admimel.
Grande sortimento de chambres a 44600 e 59,
lences de cambraia para homem a 24 a duzia, di-
tos de linbo a 44 e 5,4-
Grande sortimento de roupa para meninos e on-
tras multas qualidades qne seria enfadonho men-
ciona-las.
Paredes Porto
Receben pelo ultimo paquete francs ricas lias
granadinas com flores de seda a 400 e 500 rs. o
covado. esto acabando-se, cambraia preta para
loto. Porta larga janto a nadara franeeza, a ra
da Imperatriz n. 52.
Paredes Porto
Recebeu pelo ultimo paquete espartilhos a pre-
guicoso por 3$, sao bous, lencos de seda para se-
nhora e-bomem a l, ricos cortes de cambraia
bordados de 18g a 7$, por ter nm toque de mofo,
estao se acabando, na rna 4a Imperatriz n. 52, jno
to a nadarla franceza.
Paredes Porto
Vende um completo ortimeBto de fazendas
brancas, como sejam madapolao a 44500, 54,64 e
109, pecas de algodao por barato prego, chita fran-
ceza a 240, 280, 320, 360 rs. o eovado, precalias
muito finas a 360, 400 rs. o covado, chita iugleza
200e2i0rs. o covado- Ra da Imperatriz n.
52, junto a padaria franceza.
Fazendas.
Vende-se superior merino preto proprio para ca-
pa* de seahora e vestidos a 24, lustrim da China
a 14800 o covado. Ra da Imperatriz, porta larga.
Paredes Porto.
Vende em sen estabelecimento tiras e ntremelos
bordados, grande sortimento de eorplnhoe rica-
mente bordados a 34,44 e 54. S o Paredes Por-
to, rna da Imperatriz no 52; porta larga jauto a
padaria franceza.
A
um tkmm m \m
PARA ACRARABiCAL
aaiararaluaa a nirflia- nmfnlntii tumores, akeraa,. i>aagiit farida* ve-
Unta, Bioaotacele, pipo o papeira, a syphilis, enfermidades Teneras ou mer-
outiaaa.
fitUSM ESTABfiUaiEiTO
Raa 4a ii
ineratrlz,
w
w mefZt de fazkhdas.
W. 60
cQci 2 o R ^e-o.o.o' C. o C "* *? a
se- isz a.^.g-"
8
^ E <* a
r-gg
a


0,0 <
Sv-.S O moa D-p""
% =5 S"o
5 f319
co <6 B 1
m

3 5 ? S
2 9 '

ratf
Q O 5 O
3I
ts s

o-
o

i
rege

Cu
1?
'2
a 5?
.!<
O
t

Guardanapos de linho adamascado para meza
24800 a dona on a 240 rs. cada nm.
Superior atoathado de linho com oilo palmos de
largura seado braoeo o pardo, e vtnde-se mais-ba-
rato do que em outro parte, na Joia do Pavao na roa
da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Os corpinbos ae seda pretos do PavSo.
Vindeth-se o rna4 rices corpinhos de seda pte- ,
tos ,kama***nlt.doS, pelo rato,t^o de 24 SISE^?. TO d83^0 *SP?.
cada nm : na tota do Pavao na ra da Imperairit
n. 60, de Gama i Silva.
Os cortes de cambraia braceo bordados na
loja do Pavao.
Vendf m-se os mais ricos cortes de cambraia ri-
camente bordados com barras e babades a 204 ca-
da um : na loja e armazem do Pavao na ra da
AS MOLESTIAS DAS MIflERES
retencao/tnenstro doloroso, olceracSes do tero, iteras toncas, -ete.4ilccr*>
{3o, deMlrdade, expoliacao dos ossos, a nevnalfia e canwlaes pitepticas
quando caasadas peta escrfula.
ERSIPELAS ERPES; ETC.
Enfermidades cutneas, ernpeSo, borbullia. pusulas,
ascldaa, etc.
0 extracto coroposto de salsa parrllha, confeccionado pelo Dr. Ayer, urna
combinacSo dos melhores depurativos e alterantes conhecidos medicina; 6 confeccio-
nado segundo as regras dasciencia, approvado e recettado peios priaeiros medicos Estados-Unidos da America do Sul e Central, das Astillias, do Mxico e das Indias, e
Emitas oulras partes do mundo : o resultado de estudos apurados e minuciosos, o de
experiencias feilas pessoalmente pelo Dr. Ayer, por amitos annos, nos principaes hos-
pitaes e enfermaras da America ; tcm sido 8ppiwado pelas acadeaBiaa d medicina e
juntas de hygieone das principaes capitaes da America do Norte; ptfaprova disto vede
os attestados authenticos bo Almanak e Manual de Saude do Dr. Ayer, os quawaedis-
tribuem gratuitamente nos logares onde se vende o remedio.
A SALSA PARILHA DE AYER
Especialmente effleaz na cura das molestias <|ue tena sata orlgem
na escrfula, na Inff eeo venrea, no nso
excessivn de mrcatela ou nalaner ImpHreza do sangne.
A molestia ou infeccao peculiar, conhecida pelo nomo do turofula, um dos ma- rosto pelo baratissimo pre^o de 74500 a duzia ou
les mais prevalecentes e universaes que ha em toda a extensa lista .das enormidades que 6<
atacam a nossa raca; disse um celebre escriptor da medicina que mais de urna terca
parte de todos aquelles que morrena anteada velbice s3o victimas,.ou directa ou iodixec-
tamente de escrfula; por isso s> nao tao destructiva, porm a principal causa de
muitasoutras enfermidades que nao lbe sao geralmente altriluidas.
urna causa directa da tisica pulmonar, das molestias.do ligado, do estomago
e affeccoes do cerebro; enire seus numerosos symptomas acham-se os seguintes: falta
de appetite, c semblante plido e enebro; asvezes deuma^lmra traosparente enutras
vezes corado e amarellento irregular, fraqueza e moeza dos msculo; ao redor da hoc-
ca; digestSo fraca e appettite, falta de energa; ventre enclado e evacuacSo irregular;
quando o mal tem seu assento sobre os pulmoes urna cor azulada mosira-s,e em roda dos
olbos; quando ataca os orgaos digestivos, os olbos tornamnse avermelhaaos; -* o bali-
to ftido, a lin^ua carrejada; dores de cabeca, tonteiras, etc. Kapcssoas de disposi-
c3o escrofulosa apparecem frequentemente erupces na pelle da cabeca e oulras parles
do corpo ; s3o predisppstas s affeccoes dos pulmoes, do figade, i,& ns, dos orgPS imperatriz n.'o, de"Ga'ma"& sirva.'
digestivos e uterinos. Portante, nao sao smente aquellos que padecem das formas ul-j Reos vestidos a 8l|000 rs.
cerosas e tuberculosas da escrofula> que necessjtam de protecc3o contcans sops estragos; pecbincba ateiravel.
todos aquelles em cujo sangue existe o virus latente deste terrivel flageUo (e s vez.es S o.Pavao-receoea pelo ultimo vapor Iraneez
hereditario), esto expostos tambem a soffrer das enfermidades que elle causa, que sao;,om ,.faDde s'mento dos mais ricos cortes de
A tisica, ulceres de figado, do estomago e dos rins; rupcoes e enfermidades ^ "ZBSmSSmSS^
eruptivas da cutis, rosa ou erysipela, borbulhas, postulas, nascidas, tumores, rfteuma^
carbnculos, ulceras e cbagas, rheumatismo, dores nos ossos, as cosas e na cabeca,
debilidades femjninas, flores brancas causadas pela ulcerac5o interior, e enfermidades
uterinas, bydropesia, indigesto, enfraquecimento e dehijidade geral.
.Offerecemos a estas pessoas um abrigo seguro e um antidoto effica contra esta
molestia e suas consequencias na
SALSA PARRILHA DE AYER
que opera directamente sobre o sangue, purieando-o e expulsando delle a corrupeo e o
veneno da molestia ; penetra todas as partes e todos os orgos do corpo humano, livrarv
do-os da sua accao vieiada e inspirando-lhes novo vigor. um alterante poderosissimo
para a renovacSo do sangue, e d ao corpo j enfraquecido pela doenca, forcas e ener-
gas renovadas como as da joventude.
tambem o melhor anty-syphiUtico conhecido ,
pura permanentemente as p( iores formas de syphilis e a&suascon&equencias. Poma:
pecessidade ha de informar o publico do ineslimavel valor de um remedio que, como
este, livra o sangue esta e ignominiosa, porm inevitavel, se o mal nao logo combatido com energa.
um poderosissimo alterante para a renovaco do sangue .e para dar nova for-
ca ao corpo j enfraquecido pela doenca.
Sendo composto de productos vegetaes, es'e medicamonto innocente eao mes-
mo tempo effkaz, um (acto de immensa importancia para aquelles que o tomam; poc-.
que muitos dos remedios alterantes offerecidos ao publico tem por bise o. mercurio ou o
arsnico; e sendo assim, bem que s vezes podem effectuar curas, comido deixam suas
victimas carregadas de urna longa serie de males, muitas vezes peior 4o que o mal ori-.
ginal. A nica cousa necessaria para obter uma cura radical seguir com juizo, e con-,
ptncia as direecoes que acompanham cada frasco.
N5o pretendeaos promulgar, nem queremos que se infira que eta composicSo a
um remedio infajlivel pata a cura do todos os padecimentos humanos; infelizmente e
escrfula e a syphilis sao enfermidades tao splis as suas naturezas, e arreigam-se t3o
firmemente no systema, que muitas vezes evadem eresistem'aos remedios mais pode-
rosos que a sciencia humana pode inventar pira combate-las: o que dizemos que o
Extracto composto de salsa pairilha de Ayer
a melhor preparaco at boje descoberta para esta9 e oulras molestias anlogas, que
uma combinao^o dos alterantes mais effieazes conhecidos, e que esta combinaoio tem sido
regulada por longas e laboriosas ex pneselas, e finalmente que temos confidencia deof-
ferecer ao publico o melhor resultado que possivel produzir, da inteHigeoca e perio
medica dos nossos lempos.
Este remedio deve ser tomado com systema e rerularidade, e n5o com abandono,
pois um remedio e nao bebida.
Quando as molestias do figado nSo lera sua origem na fescrofu+a, o remedie
mais proprio as pilulas catbartieas de Ayer, que s5o efficazes na cora da molestia, que
m por causa um desarranjo dos orgSos digestivos. Pedi a salsa parrilha de Ayer e
nao aceitai outra preparaoo.
Pernambuco, ra Nova n. 18, pharmaciafigapcezade P. Maurer & C.
Cortes de cambraia com palmas na tef o
Pavao.
Veidera-se cortes de camSraia branca oaaa ani-
llas, sendo fazenda muito boa, pelo baratissimo
preco de 24500 para acabar: na loja e armazem
lo avo na rna-da Imperante a. 40, t Sna
Silva.
Leaos brancos a 1*0440 res a
dnzla.
Tendera se lengos brancos fazenda mnilo boa
nil tnu..ttjuii- **..* urtaioi-r t** *"*issimo preco- Wf i dnzla, Ditos com
proprteurlos fcae paute otrteleci- ^% -e..(ftr ^^ jHo *m Krtar M 1oJa do
va.
GRSKDE PECHINCHA!
lAsin'hss a 120 rs. na leja do Pavao
dojUmo dfidMMrinp da iS&i, Mmlveannrvennr
muito mais barato doaa aosaaman *Sm de cada
vez mais agradaren) aos seos numerosos fregu-
zas ; por anto Ihes offerecew nm avutado ser t-
menlo to fazandas franelas, ioglezas, nata -Vende-se tsinhas pretas propras para luto sen
vendeuo majs baralo do que era outra qnafcper Mn.aend a 120 rs. o covado. Dius muito
parte comprometindose a mandar levarquakjuer fls deutadriorios a 480 o-SOts., Has entesia-
azenda em -easa dos fregoezts que trio podWem das a 400 rs., ditas mathizadas a 320 rs., ditas
vtr alo>a, au.a dnrea aMostme, daiiwlaaanr transparentes com palma de sedas 400 rs., ditas H-
o penhor. afsim como convidan nexoclam era menor escala qne neste grande, esu- arerazem do Pava na ra da Imperatriz n. 60. de
beieeimento eacontrario um grande sortimento Gama & Silva
nana? 2&222Z2SS ^^it^ Poupelinas modernissimas a 400 e 500 rs.
w!SXSm?&S^S "* o covado na loja do Pavao.
Pecbincba a sgooo e S#AOO
AS MELPOMENES DO PAVAO.
Venem-se bonitos cortes de melpomene para
vestidos de swhoras, -seado dos ptMrBes mais mo-
dernos pelo baratissimo preco de 3000 cada wn.
Ditos de indiana, leudo oito e meia varas, pelo
baratissimo prego de ?4500 r?.
Isto para aaber na leja-do Pa^lo, roa da Im-
peratriz n. 60, de fiama & Silva.
As toaibas de II ho do PtYo.
Vendem-S3 superiores toalhas de linhos para
yssdsoPasao.
Saparlor grsdenaple prlo a 14600.44800 e ,
e ootro ranlto largo a 24800, 34 e 3200, e o supe-
d.ora m abanar* *1fw*j*sfda pr,ta '""
rtD5M*T,,e8e"l*>reto 34500; na loja
do PavSo rna da Imperatru n. 60.
Ctries tfe vestaos.
Pretos a 304000.
Vendem-se cortes de vestidos pretos bordado a
veindo pelo baratcpTeco de 304, para acabar5 na
lojadoFavon.flOdeGamac Silva.
Lcuxsmhs matimas u 350 rs.
Vendem-se as mais lindas fflMinhas rnstsadas
com os mais bonitos desenbw, petofmsto prew de
320 rs. o covado ; na loja de Pavao a rna d Im-
peratriz n. 60 de Gama & Silva.
Grande armazem e leja da
Arara.
Ilua da Invpfrariz b. 56.
Neste estabelecimento eacentrarao sempre mu
completo sortimento de fazendas francezas, suis-
sas, alleroes e inglezas a vontade do comprador,
se vende tnats barato qne em outra qualquer parte
Vendem-se poupelinas muito Coas sendo fazenda Chitas da .Arara a 6$ a peca,
'muito moderna de quadrinbos e liza vendendo-se Vende-se pecas de chitas de cores com 38 c-
pelos baratos precos de 400 e 500 rs. o covado na vados a o, em covado a 180 rs., riseadinho par
'i* ,d0 P*TO D roa tfa Imperatriz n. 60 de Gama calcas de escravos a 126 rs. o aovado : na ra da
gW,a' Imperatriz n. 56.
jrosdenapies pretos do Pavao. Grsdenaple preto para r cuaresma a 106(10
Vendem-se superiores grosdenaples pretos pelos Vende-se grsdenaple nulo tiara vestidos a
baratfss.mos precos de 14500, 14600 14800 e U liWoo, ,i8008 U emo^ZrtniW p o pa
o eovado, sendo fazenda mul.obo^ s6 para ac- ra vestido a 3 e 2}fc0o coYadT: na rna da Im-
bar : na loja e araazem do PavSo, rna da Impe- peratriz n. 56
'Bran^nte8 de lnho do PaTo "SP VCd l5azinha P" tat0 a m rs-
snSSnSa dPe10e %mT' aSra paPa v a BOoVffi'o' mSo "ombazin.
precos de 640,700 e 800 rs. a vara : na loja e ar- P!iB",5?* ? ,l'f*,i ,56-
matem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Ga- ,, A,RW0 avanado da Arara a 3*.
ma & Silva. I venae-se pecas de algodao com pequeo toque
Canbraias Haas do Pavio. deavanaa 34, ditas limpes a 4s500, 64, 74 e
Venden..SZS ca^braa lisa muito supe-,8*:- na roa da \WW *> Arara n. 56.
a peca, i
Arara vende o panno do linho a 640.
ditasnurto finas "a 5'4, 64," 74 e 84: na oja' '. Vende-se panno de llnbo paraeaces e serou
armazem do PaVao, ra da Imperatriz n. 60, de!,as. ?,^* e 70 a Y"?, cobertores de- algodao a 14
para
baile* e passeios, e vendem-se pelo baratissimo
preco de 84000 rs. cada ora, na loja do Pavao na
roa da Imperatriz n; 60 de Gama Silva.
Os chales pretos de Mida do Pavio a 8#060 rs.
Vendem-se os mais ricos chales prett s de renda
om quairo f odU, senda muito grandes pelo ba-
ialissirr,o prego de 84-
Ditos de goepnre a 154, 184,204, 254.
Retondas de dito a 104.
Manteletes de renda, lateada mnilo superior a
154000.
Capas e ssuthatr.baj-ques de grsdenaple; bor-
dados, fazenda inleiramente nova, por pregos mais
baratos que em outra qoalquer pane.
Isto na loja armaze 4o Pavo na roa- da Im-
peratriz n. 60 de Gama & Silva.
Oscbales do pavo a 2ooo e 2ooo rs.
Vendem-se chales de merino eslampados a 24
e 24500 cada um.
Ditos de merm liso a 34500.
Ditos estampados do crepon a 64, 74. e 84000.
Ditos pretps bordaJlQS.com franja de seda a 144-
Na loja e armazem do Pavao na ra da Impera-
triz n. 60 de Gama & Silva.
Para luto vende o Pa*o.
Setim da China cora 6 palmos de largura, fazen-
da preta para loto, propna para- vestidos e roupas
para hmens, sendo esta nova fazenda sera lustro e
de mnilo boa quahdade, garanlindo-se nao ficar
russa rom o tempo e vende-se pelo barato preco de
24 e 24500 o.covado, astim como neste estab*leci-
menio (em om grande soniraento de todas as fa>.
zendas pretas como sejam cassas e chitas pretas,
laas lapadas e transparentes, princezas, alpacas,
sarjas, etc. : na loja e armazem do Pavo na ra
da Iroperairiz.n. O, deama & Silva.
Os baioes do Pavao.
Vendem-se superiores baldes de muculina com
mnia reda a 54., ditos crinolines com 35 arcos a
34500, ditos com 20 e 25 a 34, ditos para meni-
nas, sendo brancos e encarnados a 24 o 24500 :
na oja do Pavao na ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Cambraias de forro a 1(5600 e 2| na loja
do Pavao.
Vendem-se pecas de cambraia de forro com no-
ve varas cada pega, pelos baralissimos precos de
14600 e 24: na loja e armazem do Pavao na roa
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os cortinados do Pav5o.
Venderose superiores cortinados adamascados
para camas pelobaralissirao preco de 14 cada par,
ditos muito finos ricamente bordados para camas
ou Janellas a 154 2b e 254 o par : na loja, e ar-
aazem do Pavao na ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Panno preto a 20 na loja do Pavio.
Vende-se panno preto. fazenda muito boa, pela
(barato prego de 24 o covado, dito mnilo lino a
34500, 4, 54 e 64, assim como casimira preta de
aaaem de M. *. Ramos e IIt* < enro. a rna do vigario ^alari?Dr^dG:im;,2^a,0 *'
n. 11, constantemente, os seguintes artigas, que
recebe ni por encommenda proprla de
VENDE-SE
^EW-IORH.
Legitima salsa parrilba de BristoL preparada por Lanmau k Kemp.
Verdadeira agua florida, proparada pelos mesmos.
Gaz em latas de cinco gatoer, o mais purificado qoe se pode desejar da acredi-
tada marca F. W. D. & C.
ftelcgios perfeitos reguladores, com corda de quatro a oo dias, doe afamados a-
bricantes E. N. Welch. .
Graixa em latas grandes da bem conhecida marca las. S. Masn (de Pbiladel-
phia).
Tasso Irmaos
Veideni sea rnazesi rae da
4mori i. 35,
Licor fino Caracho em botijas e meias botijas.
Licores finas sordoe ean garrafas con roanas a
vidro o em lindos frascos.
Vanosberes.
Santernes.
Chambertin.
ammnfB.
Boigonbfi.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
BorSeavs.
Cognac.
Od Ion.
PAezei lagniol.
~ Bren em bacricas p^qneaav""
Cera em velas de todos os tamaos.
Boglaa.
Knreario.
fi rm vnanp 1.4a, jnnifdro andar.
"Z VmtMtm a-ayo jiara nnwi). clsaJo
de boa flgnm n xnestre carreiro : a tratar na rna
do Qnenado n. 44.
Ovas do serto.
Vadavaa oaanao aartio anMo trana S i,
preso ctwaiodo : o roa do Qoeinado toja b.
Superior oleo para machinas de costura.
Agulhas para as raesmas.
Brea em banicat grandes e pequeas.
Vende-se tambem:
BORDALA
1.a qualidade.
St. Etephe.
St. Julien.
C. Margaux.
G. iatte.
Medoc.
PORTO
Ia qaalidade,
^ho fino do Porto em barns de 5/, f^ e 20/.
Soperier vinho do Rheno. < '
Cera de Lisboa em velas e em grume.
Principe Real.
Pedro V.
Mara Pa.
Princeza D. Isabel.
Vctor Emmanuel.
Doojue.
[ Malvazia.
Boa tx5casia.o para umprin-
cpkiite.
Vende-se asan loja m n*wdeua om poico fon-
dos, muito em oonia, esa bom lugar a -beio accadi-.
Uda : juejn pretender dirija-se a roa Angosta,
taberna n. 1, qoe ae dir qoem tem para vender.
Na raesma taberna ce dir qnen tem para vender
ana nMia*ottffieta.d> inmreMo enana iba.
Peckiicha admiravei
Laazlnhas de qoanYinbos qoe parece seda a 240
n. tamm\ nanyiiD- -aainrtii,aU jnesn-
bando; saioja n. 52, armasesi da poria larga de
PltOto Porto.
Vendemrse
machinas americanas de serrote para de tcarocar
ajftjiRo:naruada'SenlafTOvan.*l.
mi
avariado.
ti
roa.
isnsMa ananas ca toabassaa, 4f*"OM
arnmiisnien opre M lai, nskii tn;
Francea barrica
Portland idem
Em perfeito estado:
Pranewbarrlca 104000
Portland dem 124000
No armasem de Tasso Irmaos caes doJApollo.
' s para a cuaresma.
No armazem da parta larga, roa da Impflttttw.
adeaaple pxet a 14A0Q, 14603, 14800, 34*
J4800, moreanli.qne j?reto de diversas qualidades,
os mais rteos chales On renQa pelos, letonOtn
om tnnSa anda, 4aiea>da SanMaia anda ao naor-
nado: b araMusisAiaWru larga a. 62, na roa
da hnperatrj.
Gomma de millio branco
americana
Venfle-se empacles de ir Hbra : oo irmazetn
de^e# t^aaasirtsai isa nana a. t i
Os- espartilhos do Pavao.
Vendem-se urna, erando e variado son ment de
-espartilhos dos mais bem feitos qne tem ]vindo ao
mercado, sendo de todos os lmannos, vendendo-se
por um preco muito razoavel : isto na loja do Pa-
vao na ra da Imperatriz o. 60, de Gama & Silva.
As salas bordadas do pavo.
Vendem-se saias bordadas sendo fazenoa mnito
boa, sendo Ticamente bordadas e com moila roda^
vendendo-e peana baratos precos de 64 8 e 104
veis cada orna na loja do Pavao na roa da Impera-
tra n. 60 de Gama & Silva.
Bretaihas de polo a 36'OOOf
Veadem-se pecas de bretaah de rolo com 10
varas cada peca, pelo baratissimo preco de 34 :
na loja e armazem do Pavao, roa, da Imperatriz &
00, de Gama di Silva.
Gama Silva
Pecbincba grande.
Os madapoi5es Vende-se superiores pegas madapolao, sendb
mnito largo, e nrnrto eneorpado tendo 24 jardas
cada eca, oca Baratissimo preoo de 84 9f0tS,
ditos a 643flO e 74> boa pecbincba, e vendo*
na loja e armazem do Pavao, ruada Imperatriz n
60 de Gama & Silva.
Caxfmlras da escocia.
Na foja da PavSo
Cbegou nato nova t*sonda co a nema daca.
xemlras da escocia sendo multo encorpada pro-
pria para entena, e caletea, e vendase pelo rjarstan-
aimo preca da 24800 rs. corle oo i6O0 rs. o co-
i vado, pecbincba por que tem duas larguras, isto
s na loja e armazem do Pavo, roa da fmperarrrz
n. 60 Se Gama & Sfva.
Ronpafcfta.
Na loja do PavSo
Vendn-w neste estabelecfmeii ow granOe se*--
timento de roopas, tanto de panno enana caaemirae,
e brina a palos baralissimos precos como sejam
calcas de caxemira preta a 64 'Ae 8*W^IIkpa"
letots de panno preto saceos a 64 S4 6 1*4000 rs.
ditos aobrecneacos de panno fintssimo a 124 **4
244000 reis, a antros muitos arHgos que serla en-
fadonbos aqu relata-los; s na toja e armazem do
PavSo roa da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Loja do pavo
Grandes pechlnchas.
Seiihas a 5W rs. o cotaio
Sedinkaa a 500 rs.
Sedufias a 500 rs. __,
Vende-aa na loja do Pavo, amjrande nottftnen*
to de sediirtras lisTraUJs eom ma bonitas ores,
M* w pMtei SMli wimw *m vinna *>
cas, veadn-M p^n nniaiiails/sr*J de elaeo
losioes o oevaso, aeodo laaanda qne valem mnilo
ecwoehaporiB ter;
comprado orna grande perrMa deeta fatenda, na
loja e tranzan) de fasenda Oo Pifie roa a In-
nertritsSOa WmW^
Gama & Silva.
PECHINCHA 1
a 2^000, para calcas, s a Pavio.
Venden se superiores cortes de meia casemira
cora msela da seda a 24, ditas Garibaldinas a
14800, ditas escuras a 248U0, ou a 14600 o cova
do : na loja e armazem do Pavo, rna da Impera-
triz n. 60, de Gama & Silva.
PENTEADORES
ou roupoes de cambraia bordados proprios
para as senho as vestirem de manhaa.
Qnegon'esta nnvidade para a loja do Pavo,
muito lindos e de melbor goslo *l boje, por pre-
Ss muito razoaveis : na loja do Pavo, ra da
iperatrt n. 09, de Gama & Silva.
antas a igOOO.
Do pora seda
Vende-se na luja do Pavao, manas de seda pre-
tas e de cores, lindos gosto pelo baratissimo preco
da 14000 res, sao das mas largas, assim como tem
nm grande sortimento de grvalas de seda de cor
bordadase de seiim preto e ditas de setim branco,
e vende por precos mnito reeomidoss, o Pavao na
ra da Imperatm n. GO loja e armazem de Gama
4 Silva.
Chitas rOxas
a 64000 reis a peta
S na loja so Pavo
Se venden pecas de chitas roas tontezas, sendo
cores fias tendo 38 eovados cada orna pega pelo
baratissimo prego de 64000 res, a retalho a 160
rt. o covado, ditas escoras e claras a 200 rs. o co-
vado, lija do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Ga-
ma & Silva, Gama & Silva.
Novidades do PavSo
OU PECHINCHA ADMIRAVEL.
Escossezas a 34200
Cegaram os mais lindos corles de escossezas,
proprios para vestidos, sendo fazenda inteiramente
nova.no mercado; e vende se a 34200 o corte ou
260 rs. o covado na loja e armazem do Pavo, ra
da Imperatriz, n. 60, de Gama & Silva)
Cassas francezas a 2 ii rs. o covado.
Vendem-se bonitas cassas francezas de cores fi
xas pelo baratissimo preco de 240 o covado.
Ditas a 280, 320 e 300.
S na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Chitas araadas.
Vendem-se finissimas cbitas francezas, com pe-
queo tuque de avaria, pelo baratissimo prego de
280 o covado.
grande pechincha.
Assim como ditas inglezas roxas e claras, sem
mofo nem avaria, pelo baratissimo prego de 160 o
covado ; assim como, ditas muito boas a 200 e 240
o covado, isto na loja e armazem do Pavo, ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Grsdenaple preto a 1$600.
E' grande pecbineha 11
Vende-se grsdenaple preto, sendo mnilo eneor-
pado e de boa largura, pelo baratissimo preco de
14600 o covado : na roa da Imperatriz o. 60.
Rascados a 1*0 rs.
Vende-se riseadioho escuro proprio para vesti-
dos on roupas para homem, pelo baratissimo pre-
co de 120 rs. o covado : s na raa da Imperatriz
n. 60.
Os cachine do PavSo.1
Vendem-se-bonitos cacbinez de la ou aguzamos
para cabeca. pele baraiissimo prego de 34000, s
na loja do Pavo, na ra da Imperatriz n. 60.
Algodozinho avariado.
Vendem-se pecas de algodozinbo sendo muito
eneorpado, e com 20 jardas, pelo baratissimo preco
de 540OO, por ter um pequeo loque de avaria.
O bramante do Pavo.
Vende-se superior bramante de linbo cr tendo
quatro palmos de largura, pelu baratisstmo- preco
de 800~ts. a vara, dito eemlO pakno a 24400',e
24*00 a vara, atoalbado de linho adamascado, alvo
e pardo, pelo, baratissimo preco de 24800 rs. a
vara, na loja armazem do Pavo, na rna da" Impe-
ratriz n. 60.
e 14400 : na roa da Imperatriz loja da Arara nu-
mero 66.15^,;.-^
Cortes de casemira preta da Arara a 30500.
Vende-se cortes de casemira preli. para calca a
34oOO, 44, 3$ e 64, cortes de castores-para calca
a 14, corles de colim a 14580. cortes de ganga t-
brim a 18400 e 14600: na ra da Imperatriz nu-
mero 56.
Arara vende as saias a 34500,
Vende-se saias bordadas para senhoras a 34860,
vestidos braocds bordados a 44300, ditos bordados
a la e seda a 64500 e 94, ditos de barras de la
a 64 e 84 : na ra da Imperatriz loja da Arara
n. 56.
Panno preto da Arara a 20 o covado.
Vende-se panno preto para caifas, paletots o
colletes a 24, 24500, 34,44 e 54, casemira preta
muito fina a 24, 24500 e 34200 o covado : na rna
da Imperatriz n. 56.
Arara vende os guardanapos a 20800 a
duzia.
Vende-se guardrJapos para mesa a 2480O a du-
zia e 240 cada um : na rna da imperatriz loja da
Arara n. 56.
Arara vende as chitas a 160 rs.
Vende-se cbitas escuras de cores fix.es a 160,
200 e 240 o covado, ditas francezas a 280, 320 e
400 o covado, cassas finas a 280, 320 e 360 o co-
vado : na ra da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Madapolao entecado a 40 de 12 jardas.
Vende-se pegas ee madapolao enfestado de 12
jardas a 44 e 44500, dita eom toque de avaria de.
24 jardas a 44, 54, 64, 74,84. 94 e 104 : na rna
da Imperatriz loja e armazem da Arara n. 56.
Aiara vende os vestidos a Mara Pia a 50.
Vende-se vestidos de cassa eom baaras a Hara
Pa a 54, ditos de la a 64 : na roa da Impera-
triz loja e armazem da Arara o. 56.
Chales da Arara a 80deGl.
Vende-se chales de fil a 84, reondas a lo::.
chale de fil de seda a 144 e 184, chales de me-
rino estampados a 24, 245OO. 44 e 54 : na ra da
Imperatriz toja da Arara n. 56.
PAR* h QLABESMA
PECHINCHA ADMIRAVEL.
Remedio efficaz para ery-
sipella.
Oleo de jandireba.
Vende se esta incomparavel remedio no grande
armazem de drogas e Untas na praga da Boa-Vista
n. 24, esquina da rna do Tambi._________^^
Oh que bella pinga.' I.'
Cbegou alinal a travessa do Qoeimado D. 1, o
verdadeiro vinbo verde de Basto* e vende-se por
4300 a caixa com 12 garrafas ou 640 rs. a gar-
rafa, a elle que muito fresco e proprio para a
eslacao._________________^__________"
(.eneja selada
Ha diariamente a venda por prego commodo ;
no armazem da Liga, ra Nova n. 60.__________
PEORA MARMORE
Vende-se superior pedra marmor para conso-
los, modelo a Luiz XV e uma mobllia de igual mo-
delo : na roa da Cadeia n. 55, esrriptorfo, tu pri-
meiro andar.
Rap grosso
A loja da Aurora, na ra laga do Rosario n. 88,
recebeu rap grosso da fabrica de Eslevao Gasse,
do mais' fresco que tem chegado, assim como de
muitas.qualidades._______________.
Vende-se uma loja de cbaiutos cuja armaco
e dous fileiros nao excede de 160* '. quem quizer
dirjase a ra do Cabug n. 1 B.
Esclavos fgidos
150,? de gratificado.
Fugio no dia 21 de maren do anno prximo
passado, da casa de seu sentaor, o eseravo cabra.
escaro, de'nom Benedicto, com idade de 2o a 26
Vinos, levou vestido calca de-algodao de llstra,
camisa de algodao da trra, chapeo de cooro de
abas largas; tinba cortado cabello a eseovioha,
altura regular;hltf doT:orpe, olbos pretos e raaSo
vivos,- nariz e booa gn*ares/rooio ponca barba
Boqueix e uflapeqosno busso, todos, os dentes,
fies regularas, ele etc. FoT comprado naqnt He
firnd>Binle nrelii a 1^600 ps regulares, etc., etc. toi coropraao naqumo
nt?1 SnaoeTroto, fazenda estudia 9 ou id aoSrr.M>Ato
- Vende-se superior g/osdenaple preto,
muito encorpada, pelo baratissimo preco de 14600'
o eovado, sendo fazenda qne-val mnito mais di-
nbaira :. naJoia e armazem d Parae na*rna da
Imperali o. 60, do Gama & Sitoa,
MANTAS PARA O PESCOCO
a 14, s o Pavio.
eon procutrfoT* dor*Andr*lae' do. Parva,
morador M*idan> detfonea, paraonde fugio o
referido escrave-, egoodo aviso que temos do refe-
rido Sr. Piva, e alli anda refogiando-se algmnis-
vezes para a sem'flenotnitlao'a Jc* Lnit Roga*
unos pnrnrtwtt a todas* as autorldnOoo-polieiaes>-e aos
-....., >..gt ?-ZJt,*";m MMn i, senbores capvtes d#campo, a captura do dito
MMn*M berniamantas para-o peenoeo, pe____^ .J^Jta., ..^1' ^a nn rasiAnnela
baralo pfeoo da 14 : aa loja do Pavao na rna da,
Imperatriz n. 60, de Gama de Silva.
Madapoloes a 3,500 rs. a pessa.
S na. loja do PavSo.
Wnde-se pwja #j nsnlboJintttnroDu B ja^
da*, pelo baralo prego de 34500 e 44000.
Qrantle peohindia.
LasiDhas a 210 o covado
Vende-se bonitas fiasinhas eom os mais lindos
costos eseoWtes a 240 rs. o vado na loja-do Pa-
tio oa raa d* toperatriz n> 60 w Gama di Silva,
Chales de renda,
Vts foja do PavSo.
Receberam-se os mais linOos ebales pretas d*
renda, asarm como aa mais modnrnas a campridn
retondes, e manteletes da mesma fazenda, e vende-
aa mais barato qne em outra qaalqner parte; na
loja e ajmazem do Pavfio na ra da Imperatriz n.
06 de Gana ir Oliva.
Catlor aWOn. o cofo,
tarst calcas.
VenflWn-e surjetloMs easwws oito enaorpados
padrOeanannroa pekt barato preo da .320 rs. o ca-
vado, servlndo esta fazenda tambem para escravos
por ser de moila duraQo; na lojw armazem do
PSvlornaaimprrtzn. 00 WBama&SHva.
Cbtpto pon irMiias 6,000.
S6 na loja do fcrl)to.
8e venden) os mais bonito mala bem aneitt-
w etWDOnvtbo da pama-d* naba pmprma anta
meninas, palo baratteaftno proa to MflQO; na I '
aaavnaaam do Pavao narna da Imperatriz n.
p>(anu481lT>
mtifi
1M$ 4e gmtifiomyo
AinOa m cha ansente dwde eninfo pajeada n
Bscrava Lt4ta, ra refnlar, coa alta de danta, aiWp eom cabotto
****** mi A A iippflr ana odexasse crescer
I
80 WTnoe a ceWnrca o Or. !<*
a-asi




>
ni
esoravo, e remelle-lo a casa de nossa residencia
a roa do Imperador n. 83 segundo andar, e flor
cujo irabajho gratificaremos com a qoantia sa*
pr<
Becife, 28 de fevereiro de 1866-
ArwA Pera.
Atteflr^io.
Fogle ne d*a 0-o> correa4 o lnvlto de n*m
Joao, com os signaes flifiartos : Idade de 12 para
13 annos pooco mais onHBVos, cabellos cortados-
nariz ambilado, levan vestido cajea to algodozie
nbo escoro com remondes braaeos a assento o
joelbo, camisa de algodao da listra com remend,
branco, eostnma se iotitalar forro e trocar o non,
regqjsta, tem sido visto pela Passagem da Mag-
dalena : nede-se encarecidamente aa antornJes
policiaes- capltes de campo o favor de apprebea-
nVIe e Im-to a rna do Sebo oaaa n. 33, que ser
aeeantpansado.

1S


-

fV
MI

II
8
Marte *e Perambiet Ter
SGIERGS R ES.
~r
OS MUNDOS.
ii
at MfcOOd palmos, 9 por nma athmosp'Mra Iraar-
parente anloga nossa e de urna tal elevagao que
delta perceber da .< Terra o nascer e declinar
de seas das. II
A t Terra > depois de Venas o planeta.
que se encontra caminhando sempre para a perife-
Passemos a tratar 1 as, e eomecemos por- tit do 9y4|,mi- Sepiram.M do Sol 3^30:000
nos oecuparmos do centro commurn em torno do leguas. Sua revolacio trpica effectaada em 368
qnal lies fazem dias ffidlM) 5 norM 9 M mlna,os e iJfi ^
^~r*X^rZLZZX.
netas aos quaes elle Ilumina e aquece, derraman- planeta precedente, pols de 83 horas,86 minutos
do torrentes de taz e de calor no espaco, occopao a 4 segundos. Sua densidade tomada para lar-
centro do nosso systema planetario, e orgalhoso mo de comparajo o representada pela unldade
preside as revolad dos outrosastrus.que formara agsiul como seu volume, sua extensao superficial'
esse systema e que sao a soa cfjrte. Bem qne de- e a intensidade da gravldade sobre ella ect. A
virjam s opiniSes] dos astrnomos sobre a consli- Terra erB SUJS evola?59S aCorapanhada
tuicao physica do Sol daremos a masadoptada por anj sateli,e a Lna que djgU de||a 96.7a3
e a mais racional. Segundo essa opraij.que par- iegQas e que e(Iec|a wn d myimfmo de .
tilharam Willlam Herschel e ontros e que l85g0 em ,orno de UQJ e|xo d|cn|a|> 4Q |a.
boje a de Sir John Herschel o Sol ouM da S(]a orbu e dfl
corpo obscuro envolvido por urna carnada de na- Terra
urna segunda atbmospbera lu-
involve a
< athmosphara
miosa > designada por < photosphara 1
e de translacao em torno da
, em ura eepaco de lempo representado
rmam ama por 27 dias e aw ^ ^ ^.^ ^ ^^ Em
vinude de effectuarem-se no mesmo lapso de lempo
seas duus movimentos, os habitantes da Terra nao
pnmeira e determina o disco apparepte do astro. podem ver seno am dos hem herios da Lua
Segando demonstrou Arago, a substancia lura.no Na opijio dos aslronomos
sa que forma o contorno do Sol garosa. immensos picos de que a Lua se acha coberta pre-
' VTl; ^'^^'^^H^^^-.sentemente, soprovas concludentes de qne este
mos pela habitabilidad? do Sol baBeando-se na astr0 foj presa de innmeros cataclysmas. Sua
sna const.tuioio physica. Segando epler, esse densidade de 0,615 e a accao da gravldade re
astro um poderoso imn que por raelD de nina at-'nroeoniaH a7 a. .1.___j______.._..-
traccao reciproca, como que attrah' es ontros as-
iros do grupo que elle rege, um foco permamen-
te de electricidade qne elle derrama sobre os mun-
dos, finalmente o agente directo ou ndlrecto de
todas as transformares que se operara sobre os
planetas esem o qnal ocoracao da t Ttrra gela-
do, deixana de pulsar.
O 1 Sol > tem como a < Trra um movimento
de rotajao sobre si mesmo, em torno de um eixo
quisi perpendicular eclyptica, rotacac que se sf-
fectua de occidente para oriente, em qnasl viole e
cinco e mel dias des nossos. Sea voiame .....
1:407,187 vezes mais que o da Terra sua su.
pertieie 12:844 vezes maor extensa que a d'essa, e
sea peso 700 vezes mais que o de todos os plane-
tas, cometas, asteroides e satlites reunidos. as
aberturas que existem as suas athmospheras e
atravs das qaaes tem-se visto o seu globo inlerno,
a Terra poderla entrar como urna laranja n'um
poco, tal a grandeza do dimetro dessas
turas.
O calor interceptado pela 1 Terra
mente pequeo, comparado ao que o Sol derra-
ma no espaco; no entaoto o calur que a <1 Terra >
recebe em am anno, repartido uniformemente por
deve ser pan seas habitante- te o
qne recebe a Terra > para nos, c destribnida
methodicamente e em orna m e ln-
variavel por nada grao de latn iador aos
polos.
Os habitantes de Juper nao esto snjeitos
tomo nos s viciawtudes das estacSes; orna pri-
mavera eterna o enriquece, e 4 satlites illurai-
tornamlhe as aoites mui curtas a iiempre illumi
nadas. Seas satlites esli distancias qne va-
riara entre 108.268 e 485:160 leguas.
< Saturno o raals notavel dos planetas, faz
sua revolucao em torno do < Sol de quera dista
364,381:600 leguas, em 10:759 dias medios, 5 ho-
ras, 18 minutos e 21,6 segundos. Sea globo ma-
gesloso, qne 849 vezes maior qne o da 1 Ter-
ra animado de nm movimento de rotaeso so-
bre si mesmo que executado em 10 horas e 30
minutos. Soa densidade 0,1016 e accao da gra-
vidade em soa superficie 6 representada por
1,09. Este astro cercado por nm duplo annel
qne se acba qaasi no plano do sea eqaador e que
animado de am movimento de rotacSo, no sea
as vastas crteras e piano, que se conclue em 10 horas, 32 minutos e
18 segundos.
(Conltnuar-ie-ha.)
presentada por 0,167. As altnras das monlinha$
da 1 Loa que lera sido medidas, variara entre
7:264 metros para a denominada Newton 1 e
1:930 metros para a designada pelo nome de
Gay-Lussac .
1 A 1 Lua >, diz Dubois, nao offerecendo
aspecto aigum de nuvens, conclue-se que se ella
tem urna atbmosphera esta sempre diphana ;
mas, neste caso, para as partes da Lua situadas
na linha de separaco das partes esclarecida e es-
cura, deveria haver aurora e crepsculo, e por
conseguate, a parte esclarecida nao deveria ser
ntidamente separada da parte nao esclarecida, co-
mo tem lugar.
De facto se a Lua tivesse athmosphera seme-
1 Ihante a' nossa, urna estrella que fosse occaltada
, por ella deveria ser vista, em razao da refraeco'
I algum tempo depois de estar realmente atraz del-
I la, o que nao tem|lugar. Se pois a Loa tem ama
er- athmosphera, ella difirante da nossa e nao ex-
cede o nivel medio das cavidades desse astro, por-
lano seus habitantes necessariamente. tem urna
constiluigd physica difireme das da Terra.
A c Loa > nem sempre se aprsenla como um
, disco luminoso ; seu aspecto vara desde um arco
hda a sua superficie, seria capaz de derreter urna!. .. 7 IL
. ..\ de circulo at um circulo perfeito, o qae constitae
suas phases. Os habitantes da < Lua > devem
infinita-
UTTERATRA
UM
POECO
carnada de glo de 140 palmos, que envolvesse cora-1
pletamenie o no-so planeta.
E' a gravitaco universal > que dirige em tor-
no do Sol o sea systema ioteiro ; ella, que retra
e marca < Lua > a sua rbita era torno da < Ter-
ra >, assim como aos ontros satlites as Suas era
ma >
ver a t Terra debaixo dos mesmos aspectos que
nos a vemos, e suas noites de luar devem ser mais
bellas que as nossas, visto que a quantidade de
luz reQectida para ella pela Terra > muito
maior, por causa de ser a t Terra muito maior
torno dos astros respectivos ; e ella, que, sob o no- que e,|a
me de gravidade assegura nossos pas-.os sobre a
Terra; ella, que sob o nome de afflaidadf dirige I Marle CUJ0S caracteres sao extremamente
os movimentos dos tomos as transformares do serae'han'es aos dos planetas precedentes, dista do
< Sol > 58,178:600 leguas ; seu anno de 686
das, 22 oras e 18 minutos, seu dia de 24 horas
mundo inorgnico; ella Qualmente, que preside
as revoluedes lemginquas dos mundos estr rilares.
c
DE TODO.
A Semana Religiosa, revista do ensto que se pu-
blica em Pars, donde noticia de am sermo prega,
do na igreja de Nossa Senhora das Victorias, a 8
de dezembro prximo passado, diz o segainte, caja
leilnra recommendamos pela referencia honrosa
que faz ao digno diocesano, o Exm. Sr. D. Erama.
nnel de Hedeiros, o Sr. vicedirector da arebi-con-
frarla (este era o prefador) tocn vivamente sen
auditorio desenvolvendo os nobres traeos da grande
e magestosa figura de Pi IX, o santo e veaeravel
pontfice.
Reinava no auditorio um profundo silencio, e fo'
no meio desse silencio, que o S?. vice-dlrector pn*
blicou a maravHha, qae Ibe liaba sido dado con'
templar.
Sua voz sympatbrca interesara e* commoveu
dos os coracoes.
Elle mostrou alternativamente em Po IX, ora o
grande pontfice, cbek> de gloria a magostada, ora
o humilde religioso da ordem 3a de S. francisco de
Assis, viveudo na pobreza, e apenas serviadose do
estrictamente necessario.
O Sr. vice-director ababu vivamente sen ndito'
rio cora a referencia de tactos, qae a hora* Ibe for"
50a a interromper.
Eis aqni nm desses fados.
Um sacerdote brasileiro, anda joven liaba al.
trabido a aliento de Po IX; elle de va despedtr-se
de Roma e voltar ao Brasil aannnciar a boa- aova
a' seas compatriotas, anda nas-lrevas.
Pi IX, que tioha adeviohado seu coragao Ihe
lbe da' a unecao episcopal, coafiando-lbe a missao
to.
de govemar urna grande diooese, entre seas- ir*
E" assim, diz Camille Flaramaroo, que no seio ,39 mmulos e 21 segundos, sua densidade mdla':mos.
da natureza todos os phenomenos se encat delata 1293 t intensidade da gravidade na sua soper- Sob o pezo de to rudo provaaca, o pobre brspo-
sob o poder de leis uaiversaes; que a raesma flcie representada por 0,50. t Os envoltorios cabe-aos ps de Po IX, e os raga eom snas kaft*
forca que levanta peridicamente as agufes do athmosphericos que cercam t Marte e a Ter- mas. Fio IX o abeucoa e o levanta.
mar escumoso, cobre de cometas coruscad tes os ra *> diz Camil'e Flammarion, os gellos qae se
A benco do graode pontfice-faz nascer no cora-
planos ethereos; que a masma fecundidade que \ ormara peridicamente nos seus polos e as na- Qo do- bispo a foro>-eom a gracai
pova urna gdtta d'agaa de railhoes de infu|zorios
c deve produzir e desenvolver na mmensidaJe
1 dos cus milhoes de nacoes e de crealurasJ >
Os planetas, gravitando era torno do tSol, discre-
vem elipses de que este astro ocecupa um dos
focos e de tal modo que as reas descriptas pelos
seus raios rectores sao proporcionaos aos lempos
vens qu> se estepdera de lempos em tempos sobre Elle esta'-proropto a partir.
suas superficies, a configurado geographica mui- Tendes vos urna cruz pastoral, Ibe pergtnta
to anloga de seas continentes e de seas mares, as' o papa
vanagoes de climas e de estantes communs es-
tes dous mundos, nos levam a crer que estes dous
planetas sao habitados por seres euja organisaco
physica deve offerecer mais de um carcter de
analogia, ou que se um delles fosse votado ao na-
gastos por ellesem percorre-las. Osqnadrados dos ___, ^. ... m._ .to
, .. da o outro deveria ter a raesma sorte.
tempos de revolucao de dois planetas eslao sempre
entre si como os cubos dos semi eixos maiofe? de
suas rbitas.
D'onde nos concluimos que a a Terra sendo
habitada, c Marte o igualmente e por seres
Caminbando do cenlro para a periferia dp sys- $* na0 W*&, ao menos nraito semelhaoles aos
tema o primeiro planeta que se encontra itMer- terrestres,
cario. Sea anno compoe-se de 87 dias, 23 h^ras e DP0's de Marte e- 100 raHhoes de leguas
14 minutos, sendo o seu dia quase igual ao nosso,' pouco mais ou menos do Sol, ? acha-se orna
por ser de 24 horas medias e 4 minutos. Sda dis- iona de 80 milhoes de leguas, dentro da qua.1 lazem
Anda nao, saattssimo padre.
Pois bem, vu~darvos ama..
PiIX retiroa-se, ura instante; Oepois vortou
com utn cofresinbo em que se enoerrava ama cpuc
que ooBtempiou algaos instantes coa a mais vwa
emocao, e disse ccia voz penetrante-:
tancia ao Sol de 14,783:400 leguas, seu vblume
muito menor e sua densidade quasi tres; vezes
maior que a da Terra. O Sol para o.s habi-
tantes de Mercurio deve apresentar-se I como
ara disco sete vezes maior que o que veem'os ha-
bitantes da Terra, mas cuja grandeza varia
segundo as poslcoes successivas do planeta em sua
omita, facto este que deve muito ter concorrido
para que os Mercurinos fcilmente lenhaim des-
coberto ama das primeiras leis do syslepa do
mando, sto, que os planetas descrevem elipses
ote., como cima dissemos,
iMerrorinos se appresenla ets vezes maior que
aos habitantes da Terra, tambem por elTeito da
mesma causa a luz e o calor qae elles eeebem,
desse astro sete vezes maior que a qae nfc rece-
bemos. As modernas observaedes tem-lte> desco-
berto cadeias de montanhas mais elevadas qua as
nossas, que o. cercam e cortara em todo os senti-
os, assvm como que elle cercado por urna
athmosphera muito densa. 1
Venas o mais brilhante dos planeftas e pro-
vavelmente o mais antigamente conbecido, envolve
com
suas revolugoes, em torno do centro comcnum,
urna grande quantidade da pequeos planetas que
effectuam seos movimentos independente uos dos
ontros. Estes pequeos planetas ou asteroides sao
devidos, segundo uns, um despedacameato, nos
tempos primitivos, do anel cosmieo que devia for-
mar nm planeta, que fot at aononciado por Ke-
pler antes da descoberta do& asteroides, como
existindo abi; e, segando oatros, elles sa os frag-
mentos de nm planeta qae urna revolucao interior
despedacou e disseminou no espaco. Os lempos
e o disco sillar aos Je ^uas revolugoes variam desde 1,193:281 at
2,083:293- dias medios. O Damero destes planetas.
eleva-se hoje 81 e provavelmento continuar i
elevar-se, pois que constantemente novos dessas,
planetas sao descoberlos.
A' 200 mitboes de leguas, approximadamante
do Sol se acha o globo immenso de Jpi-
ter O brilbo deste. planeta quasi igual ao de
Venus; sna roiaco diurna varia entre 9 ho-
ras, 50 minutos e 48 segundos e 9 horas, 55 mi-
natos e 40 segundos; sua digresso annua tem a
duracao de 4:332 das, 14 horas e 57,6 segundos.
Mea filho, resebei esta c;uz, i amesma, que-
eu Iraaia, quando era bispo.
Ob I santissifflo padre, jamis........
Mea filho, recebei esta cruz, Pi IX, qne-
vos-a-oilerece. Qoaado em vossas missoes tiverdes
de atravessar a grande va das provancas, aper-
tai-a bem sobre voseo corago^.e-ell vos proteger*
O *spo cedeu esto a'- la paterataes instancias
a aperion sobre seo coracao, e depois, antes de sua
partida, fez o testamento seguate:
a. Lego minha cruz pastoral a mens saccessores
na diocese, q Po IX.me conft.
. Esta cruz pertenceu a esta grande pontifica, e
oi trazida per elle, quaado era bispo.
t Eu a lego at a mor te de Po IX, depois, da
c qnal nao davera mais ser trazida por ninguam, e
>. sim voltar a' igreja para ser venerada, pelos
fiis.
Tal o testamento, quefei o joven e nobcs> bispo
antes de partir para sna. pengosa viagem.
A igreja, a quem fez-S. Exe. Rvm. aqoja sagra-
do legado, a igreja pernambacana.
para dentio, vi unja mulber idosa, qae trabalbava
em nm tear. Fcilmente percebi qae oa moitoa
asnos Ibe tinbam ronbado as torcas, pols qne nao
havia grande agilidade no atinar ca lancadeira,
nem bastante vigor no apenar a tecedora.
Ao ver-me, interrompea o trabalfco, e pergan-
tame:
O senhor qder alttuma coosa T
NIo, senbora respond eu.
Parei aqni por mera eoalosjjdade.
A boa velha convidl-me a' entrar.
Sente-me em ama arca, qua eslava parto d*
porta, a logo travamos a segainte conversajo :
Tem ja' muita idade, senhora T
Ja''ca' esto para cima de setenta janeiros.
Era tempo de Dens me levar para si I
Nao diga isso: ha de ter anda multos annos
de vida I
Dos tal nao permita I Em outro lempo, ga-
nhava en bastante com o mea tear; mas agora sin-
to-me ja' traca, e apenas ganho nns tristes vintens,
qae para nada ebegara. Qae estou en fazendo nes-
te mando ? Estou servindo de peso e de malyrio
a ama pobre filba, qne nao sei ja como tem pacien-
cia para me soffrer......
Ah I tem comsigo nma filba 1 Ao menos deu-
ibe a providencia essa consoiagao I
Sim, tenho na minba eoropanbia ama Ulna; e
se o senbor se demorar ama migalbinba, ba de ve-
la ebegar do matto.
E com effeito, mal tlnha a rae proferido estas
palavras, quando entrn a pobresinba da filha, car
regada com am enorme teicbe de*lenha, e o arro-
jon com visivel enfado ao chao. To caneada e
aborrecida vinha, qae apenas se atllvion do peso
da carga, baqaeon sobre o solo, como cae am cor-
po morto, e logo depois, sem ter anula dado por
miro, rompea em imprecares contra a sna des-
ventara.
Tem paciencia, fHha I tem paciencia*.....
Ja' me falta, mintn roai -, ja' me falta a pacien-
cia. Cao% vez necessario ir mais ionge para apa-
nhar estes tristes gravatos f e anda para mais, o
mato eslava-- molhado, e encbarquei o fatiobo-...
Alevantoo-ae convulsiva para arraslar o feixe at
a' coslnha, e ir enxugar os miseraveis farraporqoe
mal Ibe cobriam a nudez.
Poi ento, qm ooteu a presentar de nm estraurro;
dea leve signal de espanto; e sem inquirir quera
en era e o qae pretendera, pe dio-rae lieenca pan-
ir arranjar a sna vida.
-* V o seuhorT aqni esta' a mitran mofina cod-
digao I me disse a boa velha. Esta- pobre rapari-
ga, qne rae envelheceado antes de tempo, qaem
tem todo o peso d'essa* casa, por que eu apenas, e
a muito custo, nosso'oeenpar-me ooservico que
esta vendo, vontade teoho ea de trabalbar; mas
faltam-me as forcas, faltam-me o vigore a agilida-
de, pelos annos e pelas ntoieslias.
A boa velha observos que cu a escutava eom at-
tenQo a sympatbia, e prosegaio assin>:
A miaba filba a minha providencia ;,mas ao
mesmo tempo alllijo-me dea ver sempoo a,oargu-
rada, e sem jamis ter ura boeadinho de descanco,
de distraegao, de alegra. A infeliz cuaca leve
mocidade; e n'aqaelle coraoao entrara smente a
oveja, ao comparar a sua estrella com aaealgomes
raparigas, se eu nao lne eaeinasse que-devoraos
contentar-nos com a nossa aorte,e nao einar com
ruins olnos para as mercesu.ua Ueus faz aosoutros.
Lavoa Nese Senbor muito cedo o mea. marido-,
morreu-me depois um filho,que era toda a- minba
esperanca ;-fkou-me somante esta filba....
Durou anda por mais.umpo a nossa couversaco,
at que veio ter comaosco -a desventurada rapari-
ga, t' cora, raosiras de resiguacio, e com um ar
prasenleiro.... tanto qaanto es iafelizes da tetra
podem ostantaa-se alegres.
10 ruta, eUrultr uso nm passa ientro
O que ella me contou, com a maior simpMcidade,
os pormenores e mil ingenuas explicares-que a-
presentou, confirmaram o- que me dissera a. boa ve-
Iba, e mais e mais augmentaram a tristesa qua nm
to lastimoso quadro me eausara.
os salatares dietaraes da resigoarjo e da confianca
na misericordia djpma
Ao daspedr-me d'elle, aperton-me a mi mala
vivamente do que de costame^ e so a largon depois
de proferir amas'' palavras, am tanto mysterlosa,
qne eu nao pade comprebender n'aqaelle instante,
a qoa, qnando maito, interpretei como expressdes
de agradec meato, embora tivessem am tanto de
singularidade, e talvet de insondavel melancola.
Passados tempos, soabe qae o mea infeliz eonbe-
cido uvera a depioravel eoragem de por termo a''
sua desdita, suicidando-se. .
Foi ento qae peaetre a sigoicaco das ultimas
palavras que lbe ouvira......
O desengao dado a' minba ignorancia, oa a'
minha irrrellexo vinha Urdi; ja' nao era tempo
de segurar o desventurado a' borda do bysmo I
Passoa-se isto ha muito lempo; mas lembra-me O' ns/mpba dos meas sonhos vem deitar-te
qae o mea conbecido tnha ura prente rico, muito Sobre a serra d'espinbos qne all vs,
rico... e esse parate mandavo-o afastar do atrio Oa tra dentro d'ura cesto lodo o pranto
da sna opulenta morada, como se manda enxotar Que por mHn tu cborasles boje talvez.
. me prenderai
u Blas 1 se ea nao fagia ?
! oaoteub
DO man engraiador e do Garca I
Adeus mens amores de menino,
En lio- quero soffrer, mas tentar somno;
Se o galo da fipha pdc otn ove,
Delxou-me aqni no mando em abandono.
Mariqainhas gentil, namoradeira,
Jacar de qainul, foje oa le mato;
Se leas olbos tem laz, ea tenbo fro,
Malher, furia, dragao, ventas de gato I
As brisas que o moleque da Semana,
Das bochecbas assopra em debandada.
Se transformara de noate em sal amargo,
Em sorvetes tambem de carne assada.
a sua a rbita de Mercurio Sna revolo-jsea ralo mala de 11 vezes o da a Terra e sea
cao"trpica feita em W* das medios^ 16 horas yo\amQ i:g83 vezes o do nosso planeta. Sua densv-
* dade 0,2389 e a accao da gravidade na soa su-
e 41 minutos. Sna distancia ao Sol e calca-
lada em 27,618:600 leguas. Este astro recabe do
Sol duas vezes mais calor e luz qn a Ter-
ra Sen dias teem a daracio de 231 horas me-
dias, 21 minntos e 7 segundos ; suas estacSes sao
deimezes e melbor earacterisadas bn as do
nosso planeta. Sea voiame, extensao superflcia,
densidade e gravidade tem quase o mesmo valor
que as correspondentes da Terra, e Venus
E' do dislincto Iliterato Jos Silvestre Ribeiro eo
te interessante escrlpto sobre
AifiL'MAS. MAJS1PESTAQ.OKS DIVERSAS B.IHFOBTIjMPi
Stugelo, simples-----coma a verdade I
Quando ha annos passei a estacao.calmosa, no
campo, folgava de alongar os meus passeius, e
mais de ama vez me acceden chegar a sitios mul-
to abstados do ponto da minha residencia.. Ora em-
perficie representada por 2:456. Este astro beb'do e envolvido por um envolncro gazoao, no qnal ac- n> tnam constantemente espessas navem. qae fortam me das distancias, e andava..... at cansar, oa at
soa configuracao geographica aos nossos olbos. encontrar algum casal, onde pndesse conversar
Herschel altriboe as fachas esbranquicadas qaem qaer qae fosse.
que correm paraUelamente ao equador deste astro, \ Dm dia, depois de muUo caminhar, cheguei ak
i correntes athmosphericas semelhaoles aos nos- o* pequea povoaco, que so muito ao p se
sos ventos atizados. A quantidade de lux e de ea- ereceu aos olhos, como que escondida na solidao
aprsenla phases, como a Lua, que sao bem dis-' ior qoe receDe jDpuer do Sol t 2 vezes petos accidentes do terreno, e encerrada entra pe
tinetaroente observadas; cercada por cadeias del menor qae a qne recebe Terra em igaalda-
alterosas montanhas, algumas das quaes seelevam de de superficie ; essa quantidade de calor, qne
qoenos montes qae a ciroumdara.
Parei a'porta de ama humilde casa, aolbando
As duas iafelizes creataras ficaram caitamente
crendo, que na soa morada esvera um borneo* de
pouco siso, talvez um alienado l
Sem preferir urna s palavra de despedida, sem
Ibes deisar ver as lagrimas que ja' tinbam asso-
mado, latireirme pressuroso, como um fugitivo qae
procura.por-se a salvo...
Era dkversoo sitios 4'esta ciaade, anda os mais
freqoantados, eucontrava u por vezes umaomem>
a quera conecia de na. muito, e com o qual troca-
ra algumas palavras daponsolaQo, de qae o infeliz
maito precisava.
Nunca foi importuno;.nunca deante d mim dei-
xoa de manter a dignidade de hornera se phases
ha em alguma oc sua penosa existencia, ara por qne eu desafia va o
seu desafogar.
Anda em estado, de ganhar pelo, trabalbo os
meios de subsistencia, pode obler om emprego;.
mas ficava este muito abaixo da edoeacao que o
meu conhecido recebera-----e por Soa delibera-
se a abandonal-c, na esperanca de que se llie de-
parassse oulra coliocaco mais apropriada e digna.
Mallograram-se as suas esperanzas, e o tempo
loi correndo longoe interminavel, sera que a sonba-
da coliocaco apparecesse.
As mesqiunhas economas do emprego que- exer-
cera, e oeaeotaal soccorro de algum.raro.amigo,
foram dando para alimentar o desvalido; mas a
benfica, fonte estancou-se, como. as. nascentes no
esto, e- a negra tome visitou mais. d> am vez a
malfadada creatura...
No dia em qae pela ultima vez a encontr!, vi
logo qae a miseria comecara a empoigar mais bru-
talmente aquella victima.
O encovado e a pallidez das faces, e o traje quasi
andrajoso do mea conhecido tornavam bem fcil a
conjeclura que formei.
Avisinbei-me d'elle, Qz esforcos pare oecullai o
amargo espanto qae a sua prostraeo me causa va,
e procurei iofluir-lne alguma consolaco com pa-
lavras de esperanca, e fortificar o sea animo com
um cao mpoiiuno....
< Venha quanto antes E' necessario resol-
ver N. a entrar no hospital : n'esta pobre easa todo
falta; nao possivel que aqu melhore.
Um amigo meu, aquem foi transmtlide este avi-
so, nao se demorn um instante; entrn em um
pequeo qaario ao rez do chao, e vio eslendido,
pouco mais que sobre o solo, um septuagenario,
com quem rivera algumas relajees.
O velho enfermo alegroo-se com a visita do meu
amigo, e logo que ouvio algumas palavras qae este
proterio, mostroa-se disposto a tomar a resoluco-
que lbe fosse aconeelbada.
Fez-lhe o meu amigo ver qae all nao poda ter
o traiameoto, a aliraentacao, os cuidados mdicos,
que a sua doeoca, uar tanto grave, demaodava.
No- hospital encontrara todo o soccorro indispen-
savel; e nao pensasse que bavia desaire em rece-
ber-se a um eslabelecimeoto, que a sollicltWe na-
cional mantera providente,era beneficio dorneces
sitados;-
Annolo o doente insioGaso; derara-se as-pro-
videnctas necessarlas par* re operar a mudanoa .
e am bondoso facultativo se prston a visital can-
tes da passagem para o hospital, prometiendo t-
malo sob soa especial protec$3o.
Queris sater? o doente pertencera a urna boa
familia, no-sentido em qae o mando caracterisa do
ovas as geraijaes humanas, qne nao aos olhos de
Deas, diante de quem somos todos rguaes, e s ha-
vemos de valer'o que as nossas obras represen-
tareis.
D'aqui vnha-a sua repugnancia contra o hospital.
Vivera feliz aa primeira raetad da soa vida;
ma os acontecriento polticos o privara de uro
bom emprego: a le promettea indemaiear o des-
pojado; mas essa indeainisaco nunca ebegoo, e
apenas, quando a velbice, com o triste eortejo da
miseria, se apoderara do infeliz, receben bu mes-
quioho subsidio, qae roai ebegava* para escassa-
mento manter a existencia.
Aos annos e miseria, veio reun'r-se a parda da
vista e do oavido, eafinal tambem urna grave doen-
Qa veio ser companbeira do velho desitosof
Quizera ainda que rae aeompanhasses aea>a de
urna viuva, a qaem ficaram como nica be-
ranea,: uns poneos de-fiihiaatos, que esto pedtndo
pao, e -j. quem a m angustiosa nao- pode' matar a
fme...
Quizera ainda qae meaeompanhasseis & alguma
das moradas das classes pobres, e vissei aggto-
merada eeorao em ptlh ama famiHa numerosa,
mal podeado caber naqneiies estreitissiraos espaeos,
pri vades-1 ntei ra mente- de commodldade, do aaenor
conforto1, respirando un> ar emprestado...
Mas, basta de scenas amargura das.
Essas-pooeas, qne tanto ao de leve, e-to hosper-
feitamente dellnee, coavldaro as almas senerveis
a meditar sobre as formas diversas, sobre o aolti-
modos aspectos qae o infortunio reveste.
OtiL'estabeleija-se urna polica de aova especie,
urna polica, que espree e revele a existencia de
tanto oscuros reductos, onde se loinncheirrv a des-
graga,e-nssim podara ombatar-s om to cruel
inimigo, e levarse a eoosotago e oaltivio a tantas
victimas,que nem seopr tem a possibilta de
fazer ouvir nm gemido
Oh. i acabai nos reos e poderosos esse? desnatu-
ral pejo,queos impede do recoobecerparentes ha-
mi ides-e pobres, e de Ibas liberalisarolgwn- soccor-
ro que os salve das garras da miseira, do tormento
da fbme, dos perigos da dosesperagao I1
Ok I -cnidem os governos de iequerir ende est
a dasgraea, motivada*, pelas vicissitndeo polticas,
qnaasquor qae ella tenbam sido, e nao demore o
pagamento da divida que arada esliver em aberto I
Ob! qae nao baste inscrever as bandeiras pol-
ticas o suave uoaaeFraternktadeIGravemola
cerno sontimento no corago; s-seja eiie nma naa-
cento de mutuas coasolagoes na breve peregrinarjo.
da vida 1...
E' louco qaem contesta que o cometa
Se transforme no mar em agua quente,
Que o gelo derretido agua moras,
Que o fogo de manfca nao queima geMeT
Quando a lua vestindo um saut-en-barqne
Em tradas de camisa1 apparecer,
Eu no sol cavallo passeiando
De raeias de pellica, bao de me ver.
O' rosa do quintal I nunca sorrias
Se de norte ea te beijar a mua rossa,
Eu gosto de eostellas de hambre...
Quando atgoem s'eogasgar drz-lhe qne tussa.
O1 minha oamorada I Conegntidas
Eu quero ser dootor pela Allemanba;
Possuo o meu bon da ronda civiea,
E tenho nma casaca de bretanha.
A fumaga encarnada do charuto
Entupime o nariz, em noite fra ;
Ka tenbo ama |boeeta de bisnagas,
Mais vetttas que o chapeo de minba ta.
De tanto bacharel semperfaminho
O mundo se derrete eccalorado
Ma o gato-no ventre da coruja,
Depois de no poleiro haver cantado.
F0LHETIP5
I SEPULTUf DE FERRO
POR
llenriqoe Conscience
(Continna*;o.)
VH
Extraordinaria alegra brilhava nos olbos de'
meus pais quando voltaram do castalio. Minba mi
heiion-me com intimo jubilo ; men pai poz-me na
cabega a mi com certo sentimento de altivtt t
predisse-me brilhante destino.
O Sr. Pavelyn linha-lhes pedido consentimenlo
para tomar-me sob a ana proteceo; quera qae ea
estadas se, qae me tost dada nma boa edacacio a o
olhar por mlm at que como homem podesse en-
trar no mando. Qaeria recompensar-me dessa ma-
natra o acto de dedicagio qae, no sen entender,
tlnha provavelmente salvado a vida a ana filba.
Mallo lempo se eaorcaram meas paii por faier-
jae comprebender lado o qae valia esta proieccao,
pars precaur-me contra o esqneclmento do meas
deven* e os impulsos do orgalho. Reeommenda-
ram-me que me mostrasse sempre altamente reco-' mostrar o seu saber e a sua boa vontade. Daade
nhecido com os meas generosos protectoras; qae esse dia, curon tanto da minba inslrocca como se
me lembrasse de que eram elles os meus bem- en toase sea filho.
(nitores e ea apenas um pobre filho da aldea ;
qae pagasse a sua terna sollicitude com ama ap-
plicaco constante ; qae nunca fosse orgulboso ;
Cada tarde,' depois de sabir da escola, ia ao cas-
talio brincar com Rosa. Durante duas horas bro-
cavamos no jardim, porque o Sr. Pavelyn tnha*
que nao deixasse de ser virtuoso, e Sobretodo que' na* prescrevido esse exercielo como de interesse
nao esquecesse que os humildes aldeoes que Deas' P*r s"de de sua filba.
me dra por pais me dedicavam o mais terno Depois lamos ao castello para outro diverUmen-
amor e o que mais ardentemente desejavam era to com qae Rosa folgava.mais do qae coro.lodos
a elicida'de de seu fllho. >* --rl e 1ue COB88lia em -a*>ei>tar-me a ama
Estas ultimas palavras, qae sabiram da bocea de roes reP*,ir em am liTro a ''-^ qne dra nes-
minha mi, commoveram-me profundamente, a! < A W meniua era minha raestra. Lonvava-
foicommeiguicetemallosbeijosquelanceldosea.mee ralbava-me com urna seriedade qae fazla
coracSo o recelo qne o acarela. "multas vezes rir soa mal a bom rir mas havia
que por mais do que orna vez toi preciso que nos
pozessem tora de casa para nos desenvolvemos
em exercicios no jardim.
Rosa tinba comecado a ensinar-me tambem o
trances. Nassa poca esuva o nosso paiz sob o do-
minio de Napoleo e s pea lingua francesa
que se poda vir a ser alguma coosa no mando.
Qoando brincavamos no jardim, a minba joven
protectora finga s vezas que nao entenda o fia-
mengo. Havia previdencia e generosidade neste
brinco infantil, porque insensivllmente me fez
aprender multas palavras e mesmo pbrases intei-
ras da lingna francesa, antes de me julgar o mea
L-se no Duo e S. Paulo o segninte :
VERSOS DE 1U.D0UBO.
Meu Dens 1 qnanta afilieco sinto nest'alma,
Que soffrer pesaroso'e pungitivo,
Quebrei o mau.relogfo de parede
Na cara d'ou christo, d'am vil captivo I
Sorrir-se do meu ar, enamar-me lonco,
Querer que Ihe emprastasse a camisola l
Mais alta que o pequeo Corcovado
Nao tinba inspiraedes, nem tlnha bola."
O' minba carapuca de cor tica
Mais branca do. que as barbas da cuta,.
Tu nao s baciiarel nao t'enferrvjes
Vai comer camaroes eom melaucia.
Mas nao: ea fui culpado eu te perdJo,
Nao sentas amor dentro do paito,
.Nao ouvias a voz do sertanejo
Que as aseadas do cea tiuha pot leito.
En nao quero vivar mais neste clima
Os ossos derret n'este arrebol
Costeleta de gelo en te maldigo,
Porque tu me quebraste o guarda sol I
Publica a Estrella do forte :
G'RRMANA Ol A SANIA-DONZBLTA DO POVO.'
Os leitores ja sabera e se nosabem ibes dif"-
mos que Germana foi un' pobre e piedosa pasto-
ra de Pibrac, na vtsnhanea-de Totosa,que o sobe-
rano pontfice a-irez annos declaren) beatificada e-
cuja Cesta celebra-so actualmente:
Quando ella fallecen escrevarara-nos soa histo-
ria de Valenca (Brome) do segainte modo :
Urna ceremonia fonebre reuna-, b poneos dias,
ao pedos altar-s, lodos os babitanees de Motte-
Cbalaoeon (Drom^>.
O luto era geral, o propries- prolesMaies delle--
partilhavam.
t'raa vida precioso acabava de eodipear-se; to- -
das as bocas elogiavam-na, e Bostas duao palavras*
co8i6ttao elogio :
Voou ao co o aojo da guarda da nossa cidade.
Quem era ento essa possoa- coja raorte- ira con-
siderada como urna-desgrana pttbHea>t
Era uasa humilo oca plebaiora uoaa pobre
serva. I Oh I que a nobres a do nome,. que a pom-
pa destituios e das-grandezas humanas- sa* ponen
cousa.comparadas ao bruno modesto da vrtude l
Mara Isabel, anda joven appiieou-so ao servido
d'uraa familia boorada e ebrista de Molle Cha-
lanceB, onde ficou quasi-vinte e seis-aanos.
A esto qae seas amos Ihe rnham, ebegava at
veneraoo, taes enau> as qualidadas preciosas qae
reunt ella em soa pessoa.
SuadevoQo era. sera uraitea-; applicaeo ao
trabalho continua; aas a virtode, a modestia, a
pietede elevavam-na um grc d9.perteie.ao raris-
simo era nossos dias.
O ohjeclo habitual, de sna soliaitud, era o ser-
vqo dos annos; o cuidado da familia e da casa
absrva a maior parte de seu tempo .- o rasto era
consagrado a oraco e a pratica de toda a sorte de
boas obras.
Todos os dia de madrugada, ia Hara a igreja,
e d:ahi nao sab seno a boaa- em que devia con-
tinuar snas ocenpaedes ordinarias. Voltava po-
rradepois do meio dia para, faaar a via-saera,
pcatiea piedosa.que ella tal voz. nao omiltio um s
dia de sua vida..
A nonte quando todo o mundo se tinba retirado-
je que ella poda livremente entregarse seos-
^exercicios de predilecgoy ratirava-se tambem. a
sen quarlo, punba-se em ocacao al a meia nouto
tomava depois alguns momentos de descaaco,
levantava-se as quatro horas para recomeQar esses
piedosos entretinimentos com Deus. Em a sexta-
feira prolongava-se sua oraco durante toda a
noule.
A esle amor da oracio, ajualava Mara, como
todos os santos, o amor da penitencia e da auste-
ridades da cruz.
Coma peixe todos os dias e jejuava regularmen-
te duas ou tres vejes por semana.
O trabalho, os soffrimentos, a molestia, as pro-
vaces de toda natureza nao lbe arrancaram jamis
omaquefxa e morreu como vivera, dcil, paciente,
resignada, admiravel por todos os respeos.
Tal foi esta filha do povo, cuja raorte excitou la-
raentacoes unnimes.
Ella tinba apenas 43 annos, quando dormio no
Senhor.
Escrevem de Luka, cidade situada no circulo no,
lar, o segninte :
A temperatura de que gosaraos excepcional*
mente agradavel; temos tido pouca nev e as noi-
tes assemelbam-se s do esto.
O tbermometro marca seis graos cima de zero.
Em Thorsberga ha batatas novas e os jardios es-
to bellamente floridos.
De to boa temperatura nao se pode ganar a pe-
ni nsula hispnica.
Desde o dia seguate, comecei a ir 4 escola da
aldea para as primeiras licSea de leilnra e es-
cripta.
O Sr. Pavelffc linha chamado o mestre no cas-
tello, e declaraudo-lhe as suas intengSes a meu
respeito, promettera-lhe, alm da ordinaria retrl-
buic&o, urna boa' recompensa, se tanto olnaase por
mim qae podesse ea em rpido progresso recupe-
rar o tempo perdido.
O mestre era om homem ebeio le activldade,
que sobremodo desejava acbar ama occasiSo de
as sus palavras tanta amisade e tanta meiguice
animadora, qae nunca sabia 4 noite do castello
sem sentir em mim mais ardente o deaejo de
aprender.
Com estas incitaeoes e com o auxilio de taes
meios, junios a ama agudeza natural, Os em pouco
lempo admlravels progresos e breve comecei a
lr correntemetite a minha lingua materna.
O Sr. Pavelyn wam qua-
si todos os din tes livros
eom garas, e taato nos divertamos conj fKn,
afeicoava de modo qae flzesse urna creatura qne
Ihe fosse igual pela distlaocad dos gosts, pela pu-
reza da linguagem a pelo desenvolvimenlo da in-
telligencla.
Rosa desempenbAva para cornigo to fiel e seria-
mente o seu papel de protectora, qne a Sra. Pave-
lyn chamava-Lhe minba mai pequea. Aconteca
mui tas vetes, quando esta vamos oecupados com
es nossos livros, a' noite, no castalio, e qne eu me
aventarava a pedir algnma coosa Sra. Pavelyn
qoa ella responda, gracejando :
A ana mil pequea qae Ih'o diga; ella bem
sabe o que .
Ento Rosa erguia a caneca, mostrando nos
eoes de minha mai tinbam para Isso concorrido
muito mais. Todas as vezes qne ea sabia de easa
para o castello repetia-me minba mi as memas
palavras ;
Leo, nanea esqnecas a que s e o qae sio
os leus beiteitores. E' preciso ter juizo e animo, a
saber ser grato, meu filho.
Assim veio o ontono e o tempo em que Rosa ba-
via de delxar o castello para ir com sens pais pas-
sar o invern na cidade. Antes de partir, repeli-
me mil vezes as snas recommendaefies para qne
en aprendesse e astndasse eom appoacao. Se en
satisOxesse convenlntemente este son deaejo, bavia
de ser muito minha amiga e ae dara em recom-
tre por bastante adiantado em Oamengo para me
pasear primeiras nooSes de urna lingua es- olbos o brilhe de singular altivez. Tinha-se por te- pensa multas coasas bonitas,
lranba. liz com o nome de mii, e por ter nm Albo qne Iba I Depois de assentada na carruagem qne bavia de
Rosa nao me ensinava s a ler e a en.endeT deveria a lux do aeaespirHn n provavelmente a levada, e vendo-me a olhar para ella eom osamos
ranoet; reprebendla-me todas u vetea qne ea ventura da sna vida. | rasos de lagrimas, dlsswne ainda era tora meio se-
cabla em um barbarismo oa em qaalquer erro Eu sabia ja' fallar maito bem e dlsiinclamente ; rio e raeio zombeteiro.
crosseiro on eommetUa ama faltt de napalvo. Di- at me gabavam o sonoro da vox e a suavidade do Adeaa, Leio! estada maito e portt-le de ma-
ziame como era preciso qne me portasse em boa I meo fallan, Tinba sabido nm farloso gritador quan- neira que a tna mil pequea fique contente qnan-
eompanhia e o qae permute ob prohibe o decoro.
Em nma palavra, tndo o qne aabiaoa jnlgav* sa-
ber commouicava-D osa insistencia.
Entre u snas o. m*-
Ibya-se a oro. t< q elll kW' *
lo exlstiam prlsoet qae me paralystvam a lingna, do voltar. 0 Inverao nao etarij
mas ento era mais tranqalUo e comedido. Prova- Qa-te e aprende bem o franca^
iM^Mmenaassldixieeslodos tinnam contri- (Cm
o para essa prematiffa graTMada no
meu espirito lfanI, mas as quvt|dlM3 exhorta- PER :0-TYP
i desambara
\

i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ED4J3KV2A_113K0R INGEST_TIME 2013-09-05T03:49:47Z PACKAGE AA00011611_10915
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES