Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10901


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Hl
kaJBVnOBMBI
l**


HHB0H

i

ATOO XW HOMERO 48
Ftr qnartel pagt dentro dos 10 dias do 1.'mez...... ,
Mta dfi8 ds i.08 das dt comeco e dentro do qwrtcl \ .
Porte ao correit |i tres mezes......,..,..,,

SfMt
6$ooo
75o
=
W
SABBADO 24 DE FEVEBEIHO DE 1866
Por anuo pago deitro de 1 odias do l.mez........ 19|u.
Porte ao correio por nm amo............. 3|oo
RNAMBUCO.
KNGARRBGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o 3r. Antonio Alextodrioo de Lima;
Natal,o Sr. Antonio Marqoes da Silva; Aracaty,o
Sr. A. de Lemos Braga; Car, o Sr. J. Jos*
Oliveira ; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Aires &
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
BNCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claadino Falco Dias; Babia, o|
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS,
Olinda, Cabo, Escada e estafes da via frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Igaarass e Goyanna as segundas e sextasfeira.s
Santo Anto, Grvala, Bezerros, llonito, Caruar,
Altinbo, Garanhuns, Buiqne, S. Danto, Bom
Conseibo. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras. *
Pod'Allio, Vazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingaieira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgneiio eEi, as qnartas
feiras.
Serinhaem, Rio Formoso.Taraandar, Una, Bar-
retros, Agua Preta t Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relacio: tercas e sbados is 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Jaizo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphaos : tercas sextas s 10 horas.
Tara do civel: tercas t sextas ao meio
Primera
da.
Segunda vara do civel:
hora da tarde.
quartas sabbades a 1
EPHEMERIDES DO MEZ DE FEVBREIRO.
7 Quarto ming. as 5 h., 20 m. e 16 s. da t.
15 La nova as 7 h., 53 m. e 56 s. da m.
21 Qnarto cresc. as 2 h., 28 m. e 45 s. di m.
DAS DA SEMANA.
19. Segunda. S. Conrado*!.; S. Gabino m.
20. Terga. Ss. Eleuterio e Nllo bb.
a 9?rta"'*S- Max'mia"o e Fortunato bb.
22. Qninta. 8s. Papas, Abillo e Pascacio bb.
23. Sexta. S. Marganda de Cortona f.
24. Sabbado. S. Mathias ap S. Pretxtalo ab.
25. Domingo. Ss. Cezario e Dionisio mm.
PREAHAR DE HOJE.
Prlmeira as 0 horas e 30 m. da tarde.
Segunda asO horas e 51 minutos da manbaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTURO*
Para o su I at Alagoas a 14 e 30; para o norte
at a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 ios mezes de Janeiro, marco, malo
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recite, na livraria da praca da Independencia
ns. 8, dos proprietarios Manoel Figneiroa de Paria
& Filho.
PARTE OFFICIAL
GIlERVO I A PRO VI \C I A.
Contiiiaeie ele expediente de dia 20 de fevereiro
de 4866.
Olflcio ao Dr. ebefe de polica. Constando me
que V. S. antes mesmo de poder receber as minbas
recommeadacpes expedidas com data de 12 e 13
do correte, sabendo do brbaro alternado de que
foi victima o r. Estevo Benediclo Franca julz
municipal e delegado de Villa Bella interinamente
na vara direito, se dirigir immediatamente para
aquella villa, afim de tomar conhecimento do facto
criminoso; approvo e louvo o seu procedimeDto.
E' de presumir qae sejam sufflcientes as provi-
dencias qne exped era data 12 e 13, por um ex-
preaso dirigido a V. S. e quaodo nao, reclame
V. S. as qije julgar necessarias, que ser' prompta-
mente saiisfeita.
Entretanto aguardo do seu zelo esclarecido e
energa as dellgencias e indagac5es mais escrupu-
losas para que nao flquem impunes os autores de
tamaoba perversldade.
21 -
Offlcio ao Exm. presidente do Rio Grande do
Norte.-Tendo seguido para essa provincia o re-
-crnia Francisco Maitios da Silva, que em com-
Jrimemo do aviso da reparticao da guerra de 6
o crrente, constante da copia inclusa tem de ir
para a corle afim de ser inspeccionado, rogo a
V. Exe. qne se sirva de providenciar no sentido de
ter execucio o disposto oo citado aviso.
Dito ao Exm. general commandante das ar-
mas.(Jueira V. Exe. informar sobre o que pede
Joo Carlos Frederico Klaogwald no incluso re-
querimento.
Dito ao mesmo.Informe V. Exe. sobre o que
pede Jos Paulo da Conversado no requeriroento
qne aqu a junto.
Dito ao mesmo. Mande V. Exe. dar baixa ao
2. cadete do 6." corpo de voluntarlos Demetrio
Acacio de Albuquerque Mello, que segundo o seu
offlcio n. 350 de 20 do crreme, foi considerado
incapaz do servico em inspeccao de saude.
Dito ao mesmo.Visto que o paisano Joao Pa-
checo de Parias, segando Y. Exe. declarou em
sua informacao n. 359 de 20 do correte, est as
circunstancias de substituir no servico o soldado
do corpo de guarnicao Jos Jqaquim de Aguiar,
pode V. Exe. mandar dar baixa a este e alistar
aquello.Devolvo inclusos os papis que acompa-
nharam a citada informacao.
Dito ao mesmo. Mande V. Exe. inspeccionar e
recolber ao deposito 12 recrutas, que Ihe serSo
apre-entadjs pelo lenente-coronel Jos Lucas Soa-
res Raposo da Cmara, bera com os voluntarios da
patria que vieram da comarca de Flores, sob o
commaodo do lenente-coronel Pedro Pessoa de Si-
queira Campos.
Di o ao mesmo.Ao offlcio de V. Exe. de n. 342
e data de 19 do corrente, respondo que o tenente
Manoel Jos do Sacramento deve seguir para a
corle no vapor Gerente, a recolher-se ao 6. corpo
de voluntarios a que pertence.
Dito ao mesmo.Mande V. Exe. pOr em liberda-
de, dando-Ihe baixa se j estlver com praca o r-
cruta Joaqnim Jos da Silva, visto ter provado ser
o nico arrimo de sua mi viuva e irmaos me-
nores.
Dito ao inspector da thesouraria de .fazenda.
Respondendo ao offlcio que V. S. me dirigi em
19 do corrente, sob o. 91, tenbo a dizer que tam-
bera pode mandar pagar os vencimentos relativos
a 1.' quinzena do mez de Janeiro ultimo das pra-
cas da companhia de zuavos, as quaes segundo
coosta do seu citado olflcio, acham se contempla-
das no pret da 2.' quinzena a que se refere o meu
offlcio de 10 deste mez.
Dito ao mesmo.Recomraendo a V. S. que nao
havendo inconveniente e em vista da cooia junta
em duplicata, mande pagar a Jos Maria Perreira
da Cunha para esse fira indicado pelo delegado
encardado do expediente da reparticao da poli-
ca em offlcio de 5 do corrente, sob n. 159 somon-
te a qoantia de 3400 rs., proveniente do forneci-
mento de luz e agua, a contar do 1. a 15 de julho
do anno prximo passado, para o destacamento
de guardas nacionaes existente na villa do Li-
moeiro.
Dito ao mesmo.Annunindo ao que solicitou o
director das obras militares em offlcio de hontem
sob n. 109, recomraendo aJT. S. que se nao hou-
ver inconveniente mande pagar a Antonio Fran-
cisco Martins de Miranda a quantia de 5115780 rs.
a que tem direito por haver concluido de confor-
midad com o respectivo contrato, os concertos do
que precisavs o arsenal de guerra, podendo esse
pagamento ser effectaado sob mlnha responsabili-
dade nos termos do decreto n. 2884, do 1. de fe-
vereiro de 1862, se para elle nao houver cr-
dito.
Dito ao mesmo.Ioteirado de quanto V. S. ex-
poz em seu offlcio de 17 do correte sob n. 87,
tenha a dizer qoe mande pagar a Antonio Domio-
gues de Almeida Pocas, somente a quantia de
4 800 rs, constante do floai de seu citado offlcio,
? visto ter de dedozir-se da conta da despeza feita
duraotii o mez de novembro ultimo, com dous re-
crutas o um desertor que vieram do termo d Es-
cada, a somraa de 35000 correspondente ao recru-
ta de marinha Vicente de Paula, que sendo menor
foi recrotado contra a vontade de eus pas. _
Dito ao mesmo.Constando de participado de
lT\do corrente dojuiz municipal do termo da Es-
cada, bacharel Lniz Antonio Piras, que Analizada a
licenca de 15 dias que Ihe foi concedida pelo con-
selhejro presidente da relacio, delxou de seguir
para o seu termo por molestia ; assim Ih'o cora
munico para o Ora conveniente.
Dito ao Inspector da thesoararla provincial.
Restituindo a V. S. a conta junta em duplicata,
que veio annexa a sua informacao de 19 do cor-
rente, sob n. 62 e. correspondente ao tornee! -
mento de luz e agua, a contar de 16 de julho ao
ultimo de dezembro do anno prximo passado,
para o juartel do destacamento de guardas nacio-
naes existentes na villa do Limoeiro, tenbo a dizer
que de conformidade cora o parecer da contadoria
dessa thesouraria, mande pagar a Jos Maria Per-
reira da Cnnha para Isso indicado em offlcio do
delgalo encarregado do expediente da reparticao
da polica n. 159 de 5 d) corrente, somenie a
quantia de 38-72 rs. em que importa esse torne-
cimento.
Dito ao mesrao. A Antonio Jos Teixeira de
Mendonca Belem mande V. S. pagar, conforme so
licitou o delegado encarregado do expediente da
reparticao da polica em offlcio de 19 do corrento
sob n. 230, a quantia de 799000 despeodida com e
sustento dos presos pobres da cadeia do termo de
Agua-Preta a cootar do 1* de outubro at 20 de
dezembro do anuo prximo passado, ama vez que
esteja em termos a inclusa conta e nao baja in-
conveniente. Communicoa se ao delegado encar-
regado do expediente da reparticao da policio.
Dito ao mesmo. Era vista do competente certi-
ficado e nao havendo Inconveniente mande V. S.
pagar ao empreiteiro do calcainento da cidade a
qoantia de 21:104>4O0 a qae tem direito por haver
executadj no mez de Janeiro prximo Ando o ser-
vico correspondente aquella quantia, como se v
do offlcio junto por copla que me dirigi o chefe da
reparticao das obras publicas em data de hontem
e sobo.57. Commancoa-se ao chefe da reparti-
cao das obras publicas.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal de ijtecife. Expeca V. S. as suas ordens para
qoe ao dos cornos da guarda nacional sob o mo
commaodo superior acompanhe as imagen de N.
Senhora da Soledade e do Senhor preio, que tem
de sabir em procisso da Igreja de Nossa Senhora
do Livramento no dia 25 de corrente s 2 X hras
da larde.
Dito ao commondante superior da guarda na-
cional de Cabrob. Ioteirado de quanto V. S. ex-
poz em sea offlcio de 19 de dezembro ultimo res-
pondo qae era vista do competente pret em dopti-
cata, Ihe sero levados em conta os vencimentos
abi nados a 13 pracas da guarda nacional qae cha-
mou servico de destacamento a contar de 26 de
setembro a 31 de outubro do anno prximo pas-.
sado para guarnecer o qoartel em qoe se achavm
recolhidos os guardas nacionaes dessa comarca
que nao se quizeram prestar ao servico da guerra
para que baviam sido designados.
Dito ao eapito do porto. Em solucp a' da-
vida constante do seu offlcio o. 17 de 20 do cor-
rente tenbo a declarar-lhe qae convem esperar a
concluso do praso concedido ao arrematante do
nuar a exercer o seu ministerio, prestando assim goal destino. Declaro a V. Exe. que toa empregar onde encontrn a trra revolvida de fresco e ca-
ma.s ara servico relg.o os Beioiprecisos abra de que emiempo seja satis- ( vando na persuasao de encontrar o objecto 'de suas
Com as ajpvideacias dadas pelas autoridades su- teito o podido qae me at, dignando-se \. Exe. dar- suspeitas, depar'u com aquelle menino anda vivo
m*JZl? com aDlecedenc?. .,*> dia da Parllda d0 e tlrando-o levou-o para sua casa, oud dspensou-
prlnaeiro vapor para aquella ilha, afltn da que nelle ihe os precisos cuidado'
sigatRvd. capello.
bao Rvd. Tito de Barros Correia. Declara-
mos a V. Rvma. que pela secretaria de estado
dos negocios do imperio nos foi comrounicado ter
sido V. Rvma. apresentado na fregnezia de S. Joo
que se nao repfodoziro as desintelligeneias, e "que de Mafia na provincia de Alagoas, e Ihe recom- cdigo crlmTnal'combmadocom oarti'go'si'
- deve mensmos que com a possivel brevidade faca tirar i Do proceso resultou que catharioa aconselha-
Pltulo, aftm de se collar e entrar logo na ad- da pelo pai do innocente, deu a este semelhante
periores, asediante as que instantemente solicita
mos nesta OMf, nao nos falta esperanza de que se-
ro dissipfj| as ajprehensoes manifestadas por V.
Itvma., qdpftfraMKe nao espeeiflea desacato al-
gum direetto sua pessoa.
A prudeoon, de que o soppomos revestido, e a
boa ndole da popolacao, tameem nos affUnrara
Chegando a noticia desse facto ao inspector do
lugar, este o foi communicar ao Dr. chefe de poli-
ca, all ento de passagem para Villa Bella, qae
instaurou o competente processo, pronunciando
ambos ( Paulino e Catharina ) no artigo 197 do
antes se restabelecer o auxilio benfico qoe
haver entre o sacerdocio e o poder civil,
iSo pode deixar de merecer multa estraaheza o
facto de se terem celebrado actos religiosos e pro-
cedido iobumacao na capella sem intervencio do
parocho ou capello. Cumpre qne V. Rvma. vele
com o malor empenho para qae sejam devidamen-
te acatados os dlreitos e altribnicSes parochiaes.
Sobre o outro facto tristissimo'de haver Agora-
do, como clrigo, um individuo, qae despresava as
mioistraeio da mesma freguezia.
De igaaUneof aos Rvds. Renovato Perelra Tejo,
para a freguezia de Nossa Senhora da Conceico
de Quipap, Lonrenco de Albuquerque Loyolla,
para a de Nossa Senhora do O' de Goianna, Joo
Baptista da Silva, para a de Nossa Senhora do Ho-
rario da Varzea, Francisco Urbano de Albuquerque
Montenegro, para a de SS. Cosme e Daraiao de
destino, para que o pal de Auna Maria nao soubes-
se a falta que commettera sua fllha, quera tloha
por honrada ; e o fez illndndo a parturiente, dizen-
do-lhe que seu Alho nascera morto ; pelo que con-
vinha retira-I o de casa, antes que a essa chegasse
seu pal, como efTectivamenlechegou na noite des-
se da, apresentando-se Ihe Anna Mana ae p,
como se nao houvesse passado pelos encommodos
cseo da barca Feliz-Helia, afim de remove-lo para advertencias do capello, deve V. Rvma. ministrar- Iguarasso, Fortunato David Amador de Oliveira, de um parto, algumas horas antes.
outro lugar, para ento dar essa capitana as pro
videncias recommenladas no aviso de 26 de janei
ro ultimo, para semelhante remocae, salvo se a
nos esclarecimeotos completos, como exige a gra- para a de Nossa Sennora da Conceico de Itamara-
vMade do caso. ; c, Joo francisco de Godoy, para a de S. Fraocis-
RecommeBamos Ihe tambera, qae nos Informe co de Borja da provincia de Alagoas, e Jos Ave-
lino Monteiro de Lima, para a de Nossa Senhora
do Pilar do Taip da provincia da Parahyba.
Esse innocente foi no dia segalnle tomado por
seu pal e por dous irmaos deste do poder de Clara
Maria ; e, recelando o Dr. chele de polica qoe no-
quelle arrematante qulzer renunciar o restante do sobre o que allega o subdelegado na copia junta, a lino monteiro de Lima, para a de Nossa bennora vo crime se perpretasse, ordenou que Ihe fosse elle
referido praso. ; cerca do estado indecente da capella de Itabayan, do PHar do Taip da provincia da Parahyba. apresentado, pondo-o sob a guarda de um irmo de
Dito ao jnlz de paz mais votado do Io districto ; entrada de animaes no templo, e o poaco cuidado Dito ao Exm. presidente do Rio-Grande do or- Paulino, que deveras se mostra interessado na con-
da fregnezia do Pao d'Albo. Respondendo aosjemi-lo feebado as horas em qae se nao cele- te.Teiho a honra de levar io conhecimento de servaco da vida do Innocente
seos offlcios de 31 de Janeiro prximo lindo e 11 bram os officios divinos. Allega-se tambera qae o V. Exe, que por exigir o servico da igreja, nomeei
do corrente tenbo a dizer-lhe qne nao tendo bavido capello se considerava exonerado, e que nem ao visitador da provincia de Alagoas o Rvm. Manoel I T.uo presidio de Fernando temos as seguales
reclamaco na qualiflcacao feita o anno passado' menos celebra va o sacrificio da missa. Ferreira Borges, parocho collado da fregnezia de i noticias com data de 21 do correte :
nessa freguezia dve ser considerada completa: Como porm nao so reflram a estes pontos a Goiannltiha dessa provincia, e para sobslitoi-lo na UMejosos de ver melhor garantida a seguran-
para por ella ser feita a eleico de juizes de paz e partcipacao de V. Rvma.,cont qae sobre elles nos qnalidade de coadjoctor pro parocho provislonei o C* publica deste presidio, somos levados a paten-
vereadores a que ahi se tem de proceder no dia 4 dar noticia exacta, pareceodo nos ocioso lerabrar I Rvd. Joaquim Lopes de Oliveira Galvo. Iler a ,alsa posicao em-que nos acharaos,
de marco prximo vlndouro nos termos dos avisos o empenho que deve haver afim em conservar-se a Dito ao Exm. presidente da Parahyba.Teatto a! "isiindo nesta llha mil e cincoenta e tantos
ns, 117 de 30 de abril de 1849 e 337 de 15 de oo- j cpella com toda a decencia necessaria. honra de levar ao conhecimento de V. Etc. qoe presos era coraprimento de sentenca ( e qoe vo
lubro de 1856, visto nao estar concluida a deste > Resta-nos anda declarar que se nessa igreja oc-! nesta data provisonel para vigario encoram*adado serapre augmentando com as chegadas dos vapo-
anno em tempo de poder servir para a mesma correram saccessos qae a profanassem, coroo se de-' da fregaesi de Nossa Senhora da Luz da Pedra : Tet. sendo por crime de homicidio mais de 700,
eleicao. ; prebende da partlcipac), deve V. Rvma. qnanto; Lavada, dessa provincia, o Rvd. Valeriano de Alie- ao* qnaes muitos ha que perpetraran 6, 8 e mais
Poriaria. 0 presidente da provincia, atienden- [ antes levantar o interdicto, lomando o mais vivo in- \ loa Crrela. mortes cada um, como aqu se jactara; parece que
ao qoe requereu Samuel Jos Alves, guarda na- teresse para nao termos de lamentar novas oceur
cional do 10" batalho de Ignarass, resolve con-, rendas.
ceder Ihe seis mezes de licenca para tratar de sua 10
saude. Offlcio ao Rvm. deo lente de tbeologia dogma-
Dita. O presidente da provincia em vista da tica do seminario de Olinda, Ur. Joaquim Francisco
informacao do commandante superior da guarda! de Pana.Tenho presente o offlcio qae V. S. me
nacional dos municipios de Olinda e Ignarass da-. dirigi em 8 do correte, e no qnal solicita exone-
tada de 19 do corrente, resolve transferir do bata- racao do cargo de lente de theologia dogmtica no
iho n. 11 de infamara para a 2* companhia do seminario episcopal de Olinda, allegando a sensivel
de n. 10 da mesma arma do segundo daquelles | deterioradlo de sua sade depois de trinta e seis
municipios o tenente Jos Matheus da Fonseca qoe annos de magisterio, em cajo exercicio, obtida a tissem eom os nomes dos filhos, si os tivessem.
assim o pedio. Coramunlcou-se ao respectivo jubilado, continuara a' reiteradas Instancias do fl- Tratei logo de mandar s regentes dos recolhimen
commandante superior. nado hispo. tos, da Gloria, e Olinda, Iguarassn', Goyanna, e
Dita. Os Srs. agentes da companhia brasileira Por mais peso qae faca em mea animo a razo Papaeaca, que me informassem sobre o objecto
de paquetes figam transportar para o Maraoho j exposta, nao posso deixar de insistir mato para desse offlcio de V Exe.
por conta do ministerio da guerra no primeiro qoe V. S. continu a reger com sea reconhecido
vapor que passar do sul o ex eapito de volunta-! zelo e proAciencia a cadeira que Ihe foi dignamen-
rios do Piaoliy Fernando Augusto de Mendonca te confiada.
Dito ao Exm. conseihelro presidente da provin-! Para guardar lo grande numero de criminosos,
cia.Entre os papis que passaram a minbas mos i devia haver urna forca de linha sufflciente para nao
pir occsao de tomar posse dette Wspado, deparel 80 conslrang-los a cumnrlrem tudo a que por le
com o Offlcio de V. Exe. de 15 de Jaoeiro Ando diri-' es'ao snjeitos, como para garantir a seguranca in-
gido ao Rvnt. conego ex-vlgariocapltalar, pedindo mvidual dos mais habitantes da ilha; pois querem
que Ihe ioforma8e se ao servico de algara dos re- j v.rac,s- sa>er Ia2' a foornicao actoal do presi-
colblmontos desu provincia, exista algum frica-, dio r a segninte : Sao done os destacamentos qne
no livre, que ne tivesse ainda sido emancipado oo aqoi exislero, ora de animara de linha, composto
recebido a respectiva carta; e Ihe remettesse no ca-
so afflrmativo, nma retagao nominal dos que exis-
Jo3o Texeira de Araojo Pinto, Antonio Jos de Cas-
tro, e 1 escravo, Henrique de Oliveira Soares, Elias
Jos de Almeida, a escrava Romana, de Tasso & Ir-
maos, 5 engajados, 3 recrutas, 1 deser.or de Ma-
rinha, 2 offlciaes, 1 cadete, 1 sargento, 1 forriel,
15 soldados, 3 recrutas, 7 desertores, lado do
exercito.
Passageiros do vapor americano North Ame-
rica, sabido para os por tos do sol. Dr. Antonio
C de S e Alboquerqae e um escravo, Dr. C. X.
Pereira de Brito e nm criado. Armand Arles Da-
foor, Aphonse Arles Dnfour.
Rkpartico da polica.
Extracto da parle do dia 23 de fevereiro de
1866.
Foram recolhidos casa de detencao oo dia ti
do corrente:
A' ordem do Dr. delegado da capital, Virgilio
Thomaz de Aquino, para correcto; Manoel Boni-
facio Ferreira deMattos, como criminoso de morte,
e RuAno Ignacio de liveira, para correccio.
A' ordem do subdelegado do Recife, Msergen
trancez, a requisiqao do respectivo cnsul; Mana
Felicia da Conceico, e G. F. Freend, ambos para
correceo.
A' ordem do de S. Antonio, Jos Ignacio dos San-
tos, para correceo.
A' ordem do da Boa-Vista, Antonio, escravo de
Joo Ferreira, por fgido.
O chefe da 2- seccio,
/. G. de Mesquita.
Communicados
Si Isto importa um sacrificio, malor mrito re-
sulta a V. S. em resignar se a elle, dndome com
isto nma prova de complacencia, que tambera re-
aooda em bfat^oreciSo e do estado.
Tenho a honra de remeller inclusos a V. Exe. os
offlcios qoe as raesmas regentes rae dirigiram em
resposta, e delles V. Exe. vera' qoe em nenbum
desses recolhimentos existe africano algum.
21
OfflciA ao Exm. Sr. presidente do Rio Grando do
Norte.-Commaofco a V. Etc., para os flns coave
peaa
doas annos e seis mezes de sn-penso d'quelle
cargo e um anno e dez meze- de priso. Com-
municou-se ao Dr. ebefe de polica.
ftOVKRVO DO BISPADO.
que desembarcoa nesta provincia por achar-se
doepte.
Dita. O [residente da provincia em vista da
da propostt oo Dr. ebefe de polica, resolve exo-
nerar do cargo de 1 supplente do subdelegado de E ainda quando o motivo ponderado seja lo Dientes, qae nesta data, conced nm mez de llcen-
policia do districto de Afogados a Manoel Jos da imperioso que absolutamente nao Ihe permita pro-' ca, ao Rvd. vigario de S. Jos de Mipibu' dessa pro-
Silva Grillo, que por sentenca do juiz de direito da seguir no magisterio por mui longo periodo, con- j vincia Gregorio Perreira Lustosa.
1* vara desta cidade foi condemnado a' pena de teotar-me-hel em que V. S. va' proporcionando aos Dito ao Exm. presidente da Parahyba.Commu-
seos alumnos os bons fructos de suas prtleceoes nico a V. Exe, que ltenlos os motivos graves qua
por'aiguns mezes, em quanto me dado, si nao imposibilitan) o padre Valeriano de Alleluia Cor-
soppnr perfeilameote a falta de um auxiliar to rea, de reger a freguezia de Nossa Senhora da Luz
araestrado e presiimoso, ao menos torna-la menos da Pedra Lavada, dessa provincia, para qae ea o
detriraentosa do que seria as circunstancias havia Lomeado, despensero nesta dati de sirai-
actoaes. Ibante comroisso. .*"'.
Os seos seolimntos de caridade, e o empenho Dito ao Rvd. Valeriano de Aileloia Correia;At-
sincero de que o julgo possuido era prol dos inte- tendendo as razoes por V. Rvm. ponderadas, e
resses da igreja, e especialmente de urna institu- coraprovadas com documentos, o dispeosamos da oos com semelhante medida, eremos, "qoe algomas
Cao, a que o habito dutnrno, reonido s intenc5es regencia da freguezia da Pedra-Lavada, para que o vantagens seobteriam, sendo a principal de todas
benficas, o devem ter ligado por um aliento pro-! haviaraos nomeado.
fondo, do rae a grata esperanca de que V. S. an-1 Dito ao Rvd. vigario intirino de S. Jos do Reci-
pe nao Jqse Tavares Bezerra, e do que dirigir ao; DUira- aos meas desejos como annulra aos do falle- fe.Em resposta ao olflcio de 20 do corrente, em
efe de polica com rateando : Que o subdele- cido bispoo Sr. D. Joao, de saudosa memoria : e as-1 qoe V. Rvm. nos participa que fallecer, nessa da-
' sim ficara' altenuado o pesar, que me resta, de nio I ta, o Rvd. coaego Loureocp Correia de Sa', vigario
poder contar cora a sua permanencia no ensino. dessa freguezia, temos a dizer-lhe que (leamos
11 scienle, e tratamos de providenciar como convm
Offlcio ao Rvm. chantre da s, Jos Joaquim Ca
mello de Andrade. Tendo fallecido ha poneos
das o conego Venancio Henrique de Rezende, pa-
Expedienle do dia 6 de fevereiro.
Offlcio ao Rvd. parocho encommendado da pa-
rochia do Pilar na Parahyba.Temos presente o
seu offlcio com data de 13 de Janeiro ultimo acom-
pasando a copia do que V. Rvma. recebera do ca- fondo," do'me a grata esperanca" de"qo v!"S. an-!'
nellan inte Tsv.trps Harem o n ma diriaira an i.-* ..... _._.. JL__ -^_-_____^.. j. kiu y
um
de 58 pracs inclusive um eapito: e outro da
guarda nacional, cmaoslo de 12t guardas oclusi-
va nm capilo, 3 subalternos e 2 cornetas ; ao lo-
do 179; accrescendo mais que grande numero dos
guardas sao rapazes ainda criancas e inexperien-
tes, e sea nenhnma instruccao militar; e todos
armados com pessimo armamento I
Eis a poderosa gnarnicao de Fernando, sob cu-
ja garanta devenios desoanear.
Ha bem pouco tempo havia entre nos o cost-
me de ser uro preso vigiado por dous guardas, isto
quando ferropiados sabia ra das prisoes para os ira-
balhos pblicos ; hoje aqui em Fernando, onde os
MBlonciados andam sollos per toda a ilha.not traba-
Ihos qae Ihes sao destinados, que nem ao menos
ha um guarda para dous presos, e inverso d'ou-
tr'ora, e sim um guarda e este mal armado para 6,
8 e mais presos 1 qoe disparidade, contra a qual
tanto clama a nossa tranquillidade e seguranca in-
dividual ; e o qoe mais, a honra de nossas fami-
lias .....Senhor Deas de misericordia I pro-
tegernos e guardai-nos 111
t Parece-nos que melhor avisado anlaria onosso
governo, se conservasse aqu urna ala de batalho
de linha, completa de sens offlciaes, cuja forca nao
deveria er nunca menor de 300 pracas de pret,
gado snppleote em exercicio Joaquim Cerciliano
Carneiro Meira reeusava entregar a chave da ca-
pella de Itabayana : e porque a vista disto o dito
capello mandasse substituir a (echadura, apresen-
tou-se aquella antoridade policial acoropanhada de
urna escolta com cceles e chicotes, proferto insul-
tos, prenden o carapioa, sollando-o logo depois, to-
mn conta da capella, e trocou a fechadura, cujas
chaves cooduzio, vedando o ingresso dos Aeis, e a
propria admioistraco dos Sacramentos desde o dia
10 de Janeiro.
Que sem ter obtido licenca, o subdelegado, sob
pretexto de ser procurador da capella, Azera cele-
brar a festa do Orago, havendo alera disto novenas
e procisso, e figurando nesses actos um individuo
que desprezra as advertencias, circulara a igreja
de botequins, e concomer para se praticarera den-
tro e fora della escndalos e sacrilegios.
Que o anno pasado o proprio subdelegado Jos
Rufino Paiva dera sepultura ao cadver de ura pr-
vulo seu prenle no recinto da capella. Por esses
motivos, e no loteresse de sua d.gnidade e ssgu-
ranca, nao podando contar com os meos suasorios,
pede V. Rvma. pela segunda vez dispensa do seu
minisierio parochial, sendo substituido pelo Rvd.
Jos Tavares Bezerra, quando nao queiraraos en-
commendar na paroebia algum sacerdote, visto pre-
sumirse qoe brevemente ebegar o parocho lti-
mamente apresentado.
Pelo offlcio qoe recebi do Exm. presideule dessa
provincia com diversas copias consla:
Que o referido Joaquim Cerciliano procurara jus-
tificar o seu procedimento allegando a indecencia
era que tem estado a capella, qae serve de abrigo
animaes, por Acar aberta algumas vezes, como
ti vera occasio de presenciar o padre Feliz Herma-
to do Reg ; entretanto qoe o capello, alm de se
haver exonerado do seu encargo, e nao celebrar
missa, recusara responsabilisar-se pela guarda das
alfaias : o que obrlgou Cerciliano a conservar em
seu poder as chaves para serem entregues ao men-
cionando capello, quaodo as mandasse bascar para
algum acto religioso.
1 ao servico da igreja.
rocho collado da freguezia de Santo Antonio desta
cidade, e nutrindo eu o mais sincero desejo de en-
contrar um sacerdote que dignamente substitua o
mesmo conego, cojas virtudes erara to geralmente
apreciadas, resolv nomear a V. S. parocho encom-
mendado da referida paroebia, na esperanca de que
aceitaudo esse importante e.ncargo, e desempe-;
nhando-o dp modo to satisfactorio, como se deve i
esperar de um mrito ja provado, dar' aovo teste-1
munho do seu zelo fervoroso pelo servico da igreja, |
e a mim occasio de congratular-me pelo acert de
tninha escolba.
- 16-
Offlcio ao Rvm. Fr. Fidelis, capuchmho do hos
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA
Chamamos a aitencao do governo do paiz para
a breve, mas leal exposicao, qoe hoje faz o digno
Sr. tenente-coronel Pedro de Lampos dos escanda-
losos obstculos, que Ihe oppozeram as autoridades
da comarca de Flores, com excepeo do Dr. Luna
Freir e Amaral, no nobre empenho de organisar
o corpo de voluntarios ; sendo de grande impor-
tancia tambera o atteslado, que de sua propria le-
diio Sr. tenente-coronel o infeliz
, | ta passou ao dito sr. lenente-coronel o .u>0..>
Picio de Nossa Senhora da Penha.-Desejando nos Dr Ej,ei0 UeQeaicl0 FranQa ,o craeimeote as-
nuil illirinl. n l..m>\/v ,...,. .,am>i I e* Hd 1/1 IKlUl 9 _. '
sassinado poucos das depois.
que durante o lempo quaresmal se d ao povo a
bencao com o SS Sacramento, recommendamos a
V. Rvma. qne proceda a esla ceremonia nos dias
em que houver serrao na sua igreja; e outro sim
mandamos que depois da oraco eus qui nobis,
recite conjuntamente com o povo o v. Bemiito
seja, etc., conforme o qua 1ro impresso qae Ihe re-
mellemos incluso.
Dito ao Rvd. vigario de Angicss.Aatorisamos
nesta data o Rvd. Jos Theotomo de Sooza e Silva,
Tudo isto prova clarameate que a comarca de
Flores est em circunstancias anarroaes, e qae
necessario da parle do governo haver toda a seva-
ridade na punico de tantos escndalos, e criraes,
qoe protestara contra a civilisaco e moralidade da
nossa provincia.
Communicam-nos, que na estrada de Agua-
fria ha urna pessoa affectada de morphea, qoe all
vigario da freguezia de Santa Anna de Matos, para ; comrannica-se com todos, ja correndo todo o povoa-
numerar e rubricar, por esta so vez, o llvro de i do, j indo a vendas e ac.ougues comprar, sem o
lancmentos dos baptisados de sna freguezia. \ menor resguardo ; e qae alm disto, vive era con-
D.ito ao Rvd. vigario de Santa Anna de Matos.' tacto com a familia composta de varias pesseas, s
Auiorisamos V. Rvma. para numerar e rubricar, quaes poder assim transmiti- aquella bomvel mo-
por esta s vez, o livro de lancaraento de baptisa
dos que tem de servir na freguezia de Aogicos, e
que Ihe sera' apresentado pelo respectivo pa-
rocho.
Dito ao Rvd. cura, Augusto Fraoklin Moreira da
Silva. Era resposta ao offlcio em que V. Rvma.
nos pede demls?o da regencia desse carato, e das
Que opportunamente foram daJas as precisas or-1 fQncC5es de sub-chantre Ida nossa cathedral, le
dens para se prevenir qnalquer dislarbio, bera mo9 jaoMb*, que altendendo ao seu estado de
como a interferencia das autoridades policiaes em Mude concedemos o que nos supplica, e nesta dala
negocios estranhos As suas attribalcSes; nao de- encarregamos de subslitui-lo no curato o Rvd. co-
vendo o capello ou sacerdote algum ser pac qual- neg0 Atonlo Jos de Soora Gpmes.
quer maneira embalado de exercer os offlcios do Dt0 ao Rm. conego Antonio Jos de Souza Go-
seo ministerio, ainda mesmo pelos motivos allega i pjes.Kncarregaraos a V. Rvraa. da regencia do
dog* ., .. carato da s, de que nos pedio demisso o Rvd.
Que neste pensamento mandara o chefe de poli- Augusto Frankiin Moreira da Silva, e ihe recom-
is entrar quanto antes em exercicio o subdelegado meaaim, s que qaanto antes procure tirar a sua
efectivo. afim de se prevenirem novas queixas, oo j proviso
disidencias; cnmpnndo que se recorresse ao juiz I Dll0 ao Rvm. deo da calhedral. Commuoica-
provedor parase obterera providencias relativa-1 mos a v s qoe ne9ta dtU eXoneraniOS 0 Rvd. Au-
mente ao asseio da igreja. e guarda aas alfaias, so- gQsl0 FrankQ Morejra da Silva, a seu pedidj, dos
bre cuja segnranca, entreunto devera velar o sa- arg0b de cara gab cnanlre dessa eatnedral, ten-
cnsuo.ononira pessoa Incumbida. I do ira attencao o seu estado de sade, e nomeamos
E tomando na devida opos.deracao ludo quanto i Rvdi eonego Anton0 Jos de ^j' Goraes para
Oca exposto temos a ponderar o segrate : E bem
desagradavel, que entre as autoridades espiriluaes
e temporaes nao reine sempre a indispensavel har
monia, que seria ara exemplo edificante para os Levo ao conhecimento de V. Exe. que nesta data
parochianos, e um meio seguro de evitar difflcul-! aceite! a exooeracao que de coadjuctor da cidade
dades, que podera nascer desses conflicks deplo-, da Iraperatriz me suppllcou o Rvd. Candido Fer-
raveis. reir de Araojo Brrelo, e sob proposta do respec-
No sabemos si o espirito de par'ido ter, de! tlvo parocho daqnella fregnezia manrtei provisio-
algum modo, lnaido para as oceurrenrias qoe nar no mesmo cargo o Rvd. Anisio de Torres Can-
ora slo trazidas ao nosso conhecimento. Mas esta-' deira.
mos mui convencido de qoe V. Rvma. lar qaanto 17
couber de sua parte para que o sacerdocio se con-! Offlcio ao Exm. Sr. commandante das armas-
serve na altura de sua missa >, isempto das paixdes' Acabo de receber o odele de 16 do correte, em
polticas, qae pelo menos creara prevenc9es,quando que V. Exe me commuoica ter arribado ao porto
nao origioam saccessos deploravels ; aconiecendo | desta cidade o vapor Parahyba, que seguir destino
i substitu lo na regencia do carato.
Dito ao Exm. presidente doRio-Graode do Norte.
infelizmente algumas vezes, que urna parte dos Aeis
enxergue no sea director espirwual ames um tol-
do qae am pai commom, qoe deve repartir
migo, OO qae ara pal cumuiuro, ijub uete ic^iur
com lodos o influto dos seas eonselbos e exemplos.
Em quanto nocbega o parocho_ apresentado
oessa tregaezi, esperamos que V.
co au-
para a ilha de Fernando, declarando me, alm
disto, qoe pelo motivo de ter soffrido em sua sade
nessa viagem o Rvm. conego Antonio Jos dp Sooza
Gomes, a ponto de nio Ibe ser possivel seguir de
novo para aquelle presidio, houvesse en de provi-
denciar a respeito da ida de outro sacerdote com
lestia.
A vista disto, diz o nosso informante que devia-
se tomar alguma providencia, que no caso cou-
ber.
Nos trabalnos do Instituto, qoe hontem publi-
camos, foi omittida a eleicao do respectivo itiesou-
reiro, para o qual lagar foi reeieito o Sr, Dr. Ger-
vazlo Rodrigues Campello.
Consta-nos que varios senhores expedtores
de gneros pela via frrea tratam de enderecar ao
Exm. Sr. conseihelro presidente nma representa-
Cao reclamando contra a medida, tomada de pouco
pela superintendencia da mesma via frrea, sop-
pressora dos recibos qae d'antes eram foroecidos
cora as remessas dos mesmos expeditores.
Segundo o que se nos informa a respelto, tal
medida inconveniente aquelles, ao passo que parece
nio resultar d'ella vanlagemao servico da va frrea,
qae at pouco tempo sempre fornecea taes recibos;
os quaes erara a garanta dos mesmos expeditores,
quer para cora a va frrea, quer para com os seus
correspondentes, a quera sao remetiidos os ltalos
de remessa para com elles effectuar-se a recepeo
dos gneros expedidos.
Pareceodo-nos procedentes estas razoes, eremos
qae ser reconsiderada a materia, segoindo-se a
isto por conseguinte o restabelecimento daquella
pratica, por cuja cessacio se reclama.
Ue Papaeaca escrevem-nos era 11 do cor-
rente :
t No dia 3 do corrente Anna Maria, fllha soltei-
ra do velho Manoel Francisco, dea i luz am meni-
no qae concebera de Paulino Teixeira de Araojo,
e sua av Catharina Maria do Rosario, qae a assis-
tira nesse acto, estando ausentes sea pal e mi,
laucando mo do innocente o envolvea era oas pan-
nos, e, vivo, o foi enterrar em am buraco de tat.
Apenas acaba de o facer, encontrada nesse lugar
por sua visinha Clara Maria Francisca, qae saspei-
lando que fosse esconder o couro da algum ani-
mal que por ventara honvessera fortado, como
cosame oestes lagares, segoio-lhe as pegadas, lo-
go que desappareceo, e tol dar nato a. rm,a, w*\%
a garanta da seguranca individual, e da honra
das familias aqui existentes, pois s assim vivira-
mos tranquillos e desassombrados.
t Aproveitamos a occasio para intercedermos
ao Exm. governo da provincia, pelos menos favo-
recidos da sorte neste presidio.
Sendo costme libertar-se da priso, todo o
individuo que na mesma se acha retido para cara-
primento de sentenca, quando esta finalisa, o
qae tambera oeste presidio se pratica; e como essa
liberdade Iraz o perdimento da diaria que (em
aqui o preso para seu alimento, Acam os que en-
trara em tal goso, expostos at que haja barco para
os transportar, a raorrerem de torne, ou a conti-
nuaren) na carreira do crime, se os nao vale a
caridade dos mais habitantes I o qoe nos parece
pouco concordar com a nossa civilisaco, e morali-
dade : desejamos pois, que s. Exe. oSr. presidente
da provincia, attendendo as nossas tracas observa-
Coes, renvdiasse to grande mal, ordenando para
este presidio, qne, embora tenha o sentenciado
cumprido a pena, s Ihe seja suspensa a diaria
quando regressar do presidio: com (o humana e
carldosa providencia cessaro por certo qnantos
males soffrera esses misera veis.
Esla ilha Sea em paz, porm os espirito; de
seus habitantes sempre inquieto?.
Fomos informodos, de pessoas competentes,
que a sociedade recreativa Nova-Unio, situada no
1" andar do sobrado n. 63, na ra Nova, mandara
celebrar vinte missas por alma do fallecido Manoel
Joaquim da Silva Guimares, de cuja associaco
tez parte.
E, porque sabemos que tal deliberado foi inspi-
rada pelos sentjmentos religiosos dos oobres cava-
Iheiros que compdem acuella sociedade, moito roi-
gamos de registrar accoes como esta, qae maito
abonara a aquelles que as pratica.
Pessoa fidedigna nos informa ser mentirosa
a noticia qoe nos envlaram de Cmara', e publi-
camos em nossa revista de bonlem a cerca de nao
ter bavido providencia alguma para o descobri-
mento da autor do tiro de emboscada disparado no
alteres Joaquim de Barrros e >ilva, asseverando
ter testemunhado estorbos e dellgencias loovaveis
de parte aos Srs Vctor e Qointeiro. aquelle juiz
municipal, e este delegado, com o Am de saberem
qual o autor de to lastimavel acontecimento.
Depois de amanha se extrahira' a 3a parte,
da 5" lotera (49*), a beneBcio do thealro de Santa
Isabel, sendo o maior premio 6:000#000 de res.
Passageiros do vapor Paralti/ua, vindo da
liba de Fernando de Noroaha :
Tenente los Francisco de Azevedo, aiferes Joo
Goncalves Ferreira da Silva, Flortana Maria da
Conceico, Mana Theresa de Jess, Amancia Maria
de Araujo, Henrique Jos Viera da Silva, Manoel
Baptista Barbara, Eduardo Wiliara Monk, Emilia
Candida de Lacerda e I fllha, 41 pracas d> exerci-
to, 10 sentenciados militares 18 ditos de justica, 4
mulheres e 1 menina das pracas.
Passageiros do vapor Gerentes, sabidos para
os portos do Sal:
Jos Libaolo da Silva Monteiro, D. Maria Isidoria
Brrelo Lins Baha, 2 Albos e 1 criada, Claadloa
dos Santos Lima, eapito Joo Loarencp de Araojo,
cabo Amando Jos dos Santos, Antonio Francisco
Goncalves, Dr. Possidonlo de Mello Accioli, Anto-
nio Joaqnim de Mello, Loiz Antonio da Cunha, Dr.
Francisco de Araujo Barros, sua familia e 2 escra-
vos, Luduvica Correia de Oliveira, e 1 escravo.
Joo Rodolpbo Ribeiro da Silva, Jos Nuoes Gui-
mares, Clodoaldo J. da Cunha, Or. Antonia Vicen-
te do ascimente Feitosa Filbo, Pedro Isidoro F. de
Souza, Fortonato da Rocha e Silva, Francisco Co
sar Texeira, Uacharel Bernardo Duarte Brando, e
1 escravo, Fierre Augusto Pradines, Dr. Francisco
Carlos Brando, e 1 escravo, Manoel M. da Silva,
Jos Portel'a, o escravo Belandino, de Candido F.
Urna, o escravo Caelano, de Sllvino G. de Barros,
Amonio Pereira Brrelo t i fllha, Carlos Borromea
Cardeal, Braz Conde, Francisco Braaco Glacq,
Joaquim G. dos Sa,nto,s Cosa, o encavo, fenpel de
Ao publico.
Quando me offereci ao governo para organisar
um corpo de voluntarios na comarca de Flores,
linlia toda a conviego e certeza de que o poda
fazer sera moita difflcoldade.
Coohecedor dos bros e generosos sentlmentos
dos meus conterrneos, nao duvidei de qae elles
acudissem aos reclamos do palz, no momento
solemne era qae de sul a norte se ouvia este brado
unisono : Vinganca contra o Paraguay I >
Pelo que me disia respeito, eslava seguro da
constancia e lealdade daquella populaco para
comigo, que com ella vivi sempre em boa paz; e
portaolo todo rae indoza na crenca de que me era
maito possivel levar a effeito o meu designio.
Antes, porm, de polo em execocao, mandei
consultar a alguns amigos polticos desta capital,
se devia dar o pisso qae as circurastancias do
paiz meestavam aconselnando ? Responderara-me,
que me era intoiramente livre fazer o que projecta-
va, que applaudiam mesmo que eu, merabro da
opposigo, podesse prestar algum servico causa
nacional, quando os que usufruiara os proventos da
sitoaco se esqoivavam de tounr parle pessoal na
presente guerra; mas nao me occuitaram as suas
apprehensoes acerca dos embarazos com qce eu
havia de Intar.
Obtida a approvaco dos meus amigos e aceeito
pelo Exra. Sr. presidente Paranagu o meu offere-
cimeoto, procurei iotender-rae com os meas ami-
gos e alijados polticos da comarca sobre a necossi-
dade de rae auxiliaren! To empenho que havia
tomado, e com satisfaco o digo: nao houve con-
servador opposicionisia, por miis disgostoso, que
nao adhirisse ao mea pensamento.
As familias Pereira, MagalhaVs e outras toma-
ran) logo todo o interesse pela organisaco do
corpo, e Azeram nesle sentido os maiores esfor-
eos; mas nessa porAa patritica appareceu am
vulto respeitavel, que me merece particular admi-
raeo e reconhecimenlo, o raeu excellente amigo
o Sr. Dr. Joaquim Goncalves Lima, o qual, sacrifi-
cando no altar da patria seus justos resenliraentos
e qneixas desta actualidade nefasta, que o des-
terrara para os conAos do Maranho, era premio
dos bons servieps que prestou como juiz de direito
de Flores, toraou a peito o prommover com todo o
affinco o alistameoto* de voluntarios, dando o nota-
vel exemplo de ofTerecer o mais querido de seus
lhos ao servico do paiz, e de resolver seu sobri-
nbu e cunnado, o presiimoso capilo Samuel de S
Montenegro, a alistar-se voluntario e cora elle outros
prenles seus; o qoe foi de grande estmalo na
occasio.
Os individuos, que naqaella comarca se diiem
progressistas, viram com mus olbos este move-
mento generoso da o p pos i cao constitucional, e desde
logo comceberam o sioistro projecto de embargar
os seos bons resaltados.
Importa declarar qae o Exm. Sr. conselheiro
Paranagu, animado dos raelhores desejos, man-
dou sem perda de tempo o honrado tenente -coro-
ne! Jos Lucas Raposo da Cmara para auxiliarme,
e por elle dirigi ordens as mais terminantes s
autoridades da comarca, que com toda a efficaeia
cooperassem comigo na organisaco do corpo; mas
essas autoridades nao s me nao ajadaram, como
se declararam abertamente contra as vistas e ras-
trucefles do governo, com a honrosa excepeo do
Sr. Dr. Adelino de Lima Freir, delegado do termo
de Flores, Dr. Estevo Benedicto Franca, delegado
de Villa Bella, nao fallando no Ur. Amaral cojas
boas disposicoes eram j conbecidas.
Nao houve impeciihos, seduccoes, e ameacas
qoe aquellas autoridades nao pozessem em pratica,
como o podera declarar os mencicnados Srs. Lona
Freir, Jos Lucas, e Amaral, e tambera o decla-
rara o Dr. Estevo Franca, se o iranoco do assasst-
no Ibe nao houvesse cortado o Ao da existen-
cia f Mas se aquella infeliz victima do sen dever
j nao pode fallar, falla por elle o atteslado, que
dias antes de ser assassioado me havia dado, e que
abaixo traoscrevo, para qae se veja o modo verdi-
co, e ao mesrao tempo reprehensivel porque proce-
dern) as autoridades de Villa Bella, na coojuncta-
ra da organisaco do corpo de voluntnos E'
certo qoe a severidade e justiga com qae ahi se
exprimir o Dr. Estevo Franca, justica e severi-
dade qae manifeston em todo os seas actos como
aatoridade, Ibe acarretoa a sua morte barbara, qae
alias nio onso attribuir a determinada pessoa. Isto
cabe conhecer a polica, cabendo me lo s mente
fazer votos pela exemplar punico desse atros
attentado, qae sociedade um funcclonario iotelli-
gente e austero. Digam boje o qae qalzerem delle
os que al bem pouco lempo admiravam seus-
talentos e virtudes I
Oraittindo a serie nao nter rompida de incidentes
repogoantes, qne se deram em todo o tempo da
organisaco do corpo, dos disgostoe, consummissoes
e prejuizos porque passei nesses dias de trlbalaco
par mim, e para todos os encarregados fiis do
governo qae l se acbavam, e qae de certo nao
podem deixar de confirmar ludo quanto tenho dito
nesta ligeira exposicao, devo declarar qoe, a des-
peno de to inauditos obstculos, pode reunir
qaasl tresenlos voluntarios, dos quaes mais do
sesseota, sedozidos pelo genio do mal que existe na
freguetia de Flore, desertaran) na vespera da mi-
nba partida para esta copual, depois de embolsa-
dos do respectivo sold I E note se qne os prfi-
dos sedaciores acooselbavam aos voluntarios, que
s desertassem depois de recebido o sold I E sao
horneas taes que se dizem amigos do gover-
no I Repito: nio quero qae me aeredilem, acre-
ditera, porm, aes dislioctos agentes do governo a
quem me tenbo referido, e aos quaes nio posso
deixar de nesta occaMao agradecer a coaejovacao
qae me prestaran), especialmente o Sr. Dr. Luna
Freir, que como delegado de Flores tea-s con-
dazido do modo mais imparcial e junio.
Ao Exm. Sr. cooselheiro Paranagu devo tam-
ben) as mais decididas pro vas de eooflaaca e dis-
tioccao. Nada recUmei, qne me nio fosse promp-




-r- M

d -
zzzzi
35C
ii4!.v.>v'.'jj '-m i' t.iu,m*?
Marte i aerraaalmea
sabbado t4 ale Feverelra de 1866.
SRSSf a^ST^^
clundo por dizer que di a^iorilades rasgadaroo n
te nrogressill s recebl coadjuvacao do MiMtto-
gado W ATae.6a de Baixo, o Sr. tiidro MaTia-
'oo. M< jusiiv'a que e declare; coma pede a
iastica qoe eu agradecaao capltio Manoel Jos
Nones, do dlstrlcto de Varas, a promptido cora
que acudi requisicao, car Ihe i de feote
armada, para rebater a aaaetode um grape ae
criminoso?, que me coastoo ota toda certa
acbar se em Serra-braaaa, dista a tmoinmm
ter-me, para tomar um preie; ptftt que em gran-
de parle foi baldado
subdelegado da Alaga
Paratiyba.
Red re, 23 de Janeiro de *86.
O tenente-coroael Pedf f. Wiquetrm O
Ulna. Sr. Dr. juiz de direito oteriao.- O lente
coronel Pedro Pes*e* dw fttmtra-6a*p, *-
bid de rgtotoar o *, orp* aa vaiaj*i a eW
doi precedentes, isto /o ju /qi indicado nesse
cotfraWM o aw-o fcti Oa***)** BMpataw
sua$ pritneirat modificares, e fi acento peta com-
mitsao ntmtada-pete e*$prem*U*4*st+pr*mck,
o Sr. Dr. Caste'lo Bronco, da qual fe parte o Sr.
Dr. Aqutno Fonceca ;
a." Qw as bases a innovocSo desse contracto
ato erm% mate miirrm do que as do contracto
thva;
a\* Qmo govemo poeta innovar tsu contracto
m primo e exprima mtoruacSo da m
na Diario ie Per-
mostraaos qae
ao aewrnft .
com o Sr.
......!'
-r*
IUm
zz
aT
itiiiv
i'rinii.
pelaatrovieacias do sen* pravincia!.
foa t Moavaao yfwiocla i *n oestes antaos publicados ni
!t)lw ~ mmbucoeel5.fr e ste une,
hygenieas, nao se pode coocli
sera seguido dos mesmos res
te, a anda meos aqui, come
parando-se as emprezas que
ca com as que se eocontram em
etc. O systeraa de latrinas moveit
das materias excrementicias erapf _
lagem e satisfazem em Pars, onde se est nisto
ais adiautado do qae era parte ajgutnt, ludas as
condicoes hvfieatoas xigtoe em.Uescasos ; en
ireunio foi afta aqai segta de retallados intoifa-
mente desfavoravels, nao aporta os appareloes
nao oTerecaa) ascoadiedes aja aao e*igl4as *-
qMMft capital, sanio porque o aawico daorttoo
ara mal feito.
A razio a* se Megos pira aVaploar a
ilo^ao
esprtente, que laea pWem umiuhai o assjm explicara muitos expositores de me-
meio de sua salvarlo. dtna
de uro mez cosalo da con
jdesle ultimo.
overoo lera odireto de inspeceia
dos obrase o servico da empre ,
^feoheiro sen.. Direita, fot desengaado por doos barje je e j^^^ ^ v qqjJoq i,}-* frrea
? Vui '.r^'lfrimimedicos aha^M b*m com tfatamnt0 Pr nos Dronorciona. tiqh nne am douco temrx)
o fletera* apresentasse defeilos, esies nao seriara DrescrDt0
em grande escala, e poderam ser corrlgldos ou re- V 1*.""__ r>nnaA mn
mondos aroraptmente e sem*4peadio wa! A Sra. Jeronyma Mana da Concofo, mo
eoprazacia, e por conseqoencia sera eattacafos radora na travessa do Monteiro n. tt>, achan-
pj*a o averno; mas assim nao a* prooedeu na f]0.se desengaada, tarabem mim recor-
iaoovaeao, e islo vem anda mostrar que, se fossam a,>l\n-sfi ra- tabplprid i
..S?. as condieges accof4*aa eolwaAsom- rea acna se -iwwciaa,
Um sobrmbo do Sr. pxafessoc ae Naza-
reth do Cabo, *clia-se boa, como se v de
a Sr. Cambronne,
que sofMr.
_ eolre atom
proTiocia nao loria
Dissafcn'// qaea remogao 4o xo e residuos Sua carta iblTft t,n.DMr:Pl1. aleja de OUtros
pelo srOr.-asteWe^^c'o^lfWWaue'-rsysUapip^ 2, ra^ntr i/ !!*S^ ^Tm! 2T factos' ^ue Vo0*** vai mocloau.
GamkNonv sipir.a, ofr. Ornes Mto, tte**! ?l^.^.?K.Mir!~.^Ta A phthjsica a destruicao e a magreza
* 43^5i^ ^t*S?t*4S^^ ds todo corpo, em conseqoencia dechagas,
g^es^SeXe^?!3ad1,b^ohfr stlfa^xceMeSTdo's' S^Sdo ssa JeTd. -ue M^b^^oaecetas' depo*s O aocordo tuber0aios S concr^ao dos bofes e de em-
ISSe osy^SS ^SteV^qVelle que melbor ratwvacSt); mas era Isto mesmo, a que setloha obr- as mod.flcacoes proposUs pato &r. Cambconne a t ^ M e mlm molestias
p^iliaTleTd^ co-nfladraS-capito Smc W ^S^^^SS^mJ^tua aaari- gado o 'r Cambronne no accorde' co^ommH- esse mesmo contracto ; e para V Jueviciam OS humores, como escorbuto,
^RLTt^0%r^^\S, S5^Xrmd^o2alf^SPr- r^fflKr^^ ""^^ ^^K^&^JBS^ U^.* bexigas, sarampo.
muito eoncorreo para que em pouco lempo se aug
meutasse o alislamento dos voluntarios, que erara
afastados pelos que, nao alisfeitos do IndrtfereW-
rao aos estragos da guerra, e Impellidos por mo-
tivos indignos de etpMoacto, procuram fazerdeser
lores os patriotas que, onvindo o convite do gover
onua para a trovmaa ou para ot tartimlaris ,
e comba temos, urna a ama, as asserces ^jaa Sman
aveuturuu em sustenlaco do pimeiro ponto
i ando-I he que sua* opiniao se Dio baseava
nos principios da sciencia, nem na opiniao
pessoas comaeieBtes. Vbos agora oceupar-nos lo
epols do accordo com a commlssao, otrigouse gao toi om ouus imposto ao esswBarlo pela inno-
o Sr. Cambronne a essa dupla canalisacSo e empre- vacao ; mas, estando nos ao fado dessecontracio
- seu relatono, I
etc.
Na phtliysica, chegando ao estado de gra-
nma pessoa que existe n^sta cidade facil-
" mente se t ansporuptma*ultimas estafes
de Gameleira e Una, lugac& perto do Boni-
to e de outro* poote que a5o considerados
sertSo, quaoto maift que,o mesmos lugares
j4-ni> sao mips, se junde pens, principal-
mente no verSo.
Mas dir-se-haurna paava pobre nao tera
meios de se transportare all estaraisso
6e Fespende, que BMMM lugares existem
|.casas vAsup-e aj,ug*r-se pw prae wwnmo-
do, e mesmo muitos gneros de primeira
necessidade alti se vendem pelos mesmos
precos que aqui.
Aquelles, pois, que estivera nestas cir-
cumstancias, eu loes facilito explicar os meios
pelos quaes se devem reger, etoes fornece-
^Z- .^aphiaas a v.or norauanio lam Klo u&o e do que eaereveu a comnv*ao em seu rotatorio, i .. jr '"* :** ',.' "-------------" pei quat se uvwn reger, eme* wrn
?aKKr5Sef ScSff^mSS^ toaS5lo.^i^4fUia.diio.%Ms** "dade, ciqoa mutto pode concorrer pin.a re os medicamentos graluitameate.
lo e dar escoameoto s materias excrementicias, e obr- oo ignora o que existe escripto.ou procura desnor- salvacao O doeato e ajiidar os madjcamen- N3o deixarei de adverUr ao publico,
ne correram aes reclamos da parta, maf mi peta segUD(j0 ponto ; asas Uto pooeo disse Stmtk a res
toipoia do inimigo non a provoca. pet0 ,jeste ero ,jous communlcados, que nos parece
E por que, entre os que procuraran) a inste ce- que B0 Mncaremos muito a paciencia dos lenores
lebridade de obstar o allstamento de voluntarios, e#m esnr,*,, argnmentacOes ; aindA qa3 os pe-
tam-se at individuos, gosando da confianva do go- ^ lraUr ,j4g go^fi^s BOs toreara por vezes a re-
verno pelos cargos que occwpao n'esia comarca e petjroes, que nos levam alm do que deseamos.
no termo da Villa Bella; por isso, eom o mars pro- Sewpre nos parecen dicil que Smitk coase-
BBdorepfito, T>m pedir V.S. se dlgoo ane&Ur; gnfege prowr qoe s bases da innova'jao do con-
I. se o eemrnaodanfe superior Aritoolo Xav er de ,ract0 de a3 de sejembro de i858 n}o eram mais
Moraes, proeoron dlutar o alislamento de %-olanw- onerosa$ para ggja provincia e para os habitantes
ros da patria ; -e para assim obter apresentoa- desla caat ,0 qae as 0 coniraclo prlmituo e do
se Das mas de Villa Bella at com irages menos de- accoT(j0} a ,,e cneg0u a eommisso com o empre
cenes, fnendo er qne os voldntarios nao gosavao ml0j 0 Sr (^mbronoei Bio s porquu serla pre-
das garamias promeilidas e qae deviarn ser traa- cs0) para j$l0i r C0Djra 0 que nos enslaa a lgica,
dos com bosiilidade, pelas antorWades pocacs; eno pr(lne nao Aiio a 9eiSOi algaraa ir con-
3. se reonio for^a de guarda naclodal para qae lra a arithnietica : mas confessaraos o.ue esperava-
podesse o delegado supplente Francisco de Souza Bos ^g de gmtth, poisqoe uloguem de seu raotu-
Magalbes, pretexto de mattter a ordem publica, propio se aprese0ia como professor, para sahirse
provocar o capito Samuel Monte-Negro, e dlssol- rag| q^, e(kjt0 ng0 nos engaamos, e anda esta
ver a corapanhia ; 4. se os suppleoies do delega- vez (vemos a prova de qne o advocado, por melhor
do de policia Kpamtnondas de Barros, e Francisco que Sf,3 oio se pde ?jnir triuruphanio na sosten-
de Souza Magalhes, no emprego dos meios para t,^0 e nma causa qQei CQmo e$taj se funda em
evHar o allstamento, e fazer desertar os alistados, a|^arrsrnos< 3 tem contra si condicoes escripias,
apreseutaram-se publicamente em Villa Bella urnas Se no pr|,ne|ro Caramanicado Smith mosirou-se
van, promettendo dlohero aos que togissem, ou- poaco habilitado para tratar do primeiro ponto, qae
tras veies, anouncianl> factos etiraordlnaros. ca- depeodia de principios scieotiBcos, e se achara em
pazes de eafriquecer os nimos; 5. se esses sup- Oppo?t^ao em o qae tem sido observado por toda a
penles, declararan) moils wzes, oao so que os parte) e ^ por noaiens mineles, qae se nao
individuos de sua prJteecio, emrlam lfies do re- conteotam smente com theortas, do segundo mu
crulamento, como que os desertores que se aylas- ,0 n(0 onroase, e Islo se deve, nao ao sea
sem em saas Ierras, estaara tambera livres de ia|en|0> nja3 a querer elle sustentar o qne oao
pnsao pela deserto; 6. se, a' pretexto de manter ress,fa a analvse, por melhores ou mais tortaosos
a ordem pobllca, nao alterada, apptratoameute que fossem seus arfrnmentos. tudo lsto se teria
reunirn furca, para proteger os individuos que,
insinuados provocavam os voluntarios coutlictos
que, desswn lugar a processos, e a tudo mais quan-
O,flifW4ottMNMe0 mmmm a it#oluvao;
7. finalmen'.e, tudo quanto a V. S. constar do pro-
cedlmento de lus lalvldoos : oestes termos
P. a V. S. deferimento. E R M.
gou-s mais
No relaterto
nho do auno
condicoes
Arl. 3.'
eguinte:
So qu diz re^teU praarla>ale ao
pe o omptego dos anyulaeo, eme qae essa cea-
Tmmnx,r^^^"X^7s. zzz&.'s rrb so ssavtf ir^ssstScw i gttssffiiistfttaEigs
evitado, se a ionovacio precedesse a dlscassao no
centro da commissao ; mas oao o quizaran, para
que seevitaHsem os embaraces que se apresenta-
vara realisagao dessa tonovaio. Agora o mal
est feto, e torio de sopportar as conseqoeoctoa
aquelles qut para elle oao coaeorreram.
Ha doas ordens de condicoes consignadas na in-
ro alm de ootias condicoes fazer 0io do se aotanbem peta remoco do luco que kouvesse as
goioto: \resptcliim casas, nao stndo ai familia* obngadas
Pedro Pessoa de Siqueira Campos. Tenente n,,,,^ d0 conirtcio de 8 de Miembro de 1858 :
coronel commatMMte. ama de con licoes estabeiecidas e flxas, e oulra de
A cerca do primeiro qaesito da [li^o supra e eoBdC;jes qe $e baseam'em promes*a, e depen-
retro atiesto que o eommaoaante superior Antonio dem m approYa5ao da assembla provincial.
Xavier de Moraes, combinado com muitos de seus No (g^m primitivo foi estipulado qae cada
parentes e ainados polticos, por diversas meios fim^Htt que epregage ob apparelhos do 8r. Ca-
crearan os mais serios embaraces a orgaoisa^ao oroon8j pagarla a este nma contribuicao aonual, l
da cuupaonia de voluntarios da paia, emprehen- vantTe| eatiao o numero dos apparelltos, e no
dida e realisada nesie lermc. accordo, a que chegou a eooMniHao com o empre-
A cerca do segando queslio atiesto qoe, o reten- Jan0) a mejgjj contrlbuicao foi mantida, poisque
do comraaodante superior na noile de i i do mez esU era uma as resirc(;oss impostas pelo Sr. Dr.
ultimo, apreseBlou se em mangaste eamisa na Ca9ie|(o Braoco, que nao qaerla augmento de odus
ra principal desta villa e aisocindoao sea prenle para a proVjaCiaj oa para m particulares; eotre-
o Dr. Tibiirnno Barbeza Nogoeira, promotor publ laul0 oa jOBOvagio dtEsecoatracto a i.oainbui;o
co da comarca de Tacarat, vociferaram em alto &oaaii oi 9lB1ifot e por eonsequencia lorneu-se
grita os mais grosseiros insultos contra a referida M,a Mis onerosa para as familias, principalmente
companbia, que os onvio eom ezemplar pacirocia ge jcar ojmbgiecido qae os apparelhos sao abriga-
o modera^ao ; e, nao salfeito ora too de^mmu- |0r|0S) jo que o contracto primitivo que nao ropu-
nal excesso, passoa na atesraa noite a englr de al- noa apparelhos.
guns offlciaes da guarda nacional sob o seu com- Compareaios as respectivas disposiySs.
mando, qae Ihe entregassem alguns guardas nacto- >j0 ar| 27 do coolraeto primitivo, celebrado em
naes designados para o servioo da guerra que es- jg ,je getembro de 1858, se dizia o senniote :
tavam allsudos oa me-nu corapaahia. Art. S7. De cada familia que empregar
A cerca do tercelroqnisito atiesto afirmativamen- preiho, receber o emprezario a quantia de 20$
le ; por tr sido esse fado publico e notorio. anuuaes, paga por iiuarleis vencidos, por mez ou
A cerca do quarto quesito attesto arraallvamen- p0raQDt>J conforme o ajuste que lizer. Das que
te, restriogindo-o somonte em quaoio a' publicida- empregareni dous apparelhos recebera' o ePr de da seduego, que consta-me ter sido secreta-, no 40^00, e das que erapregarero tres 52J00,
posto qae com circunstancias taes, que os seduc- pag08 ^0 mmao modo.
lores deviam prever a divolgacao ulterior do sea i em oeoseqoeocia do accordo, a que cU;gou a
acto. coramiesao eom o Sr Cambronne, foi por este ac-
A cerca do quisto quesito, nada posso alirmar ceita a segointe condigo, que seacha consignada
com relaco ao supplicanlo Jos Eparaioondas o- no reiatorio dessa comroisso, datado tle 18 de ju
gueira de Barros, apezar de circuiarera boatos nb0 de 1863, e publicado no Diario de Pernambu
nesse sentido; cooslt-me, porm, por vas Ue- co de 13 de julbo desse mesmo aano :
digna.-, que isso tem ido pralicado por outros ^rt. 2.' u novo systoma proposlo pela empre-
membros do seu partido ; e que o delegado sup- ti era sub-stituicao ao que foi adoptado pelo gover-
plente Francisco de Souza Magalhes no lempo em n0j nio trar ol)OJ MUS J0,re qualquer pretexto
que se recrutava dita ra que se cercassem sua pro-
priedade para recrutar, como se annuociava enlao,
elle resisria at morrer; assim como tenho certe-
sa de qoe debaixo da proteco de pareles e allia-
dos do referido Souza Magalbes existem alguns
voluntarios desertados da compaahia.
A cerca do sexto quesito alteslo que estaado este
termo e esta villa em pleoa paz e ordem, inespe-
radamente e com sasto sobresalto da populacho,
no dial", do correnle mez apresenlou-se nesta villa
que seja, quer provtncta, quer aos particulares.
Entretanto na inoovacao do contracto, a pretexto
de raelhoramentos melhores do que os propostos
anteriormente pelo Sr. Cambronne ero suas pn-
meiras modificagoes, e acceilos depois de estudos
pela comroisso, foi consignado o segrale :
Art. 16. Por todo o servico, a que tica o cesio-
nario obrigudo pelo presente contracto rect-bera,
salvo a excopfo do art. 17, de cada finJilia, que
empregar um s apparelho de latriaa 27800
com us referidos detogaao suppteole Fraucisco de qUarteis vencidos, por mez ou por anoo, cooforme
Sooza Magalbes e commandanle superior boa 0 ajQsle qU(l se 8ierj das que emproparem dous
quantidade de tropa e armamento aquartelado e apare|hos jOOO, e das que emprtgarem tres
em movimeBto pelas ras, fazendo parle dessa for- 60,8000, pagos serapre do mesmo modc.
ra armada, uma porcode individuos que o capi- Cremos que nao basla mais do qae a confrnta-
la o da referida companbia, encarregado de recra- ^0 desses artigo?, para qae se veja qae as coud4-
tar, procurava prender, pretextando o referido sup- Qges a mnovacao sao mais onerosas para as fami-
pleote do delegado qoe lodo aquelle apparato bel- lias do que as no cootracto primitivo mantidas no
lico liaba por ra manler a ordem; e parecendo- acc0rdo ; porquaoto ninguem dir que 27jt00 por
me imposstvel ser esse o Sm com que se converta Cdda apparelho do Sr. Gomes Nelto nao sao mai-
era uma praca de armas uma villa pacifica equieta
procurei indagar a causa real, e infor.uaram me
qae essa demonstrado tinha por 8m fazer-se nm
acinte ao referido capio Samuel, apresenUndo Ihe
as pesboasquel elle pretenda recrutar e desafiando-
elevados do que 20(000 por
Cambronne, e assira todos.
cada uio dos do Sr.
- % i.' Do luppri'meno de agua por swto de >oa-
chinas a vapor ou raoinhos auxiliados por aquellas
con a competente, lodicaeio asa condicoes 4o ca -
oalisacao;
" S. Des matos de lavagem, de desobstroccao
e relilaco dos conductores;
i.' Da indica gao dos apparelhos separa-
co e desinfeceo ; ,
i 7. Dos meios de facilitar o escoameoto pela
forja da gravidade nos pontos de oi*l balso da
cidade.
Anda se l o saguinte :
Art. 6." O apparelhos de la trina sarao obtura-
dores na forma dos deseabas n. 5.
1. Os sipkoes dosses apparelhos nao te/ao
menos, de duas pollegadas de. dimetro. >
E anda se l:
Art. 8. Cada dislnoto ter, iadopenoeataoieB-
te dos otrosencaoamenlos, machinas eatcessortos
para o escoamenlo das ateras excreaeotteiss e
agnas servidas das casas. >
K o que se diste na innovagao 1 Vejamos :
Art. 8." 0 systema da ticopeza, de qaatfatao
artiga precedente, se cempof de um apparell de
latrinas siphao conforme o desecho anoeio sob
n. -2, com o suppnmooto de agua salgada e desti-
nado igualmente ao escoameoto das aguas serv
as etc.
f Art. 4. O* desenhoa e descrlpces de que faz
meneas o artigo precedente, alm de outras con-
dicoes, devero saiisfazer as seguintss :
t g Cada distrelo ter indepeudeotemente
dos outros encanamento?, machinas e acccssorios
para o escoamenlo das materias excrementicias e
aguas servidas, das asas. >
E qae diSerenca ha entre as condicoes exaradas
na innovago e as que foram mencionadas no rea
torio da commisso, oas quaes cooveio o Sr. Cam-
bronne, e arara as que cont-nban ana modifica
oes 1 Nenbuma ; mas quando se queira ver algu-
ma, iodo se pagar ao dimetro dos caaos, e outras
minuciosidades, a isto se responde como que a com-
misso coneignou nesse relaiorio, que Ihe f*z hon-
ra pelas cautelas cora que cercou as condic5. Ve-
jamos.
Nao gaUsfeila a commisso cora o qae toi espe-
cBcado, ooasigooo o seguinto emseu relatorio:
i Art, 10 A empreza se obriga a adoptar as
modificaos oas obras e appareluos que o averno
recoobeeer oecessar.ia oo diatrjeto de ensato para
que o systoma fuocetone bem, e isfo intrpale"'"-
le de qualquer indemnisacao, alvo o caso previsto
pelo art. 48 do contracto celebrado em 25 ds se
tembro de 1838.
t Art. II.A eontinuacao das obras nos do-
mis districtos s lera logar com a applicaco dos
raelhoramentos, que forem adoptados no primeiro.
E, para mais cercar de garantas as coadises,
e auxiliar o governo, alada cousignou o ssguint :
Art. 15.A empreza se obriga a adoptar, Ju-
rante a constraccio das novas obras e lempo de
seu privilegio, os melhorameotos feltos era ontra
qualquer parte, onde se tenha empregado igual
systema, e que a experiencia mostrar serem ne-
cessarios para bem do servico de llmpexa e para a
hygiene publica, sem que d'ahi resulte maior MU,
quer para o geverno, quer para os particulares, e
nos termos do final do art. 10 deslas raodlUca-
c5es. ,
Urna das razdes de preerpocia allegadas era fa-
vor da inoovacao foi queo systeraa proposto pelo
cessionario, o Sr. Gomes Nelto, e consignado nes-
sa innovagao, duplamente mais dispendioso para
a empreza do que o primitivo ; mas j mostramos
qoe esse systema era nada oo muitisstmo pouco
differe do que acceitou a commisso se matar
onus para a provincia ou para os particulares, e
nos parece que elle nao mais dispendioso do que
este ; e, quando o seja am pouco mais, as vanta-
geos oao sao taes que compensem o augmento
de onus para os particulares. Pelo contrario, pelo
que escreveraos em nossos comraauicados anterio-
res, se v qoe do systeraa adoptado na innovagao,
sendo as materias excrementicias evacuadas no
mar atravez do arrecife, sem qae preceda a desin-
feceo, se tero de seguir cooseqacncias, que o
tornaro inferior ao que foi acceito pela commis-
so. Nao duvidamos que, para se nos embater,
se nos aprsente orgamento; mas, se esse orga-
ment procede de Londres, emana de pessoas inte-
ressadas, e, se feilo aqni, nos merece tanto ere
dito por sua exactido, quanto todos qne bao sido
organisados nesta provincia, nao havendo um exac-
bebkla compre que seja e naluieza branda
e fresca.
Todo o sea aHnieato se ha dejirigir a
moderar a acrimonia dos humores e a nu-
trir e suster o doenle, ara o que preciso
gane o mesmo publico com outros que por
abi se aonunciam, (lijas preparaceiignoro,
assim como o aproveitameolo aos enfermos,
a quem porventura tenham sido applicados;
amnhuma ontra tetpm^i s-o ioosrisoo o inr e sasier o aoente, ara o que e preciso cada ^ ^nam^ p((r.aii e fiu 9gnfAeom
contract oao se fez ms do qoe repetirle isto reduzi-k> ao USO de vegetaes e leite. vprdatou mipaanitpnhnrplatado nuosme-
?^Z.T^rl^^^^tZ '^a comida e bebida, que 1 tajg^^
i: dessa novacai oearT oE se dger em poucas porcuas, para evitar que Dha blLca na rua'iMreita u. g8.
smeato a isto : ourigcu-se umbem a rsssswer de o excesso do chyto fresco oppnma os botes
cada casa em oartoe para ste osa apropnados os e accelere muito a circulacio do sangue.
rsHdHM das cosimia*, t oe ammatt domsticos que MuiU)S daenles desta molesta se teem en-
??* *y^*!&^Z!Z trege aouso do oleo de figado debacalo,
que bou ve entre este e a commiss, como se pde e outras preparacoes de resinas e palsamos,
ver recorrendo-seao art. 13 consignado no relato- sem qae dolas tenha ni tirado proveito ; 6
no dessa ammiasao. algQns expositores de medicina combatem
Assim poto, peguntaremos, aa areraocSo do io i tratamento
das casas poda ser aprwaatada como uma das w>m mana Fazao esse iraumeaio.
vanugeos da innovagao ; e s por isto deviam ser COSlume carregar o estomago 00 doen- \
preferas as ultimas moiiticaeoes oropostas pelo te com medicamentos oleosos e balsmicos;
Sr. Cambrona*. oo aates por seo cessionario, o sr. porm estes em vez de tirar a causa aug-
^^o^^.^mbroone^rs,0^! %*, esqaentando. o sangue ao mes-
ae, a que este s nao poderu tartar mo teuipo que tiram o apetite, relaxam os
Da qne 6ca *> eripto ae v que a Bossa respocta solidos, e sao de toda sor te perniciosos.
se vae estestoqedo, a escettondo o que disseroos n i T fi f afa ext.tnstlir a tOSSe
principio. Para nao eangarmos a paciencia des
leitores, que deaejamoi ponpar, paramas aqui.
Cijutmaaremos en otro numero.
Wtmm.
18 de fevereiro de 1866.
alm do exeretcio e rgimen apropriado de-
vem ser remedios de natorea acida, deter-
gente e calmante.
Os cidos possuem a vtrtude de produzi-
rem bons elleiios nessa eofermidade, por
Senatoria ao Ceara. __ que ^q s cootribuem a apagar a sede
vioc?aadoraEri6 P rP P qoando accommettem a febre etbica, mas
Entre os moto llbos distioctos daqaella brtoza tambem a refrescar o sangue.
provincia podaramos declinar nomes de geral ac- Aos doentes desta enfermidade, quando o
ceitaco, que sio acolhldos incontesiavelraente pelo seu ^^q e gravidade tal que a febre
teXl doSr.commend.dor etbu os accommette prescrevc-lbes o su-
Joo Baptista de Castro e Silva, actual luspector da CO de um limaO dtssolvido em uma chicara
actual thesooraria de fazenda de Peroambuco, Cea- d'agua com bastante assucar em um grande
rense benemrito, chelo de virtudes cvicas e pri- copo para msturar com um papelinho dos
vadas, par das qoaes sobreshe o seu carcter ,.,,,. JSii. iim inmar rom ane ali-
slsudo, sua intelligenciaezelo nocamprimeniodos P?3 refrigrame* para tomar, com que aii
seas deveres como fanecionario publico. viam no acc ncmettimento da febre, e pela
Os maitos anoos de servigos qae tem prestado o rnanliaa 0 xarope etherio de veame. Tenho
3r. Castro e Silva as differente repartigSes de fa- aconSelbado, que fecam uso de vegetaes de
zeoda do Imperio,sio attestados por diversas pro- t .1 .._,. i,rm\ns limes. ni-
vlncias, tem sido reconhecidos e apreciados pelo natareza acula, como qw> "53li**
gotero geral de todas as crenis as diaerentes tangas, uvas, etc., e appiica?oes de plantas
phases polticas qne tem o patz airavessado. amargosas, que fortificara o estomago e ser-
Filhodo Cear, ama divida de honra qae o vem aQ j^^^q tempo para deatruir e miti-
Ceara'tem de contempla-lo ni lista sxtupla da
eleigao de seus dois senadores, qoe vai eleger.
Estas poucas linhas sao escripias pelo
Jutto.
Jos da Rocha Paraniws.
Nazreth do Cabe, 7 desetembrode 1863.
Illm. Sr. Jos da Recba Paranhos.O m
o maior prazer levo ac conhecimento de V.
S., que o doenle qoe V. S. aba-*e admi-
nistrando-llie re.i.edios. aha-se DO' todo res-
tabelecido, portanto, nada sent, teodo des-
ap paree i do n > todo a tosse, tem rauiadispo-
si?o comida e acha-se nutrido. Deixou
tomar os ltimos remedios quo V. S. recti-
tou no dia 30 do passado.r esta agora a V.
S. mandar-me dizer qoal a dieta que o
doente deve conservar e por quantos lem-
pos, mencionando as ceidas qae derer
usar daqui era diante.
Resta-me agora agradecer a V. S. o coi-
dado que tomou no tratamento do meo so-
brinho, abaixo de beus, devkio o seo resta-
belecimento a pericia de Y. S., e por isso
pde V. S., sempre contar com os meus ai-
minutos prestimos, e desejarei em todo o
tempo dar orna prova do meo reconbeci-
mento.
Desejo a V. S. todas as venturas, por ser
de V. S. muito respeitador e ubrigadissmo
criado.Francisco Btrmgmr Cesar de Me-
nezes.
COMMERCIO
Era seu trimeiro coramunicado Smth propoz-se i to. Para prova citaremos esse do aterro do aityait
:. ?_ _*- .-., ... MMM #.*; aj:a.aa n nnen Aa dotftnr.in contra a
gar a sede.
A Sra. D. Joaquina deS Barreto, tendo
ama sua escrava fallecida desta molestia, sub-
; mettida ao tratamento de sea medico, resol-
j veu procarar-me para tratar de om outro
^.leseravo, que soffria daraeama enfermidade,
riodtoo Americano censaras ao Sr. r.~Antonio prescrevi-lbe o xarope de vlame, tem me-
Gongaives da Jasu Araojo, oa qaalidaie de juiz i horado consideravelmente.
commissario na provincia da Parahyba, sendo eile i A seohora do Sr. Antonio Francisco Ho-
n^^!^i'^^ts1^^Jif^ foi desengaada por habis mdicos
censaras se re/erem, cbeme todava a satisfagao desta Cidade, esteve prostrada
0 r. A. J. da Justa Araujo.
fenho lido oo iario ie Btmambuco, e no pe-
e nos ulti-
de poder declarar, que o Sr. Dr. Jasta Araujo mos paroxismos da morte, foi com O xaro
servio por muito lempo igual cargo na provincia veame salva, como se v da carta
do Ceara, e all fez a medigo de algnraas sesma
de 9 de feve-
is de indios, as quaes havia multas e eomplt- impressa no Jornal do Rccife
cadas questfies de posses; e o Sr. Dr. Josu Araujo reiro de 1863.
oeste importante trabalho procedeo oom intellgen-1 0 escravo Emilio, do Sr. tenente-coronel
cia e criterio, a ponto de evitar reclamaces dos R0(ioipDO J05o Barata de Almeida, foi tam-
paE?mTdcrar^r;enaT^^^ desengaado por habis mdicos e
Justa Araujo julgoei dever fazer como homenagem com o xarope de vellame acha-se compieta-
ao eu carcter de funecionario leoso e inteili- mente restabelecido, como se v tambem
gente.
Trufas de Alencar rartpe.
Recite, 23 de fevereiro de 1866.
Publicacoes a pedido
da carta impressa do mesmo Sr. ten
coronel no mesmo Jornal do Recife.
O Sr. Antonio Christiano Fogt, filho do
Sr. Christiano Fogt, proprietario e estabe
lecido na cidade de Macei, o primeiro bem
conhecido nesta cidade, pois que fci empre-
gado na ca$a do Sr. Len Cbapollin, retra-
tista estabelecido na ra da Imperatriz, ac-
commettido desta molestia, foi daqui desen-
PRAC DO RECIPE.
Cota^oe offlciaes.
13 de fevereiro.
As 3 l|2 horas da larde.
Algodio sorte 17^100, 17W0O e 65TJ0 por
arroba.
Algodo da Parahyba, 1' sorte posto a bordo
194300 por arroba.
Acgoes da compaohia pernambucana-605000 ca-
da ama.
Acgoes da estrada de ferro1605 cada nma.
Cambio sobre Loudres 7 7|8 e 28 1[4 d. por
lJfOOO 90 d/vista.
Dubonreq Jnior,
Presidente.
Silveira
Secretario.
Noto banco de Pernaut-
buco.
O Novo Banco descoma letras a 12 por cento
ao anno, toma dinheiro a ptaso fixo oa em conta
orrente pelo premio e condig5es qoe se cotren-
cionar. e saca sobre a praga da Bahia
Cala filial do banco do Brasil
em Pernambaco.
De ordtm da directora se faz polico qae o
thesoreiro desta caixa se acba anorisado a pagar
o dividendo do semeste indo em 31 de dezembro
prximo passado, na razao de 125000 por aego.
Caixa filial do banco do Brasil 15 de Janeiro
de 1866.
O guarda-livros,
Ignacio Nones Crrela.
Careara'.
Lendo o peridico liberal n. 16, vi na segunda
pagina, qne, um cao querendo abocannar-me tral-
eoe raraento historiou a minha noraeagao de inspec-1 ganado por habis mdicos: rettrou-se para
tor de om dos qoartcirSes desfa cidade, para eri-! a fjghia, e alli COntintlOU em tratamento ate
rera com as iniciaes L... Je C .. e aug e f(). gegunda vez desengaado pelos m-
dicos dalli, chegando eu em Macei, um
a provar que as condgoes da innovagao nao eram
mais onerosas do que as do contracto primitivo, e
o, ataze-to,cem a prevja certeza de opporem-lhe for- era st0i qna ^ne cumpru fazer; mas tergiversou.
ca e assim dar lugar a um coulicto de que resul e 0 [ez Jor,1Ul! ser-lbe-bia imposslvel contestar
lasse a inutilisagao da corapanhia de voluntarios -, 0 fjUe e;la maitieraaiicamente provado com a con-
e outras ioformagoes mais recentes acresantavam frontago dis algarismos-, e eis como se quiz tirar
que se projeetava espaacar publica e gravemente da diiculd ide, ero que, voluntariamente ou por
o voluotario Aplwo Cavalcante, qoe ha poucos comprazer, metteu-se, jalgando Ulvez o;ae escrevia j a
das Incommodara cora orna piiberia insigniboante
a Francisco Gomes de Andrade, anugo dos referi-
dos Francisco de Souza e commandanle supener,
no caso de apparecer aquelle na ra, e em seguida
tomarem a porto do dito capitoo, e azereaHhe um
era qae foi edificada a casa de detengao, contra a
opinio dquelle que se oppuoha a que fosse edifi-
cada no lugar em que se acha, e contra as cond-
goes hvgienicas.
Pretende Smith, e pretende sem ter experiencia
peculiar em que se apoie, que o systema adoptado
na innovagao excellente, e s por isto qner que
populagao se resigne, sem tugir nem mugir, a
Ihe imd : apenas 2Q5/)00, nao.pde'ser considerado naques-
desacato ; e estou convencido, por diversa'* raices, \ tho'-r mas Smilh nao considerou que isto o levava
de que foram estes os Pos 'aquelto provocadora
ostenta cao.
A cerca do ultimo quesito atiesto, e publico e
notorio qne muitos membros ao partido progres-
sisla desie termo, como se bonvee&e da parle desse
partido um placo combinado, opposeram vigoro-
sos obstculos a creagao da predicta corapanhia, 1
a provar o que nao podia, poisqoe a quaolia de
275000 nao igual de 205000 ? Para tlrar-se do
apeno, em que se vio, promettendo provar que
a contribuido annaal estabelecida na innovagao
oao era mais elevada, e por eonsequeocia mais
onerosa para as familias, disse o segoraie :
t este ultimo caso exigia-se o pagamento de
protegeado pessoas que se procurava recruiar; 3. servico feito por am systema reprovado, noeivo i
empenhando.se para a soltara de recrutos; 3 a- salabridade pubiiea e pouco dispeodiow te
E, eoatiaoaado em sen desenvotviiaeoto, anda
consuihaodo a mus pessoas qne ao ae alUias-
sem como voluntarios; i. aconseraando a aiM
gao da voluntarles alistado e aquarletados', 5. oc
sen
dtose
Pela nevaco, o systema
aLFaNDEGa.
Rendimento do dia 1 a 22......
dem do dia. 23...............
cuitando sob sua pretocgo voluntarios deserudoe;' aperfeiooado qae se conbece, duplain'mie dispen-
6.a aconsrlhando a rearla qoe nao qoizessem a-1 dioso etc.
li.tar-se como voluniarios, visto qoe lies por seos j d'atii coaclue, poaco mais ou nanos oestes
amigos os solunam oa capital; e 7.* propagando termos, qun :
ideas desaniraadoras etc, e alguns des-es solapado-, < Sem receio de errar se pde af\nnar que a
res tem levado a sua animosalade ao ponto dea- pegunadinereoga de 75000 annuaes uma vanta-
meagarem com ama rasistoncia armada a quem gem real e nao deve ser abandonada, violo reunir
fosse recrutar ou capturar disertoces em suas ier-
ras ; do qae todo re.-uitou compieur-se a compa-
ohia com pessoa! muito menor-do que veri a ter
se os que se esforgarara para a organisagao della
nao bouvessem luolado oom too for las embaraeos;
e ser diminuida oonsderavalmente palos subre-
quentos desargoe, e prolecoao dos disertoras; des-
iiuguiodo-s eai esees ou outros dos meios que fl-
caram ioaicados, segando as ioformagoes qae (eabo
receido e crida, o 1. sappleote do delegado Jos
Epamiooodas Nogaeira de Barros, 1* supplente
Francisco de Souza Magalhes, o subdelegado do
1. disincto deste termo Braz Ferreir de Maga-
lbes, Francisco Nunes de Suuza, Jos de Souza
Magalbes, Antonio Nuaes de Barro, Joo Nunes
de Barros, Francisco Atoes da Foaeeca, Fi aocisco
Gomes de Andrade, e Pedro Antonio de Aodrade,
e outros de meoor aportancia poltica e gerarchia
social.
Vdla Bella, 20 de Janeiro de 186a. Etlevao
Jkntdtcto Franga-T- Juiz de direilo interino da
comarca de Flora*.
A lanovacio do contracto caaa-
bronne.
IV
para criangas. I nma imposigao onerosa, qne poda ter sido evita-
O tacto da ionovago estipular, disso elle, o pa- da, se se nao qoizesse proteger a interesses oo
garaento annual de 27000 pelo prlroiro appare cessionario. O mesmo, se dizia, quandoifoi ce e-
Iho de cada habitacao, quando o contracto exige brado o contrato de 2o de setembro de 18a8, lenao
em seu favor a opinio de homeos que se diziam
competentes ; entretanto a experiencia veto, mes-
mo muito aues de concluidas as obras, awstrar
que esse systoma nao dava entre nos os mesmos
resoltados que del le se obtem em outras partes;
curapriodo nao passar em silencio, para que se
veja al*que poolo vo os protectores desta trra
que, quando os apparelhos estavam desconceitua-
dos, em consequencia do mo cheiro qua deixa
vara exhalar, um attestodo de setenta e tosftos pes-
soas foi apresenlado na assembla provincial ero
1863, em que se dizia que esses apparelhos func-
cionavam excellentemente, confirmando islo mes
mo o advof ado da empreza, que nessa occasiao
deelaroa qae tinha nao menos de tres.
Pela le provincial o. 532 de 20 de abril de
1863, qne passou em consequencia da protecgo,
nao concorrendo pouco para Uto esse attestodo, se
tornaram obrgatorios os apparelhos, e, vista do
qae tinha sido fjxado no contracto primitivo, em
186 deviam estar sentados todos os apparelhos, e
| concluidas as obras. Se todas as obras estivessem
| concluidas, como deviam, e todos os apparelhos
fuuccionassem ao mesmo lempo, em que estado se
: acbaria a populagao desta cidade, vendo todas as
casas infeccionadas pelo mo cheiro qae se exha
de e3floio o mais
sesupenoridade dosysieraa a vaotagjm da remo-
go dos lixvs e residios das casas..
Ha tanta; asserges nestas poucas jalavras, que
forgoso se torna qoe aprecenlos cada ama de
per si.
A commisso reconheceu, com o omorazario, que
ario, que jaS3e ,jesses apparelhos ? E oao poder succeder
mao, nao momn mtn n nov.i vslAma. nrp.ttmilidn er.r.el-
o systeraa adoptado em sea contracto ora mao, nao 0"me8010 como aQV0 SyStma, pretendido excel
pr que o sjslema de laurinas movis com_separagao /^ pelos protectores da empreza, principalmen-
te continuando o servico domestico a ser feito por
das materias excrementicias o seja, como se pde
provar com a opinio de borneas competentes, e
com o que se observa em Pars, mas porque os ap-
parelhos do Sr. Cambronne nao proenebiam as
condgoes precisas, e o servigo domestico en, co-
mo ser per muitos e auitos anuos, mal feito. Ella
adoptou as modi&cagoes propostas pelo ernprezario,
qae mudar am o s y.-iema do contrete primitivo, e
estamos convencido qoe, compridas as condigdes A commisso, cautelosa como se mostrou, nao
qae Ihe fa/arn impostas, o systeraa acceito satisfa- se flou someole em epsaios feites era Londre?,
ria plenart ente que recommeuda a hygiene pu- nem as coodigSes accordada, poisque nao igno-
blica. Assim pois, a queslo no dewa versar so- rava o que valem os empeobos entre nos. Temen
escravos, oa por creados, qae destes poaco diffe-
rem qaaoto ao cuidado ? Por certo; e desde j
dizemos que, se a empreza for a flm, o qae s .ffreu
cada familia dos appaxelhos primitivos ser o que
tero de soffrer todas, e pedimos qoe se tome dis-
to nota, que servir em tempo opportono.
deC
furto de cavados depois d'esta.
Protesto solemnemente contra estes aleives da
maledicencia, e provoco,a quem quer que for, qae amigo pedio-me, que O acompanhasse ate a
deixe o escondrijo de sa'lanaz onde esto' homisiado m 0 ? Christiano, para ver um doente
ittrjBg VS&STJEtotl e prescrever-lhe algum remedio encontrei
ordera dos calumniadores. o filho em uma cama desanimado e em es-
Caroam' 17 de fevereiro de 1866. tado de prostrar;5o, pois que escarrava soa-
Vttaiim Franco Coelho Cavricante. gue> e tjnna completa inapetencia e fraque-
,-----, L za a ponto de nao se poder por em p, no
Agua de Fiorida de .uurray flm de uma garrafa do xarope etbereo de
I,auman. veame j se achava elle no estado de pas-
Em consequenc a da sua grande e vasta W^T em ^^ desapparecida a inapetencia e
popularidade e justa celebndade eraftodos os escarros e sangue ; e a tosse mitigados,
os mercados da America do Sul e dasAoti-j jj0 fim da segUnda j achei em estado de
loas, para o uso decujos paizes, 11 fi faze-lo passear pelo sitio tedas as manhas.
exclasivamente manafacturada, ha mais_de kxdto*. esta o aconselhei, que continuasse
vinte annos; a raesma tem sido exclusiva- [ n0 ^q 0 mesmo xarope etherio alternado
mente imitada e contrafeila neste paiz. Po- com 0 xarope alcoolico de vellame, e que
rm presentemente o artigo original foi in- ^^g dos banhos salgados na pancada do
troduzido, e em virtude do mesmo apresen- mar# sentio elle nos primeiros banhos al-
tar a distiocliva marca commercial dos pro- gUns cho jues, mas ea o aconselhe> qae con-
prietarios, pie fcilmente ser distinguida tinuasse, com o que se tem dado muito bem
pela sua appareocia exterior dessas outras pos que taaho ecebido cartas de Macei,
similadas e fraudotents composices. Os em qUe SQ^e commonica o sea bom estado,
signaes internos de perfeita genuidade s3o
muito menos fcil de engao, por quanto a i Nesta molestia os expositores de medtci-
Aqtta de Florida de Mttrray e Lanman tem na n5o aconselham banhos salgados, apenas
e desenvolve o aroma proprio das frescas e quando delles tratara, dizem ser applicados
florescentes flores e plantas do trpico das as escrophulas, hypocondria, estherisnio,
quaes ella deriva a sua bella e exquisito com- amenorrbea, raetbismo, etc. ; entretanto vi
posico, eaexposico ao ar, em lugar de este bom resaltado no lho do Sr. Cristiano,
diminuir, augmenta a delicadeza de sea fino e outros factos iguaes tenho visto as om-
aroma, em lugar de produzir uma emana- lestias siphyhticas, e outras muitos que com
c*> acre oa uma certa effluvia desagradavel o oso do xarope alcoolico de vellame tem-se
como acontece, com esses perfumes e aguas obtido cara radical,
de cheiro as quaes s5o preparadas e com- 0 Sr. Dr. Silva, medico hbil de Macei,
postas com leos baratos e forssimos de depoiSue ^ applicado a umseu doente de
esseucias. i rheumatismo o xarope alcoolico de vellame,
(Tenha-se, pois, todo o cuidado de exarat- jogo que ee se p0E em eStado de kirgar as
nar e ver qoe os nomes de Murray e Lan- moiela!) em qne anfava arrimado, o aconse-
tiMwi, so acbem ioscriptos e gravados sob |hou gue continuasse com o uso do mesmo
cada envoltorio, letreiro e garrafa e na falta xarope conjuactamente com oa banhos sal-
dos mesmos, fcil suspaitar da sua faisi- gau0Sj com qu6 setem dado muito bem, e
MOVlMEtVTO DA ALFADEGA.
Volamos entrados com fazendas-----
c com gneros..... 720
52fci!5#91l
55:809*167
384:223,5078
-----720
Volumes sabidos cem fazendas..... 211
i f com gneros..... 916
-----1,127
Descarregaro hoje 24 de fevereiro.
Barca porlucuezaScaiiranfa diversos gneros.
Brigue porluguez Untaodem.
Barca portugueza Constante III diversos g-
neros.
Patacho nacional Jaoatao farlnba de trigo.
Barca iogleza-Aiijusinofarinba de trigo e ba-
calbao.
Escuna inglezsOraclecarvio.
Poiaca bespaoholafnrfiacharque.
Brigue hespanholifaria fioadem.
Brigue nacionalFluminensedem.
Brigue argentinoVolantedem.
Polaca argentina Montevideodem.
sumSca argentinaMoca Carteladem.
aatocho portnguezJosidem.
PBrcanacional -Guarahindem.
REGEBEDKIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do da 1 a 22...... 2fc533*S9i
dem do dia 23................ 1:115*0*7
'
ore o systema do coolraeto primitivo, que tinha si-
do regeitaco pelo accordo a que cbegiu essa eom-
misso, ra; s sim sobre o acceito por esta; entretan-
to nao foi o que fez Smith.
O systeo* proposto pelo Sr. Carabnooe era suas
ultiuus a)|)dicagoes, ou antes pelo ea essoaa-
rto, o Sr. iJomes Nelto, anda nao nceben a ap
provacao feral, era foi experimento em grande
Tres foram os pontos, qae SnM74p-opoz.se a sos- escala: o rae exiato nao passa de entalos;e, s
tentar : porque em Londres em deixado ep nangas, mes-
1. Que o systema de kmpeza,adoptado nainno- [mci /ndalas, de gnefati/ar todas as condic5e3
dade.)
Vende-se oas pharmacias de
Barbosa e J. da G. Bravo A- G.
Gaors &
Phtbysica
O xarope etherio de veiame por mim pre-
do ella qoe os.resultados nao cauflrmassem as es-
perancas, que deixavam ter as modificacoes pro-
postas pelo Sr. Caatoroaae, pelas quaes o systema,
de esgoto eoosignado oo contracto primitivo era
substituido por outro, que satisfazla as condicoes
hvglejBicas, coosertoo em ceadicoes o segrale : Pado milito tem proveitado aos que SOfr
t Artigo 9.a A execugao das obras camecar frem desta molestia, e de lameotar-se, que
too smente por om dos districtos da cidade, e s m obtwrio desta eidade a maioria dos que
eontlnwr pelos outros depoU qae o governo tiver racCBmbem ^ tabertalOS ptrlmonares,
am dos mdicos que alli em Macei tem com-
pleta condanca oas preparacoes de vellame
por mim faltas, pelos bons resultados qoe
tem obtido em sua clnica.
Quando algoem se v cora tosae tai ao me-
dico, este o examina e declarao senhor es-
t affectado dos jiunoe^o doente desani-
ma com esta aenteaca, entende estar sem
ania cora, qaando os factos e a experiencia
teem demonstrado que muitos tendo procu-
3O:6*9J0U
CONSULADO PROVINCIAL.-
Rendimento do dia 1 a 22....... 130.777*876
dem do dia 23.............. 8:73#77
199:514*603
ij.ij ii mu... _____j j_jij i ii.11ii .amu
WOVIWtENTO DO PORTO
Navios entrados no da 23.
Rio de Janeiro -18 dtas brigoe-escaoa de guerra
Tonelero, eoowmdaate Ia tenente Jaoiolbo Fer-
iado de Jfeodofeca Pace Lean*.
llha de Fernando de Norooha54 horas vapor
brasiieiro Pawkya, ie 104 tooetodas, ornaun-
dante J. J. MarUns, equipape* 21.
Navio sahios no mesmo dio.
UerpoolBarca togiexa Aid, capito E. Httthag,
earga algodo.
HavreBrigue trances Belem, capito Poresot,
carga couros algodio.
BabiaBrgoe prtnsiaao Ihorkeld, capito T. A.
Aoderseo, carga parte da que trouxe de New
York.
...... .....in
TSrSK ZXf^eST^^Tr STSSUe o SST Fra e" do rdo o lugaV apropriado. se tee salvado;
EOITAES
0 Dr. Tristfo de Alencar Araripe, officfaJ da im-
perial ordem da Rosa e juiz de direito especial
do coramercio desta cidade do Recife de Peroam-
buco por Sua Magestade Imperial e Constitucio-
nal o Sr. D. Pedro 11, a quero Den guare* etr.
Paco saber aos qoe o presento e*iul vire e del-
le noticia tlverem que por pirte do camal portn-
guez, com admlni^rador da beraoca de Jos Siria
Rlbeiro, me foi dirigida a peilcio do theor sefolnte;
IHm, r. Dr. jato do commerco.OxonsaH fw-
: '

"

.'

mrnamam







atoad* *M de Fereralr*
1860.
' <

togal aesta previne* daveado-to- Pr-mcM Ol-
lares a beranca d CalMclda sflMito nortafueiJose
Mari Ribeir a HnW*BC**4* qoteaietra que
acceitira.^aWfctlfc tsatelas ees* 186I, sendo
ama de f.mh, *> 3ldejaBeiro, oatfa de 462,1150
era 29 d *4** eooua a*4e 701*780, en da >ulho do
egaw antto, e timo admioisiradsr 4a sota beraosa, iotsrrenaper
a prescrlpoio q*M >a w artia rmcninente, raaaar a
V. S. a digas mandar temar por ttrta seo protes-
to, e que seja intimado por edita m suppHcaao na
lrm*oo art. t3 |2 do Goa\ Gwr., "tsta asMr e''
le ausente euiugac nao sabido tisetfaiealD V. S.
dia* aera par a jastiOcacao da anseneia e acer-
tet* do hagan
Peda il S. assim defira.--E. R. M4-*eaeBca.
Na qual de4 o seguiate despacho:*me w o
protesto e para rjoe.se jHflqao a euseaoe mareo
a primeira audiencia.
Recite 20 de jaaere de 1866.-Ateacer Arsnpe.
e.m virtude do qual fra a taesma pelicio des-
triboltfa ao escrivao leste juizo Manoel Mara Ro-
drigues aVNasclmeolo, o qual lavrou o termo de
protesto 4 laeor seguinte :
Trras da protesto :
Aas 20 de Janeiro de 1866, na cidade do Recite,
m men ca-torio, appareceu sopplicante por seu
bastante procurad* e adVugadn Dr. Joaquira Jos
da Fonaeaa, e disse perante mim e as testeraunhas
Infra asaltadas que reduzU a proles o conteudo
de sua petisao releo a qual offerecea como parte
da presenta toe ica seada; de como assim o dis-
so e protestoa lawei esas teciae, no qoai, depois de
li Jo se Grraou cora as dita* etemaobas.
Bu Manuel Mara Rodrigues da Nascimento, es

'JP^WWIf^aW^jjfWFTwk
0 conselho de compras do arsenal de guerra
0Wrtuat seguinte :
Jpara provlmeuiV
10 eWas detiboa de layo aesaiho.
5 dle dtfamarello Wa.
drtu UIU davuma pollefltta (RVamarello.)
1 dita costadrWio de amarillo.
Para os minore?.
20 6s de gaz.
u IUxav r. CJqMtlo do port, manda publicar *m
vtrtade de ordem de S. Exc, o Ss\ toselfrairogre-
sdenla da pragiacia, o aviso acular tie K do
janeir i coleara, coatmercio e obrastpuhticas, conemu
ando a existencia de uOU e.flaffo lelafraftiica
o Caba*fno, ffetilara ao aaesna 4mp o modo
parque deveml os navios jirocedejjtes 8o pie,
eoramueicar-se com a mestaa eetafilo, e no caso
da cerrago su nout eos a Pima-Nttra u a
Stnta-Cruz.
Circjtfer.Qawetori dasa^rapailicaa^-2a sc-
elo.Rio de Ineiro.Ministerio <*>s negocios da
agrlculaara, eomuerc e (Asas aatdtc&s, ra 10 d
Janeiro e l86tUlllm e tta. Sr.-*Cotoajonico
V. Etc. para que faca pubticaf ssa jrovmci
s
DE
res de prata, paliteiro e ontroa
casa.
GRAKDB COirCBRtt)
crivao o'escrevi Joaquim Jos da Fanseca, Claudia- jfflm ga%egar ao conlecimjmtodaa^lonos ou con
no da Sflva Reg, O^rioano do Abreu e Silva,
E ten4o o supplauote fiwduzMo raas lest.-mu-
nlws, aeMadvs e preparados os artos sobiram a
mralra cMoNwao, e PeVes del seMen^a do Ibeor
seguinte :
Procede a jaslficaO pela qtial tnostra-se a-
chwsa ansene em lusar nao sabido o justin-
cado Jos francisco COHares, ffssltn, mando qne
seja citado pac edites 4e ttisla dws para o lien re-
querido a folbas 2 : pagas as cusas es-causa.
Recite 13 de bterairo de *866- Tristao de
Aleiwar Araripe.
Por Torca da qual o referido-escrivao fez passar
o presente edflal, pelo'qoa! chamo, cito e hei por
de justiea.
E para que chegae ao canbecimenlo de lodos
man>ei passar o peesenie que ser publicado pela
imprens a affixsflt) nos logares do costume.
Recife 17 de fevereiro de 1866.
Eu Manoel Mara Rodrigues do Nascimento, es-
crivao o subserevi.
Tmtao de Menear Ararle,
O Dr. Trist3o de Alencar Arafipe'lBcial d* im-
perial ordei da osa e mu. de direUo especial
do eommercio desta cidade do Recife de Per-
nambuco, por Sua Magestade Imperial e Consti-
tucional o Sr. D. Pedro H, a quera Deus guar-
de, etc. .
Favo *aber aos que o presente edital vrrem e
delle noticia (ivwem, que por parte de Manoel Fir-
raino Perratra n foi dWifid a pelicao do ttoor
seguinte:
titi Manoel Firmioo Ferrelra, que quer farer
cJiar a Manoel Luiz Coelho de Almeida para na
priim-rra do jufzo ver-se-be assignar os dez das da
le as letras juntas, e nelles allegaT a defeza que
tiver, e nio sendo relevante ser condemnado a pa-
gar a quaulia de 230J000, principal das ditas le-
tras, o nos juros estipulados e cusas, e por o sup-
plicado esuja ausente em lugar nao sabido requer
a V. S. mande proceder a jusficacao da a
As pwsois 8resaltara suu propostas B salado coftseMto, as BUJ0 pon
hora da raah do dia 21 d.jrtaatenta. pini Af liirDIlFD
Sala do consafho de comptas ikaaecal de uer- UllnLU5 ffftnlltil
b f6Ve O eoca!?o ticripttra^ Vip.oncel&l^r-. I i I. o .-per,
_ Matvet Jos^de**vo_Saatae.
Capirania Jarto deTjrna^e, "^ ie j CAPTOR gci
JTereiro d#-86. &*&*.
Honrado com *pr*itmfa de 'J. Exc. o Sr.
presidente da prox^m, coaifutado pe-
lo Sr. Eichbaum que te presta gracma-
ornamente.
PROGRAMMA.
afrlWBira parte.
i,- OuvertoraiBafaiilaoi baa*. A palaistra ereaotara' ajo scana alierta.
2.' tJaxteto ftVper; RigoleUa, de Vrdi, ar-
ranjado parsita *w Schrama.
A Romanesca, dansa do culo XVI, para
vioHaacat*. por Warner Servis.
4.a La lelancett para violaecelt, aecatada
iT C. Wataasr PPJnme.
R. PapaIm Hongrois para inim, eieeolado
ilos Srs. Brttiiiiti e Sofcnmm Kasserer.
trgiinda parte.
6.1 Ouvertura da opera a*AuTw. Marca Spada.
T*>astorella e Cavagliew Gotlsctaalk. Galopp
i ciaeaw. awfa piano, por Scarwnai Kelter.
V <*air de Spa, graatde a*antasia ara vio
ncello, paalferner Servis
^9.' Grande pliaataaw sobre Paotivos da opera
orraa, para dous pianos, velos Srs. EictAatab e
Tbalberg.
A* SliMge ans dar Heknath, baila nacional al-
imiia. !! violoncefl, po Wereer,
ii. GTPade phan|aia sobna-jBofRos Ba opera
Moyss, p>ra piano, r Sdfcranrm TPralfteg.
1.* Canziones braaMeirA coinposta para violn-
cello exerutad por Wernaf.
Principiara' a* 8 1+2 horas.
Os Mhetes aaliam-ae a dispoa^ao Ao publico no
rio no da do aspaataculas.
detem
Mh|
signatarios dosavios uu3 no Cabo-frio existe uaia
estajo telegra#hica para qaad, aquellos
demaodarem a. Barra *lo Hfc da Janeiro,
faroecar as informabas seajaiates :
A saber
1. O noma da avio ;
2. A sua a>rocedencia;
3." O das e viagera;
4.s A carga 4ae traz;
5. O nomad) consignatario;
6." As noticias martimas ou commerciles.
Com a declataco de que taes InformavSes serSo
traosoiatidas por mel de signaesMaryatb-a
referida estaco, e quando as navios nao possam
artigos de
Na mesan peaso veadera pelo awjor are
a sorUdieeto i* jotas de oupoIb? oaped
(Haj
flaas e brilhantes.
evo,
ras
IJEIliAO
te batata (en eitiiMiaco)
iioji:.
No.ananain de Aeoea, pelo ageate tafos.
Importante h%Mo de
movis a sa>ber:
(Jm excedente piano de Jacaranda, 1 mobilia
tamben de jacaranda^an l.sof, 1 mesa, 2 con-
solos com pedra, 2 esdeiras de bracos, 4 de ba-
lanea, 12 ae froanaicat>, X graades espelfem com
moMares 4a ptaaraol, fiaos qaadra. core Inas
grawaraa, 9taf asaaaa artiaada, jarres os crys-
tal,.! wsia-eira ch rausica, 6 castigaes e man-
gas, 1 sof com 7 cadeiras estafadas, tapetes, 1
mesiotia da enara, 1 toilet, 2 eandieiros a gaz, 1
toucador, 1 guarda rospa, 1 cama (rvasaia, 2 di-
tas de aanretta, i dita para crtaofa t oammoda
de Jacaranda, 1 dita de macno.caa pedra, 1 lava-
torio de pedra raarmore, 2 espelhos grandes, l car-
rinlio para menino, 1 mesa 'elstica, 1 guarda lou-
V, 1 appHrador, lloadoiras de amarello, 2 gaar-
d* comidas, 1 parta licor, quartmhas, loufa, vi-
dros.e muito ou tros o bjoctos.
TJm carro de 4 rodas com coberla."
Sc-unda-fcira 23 de fevereiro.
Na Passagen da Magdalena.
Emite "Wilfl lendo de retmr-se para Europa, fa-
ra' leilp por iotervenvo do agente Pinto de 11-
d05st}ves (em di Magdalesa, twceira depon da nasa do ba-
rao do Livrameutn. as 10 1{2 horas em ponto do
dia cima dito. O mnibus as iO borre em ponte
partir' da praja do cotnmereio em trente a ma-
triz do Corpo Sanie, um mnibus 'que Mrvira' de
transportar os concorrentes ao leiiao da Pa-sagem
d'onde rollara' as 2 1|2 horas da tarde.
Os abati assignados fazem sciente ao cor-
po do eommercio que venderam os Srs Victori-
no Lopes da Oosta e Joaquira Crrreia de Reaende
o seu armazeaj de ajolhados da ra das Cino
Puntas n. 86, denominado Prepbeta, oontinflando,
porm, como al agora a razio social dos taesmos
abaixoassigaados noestabetecimente de molhados
ra do Rangel n. 49, para onde passam a sede
de snas transaccoes commerclaes.
fevereiro de 1866.
Lana (rroao A C
E^ripta popular,
Balaagide tabernas, lujas e aalras casas de
c-ommarcio, as.im amo ijualquaf escripturacio
pagas fneoalmete^ia ra do Fape n. 20._
Precisa-se alugar upii wcravt que
seja de boa coirdaeta e satba cosfrMH"* en-
Reeire 21'dejHIIWiar para o servido iitjrno di casa de
familia a ra do Sol n. 21,
Na reGaaciada ruada Smaziia -Nuva n. 4, se
dir quem precisa de um bom reflaador do as-
suca r.
Precisa-se nma ama de
Crw.esn.2i.
lete : na ra das
Jos Joaquim Pereira de Oliveira e seus
sobrinhas convidara aos seas parantes e
amigos para comparecerem na convento
do Carao pelas 7 hars da mtiiha de d
26 do correte, aJiua de asiurai a orna
wssa no de sea finado eobrioi Fortunato Augus-
to Pereira de Oliveira.
ERDADEIRO LE ROY
de SKJBOKET, Doteur-Hdecin
Rtte t3'Seine, 51, PARSs.
citado o dito suppSeado para que comprela nesle oom ella i>or*casa da note ou de eewac&e twt
juizo aeatrado dKs'praze flia di aaetm-o que ror oar 0 deven eter para a;fonta Negra, oaaara,
Santa-Cruz, alh quanto esdaerem fra daaataa,
cnmprlado addMUir que os navios procedentes aos
portos do sul, 4evem transmittir as communica
$5es exigidas para o telegrapho dajarr*,flu Baby-
lonia, logo que-ee possam correipondar eem taas,
estavSas.
Deus-f uarde a V. ExcDr. Amonio Francisco
de Pan* Souza.Sr. presdeme fc#rovej
Pernaarbuco.
Cunjaase.HIacio do governo de PernJ
80, emi9de Pwereiro de 1866.-Lunha Parana-
gu.
O secretarla,
Dedo de Aqutno fonseca
-TSftdia 23 do corrente mez vai jtfacajwaa^
ser arrematado em hasta publica parta das au-
dienclas, finda a do Jhzo da 1" vara atvel, Dr;
Benoogenes, o sitio na eflrada do Monteiro, IWT-jdia
t--
*
AVISOS MftRITIROS
teoceiMe ao casal do fall
reir, eoatendo urna gn
com 9 quartos, iocluside
ioel da Silva Fer
fea tapa ae pedra e cal
n aabhwte, cacimba e
RDMP1KHI4 PENAMOUCAXA
DE '
Xavgaco cttsteka por vapor.
Maei calase Pene4o.
Segutm da 28 as 5 horas da
tarde o vapor Paralit/to. Rere-
fce sarga.at o da 2?. encom-
meadas, passagens e dtoheiro a
frete at a*3 pras da larde do
T^io escriplowo ta compadnia Por-
LEIO
de um bot! t seas pertences
urna bacatela e seas per te tices
Segaada-feira 26 de fevereiro,
Por occasio do leflio de movis em casa do Sr.
E WiH na Passagem._______ ______________
LEIUO
De trastes e outros mottas abjectos.
Sem limites ao cerrer do martello por conl;
de diversos.
Terca-feira 27 do correots as II horas.
N(GRANDE ARVf\ZE DO AGENTE
OLYMPIO
n^iw "IIIaBV deleame" j Panqu,'rauitos ps de arrasa rn^Ma, ando o
sitio todo murado ; cuja afwaMBMfao pmedtda
de aventario do dito fllese* Sirva Ferreira.__
Caara miualclpal do Recite.
Pela eontadoria da cmara municipal desta ci-
dade se faz publica qw bob anuas d avereiro e
do sunpltaaA, o que provado mande passar edilaes | aaTC ^ receDe bocea du eofre o Imposto mu
.._ .______ i-__a_ .Ss. j x.'.mm n fim '.icuil > ai_______^_; ^ II .,.-, ^ n.
para ser o supplicado citado, para o Gra cima
mencionado .
Pede a V. S. Sr. Dr. juiz do eommercio me de-
lira. E. R. M.Henriquee da Silva.
>a qual dei o seguinte despacho:
Ctese para a justifioacao marco o dia lo do cor-
reatu as 11 horas da maohSa. Recife 14 de feve-
reiro de 1866.Alencar Araripe.
Em virtud* do qual fura a mesma petico des-;
triiuiida ao escrivao deste juizo Manoel Maria Ro-
asignes do Nascimento.
ti leodo o suppliC3nte prodnzido snas testemu-
nhas sellados, e preparados os autos subiram
nimba concluso e nelles dei a sentenQa do
segui'ite :
Precede a ja-lificacio, pelo que mando que o
rn seia citado or edjros de 30 dias paca o lim
requerido a tf 2. Recite 1/ ae levereiiu aa ooo.
Tri^io de Alencar Araripe.
E'o trade da qual o respectivo escrivao fez
passar o presente pelo qual chame, cito, e hei por
citado o dito supplicado para que compareca neste
juizo dentro do indicado prazo aflm de allegar o
que fr de justiga.
E para que chegue ao coohecimento de todos
pjandei passar o prsenle que ser publicado pela
imiriniia e aluzado nos logares do costume. Re-
cile 21 de fevereiro de 1866.
Eu Manoel Mana Rodrigues do Nascimento, es-
crivao o subserevi.
Trisiao de Alencar Araripe.
le do MaiflB n. .
mcip'al sebre casas de uua,mio, e aqjaHes que nao
Pagaran neste tempn seto Sfljaitos a multa na
forma do art. 32 do regulamanlo n. 380 de 15 de
jaobo de 1844
Contadoria t de fevereiro de 1866.
O contador.
Caetano Silvano da Sirva.
Consalado provincial
Pela mesa do consulado provincial se faa publi-
co que os trlnta das utels naarcados pira cobran-
ga bocea to cofre dos impostos de 50 rs, por al-
qneire de al, de 4 0|0 sobre es estabelecimenlos
lheur: de fra da cidade, prensas de algodao, lypogra-
! pitias, cocheiras, botequios, holeis, casas de pasto,
cavallarices e tbricas; de 8 0(0 sobre consultorios
mdicos e eirurgicos. cartonos e escriptorios ; de
au u|0 Miure esiabelecirneun-o a<. oommp.rr.in em
grosso e a retalho, e trapichas; de 505 sobre ca-
sas de bllhar e modas; de 2005 sobre casas de
' roupa feita e sellins estrangeiros, e de cambio ; de
1:0003 sobre casas de operac5es bancanas com
[ omissao e previlegios; de 600#09 por casa com
! emisso e sem prevlegios ; de 4005 por casa seta
eraisso, corapanhias anonymas e agencias ; de
1005 sjbre corretores comroerciaes, agentes de
i lello e de casa de compra e venda de escravos ;
! de 305 por escravo empregado em servico de al-
j vareoga: de 15 por tonelada de alvarenga; de
105 por bote ou savelra ; e de 1505 por balteira.;
de 505 por escravo ganhador ; de 105 por cavallo
65 per dito particular
Gaiujismlihi PeniaBbiicana
ai
Xave^a^fto e.osteira por vapor.
Barahib, WBal, MaO), Aracaty, Ceara'
e Acasac.
O vapor WamanQunte, com-
niandanteTIarts shira' para os
portos aoAia fntiicadns no dia 28
do eerreeJe r.v5fluras da tarde.
Recibe carga aumente at o dia
27, eacomtnendas e dtoheiro a fete at as- 2 horas
featande dn diada sabida: esatpiorio u> Porte
do Mitos a. i. __ "*
COllPiini K5l%4II,fHAA
DE
de sella dealagual j 65 per dito particaMr; e a
O Dr. TrilO (le Alencar Araripe Oficial 'la (impostos de earn e'sarrogas perteneenles ao anno
imperial ordem da Roza, e juiz de direito Qoaoceiro de 55 a t 66, e tambera o -
i semestrs
do Aposto de 20 0|0 do consumo de aguarden te
especial do eommercio desta cidade do Ke- ilICIHpia a contar d0 Qia t. de fevereiro viodouro.
cifii dePernamb co, por sua Magestade Im-. MeSa Q consdiatfo provincia
iTial eConstitucional oSr.D. PedroII a;dejmeirode 1866.
fm ..ti Thnt onarrlP rtr Antonw Caraeiro Machado Ros
quotrt ueus guarae etc. ..,_,_,:___| Administrador.
Fa.o s ibr aos que o presente edital vtrem __^-------.. =asaar=s-ig53E^
i) u .- ^ r,.,o nn a\i- < Ha Acha-se eealmente depositado um oavaHo ro-
d'clte nolicia tiverem que no da 12 d^ ^ ^ M BpiK^n(kdo m lmIlvl.
mire o do c >rrente anno, se na de arrematar duo^ je 8 aQdava veodendo por oaito meaos d
por venda aquem mais der em prafa publica respactivo valor, presumiodo-se por isso ser furta-
deste iui/o o seguinie: urna armacao emvi- do: quam, pois, se WW com dfreito ao raesmo
dtMC.ila d, louro com balco e espelbo avalia- {JiSS;?.' JSfeSSR da fregue-
da por 1508068 rs. a qual fora pennoraiia lh J Boa-Vista 23 de fererefw de 06.
por execncao de Ges Bastos & Companhia o subdelegado,
costra Francisco Eduardo Camello de Miran-; ........ ***> fi Againo Fonseea.
da. K nao havendo lancador que cubra o Arremalaeafe.
prec*) da avaUacfio, a arrematacao ser feita pelo juizo da orphfc val a praca de venia a
pela prceo da adjudica^1) na forma da le. reqtrerhneiiti do curaddr ae Antonio Jos Dias,
E para que chegae ao conhecimento de' nm excellente egrandei casa terrea
PilUfES ftPH.
E' rsperado dos [idrtog do norte
at odia 6 de marco o vaper Pa-
ran, commandante o capito de
,ragala Aatoaio Joaqaim de Santa
Banliara, oqusl depois da demora
flo eos tu me segttira' para os portos do snl.
Desde j recefeenvaa passageiros e engaja-o a i
carga que o vapor poder aoniuST a qoal dever
ser emoaruada no dia'de siia chegaift, enooiu.no
das e dinheiro a fret ^it o dia da sahida as t ho-j me agiera- |>os*
ras : agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de An- qui
nio Luiz de Olrreira Azevedo & II
48 l'raca di tummercio 48
O agente cima pedo ao, donos dos objectos
existentes em seu arnvizem que nao quizerem su-
jeitar sa vende-los pelo maior preejobtido, o ob-
sequio de rptirar al a ves pera do leiliio
LLAO
De tres catas te reas a saber .
Uma r.aa terrea Ja roa a'CaUbnjo n. 30, que
rende 1685.
Uma dita da ra do Palacio do Bspo n. 38, que
rende 1925-
Urna dita na roa dws Pires n. 23 que rende
2OO50C0.
O agente Pinto fara' leiiao precedida a compe-
tente autorisaco descasas -terreas cima mencio-
nadas, as 10 horas em ponto do dia cima dito em
sea escriptorio ra da Cruz n. 38.
; Mup4sa*StajsjsaMP39NaM9MSflBB9S!^
Roubaram na nsite d 20 para 21 do ror-
rete a taberna da roa 4a Casa de Deten^ao con-
duzram a gav.'ta coa 8a5 a 9-)5 -enio em co-
bre, sdalas e praeie signos papis de ponco va-
lor e urnas apaola* de oara.
PreCisa-se ile ana ama psra eoirt,>fir e co
sinhar : na ra Nova n. 38.__________________
No hotei da ra dj Trapiche n. 28, recebem-
se assigoaturas mefeaaes forsveco commods, as-
sim como recebe haape isa coaio seja passageirs
da Parahiba e de dHra ajtatsaier parle para iste
tem comraedos sufatienfe-e limpeza.
Aluga se o soUral de tra anlar e sdtf > tn
ra da Penha n. 2, cora commodos para pequea
familia : trala-se na fu laMa de Rosana n 20.
m li iTl m m ii -
O abaixo assignado lendo recebido cita^ao
pelo juizo do eommercio desta cidade, para vir in-
terromper a prescrrpcao de uaa reir de soof de
sea aceite, sacada pelo bacharel Kranceiim Ber-
nardo Quioteiro, faz ver ao respeitavel publico que
verdade que existe essa letra ern poder do refe-
rido bacharel, mis que ja et paga, do que lein
provas para convencer era julio a d.uem com 6fla
se apreseaiar, exigalo a respectiva impirtancia.
Em 1860 o abaiifl assignado tomn ao bacharel
(Juinteiro a quatnia constante da mencionada le-
tra, sob cenligas de paga-ts mediante obras de j
ouro, e cmvri>, a presHgtes le diaheiro par i
ciae-, ao que puntualmente satieTet, e lem sardo a
favor desde 7 de fevereiro de 1861 at 2->' de outu-
bro de 1862. De tu 11 tea coola, ten) cartas do .
.dito bacharel e testemuutras, que presenlar op-
portunaraente. Recife 23 de fevereiro de 1866.
Luis de Franca Lms de Atbuguerqae.
Fugio uo dia 16 do correal?, do eogenho Ma-
to-Grosso, comarca do RioFormoio, o nralrtinho
Izidnra, de ilade 18 annos, poaco miis ou menos,
estatura regular, cabeea cl/tta, odios grandes, ca-
bellos crespos, grosso do corpo e bpm feito : quem
o apprehender podera leva lo ao seu senhor Joao
Bento de Gouveia, uo mesmo eogenho, ou ne>ta
cidade aos Srs. Leal & Irmao, que ser gratifi-
cado.__________________________
Rog-se a um senhor de Breu que anda des-
ta provincia para a do Rio de Janeiro vndenlo
sua pomada, qai guarda a lngoa no sacco, e olhs
primeiro para si, e deixe a vida dos raai, pois
coosta-me ser costume velho desdo que foi caiseiro
de una padaria ou taberna na ra da Senzata, e
do eantrano sera gratifcado com mais algamas
linbes, qae lite agradar nwlhor do que estas.
O rata estlta. ______
Florentina
para
BB cada psnafa, tai, cuite a ollia sxpapel azul
que leva o meu finete, um rotulo impresso em a
reHo COm SSSLO IhpBIAL SO S0TIKN0 FBAKCBS.
. B. eaietlenJo-se aoja tettra de 500 francos!
obre Paria, aeeitavel a 60 dial de vtita, ao mximo,
fsrraie th> atatmifuto e do maior descont.
Deposito prin
Ido iegiUias ls
un Caza do
nico agente pelo
Brazll a Sua Ahto-
nio Paine: de La-
IBS S Baha e
no principi pbar-
isseeutco*.
iiimenw e uo manir
mcijial ^
hoso JcZS/ ot,
as
Com
LIMAS
Alujia-se* gts&dccasa darua da
n. 20 com multos a eicellentes commodos
uma gran ie familia morar milito foliadamente
quem a pretender eotenda-se com o proprietirio
na ra do Hospicio n. 50, das 6 as 9 horas da ma-
uha, e das 3 as 6 da tarde. ^^^^^^ I
AVISOS DIVERSOS
Precisase de um
da Concordia n. 35.
feilor para sitij: na roa
10 PUBLICO.
COMPiNHIi BASILEIRA
DE
A abaixo asslgnada ju'ga Conveniente decla-
rar que nao se respmsahilisi por quantia alguma
a aiLvm de quaesuuer objectos que em seu no-
u*dlar, qar por emprstalo,
qur por compra em qdatqder esianelecimeuiu
i desta eidade, ou peesoM de sua amizade, e pro-
testa nao pagar tos debito, tra os quaes nao
j concorreu.Felippa Joaquina Gavalcanti do Reg
Rarros.
IULlI UU lili ,'.l IV.
LOTERA
f?WS \ \T i DAR ** M;'no*' MtntaTasapes relira-se para Europa.
"AliU Ea LLiO A. V ArUJ Manoel Joquira Nuoes flelro rellre-se para
Dos portos do sul esperado f0r4 q mpario.
at o dia 2 de marco o vapor To-1
canftns, commandante o primeiro
leueute Arwijt. o qual depois da
'demora do costume seguir para
os partos Ha infrie.
Dasdnj* reeebetn se passagefros e engajada a:
carfa que o aparpodar codctatiF, -a qal ver
, ser embarcada uo dia de sua ehegada, etco-n-.
de-Peroamouto 31>!men11as e dirherro a frefe at o da da sahlfla as rarta ra do Crespo o 1, o
toras: a^eBora ra da Cf M a. i, esrtiptoio de ruejos e quintos ds 3a purte da
aa Capuoga
or mi na ra das Deozas~delroote do chafariz, com uma4capUao na^iraca.
todui, maodei pastar o presente quesera pu- ^ kM99 ^^4* to eoat jaaaH
acads pela imprensa e alxado nos higares. t1-.p4lWl 0 oitse, do** mm, *a*e cansos, qmorrf
do ctistunie. mar**) sea tte4h aat I, aaptac, aesiuha,
Rwift ^1 de fevereiro de 186G. na te&eirosoa oHare*. ewwtwjsra flafae ai-
Si i[ooel Mu-ia Rodrigues do Nascimento,! taa^"^ ft^agiifr.py t**
escuvo o sabscrivi.
Tristdo de Alenear Araripe.
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, offlcial da impe-
rial ordem da Rosa, luiz especial de eommercio
nVsu cidade do Recite de Pernambuco por Sua
M-i^estade Imperial e constitucional, o Sr. D. Pe-
drn II aquem Dos guarde, etc.
Paco saber aos fue o^resente edital vreme
delie. noticia liverem, que ao dia vinte e seis de
fevereiro do corrate auno se ha de arrematar por
vciii.H. a quem mais der em praca publica d'este
>ai..i o- eaajaaM eguiBtes : 9npitcio crilo
cim trinu nnos de idade avahado por um cont
de rw, Sisvestre aagola cora qnarenta annos de
Mad*. destilador, swa ido por setecentos rail reis,
Geaiv-va crila com vrole e oito annos de idade
a rallad i por novecentos mil reis, Justa crila cora
cuarenta e cinco annos de idade, avaliada porqui-
nheiiVis mil reie, Domingas crila com cincuenta
iwK-i ir idade, avalada porrfuatro eentos mil reis,
Mara O.ini mol com qirarenta e cinco annos
de i.\:!', avaliada por quatro ceios mil reis. Os
jeii-s or.im ppnherades par aai*Jacfo de Antonio
<5i im o Morelra Temporal, contra Bernardo da
aira lula AlbuqusisjjeiB.
E nao iiavpta tta^adar qaa cabra o preco da
a*ali:.'-ao a' arrataatscio ser ferts pelo preco da
adjudicado aa tenas da et. X para que chegua
an c mht'CimeaeaJa todos maadei pasear o presen-
te i-i- ra' pwMteade peta imprensa e aflixado,
oo lugares dbaaavpapk
R rife 7 de fevereirde 1866.' Eu Secundina
iodmo da Gnoto escrevente juramentado o escre-
vL : eu Manoel liara Rodrigues do Nascimento,
jani vi*, o subserevi.
Trixiit de Menear Araripe.
a
- A a4mifa50 te wre
ta et-
Antonio Luit'de (THvaira ftaevede S'C<
Para lUia de Si. Miguel.
esperado a cada rawnenlo do Rio de Janeiro
- ios fi:;
Corre depois d ananahi.
Acham-SB venda na respectiva thesa-
bilfietes,
5a ioteria
!(W), a beneficio do theatro de Salta Isabel,
1 cuja extraccao ser uo lugar e hura do
costme.
o patacho portuguez Fernanda, o qual tera fiesta ^ premlos d 6:000i>000 at t0#000
Gdade apenas a demora de 10 dtas, reoebe arga *a t"'u *, JTiuL^, a. ^.t^iMW
a frete por prego muito commodo: tratare com serSo pagos nu hora depots da extrac&ao
os seuscoBsignaiawoe Antonio Lafc da Oliveira ateas i horas da-tarde, os outros depois
/zevedo & C, no seu escriptorio -ru- da Crdfc nu- a fitrihliQlilIriT fistas.
aftro b __________________i___-i As encommen'las sero guardadas so-
Par I8b0a menti*a aite d* Tepurt da ettacco
Sahira' nestes pdeos dias I er*a portufueza COmo'de cosame.
oesrants-Mh, por ter prompte qaast tedo sea, tnesoureiro,
carreg*meoto, para o rstame e jrassageiroe tra- Antonio Jos Rodrigues de Sou/.a.
Alugam-se dus esclavas, uma coinha c en
gomma, e outra para servico de casa, ambas mo-
gas e multo Ibis: na ra dos Martyrios n. 2, se-
gundo andar._______________
Da-se lugar para morar gratis pessoa que
queira obrizar-se botar sentido a um sino na
Captmga-Nova margem do rio: a tratar cora
Vicente Antonio do Espirito Santo, no mesmo sitio.
Alnsa-se uma escrava i
e eitereo de oasa de pone!
Soledade n. 38.
ra o servico iaterno
lamina : u* m j
Man-iei Correa Ferreira Guimarles declara
ao respeilavel publico e espoeielmente ao corpo do
eommercio, qae desta data era diante asaignar-se-
ha Manoel Al ves Corneja.
Diademas dourados,
enlejiados com aljofires. poicas,
ele pala niiriiirs e siialiofas.
A agula-brancs vende hondos e modernos dia-
demas dourados, enfeilados com aljofares e peoras
proprias para meniuas e sbhoras
Boaitos rhiipzinhos
de palha fina e avenenes pera menina.
Sao obras estas de qae os heos pas de familia
se nao poden esousar de comprar, por fexerem el-
las parte do asseio e bera oslo com que trajam
suas bellas fllbiahas. A a/Mia branca tem o pra-
zer de ver que tao bellas e precisas obras foram i
devidamente apreciadas e compradas em seu ni-
aba Os chapeoiinhes, alera de serem d'uma pa-
lha mu lina, sao de mu bonita forma e ultimo
Rosto, enfeitados com toda a perfetco: os, aven-
CHIMICAS BE
P. MOURTH, forncj
cedor da Caza Imperial do Exercifo
francez, paranfe-w que qualquer
pessoa podara em dor nem perigo
livrar-se de seos caflos. Estn inven-
cao : privilegiada em varios paires,
reconhecidn officialmeate eflie.u
por 18 linete, premiada com me-
dalhas de 1" e-S* classe eapprovadn
por diversas academias e pelo Ex"'
Presidente da Junta de Hygiene da
corte. Por ordem do Ministro da
Guerra fe -se emParizeipcr encas
sobre mais de 2000 soktados que
Acarno livres de seos calloj; igual
resultado foi obtido na guarnico
do Rio de Janeiro. Mais de 3000
pessoas ja se tem curado com estos
Limas. As provas do que sadiz ci-
ma e os attestados acharo-se no
prospectu, que se da no deposito.
Casa principal em Parit, # Prince
Eugne, 1S, Agente para o Brazil,
o S> M. O. ABRANCWES, ra
da Alfandega, fr 10, na Corte.
i.?m-uu iMm.'iI'I- X: ftl t'IMrmm-ie.
Acli-cIricidaUt 0 Uiije lprcsaiig |ior todo* o
mdicos aunados, para o irntami ulo de niu:lm
molestia*, iurM pura as ajue rrsistem aoulras
mwlicafcs
A clcrliiilodc nroili.ida pela fiicraolera uma
siiji iioriilde rnrrilteilavel, o a tantagem de nao
A ciitMi .i mi^= ''-oqucuie das nioie-i as e a
nlgu;iQ6 ni, san^uc ou iis iuhj Uiiuidos t-
laes. Rcstablecrmlo se a cicculuta oo orga-
nisnio, curanon-w asfliriiwtias.
.guarni se sent al.^mna dftr em awlquer
parte do corpo logo, t instin diva incale, seerrifi;
o lajaT endoiorirto com a ma6, e islo allivia. Isto
rxpliea o-resili ido ineoWestoTel qoe dee pro-
prazer em annuncia r ao t'ulil ico iSJIM o Sur B uisson
de Bivilticrs residente, boulevait du Princ'-
Kiibbii, 46, cm Paria, dotou a medicina de um
apparolho Electro-Magntico, sob a forma de
uuia csrova, cem o qual os doenles se poderao
itmar sem oebuma outra meilicacad. Os mdicos
que a tem experimentado, aiirstara que a
Xscor* lectic kagketica eOicazpara
curan os Athenmatsmoi, aParafyiia, Ootta,
TrStaMPa *> mrmbroi, e da Colatrma er-
tpbral. deWIMrade geral,' Hevrtlgia, etc.
Estamos certos que brete cada fami ia possuira
esta escora que prestare raodes serficos.
A pedido de mnitas pessoes, o autor decidio-se
a eslabtecer um deposito de em apparelhes ao
Rio de Janeiro, em cata do Su Dioica RstrnV
ma sosa do Omdor, 38.
Pernmbuco, p*tarmacia 'rauceza de P.
roo, enieuanos com ioq a peneicao : "s, '", ni,.. t e \ r, aa
taes, porm, sao de fina cambraia, guarnecidos de maurer ot b., ra i^\a n. o.
i... i__ j:_i___ ^ atu -. ..., Ik.n >& ata tt ___mu aoa r t-se oem HtHWel rgnaffio de go do.Corpo Santo escriptorio n. I*, oo com o
babadinhos bordeos; o qna Ihes da eanita graca. SrlOANfjA.
Os precos destes, o000, e daqnelles, I0; e de Monhard & C. hzeui soteie a esta praca que
qnanlo sao elUs baratos conbecera o pretendeote, mudaram e sea arntazem do faiendas da ma do
j Qoeimado n. 8.
\ Idrlllios de cores e aljofares,
-^-Pitra-Lasas
(Saano?, ^iHai.r jrrscrFe pTjWtrgwt
pst
pom brevidade o
IPT parte da carg
O padre Manoel I!arroso Pereira, reara-ss
para a Europa.________________
QfliBeppe SeanaimgUs e Onisepne Aceto, soto-
ditos italianos, retiram-se para aples.__________
^"-S-BUST ST-K2 !-5-r2ysi:5lPi-
tratada e para a rwto que Ibelftla traase com o fes Morte Maneeatj rtra-se fwra Europa.
^W> ***>**!#> Beltr.0, na ,1^^^^^^1 HiaSEZ
|i) Di*. Fraacisou Pires Macbadul
PfltBa
fu do Vigarion. 17.pfimeirol
"Tara o fiiolefeineiro
oserat?
aeitu crdic 9
ja-se a mesma.
qui
qtsiMr eafajar-se diri-
vass
AMeaaWtaOaiO.
lUtSde
rH^
Fias* a saBsosta ds fca 1S do correatte da pro
aserias Vf amataos
a maior parte do ctrreameotr (ratado, o para e
resto qae (he -falta e eseravos IdJie, trata se com
o oastgnataRo Jeaqaw Jos *ldbc*lres Beltro,':
na rna de Vigarie a. 17, prinaia andar.
Sera
rmii d*r, nma
fpitm, flbgne-
atjafn {ara a
u a%ftMrVatlaa^sni r das Perram-
toeinas, m 3 jaa*rtas aa frente, 3S pajinos de Da parta do carregamento
8
arpjraa Wda aaso, casa fertao tioaao, 1 sa-
at, faWaete ae Ma, \ artcs, eeilotn fora,
tiMii saande, can O patas aa oaeaptraitoto
e da ittffttMh, cam c*** la^asri, aa para
tambes m aguas srseasdas e com uaut entrada
pata uta aMa datfaaaaoade laaaaaa%sstaT.do
por ocecsiao do naufra
rfcana iiticy R. Aattbe
ttOJ
Por rateTvencao do agente
No atmazett alfandega le d
cha avariado i
a barca ame-
tt deLivramen-
svaaa a terfetio preario, avaha- so caes de Apoflo
- *-- -1*-
OECtARACOES
2F
*jeSia*K
amiautet*
a aaen-
Uaaa sua
va a praca a
u SBasamea-
rsxotsrsV* por
r tasidei
A
DE
Movefo
O aaia oormnaadante Aa cumpa-
okia jr msoria fie poflcia abiixo assi^nada
oowHdk toa aaaiaa ^ua ee tjueiram oga-
jar nu servico da mesma companhia, a que
comparcr; im nor^specM o qaartel em to-
por th me. Qurtet da comtrttthta grwt- levereiro de 66
sorraik poc Wtt wrewo de 66.
Luiz de Fraa$a Seto Jattiw.
ifT^aTsrag^
aracm 'tHatasoi, i o awuta tonto taca tatto por contado
i-Val liastn salaaasasisa Tn iff> aMy mattmm^t.IJf.tlwaifro fle Araujo Gui-
e Bernardo, e?cravo de Francisco Campos quem, nnrtnr/iifl? da divprsns movfiis
pnr= seTorgaTcoramreito aos mencionadosescra- maraes consuiponuguezae aiversosm^eis,
vos, apresenlaodo o ltalo de dominw e oonheci- rBBpt nasa, JWBWVHatlII, euilMIHcp
meato de um, ser (bes ha estragues. fa quadros e Uvros para D oosino primario
Pela admhrtetracao *> crrelo festa cidade se e > TrOras da aoaaa, _^
fax wftftet) Jra flns catveeWes, trae em tlWa
de #a couTrcao postal celebra* pilos vernos
brasileiro e francs, sero erpeortfs malas para
Europa no di 2 de margo pelo vapor francez
Guyenne.
Ae cartas esa recebidtw at duas horas antes
da que fot tTttraa.i para a hrta do vapor, e os
orates at tres eras arns.
Adtiiifltstrae^te do Jarreto de Pernambuco 9? de
LKI.LAO
dtMTaa,lM{t> j*il tt tTfa aT ftfy
brilhamta t prata
iloje a It horas
(Ua da Cadtta a. 8.
Martins, fara leiiao por cdhla e oa)ata s Ameri-
co r. $., ra sao arm a tuv.vmka*]9***]
O attOtatraAMr, diverso* movis, apparerits para almoco e anur,
Domlngostos Pbs Miranda, lanteraas, jarros, raoitos, candiecos a gV<*lfte-
MEDICO E OPERADOR
PKL*
FacuIdade de Parla.
continua no exercicio da sua prosso,
epeoiattrWiile aas molestias de olhos, de ]
vrasaTtnarias e de palie, para eojo tri-
tameatu jukga-ae nabrlatado ltenla a pn
tica adajuirida nos boanitass daqueila ca
pital, e os instrumentos mais modernos
que poss'ue.
Accode CTompTsmente a qnalqaer cha-
mado para fora da cidade.
E encarrega se de enhocar olhos arti-
ficiaos.
No pateo do Carao o. i, esquina da
roa de Norias, das 6 as 10 horas da ma-
nha, e das 3 M o da twde.
I
uma
PretrisA-ss de ma ama para o ser sisa de
pessoa so : na roa da Croa a. 43 1 andar.
Precisa se de um caixeiro para taberna : *
tratar ha roa do Colovello n. 49.
Precisa-se de um bom forneiro : na padaria
da ra amata do Rosarte *. t-3.____________
Alagase uma casa terrea aa ra das Flores;
a tratar na alfandega com Antonio Machado Gomes
da Sil*.
Ama
Precisa-se do *** T*tMre, tn-efere-se capti-
va : no Hospicio a. 36. ___________
Ufo de Ja- eir .
Prente Viaoaa d. aaUcaai se*re o Rio de Janei-
ro, a vista ou a prato, qpalquer quantia.____
de
svSaW^
I H aotoa, aa ra
imitando ac, para enfeiles de vestMes.
A aguia-branca na ra do Queimado n. 8 rece-
beu um bello sort ment dos objectos cima pro-
prios para enfeites de vestidos, etc., etc., e est
vendendo com nudamente.
Ka ma dos Ferreiros, em urna das casas no-
vas do Sr. Elias Baptisla, defronto do collegio da
caridade, vende-se um negro crioulo, com idade de
20 annos, sendo o dilo escravo cosinheiro, ao com-
prador se dir a razo por que se. vende.
Catad rs.
. Precisa se de um caixetro de li a 16 annos, que
(enba algnroa pratica de taberna : na pateo do Pe-
nhfc_n. 11_______________________________
Na ra do Rosario da Boa-Vista o. 45, en-
gomma-se bem e por precos razoavel, tanto roupa
de bomens como de senhor. ^
"Eu abaixo assignado, faco ver ao respeitavel pfl>
bheo e con especialidade ao corpo do comraerrio,
que vead! o meu estabelecimitito fie taherna sita.
na ra da Seoialla Nova n. 39, aes Srs. Joao Luiz
da Silva e Manoel Pernandes do Cima, llvre e dos-
emtoarasado de todo e qualquer onus, se xl^aera.se
julgar cora direito ao dito ft-iabelecisaeose appareca
no praso de tres dias, a contar desl dta.
Recife, 34 de revereiro de 1896.
JoSo Perrefra de Snm.
Goafraria (te Noss. Senhara A li-
TTTflPTltft
Devendo ter lugar domrflgo 25 do correnteas 7
horas da manirs a beedooa RBagam do SWhor
Preso, e as i da tarde a praofssie qae a {ranada-
de da Senhora da Seiedade oostoma, WHiar a ajee
do6 fiis,, por ordem da comaussa admiotstradw*
desta eoafrsrlacsaviaa a todos os aeaeos eotrfra-
des a se aeharere, pevesdjis dfe seus apltos as
6 lrx da manha e as 2 t|l da tarde qesss dia
para asststfrinos ao acto da trenclo e acampa'
nnarmos a referida proeissio, cmtfo para toda fe-;
mos convidados.
Consistorio, 25 de fevereiro de 1866.
t3 secretario da ecmnnisso,
P. de P. e Silva Los.
para a roa da Cadea n. 30.
MCDANCA"
O agenle Olynrpio ttansferio
sen armazem de
leudes para a prega do eommercio n. 48, aonde es -
tiveratn os Sr.s njonhard & C.__________________
Ainda est para vender um mulatinho na ra
'doNogneira n. 43 Na mesma casa comprase
utas casa pequea ou mei-agoa, sendo ao bairro
de S. Jos uu Boa-Vista.
cor
FgfO do ar
no anaasean da bola amarelta ao oMao da wereta-
ra da polica, racebaai'ae aatsaiuWBiis de Tofo
do ar para ffenffo e T5ra aa provincia.
INJECCXO BMOW.
Remedio iBfcti\'el as agnorrueas antigs
e recentes, nico fleposlto na puarmaeia
fraocza Vua 3a Crui n. 22 e ao prxo de
Aluga-ss nm escravo Sel e de boa candarla, (iro-
prio para o servico de copeiro em casa estfansei-
ra : qnem pre'isar drl/a-se a ra do Se.ve (liba
dos Ratos), loja do sobrado que flea cofroato ao
chafariz.______________-
Maaoel Pedro de Mello avisa ao respoiavet
publico e cos especialidad.! ao corp> du eommer-
cio, que adraettio para socios de sea estoaelect-
mento ra di Uivramento n. 38 a seu inaao JoSo
Pedro de Meno e Candido de Carvalho Noves, a
cantar da Io de jaoairo protrmo passtid'i, tVaadoo
activo e passivo a cargo da firma soxMt de Mello,
Irmao & C. Recite II de fevereiro de 1866.
Precias" tallar ao Rvrrts. Sr. Aagosto Adol-
fo 8oare.< Ker.^vetler nu.palacio da cple4d0-
fraeitn se de um caixtnro, as^im cmo uma
ama par coelflhsr e erKrownaT, prfere-.;9 escra-
va : no padaria dama Pl gftt a. H29. _
Exstem para alogar-se qtatro casas terreas
de preei de 125, I0A e t>&, todas com quii .1 e
cacimba, sita na ra do Gazocnetro, coafroote ao
porlo da faariea"do gaz : a triar ao mesmo
tagar.
Precisa-se de uma ama para casa de ponca
familia, para enf oraraar e oortnliaT : a* ru u
Hospicio a. 81
..... "* <->
-
Muleque
Procisa-seataaar ora aseteqae d* lt
^nos para o servico interno e .externo de
ipasto : na rna d Mned^tj^.
i 16 en-
casa de
Cartdes Trleiametfte poriiOaraphados com
o retraaos d SS. MM. o nuMaaair e [maera*ia
tdo Brasil, ei aatlta de Ptortffct, assiw como
de meiies perscasaew ceiebias: caixas com
ortimeatos de a eixas muito novas era vdro e
caltinha's de diversos tamarroo<:, no fande arma-
terh da-ExposieSo de Lgddrts, rt) da Cideia
do Reife a. ffl).
N engeaito B-oaRo urnasts de Maxaretli.
praciea-se tar aaquetle engearro oa aesta praca em casa de
Leal <&-tasao.___________________________
Na UM Wraifa a. W veade se cera de'car-
nauba e peanas de ema. por menos proco do jae
em outra parta.

:^^~
I_]


te FeraM)ie *al>ada 4 4c Fevereiro te 1806.


A NACIONAL
CompanMa. geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISiDA PELO BEAL DJECTETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
I na anca cm dinlieiro, depositado nos cofres do estado, garaate a boa ad-
miiistracao da companhia.
BANQUEIROS DA COMPANHIA DIRECCO GERAL
O Banco de Hespauha Madrid : Ra do Prado n. I
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de supervivencia dos segu
ros sobre a vida. .
Nella pode se tazer a subscripto de maneira que em nenbnm caso mesmo por morte ao
efundo se perca o capital aem os juros correspondentes a estes.
Saotao suprehendentes os resuludos qu produiem as sociedades da ndole deA NACIOr
NAL,qne anda mesmo drainuindo urna terca parte do interesse prodozido em recentes 1 iquida-
efles e combinando-o com a mortalidade da tabella de Depareieui qne adoptada pela companhia
para seus clculos e liquidacoes, em segurados de idade de 3 ai9 annos, urna imposicaoanno*.
de 1001 produz em effectivo metlico:
No fim de Sanaos.......i .1195300
i de 10........3:944*600
i de 15.........11:208*200
de 0 .......30:256*000
de S5........80:331*000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospecta e mais informales sero prestadas pelo sub-director resta provincia.
caqnimFiuz de Oliveira, ra daCadeia n. 52,. ou a Boa-Vista ra da Imperatriz n. 12, estabelecl-
mento dos Srs. Raymundo, Carlos,Leite & Irmo. __________
^INTURARF
AO GRANDE S. MAURICIO
PROCESSOS APERFEItpOAMOS
PARA
Tingir, llmpar e lastrar a vapor.
F. A. SALINGRE & C.
29 Kua 7 de setembro 29
Defroate da rna aova do Oovidor (Rio de Janeiro)
Os proprietarios deste estabelecimento, o primeiro no sen geDero no Brasil, por
trabalhar com as machinas mais aperfeicoadas para tingir e lustrar, de que se faz uso n
Europa, eajudados por alguns dos melhores officiaes de Pars e Lyo, podem assega-
rar seus freguezes urna perfeigo no trabalho, a qual senao pode chegar pelos proces-
aos ordinarios.
Tingem, lavam, limpam e demofam com a mai r perfeico e brevidade qualquer
qualiade de fazendas, liram nodoas e limpam secco sem molliar as sedas e as vestimen-
tas de senboras e de homens.
AGUA FLORIDA
Attentffo.
No da 3 para 4 do corrente mez fartararo do
engenho Limoeiro, freguezia da Escada, um cavallo
melado com dinas, cauda e ps pretos, naco de
um dos lados tem o couro das queixadas grosso,
tem a testa junto a ponta do focinho um tanto pe-
lado, e bastante ardego, anda a passo, furta-passo
at meio, e nao tem ferro por ser nascido no mes-
mo engenho, est fazeodo a segunda muda : quom
o trouxer ou der noticia do ladro receber 100*
de gra:ificaca_______________
Alug?-se o segundo andar e soto do
sobrado da ra das Aguas Verdes n. 64,
tem eommodos para grande familia : a tra-
tar no piimeiro andar da mesma casa ou no
Recift armazem n. 38 a' ra de Apollo com
Francisco Kibeiro Pinto Guimaraes,
\lnga -se
Aluja >e a casa terrea da ra io Moodego n.
19 : a tratar na ra do Imperador n. 27.
Precisa-se alogar qualro escravos que sejam
posettes para servicn < do-se bem : a tratar no largo da A.'sembla n. 20.
Engomma-se
com asseio, promptido e preces nzoaveis : na ra
Augusta no. loja.________________________
Brincos de cnslal o polseiras.
Na loja de ourv cite, tem os melhores que ha eocastoados em ouro
Pedro de Almeida Guimares nao tendo lem-
po de pessoalroeote despedir-se d< alguos de seus
amigos pela rapidez de sua vlagera assim o per-
mitlr, vera faze-l* por meio do presente, e pedir-
Ibes desculpa de sua falta involu otaria, offerecen-
do-lbes seu diminuto preslimo nacidade de Lisboa,
onde pretende demorar-se por algum lempo. O
mesmo, durante sua.ausencia, deha pw seus pro-
curadores nesta praca aos Srs Jos Joaquim Gon-
calves Barros, Jos Martins de Castro, seu caixei-
ro Ernesto Adolpho K. Saldanha, e solicitador de
seus negocios jadiciaes o Sr. Cario* Francisco Soa-
res de Brito.
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnisadora, eslabeleci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamentos, e contra
fogo em edificios, inercadorias e mobilias :
na ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.
O Sr. Francisco Jos de Freilas Gui-
mares, queira ttr a btndade de appare-
cer na livraria n.,8 da praca da Indepen-
dencia. _____
Precisa-se alugar uro ccsjnheiro nn w.
.ii.ra ud rus aa imperatriz n. 9, segundo andar-
mmmm mmm km mmm
Os-abaixo assigoados continuam cum mt
seu escriptorio 'de advocada a ra do ~J
I Imperador n. 41, primeiro andar, onde fl
podem ser procurados das 10 horas da M
manha as 3 da tarde. "I*
Alvaro Caminha Tavares-da Silva (
Dr. Joao Thome da Silva.
mmmmmmmmmmwM
Ama de le te.
Precsa-se de una ama de leite: na ra
do Queimado por cima da loja de cera.
8
S
1
Joo da Silva Ramos/ medico j|
pela universidaie de Coimbra, d J
consultas em sua casa das 9 as I
11 horas da manhaa, e das 4 as ti 1
da tarde. Visita os doenr.es em suas.J
casas regularmente as toras para
isso designadas, salvo os casos ar-
gentes, que serSo soccorridos em
qualquer occasiSo. D consultas aos
pobres que o procuraran no hos-
pital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da
manha,
Tem sua casa de sade regular-
mente montada para receber qual-
quer doente, ainda mesmo os alie-
nados, para o que tem eommodos
apropriados e nella pratica qualquer
opperacSo cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe. .3i$OO0 diarios.
Segunda dita___3,5500 >
Terceira dita ..20000
Este estabelecimento i j bem
acreditado pelos bons servicos que
tem prestado.
O proprietario espera que elle
continu a merecer a confianca de
que sempre tem gozado.
Alnga-se o primeiro andar do sobrado da roa
da Senzala Velha n. 48 : a trillar na loja do
mesmo.
nuera tiver para vender urna casa tenes em
alguma das roas da freguezia da Boa Vista oo de
Santo Antonio, drija-se a ra do Imperador n. 54,
1 andar, escriptorio, das 10 as 3 horas da tarde, e
fra dessas horas na roa do Araj;3o n. 32, sobra-
do, que achara quem pretende comprar.
AMA
Precisa-se de nma ama : na na Direita, u timo
sobrado do lado direito no fundo da igreja do Ter-
co, entrada pela rna de Aguas-Verdes.
O abaiio asslgoado faz scieiite ao resuella-
vel publico que deixou de ser cail.eiro de Josi- Ma-
ria G calves Vielra Gulmarles, t agradece o bom
tratamento qoe leve dorante o lempo qne esteve
em sua casa; e como nao tem costume de vlver
vagueando pelas roas, se cueree.) para qoalqoer
estabelecimento, tendo do mesmo patrio a respec-
tiva informaeao da sua condoctii, e presta mais
nanea, sendo necessario : quera precisar annuncie
pelo Diario, que ser procurado em qualquer roa
desia sidade.
JoJo de Barros Leite.
[ DEPOSITO DE CUCADO
I FABRICADO NA GASA DE DETENC0
\ Rna .Yova n. I.
Abi se encontrarlo obras de di-
. versas qualidades, e'por preco mu
l diminutos, a retalho e em porces.
So se vende a dinheiro.
Em casa de Theod Christiansen, roa do Tra-
piche-novo n. 16, unir j agente no norte do Brasil,
de Brandenburg frres, Bordeanx, encontrase ef-
ectivamente deposito dos artigos segoinles :
St. Jolieo.
St. Pierre.
Larose.
Cbateau Loville.
Chateau Hargaoz.
Grand vin Cbateau Lafitte 1858.
Chateau Laliite.
Haut Santernes.
Chatean Santernes.
Cbateau Lataar Blancbe.
Chateau Yquem.
Cognac em tres qoalidades.
Azeite doce. Preces de Bordeaox.
Companhia fidelidade de segaros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PER.NAMBUCO
Anloaio Ltiiz de Oliveira Aievedo A C,
competentemente antorisados pela direc-
tora da companhia de segoros Fidelida-
de, tomam segaros de navios, mercado-
rias e predios no sen escriptorio roa da
Crui n. 1.
N. 0. Biebir & C, sucessores, sa
cam sobre o Rio de Janeiro a vista ou a pra-
zo conforme se convencionar. ______
Saques para a Baha, Para e
Maranho.
Antonio Jos Rodrigues de Souza na ra
do Crespo n. 15, saca avista ou a prazo
contra a Babia, Para e Maranho,
inhiiii .Ha* m
Instrugdo particular
Ha no pateo do Carmo n. 9, um pe- jtk
queno estabelecimento de instrnecao prl- m
maria cojo professor garante o maior I
desvelo aos pas de familia qoe se digna- |
narem de admitlir alli seos albos Fora S
das horas d'aoia pode dito professor ser 1
procurado a roa dos Pires a. M, mesmo
para o ensioo i casas particulares.
Aiuga-se a easa da roa Imperial n. 74, com
2 salas, 3 quartos, cozinha fra, quintal morado e
cacimba : a tratar a ra Direita n. 24.
%m
12
Preclsa-se de orna ama para comprar e cosinhar
e tambem se compra orna escrava moca, crionla,
qoe na a rna e eosinbe : na ra do Apollo n. 9,
primeiro aadar.

MURRAY & LANMAN
A agua florida de Murray 4 Lanman
olbada como um artigo de perfume, nao
tem podido ser igualada pelas preparares
as mais custosas: conserva seu aroma, co-
mo se formasse parte da prenda a que ella
se applica.
Sua eficacia to delicada, como elegan-
tes sao seus multiplicados usos, qur seja
empregada -como artigo de toucador, qur
no uso do banho, ou como suavisador da
pelle, depois que se tenha feito a barba;
j para limpar as gengivas ou aromatisar o
balito.
D suavidade, brilho e-elasticidade as
compleicoes, depois dse haver lavado; al-
livia a irritaco de erupces ordinarias; faz
desappsrecer o desagradavel aspecto dos
pannos, das sardas, do rosto, rugas e toda a
casta de ebulices, e d vigor e frescura a
parte onde quer que se applique. Sua efi-
ciencia e elegancia sao igualmente infalli-
veis nos casos em que seja preciso applica-
la como estimulante e antisptico, nos con-
cursos e assemblas numerosas, as. loca-
lidades infeccionadas, na alcova de un en-
fermo, assim como um antidoto ex callen-
te para os desmaios causa-Ios por cansaco
ou suffocacao. Preparada nicamente por
Lanman & Kemp, Nova-York, e a venda por
Caors & Barbosa.
Jo5o da C. Bravo & C.
Deposito geral em Pernamnuco ra da
Cruz n.22 em casa de Caros 4 Barbo
0 Dr. Sarment Filho
previne aos seus doentes e pessoas de seo W
conhecimonlo qoe se mudou para a ra }g
do Imperador n. 19, segundo andar.
ENCANAMENTOS
PARA AGUA
Na roa Nova n. 30 fazem-se e concertam-se en-
camenos, assim come bombas para agua.
Na praca da Independencia n. 33, loja de
ourives, compra-;e ouro, prata, e pedras preciosas,
e tambem se faz qualquer obra de encommenda, e
todo e aoalq oer concert.
aTbyWratTc ~
99 Ra do Imperador 99.
Deposito de joias francezas por atacado.
Casa em Parts e Re de Janeiro.
Recebem directamente por todos os paqnetes.
COSIMEIRO
Na ra da Aurora n. 32 precisa-se! de
um bom cosioheiro.
1 Fruoral le <."oreja,
DO DR. AYER,
Para a cura radical e cer-
ta de todas as molestias do peito
e da garganta, tosses, constipaces,
Ilronchite, asma, 'deflnxoa, roqut-
dao, Coqueluche,angina,Dlptlierin.
Este xarope peitorl o resul-
tado de longos annos de estudo
por um dos primeiros mdicos da
America do Norte, e de experi-
encias minuciosas nos principaas
hospltae s do mundo; rece! todo pelos mdicos mais disi i netos
deste seclo na sua clnica particular, portanto digno de toda
conliunca, 1, por ter eficaz, alcancando com urna certeza lnfal-
Wel o aasento da molestia e arrancando lhe as ralzes, assim
dando aos orgos aneciados urna aeco natural e sa:2*, por
ter innocente e applicaval a qualquer peua de qualquer idade
ou sexo, ao homcm robusto ou crianca da mais tenra idade,
cada frasco sendo accompanhado de dlrreccoes minuciosas:
3a, e ultimo, por Mo ser um remedio secreto, pola qualquer med-
ico on pliarmaceutlco pode obter a formula da sua composico,
dirigindo-so pessoalmente oo por carta ao agente geral, H. M.
Lase, a ra Direita No. 16, Klo de Janeiro.
Muitos caso* que tinho zombado de todos os recursos
da sciencia tem sido curados radicalmente com o uso do
Peitoral de Cereja.

As pessoas atacadas de tosse, defluxos, Dr da garganta,
Bronchite, cuma, etc., e outros symptomas da tsica prima-
ria geralmente fazcm pouco caso do seu padecimento at
qne seja tarde para cura-lo. Nao descuidis d' urna tosse
porque agora parece de pouca importancia ; urna tosse
descuidada chega a ser clironica e induz a formacao de
Tubrculos nos pnlmes.
Ncnhuma casa de familia eleve estar sem um frasco
dste xarope i mo; pois nos ataques repentinos de
Angina, do Croup, e nos paroxismos do Coqueluche f ou
tosse comprida a que esto .ujeitns as mancas, nao ha
tempo de chamar um medico, nem de fazer remedios, e
este xarope alivia inmediatamente e pc o filho querido
sao c salvo, fra de perigo.
As molestias que esto ao alcance das virtudes cuntirs
do PMITOXAZ DE CEREJA alo
i
Defluxos, Toases, Asma, Esquinencia, Bronchite,
Coqueluche, Toase ferina ou convulsiva.
Boquidao, Todas as molestias do peito
e garganta. Oonsumpco dos Pnl-
mes ou Tisioa, pulmonar.
Acha-se em todas as Boticas e Brltrias do Imperio.
A
Piliilas Catharticas do Dr. Ayer
CRAO
Prlta de venire, Indlgestao, ConMtlpaijio, Bheu-
mattimo, Hemmorrhoida, Dr de eabeea, A Xtvral-
gla, mal do estomago, Ettxaqueea, mal do Flgado,
Oastrite, Febre gastro-hepatica, Zambrigas. JErritp-
clla, Jlydropsla, Incremento do baeo.
Todos as molestias qne provm do oso excesslTO do
Qninlno.
0 mlhor purgante at boje conhecido.
Estas pillas assucaradas sao puramente vegitaes.
PTTBOO E PTJBIFICO SEM XEBCTTBIO.
A venda em todas as Boticas e Drogaras do Imperio.
Aoiirra CEBAL,
H. M. LAE, Hua Direito No. 18,
Bio de Janeiro.
Vende-se em Pernambuco:
na
fPHRiyiAClEFRANnAISE
y RA NOVA N;Ea
i
w
GASA DA FORTflA.
Aos 6:000^1000.
Bllhetea caraB(lla
A RA DO CRESPO J3 E CASAS BO COSTUMB
.flxo*Mign,ldo Tei>den no seos malte feli-
xes btlhetes rarantidos da lotera que se aeabou
de eztrabir, a beneflcio da igreja de Nom Se-
Dbora do Rosarlo da fregueiia da Boa-Vista, os
segoinles premios: ft* a*
N. 3y6 om meio com a sorte de 6:0001.
N. 3120 om-meio com a sorte de 500*.
N. 3934 doas quintos com a sorte de 200f
E outras muitas sortes de 100#, 401, e SOI.
Ospossaidores podem virreceber seas respec-
tivos premios sem os descontos das leis na Casa
da Fortuna rna de Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 3' parte da 5* lotera
(49a) beneficio do theatro de Santa Isabel, que
se extrabir seganda fera J6 do correte.
PRECO.
Bilhetes.....6*00
Meios......3#00C
Qaintos.....I1J00
?ara as pessoas que eeaprarem de IOOjJOOO
- para cima.
Bilhetes.....51600
Meios......217S0
Qaintos.....W00
______________Mawoel Martims Fiia.
= Preci?a-se alagar um preto idoso para servi
co de casa de pouca familia, sendo de bans costa-
mes, nio se davida pagar bem : na roa do Tra-
piche n. 44, andar.____________
GARRAUX DE LAILHACAR St C.
LIBRAIRIE FRANQAISE
Rna do Crespo n. o.
LIVROS NACIONAES E ESTRANGEIROS
ReligioPhilosophia Jurisprudencia Littera-
tara Scieneias e artes.
Papelaria, objectos para escriptorio.
Samuel Power Johnslon Gemianhia
Ra da Senzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
FuBtlIeio deLow loor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios d carro para om e dons cavallos.
Retogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Pernambuco, ma No?a n. 18 pharmacia franceza de
P. MAURER A C.
PERFUMERA da casa ger
Boulevart Sebastopol, 56, jPariz.
Dez medalhas, a condecorac&o da Legin
d'honneur e a grande reputacao que tem lhe
dado o publico, taes sao as recompensas que os
servicos prestados a industria merecerao a
esta importante casa desde sua fundacao em
1804.
N'um sortimento de mais de 500 artigos,
as pessoas elegantes escolherao os seguintes:
ROSEE DU PARADIS, extracto superfino
para lenco.
POMMADA CEPHALIQUE contra a cal-
vicia.
AGUA VERBENA para o toucador.
OXIMEL MULTIFLOR.
VINAGRE DE PLANTAS HYGIENICAS.
TINTURA VIRGItiALE de beijoim.
ROSEE DE LYS, verdadeira agua de
Jouvencio.
CREME LABIALE de sueco de Rosas.
POMMADA VELOURS para amaciar a
pelle.
ELIXIR ODONTOPHILE.
SABAO dedicado as damas americanas.
SABAO de bou que t de Franca.
d* de flores de alcea rosea.
d* de flores printanires.
d* de bouquet do outono.
d* de perfumes exticos.
d* aurora, dedicado aos dedos cor de
rosa.
d de flores das montanhas.
d* de cheiro de foins nouveaux.
d* de bluets cheirosos.
d* de althea balsmica.
d* diapr, caixa rica, fantesia pari-
sience.
W

7
i
E3
09
c
C5
O
2
o
00
ts
o-
as
"1
3
g
8-
AVISO AS VENDAS
Na fabrica de vinagre a' roa Imperial
o. 1, prximo a estacio do camniho de
ferro vende-ce vinagre tinto superior em
qaalidade a ootro qoalqoer e por prego
mdico, asfim como branco e incolor.
Ama.
Precisa-se de nma ama forra orj escrava que
salba cozlQbar e eogommar : na roa da Imperatriz
n omero 4.
Precisa-se de um caixeiro qae tenha pratica
de padarta e qne d fiador a sua conducta : em
Santo .Amaro; atraz da fandicao, na padaria.
Aluga-se urna casa na ra de Baizo, em
Olinda, tem eommodos para familia, grande qeln-
tal com cacimba, esl em bom estado : a tratar no
largo do Paraizo n. 14.
MODAS.
Madame R. Adour contina a receber por todos
os vapores chapeos para seotrras e meninas, do
ul imo gosto de Pars: vndese na roa do Impe-
rador n. 48, I* andar.
M
y
Na ra da Florentina n. 36 prepara-se comide
com aceio e promptido e por preco razoavel :
quem qiier dirija-se.
Por 3501000 vende-se ama pretaoozioheira e
qniundefra, pechlncha : na roa da fu a. ai.
AIIVOCA II. |
O bacbare.l Joaquim Pires Machado Por- L
tella continua como advogado com escrip-
torio no primeiro andar da casa n. 83 da
ra do Imperador, onde pode ser procu-
rado das 10 horas da manhaa as 3 da
tarde.
mmwnmuwnmm
- Maria Francisca da Rocha, parteira examina-
da, faz scieote qoe mudou sua residencia do pateo
do Paraizo para a roa das Cruzes n. 17.
CASA DE BAMIliS
26-Paleo do Carmo-20
K Neste estabelecimento lio importante
g para a saode e asseio do corpo acham se
K montados 20 baoheires, qoe sao servidos
a com a ordem e aceio que para dese-
g jar-se. Quatro desics banheiros sao espe-
g cialmente reservados para senboras e por
i isto acham-se collocados em logar reser-
5 vado aonde s tem entrada as pessoas de
R urna mesma familia.
Precos de banbos avnkss.
visco. -.....500
K 1 dito dito de choque.....)()(()
S 1 dito de farello.....1 000
R 1 dito aromatizado.....I000
|t 1 dito medicinal ser segando sua qua-
lidade.
H Precos por assignatara.
K 30 banhos por mei fri, momo
S ^ ou de chuvisco.....IC^fOO
I 25 ditos com cartoes para o mes-
M mos........10J006
R* 12 ditos com cartoes para os
mos........15000
g 12 ditos com carles de chogue.. 10000
S 12 ditos com cartoes de farello. 0000
O estabelecimento estara aberto nos
|< das otis das 6 horas da oranbaa as 10
J da noite, nos dias santificados das 5 as
8 4 da tarde. i
O abaixo assignado faz scieote ao publico e
com especialidade ao corpo do commerclo, qae des-
ta data, em diante deixou de ser caixeiro do Sr.
Jos Antonio da Cosa Valeote, e agradece o bom
tratamento que receben dorante o pequeo espa;c-
de tres aoucs. Becife 19 de fevereiro de 1866.
_____________Slanoel Fernandes do Cima.
Ama de leite.
Precisa se de una ama de leite para criar um
menino de om mei, tendo bastante leite e sendo
sadi, paga-se bem, assim coreo a qualquer pessoa
qoese encarregne de procurar nestas condicoes,
na roa N<>va de Sania Rila n. 17, piimeiro andar,
oa roa da Praia o. 78.
&** ***** ******
)fl| O Dr. Carollno Francisco de Lima San-
Stos contina a morar na roa do Impera-
dor n. 17, segundo andar, tendo alias seo
gabinete de consultas medicas, logo ao
I entrar, no primeiro.
O mesmo dootor, qae se tem dado ao
estado tanto das operaces como das mo-
lestias internas, prestase a qoalqoer cha-
mado, quer para dentro quer para (ora
|gt da cidade
l
m
l
Offereee-se orna molher para ama de cozi-
nhar e engommar : na ma da Seozala -velha o.
108, 1' andar.
A tengam
Na ra Direita n. 14 precisa-se de om ctlkial
de fonielro para ir para o mato lomar conta de
urna offlclna, da-se bom interesse.
Passaportes
Tiram-se por commodo^prefo : a tratar na roa
do Crespo o. 19, loja.
O major Fabrlcio Gomes Pedrosa val a Earo-
pa, levando em sua companhia soas doas filhasr
Mana da Cruz Pedrosa e Mara Tere*ira Pedrosa,
e seu tiiho menor Fabricio.
Claudlno do Reg Lima e seos fllhos Clau-
dlno do Reg Lima Jnior, Antonio da Costa
Lima, e Jos da Costa Reg Lima compene-
trados de dr pela sentidissima morte de sea
primo e amigo Fortunado Augusto Pereira
d'Oliveira, miodam em testenaonho de soa
dr, celebrar ama mlssa na Igreja e N. S.
do Carmo, no dia 27 do corrente as C #
horas da manhaa: e convidara aos prenles
e amigos do illustre finado. para assisrem a
este pledoso acto.___________ _
Aluga-se
urna parda escrava para o servteo Interno e exter-
no de casa, quera o pretender, dirjase a' roa do
Mondego n. 7.
Precisa-se de ama ama: a tratar na roa lar-
ga do Rosarlo n. 35, primeiro andar.

.

t" ~-
.
J
\___lumiH







|
J*
si
Diario de reraambueo aobado 14 4* Feverelro de 1860.

A SALSA PARRILUA DE AYER
PAKA A CURA RADICAL
de escrfulas e molestias escrofulosas, tumores, olceras, cbagas, 'feridas vo-
ibas, bronchocele, papo oo papeira, a syphilis, enfermidades venerias ou mer-
curiaes.
AS MOLESTIAS DAS MULHERES
reteocao, menstro doloroso, ukerar;5es do tero, flores brancas/ etc., ulcera-
oao, debilidade, uxpoliaco dos ossos, a nevralgia e coovulsoes epilpticas
quando causadas pela escrfula.
t m ERYSIPELAS ERPES; ETC.
Eafermidades cutneas, ernpcfio, borbullas, pstulas,
asebias, etc.
O extracto composto de salsa par-Una, con'eccionado pelo Dr. Ayer, urna
combinado dos melhores depurativos e alterantes conhecidos a medicina; confeccio-
nado segundo as regras da sciencia, approvado e rcceitado pelos primearos mdicos dos
Estados-Unidos da America do Sul e Centrtl, daj Antilhas, do Mxico e das Indias, e
muitas ou tras partes do mundo : o resultado de estudos apurados e minuciosos, e de
experiencias feilas pessoalmente pelo Dr. Ayer, por muitos annos, nos principaes bos-
pitaes e enfermaras da America ; tcm sido approvado pelas academias de medicina e
juntas de hygienne das principaes capitaes da America do Norte; para prova disto vede
os attestados autbenticos no Almanak e Manual de Saude do Dr. Ayer, os quaes cedis-
tribuem gratuitamente nos lugares onde se vende o remedio.
A SALSA PARILHA DE AYER
Especialmente efflca.e na eura das Molestias que tena sua erigen
na escrfula, na infeceo venrea, no uso
excesslvo do mercar lo ou qnalquer impureza do sangue.
A molestia ou infeccSo peculiar, conhecida pelo nome de escrfula, um dos ma-
les mais prevalecentes e universaes que lia em toda a extensa lista das enfermidades que
atacam a nossa raga; disse um celebre escriptor da medicina que mais de urna terca
parte de todos aquelles que morrem antes da velbice sao victimas, ou directa ou indirec-
tamente de escrfula; por isso s nao lao destructiva, porm a principal causa de
muitas outras enfermidades que nao lhe sao geralmente attribuidas.
urna cansa directa da tsica pulmonar, das molestias do ligado, do estomago
e affeccSes do cerebro; entro seus numerosos symptomas acbam-se os seguintes:, falta
de appetite, o semblante plido e enchado; as vezes de urna alvura transparente e outras
vezes cralo e amarellento irregul.r, fraqueza e molleza nos msculos o redor da boc-
ea ; digestao fraca e appettito, falta de energa; ventre encbado e evacuago irregular;
quando o mal tem seu assento sobre os pulmes urna cor azulada mostra-se em roda dos
olhos; quando ataca os orgos digestivos, os olhos tornam-se avermelhados; -obali-
to ftido, a lirwua carregada; dores de cabera, tonteiras, etc. as pessoas de disposi-
cSo escrofulosa apparecem frequentemente erupcoes na pelle da cabeca e outras partes
do corpo ; sao predispostas s affecces dos pulmes, do figado, dos rins, dos orgos
digestivos e uterinos. Portanto, nao sao somonte aquelles que padecem das formas ul-
cerosas e tuberculosas da escrfula que necessitam de protecejo contra os seus estragos;
todos aquelles em cujo sangue existe o virus latente deste terrivel flagello (e s vezes
hereditario), estao expostos tambem a soffrer das enfermidades que elle causa, que sao:
A tsica, u leer ages de figado, do estomago e dos rins; crupgoes e enfermidades
eruptivas da cutis, rosa ou erysipela, borbulbas, pstulas, nascidas, tumores,, rbeuma,
carbnculos, ulceras e cbagas, rheumatismo, dores nos ossos, as costas e na cabeca,
debilidades femininas, flores brancas causadas pela ulceragao interior, e enfermidades
uterinas, hydropesia, indigesto, enfraquecimonto e debilidade geral.
Offerecemos a estas pessoas um abrigo seguro e um antidoto efficaz contra esta
molestia e suas consequencias na
SALSA PARRILHA DE AYER
que opera directamente sobre o sangue, purifleando-o e expulsando delle a corrupcao e o
veneno da molestia; penetra todas as partes e todos os org3os do corpo humano, livran-
do-os da sua aegao viciada e nspirando-lhes novo vigor. um alterante poderosissimo
para a renovago do sangue, e d ao corpo j enfraquecido pela doenga, torcas e ener-
gas renovadas como as da joventude.
E tambem o melhor anty-syphilitico conhecido
cura permanentemente as peiores formas de syphilis e as suas consequencias. Pouca
necessidade ha de informar o publico do inestimavel valor de um remedio que, como
este, livra o sangue desta corrupgao e arrebata a victima das garras de urna morte lenta
e ignominiosa, porm inevitavel, se o mal nao logo combatido com energa.
um poderosissimo alterante para a renovago do sangue e para dar nova for-
ca ao corpo j eufraquecido pela doenga.
Senta composto de productos vegetaes, esle medicamento innocente e ao mes-
motempo efficaz, um fado de immensa importancia para aquelles,que otomam ; por-
que muitos dos remedios alterantes offerecidos ao publico tem por base o mercurio ou o
arsnico; e sendo assim, bem que s vezes podem effecluar curas, comtudo deixam suas
victimas carregadas de urna longa serie de males, muitas vezes peior do que o mal ori-
ginal. A nica cousa necessana para uuusr uma com radial t segir"coin juao coas,
atocia as direeges que acompanham cada frasco.
N3o pretendemos promulgar, nem queremos que se nfira que esta composigao a
um remedio infallivel para a cura de todos os padecimentos humanos ; infelizmente
escrfula e a syphilis s3o enfermidades tao sulis as suas nalurezas, e arreigam-se to
firmemente no systema, que muitas vezes evaden eresistem aos remedios mars pode-
rosos que a sciencia humana pode inventar para combate las: o que dizemos que o
Extracto composto de salsa parrilha de Ayer
a melhor preparagao at hoje descoberta para estas e outras molestias anlogas, que
uma combinarlo dos alterantes mais eficazes conhecidos, e que esta combinagio tem sidt)
regulada por longas e laboriosas experiencias, e finalmente que temos consciencia deof-
ferecer ao publico o melhor resultado que possivel produzir, da inteligencia e pericia
medica dos nossos lempos.
Esle remedio deve ser tomado com syslema e regula/idade, e n3o com abandono,
pois um remedio en3o bebida.
Quando as molestias do figado nao tem sua origem na escrfula, o remedio
mais proprio as pilulas catharticas de Ayer, que s3o efficazes na cura da molestia, que
em por causa um desarranjo dos org3os digestivos. Pedi a salsa parrilha de Ayer e
nao aceitai outra preparaco.
PHOTOGRAPHIA
artstica americana
RA DO IMPERADOR N. 38.
Artista americano
Artista americano.
Artista americano.
Artista americano.
RetratosRetratosRetratos.
Em porcelanaNiepcotypie.
Eu lencosArcbrotypie.
Em vidroAmbrotypie.
Em metal=Daguerreotypie.
Em papelTalbotypie.
No grande salao da ra do Imperador o. 38
No grande salao da ra do Imperador n. 38
Neste estabelecimento tiram-se retratos
em todos os systemas, com asseio e promp-
tidao, desda as nove horas da manha
at as cinco da tarde ; assim como tem
sempre a venda grande sortimento de cai-
xas finas de diversas formas. Quadros
ovaes Passepartouts e todos os mais ob-
jectos e productos chimicos, relativos a ar-
te e recibidos ltimamente dos melhores
fornecedores de PARS e Nova York, tendo
de tudo, para todos es gostos e para todos
os pregos.
Salao da ra do Imperador n. 38.
Salao da ra do (mperador n. 38.
COMPRAS
Compra-se onro, pratt e pedras preciosas,
em obras velhas: na roa da Cadeia do Recite,
cja de oorives do arco da Conceigao.______
Compra-s carosso (sement) de algodo : no
armazem de algodo de Saunders Brulbens & C
no caes de Apollo.
Compra-se uma asa terrea em qual-
quer uma das ras desta cidade, e que nao
seja em travessa: a tratar na ra de Hortas
casa do fallecido Loureiro.
Compra-se um escravo que seja mogo, sadio
e sera vicio : na ra larga do Rosario n. 34, bo-
tica.
Compra se ura escrave pega : na roa do
Crespo n. i 7.____________*________________
Onro e prata.
Em obras velhas : coir'pra-se na praga da In
dependencia, n. 22. loja de bilhetes.
Compra-se uma rasa nos bafrros de Santo
Antonio, S. Jos ou Boa-Vista que nao exceda dp
1:2004 : quem tiver annuncie ou a tratar na ra
da Imperatriz loja de calgado n. 38.
Compra-se uma casa de sobrado no aterro
da Boa-Vista ou ra da Aurora : a fallar na ra
do Crespo n. 17.______________________
Compra-se uma casa (bicho) que tenha cria
nova : na ra do Hospicio n. 27.
J CALCADO.
A primeira condicSo indispensavel con-
servarlo da sade e trazer os ps bem de-
fendidos contra os alaques da humidade;
calgado bom e seguro o nico preserva-
tivo dessas mil enfermidades a que est su-
jeito o nosso-eu. Um chnelo velho cal-
cado por um daady patuscante, ou uma
botina acalcanbada em pequenino p de en-
cantadora deidad e alm de aecusar que-
bradora horripilante, prova contra as f.cul-
dades intellectuaes dos calcantes, e nSo ha
quem, tendo bom snso, queira passar por
maluco, ou pobre de surrSo : ergo, cor-
ram a:
4*RA DIREITA_.
e attendam a' baraieza.
Homens.
Borzegoins parisienses de bezer-
e cordav3o...... 8#000
Ditos de Bordeaux .... 70000
Ditos barcellonezes de lustre e
de porco. ...... 6^000
Sapatoes de Nantes de duas ba-
teras rasas....... 5^000
Sapatos de lona, sola de borra-
cha. ...-.;... 20000
Ditos aveludados..... 10600
Dito- de tranca trons 10600
Senhoras
Borzeguios enfeitados. 50000
Ditos de lago...... 40800
Ditos lisos......, 40500
Sapatos de borracha ..... 101*00
Selleiros, corrieiros e segeiros I
Sola de lustre, meos grandes 200000!
E um completo sortimento de calcado fa-
bricado nopaiz.
Grande armazem de tin-g
tas medicamentos ete.
Roa do Imperador n. 22.
*o5a Pedro das
rente) ten
Nev (ge-j
a renda o
seguate:
Productos chimicos e pbarma-
ceuticos os mais empregados em
medicina,
tintas para todo o genero de pin-
"J tura e para tinturara.
sg Productos industriaes e tintas
$ para flores, cmo botoes de flores
^ e modelos em gesso para imitar
g^ fruclas e passaros com o compe-
B tente desenbo.
g Productos chimicos e industriaes
9R para photographia, tin!uraria, pin-
j^1 tura, pyrotecnia etc.
|| Montado em grande escala e sup-
i prido directamente de Pars, Lod-
I dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa
m pode offerecer productos de plena
i confianca e satisfazer qualquer en-
pf iMimenda a grosso trato e a reta-
iao e por prego commodo.
VENDAS
i
Attenc&ol
Attencflo!
Attento!
Grande sortimento de fazadas pro-
prias para a quaresma.
Acaba de chegar a esta icvo estabeltcimento
um grande e variado sortimento de faiendas pro-
prias para a quaresm, a saber:
(ir sdenapls preto a M10O o covaik
Vende-te um grande soniraenio de grosdena-
ple a U600, 1^800, 1 e 2S0 o covado ; dito
muito superior a 280U e 39 : na ra da Impera-
triz n. 72, loja de Guimaraes & Irmao.
Morantique prelo a 20800.
Vende-se um grande sorliraeoto de moriantique
a 2J800, 3 e 3,8500 covndo.
Chalis de renda pelos a 80000.
Vende-se tambem um variado sortimento de cha-
les de renda a 8*. 90500 e I0#i; ditos muito finos
a 110 e 121: ditos de seda tazenda muito fina a
200000.
Retondas pretas a lO.
Vendem-se retondas pretas pelo barato prego de
100 e 110 : na ra da Imperatriz n. 72, loja de
Guimaraes & Irmao.
Grande pechincha panno preto a 20000 o
covado.
Vende-se panno preto proprio para caigas e pa-
litots a 2i e 20200 o covado ; casimiras pretas
a 1*800, 20, 20100 e 20500 o covado.
E' muito baralo corles de casimira i 30300.
Vendem-se cortes de casimira preta a 30300
4* e 4*500 ; dita muito fina a 60.
Admira corles de brini de cores a
1,280
Vendem-se cSftes de brim de cores para calca a
10280,1*600, 1*800 e 25 : na ra da Imperatriz
n. 72, loja de Guimaraes & Irmio.
' baratissimo a 120 ris o covado.
Vendem-se riscadii^hns muito proprios para rou
pa de escravos, a 120 ris o covado; ditos escoce
zes muito Anos a 240, 280 e 300 ris o covado.
LSazinhs a 3oo rs.
Laazinhas de quadrinbos a 300, 320, 360 e 400
rs. o covado ; ditas muito finas a 500 e 560 : na
roa da Imperatriz n. 72, loja de Guimaraes & Ir-
mao?.
Cortes de 15a a 50CCO.
Acaba de chegar a este importante estabeleci-
mento um sortimento de corles de la que se ven-
de por 50 e 5*500; ditos a Mara Pia, (azenda
muito moderna a 129,140, 18* e 20* ; ditos com
camisinha, cinta e grvala a 2o* e 28*.
Chitas francezas largas a 260 ris.
Vende-se um grande sortimento de chitas a 260,
280, 300, 320 e 360 rs. o covado ; ditas preciares
a 400, 440 e 500 rs.
Cambraias de cores a 280 rs o
covado
Vendem-se camlraias francezas a 280,300, 320,
360 e 400 rs. o covado.
Cambraias lisas a 3.000 rs. a peca*
Vende-se um grande sortimento de cambraias
lisas pelo barato prego de 3*, 3*500, 40, 4*500 e
5* ; ditas muito finas a 5*500 e 6*; ditas victoria
a 6*500 e 7*; ditas de uma vara de largura a 8*
e 9* ; ditas pira (orro a 1*600, 2* e 2*200 : na
ra da Imperatriz n. 62.
ROUPA FEITA.
Vende-se um completo sortimento de roopa fei-
ta felta. assim como sejam palitots, caigas, coleles,
camisas francezas a 1*600 e l;800 ; ditas finas a
2* e de Moho a 2a500, 3* e 3*oC0 ; seroulas de
1*200,1*400 e 1*600, de linho a 2* e -2*500 : na
ra da Imperatriz n. 72, loja de Guimaraes & Ir-
mao.___________________________________
Pecliin ha admiravel
Laazinhas de quadrinhos que parece seda a 240
rs. o covado, uma grande pechincha, est se aca-
bando : na loja n. 52, armazem da porta larga de
Paredes Porto. ______
CHEGAR'iil'
AS
NJHlAMBE" IfeMNIiA
Pernambuco, ra Nova n. 18, phannacia francezade P. Maurer C.
VENDE-SE
\o armazem de M. *. riamos e Silva & Cienro. ra de Vlgarlo
n. 11, constantemente, os segulntts artigo*.' que
recebem por eneommenda propria d
lEW-lORH.
Legitima salsa parrilha de Bristol, preparada por Lanman
Verdadeira agua Florida, preparada pelos mesmos.
Gaz em latas de cinco galSes, o mais purificado que se
tada marca F. W. D. & C.
Relogios perfeilos reguladores, com corda de quatro a o
brisantes E. N. Welch.
Graixa em latas grandes ~n bem conhecida marca las.
phia).
Superior oleo para machinas de costura.
A guias para as mesmas.
Breu em.ban icas graneles e pequeas.
Yende-se tambem:
& Kemp.
pode desejar da acredi-
diiis, dos afamados fa-
. Masn (dePhiladel-
HOflDIMl V
1.a gnalidade.
St. Estephe.
St. Julien.
C. Margaux.
C. Lafitte.
Medoc.
PORTO
l"qalidade,
Principe Real.
Pedro V.
Mara Pia.
Princesa 0. Isabel.
Vctor Emmanuel.
Duque.
Malvazia.'
Vinho fino do Porto em barris de 5/, 10/ e 20/.
Superior vinho diJlieno.
Cera de Lisboa em velas e em grome.
_._
PARA 1866.
Acabam de sahir luz as folhinbas de
algi boira e de porta para o anno de 1866, o
mais correctas possivel tanto no calculo das
las e eclipses, como as diversas festas
que a igreja celebra; vendem-se nicamen-
te na livraria da pn-.ca da Independencia,
160 ris as de porta e 320 ris as de algi-
beira.
FjZPIDAS BAhATaS
N 27 Ra do Queimado N. 27
GRANDE PECimflU
Cambraia branca para forro a 2i0 e 400
rs. a vara.
Lencos bancos para algibeira duzia a
2s000 rs.
Retondas pretas a 9->000
Cambraia morsulinade cores propria para
vestidos o covado a 300 rs,
Moreantique preto superior a 20800 e
3#090o covado.
Grande sortimento de grosdenaplespre'o
para todos os precos.
Rotondas de seda riqusimas algerinas para
senhoras.
Guardanapos para meza a 3/5500 rs, a du-
zia.
Superiores baloes de arcos a 3^200 rs.
Vendem-se garrafas e botijas vasias e lava
das : na ra da Soledade n. 38.
Vende-se ou permutta-se por alguma
caza terrea desta cidade um sitio de trras
no logar do Loreto, com arvores fructferas
qosi todas novas, e grande porcao de co-
queiros.quem o pretender dirija-se ao pateo'
de S. Pedro n. 24, que achara com quem
tratar.
RA DA CADEIA IV, 511 A,
Continua a ter grande e completo sortimento de
Machinas americanas para desearocar algodo
dos melhores fabricantes de iO, 12, 14, 16, 18, 20, 25,30 e 38 serrote que as'vende por preco resu-
mido, (im eonsequencia de ultimamsnteas ter recebido dt conta propria doi EsUdos-Uiios.
Mil
A abano assignada avisa as suas freguezias que
nadou sua moradia para ra Direiu, sobrado de
ara Mdu-, m esquina que volta para o neceo de S.
ftiroiiA. A
Madam Freir.
Saques sobre o Bio de Ja-
neiro.
Saci-se quaiquer qoantia sobre a praca do Rio
de Janeiro, a' prazo oo a vista: di companhia Per-
nambucana, Forte do Mattos, escriplorio n. 1.
GAZ.
Vende-se gaz de superior qualidade em latas
redondas e quadradas por commodo preco : no
armazem de Matlieus Aastin & C ra da Senzalla
Velha n. 106, on no escrlptorio dos mesmos, roa
do Trapiche n. 36._______________.
Vende-se um mulato de idade 18 anuos, boa
Ogura : na roa do Imperador n. 42, 3 andar.
Vendem-se duas casas terreas com sotSo,
por pre^o commodo, rendem 70 mensaes, sitas
na ra da praia do Caldeirelro ns. 32 e 31: a tra-
tar na roa da Concordia n. 73.
CAL DE LISBOA
- No armazem da roa da Concordia n. 73, Yende-
se cal de Lisboa t relalho, propria para engenho
de assucar, por preco commodo.
r- Vendem-se 3uas casas terreas na povoaco
dos Montes, na estaco de Una, sitas na roa da
estrada que vai para o engenbo "Bom Destino : a
tratar all com Pedro A nomo de Medeiros, oo em
Gamelelra com o dono Qoerino Antonio da fon-
seca.________________
Vende-se ama casa terrea na fregoezia le
Santo Antonio: na roa Augusta n. 2i se dir quem
vende.
Ba ccasio!
Vende-se orna pequea fabrica de cigarros, com
poucos fundos, bem afreguezada e em excellente
roa, propria para um rapaz solteiro e principiante:
quem pretender dirija-se a roa do Csbog n. 1 B,
que se dir quem vende.)
PECHINCHA \DMIRAVEL.
Grotdenaple preto a 1 ,>C00
Vende-se superior grosdenaple preto, fazenda'
muito encorpada, pelo baratissimo pre^o de 13600
o covado, sendo fazenda que val muito mais di-
nheiro : na loja e armazem do Pavo na ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
MANTAS PARA O PESCOCO
a 1, so o Pavo.
Vendem-se bonitas mantas para o pescoco, pelo
barata preco de U : na loja do PavSo na roa da |
Imperatriz p. 60, de Gama it Silva.
Chapelinasmodernas a roa do Quei-
madon. 11, loja de ABgaslo Porto
&C-
Cbegou pelo ultimo vapor d Europa um com-,
pleto e variado sortimento de chapelinas de seda
modernas para o que se convida as pessoas qoe
preclsarem de eomprar a virera ver as quaes se
vendem por preco o mais barato qoe possivel.
Os cachinez do Pavao.
Vendem-se bonitos cachinez de la ou^gazalhos
para cabeca pelo baratissimo preco de 35000, s
na loja do Pavao, na ra da Imperatriz n. 60.
Algodaozinho avariado.
Vendem-se pe$as de algodaozinho sendo muito
encorpado, e com 20 jardas, pelo baratissimo prego
de oOOO, por ter um pequeo toque de avaria.
O bramante do Pavao.
Vende-se superior bramante de linho cr tendo
quatro palmos de largura, pelo baratissimo prego
de 800 rs. a vara, dito eom 10 palmos a 2100 e
25800 a vara, atoalhado de lioho adamascado, alvo i
e pardo, pelo baratissimo prego de 2J800 rs. a
vara, na loja armazem do Pavo, na ra da Impe-
ratriz n. 60.
Vendem-se 400 pedras para ladrilho, viadas
da liba : a tratar na roa do Vigario n. 14.
Novidades do Pavo>
O PECHINCHA ADMIRAVEL
Escossezas a .1,5200
Cegaram os mais lindos corles de escossezas,
proprios para vestidos, sendo fazenda inteirameote
uova no mercado; e vende se a 320O o corte ou '
260 rs. o covado na loja e armazem do Pavo, roa
da Imperatriz, n. 60, de Gama & Silva|
Cassas francezas a 24o rs. o nado.
Vendem-se bonitas cassas francesas de eeres fi-
zas pelo baratissimo preco de 240 o covado.
Dius a 280, 320 e 360.
S na loja do Pavo, roa d Imperatriz n. 60, de
Gama A Silva.
Chitas avinadas.
Vendem-se finissimas cintas francezas, com pe-
queo toque de avaria, pelo baratissimo prego de
280 o covado.
grande pechincha.
Assim como dius inglezas roas e claras, sem
mofo nem avaria, pelo baratissimo preco de 160 o
covado ; assim como, ditas muito boas a 200 e 240
o covado, isto na loja e armazem do Pavio, ra da
Imperatriz n. 60, de Gama 4 Silva.
Chapeos para menitas.
NA LOJA 00 PAVAO.
Vendem-se os mais delicados e bem enfeitados
chpeos de palha de Italia, para meninas : pe-
chincha, na loja e armazem do Pavo, roa da Im-
peratriz n. 60.
Grosdenaple preto a 10600.
E' grande pechiocha I
Vende se grosdenaple preto, sendo muito encor-
pado e de boa largura, pelo baratissimo prego de
1G00 o covado : na ra da Imperatriz o. 60.
Rlscado a 1*0 rs.
Vende se riscadinho escuro proprio para vesti-
dos ou roopas para bomem, pelo baratissimo pre-
go de 120 rs. o covado : s na roa da Imperatriz
n. 60.
!
R Para encrespar. "
]pjf Vendem-se tesouras para encrespar
^fi hahadns ni- rn* An flnlmaH i..;, j.
4
babados : amado Queimado loja
1
respar tm
ya de j
3
Azevedo A Irmao.
mu
Qaeijs do srlo
Vende se soprior qoeijo do swllo : na roa da
Madre de Dos, armazem jonto a igreja.
Silva. & Alves, ra da Cadeia n. 06, avisam aos
Srs. agricultores, que ebegaram as machinas ame-
ricanas de serrote para descaregar algodo que
vendem a prego commodo.
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descarogar
algodo : na ra da Senzala nova n. 42.
Potassa da Russia
Vende-se no armazem de assucar de Jos
da Silva Loyo & C, largo da Assembla.
"Gaz, gaz, gaz,
Gaz em latas o melhor que tem vindo ao mer-
cado desembarcado ltimamente e vende-se por
prego barato : na ra da Cruz do Recife o. 37,
jonto a loja de funi eiro estabelecimento de Joa-
qnim Fernandes da Costa.____________
Lantljlas.
A loja da Aurora, na ra larga do Rosario n. 38,
recebeo sortimento de laolijolas multo delicadas e
proprias para qualquer enfeite, assim eomo tam-
bem receben luvas de Jouvin brancas e de cores
para bomem e senhora, muilo frescas, chegadas
pelo ultimo vapor, tudo isto na loja da Aurora,
roa larga do Rosario o. 38._________________
Vendem-se na loja de mludezas
a ra do Queimado n. 16.
Bonitos leques de sndalo e outras qualidades.
Bonitos cilos com Qvellas de diversas qualida-
des e moldes.
Brincos e ernzes de crystal.
Abotoaduras de dito para colete.-.
Bonitos port-relogios.
Delicadas caixas com msica e sem ella, para
costura.
Agulnas e linhas para ebrochet.
Retroz superior em carriteis.
Rendas pretas e bicos com vidrilhos.
Fitas de velludo com listras de cores para en-
feites de gorros e vestidos.
Dius de grosdenapoles, Usas e lavradas, brancas
e matisadas. __________ ______
colares Royer on colares ano-
dinos
para faciliur a denlicao das criangas e preserva-
las das convulsdes.
O feliz resaltado obtldo immensas vezes pela
prodigiosa forca magntica dos colares Royer, dos
casos de convulsdes, e denlicao *tias criangas, tem
alumente elevado o seu bem merecido prestigio,
e boje j se pode dizer qoe estao geralmente con-
ceitoados, e estimados de innumeraveis pais de
familias: de uns porque do oso desses saluUres
colares viram salvos do perigo seus charos fllbi-
nbos, e de ootros porque colheram daquelles to
proficuo exemplo para igoalmenie preservar os
seos. Assim, pols, a agola branca, tendo em vis-
tas a ulllidade e proveito desses prodigiosos cola-
res anodinos ou llover, mandn vir o oovo sorti-
mento qoe agora receben, e continuar a recbe-
los para que em lempo algum a falla delles possa
ser funesta aos pais de familia, os quaes flearao
certos de os achar constantemente na roa do Que!
nudo, loja d'aguia branca n. 8.
J'echincka
Na roa do Qoeiinario n. 40
. Cortes, de laazinha de cor, bonitos goslos, com
15 covados a 3*600.
Cassas organdys de cores, covada a 210, pegas
de algoAiozlnho largo com 17 varas a 4.
Ditas de dito com 17 varas, muito encorpado,
com pequeo deleito, a 44500.
Grosdenaple preto muito soprior, covado 2$.
Dito dito a 14600.
Retondas de renda preU a 10#.
Chales de renda preU a 84-_______________
G4Z.
No armazem da roa do Imperador n. 3 oo no
Caes de Pedro II n. 2, tem para venderse o me-
bor gaz existente no mercado._______'
Vende se a taberna da ra do.Rosario da
Boa-Vlstt n. 60, bem afreguezada, por seo dono se
querer retirar para tora da provincia : quem pre
tender dirija-se a mesma taberna qoe acbari com
quem tratar.
Aguia Branca ra do Quei-
.mado n. 8.
Pelo ultimo vapor cbegou de ParLs cha-
peos para menina do roa s aporado gosto.
Boa Fama ra do Quei-
mado.
Recebeu pelo uliimo vapor chegado de
Pars chapeos para menina do ultimo gosto.
iNovidades.
Na Agola branca ra do Queimado n. 8 rece-
beu diversos ohjectos de muito ,sto e inteiramen-
te novos, sendo:
Bonitos e delicados peotes dourados e prateados,
tendo entre ellos algaos de filigrana obra mai per-
feiu e de elevado gosto.
Ditos com chapa de madreperola.
Driucos de filigrana e outras qualidades.
Fivellas de dita e outras umbem de diversa;
qualidades.
Cintos mui bonitos, eofeiudos em toda a exten-
gao com caracteres dourados e prateados.
Filets enfeitados com moedinhas dourads,e lao-
lejoilas, aljofares St _, sendo para coque, e toda a
eabega, e outros com plumas _.
Bonitas volias de jaspt com crozes, tendo lam
bem algumas de duas cores.
Luvas e meias
de iaa vegetal, para quem soffre de frialdade, pa-
ralela etc. Vendem-se na ra do Queimado loja
d'Aguia branca n. 8.
Bandoline de roza
para segurar oo conservar perfeiumente atado os
cabellos das senhoras. Vende-se na ra do Quei-
mado loja d'Agoia branca, a 14000 o frasco.
Enfeites pretos para vestidos
A Agola branca recebeu dovos enfeites preto?
para vestidos, sendo bicos com vidrilhos e.sem
elles, Irangas com pendentes de vidrilhos e sem
elles, cordao grosso tambem com vidrilhos e sem
elles; assim como gales e franjas de diversas lar-
guras, flus de velludo ele. como sempre os uuns
fregoezes encoDtrarao commodldade de pregos ns
objertos que se vendem na Iuj d'Aguia branca ra
do Queimado n. 8.
Boioes de vidro
com enfeites d'ago no centro.
Eses boies' que tanto servem para melhor se
poder enfeitar ura bom vestido preto ou de ror,
achio se a venda na ra do Queimado loja d'Aguia
branca d. 8.
Vestidos
Peehlncha sem igual.
Cbegou a loja de l'areds furto um bonito sor-
timento de vestidos de larulala de cores e brancas
qoe serve para partidas por ser orna pbanlaMa Ib-
teiramenle de gosto pelo' barato prego de 44 e
braucos a 44300, estao acabando-se : no armazem
d porta larga ra da Imperatriz n. 52, jumo a pa-
daria franceza.
Cortinados.
Cbegou a loja de Paredes Porto um completo
sortimento de cortinados ricamente bordados a
preco de 254, 354 e 454 : na ra da Imperatriz
o. o2, porta larga junto a padaria franceza.
Bisas romeiras.
Paredes Porto recebeu pele ultimo paquete um
sortimtnto de romeira de guipnre prelas e ds fil
a prego commodo : na roa da Imperatriz c. 32.
porta larga junto a padaria franceza.
ravde pechincha.
Corles de la escoceza entestada para vestido
fazenda de 500 rs., est se vendendo a 280 e 300
rs. o covado : na ra da Imperatriz n. 52, loja da
porta larga.
0
Cortes de laa escocesa para vestido a 34 o cor-
te : na ra aa Imperatriz n. 52. loja da porta lar-
ga, junto a padaria franceza, estao se acabando.
Chales de renda
Paredes Porto, na roa da Imperatriz n. 52, porta
larga, vende chales de renda de cores com peque-
o toque de mofo, a 34500 e 44. fazenda de <0
e 124000.
120
Para roupas de escrav?.
Paredes Porto lerr. para vender chita azi. : ris-
cado proprio para o lim cima a 120 rs. o covado,
uma grande pechiociiae esta' se acabando : na
ra da Imperatriz c. 52 pona larga junto a pada-
ria franceza.
Grande pechincha.
Paredes Porto esta' vendendo riscado raDcez a
200 rs. o covado : na ra da Imperatriz n. 52 ar-
mazem da porta larga junio a padaria francesa.
Para luto.
Laas pretas com salpicas brancos a 400 e 500
rs. o covado : na roa da Imperatriz n. 52 junto a
padaria franceza armazem da porta larga.
1*400
Chapeos de sol.
Vendem-se chapeos de sol de panno a 14400 e
uma grande pechincha s para acabar: na ra da
Imperatriz n. 52 armazem da porta larga de Pare-
des Porto.
A 10500.
Vendem-se pegas de tranca preta para enfeites
de vestidos, soutembarque?, capas de senhora a
15600 com 10 varas, uma grande pechincha : na
ra da Imperatriz n. 52 junto a padaria franceza.
Aspas fortes para "boioes.
Na roa do Queimado loja de miudezas n. 16, ven-
de-se aspas de ago fortes, e de differentes larguras
para baldes.
Bonitos quadros para retratos.
Vendem-se na ra do Qoeimado loja de miude-
zas n. 16, bonitos qoadros cot mordura preta e
doorada, todos por pregos rasoaveis.
Garrafas brancas
e de cores com soprior agua da colonia.
Vendem-sena ra do Queimado, loja de miude-
zas n. 16.
Novo gosto
Pentes, fivellas, e brineos de felierana.
A amiga e bem conhecida loja n. 16 na .-na de
Queimado, recebeu um sortimento de diverso? od-
jectos de novo e bom gosto, sendo pentes brancos e
dourados de moldes enteiramente novos e mui a-
gradaveis, tendo enire elles algnns de filigrana obra
de muito gosio edeficil execugao, e bem assim fi-
vellas e brincos as mesmas circumstancia-.
Tambem recebeu algons cintos o qoe d- mais
moderno e bonito, se pode encontrar em tal genero.
Alm dlsso e nen ira rao os pretenden tes um com-
pleto sortimento de fivellas de madreperola, cunt-
a!, tartaruga, e dourados, brincos de chnstal, e
jaspe, voltas e crozes de dito e muitos outros objec-
los de gosto, os quaes continua-se a vender commo-
damenle.
Penentes de madreperola, e enfeites filete
A loja de miodezas na roa do Qoeimado d. 16.
recebeu bonitos pentes com chapa de madrepercU,
e novos enfeites fileU ornados de lantejoilas de li-
radas, moedinhas, aljofares, vidrilhos etc., tendo
grandes para toda eabega e pequeos para ceqoe,
regulando os pregos de 24 a 44000 rs.
B mitas caixinhas
com arranjos dorados para] costara, tendo com
msicas e sem ellas. Vendem-se na ra do Quei
raado loja de miudezas n. 16.
Trancas pretas
Com vidrilhos, e bicos cora ditos e sem elles para
enfeites oo vestidos.
Na roa do Queimado n. 16 loja de mludezas a-
charo os pretendentes um bello sbrtimenlo dos
objectos cima ditos, cascarnlhas, franjas etc. ele
e tudo est sendo vendido por pregos commodos.
Botoes pre; os
de vidro enfeiUdos d'ago.
A loja de miudezas n. 16 ra. do Queimado
vende mui bonitos botdes pretos de vidro com en-
feites de ac, os quaes muito se uzam para enfeitar
vestidos, quem os pretender pode dirigirse a dita
loj* o. 16 roa do Qoeimado.
P40 DE Sl\T_IO
Cootina haver pao de Senleio nos dias quarias
e sabbados, na padaria de Saoto Amaro, atraz aa
fondigSo, e no Recife, roa da Croz n. 46, roa isr-
ga do Rosario, taberna da esquina n. M>, roa Nova,
armazem da Liga, rija da ImperairK taberna do
St. Lemos n. 34.

o

i


I
fttaHo e tortoufttt --- afcbado e FeTerro de 1860
P1UA A. QIJARESIIIA
Ckegaram a loja de Augusto Porto & &
11ua do Queimadoll
Superiores cortes de seda preta.
MoIreaatHw preto de> ftores e de tt*as bellos padrees.
GrowJftMpte preto de diversas largaras e qualidaaes.
Retondas, bouraos e c*ates de fop e de rendas.
Pannos prelos, -eaMos-O ae prans, bMnbaeinas.
Lia, cumio, merino e selestriMS acetas.
Lindas mantas de seda para pepcoco.
Ricos cortes de seda de cores ata bailes oa cassemos.
Ricos cortinados bordados dos mata bellos desenos.
Moir Branco, seda branca, eapdHas e mantas para noivas.
tellas cotonas de seda ade lia e seda para cara Ke eolvat.
Saias *e flnisslm cambala ricamente bordada.
Farenda* de prega* para sala que se azem com urna s costara e lambe* tan
o cordio lecido.
Madapolao franeea a 406 e 480 rs. a Tara.
Alcatifa dw liobo para salas e gabinetes a 480 rs. o covado.
Faieada aspecialde ojoadros para faret redes a 3*500 a vara.
! Superiores esteiras da ludia para salas.
11Ra do Quclinado11
COtP
NOVOS eEMF
DOS
tri:n <; it a\di *
ARMA2HS DE MOLAHfiOS
DFNOMINADOS
PRO0BB8MV0 pateo doCarmo n. 9
UNIO E OMMERCIO ra doQueimado n- 7.
YEHUADEIRO PRINCIPAL rea do Imparador n. 40
H|iICOCIjRfflC0
DR PEttftO M^tAfltDf tO0 MOSOBSO,
tlF.bltO a*AKT#t0 ti Oi>! RAI>0IV
3Ra da Gloria, casa do Fundao 3
m .
DE
COKTES DE SEDA
Chegaram pelo paqaete iogle riqaisslmos cortes de moreantiqoe de cores, e seda lavrada pa-
"""TSTde quadros por 000 o corado
5RA DO CRESPO-5 M
Gregorio rae d Amaral A compannla.
" DUAHTE CARVALHO PERIRA # C.
Fazem scieate ao respete! publico, e com especialidade aos senhores do en-
fenbos, lavradorea e mais pesoa* do aatre, que para mala faclilar suas compras deli-
aeraram os proprietarioa dos trea grandes armazens, reaoir todos os eos estabeleci-
mentos em un s anauncio, peh qoai o preco de uta ser de ledos, promette-
tnos que nao iafriagiremos a tabella que abaixo vai publicado, aoutinciar os geaeros
per am preco, e na occasie a compra quererem por eatre, cono ooede corrsta ote-
mente em outras muitai'easas, porm no nossos estabeleoimentos nao n dar isto
aioda mesmo com prejateo nosso, qualquer pessoa podar mandar seus {melos que
serio tonben servidos como vtossera paaaoalraente fazeoo-nos o Eavor de mandar seus
pedidos em cartas.feixadas; pan evitar qualquer engaes, remeneado dos urna conta
pela qual se ver os precos tal pial anonnciarmos, o qae sene arrepender pessoa
alguna que fizer sua despenca em aossos esUbelecimectos; pois poupar nais de
5 por cento na sua despeja diaria.




.
Para vestidos de senhora.
Cortes de seda de cdr de bem gosto e snperror qualidade.
Lindas sedas de quadrinhos.
Bons moireaatiques de cores.
Grosdenir/les d todas as cores. "..'.
L'ndos poil dn chevre fazenda assetinada de mteira n'mdaoe.
lindan duquezas assettrwdas fazenda lateiramente nova.
Moderaos granadinas de soda o qu* tra vindo de mais novo.
brande varieJade da liM de cores lisas e de salpico.
Orijandys-e tikms do mnito bom gosto.
Percalias mo lernas com grande variedade.
Lindos cortes de 15a Clotilde com todos os pertences I
*2XESim*m tamb^ Jiramente no
fazendas de gosto que seria enfadonha mencionar.
Para hombros de senhara
Grande variedade de chales, bournoos, retondas e algeriennes de fil
uipure a 10, 16, 20, 30, 40, 60 at 80*.
Modernos seuterabarques de seda de superior qnaudade.
Lindos bertes de seda de c5r pretos e de cachemira.
dem de aabraia branca bordada com milito gosto.
Sautembarqies 3 bournoax de Mctainft de cdi- e outr
bom gosto. ,
Para cabeca de senhora
Superiores chapelinas palha, de" seda e de crina de milito bom gosto a im-
poratriz. ...
dfe e a Orante, chegados de Parispe'o ritiraovapor.
M Grande variedade de enfeites de froco e de dores para casamento.
S-iperiores vestidos de blonie. e de moireantiqoe braneos.
honsmiiramUqiiesbraneos e superiores sedas brancas.
P,ons vestido-i d i WliHW branco bordados.
Lindas mantas de blonde e boas capellw.
Bordadlos.
Grande aWpdad de entremoios bordados, transtMrente e> tapidos.
SSr bardadas ifansrnremes e tapada*, babados bordados, sa.as bordad
k outrosmaitosartigos._______.,,- ,, ^,, ^
& MNP% OA.S COIiUi5IAS
DE ilVtfftm CORREU lE VAS(ONCELLOS & C.
# RIJA DO CRESPO IR f3
t
m
<
i
RA DO REUJ1I IX. 3.
O proprietario deste estabeleciment deseja chamar a attence dos senhores pro-
prietarios aos acroiitados MecbtDismos que cemiona afornecer ; os quaes garaato 66r,
8833 sempre, da meibor qoalidada possrvel:
MaeMnas de vapor
forca de 2 '/> cavaos para cima. As menores sao mui proprias para motore sde
dWcarocamentos de a'godSo; as saalores para moer canoa; ha tambero que podem jenta
ou separadamente moer canoa e descarocar segundo suas proporcoes. Este vapores
sao simpssimos na construccSo, e se regen par qualquer pessoa intelligente, a fecilid-
de da condcelo sendo espeeialmente considerada, tanto que nao ba lagar en que nie
so p )ssara conduzir, qur por trra, qur embaroado. Ha cora moendos' jwnlas oa sem
o'Jcs e podem-se applicar a qualquer moenda j existente sem outra mudang do que
subsfuicSo das rodas da almanjarra. EHasnan depsitos d'apa e bsbdv i* fewo
precisara para o seu assentaBaento de obra alguma, qur de cawpina, qur de al-
aria. O lempo para awenta-las alo excete de doze dias ao mais, e etn casos te1
s le animaes ou arroaroamentos de acudes, etc., garanto-so o asseutameato em
.i ias. Lembra-se aos senhores de engoho que a venda dos animaes e o aervicoda.
v oceupada no seu trataaeoto os bao dfl recuperar da maior parta da-deapexa de
v por deixando-lbes a vaotafom de urna mcftgt certa accelerada; e acabando-cem a
d.-spwu da compra contladada de- novos att'mass. /om os desgostos do trabalod pb,
s tem com elles.
Roda dagaa de frr, oaui maneiras e Modado cem qttalqua altura
(i:12Ua.
artlhos eom ertietiai de ferro para as raesmas, quando so dfcsege ftzer
e -esto da roda de madeira, tornandode Sssim a roda ligFa no trabalho.
Hoadas de cauna de toctos o tamanhos, desde as mais pequeas bama-
d'.s do serto. Obra perfeita en feiti e actiabwmeftto.
Rodas de espora angartares de todos os tamanhos e proporcoes.
jaros ott eoehes para recefer o caldo.
Crlvos de foroalha para ayeatamentos, frescos para o foguista, wzenao
ir rinde cal Portas de i'ornalha de todos os tamaitos e de diversos systemas.
Pralos m aarsitataos para a kbrict do farifibt e lambem chapas redondas
ipara fornos pequeos.
siombas simples e de repucho.
Taixas de ferro batido e fundido e de cobre.
Foranas de ferro batido galvaniaado para purgir asracar, le^-es fon carregar
e semplos de quebrar-se.
lamMqwes de ferro de todos os tamanhos, cuataade s a tera parla de
prco dos de cobre, mais regulares na distillacio e igualmente duraveia.
Eixos e rodas de carro com ang s de patete, obra mui segura para
cai-regaco de peso. .. ..... .
\r*do, gradea, enehados a cavallo e outoas aatniaontos da agra-
cHitura. E finalmente todo o objocto de que possa precisar um,aogaabo.
Machinas de de?earo(?ar aigodlo.
Na fabrica se fazea obrai aotaa encemmenda e coacertof, com a waiar prartc-
23 e soirdtez. O grfnde deposito dpe?as e objectos habilitam-na moit para aatoam,
0 proprietario ser sempea mu feliz de poder tai occasffo detwr utrormwowoo
esclarf amentos aos senhores qee da servinea d aen pri*imo.
O. W. temuai, a
i
Maoteiga itgleza perfaitaante flor cba-
^joa oHimamente a i,ooo rs. a libra, a
em barril ter abatimeltA.
Mantenga iraneeza da safra nova a 8oo rs.
a libra a em barril ter abatanento.
lANI
Banha refinada superior a 64o rs. e em
barrir lera batrmeflto.
Cha ua de prlnetca o superior qualida-
da2,8oors.
dem hysson o mellior noste genero a
Uk>o rs., e sendo em porSo ter ahatimeo-
ts, tamben ha proprio para negocio de 2 a
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de i,800 a 25oo rs.-
a fibra.
BUceutos
Latas cora superior biscouto inglez de di-
versas marcas a l,2oo rs. a lata.
Bolaehiahas
Latas com bohchinhls da acreditada fa-
brica do beato Antonio, proprias para dar a
doantes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata,
dem com quatro libras de boktchinba da
seda a 2,ooo rs. a lata.
Querjios
Queijos flameng03 chegados pelo oltino
vapor de 2,3oo a 2.5oo ts.
CHOCOLATE
Chocolate' hespanhol a t.ooo el,2oo rs.
a libra, francez e sursso a 1,000 rs. a libra
e portuguez a 800 rs. a libre, em porcSo
tara abatimento.
VINHOS
Superior vinbo do Porto das- ntai* acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Vo4ho Soaso, Lagrinaa do
Douro, Mari Pa, D. Laiz, Pedro V,-Lagri-
mas Doces e outras marcas a ,ooo a garra-
fa e 9,000 a 12 000 rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das memores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3.000,
3,5oo e 4.000 rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 64o
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a caada.
Superior viaho de Lisboa e Figueira em
anceretas de 8 e 9 caadas a 24,ooo rs. a an-
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tmbem ha mais bai-
so para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a cnida.
Caixas com orna duzia de garrafas de sn<-
perior vioho Bordeaai a 7,ooo rs. aaixa e
7oora. f garrafa.
CAFE
Caf doJl de 1.a 2/ qualidade de
6,800 a8,2oors. a arroba, e de 24o*28o
rs. a1 libra.
SARAO
Vinagre
Superior -vteafre de Lisboa a 2,eoo rs. i
caada e 2* re. a garrafa. Tamben ba
mais bao para 2et> f*. a garrafa ,4oora.
a caada.
Azeite doce
Superior azeite doce de Lisboa a 64o rs. a
garrafa e a 5,000 rs. a caada.
FUaO CAPORAL.
Latas com superior fumo caporal a l,8oo
rs. a lata.
Passas
Soperiores passas a 2,Soo o quarto e
9yoo rs, a caixa de arroba haspanhoia e a
56o rs. a libra.
0EfBRA
Genbra de laranja verdadeira a lo.aoo a
duzia e I.ooots. ao frasco.
Genebra de Hollanda verdadoira a 6,000
rs. a aasqueira e a 56o rs. o frasco.
Idom de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da ums.
Garrafes com 24 garrafas de geoebra de
Hollanda a 8,000 rs. o garrafao. Tamben
ha garrafes com 9 e 14 garrafas de 3,2oo a
6,000 rs. cada um.
VELAS
Velas de spermacete a 64o rs. a libra.
dem de carnaeba de lo a 12,ooo rs a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
O Dr. Lobo Moseoeo da consultas grtktas ao pbMb todos osdias das fia 11
aoras da manhae, a das 6 e mew 8 horas da ao, 4 excepelo dos utas antifiamos.
Pfmrtnad espmM toameoputhm
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim coaio tioto/aa ae valias dyoJnaaiisa Cattnras de 12 tubos grandes. 12*000
* de 24 tubos gvandfcs. 180000
de 36 tubos grandes. 240000
de 48 tudos grandes. 30J5OOO
de 60 tubos grandes. 35<$000
Prepara-se qualquer carteira conforma o pedido que se fuer, a con oa reavedioi
tjuesepefuT.
Um tubo avufso ou frasco dfl tintura fie meia onca 15000.
SOfldb para cima do 42 custafo os precos estabelflcidos para as ajrteiras.
Ha tdbos mais pequeos cada urna 500 res.
lilVKOS.
A melhor obra da aomeepaxhia, a Manual de Madieina Hemeapathico do Dr. Ja b
dous grandes volumeacam diccionario s........ 20^000
Medicina domestica 4o Bt. Bering........... 100000
Repertorio fio Dr. Mello Mdraes............ 60000
Diccionario de termo de medicina........... 30000
Os remedios deste esttbeleciraento s5o por demais conhecidos e dispeosam por
tamo de serem tiovamente recommendados as pessoas qoe quizerem usar de remedios
verdadeiros, enrgicos e duradores: ha tudo do nelborqtte se pode desejar, globos de
verdadelro assncar de teHe, notaveis pela sea boa conserrafJe, tintura dos mais acredi-
tados estabelecimentos eoropeos, a mais exacta e acurada preparacao, e portante a maior
energa e certeza em seos effeitos.
Cam de mude para escrams.
Recebe-se escratos para tratar do qaalqnet enfornidaile ou fazef-se-lhe qoalquer
aperacio para o qae o aonunciaete jolga-se suflicientenente habilitado.
O lratamente o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica,
funecionando a casa ha mats de quatro asnos, ba muhae pessoas de cojo conceito se cao
podo duvidar, que podem ser consultados por aquelles qoe desejarem mandar seus
deentes.
Paga-se 20 por dia dorante 60 dias e d'abi em drante 10S0O. .
As operacocs serao prevranetrte ajustadas, se nao se quizerem sujeilar aos preces
razoave9 que costuma pedir o antraociante.
1R1UZEH K FAKESFlaAS
DE
CUSTODIO liRViLHO C.
27 RA DO QUEiMADO N. 27
Madapolao francez rarako feo, tendo peoco mofo, cada peca com 27 varas por
100000.
Laa de eres a 900 re. o covado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos orgaodi a preco de 80* rs. a vara-
Lencos braneos para algibeira a-20TOO a duzia.
Fin is perclaras a preco de 400, 440 a 560 rs. o covado.
Ricos cortes de la de barra de 100 a 300000.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.
PEIXE
Peixe em latas j preparado de l,ooo a
l,2oors. a lata
ALPISTA E PAINCO
Alpista o painco muito novo de 3,800 a
4,000 rs. a arroba e de*4e e 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS.
Superiores charuto do fabricantes Simas,
imperiaes. Delicias, Parisienses e ouiros ae
2,2,5oo e 3,000 rs. a meia caixa tmbam
temos Suspiros, Havaneiros, Ligueiros e
outros muites que vndenos por mdico
prego.
Licores
Licores frncezes eportuguezes a i,000 e
l,4oo rs. a garrafa ou frasco.
- Doee
Doce da casca da goiaba em caixes e la-
tas a l,2ooo caixo e ,80o rs. a lata.
Frats
Frotas em calda e em latas fechadas her-
Novidades do Vigilante
RA DO CRESPO S. 7.
Este estabelecimento apezar de sempre
se achar bem sortido como todos sabem,
boje'mais que nunca, nao s pelo que rece-
be de sua propra conta, mas tamben pelo
que recebe de consignares.; parece sem
duvida que deve offerecer grandes vanta-
gens para o respeitavel publico tanto em
meticamente, muito bem enfeitadas, conten- preCos comona escoha dos objectos, e co-
do pera, peeego, aneixa rainha Claudia, a I mr. k, An k^,- -^^ vamAB<,n naiA
perche e outras frutas a 0) rs. a lata.
Tambera ha latas grandes para^l^oo rs. a
lata.
AZEITE &ERBFWABG
Saperior azeite francez refinado a 8,000
rs. a^arraae a9,ooo rs. a duzia.
OOLHO fNGEZ SAUCE
Molho ingloz Sauce em frascos grandes
com rolhade vidro a l,8oo rs. o frasco em
Sabae-maca de primeira qoalidade de Wo duzia ter abatimgnto.
a22ors. a^libra adoWo aaiors. sendo
em caixo.
Servejft
Superior serveja Bass dos melhores ft-
bricantes, como sejam: Shlers & Bell. T. F.
Asho a 7,5oe e 7sOoars. a-doia e a "^wrs.
a garrafa. Tamben ha de utr;>s marcas
como seja: Victoria e Alcope a.5,oeo rs. adu-
zia e a 50o roa garrafa.
BOtES VASIOS.
Boies vasiao,. louca ingleza muito pro-
priapara raanteiga e deposito de doce de 4
a 21 libras a l,2oo e2;5oo.
FARBtHA DO MARANHO.
Farinha do Maranbo a 240 rs. i bra.
SAG'.
Sag aruito novo *4oo rs, alibrav
ARARAJTA.
4oo rs. a rfora.
BATATAS.
Gigos com 3o libras de batatas a l.ooo rs.
ogigo.
SARDINHAS.
Latas com sardinhas de Nantes o Lisboa
de 4oo a 46o rs. a lata.
FUMO AMERICANO.
Superior fumo em etapa a6*0rs. a libra
ERVILHS
Latas coto ervfibas' e feijSo verde j pre-
parado 64o rs. a lata.
MAS3A DE TOMATE
Latea com 1 libra demawa de tomate a
G i o a lata.
VERMUtH
Esta bebida nuite fresca a estomac d e
muito propria par. a presente estacoi a
qual vendemos 32,000 rs.a garran e!80
aduziav
Araruta verdadeira a
Pinenta, coninho, cravo, eatteta, errace, rfazte, trjoftb para limpar facas pa-
litos para deots, palitos de fogo, e outros mutos gneros que se tornara enfadonno
mencionar, afiancahdo clnceridade OS precos e o bom aeondfciQoamento de qualquer
gen ro.
mo acaba de chegar grande remessa pelo
vapor tDouro e o navio Solferino de
diversos objectos de gosto e propriosdo
tempo dos quaes se mencionante alguns,
por n5o ser possivel mencionar todos. O
dono deste estabelecimento espera a pro-
teceo de todos.
Riquissimas caixinhas ornadas e com
msica propria para um delicado miae.
Caixinhas de msica tanto de veio como
dd corda*
Ricos porto joias e aecessaries.
Riquissimos esfrjajs a fete da um-ftatrsi-
nbo ou chapeuzinbo.
Ditos em casca de noz e da#Bogo**,s
Leques de madeperola de- sndalo e de-
faia e madeira.
Chaposinhos e touquinhas de muito
gesto paca criancas.
Meias e sapatinbos de seda para as mes-
mas,
'Meas de seda para senhoras.
Capeltas e grnoldas de flores proprias
para casamento.
Enfeites e capellas de muito gosto para*}.
rihnr.i
MACHIAS DE PATENTE
DE TRABALRAR MO PJVRA DSCA-
RUAR ALGODO
FABRICADO POR
PIANT BBOTHERS & C.
OLOAM.
Estas machi-
nas poden des-
carocar qual-
'quer especie de
o I g o J S o ooata
estragar o fio,
sendo bastante
duas pessoas
para o traba-
lho; pode des-
carocar urna
arroba de al-
godo en ca-
rneo em 40
minutos, ou
18 arrojas por dia ou cinco arrobas de al
godio limpo.
Assim como machinas para serem movi-
das por animaos* que descarecam- 18 arro-
bas de algodao limpo por di; e motores
para mover ama, duas oa tres dessas ma-
chinas.
Os nesmos tem para vender um bellissi-
mo vapor que pode fazer mover seis fiestas
machinas mencionadas; para o que convi-
dare aos senhores agricultores a virem ver
e exam'raa-lo, no a mazem de algodo, no
lacga da ponte nova n. 47.
Maniadera Brothers afc C.
Recite pcaca do Cospo Santo n. 11'.
Os nicos agentes neste paiz.
0"cssteBo ie Grasville.
Tradaada ifrancez por A. J. C. da Gnu.
Vende-se este bello romance em quatr
romos poto baratissimo preco de 30OOC
aa praca di Independencia, livraria ns.
a.
1_
ROffANCES B4R4T0S
Vendem-se, na livraria da praca da Inde-
pendencia n. 8, a 400 rs. o velume, os ro-
mances portuguezesseguinles, em brochura:
A voz do sanguo, 2 volumen.
Conneraara, 2 ditos.
A noite de S. Silvestre, 1 dito.
O fitno de Titiano, 1 dito.
Adonis ou o bom negro, 1 dito.
As duis amadas, 1 dito.
O pacha de Boda, 1 dito.
TrUy. idito.
Ignez de la Sierra. 1 44, n
Joven Siberiana, 1 dita.
' Venda-sa o" alega snr terreno "o'dDU
frentes para a roa do Brum n. 21 e para a ra dos
EtoHo
em saceos grandes a 40500: ooa armazens
da Taso irmos.
iUio bra
neo
Goarara'pes n. SO, multo proprio para deposito de carados, sendo
Gromma de .mimo
americana
Esta preciosa fcala cajaa iiroprledades medr-
cinaes a imprensa europea tanto tem exaltado para
a cura das molastiaada pette, recommenda-se tam-
bera coma adoatato saio e auiriiivo para as en-
ancas, paestan se variados prepara culinarios.
A atnt aMttae;** te Ma tem ottido per toda a
paMa~t san mater etegie : vende se ainamente
na ra do Imperador n. 87, armatem Allian^a.
Para j Wt% uscarlos.
A agnia branca est vaneodo por baratissimos
presos, para acabar, oa oWeelo> seguiotes, que ser-
vera moi bem os que toa parte noa bailes mas-
eak ero respaldo : a tranr na ma da Cru:* PM UWMdw-ds <# m vara.
naaaTe'BvBa. Cinlos largos com pontas cahldas._________
m Ha fabrica""** vaagre. roa' JmpetHl"a. a, VeoBe-se na iiMta 4e amarillo em per-
nmimii 1 nlriT asnanfr 1* ,Jfr viaflan felto eftado, e mais pdrteaeas pata nina padana,
aMMaV Saliai *.*$**+ aa aatrada om, Betaida taberaa a direit, depols
eTe por prU VnTioo branco e Jda- ae%r8 !": **m n mesa,, das 4
jncoior. haraMa tara a ante.
seubora.
Riquissimos porta boquets.
Boquet de flores com urna borraohiaba
com cheiro.
Lavas vordadfiras de Jovin.
Ditas de sed; de Bscocia.
Riquissimas pl:Wiia o guaMicoes para
enfeitar chpeos.
Contes tenas de ace banUoa, que ba
mnito se desejava para enfeites.
Brincos, GveUu e oruzes de crystal.
Fivellas e cruzes de tartaruga, aedripo-
rola e dourados.
Alfinetes para gravatas.
Botoes com croas para punbos.
Gravatinhas e mantinhas de muito gosto,
Unto para horaent coao para leahara.
Riquissimos adares Irft*, a^sam nono
caixinhas com alineas arel. ,
Bengallas de qn* cota cato 0 marfao.
Ditas de baleia, borracha e de outras
muitas aj(aldao||,Assim cfbo ch^itajt*
RiquiShaos peares de tartaruga do ulti-
mo gosto; assim como de
menina, pois neste artigo ha um CtufcpleJ |d*i^
sortimento de todas as qualidades.
Diademas para cabeca do ultimo gosto.
Riquissimae fitas toraadas a uaa*i
Trancas pretos com vidrilbo e de coras.
Pulseirs tanto para senhora como para
meninas.
Ugas^SQ^.fraJMfo .....
Suspensorios de seda e de algodo e mu-
tos outros objectos que ae n5o podem an-
nunciar por nSo se tornar enfadonho.
S ae alto Vtat* wa oCwpp o. 1.
Framcisoo Jos Swmano
RA NOVA N. 22,
acaba de receber nm lindo e magnifico sor-
timeoto de ocoles, lunetos, binculos, do ul-
timo e mais aparado gosto a Europa a cu-
los de alcana para observacoes e para os
martimos.
------------------------, -i-----------------------i------------
Manual a Cidado
Vende-se o Manual da Cidadao em um
Governo Represej^ativo ou principios de
Direito Publico Constitucioaal Administra-
tivo e das Gentes, por Silvestre Pinheiro
Ferreira, em 3 volumes broxurados por 33
cada obra : na livraria.n. 8 4a praca da
iQo-epeadenaia.
tais de Westpha-
: amado Trapi-
co sope
do ulti
ides
s feitas da todas as
roop feitas senda caldls-UPeores e
pardo a jU, ditas de brim branco de llnho a 3500
arregace para 4A ca|8 dj^Semira preu a 8*,64e 81, di-
vK!
is onaMa
calflP(
3*300, ditas
- de brim de
caca&aJf} a# e 3*, dito* aa W branco a
a 500, ditos de alpaca preta a 3) e ajt. ditos do
-esaila *e edre *, 6,7, lt|; Ss t>
losreta i{gK7, 8^ 10 c^^ J. jes a
._..Je J^oVcaWsas fraftSa\SH e
peilos de cores a 2 e 2*500, dita ingteas de K-
nho de pregas largas a 2*500. 34, e 3*500 : aa
ra da Imperatrjr, laf^A^fla B.tfa._________
Luws di ia4iR aittai a aitras
.j M casemira, a 3* e
ra a Of, 7* e 85, paletots
Cb
im para a loja de minutas: aa roa do
/


k


.
V


M
i
I
i.
1-
\

***** ** ** ****** ** ****** 4f
1666.
T-TTT----T
graaa p*f twmwi
4a porta larga *1.
Jamao a padarla fradeeza de
Neste esta beieci mente encontrara respeitavel
pahim om variado eectimeMn faaeiidanftnaee,
tu, iigletas, snlssts a allaises, que se vendara
por preco commodo.
Pared Perte
Vende chiles de renda de cores que se vende-
rara a 18 es* venden* por 6*, di tes pretos, fa-
xenda nova, 5*. 6*, 8$ a 20*, um sortimento com-
pleto de manteletes, capas e soutambaruues 14* a
25*. Roa da Imperatru a 42, junio a padarla fran-
ceta, armazem da poeta larga.
Paredes Parta
Recebeu um completo sortimento de laasiahas a
24a M0 rs. aovados, para acabar, eambraias da
cor a 340 rs. o covado, riseado escossez para rou-
pa de menino, fustao de linho a 420, 400 e 600 r.
Roa da Imperalriz n. 52 junto a padana fraoceza,
armazem da porta larga.
Pared* Parta
Recebeu para cortinados para cama franceza a
II* a pega cambraia lisa Ona a 3* 4* at 10* a
peca, cortes de tarlatana de bonitos gestos a 3*500
4*, cambraia cora flor da seda, gostos inteira,
menta novos a 400 e 500 rs. o cavado, no armazem
da pona larga n. 52, roa da Imperalriz junio a pa-
daria franceza.
Paredes Parta
Receben pelo ultimo paquete nm sortimento da
crozes com pedras para o pescoco, benitos caiinels
de la para pescoco de senhora. Roa da Imperatriz
n. 52, armazem da porta larga.
PareaenParto
Vende cortes de gorgurao preto para vestido com
21 corados cada um 35*000, grsdenaple preto a
1*600,1*800 e 2* o eovado, lias lizas finas a 400
rs. o eovado, iaas de quadrioho para vestido, en/es-
tada, a 320 rs. o eovado. Rna da Imperalriz n. 52,
armazem da porta larga.
ftetnaffita
Rna da Imperalriz n. 52 armazem da porta lar-
ga jnnto a padarla fraoceza, encontra-se neste es-
tabeiecimemo ura completo sortimento da paletos*
saceos sobrecasaeos, de todas a* qualidades, cal-
cas, cllete*, ceroulas, camisas, grvalas, meias,
chapeos de sol, ditos francezes para cabera, por
pretos coramodos, roupa para menino centras
omitas fazendas por. Breos commodos, armaea
da porta larga.
No roesmo eabelecl ment encontrar o respei-
tavel publico, seropre um completo sortimento de
roupas- feius.de toda as qualidades, cerno sejam
paletos de alpaca preta e de cor, ditos sobrecasa-
cos a 4* e 5*, ditos de brira pardo a 2*800, 3* e
3*500, ditos finos a 4*, ditos meias casemira a
3*500, 4* e 5*. ditos cazemira saceos a 6*, 7*, 8*
e 10*. ditos sobrecasaeos a 10 a 12*, ditos de pan-
no sacce a *, O* e 1 O*, artes sobrecasaeos 12*
e 25*, ditos de merino preto a 6*, 7* **
cas de bnm de diversas qualidades a 1*800 a 4*,
ditos brancos a 2*500 e 00, ditos eazeraira 5*,
6* a 7*, ditos pretos a 5*. 6*. 8* a 10*, ditos
meias cazemiras a 3* e 4*, coletes de diversas
dualidades, seroulas francezas de algodao, ditas de
lobo, diusde bramante a** e 2*500, carnizas de
ilgodo de linho francezas de 2*500 o 3*. Grao-
de pechincba neste genero, gravatas de todas as
qualidades e brancas para, casamento, grande sor
mento de meias para senhoras, ditas [tara bomens
a 3*, superiores a S*500 e 4*.
Um completo sortimento de chapeos de sol de
alpaca a 3*. ditos de seda a 5*, 7*. 10* e 14*,
ditos francezes para cabeca, grande sortimento
a 6*.
Pecliincha admirare!.
Grande sortimento de cDambres a 4*600 e 59,
enees de cambraia para homem a 2* a duzla, di-
tos de linho a i* e 5*.
Grande sortimento de roupa para meninos e cu-
tras muitas qualidades que seria, enfadootio men-
ciona-las.
Paredes Porto
Recebeu pelo ultimo paquete franee* ricas lias
granadinas com flores de seda a 400 e 500 rs. o
eovado, estio acabando-se, cambraia preta para
loto. Porta larga jnnto a padana fraaeeza, a rna
da Imperalriz n. 52.
Paredes Porto
Receben pelo ultimo paquete esparlilhos a pre-
guigoso per 39, sao bons, lencos de seda para se-
nhora e homem a 1, ricos cortes de cambraia
bordados de 18S a 7, por ter um toque de mofo,
esto se acabando, na rna da Imperalriz n. 52, jnn-
to a padarla fraoceza.
Paredes Porto
Vende om completo sortimento de fazendas
brancas,como sejam madaraiao a 4*500, 5*, 6* e
105, pecas de algodo por barato preco, chita frao-
ceza a 240, 280, 320, 360 rs. o eovado, precalias
muito finas a 360, 400 rs. o eovado, chita ingreza
a 200 e 240 rs. o eovado. Ra da Imperatriz n.
52, junto a padaria franceza.
Fazendas.
Vende-se superior merino preto proprio para car
pas do senhora e vestidos 2*. lustrina da China
a 1*800 o eovado. Roa da Imperalriz, noria larga.
Paredes Porto.
Vende m seo estabeleeimento tiras e ntremelos
oordados, grande sortimento de corpinhos rica-
mente bordados a 3*, 4* e 5*. S o Paredes Por-
to, rna da imperatriz no 92; porta larga jnnto a
padaria franceza.
^000i**W UW11U_ I1J.H I UUUU'
liiiiiWII'IW" :
hm& bssawujlwisio
FABRICA A VAPOR
99 RIJA DO MONDEGO 99
Deposito na rna Xo\n n. M loja de relojoelro.
Delouche donos deste estabeleeimento partecipa ao respeitavef publico qne soa fa-
brica est montada com as memores machinas que existem na Europa, e qne pode
febricareora melhor perfeicSo poesrvel. Todo o chocolate desta fabrica est ganaotidO, e
puro, o qoe n5o se pode encontrar naquelle que vem de fra, e qne se .vende por preco
baixo, viat-ua piodticu seren doipni*. Na etiqueta tem sempre urna aguia.
Ma da iauperalrU 3 W
GAMA & SILVA,
LOJA I; WMW ae U4ZSBOAS.
. Tendo os profiriatarioa, deste grande aslabelaei-
mento feto-um grande ajjamslo ennRUjtaa de
sns fazendas. pela occasio.do balando que der.am
no ultimo de dezerabro de 1865, resolvern) vender
muito mais barato do que costumam attm de cada
vez mala agradaren) aoa seos numerosos fregoe
zea; por tariio lhej ofececem n avuado sorti-
mento de faienda^ frajK.ezas, inijlezas, as quaes
vendero mais barato do qoe ero outra qoalqner
parte, eomprometteade-se a mander levar qualqoer
faseoda. em casa dos begutes que aao.paderem
vir a loja, ou a dareoa as anipsijas, dwvetto tear
o penaor, assim como convidara as pessoas, qne
negociara era menor escata qpe nesle grande e.-la-
beleeimeeto encontrare um grande setUmento _
unto a retajan como por atacado, Mdaadarfa.l} Poopelinas modernissimas a 400 e 500 rs.
apenas pelos preces que comprara as casas ingle-
zas, sendo com o dioheiro a vjsia.
Crtes de cambia* sm. pateatu leja do
Vendem-se cortes de cawb(3A,bajHM com pal-
mas, sendo fazenda muitj b^a, pej baratissimo
prego de 2*500 para acabar : na loja e armazem
do Pavao oa roa da ImperMM d. 88, de Gama &
Silva. i,
Leos braneo* a 9$QW rea*
dftsla.
Vendem se lencos brauco fazenda muito boa
pelo baratissimo proo de a d*la, Ditos com
barra de cor a 2*000 isto paa* ainfear na loja do
Pavio na ra da Imperatriz n. 60 de Gama \SiI-
"gRNDE PECHIttCHk!
Lsiithas a 120 rs. na leja do Pavao
Vende-se lsinhas pretas proprias para luto sen-
do boa fazenda a 120 rs. o eovado. Ditas muito
finas de quadrinhos.a 480 e 3.20 rs., ditas entesta-
das a 400 rs., ditas mathizsdas a 320 rs., ditas
transparentes com palma de seda* 408 rs., ditas li-
zas e com salpicoa a jO rs., para acabar na lija e
armazem do l'avo na ra da imperatriz b. 60. de
Gama & Silva.
i. i f
Pechincba a S^OOO e *f50O
AS MELPOME^S DO PAVAO.
Vendemse bonitos cortes de netpomene para
yeetidos de senhoras, sendo dos padroes mala mo-
dernos pelo baratissimo nreeo de 3*000 d*. W-,'c!i.!#iiIM urtto* dn Pnro
Ditos de mdiapa, tendo oiip e roela-varas, paja *>rosat
baratissimo prego de 2*500 r?.
Isto 6 para acabar na.leja do Pavio,
PREgO.
Meia libra.......... *00
Urna, libra. ........*-^5
Urna arroba ,, 19J0OO
Na raesma fabiica acaba de se contar urna oficina com serrara a vapor para
obn de marcineiria propria para eiiflcio, para o que encarTeg>-9e de- fner portas, ja-
dellas, assoalhos (parqu francez como so usa na Europa,) e armagoes, tudo com brevi-
nade e'perfjico. Toma-se qualquer encommenda para fra da cidade, entregando-se
prompu a oollar-se no lugar.
FREITAS
DE
Rna da Cena n. 16.
Continua a baver diariamente um sortimento de pastis, pedtn*, bolo iagtoMS,
empadas etc., etc. Os donos def.te estabeleeimento, acbam-se na methore condices
de poder satisfaiet eflco.mmendas concernntes soa arte, em censequencia doaocw
Freitas ter sido administrador chefe de algumas das prineii aes fabricas na corte, sendo
na a do Sr. Jo2o Goncalves Guimar5es. (confeitaria de Leo) antiga casa de Careetter;
Todos os trajbalhos s5o diflterentes dos que se fazeta em casas particulares.
Os proprietarios deste estabeleeimento n5o se tem poupado a despezas, era se
pouparo, se,bouver concorrencia como esperam ; lendo coBlionadamente bom sorti-
,mento.de doees para cha; presuntos e ditos em fiambre, tambemse recebem para se-
rem preparados; assira tomo doce de caja novo uperiQr,.se(Ce e crystalisado, ditoem
calda em latas hermeAicamente fechadas, podendo durar annos em perfeito estado.
Para jantares. e partidas recebemrse encommerjdas do segutntes objecios; ban-
deijas ricamente eefeitadas sem armacao pecas de amendoas (nogaces), ditas de tmaras
de ovos, paes de l enfeitados coro disticos anlogos a qualquer fim; ditos montados,
kechs simples e enfeitados com fructas ingleza; gatbeau de la reine, ditos de le d-
chese, tortas de frueta, massa fblbada; ditas depeixe e carne; cremas e doces de ovos
de differentes especies.
Tambemtemumcompleto sortimento devinbosengarrafados, como sejam: vinho
do Porlo superior, Fiyueira, Madeira, Lisboa, Cherez, Bordeaux, Champagne fino, ser-
o eovado na loja do Pavio.
Veodem-se poopelinas muito linas sendo fazenda
muito moderna de quadnobos e liza vendendo-se I
pelos baratos precos de 400 e 500 rs. o eovado na
loja do Pavo na ra da Imperalriz n. 60 de Gama
& Silva.
roe da hn
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
As toa i has de li- ho do Pavao.
Veoden>a supericres toalhss de liolw* para
rosto pelo baraiUsjmp pre^o de 7*500 a.duzia ou
a 640 cada urna,
Goardanapos de linho adamascado para meza a
2*800 a dona ou a 240 rs. cada nm.
cem oit palmos de
Veodem-e sopenores frosdeoaples pretos pelos
baratissimos preeps de 1*500, 1*600, 1*800 e 2*
o eovado, sendo faz/end mulo boa, s para aca-
bar : na loja e armazem do Pavao, roa da Impe-
ratriz o. 60, de Gama & Silva.
Bramante de linho de Pavo.
Vende-se superior bramante de linho com 10
palmos de largura, prnprws nafa lences, pelos
baratissimos precos de z* e 2*600 a vara, assim i
como panno de linho muito tino pelos baratissimos
Sypenor aloa|h*da,de Irobo w. ** b---^ i pre50s- de 640,700 Md>n>. a vara
largura sendo branepe par4o, e-venaft-se.ma&aa- jf
rato do que em ootro parte.na loja do Pavft na rija
da Imperalriz n. 60 de Gama & Silva.
NoJwte TWlTMillffl 1
Fazendas pretas para a qearcsaia.
Arara vende grtsdBaple preto a 1#60Q
Vnde-ie,gTosdenap.l paato bom a *600, i^OV
e 2* o eovado, dito muito largo a t*S00 e 2*800
o eovado: na roa da Imperatriz loja da Arara
i. 96.
Moreantique da Arara a 25800, '
Vende-se mor#aatiq8e preto pana validos ntfi-
to bom a 2*800 e 3* o eovado, alpaca preta para
palatote e vestido, a 500, 600 e 800>r. o eovado,
merino preto muito bom a 3* o da Imperatriz loja da Arar.au, 56.
Arara vende a sajas a 3U0,
Vende-se saias bordadas pata senhoras a 3*ij0t'
e 4*, golliohas bordadas a 240 e 320 rs. cada
ama- na.ra da Imperatriz toja 4a Anana n. 53.
Ghapeoadit sal da Arara a td*0k).
Vendaje baposMAcadeaol pana meetaw a
1*400 cada oro. rainisinhas para senhoras a 1*.
3* e 4>a : s Arara ra da Imperatriz o. 56.
Arara ende os v<*t i do bordados a-W.
Vende-se cortes de wtide* brantos bordados a
4*500, ditos de carea a 3, ditos bordados a. la e
seda a 7* e 9* : na roa da Imperatriz n. 56-
Os baloes da Arara 'a 2^.
Vende-se balfJes de arcos de todos os lmannos
a 2*, 3**, 31500 e 4, saias bordadas a 3*00 e
4* : oa ra da, Impur-trit o 56, teja, da Arara.
Arara vende canes de lia a .'<>.
Vende-se cortes de laa novos violtos pelo, ultimo
vapor com 13 covados pelo barato prego de 5*. di-
tos com barras a 6* : na roa d* imperairis loja- da
Araran. 56.
Arara vende chales de 2$.
Vende-se chales de merino estampados a 2*.
ditos de la a 1*600 e i*, ditos de meiio mono
finos a 4* e 7* : roa da Imperalriz loja da Arara
a. 56.
Msdapolao enestado. da Arara a id.
Vende-se pecas de madapalo aofestao com it
Os corpinhos o* seda pretos dp Pavao.
Vendem-se os mais rico corPJUhflS de seda pre-
mazera do Pavo, rna da Imperatriz o. 60, de Ga-
ma & Silva.
As cassas do l'avo.
Vendem-se cassas muito superiores com lindos
padroes, pelos baratos precos de 300 e 320 rs. o
fj0!*6"- 'jardas a 4* e 4*500 dito de 24 jardas a 5*,
tos, ricamente enfeitados, pelo barato preco de 12* eovado, ditas muito tinas a 360 rs. para acabar
eada nm : na loja do Pavo na roa Oa Imperalriz' na loia do Pavo. ra. da Iumeratriz a. 60, de Ga-
o. 60, de Gana & Silwu
Corles de colim para ealas
, a l*i20 s o Pavao.
Vendem-se supriores cortes de cotim, fazena
mnito eocorpada para calcas e palitots, tendo pa-
drees eeoores e al*gres, evende-se pelo barato
preco da !120 rs. o corte de. calca ou a 320 rs. o
eovado, sendo esta fajeada,grande pecbiftcia PW
Brra pardo entraneado a 706 e 868 rs. a'vara.
Dito liso multo enrorpado a 040 e 700 rs. a-vara.
na loja do Pavo, ra, da Imperatriz n. 60,
ma & Silva.
Cambraias lisas do Pavio.
Vendem-se pecas oe cambraia Usa omito supe-
rior, pelo barato preco de 3*200 a 3*000 a peca,
ditas mnito linas a 5*, 6*, 7* e 8* ; na loja e.
armazem do Pavo, roa da Imperatrja n. 60, de
Gama & Silva.
PBCHINCHA !
a 2??000, para cateas, s Pavo.
Vendem se superiores corles de meia casemira
com msela de seda a 2*, ditas Garibaldlnas a
S^rTVKSASfStt ^6*h*W0. as escurae. 2*00, en a 1*600
chincha na loja e armazem do Pavo na roa da
Ira peral nz n. 60 de Gama & Si Iv a.
Os cortes de cambraia bjaoco bordados na
- loja do PavSo.
Vendem-se os mais neos corles de cambraia ri-
camente bordados com barras e baados a 20* ca-
da um : na loja e armazem do Pavo na ruada
Imperatriz n. 00, de Gama & Silva.
Rleoa vestidos a 8*JC00 rs,
pecbiiKba admiraiel.
S o Pavo receben pelo ultimo vapor francez
um grande sortimento dos mais ricos cortes de
vestidos transparentes cera lindas-barras eeneitea
de seda, sendo estes vestidos muito. proprias para
baile e passeios, e vendem-se pelo baratissimo
preco de 8*000 rs. cada om, na loja do Paveo na
i roa da Imperalriz n. 60 de Gama & Silva.
Cortea de chita a 2#000
S NO 1BVA0.
veja, licores, charapes a oooserf8s. Parafestas: bonitas caixinbas com amendoas, con- vendemiseeortesdertbas nflezas.com deco-
feitos e taita enfeites. Muilos desle obiectos mencionados pedem-se perfeHaroente ac- vados a 2*.
condicionar tanto para a prwmnia, como para fra. gg gj Jg, \ Jgg;
Ditos de chita fraoceza eom dez coads a
3*200 s na loja e armazem de fazendas do Pavio
na ra da Imperatriz o, 60 de Cama & Silva.
Os bales pretos d renda do Pavo a 8000-rs
Vendem-se oe mais ricos chales preti s de renda
com quatro ponas, senda muito grandes pelo ba-
ratissimo preco de 8*.
Ditos de goepure a 15*', 18*,-20*, 25*.
Reioodas de dito a 10*.
Manteletes de renda, lazenda muito superior ai
25 RA NOVA N. 25
C/3
CTBJBJciOOT E*< ("222
3^113-g-S-S.Ss-S-gIsS
~- 9 8 a o,
g-eo^ s.2
P os rt < 2
CD
a, "O o. o _
(>- as u -
a C
O. -
OS
O.O. 2 ^ w 2
iSi
w
5
0>9
0*2 I
aso
co
O*
II
n* O'
"O
O- -i. 3 os H
O ^ m" S. ^" S _
a s. & ss?_
"5 3 2 S* 2.
S 7= m g 5
9m. v >
>
O
>
t
o
s
o
Este estabeleeimento anab de receber um rico sortimertodo pianoa fortes ei-
pressamente fabricados para o clima deste paiz, dos mais afanados fabricantes da Enro- ujjooa
pa. por isso o proprietario convida ao respeitavel pnblko para \irem apreciar aa qua- Capas e
lidades dos referidos pianos.
onlinna-se sempre com esmero e promptidSo fazer-se qualquer reparo nos ditos
mstnamentos. AfioanHse os pianos debaixo do memor systbema uitimamente adoptado |
na Europa.
Fazendas, phantasia para vestidos ebegados de Pars pelo ultimo vapor.
Lindos robes de organdys cesar anas fazenda transparente de inleiro gosto.
Ditos de percatia campestre padroes muito neos.
RtyDJs&imas grinadines de seda o qoe lem vindo de melbor gosto oeste mercado.
Lindos cortes de saltan ptkn para vestido fazenda inteiramente nova.
Ditos de gaze selim em peca fazenda transparente e de g09to muito modernos.
Lindos chales de^resadim brodi, primeira vez aqu apparwidos.
Ricos bournus de crep guarnecidas de trnca nrtHio proprit-s .para passeios.
Hiqujssimas i)velas para sinto, de metal, de.cxystal com ac o com pedras irras, i
qne ha de mala nove.
E ontraa muitas azondas de Inieiro gosto.
E,ua I.oja d/s eolnmnas de Antonio trrela de Vasceneeilos
k. Couipanhia.
DE
sauthambarqnes de grosdenaptes bor-
dados, fazenda inteiramente nova, por procos mais
baratos que em outra qualquer parte.
Isto na loja armazem do PavSo na rna da Im-,
peratriz n. 60 de-Gama & Silva.
Oschales do pavo a 2oo c 25oo rs.
Vendem-se heles de merino eslampados a 2*
e 2*500 cada um.
Ditos de merm liso a 3*800.
Ditos estampa-ios de crepon a 6*, 7*. e 8*000.
Ditos pretos bordados com fraoja de^eda a ti*.
Na loja e armazem do Pavo aa roa da Impera-
triz n. 60 de Gama & Silva.
Para luto vendo o Pavo.
Selim da.Cttioa com 6 palmes de largura, fazen-
da prela para loto, pronna para vestidos e roupas
para horaeBs, sendo esta nova fazenda sem 'nstro e
de mnito boa qualidade,' geraatindease nao fiear
rnssa com o tempo e vende-se pelo barato preco de
2* e 2*500 o eovado, aetim> como neste estabeleei-
mento tero um grande sortimento de todas as fa-
zendas pretas come sejara cassas chitas preras,
i las upadas e transparentes, primeras, aleabas,
sarjas, etc. : na loja e armazem do Pavao na rna
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os ba.es do Pavao.
Vendem-se superiores baldes de mnenlina com
I moila roda a 5*., diloa criooliaas com 35 arcos a
3*500, ditos com 20 e 25 a 3*, ditos para meni-
nas, sendo brancos e encarnados a 2* o 2*500 :
i na loja do Paireo.Ba ra da Imperatriz a. 69, de
Gama & Silva.
Je
*CSaS
na t
Venden no sen armaiera
Amorim n. 35.
Licor fino Corceo em botijas e meias botijas.
licores finos sonidos em garrafas com romas di
vtdro o em hndos frasees.
VinbesCberea.
San-ternes.
Chamberlin.
Hermttage.
Borgonbe.
CaaaafagM.
Moscatel. t
Reino.
Bordean!.
Come.
Od Ton.
Panel lagniol. .
Phpheras do gaz a a
a
DE
VIGNES.
X. 55. ra no inriMaijoh N. 55.
Os pianosdeauaatiga fabrica sao heje asees conbecidoe para que aoja noeeeoaaio itasistir sobra a
ma superioridad*, vaotugeas o garanuaa que offerecem aos compradores, qualidades astas inceotesla-
eis que elles tem deflnitivanvjnte conquistado sobre todos os que tem apparecide nesta praca ; pos-
astado aa Melado .aasMaian fue ntudarnin leda aa voafraaa eaaawaafceadea iaalataii, asm
annea falhar, por serem fabr cados de proposito, e ter-se feito ltimamente melboramentos importan
ussiaios parae ettaoa destepnii; qeaato s vosee, sao metedtesas flautadas, e por ieao rauMo aerada,
res aoe ouvido&dos apreoiadires.
Fazem-se contosme as encoramendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. BiondeL de Paris, socio
correspondente de J. Vignes, em coja capital foram sempre premiados em todas as exposigoes.
No mesmo estabeleelmedte se achara sempre om esplendido e variado sortimento de msicas dos
mslaores autores da Europa, aeem seas harmonieos e pianos barmeMcos, sendo todo vendido por
aneos camaoodoa raaaasots.
Lutos'de JoaviiL
A loja de miudezas na ra do Quema-
do n. 46, resefceH-aapor este tUib vapor,
Brea em barricas pequeas.
Cera en-velas de todos os kMBmkoe.
Bogias.
Mercar. ,
Na ra do vilano n. 19, primelro andar.
"^"a raa o Mpefador a. 2t tem soaeneras
Imaat baraburgnezas para vender em per cao e a
retaleo, e tarebem aingaa->e rap Panto Cordet-
ro viajado, igual ao de Lisboa, e para gosto de al-
?urs, melhor.lpor n8o ferlr, etc.
avaado.
Francez barrica 5*000
Portfand idem 8*800
Bm perfeito estado:
Fraaesz barrica 10*000
Portlasd idem 12*000
No armazem de Tasso Irmos caes do:Apollo.
Boa occasMo para iimprm-
cipiante.
Vndese ama toja de miudezas com pasees fon-
dos, mnito en costa, em bom lugar a asm acredi-
tada : quem pretender durija-se a roa Augusta,
taberna n. 1, qne se dir quem tem para vender.
Na mesma taberna se dir qaent tem para'vender
ma mobilia completa de ssaaralto cosas ma.
Chegaram oa bem eonbseides palkos do gaa e
vende-se por pracp commodo : na aa da Cadeia
do Recife n. 8d A, loja daa fuchinas.
Palitos^ tte %*> 'tTSST
groza.
de-se pete barato preco de 1*500 a groza: na roa
da Cadeia do Recife o. 96 A, loja das machinas.
Vende-ge
o grande armazem da roa de AaoHo as. 30 e 40,
praprk) para tmo armazem de atentar oa piensa
de algodo em boato Brande por ter seis Portas de
frente com mafe de 67 palmos de largura e 300 e
tanto! comprimeirto, t ip eoMrto Afif. Fazendas para a ^uaresixia.
No armazem da porta larga, roa da Imperatru,
Sosdenaple preto a 1*400,^*600, 1*800, W
900, moreantiqce preto. de diversas qnaltdades,
os maM Tices chalet de renda pretos, e retaadass
das Boarara- coa moila roda, fajeada a oltima nada so raer
; cado : do armazem da porta larga a. 52, oa rna
da Imperatriz.
das, e para tem roed toado des eesvpradorsi
de com o praso de dons annos ou o qne se eoaven-
cionar, orna vez qoe seja uem segaraaca, e pagan-
do-se pela demora om mdico joro: as pessoas a
nuera convler eta eetninrs poderlo evsnder-se
obsAtmobio Alvssiaibosa, na roa das Boarara-
paaa. 78. ....__________________^_
Vaade-s* a paass do terreas de manaba p.
Cambraia de forro a 1 do Pavao.
Vendem-se pecas de cambraia de forro com. no-
ve varas cada peca, pelos baratissimos precos de
1*600 e 2*: na loja e armazem do Pavao na roa
da Imperatriz n. 60, da Gama & Silva.
Oa cor ti oados, do Pavo.
Vendem-se superiores, cortinados, aarasscados
para camas pelo baratissimo preco_de 1* cada par,
ditos muito Anos ricamente bordados para camas
oa jaaslias a la*. 20* *23* o par : na loja e ar-
mazem do Pavo na roa da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Patmo preto a 2)5 na loja do PavO.
Vende-se paaao ralo, teeenda muito ba, pelo
barato prego de 2* o eovado, dito mu lo fino a
3*500, 4*, o* e 6*. assim como casimira prela de
cordo a 2* o eovado : na loja do Pavo na roa da
Imperatriz o. 60, de Garas & Silva.
Cortea de la a Mara Pia na loja do Para.
Vendem-se os mais ricos cortea da laaa Mar
Pa, pelos baratissimos precos de 7* e 8# ditos
muito finos a 10*, 12*, 16* e 20* : na loja do
Pavao na roa da imperatriz a. 60, de Gama &
Sirva..
Oa espartrlbi do Pavo.
Vendem-se orna grande e variado sortimento de
esparlilhos dos mais bem' feitos qne tem 'viudo ao
mercado, sendo de todos os tamanaos, vendendo-se
por um preco moito razoavel : ista aa leja do Pa-
vao na roa da Imperatriz a. 60, de Gema & Silva.
Silezia para saias a 44o rs. a vara na aoja
do Pavo.
Vendem-se silezia ondeada sendo fazenda mnito
boa e propria para saias, pelo barato preco de 440
rs. a vaTa : na loja do Pavio na roa da Impera-
triz n. 60, de Gama & Suva.
Aa sala bordadas dn pavo.
Vendem-se saias bordadas sendo lateada omito
boa, senda rioameate bordadas e com maita roda
vendendo-se pelos baratos precos de 6* &> e 10*
reis cada orna na loja do Pavao na roa da Impera-
triz n. 60 de Gama & Silva.
Petas de madapulo entestado.
o eova-
do : na loja e armazem do Pavao, rna da Impera-
triz n. 60, de Gama 4 Silva.
PENTE ADORES
oo roopSes de cambraiabordadoaproprios
para as senhoras veslirem de mapuSa.
Cbegou esta novidade paia a toja do Pave,
moito lindos e do melbor gosto al boje, por pre-
Ss muito razoaveis : na loja do Pavao, rna da
iperalriz n. 60, de Gama & Silva.
Loja do Pavo
Grandes pechlnehas.
Sediobas a 300 rs. o eovado
Sedinhas a 500 rs.
Sedinbas a 500 rs.
Vende-se na loja do Pavao, ora grande sortimen-
to de sedinhas Iletradas eam as mais bonitas cores,
sendo os padrds mais novos qoe lem vindo ae mer-
cado, e vende-se peto paratisslmo preco de cinco
| tostoes o eovado, sendo fasanda qne valem moito
mais dinbeiro, e grande pecbincba por se ter
comprado nma graode ponida desta fasenda, na
loja e armazem de fasenda do Pavio, ra da Im-
peratriz n. 60 de
Gamo XSilva
a*eeh!ncha grande.
Os madapoioes d-> Pa\5o._
Vende-se superiores pecas madapolo, sendo
muito largo, o muito encorpado tendo 1k jardas
cada peca, pelo baraiistlmo preco de 8* e 9*000,
ditos a 6*500 e 7*, boa pechincba, e vende-se
na loja e armazem.do Pavo,.ra da Imperatriz n.
60 de Gama & Silva.
Caxlmlras da escocia.
Na loja fia Pavao
Chegou esta nova foseada com o nome de ca-
xemfras da escocia seado moito eocorpada pro-
pria para calsas, e coletes. e vende-se pelo baratis
simo prego de 2*800rs. o corte oa 1;600 rs. o eo-
vado, pechincba. por qoe tan doas larguras, isto
s na loja e armazem do Pavao, roa da Imperalriz
n. 60 de Gama & Silva.
Roupa fetta.
Na loja do PavSo
Vende-se neste estabeleeimento om grande sor-
timento de roupas, tanto de panno como cazemiras,
e brins e pelos baraiissimos precos como sejam
calcas de caxemira preta a 6* 7* e 8*000 res, pa-
letots de panno prelo saceos a 6* 8* e 12*000 rs.
ditos sobrecasaeos de panno Dnissimo a 12* 18* e
25*000 reis, e oulros mullos artigos que serla en-
fadonhos aqu relata-los; s na loja e armazem do
Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Grande pechincba.
a 1 $000 reis.
, Na loja do Pavao
Vende cortes de castor para calcas, padroes es-
curos e claros, e fasenda muito eocorpada pelo ba-
ratissimo prego de 1*01)0 en, o corte, no armazem
do Pavo roa da Imperalr nautas a. itfooo.
De pura seda
Vende-se na loja do Pavo, mantas de seda pre-
tas e de cores, lindos posto pelo baratissimo preco
da 1*000 reis, sao das mas largas, assira como tem
um graode sortimento de grtalas de seda de cor
bordadas e de selim preto e ditas de selim braneo,
e vende por precos moito resumidoss, oPavao na
rna da Imperatriz n. 60 loja e armazem de Gama
& Silva.
Chitas roxas
a 8$000 reis a peta
S na loja so Pavao
Se vendem pecas de cftitas rosas ingleza?, sendo
ocres isas toado 38 cavados eada urna pega pelo
baratissimo prego de 6*000 reis, a retaiho a 160
rs. o eovado, ditas escuras e claras a 200 rs. o eo-
vado, loja do Pave ra da Imperatriz n. 60 de Ga-
ma Silva, Uama & Silva.
7* e 8*, dito muito lino a 9,3-e O*, pegas de al-
godo a 4*, 5*. 6* e 7*, do mtrito encorpado a
7*500, 8* e 8*800 : oa ra da Imperatru loja a
armazem da Arara o. 36,
Paooo pr Vende-se panno preto para caiga e ualeiot a 2*,
2*500, 3*, 4* e 9* o eovado : na roa da Impera-
lriz loja da Arara 36.
Arara vende cortas de cotim para caica a
l,5280rs,
Vende-se cortes de cotim para catea a 1*280,
ditos de brim de cores a 1*400, caites de ganga
para calca a 1*600 : na ra da Imperalriz loja da
Arara n. 36.
Cortes de ca9emira preti da Arara a 30800.
Veade-se cortes de casemira prela para ralea a
3*500, 4*, 5* e 6*. ditos de cores de meia case-
mira a 2*500, 3* e 3*500 : na ra da Imperatn;
loja da Arara n. 56.
Arara vende os chales de renda a 80,
Vende-se chale* de Ot de Hnbo a 8* e tO*. di-
tos de seda a 16* e 20*, reteadas de pello de li-
nho a 10a e 12* : na ra da Imperalriz leja, da
Arara n. 66.
Vestidos a Maria Pia da Arara a 100.
Vende-se cortes de la a Maria Pia a i0*, 12*.
16* e 20*, ditos muito Anos com camlsinba, slnto
e ftvela a 25* a 28* : s a Arara vende por este
preco na ra da Imperatriz n. 56.
Araaa vende as laazinhas a 240 rs.
Vndesellazinhas para vestidos de senhora a
240, 280, 400, 320 e 500 rs. o eovado, chitas para
conertas a 280, 320 e 470 rs. o eovado : na ra da
Imperatriz loja da Arara n. 56.
Cortes de cbita da Arara a 20.
Vende-se orles de cbita de crea flxas a 2*, di-
tas francf zas a 2*800, cortas de cambraia fraoce-
za a 2*800 : na ra da Imperatriz loja da Arara
n. 36.
Arara vende organdys a 280 ra.
Vende-se orgaody* para vestido de senbera a
280, 320 e 400 o eovado, fil de Itabo de cores
para vestidos a 160 o eovado : na ra da Impera-
triz loja da Arara n. 56.
As chitas da Arara a 200 rs.
Vende-se chitas de cores Oas a 200 e 240 o eo-
vado, ditas francesas largas a 2*0; 320, 360 e 400
o eovado, riscados francezes para vestidos a 240 o
eovado, brelanha de rolo a 3* a pega : na ra da
Imperatriz loja da Arara o. 56.
Arara vende roupa feita.
Vende-so roupas feitas de todas as qualidades a
saber : calcas de brlra de cores e de gaDga a 25
e 2*000, Daletots de brim para sudar por casa a
2* e 3*, camisas francezas a 2*, ditas de linho de
pregas largas a 3* eoutras muitas qualidades que
se vende mais barato bue ero outra qualquer par-
le : s na Arara ra da Imperatriz n. 56.
Vende-se a taberna da ra da Guia n. 36 pro-
prio para principiante, e o motivo se dir ao com-
prador_________________________________
Em casa de Kabe Schmettau 4 C,
rna da Cadeia n. 18, vende-se:
Champanha.
Cognac de superior qoalidade.
Vidros para espelhos de todos os lma-
nnos tudo a precos muito commodoe.
('eneja geiada
Ha diariamente a venda por prego commodo ;
no armazem da Liga, roa Nova n. 60.
Vende-se sal grosso : a tratar ua ra da Ma-
dre de Dos o. 2.
Chepraa os ezce.lenies palitos de fago _e vea- g^aHo Imperial: a wur om Joao
Ttnerlno de Agatlar & C.,
da Cadera a. W, 1 "dar.
Vende-se um sellim ingles com arreios, com
em seo escritorio, rna pouco oso e por prece rascare!: na roa dao Crn-
j zes d. 41 A. |
Nb armazem" de azendas .<
baratas de Santos Coelb.o
HTna do dlanetaaado n. i.
Veade-se o sagoiote :
Cobarta de cbita da India a 2*400.
Lencoes de panno de linho a 2*200.
Dftos de bramante de llBbo de nm s panno a
a#toa
Laacas de cas** brancos proprias para atgmaira
a aOOO. a dazja.
Algodo entestado enm 7 Ij2 palmos de.largura
a I200 vara. __
Aahoalbaae de llelto a #00 a vara,
Dito de algedao a 2* a vasa.
Gnacdanapos de linoo a 3*800 a duza.
Pecas de cambraia de salpicos a 4*500.
Laaitnha aberra de cores a 320 o envado.
Cambraia branca de forro a 3* a peen.
Fu da iinfen liso flnoa 800 rs. a vara.
Dito ne dito com salpicos a l* a vara.
Panno de linho Bno com 9 li2 palmes de larga-
ra pato barato preeo de 2*100 a vara.
KtapoWes ana a 8*, t*, 10*, 11* e l*.
Cambraia lia Oe 4*500, **. 6*, 7* e8* a peca.
Pecas de Creuoha de algodo com 10 varas,
propria para saia, pelo baratissimo preco de
3*500.
Uaaiaha se da oree a 800 w. o cavado.
Caoataiaa laa deeores niadiabas a 360 rs. o
Esleir da India proptia para forro de sala de
menos preoe do
/ende-se pedilnchas de madaaeKe eafestadQ, M Ji**l per
>m 12 jardas cada peca sea* feaeida mato su- ^"*"lS"*i*
eom 12 jardas cada peca
perior pelos baratissimos precos de 4* e 8* ra. na
loja do Pavo na ra da Imperalriz. a W de Gama
& Silva.
Bretaabas de rolo a 3#OQ0
Vendem se pecas de bretanba de mtd eom 10
varas cada peca, pe Hjtiaslae arao 8a :
I na loja e armazem do PavSo, roa dft Imperatrlr.
60, de Gama & Silva.
Neste armazem tambem se encontra om granda
aortimejup de rooga feita e por medida.
^NymmrvTmilfi^brftBCo
amerieaaa,
Vende* em paulas de 1(1 nata : no araaazam
de Jos Fernandos Lima raa Nova n. 3.
Escravos fgidos
F ugio
na noite do dia 19 para amanbecer o dia 20 do
corrente mez. do eogenho Tiuma, frepezia de S.
Lonrenco da Malta, o moleqoe Joao, erionlo, de
ldade que representa ter, pouco mais oa menos, 18
annos, com os signaes segnintes : altara e corpo
regulare?, cor be preta, cara redonda, testa gran-
de e salieuie, olbos grandes, nariz om pouco afina-
do, denles almos e largo?, maos grandes e largas,
pernas grossas, ps grandes, falla descanjada,
muito esperto e ladino, tem do lado esquerdo oa
direito urna rotura eolfe as cosilas } esto moleco-
te foi comprado em abril do anno prximo passado
e 8r. I .....iilnriil -"i-" morador na comar-
ca do Brejo da Madre de Dos, para onde se snp-
poe ter seg ido-: nega-sa as aaiorldades oa capi-
tes de campos capture d mesma, que sero bem
recompensados, levando na mmha residencia, no
epganJio Tiu.ma. ou na roa do Imperador n. 44, 3*
andar, o qual pertenaente a Brasiliano Pessoa de
Belkx ___________
Escrayo fgido.
No dia 13 correte, petas 7 botas da noite,
pouco mais oa menos, diwiaparecen da ra do Li-
vraraeoto n. 4, am eseravo por nome Nicolao, ida-
de 21 a 22 annos, pouco mais oa menos, estatura
regalar, cor parda e um pouco acaboclado, pooca-
barba e toda crescida, cabellos caehiados, levw
vestido cales de riscadinho de quadros, camisa de
chita encanada e chapeo de peina na cabeca, li-
aba vindo do sertao, povoaoao de Baixa-verde,
d'onde natura), para aqni ser vendido : roga-e
pois a todas as aaioridades, capites de campo oa
a qnalqaer pessoa que o possa apprehender, levar
roa cima indieada, que sepa generosamaate
armcada. .______..
-Fogio no dia terca-feira 30deJaneiro prximo
fiada, a preta orienta de nome andana, de idade
3 annos. ponco mais oa menos, sendo de cor to-
la, altura regular, levou vestido de cbila escara :
qoem a aporeheader, eoadnzrnao-a a casa do abal-
ao aasigaado, aa roa da lmaepatriz a. 30, aera
gratificado. ,
Francisco Angoalp de Aranjp.
50# de gratifea^ao.
A qoem a pegar a escrava crenla de nome An-
tonia, ade d,eereota e tantos ranos, toado faatto
no da 7 do corrente, levando vestido de enfta
ata bstrss asaraUas e cor de cafa, chales da laa
r&ioiaadq tavadApntn ssudn aofaom natois
e nm chales de lia d quaros, foi vista no Po-
co lavando retrae : ann a aegar 1et* a roa
da Cadeia do Raete n. 40, nao lera" a gaaMiercac-
utlana




s


.

-A,


Dlarlm ele Peruahvc 9aMad 14le Fererefr* ie 1866.
__



LinERATORA
n pouco dx tudo.
Caim eo* os cabellos hirtos, segoido por saa
moiiier e filhos, cobertos do pelles de animaes,
ch?ou ao cahlr da tarde i fralda de ama moa-
tanba.
Sua malber e filhos disseram-lhe:
De Victcr Hago copiamos aqu o seguate es-
crito sobre a
CONSCIENCIA.
Durmamos aqal sobre o solo.
Mas Caim nao poda dormir ; permaoeceu acor-
dado na fralda da montanba. Ergoeu por casua-
lijada a cabera, e no fondo do negro horisonte vio
un) oibo desmedidamente aborto, que Qxamente o
mima.
bsiu demasiadamente perto murmorou el-
le, estremecendo, e tendo despertado os seas filhos
e sua malber exhaustos de torgas, continuou a sna
fuga precipitada,
Gamiobava com a pallidez estampada no rosto,
AStremecendo ao menor raido, mirando a cada pas-
jm cm redor, sem dormir, sem parar; pouco de
pois, chegoa junto ao mar, na regio em que mais
arde se estabelecea Assar.'
Paremos aqoi, disse, porque este asyio se-
guro, detenbamo nos: estamos chegados aos con-
fies do mando.
Porm, ao sentar-se, relanceou entre as som-
bras nuvens o mesmo olho que o estara contem-
plando.. Entio apoderou-se delle um tremor con-
vulsivo seguido de ama vertigem.
Escondei-me I gritn.
E com o dedo na bocea, seus filhos contempla-
vam o av, tremolo e fora de si.
Caim, disse a Jabel, pai dos que povoam o de-
serto, teudo por nico abrigo barracas feitas de
tela.
Estende para este lado a tela de tna barraca.
E a tia estendeu-se, e Tailla, linda lonrlnha, fi-
la de seus Qlbos, com voz meiga e suave como a
aurora, ibe pergantoa:
Anda avistaos o mesmo objecto ?
E Caim respondeu :
= Ai a Ja-I sempre t
Jubal, pai daquelles que qercorrem as aldeias
assopraado a tibia pastoril, e trazendo o tamboril,
exclamou :
Eu saberei levantar entre vos e elle ama
barreira.
E constrnio urna muralba de bronze, por delraz
da qual collocou Caim.
E Caim disse :
Anda me est mirando o olho.
Henocb accrescentoa :
E' preciso constrair um circulo de torres,
to formidavel que ninguem possa d'elle aproxi-
mar-se.
Edifiquemos urna cidade com sua cidadella e
encerra-la-hemos depois.
Ento Tubalcaim, pai dos ferreiros, constru o
urna cidade maravilbosa.
Emquanto a eslava edificando, os seus irmios
casavam os filhos de Eoos com os de Seth : si-
gera por all passava, lhe arrancavam os olhos, e
de noute arrojavam trechas s estrellas.
O granito snbstituio as muralbas de tela; as po-
dras estavara unidas urnas com ontras por lagos e
chapas de ferro ; a que la cidade da va ares do in-
ferno ; a sombra das torres esenrecia os campos
visinbos; os moros tinbam a largura dos montes;
por cima da porta foram esculpidas estas pala-
vras : O proprio Deus nao ha de passar por aqm.
Logo qne ludo eslava concluido, collocaram o
av no centro de urna torre de pedra.
All permaoeceu sombro e inquieto.
Meu pai I perguntou Tailla com voz tremola,
desappareceu a viso ?
E Caim respondeu :
Nao, anda a vejn.
E accrescentou :
Quero vi ver as entranhas da trra como um
cadver debaixo da loosa do tmalo. Ningaem
me vera, nem to pouco verei cousa algoma.
Abrise urna caverna subterrnea, e Caim disse:
Est bem.
Baixou em seguida ssinho ao interior daquella
sombra abobada.
Em lugar recndito toraou descanso, e logo que
fecharam a porta do subterrneo, Caim ergoen a
cabera e ficou aterrado.
Ne meio da mais profunda escuridao; o olho es-
lava J'.'ntro do tmulo Oto sobre elle I

?
' do Sr. A. de S. Pinto este
CANTO DA POCA.
I
Oaro I oaro I tu s do mundo
A grande, a mola real i
Despreso, escarneo profundo
Ao pobreto que nao gosa
De leu brilbo sideral I
Ta s a lei do universo,
Cada peito throno tea I
E's cantado em prosa e verso,
E j do Sinai nos vales
Ta subiste, e Deas deseen I
Possnes milhoes de epopas
Teas triampbos a cantar I
Emprestas as cousas feias
To brilbaote colorido
Que mesmo para cegar I
FOLHETIM
A SEPULTUMDE FERRO
POR
Beoriqe Cooscince
(Continuac,o.)
I
Fui at fra do cemilerio sem Ibe dizer nada.
Depois dlsse-me o reino.
Desde que l est aquella sepultara, nanea
vasei em corarlo albeio os sentimentos do meu
Sou-lhe affeicoado, porque as suas obras tenb )-o
aebado capaz de comprebender urna vida a qne os
oatros do o nome de dilatada loucura. Est a
chegar ao sea termo a minba jornada na trra; se-
creto presentimento me diz que breve a verei sum
ser pela reeordaco. Receba as confidencial do qne
en tenbo esperado e soffrido, e quando eu repous ar
ao lado d'ella na sepultara, cont a minba humilde
triste vida, se entender que vale a pena de ser
ido a pobtico.
Parou atrai do moro do cemlterio e batea a por-
u de urna casa calada de branco, com janellas fe-
chadas por postigos verdes. Veio abrir ama cria-
da velha, a quem ibe disse dopois qne entra-
aos :.
Catbarina, aqoi est um amigo qne jantar
commigo boje. Ponha doos lalhores na mesa.
A criada reilron-se sem dizer nada
Qaix pedir descalpas palo embaraco qne a minia
preseoca 41 cansara, bem como a veiha sem;
Tadtt vences, todo levas,
Adiante do tea pJer!
Creas luz, bites as treva?,
E esmagas sob ) tea carro
A quem t'o ousa impecer I
Esta fra human! dade
Que fra, sem leu calor ?
Se at mesmo a' mocidade,
Sempre fogosa, indonavel,
Imp3ea,le"na l-ji do amor ?
Se at as proprias donzellas
Sabem teu nome adorar T I
Quintas ha puras e bellas
A quem o ten brilho amado
Arrastou aos ps do altar I...
O' lonca amante do Tasso I
O' nobre e gentil Beatriz I
Vosso ardor prodnz cancaco,
E a gente das eras nossas
Quer vivar gorda e feliz.
Ouro ouro I tu s do mando
A grande, a mola real I
Despreso, escarneo profundo
Ao pobreto que nao gosa
De teu brilho sideral I *
Sem ti da patria qne fra ?
Mesmo a honra da naci?
Rosa que nasce co'a aurora,
E morre ao cerrar da noite,
Em profunda solido I
II
E no entanto gente existe
Qae ousa fallar em decencia I
Inda ha louco qae persiste
Em crer na madre conciencia !
J tempo de aprender
Possessos, que a honra e bro
Morreram de fome e fri,
Se o astro as nao aquecer I
Amor, amizade, todo
Que ha de grande em sentimentos,
E' mascarada de entrudo
Que tem lugar por momentos ;
Fra disto, quem fallar
Nessas taes sensaborias,
E' hornern de ninbaria ;
Nao deve de bonras gosar (
Abaixo co'as pieguices t
Ergaeu-se o reino dos fortes 1
Este viver tem meigaices :
Eia gigantes cohortes !
E de hoje em dame serei
D'alma e corpo em vosso gremio;
'Venha lacro I venha premio I
Que ootra doalrina nao sei I
Pobre turma de patetas
Que adoraes falsa belleza I
O' deshonestos poetas,
Por que amis a natureza,
Eseotai a minlia voz I
O que ba de bello no mando,
De verdadeire e profundo
Est no oaro, nao em vos I
Utopistas, sonbadores
Qae fallis em liberdade,
E soffreis cruentas dores
Por amor da bamanidade I
Para vos a maidico
Destas coevas grandezas,
Que rivem, gordas burguezas,
Sem desgosto ou vezarlo I
O' mea nobre Sancbo-Panca !
Que iicoes nos escrevias,
Quando essa tosca pnjaoca
Do Quixote escarnecas 1
Nao vale apena pensar
No qne vira dorfuturo ;
O presente... esta seguro;
Triste loucura sonJiar 1
Mas que voz clamoa agora
Em favor da intelligencia ?
Oh I slm, a phrase sonora,
E se nao fra a indigencia I...
Genios I genios I attenlai I
Este sec'io nao vosso,
Nao sabis o Padre Noss
Da seita que por hi vai I
Que pensar I que fidalgaia I
-Vnm homem qne s dinheiro t
Como a trra se allamia
De to sobertio luzeiro 1
O caminho este : assim,
Cbegareis a tempo e hora ;
Mas quem no meio des-ora.
Nao pode chimar ao fim I
En voto immenso respeito
A todas estas grandezas I
J tenbo o animo affeito
A tao altas realezas!
Mas se um di a o grito ouvir
De urna santa rebeldia,
Serei -feliz nesse dis,
Da marcha para o porvir I...
E' do Sr. A. J. Rogerio da Silva este esbcete
Era em urna villa velha do sertao.
Havia n'oma casa nm bomem, coja fronte enru-
gada, cabellos esbranqaecidos, vergado o dorso Hte
raziara dizer; qae com elle j se tintura passado
multas primaveras.
Recostado sobre um basti, elle tinha trocado
as delicias da mocidade, pelos enredos da velhico.
Pareca, qae ibe eslava prestes a hora da partida
ultima, e nao era illosao
Este homem tinha ova filha, a quem tinha dado ponbam a tripoiacio.
movimento para hir em sea soccorre, quando am
salva tudas se approximoa da barca e pode receber
a bordo onze marlnheiros des densseis que com-
Cinco marinhelros pereceram, o navio e a carga
perderam-se, e tudo isto por causa da torpe espe-
cntacio e avareza do capitio do rebocador, eujo In-
digno proeedlmento merece om severo castigo.
iodo sea disrello, -e amor e essa fitha era ma'
tTtt da, ama molestia, que molestia I veio dei-l
talo sobre urna cama para d'ahi sabir, quando
fosie para a sepultara.
Encerrado dentro de um quarto aonde ningaem
quera hir, senio de longe, elle gemia, e sua filba
ingrata trazia sempre nos labios impuros, qne a
corropcio tinha maculado o riso sem limites. Ella" Em Moggenstoam, as vislnhancas de Rastadt,
quera completar o desgranado termo de seu pal; os israelitas celebravam recenlemente urna festa do

porque o nao desejava rer mullos das viro.
Como ama moga em quem os delirios da vida-
de tinha absorvido os sentimentos de amor filial,
ella troca va o estar ao lado do pai disvelado pela
affabilidade dos jovens a quem adorava. Era pre-
ciso dar nm passo alm dos limites de sua mora-
da, ella nio duvidon dar, sahio, e nao volioo.
seu culto.
Tratava-se de transportar para a synagoga um
novo llvro da le {tmarolloc.)
Mos ebristias offereceram-se para ornarem o'
interior e a fachada da synagoga com pecas de se-
da e arbustos.
O llvro sagrado fo depositado no quarto de urna
Em um dia, em que u dores da enfermidade j casa suraptuosameote preparada.
atormentavam ao velbo paciente, elle, por nm mo- Quanfr 0 cortejo se poz era marcha para se dl-
vimento natural a todos os pais, se lembrava de r,gir ^ casa a syfUgoga, toda a popularlo assistio
sua filba a quem tanto amava I Mas ella sempre a esla procss0f e todos ioelinavam a cebeca na
dura, oomo o Ierro, abi se acbava enfileirada vo-; p,ssagem do livro sagrado, estallavam foguetes as
luntana as bandeiras da prostituirlo, de caja re- duzias.
serva ibe tinha tantas vezes moribundo reccrmwn-1 A gynagoga foi lQVadda pelo povo vio.se a,
dado o pal temo, qae a morte quera accabar. -. atB padre cathollco, 0 borgo-mestre, cldados de
coludo I Os soflrlmentos da melestia, os cuidados c|t diversos, os quaes escutanm por espaco de
da filha, e o viver da moca incauta lhe veio apres- ama nora> cora a ma|0r compostura, o sermo do
sar a ultima hora I Desfallecido, sem mals torca, rabino, fallando dos progressos da humanidade.
fro como o gelo, convulso enf agonas, perplexo Logo que os cnticos sagrados cessaram de re-
mas elle pegou-me em urna mo e levou-me para o
fondo da casa, para om aposento es picoso que da-
va sobre nm vasto jardm todo estrellado de flores.
Poz-rae em admirarlo o aspecto d'aquella sala.
Poder julgar-me transportado por encantamento a
urna sala de estodo da academia de Antuerpia, por
que continba grande copia da objectos qae por
mais de urna rez eu j tivera as mos ou de qae
]i vira exacta reprodcelo centenares de vexes.
D orna vista a todo isso, disse-me o velbo.
Todas essas cousas figuram com mais ou menos
importancia na historia qae ibe vou contar; mas
nio me peca agora eiplicagSes sobre nenhuma del-
las. Seria tempo perdido e obrigar-me-hia a fasti-
diosas repetiedes.
Nunca tinba visto o que o ancio me mostrou
primeiro e nao pode entender qne tiresse alguma
significacao. Sobre ama mesa baria grande vane-
dade de figuras Informes de caes, de vaccas, de
aves, de cavados e de oatros animaos, grosera-
mente cortados a caivete em madeira branca. Em
am bocado de velludo atol havia dais oa tres liga-
ras exquisitas, ao p de orna d'aqueilas caixinhas
de opala em qne as raulheres meltem pastilhas de
bortelia, pimenta oa confeitos de limo. Tambem
ri urna faca com cabo 9e madreperola, e mollas
medalbas de oaro e de prau com fitas verdes de5f
botadas.
Dando volta a sala, fui vendo ao comprldo das
paredes todos os estodos ordinarios dos alumnos da
as duvidas de sua vida, o pai anda se nio es-
qnecia da ltia. Manda-a chamar ella vem com
as vestes pomposas do baile dar-lhe o ultimo abra-
co, que elle tinha pedido. Poneos minutos depois
ja' lhe corriam pelas faces maceradas lagrimas dos
olhos de nev. Ja' o homem am cadver 1 Que
faz a filba T rr-se codo quem se tinba desfeito do
objecto mais depreciavel da vida I Quem v isto
sem goivar de dor, e rangir de raiva ? I Anda
vai adiante o imperio do coracao pervertido.
boar, a mnltidio retirou-se, e giranndolas de fogue
tes sandaram o final da festa.
L-se no Paiz, do Maranho :
MULHER MISTERIOSA I
Em urna das noites passadas, foi presa, trajada
de homem, ama molher de typo estrangeiro, de
Estende-se o raorlo por sobre om tablado velho Porte grave, corpo elegante e tormosa, a qual se
e persovejoso, ascende-se lhe ao p am fdgo, a ma-' sena recolhida na casa de detenco ou quartel de
neira de col vara; porque nio tinha vela, e era pedestres.
o. ni pobre: a esposa com os olhos arrasados em
lagrimas suspirara, como a viuva de Naim atraz
de seu filbo; os assistentes, que eram poneos en-
tretinbam-se em orna conversarlo fnebre; porque
all eslava mais nm exemplo do que a vida: e a
moca sem rebngo e sem pudor, trajaodo de bran-
co nem om s instante pode contar a alegra de
qae se acbava dominada.
Seas discursos lio extraordinarios, que repugna-
vam faziam ver sea coraco apathico a esta scena
de tristeza, que enluta o coracio at do bruto. E
no entretanto era filha e era cnrhta 1
Tinha razio; porque om axioma grsseiro.e que
expelle da creatura os impulsos da natureza, por
abi est na bocea dos ignorantesque as lagrimas
condemnam a alma.Os Africanos e Gentos to
bem julgam o mesmo, e a moca deste quilate. E'
a edacacio do seculo XIX.
No dia seguate os sinos do campanario rosean-
do medonbos aos onvidos christios eram para nns
e sigual evidente de que mais um habitante da tr-
ra se mudasse para eternidade; e para a filha nm
indicio do triamobo qae ella tinha adquirido na
mannaa da vida; porque lhe pareca, qae vida
do pal era impedimento da sua desregrada e sem
freio. Pobre moga t Nio contar 18 annos ja se
acha no semblante provas de 60! O vicio tem des-
truido a orgaoisacao que poda estar robusta e for-
te no progresso da virlode ? A prostituirlo enve-
Ibece tanto a mocidade, como scalos de continuo
trabalho. Nio s isto.
A prostituirlo risca do coracio humano os sen-
timentos de caridaie, e de amor, e se algaraa cou-
sa parece exteriormente porque elle arranja-se
n'uma mascara, e debaixo de urna capa hypocrita
ella guarda ama serpente que morde.
Ella tao abominavel aes olhos da socidade, qne
lhe recua todos os soccorros, e aos olhos de Deas
lio infame qae o offende em todos os sentidos; por
isto mai severamente acensada por elle. Deat.
cap. i3 v. 17.
E' o qae trago de novidade para os meas lei ta-
res qne se espantarlo sem davida.
Nio falla senio quando est s e isso mesmo tao
baixo, qae mal se percebe : nio tem acceitado ali-
mento algum, senio agua, aos goles de instante a
Instante ; e todas as vezes qne bebe, pira como em
meditarlo.
Diversos capities de navios e ontros estrangei-
ros aqu residentes, teem ido v-la ; e por mais que
a provoquen) fallando, nao responde e parece nada
comprehender, nem ouvir.
Em 1861, livemos oa cadeia o celebre Fredenco
Stroower, que s depois de muitos dias se resolveu
a fallar e dizer quem era. Hoje apparece esta mu-
llier nao menos mysteriosa.
O jornal La Gironie receben de Liverppol urna
carta em qae se denuncia o seguinte facto occorri-
do as co-tas de Inglaterra :
Urna linda barca bremeza a Singapura, com am
carregamento de seda, fazendas de lia, e jolas, sin-
grara de Liverpool ha pouco tempo, com destino
para Singapura.
Nio podendo sabir do canal de s. Jorge por cau-
sa do rao tempo, foi abrgir-se oa embocadura do
ro Mersey; porm nio pode dobrar o passo, e o
rento furioso impellio-o d'ahi a pouco para o lado
de nos bancos de areia mai perlgosos.
O capitio da barca dirigise a am vapor de re-
boque que se aphara naquellas paragens, e que Ibe
pedio 500 soberanos para lhe dar reboque.
Acbando esta pretenco exaggerada, o capitio
offereceu 150 soberanos, porm crescendo o perigo
de momento para momento, elle annnio em pagar
os 500 soberanos. Uutio o rebocador declaran
qae s dara reboque a barca se fosse considerada
om salvado.
Ora a carga valia bem 400 contos de res.
O capitio recnson-se a annoir a esta exigencia.
Porm, neste momento, a barca bateo n'nm baixo o
comecou a fazer agua.
O navio ia desappareaar na presenca do reboca-
dor, que asslstia a este naufragio sem fazer um
A Inglaterra, que est sendo victima de urna ca-
lamidade, a do cattle plague peste dos animaes, cu-
jos estragos angmentam de dia para dia, j come-
| {a a sentir os symptomas de outro flagello : o
mitdew, a doenca do algodio, ou, para melhor di-
zer, das fazeodas de algodo, a qual, se a Inglater-
ra nio cuidar n'isso seiiamente, ha de lancar nos
seus productos fabricados o malor descrdito em
todos os mercados do mundo, e lhe far perder
centenares de milboes de soberanos.
As qneixas acodem-de todos os lados da China,
das colonias indianas do Brasil.
As pegas de algodo, cnegando ao seo destino,
em lugar de serem uniformemente brancas on par-
das, acnam-se coloridas de um amarello escuro, de
cor da tijolo, com innmeras e grandes nodoas
pretas; as fibras do tecido esto podres ou redu-
zem se a p ; os compradores intermediarios lem
soffrido prejuizos enormes, oa, quando conseguem
vender a sna mercadera, veem-se assaltados pelas
reclamaces dos consumidores.
Foram dirigidas enrgicas representacoes aos
expeditores de Londres e Liverpool, que as reen-
viaran] aos fabricantes do Lacashire e do Cbes-
bire.
A cmara commerciel de Mancbester, prestando
a maior alinelo a este grave assumpto, nomeo
urna commisso para proceder a om ioqaerito.
Resalta do trabalho e do relatono desta com-
misso qae a doenca das fazendas de algodio
cansada pelo mo fabrico, pelo emprego de subs-
tancias deletreas, com o fim de fazer urna econo-
ma fraudulenta.
No fabrico das fazendas de algodio sempre se
fez uso de sabio, farinha a at mesmo de trra de
porcellana.
A experiencia a tem demonstrado, ha mais de
meio scalo, qae a addicco destes ingredientes
contribua para dar consistencia e vigor as fibras
do tecido, sem lhe communicar bumldade al-
goma.
Hoje os fabricantes, afim de prodnzirem por pre-
go barato, empregam ingredientes menos dispen-
diosos, taes como a resina, o chloroxydo de mag-
nesium, de zinco, de sodium, emulsSes de oleo de
liohaca, musgo de Irlanda.
As fazeodas assim fabricadas parecem perfeita-
menle enxutas, porm contm em si saes, e por
isso se tornam hvgrometricas, mu senslveis a ac-
cio atmospberica, a qual tira dos saes a agua, pro-
dnz a podridlo e o mildew.
A natureza desta doenca dos tecidos difiere se-
gundo o genero das snbstanclas empregadas.
A cmara commercial de Manchester assignalon
com leal Ja Je o mal e a cansa do mal ;.o commer-
eio est prevenido, os fabricantes receberam nma
advertencia salutar, e se persistirem neste systema
de fabrico fraudulento e arriscado, s a si qae
deverio altribair a ruina da sua industria.
S vi ama composiclo caracterstica no fondo da
sala. De certo a tinha o artista em alto apreco, par-
que eslava fechada em om armario envidraeado
que a livrava do p e da bumidade. Era om gru-
po em gesso representando orna mnlher a ponsar
a mi esquerda sobre a cabera de nma ereanca,
emquanto que a outra, estendida para diante, pa-
reca mostrar ao innocente a vereda do futuro. No
sorrir protector da molher e na expresso reconne-
cida das foices da creeaea havia om sentimenlo
profundo e qnasi mysterioso que me commoveu e
me fez scismar.
Depois de ler olhado por algum tempo em
silencio para esse trabalho singular, disse ao an-
cio:
Esta estatua nio orna crearlo da pbantasia,
posto qae tambem nao seja concebida segundo as
regras classicas. Aqu a natureza foi o modelo do
artista. Esta mulher viven, nio verdade ?
Viveu, reafoodea elle coro um suspiro, cojo
som estranho me causou admiraco.
Gomo I pois ser a iraagem -da malber qae
repoosa...
Qne reponsa na sepultura de ferro.
Ento era bella ?
Bella como o eterno sonbo de poeta.
Calel-me, recelando entristeee-lo com perguotas
indiscretas.
Elle abri nma porta larga qae baria na sala e
disse:
academia de Antuerpia; narizes, orcinas, mios, ca-1 At agora tem visto s as obras do estndante,
becas e figuras iltelns; matt adiante ta*) isto reeordacjdes qoe conslituem a mlnha vida. Entre
se achav reprodazldo em barro e timbea em e poder (alfar tambem o artista. Seria para elle
gesso. j ama verdadeira alegra se as sois obras podessem
assegnrarlhe a sua approvagio ou ao menos a sna
sympatbia.
A sala em que entrei era allnmiada por cima.
Ao longo das paredes, sobre pedestaes de madei-
ra, lerantavam-se maitas estatuas de marmore e
de alabastro, caja vista me eneben de admirarlo.
Todas essas obras eram evidentemente a exprs-
sao do mesmo pensameoto reproducido em formas
diversas. Nio baria nenhuma qae nio fallasse da
morte e da resurrerao para melhor rida : um an-
jo com as azas desprogadas lerando para a patria
celeste nma menina adormecida ; o genio da im-
mortalfdade abrindo nma sepultura e mostrando
alma despena o caminho da luz; aquella mesma
menina meio-ergulda de om sepalchro, estendendo
as mios com um sorriso de desejo como se cha-
maste por alguem ; um menino ajoelbado sobre
nma pedra tomular, abracando nma ancn sym-
bollca ; a are Pbenix airndose com torcas oras
da fogueira qoe lhe eonsnmmio o velho involucro ;
emllm, maltas figuras representando debaixo de
ama forma sorprebendente a imagem da vida fu-
tura depois da morte.
Todas essas composiodes respiravam a profunda
siocerldade do sentimenlo de sea autor, e pare-
eiam viver, nio pela prtetelo da sna forma cor-
prea, mas por alguma cousa mals elevada, pelo
caobo da alma que o artista imprimir em todas
as partes da sua obra, verteodo n'ellas nm refiexo
da sna propria alma. As formas das estatuas eram
na verdade franzinas e esgnlas, mas havia no todo
d'essas ereaedes lio perteita expresso de idea, to
barmoniosas proporcSes, tanta altaren e ao mes-j
mo tempo tanta poesa, qae, alternando n'ellas
No dia 10 do correte foi jostleado em frente da
prjsio de Salflord, Carlos Cbristopber Robinson,
condemoado a' morte por ter assassinado sua
amante em Wolwerhamptoa.
Este desgranado contava nicamente 19 annos I
Urna enorme multidio rodea va o cadafalso..
Robiaeoo pedio perdi Dos e aea borneas pelo
crime qne liaba coramttido, e depois subi com
passo firme ao fatal estrado; algons segundos mais
tarde o sen cadver balancea va, no espaco, depois
de ter sabido de 1:000 peitos um grito de borrar.
Reinou dorante todo este tempo um silencio se-
pulchral, e lornou-se notavel nao bavido desordem
alguma em tio grande accumularo de gente.
. O director principal dos Irmios da doatrina
ebristi na Guadaloupe, escreve ao seu superior de
Ploermel tristes pormenores a' cerca do estado sa-
nitario da colonia: ,
Em Basse Terre nao morrem menos de cento e
tantas pessoas por da; em Pointe e Pitre de 40 a
50; as ontras fregaezias, mesmo as mals peque-
as de 15 a 20.
As escholas esto fechadas, e todos os vossos ir-
mios se converteram em irnutos de caridad*, isto
, em enfermeiroe.
Dia e noite estamos a cabeceira dos doentes mas
tudo falta, tamaoba a miseria. Tudo se vende a
pezo de ouro, e cora trabalho que se encontrara
os medicamentos necessarias.
Os nossos altos funcionarios mostram a maior
dedicarlo no meio de tantas dores.
O nosso bom governador esta' constantemente a
p.
Como sempre, o clero se torna admiravel pelo
seu zelo, as irmas de todas as communidades rira
lisam em dedicarlo para com os doentes.
A celebre cantora Patti acaba de se estreitar ao
tbeatro lyrico de Marselha, sendo festejada pelo
publico enthnslasmado a prlmeira noite em que
entran em scena.
O enthusiasmo foi tal, qne a administrarlo
do tbeatro, para satisfazer os numerosos pedi-
dos que lhe foram feitos para a segunda repre-
se ntaro, mandn construir palanques nos basti-
dores.
Ludwig, nsfector asa
irprir
de teleffraaho
ia, acaba de obter privilegio por urna in-
fantesa, par toe da qoal os tefe-
transmltlidos, nioem signaes
inlnl ^K| profano?, toas em caracteres
ordinarios, ia asas pelo propio apparette tfam
papel, e de um modo meite maia simples que no
systema Hughes.
Estas por assim dizer imprentes telegraphicas
seriam directamente remetndas aos destinatarios,
o qne poopa o tempo qde se gasta ordinaria-
mente oa copla dos despachos.
Eis aqui um aviso, que n'este momento sil
afiliado em todas as esquinas das roas de Lon-
dres :
LORD PA1.MERST0.V.
t Ningaem Ignora que a morte d'este Ilustre
estadista foi devida a nma constiparlo, em eonse
quencia de ter sna senhoria apanhade hamidade
nos ps. Esta desgraca nao teria succedido, se o
nobre lord tivesse calcado pingas de crina bydro-
fuga.Prego: t sbilllngs o 6 pence. *
Os destinos das naces estio pendentes de qoal
qoer cousa.
Um da em que Luiz XIV fallava do poder qae
os reis exerciam sobre os seas subditos, o conde
de Gaicb atomoa a liberdade de manifestar-lhe
qae esse podertinba os seos limites ; entio o re,
nao quereodo reconhecer nenhnm disse-lhe :
Se ros ordenasse qae ros langasses ao mar,
devieis sem hesitar atirar-vos de cabeca para
baixo.
O conde em lagar de responder-lhe, voltou-se
bruscamente e dirigio-se para a porta.
Onde ides ? perguntou o rei com sorpresa.
Aprender a nadar, responden.
Luiz XIV festejou com urna risada o bom dflodo
fidalgo.
amemos. ..
Un te amo, virgem, com aereo lume,
Qne atroz ciume no meu peito acende :
Eu te amo, como da ventura o nume,
Como o perfume, qu'uina Oor rescende.
Assim, eu temo que a ventura, um dia,
Me seja impia : s me d pozares ;
Temo que a flor, por quem minh'alma ancia,
Sua ambrosia s conceda aos ares.
Quero, te amando, ser por ti amado,
Sempre a tea lado gozar-te o perfume...
Mas, ah I... se pens em tio feliz estado,
Els-me' assaltado por voraz ciume.
Te amando, virgem, eu nao temo a morte :
De qnalquer sorte por ti morrerei;
Mas, ver-te em b raros d'outrem, ser consorte,
E duro corte, que soffrer nio sei I...
Assim te amando com celeste ardor,
Tem meu amor o seu fanal sidreo ;
Qa'inda o mea peito devorando a dr,
Sinto o fervor daquelle lume ethereo.
Eu te amo, virgem, com o amor mais puro
Qu'eu te asseguro ter capaz de extremos ;
Com elle a minba vida, e o meu roturo
Te dar en juro... dize, emfim : Amemos.
Ama, donzella... acceita o meu amor...
Mitiga a dor, que causa-uN o ciume :
Serei o zeph'ro, que te da' frescor,
Sers a flor, que d-me o sen perfume.
m
Em flns do aono passado tiveram lugar em Bar-
celona as experiencias feitas pelo barco sub marino
Ictneo, construido pelo Sr. Montnriol.
O Ictneo deo mutas descargas de artilbaria.
A cada-descarga elevav urna columna d'agoa
iltora de 10 metros, eapparecla elle mesmo a' su-
perficie do mar.
Por estas experiencias rio-se que manobrar
bem. 1 '
E' preciso nicamente constrair estes navios
mais slidamente, porque o Ictneo soffreo al-
gumas araras por causa das descargas de arti-
lbaria. -
Segundo diz a Gazette des Tribunaux boure ha
poneos dias em Pars urna exploso cujas tristes
eonsequencias caasaram ama dolorosa impressio
no bairro dn Mail.
Foi n'uma das o'fficinas de nm fabrirante de joas
na ra de Jussienne, e com as segufntes circoms-
tandas :
Um dos empregados do armazem estara sachen-
do de alcool urna vasllha de vidro, e como nio
vlsse bem para fazer este servico, pedio a nma ra-
pariga que o alnmiasse.
Esta pegou n'uma vela acceza, e, por um movi-
mento irrefiectido aproxiraou-a tanto qoe o alcool
inflamoo-se e fez refcentar a vasilha cajos pedacos,
projectados com violencia, foram ferir muitos dos
operarios e operaras que trabamavam no ar-
mazem.
Ao mesmo tempo o liquido inflammado espa-
lbou-se por lodos os lados o comrannicou o fogo
aos vestidos desta pobre gente.
Houve um momento de confnsao de terror fn-
disiveis; todava aquelles que escaparan! da sa-
raivada dos podaros de vidro, correram logo em
soccorro de seus companheiros e arraoearam-os
das chammas.
Doas mnlheres ficaram tio qaeimadas qoe foram
condolidas em perigo de vida para o primeiro
posto-medico.
Cinco operarios tambem perlgosamente feriaos
foram logo levados a urna pbarmacia e depois con-
dazidos, uns a suas casas, oatros ao hospital.
O incendio extingnio-se por assim dizer por si
mesmo e causou poneos prejuizos materiaes.

parecen-me ter sido transportado a um mando de
pensamentos mystlcos e qaasi sobrehumanos.
Como lado islo bello f exclame! entusias-
mado. Nao deve ter escondidos por mals tempo
estes sublimes milagros da arte. Enrqoeca com
am nome lllnstre o llvro de ouro da sna patria,
ajnnto um arribante dorio sua corda artstica I
Sorrio; pareceo delicia-lo a favoravel impressio
qae o sea talento prodozira em mim ; mas, como
taxando-me de exagerado, irradiava-lhe dos olhos"J
certa zombaria irnica.
Acredite qne digo a verdade. Ezponha as
suas obras e todos os artistas levantarlo nm ora-
do de assombro. Se j andaram perdidos na ad-
miraco exclnsiva das fojmas exteriores, ha boje
ama grande tendencia para ideas menos plsticas;
a arte pende para a expresso dos pensamentos,
dos sentimentos e das mais nobres aspiraedes do
bomem. Nio, nio previ a escola flimenga de tio
perfeitos modelos.
O anciio tinha corvado a cabera e murmurava,
(aliando para si:
Entregar as tarbas as minbas recordac/fes
todas as palpitaros do mea coracio I Permittir
malevolencia qne levante o veo da minba vida e
fazer cahlr motejos sobre o qne sagrado para
mim i
N'este momento a serva ebrio t porta e tnnnn-
ciou qoe eslava o jaotar oa mesa.
Vamos, disse-me o escolptor, visivelmenle
satisfeito com esta loterrupco. A mesa do ermita
nio Ihi dar delicadas iguarias ; mas te-las-ha em
quantidade suficiente para restaurar as toreas de
om bomem que, como esenoor, gosta do cimpo.
O Morning Post, de Londres, chama a atlencao
do gorerno fnglez sobre o brbaro costme dos
habitantes das costas, os qoaes iilumlnam mi-
sos signaes na praia, para ahi fazerem encamar
os navios, cujos destrocos elles distnbuem en-
tre si.
Este costume, habitual outr'ora no condado de
Cornouailles, parece propagar-se tambem no 'de
Dorbam, as costas do mar do norte.
O qne parece confirmar as apprehensoes do Mor-
ning Post, e o grande numero de navios qoe se
perderam recenteroente entre Sunderland e Tyne-
mouth, sobre rochedos ende baviam sido vistos bri-
Ibar falsos signaes, que os navios tomavara por
pharoes ordinarios.
E' para lamentar qne, sendo to perigosas as
tempestades do ocano, 13o frequentes na estacio
invernosa, a malevolencia venba tambem em au-
xilio furia dos elementos.
Por isso, os jornaes inglezes propSem medidas
enrgicas para castigar o crime odioso, coja recru-
descencia os amedronta.
Dizem elles que preciso por em vigor pura e
simplesmente as antigs lels de Jorge II, segando
as qoaes o simple facto de ter accendido falsos
signaes era jolgado igual ao crime de < rebelda
capital, e a tentativa de se appropriar dos restos
de nm navio lancado costa, om roubo ordi-
nario.
Propoe-se que lodos os salvados sejam d'ora
avaote vendidos a favor dos guarda-costas, o que
tirara aos babiiautes das costas (oda a aleoslo de
attrahirem os navios sobre os rochedos onde se
despedaram.
Acha-se na cidade de Barcellonia, segundo a U-
niao Progressuta, para ser exposta a' curiosMade
publica, ama fraoceza de 16 annos, qoe tem cara
de tigre oa atigrada.
ssentamos-nos mesa, comemos em pouco tem-
po de doos oa tres pratos qoe me deliciaran), ator-
mente porque a proseara da criada obsta va a que
eu fallasse do que me oceupava o espirito.
Depois do jamar levou-me o artista para ama
estufa bastante espacosa. Soube ento de onde
sabiam as flores exticas e raras qoe cresciam so-
bre a sepultara de ferro.
Atravessada a estofa, entramos em delicioso jar-
dira, tapetado de bellissimas floras, o qoe asa fez
dizer, em tom de riso, que em tal ermiterio havia
muita gente que quererla ser ermita.
Mas o velho, sem responder ao meo gracejo, fe-
vou-me para om caramanobal de clamamos e ma.
dresilras, asseatou-se em um banco, mdieoa-me
nm lagar ao sea lado e disse :
Pcara' em minba casa. Nada de desculpar-
se. A minba historia mais cumprida do qae
pensa. Se qner ouvi-la toda, cumpre-lhe sujeitar-
se a esta necessidade. Nao me cansa Incommodo
nenhnm ; a criada ja tem ordem pora preparar-loa
am quarto. Nao dormir' aqui mais mal do qoe
na Agnia, onde teneioaara passar i noute. Por-
tante, est dito; fica com o ermita. Arihe-se da
paciencia e pordoe a om reino qae nao rva sanio
das suas recordardes, se Ibe coatar as vezes part
colaridades oa sensroes pasrisqnw s para ella'
teem importancia. Em ama palma, permuta qoe
a mlnha narrativa me tapa revivW linda ama vas
nopassado. Agora, ooraaco a naiota atstoria sam
mais prembulo.
KCOafMnwr-af-Aav)
PERNAHBUUO -Wp. bt H r\ 5E V. 1

I
*


-<






....

t 1


.i-,-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ER8J67D6F_ROB2WX INGEST_TIME 2013-09-05T00:01:13Z PACKAGE AA00011611_10901
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES