Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10900


This item is only available as the following downloads:


Full Text

!
i
>
'
(

*
AMO XLH. HUMERO 44

mm-----------------
Por arle! paga ieatro das tO das do 1 mez
dem depos dos l.01 lo dias da carnee o deatra da qnartel
Porte ao correio or tres mezes .*....,,.,.
6sooa
75a
--------- , i

-

JH**4 5l Nl<
SEXTA FEffiA 23 DE FEVEREIRO DE 1866
Par aaaa aaga deatra de 4a das da l.mez........ f9joo
Parte aa corria par nm aaao............. 3m
ENCARREGADOS DA SBSCRIPCAO DO NORTE
Parabyba, o 3r. Antonio Alexandrino de Lima
Natal, o Sr. Antonia Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maraohlo, o Sr. Joaqnim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Futios; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENGARREGADOS DA SBSCRIPCAO DO SL.
Alagoas, o Sr. Claodino Falco Das; Babia, o
Sr. Jos Martins Al ves;
Ribeiro Gasparinho.
Rio de Janeiro, o Sr. Jos
PARTIDA DOS ESTAFETAS. ISerinuem, Rio Formoso,Tamandar, Una, Bar-
Olinda, Cabo, Escada e estafes da va frrea at "*. Agna Preta Pimenteiras, MI quintas
Agoa Preta, todos es dias. I reirs.
Iguarassu e Goyanna as segundas e sextas felfas.I
Santo Antao, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar, AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Altinho, Garanhons. Buiqae, S. Bento, Bom
Conselao- Aguas Bellas e Tacarat, as tergasjTribonaldo commercio: segundas e quintas.
feiras. Relaco : tercas e sbados s 10 horas.
Pao d'Altyi, Naeareth^ Limoeiro, Brejo, Pesqueira paie0(]a : qaintas s 10 hora.
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricary, salguen o e Ex, as qnartas
feiras.
Jallo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas is 10 horas.
Primeira
Segunda vara de-etvsl:
hora da tarde.
quarus sabbades a 1
H>HEMEBJDES DO MEZ DE FEVEREIRO.
i
7 finarlo ming. as 5 h., 20 m. e 16 s. da t.
15 La nova as 7 b., 33 m. e 56 s. da m.
22.Quarto cresc. as 2 h., 28 m. e 45 s. da m.
M '
19. Segunda. S. Conrado f.; S. Gabino m.
20. Terca. Ss. Eleuterio e Nllo bb.
21. Quarta. Ss. Maximiano e Fortunato bb.
22. Quinta. Ss. Papia, Abilio e Pascado bb.
23. Sexta. S. Marganda de Cortona f.
24. Sabbado. S. Mathias ap.; S. Pretetlato ab.
25. Domingo. Ss. Cezario e Dionisio mm.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as II horas e 42 m. da manhaa.
Segnnda as 12 horas e 6 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTUBOa.
Para o snl at Alagoas a 14 e 30; para o norte
ar a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Pensa-
do nos dias 14 .'os mezes de Janeiro, margo, uni
jolho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Reolfe, na livraria da praca da Independencia
ns. 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa da Fatia
& Filho.
PARTE 0FFIC1AL
GOVER.\0A PROVIVIIA.
Eipeilieul do dia O de revereiro de 1866
i commandaote das armas,
do que pedeJoanua An-
OBcio ao Exm. gei
Informe V. Etc. ac
lonia Mara do SacranWoto, na petigo qae aqu
ajunto com o offlcio do legado do Io districto do
termo do Recua datado de 17 do correte.
informar sobre
maior publicidade as tarifas dessa esuda, recora-
menda a observancia do que a este reapeito dispe
o artigo 110 do regolamento de 26 de abril de
1859, devendo essas pbblicages ter lugar no jornal
qne'fnsere os actos offletaes desta presidencia, por
nelles estarem com pretendidos.
Dito ao conseibo de compras navaes. Approvo
os contratos qoe celebroa o conselbo de compras
navaes com diversas pessoas para (brnecerem ao
almoxarifado do arsenal de marinha bs objectos
mencionados no sen offleio de 19 do correte, a
qoe respondo.
Portara. O preslnente da proviocia resolve
conceder um mez de licenca ao commandaote su-
Dita. O presidente da provincia resolve pro-
mover a lenla da compaahia provisoria de poli-
ca o alferes da mesma Joaqoim da Motta e Silva,
que passara' a servir oa forga que actualmente
commanda o capilo Francisco Borges Leal.
DIARIO DE PEBMMBUCO.
Dito ao mesmo. Qoeira V. Etc. i
o que pede o alferes reformado do exercito Joaquina peror a guarda nacional dos Municipio) do Brejo
Ignacio de Carvalho Mendouga no incluso requer e cimbres Candido Xavier Pereira de Brlto.
ment. i
Dito ao mesmo.Expega V. Exc. as suas ordens
para que o 2o batalho de guardas nacionaes desta-
cado para o servigo da guerra, passe a ter a deno
minago de Io corpo provisorio cando delle desli-
gada a compaahia que seguio para o sul addida ao
3 batalbo de voluntarios.
O plano que aqui ajunto por copia ser observa-1
do na organisago desse corpo, e nelle devem ser
alistados os contingentes com qne concorrerem para
o servigo os demais corpos da guarda nacional.
Dito ao mesmo.Mande V Exc. eliminar do ser-
vigo da guerra para que forano designados os guar-
das naciooaes Antonu Agostinho dos Santos e Jos
Felippa Santiago, visto qof jalgados incapazes em
inspeegao desande, como ansia dos termos ane-
los ao sea offlcio de 17 do corrente, sob n. 22-.
Dito ao mesmo. Determinando o Exm. Sr. mi
Listo da guerra em aviso eireolar de 24 de j;
ro ultimo que sejam remettidos para
se actia creado o deposito de aprend
os individuos que estlverem as eoodl.
das nos arls. 2o e 3" das instruegoes expedidas
o aviso de 3 daqueile mez : assira o communico a
V. Exc. para ter execugo na parle que Ibe loca.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda. -
Constando de participago de- 22 de Janeiro ultimo,
do promotor publico de Tacaratu' bacbarel Tibur-
tino Barbosa Nogoeira, que naqaella data entrara
no exercicio do sea cargo, para qae o nomeei por
Jos da Silva Jnior, Indiciados em enme de miro tarto perpetuo, qae parlicipoa oio poder compare
duegao de raoeda falsa. -.- ., cer, e d conta do segninte expediente :
Farraz havia ia tomado camioho do Piauhy, | m offleio do Sr. G. de Lailhacer acompanhan-
ondo fot capturado por urna diligencia que logo Ihe do urna brochura espanhola inlitolada Marmoteen
santo en encontr. Cofom>oiw oo catalogo das cartas, planos e vistas
Aselas por elles introduzdas sao de 5000, |da Amenea do Sul, e um exemplar ricamente en-
da $ estampa, sobre as quaes se proceden ao exa- cadernado do catalogo da livraria franceza, de
me, que em outro lagar val publicado. que proprietario : objectos estes que o mesmo
i Reconhecida a falsidade del las, e fetas outras Sr. offereee ao Iustituto. Recebido com agrado,
averiguagoe*, o delegado os pz a disposcao do manda-se archivar.
jnit municipal respectivo para proceder na forma : Outro do Exm. desembargador provedor da San-
da le centra os indiciados. la Casa de Misericordia, commuoicando qne, de
pode resolver o professor Agassis no Amazonas, on-
de se acham os representantes de mullos gneros
que se enconlram na Europa, Azia e frica. O
estudo, pois, do Amazonas, dando a conhecer mui-
tbs ptienoraenosat agora igaorados, exercer gran-
de influencia oa deseoyolvimeoto da sciencia.
f Ao goveroo Imperial, que pz a disposigo do
professor Agassis um vapor para o sea trabalho,
prestando-ljie alm dsso indo que Ihe fol preWso ;
aos Srs. presidentes do Para e Amazonas, qae por
si e por meio das autoridades subalternas favorece-
ram-nos por todos os modos; ao Sr. Plmenta Bue-
no, que codea am vapor gratuitamente para coo-
duzir nos de Betm a Manos, reoommendando aosJ o Sr. Otales de St. John, om dos membros da com- Uva, achava-se avivado o disthlco que' ha em fren
te da casa dos exposlos, ficando d'esta
O Sr. Dr. Agnello Jos Gonzaga pede-nos s-
ta pnblicagd :
O voluntario da patria bacbarel Agnello Jos
Gonzaga, embarcando hoje para o sul, despede-se
de todos os seas amigos e espera qae Ihe ser re-
levada a falta de nao ter pessoalraente despedi-
do-se. >
De Pao do Alho nos communieam o se-
guinte :
Est prxima a eleigao de juizes de paz e ve-
readores. 3 coronel Lourengu Cavatcaoli, dlzem
Acaba de ebegar a esta capital, viudo de Caxias, cooformidade cem a del'iberaco da junta respec-! que nao est muito disposio a entrar no'nleito-
agentas da companbia que nos prestassem todos os
recursos como effeciivamente nos presiaram; aos
nossos amigos, emQoi, qae oo pouparam sacrifi-
cios para o bom desempenho do trabalho, devemos
o bom desempenho da explorago.Sanlarm, 12
de Janeiro de 1865.S. Coutinho.
* Ante-hootem (4 de fevereiro) chegarcm do
Amazonas na caaboneira Ibtcuhy, o Sr. Dr. Luiz
Agassis, sua eslimavel consorte e o Sr. Dr. Con
! (iobo.
\ O rc9fesor Agassis veio plenamente salifeito
l do resultado de sua excarsio, teodo obtido porto de
misso scientifica, de que director o iliustre pro-
fesserer o Sr. L. Agassiz.
i USr.Orestes notavel gelogo, pirlio do Rio
, de Janeiro, no da 9 de junho do anno passado, e
segotndo a estrada de Ouro Preto, atravessou em
parle, & provincia de Minas Geraes, at Guaicuy; e
, navegando o rio S. Francisco desde esse ponto al
i a vilia da Bajra, aravessou o serlo da Bahia, e o
arte o pe-
dido do Instituto.loteiradb.
Ootro do Exm. vigario capitular, convidando ao
Instillo para assistir a solemoidade da entrada do
Exm. Revmd. Sr blspo diocesano na cidade epis-
copal de Olinda.Inleirado.
O Sr. Dr. Nascimento Feitosa declara que fra
por parte do Instlalo assistir a esse acto de com
1 --------1--------------------------------------------- |M)r i-fuiuMvuocuautuieau, wiiuw vw*w fviw -
Pelo vapor Gtrenle, chegado hontem dos portos. J| especies de peiie, dos qaaes apenas cem
do norte, recebemos jornaes do Amazonas at 20 e 9 conhecnlbs.
do Piauhy at 29 do passado, do Para al 12, do
Maranhao at 15, do Ceara' at 18, do Rio Grande
al 19 e da Parabyba at 21 do corrente.
Amazo.viS.Apenas encontramos o seguate na
Estrello :
Suspeadea no da 14 do pascado no oosso por-
q viagem para o Para o vapor de guerra Ibi-
do em seu bordo o sabio professor Agas-
taa. senhora. *
^ o4r. presidente da provincia, no iou-
vavel e nobre empeoho de prodigabsar os maio-
res obseqaio, m dispensar as mais altas e signi-
cativas fOTas de conodaragioa lio illastres per-
sooages^eompanhou-os, e com elle maltas pps
soas gradas d'aqui, at a altara de Marapata', urna
legua distante da cidade, d'onde, pedido do sa-
bia,profanar sollou o lbieuhy ao ponto de parti-
da ; e entao ahi tiveram lugar as despedidas, e en-
portaria de 6 de dezembro prximo passado, assim ,re os mais saudosos adeuses, dndose de parte a
o commanico a V. s. para o m conveniente. part9 fljequivocos e verdadeiros slgnaes de qanto
Dito ao mesmo.Attendendo ao que expoe no in- era ^ dojorosa.
cluso requerlmente Elias Francisco Mindello, re- c q profflgsor teve em visia com este Irasgo de
commendo iV.S. que considerando abonadas as Cavalberismo e delicadeza exprimir de alguna mo-
fallas que na qualidade de promotor publico da co- ,j0 a g_ Esc. o qaanto se achava penhorado pelo
marca de Flores deu o finado filho do sopplicante, optjmt) e generoso acolhiraent que delle havia tao
bacharel Aotonio Florentino Miodello, maode pa
gar integralmente es vencimentos que se ticou a
dever ao mencionada bacharel a contar do i" de
dezembro do anuo proxiaio passado at a data do
sen fallecimenlo.
Dito ao mesmo. Mande V. S. com urgencia
ajosttr contas at o fim do mez corrente, ao teen
te-quartet-mestre do 6* corpo
franca e largamente recebido.
Dorante esse agradavel irajecto, o iliustre pro-
fessor nao cessou de confessar; vivamente commo-
vido, iioe em todas as parts onde tem estado uun
ca recebera tantos e lp -grande -Jtes.emuo+ios de
aprego, to sinceras e ardeniss manifestagSes de
.crreme, ao ieou- sj-gg^^j como aq0] no Amazonas, e qae demons-
oe vo,ai trara' O sea profundo reconhecimenlo preconisan-
Qoando as especies coohecidas em todo o glo-
bo, nao vo alm de cinco mil, realmente sor-
prendente o iheseuro amazoniense descoberto pelo
illustrado sabio.
t Passava como principio que os ros eram mu-
tissimo inferiores aos mares, qaanto varieaae
dos seus habitantes; pois bem, pelo estado que o
illustrado Sr. Agassis vem de fazer, estudo na sua
opinio limitado em relago grandeza do valle, Q-
coa fra de questao qae o rio Amazonas superior
ao Mediterrneo e qne compete coa 6 ocano.
c A chave dos sagrados desse mar de agna doce,
disse o professor, encontrei-a as serras de Monte-
Alegre.
OSr. Dr. Coutinho, qae o brartleiro qae
mais tem estadado e melhor conhece a baca do
Amazonas, e qqe pelo Imperador fol designado pa-
ra aeompanbar ao Sr. Dr. Agassis, qaaado com es-
te coolemplavam enthasiasmados o panorama im-
ponente que se descortiaava a seos olho% do cu-
ma mais alio daqaellas sarras, pedio hcenga ao
professor para dar a etsa eminencia o nome de
Agassis.
Se a sciencia muito ganhou com a visita do
sabio professor ao Amazonas, nos Brasileiros ainda
mais lucramos.
* A palavra aatonsada do Sr. Agassis, mostran-
do o qoe na reaiidade o valle do Amazonas, mui-
to coacorrer para attralnr a emigrago espontanea,
nosso desidertum; pois, sem populogo-nle pode-
remos colher todos os fructos dos tres reinos da na-
, *IUIB U J\, U IWIUUUV IO<;UUI
noel Eloy Meodes, qoe tem de seguir para a corte do incessantenienle a belleza e amenidade do cli
no vapor Qerente.___ m ^^^^^^jjaa.desia corgao imporuote do Brasil, a bOa indo-
Dito ae mesmi.Recomrai.uiJB' ^ OPOW****,fe) aedocagoe o espirito attamente hospitalelro
vista do pret junto em duplcala, que me remellen ae M mg00s habitantes ; tornando-e.ulp dedica-
o marechal commaadanle das armas, com offljlo (j0 e eotbosiaslico obreiro do fatoro engrandec
de 16 do corrente, sob n. 216, e nao havendo in- ment9 a9Sta magestosa regiao.
conveniente mande pagar os veoelmentos relativos Q ibiothy deve tocar na Villa Bill da Irapera-
a qniozena deste mez das Bracas do 6 e 7* cor- trj one 0 ,.ab0 p-ofessor Agassiz pretende enri-
pos de voluntarios da patria e da companhia de qUeCer a0da mais brilbante collecgo ichthyologi-
zuavos. caque aqui alcaogou, pois consta ella de mil qui-
Dito ao inspector da thesouraria provincial. nneDUs e 56ssenta e quatro especies novas I
Constando de offlcio do chefe da repartigao das E- 0 resa|,a(lo mas fe|jZj satisfactorio e com-
obras publicas datado de boje, e sob n. 55, haver o p|e,0 que at noje tem obtldo uma commisjao des-
arrematante das 28 bragas de eropedramento entre le genero ete por demais sufflcieote para der-
os marcos de 13 a 14 mil bragas da estrada da ramar abundancia de luz sobre mritos e impor-
Victoria, Feliciano Rodrigaes da Silva concluido ,anles poQtoS da scencia que se consorvam aiuda
por empreitada era virlude d autorlsagao desta 0bSCuroSl para mostrar aos olhos do mando civili-
presidencia e de conformidade com o seu primitivo sado a opa|eocia nexcedivel do nosso paz; a im-
contrato 56 bragas correntes de empedramento na meQsa Vasttdo de suas riquezas naturaes \ o alto
mesma estrada, aspira o communico a V. 8. para interessej as soberbas e incalculaveis vanlagens qoe
seu conbeciraento e afira de que era vista do com- 0jTtrece a pompa, a sumptuosldade de sua nature-
petente certificado mande pagar ao mencionado ar- za qnas, vrgem
u nosso Infatigavel e illustrado patricio o Dr.
Joao Martins da Silva Continho ja' havia seguido
valle i rio Burgueia ae Piauhy, vindode Jerume- panhia dos Srs. rs. Joaqnim Pires Maehado Por-
nha, e 4'abi ao Poty, Tberesina e Caxias.
< Durante o seu trajelo de perto de 750 lagaas,
dedicoa-se a iavestigagdes geolgicas; colhendo ao
mesmo lempo, objectos de historia natural, qae vo
enriquecer, o museu de Carnbidge, nos Estados
Uoidoa,
c Q Sr. Orestes, que conta maravilhas do inte-
rior do oosss paizi trouxe para mais de 200 espe-
cies de aves, e 80 de peixes dos ossos nos, alm
de nm grande numero de mineraes.
* Verdadeiro peregrino da ciencia, sem quasi
entender a lingaa do paiz, nue p-rcorreu em uma
longa e penosa vlagera de 7 mazes," o Sr?T
encontrou sempre a melhor hospitalldade,
por noico corapaoheiro, ura homem, de
Aotomo, filho dos sertdes de Mi as Geraes.
t orar. Orestes acha-se hospedado em casa do
Sr. Df. Braga, e j restabelecido das febres inter-
mitentes que o assaltara no Poty. >
t Detois de longos soffrimentos fallecen hoje
pelas 3 Horas da madrugada o babll e intelligente
magistrado Dr. Aotonio Bruto de Soaza Gayo
so. Seatorpo ha de ser sepultado no cemiterio
da Santa Casa da Misericordia pelas 4 1/2 horas
da tarde.,
Puuuxr-Rara membros da assembla provin-
cial respectiva foram eleitos os Srs.: Antonio Alves
de Noronha, Miguel S. Borges Leal Caslello Bran-
ca, Juslmiano A. Leite Pereira, Justino Jos da
Silva Moura, Antonio teoncio P. Ferraz, Firmino
Alves dos Santos, Antonio Mara Eulalio, Jos de garoentos.
tella e Jos Joaqoim da Fonseca, declarando igual-
mente qae, por occasiio de ir convidar ao mesmo
Exm. Sr. afira de assistir a festa anniversarla, ti-
vera S. Exc. a bondade de direr-lbe, para fazer
sentir ao Instituto, qoe airaejava instantemente
concorrer tambera para a erecgo das estatuas,
que o Instillo trata de elevar nesta cidade aos
hroes da restaorago Pernambucana de dominio
batavo.
Oniro do Sr. Andr Ferreira d'Almeida ofler-
tando om retrato a oleo em ponto natural, por elle
desenhado, do hroe Joio Fernandes Vieira; e de-
resles clarando qoe, com igual fim, prepara os tres re-
e teve tratos dosoutros hroes Camaro, Henriqoe Dias e
nome i Vidal d Negreiros. Manda se offlciar ao mesmo
{Sr. agradecendo-se-lhe cordialmente' a offerta ja'
realisada, bem como a que pretende ainda fazer.
Varios nmeros do Diario de Pernambuco offer-
lados pelo consocio commendador Manoel Figoeira
de Paria. Recebido com agrado, manda-se ar-
chivar.
Urna brochara da carta pastoral dirigida no dia
de sua posse pelo Exm. Sr. bispo diocesano D. Em
manoel de Medeiros, que remetiendo dnas ao Exm.
monsenhor presidente do Instlalo, este serviose
de offerhr am ao mesmo Instituto.Recebido com
agrado, manda-se archivar.
Vera a mesa a conta da receila e despeza effec-
tuada no anno social fiodo, apreseniada pelo res-
pectivo Ihesoureiro.-A comraisso de fondos e or-
Araojo Costa, Augusto F. Nogueira, Jos Raymao-
dJD de Araujo Coala, e Coriolano C. Borlaraaqui,
padres Antonio C. de Macedo e Albaqaerqae, Ma-
mede A. da Lima, Jos Marques da Rocha, e Mar-
celino Jos da Cunba, Drs. Manoel Ildefonso de
tem di-
rematante a qaanlia de 388$733 rs. a qoe
reito.
Dito ao mesmo. Da cooformidade com o pare-
cer da contadorU dessa thesouraria a qne ss refere
o sea offlcio de 17 do corrente, sob n. 59, autoriso
V. S. a mandar pagar a pessoa indicada em raen
oflicio do 1 deste mez, nao a qaanlia de 33't40
rs. constante da conta que devolvo, relativa as des-
pezas fetas com o sustento dos presos pobres da
cadeia de Villa-Bella, durante o mez de dezembro
ultimo, e sim a de 264, por ter de deduzir-se da |
mencionada conta a sorama de 7J440 rs. corres-
pondente ao recruta Joo Rodrigues do Nascimento-
a qoal deve ser salisfeita pela thesouraria de fa-
zenda.
Dito ao mesmo.Restituindo a V. S. as doas in-
clusas contas qne vieran annexas ao seu offlcio
de 17 do corrente, sob n. 60, tenho a dizer em res-
posta que de cooformidade cora o parecer da con-
tadura dessa thesooraria, mande pagar somente a
quantia de 488072 rs. em que importa o foroeci-
meoto d'agua e luz para a cadeia da-cidade de
Olinda, a contar de 16 de jmho at o ultimo de
dezembro do anno passado.
Dito ao director do arsenal de gaerra.Ministre
V. S. os esclarecimeotos que solicita o inspector da
thesooraria da fazenda era offlcio de 14 do corre-
te, de qoe Ihe remeti copia, acerca do forneci-
melo de medicamentos eito por Antonio Caors, a
enfermara dos menores desse arsenal.
Dito ao mesmo. Avista
536 de 17 do corrente, anioriso V. S. a mandar ad
millir nacompanhia da aprendizes desse arsenal
os menores Exequlel Francisco de Barros e Poly-
carpo Francisco de Barros, sobnahos de Francis-
co Agostinho Madeira, uma vez qae este satisfaga
as disposigSes do ari. 4o do regulamento de 3 de
Janeiro de 1842
Dito ao director das obras militares. Mande
antes no vapor Betm, para Monte-Alegre onde foi
amecipar aiguns trabalhos geolgicos e mineral-
gicos, tomando para theatro destas investjgagoas
scientiflcas a serra inrer, vasto thesouro de cu-
i riosidades naturaes.
Para. Nao recebemos a carta do nosso corres-
pondente, por isso limitamo-nos s seguintes noti-
| cas, que colhemos nos jomaos.
Fallecea, no da 29 do passado o negociante
lareza, qae Daos td profusamente espargio na re- Soaza Lima, Firraino de Soaza Manas, Antonio
giio do maior rio do mando, o nosso Amazonas. j de Sampayo Almeodra, Lourengo Valente de Fi-
e Consta-nos qae est coocluida a batera qae se gueiran. Raymaado Meodes de Camino, Jos B.
eslava levaniando na barranca que tica entre o cas- de.Mirarta Osario, Joao Manoel da Sacramento,
relio e a enfermarla mlrittr. Constantino L da Silva Moura e Newton Cesar
Esta obra de forlificagao acompaohando o pa Burlamaqne
no de um baluarte, composta de duas bateras L-se na Imprenta:
uma a barbela, e ootra com caoboneiras, tetado ca-; O vapor Conselheir Paranagu condoli hon-
da orna a exlenso de 150 palmos de compri- tem para a Parahyba, com destino a corle, doas
melo. ..'''".' i compaohias do 2 corpo de guardas naciooaes des-
< A muralha, que tem a espessura 4-metros, de tacados desta 2rovmcia, compostas de 172 pragas
taipa, como as determinadas pelas instruegoes de de pret e 7 officiaes.
fortiflcago de carapanha do exercito franeez; re-' Ao embarque assistio S. Ex. o Sr. presidente
vestida pelas faces por paredes de alveoarla e co- da provincia, Dr. ebefe de polica, coraraardante
berta com ladrilho de lijlo. : superior da suarda nacional, e sua offlcalidade,
A plataforma, elevada 3 palmos e meio do ni- empregados e pessoas gradas dsta capital, e mui-
vel do chao, coberta com lagedo de cantara de to povo.
da cidade de Obidos, Antonio Manoel Crespo.
Durante o mez passado bouve o seguate mo-
vimenlo de estrangeiros :
Entrados Sabidos.
Portagnezes......
Francezes........
Inglezea..........
Americanos......
Hespanhes.......
Veoezuelo?.......
Italianos..........
Hamburguezes....
AJIemes..........
Tlossos...........
Peruano *........
Chilenos.........
Bolivianos.......
L-se no Jornal dos Amazonas:
< A' obsequiosa boodade do Sr. major do corpo
n-; de eogenheiros Dr. Joo Martins da Silva Coutinho,
devemos offerecer boje aos noesos leitores a segua-
te noticia sobre a commlsso zoolgica oa antes
ichthyologica, do professor Agassiz, (la qaal o Sr.
Dr. Cooliolio, geolego brasileire, (at parte, como
poderoso auxiliar para o bom desempenho desta
importante commissio, por snas lozes, e por ter
coobecimentc profun lo e pratieo dos productos,
costuraos e lugares do Amazonas, como o provam
106 21
6 5
3 0
2 6
2 0
t 0
i 4
i 0
1 2
1 0
0 4
0 2
0 1
Vmc com orgeneia collocar as janellas de que ne- os servigos qu a provincia tem prestado,
cessita o xadrez da enfermara militar, afim de im- ~ -?..->. .
Lisboa nos lugares necessarios para o reco e mo
violento das pegas; nos ontros com calgada ordina
ria. Constrairam-se pof baixo canos subterrneos
que vasam oo fosso do caslello as aguas que cabem
sobre a forlificagao, oo s com o fim de preserva-
la dos daranos que podiam resultar da humidade,
como para conservago do barranco, qae desmoro-
oaria sera esta cautela.
Construiram-se igualmente dous pareddes pelo
lado do mar para agoeotar a Ierra, e reconslruio-
se o qae servia de faca ioteraa ao fosso oo logar
correspondente batera. |
O baluarte foi armado da sagniote forma4
S. Exc. o Sr. Dr. Doria responde assim s or-
denado governo.Relativamente as torgas da pro-
viocia qae administra talvez presidente algura te-
nha feito Unto quanto o Sr. Doria. O povo piau-
hyense tem correspondido as deligeocias do seu il-
iustre administrador.
< Honra ao povo, honra a S. Exc.
Em nossa opinioo Piauhy deve sef dispen-
sado de mais sacrificios. >
Ceau.Achava-se no porto a canhoneira de
guerra franceza La Molhe Piquet.
Para 25 de margo prximo foi marcada a
eleigo para um deputado geral pelo 1. districto,
pegas de calibre 12, 1 de 18, 4 de 80, a Pachn, em sobstitalgo ao Dr. Pamplona, fallecido
No centro das duas bateras e no saliente da forti-! Durante o mez de Janeiro entraram, na ins-
cago foi, montada orna das pegas raiadas de Par-1 peegao do algodao, 3,584 saccas com 16,501 arro-
roth calibre 100; a altura da pega e carreta, qae bas e 8 libras; e oa primeira quiozen do corren-
a de 12 ps ingieres sobre o do oivel da platafor- te mez 1,15o saccas.
ma, permute que o rodisio faga fogo por cima de Procedeo-se, no da 4, em toda a provincia
ambas as bateras n'um ngulo compreheodido en- eleigo de depotados provinciaes.
tre Panacva, e a parte do rio Guajar que fiea em Pelo 1. districto foram eleitos : Maximiano Bar-
frente enfermara militar, abrangendo por essa roso, Gustavo, Meaalippo, Banto Fonseca, padres
forma as diversas boceas decanaes por onde se p- Sarment, Antonino e Pinheiro, Drs. Googalo Bas-
de entrar oa sabir do nosso porto. tos, Camioba, Rufioo Alencar, Jos Gongalves e
Coosta-oos que ha ordera na fortaleza do Cas-, tenante-coronel Paiva.
pedir a passacem do ar qoe prejudica os presos em
tratamento, bem como por novos vldros oa mesma
enfermara, em subsliluigao dos qae se acham que-
brados. Commuoicou-se ao inspector da thesou-
raria de fazenda.
Diio ao mesmo. Pode Vmc. conlractar com al-
guraa pessoa a execugo dos concertos de qae ne-
cr*siia a parade do deposito d'agua poiavel do
Eis a noticia
Illm. Sr. redactor doMonarchistt Santareno.
Sasfazendo o sen desejo, vou dar Ihe uma rpida
noticia da aossa viagem ao Amazonas, impos&ibili-
tado, pela (alia de lempo, de entrar em maiores
deseovolvimeotos.
i A boodade e solicitado dos habitantes do Pa-
ra e Amazonas, com qaem (iremos a (elicidade
de enlreter relagoes, devemos nos a maior embas
.quarlel do Hospicio, nao excedeodo a despesa compieta coiiecco de peixes qne al hoje se tem
quantia de 31620 em qae foi oreada por Vmc.
Pica assim respondido o seu rnelo n. 107 de 19
do corrate. Commanicou-se a' thesouraria de
fazenda.
Dito ao director geral da insiruceao publica.
feito. Presentemente temos mil e quinbentas espe
c'm, quasi todas dp Amazonas, e de algoos de seus
tributarios.
c Oemoramo-nos em TefT quasi om mez, na
poca da abundancia dos peixes, setembro e outu-
Attendendo ao qoe me requeren no Incluso reque- br0> e >M ^f dianle em Manaoa e Maus.
rmenlo Antonio Googalves dos Santos, autoriso
Vmc. a mandar admittir o* gymnasio provincial
como alomaos externos gralnitos os filbos do sop-
plicaote de nomes Jos Googalves dos Santos e Ma-
noel Goasalves dos Santos.
Dito ao mesmo. Designo a professora da 3* ca-
deira de lostracgo primaria da fregaezia de San-
ie Antonio desU cidade, Mara da Assoropco de
Andrada Losa, para examinar em trabalhos de
agulha ;,s opp .storas que se apreseoiarem no exa-
me de habilitago da que (rala o sea offlcio de 16
do corrate sob n. 27, qae fice assim respondido.
Dito ao commandaote da companhia provisoria
de polica. Faga Vmc alistar na companhia sob
Em Sos de dezembro Otemos ama viagem ao
Rio Negro, onde nao colhemos orna s especie por,
causa da cachele do rio. Dpls compunbeiros, qae
snbiram antes, apenas consegnram vinle e olio es-
pecies as vjzinliangas de Manos, porm, colbe-
raos, mais ile trezenlas.
O pheeomeno que mais sorprenden o profes- ^
sor Agassis fol a grande dlversldade das especies
em regidos Idnticas.
No mesmo rio, as vezes em pontos vzinbos,
achamos guoeros distinctos, como aconteceu em
Villa Bella.
t O Amazonas possae um
tello para oo domingo seguate ser permittida a
visita das bateras s pessoas qae a quixerem ver. j
< Est se armando denlro do Caslello ama outra,
pega raiada.
c 0 ieitor ficar sorprendido quando Ihe disser-
mos qoe aqui, na trra das grandes florestas a diffl-
culdade principal com que a admioistragio tem
lutado para montar as pegas de madeiras com
a espessura exigida nos planos que as acoupa -
nharam. Peis qne, dir o Ieitor, nos Estados-Uni-
dos exisiem maiores madeiras de que no Amazo-
nas?,
c Nao por ceno : a espessura exigida apenas
de 14 polegadas as 4 faces; mas oque nao me-
nos certo que madeira como essa nao havia no
mercado, e era ota fornecedor se quer encarregar
de manda-la vir se oo mediaote o prego de 4004
pela de cada reparo e o prazo de dous mezes t
Isto d nma pequea idea da faeilidade com
qoe se pode conseguir qaalqaer coasa, com os
nossos mel? de eommuoicagoes.
i Constan-nos qae a difflculdade-foi removida
maodaodo-se cortar no Pinheiro e Aura os paos ne-
cessarios qae, postos em frente do Caslello, deram
a despeza total para cada reparo de 50.
Por estas e outras qae se dove ter sempre
em vista que na paz que te prepara a guerra m-
xima esta que nos os Brasileiros lemos infelizmen-
te deixado cabir om esquecimento. >
Maranhao. Teodo pedido exoneragao de mem-
oro da commissio directora da expos ad provin-
cial o desembargador Manoel de Cerqoeira Pinto,
foi.comeado para sobstitui-lo o Sr. Luiz Miguel
Quadros. *
A companhia do gaz dea, no semestre do
jolho a dezembro do aooo passado, o dividendo de
4,8100 por aegao.
A caixa filial do banco do Brasil publicou o
seguate balaocetejlo me de Janeiro :
Activo.
Letras descontadas. 796,86917
a recebar... 1,474,211*1
Diverso*........... 1,080,7 MJ358
Caixa............. I,76o,43l#l70
Dos domis districtos poucos eram os collegios
coahecidos.
No mez passado exportarm-se para tora do
imperio 7,079 saccas com algodao com 21,525 ar-
robas e 22 libras : 1,594 ditos de caf com 6,889
arrobase 4 libras: 3,200 ditos com assocar com
16,910 arrobas e 4 libras : 516 fardos com 707 ar-
robas e 28 libras : 240 saceos com raiz de carra-
picho com 1,020 arrobas e 16 libras: 2 saceos
com crina com 30 arrobas : 44 saceos com cera
de carnauba com 266 arrobas e 18 libras e 1866
couros.
L-se no Cearense :
t Aole-hootem e hontem (8 e 9) cahiram sobre
esta capital grandes chavas: de presumir que
ellas lenbam sido geraes, avbta das noticias qae
nos tem chegado de algomas localidades.
f Hontem iM lodo o dia estove o mar bastante
encapetlado is sopru constantemente o vento
nortej
O patacho portugaez Segredo qae se acha an-
corado em nosso porto, estove a ponto de vir a
praia, tal era a rigidez do vento. Pelas 2 horas
da larde fez sigoal que pedia soCCorro, a capitana
corresponden o sigoal e fez immedlatameole se-
guir Ma a 8da mariohagem ao lagar do perigo,
ebegaado, felizmente, a lempo de prevenir a ca-
laslrophe. i,
Ro Grande.-Nad,a occorrea digno de mengSo.
ParahYba.O algodao de I." sorte vendase
16*500, o de 2.* 14*500 e o de 3.* a 12*500 por
arroba.
Da 1 14 do corrente entraran, na inspee-
gao do algodao, 2,338 saccas.
A alfandega renden, de i 19 do corrente,
49:608*136.
L-se no Publicado)-: .<
< Parece qae visiioa-nos cedo o invern. H*
noite do da 12 cabio sobre esta cidade abundan
lissimas chovas, com trovoada, na qnl flgaton
am travio de elevadlssimo calibre.
t O rio Parahyba deseeu com pouca agoa, mas
elle sempre o auoaoco do invern.
t A saffra do algodao anda nio est colhida in-
teiramente, e as chavas podem fater-ltae mal.
L se saa proposta para socio hooorario.A
commissio de admisso de socios.
Passando-se a eleigo dos membros da mesa
administrativa e das respectivas commssSes, d
o seguinte resullado:
Monsenhor Francisco Munjz Tavares, presidente.
Dr. Joaqoim Pires Machado Porlella, 1." vice-pre-
sideote.
Dr. Aprigio J. da Silva Golmaraes, 2." vlce-pre-
sideoie.
Padre mestre Lloo do Moote C&rmello Luna, 3. vi-
ce presidente.
Dr. Antonio Vicente do Nascimento Feitosa, ora-
dor.
Major Salvador Henrque de Albuqoerqne, 2. se-
cretario.
Dr. Aotonio Witravio Pinto Baodeira e Accloli de
Vasconcellos, Io snpplente do 2. secretario.
Dr. Antonio Rangel de Turres Baodeira, 2.dito.
Commissao de fundos e orcamentos.
Dr. A. Witravio Pinto Bandeira e Acciolt de Vas-
concellos.
Dr. Antonio Mara de Para lNeves.
Dr. Francisco de Carvalho Soares Brando.
Commissao de redaccao da revista.
Dr. Antonio Rangel de Torres Brando. >
Dr. Aprigio J. da Silva Guimaraes.
Dr. Francisco de Garvalho Soares Brando.
Commissao de revisdo de manuteripto.
Francisco de Barros Falco. Cavalcantl de Alba-
querque.
Dr. Francisco Leopoldino de Gusmao Lobo.
Dr. Cicero O. Peregrino da Silva.
Commissao de trabalhos htstoricos e archeolo-
gicos.
Padre mestre Lino do Monte Carmelh Luua.
Major Salvador Henrique de Albuquerqne.
Dr. Ayres de Albuquerqne Gama.
Commissao subsidiaria da precedente.
Dr. Antonio Vicente do Nascimento Feitosa.
Dr. Ionocencio Seraphico d'Aisis Carvalho.
Dr. A. Mara de Farla Neves.
Commissao de trabalhos geographicos.
Dr. Manoel de Figoeira Faria.
Dr. Amaro Joaqaim Fonseca d'Albuquerque.
r. A. Rangel de Torres Bandeira.
Commissao snbsidiaria da precedente.
Dr. A. Witravio Pinto Bandeira e Accioli de Vas-
concellos.
Dr. Innocencio Seraphico de Assis Carvalho.
Dr. Joaqnim de Soaza Res.
Commissao de admisso de socios.
Dr. Aotonio Witravio Pinto Bandeira e Accioli de
Vasconcellos.
Dr. Ayres da Gama e Albaqaerqae.
Dr. Amaro Joajuim da Fonseca Albaqaerqae.
Commissao de petquiza de manuscriptos.
Felippe MenajCallado da Fonseca.
Francisco de Barro3 Falcao Cavalcaote de Alba-
qaerqae.
Dr. Francisco de Carvalho Soares Brando.
Terminado este acto, o Sr. padre Lino toma a
palavra e faz varia eoosideracoes em ordem a jus-
tificar a urgencia que na de ser approvado o pare-
cer da commissio de trabalhos historeos e archeo-
lgicos, nm exame medico nos ossos encontrados
em ultimo logar na sepultura, qae se prsame ser
de Juo Fernandes Vieita, e sendo estas considera-
goes tonudas na divida importancia, foi resolvldo
naqaelle sentido, sendo entio nomeados pelo Exm.
monsenhor presidente para formarem a commissao
medica os Srs. Drs. Augusto Carneiro Monteiro da
Silva Santos e Francisco Pires Machado Portella e
facultativo Aodr Ferreira de Almeida.
Levanta-se a sessao.
numero consideravel
sea7'mraando"^^aU^n'o'AntonloVrCo's'trMIra" de fauna, provincias iel^yloftcu, eque s pode
da, qae esta' as condiges de servir na mesma ra' ser determinado depois de kmgm"*
cmnMhaa. tudo, qoandofr explorado palmo a palmo. Ornes
Dito ao eogeqheiro fiscal da estrada de ferro.-! mo se podo dizer a r"Ki\*,i*;*?-
Transifto poTcopla a Vm. para seo conhecimeo- j A bada do Mediterraneo^conlm nl\ e cem
to e direego, na parte qoe Ihe diz respeito, o aviso pecles, prximamente; a
de 30 de Janeiro proxtmo fiado sob n. 3 em qne o
Exm. Sr. Maturo da reparticd da agricoltora,
commercio e obras, declarando convir que tenham
mnlto
podendo
competir tulvez com o ocano.
Problemas de alia importancia pira a sciencia
provavel q?e seja cloc vezes mais rica,
f 5,127,128*166
Passivo.
Banco do Brasil.... 800,000*000
Kmissao........... 2,034,120*000
Letras a pagar..... 193,117*650
Diversos........... 2,078,473*841
Ganaos e pardas.... 19,616*964
5127,228*465
. L-se ao Publtcador Maranhente:
Foram ltimamente presos a orden do- 6* sup-
liente em exercieio do delegado de polica de
Caxias, o cidadao Jos Barbosa Ferreira, o cap-
HIgnacio Francisco de Soaza Ferrar, ettomingos
PERHAMBUCO,
REVISTA DIARIA
Reunio-se hontem o Iostito'o Arcbeologieo Geo-
raphico Peroambocano, sob a presidencia de
!xm. menseohor Maolz Tavares e com asslstencla
dos Srs. Drs. Joaqnim Portella, Aprigio Goimaries,
Witruvio Pinto Bandeira, Nascmjeuto Feitosa,
Amaro Joaqoim, loarse Braade, Cicero Peregrino
padre mestre Lino s major salvador Henriqoe.
0 Sr. 1.' secretar oecapa & cawr do secfe
A commissao directora da expedigao de pro-
doctos, deliberoo qoe as soas sesses sejam s
quartas-feiras de cada semana, as 6 horas da
tarde.
Pelo vapor Gerente veio do crrelo do Cear
nma mala com rotulo de um lado para Pernambu-
co e do ootro para a eorie, qoando o sen cooteado
era para all.
Havia de ser bom se o vapor se nao demorasse
e fleasse a mala aqnl espera do vapor se-
guinte.
Segnnda feira 26 do crranle em Trombeta
cantara a sua primeira missa o padre Sezostre Abdon
Freir de Carvalho ; sendo oradores os Rvds. Luiz
Ferreira Nobre Pelinca e Jos Estoves Viaan.
Commuoicam-uos o segulote :
f O p da ma Oa lmperatriz affoga a bumanida-
de; devido ao logro escandaloso no servigo de var-
redura e Irrigagao. Alguna estabelecimentos del-
xam de varrer e oolros se llmitam a varrer, de-
positando a raassa enorme de lixo e p no centro
da ra, de modo que com o transito de carros e
animaes e rajadas de vento, se levantam nveos
insaportaveis.
Nao sendo a roa cateada mnlto eonjnnieote
qne se irrigae primeiro parn depoa ae vamr, re-
moveodo-se eoto p, qne se ajoaaV.
< Faga-se Isto, qo o lacommodo sera me-
nor.
entretaoto, onvi lambem dizer, qne o Dr. Dnarte
dissera ltimamente em Caiar, que contava, de
algura modo, cora os servigos do mesmo coronel;
por que, por intermedio do fllho tenente coronel
Christovao, esperava qoe elle afinal se resolvera
a apresentar-se com a sna gentei
Acredito que, se o Dr. Duarte disse Isto, tem
alguma raso em que se estribe : o que porem
verdade que o coronel Lourengo Cavalcantl nao
est no caso de andar pela reala de um jolz muni-
cipal, a quera se d incumbencia de dirigi-lo, co-
mo se elle fra ama simples machina.
t Assevera-se, que decididamente ba de vir um
des taca meo lo para manter a' ordem na eleigao ;
que ha um meio, o qoal nao declarara, mas est
subentendido, de forgar o governo a tomar esta
medida. Por ahi calclo, que ba de haver algu-
ma estrategia premeditada de quebramento de or-
na ; mas creib qae, desta vez, ser uais doro ten-
tar estes meios.
< Falla-se aqui na demissao do te nenie-corone l
Jeronymo do Ramos do cargo de subdelegado des-
ta fregaezia, para que foi nomeado ainda nao ha
rooitos dias, visto que diz-se nao ser elle de con-
Banca.
Tado isto, por que o teoenle-coronel Jero-
nymo tem protestado, qoe, como aotoridade poli-
cial, na j admitte suggestes no comprimeolo de
seas deveres. >
Esta poblcacao nos solicitada :
Embarca hoje para o sal no vapor Gerente,
o 2. cadete do 3. batalbo de voluntarios da pa-
tria desta provincia bacharel Agnello Jos Gonza-
ga. Embra ofrendamos a modestia de lio des-
tnelo Peroambocano, qae teve por bergo ahe-
roica e invicta, hoje deslembrada Olindaoo po-
demos deixar de dizer que nao demasiado gran-
de o numero de voluntarios lo de corago. Fnr-
tamo-nos ao prazer de enumerar os importantissi-
mos servigjs prestados por elle na qnadra que va-
mos aira vessando, porque assira nos foi imposto.
O Dr. Agnello alm de verdadeiro patriota,
dedicado e sincero. Nao podendo, por bastante
doente, accompanhar os seos companbeiros volun-
tarios Salgueirences, promelleu-lbes que, se os
nao encontrasse mais na provincia, alistarse hia
com destino ao corpo em qae estivessero, e ei lo
ah vai procara-los.
Qae Deas coodtua a salvamento o magistrado
otegro, que, deiSOitg- dteautr. deixando es-
posa, filhos, commodos e ioteresses, corre conten-
te a sacrificarse pela patria. >
Hontem pelas 6 horas da.manhai, foi a gre-
ja da Saota Cruz theatro de am desses actos reli-
giosos, qae raras vezes se tem praticado entre nos.
Estando este da determinado para a instailagao
do Saotissimo Sacrameolo naqaella Igreja, onde
dever permanecer d'agora por diante a adorago
dos Deis, tratoo a irmandade de preparar conve-
nientemente o templ ; e dj fado a hora cima ci-
tada ahi apresentoo-se S. Exc. Rvma, acompaoba-
do do Sr. coole polaco Aotonio L.dislo Jasieoski
e de dous reverendos sacerdotes, sendo recebido
pelas irraandades do Seohor Bom Jess da Va-Sa-
cra, e da Senhora Saota Auna, a porta do templo,
d'onde segurado para a capella mor, S. Exc. Rvma.
teve a mais propicia occasio de apreciar o amor,
adedicagoeo respeito que Ihe tributam seas
diocesanos, que o cercarara de todos os lados an-
ciosos por beijarem-lhe o sagrado aoel. Numeroso
concurso de pessoas gradas, entre as quaes oota-
vam-se os Exms. conselheir Autrao, e desembar-
gador presidente do tribunal do commercio, o Sr.
Dr. Drummood e outras mais, assistio ento a ce-
lebrago do santo sacrificio da missa por S. Exc.
Rvma., que igualmente oa occasio propria admi-
oistroD a sagrada commaoho a grande numero
de pessoas, que se haviam antecedentemente con-
fessado.
Finda a missa, diversos sacerdotes qae se acha-
ram preseotes entoaram o Tantun Ergo, e depois
S. Exc. recebendo a custodia, onde se achava o
Saotissimo Sacrameolo, abengooa o immenso con-
curso qae eocbia o templo.
Sabio porm de ponto o locante do acto, qqando
o virtuoso prelado dirigiodo ama allocugao a sua.-
ovelhas, Ibe fez ver a oecessidade de se aflerrarem
oa prallca dos actos religiosos, como meio de esca-
paren) de ciladas que Ihes sao coostaotemente ar-
madas pela propaganda protestante, pediodo Ibes
qae era soas preces orassem per si, por sua santi-
dade Po IX, victima das aggressdes dos iomigos
da igreja cathollca. Eoto lagrimas, symbolicas e
sobre modo expressivas, broiaram dos olbos do
prelado qae,raro facto entre nos fez-se ouvir por
si mesmo, como meio de mais se aproximar da-
quelles qne o Senbor ibe entregou como filbos.
Fioalmeoteas 8 1|2 horas ratiroase S. Exc.
Rvma., endo de novo acompaamoo pelas irraan-
dades al o carro, qae o condnzo ao palacio da
Soledade.
. Assim vai a igreja da Santa Croa assumindo o
grao de expiendor qae Ibe devido, graca ao zelo
de S. Exc. Rvma. petos ioteresses da igreja, e a de-
dicago da contraria do Seohor Bom lesas da Va-
Sacra, caja mesa actual, tem na pessoa de sen tbe-
soureiro, a mais ferie emnlacao, sempre qne se
trata do callo do Senbor.
Hoje, 23 do corrente, elTectua o agente Pinte
o le i lo de movis annnociado para o sobrado da
roa do Trapiche n. 14.
Segnnda-feira, 26 do correte, lera' lugar o
leilao de movis em casa do Sr. Emite Wild, para
onde partir' am mnibus s 10 horas em ponto
do referido dia.
O leilao das caixas de cb salvas da torca
americana Lucy E. Asheu tica transferido para a
semana vindoora.
Uma carta de 16 do corrente viuda de Ca-
ruara diz o seguate :
t Hontem, 15, foi feride mortaimente o alferes
Joaqaim de Barros e Silva, de um Uro de embos-
cada, no logar Axenem, junto desta cidade 1 e ne-
nimma providencia tem havido para o desoobri-
mento e captara do criminoso.
Passageiros do por nacional Gerente viado
dos portos do norte:
Joo Sebastiio da Silvaa Lisboa, Jos Joio de
Abren, Miguel Liguori e sen fllho, Dr. Jas Joa-
qoim Belford e saa familia, Jos Ruttao Sucoara-
na. Ulysses de Barros Mendonga, Aotonio Rodri-
gaes da Silva e Sousa e nm escravo, Francisco
Coelbo da Fooceca e nm filho, Antonio do O Bor-
Jes Accete, Dr. Leandro da Silva freir,
Leome Maaseal, um escravo a entregar no Rio
de Janeiro a Joaqaim Roliao, Jos Ribeiro de Oli-
veira Secupira, Scipiao Jos Velloso, Antonio Zu-
baao Pires, Francisco Ferreira de Almeida, Fer-
nando Cerqoeira de Carvalho, Manoel Pedro /Uvas
Jnior, Lourengo Gomes de Lyra, Antonio Ber-
nardo da Silva Mello, Estevao Jos Barbosa Juaior,
Antalo Pereira da Caoba, Jos Paulino da Castro
Medeiros, Joaqoim Jos de Santa Aaaa Macaco,
Joaqaim Gomes da Silva, Francisco- Ildefonso Coi-

1


-


jHNMH

Marte i**e

13$''
-'- cita letra 13 t tVvrHre de
1866.
*.:
T*"
5^3P
na, Fran
uro dito
om
entregar,
Francisco Mwtios-BjteihO) tees sido a meto iimis tacH-qae uro
Tanjuioio Gomes Barbosa, Joaquim Ferreira Con
tinbo, Joaqoni Soares de Carvalho, Francisca Jfa
noel da CoiU Queiro'z, Eustaquio da Costa Ramos,
Ignacio JUrta da Silva CoelUo, Al*aro Moteira,
AntoDio Correia da Silva, Joaqaim Vinagre, Fran-
cisco Cavalcante de Albaqoerque Mello, Jos For-
tanato de Souia Jorge, Antonio da Cosu Jiau, D-
Joo Bassoo, Bernardo Norat, Jos BaasUoee
Mello, Joo Leite Ferreira, Leandro Frederico Eor-
reir, Elias de Almeida AJhuquwqae, Antonio .*
Cunha Vasconcellos, Jos Pires Uoate.
Seguem para o sul
nu
servido a ty-
rannia contra o desenvoivlmnto da liberdade.
lio toaos Je nfaifawll&mPABS.V,J-
iros. .Os^SlajM^c^tt^aWP WMMr-se'os
saos principios da moral prefados por Jesns Chris-
to e sellados com o sea saague, so dividem em an-
idaras deaecoes refiotas, que se chaman sedas;
e todas Uas infecta o, orne e oEvaojetbode Je-
ss, limbora essa moral e esse iuot}a$l9 fra para
resgau.r o hornero do peccatlo orignale Ibe abrir
I aastm as portas do co, toda a iouiripa christaj
i libarla doctamente o hornem da lyrannia da trra
monos a declarar que a noiicii
horror, como se devia esperar,
dimito do Limoeiro, tem araig
coados, (nio como se c< stum
choro:) e que aquelle qoe oosai
tencia, dte considerar qoe seu
impune.
Rogo-Ibes Srs. redactores, a publicldade destas
liabas, para scieoeta de quemqoer que sejfc.....
Recite 21 de fevsrelro aeJQK
los de Borros Correia Leite.
.. .. i. i > _i
eidp*possuem virtude de produzi-. pode V. S., sempre contar com osmeusai-
L~'autos prestimos, e deseja/^eaajtpe^..,
Napoleo Jansen Muhler, Heurique Ferreira
Caldas, Themoteo Jurguos, Paulo Gomes de Lima,
Gomes de Faria, Joaquim Plasme Carvalho, Dr.
Jos Alves Pereira de Carvalho, ^ue eseravos .da
tazenda nacional, T>o Pedro Belford Vieira, Ce-
cilia Nones Ferreira de Sao, anie .xeatatts, un
cadete e 4pz.e_pra.gAs, B. Soupr-yoet, Augusta
Silva Forrtes, Horacio Berforf DoaWe, s(V escra-
vos a entregar, Antonio Delflin de .SHva Grima-, e os pnmeiros .servissem aos outros, tivessem o
raes. cargo comoencargo .pesado, a tyranuia nao seria
na ierra o os povos seriam livres. Se os horaens
RvvBTigAO da pomcia. faM, aJ^ Ozessem irmaos ao menos pelo seguimento dos
Eitracto da parte do da S2 de fevereiro de
4866.
proclamando-nos a todos irmaos; qoe aqoelie qoe
quizer ser o primeiro se far servo dos.putros como
elle Je.sus.veio ao mundo nao para ser servido, mas
para sur ir pelo prego de sua vida. Mas os tyran-
nos qaerem ser servidos, e tem os povos como crea-
dos para seas gatos. Nao las pa&sapela, mente
deverem, como^rimeiros, servir aos outros, e per
eiles solfrer. Se cumprssm o precelto de Christo
Srt. Redactores.- #ho sel porJUO fatalidad* o
povo da fregosla de S. Jos to Infeliz par .to*
quando os (liarlos aaannclaro a boa admiurtracjo .
'a polica pa ftguoila da Boa-Vlau, S. Autopio e viam no acc irxmetlimto.cla febre, 6
ecife. quando a r^guesja.4e s.& afijare- mantia, o xarope ether An^av11116- %
ptfeitos nessa enfermidade, por
s conlribuem a apagar a sede
^aecommettem a febre etbica, mas
a. refrescar o saogue.
entes desla enfermidade, quando o
seu lado de gravidade -tal que a febre
ettca os accommette, pwacrevo-lhes o su-
cede pai lim5o dissolvido em urna chicara
d'agua com bastante assucar em um grande
copa jpara misturar com um papelioho dos
pos refrigerantes para tomar com que ali-
Foram recolhidos casa de detencio no dia 21
do correte :
A ordem do Dr. delegado da capital, Joaquim,
escravo de Manoel Joaqaim Baptista, para cor-
recco.
A ordem do subdelegado de S. Jos, Antonio,
escravo de Tasso & Irroo, como s.uspeUo de andar
fugido,e Matheusftomualdoo"a Silva, por offensas
a' moral publica.
chete da 2'$*cco,
Casa as btb.scao.
Movimeoto da casa da deleaco no dia 30 de fe-
vereire de 1666.
Existiam 388, enlraram 3, sabiram 13; eiistem
378.
A saber:
Nacionaas 230, muJlieces 9, estwpgeirys 32
mulberes 3, escravos 77, esoravas 7, total 378.
Alimentados a cusa dos cofres pblicos 189.
Moviment da enfermara no da 21 de fevereiro
de 1866.
Tiveram batxa:
Joo Mauoel de Ulireira, feure.
Co^me Aulpnio Curreia, sypliiiis.
Felismina, escrava de Mara.
Tneira Basaos, erysipella.
Tiveram alta ;
Manuel Silverio da Silva.
Galdno Jov Rodrigues.
EmUtano, ,eserap de Jorge^Tasso.
MMMJPNIIP
TaiUU.-f.VIi IM> COMMEHCIO
ACTA DASESSAO AMlNtTRATIVA DE 22 DE
F&VJSRBiRO DE 1866.
PRKS1DBNCIA DO EXM. SR. DESBUBARGADOB
ANSKL.M0 Fll.CNCWilX) I'ERKTTI.
As 10 horas da manliaa, estando reunidos os Srs.
depuladps Rpja, ,C. Alceforado, Basto e Miranda
Leal, o Eun. Sr. presirteote declarou abena a ses-
sao.
Lida, foi approvada a acta da sessao antece-
dente.
EXfBPIKNTB.
Aos Srs. depntados foram destribuidos os se-
guinies livros:
uiario e copiador de Francisco Duarte Pinto
Vieira.
Diario de Antonio Goncalves de Aievedo.
DESPACHOS. .
iReaaerlnwnto de Jos Joaqaim da Cunha e Gui-
iherme Jos de Soma, mostrando haverem satis-
feio o despaoho deste tribunal de 15 do andante,
apresentando o contrato de saa sociedade commer-
cttl.Vista ao Sr. dezembargador fiscal.
Hilo, do Francisco Jos Goncalves da Silva e
Joo Jos dos Santos Lima, para que se admiltisse
a registro o distrato social, que jaulam, da firma
Goncalves & Lima.Visla ao Sr. dezembargador
fiscal.
Dito, de Antonio Pedro de Mello e Manoel Pe-
dro de Mello, para qne fosse registrado o distrato
social, que juniam, da firmaAntonio Pedro de
Mello & C. Vista ao Sr. deemoargador fiscal.
Dito, de Antonio Francisco Carneire Monteiro
l'irau, replicando do despacho do tribunal que jul-
goa procedente a davida apresentada pelo official
maior quaoto ao registro do seu contrato commer-
cial, porque o mfismo contrato eonsta estar especi
ficada a qu taparle cora que cada um dos as so-
ciados cooiribue para o capital social; e que o
artigo 16 do referido contrato nao se refere poli-
cio algama anteriormente apresentada, e sim ao
que o tribunal geralmenie exige em lodos os con-
tratos sociaes.Vista ao Sr. dezembargador fiscal.
Dito, do corretor geral Francisco Mamede de
Almeida, pedindo iiceoca para fater urna viagem
a Europa alim de tratar de sua sade que se acha
alterada como prova com os documentos que jun-
ta.Vista ao Sr. dezembargador fiscal.
Com informadlo do Sr. dezembargador fiscal:
Dito, de Mello Irmo & CSatisfacam o pare-
cer fiscal.
Dito, de Joo Leopoldo do Reg Villar eputro.
Regstrese.
Dito, de Luiz Gomes Dmaso e outros.Satisfa-
cam o parecer fiscal.
Dito, de Manoel Rodrigues de Almeida e Jos
Joaquim Ferreira Lima.Registre-se : fazendo-se
desparecer, de ccordo com os supplicantes a
drfferenc que se v no nome de um de les, es-
cripto de urna maneira no titpJo do contrato e de
ontra no corpo deste.
Dito, de Joaquim Bpdrigoes Tarares de Mello
e oatros.-Satrs/asam o parecer.fiscal.
RESOI.UQAO.
O tribunal resolyeu que se officiasse ao pre-i
lente da junta, dos correlores, sobre as irr^gulari-
ladi-s encontradas nos livros das actas das sesioes
i eotacSes diaflas da referida junta.
Nada mais havendo a tratar se, fui por S. Ex.c. o
Sr. presidente encerrada a sessao s 11 horas e
meia do dia.
SESSAO JUDICIARfA EM 22 DE FEVEREIRO
DE 1866.
PRESIDENCIA DO E*M. SR. DE^EilBAUCADOR
A. F. PERETTI.
Secretario, Julio Guimares.
As onze lloras e meia da manhao Exm. Sr. pro
aidentedeclaron abena a sessao, estandp rsunidps
os Srs. desembargdores Silva Guimaraes e Acci'
li, os Srs. depntados Rosa, Basto Mi.ranrja Leal,
e faltando 'c'bol partecipacao o Sr. dezembargador
HaiaaSvvk'a SWliSffftety Candido lto/pr^do.
Lida, foi apptoyara a acta da sessao antece-
dente. Kfm"i
JLG AMENTOS.
Spnloapresentados os feilos adiados na ultima
sessio, eritre par tes. '
Appeirautes, Joaquim Gongalves Qasco & C.;
appellad a directora' da companhia nttidade pu-
blica.
Appellante, D. Pranclsea de Salles Candida da
Wocnfc ; appellado Jqtaim Luiz ^r%s.-Mado
a pedido de ontros Srs. deponaos. '
PE*WUC0 DV.DIA.
" Appellantes, os administradores da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Sanio.. jS C.; Appellados
Marques Gomes & C
Primeiro da un.
VKSSKCfM.
Do Sr. dezembargadsr Accfoli ao Sr. dezembar-
gador Silva Gnimares.
Appellante. a directora da Caita Filial do Ban-
co do Brasil posta culada; appellados, Joao Luiz
Ferreira Ribeiro e outros.
A00,1^?0,8 .FJsnrosTps po iizp especial
6o C0MMERC10.
Aggravanle, Francisco Xavier de Oliveira ; ag-
ravaos, os administradores da massa fallida de
Seve, FlfhosAe 'rv WV-tm
O Exm. Sr. presidente negon proyimepto.
Aggravaote,1 Augosfe' Jos de zeve'do ; aggra-
vada, Casemira Carolina de Jesns.
O Esa. Se, presidente deu provieDto.
Nada mais houve e encerrop-s a sessio ao mel
4ia.
---------
preceitos corpmuos, a tyraonia nao aeharla na dis-
cidancia do povo instrumentse iseios parase im-
por.
Se Jess Christo um so e o raesmo para todos
os qoe o adoram.se saa moral,tem por base a sanc-
co na vida Jutora, porque a dis-idencia oa chris-
Undade, e a respeito dp preceltt)s, que descaram
do co, que n5o sao feitura da humana razao?
Nao na philosophia mais aa do que a da moral
de Jess Christo; e por unto nada ha que lao bem
caiba na razo, e assim que delta mejhor podesse
sabir. Mus to perturbada estasa a razo pela cor
rupcac da nalureja humana era todo o orbe, qoe
Snquanto do co nao desceu pela palabra do Deus
omem essapbilosopnia lao clara, a razio humana
nao a achara, uem a podera dizr
E se com essa moral dessa pbosoppia to pura
descer.un os dogmas qu sao a base 4a sua pra-
tica, e que esto alm do alcance de tpda a razo,
como oosa entrar nelles a ridicula critica da misera
liumacidade, quando a razio humana nem ao rae-
nos a moral pudera jamis produzir ?
Se a doutrna de Quisto traz necessariamenle
aos homens o resgate do jugo da tyraQnia, dividio-
do-se os christos, a tyraonia triumpha.
Se.a sociedade da igreja se conservasse ama s,
a tyranoia teria haqueado ha inultos annos, e os
povos christos seriara todos jivres.
A tyraonia abate o hornero pela escravido, cor-
reinpe a sua essencia, deslroe asaa djgnidade. E
por isio que Jess Christo, vindo pelo seu sacrificio
resgatar o hornem do pepeado original, ensiuou-lhe
primeiro a libriar-e da escravido, da tyranoia,
sob a tual se corrompe a moral, para faz lo dig-
no da ;terua gloria. Constttuindo Jasas a socieda-
de crLsia, edificando .a sua Igreja 0 nomeando
seu soccassor na Ierra, fez essa Igreja e esse suc-
cessor uns sos ; e .todos os timaos em Christo,
unidos por urna s doutrna e sob pro s pastor,
pela unio e pela humanidade ante o preceito, se
fizeram fortes e. Inabalaveis diante da tyranoia; e
desde ento a assim comecaram a quebrar os.seus
farros., o seo jugo. Comecaram libertaodo a alma
pela v ifTiade, affrontando todas as torturas ao car-
po ; e foram assim pela grandeza daaceao, unta
hurnihlade unida a tanta affoiteza, foram fazendo
pelo ejemplo lao multiplicadas cinversoes ; e dos
proprs instrumentos da lyranoia, fizeram irmaos
no.martyrjp.
O couugio era Lio grande, o Sdotinwnlo to ar-
rebatador, os sacrificios fio puros, a palavra lao
viva e to santa, que o chrlstiamsmo s nao fez
proslitos aos milhares onde nao cheg&ra a saa
voz, onde nao fra visto qm seu adepto.
Os coaioras peccadores, os mus pervertidos se
rehabjiiaram em curtas horas, e derara sublimes
examplos.de sua piedade. E ere: cia assim desme-
suradamente a sociedade chriyaa, e ja a lyrannia
exangie, arrastada pelo exemplo, ou vem-ida pe-
lo, grande.numero de sacrificios voluntaria ou se
con ve! lia ou auatia irapolente.
Se assim continuasse a sociedade christa, na
unidade de sentimento e da f, na fraternidade que
fazia commura a sua Jorca e grande seu sacrificio,
o que seria hoje do mundo o que teria sido da ty-
raonia ?
Milhares de anuos erara passados, e era desco-
nhecida na trra a liberdade ; (|ue as repblicas
mais livres e nos seculos das virtudes civicas mais
sublimadas, tiveram por sua base a escravido. Os
maoros genios da philosophia nao se lembraram
de bapi la. Tuuho lido que Plulo a suppunba em
sua repblica, e Scrates, apezar de sua humilda-
de evanglica, aipda e em lempos do Kvangelho ISo
distantes, nao a condemnra.
Veiu.a p|avra de Christo e, preHe?,comegram a
cali ir as cadeias. A Insensatez dos Caligulas e a
depravacio dos >"eros nao podaran) resguardar s
ergastilos, porque sob o mais horrendo trasborda-
meato da cprrupco paa, da ote da pureza da
doutrna christa, da uuiao, do templo dos chris-
tos, da sublimidade de seus sacrificios, surg rain
os Anloujnos e Marco-Aurelios.
As almas se liberta vara das cadeias de Satanaz,
e os homens assim purificados pela pureza da dou-
trna 'a pela pratica das virtudes cbrislas, os po-
vos se iiberiavam dos ferros da tyranoia na vida.
Bem rpida a liberdade da va seus priroeiros e gi
gantes os passos, e sem a menor violencia dos op-
primido?. Sua arma ara a paciencia e a resigoa-
co ; seu cunti a pra tica de todas as virtudes;
seu conforto e sua meta a esperanca de aicancar a
gloria de Deus apa (orea a iiumiidade aos precei-
tos de Jess Chrttn, pelo orgo de sua Igreja urna
s : d'ah a sua uniao, a sua grandeza, contra a
qual seria toda a lyrannia Impotente.
Ajnpa assim ,dava a liberdade seus.primeir.os i"OCIiy*Ica.
passos, sabida da uoio da sociedade christa, 0 xarope elberio de veame por mim pre-
quando a dissideapia coajecra a apparecer em____ i. .. "j'" # hj
seu seio. &***"* "' w parado muito tem provettado aos que sof-
Amda nao bav^rp cabido todfs as paredes dos frem desta molestia, e do lamentar-se, qoe
ergasnoos, aipdaiJapus aadetas pendiam dos pul- no obtuario desta cidade a maioria dos que
^Xi^l?^%l^TiSl^Z^^^^ ^ ^ercuos PIj?onarfts,
sociedade que esmagava a lyrannia por sua uniao |sem PfOCUrarem 0 recurso do pratlCO e do
nascida de sua immiidade, se divida. experiente, que Ibes pdem encardinhar o
veame mais enrgico para a prompta cura
das molestias, cuja base [essencial depende
da purificado do sangue; assim pois se
carnario grande, entendeu, apesar de nao sar mar- "*"* "" a"^"-""" wmP "
chante, de toda sua polica, sifrar-se no matadouro Kar a seae.
publico, por que chega ali antes de seis horas da A Sra. D. Joaquina de S Barreto, tendo
manhaa, e s sahe depois de nove, o passo qoe umasuaescravaallecida desta molestia, sub-
seodo procarado em casa, para o servico da poli- mettida ao tratameulo de seu medico, resol- tem verificado por muitas pessoas que se
S-.^"^^X^K,^ veu procorar-me para tratar de um outeaacbavam desengaadas, as quaes aCham-e
passada esta hora, que quaqdo vem almocar, val- escravo, que soflYJa da mesma enfermidade, boje restabelecidas com o referido xarope
ta para a cabanga a pesar oaroe?, e iiropar-ihes as prescreyi-Ihe o xarope de veame, tem me- alchooHco de veame; entretanto que al-
as peines, apezar de nao er marchantes 9 nisso Confn ronsdftravplmpnt gUDS, tendo usado do xarope de Curinier,
qua*i wdos os dfas al onza horas di noite ou mais norato fei desengaada por habis mdicos oleo defigWo de bacalno, e outros agentes
e nisso cifra-se toda sua poiiea-, e assiai re!.4esta cidade, esteve Drostrada, e nos ulfi-! desta ordem nada conseguiram.
segundo consu esta' baje o sitio do Muuiz, serviu-1" *--' ** ~~-~j1 -.
do de coito de ladros, e a polica nada v e nem
sabe : e como nao ser assim, se o subdelegado o'
viva dos bols, e occapa-se nos bois, qoe quando
ao tirando da mataqca, pesando e lirapando as
pelhes das carnes, prliodo gados nos curraes, e
todo isso sem ser marchante, que, ao qoe parece,
ao sendo elle marchante sem duvlda, caxeiro
de alguin marchante.
E estara' esta infeliz fregu*! era oireomsun-
oias de nao ter qaem possa etercer as funecoes de
subdelegado, e que careca de la I ente para o ser
suppomes que aao.
Avista pois do que fica dito chamamos a alten-
cao das primeiras anthoridades da provincia, para
esta infeliz freguesla, nomeando um subdelegado,
qoe quando nada mais faga espanto, ou acabe com
estes coitos de ladres, e feticeiros, porque se-
gundo a voz publica tambera existe para' as ban-
das do aterro, junto ao tal subdelegado, ara negro
intitulado felticeiro, e chamado mestre Manoel, que
vive roobando os encantos, e nada v e aem sabe
este subdelegado, para que, pois consumir lodo
sen lempo no matadouro ?
K o que vem esse subdelegado nao e sahir do
matadouro, quando a Exma. cmara sem Mi urna
fiscaiisaco sera' que o fiscal nao cumpra saa obri-
gaco peste caso, a cmara compete sendiear e re-
mediar o mal, porque somos dos qae inda acredi-
tamos que ba homens capaxes de desempenhar o
luear que occopam.
Queiram os Srs. redactores dar publicidade a
estas toscas liadas do sea constante leitor.
M.JV.
11 im
Xarope alcboplico de vdame, preparado
pelo pharmaceutjco Jos da Bocha Paraahos,
estabelecido com botica w ra Direita n.
88 em Pernanabuco.
Este xarope ncontestavelrnente superior
a todos os xaropes depurativos, de caja
rzao teem os que disso se queixam, porqoe esta amargosas, que fortifican! o estomago'e ser- composiQSo oseo maior alea ento a salsa
subdelegado com figura de homem, e o nome de vem ao mesmo 1^ para destruir e mi- parrilba, pois que se tem conhecido ser o
sent 4essa ta \Jm* parecern qde porjate- aconSelnado q"ue fmm u80 de vegetaes
licidade um JiatHiantasOogo Ule rnnha norsor- ffi_-- >L j^rgt S-x^ n.
te um subdelegado, qoe de homaro s tem a figura aaturea acta, eomo laranjas, nmoes, pi-
tapto que.o.aaelidam de Petu' (camaro grande) e tangas, uvas, etc.a applicaces de plantas
po dar orna'p.rova dof n)eij rqpontecl-
mento.
Desejo a.V.S. toda as wnturas,- por er-j
de V. S. muito respeitador e ubrigadissimo
criado.Francisco Bennguer Cesar dee-
nezes.
fV> 9TT
WUMERCIO
T^rv
aTTENCIO.
Srs. Redactores, -r Em um dos dias jfr sera apa
passadaa deparamos, d'eDVolta com o po.qaj roas,
,um 1 rpmundo papel escripto com orna Upguagem
inconveniente e desabrida ; (como se ser a de lo-
do pasquim) a assigpatura que se le por baixo de
lie revela bem a sua ndole e natureza.
As pessoas victimadas nessa nauseabunda publi-
cado teem, por sua vida publica a particular, con-
seguido pr-se muito cima do alcance das sellas e
golpes da maledicencia.
Assim, oioguem dir' em boa copscieneja, que o
Exm. Sr. deserabargador Domingos da Silva lenba
decahido no concito dos homens de bem, drpqls
que esse nauseabundo pasquim, sahindo do charco
de podridao, onde originou-se, e rojando peUs roas
vtio moslrar:se api oaos dp urna popplaco Inei
ra, que, fiheja de usta indigDa?o, repelw o corp^
popta dosps. -
oioguem dir', (temos plena covieco) que o Sr.
Armonio Pauliooj mui.dl6tincto alumno da faculda-
de de direito desta cidade, ha de ver entraquecida
a repqtacao Iliteraria, qae tem sabido conquistar
em meio de seus condiscpulos, por sua aecurada
applicacao. e sobre todo pelo seu reconhecido ta-
lento, do qual sempre tem dado provas em .todas
as luas escoolastlcas durante um trociul*-tlej.rs
annos.
O Dr. Cunha e Figueiredo Jupiar, disuado d'en-
tre os mais distinctosadvogadus do oosso foro, na-
da perder com o conceilo que de S. S. fez .0 des-
apuntado pasquineiro.
E em que teri soffrido o crdito e bom norae
que tanto recomrnendam ao Sr. Joo Fernand) da
Cruz ? O seu passado.de funecionario publico e de
nome 71 particular, da' um eloquente testeraunho
de sua honradez e intereza, e garante Ihe ao mes-
mo lempo o respeito consideradlo da opinio.
E' assim que pensamos.
Ja' v portanto, Da.-iliaoo de Magalhes Castro,
que, por mais que'faca o seu illuslre advpgado, por
mais que elle conjure em seu favor os mais pode-
rosos elementos, nao conseguir' jamis reslabele-
cer a autonoma, de seu aotigo crdito.
F. Publicares a pedido
Desde enlao a lufa nao foi mais somante dp ver-
dugo ontra p condeiro : foi de braco abraco. A
iberdade nao quiz mais camipbar pelo sacrificio,

.....Ul^l .

femmunieados
Assim como os faltos qne npreeedente artigo
obserarj*; to ha ohtro algurfi donde e possa
indttprrroe oVotejjtanHsshno- saja favra.vel i 11
berdfcde'*
tholic?r
dV> eaf
qrwap
sal l mea'
ftitM uiveYsl, ia\)aah onidade a religiJo de leso*
() Vide Diario n. 40.
meio de sua salvacSo.
O Sr. Braga com loja de ferragens na roa
qrrappaMjreciamente 3*^0 Z ^'oslcDerDos Direita, foi desengaado por dous habis
deixar.ua a ivraooja de lado, e rcvoltarajii-=e coa- mdicos, acha-se bom com o tratamento por
tra o precelto da igreja. rflim prescripto.
Entjo os lyr,apnos flzeram-se ebristps, e em pp-1 ra Jprrmvma Mara ra r^nfpir3n mn-
me do christanisro alac4ram, nao mais a phns-1 M**i' ,Z y \Tu ^.WWWQ, mo
tandado, mas os ape.eram inepos a' upidade da radora ua trav^ssa do M.onteirp n. lu,acJian-
igreja, a1 liberdade eoliocadaf.-a de seu campo. do-se desengaada, tarnbem raim recor-
Eniao a tibrdaoe prociamou-so co,ntra o cajho- reu e acha-se re-tabelecida,
ISai^\mom0ba,terarnm ^'^ w',0,,d?'!,0 "" i Um sobnoho ,do Sr. professor oe Na-
Des|a.ai)Qp^tiiLdade pap parpi^p^aisse- J*-4o Cabo, acha-sebom, como &e v de
nao por ci'ma de 'ca^a'yres, e'ftajjliada'desaDgue- sua carta abaixo transcripta, alm de outros
manchadaDesde enro os typnoi pao persegu- factos, que poderia aqui mencionar.
fo"a' P^er&Ds6 ^U^oTr^' ^ ht^ica a <^ruicao e J magreza
contrario do slo da igreja catho ica, que tomarm W toaO porpo, em consequencta de chagas,
sob sua proteceo, combateram a liberdade era no- tubrculos e Cuncrecfo dos bofes e de em-
me do tatnoiioismo, (asando eorier ros de sangue,' pyema, atrophia nervosa e outra* molestias
VttXJSSSSrt0rt0ra9: e_pawcia1""' i6 vciam os humores, coma escorbuto,
Anda bem o etmstianismo nao tinba deetraido alporcas, gallico, astbma, bextgas, sar^inpo,
a escravido, dividida a sociedade obrisl, a escra- etc.
tipio t* instKoio de povo ; e na se tevaniava Na phtbysioa, ebaaando ao estado de Ira--
antre oh prdprios pavos chrlstos, insumida pelos idade o nne mnitn noria fttncnrrpr nara a
tvranuoj qua .vieren) am deresa da igroja 8a a k- Ir" ", IP6*10110 Poae ooncorrer para a
berdade se proclamava ra da groja e contra sua Salvacao do doente ajodar OS JftedWqameflr
unidade, os tyraoos que vieran) eao defesa da kjaa- tos o ar do campo, exercicio conveniente
ja, tiveram torca para instituir da novo a esoravi- e dieta, a qual nao deve ser de nenhuma
dao; e a igreja, coja auna em fivbr da liberdade cousa auer,tp on ,ie Ap.tff.w rliffPct3n o a
era o se(Trimento resignado pela rniodos.iyraos, r""^ 4"Iie, ou ae uemcil aigestao e a
delxando de solfrer, e pelo contrario, em sen nome bebida cumpre que seja de nature branda
sendo perseguida a liberdade, se torada impotente e fresca,
contra & tyratnta. Todo o seu alimento se ha deldiritfir a
A imnreosa mal veio remediar males tao gran- mnd*rar acrimonia Ar* hnmnrS o
des, fazendo com grandes difflculdades romper al- moaerar a acnmon a dOS ttumores e a nu-
gum wuto ,a .wdade eptre tapaos 3uibu,us e con- Vit e s,us,ter o penle, ara p qpe preciso
fusp. 4lasapssar.de 130 grande Jepjjdao no a- reduzi-lo ao uso de vegetaes e leite.
rainbar da liberdade, em gratos j|i|kea de annos Toda comida e bebida, que se tomar ha
antes do Christo, nunca fra fembrado bapir-se a d 0- fim nnnf,s nnrrrJM nara vitar nnJ
escravidap; abeja os ppvos christos oaPs des- JJ" !^ Poucas Prc<>es, para evita/ que
upidos, e cp* tapio majs vagar a aJeaoaro quaptp WSW do cbj.lo .fresco Oppcima OS bofes
maior a dis idencia na f; e nao obstante epeaya- e accelere muito a circulacao do sangue.
guentada e difflcii, a ibe,rdade fas seu eamioho Muitos doeotes desta mfrfeetia se teem en-
^X:^^^**" ^ ^0 uso 4olW de^d deWhao,
Sea p-istandae anida em o*;ffejie, omp e WH8 pr^p^a^MW ,dfi reamas e palsaoiS,
de pricipio, s* enservavaie, orao serla rapo- sem eme del]s .tenhain tirado proveitoj e tabeleclop, por:ta.Qto, nada sent, tedo des^
tente a tyrannia cppt?a a iiberdad.jr algns expoitore" de medicjpa combatem' apparBCKtenotedo a tosse, tem muita (Jispo-
!uc hilo com rauit' 4a3 ^ IflHlfyo- sic5 comida e acha-se nutrido. Deixou
^^^ h cosiume carregar o estomago dojioen-' tomar jfe-'.tiltimos remedios que V. S. recei-
"PPtst^Tt^ te com mf4J#Wfl)toakflJs^8-^balsamicos; tou no dia 30 do passado.r esta agora a V.
jporm estes em vez de tirar a causa aug- S. maedir-ipe dizer qual adala que o
Jos da Rocha Paran/tos.
11 <
HUMA VIDA SALVA!
E' elle de
^p^^""danKr^coBo larovacildigesHo, agradavel ao paladar eaool-
pe de .roame.salva, como *e v da caria phato- Algpqs mdicos de&ia cidade e da
impressa no Jornal to Recife de 0 de feve- de Macei o teem recommeodado para a cu-
reiro.de. 1863. ** '
O esclavo Emilio, do Sr. tepefttercorppel Impigens, nha, escrophulas,
Rodoipao Joo Barata de Almeida, fot tam- Tumores, ulceras, escorbuto,
bem desengaado por habis medicas,-e Caeros, sarna degenerada, Huxo alvo,
com o xarope de vellame aoba-se complet- Todas est,s affecc5es provm de urna cau-
mente restabeleicido, como se t tambem sa interna; nSo ha pois razao alguma em
da carta impressa do mesmo Sr. tenente- crr que ellas s podem curar com remedios
coronel-no mesmo Jornal do Recife. externos. Tambem se presoreve o xarope
OSr. Antonio Cbrisapo Fogt, filho do alchootico de veame para o tratamento das
Sr. Cristiano ,ogt, praprietario ,e 66!be- alfecces do systema nervoso e fibroso, taes
lecido na cidade de Macei, o primeiro bem como:
conhecido nesta cidade, pois que foi empre- Gotta, rlieumatismo, paralysia,
gado na casa do Sr. Leoo Chapellin, retra- Dotes, impotencia, estenlidade.
lista estabelecido na r'ua da Imperatriz, ac- Marasmo, hyoocondria, emmagrecjmento.
commettido desta molestia, foi daqui desen- O sarape alchoobco de veame e. sobre
ganado por habis mdicos: retirou-se pafa tudo, da maior utilidade para curar radi-
ca Bahia, ealli continuou em tratameAto ate;clmente, e em pouco tompo o rheuma-
dicos dalli, ebegaodo eu em Macei, um] Adverte-se^ue o verdadeiro xarope s se
amigo pedio-me, que o acompaohasse at a vende nesta cidade na botica cima indica-
casa do Sr. Christiano, para ver um doente da, do abaixo assignado; e em eutra qual
e prescrever-lhe algum remedio, encontrei | quer parte que se tem annunciado n5o da
o filho em urna cama desanimado e-em es-,mesma composicao, e nem o abaixo assigna-
tado de prostracao, pojs flue escarrava sua- .do se responsabiUsa
gae, e tiqha coinpUr inapetencia e fraque-1
za a ponto de nao se poder por em pe, no |
fim de urna garrafa do xarope ethereo de
veame j se achara elle no estado de pas-
seiar em casa, desaparecida a mapetoocia e
os escarros de sangue ; e a tosse mitigados.
No fim da segunda j achei eva estado de
faze-lo passearpelo.sitto todas as manhas.
Acabada esta o aconseluei, que continuasse
po uso do mesmo xarope etberio alternado
com o xarope alcoolico de vellame, e que
usasse dos banhos salgados na pancada do
nwr- Sentio elle dos prUnejrps Jjanbo*!-
guns cho |ues, mas eu o aconselhe* qoe con-
tinuasse, com o que se tem dado muito bem
pois que tenho recebido cartas de Macei,
em que se me coramunica o sea bom estado.
Nesta molestia os expositores de medici-
na nao aconselliam baohos salgados, apenas
quando delles tratam, dizem ser applicados
as escrophulas, hypocondria., estherismo,
amenorrhea, raclhismo, etc. ; eotretanUr*vi
este bom resultado no filho do Sr. Cristiano, |
e outros fados iguaes tenho visto as om- j
leslias sipljylilicas, e outras muitas que com.
o uso do xarope alcoolico de vellame tem-se
obtido cora radical.
O Sr. Dr. Silva, medico hbil de Macei,
depoisde ter appJcado a um seu doente de
rheumatismo o xarope alcoolico de vellame,
logo que elle se poz em estado de largar as
moletas, em qu andava arrimado, o aconse-
lbou que continuasse com o uso 4o mesmo
xarope conjunetameBto, com os banhos sal-
gados, com que se tem dado muito bem, e
um dos mdicos que al li em Macei tem com-
pela eonfianca as preparaces de vellame
por mim feitas, pelos boas resultados que
ten obtido em-sua dioica.
Quando alguem se v com tosse yai ao me-1
dico, este o examina e declarao senhor es-1
t affectado do% palmes-o doente desani- j
ma com esta sentenca, entende estar sem |
majs cura, quando os fados e a experiencia
teem demonstrado qne muitos lando procu-
rado a lugar apropriado, se teem salvado ;'
3 assim explicam muitos expositores de me-!
dicina.
Ora, nessa provincia temos fadlidade bo-
je e recurso do ar ; por que a via frrea
nos proporciona, pois qoe em pouco tempo
urna pessoa que existe nesta cidade fcil-
mente se, transporta para as ultimas estacos
de Gameleira e Una, lugares perto do Boni-
to e de outros pontos que sao considerados
sertao, quanto mais que os mesmos lugares |
j nao sao mos, segundo pens, principal-
mente no JerSo.
Mas dir-se-haorna pessoaipobre nao tem (
meios de se transportar e qf estara isso
se responde, que naqells lugares exislem
casas vasias e alugam-se por prece commo-
do, e mesmo muitos gneros de primeira
necessidde al|i se vendem pelos mesmos
precos que aqui.
Aquellos, pois, que estiverem nestas cir-!
cumstancias, eu Ibes facilito explicar os meios
pelos qnaes se devem reger, e }hes fproece-
rei os medicamentos gratuitamente,
Nao deikarei d'advertir ao publico, que1
as nu'nhas .preparaces d_e veame sSo rea-
nidas com outros ingredientes, e com elles
tenbo obtido ptimos resultados: nao se en-
gae o mesmo publico pom outros goe por
ht se nnciam, cu^as preparaces ignoro,
assim como o aproveitamento aos enfermos,
a quem porventura tenliam sido applicados;
cada om responde por si, e eu affirmo com
verdade o que aqui tenho relatado, cujos me-
dicamentos nesta provincia s vendo em m-
nha botica Da ra Direita a. 88. r
Jos da Rocha Paranhos.
Nao tomos conhecimento algum de nenhnia
caso qae to perfeitamente mostr d'uma ma-
neira a nuda clan e persuasiva o poder da
Sciencia Medica sobre a molestia; qual seja o
de Antorio Joaqctm Pkreira, da Babia.
Este homem infeliz baria mais d' um armo que
soffria aa dores as mais atrozes e pungentes
proveniente de
Treze
Terriveis Chagas iberias
eepalbadas por sobre difierentes partes de sen
corpo, sendo urna das quaes sobre o peito do p
urna fonda e maligna cbaga, a qual o privara
de. andar, csuzando-lhe as dores as mais agoni-
sant/ i quer de dia quer de noute continuada-
mente atormentado por taes afflioeGeg e dores,
e quasi que aborrecido da continuacio de sim-
ilbante vida, tendo posto de parte toda a f
eonfianca emmedflcjna, e na realidade parela
qu para elle nao lhe restara mais espranos
alguma; assfan pois resignado esperara con-
paciencia o termo final de seus mutipUcados
soffrrmentos, eis que milagrosamente por for-
tuna sua lhe receitarao o grande purificador
do sangue
A Salsaparrilha
DE BRISTOL
mediante a sua grande eficacia e excellencia
elle se achou entro de pouco tempo, livre de
seu irremediavel estado de desespero, e a doce
e risonba eaperanca tornou de novo reviver
em seu concito; sob a po deroza e benvola in-
fluencia deste adminvel medicamento, as suas
chagas em breve principiarlo assumir um ca-
rcter favonvel diminoindo o aspecto de sua
malignidade. A mu do sangue e mais
humores do systema tornou adquirir urna
apparencia clan e saudarel, as dores ator-
mentadoras d'outro on o deixar&o, e-ama doce
e suave tranquillidade principion precorrer
todo o seu systema, restaurando-fhe a desejada
paz e socego d'espirito; as chagas urna urna
se forao fechando at que finalmente se cica-
trizado d'un todo, e hoja acha-se perfeita-
mente sao, gosando d'um perfeito estado da
saude, depois de se ter visto privado Veste
grande gozo durante mais d'um anno. Elle
durante esta sua cura,, apenas fes oso de
Desasis garrafas da Oennina Salgaparrha
ds Bristo], preparada exdusivamento por
LA3MAN & KEMP,
De NOVA YORK.
Recommenda-se mui particularmente aos
Doeotes d ambos os sexos, que empreguem
toda a eautella aa eseolha Peste adminvel
remedio, aflm que nao obtenhSo outn com-
posicad qualquer, que nao seja Salsaparril-
ha 0nuina 4e 3Bristol, pois que todas as
mais prepancoes e imitacoee desta nstureaa
sao falsas nao possuindo rirtude algum.
Vende-se as boticas de Caors & Barbosa
eC. Bravo d-C.
Naereth do Cato, 7 tle setembro de 1863.
Illm. Sr. Jo da B^cha^aranhos.Ccm
o maor prazer levo ao conhecimento de V.
S., que o doent que V. 8. acha-se admi-
nistrat-rae !r'edios, acha-se no todo res-;
laeaj.
vwelro. *
As 3 1|2 horas da tarde.
Algodo i' sorte 170fXLa.tA|rHX> por arrof.a.
Cambie sobre Loadre Oi pista 28 18 d. por
ifOOO
Cambio )bre Baris-33 rshnajr franco,
uesoontosliOrO ao.aaaio.
Pretende,assaear para LlverpojV-30| por tonelada
um primagaa.
VQbfjMiq Jnior,
^dente.
veira
tario.
Vovtt banco de Peroam-
buco.
O Novo.Banco desconta letras a 12 por cenlo
ao anno, toma dinheiro. a praao -flxo oa em costa
correte pelo premio e eondicoes que se cci^en
clonar, e saca sobre a praca da Babia
Calxa filial do banco do Brasil
em l'ernambnco.
De ordem da directora se faz potico que o
tbesoreiro desta caia se aeba auorisado a pagar
o dividendo do semesla indo em 31 de otero bro
prximo passado, na razao de 13*000 por-ac^o.
Caixa filial do banco do Brasil 15 de Janeiro
de 1866.
O gn*#e-lvre,
Ignacio Muses Ctrreia.

ALFAffDEOA.
Renfcmeoto de dia 1 a 21...... :aO:il73i
dem do du 2............... 5P:288177
o28:415#91l
MOVIMENTO DAALFADEGSA.
Volumes entrados com faiendas.... .,
t com geoeros..... '-''
------Oia
Volumes sabidos cem faiendas..,., 261
c com generes..... 571
832
Descarreaam boje 13 do fevereiro.
Barca iogleza Imperador farinba de trigo.
Patacho nacional Jacoaiao farinha.de trigo e
mais gneros.
Barca porlugoezaSfauron^a diversos gneros.
Brigue portogueiUniodem.
Barca portugue*a Constante 111 dijrercos g-
neros.
Escuoa inglezs Oraclecarreo.
Polaca hespanbolaiit/tacharque.
Brigue hespanholMara Ro6a dem.
Brigue nacionalFluintsenseidem.
Brigue argentino Volanteidem-
Surpaca argentinaaova Nympha do Prole -idem.
Polaca a/genlinaMontevideoIdem.
aatacho ptiriuguezr-Joifidem.
PBrcanaciooaltiu^rahinidem.
lmporiaco.
Vavor americano North-America, entrado de
New -York, mamfestoo o seguinte:
20 caixas maebiaae para algodo; o barSo do
Livramento.
1 caixa com 1,000 pataees; a S. T. Bastos & C.
1 dita livros; a S. P. Jobnstoo.
4 dilas ditos + a Sieplens & C.
1 dita igrjora-se ; a Saunders Brotbefs.
1 dita meroadorias; ae commeodador Antoaio
Joaqnim de Helio.
Sumaca hespanhola Nora Carlota, entrada de
Montevideo, consignada a Bailar & Oliveira, ma-
n festou :
2,916 qnintaes de carne secca, eSOeenros de
poitro; ab mesmos.
Vapor nacional Gerente, entrado do Para, mam.
feslou:
Po Maranho
50 caceos mirbo, 33 dlos farioha de mandioca,
1 embrmho encommendas ; a A. Aiateida Gomes.
2 volnmes encommendas; a Joo Perelra do
Reg.
1 caixote dilas; a Luiz B. da Fonca.
1 eaixa ditas ; ao Dr. Araripe.
1 barrica ; a Azewdo & C
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAR GE-
RAES DE PERNAMBUlfO.
ilendlmento do dia 1 a 21...... 28:083*194
ldemdodl22................ k40*Ci(K>
9:SS3199i
CONSULADO PROVINCIAL."
Rendimento do da 1 a 21....... 122:91833 H
dem do dia 2|.............. 7^593334,
130:777#876
MOVIMEHTO DO PORTO
Navios entrados no dia 22.
Baha12 das, escuna hollandeza Speculant, de
182 toneladas, capilo Nyland, eqmpagem 7, car-
ga assucar -, a Brandi a Brandis, velo buscar
dous tripolantes e seglo para Rolberdam.
Rio de Janeiro 21 dias, brigue inglez Surppreza,
de 228 toneladas, capilo Tarker, eqoipagem 8,
carga em Lastro, a Soulhal Hellors & C.
Rio de Janeiro24 dias, barca belga Sovhie Theo-
dorine, de 444 tonelada, capilo I. Homboslet,
eqoipagem 11, em lastro ; a Tbomas Jefferies
& C.
Rio de Janeiro- 21 dias, patacbo porluguez Fer-
nandez, de 236 tonelada, capilo Joaquim da Sil-
va Reino, equipagem 10, em lastro; a Antonio
Luiz de Qliveira Azevedo & C.
Porlos do norte.10 dias, vapor nacional Gerente,.
de 556 toneladas, commandaate 1 tenente Ar-
naldo Siqueira, equipagem 44, carga diversos
gneros; a Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
&C
Navios saludos no mesmo dia.
Rio Grande do Sp.1. Patacho nacional Grora, ca-
i-ilo Apionio Alves da Silva, carga al.
Lisboa.-Brigue pprloguez Bella Fiyuetrense, es li-
lao Jom Coria de Carvalho, carga assucar e ma-
deica.
Barcelona.Sumaca hespanhola Vicente, capilo
Gabriel Marii, carga algodo.
Canal.Escuoa ingleza Magadore, Paeket, capilo
Frnar, carga assucar.
Liverpool.-Barca ingleza Charles Wooa, ajiitao
John PurJy, carga.algedo e oujros^peros.
MaranJjo.-Hiate ipglfz Agte Dama, capilo M.
Purnes, carga parle da que trooxe deNjev-TotS-
Rio-Grande do Sul.- Hiate nacional Alberto, capi-
to Francisco Paulino da Silva, rarga assucar.
Bucnos-Ayres.Escuna dinamarqueza Juno, capi-
lo Mulder, carga assucar.
ED.ITJ.ES
ir\Wl>,
w
11
' "'/* fl'll
paiaip
Srs. redactores- A dias corre nesia cidade, o
*W^J*iar|d^asaaaa4poDr. joii dajraho
4 Mjifiarea 4 W*aeiro, ha Qoinao de Caei Leo, se o auton da semelaante boito, leve ub&-
meate #9 vista sondar a impresst o que causara
no animo do publico seraelhaote nc va, para ao de-
pois por em pratica sen nefando intento; apre.-sa- gente e calmante.
mentam-na, esgueotando o angue, aonaes- doenta-devo conservar o por qaaotos tem-
m tempo qoe tifam o apest, relaxam c* pos, ni^Qpajido as comidas que dever
W^eiUfoWWfa.jmmw- asar daqi em diaftte.
Todo que so Jizer para Uafair a tosse, Resbme agora agradecer a V. S. o cui-
alea do exercicio e repwwP ajrWrdo de- dado que tomou no tratamento do mea so-
vej ser Remedios de i?,atprt> acida, deter- brinho, abrxo de Deus, devido.o sea reata-
belecimento a pericia de V. S., e por isso
Todas as dilacoes oa demnrxis sao
pe rijosas,
Quando a enfermidade alaca os orgaos da res-
piraco, a saa marcha progressiva, terrivel e
rpida, e o,doente no deve perder urna hora
em lancar mo do Pettoral de Anacahuita de
Kemp, qdando a tosse, as soffotoes, 0 catarrbo,
6 diffleoldade do respirar annuaciam, qae a
enfermidade comecon a desenvolvr-se e a conta-
minar as delicadas membranas etcidos celulares
dos orgaos da respira cao.
Urna s dse tomada em lempo evitar muitas
tlores e soffrinwntos. Porm por jais .farfftfa-
veis que sejera us symptomas, t**r rnajs artigada
e inveterada que se ache a nulesii, aetn por mo
devflis desesperar.
Os casos repiyados corpp incuraveis peioe m-
dlcos ai mais experimentados e expensles, sao
alliviados e r,utados eHariaa>ea4e, j*>4Mm iso i
deite admirave e cpara-TiAUo^o .balsamo wUmqw-
Nao delxeis. pois, de acudir He JWfl&ediaiaaieii-
te que se aprsente a apprxiaia*io tJ*.B/eimi-
dade, parqoanto exisle ara periodo aa* afsecoe
Saimonarej, em qtie i pwtiiM iofuiiimeaie per-
ar-e toda a flepepanaa. -Nao arNsouis o tos-
sa vida por me3 de mal cabidas dilagfies e Molis
demoras.'
Acha-se a venda as pharmaeias de J. C. Bravo
& C. e Caors Barbosa.
O Dr. Tristo de Alenear Araripe, offlcial da impe-
rial ordem da Rosa, e juiz especial do eomtnereio
n'esta cidade do Recita de Peroambaeo por Sua
Magestde Imperial e constitucional, o Sr. D. Pe-
dro II s qu em Dos guarde, te.
Fac.o saber ees que o presente edital Yirem e
delie noticia liverem, qne no dia vale e seis de
fevereiro do correte anno se ha de arrematar por
venda, a quem mais dr em praca publica d'este
juizo os escravos segulutes : Simplicio crilo
com trinla annos de Made avaliado por om cont
de res, Sisveslre angela com qoareaia annos -de
idade, destilador, ava lado por seisceatos mil res,
Genoveva crila com viole e oito anaos-de idade
avallad) por novecentos mil r-ets, Josta riela com
quarenta e cinco annos de idade, avaliada per qui-
nrieotos mil res, Domingas crila eom eincotita
anaos de idade, avaliada por qoatrooentos mil res,
Maria GranM eriola com quarenta e cinco annos
de idade, avaliada por quatro centos mil res. Os
quaes Toram penboiwdos por xeeocio de Antonio
N^limaeo Morelra Temporal, contra temarlo de
Miranda Albuquerque.
Bolo havendo Jaocaar qoe cobra, o-prienda
aoaliaee a' arrematado ser feita pelo preeo da
sdjBdieeeio aa forma 4a le. E pora qm anegue
ae soobecimea4o de todee mandei pasear o prsen-
le qoe sera' publicado pela toprenaa e afiaao,
nos lugares do costuree.
Remfe 7 ds feweiro de I8M. Bu Secondino
-EHodoro da Coarta sscrsvsote jorameeue o tere-
vi. : eu Manoel Maris Rodrigues do aselmeoto,
escri?So, o ufcserevl.
Tri*So V Alentar Armript.
ODr, Tnstao de AJenear Araripe offlcial da
imperial ordem da Rosa e juiz especial
do commmio por S. *L J. etc.
Fago saber aos que o presente edital wrem
e delle npticia ti?erem qte no rJht cinco de
marco docbrrente anno, se ha d arrematar
t
l
u '
i


"
.
. #*xiev frtr* 4+Wererce* lH0*6
por venda Jtwmnaisiarjjem praapiAlica
Um sitio co oam casa torrea no lugar
do Montff rgiM do Voto da Paneila,
tendo ^dfr-'eeiMfls ftvfttf pftttft de frente
com otftmur epotto dtiTerto na" estrada
que val para o Mnteiro com tr esentos e vate
palmos-de largura, coman porto- denta-
deira com aPtenie-paraa estrada denominad
Caldeireiro, e de comprinfetiti oifflcrttos e
setenta palmos, d um lado divide como to
de tearas d5 Jos Caraettoe o DK Aleoo-
rade, eoladodonorteeomuma t-avessa que
var ao-rto, teMa a casa ama porta'e ddas ja-
nelISSttds oltS, sallas, quartos, costaba/e
um soto com seta quartos, cacimba, bomba
tanque para banho, com estribara e lalrina,
sendo as terra9 reedeiras, avallado em cinco
contos de-res, o qual foi penhorado por,
execuced Ignacio Luiz de Briio Tabordaj
contra Jarge Vctor Ferreira Lopes, e n5o
ba vendo lanzador ma cubra o proco da a va-
liaco, a arrematado aa* feita pelo prego da |
adjudica^ na forma da le. E para que
chegue" a conbecimento de todos mandei
passar o presente que ser publicado pela
imprensa e afinado nos lugares do costume.
Recife 3 de favereiro de 18G6.
En, Manoei Mara Hoirigues do Nasci-
mento, escrvSo e subscrevi
Taislio.de AleBcar Araripe.
a-Jfifc/aC
xjwwswnnw" pi i uiw
Pela mesa do eensalado provincial fe fax
SMt o **,.!2xi? Muem trloU dta* olis marcados para o
mglfc SemBM& caTboeaadocot&ktoifmio de50 re.
-~_ qnlre di sal, de-4 OjO sotn os eSTatf lacio
_._aJWH-lmaaaeia*^nda$e "&: fe^raaa cidade, prensas de atgadSb, ty,
tbTgomt ungaoJiollandez jo*, e.arde. pnttg cgehej,. boteqolos, hotaii, calas de
JZvZ* r caflBIartees e fabrica*; de 8 0D sottiPcoosul_
Nevr-YOt nq, 0^^^ ciruifico*, cartonoave-aeefiptoriosS de
304|0 sobre estaboteciatoDios dewtoroercio ero
Armazera* 11.
I Martt'G K-Akot caixa fTBd
Mate l*m. Bt* a LlodemCWild
Idedr AA S^u. 1 a 3-4*6*'
stioMro bngt*B porluuez Flor
cas
vlndft O.
. 6CW e a retalbo, e trapiches ; de ZOi sobn
sas de billiar e modas; de 200* sobre casar de
oupa feita a aeilios ealraafeiros, e de cambio ; de
t Ided M P F^Suas barriM ftoiajj de Lisboa no* f?0004 00/
Iriga**0ortugae< Ftonnda,XioS6 WpllsaadrFon- ...
fecaJuior.
Idesj-H F-Quatro barjkas-^Wlas-^e-fevr^enjisso, corapahaa-tBOByBH.
Torkfcg patac^ nacionalJnfco^r.^aHawyrora-100 S)ire Lm,, unm nnin 1. agiote de
tor&f. leilo e daaaaade compra e venda de eacrafps
dem3 S P-**taia caixartfnda de LifirpaDt n* de 30 pv+tm** eeaureado em serrteo da al
briguiagJeii^Ji,or*Ju. vareogS: Sattfmarca-Um barril ldoJ*lort partuftieja Laurea ordem*- ^ j *. n de 50* por escravo ganhJitolv, de lOf per callo
de sella dealuguel ; 65 por; dito particular; e a
impoos de carros^nMMUl pertencwtes-ao anno
rioaM^4aJ865 a 1866, 9 tambem 1 emMtre
do imgaotedeO Sbulo consumo de atliacdeott s*
priclpl*-9^rddto!4,' de teverAo Undatro'
Una. do cMsolado proviaciaUp Pernambueo 30
dejaeiro-866. 1 j
crtoniQyCarDeiroJfacb/dawRio*
0'1' Sahira'oestes pageos dita a bftrca portoguezl
an"' (Goostinte BrV, por rtr ptotepto cfoasl t*K'o sea
al-1 carregamento, para a restaste e paeeageiros ira-
T<-lawi#Mel IgnMW 9 Santo escrlptoTio n. 19, oom o
8* r* LIsk premte sa*i rtm brrSrttfo
patach portuguez JOfi'-per 1 ter prte da carg
tratada e *ra o. Fto o>ita ia*>4Ma-se com o
coosignatiClo Jdaqbfrn Josa GoticaTft Beltro, na
roa oo'Vigarioti. 17. prrmotroaodar.
|S>SSr
m ios ^ J:
So da Jajut/**
de 45 por casaiem Parfate Viafn C- saMaa obra o Rio da Jaoei-
ageooias j da rOt^-TisH op a-prfto, qjalqiier goantia.
Para o liia de Janeiro
val sabir com poueos das o brigue Adelatde por ter
a maior parte do carregamewto tratado, o para e
resto que Ihe (alta e escravos a trata* trata se com!
o conslgoalario Joaquim Joa Gon$alves Beltro,
na roa do Vigarlo n. 17, prhneir. andar.
KftUrlN.
dem -F F Baffin barril wzio vlndo de Uver-
aol niOirixue namburguez Bi**ai, a Sauaders
Kotbaanfir C, a ordem. ,_ WM_
Idea>XX 9m lata viola do.I'lo 09 bhgue
fkriufdjte ^paaaJufa, a ordjip.
Han B. n.iWl -fm eStrtH#indft1.deHam-
bargo.aa escua hanpveriaaa Jtairy, k WBfl &
Jist. J ^m a 1 a Administrador. _
J^^E^rniXtoSto S **- A^aasadauletencao achante raaoNdoa-W ; De um sof de Jacaranda, S cadeiras de balanco, 6
viudos de Antuerpia Tesottoa^xa APruy,a (fQgl; JX^Sf^Sfi^^
Id2r-letreiaa38lme*ra|lioVlodo de Soa- e Berna'rl, eravo.de F8cisflo Campo.: qoem,
31 Vaeff & Xa> m> se JQf*OMdirelto aos mencionados eacra-
^ ^S, presentando o titulo U dfl) 10 e conheci-
thamptoD no vapor ing)ez PQri
"dem-letre.ro 537(,um lm\>mM a Go.raaa*j|nu> e taxa, ser >-h*n** do
^f S^^od^rpool aa.br,- ., .,, ^^pT
0 capilao commandante da compa-l^r^f^^'anen^iho viodo dHam'^ ^rGniaraQSO.
Obi a D revisora de .polica abaixo assignado bnrgo na escuaacianoveriaoa, Mara Luiza.*J. Fmda a audienciar-A dJJt8 dbcorftntt.da pro; ^^^ TDCW a. I Vtercftiro andar.
convida aos Cidadios que.se queiramenga- AstleyAC, n.K^ }*W d?s reiduosjescifwao .VasaancaUos.aera o^^tjQ./autons.jj por um sirangeiro
, L?.;l > .lt\i*ma i-nmiinhia a 000 lde-T S.um embrulbo vind) do Havre naj|f-,^0,^^ por ven^a,, ajueovraaia dar orna reDura.se pira Europa, ara' leilo dos objeclos
jar no servico da mesma companma a que cj fnwu ^ a or(Jenu eaaajtaffekcom sola*n. *na Xapuoga,. fregu- J^mV Vncionados existeate. no terttro mu* do
compareci! no respectivo quartel em to- idear-ietrelt^um embreo v.nd3 d? Himbur- zTamkf Isla, faztedo fntP eaajioa, pa a aJ?Am^ca*^Tr^1he B. 14, onde se effec-
" no naesuna bamburquez*aag-m & fornique, a raa da Ventora e oi$> pa Ooa^as Peroam- ^ Q ^ ^ dl> gapradito.
dos os dia* utei, (tes 9 horas da manhia
por diante. Qtiartcl da companhia provi-
soria d polica 10 dbf vereiro de 1866.
Ctfi-z de FYanca Mello Jnior.
"a iospectoria da airandega desta cidade se fz
pnblico, qae aehatidc-se as mercadorhts contl
bnrgo
rJSlV ? twinUa m^p, 1. tofleL 1 cama
de ferro, 3 aparadores. Imnenlo, l aenezia-
na frauce'.as e de qova espacie, 2 bandeija-, 3
mesas, l u|lradf,.I canario do imperio, cas-
tlaes e roaogs, garfos e> 6blrieres"de ercetra
prat, eopos, dillic*(. 101151 e Da sala de jantar
1 mesa elstica para 24 pessQ?,S t apparador, 1
guarda iouc e li cadeiras, ludo de oogueira e
fide excellenle gostq,'
00 JE
s
MEDICO E OPERAHOR
Fenldade de Parla.
continua no exercicio da saa preflsfio,
especialmeqte as. mcjestja? de olbos, de,
vas orinaras a de pelle, para cujo tra-
taoaento jala-se Habilitado- atienta a pra-
tica adquirida nos hospitaes daqu la ca:.
pital, e os instrumentos mais modernos
que possua.
Accoda promptamente a.gaaVjuer cha-
mada para fora da-cidade.
B encarrega-se de collocar olbos arli-
flelaes.
No pateo do Carmo n. 2, esquina da m
roa de Moras, das 6 as (O horas da ma- S
nba, e das 3 as o da Urde.
mmmm-mmm
E5ript* pop
r.
[tas casas de-
comnllicio^aasira dimo qualqojf ascnpturacao
paga meilmeote'ha ra do Ffle n. 20.___
- Precisa-se alugar umi ecfavi> que
seja de boa conducta e satB cMlinaT-' en-
^tttftfltr para o servico int-rno da casa de
familia a ra do Sol n. 21,
- P.-ecisa-se de um.bom cosinheiro ou
'cosinheira i na ra 'lo Crespo n, 8, eaqui-
ua da ruado-lacerador.
de SIGNORET, Docteur-Mdecin
Bue d Seine, 51, A PARS..
trua
9 0. fiieber 4 G. JABanas^om 3 janelfts aafreat9, 3J palmos
demlelrei**, ara erab.ilho viudo de Soa- iarguraa70 daadtiVCQBJporHo no oitao, *sa-
thampion nowpjr inglez Magdalena, a Vaco o> jL gabinete "fe lado, 4 quariQs, cosiofta fora, -----
Nodler.- affnimuradowcora 130 pafmo*. de corapriraepto pe parie (]ocarregamentode Cha avariado
Sem marcaOra saced, vindo de Liverpool oa- a 4j ^ largura! corqasacimba pxopria, casa para,
aacuna>2(imp; a-diversos. baofcocon algfis aeaorllte e com urna, eotrada
Marca-I W4Q2, um embrulliq-ttodo de Ham- pe|0 ,,,. oitor^a lOpaldSps da.largura, estando \ HCana LUCy L. Asuoey.
irgo a pataco diormarquez SQlhiid*,>Linden* fraW0 iravejad, senil o-larreo/j pprio, avaha- sabbado 24. dk ?_evki ibo.
LEILSO
regamento de
por ocecsiio do naufragio da barca ame-
nos volumes abaixo mencionados no caso de serem
ESEmSEtt^ Wif & C. BD m,por 2:000.. A qA ca^ pernee a testamen
a seas dooof ou* wnsunaurios devero despacha- Ideoj-lelrelw um embrulho vaajode Soortap- taru dos fcad Frattiseca v)pr da, Li ma e sua
?a serem Sds porZl$m qoe mes Uqaa i Id,n>-X, un&mbralbo vindo de Hambui^m ^ casa.a.reoiarimanto u> respectjjo testamen
empatia* allegar cootra os eltoitos das,, veoda.; ^^iri^^m^buUntindo de Ham- &
Mirca-B duas pipas com agurdente vindas no' barco n* escua,dioamarqueza Mana, *.lVScha-
navio inglez Se a KmMtoa Pater & C. | WmbG. ^^ ^ ^ ^ ^^^fce.a
Marca-C S P urna, oaixa vidros para vidraga,, ftaDcea.5p/-e> a ordera. ^..
um barril com. manteiga. We*- diamante t d.araan****<**
Armazemn U. vlndo da,Liverpojl no brjgue inglez Lraefla^a
Dos sobrecalentes do uavio bamborguez Alerto, atordea^ ^^
aiu lavatorio de pinbo, urna cadeira usada e urna Alfancjega de Pernama 1S66.
Q 3 es>;ripurano.
oa noiie do da 19 para amanbecer o da 20 do
correte mez. do eogeabe Tiuma, fregueza de S.
Lourenco da Malta, o nwleque Joao, rrioulo, de
idade qoe representa ter, pauco mais ou menos, 18
annos, com 01 signaos seguintes : altura e corpo
regulares, cor bem preta, cara redonda, teSta gran-
de e salieute, olnos grandes, nariz um pouco afiua
do, denles almos a largos, roaos grande e largas,
pernas grossas, pesarandes, falla descancada,
muito esperta e ladfio, dm do lado esqnardo ou
direito urna roturajfotre.ls entelas j este moleeo
te lol comprado envbrjffo ilno prtximo pl-sado
ao Sr. Antonio MarJIns djjaves, morad r na comar-
ca do Brejo da Madre da Bed, para onde s sap-
poe ter segoido : roga-ss as autoridades ou capi-
tes de campo a captara do rnesmo, que serao bem
recompensados, levando n mlOha residencia, do
engenhoTiuma, ou na ra do Imperador tt. fc4, 3"
andar, e qual pertenceota, a Brasiliafio P^soide,
Mello.________________________
Ama de leite
Precisa-se de urna ama, de, leite para, c/jaruro.
menino de um mez, tendo bastante leite e sendo
sadia, paga-se bem, assim como a qualquer pessea
que sa eocarreguje de procurar neslas coodifdjs,
na ra nova de Sania Rita o. 17,1 andar, ou ra
da Traa, n. 78. ________
T.
Por iotervengio de agente Pinto.
No arraazem alfaodegado de baraodoLivramen-
no caes de Apollo
Importante letao de
movis a saber'.
(fis cStasSeguas vfildas.do sprte pelo1 rjm rxcellanle piano de ^caranda, 1 mobilia
Gere^le t^ara^op stjfldiora abaixo de- tambem de Jacaranda com 1 sof, 1 mesa, 2 con-
solos com nedra, 2 epeiras de bracos, 4 de ba-
23 de feverelro de
do sul no va-
cumuioda.
Na saU.
MarcaB & C P n 2316 urna caixa.
IdsmL G sem numero ora sacco.
demW K n 4* urna caixa.
demM R sem numero urna caixa.
Letreiroduas caixae.
MareaA C n. 43 a 66 quatro caixas.
Idvmdiamanie T sem numero tres caixas.
demA P urna caixa.
1-Uo-T G um sacco, moa caixa, um garralao
quebrado.
Arraazem n. 5.
IdernJ F I P urna caixa vrada de Bordeaux no
vapor franc-z Beanu a Laurindo A. de Oliveira.
IJeinUrna oaixa cional Princesa a L. Al ves de Ollveira.
Mt-ni P G V & C urna oaixa viuda no vapor
nacional Cruzeiro do Sul dos portos do norte a
Jo.- R. dos Santos.
demUrna raixa vinda do norte no vapor na-
cioiwi Cruzeiro do Sul a Kalkman &C.
demm embrulho vindo de Southamplon no
vapor ingle Onetia a C. L. P. Relck.
dem O ti D urna caixa vinda
por nacional Ponina a ordem.
IleirjUrna caixa vimt* 00 twrta no vapor na-
iouul Forana a Albino Jos lavares da Silva
L'treir-Um embrulho vindo do norte no vapor
puiunal Cruzeiro do Sul e uraa lata a A, J. rel-
io, j uiaiares. __
. ld.m-Um embrulho vindo do Sal no vapor
uajiuadl Apa a R. Schametbou A G.
Ideui-Um embrulho vindo do sul no vapor na-
ciconal Cruzeiro do Sul a J. Jos Rayraundo.
dem-lima caixa vinda do sul no vapor naci
nal >,u-ami a Mara Jos Cordeiro.
Arraazem n. 6.
Marca-F S nma caiaa vinda de Bordeaux no
vapor francez .Yaarr a J. de Siqueira Ferrao.
Id^.ft-L & B n. 3 a 5 tres caixas viadas
Liverpool no vapor inglez Herchel a ManoeJ
GdOi:a|vel da Fonte. .
Um-GAM dez baxris viudos de Londres
n NftJMftp hollaodez L'fizabef a ontem,
\Ux-C te B um caixa j 0. 69 J doos. aaiar-
ra.l.,s de 11. 2270, 2271, 2272 e 2273 viudos do
ft,vro na galera francess SoVarwpaC. & ?"bos*-
LUm-Diarnaaia G 3 om tone canos vindos de
IfweCiKH oa vapor Inglez linda a Saundres Bro-
ibres & G.
Armazem n. o.
MK-ca Rma caixa vinda da Parahyba, ni
baat| Concusao de Manauaba, a Prente Vianna
liiej-n ItreiroUm embrulho vindo de Usbon,
oa iiarca pwUigueza Mara da Gloria, a T. de A.
I'\ n.-i'oa. ,.
dem'diamante P-raa caixa viada, de Liver-
pool, na haxca inglesa Surncon, a ord
Id-m M L i C m saqca vindo
e
de
Jos
1:400*000
72|480
758i0
56620
40;3O0
MMH
4228400
9:1440M
de Lisboa, no
Joao B^M*.^neir"Kaatevo
Arsenal^ ltwa.
0 coaselho de compras So arsenal de guerra
precisa comprar o *eaiaie :
p ara pro vim mo
10 duaias de tauoas da law assoala^.
5 ditas de dita awarello dita,
2 ditas dita de urna poitegaAa (de amarello.)
1 dicostadinho d*marlro.
Para os meui;e.
20 galoes da gaz.
As pessoas que quizaren, vender ditos artigos
aoresentem suas propostas ia saja do conselno, as
II horas da njaoli do dia %i do correte.
Sala do rtonselhoda compras do arsenal de guer-
ra 21 de fevereiro de 1866.
O eocarregado da esenpturacao
Manoei Jos de .Uavedo Santos._____
Jum dos feitos da fatenda nacional.
Hoje na sala das audiencias pelas 10 horas da
manha na presenca do film. Sr. Dr. juiz dps feitos
da fazenda, contioa a venda em prc> ""blica dos
iU5 (>outiui juim Jos de Miranda, qu< deixaram de ser ven
dos na praca de hontea, cuios beus sao (
seguintes :
O escravo J0S0, pardo, 24 annos,
marcinelro, avaliado por.......
Um par de castices de piala com
302 olla vas, a 240 ris.......
m dito com 316 oitavas a 240
ris.........................
m dito com anglicas com 236
oitavas a 210 ris.............
Um dito com 204 oitavas a 240
reis......................
Doze comeres para soupa cora 212
oitavas a 240 ris.............
Um taboUaro. coa LJ60 oitavas a
240 r*s.....................
A pa/te de engeoaa Brum........
Um sobrado dftres aodares na ra
das Cruzes o. 3A.............. :0e#0 Umdito dcAl HUr no-caes da. ,ft.nftajtnnn
AfollODcJ?.................. 3(L0lWa00O
Recife, 23 de fevereiro de 1866.
Qialfcajia,
F, i, P> flrato.
&pitania~do~|rta *TWaaaaasifla, 2* d~~
fererdra de 18W.
Olllm. Sr. capita virade de ordem di S. Exc. o Sr. cooseiheico pre-
sideate da provincia, o aviso clrcnrar de 10 de
janero ultimo, em qas o Exm. Sr. ministro da
agriaultura, commerclo e obras pablicas, commu-
' nicaado a existencia de urna estacio telegraphica
COPlBttgSO) MM.
5I0 das cTtas Seguas ^Jdas.do om-te
vapor
claradas
Dr. Alfredo da-Costa Mart^.
Belarmincule BaVrosGorrew.
Dmaso Luiz Lopes.
Dmaso Meluiiudes Birata.
Mogato 6aetani)de_ A'irea^i.
oacip NVy dlFonjeca.
Eiwas Gwes. da Sljva.
Mar,tip A^es Bjrgea*
Rodciguesjae Saftza 12).
r-Wi Gwolina.Borg* Leal (Oada).
atyro R^ymado dos Saaos.
in Jos "ale Sata Mavaj.
>

. EBcada carrafa, ai, entre a rolha e o papel aiul
que leva o met tele, um rotulo lmpreuo em ara.
ello com Saii.0 hn-MAi o (wn luwu.
N. B. Rcenen*neua arTra 8* 5M francos
sobre Paria, aceitavel a 60 diaa de vlsla, o mximo,
goza-te do aballmento e do malor detconto.
Deposito principal ^
lo legitimo-Le Roy flsfr
tu Caza do nono nico agente pelo
Brazil a Ssa Arre-
mo Fume : de La-
urda aa Babia -
ipriact>ajrt|r.
utila.*'
'ty^o^zE?
CaiiUHO'bMtL
Peia adminisfracliC do cor|o dfeta cidade se
faz kjablieo pam fios^conjupieaMs, qae em virtu
'e'dTicouten postal ceTebradi pnloi.governos
toaaileir e fraacez. sero"etpe3idas raala< para
jaropa no da.2 da rai$o fio vapor francez
JHMA
Ascarus soro rejeoidas atdua? hars antes
4a que fr maraada aara a sahi> do vapor, e os
iornaes at trea horas antes.
AdmimiitraQaij do orreio de Pernambueo 22 de
fevereiro de 1W6. .
O- admioistrador,
Domingos dos Pasaos Miranda.
Pela adminialracao da correio desta cidade se
faz publico que hoje. (23) as 3 hora* da tarde fe-
charse-hao as malas, qne o vapor nacional adren-
te tem de conduzir" para os portos do sul.
As cartas admeltidas a segure serio recebidas
at 2 horas da tarde, e os jornaes at meio dia.
Adminisiracao do correio de Pernambueo 22 de
fevereiro de 1866.
Dpmiqgo dos Pasaos Miranda.
Administrador.
lanQO, 12 de guaraigSo, 2 grande* espetaos com
molduras de. iacaranq\a, ricos quadros com Unas
gravura*, langv.oara corlna-Vos jarros de crys-
! tal, 1 costu eir com msica, 6 castigues e man-
gas, 1 sof cam 7 atfeiras estofada, tapetes, 1
mesioha de charo, 1 toilet,' 2 ciodieiros a gaz, 1
ioucad<)r, 1 guarda ronpa, 1 cama tranceza, 2 di-
tas de amarello, 1 dita para crianc^ 1 comnioda
de Jacaranda, 1 dita, de mpgna cora pedra, I lava-
torio de pedra m.ar,(npre, 2.e*Delhos.grandes, 1 car-
riu'tio paca, raenioo, I mesa elaslwa, 1 guajrda.lou-
' ga, 1 app*rador, \i,CMfim d. amarellp, 2 guar-
da comidas, 1 porti l^cor, quaftirih??, loura, vi-
1 dros e raulto3 outros objecto,s.
Uiu carro de 4 rodas com cebarla.
Segunda-feira tM tevereiro.
Na Passaycm da Magdalena.
tfimile W\\i tendf de retit,af-#). para Europa fa-
ra' leilo por ioterwnclo do a/eote Pinto de lo-
do .- m .veis da casa da sua residencia na P-assa
gem da Magdalena, terceir depois da casa do ba-
rio do Livraraeniu. as 10 1|2 horas 'era panto do
dia amata dito. O oraoibasas i0 hoBM em ponte
partir' da praga d.o conj'nercio era frente a ma-
triz do GorpO^an^, umo(pn4bus 'que servir' de
transportar os cont^rrentes ao leilo da Pa>sagem
d''jude vollar' as,2,l|2 horas da urde._________
Precisase de urna ama ara o serviQO de urna
pessoa s : na ra da Cruz n. 13, 1* andar.
Precisase de um caixeim para tabenra :-a
tratar na roa do Coto'vello n. 49.
Precia-se de um bom forneiro : na padaria
da ra e*treUa do Rosario o. 13- ____
Alugase ama caa terrea na ra das Flores;
a tratar na alfabdega com Antonio Machado Gomos.
da Silva._______________________________ ,
Ama^
Precisa-se de urna cozioheira, prefere-se capti-
va : no Hospicio n. 36._________________
O major Fabrieio Gomes Pedrosa val a Euro-
pa, levando em sua companhia suas duas Binas,
Maria da Croz Pedrosa e Mana Terctira Pedrosa,
e seo fuho menor Fabrieio.
Na roa Belfa
o. 20 pre
Alexandre Magno Peixoto de
ras da tnanba.
sa-sa fallar to Sr.:
ir at as 8 lio-
LtILAQ
Sem limites ao cerrer da martello por
conta
da diraje^os,
Terca-feira 27 do correte as I i horas.
XO GRANDE ARMAZEM DO AGENTE
Correio geral. -----------------
Os Srs. Dr. Bento Mioervioo da Silva, Job Pa- 48 Vrm#* do Gommet0* *
cleote Bastos, Jos Maria Correia da Naves e Ma- j o agente cima pede aos dono* dos oojecios
SUS forain de Stuaa, qaatram a ao correio exisienies en seu ar.maeen qu> nao qyiaerni su-
desta cidade uara uaeefetffifli caxtas, viadas da Pa- jeixar-se a vende-los pela aior jkj aatido, o od-
rahjfaa:^ ^ i seqnio de retirar ai* a vpera do Wlao ...........
LaAO
Ue tres oa6 le reas a saber .
Urna caa terrea da roa d Calabougo n. 30, qae
renjfe 168.
Claudino do Reg Lima e seus filbos Clao-
dino do B>ge Lima Jnior, Antonio da Costa
Lima, e Jos da Costa Reg Lima compene-
trados de dor pela sentidissima marte de seu
jtnw ut"''.5'a:iuoado Aunostg Bafakad
d'oiiveira, maraafli em lesiemonfio de sua
dr, celebrar urna missa na Igreja de N. S.
do Carmo, no dia 27 do correte as 8 y
horas da manha : e coovidam aos prenles
e amigos do iilustre Uado para aasistirea a
este piedoso acto._____
4-tmq se
J^X1Z Wmir'me a^MlnoenV: no 4>bo-frio, declara ao mesmo ^tempo a modo
brigue_ portugoz l?efa riguirew. ; nnr/uiA devem os navios procedentes do norte.
qoim. Ramos e Silva t Genfos,
Idi m P & C n. ti-Ua barrica vinda de Liwr
pool, a batea maleza, S. D a ordem.
ld.-;n B O-Ura volume vindo de Liverpool, na
escuua in^leza Comedore, a S. P. Johnston 4 C.
Armazem o. 9.
Macea C o. 2 a 18-Qoioze caixas yiodas do
Pon... na barca portoguza Luura, a T. de Aqaino
Fonctra Jnior. ,_.
Me n J F S MUrna caixa vinda do Porto, no
liiij,'ii- p^rtuguez I/atoo, a ordam.
LteJileirairo-Usaa orna viada do Porto; na
turca portugueza Sympathia, a Antonio- da Mtva
CaiOtis. .
iirra A H M-Uma caiaa viada de Liverpool,
na vapor Inglez Amazm, a ardem.
Armazem n 10.
Marfta^ diamanta H F o. 5-Uma caUa viuda no
palhalijte americano L. A. Johtuon.
dem J F AUm embratt v44e eae, ao
vaonr nacional Jaguaribe, a ordem.
Mora letreiroUm embrulho e urna caixa viuda
do non', oo vapor nacional Pers/Buaoa, a Mello
Se cu mrca.-Uma caixa vinda dp Bordeaux, ao
vapor francez iVaearre, a Miguel Galmon Du|>n de
A'Sto!a triangalP G u. 318Q-304-D.tta^ caixas
vindis le Ha^burgo, ao patacho hamburguez
AU'intv.o, a Wijd & Just.
dem w & J a, M-Uma caixa vinda de Ham
burg... no paiacho tianoveriano, flearifc, a Wild &
Jast.
lAtin- A BX Um eaabralbo vindo de Hara-
Lurjo, na escana ingleza 0$pray, a ordem.
Ide-ni SS S a. 3lima caixa, vinda do norte no
vapor n.r-iooal Jaguartbe, a ordem.
Id-m P V A C-Uraa caixa vinda de Haaiburgo
na escooa dinajnarqueza Margareth, a Prente
Vianna A G. ; t ___'.;
dem P Va, 1-Urna cana wndade Hambnrgo
na esuna dio*mare/ieza Aenei, a Prente Viaana
A- G
Sen marcar-Nove volames viudos do norte.no
vawir. Ortcluo4 Jag^aribe, a Jos Rodrigues Fer-
reira.
LeUeiro-Urna caixa vinda do norte oo vapor
nacl< n:l 'ersinunga, a ordem.
Moniunaseaixaa vinda de New-York no pa-
tar.hu nacional Jaboatao, a S. P. Johnsfo.
Marra I, A K o. I328|1536.-Nove caixas vindas
de New York no patacho inglet Doage, a Henry
Borsa 4 C.
i-1 rciMJ-Uin, batv), duas cbapelejras vuidu da
Soutliainptm no vapor iogljz Paran, a orOj
Majr;aVa A *^TfiaU-aia-u- vta4aa.
Y-irk n > Inicua, hamburgt.ea Patota, a
Pj*w' av& G-Dnaa barrim trada de New
York na barca atbaiM 4*BC*. Henry Fors-
'"iem'c A fr o. 50 > 08-Qtutorje caiws tta-
porooe
coramdnlcar-se com a mesma estajao, e no caso
de cerragao ou nonte com a PoiUa-Negra ou a
SJftfkXl'i'Vi.
Gtraatoa-^^laaciana aaao!as4iptcas.- a
aio.m d Jbwerro.-nlstertD dps negocios da
agricultut* Qoiaaaaiicii e-abras aaWioas, asa 10 de
jaaeipo de .Km. eExm. Sr.-Oaamanice a
t. Ete. para qae fega pabcar teasa peavama,
a* ai de cbagar ao eaflaecaeato dos doaws au con-
signatarios dowiaaaa a ae Cabo-Cria exlsa-na
estadio telegraibica pasa a
demandaren! a nansa do Rio
forneoar as infcravtofcs seguiatas:
A saber
, i. o oaaaa do aav o,
%.' A saa pracedeiitia;
3. Oa *a* da ***-*;
AVISOS IMftftlMOS
timil'iiiiw OOBHANfMA WLWAMrMJCAJIA
M
Kt|vcg*a,^siMni inr n&j-
Macei escalas e Penedo,
S^u***dla*tS*a. hoss ^
todo o raatfn PmW** Bece-
he caraa.ata. o co
dtchairo
CmA dita da ra do Palacio do Bispo n. 38, qae
e't'raa dita'ua ru. dps Pires n. 23 qg rende.
<$a\rtai km ibbimm*
-ageata ftata tBaM^to.aaBfiaida, a cawae-
biote auJoffisavo AMtflajM Kttra. cim nwacior
nada?, as 10 horas em ponto do dia cima dito e
mendas, passagaa*, dBhf ro a
__________^. dia da saluda,: oo escriptono da compaabiai For- seu escfieaertoawada.QW1 a. '&.
te do Maitos a> t
Oa^annw PeraainlHacaAit
M
Vareaj^iA coateira par vapr.
Parahiba, Natal, Maco, Aca!y, CBara
Q aapaa tlDianguape, com-
sabira'
VISOS DIVERSOS
ao mam.
raffBQ*aat*
portos an
do corrate
______ Recebe cargi,
27, enconuneuda* a di nheiro a
da Urde do da da sabida:
aat, aquellas que do Matos n. 1. i ____________
Janeiro, devem c DE
A abaixo assignada julga, coaenieute decla-
-paJu aa "r que nao sa reapowsab*ea. por quaotia aiguaia
icaaos no ai ai ao ou val(>res at qaatssquer obj,actos que ei
ente al o dia
e at as 2 horas
torio ni
urna parda escrava para o sarvifia Interno e exter-
ao de casa, quera o pretender, d>r.ija-se a' ra do
Mondego n. 7._________________________^
P^esisa-se
de urna ama, para cafa de ranaz solleiro, na ra
da Cruz, no Recife, n. 34.
""No engedho B>iHfto: btorea 'd Nzarfetb,
precisa-se rte um hitar, e d se bpa paga : a tra-
tar aaquelle eogeobo ou nesta praca em casa de
Leal & Irmao.______
Na raa trita n," ve^ se oeva" de car-
nauba e peonas da ama. m owaos pr^jo do qae
em outra parte.
......i i. 'i. i. i **
' Escrav<> fagklo.
Jo dia 15 do correte, pelas 7 horas da noite,
pouco mais ou meno*, daaaaipareceu da na do Li-
vramenlo n. 4, um escravo por nome Nicolao, ida-
de 21 a 22 annos, pouco mais ou menos, estatura
regular, cor parda e um pouco acaboclado, pouca
barba e toda ereseida, esbeltos caehrados,. levoo
vestido eal?a de riscaiHnbo de quadros, camisa de
chita encarnada e cbpo de pama na cabeja, ti-
nba vindo do sertao, povoajao de Balxaverde,
d'onde natural, para aqu ser vendido : roga-se
pois a todas as autoridades, capites de campo ou
a qualquer pessoa que o possa apprehender, levar
ra cima indicada, que ser generosamente
gralificado._______________________
M
Com
as LIMAS
GHIMICAS DE
F. MOUBTHI, forne
|edor da Caza Imperial do Exercilo
francei, faranfe-ie que qualquer
pessoa podera sem dor ner perigo
'livrar-se de 'seos etlloi. Esta invn-
cao : privilegiada em varios paizes.
reconhecida ofcialmente ettlcaz
por 15 nacfts, premiada com me-
dalhas de i* eS" classe e approvnda
por diversos academias e pelo Ex"
Presidente da Junta de H^ien'e do
[corte. Por ordem do Ministro da
1 uer'ra fi -se em Pa,r,iz experiepcips
[sobre mais de 2000 soldados que
Ificarao livres de seos callos 5 igual
resaltado Coi obtido aa gnarnicSo
do Rio de Janeiro. Mais de 3000
[pessoas. ja se tem curado com estas
[Limas. Aa provas do que sa diz aci-
jma e oa altestados achara-se 110
Iprospectu, que se da no deposito.
[Casa principal em Parit, V Prince
Euqtu, lff, Agefitt para o Brazil,
lo # M. O. ABRANCHES, rua\
J*._4..i . I... s.' i.u Muat'citr um 'w'*11-".
A <-clri<:d;uli> W>ie enpM0aa por lodo o
medirosafain;:
  • s. y;.ra o iialauenlo de rauila
    molestia,'mesdicnvira as qne rcsisteni j oulras
    loitllcace.
    A eWclr'ntede pitxtida pch friceao tem urna
    supaioridade ia^J^iavel, e TmlaReni de nao
    da; abalo, e de poder sergTad.uaila pelo doeute.
    A ansa a n:a!s requenie das molestias a
    cstagnaQa do sanguc ou dos ouiros liquido vi-
    >\:\.-. Rudabl^y:uilo ^ a, eceuUsa no orga-
    1 n 1-ido, curaf^o-su as molestias.
    .<>K!iulo Se seate nl-uma dfcr em qurfquer
    parte do corpo logo, e inslinctivamaite, seerfreffa
    o iu-ar entioloriilo com a ma, c isio allivia. lslo
    eaaRcaortiultmio iecentosjarei qneAeteare-
    duzir um apyarelbo qUcifico. Pr co lemos
    prazeremamiuaciarapIJublicpqWoSiicBuitton
    ade Bivillit-rs res-denle, boulevart du Prince-
    tusue, 18, em l'ariz, (atoa a u rdicina do um
    apparellio Xltctra /la^uaica, sab a furBia de
    anua qscova, cuai u quaj os doeiues te twderao
    (aurarsemi#tHna.i||ra,nieditacae, Os Biedicos
    .que a tem eipericjieivUdo, atteslara qoe
    SaooTA *tCTo Kt&BiiTicA elBca para
    (Corar: OS Rhenmatsmos, a Paralysja, Gotta,
    fraquen do* membrex, t da Colmma *r
    . tebral. dekidade ge ral, f rra!Si5, etc.
    (Estaoe brere cada fami'ia poasuira
    ( aa atcova qe areatara grandes erico.
    i. adido de aairita* pessoas, o aubar decidao-se
    . a establecer um. deposMo de eos apparelhM no
    Rio de Janeiro, em caa do Su Dioica RWi,
    (fu aoM do Owtider, 3*.
    PeranAaco, pharmaaa 'raueeza de
    MaurerC, naa Novan. 18._________
    P.
    k: vssr
    6.' aVaoaaaa rartUaraaeveomnwreiaw.
    gom aiaWScl^^aWaia)laraDwrM
    araaMQHtidaa per mja de sigBaas-Haryta-a
    rtijrida estafan, a luaado os navios aio possam
    ella por causa da naota oa da cerra^ao no
    mar o devem maar paja atoala-Neara, aa para
    Saata-Crui, aa qeuwto estlverem fora da barra.
    PAOIEES A
    E' esierail portos do norte
    me algaem possa tomar, qnr por emprestirao,
    qur por compra em qoatquer estabetecfmento
    b01 dfesta cidade, ou pesffa* *e su anrirade, e pfo-
    3 leste nao pegar taes dafelios, para os quaes tito
    comearn*. Fetiapa Joaifaiaa Qavataaai do Reg
    Barras,
    Msaaaj Murta lsaawaiaalMwa pattaJaraya.
    "^Macoaquin Tfns'1 Belro fetlra-se para
    forado, imperio.
    _IJl
    Precisa-se de urna ama para comprar e coetohar
    e tambem se compra urna escrava moca, citaula.
    ! qoe saia a ra e cosinhe: aa roa. do Apollo a. 9,
    . primeiro andar.
    al o da 6 de)
    Miad, oorara.
    ""ragata ntoi
    ______"irbara, o q
    do costume seguir' para os
    Desde j recebemsapassa
    carga que o vapor poder cond
    ser embarcada na dia de sua
    das a dinbeiro a frote at o di
    c5e exigidas para o lalafaapho.da barra, oa Baby-
    tbwa, lofae^esaijaaaaa oaare,pamlir-aam taet
    asiaroap.
    rWjparde a V. Re.t> Aatoaio Francisco
    mu*Ewm*-*r. aaaiissa da proakwia. da
    co o yapor Po-
    nte a capMo de
    qufm de> Santa
    potada, demora
    s do sul.
    e engaja-se a
    a qual daver
    da. encowaien-
    saUtda as 2 ho-
    riptorio da An-
    9
    a da Parasmbti-
    braftts* 3a~Wr3.Laaaa.Urana-
    ftaecwtarta_____
    COMPANIIA B
    PAQUETES A TAPOR.
    Dos portosa| -sol esperado
    ate o dia 2 de
    canfins, com
    tabele Arauj
    lmora du co
    aa.piiaaaallomv e engaja-se a
    ILEiRA
    sul
    o o vapor T-
    ale o primeiro
    nal depois da
    seguir para
    carga qne o vapor poder condurir, a qual dever
    sf^Kematado era hasta pabliea porta-das an- ser embarMda no dia de sua chegada, eneom-
    dieoclas, Anda a do Jalao da 1 vara clvel. Dr. naaarfM.aolameijro airbate,o da da "*,ai
    Hermogenes, o sitio na estrada do Montatro, perr- j-hora': afeneia iba-da Gr n. I, escriptono ae
    tencente ao casal d) fallecido Manoei da Silva Fer- Aatonio I^lii da Onvajra Aiavede dr & ;_
    reir, contendo nma grande casa de'#, ParaVHIra *e S. Wl^ti*!.
    com 9 quartos, inclusive umgatfloete, cacimba e *";"''
    rauitos p de arvoras froctifara*. sendo o
    a. cada- momelo da lUo de-Janeiro
    'r^SuSir- VJrZZL STpV^dW. o ^-w*. Paramado qoai lera nasta
    slttp todo murado ; cu^a arr- ^J m ^^ apeas a deaaeca.d 10 das, neeebe carfa
    are( pac preso muilo caminado : trata-se c
    dalnventacio do dty7l^do^lvJ,arwa,__
    C amara mualelpal do Heclfe.
    Iroaewu
    os seus caaBtfnatariaa Aatoaio Luit de Otve+ta
    Aaavudo 4 G. no sa asartatorto roa daGraaaav
    ntaro I. _________
    Peta eootadoria da cmara nmniclpal desta ci-
    dade 8e_fyublii qge nos metes de fevereiro e
    marco se recebe "boaoa do cofre o imposto rau-
    auinat.aabnaoaaaw da aagaate, a aqueJIes que nao
    pwtoiaatotMipa to.*i^3)B,,^S mwm.v
    pam tisboa
    forma da att4 3iid Faajriameavo m
    jonho de 1844.
    Gpattorta,t* defeverrtrodet?.
    Castao Sltverio' da SUva.
    Flonnda, que recebe carga a frea:. a.irdta no
    prarja do commem.
    As 6.00Oi(Ol)O.
    Corre seguada-feira 26 do correte mes.
    Achara-se venda na respectiva thesou-
    raria ra o Crespo tt 13, os biUietot,
    raetoa Quintos da- S* parte da 5 lotera
    (49), a beneficio 4 tiaeaVro. de Saata Isabel,
    caja extracto ser no lugar e hora do
    08 premios te O:eOO00OO' at 1O&0W
    swSd pagos urna hora depois da extraeco
    at as 3 fibras da tarde, e os outros. depois
    da distribuido das listas.
    As eftcommendas serSo guardadas w-
    mente at a noite da vespera da extrccao
    como da costme.
    0 the30ureiro,
    Antonio Jos Rodrigues de Soaza.__
    -.(y'pdT murtmi v&s&w+z
    para a.Europa.________________________
    Guiseppe Scunamiglis e Guiseppe Aceto, sob-
    ditos italianos, reftraMi-se para ftpoles. _______
    -.JfetadWa'8oaSiab retirase pafa Europa.
    a. tr-abrfto'asalgnada ra. sciente ao respeta-
    vel publico qoe deixou de ser caixeiro de Jos Ma-
    ra Gmcalve Vletra ftoinnrraes, e agradece o bom
    | tratamento qntf teve datante o lempo que esleve
    em m iitJI n n i na* n?iir~ eesMiaa de vi ver
    atarace para qaalquer
    I aw3xa pattao a rospec-
    raais
    iBluorie
    qualquar rui
    Muleque.
    Precisa-se aiogar un moleque d ,I a 16
    nos para o servido inleeae e exaerno de easa
    pasto : na ra da Moeda a. 33..
    ao
    Moahard & C f.zem scieme a esta praca que
    modaram o sea armatem da fazendas da toa do
    Trapiche n. ^esquina da praga do Corpo Santo,
    para a raa di Cadeia n. 36. ..
    MUDASgA***
    O agente Otympio tran-ferio sen armazem de
    leiles para a vc*H* do eommereio n. 48, aomie es-
    tiwram os Irs. aantard_ot Q.________
    "ITprBclava* de atneotinneira oo coitmeira:
    na ruado Uaparador o. 17, a andar.
    Quera precisar de um criado a, Uh copeiro
    dirija-se a ptata^da^BoarVi^ a- 34.____
    Ptecisa-ae de amaiMna : a-, tratar na raa lar-
    ga do Rosario n. 3o, primeiro andar...........
    Precisarse de urna ama de leUe : aa ra da
    Palma junto a n. 21^
    Gartdes perfeitameota pothogrphaaos conrt
    os retraas de SS. HM. o [mperadtir e hbpetatrix
    do BraatU Rei a' Raiatrt de Prtogl, ssim coma
    de maiios personagens celebres: caixas cota
    sortimentos de aveixas muito aovas em vidros a
    calimbas de diversos taraaohos, oo grande arma-
    zem da EsposieSo de Londres--, rrrt d Cadeia
    da fleoifa a. da ________
    Quem quize *e#4er nm loja de rnindWas
    ouderazendae era hoa.rua, leaao o\ tuadin at
    10:OO, p6d% dMXat o seu nome ara carta fecha-
    da para ser procurad*; o-tia db Queimado a-
    mara 9.
    Precisa-s de"nma ama para casa-da urna s
    pessoa : na ra da IrapetaWz n. 82,2 andar.
    Keoiama&to
    Anda est para veo-W um mulatieho ; "-1 ra
    do Nogueira 4'3 \ rne-nia ca* cft-n^ra-se
    nma casa psqoena da S. Jos oa Boa-vista._____
    r i r i i ilin
    Composta de ulastaacias, goaando das
    propriedades emiaeoieoientB depuralivaa ;
    approrada pelas juritase aeadenitas de ma*
    dicina; usadlos pricipaes hosbilafes, ci-
    vis mitres-e^t iflarinna nasAbTnasa
    no continente americano; receitadapelo
    facnltativosos mais disttnctos do imperio da
    Brasil e da America hespanbol
    CUEA RADICALMENTE
    escrpphulasv rheomatismo, scorbato, en-
    ermidades venreas emercuriaes
    antig, morpbaa a to aa alettiaaa*
    veaientestfam estadovieioso do sangue.
    Emriftanto exrstem varias imiUcSes e
    falsitica5os, prceis a maior cautela par*
    evitar os* engao*
    no bairro
    Aluga-se untescr.iv.i del e ffi boa onlucta, pro-
    prlo pava o sarVIto da cojreir* em casa- eserangei-
    ra : quem precisar drija-a aaa do S*ve (liba
    quem i
    das Ralos), loja do sobrado
    cBlTariz.
    qe Oca confronto ao
    Manoei Pedro de MJd avisa ao respoitavel
    poblico e (am especialidade ao corp> do commer-
    elO, q\iB adhetttu pata socio; d seu estabelaci-
    mento a ra *) Livramen'to 38 s*>u irma-i JoSo
    Pedro de Mello e Candida d CarvaHio Ka vas, a
    cantar de l Se jadeire poitirtW paissad", i(to o
    aaAvo e-paMvoa'til dw Meno,
    .Irmao & C. Recife 21 de fevereiro de 1866.
    Precisase Wlar ao Rvbb*. 9a\ Ajp^ Ado'-
    fo SearaS Kerawetlet na palafito da'Soltele.

    I
    /
    Colirio de S. Joaquim
    | fTeeteaBB *a orna psssaa pura-ewsor do cotie-
    gio de S. Joaqmm.
    mi ii i ......-....." "" "'"'
    Precisa se d um caixeiro, as-iai como ama
    ama para coziniaa e enaommar, iirplere-se escra-
    n : na padaaateaaa Da ana o tte.
    Esatwt para Rlogar^B-ueairo cart terreas
    :de preoo de l*l tO0 e &&\ toda rotn quimai
    cacimba, sitas na roa do Gazonao, cboroute ao

    ------------,-- ^.porfi da fabrica do gas i a. tratar no mesmo
    A legitima salsa de Bristol rende-se por ^w< ti
    CAORS 4 BABAZA Dwcua.Mda.ama ama- paa^ca*wda aKa
    JOAO DA BRAVO & C. (fcaim par ea^ommlr e aoilafiar : as< ra *
    #) da-C. BWM C ntospicio a. .
    do
    . niminaiui


    *tr
    Diart* de A'etMiaiM cita fIr 4f a*Cl*fMla i W&
    - r
    A NACIONAL
    Compaonia. geral hespanhola de seguros mutuo
    sobre a vida
    AUTORISaDA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE i 859
    lna lauca em dinheir, depositado nos cofres do estado, garaite a boa id-
    Mi nistracao da companhia.
    BANQUEIROS DA COMPANHIA" DIRECgO GERAL
    Baocn de Heupanha Madrid: Ra do Prado a. i
    Esta companhia liga pelo systema malto todas as combinares de supervivencia dos segu
    ros sobre a vida.
    Nella pode se tazer a subscripto de maneira que em nenhum caso mesmo por morte do
    segurado se perca o capital neni os jaros correspondentes a estes.
    Si* lio suprehendenles os resaltados que prodozem as sociedades da ndole deA NACIO-
    NAL,que anda mesmo diminuindo ama terca parte do interesse prcduzido em recentes liquida-
    cees e combinando-o com a mortalidade da tabella de Depareieux que adoptada pela companhia
    para seas calculase liquidares, am seguradlos de idade de 3 a 19 anuos, ama imposico anona,
    de iOOp produx em effectivo metlico:
    - iNoflmde Sanaos.......1119*300
    de 10 i.......3:94211600
    Irritado dQ&piihsader. angi-
    nas, tosse, escarros de
    sangue, crupo ou garro-
    tilho, catarro, rouquid&o
    e todas as innuraeravei molestias que affec-
    jao aos orgaos da respirarlo
    DE8APPARECEM
    ediahte a acc5o da balsmica e irresistiv
    ANACAHUITA
    de 13
    de 20
    de 28


    .
    .... 11.208*200
    .... 30:290*000
    .... 80:331*000
    as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais considera veis.
    Prospect )s e maiajnformacdes serlo prestadas pelo sub-director nesta provincia,
    oaquim Fiuza de Oliveirt, roa daCadeia n. 51, ou a Boa-Vista roa da Imperatriz a. 12, estabeleci-
    mento dos Srs. Raymdndo, Carlos,Lejte & Irmao.
    .--------------------,------------ ----------------------------------------------------------------------------------------------------------.......--------------------
    AO GRANDE S. MAURICIO
    PROCESSOS APERFEI^OAIBOS
    PARA
    Tingfir. 11 ipar e lastrar a vapor.
    F. A. SALINGRE & C.
    29 Kua 7 de setembro 29
    Defronte da rna nova do Onvidor (Rio de Janeiro)
    Os proprietarios des'te estabelecimento, o primeiro no seu genero no Brasil, por
    irabalbar com as machinas mais aperfeicoadas para tingir e lustrar, de que se faz uso n
    Europa, e ajudados por alguns dos melhcres oflQciaes de Pars e Ly3o, podem assegu-
    rar seus freguezes urna perfeiyao no rabalho, a qual senao pode chegar pelos proces-
    sos ordinarios.
    Tingem, lavam, limpam e demofam com a mai r perfeico e brevidade qualquer
    qualidade de fazendas, tiram nodoas e limpam secco sena molliar as sedas e as vestimen-
    tas de senhoras e de horneas.
    PEITORAL de KEMP,
    a anacahuita mexicana que d o nome es-
    pecial este iucomparavel remedio, urna
    arvore, cuja madeira por muito tempo se
    ha usado no Tampico para a cura das en-
    fermidades cima mencionadas. Foi tam-
    ben! ensaiada e approvada pela academia
    medica de Berlim. O peitoral de Kemp
    um xarope delicioso inteiramente liyrede
    opio, acido hydrocyanico e outros ingre-
    dientes nocivos.
    A' venda as drogaras de Gaors & Bar-
    boza, Bravo & Ce em todos os estabeleci-
    mentos pharmacenticds do imperio.
    Deposito geral em Pernambuco ra di
    Cruz n.22 em casa de Caros dV Barbza
    Atten^o.
    No dia 3 para 4 do correle mez furiarara do
    engenho Limoeiro, (reguezia da Escada, um cavado
    melado com dinas, cauda e ps pretos, nafleo de
    um dos lados tem o couro das queixadas grosso,
    tem a testa junto a ponta do ocinho um tanto pe-
    lado, bastante aro'ego, anda a passo, furia-pasto
    at meio, e nao tem ferro por ser nascido no mes-
    mo engenho, est fazendo a segunda muda : ouem
    o irouxer ou der noticia do ladrao receber 1005
    de gratin'caco.
    MARTIMOS
    AIug?-se o segundo andar e soto do
    sobrado da ra das Aguas Verdes n. 64,
    lem comroodos para gnmde familia : a tra- fogo~em"ed6cisT mercIdrasTmobias"
    CONTRA FOGO.
    A companhia Indemnisadora, estabeleci-
    da nesta praca, toma seguros martimos so-
    bre navios e seus carregamentos, e contra
    tar no pi inero andar da mesma casa ou no
    Recite armazem n. 38 a' roa de Apollo com
    Fnncisco Ribeiro Pinto Guimaraes.
    K
    AI iiga se
    a iratar na roa do Imperador n. 27.
    n
    na ra do Vigario
    n. 4, pavimento terreo.
    |*0 Dr. Sarment FilhoJ
    R previne aos seus doentes e pessoas de seu &
    ja conhecimcnto que se mudou para a ra Sfi
    * do Imperador n. 19, segando andar.
    mmmmmm'% mmmmmm
    NCANAMENTOS
    PARA AGUA
    Na ra Nova n. 30 fazemse e concertam-se en-
    cnamentos, assim come bombas para agua.
    Aluga-se o 1 andar do sobrado n. 12 da roa
    estrena do Resano, desejando-se escriptorlo ou em
    falta familia : a iratar na roa do Cabog n. 7, i
    andar.
    CAIXEIRO. *
    Offerece-se para caixeiro um rapaz portugoez,
    sendo ou para padaria ou para refloacao : na roa
    do Rosario n. 3, confronte ao qoartel da policia.
    Na praca da Independencia n. 33, loja de
    ourives, compra-.'e ooro, prata, e pedras preciosas,
    e lambem se fax qualquer obra de encommenda, e
    todo e aualq ner concert.
    A,BYVERNAT#C
    3-Ra do imperador-?.
    Deposito de joias francezas por atacado.
    Casa em Pars e Re de Janeiro.
    Recebero directamente por todos os paquetes.
    Precisa-se alugar quatro escravos que sejam
    posantes para servico deuaixe de coberta, pagan-
    do-se bem : a tratar nojargojja Atserabla n. 20.
    Engomina-se-
    com asseio, promptido e precs rzoaveis : na roa
    Augusta n.3, loja.
    Cavalho 4 Nogueira na ra do Apol-
    lo u. 2o, sacam sobre Lisboa e Porto, a
    vista ou a prazo.
    Brincos de cnslal o jiulseiras.
    Na loja de oorivf s no arco da Concelc no Re-
    cife, tem os melhores que ba encastoados era ouro
    Pedro de Almeida GuimareTaotendo tem-
    po de pessoalmente despedir-se de alguns de seus
    amigos pela rapidez de sua vlagem assim o per-
    oitlir, vem faze-lo por meio do presente, e pedir-
    Ibes desculpa de sua falta involuntaria, eflorecen-
    do-Ibes seu diminuto presumo nacidade de Lishoa,
    onde pretende demorar-se por algom tempo. O
    mesmo, durante sua ausencia, deixa por seus pro-
    curadores nesta praca aos Srs Jos Joaqnim Gon-
    calves Barros, Jos Marlins de Castro, sea caixei-
    ro Ernesto Adolpho H. Saldanba, e solicitador de
    seus negocios jodiciaeso Sr. Carlos Francisco Soa-
    res de Brito.
    O Sr. francisco Jos oe Freilas Gui-
    maraes, queira ttr a btndade deappare-
    joi-naUvr9tian H d? nraca._o in.;-.
    dencia.
    Precisa-se alagar um cesiobeiro ou coss,
    nheira : na rna da Iraperalriz n. 9, segundo andar-
    Rlllllllllll^
    Os abaixo assigoados continuara com 1
    2 seu escriptorio de advocada ra do ^
    I Imperador d. 41, primeiro andar, onde 0
    podem ser procurados das 10 boras da |
    manhaa as 3 da tarde.
    Alvaro Carainha Tavares da Silva
    sag Dr. Joao Tbome da Silva.
    COSIMEIBO
    Na ra da Aurora n. 32 precisa-se .de

    O Peitoral de Cereja,
    DO DR. AYER,
    Joao da Silva Ramos, medico
    pela universdade de Coimbra, d
    consultas em sua casa das 9 as
    11 boras da maDhaa, e das 4 as 6 j
    da tarde. Visita os doentes em suas!
    casas regularmente as horas para
    isso designadas, salvo os casos ur-
    gentes, que serJo soccorridos em
    qualquer occasiao. D consultas aos
    pobres que o procurarem n* hos-
    Ipital Pedro II, aonde encontrado
    diariamente das 6 s 8 boras da
    manba,
    Tem sua casa de sade regular-
    I mente montada para recebar qual-
    quer doente, ainda mesmo os alie-
    |H nados, para o que tem commodos
    apropriados e nella pratica qualquer
    opperac5o cirurgica.
    Para a casa de sade.
    Primeira classe..3i&000diarios.
    Segunda dita....34500
    Terceira diu .2,5000
    Este estabelecimento j bem
    acreditado pelos bons servicos que
    tem prestado.
    0 proprietario espera que elle
    continu a merecer a confianca de T
    [que sempre tem gozado.
    Ama de leite.
    Precisa-se de urna ama de leite: na ra
    do Queimado por cima da loja de cera.
    iiiilIIIHIII
    DEPOSITO SE CALCADO
    FABRICADO NA CASA DE DETENCjO S
    Rna Xova a. GI. g
    mt Ahi se encontrarlo obras de di- m
    I versas qualidades, e por preco mu l
    I diminutos, a retalbo e em porces. V
    Wk S se vende a diLheiro.
    mmmmmmm iiii
    Em casa de Theod Cbristiansen, roa do Tra-
    piche-novo n. 16, nico agente no norte do Brasil,
    deBrandenburg frres, Bordeanx, encontraseef-
    fectivamente deposito dos artigos seguintes
    St. Jnlieo.
    Sfc Pierre.
    Larose.
    Cbateau Loville.
    Cbateau Margaux.
    Grand vin Cbateau Lafltte 1858.
    Cbateaa Latirte.
    Haut San ternes.
    Cbatean Saaternes.
    Cbateau Lataur Blancbe.
    Cbateau Yquem.
    Cognac em tres qualidades.
    Azeite doce. Procos de Bordeaox.

    1
    Ama
    Precisa-se de ama eserava boa cozlnheira para
    casa de bomem solteiro : na ra do Queimado nu-
    _______mero 32.
    Aluga-se o primeiro andar do sobrado da roa
    da Senzala Velha n. i8 : a tratar na loja do
    mesmo.
    Qaem tiver para vender ama casa terrea em
    algama das roas da freguezia da Boa Vista ou de
    Santo Antonio, dirija-se a roa do Imperador n. Si,
    1 andar, escriptorio, das 10 aa 3 horas da tarde, e
    ra dessas horas na roa do Aragao n. 32, sobra-
    do, qoe achara qaem pretende comprar.
    O advocado Francisco de Paala Peooa con-
    tina com seu escriptorio na rna do Qoeimado D.
    Jo, i* andar.
    ~ AMA
    Precisa-se de urna ama : na ra Direita, oliiroo
    sobrado do lado direito no fondo da igreja 4o Ter-
    co, entrada pela roa de Agnas-feries.
    Companhia fidelidade de segaros
    martimos e terrestres
    establecida no Rio de Jaueiro.
    AGENTES EM PKRNAMBUCO
    Antonia Luii de Oliveira Axeveda A G,
    competentemente autotisados pela direc-
    tora da companhia de segaros Fidelida-
    de, tomam seguros de navios, mercade-
    ras e predios no sen escriptorio ra da
    Crax n. I.
    *** g wmmm
    N. O. Bieber 4 C, sucessores, sa
    cam sobre o Rio de Janeiro a vista ou a pra-
    zo conforme se convencionar.
    Saquea para a Babia, Para e
    Harn! lo.
    Antonio Jos Rodrigues de Souza na ra
    do Crespo n. 15, saca a vista ou a prazo
    contra a Babia, Para e WaranhJo,
    lINfMIIIIIMI
    Instrucao particular t*
    Ha no pateo do Carmo o. 9, um pe-
    queno estabelecimento de instrueco pri-
    marla cojo professor garante o maior
    desvelo aos pais de familia que se digna-
    narem de admittir all s;us Dlbos Fora
    das boras d'aula pode d professor ser
    procurado a roa dos Pires a. 20, mesmo |
    | para o ensioo de casas particulares.
    !
    Cs senhores estudantes que mandaram bat-
    ear comidas na casa da roa dob Pires o. 32, de H
    S. P. eP.M.S.eo Sr. G., quti at esU data nao
    tem vindo pagar o importe da jbesma, qoeiram vir
    ou mandar pagar quaato antesi do contrario terao
    de ver os seos nomes por extenso al que reaiitem
    asta divida.______________........
    -~ Aluga-se a casa da roa Ioienal a. 74, com
    2 sala*, 3 qnartOF, coiinba fra quintal morado a
    cacimba : a tratar na ra Dirett d. i
    Para a cura radical r cer-
    ta de todaa aa molestias do peito
    e da garganta, tosse, constipa^c-',
    BroDchlte, asma, defluxos, roqui-
    dao, Coqneluc&e, angina, Di p ther i a.
    Esto xarope peitoral o resul-
    tado de longos auno de estudo
    por um dos prlraeiros mdicos da
    America do Norte, e de experi-
    encias minuciosas nos principis
    botpitaes do mondo; receltado pelos mdicos mais distinctos
    deste scalo na sua clnica particular, portanto digno de toda
    confianca, 1, por ser ejftcaz, alcanzando com urna certeza infal-
    ivf 1 o aasento da molestia e arrancando llic ai rsizes, aasim
    dando aos orgaos aflectadoa urna aeco natural e s: 2*, por
    ser innocente e applicaml a qualquer petta de qualquer idade
    ou sexo, ao homem robusto ou crianca da mais tenra idade,
    cada frasco sendo accompanhado de dirrecedes minuciosas:
    3, e ultimo, por nio ser um remedio secreto, poi qualquer med-
    ico ou pharmaceutico pode obter a formula da sua composicio,
    dirigndo-sc pessoalmente ou por carta ao agente geral, H. M.
    Labe, a ra Direita No. 16. ltio de Janeiro.
    Muitos casos quo tinho zombado do todos os recursos
    da scienciu tem sido curados radicalmente com o uso do
    Peitoral de Cereja.
    A pessoas atacadas de tosse, defluxos, Dr da garganta,
    Bronchite, asma, etc., e outros srmptomas da tsica prima-
    ria geralmente fazem pouco caso do ten padecimento at
    que seja tarde para cura-lo. Nao descuidis d' urna tosse
    porque agora parece de pouca importancia; urna tosse
    descuidada chega a ser chronica c induz a formacao de
    Tubrculos nos pulmes.
    Nenhuma casa de familia dere estar sem um frasco
    dste xarope i mo; pois nos ataques repentinos de
    Angina, do Croup, e nos paroxismos do Coqueluche; ou
    tosse comprida a que cstio sujeitas as enancas, nao ha
    tempo de chamar um medico, ncm de fazer remedios, e
    este xarope alivia inmediatamente o poe o filho querido
    sao e salvo, fora de perigo.
    As molestias que esto ao alcance das virtudes curativas
    do TEITORAJ, DE CERF.JA. o
    Defluxos, Toases, Asma, Esquinencia, Bronchite,
    Coqueluche, Tosse ferina ou convulsiva.
    Boquido, Todaa os molestia* do peito
    e garganta. Conaumpco dos Pul.
    mes ou Tsica pulmonar.
    Acba-se em todas as Boticas e Drogaras do Imperio.
    Pernambuco, ra Nova n. 18 pharmacia franceza de
    P. MAURER i C.

    PERFUMERA da casa oger
    Boulerart Sebastopol, 56, DPariz.
    Dez medalhas, a condecorarlo da Legin
    d'honneur e a grande reputacao que tem lhe
    dado o publico, taes sao as recompensas que os
    servicos prestados a industria merecerao a
    esta importante casa desde sua fundacao em
    1804.
    N'um sortnento de mais de 500 artigot,
    as pessoas elegantes escolherao os seguintes:
    ROSEE DU PARADIS, extracto superfino
    para lenco.
    POMMAOA CEPHALIQUE contra a cal-
    vicia.
    AGUA VERBENA para o toucador.
    OXIMEL MULTIFLOR.
    VINAGRE DE PLANTAS HYGIENICAS.
    TINTURA VIRGINALE de beijoim.
    ROSEE DE LYS, verdadera agua de
    Jouvencio.
    CREME LABIALE de sueco de Rosas.
    POMMADA VELOURS para amaciar a
    pelle.
    ELIXIR ODONTOPHILE.
    SABAO dedicado as damas americanas.
    SABAO de bouquet de Franca.
    d* de flores de alcea rosea.
    d* de flores printanieres.
    d* de bouquet do outono.
    d* de perfumes exticos.
    d* aurora, dedicado aos dedos cor de
    rosa.
    d de flores das montanhas.
    d* de cheiro de foins nouveauz.
    d* de bluets cheirosos.
    d* de althea balsmica,
    d* diapr, caixa rica, fantesia pari-
    sience.
    IjrJrJrJrJrJrJnlrrJrJrirJnJ^J^IgB
    .3? ni ^ -Sc 5g
    ~= el~>'*>
    \%i\l$s\ las
    ^1
    Pilulas Catharticas do Dr. Ayer
    OURlo
    PrUao de ventre, Indlncsto, Cons'tlpa^io, Sheu-
    ntatitnto, Hemmorrhotdat, Dir de cabeca, A. Xevrnl-
    gia, mal do estomago, Enxaqueea, mal do Figado,
    Oastrite, Febre gastro-hepatUa, Lombrigas. Eryslf-
    etta, Hydropsia, Incremento do baco.
    Todas as molestias que provm do uso exoeraivo do
    Quinino.
    O mlhor purgante at hoje conhecido.
    Estas pilulas assucaradas sao puramente vegitaes.
    FXOO I PDHrFICO SEM KSBOTntlO.
    ? venda em todas as BoUcas e Drogaras do Imperio.
    * smm ohal,
    H. M. LAE, Hua Dirito No. 15,
    Blo de Janeiro.
    . Vende-se em Pernambuco:
    na
    3
    "O

    i
    B
    er
    s
    n
    O
    3
    5
    00
    a
    sr
    B>
    8
    a.
    38 ffS wo'"
    s,;i
    'SJ! a." =1-,
    ? *
    S = 2.
    =1
    = 9
    32? S

    g.es.

    BJ.6
    B a = s 2. S"
    al5-"?
    ^>.|j
    s5,a,
    os
    2.2.2
    |,
    '* W mi
    * o a _ a a m o
    lisft!
    Ka, 2
    Para
    CASA DA FOBTOM.
    Aos 6:000^000.
    Bllhetes garantidas.
    A" RA DO CRESPO N. 3 CASAS DO COSTUMR
    O abaiioassignado venden nos seos multo te-
    ms bilbetes garantidos da lotera qoe se acabou
    de eitrabir, a beneficio da igreja de Nossa Se-
    obora do Rosario, da freguezia da Boa-Vista, ts
    seguintes premios:
    N. 396 um meio com a sorte de 6:00OJL
    N. 3130 ora meio com a sorte de 500.
    N. 3931 dous quintos com a sorte de 200
    E outras muitas sortes de iOOJ, 40*, e 10f,
    Ospossuidores podem virreceber seus respec-
    tivos premios sem os descontos das leis na Casa
    da Fortuna ra de Crespo n. 3.
    Acbam-se a venda os da 3* parte da 8* lotera
    (9*) beneficio do theatro de Santa Isabel, que
    se extrahir segunda fera 6 do correte.
    PRECO.
    Bilhetes.....61030
    Meios......3ooo
    Quintos.....jjoo
    a> pessaas que eamprirem de 100 ara cina.
    Bilhetes. .-5x500
    Meios......2x750
    Quintos......1*100
    ____________. Manobl Mabtins Fiuza.
    = Precisa-se alugar um preto idoso para servf-
    ?o de casa de pouca familia, sendo de baos costa-
    mos, nao se dovida pagar bem : na rna do Tra-
    piche n. 44, 2 andar.
    GARRAUX DE LAILHACAR & C.
    LBRAME FRANQAISE
    Rna do Crespo n. ..
    LIVROS NAGONAES E ESTRANGEIROS
    ReligioPbilosopbia Jurisprudencia Litera-
    tura Sdeaeiaa e artes.
    Papelaria, objectos para escriptorio.
    Samuel Power Jobnston & CempaDha
    Ruada Senzala Novan. 4.
    AGENCIA DA
    Fundleio deJLow noor.
    ; Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
    jMoendas e metas moendas para engenho.
    Taixas de Trro coado e batido para enge-
    nho,
    Arreios de carro para nm e dons cavallos.
    Relogios de ouro patente inglez.
    Arados americanos.
    Machinas para descarocar algodo.
    Motores para ditos.
    Machinas de costura. ________
    Ama.
    Precisa-se de urna ama para cozinbar e eogom-
    I mar para urna pequea familia : na ra da Santa
    I Cruz n. 52.
    I AUVOCACL!. i
    __ 0 bacbarel Joaqoim Pires Hachado Por-
    tella continua como advogado com escrip-
    torio no primeiro andar da casa n. 83 da
    |S ra do Imperador, onde pode ser procu-
    *^ rado das 10 boras da manba as 3 da
    91 larde.
    m
    Hara Francisca da Rocha, parte ira examina-
    da, faz idete que mudou sua residencia do pateo
    do Para izo para a ra das Cruzes n. 17.
    I CASA DE BANHIISI
    i 26-Palee do Garmo-26
    K No.-te estabelecimento lao imporlante 2ttg
    5 para a saude e asseio do corpo acbam-se s
    R montados 20 banheires, qne sao servidos ggg
    t com a ordem e aceio que para dse- JM
    g jar-se. Quatro destes banbeiros sao espe- a
    R cialmenis recorvados paia stnnoras e por B|
    * isio acham-se collocados em logar reser- S
    g vado aonde s lem entrada as pessoas de *j*
    I urna mesma familia.
    g Piecos de banbos avultos. m
    i banho fri, morno ou de cbu>
    visco........500 jR
    I 1 dito dito de choqoe.....14000 M
    i ^ dito de farello.....1000
    S 1 dito aromatizado.....i00 W&
    I i dito medicinal ser segundo sua qua- y,
    5 l'dade. M
    R Precos por assignatura. jR
    30 banhos por mei fri, morno
    5 ou de chuvisco.....iO^COO S
    R 25 ditos com candes para omes-
    M 1Q mos........104000 2
    12 ditos com cartSes para os ^
    mos.......isjiooo )K
    12 ditos com candes de chogoe.. 104000
    J2 12 ditos com cartees de farello. 04U0O
    O esiabelecimenio estar aberlo nos
    5^ das otis das 6 boras da manhaa as 10
    2, da noile, nos dias santificados das 5 as
    9 i da tarde.
    miiiiiiiiiii
    O aballo assignado faz sciente ao publico e
    com especialidade ao corpo do commerci,que des-
    ta data em dianle deixou de ser caixeiro do Sr.
    Jos Antonio da Costa Valeote, e agradece o fcom
    iratamento que receben durante o pequeo esj ac
    de tres anoos. Recife 19 de feverelro de 1866.
    Hanoel Fernandes do Cima.
    Nos abaixo assignados, membros da firma
    social de Antonio Pedro de Helio & C, eslabeleci-
    dos com casa de gneros de estiva ra Nova n.
    60, tem a honra de annunciar qoe disolvern*
    amigavelmenle no ultimo de dezembro prximo
    passado a socledade que tlnbam sob aquella firma.
    Meando o estabelecimento por conta do socio Anto-
    nio Pedro de Helio, a quera est encumbida a li-
    quidarlo do activo e passivo. Recife 3 ae feverei-
    ro de 1866.
    Antonio Pedro de Helio.
    ______________Hanoel Pedro de Helio.
    No becco tapado da matriz de Santo Antonio,
    na ultima casa, offerece-se orna mulher capaz de
    boa conducta, para coziohar e engommar bem,.
    para casa de homem solteiro, ou casa eslraDgeira
    preferindo-se fra desta praca : quera quizer dirj-'
    ja-se.
    Precisa-se de urna ama de leite : na roa das-
    Crozes o. 42 _________
    Ama deleite.
    Precisa se de urna ama de leite para criar um
    menino de um mez, tendo bastante leite e sendo-
    sadia, paga-se bem, assim como a qualquer pessoa
    tfae se encarregue de procurar nostas coodicSes,
    na roa Nova de Santa Rila n. 17, primeiro andar,
    ou ra da Praia n. 78.
    JrJrJrrJrJrJf-JrJr-JrJ^J^J^,^,.--
    J,
    pjPHARMACirrrW
    .eP.MAUREI- fe
    JANOVANH %
    mmmmmmmmwmm
    AVISO AS VENDAS
    Na fabrica de vinagre a' ra Imperial
    n. 1, protimo a estaco do camniho de
    ferro veode-se vinagre tinto superior em
    | qualidade a outro qoalquer e por preco
    ^T mdico, assim como braoco e incolor.
    Ama.
    Precisa-se de urna ama forra ou eserava que
    saiba coziohar e engommar : na roa da Imperatriz
    n amaro 4.
    ru,"-. A,a8a"se uma casa na ra de Baixo, em
    iinda, tem commodos para familia, grande qein-
    tal com cacimba, est em bom estado : a tratar no
    largo do Paraizo n. 14.
    Precisase de uma pessoa theorlca e prali-
    eamente habilitada para escriptoracSo mercantil
    por partidas dobradas : qoem se achar nestw cir-
    cumstanclas indique seu nome e residencia em
    carta fechada na loja de livros do Sr. Nogueira, a
    ra do Crespo.
    A abaixo asslgnada avisa as suas freguezias que-
    mudou sua moradia para ra Direita, sobrado de-
    um andar na esquina que volta para o becco de S.
    Pedro n. lo.
    ___________________ Hdame Preire.
    Precisa-se de nma ama que teora multo e
    bm leite, e paga-se bem : na ra do Imperador
    n. 49, i andar.
    MODAS.
    Hdame R. Adoor contina a receber por todo
    os vapores chapeos para senhoras e meninas, do
    ul.imo tost de Pars: vende sa na ra do Impe-
    rador n. 48,1 andar. ________^__
    "^"Precisa-se de um caixeiro que tenha pratica
    de padaria e que d fiador a sua conducta : em
    Santo Amaro, alraz da fondicao. na padaria.
    ATOlSiRIICAXi
    Na ra da Florentina n. 36 prepara-se coraide
    com aeeio e promptido e por preco razoavel:
    qoem qdlter dirija-se. ______
    Aluga-se nma eserava para o servico interno-
    de uma rasa : a tratar na rna de Santo Amaro n.
    8, das 4 horas da larde at as 61
    Offereee-se orna mulher para ama de coli-
    ndar e engommar : na ra da Senzala -velha n
    108, andar.___________________
    A Meneadm
    Na ra Direita n. 14 precisa-se de um offlcial
    de funileiro para ir para o mato lomar conta de
    uma offlclna, dase bom interesse.
    Por 350400O vende-se ama prata coxiobeira
    qoitandeira, pecbincha : na roa da Paz a. 24.
    Jfassaportes
    Tiramsepor commodo|preso : tttiar na roa
    do Crespo u. 19, loja.


    ,
    -
    i.



    -n*. -.mw*
    MtiimmmmsmmmSSsWmr


    DUrU.de reraaiabaco r- *** Ik *f Feverelro de 1866.

    SALSA PARRILHA DE AYER
    RA. A CURA RADICAL
    de escrfulas e molestias escrofulosas, tumores, ulceras, chagas, feridas ve-
    Ibas, bronctaocele, papo ou papeira, a sypfiilis, enfermidades venenas ou mer-
    curiaes.
    A8 MOLESTIAS DAS MULHERES
    releocSo, menstro doloroso, ulcerac5es do tero, flores brancas, etc., ulcera-
    o5o, debilidade, expoliacao dos ossos, a nevralgia e convulsoes epitepticas
    qnando causadas pela escrfula.
    ERISIPELAS ERPES; ETC.
    Enfermidades cutneas, erupcSo, borbnlhas, pstulas,
    naseldas, etc.
    O extracto composto de salsa parrllha, coleccionado pelo Dr. Ayer, urna
    combinacSotos melbores depurativos e alterantes conhecidos medicina; confeccio-
    nado segundo as regras da sciencia, approvado e rcceitado pelos prinoeiros mdicos dos
    Estados-Unidos da America do Sul e Central, da Antilhas, do Mxico e das indias, e
    muitas outras partes do mundo : o resultado de estudos apurados e minuciosos, e de
    experiencias feitas pessoalmente pelo Dr. Ayer, por muitos annos, nos principaes nos-
    pitaes e enfermaras da America ; tcm sido approvado pelas academias de medicina e
    juntas de bygienne das principaes capitaes da America do Norte; para prova disto vede
    os attestados authenticos no Almanak e Manual de Saude do Dr. Ayer, os quaes se dis-
    tribuem gratuitamente nos lugares onde se vende o remedio.
    A SALSA PARILHA DE AYER
    Especialmente effleaz na cura das molestias qne tem sua orlgem
    na escrfula, na InfeccSo venrea, no uso
    ex,cessIvo do mercurio ou qnalquer Impureza do sangne.
    A molestia ou infeccao peculiar, conhecida pelo nome de escrfula, um tos ma-
    les mais prevalecentes e universaes que ha emtoda a extensa lista das enfermidades que
    atacara a nossa ra?a; disse um celebre escriptor da medicina que mais de urna terca
    parte de todos aquelles que morrem antes da velhice sao victimas, ou directa ou indirec-
    tamente de escrfula; por isso s nao lo destruciiva, porm a principal causa de
    muitas outras enfermidades que n5o Ihe sao geralmente altribuidas.
    urna causa directa da tsica pulmonar, das molestias do figado, do estomago
    e affecces do cerebro; entre seus numerosos symptomas acham-se os seguintes: falta
    de appetite, o semblante plido e enchado; as vezes de urna alvura transparente e outras
    vezes corado e amareilento irregul>r, fraqueza e mol'.eza nos msculos ao redor da boc-
    ea ; digestao fraca e appettite, falta de energa; ventre encLado e evacuado irregular;
    quando o mal tem seu assento sobre os pulmoes urna cor azulada moslra-se em roda dos
    olbos; quando ataca os orgSos digestivos, os olhos tornam-se avermelhados; obali-
    to ftido, a nua carregada; dores de cabeca, tonteiras, etc. as pessoas dedisposi-
    c3o escrofulosa apparecem frequentemente erupcoes na pelle da cabera e outras partes
    do corpo ; s5o predispostas s affeccSes dos pulmoes, do figadr, dos rins, dos orgos
    digestivos e uterinos. Portanto, nao sao smente aquelles que padecem das formas ul-
    cerosas e tuberculosas da escrfula> que necessitam de protecejo contra os seus estragos;
    todos aquelles em cujo sangue existe o virus latente deste terrivel flagello (e s vezes
    Hereditario), estao expostos tambem a soffrer das enfermidades que elle causa, que s5o:
    A tsica, ulceracoes de figado, do estomago e dos rins; erupces e enfermidades
    eruptivas da cutis, rosa ou erysipela, borbulhas, pstulas, nascidas, tumores, rheuma,
    carbnculos, ulceras e cbagas, rheumatismo, dores nos ossos, as costas e na cabeca,
    debilidades femininas, flores brancas causadas pela uleeraco interior, e enfermidades
    uterinas, bydropesia, indigestao, enfraquecimento e debilidade geral.
    Offerecemos a estas pessoas um abrigo seguro e um antidoto efficaz contra esta
    molestia e suas consequencias na
    SALSA PARRILHA DE AYER
    que opera directamente sobre o sangue, purificando-o e expulsando delle a corrupc5o e o
    veneno da molestia; penetra todas as partes e todos os orgos do gorpo humano, livran-
    do-os da sua aeco viciada e inspirando-Ibes novo vigor. um alterante poderosissimo
    para arenovaco do sangue, e d ao corpo j enfraquecido pela doenca, torcas e ener-
    gas renovadas como as da joventude.
    E tambem o melhor anty-syphilitico conhecido
    cura permanentemente as peiores formas de sypuilis e as suas consequencias. Pouca
    necessidade ha de informar o publico do inestimavel valor de um remedio que, como
    este, livra o sangue desta corrupto e arrebata a victima das garras de urna morte lenta
    e ignominiosa, porm inevitavel, se o mal nao logo combatido com energa.
    um poderosissimo alterante para a renovaco do sangue e para dar nova tor-
    ca ao corpo j enfraquecido pela doenca.
    Send'i composto de productos vegetaes, este medicamento innocente e ao mes-
    mo lempo efficaz, um fado de immensa importancia para aquelles que o tomam ; por-
    que muitos dos remedios alterantes offerecidos ao publico tem por base o mercurio ou o
    arsnico; e sendo assim, bem que s vezes podem effecluar curas, comtudo deixam suas
    victimas carregadas de umalonga serie de males, muitas yezes peior do que o mal ori-
    ginal. A nica cousa necessaria para obter urna cura radical seguir com juizo e cons-
    atncia as diremos que acompanbam cada frasco.
    Nao pretendemos promulgar, nem queremos que se infira que esta composico a
    um remedio infallvel para a cura de todos os padecimentos humanos; infelizmente
    escrfula e a syphilis sao enfermidades tao sulis as suas naturezas, e arreigamse t3o
    firmemente no systema, que muitas vezes evadem e resistem as remedios mais pode-
    rosos que a sciencia humana pode inventar para combate-las: o que dizemos que o
    Extracto composto de salsa parrilha de Ayer
    a melhor preparacao at hoje descoberta para estas e outras molestias anlogas, que
    urna combinac/o dos alterantes mais efficazes conhecidos, e que esta combinacio tem sido
    regulada por longas e laboriosas experiencias, e finalmente que temos consciencia de of-
    ferecer ao publico o melhor resultado que possivel produzir, da intelligencia e pericia
    medica dos nossos lempos.
    Este remedio deve ser tomado com systema e regularidade, e n3o com abandono,
    pois um remedio e n3o bebida.
    Quando as molestias do figado nao tem sua origem na escrfula, o remedio
    mais proprio as pilulas catharticas de Ayer, que sao efficazes na cura da molestia, que
    em por causa um desarranjo dos orgos digestivos. Pedi a salsa parrilha de Ayer e
    nao aceitai outra preparacao. .
    Pernambuco, ra Nova n. 18, pharmacia francezade P. Maurer C.
    PH0TOG_APIIIA
    artstica americana
    RA 00 IMPERADOR N. 38.
    Artista americano
    Artista americano.
    Artista americano.
    Artista americano.
    RetratosRetratosRetratos.
    Em porcelanaNiepcotypie.
    Em lencosArchrolypie.
    Em vidroAmbrotypie.
    Em melal=Daguerreotypie.
    Em papelTalbotypie.
    No grande sali da ra do Imperador n. 38
    No grande sali da ra do Imperador n. 38
    Neste estabelecimento tiram-se retratos
    em todos os systemas, com asseio e promp-
    tidao, desde as nove horas da manhaa
    at as cinco da tarde ; assim como tem
    sempre a venda grande sortimento de cai-
    xas finas de* diversas formas. Quadros
    ovaes Passepartouts e todos os mais ob-
    jectos e productos chmeos, relativos a ar-
    te e recibidos ltimamente dos melbores
    fornecedores de PARS e Nova York, tendo
    de tudo, para todos os gostos e para todos
    os precos.
    Salo da ra do Imperador n. 38.
    Sali da ra do imperador n. 38.
    i CALCADO-
    '45 /toa /Jimia--45
    A prmeirt condc5o indispeosavel con-
    servacSo da saude trazer os ps b*m de-
    fendidos contra os ataques .da bumidade;
    calcado bqm e seguro o nico preserva-
    tivo dessas mil enfermidades a que est su-
    jeito o nossoeu. fjm chnelo vefjjo cal-
    cado por um dandy patuscante, ou urna
    botina acalcanbada em pequenino p de en-
    cantador? deidade alm de aecusar que-
    bradeir*horripilante, prova contra as fatui-
    dades intellectuaes dos calcantes, e nao ha
    quem, tendo bom senso, queira passar por
    maluco, ou pobre de surrao : ergo, cor-
    _*RA DIREITA4*.
    e attendam a' baraieaa.
    Homens.
    Borzeguins parisienses de bezer-
    e cordavao...... 8j?000
    Ditos de'Bordeaux .... 70000
    Ditos barcellonezes de lustre e
    de porco. ...... 6,51000
    Sapa toes de Na n tes de duas ba-
    teras rasas...... 30000
    Sapatos de lona, sola de borra-
    cha. '....;... 20000
    Ditos aveludados..... 10600
    Dito ( de tranca bons 1)9660
    Senboras
    Borzeguins enfeitados. 34IOOO
    Ditos de laco...... 44800
    Ditos lisos......, 40500
    Sapalos de borracha .... !0oOO
    Selleiros, corrieiros e segeiros I
    Sola de lustre, meios grandes 200000
    E um completo sortimento de calcado fa-
    bricado nopiz.

    O Dr. Carollno Francisco de Lima San-
    tos contina a morar na ra do Impera-
    dor n. 17, segundo andar, tendo alias sea
    gabinete de consultas, medicas, logo ao
    entrar, no pnmeiro.
    O mesmo doutor, qne se tem dado ao
    estado tanto das operacSes como das mo-
    lestias internas, prestase a qualqaer cha-
    mado, quer para dentro quer para fra
    da cidade.
    Hanoel Lorreia Ferrera Gaimares declara
    ao respeitavel publico e especialmente a* corpo do
    commerco, que desta data em diante assigoar-se-
    ba Hanoel Alves Cocreia. _____
    Retalha-.se um sitio em Beberibede baixo, na
    estrada que entra para o Fando, com muito boas
    trras de plantadlo, muitas arvores de fruclo, urna
    nascenle d'agua dentro do sitio, que rega o mesmo
    pelo meio, grande baixa para qualquer obra que
    se queira fazer, tambem se vende por ioteiro e por
    prego commodo avista das vantagens" qne se offe-
    rece, tornando-se muito perto desta praga com as'
    novas estradas qoe esto em andamento ; o sitio |
    tem de comprioiento 1,200 palmos, e no mesmo se
    vender purgantes de jaracatiar, nico remedio
    para feri.a.
    COMPRAS
    Grande armazem de tin-i
    tas medicamentos etc. |
    i Ra do Imperador n. 22. 2
    Ftioio Pedro das Xeves ge*
    rente) tem a venda o
    seguate:
    l Productos chimicos e pharma-
    [ ceuticos os mais empregados em
    i medicine.
    Tintas para todo o genero de pin-
    " tura e para tinturara.
    > Productos industriaes e tintas
    ( para flores, como botoes de flores
    i e modelos em gesso para imitar
    5 fruclas e passaros com o compe-
    [ tente desenho.
    Productos chimicos e industriaes
    I para photographia, tin'uraria, pin-
    | tura, pyrotecnia e|c.
    Montado em grande escala e sup-
    I prido directamente de Pars, Lon-
    I dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa
    [ pode offerecer productos de plena
    I carlanca e satisfazer qualquer en-
    ..imenda a grosso trato e a reta-
    io e por preco commodo.
    Att^n^o!
    Attencao!
    Atiendo!
    Grande sortimento de fazeadas pro-
    prias para a ouaresma.
    Acaba d chegar a esie novo estabelecimento
    um grande e variado sortimento de fatendas pro-
    prias para a quaresma, a saber :
    (ir sdenapl-s pelo a 1-iUlO o covade.
    Venile-se um grande torlimento de grosdeoa-
    pla a U600, 800, 2 e 2,8500 o covado ; dito
    mullo superior a 2800 e 39 : na ra da Impera-
    triz n. 72, loja de Guimaraes lrm;)o.
    Moriatrtique preto a 800.
    Vndese um grande sortimento de moriantique
    a $800, 3f e 3o00 a covado.
    Chales de renda prelos a SOOO.
    Vende-se tambem um variado sortimento de ca-
    les de renda a 8, 9500 e 105 ; ditos muito Anos
    a Ht e 1*5 ; ditos de seda fazenda muito tina a
    10*000.
    Retondas pretas a iO#.
    Vendem-se retondas pretas pelo barato preo de
    I O* e i\ : na ra da Imperatriz n. 72, toja de
    Gaimares & Irmao.
    Grande pecbincha panno preto a 2^000 o
    covado.
    Vende-se panno preto proprfo para caifas e pa-
    litots a i& e 2*200 o covado : casimiras pretas
    a 1*800, -11, 2*400 e 2*500 o covado.
    B' muito barato cortes de casimira a S30.
    Vendem-se cortes de casimira preta a 3*500
    4* e 4*800 ; dita muito fina a 6*.
    admira cortes de luim de cores a
    1,280
    Vendem-?e cSrtes de brim de cores para calca a
    1*280,1*600, 1*800 e 2* : na ra da Imperatriz
    O. 72, loja de Guimaraes & Irmo.
    E' baratissimo a 120 ris covado.
    Vendem-se riscadinhos moito proprios para ron
    pa de escravop, a 120 ris o covado; ditos escoce
    zes muito tinos a 240, 280 e 300 ris o covado.
    Lnazinlns a 3oo rs.
    Laazinhas de quadrinbos a 300, 320, 360 e 400
    rs. o covado ; ditas muito finas a 500 e 560: na
    rna da Imperatriz n. 72, loja de Guimaraes Ir-
    mao;.
    Cortes de 13a a 50OCO.
    Acaba de ebegar a este importante estabeleci-
    mento um sortimento de cortes de la que se ven-
    de por 5* e 5500; ditos a Mara Pia, fazenda
    muito moderna a 129,14*, 18* e 20* -, ditos com
    camisinha, cinta e grvala a 25* e 28*.
    Chitas francezas largas a 260 ris.
    Vende-se um grande sortimento de chitas a 260,
    280, 300, 320 e 360 rs. o covado ; ditas preciares
    a 400, 440 e 300 rs.
    Cambraias de cores a 280 rs. o
    covado
    Vendem-se camlraias francezas a 280,300, 320,
    360 e 400 rs. o covado.
    Cambraias lisas a 3.000 s. a peca.
    Vende-se um grande sortimento de cambraias
    lisas pelo barato prego de 3*. 3*500, 4*, 4*500 e
    5* ; ditas muito finas a 5*500 e 6*; ditas victoria
    a 6*500 e 7*; ditas de urna vara de largura a 8*
    e 9* ; ditas pira rorro a 1*600, 2*e 2*200 : na
    ra da Imperatriz n. 62.
    ROUPA FEITA.
    Vende-se um completo sortimento de roopa fei-
    ta felta. assim como sejam palitots, caigas, coletes,
    camisas francezas a 1*600 e 1:800 ; ditas finas a
    2* e de linho a 2560, 3* e 3*500 ; smolas de
    1*00, 1*400 e 1*600, de linho a 2* e 2*500 : na
    ra da Imperatriz n. 72, loja de Guimaraes Ir-
    mio._____________________________
    Pechinilia admiravel
    Laazinhas de quadrinbos que parece seda a 240
    rs. o covado, ama grande pecbincha, est se aca-
    bando : na loja n. 32, armazem da porta larga de
    Paredes Porto.
    Compra-se ouro, \ rata e pedras preciosas,
    em obras velhas : na ra da Cadeia do Herife,
    cja de onrlves uo arco da CoBcojgSo. 1
    Vende-se
    CIfE%itOI
    AS
    _^
    Compra-se carosso (sement) de algodo : no
    armazem de algodo de Sannders Brotbers & C. na rua do Vigario n. 19, 1 andar, vinbo do Porto
    no caes de Apollo. _______; engarrafado de differentes qualidades, em barris
    _v'
    _
    - Compra-se urna asa terrea emqual-.e ancoretas = ^
    quer urna aas ras desta ctdaue, e que nao Cen era ve|as
    seja em travest: a tratar na rua de Hortas
    casa do fallecido Loureiro.
    Silva & Alves, rua da Cadeia n. 56, avisam aos
    Srs. agricultores, que ebegaram as machinas ame-
    ricanas de serrote para descaragar algedao que
    vendem a preco commodo.
    Compra-se um escravo que seja moco, sadio
    e sera vicio : na raa larga do Rosario n. 3i, bo-
    tica.
    Carve animal.
    Alfazema de Lisboa.
    Cal de Lisboa.
    Compra se um
    Crespo n. 17.
    escrave pega
    na roa do
    VENDE-SE

    So armazem de i V. Ramos e Silva & Genro. rna do vigario
    n. M. constantemente, ossegnintcs artigos, qne
    recefoem por encommenda proprla de
    _EW-YIIU1;
    Legitima salsa parrilha deBristol, preparada por Lanman & Kemp.
    Verdadeira agua Florida, preparada pelos mesmos.
    Gaz em latas de cinco gales, o mais purificado que se pode desejar da acredi-
    tada marca F. W. D. & C.
    Rekigios perfei'os reguladores, com corda de quatro a oito dias, dos afamados fa-
    bricantes E. N. Welch.
    Graixa em latas grandes da bem conhecida marca las. S. Masn (de Philadel-
    Ouro e prata.
    Em obras velhas '. coB>pra-se na praga "a In
    dependencio n. 22. loja de bilhetes.
    Comprase urna casa nos bairros de Santo
    Antonio, S. Jos ou Roa-Vista qne nSo exceda dp
    l:2c0* : quem tiver annuncie ou a tratar na rua
    da Imperatriz loja de calgado n. 38.
    PARA A QUARESMA
    PECHINCHA ADMIRAVEL.
    Crodenaple preto a 1^600
    Vende-se superior grosdenaple preto,
    Vendem-se
    machinas americanas de serrote para descarocar
    algodo : na roa da Senzala Aova n. 42.
    Potassa da Russia
    Vende-se no armazem tle assucar de Jos
    j da Silva Loyo & C, largo da Assembla.
    "Gaz, gaz, gaz,
    fazenda Gaz em latas o melhor que tem vindo ao mer-
    muito encorpada, pelo baratissimo prego de 1*600 cado desembarcado ltimamente e vende-se por
    o covado, sendo fazenda que val mnito mais di- prego barato : na rua da Cruz do Recife n. 37,
    nheiro : na loja e armazem do Pavo na rua da junto a loja de funi eiro estabelecimento de Joa-
    Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
    MANTAS PARA O PESCOCO
    al*, s o Pav5o.
    Vendem-se bonitas mantas para o pescogo,
    quim Fernandesda Costa.
    Lantljolas.
    npin A loja da Aurora, na rua larga do Rosario n. 38,
    Compra-se ama casa de sobrado no aterro baral0 Dreco de ,. na |0a do Pavo na rua fa receben sortimento de lantijolas multo delicadas e
    da Boa-Vista ou roa da Aurora : a fallar na roa imn(_.irli n ,< _*____ Silva proprias para qualquer enfeite, assim eomo tara-
    do Crespo n. 17. I -"K!?.":.?', _LTff* .?*_ --------- bem receben luvas da Jouvin brancas e de cores
    ! com para homem e senhora, mnito fresca?, chegadas
    Compra-se papel de jornaes para erabrnlho a
    130 rs. a libra
    do Quelmado.
    na roa do Crespo n. 25, .esquina
    pouco uso e por prego razoave
    zes n. 41 A.
    com arreos,
    na rua das Cro-

    VENDAS
    F0I_1.\HAS
    Vende-se sal grosso
    dre de Deas n. 2.
    a tratar ua rua da Na-
    pelo ultimo vapor, tudo isto
    raa larga do Rosario n. 38.
    na loja da Aurora,
    (hapelinas diode' as a roa do Qoei-
    madon.il, loja de Angosto Porto
    Cbegoa pelo ultimo vapor da Europa um com-
    pleto e variado sortimento de cbapelinas de seda
    modernas para o que se convida as pessoas que
    precisaren) de eomprar a virem ver as qnaes se
    i vendem por preco o mais barato que possivel.
    Os cachinez do Pavo.
    de' Vendem-se bonitos cachinez de laa ou agazalhos
    Vendem-se na loja de inlndezas
    a rna do Quelmado n. 16.
    Bonitos leques de sndalo e outras qaalidades.
    Bonitos cintos com flvellas de diversas qaalida-
    des e moldes.
    Brincos e crozes de crystal.
    Abotoaduras de dito para coletes.
    Bonitos port-relogios.
    Delicadas caixas com msica e sem ella, para
    costura.
    Agolnas e linhas para ebroebet.
    Relroi superior em carriteis.
    Rendas pretas e bicos com vidriihos.
    Fitas de velludo com listras de cores para en-
    pha).
    Superior oleo para machinas de costura.
    Agulhas para as mesmas.
    Breu em bar icas grandes e pequeas.
    Vende-se tambem:
    IIOlt DI'AI \
    1.a ijualidadf.
    St. Estephe.
    St. Jolien.
    C. Margaux.
    C. LaQtte.
    Medoc.
    PORTO
    . Ia qtulidade,
    Principe Real.
    Pedro V.
    Mara Pia.
    Princeza D. Isabel..
    Vctor Etnmnuel.
    Duque.
    Malvazia.
    Vinho fino do Porto em barris de 5/, 10/ e 20/.
    Superior vinho doRheno.
    Cera de Lisboa em velas e em grume.
    10JA DAS liliS
    RUA DA CADEIA _< 5* A,
    Continua a ler grande e completo sortimento de
    Machinas americanas para descarocar algodo
    dos melhores fabricantes de 10,12,14, 10, 18, 20, 23,30 e 35 serrotes que as vende por prego
    mido, e_ eonseqnencia de ltimamente as ter recebido de conta proprla dos Estados-Unidos.
    PARA 1866.
    Acabara de sahir luz as folhinhas .
    aloihpira ei dn nnrta nara o anno de 1866 o Dara cabe5a Pel baralissim0 PreC.de 3*?O0> s feite8 ,je gorros e vestidos.
    _S_4_,'5^i2^S_^i-**,^^ I m**5bm.i
    las e eclipses, como as diversas festas, vendem-se pecas de algodaozinho sendo multo
    que a igreja celebra; vendem-se unicamen- encorpado, e com 20 jardas, pelo baratissimo preco
    te na livraria da prs^a da Independencia, de 5*000, por ter um pequeo toque de avaria.
    160 ris as de porta e 320 ris as de algi- O bramante do PaySo,
    h.ir. r I Vende-se superior bramante de Imbo cru tendo
    1 quatro palmos de largura, pelu baratissimo preco
    , de 800 rs. a vara, dito eom 10 palmos a 2*400 e
    2*800 a vara, aloalhado de linho adame JV 27 Rua doQueimadoN. 7 lX&gJ22PS:ff& ^**__S_n
    1 familias: de uns porque do uso desses salutares
    Vendem-se 40 pedras para ladrilho, vindas coiares virara salvos do perigo seus charos filhi-
    Aguia Branca rua da/Qiiei-
    mado n. 8.
    Pelotiltim vapor ebegou de Pari cha-
    peos para menina do ma s apurado gosto.
    Boa Fama rua do Quei-
    mado.
    Recebe.u pelo ultimo vipor chegado de
    Pars chapeos para menina do ultimo gosto.
    Novidades.
    Na Agula branca roa do Qaeimado n. 8 reee-
    beu diversos ohjectos de muito g sto e ioteirarnaa-
    te novo?, sendo:
    Bonitos e delicados peotes donrados e prateados,
    tendo entre elles alguos de filigrana obra mni per-
    feila e de elevado gosto.
    Ditos com chapa de madreperola.
    Briucos de filigrana e outras qualidades.
    Flvellas de dita e outras tambem de diversas
    qualidades.
    Cintos mui bonitos, enfeitados em toda a exteo-
    (o com caracteres dourados e prateado-.
    Filis enfeitados com moedinhas dourads,e lan-
    tejoiias, aljofares &, sendo para coque, e toda a
    cabega, e outros com plumas _.
    Bonitas voltas de jaspt com crozes, tendo tan
    bem algumas de duas cores.
    Luvas e nieias
    de laa vegetal, para quem soffre de frialdade, pa-
    ralela etc. Vendem-se na rua do Queimado loja
    d'Aguia branca n. 8.
    Bandoline de roza
    para segurar ou conservar perfeitamente atado os
    cabellos das senboras. Vende-se na rua do Quei-
    mado loja d'Aguia branca, a 1*000 o frasco.
    Enfeites pretos para vestidos
    A Agnia branca receben novos enftites prttos
    para vestidos, sendo bicos com vidriihos e sem
    elles, trangas com pendentes de vidriihos e sem
    elles, cordo grosso tambem com vidriihos e sem
    elles; assim como gaiSes e franjas de diversas lar-
    guras, Glas de velludo etc. como semore os bou*
    fregnezes encontrarlo commodidade de pre?os u;s
    objertus que se venilein na lia d'Aguia branca rua
    do Queimado n. 8.
    Botoes de vidro
    com enfeites d'a$o no centro.
    Esses botoes que tanto tervem para meinoi se
    poder enfeltar um bom vestido preto ou de rr,
    achSo se a venda na rua do Queimado loja d'Agtfto
    branca n. 8.
    Vestidos
    Pecbincha sem Igual.
    Chegou a loja de Paredes Porto um bonito sor-
    timento de vestidos de tartalata de cores e brancas
    que serve para partidas por ser urna phaota.-ia to-
    teiramente de gosto pelo barato prego de 4* e
    brancos a 4^500, esto acabando-se : no armazem
    d porta larga roa da Imperatriz n. 52, junto a na-
    dara franceza.
    Cortinados.
    Cbegou a loja de Paredes Porto um completo
    sortimento de cortinados ricamente bordados a
    prego de 25*, 35* e 45* : na rua da Imperatriz
    n. 52, porta larga junto a padaria franceza.
    Micas romeiras.
    Paredes Perto receben pele ultimo paqnete
    sortimento de romeira de guipure pretas e de
    a prego commodo : na rua da Imperatriz n.
    porta larga junio a padaria franceza.
    Grande pechincha.
    Cortes de la escoceza entestada para vestido
    fazenda de 500 rs., est se vendendo a 280 e 300
    rs. o covado : na rua da Imperatriz n. 52, loja da
    ior:.. larga.
    um
    BM
    o
    Cortes de laa escocesa para vestido a 3* o cor-
    te: na rua aa Imperatriz d. 52. loja da porta lar-
    ga, junto a padaria franceza, esto se acabando.
    Chales de renda
    Paredes Porto, na ruada Imperatriz u. 52. i ora
    larga, vende chales de renda de cores com peque-
    no toque de mofo, a 3*500 e '. fazenda : !0*
    e 12*000.
    120 -
    Para roupa de escrav*.
    Paredes Porto tem para vender chita azu e ris-
    cado proprio para o fim cima a 120 rs. o covado,
    orna grande pechinchafje -'.-ta' se acabando : ua
    roa da Imperatriz n. 52 poita larga junto a pada-
    ria franceza.
    Grande pechincha.
    Paredes Porto esta' vendendo riscado francs t
    200 rs. o covado : na rua da Imperatriz n. 52 ar-
    mazem da porta larga jauto a padaria franceza.
    Bara.luto.
    Las pretas com salpicas brancos a 400 e 300
    rs. o covado : na rua da Imperatriz n. 52 junto a
    padaria franceza armazem da porta larga.
    1#400
    Chapeos de sol.
    Vendem se chapeos de sol de panno a 1**00 c
    ama grande pechincha s para acabar : na rua da
    Imperatriz n. 52 armazem da porta larga de Pare-
    des Porto.
    F*4S BV4T*S
    lisas e lavradas, brancas
    e matisadas.
    COlares Royer ou colares ano-
    dinos
    para facilitar a dentico das mangas e preserva-
    las das convulses.
    O feliz resultado obtido Immensas vezes pela
    prodigiosa torca magntica dos colares Royer, nos
    casos de convlsdes, e dentico das criancas, tem
    altamente levado o sea bem merecido prestigio,
    grande n:ciii\ Gambraia branca para forro a _40 e
    rs. a vara.
    Lencos bancos para algibeira duzia
    2^000 rs.
    Retondas pretas a 9#000
    4qq da Ilha : a tratar na roa do Vigario n. 14.
    PA DE SEN FE 10
    nbos, e de outros porque colheram daqnelles tao
    ; proficuo exemplo para igoalmenie preservar os
    sens. Assim, pols, a agola branca, tendo em vis-
    tas a utllidade e proveiU desses prodigiosos cola-
    Contina haver pao de Senteio nos dias qoarta3 res anodinos ou Royer, mandou yir o novo sorti-
    ! e sabbado?, na padaria de Saoto Amaro, atraz da ment que agora receben, e cont ouara a recebe-
    Cambraia morsuna de cores propria para fon* 0, e no Recite, rua da Cruz n 46, ra i.r- |QW a m _?a_5'__S
    ,ha n nM..nfa .. ion -o ga do Rosar o, taberna da esquina n. 50, raa Nova, ser funesta aos pas de ramma, os qnaes ncarao
    armazera da Liga, roa da Imperatriz, taberna do! certos de os acbar constantemente na roa do Qoet-
    vestidos o covado a 300 rs.
    Moreantique preto superior a 20800 e Sr. Lemos n. 34.
    300 o covado.
    Grande sortimento de grosdenapespre'o
    para tolos os precos.
    Rotondas de seda riqusimas algerinas para
    senhoras.
    Guardaoapos para meza a 33500 rs. a du-
    zia.-
    Superiores baldes de arcos a 30200 rs.
    Vendem-se garrafas e botijas vasias e lava
    das : na roa da Soledade 0. 38.
    mado, loja d'agula branca n. 8.
    Vende-se um mulato de idade 18 annos, boa
    figura : na roa do Imperador n. 42, 3o andar.
    Vende-se farinha da trra muito boa, tanto .
    por atacado como a retalbo : na padaria do Cho-
    ra-meninos.
    Na roa Bella n. 20 vende se um moleque de
    18 annos de idade, bonita ligara e boa conducta, e
    urna negrinha de 10 anno, prnpria para familia.
    resu-
    N "_L__Z
    Agencia de passaporte
    Glaudlno do Reg Lima, despachante de passa-
    porte.tira passaporte para dentro e fra do imperio
    por commodo preco e presteza : na roa da Prata
    n. 47, Io andar.____________'_____________
    ' _= Precisa-te de ama mulher qoe saiba cosi-
    abar bn : m roa do Hospicio n. 44.
    Saques sobre cf Rio de Ja-
    neiro.
    Saca-se qnaiqaer qoantia sobre a pra-ja do Rio
    de Janeiro, a' araz ou vista: na compaabia Per-
    nambacana, Porte do Mallos, escriptorio 0. t.
    Vende-se ou perrautta-se por alguma
    caza terrea desta cidade um sitio de trras
    no logar do Loreto, com arvores fructferas
    quasi todas novas, e grande porcao de co-
    queiros.quem o pretender dirija-seao pateo 1
    de S. Pedro n. 24, que achara com quem
    tratar.
    WIT.
    Vende-se gaz de superior qualidade sm latas
    redondas e qaadradas por commodo prsco: no
    armazem de Matheus Austin 4 C, roa da Senzalla
    Velha n. 106, ou ao escriptorio dos mesmos ras
    do Trapiche o. 36.
    Vendem-se duas casas terreas com soto,
    por prego commodo, reodem 70* mensaes, sitas
    na rua da praia do Caldelrelro ns. 32 e 34 : a Ira- \ com pequeo;defelto, a 4*500.
    Pechiiicba
    Na raa do Queimado n. 40
    Cortes de laazinha de cor, bonitos gostos, com
    15 co vados 3*600.
    Cassas organdys de cores, covade a 240, pecas
    de algodiozlobo largo com 17 varas a 4*.
    Ditas de dito com 17 varas, mnito encorpado,
    tar na rna da Concordia n. 73.
    CAL DE LISBOA
    No armazem da roa da Concordia n. 73, vende-
    se cal de Lisboa retalbo, propria para eogenho
    de assucar, por prego commodo.
    ira eacresaar.
    Vendem-se tesouras para encrespar
    babadoi: anfuado 'Qaeimado loja de
    ( Azevedo 4 Irm3o.
    WHII
    Grosdenaple preto muito superior,
    Dito dito a 1*600.
    Retondas de renda preta a 10*.
    Chales de renda preta a 8*.
    covado 2a.
    GAZ.
    No armazem da roa do Imperador n. 3
    Caes de Pedro H n. i, tem para venderse
    or gas existente no mercado._________
    ou no
    o me-
    Vndese a taberna da roa do Rosario da
    Boa-Vista o. 50, bem afreguezada, por sea dono se
    Saerer retirar pira tora da provincia : quem pre
    mder dlrlja-se a mesma taberna qoe achara com
    quem tratar.
    A 1*500.
    Vendem-se pegas de tranca preta para enfeites
    de vestidos, sootembarque?, capas de senhora a
    1*600 com 10 varas, urna grande pecbincha : na
    rua da Imperatriz n. 52 junto a padaria franceza.
    Aspas fortes para boloes.
    Na roa do Qaeimado loja de miudezas n. 16, ven-
    de-se aspas de ac fortes, e de differentes larguras
    para baldes.
    Bonitos quadros para retratos.
    Vendem-se na rua do Queimado loja de miude-
    zas n. 16, bonitos quadros con mordura pre. i e
    dourada, lodos por presos rasoaveis.
    Garrafas branc?s
    e de cores com superior agua da colonia.
    Vendem-se na rua do Queimado, loja de agude-
    zas n. 16.
    Novo gosto
    Pentes, flvellas, e brincos d feerana.
    A amiga e bem conhecida loja n. 16 na-raa do
    Queimado, recbeu nm sortimento de diversos oo-
    jectos de novo e bom gosto, sendo pentes brancos e
    dourados de moldes enteiramente novos e mu a-
    gradaveis, tendo entre elles alguns de filigrana obra
    de multo gosto e dericil execuco, e bem assim H-
    vells e brincos as mesmas circumstaocias.
    Tambem recebeu alguns cintos o qoe de mais
    moderno e bonito, se pode encontrar em tal genero.
    Alm disso encontranio os pretendentes um com-
    pleto sortimento de Qvellas de madreperola, chris-
    tal, tartaruga, e dourados, brincos de chrisial, e
    jaspe, voltas e cruzes de dito e muitos outros oh-c-
    tos de gosto, os quaes continua-se a vender comme-
    damente.
    Pnenles de madreperola, e enfeites filets
    A loja d miudezas na rua. do Qaeimado n. 16,
    recebeu bonitos pente com chapa de madreperla,
    e novos enfeites lilets ornados de lantejoilas don-
    radas, moedlnbas, aljofares, vidriihos etc., tendo
    grandes para toda cabeca e pequeos para ce que,
    regulando os precos de 2* a 4*000 rs.
    B mitas caixintias
    com arranjos dourados paral costara, tendo com
    masicas e sem ellas. Vendem-se na rua do Quei-
    mado loja da miudezas n. 16.
    Trancas pretas
    com vidriihos, e bicos com ditos e.sera elle para
    enfeites ou vestidos.
    Na roa do Qaeimado n. 16 loja de raiude??.- -
    cha os pretendentes um bello sortimento dos
    objectos aciraa ditos, cascarrilhas, franjas tto. i te.
    e ludo est sendo vendido por precos commodo.-.
    Bol5es pretos
    de vidro enfeitados d'aco.
    A loja de miudezas n. 16 ro do Qaeimado
    vende mol bonitos botdes pretos de vidro eom en-
    feites de ac, os quaes moito se ozam para enfeltar
    vestidos, quem os pretender pode dirigir se a dita
    lojk n. 16 i roa do Qaeimado.
    Vende-se um mulatioho de 13 annos
    de bonita figura, serve para um bonito pa-
    gem .'na rua do Queimado n. 34._______
    Queijas da serta
    Vende se superior queijo do sertao : na roa da
    Madre de Dos, armazem junto a igreja.
    Y
    I-

    - a___n___l___-_ma- -
    - mmm



    t^m
    ___
    m^ioAtretU^^^^Utkm^i^^itrh^
    WM i
    PARA A QVABESHA
    Chegaram a loja de Augusto Porto & C.
    11/tea do Queimado1L
    Superiores cortes de sed* preU.
    # Molreaotiqae preto d* flores e de listas bellos padrJes.
    Groedeaapte preto de diversas larguras e qualidades.
    Rotondas, bournns chales de galpti e de rendas.
    Pannos prelos, casera as pfttas, botnbasinas.
    Laas, canto, merlo* e selestrinas pretas.,
    Lindas mantas de seda para pepeoco-.
    Ricos cortes de seda de cores para bailes ou casamentos.
    Ricos cortinados bordados dos mala bellos desenos.
    Moir brsuco, seda branca, capellas e mantas para noivas.
    Bellas colchas de seda e de lia e seda para cama Salas-de flnisslma carabraia ricamente bordadas. .
    Fazendaa-de pregas-par saia que se faiem com urna so costara VWHMH lean con
    o cordae teeldo.
    Madapolao franeez a 400 e 480 rs. a vara.
    Alcatifa d linho para talas e gabinetes a 480 rs. o covado.
    Fazenda especial de quadros para fuer redes a 35300 a vara.
    Superiores eateiras da India para salas.
    11Ra do tuelmado11
    NOVOS QrEKEttW'
    DOS
    TRKN GRANDES
    S DE MOLAHttOS
    ~ii
    *
    DENOMINADOS
    PROGRES&IVO pateo do Carmo n. 9
    TJNIAO E COMMERCI0 ra do Qaeimado n- 7.
    VERDADEIRO PRINCIPAL roa do Imperad* d. 40'
    DE
    DUAKTE CARVALHO PERIRA #.
    CORTES HE SEDA
    Chegaram pelo paqoete inglez riquissimos cortes de moreantiqae de cores, e seda lavraoa pa-
    as iDUramente novos. .. ,
    Seda de quadros por 10000 o covado
    5RA DO CRESPO-5 M
    iregorlo Pae# do Amaral tompaohla.

    ,






    '4.
    Para vestidos de senhora.
    Cortes de seda de cor de bom gosto e superior quakdade.
    Lindas sedas de quadriohos.
    Bous moireantiques de cores.
    Grosdenaples da todas as cores.
    Lindos poil d: chevre fazenda assetinada de mteirar nwidade.
    Lindas duquezas assetiaadas fazenda nteiramente nova.
    Modernos greaadinesde seda o que tena viftdo de mais novo.
    Grande variedade de la* de cores lisas e da salpico*.
    Or^andys e ca Percalias moderna* com grande variedade.
    Lindos cortes de la Clotilde com todos os pertences <
    |t5V> inteiramente novos.
    Bonscortes decatti con barra tambam raleiramente novos
    ^fazendas de gosto que seria enfadonho mencionar.
    Para hombros de senhora
    Grande variedade de chales, boornoat, retoades e algeriennes de fil e de
    >guipure a 10, 16, 20, 30, 40, 60 at 800.
    Modernos soutembarques de seda de superior qualidade.
    Lindos bertes de seda de cor pretos e de cachemir*.
    dem de cambraw branca bordida com nruKo gesto.
    Sautembarques e bournoux de cacliimira da cor e outros muitdS arttgOs dfc
    igP bom gosto.
    A, Para cabeca de senhora
    )$ Superiores chapelinas de palha, de*seda e de crina de moitrf bom gosto a im-
    owatriz.
    Chapeos de palha da Italia grande variedade*.
    Lindos gorros e bonets de palha de Italia, Imperatri-, Carrauer, i
    a Grante, chegados de Paris pe'.o ultimo vapor.
    Crande variedade de enfeites de froco e de flores para casamento.
    i Superiores vestidos de blonie, e de raoireantique brancos.
    i Bons moireantiques orticos e superiores sedas brancas
    Bons vestidos tarlatana branco bordados.
    i Lindas mantas de blonde e boas capellas.
    ' Bordados.
    Crande variedade de entremeios bordados transparente e tapados.
    ! Tiras bordadas* transparentes- e tapadas, babados bordados, saias bordadas e
    outros muitos artgos.
    ims* *js coiCJmwas
    DE 4XTONTO CORREE* lE VASCONCELLOS e a


    RCA BO CRESPO flfr-T
    *v*
    AVADO Bi&tlll IV. 38.
    O proprietario deste estabelcimnto deseja chamar a atteoco dos senhores pro-
    : tirios aos acreJitados mechanismos que cootioaa'afomecen; os quaes garante ser,
    coTH3 sempre, da flffiiror'qrjatidade'posstrel:
    MacMnas de vapor
    torca de 2 */ cavailos para cima. As meriores sao mui proprias para motore sde
    descarocamentos de a'godo; as maioresparamoer canna; ha tambera que'podam'jmrta
    ou separadamente moer canna e descarOcaf segundo snas proporcoes. Estee"vapores
    sao simplissimos na constracSo, e se regeffi por qualquer pessoa intelligente, a faellida-
    de da conduccSo sendo especialmente considerada, tanto que nao ha lugar em que nao
    se p )ssam conduzir, qur por trra, qur embarcado. Ha com moewdae-jante* eu- sem
    ullas e podem-se applicar a qualquer moenda j existente sem outra mudanca do que
    .-. 3obstituic5o das rodas1 da almanjarra. Ellas tem depsitos d'agua e boeiros-de forre,
    o precisam para o seu assentament de obra alguma, qur de canapina, qur de al-
    vonaria. O tempo para assenta-las n5o excede'de doze dias ao mais-, e em casos de^
    mories de animaes ou arrombamentos de acudes, etc., garnteos o assentamonto. em
    mto dias. Lembra-se aos senhores'de engenho que a venda dos animaes e o servicoda
    gente occupada no seu tratamento os hSo de recuperar da maior parte da despeza do
    vi por deixando-lhes a vantagem de urna mbagSto certa e accelerada", e acabando'om: a
    i ipeza da compra continuada de novos anltrres1. com os desgostos do trablbo que
    sj tem cota ellesv-
    Blodas d'agua Atrt, mui maneiras o moeodo com qaalqtMX altura
    d'agua.
    Sarillos eoui cruzeias de ferro para asmesmas, quando se descge fazer
    c Festo da roda de madeira, tornando-se'assirA a roda ligerra no trabalho.
    noendas de canna de todos osUamanhos, desde asmis pequeas chama
    d s do serto. Obra perfeita em feitio e acunhamento.
    Rodas de espora e angulares de todos os tamanhos e proporcfos.
    a'aroes o coenes para reoeber o caldo.
    Crivos de fornalha para assentamentos, frescos para o foguista, fazendo
    rinde cal r com pouco combtrttfver, e doradonro. .
    Portas de fornalha de todos os tamanhos o de diversos systemas.
    Pernos mol oh os para a fabrica de farin ia e tambem chapas redondas
    pira fornos pequeos.
    Bombas simples O de repuebo.
    TalxaS de' ferro balido e fundido e de cobre.
    Fortaas de ferro batido galvanisadd para purgar assucar, leves para carregar
    f iomptos de uuebrar-se.
    Alambiques de ferro de todos os tamanhos, custando s a terca parte de*
    pr^go dos de cobre, mais regulares na distilla^lo e igualmente dtiravels.
    Elxof t r'oda e an com aaang s de patente, obra mui segara para
    ca-regacao de peso. .
    Arados, grades, enchados a ca vallo e outros malrumentos Je agri-
    etara. E nalmente todo o objeeto de que possa precisar um engefnfio.
    MacM-a^s de descaroear algodlo.
    Na fabrica se fazera obras aovas encorffrahda e coacertOS, com a maior preste-
    za c solidez. 0 grande deposito de pecas e objectos habi itam-na muito paro esta fim.
    O proprietario ser sempre mui fez de pbilerter ceasifo- i9 dar intonoJuSesTm
    esc'.ar'1 amentos aos senhors qoe se'servtreld de seu presttmo.
    D. W. Bo^ftm,
    Fazem sciente ao respaitavet paWico, e com especialidade aos senhores de en-
    lenhos, lavradores e atis pesOas do centro, que para mal aeilitar suas compras deli-
    baMram os proprietarios dos tras grandes armazens, reooir todoj os seas estabeleci-
    mentos em um s aamincioj palo qual o preco de um sor de lodos, promette-
    0006 que nao infringiremos a tabella, que abaixo vai publicado, aonrjnriar os gneros
    par um prego, e na occasiae"daiOBiipra -qUererem por' oatro> eda sonde constante-
    tnente'em outras muitas casasy porm no nossos estaberacimentos na"o se dar isto
    anda mesmo com prejoteo nosso, qualquer pessoa peder mandar seus famolos qoe
    ero tambem servidos como tiessem pessoaimoTite faeodo-oos o farfir da mandar seus
    pedidos em cartas feixadas; para eritar' qnalqoer engaos, remetiendo nos orna conta
    pala qnal se ver os precos tal.-cfdal aotonciarmos, o quo'eno arrepender pessoa
    aigum que fizer sua despen?a em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
    5 por cento na sua despezi diaria.
    roDriado sortimeoto de carteiras
    '^^jos presos seguintes.
    2^
    MASi TEIG A
    Manteiga iuglaza perfeitamente flor che-
    gada ultimamene a i,o&r rs. a libra, e
    em barril'tefe abatimeutd.
    Manteiga fraocez da saiVa nava a 8oo rs.
    a libra e emrbarrll ter9iaf*Sitatiito.
    BAN*
    Banba refinada superior a 64o rs. e em
    barril- ter abat nertto.
    Cha uxim de pruneira o superior qualida-
    dM 2,800 rs:
    dem bysso o melhdr neste gracro
    ,6oo rs., e sflhflo em parcho ter abafimeo-
    t*, tambem ha proprio para negocio de 2 a
    SUoo rs;. a fibra.
    dem pretd superior d 1,800 a l,5oo rs.
    a libra.
    Klseoutos
    Latas com supeFOf bsedutti mgte d di-
    versas mateas a l,2oo rs. a tata.
    Blehlnltas
    LataS com btachihbJs d acreditada f#-
    brica do beato Antonio, proprias para dar a
    doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata.
    dem com quatro libras de blachnha de
    soda a 2,ooo rs. a lata.
    Quijos
    Queiios flametigos chegados pelo uttimo
    vapor de 2;3oo a2;15tio r.
    crrocoLATE
    Chocolate' hSpanffa i.oocr e l,2oo rs.
    a libra, francs e suissd a l.obo rs. a libra
    e portuguez a 800 rs. a libra, em porco
    ter abatimento.
    VINHOS
    Superior viaho do Poft* das^ mais'jredi-
    ladas marcas, como sfcjartf: Mader-;6ccca,
    Duque do Porto, Velho Secco, Lagrimas do
    Douro, Maria Pia-, D. Luiz, Pedri V, Lagri-
    mas Doces e outras marcas a I,ooo a. garra-
    fa e 9.000 a 12 ooorsi a duzia.
    Vinho Figeira e Lisboa das melhores
    marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3,doo,
    3,5oo e 4,ooo rs. a caada.
    Superior vinho chamisso em barril a 64o
    rs. agarrarea.4,6oo w. acanada.
    Superior vinho de Lisboa e Ffgueir em
    anceretas de 8eU caadas a 24,oeo-re. a an-
    coreta.
    Superior vinho branco proprio para mis-
    sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
    so- pira 4oe, Bocrsi a garrafa e 3,2ooa
    3,ooo a caada.
    Caixas com urna duzia de garrafas de su-
    perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs, a caixa e
    Too'-fB. agarrafa;'
    CAFE
    Caf do Rio- da i. e 2,* qualidade da
    6,800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a>28o
    rs. -a-libra:
    NABAO
    Vinagre
    Superfor vrge de Lisboa1 a 2,000 rs. a
    casada e 280'rs; agarrafa. Tambem ba
    mais baixo pata 2oo rs. a garrafa e l,oors.
    a caada.
    Azeite do
    Superior aaeite doce d Lisboa a 64o rs. a
    garrafa e a 0,000 rs. a caada.
    FU VIO CAPORAL.
    Latas com superior fumo caporal a 1,800
    rs.a lata.
    Passas
    Superiores passas a 2,5oo o quarto e
    9,5oo rs.; a caixa de arroba hespanhota e a
    56o rs. a libra:
    Genebra de laranjaverdadeira a io,5oo a
    duzia e l,ooo rs. ao frasco.
    Genebra de Hollanda verdadeira a 6,000
    rs. a ftasqueira e a S60 rs. o frasco.
    Idear de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
    da ums.
    Garrafes com 24 garrafas de genebra de
    Holanda a 8,000 rs. o garrafe. Tambem
    ha garrames com 5 e 14 garrafas de 3,2o a
    6,000 rs. cadaum.
    VELAS
    Velas de spermacete a 64o rs. a libra.
    dem de carnauba de lo a 12,000 rs a
    arroba e de 96o a 44o rs. a libra.
    PEIXE
    Peixe em latas j preparado de ,ooo a
    l,2oors. a lata
    ALPISTA E PAINga
    Alpista e painco muito novo de 3,8oo a
    4,000 rs. a arroba e de 14o e 160 rs. a li-
    bra.
    CHARUTOS.
    Superiores charutos do fabricantes Simas,
    Imperiaes, Delicias, Parisienses e outros de
    2,2,5oo e 3,ooo rs. a meia caixa: tamban
    temos Suspiros, Havaneiros, Ligueiros e
    outros muitos que vendemos por mdico
    prego.
    Licores
    Licores francezes eportuguezes a l,ooo e
    l,4oo rs. a garrafa ou frasco.
    Doces
    Doce da casca da goiaba em.caixes e la-
    tas a l,2ooo caixo e ,8oo rs. a lata.
    Frats
    Frutas em calda e em latas fechadas her-
    mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
    do pera,r>ecego, ameixa rainha Claudia, al
    perche e oiitras- frutas a 01 is. a lata.
    Tambera hlalas grandes para 4',2oo'rs. a
    lata.
    AZEITEDE REFINADO
    Superior azeite francez refinado a 8,000
    rs. a garrafa e a 9,ooo rs. a duzia.
    MOLHO ING1EZ SAUCE
    Molho inglez Sauce em frascos grandes
    ,com rolha de vidro a l,8oo rs. o frasco em
    DR. Ptlt^MAtD bftO MOSC08O,
    niiimo, pibtfiro 1:cmnMltC'
    3Ra da Gloria, casa do Fundar--3
    O Dr. Lefio Mbscoso drcdniitas grtiintls'aoi ptteVtodd* os dias dai Ta li
    asrasda manhao, e das 6 e meia s 8 horas da Bdife;*iecep^W dos m santilodoV
    PhwmmaespemhWopathi&
    No mesmo consultorio ha sempre o mais a
    tubos avulsos, assim como'tinti'as de varias dym
    Cartalrs de 12 tubo? grabdesT
    d 24'tubbTtfiids.
    de 36 'tubos grandes.'
    ' de 48 tuds grandes.
    > de 60 tubos grandes. 35^000
    Prpar-se qulqnr Cartir'a conforme o pedido que se fizer, e com os remedioi
    iju'esbedir.
    Um tubo avulsd ou frasco de tintura de meia anca 1000.
    Sendo para cima de 12 custaro os precos eslabelecidos para as carteiras.
    Ha tubos mais pequeos cada urna 500 ris.
    i% nos.
    A melhor obra Si bomeorJ*hia, Manttal>de Medicina Hdmedpathico do Dr. Ja h
    dous grandes volumesconrdiccforjiri ...... "1.....= 20AOOO
    MetircfflSdotrfstfcTloDr. Hriftg.,........... 109000
    Repertorio dd DY. Mello Mfres..........o.shmim^BiOOO*
    rtbcionarid dd tetnMs* c% medicina........... z$qoo
    Os fatedios'deSte esfblecimnto s3o por denads cenhcidos e dispensara por
    tanto de serem trovametit recommendadoS as pesstoas que quizerem usar de remedios
    verdadrro8, enrgicos e duradres: ha tdtJ do melhr qu" fi pode desejar, globos de
    rerdadeiro assucar de Itl, notaveis pela sea boa conservacS, tintura dos mais acredi-
    tados estabeecMentos eutopeos, a mais exacta e acurada prepataco, e portante a maior
    energia e certeza em seus effetos.
    Casa d saude para eserajvos.
    Recbele escrato para tratar de qualquefenfefoldade ou ftteer-se-me qualquer
    operado, para o qde e anotmeiante julga-se sufflciehtmhte habilitado.
    O Iratamento o melhor posstfef, tanto na parte aHraertr, comO na medica,
    funecionando a casa ha mais de quatro anuos, ha araias pessb de cajo conceito se nio
    pode duvidar, qae;podem ser" consultados por aquelf que desejare~m mandar seus
    doentes.
    Paga-se 25 por dia durante 60 dias e d'ahi em diaate 1^500.
    As peraces serS previamente ajnstaday, se nao se qaizrem sujeltar aos preces
    razoaveis que costuma pedir o annaritiarit'.
    IIIItIAXEM e fakgida
    DE
    <* c.

    Sabio macad* primeira-qualidade de 18a.duzia ter abatimento.
    a22ors. a libra e de 16o a 2lo rs. sendo
    em caixao.
    Serveja.
    Superior serveja Rass dos melhores fa-
    bricantes, como sejam: Shlers & BelL T. F.
    Asbe a 7,5oo e 7,ooO'rs. a duzia -e a Toors.
    a garrafa. Tambem ba. de outras marcas
    como seja: VictoriasAleope.at5,oaar,s.au-
    ziae5oors. agarrafa;
    B0I5ES VASIOS.
    Boies vasios; louca ingleza muito pro-
    priapara manteiga e deposito de doce de 4
    al2iibrasal,2ooe2^oo.
    FARWHA1 DO MARAWHAO.
    Farinha do Maranbao a 240 rs. a libra.
    SAG.
    Sag,muito uovo a 4oo rs. a libra.
    ARARUIA.
    Aramt**erdadeira a 4oo-rs. a hbr*i
    Phneata, cominho-, craro; canellfc ervadoce, alfazwna, tiifWa eara Jirapac facas pa-
    litos pata denles, palitos de fogo, e outros amitos gneros que se ternaria enfadonho
    mencionar, aflancando ciDceridade nos precos e o bom acondicionamento 'de qualquer
    gen ra '
    --------------.----------------.--------------------------^_i---------.--------,----------------------.----------!----------------------:_
    BATATA-S.
    Gigos com 3o libras de batatas a l.ooo rs.
    ogigo-
    SARDINA A|5.
    Latas com wrdinhasfrdesNentes e Lisboa
    de loo a iOo rs. a lata.-
    FUMO AMEBJCA40.
    Superior fumo em chapa a 640 rs. a libra
    ERYILH.AS
    Latas com ervilbase feijo verde j pre-
    parado Gio rs, a lata.
    MAS3A DE TOMATE
    Latas com 1 libra de massa de tomate a
    64o a lata..
    VERMUTH
    Esta bebida muito fresca e estomac d e
    muito prepfia par.- a presante estacjSo. a
    qoal vendemos a %eoo rs. a garrafa e 18.)
    a duzia^
    CUSTODIO CARVALHO
    27 RA DO QUEIMADO N. 2?
    MadapoRo francez mttiUr'flhoy tenrW peuco mefoy cada* peca com 27 varas per
    100000.
    L5a de egresa 300rs. o covado.
    Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
    Finos orgprate'a preco de 800 rs. a vara.
    Lencos brancos para algibeira a 2&f 00 a duzia.
    Finas perctaras a pre?o de 400, 440 a 560 rs. o covado.
    Ricos corte ft la de barra de 10i a 30(5000.
    Chales de fil preto e outras muitas fzendas.
    MACHINAS DE PTENTE
    DE TRABALHAR MP) PARA DSCA-
    RgAR'AiGODO
    i Aititic tn por
    PLAKT BEOTIEES & G.
    OLDAM.
    Estas machi-
    nas podemdes-
    caroear qual-
    Jijuer especie de
    algodao sem
    estragar o fio,
    sendo bastante
    do as pessoas
    para o traba-
    lho; pdedes-
    carocar. urna
    arroba de al-
    godSo em ca-
    rofo em 40
    minutos, ou
    18 arrobas por da ou cinco arrobas de al
    godo limpo.
    Assim como machinas para serem movi-
    das por animaes, que descareeam 18 arro-
    bas de algodao limpo por. dia; e motores
    para mover urna, duas ou tres deseas ma-
    chinas.
    Os mesmos tesa para vender um bellissi-
    mo vapor que pode fazer mover seis destas
    machinas mencionadas; para o que convi-
    d-se aos seehores agricultores a virem ver
    e examina-lo, no a mazem de algodJo, no
    largo da ponte nova n. 47.
    Saunderg Brothers A. C.
    Recife praca do, Cor^o SaQto n. 11.
    Os; nnicos agentes neste paiz.
    (J catelif> to Grasville.
    Novidades do Vigilante
    RA DO CRESPO N. 7.
    Este estabelcimnto apezar de sempre
    se achar bem sortido como todos sabera,
    hojemais que nunca, nao so pelo que rece-
    be de sua propria conta, mas tambem pelo
    que recebe de consignaces; parece sem
    duvida que deve offerecer grandes vanta-
    gens para o respeitavel publico tanto em
    precos como na escolha dos objectos, e co-
    mo acaba de chegar grande remessa pelo
    vapor Douro e o navio t Solferino de
    diversos objectos de gosto e proprias do
    lempo dos quaes se mencionado alguas,
    por n3o ser possivel mencionar todos. O
    dono deste estabelcimnto espera a pro-
    tecejo de todos.
    Riquissimas caixinhas ornadas e com
    msica propria para um delicado mii.
    Caixinhas de msica tanto de veio como
    deaorda..
    Ricos portaljDiaaerjeceesari9
    Riqnissimos estajos a feitio de um bausi-
    nho ou chapeuzinho.
    Ditos em casca de noz e deoutoos gostos^
    SANOS B4R4T0S
    Veodem-se, na vraria da praca da Inde-
    pendencia n. 8, a 400 rs. o valuad, oa ro-
    mances portuguezes seguales, em brochuxa:
    A voz do sangue, 2 volumes.
    Connemara, 2 ditos.
    Anoite de S. Silvestre, 1 dito.
    O filho de Titiano, 1 dito.
    Adonis-ou o bom negro, 1 dito.
    As duis amadas, 1 dito.
    O pacha de Bada, 1.dito.
    Trilby, 1 dito.
    Igaez de la Sierra, 1 dito.
    Joven Siberiana, i dito.
    Veade-se oa alega se oov lerreoa com dus precosT'para acabar, os objectos segulotes, qae ser-
    frentes lera a ra d Bfam n. 11 e pan an-a dos 1 vem-mrt bem aos qu toroafti parte nos b "
    Trfiaidfr afraneex por A. J. C. da Gnu.
    Vende-se este bello romance em quatr
    Leques de madeperola de sndalo e de tomos pe baratissimo preco de 3400C
    em saceos grandes a ,4fioOO: dos armazens
    de Tassft rmeos.________
    Gomma, de milhp bfanco
    americana
    Eu preciosaiculv cujas propriedades medi-
    cinaes a imprensa europea unto tera exaltado para
    a cara das moleatias do petto, reconimeqda-se.tam-
    bera como alimento sadio'e nutritivo para as en-
    ancas, prestando se a variados preparos culinarios.
    A gwnl acatao qoo ella, tem obtilt por toda, a
    parte o seu maior elogio : vende se nicamente
    na roa do Imperador n. 37, armazem, Alhanca.
    faia e madeira.
    Chaposinhos e touquinhas .de, muito
    gosto par criancas,
    Meias e sapatitihos de seda para as mes-
    mas.
    Meias de seda para senhoras.
    Capellas. e grinajdas de flores proprias,
    para casamento.
    Enfeites e capellas de muito gosto parja
    senhora.
    Riquissimos porta boquets.
    Roquet de flores com uma .borrachinhaj
    com cheiro.
    Luvas verdadetras, de Jovin.
    Ditas de sed^ e-d4Escocia.
    Riquissimaa. i-JiMnaS e gnaraiif5es para
    enfeitar chaos
    Conta*. e tubos deafobrancq, que ba
    muito se desejava paca enfeites.
    Brincos, fivellas.e cruzes de crystal.
    Fivellas e cruzes de tartaruga, maJripe-
    rola edourados.
    Alfinetes para grvalas.
    Botoes com croas para pannos.
    aa praca da Independencia, vraria as.
    Paraos unUes mascarfdQs.
    A, agpU branca est vendqado. por barau'ssimos.
    Guararapes a. 90, rmiito proprio parar deposito de
    carvio, madeira, ou carro?*? bois, por ser grao-
    da, ter cacimba a tres telbsiros, e um caixa ds
    casa em respaldo : a traur m roa da Cruz do
    Recife n. 59. ______ _____
    - a-flbrte* *- vim m. liBaariatTl,
    pMaimo a estacJM^oaaiaBo da firro, vende-aa
    viaafM lUUo suparior em nkuiida- a-outro qual- \ n* eatrad aova, segunda taberna a dicelta, depols
    qa, a por prec sdico, istia com braaro a do sobrado grande : a tratar na Hfsnja, das &
    4Mlor. han da tarde- etn diante.
    ales mas
    carados, senda:
    Metoedeada.aio paj. s
    EafaiiaPi.de'tlarea.a. 14 M e Mead, ata.
    Fitas lavradas de 30 a 4 a vara.
    Cintos larapawmjaojyaacablda^
    Gravatinhas e mantinhas de muito gosto,
    tanto para hornera coci par* seahara.
    Riquissimos^dfrecs pratoje, aasipi como
    caixinhas coi afnet#s oreoe.
    Bengallas de, canna cora cx) de-marfim.
    Ditas de baleia, borracha e de outras
    muitas qualidada^ assim como chiMtubo^
    Riquissimos peores de tartaruga do u!tf-
    mo gosto; assim como de arregaco para
    menina, pois qeste artigo ha um Completo
    Eortimento de todas as qualidades.
    Diademas para cabeca do ultimo gosto.
    fiiquissima^fitas, lavcadas e laza.
    Trancas predas com virjrilho e de,cores.
    Pulseiras tanto para senhora como para
    meninas.
    Vndese orna mVsepa-di amarello em per-
    feito eftado, e mais pertences pata nina padaria,
    o em per- Suspensorios de seda e de algoc
    dSmui-
    tos outros objeeto* q*se n3 podem an-
    nunciar por nao se tornar enfadono.
    1 S m Otilo Vigae* roa de Crespo a. 7.
    Framcisco J06f3 trermano
    -' RA NOVA N. 22,
    acaba de receber um lindo e magnifico sor-
    timento de oculos, lunetos, binculos, do ul-
    timo e mais apurada gosto da Europa e ooi-
    los de alcance,' para observacoes e para os
    maritimos. __________
    Manual d Cidado
    Vende-seo Manual do Cid,adao em um
    Governo Representativa oa, prlhcioios de
    Direito Publico Constitucjonal Administra-
    tivo e das Gentes, por Silvestre Ymheiro
    Ferreira, em 3 volumes broxurados por 3#
    cada obra : na livraja.,n. 8 da praca da
    Inflapeao'--
    tre'de'Westpba-
    EnTna do Trap-
    supe
    o ulti
    *fs
    s feitas de. todas as
    Vaide-ai roopa falta, sendjf calas
    pardo a 2J, ditas de brim brancodelinbo a 3&500
    e 44. caigas de casemira preta a 5, 64 e 84, di-
    tas de cores, toelf casemira, a 34 e 34500, ditas
    d ca&ntra a C4V 74 e 84, paletots de brim de
    cores a 24, 34B0Q e 34, ditos de brJOL branco a
    0, ditos de alpaca preta a 34 e
    pCSSto ffiP7 SS 14,' clele?de
    140O, de caseira a 34 e 44, cerotila rraseau a
    14*00 a 24*00; MMaas- frataas BoaB fcrancaa e
    peitos de cores a 24 e 24500, ditas iogleus de li-
    nho de pregas largas a 24500, 34 e 345Q0 : a
    roaT
    pnlMt
    Chegaram para
    Queioudo a. id.
    alojadem
    i


    ^'
    udezis, : ua raa do

    ni" iun*a


    H '* I

    >
    talarla 4e ptrMT**f *** idra tS *> *evera! ra de
    MYft LOJA
    ENCICLOPDICA
    Hi>Ailfiri Jaata a aaria f radeeza de
    Paredes Parto.
    Neste estabelecimeato encontrar o respeitavel
    publico nm variado sGrtimento de fazendas francei
    taay tagtocas, salseas e allmfes, qoe se vetrterao
    por preto commodo.
    Paredes Perla
    Vende chales de renda de cores qne se vende-
    ram a 18 esi vendepdo por 6*. ditos, pretos, fo-
    nndt nova, 5*, 6*, 84 a 20*, ara sortlmento com-
    pleto dejna*toiee*,ePMJswtambrqoesli*a
    55*. Ra da Imperatriz p. 42, junto a padarla [ras-
    ceta, armazem da porta larga.
    f areles Parto
    Reeebeo nm completo sortlmento de liaslnbas a
    540, e 200 rs. covados, para acabar, cambraias de
    cor a 240 rs. o covado, riscado escoesez para roo-
    pa de menino, fustao de linho a 430, 400 e 500 rs.
    Roa da Imperatriz n. 81 junto a padana francea.
    armatem da porta larga.
    Preles Parte
    Recebeu para cortinados para cama trancen a
    11* a pe?a cambraia lisa Bna a 3* 4* al 10* a
    peca, cortes de tarlataa de bonitos gestos a 3*500
    4*, cambraia coni ftr de seda, gostos inteira-
    meoto novos a 400 e 500 rs. o covado.no armazem
    da porta larga n. 52, roa da Imperatriz junto a pa-
    daria franceza.
    Paredes Perte
    Reeebeo pelo ultimo paquete um sormeoto de
    cruzes com pedrs para o pescoco, benitos caxineis
    de-lia para pescoco de senhora. Ra da Imperatri
    u. 52, armasen da porta larga.
    Paredes Porto
    Vende cortes degorguro preto para vestido com
    21 covados cada um 35*000, grsdenaple preto a
    (#000,1*000 e2j o covado, lias lizas Anas a 400
    rs. o covado, lias de qnadriBho para vestido, entes-
    tada, a 310 rs. o cavado. Rna da Imperatris d. 52,
    armazem da porta larga.
    Ronpa feita
    Roa da Imperatriz n. 52 armazem da porta lar-
    ga junio a padarla francesa, encontrase neste es-
    tabetecimento um completo sortimento de paletos-
    saceos e sobrecasacos, de todas as qualidades, cal-
    cas, colletes, ceroulas, camisas, grvalas, meias,
    chapeos de sol, ditos franceses para cabeca, por
    precos cororaodos, ronpa para menino e outras
    maitas faieodas por precos commodos, armaaem
    de, porta larga.
    So mesmo estabeleclmeeto encontrar o respei-
    tavel publico, sempre um completo sorlimento de
    roncas feria* da todas ae qnalidades, como sejam
    paletos de alpaca, prstt de er,ditos sobracasa-
    eos a 4* e 3*, ditos de brim pardo a 2*800, 3* e
    3*800, ditos finos a I*, ditos meias eazemira a
    3*809, 4* e *, ditos eazemira saceos a *, 7* 84
    e 10*, ditos sobrecasacos a 10 e 12*. ditos de pae-
    no saceos a 6*. 8* e JO*, ditos sobrecasacos a M*
    e 25*. ditqs de merm preto a 6*. 7* eiO*, au-
    cas de brim de diversas qnalidades a 1*800 a 4*,
    dos braacos a 2*800 e 6*00, ditos eazemira 6*,
    6* e 7*. dites pretos a 6*, *, 8* e 10*, ditos
    meias cazemiras a. 3* e 4*, catetes de diversas
    qnalidades, seroulas francezas de algodo, dHas de
    linbo, ditas de bramante a 2* e "2*300, carnizas de
    ilgodi de hnho franoesade 2*500 e 3*. Gran-
    de pecbincba neste genero, grvalas de Sodas as
    qualidades e brancas para casamento, grande sor-
    limento de meias para senhoras, ditas para bomens
    a S*, superiores a 3*500 e %*.
    Um completo sorlimento de chapeos de sol de
    Alpaca a 3*. ditos de seda a 5*, 7*. *0* e 14*,
    'litos franceies para cabeca, grande sorlimento
    t 6*.
    Pechincha admiinvel.
    Grande sorlimento de chambres a 4*600 e 53,
    pnces de cambraia para'iomem a "2* a dozla, di-
    tos de linbo a 4* e 5*.
    Grande -sorlimento de ronpa para meninos e os-
    tras muitas qualidades que seria enfadonho men-
    ciona-las.
    Paredes Porto
    Recebeu pelo ultimo paquete franeez ricas lias
    granadinas com flores de seda a 40 e 500 rs. o
    covado. esto acabando-se, cambraia prata para
    luto. Porta larga junto a padaria franceza, a na
    da Im leratriz a. 52.
    Paredes Porto
    Recebeu pelo ultimo paquete espartiihoe a ere-
    guieotio por 3s, sao bopa, lencos da seda para se-
    nbora e homem a 1, rjpos cortes de cambraia
    bordados de 18J a"7fc por ter um toque de mofo,
    esto ae acabando, na ra da Imperatriz h.52, jun-
    to a palaria franceu.
    Paredes Porto
    Veade um completo sortimento de fazendas
    brancas, como sejam madatolaoa 4*500, o*,** e
    10aj, pecas de algodo por barato prego, chita fran-
    cesa a 240, 280, 320, 360 rs. o covado, precalias
    muito Anas a 360, 400 rs. o covado, chita ingleza
    a 200 e 240 rs. o eevado. Ra da Imperatriz n.
    52, junto a padaria'francesa.
    Fazendas.
    Vndese superior merm preto nroprio para ca-
    pa de senhora e vestidos a 2*. lustrim da Ot na
    a 1*800 o covado. Ra da Imperatriz, porta larga.
    Papedes Porto.
    Vende em sen estabelecimento tiras e entremeios
    bordados, grande sorlimento de corpinhos rica-
    mente bordados a 3*, 4* e 5*. S o Paredes Por-
    to, ra da Imperatriz np 52; porta larga junto a
    padarla franceza.
    coan
    O" Di
    3 a H
    o S *
    M
    s-S'1'S.ls.lSS
    a> a. o
    I
    _ 3 o
    _> a* S> & O, S.S 2 e> ST cu s g-. o-
    flftlPIPfl*!
    ili|ir:i|i
    6RAHB BsWBUbIITO
    W.60
    FABBIOA A VAPOR
    99 RA DO MNDEGO 99
    Deposito na rna Nova a. 5 loja de relojoelro. :
    Delouche donos deste estabelecimento partecipa ao respeitnvel publico que &ua fa-
    brica est montada com as memores machi oas que existen) na tu ropa, e que pode
    febricarcom raelbor perfeic3o possiel. Todo- o chocolate d6ta fabrica est garantido, e
    paro, o quo nao se pode encontrar naquelle que vem de ra, e que e wmde por preco
    baixo, visto is productos serem do paiz. Na etiqueta tem sempre urna aguia.
    PREC.
    Meia Ubra......... 400
    Urna libra......... 800
    Urna arroba........19*000
    Na mesma fabrica acaba de se montar urna officioa com serrara a vapor para
    obras de marcineiria propria para edificio, para o que encarregi-se de faaer portas, ja-
    dellas, assoalhos aparqu franeez comosa usa na Europa,) e armacSes, lado com brevi-
    nade e perfeicio. Toma-se qualquer encommenda para fura da cidade, entregando-se
    prompta a collar-se no lugar.
    nm* da iaaperatrla,
    DI
    GAMA ^ SILVA.
    LOJA E ARMAZBM DE FAZENDAS.
    Tendo os propietarios deate grande estabeleci-
    mento feito um grande abatimento em Toitas de
    suas faiendas, pela oeeaslBo do balflco-qaa'deram
    no ultimo de dezembro de 1865, resolvern) vender
    muito mais barato do que costumam atim de cada
    vez roals agradarera aes seus numerosos fregue-
    ses ; por tanto -Ibes offererom um avulado sor ti-
    ment de fazendas frangas, ipgleae, as quaes
    Curtes de cambraia com palnus na loja do
    Pa?3o. -
    Veadem-se cortes de cambraia branca com pal-
    mas, sendo fazenda muito bea, pelo baraiisslmo
    Sreco de 2*800 paraaeabar : na ;oja e armazem
    e Pavo/na roa da kanerattis d. 60, de Gama Si
    Silva.
    leaeaf braneo* a 0OM> re a
    dula.
    Vendem se lencos braooos fazenda muito boa
    Eelo baratissimo i>reco de 2* s dnzls, Ditos com
    arra decdr a 2*000 isto para acabar na loja do
    Revio na rna da Imperatm n. 60 de Gama A Sil-
    "GR4NDE PECHINCHA!
    Lsinhas a 120 rs. na leja do Pavao
    Vende-se lsinhas pretss proprias para lnto sen-
    venderao mais barato do qpe era oulra qua quex a0 bfla fazenda a 120 rs. o covado. Ditas muito
    parte, comproraettendo-se a mandar tevir qualquer
    fazenda em casa dos fregeezee qne nao paderem
    vir a loja, ou a darem as amostras, deixa^do ftcar
    o penbor, assim como cottVldam as pessoas, que
    negociara em menor escala que neste grande esta-
    belecimento encontrarlo nm 'grande sortimento
    tanto a retalho como por atacado, vendendo-se-lhe
    apenas pelos precos que compram as casas ingie-
    ra?, sendo com e dinheiro vina.
    Peefalneha a sf ooo e S#50O
    AS MELFOMENE8 DO PAVAO.
    Vendem-se bonitos cortes de melpomene para
    vestidos de senhoras, sendo dos padroes mais mo-
    dernos pelo baratissimo preco de 3*000 eadt um.
    Ditos de indiana, tendo oito e meia varas, pelo
    baratissimo prego de 2*500 rs.
    lito para acabar na loja do Pavao, ra da Im-
    peratriz n. 60, de Gama & Silva.
    As toallias de li. lio d Pavao.
    Vendem-s? superiores toalnas de llanos para
    ro-to pelo baratissimo prfeo de 7*500 a dasia ou
    a 640 cada urna.
    Guardanapos de linho adamascado para meia a
    DE
    COEIilIO dfc
    Rna da Crnz n
    FKEITA
    16.
    Continua a baver diariamente um sortimento -de pastis, podios, bolos ingieras,
    empadas etc., etc. Os donos deste estabelecimento, acbam-se as melhores condices
    de poder satisfacer eBcommeodas etmeernentes a sua arte, em eoDsequencia do socio
    Freitas ter sido administrador ebefe de Igumas das princii aes fabricas na corte, ende
    ama a do Sr. Jlo Goncalves SuimarSes (confeitaria de Lelo) antiga easa de CarceBer.
    Todesos trabamos sao drlferentes dos que se fazem em casas particulares.
    Os propietarios deste estabelecimento nao se tem poopado a despezas, nem se
    pouparao, se houver eonoorreBcia como etperam; tendo continuadamente bom sorti-
    mento de doces para cha; preswrios e ditos em fiambre, tambemse recebem para se-
    rem preparados ; assim como doce de caj novo superior, secco e crystalisado, ditoem
    calda em latas hermticamente fechadas, podendo durar annos em perfeito estado.
    Para jantares epartidas rocebem-se encoamnendas dos segointes objeetos; ban-
    deijas ricamente enfeitodas sem armacao pecas de emeodoas (nogaces), ditas de tmaras
    de ovos, pies de 16 enfeitados com dsticos* anlogos a qualquer fim; dos meotades,
    kechs simples e eBfeitados com fructas ingleza; gatbeaux de la reiBe, ditos-de le d-
    chese, tortas de fructa, massa fohada; ditas de peixe e carne; remes e doces de evos
    de differentes especies.
    Tambem ternura completo sortimento-deirinhosengarrafados, eomo^ajara: vinbo
    do Porto superior, fgoeira, Madeira, Lisboa, -Cberez, Bordeaox, Champagne fino, ser-
    veja, licores, charopes 0 conservas. Para fiestas: bonitas eaixiofias cora ameodoas, con-
    feltos e tais enfeiles. Muitos destes objeetos mencionados pedem-se perfeHamente ac- vados a 2*
    Boas de quadriotios a 480 e 320 rs., ditas enfesta
    das a 400 rs., ditas mathizadas a 320 rs., ditas
    transparentes com palma de sedas 400 rs., ditas li-
    zas e com salplcos a 500 rs., para acabar na loja e
    armazem do PavSo na ra da Imperatriz a. 60. de
    Gama & Silva.
    Poupelinas modernissimas a 400 e 500 rs.
    o covado na loja do Pavao.
    Vendem-se poupelinas muito finas sendo fazenda
    muito moderna de quadnnhos e liza vendendo-se
    pelos baratos precos de 400 e 500 rs. o covado na
    loja do Pav3o na ra da Imperatriz n. 60 de Gama
    di Silva.
    Grosdenapf es pretas do Pavao.
    Vendem-se superiores grosdenaples pretos pelos
    baratissimos presos de 1*500, 1*600,1*800 e 2*
    o covado, sendo fazenda muito boa, s para aca-
    bar : na loja e armazem do Pavao, ra da Impe-
    ratriz n. 60, de Gama & Silva.
    Bramante de lluho da PavSo.
    Vndese superior bramante de linho com 10
    palmos de largura, preprios para lences, pelos' n. 56.
    Noviriades da irara.
    Fazendas pretas para a quaresma.
    Arara-vende groadenaple preto a tiWoe
    Vende-se grsdenaple preto bom a 1*600,1*800
    e 2* o covado, dito muito largo a 2*500 e 2*800
    o covado : na roa da imperatriz loja da Arara
    n.6.
    Moreantiqne da Arara a 30800,
    Vende-se moreanlique preto para vestidos mui-
    to bom a 2*800 e 3* o covado, alpaca preta para
    palelots e vestido, a 500, 600 e 800 rs. o eovadu,
    merino preto muito bom a 3* o-covado : na rna
    da Imperatnz loja da Arara o. 56.
    Arara vende as saias a -3^500,
    Vende se saias bordadas para senhoras a 3*50"
    e 4*, gollinhas bordadas a 240 e 320 rs. caa
    una : na roa da imperatriz loja-tfa Arara n. 5C.
    Chapeos fe sol da Arara* 1A400.
    Vende-se ehaposinhos de sol -para meBin& a
    1*400 cada ua>. ramisinhas para senhoras a i*,
    3* e 4 : Arara ra da Iffllpetatriz n. 56.
    Arara vende os vestidos bordados a k&,
    Vende-se cortes de vestidos braveo* bordados a
    4*600, ditos de cores a 3*, dito bordados a laa e
    seda a 7* e 9* : na roa da Imperatriz n. 56.
    Os balos da Arara a 2$.
    Vende-se bal5es de arcos de todos os tatflanhos
    a 2*, 3*, 34500 e 4, saias bordaths a 8*500 e
    4* : na ra da Imperatriz n 56, loja da Arara.
    Arara vende cortes de laa a 5#.
    Vende-se cortes de laa novos vindos pelo ultimo
    vapor com 15 covados pelo barato prego de 5*, di-
    tos com barras a 6* : na ra'da Imperatriz loja da
    Arara n. 56.
    Arara vende chales de #.
    Vende-se chales de merino estampados
    ditos de la a 1*600 e {*, ditos de merino
    finos a 4* e 7* : ra da Imperatriz loja da
    a 2*.
    mnito
    Arara
    baratissimos precos de 2* e 2*600 a vara, assim
    w rs. caoa J"n- ^^ como paano de linbo'muito fino pelos baratissimos
    Superior amalbado-de linho cora to pabos e, Fde 640 700 m a yara Da ,8Ja e .
    rgura sendo bronco e pardo, e vende-se mais ba- v
    rato do oue emoutro carie, na loja do Pavao na ra
    da
    o do que emoutro parte, na loja do I
    Imperalrfz n. 60' fe Gama' & Silva.
    Os corpinhos ae seda pretos do'Pavao.
    Vendimie os mais ricos corpFhbs de seda pre-
    tos, ricamente entortados, pelo barato preco de II*
    cada nm ; na loja de Pavao aa ra da Imperatriz
    n. 60, de Gama & Silva.
    Corles de eolim para calcas
    a 1*120 s o Pavao.
    Vendem-se snprtotes eortesdecotim, faseada rtor, peto barato preco de 3*200
    muito encorpada para calcas e palitols, tendo pa- ditas muito anas a 5*, 61. 7*
    mazem do Pavo, roa da Imperatriz n. 60, de Ga-
    ma & Silva.
    As cassas do Pavas,
    Vendem-se cassas muito superiores com lindos
    padrBes, pelos baratos precos de 300 e 320 rs. o
    covado, ditas muito finas a 360 rs. para acabar :
    na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
    ma & Silva,
    Cambraias lisas do Pavo.
    Vendem-se pegas ae cambraia lisa muito snpe-
    ' e 32500 a peca,
    e 8* : na loja e
    prco.
    Brim pardo entrancado a 700 e 800 rs. a vara.
    Dito liso multo encorpado a 640 e 700 rs. a vara.
    Dito branco entrancado a 1*280 rs., islo' pe-
    ebincba na toja e ewwiem do Pavo na ra>da
    Imperatriz n. 60 de Gama Silva.
    Os cortes de cambraia branco bordados
    loja do Pavao.
    Veadem-se os mais ticos cortes de oambraia ri-
    camente bordados com barras e babados a 20* ca-
    da um : na loja e armatem do Pavo na, ra ua
    Imperatriz n. 60,'de Gama fSllva.
    Rleoe Tcildos a 80000 rs.
    pectindia admirsvel.
    S o Pavo recebeu pelo ultimo vapor franeez
    um grande sortimento dos mais ricos cortes de
    vestidos transparentes com lindas barras e enfeites
    de seda, sendo estes vestidos muito proprios pira
    bailes e passeios, e vendem-se pelo baratissimo
    preco de 8*000 re. cada uro, na loja do Pavao na
    ra da Imperatriz n- 00 de Gama & Silva.
    Cortes de chita a 20000
    S NO POVO.
    dres oscuros e alegres,"e vende-se pelo barato' armazem do Paveo, ra da Imperatriz n. 60, de
    preco de 1*120 rs. o corte de calca ou a 320 rs. o>\ Gama & Silva.
    covado, sendo sla fatenda grande pechlncba' 0eK> PECHINCHA I
    a 2000, para calcas, s a Pavo.
    Vendem se superiores cortes de meia casimira
    com msela de seda a 2*, ditas Garibaldlnas a
    2*800, ditas escuras a 2*800, ou a 1*600 o cova-
    do : na toja e armazem do Pavo, ra da Impera-
    triz n. 60, de Gama & Silva.
    PENTEADORES
    ou roupBes de cambraia bordados proprios
    para as senhoras vestirem de manh5a.
    Ghegon esta no vi dad e paia a loja do Pavo,
    muito lindos e do melbor gosto at boje, por pre-
    cos muito razoaveis : na loja do Pavo, ra da
    fmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
    Loja do pavo
    Grandes pechinchas.
    Sedinbas a 500 rs. o covado
    Sedinlias a 500 rs.
    Sedinhas a 500 rs.
    Vender na loja do Pavlo, nm grande sortimen-
    to de sedmbas listradas com as-mais bonitas cores,
    sendo os psdrs mais novos que tem vindo ae mer-
    cado, e vende-se pelo paratisslmo preco de cinco
    , tostSes o covado, sendo fasenda que valem muilo
    condiciocar tanto para a provincia, como para fra
    DE
    25 RA NOVA N. 25

    3

    o.
    o
    3
    O
    Oitoe con onse ovados a-2*200.
    Ditos com dore covados a 2*400.
    Ditos de chita franceza com dez covados a
    *200 s na loja e armazem de fazenda do'Pavo
    a ruadaroeeratfli'B.t00aeCa**ilva.
    s chales pretos de renda do Pavao a S^OOO rs.
    Vendem-se os mais ricos chales pret( s de renda
    com quatro pontas, senda muito grandes pelo ba-
    ratissimo preco de 8*.
    Ditos de guepure a t5#, 18*, 20*,3o*.
    Este estabelecimento araba de receber um rico sortimento prestamente fabricados para o clima deste paiz, dos mais aanidos fat-ricantes pa, por isso o proprietario convida ao respejtavel publico para viren apreciar as qua* i Capas e sauthambarqoes de grosdenapies bor-
    lidades dos referidos pianos. i-. faieBOa oteirameole nova, por presos mais
    Continua-se sempre com esmero e promptidao fazer-se qualqr reparo nos ditos TBSaaSSdMalaiaaSido Pavo'na ra da as
    instrumentos. Afinam-se os pianos (kbaixo o meJbor sr-stliema ltimamente adoptado peratrfs n. 00 de Gama & Silva:
    Da Europa. Oseaales do pavo a 2ooo 25oo rs.
    Vendem-so chales de merino -estampados a 2*
    e 2*500 cada um.
    Ditos de merm liso a 3*500.
    Ditos estawpa'tos de crepon a 6*, 7*, e 8000.
    Ditos pretos bordados com franja de seda a 14*
    Na loja eermaiem do-Pavao na roa da Impera-
    triz n. 60 de Gama & Sirva.
    Para luto veade o Pavo.
    Setim da Clima com 6 palmos de largura, fazen-
    da prea para luto, propria para vestidas e roupas
    para bomens, sendo esta nova fazenda sem lustro e
    de muito boa quahdade, garaotindo-se nao ticar
    rossa com o tempo e vende-se peto barato prego de
    ;2* e 2*508 o ovado, assim como neste estabeleci-
    mento tem nm grande sortimento de tedas as fa-
    tandas preUe-como sejam cassas e chitas pretas,
    las tapadas e transparentes, prineezas, alpacas,
    sarjas, etc. : na loja e armatem do Pavo na ra
    da Imperatriz n. 60, da Gama & Silva.
    Os ba.es do Pavao.
    I Vendem-se superiores baioes de muculkia com
    moka roda a 5*, ditos crinolises com 35 arcos a
    3*500, ditos com 20 e 23 a 34, ditos para meni-
    , as, sendo (trancos e encarBades a 2* e 2*300 :
    ! na loja do Pavo jia raa da Imperatriz n. 60, de
    Gama & Suva.
    Fazendas, pbaaiasia para vestidos chegados de Pars pelo ultimo vapor.
    LiQdos, robes de organdys cesarianas fazenda Iransparenle de inleiro gosto.
    Ditos.de percalia campestre padrdes moho ricos.
    Riquissitnas grinadmes de seda o que te vindo de melbor gosto neste mercado.
    Lindos -oorles de saKao pekin para vestido fazenda inteiramento-nova.
    Ditos de gaze setim em peca fazenda transparente e de gosto mujto modernos.
    Lindos chales de^reoadim broeb, primeira vez aqu apparecidos.
    Ricos bournus de orepe guarnecidas de tranca mwto propriespara passeios.
    Hiquissanas livelas para sinto, de metal, de cnsial com ac e com pedras unas, o
    qne ha de mais novo.
    E outras muitas fazendas de Inteiro gosto.
    8ua do Crespo n. 13.
    toja das col nautas de Antonio Cwrrela le VascaaecHo
    *SL Ceinpanhia.
    gtfBStfBSb-mG&fr.
    DE

    mSS irmlc
    Vendem no seo armazen raa I*
    AmoriiH a. 35,
    Licor fino Caraco em botijas e meias botijas.
    Lie ares finos sortldos em garrafas com rosnas 0a
    vidro e as Imdos (rasos.
    VlpbosUbjMi / i
    Saatornos-
    Cbambertin.
    Hermitage.
    Borgeobe.
    ,,.- Caa(M Muscatel.
    Reino.
    Bordeaax.
    Gogaec.
    Od Too.
    PAezei lagniol.
    ^ar.'dftf|aa#**^-
    craza.
    Chegaram os bem conhecidos palitos do gaz e
    aodafr per preco coesmodo : na rna da Cadeta
    4toRaab.n. SfciA, taa)daj,aaactiaaa.________u
    fm^MMo* W800.a
    Gfcegaraa) os etceftontes palitos de fogo e ven-
    taspito bsrato prap tu imivm%* ""
    da Gadria do Recife n. 56 A, loja das machinas.
    ro

    DE
    Ja VIGNESo
    Hj. 55. RA 1O 1HPEH.4D6H M. *9.
    i^% pianos datta anliga fabrica sao boje asss eontaecidos para que seja uecessario isaisUr sobre a
    _ Miperioridade. vantugens e garantas vels jtie ellas leaadefialUvameDte conquiawdo sobre todos oa que ten aparecido Beata prae> ; pos-
    toindo um teclado e macbiuismo que obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas, sem
    tranca lalbar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos Importan-
    .issiiDos para o clima deste paiz ; qoanto s vozes, sao melodiosas e flaata4as, e por isso muHo agrada-
    reis aos ouvidos dos apreciadores.
    , Faaem-se confoime as eDaimmendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blonda!, de Paris, socio
    eorrespondeate de J. Vignes, em eaja capital forara sempre premiados em todas as exposicSes.
    t -IiIaL'>i%-~-Ia nn diinii> r>ntvtni>ik nm nlnaiMiflA A w*tMlW gfiiMwrtWtfl el" iyhici
    Vendem-se cortes de chitas inglezas com des co- mais dinheiro, e grande pechincba por se ter
    i comprado urna grande ponida desta fasenda, na
    loja e armazem de fasenda do Pavo, roa da Im-
    peratrie n. 60 de
    Gama & Silva
    Pechlncha grande.
    Os madapO'es do Pa\3o.
    Vende-se superiores pecas madapolao, sendo
    muito largo, e muito encorpado tendo 2i jardas
    cada pega, pelo baratissimo preco de 8* e 9*000,
    dttos a 6*a00 e 7*, boa pechincha, e vende-se
    aa loja e armazem do Pavo, ra da Imperatriz n.
    60 de Gama & Silva.
    Casimiras da escocia.
    Na loja da Pavo
    Chegoa esta nova fasenda com o nome de ca-
    xemiras da escocia sendo muito encorpada pro-
    pria para calsas, e coletos, e vende-se pelo baratis-
    simo prego de 2*800 rs. o corte ou 15600 rs. o co-
    vado, pechincha por que lera duas larguras, isto
    s na loja e armazem do Pavo, ra da Imperatriz
    n.OOde Gama & Silva.
    Ronpa feita.
    Na loja do Pav?o
    Vende-se neste estabeledroento um grande sor-
    timeoto de roupas, tanto de panno como cazemiras,
    e bros e pelos baraiissimes precos como sejam
    caifas de caxemira preta a 6* 7* e 8*000reis, pa-
    lelots de panno preto saceos a 6* 8* e 12*000 rs.
    dito* sobrecasacos de panno flnissimo a 12* 18* e
    25*000 res, e outros mnitos artlgos que serla en-
    fadonbosaqul relata-tos; s Ba toja e armazem do
    Pavo roa da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
    Grande pechincha.
    a 1 $000 reis.
    Na loja do Pav5o
    Vende cortes de castor para caigas, padroes es-
    caros e clares, e fasenda muito encorpada pelo ba-
    ratissimo prego de l*0UO is. o corte, no armazem
    do Pa vio ra da Imperatriz D.60de Garaae Silva.
    llantas a 1*000.
    De pura seda
    Vende-se na loja do Pavo, mantas de seda pre-
    ta e de cores, lindos gosto pelo baratissimo prego
    a 1*000 res, sao das mas largas, assim como tem
    um grande sorlimento de gravatss de seda de cor
    bordadase de setim preto e ditas de setim branco,
    Cambraias de torro a 1^600 e 2$ na lojaj?!!0!9.?0! PreS0S muitoresomidoss,oPavlona
    do Pavao.
    Vendem-se pecas de cambraia de forro com ao-
    va varas cada'pega, petos saFM8sifD06 pregos de
    toa
    1*600 e 2*: na loja e armazem do Pavo na roa
    da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
    Os cortinados do Pav3o.
    Vendem-se superiores cortinados adamascados
    para camas peto baratissimo preeo de 1* eada par,
    ditos muito Unos ricamente bordados para camas
    u jaoelias a lo*, 20# e 25* o par : na loja e ar-
    mazem do Pavo na rna da Imperatriz n. 60, *
    Gama di Silva.
    Panno preto a 40 na loja do Par*5e.
    Veode-se panno preto. fazenda multo boa, peto
    barato prego de 2* o covado, dito multo teo a
    3*500, 4*, 5*e 6*. assim como casimira preta de
    cordao a 2* o covado : na loja do Pavo na ra da
    No mesmo estabelecimento se achara sempre am expteoiaV) e variado sortlmento de msicas dos fmperatriz n.eo, de uzma & suva.
    meiliores autores da Europa, aesim* como barmonicos e pianos harmnicos, sendo tndo vendlde por
    preeos eommodoe raroawis.

    Luvas de Jowvin.
    a loja de miadezas na rpa do Queima-
    do n. 16, reseben-as por este nrtftb vapor,
    (.:.
    Bren em barricas peqneaaa.
    Cera em velas de todos os tamanbos.
    Bollas.
    Manmasv
    Na-4ma,4to. vifarw ju 49, nriaseiroaadar.
    a-rt^d ImpeAdor tem superiores
    biehas hawiwrgnezas -para 4eoer oro pargio e a
    mana, e tombem ilogam-ee n rap Pauto Cordei-
    ro viajado, igual ao de Lisboa, e para gosto da al-
    ga es, melbor, npr nao ferir, ele.
    Verie-ee
    t aliniH "
    avariado.
    Franeez barrica 5*000
    Porttand idem 8*500
    Cm perfeito eatado:
    Franeoebarriea 10*000
    Portland idem 12*000
    No armazem de Tasso Irmos caes do'.Apollo.
    Boa eccasifto para' nm prin-
    cipiante.
    Vrale'se ama toja de mindeaa* cea pencos fun-
    dos, traiU) eaa sema, aa anmipr e bem acredi-
    0 (?rBde armazem *i roa de Apolto es
    pioprio para nm arsoaaem d3>aaaaear ou
    d algodo em ponto gratule jior torcis portas de i
    frente com mais de 67 palmos de largura e 300 e
    3ratos de cemprlmento, Krdo ebefto e sobre arca-
    na, e para eommodldaJe eompr adores o vea-
    0V1 cerno praso te> (loas switsoa o que se conven
    Cortes de'Ka a Maria Pia na loja do Pavao.
    Vendem-se os mais ricos cortes de la a Maris
    Pa, pelos baratissimos pregos de 7* e 8a, ditos
    muito finos a 10*, 12*. 16* e 20* : na loja do
    Pavao na ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
    Silva.
    Os esparrllhos do PavSo.
    Vendem-se urna grande e variado sorlimento de
    esoariilbos dos mais bem feitos que tem vinde ao
    mercado, sendo de lodos os tamanbos, vendendo-se
    por um prego muito razoavel : isto na loja do Pa-
    vSo na ra da Imperatriz n. 60, 3e Sama & Sirva.
    Silezia para saias a 44o rs. a vara na loja
    do Pavao.
    Vendem-se silezia ondeada sendo fazenda mnito
    boae propria para saias, pelo barato prego de 440
    rs. a vara : na loja do Pav5o na rna da Impera-
    triz n. 60, de Gama & Silva.
    A saias bordadas do pavao.
    Vendem-se saias bordadas sendo fazenda muito
    Pecas de madapulo enfeslado.
    ^. Uda naem M-Ptendar jlirvi1 a ra AnansU.! venuem-se satas Doraaaas seuuu diu> u,u,
    orna moWlia oeytotaaS'viBiretle eoino rha. "
    FazenCbs para quaresm
    No armaaem 4a aorta larg;
    cionar, urna vez que seja-coai seguranca, e pagan- grsdenaple preto a *40Q.
    do-se pela demnra um modio juro: as pessoas a 2*500, moreaotique preto e
    "a pretos, e retonuas
    oWaa'iMaaomei
    1
    No armaaem 4a aorta larga, rna da Imperatriz,
    grsdenaple preto a t*400. 1*600, 1*800, U,*,
    do-se pela demora um modio juro; as pessoas a 12*500, moreaotique preto 8e tdrsas quaudld^
    (iiiem cenvler eu corapta podero entender-se os mais Ttees cheles oe rernta tfrlrtbs, ertomlass
    o Antonio Alves Babeea, na roa des fioarera, oamimtHta roa, fatanda da uKiaa moda no mer
    pus n
    Vende-se a posse do terreo 2/tOA.dilo na raa mperiaj : a tratar eam Je
    QaarU da Afollar, ft,q... en Jen egeriptorio, r
    da Cadeia n. 62, ^ andir.
    cado : do armazem da porta larga a. 53, na ro
    da Imperatriz.________________
    Vendem-se dnas cadelrasamericanas de ba-
    lango : na Capunga roa das Crioulas em casa d
    viuva de J080 EvBfeffsfa.'
    Vende-se pechinchas de madapolao enfeslado
    com 12 jardas cada pega seno ftieBda mdlto -
    perior pelos baratissimos pregos de 4* e 5* rs. aa
    loja do Pavo na ra da Imperau-ii u. 60 de Gama
    & Silva.
    Bretanlias de rolo a 3^000 i
    Vendem-sflipeoM denretanba de rolo comlO
    varas cada pega, peto Baratissimo prego ne 3f:
    na foja e armazem flo Pavao, r* fropepavle p.
    Ma-
    ma da Imperatriz n. 60fo]a e armazem d Gama
    4SHV9.
    Chitas rxas
    a 6*000 reis a peca
    S na loja so PavSo
    Se vendem pegas de chitas rOxas inglesas, sendo
    cores fizas leudo 38 covados oada urna pega pele
    baratissimo prego de 6*000 reis, a retalho a 160
    rs. o covado, ditas escuras e claras a 20u rS. o (in-
    vado, loja do Pavita raa da Imperatriz n. 60 de Ga-
    ma k Silva, Gama & Sirva.
    No armazem de tazendas
    baiatas de Santos CoeD).
    Rna do a|nrimado ar. MI.
    Vende-se o sefninte :
    oberUB e chita da India a 2*400.
    Lencoes de panno de linbo a 2*200.
    Ditos de bramante de Hubo de um s panno a
    3*200.
    bsne4e oass* bramws pvopries para-afibelfa
    a 211000 *iu.
    Algodo entonado enm 7 1|2 palmos da largura
    affllWoarelflmoavaral
    Ulto de algodo a 2* vara.
    Guardanapo de liubo a 9*000 a dozia.
    Pecas de cambraia de saipicos a i*5'00. ,
    Llazlnha abena de Cores a 320 o covado.
    Cambraia braee de torre 9* a pega.
    Fil de linbo liso fino a 000 rs. a vera.
    Dito de dito com salpjcos, a 1* a vara.
    Panno de linho fino com 9 1|2 palmas de largu-
    ra pelo barato prego ue'jaOO a vira.
    Ifadanoteee lnoMfc #, l*e li*.
    Cambraia lisa.de i*S0, *. 6*, 7 e8*a aeoa.
    Ppcas de .bretanto o> aJgpdao cpm 10. varas,
    propria para sala, .pelo baratissimo prego de
    3*500
    Liaiiaba lisa de eors a0Ors. o corado. p
    Cambraos finas de core6 mtudinbas a 360 r*. o
    povado. .
    Esteira da Judia propria para forro oe sala ae
    4,3 e paams de laffttra, per menos preeo do
    que em ouf* qualquer parta. ____
    Nes armazem tamben se enconua am grande
    sorlimento de rpupa feita e por medida.
    Gomma de~millio bra^o
    americaaa.
    Vende se em acotes de 4if Upaa na arawaam
    de Jos Fernandes Lima roa Nova n. 3.
    Madapolao entestado da Arsra a id.
    Vende-se pegas de madapalao enfeslado com 12
    jardas a 4* e 4*500 dito de 24 jardas a 5*r 6*,
    7* e 8*, dito muito fino a 9* e 10*, pegas de al-
    godo a 4*, 5*, 6* e 7*, dito muHo encorpado a
    7*500, 8* e 8*500 : aa rna da Imperatriz loja e
    armazem da Arara n. 56.
    Panno pr Vende-se panno preto para caiga e paletota 2-3,
    2*500, 3*, 4* e o* o covado : na ra da Impera-
    tris toja da Arara n. 56.
    Arara vende cortes de cotim para cala a
    4 280 rs.
    Vende-se cortes de cotim para calca a 1*280,
    ditos de brim de cores a 1*400, cortes de gengi
    para caiga a 1*600 : na raa da Imperatriz loja da
    Arara n. 56.
    Cortes de caseraira preta da Arara a ;;-.wiO.
    Vende-se cortes de casemira preta para raiga a
    3*500, 4*, 5* e 6*. ditos de cores de meia case-
    mira a 2*600, 3* e 3*500 : na rea da Imperatriz
    loja da Arara n. 56.
    Arara vende os cbales de renda a 80.
    Vende-se cbales de fil de linho a 8* e 10*, di-
    tos de seda a 16* e 20*, retondas de pello de li-
    nbo a 10a e 12* : na ra da Imperatriz toja da
    Arara n. 56.
    Vestidos a Maria Pia da Arara a 10d.
    Vende-se cortes de laa a Maria Pia a tO*, 12*,
    16* e 20*, ditos muito finos com camisinba, slnlo
    e flvela a 25* e 28*: s a Arara vende por este
    prego na ra da imperatriz n. 56.
    Araaa veade as laazinhas a 240 rs.
    Vende-se laazinhas para vestidos de senhora a
    240, 280, 400, 320 e 500 rs. o covado, chitas para
    cobertas a 280, 320 e 470 rs. o covado : na ra da
    Imperatriz loja da Arara n. 56.
    Cortes de chita da Arara a -2h.
    Vende-se cortes de chita de cores fizas a 2*, di-
    tas francezas a 2*800, cortes de cambraia france-
    za a 2*800 : na roa da imperatriz loja da Arara
    n. 56.
    Arara vende organdys a 280 rs.
    Vende-se organdys para vestido de senhora a
    280, 320 e 400 o covado, fil de linho de cores
    para vestidos a 160 o covado: na ra da Impera-
    triz loja da Arara n. 56.
    As chitas da Arara a 200 rs.
    Vende-se cbita3 de cores lisas a 200 e 240 oeo-
    vado, ditas francezas largas a 280, 320, 360 e 400
    o covado, rUcados francezes para vestidos a 240 o
    covado, bretanhs de rolo a I* a pega : na rna da
    Imperatriz loja da Arara n. 56.
    Arara vende roupa feita.
    Vende-se ronpas feilas de todas as quarldader a
    saber : caigas de brim de cores e de ganga a 1?>
    e 2*800, paletots de brim para andar por easa a
    2* e 3*. camisas francezas a 2*, ditas de linho Uh
    pregas largase 3* eoutras muitas qualidades que
    se vende mais barato bue em ootra qualquer par-
    te : s na Arara rna da Imperatriz n. 56.
    Novidades do Favao,
    OU PECHINCHA ADMIRAVEL.
    Escoscas a 3*200
    Cegaram os mais lindos cortes de escossezas.
    proprios para vestidos, sendo fazenda inteiramente
    nova no mercado; e vende se a 3*200 o corte ou
    260 rs. o covado na loja e armazem do Pavao, ra
    da Imperatriz, n. 60, de Gama & Silva]
    Cassas francezas a 240 rs. o covado.
    Vendem-se bonitas cassas francezas de cores fi-
    zas- pelo baratissimo prego de 240 o covado.
    Ditas a 280, 320 e 300.
    S na loja do Pavao, rna da Imperatriz n. 60, de
    Gama & Silva.
    Cbilas averiadas.
    Vendem-se finissimas chitas francezas, com pe-
    queo toque de avaria, peto baratissimo prego de
    280 o covado.
    grande pechincha.
    Assim como ditas inglezas roas e claras, sem
    mofe nem avaria, peto baratissimo prego de 160 o
    covado ; aesim como, ditas muito boas a 200 e 240
    o covado. isto na loja e armazem do Pavao, ra da
    lmperttrrt n. 60, de Gama 4 Silva.
    Chapeos para meninas.
    NA LOJA DO PAVO.
    Vendem-se os mais delicados e bem eafeitados
    chpeos de palba de Italia, para meninas : pe-
    chlDcba, na foja e armazem do Pavo, rna da Im-
    perstrhy. 60.
    Grsdenaple preto a Ij?600.
    E' grande pecMScna!!
    Vende-se grsdenaple preto, sendo mnito encor-
    pado e de boa largura, pelo baratissimo prego de
    1*600 o covado : na ra da Imperatriz n. 60.
    Rlscados a 1*0 rs.
    Vende-se riscadloho escoro proprfb para vesti-
    do* oujwzpaa para hornern, pelo .baratissimo pre-
    go de fw rs. o covado : s na roa da Imperatriz
    n.60. JHJ-
    Vende-se a tabmra-da rna da Guia n. 36 pro-
    prlo para principiante, e o motivo se dir ao com-
    prador. ^___, ..........--------,.
    Em casa de Kabe Scbmettau & C,
    rna da Cadeia n. *8, vende-se:
    Cbampanba.
    Cognac de superior qaalidade.
    Cidros para espelhes de todos os tama-
    rlhs tudo a presos rttaito commodoe.
    n a ni i 11 rH"itr *n im i t r '
    Cervejo |eUda
    Ha diariamente a venda par prego commooo ;
    O armazem da Liga, raa Nova n. 60.
    li .Ulllli.......I!1
    futidos
    -rr
    Fogio do da torea -taire 30da#s>eiro prono*)
    Sudo, a preta crenla de neme M(arc!Uiw,.de idade
    6 annos, pouco mais ou menos, sendo de cor ro-
    la, altara regular, levou vestido de salla escora :
    oeto a eppreMnder. cf*istao*neaM do iaal;
    xo assnado, ra da toperstri a. 30, sea
    Francisco Angnatp c-e Araujo.
    ^
    50#-de
    A quem a pegar a serav ertouta de nome Aa-
    toma, idade qnarosta a tasaos aaaas, endo fgido
    no da 7 do corrate, levando vestido de Ufa
    com listras amarellas e cor de caf..chales de la
    rxo tendo levado oatro vestido novo eto palmas
    entowrteetlea de qaMIW, W^ilo Paa-
    seio suaade-roupa : quem > f* dar*aia
    da Caeia do Recito n. |0,^je m .*&****&>
    cima.


    .
    .,-----
    1BH
    snsw


    J
    aem
    n



    Dlarl* e fenantaM Sfcxta felra e Fererelro e 1966.
    -
    LITTERiTDRi
    *J deram e ben coacorrerata para nossos desi*-
    tres.
    Qaal foi o batalhio que prlmeiro coacorreu pa-
    f> Brll e Rio da l'rata desde n. destroC do exercito na balalha de Itugaogo?
    Igf 5, Mo l01' (s*lT0 erro de namero) o 17 de Alleraes?
    Pelo menos foi o que andn era voga n'aqeHIa
    De js escrete eerto por linhas tortas. pocha: eairetsito que om dos quadrados forma -
    Este alloma tio vulgar, nos e bem apropriado do de nossas tropas e eommafldado por um offlcial
    ao assuropto de que nos vamos occopar. (srasileiro nlo foi Invadido |ielo inimigo a despert
    Nao temo3 os conbeclmentos necessarios para das repetidas cargas de cavallaria que Ibe fazia e
    eom lgica precisa descrevermos os factos, ma- d uma pega de grosso calibre puchada a juntas
    mic .ando os nossos pensameolos de nianeira a ce bois, que graves estrago.! fez nessa porgo de
    eaptur e sallsfazer a atlengo publica ; mas como travos que retirando se em ordena repelliam o ini-
    Brasileiro amante de nossa "patria, nao podemos ]uigo qoando tenazmente os acommettia Esso of-
    abafar em nosso peito o entbuslasmo que a acta-, fetal foi o coronel Leraenha, que feriio em urna
    lid j Je nos vai suggerindo, e deixar de analysar, I erua, portou-se como verdadeiro soldado da na-
    appUudir e condemnar as peripecias que se tem o, pelo que obteve nm habito por distioccao I I
    dado desde essa epocba no imperio da Santa Cruz. Honra a sua memoria i
    IV
    hebelando se a provincia de Montevideo em; ..
    18, auxilia escandalosamenta pelo goveroo de1. SS. I T \ ** ^MOt
    Baenos-Ayres, que logo reconheceu a independen- ^ J" *' *">>* './ o aB*.
    C!a d aquella prov,nci,declarou o governo do Rio ^ral('Qe,lessa ^tualldade no. re.
    de Janeiro guerra nagio Argentina, qaando nm ..
    xerciio de m.is de 2,000 homens se apresentava, b*:?'
    em campo em Montevideo.
    A impericia de Bento Manoel deu lugar (ainda
    que rom forras inferiores) a ser balido pelos re-
    beldes.
    Este incidente deu azo ao governo Argentino, e
    logo de parte a parte comegaram os grandes pre-
    parativos para a lata.
    Um exercito de 14 a 16,000 homens foi dirigido
    pelo imperio a Banda Oriental, e nma esquadra
    sufficienle oceupoo o rio da P. ala. Sob melhor
    direcgo serian bastantes esses elementos para
    susteutar-se a dignidade do imperio ; mas aim de
    varios pormenores qne sempre nos forana desfavo-
    raveii, as ultimas batalbas nessa poca, no exer-
    cito o na armada, decidirn) da sorle da guerra,
    :uj'.'- effeitos foram to sensiveis para o Brasil:
    asslc. foram snecedendo os factos sempre com
    azar nos annos seguintes.
    Ao raiar o dia 20 de fevereiro de 1827 nos cam-
    pos de lluzaingo o grosso de nosso exercito eslava
    em frente do inimigo.
    Um general sera pericia'e inexperienle accelera
    a acgo, e nesse dia fatal para o Brasil, sacrifica o
    >xercilo e os deslinos da nago, sendo este facto
    desastroso a ongem de grandes males para o paiz.
    Ben quizeramos passar urna exponja nesse tris-
    le passado, e nao mais nos recordar desses das
    funestos e de aziaga recordarlo, em que nma ira-
    ruensa nutra negra pousou sobre o imperio do
    Brasil, e eccllpsou a estrella de seas destinos, qae
    lao orilhante se moslrou nos primeiros das de
    sua existencia I Mas o nosso Bm, os traeos de nos-
    sa ioaaginago exigem que anda registremos esses
    fados qae deslustrara e enegrecem as paginas de
    nossa historia poltica. Foi sim nesse dia em que
    o imperio perdeu o conceito qae devia merecer,
    se ti/esse debellado a rebellio e rehavido a pro-
    visca de Montevideo.
    Ao passo que o nosso exercito de Ierra soffria
    ;io completa derrota, a nossa esquadra no rio da
    Prat passava por varias decepgoes, sendo cons-
    tantemente batida, e no da 9 do mesmo mez e an-
    uo derrotada pelo almirante Browm, de maneira
    que le 19 vasos de guerra, que tinhamos no Pra-
    ta, apenas escaparan) 31
    Nesse mesmo anno fatal urna expedicao dirigi-
    da Patagonta foi presa do inimigo 1
    II
    Dispondo o Brasil de tantos recursos, compre-
    bendendo enlao o imperio 18 provincias com urna
    populachomuilo superior a Buenos-A y res e Mon-
    tevic o, e assim as nossas rendas publicas, era
    entretanto batido nosso exercito por toda a parte,
    e derogada nossa armada, sende afinal vergonho-
    jameute acceitas imposicoes de Buenos-Ayres I e
    mais, eramos sempre airaicoados pelas perfidias
    d'aqi:elle governo ; algumas propostas de paz orara
    offerecidas por elle ; o gabinete do Rio de Janeiro
    imbcilmente acceilava e depois essas mesmas
    pro|.ostas eram rotas e proseguiara as hostili-
    dades.
    O carcter dcil dos Brasileiros, a boa f e ge-
    nerosidade de seas actos, soa demasiada condes-
    cendencia eram preconceitos, que faziam o inimi
    se separas.se ; mas melhor seria,
    qne antes de se terem empregado lanos meios re-
    pressivos, antes de se lerem felto tantos sacrifi-
    cios, e passado por to amargas decepgoes, se ti-
    vesse, por raeio da paz e de tratados amistosos,
    reconhecido a independencia de Montevideo. Tai-
    vez tivessemos poupado taas provocaedes, tantos
    iosultos que temos soffrido do eslrangeiro, pols
    desconsiderados como temas vivido, nesla parte,
    nio era de esperar outra cousa.
    Urna vasa mal jogada, traz ontras mais apoz si.
    Os fac:os Albos do azar, quasi nanea se dao so-
    lados, uos saccedem aos outros.
    Concluida a paz com a naci argentina e reco
    nhecida a independencia de Montevideo, regressa-
    ram as nossas tropas desmoralisadas; e perante
    um governo desprestigiado succederara-se novas
    calamidades.
    V
    Os balalbdes 6strangeros sublevaram-se na cor-
    te, de sorle qne para os conter foi preciso repri-
    mi-los tropa brasllelra, perecendo muitos daquel-
    les na lula, vendo-se o governo na contingencia de
    dispnsalos do servico e com augmento de dlspe-
    sas regressarem sea paiz.
    A Franca aproveiando tambera a quadra de
    nossos infortunios, lirou partido e cora suas bate-
    ras assestadas na barra do Rio de Janeiro e mur-
    roes accesos pedia absurdas indemnisac5es por
    prejuizes causados a sua marioba mercante por
    nossa esquadra no bloqneio do Rio da Prata.
    O imperador, ainda que contra a vootade da na-
    cao, satisfez as exigencias da Franca.
    Os differentes choques que soffria o imperio o
    arrojara para nm grande acontecimento, este foi a
    abdicaco ; mas essa grande mudanga em sua po-
    ltica nao mclborou a sorte do Brasil.
    As rebellines que de con'.inao rebenlavam as
    provincias, cada vez mais nos desacrediva para as
    nagoes estrangeiras : pois com quanto a abdicara o
    mudasse os bastidores da grande comedia poltica,
    e melbores pilotos tomassein o governo da nao do
    estado, todava eslava a naco to compromettida,
    A Intrpida edhort de bravo, que defenderam
    em Riachuelo a cansa da justiga, da civilitagao e
    do progresso teceram a cora da grinaldu com
    qae mu brtwtttlog r&kr Sp^ya patria, que
    agradecida olfha'Wabvf^ar^ndwdo-lhes
    as de-
    m
    do imperio ao eslrangeiro para povoar nossas flo-
    restas, rotear e cultivar nossos campos.
    Urna das primeiras necesidades a attender qne
    se nos antolha preseolemente a colonisago.
    De feito, para qae tantos terrenos desaproveila-
    ' dos, um imperio to vasto despovoado ? Parece nos
    vldahomnagy?K*'H|iI *
    Sim, a esses valentes marinbeiros a quena a
    patria desde j se deve mostrar reconbecida.
    As cmaras naelonaes verdadelros interpretres
    da naco, devem dirigir a essa parte da marinha
    brasileira, as mauifestaedes de urna pura e sincera
    gratidlo.
    A esse general qae expondo sua vida pela patria,
    rocobron naco o crdito que o cnefe da esqua-
    dra Senna Pereira havia barateado as agmYs do
    Prata, nesse nefasto dia 9 de fevereiro I
    Virio os bravos de Riachuelo I
    O estrepido do canbo braslleiro estrondou
    nesse dia de gloria em toda a America, e o sea
    echo repercuti na propria Europa I
    Pois bem j a marinha brasileira respeitada conveniente faciltalos gratis aos emigrantes, prin-
    entre as nacoes ciriilsadas. i cipalmenie nessas provincias limitrophes do lrape-
    Vil ; rio.
    O governo tem compreheadido sua missao, bon- O qae conslitae a grandeza de um estado, todos
    ra e juslica Ibe seja feita I Um exercito respeila- o sabem, a grande populaco. Desia, pois, nasce
    vel de improviso est em campo as frontelra do a prosperidade da naci, e se os habitantes se em-
    Paraguay, tomando-lbe estrenas contas de sua au- pregam convenientemente nos differentes misteres
    dacia, de sen atrevimento. Um esquadra chela de qae Ibes proporcionara as circunstancias do paiz,
    gloria em breve arrasar Humayla, condamos em evidente e rpido o sea progresso.
    Deas. E como podaremos altingir de prompto ao estado
    Sacriflquera-se os interesses mais vitaes da na- Usongeiro que deve almejar todo o Braslleiro ?
    cao, com tanto que sua honra, sua dignidade fl- E" de ceno offerecendo vantagens ao eslrangeiro
    quena lliesas, e qae a bydra do Paragaay seja com- Para pletamente esmagada ; e esta ligio sirva de aviso A guerra aclnal deve infallivelmente collocar o
    afim dos nossos vlsinhos se portaran para, eom o Brasil m aPuros P'* satlsfazerera-se os compro-
    Brasil de melhor maneira, reconbecendo soa im- m,5S0S mas "06 mporU isso ?
    poruncia e respettando suas boas intengojs. Tad0 M deTe ****", comunto qae o imperio
    triumphe; depois oa desde j trale-se de prever o
    Nao ao Paraguay, a esse povo digno dunelhor pa,z do necessarlo, qae emendemos ser, como j
    !'J??.0. ^"^L*.!: D?,.,^..Se!r* dlsseraos'a colonisago, os brago, que o solo con-
    tribuir para o imperio sustentar sen crdito.
    poltica do imperio, devmos de ora avante ser clamou solemnemente a abolfeio da escravidio. A
    considerados e respetados pelo strangelfla ;mis DiBIBXMK ato siqjece nenhama das nobres pa.
    a obra magestosa, e por iso deflana aceirs^ '|^Asus/|nu0Ma. faz votos sinceros para a
    reflaxo e mullo tfao; medidas de finito alcance prosperidade da graade repablica americana, e
    reclaman as cireamilnelas da nacao. para a manateneio das rh^Se' amigavats, que
    Canamente qae o Brasil nlo precisa augmentar! dentro em pouco serio secutares. A araoclo pro-
    domlnlos, tem territorio mais qne snfflcleate para [ dnzida ana Estados-Unidos pela presenca do nosso
    urna grande naco. exercito no solo mexicano, ba de serenar-se em
    O moafeha tem o seu throno nos coragSes des- i preseoga da franqueza das nossas declaragSes. O
    ses 8 alindes de habitantes : o Brasil lera immen- povo americano ba da compreheoder qae a nossa
    sos recursos nalnraes, sua riqueza real, nio expedigo, para a quai o convidamos, nao se oppu"
    ephemera, assim consideramos um paiz agrcola, ntu aos seas interesses. Uuas nagdes igualmente
    principalmente com um solo como o nosso: nao pre- zelosas da sua independencia devem evitar todo o
    cisamos, pois, de anoexag5es de materias heteroge-! procedimento que empenhasse a saa dignidade e a
    neas; porm cumpre que se franquem os porlos sua honra.
    amesqainbar ama cansa to santa, lio justa, i
    esse monstro da especie humana, que nem respei-
    ta o pudor, os deveres mais sagrados das fami-
    lias.
    Se exacto o qae Lpez praticou com a familia
    de Estigarribia, de ceno o ente mais baixo, mais
    vil, mais indigno que se conhece; entretanto um
    individuo desta ordem, de taes sentimentos, qne
    presidente d'uma repblica, que dispds dos destr
    nos d'uma naco, e qne pretenda dltar lels na
    America I
    Seria injurioso para o Brasil entabolar qaalquer
    negociago, com Lpez qualqaer correspondencia
    mesmo i seu proceder para com o Brasil no corne-
    go da lata, sua conducta o torna Indigno disso.
    Qaando nao poder mais resistir aos adiados que
    faja, qne o cosame dos aventareiros, oa resigne
    o poder*que entio o governo do Brasil se entende-
    r com seu substituto, com Lpeznada, nada.
    O Brasil levando a eivilisacfa ao Paragaay, dei-
    xando aqnelle povo sob a tutela de um governo
    livre e civilisador, tem conseguido a palma, a vic-
    toria do progresto, as sympatbias das nacoes Ilus-
    tradas.
    VIII
    Principiamos este nosso escripto com o aaexim
    Isso de fcil intaigio.
    O Estades-Uaidos devem a saa grandeza a le-
    rem franqueado o seu solo ao eslrangeiro.
    Nao estamos no caso dessas populosas nag3es,
    que nao tena terreno sufficiente para accommodar
    seas subditos, e entio o poaco solo nacional ce-
    dido por pregos enormes.
    Os grandes successos que se vio operar nos
    exercitos alijados, e na armada qae bloqueia o Pa-
    raguay, nos daro materia para novas reflexoes,
    para novos commentarios ; por ora paramos aqu
    pediado aos benvolos leitores indulgencia pela exi-
    gutade deste nosso escripto e tacanas que nelle
    encontraren!.
    J. P. S.
    DI POUCO DE TIDO.
    lo profundas eram suas chagas que nenhum re- Deas escreve certo por linhas tortasNa verda-
    sultado obtiveraos dessa grande eventaalidade. de, quando se den a questio anglo-brasileira sobre
    ... .o naufragio do Principe de Galles, foi um aviso
    .\ao podendo, pois, o governo reagir contra a .;
    i....r a ~.i ,u u i da Providencia para qne nos preparassemos para
    torrente de males, que Ihe sobrev nba, soffria res g-! ,. .. ..* .
    mj. c mmm ,. .. ,wuiinn grandes cousas, atienta a inercia, a impassibilidade
    nado os constantes insultos que nos d r g a o es-
    Tendo lugar, no dia 22 de Janeiro, abertura do
    corno legislativo de Fraaca, proferindo n'esse acto
    o imperador Napoleao o discurso qae damos.
    Senhores senadores e senbores deputados. A
    . abertura da sessio legislativa permitte-me expor.
    vos peridicamente a sllaagao do imperio, e mani-
    festar-vos o mea pensamento. Como nos annos
    precedentes, examinare! comvosco as princpaes
    questdes que interessam o nosso paiz.
    trangeiro ; al as pequeas e iracas repblicas do
    Per e o mesmo Montevideo nos desattendiam e
    menospresavara.
    Sob a pressio do desconcert e de repetidas de-
    cepQoes porque nos fazia passar o eslrangeiro, as-
    sim tem vivido o Brasil at qae finalmente erguen-
    do-se desse estado de abatimento em que jazia,
    instigado pelas continuas provocarles qne Ihe fazia
    Montevideo,arma urna pequea esquadra, rene
    algunas tropas e manda ali exigir satisfagoes e
    reparagoes de uma nagio que nos devia ser mais
    amiga, e grata j sendo qua o nobre feito d'armas
    de Paysand resolveu a questio com honra para
    o Brasil; mas ludo isso foi o prembulo de novos
    e importantes successos.
    VI
    Lpez o brbaro dictador do Paragaay, conce-
    beu em seus clculos a Jooca idea de que o Brasil
    go abusar e continuar con suas prfidas ciliadas; i de hoje pouco ma|3 sem de qae 0 A( |g|, g
    e animados com as victorias que successlvamente | podla-impuoemnte casp;r-lhe a affronta, aprisio-
    alcaagavam, nao exiUvam em seas planos de dis-.'nando traigoetramenie seas navios, seas 'sabdfto-,
    cordias at qne conseguirn no anno seguinle a ; sera preceder declaragao de guerra, e logo aps I dos de Montevideo e de Boenos-Ayres. Pois
    en que jazia o inperio.
    O lyrannete do Paraguay provocou o Brasil a
    guerra inculcando dispor de immensos recursos,
    de un forte exercito ; isso parecen que grandes e
    novas calamidades vinbam pesar sobre o Brasil;
    assim opinaram espirites timoratos : engao I
    Foi uma verdade'.ra felicidade para o Brasil.
    Para que o imperio braslleiro se rebabililasse,
    assumisse na America a importancia que Ibe cabe
    e se Qzesse respeitar como conven, foi nisler qae
    an despota tresloucado e atrevido se julgasse con
    poder sufficiente para declarar a guerra a tres na-
    ges ao raesraa lenpo, sen calcular que o Brasil
    sonente disp5e de-rneos nals qae bastantes para
    o esnagar ; chegaado saa imbecilidade, sua auda-
    cia a pontos de destacar de seu exercito ama co-
    lumna solada e sen apoio, e manda-la invadir ter-
    ritorio eslrangeiro; depois esbraveja, morde-se de
    raiva por v-la batida, prisionelra e deslrogada I
    Que ineptidio, que impericia I
    Mas dizem os seas adeptos : Qava-se nos par-
    independencia de Montevideo.
    III
    Urna divida norme, immensos prejuizos e o dis
    eredito de nossas armas, cujos effeiios temos sen-1
    mandar seus exercitos iovalirem o Brasil, talla-
    ren) nossos campos assolaren nossas povoages e
    perseguiren os Brasileiros...
    Louco I... Qae nio medio o alcance, os resal-
    udo por tantos annos, loi o triste legado que nos | tados de to inslito e temerario proceder I Qaeria
    duar leis e ser o Napoleao da America I
    Entre tanto de improvisa toda a nagio se levan-
    ta pa-a castigar o atrevida Paraguayo, que com
    mo sacrilega oasou profanar os sagrados penlio-
    res da patriasua independencia, saa dignidade,
    dexoa esse drama lgubre e desastroso que teve
    lagar no sul do imperio.
    Nio era a falta de valor e brio no soldado bra-
    slleiro, que fazia o nosso paviibo se bamiibar pe-
    rante o eslrangeiro, nao, outras eran as cansas.
    Tinhamos nos separado da netropole e conse-
    guido nossa independencia sem batalbas e nem
    loo;as pelejas.
    Um Imperio nascente, baldo de bons generaos,
    de rnn exercito aguerrido, entendeu o governo de
    ver ir em paiz eslrangeiro baver soldados para
    cempr no-so exercito. Grande parte dos offlciaes
    superiores eram estrangeiros sem aquel le nteres-
    se, sem aquella dedicago pela patria (guardadas
    as devldas excepedes.)
    Organsado assim o exercito imperial con tropa
    mercenaria, con elementos heterogneos, fcil era
    asparecer entre elle as disssengoes cono de facto
    seus bros nacionaes
    Bloqueando o Paraguay a esquadra brasileira,
    pensou o tyranno augmeatar sua esquadra eom
    navios brasileiros, como fez com os vapores JMor-
    quez de Otinda, Salto, etc, e xpedio uma frota su-
    perior a nossa, assestando suas bateras de trra
    ooniava com a victoria ; mas o aojo tutelar do in-
    perio da Santa Cmz qae o veio acordar desse tor-
    por, desse leibargo em que jazia, presidio nesse
    grande dia os destinos do Brasil I dia 11 de junho
    de 1865', memoravel e de grata recordagio, emane
    foi completamente batida e destrocada a esquadra
    do Paraguay t
    com elementos lio falliveis que se conta em emer-
    gencias desta ordem ? Dizenos cono o poeta :
    nunca touvarei o capilao que diz eu nao cuidei.
    E esse grande mareehal, este grande general,
    um poltico desse quilate, que se atreve a dedicar
    a guerra a tres nagoes, e que pretenda ser e ar-
    bitro da America do sul I
    Mas que eslava escripto no grande livro dos
    destinos pela nao da Provtdencta=zqae Lpez seria
    o instrumento para a regenerarlo do Brasil.Al-
    tos sio os juizos de Dos I
    O Brasil, abrindo as portas do Paragaay a' cvi-
    lisago; hbertando-o desse jago ignominioso em
    qae o ten por calculo conservado meio seculo
    esses lyrannos qne o ten dominado, deixando-e-
    sob os auspicios de nm governo sabio e livre, le'
    conseguido urna graade obra poltica, tem-se reha
    bilitado completamente perante as naedes civiliw
    das, e lera mostrado ao mundo seu desintereese,
    sua poltica mustiada, sua grandeza.
    Uma nova era pois marcou nos annaes do. Brasil
    a guerra do Paraguay. Conhecida e justificada a
    No paiz, a tranqulllidade, que nao tem delxado
    de reinar, permitlio-me ir visitar a Algeria, onde
    espero que a minha presenca nao ter S'do intil
    para ligar os interesses, e aproximar as ragas. A
    minha sabida de Franga provou tambem que eu
    podia ser substituido por un coragao recto e um
    espirito elevado.
    E' entre populagoes satisfeilas e chelas de con-
    Qanga, qne as nossas institafgdes fanecionam. As
    eleigdes manicipaes verificaran)-se cora a malor
    ordem, e com a mais completa liberdad. Sendo
    o maire na commj.ua, o representante do poder
    central, a constitoigio confena-me o dlreito de o
    escolber d'entre todos os cidadios. Mas a eleigio
    de homens inteligentes e dedicados permittio-me
    quasi por toda a parle escolber o maire d'entre os
    membros des conselhos monicipaes.
    A lei sobre coallisdes, que bavia suscitado algu-
    mas apprehensdes, executon-se com grande impar-
    cialidade da parte do governo, e con moderaco
    da parte dos interessados. A classe operarla, lio
    inteligente, comprehendeu que quanlo mais facili-
    dades se Ibe coocedessem para debater os seus in-
    teresses, mais eslava obrigada a respeitar a liber-
    dad de cada um e a seguranga de todos. O in-
    querlto a resuelto das socidades cooperativa veio
    demonstrar quanlo eram justas as bases da lei, qae
    vos foi apresentada sobre este importante assnraa-
    to. Essa lei permitlir o estabelecimeato d nume-
    rosas associacoes, em proveito do trabaiho e da pre-
    vengao. Para favorecer o desenvolvimento, deci-
    d qae a autorisagio para se reunirem ha de ser
    concedida a todos aquellos que, independente da
    poltica, quizerem deliberar sobre os seus interes-
    ses Industriaes ou commerclaes. Esta faculdade
    s ser limitada pelas garantas qne exigir a or-
    dem publica.
    O estado das nossas finaocas vos mostrar qae,
    se as receias seguem a saa progresso ascendente,
    as despezas tendem a diminuir. No novo orna-
    mento, os recursos eventaaes ou extraordinarios
    foram substituidos por meio de recurso norma es e
    permanentes ; a lei sobre a amortisago, qae vos
    ser submettida, dota esta institaigo de rendi-
    mentos certos, e d novas garantas aos credores-
    do estado. O equilibrio do argumento est corlo
    por um excedente de receita.
    No exterior, a paz parece estar por toda a parte
    assegurada, por que por toda a parle se procurara
    os melos de desenvolver amgavelmente as difH
    culdades, em lugar de as vencer por meio das ar-
    mas.
    A rennio das esquadras ingleza e franceza nos
    mesmos porlos moslrou que as retaco es formadas
    no campo da batalha nio lem enfraquecido; o
    lempo nio tem feito mais do que cimentar o accor'
    do entre os dons paites.
    A respeito da Allemanba, minha intencae con-
    tinuar a observar uma poltica qne, sem deixar de nos affgir nmas vezes, e de
    nos regosijar n'outras, deixa nos com tudo estra
    nhos a questoes em que os nossos interesses nao
    esto directamente envolvidos.
    A Italia, reconbecida por quasi toda as potencias
    da Europa, fortalecen a saa onidade, inaugurando
    a sua capital no centro da pennsula. Temos toda
    a razo para contar com a escrupulosa execugao
    do tratado- de t-de setembrn-, e com a conservagio
    ndispensavel do poder do santo padre.
    Os lagos que nos ligan a>Hespanba e Portugal
    tornaram-se mais ntimos pelas ultimas entrevistas
    com os soberanos d'aquelles dons reinos.
    Tendes comigo partilbado da indlgnagia geral
    produzida pelo assassinato do presidente Lincoln, e
    ltimamente a morte do re dos belgas causn un-
    nimes sentimentos.
    No Mxico consolida-sao governo fundado pela
    vootade do povo ; os dissidentes, vencidos e disper-
    sos, j nio- tem.cbefe -r as tropas nacionaes lem
    mostrado o seu valor, e o paiz ten encontrado ga-
    rantas de orden e de seguranga, qae desenvolvis
    os seus recursos, e teeea elevado o seu connercio
    anicaneate con a Franga de 21 a 77 milhSes.
    Cono j no anno passado manifestei a esperaaga, a
    nossa expedigo toca o seu termo. Trato de me
    entender com o imperador Maximiliano para fixar
    a poca da retirada das nossas tropas, afim de qne
    o seu regresso se effectue sem arriscar os interes-
    ses fraucez.es, que temos defendido n'aqaeUe paiz
    longiono.
    A America do norte, sahindo victoriosa de urna
    lula formidavel, restabeleeeu a antiga ansio, e pro-
    Para chegar a este resaltado, tem-se feito econo-
    mas na miior parte dos servigos pblicos entre
    outros, no ministerio da guerra. Estando o exer-
    cito em p de paz, nio bavia outra alternativa se
    alo reduzr os qaadros, oa o effeubvo. Esta ul ti
    ma medida era trrealisavel, por qae os regimenlos
    contavam apenas o numero de soldados necessarios;
    o bem do servigo aconselbava mesmo o augmento.
    Supprimindo os qaadros de 2)0 compaotaias, de 16
    esquadrdes e de 40 bateras, mas mandando os
    soldados para as companhias e esquadrdes que se
    conservavam, fortalcenos antes, e nio enfraqae-
    eenos os nosso reginentos. Guarda natural dos
    iotereose do exercito, nao teria consentido n'eitas
    redueQoes, se devessem alterar a nossa orgaoisacio
    militar ou dilcuiia* a existencia de horneas, cajos
    servigos e dedicago tenho podido apreciar. A
    conservagio de todos os offlciaes- tora da fileira
    nio comprometi de modo alguno seu futuro, e
    a admisso na carreira administrativa-dos offlciaes
    e offlciaes inferiores, dos qae se aproxinam a po-
    ca da retirada do servigo, ha de estabelecer dentro
    em pouco o movinento regular da promogo ; to-
    dos os interesses nao de, d'esle modo, acbar-se ga
    r a olido;, e a patria nio se m os tara' ingrata para
    com aquellos que por ella derramam o seu sangue.
    O ornamento das obras publicas e o do ensino
    nao soffreram dirainuigo. Era til1 conservar is
    grandes enprezas do estado a sua aatividad fe-
    cunda, e conservar a' iaslruccSo publica o sea e-
    nergico impulso. Ha algaos mezes, gragas a' de-
    dicago dos instituidores, abriram-se qaioze mil
    corsos novos as communas do Imperto.
    A agricultura fez grandes progrese desde 1852.
    Se n'este noraento soffre pela baixa do prego dos
    cereaes, esta depreclagao a- censequeocia inevlta-
    vel da superabundancia das ooltxtas, e nao da sup-
    presso da escala novel.
    As transformacoes econonicas desenvolved) a
    prosperidad geral, as nlo poden previnir aca-
    sos parciaes e perturbagoes- temporarias. Julguei
    qae era coaveniente proceder a nm serio inqueriio
    sobre o estado e necessidades da agricultura, s-
    tou convencido de que ha de confirmar os priaci-
    pJo de liberdad commerclal, ofbrecer preciosos
    esclareumentos, e facilitar o estado dos meios pro-
    prios, ja. para alliviar os soffrinentos lcaos, ja'
    para raallsar novos progressos.
    O dasenvolvineto-das nossas-transacgdes com-
    merciaes nio tem diminuido,>o eommerci geral
    que no ultimo anno era 7 milaSes, eleva-se a 700a
    milhoes.
    Em presenga d'esla prosperidade semare cres-
    canie, dos espiritas-inqaietos^sab pretexto de acli-
    Napoleao I, de qua eu me seity e quizeram con-
    fundir a insiahiadada con a aerador, dedaraado a naoaasMIdlilo aosWeleon-
    mento sacoassivo das influrteles tmauas, quera
    dizerqueas anioas raudaacas ^uradeiMs sao a
    quellas que sa aaaajtt osa o tenso, pelo melbora-
    menle dos costumes pblicos.
    Estes melboramentos bao de resaltar da tran-
    quilidade das paixoes, e nao das modificarlas In-
    tempestivas das nossas lels faadameotaes. Qae
    vaotagem pode effectjvanenle baver em acceitar
    manha o que se rejeita na vesaera T
    A conslituigio de 1851, sujeita a' acceilago do
    povo, emprebendeu fundar ara syslema racional e
    sabiamente poudera e sobre o jasto eqailibrip entre
    os differentes poderes do estado. Manten se em
    igual distancia de deas situ,ag8es extrenas. Com
    ana caara senhora da sorte dos nrlnlsrrw, o pe-
    der executivo nao tena aaioridade, nem espirito de
    andamento j nao ha exame.se a cmara electiva
    nao for independente, e nao sstiver oa posse de
    prerogativas legitimas. As nossas frmalas eons-
    liiuelonaes, que teem uma certa aoalogia eom as
    dos Estados-Unidos, nao sio defeituosas, por que
    difieren) das da Inglaterra. Todos os povos devem
    ter instituiges proprias, conforme o seu genio e
    assuasinstituicSes. Todos os governos leen de
    certo os seus defeitos; mas, laucando nm olhar pa-
    ra o passado, applaudome de ver, no (Ira de qua-
    torze annos, a Franca respeitada no eslrangeiro,
    traquilla no paiz, sem presos polticos as suas ca-
    deias, e sem exilados alen das suas fronteiras.
    Nao teos nos discutido snfflcientemente oitenta
    annos as tbeorias governamentaes ? Nao sera' ntil
    boje procurar os meios pratteos de proporcionar
    orna melbor sorte moral e material ao povo ? Tra-
    temos de espalbar por toda a parte, com s hjzes,
    as saos doairinas econmicas, o amor do bem e os
    principios religiosos ; procuremos resolver, pela
    liberdad das iransacgdes, o difflcil problema da
    justa repartilo das torcas productivas, e trtenos
    de melborar as coadigrjes do trabaiho tanto nos
    campos como as officinas.
    Qaando todos os francezes, hoje Investidos dos
    direilos polticos, estiverem esclarecidos pela oda-
    cacao, bao de sem difcnldadedescobrir a verdade,
    e nao bao de deixar-se seduzir por tbeorias enga-
    adoras ; quando todos aqueites qne vivem do que
    ganbam lodos os das, liverem visto augmentar os
    seus beneficios, que procuran por um trabaiho
    assiduo; bao de ser elles o firme sustentculo de
    ama sociedade que garante o seu bem estar e a
    sna dignidade; finalmente, qaando todos tiverem
    recebido desde o bergo esses principios de f e de
    moral, que elevara o horneara aos seus proprios oibos.
    bao de compreheoder que cima da inteligencia
    humana, cima dos exforgos da seieocia e da rasio,
    existe uma vootade suprema, qae regala o desti-
    nos dos individuos- como regula os desuno da
    nagio.
    Assim terminou o imperador Napoleao o seo dis-
    curso perante o representantes do imperio, e as-
    sim terminamos .-a nossa renitis, por que os
    jornaes chegados nada publican que possa chamar
    atlenco.
    Con o bon sensopratico da rata-auglo-saxonia-,
    aukos bomens polticos, generaos que durante a
    guerra dos Estados-Unidos desempenbaram impor-
    tantes papis nos dons campos, depois de termina-
    da a luota eniregaram-se a negocios da vida cive
    e oscupan- os nai variados empragos.
    Assim, o general Buraside, dirige nm camtnho
    de ferro na Penstivania ; o general Boiler uma ma-
    nufactura ; outro esta' a- dirigir a fabrica de anuas
    de Golt, celebre pelos seus revolwers; o geeera[
    confederado Forrest montou uma grande officioa
    de serragem mecnica- no Tennessee; outros emfim
    sio rendeiros, negociantes, profeseoree, editores-
    correspondentes de peridicos.
    Este s y ploma de nova adhesio a' industria, ao
    eommercio e a' agricultura caracterstico e favo-
    ravel a' conclusio da paz, especialmente,ttio sa es
    qaecendo, que perto-de am mllhao d homens de!
    xaram a espingarda- pelo machado ou pelo arada
    e seguiram o exempio dos seus chefes.
    O-resultado nao se tem le lo esperar.
    Se anda ba estados e murtas pesseas qne soffrent
    o-eommercio geral da Unio ten desenvolvido ba
    trez mezes nma actividade considera vel.
    FOLHETIM
    A SEPULTURA DE FERRO
    POR
    llenriqe Conscienee
    (Continuagao.)
    I
    lia va as pala vr as do vel no ama serenidad e
    jae commovia. O seu aspecto pareceu-ma entio
    tio nobre e magestoso, que me. sent em extremo
    abalado, e s passado um momento de leOexo
    que pude pergunUr-lbe:
    E agora j nlo trabalba f
    Ainda trabaiho de lempos a tempos. Ainda
    ene o qolzesse, ser-me-hia impossivel deixar de
    trabaibar. A arte velo a ser para o mea coragao
    nma necessldade imperiosa, porque a varlnba
    mgica com qne evoco os mais doces aenaamentos
    do meu Dassado e me transporto a primavera da
    miaba vida.
    O camiubo ara entio mnto arenoso e andavaaos
    a costo. Isto ata I bou-nos a conversa por algons
    minutos. Quando pude conservarme Junto do in-
    dio, perguntel-lne:
    Seno me engao, tem lido algumas das mi-
    abas obras. E' afieieoado a liitaratnra T
    Nio leio muito, mas possuo a maior parte das
    anas obras.
    E satisfaxem-no ?
    Mullo, especialmenle os seus gobios da Can-
    pene e os seas bosquejos moraes j mas lo qaa |-
    qne ainJa me deleitara depois de multas leituras;
    o tona, uma especie de harmona secreta que con-
    corda com o meu genio e que me delicia.
    Deitei para o velbo um olnar interrogador para
    obter mais ampias explicagoes.
    as historias de qae qaero fallar, disse elle,
    ba ama especie de simplioidade innocente, de doce
    sensibilidade e de inabalavel esperanca; um senil-
    ment sincero de admlracio da natureza, de reco-
    nbecimento para com Doos e de amor da bumani-
    dade. Estas leituras teem-me feito multas vezes
    profonda inpressio, mas nio ne fatigan; e quan-
    do chego ao flm de uma d'eilas, sinto-me consola-
    do, esleu mais crete, mais dedicado, e alegrme
    do rundo da alma desecbrindo qne ainda nella vi-
    bran e resoam cordas tio ternas, e to puras, que
    parecen accommodadas s a infancia.
    Gaguejei nio sel qun desculpas e forceje por
    obrigar o velbo a confeisar qae loavava as minhas
    obras mais do que ellas mereciam provavelmente
    por bondade oa por sympathia. Mas elle conser-
    vou-se fircae e disse como conclusio :
    E* verdade, cada bomem sent de nm modo
    S passar por Bodeghem para ir peraoitar
    em Bsnkelbont, alo verdade ? Pens qae nao
    tem un tira particular na sna vinda. a nossa pe-
    quea aideia.
    Pols tenho. Quizera colber de passagera al-
    gumas noticias acerca de uma cousa que me con-
    taran) ; mas como to bondoso e servical, ton
    perguntar Ibe o que desejo saber. No cemiterio de
    Bodeghem ha um tunulo de Ierro ?
    Ha uma sepultura qae a syngella gente da
    Ierra chama a sepultura de ferro, porque a fe-
    cha uma grade de ferro; mas nao ten nada de no-
    taveL
    Pareceu-me qne a voz do velbo mudara comple-
    tamente de lom; era reservada seeca como de
    quem qner abreviar eu dar outro rumo a conver-
    sa. Perguntel-lbe:
    Contfnuam a brotar flores novas n'essa sepul
    tura?
    Continan a brotar Aeres novas, 'repeli
    elle.
    Ha um banco de madeira ao p d'essa sepul-
    tara, e esse banco moslra muito nso, porque um
    sVi imaginar. Ha algumas qne tenho lido mais de I asedo, esperando qne elles paseiesen por nos,
    4oz rezes. Nao sao as historias na soa essendalpergnnioo-me depois:
    qne Ihe proprio, qne pode ser n'elle innato, mas! espirito, a qne cbamam a senbora de braneo, -val
    ha annos asseniar-se n'elle todas as nortes ?
    Gontos de creangas, disse o velbo sor rindo.
    Bem sei que pode ser apenas nm cont; mas
    pelo menos ba alguem que cuida das flores da se-
    pultura ; porque o qae de certo fbula qae es-
    tas flores brotem espontaneas.
    Como se demorasse em dat sailsfago a mioha
    cunosidade, disse-lhe :
    Ha alguna das foi ter conmigo nma campo-
    neta d'estes sillos pedindo me conselhos para obter
    perdi para nm fimo eondemnado a ona grande
    multa por am delicio de ca$a. Motli a tigareH*,
    que, entretanto, proven) das senugoes da sua na-
    cidade e dos aoouteetmmtos que mais teem sobre-
    sabido nasua vida. Nio pqsso por tanto, preten-
    der qae cada nm pens como en. Seja como fr,
    se eu nao aebasse as suas obras seaio a religiio
    da recordagio e a f um melbor futuro, bastarla
    isso para Ibes querer muito. Aim d'isso, ha ou-
    tras raides que nio paso dizer-lbe.
    Tinhamos ebegado ao p de nns canpinos qne
    vinbam na estrada en lireecio oppostt a nossa. Q
    B" desse modo que tenbo Mirado em todas as par-
    ticularidades da vida simples dos campinos. Fal-
    lou-me da sepultura da ferro, das flores sempse
    novas, da senbora de braneo e de nm ermita que
    passa das inteiros a resar a beira da sepultura.
    Peeo-lhe, pois, o favor de dizer-mc o qne ba verdi-
    co no que me di sse a nanioer.
    A cousa muito simples, responden o meu
    companheiro. O homem, a quera chamara ermita
    porque vive solitario, cuida da sepultura de uma
    pessoa que Ihe foi mais cara do qne a luz dos
    olhos. Vivando assim, desde a fatal apartamento,
    ao p de ama sepultura, e concentrando n'essa se-
    pultura toda a sua affelcjio, alcaaca um triompho
    sobre a morte ; porque quem ha de dizer qne a
    esgosa qae a trra peasava roubar-lhe o desam-
    parou realmente, se elle a v a cada instante, se
    ella renasce cem vezes por dia no seu pensamenloT
    uihei admirado para o velbo ; n as seus olhos
    lutio estranho fulgor e e costo radiava-lhe da en
    thusiasmo. i
    Elle nolou a impresaio que as sna palavras tl-
    nharo feito em mlm e fez-se superior 4 sna com-
    mogio. Indlcando-me o caminho, disse cem mais
    serenldad
    Eu nio sabia o qne havia de pensar do tom so-
    lemne con que o velho Unba dito estas ultimas pa-
    lavras. Cornaca va a -toraar-me de certa emogio
    singular. J inaginava que a sepultura de ferro
    oceultava una historia pathetlca a minha curio-
    sidade estiva altaneote excitada.
    De certo adivlihoo o velbo que en la insistir
    para alcangarmais miuda explieacao. Tircu-ma
    o pedaco de alabastro antes qua eu podessa. sus-
    peitar a sna lisngo, e, cono en, porfiasse en
    querer continuar a leva-le, assegoron me que pelo
    menos na aideia devia engaitar o meu obsequio, e
    escapou, con grande despeno neo s perguolas
    que eu j tinha formulado na neme, lrigindo
    se para a entrada do cemiterlo, disse-me.:
    Yenha commigo se quer ver a seaultora de
    ferro. Aim, ao p da parede da igreja, onde vd
    flores por uma grade de ferro, a ul sepultura.
    Aoerqnei-me do lugar indicado e observe! com
    admiragao o curio cerrado Debalde procurei nnu
    pedraou qualqaer slgaal que me dissesse o nome
    d'aquella lio chorada crsatura. S vi dores, mas
    flores lio lindas, tio raras a combinadas com tia
    profundo sentiraento da forma e da cor, qne s
    mo de enamorado podia chegar a tai grao de

    All est a nossa igreja; se tivessemos loma-' harmona. Para mina ra fora de davida que o
    do o atalbo, j podertamos ver de onge a sepulta- ermita, se realmente velava sobre a sepultura um
    ermita, devia ser ainda novo e embalado pelas
    mais suaves illosOes da vida. Mas, olhtndo para
    ra de ierre.
    Quasi que nio del alteoeio ao que elle me apon-
    tava e perguntei com ar dlstrahido :
    Parece que fallou em esposa. Entio uma
    mulher casada que repousa na sepultara de ferro'
    Virgen para, murmurou elle, como acneoea
    vicosa.
    -Mas casada?
    Con eflello, vlrgem e esposa,
    o banco de madeira gasto por continuado uso, co
    meoei a dar de mi i primelra idea.
    Ha quanto lempo esta aqni este banco? per-
    guntei ao anclio.
    Ha qaareata annos.
    E" o ermita que assim loe tem dado 060, as-
    sentando-se en aloelhando n'elle T
    A' associagao dos armadores- de New-York, pu-
    blicaran un velatorio que deelara os prejuizos oc-
    casioaados ao connercio pelos navios- de oorso
    confederados..
    Ilouve dorante a guerra, navegando-no Ocano
    24 cruzadores confederados qae aprehendern 28i
    navios, comportando 33,038 toneladas), represen-
    tando com a sua carregagioo valor de 30 mhoes
    de dollars.
    Enire os navios capturados-havia 4 vapores, 78
    galeras, 91; barcas, 63 brigoes, e 48soboQners.
    Um dos veteranos das grandes guerras do pri-
    neiro imperio foi bi dtas- riscado do numero nos
    vivos, quaado viuba de contar oiteata dexambros
    Era o general de drisao Parthappa, graadaofli-
    cial da Legiio d'Honra.

    E', responden o nea guia.
    ' Mas isto cousa, que exceda as torgas huma-
    nas I disse eu com adotiraco. Aaseniar-se du-
    rante quarenta annos ao p- de una sepultura 1 Se
    amor, que profundo, qua immenso, que infinito
    senlinento O sacrificio, a dedicago, a. fusodo
    ama alma que vive na ierra cora nota alna qtwja.
    do co Poder 1a dar a isto o nona de idolatra,
    se essa aspicago para o co nao teslearanhasso ro-
    busta na bondad divina e oa laeidado da nm
    fuiaro sem bolles* Viver para ama. noria, a com
    ana mora l .
    Nlo est morta, nunnuroa, o velbo.
    Nao est norta Que mysterios> que pro-
    digios esconden entio estas flore ?
    O senbor finge que nio me catead*, disse o
    velho coniun tom sereno e profuado ; mas o sea
    coragao entendeu-me bem. Morta ? Nio, porque
    ao mesmo lempo que th digo isto, estou a ve-la,
    ella sorri para mim e ouco-lba a vos, qne me din
    d'entre as suas flores : O lempo abrevia-se i ea
    espero, espero t >
    Ella esperao! disse eu com alto assombro.
    Pols o seotior que assim tem gastado este banco?
    I ai en.
    O ermita ?..
    e; q velbo que o aMso Ihe dea para gula, o
    esculptor d cojo alabastro o senhor qoh set per -
    tador, sem saber qne sania recordagio alie ena-
    lbar n'essa pedra!.. Mas vena comottgo. Nao
    me pergnnte man nado Olbe, al, airas da pare-
    de do eemtterlo, Oca a minaa casa. Ve
    migo e ouvir coasas qne ainda niagswft-'sblfce
    to de verdade como o senbnr UaSelas.
    Atontitur-m-im,)
    PEBAattt^) -W.IB, F. tMK WB6
    c









    l



  • Full Text
    xml version 1.0 encoding UTF-8
    REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
    INGEST IEID EZCD2X09D_3R096Z INGEST_TIME 2013-09-04T23:34:11Z PACKAGE AA00011611_10900
    AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
    FILES