Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10899


This item is only available as the following downloads:


Full Text


.


->
'1
AMO XLII.
t *
Pet BaHelFt"tr*^**#4itsoi.,Mfi.......
I,le ...ot li ias dt csmeco e dentw da quartel .
i i*r tres mezes........., .. .

75o 1
*j ,iifl riMtt


htasvjl 4* .*lft<4
QOIHTA FEIBA 22 DEFEVEREIRO DE 1866
for aneo paga deitro de la das da 1. Hez.
Parte aa correio par um ana......


.9fooo
Zlfm
RNAMBUCO.
drigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Altes &
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
8NCAKREGAD0S DA SUBSCRIPGAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falco Oas; Babia, o
Sr. Jos Martias Al ves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estages da rja frrea at
Agoa Preta, todos-os dias*
Iguarass e G?>yaifna as segundas e" sexras feras.
ENCARRKGADOS DA SUBSCRIPTO DO N0R1E
Parahyba, o Sr. Antonio AIex?odriho de Lina!
Natal,t> Sr. Antonio parques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr.J. Jos de
Oliveira ; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro- Santo Antao, Gravata, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bou
Conseiba Agaas Bellas e facarat, nastergas-
feiras.
Pao d'Albo, Nazareth, Limoeiro.Brej, Pesqnelra
Ingaieira,Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salguen o e E, as quartas
feiras. *
Serinbiem, Rio Formotp.Tamandar, Usa, Bar
reros, Agoa Preta a Piroeotilras, as quintas
retrae.
v
parte amciAL:
GOVERXO IA FBOVI.\t'I.l.
Expediente do da 19 de fevereiro de 18CC
Officio ao Ezm. e Rvm. bispo diocesano.-Cons-
tando-me de commuoieagoes da repartico do im-
perio de 25 e 29 de Janeiro ultimev que por decre-
tos de 24 e 27 daquelle mez, foram apresentados
em dlffereutes freguezias es padres mencionados
Ba relagao junta ; assim o communico a V. Exc.
para os devidos effeitos.
Relagao a que se refere o offlcio supra.
Padre Renovato Perelra Tejo-Na isjrela paro-
chial de Nossa Senbora da Coneeigo de Qoipap.
Dito Lourenco de Albuquerqae Loyoladem de
Nossa Seohora de O' de Goyanoa.
Dito Joc Baptista da Sila-Idem de Nossa Se-
nbora do Rosario da Vanea.
Dito Francisco Urbano de Albuquerque Monte-
negro-Idem de Santos Cosme e Damiao de Igua-
rass.
Dito Fortunato David Amador de Oliveiradem
de Nossa Senbora da Coneeigo de Itaojarac.
Por decreto de 27 de Janeiro ultimo.
Padre Trajano de Figueiredo LimaNa igreja
parocbial de S. Jos da povoago de Bezerros.
Dito Joaquim Rellarmioo de Mirandadem de
Nossa Senbora da Sade de Tacarat.
Dito Joaquim da Cunha Cavalcantidem de
Nossa Senbora da Coneeigo do Bonito-
Dito ao Exm. general commandante dae armas.
Queira V. Etc. Informar sobre o que pede no
incluso requeriroento o cadete ido 6 corpo oe
voluntarios Augusto Frankllm Cavalcanti.de Men-
donca Wanderley.
Dito ao mesmo.Afim de ser camprida a dispo-
sigo do aviso da repartfeao da guerra de 18 de
Janeiro ultimo, apresente-me V. Etc. o termo de
inpeccao de sade porque passou o guarda nacio-
nal Antonio Feliciano de Almeida da provincia do
Maranhao que aqui foi considerado incapaz do ser-
vico.
Dito ao mesmo.Tomando em consideradlo o
que V. Exc. expoz em sua informagao de 13 do
correte, sob n. 296, dada com referencia a do di-
rector das obras militares acerca das coutas ao gaz
consumido durante os rtezes de" abril a junho do
anno prximo passado com a illaminacao dos
qnarteis e do hospital militar desfa capital, tenho
a dizer que convenho na suppressio dos bicos de
gaz que se tornam desnecessarios nos mencionados
quarteis e hospital, os qoaes vio marcados na in-
clusa relacao, e bem assim que por aquella direc-
tora sejainstruida nma praca dcada corpo no
modo de se fazer com regularidade o servio da
mesma illuminago e de conheeer pelo registro a
quaotidade do gaz consumido diariamente, am de
organisar-se a nota meosal de que deve ser envia-
da a mencionada directora para os convenientes
exames : o que declaro a V. Exc. para seo conhe-
cimento e expedirlo de toas ordens oeste sentido.
Relaco a que se refere o offlcio supra.
Quartel do depcsito.
Salo dos recrutas.................
Reservas........................
Secretaria.......................
Arrecadacao geral (aotiga secretaria)
Estado-malor....................
AUDIENCIAS DOS TRJBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas,e quintas.
Relaco; tercas e sbados s 10 horas.
ras.

Fazenda: quintas s lObJra
Juizo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orpbos
tercas e sextas s 10 horas..
----------------------------Sfc---------
Primeira tirado civel:
Jlai -t ?
SegtB5dtara do civel
hora da tarde.
tercas sextas ao mel
quartas sabbades a 1
EPHEMER1DES DO MEZ DE FEVEREIRO.
7 Quarto ming. as 5'h., 20 m. e 16 s. da t. *
lo Loa nova as 7 b., 53 m. e 56 s. da m.
22 Quarto cresc. a* 2 h., 28 m. e 45 i. di m.
DAS DA SEMANA.
19. Segunda. S. Compi.:8. Gaboo m.
20. Terca. Ss. Elenterw awfllo bh.
21. Quarta. Ss. Maximiaoo e Fortunato bb.
22. Qointa. Ss. Papias, Abilio e Pascacio bb.
23. Sexta. S. Marganda de Cortona f.
24. Sabbado. S. Mathias ap.; S. Pretxtalo ab.
25. Domingo. Ss. Cezario e Dionisio rom.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 10 horas e 54 m. da manhla.
Segunda as II horas e 18 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a-14* e 30; para o norte
at a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 ios mezes de Janeiro, marco, talo
julbo, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praca da Independencia
ns. 8, dos proprietarios Manoel Figoeiroa de Paria
& Filho.
metiendo por copia a V. S. para ser. conheci ment
o aviso expedido pela repart gao da marraba* em
26 de Janeiro ultimo, com referencia a coniulta
feita pela,capitar*a do porto em 23 de novembro do
anno passado, tenbo a recommend#r-lhe que preste
do meibor modo possivel e pelos najios a seu al-
ance es auxilios que Ihe forem reclamados pe
capitana, atim de remover com brevidade para ou-
tro "tugar onde nfio obstrua a- passagem dos navios
o casco da- barca ingleza Felisbelt'a, que existe per-
fo da praia do Brum.
Dito o mesmo.Informe V. S. sobre a conve-
niencia 'de ser accelta a inclusa proposta assignada
por Jos Estevao de .iraojo & C, para fornecimen
lo de madeiras oecessarias a constirueooes navaes.
Dlo ao director do arsenal- de guerra.Mande
V. 5. transferir do quartel do Hospicio para esse
arsenal, .onde ueVem ser recolbilos os objectos
constantes da reluci junta e que Ti.rain encontra-
dos n'aquelle quartel depois da sahida do 6o corpo
de voluntarios da patria apresentando V. S na the-
souraria de fazenda, aflm de ser atisfeita, a conta
da despeza que se Bzer com a conduegao dos refe-
ridos objectos.
Para a entrega destesdeve essa directora enten-
derse com o quartel uiestre da guarda nacional
Thomaz Antonio Macltl Montelro.
Dito ao director geral da instruego publica..
De conformidade com a sua Informaco de 17 do
correte, sob o. 30, mande Vine, admittir no Gym-
oasio Provincial, como alumno externo gratuito o
lho de Joao Hermenegildo Borges Diniz.
. Os offlciaes de estado-maior, e as praga de pret
do estado menor, Bcam perlencendo a 1' compa-
gina.
2* directora geral da secretaria de estado dos
oegocios da guerra em 21 de onrnbro de 1865. O
ajudante general interino. Polidoso da Fonseca
Qiunlanilha Jordao.
(Assigoado.J-Francisco Sergio de Oliveira. *
T^ conforme. Estevao Jos Ferraz, tente
ajudante de ordens interino encarregado do de-
talhe. *
O eroael Werneek, cavalheiro da antiga escola,
franco e generoso n seu modo de obsequiar, nos
fez recordages saudosas do oosso caro ninbo pa-
trio. Virginia, que jrro existe e creio que desap-
parecen para todo o snpre I
Na (arde de 2-2 vottamos a Cactioeira, e na ma -
Dhaa seguinte continuamos com destioo is cabecei-
ras de Itapemerim al a fazeoda Duas Barras, onde
paramos para juntar.
nos cordialmente; dando nos agasalho na porgao
da casa ja' conelnida.
Depois de bem examinar o edificio chegamos
conclusao de que era o mais bello e mais bem si-
tuado dos que tlnbamos visto at entSo. As monta
nhas de arabos os lados sJO de doce declividade, e
terminara em nm valle encantador.
No centro deste vall ba nm onteiro ou ilha, de
50 ps de altura, oceupando cerca de cloc acres,
IRTERIOR.
amenas paisageos em um valle sem limites, guar-
necido de montanbas, de onde escorregam a vista
as mais abundosas ierras.
Abl passamos agrldavelmente a ooite, e alraves-
saodo o rio na jooccao das duas aguas que formam
------ | o Itapemerim, seguimos para o rio Castello, ao nor-
Os valles oe rrAPEMfttiM e itabapoana, PROvN-. te, at que aicascamos a fazenda fructfera.
cas do espirito santo e rio de Janeiro. Das Duas Barras a este ponto ha oouco mais ou
Relatorio do Rvd. Baliard S. Duna. menos 12 milhas, sobre terreno escabroso, porm
A S. Exc. o ministro de agricultura. i frtil.
Sr.Teoho a boora de submetter a considera- Nesta fazenda passamos a noite.
O espaco da Cachoeira a este ponto bello e fer I e to graciosamente formado ue parela felto pela
til; una combinarlo das mais puras agoas e mo de homem.
O pequeo ribeiro Cacado, sobre o qual esta' si-
tuada a fazenda, desusando docemente contorna a
villa, e digamos assim,- fecunda o valle.
Deixamos esta abeocoada regio na maoha se-
grate, 5 de dezembro, e dentro em breve chega
mos a' villa S. Joo Cacado, onde paramos por pou-
co lempo para fazer indagagoes sobre os camic-bos,
etc. Continuando debaixo de clin va e alolados em
antes do da 20, o nosso enrgico commendador
resolVeu mostrar-nos a cidadade Campos.
A cidade da barra de S. Joo contera urna popa-
laco de cerca de 4,000,000 almas, mas o lugar
a ostra signaes evidentes de decadencia. Este tac-
to atthbuem os habitante* ao mais rpido desenvol-
vimento da cidade de Campos.
Nao comprebendemoe que o cresci ment de urna
cidade interior possa impedir a prosperidade de
outra na costa, com a vantagem de ser favoravel-
mente situada para a construcgSo de embarcagoes
de pequeo calado, e ao mesmo tempo sendo o
porto franco de todo o commercio. Encontramos
ahi duas escunas em construceo e algumas em fa-
brico. Havia igualmente muila madeira para em-
barque.
Na tarde de 16 visitamos o pequeo vapor
Agente da navegago lluvial e seguimos pata
Campos.
Na mauliau
1
1
1
1
1
5
Corredor.
Reserva........
Casa da msica.
Kadrez.........
Quartel da Soledade.
Enfermara militar.
Quarto do l" enfermeiro........
Galera terrea (a do meio)........ -
Quarto do 2* enfermeVro.......-
Botica..........................
Secretaria-----..................
Quarto do offlcial do da...........
Galera superior (a do meio).......
Escada pequea..................
Casa da msica.
Rancho....
Secretaria.
Quartel do Hospicio.
1
1
1
1
4
1
1
1
3
1
1
1
1
-10
1
t
1
-3
gao de V. Exc. o seguate relatorio:
No dia 9 de novembro enoootrei-me com o com- dia e camfnfaamos
mendador Carlos de Figueiredo na ra da Alfan-
dega n. 31, e abi informou-me esse cavalheiro que
em obediencia s ordens de V. Exc estara proap-
to>no dia 11 para acompanbar-nos a urna visita de
iospecgo a parte septentrional da provincia do Rio
de Janeiro, e a do Sul da do Espirito-Santo.
Embarcamos pois oaquelle da no vapor Dili-
gente.
seguinte montamos
12 milhas sobre
ao romper do
nm slo excel-
t> Sr. Henry Lewis acompanhou nos como nter-
Dito ao director das* obras militares.Mande;
Vme fazer com urgencia os concertos-de qoe oe- P
cessitam os cooductores da -illuminago a gaz do
quartel da compinhia de cavallaria como solleitou chegamos a bocea do no Rapemlrim.
o commandante das armas, em offlcio o. 233 d 17 ^t^a>P!'.eI!?Ts^a> SffW]^6/.108 pe"
do correle.
qlTulgaar^aame0xSten'sTo dTren?e^5!S K-f60."1 **" 'oo.a nossa a.tenco alira-
3oU,ed?rSghia S'iffS.0 imVorn.e flzenda.' Ac- *fj-" de Pisaem a
,aS ^u"'df aaZTtoDraSae'z todo! P|acido e risODho P"W s ">as da
lente, at ao lugar denominado Fim do Mundo.
Esta valiosa propriedade perlence a urna irmaa
o dono das Duas Barras.
Ahi almocaraos passamos a parte mais queote
dodia, e depois de loogacorrida de cerca de qoin-
ze railbas, chegamos fazeoda S. Qulrmo, d priedade do muito intelligente Dr. Aotooio Olinib as maoifeslagSes festivas e obseqolosas dos cida- I v,s,lamo? em Campos o engeoho de ai
Pinto Coelho da Cunha, amigo amigo do commen- daos ao oosso expeliente amigo o
Figteiredo.
dador Figoeiredo.
Este estabelecimeoto um dos mais prsperos ;
No dia seguinte is quatro e mela horaada Urde, e digno de nolar-se qoe o Sr. Cunha raro osa do
onde desem- l'castigo corporal como meio de corregir os seus es-
E' soa opnian lirme qoe a cultura do caf
e obsequiosasi uu=..-- coromen(|a(jor Jaliio R(beiro Casto, situado a urna
pito ao mesmo.Recommendo a Vmc- que de
conformidade com o offlcio do marecbal comman-
dante das armas de 17 do correte, constante da
copia inclusa mande faser com urgencia os con-
certos de que necesitara o porlao de ferro que
fecha a entrada da enfermarla militar bem como o
cano das latriaas da mesma enfermara.
Dito ao capltao do porto.Remetiendo por copia
lo Sr. Antonio Ferreira Marques de Abreu.
Neste lugar encontramos .em deposito grande
quaoipade de caf e algodo. .
Na praia exista porgao de 0f rosa. Tudo isto
deu-oos logo a conheeer a ferlilidade do slo tanto
qoaoto a riqneza das matal virgeos que lamos pe-
netrar. Tr*
O rio sempre nayegavel por grandes canoas
at a primeira cascata, cerca de irinia milhas da
urna boa parte
Na maoha de 13 subimos o ro itapemirim
a Vmc. para seu coobecimeot o aviso expedido n f 5 P0- nequnos vapores,
pela reparlicao da raariuba em 26 de Janeiro all- D0-
mo, com referencia a soa consulta datada de 23
de novembro do anuo passado, tenho a recommen-1 n uma esPcie de barcaca, at a villa do mesmo no-
dar-lne que de cooformidade com o citado aviso e me. Sltu*da milba e ral do ocano.
cora o regulamentQ e decreto oelle citados, provi-1 Ah epcootramos varios cavalheiros brasileiros
dencle no sentido de ser removido para outro lu- de posicao, que nos receberam agradavelmente e
gar onde nao prejudique a passagem dos navios, o no deram provas substanciaes da Meridadei de
casco da barca Ingleza Felisbella que existe perto s bospitalidade, oHereceodo-oos todos os meios
da praia do Brum 1ae P11*16 sem ftcl,,u"'a conlinuacao da nossa via-
Dito ao mesmo Para sea conhecimeoto e de- Sem>,aes como boDS aoimaes, guias, etc., etc.
vidos effeitos, remeti por copia a Vmc. o aviso clr- A Neste lugar demoramo-nos dous das combinan- e gentileza. Ah demoramo-nos dots
colar de 10 de Janeiro ultimo, em que o Exm. Sr, do nos nossos planos de v.agem, examioaodo map- rain de copiosa chuva.
ministro da agricultura, commercio, e obras pobli- Pas e apromptaodo todas as mioudem
cas, cemmunica a' existeocia de urna estacao tele- nas.a.Ues Jrnadas. ^
graphica no cabo fri, e declara ao mesmo tempo' Vls
cravos.
de todas a mais eficiente e remunerativa.
Nisto en seria obrigado a coocordar ctm elle se
o modo de cultura devesse continuar o mesmo ; isto
se as fraldas a meotaobas conliauassem a ser
trabalbadu com a enxada nicamente, jazendo as
plaoices sem amaoho algum ou s utilizados como
lugar de pasto.
Se porm esses infiodos e abundosos valles forem
revolvidos pelo.arado fertilizador ; se os numerosos
troncos e ranes forem arrancados do seu seio, a
preconlsada-saperiorldade e riqneza das monta-
oh as encontraiam competidor, oesses logares que
at en to erara desconhecidos e desprezados a
seas ps.
Partimos deste poolo oo dia 25, e a jpajjro mi-J intervallo o commendador
Ibas de distancia encentramos orna outra fazenda
de caf igualmente rica, posto que situada entre
montanhas escabrosas. .
Seu proprietario, o hospiUleiro capito Jos Viei-
ra Machado, recebeu-oos com a maior cordialidade
dias que fo-
dispararam gy-
sem cessar, at
por entre o es-
o commeodador
Logo que pozemos p em trra,
randolas de fogaetes, qoe ardiam
que chegamos ao hotel.
Quaodo atraveavamos o largo
I tampido das roaqueiras, tez-me
Figueiredo a segrate observagao em poro ioglez
< O povo alegra-se com a voda des America-
nos ; preleodendo assim, modestamente, dar a
ootrem honras qoe s a elle perteocia.
Para logo coDhecemos qoe o comm
gueiredo considerado pelos habitantes deste ri
como berrifeitor do publico, e por isso tratam com
sigoaes bem pronunciados de respeilo e alta es-
tima.
Os seus boos esforgos para a abertura dste
i rie trooxe Ihe a bem merecida repulaco de que
goza.
Demoramo dos cinco dias em Bom Jesns; neste
visitn seu
milha da cidade. Este estabeieeimento esta' per-
. i feitamente situado, e o mais adieotado no modo
da cultura. Foi ahi que vimos o prlmeiro arado.
A soa casa de porgar, distilladores, etc., sio do
mais recommendavel systema.
A 19 voltamos no mesmo vapor Agente, a' barra
de S. Joo, onde tomamos o- paquete Ceres. Abl
esperarais que houvesse agua sufflcieote na barra
o que leve lugar no da 20 as 4 horas menos 1/4,
quando sabimos gastando cerca de 24 horas de
omeodador Fi- \ g ^same'te de V. Etc. obediente servo
Baliard S. Dunn.
(Do Diario Official.)
DIARIO DE PEBNAMBUCO.
i
omodo porqoe devero os navios procedentes So' do ro,dmrrn-do-tne en\ extremo da riqoeza
norte, comuwntear-se com a mesma estacao e, no; dimensao das caoas.
caso de cerrarlo ou noite, com a poota oegra on a Aperar da proximidade do
santa cruz. ser .qnliBcada8
Dito 5o commandante
Mesmo assim tivemos occasio de visitar un
caverna notavel e da qual daremos breve des-
venerando pai, que se achava
rio cima.
A villa pequea e insignificante, porm esta'
siluada oo meio de trras, que se fossem cultiva-
das, rpidamente a tornariam urna prospera cida-
de. Ah foraos generosamente hospedados pelo Sr.
Carlos Hociques Firmo, cuobado do oosso commeo-
dador.
Partimos oe da II de dezembro rio abaixo e
Pelo vapor americana North America recbeteos
cojas ultimas datas
^^^srrtttt*--**
pernoitamos na floresceota fazenda de Jos Carlos
Situad* a orna roilba da fazenda, ha mister para oe Campos oode tomos confortavelmente agasa-
alll chrgkr trepar o lado de urna mootaoha bastan- ihados.
as trras podem te lagrenn e elevada cerca de mil ps cima do pe- n maoha de It seguimos o Itabapoana e che-
como as melhores. Parecem for- j queno valle qoe contorna a soa base. gamos a fazenda S. Pedro, a bocea de um pequeo
mads de granito, barro ordinario e vegetaes de-, A eotrada orna immeosa abertura ao lado da r0> qQe toma o mesmo nome. Neste lugar vimos
deTnMrid*~Vmr alist'ar ra comoVohia sob compostos. : meotanha capaz de conter cero pessos, sendo que em construepao a maior e mais custosa residencia!
:!nP2l!S"* n.; JSSSSr,K O instrumento osado para o amaoho da trra all ficar.ara abigadas pela massa enorme de pedra das que existera naquellerlo.
exclusivamente a eocbada. projectada a eotrada desse abysmo hiaole. Lolloca- q corpo d0 ediricio tem 40 ps por 80 ; alm de
Se em taes condices de atrazo este terreno pro- do dentro, oota-se qoe o espaco irregular, e to-, qQe o proprietario fez construir aos lados dous
duz to bellas canas, o que se nao poder esperar ma a forma de um grande numero de cmaras ou graodes armazeos para deposito de farinbas,
se ahi forem introduzidos os mais aperfeicoados celias ligadas por outras tantas passagens, algumas' elc.
da companhia provisoria
seu commando, 03 paisanos Joo Flix de Abreo,
Jos de Barros do Amor Divino, e Domingos Jos ,
de Miranda, que esto as circumstancias de ser-
vir o mesma companhia como consta do docu-
mento junto.
Dito a cmara municipal da Escada.Cora a in-
formaco inclusa por copia ministradda pelo eoge-
nheiro riscal da estrada de ferro em 12 do corren-
te sob n. 25 respondo ao offlcio que me dirigi, a
cmara municipal da villa da Escada em 5 deste
mez, acerca da reclamaco qoe Ihe fez o arrema
iotromentos ruraes? Eis o pensaaaen'o que uve de
ao ver o estabelecimeoto do coronel Gomes.
Deste ponto partimos no da 15 de maoha, em
destas to baixas que Tomos obrigados a engatinhar \ frente deila para o rio, que forma com o vi-
para atravessa-las. Desde que se passa porm de cejante valle, e as montanhas coroadas de innume-
uma a outra, a grandiosa vista dessa informe aber- ras arvores, a paisagem mais encantadora que eu
direceo norte, atravessando lugares escabrosos j tora, compensa o trabalho para all chegar. | ja vi.
at que alcaocaraos a pequea villa de Orebo, si-1 Em nm dos lados deparamos urna especie de Montamos na manha seguinte 13 de dezembro,
| tuada no rio Novo a curia distancia da costa, Al-1 prateleira ou caroeira que fra em outros lempos e seguimos para a Limeira, ama pequeoa villa si-
Dormitorio..
Secretaria...
-Cavallaricas.
Quartel de cavallaria.
2
5
Total.............. -27
Dito ao inspector da thesouraria de fazen-
daTransmiti a V. S. para o fim conveoleote o
incluso pret em duplicata que me remellen o ma-
tante Joaquim Tavares Rodovolho contra a passa-
gem que se esta' dando sobre a ponte da estacao
de ferro do Recife a S. Francisco, oo rio Ipojuca
moto a estago da Escada.
Expediente do secretario do geveroo de da 17
de fevereiro de 1866.
Offlcio ao delegado encarregado do expediente ,
da reparligo da Polica. S. Exc. o Sr. presi-
dente da provincia manda acensar a recepcao do
seu offlcio do 1 do correnta a que acompanhou
mogamos ah e em seguida transpuzeraos esse rio
tomando depois um dos seus bracos denominado
Iconha.
Tendo atravessado urna regao rica, guarnecida
de montanhas e de soberbas cascatas, chegamos a
grande fazenda de cafe do Sr. Rodocanacbi, deno-
minada Monte-Bello.
Abi cortezmente os bospedon o proprietario e
tivemos o gosto de ser apresentados a sua senbora
que falla inglez perfectamente bem.
Ha-
teada no Itabapoana.
Havendo ahi almogado, preparamo-nos para em-
barcar no pequeo vapor Itabapoana, que nos de-
via conduzir a' costa.
As noticias que encontramos as mesmas gazetas
sao quasi todas de simples interesse local e por
tanto poucas poderemos offerecer aos nossos le-
lores.
Ainda nao teoba tido lugar o julgameoto do
ex-presidente dos Estados Confederados, Jefferson
Davis. Em consequeocia dessa demora, om mem-
bro da cmara dos representantes, Mr. Julin,
propoz qoe a mesma declarasse que o julgamento
de Jefferson Davis pelo crime de traktcao $ a sua
prompta execucao, se for condemmado, too impera-
tivamente reclamadas pelo povo dos Estaot-ni'
dos.
Parece que o presidente Johnson demorando o
; o processo de Davis tem em vista os espiraos ainda irritados pela ultima guerra.
Efectivamente aioda nao se sabe se o ex-presiden-
te ser jolgado por urna commisso militar ou
civil.
Alguos negociantes de New-York tlnham of-
: terecido ao actual presidente nma carruagem e ca-
vados. Andrew Johnson recusou aceitar tal pre-
sente, a' vista do que a cmara dos representantes,
em data de 29 de janeiro, declarou que esse proco-
diraento do presidente tioha sido eminentemente
recommendavel, prudente e patritico e offerecia
um valioso exemplo a todos que eslivessem em
igual poslco.
A cmara tambem declarou que, na soa opioiao,
o cemiterio dos primeiros habitadores do paz
viara all esqueletos era grande numero.
O capito Machado deu-nos valiosas inlormacoes
sobre o mod) porque as fazendas do Espirito San-
to foram abortas.
Tendo augmento a popnlagao de .
proviocia de Minas, sentiam os seus habitantes abarcado para o Rio de Janeiro, ou antes para a r*""'""*ora a sua tendencia, fatal a moral pu-
falta de trras era que estabelecessem seus filhos. boCca do rio, era considera vel. Neste momento, mca !"2L!L*5Z. .
Pelo que resolvern! passar-se para o Espirito | dis)e eu a mira metmo : se o commercio deste rio ~ No gresso traham sido aprestados va-
VisUodo aotes a villa e fazendo algumas ioda- a W*** actualmente tao commnm dos empregades
certo lugar da gaQ5eSj SODbemos q a quantiaade de caf ah i *** <-" retenta aos seus superiores, ejta-
o
quadro dos hachareis que sao delegados oesta pro ri0 [ooana,|"qne ora'precp'ita de sobre alguns pos
relativo ao 2o semestre do anno prximo e altura, ora serpeia graciosamente em sombra
passar-se para
I Santo.' Alli chegados concordaran em abrir urna
ros projectos de leis abollndo era todos os Estados
viocia
Qndo.
COMMANDO DAS ARIAS.
Quartel general de eeauaaido das armas de Per-,
namburo na cidade do Recife, 21 de ferereiro
de 1866.
Ordem do da n. 303.
! A l.l ~.____l..- .; j._:.n,. a oam ave. '"s IIIUISCIBS uo le auunuuu OIU IUJU5 US r.siauub
e tal, com urna popuiagao tao diminuta e sem sys- .: ..' __,i__n_ j,-s, -= jq Hiroirnc nno nn
Este estabelecimeoto est situado sobre o bello \ grande fazenda"que deveria perteocer a todos, a tema ilgim de CU|lura> 0 que ge nao podera' es- LDI
perar quando for ella augmentada, e quizer appli-
folbagem.
.A sensago
de prazer que sentimos em todo o
car os mais aperfeigoados instrumentos ruraes ?
As tres horas seguimos rio abaixo ornas cinco
milhas e paramos oa aliara da fazenda do Sr. A.
Havendo a presidencia da proviocia em officio
I de hoolem datado, resolvido que o 2o batalho da
rechai commandaote das armas com offlcio de 17 i guarda oaciooal deslioado para o servigo da goer- .
do correte sob o. 230, tirando veocoenlos relati- ra sob o commaodo do Sr. tenentecoronel Maria- Acsresce a tudo isto o doce murmu-ar de lan-
vos a 1* quinzena deste mez. para o soldado do 6* l no Xavier Carneiro da Cunha passe a ter a deoo- tas aguas avivado pelo queixoso gorgelo do mgico
corpo de voluotarios desta proviocia, Thomaz Ras- raloaco de 1 corpo provisorio, Otando delle desli- sabia. ^
sick que se acba era deligencia fra desta capi- gado a 2* companhia que seguio'para o sul addida Desta fazenda voltamos a dislaocla de 10 milhas.
Jai Comrauoicou-se ao general coramaudaote das ao 3o corpo de voluntarios da patria organisado e ahi tomamos a direceo sul, at ao rio Novo, on-
arraas. I I nesta provincia, e que o referido corpo provisorio de pernoitamos.
Dito ao mesmo.Em resposta ao offlcio qoe V.' fosse orgaoisado com os contingentes com qoe con-1 Aotes de alcaocar este ponto atravessamo urna
S. me dirigi ero 16 do correte sob n. 85, teoho a: correrem os corpos da guarda nacional, conforme- regio toda inculta posto que frtil,
dizer que acabo de designar os professores Miguel I mente o plano qoe baixou com o aviso do ministe-'
Archaojo e bacoarel Antonio Witruvio Piolo Bao- j rio da guerra de 21 de outubro ultimo em seguida
detra Accioli de Vaseoncellos, bem coajo o escrip- (transcripto, o marrcbal-de campo commandante
turario dessa reparligo, Jos Fraocisco de Sales > daslnrraas assim o" faz publico para conbecmento
: da goaroigo e devidn effeilo, e determina ao men-
I ciooado Sr. tenente-coronel commandante que a
| contar desta dala harmooise o seo batalho com o
i plano citado. ,
| PROVINCIA. DE PERNAMBCCO.
Orgaoisaco do 1" corpo provisorio cora 6 compa
qual deram o nme deCentro. Foi desse ncleo
que surgiram mais urde as belhs fazendas que
boje vemos na proviocia do Espirito Santo.
Na manha segaiote continuamos para a fazeo- _
espago do Orebo a Monte-Bello superior a toda a da Centro, de que vimos de fallar, e all romos oo-1 Gueoa. Ahi fomos recebidos mui altenciosamente
I sequizamente recebidos por sen. proprieUno o, pejos habitantes,
roajor Machado da Cunha, homem j entrado em As terras ja Limeira at a distancia
anno:-, mas da fina educago. milhas pouco mais ou menos sao da meibor quali
Disse nos enlo elle ser-nos Imposslvel atraves-
sar, ou mesmo penetrar a extensa porco de ier-
ras do governo que jazem as cabeceiras do rio
Grand, tributario do rio Doce. Esta noticia des-
politicos que tivesse por base a differenca de raga,
cor ou condicao; reorganisaBdo a magistratura 0
facilitando a educagao militar em varios collegios
do paiz.
VI-
expressao,
O aspecto da trra o mais bello qoe ja'
mos.
i As montanhas elevaodo-se as margens do rio
I moslra o solo mais sedutor, coberto de gigantescas
arvores de summa utilidade, emqoaolo que as in-
dade.
A sua situago a mais conveniente pos-
si vel.
Os valles sao extensos, variando de urna a tres
oumeras prasytas suspeosas aqui e alli osteotam
sempre enovada seiva om virantes prodigios de ve-i concertoo nos, pois tlnhamos razoes para crer que milhas, e todos parecem sumir-se aos ps das so
getacao. bavia expelientes terras naquella localidade. ; berbas montanbas que se elevara entre o Ilapemi-
Mas eram taes os obstculos qoe se oppunham a rim e 0 nabapoana ao norte, o Itabapoana e o
abertura de camiohos para alli chegar, que resol- Parahyba ao sul.
Baviera, para examinaren oo concorso i que se
vai proceder oo dia 26 deste mez, para preeochi-'
ment dos lagares vagos ae praiicant-s dessa the-
sourarta, da alfaodega e da recebedoria de rendas,
sendo o 1 em grammatca da lingua nacional, o 2
em calculo do descont, joros simples e composts e
tbeorit de cambios e suas applicacoes ao commer-
cio com especialidade a redugo de moedas, pesos
e medidas.
Dito ao mesmo.Recommendo a V. S. que es-1
tando em termos as inclusas contas e nao havendo
inconveniente, mande pagar a empreza da illomi-
nago publica de-ta capital, a qoantia de l:i?8j300
proveoienU de gaz consumido cora a illuminago
nbias a qoe se refere o aviso desta data.
Estado menor.
Tenente-coronel commandante.
Majar ou capito fiscal.
1 Al leras ajudante.
f Al
Alferes quartel-mestre.
Alteres secretario.
dos quarteis de cavallaria, da Soledade, oode esti-
verara o 4* batalho de artilharia a p e o 9* de
iofantaria, das Ciarc-Pontas, do hospital militar, I
durante os mezes de abril, maio e junho do aono
prximo passado, como se v das preditas coota.
Dito ao mesmo.Respondeodo ao offlcio qoe V.
8. me dirigi em 16 do correte, sob o. 86, tenho
a dizer que approvo a deliberago que tomou de
empreilar com Rutino Manoel da Croz Coosseiro,
pela quaotia de 2i0j>000 res, om peqoeoo e orgeo-
te coocerte de qae precisa a coberta e o traveja-:
meato do forro do edificio em que fuocciooa essa i
reparligo.
Dito ao mesmo.Recommendo a V. 8. de con-.
tormldade com o que solicitou o marechal comraan-
dante das armas, em offlcio de 17 do correte, sob
n. 229, qae mande indemaisar o commandante do j
%' batalho da guarda nacional destinado ao ser-!
vico da guerra da quaotia de 53J000 reis, por elle
despendida como se v da coota junta em duplica-
(a com a remocio da bagagem do predito batalho |
do quartel da Soledade para o do Hospicio onde se ,
achava alojado.
Estado-menor.
1 Sargento ajudaote.
1 Sargento goartel-mestre.
1 corneta-mr.
i'na. companhia.
Dito ao inspector da thesonraria provincial.-Em \ Praeat de pret do estado-menor...... jj
.i.^KiininiiiintninsniiinMitc nnrcnnip Ditas das seis comoaDhias............ oso-
vista das clausulas e orcameoto jautos por copia e
da lodosa planta em original que me remellen o
chele da repartico das obras publicas com offlcio
de 14 do correte, sob n. 51, mande V. S. por em
arrema lacio a obra do passadico do Campo Gran-
de, na Importancia de 3:500*000 res.Coaasaoni-
con-se ao ehefe da reparligo das obras psMteas.
Dito ao inspector do arsenal da martajha.R-
1 Cap tao.
1 Teoente.
1 Alferes.
1 1 sargento.
% f- ditos.
1 Farriel.
6 Cabes de esquadra.
6 Anspecadas.
80 Soldados.
2 Cornetas.
98 a>
Recapitular ao.
Offlciaes de jestado-malor............ 5
Offlciaes das seis compannias........ 18 23
-591
. Il4
Observagao.
Neste corpo nao se permitle msica, se o com-
mandante for major, deve lomear-so nm capito
(alem dos das compaohias) para exerer as tone-
cfas de fiscal.
Pertencem essas terras ao estado e houvera mis-
ter grandes esforgos para abrir alli estradas de mo-
do a torna-tas uteis.
Na manha seguinte, 17, cootiouamos na mes-
ma direcgo at a rica fazenda de caf do major
Caelano, oode fomos acolbldos em verdadeiro es-
tylo braslleiro, muila franqueza e grande liberali-
dade.
Este cavalheiro possue em grande quantidade as
melhores terras para cultivo de caf.
Ha oo seu estabelecimeoto agua sufflcieote para
dar movimento a grandes apparelhos, e espaco pa-
ra edificar urna cidade.
Vimos alli urna gruta ou especie de caveroa, oa
qual o roajor Caetano obrigra a sua gente, quando
abri a sua fazeoda.
E' urna grande funda na base de ama montanba
de granito.
Ao major Caetano devemos a bella tropa de ani-
maos com que sahtmos de Itapemirim.
Pernoitamos na soa fazenda e partimos oo dia
seguinte, 18, para Cachoeira a distancia de sete
milbas.
Cachoeira urna nova e prospera villa situada
no rio Itapemirim.
Fomos abi recebidos eordialmeute pelos Srs.
Montelro da Gama e Carvalho dous mocos nego-
ciantes e conhecidos do nosso commendador, na
provincia de-minas.
Devenios a estes senbores Fastante atteogo e
obsequios que esperantos poder aioda pagar-Ibes
em especie propria, que sao servigos idnticos.
Em minba opinlo esta villa tem proporges para
vemos dar de mo ao "negocio e desistir dessa jor-! fla manha de 14 embarcamos no pequeo vapor
nada. Por outro lado, as informages qoe poste- e desceodo o Itabapoana, alcaccamos as 3 horas a
riormente obnvemos nos convenceram qoe Grao- i villa do mesmo nome. A jornada deste dia foi
d nada mais iramos ver qae a repetigo do qoe. pB|0 |Ugar conbecido sob o nome de terras- do Je-
ha vamos Visto e examinado as cabeceiras do lata- i salta, as qoaes sao a meibor porgao para o estabe-
pemirim. lecimeoto daquelles de quem eu advogo a causa. E
No Centro demoramo-nos dois dias. A 22, depois se fosse possivel introdazi-las nesta^arte do impe-
de havermos combinado, resolvemos voltar as Duas Ti0 S0D cireumstancias favoraveis mesmo quando
Barras, no Itapemirim, onde chegamos a 30, e ti-1 0s effeitos de rima guerra cruenta ainda Ihes punge
vemos igual recepgao a' da nossa vinda. o coracao, eu humildemente creio que o beneficio
o dia seguinte resolvemos continuar para o sul sera mutuo e rpido,
pelo braco graode do Itapemirim, e chegamos ao j Os acres de trra qae hoje jaiem em abandono,
Bananal, depois sete milhas de caminbo. Ahi toroar-se-hlam origem de gaaodes readas para o
almocaraos. | estado, e vera a ser ao mesmo lempo o doce lar
As terras das Duas Barras ao Bananal sao n- (borne) d,e ura povo bravo, generoso e agrade-
cido.
Os representantes do Sol ainda nao tinbam
. tido admisso no congresso e convencidos de qae
nao tornariam assento por em quanlo, iam se reti-
rando para os seas respectivos estados.
O general Sberaao tioha visitado arabas as
cmaras do congresso e fora recebido entusisti-
camente.
O presidente Johnson communicou ao senado
que nao julgava conveniente apreseotar ao con-
gresso a correspondencia e mais documentos rela-
tivos ao estado actual dos negocios as margens do
Rio-Grande e especialmente com relaco a qual-
quer violaco de oeutralidade da parte dos ejrci-
tos que oceupam a fronteira mexicana.
qoissimas.
As roontanhas^ao menos escabrosas; as eleva-
coes menos ingremes, e os valles mais extensos.
Esta mudanga bastante aprasivel. .
DepoiV de havermos almogado, seguimos rio ci-
ma at a fazenda Bartboiomeu, onde passamos a
noite.
Na manha seguinte, 2 de dezembro, depois de
orna agrada vel jo; nada ca vallo, de tres milhas,
sobre terreno plano e deleitavel, paramos para al-
mocar em urna das mais bem organisadas fazen-
das daqnellas iramediages connecida pelo orne
de Felino de Lacerda.
O cavalheiro que nos receben era de fina educa-
cao e de espirito cultivado ; nesta fazeoda encon-
tramos o prlmeiro rebanbo de gado vaccom, em
toda a nossa jornada. E' costante' ter cada fazen-
deiro algnmas cabecas de gado ; mas nunca em
numero tal que se possa dar o nome de manada.
Na fazendaFelicio-porm, havia para mais de
duzentas cabegas, quasi em sua toialidaie, das de
meibor raga europea. m
Partimos oa manha segaiote, 3 de dezemoro.
para a villa Alegre, onde paramos, aflm de obter
nm guia que nos conduzisse OS nossa jornada que
O secretario de estado Seward andava via-
jando pelas Antilhas. Km S. Thomaz e Cuba elle
tioha sido recebido com graodes demonstraces
pelas autoridades e povo. Dorante a sua residen-
cia na primeira das ilbas mencionadas. Seward ti-
vera nma longa entrevista com o ex-presidente do
Mxico Antonio Lpez de Santa Ansa, ao qoal de-
clarara, segundo referem os joroaes americanos,
que a doutrina de Mouroe seria observada, e que de
nenhum modo os Estados-Unidos permittiriam a
permanencia do imperto do Mxico.
.As noticias qoe encontramos dos joroaes
americanos a respeilo do Mxico sio todas moito
desfavoraveis a' causa do imperador Maximiliano.
Ahi relataramos aos nossos filhos a historia do
nosso desastre, eosioando-lhes que um governo j Segundo escrevem os correspondentes do New-
para ser justo e recto ha de ser permanente e m- york Herald as finaocas imperiaes eslo no maior
mortaiet, e nao creatoras filhas do capricho e caja
elevago depeodam dos vaivens da poltica, o das
ser om dia lugar de grande importancia, situada,; enl- dev(a ,r ^ can)nbos desconhecidos
como em rio navegavel no centro do mais frtil Alegre, com eifelio um lugar de agradavel as
e vasto distcicto.
Nada Ihe falla seno ama popuiagao enrgi-
ca, qoe possa deseo volver os seus recursos e au-
menta la de ando a pod.r ser o centro do commer-
cio. '
Na Cachoeira demoramo-nos dous dias.
No terceiro, 19*, visitamos a fazenda da Santa
Tbereza, acompanhados pelo tenenie-corooel Wer-
neek.
Esta esplendida propriedade situada a 12 milhas
pouco mais ou menos ao snl da cachoeira, e se-
gando creio. a meio caminbo entro, os rios Itape-
merim c Itabapoaoa, cercada de magestoias-moo-
una?-
pecio, situado graciosamente sobre um pequeo on-
teiro no centro de fertllissimas terras.
Depois de duas horas de descaooo, seguimos o
nosso guia por altos e baixos em terreno escabroso
at que alcancaraos ama pequea fazenda chanta-
daCaf.
All passamos a noite, e seguimos cedo oa ma-
nha seguinte, atravessando terras das mais supe-
riores que haviamos visto se as tres horas demos
vista da-fazendaCachoeira Bonita, nome que
bem o marees. Neste lugar o sen proprietario, Jo-
s Francisca Furiado, homem intelligente, cons-
t'iria ama casa de grandes dlmen$5 E recebeu^
paixdes populares.
As terras de que fallo, tem nao obstante om in-
conveniente, e vera a ser o flearem expostas, pelo
lado da costa, a urna forga invasora, em caso de
guerra. ,
Isto parecer' ao pacifico povo braslleiro urna
contingencia moi remota para qoe cuide desde ja
dos meios de remove-la.
Assim nos parecera tambera ha cinco annos pas-
sados. Porm triste e bem triste experiencia nos
ensinou que grandes vantagens nos meios de ac-
cesso trazeos aompre perlgos de grandeza corres-
pondente.
Se nos fosse permittido escolber entre esta por-
gao de terras e outra de igual valpT mls distante
da accio das canhoneiras, eu cortamente prefererla
esta aquella.
Na entrada do rio Itabapoana, bem como as
soas cabeceiras, viraos, nos grandes depsitos,
muito pao rosa e outras madeiras de valor, prora-
tas para embarque. O povo desta v|a e do inte-
rior tem motivos poderosos para apreciar, como
fazera, em alto grao o commendador Figueiredo.
Os sens esforgos iocessantes para levar o vapor ao
no Itabapoana, claramente indica a sua previden-
cia, e que nao hornera que recae perante qual-
quer obstculo. ,
Na manha de 18 sef omos na direccSo sul ao
largo da costa, em bellos animaos, offerecidps pet
major Edasrdo de Oliveira, e chegamos a barra
de S. Joo na bocea do Parahyba, havendo pereor-
rido amas 25 milhas, das qoaes 20 foram mitas a
cavallo e 5 em urna grande canoa. -
Certos do qae o5o pederamos voltar a capital
CT|
embaraco, achando se todos os embregados em
atrazo, e o tbesouro completamente vaslo. Os
francezes acham-se desgostosos com o servigo mi-
litar no Mlico, e espera-se qae Napoleio abando-
ne brevemente a causa de Maximiliano. Todas
estas ooticias devem ser recebidas com malta re-
serva.
A pequea cidade de Bagdad, onde havia
urna guarnigo imperialista, cahira em poder de
nma partida de republicanos. Esta cidade acha-se
situada na roargem do Rio-Grande, qoe divide o
territorio mexicano do dos" Estados-Unidos. Cr-
se qne alguns soldados americanos tomaram parte
na empresa nocturna de Bagdad, embora na ma-
nh seguinte todos estivessem promptos a' revista
do general federal que coramanda o corpo de ob-
servagao naquellas paragens.
O prefeito do departamento de Thuxcala, no
interior do Mxico, descobrio no meio de orna
grande floresta as roioas de ama cidade edificada
e habitada pelos aborgenes muito antes da poca
de Cortes, e que prova os progressos d aquella
povo na clvillsago e as artes. A cidade de
grande extensao, cercada de um moro de pedra
de cinco jardas de grossura e dez ps de altura,
sendo todas as roas cateadas com pedra polida.
uescobrram-se manos edificios de boa architactu-
ra, entre outros um magnifico palacio que jolga-se
ter sido a residencia d'algum rei indgena, a tam-
bem se encontrarais estatuas e pintaras de man-
to, monumeotos, reservatorios, aqoeductos, canaes
e todos os attribatos de ama coodigio civilisada de
Do Amazonas e Para' nao foi ello porta*
do j arases.





''-i
. -L t> *
-., ..r v-_
*



1
Mari* e PcnuabaM Qulmia felra M Je Feverelra le 1866.
-t*
I==
_>
MLttK.
JrVISTA DIARIA
b Villa-Bella de 11 'do crrante dli'
o segoiole :
< O assassinalo atroz do delegado e juiz munici-
pal Dr. Eswvo Franca, contina a horrorfcar sea*
a populago paciflca, que elle via ama garanta da
ordera ; porm, o que mais tem Indignado a tedo
o mando escndalo cosa qoe as autoridades po-
liciaes bao procedido oestanegocio; porquanlo, ei
V Mk4 J|ilMW
fmetancolitDbs s^f &n^a%hrWs, MsJl^o-' pyem, atrophia nervosa e
tbs- tte qaarretnro TSsT3 f eguzia. que viciam os humares,
Recifeii de fe*ererp de 1846.Jos Jqv alporcas, gallico, asthma,
rf^W.IaS-ffi&*Nacitnento, etc.
UrciliaoneCMnio* WtimM Joaquina Na phthysica, chegando ao ejtndo de #*-
Manoel da Silva Mendes, Avelmo Jos Alvea vidade, o que muito pode concetre parTf
Pimenteh Jo3o LuU.de Carv4l, Bruno Go- salvado do doente e ajpdar os madcamen-
mes da Silva, Joaf Vidal de flbgreiros, Jo5o tos o ar do campo, exercicio comntente
Baptsta Alves Ferr ira, Henriquesde Castro e dieta, a qual b3o deve ser de nenhnma
Guimaraes, Pedro Ta?ares da^losta, Antonio cousa quente, u de deftcil digestSo; e a
Alves Quintal, Antonio da Costo Reg Mon- bebida cumpre que seja de nntareza branda
teiro, Trime Joaq im Mascarenhas Ramos, e frasca.
33=
.',:u
aiiflu
vex de rennireni torca para perseguir os qrimino-
sos, que a opiniio publica indigna, renete forca BeijaminErnesto Pereira da Sila, Manoel Do-;
i defender o vigario de um sppposto assaltoido ^^a^ e Sant'Aana, Jos BentO de Vas- ,
se vendem pelos mesmos da; ao contrario, alguns expositores pre-. MnUlliPliTn ni. PAR Til
^umem ser o desenvolKento.,d* ^J.....^lT|Bg|TQ DQ FOTTA
que esBpi'em.nestas cir- cao do san^ne, tajit0 que o lugar iAflamma-,1
Ibes facilito explicar os meios do qne, eotio a ana cor era encarnada, se Rio
ie devem reger, e lhes forneoe-!Jroca em.livjda.ou negra,* terna na em-gan-
icamentos gratuitamente, gremj e por essa razao que conveniente carne
Naodeixarei de advertir ao publico, que o xarope alcohlico de veame na infus5o do
as miaas preparares de vjame sao reu- flor de sabugo, para se conseguir resolver a
odas com outros ingredientes, e com elies inflammaco, ou pelo menos terminar pela
tenho obtido ptimos resultados: nao se en- supporagao, impedindo assim a gangrena.
gtoe.o mesmo publico com outros que por
ah se towHiciam, cujas preptt^efjpoio,
Todo osea alimento se ha deldirigir a assim como o aproveitameotoaos enfermos!,
..........................jnoderar a acrimonia dos huaoref e a na- a quemjprventura tenrtaaa sklnapDticadee;
aX eVcamSo^ concet o, Amando deAlbaqaerqneLrjfe do*|trir^fMtwodoente, jwa oque preciso ^J 5mres.PJndeJ)0r^e eu^affirmocom
para
urna companhia de voluntario?.
A marte do Dr. Eslevao se Huta tornado,
antes, um tacU dopnftir, .pols publica e
GuimaFae+Petxoto, Jlo oseHod.rigues. Al-' reduzi-lo aonso.de vegBtaes e bate. verdad*o qSaqui tenhoelatado, cajos-me-
s varo de Paula Nabato, Jayeaeio de almeidal Toda cotnidao bebida, que se tomar ha dicamentos nesta prowrick s vendo em mi-
notorio
Ltma, J5o Balpino Ramos, Antonio Beraldo
lt^^^*&^v* deLima Mendes' pat'nore Nnes, Ma-
Bstevio so ra'orreodo paga o qae dee. o cerie noel Otcavianno de Garvalho, Januano Soares
aoanisto'pe'o menos aeorosooo o braco assassino. Rapozo da Cmara, Joao Antonio Martin No-
li perianto, se o gowno .qner punir ^m !; raes. Claudinodo RflgoLima, Hemeterio Vi-
este assassinato, nao pode prescindir de aemiinr Aifim-ftiro
esus autoridades, jue Jacontestaremenle ou sao at 06 egreiro.
A li provincial de 3 de janbo de (665 crioa
lugar de eschvfto do crine, para servir peranie o
chefe de polica e delegado deste termo do llecife.
Se ella fol logo sanecionada pela presidencia,
comofoji nao serla de jU$a qae apoiesse-se*
concurso t
A falta d'este enmpriraento nao pode deuar de
ser notavel, pedimos por unto, a quem competir
de ser em'poucas porcOss, para evitar que nha botica na ra Direita n. 88.
Jutlus.
cmplices moraes ou legas.
Fallecen ante hootem, ao ataque de ama con-
gesio cerebral, e foi hontem iepoltado, o Jlvm. Sr.
Lourenco Corroa de S, conego honorario da ca-
pella imperial e vigario collado da fregueiia de S.
Jos desta cldade, cl 71 annos de idade.
O Rvm. vigario era natural do Aracaty, na pro-
vincia do Cear, de onde vio para Pernambdco
seguir o carso do seminario, at o anno de 1817, .ffflCllV0
em que foi chamado pjrtn'xerdto, jr Torca das quA'^K/J/ effeC,,,-
elrenmstandas a> entaij, onde pei-maneceu al-, Assim o esperamos.
gum retopo ccnpatfao at o posto de sargento, i _______ ....... ._
qoando, seodb-'hft ofereWa a patente de alteres! ,iiinu.gi > -
regeitou-a para contidaar a sua carreira religiosa.! RespoM iBSeillia.
Foi aprontado vi^alo collado na freguezia do Apreaisi o escripto do iSr. PMdkt publicado
S. Jos, lngo'p'Os a su* CreQo no aono de 1843, hontem na oitava pagina do Diarto de Pernamtntco
tendo ates ef'cido ifual cargo n provincia do na parte a que se me refere e a elle'respondendo
Cear. Oecupou tanbem por algum tempo o ira- para nao ser ingrato devo severar-He que o que
portante cafo de visitador do bispado. eu dissi sobre os diverlimentos e festa do MoriW-
Tintra s hbitos de Crlalo e di Rosa. ro tete o cunho da verdade e que parn-ser sincero
-Ante^ontem a nolte chegon oi-corpode em meas escripto. nao proclsava ser pedido oa en-
voluntarios da patria, ""? ""*& As expres/oes mentira e outra. acrimoniosas de
Flores palo jenerte-enraMl V*ro***U>de Si- J p phid enlram d9sd(J ff na
queira Gate#o comeare de t40praija,, ^ P ;preeU50dos ,, esCiipwrf, e deseis me dir
o qnartel do Hospicio. ftm Nnto
Segundo P^-"" E*iJ- T^Si ^oca'valhSe^bergoa que o ridiculo re-
provincia pretende faie-lo seguir para a corle o mm em mJobag flxpre54s serUs M re?posU
mais breve possivel. Ingenua a que Hade devo aina diteHfae qne
Q vapor Gerente sabio do Para no dia 10 do caracteres mni distiocios nao pensam assim e esta
crreme, e por isso'deve chegar ao nosso* porto ho- a mtobn d'efea- nao obstante o ofBcioso ponga-
je ou a
o excesso do chylo fresco opprima os bofes Jos da Rocha Paranko.
e accelere muito a crcnlacSo do sangue. Nazreth Jo Cabo, 7 de setembro de 1863.
Muitos doentes desta molestia se teem en- Ulna. Sr. Jos da .Rocha Paranhos.Comi|reino vegetal, como sag, farinha do Mara-
tregue ao uso do oleo de ligado de bacaltio, o maior prazer levo ac conhecimento de Vfjnbo, po turrado, bolacha, etc.
e outras prepararles de resinas e palsamos, S., que o doente que V. S. acha-se adrai- Anda nao vi expositor de medicina qne
sem que dellas tenham tirado proveito; e nistrando-Ihe re nedios, acha-se no todo res- aconsejhasse que nos primeiros tres dias de
alguns expositores de medicina combatem tabelecido, portanto, nada sent, tendo des- aceommettimentos do mal, nao %e asasse de
com muita raz5o esse tnatamento. apparecido no todo a-tosse, tem muitadispo- ftnedicatnentos ; o que elles repeHem sao os
cosame carregar o estomago do doen- sic3o comida e acha-se nutrido. Deixou ungentos, enturas que obstruem mais e
le com medicamonlos oleosos 0Balsmicos;' tomar os uttimos roaxdios que V. S. recti- repellem do que promovem a evaeuco da
porm estes em vez de tirar a esas aog- i toa no dia 30 do passado.r esta agora a V. parte ; o> qne convm trazer o lagar ata-
mentam-na, esquentando ?angue, ao mes-' S. mandar-me dizer qual a dieta que o | cado e bem agasalhado para ajudar a trans-
De Garaelerras nos commonicam o seguiole :
Na sexta-feira passada priaciptaram na capel-
lado povoado os sermSss quaresmaes, sendo ora-
dor ffpare Jos8ste*es Vianna.
O 8r. Meira Lirtia, chee desta estaoao, vendo
que os habitantes deste tugar da boro grado se
prestavam para qne e fliesse atn acto de unta
importancia e ahlidae, nao se lera poupado alim
de levar avante a aoa felit lembranc, conlinuando ,
para e.'te flm a ser cotdjovado.
Aqnfle*rtnrpfefador presu-se de boa vonta-
de a fiier conftssoes todas as sexias-teiras durante
esU qiaresma. ;
B na verdad* esle nrn servieo de grande utl-
lidade nio s para a relifiao, mas tambera para os
habiuntes deste lugar, por set oste o noico meio
de ateariyarem a pardo coractn e o socego da con-
sciencia.
Passagelros do patacho nacional Adelina, en-
trad Joj^e Oliveira Maia 9 Joaquirn Alves Guima-
JBassageiros do vapor americano Nortk Ame-
rica, viudo do Rio de Janeiro :.
rtrijacbado e ThQpWro Rangel.
Repviitkju da pomcia.
Extracto da parte do da 11 e de evereiro
de 181)6. l
Pona recolbldos casa de deleogo no da 20
do coi rente: I
A' orden do delegado da capial, Cosme Antonio
Correa, para eorreceo.
A' crdera do subdelegado do Recife, Jos, escra-
vo de Jos Francisco do Reg Mello, para cor-
A' (dem do da Capuoga, Manoel Bxeqoiel da |
Cosu, para correceao. '
O ckrfe da 4* teccao,
J. G. de Mezquita.
CUUTRIO PBUCft, OBltARIO DO DIA 19 DE
Fbverkiro db 186G.
Mariana, frica, 70 annos, escrava, Recife ; hepa-
tite chronica.
Manoel Antonio Espiodola, Pcrnamboeo, 40 anno?,
casado, Santo Antonio; colite chronica.
lermina, Pernambuco, 20 annos, escrava, Santo
Amonio; molestia no ligado.
Jos, Pernambuco, 2 e me:o annos, Roa-Vista ; co-
queluche.
I.Qzia Mara dos Prazeres, Pernambuco, 70 annos,
vlova, Boa-Vista ; gastro hepatite.
20 -
Rodolpbo, Pernambuco, 2 annos, Roa-Vista ; gas-
tro interite.
Doaatilia, Pernambuco, o annos, S. Jos ; lese
convulsa.
lleorique Pereira de MagalhSes, Pernambuco, 19,
annos, solleiro, Recife -, berysipella.
Jos, Pernambuco, 7 dias, Santo Antonio-, espasmo.
Josepha Mara de Sani'Anna, Pernambuco, 60 an-
nos, sokeira, Boa-Vista ; pbtbysica.
Aaoa, Pernarabnco, 2 mezes, S. Jos t espasmo.
a miaba dfeza nao obstante
ment de Duffon.
Est, pois, o Sr. J*i tos de Bulion, j que elle o se i osslnho mollr,
continu a suga-lo inferindo de taes mximas ou
pensaeiento o que Iheserve melhcr e nao me faca
emprestimo do que nao preciso pois tenho mais
em qne cuidar.
Adeus amigo Phidias, receba os meos affecluoso-
camprlraentos.
22 de fevereiro de 1866.
Vraxttllet.
m VIDA SALVA!


N1; toiiios conlii-cirncnlo algum de oejilium
ea-f> que Uo p>rfoitimentjU(itre d'uma m*-
iu ira a mais dura e persuasiva o poder da
fruncid Medica Robre a molestia ; qual 6eja o
dr AflMOMI JoAQrn Peue ha, da fotita,
lite liomem infeliz liaviamai d'um iiinu iue
,g.lria >s dores 8 mais atroses e pungente*
prSvcniente de
Teiiivcis Chaoas Abwtiw
Oa.effettos do xarope alcohlico de veame
applicado na flor de sabugo ao doente, nao
s de vantagem por sua qualidade diafo-
rtica, como pela ao-septiea pata impaj
a putrefaeco as molestias.
Na rysipella n9 deve o enfermo nos pri-
meiros tres das os?r de cernidas e bebi-
das que possam esquentar e inllammar o
sangue.
A comida dorante esse tempo deve ser do
Grande do Snl da?, palachp brafileiro
fdatoM, de Wl toaeladas, apio M Msnoel
' lagera 8, carga 10,0 O arrobas
RiedTjeiroril dl?fcatljKn, Ama,de
468 tonelada, capifto.Tfier, efflpagem 9,
em laatro ; a Soutbal MelloreAC.
New-Tork por Thoom e Paa*f t dia, vapor
americano iVortt Anwrica-, 2,085 toneladas,
coramandanie 1imaeran^ojnlpgem 60, carga
diversos genai; lifanrytFntsler & C.
Monlevido -* 27 das, anacen.-hespaohola Nova
Carlatq, de l20<[oneted*a, aglae Jaime Mrris-
tany, eqnipagem 12, carga 1^6 qnintaes nespa-
nhesJe caroe ; e-BaUer rGirverra,
Navios sahidos no mesmo dia.
Rio de Janeiro :e Babia vapor americano JYcrr*.
Amrica, commandante Timnerman.
Rio Grande do |[Sul-barca nacional Santa Maa,
capilao Francisco de Assts Goncalves Penna, car-
ga asquear.
Liverpool-barca ingleza Fkiating Cloud, capito
William Wylie, carga algodlo e outros gneros.
ObtervacSo.
Saspendeu do lamarao para Maranhe a barca
portugneza Oriente, capito Antonio Ribeiro Lopes,
carga a raesma que tronce de Barcelona.
dem para New York galera ingleza Laadle, ca-
pito Browne, carga a raesma qne troate de Ma-
nilha.
mo tempo que tiram o apetite, retaxam os
solilos, e sao de toda soj&e perniciosos. '
Todo que se fizer para extinguir a tosse, usar daqu a*n diaote.
doente deve conservar e por quanlos tem- pira^o e defender do ar.
pos, mencionando as comidas que devari 0 verdadejro xarope de veame vende-se
Marcionilla, Pernambuco, 20 anuos, S.
rna.
Jos ; diar-
Publicares a pedido
Despedida ao nosso collega o Sr. Francisco Jos da!
Sacramento e Silva, qne Ihe rigen os campa- J
auras iispeelore e qaarteirio da frejueiio
de Santo Antonio do Recife.
Mais u m bravo retira-se d'entre nos para o
theatro da guerra.
Levad > pelo ardente fogo do patriotismo
o Sr. Francisco Jos do Sacramento e
.Silva, deixa os commodos de unta vida tran-
quilla, familia, e amigos poli trabalho e fadi-
gas ilo combate; mostrando desta sorte um
heroico meoosprew> ao bem estar da exis-
tencia ociosa, pois qae cima d'esta existe o!
sagrado dever de cidado bra?ileiro; e corre
emdefazada patria alhajada como beliieoso
e juvenil eatbasiasmo deom verdadeiro per-'
namlracaoo.
O Sr. Francisco Jos do Sacramento e
Silva, que era para dos um le <\ companliei-
ro. estima lo ekis soperiores, e destincto pe-
las soasbasqualldades. deixa nos saudosos.
apartando-se d'esta cerporacao, na qual tSo
honrosamente exetcia su as tuncees.
Apezar de j ter militado no exercito, ej
feit gloriosa campanha da i8oi, nde pela
sua bravura foi condecorado, todavanaosei
esqaivou ao novo reclamo da patria, e ahi
vaicomo tenente daquaria companhia do 6o. (
batalhao de voluntarios desta provincia, que
o vitinascer, o onde por eepaco de 8 annos
espa'.liadns por sobro ditferenue partes de sen
(orj-o. sendo nina das quaes eifl-rv O peito do p
unir, funda e maligna cliagaJa (jual o privava
di :m untos quer do dia quer de nocte; continuada-
mi-ntc atormentado por taesf oIBicyoes e dores,
e quasi que aborrecido da ciutiauaeSo de sim-
iluantc vida, teadn posto dipute toda a fe e
ctjilLinca em niedediias, e na realidade pareca
quipara elle nao Uio restajva mais esperanza
ul irona ; afsiin pois resinado espera va coa-
ps.cif ncia o termo final de bous mutiplicadoa
6(nVlmentos, eis que milagroramente por for-
tijia sua llie receitarflo p grtmde purificado
do Einguo
A Salsapatrilha
DE BRESTOL
e mediante a sna grande emeocia oescellencia
e'le se achen dentro de pouco tempo, livre da
si:u irremediaTel estado de disespero, e a doce
c risonlia esperanza tornou dt ovo reviver
en sen coraeio; 6ob a pdderoja e benvola in-
floeneia dcsto adniiravol medicamento, as suas
rtagaa em breve piinoipiarao assumir um ca-
Mctii i'avoravel diminuindo o aspecto de sua
malignidad A massa do sangue e mais
humores do systema tornou adquirir urna
apparencia clara e saudavel, ae dores ator-
mentadoras 'outro ora o deiiarao, e ama doce
e suave tranquillidade principiou precorrer
t-)do o sen systema, restauranio-lhe a desejada
fai e socego d'ovpirito; as cbiigas urna urna
e ibrSo fechando at que finamente se cica-
trizario d'um todo, e hoje acha-se perfeita-
riente silo, gosando d'um ptrfeito estado da
asilo, depois de se ter viat > privado d'este
rnnde goso durante mais d'um anno. Elle
curante esta sua cara,, apenas fez uso de
Xkeaee garrafas da Genuiea Salsaparrilha
t Brsiol, preparada escluivaanente por
LANMAN & KEMP,
De NOVA YORK.
Recommenda-se siul particularmente aoa
Doentes d'ambos os sexoa> que empreguem
toda a cautella na escolna d'este admiravel
remedio, afija qne nao obUnliio outra com-
oaicao ^malquer, qme nao *\+ a SalaapanrU-
ha Oemiina de Brlstol, p piis prepara; Oes e imitacoe) d'esta natureza
sito falsas nio possuindo virtude alguma.
Vende-se as boticas de Caors & Barbosa
e C. Bravo 4 C.

alm do exercicio e rgimen apropriado de-
vem ser remedios de natureza acida, deter-
gente e calmante.
Os cidos possuem a virtude de produzi-
rem bons effeitos nesga enfermidade, por
que, nao s contribuem a apagar a sede
quando accommettem a febre etlica, mas
tamhem a refrescar o sangue.
Aos doentes desta enfermidade, quando o
seu estado de gravidade tal que a febre
etbica os accommette, prescrevo-lhes o su-
co de um limo dissolvido em urna chicara
d'agua com bastante assucar em um grande
copo para misturar com um papelinlio dos
pos refrigerantes para lomar, com que a-
viam no acc immetmento da febre, e pela
manhSa o xarope etherro de veame. Tenh
aconselhado, que facam uso de vegetaes de
natureza acida, como laranjas, lmo?s, pi-
tangas, ovas, etc., e applicaces de plantas
amargosas, qne fortificam o estomago e ser-
ve m ao mesmo tempo* para destruir e miti-
gar a sede.
ASra. D. Joaquina deS Barrete, tendo
ama sua escrava fallecida desta molestia, sub-
mettida ao tratamento de sea medico, resol-
vea procorar-me para tratar de um outro
escravo, que soffria da mesma enfermidade,
prescrevi-lhe o xarope de veame, tem me-
morado consideravelmente.
A senhora do Sr. Antonio Francisco Ho-
norato foi desengaada por habis mdicos
desta cidade, esleve prostrada, e nos lti-
mos paroxismos da morte, foi com o xaro-
pe de veame salva, como se v da carta
impressa no Jornal do Recife de 9 de feve-
Teiro de 1863.
0 escravo Emilio, do Sr. tenente-coronel
Rodolpho Joo Barata de Almeida, foi tam-
bera desengaado por habis mdicos, e
com o xarope de veflame acha-se completa-
mente restabelecido, como se v tambem
da carta impressa do mesmo Sr. tenente-
coronel no mesmo Jornal do Recife.
0 Sr. Atonio Christiano Fogt, Glho do
Sr. Christiano Fogt, proprietario e pstabe
lecido na cidade de Macei, o primeiro bem
conhecido nesta cidade, pois que foi empre-
gado na casa do Sr. Len Ghapcllin, retra-
tista eslabelecido na ra da Imperatriz, ac-
commettido desia molestia, foi daqui deseu-
ganado por habis mdicos: retirou-se para
a Bahia, e alli continuou em tratamento ate
que foi segunda vez desengaado pelos m-
dicos dalli, ebegando eu em Macei, um
amigo pedio-me, que o acompanhasse at a
casa do Sr. Christiano, para ver um doente
e prescrever-lhe algum remedio, encontrei
o filho em urna cama desanimado e em es-
tado d prostraclo, pois que escarrava sua-
^gue, e tinha completa inapetencia e fraque-
; za a ponto de nao se poder por em p, no
fim de urna garrafa do xarope ethereo de
veame j se achava elle no estado de pas-
I seiar em casa, desapparecida a inapetencia e
: os escarros de sangue ; e a tosse mitigados.
No fim da segunda j actiei em estado de
:faze-lo pass'ear|elo sitio todas as manhas.
Acabada esta o aconselhei, qae continuasse
no uso do mesmo xarope etberio alternado
com o xarope alcoohco de vellame, e que
usasse dos banhos salgados na pancada do
mar. Sentio elle nos primeiros^banbosal-
| guns cho |ues, mas eu o aconselhei que con-
tinuasse, cora o que se tem dado muito bem
i pois que tenho recebido cartas de Macei,
em que se me communica o sea bom estado.
j Nesta molestia os expositores de medici-
na nao aconselbam banhos salgados, apenas
quando delles tratara, dizem ser applicados
as escrophulas, hypocondria, estherismo,
amenorrhea, raethismo, etc. ; eBtretanto'vi
este bom resaltado no tilho do Sr. Cristiano,
e ontros fados iguaes tenho visto as om-
lestias sipliyliticas, e outras muitas que com
o uso do xarope alcoohco de vellame tem-se
obtido cura radical.
O Sr. Dr. Silva, medico hbil re Macei,
depois de ter applicado a um seu doente de
rheumatismo o xarope alcooli#n de vellame,
logo que elle se poz em estado de largar as
moletas, em que andava arrimado, o aconse-
lbou que continuasse com o .xarope conjuntamente com banhos sal-
gados, com qua se tem dado muito bem, e
!nm dos mdicos qae alli em Scei tem com-
: pleta conflanca as preparaces de vellame !? .
pormim taitas, pelos bons resultados que '
tem obtido em sua clnica.
na botica da^ua Direita n. 86, de Jos da
Resta-me agora agradecer a V. S. o cai-^ocha Paranhos.*
dado que tomou no tratamento do mea.so- Tenho recebido cartas de algumas pes-
brinlio, abaixo de Deus, devido o seu resta- soas de ouiras provincias que me commu-
belecimento a pericia de V. S., e por ieso nicam ter desta cidade sido reraetlido o meu
pode V. S., sempre contar com os meus ai- xarope falsificado, que- tem dalo resultado
minutos prestimos, e desejarei em todo o ao descrdito de minba preparacao, cujo co-
tempo dar urna prova do meo reconheci- nhecimentoselem verificado depois dosef-
mento. ; tekos que taes remedios apresefrtava; *as-
Desejo a Y, S. todas as venturas, por ser sim, pois, tenho a declarar ao*- publico que
de v, S. muito respeitador e ubrlgaaissimo qo letreiro que va i regado na garrafa do
criado.Francisco Bermguer Cesar de Me-
nezes. a
ATTWIO.
Xarope atehoolico de veame, preparado
pelo pbarmaceutico Jos da Rocha Paranhos,
eslabelecido com botica a ra Direita n.
88 em Pemambueo.
Este xarope incontestavelmerrte superior
a todos os xaropes depurativos, de coja
composicao osea maior ele.tent a salsa
parrilna,pois que se tem conhecido ser o
veame finis enrgico para a prompta cura
das molestias, cuja base essencialr depende
da purificarlo do sangue.; assim pois se
tem verificado .ppr muitas pessoas que se
xarope, sempre foi assignado por meu pu-
irt, e daqui em diante, alm desta assig-
natura o wrei tambem no papel que cobre
a garrafa. Rogo ao mesmo publico que
quaodo forem assim engaados, tomem tes-
temunhas, me remettam os rotlos falsifica-
dos e me participem p^ra fazer effectivo*d
artigo 167 do cdigo criminal do Brasil.
Jos riu Rocha Paranhos.
Todas as dilaces ou demoras sao
oerigosas,
Quando a enfermidade ataca os orgos da res-
piraelo, a sna marcha progressiva, terrivel e
rpida, e o doente nao deve perder urna s hora
em lancar mao do Peitoral de Anacahuita de
Kemp, qoando a tosse, as soffoeat5 achavam desetffibadas, iS quaes acbam-se e a difUeoldade do respirar anoanciam, que a
hoje restabelecidas Oom O referido xarope : enfermidade comecou deseojrotver-se e a conta-
alchoolico'de veame;.entretanto que al-1gjaorrVoafSfSStf'*** *^^C8llolares
guns, tendo usado do iarope de Curinier, j 0umaS%se7omadaem tempo eritari muitts
de Larrey, de salsa parrifta, de saponaria, dores e soffrimentos. Porm por mais formlda-
oleo de figado de bacalho, e outros agentes veis qae sejem os symptomas, por mais arraigada
desta ordem nada coosegujram. E' elle de tawterada qae se sene a. t -i j- j i i j._ i devels desesperar.
fcil dtgestabj agradavel ao paladar e ao o- 0, casos reputados como.incotaveis pelo me-
phato. Alguns mdicos desta cidade e da dicos os mata experimentados e expedentes, gao
de Macei 0 teem recommendado para a CU- 'Wvlados e corados dlanamenle, medrante o nso
_. i, deste admirare! e maravilhoso balsamo pulmonar.
1 NSo deltelS, pois, de aeodir i elfe immediatmen-
EOfflES
Impigens, tinha, escrophulas,
Tamres, ulceras, escorbuto.
Cancros, sarna degenerada, fluxo alvo.
te qae se aprsente a approxlmcao da enfermi
dade, porqaanto existe um periodo as affeccoes
pulmonares, era qne preciso infelizmente per-
Todas estas affecces'prvmde urna ca- f;" ^ '^Sr
sa interna; nio ha pois razao alguma em
crr que ellas se podem curar com remedios
externos. Tambem se prescreve o xarope
alchoolico de veame para o tratamento das
affeccoes do systema nervoso e fibroso, taes
como:
Gotta, rheumatismo, paralysia,
Dores, impotencia, esterilidade,
Marasmo, hypocondria, emmagrecimento.
O iarOpe alchoolico de veame sobre
ludo, da maior uti lidade para curar radi-
calmente, e em pouco tempo o rheuma-
tismo.
Adverte-se que o verdadeiro xarope s se
vende nesta cidade na botica acim indica-
da, do abaixo assignado; e em outra qual-
quer parte que se tem annunciado nao da
mesma composic3o, e nem o abaixo assigna-
do se responsabilisa.
Jos da Rocha Paranhos.
sa vida por meio de mal cabidas dllacdes e inuleis
demoras.
Acha-se a venda as pbarmacias de J- C. Bravo
& C e Caors Barbosa.
COMMERCIO
Quando alguem se v com tosse vai ao me-
Phthjrslca. \ dico, este o examina e declarao senhor es-
O xarope etberio de veame por mim pre- t affectado dos palmeso doente desani-
parado muito tem eproveitado aos que sof- ma com esta sentenga, entende estar sem
exerceu o lagar de inspector de quartelro frea desta molestia, e de lamentar-se, que mais cura, quaado os faclos ea experiencia
sempre com muita desunceo. n0 obtuario desta cidade s raaioria dos que teem demonstmo-que muitos tendo prooo-
Etite amigo quesos deixa hoje o 5o. que suecumbem d tubrculos pulmonares, rado o lugar apropriado, se teem salvado ;
sabe da oorporBcaodeifflspectores d'esta fre-' sem procararem o recurso do pratico e do 3 assim explicamjpuitos expositores de me-
8ae,z'^ 'experiente, que Ibes pdem encaminharo dicina.
Todos os outros, os quaes foram os Srs. mio desua savaco. I i
Fraticisco Jos da Costa capillo do 8o. cor-1 o sr. Braga com loja de ferragens na ra 0>a, nssa provincia temos facilidade ho-
po. Joo Gomes de Souza Ifffes do Direita, foi desengaado por doos habis je e recurso "do ar; por que a via frrea
mesmo corpo.Antonio Aaguto de Moraes mdicos, acha-se bom com o tratamento por nos proporciona, pois qae em pouco tempo
Novaes alferes do 1. batalhao da guarda mi prescripto. urna pessoa que xisje nesta cidade facil-
naciooal, designado.e Francisco Xavier do .4 Sra. Jeronyma Marra da ConceicSo, mo-
Atbayde inferior do i.'eorpo de voluntarios ra,tora na travessa do Monteiro n. lo, achan-
partiram como briosos fimos de Pernambuco q.^ desengaada, tambem mim recor-
re*) eacba-se wtabelecida,
Um sobriobo do
Erisipela.
O medicamento que com mais influencia
e energa tem combatido essa terrivel en
fermidade, tem sido o xarope alcohlico de
veame.
Urna escrava da mi do Sr. Francisco Fir-
mino Monteiro, pessoa bem conhecida nesta
cidade, achando-se de cama, e com as per-
nas bastarde indiadas, e cheia de tumores,
tomando o xarope de veame, acha-se hoje
boa, prestando servicos. ,
A mana do Sr. Jos Francisco Pinto, mo-
rador na ra Direita n. 51, tendo sido
accommettida do mesmo mal, acha-se tam-
bera boa.
A Sra. D. Senhorinh* Umbelina dos
Santos, moradora na uia das Calcadas n.
38, achando-se atacada ae ^rysipella as c*-
xas,.com quatro tumores bastante volrno-
sos, no estado indolente, que a privava de
pr-se de p ha muito tempo, com o uso
do xarope alcohlico de veame epi lulas pur-
gativas do mesmo, acha-ge restablecida, e
no uso dos medicamentos os tumo/es ter-
minaran! pela suppuraeao.
A Sra. D. Rite, moradora na ra de Santa
Rita n. 13, *bnmeiro andar, soffrendo do
mesmo mal ha muitos annos, pois que a ery-
si pella a taca va a m hadadamente, depois que
tem tomado esse remedio nanea mais Ihe
deu.
Outros muitos fados desta' ordem deixo
de mencionar aqui para nao me tornar pro-
PRACA DO RECICK.
Cotafcs oMelaes.
II de fevereiro.
As 3 l[2 horas da tarde.
Algodo de Pernambuco 1" sorte 17J2O0 por
arroba.
Algodo de Macei posto a bordo 170700 por
arroba.
Cambio sobre Londres 90 d/visia 27 3[4 28 e
28 l|8 d. por 1*000
Cambio sobre Paris338 rs. por franco.
Bescontos12 0|0 ao anno.
Oubonrcq Janior,
Presidente.
Siiveira
Secretario. a
Xovo banco de Pernam-
buco.
O Novo Baneo desconta letras a 12 por cento
ao anno,' toma dinheiro a praso flxo ou em conta
corrente pelo premio e conjjcSes que se conven
cioaar. e saca sobre a praca da Babia
Cala filial do banco do Brasil
ein Pernambuco.
De ordem da directora se faz pulico que o
Ibesoreiro atsu eatxa se aeha auarisado a pagar
o dividendo do semeste iodo em 31 de dezembro
protimo passado, na razo de J 25000 por aepao.
Caixa flfial do banco do Brasil lo de Janeiro
de 1866.
* O goardalivros,
Ignacio Nones Crrela.
. aLFANDEGa.
Rendimento do dia 1 a 20......
dem do dt, 21----...........
Perante a cmara municipal desta cidade es-
laraoam praca non das i#, B e*t 4a wrmite
para sereiu arrematadas.por quem por menos fizer
diversas Onra de qoe precisa o matadonro publico
da Cabanga, as quaes coDsiam de iim aco para
agua, concert do cano de esgoto doiuaf ae, repa-
ros na calcada e casa do admiatitradr, e nos
quarias e arcadas do esuaelecinwato ; todas estas
obras Toram oreadas na qaantia de 2:0664960 -.
squelles que pretenderen arremata-las podero
comparecer nos indicados das no paco municipal,
munidos de carta de Basca de pessoa 000 garanta
a arreraatapo. 0 orgarnealo de taes obras acha-
se na secretaria da mesma cmara onde pode ser
consultado.
Paco da cmara mnniciqal do Recife si de feve-
reiro de 1866.
Luiz Jos Pereira Sinoes
* Pro-presidente.
Francisco Canato da Beariageai
Secretario.
O Dr. Triso de Atoacar Arartpe, oflkial da im-
perial orden da Bosa, juiz de direita especial do
commerclo desta cidade do llecife de Pernambu-
co, sea termo, p>r Sua Magestade Imperial e
Conetitucioaal o Sr. D. Pedro II, a quem Deus
guarde ele.
Faco saber aos que o presente edital vfrem e
delle noticia tiveren, qoe por parte de Francisco
Gomes de Oliveira como testetneoteiro do finado
Henry Gibson, me foi dirigida a pette.ao do tbeor
seguinte :
Illas. Sr. Dr. jnis do commercio.Diz Francisco
Gomes de Oliveira como testamenteiro de Henry
Gibsoo, que sendo Joaqnim de Soasa Ribeiro J-
nior, devedor a casa commereial daqoelle fallecido,
da quanlia de 3:3I6310 rs., e juros de 1 i/2 por
cento ao mes, importancia de duas letras rencillas
en 26 de nato de 1861, quer o snpniteaate nter-
romper a prescripQo para cujo tira reqoer a V. S.
o admiita a justificar dita ausencia, para que seja
citado por edito?, dignando se marcar dia e bora
para iuqoirico de suas lestemnnha*. Pede a V.
S. assim {U&ra e recebera merc.Aicoforadu.
Na qual dei o seguiole despacho ; Sim, justifi-
cando a ausencia no dia 14 do corrente. depois da
aadieneie. Recife, 12 de fevereiro de 1866.Alen-
car Arsripe.
Em virtode do qual fura a mesma peticao destr i-
buida ao eserivao deste juizo Manoel Mara Rodri-
gos do Nascimeato, e qual lavroa o termo de pro-
testo do tbeor seguinte :
Termo de protesto.Aos 14 de fevereiro de 1866,
na cidade do Recife, em mea canario, sipareceo o
sapplicsote por sea bastante procurador Flix
Francisco de Souza *fagalhae>, e disse perante mim
e as lesteronnbas iafra assignadas, que rednzia a
protesto o cooteudo de sna peticao retro a qual of-
fereceu con parte do presente qae Dea sendo, e
de como assim o disse e protestoa lavrei esle termo-
no qual depois de lido se firmen cora as ditas (es-
tera uulias, e en Manoel Mara Rodrigues do as-
cimento escrivo e escrevi. Flix Francisco de Sou-
za Magalhaes, Joaqulm de Albuquerque Mello, Vi-
cente Ferrara da Silva.
E teodo o supplicaote produzido suas.iestemu-
nhas, sellados e preparados os autos, subiram a
minha eooclosao e nelles dei a sentenga do tbeor
seguinte :
Julgo procedente a justificacao, e assim mando
que o reo ausente seja citado por editos de 30 das,
para o flm requerido a folbas duas, pagas as costas
ex causa. Recife, 17 de fevereiro de 18$i.Tris-
to de Alencar Ara'ipe.
Por forca da qual o respectivo escrivo fez pas
sar o presente edital, pelo qual chamo, cito e hei
por citado b dito supplicado, para qae eompareca
neste juizo dentro do indicado praso, alim de alle-
gar o que fur de justiqa.
E para que chegue ao conhecimento de todos
mandei passar o prsenle que sera publicado pela
imprensa e afBxado nos lugares do costme.
Recife, 20 de evereiro de 1866.
En Manoel Mara Rodrigues do Niscimento, es-
crivo o subscrevi.
Trislo de Alentar Arante.
O Dr. frislao de Alencar Araripe, oficial da im-
perial ordem da Rosa e juiz especial do commer-
cio nesta cidade do Recife de Peroarobuco, por
s. M. o Imperador, etc.
Faco saber aos qae o presente edital vlrem e
delle noticia liverem qoe por este juizo pendem
uns autos de execuco de sentenca do barao do Li-
vramento contra Fr. Jorge de Sania Anaa Locio e
outros frades do convento de Nossa Senhora do
Csrmo desta cidade. E teodo-se Wto penhora nos
alugneis de diversos predios perteneentes aos mes-
mos executados, lora pelo solicitador Macario de-
Lona Freir, procurador do exequenle, feto o re-
quenmento do seguinte termo :
Aos 18 de dezembro de 1865, na cidade do Re-
cife, em publica audiencia que aos feitos e partes
32:550 J890
469:127*734
MOVIMErITO DA ALFADEG2A.
Volumes entrad** eom fasendas----- 2-33
c con gneros..... 264
Volumes sahidos cem fazendas.'.... 214
c com gneros'..... 471
497
685
e b-
Desearregam hoje 22 do fevereiro.
Barca ingleza^-AMjtMlinafarinha de trigo
calbo.
Brigne InflesSuawn-dem.
Barca wglez*rfli>ra*>f^farmha de trigo e fa-
rello.
Patacho nacional JotnSo fsrlnba de trlgo^e
mais gneros.
Barca portuguesa Constante III diversos g-
neros.
Barca portugnezaSeguranca diversos gneros.
Brigue portuguez Unidodem.
Brigae bespanholMarta Rosb dem.
Brigue nacionalFluminense dem.
Brigne argentinoVolantedem.
aatacho portoguezJosidem.
PBrcanaciooalGuarahindem.
Sumaca argentinaJYopa Nympha do Praf-idem-
para os campos do Sal do imperio.
Por esus provas da patritica ded oaco a
colligaco dis iospedorea, d'wta fregoatia
toma-se difaade considaracito i
bem goverpam a nossa provine
Receba pois o nosso amifjo o Sr. Sacra-
Sr. frofessor aeNaza
r<(!b do Cjbo, iein-M bem, con sa* t de
Bpb abaixo transerip;a, alm de antros
fantoav que poderi aqui loeocionar.
A phtaysiea a dwtrtii meato ejSilva, estas expreasoa* eni ipdas ( ^q C0rp04 m eop^jaojcia de cbagas,
com os adeases da despedida, qae Iba eonio t toberealos e codctcc5o los bofes e de e
Sendo a erysipella urna molestia que sem
duvida effeito de materia gerada no corpo Escuna jngtezsOroc/carvo
como expoem algans eecripto>es de medici-1 Paiac iue-
na, e em consequencia da febre lancada
na pelle, onde produz inilammaco, e que
muitas pessoas, por nao se terem conve-
nientemente tratado, suecumbem com o
pernicioso nso de que, nos tres dias nao de-
vem usar de remedio algum, o que faz-se
estender o mal por nao se ter a principio
combatido ; por isso, pois, conveniente
que, logo que alguem sa sentir atacado de
tal mal, deve provocar a transpirado toman-
do ao principie urna clherinha de cha do
xarope alcohlico de veame dissolvido ejn
chicara de infusSo
436'176A844 puuiua aumeucia que a' leuus o parir
^kktiaWi dava Dr- JQ'Z de direlto especisl do commercio,
Tristao de Alencar Araripe, nella pelo solicitador
Macario de Luna Freir, procurador do exequenle,
[ora acensada a penhora feta nos alugueis de di-
versos predios perteneentes aos exeeatados, e re-
querido que Qeasfera assianados ee seis dias da lei
e des aos credores incertos, passando-se os edilses
respectivos; o qne onvido pelo jaj bouve a' pe-
nhora por falla e aecusada, os seis e os dez das
por assignados na forma requerida, depois de man-
dar apregoar pelo porteiro dos auditorios, qae o
fez na forma do estylo; do que flz o prsenle ex-
trabido de protocolo das audiencias a qne jonlet o
mandado, termo de penhora e procurado bastante
qoe segu.
Ko^eeandioo-Eliodoro da Cunha, escrevenle ju-
ramentado o escrevi.
Ea Manoel Maria Rodrigues do Nascimento, es-
crivo o snbscrevi.
Por forca de mea despacho o referido escrivo
fez passar o presente edital, pelo qual chamo, cilo e
hei por intimados os credores ioeerlos dos ditos
executados, para qua comparecam neste jnlzo den-
tro do dito prazo, munidos de seas documentos,
alim de allegarem o qne for de justics.
E para que chage ao conhecimento de todos man-
dei passar o presente que sera' publicado pela im-
prensa e afiliado nos lugares do costme.
Tsto de Alencar Araripe
Recife 20 de dezembro de 1865. fin Manoel
Mari* Rodrignes do Naacment asertv o sub-
screvi.
Importadlo.
Patacho nacional Adelina, entrado do Rio Gran-
de do Sol, consignado a Maia & Espirito Santo,
manifstou o seguinte:
10,300 srrobas de carne secca, 544 ditas de sebo
em pes, 82 ditas de dito effi bexlgas, 101 barricas
com 642 arrobas de sebo coado, 50 couros vaceuns
de refugo, e 3 fardos-cora 16 arrobas de fumo.
nma chicara de infusao de flor de sah-
mente se t ausporta para as ultimas estaeoes gueiro quente, adocaddo-a com mais ssu- rkqebedoria de rendas internas GR
de Gameleira e Una, lugares petto do Roni- car, continuando* nos tres dias nasse tratad raes de pernambuco.
to e de outros pontos que sao considerados tamento, no fim dos quaes usara' do xaro- Rendimento do dia 1 a O...... 26:6i768t
j nSo sSo mos, segundo pens, priaeipai- taarw, tendo todo o cuidado de se abalar,
mente no verfo. iflm de soar cdnver.lentemente, alem de
Mas dr-se-ba-urna pessoa pobre nio lex conservar o ventre corrente, que conseguir
matos de se trasportar a alli estar-a isso tomando urna ou daas plalas purgativas do
se reaponde, qoe naquaHes logare existem mesmo veame.
casas vasias e alugam-se por prec commo- Todos quanlos suecumbem desta moles-
do, e mejmo muitos genero* de primira ta se diz :falleceu de1: erysipella recolhi-
28:083^494
CONSULADO PROVINCIAL.
!UdiBentodo*alalO....... "H3&??;*
Man do dia 21............... 4:43*4fift
DECLARACOES
[pE
'! ...
O capito commandante da compa-
nhia provisoria de polica abaixo assignado
convida aos cidadSos que se queira enga-
jar no servieo da mesma companhia','a que
comparecun no respectivo quartel em to-
dos os dias uteis, das 9 horas da manhaa
por diaote. Quartet da companhia previ-
soria de porlfa O jto f vereiro de t86r>.
de Franca Mello Jnior.




V











Slta LaM i. >e> |CtTa tja cajll afreBUUCi0 procedida
di Ka*, i fe IwMBtanq^ no fallecido aja Fetreira _-|
A Illn* rata ad*talMrajtlvt da Sania Casa de Ft-MaWaVfeaalcIpal U RecRe.
Mismwdftdo rtdfcm*ttda tazar publico que ~S^uA^^v5S*tk-
Tsassira arre f^EH' $ Sr S?&
de roseara na base a raorrar aterre de 4$ palmos de largara a lado do caes :
os preieadestes devem a#reseiar soas propostas
era cartas lechadas, ealeideode -se quante aos es
clareeiaaentos de qae precisaron!, oc-oa os seahores
mordomos, eaearrefadot dea predios, teneaMe-co-
ronel Justino 1'ereM-a de Faria e Aatfeaie Bames.
Secretaria da Saata Cas de Misericordia defte-
cif.j H5 de f?erelro de 1866.
O oEBcial,
Manoei Antonio Viegas.
leara-
#866.
6.
Coattdorla de fevereiro d
Ct*oi
CaetaneySilfert* daIH.
ArremaJiaow)-
Fiada a aoflaocia do dh*8 do carrate da-pro
edorta dos residuos, escrtjWo Vissoncellos, ser*
rreamado per venda, anjuem raais tier, urna-
asa tema cor sotao o. Ha a Capan, tragae-
iadaYBoa-Vlsta, faiendo fROtff-rfJsqaiH para a
iaa da Ventar*.*oitao partt roa dar Penara-
liucao**, cora^aaellas nf 4rtsMt, 3s **" Ae
Jaiz ios feitos da fazeoda.
Na omnta-feiralz do correcto, perante o Illm. ugiuaTe 70 Ciando, com portal uo oito.l sa-
Sr. Dr. tais dos feitos, pelas 11 hars da raanha, jaS| gabinete* ao lado, 4- iruafUn costina lora,
se vecdarao era praca publica, na sala das audien- quinta murado, com 130 puma de comprifflento
cus, es segulntes bens penhorados ao thesoareiro 42 da largor*; com cacitfaa proptia, casa para
da alf.iodega, Joaqalm Jos de Miranda, para pa- lianhos com almas aworefl* e cofa urna entrada
pelo ontro oitio de 1# pal o5 de largura, estando
500*000 o sotiO travejsv, seaflo o terrena froprte, awe.Ua-
305000 <|a porl:06 A q*l casa peaieace a4esUmen-, excel|ent8 ,*. de jsBmoda, 1 m
tana dos finadas Fradeisco Xavier de W_e J< ta*em de jaaaraod com 1 sof, l mesa, 2
524000 mulher Marta dos Santos Gama, e vai a prac. a A
8*000 dita cas a requerimento do resplllvo teslameo* laD50t ls ^ guartrtto, i-raides espetos cora
Aguia leaaoa roa do Quei-
ad n. 8.
PtlomRinn) vapor ebegou de Paria cha-
peos pira menina do mas apurado gosto.
farFama: ruu do Qto-
Receben pelo ultimo vapor chegado de
cfteres de p'ru,pallteiro"e o'atros muittis artlgos parjs chapeos para menina do ultimo gosto.
un dfl
Ruada Cadeia na ajero c
Bartles farlittd por co Km Si Ime-
ridb F. 3. em ata arraasem a na da 'Cadeia n. 8,
dedivefsos raoret, apparelhos pwrlalmoco e jan-
tafaUnteroas, jarros, reloglos, eaJBtieiros a- gaz
TaatOSTlMff0S
teiro.
30*000
29*000 =sa
25*000
15*000 -----
^ilooo CompDhia de piquetes a* vapor eilre
osEeUfos-uias ti Brasil.
At o da- 22
do correte es
pera-se d New-
York por S.The-
maz e Para' o
vapor americano
North Amrica,
o qaal depois da
demora do ewt
tome 86gnir'' otra os port do sol.
Para frete>epassagens aola-secom os agentes
Henry Forster C, roa do Trapichei_n. 8._____^
150*000
1,500*000
1,400*000
700*000
500SO00
150>000
1,000*000
1,000*900
600*900
400*000
72*480
75*840
56*640
COMBANHIA PERNAMBUCANA
DE
Nayegagao costeira #or Tapar.
Maeoi escalas e PeBedo.
Segae no dia-Mai 5 hora da
tarde o vapor Parchpba,
be carga at o dia 27
raendas, passagens e dinheiro i
__________[rete at as 3 horas da tarde do
iia da sabida : no escriptono da cjinpanhia For-
te do Matos n. 1.________________.ai .
Gompaahia Pei'uambiicaaa
DE
gamento do sea alcance.
1 Piaa (raacez, avahado por...
1 sola da a&gico, avallado por
13 caileiras de Jacaranda, avahad s
por..........................
3 das dediloarrumadas......
I par de bancas de Goncalo Al-
ves, por......................
1 diio de ditas de dito...........
1 banca redonda com pedra por..
1 guarda looca di araarello, por..
1 aparador de dito, por..........
1 mocho para piano, por........
1 escravo de noraa Simplicio, de
nagao, 60 annos, reudido.......
1 Jilo de nbBie Manoel, crilo, mi r-
ciueiro, 24 anuos...............
i dito de noaie Joao, pardo !4 ao-
nos, marcineiro...............
1 dito de oome Claadioo, pardo, 18
anuos, sapateiro............... 1,200*000
1 dito de nome Paolo, crioulo, 14
annos, aprendiz de sapateiro. ..
i dito de nome Manoei Coelhu, cri-
oulo, 11 annos.................
1 escrava de nome Genoveva, de
nagao, 50 annos, cozinheir, que-
brada de umbigo...........
1 dita de nome Henriqaeta, cabra
20 annos, costuraira...........
1 dita de nome Mara, cabra, 18 an-
uos cnstureira e engoramadeira..
1 dita de nome Gulltiermina,cnoa-
la, 11 annos...................
1 dita de nome Alexandrlna, crioo-
la, 8 annos................ -
1 par de casticaes de prata com 302
oitavas 240 res...............
1 dito de dita com 316 oitavas i
2'iOreis......................
1 diio Je ditos com anglicas con
236 oitavas a 240 reis..........
1 Dito de ditos com 2U4 oilava.-, a
2'iOrcis......................
i si.lva de dita com renda, para 3
copos, com 139 oitavas a 240 rs.
1 d>ia de dita para nm copo, coa
71 oitavas a 240 reis...........
12 c Hieres de dita para sopa, com
212 oitavas, a 240 reis........
12 ditas de dita para cha, com 55
o tavas a 240 res..............
1 taboleiro de dita com 1,760 oita-
vas, a 240 reis...............
1 transelim deourocom 14oitavas,
a4*00l)......................
i relogio de ouro, patente Ingles..
A | arte do engeoho do Bruna, ava-
hado por 70,000*, e que loe (o-
V'.iii em inventario...........
1 suio na estrada nova, entrada
r:o Cachaog, conaecido por lia-
na Thereza, com coqueiros, man-
Ktieiras e jaqueiras............
1 .tirado de 3 andares, na ra das
Crnzes de S, Antonio n.* 30....
1 dito de um andar, no caes A A-
(...to n. 37................... 30,000*0)
R.fCiff, 12 de feveroiro de 1000.
O solicitador.
F. X. Ptrnra de Bnto.___
"Ciipitaaia do porto de PerBwabuc, 20 de
fevereiro de 18156.
O lllm. Sr. capillo do porto, raaoda publicar era Para LjsDoa pretende sahir com brevidade o
virtn le de ordem de S. Exc. o Sr. conselbeiro pro- paIacna portuguez JOS' por ter parte da carga
sidente da provincia, o aviso circolar de 10 de tralada e para 0 resto que Ihes alu trat-se com o
janeiro ulumo, em qae o Exm. Sr. ministro da consignatario Joaquim Jos Goncalves Beltrao, na
a'rir.ultura, commercio e obras publicas, comma- rua do Vigario n. 17. primeiro aadar
nioaado a existencia de urna eMaco telegraphica
no r.ano-frio, declara ao raesrao lempo o raddo ,
porfe devem os navios PnpgmM **\ Sahira'nestes poocos dias abarca porlugueza
communicar-se com a mesma estacao, e no ca.o cCon&Uala y. ler pr0mpto qaasi ledo o sea
de cerracao oa noute cora a Pona-negra ou a carr ameDl0f para 0 restaate e passageiros tra
Sata Cruz. ....._. ___' n-se cora Manoei Ignacio de Ollveira & Filtto, lar-
de casa.
Na mesma occasiao vfodera' pelo maior praco
am sortimaaaa 4e ioias de ouro de lei cola podras
Anas e bnltjfel.________________.
LEIUO
De parte do earregameoto de cha- avadado
por occeaio do naufragio da barca ame-
ricana Lucy E. Aihbey.i
SAUBADO 24 DB *EVEREinO.
Por intervenco do agiMMi Pinto.
Natmazem alfaafai do baraodovramen-
to ca a> Ayallo. ____________ ,
Importante teiko- de
mmeis a saber:
solos com pedra, 1 eadeiras de brsoos, 4
mobilia
con-
de ba-
Xarega?5o cosclra por
40*800 faraba, Natal, Mao^ Aracaty,
Ceara'
e Acarac.
O-vapor Mamanguape, com-
maniaate Ralis, satura' para os
porto cima-indicados no dia 28
do correle-ai of horas da tarde.
_________Recebe carga sement at o dia
S7, encommendasedlnoairo a frete at as 2 horas
7*200 da tarde do dia da sabida : escriptorio no Forte
io Matos n. 1. _______
Para a ffha C Jgnel.
33*360
17*040
S0;880
422*400
___doras d jacaraad, reos Madres ora Onas
gravuraa, 9 lionas para (LortioaSos, jarros de crys-
tl, 1 costaiera eora musiea, 6'casticaes e man-
g"3fri sof com 7 eadeiras estofadas, tapetes, 1
esioha de charao, 1 toilet-, 2 eaodieiros a faz, 1
incador, 1 guarda roupa, 1 cama Iranceza, 2 di-
tas d amarello, 1 dita para crianga, 1 commoda
de jaearandi, 1 dita de mBknocb.o pedra, 1 lava-
. torio de pedra marmore, 2 esperos grandes, 1 car-
rinho para menino,.lrnia.elalica, 1 guarda loo-
ca, 1 appjrador, 12 defhts de amarello-, 2 guar-
da comidas, 1 porta licor, quartmlias, loura, vi-
dros e mallos outros objectos.
Uo-aarro de 4 redas cd& coberta:
Seguuda-felra 2o d fevereiro.
Na Passatam dt Mafdatau.
Kmile* WildrtOndo-de reiirar-*e para Earopa fa-
#a' leilo por axerveaco do agente Pinto de to-
dos os movis da casa de sua residencia na Passa-
gem i Magdaitoa, terceira depois da casa do ba-
rao do Livrameato, ae 10 1|2 horas em pomo do
dia cima dito; O mnibus ai 10 hor?s em ponte
partir' da prafia do comaiercio em frente a ma-
tr do Gorpo Santo, am mnibus 'qae servir' de
transportar os concrrentos ao eilo da Pa^sagem
d'dnde voltara' as 2*I]2 horas d tarde.
LtlU
De trastes e outros uiuibs objectos.
Sem limites ao cafter do martello por conts
de dirersos.
Terca-fera87 tft co*>ent- as: 11 horas.
NO-GRA1)E \RM4gE*,D'>*r,Bj!TE,
OLYMPIO
Novidades.
Na Aguii branca roa do Qaetmalo n. 8 rece-
ben diversea objectos de rauitog jsw e iolelraraen-
U novos, sendo:
Bonitos e delicados pentw dooTados e pirateados,
tendo entre elles alguus de filigrana obra mai per-
feita e da elevado gosto. *
Ditos com cbapa de raadrepefola.
Brincos de filigrana e oofras qualidadea.
PiveWaa de dita e fluirs taubem da diversas
qulldads.
Cintos mu bonitos, entercados em toda a exten-
cao com caracteres dourados e pratcado?.
Filis eafeitios com moedtobas douradase lan-
tejoilas, aljofares & &, sendo para coque, e toda a
cabeca, e otMros eoo.plumas 4
Bonitas vultai de jaspt coa crazas, tendo tara
bem algumas de daas cores.
Lm-as e metas
de laa vegetal, para quem-solre de frialdade, pa-
rales y a etc. Vodm-se na roa do Queimado toja
d'Agnra bVaoca n. 8.
Baiidoline de roza
para segurar oa conservar perfeitamente atado os
cabellos das seohorai, Vende-se oa rua do Quei-
mado loja d'Aguia O/a ac, a 1*000 o frasco.
Enfeites pretos para vestidos
A Agoia branca receben novos enfeites pretos
para v*|ld >s, sendo bicos com vidnlhos e sera
elles, iraocas com pendentes de vidrilhos e sem
elles, cordo grosso tambera com vidrilhos e sem
elles; asslm como gal8es e franjas de diversas lar-
garas, fitas de velludo etc. como semare os bons
fregoeies encontrarse coram )diJade d precos as
objectos que se veodera na loja d'Aguia branca roa
do Queimado n. 8.
Botes de vidro
cora enfeites d'aco no centro.
Esses boioes que tanto servem para melhor se
poder enfeltar um bom vestido preto oa de cor,
acho se a venda na roa do Queimado loja d'Agoia
branca n. 8. ___________
Aspas fortes para boles.
Na rua do Queimado loja de miudezas n. 16, ven-
de-se aspas de ac fortes, e de diferentes larguras
para baldes.
Bonitos qutdros para retratos.
Veodem-se oa roa do Queimado loja de miade-
zas n. 16, bonitos qoadros con mordura preta e
dourada, todos por precos rasoaveis.
Garrafas brancas
e de cores cora superior agaa da colonia.
Vendem se na rua do Queimado, loja de miade
as u. 16.
Novo gosto
Peales, Pivellas, e bnoeo> de feligrana.
A antiga e bem connucida loja u. 16 oa rua do
Queimado, recbeu um sorlimeuto de diversos ob-
jectos de novo e o.u goslo, seudo pentes biaocos e
PH0T0GR4PUIA
artstica americana
RUA DO IMPERADOR N. 38.
4M,Ai5nMEn--45
A primeira condifo indtSpensavel cott-
servacSo d ade trazer os pS bm de-
fendidos contra os ataques da huraidade;
d1$o bom e seguro o uuico preserva-
tivo desasa mil enfeimidade a qoe est su-
jeito o nossoeu Um chnelo velho^al-
fado por um dandy patficnl, o urna
botina aeatcarmada eiu [jequenino p de en-
cantadora deidcTe ale'm de acxusar que-
bradera borripiKht, pr0ti6rtfraas ficul-
dades intellecj.uae dos calantes, e n5o ha
qoem, tendo bom senso, queira paaaappor
maluco, oa pobre de1 surti : ergo, cor-
ran) a:
-RUAffiftlTA-*'*..
e attendam a' barateia.
Homens.
Boraeguins parisienses de bezer-
e cordado ..
D.tos de Borde**'.....
Ditos barcetfonezes de lustre e
de porco. .'.,...
Sapatoes de Nantes d6 duas ba-
teras rasas ......
Sapatos de lona, sola d borra-
cha.....; ". .
D.tos aveludados.....
Dita, de tranca bB a
80000
70000
Senior*
60000
5Q00
20000
10600
\ 10OO
50000
40800
Artista americano
Artista americano.
Aciist-i americano.
Artista americano.
RetratosRetratosRetratos.
Em porcelanaNiepgotypie.
Em lencosArchrotypie.
.Em vidroAmbrotypie.
Em metal=Daguerreotypie.
Em r^ipetTadbotypie.
No grande salao da naa o Imperador n. 38
No grand8 sal3a da roa do Imperador n. 38 Bortgnins enfeitados.
Neste estabeleciffijnto tiram-se retratos Ditos de lco .
em todos os systemas,.com asseioe promp- Ditos lisos......, 40500
tid5o, desde as nore horas da manbaa Sapatos de borracha 10iOO
at as cinco da tarde ; assim como tem: Seletros-, corrieir(s e segeij-os t
sempre a venda grande sortimento de cai- Sola de lustre, tuetos arandee 200000
xas finas de diversa* formas. Quadrosi E um completo sortiment' de calcado fa-
ovaes Passepartouts e todos os mais ob- briendo no paiz.
jectos e productos chmeos, relativos a ar- [
te e recebidos ltimamente dos raelhores
fornecedores de PARS e Nova York, tendo
de todo, para todos es gostos e para todos
os precos.
Saino da rua do Imperador n. 38.
Sata o dt roa do imperador n. 38.
Retalha-se om sitio era Beberibede biixo, na
estrada qae entra para o Pundo, com muito boas!
trras de plantaco, muitas arvores de fraejo, ama
oascente d'agua dentro do sitio, que reg o mesmo i
pelo meio, grande baixa para qaalquer obra que
se queira fazer, tambemse vende por ioteiro e por
prego commodo avista das vantagens qoe se offe-
rece, tornando-se Bailo perlo desta praga com as
novas estradas que esli em audamenlo ; o sitio
tem de comprimento 1,200 palmos, e no mesmo se
vendem purgantes de jaracatiar, nico remed i
para ferida.
48 Prac tl Joiaa-nierci 48 gradaveis, leudo entre elles alguns de ligrana obra
O agente aqima pede aps 3nos dos objectos de mailo gosto edetloil exoeugao, e bera assm fi-
xistente em sea a^emera qtw nao quierem su- vellas e brincos oa? mismas circomstaacias.
Jeitar-se-a veode-los pelo.maior.preg oMido, o ob- Tambera recebea alguns cintos o que de mais
moderno e bonito, se pole encontrar em tal genero. I
Aloga-stfo Io aodar de sobrado o. 12 da roa
estreita do Rosario, desejaodo-se escriptorio on em
doarados de molJe eoteirameote novos e mal a- falta familia : a tratar na rua do Cabuga o. 7, !
seqaric derelirar at a vespcrM^ 'OHp.
aadar.
AMA
AVISOS DIVERSOS
^fixnnn ^ esperado a cada momento do R de Jaoeiro
iftftfwS o patacho portaguet Fernandez, o qoal lera nesta
iiwjouu cjdade apflnas ^ denwra de 10 $\f recebe carga listuto Afeaeolajic c fieegraphia Peraam
a frete por preao roaito coawuodo : trau-se com bucaao.
9 141*925 "^ seas consignatarios Aatoaio Lah de Oliveira F ^ lendo ^^ haver geit ^ jj 45 dp cor-
' Azevedo & C, no sea eserlatcfw raa da CraZ nu- feDW feytreir(}j Corae fura annupendo, de novo se
mero 1. __1 _
gooyooo.
Ilhade H. Miguel
Sahe no da 21 do correte a escuna poriugue-
1 za Erna : trata-se com o consignatario Joe do
20,000$000 Reg Lima na rua *le Apollo n. 4.-
Par-n. f.ishna
'segucom maita brevidade o brigue portagaez
Flonnda, qae recebe carga a frete : a tratar no
escrip.orio de Araorim rtelos, roa da Cruz n. ,
' ou com ocapito Joaquim Augusto deSooi. 1
praca do commercio.
reiro,
movida a todos os socios do InflilfS para se reu
Precisa-se de ama ama : na roa Direita, oltimo
Aleo disso encontrarao os pretndanles am com- \ sobrado do |a(j0direito no fuodo da igreja do Ter-
pleto sortimento de 11 vellas de madreperola. chns- ada rua d9 Agaas.veraes. ^_^_
: tal, tartaruga, e doarados, brincos de christal, e '----------Kz-------
jaspe, voltas e crazes de dito e amitos outros objec- .Jir *, oct, r,M me
tos^gosto, os quaes cootino-se a vender commo-1 Jto*& ^e^'T ffzeSs ^^^do
Penantes de madreperola e *Aj* 8^^^ ^T **
A loja da miudezas na rua do Queimado n. lo, "-------,-------------\.it,min'i- --------~-----------
recebeu bonitos pentes cbm cbapa de madreperola, MLDAJN^A
e novos eofeils (Hets ornados de aritejoilas ou-! O agente Olympio traosfeno seo frmazera ae
e pequeos para coque,. tiveram os Srs. Moonard & C.
Precisase de nm cozinheiro oo cozlnheira:
m usambiVno dw 2 do crreme, as 11 radas, raoedinhas, aljofares, vidrilhos etc., tendo leudes para a praca do commercio n. 48, aonde es-
otra* da manhi, aftm de se proceitur aeleijo da grandes para toda cabeg e peqoenos
raesa administrativa e das respectivas corami qoe bao de servir de 186H867, e para se discutir B nitas caixinfis na roa do Imperador n. 17. 2 andar,
e saacciaoaroorc.araeulo do raasmo anno, era^con- cora arranjos donrados paya J costura, teodo com
formidade do que (Hepoem. os arjigos 19 e 27 dos ; raUsi,.as e sem elfas. Vemlera-se na rua do Quei-.
"'secretaria do Instituto Archeologicoe Geogra- Trangas pretas
pbico Fernarabocao}) 19 de fevereiro de 1800. C0(J) vi,1,u,O) e bicos cora ditos e sem elles para
J. Soares de Azevedo, entejes ou veMidos.
Queimado n. U$ loja de naiudexas a-
Secretrio perpetuo.
Para Lisboa
(I..-nilar.Directora das obraspublieas.2* sec- -- --
ao.-Ria de J^oeiro.-Mioisterio dos negocios da fo.jyJBl
i 1, oa com o
-----
Ei de Jaadr...
agri^nura.coraoerc.o e obras pablicas, ira 10 de capitao oa praca.
Janeiro de 1866Illm e Eim. Sr.-Communico a
V 'V.\r oara oue ac publicar nessa provincia,
ar, de'.raegar'ao-coohec.meoto dos donos oa con- Palente Viaaaa & C. "WjtreoJ, ,te Janei-
8ignairos dos navios .jos no Cabo-Crio enste orna ro^avista oa a prazo, qjalqtier qaanilx
siaeaj telegraphica para a qaal, aqoelles qae
1.
2."
3.*
4."
f
(
traar
deir.andarem a barra do Rio de Jaoeiro, devem
orrecer as ioforma^oes seguales :
A saber
O nome do navio;
A soa procedencia ;
Os das de viag'in :
A carga que traz;
O nome d) consignatario
. As noticias naaritimas oo comraerciaes.
:ora a declaraeio de qoe ta*es InformacSes serao
,_a-inittidas pof mel de signaosMaryalb-a
ref-nda estacao, e quando os nanos nao poaaam
cora ella por causa da ooote ou de cerrado no
mar o deven Tazar para a Poeta-Negra oa para
Sania-Croi em quaoto esUverem Itfra da barra,
conprindo admitlir que os navios procedentes dos
porVM do gol, devem traasroitur as coramuoica-
{& exigidas para o telegrapho da barra, ou Baby-
ionia. logo que se possam correspoader con taes
iSlacoes. .
Deas guarde a V. Exc.-Dr. AoWBio Francisco-
de Pmia Soasa.Sr. presidenie da provincia de
Pernarabuco. _.
CaiBtfrase.-Palacio do governo de Perr
Para o Ro deJaaeiro
vai sahir^ettpoucosdias abrigue Alaid* por ter
a raaior parte do. oarreameo*o tratada, e,nara e
resto que Ihe fattae eaojaves a frei, trata ye com
o cansigoatario Joaqaira hm Geacalves Beltrao,
na rua do Vigarle ft. 47, priaaeiro aadar.
\0 PUBLICO.
A abaixo asslgnada jola conveniente decla-
rar qae nao se responsabilisa por quantia alguraa
oo valores de qaaesquer objectos que em seu no^
rae algoem possa tomar, qur por emprestiroo,
rr por compra em quatquer estibelecimeoto
iia cidade, ou pessoas de sna araizade, e pro-
testa nao pagar laes dbitos, para os qaaes nao
concorrea.-Feppa Joaquina- Cayalcao do Reg
turros._____
Predenco Aogu6to "RajJoo fla Gamafa ret-
ra-se aajEutopaT ^ .
"^"Emilio Wild, cid'do suiss.0, e sua railia,
retram-s'e papa EirVeaa.___
Manoei afani Tarares reira^se para %iropa.
KanoetJoaqojm fluo.es Belro rera as para
Tora d.9^ imperio.......
Qum precisar de om criado e bom Copeiro
J;-- Alliga-M o*p?Vrn?rroJa1ar"u,'lourauu ua 1 ua
da Senzala Velha d. 48 : arralar na Joia. do_ f
mesmo.
VERDADEIRO LE ROY
de SIGNORET, Doctatar-Mdecin
Ru de Seine, 51, PARIA.
i
Em cada garrafa, Tal, entre a ratita e o papel azul
que leva o meu tinete, um rotulo Impresso in ~~
pello com o Sello Imperial do ovirno fiuxcez.
N. A Remetindole urna lettra de 400 francos
sobre Pars, acellarel 60 4laa de vista, o raaximo
toza-ie do abalimeilo e do autor dacoat.
Depoiit principal
lo legitimo Le Roy
em Caza do nos
mico agente peto
Rrazil a Sita A im-
ito Frikc : de La-
cebd* na Babbt
no* prinelpat phar-
maceutcoi.
lEILfilS.
Na rua d. v
charo os prtteodentes um bello sortimento aos
objectos cima.ditos, cascafrilAa*, franjas etc. etc
e ludo esta sedo vendido por presos commodos.
Bot3s pretos
de vidro eafeltados d'a$o. .
A loja do miudezas n. 16 ra* do Queinjado
vende raui bonitos boiSes pretos de vidro com en-
feites de 350, os quaes muito se uzam para eofciwr
vestidos, qoem os preleoder pode di*t*l*-8e a dita
toja d. 10 a ruado Queimado._____________
Purtararaidoeogeoho Tetra Preta^ do major
Alexandre Correa de Crasto, e nwodaram para o
Recite os escravos seguintes .
Julio, crioulo, gross, com falla de um aenie
na frente, cabeca redonda, tem o dedo pollegar
de uraa das maos cabido para dentro, por ter
1 levado ura talbo, bera beito de ps e peroas, taya
buoi.
Joo, conhecido por Joao peroa, secco, alto, com
I barba, deec'aroad'o, lera falta de um dente oa [ren-
te, tea ura taibo as coilas de uraa das maos,
bebe.e quando bebe fecha os olhos falUodo a qual-
1 quer pessoa, descansa sobre um quarj?, 6 crioulo
a tratar na rua lar-
iro andar. -
ama de leite : na roa da
Precisa-se de urna
ga do Rosario n. 3o. p
Precisa se de ora
Palma juntoaon. 2
" Precisa se de ojba ama para casa de u,ma s
pessoa : na rua da/mperatri'z 0. 82,2 andar
Precisa-se falar com o Sr. Domingos Ferreira
Chaves, rendejifo do engenho CllforoU, ou pessoa
qae suas vez/s faja, a negocio de seu interesse :
na rua dojtragao n. 8. ________
~^ Precjla^e de um criado para casa de peque-
a fmilij: a tratar na rua do Vigario n. 14.
1 .
UEIXAO
co, em 19 de fevereiro de 16fi6.-Cunna Parana-
C secretarlo.
Dedo de Aquino Fonstth^
O agente Posta* fura/ leilie por conta de uraa
pessaa qae se rejtfo* pwa tm aaaa taobika
coostaado de t safe, 12caa>ira, 2 consolos, mesa
de meio de sala, cadeira* avulaas, mesa e mul-
los oatros objeete* oan lotna-se ea(aMno enurne-
ralos, em lotes a reatada dos compradores : quia-
gua.
ta-faira 24 do correatsaelas fr>twras da roaoha
no armazea da roa d Cadeta n. SI.
teilao
Da oa trra e u*ca5o de lijlo n re*-
paldo para casa nos Afflc|os.
O aatat MertiM rara' lelo por ordem des li-
qaidatarios da tasta do padre D. J SaatosLssaMm.airreBo coaa 300 pjaros de
frente com um caiia de lijlo para casa em res-
palde oes Aflictas;
uosm.
No armaen da roa da Cadeia n. 8, as li

Consolado provincial
Pela mesa do consalado pravlnclal se taz publi-
co que os trinta dias olis marcados para cobran-
es a bocea do cofre dos Impostes de 50 rs. por al-
ouelre de sal, de 4 0|0 sobre os eslabelecimeatos
dn fOra da cidade, prensas de aJgodo, lwga-
pliias. cocheiraa, botequlne, hatei, oaaaadapwlo,
cvallarices e fabricas; de 8 0|0 sobre consultorios
medio e cirurgicos, cartonai e escriptonos; ia
2(i 0i0 sobre estabelecimenta de commercio em
fosso e a retalho, e trapiches ; de 50# sobre ca-
las de buhar e modas; de 200* sobre casas da
roupa felta e sellins estrangeiros, e de cambio ; de
1:000} sobre casas de opera sflas bancarlas co ^^
eiuissf e previlegios; de 6Ojd90 por casa com D 8ttU "Jj^
eiiiissD e sem previlegios ; de 400* por casa-sem
emisvi 1, compaohias anonynas e agencias de
ifH3 1 )l>re corretores commefetaes, agentes de
lwlo e deeaeadeeempra e venda de escravos ;
de 'io* por escravo empregado em servlco d al-
v.ireu/: de 1#- por toaelaca de alvareoaja; de
10 11 r Iwte oav savelra ; e de 150|> por balieira -
de 504 por easfao ganhador; de 10i por cavallo
desella de alago; 6* por dito particular; ea
impon, is de carros e carroeas pertencentes ao nono
tiuaoceiro da 1865 a 1866, e Ubem o 1 semestre
do imposto do20 0|0 do conscinlo de agurdente se
rlncipia a Jtoar do da I" e teverefro vloddnro
Mea ,1o consolado provine al de Peroamboro 30
dej^ir, de IJBI^^ ^^ q m
^'^5* Administrador.
aapa, pouca
e dedos muito
Cem aegoeda-feira ***"* ; |^7m_^ooae.ts lera 20aonos.
Aetona-sei vKh aa respectiva tbe.oa- Am ^ ^ presea* 3
rana i rua do Crespo a lo, os oinietes, barba jjj0 e seco 0 corp0, ps t
meios e qointos'da 3* parte 4 SMotena curtos.
(W), a beneficio do theatro de Santa Babel,! Manoei Prequete, de 16 SBfegyrtfraft
v*;, auouc arregacadas, tem as costas relalhadas, taltara-ine
coja extracto ser no logar" e bofa ao )j0US8)|j;|e8,na frente, tem os dedos grades*)s
COStame. I ps mais cor toa de qae os outros e oh poneo ater-
Os premios de 6:000)5000 at lOflOOO tes; veio ante-hoBlem iBootadoemumrCavaHo ras-
Wllrj WlgBA.ggr* tUn 4W0%S da extracc30 soom pltuas de pedrea, cora urna pizadura no es-
ZSB***m+.** outros depois *t%l>TPTvn escravo a quera pegar e
da dtstribuicffrdas lisia.
/ Escripia popular.
BalW) de laberaas, loja's e outras casas
comraeftcio, assim como q.ualquer escripturacao
pagas rwnsataente Da roa do Porte n. 20.
de
Precisa-se atogar nmi escrava que
6 EL Fo>. crioulo vere^bo.beieadp^iio seja de\^boa conducta e saiba cosiohar^ on-
ccrlo, altura media, bem fe.no de ps, lem as per-
A8 enoemefldas seiJ. guardadas so-
mente atfe a iwite da vestyrtffe da extracto
come de cosame.
AnicmB Jos Rod
gommai para b servigo interno de casa de
familia Xa raa do Sol n. 2i,
- Precisa-se de um bom cosinheiro ou ;
cosinbeira \na rua do Crespo n. 8, esqu- j
na da rea do Imperador.
PROGRAMMA
5 na praia de S.
Fraacisoo em 0 lia Ja.
O acaaMMariiaa far leitie por ordem do Illm.
Sr. tf, <3a*jio de A*aa# flumraai
de
rrea.o. o siM
"cosaUdo de Foriagal e**
Prraaoihnfo.
S5o chamados os credores do finado subdito, por-
uguea 1 iiawdGosflTVkwa a virara oecaber
nsu e.)iiladaa importaociidesoa eaatei. Hi
cie 20 -Je fevewlro de 1866.
'_ Jfo dia 23 do correte mez val i preta pa/a
ser arr^inande eaa hasta pnh'ica A porta Ata au-
ttntti, linda a-.d Jltirt4 vara-oorel, r.
Har>w. Q sKUyn* estra djfcvtjtmhHra, par
Hai o apa#tjw.Bi
la#M
cnsul
l prait
per-
eico;
Caleta, aA.il,
1
Bfc feanetsco
Poitela
MEDICO E OPHp|0[\
PELA .
Facnldade dfe Pars.
continua ao exercieio d|
: especialmente as moles'
vias orlnarias; e de pelle
lamento julga-se nabilita
tica adquirida nos hospit
pilal, e os instrumentos
"que po*oe.
Accede promptamente *fl|alquer cM-
raado para fora da cidadjL^
B encarrega se da colea
felaes.
No patee do Carmo n.
roa de Horias, das 6 as ll
nha, e das 3 as a da ta
Redam
os recolher cadeia.
"~50"d gratificacao.
A quem a pegar a escrava crioula de nome An-
tonia, idade quarenta e antos aonos, tendo fgido
no da 7 do corrente, levando vslido de chita
com listras amarellas e cor de caf, chales de laa
roso teodo levado outro vestido novo com palmas. Llngoeta,
e am chales de la de quairos, foi vista no Pa- ^dn de -
seio lavando roopa : quera a pegar leve-a a rua denca> roa do Caboga^ Trincheirts, pateado oar
da Cadeia do Recife n. 10, qae tera' a gratifica?ao
cima.
V O*.
Procisso de Nossa Sepiera- d* Soledade erecta oa
igreja dotivrameulo.
A mesa regedora leodo dX expor a vista dos
deis em solemne procisso a su-divina padroeira
e o Senhor Preso, na tarde do dia 2*j>>ias 2 li- 1
horas, e tem de percorrer as roas semUates : ao
sahir rua da Penlia, Dtrelti, pateo do Livraniento,
rua do Queimado. GreD0. ponte, Uade, t
Com
as LIMAS
GHIMICAS DE
P. MOTJBTH, Torne
redor da Caza Imperial do Exercito
francs, ganmte-se que qualquer
pessoa podera sem dor nem perigo
livrar-se de seos callos. Esta inven-
C9o : privilegiada em varios paizes,
reconhecida oficialmente efficn/
por 15 nacMs, premiada com me-
dalhas de 1" e 2" classe e approvada
por diversas arademias e pela Ex1"
Presidente da Junta de Hygiene da
corte. Por ordem do Ministro da
Guerra fea -se em Par iz experiencias
sobre mais de 2000 soldados que
ficarBo livres de seos callos; igual
resaltado fot oblido oa goarnic&o
do Rio da Janeiro. Mais de 3000
pessoas ja se tem curado com estas
Limas. As provas do qne w dis ci-
ma e os attestados acham-se no
prospecta, qae se dt no deposito.
Casa principal m Pars, B Prinee
Eugene, 18, Agente para o Bratil,
0 Sr M. O. ABRANCHES, rua
da Mfandega, JV> tO, Corle.
LeKuu Monitc*r Hela i'harmacie.
Aelettriridade hoje empreada por lodos os
neditosa&niados,para o iratami-nto de muiiK
molcsliiis, mesmo para as que resisltm aso-Hra
modicates.
A ekttridade produzida pela friccaolem om
iipcrioridode iicoiUelavel, e a vanUigem de nao
dar abalo;, e de poder sergraduadapelo doeute.
A cansa a mais frequente das molestias a
estagHicap de sanare on do ouiros lquidos vi-
.taes. UMlablccenilo. e a ckcuUcao ao "'t8"
nismo, cura?ao-se as molestias.
.Qiiando se sile' lfeUma dr en qneUroer
parte (locorpolopOjeMisinicliinmpule, seeriVe"
aeimado, Crespo, ponte, Uadea, ntr.t ,0|u.r eudoioriiiocoamao, eisioaUivia.isio
Trapiche, Vigario, CordonU, Amonm, | pMMo resultado inrontesr'aTel ftle'dve pro-
Deos Cadeia, ponte, praca da Jndepen- ,ul\r um ar^areliio eiecirico. Por iWj
_ n.i__ T.i.i.hui'i! nlp#rtn P.ar- .1,a,n uMunnriiir.-uiPuliiicetaiweSnMW

'
.

a proflssio,
e olhos, da
a cajo ta-
.leota.a drS"-
dajueila ca-
modemos
olhos arti-
esquina da
as da ma-
Ama de leite.
Precisa se de ama ama de leite para criar um
menino de um raej;, teodo bastante leite o sendo
sadia, paga-se bem, asslm como a qualquer pessoa
que se encarreguo de Djrocurar nostas condicoes,
oa roa Nova de Sauta Rita n. 17, primeiro
ou rua.da Praia n. 78.
;.. .---------,-----------------------
andar.
Jt-abatco asslgoad avisa as suas fregnerlas qae
rhoded laa- moradia para roa DlreltS, sobrado de
am-amlar,- oa esqiiiw-ae volta para-o becco de S;
Pedro o. l.
1 Madama Freir.
orna casa peqaeoa oo mei-agoa,
de S. Jos oa Boa-Vista.
ditas
refogio,
de ferr,
as franceaa e de aova especie, a
AI u ?>*- sa ~Wtr dscr
ttiuho ; na rua
sasa' compra -so
sendo no bairro
T
\ y 1
a c-jndufla, pro-
ATT
kfnZ"% W> Par eMiflo de.copeiro em. oasa eatranaei-1 enMmn
b ^J fP- qem precisar dirija* a roa da Seve (lia f A^Xr"
mesas, 1 filtrador, 1 canario do imperio, cas- ^R^ {. ^ Mbfado qM Qcl. COQ(r0Wiro 1 lw>> aniiar-
celheres oa etectro JZ/..-.. m
Na roa da Floreolina-O. 3*-preprale comida
com aceio e promptido e por prego razoavel:
guemqlter dtri)a-se.____________^
ALwpb orna escrava para o servlco Inlerno
de urna casi : a tratar na raa de Santo Amaro 0.
8^ das 4 hars da-tarde1 at as 6_______ '
Offereee"-saoa'iBrter-paf- ama de coli-
mar : na rua da Seozala -velha n.
3 da raa de Hortas Agaas-Verdet,
becco dos Martyrios, raa Augusta, becco de S.
Joao, pateo do-Terco, rua Direita, pateo- da Penba.
raa do Raogel a rec rther-se, a mesma mesa Pa"*
cipa ao reepeitavel publico qae no domurga *5 pe-
las 8 horas da manhaa ter logar a beocSo de u ma
imagen nova do Senhor Preso que ter* de sabir
a tarde, espera que os Srs. moradores das ras
por onde tem de passar a procisso llmpem 1
frentes de soas casas, tambem coorida aos nossos
carissimos irmos5 pira comparecereiO oeste ata
parassistirem a benolo e aeompahbar *f>Tas-
sao.amesaeoovidaaee Srs. Rr* Paff6'^*
acompanhar dita prooissaa para mais brilhantmno.
colle-4
CoUaom M S. 1*
PrecYs-se de urna esaA. para.c"eosor do colle
gio deS. Joaqaim. ;|| AIaure
""- Precisa se de um calxelro, assim como urna'
ama para coziahar e enzomfnar, prefere-e
1 ttidjwejejjejBw.---------
praierem anuiuociar ao PuWisftqBSp*|*3o
de BWniicrs resdcnU-, boulvart^la .rrmw-
. Eus*iie, 48, em Parhr, oto a '*ci*,,,
..pparelho atertiiM>gaeiiva>'0 foflsfcde
. urna escota, cen^ o qual docaHe se pod>ao
luraraem ucliunia oulra meiRca?ao. Os medico
que a te eipcrimcntaa, attestara qoe a
atacova Electro mAanarrwAeUirai para
curar, os BjMiU.iio^lt^e.Ooti-'
r.quexado. membros daOoltona er-
tofanat. *S*MTg*K *5*^' ^C'
Eslamo certo ajee Breve cada fceat #
'" A prtw"de^fflnieB*as; o a^Sle-se
. a bheer .m ea^fiT* ~ ******
> Ai de Janeir; *m etu* do Sn Ddm* HMTVt,
> rw nova do Ounidor, S5.


Pernmbuco, pbflrmacia ^raaceza
*0., ra*
119.
va : a padaria da roa Di ella n.
Existem para alagar-se qoatro
casas terrea51
de preMde's'jj'O e" W,. todas coro, qsinlal
airaba sisna rua do Oatometro conTrdWe
do ai: a tratar o mesi
portao da fabrica
bjgar.
---------
_------
. ticaes e mangas, garfas e
piales, copos, callxes. lou^a e na sala de jamar
1 mesa elastiea para *4 pessoas, 1 apparador, 1
guarda louca e 12 eadeiras, todo de nogueira e
da xeeUeBte gosto..
Sexta-feira 23 de fevercira.
14 terceire andar
twicentd ao casal do fallecido Mal sanSrta'Perj
reir, contend)
com 9 iiuartos, inclus
ooafariz,
Uanoef Pedrq de Mello avisa ao re
ppfcihn a cap aaetialiaaif ao cort> i do -
cTT'qoa'admelio para socios de seu eitabeleci-
meoto a rua do Livraoiea JB.38 a seu irtnSo J.
Pedro de Mello e Candido de Carvalkp Nev
cooiar do l* de Janeiro prQiinwaassat, ficaodii.o qa
--------- la, Mello,
A*im
Attenqao.
Na roa Direita n. 1*. precisa-se de am offleial
de fuaiielrp para ir para ornato tomar coala de
umajfl fiNSMUa^k^H
.oTfoblra 8
Na rua d# Trapiche n
- Oageate Pioteaotwlsaao per um estraogeiro ac[,T0 e pSJv6 a caro oa'HlL
que retirase para Europa, fara' teilao dos objectos rm0& ^. R^cifo^ie fvm
,. ^\^^^^^l^Xtt^- -Precalefallar a R/maTS
SseTmSs.mre y.i$$i!SfctMi. -
PffO do s
i
do rmate da tala am
riaaapollia, ree#be-:
do ar para dentro e fra da previ
deP.
O Dr. Carn! j^Rima San-
tos contina a morar ata do Impera-
dor n. 17, segoqdo'anaaf, tendo alias seu
gabinete de consultas medicas, logo ao
earrarj ao phiaeiro.
O mesmo dootor, q.u s tem ao
estudo la5Sdapp*rac3es como das mo-
lestias iiHeroa presta-se a qualquer cha
quer par* de otro qer para fora
da cidade.
.....
jQaei-
'jmara* al
r-raada^
nma orPl
praa
INJECCAOBR
Remedi infallvel ai agort
reeeittee w*^ depesHo c
trata, ua da CtflS.at 22
am loia da miodetas
,ro,t, tendo de toadas at
1 liorna er rirt do Queimado nu-
Wimsrae* declara
especislinmrta a-. ceiTo do
data em diante a?s&oir-se-



grtiifcinbia.)
Oompanhia. geral hespanhola de seguros ^mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZMBRO DE 1889
Una Banca em dinheir, depositado nos cofres do estado, garante a boa ad-
ministraco da comparta.
BANQCE1ROS DA COMPANHIA DIRECCO GERAL
O ttaaco de Il< spnnha | Madrid: Roa de Prado n.if
Esta companhia liga pelo svstema mutuo todas as combinac5es de supervivencia dos sega
roe. sobre a vida.
Nella pode se laier a subscripto de maneira que em nenhom caso mesmo por morte do
serrado se perca o capital non os jaros correspondentes a estes.
Sao to saprehndante3 os resaltados quo produzem as sociedades da ndole deA NACI-
NAL,que ainda mesmo dimlnnindo urna terca parte do interesse produzido em recentes liquida-
coas e combinando-o com a mortalidade da tablilla de Depareienx qae adoptada pela companhia
para seus calculse liquidares, em segurados de idade de 3 al9 anuos, ama imposicao anona,
de 109* produz em effectivo metlico:
No flm de 5 annos.......I:H9,'>300
' de 10 .......3:942*600
f^flefB........11:208*200
> de tO .......30:256f>00
\ de 25 .......80:331*000
as idades menores d 3 annos e maiore; de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospectw e mais informacSes serao prestadas pelo sab-director nesta provincia,
oaqnim Fiaza de Oliveira, ra daCadeia n. 52, oa a Boa-Vista raa da Imperatrir n. 12, estabelci-
mento dos Srs. Raymnndo, Carlos,Leite & Irmo.
tetrariaT
AO GRANDE S MAURICIO
A LEGITIMA
SALSAPARRILM
PROCES^OS APERFEIOA110S
+ PARA
Tiogir, liiupar e lustrar a vapor.
F.A.
29 Kua 7 de setembro 29
Defronte da raa nova do Ouvidor (Rio de Janeiro)
Os proprietarios deste estabelecimento, o primeiro no seu genero no Brasil, por
trabalhar com as machinas mais aperfeicoadas para tingir e lustrar, de que se faz uso n
Europa, e ajudados por alguns dos melhores officiaes de Pars e Ly5o, podem assego-
rar seus freguezes urna perfei5o no trabalho, a quat sen5o pode chegar pelos proces-
sos ordinarios.
TiDgem, lavam, limpam e demofam com a mai r perfeico e brevidade qualquer
qualidade de fazendas, tiram nodoas e limpam secco sem moldar as sedas e as vestimen-
tas de senhoras e de horneas.
Atten^ao.
No da 3 para 4 do corrente mez amarara do
ecgenho Limoeiro, freguezia da Eseada, um cavallo
melado coro dinas, cauda e pos pretos, naflco de
um dos lados tem o couro das qneixadas grosso,
tem a testa jnnto a ponta do focinho um tanto pe-
Jado, bastante ardego, anda a passo, furta-passo
'at meio, e nao tem ferro por ser nascido no mes-
roo engenho, est fazeodo a segunda ronda : quero
o trouxer oa der noticia do ladro receber 1005
de sratitieaco.
Aluga-se o segundo andar e sotao do
sobrado da ra das Aguas Verdes n. 64,
tem commodos para grande familia : a tra-
tar no primeiro andar da mesma casa ou no
Recife armazem n. 38 a' roa de Apollo com
Francisco Ribeiro Pinto fnirnarps.
^Wp
Alega se a casa terrea da ra do Mondego
19 : a tratar na ra do Imperador n. 27.
Precisa-se alagar qoatro escravos qae sejam
possentes para ser vico deoaize de coberta, pagm-
do-se bem : a tratar no largo da Aisemblavj. 20.
I.ngomnia e
com asseio, promptido e preces moaveis: na raa
Augusta no, loja.
Ca valu A ogueira na ra do Apol-
lo n. 2o, sacam sobre Lisboa e Porto, a
vista ou a prazo.
Brincos de crvslal o pulseiras.
Na loja de oarivf s no arco da Cunceic., no Re-
cife, tem os melhores que ba encastoados ero ouro
Pedro de Almeida Guimaraes nacTtendo tem-
po de pessoalmente despedir-se ce alguns de seus
amigos pela rapidez de sua vlagem assim o per-
mittir, vem faze-lo por meio do presente, e pedir-
ibes desculpa de sua falta involuntaria, ctlerecen-
do-lbcs sea diminuto prestimo nacidade de Lisboa,
onde pretende deroorar-se por agora tempo. O
mesmo, dorante sua ausencia, deha por seus pro-
curadores nesta praca aos Srs Jos Joaqulm Con-
calves Rarros, Jos Marlins de Castro, sen caixei-
ro Ernesto Adolpho K. Saldanba, e solicitador de
seas negocios jadiciaeso Sr. Carlos Francisco Soa-
res de Brito.
CONTRA FOGO.
A companbia Indemnisadora, estabeleci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamentos, e contra
fogo em edi6cos, mercadorias emobilias :\
na ra do Vgario n. 4, pavimento terreo.
DE BRISTOL.
PREPARADA NICAMENTE POR
LAMAN k KEIP,
NOVA YORK.
Composta de substancias, gozando das
propriedades eminentemente depurativas ;
approvada pelas juntase academias de me-
dicina; usadajnos principaes hospitaes, ci-
vis militares e da marinha as Antilhas e
no continente americano*; receitada pelos
facultativosos mais distinctos do imperio do
Rrasil e da America hespanhol
CUBA RADICALMENTE
escrophulas, rheumatismo, escorbuto, en-
ermidades venreas e mercuriaes, chagas
antigs, morphea e todas as molestias pro-
venientesd'um estado vicioso do sangue.
Emquanto existem varias imitaces e
falsificac5os, preciso a maior cautela para
evitar os engaaos,
A legitima salsa de Bristol vende-se por
CAORS & BARBOZA
JO.O DA C. RRAVO & C.
Joo da C, Bravo & C.
Deposito geral em Pernambuco ra da
Cruz n.22 em casa de Caros & Barboza
mm^mmmm mmmmmmm
0 Dr. Sarment Filko i
K previne aos seus doenlts e pessoas de seu
> conhecimcnto que se mudoo para a ra
5 do Imperador o. 19, segundo andar.
m
ENCANAMENTOS
PARA AGUA
Na ra Nova n. 30 fazemse e concerlam-se en-
cnamentos, assim come bombas para agna.
CAIXEIRO.
Offerece-se para caixeiro ara rapaz portugaez,
sendo ou para padaria ou para reflnacao : na roa
do Rosario n. 3, confronte ao quartel da polica.
a praca da Independencia n. 33, loja de
onrives, compra-.'e ouro, prata, e pedras preciosas,
e tambem se faz qualquer obra de encommenda, e
todo e ooalq uer concert.
A.HYVERNATsVC
9tt~Rua do-Imperador19.
Deposito de joias francezas por atacado.
Casa em Pars e Rio de Janeiro.
Recebem directamente por todos os paquetes.
O Sr. Francisco Jos de Freitas Gu-
eme .vgyfflni .'ir V'ffi(#
riftBSt:
Precisa-se alaga1
nbeira : na rna da Irape*
un r.csinheiro ou coss,
ratriz n. 9, segando andar-
os abaixo ssigoado1
seu escriptorio de adv<
Imperador n. 41, prime
podem ser procurados da'
manhaa as 3 da tarde.
Alvaro Caminha
Dr. Joao Tbome da
continuam cora
cacia a ra do
,ro andar, onde
10 boras da
Ama de leite.
Precsa-se de urna ama de le
do Queimado por cima da loja d
Oadvogado Antonio Joaqnim de Mello trans-
ferio o sea escriptorio para a raa do Queimado
n.8.
1
Jlo da Silva Ramos, medico
pela universidade de Coimbra, d
consultas em sua casa das 9 as
11 boras da manhaa, e das 4 as 6
da tarde. Visita os doentes em suas
I casas regularmente as horas para
I isso designadas, salvo os casos ur-
B gBDtes, que serao soccorridos em
I qualquer occasio. D consultas aos
i pobres que o procuraran no hos-
Ipital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 horas^V
manhaa, --,- '*
Tem sua casa de sade regolar-
mer.te montada para receber qual-
quer doente, ainda mesmo os alie-
nados, para o que tem commodos
apropriados e nella pratica qualquer
opperacSo cirorgica.
Para a casa de sacle.
Primeira classe. .31000 diarios.
Segunda dita____3^500 >
Terceira dita .^JOOO
Este estabelecimento j bem
acreditado pelos bons servicos que
tem prestado.
O proprietario espera que elle
continu a merecer a confiaoca de
(que sempre tem gozado.
COSIHRO
Omnomcsinheiro.
-jua-
*
O Peitoral de Cereja,
DO DR. AYER,

s
Ama
Precisa-se de ama eserava boa cozinbeira para
casa de boraem solteiro : na rna do Queimado na-
____ mero 31___________^^
Precisase de ama ama qae saiba cotlnhar,
sirva para fazer as compras, para casa de pooca
familia, composta de urna molbr e tres pessoas ';
exige-se boa conducta, paga-se bem : a tratar na
roa do Imperador, lojan. 61.
Santo Antonio, dinja-se a roa do Imperador d^,
! andar, escriptorio, das 10 as 3 boraTS tarde, e
ra dessas horas na rna do AragSo n,
do, qne acbar quera pretende comiiraf
O advogado Francisco de faniV Pema con-
tiDa com seu escriptorio na roa o Qoeimado
38, Io andar.
DEPOSITO DE CALCAD
m FABRICADO NA GASA DE DETENQA
J0 Rna Xova n. I.
mu Ah se encontrarlo obras de g versas qualidades, e pdr preco iaQ\
l diminutos, a retalho e em porc/jes_
M S se vende a dinhe.ro.
mmnmmm mmm
Em casa de Tbeod Christiansen roa 0 jri.
piebe-novo n. 16, onico agente no nc^te do Rrasil
de Rrandenborg frres, Rordeaox, nconlra-se ef-
fectivamenle deposito dos artigos S8.unles.'
St. Julien. /
St. Pierre. /
Larose.
Chateau Loville.
Chateaa Margaax. /
Grand vin Cbateau LafitU. jg^g
Chateau Lafltte. ^
Haut Sao ternes.
Chatean Saoterne^
Chateau Lau^r anebe.
Chateau -Yqoem.
Cognaem tres qnalidades.
AZfirfe doce. Precos de Bordeaox.
******* mwmm
Companbia fidelidade de seguros MM
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGBNTBS EM PERNAMBUCO
Antonio Luiz de Oliveira Aievedo i C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companbia de secaros Pidelida-
de.tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no seo escriptorio rna da
Crui d. 1.
**** mmm
N. O. Bieber d C, sucessores, sa
cam sobre o Rio de Janeiro a vista ou a pra-
zo conforme se convencionar.
Saques para a Baha, Para e
tlarnnlio.
Antonio Jos Rodrigues de Souza na ra
do Crespo n. 15, saca avista ou a prazo
contra a Bahia. Para e Maranhao,
SiMNBSMMMmaai
Instrugao particular &
Ha no pateo do Carmo n. 9, nm pe- H
I qaeno estabeiecimento de instrneco pri-
maria cojo professor garante o maior
desvelo aos pas de familia qae se dlgna-
narem de admittir all seus albos Pora
dag horas d'aula pode dito professor ser
proenrado a raa dos Pires n. 20, mesmo
_ para o enslno de casas particulares.
i
Os eoberes estadantes qae maodaram bns-
car comidas na casa da raa dos Pires n. 32, de H.
8. P. e P.-M. b\. e o Sr. 6., que at esta data nao
Um vindo pagar o importe da mesma, qoeiram vir
ou mandar pagar quaoto antes, do contrario terao
d-j ver o seas nomes por extenso at qae reallsem
mu divida._____________________________
Ainga-se a casa da roa Imperial n. 74, com
a talas, 3 ananas, cozlnba fra, quintal mando e
citeimba : a tratar na roa Direita n. i
Para a cuba radical e cer-
ta do todas oa molestias do peito
e da garganta, tosses, consUpacdes,
Bronclilte, asma, defluxos, roqu-
dio, Coqueluche, angina, Diptherla.
Este xarope peitoral o resul-
tado de longos annos de estado
por um dos primeiros mdicos da
America do Norte, e de experi-
encias minuciosas nos principaes
hospitaes do mundo; 6 receitado pelos mdicos mais distinctos
deste seculo na .na clnica particular, portanto digno de toda
confianca, 1, por ser effiaiz, alcanzando com urna certeza inTal-
lrel o assento da molestia e arrancando lhc as raizes, assim
dando aos orgaos afltetados una aceo natural e s: 2, por
ser innocente e applicaval a qualquer pettoa de qualquer idade
ou texo, ao homcm robusto oa crianea da mais tenra idade,
cada irasco sendo accompanhado de dlrreecoes minuciosas:
3, t ultimo, por nao ser um remedio secreto, pols qualquer med-
ico ou pharmaceutlco pode obter a formula da sua composicao,
dirigindo-se pessoalmente on por carta ao agente geral, H. M.
Las i;, a ra Direita No. 18, Kio de Janeiro.
Muitos casos que tinho zorubado de todos os recursos
da sciencia tem sido curados radicalmente com o uso do
Peitoral de Cereja.
As pessoas atacadas de tosse, defluxos, Dbr da garganta,
Bronchite, asma, etc., e mi tros symptomas da tsica prima-
ria geralmente fazcm pouco caso do seu padecimento at
que seja tarde para cura-lo. Nao descuidis tV urna tosse
porque agora parece de pouca, importancia ; urna tosse
descuidada chega a ser chronica e induz a formaco de
Tubrculos nos pulmes.
Ncnhuma casa de familia deve estar sem um frasco
dste xarope mo; pois nos ataques repentinos do
Angina, do Croup, e nos paroxismos do Coqueluclie; ou
tosse comprida a que esto sujeitas as criancas, nao ha
tempo de chamar nm medico, ncm de fazer remedios, e
este xarope alivia immediatamentc e poc o filho querido
so e salvo, fora de perigo.
As molestias que estao ao alcance das virtudes curativas
do r&ITOJl.il, DE CEREJA. sao
Defluxos, Toases, Asma, Esquinencia, Bronohit,
Coqueluche, Tosse ferina ou conrulsiva.
Boquidao, Todas aa molestias do peito
e garganta. Conaumpoo dos Ful.
mes ou Tsica pulmonar.
Acha-se em todas as Boticas e Drogaras do imperio.
Pilulas Catharticas do Dr. Ayer
cvrAo
PHzao de vetUre, Indigcetio, Cotutipaco, JtMeu-
matUn, Hemmorrhoida, Dor V eooeea, A. Nerrml-
ffim, mal de estomago, Enxaquecm, mal do Figad;
OastHte, Febre gastro-hepattea, Zombrigas. Erf/ilp.
ella, Hi/dropsia, IneremetUo do baco.
Todas
Qulnino
/
molestias que provm do uso exotstivo
do
0 mlhor purgante at hoje conhecido.
Estas piltras oMucaradas so puramente vegitaet.
puegao s prramco skx KSBanuo; .
A venda em todas as BoUcas e Drogaras do Imperio.
ABUTE 6K111, \
H. M. LAE, Boa Dlreito So. lf,
Rio de Janeiro.
Vende-se em Pernambuco:
na
PHARMACIE FRAP
[ARER&I
Pernambuco, ra Nova n. 18 pharmacia fracceza de
P. MAURER i C.
PERFUMERA da casa oger
Boulevart Sebastopol, 56, l>arlz.
Dez medalhas, a condecorado da Legin
d honneur e a grande reputacao que tem lhe
dado o publico, taes sao as recompensas que os
Xcos prestados a industria merecerao a
importante casa desde sua fundacao em
ioO*.
N'um sortimento de mais. de 560 artigos,
as pessoas elegantes escolherao os seguintes:
ROSEE DU PARADIS, extracto superfino
para lenco.
POMMADA CEPHALIQUE contra a cal-
vicia.
AGUA VERBENA para o toucador.
OXIMEL MULTIFLOR.
VINAGRE OE PLANTAS HYGIENICAS.
TINTURA VIRGINALE de beijoim.
ROSEE DE LYS, verdadeira. agua de
Jouvencio.
CREME LABIALE de sueco de Rosas.
POMMADA VELOURS para amaoiar a
pelle.
ELIXIR ODONTOPHILE.
SABAO dedicado as damas americanas.
SABAO de bouquet de Franca.
d* de flores de alcea rosea.
d* de llores printanires,
d* de bouquet do outono.
d* de perfumes exticos.
> aurora, dedicado aos dedos cor de
rosa.
ds de flores das montanhas.
d* de cheiro de foins nouveaux.
d* de bluets cheirosos.
d* de altheft balssnica.
d diapr, caixa rica, fantesia pari-
aieace.
-o
<6
R
" R
. er
e
3 p
> j
c^ Da
W 9
M a
50 O
.ak
fr
o
Ca er cu -1
s
as

B>
O. es
GASA BA F0RTU1U
los 6:000^(000.
Bllhetec caraotidos.
A' RA DO CRESPO NjE GASAS DO COSTMB
O abaixoassignado venden nos seas maito fli-
tes bilhetes garantidos da lotera que se ac bou
de extrablr, a beneficio da igreja le Nossa Se-
nbora do Rosario da freguezia da Boa-Vista, os
segointes premios:
N. 3'j6 nm meio com a sorte de 6:000|i.
N*. 3190 om meio con a sorte de 500,1.
N. 393i dous quintos com a sorte de 500*
K outras mnitas sortes de 100#, 40#, e 20*.
Ospossaidores poden vir receber sens respec-
tivos premios senos descontos das leis na Casa
da Fortuna a rna de Crespn. 23.
Acbam-se a venda os da 3' parte da 5* lotera
('*'>') i beneficio do tbeatro de Santa Isabel, qae
se extrahir segunda fera 6 do corrente.
PREGO.
Bilhetes. .... 6J0S0
Meios......3*000
Quintos.....1*800
Para as pessoas qne compraren! de 1000009
para tina.
Bilhetes.....5*600
Meios......2*750
Quintos.....1*100
______________Manoel Mabtins FlQIA.
= Precisa-se alagar am preto idoso paraservr-
co de casa de pouca familia, sendo de bens coslu-
mes, d3o se davida pagar bem : oa roa do Tra-
piche n. 44, 2 andar. ______________
Precisa-se fallar com o Sr. Domingos Ferre-
ra de Souza, administrador que foi dos engenbos
Hassiape e Pitangueira, a negocio de interesse do
mesmaMnhor, na raa do Aragao n. 8. \____
GARRAUX DE LJLHACAR& C.
LIBRAIRIE FRANQAISE
Rna do Crespo a. .
LIVROS NACIONAES E ESTRANGEIROS
Rcliyiaol'hiiosophia Jurisprudencia Littera-
tura Sciencias e artes.
Papelaria, objectos para escriptorio.
Precisa-se alagar nm escravo para todo se:-
vlco : a tratar na raa da frenzala-velba n. 94.
Samuel Power Johnsiou & Companhia
Ra da Senzala Nova n. 4.
[ AGENCIA OA
Fundido tic Low Ufoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 ca val los.
Moendas e meias moendas para engenbo.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nbo, *
Arreios do carro para nm e dous cava 11 os.
Relogios de ouro patete inglez.
Arados americanos.
Machinas para desea rogar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.____________________
" O abaixo assignado tendo de retirar-se para
a liba de S. Miguel afim de tratar de sua saade, e
tendo para- si nada dever nesta praca oa (ora della,
todava, julgando-se algnem sen credor, aprsente
seas documentos ca cuntas at o fim do corrente
mez para se \h pagar. Assim cerno avisa a todos
os seas devedores, para dentro do mencionado pra-
so, realisarem seas dbitos afim de nao serem in-
commodados com a justica pelos seos procarado-
res. Recife 20 de fevereiro de 1866.
Francisco Botelho de Mendonca.
Precisa-se de um
da Concordia n. 35.
feitor para sitio : na ra
Ama.
Precisa-se de ama ama para coziobar e engom-
mar para urna pequea familia : na roa da Santa
Cruz n. 32.
O bacbarel Joaqnim Pires Machado Por-
tella continua como advogado com escrip- S
torio no nrimeiro andar da casa n. f>3 da jfe
roa do Imperador, onde pode ser procu- JttS
rado das 10 horas da manhaa as 3 da S
Precisa-sede ama ama que cozinhe e engom-
me para casa de peqoena fanilia : a tratar na roa
da_Liogoeta n. 10, Io andar.
Qnem precisar de ama ama de leite diriia-se
a rna de S. Bom Jesns das Crionlas n. 23.
Quera precisar de urna ama para cozinhar o
engomroar dirija se a travs do Costa n. 5.
Precisa-se de dous trabajadores de padaria :
na ra do Rangel n. 9.
Precisa-se de urna ama para cozinhar em
casa de poaca familia : no Recife raa da Craz nu-
mero 29.
Maria Francisca da Rocha, parteira examina-
da, faz sciente qae madoa sua residencia do pateo-
do Paralzo para a raa das Cro/es n. 17.
I CASA l)E BANHHSg
M 26-Pateo do Carmo-26
MK Neste estabelecimento lao importante
g para a saode e asseio do corpo acharse
JR montados 20 banheires, que sao servidos
ate com a ordem e aceio que para dese-
3 jar-se. Qaatro desles banbeires sao espe-
lS cialmente reservados para senhoras e por
M| isio acham-se collocados em logar reser-
5 vado aonde s lera entrada as pessoas de
J ama mesma familia.
H| Preces de banlios avahes.
| 1 banbo fri, morno oa de cha-
isco........500
1 dito dito de choque.....1*000
1 dito de farello.....1*000
1 dito aromatizado.....1*000
1 dito medicinal ser segundo saa qua-
lidade.
Precos por assignatera.
30 banhos por tnei fri, morno
ou de cbavisco.....10*000
25 ditos com candes para o= mes-
,"?.........10*000
15>"itos cora cart5es para os
nws. ... jsjooo
12 ditos com candes de cbogoe.. 10*000
12 ditos com cartoes de farello. 0*000
O estabelecimento estara aberto nos
das atis das 6 horas da manhaa as 10
da noite, nos dis santificados das 5 as
4 da tarde.
i jHH
s
AVISO AS VENDAS
i / Na fabrica de vinagre a' raa Imperial
i. 1, protimo a estacao do camnibo de
ferro vende-re vinagre tinto superior em
baalidade a ootro qaalqaer e por pre{6
mdico, assim como braoco e incolor.
;nii7HAl.ga"se umcasa "a -""a de Baixo. em
Ullnda, tem commodos para familfa, grande ein-
Ama.
Preeisa-se de nraa ama forra oa eserava qae
saiba cozinhar eengommar : na ra da Imperatrir
Damero 4. v
Precisase de ama
| cozinhar, de 30 a 50 asnos de
1 Craz 0. 37.
molher aoe entenda de
i dad
Precisase de ama pessoa theorica e pti-
camente habilitada para escr.ptoraclo mercantil
por partidas dobradas : qoem seachar nestas cir-
cnmsuncias indique seu nome e residencia em
carta fechada na loja de livros do Sr. Nognefra a
_______roa do Crespo.
L. _. MODAS! *~-----------
| Madama R. Adoor contina a receber por todos
}<%*P?U: wn,lel9 M "Moimpe-
rador n. 48, andar.
Precisa-se de nm caixeiro que ten ha pratica
raa da, do nadarla e qne d fiador a saa conducta: em
Santo Amaro, atrax da fandicSo, na padaria. i
. 0 abaixo assignado faz sciente ao publico e-
com espeelalidade ao corpo do commerclo, que des-
ta data ero diante deixoa de ser caixeiro do Sis.
Jos Antonio da Costa Valente, e agradece o bom
trataraento que receben durante o pequeo espaco
de tres annos. Recife 19 de fevereiro de 1866.
_________ Manoel Fernandos do Cima.
Nos abano assignados, membros da firma-
social de Antonio Pedro de Mello & C, estabeleci-
dos cera casa de gneros de estiva roa. Nova n
60, tem a honra de anuunciar quo dlssolverara-
amigavelmenle do ultimo de dexembro prximo
passado a sociedad? que tlnbam sob aquella firma
ficaodo o esubelecimento por cocta do socio Anto-
nio Pedro de Mello, a qoem est encombida a lt-
'luidacao do activo e passlvo. Reeife 3 de feverei-
ro de 1866.
Antonio Pedro de Mello,
Manoel Pedro de Mello.
No beccj tapado da matriz de Santo Antenio,
na oltima easa, offerece-se ama mulher capaz de
boa conducta, para coiiohar e eogommar bem
para easa de hornera solteiro, oa casa estraogeira'
preferindo-se fra desta praca : qoem quizer dlri-
ja-se.
Precisa-se de orna ama de Uke
Grazes n. 42.
na roa das
Alnfim-se duas caa, orna o. 15 aa ruTS
Mondego por 12*1500 por mex, ootra na rna dos
Coelbos n. 6 junto ao sobrado do faHtetdo Ade-
lo, por mes 20*: a tratar na roa do Mondego, ota-
ria n. 13.
Proeisa-se de tuna ama. ano tenha mnlto o
b mJeito, e paga-se bem : aa roa do Imperador



> -

\


fc
la*ta 0 rciMMkM* Quinfa fctra lli Feverelro de 18GC.
&
"~
SALSA PAgRiLHA DE AYER
PARA A CURA RADICAL
COWPMS
''' '*
GMDE EsTABELECIlENTO
Compra-se ocro, pratt" e yedras preciosas,
en obras velhas: na roa da Gadeia do Recife,
cja de ourives no arco da Co&etfgo.
de estfotalas e molestias escrofulosas, tumores, ulcera, cbagas, fertdas ve- __ comprase carosso (sem^ti) de algodSD: no
loas, bronchocele, papo ou papeir, a sypbihs, eniermida/ies venerias ou mer- armazn de algodo de Saaoders Brutbe s & a.
curiaes.
no caes de Apollo.
6ompra-se uta escravo que seja 111050, sadlo
e sen vicio : na ra larga do Rosario n. 34, bo-
tica.
Comprase no
Crespo n. 17.
eserave peca : na ra do
AS MOLESTIAS .DAS MULIIERES ^^r^S^Jt
reteoclo, menstro doloroso, ulcercoes do tero, flores brancas, etericen- seJ* ^m travossa: a trata/ na ra de Horlas
oTio, debilidade, eipoliacao dos oasos, a nevralgia e comniteoes epilpticas !casa do fallecido Loureiro.
qaando causadas pela escrfula. *
V. f BTSIPEUS ERPES; ETC.
Enfermidades cutneas, erupco? borbulhas, pstulas,
aseldas, etc. ________________ ,
O extracto composto de salsa parrllha, coleccionado pelo Dr. Ayer, urna Ouro e prata.
combinacJo dos melhores depurativos e alterantes conhecidos medicioa; confeccio- Em 00ras velbas: compra-se na praga da lo
nado segundo as regras da sciencia, approvdo e receitado pelos primeiros mdicos dos dePepo>pcl 22. loja de biihetes.________
Estados-Unidos da America do Sul e Central, das Antilhas, do Mxico e das Indias, el Comprase oma casa nos barros de santo
muita3 outras partes do mundo : o resultado de estudos apurados e minuciosos, e de f.22.0: l'JAj^!:ZT^.B}VJcei> dp
experiencias feius pessoalmente pelo Dr. Ayer, por muitos annos, nos priocipaes nos-; di^erairia ^ r
pitaes e enfermaras da America; tcm sido approvdo pelas academias de medicioa e
juntas de hygienne das priocipaes capitaes da America do Norte; para prova disto vede
os attestados authenticos no Almanak e Manual de Saude do Dr.
. Ayer, os quaes se dis-
tribnem gratuitamente nos lugares onde se vende o remedio.
A SALSA PARILHA DE AYER
Especialmente efflcaz na cura das molestias que tem sua origem
na escrfula, na InfcceSo Tenerea, no uso
excesslvo do mercurio ou qnalquer Impureza do sangue.
A molestia ou infecto peculiar, conhecida pelo nome de escrfula, um dos ma-
les mais prevalecentes e universaes que ha em toda a extensa lista das enfermidades que
atacam a nossa rafa; disse um celebre escriptor da medicina que mais de urna terca
parte de todos aquellos que morrem antes da velbice sao victimas, ou directa ou indirec-
tamente de escrfula; por isso s nao 13o destrucliva, porm a principal causa de
muitas outras enfermidades que nao lbe sao geralmente attribuidas.
urna causa directa da tsica pulmonar, das molestias do igado, do estomago
e affeccoes do cerebro; entre seus numerosos symptomas acham-se os seguintes: falta
de apetite, o semblante plido e enchado; as vezes de urna alvura transparente e outras
vezes corado e amarellento irregutr, fraqueza e raoeza nos msculos ao redor da boc-
ea; digestao fraca e appettite, falla de energa; ventre enchado e evacuaco. irregular;
quando o mal tem seu assento sobre os pulmoes urna cor azulada mostra-se em roda dos
olhos ; quando ataca os orgaos digestivos, os olhos tornam-se avermelhados ;j o bali-
to ftido, a linua carregada; dores de cabeca, tonteiras, ele. as pessoas. tie disposi-
c3o escrofulosa apparecem frequentemente erupcoes na pelle da cabera e oulras parles
do corpo ; sao predspostas s affeccoes dos pulmes, do figado, dos rins, dos orgos
digestivos e uterinos. Portanto, nao sao smente aqueles que padecem das formas ul-
cerosas e tuberculosas da escrfula que necessitam de proteceo contra os seus estragos;
todos aqueles em cujo sangue existe o virus latente deste terrivel flagello (e s vezes
hereditario), estao expostos tambem a soffrer das enfermidades que elle causa, que sao:
A tsica, ulceraces de figado, do estomago e dos rins; erupcoes e enfermidades
eruptivas da cutis, rosa ou erysipela, borbulhas, pstulas, nascidas, tumores, rneuma,
carbnculos, ulceras e chagas, rheumatismo, dores nos ossos, as costas e na cabeca,
debilidades femininas, flores brancas causadas pela ulceracao interior, e enfermidades
uterinas, bydropesia, indigestao, enfraquecimento e debilidade geral.
Offerecemos a estas pessoas um abrigo seguro e um antidoto efficaz conlra esta
molestia e suas consequencias na
SALSA PARRILHA DE AYER
que opera directamente sobre o sangue, purifleando-o e expulsando delle a corrupto e o
veneno da molestia; penetra todas as partes e todos os org3os do corpo humano, livran-
do-os da sua accSo viciada e inspirando-In.es novo vigor. um alterante poderosissimo
para a renovaco do sangue, e d ao corpo j enfraquecido pela doenga, torcas e ener-
gas renovadas como as da joventude.
E tambem o melhor anty-syphilitico conhecido
cura permanentemente as peiores formas de syphilis e as suas consequencias. Pouca
necessidade ha de informar o publico do inestimavel valor de um remedio que, como
este, livra o sangue desta corrupto e arrebata a vctima das garras de urna morte lenta
e ignominiosa, porm inevitavel, se o mal nao logo combatido com energia.
um poderosissimo alterante para a reno vaco do sangue e para dar nova for-
ra ao corpo j enfraquecido pela doenca.
Sendo composto de productos vegetaes, esle medicamento innocente e ao mes-
rao tempo efficaz, um fado de immensa importancia para aqueles que o ton am ; por-
que muitos dos remedios alterantes offerecidos ao publico tem por base o mercurio ou o
arsnico; e sendo assim, bem ques vezes podent effecimr.curaa, com todo deixam suas
victimas carregadas de urna longa serie de males, muitas vezes peror do que o mal ori-
ginal. A nica cousa necessaria para obter urna cura radical seguir com juizo e cons-
atncia as diiecces que acompanham cada frasco.
Nao pretendemos promulgar, nem queremos que se infira que esla composicao a
um remedio infallivel para a cura de todos os padecimentos humanos; infelizmente
escrfula e a syphilis sao enfermidades USo sulis as suas nalurezas, e arreigam-se to
firmemente no systema, que muitas vezes evadera e resistem aos remedios mais pode-
rosos que a sciencia humana pode inventar para combate las: o que dizemos que o
Extracto composto de salsa parnlha de Ayer
a melhor preparac3o at hoje descoberta para estas e oulras molestias anlogas, que
urna combinado dos alterantes mais eflicazes conhecidos, e que esta combinac^o lem sido
regulada por longas e laboriosas experiencias, e finalmente que temos consciencia deof-
ferecer ao publico o melhor resultado que possivel produzir, da inteligencia e pericia
medica dos nossos lempos.
Esle remedio deve ser tomado com systema e regularidade, e n3o com abandono,
pois um remedio e nao bebida.
Quando as molestias do figado n3o tem sua origem na escrfula, o remedio
mais proprio as pilulas calharticas de Ayer, que sao eflicazes na cura da molestia, que
em por causa um desarranjo dos org3os digestivos. Pedi a salsa parrilha de Ayer e
nao aceilai outra preparaco.
Pernambuco, ra Nova n. 18, pharmacia francezade P. Maurer & C.
Compra-se ama eterava de idade que saina
cozinbar o diario do orna casa e ensaboar : 00 pa-
teo de S. Pedro n. 12, sobrado de om andar.
Compra-se ama casa de sobrado no aterro
da Boa-Vista ou roa da Aurora : a fallar na ra
do Crespo n. 17. ________
Compra-se om escravo que seja possante e
sadio, e que cao teoba vicios : na roa da Senzala
Velha n. 94.___________________________
Compra-se papel de jornaes para embrufno a
130 rs. a libra : na roa do Crespo o. 23, esquina
do Quelmado.
ma
X. 00
Atten$ao 1
Attenf&ol
Atten$lal
Grande sortimento de fazeadas pro-
prias para a q na resma.
Acaba de chegar a esle nevo esiabelecimento
am grande e variado sortimento de 'aseadas pro-
prias para a quaratma, a saber :
(ir sdeuaplts preto a latiOO o cavado.
Vende-se om grande sortimento de grosdena-
pie a 12600, 148OP, 2* e 2*o00 o covado ; dito
muito superior a 2*800 e 3 : na roa da Impera-
tris n. 72. loja de Guimaraes & Irmio.
Moriantiqae uelo- a 25800.
Vende-se um grande sortimento de morianiique
a 2S800, 3* e 3*800 o covado.
Chales de renda pretos a SOOO.
Vende-se tambem am variado sorlimtntc- de cha-
les de renda a 8*, 9*500 e 10* ; ditos muito linos
a 11* e 12* ; ditos de seda fazenda muito una a
20*000.
Retondas pretal a Of.
if,ei'i.2"V.el0naa*pr,elas pel b"lllpr,ec de POMs pelos precos que comprara as casas ingle-
aLAi *DfJM da lm*n* D- 72> loa de us, sendo com o 'dinheiro vista.
GaimarJe, & Irmao. Pechincha a 30OO0 e
da imperatrtz,
DE
GAMA SILVA.
'" LOJA E AHMAZEM !F. FAZENDAS.
Tendo os proprietarios de.-te grande esiabeleci-
mento feito um grande al atimnito em muitss 'de
aaas fazenda*, pela occasio do balando que deram
no ultimo de dezembro de I8G0. resolveram vender
muito mais barato do que cosluwam aHm de cada
ves raals agradarem aos seu numerosos trege-
les ; por tanto Ihes offererein um avulado sorti-
mento de fazendas francezas, iDglezas, as quaes
vendero mais barato do que em ouira qnalquer
parte, comprometiendo se a mandar levar qualqaer
fazenda em casa dos fregurzes que nao pederem
vir a loja, ou a darem as amostras, deizando car
o penhor, assim como convidam as pessoas, que
negoclam em menor escala que neste grande esia-
belecimento encontraro om grande soitimento
tanto a retalbo como por atacado, veodendo-se-lhe
VENDAS
FOLHIMAS
PARA 1866.
Acabam de sabir luz as folbinbas de
algibeira e de porta para o anno de 1866, o
mais correctas possivel tanto no calculo das
las e eclipses, como as diversas fesias
que a greja celebra; vendem-se nicamen-
te na livraria da praca da Independencia,
160 ris as de porta e 320 ris as de
beira.
Grande pechincha panno preto 2:>000 o
covado.
Vcnde-se panno preto proprio para caigas e pa-
litots a 2* e 2*200 o covado ; casimiras pretas
a 1*800, 2*, 2*400 e 2*500 o corado.
E' muito barato caries de casimira a 3500.
Vendem-se cortes de casimira preta a 3*500
4* e 4*300 ; dita muito una a 6*.
Admira cortes de brim de cores a
1,280
Vendem-se curtes de brim de cores para calca a
1*280,1*600, 1*800 e 2* : na roa da Imperatriz
n. 72, loja de Guimaraes & IrmSo.
E' baratsimo a i 20 ris a covado.
Vendem-se riscadinbos muito proprios para roa-
pa de escravos, a 120 ris o covado; ditos escoce-
zes maito fios a 240, 280 e 300 ris o covado.
Laazinhas a 3oo rs.
Lazinbas de quadrinbos a 300, 320, 360 e 400
rs. o covado ; ditas muito finas a 500 e 860: na
roa da Imperatriz a 72, loja de Guimaraes & Ir-
mlo5.
Cortes de 13a a 500O.
Acaba de chegar a este importante esiabeleci-
mento um sortimento de cortes de la que se ven-
de por 5* e 3*500; ditos a Mara Pia, fazenda
S05OO
AS MELPOMENS DO PAVAO.
Vendem-se bonitos coites de melpomene para
vestidos de senhoras, sendo dos padr5es mais mo-
dernos pelo baratissimo preco de 3*000 cada am.
Ditos de indiana, tendo oito e rneia varas, pelo
baratissimo prego de 2*500 rs.
Islo para acabar na leja do Pavao, ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
As toa1 has de li ho do Pavo.
Vendem-S3 superiores toalhas de linhos para
rosto pelo baratissimo prtfo de 7*500 a dnzla ou
a 640 cada urna.
Guardanapos de linho adamascado para meza a
2*800 a dnzia ou a 240 rs. cada om.
Superior atoalhado de liubo com oito palmos de
largura sendo branco e pardo, e vende-se mais ba-
rato do que em outro par te, na lija do Pavao na roa
da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Os corpinhos oe seda pretos do Pav3o.
Vendem-se os mais ricos corpinhos de seda pre-
tos, ricamente enfeitados, pelo barato preco de 12*
cada am : na loja do Pavo na ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Corles de coiim para calcas
a 1*120 s o Pavio.
Vendem-se superiores curtes de cotim, f-uenda
multo eocorpada para calcas e pahtols, tendo pa-
muito moderna a 12, 14*, 18* e 20* ; ditos com orbes escaros e alegres, e vende-se pelo barato
Vendem-se 400 pedras para ladrlbo, viudas
da liba : a tratar na ra do Vigario n. 14. _
Vende-se urna escrava de 40 annos de idade,
a qaal cozioba e eogomma perfeitamunte : na ra
de Santa Bita n. 44.
Burro.
preco de 1*120 rs. o corle de calca ou a 320 rs. o
covado, sendo esta fazenda grande pechincha pelo
preco.
Brim pardo entranjado a 700 e 800 rs. a vara.
Dito liso multo encorpado a G10 e 700 rs. a vara.
Dito branco entrangado a 1*280 rs., isto pe-
chincha na loja e armazem do Pavao na ra da
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Veade-se am borro de 7 palmos, bom para car-
ga ou carro : na cocheira da ra da Roda.
P40 DE SENtIO
camisinba, cinta e grvala a 25* e 28*.
Chitas francezas largas a 260 ris.
Vende-se am grande sortimento de chitas a 260,
280, 300, 320 e 360 rs. o covado ; ditas preciares
a 400,440 e 300 t$.
Cambraias de cares a 280 rs a
covado
Vendem se camlraias francesas a 280,300, 320,
360 e 400 rs. o covado.
Cambraias lisas a 3.000 r s. a peca.
Vende-se um grande sortimento de cambraias
lisas pelo barato prego de 3*, 3*500, 4*, 4*500 e '. "um": na loja e armazem do Pavao na
L PJ,to..H a 3*S0 e *$ dltas vlctor"? Imperatriz n. 60, de Gama & Silva,
a 6*500 e 7*; ditas de urna vara de largura a 8* i
e 9* ; ditas para forro a 1*600, 2* e 2*200 : na Rico* vestidos a 8000 rs.
ra da Imperatriz n. 62. pechincha admiravel.
S o Pavo recebeu pelo ultimo vapor franeez
om grande sortimento dos mais ricos cortes de
Os cortes de cambraia branco bordados na
loja do Pav3o.
Vendem-se os mais ricos cortes de cambraia ri-
camente bordados com barras e babados a 20* ca-
rua da
ROUPA FEITA.
Vende-se um completo sortimento
--" V ,. f|.- .: .. .i______i;,...__J._ _".l-i__ UIU KiaUUe SUIllllieiJlU UUS llldl> I IIU> cunes uc
le Sen.eio nos dias quartas JoSS TancezaTa fmT&?&tT 'osparentes com lindas barras e enfeites
e sabbados, na padaria de Santo Amaro, atraz da
fundifo, e no Recife, ra da Cruz n. 46, ra lar-
ga do Rosario, taberna da esquina n. 50, ra Nova,
armazem da Liga, ra da Imperatriz, taberna do
Sr. Lemos n. 4o.__________
Na fabrica de vinagre, roa Imperial n. 1,
prximo a estaco do caminho de ferro, vende se
vinagre tinto superior em qualidade a outro qnal-
quer, e por prego mdico, assim como branco e
incolor.
FAZENDAS BARATAS
Ra do Queimado n. %1
PECHMIh
Cambrcias de cores para vestidos, fazenda fina,
a .prego de 300 rs. o covado-
Certes.
Lindos cortes de organdyz.a 7*, cassas de cores',
a 260 rs. o covado.
ntremelos.
Finos entremeios de cambraia a 1* a pega.
Esgniao.
Esgnio de linho muito fino a 1*400 a vara.
Para lence
2* e de linho a 2,-."0(j, 3* e 3*500 \ seroulas de
i*200,1*400 e 1*600, de linho a 2* e 2*500 : na
ra da Imperatriz n. 72, loja de Guimaraes & Ir-
mao.___________________
Pechincha admiravel
Laazinhas de qoadrinhos que parece seda a 240
rs. o cavado, ama grande pechincha, est se aca-
bando : na loja n. 52, armazem da porta larga de
| Par* ''.a, Porto._________________________
CIIEGAKAM
Silva i Alves, ra da Gadeia n. 56, avisara aos
' Srs. agricultores, qoe ebegaram as machinas ame-
ricanas de serrote para descaragar algodo que
1 vendem a prego commodo.__________________
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descarogax
algodo: na roa da Senzala Aova n. 42.
Potassa da Russia
Vende-se no armazem de assucar de Jos
Bramante de linho 'paraTnges a prego de da Silva Loyo & C, largo da Assembla.
VENDE-SE
\o armazem de li- .1. Ramos e Silva d Cienro. ra do vigario
ii. 11, constantemente, os seguintes artigo*, que
reeefrem por eaeommeada propria de
IEW-YORK.
" -
Legitima salsa parrilba de Brislol, preparada por Lanman & Keiap.
Verdadeira agua Florida, preparada pelos mesmos.
Gai em latas de cinco galoes, o mais purificado que se pode desejar da acredi-
tada marca F. W. D. & C.
Rekigios perfilos reguladores, com corda de quatro a oito dias, dos afamados fa-
bricantes E. N. Welch.
Graixa em latas grandes da bem conhecida marca las. S. Masn (de Philadel-
pbia).
2*200 a 2*300 a vara, can braia branca para for-
ro, vara 240 a 400 rs. Ra do Queimado n- 27.
Vende-se ou alega se um terreno com dnas
frentes para a raa do Brum n. 21 e para a ra dos
Goararapes n. 20, muito proprio para deposito de
carvSo, madeiras, ou carrogas e bois, por ser gran-
de, ter cacimba e tres telhsiros, e um caixo de
casa em respaldo : a tratar na roa da Cruz do
Recife n. 59.
Gaz,
gaz, gaz,
Gaz em latas o melbor que tem vindo ao mer-
cado desembarcado ltimamente e vende-se por
prego barato : na roa da Cruz do Recife n. 37,
junto a loja de fanieiro esiabelecimento de Joa-
qun) Fernandes da Costa.____________
de seda, sendo estes vestidos muito proprios para
baile e passeios, e vendem-ie pelo baratissimo
prego de 8*000 rs. cada um, na loja do Pavo na
roa da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Cortes de chita a 2$000
S NO P0V0.
Vendem-se cortes de chitas inglezas com dez ca-
vados a 2*.
Ditos com onze covados a 2*200.
Ditos com doze covados a 2*400.
Ditos de chita franceza com dez covados a
3*200 s na loja e armazem de fazendas do Pavo
| na roa da Imperatriz n. 60 de Cama & Silva.
fl chatas nrctiK il>> r#nd;i dn Pava a v" (W10. rs
Vendem-se os mais ricos chales pret< s de renda
com quatro pontas, senda muito grandes pelo ba-
ratissimo prego de 8*.
Ditos de guepure a 15*, 18*, 20*, 2o*.
Retondas de dito a 10*.
Manteletes de renda, tazenda muito superior a
15*000.
Capas e santhambarqnes de grosdenaples bor-
dados, fazenda inteiramente nova,*por precos mais
baratos que em outra qualquer parte.
Isto na loja armazem do Pavo na ra da Im-
peratriz n. 60 de Gama & Silva.
Oschalcs do pavo a 2ooe e 25oo rs.
Vendem-se chales de merino estampados a 2*
e 2*500 cada um.
Ditos de merm liso a 3*o00.
Ditos estampadlos de crepon a 6*, 7*. e 8*000.
Ditos pretos bordados com franja de seda a 14*.
Na loja e armazem do Pavo na ra da Impera-
triz n. 60 de Gama & Silva.
Para luto vende o Pavo.
Setim da China com 6 palmos de largura, fazen-
da preta para loto, propria para vestidos e roupas
Lantljlas.
A loja da Aurora, na ra larga do Rosario n. 38,
~ Vende se om mulato de idade 18 annos boa recebeu sortimento de lantijolas molto delicadas e para horneas, sendo esta nova fazenda sera lustro e
figura : na ra do Imperador n. 42, 3 andar.' proprias para qualqner enfeite, assim eomo tam- de muito boa qualidade, garantindo-se nao iicar
: hpm raeeben luvas de Jouvm brancas e de cores rossa com o tempo e vende-se pelo barato prego de
2* e 2*509 o covado, assim como neste estabeleci-
pelo ultimo vapor, tudo Isto na loja da Anrora, ment tem um grande sortimento de todas as fa-
ma larga do Rosario n. 38.
Vende-se ara cabriolet em muito bom sstado,' para noraem e senhora, muito fresca?, chegadas
m a nnmrtAlanta ravailn nrvr nrafA pnmmnfln t_*_ u_____ *^j_ t_. _- i.. j. -

Superior oleo para machinas de costura.
A gnlhas para as mesmas.
Breu em bar icas grandes e pequeas.
Vende-se tambem:
IIOHIMAI \
qualidade.
[St. Estephe.
St. Jalien.
C. Margaux.
|C. Lafitte.
! Medoc.
PORTO
Ia qualidade,
Principe Real.
Pedro V..
Mara Pia.
Prioceza D. Isabel.
Vctor Emmanuel.
fDuqud.
Malviia.
Vinho fino do Porto embarris de 5/, 10/ e
Superior vinbo do Rheno.
Cera de Lisboa em velas e em grume.
20/.
com o competente cavallo, por preco
na roa do Imperador, cocheira n. 27.
Vende-se farioha da trra muito boa, tanto
por atacado como a retalbo : na padaria do Cho-
ra-meninos.
Vendem-se doas cadelras americanas de ba-
taneo : na Capnnga roa das Crioulas em casa da
vlava de Joo Evangelista.__________________
' MACHINAS.
JooQaerino de Agoilar & C. vendem machinas
para descarogar algodo ; em sen armazem de fa-
rinha no caes de Apollo n. 53.
Vendem-se dnas casas terreas em Olinda, de
pedra e cal, em chaos proprios, urna na ra da la-
deira da Misericordia n. 11, e outra na ra da Bica
dos Qaatro Cantos n. 13 : quem as quizer ver dlri-
ja-se aos Quatro Cantos., era Olinda, taberna de
Jos Perner, e para tratar no Recife, ra do Pilar, e matisadas.
Vendem-se na loja de miudezas
ama do queimado n. 16.
Bonitos leques de sndalo e outras qualidades.
Bonitos cintos com fivellas de diversas qualida-
des e moldes.
Brincos e cruzes de crystal.
Abotoaduras de dito para coletos.
Bonitos port-relogio?.
Delicadas caixas com msica e sem ella, para
costura.
Agobias e linhas para chrochel.
Retroz superior em carriteis.
Rendas pretas e bicos com vidrilhos.
Fitas de velludo com lis-tras de cures para en-
feites de gorros e vestidos.
Ditas de grosdenapoles, lisas e lavradas, brancas
numero 56.
das
Vendem-se garrafas e botijas vasias e lava
na roa da Soledade n. 38.
colares Royer ou colares ano-
dinos
\ para facilitar a dentigio das criangas e preserva-
_ Vendem-se 2 lindas crioulinhas de idade 13 las das convulsoes.
a 15 annos, recolbidas, com habilidades, 3 escravos' O feliz resaltado obtido immensas vezes
para todo o servico, 1 lindo moleqoe de idade 13 prodigiosa forca magntica dos colares Royer, nos
annos, 1 negra por 500*, 1 mulata perita engora- [ casos de eonvals5es, e dentigo das criangas, tem
zendas pretas como sejam cassas e chitas pretas,
lias upadas e transparentes, prinrezas, alpa-as,
sarjas, etc. : na loja e armazem do Pavao na roa
da Imperatriz o. 60, de Gama & Silva.
Os bales do PavSo.
Vendem-se superiores baldes de murulina com
moila roda a 5*., ditos crinolines com 35 arcos a
3*500, ditos com 20 e 25 a 3*, ditos para meni-
nas, sendo trancos e encarnados a 2* e 2*500 :
na loja do Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
maeira : na travessa do Carmo o. 4.
Gomma de milho branco
americana,
Vende-se em pacotes de 1|2 libra : no armazem
de Jos Fernandes Lima roa Nova n. 3.
altamente elevado o sea bem merecido prestigio,
! e boje j se pode dizer que estao geralmente con-
ceilnados, e estimados de innumeraveis pais de
: familias : de nos porque do aso desses salatares
charos filbi
Cambraias de forro a 15600 e 0 na loja
do Pavo.
Vendem-se pegas de cambraia de forro com no-
ve varas cada pega, pelos baratissimos pregos de
1*600 e 2*: na loja e armazem do Pavo na ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os xortinados do Pavao.
Vendem-se superiores cortinados adamascados
para camas pelo baratissimo prego de I* cada par,
ditos mnito finos ricamente bordados para camas
oo japellas a 15*. 20* e 25* o par : na loja e r-
pela roazen do Pavio na raa da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Panno preto a 2 na loja do Pavao.
Vende-se panno preto. fazenda mnito boa, pelo
barato prego de 2* o covado, dito multo fino a
3*500, 4*, 5* e 6*. assim como casimira preta de
cordo a 2* o covado : na loja do Pavo na roa da
colares viram salvos do perigo seus -
nhos, e de ootros porque colheram daquelles to Imperatriz n. 60, de Gma fi silva,
proficuo exempio para igualmente preservar os Corlee de laa a Maria Pia na loja do Pavao.
seus. Assim, pols, a aguia branca, tendo em vis* Vendem-se os mais ricos cortes de la a Maria
tas a olllldade e proveito desses prodigiosos cola- pia pelos baralissimos precos de 7* e 8a, ditos
Vende-se um mulatinno de 13 annos res anodinos oo Royer, mandn vir o novo sorti- maito finos a 10*, 12*. 16* e 20* : na loja do
de bonita figura, serve para um bonito pa-' monto qoe agora receben, a continuara a recebe- j pavo na ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
LOJA DAS

gem.' na ra do Queimado n. 34.
Ceneja geada
Ha diariamente A venda por prego commodo
no armazem da Liga, roa Nova n. 60.
: los para que em tempo algum a falta delles nossa
ser funesta aos pais de familia, os qoaes Dcarao
I certos de os achar constantemente na roa do Quei-
mado, loja d'aguia branca n. 8.
RA A CADEIA W< 56 A,
Continua a ter grande e completo sortimento do
Machinas americanas para descarocar algodo
dos m Inores fabricantes de 10,12, 14, 16, lev SO, 28,30 e 38 serrotes qoe ai vende por prego
mido, em consequencia de ltimamente as ter recebido de conta propria dos Estados-Unidos.
resu-
Agencia de passaporte
Gandi do Reg Lima, despachan! de nusa-
porte,Ur* passaporte para dentro e fra do imperio
por cota modo preco e presteza : oa ra, da Prata
D. 47, !! andar._____________________\
Precisa-se de orna malber qae saiba
tbar bem : na roa do Hospicio n. 44. i
cosi-
Saques sobre o Rio de Ja-
neiro.
Saea-se qnalquer qnantia sobre a praca do Rio
do Janeiro, a' prazo oo vista: na companbia Per
nambocaoa, Porte do Mattos, scriptorlo a. i.
Ghapelinas insde< as a roa Ho Quei-
mado i,H, loja de Aagusto Porto
Chegou pelo ultimo vapor da Europa om com-
pleto e variado sortimento de chapelinas de seda
modernas para o qoe se convida as pessoas qoe
preclsarem de comprar a virem ver as qnaes
vendem por pi eco o mais barato que possivel.
Os cachinez do Pavo.
Vendem-se bonitos cachinez de lia ou agazalhos
para cabeca pelo baratissimo prego de 3*000, s
na loja do Pavao, oa ra da Imperatriz n. 60.
Algodaozinho avahado.
Vendera-se ecas de algtdaoznho sendo mnito
encornado, e com 20 jardas, pelo baratissimo proco
de 5*000, por ter um peqoano toque de avarla.
O Bramante do PavSo.
Vinde so superior bramante de llano cr tendo
PechDcha
Na roa do Queimado o. 40
Cortes de laszinha de cor, bonitos gostos, eom
15 covados a 3*600.
Cassas organdys de cores, covade a 240, pegas
se de algodozlnho largo com i 7 varas a i*.
Ditas de dito com 17 varas, mnito encorpado,
com pequeo deleito; a 4*800.
Grosdeaule preto maito superior, covado 2).
Dito dito a 1*600.
Retondas de renda preta a 10*.
Chales de renda preta a 8*. ____
atz.
No armazem da ra do Imperador n. 3 oo no
Caes de Pedro II n. 2, tem para vwder-se o me-
quatro palmos de largora, pelo baratissimo Pr^ i "or W.eastento no mereaao.
de 800 rs. a vara, dito eom 10 palmos a 2*400 a
2*800 a vara, atoalhado de linho adamascado, alvo
e pardo, pel baratissimo prego de 2*800 rs. a
vara, na loja armazem do Pavio, na roa da Impe-
ratriz 0.60. 1
Boa-VHU
querer retirar para fora da provtj
tender dlrlja-se i Bfsaa taberna
quem tratar.
Silva.
Os espartilnes do Pavo.
Vendem-se urna grande e variado sortimento de
espartilhos dos mais bem feitos que tem 'vindo ao
mercado, sendo de todos os tamanbos, vendendo-se
por um prego maito ratoavel : islo na loja do Pa-
vo na raa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Silezia para saias a 44o rs. a vara na loja
do Pav3o.
Vendem-se silezia ondeada sendo fazenda maito
boae propria para saias, pelo barato prego de 440
rs. a vara : na I jja do PavSo na ra da Impera-
tri B. 60, de Gama & Silva.
i alas bordadas do pavo.
Vendem-se saias bordadas sendo fazenda muito
boa, sendo ricamente bordadas e com mutia roda
vendendo-se pelos baratos pregos de 6* 89 e 10*
reis cada orna na loja do Pavao na ra da Impera-
triz n. 60 de Gama & Silva.
1 Pegas de madapalie eafeslade.
Vende-se pecblncbas de madapolo entestado
com lt jardas cada pega i lo faz?nda rooito su-
perior peloa baralissimos pregos de i e 8* rana
loja do Pavo na rus da Imperatriz n. 60 de Gama
BretanhaideroloaS^OOO
Vendem se pegas de bretanba do rolo com 10
viras cada pega, pelo baratissimo prego de 3* :
na loja armazem do Pavao, ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Sil va.
Cortes di cambraia com palpas na loja do
Pav5o
Veadem-se cortes de cambraia branca cem pa-l-
j mas, sendo fazenda mnito ota, pelo barailaslmo
prego de 2*600 para acabar : na loja e armazem
do Pavao na ra da toparan lz n. 60, de Cama i
Silva.
Lechos branco* a 0OO reto a
duala.
Vendem ?e lencos brues farenda muito boa
peto baralisimc^i.ieco de a* a dozli. Ditos om
barra de rr ^OOO isto para acabar na loja do
Pavao na ra da lustran z n. 60 de Gama di Sil-
"'GRANDE PECHINCHA!
Lsinhas a 120 rs. na loja do Pavo.
Vende-se lsinhas pretas proprias para luto en-
do boa fazenda a 120 rs. o covado. Ditas maito
Anas de qoadrinhos a 480 e 320 rs., ditas entesta-
das a 400 rs., ditas mathizadas a 320 rs., ditas
transparentes cora palma de sedas 400 rs., ditas li-
zas e com lpicos a 500 ($., para acabar na leja e
armazem do Pavo na ra da Imperatriz o. 60. de
Gama & Silva.
Poupelinas modernissimas a 400 e 500 rs.
o covado na loja do Pavo.
Vendem-se poopelinas muito Anas seato fazenda
muito moderna de quadrinbos e liza vendendo-se
pelos baratos precos de 400 e 600 rs. o covado na
loja do Pavo na ra da Imperairiz n. 60 de Gama
& Silva.
Grosdenaples prcles do Pavo.
Vendem-se superiores grosdenapies pretos pelos
baratissimos pregos de 1*500, 1*600, 1*800 e 2*
o covado, sendo fazenda rauim boa. s para aca-
bar : na loja e araazera do Pavo, ra da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Bramante de linho do PavSo.
Vende-se superior bramante de linho com 10
palmos de largura, proprios para lenges, pelos
baratissimos pregos de 3* e 2*600 a vara, assim
como panno de linho muito fino pelos-baratlssimos
precos de 64o, 700 e 800 rs. a vara : na lojs e ar-
mazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
As rassas'do Pavo.
Vendera-se cassas muito superiores com lindes
padroes, pelos baratos pregos de 300 e 320 rs.-o
covado, ditas muito boas a 360 rs. para acabar :
na loja do Pavo, raa da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Cambraias lisas do Pavo.
Vendem se pegas oe cambraia lisa muito supe-
rior, pelo barato preco de 3*200 e 3*500 a pega,
ditas rauito finas a 5*, 6*. 7* e 8* : na loja e
armazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
PECHINCHA 1
a 2/JOOO, para calcas, s o Pavo.
Vendem se superiores corles de meia case mira
rom msela de seda a 2*, ditas Garibaldinas a
2*b00, dl:as escuras a 2*80, ou a 1*600 o cova-
do : na loja e armazem do Pavo, ra da Impera-
triz n. 60, de Gama & Silva.
PENTEADORES
ou roupoes de cambraia bordados proprios
para as senhoras veslirem de manha.
Chegou esta novidade paia a loja do Pavo,
muito lindos e do meibor gosto at hoje, pur pre-
cos muito razoaveis : na loja do Pavao, raa da
Imperalriz n. 60, de Gama & Silva.
Loja do pavo
Grandes pechlnchas.
Sedinbas a oOO rs. o covado
Sedinhas a 300 rs.
Sedinhas a .'(JO rs.
Vende-se na loja do Pavo, um grande t de sedinhas listradas cora as mais bonitas cores,
sendo os padrSs mais novos que tem vindo ao mer-
cado, e vende-se pelo paratisslmo prsgo de cinco
tostoes o covado, sendo fasenda que valem muito
mais dinheiro, e grande pechincha por se ter
comprado urna grande punida desta fasenda, na
loja e armazem de faseuda do Pavo, ra da Im-
peratriz n. 60 de
Gama k Silva
Peehincha grande.
Os madapoioes do Pav5o.
.. -. w|iv|IVI(0 pt^ao LUOU|JUId' 3CBUU
muito largo, e muito encorpado tendo 24 jardas
cada pega, pelo baratissimo prec> de 8* e 9.5000,
ditos a 6*j00 e 7*, boa pecim.!>.'. e venie-se
na loja e armazem do Pavo, ra da li; eralriz n.
60 de Gama & Silva.
Casimiras da escocia.
Na loja da Pavao
Chegou esta nova fasenda com o nome de ca-
xemiras da escocia sendo mnito encorpada pro-
pria para calsas, e coletes. e vende-se pelo baratis-
simo prego de 2*800 rs. o corte ou 1)600 rs. o co-
vado, peehincha por que tem duas larguras, isto
s oa loja e armazem do Pavo, roa da Imperatriz
n. 60 de Gama & Silva.
Ronpa felfa.
Na loja do PavSo
Vende-se neste estabelecimenlo um grande sor-
timento de roupas, tanto de panno como caxerairas,
e brins e pelos baralissimos pregos como sejam
caigas de caxemira preta a6* 7* e 8*000reis, pa-
letots de panno preto saceos a 6* 8* e 12*000 rs.
ditos sobrecasacos de panno Bnissimo a 12* 18J e
25*000 reis, e ootros muitos arligos que serla en-
fadonhosaqu reltalos; s na loja e armazem do
Pavo raa da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Cirande pechincha.
a 18000 reis.
Na loja do Pavao
Vende cortes de castor para caigas, padroes es-
curas e claros, e fasenda moito encorpada pelo ba-
ratissimo prega de, 1*000 is. o corte, no armazem
do Pavo roa da Imperatriz n. 60de Gama& Silva.
Mantas a l000.
De pura seda
Vende-se na loja do Pavo, mantas de seda pre-
tas e de cores, lindos gosto pelo baratissimo prego
da 1*000 res, sao das mas largas, assim como tem
um grande sortimento de grvalas de seda de cor
bordadas e de setim preto e ditas de setim branca,
e vende por pregos muito resamidoss, o Pavo na
ra da Imperatriz n. 60 loja e armazem de Gama
& Silva.
Chitas rdxas
a 6*000 reis a pega
S na loja so Pavo
Se vendem pegas decmtas rxas inglezas, sendo
cores Usas tendo 38 covados cada urna pega pelo
baralissimo prego de 6*000 res, a retalbo a 160
rs. o covado, ditas escuras e claras a 200 rs. o cu-
vado, lija do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Ga-
ma & Silva, Gama & Silva.____________^ _
No armazem de tazenda
baratas de Santos Coelb.o
Ruado Queimado n. 19.
Vende-se o seguate :
Cobertas de chita da Iodia a 2*400.
Lencoes de panno de linho a 2*200.
Ditos de bramante de linho de om s psnno a
3*200.
Leocos de cassa brancos proprios para algibeira
a 2*000 a dnzia.
Algodo entestado enm 7 1|2 palmos de Urgora-
a 1*280 a vara.
Atnoalhado de linho a 2*800 a vara,
Dito de algodo a 2* a vara.
Guardanapos de linho a 3*800 a duzia.
Pegas de cambraia de salpicos a 4*500-
Lazlnha aberta de cores a 320 o covado.
Cambraia branca de forro a 3* a pega-
Fil de linho liso fino a 800 rs. a vara.
Dito de dito com salpicos a 1* a vara.
Panno de linho fino com 9 1)2 palmes de largu-
ra pelo barato prego de 2*400 a vara.
Madapoioes Unos 8*, 9*, 10*, 11* e 1-2*.
Cambraia lisa de 4*500, 6*. 6*, 7* e8* a peg.
Pegas de bretaoha de algodo com 10 varas.
opria para saia, pelo baratissimo prfgo iu
LSailnballsadecoresatfOOrs. ooovado.
Cambraias finas de cores miudinhas a 360 rs. o
cavada ,
Esleir da India propria para forro de sala de
4,5 e 6 palotes de largura, per menos preco do
que em outra qualquer parle.
Neste armazem taabam se encontra nm grande
sortimento de ronpa felta e por medida._______
Em casa de Kabe Scjimeitau C,
rte da Gadeia n. 18, vende-se;
Cbampanba.
Cognac de superior qualidade.
Vidros para espelhos de todos os tama-
nbos tudo a precoj maito commodoe.
iw*iw"--*
rr
OfttO
-* n ........ *-'











i
-^r

Muto t PenkM ~ *iat4a flra M> Ftwetro 1866.
PARA A QVABEBMA
Chegaram 2 laja de Augusto Porto & C.
11 Ra do Queimadol
Snpariora corles da sada prau.
Moireantique prelo de flores e de lulas bellos padroes.
Grosdeuaple prelo de diversas larguras e .juaiidade*.
Retondas, bournus e chales de gaip e de rendas.
Pannos pretw, casemiaspretas, bombasuMs.
Lias, canto, merino e selastrinas prelas.
Lindas manas de seda para pefcoc,o.
Ricos cortas de seda de cores para bailes ou calamentos.
Ricos cortinados bordados dos mais bellos bsennos.
Moir branco, seda branca, capailas e manas para noiva;.
Bellas colchas de seda e de laa e seda para cama de noivas.
Saias de flnissima cambraia ricamente bordadas.
Faxendas de pregas para sata que se fazera com urna so costara e tambem tem con
o cordao tecido.
Madapolao francez a 490 e 480 rs. a vara.
Alcatifa de lioho para salas e gabinetes a 480 rs. o covado.
Fazanda especial de qaadros para fazer redas a 35500 a vara.
Superiores esteiras da ludia para salas.
il Ra do Quclmado11
COK TES DE SEDA .V^:.
Chegaram pelo paquete ingle riquissimos cortes de moreantiqoe de cores, e seda lavraaa pa-
irees inteirameBte novos. aaa J
Seda de quadros por 1#000 o covado
5RA DO CRESPO 5 '
Gregorio Pae do Amaral *fc 'Companhla.
FAZENDAS DE Bd |
GOSTO
q
-
Para vestidos de senhora.
Cortes de seda de cor de bom gosto e superior qaalidade.
Liadas sedas de quadrinhos.
Bons moireantiques de cores. j
Grosdenaples da todas as cores.
Lindos poil '. chevre fazendaassetinada de inteira novidade.
Liadas duquezas assetiaadas fazenda inteiramente nova.
Modernos greaadines de seda o que tena violo de mais novo.
Grande variedade de laas de cores lisas e do salpicos.
Orsjandys e cansas de muito bom gosto.
Percalias modernas com grande variedade.
Lindos cortes de 15a Clotilde com todos os pertences cada um em sea car-
ian iateirameate aovos. i
Bons cortes de ca>si co a barra tambem inteiramente novos e 01
fazendas de gosto que seria enfadonho mencionar.
Para hombros de senhora
Grande variedade de chales, bournoux, retondes e algeriennes de fil e de<
guipure a 10, 16, 20, 30, 40, 60 at 800.
Modernos soutembarques de seda de superior qualidade.
Lindos bertes de seda de cor pretas e de cachemira.
dem de canbraia branca bordada com maito gosto.
Sautembarqaes ebournoux de cachimira de cor e outros muitos artigo* dej
bom gosto.
Para cabeca de senhora
Superiores chapeliaas de palha, de serta e de crina de muito bom gosto a
peratrii.
Oiaposdepittia da ttsrrm gnmde vaciedade. ---------_
Lindos gorros e nonets de palha d& Italia, k Ianperatnz, Canutier,
fe e a Grante, chegados de Paris pe'o ultimo vapor.
$0 Grande variedade de eofeites de-froto e de flores para casamento.
S iperiores vestidos de Monde, e de moireantique brancos.
Bons nnireantiqnes brunos e saperiores sedas brancas.
Bons vestidos de ta-latana branco bordados.
Lindas mantas de Monde e boas capellas.
Bordados.
Grande variedade de ntremelos bordados transparente e tapados.
Tiras bordada* transparentes e tapadas, babados bordados, satas bordadas e
outros maitos artigos.
Ii DE 4NTONIO CORREU DE VASCONCELLOS & C.
RA DO CBESPO W. 13
Clotilde'
RA DO BRUJ! Ufo 38.
O propietario deste eslabelecimonto deseja chamar a attencSa dos senhores pro*
orielarios aos acraJtados meetwiismos queicontinua a fornecer; os quaes garante ser,
como sempre, da meibor qaalidade possivel:
Machinas* de vapor
orca de 2 l/% cavallcs para cima. As menores so mui proprias para motete sd
desoarocamenlos de a'godo; as maiores para moer canna; h-a tambem que podem junta
ou separadamente moer canna e descarocar, segundo soas proporoSes. Estee vapores
s8o simplissimos na construc-eao, e seregem por qualquer pessoa inteligente* a facilida-
de da condcelo sendo especialmente considerada, tanto qoe nao ha lugar em que nio
se p )ssam condozir, qur por trra, qnr embarcado. Ha com moendas juntas ou sem
las e podem-se applicar a qualquer moenda j existente sem outra mudanza do qoe
;; substituigao das rodas da almanjarra. Ellas tem depsitos d'agua e boeiros de ferro,
e nao precisara para o seu assenlamento de obra alguna, qur de Garapia, qur de al*
vinaria. O tempo para assenta-las nao excedo de iloze das ao mais, e em casos de
mortes de animaos ou arrombamentos de acudes, ele, garante-se o assentament em
oiio dias. Lembra-se aos senhores de engenho que a venda dos anmaes e o serviep. da
gente oceupada no sea tratamento osho de recuperar da maior parte da despeza do
por deixando-lhes a vantagem de urna moagem certa e accelerada; e acabandocem a
dapeza da compra continuada de novos-animaos, com os desgostO^s do trataUm-que
s; tora com ellos.
Roda d'ogna d ferro, muLmaneias e moendo
d'agua.
Sarllbos eom cruzeiaa de ferro para as mesmas, quando se desege fazer
e; esto da roda de madeira, ton)ando-sesim a roda Irgeira no trabalho. .
Mocadas de cansa do todos os tamanh os, desde as mais pequeas chamar
(i.'is do serto. Obra perfeita em feitio o atuebamenio.
Rodas de espora e angulares de todos os tam?nhok e proporces.
Paroes on coches para receber o caldo.
Crivos de f orna Iba para assen lamentes, frescos para o foguista, fajendo
erar.de o%r eom pouco combnstivel, e duradouro.
Portas de fornalha de todos os tamanios e de diversos systetnas.
Fornos e muEahos para a fabrica de farinha e tambem chapas redondas
pira fornos pequeos.
Bombas simples o de repucho.
Talxas de ferro batido e fundido e de cobre-
Formas de ferro batido galvanisado para purgar asucar, leves para carregar
e isemptos de quebrar-6e.
Alambiques de ferro de todos os tamj'.nhos, custando s a terca parte d
prv.o dos de cobre, mais regulares na disliaco e Igaataente duraveis.
iIkos e roda de carro com mag s de patente, obra mui segura para
carregaclo de peso.
Arados, grades, cachado aearallo e ostros instrumentos de agri-
K analmente todo o cbjecto d que possa precisar um.engenho.
com quitl
cuitara.
Maekkias de d&sCTOCi, &o.
Na fabrica se fazem obras novas encomme
za Q solidez O grande: deposito aepeai.e objecL
O proprietario sera sempre mui f^s depod
esc'oreo i men tos aos senhores que seservirem rj
preste-1
esto fim.
5esou
s
NOVOS GERENTES
DOS
Tiu;*^itvvi>is
\mmm de molidas
m DENOMINADOS
PROGRESSIVO pateo do Carmo n. 9
UNIAO E COMMERCIO ra do Queimado o- 7.
VERDADEffiO PRINGIPAL ra do Imperador n. 40
DE
DARTE CARYALHO PERIRA C
CO^lLm MBWGMMtC
m
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
enhos, lavradores e mais pessoas do caatro, que para mais facilitar suas compras deli-
eraram os proprietarias dos tres grandes armazens, reunir todos os seos, estabeleci-
tnentos em um s annuncio, pelo qual o proco de um ser de lodos, proraette-
mos que nio infringiceaos a. tabella, que abaixo vai publicado, annunciar os gneros
por um prego, e na occasiSo da compra quererem por outre, como socede constante-
mente em outras maitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar isto
inda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seas fmulos que
serao tambem servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feix-adas; para evitar qualquer engaos, remettendo nos qma coala
pela qual se ver os procos tai qual annunciarmos, o que senao arrepender pessoa
alguma que 6zer sua despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cenlo na sua despeza. diana.
Manteiga igleza perfeitamente flor che-
gada ltimamente a i,ooo rs. a libra, e
em, barril tari aba timen to.
Manteiga franceza da safra nova a 8oo rs.
a libra e em barril ter abatimento.
BANHA
Banha refinada superior a 64o rs. e em
barril ter abatimento.
CHA
Cha uxim de primeara e superior qualida-
doa ,8oo rs.
dem hysson o melhor neste genero a
2,ooo rs., e sando em parolo tora abatimen-
to, tambem ha proprio para negocio de 2 a
z\4oo rs. a libra.
dem preto superior de l,8oo a 2i5oo rs.
a libra,
BfSCOHiOS
Latas com superior biscouto inglez de di-
versas marcas a l,2oo rs. a lata.
Rolaehlnhas
Latas com bolaehinhis da acreditada fa-
brica do beato Antonio, proprias para dar a
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata.
dem com quatro libras de bolachinha de
soda a 2,ooo rs. a lata.
Queijos
Queos flamengos chegados pelo ultimo
vapor de 2,3oo a 2.5oo-rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespanhol a l.ooo e i,2oo rs.
a libra, francez e sulsso a l.ooo rs. a libra
e portuguez a 800 es. a libra, em porg3o
ter abatimento. <
VINHOS
Sujrelu vluu ttirPui'to ao-ra^m owdl-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Velho Secco, Lagrimas do
Douro, Maria Pi, D. Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a i,ooo a garra-
fa e 9,ooo a 12 oqo rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3,ooo,
3,5oo e 4.000 rs. a caada.
Superior vtnho chamisso em barril a 64o
rs. agarrafa ea 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
auceretas de 8 e 9 caadas a 2i,ooo rs'. a an-
coreta.
Superior vioho braoco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
sapara 4oo, 5oo ra. a. garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
Caixas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caia e
7oo rs. a garrafa. ^
CAFE
Cafo do Ro de .1.* e 2,* qualidade dB
6,8oo a 8,20o rs. a>arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
NABLO
- Tlnagro
Superior vinagre de Lisboa a 2,000 rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ha
mais baixo para 2oo rs. a garrafa e l,4oors.
a caada.
Atite Mae
Superior aaeite doce de Lisboa a 64o rs. a
garrafa e a 5,ooo rs. a caada.
FU\fO CAPORAL.
Latas com superior fumo caporal a l,8oo
rs. a lata.
Passas
Superiores passas a 2,5oo o quarto e
9,5oo rs.! a caixa de arroba hespanhola e a
56o rs. a libra.
GEfKBRA
Genebra de laranja verdadeira a lo,50o a
duzia e i.ooo rs. ao frasco.
Genebra de Hollanda verdadeira a 6,ooo
rs. a fiasqueira e a 56o rs. o frasco.
Idom de Hollanda em botijas a 4oo ra. ca-
da uns.
Garrafbes com 24 garrafas de genebra de
Hollanda a 8,ooo rs. o garrafao. Tambem
ha garrafoes com 5 e 14 garrafas de 3,2oo a
6,ooo rs. cada um.
VELAS
Velas de spermacete a 6.4o rs. a libra.
dem de carnauba de lo a 12,ooors a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
PEIXE
Peixoem latas j preparado de l.ooo a
1,2oots. a lata
ALPISTA E PAINQO
Alpista e painco muito novo de 3,8oo a
4,ooo rs. a arroba e de 14o e 160 rs. a li-
bra.
GlAOUTOe.
Superiores charutos do fabricantes Simas,
Imperiaes, Delicias, Parisienses e outros de
2,2,5oo e 3,ooo rs. a meia caixa: tambem
temos Suspiros, Uavaneiros, Ligueiros e
outros muitos que. vendemos por mdico
preco.
lileores
Licores francezes e portuguezes a l.ooo e
l,4oo rs. a garrafa on frasco.
Doees
Doce da casca dagoiaba emcaixoes e la-
tas a l,2ooocaixo e 2,8oo rs. a lata.
Frats
Frutas em calda o em latas fechadas her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pera, pecego, ameixa rainha Claadia, al
perche e outras frutas, aoi rs. a lata.
Tambem ha lata'grandes para l,2oo rs. a
lata.
AZEIT DE REFINADO
Superior azeile fraocez refinado a 8,ooo
rs. a garrafa e a9,ooo rs. a duzia.
MOLHO INGIEZ- SAUCE
Molho inglez Sauce em fraseos grandes
com rolha de vidro a l,8oo rs. o frasco emi
DO
DR. PlttRO f ATTAHYD OBO MOS0,
HBDICO, PABTE1RO B OPERADOS.
3Ra da Gloria, casa do Funda**-1?
O Dr. Lobo Moicoso da consultas gratuitas aos pebres todba os dias das. 7 hs 11
ftoraoda uanbao, edas 6 e meia as 8 horas da aoUe, > exoepcao dos dias santfcados.
Pharmacia especial komeopathica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varia dyaMatsacJer-e* pelos precos seguintes
Carteiras de 12 tutos grandes. U000
de 24 tubos grandes. 18)0000 -
> de 36 tobos grandes. 244000
de 48 tudos grandes. 30#000
de 60 tubos grandes. 35QQ0
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizr, e eoaa os remedios
que se pedir.
Um tobo avnlso ou frasco de tintura de meia onga 1 Sendo para cima de 12custarSo os precos estabelecidos par* as carteira.
Ha tobos mais pequeos cada urna 600 ris.
MVROS.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Ja h
dons grandes volumes com diccionario............ 201000
Medicina domestica do Dr. Bering.......?. lOflWO
Repertorio do Dr. Mello Moraes............ 6,0000
Diccionario de termos de medicina........... 3$HX)
Os remedios deste estabelectmento s2o por demais conhecides e dispensara por
tanto de serem novamente recommendados as pessoas que quizerem usar do rsmedios
verdadeiro, enrgicos e doradores: ha todo do melhor que se pode desojar, globos de
rerdadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservaco, tintura dos mais acredi-
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparago, e portante a maior
energa e certeza em seus effeitos.
Casa de saude para eseraws.
Recebe-so escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fzer-se-lho qualquer
operaco, para o qoe o anounciante jnlga-se sufficientemente habilitado.
O Iratamento o methor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica,
funecionaado a casa ha mais de qoatro annos, ha muias pessoas de cerjo conceito se n5o
pode duvidar, qae podem ser consultados por aquelles que desojar em mandar seus
doentes. .
Paga-se'2o* por da durante 60 dias e d'ahrem diante 10500.
AsoperacOes serao previamente ajustadas, se nao se qnizerem sujeitar aos preces
razoaveis que costuma pedir o annuociante.
AMMAXEM E FAZI-\ II %S
BE
.
Sabio maca de primoifa qualidade de 18o, duzia ter abatimento.
a 22o rs. a libra e de 16o a 21o rs. seadof RATATAS.
em caixSo Gigoscom 3o libras de batatas a l.ooo rs.
Sftmia, 8ig0' w
Superior srvela Rass dos melhores fa-j Latas com sard'mhas deNantes e Lisboa
bricantes, como sejam: Shlers & Bell. T. F. ,je 400 a ^q0 rs a 4ata>
Ashe a 7,5oo o 7,ooo rs. a duzia e- a 7oors. -lrt
agarrafa. Tambem ha de outras macas FUMO AMERICANO.
como seja: Victoria e Alcope a JJ.ooo rs. a du- Superior fsmo em chapa a 640 rs. a ltbra
zia e a boo rs. a garrafa. ERV1LH.AS
B iIOES VASIOS. Latas com ervithas e feij5o verde ja pre-
BoiSes vasios, louca inglezai muito pro- parado 64o rs; a lat. *
Latas com 1 libra de massa do tomate a
Gio a lata.
VERNHJTH
Esta bebida muito fresca e estomacal e
pria para .manteifla e deposite de doeads 4
a 12 libras a l,2oo ea.too.
FARINHA DO MARANHO.
Farinha do Marelo a 240 rs. a libra.
SAG'.
i Sag muito novo a 4oo rs. a libra.
ARARUTA.
Araruta verdadeira a 4oo rs. a libra.
Pimenta, coraiiibo, cravo, caneHa. ervadte^. alfiBema joila-paniJimpar facas pa-
litos para deotes, palitos de fogo, e ootros muitos gneros.que se ternaria enfadonho
mencionar, afianzando cinceridade nos precos e o bom acndiciopameoto de qualquer
georo.-
CUSTOBIO CARTAJLHO
27 RA DO QUEIMADO Ni 97
Madapol5o francez moito fino, tendo ponco mofo, cada peca com 27 varas por
100000.
Laa de eres a 300 rs. o covado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a preco de 800 rs a vaca.
Lencos brancos para algibeira a 2)5000 a duzia.
Finsperclaras a preco de 400, 440a 560 rs. o covado.
Ricos cortes de 13a de barra de 100 a 300000.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.
MACHNiS DE PATENTE
DE TRABALHAR MO PARA DESCA-
RQAR algodAo
FABUKAIM) POR
PLANT BROTHIBS & C.
OLDAM.
Estas machi-
nas podem des-
carocar qnal-
^quer especie de
algodao sefli
estragar o fio,
sendo bastante
duas pessoas .
para o traba-
lho; pode des-
carocar urna
arroba de al-
godao em ca-
roco em 40
minutos, ou
18 arrobas por dia ou cinco arrobas de al
godao limpo.
Assim como machinas para serem movi-
das por animaes, qne descaracam 18 arro-
bas de algodao limpo por dia ; e motores
para mover urna, duas ou tres dessas ma-
chinas.
Os mesmos tem para vender um bellsi-
mo vapor que pode fazer mover seis destas
machinas mencionadas; para o que convi-
darse aos senhores agricultores a virem ver
e examina-lo, no a mazem de algodao, bo
largo da ponte nova n. 47.
Naunders Brothers k. C.
Recife praca do Corpo Santo n. 11.
Os nicos agentes neste paiz.
O oasfeo d Grasville.
Tridaiid d frucex por A. J. C. da Gnu.
' Vende-se este bello romance ea quatr
tomos- pelo baratsimo preco de 30OOC
ua praca da. Independencia, livraria na.
muito propra para a presente estagSo. a
qual vendemos a2,oo rs.a garrafa o 180
a duzia. _______-
ROMANCES BARATOS
Yeadem-se, aa livraria da praca da Inde-
pendencia n. 8, a 400 rs. o volunte, os ro-
mances portuguezes seguintes, em brochura:
A voz do sangue, 2 volumos.
Connemara, 2 ditos.
A noite de S. Silvestre, 1 dito.
O filho de Titiano, 1 dito.
tdoois ou o bom negro, 1 dito.
5 duas amadas, 1 dito.
O pacha de Buda, 1 dito.
TrilbT, 1 dito.
Ignez de la Sierra 1 dito.
Joven Siberiana, 1 dito. lu.
_
Vende-se sal grosso :
dre de Deas o. i.
i tratar ua ra da Ma-
i .i
Queijoa do.serto
Veode-se superiorqoiiUfOMertlo : ua ruada
Madre de Dos, armafmJQirW a igreja.
Venjl;i.ttflia.tola dft mtadeas com 'poucos
fooYis em nrlTw |W4'p'Dr. pre^p rpntto era
ad*-6 tuna raobitu de
Farellp
em saceos grandes a 40300; nos armazens
de Tasso irnajagi
Gomma d millio branco
americana.,
Esta preciosa fsula, cujas., propriedades roadi-
cinaes a impreosa europea tanto tem exaltado para
a cura das molestias do peito, recommeuda bem como alimento sadio e nutritivo para as cr-
apgas, prestando se a variado* preparas culinarios.
A.geral aceitacao qae ella tem obtidd por toda a
parte o seu maior elogio : vndese nicamente
na roa do Imperador n. 87, armawm,, AlUanca.
Para es bailes Msoaivtdos.
A aguia branca est Teniendo por baralissimos
presos, para acatar, os objeetos seguate;, que ser.
vem mui bem aos-que tooaatn parte no* baile mas-
carados, sendo :
Matas de sed* a 1* onat- i.
Enete,de are a t*, i e 3#.cada un.
EttM laad*sde 310ala,vafn.
Cintos largfl* epap raptas oa^da*.
Novidades do Vigante
RA DO CRESPO N. 7.
Este estabelecimento apezar de sempre
se achar bem sorlido como todos sabem,
hoje mais que nunca, nao s pelo que rece-
be de sua propria conta, mas tambem pelo
que recebe de consignares; parece sem
duv'tda que deve offerecer grandes vanta-
gens para o respeitavel publico tanto em
precos como na escolha dos objectos, e co-
mo acaba de chegar grande remessa pelo
vapor Douro e o navio Solferino de
diversos objectos de gosto e proprios do
tempo dos quaes se mencionaro alguna,
por n3o ser possivel mencionar todos. O
dono deste estabelecimento espera a pro-
teegao de todos.
Riquissimas caixinhas ornadas e com
msica propria para um delicado mimo.
Caixinhas de msica tanto de veio como
do corda.
Ricos porta jotas e necessarios.
Riquissimos esl' jos a feitio de um bausi-
nho ou chapeuzinho.
Ditos em casca de noz e da antros goetos.
Leques de madeperola. de sndalo o-d
faia e madeira.
Chaposinhos e touquinhas de muito
gosto para criancas.
Mafas e sapatinhos de seda para as mes-
mas.
Meias de seda para senhoras.
Capellas e grinaldas de flores proprias,
para casamento.
Enfeites e capellas de muito gosto para
seuhora.
Riquissimos porta boquets.
Boquet de flores com urna borrachinha
com cheiro.
Lavas verdaderas de Jovin.
Ditas de sed? e do Sfcoca.
Riquissimas i iiwnas e guanMes para
enfeitar coapeoo*
Coqaa. o tuhps de, age branco que ha
muito se desejava para"tnfeites.
Brincos, fivetlas e cruzes de crystal.
Fivellas e cruzes de tartaruga, madripe-
rola e dourados.
Alfinetes para grvalas.
Botoes com croas para punhes.
Gravatinhas e mantinbas de muito gosto,
tanto para hornea como para sanhora.
Riquissimos.aderecos pretos, assim como
caixinhas com alneles pretos.
engallas de canna com..cabo de marfim.
Ditas de baleia, borracha e de outras
muitas qiialidad^s, assim epno chiaotiohoa.
RiqaflwmosTJeros de*Mrtaruga do ra-
mo gosto; assim como de arregaco para
menina, pois neste artigo ha tmfppleRi
sortimento de todas as qualidades.
Diademas para cabeca do ultimo gosto.
Riquissitias fitas iavradas e fizas.
Framcisco Jos Germano
RA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gosto da Europa o oeu-
los de alcance para observaces epara os
martimos.
_ ...... i i i i. ,
Manual db Cidado
Vende-se o Manual do Cidado em um
Gfoverno Representativo ou principios d
Direito Publico Constitucional Administra-
tivo e das Gentes, por Silvestre Pin^teiro
Ferreira, em 3 volumes broxurados por 3
cada obra : na livraria n. 8 da praca da
Indepandancia. I
se supeiiory ptelDBias de Westpha-
no ultimo vpp|: na ra do Trapi-
che n^9,
Trancas pretas com vidrilho e de cores.
Pulseifas tanto para senhora como para
meninas.
iS.de.seda ede a]god$o.
ensoriot de seda 6 d algodSo ^e mui-
Veode-se ama raatMira d aourello M per-
feito efla, e mais perteoees para, rom ***. tos Outros
aMaMlk orrtba-5 wm premier dirija-se a ra i aa estrada nova, segunda taberna,a. dlralUi dipote
dshupiBratrifc M* ^ftftador que se dlri do sobrado graoda : a tratar aa mesma, dfs 4
quea- tem pt wader. hora di Arda ea dlant. I So ao falli Vigila
objectos que se nao podem an-
1 nunciar por nao se tornar enfadonho.
oupas feitas.de todasas auafidades
de-ae roupa hik), seojt rJfcpp cores e
pardo a H, ditas de brim brancodelinho a 3^500
e 4, cateas de casemira preta a oi, 6J e 8}, di-
tai de cores, meta casemira, a 35 e 34500, ditas
cores a 2f, 35300 e 35, ditos de brim braoco a
a 4J5G6, ditos de alpaca preta a 35 e 15, ditos de
BSafcttK-aSf'tBk
960O, d casemira a 35 e 45, ceronla fraDMta a
15*00 e IfWO, camiia* franctaas lea* iflnji
peitos de cores a 35 e 25500, ditas iopleus e Ji-
nbo de pregas largas a 25SK>, 35 e 35500 : na
rna >ftwp> ^gfr^r.ifr^A
Lays e Jou^ib praUfr ftowiia
cores
Ciegaran para a toja de miadezxs : aa roa dj
Qaeima"
>


i
1


ts;l
!

/


tilirto4e pmtfutWM *alartalra #**-**: r de 186.
v

-
I
i'
I
A
t Rada Iaaperatrlz araaazearj
4a porta larga .
jnlato a nadarla fradceza de
Paredes Porto.
Nesle estaheleeimenlo encontrara o respeltavel
publico um variado sertimento de hiendas france-
zas, tigresas, solanas e alinales, que se venderlo
por pre>;o commodo.
Preles Porte
Vende chales de randa de cores que se vende-
rn* a Ift esta vendendo por 6*, ditas pretos, te-
lenda nova, 5i, 6*, 8* a 201;, um sortimento com-
pleto de manteletes, capas e soutambarques 14* a
28*. Ruada Imperatrun 41, tonto a padaria fran-
ca, armazem da porta larga.
Paredes Parte
Receben om completo sortimento de lasinnas a
240, eWOrs. covados, para acabar, cambraias de
cor a 240 rs. o covado, riscado escossez para rou-
pa de roeoino, fasto de linho a 420. 400 e 800 rs.
Roa da imperatriz n. 82 junto a padaria franceza.
armaseaporta larga.
Parnaes Parte
Receben para cortinados para cama franceza a
11* a peca cambraia lisa fina a 3* 4* at 10* &
peca, cortes de tarlataoa de bonitos goslos a 3*800
4*, cambraia com flor de seda, gostos inteira-
mente rovos a 400e 800rs. o covado,no armazem
da porta larga n. 83, roa da Imperatriz junto a pa-
daria franceza.
Paredes Parto
Receben celo ultimo paquete um sertimento de
crnzes com pedraspara opescoco, benitos caiinets'
de lia para pesclo de senhora. Ra da Imperatriz
n. 52, armazem da porta larga.
Paredes Parto
Vende cortes de gorsurio preto para vestido com
21 covados cada um 38*000, grosdenaple preto a
1*600,1*800 e2* o covado, Has lizas finas a 400
rs. o covade, lias de quadrinbo para vestido, entes-
tada, a 310 rs. o covado. Roa da Imperatriz n. 82,
armazem da porta larga.
Ranpa feita
Roa da Imperatriz n. 82 armazem da porta lar-
ga junto a padaria franceza, eacontra-se neste es-
lablee meato om completo sortimento de paletos-
caceos ti sobrecasacos, de todas as qualidades, eti-
cas, colletes, ceroolas, camisas, grvalas, matos,
chapeos de sol, ditos francezes |>ara cabeca, por
precos commodos, roapa para menino e ontras
omitas fazendas por precos commodos, armazem
da pon*, larga.
Na mesma estafcereclmento encontrar e respai-
tavel publico, sempre um completo sortimento de
roanas fetas de todas as qualidades, como sejam
paletos de alpaca preta e de cor, ditos sobrecasa-
cos a 4* e 3*. ditos de brlm pardo a 2*800, 3* e
3*100, ditos unos-a 4*, ditos meias cazemira a
3*800, 4* e 84, ditos cazemira saceos a 6*, 7*, 8*
e 10*, ditos sobrecasacos a 10 e 12*, ditos de pan-
no saceos a 6*, 8* e 10*, ditos sobrecasacos a 12*
e 28*, ditos de merino preta a 6*, 7* e 10*, al-
cas de brisa de diversas alidadas a 1*800 a 4*,
ditos brancos a 2*300 e 4*00, ditos cazemira 8*.
6* e 75, ditos pretos a 8*, *, e 10*, ditos
meias cscemiras a 3* o 4*, coletes de diversas
qualidades, seroulas francezas de algodao, ditas de
linho, ditas de bramante a 2* e 2*100, carnizas de
algodao de linbo francesas de 2*800 e 3*. Gran-
de peeMncba neste genero, gravitas de todas as
qualidases e brancas$ara casamento, grande sor-
timento de meias para senboras, cucas para borneas
a 3*, su per ores a 3*500 e 4*.
Um completo sortimento de chapos de sol de
alpaca a 3*. ditos de seda a o*, 7*, 10* e II*,
ditos francezes paro cabeca, grande sortimento
a 6*.
Pechinclia admira vel.
Grande sortimento de chambres a 4*600 89,
leones de cambraia para homem a 2* a duzla, di-
tos de linho a 4*e 5*.
Grande sortimento de roapa para meninos e on-
tras muitas qualidades que sea enfadonno men-
ciona-las.
Paredes Porto
Recebeu pelo ultimo paquete francez ricas las
granadinas com flores de seda a 400 e 506 ts. o
covado, esto acabando-se, cambraia prea para
lato. Porta laaga junto a padaria franceza, a roa
da Iatperatrz*. 82.
Paredes Porto
Receben pelo ultimo paquete espartllhos a pre-
guieoso per tfcg, sio bons, lencos de seda para se-
nt ora a borneen a 1, ricos cortes de cambraia
bordados de 18g a 7?, por ter um toque de mofe,
estao se acabando,.na roa da Imperatriz n. 52, jen-
to a padaria franceza.
Paredes Porto
Vende om completo sortimento de fazendas
brancas, como sejam madacolao a 500, 5*, 6* e
10*, pecas de algodao or barato preco, chita fran-
ceza a 240, 280, 320, 360 rs. o covado, precalias
muito Snas a 360, 400 rs. o covado, chita iogleza
a 200 e 240 rs. o covado. Roa da Imperatriz n.
52, junto a padaria franceza.
Fazeadas.
Vndese iperior merino preto proprio para ca-
pas do senbora e vestidos a 2*. lustrim da China
a 1*800 o covado. Rna da Imperatriz, porta larga.
Paredes Porto.
Vende em-sen estabelecimentotirase ntremelos
bordados, grande sortimento de corplnbos rica-
mente bordados a 3*, 4* e a*. So o Paredes Por-
to, roa da Imperatriz no 52; porla larga junto a
padaria franceza.
2 cr > co o i SiS w
d B o S
t"
2. 8-o __
&
ss J? o H Sj
O-3 O-P D P
< 0.51
2 a a o 5
3 t3 CO
5 a> 5
s o
o w
Si
(> V tai
8
in
- !U

w.
3 Si--
Zm 2.
o
i
O
1
il|U
e a OT 2 5'
R 55 a, JT g
S.2.S:
J8|
sf 9.
3s?


i-
en
I
Tasso Irmaos
Veidem ne sen armazem rna da
Amerim a. 3o.
licor fino Caraeto em botijas e meias botijas.
Licores finos sortidos em garrafas com rolbas da
vfdro e em lindos frascos.
Vrnbos- Uberee.
Santornes.
Ghambertin.
Hermitage.
Borgonbe.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
Bordean!.
Cognac.
Od Ton.
I'Aezei lagniol. ____
z^.
FABRICA A VAPOR
99 RA DO MONDEGO 9
Deposito na ra Xova n. MI loja de relo|oelro.
Delouche donos deste estabelecimento partecipa ao respertavel publico que *ua fa-
brica est montada com as melhores macliinas que existem na Europa, e que pode
fabricarcem melbor perfeirjJo possivel. Todo o chocolate deSta bbrica est garantido, e
poro, o que nao se pode encontrar naquelle que vem de fra, e que se vende por preco
baixo, visto os productos serem do paiz; Pa etiqueta ten sempre urna agnia.
PRECO.
Meia libra......... 400
Urna libra. -..... 800
Urna arroba........19000
Na mesma fabiica acaba de se montar ama officitra com serrara a vapor para
obras e marcineiria propria para edificio, para o que encarreg i-se de fazer portas, ja-
dellas, as8oalhos (parqu francez como se asa na Europa,) earmacoes, ludo com brevi-
nade e parfeicao. Toraa-se quilquer encommenda para fra da cidade, entregando-se
prompta a collar-so do lagar. '
BE
4 Oi:fcMIO dfc
Wna da Crnz n.
FKEITAS
16.
Capacho* iogrent.
Vendem-searnado;Ooeimado leja da agola
IraBca n. 8.
Baleias para vestidos.
Vondem-se na loja a agora kranca| roa do
fiueimado n. 8.
Opiata inglaza e fraooeza.
Vendem-se na roa do Queimado loja da agola
Ir anca n. 8.
Papel mata mosca.
Na roa do Qoeimado n. 8 loja da agola branca
continua a vender-ser papel para malar mosca e
cusa 40 rs. cada folba.
Bonitas cestinhas para meninas.
Vendem-se na roa do Qoeimado loja da aguia
trancan. 8.
Agulnas para machinas.
Vendem-se na loja d* guia branca a na do
Queimado n. 8.
Pastilhas famantes e ebeirosas.
Vendem-se na loja da agufa hranca n. 8, 'a roa
do Queimado, sendo ellas en ealilnhas de pape-
lo e de porcelana. A
Bollas de ail fino para engommados.
Vendem-se na rna do Qoeimado ioja da aguia
branca n. 8.
Bonitas calimbas
com perfumarlas e futras com necessarlos para
costura, sendo estas com msica e sena ella : ven-
dem-se na loja da agnia branca rna do Queimado
B.8.
Colla branca para vidros e madeiras.
Na roa do Queimado loja da agola branca n. 8,
vi ndem-;e frasqulnbos com colla branca para sol-
dar vidros e porcelanas, e ootros com dita para
obras de madeira, ensta 800 rs. cada om -dalles, e
por essa commodldade de preco convm cmpra-
los para estar prevenido.
Papel greve pautado com 33 linhas.
A aguia branca acaba de receber ndvo sorti-
mento de papel grevliso epaoisdo com33 linhas
assim como de peso tambero liso e paotado, dito
pequeo em caixinhai sendo liso, pautado, beira
dourada e sem o ser. Tamban) receben grande
sortimento de envelopes, e todo se vende por pre-
cos commodos: na roa do Qoeimado loja da aguia
branca n. 8.
Papel paquete fenece pautado.
Vende-se na roa do Queimado n. a, loja da agnia
branca.
Artificiaos.
Ramos de trigo com diversas1 cores mui proprios
para enfeites de gorros a chapeos do seaboras e
meninas, acbam-se a venda na roa do Qoeimado
loja da agnia branca n. 8.
Banhas e extractos finos
A agnia branca receben em xcelleav sorti-
mento de perfumaras finas, sendo bonitos frascos
da corea om extractos fiaos o da agradavets c*i-
res ; assim como bellos vasos de porcelana donra-
Novldailes da Arara.
PECHINCHA.
Fazendas preta* para a quaresma.
A loja da aguia branca acaba de recebar um Arara vende grosdeiraple preto a 1#600
novo e grande sortimento de differentes objectos Vende-se grosdenaple preto boro a 1*600,1*800
de gosto e ultima moda, sendo : | e 2* ? covado, dito moito largo a 25S0 e 280u
Bonitos enfeites para senboras gostos inteira- o covado : na ra da Imperatriz loja da Arara
AGUA BRANCA
Ra do Queimado n. 8.
mente novos.
Ditos ditos de grade com contas grandes.
Lindas flvelas- grandes para cintos com moldes
agradaveis e diversas qualidades, madreperola,
tartaruga, ajo e douradas.
Boas e bonitas fitas acbamalotadas para ditas.
Ditos de dita de grosdenaples lisas e lavradas
com novos e agradavels desenhos.
Trancas pretas de seda com vldrllhos moldes
novos e de gosto.
Bicos brancos e pretos de seda com vidrilbos e
de differentes larguras e bonitos desenhos.
Cascarrilha& de seda com diversas cores e lar-
guras, formas inteiramente novas a mrtao&o de
palo, babadinbo e ootra com nma transinba no
centro o que Ibes da mulla graca.
Ontras estrei-as e largas guarnecidas de bico
de seda obra de moito gosto.
(Jotras de cambraia de cores.
Botoes de seda, velludo e ac para enfeites de
vestidos.
Trancas de seda estrellas e largas brancas e de
cores para enfeites de vestidos.
- Flores finas
, CAPELLAS PARA MENINAS E NOlVAS.
A agoia branca a rna do Qoeimado o. 8, rece-
ben para vender :
Delicadas capellas brancas para noivas.
Ditas ditas para meninas.
Ditas ditas de carros de flor de laranja.
Ditas ditas de rosas camellas e ontras.
Ditas ditas ou ramos de trigo.
Diversos ramos, de flores finas para peilo de
vestidos, enfeites de chapeos etc., etc.
treparos para flores.
Na roa do Queimado n. 8, loja da agnia bran-
ca vende-se :
Papel de cores para rosas.
Dito verde para foltias.
Dito dito e pardo para cobrir os talos das ditas.
Musgo em rama.
Folbas para rosas.
Agulhas e linhas para crochet.
Vendem-se na ra do Queimado n. 8 loja da
agnia branca, assim como agnlhas para tranalhar-
se em lia.
Papel de sobrecellente para os
phosphoros hygienieos ou de
segurangu.
A vista do grande tamanho das caixinhas dos
D.
56.
a 2*.
mnito
Arara
da com banba de superior qnalidade, tendo uestes pbospberos hygienieos ou de segoranca, toraava-se
Continua a haver diariamente um sortimento de pastis, podios, bolOS inglezes,' aiguns com inscrlpcoes apropriadas para presen- :pones o papel que vem em ditas caixinhas, e para
empadasetc., etc. Os dnos deste estabelecimento, acbam-se as melhores condices; te, c., etc.,: qoem s^dtrtgr a rna do Qnetmado
de poder satisfazer encommendas concernehtes sua arle, em consequencia do socio
Freitas ter sido administrador chefe de algunas 'das princii aes fabricas na corte, sendo
AS PROVEITOSAS AGUAS
da na rna do Queimado, toja dragla
mera 8.
braaca no-
gnrxa
urna a do Sr. Jo5o Goncalves GuitaaTSes (conSeitaria de Le8o) antig* casa de CarceUer.
Todos os trabalbos sao differentes dos que se fazem em casas particulares.
X5s proprietarios deste estabelecimetto nao se tem poopado a desposas, nem se
poupario, se houver coBcorrencia como peram ; tendo coBlinuadameBte bom sorti-
mento de doces para cba; presuntos e ditos em fiambre, tambera se recebem para se-
rem preparados ; assim como doce de caj novo superior, secce e crystalisado, dito em
calda tu latas hermticamente fechadas, podeodo durar annos em perfeito estado.
Para jantares e partidas recebem-se encommendas dos seguintes objeclos; ban-
deijas ricamente enfeitadas sem armaco pecas de amendoas (nogaces), ditas de tmaras
de ovos, pies de l onfeilados com dsticoanlogos a qualquer fim; ditos montados,
kechs simples e eEfeilados com fructas ingleza; gatheaux de la reine, ditos de le d-
chese, tortas de fruota, massa fumada; ditas de peixe e carne; cremes e doces de ovos ^|oAgua de ttoiidepara fater os cabellos pro-
de diferentes especies. tos, qoem delta precisar pode dirigir-se a dita toja:
Tambero tem um completo sertmienlo de vnoos engarrafados, como sejam: vinho
do Porlo superior, Figoeira, Madeiro, Lisboa, Cherez, Bordeaux, Champagne fino, ser-
veja, licores, charopes conararvafi. Parafestas: bonitas caixiobas com amendoas, con-
ferios e mais enfeites. Muilo- destes objectos* meocionados podem-se perfeitamente ac-
condicionar tanto para a provincia, como aira fra.
remediar essa falta a agnia branca mandn vir e
n. 8, loja da gata branca, acnari a certeza disaa, acaba de receber esse especial papel, c anal so
e boa disposico para vender adinbeiro por pro-dar de sobrecellente a qoem comprar de taes
(os commodos. ___ j1 phosphoros e se vender indislinctamente a qnem
balsmica, dentifleta e ambreada, artam-se a ven* l phoro continua a ser 160 rs., e vendem-se na rna
Latas e barrfsiinhos aom
econmico.
Vendem-se por precos raroaveh : na rea da
Queimado loja de mindezas n. 16.
gata de llollde para faaer os ca-
bellos pret03.
Na loja de miadezas a roa do Qoeimado n. 16,
vendero se caixinhas com essa eiceltente prepara-
DEPOSITO
25 RA NOVA N- 25
Este estobelecimenlo acaba de receber om rico sortimento >de pianos fortes ex- bem servidos.
na ra do Queimado o. 16.
Pastilhas adoriGcas para perfumar sa-
las, gabinetes, etc.. etc.
Na loja de mindezas a rna do Queimado n. 16,
veadem se caixinhas com essas odorficas pastilhas
f ranles.
Papel de peso alaiar, liso e pealada.
A toja de miadezas a roa* do Queimado n. le,
acha-se bem provida de papel de diversas qoali-
, dades, sendo almico greve liso e pautado, com 33
: linhas/ito de peso tambem liso e pautado, dito
: pequeo em caixinhas igualmente liso e pautado,
i com beira dourada e sem o ser, assim eonw enve-
! lops graades e pequeos, os pretenderes dirijam-
se a dito loja na roa do Queimado n. 16, que sero
delle precisar. O preco de cada caixinna de pbos-
prese menle fabricados para o clima deste paiz, dos mais femados fabricantes da Euro-
pa, por isso o proprietario cowida ao respeitavel publico para vireco. apreciar as qua-
lidades dos referidos pianos.
Conuaua-se sempre com esmero e promptido fazer-se qualquer reparo nos-ditos
instrumentos. Afioam-se os pianos dehrixo do melbor systliema utmamente adoptado
na Europa.
Paseadas, pnantasia para vestidos chegados de Paris pelo ultimo vapor.
Lindos robes de orpand-ys cesarianas fazeoda transparoote de inleiro gosio.
Ditos de percalia campestre padroes muito ricos.
RlquissKnas grinadines de seda o qne tem viudo de memor gosto. neste mercado.
Lindos cortes de saltan pekia para vestido (azenda inteiramente nova.
Ditos de gaze seUm em peca (azenda transparente e de gosto muito modernos.
Lindos chales de grenadim broch, primeira vez aqu aparecidos.
Ricos bournns de crep guarnecidas de tranca moito proprios para passeios.
Kiquissimas flvelas para sinto, de metal, de crystal com o e com pedras unas, i
qne ba de mais aovo.
E ontras muitas fazendas de Inteiro gosto.
Rna do Crespo n. 13.
Loja das olnmnas de Antonio Crrela de Vaseoneellos
dfr. Companhia.
**
e
Cadeia
Phaf lierow do gas a
groxa.
Chegaram os bem coobecidos palitos do gaz
vende-se por pre;o commodo : Da rna da Cad
do Recito n. 56 A, loja das machinas.
Palitos tie fogo a 1^500 a
groza.
Chiigaraois excellentes palitos de fogo e ven-
da-k pelo barato preaa da 1-fftOO a groza: na rea
da Cflo do Recife o. 56 A, loja das machinas.
DE
J. VIGNES.
X. 55. RA DO 1HPERABOR N. 55.
Gt finaos deataaatiga fanriea sao boje asss cooheeidos para que saja necessano insistir sobre a
uxa euperioridade, vantugens e garantas que offerecern aos compradores, qnalidades estas incontesta-
vets ajoe elles tem deOnHivameote conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; pos-
iuindo mb laclado a jachiaisaio rae obedcela i todas as vonUdes e caprichos das pianistas, sem
sanca falhar, por serem fabricados de proposita, e ter-se feito ltimamente melboramentos importan-
assimos para o clima oeste paiz ; qnanto s vozes, sao melodiosas e flautadas, e por isso muito agrada-
reis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na de Sr. Bloadel, aVd>aris, socio
correspondente de J. Vignes, em coja capital foram sempre premiados em todas as exposieoes.
No mesara estabelecimento se achara sempre om esplendido e variado sortimento de msicas dos
memores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo todo vendido por
precos commodos e razoaveis.
Lutos'de Jouvin.
a loja de miadezis na ra do Queima-
do n. 46, resebeu-as por este ultimo vapor,
Breo era barricas pequeas.
Cera em velas de todos os tamanbos.
Uogias.
Mercurio.
Na ra do vigano n. 19, primeiro andar.
Na ra do imperador n. 8 tem sopenores
bichas bambnrguezas para vendar em porcao e a
retalbo, e urobem alugam-se ; rap Paolo Lordei-
ro viajado, igual ao de Lisboa, e para gosto de al-
gucs, melbor, por nao ferir, etc.
iiii.
Vende-se
o grande armazem da roa de Apollo ns. 38 e 40,
avariado.
Francez barrica 5*000
Portland dem 8500
Km perfeito estado:
Francez barrica 10*000
Porliand idem 13*000
No armazem de Tasso Irmaos caes do!Apollo.
Boa occasio para um prin-
cipiante.
Vndese nma loja de miudezas com poneos fon-
dos, muKo em conia, em bom logar e bem acredi-
tada : qnem pretender dirija-se a ra Angosta,
I? 1^!.."'l^oanZ.^l Uberna n. 1, que se dir qoem tem para vender,
proprio para om armazem de assocar ou prea Na megma uberna ge dir aem ,eiq pra vender
de algodao esa ponto*raad. por tor seis portaside ma mobl|ja compleU de ^j^o eDano Iha.
frente com mais de 67 palmos de largura e JOu e ^--------- r. ---------
tantos de coroprimento, lodo coberto e sobre arca-
bas, e para commodidade dos compradores se ven-
de eom o praso de dos andos-oo o qne se conven-
cionar, nma vez qae saja tem seguranza, e pagan-
do-se pela demora om mdico juro; as pessoas a
quera convler esto compra podero entender-se
com Antonio Alves Barbos, na roa dos Goarara-
pes n. 7S. _______________________
Vende-se a posse do terreno de marinha n.
40 A, sr arraa Imperial: a irator eom m
Qoerioo da Agnilar 4 C- em na wenptono, mi
da Cadeia n. 8S, 2* indar.
Fazendas para a quaresma.
No armazem da porta larga, roa da Imperatriz,
grosdenaple preto a 1*400, 1*600, 1*800, 2**
2*300, moreantiqna preto de diversas qualidades,
os mais ritos chales de renda pretos, e rewndass
com mnita rod, fttenda da nltlma moda no mer-
cada : do armaaem da porto torga i. M, aa fna
__!-_:__________________________;,,.,,,._.
_ Veade-saom cmHo sallado a enfrwado, osa
aada bam baixo a meio : a tfator na roa das Flo-
res, loja de sirgnelro n. 1
lesura depois da festa gasta-sc peifa-
aiat'ia fiua
A antiga loja de miudezas a ra do Queimado n.
16, acaba de receber um bello sortimento de per-
fumarias finas, sendo banha fina, era diversos e de-
licados va sos de porcelana donrados com significa-
tivas iascripedes e sem ellas ; assim como bonitos
Irascos de pnantasia com excellentes extractos de
finos eescorh idos che i ros, e bem como nperior
agua da Colonia era garrafas e frascos de diversos
lmannos, dita denufrees, balsmica e de ftr de
laranja, cosraeliques finos e baohas em frascos de
differentes moldes. Vende se tudo por precos com-
modos a vista da soperioridade das qnalidades :
na roa do Queimado, loto de miudezas n. Id.
ivenos objectos.
Vestidos
Pe chin di a seai igual.
Chegoa a loja de Paredes Porto um bonito sor-
timento de vestidos de lamala de cores e brancas
qne serve para partidas por ser urna pnantasia lo-
teiramento de gosto peto barato preco de 4* e
brancos a 4*500, estao acabando-so : no armazem
d porto larga roa da Imperatriz n. 52, jamo a pa-
daria franceza.
Cortinados.
Cbegou a loja de Paredes Porto om completo
sortimento de cortinados ricamente bordados a
preco de 25*, 3o* e 45* : na ra da Imperatrii
a. 52, porta larga jnnto a padaria franceza.
Jucas romeiras.
Paredes Porto receben pele ultimo paquete om
sortimento de romeira de guipore pretas e d fil
a prego commodo : na ra da Imperatriz n. 52,
porta larga junto a padaria franceza.
Grande pechincha.
Cortes de lia escoceza entestada para vestido
fazenda de 500 rs., est se vendendo a 280 e 300
rs. o covado : na ra da Imperatriz n. 52, loja di
porta larga
do Queimado n. 8, loja da agnia branca.
Seda froucha para bordar.
Vende-se na rna do Queimade loja da aguia
branca n. 8.
Obras de crystal.
Brincos de diversos moldes.
Ootros tambem de crystal de cores.
Ontros de aljofares brancos e ontras cores.
Aderecos de crystal obra de gosto.
Rosetas de dito e crozes.
Botoes de dito, brancos e de cores para coilete.
Dito de dito tambem brancos e de cores para
pnnhos.
I Vollas de dito e ontras qnalidades.
I Leques de diversas qualidades
Vendem-se na ra do Qneimado n. 8, loja da
aguia branca.
Aspas fortes para baldo
Vendem-se na ra do Queimado loja da agnia
branca n. 8.
Cromacome para Ungir ca
bellos.
A aguia branca avisa aos constantes freguezes
dessa encllente tintura, qne ella acaba de rece-
ber nma nova remessa de cromacome, coloricome
e sabo branco, necessario para lavar os cabellos,
portanto podem dirigir-se a dita loja na ra do
Queimado n. 8.
A bridores de luvas.
Vendem-se Ba ra do Lueimado loja da aguia
branca n. 8.
port booqaets
de bonitos moldes, dourados e cabo de madrepero-
la : acham-se a Yetada na ra do Queimado loja
da aguia branca n. 8.
Bonitas louquinlias
de fil de linho, cambraia e setim todas mui bem
enfeitadas : vendem-se na rna do Qneimado n. 8,
loja da aguia branca.
Carreteis com retroz.
Na ru no Qneimado n. 8, loja da aguia branca
Cortos de laa escocesa para vestido a 3* o cor-
te : na ra da Imperatriz n. 52, loja da porla lar-
ga, junto a padaria franceza, eslSo se acabando.
Chales de renda
Paredes Porto, na roa da Imperatriz d. 52, porta
larga, vende chales de renda do corea com peque-
o toque de mofo, a 3*500 e 4*. fazenda da 10*
e 12*000.
120
ara roupa de eacravos.
Paredes Porto tem para vender chita azul e ris-
cado proprio para o fim cima a 120 rs. o covado,
nma grande pechiocbaEe esta' se acabando : na
rna da imperatriz n. 52 porta larga junto a nada-
ra franceza.
Grande pechincha.
Paredes Porto esta' vendendo riscado francez a
200 rs. o covado : aa ra da Imperatriz n. 52 ar-
mazem da porta larga jauto a padaria franceza.
Para vluto.
Lias pretas com salpicas brancos a 400 e 500
rs. o covado : na ra da Imperatriz o. 52 junto a
padaria franceza armazem da porto larga.
Chapees de !.
Vendem-se chapeo*de so) de panno a 1*400 e
nma grande pechincha so para acabar : na rna da
Imperatriz n. 52 armazem da porta larga de Pare-
des Porlo.
A 1^00.
Vendem-se pecas de tranca preto para afeites
do Teatidos, sontombarques, capas de senbora a
1*600 com 10 varas, nma grande peclractia : na
rna da Imperatriz n. 52 junto a padaria franceza
PARA A OUARESMA
PECHINCHA aDMIBAVEL.
Grosdenaple preto a 15600
Vende-se superior grosdenaple preto, fazenda
muito encorpada, pelo baratissimo preco de 15GO0
o covado, sendo fazenda que val muito mais di-
nheiro : na loja- e armazem do Pavo na ra da
Imperatriz n. 60, de Gama Silva.
MANTAS PARA O PESCOgO
a 1-3, so o Pavao.
Vendem-se bonitas mantas para o psseoco, pelo
barato preco de 1* : na loja do PavSo na ra da
Imperatriz n. 6', de Gama & Silva.
(Grande armazem de tin-j
| tas medicamentos etc.
Roa da Imperador n. 22.
5-**9 ledr las Nev (g
rente) tem a venda o
segiiintc:
Mj Productos chimicos e pharma-
S ceuticos os ruis empregados em
m medicina.
Tintas para todo o genero de pin-
[ tura e para tinturara.
R Prouuctos induslriaes e tintas
para flores, como botoes de flores
e modelos, em gesso para imitar
fructas e passros com o compe-
tente desenho.
Productos cbimicos emdustriaes
parajpbotographia, linloraria, pin-
tura, pyrotecnia etc.
Montado em grande escala e sup-
prido directamente de Paris, Lon-
dres, Hamburgo, Anvefs e Lisboa
pode offerecer productos de plena
confianza e satisfazer qualquer en-
commenda a grosso trato e a reta-
lbo e por preco commodo.
Vende-se
na ra do Vigario n. 19, Io andar, viatao do Port
engarrando de differentes qualidades, em b
e aneoretis:
Vloho da Figoeira em barris.
Ora em velas.
Car animal.
AUazema de Lisboa.
tanto tJsDoa. ^_,
- Venda-se umsefflmingW coma fes, coi
pwcaoaaapw^oraMitel:
zas n. 41 A.
Moreantique da Arara a 2^800,
Vende-se moreantique preto para vestidos mui-
to bom a 2*800 e 3* b covado, alpaca preta para
paletols e vestido., a 500, 600 e 800 rs. o covado,
merino preto moito bom a 3* o covado : na ra
da Imperatnz loja da Arara n. 56.
Arara vende as saias a 30500,
Vndese saias bordadas para seahoras a 3,SS60
e 4*, goManas bordadas a 240 320 rs. cada
nma : na ra da Imperatriz loja da Arara n. 5t>.
Chpeos de sol da Arara a l uc.
Vende-se chaposinhus de sol para menino* a
1*400 edda nm. cmslnhas para senhOras a 1*.
3*e 4a : .< Arara ronda Imperatrrz n. 56.
Arara vende os vtsdos bordados a 4&
Vndese eortes de vestidos'brancos bordados a
4*500, ditos de cores a 3a, ditos bordados a laa e
seda a 7* e 9* : na roa da Imperatriz n. 56.
Os bates da Arara a 20.
Vende-e baiSes de arces de todos os tamaonos
a 2*, 3*, 3*560 e 4, satas bordadas a 3oOO e
4* : na ra da ImperMriz n 56, loja da Arara.
Arara vende cortes de 13a a 5$.
Vende-se cortes de laa novos vindos pelo ultimo
vapor com 15 covados pelo barato prego de 5*, di-
tos com barras a 6* :-na ra da Imperatriz loja da
Arara n. 56.
Arara vende chales de .
Vende-se chales de merino estampados
ditos de la a 1*600 e 1*, ditos de meiin
finos a 4* e 7* : rna da Imperatriz loja da
n.56.
Madapol5o entestado da Arara a 4#.
Vende-se pecas de madapalo entestado cc ardas a 4* e 4*500 dito de 24 jardas a 5*, 6*,
7* e 8*, dito raudo lino a 9* e 10*, pecas de al-
godao a 4*, 5*, 6* e 7*, dito muito encorpado a
7^500, 8* e 8*500 : na ra da Imperatriz lo]a
armazem da Arara n. 56.
Panno pn. to da loja da Arara a 20.
Vende-se panno preto para caifa e palelot a 2*,
2*500, 3*, 4* e 3* o covado : na roa da Impera-
triz loja da Arara u. 56.
Arara vende cortes de cotim para ca!a a
10280 rs.
Vende-se cortes de cotim para caifa a 1*280,
ditos de brim de cores a 1*400, cortes de ganga
para caifa a 1*600 : na rna da Imperatriz loja da
Arara n. 56.
Cortes de casemira preta da Arara a 30500.
Vende-se cortes de casemira preta para caifa a
3*500, 4*, 5* e 6*. ditos de cores de meia case-
mira a 2*500, 3* e 3*500 : na roa da Imperatriz
loja da Arara n. 56.
Arara vende os chales de renda a 80.
Vende-se cbales de fil de linho a 8* e tO*. di-
tos de seda a 16* e 20*, retondas de pello de li-
nho a 109 e 12* : na roa da Imperatriz leja da
Arara n. 56.
Vestidos a Maria Pa da Arara a 100.
Vende-se cortes de la a Hara Pia a 10*, 12*,
16* e 20*, ditos muito finos com camisinha, slnlo
e fivela a 25* o 28*: so a Arara vende por este
preco na roa da Imperatriz n. 56.
Araaa vende as lazinhas a 240 rs.
Vende-se lazinhas para vestidos de senbora a
240, 280, 400, 3?0 e 500 rs. o covado, chitas para
cobertas a 280, 320 e 470 rs. o covado : aa ra da
Imperatriz loja da Arara n. 56.
Cortes de chita da Arara a 20.
Vende-se cortes de chita de cores fizas a 2*, di-
tas francezas a 2*800, corles de cambraia france-
za a 280O : na ra da Imperatriz loja da Arara
n. 56.
Arara vende organdys a 280 n.
Vende-se organdys para vestido de senbora a
280, 320 e 400 o covado, fil de linho de cores
para vestidos a 160 o covado : na rna da Impera-
triz loja da Arara n. 56.
As chitas da Arara a 200 rs.
Vende-se chitas de cores fizas a 200 e 240 o co-
vado, ditas francezas largas a 280, 320, 360 e 400
o covado, riscados francezes para vestidos a 240 o
covado, bretanha de rolo a 3* a peca : na ra da
Imperatriz loja da Arara n. 56.
Arara vende roupa feita.
Vende-se roopas feitas de todas as qualidades a
saber : calcas de brlm de cores e de ganga a 2*
e 2*500, Daletots de brim para andar por easa a
2* e 3*, camisas francezas a 2*, ditas de linho de
pregas largas a 3* e ontras muitas qualidades qu
se vende mais barato bue em ootra qualquer par-
,e : s na Arara ra da Imperatriz n. 56.
Novidades do Pavao,
OU PECHINCHA ADMIRAVEL
Escossezas a 30200
Cegaram os mais lindos cortes de escossezas,
proprios para vestidos, sendo fazenda inteiramente
nova no mercado; e vende se a 3*200 o corte on
260 rs. o covado na loja e armazem do Pavo, roa
da Imperatriz, n. 60, de Gama & Silva|
Cassas francezas a 240 rs. o covado.
Vendem-se bonitas cassas francezas de cores fi-
zas pelo baratissimo preco de 240 o covado.
Ditas a 280, 320 e 360.
S na loja do Pavo, roa da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Chitas avariadas.
Vendem-se finissimas chitas francezas, eom pe-
queo loque de avaria, pelo baratissimo preco de
280 o covado.
grande pechincha.
Assim como dit.-.s ioglezas roas e claras, sem
mofo nem avaria, pelo baratissimo prego de 160 o
covado ; assim como, ditas multo boas a 200 e 240
o covado, uto na loja e armazem do Pavo, ruar da
Imperatriz n. 60, de Gama A Silva.
Chapeos para anmas.
NA LOJA DO PAVAO.
Vendem-se os mais delicados e bem entenado-
chpeos de palha de Italia, para meninas: pe-
chincha, na loja e armazem do Pavo, rna da Im-
peratriz n. 60.
Grosdenaple preto a 1#600.
E' grande pechincha!!
Vndese grosdenaple preto, sendo moito encor-
pado e de boa largura, pelo baratissimo prego de
1*600 o covado : na rna da Imperatriz n. 60.
Bascados a ISOrs.
Vende-se riscadlnho escoro proprio para vesti-
dos ou rooaae para horneas, pelo baratissimo pre-
co de 120 rs. o covado : s na rna da Imperatriz
n. 60. __ ...______________
I^echinclia
Vende-se a taberna da rna da Guia n. 36 pro-
prio para principiante, e o motivo se dir ao com-
prador. _____ .
Vende-se urna machina de trabalhar com ca-
va lio em padaria, vende-se junto com o melhor ca-
vado qoe trabalha neste genero, coja machina esto
trabalhando, e vende-se por seos doaos estorem a
montar o sen estabelecimento ser movido por va-
por : a tratar na padaria da prafa da Santa Cruz
numero o.
""-"--gg
Escr&ws fgidos

Fngio no da terca-felra 30 de Janeiro prximo
findo, a preto crioula de nomo Marciana, de idade
36 annos, penco mais ou menos, sendo de cor fu-
la, altura regular, levou vestido de cbila escura :
qoem a apprehender, conduzindoa a casa do abal-
xo asignado, aa roa da lmperafffe n. 30, ser-
a/alineado.
Frincisgo Angosto de Aranjo.
Escrato fgido.
DsapMYeeen do sillo Sapncala, em Beberibe, no
dia 4 do eorrente, um escravo crlooto, de nflnM
Jm, Idade de 00 sobos, mais on meaos, a com os
segrales: alto, grosso, pes grandes, (alias
"barbado e quasi nenbum cabello preto,
barba, crar na caneca fol escravo do fl-
_____Mimo Aflboso Botelbo, consta qoe ton an-
dado pelo Recife e foi visto trabalhando no servia*
da totanos, as Ciaco Pontos : roga-se, portonto,
aautoridades poucians, capiles de .eu__> oq
qnem delle tiver noticia, que o spp_s_Mty_:
iMW_ ll)!ao sHW Sapueaia, soa swftwa a **
do mesmo Jacintho, que gratificar.
:



I

H

ir


fc .
DUrto
hita leJra e Fererelr* ele 1800.
LinEBATDBA
Pr. Bruno. .0
(CoDdasM.)
Poi am oncontro rpido, que nio me dea qatsi
lagar a contempla-la; e occaslies ha em que ctaejo
a persoadir-me de que Do cheguei a v-la, e que
apenas advlnhei asua passageai peU convulsd que
experimente), e pelas ondas do iai e perfume que
se derramaran) no espado a' soa passagem.
Como quer que osse, so Sbsso afirmar-vos qoe
verifique! autio que dabatde que se tenta n'este
mundo o esquecmento de um amor verdadairo no
silencio de nm claustro, on nos iilraetivos de no-
vos e agitados amores: as saudades de quena se
amoo recrudescera mesmo em baixo do bnrel; e o
corelo se relira mais raagoado aluda dessas esca-
raraugas de improvisado sentiment em qne nao
tomn parte, e em que apenas foi conviva a eabe-
ca qne Acara atordoada, e o corpo que se retira
extenuado e mrbido.
Demorei-me menos de um quarlo de hora na
igreja, e,chegando a' minha celia, sentei-me a' me-
sa que est diante de nos, e escrevi os seguintes
versos .
EM F1M.
Minia vista enlraquecida
a custo te reconhece;
mas o cansado dos olhos
poder em mim nao exerce;
pois toa imagem querida
jamis nunca empallidece
n'est'alma, sombra embora,
de que s tu s senbra :
n'est'alma paluda, nua,
qne eu te del, que toda tua.
Vi-te, sim, e o meu tormento
recrudesceu desde ento;
minh'alma te presentir
da noite na escoridio,
quando sanias do templo
d Yirgem da Conceicac.
Mas | vi-te s um momento,
e nao pude attenuar
a sede de tal ausencia,
a febre de tanto amar I
Daqueila noite saudosa
sempre me hei de lembrar,
j que o presente ao passado
veio n'um lago estreitar.


Vi-te, sim; ten bello rosto
tinba anda o mesmo encanto
sobre os teus hombros desda
vastissimo e negro manto,
tio negro como o martyrio
do homem que te amon tanto,
quepor amor to extremo-
so acba prazer no pranto.
Vi-te, sim, porm o lume
dos olbos que me enlevaram,
dos teus olbos tao formosos,
que nenbum mais ignaiavam,
debalde os mcus, sopplicantes
e anciosos procurara m :
nao qniz Deus vlssem meus olbos
os olbos qoe me mataram (
luda no'stou em mim, nd,
do abalo, que ento senti;
julguel perder a razao,
quando ao seu lado te vi;
e quando, em nome de um lago
atado pela ambicio,
deixavas sobre o seu braco
palpitar teu corago.
O' mulber, fatal cegueira
a nossa n'esle mundo I
Gastamos a vida inteira
no desgosto mais profundo,
suppondo ser imprudencia
seguir o exemplo dos cns,
e amarino-nos com a innocencia
dos anjos para com Deus.
Sao as leis torpes riladas,
armadas liberdade;
si as vezes d'ellas emana
ventura p'r'a humanidade,
outras muiias autorisam
dos morues a inf licidade,
proscrevendo, qual delicto,
serena e casta amisade,
impondo aosque se idolairam,
o pranto a d6r e a sandade,
como se o amor fosse crime
aos olbos da Divindade.
Longe, pois, oprejuizo,
que faz-nos crer um peccado
o am armo-no; agora
com aquelle amor apurado
dos bellos temos de outr'ora;
se o nosso amor exista
.

.



-


(/) Fazemos aqu as seguintes erratas, relativas
a' pcrcao do escripto, publicada nootem, e necessa-
rassegundo pensamos a' boa intelligencia do
leitor, em favor do autor.
Na terceira linba do penltimo paragraptio
a' primeira columna, onde se I abandonada e
S8m preleccao leia-se abandonada e sem pro-
teccdo.
No dcimo stimo paragrapho a' terceira co-
lumna, onde se I qne so me podem acensar
leia-seque s me podem acenar.
as duas seguintes liabas do mesmo para-
grapho suppriraam-se as palavras: toes ideas
vcrtiadeiras e justas as quaes haviam sido ffiutl-
iisa das no autograpbo.
O autor.
FOLHETIM
A SEPULTURA DE FERRO
""por"""
Henriqae lonseience
((Joniinoagio.)
I
Em um bello da de verd ia eu, com o mea bor-
dio de jornada, por urna das calcadas que de An-
tuerpia guiam para os ladoi da Campine. Sentia-me
cansado de meditar e de gozar o espectculo da
natareza, porque a longa estrada tioba-me afladiga-
do os memoro*-e a calma abrasadora me embota-
ra a senstbllidade do cerebro.
Nao era porque eu tivesse feto comprida jorna-
da, nem aligeirado o passo de modo que me esgo-
tasse as forcas. Partir a cidade de manhia cedo ;
tinba caminbado, tinba-me assenUdo beira do ea
minti e tinba ira vado conversa com gente da es
talagem; coibera bervas, desfolbira fldre, e auim,
ora abstracto, ora jovial, ora tomado de alegra
infantis, mal liaba levado ao cabe tres leguas de
camnbo, quando j o sol comecava adeseabir pa-
ra o horisonte.
Poi com vardadeira salisfagao que ouvi atrax de
mim am rumor de rodas em distancia, e enxergnei,
en ama nuvem de poeira branquissima, a gigan-
tesca massa, escura que me annnnclava a cbegao
da diligencia.
Quando opeado carro chegou ao sitio onde ea
estiva, flx am signa! ao coodactor, que j de looge
me tinba dirigido amigare! saudacio como de eo-
nbecimento antigo.
antes das nossas prises,
se de ti foi separado
por calculadas traiges,
o nosso amor nao Crime.
oa ata criase sagrado;
pois, mais jas quo as conveoges
tem um protesto, firmado
pelos nossos corages.
Mostremos aos pMs tyranaos,
a quem s move o interesse,
quesobro os cac'los humanos-
amor triumpha e recresce.
Mostremos que s!o astucias
as leis do homem na trra,
que quem ama nao se a ierra
da mente com as argucias.
Mostremosque o nosso amor
tio livre como o vento,
como o perfume da flor,
que se eleva ao firmamento,
como o prazer e ri dr,
o ocano e o pau.amento.
E amemo-nos com a vehemencia
de um affecto sem rival,
e seja a nossa existencia
toda de amor ideal.
Nossos carpes nao sis nosos,
sao preza de eskranho n;
porm minh'alma. s tua,
e o teu coracaol meu s,
pois nao vencem a constancia:
o claustro, o lempo e a distancia.
Pr. Bruno bavia
algumas tiras de
criptas tres poesas,
outras duas as que
foram lidas por <
commovida :
tirado
pape
se
da gaveta de sna mesa
as quaes se chavam es-
sendo essa urna dellas, e as
seguem, que tambera me
com a voz cada vez mais

im>ossivelI
Tenbo um segreco no peito,
Queme leva sepultura;
E' um amor impossivel,
E' um mal, que nao tem cura.
E' orna angust pungente,
Qual ningnem soffre na ierra,
E' o malor dos tormentos,
Que este mundo em si ence/ra.
Toda magna tem um termo,
Um censlo todo o mal;
Minha dr lindar s pode
Sob a campa sepalchrai I
Medonbo, cruel deslino,
Nossa vida desuni,
E o lagoque nos prenda
Com violencia parti.
E se sabes, minha Eulalia.
Quao profundo o golpe foi,
Inda boje des coa heces
Quanto a ferida rae de t
Nem sabes qne amargo pranto
Innnndon-me o corago,
E que a lodos minha magua
Occulto na solido.
Que nao encontr no mundo
Abrigo algum a raeu mal,
E que inda hoje le amo
Com aquelle amor dal.
Qoe nao pode mtis o lempo
Um lal affecto mudar,
Que nao ha claustro, que prenda
Um peitoqne sabe amar.
Qae, se de prelos, que eram,
Brancos fleam raens cabello?,
->ao por cousa da idade,
Se nao, Eulalia, por zelos.
Zelos de minha nao seres,
Delicada e linda Sor,
Zelos de verte emseusbracos,
Toda entregue ao seu amor I...
A terceira e ultima poesa era anda, como as
duas primeiras, um gemido de sua alma :
SEM T1TCL0
Doce e nsonba esperanca
minh'alma nao alimenta,
nao abre espago bonanga
a minha sina cruenta :
esperanga......palavra va I.....
to treda como loogaat.....
E amei, se fui amado

mais infeliz hoje son;
n'este retiro abysmado,
em que amor me arrojou,
nSo vejo, se nao na morte,
o remedio triste sorte.
De pretosos meas cabellos,
Sao boje flos de prata,
da face desee em novellos
o pranto, qne a dr desata;
face cavada e rugosa,
de fresca que era e lustrosa.
Sensiveis, crues estragos
feto em mim as dores tem;
os faiaes, amargos tragos,
com qne amor nos entrtm,
baniram a f d'e;t'alma,
outr'ora serena e calma.
Jnnto do altar sagrado
outros lagos contrabi,
de todos abandonado
i
Pez parar os cavallos, abri a diligencia e res
ponden minha perguuta telegrapbica :
Ainda ba lugar no coup. Onde quer ir com
esta calma?
Quero sabir no camloho de Bodeghem.
Bom. Upa I
Sallei para dentro do carro, e ainda nao esteva
assentado, quando j os cavallos tinbam tornado ao
sea trote regular.
Havia s um passageiro no coup. Era am velho
de cabellos brancos, qoe responden ao mea cam-
primento com amas boas tardes em voz baixa, qua-
si sem por em mim os olhos, e que pareca pooeo
disposto para conversar. **
Por algum lempo alongael os olnos pela portinho-
la, contemplando distrabido as arvores qne desfila-
vam urnas aps outras diante das vidragas da dili-
gencia.
Mas nao tardn que om impulso de cariosidade
movesse a minha attencao para o mea companbeiro
de vlagem, e como tinba a cabega descahida e bai-
lados os olbos, pude otserva-lo e examnalo i
vontade.
Nio tinba nada notavel. Pareca ter j paseado os
sessenta ; tinba; tinba cabellos perfeitamenie bran-
cas e parecen me que as uostas eram am poaco ar-
queadas. as suas feige; bavia soavidade e vesti-
gios de ama belleza em desmoronamento. O ves-
toarlo simples, mais aeeiado, era o de quem per-
tence burguezla. A immobilidade dos seas olbos
multo abortos, nm sorriso qoe se lie espanejava s
vetes nos labios e a raga da refleio por me as
sobrancelbas Indicavam fie estava completamente
engolfado em am pensarntnto.
O qoe- mais me moven a attengio fot nm pe
dago de alabastro qoe esuva ao sen lado no banco.
n'este claustro me metti:
e, le Indo..... tudo que amei,
s a saudade guardei.
Na tempestado da vida
Mdw trila e um annos, que cont,
na s encontr guarida,
s" ao mostelro me remonto;
s este nao quiz tributo
de magua, de pranto e lato.
Era nm jardlm este mundo,
quando amor abrime os olhos;
mas agora chaos profundo,
chelo de espinhos e abrolhos.
da mente as crengas queridas
esto p'ra sempre baoidas.
as azas do pensamento
vejo sna imagem fallar;
porm cresce o desalent
quando o sooho se desfaz.
Abl quem me dra o inferno,
se o sonho l fosse eterno I.....
Ao menos seos olbos bellos,
e sen sorriso innocente,
seriara os doces los
da cadeia encandescente,
que punira o peccado
de um affecto reprovado.
Feecado, nao, que eu amei-a
quando livre o peito tlnha;
peccado, nio, que adorel-a
quando poda ser miaba,
sem sombra, mysterio, oa vo,
na trra, no mar, no co.
Affecto que a natureza
quem nos peitos imprime,
scentelba, no co aceza,
que nao ha quem nao a estime,
ser crime para-atbeos;
mas, virtude p'ra Deas.
Mas, seja peccado, ou crime,
abrigar no corago
o sentimento sublime
da mais pura adoragao,
en nio esqaeco a passado,
nem reneg o meu peccado.
Havia mais duas sexliibas, que estavam por
tai forma escripias que Fr. Bruno nao poude, ou
nao m'as quiz 1er; e, Onda que foi a leitura, le-
vantou-se, tomoa-me pela mi e mostrou-me em
am pequeo reparaento de madeira, dependen-
cia reservada de sna celia, dentro de nm modesto
nicho, junto ao qual ardiam, da e noite, duas pe-
quenas vellas de cera, am qnadro que ea jalgaei
ser de alguma Santa ; mas, que o frade declren-
me ser o retrato de Eulalia, por elle desenhado
no convento com o auxilio apenas de sua memoria,
qoe reprodnzira, com a maior perfeigao, a imagem
querida da bella Olna de Vasco.
Nao pode disfarcar a minba commogo em pre-
senga d'esse amor, ora profano e terrestre, ora re-
ligioso e divino.
Muito grande de vi a ser, e era por certo, o sen-
timento de Fr. Bruno I
Seotimentos taes s se extinguem com a vida
d'aquelle que os experimenta, on a quem acompa-
nham como a sombra acompanba ao corpo, e o
reraorso ao crime.
Fr. Brnuo, observei-lhe eu, a historia, que
acabaes de cootar-me, entristecen-me multo, j por
qoe comprehendo quao grande e justa a vossa
dr, j porque me parece nao estar o vosso peito
isenio de odio contra o marido de Eulalia, no que
no~ vos acbo razio. &
Nao exacto o qae soppondes, tornou me
elle; longe de odiar, eslimo ao marido de Eulalia, e
estkno-o, tanta porque przo tudo quanto pertence
a ella, como porque presentemente o sep nico
protector, e todo me leva a crer que elle cerca-a
de desvellos, e se esforca por faze-la feliz.
E' assira qae ea amo, continnou elle, e nio com-
prebendo amor incapaz de abnegagio e sacrifi-
cios.
A vossa declarago d-me prazer, Pr. Bruno,
disse-lbe anda eu; porque ser-me-hla muito des-
agradavel encontrar no coragao do homem, qne
ama por tal forma, um rencor mesqoinb, e s
proprio de almas pequeas, que faria de vos um
bomem commum, e do vosso amor urna paixo
vulgar e Inieressera.
Fr. Bruno nd me respeodea. Le vantou-se e en-
treu no repartimento de madeira, onde os letores
ja o viram comige.
To preoccapado me achava en com o que aca-
ba va de ouvir, que nao dei f de que o tempo cor-
ra ; e ter me-bia conservado assim ainda por
muito tempo, se no relogio do convento nao soassem
ento doze horas.
Era meio dia; ergui-me, tumei o chapeo, e, an-
tes de relirar-me, penetre), sem fazer rumor algum.
oo logar em qoe Fr. Bruno se achava.
O pobre frade estava de joelbes, em om reco-
Ibimento piedoso, com a vida toda concentrada no
coraco, e o pensamento todo absorvido pela con-
templado muda da imagem de Eulalia.
Cnrvei-me em presenga d'aquelle fanatismo de
nm sentimento, qoe o mundo nunca entender;
mas que aos olhos de Deas nio pode ter passado
desapercebido.
E' um martyr, murmararam meus labios, e
sabl com a mesma camella, para nao perturbar a
sua medilagao.
Nao obstante continuaren: as minh&s visitas ao
convento, Pr. Bruno nunca mais fallou-me acerca
de seu amor.
Com os anms foi tendo ncessidade de trabalbar
para poder viver, e essa ncessidade, deixaado-me
ponco tempo para passeios e dlstracges, foi pondo leubra-se mais "elle.
intervatlos, cada vez mal longos, entre as minhis
visitas.
Uadia.... fazem.j mullos annos, recebo um
recado de Fr. Bruno, qoe estava a ponto de expi-
rar, e quera dar-me um abraco de despedida.
Sabi immediaiamente de casa; eram cinco horas
da tarde, e a chova cabla a cantaros.
Eu nio andava, corra; eu nao corria, voava;
tal era o receio que tinha de nao receber o nltimn
adeus do meu infeliz amigo I
Cheguei, por fim, ao lugar onde urna alma se es-
forcava por partir a argila que prendia-a ao
mundo.
apenas um vive ainda, e son capaz de jurar que
oiagoem n'esle mundo, excepglo d'esse e de mim,
Quando, de tempes em temaos, roo ao convento
de......., eocamlnho os meas paseos pan a celia
de fre Bruno, e al permanego sempre algans mo-
mentos -silencioso e vivamente contemplativo, com
os olhos Une na mesa, en) pobre e abandonado
leito em qoe elle se finava I
"O lefio, a mesa, o repartimeoto de madeira e o
nicho all se conserva nos lugares em que fre'
Bruno.os colocara ; mas o le to foi abandonado e
o nicho est vasio : o pobre frade e a imagem da
sna Eulalia j alf nd esto t Substitui-os a
solidu mais profunda e o silencio dos tmulos.
Como essa pedra, anda informe, dava ares da pea-
aba de nm pndulo, e eu va uns tres oo quatro
instrumentos de eco de feitlo particular a sabirem
de um papel qne estava ao p do alabastro, enten-
d qne nio me engaara tendo o meu companbeiro
de jornada por um relojoeiro.
Ao cabo de largo silencio, aventnrel esta pbrase
trivial :
Est boje muito calor, nio acba T
Como acordado em sobresalto, volven-se para
mim e respondeo eom amavel sorriso :
E' verdad, est muito calor.
Depois tornoa-se primeira posigao, apartando
de mim os olbos.
Eu nao me senta com muitos desejos de lomar
mais largtcooheclmento com om bomem to avaro
das suas palavras e lio poaco amigo de conversar.
Demais, o sea rosto, que ea aeebava de ver com-
pletamente, tinba-me inspirado urna especie de res-
peito por causa da magostado que transparecia em
todas as suas feicSes, em qoe se liana os slgoaes do
engenbo e do sentimento.
Encolbi-me a om canto da diligencia, feche! os
olbos e dlviguei sobre tantas coosas qoe por flm
adormec.
Os passageiros para Bodeghem I gritn o con-
ductor, abrlndo a pertinhola.
Saltel estrada e paguei e passagem.
Oconducior voltoa para o sea lugar, fustigou os
cavallos e grton-me por despedida :
Boa jornada, f r. Conseience Olhe l se val
agora contar muita patranha a reepeito do tmalo
de ferro.
Multo aaaurado, segu eom os olhos o conductor.
Quem ha** de revelar o obfetto da minba jornada
ueniro da celia estavam dons frades velhos, que
disseram-me ao ouvido que o moribundo havia sido
accommettido, oito das antes, de ama febre cere-
bral, que apresentara-se logo com nm carcter
assostador.
O medico declarara qae a molestia fra urna
consequencia das constantes vigilias de Fr. Bruno,
e da agitago de sen espirito.
Os bons frades roe referiram isso com as lagri-
mas nos olbos, acrescentando quo alies, desde qae
Fr. Bruno entrara para o convento, haviam conbe-
cido que elle estava lonco.
Lonco! disse eu commigo mesmo, abl como
soos joizos dos heraens e as apreciagoes do
mundo I
Quando acabava de fazer essa reflexo, Fr. Bru-
no despertou da modorra em que estava, abri os
oihos, e, vendo me ali, chamou-ms para junto de
si: sua voz estava rouca, seu corpo pareca nm
esqueleto e suas mos queimava:u. Qlasi o nao
reconbego, tal era a mudanga que se havia n'elle
operado nos quatro mezes que o nio vira !
Abracel-o, beijel-lbe a fronte, e algumas lagri-
mas, que me saltaran) ento dos olhos, cabiram
em sen rosto descarnado.
Essas provas de amisade foram nm balsamo para
sua alma, o elle procurou demonstrar-me a sua
gratido, apertando-me as raaos eom a ponca tor-
ga que Ihe restava, e com as seguintes palavras:
Obligado raeu amigo, obrigado; agora sim, a-
gora que vos vi, posso ja' morrer.
Quem fallou aqai em morte, Fr. Bruno i Nao,
vos nao morrereis anda, eu vo-lo assegoro.
Meu amigo, retorqnio-me elle, nao vos enga-
is, nem vos persuadis que a merte me assusta,
ella para mim um descanso, a ninguem fago fal-
ta, reputo-a um favor do co; e deraais, de que me
servira a vida ?
Meus irmos, conlinno elle.eom a voz mais tra-
ca equasi inintelligivel, deixai-nos^fallar om poaco
em particular e sem testemunhas; antes de vinte
minutos pudereis entrar de novo n'esta celia.
Os frades sahiram, aconselhando-lbe que poupas -
se o resto de suas torgas, absteodo-se de fallar
muito.
Fr. Bruno, por esforgo que ainda hoje admiro,
ergun immediatamente a cabega, sentou-se na ca-
ma, e disse-me :
Nd cercamos tempo, os momentos sao precio-
sos, pois dentro de meia hora eu terei cessado de
viver; entrai ali no repartimento, e trazei-me o re-
trato de Eulalia, o convento deve ignorar a mi-
nba fraqueza, e o mundo nio deve saber que tam-
bera um frade pode ter corago.
Fiz o que elle diese, e apresenlel-lhe o quadrol
Pr. Bruno levou-o aos labios repetidas vezes, depois
apertou-o de encontr ao corago, e conservando-o
n'essa posigao, pedio-me que logo qoe elle expi-
rasse, eu me apossasse do retrato, de modo qae o
nao presentissem os seus compaabeiros de clausu-
ra, e o tivesse sempre-comigo ; que se o curso dos
aconteclssestos me levasse a ter algara dia reta-
cos com Eulalia, nada Ihe dissesse do que elle me
narrara, nem do qne eu estava n'aquelle momento
presenciando ; e que no caso de ea sobreviver a
ambos, si a sua historia podesse aproveitar a al-
gum incauto, nio tivesse escrpulo em referi-la
de modo qne me parecesse mais proveitoso e pro-
dente.
A vos de Pr. Bruno estava to arrestada, que ja'
me custava muito entender o que elle dizia.
Pedio-me que o deitasse, que cbamasse os frades,
e me conservaste jnnto a' sua cabeceira, visto que
a morte se aproximava.
Os frades entraran), encontraram-no na mesma
posigao era qae o haviam deixado, e nao se sepa-
raran) mais d'elle.
Pr. Brnno bavia lmalo todos os Sacramentos,
eslava, por tanto, preparado para morrer como
christao e como frade.
A morte nio se demorou apenas meia hora como
elle suppozera; pois sraenta as nove horas da noi-
te, depois de nma agona qne durou mais de duas
horas, sua alma von para o selo do creador I
A triste nova correu mmediatamente pelo con-
vento, e, dentro de ponco tempo, tndo ali era um
movlmento mortuario.
Aprovettei-me do momento em que os frades ha-
viam sah-do da celia, afim de dar a noticia d mor-
te aos seus companberos, para tirar do peito do
cadver o retrato de Eulalia, qae cuidadosamente
occoltei oo bolso.
Quando os frades voltaram para se appossarem
do morto, abracel pela ultima vez o corpo aluda
quente do meo Infeliz amigo, e, nada mais tendo a
fazer ali, roltei para a minba casa.
To viva se conserva em minba memoria a lem-
branga d'esse facto, que agora mesmo, depois de
tantos annos passado*, me parece estar vendo -o
inda.
De todos os fradescompanberos de fre Bruno
Ninho sem rouxinol, templo vasto,
< Alampada sem luz. >
Ealalla e sea marido morreram sem desceadea
cia, e o seo retrato, que cuidadosamente conservo,
nao teria defeito algum, se nao eslivesse levemente
manchado em algans lugares pelas lagrimas do seu
infeliz amante I
Por baixo de ama espessa carnada de poeira e
fumo encontrn orna das virfefts mais notavels do
immortal Corregio. F-
E' a reprodnego da .celebre Pttga ao Egypto-
qnadro qoe estete em Parma, na igreja do Santo
Sepulchro.
Esta brtlhame concepgio de Correggio pode d-
zer-se que 9ncerra todos os flotes do inspirado ar-
tista : nada mais locante, mais suaVe, mais verda-
dero, nem mais encantador do que o sagrado gra-
po, cujo desenho e colorido sao -ame obra magistr
em que se revela o genio do insigne artista.
nio tendo eu dito a ningnem em toda a estrada
ama palavra a tal respeito ?
Urna voz, qne profera o meu nome por detraz
de mim, fez-me volver a cabega.
Vi qoe caminhava para mim, cem o chapeo na
mo, sorriso nos labios e o pedago de alabastro de
baixo do braco, o meo estranho companbeiro da di-
ligencia. De certo tinha sabido do carro depois de
mim sem en reparar na sua sabida.
Comprimentou-me com ares de cordealidade, e
disse-me :
O senbor que o Sr. Conseience, cantor da
nossa bomilde Campine? Desenlpe-me se son im-
portuno, e permitta-me qoe Ihe aporte a mi. Ha
tanto tempo qne en desejava v lo I...
Balbuciei algnmas palavras de agradecimento
amabilidade do bom velho, qoe me pergunton em
seguida:
Vai a Bodeghem 1
Voo, mas nio para demorar-me. L passarei
esla noute, porque cont l chegar antes de anou
tecer.
Terei ao menos o praser de Ibe fazer compa
nhia e de Ihe servir tal vez de gola at Bodeghem,
porque provavel qae nunca fosse nossa pobre
aldeiasioba, de que ningnem se lembra.
E' verdade qne anda l nio foi, e com mui-
to gosto acceito o sen offerecimento com a condigo
de me permiltir qoe o alllve da carga desea pedra.
Nio faga caso disto; tenbo os cabellos bran-
cos e j me voo curvando para I trra, mas as per*
as e o coragio alada estad tortee.
Insist para qoe me delxasse levar a pedra, apon-
iendo a sua idade avangada, as mtnhas I cas mais!
Invens e o respeito qne devido veMe; mas
descolpoo-se e defendeo-se eom teaacidjie; por
E acabou-se a hi. toria.
Devo agora declarar m |leitores que a razio
por que resolv^ublic i-la, foi a segulnte :
Eu estava no Cluo, n'um dos das do ultimo car-
naval, sentado em urna cadeira isolada, e pensando
no que bavia perdido mesa do voltarte, quando
oucp a voz de urna rapariga, que dizia a) mogo que
Ibe dava o braco:
Se eu nio casar-rae com Henrique, doutor,
nio me caso coa) oiuuem mais; entro para um
convento e fago-me freir.
Oii 1 miaba senhora, isso um horror I V.
Exc nao tem o direilo de contrariar o pensamento
de eos, que quer que se admire na pessoa de V.
Exc. o seu esforgo de artista ; nem- privar o man-
do da flor mais mehnIrosa que.os seus jardins tem
produzldo.
c Uju!or,contestou a bella moga (qne mal sa-
bia estar algaera, sem ser visto, oavmdo-a alterna-
mente ), eu nao creio no que o seohor me est di-
sendo; mas, qaando mes no assim tosse, ea far-me-
bia sempre freir, por que no convento deixaria de
s ilfrer, e o meu pensamento volver-se-bla todo para
Dos I
O elegante par passou, e eu nao pude continuar
aouvi-lo; mas ti iha j ouvido bastante, para jul-
gar-me obrigado a desfuer o engaao em que es-
teva a Exma., julganlj que na porta de um con-
venio pode-se sempre sacudir o p das recordagoes
mundanas.
Eis a razio por que publique! a historia de fre
Bruno, apazar de oo estar muito convencido da
siaceridade das palavras da moga, que bem podiam
ser apenas um mero galanteio.
Cusi tanto a crer em constancia {minina 1___
FIM.
O imperador Napoleo acaba de ordenar ao prin-
cipe Arcbiiles Mural qoe sabaia de Pars e faga urna
vlagem por um espago de tempo illimitado.
A causa deste simulado desterro foi o duello do
principe, que offlcial de cavallara, eom o jorna-
lista Henriqae Rochefort.
O conde de Alcntara e o maquez de Doverdot
embarcaran) com destino para Veracroz, levando
imperatriz do Mxico urna copia aotbentica do
testamento do fallecido rei Leopoldo I da Blgica
seu pai e os codicillos particulares, que Ibe dizem
respeito.
A imperatriz herdou perto de 4:500 contos de
res.
DI PODCO DI TUDO.
Os ladros nem sempre sao desprovidos de bom
bomor : ha os qne a sea tempo empregam am dito
jocoso que provoca o riso.
Doas d'esses honrados industriosos encontraran)-
se ltimamente em oert roa e reconhecerara-se
como antigos companheiros no tribunal correccio-
nal, posto que tivessem espiado a sua pena em car-
ceres differentes.
Ora, ainda bem I At que chegou o dia de
urnar-ie a ver transformado em homem de bem,
nao assim ?
Ha qainze das que sahi da gaiola para ver o
sol, respondeo o outro.
O que I quinze das I mas oa recordo-me qae
tinhas sido condemnado, assim como_eu, a tres an-
uos de detengas.
Sim, isso l verdade; mas succedeu-me ama
nova desbaga. Nao tendo comido fructa desde
muito tempo, e tendo as aigibeiras completamente
desguarnecidas de numerario, furtei duas magas a
urna vendedeira, e isto me dea em resultado nm
supplemento de alguns mezes de priso.
Nao tens motivo de que ir a, disse o outro.
Adopor ter furtado s urna maga foi coademna.
do a morte.
Sob o titulo : Mulheres acontadas na Jamaica, o
Daily-flews publiou urna caria de M. H. Pringle,
antigo magistrado na Jamaica, o qual severamente
censara o revoltaute e brbaro castigo dos agoates
applicados a algumas mulheres na Jamaica.
Nao somante o instrumento da tortura que os
iaglezes chamara cat-o-nine-tails atroz, mas tam-
bera ios horneas, diz M. Pringie, sao agoutados as
costas e hombros.
As muiheres sao despidas completamente, e aa
parte Inferior do corpo qae sao agoutadas.
Assim, nio somonte a mulher soffre pbysica-
mente, se nio qae Qca vergonhosamente exposta
aos olbares do publico, n'um estado de nudez com-
pleta.
A mnlber, por certo, nao pensa n'isto sem corar,
mas myster, a bem da justiga e para honra da
humanidade ultrajada qoe semelhantes torpezas
sejam conbecidas na Inglaterra.
O brigadeiro general Nelsoo, diz M. Pringie ao
acabar, acha-se actualmente na Inglaterra. Poi
elle que mandn acoutar as mulheres....
Que me desminta, se avance! nma falcidade
I Um restaurador de quadros, em Paris, acaba de
fazer urna descoberta, que tem cansado ama varda-
deira revolagiono mundo das Bellas-Artes.
flm, pegue-lne na pedra qnasi a forga e obrigoei-o
assim a acompanbar-me pela estrada arenosa.
Para por termo s mosiras que me dava do quan
(o Ibe custava o encargo qae ea tomara, perguo-
lei-lhe: -
Este pedago de alabastro destinado para a
base de um relogio de mesa, nio verdade ? O se-
nbor provaveleteata relojoeiro.
Relojoeiro I respondeo elle, riodo-se. Nao, se-
ohor ; soq esculptor.
Qae me diz I voo na companhia de Om artis-
ta t Quanto estimo I
Artista nao, seohor ; curioso.
B mora ha moito tempo em Bodeghem ?
Ha pelo meos quarenta aonos.
Pode ser que nio me seja descoebeeido o seu
nome.
O velbo abanon a cabega e responden Instantes
depois:
O senbor ainda muito novo para eonhecer
o meu nome. Nio porque no mundo das arles
nao se fizesse ja algum rumor com esse nome ;
mas nao dnrou isso muito tempo, e ja l vai, ba
mais de trinla annos.
Nanea expoz nenhuma daa suas obras I
S ama ves. Poi em I8J4. Havia grande mo-
vlmento no dominio das artes, porque a paz dei-'
xa va que se desenvolvessem todas as torgas vi-
vas da nago. Desgragadameale, cada am esteva
sojeito a'qnellas estrellas regras qoe a chamada es-
cola d David tragara como condiges da belleza;
qoeria-se imitar em tndo a antignidade grega, mas
' s se tioha oolhido delta a apparencia e as formas
I materiaes, e, na falla de ama alma qoe podesse
animar as creacSes da nova escola, tinha se recor-
! rido s pusigdes theatraes e aos gestos exagerados.
[ Figara, pintada Ota escnlpturada, que nio fosse r-
gida, solemne e sem alma, nio poda merecer a ap-
provagio de ao publico pae liaba o goeto perver-



Eis um novo genero de roubo que leva Henriqae
Browae peraote o tribunal de polica de Westmins-
ter (Inglaterra}.
Parece que este homem tinha um verdadairo
culto pelos Jornaes em geral, e pela revista peri-
dica The Engineertng em particular ; nio porque
tivesse grande prazer na sua leitura, mas porque
era para elle um meio de ganhar dioheiro.
Ora quem que ganba dinbeiro eom os jor-
aetT
Os proprietaries, os redactores, os typographos,
os impressores, os empregados do expediente, os
agentes de annnncios, etc.
E comtodo Henrique Browne nao exercia ne-
nhuma destas funcgdes.
Elle tinha simplificado notavelmeote as cou-
sas.
Contentava-se em ronbar um desees, saceos em
que se metiera os jornaes para serem levados ao
correio, e munido deste alfargo, ia vender 633 n-
meros a pes) n'uraa toja dos arrebaldes de West-
mins ter.
Nio ha porm maroteira, por mais bem ardida
qoe seja, qne nao venb a ser descoberta cedo oa
tarde.
Em urna das ultimas noiles entrn Henriqae
Brown no escriptorio do Engineerintj, offereeea-se
pare levar um sacco ao crrelo, e em lagar de
tomar o camioho deste, dirigio-sa a casa do ten-
deiro.
A polica vigiava-o, porque apenas os jornaes fo-
ram laucados na balanga para serem pesados, am
agente de seguranga approximou-se e langou a mo
ao ladrao.
Qae me quer ? disse elle apannado em fla-
grante delicio.
D'oude veem estes papis? nterrogou o agen-
te de polica.
Deram-m'os.
Quem?
Um hornera.
Que homem T
Um...
O seu nome ?
Henrique Brown,
Siga-me.
E Bruwn fot levado peraote o magistrado.
Mas em casa deste nao den expiicagdes que sa-
tisflzessem a curiosidade da polica ; elle nao se
recordava mesmo do seu nome.
Esta confaso e esta perturbado valeram-lhe o
ir para a cadeia onde talvez se poder recordar do
que tem feito.
i* i m
O almirante Pareja tinha SO a 52 annos de idade
nasceu no Per, e era filbo de um general bespa-
nbol, que commandon entao aquelle vice-rei-
nado.
A sua carreira militar, as graduages superio-
res, foi muito rpida.
Em 18i'J era capito de fragata, e assislio, com-
mandando ora dos navios da esqoadra, a expedlgio
dos estados pontificios, capitaneada pelo general
Fernandez de Cordova.
Em 1832 foi promovido a capito de nao.
Dizem os jornaes de Madrid, qoe elle era j bri-
gadeiro e director de um dos departamentos do
ministerio da mariaha, quando a pasta desta re-
partigo foi confiada ao Sr. D. Augusto Ulloa, ac-
tualmente ministro de Hespanha em Italia.
Tendo o general Pareja lomado parte na conspi-
rado contra o gabinete, foi transferido para as
Pnilipiaas, mas nao chegou a compra* esta ordeno
em consequencia da queda do ministerio.
Promovido a chele de esquadra, o Sr. Pareja
exerceu alguns cargos importantes, e entre elles o
de director do collegio naval de S. Fernando, sendo
depois nomeado ministro da mannha no gabinete
Mon-Cordovas, justamente na poca em que mais
se agitava a questao com o Per.
O general Pareja tomoa o cora mando da esqoa-
dra bespaobola no Pacifico, em dezembro de 1864.
Era senador do reino, teneote-generai da arma-
da, gr-cruz da ordem de lubel a Catholica, com-
mendador da ordem de Carlos III e da de Consto
de Portugal, e de S. Gregorio Magno de Boma,
condecorado com o diadema real.
tse)7atate))7e)7e)7e))7e)TatatarmTaTiaTis-aTaTaTaa^
tldo. Poi oessas circunstancias qne expnz a minha
primeira obra. Era urna estatua deitada, de mar-
more ; urna mulher estendida no sea leito de mor-
te, segurando ainda o crociflxo as mios juntas,
como a bavia colhido a morte. Tioha iluminado as
feiges sem vida da minha estatua com om sorriso
alegre, e nma expressao de coofianga, de esperan-
ga e de viso divioa. O mea flm era determinar no
marmore o momento supremo em que a alma se
desprende do corpo, e, comlndo, ainda a forga a
manifestar a alegra qae Ih di a certeza de ama
vida melhor. Essa obra, a que ea dra o nome do
Presentimento da humanidade, dea lagar a ama
especie de raotira entre os artistas. A maior parte
voKoo-se contra mim com certo furor, e criticn a
minha estatua como frueto de engenho doente e co-
mo heresia contra os preceitos ento acatados. Com
effeito, as formas da minha estatua eram magras,
delicadas, floas; a feigio material era sacrificada &
expressao moral de nma idea oa de am sentimen-
to. Tambera" honve multas pessoas qne me parecen
que admiravam a minha obra, e qoe me ani-
maran) dizendo me que eu estava predestinado pa-
ra fazer urna revologio na escola e para elevar a
arte ebristia cima da arte pagla; mas qnantos
mais eram os defensores, mais inimigos se assa-
nhavam contra mim. Se a lucia se tivesse Hntltado
distossio dos defeilos o dos mereefca-aenaada mi-
nha estarna, nio teria en succurabido; mas os meas
adversarios, cegos pela paixio, pozeram-se a aro-
corar no men pasudo pretextos para faserem ene
o publico se risse de mim. Sem querer* tanto, fl-
zaram-me sangrar o corago por ferinas proraadas
e profanaran) recordages qae me nm mate aeras
do qoe a vida. Desde entio tive medo da pobtel-
dade e nio expux mais nada.
{Contituar-s+ka.)
PEB.NAMBUCO -TYP. DE el F. br I, RUI
I
r

-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2NCHIHZI_OYG1S3 INGEST_TIME 2013-09-04T22:55:02Z PACKAGE AA00011611_10899
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES