Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10898


This item is only available as the following downloads:


Full Text
BB
HE
BBI
^i
;/




i
II
AM0 XLU. SOMERO 42
Ptr turtel p! demtr dw 10 das lo 1.* mez
dem deptis dw 1.* lt dias d ctmect e deitn dt fiarttl
Parte aa correio por tres mezes V

?
n
OUARTA FEIRA 21 DE FEVEREIHO DE 1866
Par aaaa paga deitra de 4a das da 1. mez.
Porte ao carreia par om anne ,..,..
5#aaa
PERNAMBUCD.
><>.
BNCARUEGADOS DA SBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alex?odrino de Lima;
Natal, o 9r. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
8r. A. de Lomos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drgaos ; Para, os Srs. Geraido Antonio Alves &
Filos; Amazonas, o 8r. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SBSCRIPCAO DO SL.
Alagons, o Sr. dandi no FalcSo Das; Babia, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Ribeiro Gspar'inho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Oliada, Cabo, Escada e estajea da via frrea at
Apea Preta, todos os das.
Igurass e Goyanna.as segundas e sextas feiras.
Saiifo Anto, Grvala, Bezerros, Bonito, Caraar,
'Altinho, Garnhnns, Bqi(|ne, S. Bento, Boro
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as torgas
feiras.
P(. d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqaeira
ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Oaricory, Salgaeho eEx, as quarias
feiras.
Serinblem, Rio Formse, Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta Pimentelras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRJBNAES DA CAPITAL.
Tribunal do comraercio : segundas e quintas.
Relaco:. tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Julzo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos: tergas e sextas s 10 horas.
Primoira Tara do civel: tarcas s sextas ao mel
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a 1
hora da tarde.
Et
EMERIDIS DO MEZ DE FEVEREIRO.
7 Quarto ming. as 5 h., JO m. e 16 s. da t.
15 La nova as 7 n., 53 m. e 56 s. da m.
22 Quarto cresc. as 2 h., 28 m. e 4o s. da m.
DAS DA SEMANA.
19. Segunda. S. Conrado (.; S. Gabino ro.
20. Terca. Ss. Eleaterio e N'llo bb.
21. Quarta. Ss. Maximiano e Fortanato bb.
22. Quinta. Ss. Papfas, Abilio e Pascacio bb.
23. Sexta. S. Margarida de Cortea f.
24. Sabbado. S. Mathias ap.; S. Pretxtalo ab.
25. Domingo. Ss. Cezario e Dionisio mm.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 10 horas e 6 m. da manhaa.
Segunda as 10 horas e 30 minntos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o su I at Alagoas a 14 a 30; para o norte
at a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Penan-
do nos das 14 fos mezes de Janeiro, marco, mato
julno, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa de Paria
& Filno.
PARTE OEflCIAL
BUATSTERIO DA JUSTINA
Seniior..0 empenho que V. M. I. tem serpre
mostrado ero applicar ao imperio os melborameo-
tos que tjm por si a experiencia dos oniros povos,
me animi a propor a V. M. I. urna nova orgaolsa-
ci para a torga policial da corle.
Nesta orgaolsago, que submetto a' sabedoria de
>'. M. I., a idea principal nao senao urna imita-
Cada companhia ter um commaodfote que se
doaoraioara commandante de dlstricto.
Ero cada posto de vigilancia havera sempre ura
guarda urbano encarregado do percorre-lo, Indo e
vil i id jo continuamente de uno uxtremo ao outro,
nao parando, e oo deixando o espago do mesmo
| poste, seno nos casos e pela forma, que determi-
nar o regulamento especial.
Art. 9 O enere de polica orgaulsara e submet-
tera a approvagao do governo imperial um regu-
, lamento especial, em o qual declarar minnciosa-
' mente as atlriboigoes do commandante geral e
che mandantes dos districtos, assim como o servigo
gao da preconisda polica da cldade de Londres, dos guardas urbanos,
tambe* adoptada em Paris pelo decreto de W da Art. 10 Alera da estaglo central, que ser na
setembro de 1854. j repartigo da polica, haver em cada districto
Quando digoama imitagoreflro-me ao prin- um;i estago guarnecida por torga do corpo poli-
cipio fundamental da Inslituigo dopoliceman cial sempre prompla para auxiliar a guarda ur-
e nao aos meios da acgo, os quaes nao podem ser baa.
idnticos, visto como a nossa capital nao to Art. 11 Em cada estago etar um medico en-
grande e populosa como aquellas duas cldades do carregado de verificar os bitos do districto, e de
mundo, e nem os nossos reenrsos podem empare- prestar os certificados necessarios para os enter-
ros.
O chefe de polica contratari os mdicos das es-
tacos mediante um honorario razoavel, e organi-
sari o regulamento deste servigo, submeltendo-o
api'rovago do governo imperial.
Arf. 12 as estagdas havera' pelo meos urna
sal para o commandante do districto, outra para o
mlico, ura xadrez para os presos; e um corpo de
guarda para a forga do corpo policial.
Art 13 O commandante geral ser nomeado
Ibar se com os dessas naguas poderosas.
Com efTeitoo principio fundamental da institui-
cao ingleza como o descreveu o ministro francez
Biilaut no relatoro que acorapanhou o citado de-
creto de 1854 consiste na presenga continua de
numerosos agentes, dos quaes rada ura encarre-
gado da vigilancia exclusiva de um espaco mmto
eircnmscnpto, qae elle percorre constantemente
conheceode a rundo a sua populagao e seus hbi-
tos e serrpre prompto para dar apoto a quera o re-
dama, sondo que por suas-idas e vindasconti-> pelo governo imperial, a por elle demittido quando
nuas, niio deixa aos malfeitores facilidade para convier ao servigo publico,
consummar o crime nem possibilidade para prepa-1 Tera'as honras e os venc tientos de major do
rar o seo projecio; crpo policial.
E* esta continua vigilancia da polica era pontos j Art. 14* Os commaadantes de districto te rao as
circnmscriptos que en desejava applicar pelo modo | honras e venc meatos de lenles do corpo policial,
possivel a'nossa capital. e sero noraeados, suspensos edemittidos discrii
Na vigilancia de Londres, esto oceupados 5,525 conariatnente pelo chefe de polica,
homens, dos quaes 3,700 fazem servigo toda a noi- Art. 15 Os commandantes dos distrlctos sero
te, e 1,800 todo o dia. escolhidos ou dentre os offliiaes reformados do
Era Paris o servigo feito por 2,992 homens. I exercito, do corpo policial ou dentre os offlciaes
Entre n?, porm, em quanto nao houver provi- dos corpos de voluntarios que se distinguiris, ou
dencia legislativa, so podem ser applieados legal- dentre os'cilados maiores di 25 annos, de reco-
mente a tal destino 560 bomens : o servigo nao; onecida inteligencia e moralidad,
sera' preenchido perfeitamente, os postos de vigi- Art. 16 Os guardas urbanos serio noraeados
lancia nao serio tao circnmscriptos, como frapara. pelo chefe de polica dos individuos da 21 a 50 an-
desojar, mas teremos umensaio de inslituigo para nos, que saibam ler a escrever, sadios, robustos, e
aperfeigoa-la quando os nossos recursos permilti-
rem maior numero de guardas.
Tendo pisto a' V. M. L aldea fundamental da
inslituigo que proponho, cumpre-me agora expli-
car a legalidade desse numero de 560 homens.
Sabe V. M. I. que o corpo policial da curte era
virtude do decreto n. 2,081 de 1858, baseado em
autorlsagfio legislativa, pode ter al 1,125 pragas
apezar, porra, dosesforgos eropregados, o effectivo
do mesmo corpo nunca attiogio aesse numero, sen-
do que quando raarchou para a guerra poucomais
tinha que 600 homens.
Esta forga aulorisada (1,125) dividida por dous
cornos om militar e ouiro civil; a vigilancia con-
tinua compete ao corpo civil; o corpo militar au-
xilia ao corpo civil e encarregado das diligencias
policiaes.
Reduzido o corpo militar, que o actual corpo
policial a 560 pragas, rica para o corpo civil, que
se denomina guarda urbana, o excesso desse nu-
mero, ao qual se deve addiciooar o de cem pedes-
tres, coja suppressao proponho.
O numero que excede a 560 conforme a referida
deroostrago mais de 560, mas flea limitado so
a 560, porque sendo maior o vencimento do guarda
urbano do que o do soldado de polica precisa i
essa differenga do numero para compensar a diffe-
(Ha da despeza.
Ootras medidas tambera proponho no decreto i
incluso tendentes a melhorar o servigo policial da
corte, como entre outras a presenga de um me-
dico em cada estago policial encarregado de veri-
ficar os ooilos ao districto, e de prestar os certi- '
cados exigidos para os enterros.
Esta medida essencialraente policial nao poie
deiiar de ser agradavel a' populagao da cSrte,
porquanto : 1*. a falla de mdicos verificadores dos
bitos laz que nao poucas vezes se sepulten! com a
victima os vestigios dos crimes os mais atrozes ;
2, porque a falta de mdicos que prestem promp-
tamente os attestados exigidos, embaraga e demora
os enterros, os quaes dependem desta formali-
dade
Sobmettendo a approvagio de V. M. I. o incluso
decreto contendo as referidas medidas
Sou, senhor, subdito reverente Jos Thomaz
Nabuco de Araojo.
de reconhecida moralidade.
Serio preferidos os que as armas e empregos
civis tiverem servido ao Estado.
Art. 17 Os guardas urbanos sao dispensados da
guarda nacional.
Arl. 18 Podem ter guardas urbanos os cidadios
que tenham oatra proOssio om tanto que em ra-
zio da sirnulianeidade nao se;a incompativel com o
servigo da vigilancia policial.'
Arl. 19 O commandante goral, os commandantes
dos districtos e guardas urbanos, osario do uni-
forme e armas constantes das tabellas n. 6, 7, e 8.
Art. 20 Cada ora guarda urbano vencer' men-
sa I mete 40*000.
No caso de molestia este vencimento tica redu-
zido a matade.
Alm do sida ter fardatnento.
Art. 21. O chefe de polica poder conceder aos
ommandantes dos districtos e guardas urbanos,
licenga que nio exceda a 30 das.
Art. 22* O commandante geral e comramdantes
dos districtos residirao o mais perto que fr possi-
vel ds respectivas estagoes, e nunca fra dos seos
districtos.
Art. 23 Os guardas urbanos sempre que fr pos-
sivel sero moradores nos postos respectivos.
Nao podem, porm morar ora do districto da
companhia.
Podem, querendo, residir na esiago e neste caso
fomente se Ihe dar cama.
Art. 24 Alora das penas em que os chafas de
districtos e guardas iucorrerera, segundo a legisla-
do em vigor, serio correciooalmenle punidos pelo
chefe de polica :
1" Com repreheosio.
2 Cora suspensio" dos vencmentos at 15 dia*.
3* C ira demissao do emprego.
Estas penas sero impostas por infraegao do re-
gulamento e por deleixo na execugio de seus de
veres ou das ordens que llies forera dadas pelos
superiores legtimos.
Os guardas, alm destas penas podero tambera
soffrer a de priso de um a cinco das.
Art. 25 Pelo facto de haver roobo ou desor-
dera, que nao fr reprimid* pelo guarda urbano,
no po-to da sua vigilancia, poder ser elle suspen-
so de suas funeges, at que justifique o ni > ter
Cgmmuncoo-se ao commandante superior de San-
to Anto.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.A
-Augusto Jos Tonaira mande V. S. pegar confor-
me soiicitou o director do arsenal de guerra em
officio de hontem, sob 0. 535, a quanlia de 75* em
que segundo a conta junta em daplicata importan
a condugao do quartel das Cinco Ponas para
aqnelle arsenal, dos utencillos que Acarara no pre-
dito quartel e pertencem ao 7 corpo de volunta-
rios desta provincia.
Dito ao mesmo.Para curaprimento do disposto
recommeade Vmc. aos subdelegados deste termo
que nao continen) a remetler doentes para o hos-
pital Pedro II sem que qae fagam seus pedidos por
intermedio do chefe ae polica.
Dito a junta revisora da qnalifleaeo da freguezia
dos Ai'ogados.DevoUo junta revisora de quili
Ocago da freguezia dos Afogados a copia da lista
des cldadfas qntifleados volantes no corrente auno
que acorapanhou o sen officio de 7 do.correote,
afim de qae sejam assignadu as respectivas folhas
petos seos membros nos termos do art. 41 da le
19 de agosto de 1846 e aviso n. 42 de 15 de
. de 19 de agosto de 1846 e aviso
no aviso circular de 3 do correte, envie-me V. S.. marco de 1847.
com urgencia ama nota exacta de todas as despe-1 Portaria.-O presidente da provincia, tendo em (
zas que se houver realisado occaslonadas pela guer-! vista o que requeren o conservador do *> termo da ,
ra que sustenta o imperio contra a repblica do estrada do sol Feliciano Pinto de Vasconcelos ^i
Paraguay, a contar o i de Janeiro do aon pro-; benl assim o qne a esse respeito informoa o chefe
xirao flodo, descriralnando a natureza dellasvse- da repartigo das obras publicas em officio de 20
de Janeiro oltimo sob n. 18, resslve conceder-lhe
dous mezes de licenga sem veocimentos para tra-
tar de sua sade.
Dita.O presidente da provincia re;olve demil-
> a Mtnoel do Amparo Caj do cargo de 2 snp-
de se evitar por tal modo maior dispendio, quando
os estragos crescerem de proporges.
De Garanbuns temos as segulotes noticias
com data de 11 do crreme :
No da 6 do corrente parti para o Bulque,
por Papacaga, o doutor cnefe de polica que,-oesle
ultimo lugar, onde anda se ada, tem expedido
algumas pairulhas em persegu gao dos criminosos.
Logo que"" elle diqu sahio, constou qae em
torrentes Antonio Cafneiro, que tinha ido ba lem-
pos para essa capital como-voluntario da patria,
all apparecia, e que iodo um inspector prnde-
lo, por considera-lo desertor, visto nio apresentar
escusa ou baixa, tres Irmios loraarara-no do poder
os turbulentos nao se querem
desengaar I
Acbam-se presos como indiciados no atteoiado
gundo as differentes rubricas da lei do orgamento,
e extremando a dos corpos de linna, voluntarios da
patria, de polica e finalmente da guarda nacional
quer dentro da
da Palraeira os seguales individuos, muitos dos
quaes ja' confessaram o seu crirae : Francisco de
Paula, Manoel Joaquim de Mello, Jos de Barros
Albuquerque. Jos Manoel de Lima, Joo Jos de
Leraos, Maria Joaquina da Conceigo, Guilhermi-
destacada, quer para a campanha.
provincia, em substituigo do exercito e polica. rtns 5 s_r^..;..- A
DKi ao mesmo. Sob mnha respensabilidade, 1ente"To subdelegado do 1 districto da fregu, a &$^^j!t%SiftfiS
nos termos do decreto o. 2,884 do 1 de (evereico j dos Afogados por assim coovir ao servigo pobii
de 1862, mande V. S. pagar visto nao haver crdito
para esse fin a ajuda de custo que compete ao de-
putado a asserabla geral legislativa, pela provin-
cia de Sania Camarina, Dr. Joio Silveira de Souza.
Dito ao mesmo.Providencie V. S. para que es-
tando em termos as inclusas contas em daplicata e
nao bavendo inconveniente, seja paga a empresa
da illuralnacao pnblica desta capital, a quanlia de
202*500, em que importaram os coneertos, appa-
relhos, trabalho e materiaes eropregados na illami-
nag.io a gaz dos qaartels da Cinco Ponas, de ca-
vallaria e do Hospicio e bem assim do hospital mi-
litar.
Dito ao mesmo.Se nao bouver inconveniente, e
estando em termos as ociosas ccotas em duplicata,
mande V. S. pagar a empresa da illuminagio pu-
blica desta capital, a quanlia de 1:492*200, prove-
niente do gaz consumido durante os mezes de julho
a setembro do anno prximo passado, com a iilu-
rainago dos quarteis de ca'allana, da Soledade
em que esteve o 4 batalno de artilbaria, do 9*
batalbio de- infantaria, das Cinco Ponas e do Hos-
picio, bem como do hospital militar.
Dito ao mesmo.Expeca V. S. as suas ordens
para que pela collecioria da cidade de Goianna se
disvelo paternal as ovelhas confiadas a sua solir-i-
tude, derramando a ungo do evangelho nio su
entre os seas parochianos, como em outras fregoe-
zias, e especialmente na cidade do Ico, cojas rallas
solemnes reclamara indispensavelrnento sua pre-
senga para es mis teres de sua santa proflssio. As-
sim pois quando restituidas as amisades, qne ba-
via perdido no Ico; porque seos desaffectos conven-
cidos de na sem razio e injnstiga j o apreciara
como d'anles, qne se levantara algnu espirites
reveis, a ordera, do povoado de Jaguaribe-mirim,
e procedera como j foi noticiado pela carta cima
referida, nao logrando elles os seas Intentos, pois
s Ozeram mais sobre*abir as qoalldades do Rvd.
vi gano no coneeilo de venerando Sr. D. Luiz, qne
: sempre o considerou de modo disiiovto, e a des-
peilo de repetidas instancias delle por sua exone-
ragio de parocbo, o virtuoso resoluto prelado sns-
teoiou a negativa, declarando-lbe com lioguagem
apostlica, que nio o demittiria porque muilo gos-
tava de seu governo na Igreja.
< Assim lerminou esta seena escandalosa, este
espectculo a qne se deu o Sr. padre
co.Communcou-se ao Ur. cnefe de polica.
Dita. O presidente da provincia, resolve conce-
der a Jos Gorgonio Paes Brrelo a demissao que
pedio do cargo de subdelegado do districto de
Carsuhype 2a da freguezia de Agoa-Preta.Com-
muoicou-se ao Dr. chafe ae polica.
Dita Os seonores agentes da companhia Brasi-
leira de paquetes a vapor maodem dar transporte
para a corte por coala do ministerio da guerra no
vapor qae se espera do norte ao soldado Augusto
Cesar de Oliveira que a-sentn praga voluntaria-
mente com destino ao 1 regiment de cavallarla
Kgeira do exercito.
Expedieate do secretario do gorerno do dia 17
de fevereiro de 1866.
Officio ao Exm. general commandante das ar-
mas.De ordem de S. Exc. o Sr. presidente da
provincia, commuoico a V. Exc. que se offlciou a
ageucia da compaoliia erasileira de paquetes para
dar transporte at a corte ao soldado Augusto Ce-
sar de Oliveira como V. Exc. soiicitou em seu
officio n. 217 de 16 do crreme.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.-O
Exm. Sr. presidente 4a provincia manda transmit-
jam pagos os vencimenlos que competirem ao alte-1 tir a V. S. as inclusas 24 ordens sendo 11 do Hie-
res reformados do exercito Joo Alves Pragana, sonro nacional sob ns. 183, 16 a 21, 23 a 25 e 28,
que assim o solicita no incluso requerimenlo. 8 do ministerio da guerra datadas de 23, 24, 25,
Dito ao mesmo. Transmiti a V. S. os prets 27, 29 e 31 de Janeiro ultimo, 3 e 6 de fevereiro
juntos em duplicata, afim de que nao havendo in-1 correte, e finalmente, em daplicata expedidas pela
conveniente mande pagar os vencimentos relativos repartilo do ajuJante general com os ns. 497 a
a 1* qoinzena deste mez, das pragas do 2* balalhio 1500, e bem assim um officio da directora geral
de guardas oaciooaes destinados ao servigo da das rendas publicas de 3 deste mez.
guerra, visto assim o baver solicitado o marecnal | Declaro mais que a ordem do thesoaro n. 17 nao
commandante das armas com officio de hontem, | acompanhou o requerimenlo a que ella se re-
sob n. 223. fere.
Dito ao mesmo.Aanuindo ao que soiicitou o __^___^^^^___^
commandante superior interino deste municipio em
officio de hoje, sob n. 49, recommendo a V. S. qae
estando em termos o pret janto ora duplicata, e
nao bavendo inconveniente, mande pagar os ven- Quartel aeneral e eoanundo das armas de Per-
cimentos relativos a qninzena deste nrtt, das
infantaria aquartelladas
COMANDO D1S AMAS.
Manoel Ro-
Joio Sabino da Laz rormosa, Roque Jos Nacional drigues Campos com os seus comparsas,
e Pedro Jos Brasil. Assim foi solemnemente desmentida a infame
< Quasi todos estes individuos foram presos a denuncia, qae contra o vigario Tbeodutpho Franco
exforgos do doutor chefe de polica, eotretaoto, Pinto Bandeira, deram os signatarios desse coraple-
ainda ha qaem publique ah que velo elle fazer a xo d? meotiras publicadas no Cearente de 20 de
eleigio de deputados previaciaes neste circul 1 agosto ; e deste modo fica implcitamente respondi-
< O desmentido mais completo a semelhante '. do, que o Rvd. vigario ; nao estorqoio qoantia al-
assergao esta' no resaltado da volacao do collegio guraa de seus freguezes, nem por casamentes, e nem
desta villa, onde no da da elelco achava-se aqael- por oeabam acto de sua adminlstracio ; qne nio
la aotoridade, tendo o inculcado candidato da poli- > tentn espancar a pessoa algnma, e nem applandio
cia, doutor Martins Pereira, apenas um voto, que espancamento, que nio se deu ; qae oio feichou as
Ihe foi dado a pedido de um amigo, e sendo exclu- portas da capella de Jagaaribe meirim, como disse-
sivamente votados com pouca excepgao candidatos rara sens detratores ; que nio ameagon vencer os
genulnos. j vicios daqnelles seos parochianos a plvora, bala e
< E-ta' marcada para amanh, 12 do correte, chambo, como calumniosamente dlsseram ; por que
a primeira sessio peridica do j'iry deste termo, e si sua voz evanglica, qne se onve em todos os do-
dos seus Irabalhos mandar Ihe-hei ura resumo. mingos e das festivos, produz tal effeito para os
< Ja' livemos boas trovoadas, as quaes quasi raaos da povoagio de Jagoaribe-meirim.
sempre sao precursoras de um bom anuo de inver-, Assim fin esplicada emfim qual tem sido a
no. Deus o traga, pois que ja' estamos luctando condncla poltica do Rvd. vigario Theodulpbo, pois
com a caresta dos gneros : era Papacaga venden- da condncla particular, nunca os enlao sea aesaf-
se forraba, em urna das feiras passadas, a 3*000 feclo poderm nada dizer, continuando cUe o > n-
acnial (retanto a ser, como serapre, ptimo WapHtom r-
mo, bom prenle e excellente amift, leal e sisud>
poltico, sacerdote exemplar e perfsUo imitador do;
setenta e dous discpulos da Jetas Cfaristo apassen
lando o retan lio, que aos seas cuidado- foi coa-
Gado.
c Fiquem por lauto de todo isto scieotes os pa-
rales e amigos amigos do Kvd. vigario, e alegrem-
se sobre indo seus collegas, por que quem tem sol -
Trido nao o Rvd. sacerdote, mas sim o ministro
da religiaj, que vai passando pelas provagoes deste
scalo de conviego aonde o espirito do erro, que.
ludo dominar. FelicitagSes ao Rvd. levita por seus
soflmenlos, que sao o verdadeiro annuncio do seu
solemne e feliz triumpho.
MM D
Chamamos a attengio dos nossos leitores
para mais urna prodaegao do genio brithante do
pragas do 4* batalbio de
nesta capital para o servigo da guarnigio.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Recommendo a V. S. que se nao houver inconve-
niente, mande pagar em vista dos prets junios que
me remetteu o comraandant) superior interino
deste municipiOj com officio de hontem, sob o. 48,
os vencimentos relativos a 2* quiozena do mez de
nambes aa cidade de Reeife, 20 de feereire
de 1866.
Ordem do da n. 202.
Resolvenio a presidencia em officio datado de
hontem, medanle necessarias informagoes, acerca
do gaz consumido mentalmente aa iliamloago dos
quarteis, e eoferraaria militar, qae fo'ssem supri-
midos os bicos de gaz abaixo declarados, e que
pela repartigo das obras militares se babilitasse
esferanras.
Janeiro ultimo, das pragas do 6' balalhio de infan-1 de acender
tarta destacadas na freguezia dos Afogados, povon-,Bn.M72S2- L ^h^Jna\n ra.stm n
gao do Peres e Passagem da Magdalena.
Dito ae mesmo.Em vista do pret junto era dn-
! apagar os caudieiros e de conhecer pelo registro o
gaz consumido cada noite, a lira de se organisar
,,., v urna tabella que deve ser enviada raensalmente ao
pagar
citon o teoeote coronel
, | termina o raarechal de campo commandante das
n. 15 de infamara do mX^^^^
dos dilos bicos de gaz. e que
commandantes
da eoferraaria militar, desigaem urna praga para
se oceupar do servigo da illorqinagio, que se apre-
zeotara' ao mencionado Sr. engenheiro, adra de
o n.t i
podidj evita lo ;' se esta ju'sticago" nao proceder,
N. 3,598 DE 2/ DE JANEIRO DE 1800. ^^ pUj(Jo de conform|dade com as penas acia,a
Reorganiza a forga policial da corte dividindo-a em mencionadas e entregue a autoridade competente a
dous corpos, um militar e outro civil. fim de ser processado, quando e como no caso cou-
Hei por bem decretar o seguate : ber.
Art i." A forga policial da corle sera' compos-! Art. 26. O servigo da guarda urbana comegara
ta de om corpo militar e de um corp paisano ou | em cada districto logo que ahi estiverem alistados
civil. i os guarda^urbanos necessarios para preencher os
Art. 1* A forga dos dous corpos nio poder' ex- postos de vigilancia marcados e numerados pelo
ceder ao numero de pracs e ao quantum da des-; chefe de polica.
peza respectiva determinados pelo decreto n. 2,081 > Art. 27 S depois de preeochida a guarda ur-
de 1858. i baa, e a medida que ella se fr preenchendo se-
A este numero, porm, se addicionara' o de 100 rao despedidos os pedestres que ora servera.
pedestres, que ficam suppnmidos. i Art. 28 Em qnanto o numero dos guardas urba-
Art. 3. O corpo militar sera' o actual corpo po- Dos nao for elevado pelo corpo legislativo a guarda
licial, que continuara a ler a mesma denomioagau urbana nao sera' constituida seno as freguezias
e a orgauisagao do citado decreto cora as seguintes. centraos, a saber :
no quartel do deposito.
1 no sa ao de recrutas.
i na reserva.
1 na secretaria.
1 na arrecadagao geral (aotiga secretaria).
1 no estado maior.
alterages .
1* O numero das coropaahias eo mximo da
sua torca Bcam reduzldos conlorme as tabellas os.
2." Os estraugeiros nao excederSo-ao tergo da
forga eflectiva. ,
3. A dade exigida para o ailstameoto sera
de 16 a 50 anno?.
4. As pragas que quizerem contnaar a servir
e tiverera bom comportameuto podero renovar o
seu engajaniento pelo teinpo que Ihes aprouver.
Todava serJhes-h prmittida a conlinaacao do
servigo sem novo engajmeato : oeste case terao
baixa quando quizerem, excepto se tiverem com
mettido faltas, porque ento s Ihes sera' concedida i com guarda.Jos Thdraaz Nabuco de Araojo.
a baixa depois que forem corngidas oo ponidas,
offlciaes e inferiores qae em
Sacramento.
S. Jos.
Candellaria.
Santo Antonio.
Saol'Anna.
Santa Rita.
Arl. 29 Fica assim alterado o regulamento n.
2081 de 1858.
Jos Thomaz Nabuco de Araojo, do meu conse-
ibo, ministro e secretario de estado dos negocios
da jusTlca. assim o teaba enlendido e faga exe-
cutar. ,
Palacio do Rio de Janeiro. 27 de Janeiro de 1866
45 da indepeodencia e do imperio. Imperador
No quartel da soledade.
no corredor,
na reserva,
na casa da msica,
no xadrez.
No quartel do Hospicio,
na casa da msica.
no rancho,
na secretaria.
5.a Os actuaes offlciaes e
virtude da nova organisago excederem ap qoadro
e nio tiverem o teropopara reforma oa nio se Ihes
dr destino, ticara agregados para enirarera'as .
vagas, qae possaro dar-se.
Arl. 4." O corpo paisano ou civil sera' aenorai
nadoguarda urbana e Acara' sob as ordens im-
modiatas do chefe de polica.
Art. S. A torga da guarda urbana nao excede
ra' ao mximo determinado as tabellas ns.
3e4.
Todava alm desse numero havera' guardas ag-
gregados, os qaaes s terao vencmpntos quando
substituirem aos eflectrvos, e estes os nao perce-
berem.
Estes aggregados sero alistados oas vagas que
os efleclivos deixarero. ...
Art. 'J. locarabe a'-fjKaTda urbana a vigilancia
continua da cidade..
O corpo policial prestara' o auxilio que ur re-
clamado pela goarda urbana, e sera' encarregado
das dil gencias policiaes.
Art. A guarda urbana ser dividida era lau-
tas compaobias quintos forem os districtos das
subdelegadas. Tabella o. 5.
Os districtos das subdelegadas se subdividirio
em tantospostos fle vigilancia quantos forem
convenientes, posslveis em razflo do numero dos
guardas urbanos.
Os postos de vigilancia terao ama numerago
especia' em relagao o districto, a que perlencem.
Art. 3 A gurda urbana ter um commandante
geral.
fOVKH'O IA PROVI\CIl.
Eipedienle do dia 17 de fefereiro de 1866
Officio ao Exm. deserabargador- provedor da
Santa Casa de Misericordia.Nesta data officio ao
delegado encarregado do expediente da repartigo
da pfilicia, no sentido solicitado em seu officio de
16 do correle, sob n. 704, qa? fica assim respon
dic 0.
Dito ao Exra. general commandante das armas.
llaja V. Exc. da informar sobra o que pede Lai-
ca Candida Pessoa no incluso requerimento.
Dito ao mesmo.Mande V, Exc. eliminar do 2
batalno destacado para o servigo da guerra, os
guardas dos municipios da-Brejo e Cimbres \ cenle
Baptista de Lemos, que serve de amparo a seu pal
sepluageoario e Laureolino Jos Caroeiro, que
tem isengo daquelle servigo.
Dito ao mesmo.Srvase V. Exc. mandar des-
ligar do 2 batalho destacado para o servigo da
guerra o guarda nacional do municipio dei Igua
rasu' Jo Malaquias, que fica dispensado de des-
tacar no presidio de Fernando por ser o anico nrn
%toTo*ma-Mande V. S. eliminar do cor-
so a oae esliver psrtencendo, o guarda nacional,
do municipio da Escada, Bellarmino Francisco de"
Barre*, qae em nspeee^o de saade foi considera-
do io-ipac do servigo sitando consta do termj an-
nexo ao ;eu offirto o. 1*? de i do corrente-
meatos de urna escolta de guirdas nacionaes que
conduzio daquelle termo para esta capital os presos
de justiga Jos iMcolo Bezerra e Francisco Jos ihreac
Lopes, os quaes forara recolh.dos pelo chefede.pe ^"''^bK S1^Ji5Winprlinidft
hcia, segundo consta de informjgao ministrada a
esse respailo pelo delegado encarregado do expe-
diente daquella repartigo em 14 do crrante, sob
n. 203.
Dito ao mesmo.Estando em termos o pret jun-
to em duplcala, e nao havendo inconveniente,'
mande V. S. pagar ao cabo Flix Dacia de Barros, I
conforme soiicitou o commandante superior da co-
marca do Cabo em officio do hontem, os vencimen-
tos correspondentes a 1* quiazeoa deste mez, dos
guardas oaciooaes destacados na villa de Ipoiuca.
Dito ao mesmo.Declaro a V. S. para o fim cot-
veniente, que a quantia mandada pagar por officio
de 13 do correte, a Jos de Vasconcelos de 72f '
e nao de 70J, como por engao escreveu-se no
predito officio.
Dito ao cnsul da PrassU. -Acensando recebido
o officio, que em 16 do corrente, dirigio-rae o Sr.
Adolpho Schafhisttin cnsul da Prussia nesta pro-
viocia, communicaodo-me que tem de passar a
gerencia do consulado ao Sr. Constantino .\apoul,
por pretender ir a Baha, cabe-me dizer-lbe em
resposta que em vista da recommeadagio do go-
verno imperial constante do aviso de 10 de Janeiro
de 1865, nao pode o mesmo ser reconhecido no ca-
racter de encarregado desse consulado sem a apre-'
sentagSo do exequtur imperial.
Quanto porm, ao passaporte pedido em dito
officio Pode o Sr. cnsul mandar solictalo na
secretaria da presidencia para o qae ticara expedi-
das as coavenientes ordens.
Recommendo ao mesmo Sr. cnsul os meos
protestos de eslima e conslderago.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Recife. Em resposta ao officio de V. S.
n. 41 de 12 i!o correte, teoho a declarar-Itio que
das informaces ministradas pelo marectul cora-
mandante das armas e o delegado enearregado do
expediente da repartigo da polica, nao consta que
fosse recrulado o guarda do batalho n> 3 de infan-
taria Graciano Nazario da Pioho, a que alinde o
seu citado officio.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal dos municipios de Cabrob e Ex. -Para ser
V. 8. crediljdo pela quantia de 236*220 em que
seguado consta o pret incluso se abonou as pragas
da guarda nacional destacadas na villa do Ex no i
mez de dezerabro ultimo, faz-sa preciso que os res-
pectivos prets" sejara organisados de conformidade
cora a oforraacio da thesouraria da fazenda cons- >
unte da copia inclusa: o que Ihe declaro para ter
execugio.
Dito ao chefe da repartigo
cas.Acensando recebido
A'cerca do digno vigario da freguezia da
Boa-Vista, no Cear, o Rvd. Theodulfo Franco Pin-
to Bandeira, nos pedem a pablicagao dn segoiote :
No da 14 publicoa Vmc. o extracto de ama
carta sobre o vigario Theodulfo Fraoco Piolo Bao-
deira, referiodo-se principalmente a urna publica-
cao do Cearense, assigaada por aos doze iadividaos
do logarejo Jaguaribe ; e se bem que por aquelle
extracto fosse manifestada a causa horrorosissma
qoe motivara a mesma publicago ; bem como a
coademoagio desta pelo procedimento ulterior de
S. Exc. Rvm. para com aquelle digoo sacerdote,
qaeira aioda inserir estas notas a respeito do mes-
mo vigario, cuja conducta honra a todos os respei-
tos as vestes venerandas que elle traja.
O Rvd. Theodulfo Franco Pinto Bandeira,
membro da familia Pinto, que ama das princi-
paes familias da provincia do Cear, e contando eximio poeta Varella:
tambera grande numero de parales e amigos nes-
ta provincia, ordenou se neste btspado em 1857, e
a nica recommendagio qoe teve para os seos
lentes e para o Exm. prelado, foram a soa con- Ver-te.....e nada mais I
ducta moral e a inteligencia que sempre desen- (Goethe).
volveu com aproveitamento, captaodo assim a es-
tima de todos que o communicavam, e al de Tu nao es deste mundo I Ha nos leas olhes
militas familias desta praga. Tanta luz que deslumhra o intendimenlo I
Recolhido ao seio de sua familia na cidade do Ha tantas sombras em teos cabel.os negros
Ico, foi convidado pelo ento vigario daquella fre-! Que espanta o pensamento I
guezia o padre Miguel Francisco da Frota, para
seu coadjutor, logar, que tendo oceupado por todo ; Semeluaote prodigio hoavesle donde ?
o anno de 1838, deixou-o por assim exigir sua' Donde essa luz que a lempestade acalma ?
bem conheclda dignidade e independencia de carac- E como o gladio do tremendo archaojo
ter, como ja foi pelos joroaes manifestado. Liberal i Fere ao intimo d'alma ?
de conviego, fez em 1860 communhio com o part-
do conservador, ao qual perteocia toda sua familia | Que prestigio te envolve, que magia
do Ico ; pois nessa poca era ella fortemenle guer- | Unge-te a face de subtil pallor 1
reada por alguos particulares, que se prevalecan) Dilirio de belleza I Audaz imagem
da poltica para satisfazer seus particulares desig-
nios. Com effeito a familia Pinto enconirou nelle o
amigo mais medicado, o prente mais leal, qne com
o maior empenho, com extraordinarios sacrificios,
toraou parte na grande luta eleitoral de 1860, da
qual sabio afinal coberto de victoria ; pois logo ap-
pareceu urna metaraorphose do nome do canditato, |
o seu primo Dr. Benjamim Pinto Nogueira, era fa- Oh I Eu te adoro como adoro a noite,
vor do qual tanto empenho empregou, e tamanba Em alio mar, sem luz, sem claridad,
abnegagio de seus principios polticos apresentou Entre as refagas do tufio bravio
elle. Mas perturbndose desde logo a paz da faml-1 Vingando a immensidade
lia Saquarema daquella cidade, soube nio obstante
eqnilibrar-se na esphera de suas relages, todavia Como adoro o deserto e os descampados,
soflreodo ento algumas reprezfilias de aotigos O mysterio do abysmo e a paz dos ermos,
companheiros de poltica, cora a maior lealdade E a poeira de laz que doira a face
detinio-se na provincia por conservador, por cajo Da abobada sem termos
lado apreseotando-se caodidato na eleigao provin-
cial de 1862, foi com applauso acceito o seu nome, Como adoro as florestas sem limites
sahlodo elle eleito deputado pelo 3o circulo; man- Que aos ceos elevam perennaes folhagens,
dato este qae tio bem exerceu, j defendendo os Onde se embalam nos coqueiros presas
direitos de seus conslituintes, j advogando a cau- As redes dos selvagens!
sa de sua provincia, que no corpo legislativo con-
seguio a eslima e atlengao de todos os seus colle- (Jomo ludo o que grande, eterno e vasto,
gas, e mais ainda a amizade e estima de muitos ha- i Todo o que traz de Deus um sello ardenle;
bitanles da capital, que pela primeira vez o com-1 Como a vida immortal que alm me espera,
Do genio do Senbor 1
Tenbo medo de olbar-te! Oh I teoho medo
Porque pre sinto as garras da loucura I
E me arrelego aos gelos do atheismo,
Soberba creatora 1

No quartel de (avallara.
2 na secretaria.
1 no dormitorio.
2 as cavallarlces.
S
Enfermara militar.
1 no quarto do 1 eoferraeiro.
1 na galera torrea (o do meio).
1 no quarto do 2 enfermeire.
3 na botica-
1 na secretaria.
1 no quarto do offlcial do dia.
1 na Galera superior (o do meio)
1 ua escada pequea.
10
27 Total. -
(Assignado.;- Francisco Sergio de Oliveira.
Est conforme. Estevao Jos Ferraz, tenente
ajudanle de ordens interino encarregado do de
talhe. i
PERNAMBUCO,
REVISTA DIARIA
Amanh reane-se o Instituto Archeologico e
da obras publ- Geographico Peruambucano 11 horas do dia,
o'offlcio de hontem sob >ara proceder elelgo da mesa administrativa e
o? 53 em qu v"."s! parUcipon haver coatratado com d8 commlsses.
Feliciano do Reg Barros a obra dos reparos do | m nossa 0|tava pagioa comegamos boje a
arco n. 6 no 5 lango daramificago da estrada do publicagio da Sepultura de Ferro, romance do fes-

Aos ps do Omnipotente.
municarara.
Por esta occaslo j achava-se divorciado o
Rvd. vigario de alguns prenles por nao querer
subroetter-se a acompanha-los de um para outro
grupo, nem a fazer coro cora elles em desaffeigoes
individuaos; de sorte que teve de arrestar a guer-
ra injusta qae Ihe declaren ara delles, eu especia-
lissimo amigo; e assim, quando centava com a gra-
tido pelo seu zelo exemplar, caridade evanglica .-MataSaria
eabneaggosem par, deseavolvidas peto <*>( ^*2?*"
oo Ico, como j foi publicado por este Diario, eis "
qae surge dos antros da roaldade urna denuncia
anonyma perante S. Exc. Rvma., increpando-o de
mo sacerdote principalmente naquella crise I
Mas indo elle por esse tempo tomar assento na
assembla teve a honra de m*Z*f" Sem'querermos ffender susceplibilidade de
jar as maos de seu virtuoso prelado^e qowHoni "{ coofessar que, ha tempo, a fre-
recebea convite para ir U^**S*S& *u da Ba-VisU nao tem tido subdelegado que,
a que se elle excosoa com **?** g jspoodo de to pouca forga policial, tenha sabido
manha bondade, que erescen de ponto a declarar- a iranquildade publica no mesmo
Ihe S. Exc. Rvma. que tinha recebido um deomv, em f de|M 0 Sr4 Dr. Martins Rjbeiro.
da anonyma contra elle ; porm que """Pes ^q na ausenca da forca policial, snrgiam
que l.nha de sua condota.e mais arada oi sea Mloso ^ desU ciaaa>-myriada de ladres
comportameoio na cr.se epidmica porquei acabava f fa Wvtoto era a
de passar o Ico, era a meihor carta, d >>* i unjcaj por onde se pedia sem risco transllar a qual-
dagao, qae io mesmo^Rva. P0^^^l Jn Q" h" noite.^ragas a vigilancia da polica
sua conducta, fmeMaprom '"^n- do Sr. Dr. MarlinsRibe.ro. Nunca nmguem batea
ceito que de sua conducta faxla,Jjnelli occaslo pedindo-lhe urna providencia, qne
manrtou passar-lhe provisao de mestre de cererao- (.Lnoit
Para tudo contar-te me confundo,
N'um mar de sombras a razio fluctaa,
A lingua humana misera e mesqoinba,
Vem___Ensina-me a toa?
Pede-nos a seguiote publicago :
Domingo (18 da corrente) deixoa o exercicio
acia do 1* districto desta freguezia da
Dr. Francisco Ferreira Martins Ri-
beiro.
No curto espago de qoalro mezes incompletos,
o Sr. Dr. Martins Ribeiro desenvolven ama ener-
ga e activdade A toda prova, que bem caracterisa
seu zelo pelo riel cumprimeoto de seus devares.
nao o eucootrasse attencloso e de boa vontade.
< Alia val e delicado para com todos, o Sr. Dr.
Martins soube sempre conciliar o respeito com a
Cabo, pela quantia de 2:352f em que foram arca-
das, com as mestnas coodiges.que rerviram de
base a arreraatacao de taes reparos e sendo fiador
Jos Augusto de Araojo, teaho a dizer era resposta
qae approvo esse contrato.
Dito ao juiz municipal de Agua-Preta.Reroet-
ta-me Vmc. a guia do sentenciado Luiz de Franca
Ventante, cajo processo acha- e nos cartoriQS desse
termo, afim de poder-se verificar se j camprio a
sentenga de 7 annos de priso simples a que foi
condemnado pelo Jury de Barreiros.
Dito ao delegado encarregado do expediente da
repariigo da pollci*.Em vista do qoe rae repre-
sentou o desembargador ptoTtdor da Santo Casa
iejado escriplor" Henry Conscience, autor do De
monio do Jogo, que ha quatro mezes publicamos.
E' ama nova composigao bem delineada em sea
todo; o sea enredo, ioiricado e bello, prende e di-
verte o leltor desde a primeira al a allima liaba,
tornan Jo-a dest'arte digna da attengio dos nossos
leitores, a quem recommeadamo-la.
Deteriorando-se de dia para da cada vez
mais o aterro, nao ba muilo feito, da roa do Lima,
m Santo Amaro, principalmente na eilremldade
do lado da estrada nova, onde ja' existe na excava-
gao de quasi meia braca, em toda a largara da
roa, lembramos a conveniencia de se fazerern ja
da Misericordia eraSfflcio, ei Wdo trrenle n. 704,1 os concert, que agora ooaco podem caster, afim
nias honorario de sea solio episcopal.
c Yol lando o padre Tbeodulpho para o Ico, d'ali
santo para a Teljai a occopnr-se 2 arni8ade, deixaodo "gravadas no corago daqnelles
geral e aervigo a causa da religio e da igreja ; e ^sses de s^ea carcter %^f*
quando neste mesmo anno encerreu-se a sessao da ^5BK,Btf para 0 logar de subdelega-
assemhla provincial, veto incumbido de reger a, ? 'Ci^o dsu freaaezia
a freguezia de Santo Antonio da Boa-Vista des- *> eecvo des,a u**; mnlorldld.t MUx.
memorada da do Ico ; onde chegando e entrando Compenetrado de. qmi a pa'j'd*^'^." ^
em exercicio da vigara.ia a 17 da Janeiro dei 1864 na -"^ d^CnaSmba^
cuidou logo em attender ao deploravel estado em,de parte as Px'f^r^^sJ^l^'b^
&T5ff.tttTASii Wt'tW'i
EHrrs do,wvo'qe d0"9 fc^::ScSSSrtSK:
E assim se seas cuidados se erapregam m; dos sem distiucgo a cor poltica da WDgoem.
mih, 'J m.i-riti L i fr^nezia sea zelo oas- Polii co de escola difireme da doSr. Dr. Mar-
tor se e.evTr g ndo ^S K! tins RiWro, seeunos oa. ideas conmdor s
vSuSmSM aosTeos fregoe.es, bateodo qoaes tomos alimentados desde olaerfln,e netos,
oomohe compre, o vicio em saa origem,sem qne merc de Deus, esperamos yiver e morrer ; mas
SnaiS^confunda o sagrado com o profano, abs- smcet;* apreciadores do mrito do qoem qMrqm
filudo complente a poltica,, curando com'se a, folgamo? de rfooghecer es wltnnws serri-

,
mi



''
~*"
-***+
gos do Sr. Dr. "Martina Ribeiro, como subdelegad'cfldepn'.ados Rosa. C Alcoforado, Basto e Miranda* Rocha ; appellado Joaquim Luizi.Vitia*>'
desta l'i eguezia. Entreunto nao pB'mos'deTx'T dT lMt oEtnf Sr. presnltedeclaroa aberta a ses
eslraohar que a eaxeta oficial, dando noticiada
entrada em eltfrcicio.'do. subdelegado effectfro,
era de leve toeasse. na autoridad* que deiiava, e
que tao ben* soube deserapenhar o deveres inhe-
rentes a seu cargo, Sao effeitos do progresso I I
Consol se, porm, o Sr. Dr. Martins Ribeiro, qae
cima do elogio de urna gaceta, atnitas v
commendado esta' a opinio publica a b
em seu favor, estao os seus propnos iaimijds poH^ tesJMM ;
ustlca aos servicos por V. S. pres- Mino e
ticos a fazer jas tica
lados.
, t Digne-se, Sr. redactor da Aevata Diaria, t
inserir estas poucas linbas em seu ceocetnado jar-
nal, que moito Ibe agradecer o sen constante le-
tor e issignaiite-0 nw'se ia actual yrogrtsiQ.
sao.
Lida, folapprovaua' a arta oVaalso amecc*
dente.
EXPEDlErrB.
Oficio do secretarlo da junta dos cortetores, da-
tado de boje, remetiendo o boletltn dos presos cor-
rent*vda sMgana prxima Anda.
A;Srs. deputado forairflesttl4in1fDs orWfbin-
R3 se
M o
X i
tp c
B 1
. -



a
i : i
2
o
o
>

Masculino.
'\ J 8
Feminino.
a.
o
."ascu/ino.
Feminino.
**> . .. (.
1 I
.
- l - -
-fc 1
^ a M
Masculino.
Feminino.
Masculino.
ttk
31 I
4bJ
Feminino.
s
|9
Masculino.
r-.
,. Ft-m/nno.
-I
TOTAL.

sr
I
-5
ADVERTENCIA.
Na totalidarie dos doentes existem 153,
homens e 76 maulares.
Foram visitadas as enfermaras estes dias :
As (i l|, 6 3i*. 6 3(4, 6 \\t, 6 3|*. 1|3, 6 \\i,
Dr. Ramos.
A's 9, 0, 3|i, 8 ti2, 8 3i*. 8 3|4, 8 3|4, pelo Dr.
Sarment.
Fallecern):
Lourenco Pinheiro Justiniano. araolecimento cere-
bral.
Antonio Vieira do Santo?, mfeccSo parlente.
Mara do-t Prazeres, iofeccjio purulente.
Joaquina Mara dos Prazeres, tubrculo polmonar.
Mana Francisca da Ceaceico, tubrculo pulmonar.
Mara da Cooceicao Lima, hepatile ctironica.
Casa d bbtencXo.
Movimeot> da casa de detenco no dia 18 de fe-
vereire de 1866.
Existan 390, entraram 3, sablram 1; fallece-
rn) 1. existem 391.
A saber :
Nacionaes 248, mnlberes 10, estrangeiros 40
-mulheres 3, escravos 84, escravas 6,total 391.
Alimentados a casta dos cofre patucos 187.
Moviraento da enfermara no da 19 de fevereiro
de 186.
Tivt ram baixa:
Galdrao Jos Rodrigue*, febre.
Jos, enera* de Anionio Jacintho, labre.
Sebasio, escravo de Manoel Muni.
Tavora, febre.
Tveram alta ;
lianoal Joqnim Gorreia.
Agostinho Moreira da S.
Jos, escravo de Mathildes Francisca.
REPVnTIQO da polica.
Extracto da parle do dia 20 e de fevereiro
do 1866. n
casa de delengo no da 19
delegado da capital, Manoel
por inlracQo do regulamento
Forara recolhldos
do cor rente :
A' ordena do Dr.
Machado Reveredo,
da estrado de ferro.
A' ordem do de Jboato, Jos Joaquim de Mello,
por crime de tentativa de morte.
A' ordem do subdelegado do Recife, Leonarda
Silvestre da Silva, para correcao.
? A' ordem do de S. Jos, Mara do Espirito Santo,
por sepela de estar fgida.
O chefe da 2' secccio,
J. G. de Sksquila.
CHiOMCA JUlHCIAtilA.
TtfiEIKJffAX IHA RfeLA^AO.
SES3AO DE 20 DE FEVEREIRO E 1866.
PRESIDENCIA DO EXil. SR. CONSELHEIRO
SOUZA.
s 10 oras da roanlia, presentes os senhores
desemcargadores Santiago, Gitirana, Guerra, pro-
curador da corda, Lourenco Santiago, Almeida Al-
buquerque, Molla, Assis, Doria, Domiogues da Sil-
va e Costa Vieira, abrise a sesso.
Passados os feitos, deram-se os seguintes
JLGAMENTOS.
AQORAVOS DE PETIQAO.
Aggravanle, Manoel Joaquim da Silva Ribeiro ;
aggravado -, o juizo.
Relator o Sr. desembargidor Assis. -Sorteados
os NegDu-se provimenlo.
As appellarucs crlmes.
App'llanle, Dr. Manoel Januario Bezerra Mon
tenegro; appellado, Dr. Antonio Borges da Fon-
seca.
Absolvido o appellante.
Appjllante, Dr. Manoel Januario Bezerra Monte-
negro ; appellado, Antonio Francisco de Paula Ca-
calcanti.
Absolvido o appellante.
Appellante, Antonio Ferreira Pinto ; appellado, a
Justina.
improcedente.
DILIGENCIA CIVEL.
Con vista ao Sr. Dr. promotor de capellas, e ao
desembargador procarador da oora
Appellaotes, os recolhimenlos de Olinda e Igua-
rass: appellado, o promotor de capellas.
Assgnou-se dia para julgamento da seguinte :
Revista civel.
Recrreme, Josaphat Lourengo de Souza ; recor-
rido, Donato Jos Martins e sna murher.
PASSAGENS.
Do 3r. desembargador Lourenco Santiago ao Sr.
desembargador Almeida Albuquerque
Appellai;5es elveis.
Appellante, Amonio Marcelino do Prado; appel-
Uda, D. Maria Barbara de Menonea.
Appellante, a fazenda ; appellado, Alexandre Jo-
s Malheiros.
REVISTA.
Recorrentes, Felicio Jos Borges e sna mulher ;
recorridos, Jos Mendes da Costa Rodrigues e on-
tros.
Ao Sr. desembargador Mona.
A appellaeao civel.
Appellante, Joaquim Manoel do Reg Barreto ;
appell ido, Domingos Francisco de Souza LeSo.
Do .'ir. desentbargad'or Al meida e Alonquerqne
ao Sr desembargador Mola
As appllacoes civeiu
Appelrante, Joaquim Rtodrigaes Campos; appel-
lado. Vicente Lapes da Costa.
Appnriante, Vicente Jos de Brlto; appellado,
Joaquim Antonio fereira.
Aappella;io crime.
Appellante, o jfzo; appellado, Josepha Marra da
Cenceo.
Ao Sr. desembargador Assis.
A]>pella$5o civel.
Appellante, Dr. Joo Jos Pinto; appellado, Joao
da Co:iu Ribeiro.
Do'it. desetabargador Assis ao Sr. desembarca-
dor Doria
A appellaeao civel.
Appellante, Manoel Patricio dos Santos: appel-
lado, Fabricio Gomes Pedrosa.
-A ,i hora da larde encerreu-se a sesso.
-----7-' V- % \ i ______
TRIBU SAL ItO COtl HERCIO
ACTA DASESSAO ADMIMSTRATIVA DE DE
FEVEftfiRO DE 1866.
' rOMOBRCIA DO BXM. 8R. DRSKMBAROADOH
ANSELMO FRANCISCO PEHETTJ.
As 10 horas da manhaa, estando reunidos os Srs.
copiador de Rodrigues & Lima.
Knoeritanito de Animro FrMcrsco Carneiro
Montlro Plrlo, Brasileiro de 45 naos de idade,
doralerliado na cidade da PortaleMrcapital do Cea-
r, oide comrnercii, pedrndo ser matrreorado,(
juntan* mu attesfo*? Brmatlo per5* Fsefl*'* Ir-
mos o Joo Antonio do Amaral, todos d'aquella
cidade em que deeltra-se ter o impetraiiHe feito
sempri profissao habrtnal do conimercio e salisfa-
zer cora honradez todas as suasobrigagOes.Vista
ao Sr. dezetrrtargador fiscal.
Dito de Julias Schois, Allewio, de 23 anods de
Idade tarabea commereante oa cidade da Fortale-
z>, ende morador pedlndo ser matriculado, jal
lando igualmente um atteMao strbscTipto pelos
saprameneioaados attestattes em abono de sa
' pretengao,Vista ao Sr. eiembargador Bacal.
Dito de Julio da Costa Ribeiro, pediodo que se
mande registrar o'disfrto, qde jflnta, da socieda-
deGees, Basto & C-, qoe frma na lojade
fazendas arua.do Qaetnado n. 48.VisU ao Sr.
dezembargador fiscal.
Dito de Eroest W. London e Willlam-Fattrer,
pedmdo qae seja admiiilda a reiristro a procura-
cao, que jantam, oatorgada ellos por Phrpps
Brothers 4 C Registre-se.
Ditli de Lnii Gomes Dourado, Mariel Martins
Ribeiro e Jeronymo SalgaSo de Castro Gaimaries,
para que foss admltldo rw'stro o contrato so-
cial, qoe juntara.Vista ao Sr. dezembargador
fiscal.
Dito de Jos Caetano d Carvmo, Pbrtuguez,
pedlndo o registro da escriptora, que junia, da
dissoluco da sociedadeBartholoraeu' Frandsco
de Sonza 4 cVista ab Sr. dezembargador flseat.
Dito de Manoel Rodrigues de Almeida e Jos
JjTjnim' Ferreira LfBja, pBfnttd.qe se admttta a
registro 0 sea contrat social, qoe jantam, sob a
rasao de Rodrigues & LmiiVisU ao Sr. dezem-
bargador fiscal.
Som'marlo ex-offkio contra o administrador do
trapiche da ra do Apollo n. tBrnardlno Gomes
de Cirvalho.A'vista da defezla prolzida pelo ac-
ensado ialgam-a procedente, e absolvem dito ac-
cusado da multa : pagas pelo mesmo as casias ex-
cansa.
Commnniaco qae faz o offlciir mair d secre-
taria de se achrelo rerolhrdos a rriesma os Itvros
77 sendo ijUe perteoceram ao corretor aosenle Fredefico
i Lopes Gimaris e fram arrecadados pelo jlto
1 especial d commercio de ordem do Exra. Sr. pre-
' sidente, vitrtfb de envolta com etts os das actas
! das sessd"es, e colarles diarias da junta dos corre-
tores.O tribunal em cumprimento do que se
acha preceitnado no artig 13 do decreto n. 806
de K de jumo de 1831, psson a examinar os li-
vros que prtoeeram ao sobredlt corretor e en-
controu o seguinte
O livro-Protocolloescripturado de jolho fe
1860 at 30 de juobo de 1862, nao eoritendo vici
algum a nao ser a omisso das especificac/Ses exl-
' gidas pelo artigo 49 do cdigo cottrmercial.
O Ifvro de trahsaccoes de accSs oU apWTces,
1 apresentando os talrJS de fotbas 19, 39, 41 e 49
] em branco, e o da foiha n. 40 contendo smenle
'o numero de urna transac^ao que flcoa oceulta.
O caderno sem desiguago, e qoe servio para
lancamento de sabidas de navios, escriptarado at
a i.' linba da terceira foltra, tndo sido escripta
I sobre raspadura a 1.* palavra da 14.' linha da !.
; pagina.
O caderno qae servio para lancamento de gene-
j ros exportados, escriptarado at a 16." linha da
] o.* follia, com algumas raspaduras as declara-
{oes dos gneros, mas sera borroes nem eutreli-
nhas.
O borrador de contas correles, numerado de.
, fl. 2o3 em diante, deixando vr-se tei *ido conta-
, da a 1.* folha que foi substituida por ontra en)
branco, tendo comegado os langameutos de Janeiro
' de 1861 e continuado al a pagina 267, contendo
a'ali em diante os do aono de 1860, com notaveis
emendas na escripia das paginas 267,268 e 270.
Tres cadernos raanuaes, o de n. 1 escriptarado
de jalho de 1860 at abril de 1861.
O de n. 2. comegado a 12 de abril de 1861, e fin-
do em 29 de novembro do mesmo anuo.
E-o de n. 3 tendo comeco em 30 de novembro
desse anno, flndou em 29>de julho de 1862, todos
estes cadernos regularmente escriturados -, do que
maodou o tribunal lavrar era cada um dos livros
e cadernos o competente auto qne foram assigoa-
dos por todos os membros.
O official duvidando dar cumprimento ao despa-
cho deste tribunal que mandou registrar o contra-
to social da firma Monteiro Barroso & Schals,
por entender se nao haver cabalmente satisfeito a
exigencia do parecer fiscal sobre de.Mgnacao espe-
cificada da quota com que cada um dos socios en-
tra para o capital.
Procede a duvida do official maior : pelo que
juntera os supplicantes a petigo que se refere a
informadlo infra do mesmo official maior.
O mesmo oficial maior, duvidou enmprir o
despacho de 12 de jonho prximo passado, exara-
do na peticao de D. Tbereza de Jess Azevedo
visto senao ter jantado o auto drlgnal da vistoria
procedida no hiate nacional Nicolao I.O tribunal
deu o seguinte despacho:
Procede a duvida, euraprindo que a supplicante
aprsente o auto original da vistora.
Tendo o dito official maior dado cumprimento ao
que Ihe fol ordenado por este tribunal relativamen-
te aos livros que vieram ter a secretaria porten
centes a junta dos corretores da praca e qne por
estarera no poder do ex secretario da dita Junta, o
corretor ausente Frederico Lopes Guiraares foram,
de envolta com os do dito corretor, arrecadados
pelo julzo especial do commercio; declarou ter en
conlrado o livro das actas das
a pedido de nm doa Srs. depolados.
Appellaotes, os administrador
da de Amorim, Fragoso, Santos *C $
Pedro Cardozo Vieira.
Foi confirmada a sentenca appellada.
_ PASSAGENS.
Do Sr. dezembargador Silva Guimaraes
dezembargador Reis e Silva.
Appellante, a directora da eirxa filial do baneo
Brasil nesl cidade; apoetltdos a administra-
i rnaSMHwWi e JaUJtlm Joi Silveira.
. dezgNater Reis a Sltfa ao Sf.' de-
ador Aecftli.
aoSr.
tribunal na quustSo por ara milagre : na vossa Coceigo, devendo vos;
co^^lassa fallida da referida ser poccadora pela culpa, segando a ordam com-!
**n de bH tu Idntica, assiffi ta* Wm, bem como os outros homens ; pelo contraro ,
o se prora eom o accordoque da- vot adiantastes. por vm n*agw eaaapaada,- a oa-j
icedestea, seodo isenta ab aterno, de todo qoaB- [
syaais, de semelhan es declsoes alo pode- to se podessa chamar cDlpr, e de todo qaanto w
woziro elTeito dese|ado em nosso foro apa- podesse anda mesmo chamar sombra de colpa, i
blicacjjo que lemos no Diaria* Boatam, relativa- Foi preciso nm prodigio, para qoe a sonora po-,
mejTT^^^ de James CraMraa-4 C desse voiUr para ira: foi necessario oatro pro-
fmrmo, de esperar que os (fislftctoa Bftgfs- dlgio, mais extraordinario anda, para que na vos-
trad N o MMftbros do tribunal do coeattertNNlesta sa Conceigao, retreatdesse a sombra do peccado,
prtJUcla^aft cojo foro correm aegeas ideticas, contra a lei geral qoe abrangia, o mergolbava na
jusft< Iparciaes, como os conMonrao, e que- desgraga e no lucto, o ge*ero humano em peso;
em rmtnarts aegoes hlo j firmado sua oplmio e ao mesrao tempo, ote vos dnava Ilesa.
nte, oaadmlBlstradares da) massa faHi- dado ao ofK-art. 129 5, a verdadarra interpreta | No relogio um atfagre faz, que retroeedesse a
lorijlf Pfrf/lM, SMKfB 4 C.; Appellado*-' gSo, aprlMaedo o accordo (fm eagpuMWBann,! aombra natural : eoa-vi, na vim Coocaigao, por
Liubourcq Jnior,
PraaMete.
Sirve In
. GofM-ftC.
dezftBUrgadwr AecfoH ao'SK dwfttiat-'
gador Silva Guiraares.
AppeiraBte, FrancIstB Antonio de llvefra; ap-
pellado, SHviao GoHaorme ao Barros.
DisraiBUicEs.
Ao Sr. dezembargador Reis e Silva.
Appeiiaetes, os administradores da ma da de A mor ra, Fragoso, Santos & C. ; appellado
Jos Joaqmm Ribeiro Campos.
Appellante, D. Maria Theodora da Costa Alves
Ferreira ; appellailo, JoSo Frederico Q. Kladt. ta provincia
i oaa e
ipaaasai
verao qu%*ieretssirao so^iBaWlWBua^a^ja^'outromilagrerretrta^aiioralra do peccado'de
tiga, de'lgtlal opinio em recoUtieceT o dlrrt,ffJ origem, para nao tocar-vos, porque se tloham
interpreta ^moneionado artwe pala mesa frraa adlantado a hrro-astOTreirtos- datraca. E-por isto
qne ate aql tem feito o mu digno e illustrado juiz exclamara os liis, entoando um dos cnticos mais
eoaieciaPdocrjmmereio, s9WB cauto o resptrtiao bello?, que-vo eousagraooDeus vos salve, oh I
tribunal. Vlrgem I porque sois seraelhaote ao relogio do ral
, Ezequias, qae atrazaado-ss milagrosamente, dea
Sentenca do juizo especial do commercio de Per- signal de que o rei seria salvo da enfermldade, que
nambuco na acgo ordinaria resclsoria de Costa & o opprimia ; assim como corvos, atrazando-se at
Filhos, confirmada em graos de appellagao e ag- a raesma sombra da culpa, que recuou na vosea
gravo pelo meretissimo tribunal do commercio des- Conceicio, e nao pode tocar-vos; foi este o sgal
Appellantes, es administradores da massa falida
de Joo Baptista Goaealves Bastos: appellados,
Moobard t\ C.
Ao Sr. dezemlrtrgdar Silva Guimaraes.
Appallaatos, os adm*aisiraaoTes da-massa fartt-
da de Amorim, Fragoso, Santos & C ; appellado,
JoaqutnrSjsfi rerreirad Rocha Juaior.
Aaaaltmrte, o Dr. Bstevo Cavaletat da Albo-
querque; appellados os administradores da msa
fatlida de Rostron, RookOr & C.
Ao Sr. dezembargador Accidli.
AppeilanWs, os almftrieiraderes da-massa falli-
da de Joto Baptista Gooealves Bastos; -appellados,
flenriqoe 4 Azevedo.
Appellantes, os administradores da massa-falli-
da de Aworim; Fragoso, Santos Heartaae ht Arres ferreira.
Nada man' havendo a despachar, foi enoerrade
a sesso a 1 hora da Urde.
Communicados
Postoque en nSo assistuse i renal-o, qae se fet
no thealro de Santa Isabel, afim de promover-se o
faclitar-se a iotroduego de colonos estraageiros
nesta provincia, para a qual nao tive a honra de
ser convidado,como se era algu n tempo me hoo-
vess* ojlpoMo ao prgresso real da mlntia patria,
de*o por isto mesmo declarar qtte as ida<; emitti-'
das pelo Sr. Dr. Jos Joaqnim de Moraes Sarmen-
t em sea discurso aH pronunciado, st as inesinas
que desde multo lebho, e tem tedas atraelles que
se dio a lei tura, e reOeetem desapafxonadameate.
Nanea me oppuz, como disse, ao progresso real
dosfa provincia, que preflro a todas do imperio.
Venham homens intelligentes, instruidos e tra^
baihaderes, e os abracarel sinceramente. O qne
repiti, e com razio, os charlaties e' a^entureiro-
qne, s pondo a mira no iateresse individale
lucros pecuniarios, ao concorrem para rprospe1
rldade do paiz.
Tenho raz5es para dizer o que fca escripto.
20 de fevereiro de 1866.
Dr. Joaquim d'Aquir.o Fonceca.
Vistos estos antes de acgo ordinaria, em qae
sao autores Costa & Filnos e reos os curadores da
fallencia de Amorim, Fragoso.-fiantes & C.', mos-
trare que os autores" peder qud se jnfgue nato o
contrato pelo qual elles comprarara de ordem dos
fallidos um saqae iabr* Laadreg ao valor da^OOO
;frbrasesterTrnTrs; vtsro xermn o csoirato cetebra-
de qae devanis ser, como fosts, concebida em
graga, e por este motivo salva da eofermidade do
crime, salva do contagio commam, salvo das suas
eensaquendas, e em estado, de que o Verbo de
Deosy viessa encamar effl vaaso ventre porissimo.
! Foi este, portanto, o signal dado, para que o Ver-
DO 0*jj MM "POQCSSti Vtf BV liiilUO.
Comm'umeofe se er, qae a sombra retroce-
do nos 40 diasaaterieres a daelaraco da fallencia, I m ^t nora?> f^ MTdS interpretes e commenta
i <&
0 Sr. Antonio Gonctlves ta imto
AraBjo.
Era comidera gao ao publico vou dizer algumas
palavras sobre a correspondencia firmada pelo Sr.
Antonio Gongalves da Justa Aranjo, e publicada no
Diarto de non tem.
Em Janeiro de 1864 foi noraeado o Sr. Justa, pelo
presidente da Parahyba para proceder demarea gao
das trras dos patrimonios dos Indios, cajos aldea-
memos foram extinctos per acto do governo de 8
de fevereiro de 1862, guando fe extracta a repar-
tigo das trras publicas, por se verificar, qoe na-
quella provincia nao existem terrenos devolutos.
Pareceu ao Sr. Justa, que com essa ncmeacao
podia prorogar sua jnrlsdjcao, e constituir-se em
juiz commissario, e habilitado para proceder a de
marcagao de trras de particulares ; e em algu-
mas demarcagdes, que fez, affastou se do cumpri-
mento da le, deixando de fazer citar os contratan-
tes, desrespeitando posses antigs e legitimas, pe-
netrando propriedades albeias com abertura de pi-
cadas, tomando rumos arbitrarlos, a sera procurar
tirar as posses dos sitios vlzinnos as esqnadras,
visto como correte eita agrimensura, qae ornas
demarcagdes devem ser feitas pelas esquairas das
ontras.
Desse procedlmento arbitrario do Sr. Jdsta nasce-
rara reclamagoes de todos qae se seotlram preju
dicadbs. E estando en tn jahero ultimo na Para-
hyba, muitos dos que se sentiram prejndicados,
pediram mea cohselho, e Ihes dei, fazeudo ver qae
a lei de 18 de setembro de 1890 e regulamento de
30 de Janeiro de 1854 mandara respeltar as posses
existentes, e conservabas m poder dos respectivos
possaldores, mesmo a respeto das trras devolo-
tas, e recoramendei todava, qne fossem interpo.--
tos os recursos legaes contra essas drriarcacSes.
Alm do atropello e violencia do procedlmento
do Sr. Justa as demarcagdes que fez accrescen a
insanavel falta de fazer rutar os confrontantes con-
forme preceptuado por leis antigs e especialmen-
te pelos arts. 37 e 38 do sobredilo regulamento de
30 de Janeiro de 1854.
Publicados estes e ontros factos no jornal PhWi-
cador, qae a gazeta offlcul da Parahyba, appa-
recendo em segaida ontros artlgos, e estando eo j
nesta cidade fez o Sr. Justa chamar a responsabih-
dade o editor daqnelle jornal, sera duvida com o
flm de impor silencio a questo.
iNestecaso resolv publicar noperidico O,ime-
rtcanoalgumas cartas sob minha asslgnatara e
respoosabilidade procurando dar as razes, em que
firmo minha obiniao acerca da irregnlaridadei atro-
pello e nollidade das demarcagdes feitas pelo Sr.
sessSes da junta I Justa das datas do Gumgy e Prazeres, mostrando a
dores, ditera qo nao foram, senao cinco. Adls
sertago de Calme t, sobre este ponto, digna de
lr-se, as4*m como-Santo Agostlnho de Mtrab. Sacr.
Esrrlpt. Irb: 2 cap. 28.
Multas qaestOes curiosas sascilam- os commenta-
dores jobre o meehanlsmo dos relogios do sol do
tempo dos Hebreos, bem como se esse relogio de Brigue inglezBerfabacaThio.
e haver m f da parte nos fallidos. Constando aos
reos, allegan qae sewkro eoBtrato fono em qoaoto
os fallidos estavam na livre admlnistragao casas, oeahama ioalidade o poda dwtruir, a ape-
nas seajue-se, ser os autoras crederes chyrogra-
pharios da massa fahroa para sugeitarem-s a sor-
te dos mais crederes.
TrepRcaado oa autores por negag, deduiiram
as partes'o seu direito as raides a-folnas 23 e 36.
Atientas e crasideradas as allefaetles de omss
ouwa parle, recoateece-se que, a trarnaeg-ao de que
se trata, operando-se (teatro dos 40 das anterioras
a deeldracao da fananela da sociedad?, era comraaa-
dKa de Amorim, Pragoso, Santos e C como sa
prava des documentos constantes dos antos, e co-
mo em tal caso a- le expressamenie falraina de
oallidad nm tal contrato, evidente a nuHidade
da transaogao, de que fallara os autores.
A dtsposieo do-artigo 129 5 de (vid. Com., qae
annulla tedod os contratos commerciaes celebrados
por commerciaole que vier a fallir dentro das 40
dias subsequentes, tio expressaque nao pede sef-
frer durda, fundada aluda em vtsu de arguraento
qne se proearra dedozir do art. 817 do citado
Cod., por qaanto, qoaodo a lei clara-e termraante
nao neeesstla de laterpreiagio.
Por tanto, sendo clara a dispoiioio legal, e o-
incontroverso o facto, acbaado-se alias as raiBes
folhas 23 cabalmente demonstrada a procedencia
da applicagao de art. 1?9 5 do Cod. Com. ao caso i
vertente, Juigo- procedente a acgo intentada para o podermos contribuir OU aeliar um novo e
flm de considerar.se rescindida a transaego nos deicarj0 meio de deteitavel przr para O
termos pedidos i fo has 3, e coodemoo os reos as*___... ,, ,^_^ .____mrn rvA_
custas. geotil e bello sexo. Lanman e Kemp por
Recife, 24 de novombro de 1863.Atenea- Ara-! sera duvida alguma, conse-Vuiram esse dese-
npe. jado ftm, introduiwd a Agua de Florida de
Accordao do supremo tribunal de Jusliga nJK>40. yf^ray e Lanman, (CUJO artigo ba mais de
Vistos e eapostose relatados estes atos de re- ..^_a. ___:.
Xovo turneo fYcruam
buco.
O Novo Banco descoma. lataaa a 12 por cento
ao anno, toma diabeiro a praaa Ixo on em coma
correte pelo premio e coadic*es qoe se conven
cioaar. e saca sobra a praca avabia
cala filial 4 mam do Brasil
em PenaaaalMico.
Da ordem da direetorin-sa faz ptico qne o
thesareir* aaiB aaiorlsado a pagar
o dividendo do semeste Sudo em 31 de dezembro
prximo passado, na razid d tlfOGQ por aogao.
Ca xa filial do banco do BrasU 15 da Janeiro
de 1866.
O guarda-livroa,
Ignacio Nanea Corrala.
aLFANDEGa.
Rendiment do da 1 a 19......
fdem do du 26...............
388:5865594
47:9905250
436:6#ii
MOVIMECTO DAALFADEG2A.
Volumes entrados com fazendas.... 334
c com gneros..... 317
Vola mes sabidos cem fazendas..... 171
< < ca gneros..... 604
DescarregarAoje 21 de fevereiro.
Vapor oilezArago mercadorias.
Brigee in|lJames Sftiri-bacalho.
Brigue inglezSaceon dem.
Barca inglezaAugw/ina-idem.
431
775
Ezequias indldava i horas pelo gnomon (o pontei-
ro) ou de oatro modo: mas estas qoestdesrso
alheias a'materia desta consulta, e por isto tratel
de iHnKar-me'ae- especial do panto, sobre oqoal
fui interrogado.
E' a intelligencia da estancia do offleio de Nossa
S abura :
t Salve I oh I relogio,
t Que andando atrazado,
< Servs de signal
< Ao Verbo encrnalo.
Salve, horologum,
Qa retro gr'diatur
Sol in decem hneis,
Verbum incrnatur.
Rectfa, 1 dejanairo de 1848.
Agua de Florida de Murray & Lanman.
Na verdade cousa mais que gradavel o
vista comraercial, entre partes -. recorrentes, os cu-
vinte annos tem sido o constante favorito
radores fiscaas d iiBaaMlp#Mta^Va^aa^ para-o toueador em toda America Hespa-
tos e c* o recorridos Costa & Fiinos, por aeo-pro- rihola) ao conboeinonto das senhoras deste
paiz.
curador, negara a pedida revista, por nao baver in-
justiga notoria nem nullidade manlfesta.
Regressem por tanto os autores ao julzo, onde fo-: Nao s3o poiS S as senhoras que SO SOD-
ram sentenciados, pagas pelos recorrentes as cus- tem reconhecida* e brigadas para com
tas- aquella Srma emprebendedora, pois que,
^u^'^TpIT^T^^ da seoar^emqD^ot,^ed*W
Sriveira.-Ainwida.-BarodeMont-Serrat.-Leo W de fina cambraia urna fragrancia delicto-
(venddo). Franca (vencido).-8iiva Pinto.Chi- sa e stinamamente refrigerante, e s faces
chorro.Villares (veacido). Veigas.Bario do uma alvura doce e joveni, ella igualmente
r,ar-BrT(;rl,aTUD''~lbCn8d0 Naoe8-Cerqae" possue a rara fficacia e virtude de fazer
------i remover aardencia causada depis do fazer
O abaiio assignado tendo retirado-se por alguns da barba, assim como dissipa 0 mo gosto
raeaes do servig do arseutrl de marnba, onde es- depOis de se haver gozado 99 bellas fumabas
leve trabalhando como official de carpioa, fallara ., charuto
ao maior de seas deveres se deixasse de raanifes-1 "ir1 .',ulu' J ... .
tar o qaanto se acha penbora-do pelas agranavels Deselvida em agua, serve ella de grande
e excellentes raaneiras cora que o Jllm. Sr. capitn proveito para a cooservaco dos dentes e
de mar e guerra Hermenegildo Antonio Barbosa de gengives, dando ao paladar um gOStO suave
Almeida, digno Inspector daquelle estabeleeimeuto j Aflmtwda dssfi nnder con-
se servio traia-lo daraote o lempo em que estive e Wwei A nm pois aesse poaer tuu
alliampregao,trauroeotodeqoegosavara ranttos seguir o disfructe de todas estas vantagens,
dos operarios do mesmo arsenal. indisjieosavel se (orna o possur-se a real e
Patentando o abaixo a signado sua gratido por preciosa Agua de Florid< de Murrav e Lao-
eslemodo, deque pede desculpa ao mesmo Sr. ins-i nnhiima nutra mais Haia o
peclor, nio se jnlga desobrigado de prestar-se ao.""' e nennuma_ ouira mais._ (.naja o
particular servico deste, serapre que fr preciso. cuidado de examinar na occasiao da com-
Recife, 19 de fevereiro de 1866. pra desta agua, que os nomes de Murray e
Afemort uurenco Perewa. Lanman, se achem inscriptos sob cada en-
v" "''* ------ voltario^ letreiro e at mesmo gravados
desposta consulta de um amigo, relativa ama' no proprio vidro das garrafas e na ausencia
passaem da Eseriplnra Sagrada. qHevem uo of- dos mesmos, toda a mais falsa,
ficio da Concelfao de Mara Sahtlssima, por Fran-! Acha-se a venda as pliarmacias de J. C.
cisco Ferreira Barreto, vigario da freguezia lejBraVO & C. e Caors Barbosa.
S. Fre Pedro 69Beal*es.
Mea senhor.Tenho grandissimo prazer de dar
as explicacoes, qne me pede.
Eis a intelligencia, que jnlgo convir ao ponto, so-
bre o qnal me fez o favor de consaltar.
EXPL1CAQA0 DE UMA DAS ESTANCIAS, QUE VEM NO OF-
FICIO DE NOSSA SENHORA.
Barca inglezaImperadorlarinha de trigo e fa-
rello.
Patacho nacional Jaoaiao farinha de trigo e
mais gneros.
Barca pbrlagueza Constante III diversos ge-
neres.
E-cun mglezsOraclecarvao.
Barca portugueaSegHram;a diversos gneros.
Poiaca hespanholalniiacharque.
Brigue hespanholMaria RosaIdera.
Brigue nacional SetlaIdera.
Brlgne nacionalF/urntsense-idem.
Brigue argentino Volantedem.
aatacho portugaexJosdem.
PBrcanaciooalGuarahin dem.
Sumaca argentinaNova Ngntfha do Pratedem.
Importando.
Barca raglea Anilina, eolnda de Terra N(.va,
consignada a Johneten Pater & C, maeifestou o se-
guinto :
3,750 barricas bacalho, e 300 ditas farinha da
triiro: aos mesmos.
Patacho naeiooal /aooaio.fntradode New-Yerk,
cooaigoado a H. Forster guate :
1,000 barricas farinha de trigo, 1,327 volumes
com 3,000 barricas abatidas, 13 barra e 1 caixa
pregos, 150 barris baona de porco, 1 aaixa carro
e perleaces, 33 ditas cha, 5 barrioas vdros, 6
caixas e 13 barricas candieiros, 8 ditas graxa, 5
volumes tabea para jogo, livros e ontros objectos;
aos coasigoatafios.
120 caixas com 120 machinas de aigodio ; a M.
J. R. e Silva A Gen ros.
ALFANDEGA DE HSRNAMBCO.
PAUTA DOS TOSCOS DOS 6BNKB0S SmilTOS K DIREIT09
K KXPOBTACAO.SEMAKA D 19 A 24 MEZ DE FE-
VEREIRO DE 1866.
Mercadorias. UnHatfes. Valores.
escripto irreb>ularraente, sem rubrico, estando no j incompetencia e illegitimidade do Sr. Justa para
geral as actas assignadas somente pelo secretario ; proceder a essas mesthas demarcaras: o Sr.
tendo sido a final convertido em livro de actas de Justa em resposta, fugindo a discussSo, declara qne
elelgdes da junta. Que nao consta que se honves
se dado posse a junta qae funecionou em 1861
eleita em 21 de deiembro de 1860, era que no
1. dia til do mez de Janeiro seguinte se proce-
der a eleico do presidente, secretario, e thesou-
reiro. Que a acta da eleico de 30 de novembro
de 1863, nem pelo proprio secretario foi assigna-
da, nao constando qoe a junta eleita hoavesse to-
mado posse.
Que finalmente levava ao conheciraento do tri-
bunal que a junta dos corretores nao tem satisfeito
a disposicio do 6. do art 11 do seo regiment
interno, bem como enmprido o disposto no art. 41
do regulamento n. 806 de 26 de jolho de 1851,
apresentando a rubrica o livro dos registros dos
precos correntes.
Nada mais havendo a tratar-se, foi por S. Exc. o
Sr. presidente encerrada a sesso s 11 horas e
mera do dia.
SESSO JUDICIARIA EM 19 DE FEVEREIRO
DE 1866.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
A. r. PBRBTTt.
Secretario, Julio GuimarSes.
As onze horas e meia da manhaa o Exra. Sr. pre
sidente declarou aberta a sesso, estando reunidos
os Srs. desembargadores Silva Guimaraes, Reis e
Silva e Accioli, e Os Srs. depntados Rosa, Candido
Alcoforado, Basto e Miranda Leal.
Lida, foi approvada a acta da sesso antece-
dente.
Assignarara-se os acordaos proferidos na ultima
sesso nos feitos entre partes.
Appellantes, os administradores da massa fallida
de Amorim, Fragoso, Santos & C.; appellado
Joao Valente da Craz.
Appellantes, os mesmos administradores; ap-
pellado Joo Ferreira da Silva.
Appellantes, os mesmos administradores; ap-
pellado Antonio Alves de Moraes.
Appellante, a directora da caita filial do banco
do Brasil nesta cidade ; appellado Jos Antonio
Moreira Das.
JLGAMENTOS.
Apperlantes, Joaqnim Gongalves OascSo & C.;
appellada a directora da compaohia utllidade pu-
blica. Addiado a pedido de um dos Srs. depnta-
dos.
Appellantes, D. Anna Jesuina de Lemos Fon~-e
ea, por si e como tntora de setu filhos; appellados,
os administradores da massa fallida de Amorim,
Fragoso, Santos & CAdiado as sessoes de 12
e j do correte.
Foi confirmada a senteuga appellada.
Af penantes, Manoel Ignacio de Oliveira e Jos
Perelra da Cnnha ; appertada, directora da cai-
xa filial do Banco do Brasil oes cidade.Adiado
as sessdes de 12 e lo do crreme.
Foi reformada aaentenca appliada.
Appellante, D. Fmelsca
a nao acceita ; porque seus actos estao svbjetos a
approvacao do gocerno; e porque, chamando o Pu-
bltcador a respoosabilidade, nao comparecen era
julzo o verdadeiro autor do artigo responsabili-
sado.
Us que tiverem interesse em saber da questo,
procuren) e leiam o Americano, onde ja' publique
duas cartas, e publiearei ontras sob minha assrg-
natura.
O Sr. Justa argido de proceder sem competen-
cia, como jo z commissario, e de haver praticado
actos irregulares e arbitrarios recata a discos-
sao I I...
O que se Ihe ha de fazer ?
Qaanto a essa responsabllidade, de que tanto fal-
ln, eu vejo qoe a Ilustrada redaccao do Publtca-
dor polverisou completamente a pretencao do Sr.
Jnsta, qae em tudo tem estado acompanhado de seo
advogado.
Sou completamente estranho a isso, que se tem
agitado na Parahyba em referencia a responsablli-
dade do edictor do Publicador ; e por ora Itraito-
me, para dar alguma Idea ao publtco acerca do que
ha, a' transcrever a ntrela publicada no PrcMtea-
dorn. 1,033 de 6 do Crreme mez, que a se-
guinte :
t E teima I Volla a carga o redactor Interino do
a Jornal da Parahyba, que dizem ser o mesmo du
Tempo, Joaquim Moreira Lima, com a niuralida-
de da redaccao desie Jornal, porque em nm ar-
tigo comuinntcado acceitou a responsamlidade
de om cidado brasilrro no goso de sens direi-
t tos civis e polticos. E' moita toleima I O que
t porm eaehe de espanto, que o pobre mooo,
t que estodou dreto, estej persuadido de que a
declarado do St. Porifcacio.verdadeiraoa nao,
t comprada on violentada, Inmillze a responsabih-
< dade por elle tomada do artigo responsabilizado,
porque assignou-a IHudhlo, e sem ter selencia,
de que em tal artigo erara irrogadas injurias ao
< Sr. Dr. Justa I I
< A innocencia do Sr. Purifkaco quasi igual
c a do dislincto jurisconsulto. >
Acceltando o bondoso offerecimento do Sr. com-
raendador Figuerda de dar publicaco gratis a esta
minha breve resposta, Ihe testemanho mea agra-
decifflento.
Recife, 30 de fevereiro de 1866.
Francisco Lucas de Souza Rangel.
Estancia.
< Salve I oh I relogio I
. Que andando atrazado,
Servs de signal
t Ao Verbo encarnado.
lexto latino.
Salve boroiogiom,
no retro gradiatur
ol in decem Hneis,
Verbum incrnatur.
=Sa
sassa.
ATTEigao.
Libei. prec. et. piar, exercitat.
Exequias, rei de Jnd, adoecen mortalmente, e
Xarope aleboolico de veame, preparado
pelo pharmaceutico Jos da RochParanhos,
estabelecido com botica na ra Direita n.
88 em Pernambuco.
Este xarope incontestavelmente snperior
a todos os xaropes depurativo?, de cuja
composic3o o seo maior elemento a salsa
I parrilba, pois que se tem conbecido ser o
I veame mais enrgico para a prompta cura
| das molestias, cuja base ,'essencial depende
: da purificado do sangue ; assim pois se
' tem verificado por muitas pessoas que se
achavam desengaadas, as quaes acham-se
! hoje restabelecidas com o referido xarope
1 alchoolico de veame; entretanto que al-
o propbeta 'isaias Ibe annunciou da parte de Des,: 8uns tendo usado do xarope de Curinier,
de Larrey, de salsa parrilba, de saponaria,
oleo de ligado de bacalho, e outros agentes
desta ordem nada conseguiram. E' elle de
fcil digesto, agradavel ao paladar e ao ol-
phato Alguns mdicos desta cidade e da
ca havia sido acoihida; que ihe restituira asan- j de Macei o teem recommendado para a CU-
de ; que Ihe eram dados mais qainze annos de vi-,' ra (jas
da ; qoe d'ah a tres dias poderia ir ao templa; e
qae tinba determinado livra-lo do poder dos Ass-
a proximidade do sea derradeiro instante. O rei,
crehdo na veracidade do orculo, banhado de la-
grimas, e na bumiltacBo mais profunda, oroo fer-
vorosamente, e Deus delerminou ento ao propbe-
ta, que se achava anda no atrio do palacio, que
voltasse e dfssesse a Ezequias : Qae a sua sappli-
rios, e a toda a cidade, por amor do seu servo Da-'
Impigens, tinha, escrophulas,
Tumores, ulceras, escorbuto,.
vid.Mas fdisse o re ao propheta, quando ihe \ Cancros, sarna degenerada, fluxo alvo.
SKSStereiTtte SUT^iS S9 !! ^s_affecces provm de uma cau-
titutr a sande ; de qoe irei ao tempb, d'aqu a tres sa interna; nao ha pois razao alguma em
dias; e de que devera acontecer iodo o mais, qae crer que ellas se podem curar cora remedios
me tens annnnciado TOpropheta pedio nma mas externos. Tambera se prescreve O xaropi
acn6 'SttSSSfSXlSff f.effi SJs?0^..!^?! na traf~nto.dM
tea Isaas) ha de ser tambera esfontro : escolhe, o a'leccoes do systema nemoso e fibroso, laes i [dem e rebolo
Abanos.........cento
Agurdente de cana .... caada
dem restilada ou do reino *
dem caxaca.......
dem genebra ......
dem alcoof ou espirit de agua-
ardente.......
Algodao em carocp .... arroba
dem em rama ou em la
Arroz com casca..... >
dem descascado ou pilado <
Assucar mascavado .... c
dem branco....... <
dem refinado ...... c
Azeite de amendoim ou mendo-
bim ........ caada
dem de coco......
dem de mamona.....
Batatas alimenticias .... arroba
Bolacha o diara, propria para
embarque........
dem fina........
Caf bom ....... i
dem escolha ou restolho.
dem torrado...... libra
Caibros........ um
Cal.......... arroba
dem branca ....
Carne secca (xarque) ... i
Carneiros ....... um
Carvao vegetal ..... arroba
Cavernas de sicupira uma
Cera de carnauba em bruto. libra
dem idem em velas ...
Cha .........
Charutos ....... cento
Cevados (porcos)..... um
Cocos (seceos)..... cento
Colla........ libra
Couros de boi, salgados j.
dem dem seceos espichados
dem dem verdes .... >
dem idem cabra cortidos um
dem idem de onca ....
"Doces seceos...... libra
dem em gela ou massa i
dem em calda ..... >
Espadadores grandes nm
dem pequeos......
Esteiras para forro de estivas
de navio........ cento
Estopa nacional ..... arroba
Farinha de de mandioca alqueire
dem de araruta .... arroba
Feijao de qualquer qudlidade
Frechaes ....... um
Fumo em tolha, bom arroba
dem ordinario ou restolho
dem em rolo bom......
dem ordinario ou restolho.
Gallinhas ....... urna
Gomma........ arroba
Ipecacuanha (raiz)..... .
Lenha em achas..... cento
Toros......... i
Linhas e esteios...... um
Mel ou melac.0...... caada
Milho ,...... arroba
Papacaios -....... um"
Poflraal....... quintal
dem de jangada...... una
Pedras de amolar .... urna
dem de filtrar
qae te parecer miis seguro. V, se queres, que a como
sombra se adame dez linhas no relogio do sol; on Gotta, rheumatismo, pafalysia,
que ella retroceda dez graos Y-Ezeqoias qniz, qoe Dores, impotencia, esteriHdafle,
a sombra retroeedesse dez graos, porqne era ma 8 w l__u ', u",u,ui
difflcil retrogradar, do que adiantar-se. Acontecen Marasmo, bypocondria, emmagrecimeoto.
assim. A sombra volteo fielmente para trazos! O xarope aleboolico de veame sobre
Fublieacoes a pedido
-------------------------------------- i V*l,.___________
O meretissimo tribunal do Commercio de Per-
nambuco, serapre coherente em sens jargamentos,
ha continuamente se decidido em favor dos credo- Deas;' da mesma orle vos adiantastes, "por Afeit
graos, marcados por Isaias, em confirmarn da pa-
lavra de Deas, e Ezequias foi salvo.
Este successo esta' consignado no Ecclesiastico
cap. 48 v. 30, e as prophecias de Isaias, cap. 38
v. 8, assim como no liv. 4 dos reis cap. 30.
A retrogradado da sombra (dis Martini com-
raentando este lagar) suppoe a retrogradacjro do
sol. Assim o entendern! todos os padres, e a Es-
eriplnra mesmo o declara expressamente. Martini
tambera cita Isaias, e o Ecclesiastico.
ARPLICACAO DESTA PASSAOKM ESTANCIA DO 0FFICIO.
Salve oh I relogio I etc.
Qaer dizer : Deas vos salve I oh I Vlrgem pn-
nsslmal porque devendo soffrer os effeitos, e o
atrazo da carpa original, pois qne eris Brea de
Ado, e por isto devoris ser inenrsa, cerno elle,
nesse crime funesto, bem como foram iodos mens, vossos irmaos, qae descendern) do primel-
ro homem ; com tudo vos adiantastes pela graga,
fieaado livre do peccado de orgero, por nm mila-
gro especial o anico. Assim como a sombra no re-
logio de Ezequias, devendo adamar-se, retroceden,
cootra a ordem natural do gyo, e carreira do sol,
e isto para servir de cofifirmacio a' palavra de
maior utilidade para cHrar radi- RaP
e em pouco tempo o rheuma- l^3,0.
Piassava........ molho
Pontas, oO' chifres de vaccas on
novilhas....... cento
PranchCes de amarello de dous
costados....... um
dem de louro ......
3*000
800
800
380
800
900
4*000
16*000
tjsoo
2*600
1*900
3*100
3*900
2*000
1*600
1*000
l*o00
3*000
7*000
6*300
6*000
440
360
320
580
3*500
4*000
1*009
3*000
300
500
2*000
3*000
13*000
4*000
600
130
240
100
360
10*000
1*000
320
520
4*000
2*000
15*000
15800
2*000
4*000
2*800
5*000
15*000
8*000
10*000
8*000
800
2*600
25*000
2*000
11*000
6*000
260
1*500
3*000
5*000
5*000
800
600
1*000
120
3*600
'
libra
alqueire
tudo, da
clmente,
liSm0- Salsa parrilha. ....'.". rloh'
Adverte-se que o verdadeiro xarope so se Sebo em rama...... ,
vende nesta cidade na botica cima indica-! dem em velas ...'." *'.' ,
da, do abaixo assignado; e em outra qual- Io1* emivaqueu...... uma,
quer parte que se tem annunciado nao da Ta,boa^r^arell- : iJQjOOO
mesma composiflo, e nem o abaixo assigna- j Tapiocas. ..'.'.'.'.'.'. Arroba
20*000
10*000
1*000
160
400
38*000
5*000
7*000
2*000
do se responsabilisa.
Jos da Rocha Paranhoi.
COMMERCIO
res de qaantias recolhidas dentro dos 40 das an-
teriores a declaracSo da quebra sociedade em
coromandlta de Amorim, Fragoso, Santos e C.\ fon-
dando-se no arl. 139 5 do nosso Cod.. Com. que
de Salles Candida da qaalffica oallos todos os contratos /ellos em tal
da graca, quando todos os Albos de Ado se aira
zaram, por cansa do peccado original, e isto voa
aconteceu, para se camprirem, e eonflrmarem as
promessas do Messlas venturo.
No relogio do re Ezeqoias a sombra retrocedeu,
PBAA DO RECIFE.
C'oavcs fiflk-i.-tes.
20 de fevereiro.
As 3 1|2 horas da tarde.
Assacar mascavado americano 1*92 por ar-
roba.
Algodao de Macer posto a bordo 17*300 por
arroba.
Acedes da companhia pernambaeana 70*000 ca
" da nma.
flfcmbie sobre Londres -^ 38 ii8 e 98 lit d. por
19000 90 d/vista.
oscontos12 e 15 0)0 ao anno.
Freto de algodao para Liverpool i lii (1/ e
10 0|0
lega de Pernamuco, 17
cento


casada
Tatajuba........quintal
Travs.........una
Unhas de boi .....
Vassouras de de piassava .
Ditas de timb ,
i Ditas de carnauba Ti
Vinagre.
Alfaml
1866.
^ADITAMENTO.
arroba.
duda
nm
orna
arroba
300
10*000
8*000
6*000
- 600
Km de

Cera decarnmfe .
Gassueiras deja&rand.
Encbameis. ',
Esteiras de carnauba.
Ossos........
Palha de carnauba .
Penna de ema'. ,
Sapatos de couro braaco.
Era ut supra.
(Assignados):
molho
libra
par
65400
160
aoo
800
2,5(000
800
j^WMH

naz
r

J


(?
i


I.'ik ____ =====
Mi

i. coaferote,-*0,we *
O I. coofcrente, tronam
Approro. --Alfeodega na
ve reiro a NO. i. Bulul.
Conten.0 4. eriplirwte, festn Jr
T/. ontaataV MlMifmlhlk
RiuaesfioaiA de *bkas intsmus ge
R AB8 M. PERNAlWtfCtV
fettiaiMIo 4*4U t a 19...... S&8UH3
[swdoniaO................ 7*3*43
Pila secretaria do tribuna
asiM publico que
ranla dos ornan
dM.S*aelrajiddo bajtjl
idaitfJMtabsiBCido da ciona
tiaolrdas AtBfoas, coro ta *1
nerts*do pair e es raogefros, ea
la*!." *T
SKBMaria^trb oal djro'
OWIIUDO PiOVlNClAL.
ftpaill tonda da i a 19....... lS:08l92i
Id*;*) -dia.20............. 8:0*3*791*
adtM68l bac(l2 deJBverei-o deJB
n i1 i =^ BaT^n>*^nm
Sarhamadns os c redama dOsada-sabato pw-
_ ^L_ lagqaa JoaquMn da CostasVwkai vimm flacetr
oestt coosulaiji a importancia du suas cantal, Ba
MOVIMIENTO DO PORTO
Savios entrados ns dia 20.
MarceM71 das, galera ingina Langdale, de 8321 tenejate ao casal do fallenUo Maneel d**tiita Fer
meladas, capilao Jizeph Ilroeone, equipagera reir, corneal* urna granee cr?a. de fndra e cal
13, carga aseeear; a Mills Lttbem & C cotn>quarttf>inclusive S* fjM*eiN-cacimba e
Barcelona37 dias, sumaca hnspaohola Santa Ma-< tanque, muMamps de arfares I ate ti feas nendo o
nana, de 13 toneladas, capillo Juan Pastes y
EstaJe,Quipagem 10 ero lastro; a Tbeddoro
CbaftEuiL.
Obiervarao.
Nao bonveram sabidas.
VII ATS
Heraute a cmara moaicipal desta cidade es-
l:. 3j ero [iraca uos dtas 16,19 e 21 do correte
para seratu arrematadas por qnem por meaos fuer
di/ersas obras de que precisa o matadonro pnbiico
da Cabangaas. qaaes eoastam de um poco para
agita, comerlo do oto de esg-Jto do sangoe, repa-
ro*- uaaalfaa e caea de atkniastrador, e dos
quartos e arcadas do estabalecimento ; todas estas
obras ferar orneas aa qnatia da 2:0665960 :
anoelles jue pretenderen arremata-las podero
comparecor oos atKados.dias no pago municipal,
manidos ele cana de banca de peisoa que garanta
a arrematadla. O orcameato de taes obras acha-
se na secretaria da mesma cmara onde pode ser
consnltano.
Paco-a cmara muoicijal do Hecife 14 de eve-
retro de 186C.
Luii Jos Pereira Simoes
Prc-presidente.
Francisco Canuto da Beaviagem
Secretario.
fc>
aceza,
ttdigas
elastfl|M
rfclofi, vti
tes oatros oh
rand;s
i 1 ca-
llas, I berCo,^lguar-
11 burra da, segre-
gar, 1 toitete, I
eiraida amarello,
fito d'olo, 1 mesa
~j 1 coaturei-
m decosioha* moi-
i existentes no S* e 3 andar do
mafcr,
Gnitjaraes.
do de*rrtugal~em
Pe rmain !>*>.

W
cifetSD de feaeteiro de
"^Wolia 23 do correal nmijrai s*a)raji
ser arrematado em basta frabilca i paga n>
dieta-Jas, Onde** do Jufco djff var*?ci**l, Dr.
Hermpgenes^n sitio naesrad%f% Mofeiry, per-
para
s ali-
jando coja Trrejpilfco procedida
m-do dito ral8eid.*a Parren*.
sitio todo m
de iawntan
Consulado .irwiacial
Pala mesa do cooiulado proMBial se faz publi-
co eme os friaia dias uteDnanMDS otra cobran-
ga bocea dacbfre dos laapostoi de S9 rs. por a4-
Soeirade sal, de 4 |0 sobre as stabaiecimei
a*fSra da ciaade, prentas dB^Wgodao, typogra
phiaa. cocbeaa*, bolequiat, hatatfi, casas de
sUbrado da ra Nova 32.
DilTerentes escravos de ambos os sexos aiguns
tata habilidades.
uoj:
Adriana aagasto de Aimeida Jordao tendo de
relirar-.sefaraBaaB fara' leWio por intervengao
do agente PrMiy n naiaMai cima neoclanados
existentes na casa dVaua raaideocia a' ra. Nova
n. 32,|Mana efectuara' o leilao as 1U horas do
dia aataAdMo.
fiWO*"
De 40 saceos coa feijar fradiulio.
BWE
O aftata Castaa vender em leitSo por conta a
tasco de qoem partaucer 40 saceos-com excellente
*aijao fradlaat viadapaio ultimo vapor ao carga e
aaabw4a atfandega : quartffeira 21 de correte
psfaalO lror4emacjiaa a porta de arcoanm do
Sr. Andes dafroaU-da alfandgga.
i,i:ii,vo
he vscmoQS, a saber ;

MHftfS DIHBMfi6
Thor
nulo, ti anejes,
lo, 36 airaos.
cavatarices a-fabricas; d-8 40 sobre consultorios | ^ao, partra5 annos.
medl(*s e cirtirgicoa, carlonoaT escriptoriee ; deJ Januana, mulata, 24 nos, engommae cosinha,
20 OJO sobre estabelecimBRos da comraerele em wiippa, mulata, 36 asnas, costaba, lava, en-
groseo e a wtajho, e trapees r?*e oO setorffea^ 6^n e cosa
sas di^ bilbar- modas; de 2asobre eaaas de! litti.Tioola, 30aonorde Sdade cosldhei
emieeo e ero previlegioSi de 4005
emisso, corupanhias aneaymas e agencias ; '4a
1005 sibre cprretores aammerciass, agentes de
leilao e de casa de compta e venda de escravos ;
de SQH por escravo empcBaJo en>servido de al-
varenia: de 15 por tonelada de aWareaga; de
105 a>r bote u saveira ; de 1305 pwbeliewa i
de 304 por escravo ganhltor: de 105 Pr avallo
de sel a de aeqguel ; 65 por dito particular; ea
dtnha, 293ita*cof frudas, e 8 libras
de marmelada.
ihmii:
Qaarr*bfeira %i dr'feyereiTo ^ 1 hora
aUfipd*.
Pnr toterveogio aa agaate Piolo, no sobrado da
ra Nova n.-31, onde harera'- leilao de movel-,
eilao
OECLARAgOES
0 capito commaadante da compa-
niiia provisoria de polica abaixo assignado
cenvida aos cidados que se queiram enga-
ja, no smtcoda mesma oompaabia, a que ^^SfoS^saVd'n^o^t.^^ .
cempareetm norespectt^ qaartel em to-^^m nfiS[ft ,emDa esto suieitoT*^
dos os- diis uteis, das- 9 lipras da manha
por diante. Ouarlel da companh'a provi-
soria de polica 10 de f vereiro de 1866.
Luiss de Franca Mello Jnior.
do imposto datO OjU do consunto le agaardente e
principia a coatar do dia Io defe/erelre tMdouro.
Mesa do consulado provincia^) Peraamboco 30
dejantdro do-1866.
Antonio Caroeiro Machado1Hos
Admiuistraclor.
HOJE
O ageste tana,(ar*ilo- por centa e risco
de quea perctnceajlo-generos cima meaciona-
dos emTotrs a vontlde s compradores : hoje 21
do eorrente pelas i* hoiis datnanftaa no arma-
SautaCasa da flisencordia
da Hecife.
CMaarvttuiiielpal lo Reclfc.
Pela 'ConiaUoiia da cmara municipat iila ci
dado*az publico qoe nos metes do^^aWK zem do Sr. Aanes *froitt ta alfaadega._____
pagarem neste tempo esto sujeitos*Bi^a3lh-na
Trma*a>'de
jonbo re 1814.
Coatdoria 1 de faaaratra-'de-tifie.
Srr*flo'aa8tlvn.
De MOmeitrs oaims eom bata
tas de % arftobs.
Cordeiw Simoes
por coila e risco '8a qaefa pertenaer far
leilao
CNXA" de 200'meias-caixs codTbaSfcs d 2 arrobas, as
anhia sao convl-'4des dssemearcarm b8ateda barca tConsun-
dividendo Isfltnto ArcWotogico e Geegpkictf Ppriam-
hacato.
Nao leado pedtdaaaver sessatr no da 15 do cor-
reata fevereiro, eaeaoora aaaoaaitdo, de novo se
convida a todos as aaaiot do tastUM para se reo-
nirera ercMseodNVao da 22 do ooYreale, as 11
horas di roaoaia, attm 4a se pecaeder a eleigo da
maa qoe tmoiteervir da taWnltaTyaaara se disentir
e saeoetooaroorcatnento do mtaato atoo, em con-
ronMdade doquediapoem os anlgos 19 e 27 dos
estatutos.
Secretaria da Instituto Archeologfco e Geogra-
phico PernambocaftrtSlle fevereiro de 1866.
J. Soares de Azevedo,
: -' -
A abano assignadt julga coaaoaaate decla-
rar que ao se responsabilisa por quaea alguma
ou valores de qnaesquer objectos que em seu no-
rae algirera possa' tomar, qar por eraprestimo,
qur por conspira em qatqaer estibeleclmenlo
desta cidade, ou pessoas de sna amizade, e pro-
testa nao pagar taes dbitos, para os qaaes nao
concorreu.Plipp Joaquina Cavalcanti do Reg
Rarros.
Frederico Augusto Raposo da Cmara reli-
rase para Boroaa.
Emiti WMl.cWaiJo'sOtsso, e sna Tamilia,
retiraofse para Europa.
Samuel P. Johoston. saa seohora, 3 meninos
e urna criad retiraanse para Europa.
Amonio Cvrillo Dutra retira-se para fra do
imperio.
LOTERA
Aos 6:000,000.
Cerr sefHBa-feira 26 do correle un.
Acham-se yeoda na respectiva tbesou-
raria ? ra do Crespo n 15, os biltteJ.es,
meios e quintos da 3a parte da 5* lotera
(49), a beneficio do tbeatro de Santa-Isabel,
cuja extraeco ser no lugar e hora do
costurae.
Os premios de 6:000^000 at'IO|Q00
sero pagos urna hora depois da extracto
at as 3 horas da tarde, e Os outros depois
da distribuicSo das lisias.
As encommenJas serao guardadas so-
mente at a noite da vespera da extraeco
como de costume.
0 thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
oferecer, a obra do taparaenti do viveiro da iiha
do a '..'eir, a qual consiste na construccao de um
<.es de 30 palmos de extencici, 18 de altura e 12
di' grossnra na bate a raorrer em 5 ; e em um
a'.erro de 15 palmos d.e largura ao lado do caes :
os pi .-tendentes devem apresentar suas propestas
eu captas fechadas, entendendo se quanto aos es
clareciraentos de qne precisaren), com os senbores
mordomos, encarregados dos predios, lente co-
ronel Justino Pereira de Paria e Antonio Ramos.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife 16 de fevereiro de 1866.
O offleial,
Manoel Antonio Viegas.
.1 ti izo 4s feilos da fazenda.
Na qu'nt i-feirar.22 do corrale, perante o Illm.
Sr. r. juiz dos feitos, pelas 11 horas da manha,
se vendero em praca publica na sala das audien- agm de chegar'ao coneoimento do? donos ou con-
\\m
Leilcto
CMVANHA>
Os Srs. accionistas delta
dados a mandar receber o primeiro
A Illa* Junta administrativa da Santa Casa de Correspondente ao cao passado a razio de 109.
Misericordia do Recite manda fazer publico que,; por cada aeco, nocrlpt9Ho>ay l'"orte do Mallos!
do diaJ2 do correte, pelas 4 horas da tarde, na n. |, (> dividendo sdmeate-ser* piga-^a vista das.1
sala las-seasoes da-mesma JouU, te de ir pra- ^especl vas acedes. '**' > was-^li ponto neHirmazem do Anne largo
atada a qcem mais vantagem^ Cap1tart> do' pmt^ Waambnw, 20 ,-^1"^^ r_ ,
revertir* 4a-im
Illm. Sr. eepra do porto, matda publicar em _,
virtude de orderndaS. a.o Sr. conseiheiro pre- De umterraao e umcatxa) de tijoto em res-
sidente da provincia, o aviso o reular de 10 da, paldo para casa nos Altlietos.
Janeiro ultimo, em que'o Rfni. Sr. ministro da. O agente Mrtios'fara'leilo Dor Ordem dos li-
agriculiura, cormaercio e obras triiblicas, cbmmu- 'qiffaatarios da massa do-T5adre O. Jos Antonio dos
nicando a Patencia de urna esta.jo telegraphica ,gantos Lessa e ora terfeno com^SOO palmos de
do Cabn-frio, dedra ao mesmo lempo o modo Trente com um caiao de tijoto para cata em res-
porque devem os navios procediles do norte,
commuoicar-se com a mesma estaco, e ao caso
de cerragat) ou noute com a Pinta-Negra ou a
Santa-Cruz.
Circalar.Directora das obras publicas.2" sec-
$o.Rio de Janeiro. Ministerio dos negocios da
agricultura, coramercio e obras publicas, em 10 de
Janeiro de 1866.Illm e Exm. Sr. -Commanico a
V. Exc. para que faga publicar aessa provincia
Fraucisco Pires Machad
Portella
cias, os seguiotes bens penborados ao thesoureiro i signatarios dos navios qu3 no Cabo fri exisle urna
da alfaodega, Joaquira Jos d8 Miranda, para pa-1 estagao telegraphica para a qual, aquellos que
demandarem a barra do Rio de Janeiro,
2005000
305000
324000
85000
305000!
205000!
255000
1505000
1,5005000
1,4005000
1,2005000
7005000
500*000
150*000
y iiiimio do seu alcance.
I Puno francez, avahado per
I sota de aogico, valia Jo por....
- j.i cadeiras du Jacaranda, avahadas
por..........................
: ditas de dito arruinadas........
1 par dj bancas de Gongalo Al-
ves, por......................
1 dlt i de ditas de dito...........
I ro:ea redonda com pedra por..
! guarda looga de amarello, por..
t aparador de dito, por..........
1 mocho para piano, por ........
t e^cravo de nome Simpudo, de
nago, 60 anuos, rendido.......
I du i As nome Mano*I, crilo,mar-
cinetm, 24 annos...............
1 dito de nome Joao, pardo 24 an-
nos, marcinelro................
I dito de nome Claudino, pardo, 18
annos, sapateiro...............
1 dito de nome Paulo, crioulo, 14
annos, aprendiz de sapateiro....
1 dito de nome Manoel Coelho, cri-
oulo, II annos.................
v| estrave de nome Genoveva, de
nago, 50 annos, cozinheira, que-
brada de iimbigo..............
I du.i de nome Henriqueta, cabra
20 annos, coslureira............ 1,0005000
I dita de nome Mara, cabra, 18 an-
nos custureiraeengommadelra..
-1 dita de nome Gollhermioa,cren-
la, II annos............,......
1 dita de nome Alexandrlda, crion-
la, 8 annos.............. .....
1 par de casticaes de pralacom302
oitavas 240 res...............
1 dito de dita com 316 oitavas
2 W res......................
1 duo de ditos com anglicas com
2;iU oitavas a 240 res.........
1 de ditos com 204 oitavas a
2'kOrris....,.................
1 salva de dita com renda, para 3
copos, com 159 oitavas a 240 rs.
1 dita d dita para om copo, com
71 oitavas a 240'reis...........
12 cottieres de dita para sopa, com
21* oitavas, a 240 res........
12. dias de alta para cha, com 55
oiiavastaStrew..............
1 laboleiro de dita com 1,760 la-
vas, a 240 res................
1 traosflim deourocom 14oitavas,
a45008......................
i rel.vio de ourn, patente higlec..
A parte do engenho do Broio,aa-
liado- por 70,0005, e qne Ibe to-
co u em inventno.......-tW'
1 trttf-oa estrada nova, i entrada
do ;icli*ng, couhecido pir Ma-
na Tnereza,com coqoeiros, man-
gueir.as e jaoueiras............
4 sobrado de 3 andares, na ra das
Cnues de S, Antonio n. 30___
i dito de um andar, ao caes d'A-
p.dlo n. 37...................
Recie, l de fevereiro de 1866.
O solieiudor.
F. X. Pereira de Brtto.
ATemati^o.
F.nii i radreoeta do dia 28 do correte da pro-
vedormli rsr8a0sr**Hvo Vasconceftes, ser
jirremsTaoo por venda, a (uera mais der, ama
rea'>om sotado. 22 na Capapga, frogne
devem
forneeer as informaeSes seguintes:
A saber
1. O nome do navio;
2. A sua procedencia;
3. O.- das de viagem;
4. A carga que trai;
5." O nome d > consignatario ;
6.a As noticias martimas ou com nerciaes.
Com a declarago de que taes iotormagfles sero
1550001 trtnsmfttfdas por relo de slgnaesMaryath-a
O&000 referida esttco, e quaoio os natos no possam
45000 com ^1 por Misa da nenie *o de^erragao no
mar o devera faer para a Poota-Negra, ou para
Santa-Cruz, em quanto esliverera fra da barra,
cumprindo adonttlr que os navios procedentes dos
portes to sol, ffetem transmitir as eemanoica-
g3ds exigidas para o tslegrapho da narra, oa Baby-
lonia, logo que se pdssam eorrespender'een taes
estagoes;
Deas guarde a V. ExeDr. Antonio-Francisco
de Paula Souz.Sr. presidente da-provincia de
Pero am buco.
Gumprase.PatlCto flo gttverno de Pernambu-
co, em 19 de fevereiro de 1856. Cuaba Parana-
goa.
O secretarlo,
fJcio de qtiino Fnseca

5
1,0005000
6005000
4OO5OO9
725480
755840
565640
405800
335360
175040
wJwO
75*
422540
565000
100|000-i
9,141*925
9005000
20,0005000
30,0005000
, AJflSQS wtmftios
(ompanhia de paquetes a vapor entre
os Est*4ts4Jii'?*> Brasil.
At o dia 22 '
Ai eerrente es-
pura^se He New,
York por S/Tft*
mu a Para' o
v.ipor americano
Ntrth Ameneai
o qnal depois da
dumera do ce-
lo me setmir' para sportot do snl
Para I retes e pMtaftot tnla-se c
Henty:Ferit-jt;C C^t^tft 8. _
paldo nos AKctos.
QuMia-fefra i2 da correle.
Noaraaaeai da ra ta Gadeia 0. 8, as 11
horas.
EjEHjAO
de S
De urna casa terrea n. 5 na praia
Francisco em Olinda.
O agente Meriids Jar leilao por ordem d>> Illm.
Sr. Dr. Clandioo de Araujo Guimares cnsul
portuguez, de nma casa terrea n. 5 sita na praia
de S. Francisco em Oiloda (terreno fureiro) per-
tencente ao espolio de Justina Mara da Coticeigo.
Qainta-feira 22 do esrrenle.
Em o armazem n. 8 a' ra da Cadeia, as 11
horas.
mim
MEDICO E OPERA OR
MLA
Facnldade Te Paria.
continua no exercicio da sua proflssao,
espei'ialment: tus molestias de olhos, de
vas urinarias e de pelle, para cujo tra-
tamenlo julga-se oabititdo atienta a pra-
tica adquirida nos hosprtaes daqnella ca-
pital, e os instrumentos mais modernos
que pos-ue.
Accoda proroptamente a qualquer cha-
mado para fora da cidade.
E encarrega se de collocar olhos arti-
Ociaes.
No pateo do Carrao 0. 2, esquina da
ra de 11 iras, das 6 as 10 horas da ma-
uha, e da? 3 as o da tarde
i

Loja do Pafo
brandes peckineka.
Safaba a 500 t covaio
Sediahas a 500 rs.
Srtiabas a 500 rs.
VeAda-M na loja do P.tvao, um grande- sortimen-
to de sedlobas listradas eom aa maie toitfae corea. .
sendo oe padrds mais oovos que tem vtado aa mer-
cado, e venJese najo paraitsslmo prego de ciato
tostdee-w covado, oto fasenda que valem mtrtto
mais diaberro, e giaade pechacaa por se ter
comprado nma grande ponida desta (senda, na
loja e armazem de faseoda do Psvo, roa da Ira-
perairtz n. 60 de
6*ua -Silva
Pcchlacba grande.
Os madapo <3es do Pav5o.
Veode-se superiores pecas madaaolio, sendo
muito largo, e moito encorpado loado 24 jardas
cada pega, pelo baratsimo prego de 85 o 95000,
ditos a 6500 e 75, ba peebHwaa, e veode-se
na loja e armazem. do Pavo, ra da Imperattiz n
60 de Gama $ Silva.
Casimiras da escocia.
Na loja o"a Pavo
Chegoa esta nova teeoda com o nome de ca-
xemlras da escocia sendo muito eocorpada pro-
pria para calsas, e tetes, e vende-se pelo baralis
simo prego de 25809 t. o corte ou 1-5600 rs. o co-
vado, ptentnene por JMHMI doas larguras, islo
s na loja e armasamdo Pavie, roana Imperatriz
n. 60 4e Ganafr Sirva.
Ronpa feMa.
Na loja do Pavao
Vende-se neste esuaeleeimento am grande sor-
timento de roupaa, lantt dtaaono como cizemiras,
e brins e pelot- barasslfos pingos como sejam NatranJa saluWa rua^o Interador n. 38
%*!??" p?a "* aVnl*0^'!.*" Nutra-.dsal5tta mado mfbrador n. 38
letots de panno arelo Rceos a 65 85 e 115000 rs. JP ,
ditos sobrecasacoVde panno flnissirno a l55 185 e Neste SlablecinuntO ttraffl-Se retratos
252000 res, e outros moiios artigos qoe seria en- &6B todas os systeaas, com asseio e promp-
fadoohos aqu reata-ios; s na loja e armazem do tirto, desde as nove horas da manha
Pavao ra da Imperatriz n 60 de Gama 4 Silva. ^ ^ ^^ ,la tarde assim como lm
t-raotie peeiiinca sempre a venda grand^-^rtiaiento de cai-
a ffU9vTetS. xas liuas de diversas HBlrat. Qaadros
Na loja do Pavo 0vaes Passepartouts eTWlos os mais ob-
.J,fnfeof,0,r.es d,e casior ES! ca'5as' p,adr5S f!' jectos e productos chimicos, relativos a ar-
curos e claros, e fasenda muito encorpada pelo ba- ,<-?.mnni'lltB mnlk
ratissimo prego d 15000 is. o corte, 00 armazem e e fetbtdob oltmamente dos melhores
do Pavo ruajialmperairiz n.60de Gama* Silva, fornecedores de PARS e N--va \oik, tendo
Watitas a l#OOt>. ; de todo, para iodos.os goStos o para todos
De pura seda os prados.
PHOTOGRAnFIHA
ARTSTICA AHBBICAlfl
RA DO fMPBRADOR N. .
Artista americano
Artista americano.
Artist 1 americano.
Artista>enerieano.
RetratasI\etraisRetrates.
Em porcelanaNiepijoiypie-
E'it lencosArcheraypi'e.
Em vidriAmbfrttypie.
Em metal4#itm:oiypie.
Em pa|dH"rnlbtitjfie.
Vende-se na loja d Pavao, mantas de seda pre-
tase de cores,liados gosto'peto btratissimo pr da 15000 res, s^das 8ws lar|a^2ssfte como t>m'
um grande sortimento de grvalas de seda de c.r
bordadas e de setim preto e ditas de setim brinco, |
e vende por precos muito resuraido-s. oPavio na
ra da Imperatriz o. 60 loja e armazem-de Gama
& Si Iva.
Chitas rxa*
a 60000 res a peca
S na loja so Pavao
Se vendara pecas de chitas lxas inglezas, sendo
cores rtxas leddo 18 cvados cada nma pega pelo
baratissimo preco de 65000 reis, a retalho a 160
rs. o covado, ditas escaras e claras a 200 rs. o co-,
vado, lija do Pavo roa da Imperatriz n. 60 de Ga-
ma & Silva, Gama & Silva.________________
Vende-se um mulatinho de_ 13 annos
de bonita figura, serve para um bonito pa-
gem.' na ra d i Qatimailo o. 3 i._________
Em casa de Kbe Schmettau C,
rea da Gadeia n. t%, Vende-se :
Champanba.
Cognac de superior qualidade.
Vidrospara eipebos de todos os tama- 1
nhos tudoa preco* anito commoddo
na ra da
Salo da wia do Imperador n. 38.
Sal*>da roa do imperador -c. 38.
Precisase de amt
Palma junto ao n. 21.
ana de mita
(I
Precisa se fallar eom o Sr. Domingos Ferreira
Chaves, renflelrofdo engenta) Cllforoia, ou pessoa
que suas vezes faca, a negocio de seu inieresse :
na ra do Aragao n. 8.
Precisa-se de um criado para casa de peque-
a {imilla : a tratar na ra do Vigario^n. 14.
Escripta popular.
Balanco de tabernas, lojas e outras casas de
commercio, assim como qualquer escripturacao
pagas mensalmeote na ra do Forte n. 20.
Precisa-se alugar umi escrava que
seja de boa conducta e saiba cosirrfwre en-
gommar para o servico interno da casa -de
familia a ra do Sol n. 21,
De um sof de Jacaranda, -2 eadiras de bahim; 1, 6
ditas de nalba, 1 rica wcretirla de motiuo, 1
retgto, l mesmtaa-de magne, -1 tollet, J cama
de ferro, 2, apparadores, 1 binculo, 2 fenezia- i
as tranezis e oVftofa especie, 2 bnd|iiia<, 3
Aluga-se o soto 'do sobraeo da ra larga do
Rosario n. 31, com commftdns para pamiena fami-
lia, temi 2 salas el quarto -grande muilo fresco :
qnem o pretender dirjase ao segundo andar do
meerai sobrado. ____
Quem tiver para vender urna casa terrea em
alguma das mas da freguezia da Boa Vista ou de
Santo Antonio, dirjase a ra do Imperador n. 54,
Io andar, esenptono, das 10 as 3 oras da tarde, e
fra dessas horas na ra do Aragao n. 32, sobra-
do, qu achara quem pretende comprar.
Quera quizer vender urna loja de raiudezas
ou de fazendas em boa ra, tendo de fundot at
'10:0005, Pode deixar o sea nome em carta fecha-
da para ser procurado, na ra do Qaeimado nu-
mero 69.
V*HIi
DA
- Precisa-se de um bom cosinbeiro ou
mesas, i filtrador, i canario do imperio,4 cas- costnhetra : na ra do Crespo n. 8, esqui-
ticaese mangas,garlos e colheres de electro; na da ra do Imperador,
pistes, copos, callxes. lotiza e na sala de janiar
1 mssa elstica para 24- pessoas, 1 apparador, 1
guarda lonea-e *2 etdeirts, tu de excellente gosto.
Setla-fcra 28 di ffl"ehirii.
Nara do.TrajMhe Q W terearo Indar.
O agente Pinto autorisado por ara estfjmgeiro
que reura-seipatai Eorop, (ara' teitndos bjectos
cima mencionados existentes no terceiro andar do
sobrado da ra do Trapiche n. 14^ onde se effec-
taar o leilao as 10 hora'do da aonradilo.
---- '1 f 'Tu......i rfMj'" -1-
De parte do carregamento de cha avadado
fliifliiifl ii#aMiiajitP da barca ame
por m
SABBASO
Por intarveoco do sg-o
r No armazem aHaodegad
tb caes de Apollo
Uto ewellenle. piaiw de
5S. 8. ^^ (tmbem *ie jftctraod eom
-r fe."'-----^**-; 'notos com pddr, 2-cadein
l eW *. Slteaiel. laaco, 12 ot tuamieao, 2
di. Rio de Ja
nan trato a cada imanto di> Ri de Janeiro moldaras de lacaTad, re
o patnrto portngnez Fermmtes, o fjnal lera netta gravaras, 9 langas otra cor
demora de 10 dias. recebe carga tal, 1 coslureira oom msica,
a frele|rpa*fo mnfto oommodo : trataba com gas, 1 sof com 7 cadeiras
os seas'^nsgnattet Antonio Lnit de .Oliveira mesinb* dentario, 1 toilet,
Azaanani C.,no seu eacrlpiorio'niadaCraz aa
Preeisso de Nesst Seuhtra da Soledade erecta na
itjrfja de iirament..
A mesa regedora tendo de etpor a visia dos
utorisado por ara estmngetro flejs g^ s0|eaiae procisso a sua divina padroeira
Barn, tora toteados nbiectos e 0 Seaher Preso> na tte do dia 23 peUs 2 ll2
horas.exeru de nero*jern* tas seutfles : ao
sabir ra da Peona. DIfeiti, pateo do Livrament),
roa do Queimado, Crespo, ponte, Cideu, Cruz,
Llngoeta, Trapiche, Vigario, Cerddniz, Amonto,
Madre de Dos, Cadeia, ponte, praca'da Indepen-
dencia, roa do Caoug, Trraf?lras, pateo do Cir-
mo, principio na raa de Heras Aguas-Verdes,
booo dos Martyrio, ra Adgasta, neceo do 6.
Joao, pateo do Terco, ra Direita, pateo da.flanJ,
ra do Rangel a rtcjiher-se, a mesma meta.parti-
cipa ao respeitavel publico que no domingo 25 pe-
las 8 horas da maohaa lera lugir a bengao de ama
imagem nova do Smhor Preso qu* lera de sahir
a tarde, espera que o > Srs. moradores das ras
por onde tem de passar a procisso limoem as
frente-, de suas casas, tambara convida aos nossos
cans.-imos irmos pira comparecerem neste da
para assisjirem a bengo e auorapaahar a procis-
so, a mesa convida aos Srs. Rvds. padres para
randa, 1 mooilia acompanhar diiajrocis^ pata mais brilhantismo.
1 mesa, 2 eon- Os abaixo assignados inspectores da fregue-
bra<^8, 4 de ba>litada Boa^VISta merend dar ao Illm. Sr. Dr.
es esperaos oom b'rtmtimo Perretr Manes Ribeiro sobdeiegado
adras com Mas suppiMrte da Mswt reguezia am publico agrad-
is, jarros ti ojrys- cimento dts^ianoiras delicadas com que os tratou
casticaes man- dorante o tempo em que esteva aa sabdelegacia,
vera por raeio do seu coaceituaio jornal pedir a
REIRO.
to.
araodoLivraraen-
-***-
Importante kihao de
m&veis awaber^
Precisa se de urna ama para casa de nina s
pessoa : na ra da Imperatriz n. 82, 2' andar.
Alngam-se dnas e*as, aman. 15 na ra do,
Mondego por 125500 por mez, outra na raa dos |
Coelbos n. 6 jauto ao sobrado do fallecido Ade-
lo, por mz 205: a tratar na ra do Mondego, ola
ra n. 13.
VERDADEIRO LE ROT
de S1GNORET, Docteur-Mdeciu
Ru de Seine, 51, PARS.
'<5tVo

^
m
Em eadi garrafa, tai, cutre'a rol ha e o papel azul
que leva o uirn aioete, um rotulo impresso em aina-
rcllo eom o Sello I mi-erial do covirno fkancz.
N. B. Reiwttemlo-se urna lettra de 500 rancos|
sobre l'ans, aceitare! a 60 das de UU, ao mximo,
gozare do abaUmento e do maior descont.
Deposito principal
Jo legitimo Le Roy
em Caza do nosso
nico agente pelo
Brazil a Saa Anto-
nio Fbarc : de La-
csaDA na Baha t
not prineipai pkar-
maceutcot.
SatM i dta 24 do -corrate-a teetoa *rii.Bne-
ra tn : ti*a-w em o consignatario Joao do
tn> ti*ri|e portuguez
Tcaife mUanu : a tratar no
rin!B>m.4tts4s-Criun.-3,
Huilln Augus*i de Souz. 4a
toncrer, 1 grirda roupa, i'
tas. de amarello, 1 dita para
de Jacaranda, i (Uta de m _
torio de pedra1 marmort, 2 e
nato aaM-tnnnjiae, 1 mesa
8a, 1 appernder, r2 cadeira
a comidas, fc porta licor,
dros e ajuitosontro objecl-
0m carro Ae 4 rede com
S#|Hi-feira 2
SuRlssagem da
Cn)iie Wild tendo de ret
ra' leilao or aotervengo d
dos os dwSda casa de su.
fadas, tenates, 1
ielros-a, gag, 1 publeneaodestas leal tacadas lionas que sao -
a tranetaa, 2 di-
nga^ i cotnmoda
m ledra, 1 lava-
s granife, 1 car-
ca, -i guarda Ion-
marello, "2 gaar-
intias, bufa, vi-
Ibas dos cora^Ses recoohecidos.
Pregue?ia da Boa-Vista 19 de fevereiro de 1866.
Qi luspectores:
Affoofto de'AlbuqBC4e Martins Pereira.
Antelo loa'quim de Figueiredo.
Adolpho Teixeira. hjpe,
Antonio Elizio Antuoes Ferreira.
j-iAfronla,Soar.es da Rocha,
itaporo Vieira Olynjaw.
Joaguim Jos de Sant'Aona.
Llz Jos n'lunes.
, 'Domingos Antonio da Silva,
para Europa ra- Francisco Jo^rntrnUimes-e Slltav
ote Pinto de lo- jj0 Evangelista,Gomes de Castro,
delicia na rassa-l jfan0ei joaq'oim da Conceic3o.
s da casa do oa- caetano Carneiro de Almeida.
as em ponto do j0aqajjo-do CarmoFatnandas.
. fut^v^mv^mmmfimm^nmv^mmnarmmviiii. u uuiaiuunai) id hor?s em ponte H w<*~ ___ _
conaigoatario Joaquim Jos Goncalves Beltro, na partir' da praca do commercio em freote a raa- Nos abaixo asignados, membros da lirma
roa do Vigario n. 17. primeiro andar.____________ lr'^LCoj0Q Saitt ara mnibus !q.ue se/vira' de ; social de Antonio Pedro de Mello & C, estabeleci-
fcrta.
ifewreir*.
lena.
la.-fc*.'
MlnUt-n
tWJI IWW'tHWte'eOm O Uta1 acuna ano
fflE^sisna
flT
Ja^LaW&l" 3
Iwn+a i We
,iis7vrtt)ioiB i|
quiuta Kiirrado,
42 de Urgqc
baahos om
pelo oniro oito
o sota) ir a j ido,
da
t
Sahira' nesles poucos dias a batea portugaeza
Constante III, por ler prompto qftsl-ledo o sea
*-\istt, fazetrto trente e esquina pga carregataento, para o restante e pwsageiros tra-
ra? raa das Pernjto- u.se coax Me, lanado de Oilvera & Filho, lar-
3S palmo* de g0 do Corpo Santo scripfjrtn-n. *, on com o
ao otao, sa- ,o I-fpHCa.
i, cosinha fora, ... ;.
de compiimento
>, asa para
nma ntrala
s de largara, estando
lo o terrean/ nroprlo1, arsiia-
aNrn JerWice'a ttMhtten-
~~wKHm lie Hma e stja
SL2 '"JSSfi *
do TwpeBtfro twejmMjj.
^na-ctcojireniessa lsh7V>i!da Passanam
ITnd vollara' a2|2 horas da urd.
***4 i'.ti '. o------*tr-
miAo
DE
pMaUeira tt o ornte.
i fan" leila por conta de nma
tara fora de nma mobilia
^n*5ejn,# ctaMalos.-rttJt*
i matan -e mui-
dos comn atw3i n *iova n.
60, tem a honra di aonunciar que dlssolveram
ffltfaverineMenoo ultimo de dewmbro proxftno
passado a sociedade aue llqharp sob aquella firma,
fleando o estabmVhTBnto' por conta do socio Anto-
nio.lMro-de'Oietto, qpem asta pooumbida a li-
aetito e passivo. Recife 3 de feverei-
ro de WH. ^^aSaias-
Pedro de Mello.
Pedro de Mello.
[t\f de Sap.to Antonio'
it manear eapat de
e eogommar bem,
OttOJamnntrMgeira,
; qntm qnizer dlri-
rnadas
CAIXGIRO
Offerece-se para caiteiro nra rapaz portuguez,
sendo ou para padaria ou para refmaeao : na ra
do Rosario n. 3; confronte ao quartel da polica.
hetalha-se um silio em B^benbede biixo, na
estrada que entra para o Pnndio, cora muito boas
trras de planfaeao, mullas arvires de frucio, nma
nascente "agna "dentro do sitio, qne reg o mesmo
pelo meio, grande baita para qualquer obra que
se queira fazer, tambera se vende per inteiro-e por
prego commoiio avista das vantageos qne se ofra-
rece, tornando se muito perto desla praca com as
novas estradas qne esto em andamento ; o sitio
tem de comprimento 1,200 palmos, e no mesmo se
vendem purgantes de jaracatiar, nico remedio
para ferida.__________________________________
MODAS.
MaJame R. Alour contiaua a receber por tolos
os vapores chapaos pare sentnras e meninas, do
nltirao gosto de Pars : vende-se na roa dolmpe-
rador n. 48,1" andar.______________ i
Os senhores estudantes que mmdarara bus-
car comidas na casa da ra dos Pires o. 32, de M.
S. P. e P. M. S. e o Sr. G., que at esta data nao
tem vindo pagar o importe da mesma, queiram vir ,
oa man lar pagar qaaato antes, do contrario tero
de ver os seus nomos por extenso al qae realisem
esta divida.________________________________
Aluga-ss o Io andar do sbralo n. "12 da ra '
estrella do R?sario, desejtodo-se escripiono ou em
falta familia : a tratar aa ra do Cabug o. 7, 1
andar.
AMA
Precisa-se de urna ama : na roa Direita, ultimo
sobrado do lado direiio ao fondo da igreja do Ter-
co, entrada pela ra de Agaas-Verdes.
Precisa-se de ama am qu> tenh multo" e
b ra leite, e paga-se bem : oa raa do Imperador
n. 49, 2 andar.
HUOAUgA.
Monbard&C fazera scieats a esta praca que
mudaram o sea armazem da fazendas da ra do
Trapiche n. 48, esquina da prca do Corpo Santo,
para a ra da Cadeia a 36. _____________
O agente Olympio transfei lo sea armazem de
leudes para a pra;a do corarasreio n. 48, aodde.es-
tiveram os Srs. Monhard & C._____________ _
Precisase de am oozinbeiro oa eoziaheira:
na roa do Imperador n. 17, 2* andar.
Ao|a-e casa da raafmperitl n. 74; com
-2 salas, 3 qairt', ooiinha fra, qoanat-marade.
cacimba : a trataf na roa DireiU n..#._________
Manoel t-orreia Forreira Gulra4s dolara
ao respeitavel pnbHco e espetlalmente a corpo do
commercio, que desla tata-e; ante a>tignar-se-
ht-ManonrAWmsiCocrala.
O-'advtgatFriintft d* Pauta VWIa cdn-
tlna com seu escriptorio na ra do Quaimarto o.
38, l* andar.
Quem precisar de am criado e bom copiirb M
dirija-se a praga da Boa-Vista a. 32. _______
Alofa-se o pHmfrVb ndtr do sobrad da raa !'
da Sentala Velha n. 48: a trattr na loja 4o
mesmo.
a tratar na ana 7-
cedor da Gnza Itnperinl do Exercrto
francez, garante-te qne qualquer
pessoa podera sera dor nem pergo
iivrar-se de seos callos. Esta nven-
co : privilegiada em varios paizes,
reconhecida officialment efficuz
por 16 nacdds, premiada com me-
dalhas de 1* e2* eiasse eapprovada
por diversas academias e pelo ExD"
Presidente da Junta de Hygicnc da
norte. Por ordem do Ministro da
Guerra fez -se em Pariz experiencias
sobre mais de 2000 soldados que
ftearto HvresdeseoseaHes; igual
resultado foi obtido na gna.mico
do Rio e Janeiro. Main de 3000
pessoas ja se tem curado nona esta>
Li roas. As provns do qae ndiz ci-
ma e 09 attestados achato -se no
prospecta, qae se da no deposito.
Casa principal em Pariz, R Prince
ugene,l8, lenle paro o Brozif,
o S* M. O. ABRANCHES, ra
da Alfandega, Y 10, ** Corte.
Le se no tlomieur de la Fharmacie.
A elecAricidade tioje emnrcunda por iwlos o
.medicofafauados, para o trolamnrto de alSlas
. mol .-bus, iiic-uio para as que resisletu as outras
mcilieof*".
A rlrrtridnde proilmida pola friera-i tem urna
su|KricrJladeiiionlcslavel, ca vanttigea le iui>
dar abalo:, e de poder ser graduada pelo doente.
A cntisa a mais frenucnlc das molestias a
estngoeca do saupue ou dos oolros lquidos rl-
lacs. Rcsialleca^lo ae a cicculaca ao oega-
nismo, curarao-se^s nu-lcslias.
Oh -,\ mo se snte alcuma dor em unelquer
pai ledo corpo Ioro, einstinctivamcfitr, se erln-ija
o lu,;ar enilo'.iii-'uld com a mao, e isioilliua. lito
Ftpfica o resultado incontestavel (jne dere prtv
dur um apparulho elctrico. Par itso temo*
prazerem annonciarao Publico jueo Sur Bui*sott
de Bivilers residente, bople^art da i*rince-
Eaj^oe, 13,'tin-PaHi, dolou a medhinade una
app:ueoMtro.aapgrntieo, sob a fornaa de
uata escova, ce o. qual os doeutes se poikra
aturar sem neluuna outra nieilic'acaO. Os mdicos
Ha tem eaperimentado, Itesiaru qoe a
i mnna-1* tmwiinW^nirMei teBcaanara
curar: os Rkeumatinos,Parlyia, Oetta,
Truquea dos mimbres, e da Columna rer-
tbral defcilidaoV gccal, We*ral;ias, ct*.
EUiiaf,tor%a vie bi-oweada auia potsuira
> ota escovs^qttejM-estara grafldes sen icos.
> A pedido de mtittas pessbas o nter ecidio-se
a establecer um tteposilo As aeos appatattaas a
Rio de Janeiro, 4* tem 4o Su DiMa* *owri,
rmi nova do uvidor, a* JS.
Pernrobuco, pharmacij' traocfc? de P.
Maurer *C., raa Nova 18.
Precsa-setdt.nmaama
ga doiRosario o. 35, ptinwiro andar.
no armazem da boUamaralla no oitao da tecreta-
ria da polica, recelan*eoconinwndas de #go
do ar para dentro e fra da protiacia.
O Dr. Cacotino Fraaoiaeo de Lima San
tos cootiua a morar oa ra do Impera-
dor a. 17, segundo 'nadar, tendo alias sea
gabinete de consakaa mnatcaa, lugo ao
i nvrar, no prmewo.:
O mesmo doutor, qnH>atemando ao
esrodo tanto das opeja^^^^HEs ao- JS
lestlas interaas, pr^^^
;mado,*aaer para de
i da cidade.
~tymanHKiat
toado a 8, primeiro
doQaet-
y
i
-






U Fertrefa* 4^M

A.NACIN AL
Companhia. geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISaDA PELO REAL DECRETO bE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
Una lauca em dinheir, depositado dos cofres do estado, garante a boa ad-
inistracn Ha companhia.
BANQUE1ROS DA COMPANHIA
Banco de H rspanha
DIRECfAO GERAL
Madrid : Una o Prado n. IB
Esta companhia liga pelo sysiema mutuo todas as combinacoes de supervivencia dos sega
ron sobre a vida.
Ifella pode se taxer a sabscripeo de maneira que em nenbam caso mesmo por morte do
segurado se perca o capital nem os jaros correspondentes a estes.
Saotao suprehendentes os resultados que produxem as sociedades da ndole deA NACIO-
NAL,que anda mesmo dimlnnindo orna terca parte de interesse produzido em recentes liquida-
efles ecorabinando-o com a mortalidade da tabella de Depareienx que adoptada pela companbia
pare seas clcalos e liquidares, em segurados de idade de 3 al9 annos, ama imposicio annua.
ie 100J produz em efTectivo metlico:
No fim de 5 annos.......1:1194300
de 10........3:942*600
de 18........11:208*200
> de 20........30:256*000
i de 28 .......80:331*000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais considera veis.
Prospecta e mais informales serao prestadas pelo sab-director nesta provincia,
oaqnim Roza de Oliveira, roa da Cadeia n. 82, ou a Boa-Vista ra da Imperatriz n."12, estabeleci-
mento dos Srs. Ray mundo, Car los,Le te & Irmao.
TitrariaT
A.0 GRANDE S. MAURICIO
O
PROCESAOS APERFEI^OAIHO
PARA
Tlaglr, llmpar e lastrar a vapor.
F. A. SALN gRE & C.
29 Kua 7 de setembro 29
Defroote da roa nova do Oovidor (Rio de Janeiro)
Os proprietarios cente eslabelecimento, o primeiro no seo genero no Brasil, por
trabalhar com a3 machinas mais aperfeicoadas para tingir e lustrar, de que se faz uso n
Europa, e ajodados por algnns dos melhores officiaes de Paris e Ly5o, podem assegu-
ar seos freguezes urna perfei^lo do trabalho, a qual sen5o pode chegar pelos proces-
b s ordinarios.
Tingem, lavam, limpam e demofam com a mai r perfeicao e brevidade qualquer
qualidade de fazendas, tiram nodoas e limpam secco sem moldar as sedas e as vestimen-
tas de senhoras e de homens.
Attenoao.
No dia 3 para 4 do correnle mez furtararo do
engenho Limoeiro, fregoezia da Espada, umcavallo
melado com dinas, cauda e ps pretos, nafleo de
iim dos lados tem o couro das qnelzadas grosso,
tem a testa jauto a ponta do focinho om tanto pe-
lado, bastante ardego, anda a passo, furta-passo
at meto, e nao tem ferro por ser nascido no mes-
mo f ngenho, est fazendo a segunda muda : ouem
o trooxer ou der noticia do ladrao receber 100*
de gratificado.___________________________
Aluga-se o segundo andar e soto do
sobrado da ra das Aguas Verdes n. 64,
tem commodos para grande familia : a tra-
tar no primeiro andar da mesma casa ou no
Recife armazem d. 38 a' roa de Apollo com
Francisco Ribeiro Pinto Guimaraes,
Aliiga se
Muga se a casa terrea da ra do Mondego o.
19 : a tratar na roa do Imperador n. 27.
Preeisa-se alagar quatro escravos que sejam
posantes para servico deoaixo de coberta, pag-n-
doso bem : a tratar ne largo da Assembla o. 20.
Kogomiuasc
com asseio, promptido e precs moaveis: na ra
Augusta ii.o. loja.
Cavalho A ogueira na ra do Apol-
lo n. 2o, sacam sobre Lisboa e Porto, a
vista oa a prazo.
Brincos de enslal o pulseiras.
Na loja de ourivts no arco da Conceic., no Re-
cife, (em os melhores que ba eacasioados em ouro
Pedro de Almeida Goimaraes nao leudo lem-
po do pessoalmente despedir-se de alguos de seus
amigos pela rapidez de saa viagem assim o per-
mittir, vem faze-lo por raeio do presente, e pedir-
Ibes esculpa de sua falta involuntaria, offerecen-
do-lbss seu diminuto presumo nacidade de Lisboa,
onde pretende demorar-se por algum tempo. O
mesmo, durante sua ausencia, deixa p r seus pro-
caradores nesta praca aos Srs Jos Joaqaim Gon-
calves Barros, Jos Martins de Castro, sea caixei-
ro Ernesto Adolpho K- Saldanba, e solicitador de
seus negocios jadiciaes o Sr. Carlos Francisco Soa-
res do Brilo.
Arrenda-se um sitio no principio da estrada
do Arraial, com grande casa de viveoda e com
nuitcs commodos, boa varzea de capim, bem plan-
tado de mandioca, e tem aviarrentos para fazer
fannha, tem toda a qualidade de frurteiras, e mu
conveniente por ser mui perto do Farnametriro, e
por consequencia da linba frrea que, vamos ler:
quem o pretender, ou por arreodamento ou mesmo
por conpra, dirija-se a ra larga do Rosario, sobrado
n. -J2, que adiar com quem tratar.
O advogado Antonio Joaqaim de Mello traos-
ferio o seo escriptorio para a ra do Queimado
o.8.
GBOS
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnisadora, estabeleci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercadorias e mobilias:
na roa do Vigario n. 4, pavimento terreo.
MURRAY&LANMAN
A agua florida de Murray & Lanman
olhada como um artigo de perfume, ro
tem podido ser igualada pelas preparares
as mais custosas: conserva sen aroma, co-
mo se formasse parte da prenda a que ella
se applica.
Sua efficacia tao delicada, como elegan-
tes sao seus multiplicados usos, qur seja
empregada como artigo de toucador, qur
no uso do banbo, ou como suavisador da
pelle, depois que se tenha feito a barba;
j para limpar as gengivas ou aromatisar o
balito.
D suavidade, brilho e elasticidade as
compleices, depois de se baver lavado; al-
livia a irritaco de erupces ordinarias; faz
desappsrecer o desagradavel aspecto dos
pannos, das sardas, do rosto, rugas e toda a
casta de ebulicoes, e d vigor e frescura**
parte onde quer que se applique. Sua efi-
ciencia e elegancia sao igualmente infalli-
veis nos casos em que seja preciso applica
la como estimulante e antisptico, nos con-
cursos e assemblas numerosas, as loca-
lidades infeccionadas, na alcova de um en-
fermo, assim como um antidoto excellen-
te para os desmaios causados por cansaco
ou suffocacao Preparada nicamente por
Lanman 4 Kemp, Nova-York, e a venda por
Gaors & Barbosa.
Joao da C. Bravo & C.
Deposito geral em Pernamnuco roa
Ornz n.22 em casa de Caros & Barboza
m
O
S we.g
o
CQ g?
c
8
S

ce
ib
5
O Dr. Sarment Filho i
previne aos seus doenlts e pessoas de seo
conhecimcnio que se muden para a ra
do Imperador n. 19, ipgundo andar.
O Sr. Francisco Jos oe Frenas Gui-
maraes, queira ttr a btndade deappare-
cer na livraria n. 8 da praca da Indepen-
dencia.
Precisa-se alagar om c< sioheiro ou cos,
nheira : na ra da Iraperairiz n. 9, segundo andar-
mmm mmm mmm mmmm
Os abaixo assignado> coatinuam com H
seu escri|itorio de advocada ra do S
Imperador n. 41, primeiro andar, onde |
podem ser procurados das 10 horas da M
inanliaa as 3 da tarde. **
Alvaro Camioba Tavares da Silva m&
Dr. Joao Thome da Silva. am
I Joao da Silva Ramos, mdico
pela oniversidade de Coimbra, d
consultas em sua casa das 9 as
11 horas da manbaa, e das 4 as 6
da tarde. Visita os doentes em suas
casas regularmente as boras para
i 5so designadas, salvo os casos ur-
gentes, que ser5o soccorridos em
tualquer occasiao. D consultas aos
pobres que o procoraram no hos-
pital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 boras da
manbaa,
Tem sua casa de sade regular-
mente montada para receber qual-
quer doente, anda mesmo os alie-
nados, para o que tem commodos
apropriados e nella pratici qualquer
opperaco cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe. .30000 diarios.
Segunda dita....36500
Terceira dita 20000 >
Este estabelecimento j bem
acreditado pelos bons servics que
tem prestado.
O proprietario espera que elle
continu a merecer a confianca de
[que sempre tem gozado.
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama de leite: na ra
do Queimado por cima da loja de cera.
ammwM*m mmm mmm
g DEPOSITO DE CALCADO
W FABRICADO NA CASA DE DETENCO
fifc Una Nova n. i. g
a Abi se encontrarlo obras Je di- jm
g versas qualidades, e por prego mui !
$8 diminutos, a retalho e em porces. W
Si S se vende a dinheiro.
ENCANAMENTOS
PARA AGUA
Na ra Nova n. 30 fazem-se e concertam-se en-
cnamentos, assim como bombas para agua.
Na praca da Independencia n. 33, loja de
ourlves, compra-ie ouro, prata, e pedras preciosas,
e tambem se faz qualquer obra de encoromenda, e
todo e ooalq uer concert. ________
A.BYVERNATvSC
3 Hiia do Imperador99.
Deposito de joias francezas por atacado.
Casa em Pars e Re de Janeiro.
Recebem directamente por todo? os paquetes.
COSINHEIKO
Na ra da Aurora n. 32 precisa-s
um bom cosinbeiro.
de
Era casa de Theod Christiansen, ra do Tra
piche-novo n. 16, nnico agente no norte do Brasil,
de Brandenburg frres, Bordeaos, encontra se ef-
fectivamente deposito dos artigos seguintes:
St. ,'ulieo.
St. Pierre.
Lar se..
Cbateao Loville.
Cbaleau Margaux.
Grand vin Cbateau Lafljte 1S.W.
Chateau Latine.
Haot Sauternes.
Chatean Sauternes.
Cba!ean Lataur Biancbe.
Cbaleau Yquem.
Cognac em tres qualidades.
Azeite doce. Presos de Borde; ux.
Precisa-se de urna ama que cosinbe, engomme,
com p ni e faca todo o servico de ira a casa de poa-
; ca familia : a tratar ra do Cabog loja o. 4.
B
Companhia fidelidade d seguros ^
martimos e terrestres
dstabelecida no Rio de Janeiro.
AGEN.TES KM PERNAMBUCO
Antoaio Luiz de Oliveira iievedo A. C, jjj
competeotemente aatorlsados pela dlrec- m
toria da companhia de segaros Fidelida- g
de, tomam seguros de navios, .mercado- I
rias e predios no sea escriptorio ra da &
Cl UI D. i.
O Peitoral de Cereja,
DO DR. AYER,
Para a cura radical e cer-
ta de todas as molestias do peito
e da garganta, toases, constlpacoes,
Brondiite, asma, defluxos, roqui-
do, Coqueluche, angina, Dlpthcria.
Este xarope peitoral o resal-
tado de longos annos de estudo
por um dos primeiroB mdicos da
America do Norte, e de experi-
encias minuciosas uos princlpaas
bospitaes do mundo; receitado pelos mdicos mais distfnetos
deste secuto na sua clnica particular, portante digno de toda
confianca, 1,por ser ejca~, alcanzando com urna certeza infal-
irel o assento da molestia e arrancando llie as raizes, assim
dando aos orgos affectados urna aeco natural e si:2, por
ier innocente applicatxil a qualguer penda de qualquer idade
ou texo, ao homem robusto ou crianza da mais tenra idade,
cada frasco sendo accompanbado de dirreccOcs minuciosas:
3o, ultimo, por no ser um remedio secreto, pois qualquer med-
ico ou pharraaecutico pode obter a formula da sua composico,
dirigindo-se pessoalmente ou por corta ao agente geral, H. SI.
Lase, a ra Direita No. 1S, Kio de Janeiro.
Mu!tos casos que tinho zombado do todos os recursos
da ciencia tem sido curados radicalmente com o uso do
a
Peitoral de Cereja.
As pessoas atacadas de tosse, defluxos, Dr da garganta,
Bronchite, asma, etc., e outros symptomas da tsica prima-
ria geralmente fazem pouco caso do seu padecimento at
que seja tarde para cura-Io. Nao descuidis d' urna tosse
porque agora parece de pouca importancia; urna tosse
descuidada chega a ser chronica e induz a formaco do
Tubrculos nos pulmes.
Ncnhuraa casa de familia derc estar sem um frasco
dste xarope i mo pois nos ataques repentinos de
Angina, de Croup, c nos paroxismos do Coqueluche; ou
tosse comprida a que esto sujeitas as criancas, nao ha
tempo de chamar um medico, nem de fazer remedios, e
este xarope alivia inmediatamente e pe o filho querido
sao e sal vo, fura de perigo. ,
As molestias que esto ao alcance das virtudes curativas
do PEITOItAT. DE CEREJA to
Defluxos, Tosses, Asma, Esquinenoia, Bronohite,
Coqueluche, Tosse ferina ou convulsiva.
Boquido, Todas as molestias do paito
e garganta. Consuznpcio dos Ful- *
moca ou Tsica pulmonar.
Aoha-se em todas as BoUcas e Drogaras do Imperio.
N. 0. Bieber & C, sncessores, sa
cam sobre o Rio de Janeiro a vista oo a pra-
zo conforme se convencional__________
Saques para a Baha, Para e
Maranho.
I Antonio Jos Rodrigues de Souza na ra
do Crespo n. 15, saca a vista oo a prazo
| contra a Babia, Para e Maranho,
*& na*
Ama
Precisa-se ds urna esrrava boa coxioheira para
casa de hornera solieiro : na roa do Queimado na '
mero 31 -
Precisase de ama ama que saibacoziohar, e
sirva para fazer as compras, para casa, de pouca
familia, composta de ama roolhir e tres pessoas ;
eilge-se boa conducta, pagase bem : a tratar oa
raa 4o Imperador, loja o. 61.
Precisa-se de om eaixeiro que tenha pralica
de padaria e que di5 fiador a saa conducta : em
S.into Amaro, atraz da fondicao, na padaria.
Instruido particular
Ha no paleo do Carmo o. 9, um pe-
qoono estabejecimento de instroeco pri-
marla cujo professor garante o maior
desvelo aos paie de familia qoe se digna-
nal em de admittrr all seos bos Pora
u horas d'aala pede dito professor ser
prc curado a raa dos Pires o. 20, mesmo
pata o ensino de casas particulares.
m
m
%
Pilulas Catharticas do Dr. Ayer
otjeIo
Primao de entre, IndigettAo, Constipado, Bhett-
tnattimo, TIemmorrhaidas, Dr de cabeca, A Neural-
gia, mal do estomago, Enxaqueca, tumi do Figado,
Gastrite, Pebre gastro -heptica, Lombrigas. Eiyiip-
ella, Jijdropsla, Incremento do baco.
Todas as molestias que provem do uso exeesslvo do
Qulnino.
0 mlhor purgante at hoje conhecido.
Estas pilulas assucaradas sao puramente vegitcm.
PUBGAO S PKIFICO SEM MEKCTTBIO.
A venda em todas as BoUcas e Drogaras do Imperio.
AOEJiTE OEIAL,
H. M. LAE, Boa Direito So. 16,
Bio da Janeiro.
Vende-se em Pernambuco:
na
.JI
Ama
mi ce.
non
Precba-se para casa de nm s :^e?3oa
do Queimado o. 16, loja.
.na ra
PHARMACiE FRANCAISE
-P.MAUREE
jva n. ca
CASA DA FORTOHI
Aos 6:000#000.
Bilhetes caraa(ltia.
A* RA DO CRESPO N. 23 E GASAS DO QOSTME
O abaixoassignado venden nos seus maito f li-
tes bilbetes garantidos da lotera que se acabou
de extrahir, a beneficio da igreja de Nosea Se-
nnora do Rosario da-fregoezia da Boa-Visla, os
seguintes premios:
N. 3u6 om mel com a sorte de 6:000,1
N. 3120 om ineio com a sorte de SOOf.
N. 39.11 doas quintos com a sorte de 200
E outras muias sortes de 100#, 40#, e 20i>
Ospossuidores podem vir receber seos respec-
tivos premios sernos descontosdas leisnaCasa
da Fortuna raa de Crespo n. 23.
Acbam-ce a venda os da 3* parte da 3* lotera
(49) beneficio do ihtatro de Santa Isabel, que
se extrahir segunda feira 26 do eorreoie.
PRECO.
Bilbetes.....GJ0v9
Heios......34000
Quintos.....1^200
Para ai pessoas que comprarnu ie 100)5000
para cia.
Bilbetes.....55300-
Meios. ..... 24750
Quintos.....15100
MAW08L Mabtius Fioz._____
= Precisa-se alugar um preto idoso para servi-
co de casa de pouca familia, sendo de boas costa-
mes, nao se dnvida pagar bem : na raa do Tra-
piche n. 44, 2 andar.______________
Precisa-.-e fallar com o Sr. Domingos Ferrei-
ra de Souza, administrador que foi dos engenbos
Massiape e Pitangoelra, a negocio de interesse do
mesraosenhor, na ra do Araglo n. 8. ___
garrax'delailhacar & c.
LIBRMRIE FRANQAISE
Riia do Crespo u. .
L1VROS NAQONAES E ESTRANGEIROS
KelrgioPbilosophia Jurisprudencia Littera-
tura Sciencias e artes.
. Papelaria, objectos para escriptorio.
Precisa-se alugar um escravo para todo ser-
vlco : a tratar na ra da senzala-velha n. 94.
Samuel Power Johoston &. CompaDhia
Ruada SenzalaNova n. 4.
AGENCIA DA
Fnadi?Io de Low Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cava I los.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taisas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios < carro para ora e dous ca val os.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Na roa do Imperador n. 83, 2o andar, preci-
sa se fallar com o Sr.Francisco de Freitas Barbosa.
O abalxo assignado tendo de retirar-se para
a liba de S. Mignel afim de tratar de soa saode, e
tendo para si nada dever nesia praca 00 fra della,
todava, jolgando-se alguem seu credor, aprsente
seus documentos ou conlas al o fim do correte
mez pata se. Ih os seos devedores, para dentro do mencionado pra-
so, realisarem seus dbitos afim de nao serem in-
coraroodados com a justica pelos seus procurado-
res. Recife 20 de fevereiro de 1866.
____________Francisco Botelbo de Mendonca.
Precisa-se de um feitor para sitio f na ra
da Concordia n. 35.
Ama.
Preclsa-se de urna ama para coziohar e engora-
re a r para urna pequea familia : na ra da Santa
Cruz n. 52.______________________
Vapor Camaragibe de re-
boque.
Pernambuco, ra Nova n. 18 pharmacia fracceza de
P. IW/IURER C.
Tendo este vapor acabado sai.- ccnreitos e es-
tando prompto a prestar seu servigo comodantes^
podem os pedidos sertra feilos ao -T. Jos Sapori-
ti, encarregado desia agencia na praca do Corpo
Santo d. 6, primeiro andar, desde as 9 horas d
manha ateas 4 1|2 boras da larde,dias uteis. &
PERFUMERA oa casa oger
Boulevart Sebastopol, 56, r*arlz.
Dex medalhas, a condecorado da Legin
d'honneur e a grande reputacao que tem lhe
dado o publico, taes sao as recompensas que os
servics prestados a industria merecerao a
esta importante casa desde sua fundacao em
1804.
N'um sortimento de mais de 500 artigos,
as pessoas elegantes escolherao os seguintes:
ROSEE DU PARAOIS, extracto superfino
para lenco.
POMMAOA CEPHALIQUE contra a cal-
vicia.
AGUA VERBENA para o toucador.
OXIMEL MULTIFLOR.
VINAGRE DE PLANTAS HYGIENICAS.
TINTURA VIRGINALE de beijoim.
ROSEE DE LYS, verdadeira agua de
Jouvencio.
CREME LABIALE de sueco de Rosas.
POMMADA VELOURS para amaciar a
pelle.
ELIXIR ODONTOPHILE.
SABAO dedicado as damas americanas.
SABAO de bouquet de Franca.
d* de flores de alcea rosea.
d* de flores prntanires.
d* de bouquet do outono.
d* de perfumes exticos.
d* aurora, dedicado aos dedos cor de
rosa.
d de flores das montanhas.
d* de cheiro de foins nouveaux.
d* de althea balsmica.
1' diapr, caixa rica, fantesia pari-
sieaee.
O bacharel Joaquim Pires Machado Por-
tella continua como advogado com escrip-
lorio no primeiro andar da casa n. 83 da Jj
%j ra do Imperador, onde pode ser procu- tM
1 2* rado das 10 hoias da .manbaa as 3 da 2
9f larde. M
Precisa-se de um eaixeiro para laberna. ma
; que d Gador a sua conducta e seja pratico e dili-
gente : no paleo da Santa Cruz o. 12 se dir quem
quer.
Precisa-sede urna ama que r ozinhe e engom-
me para casa de pequea familia : a tratar na ra
da Lingoeta n. 10,1 andar.
Precisase de urna senhora honesta e de bons
coslumes, habelitada para ensinar as primeiras le-
tra, costuras, iihyrimhn. ele, para ir ensinar a
dnas meninas, n'um engenho da freguetia de San-
to Aolo : qoem pretender dirija-se ao largo do
Carmo n. 1.__________
D. Henriqueta Anglica Tavora retira-se para
a iiha de S. Miguel, levando em su companhia seu
fiibo Antonio menor, de 13 annos e Joanna Emilia
Pacheco com seu filho menor de 8 anno*.
Quem precisar de urna ama de leite dirjase
ia raa de S. Rom Jess das Crioulas n. 23.
Qoem precisar de ama ama para cozinbar
engommar, dirija se a travessa q Costa n. 5.
Precisa-se de dous trabajadores de padaria :
na ra do Rangel n. 9.
Precisa-se de ama ama para casa de pouca
familia : oa ra Nova n. 69, 1' andar.
Precisa-se de urna ama de leite : na ra do
Livramento n. 20, 2 andar.___________
Precisase de ama ama para cozinhar em
casa de pouca familia : no Recife roa da Cruz ou- '
mero 29. ^
Mara Francisca da Rocha, part-ira examina-
da, faz sciente que mudon saa residencia do pateo
do Paralzo para a ra das Cruzes n. 17.
AVISO AS VENDAS
Na fabrica de vinagre a' roa Imperial
n. 1, prximo a estaco do camniho de
ferro vende-re vinagre tinto superior em
qualidade a outro qoalquer e por preco
i mdico, assim como braoco e incolor. t
mm mmmmmmmmm
Ama,
Precisa-se de urna ama forra OB.e=<-nv que
saiba cozinbar e engommar : na ra da Imperatriz
Damero i.
mirnm
Precisa se de ama muL
cozinhar, de 30 a 50 judos de
Croz D. 37.
Precisase de uro refinador que saiba perlera-
mente desempenhar este logar : na refinaco da
roa do Rrum n. 42._______________________
Aluga-se a casados Ledes, na ra dos Praxe
res, com soto, e comandos para Umilia.
Aluga-se urna casa na ra de Baixo, em
Olindajlem commodos para familia, grande qeio-
tal dSicacimha, est em bom estado1: a tratar no
largo do Paraizo n. 14.
Precisa se de urna pessoa tbeorica e prati-
carnete habilitada para escripturaco mercantil
. por partidas dobradas : quera se acbar nestas cir-
tenda de cumstadelas indique seu noroe residencia em
3 ra da i carta fechada na loja de livros do Sr. Nogoeira, a
1 roa do Crespa
s i casa de nmm
2--Paleo (fu Carm--26
Neste eslabelecimento tSo importante
para a saude e asseio do corpo acharo se
montados 20 banheires, qoe sao servidos
com a orden eaceio que para dese-
jar-se. Quatro desies banheires sao espe-
cialmente reservados para senhoras e por
isto acham-se col locad os em lugar res r-
vido aonde s lem entrada as pessoas de
urna mesma familia.
Preces de Laaos avolsos. .
1 banho frk), momo oo de cha- -
visco. J 00
1 dito dito de choque. 1,1000 i
1 dito de farello ..... IVW0
1 dito aromatizado.....U0O0 i
1 dito medicinal ser segundo sua q'ua- 1
lidade.
Preces per assignatura.
30 banhos por mea fri, moroo
ou de chuvisco.....10.JC0O
%j dilos com cartoe^para o< mea-
mos........104008
12 ditos com cartoes para os
mos........y
12 dilos com candes de chogue..
U ditos com cartoes de farello. .
O estabeUttDlo eslar aberto" nos
das olis das horas da manbaa as 10
da noite, oos das santificados das 5 as
4 da tarde.

O abalxo assignado faz sciente ao publico e
com especialidade ao corpo do comaercip, que des-
tadau em atante deixoa de ser eaixeiro do Sr.
Jos Antonio da Costa Valeote, e agradece o bom
tratamento qoe receben dorante o pequeo espaco
de tres untos. Recife 19 de fevereiro de 186ft.
Maooel Feroandes do Cima.
f

.


I*



fr
A
SALSA PARRILHA DE AYER
PARA A CURA RADICAL
Atteneao!
Atteneo!
Atiendo!
Grande sor ti ment de fazemlas po-
DO
kS
Ra
CALCADO- |
45 Hm Dirwta~K> \
A primcira condljjio indisjiensavel con-,
ser vaco da sade e trazer os ps bem de-
de escrfulas e Molestias escroto osas, tumores, ulceras chagas, feridas ve- f#Bdid08 contra 03 al da ^viAite; ,., nt ar.s
lhas, bronchocelo, papo ou papeira, a syphihs, enfermidades venenas ou mer- ^ bom e ?egur0 0 weo preserva. ^ P1 'Z/JfeL novo eTatrecimento
CUnaes. tivo dessas mil enfermidades a que est SU- uro grande e variado soriimento de (azeodas pro-
o nurorriic tv a o nirTiirnro jeito o dossoeu Um chnelo vtlno cal- wiaspara quar**i*a, a saber:
AS iMULriMliV UAd MULitlCiliEid cado por um darniy patuscante, ou urna Gr Sdenapl retencSo, menstro doloroso, uteeracoes do tero, flores bramas, etc., ulcera- botina acalcanbada eui uequenino p de en-.'' vtpdeeum graude sortmento de grosdena-
oio, debilidade, expoliado dos oasos, a nevralgia e coovnlsoes epilpticas cantadora deidade alm do acensar que- pl*' |*$ i**oo o covado; dito
quando causadas pela escrofuU. bradeirahorripilante, provactntra asf cul- {?,??.S7D2PToja dSriesi "mo? P
rnuoinmc rnrirr. rrft dadas intellectuaes dos calcantes, ,e nao ha Moriantique preto a 2d800.
tnTalrtLAh rKrtS' tIL quem, tendo bom Senso, nucir passar por Vndese, um grande soriimento de morianlique ment de razei.das franceza?, inglezas, as quae>
KmbnUMiSiSS^t^^hiw^db^ p.S ,IUi\DE EsTABELE'IMEi\TO
da Imperatriz, "*. 00
SE
GAMA & SILVA.
LOJA E AliHAZEM DE FAZENDA.
Tendo os prnprieiarii'S de-Kirande eslabeleci-
melo feiio um grande al.almu-iiio ero tnoius de
suas fazenda?, pela oceasiJo do balando que deram
no ullimodedezerobrode 180o, resolvern) vender
mailo mais barato do qne cosiomam ailm de cada
vez mals agradarein aos s.eu.> iiUin*ro*0 fregu
zes ; por lano Ihe oflerecem um avulado sorli-
nascldas tic ram a *
O extracto composto de salsa parrllha, confeccionado pelo Dr. Ayer, uma 41-RUi DIREITA4i.
combinaco dos melhores depurativos e alterantes conhecidos a medicica; confeccio-.e alendara a barateza.
nado segundo as regras da sciencia, approvado e receitado pelos prioeiros mdicos dos s Homens.
EsUidos-nidos da America do SuU Central, din Antilhas, do Mxico e das Indias, e; Borzeguins parisienses de bezer-
muias ou tras partes do mcndo : 0 resultado de estudos apurados e minuciosos, e de' e co^davao......
experiencias feitas pessoalmente pelo Dr. Ayer, por muitos annos, nos priocipaes hos-D'tos de Bordeaox .
pitaes e enfermaras da America ; tem sido approvado pelas academias de medicina e 0ls barcellonezes de lustre e
juntas dehygieone das priocipaes capitaes da America do Norte; para prova disto vdej t7P0TC?' K' J \'
os attestados authentcos ao Almanak e Manual de Saude do Dr. Ayer, os quaes e dis-; Sapatoes de Nantes de duas ba-
tribuem gratuitamente nos lugares onde se vende o remedio.
A SALSA PARILHA DE AYER
especialmente efflcaz na cura das molestias qne tem ana orlgem
a escrfula, na InfeccSo venrea. 00 aso
eieesslvo do mercarlo on qualqner Impureza do sangue.
tenas rasas
Sapatoi de lona, sola de borra-
cha. ....;.. .
Ditos aveludauos.....
Dito de tranca bons ,
Senhoras
A molestia ou infecto peculiar, conhecida pelo nome de escrfula, um dos ma- j Borzeguios enfeitados.
5*000
Cortes de cambraia com palpas na leja do
I Pavo
VeBdem-se corles de cambraia branca cero pal-
mas, sendo azenda multo boa, polo baratisslmo
prteu de^oOO para acabar : na luja e arrrMxem
do Havao na ra da Imperanz n. 60, de Gama j[
Silva.
Lencos brancos a tQOO reis a
duzia.
Vend. m ?e Icdcos brancos fazenda muilo boa
pelo baratsimo piejo de -i a doita, Bilos om
barra do \ Or a 20(X) isto para acabar na loja do
Pavao na ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Sil-
."'GRANDE PECHINCHA!
Lasiulias a 120 rs. na laja do Pa>ao
Vende-se lasinhas pretas proprlas para lulo sen-
do bda fazeuda n 120 rs. o covado. Ditas moitu
parte, comprometiendo se a mandar levar qualqner fiDas de qoadriohos a 480 e 3JO rs., ditas enfesta-
da< a 400 rs., ditas mathizadas a 320 rs., duas
iran.--parenles com palma de sedas 400 rs., ditas li-
zas e com salpicos a 300 r.., para acabar na Inja e
armazem do Pavo oa ra da Imperatriz b. 60. de
Gama & Silva.
Poupelinas modernissimas a 400 e 500 rs.
o covado na loja do Pavao.
Vendem se poupelinas muilo Dna^ sendo fazenda
muilo moderna de quadnnhos e liza vendendo-se
h^nlu.^n^ A iTelnomene nara p,:los lmilos *,re^8 de 4 e 30 covado Da
Vende-se panno preto proprio par calcas e pa- d." JSS Sd'dS pTdSmais'mo | 'ojaSifvaP*vo ua tua da >* C0 de Gma
litots a 24.e 2J1200 o covado ; casimiras pretas demos pelo baralissimo prejo de 34000 cada nm.
Ditos de-indiaua, tendo oito e meia varas, pelo
baralissimo preco de 2500 rf.
Isto para acabar na l)a do Pavao, ma da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
As toa has de li lio do Pavo.
Vendem-sj superiores loalhas de linlios para
u
Chales de renda ptelos a SAOOO.
Vende-se tambero um variado soriim nm de cha- *
i les de renda a 84, 95O0 e 105 ; ditos moito finos'
a 115 e 124 ; ditos de seda fazenda muito lina a
1204000. 1
Retondas pretas a toff.
8)5000 Vendem-se retondas pretas pelo barato prego de
7d000 .0* e ?-* :.n? ra da Imperatriz n. 72, loja de
Guimaraes & Irmao.
K/vyJGrande pechincha panno preto
Vf)UVV rnvartn
a 2,5000 o
covado.
fazenda em casa dos fregu^zes que nao poderem
vir a loja, ou a darem as amostras, deixaodo flear
o penkor, assim como convidam as pessoas, qne
negoclam em menor escala qae nesle grande esu-
beleeimento encontraro um grande soitimento
tanto a retalho como por atacado, vendendo-se-lhe
apenas pelos precos qne compran) as casas ingle-
zas, sendo com o dinneiro a' vila.
Pechincha a 3^000 e S50
AS MELPOMENES DO PAVAO.
Vendem se
5,5000 .,
j a 14800, -2$, 2440O e 24500 o covado.
2^000 E' n,ni, bar,lt wrlw de casimira a 3#>00.
4 A(V\ Vendem-se curtes de casimira preta a 34300
SfiflO 44- e 44500 ; dila muito flna a 64.
i0owjj admira cortes de brim de cores a
1,280
rosto pelo baratsimo preco de 74300 a duzia
les raais prevalecemos e universaes que ha em toda a extensa lista das enfermidades que Ditos de laco ....... 4 atac:im a nossa raca; disse um celebre escriptor da medicina que mais de urna terca I Ditos lisos ..... 4^500 B. 78, 'loja de Guimaraes irmao.

parte de todos aquellos que morrem antes da velhice sao victimas, ou directa ou indirec-
tamente de escrfula; por isso s nao lo destructiva, porm a principal causa de
mu i .as nutras enfermidades que nao Ihe sao geralmente attribuidas.
urna causa directa da tsica pulmonar, das molestias do ligado, do estomago
e affecces do cerebro; entre seus numerosos symptomas acbam-se os seguintes: falta
de appetite, o semblante plido e enchado; as vozes de urna alvura transparente e outras
vezes cora 1o e amarellento irregular, fraqueza e moeza nos msculos ao redor da boc-
ea; digestao iraca e appettite, falta de energa; ventre enchado e evacuacSo irregular;
quando o mal tem seu assento sobre os puknes urna cor azulaba mostra-se em roda dos
olbos ; quando ataca os orgos d'gestvos, os oihos tornam-se avermelbados; o hli-
to ftido, a linua carregada; dores decabeca, tonteiras, etc. as pessoas dedisposi-
c3o escrofulosa apparecem frequentemente erupcoes na pelle da cabeca e outras partes
do carpo ; sao predspostas s aiecces dos pulmes, do fgade, di s rins, dos orgos
digestivos e uterinos. Portante, nao sao smente aqueles que padecem das formas ul-
cerosas e tuberculosas da escrfula > que necessitam de proteccao contra os seus estragos;
todos aqueles em cujo sangue existe o viras latente deste terrivel flagello (e s vezes
hereditario), estao expostos tambem a soffrer das enfermidades que elle causa, que sao:
A tsica, ulceraces de gado, do estomago e dos rins; erupcoes e enfermidades
eruptivas da cutis, rosa ou erysipela, borbulhas, pstulas, nascidas, tumores, rheuma,
carbnculos, ulceras e chagas, rheumatismo, dores nos ossos, as costas e na cabeca,
debilidades femininas, flores brancas causadas pela ulcerago interior, e enfermidades
uterinas, bydropesia, indigesto, enfraquecimento e debilidade geral.
Offerecemos a estas pessoas um abrigo seguro e um antidoto eSicaz contra esta
molestia e suas consequencias na
SALSA PARRILHA DE AYER
que opera directamente sobre o sangue, purificando-o e expulsando delle a corrupeo e o
Yeneo da molestia ; penetra todas as partes e todos os org5os do corpo humano, livran-
do-os da sua aeco viciada e inspirando-lhes novo vigor. um alteranle poderosissimo
para a renovacSo do sangue, e d ao corpo j enfraquecido pela doenca, forcas e ener-
gas renovadas como as da joventude.
E tambem o melhor anty-syphitico conhecido
cura permanentemente as pciores formas de syphilis e as suas consequencias. Pouca
necessidade ha de informar o publico do inestimavel valor de um remedio que, como
este, livra o sangue desta corrupeo e arrebata a victima das garras de urna morte lenta
e ignominiosa, porm inevitavel, se o mal nao logo combatido com energia.
um poderosissimo alterante para a renovac5o do sangue e para dar nova for-
ca ao corpo j enfraquecido pela doenca.
Sendo composto de productos vegetaes, esle medicamento innocente eaomes-
mo tempo efflcaz, um facto de immensa importancia para aqueles que o tomam ; por-
que muitos dos remedios alterantes offerecidos ao publico tem por base o mercurio ou o
arsnico; e sendo assim, bem que s vezes podera effectuar curas, comtudo deixam suas
victimas carregadas de urna longa serie de males, muitas vezes peior do que o mal ori-
ginal. A nica cousa necessaria para obter urna cura radical seguir com juizo e cons-
atncia as diiecc5es que acompanham cada frasco.
Nao pretendemos promulgar, nejn queremos que se inGra que esta composico a
um remedio infaivel para a cura de todos os padecimentos humanos; infelizmente
escrfula e a syphilis sao enfermidades tao sutls as suas nalurezas, e arreigam-se Uto
firmemente no systema, que muitas vezes evadem e resistem aos remedios mais pode-
rosos que a sciencia humana pode inventar para combate las: o que dizemos que o
Extracto composto de salsa pamlha de Ayer
a melhor preparaco at hoje descoberta para estas e outras molestias anlogas, que
urna combnacto dos alterantes mais efficazes conhecidos, e que esta combinac^o tem sido
regulada por tongas e laboriosas experiencias, e finalmente que temos consciencia deof-
ferecer ao publico o melhor resultado que possivel produzir, da inteligencia e pericia
medica dos nossos lempos.
Este remedio deve ser tomado com systema e regularidade, e nao com abandono,
pois um remedio e nao bebida.
Quando as molestias do gado nao tem sua origem na escrfula, o remedio
mais proprio as pilulas catbarticas de Ayer, que sao efficazes na cura da molestia, que
tem por causa um desarranjo dos orgSos digestivos. Ped a salsa parrilha de Ayer e
n5o aceitai outra preparaco.
Pernambuco, ra Nova n. 18, pharmacia francezade P. Maurer 4 C.
44500
Sapalos de borracha 1q00'_,
Selleiros, corrieiros e segeiros I \w baratissino a 120 res o covado.
Sola de lustre, meios grandes 200000 Vendem-se riscadinnos muito propnos para ron
E um completo sortmento de calcado fa-
bricado no paiz.
COMPRAS
Guardanapos de linho adamascado para meza a
24800 a duzia ou a 240 rs. cada um.
Superior atoalhado de linho com oito palmos de
largura sendo branco e pardo, e vende*se mais ba-
rato do qne em outro parte,na lija do Pavao na ra
pa de escravos, a 120 ris o covado; ditos escoce- da Imperairiz n. 60 de Gama & Silva,
zes muito fiaos a 240, 280 e 300 ris o covado.
Lazinbas a 3oo rs.
Laazinbas de quadrinnos a 300, 320, 360 e 400
rs. o covado ; ditas muito finas a 300 e 560: na
Compra-se ouro, prata e pedras preciosas,
em obras veihas: na roa da Cadeia do Recife,
cja de onrives no arco da Conceicao.
Compra se carosso (sement) de algodao : no
armazem de algodo de Saunders Brothers & C.
no caes de Apollo._________________________
Compra-se urna casa terrea em qual-
quer urna das ras desta cidade, e que nao
seja em travessa: a tratar na 1 ua de Hortas
casa do fallecido Loureiro.
Compra-se um escravo que seja moco, sadio
e sem vicio: na roa larga do Rosario n. 34, bo-
tica.
Compra se um
Crespo n. 17.
escrave pega : na roa do
Ouro e prata.
Em obras veihas : cok pra-se na praca da ln
dependencio n. 22. Inja de bilhetes.
- Compra se urr.a rasa nos bairros de Santo
Antonio, S. Jos ou Boa-Vista que nao exceda dp
1:210,5 : quem tiver annuncie ou a tratar na ra
da Imperatriz laja de raleado n. 38.
Comprarse ou aluga-se urna escrava anda
que seja de meia idade : na ra das Trincheiras
n: 9 se dir quem ._______________________
Compra-se orna preta de 30 annos, pouco
mais ou menos, qne saiba cozinhar e engommar,
paga-se bem, agradando : na ra da Praia n. 29.
roa da Imperatriz n. 72, loja de Guimaraes & Ir-
mao:.
Cortes de 13a a 50CO.
Acaba de chegar a este importante estabeleci-
mento um sortmento de cortes de la que se ven-
de por 34 e 54500; ditos a Mara Pia, fazenda
muito moderna a 12, 144,184 e 204 ; ditos com
camisinha, cinta e grvala a 254 o 284.
Chitas francezas largas a 260 ris.
Vende-se nm grande sortmento de chitas a 260,
280,300, 320 e 360 rs. o covado ; ditas preciares
a 400, 440 e 500 rs.
Canbraias de cres a 280 rs o
covde
Vendem se camlraias francezas a 280,300, 320,
360 e 400 rs. o covado.
Cambraias lisas a 3.000 1 s. a peca.
, Yende-se nm grande sortmento de cambraias
I lisas pelo barato preco de 34, 34500, 44, 44300 e
54 ; ditas mnito finas a 54300 e 64; ditas victoria
a 64300 e 74; ditas de urna vara de largnra a 84
e 94; ditas pira forro a 14600, 24 e 24200 : na
ra da Imperatriz n. 62.
ROUPA FEITA.
Vende-se nm completo sortmento de ronpa fei-1
ta felta. assim como sejam palitots, calca?, coleles,
camisas francezas a 14600 e I58OO ; ditas finas a
24 e de linho a 2500, 34 e 34300 ; seronlas de
14200, 14400 e 14600, de linho a 24 e 24300 : na
Os corpinhos ae seda pretos do Pavo.
Vendem-se os mais ricos corpinhos de seda pre-
tos, ricamente enfeitados, pelo barato preco de 124
cada um : na loga do Pavo na ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Corles de cotim para calcas
a 14120 s o Pavao.
Vendem-se superiores curtes de cotim. fazenda
mnito encurpada para caigas e palitots, tendo pa-
dres escures e alegres, e vende-se pelo barato
prec<) de 14120 rs. o corte de caiga on a 320 rs. o
covado, sendo esla fazenda grande pechincha pelo
preco.
Brim pardo entrancado a 700 e 800 rs. a vara.
Dito liso multo encerpado a 640 e 700 rs. a vara.
Dito branco entrancado a 14280 rs., isto pe-
chincha na loja e armazem do Pavao na roa da
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Os cortes de cambraia branco bordados na
loja do Pav5o.
Vendem-se os mais ricos cortes de cambraia ri-
camente bordados com barras e babados a 204 ca-
da um : na loja e armazem do Pavio na ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Rico* vestidos a 80000 rs.
pechincha admiravel.
S o Pavao recebeu pelo ultimo vapor franeez
nm grande sortmento dos mais ricos cortes de
vestidos transparentes coro lindas barras e enfeites
de seda, sendo e.-tes vestidos muilo proprios para
baile e passeios, e vendem-se pelo baralissimo
l#iw, I04OO e um1 de linho e i*oy : na d 3^ cada om, na loja do Pavao na
roa da Imperatriz n. 72, loja de Guimaraes & Ir- {^ ,m^;,rl ^ de Gama & Silva.
mao.
Compra-se orna
cozinhar o diario do nma casa e ensaboar
teo de S. Pedro n. 12, sobrado de nm andar.
imperai
Cortes de chita a 20000
S NO POVAO.
Vendem-se cortes de chitas inglezas com dez co-
Compra-se nma casa de
da Boa-Vista on roa da Aurora
do Crespo n. 17.
Pechincha admiravel
Lazinbas de qoadrinbos qne parece'seda a 240
escrava de idade qae saiba rs. o evado, nma grande pechincha, est se ac-1 vados a 24.
no pa- ham" a loja n. 52, armazem da porta larga de i Ditos com onze novados a 24200.
Par, i-j Porto. _____ Ditos com doze covados a 24400.
^__ -^ __" _^ Ditos de chita franceza com dez covados a
IvHli\ \ KA.JM 3*200 s Da loJa e armazem de fazeodas do Pavao
Ag n roa da Imperatriz n. 60 de Cama & Silva.
Cirosdenaples pretos do Pavo.
Vendem-se superiores gro&denaples pretos pelos
baraiissimos precos de 14300, 14600, 14800 e 24
o covado, sendo fazenda muio boa. s para ac
bar : na loja e ara azem do Pavo, roa da impe-
ratriz o. 60, de Gama & Silva.
Bramante de linho do Pr*v5o.
Vende-se superior bramanie de linho com 10
palmos de largura, prrprios para len^es, pelos
baratsimos piecosile24 e 24600 a vara, assim
como panno de linho minio fino pelos baratissirnes
precos de 640,700 e 800 a vara : na Ijjj e sr-
mazem do Pavo, ra da Iiiipe.airiz n. 60, de Ga
ma i Silva.
As i assas do pavao.
Vendem-se cassas muito superiores coro lindos
padi oes, pelos baratos precos de 300 e 320 i s. <>
covado, tinas muiio finas a 360 rs. para acabar :
na loja do Pavo, roa da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Canbraias lisas do Pavo.
Vendem se pecas ae cambraia lisa muito supe-
rior, pelo barato preco de 34200 e 34300 pega,
dias muilo linas a 54, 64. 75 n '-j : na loja e
armazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, d-
Gaita & Silva.
PECHINCHA !
a 2->000, para calcas, s o Pavo.
Vendem se superiores rrtts de meia oastroira
com msela de seda a 24, ditas GarihTdioas a
24800, dllas escoras a 248u0, 00 a 14600 o cova-
do : na loja e armazem do Pavo, ra da Impera-
triz n. 60, de Gama & Silva.
PENTEADORES
on roupes de cambraia bordados proprios
para as senbxKas veslirem de nianha.
Chegou esta novidade paia a loja do Pavo,
muilu lindos e de melhor gosto at hoje, por pre
os muito razoaveis : na loja do Pavo, roa da
mperairiz n. 60, de Gama & Silva.
Vestidos
sobrado no aterro
: a fallar na ru.
Compra-se nm escravo que seja possante e
sadio, e que nao tenha vicios : na ra da Senzala
Velha n. 94.____________________________
Compra-se papel de jornaes para erubrnlho a
130 rs. a libra : na ra do Crespo n. 23, esqnina
do Qoelmado.
; Os chales pretos de renda do Pavo a vjOOO r.s.
(Vi: Vendem-se os mais ricos chales preu s de renda
Suva & Alvos, na da Cadeia n. 56, 'avisam aos'.com quatro ponas, senda moito grandes pelo ba-
Srs. agricultores, qae chegaram as machinas ame-1 ratissimo preco de
ricanas de serrle para descaracar algodo qne
vendem a preco commodo. .______'
e
I !. 'I. JM
VENDAS
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descarocar
algodo: na roa da Senzala nova n. 42.
F0LH1\HAS
YENDE-SE
um bonito cavallo grande e bastante gordo, de cor
preta com os anda: es carregador bauo a meio de
redea sola : quem o pretender pode ir ve-lo na
cocheira do Sr. Panlino roa de Santo Amaro e a
tratar na roa do Amorim n. 39.
VENDE-SE
\o armazem de H. J. Ramos e Silva & Genro. ra do. vigarlo
u. 11, constantemente, os seguintes artlgos, que
recebem por encommenda propria de
IEW-YORK,
Legitima salsa parrilla deBristol, preparada por Lanman & Kemp.
Verdadeira agua Florida, preparada pelos mesmos.
Gax em latas de cinco gales, o mais purifleado que se pode desojar da acredi-
tada marca F. W. D. & C.
ftel< gios perfeitos reguladores, com corda de quatro a oito dias, dos afamados fa-
bricantes E. N. Welch.
Graixa em latas grandes da bem conhecida marca las. S. Masn (de Pbiladel-
pbia).
Superior oleo para machinas de costura.
A guias para as mesmas.
Ilreu em barucas grandes e pequeas.
Vende-se tanbem:
BORDEAUX
1.a qualidade.
[St. Estephe.
|st. Julien.
C. Margaux.
C. Lafitte.
I Medoc.
PORTO
Ia qualidade,
Principe Real.
1 Pedro V.
[Mara Pa.
Princeza D. Isabel.
I Vctor Emmanuel.
! Duque.
Malvazia.
PARA 1860.
Acabam "de sahir luz as folhinhas de Pn+ 00 a Pin
algibeira e de poita para o anno de 1866, o rOTClSSa ud JCtUSSld
mais correctas possivel tanto no calculo das Vende-se no armazem de assucar de Jos
las e eclipses, como as diversas festas da Silva Loyo A C, largo da Assembla.
que a igreja celebra; vendem-se unicamen- Vende se a taberna da roa do Rosario da
te na livraria da praca da Independencia, Boa-Vista n. 50, bem afreguezada, por seo dono se
160 ris as de porta e 320 ris as de algi- qoerer retirar para fora da provincia : quem pre-
v v b tender din ase a mesma taberna que achara com
beira.
Vendem-se 400 pedras para ladrilbo, vindas
da liba : a tratar na roa do Vigario n. 14.
qnem tratar.
i_ a
Vendem-se 2 lindas crioulinhas de idade 13
15 annos, recolhidas, com habilidades, 3 escravos
Vende-se nma escrava de 40annos de idade, para todo o servico, 1 lindo moleqne de idade II
a qnal cozinha e engomma perfeitamunte : na roa
de Santa Hita n. 44.
annos, 1 negra por 5094, I mulata perita engom-
madeira : na travessa do Carmo n. 1.
Vende-se nma escrava perfeita cozinheira,
doceira e padeira, e o motivo por que se vende es-
sa escrava se dir aos pretendentes nos Coelhos,
roa dos Prazeres, casa n. 12.
Gaz,
Burro*
Vende-se um burro de 7 palmos, bom para car-
ga ou carro : na cocheira da roa da Roda.
PAO DE SENTEIO
Contina haver pao de Senteio nos dias qnarlas
e sabbados, oa padaria de Sanio Amaro, alraz da
fundico, e no Recife, roa da Crnz n. 46, roa lar-
ga do Rosario, taberna da esquina n. 50, roa Nova,
armazem da Liga, ra da Imperatriz, taberna do
Sr. Lemos n. 46.
Na fabrica de vinagre, roa Imperial nTl,
prximo a eslaco do caminho de ferro, vende se
vinagre tinto superior em qualidade a outro qoal-
qoer, e por preco mdico, assim como branco e
incolor.
ga?, gaz,
Gaz em latas o melhor qae tem vindo ao mer-
cado desembarcado ltimamente e vende-se por
preco barato na roa da Cruz do Recife n. 37,
junto a loja de foni eiro esta beleeimento de Joa-
1 qnim Fernandes da Costa.
LantljOlss.
A loja da Anrora, na roa larga do Rosarlo n. 38,
receben sortmento de lantijolas mullo delicadas e
proprias para qualqner enfeite, assim eomo tam-
bem receben luvas de Joovin brancas e de cores
para homem e senhora, muito frescas, chegadas
pelo ultimo vapor, tudo isto na loja da Aorora,
roa larga do Rosario n. 38.
Vinho fino do Porto em barris de 5/, 10/ e 20/.
Superior vinho do Rheno.
Cera de Lisboa em velas e em grome.
LOJA DAS
RA DA CADEIA N< 50 A,
. -.--
m
Gjjptioua a ter grande e completo sortmento de
Machinas americanas para descarocar algodo
dos lUtlhorfiS fabricantes de 10,12, 14, 16, 18, 30, 25,30 e 35 serrotes qne as Onde por preco resn-
idcr em eonsequencia de ltimamente as ter reoebido de contt propria dos Estados-Unidos.
5:
jencfo,de passaporte
Oandhw do Reg LidWuiie3paennie de passa-
porte,tira passaporte para JSmtro e tra do imperio
por commodo preco e'prestezjK: na ru da Praia
n. 47, 1 andar. ______X, __
s Precisa-so de ama malher ^jl YalM* oJ- de Jaueiro.Y prio o vista: na compabia Per
Bbar bm na rsa 4o Hpicio-n. n. cambucana, Porto do Mattoa, escriptono n. i.
Saques sobre offio de Ja-
neiro.
Saca-se qualquor qoantia obre a praca do Rio
F ZKMI4S ISA ATiS
Ra do Queimado n 27
rcciiivcm
Carobrcis de cores para vestidos, fazenda flna,
a preco de 300 rs. o covado-
Cortes.
Lindos cortes de organdyz a 74, cassas de cores
a 260 rs. o covado.
Entrnelos.
Finos entremeios de cambraia a 14 a pega.
Vende-se urna masseira de amarello em per-
feilo eftado, e mais pertences para urna padaria,
; na estrada nova, segunda taberna a direita, depols
do sobrado grande : a tratar na mesma, das 4
horas da tarde em diante.
Vendem-se duas armaedes proprias para
montar algnma taberna on deposito : a tratar na
ra da Aurora n. 74.______________________
Vende-se fumo de Garanhuns muito superior
por preco de 14600 a libra : na camboa do Carmo
numero 10.__________________________________
Vndese urna das duas casa prximas ao
sitio da capeila da estrada de Joao de Barros : a
tratar no mesroo sitio.
Ditos de guepure a 154, 184, 304, 254-
Retondas de dito a 104-
Manteletes de renda, lazenda muilo superior a
154000.
Capas e sauthambarquea de grosdenaples bor-
dados, fazenda inteirameote nova, por precos mais
baratos qne em outra qualqner parte.
Isto na loja armazem do Pavao na ra da Im-
| peratriz n. 60 de Gama & Silva.
Oschales de pavo a 2ooe e 25m rs.
i Vendem-se chales de merino eslampados a 24
e 24500 cada um.
Ditos de merm liso a 34500.
Ditos estmpalos de crepon a 64, 74. e 84000. i
Ditos pretos bordados coro franja de seda a 144- I
Na loja e armazem do Pavo na ra da Impera-
triz n. 60 de Gama & Silva.
Para luto vende o Pavo.
Setiro da China com 6 palmos de largura, fazen-
da preta para luto, propria para vestidos e roopas
para homens, sendo esla nova fazenda sem lustro e
de muito boa qualidade, garantindo-se nao fJcar
rnssa com o tempo e vende-se pelo barato preco de
24 e 24509 o covado, assim como nesle eslabeleci-
mento tem um grande sortiroento de todas as fa-
zendas pretas como sejam cassas e chitas pretas,
lias tapadas e transparentes, prineezas, alpacas,
sarjas, etc. : na loja e armazem do Pavao na roa
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os ba:5es do Pav5o.
Vendem-se superiores baldes de mucolina com
moila roda a 54-, ditos crinolines com 35 arcos a
34500, ditos com 20 e 25 a 34, ditos para meni-
nas, sendo brancos e encarnados a 24 o 24500 :
na loja do Pavlo na roa da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Cambraias de forro a 10600 e 2$ na loja
do Pavo.
Vendem-se pecas de cambraia de forro com no-
ve varas cada peca, pelos baratissimos precos de
14600 e 24: na loja e armazem do Pavao na ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os cortinados do Pavo.
Vendem se superiores cortinados aamsscados
para camas pelo baralissimo preco d 14 cada par,
ditos moito finos ricamente bordados para camas
on janellas a 154, 20JS e 254 o par: na foja e ar-
mazem do Pavo na roa da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Pechincha sem Igual.
Cbegou a loja de Paredes Porto um buoilo sor-
tiroento de vestidos de lartalala de cores e brancas
que serv para partidas por ser nma phanta.-ia in-
teiramente de goslo pelo barato preco de 44 e
brancos a 44500, esto acabando-se : no armazem
d porta larga ra da Imperatriz n. 52, jante ava-
dara franceza.
Cortinados.
Chegou a loja de Paredes Porto um completo
sortimenio de cortinados ricamente bordados a
precn de 254, 354 e 454 oa roa da Imperatriz
n. 53, porta larga junto a padaria franceza.
Kicas romeiras.
Paredes Perto recebeu pele ultimo paqtieie um
sortmento de romeira de guipure pretas e de io
a preco commodo : na ra da Imperatrii n. Si.
porta larga junio a padaria frar.i "a.
Oraide pechimn.
Cortes de la escoceza entestada |.ra vestioo
fazenda de 500 rs., esl se vendendo a S 3t-0
rs. o covado : na ra da Imperatriz n. 5i. jada
porta larea.
G\Z.
Esgnio de linho mnito Ono a 14400 a vara.
Para leaces
Bramante de linho para lences a preco d^
24200 a 24500 a vara, cambraia branca para for-
ro, vara 240 a 400 rs. Ra do Queimado n. 27.
Vende-se ou alega se nm terreno com dnas
frentes para a ra dj Brum n. 21 e para a ra dos
Guararapes n. 30, muito proprio para deposilo.de
carv9o, madeira, oucarrocas e bos, por ser gran-
de, ter cacimba e tres teiheiros, e um caixo de
casa em respaldo r a tratar oa roa da Cruz do
Recife n. 59.
Vende-se um mulato de idade 18 annos, boa
figura : na roa do Imperador o. 42, 3 andar.
Vende-te nm cabriolet em moito bom sstado,
com o competente cavallo, por preco .commodo :
na roa do Imperador, cocheira n. 274y_______
Vende-so farioha da trra rouifrf" boa, tanto
por atacado como a retalho : na padaria do Cho-
ra-meninos.
No armazem da roa do Imperador n. 3 on no
Caes de Pedro II n. 2, tem para vender-se o me-
bor gaz existente no mercado.
MACHINAS.
Joo Qoerino de Agnilar & C. vendem machinas
para descarocar algodo ; em sen armazem de fa-
rinlia no caes de Apollo n. 53.
Panno preto a 20 na loja do Pavo.
Vende-se panno preto. fazenda muilo boa, pelo
barato preco de 24 o covado, dito muito Uno a
34500, 44, 54 e 64, assim como casimira preta de
cordao a 24 o covado : na loja do Pavo oa ra da
Imperatriz n. 60, de G;.roa & Silva.
Cortes de la a Mara Pa na-loja do Pavo.
Vendem-se os mais ricos cortes de la a Mara
Pa, pelos baratissimos precos de 74 e 8& ditos
moito linos a 104, 124. 164 e 204 : na loja do
Pavo na roa da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Os espartilhes de Pavo.
Vendrm-se una grande e variado sortmento de
espariilhos dos mais bem feiios que tem Ivindo ao
mercado, sendo de todis os lmannos vendecdo-se
por nm precn muilo razoavel : isto na loja do Pa-
vao oa ra da Iroperalriz o. 60, de Gama & Silva.
Silezia para saias a 44o rs. a vara na loja
Vende-se a fazenda de criar gados, denomi-1 do Pavo.
nada Nova Fazenda, no serlo dos Cariris-velhos : Vendem-se silezia ondeada sendo fazenda moito
da comarca de"S. Joo da provincia da Parabba, boa e. propria para saias, pelo b-rato preco de 440
com casas ordinarias e corraes, rom mais de um rs. a vara : na I Ja do Pavo na ra da Impera-
quario de legoa de largnra e ires legoag de fondo, trii u. 00, de Gama & Silv.
terrena o melhor possivel para crlaeSoe plaotacao' 9 8a|a, bordadas do uavao.
U ft ZU.eTNI40.* ZaT^ q1e Venden se saias bordadas sendo fazenda muito
?, ,InHLZ\?*hV !'-'Z.MnIm0 lD8*.r P." bOa, sendo ricamente bordadas e com mui.a roda
ra acude e cercado, boas vasantes. Oca na estrada venn>ndn.e nein em que passam as boladas do centro, moito pro- 1"e?^S^ioP^nitM^lmoen.
pria para solas, por ticar perto das feiras, e dis-' "?.8 ^TLmakcav. 1 ""pera
lame 50 legoas desta cidade do Recife ; vende-se ,r"' Dl W de a & ,"v*-
a dinheiro ou permuta-se por alguma casa on sitio: Pecas de madapulo eufeslado.
nesta cidade : qnem pretender dirjase ao escrivo Vende-se pecblncbas de madapolo entestado
Araujo, na villa do Cabo, ou na roa do Rosario da com 12 jardas cada peca sendo fazenda muito su-
Boa-Vista n. 24 ao padre Cosario. perior pelos baratissimos procos de 44 54 rs. na
- Vendem-ao duas cao terreas em Ollnda.de ""1 fo Pavo na ra da Iroperalriz n. 60 de Gama
pejira o cal.em chao* proprios, urna oa ra da la* ., A%. o,.Arti
delra da Misericordia o. li, a outra na roa da Biea Bretanhas de rslO a d.SUU
Cortes de laa escocesa para veslido a 34 o cor-
te: na roa da Imperatriz n. 52. loja da porta lar-
ga, junto a padaria franceza, esto se acabando.
. Chales de renda
Paredes Purto, na ra da Imperatriz n. 52, porta
larga, vende chales de renda de corea com peque-
o toque de mofo, a 34500 e 44, fazenda de 104
e 12400O.
120
Para roupas de escravos.
Paredes Porto tem para vender chita azul e rip-
eado proprio para o Oro cima a 120 rs. o rovado,
urna grande pechlnchafe esta' se acabando : na
ra da Imperatriz n. 52 porta larga jonto a pada-
ria franceza.
Grande pechincha.
Paredes Porto esta' vendendo riscado francei a
200 rs. o covado : na ra da iroperalriz n. 52 ar-
mazem da porta larga jao'o a padaria franceza.
Para luto.
Las pretas com salpicss brancos a 400 e 500
rs. o covado : na roa da Imperatriz n. 52 junto a
padaria franceza armazem da porta larga.
10400
Chapeos de sol.
Vendem se chapeos de sol de panno a !'iO t
urna grande pechincha s para acabar : na ma >.v
Imperatriz n. 52 armarrm da porta larga de Pare-
des Porto.
A ]$500.
' Vendem se pecas de tranca prela para enfejK*
de vesiidos, soutembarques, capas de senhora a
14600 com 10 varas, urna grande pechincha : a*
roa da Imperatriz n. 52 junio a pa'laria franrpza.
COIares Royes* en colares ana-
dinos
para facilitar a dentico das criancas e presera-
las das convulsdes.
O feliz resollado oblido immen-as veze- peia
prodigiosa forca magntica dos colares Royer, nt-s
casos de convulsS^s, e dentico das crianzas, tem
altamente elevado o seu bem merecido prestigie,
e hoje j se pode dizer que esto geralmente con-
ceiluados, e estimados de innnmeraveis pas de
familias : de uns porque do oso dses salutares
colares viram salvos do perigo sehs charos 'in.-
nflos, e de oulros porque colheram daqueiles t.*'>
proficuo exemplo para ignalmeme preservar os
seos. Assim, po!--, a agola branca, tendo em vi.
lasa uillidade oproveit' desses prodigiosos 1'--
ros anodinos 00 Royer, mandn vir o novo n t\>-
mento que agora receben, e coolluuar a recel-
los para que em lempo algum a falta delles p'.ssa
ser funesta aos pas de familia, os quaes Ocar<
cortos de os achar constantemente na ra do 0*'
mado, loja d'agnia branca n. 8._____________^ _
l*tkci*t*M*iia
dos Quatro Cantos n. 13
ia-se aos Qoatro Cantos,
Vendem-se dnas cadeiras americanas deba-,
laoco : na Capunga ra das Crloalas em casa da Jos Prer. e para tratar no
Wuva de Joao Evangelista. ; namert 56.
quem as quizer ver diri-
em Olmda, taberna de
~e. ra do Pilar,
Vendem se pecas de hrelaoha de rolo com 10
varas cada peca, pelo baralissimo preco de 34 '
na loja s armazem do Pavo, ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
n. 3C 't..
Vende-e a tab-Tn da ma d Guia
prlo para principiante. o molivo se dir ae ni.
prador.
Aceite de carrapato
VeBde-se areile de earrapato sera misiur im
barris de. tereo e quintos por menos que em oulra
qualqner parle : no caes do Ramcs n. 16.
Gomma de m3io branco
ameiicaua,
Vende-so em pacotes de l|i libra :
de Jos Fernandes Lima ra Nova n.
^


PAHA A QUAR18SHA
(Siegaiem a loja de Augusto Porto & C.
11 Rua do Queimao'li
SuiiriWeM0rtes4da preta.
MwfehWique pre9'4e flore atetas beltos puiroes.
Gro*dBpi-p*alo de .iiver* largaras e talkiades.
Retondas, bourww e chales de guip e de t*b#s.
Pinmos-pretos, casemiraa-pretas, bombasiaa.
Laas, canto, mer a selestrinas pretas.
Liadas matas de sed i para pefcoco.
Ricos cortes de seda de ores para baile ou ca&amento;.
Ricos cortinados tord idosos.
Moif branco, seda brane*, capeHas e mantas para sotas.
Bellas colchas de seda a de lia e seda para cama de noif as.
Saias detWBSimaeaaibrala ricamente bordada,
FUWmOt pregas"piira saia que se fazem com ama sostura e taubam lem cem,
o cordla tee*4o.
Bftdpoleo'fraaeez a 400 e-480 rs. a \ara.
AtcHHa de ttaho para satas-e abiseles a 480 rs. o covado.
Fsaeaaawpeelal deffwdros-para ater redes a. 3*800 a vara.
Superiores esteiras da ludia para satas.
11Una do Quelnaado11

S
NOVOS GEWWTBfl
DOS
tjre i; im \ni :>s
mMW DE MOLAHOftS
DENOMINADOS
PR0GRESSIVO pateo do Carma n. 9 ,
UNttO E COMMERCIO rua do Queimado o- 7.
VEKDADEIRO PRINCIPAL rua do Imperador o. 40
, DE
DARTE CARVALHO PERIRA >* C.
C0M8ULMIO MIWl-Ulil IWH
DO
PWrrWTrEACTAHYDteLGBO MOS60SO,
3Rua da Gloria, casa do Fundito-"S
0 fir. Lfcbo Mosceso daconsultas gratuitas.ts-poirts todoi os dias dai 7 s (i
aeras damanbio,.edas 6 e-meia s 8- horas, da-.arito,, -aiopiio das. Ji santfieados.

COHVES HE SF.IIA *
Chegaram pe paquete iogle riqaiesiaios cortes de moreantique de cores, e 9ed tavnd*. pa-
dres intetramento novo. 1|(AAA ,
Seda de ojadros por l#000 o co?ado
5-RBfl DD CRESPO-5
Gregorio IPaes do A mar a I fc Companhla.
'la
Para vestidos de senhora.
Cortes de seda de cor de bom gosto e superior qualidade.
Lindas sedas de qoadrinhos.
'Bons~moireanques,dJ cores.
Grosdenaples da tedas as cores.
Lindos poil d > chovre- fazenda assetinada de tnteira nowdade.
Lindas duqoezasassetinadas fazenda inteirarnente nova.
Modernos greaadinesde seda oque tem viudo de mais novo.
Grande variedade de Has-de cres lisas ede satoicos.
Orgaodys e cansas de muito bom gosto.
Percalias modernas com grande variedade.
Lindos cortes de la Clotilde com todos os pertences
tilo iiUeiraawatenovos. .
Bonscrtesdaca ffazeadas de gosto qne seria enfadonho mencionar.
Para hombros de senhora
Grande Yiriedade de chites, boumoux, retondes e algerieijm.es de fil e de^j
rguipure a 10, 16, 20,-30, 40, 60at 800.
Modernos soutembarques de seda de superior qualidade.
Lindos bertes de seda de cor pretas e de cachemira.
dem de cambraU branca bordada com muito gosto.
fSantembarqoes ebournoux de cachmira de cdr e outros muitos arligos'd*
bom gosto.
^l Para cabeca de senhora
%S Superiores ebapelmss- de palha, de"seda e de crina de muito bom gosto a inr
fperatriz.
Chapeos de palha da Italia grande variedade.
Lmdos gorros e bonets de palha de Italia, Imperatriz, a Camitror, a C
& a 3 Grante, chegados de Parispe'o ultimo vapor.
W Grande variedade da enfeites de froco e de floies para casamento,
tf) Superiores vestidos de blonde. e de moireantique brancos.
3* Bons mVtreantiqnes brinos e superiores seas brancas.
W Bons vestidos da tarlataaa branco bordados.
A? Lindas mantas de blonde e boas capeltes.
^5' Bordados.
f Grande variedade de entremeios bordados transparente e tapados.
Tiras hordada < transparentes e tapadas, babados bordados, saias bordad
v outros maitos artigos.
1 rh mam coi-usotas
4XTOIVIO HORRBIA >E VASCONCELLOS fe C.
BA DO CRESPO !f. 1
IVIMXEIGi
Manteiga ingleza perfeitamente flor che-
gada ltimamente a l.ooo rs. a libra, e
em barril ter batimento.
Manteiga franceza da safra nova a 8oo rs,
a libra e em barril ter aba ti ment.
BANflA
Banba refinada superior a 64o rs. e em
barril teri-aba tunalo.
CHA
Cha jixim de primeira e snperior quabda-
dea2,8oors.
dem hysson o mellior neste genero a
2)6oeTs., e seado etm por pao ter. abatimen-
to, tambem ha pcapriov-para negocio de 2 a
,4oo rs. a libra.
dem preto superior de i^8oo a 2,5oos.
a libra.
Kiscontos
Lata*com sirpeeior'biscHito in versas marcas.a 1,2do rs. a lata.
olaehijihas
Latas com bolachinhas^da^ acreditada 'fa-
DE
EUA DO BHUM
0 pnoprietario desle ostabeleeimento deseja chamar a attencSo dos senhores pro-
^prietarios aos-aerea itados meohanismes,que continua a fornecer ; os quaes garante ser,
como senrpre, da melhor qualidade possivel:
Machinas de vapor
foiva de 2 V* cavallos para cima. As menores sao mui proprias para motore'Sde
descirocamentos de a'godao; as maiores para moer canoa; ha tambem que podem justa
cu separadamente moer canna e descarocar segundo suas proporcSes. Estee vapores
so simpltiimos na construco, e seregempor qualquer pessoa intelligente, a-faortida-
de da conduccSo sendo especialmente considerada, taato que nSo ba logar em-que mo
se possam conduzir, qar por trra, qur embarcado. Ha com moendas juntas o Sem
ei3S e podem-so applicar a qualquer moenda j existente sem outra mudaga do que
a substituido das rodas da almanjarra. Ellas tem depsitos d'agua e boeiros de ferro,
nao precisam para o seu asseolamento de obra alguma, qur de carapina, qur de al-
v r.ai'ia. O tempo para assenta-las nao exceie de doie dias ao raais, e em casos de
mortss de animaes ou arrombamentos de acudes, etc., garartte-se- o assentaiafefllo "etaa
otto Jias. Lembra-se aos senhores de engenho que a venda dos animaes e O'firvicO'da
geste oceupada no seu tratafljeflto'osto de recuperar da maior parte da despeza do
viyoi' deixaado-lbes a vantagam de urna moagam certa e acelerada; e acabando com a
dipa da compra-coutrnoada de-novos'animaes. cora os desgostos do trabarte*que
se tem comBlles.
Rodas d'agua de ferro, mui maneiras e raoendo com qoahpier altura
d ag ja.
Mai-ilhes eom ernzetas de ferro para a mesmas, quando se dMege faaer
e resto da roda de madeira, lornando-se^ssimaTodaligerra no trabarao.
ttoeudas de cauaa de todos o&tamanhos, desde as mais pequeas chama-
das do sertSo. Obra perfei'.a em feitio e aouethamento.
Rodas de espora e aognlares de todos os tamanhos e proporces.
iPanrrs.ot coebira para receber o caldo.
Crlvos de iowaalha para assentamentos, frescos para o foguista, fazendo
grirdecalr com poucoconibostwel, e duradouro. >
Portas de fornartha de todos os tamanhes e de diversos systemas.
l<"ornos e aaotafcros para a fabea de farinha e tambem cbapa redondas
para fornos pequeos.
UomMrs simples e de repucho.
Talias de ferro batido e fundido ede cobre.
Formas de ferro batido galvanisado para purgar assucar, leves para carregar
e i .'mptos de quebwr-se.
Alambiques de ferro de todos os (amanaos, custando s a terca parte do
pr"-;o dos de cobre, mais regulares.na dstUac3o e iguelmenteduraveis.
I'^ixos c rodas jJLe,earro com :r.aag s do patente, obra mui segura para
carr .'gago de peso.
Aradas, gr(ades, ochados a ea*nUo e_ outros instrumentos de agri-
CQUira, E finalmente todo o objectode que possa precisar um'engeoho.
Murmma especial tiomeopttttm

Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senberes de en-
fenhos, lavradores e mais pessoas do centro, que para mas facilitar-suas eomprasdeli-
Oeraram os proprietarios.dos tres .grandes araozens, reunir todos os seas-eeiaaeleci-
mentos em um s aontuuo, peio -qual o preco de ua ser de todos,. proaaeUe-
mos qaaoio.aViiigieanos por um preco, e a occasife da compra quererem por outro, como sooede oerretaate-i
[mente em ontras murtas casas, porra nos nossos estabelecimentos nao se dar isto
aioda aiesmo eom prejfHzo-eossov 'qnalqoer pessoa poder mandar seus fmulos que
serio tambem servidos como viessem pessoaatnte fazendo-nos o -avor de mtu saos
pedidos- eartas'eaaiaa-, para evitar qnalquer engaos, remetiendo ooa ama conta
pea qual se ver os pre?os tal qual anaiimciarmos, o que senao arrepender pessoa.
alguma que fizer saa despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar.maisde
5 per cento aa sua despeza dsaria.
No mesmo consultorio ha semnre o mais appropriado sortimento ( -^rteiras
tobos avulsos, assim oomo tinluras de.Tariaj dyunnusacees a pelos presos segumte
Carterras de 42 trabes grandes. 120000
de 24 tubos grandes. 18^000
de 36 tobos-grandes. 2W000
de 48 todos grandes. 30|00
> de 60 tubos grandes. 3oA000
Prepararse qualquer carteira conforme o-pedido que se fizer, e com #s remedio!
qtte se pedir.
Um tubo avolso ou frasco de tintura de neja ones I 5000.
Sendo para cima de. 12 custarao os precos estabelecidos para as.carteiras.
Ha tobos mais pequeos cada um a 500 ris.
MVROS.
vtaagre
Soperior vinagre de Lisboa a 2,ooo rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ha
mais baixo para oo-rs: agarrafa e l,4oo rs.
a caada.
Azeite doce
Superior azeite doce de Lisboa a 6io rs. a
garrafa e a 5,ooo rs. a caada.
FINIO' CAPORAL.
Latas com snperior fumo caporal a l,8oo
rs. a lata.
Pamas
Superiores passas a-2,5oo o quarto e
9,8oo rs. f a caa de arroba hespaobola e a
56o rs. a libra.
GETEBH1
Genebra de laranja verdadeira a lo,Soo a
duzia e .1,000 rs. ao frasco.
Genebra de Hollanda verdadeira a 6,000
rs. afrasqueira e a 56o rs. o frasco.
Idom de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da ums.
Garrames com 24 garrafas de genebra de
A melhor obrada boraeopatbia, o Minwt.de Mediojaa Joneopathico do Dr. Jaib
dous grandes voltasem die^Dario........... 2QXK)
Medieinadomestica do Hr. Herfng........... 10(000
Repertorio'do Dr.-MeHcrMoraes .....;........ 6,5000
DieJOBario de termos de medicina .........'... 3)5600
Os remedies deste estabelecimento s3o por-domis conhecidos e dispensam por
tanto de serem novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios
rardadeiro, enrgicos e doradores: hatado do melhor que se pode desejar, globos de
^erdadeiro assucar de leite, notaveis pela aa boa conservacSo, tintara dos: mais acradi-
tadosestabeleciinentos europeos, a mais exacta e acurada preparacSo, e portanto a maior
energa e certeza em seus effeitos.
Casa de saude pam escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer -enfermidade on-fezer-se-lhe qualquer
operacib, prao qoeoaBnoneiaote'julga-sesuffioientemente habilitado.
O Iratameoto o melhor possivel, tanto na parte aMmaotar, como na medica,
funecionaado a casahamaide qnatro-anaos,bamoHas essoas de eojo conceto se nSo
pode duvidar, qoe podem ser consultados por aquettes que desejarem mandar seus
doenles.
Paga-se2i5 por dia durante 60 dias e d'ahi-ea dtaote 4#50.
As oparaeoes serlo previamente ajustadas, se-a5o se qoizerem tofeltar aos precei
razoaveis que eos turna pedir e amanerante.
brica do beato Airtonio, "proprias para dar a Hollanda a 8,ooo rs. o garrjfo. Tambem
doentes de 2ooo a 3,ooots. a lata.
dem com quatro libras de bolachiuha de
soda a 2,000 rs. adata.
Qaeijos
Queijos flamengos chegados pelo ultimo
vapor do'2;3oo a 2,000 re.
CHOCOLAE
Chocolate hespanbol a t.ooo e l,2oo rs.
a libra, francez e suisso a 1,000 rs. a libra
eportuguez a 800 rs. a libra, em porgao
ter abatimento.
VIHHOS
Soperior viafco do l^rto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque- do Porto, Ve4bo Secco, Lagrimas-do
Douro, Maria Pia, D. Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a l.ooo a garra-
fa e 9,ooo a 42 ooors. a duzia.
Tinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3,ooo,
3,5oo e 4,000 rs. a caada. ,
Superior-vinho ehamtsso m barril a 64o'|
rs. agarraia-ea 4,6oo rs a caada.
Superior -vinho de Lisboa e Figueira em
anceretas de 8 e 9 caadas a 2i,-ooo rs. a an-<
cor ata.
Superior vinho branco proprio paramis-
sa a 640 rs. garrafa, tambem ha mais bai-
xo para- 4oo, 800 rs. a garrafa e 3,2oo a-
3,5oo a caada.
Caixas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaus a 7,000 rs. a caixa o
7oors. agarrafa.
CAF
Caf do Rio de i.* e 2," qualidade de
6,800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
ha garrafes com-5 e 14 garrafas de 3,2oo a
6,000 rs. cada um.
VELAS
Velas de spermacete a 64o rs. a libra.
dem de carnauba de lo a 12, ooors a
arroba e de 36o a 44o rs, a libra.
PEXE
Petee em latas jvpreparao de l.ooo a
l,2oors. a lata
ALPISTA E PAINeO
Alpista e painco muito novo de 3,800 a
4,eoo rs. a arroba e de 14o e 160 rs. a II-
bn.
CHARUTOS.
Superiores charutos do fabricantes Simas,
Imperiaes, Delicias, Parisienses e outros de
2,2,5oo e 3,ooo rs. a rajia caixa: tambem
temos Suspiros, Havaneiros, Ligueiros e
outros muitos que vendemos por mdico
preco.
Licores
Licores francezes e portuguezes a l,ooo e
,4oo rs. agarrafa ou frasco.
Doces
Do:e da casca da goiaba em caixoes e la--
tas a l,2ooocaiso e,8oors. a lata.
Frats
Fratas'om calda e era latas fechadas her-
rneticamente, nwito bem enfeitadas, conten-
do pera, pecego, ameixa ranha Claodia, al
perche e outras frutas a o> rs. a lata.
Tambem ha latas grandes para l,2oo rs. a
tota.
AZEITE DE REFINADO .
Soperior azeite fraocez refinado a 8,000
rs. a garrafa e a 9,ooo rs. a duzia.
MOLHO ING1EZ SAUCE
Molho iogloz Sauce em frascos grandes
com rol ha de vidro a l,8oo rs. o frasco em
AUMAZEM HE I VZLYUAS
OE
CUSTODIO C 1KVA1IIO -C.
27 RUA DO QfllADO N. 27
Madaol5ofrance*uitofiBO, teodojpeuco mofo, cada peca cera 27"varas per
lOtfOOO. ^
Laa de ores a 100 rs. 0 covado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdisa praca de 800 rs 1 a vaca.
Lencos brancos paraargiberra ajfllPfJO a duzia.
Finisperclaras a preco de 400, 440,a 560*rs. o covado.
Ricos cortes.de 13a de barra de 10<5 a 30#0DO.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.
Sabo maca de primeira qualidade de 18o' duzia ter abatimento.
a22ors. a libra e de 16o a 2lo rs. sendo! BATATAS.
em caixlo.
Srveja
Soperior servej a Bass dos Wthores fa-
bricantes, como sejam: Shlers ABell. T. F.
Ashe a 73500" e 7,ooo rs. a-duzia e a 7oo rs.
a garrafa. Tmbdm ha de outras marcas
oaawaeja: Victoria o Alcope a 5,000 rs;a du-
ziae'a Soots. agarrafa.
BM&ES VAStOS.
BoiSes vasios, louija ingleza mutto pro-
pria para manteiga e deposito de doce de 4
a 12 libras al,2oe2,5oo.
FARINHA" DO MARANHAO.
Farinha do Maralo a 240T9. a libra.
SAG'.
Sjgmoito-novoaioo rs. a libra.
ARARTA.
Gigos com 3o Hbras de batatas a i.ooo rs.
o gtgo.
SARDINHAS.
Latas com sardmhas de Nantes e Lisboa
de 4oo a 46o rs. a lata.
FUMO AMERICANO.
Superior fumo em ebapa a 640 rs. a libra
EltVIlMs
Latas com ervilhas e feijao verde j pre-
parado 64o rs. a lata.
MASSA DE TOMATE
Latas com 1 libra de massa de tomate a.
64o a lata.
VERMUTH
Esta bebida muito fresca e estomacal e
muito propria para a presente estaco. a
qaal vendemos a-2,eoo rs. a garrafa e 18^
a duzia. t
Ararota verdadeira a 4oors. a-libra.
Pbnenta, cOMlobO,ttro, eawla. ervadace,alfazema,4*joHo paraI^Blpar,facas pa-
litos paradentes, palitos de fogo, e ontros muitos gneros que se tornara enfadftnho
mencionar, afiancaado craeeridade aos precos e-o bom acondicionamento de qualquer
gen ro.

Machkas de desearo^ar alf od^o.
R0H4NCXSBAR4T0S
Vendenr-se, na rivraria da praea da 'Inde-
pendencia n. 8, a 400 ts. o volme, os ro-
mances portuguezesseguintes, em brochara:
A voz do sangue, 2 volumes.
Conneaara, 2 ditos.
A noite de S. Sflvestre, 1 dito.
OfilhodeTitiano, 1 dito.
AdOMsou o bom negro, 1 dito. *
As du^s amadas, 1 dito.
O pacbi.de Bada, i dito.
Tritor, 1 dtto.
Ignez de la Sierra, 1 dtto.
Joven Siberiana, 1 dito.
.
Veo>wa|-f;roMo: a tnwr'oa rua dre da-Deas n. 3.
Tesooraspat tBCPe8par
Vendera-se tosonras para encrespar babados
de daas, tres, qua tro e cinco peroas : na rua do
QOerttido, -a'rtf'd '4 IrrrSo
ti ri ~ rny \
IO^
Na fabrica se faze/n obra&nosas i eacommenda 3 concertos, com a maior preste-
za c solidez. O grande deposito de pecas e objectos habilitam-na muito para este ftm.
O proprietario ser wmpre mui feliz, de poder tur occaato de dar iafiorttaces ou I B
esclarecimentos aos senhores qoe -se servirem de seu pi estimo, I d iMitria a*4, teja de eotalhador qne se dir
D. W*. Bowoiw, BfMiwro. tauaitaa pawradar.
Vender soperiorqraeijo do erto.: Da rua da
Uadwdto ee#, pameni Jobio igre).
Vende-se ama loja de mtadezas com poacos
fandos era roa de egeelo per pre^o ano em
oobO ; Maww ftm twrte^e wn boMMi de
Earelio
em saceos grandes a 4<5600: dos armazens
de Tasso trmos.
f3 amepicatta
Esta preetosa fete, cojas proprteifades med-
cimes a Hlnffensa erfrora tanto tem exiliado para
a cara-atsiitotesrras Dff-peKe, reeOrameBda-s tam-
betti come- alimento sadio e DtttTitWo pata as cri-
anzas, prestando se a varrados prefars culiQhrios.
A feral aeeiW^ioiae eHa tem obttdo por toda a
parte o sea maior elogio : vende se nuicamente
ai raaJg Pata ts barres iwscrrados.
A afta* btioea est teaoo por bsratissrmos
os o^eWos sef futes, que ser-
WWrm f*rt6 ws bailes mis-
venrjH Nique'i
carados, u
Melas dteda a ift-o par.
Eofeites dthwa i*, U e 3^ cada um.
Fitas Uvrada de 320 a i* a vara.
Ciatos MM WtatanHas eabMtt.
Novidades do Vigilante
RUA DO CRESPO N. 7.
Este estabelecimento apezar de sempre
se achar bem sortido oomo todos sabem,
hoje mais que nunca, n3o s pelo que rece-
be de saa prbpri conta, mas tambem pelo
que recebe de consignacSes; parece sem
duvida que.deve offerecer grandes vanta-
gens para o respeitavel publico tanto em
precos como na escolha dos objectos, e co-
mo acaba de chegar grande remessa pelo
vapor Douro e o navio Solferino de
diversos objectos de gosto e proprios do
tempo dos qoaes se mencionarao alguns,
por nao ser possivel mencionar todos. O
dono deste estabetecrmeoto espera a pro-
teceo de todos.
Riqoissimas caixinhas ornadas e com
mosica propria para um delicado-mimo.
Caixinhas de msica tanto de veio como
decora*
Ricos parla joiae oeeessarios.
Riquissimos est'jos' a feitio de oto bOsi-
nho ou chapeuzinho.
Ditos em easca de noz ede*taitros ^WStos.
Leques de madeperola de sndalo e de
faia e madeira.
Chaposinbs e touquinhas de muito
gosto para crian cas.
Meias e sapatinbos de seda para as mes-
mas. ^
Meias de seda para senhoras.
Capellas e grinaldas de flores proprias
para casamento.
Enfeites e capellas d muito gosto para
senhora.
Riquissimos porta boquets.
Boquet de flores com orna borrachinha
com cheiro.
Luvas verdadeiras de Jovin.
Ditas de seda ede Escocia.
Riqoissimas piatas 'fe gdtrncSes para
enfeitar chapeos.
Con tas e tubos de ac branco, que ha
muito se desejavapara enfeites.
Brincos, fivellas e cruzes de crystal.
Fivellas e cruzes de tartaruga, madripe-
rola e dourados.
Alfinetes para grvalas.
Botoes com croas para punhos.
Gravatinhas e mantinhas de muito gosto,
tanto para homem como pira seraon.
Riquissimos aderegos pVttos, assim como
caixinhas ctmfinetespritos
Bengallas de carina comxabo de raarfim.
Ditas de baleia, borracha e de outras
muitas qualidades, assimomo c^ic#n1K)9.
Riquissimos pnles dbiartardg do ulti-
mo gosto; assim como de arregago para
menina,ipois neste artigo ha um completo
sortimento de todas as qualidades,
Diademas para cabeca do ultimo gosto.
Riqusimas fitas lavradas e liras.
MACHINAS DE PATENTE
DE TRABALrrAR BfAO Pj\RA DESCA-
RhJCaR ALGOMO
WB RfCAVO POR
PEJUH'BEOHEBS&C.
OLBAM.
Estas machi-
nas podem des-
carocar qaal-
^uer especie de
algodo sem
estragar o fio,
sendo bastante
duas pessoas
para o traba-
Iho; pode des-
cansar urna
arroba de al-
godo em ca-
roco em 40
minutos, ou
18 arrobas por dia ou cinco- arrobas de al
godo limpo.
Assim como machinas para serem movi-
das por animaos,-quedeseardeam 18 arro-
bas de algodad limpo por dia; e motores
para mover urna, duas ou tres dessas ma-
chinas.
Os mesmos tem para vender um bellissi-
mo vapor que pode fazer mover Beis destas
machinas mencionadas; para o que convi-
da-se os senhores agricultores a virem ver
e examina-lo, no a mazem de algodo, ao
largo da ponte nova n. 47.
Sauuders Brothers fc C.
Recife prafa do Corpo Santo n. 11.
Os nicos agentes neste paiz.______
O easMo de Grasville.
Tradarido do franeei per A. J. C. da Cruz.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 30OOC
ua praca da Independencia, livraria ns.
6.e8..
Frameiseo Jos Germano
RUA NOVA N. 22,
acaba de receber nm lindo e magnifico sor-
timento de ocutos, lonetos, binculos, do ul-
timo emais puradoirOstafda*oropfecu-
los de alcance para observaces e para os
martimos. .... .. ., ___,..,t.
Manual do Cidado
. Vende-se p Manual do Cidado em um
Gvero Representativo a principios de
Direito Publico Constitucional Administra-
tivo e das Gentes, por Silvestre- Pinheiro
Ferreira, em 3 volumes broxorados por 3^
da obra : na livraria o. 8 da praca da
cia.
altos de Westpha-
aa rua do Trapi-
Trancas pretas coto vidrilho e de cori
Pulsiras tanto para senhora como gara
meninas.
Suspensorios de sedaede alsodo emui-
uspensorios de seda e de algo
tos outros objectos tp se nao podem an-
nunciar por nlo se torear eohdohho.
MWtolto^ifcWmfr^^rtSpott. 7.
Roupas feitas de todas as^aaMades
Vende-se rotfpt feita, setWo cdWte cores e
pardo a if, ditas de brim branco de linbo a 34500
e 4fi. calca6 (je casernira prela a 54, 65 e 84, di-
tas de core?, fel casernira, a 34 de faswfjiraa W, 74 e 84, paletots de brim de
conaa.24, ?4pO a 34,, ditos de, bfteJraaco a
a SD0, ditos de alpaca preta a 35 i
i *"*.?, 7
estolas Tra1
pilos de cores a 25 e 25600,
nbo de pregas largas a
roa da Icpeafrlrt Jola
Loras ie
Cbegaram paraie]Vde miodeU
Queimado n. 16.
aa roa do
ro
INCORRETA]
! i i 11 M
A
1;





k

-
-
ENCICLOPDICA
*Rmada Baperatrlz arnaiev
da porta Jar *t.
JumiQ a padaria fradceza de
Paredes Parto.
Mes estabeteeirnento encontrara o respeitavel
publico nm variado sortimento de (arnelas franca-
tu, inglesas, suissas e allemes, que se vendeao
por preco cotnjeodo.
Par de Porto
Vende chales de renda de cores qoe se vende-
rn :i 18} est vendende por 6*, ditos pretos, fa-
zendi, nova, 5*. 64, 8* a 20*, nm sortimento com-
pleto de manteletes, capas e.soulambajioues 14* a
28*. lina da Imperatriz n. 43, junto a padaria frao-
ceta, armaiem da parta larga.
Pare** Porto
Receben na ceaaptoto sorttawnto de llasinbas a
240, e 280 rs. covados, p*M acabar, cambraias de
cor a 240 rs. o covado, riscado escosiez para ron-
pa de menino, fustSo de linho a 420, 400 e SOO rs.
Roa da Imperatrix ik WJoito a padaria franceza,
armaiem da porta larga.
Paredes Porto
Receben para cortinados para eama francea a
ti* a peca cambraia lis* fina a 3* at 102 a
peca, cortes de tariattaade boetusgos|os a 3*500
e 4*, cambraia cora Or de seda, gostos ioteira-
mente novos a 100 e 800 rs. o covado, no armaiem
da porta larga n. 32, roa da Imperatriz junto a pa-
daria francea.
Paredes Parto
Recebeu pelo ultimo paquete um sortimento de
cruzes rom pedras para o pescoco. benitos caxinels
de lia para pescoceo da sea bora. Roa do Impera tria
n. 52, armazem da porta larga.
Parolo Porto
Vende cortes de gorgurSo preto para vestido com
21 eovados cada um 35*000, grosdenaple preto a
14600,14800 e 24 o covado, lias lizas finas a 400
rs. o covado, lias de quadriaso para vestido, enfes
tada, a 320 rs. o covado. Roa da Imperatriz n. 52,
armazem da porta larga.
Reupa feita
Roa da Imperatriz n. 52 armazem da porta lar
ga jacto a padarfa franceza, eacontra-se neste es
tablesimento nm completo sortimento de paletos
saceos e sobrecasacot, de todas as qualidades, cal-
cas, cohetes, ceroolu, camisas, grvalas, meias,
chapjs de sol, ditos franceses para cabeca, por
preco com modos, roopa para menino e ontras
moitas fazeodas por preces com modos, armazem
da porta larga.
No mesmo estabeleeiaento encontrar o respe!
tavel publico, sempre um completo sortimento de
roupas fetas de todas as qualidades, como sejam
paletos de alpaca preta e de cor, ditos aobrecasa-
cos a 14 e 34, ditos de brlm pardo a 24800, 34 e
34500, ditos finos a 44, ditos meias cazemira a
34500, 44 e 5*. ditos easetni rae* ecos a 64, 74,84
e 104, ditos sobrecasacos a 10 e 124, ditos de pan-
no saceos a 64, 84 e 104, ditos sobrecasacos a 124
e 234, ditos de merino preto a 64, 74 e 104, cai-
cas de brim de diversas qualidades a 1 5800 a 44,
ditos brancos a 24500 6408; ditos catemira 54,
64 e 74, ditos pretos a 54, 64, 84 e 104, ditos
meias caiemkas a>3*-e-4*, eotetes de diversas
qualidades, seroulas francezas de algodao, ditas de
linbo, ditas de bramante a 24 e 24300, carnizas de
algodao de linho francezas de 2*500 e 34- Gran-
de pee hincha neste genero, grvalas de todas as
qualidades e brancas para casamento, grande sor-
'lmenlo de meias para senhora?, ditas para nomens
a 34, superiores a 34500 e 44-
Um completo sortimento de ebapos de sol de
alpaca a 34, ditos de seda a 54, 74, 1*4 e 144,
ditos francezes para cabpca, grande sortimento
a 6*.
Feckincha adra ira ve!.
Grande sortimento de chambres a 44600 e 59,
enees de cambraia para bomem a 24 a duzia, di-
tos de linbo a 44 e 5*.
Grande sortimento de ronpa para meninos e on-
tras muitas qualidades.que seria enfadonbo men-
ciona-las.
Paredes Porto
Recobeu pelo ultimo paquete franco ricas lias
granadinas coro flores de seda a 400 e 300 rs.
covado. eslao acabando-se, cambraia preta para
luto. ?orta larga junto a padarla franceza, a roa
da Imperatriz o. 52.
Paredes Porto
Receben pelo ultimo paquete espartilhos a pre-
geos o por 3JS, sio dobs, lencos d seda para se-
nbora e bomem a I, ricos cortes de cambraia
bordados de 18$ a 7, por ter um toque de mofo,
estao se acabando, na ra da Imperatriz n. 52, jun-
to a padarla franceza.
Paredes Porto
Vende nm completo sortimento de fazendas
brancas, como sejam madafolo a 44500, 54, 64 e
109, pecas de algodao por barato preco, edita fran-
ceza a 240, 280, 320, 360 rs. o covado, precalias
maito finas a 360, 400 re. o covado, chita ingleza
a 200 e. 240 rs. o covado. Ra da Imperatriz n.
52, junto a padaria franceza.
Fazendas.
Vende-se superior merino preto proorio para ca-
pas do senhora e vestidos a 24, lustrkn da China
a 14800 o covado. Ra da Imperatriz, porta larga.
Paredes Porto.
Vende em sea estabelecimento tiras e ntremelos
bordados, grande sortimento de corplnhos rica-
mente bordados a 34, 44 e 54. 86 Paredes Por-
to, ra, da Imperatriz no 52; porta larga junto a
padaria franceza.
FABRHCA A VAPOR
99 RA DO MONDEGO 99
Deposito na ra Xora n. 5 IoJa de rclojoeiro.
Delouche donos deste estabelecimento parteepa ao rctpeitavel publico que sua fa-
brica est muntaa com as melLores machinas que- existem ni Europa, e que pode
fabricarcom raelbor perfeicao possivel. Todo o chocolate desta fabrica est garantido, e
puro, o que nao se pode encontrar naquelle.que vem de fra, e que se vende por prego
baixo, visto os productos serem do paiz. Na etiqueta tea sempre urna aguia.
PRECO.
Meia libra......... 400
Urna libra......... 800
Urna arroba........19)5000 ,
Na mesma fabrica acaba de se montar urna oficina com serrara a vapor para-
obras ciemarcineiria propria para ediiicio, para o que encarreg.i-se de fazer portas, jar
dellas, assoalhos (parqu francez como se usa na Europa,) earmacoes, ludo com brevi-
nade perfeicao. Tomarse qualqoer encommenda para fra da cidade, entregando-se
prompta i collar-se no lugar.
DE
COELH0 fc FltEITA
lina da Cruz
16.
Capachos iu$l*es.
VeadOBfeseua ra do Queimado lo]a da aguia
61*11 Mi D. 9a
Baleias para vestidos.
Vendem-se na loja da agnla brancal roa do
-(jaezando n. 8.
ptala iagleza e franceza.
Veadem.se na roa do Queimado loja a agola
ranea n. 8. 77
Papel mata mosca.
Na ra do Queimado n. 8 loja da agola branca
continua a veuder-se papel para matar mosca e
cusa 40 r. cada fclha.
' Benitas ceattBhas para meninas.
Vendem-se na roa de Queimado loja -da- aguia
branca n,8.
Agulbas para machinas.
Vendem-se na loja da aguia branca a roa do
Queimado n. 8. ,
Pastilhas femantes e ebeirosas.
Vendem-se na loja da agolo branca n. 8, a rea
do Queimado, sendo ellas em caliinhas de pape-
lao e de porcelana.
Bollas .de ail fino para engommados.
Vendem-se na ra do Queimado loja da aguia
branca n. 8.
Bonitas caixiohas
com perfumaras e cutras com necessarios para
costura, sendo estas cobo msica e sera ella : ven-
dem-se na loja da aguia branca ra do Queimado
D. 8.
Colla branca para vidros e niadeiras.
Na ra do Queimado leja da aguia branca n. 8,
vendem-se frasqulnhos com colla branca para sol-
dar vidros e porcelanas, e outros com dita para
obras de madeira, custa 360 rs. cada um delle, o
por esMcommodMada de pre^o coakwo cmpra-
los para estar prevenido.
Papel greve pautado com 33 linbas. .
A aguia brapca. acaba de receber novo sorti-
mento de papel greve liso e pautado com 33 linbas
assim come de peso tarobt-re liso e pastado, dito
pequeo, em catalanas aemto liso, pautado, beire
doarada e sem o ser. Tambero recebeu grande
sortimento do eoyelopes, e ludo se vende por pre-
gos coromodos : na ra do Queimado loja da aguia
branea n. 8.
Papel paquete branco pautado.
Vende-se na raado Queimado n. 8, loja da aguia
branca.
Artificiaei.
Ramos de trigo com diversas cores mu i proprios
para enfeites de gorros e chapeos de senboras e
meninas, acham-se a vendo no rea do Queimado
loja da aguia.branea t, 8.
Bauhas e e&traettis finos
A guia branca receben um expeliente sorti-
mento de perfumarlas finas, sendo bonitos frascos
de cores com extractos finos o de agradaveis chei-
res ; assimeomo bellos -vasos de poreelana doura-
da com banba de superior (ualidade, teodo neste
AGUIA BRANCA
Ba do Queimado n. 8.
holno 110I0708 1 "-.D|iiwi i""i lotmu ud> i piiutojjnor nygienwos ou oe seguranea, loruava-B
Dios ingicEcs, ajgons comiBscrlpoes-apropriadas para presan- pouce o panel que vem em ditas calxinoas, e para
as memores COndieoes (te, etc., etc. : quem se dirigir a ra do Queimado! remediar essa falta a aguia branca mandou vir e1
em COnsequencia dlo^ da^agoia branca, achara a certeza dtuo, acaba de receber esse especial papel, c qoal se
ContiQua-a haver diariamente um sortimento de pastis, podras,
empadas etc., etc. Os donos deste estabelecimento, acbam-se
de poder satisfazer encoauuendas concernentes sua arte,
Freitas ter sido administrador chefe de algutnas das princijaes fabricas'na corte, sendo
urna a do'Sr: Jo5o Goncarres GuimarSes (confeitaria de Le3o) antig^clsa de Carceller.
Todos os trabalbos s5o differentes dos que se fazem em casas particulares.
Os proprietarios deste estabelecimento nao se tem poupado a despezas, nem se
poupar3o, se botrver concorrencia como esperam ; lendo continuadamente bom sorti-
mento de doces para cha; presuntos e ditos em fiambre,.tambem.se recebem para se-
rem preparados; assim como doce de caj1 novo superior, secco e crystalisado, dito em
calda em latas hermticamente fechadas, podendo durar annos em pereito estado.
Para jantares e partidas recebem-se encommendas dos seguintes objeclos; baa-
deijas ricamente enfeitadas sem armagq pecas de amendoas (nogaces), ditas de tmaras
de ovos, paes de l enfeiLados com disticos anlogos a qualquerfim; ditos montados,
kechs simples e eBfeitados com fructas ingleza; gatheaux de la reine, ditos de le d-
chese, lortas de fructa, massa folhada; ditas de peixe e carne: cremas e doces de ovos caoAgua de Hoiidepara fazer os cabellos pre
de differentes especies. ,0?'(,nem ^e"a Prec,sar ve dtrigir-se a dita loja:
Tambem temumcompleto sortimento devinhosengarrafados, como sejam: vinho
do Porto superior, Figueira, Madeira, Lisboa, Cherez, Bordeaux, Champagne fino, ser-
veja, licores, charopes e.conservas. Para festas: bonitas caixinbas com amendoas, con-
feitos e mais enfeites. Muilos destes objectos mencionados pedem-se' perfeitamente ac-
condicionar tanto-para'y provisciaj como para fra.
A loja da aguia branca acaba do receber nm
novo e grande sortiroento de differentes objectos
agosto e ultima moda, sendo :
Bonitos enfeites para senboras gostos inteira-
mente novos.
Ditos ditos de grade com contas grandes.
Lindas Bvelas grandes para cintos com moldes
agradaveis e diversas qualidades, madroperoia,
tartaruga, ac e douradas.
Boas e bonitas Utas acbamalotadas para ditas.
Ditos de dita de grosdenaples lisas e lavradas
too naves e agradaveis desenhos.
Trancas pretas de seda com vldrllnos moldes
novos e de gosto.
Bicos brancos e pretos de seda com vidrilhos e
de differentes larguras e bonitos desenbos.
Cascarrilbai de seda com diversas cores e lar-
guras, formas idteirameote novas a imitac.no de
palo, babadinho e outra com urna transinba no
centro oque Ibes da multa graca.
Outras estrei-as e largas guarnecidas de Licu
de seda obra de muito gosto.
ulras de cambraia de cores.
Botdes de seda, velludo e acc para enfeites de
vestidos.
Traqpas de seda estreitas e largas brancas e de
cores para enfeites de vestidos.
Flores finas
CAPELLAS PARA MENINAS E NOIVaS.
A aguia branca a ra do Queimado 0. 8, rece-
boa para vender :
Delicadas apellas brancas para noivas.
Ditas ditas para meninas.
Ditas ditas de caixos de flor de laranja.
Dita ditas de rosas camelias e ontras.
Ditas ditas ou ramos de trigo. '
Diversos ramos do flores Anas para peito de
vestidos, enfeites de chapeos etc., etc.
Pveparo.pa0a flores.
Na ra do Queimado n. 8, loja da aguia bran-
ca vende-se:
Papel de cores para rosas.
Dito verde para fui ha?.
Dito dito e pardo para eobrir os ules das ditas.
Musgo em rama.
Polbas para rosas.
Agulhas e linhas para croehet.
Vendem-se na roa do Queimado n. 8 loja da
aguia branca, assim como agulbas para tranaibar-
seemla.
Papel de sobrecellente para os
phasphoros hygienieos ou de
seguranea.
Jk vista do grande tamanbo das caiiinhas dos
pbosphera hygienieos ou de seguranea, tornava-se
e boa-drsposieo para vender a dinnotre por pre-
gos eommodos.
A PBOYEl'lOSAS AGLAS
balsmica, deotlficia e ambreada, acbam-se ven-
da na ra do Queimado, loja d'aguia branca nu-
mero 8.________________________________ '
Latas e barrisiiuuas aoiu grava
econmico.
Vendem-se por presos rasoaveis : na ruado
Qaeimado loja de miudezas a. 16.
Agua de lio ilde para fazer os ca-
bellos pretos.
Na loja da lindezas a rna do Queimado n. 16,
vendem se caixinhas com essa excellente prepara-
DE
25 RA NOVA N. 25
Este estabelecimento acaba de receber um rico sortimento de pianos fortes ex-
pressament fabricados para o clima deste paiz, dos mais afamados fabricantes da Euro-
pa, por isso o proprietario convida ao respeitavel publico para virem apreciar as qua-
lidades dos referidos piaijos.
Continua-se sempre com esmero e promptidao fazer-se qaalquer reparo nos ditos
instrumentos. Aflnam-se os pianos debaixo do melhor systhema ltimamente adoptado
na Europa.
j-

1
-j im cj ai
o crP a o g. m

opoo--0 50 55>l>-nsw'^3
"r>stiHltME8
c 1 S o.
S* o.

- ,
ca
S.o

u
en
O
o-gg Z.
i o 2 e
-i
o
a
2
o -J
Si u c
o y
3s?
apS.
-1
3
1
3
%
>
a
do

Tasso Innaos
Vciiem no sen armazem fa
Amorim i. 35,
Licor fino Caracto em botijas e meias botijas.
Licores finos sortidos era garrafas com rolbas do
vidro e em lindos frascos.
VinhosLberes.
Santernes.
Cbambertin.
Hermitage.
Borgonbe.
Champagne,
Muscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Too.
*Aezei lagniol.
Phoiipharos do gaz a *$*>
groza.
Cbegaram os bem conhecidos palitos do gaz e
vende-se por preco eemtBcdo : ta roa da Cadeia
do Recife o. 56 A, loja das machinas.
Palitos fle fogo a 1^500 a
groza.
Chefjram ps exceTientes palitos de fego e ven-
de-se pifo turafoprofo do J0OO o groza: na roa
d CajJdia do Recife u. 56 A, loja das machinas.
Fazendas, pbantasia para vestidos chegodos de Pars pelo ultimo vapor.
Lindos robes de organdys cesarianas fazenda transparente de intelro gosto.
Ditos de percelia campestre padroes muito ricos.
Hiquissimas grinadmes de seda o qe tem vindo de melbor gosto nesie mercado.
Lindos cortes de sallan pekln para vestido fazenda inteiramente nova.
Ditos e gaze setim em peca fazenda transparente e de gosto muito modernos.
Lindos chales de gren<>dim broch, primeira vez aqui apparecidos.
Reos bournus de crep guarnecidas de tranca n.nio proprios psra passeios.
Riquissimas Dvelas para sinto, de metal, de crystal com ago e com podras tinas, i
que ha de mais novo.
E outras muitas fazendas'de Inteira gosto.
Ra do Crespo n. 13.
Loja das columnas de Antonio Crrela de Vaseoneeilos
$: Campanhia.
na ra do Queimado n. 16.
i'astilhas odtirificas para perfumar sa-
las, gabinetes, etc.. etc.
Na loja de miuoazas a ra do Queimado n. 16,
vendem se caixinhas com essas odorficas pastilhas
fumantes.
Papel de peso e almaco, liso e paulad.
A loja de miodezas a roa do Queimado n. 16,
acha-se bem provida de papel de diversas quali-
dades, sendo almaco greve liso a pautado, com 33
linbas, dito de peso tambem liso e pautado, dito
pequeo em caixinhas igualmente liso e pautado,
com beira dourada e sem o ser, assim cerno enve-
lops orandes e pequeos, os pretenderles dirijam-
se a dita loja na ra do Queimado n. 16, que serio
bem servidos.
Mesma depois da fesla gssta-se pe fu-
maria fina
A antga loja de miodezas a roa do Queimado n.
J6, acaba de receber um bello, sortimento de per-
fumarias finas, sendo banba fina, em diversos e de-
licados vates de porcelana, douradas com significa-
tivas inscrip(oes e sem ellas ; assim como bonitos
Irascos de phantasia com excellentes extractos de
nos e escolhidos cheiros, e bem come uperior
agua da Colonia em garrafas e frascos de diversos
lmannos, dita dentifrees, balsmica e de flor de
laranja, cosmetiques nos e banbas era frascos de
differentes moldes. Vende se tudo por precos eom-
modos a vista da superiorreade das qualidades :
na ra do Queimado, loja de miudezas n. 16.
Divenos objectos.
dar de sobrecellente a quem comprar de taes
phosphoros e se vender indistinctamente a quem
delle precisar. O precede cada caixinba de phos-
phoro continua a ser 160 rs., e vendem-se na ra
do Queimado n. 8, loja da aguia branca.
Seda froucha. para bordar.
Vende-se na ra do Queimads loja da aguia
branca n. 8.
Obras de crystal.
Brincos de diversos moldes.
Ootros tambem de crystal de cores.
Outros de aljofares brancos e ontras cores.
Aderecosde crystal obra de gosto.
Rosetas de dito e cruzes.
Botos de dito, brancos e de cores para collete.
Dito de dito tambem brancos e de cores para
punbos.
Voltas de dito e outras qualidades.
Leques de diversas qualidades
Vendem-se na ra do Queimado n. 8, loja da
aguia branca.
Aspas fortes para baldo
Vendem-se na ra do Queimado loja da aguia
branea n. 8.
Cromacome para Ungir ca
bellos.
A aguia branca.avlsa aos constantes fregaezes
des
ber urna nova remessa de cromacome, colorieome
e sabao branco, necessario para lavar os cabellos,
portanto podem drigir-se a dita toja na roa do
Queimado n. 8.
A bridores de lunas.
Vendem-se na ra do Lueimado loja da aguia
branca n. 8.
Port bouquets
de bonitos moldes, donrados e cabo de madrepero-
la : acbam-se a vetada na ra do Queimado loja
da aguia branca n. 8.
Balitas ion(jitiBlias
de fil de linbo, cambraia e setim todas mu bem
enfeitadas: vendem-se na ra do Queimado n. 8,
loja da aguia branca.
(jarretis com retroz.
Na ra no Queimado n. 8, loja da agola branca
J.
DE
ViGNES.
N. 55. RA 1H IHli:IIADOR M. 55.
Os pianos desta antga fabrica sao hoje asss conhecidos para que soja necessario insistir sobre a
rae oterwridade, vantugeas e garantas qne offerecera aos compradores, qualidades estas iocontesta-
eis qu selles tero definitivamente eonqawudo sobre todos os que tem apparecide nesta praca i pos-
oiado *m teclado m machioismo que bedeeem todas as vontades e caprichos das pianistas, sem
Qunca ralbar, por seren fabricados de proposito, o ter-se feito ulOnrameate tterhoratnentos importan-
tissimoj pera o clima deste paiz ; quanto s tozes, sao melodiosas e amadas, e por isso nmHo agrada-
reis aos owridos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na de Sr. Blondel, de Pars, socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital oram sempre premiados em tedas as exposigSes.
No mesmo estabelecimento se acnar sempre um expteadldo e variado sortimento de msicas dos
aaloffooo Marapa, asm eomo armnicos o unos noroMoicos, sendo todo venda* per
precos eommodos e razoxvets.
i i i i iiiiii iiim Jmtt^m^^m^^mm i i -------.---------_--------------_---------------
Layas de Jouvin.
A loja de miudezas na ra do Queima-
do n. 16, reseben-as por este ultimo vapor,
Bren em barricas pequea*.
Cera em velas de todos os tamaahos.
Bogias.
Mercurio.
Na ma do vigarto n. 19, primelro andar.
Na ra do Imperador n. M tem superiores
avariado.
Francez barrica
Portland dem
Em perfeito estado:
Francez barrica
Portland dem
0*000
8*500
10*000
11*000
No armazem de Tasso Irmos caes do]Apoik>.
Sbo^ Boa occasio para um prin-
cipiante.
ro viajado, ignal ao de"Lisboa, e para gosto de al
gacs, melhor, por nio ferlr, etc. ^^__
Vende-se
Vende-se nma loja de miodezas com poucos fun-
des, muito em coma, em bom logar e bem acredi-
tada : guara pretender dirija-se a ra Augusta,
taberna n. 1, que se dir quem tem para vender.
Na mesma taberna se dir qnem tem para vender
orna mobllia completa de maretlo eoAno iha.
o grande armazem da rna de Apollo oev 38 e 40,
proprlo para neo armazem de aeseear ou prensa
de algodao ero ponto granee por tur seis portas de
frente eom mais de 67 palmos de largura e 300 e
js de com ato.todo coterto e *r*m Fazendas para a quaresma.
No armaiem Ja porta larga, roa da Imperatriz,
Sjsdenapta preto a 1*400, 1*600, 1*800, 2*
oOO, moreantiqoe preto de diversas qualidades,
os mais ricos chales do renda pretos, ojotoodass
commoita roda, fazenda da nMima loal W mer
cado : do armazem da porta torga a. -I I, na ra
4a Imperatriz._____ -^
das, e para commodldade do compradores
lteom- praso do ioat annos oa o que se conven-
clonar, ama vez que aeja com seguranea, e pagan-
do4Wpila demora um mdico joro: as pessoas a
quem cmvler esta compra podero entender-se
com AtKonio Alves Barbosa, na ra dos Ornara-
Pf 11___________________;___^_---------
Vndelo a posse 4o terrem de arlaba n.
tW A, sito na rna Imperial: a tratar eom eao
Querino de Agollar &&, ero u tacriolsro, rna
oa Cadeia n. 62, andar.
Vendem-se na loja de nriadesas
a rna do luelmad n. 16.
Bonitos lefoes de sndalo e ontras qualidades.
Bonitos ciatos com fivedas de diversas qualida-
des e moldes.
Brincos e cruzes de crystal.
Abotoaduras de dito para colotes.
Bonitos port-relogios.
Delicadas caitas com monea e sem ella, para
costura.
Agulbas e linhas para cbrocbel.
Retroz superior em carriteis.
Rendas pretas e bicos com vidrilhos.
Fitas de velludo com listras do cores para en-
feites de gorros vestidos.
Ditas de grosdenapoles, lisas e lavradas, brancas
e matisadas._____________________________
No armazem de tazendas
baratas de Santos Ooelfeo
Rna do Queimado n. IB.
Vende-se o segninte :
Cobertas de chita da India a 3*400.
Lencoes de panno de linho a 2*200.
Ditos de bramante de linho de um s panno a
3*200.
Lencos de cassa brancos proprios para algibeira
a 25OOQ a duzia.
Algodao entestado com 7 i|2 palmos de largan
a 1*200 a vara.
Ainoalhado de linho a 2*800 a vara,
Dito de algodSo a 2* a vara.
Oaardanapos de linho a 3*690 a duzia.
Pecas de cambraia de salpicos a 4*600.
Laazinha aberta de cores a 320 o covado.
Cambraia branca de forro a 3* a peca.
Fil de linbo liso fino a 800 rs. a vara.
Dito de dito com salpicos a 1* a vara.
Panno de Hnho fino com D lr2 palmes de larga-
ra pelo barato preco da 2*400 a vara,
Madapoloes tinos a 8*, 9*, 10*. 11* e 12*.
Cambraia lisa de 4*500, o*, 6*, 7* e8* a peca.
Pecas de bretanha de algodao com 10 varas,
prepria para sala, polo baraUssimo preco de
3*600.
Laazinha lisa de cores a 500 rs. o covado.
Cambraias finas de cores mtodinhas a 360 rs. o
covado.
Esteira da India propria para forro de sala de
4,5 e 6 palmes de largura, per menos prego do
que em outra qnalquer parte.
Neste armazem tambem se encentra um grande
sortimento de ronpa feita e por medida.
PARA A OIARESMA
PECHINCHA aDMRAVEL.
Grosdenaple preto a 1 1600
Vende-se soperior grosdenaple preto, fazenda
muito encorpada, pelo baratissimo preco de 1*600
o covado, sendo fazenda que val muito mais di-
nheiro : na loja e armazem do Pavo na roa da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
MANTAS RABA O PESCOCO
a 1*, s o Pavo.
Vendem-se bonitas mantas para o p?scoco, pelo
barato preco de 1* : na loja do Pavo na roa da
Imperatriz n. 6C, de Gama & Silva.
. Vende-se nm eavallo sellada
anda bem baixo a meio : a tratar
res. loja de sirgneiro n. 1
PechiDcha
Na roa do Queimado b. 40
Cortes de laazinha de cor, bonitos gostos, com
15 covados a 3*600.
Cassas organdys de cores, covado a 140, pecas
de algodaozlnho largo com 17 varas a 4*.
Dius.de dito com 17 varas, muito encorpado,
com pequeo defelto, a 4*500.
Grosdenaple preto muito superior, covado 2J.
Dito dito a 1J600.
Retondas de renda preta a 10*.
Chalos de ronda preto a 8*.
Ceneja gelada
Ha diariamente a venda por preco coromodo ;
Do armazem da Liga, ra Nova n. 60.
SGrande armazem de tin-
tas medicamentos etc. j
Ba do Imperador d. 22.
Jdoao Pedro das Heves (ge-
rente) tem a venda o
segninte:
Productos caimicos e pharmah
ceutices os mais empregados em
medicina.
TiBtas para todo o genero de pin-
tura e para tinturara.
Productos industriaos e tintas
para flores, como botes de flores
e modelos em gesso para imitar
fructas e passaros com o compe-
tente desenbo.
Productos cbimicos e industriaes
para photograpbia, tinturara, pin-1
tura, pyrotecnia etc.
Montado em grande escala e sup- ||S
prido directamente de Pars, Lon- m
ares, Hamborgo, Anvers e Lisboa j
pode offerecer productos de plena |
confianca e satisfazer qualquer en- JR
coramenda a grosso trato e a reta-1
lho e por preco eommodo. m
'MaVaVaViaSm
Novidate d& 9*ara.
PEGtHNCKA.
Fazendas pretas para a qaaresma.
Arara vende grosdenaple preto a l#60O
Vende-se grosdenaple preto bom a 1*600,1*800
e S* o covado, dito muito largo a 2*600 o 2*800
o covado: na ra da Imperatriz loja da Arara
n. 56.
Moreantique da Arara a 2*800,
Vende-se moreantiqne preto para vestidos mui-
to bom a 2*800 e 3* o covado, alpaca preta para
paletots e vestido., a 500, 600 e 800 rs. o covado.
merino preto muito bom a 3* o corado : oa ra
da Imperatriz loja da Arara n. 56. ,
Arara vende as satas a 3$500,
Vende se salas bordadas para sehoras a 33dO
e 4*. goihnbas bordadas a '440 e 320 rs. cada
urna : na ra. da Imperatriz loja da,Arara n. 56.
ChapeosdL' sol da Arara UUQO.
Vende-se cbaposinbos de sol para. m*aino< a
1*400 cada uro. ramisinha,s para senboras a f*,
3* o 4j : s Arara ra da Imperatriz n. 56.
Arara vende os vestidos bordados a 4(5,
Vendase cortea de vestidos brancos bordados a
4*600, ditos de corea a 3, ditos bordados a 13a e
seda a 7*e 9*: na roa.da ImaeraUz n. 56.
Os baloes da Arara a 2$.
Vende-se balSes de arcos de todos os lamanhos
* 2*, 3*j 3#06 e 4, saias bordadas a 3*o00 e
4* : na ra dalmperntrisn 56, loja da Arara.
Arara, vende corles de laa a 5.
Vende-se cortes de.la novos vindos pelo ultimo
vapor cora 15 covados pelo barato proco de 5*, di-
tos com barras a 6* : oa ra daJmatratriz loja da
Arara n. 56.
Arara vende chales de 25.
Vende-se chales de merino estampados a ?*,
ditos de la a 1*600 e 1*, ditos de merino rnuilo
finos a 4* e 7* : ra da Imperatriz loja da Arara
n, 56.
Madapolao entestado da Arara a 4*.
Vende-se pecas de madapalio enfestado com 12
jardas a 4* e 1*500 dito de 24jardas a o*, 6*.
7* a 8*. dito muito fino a 9*e 10*, pecas de al-
jj*J0 a **. o*. 6* e 7*, dito muito encorpado a
7*500, 8* e 8*500 : na ra da Imperatriz loja e
armazem da Arara o. 56.
Panno pra j da loja da Arara a 2$.
Vende-se panno preto.pata cal^a e paletot a..2*,
2*500, 3*, 4* e 5* o covado : na ra da Impera-
triz loja da Arara n. 56.
Arara vende cortes de cotim para calca a
imo rs.
Vende-se corles de cotim para caiga a 1*280,
ditos de brim de cores a 1*400, corles de ganga
para calca a 1*600 : na ra da Imperatriz loia da
Arara n. 56.
Cortes de casemira preti da Arara a 3500.
Vende-se_cortes de casemira preta para caiga a
3*500, 4*, 5* e 6*, ditos de cores de nieia case-
mira a 2*500, 3* e 3*500: na rna da Imperatriz
loja da Arara n. 56.
Arara vende,os chales Yende-se chales de fil de iiuho a 8* e 10*. di-
tos de seda a 16* e 20*. retondas de pello de li-
nbo a 109 e 12* : na roa da Imperatriz leja da
Arara n. 56.
Vestidos a Mara Pia da Arara a U)-i.
Vende-se cortes de lia a Maria Pia a 10*, 12*,
16* e 20*, ditos muito finos com camisinba, sinto
e livela a 25* t 28* : s a Arara vende por este
preco na ra da Imperatriz n. 56.
Araaa vende as laazinhas a 240 rs.
Vende-se laaiiDlias para vestidos de senbora a
240, 280, 400, 320 e 500 rs. o covado, chitas para
cobertas a 280, 320 e 470 rs. o covado : na ra da
Imperatriz loja da Arara n. 56.
Cortes de chita da Arara a-.2*.
Vende-se cortes de chita do cores fixas a 2*, di-
tas francezas a 2*800, cortes de cambraia france-
za a 2*800 : na ra da Imperatriz loja da A: ara
n. 56.
Arara vende organdys a 280 ra.
Vende-se orpandvs para vestido de senbora a
280,320 e 400 o covado, tilo de linho de cores
para vestidos a 160 o covado : oa ra da Impera-
triz loja da Arara o. 56.
As chitas da Arara a 200 rs.
Vende-se chitas de cores flxas a 200 e 240 o co-
vado, ditas francezas largas a 280, 320, 360 e 400
o covado, riscados francezes para vestidos a 240 o
covado, bretanha de rolo a 3* a peca : na ra da
Imperatriz loja da Arara n. 56.
Arara vende roupa feita.
Vende-so roupas feitas de todas as qualidades a
saber : calcas de brlm de cores e de ganga a 2*
e 2*500, paletots de brim para andar por rasa a
2* e 3*, camisas francezas a 2*, ditas de linho de
pregas largas a 3* e outras muitas qualidades que
se vende mais barate bue em outra qualquer par-
(e : s na Arara ra da Imperatriz n. 56._______
Novidades do Pavfto-
OU PECHINCHA ADMIRAVEL.
Kscossezas a 3*200
Cegaram .os mais lindos cortes de escossezas,
proprios para vestidos, sendo fazenda inteiramente
nova no mercado; e vende se a 3*200 o corte ou
260 rs. o covado na loja e armazem do Pavo, roa
da Imperatriz, n. 60, de Gama & Silva]
Cassas francezas a 2-u rs. o covado.
Vendem-se bonitas cassas francezas de cores fi-
zas pelo baratissimo prego de 240 o covado.
Ditas a 280, 320 e 360.
S na loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Coilas averiadas.
Vendem-se fmissimas cbltas francezas, com pe-
queo toque de avaria, pelo baratissimo prego de
280 o covado.
grande pechincba.
Assim como dius lagiezao roas e claras, sem
mofo nem avaria, pelo baratissimo preco de 160 o
covado ; assim como, ditas muito boas a 200 e 240
o covado, isto na loja e armazem do Pavo, ra da
Imperatriz n. 60, de Gama di Silva.
Chapeos para meninas.
NA LOJA 00 PAVAO.
Vendem-se os mais delicados e bem enfeitados
chpeos de palha de Italia, para meninas : pe-
chincba, na loja e armazem do Pavo, ra .da Im-
peratriz n. 60.
Grosdenaple preto a i#600.
E' grande pechincba!!'"
Vende-se grosdenaple preto, sendo muito encor-
pado e de boa largura, pelo baratissimo prego de
1*600 o covado : oa roa da Imperatriz n. 60.
Rascados a 190 rs.
Vende-se riscadinbo escoro proprio para vesti-
dos ou roupas para hornero, pelo baratissimo pre*
co de 120 rs. o covado : s na 'ra da imperatru
n. 60.____________________^___________
Vende-se urna machina de trabilhar com ea-
vallo em padaria, vende-se junta com o melbor ea-
vallo que trabalha neste genero, cuja machina esta
trabalhando, e vende-se por seos donos estarem a
montar o seu estabelecimento & ser movido por va
por: .a tratar na padaria da praca da Santa Cruz
numero 6.
EscraYOs fgidos
rfr-
Vende-se
na ra do Vigario n. 19, l1
engarrafado de differebts
e ancoretas :
Vinho da Figueira em barris.
Gota em velas.
Carra* animal.
Alfazema de Lisboa.
Cal de Lisboa.
_L Vende-se m sel lim Inglez edm arrelos,
Pngio do engenho Arassugy nodia 28 de ja*
Miro o cabra Alexandre, alto, ebeio do corpo, bar-
bado, o trabalha de sapateiro. De ontras fgidas
tem sido pegado em IguaraQ, e soppo-se andar
aili, ou em Maricela. Quem pegar este escravo
devera' leval o a' rna do Apollo n. 7, ou ao enge-
nho Arassuagy, freguezla da Escad.a, que ser bem
recompensado.
Fugio no da terca-felra 30 de Janeiro prolimo
Ando, a preta crioula de.nome Marciana, de idade
36 annos, pouco mais ou menos, sendo de cor fu-
la, altura regular, levou vestido de chita escura :
quem a apprebender, coodotindo-a a oasa do abal-
lo assignado, na roa da Imperatriz n. 30, serfc
gratificado. .
Francisco Augusto de Aranjo.
"foerayo fgido.
Desapparecea do sitio Sapocaia, em Beberibe, no
dia 4 do corrate, um escravo crioolo, de nomo
andar, vinho do Porto jos,4dede da 50 annos, mais ou menas, e com os
pouco oso e por preco razoavel
tes n. 41 A.
qualidades, em arris slgpaes.seguimos: alto, grosso, ps grandes, fallae
mansas, barbado e quasi nenbum cabello preto.
qur na barba, quema cabeca; foi escravo do fi-
nado Jacintho Alfonso Botelbo, consta que tem con-
dado pelo Recife e foi visto trabalhando no servioo
da malanga, cas Cinco Pontas : rogase, portanto,
! s autoridades poltciaes, capttes de campo, on a
quem delle tiver noticia, que o approhendam e 4
eom
na roa das Crn-








1 leves, ao dito sitio Sapocaia, sua seohora a viuva
: do mesmo jacintho, que gratificar.



a
Blnrt* ato
hmtm 4art Mn ie Ferereb* ie 1866.
LIHEMTM
Fr. Brin. ()
do jornallsta era nossa trra, onde parece que s6
deve predominar os artificios da lisonja, as forran
las simuladas da hypocrisia, e os refolhos da do- J
brez: e se elle procara Imprimir era asas escrip-
los o canto da verdade ineioravel, eora vitos de
ama nova garanta de miaba lidelidade e sna fu. carcter austero e independenle, pode contar-se
completamente aturdido pelu laiqaas
Elle, insisndo, ronoroa o sea pedido, e deca-
roa me qae se coateotva cora a amUade, que en
.lie offerecia, pois qae eslava ceno de qae o amor
viria dopois : qae a minha constancia para quera
j nao uxistia, nio poda offend-lo, e antes era
Conclasio.)
Fuia j agam teropo qae Eulalia se havia cala- tar feilcidade. completamente aturdido pela ioiqo*
do, e en ainda outia os echos de sna voz anglica Res,.aei.me e sou Uoje sua mull.y : a amisade omtt
no cicio dos ramos das asores e no gorgio dos existe rom efleito, mas o amor, como eu prevlra-
pairos. nao cbogou anda, e tudo me leva a crer que nao
.(fut proferir brandaroeoU o seu nome, aflm de ehegar nunca.
atrahi-la ao sitio em que me achava, e nao o pa-
ne conseguir rsfeBtet aproximar me della, foi tam-
bera iaipo?sivel : a voz eslava preza na garauta
e os res pregados ao chao.
Ceiihecendo que ia cahlr ali mesmo, opprimido
pc-lu canuca da Jornada, pela debilidade, prove-
niente da ralla absoluta de alimeniacio, e sobre-
tudo 4>or cansa das grandes e repetidas commo-
gOes, porque desde a vespera passava, agarreime
a rvure em qae estva encostado, com um ardor
igual ao do naufrago que eocoolra ama taboa de
salvacie sobre as vagas alteradas de tormentoso
mar.
Eu Uvera urna feliz idea, e gracas essa miutia
leaibranea, evitei a queda, e era lugar taivez de
urna syocope, sent apenas urna verligem, prece-
ui Ja de um ligeiro atordoamenlo na cabera.
D'aquelle canto fcansparecia o amor de Eulalia;
mas, parecia-me ver tambera nelle sombras ne-
gras e sinistras, que Ihe davam um aspecto me-
renccrio e lgubre : nao era um idyllio,era urna
nenia.
Quando pnde continaar a andar, dirigi-me para
a casa de Vasco, e bat mansamente port prin
cipal, qoe era partida ao meio, como no campo,
em geral, sio as portas de entrada das casas ter-
reas.
Eulalia veio ver quem bata, e o que quera ;
disse-lbe, esforjanao-me por mudar a voz, qoe
por si mesma eslava visivelmeute alterada, qae
era um eonbecldo de seu pai, e que desejava fal-
lar-llw.
Mea pal est agora no servido, mas o senhor
entre e descanse um poacir, qae elle nao pode
lardar.
Eulalia nao me reconhecea imraediatamente,
por causa do cuidado que eu tivera de cobrir ama
parle do rosto com o mea chapeo de patha, qoe
era grande e desabado : entretanto, jalgoei ve-la
estremecer ao som de minba voz.
Logo que entre!, ella me fez sentar; e, como
em casa de am senhor de engenho oo pode am
pobre bomem conservar o chapeo sobre a cabera,
descobri-me, conservando todava os olhos baixos.
Ah pareen me estar vendo ainda a sua extre-
ma p&llidez e prostraco.
Ella me havia reconhecido, e tomara as suas
as miabas maos hmidas e fras, esforgando-se
por aqnece-las; mas, vendo que ea tralava de
beija-la, retirou bruscamente as saas maos, levan-
tou-st com a maior precipiuco, olbon-me com
am o'ihar desvairado, e dlsse-me com urna voz as-
pera e estridente :
Que faxes, infeliz I
Eu son urna ronlher casada I A tna noiva nao
te pertence mais, nem pertence a si mesma; jni-
goo-l morto e nao leve" coragem suficiente para
resistir s lagrimas e snpplicas de seu pai, nem
bastante constancia para goardar-te intacto o amor
que le havia dado, e a vida que Ihe salvaste, e de
qae smenie ta devias dispOr; foi fraca, nao soa-
be conservarse fiel, cedeu, e hoje a mulher de
outro hornera, ofiviste, Bruno, de ontro bomem !...
Sim, ouvi tado, Eulalia, e sei o qae me res-
ta fa;:er.
Nao pude proseguir, porque os solucos corta-
vara me a voz.
Por tim, conseguindo dominar a commocao, de
que eslava possuido, tomei o chapeo, abr a port,
e disse-lhe:
Adeus; pois, e para sempre. Entre nos esta
todo acabado, porque eu nunca pensei em fazer
descur desse ibrono de honra e pureza, em que a
colocara o meu amor, a mulher por quera e para
quera nicamente e.-timei viver.
Nao me bastava andar foragido, ter mea pai
morrido de desgosto, e haver sido a minha casa
saqueada pelo exercito imperial; ea devia tambera
assistir ao funeral de minha derradeira esperanca
de felicidade I Nao s tu, a Providencia quem
me tere 1
Assim te perde Deus, como eu te perdo de
todo meu coraco o mal que me tizeste.
Ej qoe foste o instrumento cgo, de qae con-
tra uiim serviu-se o destino atroz e ineioravel que
rae persegae, eu nanea amaldicoarei a bella rao
qae me ferio. S pois feliz, esqoece por ama vez
aquelle que nunca mais vira perturbar a tranqnil-
aade de leu espirito com a sua presenca importu-
na-; d'agora em dianteinjusnucavel.
Nao, Brono, no momento de nos separarmos
para sempre, tornoa-me ella, nao me derrames
no cirac,ao mais veneno e fl do qae o qae nelle
ja lenho.
Sou cnlpad, slm, confesso qoe nao devia con-
sentir em ser condozida ao altar, se nao por ti;
mas, se acreditei na noticia de la morle, que era
por lodos repelida, e me foi dada por mea pai, re-
sist a lado era qaanto te reputei vivo, e em quan-
V elle me oppriraio cora seos rigores, chamndo-
te rebelde e maldito.
Tea pai havia expirado, o mea nao poda sup-
portar a lerobranea, de que com a sna morte
ea (Icaria no mundo abandonada e sem preleccao
alguma. Um da apresenton-me o filbo de ora se
hor de engenho, que sellcitava a minha mi ; re-
e declarei ihe que nao poda otlerecerlhe mais do
qoe a minha amizaJe.
Coaira a minha espectativa, os nebres seotimen-
tos do moco tallarara mais alto em sea coraco do
qae o amor proprio e o resentimento.
_________:_________H________________-.----
(*) Vlde Diario de 16 do crreme mez. *-
Conl.ejo o amor que me tens, e por isso nao te
aconseho qae procures sepultar as saas cinzas na
fogueua de oatro amor.
Ninruem saber qae aqai esiiveste, e qae ea te
'allei.
Oeixa-me apenar a toa mao pela ultima vez; e
agora, Bruno, adeos adeos para sempre I...
Eul.lia cahio banhada em lagrimas sobre urna
cadelr i, e eu enterre! o chapeo sobre os olhos, e
preclpitei-me para fra d'aquella casa, qae encer-
rava em si aquella que nao devia tornar ver
corr como um louco pelo campo, sera saber
onde encontrara tanta torca, e cheguei ao Recita i
nolte.
Nao encontr na nossa llngua, nem em nenbnma
das entras de que tenho algara ligeiro conheci-
menlo, palavras que exprfraam Belmente a dor qoe
ento experimente!, o pezar profundo qae se apos-
soa do miaba alma desde aquelle momento t -..
Nc lendo onde me agualhar, deitei me em bai-
xo do arco do Senhor Bom Jess, e abi me conser-
vei al s 7 horas da manhia do dia seguinte.
Que me importava a vida, desde qae ea perder
Eulalia ?
Si rae tivessem reconhecido entilo, taivez me
boavessem eaviado para o oatro mundo, e isso
para inim teria sido ama felicidade, por qae eqai-
valeria cessago do ra solTritaento.
Nao procurei ver Vasco, por c|ue nao poda to-
lerar mais a sua presenca, desde qae convenci-me
de que fra elle que, afferrado como era s velbas
crencas, e nao podeodo por isso habitaar-se a idea
de ver sua nina casada com am rebelde, recorrer
ao Infame expediente de espalhar a noticia de mi-
nha raorle, noticia que levara mea pai i sepultura,
e Eulalia aos bracos de outro bomem I
Esmolei n'esta cidade o pao da caridade com o
rubor as faces e o desespero no coracao : n'esse
estado nao boave affroat qae ea nao soffresse, nem
bumilhacio por que nao passasse.
Depois veio o perdi, concedido pela munificen-
cia imperial aos compromettidos na revolaco, e
eu pude andar com o rosto descoberto e sem mais
sobresalto.
E' por esta razio que tanta celeama se levantara
conlra a nossa segunda Dnagagao Campestre, a
qual peccou imperdoavelraento era nio encobrir a
verdade. cora a capa vil da mentira, em nio pin-
tar o felo como bonito, e vice-versa.
Ao nosso syrapalhico collega Fabio Tito vamos
dar urna ligeira resposta, nao o fazendo ao offieloso
amigo Praxitelles, porqaanto para o fazer teriam.s
de jogar com as raesmas armas indgenas, com qae
nos accomoeUera,e a nossa prudencia e boneslidade
Terei advinhado?
Heriien saboreando o sea cha'
ocia raui grave mea caro se-
nhor : o 1 mea poder. Qaereis pois coa
tar rae ^HUiia 1 Mais este segredo a'
Rassia em leseobrl-lo a maitos an-
noa Mas estes mallos tonos, e se ea nio tivesse
a minha polica particular. ...mas felizmente te-
nbo-a, e a prova de qae ella me adverte qae soa
espionado, qae foi mandado junto a minha pessoa
um fino passaro para me vigiar, e qae am agente
russo nao me larga dia e noite.
Pois isso verdade T
Tanto verdade, que conbeco mui intima-
mente esse agente.
Conhece-o ?
Tenho aqui o sea retrato.
Ah I mui lo estimara.....
Oihae, dlsse Mr. Herizen, tirando da soa car-
de carcter nao nos permute tal coasa,porqae nesta
parte concordamos perfeilameote com a mxima de' |e;ra ama pnoiographia e mestrando-a ao sea aml-
Buffon :qae o ridicalo sempre cahe sobre aquel-1 g0.
le qae procara atira-lo, e nunca sobre aquello a Ora est I dlsse esse estupefacto, isto taba-
quera atirado. loso, o mea retrato I
Ueixando pois o offlcioso amigo Praxitelles ea- Agora, mea cara-settor, dlsse Mr. Herlxen
trege as suas ingesas respostas, e a jadiciosa levantndose, pederis contar a aqaelles qae vos
seutenca de Baffon, qae tao bem Ihe cabe, vamos mandaran espionar-me, qoe ha jornalistas, cujas
responder a injusta observacao qae nos faztopo inormacSes raras vezes falljam. .
tilicamente o collega Pablo Tito. .no dia seguinte, o agente de K Petersburgo par-
Qoaado dissemos qae os versos das uovenas do to de Londres-, e o segredo de Mr. Herizen nao p-
Monteiro erara soffrivelmente cantados ao piano, de ser descoberto.
porm com am coro de acompanhamento completa-
mente desentoado, nio nos excedemos e maito rae
nos faltamos a verdade, porqaanto tambera enten-
demos algama cousa de msica, e tivemos occasio
de assistir as novenas as tres primeiras noites, e
oavimos desafioar por daas vezes a voz soave.
Como qae a vida foge-me spressada 1
Bem pencas hOras restam-me talrez.
Vejo no espelbo a frente macerada;
Nem prantos, nem or! Qoe palHaaz I
Cantndo na agonfo, a lyra tanjo
Fallando de esperanca e de ventara:
Ah I perdoa, meu Deus, se fallo a ara aojo
Quando piso os degros da sepultara.
Son como a rosa de urna aurora apenas,
Que o vento desfolhou no p do chao,
Qae Inda empresta perfume as acucenas,
Qae as auras da manhia beijando vio.
Morri com tanta vida, que da morle
Podera fcilmente resurgir:
Soprasse a ventana menos forte ;
Ueixaisem-me entre as lagrymas sorrir.
Trem do amor as candidas loucuras.
Na sede iosasiavel da palxo
Esgotel ama taca de amargaras;
Ai I Quem me adocaria o coraciio t
E' ama gotta de fel, qae tado engeita;
Que a morle mesma desprezando est.
O pranto do remorso nao se accelta.....
Quem na fronte do espectro beijarTI
s=>^4-*-
Sao estes fragmentos
Ihares.
a' a..
do Sr. Victoriano Pa-
<*{-
Recebi por essse tempo de dous devedores h on
rados algura dinbeiro, que meu pai Ihes empres-
tara, e em homeoagem a memoria de ambos, devo
dizer que d'essas dividasaera eu tinba selencia,
nem exista titulo algura ; sendo que foram elles
qae rae procararam para se rae declararen! deve-
dores, e exigirem de mim a acceitacio do respecti-
vo pagamento.
Testemunba occalar da ventora dos oatros, coa-
siderava-me urna planta extica n'este mundo, e
atrevan.e a querer apreciar a justica divina, que
ao justo acabrunha de dor e ao mo accumula de
favores.
Mas ea esquena entio, qae esta vida principio
c nao firo, que no mundo tudo transitorio, qae os
soffrimenlos por qae passa a vlrtude sao provas
com qae a Providencia a experimenta, e finalmente
qae Dos tem por si a eternidade.
Digam embora que d'esse paiz das trevas nenham
romeiro veio ainda devassar o; mystarios?< eu res-
pooderei que quero antes errar com todos os meas
antepassados, com tantos scalos e gerar5es qae se
tem succedido, do qae acertar com esses poucos
que s me podem aecusar com a duvida, o nada, o
acaso e o inferno!.... tes ideas, verdadeirae e
justas.
Foram as paixoes mundana;, qae me abrirm
alguns anuos depois.de par em par, as portas d'es-
te convento ; mas, por Dos vo-Io jaro, gracas i
influencia da educaco religiosa que recebi na mi-
nha infancia desde qae professei, tenho sempre me
esforzado por dedicar-me inteira e exclusivamente
ao servico do Senhor.
Si s vt-zes o mea pensamento transpde os mo-
ros d'este claustro, e vai perderse as encostas de
algam oiteiro, por qae participo da fraqueza da
natureza humana ; e Dos nao qaiz ainda apagar
em mea coraco a lembcanca do passado, e o amor
de Eulalia.
Com os gelos da idade virio o esqueeimento e a
morte; entio tudo terminar.
raziara dez annos qae ea nio via Eulalia, e um
que professara, quando encont-ei-a urna nolte pelo
braco do marido na roa Nova, no momento em que
sal ia da Conceicao dos Militares, onde n'essa mes-
ma noite se celebra va urna grande testa era honra
da Virgen), como ainda em nossos dias se pratica.
( Contmuar-se ha )
fm-
Divagaces campestres.
Acabaram-se os encantos de nossos pittorescos
arrabaldes, echaram-se as portas aos divertimien-
tos campestres proprios smente do tempo de testa,
e este anno terminaran todos elles com a grande
leMividade do Mooteiro, consagrada a excelsa Vir-
gem da Conceicao, a qual na verdade esleve sump-
tuosa, embora o programo anaunciado nao fosse
fielmente cumpndo, cortamente por circumstancias
imprevistas.
nY noute: o cu arqoela-se pezado
aguda e flexivel, qoe cantava ao piano, o qae 'per De negras novens e tufoes ruidosos,
certo nada depoe contra a reputagao de boa canto- Qae fonda pretidio I
ra que diz o collega gozar a Exma. Sra. a quem Assim minh'alraa
nao temos a honra de conhecer; mas emQn, qaer Se arque ia sobre as dores do mea pelto,
o collega que seja retirada a expresso soffrivel- Cu de pranto de um mundo de agonas.
mente, nos de boa vontade a retiramos sobstituln-
do a pela de bem cantados, mas nao admtravelmente Do le"<>a nsomnla expelle-me cansado
como qaer raseos apontmntos: qaanto porm ao De <"" Va" buscar orna hora de repouso.
coro de acompanhamento, teoha paciencia, qae de Jft na Psso dormir I Ardem-me os olhos;
maneira alguma retiramos o nosso antecedente julio, Da fronte desbotada em bagas rola
imparcial e justo porque far-Io sera trahir a nossa O oor da agona; o peito arqueja
consciencia. Emendemos porm, que achar-se o Ao palpitar do coracao infrene.
coro desentoado em nada desmerece as seohoras De febre e fro me tirita o eorpo;
inteUlgentes e bem educadas que o cantaran, por j Era fogo e gelo affoga-se minh'alma.
qae nio podem ter ellas culpa de nio haver a na- j .^.......Sombra de anjo, -
turen Ihes concedido vozes proprias para can- R^sa de luz d es^ellas orvalnda
loria. yue te desfolbas pelo fundo negro
Aos mediocres zoilos que despeitadamente nos i ^ cerrado ^ de roinh.alma.
procurara morde s oceultas, o mais formal des- Ea tenho g ^ sngpen4lldSj 8oUa ,
Ihes honra- A> bocca dfl nm abyg|0 E- ,eQ,p0 ai0(la
".....'.'.'.. ^De arrebatares do fatal naufragio
.'...i.............!.'.............................IA gloria promettida ao mea futuro.
Temos fiaalisado as nossas Dtvagacdes Campes-' .. ...
resta sou mo?0' e ^eca mo5' em minha fronle
prezo,
mos..
a nica resposta com que
tres por este anno, e urna nica gloria nos
deltas, foi nunca bavermos faltado a verdade, pa
lavra qae taoto veoeramos de corajao.
Adieu.
iS de revereiro de 1866.
Phidias.
LM PODGODKTUDO.
i Paluda embora, o rubor assoma,
Dis grandes sonbos, de urna linda aurora.
La do futuro pelo chao vislumbro
Palmas, coras e laureis; sao lindos!
Para apanha-los, conquista-Ios lodos
Precise apenas repoosar urna hora
A' sombra dos teus bracos, no ten seio:
Eu sou o arbusto qae, seria um cedro,
Orvalbado por li, cu de ventaras.
A imprensa iogleza e franceza oceupou se por a' cada riso mea rebent am grito
varias vezes de am jornal satyrico, redigido em Que faz-me estremecer /"a cada passo
llngoa russa por Herten, actualmente director de Urna pedra, um espinbo me demora;
um Jornal, o qual, sob o nome de Kolokol (Sino) foi E cada sonho meu baqueio fri
durante muitos annos o Qagello do governo mosco- A' gargalbada ronca do demonio
vita. De D. Joio de Maraooa.
A proposito deste mysterioao jornal ha urna anee-1 E' grande a lata
dota, caja autheuticidade nao garantida por nma Contra mim alevantam-se cerradas
folba iagleza : Da escurdao as lvidas pbalanges,
. ..._.____.... .-_. E tiatera palmas, loucas de alegra,
O Kolokolcaasava e causa ainda a maior sorpreza ____J*^" *
. buppondo-me vencido I
a p-licia do czar. 0 vento sopra
A despeito das precauc^es, do zelo dos agentes e Sacode a poelra negra dos dsenos
da sua intelligencia, sempre vigilante o Kolokol par apagar o sol,nodoa de fogo,
transpuuha inevitavelmente a frontelra, e mais de stigma de luz qae assella a gloria
urna vez o imperador encontrava-o ao almoco en- uo Creador, da creacio as faces:
volto no guardanap 1 O sol sorri: na sua bocca ardente
Este jornal faccioso apparecia por toda a parte, Guarda o Eterno a soa claridade.
como por encanto, e at foi visto pendurado nos I
arames do lelegrapho. J* e a crui do ueticio
Resolveram, nm dia, enviar jnnto de Mr. Heri- Pharisoas o vozear escato;
zen, ara eraissario da primeira classe, o qual, ten- Sem que do rosto a pallidez das magaas
do partido secretamente de S. Petersburgo, chegou ^ra do raedo a pallidez sombra,
a Londres sem que podesse suppor que o seu des- Alm, alera mea goigoth se eleva;
embarque houvesse sido annunclado.
E por quem?
FOLHETIM
^B
1 SEPULTURA DE FERRO
POR
HtBiiqae Cooseieoce
Prologo.
Sahem as creancaa da escola da aldeia.
Mieken, a linda loarinba, parte para casa com a
loasa debaixo do brago. Vai Ihe ao lado o sea vi-
sinho Janneken, de cabellos pretos ondeados.
De camioho iara apanbando centaoreas atoes e
ppenlas vermelha por entre os centeios.
Depoi assentarara-se sobre a pedra gasta pelo
en- po a entrada do eeraiterio.
Com as flores colhldas ennastra Janneken nma
cora. Mieken acha qae a cora leva maito tempo
e da mosuas de impaciencia por poder chamar Ihe
__ Anora devemos daas palavras a quera de nossas
DwagacBet Campestres se lera oceupado.
bem dlfflcil e espinhosa na verdade a missao
rizeo, ao qual resolveu qae era um moscovita per
seguido pela policia rassa, e foi rpidamente ad-
mittido na intimidado do redactor do Kolokol,
qne, logo no primeiro dia, o acolhera de bracos
abertos.
O viajante refugiado (para os seos flus) nao lar-
gava um momento Mr. Herizen ; jantavam juntos
quasi sempre, con versa vam multo e faziam-se mu-
tuas confidencias.
Ora, urna manh, o emissario rnsso, que vi Mr.
Herizen de bom bomor, Ihe dlsse alegremente, to-
mando cha':
Vou commeter urna indiscripcio.
Ora essa t
Concedis rae liceaca ?
Podis fallar, Ihe disse Mr. Hertzen.
Ea vos agradeco.
Figurae-vos que, por miaba infeiicidade, soa ca-
rioso.
Todo o mysterio me irrit, e nio descaoco em-
quanto nio consigo levantar o vea que o encobre.
a sombra do mea Deus, que la sombra.
Cavam-me a campa? Cavem-na ; contente
*m m1'""'"', Ha Por cima della sclntillando vejo
apresentar a Mr. He-, J
Missao e viagem, tudo era um mysterio
O agente de Nicolao fez-se apresentar a Ag |agrymag de ^ & ( gaadade
Quasi na hora da morte,
as anclas da despedida,
Volt-me os olbos da vida,
Quero lembrar-me de Deas.
Na Iba doce linguagem
Recorda-me a primavera,
Os sonbos, que inda qulzera
Resonhar nos bragos teus.
Tens unto fogo nos olhos,
Perfumes na voz tio linda -.
Que se qoizesses anda
Da campa me arrebatar;
Naufrago novo da morte
Taivez qne, suscitado,
Do livro de nm lindo fado
Podesse as fclhas voltar.
E soletra-las sorrlndo
No enlevo da f'licidade;
Porque sempre a moeidade
Tem tempo de ser feliz.
E' veiga, qae a noite fria
Pode deixar em desmaio :
Do sol ao mais leve ralo
Brotam as fiares gentis.
Mas se pensas como o mundo;
Se nio te des de quem soffre ;
Se da agonia no cofre
Nao sabes perder a mao
Sondando as dores atrozes
Do padecer lancinante
Do coracio de ara amante
Que se matou de paixo.
Colbe entio os tens vestidos;
Resguarda bem o teu manto
Dessas lagrimas de am pranto,
Que pode queimar talvex, i
E deixar nodoas profundas;
Ai, nodoas, qae- nada arranca,
Da virgera na roupa branca,
Do anjo na candidez.
E quando a mSo descarnada
Do macillento ceveiro,
Do roen leito derradeiro
Fechar o fanebregvo;
Vot ao menos nm suspire,
Desses qae tna alma encerra,
Por quem amou-te na trra,
E val amar-te do co.
Nio quero que urna tristeza
Te machuque a formosura;
Mas ao p da sepultura
Chora toda a alma chrstaa.
Urna lagnaia me basta.
Urna gotta d'agua chora I
E suppoe, anjo, nessa hora,
Que tu eras miaba irmia.
Quasi na hora da morte,
as ancias da despedida,
Volt-me os olhos da vida
Preciso -desse olhar ten;
Illumioa com tea brilbo
O transe do moribundo,
Que tanto amon-te no mondo
Que Inda ha de amar-te no co.
alguna fazeada na Andaluzia. Pflro
poasno!
Perdoal-rae, Sr. duqdH^H
prietarlo.
Ea?l
Vos mesmo I ^L .
Estis bem certo disso
Estoa certsslmo'e fcilmente4 ro-Io provarei.
Averiguado o caso, soabe-se qae o dnqae de
Osona possala sem sabe lo, dez mil hectares de
trras na Andaluzia.
E do Sr. A. de Soaza Pinto :
SKNAO.
SSo daas irmaas, qne bellas!
Urna loara, outra morena,
Urna lem una negros olhos,
A outra... Meu Deas qae pena
Qae ea nao saina retratar 1
Faria am grupo mimoso,
Perfumado, laminoso,
L'm painel de arrebatar 1
Sao duas candidas rosaa -
No mesmo jardim tratadas,
Daas sipbiras brllhantes
No mesmo cinto engastadas. .
Daas estrellas n'ao co t
Dous corpos leves, bem fetos,
Fallas qoe fncendeiam petos,
Inclusive o peito mea I
Mas tambera sio borboletas
A correr de prado era prado,
Daas alegres rolinhas,
Sem buscar momelo ando
Para caricias trocar;
Hoje na fralda d'um monte,
Araanbia jnnto a orna fonte,
Sempre no mesmo cantar.
Pois pena l A dous rostinhos
Cheios de tanta belleza,
Coracoes eram devidos
Qae tivessem mais firmeza
Nestes trnelos do amor.
Nao goito de ver as bellas
E pudibundas donzellas
Instinctos de belja-fler.
Se nio fra impertinencia
Eu dar Ihes-bia um conselho
Qae amitos fractos traria,
Se bem qae 'inda nio son velbo
Para mogas dontrnar :
Urna sEcho am Narciso ;
Mal emprega um sorriso
Pode amargaras costar 1...
N'uma cidade da GrS-Bretaoha, vive um original
possuido d'uma mania nio menos singular qas in-
nocente.
Professa urna entrahada palxio pelos relogios, e
gast tndo quanto possue para augmentar a soa
colleccao, a qnal coma J moitas centenas delies,
sendo todos difiranles ons dos outros.
Vem-se all de todos os modelos conbecidos e
descoohecidos, desde a cebla dos nossos avs at
a preciosidade qoasi microscpica digna dos mais
ricos corres de jotas.
Alguns sao de subido valor intrnseco ou artis-
tico, i *
Ha am reloglo qae di as horas com nm carri-
lhio argentino, outros dio as meias horas e os
quartos, outro canta como um passaro, nm qoarto
faz apparecer soccessivameote os don apostlos
sobre o mostrador.
Tm todos urna cadea, urna chave e um sinete
de um gosto e eslylo particular.
Finalmente, todas as manhlas o feliz proprieta-
rio dess machinasiohas da-Ibes as cerdas com
orna rgularidade de chrooometro, e passa o dia
inteiro a regala-las e obsrvalas amas pelas ou-
tras.
Isto d bastante que fazer, porque cusa tanto
regalar e combinar dous relogios como a por de
acedrdo duasmulheres.
knagine-se, perianto, a tarefa do nosso maniaco
para regular algumas centenas de retogtos.
Escusado dizer que nunca e pode conseguir,
e que nanea sabe a quantas anda.
Do tea chorar anglico...........
Assim posso morrer, a minha vida
Podem j sacudir na eternidade.
Do mundo s vagas tenebrosas, falsas,
Cedo, bem cedo arrostra sosinho.
Alguem vio-rae as ancias do perigo
E passou a sorrir,velas abortas,
A's aragens amigas da ventura.
Cresceu o furacao, e a tempestado
Contra o roebedo me ailrou chorando
Os erros braoces da infantil Idade.
Qae culpa tem a flor qne roubam d'aste
Para atira-la dos bordis as salas ?
Rubra innocencia,-qoe.aorocar das auras
Abra os labios brancos de pureza,
Sofrga s dos osalos dos aojos,
Namorada dos brilbos de ama estrella,
Loira filba do co com Deus sonbando Y! I
Detesto o mondo: o odio qoe ihe voto
Podeneis acaso informarme (ides por certo re- Burbolba deste peito enveneoado
A respirar seu hlito maldito;
Rebenta de minh'alma, pobre estrella,
Que umdia arrebaton rae da cabeca
casar me o que vos peco, mas isso pouco import),
poderieis dizer-me qual o mel de que vos servs
para fazer chegar a' Russia o vosso Kolokol ? E>
na verdade, maravilhoso; os guardas das altende- para afiogar seu brilbo melindroso
gas e o oordao sanitario nada podem contra elle ;' Xo torpe lamacal de seus prazeres,
o Kolokol transpon a frontelra introdut-se na j Salan, qae perde e anjo qoe o namora I
Russia n'um balao. _j*. ............................................
O Evenement traz a seguinte causeru :
O bomem mais rico da Frane era o Sr. Roy.
Aos setenta e cinco anuos dizia, meneando a sua
alva cabeca :
Tenho Untos milhares de hectares de trras
como de annos cont.
Depois qoe morreu o nosso maior proprietario,
a marquen de Pemeren, a qual possue quinze a
vinle rail hectares de terrenos, sem contar os pala-
cios e castellos.
O maior proprietario da Inglaterra o marquez
de Westmlnsier, e o mais rico proprietario da Ita-
lia o principe de Piomblno.
Na Allemanha o principe Esterhazy, cujas Ier-
ras tm a extenso de am reino.
Na Hespanha o duque de Osuna, vinle vezes
principe e vinte vezes duque, e as suas proprieda-
des s sabera deltas os seas qainhentos adminis-
tradores.
Um dia em Madrid,o primeiro secretarlo da em-
balsada ingiera, Mr. Scott, encontrn o actual'do?
que n'um salo:
= Sr. duque, Ihe disse, partirei amanhaa para
Andaluzia, para tratar de um negocio. Dar-me-
beis iicenca para ca?ar as vossas trras, bosque e
matus?
Dar-vo-Ia-hia eom todo o gosto, se possuisse
Um jornal ingiez annnncia a morte de no abas-
tado proprietario, em Strafford, o qnal possula nm
grande numero de predios, e impnnba as segrales
condicoes aos seas aquilinos :
Nio terem crlancas.
Nao famarem.
Nao terem passaro;.
Nao coilocarem as janelias vasos ou eaiies
com flores, ou outra qualquer eoasa.
Finalmente, os viuvos ou viavas, as raparigas
oa os rapazes, nio poderem casar-so em quanto fos-
sem seus locatarios.
O muzeu de Bolooba acaba de er enriquecido
com am donativo (o curioso como notvel, qoe
consiste em um mappa da China esteodo ea 40
rolos de papel e escripto com caracteres chlnezes.
Pertencia a orna familia pobre do paic e se so-
pn feito pelos missionarios do seclo XII.
A Gazette do Cevr do Japao contm o seguinte
decreto:
Sao convidados os mancebos do paiz, a se apli-
caran a arte de crescer, os que ebegarem aos 20
annos sem terem alcanzado a altara determina,
recebarlo a bastonada al qae crescam.
Que tal o disparate I
i Mas Janneken tribalha com gra?e atteocao. Sem
nbor o qoe o move, dispSe e can u flores, procu-
ra i harmona das cores e de temos a lempos ve-
liflia-M a coroa quadra a cabeca da soa gentil
conipanbelra.
E' seotimeoto de araisade oa de amor o qae
tem ja feito d'aquella creanen um artista prema-
turo ?
Por del az destes innocentes estende-n o campo
do eterno repouso, com o seu silencio nunca que-
brado, com as suas sepulturas verdejantes e as sua
cruzes derribadas.
A veiba torre, de Lase penda e macisca, da hu-
ra le eapeilintia, semelba amato que lamenta seus
liios que ja nao su deste mundo; mas quem er-
goe os olbos da base v que as saas frraas se tor-
oam mais esbeltas, e qae ella n arremessa para o
cu como urna flecha e mostra a urea estrella da
esperanca scintillanie por cima das geragoes que
dormem no seio da trra..
O sol durrama a toa luz ali gre pelo eeraiterio;
o vento queme do meio du eubala as florea sobre
as sepulturas; as avesinbas gorgeiam as tilias
que dio sombras a re va; vane jadas borboletas re-
voiuteiem por cima de pequeas cruzes de madei-
ra. Mu nada qoebra o silencio solemne nem a re-
ligin soido da maoso dos morios.
Janneken dea fim a soa obra. Na cabeca de
Mieken cstenta-se esplendida a cora vermelha e
atol.
M* ttem-se ambos no carreiro qoe se colea atra-
?es do cemiterio.
| Jatmeken descobre orna marfirlda brann eomo
estrella de prata sobre urna sepultura. Oa' nm
salto, colbe a flor e cotioca-a na fronte da sna com-
panheira.
E' a joia mais preciosa no diadema de ama rai-
nharainha coja realeza nascente a vida, cojo
sceptro a belleu, cajos thesouros sio a candura
eaf.
Como Mieken val contente, com os olbos zoe
innundados de orgulho infantil, casando o seu sua-
ve falgor ao vico das centaureas qae estremecer
sobre a fronte I
Mas pira e p5e os olbos risooba em ama peque-
a cruz de madeira com nma grinalda de (lores vi-
cosas qne indica urna sepultura fechada de penco
tempo.
, Muito mais bonit a loa cora, disse Jan-
neken.
E' all, disse a menina com ar de de med-
lacio, qae esU' enterrada a Carlotinha do carpln-
teiro.
Pobre Carlota! nanea mais poder Ir a esco-
la comnosco.
Mu eU' no co, nio esta' ?
De certo esta' no co a pobre menina .
, Eolio se a CarlOoha esu' no co, porque
que estas triste? perguntou Mieken admirada.
Nio pode esur melhor. No co paswia a (ente to-
do o da com os lindos anginhos, e ha de ees at
nao querer mais, e todos os das sao domingos, e
brinca-se e cania-se sempre. E a quera esta' can-
sado de brincar pe o bom Deas ao seo eolio, e as-
sim adormece beijado pelo Senhor.
E' verdade, no co deve" ser bom, suspirn
Janneken engolfado em reflexes.
Eu vi Cariota, quando ella ja' era um aojinbo,
quando eslava a dormir nm bom somno antes de
ir para o co. Como eslava linda t Tinha ora bo-
nito vestido tranco, e o rosto e as roaos anda eram
mais brancas do que o vestido; tinha ennutrada
nos cabellos nma corda de flores de ooro e de pra-
ta, com estrellinhas e perolas como o Menino Jess
da igreja. E tinha um sorriso tio doce a dormir,
que pareca qoe ja' estava a sondar com o co.
Nao Ihe vi u azas, mu sna mil disse-rae que as ti-
nba estendidu debaixo das costas para depois po-
der voar muilo. Porque o co, Janneken, maito
longe, maito longe.
Vamos, Mieken, disse o pequeo, affastaudoa
com > mo de junto da pequea sepultara Seja
como fr, ea nao quera morrer, porque nao pode-
mar a brincar comtigo.
VH*u
queras, ou nao
Nio; olbj
faz-me pene^
na trra?
tr juntos paro o co, entio
s nessas coasas. laso
, Mieken, nio vires contente
Aproximavara-se do outro lado da igreja.
Abi, encostado a parede, ha um pequeo cerrado
circumdado por urna grade de ferro qne desviava
de nma sepultara os ps dos viandantes. A gra-
de tinha ama porta com fecbadura e a dous passos,
fleava nm banco de carvalho multo polldo por lar-
go uso.
Dentro desso cerrado nio havia pedra que dis-
sesse o nome do morto, mas' o chao estava coberto
de flores deliciosas. Era vlsivel qoe oran mi pia
cuidava da soa existencia, porque ao passo qoe
em todos os outros pantos do eeraiterio a berva es-
uva mera qaeimada pelo calor do verio, u flores
dessa sepultura os tenia vam admiravel vico e vita-
lid ade-
Olha I exclamou a menina, mais flores novas
no tmulo de ferro. Flores qae rebentaram da tr-
ra e desabrocharan! em ama s nolte-, bem es-
tranbo, nio ? E flores qae nlnguem encontra nos
prados, nem nos campos nem as maltas, nem em
parte nenbnma I
Oh innocente Mieken! o ermiu qae Vem
abi plant-las.
Pois nra'. Mu que significa ento este.ban-
co com tanto uso ? Alada a senbora de branca
qoe vem aqai usenUMe todas as noites, ao p do
tomlo de ferr, at qoe canten os gatos ?
Nio; o velbo ermita qae aqai vem resar
todos os dias.
Mu quem qoe esta' all enterrado, Janne-
ken ? Minha mil diz qae nio sabe.
Isso ja' ea pergantei a meo pal. E* ama
historia exquisita qae nao emendo. Cuido qoe o
ermita foi cando com urna mulher qoe ja' liona
morrido...
Ai qae bonit flor I atalhoa a menina mai-
to admirada; v "como tem folau anurellu que
parecem de ouro e nm centro vermelho eomo sao-
gne.
Janneken olbou para todos os lados nota timidez
e disn: .0
Se eu podesse cortar essa flor para a toa co-
r, Mieken!... mas tenho modo qoe me veja o
ermiu.
Nao, nio cortes, disn a menina aasustada. A
sen hora de branco poda vir a ube-lo.
Mu Janneken debrucou-se narade de ferro e
estendea o Wago para ebegar a flor.
Fogel grtou-lhe Mieken. Foge, que ah vem
o ermiu. >
E as dou creancu oorreram usustadas para
fra do cemlterio.
/
*
V
PERNAMBUX-TVPV^B
, Jkmmmmmmmmm


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ECU2ALH3S_YCW3SK INGEST_TIME 2013-09-04T23:51:19Z PACKAGE AA00011611_10898
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES