Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10891


This item is only available as the following downloads:


Full Text


AMO XUI. AMERO 35
Mil ft ilw** 9b tr $fi\ *
MtfsVstfm't ** J ff
Por qaartel jag dettrt dos 10 dias do 4.a ex......
I'lem depois dts i." lo dias de ctecoe dentro do qnartel ,
Porte ao correio por tres mezes .'........ ,
h>o
65000
75o
TERCAFEHU 1] DE FEVEREIRO DEM
Por anno pago dentro de lo dias do 1. mez.
Porte ao correio porra amo.....
m
3^ooo
ENCAF.REGADOS DA SUBSCRIPTO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Atex?ndrino de Lima;
Natal, o Sr. AntoQid Marques da Silva; Araeaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o- Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranbo, o Sr. Joaqun) Marques Ro-
drigue.- ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeroaymo da Costa.
ENCARREQADOS DA SUBSCRIF'QAQ DO SUL.
Alagoas, o Sr.'Claudino Falco Dias; Babia, o
Sr. Josa Martlns Alvos;
Ribeirc Gasparinlio.
Rio de Janeiro, o Sr. Jos
PARTIDA DOS ESTAPETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estagdes da va frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Ignarass e Goyanoa as segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhnns, Buique, S. Bento, Bora
Conselho. .Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pod'Alho, Xazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob/Boa Vis-
ta, Ouricury, Salguen o e Ex, as quartas
feiras.
ISerinhem, Rio Formoso,Tamandar, Una, Bar-
reros, Agoa Preta Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Helago : tercas e sbados as 10 boras.
Fazenda: qointas s 10 boras.
Julzo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orpbaos : tercas e sextas s 10 boras.
Primeira Tira do civel
da.
Segunda vara do civel
bora da tarde.
: tercas i sextas ao meio
: quartas sabbades a 1
EPHEMERIDES DO MEZ DE PEVEREIRO.
7 Quarto ming. as 5 b.
15 La nova as 7 b., 53
22 Quarto crosc. as 2 b.
, 20 ai. e 16 s. da t.
m. e 56 s. da m.
, 28 m. e 45 s. da m.
DIAS DA SEMANA.
12. Segunda. S. Marcellc p. m.;S. Eulalia v. m.
ir Iera- S- Gre8rl<> P i S. Beoigoo b.
14. Quaru de Cinza. Ss. Auxencio e Agatho ara
15. Quinta. Ss. Faustino e Joviia mro.
16. Sexta. S. Raymundo de Penaforle c.
17. Sabbado. S. Polycroolo b.;.S. Roroulo m
18. Domingo. S- Simeo b. m.; S. Prepedigna v.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 2 horas e 54 m. da tarde.
Segunda as 3 boras e 18 minutos da manhaa.
PARTIDA D08 VAPORES COSTEIROS.
Para o sai at Alagoas a 14 e 30; pan o norte
at a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Pernio
do nos dias 14 dos mezes de jsneiro, marco, malo
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praca da Independencia
ns. 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa de Faria
& Fimo.
PARTE OFFICIAL
(OVEREO DA PROVINCIA.
i fantaria da guarda nacional desse municipio, de-
termino a Ib S. que faga juramentar e entrar em
i exercicio dos respectivos postos os referidos otli
ciaes e declreme o motivo por que ba mais tem-
, po Ja' o nao tinha feito.
i Dito ao director do arsenal de guerra.Mande
V. S. conduzir doquariel da Soledade para o do
phael de Moraes e Silva, para servir interinamente
roxima a sua Q |ugar de escreveQle da3 offlcinas de5Se arseai
das armas smsubsiituigao a Antonio Alves de Oliveira Braga
Exiiediente do dia 8 de fevereiro de 1S6G.
~~, ,, .. ., ,*. c i auspicio a bagagera do 2o batalhao de guardas na-
Offlcio ao Exm. bispo dioejMiifc-NiottMo si- cionaes destinaUo ao servj da a apreseDian.
do anda apresenladas as lnforraa5es.P^as do ao Inspector da thesouraria de fazenda, aflra de
Rvd. vigario capitular em meu offlcio de bi no- ser salisfea a C0DU da despe2a que se Qiei com
vembro ultimo, por copia inciuso, rogo a v..Ele. essa tranferencia.-Offlciou se a thesouraria de fa-
se sirva remetter-ra'as com a posmvel Drev,^Je- zenda e commuuicou-se ao general commandante
Dito ao Exm. deseracargador provedor da santa dj|g arraaS
Casa da Misericordia. -Sirva-se V. Exc de> remet- Djt0 a Dspecior da arsenal de marinha.-Fico
ter-mecom a possivel brev.dade aa'frma9"es seieote de baver V. S. como me commuo.cou era
pedidas em roeu orneo de6 de ^fff*9^ sea offlcio <** 3 do corrente, nomeado Leonel Ra
para serem levadas ao coohecimento da assembiea
legislativa provincial visto estar prxima a sua
reunio.
Dito ao Eira, general malandante "n. de s Roma fo( d|Spensado desse ,ugar.
-Quena V. Exc. informar acerca do pagamento ,)jl0 ao mesmo._CoDC;dj a aut0rsagao que V.
que no incluso requenmento pede o procurador s ^^t,,,, em geu offlcio 0 106i de 5 do corren-
do teaeaie-coroMl reformado do exercito Jos An- te> para adrailtr M carpmteros que forera neces-
tonio Pinto. I sarios para as obras do melhorameoto do porto,
Dito ao mesmo.Remetta, v. Kic. ao mm.r. vist0 ,, os desgfl arseaa| vao ser empregados na
ministro da guerra, de conformidade com a dren- coDS,ruccao do transporte de guerra,
lar deJ5 de Janeiro ultimo, o termo ?'necC"o Dito ao ebefe da repartigao das obras publicas,
de sade por que passou o guarda Dacional Nicacto _Fjca approvado 0 orcamnto supplemeatar na
Diniz do Nascimento vmdo da provincia do Rio- irap0rtancja da 4i380 res relativo as obras que
Grande do Norte e que tol aqu julgado incapaz do forem C0D5deradas necessarias para a segurangada
servigo militar. im0,,i bomba sobre o riachoMal de Cavallono 6. lan-
Dito ao mesmo.- Para que o governo npem go da ramiticacao da estrada do Cabo o qual para
possa nisolver sobre o destino dos recrutas Joa- egse |{D ve|Q anQex0 aQ f fflcjo me djri Q e|n
qn.m Francisco do ascimento, Manoel Dea deno g do ,,, e ^ 37 a ^ respondo.-Com-
do Nasc.medio, Manoel Doarte 6ned**- '*sln(*' manlcoa-se a thesouraria provincial,
deiro e Francisco Jos de Lima, que forara Julga- Di(0 ao mesmo._Pde V- s< mandar fa:er por
dos incapazes do serv.go. segundo declarou V. i mpreilada tmlMm soliclloa em offlL.io de hon-
Kxc. em seu offlcio n. 2,172 de 18 da noTCmbrodo te sob 42 Qs m do erapedramemo entre
anno pasudo, cumpre que a junta que os inspec- 0 marco de 3 a 4 raif braca5 na eslrada da victo-:
conoudeclare se sao ou nao curaveisas molestias J,,- vistQ nao haTer *ecido ,icantes a ,aes
que elles soffrem; e por esta occis.ao chameiV. s3o consi,lerados argente, segundo
Exc. a altengao da mesma junta para o que deter- consta de seu citdo offlej flca assim .
mina a ordena do da do qnartel general o..457^do ddo._CunjraunicOQ.se a arara provmc.al.
! de julho do anno prximo Ando a respeito das: Dj,0 aQ conjraaDdantd da companhia provisoria'
inspecQoes. ___ de policla.-Em resposta ao seu offlcio n. 44 de 3
Dito ao mesmo.-Queira V. Exc. informar sobre do correDle teobo a dizer.)ne qDe 0 cabo de es-
oque pedem nos inclusos requermenlos io larriol quadra Lu2 Fr)z Dfl0 enfi comprehendi-
Deocleciano Ferrara dos Santos soldado JosO do nas dispos 3es do decreU) de 6. de juuho de
Beroardino dos Santos Ramos, arabos do 6 corpo 1865 e deye r Jdo (ermos do regalamen
gao.Offlciouse neste sentido ao superintendente vores e agradeciraentos de que se lera feito digno, em relagoes offlciaes com o-conde de Clarendoo
da estrada de ferro e cammunicou-se ao enhenhel- (Assignado.,J-Francisco Sergio de Oliveira. acha-se j no exercicio de suas- foocces crei
ro fiscal, Est conforme. Estenio Jos Ferraz, tenente que a apreseoiaco a raioha tera luear no lirincl-
Dito ao conselho de compras navaes.=AutOFso- ajodanle de ordeos interino encarregado do de- pi de mez seguate quaodo S M vier a Londres
ao conseibo de compras navaes a promover nos
termos do seu regulamento a compra dos objec-
tos de que trata o seu offlciojde 6 do corrente, visto j
serem necessarios para provimento do almoxarifa-
do do arseml de marinha.
Dito a cmara municipal do Recife.Concedo a |
autorisago que pede a cmara municipal do Reci- j
I fe era seu offlcio de 7 do corrente, sob n. II, para .
. despender mals no exerciclo corrente com os ne-
I goems judlciaes intentados por essa cmara, a'
I quantia de l:OO0>, visto ser insufflciente a qnota
| designada no 9 do arl. 2o da lei do orgamento
i municipal vigente.
laltie.
.
EXTERIOR.
. para abrir o parlamento.
A escolha do baro do Penedo para ministro do
i Drasll nesia oerte, onde alias estivera elle acredila-
rh-araole muil05 anno, contina a ser bera aco-
mida ; e nos circuios offlciaes conta esse diplmala
, brasileiro nao s com boa vontade dos seus colle-
gas, mas tambera com a do conde.Clarendon e lord
Russell, que cora elle liveram multas vezes occa-
siao de tratar.
Esse nosso agente diplmala, hbil como nao
CORRESPONDENCIAS DO DIA
RIO DE PERHA9IR17CO
desprezar provavemente a presenie'occasio pa-
Z? de jaaeiro de IbGC. ra azer urna nova tentaliva afira de conseguir
A mala de Brdeos, chegada do Brasil, foi aqu revogagao do bil Aberdeen, agora que lord Pal-
uito ao delegado encarregado do expediente da recebida a 20 do crreme, sera que as noticias por mersion nao existe mais para combater-nos nesse
reparligao da polica.Fazendo-se necessarios os ella irazidas viessem annuociar facto algura impor- campo. Esie esladista pognou seropre pela censer-
mappas estatisticose inforraagSes que em datas de lante em relagao a guerra. Entretanto, avistada vagio dessa medida adoptada contra a soberana
w de setembro e 8 de novembro exigi em dupli-: marcha apressada jue levava 'O exercito alliado do imperio, e a cmara, embora fosse um pouco
cata dessa repartigao para cumprimento de aviso prestes a chegar ao Human, se espera aqu rece- favoravel, nunca quiz eombater essa idea phanaii-
o da justiga, e para serem ber em breve a nova de um decisivo encontr entre ca daquelle ministro ; mas lord Russell nao tem
os combatentes, encontr que se pie prever ser compromissos a tal respeiio, e por conseguinle se
resolvido em favor dos alliados, do mesmo modo ria vantajoso para nos tentarmos o seu animo no
que etes tem sabido iriumphar em todos os com
de voluntarios.
Dito ao raesmo.Mande V. Exc. nao dar bai-
la ao furriel Eduardo Alfredo Rabello de Mallos
e soldados Theodosio Ri&eiro Sepulveda e Paulo
Cavalcanli Marinho Falcao, todos do 6a corpo de
voluntarios, mas tambem eliminar do deposito os
guardas nacionaes Joo Paes Barrete, Manoel Fer-
reira de Oliveira e Francisco Tavares de Oliveira,
to de 2 de dezembro de 18S3: para o que Ibe re-
meti copia do offlcio do commandante do corpo
de polica, n. 97 de 16 de fevereiro do anno pas-
sado.
Portara.O presidente da provincia, em vista
do inquerito, antes de perguntas, informacoes e
mais papis juntos ao offlcio do juiz municipal sup-
plente do termo de Garantaos de 26 de Janeiro
que forara, como aquellas pragas, consideradas n- proximo Qdo do3quaes coosU que FranCiscoLei- i
capazes do servigo em inspecgao de sade, segun^ ^ Umbem chamado Frsnc(sco jos Machado e!
do consta dos termos annexos ao seu offlcio B. TO MaDoel A ,oraaram no dia 20 de noverabao
de 7 do corrente, servmdo-se V. Exc. de declarar ul||n)0> 0 recru|a Jaqum Nanes de Lra, no lugar
Baixa Verde d'aquelle termo, do poder da escolta
a que corpos pertencem os dons ltimos dos refe-
ridos guardas abra de se providenciar sobre a sua
subsiiteigo.Fizerara-se as necessarias communi-
cagoes quanto aos guardas.
Dito ao Dr. chele de polica.Chamo a attengao
de V. S. para o que exp5e o lenenie-coronel com-
mandante do batalhao n. 37 de infamara da guar
que o conduzia, resolve de conformidad* com o
disposto no aviso do ministerio da guerra de 27 do
mesmo mez de novembro do anno passado, impor
aos referidos Francisco Leite e Manoel Angelo, a
pena de 3 mezes de priso e 2005000 de multa
grau mximo do art. 14 das instrucg5es de 6 de
da nacional do municipio de Cimbres, no trecno aor,| de 1841j e determna qae ao mesmo juiz mu-
junto por copia, do seu offlcio de 21 dejaneiro pro- Djcjpa| se remetta copia desta portara para ter a
ximo nndo, e reeommendo-lhe qoe procure ntor-; dev,ja execugo.
mar-se a semelhante respeito, providenciando lo- g _
go para que taes abusos se nao reproduzam. j Offlcio ao Exm. general commandante das ar-
Dilo ao inspector da thesouraria de fazenda. mas.-Informe V. Exc. sobre o que pede Antonio
Declaro a V. S para seu conhecimento e Bm con- Pedr0 Cavalcanli de AlbuqueTque no incluso re-
veniente, qoe segundo participou-me o presidente querimento.
da caixa filial do banco dj Brasil nesta capital em .rt
offlcio de 6 do correte entraram em c.rculago Dj'of'Wtor la thesouraria de teenda.-,
durante o raez de Janeiro ultimo as notas daquelle ***** era termos a folha e pret juntos eni dupii-,
estabeleeimento do valor e particularidades cons- me remellen o commandante superwr,
tantesda relagao junta por cpia.-Comraunicou- ^este municipio cora offlcio de hojeaobn '40, man-
se an nrmtlifcwtn caia filial de v,s- Da^ar 5 encmenlos relativo s ao mez de !
S^!S^SSS V. Exc. para que Janeiro ultimo, do offlel.l d. 1- lina, tobera.,
eslando era termos a conta junta era duplicata, e ; forne's e clann, empregados nos corpos da guar-
SoVo^iSEBfoo^ Ferre,ra d0 Nascimen-
d JXa tSS^JS^^TJ^Z fe --5 S. pagar se nao houver incon venien- i
o sustento dos recrutas Laurenlino Jos e Vicente I q"nim de 44^, que segundo a conta junta era
de Paula, e bera assim do desertor Joao Manoel dos fJjg VSAJSJSn
Santos, que esliveram recolhidos a cadeia do ter- arseal de Buerra datad,J bo.Dle.m *
mo da'Escada e forara reraet.idos ao commandan- $*J* cj>m lco?ia'?0,l Pa"L fAM i
te das armas o primeiro e terceiro, sendo aquelle fSt LTJeSUa* JitSTn *r i
om o nome de Laurenlino Joao de Barcellos e o Fernando.-Commun.cou-se ao director do arse-
por que sendo menor I L* Bnerra-
, circular do ministerio da justiga, e
presentes a assembla legislativa provincial no 1
de margo prximo vindooro, recommendo a Vrac.
! que m'os remetta cem a maior brevidade que fr
: possivel.
Dito ao mesmo.Respondendo o offlcio do do
: corrente, sob n. 145, era que Vmc. pede providen-
i cas para ser recebido no nospial dos alienados o
de nome Jos Caetano que fura recrutado por
essa repartigao pelo subdelegado da freguezia da
Varzea, tenho a dizer-lhe que o desembargador
provedor da Santa Casa de Misericordia, segundo
me declarou em offlcio de boje, sob a. 685, ja ex
pedio as necessarias ordens ao regente daquelle
hospital para recebar o referido alienado quando
Ibe fr apresentado.
Portarla.O presidente da provincia tendo em
vista o que requeren o contiuuo da thesouraria
provincial Jos Lui Salgado Acloll, e bem assim o
que a esse respeito ioformoa o respectivo inspec-
tor em offlcio de 24 de Janeiro ultimo, sob n. 31,
resolve conceder-lhe ura mez de licenga com ven-
cimentos na forma do art. 49 do regulamento da
mesma thesouraria, para levar sua mnlher ao lu-
gar adaptado para o seu irataraento, visto acbar-se
doeote.
Expediente do secretario do governo do dia 9
de fevereiro de 1806.
Offlcio ao delegado encarregado do expediente
da repartigao da polica. De ordem de S. Exc. o
Sr. presidente da provincia, acenso a recepgo do
offlcio de V. S. n. 178 de 8 do correte, a que
acompanhou o mappa dos trabalhos da promotoria
publica do Rio Formoto, relativo ao mez de jai-
ro prximo Sudo.
Despachos do dia 8 de fevereiro de 1866.
Agnello Heraclio de AraujoPernambaco. Infor-
me o Sr. administrador do correio.
Antonio Pinheiro Delphim Henrique. Informe
o Sr. inspector do arsenal de raarlnba.
Bregida Mara de Araojo. Nao ha que deferir
a vista da informagao.
enharina Meyer. Informe o Sr. delegado en-
carregado de expediente da repartigao da polica.
bales que tem pelejado contra o inimtgo.
A carta da presidente Lpez ao general Mitre
acerca dos prisioneiros do Paraguay tem causado
na Inglaterra Impressao ridicula, porque senao
ignora neste paiz o que aquelle presidente fez aos
prisioneiros brasileiros e correntinos, quando o
exercito paraguay oceupou o territorio do Brasil
e de Corrientes.
A resposta de Mitre nao poda
sentido que a nossa justiga requer. Deus queira
que chegue o momento de se nos fazer a reparacao
que nos devida.
S. M. a rainba conserva se na ilha de Wiaht,
achando-se all em companhia da familia real. Essa
augusta senhora recebeu ha dias naquella residen-
cia o conde Lannoy, enviado do rei da Blgica, en-
carregado de anounciar a rnorte do rei Leopoldo I
e a successo ao tbrono da Blgica na pessoa de
Leopoldo II; esse enviado entregou ao mesmo
por conseguate
deixar de merecer a cabal approvago do publico leraP a 5. M. britannica as insignias da ordem da
inglez. Jarreleira eo baslao de marechal ioglez que ha-
Na Gr-Bretanha existe urna opinio desfavoravel viar" pertencido ao fallecido e Ilustre rei, que era
ao Paraguay, e hoja que em resultado da allianga 'ambem principe na Inglaterra. Nessa occasiao
o gabinete de Londres nao recea mais que o Bra- Mr- Van de Weyer, ministro da Blgica nesta edr-
sil entrelenba vistas ambiciosas sobre aquella re- 'e, apresentou a' rainha as suas novas credenciaes
publica, o governo inglez v com sympatnia os Pelas Quaes el rei Leopoldo II o mantm naquelle
triumphos do imperio contra essa oago selva- carJ?0Ja.o.to da rainha da Gra-Bretanha.
ros da- Covadonga sendo tratados com toda a huma-
nidade pelo povo dessa cidade. Ao receberessa no-
ticia, o almirame Pareja impresslonado excessva-
meote por nm tal desastre, alias de pequea im-
portancia para o resultado da guerra, suicidou-se
corar um tiro de pistola o bordo da nao almirante
Ville de Madrid ; e nestas cirenmstancias o com-
mando da esquadra passou logo para o contra al-
mirante Mendes.
Em Madrid cansn dolorosa impressao este tris-
te soccesso, e o governo ordenou para logo que a
esquadra do Pacifico seja reforgada sem perda de
rempo.
Do Per as noticias pouco adiantam s que com-
muniquei na minha antecedente.
Nos Estados-Unidos o congresso se reunir no
da 6 do corrente, tomando logo conheeiraento da
correspondencia relativa ao Mxico entre os Esta-
dos Unidos e a Franga. Pelo theor dessa correspon-
dencia consta que o governo de Washington recla-
mara cooler o maltrataraento dos prisioneiros de
Jurez pelas tropas de Maximiliano, exlgmdo que
por intermedio da influencia da Franga esses tris-
tes successos deixassem de se repetir a questao
da evacuago daquelle Imperio nao foi porra ven-
tilada nessa discusso, qne alias nooca apresentou
o carcter grave que se Ibe fpresentou.
Mr. Seward deixara os Estados-Unidos de via-
gem a S. Thomaz e Vera-Cruz, aflra segundo nns
de cuidar da sna saude, e segundo ontros de ir ao
Mxico offerecer o reconhecimento do imperio pe-
la Unio mediante a cesso de aljamas provincias
mexicanas. A imprensa de Nova-Yoik pareca con-
firmar esse boato:
O general Logan, que renunciara o Ingr de mi-
nistro dos Estados Unidos junto de Jurez, eslava
preparando urna expedigo em favor deste chefe.


gem; espera se que em consecuencia da luta
actual cessar naquelias paragens o rgimen des-
ptico a bem dos interesses da Inglaterra e da
civilisagao era geral.
Aqui nao se acredita porra na sinceridade dos
adiados para com o Brasil, a ponto de por vezes
S. M britannica, querendo continuar na pessoa
do novi> rei da Blgica o respeiio que sempre con
sagrou ao grande Leopoldo, tera resolvido mandar
ao actual soberano desse paiz a ordem da Jarre-
leira, e para esse firn designou ja' lord Sydney que
"' partir em breve para Bruxellas, acompa-
devera'
a imprensa ler j avisado os amigos do imperio a nnado d um numeroso sequilo,
se acautelaren) contra qualquer traigao por parte \ Lhegou a Osborne na semana ultima o principe
de Mitre, Urquiza e Flores; a historia dos anlece- Christiano d Auguslemburg, que seacba afflangado
denles desies individuos em relagao ao imperio, ', cora Pfinceza Helena da Gra-Bretanba. S. A.
principalmente a causa da desconflanga allu-1 s^renissima veio acoropanhado d'um conselheiro
dida. intimo do principe Fredenco, que devera' Grmar o
O Brasil todava asss forte para luiar por si s contato do casamento em nome desie principe,
era qualquer emergencia desgragada, o qne nao se actual chefe da casa de Auguslemburg. O prin-
ignora tambera neste paiz, onde consta evidente- .IDe Cbristiano celebrara' o seu casamento era
Windsor no mez de junho, depois do que ira' ha-
bitar Frogmoro Lodge, na visinhanca desse castello
e onde falleceu a duqueza de Kent, mai da rainha
\ i'firii f\ tiPiniiiriA dIUm^a nAitH1 Dita n'.In.
Victoria. O princip allemo pedir' a sua nalu-
ralisago na Inglaterra, e recebera' da ral***
titulo de alteza(real com nm posto no '
- iJiDint--.'^ co-
mente que, alera de urna poderosa esquadra, o ira
perio mantam no Rio da Prata nm exercito de
quarenta mil horaens.
Era lodo o case o gabinete de Londres nao con-
traria inais apoltica do Rrasil naquelias paragens,
j porque eli carie da boa l com qae procede-
mos, j porque sent qae a nossa sapariorid tem-nos consilidido perante essas repblicas, que Pa'r- ,
d'rM^r^PrraV-^a^meoSr' I**o a'soa meaSsdesalleigoadas; esta posico ni,re.verae,nte comegara'aqu a lula parlamenta^
toda favoravel ao Brasil, assim os nossosesiadis-Paraa3'a'os par.dos se achara preparados. O
tas saibam tirar deila todas as legitimas consequen- co,nde Rne|l 'era e apresentar um projecto de
cias como tanto para desejar. I reforma eleitoral, que a ser regeilado pela cmara
O empreslimo areentinD. de que fallei na rainha dos commnna determinara a queda do ministerio,
ultima-carta, nao viogoo; apenas foi tomado a me- conforme acaba aquelle primeiro ministro de de-
irlT^S0 TfSSSSSS ItSSiSBS*pracas docorpode polic,a'
tigo da polica de 27 de Janeiro prximo Ando sob; TO,larain com Da'"- ralara nmin ennr,
nundate uperlor Jele muiMIpio c oHeio de fBSlmSStSilnt^l'
Albino Freir M&riz, ex-cabo da 8.*Commnnicou-
se ao presidente da Associago Protectora das I
Familias dos Voluntarios da Patria.
Dito ao mesmo.Transmuto a V. S. as dnas in-
ettHM comas, e bera as-:im ama relagao em dupli-!
cata qne me remetteu o delegado encarregado do
expedieote da repartigao da polica com offlcio de
hontem, sob n. 177, recommendo-lhe que se nao
uS^^u^KInzTSes^^r "l*
Dito ao mesraq,-Madde V, S. entregar ao cora-
mandante da companhia de aprendlzes de artfices
do arsenal de marinha as qnantias que tem entra-
do em deposito nessa thesouraria como peculio dos
mesracs aprendizes aflra de ser recMhida a respec-
Uva importancia de conformidade com o artigo 43
do reguls ment de 21 de julho de 1860, ao Novo
inspector do arsenal de ^|^;^eDfa"dd0- a cadeia do termo do Bonito durante os mezes de
,heqa",am,?i,ia de aienda: dezembroe Janeiro oltimos.-Communicou-se ao
3 DUoaoSclo'r da thesouraria 9**^-^*^** do Pedient da ""
fere o offlcio do commandante superior deste mu- ^'"^'^"^"^nm lindante i? l"bau-
*.*- is'nl8 na ^"* de S- Lo-- ncado iXdo io^
rr,an0^
to em duplcala que me reraelteu o commandante cacges
superior da comarca de Nazareth com offlci3 de "
20 de dezembro ultimo, sob n. 243, mande V. S Dito ao juiz de direito de Olinda.-Remetta-rae
pagar a Jos Mara Ferreira da Cunba a quantia Vrac. com toda a urgencia as infortnagSes que exi-
de 69370 reis, era que importara os venclmeoto3 gi sobre o estado das cadeias dessa comarca era
de i guardas nacionaes que escollaran, dalli para datas de 7 de novembro e 24 do raez Qndo.Igual
esta capital a disposigo do Dr. chafe de polica, o j aos joizes de districto do Cabo, Pao d'Albo, Gara-
preso Je justiga Severioo Rozendo da Silva, segn-; nhuns, Flores,-Boa-Vista e Cabrob.
do ioformou o delegado d'aquelle termo, em offlcio Dito aojniz de direito do Rio Formozo.Para
de 30 de Janeiro prximo Bode. \ qoe possa resolver acerca do que pede o escrjjpo
Dito ao mesmo.Mande V. S. por em bst pn- deorphaee do Rio Formozo Jos Gomes Coimbra
blica no prazo de 30 das de conformidade com o no seu requarisaentc, que rae foi devolvido com a
artigo 103 do regulmento de 9 de janeiro dfl864, sua iDo-magao** do juiz nanieipal ambas do !
a obra da estrada que partindo da encruzilhada de do correte raez, indique Vme. ouvindo aquelle
Belera vai terminar na eslrada de Beberibe na ex- juiz municipal,.urna pessoa idnea para substiiuir
tensan de 1969 metros correles, erfindo de base o mesmo esfirivio, visto acbar-se elle impossibili-
a essa. arrematago as plantas, clausulase orga- tado por molestia Je continuar no exerciclo de
mente juntos em original que para esse lira appro- suas funegofs.
vei ne;ta data, me remellen o enere da repartigie Dito ao administrador do correio.Respondendo
das obras publicas com offlcio de ti do correte, sob ao seu ofllcio de 27 de Janeiro prximo lindo, te-
n. 41.Communicon se ao predlto ctiefe. nho a dlzer-lhe qoe em vista das tnformagaes do
Dito ao coramaoddUte superior da guarda uacio- superintendente da eslrada de Ierro e do enge-
nal de Tacaral.-Constando da observagao do nheiro 8sc datada de 31 dajaelle mez e 6 do
mappa da forga, junla ao seu efflcio de 3 de ;anej-, corrente, a correspondencia desltaada a estago da
ro protimo flodo, que ainda nao se acham erapos-! Jfiscada deve ser remellida a respectiva agencia es-
sadot ocapiteoda3* e lenles e altores da V.Tibelecida na villa do mesmo nome, sendo para
lf, f, 7' e 8* companhia do batalnio n. 34 i-) in-' ella condnzida por ao servente da referida eta-
delegado encarregado do expediente da reparti x>
da polica.
Hdnrique Rodrigues Pereira. Ioforme o Sr.
commandante da companhia provisoria.
Irmandade do S. S. Sacramento da freguezia de
Santo Antonio. Concedo o praso Improrogavel de
3 mezes na forma requerida, devendo ser este ap-
presentado ao Sr. Inspector da thesouraria provin-
cial.
Joao Jos Rodngnes LolTer. Remettido ao Sr.
inspector da tnesoararia de fazenda para expor o
mais que Ihe occorrer.
Joo de Santa Montea Lima. Informe o Sr. de-
legado encarregado do expediente da repartigao da
polica.
Jos Romo Lopes da Silva. D-se.
Mara Rosa. Remettido ao Sr. delegado encar-
regado do expediente da repartigao da polica para
alleoder a snpplicaote.
Marcolina Xavier da Oliveira. Informa o Sr.
director geral da instruceao publica.
Manoel Jos de Souza Couto. Informe o Sr.
commandante superior da guarda nacional do
Recife*
Martmho Jos de Jess. Em vista da Informa-
gao do director geral da instruego publica nao tem
lugar o que requer o supplicante. -
Manoel Jordo de Vasconcellos. Prove o que
alega.
Manoel Joaquim Marques. Nao pode ser atten-
dido o fllho do supplicante por nao ter ainda a ida-
de marcada no regulamento.
Paulino Jos Celestino. Ioform o Sr. director
do arsenal de guerra.
Dia 9 .
Anionio Malaquias de Macedo Lima. Informe o
Sr. engenheiro chefe da repartigao das obres pu-
blicas.
Antonio Pinto Biserra de Azevedo e Joao Janua-
rio Piolo de Azevedo. Volte ao Sr. inspector da
thesouraria de fazenda para expor o mais que Ihe
occorrer.
Alves Hamburguer & C'. Encaminhe-se.
Francisco Severino Marques. P. P. conceden-
do um mez de licenga com os respectivos venci-
mentos.
Mara Geralda. Ioforme o Sr. commandante
superior da guarda nacional de Olinda e Ignarass.
Mara Felicia de Castro e Silva.- Passe.
Vicente Umbelino Cavalcante de Albnquerque.
Informe o Sr. director geral da instrnecao publica.
COMANDO DAS ARIAS.
tade por varios particulares, comquanio esla quao-
tia nao se ache couda no Stok-Exchange.
A somraa assignada de 1,200,00000, em
quanto que a pedida era mais do dobro pois a tota-
lldad-e deveria ser da dous milhoos a qurahenlas
rail libras.
O nosso emprestimo de 1865 acha-se nonfloal-
raente cora 1 de premio; mas como o semestre
corrente estar em breve veoeldo segu se que de
faci esses fundos esto a. descont, por terera j
direito aos jaros correspondentes a esse semes-
tre.
Receia-se nesta prag que o governo imperial
caroca de recorrer outra vez a um novo empresli-
mo, e nessas crrcumstancias os fondos do Brasil
clarar a urna dputaga qne se Ibe apresentou
para pedir reformas quasi radicaes acerca da ex-
tenao do direito de votar.
O partido lory ba de corto corabater o projecto
do conde Russell, mas nem por isso seria capaz de
satisfazer por si as exigencias do paiz a semelhante
respeito. Seos liberaes vao muilo longe, os lories
restringen, demasiadamente as suas concessoes;
no entanio a occasie solemne, e todos reconhe-
cem que forcoso fazer justiga a' opiniao Ilustra-
da do paiz, pelo que de esperar que os partidos
veobara a reconhecer a alta conveniencia de che-
garem a ura accordo, sob pena de inatilisarem
quaesnuer esforcos.
O primeiro ministro declara todava que se ret
tem cahido em forte baixa. i rarase sea projecto for regeitado ; de sorte que
Os de 5 % amigos eslo a 93; ditos de 1865, neste momento a qaestio da reforma parece azer
estao a 74; e analmente, os de i tf % o7 X i cns.e na Inglaterra ; veremos o que d aqu snr-
Este eslado de depreciagao deraais determinado B'ra- .
pelo receio de que os adiados veohara a negociar O ministerio inglez acaba de organisar-se denni-
a paz com Lpez, o qne importara talvez para elles tivamente com a nomeagao de Mr. Goschen para
o renunciaren) a ulilisar as despezas em que tem chanceller do ducado de Lancaster, com a de Mr.
incorrido, nao obrigando o Paraguay a aceitar os Childers para um dos lords do almirantado e cora
encargos que por virtude da guerra pezara hoje a da MrSianfeld para vice-presldente do conselho
sobre o Brasil eos adiados.
O descont do banco da Inglaterra manlem-se a
8 %. sem que nada indique a conveniencia de bai-
xa-Io. Tem sabido do braoco grande quantidade
de nuirerario para o Egypto, cora o fim de pagar
a importago de algodo d'alii proveniente ; e co-
mo essas remessas nao se achara equilibradas cora
o curo importado aqui em barra on moeda, segura-
se a neeessidade de recorrer aquelle expediente
aflm de impedir nm desequilibrio maior.
O commercio disto responsavel at certo ponto,
do commercio.
Alguns jornaes annuuciarara que Mr. Layard
dra a sua deraissao do cargo de subsecretario de
estado dos negocios esiraogeiros; essa noticia foi
porm prematura, por quanto esse funecionario
cedendo s instancias de lord Russell resolven con-
servar aquelle cargo at o fim da presente sessao
parlamentar.
Parece que Mr. Layard se acha magoado por nao
haver sido escolhido para ui) dos lugares de se-
cretario de estado que acabam de ser preenchidos,
por que a sede das especulacoes lera excedido aqui o "estes circumslanclas deseja retirar se de urna
os limites razoaves; pelo que cumpre s instui- posigao era que se julga humilhado : entreunto o
g5es de crdito, tal como aquella, fazer entrar as seu patriotismo o obriga a servir nesse antigo.car-
operagoes mercantis tfuraa raa prudente e soli-. o, alijne a sua retirada cause menor erabarago
da : a alga na laxa do descont nestas circums- ao Pldo em que est e ao qua[ nao deseja por
certo ser hostil. Tal a explicago que aqu leve
o successo que acabo de referir.
Neste paiz continua a reinar a molestia no gado
bovino, havendo mesmo augmentado nas semanas
ultimas. A sciencia nao tem podido esc ibrir ain-
da ura remedio para isso, e as autoridades tem
molestia se es-
Quarlel general do eommando das armas de Per-
namlineo na cidade do Recife, 12 de fevereiro
de 1866.
Ordem do da 199.
O marechal de campo commandaite das armas,
faz certo para conheeiraento da guaroigao e divido
efTeito, que segundo constou do offlcio da presiden-
cia de 10 do corrente, foi em portara da mesma da-
ta despensado do servigo da guerra para qoe esteva
designado o Sr. teoeoleda 2 a companbia do bata-
linio n. 28 de Infantera da comarca de Garantas
Antonio Baptisla de Mello Peixoto.
Faz igualmente certo qae fondo o Sr. Dr. Alixan-
dre de Souza Pereira do Carmo, de seguir para a
corte oo vapor fraocez procedente da Europa, aflra
da tratar de negocios de sen particular interesse,
passou hontem a administrago da enfe maria mi;
litar desta cidade, qoe se acbava a seu cargo, ao
Sr. Dr. Pedro d'Alhayde Lobo Mosco/.o. aquem o
mesmo marechal de campo designou para este ser-
vigo e que foi por elle aceito.
O referido marechal faltara com a devida justi-
ga, se deixasse nesta occasiao de pateotear que o
Sr. Dr. Pereira do Carmo, tem prestado servigo
mal valiosos desde qne incombio-se gratuitamente
do servigo e direegao de bra estabeleciraento mili- .
lar de sade, que ba contado era trataraenlo diarlo i a; Liverpool;
para mais de cem enfermos, addiceionando a esto veesend ; de
servigo o das inspeegao de saude era numero avu4>
tado, e quasi que diariamente, com a organisage
dos corpos de voluntarios da patria, guardas nacio-
naes, qae tem marchada para a camoanha do sol,
e dos que anda se aeao era organisagao, grete-
rindo deste modo a sua clnica particular, e" os
seus coramodos pessoaes, de se oceupar do serviejb
publico a qae expontaniaraentese vfKQu na quadra
actual. i
tandas um meio salntar, se bem qae venba emba-
razar por outro lado o desenvolvimento do com-
mercio em geral.
Nos Soint Slaek-Banks o descont tem regulado
de 6 >4 / a 7 / sobre firmas de primeiro quali-
dade.
Os consolidados inglezes 3 /. cam a 87 '/. A consegnldo apenas .impedir que a
renda franceza 3 % a 68 frs 70 c. prego Arme paHe por toda a superflcie do paiz.
vista da impressao favoravel causada pelo recente Os males porm cansados sao ja immensos, ten-
discurso cora que o imperador Napoleo abri o do produzido a ruina de maltes agricultores e af-
corpo legislativo 'BClaao era Bera' ,s classes sociaes pelo prego a
Os fundos portugaezes 3 % teem sido vendidos j que tem ebegado a carne na Gra-Bretanha. O go-
a 43 ex-divideodo. Os hespanhes 3% a 41 \i- Os | verno lera sido solllcitado a mdemnisar os prejui-
italianos 5 /. a 61 e 62. 8 6 % de Buenos-Ayres zos soffridos, mas como poderia tomar sobre si essa
a 83. E os mocos de 4 /. garantidos de 99 a 100. responsabllidade t O qae Ibe cumpria azer, e o
O algodo de Pernambuco flca colado em Liver- qoe tem feito, era estudar a causa da molestia e
pool de 23 d. a 23 d. y por libra ; o do Maranho temar certas medidas para atalha-la, embora em
a 24 d., e o da Babia e Macei a 22 d. K, tambera I resultado nao tenfia conseguido o seu intento,
por libra. Na Ir'anda esiabelecen-se um cordao sanitario,
Cacao do Brasil de 40 s. a 67 s. por 112 arralis' qoe at hoje lera logrado evitar qae all o mal ba-
inglezes, que fazera nm cwt | J flito o progresso apresentado neste reino.
Caf do rasil de primeira qualidade de 72 s. a: No dia 14do eorrente o vice-rei da Irlanda decla-
83 s. por cwt; dito de segunda de 60 s. a 68 s; e or-1 roa os condados de Dublin e Tipperary em eslado
dinario de 48 s. a 59 s. a 6 d. por cwt. do sitio, vista das macbinagdes all descobertas
Pao Brasil de 60 s. a 70 s. por tonelada. era favor do fenianismo. S. Exc. ordenon a irame
Assucar branco de Pernambuco e da Parahyba ', date entrega das armas, salvo a respeito daqueiles
de 24 s. 6 d. a 27 s. por cwt; raascavado de 20 s.
a 24 s. por cwt.
Branco da Babia de 24 s. 6 d. a 26 s.; e masca
vado de 20 s. a 23 s. 6 d. por 112 libras inglezas.
para consrvalas tivessem autorisago especial ; e
leo tomado tedas as disposigdes para snflbcar a
insorreigo. qae essa associago projecta fazer se-
gundo se Aprehende das communicagdes intercep-
Couros seceos do Ri de 6 d. a 8 d. % por"libra | ladas e da apprebensao de mpnicdaa de gaerra foi-
e salgados do Rio Grande de 4 d. a 6 d. por libra la em Dublin e oatros pontos.;. A m disto, o con-
Na nllima quinzena boave o segrate movlmen-' gresso dos Fenlans de Nova-York prosegae no sea
to martimo
Do Brasil chegaram a Inglaterra : da Baha Neto-
plano de nsnrreigao da Irlanda, havendo mesmo
formado all nm immenso arsenal em que est
ion (10) a Liverpool; do Maranblo Annie Williams reuniodo os meios com qae pretende realisar as
(1Q| a-Liverpool; de Pernambuco Hetty Mary lli) expedlgSes contra a Irlanda e o Canad'. Ora.judo
do Rio Grande Victoria (16) a Gra
Pernambuco An diy (17) a Liver-
pool; do Maranho Empreza (17) a Liverpool.
De Inglaterra seguiram: de Liverpool vapor
Newttn flO) para a Baha; de Liverpool Mary (12)
para Pernambuco; e de Liverpooi|Arapo (17) para
Pernambuco.
O ministro do Brasil nesta corte acaba de ausen-
tarle para Pars, onde tem tambera a tratar dos
negocios pblicos do imperio em conseqnencia da
raisio especial qae all e'xeree. S. Exo. nao fui ain-
Receba pois o Sr. Pr. -Pereira. d Carmo o m* da recebido por S, M. a raipaa, mas teada.se posto
islo Inquiete o governo inglez, e por isso est to-
mando todas as providencias aflra de malloarar o
intento dos revolucionarlos, qae at ja' chegaram
a tentar contra a vida do vice-rei da Irlanda.
As noticias do Chile qae aqui recebemos che-
gara a flns de dezembro ultimo. O bloquelo de al-
guns portes chilenos pela esquadra hespanhola
cooimuava a ser mentido, mas a corveta chilena
Esmeralda lograra capturar a canhoneira besoa-
nhola Covadonga, que bloqueiava o porto de Tal-
chuano ; este successo causara viva satisfago em
Valparaso, pqde UQuaffl Ja' chegado os pnsionel-
DIARIO DE PERNAMBUCO.
Temos vista cartas e jornaes da Europa, ira-
zdos pelo vapUr francez Guienne, coro datas : de
Humburgo*), de Paris 24, de Londres 23 e de
Lisboa 29 do passado.
O generalPrim entroaem Portugal, indo para
Barrancas, povoago, na fronteira do districto de
Bja, acompanhado pelo bneadeiro Milans de
Bosck, offlciaes superiores, e 37 capites e subal-
ternos, 638 pragas de pret e 859 cavados dos re-
giroentos de bussares de Baylen e Calabrava. Pelas
5 horas da tarde apresentou-se o commandante de
carablneiros de Hacha, como representante do go-
verno hespanbol, e recebeu das mos do- adminis-
trador do conselho de Moura os cavados e arma-
mentos que este havia recebido dos emigrados
hespanhes.
O governo portogaez abona 60 ris a cada ora
ga de pret, e 400 ris a cada offlcial eratgAd, e
preparou-lhes alojaraentos era Cascaes, Vendas
Novas e^tubai^parrd raandoa destacamentos
maTSdos por capilo.
ae> Cenerl Prim cnnraHn /"~ :-"lH em
LisDoa ; dfzia-se que o governo hespanhel dirigir
urna note ao governo portogaez, pedindo-lhe qae
nao consentisse a residencia em Portngal ao conde
de Reos, mas, baja oa nao bavido corresponden-
cia diplomtica a este respeiio, o povo porluguez
hospllaleiro, e o seu governo bastaole liberal e
patrioiico para nao recusar tees exigencias.
O general Prim assim qne entrou em Portugal
recebeu concessao do governo portogaez para vir
para Lisboa. O Sr. marques de Niza ollerecen-lbe
o seu palacio para residencia do Ilustre general.
Era Bja onde a gente illuslre daquella cidade
prepara urna recepgo condigna dos (Ilustres hos-
pedes ainda o geaeral Prim nao tinha entrado no
dia 25 as 8 e raeia horas da noite.
A imprensa ministerial hespanhola continuava a
dedicar os seos artiges ao movlmento revoluciona-
rio, procurando mostrar que todo o paiz repellio
a tentativa de Araujuez, porque a Hespanha est
salisfeita do rgimen porque se rege.
A Poltica declara qae a entrada do general
Prim era Portugal pox termo revolta, accrescen-
lando quo os partidos que existen) na Calalunba e
era Arago nao merecem importancia. O general
Zavala ministro da marinha chegou a Madrid na
noite de 22 de Janeiro. Os despachos offlciaes
publicados na gazeta dizem, pelo que respeita as
columnas que operara naCatalunha, qae era pro-
vavel o seu encontr com as forgas dos sediciosos.
A Poltica noticia qae o baado capitaneado por
Escard lora alcangado e balido em Riba pelo bata-
lhao de Leo caasando-lbe muitas raortes, fondos
e prisioneiros ; diz tambera que o resto da forga
dispersa.
A Gazeta publica um decreto de 22 de 22 de
Janeiro exlingoindo os regimentos de cavallaria de
Calatrava e de Baylen, 2* e 4 de bussards.
O Moniteur de Pars annuncia qae doze bata-
Ihoes de infamarla e ura esquadrao de lancetres
forara postos disposigo do commandante militar
de Tarragona para dispersar os bandos1 que apre-
sentavam naquella provincia. Esta noticia escrip-
ia no Moniteur, coincidindo cora a reserva qne
sempre tem mostrado neste assumpto, mostra que
o raovimento da provincia de Terragona tem bas-
tante importancia em presenca de ama forga lo
consideravel qne all se poz em aegao.
Corra nos circuios mais bem informados que o
duque de Tetao pedir a sna deraissao do cargo
de presidente do conselho e ministro da guerra.
Iras 20 offlciaes e offlciaes inferiores sahiram de
Madrid, na raanha do dia ,20 com destino para a
ilha de Fernando P, para onde o governo os man-
da degradados.
O bolhetim del pueblo y del exercito qae se pu-
blica clandestinamente em Madrid referinde-se
tentativa de soltar os presideados de Alcal, ex-
expressa-se nestes termos : Entre as indignida-
des de qae o presidente do conselho de ministros
se fez ecbo no senado, merece particular raengo a
que se refere sapposta sublevago do presidio
de Alcal. Quiz desacreditar a revolugo, sup-
pondo que este necessila para triurophar do apoio
dos presidiados.
< Insensatos qual a cabeca medianamente or-
ganizada capaz de coneeber semelhante plano I
Para que servirla essa genie t
< O here do Campo das Guardias qner afogar
em sangoe a revolugo ; baldado empenbo. A re-
volugo iriumpbar, porque a maoifesugao es-
pontanea de um povo oppnmido. Para vencer bas-
tam-lbe os esforgos do partido liberal, que gran-
de o apoio do exercito, to liberal como vleme, e
o descrdito do governo. Para que mentir mais ?
Depois chama forgas supposta sablevagao e diz
qae o fuzlamenlo se veriflcoa s 7 horas da ma-
Os jornaes de Barcelloaa publicara um despa-
cho telegraphico dirigido pelo duque de Tetao ao
capitao general daquella provincia, o qual termina
assim : Proceda V Exc. com deciso ; reprima.
lego empregando a forga qualquer tentaliva contra
a ordem publica, e a tranquillidade Acara tanto
mals slidamente segara, quanio maior e mais tre-
menda for a repressio.
Por aqui se poder bem avadar qual tem sido o
comporiamento do governo hespanhol em presenga
da manifostago militar e popular feita contra elle,
e de que era cabega o general Prim I
A rainha D. Isabel II dea a' luz, no dia 24 de Ja-
neiro, a's II e horas da aoite, um novo infante,
com feliz successo.
No dia 22 leve lagar a abertura das sess&es
do corpo legislativo fraacez, pronunciando o impe-
rador o discurso do costme. Acerca da poltica
externa disse elle:
< lo exterior a pai psrece nssegwtija em todas *

-

^

i
}
1


a* partes, por resolier araigavelmente as difflcaldades
era voz
de as turmoar pela forca das armas? A reuW as desoceos occorridas foram sempre provocadas
das esquadras inglesa e francesa ncs raesraos por-
tos demoosiroa qae sis rela$5e formadas nos ean-'
pos da baialoa aao se eofraquecorara ; o lempo
servio para ciffleoUr o alborto entre as duaS na-
coas, (kim referencia a' Allemaoea, a minha in-
tenco i\ coQaaar observando urna poltica de neu-
tralidad 3 que, si;m obviar ao nosso prazer ou seti-
tmenlo, nos permuta sem embarco algama ves
perraanocer estranhos a's quesW que nio affer
lant directamente os nosses mareases.
Alalia, reconhecida por qaasi todas as poten-
cias da Jaropa, consolidoa a sea onidade inaugu-
rando a soa capital no centro da pennsula.
. t Jolgamos poder contar com a escrupulosa
execucao do mudo de 18 de setembro e com a
cooliouaco indispensavel *o poder do santo padr.
Os lacos qne nos uoem a' Hespanha e Portugal se
estreiui ara pelas rninhas ultimas entrevistas cotn
bos iaie|ikWlJae4Vi
outros pontos, depreheade-se_ase em toda a parte
-^Ualtic
Mari* ic reramfcac* Vcrft letra lt Feverelr de 1866.

lam
aaa wa-
pelos blancos, sao ojie ie desconSasse da existen
oadeumpreaocMibiaWY ..... **
ntrrn.sittff W***
As reformas apresentadas pelo governo ans,
triaco a respailo de Veieza foram apenas se ao-
ouaclaraa, consideradas como medidas liberaes-
julgando-se que o gabinete aosiriaco tendo com-
pretondido os erros pastados queira conceder aos
potos italianos qae ha amito lempo opprime, alga-
mas garaatlas que os eocaminbassem para o cam-
po liberal e das reparantes, mas nao succedeu as-
sim ; a Austria s quiz tratar dos seas luteresses,
sem attender aos direitoi e as vontades e oessida-
des da populacao.
A parte qe se refere as drcomscnpcSes lerrilo-
riaes na (erra firme puramente econmica, e no
iateresse do orcamento anstriace, por isso que sen
eidade de manter a reorgaofsacio e
bem para o futuro os fondos necea
llsaco. >
Quanto a questo dos ducados diz o agoiLe :
Havendo a Austria pela convenci de OmHB
cedido a sua parte da soberana sobre' a batata-
burgo, ao re da Prussa foi este ducado MoaMe a,
coroa prosslano. A vontade de el-rei que esse
ducado gose de todas as vanlageos, proleco e coi-
dados qae tea direito a esperar da sua uoiSo com
a Prussa.
A deciso definitiva acerca do futuro dos du-
cados de Scbleswig e d Holstein flcou reservada
pela oonveogao de Gasteimuiara um accordo ulte-
rior ; mas pela posse de Schieswig e pala posico
que conqolsloo no nolsteln, a Prussia adquiri urna
sufficiente garanta de que se nao ba de tomar essa
os soberanos de rabos os reinos. Tendea partic do mportaotes as vaotoseos que resoltara ao orca-
pado comigo da indigoaco geral produzida por o meato e insignificantes no qae dii respailo aos po-
assassinato do presidente Lincoln, 9 recenleaiente s; estes nada tem a colher na medida adoptada,
amorte do re dos Belgas caosou unnime pesar, g porem na resoaco tomada pelo imperador
No Mlico o governo fundado pela vontade do rraaiseo Jos ama providencia qae parece resol-
povo se consolida ; os dissidentes vencidos e dis- ar a favor de Veoeza, por isso que colloca esta po-
persos necessitara chefe, as tropas naciooaes de-: ToaSao luimediatameote subordioada ao governo de
moostraraoi o seu valor, e a.naci edcontroa ga- Viena, destacaudoa do territorio veaeziano.
rantias fle ordem e segoranea que fragmentaran o
sen commercio, s com a Franca de 2 a 7 milhoes.
e desenvolveram-se os seus recursos. Conforme a
esperan;a qae manifest! no ultimo anno, a nossa
expedlcao est a terminar. Trato com o impera-
dor Maximiliano em fizar a poca da volta das
nossas tropas, aflm de que ella se erelue sem coai-
promettor es interesses rancezes, que defendemos
n'aquelle longinquo territorio.
A America .do Norte victoriosa n urna lata
formidavel restabeleceu a aotiga uaiao, e procla,
moa solea oemente a abbelo da escravatura. A
Franca qne nao olvidou nenhuma nobre pagina da
sna historia, deseja sinceramente a prosperidade
da grande repblica americana e a coutirmacao
das relacdes amigaveis, cedo regulares. A emocao
produznla nos Estados-Unidas pela presenca do
nosso ejercito no solo mexicano desappatecer pu-
la franqueza das nossas declaracdes. O povo ame-
ricano comprebendera' que a nossa expedico, a
qaal o convidamos, nao era opposla aos uossos in-
teresses. Duas nacoes igualmente zelosas da sua
independencia devem evitar todo o passo que com-
promettesse a sua dignidade e a soa honra. >
Em segniraenlo, referindo se aos negocios inter-
nos, falla dos bons resultados das reformas admi-
nistrativas, que l.u sido votadas as ultimas ses-
soes, dos projectos que bao de ser apresentados,
do estado Qoresceote das linancas e das economas
qoe devem realisar-se. Finalmente tsrmina com
os segninles paragraphos, que saj urna resposta
aos boatos sobre novas coaeessdes polticas, e ade-
fesa das insliiuicoes do imperio contra os ataques
do parido liberal:
Eoi presenca desta prosperidade sempre cres-
cente, es espiritos inquietos, sob pretexto de acti-
var a marcha liberal do governo, pretendiam em-
baracar o andamento, tiraodo-lbe toda a (orea e
toda a iniciativa. Lancaram mi de urna expres-
so de Napoleao I, de qu eu me servi, e quise-
ram coafandir a instabilidade com o progresso. O
imperador, declarando a necessidade do aperfei-
i;.iamenlo successivo das insliluicoes humanan,
qneria dlzer que as nicas mudanzas duradouras
sao aquellas que se operam com o terapo, pelo me-
Ihorann nto dos costames pblicos.
Estes melhoramentos bao de resaltar da trao-
qoillidade das paixoes, e nao das modilicaces in-
tempestivas das nossas lels foodamentaes. Qne
vantagem pode effectivamente naver em aeoeiiar
manbaa o oe se rejeita na vespera ? Areonslitui-
cao de 1852, sojeita i acceitago do povo, empre-
hendeu fundar um systema racional e sabiamenie
pondera sobre o justo equilibrio erare os difieren-
tes poderes do estado. Mantemse em igual dis-
ta ocia de duas situaedes extremas. Com ama c-
mara senbor da sorte dos ministros, o poder exa-
cutvo nao tem aotoridade, nem espirito de anda-
mento ; nao ha exame, se a cmara electiva nao
fdr indt pendente, e nao estiver na posse de prero-
gatvas legtimas. As-nossas formulas constitucio
naes, que teera urna certa analoga com as dos
Estados Unidos, nao sao defeituosas, porque diffe-
rem das da Inglaterra. Todos os povos devem ter
instituicoes proprias, conforme o seu genio e as
sujs io-tituigoes. Todos os governos leem de cer-
lo os seas dC'e't0S ; m,s> laceando um olbar para
o passado, applauilC d ver.- n0 Uoa d,ft 1ualor"
ze aunas, a Franca respeiiaaa uC estrangeiro,
tranqoiila no paiz, sem presos polticos as uas
cadeias, e sem exilados alera das suas fronlei-
Em Franca a queslo do Mxico lera ltima-
mente altrabido com mais especialidade a alleocao
publica, e por isso que sle assnmplo sascilava
niaior numero de versoes: uns diziam qne o im-
perador faria menco das communi ;--coes confi-
denciaes dirigidas ao presidenta da repblica ame-
ricana outros pretendiam qoe as conveniencias
da actualidade aconselhavam a qne se nao fallaste
do Mxico no d>scurgo imperial; cairos finalmen-
te asseguravam que o imperador aguardava a che-
gada da malla transatlntica para em presenca das
ultimas informacoes se formnlar o paragraplio em
que quera estabelecer as ipinioes do gabinete.
Entretanto todos concordara em que o governo
francez est poaco sati>fe to da maneira porque
tem procedido o imperador Maximiliano, faltando
aos rompromissos contrahidos; mas todos dizem
qoe Na.aoleo III nao querer abandonar sem re-
cursos, aera garantas, as instituiedes que elle
proprio creon no Mxico.
A proposito destas considerac5es analysava-se
em Pars as ultimas noticias dos Estados Unidos,
de qae se via qae o general Grant as margeos
do Rio Grande do Norte, eslava preparado para
atravesar em 24 boras para o territorio mexica-
no. A aitilude lomada pelo general Grant era de-
vida as provocarles da margem opposla do Rio
Grande.
Mr. Seward, ministro dos negocios estrangelros
dos Estados Unidos esenveo a 3 de novembro a
Mr. Biselow, chamando a seria atteocao do gover-
no francez para os processos militares, que ti-
nhara logar no Mxico, pelos quaes qualgoer Me-
xicano, que fosse fetto prisionero, de'fendendo
em lempo de guerra o sea governo, perda os di-
reitos i:ue as lels inleroacion^es coocedem inva-
riavelniinie ao prisioDeirot de goerra. a 28 de
novembra Mr. Seward escrevia tambem a Mr. Bi-
geloso, que Ibe ooostava por via de Homero, que
o generl Ortega Salazar, e rauitos outros offiiciaes
mexicanos haviam sido feiios prisioneiros pelos
imperialistas eexceptados; Mr. Seward encarre-
gara entilo Mr. Bigeloso de chamar a seria atura-
eo do izoverno francez, pedindo-Ute que informas-
so Mr. Urouyu de Shuy ministro dos estrangeiro
de Franca/ de que o governo federal americano,
tioha receido estas ioformacoes r m o mais pro-
fundo santimepto, e que se depois de um oque
rito, se reconbecer que taes informacoes sao ver-
dadeiras, os jEsiados Unidos nc duvida que o
governo francez, no que Ihe diz rei.pi to, se ha de
recusa! a prtstar o seu apoio a um procedimeoto
t.io contrario civilisacao moderna e as instioc-
tos da humanidad?. *
Mr. Bigelo-o escrevla a 30 de novembro e Mr.
Seward, que Mr. Drouyo de Shuys, referindo se
s repre.sentacdes de Mr. Bigelow, relativas exe-
cucao dos Mexicanos republicanos, Ibe perguniava
porque se nao diriga este respailo ao governo
do Mxico: Nos nao somos, dizia elle, o go-
verno do Mxico, e vos f^zeis-nos a honra de nos
tratar :ooio tal I
com um exercito
tanles, mas hSu somos respoosaveis pulo que faz o
imperador Maximiliano. Perguotai-lhe, como pra-
ticariei.- a respe to de qualqoer oolro gobern, se
violar signos direitos, .e na vossa. mo tendo os
meios ce obter ama reparacio. >
O iew-Orltaiu-Time assegora que o general
Granford ebegara Browoville munido de aotori-
dade necessaria para levantar ama divisan ameri-
cana e que o'aquella eidade e ootras de Texas, es-
tbelecera agencias de reerotamento, assegorando-
se que u'aquella eidade, e ootras do Texas, esta-
belecera agencias de reerntamento, assegurando-
se que os generaes Logax e Wallaee esto impli-
cados at sle mov menta
r-------------,., j. i
A Civaata dos deputados cntinuava a oceupar-
m coas a discusso da lei sobre liberdade de ira-
prosea
Esp*rava-se em Lisboa, a todos 'os momentos,
ama esqoadra .americana, qae se demorara' al-
ao lempo.
.A expoalfo ^o Porto devia encerrar-se no dia 2
do corrate, com assistencia de SS. MM. D. Luiz I
eD. Feraaado.
Na sessio da assembla geral, que o Banco Lu-
sitano celebrou o dia 23"do passado, discutio-se o
parecer fiscal que concloe assim :
I." Qoe sejam approvadas as conlas e geren-
cr da direcco at 31 de dezembro prximo pas-
sado.
2.a Que se ordene qae seja dado o aviso aos
accionistas remissos, de que nao verificando as en
2


A' priraeira vista parecer esta disposico favo
ravel, mas vendo as clausulas da reforma, depre-
hende-se que Veneza deixa de ser capital da pro-
vincia, a que os Austracos se obstinara a chamar
inda lombardo-veaeziana. Veneza tica p.ranlo
privada da sua municipalidade, dos recursos qae
Iba perteuciam para que possa ter urna existencia
propria.
A amnystia concedida pelo Imperador da Austria
tambem considerada como orna irrisao, por Isso
que da soa applicacio sao excluidos os condemna
dos politices.
As pessoas emigradas e qae se achara condera-
oadas por delirios polticos sao lodos homeos de im
portancia, que a aranislii nao comprebende. A ara
nystia vpplica-se pois as classes inferiores, que
ueu rama influencia denotara, e que apenas foram
instrumentos dos que estavam iniciados no grande
movimento contra a Austria.
Os emigrados venecianos que se acham na Ita-
lia liveram urna reuqio em que concordaran! con-
siderar como illnsoria e inaceitavel a amnystia. A
municpalidade de Veotza regeiloa o projecto do
governo austraco, que eslabelece a diviso do ter-
ritorio veoeziaoo.
A congregacao de Veneza, e a congregacao pro-
vincial de Padua recsaram-se agradecer ao impe-
rador as concesses feitas aos emigrados protestan-
do ao mesmo lempo contra o projocto qae separa
Veneza do reino Veneziano.
O Journal des Debat apreciando devidamente
as medidas concedidas pelo imperador d'Austria
diz: \-
c Fazer de orna cM.ue agonisaote ama eidade
mona, foi o beneficio que a Austria pretenden re-
servar a Veneza, seounoo se diz. Fez de Veneza
urna eidade immediaitswln, expresso fradesca, li-
songeando-se de que na opioio europea, pouco ini-
ciada nesla especie de linguagem, hade ser tradu-
zida pela da eidade tivrv. Livre, isto solada;
solada, isto privada ce todos os recorsos, de to-
das as relacoes, de ludo quanto da' vida, ou antes
(urna vez que se traa do Veneza) de tudo quanto
nao deixa viver, mais que impede de morrer I A
Austria tira a Vneta o pedaco de trra firme, qne
desde o eomeco destd scalo, depois de Campo For-
nio, traba a si aooelado, para que os seos habi-
tantes despojados da soa independencia, e de toda
a prosperidade, tirasiem pelo meaos os meios para
viver. Dado este passo, ninguem poderia contes-
tar os meios de por terreo a sa victima.
O projecto de solar Veneza nao data de ago-
ra ; ja foi em diversas occastoes acariciado pela
Austria e recelado pelos Veneziano.
< Por occasio das conferencias de Bruxellas
nos lins de 1848, escrevia o ilustre Masim, ao en-
viado veneziano .Valentino Pasioi:
< A idea de isolar Veneza e de a transformar
em eidade ansetica deve ser por nstcombaitida e
regeitada com a inaior energa.
So estado actoal da poltica e do commercio,
Veoeza pouco lempo devia existir deuuis do seu
isolameoto. Nao podendo os seus recursos ser suf-
ficieotes para manter om exercito, nem ama es-
quadra, formar-se-hia urna nova Cracovia, e a sua
independencia seria lilosoria.
Era fevereiro de !S49, lomava Mr. Masim a es-
crever a Pasioi.
c Seria para receiar que seno quizesse deca
videncia da nica eidade de Veoeza;
o deixareis de seguir as nossas ios-
. .jwmn itf iouuiuiei ue ii'j;"vulli"jaiend0 6
repellindo energicameoto esta epheoiera indepen-
dencia...
No recejo de urna semelhante solucao devenios
esludar os meios para tornar menos desastrosa a
desgraca; e reformas condemnadas a ser soladas,
dtvereraos exigir que pelo menos seoo negu a
possibilidade de existir.
Julgaraos por conseyaencia dever indicar-vos
algumas eondlges sem as qoaes a cousiuicao
de Veoeza, em eidade livre sena completamente
irrisoria :
1." A sua independencia deve ser ablolata, af-
lando-se iodo o protectorado poltico;
t 2. Veneza deve ter urna certa rea de terri-
torio sem o quai nao podara existir.
O que ha boje de novo, prosegue o Journal
des Debis, nSo se tirar a Veneza somente o ter-
ritorio povoado por nns qumhentos mil habitantes
que Manin reclamava na ierra tirme para assegu-
rar a sua existencia, mas a parle que fornece aos
veoezianos a sua susteutacao. Onde podera a ei-
dade encontrar os seus reodimentos.
Ella que Ja boje as nao encootra senao no m-
posto laucado sobre as casas, e quando a maior
parte d'essas easas esto fechadas, inhabitadas e
arrumadas, quando os proprietarlos apenas tirara
para cumprir a obrigaco de pagar um Imposto,
que se maniera, por assim dizer, por patriotismo,
O poneo commercio que Veneza sostena an-
da nao deixaria de enflaquecer, porque nao sendo
um ponto austraco, nem om porto italiano, deixa-
ria todava de ser um posto veueziano. Separada
da arvore d'onde recele anda alguraa sombra e
substancia, Veneza morrera.
A Austria t-la-ha matado a saogue fro, ap-
parentando pretender torna-la livre. Mas porque ?
quemsabe?... Talvezpara conservar a quadrl-
lateio e as proviocias da antiga Veneza reservn-
dole a Austria fazer admirar ura dia a sua inge-
auimidade na horopa! ao passoque abandone a
Italia o cadver qae fez.' >'
Fizemos-to extenso extracto do Journal des De-
buts, talvez ncompativ^l cum a brevidade desle re-
sumo poltico, mas foi ara Ihes raostrarmos qae a
opmio do jornal francez, fi. se pode dizer a fle to-
da a Europa; e qnal e o alcance das concessSe*
(eias pelo imperador Francisco Jos ao reino Ve-
neziaoo.
O imperdojHsd'Austra recebendo ltimamente
urna mensagem que Ibe ful apresentada por ama
deputacao de vohemieps) prometteu dirigir-se a-
quelie paiz para se fazer coroar re da Bohemia.
A maneira porque o iinp ;rador foi recebido em
Pesih, e o systema adoptad? pelo seu governo para
com a Hupgna, servern de justiticaeao a mprensa
de Vienna para recomineajar urna poltica anlo-
ga a resp.-to da Bohemia, e tamo mais cuanto da
parte tfaqaelle paia^se otlerecera menos exigencias
do qoe as que se compj-euendlam na: potencias do
partido hngaro.
0 g> verno austraco trabaiha para a concentra-
Julgamos dever ir ao MexTco'tf0 (**8 dilTerentesnacipnalidades.de que se com-
para defender interesses mpor-1 P5e "npeno, mas o carcter e a ndole de aliaos
' pavos que hoje aceitara s concesses a^ie se Ihes
offerecera sao elementos de difflcil tuso; alm
disso o rgimen constitucional existente na Aus-
tria, nao satisfaz anda as exigencias de om forte
partido, nem da sulflcientes garaotias aos senti
melos liberaes dos povos annexados ao impe-
rio.
A cmara prussiana jbrlo-se a 15 de Janeiro
assistinao a sesso o conde de Bismai k em nome
do re; v-se pela mensagem qoe o decurso entre
a cmara e o governo nio preoecups este; e oos-
tra-se claramente qoe po lendo durante a ultima
sesso chegado o governo e a cmara a urna com-
bioacao ni parece de crer que o gabinete possa
a.sim qoe" por mase explicara as aoticias da esperar resultados favorafais apresentando novas
Amrica, e (odas estas circurastaneis.* davam gran- propostt
decisio se nao de accordo com os int resses nielo- iradas das preslacSes em divida e respectivos ja-
naes da Allemanha, e com as exigencias legitimas ros no prazo de tres mezes, Ibes sera' applicada a
da Prussia. pena do ar t. 15 dos estatuios.
Apofando-se na soa propria conviccao legal, < 3 Que seja autorisada a direcco a receber
confirmada tambera pela opmiao dos syndlcos da como accionistas os dissidentes que pagando as
coroa, el-rei est resolvdo a manter essa garaolia prestarles em divida e respectivos juros desistara
em todas as circumstancias, at que se alcance o da aeco que contra este banco intentaram, dan-
flm lodieado, e sabe qne n'essa resologao recom- do-Ibes cooheclmento desia deliberaco da assera-
mendado pelo senlimento do sea povo. bla geral por documento oo processo.
< Declara depois que ser apreseotado a cmara! 4> Qae se espere a deciso dos tribuoaes qoan-
um projecto de lei tendente a preparar a execucao to aos dissideates que nao aceilem a convenci
do canal do Mar do Norte para o Bltico ; recorda cima.
depois qae lendo as estipulacoes de Gasteim esta- < S. Que da conta de ganhos e perdas seja pas-
belecido o porto de Kel, como o morando para a sado a de fundo de reserva a qoantia de 1,8893011
futura esqoadra allem.la, porience a cmara hab- rs., em cooormdade do qae disp5e o art. 31 dos
estatutos.
6.# Que da conta de ganbos e perdas seja ex-
tomado para crdito da urna cania interina a qaan-
tia de 5:3o7445 rs., imposto dos jaros sobre o
desembolso dos accionistas dissidentes calculados
a razo de S por ceoto al 31 de dezembro at que
de importancia aodiscorso do imperador Napoleao.
-N'ilgo* pootos da repblica americana tem
havido i;raves desordene entre os brancos e os ne-
gros. Ha mais de seis mezes, qae as Comas separa-
tistas predi si ana estas desordena da parte dos ne-
gros, iidicando o da de oatal, oo o piimeiro dia
do anno.
As correspondencias da Virginia, da Carolina do
A Ituacao contj,na a mesrna, e apezar da atti
lodo lomada pelos deputados prussiaoos, Mr. de
Bismark acostamou-se a gerir os negocios sem or
cemento e a dar execucao a nova organisacao mi-
litar, indepententemente do voto e do concurso da
cmara.
E chamase a esle syslema constitucional.
Na mensagem, a respailo da questio peodente M-
lilar o governo a encetar sobre bases mais conve-
nientes negociares com os estados adiados.
A cmara na sesso tromediala reetegea para
sen presidente Mr. Graboo, cuja historia parlamen-
tar bastante coobecida ; e que depois de prestar
juramento pronoocioa ama allococo em qae cen-
sarava severamente a aitito.de da empreza reacelo- sejam resolvidas as questoes affeilas aos tribuoaes.
naria ; e prohiblco da fasta dos deputados de Co- i t 7." Que seja pago direcgo a qoantia de-----
lonia, e as medidas tomadas coatra os joroaes fuoc- 1:8895011 rs. em conformidade do mesmo ary"go
clonarlos a associacoes. Lameaiou o conflicto coas- dos estatutos.
tituconal. assim como a resoluco que sobr'estava < 8. Que no art. 6o do regolaraento da Caixa Fi-
execucao da legislaco poltica. Mal oo Porto se addicidne o segrate paragrapho :
< So a liberdade, disse elle, pode condozir a c Quando porem a porcentagem se distribuir
conquistas moraes, a solucao da queslo dos duca- pelos agentes, nao alllnglr 5005 por cada um, Ihe
cados, que se complica anda mas era presenca da sera' garantido como mnima esta qoaotia.
convenci do Gasteim, e nnlo federal da Alie- j 9." Qoe seja distribuida por 23,354 accoes a
manha. > {qoaotia de 33:863^300 ou IjHo'O rs. por cada urna.
Veremos o desenlace desia qneslo. 10." Que deis um voto de loovor a direcco
A appreheosao da caohooeira hespanhola la pela sua zeloza, prudeDte e esclarecida adrarais-
Virgen da Covadonga, por ura navio de guerra traco.
coileno attrahe a atteoco para o conflicto soscita- c Os argos Io, 2o, S 6o 7o 9o e 10 foram appro-
do eotre aqoelles paizes. Na manha de 26 de vados. O art. 3o foi approvado eom a restrieco de
novembro quando a canhoneira Vtrgem da Cota- ser dentro do prazo de tres mezes que a admis-
donga navegara para o sul passando por ura Papa- sao des dissidentes se poda verificar. O art i" fl-
do, o navio de goerra. chlleoo Esmeralda qoe se cou prejudicado ; o art. 8 ficoa adiado por ser j
achava oaquelle porto fez-se de vela e cioco mi- muito tarde. Por esse mesmo tivo oao hoave elei
Ibas eneontroa a canhoneira hespanhola, rompendo c5es qoe se devem verificar oo prmeiro de feve
logo enlre elle? o combale qae foi presenciado dis- reiro prximo, acabando de se disentir nessa oc
preco do algodo a 18*000, soceeda aio-taraM Appellante," o Julio : ppellado, Joaqom Gome
esle o prego geral, e sim lio someote de ama veo- de Soaza,.
da ptaso; pois qpe p pf ecp geral foi flti J8J0 A} armellacoesiteis.'
ealgamas no niesmo dia .de *^a paw cerretor Stepple- e comprador Antonio Da- uda, D. MariaBarboaa de Mendanha.
booreq a 17#d000; fle coja njibcaclo. espeto a Appell*e>, fj. Hara Aona de Pre -GevaleaMl;
benevolencia de V. S., afim de por este meio fazer ppellado, Jos Fraocisco accoIi Lios.
desapparecer algam juizo desfavoravel que possa
apparecer sobre os precos do algodo no mencio-
nado da de sabbado. Sea assignante, Um com-
prador.
Sabio do Lisboa para o nosso porto, no dia
26 do passado, o vapor Inglez Araqo, da liaba de
Liverpool.
Eis as noticias commerciaes, qne extrahimos
dos jornaes da Europa :
Hamborgo, 20 de Janeiro.
O assucar braoco vende-se de 19 4 21 seb, por
por 160 e o mascavado de 17 1|4 4 18 3j4io
o caf de 4 3|4 a 7 3i4 por % segundo a qualidade ;
o cacao de 7 Irl 7 l|2 ; os cooros
tinctamente pela populacho de Valparaizo O Es
meralda om vapor de 800 loneladas armado com
18 pecas de 24 e 32A Virgem da Covadonga ar-
mado com (res pecas rajada?, de 32 e de 68. O
Esmeralda a meia milha de distancia do navio hes-
panhol disparou quinte tiros, acertando qnasi to-
dos no sea alvo ; depois de meia hora de combate
o oavio hespanhol arreoo baodeira, eotregaodo-se
ao oimigo. Os prisioneiros, a correspeodencla do
almirante Pareja, e todos os livros de bordo foram
mandados para Santiados, e o Esmeralda affastoo-
se com a sua presa, igoorando-se o destioo que se-
guir. Os de mais oavios da esqoadra hespanhola
procararam em *o o Esmeralda.
A apprehenso deste navio, e a attilude tomada
pelo Per, recasando-se a prestar fornecimentos
esqoadra hespanhola nos portos d'aquella repblica
produzram a maior seosaeo no animo do almi-
rante Pareja, qae oovio esta noticia com a maior
tranqoillidade de espirito, suicidaodo se ponco de-
casio o art, 8, e urna proposta apresentada na ul-
tima reooio sobre a conveniencia de se substituir
a direcco desele membros, por ama gerencia de
tres membros.

PERNAMBUCO.

REVISTA DIARIA
Urna carta de Baixa Verde, cora data de 30
do passado, confirma a noticia do brbaro assassi-
nate do infeliz ur. E-tevo Benedicto Franca, juiz
municipal e delegado de villa Bella. Diz a citada
caria que, sendo asss coohecidos os inimgos do
Dr. Eslevo, ser fcil descobrir os mandantes e
mandatarios do cruel homicidio, duplamente gra-
ve por ser perpetrado na pessoa de urna autonda-
de publica, que alias nos constava ir procedeodo
pois no camarote do seo navio a fragata Cufiad de com toda a justica e regularidade. O governo da
Madrid com om tiro de pistola. O almirante Pa-1 provincia nao pode deixar de lomar na maior coo-
reja tinha 52 annos de idade, nascera no Per, ej sideraco esse facto atrocissimo, fazendo paoir se
era fllho de om general hespanhol que commaoda-' veramente os seus autores, quaesquer que sejam
va ento aquello vice remado : I as cores de qoe se revistara.
Nos Estados Unidos foi pablicada a seguate l Outra carta da povoaeao da Lagoa do Mooteiro,
proclamacao, alterando as dlsposicSes da eoostltoi-j de 4 do correte, diz quo o lente coronel Pedro
cao
AMendeodo a qoe o coogresso dos Estados-
Unidos adoptou no i de fevereiro de 1865, ama
resoluco concebida n'estes termos :
c Besolooao qae tem por flm propor as legisla
turas dos diversos estados urna emenda coosli-
tuico dos Estados-Unidos.
de Campos, partlodo de Flores com irezeolos vo-
luntarios, navia sofrido desercoes consideraveis,
promovidas pelos agentes da aulortdade publica,
que, com todo o deseinbaraco, guerretavam a or-
ganisaco do dito corpo. CUeoeole coronel Pedro
de Campos at receiava ser atacado em Serr-
branca por um bando de facclnroso, vindos das
Fie* resolvdo pelo senado, e pela cmara dos visinhancas de Ingazeiras, a tomar alguns crimi-
repn sentantes dos Estados-Unidos da America, D0SQi de morle condolidos por elle. Inielizmeote
reunidos em coogresso, e adoptado pela maioria de se \im a bocea clieia qae as autoridades de loga-
deus lercos das duas cmaras, que se ka de pro- zeira nao eram estraohas a esses manejos e lenta-
por as legislaturas dos diversos esiadosa. sefainui jjyas l EJo.res urna das comarcas, para oode
emenda a constitugao dos E!5uGi-0Idos-$i qaal, aeve segair o Sr.'Che de polica, afim de averi-
ifhTivesfejv- raciificado por tres quartas partes gUar qujj a 0rigem de tantos craies e desmandos,
d'essas legislaturas, fara' parte da constitaico ; a qQe par a||, S9 |em pralicado e que amearam o
saber : socego publie .
e Aitigo 1., seceo i.Nem a escravido, oem Ultinam-se hoje as folias carnavalescas, que tem
a servido voluntaria, excepto nos casos da puni- oceupado por esses tres das esta eidade, apesar de
cao de um crirae que tiver sido legalroente prova- (er se notado pouca animaco e ausencia de typos
do, podero existir em toda a extenso dos Esudos-devidameote caractersticos. Tirados os raros
Unidos, oem em ponto algara sujeito a sua autori- mascaras, que tem urna expresso significativa, os
dade. | deraais arrastam-se para phaniasia de um trajo s
< Seceo 2.*O congresso sera' autorisado a fa-1 mais das vexes desparatado.
zer as lels necessarias para assegnrar a execucao I q oej|0 ;ag0 0 sania Isabel lem sido frequen-
d'este artigo. Uado por grande copia de mascaras, animando
a Attoodendo a que, segundos os documentos of-1 assim o baile qoe nelle da' a respectiva empresa
ficiaes recebidos na reparticao a meu cargo, a emen
ra a constiloico dos Eslados-Uoids foi ratificado
pelas legislaturas do Illinois, do Rhode-Islaed, Mi-
chigan, Maryland, Nova-York, Virgioia, Oecideo-
taes, do Maioe, do Kansas, Massachussets, Pennsyl-
vaoia, Ohio, Missouri, Nevada, Indiana, Luziana
Minnesota, Wiscensip, Vermont, Tennessee, Arkan
a qnal por certo se tem esmerado em bem satisfa-
zer ao publico.
Alm da concurrencia da mascaras, tem sido all
para nolar a de familias da nossa primeira socie-
I dade, que, oceupando os camarotes, ha assistid.
| aquellas folgancas a que se entrega ama parle da
nossa populacao.
sas, Connecticot, Nova Hampshire, Carolina do-sol, j Folgamos de cooiigoar oesla occasio qoe tem
Alabama, Carolina do norte, Georgia, fazeodo ao j em tudo reinado a ordem desejavel, de modo qae
Norle e oo Toe*see aaoanciam qae no dia 25 do o seguiote
oez passado houwamgraodes tomillos com os U- Depois das dellberacdes esteris de rauitos ao-
berios. As folbas sulistas dizem qae um oovoco- cosa respeito da nova reorganisa<;ao rjo exercito., o
meco de iosorreJcao, mas os orgaos da uaio ame- governo nao poderia esperar um resoltado favora-
ricaoa pasto, qae oio occullem qus se derramoa vel, se apreseotasse de novo as suas nropostas. w-
saogue nm muta cidades, e que na verlflcaram nnur-se-ba p&is as disposicSts actowmente em vi-
bastantej prisoes, declaran qoe se niio traa de om g>r quanlo .rigaco do servico miliur. wmen-
movimeuto revolacionario, mas oa conflicto de lando esta resotujao qoe se v toreado a tomar o
roas, ftferno nao deixa de esur eunpeBotrado da nece-
todo vinte e sele estados .
c A i lendo a qoe o numero dos estad' s de tri-
la e seis ;
Atteodendo a qoe os indieados estados, cujas
legislaturas ratificaran) a emenda, abrangem tres
quintas partes dos estados ;
< Por consMoencia, eo, Willlam H. Seward, se-
cretario de estado dos Estados-Unido, em virtode
da segunda seceo do acto de congresso, approva-
do em 20 de abril de 1818, e qoe lem por titulo :
Acto que regula a maneira de promulgar as lei|S
nos Estados Unido?, certifico que a emenda ind -
cada e valida em todo o sea conleodo, e qne faz
parte da constituico dos Eslados-Unidos.
c Em f do qoe, etc.
Washington, em 18 de dezembro de 1865.
Willlam H. Seward, secretario de estado.
Acha-se oficialmente anonadada a priso de
Raphael ^emmes, ex-almiraote da marlnha conle-
derada e comraaodante do Alabama. Damos em
seguida a aecusaeo proferida c-nlra elle, assim
como o protesto do capito :
Accasaco ViolacSo dos usos da goerra. No
dia 19 de jonho de 1864, no porto de Cherbnrgo,
B,3pbae"l Semmes comraandv enlao o vapor re
beld conhecido pelo nome de Alabama ; houve
ara combate tre o dilo' vapor e o Kerstage, dos
Estados-Unido, e elle erdenoa era permitlio qoe
fosse aryorada a bandeira branca a bordo do vapor
rebelde, Vaproveilou a occasio favoravel' qoe Ihe
offereciam assfm a cerrafo do combate e a' con-
flanea qoe n'ejle fora depositada, para se escapar
do dltovapor rene Ida, afim de se sontrahlr a ne-
cess'dade de se render como prloneiro de gnerra,
e de escapar a grave respoosabilidade em que tn-
correra por esse faeto, e alm d'isW sem fcaver si-
trocado como prisioneiro, continuara as heMItida-
des contra os Estados-Unidos. Gid&oa 'WeUes, se-
cretario flo minislerio da mafiOib, 25 de novembro
de 1868. ^ f
Protesto.Senhor:No dia 26 de abril de
1863, commndava eo em Greensboro nma briga-
da naval, qae fazia parte do exercito do general Jo-
seph idrinsloo, e toma-parle n capWofacio eotre
e general Johnstop e majpr general W. T. Shev
man, commandante do exeretto des Estados-Uni-
dos da Carolina do norte.
Da parte do general Jonnston, a condico da
referida captola^lo dlzia qne o exercito do seu
commando cessaria lodos os acto* de guerra a coa-
tar dessa data da capltufaco, 26 de abril, como
assim digo. Considerando a condlco assim posta
pelo general Jonnston, o general Snermann estipo-
|ou que os cfilciaes e soldados de compunha o exer-
cito do general Jobnston, voliasgem a suas casas, a
all se conservassem sem serem Inquietados pelas
autoridades tos Estados Unidos, emqoanto respei-
tassem o compromisso que havlara conlrahldo e
obe'decessem as lels em vigor nos pontos de soa re-
sidencia, Foi prewboje por ordem do ministro da
marrana, com tima guarda encarregada de vigiar
a micha casa. Foi Informado de qoe voa ser coa-
duzido para Washington, preso para responder a
urna accusa?o naseada.em factos anteriores ca-
pitulaco enire o general Jobnston e o -general
Snermann. Como ha nisto da parte do general
Sberroann violacio de canItu,|aco, protesto respe-
tosamente contra esta prrsp.fl. $emnes.
i Mobtla, Alabama, 15 d dezembro de 1865. >
Era Portugal foi nomiado pardoreoo o pre-
sidente da cmara dos depotaflos- Roqoe oaquim
Fernaorjes Triomat.
pproyada a aov0io do
apenas vimos all o Sr. Ur. delegado sem nenhum
' ontro agente da forca publica, sendo someote soa
presenca sufficieote para a polica da casa.
Para os sermoes da quaresma na cathedral
de linda designou S. Exc Rvra os Bvds. Srs. :
i* dQrjoga, Leonardo Joo Grego.
2' dita, Antonio de Albuqoerque Mello.
3* dita, Lino do Monto Carmello Luna.
4* dita, Antonio Mnoel da Assumpco.
5a dita, Jos Esleves Vlauoa.
Mandato, Fr. Ludgero do S. N me de Mara.
Resurreico, Fr. Joaqulm do Espirito Saolo.
Amaoba faz o serrao respectivo o Rvd. Jos
Raymuodo Baptisia.
S. Ex. o Sr. cooselhelro presidente da pro-
vincia visitou, na semina fiada, em compaobia do
Sr. Ur. director geral da msirnceo publica, o
gymoaso, a escola normal e varias escolas pri-
marias.
Era lodos estes eslabeleciraentos de instruccao
publica foi S. Exc solicito em examinar o respec-
tivo estado, bem como o aproveitameolo dos
alomaos.
Foi nomeado parocho eocommendado da fre-
guezia de Cruangy o Rv.n. Aadr Carsioo d'Arau-
jo Pereira ; e, em coosequeocia desla nomeacao,
licou a cargo do respectivo coadjutor, Rvd. Ignacio
uezerra de Mendzes, a parochia de Iiamarac, que
por elle era regida.
Teve hootera logar a partida do Club Per-
nambucano, com animaco e concurrencia
t Tendo sido exoarado, a proprio pedido, o
reverendo Isidoro Alvares da Silva, da vigario en-
ommendado da parochia de Porto Alegre, no Rio
Grande do Norle,' roi nomeado para subsiiiuilo o
Rvd. Manoel Rodrigues Lampos.
Dos portos da Europa trouxe o vapor francez
Gueme 175 passaguiros, sendo 19 para o nosso
porto, o para a Babia, para o Ro de. Janeiro 68,
para Montevideo 29 e para Bueoos-Ayrss 54. Eatre
os do Rio acha-se o Sr.'bario A. de Pyck, eoviado
extraordloarlo da 18. M. o nel da Blgica Leopol-
do II, eocarregado decommooicar sua aseeoco ao
tbrooo. ir
-r Em cooseqaeocia ios reparos que se van fa-
zer o torca onde esta' situ^Jo o teiegrapbo, deixa
de haver sigeaes, al que esieja lado prompto.
A barca americana Lucey B. Ashby de 313
toneladas, qae arrlboa antenoolem ao aosso porto
para refrescar, qoaodo levanta va o ferr Is 9 ho-
ras do noite para segair sea destioo, escaceoo Ihe
o venta e perdeu-s* no arrecife delronte da igreja
do Pilar.
A barca la de Sanghai (na China) para N'aw-
York, com nm carregameoto de 4.418 caixas de
cha' no valor de 30.000 paiacoes. Perteocia a pra-
ca de Mytic (Conoeticut) nos Estados-Unidos foi
construida ha 6 aooos. Era propriedade do sea
capito Jonb P. Asbby, e nao eslava segura.
Hoatem mesmo salvaram-se a mastreaco, vea-
me, cordoalga, bagagem e grande parte da earga,
visto estar o navio completamente perdido.
lem do* portos do norle 'de sua escala, nao foi por-
tador de noticia importante do Oir.
, A alandega.daParaliyba rendeu, durante o mez
de jaaeiro, 83*i2*049.
A'eeroa da RHHita eommrefal, qoe honlem
seceos de 4
7|8 4 7 1|2 ; e'o tabaco de 5 1|2 9 acb. por .
Havre, 20 de Janeiro.
O algodo do Brasil veode-se de frs. 220 4 260 ;
o cacao de frs. 92 4 97|50 os 50 kilos; o caf de
68|50 4 87j50 ; os couros salgados seceos de frs.
62 a frs. 65 e os salgados verdes a frs. 44.
Porto, 28 de Janeiro.
O assucar braoco regala de 2$ a 2450, o so
meos de 14700 4 1*900 e o mascavado de 1*450
a 1*600 por eo cal de 3*400 4*000 seguo
do aqualidade.
Saturara : a 14; o brigue Unido e a barca Segu-
ranza para Hamburgo, e a barca tormosa para o
Maranho.
Chegarara, procedentes do Maraoho, a lera
Aurora 4 20, a galera Europa e a barca Alfredo
26.
Estavam 4 carga : barca Sympatltia e brigae
Esperanca para Peroaraboco ; e a galera Marta
para o Maranho.
Lisboa, 29 de Janeiro
O algodo vende-se de 400 4O rs. por t; o
arroz de 5*400 (1*100 por gq: o assacar branco
de 1*700 a 2*000 e o mascavado de 1*300 a
1*500 por (& ; o carao de 4*100 4 4*150 por @ ;
o caf de 3*400 a 4*200 por (55 seguodo a quail-
dade ; e os couros salgados de 85 a 120 rs. por Estavam a' carga : brigue Lata leo patacho
Flor de Maria para Pernambuco ; brigae Ligetrn
para o Para; e brigae Viajante para o Maraoho.
Sahiram : 4 15 barca Amazonas para o Para ;
a 16 brigae Boa-F, para o Maranho ; e a 24 br
gae Anglica para o dito.
Chegaram : 21 a barca Nora Palmeira do Pa-
ra -, e a 23 barca Flor do Vez do mesmo.
Por despacho do Ur. delegado do 1 districto
do termo d'esta eidade, datada de 10 do crreme,
foram pronunciados oas peonas do art. 269 do cod.
crimio. Casimiro Lacio lavares, (outr'ora Casimiro
Lucio Torres), Jos Gomes lavares e Francisco Xa-
vier de Mello, como autores do roubo de que foi
victima o almocreve Gabriel Nones da Rocha, na
tarde de 22 do mez de Janeiro ultimo, era e caes
de 2-2 de novembro.
E' mais urna prova da actividade, com qae pro-
va da actividade, com que procede a dita autorida-
de que pode conseguir capturar a ditos individuos
qoe, d'essa vez, nao escapara a acgo da le, e qae
oulros tinho elles conseguido.
Dos autos esta' provada coocladeotemente a an -
loria qoe cabe a esses individuos n'esse facto cri-
minoso e bem assim licou provado qoe houve des-
iruco de obstculos para a pratiea do crirae, pelo
que tero de responder ante o tribunal compe-
tente.
Dando logar em nossas colamnas no numero
de honlem a ama correspondencia do Sr. Jos Cr-
rela de Araojo, queja em outra occasio fez serias
queixas cootra as autoridades policiaes, do termo
do Brejo, chamamos atteoco do Exm. Sr. Presi-
dente para aqaelle mesmo termo, oode parece que
a polica nao esta' em mos to imparciaes, quaoto
seria para desejar.
A oameraco dos blhetes da loteria 48* offereci
dos pelo ihesourelro das loteras, para auxilio das
despezas da guerra.
BiHieles ns. 253, 1163,2279.
Meios ns. 612, 1599,2014,2408,2921, 3332,
3568, 3822.
, Quinto ns. 57, 139. 574,^98, 1038, 1380, 1652,
1911, 2306, 2514, 2881, 3081, 3441, 3799, 3979.
Os bonetes das loteras 11* e 47* produzram
1:8169200.
Passagelros do hyate braslleiro Napoleao I,
entrados do Aracaty : Francisco Alves Pereira, e
Amancio Alves Pereira. '
Passageiros do vapor americano Havana,
sabidos para New-York, e portos intermedios, M. S.
Porter. Aron Plbelberge, e Mauricio Plbelberge.
Casa db oetbnqao.
Movimeot da casa de detenco no da 8 de fe-
vereiro de 1866.
Existlam 417, entraram 7, sabiram 29; existen
39o.
A saber :
Nacionaes 257, mullieres 11, estrangeiros 43
mulheres 3, escravos 76, escravas o, total 395.
Alimentados a cusa dos cofres pblicos 219.
Movimento da enfermara no da 9 de fevereiro
de 1866.
Teve baixa:
Manoel S. do S. Ophtalunia.
Movimento do dia 10 de fevereiro de 1866-
Existiam 395, entraram 4, sahiram, 3, existem
396.
A saber :
Nacionaes 256, mulheres II, estrangeiros 44,
mulheres 3, estrangeiras 76, escravos 6. Total 396.
Alimentados a cusa dos cofres,*pblicos 201.
Movimento de enfermara no dia 11 de fevereiro
de fevereiro de 1866.
Teve baixi. : *
Alpio escravo de Laurindo Augustoindigestao.
Appellante, Joaqun da Craz e Silva ; ppellado,
Manoel Joaqoim de Soaza Leo.
Do Sr. desembargador Gitirana aoSr. desembar-
gador Lourenco Santiago
Appeilaco civel.
Appellante, Joaqoim Manoel da Reg Brrelo ;
ppellado, Domingos Francisco-de Sonta Leo.
Ao Sr. desembargador Almeida Albuqoerque
A appeilaco civei.
Appellante. Dr. Joto Jos Pialo; ppellado, Joo
da Cosa Riblro.
Do Sr. desernpargador Goerra ao Sr. ar-
gador Lourenco Santiago
A appeilaco el vel.
Appellante, Joo Correa de Araojo; ppellado,
o menor Possidonio de Carvalho Moreira.
Ao Sr. desembargador Uchoa Cavalcanll
A appeilaco civel.
Appellante, Joaqun Goncalves Ferreira; ppel-
lado Manoel Joaquim Bapiista.
Uo Sr. desera bargaddrLoarenco Santiago at Sr.
desembargador Almeida Alboquerque
A appeilaco civel.
Appellante, Josephina Sebastiana Cavaicanti Al-
buqaerqae; ppellado Bernardo Jos de Barros.
Uo Sr. desembargador Almeida e Albnqnerqne
ao Sr. desembargador Mota
A appeilaco ci vel.
Apppllanle, Rufino Tboraaz de Aqaioo ; appella-
Fr. Joo do Amor Divino.
Appellante, Francisco Casado da Fonseca ; ap-
pellada, a fazenda.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembar-
gador Santiago
A appeilaco civei.
Appellante, Dr. Benlo Jos da Costo ; ppellado,
a rraandade de Sanl'Anna.
Do Sr. desembargador Assis ao Sr. desem barga-
dor Doria
A appellaco.civel.
Appellante, Joo Fernandos Veira; ppellado
Antonio Jorge Guerra.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. desembar-
gador L'cha Cavalcante.
As appellacoes civeis.
Appellante, Antonio Flix de Menezes; ppellado
Luiz Manoel Outra de Souza.
Appellante, Joao Pinto Dmaso Jnior; ppellado
Pereira de Alboquerque Cavaicanti.
Do Sr. desembargador Domingues da Silava ao
Sr. desembargador Vieira
A appeilaco clvel.
Appellante, Francisco Ribeiro Pooles; appeilados.
Silva Leo di C
Do Sr. desembargador Vieira ao Sr. desembar-
gador Santiago
A appeilaco civel.
Appellante, Jos de Barres Penantes; appellada,
D. Francisca Eugenia de Freilas.
Revista civel.
Recorrentes, os menores ulbos do ten ente-coro-
nel Joaquim Honorato Ferreira de Castro; recorri-
do, Dr. Bernardo Ave ino Gavio Pexolo.
A 1 X bora da tarde encerron-sp a sesso.

UUQNICA JliDICUhU
Foi aperovada a aovacao de cootrato eom a
comoab de rjarainhbs de ferrodeaneste, pelca- puWieaio, enviam-nos o seguiote:
mar &? pws, por 'otos eo*ra 33 oominaea. ** ***<**''* Tendo hoja taido
TtIBLYVL I>A RELAMI.
SESSO DE 10 DE FEVEREIRO DE 1866.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSELUEIRO
SOUZA.
i s 10 horas da manha, presentes os senhores
desembargadores Sautiago, Giliraoa, Guerra, pro-
i curador da cora, Lourenco Santiago, Almeida Al
buquerque, Molla, Assis, Doria, Doailngues da
: Silva, e Go6ta Vieira, fallando o Sr. desembargador
i Ueba Cavaicanti, abri se a sesso.
Passados os fetos, deram-sa os seguales
JULGAUE.NTOS.
Appellagoes enmes.
Appellaoto, o juizo ; ppellado, Venancio Freir
! de Revoredo.
ImprocedeDte.
Appellaoto, o juizo ; appellaoto, isbeo Jus da
, Silva.
Improcedente.
| Appellante, o juizo ; appellaao, Jos Francisco
da Silva Pimeota.
Nollo o julgamelio.
Appellaoas civeis.
Appellaoto, Manoel Lobo de Miranda eoriques;
ppellado Manoel.Elias de.Mgura.
Reforma a sentenca.
Appellante, Lourenco Bezerra de Siqueira Caval-
cante ; ppellado, Dr. Antonio Joaquim da Fonse-
ca Albuquerque.
Recebramos embargos.
AppellaatoPw Ayrea Branua ppellado, Luiz
Antonio Pereira. i
Confirmada a senlenca.
HAQBAS CORl'LS
Concedeuse ordei a Germano Lopes Frazao pa-
ra a sesso de 13 do correte, dando-se soltura a
Antonio Joaqam de 0|(eira.
DILISKNCIA CIVIL.
Ao curador geral.
- Appellanles, Panialeo e Margarida : ppellado,
Joo da Silva Para e ootro.
Assrgnou-se da para julgamento das segua-
les t
Appellacoes orimes.
Appellanle, Esrevio Vicente Ferreira-, appellada,
a justica.
Appellante, o juizo
quim de Moura.
Appellante, Antonio Jos da Freilas; apoellado,
Joo Jos da Silva. '
AappelIttlBcivel.
Appellante, Jos Alves fSrboa ; ppellado Par
dro Semeo da Silva Braga.
PASSAGENS.
Do Sr. desembargador Santiago ao gr. des|pbar-
| gador Gitirana
As appellacoes crlmes.
Appellante, o juizo; ppellado, Jos Roberto de
Lima Jnior.
Appellaoto, o juizo ; ppellado, Marcelisw Go-
mes da Silva.
Appellante, Jos FeHppe Beterra Cavaleanto;
appellada, a justica.
Appellaoto, Nccio Nones da Rocha; appellada,
otado o a jostoa.
TRIBUNAL DO COMHEHCIO
ACTA DA SESSO AMLMSTRATIVA DE 12 DE
FEVEREIRO DE 1866.
PRESIDENCIA DO BXM. SR. DESEMBARGADOS
ANSELMO FRANCISCO I'ERETTI.
As 10 horas da raaoha, esuodo reunidos os Srs.
deputados Rosa, C. Alcoforado, Basto e Miranda
Leal, o Exm. Sr. presidente declarou abena a ses-
so.
Lida, foi approvada a acta da sesso antece-
dente.
ESPEDIENTE.
Um olicio do presidente da junta dos correteros,
de 10 do correte, daodo a ausencia do secreta-
rio da mesnia junta como motivo de nao ter sido
remeilido o boleum dos precos correles da sema-
na de 29 do passado a 3 do andante, e juntando o
referido boletn O tribunal Qcou sel ente.
A's 10 horas e meia fo presento um oolro oflV
clo do presidente da sobredila junto, parlecipando
qae nao tendo comparecido s reuoraes da raesma
o secretario Frederico Lopes Guimares, nam de
conformidade cora o 7." do artigo 11." do regi-
ment interno nomeado ao adjunto Francisco Jos
Silveira para o lugar da secretario ; e mais outro
offleio do presidente e secretorio da referida junta
remeneado o boletim dos precos correles da se-
mana prxima nda.
Ao Sr. depulado Basto (oi destribuido olivro
diario de Antonio dos Sanios Oliveira.
DESPACHOS.
Requerimento de Luiz Gomes Dourado, Manoel
Marlios Ribeiro e Jeronymo Salgado de Castro Goi-
mares, pedindo o registro do cootrato social, qoe
juntara.Assignada a pelico voltom.
Dito, de Domingos Jos de Ainoiim qoe lendo
formado a sociedade em coraraandita sob a raso
deAmorim 4 Cprecisam que o contrato qoe
juotara seja laucado no registro publico.Vista ao
Sr. desembargador fiscal.
Dito, de Barihi-lomcu Torquato de Souza e Silva
e Jos Pedro de Souza e Silva (j visto pelo Sr.
desembargador fiscal) pedindo o registro do sea
contrato social.Regstrese.
RESOLUCO.
O tribunal resolveu que o cilicio que o Dr. joiz
especial do commercio dirigi ao Exm. Sr. presi-
dente em resposta de outro qoe per esle Ihe foi
eacaralnhado sobre a ausencia do correior geral
Frederico Lopes Guimares, seja aoloado com os
papis que o acompaobaram, e presento ao mes-
mo tribunal em sua primeira sesso.
Sendo concluso o summario ex-officio instaura-
do contra Beroardino Guimares de Carvalho na
qualidade de administrador do trapiche da ra do
Apollo n. 20, o tribunal deu o seguate despacho :
Reraetla-se ao summariado copia dos arligos ofTe-
recidos pelo dezembargador fiscal para que alle-
gue oo termo legal o qae for a' bem de sua defe-
za, ceriiiicaodo o offlciai de justica que zer entre-
ga da referida copia o dia e hora em que tiver la-
gar semelhante entrega.
Nada mais havendo a tratarse o Exm. Sr. pre-
sidente encerrou a sesso s 11 boras e meia do
dia.
""""
SESSO JUDICIARIA EM 12 DE FEVEREIRO
DE 1866.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADO
A. F. PERBTTI.
Secrttario, Julio Gntmares.
As onza boras e meia da manha o Exm. Sr. pro
sidenle declarou abena a sesso, estando reunidos
os Srs. desembargadores Silva Guimares, Reis e
Suva e Accioti, e os Srs. deputados Rosa, Candido
Alcoforado, Basto e Miranda Leal.
Lida, foi approvada a acta da sesso antece-
dente.
Assignaram se os acordaos proferidos na ultima
sessio nos feitos entre partes.
Appellante, Manoel Ignacio de Slquetra Caval-
cante; ppellado, Joaquim Salvador Pessoa dt> Si-
queira Cavalcante.
Appellanles, os curadores flseaes da mwsa falli-
da de Joao Baptista Gwcalves Bastos; appeilados
Mello, Lobo & C.
Appellanle, Francisco Antonio Pontual; appefla-
dp, Antonio Gomes da Canha e Silva.
Appellante, Joao Pialo $4 Lem os Jnior ; p-
pellado, Antonib Peregrlno'''Cavalcanll' Be Albo-
querque.
Appellantes, Joaquim da Costa Lima e ootre ;
ppellado, Jos Rulino de Squza Rangel.
iloambntos.
Appellantes, os admioistradores]da massa fallida
de Amorim, Fragoso, Santos & C. ; appellaoos;
Lola de Moraes Gomes Ferreira, por s e cesto
procurador de Babia Irmaos & C.
Desprezarara-se os embargos.
Appellantes, Manoel Ignacio da Oliveira e Jos'
Pereira da Cunha ; appellada, a directora da ai-
xa filial db Banco do Brasil fiesta eidade.
Appellanles, D. Aona Jesoina de Leaos Fosse-
ca *, appeilados, os admiotelradores da massa falH-
appellado, Estanislao Joa-**a de Amorim, Fragoso, Santos Q
Adiados a pedido dos Srs. depotados.
PA9SAGEB3.
Do Sr. dezembargader riel! e Silva, ao Sr. de-
zembargador Accioti.
Appellantes, os administradores da massa fallida
de Amorim, Fragoso, Santos & C.; apoeUado
Joao Valeote da Croa.
Appellanles. os mesmos adaiioistradores ; p-
pellado Joo Ferreira da Silva,
Do Sr. dezembargador Accioli, ao Sr. dezembar-
gador Silva Gnimaes.
Appellantes, os administradsres da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Santos & C.; ppellado
Antonio Alves de Moraes.
A0CRAV03 INTBRPO8T0S 00 JUIZO ESPECIAA
^ DO COMMERCIO.
lliravante, I. a. Bario h C \ aggravado VI-
oame Alves Mackadoi


i!
i
...
---..
_-3=K
J



Wtufttt #e* ^eMTBtwi#' -* wpii i6fMrVV*4H Wcrelro c 1860.
AggraraiHe, Biro Jes de Freilas Rlbelrr;
|rdo J. F. (i. Kladt.
O Bxm. Sr. presidente uagou rwftMMfe.
liada man baveodo a despachar, o encerraba
a sessSo ao moto dia.

Cpnramiui^ios
Alada a Thettls i-erBaaebue-
a e Eim. Sr. Domlage
da slfra.
fenJkora redactoret.-Kio nos demos pressa em
soltar a arena, esperando que a opiniao publica se
fizosse oovir por algnm de seus orgos, e pronon-
ciasse o seo rot, fatalmente inevllavel, entre o
Mito anterior communicaoa e aquel!,que,o rabis-
ca ior da Tin-mis, le publicar na columnas do
Jornal do Recife de 3 do correle mea.
Ja este Diario em ama de s.uas mais brilhantes
paginasO foramregistrn um protesto solera
l'v
>
*

'

\\
dtftaolestias, caja Um [et.mdti depende
da purificacSq le sfngae; assw pois se
tem verificado por militas pesetas que se
acharam desengaadas, as quaes acham-se
hofe* restabejeculas Com o referido xarope
alcho
guns,
Permtobd
DO
tratos
Aos 9 do
ar*
fCIt.
commercio de
oram inscriptos
se; faz puBffri
registro publico do cororoercio os seguintes coa-
los de sociedades coeamerelies: [
correte mez.
o de > Gui-
Mine: VeWfMJ entretanto que alf? Iherae GuimarSe eFeBsn'erta'j'etteira d'Oll-
endO asado d xarope de Curinier,-***. ealabetocidos nestacldada aof aUrma de Jo
.arrev de saUa re sar iria s Goilherme & C, que deve gyrarlpor espido de
trf /'.l? E? Pr*1^*',0,6 saPonar,a> 6 anoos coudos do de Janeiro do correte,
leo de Agido de bicalBo, -antros agentes coa o capital de 75:000*000 fornecido por 3 so
desta ordem nada COnseguiram. E' elle de dos commanditanjs; em partes igaaes, em (aren-
fcil d'lgestaO, agradavel 80 DJftadar e ao Ol- "existentes no estabeleciraento b. 33 da roa da
pbato Arguns mdicos dest* cidade e da ^6" da|tec,fe' <**'tol ob^10 80'-.
No mesmo
de Maceio o teem recommendado para a cu- santos Porto
pelo qaat fui atacada a reputagao do honrado Eam.
r. DorangUfs da Silva.
Tambem o Dr. Costa Ribeiro e o Sr. Joo Fernn-
da. u de Augusto Frederico dos
_ e Jos Pereira Bastos, Portuguezafc
ra das estabelecidos nesU eldade sob a firma de Augusto
Impifteas, tinha, escrophulas, IP01"10 C. a qoal deve gyrar por espado de 3-an-
Tiimriros iilrurae Asr^rhnto no8 col>l*dos do 1 de Janeiro do correute, cora o
umoros, Ulceras, escorouto, /mpluii de 26:000*000, para o qoal eitra o socio
Laneros, sama degenerada, flux alvo. porto com 25:500*000 em fazeodas dividas, arma-
Todas estas affeccoes provm de uma can- gao e utensilios do estabeleeimenta, e 500000 pelo
sa interna; nio ha pois razio ateama em s<>to Beato, saldo de seos ordenados de caixeiro
.._.j:~ ane foi de esiTio esttbel
E ti do referida mez. O e JWqaim Francis-
externos. Tambem se prescreve O xarope Co da Cruz, Albino Jos da Croz, Maooel Francis
m 'wtras^"catumaias"atae1 e modo virulento ejr que ellas se podeml curar com remedios, V
que, cora relacao s suas pefsoas, disse do raasrao como :
Eira. Sr. Domiognes da Silva e oobarde escfevl
nliador da Ttieuus.
A quesiao de uullidade do teslaneato attribuido
a Jos Fernando da Cruz, esclarecida como f j em
a pubcacao feita noForttin, dispensa quatqoer com-
mentario.
E, pois, resta nos apenas mostrar o ser falso, que
o Eira. Sr. Doraingues da Silva tivesse concorrido
para a demisso de Basiliano de Magalhes Castro
do lugar de amanuense da secretaria do go-
?eino.
A demisso de Basiliano deve-a elle soraent* a
invencivel repugnancia que lera ao trabalbo. Oc-
cupado em promover a realisaco de planos m >ns-
truosos tratado? por sna frtilissima imaginaQo,
elle despresara quasi completamente o emprego I fo ^ respo"nsabilisa.
teucia-, esquece-se de tndo,ecoabe-lbe em resulta-
do a deimssao que boje to cynlcamenle quer altri-
bnlr ao Exm. Sr. Domingues da Silva.
Nio eosso rostume omittlr as proras do que
asseveramos.e por i trecho do discurso do Exm. Sr. Dr. SlUeira de
Souza, proanociado na caonra temporaria em
sess.10 de 8 de maio de 1861. quando o mesmo
excellenlissimo sentior demonstrava a justica, que
presidir a-todas os seo* aotes administrativos,
como presidente desta provincia.
DamitU nm eaprogado da secretaria do go-
varno, ( Basiliano-de Magalhes Castro), ora ama-
naense, quando duranie anuo e meio compareceu
sois mezes na reparticio, sera dar satisaco a nm-
gaem, e dizeado publcame ale qne alo tinha raedo
de demiso. >
As demais impuiac.5s feitas ao carcter honesto
e severo do honrad > Etm. Sr. Dominga88 da Silva i
neohum valor poden ier, e a ellas responden!
porramente aquellas palavras ditas por um dos
wais bellos oraameotos do nosso (oro :
Gotta, rheumatismo, paralysia,
Dores, impotencia, esterilidade,
Marasmo, hypocondria, emmagrecimento.
O xarope alenoolico de veame sobre
tudo, da maior ntilidade para curar radi-
calmente, e em pouco tempo o rbeoma-
tismo.
Adverte-se que o verdadeiro xarope s se
vende nesta cidade na botica .cima indica-
da, do abaixo assignado; e em outra qual*
quer parte qne se tem annunciado nSo da
mesma composic3oJ e nem o abaixo assigna-
sabilisa.
Jos da Rocha Paranhos.
COMWIERCIO
15000
PRA^A DO RECIPE.
Cota?5cs offlciaes.
13 de fevereiro.
Cambie sobre Londres 27 3(4 e 28 d. por
90 d.
Cambio sobre Paris342 rs. por franco.
Frete de a ssucar para Liverpool23| e 5 0|0.
Frele de aigodao para Liverpool i d/ e 5 0|0
dem dem ideml 1|4 d. e 10 0u0.
Silveira
Secretario.
\ovo fraseo de Pernara-
bneo.
O Novo Banco descoata letras a 12 por cento
ao auno, toma weheiro a praso lixo ou em conta
< Accu de reputaba) aiqda nao atacada vantajosameote, cionar. e saca sobre a praca da Baha
exigem prova immediata, para merecerern^. Do
contrario, a incredulidad^ da opioiao s sera con-
trasuda pe.) riso malisno de alguos desaDectos do
OlTcllJldO. >
i'einos sentido pro/uodamente qae o despresivel
autor do communicado do Jornal do Recif* tivesse ,
declinado de si a pateroidado de te monstruosa
produegao e a tivesse emprestado com inaudita
dealeatdadea Basiliano de Magalhes Castro,seu
socio amigo, com quera repugnamos conten-
der-
Pjr outro lado, porra, satisfez-nos bastante ver
que as nossas settas tanaca direilo ao alto que
vis&raw, e u/ie um horam respsavel par tantos
litlos, como o rabiscador da Thenus, se reco-
nheessem slenotypado em as palavras do nosso
anterior communicado.
Nio oi, porem, esso homnculo muit feliz i
quando, veofl.i o saaaue correr-lue- das feriias, e
que.-endo evitar as vistas do publico, poz na boca |
deMagalhes Castro, essas palavras que Ibe
asseenum to mal:A victima son en.
Nao duvidamos que Basiliano de Magahes Cas-
tre seja uma victima, mas uma victima da propria
mald; entranhas, c^mo o abuire da fabnla.
diz Chateaubriand, despedaca
CaUa filial do banco do Brasil
em Pernainbiieo.
De ordem da directora se faz ptico qae o
thesoreir.) desta carca se acha auorisado a pagar
o dividendo do sentaste fiado em 3i de dezembro
prximo passado, na razo de 12000 por aeco.
Caixa filial do banco do Brasil 13 de Janeiro
de 186o.
O guarda-livros,
Ignacio Nunes Crrela.
ALFANDEGA.
(ieudimento do dia 1 a 10.. .*...
dem do dia> 12...............
197:0623311
20:659*630
217?21941
MOViMENTO DA-ALFADBGA.
Voluraes entrados cora fazeadas----- 235
< < com gneros..... 194
Volamos sabidos cem fazendas.
i < com gneros.
------429
3
200
------203
Descarrejam hoje 13 de fevereiro.
'do assassi- Poiaca hespanhola India eharque.
iBrigne nespanholdara Rosadem.
qOd n abraca, julga sentir o puohat
"con as palavras que M flcara.creraos ter ganho I Bngae ^^jg^gp^-,
a absolvigao pela vicima, que, to involuntanamen-; J gu %$gf^
Castro, ou melhor. como pensou alguem por elle,, acno Poni
o eraissaiio de J.>ao da Cruz, e, recorrendo a im- *

nao rae flz echo dos sentimentos
GE-
a nacional -Guarahin idem.
Tnax'o'fM! RECEBEDRIA DE RENDAS INTERNAS
RAES DE PERNAMBCO. ___
a 10...... 1I:083#'73
4:0365087
Uendimento do dia 1
Idem do dia 12................

CONSULADO PUOVLNCIAL.
' dem do dia 12.
pr<":i>a -
alheias, o que nao nosso costme; cedemos sira
aos impulsos de ura sentimento generoso e nobre
em tuio hornera qual -confundir a impostura e
desrnascarar o vicio, para dest'arte dar maior
realeo ao mrito.
Os epithetos injuriosos que nos (oram laucados
nao po.ierara accender em nos o desejo de vingan- i
ca : uo desceremos nunca ao fundo das sentinas I"
esmagar es vermes que ahi se revolvem.
Fique tranquillo o Exm. Sr. Domingues da Silva,
certo de que jamis podero faz-lo oecahir do alto
conceito que merece dos homens de bem (tanto os
desta provincia como os da do Cear e de lodas
as provincias por onde tem passado) arguicoes
feitas por horneas do jaez de Baslano de Maga- j
lhi's Castro, e do bem conhecido rabiscador da,
Thtmu.
A P. Catalcanli de Albvquerque.
15:119*160

^TamS^nr'^St Rlftairo eoSr Joao Fernn- afcboolfco d veame para 0 tralameoto d'as co Barbosa'eMaoerCarneirp^iniorPortuguezes.
1 socio; davendo dita sociedade durar por espaco
de 4 aonos contados do Io de Janeiro do corrente,
cora o capital de 10:000*. para o quat entra o 1
socio com 7:000*, valor das mercaderas e outros
objectos existentes no estabelecimento, e os 2o 3o e
4o cada um com 1:000$.
Nesta data. 0 de Pedro Claudino Duarte e Ade-
llno Ctandlno Duarte, o primeiro Portoeaez e o se-
gundo Brasileiro, estabelecidos aa villa de Pilar,
sob a firma de Doarte & Adelno, da qual s o pri-
meiro podera' nsar ; devendo dita sociedade durar
por espaco de 4 aonos, contados do 1 de setera
bro de 1864, com o capital de 2:276*060 forneci-
do era dmheiro por ambos em partes igoaes.
Secretaria, 12 do Jevereiro de 1866.
., O pOciai-oaior.
Juho Gmmarae.
De ordem do Illra. Sr. Dr. delegado do li
dhtricto desta cidade, encarregado do expediente
desta reparticio, na amencia do mesmo Sr. Dr.
enere de polica, fago publico para coabeciment
de qnera interessar possa, que pelo subdelegado
do 1 districto da freguezia do Rio Frmoso, foi ap-
prehendido ao preso Jos Gomes, como furtado,
um cavado caslanbo foreiro, magro, o qual foi de-
positado por aquella subdelegada ; deveodo quem
se julgar com direito ao mesmo cavalla reclamar
a sua eotrega, mediante documento comprobatorio
de seu dominio legal.
Socretaria da polica de Pernambuco 10 de feve-
reiro de 1866.No impedimento do secretario,
Jos Xavier Faustino Ramos^
Coaipanhia peniamliucaiia
De ordem do conselho da direcgo, e em cum
primealo ao disposto do artigo 24 dos estatutos, I
sao convidados os senhores accionistas a reunreru-1
se em asserabla gerai no dia 13 do corrent-1, ao !
meio dia, na casa da praga de Corpo Santo n. 11,
segundo andar.
Pernambuco 3 de fevereiro de 1863.
O gerenteF. F. Borges. j
= Pela subdelegada do Peres foram apprehen-,
didos e recolbidos a deposito tres ca vatios de carga
sendo nm oastanbo, outro ruco e ura mellado :
quem for seu dono compareca, que provando seu
dominio, Ihe ser entregue. Subdelegada do Pe-,
res 4 de fevereiro de 1866.O subdelegado,
Alaiandhno Martin Correia Barros.
Obras publicas.
De ordem do Illm. Sr. engenhiro em ebefe da
repartlcao das obras publicas se fax publico que o
concurso para o preeocbimeulo das vagas de pra-
ticantes desta reparticio, ter lugar ao dia 9 de :
vlndouro, as 10 boras da
como hMKMfoccJto do baile nma peca de harmona
que daricomeco ao movimento :
Segualo se a primeifa quadrilha hurlesca ex-
preasamBte eaieU e fomposla pelo 8r. Golas '
Iho^A.qo deoominoua
FOLIAS 00 CARNAVAL.
As pecas qne tem de ser tocadas durante as 4
noites de baile, sao as seguintes :
QUADRILHAS. I
A caseat de cravos.
Esiepnanta'. '
O carnaval do Io de janeir*.
O niarqoez do Porabal.
Cban-chon.
Deaito negro.
A bella Helena.
O to Brai.
Arlbur Napolelo.
WALSAS.
Joven Helena.
Violeta,
Ralnba das Rosas.
Notivaqul.
POLKAS.
Serrinha pelo Sr. Colas lilho.
Os voluntarios pelo Sr. Colas llio.
Adelaide pelo Sr. Colas filho.
A Cassa.
Italia.
SCHOTISCH.
Flor d'Alma pelo Sr. Colas filho.
Quides pelo Sr. Stranss.
O Club.
America.
Para dar lim ao baile a banda de msica tocar
o grande

.
Para o Porto,
ir cora muita brevidade
vai s^
ta Silencio, tem parte de sen carregameno promp-
to, e para b resto qae Ihs (alta e passageiros, tra-
ta-se eora Madoel Ignacio'de OHaira & Filho, lar-
go do CoFpo Santo, escripterio b. < ou coto o
capito na praca.
VAtA
a barca portogu*-^-- Preetsa-se de nraa- i*a p*a otaarar ecoxi-
nhar para ama pesaoa -nMfade Hortas d. 16,
segundo andar. q/r________
Para Lisboa

Mt:
i
.
prajja do commercio.
Para o Eio de Janeiro"
segu em poucos dias o brgue nacional Mmsagei-
ra, recebe carga a frele, a qual Iratase na ra do
Trapiche n. 4.
segu com multa brevidade o brgue partaguez
Florind que receb carga a frete a tratar no TTAamUal P/vn ti-'iiay i\a "RatA-
escnp.orio de Amorim Irmaos. ra da Cruz n. 3, J-LOSpllal LOflU.g.V d0 DtiUti"
on com eeaplto Joaqmm Augusto de Souzi na ; -frtat na
A junta administrativa manda eeltbrar na ca-
pella deste Hospital no dia 15 do corrale, pelas 7
horas da onaohaa, orna musa der#t. por alma
do finado Joo Fernandes ParedW V benemrito e ex-provedor qne foi dlita insti-
toicao Convida se, portantw, para este acto de
caridade chrlstaa, nao s o socios destevffbspital,
mas tambem os prenles e amigos daquelle fi-
nado.
O"eeretarlo,
_ ngw }|| Joao Pereira Kebello Bra|
de loo eaixas com sabio.
Quiota-feira, lo de fevereiro de 1866, as 10horas
em ponto.
O agenle Pinto fara' leilao por conta e risco de
quem pertencer, de 100 canas com sabo, as 10
horas em ponto do da cima dito : 00 armazem
do Sr. Annes, em frente da alfandega.
1 LSH.6E*. -----------------------------------------------
GALLOFE INFERNAL
e rebora-
LEILAO
-:
de uma mesa, uma camafraneexa, um toncador, nm
candelabro, um castieal, um relogio, ura port-
ela toques de campas, sinos, estrepidos e rebora- licr um jarro, um boio e nm palanqoim.
bos de trovo. Quinta-feira, f5 de fevereiro de 1866, as 11 horas
No salo haver uma pessoa perfeitamente ha- em ponto,
bilitada para forniar fs pares e dirigir as quadri-;. O agente Pinto, fara' leilao a'requeriraento dj
Ibas, alim de evitar eonfo^es. : ^emanante dos bens da Uada Mara Candida de
A entrada geral e sahida para os mascaras e es-, Magalhes, e por mandado do Illra. Sr. Dr. juiz de
pectadores pela porta da frente do toeatro. orphaos, dos objectos cima mencionados, as 11
O carros depois d deixarem sens donos ficaro hora/de da cima dito, em seu eseriptorio ra
postados ao sai do edificio.
O eseriptorio para venda dos btlhetes ao lado
do botequim onde estara' Iluminado.
As seoboras mascaradas entrada grilis.
No boteqoiin se encontrar diversos e saborosos
petiscos, vinhos de todas as qualidades, licores
serveja, ele., etc.
O regulamento da polica que tem de ser obser
vado val abaixo publicado.
N. B.
As senhoras vestidas de hornera e os homens
vestidos de senhora esto sujeitos ao pagamente
de suas entradas.
PREQOS DAS ENTRADAS.
A possa de caiharot de 2.* ordem 10*.
dem idem de 3.a ordem 8$.
Entrada geral 2*.
As senhoras mascaradas entrada gratis.
bailes be mmm
A BRASiLIENSE
da Cruz n. 38.
Leilao
do sobrado de doi andares da ra das Cruzes n.
21 e uma casa terrea da ra do Pires n. 23, am-
bas em chaos propros.
(julnta-fera, 15 de fevereiro, as II e meia horas.
Por interveocSo do agente Pinto, e em seu es
criptorh) rna da Cruz n. 38._________
LEILAO
da Cj-
Palacetc do

NO
pateo
NOS DAS
de SI. Pedro
IO.ll.
Os grandes e espaoo&os sales esse edificio, se-
rio Iluminados esplndidamente tanto quanto for
possivel.
Ossaloes acnar-se-hao ricamente ornadas com
lustres, arandelas, espelho, vasos cora flores e ou
marco proxoo vlndouro, as 10 oras aa raanha,
nesta secretarla.
Os exames versaro sobre as seguintes mate- tros adornos, sem que para Isso tenha ponaado o peza de mesmo anno, em comormitlade do
Sexta-feira 16 de fevereiro, na ra
deia d. 55, primeiro andar.
Pele agea'e fcu&ebio.
Transferencia.
De um sobrado de um andar n. 7 sito na ra Di-
rea freguezia dos bogados, logo ao sabir da
ponte, as chaves se achara' na padaria do Sr. Mu-
ra, quasi defronte, pessoa bem conhecida.
"AVISOS DIVERSOS""
instituto Areheologfco e Geo-
graphlc Pernambacano.
Qainta-feira 15 do corrente fevereiro pe-
la uma hora da tarde, reunir-se-ha o Insti-
tuto em assembla geral, para eleger os
membros que hao de compor a mesa admi-
nistrativa e as respectivas commissoes, no
anno social de 1866 a 1867, e para discutir
e sanecionar o orcamente da receita e des
rias : lingua nacional, abraagendo a escripia, le-; seu director despeza* e fadigas.
tura e anaiyse graratnatioal, desenlio linear e de
aquarella, arithmelica em todas as suas operagoes
e geometra linear.
Os requerimentos para InscripcSes dos candida-
tos, devero aer apresentados al o a 8, e pode-
ro ser Instruidos com quaesquer documentoson
ttulos scientificos que abonera a capacidadc dos
mesmos candidatos.
Secretaria da reparticio das obras publicas 1
de fevereiro de 1866.
M Impedimento do secretario
__________ Joo' J.iaquira de i. varejao. -.
Consulado provincial
Pela mesa do consulado proviacial se faz publi-
co que os trinta dias uteis marcados para cobran-
za bocea do cofre, dos impostos de 50 rs. por al-
queire de sal, de 4 0(0 sobre os estabeleci mentos
de fra da cidade, prensas de algode, lypogra-
phias. cocheiras, botequins, botis, casas de pasto,
eavallarices e fabricas; de 8 0(0 sobre consnltorios
mdicos e cirurgieos, cartorios e escriptorios ; de
20 0|O sobre estabelecimentos de commercio em
grosso e a relalho, e trapiches ; de 50* sobre ca-
sas de bilhar e modas; de O* sobre casas de
e de cambio ; de







57:5925765
7:440*365
65:033*530
roupa feita e sellins estrangeiros,
1:000* sobre casas de operac5es bancanas com! 90 preco do costume, sendo gratis o
emissao e pre*ileios ; de 60#090 per casa com | as damas, menos para aquellas que
A mostea qne tem de funceionar era ditos bailes [
sera' uma das mais acreditadas a qual tocara' as
seguintes :
QUADRILHAS.
A tomada de Paysand.
O gyro commercial.
Morfeu nos anf.
Os mamelucos do Imperador.
A noite do castello.
O castello de Grasville.
Telegrapho.
SCHITZ.
Flores d'Alma.
Brasilera e ootras.
POLKAS.
Pernambucana.
Bahiana e outras.
WALSAS.
D. Liga.
O papagaio de D. Liga e outras
Nos satea bavero pessoas competfntemeBle
habilitada*para bem dirigiros quadros, evitando
assim a confusa).
A entrada a' porta do edificio ao lado fsquerdo
estarao a' venda os bilhetes de entrada que sero
ingresso para
sondo do sexo
que dispoem os artigos l!> e27 dos esta-
tutos.
Sao portanto convidados todos os socios
do Instituto a assistir a esta sessao.
Secretaria do Instituto, 12 de fevereiro
de 1866.
Jos Soares cTAzevedo,
Secretario perpetuo.


MOVIMENTO DO PORTO
Publicares a pedido
Cra^tando-nos que um agente da polica bontem
a Urde, 11 do corrente, na ra das A?oas-Verdes,
prendera a um pabre diabo, por ter atirado uma
lima de rheiro em om individuo, segundo infor-
mou o inspector de qaarleiro do lugar ; e sendo
esse proceder contrario a lu prohbeme, para se
evitar a sua conlinnaio, publicamos a segninte
circalar :
Ministerio dos negocios da jusliea. Rio de Ja-
neiro, I i de novembro de 1865.-Proceda Vmc.
con: todo o rigor das leis contra os agentes da an-
tondade publica, que com manifest abuso do po-
der e violaco do art. 168 9 da ConstitniQo, e
' 133 do Gud,. do Proc, prendara ou detm at o pa-
gamento das multas, aos cidad.os. que infringem
as posturas munleipaes, antes de terem elles sido
condemnados irrevogalmote na forma do art. 205
e segrales do Coi. do Proc.
eus guarde a VmcJote Tbomaz Nabuco de
Arauio.Sr. promotor publico do municipio da
corte.ttfdri muandi* ad chefe de polica da
cOrte e presidentes de provincias..
-* '
P9tllhas veratttfagas de kemp.
Chamamos a atleugo de todas as mls^iarao
remedio roais agradael e til que se conhece para
faxcr expellir as loinbrigas : As nastllhaa Terral-
fugas de Kemp.
Fm vez de todos esses hmundos e pergosos
remedios verraifagos, compostos de toda casta
de minoraos, aprocontamos -aai- delieosoaenfeito
vegetal prorapto e Infallivel na soa operago, nao
causando nauseas era ncommodos de qaalidade
alguma, produiindo senara Q sea ffeilo de uma
raaneira suave e eonrpieta, nao areeendo depois
a assistencia de qualquer ontro purgante; til
como um excellente raeio de fazer remover as
obstrucefiw do veatre, mesme to caso de oao exis-
tirera vermes algans, e Analmente tornam-se ellas
digoas por todos os respeitos da confianza e appro-
vacao de todos os pas de familia, os quaes acharo
astis pistilhas elegantemeote acondicionadas den-
tro de frasqttinhos de crrtal, r renda aas bo-
ticas de Caors & Barbosa, e e Jo3o da C. Bra-
vo & C
'"" -------
emissao e sera previlegios ; de 400* por casa sem
emissao, companhias anonymas e agencias de
100* s-ibre eorretores coramerciaes, agentes de
leilao e de casa de compra e venda de escravos ;
de 30* por escravo empregado era servlco de al-
vareoga; de 1* por loneladi de alvarenga; de
10* por bote ou savelra ; e de 150* por balieira ;
de 50* por escravo ganhador; de 10* por cavallo
de sella de aluguel; 6* por dito particular; e a
irapostos de carros e carrocas pertencentes ao anno
Io semestre
do imposto de 20 0|0 do consumo de agurdente" se
principia a contar do dia Io de fevereiro vindouro.
Ilesa do consulado provincial de Pernambuco 30
de Janeiro de 1866.
Antonio Carneiro Machado Ros
Administrador.
masculiao assim trajarem
No Uote'quim se encontrar vinhos, serveja e li-
cores os mars finos, assim como harera' petiseos
de diversas qualidades.
O abaixo assignado faltara com um dever de
gratido se nao pateoteasse o quanto se acha grato
a luuuo us jcuj aiu^ua yuo ;. jeorom assistir as
exequias e acompanhar ao o. restos mortaes de seu mu presado filho, no dia 8
do corrente, e nao pode deixar especialmente de
tributar um voto de eterna gratido ao Rvm. padre
mestre Pr. Jorge de Sant'Anna Lodo, digno pro
vincial dos carmelitas, de quem recebeu tantos ob-
sequios, que ficaro gravadas em seu coraco, e
tributa do intimo d'alma o seu profundo reconhe-
cimento.
Recife, 10 de fevereiro de 1866.
Joaqnim Manoel de CastroJSautos.
LOTEKri
Aos 6:000*000.
- Cerr Segunda-feira 19 do ewreHte mez.
Acham-se venda na respectiva theson-
raria 3 ra do Crespo n 15, os btlhetes,
Navios entrados no dia 11.
Aracaty 6 das, hiate brasileiro Nicolao l, de 7 Qooceiro de 1865 a 1866, "e tambem o
toneladas, capito Trajano Tneodorico de Moura,
eqoipagem 7, carga cera de carnauba e outros
gneros ; a Prente Vianna & C.
Shanghay75 das, barca americana Lucio & Ask-
bndgli, de 314, toneladas, capito Ashbndg,
equipahera 8, carga cha' ; a ordem. Veio re-
frescar e seguio para New-York.
Navio saludo no mesmo dia.
New-York e portos intermediosVapor americano
lavana, commandante Green.
Navios entrados no da 12.
Bordea tu e portosintermedios17 das, vapor fran
cez Guienne, de 1,167 toneladas, commandante A.
de la Noe, equipagem 115, carga fazenda e ou-
tros gneros; a Tlsset Frers.
Rio de Janeiro22 dias, barca franceza /, A. de
Rudder, de 310 toneladas capito Peyrano, equi-
pagem 12. em lastro -, a ordem.
Barbadoes50 dias, hiate mglez Aroglffr, de 75 to-
neladas, capilao Cjx, aquipagera 6, em lastro; a
ordem.
Acarac e-portos intermedies8 dias, vapor bra-
sileiro Mamanguape, de 387 toneladas, comman-
dante Francisco Jos da Silva Ralis, equipagem
22, carga algodao e outros geueros.
Havre47 dias, brizne francei Bethn, de 487 to-
lada-, capito Pansot, equipagem 11, carga mer-
cadorias; a Tlsset Frires.
Babia14 dias, beigae brasileiro Santa Cruz, de
216 toneladas, capito Sebastio Fortunato do
Carmo, equipagem 12, carga 700 saceos cora fa-
rinba de mandioca e outros gneros; a Jos
M. Palmara.
Moqtevjdo35 dias, Jiera.iagleea D. Marta, de
810 toneladas, capito Walter Coulb, equipagem
23, em lastro a Wilson 4 Hett.
Navio saludo no mesmo dia.
Portos do sal -Vaper fraocez Gueme, comman-
dante A. de la Noe.

-----
AHENgilO.
Xarope alchoolico de veame, prepa
pelo pharmaceuticp Jos da Rocha Paranhos,
estahelecido com botica na roa Direita a.
8$ em Pernambuco.
Juste xarope iocooteBta^elmente superior
a -todos os iaropes depurativos, de cuja
composigo o seo maior eleiento-atea
parrilha, pois que se tem conhecido ser o
vBiame mais enrgico para a prompta cura
DECLARAgOES
Cmara municipal do Recife.
Pela contadoria da cmara municipal desta ci-
dade se faz publico qne nos mezes de fevereiro e
marco se recebe bocea do eofre o imposto mu-
nicipal sobre casas de negocio, e aquel les que nao
pagarem oeste tempo esto sujeitos a multa na
forma do art. 32 do regulamento n. 360 de 15 de
junho de 1844.
Contadoria t" de fevereiro de 1866.
O contador.
Caetano Silverlo da Silva.
Pela subdelegacia de polica da Capunga foi
recolhido a casa de detenco no dia 4 do corrente
o preto Alexandre, qae diz ser escravo de Manoel
Ignacio de Albaqufirque Maranho, senhor do en-
genho Arassuagi. freguezia do Cabo, por andar
fgido. Subdelegada de Polica da Capunga 9 de
fevereiro de 1866.
Fraaeisco Antonio da Sflva Cavaleanti.
O regulamento da poheia sera' raantido pelo di-, meios e quintos da 2* parte da 5a lotera
rector dos meamos o mu.to conhecido Miguel Can- fjMn eD9fi(.jo da jgrgja de Nossa SenQ0.
ddo de Medelros Pinto.
AVISOS MARTIMOS
COMPANHIA BUSILEIBA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do norte espera-
do at o dia 20 do corrente o va-
por Gerente, commandante o pri-
meiro lente Serqueira, o qual
depois- da leraora do costme se-
guir'para os portisdosul.
Desdej recebem se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no di de sua ebegada, encoai-^
mendas e dinheire a frete-at o dia da sahida ar
2 horas: agencia ra da Cruz n. 1, eseriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevede & C. ^
(48). a
ra do Rosario da freguez'ra da Boa-Vista,
cuja extracto ser oo lugar e hora do
costante.
Os premios de 6:000*000 at 105000
ser3o pagos uma hora depois da extraccjfo
at as 3 boras da tarde, e os outros depois
da distribuir das listas.
As encommendas sero guardadas so-
mente at- a noite da vespera da extracto
como de cosame.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Soaza.
tO Dr.

Subdelegacia ) Io districto da fre-
guezia da Boa-Vista. r,
Por esta subdelegada se faz publico que se acha
depositada nma negrinha qne declara ser escrava
e que Ignora o aome de seu senhor e o sea domi-
cilio : qaem se Jolgar com direito a' mesma com-
prela nesta subdelegacia cora documento que no LuTz de^lra Azarado A C.
prora seu dominio, para Ibe ser entregue.
PAQUETES A VAPOR.,
E' esperado dos portos do sul o
vapor Paran, coramaadante o
capito de fragata Antonio Joa-
qnim de Santa Barbara, o qual
___depois da demora do costme se-
guir' para os portos do norte.
[ Desde j recebeaa-sa passageiros e engaja-se a
carga qne o vapor poder conduzir a qoal dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sahida as 2 bo-
ras : agencia ra da Cruz n. 1, eseriptorio de A-
il-
lili \TllO
DE

0 capito comtaaadante da compa-
obia provisoria de polica abaixo assignado
convida aos cidadSos que se queif am ejiga-
jar no servlco da mesma compaahia, a que
comparegam no respecti o quartel em to-
dos os dias uteis, das O horas tia manha
por dbaty. Quartel da compaahia provi-
soria de polica 10 de f vereiro de 86a.
Luiz de Franca Mello Juaior.
Grande baile
A' PARISIENGE
Iilm. Sr. teen te-e )ronel director do arse-
nal de guerra, manda publicar que 00 dia 13 do
corrente, ha de arrematar as 9 boras do dia a
ropnlpolaaf da fabrico de dnas rail Musas de pan-! construido amaneando a mais completa seguranca.
no azul on prazo de 30 dlae improrogarete. Os li- Sera' illumioado o giorno o mais esplendidamen-
carta te **hi for possivel.
HOJE.
O grande salo de Danca que coraprehende
toda a sala e caixa do theatro, acha-se slidamente
KwrmM M*il#,th ****** .
E esperado a cada momento do Re de Janeiro
patache portagnez Firnanfa, o qual ter Basl*
cidade apenas a demora de 10 dias, recebe carga
a frete por preco multo commodo : trata-se cora
W s*Os mslgaatarios Antonio Lcrtz de Olrveira
Aiereeio & C* ao sea escripterio roa da Cruz ou-
merctl.,.,,/^...- ,; ,. .._______- ^
C014PANJHA RBRNAMWJUANA
_ ti ftr.
RaVgacaa costaira por Tapir.
Maceie*sd'la!.Pied0 Aracaj-
SegueqodlaU do correte, as
S horas rfa1 tarde, o vapor1 Maman-
guape, reoebe carga al o da 13,
encommendas, passageiros e di-
nheiro a' (rale,,aj as 3 boras da
sahida: eseriptorio no Forte do
Francisca Pires Machada!
Pertella
MEDICO
E OPERADOR, -*
MU
Faculdade de Pars.
continua ao exercicio da sua profissSo,
especialmente as molestias de olhos, de
as ortaaria e de pella, para cujo tra-
tamento julga-se nabilitado attenta a pra-
tica adquirida nos hospitaes daquella ca-
piul, a os instrumentos mais modernos
i qae pessue.
Accode proraptamente a qualquer cha-
mado para fora da cidade.
E encarregase de collocar olhos arti-
flciaes.
No pateo do Carmo o. 2, esquina da
roa de Hortas, das 6 as 10 horas da ma-
nha, e das 3 as 5 da tarde.
* 28?
<;>
Libanio Candido Hibeiro, agradece cordial-
mente a todas as pessoal que comparecaram
as exequias que se Ikeram na matriz de San-
to Antonio, pela alma de seu amigo a to, o
cooego vigario Venancio {ariques da Re-
zeode, e de novo Ihes roga o obsequio de as-
sistir missa do stimo dia na mesma nutriz
- 8 horas da manha do da 16 dr> correte.
MSS'18.
Os Srs. sacerdotes que qorizerem celebrar missa
e 111. m-ntj no da li, qoaita-feira, na igreja do
Corpo-santo, at note horas, recebero esroola de
3000.
No da 16 do corrente mz de fevereiro, de-
pois da audiencia do Sr. Dr. juiz municipal da pri-
meira vara, se ho de arrematar em prava publica
do dito Sr. juiz, uma casa e sitio na estrada do Mon-
teiro, avahada por 4:500, e ama ca-a terrea na
ra de Horias desta cidadr, 0. 112, avahada por
3:6005000, cojas propiedades foram dos fallecidos
Maooel da Silva Ferreira e sua mulher D. Serafina
da Co.-ta Reg e Silva, e vo a praca para serem
arrematadas por venda a' requenmenlj dos her-
deiros.________________ ____
Uesappareceu no dia 11 do corrente, da ra
das Cinco-Puntas n. 82," orna negrinha de 8 annos
por nome Joanna, bem preta, e levou um vestidode
algodao azul, sera camisa : quem a tiver reculhido
fara' o favor mandar entregar, que sera' recom-
pensado. ____
a Ue 11 crin
No dia ter?a-feira, 6 de fevereiro corrente, fugio
da casa do abaixo assignado, morador no engenho
Beato-Veiho, era-Simtu^Aoto, a sua escrava crion-
la, de 15 annoi de Idade, de nome f ouciana, olhos
grandes e salientes, nariz chato, bocea. grande a
beicos grossos, e denles bem alvo*, assim como
bem liropa de ps e mais, o ijub prende mais al-
tengao o seu olhar e>pMitailo ; foi couduzda po<"
um alai 'Creve a quem disse i^hamar-se Muia, e
querer ir para o Ke-ift>, onde dina ter pannif s ?
ser forra, e outras mentiras desta ordem. Sahio
com um vestido dechiti branca com lavores i-u-
carndos, camisa e sala nova de madapolo : r.>-
ga-se, pois, a-aniori'lades ifo H-cife o sen suhm-
tii n s sirv^ui d capiur.ir a dita escrava, elva-
la ao Sr. Ilercdlaiu Olegario Ribiro Castro, rin
da C'jncei(So n. 3,ou envia-la por qualquer porta-
dor, que sera devidaraente grattlicadi por Joaqul n
Cesario de Soozi e M. __________
Precisa-se d^ um b m fjrueiro : na pidaria
da ra e.-treita do Rosario n. 13.
JuaquimGolcalves Silgadoe tieruardino G ;n
(alves Salgado.com padaria aa ra e-treita do Ro-
sario, nunca leve ?ra tem questo alguma oeste
paiz.
Aluga-se a casa n. lo na ra diMjoles>
por 12$500 por mez, cora 2 salas e 2 quartos: a
tratar na mesma ra olaria n. 13.
ri cuja -- ^. _.... ....^.. ..rlyl.k miu ty.
nha boa conducta e nao meis de 12 a i i aonos di
idade: para tratar na ra Velha n. 31.________
Aiuda esta para alugar-se o soto do aobiado
da ra larga do Bosario n. 31, com comraodos pa-
ra pequea familia, tendo 2 salas e um quario
grande e muito fresco : qaem o pretender dirja-
se ao mesmo sobrado, segando andar._______
O abaixo assigaaiio retirase para a provin-
cia de Hacei, aonde pretende demorarse por al-
gans dias, e por isso se despede dos seus amigos e
bemfeitores,oferecendo-lhes naquelle Ingaros seus
ser vicos.
Claudio Jos da Costa. _
__ Precisa-se de um menino de 12 a 16 annos
para caxeiro de um armatem de motilados: na
ra do Imperador n. 46._______.
Precisa-se de uma ama pira coiiuhar e com-
prar em casa de homem solteiro, prefere-se escra-
va : na ra do Qaeimado n. 32.
~ Alaga se uma das melborev casas me tem
nos Arrombados, oom grande terrado tta frente, i
salas, 8 quartos, solao quintal murado, com algu-
mas fructeiras : qnem pretender dirjase ao largo
das Cinco Pontas n. 116. Tambera se arrenda o
sitio Peisinhos, entre diada e Beberibe : a tratar
na mesma casa cima. _
A riuva e herdeiros d-j casal do finado J)s
Baptistada Foaseca Janior declarara que estao pro-
cedendo ao inventario dos bens ao referido casal,
por islo convidam aaqdelles que se julgarem ere-
dores do casal referido, a apresehtarem snas-cn-
ias no praso deolto dias, aflm de serem pagas.
Pernambuco 13 de feveneiro de 1866.

Precisa
Yestuarios carna
de todo o gasto e pnaatazia ; vendam-ee ou aln-
gam-se na ra estreita do Rosario a. 21, segunde
Preco mdico, pagamento iramediatT
Maria d Espirito Santo retira-se
andar.
Claudina
para Montevideo.
Precisase de uma
boa
: na nradaOnraon. :
~-------i------H-------
engommadeira,,cap-
tarde do dia
Mallos n. 1.
rairrRT
citantes apreseotarao as snas proposlas em
fechada at o mesmo da e dita bora, deveode ser
com lettra clara e intelllgivel para nao suscitar da-
vidas, e podero Ir a oficina no dia 11 para ver a
qualidade da fazenda e natureza da obra. > poopado d
Arsenal de guerra de Pernambuco, 7 de fererel-l m
naalena
O esorivo das oficinas, d!
Manoel Jos Pereira Brayner. pl
A barea portugneza AmetiOy de exceUente mar-
cha pretenda em naueos das sabir para esses dous
! portos, ja' tendo a maior parte de sua carga enga-
jada ; qaem nella qniser carregar a' frete dirija-se
ro de 1866.
O sllo acha-e ricamente ornado cem lustros,
estatuas, quadros, espethos, rasos com flores, baaua roa Jo" Vtti'. wcriptorio de Baltar t'Oli-
delrae ett,etc, ?em qo* para este flm se tenba" wir>i
" alguma.
Hi8*e do 1" batalhao da guarda
niwfcpio, sob a direeeio do sea
ti que tem de f une cionar nos ai-
^irfmn m?i-MoMdo. a qnal tocar
ih
liba de m. Hlgael
Sabe na *a M do eorrente a escuna portugne-
za Etna x trata-se oom a consignatario Joan do
;a Lima na roa de Apollo 0. i.
Pergonta-se aoSr. Jorge A veloz do asci-
ment, ooal o Werese a^i toma no ngocin da
escrava de Antonio da Silva Recha, e pedese ao
mesmo senhor qae responda se Juliana Mara da
A.ssumpco que deve ao casal de Joaqulra Jos Ro-
drlnnes Lima e Mana Avelez do Nascimento, ou
se *o Wdoe os herdefros, a etcepcie da mesma
senhora, que deven nio s ao mesmo casal, como
tambem a' mesma eahora.
Recite, 12 de fevereiro de 18*6.
Antonio da Silva Rocha.
PHOTOfMPIltt

SlRTISTKl^MERICAWA
,1:,Aift.!flte-lHj
l-se de uma ama de Ieite: na ra
do Queimadopor cima-da laja- de cera.
sl| ..b j RHA Artista americano
ArlUtaamericano.

n n:od
l

h
O escrivo dos protestos Jos Mariano, mu-
don o seu cartorio para a esquina do becco do Ou-
rldor, n. ti__________________
Precisase de nm escravo para o servlco in-
terno de nma casa, pagase hem e aflanca se o bom
trattraento : defronte da igreja do Corpo Santo n,
15, na casa do bateo inglez. segando andar;
Attistr americano.
Artista americano.
RetratosRetratosRetMloe.
E*"pKlaMn- s*eco}f e-
Ehi teocoa^AiiWrolFi^
Emfi EBi iMl*Ma|uettttBe.
En papel-T boiypieV
No grande safle da ra do Imperador n. 38
No grande salo dama do Imperador n. 38
Neste estabeecimnto firam^se retratos
em todos os sistemas, coTtn asado e promp-
tidSo, desda- as awre. horas da manha
al aa cinco da tarde assim como tem
sempre a venda grande sortimento de cai-
xas nas de ttifersaa formas. Quadros
ovaes Passepartouts e todos os mais ob-
jectos e productos chimicos, relativos a ar-
te e recibido aUiairntente dos melhores
foroecedores de PARS e Nova Yoik, tendo
de tudo, para todos es gostos e para todos
os precos.
Sal3o da ra do Imperador n. 38.
Sal5o da rna do Imperador n. 38.


*1
9_A*4*
GARRAX PE LAILHACAR & C
I.IBRAIRIE FRANQAISE
' Rui do Crespo-n. O.
LIVROS NACIONAES E EiTRANGElROS
RflijiioNtoMphia Jui ispradencia LUie_-
tt Sdwicias e irles.
_PapeUri*,-*jBrts para escriptorio. j
Na roa, a-Saudade n. 13 continuase"~i for-
necer comedoria para fra com aceio e promoti-
dio. por preco razoavel ; na mesma casa precisa-
be d j preUs para eederem _a ra.__________
Na prafia da Independencia d. 33, toja de
onrives, compra-s ouro, prala, e pedras preciosas,
e tai aben) te (ai qualquer obra de encomroenda, e
todo e uualquer concert.
*m*&* mmmm mmmm
m Alagara se daas casas em Sanio Amaro M
5 assobradadas, eoai sota, cora bastante* ~'
:ommodos para familia, sendo qma na
ra da fuodigaa e outra do correr da ra
da Aurora ao p 4a ponte do Sr. Siarr a
fallar com Jos Gonealves Ferreira Costa,
alli.
gg Companhia fldelWiade de seguros g
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES BU PKftSAMBUCO
Aotoaio Luii de Oliveira zevede k C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companbla de seguros Fidelida-
de,tomara seguros de navios, mercado-
ras e predios no sea escriptorio ra da
Gru n. 1.
Paia escriptorio.
Alagase o prknelro andar da asa da ra da
Cruz d. S, proprio para escriptorio, multo fresco,
com vi-ta de mar e por prego commodo : a tratar
no escriptorio do sobrado junto n. 3.___________
NTo. Bieber & C, sucessores, sa
cam sobre o Rio de Janeiro a vista ou a pra-
zo confoime se conveDcionar.
pichicato primaria e
cundaria.
N instituidlo de Jeronymo Pereira Vil-
lar, na ra larga do Rosario o. 22, nao
sse ensinam as materias que constl-
uem o corso regular de primeiras letras
cumo s disciplinas preparatorias para a
faculdade de direito ; cojas aulas eslarao
iberias no dia 8 do presente Janeiro, e
ero regidas plos raesroos professores.
<___< *_;_<:_:__ :_<_"
Saques para a Baha, Para e
Haranho,
Antonio Jos Rodrigues de Souza na ra
do Crespo n. 15, saca a vista ou a prazo
contra a Babia, Para e Maranhao,
IR
A.YVEIIPiATsVC
19Ra do Imperador19.
Deposito de joias francezas por atacado.
Casa em Pars e Re de Janeiro.
Recebem directamente por todos os paquetes.
m DEPOSITO DE CALCADO g
m FABRICADO NA CASA DE DETENGO
0f Roa \ova n. ttl.
Ah se encontrarlo obras Je di-
versas qualidades, e por preco mui
I diminutos, a retalho e em porces. I
S S se vende a dinheiro. su
mm^mmm mmmm mmm
Samuel Power Johoslon A Companhia
Ra da Senzala Nova n. 4.
AGBNCIA HA
Fundieao deLow Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos,
Moendas e meias moendas para engenho.
TTOO Aa f~--~ -J. fcuHUU(lU eilgO-
nbo,
Arroios de carro para nm e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Bimws-zmmi-mwmm
Joao da Silva Ramos, medico MA
pela universidad de coimbra, d jft
consultas em sua casa das 9 as 9
11 horas da manhaa, e das 4 as 6 m
da tarde. Visita os doentes em suasH
I casas regularmente as horas para
jg isso designadas, salvo os casos ur-
tw gentes, que serao soccorridos em
m qualquer occasiao. D consultas aos
O pobres que o procorarem no hos-
(J pital Pedro II, aonde encontrado
SU diariamente das 6 s 8 horas da
*m manhaa,
Tem sua casa de sade regular-
R mente montada para receber qual-
quer doente, ainda mesmo os alie-
nados, para o que tem commodos
I apropriados e nella pratica qualquer
R opperac3o cirurgica.
jj*. Para a casa de sade.
Primeira classe. .34000 diarios.
Segunda dita....35500 >
Terceira dita .2(5000
Este estabelecimento j bem
acreditado pelos bons servicos que
tem prestado.
O propietario espera que elle
continu a merecer a confianca de
[que sempre tem gozado.
=====

Compaa.
.gral hesp^ola de seguros mutuos
sotire a vida
ATORISADA PfiLO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
lima lanea em diiheiro, depositado nos cofres do estado, garante a boa id*
ministraco da companhia.
BANQUE1ROS DA COMPANHIA* DIRECCAO GERAL
O- Banco de Hespanha Madrid : na do Prado n. I
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinares de supervivencia dos .seg
os aobre a vida.
Nolla pode se taier a sotoscripcao de maneira que em oenbum caso mesmo por morte do
segurado se perca o capital ero os juros correspondentes a estes.
Sao lao suprebeadeaies os resultados que produzem as sociedades da ndole deA AUO
flAL,que ainda mesuro dimlauindo urna terca parte do interesseproduzido em recentes liquda-
les e combinando^) com a morUlidade da tabella de Depareieat que adoptada pela companhia
para seus clculos.; I i quidacoe-s, em segurados de idade de 3 ai9 anuos, urna Imposico annua.
deOQ* produi em electivo metlico:
No ftm de 5 annos.......1:119,8300
. de 10........3:942*600
. de -45........11:808*500
> de 30 .......3O".26000
. de 23 >.......80:231*000
as idades menores de 3 anuos e maiores de 30, os productos sao raais consideraveis.
Prospect >s e mais informao9<)s serio prestadas pelo sub-director Aesta provincia,
oaquim Fiuza de Oliveira, ra daCadeia n. 52, ou a Boa-Vista ra da Imperatriz n. 12, estabeleci-
mento dos Srs. Raymundo, Carlos.Leite & Irmio.
"s.n SEGUROS
TINTURARA
AO GRANDE S MAURICIO

PROCESSOS APEFEI?OA0
PARA
Xlngir, Unipar e lastrar a vapor.
F. L SAL
29 Kua 7 de setembro 29
Defronte da roa nova do Ouvidor (Rio de Janeiro)
Os proprietarios deste estabelecimento, o primeiro no seu genero no Rrasil, por
trabalbar com as machinas mai aperfeicoadas para tingir e lustrar, de que se faz uso n
Europa, e ajudados por alguns dos melliores officiaes de Paris e Ly5o, podem assegu-
rar seos freguezes urna perfei;5o no trabalho, a qual senu pode cliegar pelos proces-
sos ordinarios.
Tingem, lavara, limpam e demofam com a mai r perfeicio e brevidade qualquer
qualidade de fazendas, liram nodoas e limpam secco sem mollar as sedas e as vestimen-
tas de senhoras e de homens.

.
. & H. LAEMMERT, NOVA PUBLiaA(?AO.
Acaba de aahr dos prelos de E. & H. Laemmert, em cuja casa se ada venda, as-
s;ra como as priucipaes livrarias das provincias.
DE
MEDICINA DOMESTICA E POPULAR ,
contendo urna Iherapeutica completa ou exacta descripc,5o de todas as molestias in-
ternas e seu tratamento; a cirnrg a ou tratamento das molestias externas, e urna
minuciosa instruccao para diflerenies opercoes que repentinamente se possam tor-
nar necessarias; consellu-s praticos as molheres no estado de gravidez, directorio
para o parto e seus accidentes, cuidados aos recem-na*cidos; principses molestias
da infancia; as sciencias accessorias; a anatoma, i liysiologia, hygiene, materia me-
dica, descripoSo e applicaco medicinal d^s plantas indgenas at hoje conhecidas,
nocoes a respeito do uso das aguas mineraes, etc.
POR
THEODORO J. II, LAXCiftA %R1>
doutor em medicina Dlas uni.versidadHs Ap. nnrienhaonf o Unrxi rpi:i tncnidade de medicina do Rio de Janeiro, cavalleiro da imperial ordem da
Rosa, da de Chrisio, da real ordem dinamarqueza do Danebrog, da sueca da Estrella
Polar, condecorado com a medalha de ouro do Mrito, da Dinamarca, membro de varias
associaces scientificas; autor do tratado completo dos partos, traducior do testo do
Atlas de anatoma de Bock, etc.
3 vols. com 2J80 paginas impressas illustrados com 536 figuras, preco, encad. 16$
0 presente novo diccianario de medecina, devido ao talento de um medico dislincto,
ja por urna longa pratica de 30 annos, j por obras de reconhecido mrito sobre a mede-
cina, occupar sem duvida um lugar honroso entre as publicacoes anologas. Ao passo
| que ella se recommenda ao profesional pela grande e preciosa copia de conhecimentos e
investgaces scientificas, o leigo, dotado de alguma inteligencia, fcilmente se conven-
cer que a obra justifica o titulo de diccionario de medecina popular e domestica, pelas
nocoes claras e precisas que encerra acerca da importante arte de curar e de prolongar a
vida. 0 autor, longe de contestar o merecimento de algumas outras obras do mesmo ge-
nero, com tudo nao pode deixar de notar que quasi todas ellas laboram n'uma falta sensi-
vel, qual a de terem por base o systema seguido por escriptores europeus e calculado
para as circumstancias da Europa. L onde os mdicos abundam, onde ao lado do cora
jda aldea ha tambem um facultativo, e onde os transportes sao facis, comprehende-se a|
juslificavel reserva dos ditos escriptores, com que, deixando de tratar muitos casos em
suas obras, insislem n'um tratamento por facultativos. Mas no Brasil, to vasto, tao falto
ainda de mdicos e recursos por grandes povoaces, e onde os meios de communicac2o
| s5o 15o escassos, se carece de urna obra que suppra, quanto razoavelmente fr possivel,
; essas 'altas e inconvenientes, collocando o homem curioso e intelligente, o pai de familia,
c fazendeiro, etc., que vivem longe dos grandes rentros,"na posicSo de, com acert possi-
vel, applicar elle mesmo es recursos opporlunos e adequados aos males que affli^em a
humanidade. < ra, o nome do autor do presente diccionario, os solidos estudos qne fez na
Europa, e a sua longa pratica adquirida pela maior parte no interior do Brasil, que o ha-
bilitou a conhecer as necessidades a que prov este seu trabalho, parecem ser garantas
mais que suflicientes para o cabal desempenho da tarefa que tomou sobre si, assim como
para o tom acolbimento desta importante obra, que alias traz em si os melhores ttulos
de recommendacao.
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnsadora, estabeleci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seos carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercadorias e mobilias:
na roa do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Alagante
Alugasea casa terreada roa do Mondcgo n.
19 : a tratar na roa do Imperador n. 27.
Preclsa-se de urna ara para servido interno
de ama casa de pouca familia a' ra de lionas
d. 86, sobrado.___________________________
Preeisa-se alugar quatro escravosque sejam
Sossentes para servio deoaixo de coberla, pag o-se bem : a tratar do largo da Assembla n. 20.
i-ngenima-se
com aueio, proroptidaoe pre^^s r^ioaveii: na roa
Aytnm p.5, loja.____________'__
Carvalho 4 Nogneira qa tua do Apol-
lo n. 2o, sacam sobre Lisboa e Porto, a
! vista ou a prazo.
Brioeos de erystal o aalseiras.
Na loja de ourtves no arco da Cbncelj., no Re-
cj; tem os roetaorea que ha eocgfcyni rm ouro.
Casa
Aluga-se por lejiOOO a casa nova da roa dos
Prazercs n. t B : a tratar _a loja de marcineiro n.
8 da ra Estreita do Rosario.
Ama.
!it ra da Cadeia do Hecife
ama ama para oeinhar.____
o, SO precisa-se de
CASA.-
NOTA YORK.
E COR CHEIRO E SABOR AGRADAVEIS
Infinitamente mais efficazes do que todo
os mais remedios pergosos enauseahundos
que existem para .a expulsSo daslomhrigas*
Nao causam dores e produzem seu efleito
sem precisar logo depois de purgante ae- o. 26, saca sobre a cidade do Porto, avista c
nhum e toincitantes em apparencia e deli- Pras,-
Precisa-se de um trabalhader de padaria qua
seja deligente no seo trabalho : na ra Imperial
n. 39. f.________________________________
Precisa-se alugar um preto, tendo que enlen.
dade padaria : naruaImperial n. 39;_________
Manoel Duarle Rodrigues, ra do Trapiche
Atuga-se, passande a fundieao e Santo Amaro,
1 o andar terreo em frente aos ps de arvores, com
: bellas r.rommodacSps para familia e jardim ao
lado ; a chave no sobrado, e para tratar oa fundi-
co da Aorora, das 9 horas em diaote._________
0 Sr. Francisco Jos de Freitas Gui-
mares, queira ttr a bondade deappare-
cer na iivraria n. 8 da praca da Indepen-
encia.
cosas em gosto, que as enancas esto
promptasa tomar mais do que marca a re-
corta.
Uteis como um excellente meio de fazer
remover as obstrueces do ventre, mesmo
no caso de nao existirem verme algum, as
PAST_HASVBRMIFUGAS DE KEMPS S30 promp-
tas einfalliveis na sua operaco e por todos
os respeitos dignas deconfianca e p pro va-
cio de todos os paes de familias. Prepa-
radas nicamente por Lanman d,
Nova York.
Deposito geral em Pernambnco roa da
Crnz n. Vi em easa de Caros <_ Barboza
Manool Terxeira de Andradb faz sciente a
seus freguezes que mudou seu estabelecimento de
calcado da ra da Cadeia d. 8 para a da Cruz n.
58, achando-se sempre prompfo para qoalquer en-
commenda que diz respeito a sua arte.

__
0 Dr. Sarment Filho
previne aos seos doentes e pessoas de seu
conhecimcnl que se mudou para a ra
do Imperador n. 19, segundo andar.
AfTEl\(A0
Acha-se na casa de Kelier & C.
na ra da Cruz n. 55, urna carta vin-
da do Rio de Janeiro pelo vapor
brasileiro Gerente, para ser en-
tregue ao Sr. Joao Kahl ou Kehl,
roga-s; portanto ao mesmo seohor
queira ter a bondade de apparecer.
Precisa-se de nma ama
Conceico, sobrado o. 8.
de lelte ; na ra da
A tt enea o
Aehando-se Justo e contratado a compra da casa
sita na roa das Pernamboeanas n. 10, u Capnnga,
adverte se que qoem tiver direito a reclamar so-
tire dia compra, devora f ze-lo no praso de tres
dias, da data deste, sob pena de, (iodo este tempo,
cao se attender reclamaco algnma.
A pessoa que anoonciou querer dar S00
a juros com hypitheca, dlrija-se a ra da Matriz
da B9a-Vista n. 5i, qu se dir quera qaer este
neeo-.in. ou annaneie.
= Preeisa-se de um caneiro para urna casa de
molhados na cidade de Goiaooa, dase bom orde-
nado : a tratar oa r.a da Croa n. 36.
Saques sotre o lo de Ja7
neiro.
Sica-s qoalqupr qoantia sobre a praca do Rio
de lineiro, a' prazo ou vista : na companhia Per-
narnbucana, Forte do Matloa, escriptorio n. 1.
MOTA PUBXlCAlO FORENSE
Acaba 4o sabir dos prelos de E. & H, Laemmert, em cuja casa se acha venda, assim
como as principaes livrarias das provincias.
m&
ENCANAMENTOS
PABA A6DA
Na ra Nova n. 30 fazem-se e concertara-se en-
cnarae.ntos, assim como bombas para agoa.
O abaiso assigoado nao podendo depedir-se
pessoalmenle das pessoas de sua amizade, o faz
por meio deste, e Ibes offerece o seu pouco pres-
umo na liba de Fernando.O conego,
Antonio Jos de Souza Gomes.
A Salsaparilha
I>E A.YEB.
Para a cura radical de
Escrfulas, ulceras, chagas, fer-
ida3 velhas. molestias syphil-
iticas, e mercuriaes, Enfermi-
dailes das uniheres, como re-
tencao, menstro doloroso, ulcr-
acao do tero, e flores brancas.
A Kevralgia, Coavulsoes, Ery-
eipelas, Enferaidades Cutneas,
borbnlhas, nascidas, eto.
O extracta composto do SALSAPARILHA, conreocion-
ado pelo Db. AYKR, urna combioaeo dos melhores depura-
tivos ealterantes oonbecidos medicina; composto segundo
as lcis da sciencia, approrado e reccitado pelos primeiros
mdicos dos Estados Unidos, da America di Sal, do Mxico,
das Indias e dos principaes Estados da Europa.
SAI.sAl'MUi.HA do AVER especialmente efflcaz na
cara das molestias que tem sua orlgein na escrfula, na
lnTccco venrea, no uso exeessivo do mercurio ou em qualquer
impureza do Sangne.
Entre todas as molestias que aflligein o genero humano, nao
ha urna mais universal e tcrrivel do que a escrfula: por si
nao 6 to destructiva, porem 6 a causa principal de mr.itas en-
ormidades que nao lhe sao geralmente nttrlbuldus.
E urna oauHa directa da lisien pulmonar do mu do
finado, c estoniano, affeeeBes do cerebro, lthtumatismo
e uffi-c -oes dos Jtiii* : entre seos symptomas hn os seguintes;
Falta de apetito, Fraqueza o raoleza em todo corpo; Mo
cueiro d boca,-semblante plido e incitado, s vezes d'uma
alvura transparente, outras vezes corado e amarcllo uo redor
da boca; Digesto frac* e apetito Irregular; Ventre iuchado
e evarnaeao Irregular; Qunndo ataca os pulmoes urna cor
azulada mostra-se a roda dos olhos, quando no estomago
sao avermelha dos, as pessoas de dlsposico escrofulosa
apparecem frequentemente empipa apelle da cabeca eoutras
partes do corpo sao predlspstus s affeertes dos palmees, do
Jipado, dos rins e dos orgios digestivos e uterinos. Portanto,
nao sao Bornate aquelles que padecem das formas ulcerosas
e tuberculosas da escrfula que necessiun de proteccYio
contra os sens estragos; todos aquellos em cajo sanguc existe
o virus latente deste terrlve! flngeUo (o s vezes hereditario),
esto expostos tambem a soflrer das enfirmidadas que elle
causa.
Oflerecemos a estas pessoas um abrigo seguro c um anti-
doto efflcaz contra esta molestia e suas cousequenclos, na
Salsaparilha de Ayer
que opera directamente sobre o sangue, purncando-o e ex-
pulsando ikdle i corrupc-io e o veneno da molestia: penetra
todas as partes e todos os orgos do corpo humano, livrando-
os da sua aecao viciada e inspirando-Hiej novo vigor. E'ura
alterante rwderusissiino para a renovaeao do sangue, e d ao
corpo J culraquccido pela doeuca orca e nergia renovadas
como as da juveutude. .....
Jornal das Familias
publicaco incusa!, illns'rv.da, lutera-
na, artslica, recreativa ele
Ornado de Dgurinos, vinbetas, gravuras sobre
ac, aquarellas, sepias, pecas de msica, desenhos
4a traba hos, sobre talagarc', de crochet, ponto de
meia, la e bordados, moldes de vestidos, capas e
em geral de ludo o que e concernenle a trabalbos
de senhoras.
Pubhca-se no Rio de Janeiro.
Preco da assignatora ii& por anno.
Recebem-se assigoainras para c 4 anno desse
interessante jornal, cm Peroambuco, na Iivraria
Econmica defronte do arco de Santo Antonio, on-
de se achara tambem a venda collegous dos tres
annos anteriores. ^^^_______
O abano asignado agradece muito aos Srs.
Castro Redondo, Jos Diniz, Jos Alves e outras
pessoas qce concorreram para o seu transporte ;
assim como aoSr. Jaao da Rocha Pinheiro e outros
mais, e com especlalldade o seu amigo Ribeiro,
sua familia, a familia da Sra. D. Mana Pessoa de
Mello e a Sra. D. Candinha, e seu muito amado
filho Aprigio, de cujas qualidades jamis me esque-
cerei.
Laoreouno Braz de Oliveira.
ama que cozinhe e en-
; na ra da Penba n
Precisase de nma
fomme para duas pessoas
3, segundo andar.
Precisa-se alugar um~csiBbe1ro u coss-
nbeira : na ra da Imperatriz n. 9, segundo andar.
Preeisa-se de nma ama para o servico interno
de urna casa de pouca familia : a tratar na praca
do Corpo Santo n. 17._____________________
Antonio Alves de Oliveira Braga de S. Ro-
mo, participa ae respeltavel publico e principal-
mente ao commercio, que desta dala em diaote se
asstgoar Antonio Alves de Oliveira Braga.____
Precisa-se de alugar um moleque on preto
para todo servico, sendo fiel, paga-se bem : na ra
da Roda n. 6.
AMA
Precisa-se de urna ama para casa de pouca fa-
milia : na ra Direiu n. 68, i" andar.
O seohor que entregou documentos para re-
quererse ao governo geral a baixa de Felippe
Francisco de Plores, venha receber o trabalho qne
encommendoo para ter seguimento, e pagar como
ficou de ofazer'no diasegoinle: rogndose ao
Revm. Sr. vigario de Panellas de o avisar, visto
como se ignora se sabe dito seohor ter.______
CABRA.
Desppareceu urna cabra com duas crias, sendo
a cabra de cor preta e grande, o orna estrella bran-
ca na cabeca, a cria malor tambem preta com a
mesma estrella, a outra de cor mellada : roga se
a pessoa que deltas sonber, leva-las a ra Nova o.
69, que se lhe gratificar.__________________
Aluga-se o 1* andar o grande soto da casa
n. 34 da ra da Senzala Velba, o a segunda casa
da ilba do Retiro a beira do no, por commodo
preco : a tratar na ra da Senzala Nova, refina-
go n. 4.______________________________
Aloga-se um mnlatinho de i4 annos para
criado, muito fiel e de boa couducta : na ra da
Imperatriz n. i.
Precisa-se de urna ama para o servico de
pouca familia; na ra da Imperatriz o. 82, segun-
do andar.
Attenc&o.
No dia 3 para 4 do correte mea furtarara do
engenho Limoeiro, freguezia da Bscada, um cavallo
melado com dinas, cauda e ps pretos, nafico de
nm dos lados tem o couro das quelxadas grosso,
tem a testa junto a poeta do fociuho um tanto pe-
lado, bastante ardego, anda a passo, furia-pasto
al meio, e nao tem trro por ser nascido no mes-
mo engenbo, est fazeodo a segunda muda : qnem
o irouxer ou der noticia do ladro receber 100$
de gratitcago.
"Albino Baplisla da Rocha, relo
joeiro e dourador, faz qualquer
concert pertencenie a sua arte
mais barato do que oulro qualquer
e responsabilisa-se pelo seu traba-
lho, assim como compra relogios
'era segunda mao e obras ouro,
Da praca da Independencia n. 12.
T-JsTJ
r_usj
o
MEI.B
COXH.
Ol .iXTI-STPJIIZJXXCO
HECXIM);
"
Aluga-se
DAS
IdEIS C1VIS
PELO DR. AUGUSTO TEIXEIRA DE FREITAS
Impressa por ordem do govemo imperial, revista por urna commissao nomeada pelo
mesmo governo, cujo parecer foi approvado pelo dea eto de 22 de
dezembro de 1858.
Segunda ediccao correcta e augmentada
Ut Totume de867 paginas impressas encadernado 45^000.
Acaba de ser publicada a segunda edicSo, em que seo illostre autor, aperfeiooan-
do a primeira edicSo, aprsenla, alear do texto mais correcto e emendado, um grande
numere de notas em referencia- legislacao patria posterior a primeira edico, inclusive i S^SS^^-Siio"**.!
a das convences consulares e a da nvissima reforma hypothecaria, viado tambem a le-, iaBtJERen_e3_"3mSia'
gisla<;5r romana e patria applkavel acasos de alforrias concedidas a escravos, qurem
actos etilre vivos, qur por disposicoes de ultima vontade, supprindo assim a omisso
qne houve na primeira edico, em que o illustre autor deixou e consolidar a Icgislaca,
relativa a escraves para ser c!assifi,ada partee formar o cdigo'negro. Na nova edi-
co, porem, vem es.-a legislado, a que c de uso mais frequente, e remettemos os Jeito-
res para o qne o Ilustre au.or diz a tal respeito na introduccao pag. VIH nota. Sup-
prindo-se essa omissSo, prestou-se grande,servigo ao foro, onde n3o sao poneos os casos
oceurrentes nesta materia.
A segunda edicao, alm de ser Impressa em formato maior e con ter mais 103 pa-
ginas db que a primeira, tambem augmentada com o exame feito lej de 2 de selem-! a prepara?.** o*. ay_ o vcudidu em toda **
br de 1847 sobre filiaco natural paterna, e neste exame o illustre autor analysa o com-! BoticaQrogaiuaaoinmerio.
Nftn
Na noite de 8 do corrente, na ponte da Boa-Vis-
ta, furtarara a um almocreve que segua para o
Brejo da Madre de Dos, um cavallo carregado
com dous fardos de diversas fazeudas, os quaes
tem a marca T R S C : roga-se, portanto, a au-
toridades policiaes e pessoas particulares, o obse
qoio de approhenderera ditos objectos, e leva-Ios a
ra Nova n. 40, loja, que se lhe cara agradecido,
e se recompensara qualquer despeza.
Carnaval.
Na ra estreita do Rosario n. 21, 2 andar, alu-
gam-se ricos vestuarios de pbantazia muito bara
ios, a 64, 55, 4 e 3$ de aluguel, para borneas e
menioos : assim como vendem-se ricos dminos
novo?, e de muito gosto a 6j> e 54 cada um.
cora permannment aa pelores forrna de SYPUILIS e aa
Boa consequencla. Pouca nrcesaldadc ha de Informar o pub-
llco do inestimavel valor de nm remedio qne, como exte, fivra
o sangue desaa oorruBcao e arrebata a victima urna morte lenta e Ignominiosa, porm lucvttavel se o mal
no_ logo combatido com energa.
Mo pretndanos uromignr, nem qaeremoa que se lnfira
que eete remedio InfallveT para a cura de todos os padec-
ment09 humanos, o que dizemos que a
Saifsjiparillaa le Ayer
M i.
a melkor pre;
molestias ana
luc temos jausciencii de otUrecer
awJtado qoe ("possivel prodazlr, da
geacla e pericia medica dos nossea lempos.
epiiraco at hoje descoberta para estas e outras
alogas, qne urna combinuco dos ultenintes
COSINHEhO
Na ru.i umbom CMfinhero.
precisa-se
de
BIMIDIO DI AYER Pili V 8E1E8
Infavel as febres intermitientes, remitteates,
Pebres Biliosas e tercia, mal Uo figiado, in-
cremento do baco, oegueira. Dur nos
ouvidos e palpitaoet, ejoando
aO oausades pelas
FEBRES HfTKBtfIWENfIS, OU BEMnTENrES.
Dicc4onario grammatieal
prtuguez
POR
JOS' ALEXANDRE PASSOS
i vol. em8 com cerca de quatrocentas payinaa.
Esta obra pelos Importantes artigos qoe contm,
do malar interesse a toda a pessoa encarregada
de leccionar liogoa portugueza ou dese;osa de
habilitarse para o magisterio, e geralmente a to-
dos os qoe quizerem aperfeicoar-se no patrio dio
raa. O autor esmerou se, e consegoio, tornar o
sen trabalho superior a todas as graramaucas exis-
tentes na lingua portugueza, tomando por modelo
os livros de grammatica transcendente que na em
outras linguas.
Bsl se publicando eela obra no Rio de Janeiro,
e assigna-se na Iivraria Econmica (era Pernam-
bnco) ra do Crespo n. 2, defronte do arco de
Santo Antonio. '
Preco da assigoatora 4.
C4SA DE BACHOS
26-Patee do Carmo~26
Neste estabelecimento lao importante
para a saode e asseio do corpo acbam-se
montados it baobeires, que sao servidos
com a ordem e aceio que para deso-
ja r-se. Quatro des'es banheires sao espe-
cialmente reservados para senhoras e por
isto acham-se collocados em lagar reser-
vado aonde s tem entrada as pessoas de
urna mesma familia.
Prejes de banhes avahes,
i banlio fro, momo ou de ebu-
visco........500
1 dito dito de choque.....1000
i dito de farello ..... 1*000
1 dito aromatizado.....1*000
1 dito medicinal ser segando sua qua-
lidade.
Preces por assiguatura.
30 banhos por mei fri, momo
ou de chuviseo.....10*900
25 ditos com candes para o- mes-
mo?........10*000
12 ditos com cartoes para os
mos........15*000
12 ditos coro cartSes de chogne.. 10*000
12 ditos com eartSes de farello. 0*000
O estabelecimento estara aherto nos
dias olis das 6 boras da manhaa as 10
da noilc, nos dias santificados das 5 as
4 da larde.
Precisa-se de orna ama para cozinhar e com-
rar para urna s pessoa : na ra da Senzala Ve-
da n. 108, andar.____
Precisase de urna ama para cozinhar : na
ra do Cabug n. 10._______________________
Deseja-se fallar com o Sr. major Felippe Du-
arte Pereira ; na ra do Queimado, loja a. 14. _
Um homem prtuguez, casado, e s tem urna
menina, se offerece para tomar conta de alguma
casa de negocio de molhados do que tem muita
pratica, anda msmo para fra-da cidade : quem
pretender annuncie.______________________
Deseja-se mullo fallar coro o Sr. Manoel Pi-
nheiro de Mendonca, e nao se sabendo aonde mora
pede-se-lhe o especial favor de annnnciar a sua
morada para ser procurada, ou vir a raa do Cres-
po n. 7 A._____________________
Roga-se a quem se jnlgar creder do exlincto
Club Commercial queira apresentar suas contas ao
presidente do mesmo Club, o Sr. Francisco Joao
de Barros, para depois de kealisadas com o sea
vistoserem pigas pelo respectivo thesoureiro
o Sr. Jos Joaquim da Silva Gomes.
O secretario.
Francisco Lucio de Castro.
m
Os abaixo a.-sigoados continan) com
seu escriptorio de advocada raa do
Imperador n. 41, primeiro andar, onde
podem ser procurados das 10 iuras da
manhaa as 3 da tarde.
Alvaro Caminha Tavare* da Silva
Dr. Joao Thome da Silva.
K
mu
O Dr. Joaquim Jos de Campos, leudo ne-
cessidade de ausenlar-se desta cidade por alguns
dias, previne a seus clientes que tica encarregado
de suas causas o Sr. Dr. Jaciulho Pereira do Reg,
o qual pode ser procurado todos os dias uleis,
menos as quinlas-feiras, no esetiptoriu do mesmo
Dr. Campos, no sobrado n. 2 do paleo de Pedro II.
Da-se bolas cheirosas para vender, pagndo-
se a vendagem ; na ra de S. Goocalo n. 20.
Die deutsclie Nationaliiaei^stinBrT-
silien bereits so zahlreich venreten, dass
sich das Beduerfniss eigener Pressorgane
geltend machte, die sich die Aufgabe stell-
len, die Interessen der in Brasilien leben-
den Deutschen a besprechen und zu far-
dera deutsches Neben und Sitte zu bewa-
bren nnd die geistige Verbindung mil dem
alten Valerlande zu erballen ond zu kraef-
tigen. Ais solches Organ i.t die seit 5 Jah-
ren in Porlo-Alegre erschetnende, in echt
vaterlaendisciiem Geiste redigirte
DEUTSCHE ZEITUNG
zu empiehlen, welclie unler Leitung des
Hrn. C. von Koseritz 2 mal woecbentlich
erscheint. Preis fr 1 ]ahr ,20, 6 Monate
6(9- In Rio de Janeiro nclimen E H.
Laemmert Abonnement entgegen; in den
Nord-Rrovinzen wende ma sich an die be-
deotenderen Buch haendier em Pernambu-
co, na Iivraria econmica, ra do Crespo n.
2, defronte do arco de Santo Antonio.
Nenes Abonnement vom i Jaouar an.
Aos 80 domines para o carnaval.
Na .roa do Rangel n. t0, i* andar, tem para alu-
gar dminos de diversas qualidades, con sejam,
de velbutina, ditos velludados, ditos de carabrai
de cores, ditos de ganga fledirersas cores e qua-
lidades, ditos de seda e diversas qualidades, por
procos razoaveis por ser grande a quanlidade, cuios
precos sao de 3* a 5J, e de 10* a 15* ; para
acabar.
o stgnndo andar da casa do fallecido desembarga-
dor Rocha Bastos, ua rna da Aorora, com a sala e,menUrio dessa lei feito pelo Sr. Dr. Agstinho Mirqiws Perd|f5o
quarms forrad, a pape. 9 puda ltimamente, as- cordan(j0j ora discordando d_i)noes desse Sr. r.
sim como taujbera a cocheira da mesma casa : a I
tratar com Manoel Luiz Vires.
Malbeiros, ora con-
Em suas respectivas partes
tambem analysado e referido fTfflnual do procurador dos feit<-s da fazenda, obra do
"IT Turril A IiD/vnr-----mesmo Sr. Dr. PerJigao Malbeiros.
Illlti_jljLii_U lltU W E finalmente aproveitando-se da segunda edico o illustre autor responde s obge/-
Remedio infallivel as agnorrheas antigs vaces quefizera oEim. Sr. conselheiro Antonio Pereira Reboucas a alguns ionios da
e recentes, uweo deposito na pbarmacia primeira edic5o. Desta manera apresentada a segunda edicio muito augmentada,
fra^ceza, ra da Cruz n. 22 e ao preco de mais correcta e aperfeicoada, uereeendo por isso todo o acolbimento dosseohores ma-
3jjr000, gistrados, advogados e de todos que desejam conbecer a legislado civil do paiz.
fsJs*
Vende-se em Pernambnco:
na
PHARIYIACIE FRANQAiSE
DERMADRER&C'f
RA NOVA N
Alog?-se o segundo andar- e soto do
sobrado da roa das Aguas-Verdes n. 64,
tem commodos para grando familia : a tra-
tar no primeiro andar da mesma casa ou no
Recife armazem n. 38 a' roa de Apollo com
Francisco Ribeiro Pinto Guimar5es,_______
Liquidac&o
de fazeudas por todo preco para acabar: na
ra do Queimado n. 29, esquina que voHa
para o pateo do Collegio.
A|ua-se a casa dos Leoes, na roa dos Prazo
rea^ com setao, e commodos jara familia.
Preeisa-se alugar om moleque para o erico de
casa, sendo fiel e de fcea coodacta : a tratar uo ar-
genal de marioba com Horacio Coelho.
Preclsa-se de urna ana para asa drduas
pessoas : na ra Di re u n. 43, 2 andar.
Precisa se de um caixeiro
de urna taberna
para tomar eonu
na praga da Boa-Vista u. 18
Precisa-se de uro menino |para caixeiro do
taberna : na roa do Cotello o. 59.
~liPerit_beao.
A directora lo Club Pernambucano de-
liberou que s depoia de meia noite os
Srs. mascarados n3o poderlo conservar as
mascaras.
o major Aleaoare l^irreia de Castro previ -
neaquem interessar possa que nao tem autorisa-
do a pessoa alguma a dispr de bens seos, qaer
Mfeisquersimoveoles, sendo que ser viciosa a
pwse a que alguem Julgue ter direito obre quat-
querdelles. em virtade de transferencia qne loe
teora sido feita. Recife 10 de fevereiro de 1866.
I
"n
V
i-


;n-





m*rimde t arn*** ^ ffera Ielfa,,t%to#mt*elm d* 1866.
&
lid
ir

H ,
.
I
SALSA fMIIUli m AYER
PARA A CURA RADICAL
de escrfulas a molestias escr.
lhis, bronchocel, pipo ou pa
carnes.

RESPON.l DOmSTlS
Oabaizoassignadovendeugessea raitofelt-
bilhetes garantidos da lotera qoe se acaboo
4t extrahir, a beneficio da matriz d > Pp d'Alho,
os segnintes premios:
1 N. 22 dous quinto!., con a orl di 6;0005-.
N.-937 om meio com a ste di 1:2095-
N. 2837 dous quintos com a sorte de 8005-
N. 1603 doos quiote* Com a sarta de 2004
E outras ranitas sorles de 100*, 405, e 20*.
Ospossuidorex podftrn virreceber seas respec-
tivos premios sem os descontos das leja na Caa
da Fortuna ra de Crespo n. 23.
Acbam-se a venda os da 2* parta da 5* lotera
(48\) beneficio da'igreja de N. S. do Rosario
da freguezia da Boa-Vista, guada fera 19 do correte.
PREGO.
Bilhetes.....6*000
Meios......3*000
Quintos.....1*200
as pessoas qne compraren de 1005001
ira cima.
Bilhetes.....5*500
Meios. ..... 2*760
Quintos.....1*100
_______Makokl Martins Fiuza.
Previne-se aa respeilavel publico que Anto-
nio da Silva Rocha nSo tem escrava, e a negra com
doos nralatinhos fapeelalmente efllcaz na cura das molestias qne tem sua orlgem j <>? deHe s, e am de Juliana Mara da Assomp-
na scrotala, na lofeceo venrea, no uso 19a0-- fc hai*M* ? "P0 M esU *>.*> '?>
res, ulceras, ch&gas, feridas ve-
s, enfermidades venenas ou mor-
s
AS MOLESTIAS DAS MULHERES
retenc5o, menstro doloroso, ulcerac5os do tero, flores brancas, et., ulcera-;
gao debilidade, expoliado dos ossoa, a nevralgia e convulsSes epilptica
qoando causadas pela escrfula.
ERYSIPELAS ERPES; ETC.
Enfermidades cutneas, erupeSo, borbulhaa, piisulas,
nascidas. etc.
O extracto composto di. aalsa parrlha, coleccionado pele Dr. Ayer, urna
uombinacJo dosmelhores depurativos e alterantes conhecidos medicina; confeccio-
nado segundo as regras da sciencia, approvado e receitado pelos printeiros mdicos dos
Estados-Unidos da America do Sul e Central, das Antilhas, do Mxico e das Indias, e
limitas outras partes do mundo : o resultado de estudos apurados e minuciosos, e de
experiencias feitas pessoalmeote pelo Dr. Ayer, por muitos annos, nos priDCipaes hos-
pitaes e -enfermaras da America ; tem sido approvado pelas academias de medicina e
juntas de hygienne das prtocipaes capitaes da America do Norte; para prova disto vede
os attestados authenticos no Ahnanak e Manual de Saude do Dr. Ayer, os quaes te dis-
triboem gratuitamente nos logares onde se vende o remedio.
A SaLSA PARILHA DE AYER
CALCMO
Vi Km arda-4S
Par.
excessivo 4o mereu- lo ou qnalqucr Impureza do sangue.
. A molestia Ou infcclo peculiar, conbeesda pelo nome de escrfula, um dos ma-
ules mais prevalecentes e utversaes que lia m toda a extensa lista das enfermidades que
atacam a nossa raca; disse um celebre escriptor da medicina que mais de urna terca
parte de todos aquelles que morrem antes da \elbice so victimas, ou directa o indirec-
tamente de escrfula; por isso s nao (So destructiva, porm a principal-causa de
muitas outras etfermidodes que nao Ibe sao geralmente attribuidas. ?
urna causa directa da tsica pulmonar, das molestias do Ggado. de estomago
e affecces do cerebro; entre seus numerosos s-y miomas acbam-se os segumtes: falta
de appetite, o semblante plido e eochade; as vezes de urna alvura transparente e outras
vezes cora io>e amareUento irregular, fraqneza eraolleza nos msculos ao redor da boc-
ea; digesto*aca e appettite, falta de-energia; centre encLado e evacuacBo irregular;
quando o mal tem seu assento sobre os-pulmes urna cor azulada mostra-se-em roda dos
olbos ; quando ataca os orgos dgestrvos, os olhos tornam-se avermelbados; o bali-
to ftido, alio/ua -crr.3gada; dores de caneca, tonteiras, etc. as pessoas dedisposi-
c3o escrofulosa apparecem freqeateinenteerupooes na .pello da cabeca-e outras partes
docorpo-; sao predtspostas as affecces dos pulmoes, do figadr, dus ros, dos orgos
digesftvos-e uterinos. Portante, nao-sao somonte aquellos que padecem das formas al-1
cerosas e-tuberculosas da escroala^qtje necessttam de proteocao contra os seus estragos;
todos aqaelles em jo sangue existe -e virus latente deste terrivel flagello (e s vezes -
aerairio), eiBoexpostos tambera aoffrer das enfermidades que eHe causa, que sae~
A tsica, ofcerafes de igado, do estooago e dos rios; erupces e enfermidades
eruptivas da cutis, rosa oh erysipete, borbutb&s, pustots, -nascklas, tumores, rheuma,
carfeunenfes, ulceras e chagas, rbeanatismo, dores nos osss, as costas e na cabeca,
debilidades feminkas, flores brancas causadas pela ulcera^ao interior, e enfermidades
uterinas/bj'dropena, indigesSe, enftaquecinieato e debittdade geral.
Offerecemes a estas pessoas.m abrigo seguro e m antidoto elficaz contra esta
molestia e suas cansequencas na
SALSA PAflRILHA DE AYER
que opera directamente sobre veieno dacaolestia; penetra lodasaspartes e-todos osrglos docorpobumano, Ittran-
do-os dasoa accao viciada emepirando-ihes novo vigor. um altoraote poderosissmo
para a renevago do sangue, edaocorpo jienfraquecide pela doeoca/forcas eener-
gias renovadas cono as da joventude.
E tambem o mellior anty-syphitico CQnhecido
cura permanentemente as peiores formas de s-ypiiilis e as suas conseqaencias. l'oca
neeessMade ha de informar o publico do inestimavel valor de um remedio que, como
este, livra o sangue desta corrapeo e arrebata a victima das garras de urna morte lenta
e ignomi liosa, porm inevtavd., se o mal nio- logo combatido com energa.
K -um poderosissimo .alterante para a mnovacao de eangue epara dar no\-fer-
ia to corpe j eneequecido peta doenca.
Sead') composto de productos vegetaes, es1 e medicamento < innocente eaomes-
moempoefOcaz, om fado de immensa im^rtncia para aquelles que o tomam ; -por-
que muitas dos remedios alterantes offerecidos ae publico tem por base o mercurio ou o
arsnico, e sendo assim, bem que s vezes podem effectuar- coras, comtudo deixam suas
victimas carregadas de urna tonga -serie de mates, muitas vezas peior do que o mal ori-
ginal. A nica cousa necessaria para obter urna-cura radical seguir com juizo e evos-
atnoia as dii ecces que acompanbam cada frasco.
Nao (pretendemos promulgar, nem queremos que se irt&ra que esta oomposicSo a
om remedio infallivet para a cura de todos os padecimentos-humanos; infelizmente
escrfula e a syphilis -sao enfenmidads to sultanas suas oatorezas, e-arreigamse too
firmemente ao systema, que muitas vezes evaden e resistem aes remedios mais pode-
rosos 4ue a ciencia tamaa pode inventar para eombat las: *o. qne dizemos que o
Extracto composto de salsa parrlha de Ayer
a ntmor preparaco t boje deseoberta para esta* e outras molestias anlogas, que
urna combinacio dos alterantes mais effica* conhecidos, e queesfc< combinaco tem sido j
regulada .por.Jongas. e liioriosasexperiencias, e finalmente que temos conectencia deof-
ferecer ao pdblco o raeibor resultado que<3 possivel produzi, da tetelligeocia e pericia |
medica dos nossos lempos.
Este remedio deve ser tomado eom -systema e regularidade, *e, nao com abandono,
.pois um remedio e nao bebida.
Quando as molestias do ligado nSotem suaogem na escrfula,-o remedie
mais proprio as pilulas e^tharticas de Ayer, que sao fficazes na ora da motesija, que
vem por causa um desarraajo dos orgos digestivos. -Fedi a salsa parrilha de Ayer e
nao aceitai outu preparacc.
Bernambuco, ra'Nova n. 18, pharmacia fraoeeiade P. Jfour , (ario da rai fle dita floada, elle nao pode vender
esta escrava visto que a finada Juliana estava de-
vendo ao-casai
Joree Avelar do Nascraiento.
k *
>fanoel Jo da Silva Marques e sua ron-
'Ihsr Caetana de Soma Travas$os Marques e
seus Olhos, agradecen) a todos seos amigos
prenles qoe aCoropanharam os restos mor-
taes de sua filtia e irmaa Mara Carolioa
Travassos Mafques, e denoro roga aos seos
amigos e prenles de comparecerem no dia
14 do crreme pelas 1 horas da mantua
em S. Fraocisco afim de assistirem ama
missa do seriroo da qoe. manda rezar ipor
alma da fiaada, desde ja-agradecem a tedos
qoe assisliTMn fste acto.
Leopoldo Fetreira Martins Ribeiro,
mudou-seda ruada Imperatriz n. 40,para
e mesma ra n. i2, segundo andar,
Os herdeiros do fallecido* HeDriqne OlbsoD,
leram con orprea a Iolorma^ao qoe a cmara
municipal da cidade de Oiiuda dera o presidente provincia sobre a qaal S.'Exc. inde-
ferira o requerimento qe Ozeram sobrV o panta-
no d'a defermento (era publicado no Diarto-de Pernam
buco de iC herdeiros declaren) q*e aquella informaco
Inexacta por isso que desde que o pantano fora
afondeqoetie fallecida tem stdo pagss os foros \
annualmeBe adianiadoc, tanto que o procarador
d'aqu-ella cmara os. receueu al OQtabro do cor-
rente anno.'como ludo prova dos recibos que se
achara m poder do tesiamenleiro.
A primeira coodelo indispensavel con-
servado da saude trazer os^s bcra de-
feaildos contra os ataques drhumidad;
calcado bom e seguro o unko prejetva-
livo dessas mil enfermidades a que est *u-
jeto-o r930eu Um enmelo vclqo cal-
GRVNDE EiTABELECIIEXTO
DO
9
X. 60
I |P
ana da Imperatriz.
GAM31 A SILVA.
LOJA E ARM.VZEU DE FAZESDAS
Tend os proprietarios dc-te grande eslabelecl
CadO por TJm dandy patuscaote, OU uma ment feito am grande aftatiroento em mnius -
botina acajeanbad em pequenij p de en-
atadora deidade alm de" aecusar que-
bradera horripilante, prova cqjtfra as facui-
dades intellectuaes dos calcantes, e nao ha
Cortes de cambrsia com palmas Da loja do
'Parao.
Veodem-se corles de cambraia branca com pal-
, aas, s/ndo fazendi, maH) boa, pelo baraiisslmo
reco de 2,8500 para acabar : na luja a armazem
o favo na rna da Imperatiiz n. 60, de (Jama i
Sjlva. ,*
I>eneos braacos a 2&COO veis a
alusia.
I YeDdem fe lencos" branda fazenda uilo boa
pelo Laratissimo prego de a dazla, ilis cem
.* barra de tCr a JJCOO iito para acabar na loja do
Pavao na ra da Iini eralriz n. 60 de Gana & Sil-
suss fazendas, pela occasi:) do balanco que deram va
no ultimo de dezembro de 1803, resolvern) vender j : unr rtrrillU'lU I
moito mais barato do que coslu:nam afim de cada utl^llUt I LOlI fl i HA '
vez mais aaradarem aos seus uunerosos fregu-,
zes; por tanto Ihes ollerecein um avulado orti-1 LaStltnaS a 120 T. lia leja (lo PavaO
mento de faiendas fraocezas, ingieras, as quaes I Vende-se lsinhas pretas proprlas para lulo sen
qoem, tendo bom senso, queira passar por
malur-i mi nnhrn <1p snrr3a ornn er vendero mais barato do que era outra qualquer : do boa fazenda a 10 rs. o covado. Dits muito
pm g Par,e. comprometiendo se a mandar levar qaalquer \ aoas de qaadrinbos a 0 e 380 rs., ditas enfesla-
ram a fazenda em casa dos fregurzes que nao paderem das a 400 r?., ditas malhizadas a 320 rs., ditas
4*RA DIREITA--1*.
e attendam a' barateza.
Homens.
Borzeguins parisienses de bezer-
e cordav2o .......
Ditos de Bordeara ....
Ditos barcellonezes de lustre e
de porco. ......
Sapatoes de Nantes de duas ba-
teras rasas ......
Sapatos de lona, sola de borra-
cha. ....;...
Ditos aveludados.....
Ditos de tranca bons ,
Senhoras
Borzeguios enfejtados. .
Ditos de laco......
Ditos lisos .....,,
vir a loja, ou a darem as amostras, deixando Qcar
o penhor, assm como convidam as pessoas, que
negocian) em menor escala que neste grande esla-
beleeimenlo encoulraro no grande sortimento
tanto a retalho como por atacado, vendendo-sa-lhe
apenas pelos precos que comprara as casas ingle-
zas, sendo com o dioheiro a' villa.
Pechiacha a 30OOO c 8j950
AS MELPOMENES DO PAVAO.
Vendem-se bonitos cortes de melpomene para
vestidos de senhoras, sendo dos padroes mais mo-
5(J000 demos pelo baratissimo preco de 34000 cada um.
Ditos de indiana, tendo oilo e meia varas, pelo
8#000
000
I
600001
20000 Dara'>ss'ro preso de 2,8300 rs.
tiT\i\' itU> Para acabar na lija do
louu peratriz n. 60, de Gama i Silva.
10600 as loailias de li lio do Pavao.
i Vendem-sj superiores toathas de linhos para
50000 rosto pelo barali.-simo preco de 7^300 a duzia ou
40800 a 640 cada uma.
*4Knrt Guardanapos de linho adamascado para meza a
4,jouu 2^^ a d0Iia 0Q a fi0 rs eada um
SapalOS de borracha 10oOO Superior aioalhado de linho com oilo palmos de
SelleirOS, COrrieirOS e SegeirOS 1 largura sendo branco e pardo, e vende-se mais ba-
Sola de lustre, meios grandes 200000 "W do que em ontro parte, na loja do Pavao na roa
E um completo sortimento de calcado fa- da lml"z n- 60 de Gama &!
bricado nopaiz.
Vendem-se garrafas e botijas vasias e lava
das : na roa da Soledade n. 38.
Veude-se ama masseira de amarello em per- i D co de Gama & Silva.
Os corpinhos ae seda pretos do Pav5o.
Vendem-se os mais ricos corpinhos de seda pre-
tos, ricamente enfeitados, pelo barato preco de 12$
cada um : na loja do Pavo na ra da Imperatriz
feito eftado, e mais pertences para ama padaria,
na estrada nova, segunda taberna a direita, depols
do sobrado grande : a tratar na mesma, das 4
horas da tarde em diante.___________________
Ceneja gelada
Ha diariamente a venda por preco commodo
no armazem da Liga, ra Nova n. 60.
\m\\\(\ ?\mmm
Reoebeu-66 pelo vapor inglez a 9* caderneta do
8o vol. desto interessaoie jornal; roga-se aos'Srs.
assignanles qne inda a nao receberam, queiram
ter a bendade mandar prornra-la na itvraria Eco-
nomtca i>ca do Crespo o. 2._______________
Em-casa de Theod Chrsansen,rua do Tra-
piche-aeva o, 16,-unk agente no Borle do Brasil,
de Brandaaburg frres, Bordeanz, encontra-se-ef-
fectivamme deposito -eos artigos seguinles :
St. Jukkn.
St. Pierre.
Laruse.
Cha(ea.u lioville.
Chate Graud vio Chateau Lafitte 1853.
Chateaa.Lafilte.
Haut Sauterues.
Ch alean auternes.
Chaieau'Lataur Blanclw.
Cbateau Yquem.
Cognac em tres quaMdades.
Azeile doce. Precos de Bordeauz.
JoannacBaptista de Acevedo Vianna, (aa-
seniej Tliereea de Jess Azevedo, Maria An-
gelina AzeJredo Tinoco Francisco gnacio
Tinoeo de -ou7.a. convidam as pessoas de
sua aorieade e os amigos do fallecido Joao
Fernandee ^Parate Viacna, a ouvir uma
missa que se *ia de celebrar na Igreja do
Corpo Sanio pelas 8 horas da maora do
dia 14 do coprenie, em suffragio d'alma des-
te sea espoeo, georo, canhado e socio. ____
Ven ie-se um carro de quatro rodas com ar
reos, forte e em bom estado e barato : na roa dos
Coelhos n. 12. ______________
Vende-se am sellim inglez com arretos, com
pouco se e por preco racoavei : na roa das Cru-
zes n. 44 A. _______________
Tasso Irmaos
Vende ai no sea armazem roa do
Amerim i. 35,
Licor fino Curaco em botijas e metas -botijas.
Lieores finos sortidos em garrafas com roibas da
vidro em lindos frascos.
VteoosUberes.
Santernes.
CbamberliQ.
Hermiiage.
Borgonbe.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
Bordeaos.
Cognac.
Od Ton.
~PA"7rt1agnioL________________^^^
,;'3SIDffo.P5wb3i
v

o"?
1
2 B.S.&SS g SS
_ O- w v o K
B
cr a. |- S S
= co
a g-ocuSSft
te
C3
Cu u
ATI
8-
St X os
a>
m
i -i
-i
ae-Se 3-
oo 5 p, g.
9
01
933?
Si?1?!
O a> 72. _
Jf -I 5 Ct>
'm>:
P Sa-.r- CL.S
"&

a s*sr S o
3
V p.
en

2^2*
" o O
o O
s

03
ce
O
B>
-t
S"Bs. "5-
2 o
o
VENDE-SE
I
Io armazeaj de U 4. Ramos e Sitra & Cienr. rna do ligrrio
ii. 11, ccBitaaieiaeote, ossegaintcs artlgoa, jue
re/?e*cui pe** eacouBHaenda proprla de
Legitima salsa paw.ha de Bristol, preparada por Lanman k Kemp.
Verdadeira agua Florida, preparada pelos mesmos.
Gaz e*i latas de cineo gales, o mais purificado que se p>de desfijar d* acred-
tadawarca F.W. D. 4 C. '
fielegios perfeilos reguJadores^ com corda de quatro a oito das, dos afamados fa-
trcante* E. N. Welch.
Graixa em latas grande* da bem conhcida marea las. S. Masn (de Ptladel-
phia).
Superior oleo para mach as de costura.
A guias para as mesmas.
Breu em bar ica* grandes e pequeea*.
Vende-se tambem:
BORDEi(\
1.a qnalidade.
St. Eatephe.
St. Juen.
C. Margaux.
G. Lafitte.
Medoc.

Vinho fino do Porto em barris de 5/, iO/
Superior vinho toRheno.
fiera de Lisboa em velas e em grume.

_------._---------
PORTO
Ia qnalidade,
0 20/.

Principe Real.
Pedro V.
alaria Pia.
Prnceza D. Isabel.
Vctor Emmanuel.
Duque.
Marrazia.

Na ra do Imperador n. 83, 2* indar, preci-
sa se fallar com o Sr. Francisco de Frailas. Barbosa.
Alnga-se o i andar da casa da rna da C
deia do Recite o. 49, moito proprio para escripto-
rio: a tratar na mesma casa, loja de abaratas .
O solicitador Pedro Alexandrino da Costa
Machado eoantatia nos nisteres de soa prosso
nesta cidade e fra delta : pode ser procarado Ba
roa estreitafdo Rosario t. 3.____________^^
Precisa se de ujna pesfoa theo
carnete habilitada para enripiara
I>or partidas dobradas : qoem se achar ne-ts eir-
enmstancias indique seu oome e resiencla eci
arla fechada na loja de livros do Sr. Nogswira, a
rea do Crespo. ________^ f
Ama de leite.
Precisa se de ama ama de leite : na roa Nova
ia. 19, 3* andar.______________________|m
" saques!
Joo Jos de Camino Mu raes & Irmao, na ra
do Qaeimado n. 13, sacam sobre a praca do Rio
de Janeiro, avisu ou a praso.
Capilla,
j praa"; t Precisa-se de ara capello para om logar poaco
ci merca un I disunte desta praca, e cora coinmodidades : trata-
te na roa do Crespo, loja ola Sr. Jos Azevedo de
Andrade.
Precisase alagar ama ama forra ou escra-
va para comprar, coumbar e oogommar : na roa
de Borlas n. 71 _______________
Deseja-se fallar com o Sr. Joo Evangelisi
(ornes de Castro, que fol eaiietro do ?r. Frederi-
to, i negocio de sea nteres se : na ra de Sania
Therexa, junto a' casa de o. W.
Na fabrica de sab.to da roa de S. Miguel,
freguezi dos Afogados, precisase alagar tres es-
eravos, paga se bem : a tratar na mesma, ou no
Reeie, rna do Amorim n. 41.
- Precisase alugarlima preta escrava para o
aarvico interno e extern) de casa de pouca fami-
Ha : na ra do Li y ramalo n. *3, primeiro andar.
Precisa-se alugar tinl) moeque para todo o
servico de ama casa estrabgeira : a tratar na roa
Aova n. 21.
O bacUatt-lUermes PIibo de Burbft Caval-
canti, propoe-e a cobrar dividas por todas as pro-
vincias do imperio, principalmente para a provin-
cia da Parabiba, para onde por esses poneos dias
parta : qoem fie qojzer utili&ar de seas servigos,
dirya-se a roa do Apollo, casa a. 34, kegnndo an-
darle ahi cora mesmo tratara, s sira promelte
a toqcs quanios de saos misteres-ce utilisarem, que
6aro>oem satisfeilos.
COMPRAS
H
B
9
_
1
T* oa 3
9 5?
o S
- -1
o

03
O.
o
C3 o
OS 03
OJ -1
Ifl
cr.'
os
8

>
>
n
50
O
Cortes de colim para calcas
a li 120 s o Pavao.
Vendem-se superiores curies de colim, fazenda
muito encorpada para calcas e palitots, tendo pa-
dr5es escaros e alegres, e vende-se pelo barato
preco de 1I20 rs. o corle de caiga ou a 320-rs. o
covado, sendo esta fazenda grande pechincha pelo
preco.
Bnm pardo entrangado a 700 e 800 rs. a vara.
Dito liso multo encorpado a 640 e 700 rs. a vara.
Dito branco entrangado a 15280 rs., isto pe-
chincha na loja e armazem do Pavo na ra da
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Os cortes de cambraia branco bordados na
loja d) Pav3o.
Vendem'-se os mais ricos cortes de cambraia ri-
camente bordados com barras e babados a 20 ca-
da um : na loja e armazem do Pavao na ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Reos vestidos a 8G00 rs.
pechincba admira-.el.
S o Pavo receben pelo ultimo vapor francez
nm grande sorliraenlo dos mais ricos corles de
vestidos transparentes com lindas barras e enfeites
\ de seda, sendo estes vestidos moito proprios para
baile* e passeios, e vedem-s~ pelo -baralissimo
prego de 8000 rs. cada om, na loja do Pavao na
rna da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Cortes de eblta a 20000 ;
S NO POVO.
Vendem-se cortes de chitas inglezas com dez co-
vados a 2.
Ditos com onze covados a 25200.
Ditos com doze covados a 2400.
Dilos de chita franceza com dez covados a
35200 s na loja e armazem de fazendas do Pavao
na ra da Imperatriz n. 60 de Cama & Silva.
Os chales pretos de renda de Pa>ao a S$000 rs.
Vendem-se os mais ricos chales preti s de renda
com quatro ponas, senda muilo grandes pelo ba-
ratissimo prego de 85-
Dilos de guepure a 155, 185, 205,255.
Retondas de dito a IOS-
Manteletes de renda, lazenda muito superior a
155000.
Capas e sauthambarques de grosdenaples bor-
dados, fazenda inteiramente nova, por pregos mais
baratos que era outra qualqner parte.
Isto na loja armazem do Pavo na ra da Im-
peratriz n. 60 de Gama & Silva.
Para luto vende o Pavao.
Selim da China com 6 palmos de largura, fazen-
da prela para loto, propna para vestidos e roupas
para homens, sendo esla nova fazenda sem luslro e
de muito boa qoahdade, garantiodo-se nao licar
rossa com o lempo e vende-se pelo barato prego de
25 e 25300 o covado, assim como neste e:-tabeleci-
mento tem um grande sortimento de todas as fa-
zendas pretas como sejam cassas e chitas pretas,
las tapadas e transparentes, princezas, alpacas,
sarjas, etc. : na loja e armazem do Pavo na roa
da Imperairiz n. 60, de Gama & Silva.
Os ba-oes do Pavao.
Vendem-se superiores bales de mugulina com
transparentes com palma de sedas 400 n., ditas li-
zas e com salpico a 500 rs., para acabar na luja e
armazem do Pavo na rna da Imperairtt n. 60. de
Gama & Silva.
Ponpelin'as modernissimas a 400 e 800 rs.
o covado na loja do PavSo.
Vendem-se poupelinas muilo Unas sendo fazenda
minio moderna de quadnnhos e liza venderdo-se
pelos baratos precos de 400 e 500 rs. o ovado na
loja do Pavo na ra da Imperatriz n. 60 de Gama
dt Silva.
Grosdenaples prctes do Pavao.
Vendem-se superiores grosdenaples pretos pelos
baratissimos pregos de 15500, 15600, 15800 e 25
o covado, sendo fazenda muio boa, s para aca-
bar : na loja e ara azem do Pavo, ra da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
1( i-amante de linho do Pava a.
Vende-se superior bramante de linho com 10
palmos de largara, proprios para lenges, pelos
baratissimos pregos de 25 e 25'>00 a vara, assm
como panno de linho muito fluo peles baratissimos
precos de 640,700 e 800 rs. a vara : na loja e ar-
mazi-m do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma 1 Silva.
As eassas do p.\ao.
Vendem-se cassas muito superiores com lindos
padi oes, pelos baratos pregos de 300 e 320 s. o
covado, ditas mnitofloas a 360 rs. para ac.bar :
na loja do Pavo, rba da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Cambraias lisas do Pin Su.
Vendem se pegas oe cambraia lisa muito >upe-
rior, pelo barato preco de 35200 e :i5500 i peca,
ditas muilo iioas a 55, 65. 75 e 85 : na loja e
armazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, do
Gama & Silva.
PECHINCHA I
a 2>000, para talcas, s o Pava-.
Vendem se superiores cortes de meia easunira
com msela de seda a 25, ditas GaribaUlmas a
25800, ditas escoras a 258UO, ou a 15600 o cova-
do : na loja e armazem do Pavo, ra da Impera-
triz n. 60, de Gama & Silva.
PENTEADORES
on ronposs de cambraia bordados proprios.
para as senhoras vestirem de manlia. V
Chegou esta novidade pata a loja do Pavo, ^
moito lindos e do melho- oslo at boje, por pre-
gos moito razoaveis : na loja do Pavao, roa dd
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
;*echiiich
o i
V
Goctfra-se ouro, prata e pedos preciosas,
ern obras.reinas : na roa -da Cadela do Recife,
cja de ourives no aren da Conceigo.______^^
^"Comprase caros (sement) de aigodo : no
armazem ck.algodao de Saonders Brothers & fi-
no caes de Apollo.
Compra-se uma casa terrea em qual-
quer uma oas ras desta cidade, e que nao
eja em traveasa: a tratar na ra de Hortas
casa do fallecido Loureiro.
Corapra-se m escravo que -seja moco, st.dio
e.sem vicio: na ra larga dj Rosario a. 34, bo-
tica. _____________
Cofre.
CoBpr-se um cofre.-m segunda fliac ; no ar-
mazem da^bolla amareila no oiio da secretaria
da polica.
Cobre. Iat5o chnaino.
Compra-se cobre, lato e .chumbo : no armazem
da bola avarella 00 oiio da secretaria da polica. I rea anodinos ou Royer, mandou vir o novo sorti-
a~rna~do!meirt flQe aPora recebeu, e continuar a recebe-
Vende-se
na roa do Vigario o. 9, andar, vinbo do Porto
engarrafado de differeniee qualidades, em barris
e ancorlas:
Vinho da Jftgaeira em barris.
Cera em velas.
Carve animal.
Alfazema de Lisboa.
Cal de Lisboa.__________________________
colares Royer ou colares ano-
dinos
para facilitar a dentigio das criangis e presrva-
las das convalsoes.
O feliz resnltado obtido immensas vezes pela
prodigiosa forea magntica dos colares Royer, nos
casos de coovulses, e dentieao dae eriancas, tem
altamente elevado o seo bem merecido prestigio,
e hoje ji se pode diier qae esto geralmente con-
ceituados, e estimados de innnmeraveis pais de
familias : de iras porque do oso desses salotares
colares viram salvos do perigo seos charos fllbi-
nhos, e de ootroe porque eolheram daqoelles tao
proQcao exeroplo para igoalraeoie preservar os
seas. Assm, pols, a agola branca, tendo em vis-
tas a ntllidade eprovelto desses prodigiosos cola-
Ra roa do Queimado n. 40
Cortes de ISazinha de cor, bonlios gosto;, com
15 covados a 35600.
..Cassas organdys di cores, covado a 240, pegas
de^jgodozlnho largo cora 17 varas a 45-
Dias da.dito com 17 varas, muito encorpado,
com peqoeniNlefelto, a 45500.
Grosdenaple prefff-ffiBito superior, covado 29.
Dito dito a 15600. ^^^..^ ,
Reondas de renda preta a 5." '
Chales de renda preta a 85.
Lantl jlas.
A loja da Aurora, na ra larga do Rosario n. 38,
recebea sortimento de lantijolas multo delicadas e
proprias para qualquer eofeite, assim como tam-
bem recebea luvas de Jonvin I cas e d res
parahomem e senhora, muito l..- i, Bltegcdas
pelo ultimo vapor, ludo isto na loJt -<\ Aurora,
rna larga do Rosario n. 38.
Carnaval
A loja da Aurora, na ra larga do Rosa 10 o.
38, vendem-se luvas de peluca mofafias a 500 rs.
cada par, dias de seda tambam com mofo a ICO
rs.o par, muito proprias para brincar estes das
do carnaval : na ra larga do Rosario n. 38.
AtteuQo!
Atten$o!
AttenG&o!
Grande sortimento de fazendas pro-
prias pira a nuaresma.
Acaba de chegar a esle novo eslabelecimenio
um grande e variado sortimento de fazendas pro-
prias para 2 quaresraa, a saber :
(ir- sdenapl s preU a i'600 o covado.
Vende-se am grande sortimento de grosdfDa-
plea l600, 15800, 25 e 25500 o covado ; d:to
S^ff' a 5*-' dilos crQolin8S com 33 arcosa moito superior a 25800e 3 : na rna da Inpera-
n?0 J10Sk Com 20 e 2S a 3*' dil0?aJ^IJSSf" triz n' 72, lo^a de Gnimars & Irmo.
MoriaDtique preto a 2J800.
Vende-se am grande sortimento de morian'.iuue
a 2S800, 35 e 35300 o covado.
Chales de renda pretos a 8000.
Vende-se lambem um variado sorlim nto de cha-
as, sendo brancos e encarnados a 25 e 25300 :
na loja do Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
0sllales do pavao a 2ooo e 2oo rs.
Vendem-se chales de merino eslampados a 25
e 25500 cada um.
Ditos de merm liso a 35300.
Ditos estmpalos de crepon a 65, 75. e 85000.
Dilos pretos bordados com franja de seda a 145.
Na loja e armazem do Pavo na roa da Impera-
triz b. 60 de Gama & Silva.
Compra se um escravo
Crespn. 17.
pega
ir
_
Ouro e prata.
Em obras velbas : compra-se na praga da lo
dependencio n. 22, loja de bilhetes,
~~^ Compra-ee a escrava que saiba cozinhar
e engoomar : na ra do Crespo n. 18, segunde'
andar.
los para que em lempo algum a falla delles possa
ser funesta aos pas de familia, os qnaes flearo
certos de os acbar constantemente na roa do Quei-
mado, loja d'aguia branca n. 8.
Pregos para estuque e tabique.
Vende-se em barricas on a retalho : a ra do
Quatmado, Aizewdo & Irmao. __^______
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descrogar
Compra-se uma easa nos lagares Capanga.
Camioho Novo ou Soledade, pelo prego de 8005 a ,.
1:0005, e na mesma easa compra-se ama escrava ; aigodo : na roa da ienzaia Wova n. 42.
de 5005 a 6005 : qoem quizar fazer estes negocios
dirjase a' Capanga, roa dai Crioulas n. 23, qoe
achara' com qoem tratar.
c-._uj_____i- -immsmmBs
VENDAS
.......
PARA 1866.
Acabara, de sahir luz as folhinhas de
algibeira cnle porta para o auno de 1866, o
mais-correctas possivel tanto no clenlo das
Est por alugar-se jo primeiro andar do so-
brado da roa de Agoas-Verdes o. 86 : a tratar na
roa das Croze?, sobrado n. 9,1" andar. -
--^ i~ M,H., am ,. te na hvrana da praca da Independencia,
- Da-seo enmurada dalles existente era frente' |fl0 d n(JrUva a2n rr.- A? aloi-
te a casa qqeimada da ru d Crui a qoem qoelra !}? njffjp ae porw ?u res as ae aigi-
carregar. teira.
VENIIEM-SE
om moleqae de 10 araos de Idade, tondo as per-
as aleijadas porm que nao priva de fazer qual-
quer servico e nem* fijo pqcq de andar, sobir e
correr, cozinba tambem o diarlo de ama casa,
excedente trabalbaddr de velas de earnaoba, pois
pelo prego qne se vende nioguem o delxara de
comprar avista das (labilidades : na roa do Viga-
ro o. t._____________________________
~~ Vendem-se doas pequeas casas terreas, ama
sila na povoagao do Mooleiro, e outra no bairro do
Recife : quera as qoizer comprar dirlja-se a' roa
da Imperatriz. sobrado n. 51, 3 andar.
MiMEte
Na rna do Jasraim o. 24, oficina de ferreiro, de
las e eclipses, como Das diversas festag Gollberme Daigel, ba para vender doos cabriolis
que a igreja celebra; vendem-se unicamen- novo, om de 4 rodas e com assenios para 4 pes
soas, e para ser duchado por om s cavallo, eom
de dnas rodas, ambos fetos com toda a perfefgao :
qoem os pretender dirija.se i misma oficina que
achara' com quera tratar.
Cambraias de forro a
do Pav5o
Vendem-se pegas de cambraia de forro com no-
ve varas cada pega, pelos baratissimos pregos de
15000 e 25: na loja e armazem do Pavao na roa
da Imperatriz o. 60, de Gama & Silva.
Os cortinados do PavSo.
Vendem-se superiores cortinado adamascados
para eamas pelo baratissimo prego de 15 cada par, I
ditos muito fluos ricamente bordados para camas I
oo janellas a 135, 20 e 255 o par : na loja ar-'
mazem do Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Panno preto a 20 na loja do PavSo.
Vende-se panno preto. fazenda moito boa, pelo
barato prego de 25 o covado, Oilo minio lino a
35300, 45, 55 e 65, assim como casimira prela de
cordo a 25 o covado : na loja do Pavo na roa da
Imperatriz n. 60, de G-ma Si Silva.
Cortes de laa a Maria Pa na loja do Pavo.
Vendem-se os mais ricos corles de la a Maria
Pa, pelos baratissimos pregos de 75 e 8$, dilos
mnito finos a 105, 125. 165 e 205 : na loja do
Pavao na roa da Imperatriz o. 60, de Gama &
Silva.
Os espartilhes do Pavao.
Vendem-se uma grande e variado sortimento de
espartilhos dos mais bem feitos qoe tem "vindo ao
mercado, sendo de todos os lmannos, veodendo-se
por om preco moito razoavel : isto na loja do Pa-
vo na ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Silezia para saias a 44o rs. a vara na loja
do Pav5o.
Vendem-se silezia ondeada sendo fazenda moito
boa e propna para saias, pelo birato prego de 440
rs. a vara : na lija do Pavo na ra da Impera-
tr n. 60, de Gama & Silva.
a salas bordadas do pavo.
Vendem-se saias bordadas sendo fazenaa mnito
boa, sendo ricamente bordadas e com muia roda
vendendo-se pelos baratos pregos de 65 8j> e 105
res cada uma na loja do Pavao na ra da Impera-
triz n. 60 de Gama & Sjlva.
#e?is de raadapulio entestado.
Vende-se pecblnebas de madapolao entestado
com 12 jardas cada pega sendo fazenda moito su-
perior pelos baratissimos pregos de 45 e 55 rs. na
loja do Pavio na roa da Imperalriz o 60 de Gama
& Silva.
Bretanhas de rolo a 3,^000
Vendem se pegas dj bretanha de rolo com 10
varas cada pega, pelo baratissimo prego de 35 :
na oja e armazem do Pavo, roa da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
les de renda a 85, 95300 e 105 ; ditos muilo 9oos
l l'se 1*5; ditos de seda fazenda mullo fina a
205000.
Retondas pretas a iO.
Vendem-se reondas pretas pelo barato prego de
105 e 115 : na roa da Imperatriz n. 72, loja Ce
l600 e "" J Grande pecbincha panno preto a 2000 o
covado.
Vende-se panno prelo proprio para caigas e pa-
utte a 25 e 25200 o covado ; casimiras preus
a 15800, 25, 25400 e 25500 o covado.
E' moito baralo corles de casimira a 3300.
Vendem-se corles de casimira preta a 35500
45 e 45300 ; dita muito fina a 65.
Admira cortes de brim de cores
1,280
Vendem-se cSries de brim de edres para caiga a
15*80.15600, 1580:) e 25 ; na roa da Imperatriz
n. 72, loja de Guimares & Irmao.
' baralissimo a 120 ris o covado.
Vendem-se riscadinhos moito proprios para rou
pa de escravos, a 120ris o covado; ditos escoce
zes muito floos a 240, 280 e 300 ris o covado.
Cambraias lisas a 3.000 s. a peca.
Vende-se nm grande sortimento de cambraias
lisas pelo baralo prego dn 35, 35600, 45, 45300 e
35 ; ditas muito finas a WOO e 65; ditas victoria
a 65600 e 75; ditas de orna vara de largura a 85
e 95 ; ditas pra forro a 15600, 25 e 25200 : na
roa da Imperatriz n. 62.
Chitas francezas largas a 260 res.
Vende-se om grande sortimento de chitas a 260,
280, 300. 320 e 360 rs. o covado ; dilas preciares
a 400, 440 e 300 rs.
Cambraias de cores a 280 rs o
covado
yeDdem"se camlralas francezas a 280,3G0 320,
360 e 40Q rs. o covado. '
Laazinhs a 3oo rs.
Laizinbas de qoadrnhos a 300, 320, 360 e 400
rs. o covado ; duas muito finas a 300 e 560 : na
roa da Imperatriz n."72, foja de Golmares & ii-
mao?.
Cortes de la a 5,5000.
Acaba de ebegar a este importante estabeleci-
menlo um sortimento de cortes de laa qoe se ven-
de por 35 e 85500; ditos a Maria Pia, fazenda
moito moderna a 12a, 145,185 e 2* ; ditos com
camisraha, cinta e grvala a 255 e 285
ROUPA PEITA.
Vende-se nm completo sonimenio de roopa fcf-
la relia, assim como sejam paliiots. caigas, coleles,
camisas francezas a 15600 e IfiSOO mas linas a
T JJ"'J?bo 2S00, 35 e 35300 : seroulas d
15500,15400 e 15600, de bobo a 25 e 25500 : na
roa da lmpenlriz o. 72, loja de Goimares A Ir-
mao.
Vendem-se 400 pedras para ladrilho, vi odas
da liba : a tratar na ra do Vigario o. 14.


Diaria *r rrrMMtVntft -- fer^i telrJ#,*'*e^fc*r6 #e 1866.
PARA A QLARES111
. Cliegaram a loja de Augusto Porto & 0.
11 Ra do Queimado-11
Superiores cortes de seda preta.
Molreaatiqua preto de flores a de listas bellos padroes.
Grosdeoaple preto de diversas larguras e qualidades.
Retoadas, bouroas e cbales de guipil e de rendas.
Baaos pretos, caserairas pretas, bombasina.
Las, cauao, merino e selesthnas pretas.
Lindas mantas de seda para pesclo.
Ricos cortes de seda de cores para bailes ou casamento.
Ricos cortinados bordados dos mais bellos desenos.
Moir branco, seda branca, capailas e mantas para ooivas.
Bellas colchas de sed e de la e seda para cama de noivas.
Saias de flnissiraa cambraia ricamente bordadas.
Fazendas de pregas para saia que se fazem cora urna s costura e tambem tem
o cordo tecido. ><1
Madapolo (ranees a 409 e 480 rs. a vara.
Alcatifa de llnbo para salas e gabinetes a 480 rs. o cavado.
Fazenda especial de qnadros para azer rede* a 34300 a vara.
Superiores esteiras da ludia para salas.
11Roa do Queimado11
com

CORTES DE SEDA
Chegaram pelo paqnete inglez riquissimos cortes de moreantiqae de cores, e seda lavrada
drfles inteiramente novos. ... ,
Seda de quadros por 1#000 o covado
5RA DO CRESPO-5 '"
Gregorio Pae do Amaral ** Companhla.
pa-


zendas de bou
i

i
aO
Para vestidos de senhora.
Cortes de seda de c6r de bom gosto e superior qaalidade.
Lindas sedas de quadrinhos.
Bons moireantiques de c&res.
Grosdeniples da todas as core3.
Lindos poil d! chevre fazenda assetinaia de inteira novidade.
Lindas duquezas assetinadas fazenda inteiramente nova.
Moderaos grenadines de seda oque tena vindo de mais novo.
Grande variedade de las de cores lisas e de salpicos.
Or^andys e ca Percalias modernas com grande variedade.
Lindos c>tes de 15a Clotilde com todos os pertences cada um em seu car-
tan inteiramente novos.
B-inscortes de casi con barra tambem inteiramante novos e outras umitas
jfazendas de go'stoque seria enfadonho mencionar.
Para hombros de senhora
Grande variedade de chales, bournoux. Mondes e algeriennes de fil e de
ruipure a 10, 16, 20, 30, 40, 60 al 300.
Modernos soutembarques de Seda de superior qualidade.
Lindos bertes de seda dg'cdr pretos e de cachemira.
dem de cambraUJ-rfanca bardada com muito gosto.
, Sautembam'lSs'e bournoux de cachimira de cor e outros muitos artigos de
Somgosto.
Para cabeca de senhora
Superiores chapelinas de palha, de" seda e de crina de muito bom gosto a im-
peratriz.
Chapeos de pilha da Italia grande variedade.
Lindos gorros e bonets de palha de Italia, Imperatnz, Canutier,
e a Grante, chegados de Pars pelo ultimo vapor.
i Grande variedade de enfeites de froco e de flores para casamento,
i Superiores vestidos de blonde. e de moireantique brancos.
| Bons moireantiques brancos e superiores sedas brancas.
Bons vestidos da taratana branco bordados.
? Lindas mantas de blonde e boas capellas.
i Srdidos.
i Grande variedade de entremeios bordadoWransparente e tapados.
i Tiras bordadas transparentes e tapadas, babados bordados, saias bordadase
outros muitos artigos.
} LiO*\ AS COIilJitINAS
4NTONIO CORREU HE VASCONCELLOS & C.
RA I>0 CRESPO M. 13
Clotilde'
!
DE
Ss^Bm
RA DO BHM H. 38.
O proprietario desle estabelecimento deseja chamar a attenfo dos senbores pro-
prietarios aos acreditados mechanismos que continua a fornecer ; os quaes garante ser:
coma sempre, da melhor qualidade possivel:
Machinas de vapor

-
forca de 2 '/ cavallos para cima. As meoores sao mui proprias para motore sde
dcscarocamentos de algodo; as maiores para moer canoa; ha tambem que podem junta
cu separadamente moer canna e descarocar segundo snas proporooes. Estee vapores
sao simpssimos na conslruccao, e se regem por qualquer pessoa intelligente, a facilida-
des da conducho sendo especialmente considerada,' tanto que nao ha logar em que nao
se possam conduzir, qur por trra, qur embarcado. Ha com moendas juntas ou sem
ollas e podem-se applicar a qualquer moenda j existente sem ou'.ra mudanza do qoe
a substituico das rodas da almanjarra. Ellas tem depsitos d'agna e boeiros de ferro,
e :3o precisara para o seu assentamento de obra alguma, qur de carapina, qur de al-
venaria. O tempo para assenta-las nao excele de doze dias ao mais, e em casos de
morios de animaes ou arrombamentos de acudes, etc., garante-se o assentamento em
oito 'Jias. Lembra-se aossenhores de engerrh que a venda dos animaes e o servico da
cuota oceupada no seu tratamento os nao de recuperar da maior parte da despezando
v; por deixando-lhes a vaotagem de rana moagem certa e accelerada; e aeabandp com a
diispoza da. compra oBtiauada de novos an'.maes. com os desgostos do trabajho qjie
s(! tero com elles. .
Rodas d'agna de ferro, mui maneiras e moendo com qualquer altara
d'agiia.
arilhos eom crnelas de Ierro para aa mesmas, cuando se desege fazer
e resto da roda de madeira, toinando-se assim a roda ligara no trabalho.
Mociadas de caana de todos os tamanhos. desde as mais pequeas
das do serto. Obra perfea em feitio e acunhamento.
Roda* de espora e angulares de todos os tamanhos e proporces.
paroes on coches para rceber o caldo.
Ci'Itos de fornalha para assentamentos, frescos para o fognista, fazendo
ennde cal r com pouco combustivel, e dor.jdouro.
Portas de foroalha de todos os tamanhos e de diversos systemas.
Fornos e ntoinhos para a fabrica de farinha e tamliem chapas redondas
para fornos pequeos. .
Bombas simples e de repucho.
Talxas de ferro batide e fundido e de cobre.
Formas de ferro batido.galvanisado para purgar assucar, leves para carregar
e isemptos de guebrar-se. ,
llaubiqaes de ferro de todos os tamanhos, custando so a terca parte do
preso dos de cobre, mais regulares na oMstillacSo e igualmente dorareis.
Elxos e rodas de carro com tnang s de patente, obra mu segura para
earregacio de peso. ; .
Arados, grades, enchados fc eavallo e outros instrumentos de agn-
cult'.a.. E finalmente todo o objecto de que possa precisar um -eujenho.
Machinas de descarocar algodflo.
Na fabrica se fazem obras novas encomraenda e concertos, com a oaior preste-
za e solidez. 0 grande deposito d pegas e objectos habilitam-na rauito para este fim.
0 proprietario ser sempre mui feliz de poder ter occasiao ce dar nfimacoes ou
esclarecimentos aos senhores qt se servirem de seu prestimo.
D. \y. Bowman, eagenheiro.
*'
NOV08 OEKBMITW
DOS
wwm RAWDES
DE N0L4HD0S

DENOMINADOS
PROGBESSIVO pateo do Carao n. 9
UNIO E COMMERCIO ra do Queimado n- 7.
VERDADEIRO PRINpIPAL nja do Imperador n. 40
DE
DUARTE CARVALHO PERIRA C.
BW- MiMO ME1KHIRIRGIC9
. r DO .
DR. WtmO VEATTATDB"tOBO M9C90SO.
J^Ca, PARTEIRO B OPERAROR.
3 Ra da Gloria, casa do Furilfto 3
O Dr. Lobo Hoscoso* d consultas gratuitos ios pobres lodos osdiai as 7
oras da manho, edas 6 e meia s 8 horas da aeite, eicepcao dos diutitifi.
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio ha sempre o mais approprjado sortiraento de carteint
tubos avulsos, assim como oturaslde varias dorsos misales e pelos precos seguintes:
Carteiras de 12 tubos grandes. i2000
.'.Gim* de 24 tubos grapdes. itigbOO'''.'
de 36 tobos grakes# 24iOOO
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
Ienhos,. lavradores e mais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
beraran* os propietarios dos tres grandes armazens, reunir todo i os seus estabeleci-
mentos em um s annuncio, pelo qal o preco de um ser de todos, promette-
mos que nSo infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os gneros
por um pre^o, e a pcfiasiao dcpBopra quererem por outro, como socede constante-
mente em Outras muits casas, peuim nos nossos estabelecimentos nSo se dar isto
ainda mesmo com prejuizo noss, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
sero tambem servidos como viessem-pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas ferxadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos orna corita
pela qual se vera os precp$,^al qual annunciarmos, o que sen5o arrepender pessoa
alguma que fizer saa despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5, por ceojo ua sua despeza diaria.
>
de 48 tudos grandes. 30^000
de 60 tubos grandes. 354000
Prepara-se qualqaer carteira conforme o pedido que sfl fizer, e com 03 remedios
ue se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 1(?000.
Sendo para cima de 12 custarSo os precos establecidos para as carteiras.
Ha tobos mais pequeos cada um a 500 ris.
IIVROS.

^li\IKI^A

Manteiga i:gleza perfeitamente flor che-
gada ltimamente a l.ooo ts. a libra, e
em barril ter abatimento.
Manteiga franceza da safra nova a 800 rs.
a libra e em barril ter abatimento.
BANHA
Banba refinada superior a 64o rs. e em
barril ter abatimento.
Cha mim-da-pcimaira o superior qualida-
de a 2,8oo, rs.
dem hysson o melhor neste genero a
2,6oo rs., e sendo em porco ter abatimen-
to, tambem ha proprio para negocio de 2 a
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de l,8oo a 2,5oo rs.
a libra.
isiscontos
A melhor ohra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jaih
dous grandes velumes cem-diccionario .".'." '. ,.v .., .* ,-^lOOO
Medicina domestica do Dr. Hering.......... loXo
Repertorio do Dr. Mello Moraes........'. eJoOO
Diccionario de termos de medicina.......... 3fl>00
Os remedios deste estibelecimento s5o por demais conhecidos e dispensam por
tanto de serem novamente recommendados as pessoas que qnizerem usar, de remedios
verdadeiros, enrgicos e duradores: ha todo do melhor que se pode desejar, globos de
verdadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservac2o, tintura dos mais acredi-
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparado, e portadlo a maior
energa e certeza em seus effeitos.
Casa de saude para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-Ihe qualquer
operacSo, pira o qoe o aoDonciante julga-se safficientemente habilitado.
O tratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica,
fanecionando a casa ha mais de quatro annos, ha muias pessoas de cujo conceit se nao
pode duvidar, qae podem ser consultados por aquelles que deseiarem mandar seus
Superior azejte doce de Lisboa a 64o rs. a, doentes.
Paga-se 2 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 15500.
Asoperaces sero previamente ajustadas, senSose quizerem sujeitar aos preces
razoaveis que costuma pedir o ann une ante.
?Jaagre
Superior vinagre de Lisboa
caada e 280 rs. a garrafa,
mais baixo para 2oo rs. a garrafa e 1,4
a caada.
Azeite doce
a 2,000 rs. a
Tambem ha
00 rs.
l,8oo
/Genebra de Hollanda verdadeira a 6,000
Latas com superior biscouto inglez de di- afrasqueira e a 56o rs. o frasco,
rsas marcas a l,2oo rs. a lata. ./ idom de H
versas
Bftlehluhas /
Latas com bol ach nas da acreditada fa-
brica do beato Antonio, proprias para'dar a
doentes de 2,000 a 3,o00 rs. a lata.
dem com quatro libras de bolachinha de
soda a 2,oob rs. a lata.
Queyos
Queijos flamengos chegados pelo ultimo
vapor de 2,3oo a 2.5oo rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespanhol a l,ooo e*^2oo rs.
a libra, francs e suisso a l,ooo rs. a libra
e portuguez a 800 rs. a libra, em porcSo
ter abatimento.
VINHOS
Superior viaho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejara: Madeira Secca,
Duque do Porto, Velho Secco, Lagrimas do
Douro, Maria Pia, D. Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a l,ooo a garra-
fa e 9.000 a 12 000 rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a> 3,ooo,
3,5oo e 4,000 rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barrft a 64o
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a caada. .
Superior vinho de Lisboa e Figutira em
anceretas de 8 e 9 caadas a 2i,ooo re. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e
3,5oo a caada.
Caixas com urna duzk de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,000 rs. a caixa e
7oo rs. a garrafa.
CAFE
Caf do Rio de 1.* e 2,* qualidade de
6,800 a 8,2oo rs. a arroba, e de *24o a 28o
rs. a libra.
garrafa e a 5,ooo rs. a caada.
FUMO CAPORAL.
Latas com superior fumo caporal a
rs. a lata.
Passas
Superiores passas a 2,5oo o qqarto e
9,5oo rs. a caixa de arroba hespanbola e a
56ors.a libra.
GEVKBRA
Genebra de laranja verdadeira a lo,5oo a
duzia e l,ooo rs. ao frasco.
sfl
Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da ums.
Garrafes com 24 garrafas de genebra de
Hollanda a 8,000 rs. o garrafao. Tambem
ha garrafes com 5 e 14 garrafas de 3,2oo a
,000 rs. cada um.
VELAS
Velas de spermacte a 64o rs. a libra.
dem deearnauba de lo a 12,oors a
arroba e de 96o a 44o rs. a libra.
PEIXE
Peixe em latas j preparado de fiOO a
l,2oors. a lata
ALPKTA E PAINQO
Alpista e panco muite novo de t^Soo a
4,000 rs. a arroba e de 14o e 160 rs% a li-
bra.
CHARUTOS.
Superiores charutos do fabricantes Simas,
Imperiaes, Delicias, Parisienses e outros de
2. 2r5oo e 3,ooo rs. a mera caixa: timbem
temos Suspiros, Havaneiros, Ligueiros e
outros muitos que vendemos por mdico
preco.
Licores
Licores francezes e portaguezes a !,ooo e
l,4oo rs. agarrafa ou frasco.
Doces
Da:e da casca da goiabaem caixoes e la-
tas a l,2ooo caixo e 2,8oo-rs. a lata.
Frotas
Frutas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muito bem eofeitadas, conten-
3,2oo a'do pera,pecego, ameixa rainha Claudia, al
perche e outras frutas a o) rs. a lata.
Tambem ha latas grandes para l,2eo rs. a
lata.
AZEITE DE REFINADO
Superior azeite francez refinado a 8,000
rs. a garrafc e a 9,ooo rs. a duzia.
MOLHO INGIEZ SAUCE
Molho inglez Sauce em frascos grandes
com rolha de vidro a i,800 rs. o frasco em
1RM1ZFJI DE li/IVBKS
DE
Sab5o maca de primeira qualidade de 18o. duzia ter abatimento.
a 22o rs. a libra e de 16o a 21o rs. sendo' BATATAS,
em caixSo. Gigos com 3o libras de batatas a l.ooo rs.
Servejar
OglgO.
SARD1NHAS.
Superior serveja Bass dos melhores fa-. Latas com sardiQhas de Nantes
bricantes, como sejam: Shlers & Bell. T. F. e 400 a ^q0 rs_ a |ata>
Ashe a 7,5oo e 7,ooo rs. a duzia e a 7oo rs.
e Lisboa
FUMO AMERICANO.
e
a garrafa. Tambem ha de outras marcas
como seja: Victoria e Alcope a 5,ooo rs. a du*
zia e a 600 rs. a garrafa.
BOIES VASIOS.
Boies vastos, louca ingleza muito peo-
pria para manteiga e deposito de doce de 4
a 12 libras al,2ooe 2,5oo.
FARINHA DO MARANHO.'
Farinha do MaranhSo a 240 rs. a libra.
SAG'.
Sig muito noro a 4oo rs. a libra.
ARARUTA.
Araruta verdadeira a 40o rs. a libra.
' Pimenta, comioho, cravd, canella. rvadoce, alfazma, tijollo para limpar facas pa-
litos ; para deBtes, palitos de fogo, e outros muitos gneros qoe se tornara enfadonho
mencionar, fiancando cinceridade nos precos--e.o J)om acoudicionamento de qualquer
genTO
Superior fumo em chapa a 640 rs. a libra
ERVILHAS
Latas com erVh'as e feijao verde j pre-
parado 64o rs. a lata.
MAS3A DE TOMATE
Latas com 1 libra de mass' de tomate a
64o a lata.
VERMUTH
Esta bebida rauito fresca e estomac <1 e
muito propria para a presente estaco. a
qual vendemos a 2,000 rs. a garrafa e 180
a duzia.
3.0

____
-.......-----------L^_
i2i
H$l*lt
Vendem-se, na livraria da praca da Inde-
pendencia n. 8, a 400 rs. o volume, os ro-
mances portuguezesegaiples, embracbura:
A voz de sangue, 2 volumes.
Conneraara, 2 ditos.
A noite de -8. Silvestre, 1 dito.
O fllho de Titrano, I dito.
Adonis ou o bom negro, i dito.
As da-'S amidas, 1 dito.
O pacha de Buda, 1 dito.
Trilby, 1 dito.
Ignez de la Sierra, 1 dito.
Joven Siberiana, 1 dito.
Vende-se al groeso
dre de Deas o. 2.
__ i
intar u roa da Ma-
Vende se superior queijo do serto : aa ra da
Madre de Dos, armazem juoto a igrejiL_______
Veude-se ama loja de mludezas com poucos
fundos, em raa de negocio por prejo muito em
conta; na mes toa casa vende-se nraa raobilia ae
amarelto novlnha : qnem pretender dtrija-se a raa
da Imperatriz o. 24, loja de enialhador qoe se dir
quem tem para vender.
Tesouras pan encrespar babados.
Vendem-?e losouras para entraspar babados
de doas, tres,, quatro e cinco pernas : na ra do
Queimado, Aevede A Irmos.
Farello
em saceos-grandes a 4&500: pos armazens
de Tasso Irmos.
._______^^__________
Gomma de milko branco
americana
Esta preciosa fcula, cujas propriedades medi-
cioaes a imprensa europea tanto tem exaltado para
a cora dis molestias do perto, recommenda-se tam-
bera como alimento sali e nutritivo para as cri-
anzas, prestando-se a variado* prepares culinarios.
A (feral acaitago que ella tem obtido por toda a
patte osou moior eh)gio> vende se oulcamente
na ra do Imperador n. 57, armazem Allianca.
CUSTODIO CARVAUHO
27 RA DO QUEIMADO N. 27
MadapoISo francez muito fino, tendo poaco mofo, cada pega com 27 varas por
100000.
La de cores a 300 rs. o covado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a preco de 800 rs a vara.
Lencos brancos para algibeira a 2^00 a duzia.
Fin Ricos cortas de la de barra de 105 a 30j}000.
Chales de fil preto e oatras muitas fazendas.
IMCHINtS DE PATENTE
DE THABALHAK MAO PARA DESCA-
RGAR ALGODAO
1IRRICIDO POR
PUIT BROTHERS & C.
OLDAM.
Estas machi-
nas podem des-
caroear qnal-
Iqaerespecie de
algodao sem
estragar o fio,
sendo bastante
duas pessoas
para o traba-
lho; podedes-
carocar urna
arroba de al-
godo em ca-
rolo em 40
minutos, ou
18 arrobas por dia ou cinco arrobas de al
godo limpo.
Assim como machinas para serem movi-
das por animaes, que descalcara 18 arro-
bas de algodo limpo por dia; e motores
para mover uraa, duas ou tres dessas ma-
chinas.
Os mesmos tem para vender um bellissi-
mo vapor que pode fazer mover seis destas
machinas mencionadas; para o que convi-
dare aos senbores agricultores a virem ver
e examina-lo, no a mazem de algodSo. ao
largo da ponte nova n. 47.
Saaoders Brothers **: C.
Recite praca do Corpo Santo n. 11.
Os nicos agentes neste paiz.
0 castello de Grasville.
Traiuiido d francez por A. J. G. da Gru.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 300C
ua praca da Independencia, livraria ns.
6 e8.
Pirra os bailes mascardos.
A agui* branca est vendendo jor baratsimos
pregos. para acabar, os objectos sejralntes, que ser-
vero mol bem aos que tomam parte nos bailes mas-
carados, sendo :
Melas de seda a 15 o par.
Enfeites de flores a ti, 2 e 3| cada um.
Fitas lavradas de 310 a a vara. ,
Cintos largos cem pomas eahidas.
Novidades do Vigilante
RA DO CRESPO K. 7.
Este estabelecimento apeaar de sempre
se achar bem sorlido como todos saben,
boje mais que nunca. n3o s pelo que rece-
be de sua propria conta, mas tambem pelo
que recebe de consignaces -t parece sem
duvida que deve offerecer grandes vanta-
gens para o respeitavel publico tanto em
precos como na escolha dos objectos, e co-
mo acaba de ebegar grande remessapelo
vapor Douro e o navio Solferino de
diversos objectos de gosto e proprios do
lempo dos quaes se mencionarSo alguns,
por nao ser possivel mencionar todos. O
dono deste estabelecimento espera a pro-
teccao de todos.
Riquissimas caixinhas ornadas e com
msica propria para um delicado mimo.
Caixinhas de msica tanto de veio como
de corda.
Ricos porta joias e oecessarios.
Riquissimos est jos a fe'rtk) de um bausi-
nho ou chapeuzinho.
Ditos em casca de noz e d outros gostos.
Leques de madeperol de sndalo e de
faia e madeira.
Chaposinhos e touquinhas de mnito
gosto para criancas.
Meias e sapatinhos de seda para as mes-
mas. .
Meias de seda para senhoras.
Capellas e grinaldas de flores proprias
para casamento.
Enfeites e capellas de muito gosto para
senhora.
Riquissimos porta boquets.
Boquet de flores com nma borrachinha
com cheiro.
Luvas verdadeiras de Jovin.
Ditas de'seda e.oAucja..
Riqpissifflas plums e guatnices para
enfettar chapeos.
Conts e tubos de ac branco, que ba
mnito se desejava para enfeites.
Brincos, fivellas e cruzes de crystal.
Fivellas e cruzes de tartaruga, madree-
rola e dourados.
Alfinetes para gravatas.
Botes com croas para punhos.
Gravatinhas e mantinhas de muito gosto,
tanto para homem como pata senhora.
Riquissimos aderecos pretos, assim como
caixinhas com alfinetes pretos. .' .
Bengallas de canna com cabo de marfim.
Ditas de baleia, borracha e de outras
muitas qualidades, assim como chicotinhos.
Riquissimos pentes de tartaruga do ulti-
mo gosto; assim como de arregaco para
menina, pois neste artigo ha um completo
sor timen to de todas as qualidades.
Diademas para cabeca do ultimo gosto.
Riquissimas fitas lairadas e lizas.
Trancas pretas com vidrilho e de cores.
Pulseiras tanto para senhora como para
meninas.
Ligas de seda e de algodao.
Suspensorios de seda e de algodSo
Framcisco Jos Germano
RA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado geste da Europi* ocu-
los de alcance para observacoes e para os
martimos.______ ______
Manual do Cidado
Vende-se o Manual do Cidado em um
IGoverno Representativo oo principios de
Diretto Publico Constitucional Administra-
tivo e das Gentes, por Silvestre Pinheiro
Fereira, em 3 volumes bre*ur*dos per 30
cada obra : ua. litnna n. 8 da praca da
Independencia.
Verftom-se
tl, chendos uo n
nr*mrtcWestpba-
r: aa roa de Irapi-
l^up4/eu^detd^Saa4pi^
Vjende-ae roupa ejia, sendo calj
pardo a U, ditas de brim braacode |
e 4, ericas de casemira pruta 4 Sf,, 1
las de cores, meia casnira, a 3 e
de easemtra a 6*. 7* e 8, paletots de' brl
cores a 2#, 3*W0 e 3J1, ditos de brltn branco a
a 4J500, ditos de alpaca preta a 34 e ditos de
casemira de cores a 54, 6, 7, 8 IQJL tos ae
i*w preta a-44, 7, 8 e 104. cWetaadi^ores a
14600, decasemlrt a 34 e 44, ceroula francea a
14900 e 4200, camisas franeeiw nnas tfDcas e
peitos de obres a t| e 14800, dfcas \tmk>t n.
? ho de pregas largas a 14&0O, 3$ e SJMeo na
roa da Imperatriz. loja da Arara H..B6.
tos outros objectos que se nSo podem an-
nunciar por nSo se tornar enfadonho.
S no Gallo Vigilante ra do Crespo n. 7.
r
Lovs de J on vi a pretas- e ottras
cores
Chegaram para a loja de rniudezas : na roa do
Qoeiniadon. 16. ^ qo
S
\\
\

\M
- ii
i l


II
-.*
mu
,
./
A
Dl*> A* i*m*m*u*9 t fvmW* M. *MWilCTtoM<18^

=
NOVA
ENCICLOPDICA
* Rui da Iavoerafrfx tratante
d porta, Varga al.
lanto a padarla fradceza de
Paredes Poeto.
Neste estabelecimento encontrar o respetave!
publico oin variado sortimento de fazendas 'ranee-
ras, iigleas, suissas e allemaes, que se vendeao
por prego coramodo.
Paredes Parta
Vende chi-les de renda de cores que se Tende-
rn a 18# est veuende por 64, di tes preos, fa-
zenda nova, 34, 64, 85 a 204, um sortimento com-
pleto de Manteletes, capas e soutambarques 144 a
254. Ra da Imperainzn 42, junto a padarla fran-
ceza, armazem da porta larga.
Paredes Porto
Receben um completo sortimento de iaasinhas
240, e JO rs. covados, para acabar, cambraias i
cor a 240 rs. o covado, riscado tscossez para rou-
Ki de menino, fusto de linho a 420, 400 e 300 ra.
na da Imperatriz n. 52 junto a padana franceza,
armazem da porta larga.
Paredes Perla
Receben para cortinados para cama franceza a
11* a pesa cambraia lisa tina a 3* 44 al 10* a
peca, cortes de tarlataoa de bonitos gestos a 34300
e 44, cambraia com flor de seda, gostos ioteira-
meute novos a 400 e 500 rs. o covado, no armazem
da porta lar(;a n. 52, ra da Imperatriz junio a pa-
daria franceza.
Paredes Parta
Receben telo ultimo paquete um sortimento de
ernzes com pedras para o pesclo, bonitos caxinels
de la para pesclo de senhora. Ra da Iroperatrix
n. 52, armazem da porta larga.
Paredes Parlo
Vende corles de gorguro prelo para vestido com
21 tova* cada um 35*000, grsdeoaple prelo a
14600, 14800 e 24 o covado, lias lizas finas a 400
rs. o covado,, lias de quadrinho para vestido, enfes-
lada, a.320 rs. o cavado. Ra da ln>peratriz n. 52,
armazem da porta larga.
Ronpa feita
Ra da Imperatriz n. 52 armazem da porta lar
ga jauto a padaria francesa, encontrase neste es-
tabelecimento um completo sortimento de paletos-
saceos e sebrecasacos, de todas as qualidades, cal-
cas, colletes, ceroulas, camisas, grvalas, meias,
chapeos de sol, ditos francezes para cabeca, por
precos commodos, roopa para menino e oniras
muitas fazendas por precos commodos, armazem
da porta lara.
No mesmo estabelecimento encontrar o respe-
tavel pnblfeo, sempre um completo sortimento de
ronpas fetas de (odas as qualidades, como sejam
paletos da alpaca preta ede edr,ditos sobrecasa-
cos a 44 e 14, ditos de bnra pardo a 2*800,3* e
3*500, dito;, finos a 4*. ditos meias cazemira a
3*300, 4* e 5J, ditos cazemira ssccos a 6*, 7*, 8*
e 10*, ditos sobrecasacos a 10 e 12*, ditos de pan-
no saceos a e 25*, ditos de merino preto a 6*, 7* e 10*, cal'
cas de brim de diversas qualidades a 1*800 a 4*,
ditos brancos a 2*500 e 6*00, ditos cazemira 5*,
6* e 7*, ditos pretos a 5*, 6*, 8* e 10*, ditos
meias caeemiras a 3* e 4*, cleles- de diversas
qualidades seroulas francezas de algodo, ditas de
ilnbo, ditas de bramante a S* e 2*500, carnizas de
algodo de linho francezas de 24300 3*. Gran-
de pechincha neste genero, gravatas de todas as
qualidades e brancas para casamento, grande sor-
timento de meias para senboras, dKas para bomens
a 3*, superiores a 3*500 e 4*.
Um completo sortimento de chapeos de sol de
alpaca a 3*, ditos de seda a 5*, 7*, 10* e 14*,
ditos franceses para abt.ca, grande sortimento
afr
Pechiiieha atlmimel.
Grande sortimento de chambres a 4*600 e 5J,
'enees de cambraia para homem a 2* a duzia, di-
tos de linho a 4* e-5*.
Grande sortimento de roupa para meninos e ou-
tras muitas qualidades que seria eofadonho meB-
ciona-las.
Paredes Porto
Recebeu pelo ultimo paquete francez ricas lias
granadinas com flores de seda a 400 e 500 rs. o
covado, eslo acabaodo-se, 'cambraia prea para
luto. Porta larga junio a padaria franceza, a raa
da Imperatriz n. 82.
Paredes -Porto
Receben pelo ultimo paquete espartilhos a ^>re-
guicoso por 3J, sao bons, lencos de seda para se-
nhora e hornera a i?, ricos cortes de cambraia
bordados de 18S a 75, por ter um toque de mofo,
esto se acabando, na roa da Imperatriz n. 52, jun-
to a padarla franceza.
Paredes Porto
Vende um completo -sortimento de fazendas
brancas, como-sejam madapolo a 4*500, 5*, 6* e
109, PeSas l,e algodao por barato prego, chita fran-
ceza a 240, 280. 320, 360 rs. o eovado, precalias
tnaito finas a 360, 400 rs. o covado, chita inglesa
a 200 e 240 rs. o covado. Ra da Imperatriz n.
52, junto a padaria franceza.
Fazendas.
Vndese superior merino preto proprio para ca-
pas do senhora e vestidos a 2*, lustrim da China
a 1*800 o covado. Ra da Imperatriz, porta larga.
Paredes Porto.
Vende em seu estabelecimento liras e entremeios
bordados, grande sortimento do corplnhos rica-
mente bordados a 3*, 4* e 5*. So o Paredes Por-
to, ra da Imperatriz no 52; parta larga junio a
padaria franceza.
FABRICA A VAPOR
99 RA 00 MONDEGO 99
Deposito na rna Nova a. 50 loja de rclojoeiro.
Delouche donos deste stabelecimento partecipa ao respeitavel publico que sua fa-
brica est montada com as Imelhores machinas que existem na Europa, e que pode
fobricarcom melhor perfeicJ possivel. Todo o chocolate desia fabrica ett garantido, e
puro, o qae n5o se pode encontrar naquelle que vem de fra, e que se vende por proco
baixo, visto os productos ser boj do paiz. Na etiqueta tem sempre urna aguia.
Meia libra
Urna libra
PRECO.
400
800
Urna arroto........1940GO
Na mesma fabiica acba de semonlar urna oficina com serrara a vapor para
obras de marcineiria propria para edificio, para o que encarreg -se de fazer portas, ja-
dellas, assoalhos (parqu francez como se usa na Europa,) e armages, ludo com brevi-
nade eperfeico. Toma-se qualquer encommenda para fra da cidade, entregando-se
prompta a collar-se no lugar
lo araiaaem de tezadas
tetas de Santos Corita).
Una do nelmado m. !.
Venderse o segninM :
Cpbertas de chita fina a 2*800.
Ditas de dlu a 2*400.
Lencoe di pinao de Itabo a 2*400. *
Ditos de dito de liobo a 2*.
Ditos de bramaste de linho de um so panno
3*200.
Panno de linho fino com 9 1[2 palmes de largu-
ra pelo barato preco. de 2*400 a vara-
Bramante de linho fino com 10 palmos de lar
gura a 2*500 a vara.
Pecas de cambraia com salpicos brancos e de
cores cem 8 lrt varas a 4*500.
Pegas de cambraia adamascada propria para
cortinado de cama com 20 varas a 11*.
Baldes da arcos a 2*300, 3*, 3*500 e 4*.
Lencos de cambraia fina a 29600 a duzla.
Ditos de dita a 2* a duzia.
Atboalhado de linho fino a 2*800 a vara,
Dito de algodio a 2* a vara.
Algodo entestado com 7 1|2 palmos de largura
a 1*200 a vara.
Pegas de bretanha de rolo com, 10 varas propria
para sa,a a 3*500.
Fil de linho liso fino a 800 rs. a vara.
Dito de dito com salpicos a 1* a vara.
Cambraia de linho fina a 4*500, 6*500 e 9* a
vara.
Cortes de lazinha de lindos gostos com 15 co-
vados a 5*.
Pegas de madapolo finissimo pelo baratissimo
prego de 8*, 9*, 10* e U*.
Flanella branca fina a 600 rs. o cavado.
Dita de cores fina a 880 rs. o covado.
Baldes de mnsselina para menina a 3*, 3*500-)
e4*.
Cambraia de forro a 3* a pega.
Dita fina a 4*500, 6* e 79 a pega.
Gnardaaapos de linho a 3*800 a dozia.
Toalbas de algodo felpudas dozia a 12*.
Esteira da India propria para forro de sala de
4,5 e 6 palmos de largura per menos preco do,
que em ontra qualquer parte.
Neste armazem tambn se encentra nm grande
sortimento de.roupa. feita e por medida.________
AGUA BRAMA
Ra do Queimado n. 8.
A loja da agoia branca acaba de receber um
novo e grande sortimento de differenles objectos
de gosio e nltima moda, sendo : brancoa a WSfj wtb acai,aodo-5e': no a.
Benitos enfeites para senboras fostos >">", d porta larga ra da Imperatriz n. 32, j,
Vestidos
Pecblneha sem Igual.
Chegou a loja de Paredes Porto um bonito sor-
timento de vestidos de tartalata-de core&ebrancas
qae serve para partidas por ser urna phaotasia la-
teramente de> gosto pelo barato prego de 4* e
COELMO Rna da Cruz n. 16.
Continua a haver diar ament um sortimento de pastis, podins, bolos inglezes,
empadas etc., etc. Os dono deste estabelecimento, acham-se as melhores condteoes
de poder satisfazer encommelndas concernentes sua arle, em cnasequencia do socio
Freitas ter sido administrado^ cliefe de algumas das princii aes fabricas na corte, sendo
urna a do Sr. Jlo Goncahes Guimai3es (confeitaria de Le5o) antiga casa de Carceller.
Todos os trabalhos s50 differentes dos que se fazem em casas particulares.
Os propietarios deste e&tabelecimento nao, se tem poupado a despezas, nem se
pouparSo, se houver concorrencia como esperara ; tendo continuadamente bom sorii-
mento de doces para cha; presuntos e ditos em fiambre, tambera se recebem para se-
reno preparados; assim comb doce de caj novo superior, secce e crystalisado, dito em
calda em latas hermticamente fechadas, podendo durar annos em perfeito estado.
Para jamares e partidas recebem-se encommendas dos sepuintes objectos; ban-
deijs ricamente enfeitadas slem armacSo pecas de amendoas (nogaces), ditas de tmaras
deovos, p5es de 16 eofeitados c-)m disticos anlogos a qualquer fim; ditos montados,
kechs simples e eBeitados com fructas ingleza; gatheaox de la reine, ditos de le d-
chese, tortas de fructa, massa folbada; ditas de peixe e carne; cremes e doces de ovos
de differentes especies. .
Tambem tem um completo sortimento de vinhos engarrafados, como sejam: vinno
Cherez, Bordeaux, Champagne fino, ser-
Capachos uglezes.
Vendem-se na roa do ^Queimado loja da aguia
branca n. 8.
Baleias para vestidos.
Vendem-se na loja da agoia branca! ra do
Quelmado p. 8.
Opiata ingleza e frarceza.
Vendem-se na rna de Quelmado loja da aguia
branca n. 8.
Papel mata mosca..
Na roa doQneimado o. 8 loja da aguia branca
continua a vender-se papel para matar mosca e
cuta 40 rs. Cada folha.
Bonitas cestinbas para meninas.
Vendem-se na roa do Queimado loja da aguia
branca n. 8.
Agulhas para machinas.
Vendem-se na loja da agoia branca a rna do
Queimado n. 8.
Pastilhas fumantes e cheirosas.
Vendem-se na loja da agoia tiranta n. 8, a rna
do Queimado, sendo ellas en. caliinhas de pape-
lao e de porcelana.
Bollas de ail fino para engtmotados.
Vendem-se na ra do Queimado ioja da aguia
branca n. 8.
Bonitas caiiithas
com perfumaras e i utras com necessarlos para
costura, sendo estas com msica e sera ella : ven-
dem-se na loja da aguia branca ra do Queimado
B.8.
Colla branca para vidros e madeiras.
Na rna do Queimado loja da agoia branca n. 8,
wndem-se frasqolubos com colla branca para sol-
dar vidros e porcelanas, e outros com dita para
.MUIROS

para o carnaval
Vondem-se ou alcgam-se ricos dminos para o
carnaval, sendo de velludllhoe da cores mais lia
das que pcssivel, e tambem de outras qualidades
grosde-
doPorlo superior, Fkueira, Mateira, Lisboa, .
veja, licores, cbaropes e conservas. Para festas: bonitas caixinbas com amendoas, con- obras de madeira, cwtt oo n. da_om deiteM
feitos e mais enfeites. Muilos destes objectos mencionados podem-se perfeitamente ac-
condicionar tanto para a provincia, como para fra.
25 RA NOVA N. 25
Este esiabeleciroento acaba de receber um rico sortimento de pianos fortes ex-
pressamente fabricados para o clima desle paiz, dos oais afamados fatriesntes da Euro-
pa, por isso o proprietario convida ao respeitavel publico para vireo apreciar as qua-
lidades dos referidos pianos.
Contmua-se sempre com esmero e promptidao fazer-se qualquer reparo nos ditos
instrumentos. Afinam-se os pianos -debaixo do melhor systhema ltimamente adoptado
na Europa.
Fazendas, pbaniasia para vestidos negados de Pars pelo ultimo vapor.
Lindos robes de organdys cesarianas fazenda transparente de inteiro gosto.
Ditos de percalia campestre padroes muito ricos.
Riqusimas grinadines de seda o qae tem vindo de melhor gosto neste mercado.
Liados-cortes de e-anan pekln para vestido fazenda integramente nova.
Ditos de gaze selim em peca fazenda transparente e de gosto muito modernos.
Liados chales de grenaoim broch, primeira vez aqai apparecidos.
^icos bournus de crep guarhecidas de tranga muMo proprios para passeios.
Hiquissimas fivelas para sialo, de metal, de crysialom ago e cum pedras finas, o
que ha de mais novo.
H outras muitas fazendas de Inteiro .gosto.
Ra do Crespo n. 13,
M$a ds oolmnasas de Aoonlo Crrela de Vaeeneells
por essa commodidade de prego convm compra
los para estar prevenido.
Papel greve pautado com 33 linhas.
A aguia branca acaba de receber novo sorti-
meiito de papel greve liso e pautado com 33 linhas
assim como de peso tambera liso e pautado, dito
pequeo em caixmha. sendo liso, pautado, beira
dourada e sem o ser. Tambem recebeu grande
sortimento de envelopes, e todo se vende por pre-
gos commodos : na ra do Queimado loja da aguia
branca n. 8.
Papel paquete branco pautado.
Vende-se na ruado Queimado n. 8,loja da aguia
branca.
Artificiaes.
Ramos de trigo com diversas cores moi proprios
para enfeites de gorros e chapeos de senboras e
meninas, acham-se a venda na ra do Queimado
loja da aguia branca n. 8.
BtiDhas e extractos finos
A aguia branca recebeu um excellente sorti-
mento de perfumarlas finas, sendo bonitos frascos
de cores com extractos finos o de agradaveis chei-
ros; assim como bellos vasos de porcelana doura-
da com hacha de superior qualidade, tendo uestes
alguns com ioscrrpgSes apropriadas para presen
te, etc., etc.: quero se dirigir a ra do Qoeimado
a. 8, loja da agoia branca, achata a certeza disso,
e boa disposigo para vender a dinbeiro por pre-
cos commodos.
AS PROVEITOSAS AGUAS
balsmica, dentUicia e ambreada, acham-se ven-
da na ra do Queimado, loja d'aguia branca nu-
mero 8.
mente nevos. daria franceza.
Ditos ditos de grade com contas grandes.
Lindas fivelas grandes para ciatos com moldes
agradaveis e diversas qualidades, madreperoia,
tartaruga, age e donradas.
Boas e bonitas Utas achamalotadas para ditas.
Dites de dita de grosdenaples lisas e lavradas
com novos e agradaveis desenhos.
Trancas pretas de seda com vidrilbos moldes
novos e de gosto.
Ricos brancos e pretos de seda com vidrilhos e
de differentes larguras e bonitos desenhos.
Cascarrilbas de seda com diversas cores e lar-1
guras, formas inleiramente novas a imitago de
pal, baladinbo e outra com urna Iraasinha no
centro o que Ibes d mulla graga.
Outras estrei-as e largas guarnecidas de bico
de seda obra de muito gosto.
Outras de camnraia de cores.
Roldes de seda, velludo e ago para enfeites de
vestidos.
Trancas de seda eslreitas e largas brancas e de
cores para enfeites de vestidos.
Flores finas
CAPELLAS PARA MENINAS E NOIVaS.
A aguia branca a ra do Queimado n. 8, rece-
ten para vender :
Delicadas capellas brajicas para noivas.
Ditas dilas para meninas.
Ditas ditas de caixos de flor de laranja.
Ditas ditas de rosas camellas e outras.
Ditas ditas ou ramos de trigo.
Diversos ramos de flores finas para peito de
vestidos, enfeites de chapeos etc., etc.
freparos para flores.
Na ra do Queimado n. 8, loja da aguia bran-
ca vende-se:
Papel de cores para rosas.
Dito verde para folhas.
Dito dito e pardo para cobrir os talos das ditas.
Musgo em rama.
Folhas para rosas.
Aaulhas e linhas para crochet.
Vendem-se na roa do Queimado n. 8 loja da
aguia branca, assim como agulhas para tranalhar-
seemlaa.
Papel de sobrecellente para os
phosphorus hygienieos ou de
seguranca.
A vista do grande tamanbo das caixinbas dos
pbospbero8 hygienieos ou de seguranca, tornava-se
pouce o papel que vem em ditas caixinbas, e para
remediar essa falta a aguia branca mandou vir e
acaba de receber esse especial papel, c qoal so
dar de sobrecellente a quem comprar de taes
pbosphoros e se vender indislinctamenle a quem
delle precisar. O prego de cada caixinha de pbos-
phoro continua a ser 160 rs., e vendem-se na ra
do Qbeimado n. 8, loja da aguia branca.
Seda froucha para bordar.
Vende-se na rna do Queimado loja da aguia
branca n. 8.
Obras de crystal.
Brincos de diversos moldes.
Outros tambem de crystal de cores.
Outros de aljofares brancos e outras cores.
Adereges de crystal obra de gosto.
Rosetas de dito e crozes.
Botoes de dito, brancos e de cores para collete.
Dito de dito tambem brancos e de cores para
pnnhos.
Voltas de dito e outras qualidades.
leques de dh ersas qualidades
Vendem-se na ra do Queimado n. 8, loja da
aguia branca.
Aspas forte para baldo
Vendem-se na ra do Queimado loja da aguia
branca n. 8.
Cromacome para Ungir ca
bellos.
A aguia branca avisa aos constantes freguezes
dessa excellente tintura, que ella acaba de rece-
ber urna nova remessa de cromacome, coloricoroe
e sabao branco, necessario para lavar os cabellos,
portanto podem dirigir-se a dita loja na ra t
Quelmado n. 8.
A bridores de luvas.
Vendem-se na ra do Lueimado loja da aguia
branca n. 8.
port booqiiels
de bonitos moldes, domados e eabo de madrepero-
ia : acham-se a vdnda na ra do Queimado loja
da aguia branca n. 8.
Bonitas tooqoinhas
de fil de linho, cambraia e setim todas mui bem
enfeitadas: vendem-se na ra do Queimado n. 8,
loja da aguia branca.
Carreteis com retroz.
Na ra no Qoeimado n. 8, loja da aguia branca
i junto a pa-
Cortinados.
Chegou a loja de Paredes Porto um completo
sortimento de cortinados ricamente bordados a
prego de 254, 334 e 484 : na roa da Imperatri*
n. 52, porta larga junto a padaria franecza.
Ricas romeir^s.
Paredes Perto recebeu pele ultimo paquete um
sortimento de romeira de guipure pretas e de ril
a prego commodo : na ra da Imperatriz n. 52,
porta larga junto a padaria franceza.
Graidepechincha.
Cortes de la escoceza entestada para vestido
fazenda de 800 rs., est se vendando a 180 e 300
rs. o covado : na roa da Imperatriz n. 52, loja da
porta larga.
38000
o
Cortes de laa escocesa para vestido a 34 o cor-
te: na ra aa Imperatriz n. 52. loja da porta lar-
ga, junto a padaria franceza, esto se acabando.
Chales de renda
Paredes Porto, na ra da Imperatriz n. 52, porta
larga, vende chales de renda de cores com peque-
no toque de mofo, a 34500 e 44, fazenda de 104
e 124000.
120
Para roupa* de escravrs.
Paredes Porto tem para vender chita azul e ris-
cado proprio para o fim cima a 120 rs. u covado,
urna grande pechinchaCe esta' se acabando : na
ra da Imperatriz n. 52 porta larga junto a pada-
ria franceza.
Grande pechincha.
Paredes Porto esta' vendendo riscado francez a
200 rs. o covado : na ra da Imperatriz n. 52 ar-
mazem da porta larga jonto a padaria franceza.
. Para luto.,
Laas pretas com salpics brancos a 4C0 e 500
rs. o covado : na roa da Imperatriz n. 32 junto a
padaria franceza armazem da porta larga.
1J400
Chapeos de sol.
Vendem-se chapeos de sol de panno a 14400 e
urna grande pechincha so para acabar : na roa d*
Imperatriz n. 52 armazem da porta larga de Pare-
des Porto.
A 1#500,
Vendem-se pegas de traoga preta para enfeites
de vestidos, soutembarques, capas de senhora a
1600 com 10 varas, urna grande pechincha : na
roa da Imperatriz n. 52 junto a padaria franeeza.
*Jk Campanilla.
que quem desejar sabir estes das dlrija-sa a ra
da Imperatriz n. 5f>. ioja e armazem da Arara, que
achara uro grande sortimento de gosto.
Fazenda pr-etas pera a- quaresma.
naple preto a 10600.
Vende-se grosderaple preto muito bom a 14600,
14800, 24, 24660 e 32 o.covado, aoreantique pne-i)
to muito bom a 34 o cavado, merino, preto fino a
34 o covado, bombazina jjara vestidos de senhora
a liK)e-mefO o covado^alpaca preta flnX a 900,
600,700 e" I0tsT o covado: na ra da Imperatriz
n. S", loja Ja-Arara.
Pitido preto bno a 20 O.wwado. ,
Vndese panno prelo Bao'para paletols e calcas
a 24,2450(1, 34, 4fi e 3* o cuvad:\ casemlra pre-
ta fina a 3ia0, 44 e 54 e-corte, dita para covado
a 1480J.24, 24500 e 34 : na roa da Iaperatrlz,
ioja da Arara n. 56. ,*>
Cbales de filii de linho a 84.
Vendem se lindo chale*, do fil de llnro a 84 e
104, retondas da fi. de linlie a 184, cortes -de ves
(ido a Mara Pia a 74, 104 e 1*4 : na rna4aem-
peratriz, loja e armazem da.Arara o. a6.
Meias cruas pira menino a i I a duaia
Vendem-se meias cruas pira tneainoi a 14 a do-
zia chales de meno estampados a 14, ditos de
laa a 142*3, dito4e algodo a 14, eolarinhos para
homem a SoO rs. a duzia para aeabar : na ra-da
Imperatriz n. 56. Ioja da Ara.
Cortes de ganga e de bnm a I 5800.
Vendem-se cortes de caiga para hornera, de gan-
ga e bfim de core a 14609 e lt>Wf. cortes i



J. VIGNES.
*. 55. RA lttO IXPEH.4DOR X. 55.
Os pianosdeaUaotiga fabrica sao bojoasss cooaecidos para i|-seja.necasam*asiir sobre a
ion superioridad* vantugease garantas que offerecera aos compradores, qualidades estas
tatas e barrfszlnhos aom grasa
eeonomieo.
Vendem-se por pregas razoaveis : na ra do
Queimado loja de rniudezas a. 16.
Agua de Hoilde para fazer os ca-
bellos pretos.
Na loja de rniudezas a ra do Queimado n. 16,
vendem se caixinbas com essa excellente prepara-
caoAgua de Hoildepara fazer os cabellos pre-
tos, qoem della precisar pode dirigir-se a dita loja:
na ra do Queimado n. 16.
l'astilhas edorjlps para *erfamar sa-
las, ftabiaetcs, etc., etc.
Na loja de rniudezas' a ra do Queimado n. 16,
vendem se caixinhas cora essas odorficas pastilhas
fumantes.
Papel de peso e almaco, liso e panlano.
A loja de rniudezas a ra do Quelmado n. 16,
aoha-se bem prvida de papel de diversas quali-
dades, sendo almago greve liso e pautad, com 33
linhas, dito da peso tambem soe pautado, dito
pequeo em caixinhas igualmente liso e pautado,
eom beira dourada e sem o ser, assim como enve-
. .ncontesta- lope rindes e P^^V'i&l'T JS
is que elles Uim definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praea; pos- se a dita loja na rna do Queimado n. 16, qae sejao
indo ara leeteda e macbiniamo qae obodeeem todas as vontades e caprierws das pianistas, sem, bem servaos. ., i.f
nunca falbar,or serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melborameotos Importan- legflH) deptUS (la lesu fcrSld-se peiJU-
sflimos para o clima deste paic ; quanto s vozes, sao melodiosas flaatedas, e por isso marte agrada- maria '*
eis aos ouvidof-dea jaweeiadores. -
Eazem-se eohfown* as enoommendavtaato nesta fabrica como na de Sr. B*ondel,,flaPar,, socio
correepondente de J. Vignes, em uja capitirf foram sempre premiados em todas as exposigos.
Me mesmo (istabeiecimento se acbara Bumpre ora esplendido e variado surtuaeato de msicas dos
oelbofes autores- da Europa, assim como narmonlcos e pianos harmnicos, sendo tudo vendida por
precos -ommodoae razoaveis.
PARA A QUARESMA
PECHINCHA aDMIRAVEL.
Grosdenaple preto a 40UOO
Vende-se superior grosdenaple preto, faiend*
mnito encorpada, pelo baratissimo prego de 15600
o covado, sendo fazenda que val muito mais di-
nbeiro : na loja e armazem do Pavo na roa da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva. ,
OMLNO'S PARA O CARNAVAL
Na loja do PavO.
Vende-se um bouito soriimento de doramos pro-
prios para o carnaval, sendo de differentes fazen-
das e com os modelos mais modernos, assim como
velbulioas, gangas e outras fazendas proprias para
o mesmo fim : na ra da Imperatriz n. 60, Ioj do
Pavao de Gama & Silva.
MAMAS PARA OPESCOgO
a 14, so o Pavao.
Vendem-se bonitas mantas para o Descoco, pelo
barato prego de 44 : na loja do Pavlo na roa da
Imperatriz n. 6(, de Gama di Silva.
msiiMiaNnM
Novidades do Pavo.
OU PECHINCHA ADMIRAVEL.
Escossezas a 34200
Cegaram os mais lindos coi les de escossezas,
proprios para vestidos, sendo fazenda inteiramenle
nova no mercado; e vende se a 3420O o corte oa
260 rs. o covado na loja e armazem do Pavao, ra
da Imperatriz, n. 60, de Gama & Silva|
Cassas francezas a 2 ii rs. o covado.
Vendem-se bonitas cassas francezas de cores fi-
xas pelo baratsimo prego de 240 o covado.
Ditas a 280, 320 e 360. .
So na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
, Chitas avariadas.
Vendem-se finissimas chitas francezas, com pe-
queo toque de avaria, pelo baratissimo prego de
280 o covado.
grande pechincha.
Assim como ditas inglezas roxas e claras, sera
mofo nem avaria, pelo baratissimo prego de 160 o
covado ; assim como, ditas muito boas a 'CO e 240
o covado, islo na loja e armazem do Pavao, ra da
Imperatriz n. 60, de Gama 4 Silva.
Chapeos para meninas.
NA LOJA DO PAVAO.
Vendem-se os mais delicados e bem enftiados
chpeos de palha de Italia, para meninas : e pe-
chincha, na loja e armazem do Pavo, ra da Im-
peratriz n. 60.
Domines a bj$000.
SO O PAVO.
Vendem-se bonitos dminos para mascaras ptlo
baratissimo prego de 54000 ; assim como ditos de
fazenda de muito boa qualidade a 104000, 1240OO
e 144000; ou alugam-se na luja e armazem du
Pavo, iua da Imperatriz n. 60. de Gama 4 Silva
Os dminos do Pavo.
Vendem-se os mais elegantes domin?, ou alu-
gam-se, proprios para b carnaval, issim como se
vende fazenda propria para os mesmos : na loja
do Pavo, ra da Impejralrlz o. 60.
Grosdenaple I preto a 1#600.
E' grande pechincha 11
Vende-se grosdenale preto, sendo muito encor-
nado e de boa largura! pelo barati.-simo prego de
15600 o covado : najrua da Imperatriz n. 60.
titeados a itOrs.
Vende-se riscadinio escoro proprio para vesti-
dos ou roupas para omem, pelo baratissimo pre-
go de 120 rs. o covado : s na ra da Imperatnt
meia casemira de cor a 25O0 e 3fc cortes de ea-.
seraira preta para calea a 3430D, 44 e 34 : na
rna da lmiseratriz n. 36, .ilSJ.,|
Cnitas baratas a 220 o covado.
Vendem-se chitas de cores fias a 220 e 240 0
osado, dilas francezas finas a 280. 320,360 e 400
rs. o ov+de, cassas de cores para vestidos a 320,
360 e 400 rs. o covado, riscado frasees para ves-
tido a 240 o covada : na roa da Irapeiatrlz. 56.
Liaziohas para vestidos a 240 o coiHfc
Vendem-se Iaazinhas para vestidos a 240, 320,
360 e 400 re. o-edrado, ditas Anas eam qaadros
de seda a OO rs., anas de ama a eor a 30J re. o
covado, gelinhas para senhora a 240 e 320, map-
guitos a 14, camisinhas a T4600 e 34, Unas a 44:
na rna d.i imperatriz, ioja e armazem da Arara
D. 86. r _
Balos de arces, a 20
Vendem-se balSes de todos os tamanhos o 24
I$S0e, 34, 3400 s 44 : s na loja e armazem da
Arara, raa da Imperatriz u. 56-
Fil de liobo de cores a 160 o covado
Vndese fi de iioho de core* proprio para
brinenedo do carnaval a 160 o covade, tapete de
core a 800 rs. o covado, velbntiaaa de cores a 800
r. ganga enearnada a 320 o covado, pannlnhs
gaiat a f }0 o eewd : OITM d* Imperante
Sil
i ><.- ''i
T
Grande pechincha.
So rna da Imperatriz n. St porta larga de Pare-
des Porto, vende-se ehalesde merino estampidos a
24 23500 e finos 34, esto se acabando.
Bordados.
(Jhegou a loja da Paredes Porto, ra da Irtpera-
Uhe n. 82, nm sortimento de camitinhas, gollinhas,
corpinbos, rofflifas esirrt, de*amMrala br-tnoa,
poli barato pre^o dw 24*00. 3H0 e 44, foHmbas
BOO rs., romeiras a 800 e sintos a 800 rs, grande
qoanlidade de entremeios a 600 e 800 rs. a pega,
esto se acabando.,
Seviide.
Clwgaram os bonitos chats e retondas de gaipn-
re brancos, e vendem-se n rna da Imperatriz n.
32, loja da porta larga, de Paredes Porto
T
i. ii
Luvas de Jouvm.
a loia de rniudezas Da roa do Queima-
do n. 46, resebea-as por este ultimo vapor,
Brea era barricas pequeas.
Cera en velas de todos os tamanhos.
Bogias.
Mercurio. .
Jla rna do vigario n. 19, primevo andar.
Cambraias.
Parede Porto vende cambraias lisas finas, gran-
de sortiaento, a34~aT5*8|raitas Victoria muito
finas, con 40 vacas a 64,64500 e 74 : na ra da
Imperatriz n. 82, jnnto a padaria fanceza. "
Chegaem aw t*rpia\b#s ido cambraia,
Vendem-se corpinbos de cambraia com entre-
meios a 44 e 54, eetae se acabando i na loja de
Paredes Forto, rna da Imderatriz n. 52, poria lar-
ga, jun.o a padaria francesa.
Narna do Imporader a. 28 ton eapenoM*
bichas bamborguezas para vendar PorcSc> e i
Mtnibcve tambem alogam-se ; rap Paulo Corde
r* viajado, igual ao de Lisboa, e para gosto de t
gucs, melbor, por nio terir, w.
avaHado.
Francez barrica 84000
Portland dem 84800
Em perfeito estado:
Francez barrica !4000
Portland ideal 124000
Jlo armazem de Tasan nzaos caes dotAnello-
As verdadeiras brides e
picadeiras de Ipojuca
Venden Awrodo & IraOo, ron do Qoetmado.
"" At9$mmmT^'. :
Anneis com brilbantes engastados en ouro de
lei ; vende-se na roa da Cadeia de Recife n. o,
ioja de Silvestre Pererra da Conh & C
A ana loja deaiodeze a. jua do Qoeimado
16, acaba de receber um bello sortimento de per-_
fumarlas finas, sendo banha fina, em dfversos e de-
licados vasos de porcelana dourados jom significa-
tivas inecriacoes e sea ellas ; assim come bonitos
Irascos de pliantasia com excedentes extractos de
fipos e escolhidos cueirps.e,bem como, uperior
agua da Colonia em garrafas e frascos de'diversos
uroanbes, ki denlifrees, balsamk ede flOrde
laranja, cosmeques finos e banha* em frascos de
di fltenles meW.es. Vende se tudo por.nrecos com:
roodosa\lsU da superloridade das quandades :T
na ra do Qoeimado, loja de rniudezas n 46.
_____Diversos objectos.
Vendem-se na Ioja de mlndezas
a raa do cuelnaado n. 16.
Bonitos legues de sndalo e outras qualidades.
Bonitos cintos com vellas de diversas qualida-
des e moldes.
Brincos e crozes de crystal.
Abotoadnras de dito para colotes.
Bonitos porl-relogios.
Delicadas caixas com mostea e sem ella, para
costura.
AgoJbate liabas para chrocheu
Retroz superior em carriteis.
Rendas pretas e bieos com vidrilhos.
Fitas de velludo com listras de odres para en-
feites de gorros e vestidos.
Dius de grosd.nP9les,llsas e lavradas, brancas
e matlsadas.
No armazem da ro-4o Imperador n. 3 ou no
Cae de Pedro II n. tem para venderse o me-
bor g*i existente do mercado.
n.60.
Acaba de ebegar impressa para plano esla linda
e desojada quadrilba extrahida da opereta cmica
d e Offenbak, pelo director o regente da orebestra
do theatro de SaaU Isabel, Colas filbo.
A' venda em caa do Sr. Dumont na ra ova,
armazem de msica. Cada exemplar 1450&.
i
Vende-se a taberna da ra da Guia n. 36 pro-
pj;lp para princiiante, e o motivo se dir ao com-
prador.
Esejravos fgidos
Gattde armazem de tiix-J
tas medica mentos te
Rna dp Imperador d. 22.
'joo Pedro das Nieves (ge-J
i rente) te a venda o
{ sejSHinte:
i Productos chimicos e pharma-
cercos os mais emp,re^ados eai j
t Medicitifl-
< pTitas para todo o genero de pin-
' tqra e para tinturara.
Productos it)dus|riaes e tintas J
para Arres, como boioes de flores
e m,odelos em gesso para imitar
fructas e passiros com o compe-
tente desenho.
Productos chimicos e industriaes
para photograpbia, tin'.uraria, pin-
tura, pyrotecoia et".
Montado em grande escala e sup-
prido directamente de Paris, Lon-
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa
pode offerecer productos de plena
cenfiaaca e satisfazer qualquer en-
commenda a grosso trato e a reta- j ^rWglTdoTngenno Coei egnezia a
lbo e por preco commodo. Jg Escada, um escravo crioolo de nome Roberto, da
gjajtgKaajjtjBjHejQaianyflMH! idade 48 annos pouco mais ou menos, aliara re-
,-------------M WnmMMW^*m, guiar, cheio do carpo, cor foja, cara larga, muito
Vende-se urna escrava crioola de muito bo- j^nca barba, dantes alvos, j pinta algnma cousa
Dita figura, com 17 annos de idade, e duas crias na frente, bem feito de pernas e ps etc., e nm
flibas da mesma, sendo na macho outra femea, e poaco dado as bebidas espirituosas e a qaem o nao
ambos molatinhos e muito lnxidos, todo por preco l0Dbece costuma dizer qae torro : quem o pegar
mnito commodo : na roa das Cinco Ponas n. 140. > |eve^ ao mesmo engenho a Manoel Guateaba ^-
- Vende-se nm'"baixo quasi novo por preco seca, oa nesta praca a Joaqum Maooel Prrra
mnito cottjpodo ; na ra de S. Gotralo rj. 80. : de Souia no largo do Carao n. 1.

,
Fogio no illa terga-feira 30 de Janeiro preximo
fin do. a preta crioula de nome Marciana, de idade
36 annos, pouco mais ou menos, sendo de cor fu-
la, altura regular, levon vestido de chita escura :
quem a apprehender, condutindo-a a casa do abal-
xo assignado, na ra da Imperatriz n. 30, seri
gratificado. I
Francisco Augpsto de Araujo.
- ------'------
Da Braja da Madre de fieos fugio um mola-
tioho de nome Umbelino, com idade de 14 a 16
anuos. cOr fula, nariz afilado, cabellos estirados,
cabeca pequea, seco do corpo, tendo um date
de menos na frente da parte superior, levando
calca de algodio azul, jaquela de brim de qaadros
asul, camisa de madaneiao e chapeo de couro,
aba vendo noticias d que dirigi se para esta ci-
dade para asseniar praca como voluntario : pe-
de-se as autoridades competentes de nio o admit-
lirem para tal fira e participarem a quem de dimi-
to competir para o receiherem em Tugar seguro,
assim como pede*se a qualquer pesso que delle
ti ver noticia de o aprehender e participar nesu a-
dade no largo da Assembla n. JO e na villa do
.Brejo da Madre de Dos ao LUn. Sr. tenente-coro-
^nel Francisco Berengdr Cesar de Andrade, que
! sero recompensados.
aW


i
Diarlo de Peraanliaeo teres


3 t Ferereiro de 1866.
LITTERATRA
1HEATR0 DA GUERRA.
De bordo do vapor Apa, a 98 de novembro de 1865
csereve para o Diarto de S. Paulo o Sr. F. A. P.
de castro a seguinto carta :
.Recebemos boje ordem da raarcba para Cor-
rientes.
As 4 horas da tarde largou o Apa.
O tettipo esta' ptimo para a viagem, nao obs-
tante o vapor faz 6 milhas apenas, parque as aguas
era baixado consideravelmente.
A's 7 horas da noKe tundeara js 3 milhas aquem
da ilba de Marlim Garca.
A ooile vai lindissima.
A las. auada de saa laz brilhante o tompadilho
do Apa, cuja scmbra estende-se immensa sobre as
aguas.
Milboes de estrellas crivam o azul e claro do co.
Nao nos aillif;e o calor Intenso da manbaa.
Os ofiiciaes dividem-se em grapo sobre a co-
berla. Los pescam, outros cantam ao violo, ou-
tros finalmente conversara sobre cousas da saa
ierra.
. Que so ouca um pouco os que conversara :
b'bcanta esta noite !
E' um luar de S. Paulo I...
Que co I quaota poesa !
E' vcrdade ; que saudade ma desperla.
Leuibra-me agora da Luz.
Ob I deve estar anda mais bella agora.
Siin, com a estrada de ferro...
E aquellas figueiras ?...
Que iradas, que erara I....
.Ningiicoi advmba por onde meu pensamento va-
la agora
ra, advinhese 1
Teutem.
Por S. Paulo T
Sim, por um de seus arrebalde
Pelo Braz ?
NaD.
Pelo Aroucbe.... Gloria.
Tambera nao.
Oral...
Pilo Pary I
Ah Io Pary I Qae bellas noitcs l passa-
mo!
A tardioba, qae lindas que eram aquellas mar-
geos do lete I
Parece-me estar vendo agora a caioha de Pe-
dro Thirico....
De que se trata ? diz um novo interlocu -
or.
Do Pedro Thirico, respondern).
Ah I exclamou, dando um suspiro.Foi l
ciue encontrei o mais soberbo cuscs com qae me
:enlio avistado I
Ora I que material I grita um impaciente.
Realmente, prosegue o gastrnomo, singu-
larsimo que nao se encontr am cuscs em mais
trra alguma 1
Ora! Vai-le para o diabo I
Insensato! diz o moco retirando-se fleagroa-
ticameota. Nao coraprehendes o qae um cus-
cs !
A' 15 milnas distante da cidade de Bajvia, ou
Paran", ja' o vento envergara o* mastr^tf A Pa-
ran' to manso ba pouco varna eom suas aguas o
tombadilho.
Ao frontearmos a eldade, cabio o pampevo
acompanhado de grande chava.
Pandeamos ah mesmo.
A tempestado desenvolveu se 4 noute, e s mui
lo tarde melhorou o lempo.
29.-Sooberaos honlem qae o vapor nao largaria
se nao larde.
Desde lego projectou;se um passeio linda U-
la, que ronteia o ppniobo da cidade.
Nao tinha ainda alvorecido e ja arreiaram-se es-
caleras.
Ofiiciaes e cadetes, armados de espingardas
facas de mato e anzes, embarcaram com essa sof-
freg-uidao de homens, quo ha muito nao pisara Ier-
ra firme.
A's 6 horas desembarcamos na ilba, que dese
ogo foi denominada : liba da Saodade.
A vegetago d'esia pequea porco de trra
exquisita, pois que nio se encontra entra arvore,
alera da que os argentinos charaam sarcelro, e
que urna especie do nosso choro.- A ilba, pois-
tem o aspecto mais trete que alegre. E se ella
lem outro nome, nao pode ser mais apropnado que
o que Ibe demos.
t
Ahi, a sombra d'um sarcelro, coja ramagem
verde negra debruca-se para a trra, esta a se-
pultara de um bravo imperial marinheiro, qae fe-
ndo gravearme em Riachuelo, falleceu n'estas al-
turas.
Vesitamos essa sepultura, cajo vesligio fresco
ainda.
A' cabeceira, alada ao troceo do sarceiro, v-se
urna cruz, de cojos bragos pendem seeeas algnmas
flores roxas. Ajoelhamos diante da sepultura do
aosso patricio, e sobre a areia, que a cobre am
official escreveu estes versos :
Repousa, dorme sombra da folhagem
Em quanto a briza diz quanta coragem
Comtigo socumbio f
Oh I como s grande ahi n chao do pobre
Envolto o corpo nessa farda nobre,
Que a patria te veslio I
do um soldado neaK da tlilidade d'ezsa faca, n-
colerizouse o menino e accommettea-o lio sana-
mente que, a nao ser a saa agiiidade, perecera de
certo, por qao recebea flo awe-brajo o fofo, tu
Ibe era dirigido ao peito.
Esta ferocidade em creatura to joven nao Admi-
ra, pois qae ouiro oio pode ser resaluda da eda
cagao exquesila, que por aqai se di s crlancas.
Nao raro ver-se um menino, qae mal ensaia os
pasaos, trazer cima ama enorme faca de sangrar.
8. Passaram hoje, para Corrientes, 8 grandes
vapores conduzindo tropa.
U.As agaas sstao crescendo; o vapor ioglez
depois de algum esforco, conseguio desencalhar e
trata de reembarcar a tropa qae tem em trra.
Perdemos boje orna praoa.
19.Coostou-no boje qoe em frente da cidade
do Paran se acha am batalbao de S. Panlo; man-
damos logo i m ofllcial indagar da verdade desta
noticia, pora s amanha que pederemos saber
alguma coqR
Chegott hoje de Corrieotes o vapor Payssand,
qae vem receber a carga do Apa e levar-nos. -
20.Chegou hoje o ofllcial mandado ao Paran*.
-
Levavlo ptimos pratleos, por que, apazar de L, na nossa ilba da saudade, acbou elle acampa-
navegarem entre bancos de arela, tomaram com a dos os 2 batalhSes paulistas de nmeros 42 e 45.
Interronipeu-se a conversacao ao signal de resa.
Mal eipirou a ultima nota da corneta quinhen-
tas vozes robustas erguem-se reverentes em adora-
racao a Virgem Haria.
Como bella de religio e de poesa essa oragao
dos soldados I
26, as 6 hora:; da manhaa prosegua o Apa a
meia fora.
A's 8 horas fronteamos a ilha de Marlim Gar-
ca.
Sobre esse throno de verduras sobresahe a mu-
ralba alvadia da fortaleza argentina. Sua bandeira
saudoa-nos 3 vezes. Tres vezes correspondemos a
saudago.
Davara 7 horas no relogio de bordo, quando del-
xamos o Prata pela popa, o Uruguay a direila, e
aziaruos a entrada do Paran' ao som do hymno
nacional.
Mmu'.os mais tarde avistamos pela proa, am va-
por argentino, rebocando dous brigues.
Alcaucarao-lo em pouco lempo.
Vapor e brigues embaodeiraramse ao frontea-
os o Apa, e fizeram a saudago do eslvlo, que a
nossa msica respoudeu tocando o hymno argen-
tino.
Nesta. occasiao appareceram sobre o tombadilho
grande numero de senhoras, passageiras, e com
seus lencos saudaram-nos tambera.
Durante o da o calor esteve intensisslmo.
Agora a tarde refrescoa am pouco.
Bandos de aves aquaticas crazaram-se era todas
as direegoes.
Ouve se de ambas as margena o assobio das ca-
pivaras, qae sallara ao rio, mal sentem approxiraar-
se o vapor.
A's 7 horas da noite encontramos am vapor, cuja
nacao cao se pode reconbecer.
Fundeamos as 10 boras da noite.
27, a 5 horas da madrugada o Apa saspendea
ferro.
Fazeraos 5 milhas apenas por as agaas estarem
baixas, e ser necessaria a sonda a todo o ins-
tante.
Ao clarear o dia avistamos a villa de S. Pedro
qae nada tem de notavel, alm do lagar aprasivel
em que esta' situada.
Ao meio dia fronteamos a villa de S. Nicolao, si-
tuada sobre ama eminencia, que domina o rio.
E continan) as margens do Paran na saa os
tentago de verdores.
Aqui.n'uma campia, que se perde no borisonte
pastam Immensos rebanhos de carneiros merinos-
Alli, nos banhados cruzara-se botadas.Acola,
as alagoas formosas pela transvasadlo do ro, es-
voacaoi mllhares de passaros aqaaticos, qae como
nuvens, sombreiam as aguas.
A's & horas da tarde saadara nossa msica a ci-
dade do Rosario.
Os navios surtos na pequea enseada, qae ah
forma o Paran embandeiraram os mastros.
As senhoras, infalliveis sempre, povoaram as
sotas das casas e com seas lencos saadavam nos-
sa bandeira.
Esta cidade est na barranca esqaerda do rio e
chama-se S. Nicolao, nada tem de notavel.
E proseguimos debaixo de ara calor terrivel.
Ao cicscabir da tarde avistamos a torre do con-
vento de S. Lourenco, sobre a grande barranca da
margem esqaerda do rio.
Ou seja qae este logar triste, ou seja qae as
sombras da tardioba tomaram-no sombro este con-
vento onebeu nos de melancola.
A's 11 horas da noite fondeamos.
28.Ao alvorecer do dia largou o vapor.
A' 10 horas trabamos a vista o Diamante, peque-
a povoar.ao situada na barranca direita do rio, que
nesta paragem alarga conslderavelmente.
EacontraraeH graoae namero de ilhotas, as mais
esqoesita* as formas, tamanho e vegetacao.
Ao raeio da comecou a transtornar-se o lempo.
Arroiaram-s 3 as velas e o toldo.
E' trae o pa npeiro ameacava.
O p -Agnstico d? ses horneas do mar nao faina
nunca.
malor faeilicade o canal de que o nosso pralico pa
rece nao ler conbecmento.
Dos sabe a impressio dolorosa sobre que dos
deixao essts vapores I
Sabiraos de S.Paulo 24 de julho, e i S de de'
zembro nao eslamo em Corrientes ainda f
E' muilo conlratempo f
Em ludo isto vinga-nos a esperanca de que nem
Mi' indiacripiivel a bondade com qae os nossos
comprovincianos receberara o nosso collega.
O batalho de voluatanos traz 400 pragas e o de
guarda nacional lambem considerado de volunta-
rios traz 300 pragas.
A offlctalidade desse altimo queixa-se do modo
brutal por que tem sido tratada pelo major com-
Btaadante.
Somos bem mais felitee que estes. O goverao
om d esses batalboes, que ahi vo, ba de pizarem ^ andou muit0 MwMo ^ ^ dQ com.
Corrwntei mais garboso e disciplinado qae o uosaov I man(jaole.
Taro pouco, no dia do perigo, algum batalhae ,'___ .' -1. ... :
nos preceder no passo. N'0 lamo,s agorf' pot6sa 9^"'-> M
jor Dias, que geral mente estimado pelo bataihao,
6. Nada oecorrea hoje, que merega menguo, j e qae tem eomprebendido perfeilameola a sua
Coatioa a coleriua porat sera eonsequencta : Msso.
MCia" ^ ., Assim P*Bra batalho engrandecer-se de ata-
7.- F.Ileceo boje de abre perniciosa o cadete cpina e br0> porffl leQdo a ^ ^ um bQ[a(a
Mmbco ttteS "Ve,ra'na,aMl de Per" semprestig,o-esse batalho va* mal.
21.O batalbao de guardas nacionaes seguio ba-
je para Corrientes-. O vapor que e conduz deroo-
I roa om pouco deffonte do oosso acampamento.
Muitos ofiiciaes- nossos foram vibiRk-lo.
Para que a saudade us pungisse mats-a alma,
e a melancola nos invadisse o coragao, o canlo
melodioso dos sabias veio embriagarnos o espi-
rito dessa poesa triste como a saudade da nossa
trra.
A's 2 horas da tarde, mo grado nosso, deiumos
a querida ilha, ebeios de saudade.
A essa hora acabava o vapor de receber carvo
e viveres.
A's 3 horas continuamos viagem.
A's 4 horas, quando a officialidade jantava na
cmara, sentio-se ura abalo terrivel em todo va-
por.
Vendo o commandaote a perturbagao de algans,
disse rindo se ; nao nada, o vapor, que en-
calha.
Estamos pois sobre um banco d'ara.
30.Apezar de toda tripolago e das pragas do
batalho serem embregadas para desencalbar o
Apa al ag^ra noute nada se conseguio.
Ao meio da passou a 80 bragas de distancia o
vapor Falco lambem conduzindo tropa.
Encaihou tambera, mas s 3 boras eslava fra
do banco.
Soffremos um calor desesperador todo o dia. A
agua a peior que temos encontrado, pois que so-
bre ser turva e pezada, lem a propriedade drstica
o que tem originado a doenga em grande numero
de pragas.
Felizmente a dedicagao dos Srs. Drs. Daltro Br-
relo e Olympio da Paixo tem-os atenuado ura tanto
os soffrimentos.
L* de dezembro.Tem sido innutil todo o esfor-
co feito para desencalhar o vapor.
Esperamos que as aguas cresgo, o que nao
multo provavel, por que a eslagao nao propria.
Recebemos carne fresca de ama colouia alemia,
que dista daqai 8 milhas.
O calor contina como bontem.
Era marcha elle nao to sensivel, pois que ha
ventilago, porm parado horrivel.
Em ultimo caso esperamos que alguma caobo-
neira da eslagao de corrientes venha buscar-nos,
ao contrario ficaremos por aqu muito tempo.
2.Este dia, grato sempre a todos os brasileros,
nao passou desapercebido mocidade do 7. ba-
talho.
A's 6 horas da manbaa os offlciaes e cadetes reu-
niram-se no tombadilho, e ao igar a bandeira na-
cional, ergneram animados vivas S. M. I., a fa
milia imperial e a nacao braslleira.
Estes vivas ecboaram cora igual enthusiasmo em
todo o nivio repelidos pelos nossos soldados, infal-
liveis sempre, quando se manifesla a anlmacao e o
enthusiasmo. A msica tocou at oito boras e tres
quartos.
A's 9 boras a officialidade erabarcou para a colo-
nia da Conceigao ou Passos das Conchas, qae dista
milhas do banco sobre que estamos.
L carneamos ama excellente vitella, e, a som-
bra dos arvoredos, arranjamss o nosso jamar me-
lbor possivel. Conatou elle de ptimo churrasco, pao,
agurdente e uva, damascos, qneijo, leile etc.
Fizemos a nossa festa no lugar mais deserto da
colonia.
Assim ninguem cerou de ceremonias e formali-
dade, de son que na mesa que era a relva, nao
foi raro o numero de oradores emmangas de ca-
misa. A fe
Ha em toda a colonia prodigiosa abundancia de
caga. Partaram-se os cagadores de perdizes, pois
que a abundancia dellas e tal qae desnecessario
cao peraigueiro.
A's 6 boras da tarde eramos de volta.
A noite a officialidade do Apa offereceu-aos am
protuso copo d'aquaouviram se brilhantes dis-
cursos anlogo;, pronunciados pelos offlciaes de
bordo do batalho.
Assim passamos o da 2 de dezembro, dia venta-
roso para nos, como para gerago vindoura, qae
lambem o abengoar.
3Contina o Apa encalbado, e nao baesperanga
de qae desencalbe to cedo porque as agaas bai-
xam consideravelmeote.
Em viagem deixamos pela popa dezenas de pe-
queos barcos vela, que a modo de caranguejos
ah andam pelo Paran a espera de um pouco de
vento favoravel, que os leve adiante.
Pois bem, esses barqalnbos om saas velas en-
funadas cortara sem respeito a proa do Apa, que
apezar de sua magestade delxa-se bigodear impas-
sivel, e l se vo caminbo de Corrientes.
4. Continuamos sobre o banco, e as agaas bai-
xam afoda, de sorte que nio proseguiremos sem
que os transportes da estagao de Corrientes, qae a
esle tempo j estaro avisados, veoham bascar-nos.
En consequenia do calor exxessivo qae temos
soffn'do, e da pessima agua qae bebemos tem-se
desenvolvido a colerina a bordo.
Felizmente, embora baja grande namero de do'
entes, mogaem tem pengado.
Vem entre nos am menino oriontal de crea de
13 annos, como passageiro. A moda de saa gente,
elle nseparavel da saa faca de poota. Motejan-
A officialidade fez-lbe o enterro oom as- formali-
dades militare.
Foi sepultado na pequea ilba, que esta' afron-
te da Colonia.
Ao meio dia encalnou um vapor ioglez, tambe m
coodnsindo tropa, pequea distancia- do Apa.
Traz o batalbao de encouragados habanos. Nao
trazem couraga, como se deve compretoeoder do
seu apelido, mas sao vestidos de couro amaretto,
lembranga que ihe hade costar muito ora, sobre
o calor terrivel, que vem encontrar. '
Esee vapor pordeu-hoje am hornera lambem.
8. Soubemos boje que os 5 vapores,, que por
aqu passaram encaiharam a 20 milhas d'aqor.
Na altura da cidade de Paran' acho-se mais doie
transportes encalhados;
Se- ao todo 9 transportes, conduzindo cerca de
6000-horneas.
9. Por intermedio do vapor S. Miguel, que por
aqai passou boje, recebemos ordem para desembar-
car o batalho na Colonia.
E' ama medida de prime ira necessidade-o que o
nosso medico ja' tinha reelamado do commandaote
do vapor, que nao a pedia atiender por nao ter
instruegoes a este respeito.
N'este vapor vae o contingente de guarda na-
cionaes de S. Paulo.
Nao nos causara' sorpreza, se ao chegar a Cor-
rientes encontrarmos o 2.* batalho de S. Paule.
Este- servigo de transporte de tropas lem sido
feito do-modo o mais impensado.
_ ... real vistame.
9.- Honlem a me.a noite a sennella do pas- Esle 0 estawaaor) ala. to autor do
sad.gepoz em alarme aguarda e a ronda de bordo. ,Ri|et0 e do Gailnerme Teu compunba-se de
Temos umaonga a Iwro t gritam elles. | ^^ ^ga^eruzzi, Lucantoni.
Averiguado o tacto, eonbecen-se que a tal onca Verdi poz-se ao piano; el-rei cantea a famosa
nao passava d'uroa ariranba, qae veio de trra a' i romanza de barylono do Trovador, Yl baiem e o
nado e melleu-se na eaixa da roda, de onde esea- Eritu do Baile de mascaras.
Acharam-nos muito magros e plidos e riram-se
a valer da nossa demora.
E' que elles nao soffreram a peste- que arrosla-
mos em Prto-Alegpe e Montevideo, em cujos lu-
gares deixamos cerca de 180 camarada doentes e
40 morios.
Tambera nao saben qae o 7 dos-batalbdes que
tem feiio-a campanha mais penosa.
Hoje cedo passou para Corrientes o vapor que
conduz o i' batalho de S. Paulo.
Ae meio dia embarcamos nos, e coa leda certe-
za ebegaremos a Corriente priraeiro qoe elles.
Nem forajusio qae essa recratada nos-tomasse
a vanguarda, nos soldados velbos.
Concluiremos subscrerendo-nos.
UM POCC DE TUBO.
A segrate^ visita o>u el-rei de Portugal fez a
Rossioi contada> oestes- termos pela Gazetti des
Estrangers:
Prevenido, .por volta do meio-dia, pelo visconde
Ae Palva de que s 2 boras leria a honra de rece-
ber el-rei D. Lalz, o maestro empregou o lempo
qne Ibe resta va era. formar, por assim. dizer, um
pequeo eslado-maior de msicos, aommandado
por Verdi, o qual reun em casa e apresentou ao
pou-se logo que foi perseguida.
10. Tivemos uro forte temporal esta aotle.
Nao podemos desembarcar por este motivo.
A campamento na Colonia da Concetca- W de de-
zembro de 1865.
Depois da msica vocal seguio-se a msica ins-
trumental, e el-rei tocou rabeco,. osle concert,
nico do mundo,, con verdadeira superioridade.
Ah l eequecera una pormenor acerca deste im-
proviso musical entre um rei msico e estes cinco-
Desembarcamos boje, ficanio soraeote a 8.a eom- ou seis principes da msica : emqaanto D. Luis-
panbia a bordo por ser ja' muilo larde. canlava a cavatina do Trovador,. Etosstoi, Verdi,
Ja' era tempo de effectuar-se esse desembarque; todos os assislentes finalmenteineiuindo sem do-
mis tarde nao o (arlamos sem perda de multa
gente doente qne linhamos, qae agora esta' sob me-
Inores condiegoes.
Infelizmente permanecen] ainda as origens da
vida o visoonde Paiva,misturara suas vozes pa.
ra fingir as intervencoes do curo.
O Sport costa o seguale :
En ara. dia da semana passada, pelas 2 horas
doenga, qoe tero accommettido mais de 200 pragas I da tarde, ura estrangeiro de distineco, joven, e
nossas sao ellas : o calor e as aguas do Paran, elegantemente- vestido, apresertoo-se a Devimes, o
Perdemos hoje urna praga.
12. Alimpamos hoje de modo- mais regalar o
nosso acampamento.
O calor insuportavel debaixo da barraca 1
E nem um pouco d'agua, d'essa agua do Miguel
Carlos nos suavisa o ardor da sede I
Temos agua moma do rio...
12. Edeflca-se por,todo o acampamento gran-
de numere de casas de sap. h' a officialidade
que assim evita o calor menso das barracas.
13. Deserabarcou hoje e acha-se acampado a*
nossa esqaerda o batalho bahiano, vindo no vapor
Dglez, que se acba encalbado.
Este batalho tem sofTrido mais que nos, pois
nem ao menos traz botica.
Tem grande numero de doentes, dos qaaes j
falleceram 6.
14.Ao amanhecer de hoje a praia fronteira ao
nosso acampamento tomou feigdes de cidadella.
Vem-se de lodos os lados levantar-se as barraca
dos gauchos, que vm conduzindo um sem numero
de mulberes, de criangas, cavallos, cachorros, etc.
As mercadorias que nos vendera sao : arroz, fa-
rloba pessima, assucar, aboboras verdes, carne
fresca e uns bolos de centeio, qae so o diabo os
poder irag ar.
Sao muito agradareis, porm avaros como ja-
15.Os nossos doeates vo melhor com a mu-
danga de bordo.
Refere-nos am collega es seguintes fados, dig-
nos sem duvida da alteogo do nosso amigo capi-
llo Medeiros, e que se deram a bordo entre nossos
companbeiros:
Apresentando-se ao Dr. Daltro um doente qne
sollria do estomago, perguntoa-lhe o doator:
O que tem, camarada ?
Eu tenho moita dor de estamo.
Fez algum excesso, lerabra-se de ter comido
alguma cousa que ihe Qzesse mal ?
Nhr, alo. S me lembro de ter pitado pa-
par iscrtvido.
Pois como fuma papel sujo ?
Nao hai mais pata e eu na (arla embruio o
fumo no pautistano e pito....
Este soldado nio sabe ler, para elle todo o jornal
paulistano..
Outro soldado, nao menos ingenuo, vendo ama
gllta a' vela, disse chelo de espanto a am sea ca-
marada :
lime I com effeito I este barqainho lio pi-
quinino ainda j faz viagem I
O homem juigava sem duvida qae os barcos
cresciam I
16Comegaram hoje os exercicios, porm s de
manhaa, porque a' tarde o sol insupporlavel.
As aguas, que at agora baixavam formando
ilhas por lodo o rio, coraecam a crescer, porm tio
vagarosamente, qae nio saturemos d'aqol to cedo.
17.-Honlem, a' meia ooile, soffremos om terri-
vel pampeiro acompanhado de chava.
As barracas voaram, e grande namero de offl-
ciaes e pragas viram-se ao releoto e debaixo da
chava a mais atroz, at o amanhecer.
Anda nao linhamos prvido esle incidente da
campanha.
Custou-nos bem caro a orimeira prova.
Em consecuencia da ebuva boje o calor nio
tio intenso.
espingardeiro do Boulevrd des Italiens e pedio
que Ihe mostrasse urna carabina de dous canos- pa-
la a caga do javalii, mostrando ao mesmo tempo
desejos de experimentar as balas explosiveis.
Devisme pela conversacao recoohecen qne ral-
lava com um verdadeiro cagador e propoz-lbe sem
ceremonia o ir a Argentouii para alli fazer as suas
experiencias.
O desconhecido iafotmou-se do teapo que seria
necessario.
Daas boras, responden Devisme j partida de Pa-
rs s 10 horas meia hora de caminho -t trila, ou
quarenta minutos para experimentar a arma.
Mas Devisme que peosa em tudo, entrev am
obstculo ; o tempo de almoga e o ar fino em
Argenteutl.
Que importal emquanto fazemos as experien-
cias, faz-se urna omoleta assa se ama costelleta :
comida de cagadores.
Bem I respoudeu o sea interlocutor, aceito
da melhor vontade.
Quando o desconhecido ia para retirar-se, depois
de haver escolbido a arma, Devisme pedio-lbe o
nome e a morada.
#uai-rae urna penna.
A estupefaego de Devisme foi grande lendo no
papel o rei de Portugal, no Grande Hotel.
Perdoai-me senhor! disse Desvime, ter-vos
offerecido a minha modesta costelleta.
Nio tenbo que vos perdoar, acceilei; eu vos
marcarei o dia.
Com cara de asno ji ia
Pelo caminbo descendo,
Einjo'a mira eorre Pegaso
K solta-me colee tremeno.
Deste modo tratarao J
A todos os qae la' vio/V*^^.
Role! ladeira abaixo
E por paos e pedras dando,
Damoado e doido de raiva,
Como o sapo fni fallando :
Se desta escapar... boleo,
Nunca mais bodas ao co.
E o qae quer, mea camarada ?
Custou-me to caro o porte ? I
Naoca mais farei nm verso,
Votaodo-lhe odio de raorte I
Posso esquecer acaso
O agrado qae fez Pegaso ?
Transerevemos o segointe :
ONDA NUV8NS.
Corre nuvemzioba branca, desliza pelo cv
azul 1
Onde irs tu parar ? A brisa caprichosa te im-
peli para os coafias do borisonte e raeus olhos fa-
tigados ma! te podem distinguir uo ten gyro
veloz.
Vm tu, onda tmida e modista vem, chfga-te
a' praia.
Filha mimosa do ocano alrifo, qnem te ensinou
a meiguice com que beijas a eonchmha que brinca
aa areia ?
Foge a nuvem, a onda vem ; seguem opposa
romos guiadas pele mesma forga-.
Amor I amor I le eterna, universal, que rege a
ereagio iateira desde as ondas at as- navens I
A nuvem corre loaca, perdida nos bragos da-
brisa, qoe amorosa aemge : a onda- aliaga a con-
ehraha da praia que se agita e-estremece de
gozo f

As inlidelidades perdoam-se, mas nao se esqae
cem, diz Hme. de Lafayette.
As inQdelidades esquecem-se, mas nao se per-
doam, diz Mme. de Sevign.
Ento em que Acarnos?
O verdadeiro orphao, dizem os orienlaes, nao
aquelle qae perdeu o pai; aquelle qne o pai dei-
xou sem edacago.
-=. !i>^-a'
Aos leltores offerecemos as seguintes lamenta-
goas de nm quidam, que nunca teve geito para fa-
zer versos, e assigna-se Avisto 111.
Ua coice do Pegase.
Ea detesto a poesa
E aborrego o vrsete;
Nonea poude fazer verso,
Nem a poder de ccete.
Queris saber a razio ?
Pois bem, la' vai. Attengao.
Um dia subi ao Piado,
Com intengo de pedir ,
A' sea padre-raestre Apollo
(Acre* tem sem se rir)-
Qnatro dazias de rima
Com suas toantes por cima.
O senhor qoer fazer verso 11
Donde veio tal lembranga ?
(Disse Apollo eoraivado).
Va' pegar ja' na balanga,
Pesar mantelga ao balcio.
Roa I... por alli, td poitrao I
Scismemos.
Ve minha alma pele espago segeindo o rpido
gyrodas auvens e o movimento iaeessante das
ondMc
Scisraar viver no mundo da phaotaeia, pas-
setar pelos- jardins encaolados da poesa, onde o
ramerejar das folhas barmonioso e cadente como
o rkhmo, onde as flores-sao balsmicas, onde soam
doeemeote as harpas eolias agitada pelo- sopro dos
aojos*
Seismemo.
Aoui, na praia deserte, lodo silenciOj. mas om
silencio ruidoso, ebeio de rail rumores- conlosos,
que forman um concert divino, urna* harmona
suave. E* quando o homem emmudece que a na-
tureza falla. Tudo silencio ; mas este rochedo
paipua -sot> minha mo, esta areia geme debaixo
de raeos ps, aquella folha murmura, alk o regalo
suspira e ao eo a estrella-serri I
A oatureaa eola o byronodo amor f
Era de noute, ao Inar-; am violo desafinado
geraia ao peso da mo de-inexperto trovador, qoe
cora voz sentida e faabosa eosioava aos tonos estas
estropeadas endelxas :
Nestas praias de lmpidas areias,
Prateadas a' ooile pela la,
Passo as horas, pensando nos ameres
Que, perdido, beta na imagem toa.
Um .garganteado original, inimitavel, acompa-
nhou o violo, que quasi- estalou de dor ; depois a
voz proeegDio mais iaohosa e mais tema :
Quando-o sol, pelos montes declinando,.
Vai no mar oceultar os-seo ardores,
Urna lagrima me r. ia pelas faces,
Recordando sozlnho os-meas amores-1
Faala chorar 1
Reinou por algara tempo o silencio ; depois ou-
vio-se am leve ruido o-unn voz doce, tremola de
sosio, caotou baixioho :.
Inda que os labios nio digam
Da despedida na hora,
Os olhos pedem. qae fique,
Quando sea bem val-se embora I
Brilham ao clarao das velas es dourados da sala
costosamente alcaliada ; ao velludo das poltronas
mislurase a seda dos ricos vestidos, que cingem
corpinbos gentis.
O artista hbil percorre o piano, e sabe tirar do
instrumento ingrato seos melodiosos. Erguem-se
duas vozes suaves, soam anidas, unidas voara pelo
espago como dous p ombinhos corlando o ai am ao
lado do ouiro.
Vienni, ab I viennl, io m'abbandono
Alia gioia ebe m'inebria ;
Del mo coor t' reso il Irono,
Teco al lato io vo' morir.
E os convivas salisfeitcs applandiam os dous
dilttavli, que no meio do enibasiasmo, qae baviam
excitado, linham encontrado lempo e occasiao para
um doce e furtivo aperto de mo.
As rajadas do valo abalara as portas mal cerra-
das do quarlo, onde, recostado a* mesa coberla de
livros e papis scisma om moco. No seu semblan-
te moreno, paludo e bello espalha-se a alma terna
do poeta e na vasta fronte brilha a intelligencia.
Seos labios entre-abertos murmurara :
Quero amor I quero vida 1 aqni na sombra,
No silencio e na voz desta natura,
Da primavera de minh'alma os cantos
Caso co'as Sores da esiago mais pora I
Quero amor) quero vida I os labios ardera...
Preciso as dores de um sentir profundo I
Sofreg a taga esgotarei de om trago,
Embora a morte va' topar no fondo 1
O inexperto canior da na, o dtletanti do sali
donrado, o poeta no sen qnirto solitario, dizem te-
dos a mesma palavra :amor I
E' o que diz a brisa, quando leva a nuvem pelo
co azul; o qae diz a onda, quando beija a con-
cha na praia deserta.
. Sonhos 1 sonos sonhos I
Toldam-je os ares; o vento rog; esbraveja a
tormenta.
A nuvemzinha branca qne imprudente se dei-
xra embalar pela Bnsa caprichosa, onde para
agora ?
E a conebinha ingenua, qae dra ouvidos a' on-
da inconstante e prfida, onde est ?
A brisa aspirou o perfume de ama rosa, qae te
abra uo jardim e baixou a' ierra deixaodo a nu-
vem a vagar sozinba ; a tormenta, qae passava,
arrebalou a em seu turbilbo.
Adeus, nuvemzinha branca I
A onda desceu ao fondo do mar e alli repete na-
morada seus murmurios mais seductores gyrando
em torno de ama perola qae acaba de formar-se.
A conebinha da praia, loaca de ddr, baten de
encontr a nm roehedo e partio-se.
Scismemos.
Adeje minha alma pelo espaco entre o mar en-
tumecido, qae se empina em saltos temerosos e o
co escaro, qae s se abre para deixar cabir 0
ralo coruscante e aitenador I
Por A VIDA 00 ESTUDANTB.
Olha para o relogio impertinente,
Mal acor" o estuduie entorpecido.
Coitado I A hora d'anla pde-ie* em frente.
La oio vou l brada elle enfurecido.
Espregulga-se na rede aborrecido
Pragueja contra explicagdes do lente,
' Que, de dormir t Bear apodrecido,
O privara do direito lio ingente.
Da ligio nem se quer pesco nm bocado I
A caderneta de faltas 'si se enebeodo ;
Percooanaol exclama o pobre apoquentado,
Eulia caigas, pslildt e tabe correado.
Chega n'anla de soor todo baobado
E com medo de espixa entra espantado.
-----------------~..----------------
Doespectvo ministro recebeu o Sr. director da
escola de marinha, o stgnmie aviso, qae l se B0
Correto Mercantil:
O Dr. Joio Pinto Borba fez me ltimamente a
exposigio de um melboraraento as azas do pro-
pulsor dos navios a hellice, em termos a evitar a
Irepidago proveniente do systema actualmente
adoptado, e a diminuir a forga reiardaliva do mes-
mo propulsor.
Esta e outra mooragdes com referencia a ma-
rinha e ao servigo militar, das quaes aulor
aquelle cidado, pareeem-me dignas do estado e
competente aprecieQo- dos protissionaes, anm de
que nao sejam inuMisados os esforeos Istelligeote
de quera louvavelroente dedica-se a melnoramen-
tos qne podem aproveitar ao paiz.
E, pois urna comrorsso composta de V. Exc,
como presidente, de quatro lentes ou oppositores
dessa eseola, que V. lzo. desigoar, e dos direc-
tores das construccres navaes e das officinas de
machinas do arsenal de marraba da corte, infor-
mara', com-Brgencia, aogoverno sobre a exequi-
bilidade e vantagens da idea que Ibe forera ver-
balmente esposias pelo Dr. Borba, a qnem se
oommunica esta resolugo, para qae saibe de V.
Exc. o dia enera em que deve comparecer.
O ^correspondente de Lisboa, do Diario Mercan-
til, do Porto, diz que a commissao de monumento
a Loiz de Carnee, vendo-se iropessibililada de sa-
lisfazer ao sea contrato oom o estatuarlo Vctor
Bastos, em consecuencia da fltesela da casa Son-
to &C. do Re de Janeiro, onde estavam deposita-
da algumas senmas impontaales, destinadas ao
dito monumeo, acaba de se dirigir ao governo,
pediadolbe o auxilio peeoniark de 7.5008000,
obrigando-se a entregar ao tbesouro qualqaer
quantia que de fataro receba, perteocente a saos-
cripfo feita para aquelle monumesto.
Faeeea em Saris orna cadella (lastre chamada
Mineile, assim o diz o Jornal de Ptoietas.
CoBlava 14 annos de idade, qne eram cairas
lanas glorias para sea nome.
Misette fra encontrada por nm saldado fraooez
oo deserto da frica.
Seguio o batalho com leda a fidelidade datante
marchas penosa,.e guiou o soldados, no deserto,
a's fonies abeaeoadas onde iam mitigar unta ar-
dente sede.
Em paga, elles-davam-lae do seu ranche eda
sua cania.
Seglo ama bandeira a" guerra da Crimea, e
foi (brida em urna, peroa^ por ter o pessimo gosto
de, no ardor do combale, ir brincar diente das
pecas de artilharia.
Muitas- veze aviou os soldados, com teas lati-
dos,, da approiimagao do inimigo.
Na guerra da Italia, Almene airavessou os Al-
pes a' frente do seu> regiment e ao lado das vi-
vanderas.
Assistio a's- batalhas de Magenta eSolferino !
e sempre que pedia a4irava-se a's peanas do ni-
migp.
Nao era orna cadella bonita, mae tinha taes-
prendas de carcter (I), qoe lodo Pans-a estimava.
e respeilava.
No aneo- de 186,' exportoa a peaea do Rio Gf&n*-
de do Sai 1,840,071 arrobas xasque, sendo com
destioo. a
Babia
Pernambaco
Rio de Janeiro
Rio S. Francisco
Macei
Santa Catharina
O movimento do porto foi o segrate:
Durante o aooe
de 1865, entraram
de longo curso, navios
A cabotagem foi
612,920 arrobas
843,637 i
335,759
1,520
9,127 i
17,088 i
1,840,071 arrobas.
feita por, navios
Durante o anuo
de 1865, saturara.
para longo corso, navios
A cabotagem foi
feita por, navios
O rendimenlo da alfandiga no anuo civilde 186o'
foi de res 2,192.8685608.
A mesa de rendas provincial rendeu no asno
findo 38-3:014,531 res.
Na Union l-se:
Os jornaes catbolicos da Blgica abnraro, como
tem cosame de o fazer todos os annos por este
lempo, subf cripgdes para Po IX, pontifico re,
A primeira lista do Bien Public de Grand de
3:420 francos e 50 cernimos, e a da Patn de Bra-
ges de 2:274 francos e 50 cntimos.
Os cinco estudastesde medeoina que fizeram
parle do congresso de Liege, aoabam de receber a
nolieago segointe:
c FACCLDAD6K MEDROIHA DE PARS. Part 15
de dezembro de 1868.
t Srs.OSr.reitor me engarrega de vos informar;
qoe o conselho acadmico, na sua sesso de 12 de
ootubro correte, pronunciou centra vos-a exclu-
sao para sempre da academia de Pars.
O cgMelbo tem aiem disto emlttido o parecer
que havi motiv de vos enviar perate o conselho
imperial, para que fosseis excluidos temporaria-
mente de todas as ouiras academias do imperio.
i Acceilae, Srs, os meas compri meatos,
t O decano. a. taudibh.
Londres, assim como Pars, tem asna canallsjeio
completa.
Coctalo, o auno passado, a constraegio ao gran-
de cano geral, caja extensio excede a 80 milhas
(408.320 metros).
Esta obra casiou mais de quatro milhes de
soberanos.________________________
PERNAMBCCO -TYP. DE M. F. DE P. 4 PILJJQ


-
284 com 51,043 toas.
284 com 63,382 tone.
568 eom 114,325. toas.
274 com 06,29a ioos.
289 com 6fi,25Q Mas.
563 com 122,543 toos.

!
i 1


i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJBTB1KWC_3O5JV1 INGEST_TIME 2013-09-04T22:39:06Z PACKAGE AA00011611_10891
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES