Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10889


This item is only available as the following downloads:


Full Text
mUmHlsmfJJssmmmlamfJml
mmm


t >
RMO XLII. SOMERO 33
---------------------------1,
Pr mirtel pgi dentr dos 10 Has do i.' Hez ....
dem depois dos l.M lo das do comeco e dentro do quartel
Porte ao eorreio por tres mezeo .,.,.,....
.
96e> SABBADO 10 DE FEVEBEttO DE 1866
Por nao paco deitro de lo das do l. mez.
Porte ao crlete por amo......
49|ooo
IV

ENCARREGADOS DA SBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alex?odrino de Lima*,
Natal, o Sr. Antonie Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lanos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigaes; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
EN'CARREGADOS DA SUBSCRIPgAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Clandino Falcao Dias; Babia, o
Sr. Joso Martins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gaspannlio.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacSes da va ferr at
Airoa Preta, todos os das.
Iguarass e Govanna as segundas e sextas reiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garobnns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacaratt, nas-tergaa
feiras.
Pao d'Albo, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingaieira, Flores, Villa Bella, Cabrobo, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiro e Ex, as qaartas
feiras.
Serinhiem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas a quintas.
Relago: tercas e sbados as 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Julzo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orpbaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primaba varado civet:
dia.
Segunda vara do 1 ral:
hora da tarde.
tercas sextas ao mel
qaartas sabbades a 1
EPEMERIDES, DO MEZ DE FEVEREIRO.
7 Qaajrto minf. as 5 h,
15 Loa nova as 7 k-, 33
22 Qderto creso, as 5 h.
, 20 m. e 16 s. da t.
m. e o* s. da m.
, 28 m. e 4.") s. da ra.
DAS da semana.
5. Segunda.. S. gueda v. m.: S. Genuino b.
6. Terca. S. Dorotbea v. m.; 8. Vidasto b.
7. Quarta. S. RomuaMn ab.; S. Ricardo re.
8. Quinta. S. Joo da Malta ; S. Juvencio b.
9. Sexta. S. Apolonia v. ro.; 8. Ansberto.
10. Sabbado. S. Guilherme duque; S. Silvano b.
11. Domingo. S. Lzaro b.; 0. Clocrob.
PREAMAB DE HOJE.
Primeira as O horas e 30 m. da tarde.
Segunda as O boras e 54 minutos da manhia.
PARTIBA DOS VAPORES
Para t sol at Alagoas a 14 e 30; pin BOrt*
at a Granja a 7 e 22 de cada mez-,
do uo* dj*t *4 dos mezas de Janeiro,
julho, setembro e noveaabro.
ASSI6NA-BS
no Recite, ai livraria da praca da
n>. 8, diac proprietarios Manoel ~
& Filho.
PARTE OFFIGIAL
IflIItlSTERIO DA GUERRA.
Commando em chefe do exercito imperial em
operacis.Quartel general no Riachuelo, l de
dezembro de 1865.Ulm. e Ezra. Sr.-Receb era
11 do correte o aviso de 18 de novembro fiado, a
que respondo. O contrato para forneclmento do
exercito e dietas foi feito por este commando a 4
de julho do co-rente auno, e approvado por aviso
de 4 de agosto seguate, sendo o mesmo contrito
com as condigSes do que exista com Jos Luiz
Cardozo de Salles de ^4 de fevereiro, e que tora fei-
to com o baro de S. Gabriel na villa da niao, e
approvado pelo governo imperial para vigorar ate
setembro deste anDO, com a diflerenga que o valor
da etapa pelo contrato de i de jullio seria a de
800rs., raoeda correte do Brasil e em letras por
i e 2' vi as sobre o thesouro, e obrigados o
necedores a fornecerem
general Urquiza. como facto, me proporcionou as
[cavalhadas de suas estancias para o servieo do ex-
1 ercito; se nm dos seus genros fez o mesmo; se
um dos fornecedores, seu amigo pessoal, me tem
I vendido milhares de cavallos e bois para o mesmo
I servieo, como posso en ter em m os fornecedo-
res do exercito I Sem embargo conheco as difflcul-
dudes com que lulam, e ninguem delxaria de tro-
I pegar aellas, mas oque tem succedido que o nos-
so exercito tem marchado abastecido pelos forne-
cedores e por um commercio immenso que o
acompanha em carretas, e que se em geral todos
procuram vender ao exercito brasileiro nao de
cerlo porque lhes pague peior.
Hoje mesmo o nosso exercito que tem melho-
res cavallos e bois, e para pagar o sold veocido o
dioheiro estar hoje marchaodo da capital de Cor-
neles para e-le campo. O fardament) nos veem
alcancaodo pelo caminho, e algura, nao pouco, ja
est desembarcado em Corrientes.
Tenho deixado retaguarda invernando 14,000
cavallos, 57 muas e. 1,800 bois, inclosive os que
isto mandando construir Barracos de nuieira offlelo V. Exc. de 5 do correte, Aquel toteirado Gibson, seja elle effectuado com ootro que memo-
para supprir a falta de casas. I de ler n^ provisionado de parocho encommenda- res vantagens offerecer.
As recommendacoes de V. Ezc. para a instruc- do na fregoezia de Cruangy, o padre Andr Cursi-i Dito a' cmara municipal de Cimbres.Para po-
cao das tropas novas, para a dlssoluco dos oorpos no de Arrojo Pereira, fleando. a parochia da ilha der resolver acerca da arrematago dos impostos
que, por sua pequea torca, sao mals oesados qoe de Itamamca', que elle wguacargo do coadjoctor de que trata o offlcio da caraira municipal de Cira-
uleis ao servigo, completando-se com as suas pra- padre IfaacM Beaarra ds^msoassa. Aproveito a bres de 15 de Janeiro prximo rindo, mister que
gas oatros corpos, todas emfim sero curapndas. occasiiOT>ara reiterar a V. Exc. os meus protestos a mesma cmara me declare porque l*eeo toi feta
Nao ser de certo por falla de trabalbo e de boa de estima e considerago. a nltima arrematago dos referidos impostos.
vontade deste commando que appareceram diffl-1 Dito ae E*m. comraendador Domingos de Sonta, Portaria.O presidente da provincia, attendendo
culdades ao governo-, o servieo feito tio bemeomo Leao, presidente da assoelacao protectora das ta- r0 que requereu o tenente quartel-mestie do bata-
possivel; eas providencias para que nao appare- radias dos voluniarirs da patria. Tendo se-me ihao n. 2 de iofantaria da guarda nacional do mu-
cam ou se destruam obstculos nao se fazem es- apresentado viodo da corte no vapor Gerente, por Biclpio do Recite, Joaqnlm Lopes Machado, resolve
perar. ler sido expensado do servigo era consequencia de prorogar-lhe por seis raezes a licenga com qoe se
Amaohia lera logar, coca teda a pompa, a festa
do excelso padroeiro, orando ao evaogelM Rvm
Jos Esleves Vianna. A' tarde hatera
ao largo da iiii, correndo os eavalle>ros
rados ; e nolte, aps a ladaiaba e o ti ramea*) do
estaodaru, eom a mesma soleoaidade, ser joei-
mado un lindo foge de artificio, fabricade por na
dos nostos OMltana artistas.
Os devotos nada tem poopado para qe se|aei ee
actos pomposos e animados.
ra
tre os generaes _.
dar, que anda nao chegou a Corrientes, se saber
de positivo o que se far.
Logo que acabe de passar o Riachuelo seguirei
para as proximidades do Passo da Palria, e cabe
aqu dizer a V. Exc. que, se a passagem houver
de eflectuar-se no referido passo, s lo-ha a viva
o exercito as provincias dejxei m 0 Uruguay, que dvem estar passan- torga ; que s poderemos elfectua-la com auxilio e
es, como V. Exc. vera' das do para esIe |ado. e os que na0 tiverem morrido, sob a proleccaoda esquadra, pois qoe o exercito
para lugar atado e nao tem as embarcagoes de que precisa para tao
importante como difflcil e arriscada operago.
O general Flores vem descendo o Paran para
as immedlagdes do Pasuo da Patria; ja est abaixo
de Entre-Rios 3 Corrientes
copias que junto. serao brevemeDte conduzidos
Assitn o exercito tem sido fornecldo regolarmen mais proxm0 do exercito.
te, salvo um ou outro caso ae torga maior, em que E> cerl0 qne havemos de precisar cavallos e bois
faHaram algomas razoes de caroe por causa dos para passarmos ao Paraguay, como precisamos
meios para transpor o Paran, e trem para montar
um hospital era grande escala em Corrientes ; islo,
porm, nao haviamos de ter em deposito entregue
aos generaes de Solano Lpez, e agora que devo-
raos tratar de reunir os elementos neste ponto que
comegamos dominar.
creio ler respondido aos principaes tpicos da
correspondencia citada, accrescentando que at
hoje tem havido harmona entre os exercitos e seas
generaes-, qoe se auxiliara mutuamente no que
possivel, e fago votos para que as Intrigas do inl-
tempones e perda de gados, ou impedimento de
viajarera as carretas com outros vveres, faltas
pouco sensivels e que foram remediadas como as
circamstancias permitliram, e os fornecedores se
tm eslorgado e satisfeito como possivel os seus
cora prora issos.
Portr.nl'.) o governo teve conhecimento desse con-
trato, e o exercito lera sido abastecido pelo modo
pratico iadcado no de 24 de fevereiro, que servio
de baso ao de julho.
As providencias que julgo necessarias tomar
agora para ser c exercito ornecido no territorio
Paraguay depende de novo hjuste com a corapanhia
tornecedora a cujo chefe ja me dirig, solicitando o
seu coraparecimeoto nesie exercilo para tratarmos |he|f0 Aoge|0 MonI da silva Ferraz, ..
deste assumpto, para o qual ja estao prevenidos, e secrelar0 de estado dos negocios da guerra.
segunda me informaran) dispoem de um vapor de npel Luj2 Qsorio, marechal de campo,
sua propriedade e outros da carreira para condu- Commando em cnete do exercito imperial em
zlrem pelo Paran a Corrientes os viveres; lia pon- Operacoes.Quartel general no Riaehuelo, 13 de
eos dia j chegou capital de Corrientes aquelle de2embro de 1865.Mira, e Exm. Sr.Vou res-
vapor com gneros. E'este assumpto muito seno, poDder ao aviso confidencial Ue 20 de novem-
e eu pens obter qae o fornecedor faga na referida bro U|,jm0j em que y. Exc. me faz saber as dlffl-
capital um deposito de todos os gneros inclusive CU|da(jes com qUe |nla ^T fana de commonicago
xarque e feijao. para supprir as taitas que alguma regU|ar(;Si S0Dre fact05 e circumstancias occorrl-
vez possa haver de carne fresca, porque ha caren- das nesle exerci0i e exge qUe por todos os vapo-
cia de gado no territorio de Corrientes que rn de- res va'a minha correspondencia: farei o possl-
vastado pelo ioimigo.e as tropas de gados que vera vej para caroprir a orden de V. Exc.
de longe algumas vezes que se debaodam contra a y Exc se recor()ara' que se-retiroa da Urn-
vomade de seus donos ou retardam a marcha pela ,jQayana para a COrte, quando eu marchava para o
crescente dos rios ou mo lempo. Paran' e esta circumstancia deve ter demorado a
O deposito em Corrientes tem tambem por nra recepCa0 dessa correspondencia, alias de pouca
mar no territorio
de Caacaii. A cavallana correnlina est sobre a-
quellePa.-so. O exercito inimigo tambem sobre o
Passo, e na marvem direita do rio.
Dos guarde a V. ExcUlm. e Exm. Sr. conse-
lheiro Angelo Moni da Silva Ferraz, ministro e
secretario de estado dos negocios da guerra.Ma-
noel Luiz Osorio, marechal de campo.
Ulm. e Exm. Sr. -Tendo nm jornal dest cidado
venientes.
Dito ao Eira, general coraraandaote das armas.
Pana enmprimento do disposto no aviso da re-
partico da guerra de 8 de Janeiro ultimo, faz se
oecessario que V. Exc. me enve os termos da ios-
peegao de saiide a qoe foram submettidos os re-
croias vindos do Rio Grande do Norte, -Jos Luiz
da Fonceca e Joo Manoel do iNascimenlo.
Dito ao mesmo.Qaeira V. Exc informar sobre
o que pede o recruta Martiniano Mendes da Costa
no incluso 'requerimento, fazendoo inspeccio-
nar pela junta militar de saiide, se julgar conve-
niente.
Dito ao inspector da thesooraria de fazenda.
Transmiti a v. S. a relago junta era duplcala,
! afim de que nao havendo inconveniente mande pa-
gar | Syraplieio Jos de Mello, conforme solicilou
o.daegado encarregado do expediente da reparli-
gio da polica, era offlcio de hontem sob o. 165, a
quanlla de 335800 rs, em que importou o torne-
dado noticia hontem de disturb'ios^praticados por jcimento feito aos recrulas e desertor constantes da:
forcas imperiaes nesta cidade, tenho a honra de predila relago, os qnaes sendo remeltidos pelo de
passar a V. Exc. em copias as pariicipag5es oIBciaes | [*9**<>
ndo ao
Rio-
Formoso, bacharel Ludgero GoDgalves da Silva, re-
solve conceder-lhe 3 mezes de licenga cora o res-
pectivo ordenado para tratar de sua sade.
Dila.O Sr. gerente da eompanhia Pernambu-
cana, faga transportar para o presidio de Fernando,
por conta do ministerio da guerra, o Rvd. conego
Antonio Jos de Souza Gomes, que vai exercer as
| fuaegoes do seu ministerio no mesmo presidio,
dando pas beiro, qne acompanha o mesmo conego.Fize-
ram se as necessarias communicac5es.
-------------- i ii iji 11, ii
<;ovi:if*o oo rispado.
Expediente do dia 22 de Janeiro.
Offlcio aoRvro. vigario capitular do Rio de Janeiro,
communicando haver chegado a esta cidade no dia
2 de Janeiro, e tomado posse do bispado no dia 21
do mesmo mez.
Dia 3 de fevereiro.
Offlcio ao Rvm. chantre da s, participando haver
por motivos ponderosos adiado para o dia 15 a ce-
lebragao da missa do Espirito-Santo, e da coogre-
dos alumnos numerarios e pendonistas do semi-
mados nao chegoem a prejudicar a grande causa. acontecido com o corpo flxo de Pernambuco, aquar-
Deus guarde a V. ExcUlm. e Exm. Sr. conse-! telado no Moinho de Laffone V. Exc. ver pela co-
ministro e
-Ma-
recepgao
supprir ao exercilo por via de mar no territorio moma) porqUe 0 essencial toi a marcha de coBcen-
paraguayo, mas seas operagoes raudarem deidi ; tra^a0 que os exercitos alliados emprehenderam
recgo, isto tiverem lugar passando o exercito o ; ^^ M immediagoes da capital de Uorrieotes, de
Paraon, amito cima do Passo da Patria, eon Ycuja Cjdade nao estamos distantes, e deixareraos
provavel, se a esquadra nao poder all proteger a um pouco a esq0erda para seguirmos sobre
passagem, ealo teremos de mandar vir gados do _Sa Bravaj s> luz e g. Cosme.
Rio Grande, passando pelas immediagoes de b.; Deus gUarde a V. ExcUlm. e Exm. Sr. con-
Borja. selheiro Angelo Muaiz da Silva Ferraz, ministro e
Finalmente as providencias a respeito serao lo- secretar de estado dos negocios da guerra.Ma-
madas como o caso exigir, e mesmo requlsitare a noej Lujz Q5or0j marechal de campo,
misso especial em Buenos-Ayres, ^ remessa de : oommaDdo em chefe do exercito imperial em
gneros, se isso me parecer conveniente [indepen-, opera6es contra o Paraguay.Quartel-geoeral no
denle de quaesquer outras providencias que V. Riachaelo, 15 de dezembro de 185.Illo* e Exm.
Exc. julgar a bem tomar, como, por exemplo, o de sr.Ja' em offlcio de 13 do correte informe! a V.
crear ama commisso de Inteira confianca do go- Kxc^ qUe> a|m da marcna de concentrago pelos
verno e com excluso du general em chefe, para exercl[os alliados feta para as immedlagdes de
promover e regular o fornecimento do exercito, n- Mercedes, nada de maior importancia occorrea at
cando assim o general menos erabaragado para 0 flm de OQ(Ubro> do melado do cujo met em dian-
poder atlender outras cousas igualmente impor
tante?.
Em minha conscienca os actuaes fornecedores
tm servido bem ao exercito e feito para isso to-
dos o. esforgos; os gneros tem sido de boa
qualidade, a carne, como tem sido possivel para
a estaco, na sua maior parte boa -, este ge-
nero, porm, deve peiorar pelo ira menso tra-
jelo que deve fazer o gado para chegar ao exer-
cito.
Deus guarde a V. Exc.-Illm. e Exm. Sr. conse-
lheiro Angelo Monit da Silva Ferraz, ministro e se- bojs- de
cretario de estado dos negocios da guerra.-Manoel
Luiz Osorio, marechal de campo.
Commando em chefe do exercilo imperial em
oqeracoesQuartel generral no Riachuelo, 13 de
dezembro de 1863.-Ulm eExm. Sr. Respondo
ao aviso de 20 de novembro, em que V. Exc me
communica as ordens expedidas aos arsenaes de
Porto-Alegre e da corte, para prem minha dis-
posigo fardamentos e outros objectos, bem como
a remssa de alguns morteiros pelo vapor
luchen.
A brigada Argollo, a do coronel Menna Barre-
pia do offlcio do lente coronel commandnte do
corpo policial de Pernambuco que toi logo e seve-
ramente reprimido.
Devo accrescentar aos esclareciraentos que levo
a's mos de V. Exc, que ful pessoalmente averi-
guar os fados e entender-me com o chefe poltico
da capital, e commandnte do 1 batalbo de guar-
das nacionaes desta cidade ; e que este confirman-
do em indo a parte do commandnte da eompa-
nhia provisoria, disse-me que, segundo sabia, o
jornal ero questo reteria-se a urna briga entre um
soldado nosso e um de seus cabos; na qual por
oeusa de um cao, puxra este do lergado para
aqualle, sendo ambos Immedlalameaie presos pe-
los seas cantaradas presentes, e estando o soldado
brasileiro completamente inerme.
Esie facto mesmo den-se tora dos quarleis dos
doos corpos e das vistas das respectivas guardas;
sendo todava punido correccionalmente pela nos-
sa parte, bem como pela daquelle commandnte.
Qasto ao aconleeimento do moinho de Laffone, o
a La- \ chefe poltico declarou-me estar conforme a parte
do alferes Beraardino Candido de Aranjo, com as
de seus suborduados; reconhecendo alias ter ha-
vido aboso de suas armas por parte dos primeiros
serenos que compareceram e que assim deram
vulto a um disturbio, que nao houvera tido alias
Importancia alguma, e que, em atlencao a essa cir-
cumstancia, me pedio com empenho que nao cas-
tigaste to rigorosamente como eu pretenda.
Deus guarde a V. ExcQuartel em Montevideo,
28 de dezembro de 1865.Ulm. e Exm. Sr. conse-
lheiro Angelo Moolz da Silva Ferraz. Fehppe Be-
thbs de Oliveira Nery, coronel.
Copia. Ulm. e Exm. Sr. coronel commandnte
militar.Parte. Tendo faltado a' revista do reco-
Iher na noile de 25 do correte o coroeta Jos
Venceslao dos Res e o soldado Euphrasio Gomes
da Costa, apresentou-se este depois bastante ebrio,
dando parte ao commandnte da guarda do quariel,
o 1 sargento Geographo Anionio de Castro e Sil-
va, que em urna venda haviam assassioado o refe-
rido corneta, e sahindo o sargento cora o soldado
Euphrasio, para Ibe ensinar a venda, e mais a|-
gumas pracas, afim de verificar o que lha havia di-
to o soldado Euphrasio; ja' oo encontrou o dito
corneta, dizendo o dono da venda que o corneta
te soffremos consideraveis teraporaes, que muitos
prejaizos causaram ao material do exercito.
Logo que o lempo o permitlio, marchamos para
o rio Corrientes, alien de iranspo lo, o que se effec-
tuou nos das 12 a 15 de novembro, no Passo do
Luzeiro, abaixo do Passo Novo, onde passaram os
alliados..
O general Flores com o exercito de vanguarda,
depois de passar o no Corrientes, seguio por entre
aquelle rio e o Batel, era direccao a Yaguaret-Co-
ra', por onde Ihe seria mais fcil obter cavallos e
que muilo careca para descer pela costa
do Paran' al as proximidades do Passo da l'a- i ja' tinh sabido e que caso nenhnm se havia dado;
tria; estou hoje informado que tem soffrido gran- e voltando o sargento para o quartel cora as pra-
des transtornos pelos raaos camlnhos e grandes ba- gas, acontece que era caminho o soldado Euphra-
nhados qae tem encoctrade. sio emperrou, dizendo que voltava a ir procurar e
O exercito imperial, continuando a sua marcha \ sea companheiro, e querendo o sargento o accom-
para este ponto, passou o rio Batel nos dias 18 a' modar e traz-lo para o quartel, acontece que nesta
20 de novembro, e o Sania Luzia, nos dias 24 a 27 occasio se approxiraa a elles ura sereno pergun-
do mesmo mez. I tando o que havia, e eis-ahi quando os soldados
Do rio Corrientes mandei urna partida a capital Antonio Firmlno Bispo e Euphrasio desembainham
' ] com commnnicagSes ao Sr. general Barrozo, cnefe os sa5res e vao sobre o dito sereno. Este corre e
' das torgas navaes do imperio, com quem desde en-! aplta, e a isto chegaram outros. o que deu motivo
to tenho estado era coramunicago, e do arroto a naver a desorden) que houve a's i 1 horas da
nano
Dito ao mesmo, acensando o recebiraento do
offlcio em que comraunicava a priso e embarque
do pardo Boa ventura, escravo do seminario, e de-
clarando Ibe que se dariam as providencias que o
caso pedia.
Dito ao Rv. capellio do recolhimento de Nossa
Senhora do Gloria, para que continu no exercicio
desse lugar, e no de distribuidor das estnolas da
caixa-pia.
Dito ao vigario de Muricy, providenciando sobre
co.
Dito ao mesmo. Annuindo ao que solicilou o
delegado encarregado do expediente da repartlgo
da polica, em offlcio de hontem sob o. 167, re-
coramendo a V. S. que senao houver inconvenien
le, mande indemnisar o cofre d'aquella repartigao
da qnantia de 275000 despendida como se v da
nota e recibo juntos cum oaluguel de carrogas que
foram empregadas na conduelo da baeagem do 6
corpo de voluntarios desta provincia, quando era-
bareon para a corle, devendo porm essa quantia
ser entregue ao tbesoureiro Joaquim Gilseno de
MesquUa.
uittfao mesmo. Tomando em consideragao o as oceurrencias que se deram na matriz da fregue-
que expoz V. S. era seu offlcio de 5 do correte n. zia, por occasio dos trabalhos da junta qualfica-
72, oautoriso a mandar despender sob minha res-1 dora.
poosabilidade, nos termos do decreto n. 2884 do Io j 5
de fevereiro de 1862, at que o governo imperial Offlcio ao Exm. conselhero presidente da pro-
resolva acerca do augmento de crdito pedido por viocia, communicando haver dado provisao de
essa tbesouraria a quaotia de 10:0005000 com os parocho eocommendando na freguezia de Cruangy
pagamentos das despezas da rubrica do ministerio j ao Rv. padre Andr Cursino de Aranjo Pereira.
da lyertAcorpo de sade e hospitaes- no cor-! Dito ao Eira, presidente do Rio Graade do Norte,
rente exereicio, visto ter sido Insamderite a qnota communicando haver exonerado o padre hidro Al-
vares da Silva do cargo de parocho encommenda-
do da freguezia de Porto-Alegre e nomeia para o
substituir o padre Manoel Rodrigues Campos.
Dito ao Rv. capello e procurador do recolhi-
mento de Igaarass, exigindo um relatorio de indo
que respaila ao patrimonio do mesmo recolhi-
mento.
No mesmo sentido aos administradores dos reco-
Humemos de Olinda e de Nossa Senhora da Glo-
ria.
Dito ao Rv. padre-mestre Jos Raymundo Baptis-
ta nomeando-o para pregar o sermo quaresmal do
de 15:0000000'para isso marcada a essa tbesoura-
ria, segando consta do predito offlcio.
Dito ao inspector da tbesouraria provincial.Re-
coramendo a V. S. que mande pagar a Jos Mara
Ferreira da Cuoha, conforme solicitou o comman-
danle superior da comarca do Limoeiro em offlcio
do 1* do correte, os vencimentos relativos ao raez
de Janeiro ultimo, do destacamento existente
naquella villa, urna vez que esteja em termas o
pret junto em duplcala.
Dito ao mesmo.Constando do offlcio junio por
copia, que rae dirigi o chefe da repinigo das
obras publicas, datado de hootem e sob n. 40, ha- da 14 do corrent?.
ver o arrematante Jos Augusto de Araujo, conclu-, De igual theor aos Rvs. padres Leonardo Joo
do as obras da 1* parte do raio de leste da casa de
detengo e por isso cora direilo ao recebimento da
3* prestago do seu contrato recoramendo a V. S.
que em vista do competente certificado, mande
pagar nao s a importancia dessa prestago mas
tambera a quantia de 2:2775903, que segundo o
mencionado offlcio se Ihe est a dever proveniente
do accrescirao de obra por elle feito em consecuen-
cia da allerago que houve no respectivo pla-
no.Communicou-se ao chefe da repartigo das
obras publicas.
Grego, Antonio de Albuqnerque Mello, Lino do
Monte Carmello Luna, Antonio Manoel da Assump-
go, Jos Estoves Vianna, fre Ludgero do Santo
Norae de Mara, e fre Joaquim do Espirito-Santo,
designndose a cada um o dia da quaresma em
que deve pregar.
6
Offlcio ao Exm. presidente das Alagdas, pedindo
qne d da sua parte as providencias necessarias
para qua na freguezia de Muricy, nao se reprodu-
! zara scenas semelbantes as que all tiveram lugar,
to, e a diviso de cavallria ao mundo do coronel
Joo Antonio, esto ja ao norte de Santa Luzia e
brevemente espero que se me reunirio. Esta tor-
ga recebeu bois e cavallos segundo as pionas or-
dens expedidas de Mercedes, e ao locansavel coro-
nel Victorino Jos Carneiro Mooteiro entreguel a
directo da dila torga, desde a Reslaoragao, onde
foi Iancada sem meios de poder marclur.
Quido deixeia costa do Uruguay, requisitei do
Sr. visconde de Tamandar o transporte para Cor- \ Charcado em saa ma|0r parie.'o qae tambem con-
rientes de torga e material de guerra que estavam trbaio para retardar-nos a marcha, tivemos gran-
no Salto, Montevideo e Buenos-Ayres, bem como de perda de diadas e cavalhada morios de peste,
meios de fabricar na capital de Corrientes barcos em COnsequencia dos excessivos calores que teem
para transpormos o Paran o que absolutamente fej,0) e que mQJt0 senlem os aDimaes viodos do sol
nao tem este exercito, e s conta com os recursos de Corrientes, e da grande qnantidade de sevandi-
qne a esquadra Ihe proporcionar, porque so dispuz jas dos campos os caTa|ios sorem ainda em ra-
e tenho qoatro pequeas chalanas, duas canoas, zo da ma. qaa|ldade ^ arreiamento que se dis-
nm pequeo bote de gomma e tres pequeos pon- ,riDai0 as pragas de cavallaria e artilharia-
toes, tambem de gomma, com que tem passado o Assim que ,enno sempre comprado, e conti-
exercilo cinco rios de nado; e esle pequeo trem e Du0 a coroprar iant0 bois como cavallos, para sup-
Pelado, no da 30, di adianiar-seo chefe da com n0^e de 25, resultando sahirem levemente feridos
misso de engenlieiros, afim de examioar com a Qg referidos soldados Euphrasio e Antonio Firmi-
precisa antecedencia, lugares proprios para acara- n0) os qUaes aehara-se presos a' erdem de V. Exc,
paraenlos as proximidades do rio Paran' e a eos- e Dem assim o Io sargento Geegeapho Antonio de
ta desse ro as immediagoes do Passo da Patria, castro e Silva por ser o interior queestava de ser
pols provavel que all lenba de ser feita a passa- ,g0> conforme ordenou V. Exc. em
gem nos exercitos alliados. tera datada. O csrneta Jos Wenceslao appareceu,
Nao toi feila a marcha do exercito sem difflcul- depois de ludo concluido, muilo ebrio, e foi logo
dades. Alm da natureza physica do terreno, en- recothido ao xadrez preso a' ordem deste com-
PERNAMBUCO,
intil para o Paran.
Serondo communicages do general Barroso ja
desembarcaram na capital de Corrientes 1,600 bo-
rneas e ainda esto no Passo de S. Joo um ou
dous vapores encalhados com mais torga; mas nao
me consta que ebegassera ainda os objectos neces-
saros para raontar-se naquella cidade um hospital,
todava para o effeito mandei hontem para all o
ebete da repartigo de saude a enteoder se com o
mesmo general.
prir as faltas que se vo daudo. A pedido do ge-
neral Mitre, mando-lhe hoje auxilio de bois, afim
de que possa passar os innmeros hachados forma-
dos desde Peguaja', pelas cbnvas torrenciacs do
dia 10 do correte; as quaes tambem fizeram en-
cher o Riachuelo; o que tem impedido a minha
passagem, que s hoje pode comecar, gracas aos
recursos de canoas e laboas que mandei vir de
Corrientes.- .
As chuvas e outros tropegos encontrados, nao im
tus guarde a V. ExcUlm, e Exm. Sr. conse-; pe(jiram porra, as provideocias para qne tosse,
lheiro Angelo Moniz da Silva Ferraz, ministro e se- ^ome foJ mesmo em marcha, fardada a dlvisio que
cretario de estado dos negocios da guerra.-Manoel vem da (jrUgaayana, e que est a duas marchas do
Luit Osorio, marechal de campo, gros-o do exercito, a qual mandei tndo quanto era
Commando em chefe do exercito imperial era 'recjso e (Qdo era preciso para mobilisa-la e faze*
operices.Quartel general no Riachuelo, 13 de [a sam;da Restauraco onde eslava; cavallos, bois,
dezembro de 1865.Ulm. e Exm. Sr.Respondo carre[a, abarracamento, etc., nada taitn, s Ihe
ao aviso de 21 de novembro prximo passado. no fa|ta r 03 vencraentos atrazados.e o que se
qual V. Exc. me pede otormages sobre tactos re-1. 0Bl0-0 como se effectue sua juneco ae exer-
latados em urna correspondencia de Baeoos-Ayres, b
publicada no Jornal do Commercio tambem de 21, i "
que V. Exc. me remelteu. Ll com altengo a refe-1 A' capital de Corrientes tem ja chegado 2,u
rida correspondencia, n qual oque achode mais1 homens, pouco mais ou menos, dos que vem
importante dizer-se que o exercito alliado pas
mando.
Quartel do commando do corpo de guarnigo de
Pernambuco em Montevideo, 27 de dezembro de
1865. i3ernardino Candido de Araujo, alteres
commaadante interino. conforme. o eapitao
Bernardo Joaquim Correa, encarregado do expe-
diente militar.
Copia.Ulm. e Exm. Sr.De conformidade com
o que V. Exc. me ordenou em seu offlcio datado
de hootem, flz formar os corpos e contingentes sob
men commando hoje, as 7 X horas da manha, cas-
liguei os soldados complicados no disturbio que te-
ve lugar em a noite de 25 do correte, e pondo em
liberdade o sargento commandnte da guarda des-
se dia, fiz-lbe a advertencia de que V. Exc trata
em o citado offlcio.
Dos guarde a V. Exc. Quartel do commando
do corpo de polica de Pernambuco, 28 de dezem-
bro de 1865. Ulm. e Exm. Sr. coronel Felippe
Bethbes de Oliveira Nery, commandnte das tor-
gas brazileiras em Montivedo.lexanire de Bar-
ros e Albuquerque, tenente coronel commandnte.
o eapitao Bernardo Joaquim Correa, encarrega-
do do expediente militar.
Copia.Ulm. e Exm. Sr.Tenho a honra de ac-
cusir a recepgo do offlcio de V. Exc. de hoje fir-
mado, em o qual V. Exc. roe exige que Informe
com urgencia sobre o aconleeimento que se l no
Siglo de hontem, a respito de um conflicto dado
entre soldados nossos e a guarda do quartel do 1
batalhio da guarda nacional aqoartelada contiguo
a esta eompanhia: europre-me responder a V. Exc.
que tal acontecimento nao leve lugar, antes pele
Dito ao raesmo.Se estiver era termos o pret por occasio dos trabalhos da junta qualifica
junto em duplcala, e nao havendo ioconveuteote, dora.
mande V. S. pagar a Jos Maria Ferreira da Cu- Dito ao Exm. vice-presidente da Parahyba, pe-
nha, conforme solicitou o commandnte superior, dindo que por sua parle providenciasse sobre as
da comarca de Nazareth ero offlcio do Io do cor-1 oceurrencias deploraveis que se deram na fregu
rente sob n. 249, os vencimentos relativos ao mez \ zia de Itabaianna, e que se dignasse reiterar as
de Janeiro ultimo, do destacamento de guardas suas recommendages para que se nao reprodu-
nacionaes existente naquella cidade.Communl-; zissem conflictos da natureza do que se deu entre
cou-se ao commandnte superior de Nazaretb. o subdelegado supplente Joaquim Cereiliano Car-
Dito ao cnsul de Portugal.Accusando recebl- neiro Meira e o capello Jos Tavares Bezerra. .
do o offlcio qae em 5 do correte, me dirigi o Sr. i 7
Clandino de Araujo Gumares, cnsul de S. M., Offlcio ao marechal commandnte das armas
Fidelissima nesta provincia, tenho a declarar-lhe pondo a dispogao deste como sollicitara, um bom e
em resposta que nesta data solicito do Exm. presi-' zeloso sacerdote para exercer as funeges de ca-
dente das Alagoas, esclarecimentos acerca da pre-' pello no presidio de Fernando,
eatoria passada pelo juizo especial do commercio t ^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^
desta cidade, e a que alinde o citado offlcio a qual (
toi remettida aquella presidencia cora offlcio desta
ArrtTmYfThon-1 firmado em 9 de junbo de 1864. 1
Renov ao Sr. cnsul os meus protestos de esti-, -------------------------------;-------------------------
ma e consideracao.Offlciou-se neste sentido ao 1 DCUICTi ni A DI
Exm. presidaote das Alagdas. n L IO I A UIJtnIA
Dito ao commandnte do presidio de Fernn- Fallecen hontem o Kvm. Sr. conego vigario Ve
do.No vapor da eompanhia Pernambucana qoe nancio Henriqnes de Kesende, com cerca de 80 an
amaoba tera de seguir para esse presido sero nos de idade.
enviados a V. S. por parte do arsenal de guerra,
os objectos mencionados na relago por copia in-
clusa: o que Ihe declaro para seu conheci-
mento. -
Dito ao commandnte superior da guarda nacio-
nal do Limoeiro.A vista da soa infdrmago de 30
de Janeiro ultimo, resolv despegar do servigo d
guerra o guarda do batalbo n. 21 de infamara
desse municipio, Manoel Pereira
julgado incapaz em inspeccao de sade : o que
declaro a V. S. para que faga vir para esta capital
outro guarda em substituigo aquelle.
Dito ao director do arsenal de guerra.A vista
de sua intormagao n. 522 de 5 do correte, o auto-
riso a mandar eliminar.da eompanhia de aprendi-
zes desse arsenal, o menor Augusto de Souza Pinto
E' mais nm vulto importante que desapparece
as sombras da marte -, mais urna reliquia dos
primeiros lempos do imperio do Brasil qoe se es-
vai no p do sepulcro, deixando aps si todava
um notne grato recordacao, estampado as pagi-
nas da historial
O Sr. vigario Resende militou sempre as co-
lumnas dos defensores do throno e do altar, e vio
Freir que foi esgotarem-se seus melbores dias em meio das con-
vulsas do imperio, soffrendo tambem as torturas
do carcere da Bahia, aps a revolugo de 1824, em
que tomou parte com os demais martyres pernam-
bucaoos.
Desde a proclamago da Independencia qne toi
devotado ao systema constitucional, sendo repeti-
damente eleito depatado, desde a assembla
cons-
que incapaz para o servigo d" exercito entregan- titulte at poneos annos; e na assembla mere-
&M^^l^*Wto^ contrario, reina entre as pragas do raesrao ba.a.bSo
; e os que tiveram e as nonas a melbor cordialidade possivel, devido
o Paran encalba- em grande parte ao digno commandnte desse ba-
do-o a respectiva mal Joanna Emilia Pacheco, que
o requisita.
Dito ao inspector do arsenal de raarlnha.Man-
de V. S. apresentar ao delegado encarregado do
expediente da repartigo da policia, ficando desli-
gado da eompanhia de aprendizes marinbeiros,o
cia tanta consideracao que servio quasi sempre de
presidente da cmara dos Srs. deputados, nde ti-
nha o raelhor conceito posssivel pela soa austeri-
dade de principios; pois esta era tal que nnnea pe-
dio emprego algum nem para si, nem para pessoa
algoma.
Pccupon por vezes o cargo de director da
menor Jos Joaquim Panto, visto ser ediota, segundo rac5a0 publica desta provincia, e ha cerca de vlnte
V. S. declarou "em seu offlcio n. 1,055 de 26 de
janelro nllimo.
Dito a' cmara municipal de Olinda.Declarn-
dome a cmara municipal da cidade de Olinda na
intormagao dada em 28 de Janeiro prximo Ando,
annos que exerce o lugar de vigario collado desta
freguezia de santo Antonio, tendo vivido sempre
com simplicidade tal, e sendo to caritativo, que a
congrua e os direitos parochiaes mal chegavam
para as despezas, nao deixando por isso cousa al
se fazer o seu funeral, tanto que
ando o rio Corrientes ntrou em ura paiz devasta- Salto empregados nos hosp.taes, e os que tiveram I e as nenas a melhor cordialidade possivel,
do pelos Invasores, mas mesmo neste paiz assim alta. E informado de que ha no Paran encalba- { .
devastado at hoje nio deixou o exercito brasileiro dos 14 vapores com tropa, offlciei ao Sr. general talnao^ *J2>MMMN o quaes nc
de ser fornecldo regularmente, e at sapprio al- Barroso, pedindo-lhe que fretasse vapores de pouco | r
ganseemos de retes ao exercito argentino; um calado d'agua e 8^ "P"'^^ f pmJ.%ade0? provisoria, Montevideo, 28 de "dezembro de 1865.-
nnico da o exercito nao cameou, e esse porque bascar a tropa existente a bardo dos en"1"*0"' f.,m E Sr coronel Fellope Bethbe' de 011-
assim o ordene! por oo haver lenba no lagar on-' de onde necessario tira-Ios para impedir od1 re- Illro.ebim.br. coronel renppe twooe o ae un
le acampamos e nao querer esperdigar a carne, tardar ao^raenos odesenvoWIraento qm, j esUgao | Z^^SJl oSZ%rnardo
sobre o requerimento dos berdeiros de1 Henry Gib- 8^ J f ft reCommendra este ultimo traba-
son, toreiro do pantano pertencente MHNOm, aDies arraandade de s. Pedro dos Clrigos,
qoe o dito toreiro oMmpno^umitocoudj^ commisses de candade
occases de epidemias por que
Dos guarde a V. Exc. Quartel da eompanhia
*
mandando previnir atropa qne trouxesse comida favoreceria.de alguma epidemia. ~ <,->> i-~"T"n nnnut m Corma iili-
feita. A carne nao tera sido de pessiraa qnalidade i,barcarara mandei marchar para aqu o batalbo l"aqut
em eral, mas algamas rezes smente, porque oa'; provisorio do tenente coronel Novaes, e as pragas tar.
de nao ha abundancia nao ha que escolher. que haviam ficado doentes nos hospitaes, allm de
03 foroecedores sao na verdada Argentinos; am distriboi-las petos seus corpos.
contrario ero poltica ao general Urquiza ; ootro Urna seria difflcnldade vira encontrar em Cor-
sea amigo pessoal, e o terceiro nao sei a qoe eredo rientes; reflr*-me i falla de casas para hospitaes e
perteoce; e em todos elles tenho confianca, porque depsitos ,de comblnacao com o Sr. Barroso trato
teem servido bem e empenhadimente. Ora, se o! de remov-la, do modo por qae podemos fater,
GOVEHXO DA PROVINCIA.
Expediente do dia 7 de fevereiro de 1866.
OfflciQ ao Exm. e Rvm. blspo diocesano
Pelo
s cnmprio urna das condiges
coro que Ihe tora cedido o fo";*0l<,t'*91'J^ Da"s "ccasies de epidemias por que tem passado
pantano recolhendo aos cofres d munleipalidjde u o ,onSeqaencia de lao imporUn-
a importancia de dous annos de foro adlaDtaaos,
da ordera do Crn-
a importancia ae oous annos ae luru win^ .e3Servicos 01 nomeado offlcial
nao leudo porm satisfeito todas. ealras cond.. e ^g r' Bdor da e Cnrisl e teve 0
ges, por isso qne nJo s tem ^ad Je pagar 1 'conego honorario da capel la imperial, be
annualmente o toro estipulado como lambem nao 'u montn....c-nhoria rmr hxver feito oar-
tipulado
fez deseccar o pantano era eorrer agua o mais
perto possivel dessa cidade dentro do prazo de seis
annos, qae ja' se lindaran) a 27 de ootubro ultimo,
Incorrendo por taes, faltas na malta, de qae pedem
ser relevados, e em'coramisso, qaanto ao nSo paga-
mento do foro, resol vi indeferir o predito requeri-
mento, e recoramendo a essa cmara qae faga sr-
recadar a multa, e effectiva a pena de commisso,
a0m de que rescindido o coptralo de atoramnto de
como o tratamento de -senhoria por haver feito par
te da assembla na maioridade de S. M. o Im-
perador.
O sen enterramento ter lagar boje com as hon-
ras fnebres, que Ihe sao devldas.
Hoje noite ser basteado o estandarte de
S. Benedicto, na povoaoSo do Cacbang, sendo con-
duzido por menina e senboras, ao som da rnnslca
do V hatatoio 4* guarda nacional-
Rene-se boje a junta dos corretores
praca em sesso ao meto dia.
A eompanhia pernambucana de vapores cst-
teiros faz sesso em assembla geral de seria las.
no da 15 do crreme.
A partida do Clnb Pernambacano do carre-
te mez tem lugar no dia 12. Nessa partida par-
mitte-se o trajar a carcter, mas nao a coaserra-
1; i j das mascaras.
Abre se boje a serie de bailes de pbaataMa,
que o Sr. Coimbra orgamsou no theasro de Saota
Isabel, de que sollicito empresario, afioi os ta
treter o nosso publico.
Este ir por certo achar ah erooedes vivas, qne
Ibe fagam passar como que desapereebidas alfa
mas boras, j na conlemplagio de lanos e lio va-
nados caracteres, ja na apreciago de ditos espiri-
tuosos, j emfim na intriga qoe a mascara oatta-
tera, guardadas as conveniencias druidas a foa a
boa educaco impoe a todos qne se presas.
O sallo esti decorado cora gosto e lasara adaa-
tago aos bailes carnavalescos, abrangeodo o espa-
go que vai da platea caixa do edificio, aa cija
centro acha se elevado o crelo da orchestra.
No fundo e partes latentes do palco ha grasasj
espelhos, que refleciem as luzes de doos arasiss
ustres, que peodem do tecto, bem como as deconv
r s desse espaco, em qoe a pintara
suas mais bellas cores na ornameatacao das 1
des e do assoalbo, onde forma ota liado tapeta ; e
aos.lados, nos lagares dos regaladores, atollan
em pooto grande e carcter os doos symbolos do
carnaval, Arlequn) e Polichinello.
Os camarotes da Xa ordem acham-se lodos ador-
nados de bellos quadros, e os da 3* esto goal-
mente adornados de bandeiras das cores aaeiaiaas.
Destinado a receberem as familias qae toreas dso-
distrabir-se, tem elles todo quanto eoovm ao cas-
modo e satisfacio dellas.
Entre as quadrilbas, polkas e scbotisclu, ssailsi
dessas pegas sao novas ; e a quadrilba burlesca
Folias do Carnaval foi composta pelo Sr. Cotas es-
pecialmente para este baile.
Para guardar a precisa regalaridade e dirigir as
quadrilhas acham-se incumbidos os Srs. Migisaoai
e Pinto.
A mnsica qae tem de tocar, a do 1* balalao
da goarda nacional.
O Dr. delegado do termo de Florea, |
cion, como inenrsos aa-oat 192 asas
art. 34 do cdigo penal, pela tentativa da ;
nato na pessoa do Sr. Dr. Manoel Heariqoa Car-
diro em julho do anno passado, a Joo Martios
Vieira e Antonio Jos de Brito.
Na occasio em qoe ia fazer fichina, eva-
di seo criminoso Paulino Jos Moreno, ao termo
de Flores, sendo mandadas per em custodia as
pragas que o acorapaohavam.
Tendo o Sr. corrector Gongalo Jos Afioaso
promovido com outros amigos ora sabsenpeio
em favor da viava e filhos do eapitao Pedro Alas-
so Ferreira, coosegoio agenciar a importancia de
1:200 ; da qual fez entrega ao Exm. Sr. oaasss-
bargador A. F. I'eretli, qae a seu torno deposiloa-a
no Novo Banco, como o tem feito com as anteriores
quantias destinadas idntico flm.
Amaoba pelas 9 horas do dia deve ser eai-
loc-ado na torre o sino comprado para a capaila da
.Nossa Senhora da Coneeieo, do Arco desta 1*
minago.
Antes-da collocacao, sera benzido esse sino, 1
acquisigo devldaa soliciio.de dos festeiros do 1
fiado ; os quaes o compraran) eom aa sobras das
esmolas agenciadas para a festividade.
Antes e depois da eonaagraco do nancio sagra-
do, toca a msica do 1* batalbo de iofantaria da
guarda nacional, sendo o acto religioso annaadado
por foguetes.
Pedem-nos que chamemos a atteocao da Sr.
fiscal do Recite para o sobrado incendiado da roa
da Cruz, afim de que faga desapparecer o snastsra
que ha da parte externa, eom grave prejnizo pu-
blico.
No dia 5 do correte Constancio de tal, sao-
rador na ra da Detengo, ferio gravemeate com
urna tacada Jos Ferreira, morador so Paras,
logrando em seguida do delicio evadir-se.
Da cadea da villa da Floresta evadira-**,
no dia 17 do passado, os criminosos Isidoro Gomes
de S, Faustino Xavier Barbosa, Jacmtho, escravo,
Manoel Candido de Sonsa a Apolinario Francisco
dos Aojos, conhecido por Pnlga, quando se achata
apenas a sentinella gaardaodo o edificio.
Do Anglo Brasitian Times extrabintos o se-
guinte artigo Associaco Protectora das Esai-
g rao tes.
< No dia 16 teve lagar na Praca do Coassaarcio
urna grande rennlo a qne assistio osa crasesab
numero das pessoas mais coasideradas do Rio,
tanto estrangeiros, como brasileiros, teoso par aaa
a fundaco de ama sociedadede coiooisacSo. Ko
se obtendo um resultado definitivo, acha se eoavo-
cada para o da 25 do correte ama ostra raa-
nio, na qual sera' nomeada a respectiva 1
misso.
Acerca deste assumpto seja nos permitlido I
algumas observagdes.
Pelo qne temos oavido dizer com relaco m es-
tabelecimento desta sociedade, parees aos ejao ae
ideas de alguns sao em extremo vagas, a:
mos que ella nao tenba lagar oo qoe os 1
qae tanto a desejam vennam a cozaproastte la
as suas exagerares.
A sociedade Uo deve ter por ll
directa na viuda dos emigrantes, essa sales!s 1
pete ao goverao a as panes intereisidas.
Pode, porm, indirectamente secoadar esa graa-
de escala os esforcos directos em promover a asa-
grago, pela seguate maaetra.
Assegurando aos emigrantes que 1
aqui ama associagao de cavalleiros
parte dos quaes sio seas concidadios, 1
te desconhecidos e tndependeales do gsisrsa, s
de quaesquer projectos de emigracio a son
podem ter con Ganga para os cooselhos e '
ges desioteressadas, para romo ver as di
as suas chegadas, ajada-Ios a procurar
fiscalisar os termos de contratos qae elles
rem, e saa observanda, protgelos 1
sos, e ampara-los na indigencia.
Para levar-se isto a effeito nao necessaria l
de despeza, urna casa com moda, preparada
mesas e eadeiras e com am pequeo gabioeti
ama das extremidades ; am empregado qoe
ao menos o inglez, o allemo, o portogoez a I
cez, afim ae encarregar-se da casa e dar as eaH-
cagoes que forem exigidas ; am criado
a tora, um mestre de lingnas qae va
com os emigrados a bordo, trata de despachar as
respectivas bagageos etc., do seo ilsasawaraos, do
proporcioaar-lhes alojameotos, ajoda-los sos 1
praa etc., e finalmente prestar-loa*
pequeos servigos de qae precisa
em am paiz, cojo idioma elle isoora


- ".......
MMM





,
"'ij* m '

1
5=
_
-

Marte de PvnuMbvee
-- -' "v: TE

Na casa baverSo rasppas do paiz, eoraprehenden-
dto o terrenos ja demarcados, naxprovlnclas, no
colonias do goveroo imperial e provincial e Das dos
particular cora todos .os es,clarecimentos que s-
fcre elles se poder obter dos governos goral e pro
viaciai, e partleulareve le qtfieenaer nutras as sessoes'e 14 e 18 de de
appellar'o
da de Amorim, Fragoso, Santos & C.
Mairoel Rodrigues dos Santos Moora. entre os chefes conservadores qnanto s candida-
Desprezaram-se os embargos. turas, correndo a votsgo dividida <
Appellantes, Joaqnim ds Cesta tima e entre f voreceram mnito a victoria do Sr. p
appellado, Jos Rattoo de SfHHMMe81--Adiado que flcou na lista trplice mi(i rtW|jppii> SaMtadU ta c FeTerelro de
-----------i ii' m -- '
1866.
(
iy
As circamstancfas expostas, e IJHil tiMiiililniMili
Udopeta

o processo da
Imo.
adjudicago
tintes fidedignas; todos dispostos de modo a facili
tur qoalquer referencia e exame. Sera tambem
vaotajoso haver relagdes das ierras particular* a
veoder-se on arrecadar-se, eom qoaesquer Infor-
magoes concernentes a ellas, bem assira listas
dis pessoas que precisaren de trabalbadores, es
pedidos e prupostas relias aetrca dellas, proposus
dos que precisam de readetrcs por parcerla, (sha-
rus) etc. etc.
O governo geral e provincial poder forneeer os da de JoJo Baptista Gonftalves Bastos -, apptllados
niappas e ootros documentos de utilidad. Pdese Mello, Lobo CAdiado a 18 de dezembro do
obter rom a publicacao-de jarates as corantes in- anno passado.
fnrmagoes sobre os esta be leci mente* del la e de ou-' Foi confirmada a sen tenca appellada.
tas localidades., Deve por meio de annoneios in Appellante, Manoel Ignaeio de Siqueira Caval-
certos em varios jornaes solicitar informagSes de cante; appellado, Joaqoini Salvador Pessoa de Si-
differentes pontos para coadjuvacao dos Bns da so- quelra Cavaleanie.Adiado na ultima sesso do
ciedade. anno passado.
Com urna mdica quantia se dispensar aos eml- Mandoo-se onvlr o embargado sobre os docu-
grantes de qnalquer ciarse e nacionalldade um im- mentos apresenlados pelo embargante em soa sos-
portante e benvolo auxilio e ao mesmo lempo se lentaco.
gracas i generosidade extrema, ds a
tas, que coutavam com doos ] roos deeeler-
tores.
direito, nao contesta que deva ser
como Ihe retorqai mas diz qus
lo nao depende do julgado
s pelo contrato, e este o se-
coolestago.
Wado exacto o que'se diz ex adverso; te tmale pelo oremio ooudlciJe qjn
o pagamento do Imposto determinado pelo con wr- e sfea *DM **
PASSAGEWS.
Do Sr. deiembargador Reis e Silva, ao Sr. de-
zembargador Accioli.
Appellante, Jos Ribeiro Bastos; appellado Joa-
quira Luiz Vlelra.
Appellantes, D. Anna Jesoina de Leraos Fonse
ca ; appellado?, os administradores da massa fall-
prestar relevantes servaos ao governo e aos fa-
zendeiros, e ao paz em geral com a substituido
gradual do trabalho escravo pelo systema do tra-
t.ilbo hvre e de pequea propriedade.
Hoje se extrahir l.' parte da 1.a lote-
ha (47.a) a beneficio da matriz de Pao d'Albo, sen-
do o maior premio 6:000*000. da de Araorln,; Fragoso> Sinlos & c.
Passageiros do vapor nacional Perstnunga,' Appellante, a directora da caixa filial do banco
sabidos para o norte : do Brasil nesta cidade ; appellado Jos Antonio
Manoel Feroandes, JoSo Perreira Baltar, padre Moreira Dias.
Turgino Paulino de Carvalho, Francisca Sabina da distribi-iqoes.
Costa Olivelra, Adolpbo Eugtdlo Soares, Antonio Ao Sr. dezembargador Silva Guimares.
Cumulo de Holland, Amaro de Barros Correa, Appellantes, Joaquim Goocalves & C ; appella-
Franclsco Tavares Pessoa de Araojo Jnior, Ma- dos os directores da Cbropanhia utilidade publica,
noel da Silva Pinbeiro, Francisco Jos da Cunha Ao Sr. dezembargador Res e Silva.
Sampaio, Dr. Joaquim Jos de Campos. Firmine Appellantes, os administradores da massa alli-
Antonio Mooteiro, Luiz de Franja Barros e Manoel da de Amorim, Fragoso, Santos & Companbia ;
Mijdesto Pereira d Lago. appellado Jos Ferreira da Silva.
Passageiro sahido para o norte no brigne es-' Appellantes, os administradores da mesma mas-
cona Graciola : Manoel Jos Prestello. sa fallida ; appellado Joao Valeote da Cruz.
IlRl'\HTIQ\0 DA polica.
Extracto das partes do dia 9 de fevereiro de
if66.
Foram recolbldos casa de deteogao no dia 8
do fevereiro :
A' ordem do Dr. delegado da capital, Lauriano,
escravo de Igoacio Correa de Amorim, por se acbar
ausente da casa de seu senbor.
A" ordem do subdelegado do Recife, Joio Basilio,
para correcto.
O chele da 2a secgo,
J. G. de Mesquita.
- Casa dk dbtencao.
Movimeot > da casa de detengo no dia 7 de fe-
vereiro de 1866.
Jxisiiam 424, entraran: 5, sabiram 12; exislem
417.
A saber :
Nacionaes 273, mulheres 11, estraogeiros 43
mulheres 3, escravos 82, escravas 5, total 417.
Alimentados a casta dos cofres pblicos 222.
Tiveram alia :
Manoel Francisco Guedes.
Antonio r'erreira Pinto.
Aonullou-se
diante.
Appellaaf., Joao Pinto de Lemos Jnior ; ap- A provincia do Ceara' nao pobre de ca pacida- pello-segao-se julgado, e sendo este no sentido de
peilado, Anti Peregr|no Cavaicantl de Albu- des. Ellas dlspSem de mais oa menos reearsos oodever ser pago pela nalureza do contraoto, nio
querque./idlado na sesso de 18 de dezembro proprios. Nao se combloaram porm naqeelJa oc- pode ser mais exigido, e mesmo restituido se je
prximo passado. casilo com o fia de excluirem o adversario po-
Fot confirmada a sentenca appellada ora o voto Unco,
do Exm. Sr. presidente. Por ludo quanto Oca dito, era bem natural que
Appellantes, os curadores flseaes da massa fall-1 se Ysrifleasse o terfius gauiet.
No flm do pleito o Sr. padre Pompea cantou-me
hosannas pelo Cearense; e com effeilo nio me ac-
ensa a cnscieaeM de ter exercido inierveooio in- sen tbeor, e que por tanto nio era urna opinfio
debita. solada ou-supeita seaao corroborada por um jal
Ficou bem patente a longanfmtdada dos conser- gado,
vadoros, e a sem razao con que eran argidos de Depols de haver saslenlado que alo era devldo
desabrigarem os talentos comprimidos. | o pagamento da raeia siza, accrescentei, como qaes-
Mas o Sr. padre Pompea nio se contentou em lio secundaria, qae em todo o caso somenle era
ver quebrado na minba administracio- (como elle exigivel depois das parlilbas.
mesmo proclamou) o circulo de ferro dos quatorze; O illu>tre adversario as confunde, e faz urna de-
anuos. Oblido afinal o galardio de suas grandes pndente da outra, para ter a lodo transe motivo
fadigas litterarias, e vendo ja' bem definida a si-1 para censurar o empregado de que se trata.
luaco poltica, qae Ibe poda conceder maior es Quaodo mesmo procedessem as razdes, queco-
proventos, sem o trambolho de nm presidente que' gitoa para dar ao aviso intelligencia diversa da qae
qoizesse governar, o Sr. padre Pompeu foi prompto j tem, subsiste a demonstraco de que nio era devl-
em esqoecer protestares recentes, e em preparar > do o imposte da meia sita, todava mostrarei a im-
a famosa reaecjto contra os adversarios generosos procedencia do que se aventuran acerca do aviso.
Noto banco de Perraam- Qkrai piUicas.
O Novo Banco deseo* letras a 12 por cento reparuco das obtas pcbcas s* Jf_
aoanno, toma.dinneiro a raso fixo on em conu eoncurso para o preeediimento das vagM e pra-
e se .convej
Ao Sr. dezembargador Accioli, pela suspeicao
jurada pelo Sr. dezembargador Reis e Silva.
Appellante, Joao Pereira Rabello Rraga ; appel
lado, Antonio is de Castro-
Ao mesmo Sr. dezembargador.
Appellantes, os administradores da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Santos A C.; appell ado
Pedro Cardozo Vieira.
Nada mais bavendo a tratarse o Exm. Sr. pre-
sidente eocerrou a sessio as 2 boras e um quarto
da tarde.
Commufocados
CHK0N.CA_U1DIC.AKU
TfUBUXAL I0 COMS2ERCIO
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 8 DE
FEVEREIRO DE 1866.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DSEMBARGADOR
ANSELMO FRANCISCO PEBETTI.
s 10 horas da manhaa, estando reunidos os Srs.
deputados Rosa, C. Alcoforado, Basto e Miranda
Leal, o Exm. Sr. presidente declarou aberta a ses-
so.
Lda, foi approvada a acta da sesso antece-
dente.
Recife, 9 de fevereiro de 1866.
Agam-se todas as pretynsoes; para os mimo-
sos da fortuna este auno climatrico os assusta.
A quem destribuira o governo os lugares de re-
presentantes do povo ?
Apparecem portanto escriptos importantes, e as
theorias se acbam em excessva ebulicio.
E sao os mocos que se agtam, e querem por
ordem neste caos.
O Sr. Dr. Aureliano Bastos olba com desdem
para esla situago, e se er o Hercules, que a de-
ve dominar.
O Erasmo est consternadlsslmo; tem presenti-
mentos, que nao podem deicbar de contristar o
brasileiro que ama a sua trra.
E do mio de todo esse estremecimenlo sal o
imperialismo e a reforma dogmatizando com tanta
seguraoca, que se rr onvir uro consummado es-
tadista com a gravidade, que natural a essa qua-
lidade de gente.
E todos ja vo um pouco mais adiantados de
mim -o anarchista constttutnte.
J o ja querem a reforma eleltoral para eleigio
directa com eleilores sensitarios...; e isto podem
fazer ordinariamente, porques constitucional
trete, corto que bavendo ceoij^ajjf^A este re>-
Calxa filial do I irte* do Brasil
en PeraMtbaeo.
foi pago. De ordem da rectora se faz pulico qae o
Admlltindo porm o mel a que te recorren de thesoreiro desta caixa se af ha aoorisado a pagar
observar que invoque! o accordam nao para de- o dividendo do seneste Ando em 31 de dezembro
monstrar qae o imposto nao devU ser pago em prximo passado, u razio de 12J000 por accao.
virtude dalle, mas para autorlsar a opimo qae Caixa filial do hanco do Brasil lo de Janeiro
susteotava, e que se fundava as escrpiurai, e no de 1866.
O guarda-livros,
Ignacio Nunes Crrela.
que por elle preterir rn amigos de nao inferior me-
recimento. O Sr. Pompea mostroa-se, Jilm de In-
coherente, ingrato.
Foi urna Hcio amarga qae faz lembrar a pro-
posito o caso da serpete da fbula.
O qae nos deve consolar a todos qae os melho-
res caracteres do paiz teem sido victimas da sua
tolerancia, de qae muitos aventareiros se aprovei
tam, attriboindo depols toda victoria aosjeas t-
tulos de benemerencia, com escarneo do boro senso
publico.
Nao son opposto a' tolerancia. Antes roeos ac
tos provam que nunca andei distante della.
Mas hoje principalmente, com as Iic6 recebi
0 illastre advesario abandonando a idea de que
nao era preciso o inventario mbora bouvessem in-
teresses da fazenda provincial, pretende agora que
o imposto devia ser pago peta estiroacao das partes,
qae a regra para a pereepeo do Imposto de meia
siza, sem dependencia do inventario.
A resposta obvia ; a estimaeao das partes re-
gula para o pagamento do imposto nos contratos a
titulo singular porque o meio ordinario de se
avadar a cousa vendida, e nesta mesma hypolhese
tem os agentes flseaes o direito de impugnar a es-
timaeao das partes e de requerer a avaliaco judi-
cial, art. 18 do Reg. de 11 de abril de 1842.
as vendas de herancas em qae devido o ira-
das no mundo pratico, emendo que convm ter toda | posto, o inventario indispensavel, nao s porque
cntela... E' triste qae am servidor ou nm par- a le o exige, como porque a avaliaco o meio le-
udo faca esfurcos pelo bem publico, desposte ou' gitimo para se determinar o valor dos bens, que
enfraquegapor demasiado escrpulosamigos de: faiem objecto da venda ; e se assim nao fora de-
pravada tempera, e no fim de tndo seja victima sa- pendera dos interessados dar a estimacio, aos
criticada (pela alta nspiracao de urna poltica sin- ( bens, que bem qaixessem, da herancx, fazer part-
guiar) s vboras aquecidas, que depois adqolrem Iha amigavel para que em vista de ama e outra
toda forca para infiltraren) sea veneno nos poros da
naci.
Ja' de mais tem-me oceupado este assumplo. S
constrangido voltarei a elle, revolvendo papis ve-
laos. Fiqae-se o Sr. padre Pompeu com seas
eoasa se deduza o imposto que fosse devido.
Mas isto nanea se praticou e serla costra as dis-
posigoes legaes contra os interesses da fazenda pu-
blica.
Entretanto essa a doutrina qae se sustenta no
triamphos, que nflm invejo nem perMrto* e deixe- intento de censurar o procurador fiscal, e attribuir
me tranquillo a cuidar nos provars. Ibe culpa que nao commetteo, e que se a bouvesse
Recife, 10 de fevereiro de 1866. '. serla dos agentes fiscaes qae intervieram no pro-
Jos Bento da Cunha Figueiredo Jnior, cesso de habilitaco, e qae sao incumbidos do in-
- ventarlo e competentes pela localidade. e situacao
Parecia-meque a discus'o, que provoqaei xcer- Idos bens no loar aende o inventario j se fazia ao
ca de ser devida a meia siza dJs escravos, de que lempo da venda da heraoca.
se fez meogao as escripturas de venda da heran- < Mas o que importa isto, o que importa sustentar
(a Aratangil ao Sr. Gaspar Ucha, e que tem sido! que as vendas da heranc* de que se tem de fazer
debatios por mais de ama vez derramava a los suf-! laventarlo, e que ja' foi coroecado se deve cobrar o
EXPEDIENTE.
Officio do secretario do tribunal do commercio o que diz respeilo aos direitos polticos de todos os
da capital do Imperio, de 9 de Janeiro prximo; ciaadose porque a coustitui^o nio teve ou-
findo, remetiendo a relacie dos commerciantes | tro pensamento seno o segointe, que se l em al-
quo se malricularam em novembro e dezembro: gumas constiiuifoes francezas : um povo tem sem
prximos passados.Accusese a recepcao.
Aos >rs. deputados foram destribuidos os seguiu-
tes livros :
Copiador de Rab Schamettan & C
dem de D. P. Wild.
Cootas de vendas e caixa de Phipps Brothers.
Diarlo de Joo de Siqueira Ferro.
Copiador e diario de Shan Hanckes & C.
dem dem de Joaquim Martlnho da Cruz Cor-
rea & C
DESPACHOS.
pre o direito de rever, reformar e mudar a sua
constituido; ama geraco nao pode sujeitar as
suas leis s gera^es futuras. >
Si a constiluigao permute refirmar peles meios
ordinarios todas as disposicoes que nao respeitam
aos direitos polticos de todos os cidadaos, odvio
que se pode reformar o que se estabelece desde o
artigo 1. ao 5."; isto pode a legislatura ordina-
ria decretar a extinso da monarchia, e a sessa-
cao da religio catholica como religio do estado.
A subverso a que d lugar essa lotelligencia
Requeriraento de Jos Guedes Nogueira, cda- espeta os olhos a todos, qu para ah attentam ; e
da brasileiro, de 42 annos de idade, natural e, para pasmar como o egoismo assim se exalta at
morador na cidade de S. Miguel, provincia das j as regies da anarchia.
Alagoas, onde comraercia a grosso e a retalho, em a consciencla os adverte, e estremecem :esses
generas do paiz e estrangeiros, pediodo ser ad-; que sabem que nao reprezenlam o pov, mas que
mettido matricula de commerclanle, ajuotando' sao os reprezenlantes da polica; vendo a confuzo,
em abono de sua pretanco nm attestado firmado | que reina as altas regioes do estado estremecem,
pelos commerciantes Ferreira & Araujo, Luiz An-1 e teem duvidas; o poder anda os querer era no-
tooio Siqueira e Mello, Lobo & L.Vista ao Sr. vembro deste anno ; e se lngaro no campo, que
dererobargador fiscal. ] outr'ora regeitaram, e do qual viam partir milhoes
Dito de Joo Barroso de Carvalho, caixeiro des-1 de settas para anniquilar o bezerro d'ouro.
pachante e de cobrancas de Keller & C. pedindo o Hoje esses Srs. ordeiros novamente baptisados
registro de sua nomeago junta.Registre-se. | em progresseiros ergnem-se para verem.que nao ha
Dito de Augusto Frederico dos Santos Porto e, berdade no paiz em que ludo se refere ao i'mpe-
Jos Ptreir Bastos, dizendo, que tendo satisfeito o rador.
Quzera entrar em liga com esses novos athletas;
mas.....carego de urna imprensa, que me aceite
sem restrieges; acha-!a-hei ? Quzera mesmo fa-
zer tambern o meu folbeto; roas minha vida e meus
recursos m'o permitliro ?
Limilo-me boje a protestar cootra os novos anar-
quistas, porque nao tero coragero para dizerem a
verdade inteira ; e andam jogando em cala de um
.L0SSO.
parecer fisc>l dado sobre a pretencao de ser regs-
tralo o contrato de sua sociedade commerclal, pe-
dero o deferimenlo de sua petigo junta.Regis-
trase.
Dito de Antonio Francisco Carnelro Montero j
Pirio, Jos Barbosa e Julio Schnls, pedindo que
se admita registro o contrato de sua sociedade
commerrial, qus juntam.Vitta ao Sr. dezembar-
gador fiscal.
Dito de Jos Guilberme Goimaraes e Felisberto Ljmo me g protestar conlra 0 princpl0 da elei-
herreira de Oliveira, que tendo sati>feilo o despa- ^0 irecU seDMtara como a pretendem esses no-
che deste tribunal de ii de Janeiro prximo pas- VS prometneu< que nao deixaro o abutre comer-
sado, de novo pediam o registro de sea contrat, ,hes 0 coraao com tanl0 que |egUem a patria dias
social.Registre-se. melhores.
Ja vistos pelo Sr. dezembargador nscai. Limilo-me a protestar contra a aecusago feta
Hito de Francisco de Paula Mindello, Jos Lopes; ao.povo de ser 0 que desraoralisa a eleigao-quan-
de Oliveira e Bernardmo Lopes de Oliveira, para. do a imm0ra.Iida(le eleloral tero vindo do poder e
ser admettido registro o di-trato social qae jun-
tam, relativo a saluda do socio Jos Lopes de Oli-
veira. Satisfagan) o parecer fiscal.
E'iq de Pedro Claudino Duarte e Adellno Claa-
sii do poder, e principalmente dos progressistas
Limltomo a declarar, que hoje basta ao Brasil,
que na sesso que se vai abrir no 1." de margo, o
corpo legislativo revogue, abrogue a lei da refor-
dino Duarte, para tambera ser registrado o contra-, ma ja to de sua sociedade commercial.Registre se. i a soa primeira instituico: cando o mais para
ficiente para que a opinlao publica, e sobre lado a
dos noraens entendidos na materia bouvesse forma-
do seu juizo, sendo repetigao quanto mais se es-
crevesse, e sem resultado para o esclarecimeoto da
verdade.
Eoganei-me, o anonymo com quera tenhe discu-! defeza que
tido, oa outrem por elle insiste de novo nos mes- irmo.
mposto pela estimaeao das- partes sem dependen
cia de avaliaco judicial quando o flm conhecido?
Nao entra no mea proposito apartarme da ques-
to de direito, e por isso ainda desta vez em res-
posta ao qae se dit no final do artigo me retiro a
pela Imprensa tem peblicado o mea
mos pontos, mostrando que sea proposito nao a
discusso jurdica, mas o de fazer crer que houve
negligencia da parte do procarador fiscal, como
bem o demonstra o final do artigo, a que respon-
do, e por isto repele o que ja' tem sido discutido.
Neste terreno a questo interminavel e mera-
mente pessoal, e nada mais importa do que nm de-
sabafo.
O procurador fiscal se tem defendido cabalmente;
refiro-me ao que elle tem dito.
Esqoecea ainda o mea illastre adversario que o
aviso exige nao s o inventario, mais ainda a en-
trega dos bens, e que antes disto nao era exigivel
o Imposto.
Nao me refer somente a' epigraphe, como se
diz, citei o aviso e o manual dos fetos da fazenda.
Nao me proponho a fazer ama dissertagio oa
allegago jurdica, que nao verla ao caso, e seria
eofadonba, seno resiabelecer os pontos da questo
e indicar e desinvolver brevemente as raides de
E com quanto tenha a certeza de que nao ha decidir para que sejadevidamente apreciada,
convlcgao possivel aos qae procaram sustentar o q eXposto me parece sufflelente para consegnlr
que convm aos seus interesses, direi algnmas pa- este dm e para conveocer da improcedencia da ar-
lavras para sustentar o qae me propaz demonstrar, guicao ,.ae se fel a0 procurador fiscal sem funda-
isto que pelas referidas escripturas nao era de- ment0 piaaS|Ve| e com manifesla Injustiga.
vida a meia siza dos escravos nellas contempla- Recife 7 de fevereiro de 1866.
dos : que o aviso de 5 de maio de 1851 tem perfel
ta applicago.e a regula.
Se nao tiver a fortuna de convencer mea Ilus-
tre adversario, bastarme ha o juizo dos hmeos
iraparciaes.
Consiste a contradigio era qae o Si\ Gakjjar
Ucha sendo successor universal nao podia'adqul-
nr parte da heranga, mas sim a universahdade
della ; era que os contratos se devera regular e
executar pelo que nelles se conlm, e foi estipula-
do em que o pagamento da meia siza nao regula-
do pelo que julgam os tribunaes, mas pelo que
nelles se conlm ; em que o aviso nao exclue o pa-
gamento do imposto que se deve fazer pelo prego
estimado no contrato como pralica
Sa o Sr. Gaspar foi successor universal a conse-'
quncia que adquerio direito e se constltulo pro-
prietario da heranga que Ihe foi vendida, mas nao
d que foi excluida da venda ; esta argumentarlo
lgica e inconlestavel.
A questo pois de saber se na venda da he-'
ranga se coraprehenderam os escravos, e por tanto t
absorve a da saccesso universal.
Meu Ilustre adversario se acastella nos termos
da escriptura e sustenta que clles exprimen e
constituem a venda, que se fez dos escravos, que
foram coraprehendidos na heranga, e neohura va-
lor deu as ponderagoes que tlz em sentido contra-
rio a observagao de que as patavras ou declara-
J. B. G. Alcoforado.
Publicares a pedido
goes dos estipulantes nao prevalecem contra ajna-
tureza d Para nao repetir o que j dsse e sabido de
todos, e imitando o illustre adversario que cilou o
cod. civil francez recorrerei aos principios rudi-
raentaes dos contratos e copiarei o que diz o au-
torizado Potbier :
Ha cousas essenciaes a um contrato ; cousas que
sao da natureza do contrato e cousas acidentaes.
As copsas essenciaes de um contrato sao aquel-
las sem as quaes o contra o nao pode subsistir e a
falta de urna s ou faz que nao naja contrato, ou j SfftJ^SS!jSaZ
Eleicae dos jaizes, esrrives, thesoareiro e mais
devotos unt tem de festejar Nossa Senhora
da Saudc no anno de 1867.
Juiz por eleigo.
O Illm. Sr. Francisco Jos Alves Gulmaries.
Jaitas por eleigo.
A Exraa. Sra. D. Francisca Carolina Pontes Tasso,
esposa do Sr. Jorge Tasso.
Escrivo por eleigo.
O lilm, Sr. csr>i'io Francisco Jos Viaana.
".scriva por eleigo.
A Exma. Sra. D. Amelia, Ulna do coronel Domin-
: gos Allonso Nery Ferreira.
Procurador-geral.
O Exm. Sr. vlsconde de Camaragibe.
Tnesoureiro.
O Illm. Sr. Custodio Bomingues Codiceira.
i Juiz por devogo.
. O Illm. Sr. Dr. Joaquim Francisco de Miranda.
i Juiza por devogo.
A Exma. Sra. D. Maria Magdalena da Costa Pires,
i esposa do Sr. tenente coronel Jos Francisco
i Pires
Escrivo por devogo.
O Illm. Sr. Jos da Silva Loyo.
Escriva por devogo.
A Exma. Sra. D. Umbelioa, esposa do Sr. Dr. Jos
Bernardo Galvo Alcoforado.
Mesarios.
Os Illms. Srs. :
Tem-iue-coronel Jos Francisco Pires,
Nosso irmo juiz protector Qr. Francisco Jos da
Silva.
Dito Dr. Antonio Joaquim de Moraes e Silva.
que este contrato seja diverso aquelle que deno
mmam.
Por exemplo da essencia do contracto que ha
ja cousa vendida, e que haja o prego pelo qual
vendida.
Igualrrente se ea disser que vos vendo um pre-
dio, mas que hei de fiear senhor d'elle, e que vos
me pagareis certa renda pela rnigo d'elle este
Galdino Tberaisiocles Cabral de Va-concellos.
Vigario interino padre Thom Narcizo Pereira
d'Airaeida Coutinno.
Dr. Joo Jos Pinto Jnior.
Dr. Bento Jos da Costa.
Aderes Cbristovo Santiago de Oliveira,
Herculano Duarte de Miranda Henriques.
Teuente Joo Joaquim de Souza Abrea Lima.
Dito de Longua Saturnino Ferreira de Barcel-! ^depois. e em noTembra leremos eleigo nao contrato sera urna locagao e nao urna venda, poc,Dr. ADKe|o Henriques da Silva.
i nnr tan Kaalanlo nrnpnratlnr Ja^A (Ift Sa l.Pttao : ,..,,..___.j ..: .tknrnri<. fino. A ennfra 3 esttnr.in Anvt&nAtl ftUP VPtl'iedV : ^ n.. a
los por seu bastante procurador Jos de Sa Leito ^f^^ ^&s muit0 melhorada.
Junicr, para ser exonerado do officio de agente de
leiloes da praca do Aracaty. Como requer, sub-
sistindo a fianga por seis mezes na forma da lei,
sendo convenientemente publicado para scencia
dos Interessados.
Dito de Joaquim Francisco da Cruz & C. para
ser registrado o contrato de sua sociedade com-
mercial de fabricago de calcado.Registre-se.
RESOUjgAO
Dr. Anfonio Borges da Fonseca.
*-"
Ainda o senador Pompeu e o x-presidenle do
Ceiri.
Agradego a' redaego do Fine e Cinco de Marco
faci que
Procuradores.
I o ensejo que me deu para tocar n'um
; escapoa-me no comraonicado anterir.
Nao ha duvida que o Sr. padre Pompeu foi eleito; trar que as declaragdes das partes nao podiara
Nao tendo sido apresentada a cotagio dos pregos senador a' sombra de minha tolerancia, apezar de alterar a natureza do contracto e nada valia contra
correntes da semana prxima passada, oa ultima ser ea ultra-conservador, como elle dissra em I a disposigo da lei.
sessio, nem ha presente, o tribunal resolveu qae phrase mu delicada por occa.'io de minha cheaada O mesmo Poihler as regras que d paraa'in
que contra a essencia da venda, que o vendedor
relinha a propriedade da cousa vendida. q faugm Srs
Diz a lei 80 3 de contrat impt- Nemo potest Alfere8 Meiaaiades Maaoe, dos SaDl0S Lima.
vlderi rem venedissejde cujus dominio id agitar, A|feres Joao oncalves Ferreira e SilTa.
ne ad emptorem transeat sed hoc am locatio st, Antonio Dias da svilva Carileal.
aut aliad genas contractas. Ttieophilo Alves da Silva.
Veja-se o tratado das obr.gagSes tradazido por p^ da Panella, 2 de fevereiro de 1866.
Correa Telles pag. 6 e 7 n. 5 e 6. 0 coadjator pro-paracho,
Foi jusumente o exemplo .qae dei para dmons- Padre Th(jm NarCtzo P. Almeida Coutmho.
o presidente da junta bouvesse de declarar qual o
motivo desta omissio.
Srado 11 horas e roela do dia e nao existlndo
nada mais a despachar, S. Exc. Sr. presidente
encerrou a sesso.
SESSAO JUDICIARIA EM 8 DE FEVEREIRO
DE 1866.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
K.J. PKBKTTI.
Secretario, Mo Gumar&et.
As onze horas e meia da manha o Exm. Sr. pre
a' provincia; contando porm com a minha ju etica,
! nt'ci cousa que os liberaes prelendiam.
A attitude francamente amigavel era que elle se
mostrava para commigo, procurando inculca la com
; certo encarecimento pela palavra e pelo esenpto [ i.' Quado
; (ate mesmo epistolar, como ou depois vlm a saber) ceptiveis
; nao cencorreo pouco para o almejado triumpbo qae!
' obteve o desvanecido redactor do Cearense. Ora,!
' toilos sabem o qae valem as pocas eleitoraes os |
i recursos innocentes qae emprega nm candidato
para fazer acreditar as sympaihias do govewo
para com elle. Eu at conhego muilos amigos da
Agua de Florida de Huiray & Lanraan.
Na verdade cousa estranha e para ad-
. regra.-Nasconveng5essrdeveUiod,aUger"qual mirar que este delicado^precioso perfuine^
lerprelago dos contratos estabelece o seguinle.
foi a iotengao coramum das partes eontrahenies do tendo sido manufacturado mais de vinte
que qual o sentido graramalical das palavras. annos exclusivamente para OS mercados da
Ha T.r^^JT^!!!!; America do Sul, e das Antilhas, e estimarlo
ucuuvois de doos sentidos, devem entender-se ,,.__ u_Kin
no sentido que mais convm a natureza do con por toda a populag3o d America hespanhola
trato. em preferencia todas as mais essencias e
6 a Urna clausula deve interpretar pelas outras agUas e cheiro, s pouco viesse ser fi-
MueTif"10 lnslrB.IDeBl0' ""P^ oa si8,m.na'menteintrodazido pela vez primeira neste
Estas cltagoes sobejam para corroborar o que Pz depois de t5o largos annos de existen-
ALFANDBGA.
Rendimento do dia 1 a 8......
dem do dia. 9...............
151:59245
22:296*379
176:888,5831
MOVIMENTO DA ALFADEGA.
Yol u mes entrados com fazendas....
c com gneros..... 117
Voluntes sabidos ecm fazendas.....
c f com gneros.....
------192
71
619
------693
Descarregam boje 10 dotevereiro.
Polaca italianaLinda-pedi.is de marmore e raer
cadoria8.
Lugar prussiano Alerte farinha de trigo.
Brigue Inglezoa/e mercadorias.
Patacho inglez Uagadore Pachet carvao.
Poiaca hespanholaIndia charque.
Brigne hespanholMaria Royadem.
Brigne nacional Settaidem.
Brigue nacionalFluminense -idem.
Brigae argentino Volantedem.
Escuna dinamarqueza Juno dem.
Barca nacional GuarahinIdem.
ilECEBEUORlA DE RENDAS INTERNAS CE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 8...... 7:949*48'
Idemdodi9................ 1:848*571
Ueattet desu repartido, lera _,
mareo prximo vimJenro, as 10 boras da
nesta secretaria.
Os exames verwrio sobro as
ras : lingua nacieail, abraafMdo a i
tura e anaiyse grammatcal, ieaaae
aquarelia, arithmetiea era todas M m iiinrJis
e geometra linear.
Os requerimentoi para Insertffew *os i
tos, devero ser apresenlados alto da 8,
rao ser lustra dos com qc
ltalos scientifkos qae aboaetC g rapindY m
mesmos candidatos.
Secretaria da reparlico das oteas aaMax* f*
de fevereiro ds 1866.
No Impedimento do secretario
____________ Joao Joaqun do S. Yanjaa.


9:798*051
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia i a 8....... 41:518*665
dem do dia 9............. 7:508*090
49:026*755
MOVIMENTQ DO PORTO
Navios sahtdos no da 9.
Para' Brigue escuna nacional Graciosa, capillo
Joo Jos dos Qneijos, carga differenles generas.
Macei Brige ioglez flyng Cloud, capillo F. E.
Perry, em lastro.
Ceara' Barca ingleza Russia, capitao Cerey, em
lastro.
Portos dl Norle Vapor nacional Persinunga,
commandante Belmiro Baptisla de Sonza.
Obiervacao
Nao houveram entradas.
ED1TAES
O Dr. Tristo de Aleocar Ararpe, offlcial da impe'
nal ordem da Rosa, e juiz especial do commercio
n'esla cidade do Recife de Pernambuco por Sua
Mageslade Imperial, etc.
Fago saber aos que o presente edita! yirem e
d'elle noticia tiverem que por parte de Guimares
& Goncalves me foi dirigida a peligao do tbeor se-
guinle : Illm Sr. Dr. juiz especial do commer-
cio. Dzem Guimares & Gongalves que sendo-
Ihes Luiz Francisco de Araujo Picado, Henriques
de Souza Lima, Francisco Severino Marques da
Cruz, e Coime Jos do Monte devedores, o primei
ro da quantiade 1:091*280, o 2. e 3. de 272&780,
e o quarto de cento e oitenta e dous rail novecen-
los e oitenta por letras ja vencidas e nao pa-
gas acontece que esta' prximo a lindar o praso
neoessarlo a prescrever ditas lettras. e porque os
sop'plicanies queirara fazer interroroper a mesma
prescnpgo por meio do competente protesto por
sso requeren) a V. S. se digne mandar tomar por
termo dito protesto para que seja devidaraente in-
timado aos supplicados, e achando-se estes ausen
era lagar lacerto e nao sabido pelos supplicautes,
requerem pois a serem admillidos a justificaren)
dita ausencia e Incerteza do lugar, para que julga-
do por senlenga sua jusliQcago se passe carta, de
ediles para por meio desta serem os supplicados
intimados do referido protesto, marcando V. S. da
e hora para a inquirigo das testemuobas. Pede a
V. S. deferi meato.
E recebera' merc.
Procurador Clorindo Ferreira Cato, na qual dei
o seguate delpacho : tmese e jusiiQque a ausen-
cia no dia 18 do crrante inez depois da audiencia.
Recife 15 de dezembro de 1865. Alencar Ara-
rpe.
Em virtude do qual fora a mesma petigo des-
tribuida ao escrivo d'este juizo Manoel Mara Ro-
drigues ds Nascimento, o qual fez langar o termo
de protesto do tbeor segrale : Tt-rmo de pro-
desto. Aos 16 de dezembro de 1865 na cidade
do Recife em meu carloro apparecerara os suppl-
cantes por sea bastante procurador o solicitador
Clorindo Ferreira Cato, e dissera perante mim e
as lestemunhas infra assignadas que reduza a pro-
testo o conthedo de sua petigo retro, a qual offe-
receram como parte do prente que flea sendo e de
como assim o disseram e protestaran lavrei este
termo, no qual depois de lida se lirmaram com as
ditas teslemunhas: eu Mancol Maria Rodrigues do
Nascimento escrivo o escrevi.Clorindo Ferreira
Cato, Secundino Eliodoro da Cunha, Francelino
Olympjo Pereira de Oliveira. E tendo os suplican
tes produzido suas testimuohas sellados e prepara-
dos os autos sabiram a' minha concluso e o'elles
del e profer a sentenca do iheor seguinle : Hei
por justifleada a ausencia; e aukn mando, que os
supplicados se-eitem por edictos de trinta dias pa
ra o Uro requerido; pagas as cusas ex-rausas.
Recife 20 de dezembro de 1865. Trisio de A-
lencar Araripe.Por torga do qual o referidoescri
vo fez passar o presente edital, pelo qual chamo,
cito e hei por intimados os referidos supplicados
para que oomparegam n'este juizo d'entro do indi-
cado prazo, adra de allegarem o que for de justiga.
E para que chegue ao conhecimenlo de lodos man-
dei passar o presente qae sera' publicada pela im-
prensa e ailado nos lugares do costume.
Recife 20 de dezembro de 1865 Eu Manoel
Maria Rodrigues do Nascimento, escrivo o sub-
screvi.
TristSo de Alencar Ararpet
DECURAQOES
O Illm. Sr. inspector da thesoararia de fazan-
da manda fazer publico que tem marcado o dia 26
da fevereiro prximo vindouro para o concurso
que se lem de abrir nesta thesouraria para pre-
enchiraento das vagas de praticaoles nesta repar-
tago, na alfandega e na recebedoria. Os exames
versaro sobre as materias de que trata o 1. do
art. 1. do decreto n. 3114 de 27 de junho de 1863,
a saber : lei tura, ana I y se grammatcal e ortbogra-
sidenle declaran aberta a sesso, estando reunidos berdade de voto, qne apezar de sen mrito, inde- i sustente!, Isto qu embora se dissesse as es- cia affinco e lo-ivavel promptid5o os Srs. desembargado* SiWa Gumaries, Reis e pendencia e culto externo a' soberana1 vontade po- \ cripturas, que se fazia venda dos escravos, esta nao as nossa* bellas patricias moStrarSo na adop-1 medidas calculo de descont, juros simples e coro-
Silva e Accioli, e os Sra. deputados. Rosa, Candido polar, s se rebellam contra a intervengo eleltoral traha sido felta, mas fora excluida da venda da he- d megma Drova que as eBhoras heSpa-' postas, theoria de cambios e suas applicagdes. Os
As graciosasdemonstragSes do Sr. padre Pompeu vendida, sendo que nenhora valor tlnham as de- de Coloque, nao dio mais qne um justo
Alcoforado, Bastos e Miranda Leal.
Lida, foi approvada a acta da sesso aalece
denle.
Assigoou-se o.acordara proferido na sesso pas- coineidiam com urna dedraco que conservo em elaragees das partes em sentido contrario ou por anreco "delicada pureza do artigo,
sad.; eotre partes. I proprio original, e na qual resava elle que mais ignorancia, ou por qualqaer oa por qoalquer outro n^mn nm mnin nrpvpntivn pnn
Appeilanies, Joaquim de Sowa Mata & C ; en- do que ninguem detejava amortecer a poittica ; que raotivo. ^f10 un? ?eJ Prevennvo conu
peUido, Pedro Goncalves -Pereira Cascao. estvanos melhores relacoes com as pessoas pin- Se as minhas observagoes embora nao combat- quei* imposicoes 6 iraUtS, toroa-se necessa-
Appresentados pelo Sr. deeembargador Accioli cipaes do partido conservador; e que as causas das podem parecer saspeitas tem o apoto autorha rio 0 pedir-se a agua genuna de Murray e
foram as.Mgnados os acordaos proferidos na sesso marchavam para urnatransformacao salutar. Era do do insigne jurisconsulto que citei; e certo qne anman tendo-se a cuidado de examinar
ile .18 de dezembro prximo passado nos feitos em assim que o Sr. padre Pompeu dava um testema- nao poda dar ao meu Illastre adversario resposta a 'a Ai,nc, nmoc e irhom ina^rntn
que sao nho beatifico de snas disposigoes concIHsdoras, que mais cabal. e ^r Que a,los V0m.eS S? KMm in**ll,,8
Appellantes, D. Josepha Jusiioa de Jess Gon-; ebegaram ao ponto de se mostrar elle extremamen- Se nao houve venda, nio poda haver exigencia SOD cada envoltorio, letreiro e garrafa, pois
calvas e oulros ; appellados, Isaac Curio &C. te benvolo para com nm candidato conservador, o do imposto de meia siza dos escravos, que ficaram a falta dos mesmos prova evidente de sua
A apellantes, Luis Fonseca* de Maeedo e Joo, Sr. Figuelra de Mello, que por ser meu amigo veio na posse dos berdeiros em virtude da heranga qae falsidade.
requer mentos instruido* de documentos qae pro
vem Idade completa de 18 annos, isenglo de pena
e culpa, e bom comportamenlo na forma do art. 3.a
Como um meiO preventivo contra quaes- do decreto n. 2549 de 14 de marco de 1860.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Pernam-
buco em 18 de Janeiro de 1866.
Servindo de offlcial maior
Manoel Jos Pinto.
Alvo de Moura ; appellado, Antonio Joaquim Sal- assim a merecer as centemplagdes rois faguelras
gado. do seu adversario poltica
JULOiBHTOS. Compre tambera notar que a complacencia res-
Appellante, Francl&co Antonio Pontos!; appella-; peitosa doSr. padre Pompea para coramigo nao tlnha
do Antonio Gomes di Cunha e Silva.Adiado as rearieedes. Nos primelree dias da minha adml-
sessies de 14 e 18 de dezembro Huno. nistragao olereceu-se-lhe oecasiio azada para eo
Receberam se os embargos em parte e em parle nhecer que eu nio era hornera de temer carrancas
olo. | desarrazoadas, nem mesmo dos amigos. Nao sel
Appellantes, os administradores da massa fall- se deva aitnbutr a isio a paciencia com qae me
da de Amorim, Fragoso, Sanios & Companhia ; iupportava o Sr. padre Pompea, a Ui ponto que,
appeJado, Loit Jos da Silva Guimares, successor queixando se em junho e oatubro de 18i>- por nao
de Birros & Silva.
Poi confirmada a sentenca appellada.
Ajipellantes, os admjjjislradores da massa falii-
ter eu atlendido a um s de seus pedidos, assim
mi'smo declara va em 15 de mi o de 1863 apre
ciar mnito at minhas relacoes.
adquiriram.
t portanto nao poda haver negligencia quando
nao houve omisso, nem se poderla exigir o que '
nao era devido.
Nao vero ao caso dizer-se qae aulla a venda
dos bens que estavam leligiosos, urna vez que nio
discuto a validade e effeitos do contrato, mas, qae
por elle nao devido o imposto.
Ponderel ainda qae a inteligencia qae dava as
escripturas era corroborada pelo aecordflo qae pas-
son em julgado, e que den a mesma intelligencia
as referidas escripturas.
Mea Ilustre adversario jl nao diz, como o entro
annimo qae tal julgado era cootra as mximas
COMMERCIO
PRAGA DO RECIFE.
Cot*f?5es ofQciaes.
9 de fevereiro.
Algodo de Pemmbuco Ia serte17^800 por ar-
roba.
traboureq Jnior,
Presidente.
Goimaraes,
Secretario. j
aehia pernambocaia -
De ordem do eonselho da direccao, e em cura
prlmento ao disposto no artigo 24 dos estatutos,
sao convidados os senhores accionistas a reunirem-
se em assembla gerai no dia 15 do correte, ao
meio dia, na casa da praca do Corpo Santo n. 11,
segando andar.
Pernambuco 3 de fevereiro de 1866.
O gereDteF. F. Borges.
Pela subdelegada do Peres foram apprehen-
didos e recolhidos a deposito tres cavados de carga
tendo am castanbo, outro rugo e um mellado :
3uem for seu dono comparece, qae provando seu
ominio, Ibe ser entregue. Subdelegada do Pe-
res 4 de fevereiro de 1866.O subdelegado,
AUiaadrino Manas Corris Barros.
O Illm. Sr. lense c ronel .
nal de guerra, manda publicar qw so a 13 i
crrante, ,-e ba de arrematar as 9 eras du
rapnipolagSo da fabrico de doas mil Mases de *
oo azul oa prazo de 30 dias improrocaveu. O*
citantes apresenlaro as snas propostas em
fechada al o mesmo da e dita tara, deveadn ser
com letlra clara e inlelligivel para nio imiUss m
vidas, e podero Ir a offleioa ao dia 11 para ver a
qualidade da fazenda e natarna da eir.
Arsenal de guerra de Pernaianca, 71
ro de 1866.
O escrivo das
Manoel Jos* Partir I

Consulado prtviicuil
Pela mesa do consulado provincial se fas
co que os trinta das otis nwreadee para
ga bocea do cofre dos imposto* de 90 r*. per at-
queire de sal, de 4 0)0 sobre os eetafcrii
de fura da cidade, prensas de algodio, lys
phias. cocheiras, botequins, botis, casas dei
cava I lar ices e fabricas; de 8 OjO sobre i
mdicos e cirargicos, cirtorios e eecriploriee
20 0,0 sobre esiabelecimentos de
grosso e a retalho, e trapiches ; de 50*
sas de buhar e modas; de 200$ sobre
roupa feita e sellins estraogeiros, e dei
i :000J sobre casas de operaeOe* bel
emissao e previlegios ; de 600J090 per
emisso e sem previlegios ; de 400 per cata sea
emissao, coropaohias anonjrnMU e agewrui ; de
lOOfi sibre cor relores commerciaes, igseeii de
leilo e de casa de compra e venda d* estraves -,
de 30* por escravo empregaeo en aarvfcp de af-
varenga; de i* por tonelada de afrareefi; e
10* por bole oa savelra ; e de 150* per babeara;
de 50* por escravo ganhador: de 10* por caexdh
de sella de aluguel ; 6* por dilo patlirehr; e s
impostos de carros e carracas perieaceaets ae aira
fioanceiro de 1865 a 1880, e tambal I* i
do imposto de 20 0|0 do consumo de
principia a contar do dia 1* de fevereiro
Mesa do consolado provincial de Pirnunbfe !
de Janeiro de 1866.
Antonio Carneiro Machado Rk
__________________Administrador.________
Cavara mnalelpal <
Pela coniadora da cmara wietptl
dade se faz publico qoe nos nanea de
margo se recebe i bocea do cofre
mc.lpal sobre casas de negocio, e aaejelloo ej ede>
pagarem oeste lempo estio sojcMes a media aa
forma do art. 32 do regulrnoslo n. 310 de IS de
junho de 1844.
Contadoria 1* de fevereiro de 1866.
O contador.
^_______________Caetano Silverto da Sirva.
Pelo juio municipal da prlaaeira vara desta
cidade, escrivo Cunha, tem de ir a praes i
9, 13 e 16, para serem arrematadas por
proprledades segninles :
Um sobrado de 2 andares a' roa da Pcnba n. ,
tendo 4 portas oa frente, vareada de ferro ae pri-
mei. o andar ejanellas no segundo enes peeajeaes
quartos, sem animal, avahado por f:000*.
Outro dito na mesma roa 4 de oes sedar
solao, com varanda de ferro no priawlro aadar, e
orna varanda em ama janella do soto, eeoa pe-
quenas salas e pequeos quartos, coas oaratal, pre -
cisando de concertos, avallado em 4:000*.
Urna casa terrea a ma dos Pesca ores a. 27
com porta e janella na frente, doas salas, 3 Ojear-
los, cosinha fora, quintal mn- ado, finaste asert
ra, cora pequea corredor e porteo, qne deila ee
fondos para a ra nova da Praia de s. Jos, ava-
llada por 1:500*.
Outra dito a' roa do Fogo de a. 57, coea pesia e
janella na frente, 2 salas, 3 quartos, costaba lera,
quintal pequeo, cacimba meeira, avahada per
2:000*.
Cujas propiedades foram penhoradas a Jai*
Pinto Regis de Souza, por execoco de soa asada**
D. Mara da Conceico Carvalho Araojo.
Os pretendenles poderao comparecer a sata das
audiencias nos indicados dias ao aseso da,
menle munidos.
Pela subdelegada de polica da i
recolhido casa de deieogao no dia 4 do i
o preto Alexandre, que diz ser escravo de
Ignacio de Albuquerqae Maranbo, seaber de ea>
genho Aras-u i^'i. freguexia do fabo, per aadar
fgido. Subdelegada de Polica da Capeag* de
fevereiro de 1866.
Francisco Antonio da Silva Cavateaati.
THE A TRO '~
S. ISABEL.
Grande baile raascarado
A' PARISIENCE
MOS DIAS
Sabbado, domingo, se-
gunda e terca
O PRIMEIRO BAILE TERA' LUGA1
Sabbado 10 de fevereiro de
1866.
O grande salo de-Dangaqne com
toda a sala e caixa do ihealro, acna-se sol
constrnido afflangando a mais completa
Sera' i Iluminado o gioroo o mais
te qae for possivel.
O sal ao aeha-se ricamente orando
estatuas, quadros, espelbos, vasos en
deiras etc., etc., sem qae pera este In i
poupado despeza algnma.
A banda de msica de 1* hateis da
nacional deste municipio, sob a dlrottae
disliocio meslre qoe tem de fnaeooaar i
plendidos bailes cima meoiooados, a ajan
como Introdcelo do baile ama peca de
quedara comeco ao movtroeneo :
Segnindo se a primeira qnadrilba ba
pressamente eserlnta e composta pe'e Sr.
Iho, a qual denominou-a
FOLIAS DO CiRfUiaL
As pegas qne tem de ser tocadas
noiles de baile, sao as seeuintes :
QUADRILHAS.
A cascat de eraros.
Eslepbania.
O carnaval do 1* de Janeiro.
O marqaez do Pombal.
Cban-chon.
Domin negro.
A bella Helena.
O to Brax.
Arthur Napoleio.
WALSAS.
Joven Helena.
Violeta.
Rainha das Rosas.
Notivaqai.
POLKAS.
Serrinba pelo Sr. Colas fJao.
Os voluntarios pelo Sr. Colas tibe
Adelaide pelo Sr. Cotas Albo
A Casta.
alia.
' SCHOTISCH.
Flor d'Alma pelo Sr. Colas i
Qatdes pelo Sr. Stranss.
OOttb.
America.
Para dar flm ao baile a
grande

aBB-Vrt


BH^UIHH
* *
..*-. _*
Diarto m Wmrm
tMtoili de Fevereiro 4c 1866.
VatttmJF nraniit
com aauues, de campas, sinos, estrepidos a rebam
boa oVovio.
N.) sali havera urna pessoa perfeittmeate ha-
biltala para formar os pares e dirigir as quadri-
Ihas, fin de avilar confutes.
A entrada feral e -ahila para os mascaras e es-
pectadores pela pona frente do tbeatro.
0:i carros depois de dettaremseus donos ficaro
postados ao sul do edificio.
O escriptorio para venda dos btlhetes ao lado
do batequira onde estara' tllaminado.
As senborw mascaradas entrada gr< tis.
No botequim se encontrar diversos e saborosos
petiscos, vinbos de todas as qualidades, licores
sen'eja, etc., ele.
O regulaiuento da podla que lem de ser obser-
vad!) val abati publicado.
N. b;
As senhoras vestidas, de homem e os bomens
vestidos de seabora esto sojeitos ao pagamente
de mas entradas.
l.'Seccao. Secretoria da polica de Pernam-
buco 1 de fevereiro de 4866.
Da ordera do Ulna. Sr. Dr, delegado do 1." dis-
tricio d'esta cidade, eocarregado do expediente des-
ta ronartico, a ausencia do Illm. Sr. Dr. chefe de
polica, faeo publicar o regulronlo policial de 12
de fevereiro de 1835, que abaixo val transcripto,
tica de que as pessoas que se proposerem aos en-
tretooimeOtos do carnaval, tenham conbecimetlo
das drjposlcoes do mesmo regolameoto.
No impedimento do secretario,
Jos X. Fausttno Ramos
G)pia. Fevereiro 12 de 1835:- O Dr. ebefo de
pollina resol ve que pela delatante do 1 dlstricio
deste termo, e pela subdaegaeias respectivas, se
observen) as segulntes providencias era ordera a
obstar a perfetco. a'60 a perpetracao dos deliclos
por occasSo dos prximos das do enirudo. Pti-1
ineh-0 pressamente prohibido o ]ogo de enlru-
do, i) o langav-se agua sobre as pessoas que tran-
sitaren) peJas ras, qoe-seja Isso feito por meio
de vasos ou seringas, quer pelo emprego das cha-
madas limas de cheiro;e bem asslm, o uzo de lin-
tas lamas roo tros objeetss, que lem sido empre-1
gados em tao pernicioso jego. Segundo sao per-
mitiida os grupos de mascaradas caracterisados
por qualquer mudo, sem ailusoes, e especialmente
das aue drgam respeiio aneligiao e seus ministros.
Terceiro nos dilerentes caracteres com qu se
aposentaremos mascaras, nao sera' perraittido a-!
zar- de oulras armas que nao sejam as fabricadas1
de papelo, ou madeira frgil." Quarto ao por
modo algum permillido a iolroducco de escravos
no imio dos mascaras, e os qae entre ellos fdrem
encontrados sero presos e correectonados. Quin-
to, es mascam portar-se-hao com decencia, nao
pratiearo imulio, e Ibes nao sera' permrttado va-
gar pelas ras, depois das 8 horas da noile. Sex-
to, aquelles,qe formaren) reunl5es para bailes
nos thealros, prohibido dar assobM, g*Uos, e
pratiev assnadas. Sera' respeiado o segredo dos
vestuarios dos mascaras e ninguem podera' dirlgir-
ihes perguntas. e travar com el I es conversares
que nSo sejam decentes e dignas de repetirse as
roedores reunios. Do mesmo modo se (liewo
os mascaras nos para cea os outros, e principal-1
mente para com as familias dos camarotes a que
se d.riHireni. Stimo, todr a pessoa mascarada
que por algum modo ofleoder a decencia, provocar,
rixas, e perturbar a ordem maoiida nos salOes, se-1
ra' mandada retirarimmediatameote. Oltavo, na!
falta de observancia das providencias cima, a pe-
liria proceder' contra os infractores como deso-
bedleates.
Secretarla da polica de Pernambuco, 12 de feve-
reir de 1865. O chefe de polica.
. Luiz Carlos de Paita Teixeira.
PREgO* DAS ENTRADAS.
A posse de camarote d*2." ordem 105.
dem dem de 3.a ordem 8#.
Entrada geral 9.
A5 senhoras mascaradas entrada gratis.
BAILES M MASCARAS
A BRASILIENSE
~~:
Bara condlecd*, fretes e pssagens
agencia ra do Trapiche n. 9______
trata-se na
GOVANUIA
DE
PAQUETES A VAPOR.
. E* esoerado dos portos do so
CALQ.tO
M Rua Direita -45
AMA
A primeira condicSo indispensavel con-
temeio da sade traier os ps bem de-
&f esperado dos portos d snl o feodidos contra os ataaue* da hamidade;
vapor Parm, commandaiMa o calcado bom e seguro fr o aoico preserva-
l' tivo desasa mil enermidadea a que est su-
jeito o D0880eu Um chnelo velho cal-
capito de fi-agata Antonio
quim de Sa ata Barbara, o qual
______depois da demora do costme se-
guir* para o* portos do orto. ....
Desde j recebem-se passagairos e engaja-se a
carga que o vapor poder conduiir a qaal devera
ser embarcada no da de soa bagada encommen-
das e dinheiro a frele at o da da sabida as ho-
ras : agencia roa da Cruz n. 1, escriptorio de An-
nio Lniz de Ollveira Azevedo & C-___________
Para o Porto.
vai seguir com muila brevidado a barca portugue-
za SUenao, lem parte de seu carregamanto promp-
to, e para o resto que Ibe falta e passageiros, tra-
ta-se eom Madoel Ignacio de Ollveira <& Filbo, lar-
go do Corpo Santo, escriptorio n. 19, oa com o
capillo na praca.
'PORTO E LISBOA.
A barca portugueza Amelia, de excellente mar-
eha pretende em poocos das sabir para esses dous
portos, ja* tendo a maior parte de sua carga enga-
jada ; quem nella quizer carregar a' frete dirija-se
a roa do Vigario n. 10 escriptorio de Baltar & Oli
veira.
Hha de S. Miguel.
Sabe com muila brevldade a escuna portngueza
finta: para o resto da carga e passageiros tratase
com o consignatario Joio do Reg Lima a' ra do
Apollo n^________________________j
Para a Ilha de 8. nigiiel.
esperado a cada momento do Rie de Janeiro
o patacho portuguez Fernanda, o qual lera nesta
cidadrt apenas a demora de 10 dias, recebe carga
a frete por prego muito comraodo : trata-se com
os seos consignatarios Antonio Loiz de Oliveira
Azevedo & C, no seu escriptorio ra da Cruz nu-
mero 1^________________________________
Para Lisboa
segu com moita breviJade o brigue portoguez
Ftormla. que recebe carga a frele : a tratar no
escrip.orio de Amorim Irmaos, ra da Cruz n. 3,
ou com o capitao Joaqim Augusto de Sooz na
praca ilo comraercio.
LBIL0I3.
cado por um dandy patascamente, ou urna
botina acalcanhada em pequenino p de en-
cantadora deidade alm de aecusar que-
bradeira borripibnte, prova contra as f cui-
dados intellectuaes dos calcantes, e nao ha
quem, tendo bom senso, queira passar por
maluco, ou pobre de surro : ergo, cor-
ram a:
4K-RA DIREITA4*.
e attendendo a' baratera.
Homens.
Borzegnins parisienses de bezer-
e cordavao...... 8^000
Ditos de Bordeaux .... 7(5(000
Ditos barcellonezes de lustre e
de porco....... 60000
Sapates de Nantes de duas ba-
teras rasas...... 50000
Sapatos de lona, sola de borra-
cha..... ; 2#000
Ditos aveludados..... 15600
Ditos de tranc bons .... 10600
Senhoras
Borzeguins enfeitados. .. 50000
Ditos de laco...... 40800
Ditos lisos......, 405001
Sapatos de borracha. 10^00,
Selleiros, corrieiros e segeiros t I
Sola de lustre, meios grandes 200000
E um completo sortimento de calcado fa-
bricado no paiz.
chegaio fumo de Garaohuns mnito supe-
rior por prego de 14600 a libra : quem quizar
comprar dirjase a camboa do Carmo n. 10.
Bernardino Jos Leito faz ver que mu iou
sua residencia para a Capunga, ra das Cnoulas
numero 3 A.
Preiisa-s de urna ama para casa de pouea fa-
milia ^rua Dlreiu n. 68, 1 andar.______
nbor que niregou documentos para, re-
querer se ao governo geral a baixa de PeHppe
Francisco de Plores, venha receber o trabalbo qoa
encommeodoo para ter seguimento, e pagar como
fleotrd o fazer no dia seguinte: rogando se ao
Revm. Sr. vigario de Panellas de o avjar, visto
como se ignora se sabe dito senhor ter._______
~" CABRA. ~
Desppareceu urna cabra com duas crias, sendo
a cabra de cor preta e grande, o ucea estrella bran-
ca na cabeca, a orla malor tambem preta com a
mesma estrella, a outra de cor mellada : roga-se
a pessoa que dellas sonber, leva-las a ra Nova n.
69, que se Ihe gratificar.__________________
Aluga-se o 1* andar o grande sotao da casa
o. 34 da ra da Senzala Velha, o a segunda casa
da ilha do Retiro a beira do rio, por commodo
prego : a tratar na roa da Senzala Nova, refloa-
caon.4.
de leite : na ra da
Precisa-se de urna ama
Conceigo, sobrado n. 8.
JV libo
Alves Hambnrger & C. tendo mandado por um
gaohador (mulato), cujo nome ignoram, om balaio
conteodo as merendonas abaixo designadas, com
destino i roa do Qoeimado n..., e tendo noticia
que ellas nao chegarara ao seu destino, previnem
ao respeitavel publieo-e ospecialmentu aos Sra
logisias de, no caso de terera noticia dessas mer-
cadorias, oa do involtorio qae levava a Arma da
cusa, de o participan-m roa da Cruz n. 54, onde
se Ibes ser summamente gralo.
Resignaco das mercadorias.
6 pecas de fitas de seda para cintos.
1 dnzia de botoes de raadreperola para ponbo.
ditas de chaves doaradas para relogio.
1 dita de chicotes.
2 pecas de borracha para calcado.
13 dozias de peotes de chifre para atar cabello
de podras falsas._______________
Jacomo Antonio Clarello, Miguel Clarello, Nt-
cola Lamolha e Antonio Agrede, subditos italianos,
retirara-se para Europa. ________________
Caixeiro.
Precisase de urna ama para o servigo de i Precisa-se de nm caixeiro portugaez para o Rio
pouca familia ; na ra da Imperatriz n. 82, segn- Grande do Norte, que tenba pralica de molbados,
do andar. I preere-se de 35 a 40 anuos de idade : quem es-
tiver nesta circumstancia dirija-se a ra eslreila
do Rosario, loja dos Srs. Maia & Landelino.____

NO
Palacete do pateo de 9. Pedra
NOS DAS
atibado 10, doraingo 11, segunda 12 e
terca-feira 13 do correte.
Os grandes e espagosos saldes desse edificio, se-
rao Iluminados espleodidameate tanto quanto fr
possivel.
Os salds acnar-se-hao ricamente ornadas com
lastres, araodelas, espelhos, vasos com flores e oa-
iros adornos, sem que para isso tenba poupado o
seu director despezas e fadigas.
A msica que tem de funeciouar em ditos bailes
era urna das raais acreditadas a qual tocara' as
segbintes :
QUADRILHAS.
A tomada de Paysand.
O gyro commercial.
M .i r-u nos auf.
Os mamelucos do Imperador.
A noile do castalio.
O castello de Grasville.
Telegrapbo.
Les zuaves.
SCHOTZ.
Flores d'Alma.
Brasileira e oulras.
POLKAS.
Proambucana.
Bahiaua e ouiras.
WALSAS.
D Liga.
O papagaio de D. Liga e oulras.
Nos saldes bavero pessoas competentemente
habilitadas para bom dirigir os quadros, evitando
assiin a confosio.
A entrada a' porta do edificio ao lado tsquerdo
estarao a' venda os bilbe'es de entrada que serio
ao prego do cosunae, sendo gratis o ingresso para
as damas, meos para aquellas qae sondo do sexo
mas'uiino assim trajarem.
No boteqaim se encontrara vlohos, serveja e II-
ores os mais fios, assim como havera' petisejs
de diversas qualidades.
O regulanaento da polica sera' mantido pelo di-
rector dos mesmos o moito conhecido Miguel Can-
dido de Medeiros Piulo.
LELAO
Zfe movis, pianos e joias
HO JE
Ra da Cadeia numero 8.
Amerlco P, S. fara' leilao em sea armuera a
ra d Cadera n. 8, por iotervengo do agente
Martin,-, de 4 mobilia de Jacaranda, 1 dita de
amareH), 1 commoda de Jacaranda, 1 secretaria de
amarello, 1 piano, 1 relogio de mesa, 1 mesa els-
tica, 1 apparador, 1 marqese, 1 cama para ca-
sal, 2 espingarda de 2 canos, 1 ter.oo de bandeja,
cadeiras avoteas, eabtdes, mesas, tomadores, lan-
ternas, quadros, e ontros mu tos otdectos.
Na mesma occasio eontieoara' com a liquida-
cao de joias e relogios a ouf o e rala.
HOSPITAL PORTUGUEZ
DE
BENEFICENCIA EJIPIIRWM-
BUCO.
De ordem do Illm Sr. provedor se faz publico
para quem interessar possa, que os ttulos de na-
cionalidade para instruir o requerimento de quem
pretender admissao gratuita as enfermaras desie
hospital, somente sero considerados taes o passa-
porte com que veto para o paiz, papeleta ou matri-
cula pessoal de qualquer naci, conforme o disposlo
no artigo 87 dos estatuios, e jamis certificados do
consulado portuguez, que d'ora em dianle nao te-
ro valor algum para ofim que Oca indicado
Secretaria do Hospital Portoguez de Beneficen-
cia em Pernambuco 7 de fevereiro de 1865.
O secretario
Joo Pereira Rabel lo Braga.
O Ihesoureiro da fecla de Nossa Senhjra
da Conceigo da capella do Honteiro nao
esquecendo a alia consideragao e respeito
de que era digoa merecedora a finada D.
Hara Helena Pessoa de Helio, e qae
actualmente gozara os seus Blhos e mais p-
renles resolveu mandar rezar pelo eterno
repouso de sua alma um memento solemne
na seganda-feira 12 do corrale pelas 6
1|2 horas da manha na mesma capella do
Honteiro, pelo que pede a todos os seas p-
renles e mais pessoas qae tem consideragao
a mesma finada, de irem assistlrem a este
acto de respeito e venerago. O mesmo
Ihesoureiro espera que seus fllhos e pareotes
o desculparo por esle acto espontaneo que
s lilh i da voolade de justificar se a consi
derago que a finada senbora e seas filhos e
mais prenles Ihes merecen).
Arrenda-se ou vende se um sitio nos Reme-
dios, com tres casas, dous viveiros, urna olaria e
diversos arvoredos, ludo por prego commodo : a
tralar no mesrao sitio, o qual conhecido pelo si-
tio da ensenhoca.
Aluga-se ou vndese urna.escrava
ra de Portas, ra do Pharol n. 24.____
Precisase de urna boa
Uva : na roa da Unio n. 48.
em P-
engommadeira, cap
SEGUROS
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A companhia Iodemnisadora, estaWKi-
da nesta praca, toma segaros maritinaw at-
ure navios e seos carregamentos,
fogo em edificios, mercadorias eso
na roa do Vigario n. i, pavimento
Alusa-ae
Aluga-se a casa terrea 4> ra si
19 :'a tratar na rg> do Imperador a. XI.
Preclsa-se de nm ama para sarvieo
de urna casa de pouca familia a' roa _
n. 86, sobrado^_____________
Preeisa-su alagar qoairo e*eraM qm as}
posseutes para servigo dbaixo de aafeana, paf i
do-se bem : a tratar no largo da A-saaM*a a. 1
Precisase de um trabalnadcttaiiariay
seja deligenle no seo trabalbo : M rae ha
n. 39.___________________________
Precisa-se alujar um preto, m_o i_e i
darte padarla : na ra Impeiial a. 39.
Tendo fallecido o muito digno parocho da
freguezia de Sanio Antonio o conego Venan-
cio Heoriques de Rezende, o abaixo assigna-
do convida aos amigos .do fallecido e seas
parochianos para que se dignem de compa-
recer as exiquias que se ho de celecrar na
matriz de Santo AnUnio lio.'e as 4 horas da
tarde.
Libanio Candido Riheiro.
l'fll
JJ
t)
Nao se sabendo quera o Sr. Jos Antonio
da Costa Siqueira, rogase Ihe o obsequio de appa-
reeer na roa do Trapiche n. 44, 2' andar._____"
Precisase de um creado forro ou captivo que
saiba cozinhar : na ra da Imperatriz n. 4o, se-
gundo andar.___________________
A pessoa que annuncia dar 500,5 sobre hvpo-
theca, querendo dar 309l sobre penhores, au- I
nuncie.
Capello.
Precisa-se de um capello para nm lagar pouco
distante destapraca, e com cammodidades : t-ata-
se na ra do Crespo, loja do Sr. Jos Azevedo Je
Andrade._______________________________|
Precisa-se alugar um moleque para o serv-
co de casa, sendo fiel e de boa conducta : a tratar
na ra Nova n. 44. ____________________ .
Francisco Augusto da Costa G-ragalves, Por
tugue, retira-se para o Rio de Janeiro.
Quem precisar de um oflficial de padeiro, che-1
gado ha pouco da Europa, dirjase ao hotel Italia- j
no, na ra do Trapiche n. 5._______________
Aloca se por 16 mensal a casa terrea da
ra dos Prazeres : a tratar na ra dos Pires nu-
mero 64._____________________________ |
Troca.
Pede-se a pessoa que por engao trocou um cha-;
' peo de pello no da da festa de S, Sebastio, na
VERDADEIRO LE ROY
de SiGNORKT, Doeteur-ltokxiri
Ru de Seine, 51, a PABIS.
LEIL40
N
IVISOS -HIBITliOS
Ompaohia de paquetes a vapor entre
os Estados-lui los e o Brasil.
Al o dia 9 es-
pera-se dos por-
tos do sul o vapor
Havanh, com-
mandante Greera,
I o qaal depois da
---------------------------^ demora do costa.
^|________________W segoira' para
Wew-York tocan,-
de no Para e S. Ttiomaz.
Pira frete, passageiros ete.,irata-secom as agen-
tes lleury Forster & C, roa do Trapiche n. 8.
COMPANHIA BiASILEIHA
. DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do norte espera-
do al o dia 20 do crrante o va-
por Gerente, commandante o pri-
meiro tenente Serqueira, o qual
depois da -Jemora do costme se-
goira' para os "portos do sol.
Desdej receben se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual devera
ser embarcada no dia de sua ebegada, encom-
meidas e dinheiro a frete at o da da sabida as
3 toras : agencia ra da Cruz o. i, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevede 4 C._____
Companhia das Mensageries Im-
periales.
At o dia 14
^^*^^^^^^^ ra Babia e Rio
de Janeiro.
OJK
Sabbado 10 de fevereiro, na ra da Cadeia
n. 55, primeiro andar.
pelo ageo'e Eozbio.
Do sitio n. 2 na travessa de M tocolomb fre-
guezia de N. S. da Paz nos Afogadus, com casa de
vivenda, olaria, diversos arvoredos etc.
De u.n sobrado de um andar n. 7 sito oa ra Di-
reita freguezia dos .((gados, logo ao sahir da
ponte, as chaves se achara' na padaria do Sr. M ju-
ra, quasi defronte, pessoa bem conhecida.
LGIIAO
De um piano novo.
Segunda-fe",ra 12 do corente.
O agente Pestaa fara' leilao por eonta e risco
de quem pertencer de um plano hamburgus do
mais afamado fabricante de Hambargo, sera' ven-
dido segunda-feira 12 do correle pelas 11 horas
da manna na arcada da alfandega.
AVISOS DIVERSOS
JUNTA DOS CORRETORKS
No dia 10 do crreme havera sessic da junta
dos corretores, na sala da associagao ommercial
ao meio dia em ponto.
s
U Dr. Fracisct Pires Hachado]
Portella
O MEDICO E OPERADOR
PELA
8 FacuIdade de Parla.
continua no exercicio da sua proflssio,
especial mele as molestias de olhos, de
I vas urinarias e de pelle, para cujo tra-
tamento julga-se oabibtado ltenla a pra-
lica adquirida nos bospitaes daqueila ca-
pital, e os instrumentos mais modernos
que possaa.
Accode promptameate a qualquer cha-
mado para (ora da cidade.
E encarrega-se de collocar olhos arti-
ciaes.
No pateo do Carmo n. 2, esquina da
ra de Hurtas, das % as 10 horas da ma-
|P ohaa, e das 3 as 5 da larde.
Levtn Jacobsonn, subdito prussiano, vai para
Europa.
Vestaarios carnavalescos
de todo o gosto e phaotazia ; venlem-se ou alu-
gam-se na ra estreita do Rosario n. 21, segundo
andar. Prego mdico, pagamento inmediato.
Domingos Jos Pioto da Silva, Brasileiro, me-
nor de 12 annos, segu a Portugal em companhia
de Jos Antonio dos Santos Andra le.__
Ttiomaz Baes, subdito briu nnico, retira-se
para Europa.
-Leopoldo Ferreira Martios Hlbeiro,
raudou-se da ra da Imperatriz n. 40, para
a mesaa roa a. 12, legando aadar.
Can di na Mara do Espirito Santo retira-se
para Montevideo.
Em casa de Tbeod Chrisliansen, ra do Tra
piche-novo n. 16, nico agente no norle do Brasil
de Brandeoburg frres, Bordeaux, encootra se ef-' com Jjas ftrios
feciivamente deposito dos arligos segaintes :
St. Julieo.
8t Pierre.
Larose.
Cbateau Loville.
Cbateaa Margaux.
Grand vin Chaleaa Lafilte 1858.
Cbateau Lafilte.
Hant Saulernes.
Chatean Santernes. /
Cbateau Lataur Blancbe. /
Chatean Yquem.
Cognac em tres qaalidades.
Azeite doce. Precos de Bordeaux.
Brejo di Maire ds ')e>s, um cavallo carregado
Em cada garrar, ni, catre ralka a aoarl i
jue leva o mea sir.rlr, na falala iaBatraa ta t
rrllo con Sillo urmuL
V. B. Keaellen I
Hbrc Pars, KrilavH a C iaa ae Tttta, a* I
goza-te do abalinieuto e do atatar i"
Deposito arhadMl
'o legHimo l.e Kj
rm Caa do nono i
unir.! agente pelo
Rrazil a Sua Ama-
llo Faiwe: de U-
ctB* M Babia
nos principacs paar-
nurrutcos.
\'. diversas fazmlas, os quaes
I tem a mare T R 5 C : rozvsa, portanto, a< au-
toridades pjlUiaes e pusoas pirteulares, o obse-
para
Offerece-se urna ama para casa de homem
solteiro ou de pouca familia : na ra do Padre
Floriano n 71.
^TBMn^(R^^^?!!S^Via^(aT
sent) Tliereza de Jess Azevedo, Main*
gelina Azevedo Tinoco e Francisco Ignacio
Tinoco de souza. convidam as pessoas de
sua amizade e os amigos do fallecido Jlo
Fernandes Prente Vianna, a ouvir ama
missa que se ha de celebrar na fgreja do
Corpo Santo pelas 8 horas da manha do
dia 14 do crreme, em suSragio d'alma des-
te seu esposo, g"oro. conhado e socio.______
Precisa-se de urna ama
ra da Cadeia do Recite n. 10. _
63 Precisase sobre hypotbeca
1:000 a juro de 1 l|2 por cento,
cozinhar :
de quintil d*
, pelo tempo d"
quiodeappr.headeran ditot ob|et)s, e leva-Ios a ,2 mezes qaem quUer fazer este negocio deix
ra Nova a. W, loja, que se Ihe tleara agradecido, earU ^^^ nesta typographia com as intciaee
e se recompensara uilquer d-tspeza. R A H.
O aoaixo assigUiJo naa podando depedir-se
pessoilmeaie das pessoas de sua amizade, o faz
Na fabrica de sabo da
bor raaio deste, e Ibw offereca o san pouco pres- freguezia dos Afogados precisa
!7_. _. .ik, j d..,^. -In*iM.ma cravos. paga se bem : a tratar
tira) na ilha de F^rnandj.-Oconego,
_______Antonio Jos da S)uza Gomes.
~Preclsa-S) d^ umi ama para casa de duas
pessoas : na roa Direita o. 43, 2o andar._______
-<-i Precisa' se da um caixeiro para tomar conla
de urna taberna : na praca da B Vista n. 18,
ra de S. Miguel,
se alugar tres es-
na mesma. eu no
Precisa-se da um menino Jpara
taberna : na ra do Cjvello n. 49.
caixeiro de
cravos, paga
Recife, ra do Amonm n. 41.______________
Precisa-se de um homem para trabalhar em
um sitio com plantaeo de capim em Beberibe : a
tratar na ra Direita n. 69.______________
Club Peraambucano.
A directora do Clube Pernambacano de-
liberou que fosse transferida para o dia 12 j
a partida do crrenle mez, e que fossem re-
Alog-se o segundo andar e soto do
sobrado da ra das Aguas Verdes n. 64,
tem commodos para rande familia : a tra-
tar no primeiro andar da mesma casa ou no
Recife armazem n. 38 af raa de Apollo com
Francisco Ribeiro Pinto Gumar5ee,
Os JUrs. Joao Thoru da Silva e Al-
_ varo Caminha Tavares da Silva tem o
I seu escriptorio de advogacia no primeiro
andar n. 41 da ra do Imperador, onde
podem ser procurados das 10 horas do
_ dia as 3 da tarde.
!
f.a-
Manoel Teixeira de Andrade. faz sciente a
*--;--JfreiBzes qua-.-^"."^! c, S'Sfifl}fl?,.a'5I
SSSES JpSS ^aiqlS en" racterrno s,
mascaras.
WlS^V$?%tWt&fo'SteWme_ivM BatffiaisM
commenda que diz respeito a sua arte.
O soHcilador Pedro Alexandr.ino da Costa
Machado conntua nos misteres de sua proflssao
nesta cidade e fra della : pode ser procurado na
ra estreita|do Rosario n. 34:______________
Ablao Baptista da Rocha, ralo
joeiro e dourador, faz qual concert pertencente a sua arle
mais barato do que outro qualquer
e res; onsabilisa-se pelo seu traba-
lbo, assim como compra relogios
im segonda mao e obras de ouro,
na praca da Independencia n. 12.
- Da Brejo da Madre de Dos fugio um mua
tinho de nome Umbelioo, cora idade de 14 alo
annos edr fura, nariz afilado, cabellos estirados,
cabeca pequea, seco do corpo, tendo om dente
de menos na frente da parle superior, levaolo
caiga de algodo azul, jaqueta de bnm de quadros
azul, camisa de madaoolo o chapeo de couro,
e havendo notieias de que dirigise para esta ci-
dade para asseoiar praca como voluntario : pe-
de-se as autoridades competentes de nao o a luiit-
tirem para tal Ora e parliciparem a qaem de direi-
ta competir para o recolberem em lugar seguro,
assim como pede-se a qualquer pessoa que delle
tiver noticia de o aprehender e participar nesta ci-
dade no largo da Assembla n. 20 e na villa do
Brejo da Madre de Dos ao Illm. Sr. teu-nte-coro-
de Andrade, qae
LOTEWIA
Aos 6:0008600.
Corre sakbado 20 4o corrento mez.
Acham-se venda na respectiva theson-
raria i raa do Crespo a 15,
meios o quintos da 2* parte
Die deulsche Nationalitael ist in Bra-
silien beretts so zablreich verireten, dass
sich das Beduerfniss eigener Pressorgane
geltend macbte, die sich die Aafgabe stell-
ten, die Interessen der in Brasiiien leben-
den Deutschen zu besprechen und zu for-LBe|-PraDeieoBng|ier cesar
dern deutsebes Neben and Sitte zu bewa- serao recompensados.
bren nnd die geistige Verbindung mit dem i____________________--------------
alten Vaterlande zu erbalten nnd zn kraef-! Aos.nioo-se do engenho Ailiaitea m fregae-
tigen. Ais solches Organ ut dieseit. I Jah- Jgj^iJfc^Tfr D
ren in PortO-Alegre erscheinende, in echt Francisca da Concei?ao Paes de Mello, at que fos-
vaterlaendischem Geiste redigirte | se possive realisar a compra de
DEUTSCHE ZEITUNG
zu empfehlen, welche unter Leitung des
Hrn. C. von Koseritz 2 mal woechentlich
erschemt. Preis fr i Jahr li&, 6 Murate
6#. In Bio de Janeiro nehmen E H.
Laemmert Abonnement entgegen; in den
Nord-Provinzen wende ma sich an die be-
deutenderen Bucli haendier em Peraambu-
co, na livraria econmica, roa do Crespo n.
2, defronte do arco de Santo Antonio.
Neues Abonnement vom 1 Januar an.
Aos 80 dminos para o carnaval.
Na rna do Raogel n. 10, 1* andar, tem para ala-
gar dminos de diversas qualidades, como sejam,
de velbutina, ditos avelludados, ditos de cambraia
de cores, ditos de ganga de diversas cores e qua-
lidades, ditos de seda a diversas qualidades, por
precos razoaveis por ser grande a quaotidade, cujos
precos sao de 34 a 59, e de 104 a 1S4 ; s para
acabar.________________________________
Arrenda-se a casa e sitio n. 235 na roa Im-
perial, com grandes commodos, sendo o sitio lodo
murado com grande altara, empossibillta ser eva-
7a""hlhota <*M'0 ranca-se toda propriedade com um portao de
08 Diineies, jerr0j esti g (rataB0 para D0|ar penna d'agia :
da 5 lotera os preteodentes podem dirlgir-se a, ra estreita do
(48). a beneficio da igreja de Nossa Senbo-. Koagto b. n-, armatwn do Mofaira.
ra do Rosario da freguezia da Boa-Vista,
caja extraerlo ser no lagar e hora do
costume.
Os premios de 6:0000000 at 100000
serio pagos urna bora depois da extraccSo
at as 3 horas da tarde, e os outros depois
da distribuido das listas.
As ancommendas serio guardadas so-
mente at a noite da vespera da extracto
como de costme.
O thesoareiro,
Antonio Jos Rodrigue de Souza.
-^Aloga-se a casa dos LeSes, na roa dos Praze
res, com soto, e comoiodos pira f.milia.
Precisa se de urna ama para casa de ponca
familia : oa ra do Hospicio a. 62.______
Precisase alagar urna preta escrava para o
servido interno e externo de casa de pouca fami-
lia : na raa de Livramento n. 23, primeiro andar.
Casa
Aloga-se por 164000 a casa nova da roa des
Prazeros o. 1 B : a tratar na loja de marcineiro n.
8 da ra Estreita do Bosario._____
CARNAVAL.
Offerece-se por preco commodo om lindo e rico
costume completo do duque de Orleaus, regente
de Franca : na ra do Cabug n. 18, se dir quem
o negocia. _________________
O abaixo assignado tendo vendido a sna ta-
berna da roa da Guia n. 59, julga nada dever a
pessoa atguma lanto nesta praca como (ora, mas,
se alguem se considerar seu credor compareca para
ser pago.
Recite, de fevereiro de 1866.
______________Manoel Maia da Silva.
Precisa se alugar um moleque para todo o
servico de ama ca.-a estrangeira : a tratar na rna
ova n. 21.___________________________
Para IOS mesaes,
Aluga-se um pequeo armazem com porta de co-
cbelra, no fundo da c>-_ ue quina n. 8i na ra
dos Pires, sendo i' rna do Sebo, o qual pode servir para alguma offl
ciaa ou qualquer estabelecimanto : a (aliar na ta-
berna da mesma casa.
Na ra do Hospicio n. 25 tem ama negrinha
scravo na nrat. esperta e diligente para andar com minos
conormidade do papel firmado por aquella senbo-: paraser alagada.----------------------__-----
ra, a quem desde Ja previne de semelbante oecor-1 Est por alagarse o primeiro andar do so-
rido : gratifica se a quem quer que o prenda e o brado da roa do Agoas-Verdes n. 86 : a
leve ao referido engenho ou a sua legitima possui- raa das Cruzas, sobrado n. 9,1 andar.
dora na ra do Campo Verde da Ireguezla da Boa
Vista.
Joaqaim S. P. de Siqaeira Cavalcanti.
COSINHEInO
32 precisa-se de
Jos Gomes Villar
com loja na ra do Crespo n. .7,
convida aos seus devedores do ma-
to e desta praca a psgarem seos d-
bitos quanto antes, principalmente
os qae jderem a mais de seis mo-
zos.
INJECCAO BROW.
Remedio ioMlive. as agnorrheas antigs
e recentes, nico deposito na pharmacia
ranceza, ra da,,Gri n. 22 o ao pro$o d
3*000,
podem ser procurados das 10 oras
manhia as 3 4a larde.
Alvaro Caminha Tavares da Silva
Dr. Joao Thome da Silva.
m
s
no armazem da bola amarella no oitao da secreta-
Hada polica recebem-se encoramendas de fogo
do ar para dentro e (ora da provincia.
Deposito de pao e de cestas
Ra larga do Rosarlo n. 36, acham-se constante-
mente ptimas melancias das Curouranas a precos
razoaveis, sao grandes e fraseas para mimosearse
Na raa da Aurora
um bom cosinbeiro.
n.
_
P. MOUSTB, foriK*
cedor da Caza Imperial d Exerri'o
francez, garntese qw aja-hfu.r
pessoa podera sem dor nem perico
I ivrar-se e seos caUm. Esta invea-
cSo : privilegiada em varios poize*
reconhecida ofBcialmente eCra/
por 15 nacMs, premiada com me-
dalhas de 1* r 2* classc c apf>roi wki
por diversas academias e pelo Y.\
Presidente da Junta de Hvgiwn d
,ui;e.'v;i,i,"jiia'c.M_.. m.
Guerra fez -se em Paria experieiKia-
sobre mais de 2000
Mearlo livres t seos caitos -, igwl
resoltado foi obtido m$ gserasti*
do Rio de Jsoeire. Mais de 3000
pessoas ja se tese carado com estas
Limas. As proras do qae
ma e os a (testados
prospecta, que se di do
Casa principal em Para, 9
Eugne, 18, Agente twrm Un
o S' M. O. ABRANCHES.
da Alfandega, JV* 10. w Cmu.
dMNlMMralfa ~
.Aelectriddade
. edieo* a lanado, pata
. mol esla i, aaesa
mrdicafes.
A eleetridMat arod
superioridade iacaalaala-J, ca
dar aba loa, e de poder ser
A causa a a-f
. nba, racaa af a*
Qaando se MMe
parta da tai palia, ai
o laxar eodolorido ca
explica o reaHada aiLiaaulnal ajM *******
dir am apparet ItUitca. Par iaaa> arana
praier em
a de BiTilHen
Eugene, 48, e_ Par-,
apparelbo
WMM
i tarar acal aeaaara aatra
que a leal ex penan
saoo_ __bo
caan o*B-
a-n
teWal
aEstai
'*
a A peaedeoMitaa
a establee na depoiMa de
Rio da Janeiro, em roa i 5a
ra *o* do Ommidtr, U.
Pernrnbacj, pbansacia 1
Maurer A C, raa Nova n. 18.
atol.
Maaoel Ouarte Rodrifors,
a. M, saca sobre a eidada di
praso.____________
mmmm
O Dr. Joaqulm Jos de Ctmpos, tendo ne-
' cessidade de aoseotar-se desTa cidade por alguns
das, previne a seas clientes que Oca encarregado
de suas causas o Sr. Dr. Jaeinlho Pereira do Reg,
o quai pode ser procoradn todos ps dias nteis,
menos as quiotas-feira, ao escriptorio do mesmo
1 do pateo de Pedro II.
Precita se alagar am moleque para o servico de Di; Ca*0- s*f'Ao
casa, sendo Sel e s bea conduca : a tratar ao ar
sena! do marioba com Horacio Co;lho.
Da-se bolas dieirjsas para vender, pagando-
1 se a-veodagem ; na ru le S. Gongato U. SO-
Os abaixo assigoados declarara ao corpo do
commarcio que dissolveram a sociedad* que tinham
na taberna do becco do Campello n. 1, a qual gy-
rava sob a firma de Brito di U, ficaodo lodo o ac-
tivo e passsivo a cargo do socio Brito, e o socio
Horeira desonerado, de qae elle nao podera fazer
reclamacao alguma. Recifo 16 de Janeiro de 1866.
Jos da Souza Pereira de Brito.
Antonio Moreira Porto.
Diccionario grammatical
portugaez
POR
JOS' ALEXANDRE PASSOS
i vel. e_8 com cerca de quatracentas pigisas.
Esta obra pelos importantes arligos que conlm,
6 do malor ioteresse a toda a pessoa encarregada
de iecciooar Itogua portugueza ou desejosa de
habilitarse para o magisterio, a geralmeote a to-
dos os que quizerem aperfeicoar-se no patrio idio-
ma. O autor esmerou se, e coaseguio, tornar
sea trabalbo superior a todas as grammaticas exis-
tentes na lingua portugueza, tomando por modelo
os livros de grammatica transceodoot que ba so
outras liogoas. _a> .
Est se publicando esta obra no Rio de Janeiro,
e assigoa-se na livraria Econmica (em Prnam-
buco) roa do Crespo a. f, defronle do ama de
Sapto A-tenio.
Preco da assigeatura 4*- ___________^
ARCHIVO PITORESCO
Reoebeu-se pele vapor ingiez a 9* caderneta do
8 val. desta interessante jornal; roga-sa ae Srs.
assignanles que iada a pao ri;ceoera, quelram
ter a bondade mandar procura-la na livraria Eco-
nomica roa do Crespo n. i,
0 abaixo assignado scienlifica ao publico e baile maseo, cora qwDs i
especialmente ao corpo do commerclo, que ceden i rao um eonfortavel lause, viafca de
a sua loja na ra do Qoeimado n. 39 a seus cal- ; dades, cat, cb, earvtja, soraslas, invado bm-
Precisase de ama ama paral
aliar para pequea tamil a : a un
Hospicio D. 80.
Jornal das Pamilias
pablicacit easal, illastrada, Hilan-
ria, artslica, recroalira ole
Ornado de Ogwioos, vjahetaa, %wmm safcre
ac, aquarellas, sepias, pecas da
da (raba hos, sobre ulagarc, de erectal.
meia, lia e beadadea, f
em geral de lodo o que e eaacerwaat a
de senhoras.
Publica-se no Bio de Jaaeire.
Preco da aasignatora t$ por aaa.
Reaetorm-si assagaatarae pava a *
interassaate jarata, am Paroaafcnw,
Econmica defronte do arco daSaala \t
da se acham tambem a veada eolhaedw
annos anteriores.'
f<.KSTAl\lvT"
No oitao do tbralro ha-sa
to para deseaoco das pessoas
aw acatado
xeiros Jos Luiz da Mello a Domingos Jos Anta
nos Guimaraes, para continaarem o mesnio nego-
cio, sob a razio social de Mello, Guimaies & C-.
fkaodo o abaixo assignado coromanditarlo em dlU
sociedade, cujas bases consta do contrato qae re-
gistroj na estacao competente : approveita a ac-
casio de noticiar aos interessado?, que flcou oom
o activo e responsabilisado a solver o sen passivo e
' por virtuda disso livre a nova firma e qualquer
i ontts. Recife 8 de fevereiro de 1866.
i Joaqaim Rodrigues Tavares de Mello.
bem trages e mascara*, lado por ida aaiaa pr^e
que admira, ltenlo o ealad > das eousts : a admi
alstrador j bem conhecido da rapazeaib, aada
poupar para baan servir. ^_____ _
Achou-sa ama sdala joau eaas om ac-
menlo : quem perdn dirija a
tria, casa terrea n. 78 junto a bastea
Precisa da orr.a
casa de pequea familia :
dependencia n. 5.
ama ejL
a tratar ao praca *a
m

m i i -


**

Diario de ft*eraa
afcbado
erelro de 1886.
AMA
Precisase e orna aaa para cooiprar e coimhar
para ana paaaoa : pa roa de Borlas n. rf, segn-
Hmaiiiini
m 0 solicitador Miguel Jote da Almeia |
Pernambuco participa aos seosconstltuio- 3
| tes e ao publico que tera o seu escnpto
ag rio na ra do Imperador n. 39, primeim m
2 aolar, onde pode ser procurado para o _.
H exarcicio de sua proflsso das 8 horas da
| mantia as 4 da Urde, dos dias uteis.
Smmhi imiim
Precisase alagar urna ama forra ou escra-
va para comprar, coeinbar e engommar: na ra
de HorUs n. 71 ._____________________
Na praca da Independencia n. 33, lo]a de
ourives, compra-;e ooro, prau, e pedras preciosas,
e tambora se fax qaalquer obra de encommenda, e
todoe Hoalqner concert._________________
Aluga-se o segundo andar do cobrdo 0. 6
da ra da Guia : a tratar no 1" andar.
8Alogam-se duas casas era Sanio Amaro
assobradadas, com sota, com bastantes
cocamodos para familia, sendo urna na
a ra da fundicao e ouira no correr da ra
*Sk da Aurora ao p da ponte do Sr. Starr a
K ral ar com Jos ongalves Ferreira Cosa, j
alL &
* a* *** ****
~ O Sr. Jo5o Xavier da Fonseca Capiba-
ribe rogado a apparecer na livraria n. 8
da praca da Independencia, a' concluir o
negocio que desde outubro se compro-
metteu.
ANA
Coupanhia Gdelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES KM PERNAMBUCO
Antonio Luii de Oliveira Aieredo A C,
competen temen le autorisados pela direc-
tora da compantiia de seguros Fidelida-
de,tomam seguros de navios, mercado-
rias e predios no seu escriptorio ra da
Crui n. i.
Paia escriptorio.
Aluga-se o primelro andar da casa da ra da
Croz n. S, proprio para escriptorio, mnlto fresco,
com vibta de mar e por preco coromodo : a fratar
no escriptorio do sobrado junto n. 3.
O Dr. Carollno Francisco de Lima San-
tos contina a morar na ra do Impera-
dor n. 17, segundo andar, tecdo alias seo
gabinete de consultas medicas, logo ao
entrar, no pnraeiro.
O mesmo doutor, que se tem dado ao
estado tanto das operagSes como das mo-
lestias internas, prestase a qualqoer cha-
mado, quer para dentro quer para fra
da cidade.
N. O. Bieber & C, sucessores, sa
cam sobre o Rio de Janeiro a vista ou a pra-
zo conforme se convendonar.
duca#o primaria e se-a
cundaria. B
N fnslitoicao de Jeronymo Pereira Vil- g
lar, na roa larga do Rosario n. 22, nao jw?
s se ensinam as materias que constl-
tuem o curso regular de primeiras letras
como is disciplinas preparatorias para a
faculdade de direito ; cojas aulas estaro
abortas no dia 8 do presente Janeiro, e
serao regidas pelos mesmos professores.
ttaijnes para a Baha, Para e
Haranbo.
Antonio Jos Rodrigues de Souza na ra
do Crespo n. lo, saca a vista ou a prazo
-nmrnuuao,
Oompaahia geral liespanhola de seguros mutuos
sobre a Tida
ATORISADA PELO REAL DECRETO E 2! DE DEZEMBRO DE 1889
Cana flanea em dinheiro, depositado dos cofres do estado, garante a boa ad-
miaistraco da corapanhia.
BANQUE1R0S DA COMPANHIA* DIRECgO GERAL
O Banco de Hespauha Madrid: Ra do Prado n. ie
Esta companbia liga pelo systema mutuo todas as combinaefas de supervivencia dos segu
ros sobre a vida.
Nella pede se tazer a subscripcao de maneira que em nenhum caso mesmo por morte do
segurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao tao saprehendentes os resultados que produzco as sociedades da ndole deA NACIO-
NAL,que ainda mesmo dmlnuindo urna terca parte do interesse produzido em recentes liquida-
cues ecombinando-o cora a mortalidade da tabella de Depareieux qne adoptada pela companhia
para seus clculos e liquidares, era segurados de idade de 3 a!9 annos, ama mposi;o.annaa.
de 100$ produi em efTectivo metlico:
Noflmde 3 annos.......1:119*300
de 10........3:9424600
de 15........11:208*200
de 20 .......30:256*000
> de 25 .......80:331*000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospectis e mais informales serio prestadas pelo sub-director nesta provincia,
oaquim Pinza de Oliveira, rnadaCadeia n. 52, ou a Boa-Vista roa da Imperatriz n. 12, estabelecl-
mento dos Srs. Raymundo, Carlos.Leite & Irmio. ________________
Tinturara
AO GRANDE S MAURICIO
PROCESAOS APERFJEI^OAOIS
PARA
Tinglr, llmpar e lustrar a vapor.
F. A. SAL
29 Kua 7 de setembro 29
Defroate da "ra aova do Oovidor (Rio de JaBeiro)
Os proprietarios deste estabelecimento, o primeiro no sea genero no Brasil, por
trabalhar com as machinas mais aperfeicoadas para tingir e lustrar, de que se faz uso n
Europa, eajudados por alguns dos melhores officiaes de Paris e Lyo, podem assegn-
rar seos freguezes urna perfeicSo no trabalho, a qual seno pode chegar pelos proces-
sos ordinarios.
Tiogem, lavam, limpam e demofam com a mai r perfeicSo e brevidade qualquer
qualidade de fazendas, tiram nodoas e limpam secco sem molhar as sedas e as vestimen-
tas de senhoras e de homens.
E. & H. LAEMMERT, NOVA PUBLIOACAO.
Acaba de aahir dos prelos de E. & H. Laemmert, em cuja casa se acua venda, as-
sm como as principaes Hvrarias das provincias.

DE
A.HYVERRAT^C-
99Ra do Imperadora-99.
Deposito de joias francezas por atacada
Casa em Pars e Re de Janeiro. \
Receliem directamente por lodos os paquetes.
m
m
DEPOSITO DE CALCADO g
m FABRICADO .VI CASA DE DETEXgO M
JK Roa Xovan. 91. i
xk Ah se encontrarlo obras de di- n
versas qualidades, e por preco mui ?
diminutos, a retalbo e em porces. &
S se vende a dinheiro.
mmmmmMm mmm mm
.SaiDui Power Johnston k Corapanhia
Ruada SenzalaNova n, 4.
AGENCIA DA
Fnndicao deLow Moor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Mcendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nhOj
Arreios d<' carro para nm e doos cavallos.
Refugios de o uro patent inglez.
Arado americanos.
Machinas para desearocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costnra.
1
Joo da Silva Ramos, medico m
pela universidade de Coimbra, d B
consultas em sua casa das 9 as
H horas da manha, e das 4 as 6
da tarde. Visita os doentes em suas
casas regularmente as horas para
is.o designadas, salvo os casos ar-
gentes, que serJo soccorridos em
qualquer occasiao. D consultas aos
pobres que o procuraren! no hos-
pital Pedro II, aorwte encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da
maobia,
Tem sua casa de sade regular-
mente montada para rebeber qual-
quer doente, ainda mesmo os alie-
nados, para o que tem commbdos
apropriados e nella pratica qualquer
opperacSo cirurgica.
Para,a casa de sade.
Primeira classe.. 3^000 diarios.
Segunda dita____3,5500
Tercetra dita .2(5000
Este estabelecimento j bem
acreditado pelos bons serricos que
tem prestado.
O prdprietario espera que elle
centinue a merecer a confianca de
[qui; sempre tem goxado.
GARRAUX DE LAILHACAR & C.
LBRAME FRAfpiSE
Rna do Crespo m. S.
LIVROS NACIONAES E ESTRANGEIROS
RegioPhilosophia JarispCnlencb Littera-
tura SeiBcia e artea.
Papelaria, objectoa para escriptorio.
Alupa-se urna sala cora doos quartos no pri-
meiro andar do sobrado da rna das Crozes o. 41:
quem quizer dirjase ao mesmo sobrado, das 10
horas as 3 da urde, ou a taberna contigua n. 41,
on a rna da Mangueira n. 6.
MEDICINA DOMESTICA E POPULAR ,
contendo urna therapeutica completa ou exacta descripgao de todas as molestias in-
ternas e seu tratamento ; a cirurg a oa tratamento das molestias externas, e urna
minuciosa instruccio para diferenles operarles que repentinamente se possam tor-
nar necessarias; conselhus praticos as mulheres no estado de gravidez, directorio
para o parto c seus accidentes, cuidados aos recem-nascidos; principaes molestias
da infancia; as sciencias accessorias ; a anatoma, [ uysiologia. hygiene, materia me-
dica, descripeo e applicaco medicinal d>s plantas indgenas al hoje conhecidas,
nogoes a respeito do uso das aguas mineraes, etc.
POR
THEODORO .1 II LAH^fa A AR11
tinclo pela "faculdade de medicina do Rio de Janeiro, cavalleiro da imperial ordem da
Rosa, da de Christo, da real ordem dinamarqueza do Danebrog, da sueca da Estrella
Polar, condecorado com a medalba de ouro do Mrito, da Dinamarca, membro de varias
associaces scientificas; autor do tratado completo dos partos, traductor do texto do
Atlas de anatoma de Bock, etc.
3 vols. com 2,180 paginas impressas Ilustrados com 236 figuras, prefo, encad. 16$
O presente novo diccianario de medecina, devido ao talento de um medico distinelo,
j por urna longa pratica de 30 annos, j por obras de reconhecido mrito sobre a mede-
cina, oceupar sem duvida um lugar bonroso entre as publicacoes anologas. Ao passo
que ella se recommenda ao profesional pela grande e preciosa copia de conhecimentos e
investigares scientifleas, o leigo, dotado dealguma inteligencia, fcilmente seonven-
cer que a obra justifica o titulo de diccionario de medecina popular e domestica, petes
noces claras e precisas que encerra acerca da importante arte de curar e de prolongar a
vida. O autor, longe de contestar o merecimento de algumas outras obras do mesmo ge-
nero, com tudo nao pode deixar de notar que quasi todas ellas laboram n'uma falta sensi-
vel, qual a de terem por base o systema seguido por escrptores europeus e calculado
para as circunstancias da Europa. L onde os mdicos abundam, onde ao lado do cura
da aldea ha tambem um facultativo, e onde os transportes sao facis, comprehende-se a
justificavel reserva dos ditos escriplores, com que, deixando de traiar muitos casos em
suas obras, insistem n'um tratamento por facultativos. Mas no Brasil, to vasto, to falto
ainda de mdicos e recursos por grandes povoacoes, e onde os meios de communicac3o
s5o to escassos, se carece de urna obra que suppra, quanto razoavelmente fr possivel,
essas faltas e inconvenientes, collocando o homem curioso e intelligente, o pai de familia,
c fdzendeiro, etc., que vivem longe dos grandes centros, na posico de, com acert possi-
vel, applicar elle mesmo es recursos opporiunos e adeqnados aos males que alYli^em a
humanidade. Ora, o nome do autor do presente diccionario, os solidos estudos qne fez na
Europa, e a sua longa pratica adquirida pela maior parte no interior do Brasil, que o ba-
bilitou a conliecer as necessidades a que prov este seu trabalho, parecem ser garantas
mais que sufficienles para o cabal desempenho da tarefa que tomou sobre si, assim como
para o bom acolhimento desta importante obra, que alias traz em si os melhores titulos
de recommendacao.
PIIOTOGIUPIIIA
artstica americana
RA DO IMPERADOR N. 38.
Artista americano
Artista americano.
Artist-i americano.
Artista americano.
RetratosRetratosRetratos.
Em porcelanaNiepcotypie.
Em lencosArchrotypie.
Em vidroAmbrotypie.
Em metal=Daguerreotypie.
Em papelTalbotypie.
No grande salo da ra do Imperador n. 38
No grande salo da ra do Imperador n. 38
Neste estabelecimento tiram-se retratos
em todos os systemas, com asseio e promp-
tidao, desde as nove horas da manha
at as cinco da tarde ; assim como tem
sempre a venda grande sortimento de cai-
xas finas de diversas formas. Quadros
ovaes Passepartouts e todos os mais ob-
jectos e productos chimicos, relativos a ar-
te e receidos ltimamente dos melhores
fornecedores de PARS e Nova York, tendo
de tudo, para todos os gostos e para todos
os precos.
Salo da roa dp Imperador n. 38.
Salo da ra do imperador n. 38.
AGUA FLORIDA
MURRAY & LANMAN
A agua florida de Murray A Lanman
olhada como um artigo de perfume, nao
tem podido ser igualada pelas preparaces
as mais custosas: conserva seu aroma, co-
mo se formasse parte da prenda a que ella
se applica.
Sua eficacia to delicada, como elegan-
tes sao seus multiplicados usos, qur seja
empregada como artigo detoucador, qur
no uso do banho, ou como suavisador da
pelle, depois, que se tenlia feito a barba;
j para limpfcr as gengivas ou aromatisar o
hlito.
D suaviflade, brUq,q-,^-.,!,cll^i i*+mm.cmmmjmw imw,i*'v"" cityftTIe se baver lavad o; al-
Kt^T-opHKrTiiatrxorr fiV|a a irritaco de erupfes ordinarias; faz
desapparecer o desagradavel aspecto dos
pannos, das sardas, do rosto, rugas e toda a
asta de ebulicoes, e d vigor e frescura a
parte onde quer que se applique. Sua efi-
ciencia e- elegancia sao igualmente infalli-
veis nos casos em que seja preciso applica-
la como estimulante e antisptico, nos con-
cursos e assemblas numerosas, as loca-
lidades infeccionadis, na alcova de um en-
fermo, assim como um antidoto excelen-
te para os desmaios causados por cansaco
ou suffocaco. Preparada nicamente por
Lanman & Kemp, Nova-York, e a venda por
Caors & Barbosa.
Joo da C. Bravo & C.
MOTA Il BjLIC iC O FORENSE
Acaba de sabir dos prelos de E. & H. Laemmert, em cuja casa se acha venda, assim
como as principaes Iivrarias das provincias.

i V
DAS
' .
JLBIN C1VIS
PELO DR. AUGUSTO TBlXElR D

\
Deposito geral em Pernamnuco ra
'.ruz n.it em casa de Caros Barboza
di
As Pilulas Catharticas
commisslo nomeada pelo
ImprsSa* por ordem do guverno imperial,'revista por urna
mesm governo, cujo parecer foi approvado pelo decreto de 22 de
dezembro de 1858.
Segunda edicto correcta, e .ayg-ipeiit&da
Um ?lame de 867 paginas impressas encadernado lo^OOO.
Acaba de ser publicada a segunda edieo, em que seu illostre autor, aperfeicoan-
do a primeira edico, apresenta, alm do texto mais correcto e emendado, um grande
numero de notas em referencia legislaco patria posterior a primeira edicto, inclusive
a das convencues consulares e a da novissima reforma hypotliecaria, vindo tambem a le-
gislaco romana e patria applicavel a casos dealforrias concedidas a escravos, ojr em
actos entre vivos, qur por disposic5es d ultima tont|de, u^priado assim a omisso
relativa a escravos para ser classifi.,ada parte e formar o cdigo negro. Na nova edi-
co, porm, ven es^a legislaco, a que c de uso mais frequente, e reufettemos os leito-
res para o que o illustre au'.or diz a tal respeito na introdueco pag. VIII nota. Sup-
prindo-se essa omisso, prestou-se grande servco ao foro, onde nao sao poucos os casos
oceurrentes nesta materia.
A segunda edico, alm de ser impressa ein formato maior econter mais 103 pa-
ginas do que a primeira, tambem augmentada com o exame feito lei de 2 de setem-
bro de 1847 sobre filiado natural paterna, e neste eiame o illustre autor analysa ocom-
mentario dessa lei feito pelo Sr. Dr. Agostinho Marques Perdigo Malheiros, ora con- -
cordando, ora discordando das opinies desse Sr. Ur. Em suas respectivas partes
tambem analysado e referido o manual do procurador dos feit' s da fazenda, obra do
mesmo Sr. Dr. Perdigo Malheiros.
finalmente aproveitando-se da segonda edico o illustre autor responde s obser-
vares que fizera o Exm. Sr. conselheiro Antonio Pereira Reboucas a alguns pontos da
primeira edico. Oesta maneira apresentada a segunda edico muito augmentada,
mais correcta e aperfeicoada, merecendo por isso toda o acolbimento dos senhoras ma-
gistrados, advogados e de todos qoe deejam conheoer a legislaco civil do paiz.
X>E AYER. .
O purgante mai* tfeeat at hoj ronkeeido.
Estns pilulas fio paramente
itaet, Tio tendo na sua corapo-
(loio nem mercvrio nem ootro
ingrediente mineral; o inno-
centes para ai criancas e pcsioaa
mais delicadas, ao mesmo tempo
que, compostas como o de vegl-
tuca mu fortes, sao bstanle acti-
vas e i'iicuze para as pesioai mal
robustas.
Estas pillas catharticas purgo e purlflco todo systema
humano sem mercurio.
Kao .e tem poupado trabalho nem despeta pora levar estas
pilulas a um grao de perfeceo tal, que nada deixa a desejar;
eao o resoltado de annos de estudos laboriosos e constantes.
Para alcancar todas as vautagens que resultio de uso de catUar-
ticos, tem-se combinado fomente as riviude$ curativa da
plantas 'jue sao empregadas na eonfeoco das pilulas. Sua
eomposifo tal que as enfermldades que esto ao alcance
de sua acoao, raras vetes podan resistl-las on evad las.
Suas propriedades penetrantes exploro penetrao, purlfioo e
dao vigor todas as partes de organismo humano; pois corrgela
a sua aeco viciada e fot recuperar a sua vitalidude. Urna das
j conseqaencias dstas propriedades que o doente-, abatido,de
d6r e dehUidade plijsio, admirase de encontrar) ao deprsssa,
J tita saudc c energa recuperadas por nwio d' um remedio to
siinpicj agradaval. '
As molestias que esto ao seo alcance sao. '
l'riHo de ventre HhtuinatUmo, Dar da cillera, A Neuralgia,
Bnxaqueca, Indigettio e mal do eitontago, HonorrkoiiUit,
PADECIHEMTOS DQ FiaiDO,
Ftbre gartro-hepatica, Gustrile, afeape BiHoias Lombrigat,
Erisipela, Hydropsia, turdez, ceguira parcial, e Paraiyria. ,
Ho aimanak e Manual de 8aude do Dr. Ayer, que se publica
todos os anuos para dlstrlbuicao gratuita, cneontra.se um tra-
tado sobre as diversas asMafSsi que estto ao alcance de
EEMEDIOB



------
Pernambuco, rna Nova n. 18 pharmacia fra&ceza de
P. MAURER & C.

TI
i
<
-i
D
B
O"
c
c
-
o
00
o
Di
Q

B
.
s
rJrJrJrJrJrJrJrJrJrJrJrJrJrJrJgB
2 -s.y s-s 2- e- tatatatatatatatatatatai J
iiifTasfhii
rl!I.>iHMIsl!l
-^-s-^2 loo a 5 m
S-gg5'S:|.<|oSS3 g|>^
"i B
!=f!S&^?cS
.2.
s 514 lis

!- .-SoSc-S,S
B J

o.-f 5 =
sf, 2 S.V -i 5 o o- 2
r?IHBfff
illt! l&l
E--o- ."o?- ~
fas- | Si ,s|<2 3
*"a a.;3n'a
llf tiiM
o-2
mi
yjrJrJrJrJrJr-JrJrJrJfJr.
PHOAMTB.
Aba-se em todas as Boticos e Drogara* do Imperio.

t

O Peitoral de Cereja

':
DE AYE
rAEA A FBOltPTA <
fjW,
Angina, de Constipaces, Tossea, Bouqnidao laflu
onza. Bronchite, Tsica primarla, Tuberouloa
pulmonares, e todas ai molestias do
Feito, assim como para aliviar
os ethiooa declarado.
, As preparaces do O. Atbr sao vendidas as prinoipae
rogarlas e boticas do Imperio.
Vende-s em-Pernambuco:
na
PPHARMACIE FRANCAISE
I oeR MAURER &f
RA NOVA H.
PERFUMERA da casa oger
Boiilevart Sebastopol, 56, Ptuiz.
Dez medalhas, a condeedra^o da Legin ] CREME LABIALE de rateo de Rmm.
d'honneur e a grande reputado que tem Ihe P0MMADA VELOURS para aiiai
. dado o publico, laes sao as recompensas que os I pelle.
serricos prestados a industria merecerao a
esta importante casa desde sua fundacao em
1804.
N'um sortimento de mais de 500 artigo*,
as pessoas elegantes escolherao os segnintes:
ROSEE DUPARADIS, extracto superfino
para-lenco.
POmtIADA CEPHALIQUE contra a cal-
vicia. ,'
AGUA VERBENA para otoucador.
OXIMEL mULTIFLOR.
VINAGRE DE PLANTAS HYGIENICAS.
TINTURA VIRGINALE de beijoim.
ROSEE DE LYS, verdadeira agua de
Jouvendo.
_______________,__________________________________________________i..... v
ELIXIR ODONTOPHILE.
SABAO dediesstWn damas
SABAO de boqoM de Fmcn.
d* de flores de alcea rosea
d* de flores prntaairet.
d* de bonquet do outosw.
> de perfumes exticos.
d* aurora, dedicado aos
rasa.'
d de flores das jncataafcat.
d de cheiro de foins oureaux.
d* de bluets cheiroses.
d* de alther. balsmica.
i* diapr, cajxa rica, tsleri fan-
sience.

;

,
rj
Na roa do Itsmim o. 24, offleina de ferreiro, de
Guilharme Daigel, ba para vender dous cabriolis
novos, aro de 4 rodas e com asenlos para 4 pes-
soas, e para ser puchado por um s cava lio, e um
de duas rodas, ambos feitos com toda a perfeicc :
quem os pretender dirjase a mesma offleina qne
achara com qoem tratar.
Euakia-e
com asseio, promptiao e preces raioavels: na roa
Angosta n.5, loja.______-________________
, CarvaJho & Nogueira na ra do Apol-
lo d. 2o, cara sobre Lisboa e Porto, a
vista ou a prazo. _______
C4SA.
Aluga-se, passaodo a tattieM de
o andar terreo em frente aos pea de
bellas acommodaedes para ttmUm t
lado ; cbave no sobrado, e para traiar i
cao da Aurora, das 9 horas di
O Sr. FraociKo Jos de P
maraes, qneira ttr a bondade de
cer na livraria n. 8 da praca da
encia.
Precisase de
ame para duas pesaoas : m
, eegoMo andar.
Brincos de cryslal o palseiras.
Na toja de oariv* no arco da Coaceici, no Re-
cite, tem os melhores qoe ha eocastoados em ooro.
Precisa-se logar na esL_
nhelra : nj roa da lapemrta a f.
Ceblas t
Na roa da Madre de Dos m. 9.






4 SALSA PARRILHa DE AYER
PARA A CURA RADICAL
de escrofult e molestias escrofulosas, tumores, ulceras, chagas, feridas ve-
lhas, bronchecole, papo ou papeira, a syphilis, erifermidades venerias on-aer-
curiaes.
AS MOLESTIAS DAS MULHER*S
retenco, menslro doloroso, ulceracBes do tero, flores brancas, etc ulcera-
do, debilidade, expoliacao dos ossos, a nevralgia e convulsoes epilpticas
quando causadts pela escrfula. i
"id ERYSIPELAS ERPES; ETC.
Enfermidades cutneas, eriipco. borbulhas. pstulas,
Bastidas, etc.
O extracto composto de salsa parrlha, coleccionado pelo Dr. Ayer, uma
combmacao dos melhores depurativos e alterantes conhecidos medicina; confeccio-
nado segundo as regras dasciencia, approvado e rcceitado pelos prxeiros mdicos dos
Estados-Unidos da Amrica do Sil e Central, dai Antilhas, do Mxico e das Indias e
militas outras partes do mundo : o resultado de estudos apurados e minuciosos e'de
experiencias fetas pessoalmente pelo Dr. Ayer, por muitos annos, nos principaes hos-
pitaes e enfermaras da America ; tcm sido approvado pelas academias de medicina e
juntas de hygienne das principaes capitaes da America do Norte; paraprova disto vede
os attestados authenticos no Almaoak e Manual de Saude do Dr. Ayer, os quaes sedis-
tnbuem gratuitamente nos lugares onde se vende o remedio.
. ,, A SALSA PARILHA DE AYER
Especialmente efUcaz na eura das molestias que tem sua origem
a escrfula, na iufeccio venrea, no nso
excesslvo do mercurio ou quaiquer Impureza do sangue.
A molestia ou infeccao peculiar, conhecida pelo nome de escrfula, um dos ma-
les mais prevalecentes e universaes que ha emtoda a extensa lista das enfermidades que
atacam a nossa rafa; disse um celebre escriptor da medicina que mais de urna terca
parte de todos aqoelles que morrem antes da velhice sao victimas, ou directa ou indirec-
tamente de escrfula; por isso s nao tSo destructiva, porm a principal causa de
muitas outras enfermidades que nSo lbe s5o geralraente attribuidas.
urna causa directa da tsica pulmonar, das molestias do figado. do estomago
e alIeccSes do cerebro; entre seus numerosos symptomas acham-se os seguintes: falta
de appetite, o semblante plido e enchado; as vezes de urna alvura transparente e outras
vezes cralo e amarellento irregul.r, fraqueza e moeza nos msculos ao redor da boc-
ea; digestao fraca e appettite, falta de energa; ventre enchado e evacuacao irregular;
quando o mal tem seu assento sobre os pulmoes urna cor azulada mostra-se em roda dos
olhos; quando ataca os orgaos digestivos, os olhos tornam-seavermelhados; obali-
to ftido, a linnua carregada; dores de cabeca, tonteiras, etc. as pessoas de disposi-
cao escrofulosa apparecem frequenlemente erupcoes na pelle da cabeca e outras partes
do carpo ; sao predispostas s affecces dos pulmoes, do figado, dos rins, dos orgaos
digestivos e uterinos. Portanto, nao s2o somonte aquelles que padecem das formas ul-
cerosas e tuberculosas da escrfula que necessitam de proteccao contra os seus estragos;
todos aquelles em cujo sangue existe o virus latente deste terrivel flagello (e s vezes '
hereditario), esto expostos tambem a soffrer das enfermidades qnc elle causa, que sao: I
A tsica, ulceraces de figado, do estomago e dos rins; erupcoes e enfermidades
erapliras da cutis, rosa ou erysipela, borbulhas, pustolas, nascidas, tumores, rheuma,!
carbnculos, ulceras e chagas, rheumatismo, dores nos ossos, as costas e na cabeca,
debilidades femininas, flores brancas causadas pela ulcerado interior, e enfermidades1
uterinas, bydropesia, indigestao, enfraquecimento e debilidade geral.
Offerecemos a estas pessoas um abrigo seguro e um antidoto efficaz contra esta
molestia e suas consecuencias na
. SALSA PARRILHA DE AYER
que opera directamente sobre o sangue, purificando-o e expulsando delle a corrupcao e o
veneno da molestia; -penetra todas as partes e todos os orgaos do corpo humano, livran-
do-os da sua accao viciada e inspirando-lhes novo vigor. um alterante poderossimo
para a renovado do sangue, e d ao corpo j enfraquecido pela doenca, forjas e ener-
gas renovadas como as da joventade.
E tambem o melhor anty-syphilitico conhecido
cura permanentemente as peiores formas de syphilis e as suas consequencias. Pouca
necessidade ha de informar o publico do inestmavol valor de um remedio que, como
este:. livra o sangue desta corrupto e arrebata a victima das garras de urna morte lenta
e ignominiosa, porm inevitavl. se o mal nao logo combatidocomenergia.
E um poderosissimo alterante para a renovado do sangue e para dar nova for-
ca ao corpo j enfraquecido pela doenca.
Sendo composto de productos vegetaes, esle medicamento innocente eaomes-'
mo lempo eflicaz, um facto- de iramensa importancia para aquelles que o tomam ; por-
que muitos dos remedios alterantes offerecidos ao publico tem por base o mercurio ou o
arsnico; e sendo assim, bem que s vezes podem effectuar curas, comtudo deixam suas
victimas carregadas de umalonga serie de males, muitas vezes peior do que o mal ori-
ginal. A uniera cousa necessiiria para obter urna cura radical seguir cotn juizo e cons-i
atncia asdiieccSesque acompanham cada frasco.
Nao pretendemos promulgar, nem queremos que se infira que esta composico a
um remedio infallivel para a cura de todos os padecimentos humanos; infelizmente
escrfula e a syphilis sao enfermidades Uto sulis as suas nalurezas, e arreigam-se to!
firmemente no systema, que muitas vezes evadem eresistem aos remedios mais pode-'
rosos que a sciencia humana pode inventar para combate las: o que dizemos que o
Extracto composto de salsa parrlha de Ayer
a melhor preparaco al boje descoberta para estas e outras molestias anlogas, que
urna combinado dos alterantes mais eflicazes conhecidos, e que esta combinaco tem sido
regulada por longas e laboriosas experiencias, e finalmente que temos consciencia de of-
ferecer ao publico o raelhor.resultado que possivel produzir, da intelligencia e pericia
medica dos nossos lempos.
Esle remedio deve ser tomado com systema e regularidade, e nao com abandono,
pois e um remedio e nao bebida.
Quando as molestias do figado n5o tem sua origem na escrfula, o remedio
mais proprio as pilulas catrticas de Ayer, que sao eflicazes na cura da molestia, que
tem por causa um desarranjo dos orgaos digestivos. Pedi a salsa parrilba de Ayer e
nao iceitai outra preparaco.
Pernambuco, ra Nova n. 18, pharmacia francezade P. Maurer A- C.
CASA DA
'os 6;
10*1
000.
t Bllhetes garantidos.
A RU* DOCRESPO N. 13 SOASAS DO COSTUME i
O abaixoassiguado vendeu oo&seus maito fuli-
jw biloetes garantidos da lotera 'que se acaben
ae tratar, a beneficio da S>nta Casa de Mise-
n v ,'o'. os fe8iinte premios:
1361 ires quintos com a sorle de 6:000.
k S5id0lis meios com >Mete1:iOO.
v "55 ,res quintos cora a sorle de 5001.
A. 8857 dous quintos com a sorle de 2001
apira* omitas aortas de 1001, 40*, e 201.
Uspossnidores podem virreceber sens raspeo-
; PARA 1860.
Acabam de ahir luz as folhinhas de
algibeira e de porta para o anno de 1866, o
mais correctat pottjvel tanto no calculo das
i e eclipses, como as diversas festas
GlUffDE EsTABELECUE\TO
DO
X
* vara naiuj
Pira
" Rr9m'?s _sem os descon,os das leisnaGasa que a igreja celebra; vendem-se nicamen-
te na livraria da praca da Independencia,
160 ris as de porla e 320 ris as de algi-
beira.
vendem-.e 400 pedras para ladrilh, vindas
dii*iJJratar_na_ ra do Vigario n. 14.______
Vndese nmsellim ingles com arreios, com
pouco oso e por prego raroavel : na roa das Cro-
*es_n. 41 A.
Attencol
Attencao I
O abaIxo assignadp agradece muito aos Srs. AtteU^^
Lastro Redondo, Jos DTnlz Jos Alves e ontrasl Grailde SOrMuieilto de fazendas nrn-
pessoas que concorreram >ara o seo transpone ;' Bm. iimcuio ue dfKHUas pro-
assim como aoSr. Jaio da RoMa Pinheiro e outros
mais, e eom especlalidade oiltu amigo Ribeiro,
sua familia, a familia da Sra. JQ, Mana Pessoa de
D. Candinha, e m muito amado
** Portuna roa de Crespo n. 23.
.. Anni-se a venda os da parte da 1" lotera
(47'J a beneficio da matriz de Pao d'Albo, que
a extrahir a 10 do correte.
PREfO.
.Bllhetes. 6000
Meios. U; ... 3,1000
Quintos.....1420O
pessoas qae eomprarem de 100^000
para cima.
Bilhete*. ./.'. 5*800
itua da isaperatrlz, 60
DE
' GAti & SILVA.
LO/A E AIIMAZM DE FAZE.NDAS.
Tendo os proprielarios de.-te prande eslaLeleci-
meoio feilo um graude aliatinieDlo em muitas de
suas fazendas, pela occasiao do balaaco que derara
no oHmbo de dezembro de 1865, te>olveram vend*
muito mais barato do que costumam atlm de cada
vez raals agradarem aos seus uuraerosos fregu-
es ; por tanto Ihes ofTerecem um avulado sorli-
mento de fazendas fraoceza?, ioglezas, as qaaes
para saias a 44o rs.
1* do Pa\5o.
' \endem-fe cilezia ondeada -eoio bumU
boa e propna.i ara salas, pe frte ,r, i
i": a v"a : I 'J tru o. 60, de Gatr.a A Silo ^m-
A salas bordada de pava*.
La. e?'S!,saias borddas sendo xei
boa sendo rfearoente Iwrdadas e rom
yoodendo-fe pelos baratos prpros fe 6i 8a
re cada ama na leja do Paa'u Da rnT*
tra n. 60 do Gama Silva* !
I PfM e aadaoBlio rafnlado.
com 12 Jardas cada pega sendo feoda mmibZ
penor pelos baralissimos precvs de 41 5j Z1
&Jlifv0aPaV D* rM d* lBpw,lru Go"o
Mi
vendero mais barato do qoe em outra quaiquer JLeafOS bra
iarte, comprometiendo se a mandar levar quaiquer *
azenda em casa dos freguezes que nao poderem v
vir a loja, ou a darem as amostras, deixando ficar vendtmso lencos braoeo* breada
o penhor, assim como convidara as pessoas, que 1 Pe, oaratissimo (.r*co de 2J a dnzla,
Meios.
Quintos.
21750
11100
0c-, 1IUU
Manoel Martins Fiuza.
6,
neRoclam em menor escala qoe oeste g
beleeimenlo encomraro um grande sortimento
[ tanto a retalbo como por atacado, vendendo-se-lhe
apenas pelos precos que compran) as casas iogle-
zas, sendo com o dinheiro a' vista.
Peehincha a 3^000 e ^500
AS MELPOMENES DO PAVAO.
Vendem-se bonitos cortes de melpomene para
vestidos de senhoras, sendo dos padroes mais mo-
dernos pelo baratissimo prego de 300O cada un.
Ditos de indiana, tendo oito e meia varas, pelo
baratissimo prego de 21-500.rs.-
Isto para acabar na loja do Pavo, roa da Im-
eos a 9$ res a
dosis.
OTO; fcq-
issoas, que i {^'u '"iino |.r*go at L'# a dnzla, D>b erm
rande esta- \ f!arr.a de f<" S*0OO to para acosar u Mo t,
lavao na ra da Imperatriz o. 60 de GaaaTSt.-
va.
Mello ea Sra. _
filho Aprigio, de cujas qRdidWjflfiuIi me esqoe
Laoreniino ap de Oliveira.
Precisa-se de urna ama para o servigo inlerno
de urna casa de pouca familia : a tratar na praca
do Corpo Santo n. 17. v
Precisa-se de offlciaes de cbirafeiro : na ra
das Crines n. 37. qu*
prias para a quaresma.
Acabado chegar a este nevo esiabelecimento peratriz ^60 "d Gamo a'svV
um grande e variado sortimento de fazendas pro
prlas par a quaresraa, a saber
GRNDE PECHIRCHAf
Lasmlias a 120 n. aa loja tfahne
_ Vende-se Isinhas preus oronclas baca inta >
0 Dr. Sarment Filho
previne aos seos doentea t. pessoas de seu
conhecimento qoe se madop para a ra
do Imperador n. 19, segirtlf andar.
ATTE^AO
^ Acha-se na casa :de Kelier & C.
B na ra da Cruz n. 55, urna carta vin-
| da do Rio de Jaspiro pelo vapor
I brasileiro Gerente, para ser en-
jp trege ao Sr. Joa> Kahl ou Kehl,
^ roga-sd portanto ao mesmo senfaor
^gc queira ter a bondade de apparecer.
mi
6r< sdenapl^s preto a 1$600 o covado.
Vende-se um grande sortimento de grosdena-
ple a 11600, 11800, 21 e 21500 o covado : dito
moitq. superior a 21800 e 3 : na ra da Impera-
triz n. 72, loja de Goimaraes & Irmo.
Moriaotjque preto a 2^800.
. tV9^.e"??.D,n Rrande sortimento de moriantiqae
a 2J800, 31 e 31500 o covado.
Chalet de renda pretos a 8-5000.
Vende se tambem nm variado sorlim.nto de cha-
\\5 re?f ** 9*500 e ,e* 5 osmuito finos
201000 ; dU03 de S6da Menda muil0 aa *
Retoudas pretas a lO^.
A;e5.!?"se retonflas Pelas pelo barato prego de
JO! e 111: na roa da Imperatriz n. 72, loja de
1 Guimaraes & Irmo.
Grande peehincha panno preto a 2#000 o
covado.
Vende-se panno preto proprio para caigas e pa-
W%LMJ> 2'5200 covado; casimiras prets
a 11800, !, 21400 e 21500 o covado.
B' muito barato corles de casimira a 3#00.
Vendem-se cortes de casimira preta a 31500
41 e 41500 ; dita muito fina a 6.
Admira cortes de brim de cores a
1,280
1. .YSJdem*se c3rles de brim fo cores para ealca a
I H280,11600, 11800 e 21: na ra da Imperatriz
i n. 72, loja de Guimaraes & Irmo.
' baratissimo a 120 ris o covado.
as toa"has de Ir lio do Pavo.
Vendem-ss superiores toalbas de linbos para
rosto pelo baratsimo preco de 71500 a duzia ou
a 640 cada urna.
nrt,ana['os de ,inno adamascado para meza a
21800 a duzia ou a 240 rs. cada um.
Superior atoalbado de lioho com oito palmos de
largura sendo branco e pardo, e vende-se mais ba-
rato do que era outro parte, na loja do Paveo na ru3
da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Ricos vestidos a 8f C00 rs.
peehincha admirare!.
S o Pavo receben pelo ultimo vapor francez
nm grande sortimento dos mais ricos cortes de
vestidos transparentes com lindas barras e enfeites
de seda, sendo estes vestidos muito proprios para
baile* e passeios, e vendem-se pelo baratissimo
prego de 81000 rs. cada nm, na loja do Pavo na
rna da Imperatriz n. 60 de Gama Silva.
Os corpinhos de seda pretos do Pav3o.
Vendem-se os mais ricos corpinhos de seda pre-
tos, ricamente enfeitados, pelo barato prego de 121
cada um : na loja do Pavo na ra da Imperatriz
o. 60, de Gama & Silva.
Orgaady a 1:200 a vara.
Cbegou para a loja do Pavo um brilbante sorti-
mento dos mais ricos organdys matisados, sendo a
fazenda mais fina qoe tem vido neste genero com
padroes inteiramente novos, e vendem-se pelo ba-
ratissimo prego de 11200 rs. a vara, na loja do
Pavo na ra do Imperatriz o. 60 de Gama & Silva.
As precallnas do pavo a 440.
Vendem-se
VENDE-SE
Mo armazem de M. a. Ramos e silva A (.fino, rna do vicario
11. 11, (cursi;,.:,miente, ossegnintes artlgos, que
por encommenda proprla de
recefrem por eocommenda
*EW-YOUM.





ima salsa parrilla de Brislol, preparada por Lanman & Kemp.
Verdadeira agua Florida, preparada pelos mesmos.
Gaz era latas-de cinco gates, o mais purificado que se pode deseiar da acredi-
tada marca F. W. D. & C.
Helogios perfeitos reguladores, com corda de qoatro a oito das, dos afamados fa-
bricaates E. N. Welcb.
Graixa em latas grandes da bem conhecida marca las. S. Masn (de Pliiladel-
pliia).
Superior oleo para machinas de costura.
Agulhas para as mesuias.
Brea em bar, icas grandes e pequeas.
.3 WI 00 Tenderse tambem:
St. Estephe.
St. Julien. PORTO
C. Bargaux.
C. Lafltte. l'qoalidae,
Medoc.
Ytoho fino da Porto Saperior vinbo doRlieno.
Cera de Lisboa em velas e em grome.
i PROGRAMMA,
No domingo 11 do correte mez tera'
! lugar a fesla de Nossa Senhora da Con-
ceigo da capel la do Honteiro com ex-
traordinaria pompa, para o que os seus
encarregados todo tem envidado.
1 Urna banda de msica tocara' na ves-
pera escolhidas pegas, como tambem ao
arraiar da aurora do da, que sera* an-
nnnciado por orna estrondosa salva.
Antes de comees a festa, o que sera'
as 11 boras, se distribulro esmolas aos
pobres que comparecerem.
Os pregadores da festa e Te-eum sao
os Rvmds. padres mestres prosadores da
capella imperial Lino do Monte Carmello
e Frei Joaquira do Espirito Santo.
As 5 horas da tarde subir' aos ares
um magnifico balo qoe fara' admirar a
habilidade de seu autor. Arreada a ban-
deira de lo eiceisa e festejada Senhora,
sera' conduzida para casa da nova juiza
em procisso, formada de consideravel I
numero de senhoras. Queirnar-se-bio !
finalmente grande quantidade de pegas
de fogo, terminando por um assalto dado
a fortaleza 1/0 Ilumayia' pelos vapores
couragadosda armada imperial, no que o
povo patriota se alegrara' em ver urna
scena de sorpreza.
Arcos, bandeiras, Landaj.de msica de
curiosos, logeles, cavalhsaa?, mascara-
dos, barracas, hoteis, muites baloes aos
ares e a presenca das interessantes se
nhoras que ja all se achara e tero de ir
sero os intretenimentos que em to po-
tico arrabalde encontrara o povo desta
cidde, que certameole as preferir' ao
de nella ficar para ver somente poneos e
deseu;.ragados mascarados vagarem nes-
se dia pelas prosaicas ras.
as mais lindas precalinas inglezas
Vendem-se riscadinbos muito Droprios para rou ProPriaf Para vestidos com largura de chita frau-
de escravos, a 120ris o covado: ditos escoce- ce" PetoWMUsIbm prego de 440 e 480 rs. o co-
vado, uoississlmas precalas com os mais modernos
desenbos a 500 e 360 rs.
Chitas escuras francezas a 320, 360, 400 rs.
Ditas cora Ooroes proprios para chambres e co-
pa
zes muito fios a 240, 280 e 300 ris o covado.
Cambraias lisas a 3.000 1 s. a peca
Vende-se nm grande sortimento de cambraias
lisas pelo paralo prego de 31, 31500, 41, 41500 e bertas a 640 rs.
irffif ?.u" fiQas a 6550 e 6*' dilM vlctoria! Dllas ioglezas claras e escoras a 200 e 240 rs.
a f ,f *' ditas de aa vara de '""""a a 81 Na loja e armazem do Pavo na ra da Impera-
e 91; ditas para forro a 11600, 21 e 21200 : na triz n. 60 de Gama & Silva,
ra da Imperatrir n. 62. cortes de eotim para caigas
a U120 s o Pavo.
Vendem-se superiores cortes de cotim, fazenda
Chitas francezas largas a 260 ris.
Vende-se um grande sortimento de chitas a 260,
iStetA 36 rs" covado dilas Podares muito eocorpada para caigas e palitots, tendo pa-
a 400, 440 e 500 rs.
Car.! raas de cores a 280 rs o
covado
Vcudemse camlraias francezas a 280,300, 320,
^uOe 400 rs. o covado.
Laazinlm a 3oo rs.
Laazmhas de quadrinhos a 300, 320, 360 e 400
rs. o covado ; ditas muito finas a 500 e 560 : na
dr5es escuros e alegres, "e vende-se pelo barato
prego de 11120 rs. o corte de caiga ou a 320 rs. o
covado, sendo esta fazenda grande peehincha pelo
prego.
Brim pardo entrangado a 700 e 800 rs. a vara.
Dito liso muito encorpado a 640 e 700 rs. a vara.
Dito branco entrangado a 11280 r., isto pe-
chincha na loja e armazem do Pavao na ra da
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
ra da Imperatriz n. 72, loja de Guimaraes & Ir- Os cortes de cambraia branco bordados na
maof.
Cortes de laa a 5^000.
loja dj Pavo.
Vendem-se os mais ricos cortes de cambraia ri-
Acaba de chegar a este importante estabeleci- camente bordados com barras e babados a 201 ca-
rnelo um sortimento de cortes de laa que se ven- da um : na loja e armazem do Pavo na ra da
de por 51 e 51500; ditos a Mara Pia, fazenda Imperatriz n. 60, de Gama & Silva
muito moderna a 12, 141, 181 e 201; ditos com Cortes de chita a 2*000
camisinha, cinta e gravata a 251 e 281. ra -wwn
ROUPA FEITA POVAO.
Vende-se um completo sortimento de roopa ei- Jendem-se cortes de chitas inglezas com dez co-
ta felta. assim como sejam palitols, caigas, coletes, I SSL 5L a a,*
namicoo r.......*e.\n ...bRa Ditos com onze covados a 21200.
camisas francezas a 11600 e 1S800; ditas finas a!
I 21 e de linho a 2500, 3} e 31500 seroolas de
11200, 11400 e 11600, de linho a 21 e 21500 : na!
I ra da Imperatriz n. 72, loja de-Guimares & Ir-
mo.
Ditos com doze covados a 240O.
Ditos de chita franceza com dez covados a
-- pretas proprlaa para luto
do boa fazenda a 120 rs. o rotado. Diu
unas de goadriohos a 480 e 320 r., d.us tatolea-
das a 400 rs., ditas mathizadas a 320 i#l *los
transparentes com palma de tdas 400 r*. dita- li-
las e com salplcos a 500 r.. para acabar m b u
armazem do Pavo na roa da Imperatriz o. 60. -
bama & Silva.
Poupelinas modernissimas a 400 e 500 rs.
o covado na loja do Pavo.
Vendem-se ponpelinas n.uiio fina* sndo bteoS
muito moderna de quadnoho* o tiza veaSeaooo
pelos baratos j-recoa de 400 e 300 r*. o rov.d oa
loja do Pavao na rna da Imperatriz o. 60 de Gaaa
a Silva.
Bretaahas de roto a 3*400
Vendtm se pegas de hretanha de rolo nn |n
varas cada pega, pe!o baratissimo prego e 11 -
na ioja e armazem do Pavo, roa da Imomucz a
60, de Gama & Silva.
rosdenaples pre Vendem-se .-upenores crosdenaples prri-- c-k>
baratlssimos pregos de 11500, 11600, IIWjo 21
o covado, sendo fazenda mnio bao, so para aca-
bar : na loja e aroaazem do Pavo, roa da Io>or-
ratriz n. 60, de Gama & Silva. ^^
Bramante de linho do Pavo.
Vende-se superior bramante de liooo o>m 10
palmos de largora, prrprios para leore*. orto*
baratsimos pregos de 31 e 21600 a vara, aswn
como panno de lioho mnuo fino peles barati*.-iao
pregos de 640,700 e 800 r?. a vara : na Mi e ar-
mazem do Pavo, rna da Imperatriz a. O, e Ga-
ma & Silva.
As casi-as da patas
Vendem-se cassas mnito operiores rom liados
padroes, pelos baratos pregos do 300 e 320 o
covado, ditas muito finas a 360 rs. para aeaaor :
na loja do Pavo, ra da Imperatriz o. 60, de Ga-
ma & Silva.
Cambraias lisas do Pari.
Vendem se pegas oe rambrala lisa mnito ofe-
rtar, pelo barato preco de 31200 e 31500 > pT
dilas muito finas a 51, 61. 71 o 81: na l-j e
armazem do Pavo, ra da Imperatriz a. 60, e
Gama & Silva. .
PECHLNCHA !
a 2000, para caifa.*, s t Pari.
Vendem se saperiores cortes de swia rasmira
com msela de seda a 23, ditas Garihaiotoas a
1800, dllas escoras a 21800, oa a 11600 o cova-
do : na loja e armazem do Pavo, rna da lanera-
triz n. 60, de Gama & Silva.
PENTEADORES
ou roupss de cambraia bordados proprios
para as senhoras vestirem de maoba.
Chegoo esta oovidade paia a k>ja do Pave.
muito lindos e de melbor gosto al boje, p..r pr--
cos muito razoaveis : na loja do Pavj.i, roa da
imperatriz n. 60, de Gama A Silva.
COIares Royer oa colares ano-
dinos
para facilitar a dentigao das criaoras e preserva-
las das convnisde*.
O feliz resultado obtido imrr. ,-u reze- :\
prodigiosa forga magntica dos eoJ*;. Royer, dm
casos de convolsdes, e dentico das erran a. lew
alumente elevado o seu bem roerecid r'"~<*0*,
e hoje j se pode dizer que esto geralae:. -ja-'
ceiluados, e estimados de lonnmeraveis pas o>
lamillas : de uns porque do uso dess>.s salatares
colares viram salvos do perigo seas charos lbi-
nhos, e de ootros porque colheram daquelles lio
proficuo exemplo para igualmente preserar ss
seas. Assim, pols, a ag'uia branca, toado em vis-
tas a ntllidade e proveite desses prcdigioos rola-
"ll "o tama n ,iiii:c/.a cun ue irvaoos 1 n. ...Ji... n __' ----m r.-----------
31200 s na loja e armazem de fazendas do Pavo LtlSSl.^25 ra,Dd:H1 VT w,?0 ,orto-
Ama
Precisa-se de urna ama forra
saiba cozinhar e engommar : na
triz n. 4.
ou escrava que
ra da Impera
Atten$io.
No dia 3 para 4 do corrente mez furtaram do
engenho Limoeiro, freguezia da Escada, omcavallo
melado cora dinas, cauda e ps pretos, nalco de
um dos lados tem o conro das qoeixadas grosso,
tem a tesia junto a ponta do focinbo um tanto pe-
lado, bastante ardego, anda a passo, urta-passo'
at meio, e nao tem ferro por ser1 nascido no mes*-
mo engenho, est fazendo a segunda muda : anern
o trouxer ou der noticia do ladro receber 1001
de gratificago.
Ama.
a ra da Cadeia do Reeife d. 50 precisa-se de
urna ama para cuziohar.
RO!itni:n\
1.a qoalidade.
Principe Real.
Pedro V.
Mara Pia.
Princeza V. Isabel.
Vctor F.mmanuel.
Duque.
Malvazia.
Pedicuro, participa ao respeita-
vel publico que ello tem praticido
cora bom resultado aquel'a arte, du-
rante urna residencia tfe maij, de 11
,, annot nos Estados-Unidos e Allema-
nha, e veto offerecer seus servicos a
quem delles precisar, dorante os pd-
eos das que lhe possivel demorar-
se nesta cidade. Cura para setnpre,
os calos de quaiquer qualidade, sem
Antonio Alves de Oliveira Iiraga de S. Ro-
mo, participa ae respoiuvel pnulieo e principal-
mente ao commercio, que desta data em diante ao
asslgnar Antonio Alves de Oliveira Braga.
IVeesa-se de alugar um moleqoe ou preto
para tudo servlco, tendo fiel, pagase bem : na rna
da Roda o. 6.
D. BLUM


com isto causar a menor dor ao pa-
ciente em 10 minutos, como tambem
d remedio s unhas defeituosas dos
ps.
Pode ser procurado no hotel da
Europa das 8 at as 10 horas da ma-
nba, e visitar casas particulares,
dando lhe o nome da pessoa que o
JjDCura, o da ra e o numero da
casa.
COMPRAS
"TTT-----i-------------1------ir-"i------------
Compra-se ooro, prata e pedras preciosas,
em obras velhas : na rna d Cadeia do Reeife,
cja de ourives no ?rco da Conceigo.
Comprase carosso (sement) de algodao: no
armazem de algodao de Saunders Brothers & C.
no caes de Apollo.
.----------------------^--------------------- .-i..i.------------------------------------ ......-. .i-
Compra-se urna casa terrea em quai-
quer urna das ras desta cidade; e que nao
seja em travessa: a tratar na ra de Hortas
casa do fallecido Loureiro._____
Compra-se nm par to malas usadas, em bom
estado : na loja de cera da praga da Boa-Vista.
Compra-se um escravo que seja-mogo, sadio
e sem vicio: oa ra larga do Rosario n 34, bo-
tica.___________________________________
Cofre.
Compr-se um cofre em segunda mao : no ar-
mazem da^bolla amarella no oitio da Secretaria
da noticia.
Cobre, lato e chambo.
Compra-se cobre, lato e chombo: no armazem
da bola amarella no oiio da secretaria da polica.
Compra se nm escravo pega : na rna do
Crespo n. 17.
*- Comprase om santoarlo de Jacaranda' e"n-
vidragado com 4 ou 5 palmos de bocea, e em per-
feito estado : qoem Uver aonancia para ser pro-
curado.
uro e praU. "
Em obras velbis : compra-se na nraca
Pregos para estuque e tabique.
Vende-se em barricas ou a relalho : a ra do
Queimado, Azevedo 4 Irmo.
Vendem-se
machioas americanas de serrote para descarogar itunon
algodao : na ra da Senzala rtova n. 42. Capas
na ra da Imperatriz n. 60 de Cama Silva.
Os chales pretos de renda do Pavio a S000 rs.
Vendem-se os mais ricos chales pretes de renda
com quairo ponas, senda muito grandes pelo ba-
ratissimo prego de 85.
Ditos de guepure a lo, 181, 201, 251.
Retondas de dito a 101.
Manteletes de renda, lazenda muilo superior a
e sauthambarqnes de grosdenaples bor-
Vendem seduas armag6es de taberna e cai dados, fazenda inteiramente nova, por pregos mais
xoes para amostras, e canteiros, por prego multo baratos que em ontra quaiquer parte.
commodo : a tratar na ra da Aurora n. 74, so- Isto na loja armazem do Pavo na ra da Ira-
brado que estar se concertando. peratriz n. 60 de Gama & Silva.
Para
vendem-se garrafas e botijas vasias e lava-
das : na ra da Soledade n. 38.
- Vende-se orna escrava crioula, de 18
annos de idade, qoe sabe coser perfeiiamenle e fa-
zer labyrintho, vmda ha pouco d'Agoa-Preta : na
roa da Punte Velha n. 4.
Peehincha
uto vende o Pavo.
Setira da China cora 6 palmos de largura, fazen-
a jQ | da preta para luto, propna para vestidos e roupas
para homens, sendo esta nova fazenda sem lustro e
de muito'boa quabdade, garantindo-se nao licar
russa com o tempo e vende-se pelo barato prego de
21 e 21500 o covado, assim como neste esiabeleci-
mento tem um grande sortimento de todas as fa-
zendas pretas como sejam cassas e chitas pretas,
las lapadas e transparentes, princezas, alpacas,
sarjas, etc. : na loja e armazem do Pavo na roa
da Imperairiz n. 60, de Gama & Silva.
Os baloes do Pavao.
Vendem-se superiores baloes de mogulina com
com
Ka rna do Queimado n. 40
Cortes de laazinha de cor, bonitos gostos,
15 covados a 31600.
Cassas organdys de cores, covado a 240, pocas i moita roda a 51., ditos crinoiines eom '35 arcos a
de algodozioho largo rom 17 varas a 41. ; 31500, ditos com 20 e 25 a 31, ditos para meni-
Ditas de dito com 17 varas, muito encorpado, nas> sendo brancos e encarnados a 21 e 23500 :
com pequeo defello, a 41500.
Grosdenaple preto muito superior, covado 2.
Dito dito a 11800.
Retondas de renda preta a 101.
...Chales de renda preta a 81.
LaotiJlas.
A loja da Aurora, na ra larga do Rosario n. 38,
receben sortimento de Iantijelas multo delicadas e
proprias para quaiquer enfeite, assim como tarar
bem reeebeu lavas de Joavin brancas o do cores
para bomem e senhora, muito frescas, chegadas
palo ultimo vapor, tud j isto na loja, da Aurora,
roa larga do Rosario, n. 38.
i na loja do Pavo na
Gama & Silva.
rna da Imperatriz o. 60, de
Carnaval

Os chales de pavo a 2ooo e 2oo rs.
Vendem-se chales de merino estampados a 21
e 2800 cada um.
Ditos de merm liso a 31500.
Ditos estampados de crepon a 61, 71, o 81000.
Ditos pretos bordados com franja de seda a 141.
Na loja e armazem do Pavo na ra da Impera-
triz n. 60 de Gama & Silva.
Cambraias de forro a 1<$600 e 1& na loja
do Pavao.
Veodem-se pecas de cambraia de forro com no-
ve varas cada pega, pelos barallssimos pregos de
11600 e ti: na loja e armazem do Pavao na rna
d Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os cortinados do Pavio.
Vendem-se superiores cortinados adamascados
Na rna estrella do Rosario n.' 21, 1 ando, alo- i 2?,ra cam,as pel b"alissimo freC '* "d* P,
i ditos multo finos ricamente bordados para camas
on janellas a 151, 209 e 251 o par: na loja e ar-
mazem do Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Panno pretu a 20 na loja do Pavao.
meDto que agora receben, e eontlnoari a receb-
los para que em tempo algnm a falta delles
ser funesta aos pas de familia, os qnaes fiearao
certos de os achar constantemente na raa do Qaci
maao, loja d'aguia branca n. 8.
^"^^K^K^K^ffs
^Grande armazem de tin-
S tas medicamentos etc.
Boa do Imperador i. 22.
"joo Pedro das Mores (0L
reate) tem a vcui'a o
m seguate:
Productos cbimicos e pbarma- 0
S ceuticos os mais empregados em |
ac medicin.
Tintas para todo o genero de pin- 1
l tura e para tinturara.
Productos induslriaes e tintas i
para flores, como botdes de tares j|
e modelos em gesso para imitar W
fructas e passiros com o compe-
lente desenho.
Proluctos chimicos e industraes *
para photograpbia, tin'uraria, pin-
A loja da Aurora, na ra larga do Rosa lo n.
38, vendem-se luvas de pellica mofadas a 500 rs.
cada par, ditas de seda tambam com mofo a 100
rs. o par, muito proprias para brincar estes dias
do caraaval : na r$ia larga do .osario n. 38.
Carnaval.
tura, pyrotecnia et\
Montado em grande escala e sup-
prtdo directamente de Pars, Lon-
dres, Hamburgo, Anvers Lisboa
pode offerecer productos de plena
eonfianca e satisfazer quaiquer eo-
commenda a grosso trato e a reta-
lho e por preco commodo.
m
m
gam-se ricos vestuarios de phauazia muilo bara
ios, a 61, 51,41 e 31 de aluguel, para hmeos e
meninos : assim como vendem-se ricos dminos
novos, e de muito gosto a 6* e Sf cada om.
'.........*
ENCAJVAMENTOS
PIRA AGU
Na roa Nova o. 30 fazem-se e concertam-se en-
cinamentos, assim como bombas para agua.
dependencio n. 22, loja de bilhetes.
da ln
Compra-se urna escrava que saiba cozinhar
e engommar : na rda do Crespo n. 18, segundo
andar.
Na rna 4a Cadeia do Recito, loja n. 41, com-
pra-se om cabriole! com ponco uso.
Compra-se nma escrava trae saiba eozmbir e
engommar: a tratar na raa Bella a. 3.
Vende-se panno preto. fazenda muito boa, pelo
barato prego de 21 o covado, dito muito fino a
31500, 41, 51 e 61, assim como casimira preta de
cordo a 21 o covado : na loja do Pavo na ra da
Imperatriz o. 60, de Gama & Silva.
Cortes de la a Maria Pa na loja do Pav5o.
Vendem-se os mais ricos corles de la a Mara
Pa, pelos baratisslmos pregos de 71 e 8, ditos
muilo finos a 101, 121, 161 e 201: na loja do
Pavao na roa da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Os espartilhes do Pav5o. -
Vendem-se urna grande e variado sortimento de
espartilhos dos mais bem feitos qoe tem 'viudo ao
mercado, sendo de todos os tamanbos, vendendo-se
por om prego mnito razoavel: isto na loja do Pa-
vo na rna da Imperatriz o. 60, de Gama & Silva.
Cortes de cambraia com palmas na leja do
Pavao.
Vendem-se cortes de cambraia branca com pal-
mnito commodo : na rna das Cinco Poma'nriifT Ima8'sendo 'enda mnito boa pelo baratissimo
- Vendfl-se-r^haiirT^;! n : 5re0 d-e **800 Para acabar: na loja e armazem
o quasl^ novo por prego do Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de Gama i
na roa do Vigario n. 19, i .
engarrafado de differentes qoafidades, em barris
e ancoretas :
Vinho da Figueira em barris.
Cera em velas.
Carve animal.
Alfazema de Lisboa.
Cal de Lisboa.
Tlrt
nv
Acaba de segar impressa pavo siaso esta lia**
e deseada quadrlllia extrahida da otorta cmbc
d e Offonbak, pelo director e regenta a orefcesora
do tbeatrd de Santa Isabel, Colas ~
A' venda em casa do Sr.
armazem de msica. Cada i
a rna Nova,
USOS
roa 4a
Ceneja gelada
Ha diariamente a venda por prego commodo :
no armazem da Lfga, ra Nova n. 60.
Vende-se urna escrava crlonla de muito bo-
nita flgnra, com 17 anuos de idade, e duas crias
Albas da mesraa, sendo um macho ontra feraea, a
ambos molatlnhos e muito tosidos, todo por prego
' na ra das Cinco Ponias o. 140.
maito commodo ; os ra de S. Gongilo a. JO; I Silva.
Vende se cert amarella :
numero 10.
Vende-so nm grandlto~i
te : Urna casa terrea coa bmoo o i
do urna grande cisterna no qautal
agua ; orna estribarla graode aaoexa ; dm
ga eom tres bofi destinados ao servigo 4a _
coja carroga proda dianameMo e seis a sete atii
reis de reodimento pelo trasUSo 4o vOMsr aras;
uma machina de pilar milito, caf e arroz coa aseW
os seos utencllios e em per feilo estad ; loas ba-
beos no mesmo sitio om grande acode, rajos ana*
banha ama graode parte do ierras aproa
a planta de canoas, capia, ele.; existe
no mesmo sitio, grande quantidade
a saber : 1800 ps do laranjtira., SOS pe
metras, 30 ps de jaqueira, 4 pos de a
2 ps de fructa pao, 4 ps de jambos. 11
polis, 6 coqoeiros, 1900 eafexeiro* o ana fiado
porcao de bananeiras, annanax, etc.: ojoea o pre-
tender dirija-se a Pedras de Fogo sima Fara>
nba a tratar eom Ignacio Jos de Vas*?arefle8 ent-
rador no mesmo sitio.


*
**


,
Diario e rnnnliM safcftado ate rerereiro de roo*.

N. 11Ra do QueimadoN. 11
A' casa de Augusto Porto chegaram plo vapor francez ricos corte de
vestidos de seda de odre dos mais bellos gostos, proprios para bailes,
partidas oa casameatos*
Chales de Guipare pretos e brancos.
i Bonets de palha da Italia para senhoras.
Moir branco e preto.
Bonita seda para vestidos,
Casemkas de quadros,
Esteiras da India para salas.
Madapol5es fraucezes a 400 e 500 rs, a vara
Ias para vestidos de diversas qualidades, e
gostos diffreentes,
Q que tudo se vende pelos mais commodos presos.
W
LEIAMTO
KOVOS GERENTES
DOS
TRES GRAfBE
mmm m holahdos
DENOMINADOS
PROGRESSIVQ pateo do Carmo n. 9 b <
UNIO E LOMMERCIO ra do Queimado o* 5fii
VERDADEIRO PRINCIPAL ra do Imperador o. 40
BE
ni
-i
9
ea>$
DUARTE CARVALHO PE MR A #C.
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidadejaos senhores de ea-
genhos, lavradores e mais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
beraram- os proprietarios dos tres graodes armazens, reunir to$6s os seus estabeleci-
mentos em um s aonuncio, pelo qual o preco de uq ser de todos, promette-
CORTES DE SEDA
Chegaram pelo paquete inglez riquissimos cortes de moreanlique de cores,
PJes inteirameute dovos. tfAAA
Seda de quadros por 10000 Q covado
5RA DO CRESPO5 ti
Gregorio Pae do Amaral dr. Compauhla
e seda lanada pa-
FAZENDA8
G0ST0
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai puMisdo, aanunciar os geoeros 0Dfi grandes volumes com diccionario
MIMO MEDICWMGICO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LORO MOSG08O,
MEDICO, FARTEIRO H OPERADOR.
3Ra da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso di consultas gratuitas aos pobres todos os das dat 7 is II
aoras da manhio, e das 6 e meia as 8 horas da noite, excepeao dos das
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio ba sempre o mais appropriado sortimeoto de
tobos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisacoes e pelos preco*
Carteiras de 12 tubos grandes. 12400O
de 24 tubos grande*. (81000
de 36 tobos grandes. 241000
> de 48 todos grandes. 3OIO0O
> de 60 tubos grandes. 35*000
Prepara-se qualqaer carteira conforme o pedido que se fizer, e coa os
me se pedir.
Um tubo a valso ou frasco de tintura de meia onca 16000.
Sendo para cima de 12 custarao os precos establecidos para ss cartearas.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
IM VIIOS.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do
por um preco, e na occasiao da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em outras muitas casas, jporm nos nossos estabttecimentos nao se dar isto
anda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
erao tambem servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualqaer enganosv remetiendo nos urna conta
pela qual se ver os presos tal q*al annunciarmos, o/que se nao arrepeader pessoa
alguma que 6zer soa despenda em nossos estabelecimfutos; pois poupar mais de
5 por centola sua despea diaria. ^f.
bada um em seucar-
iennes de fil e de i
Para vestidos de senhora.
Cortes de seda de c6r de bom gosto e superior qualidadt
Lindas sedas de quadrinhos.
Bons moireantiquese cores.
Grosdenaples da tois as cores.
Lindos poil d s cbevre fazenda assetinada de inteira novu aae.
Lindas duquezas assetinadas fazenda inteiramente nova. I
Modernos greaadines de seda o que tem vmdo de mais nave.
Grande variedade de laas de cores lisas e de salpicos.
Oraaadys e cansas de maito bom gosto.
Percalias modernas com grande variedade.
Lindos cortes de lia Clotilde com todos os pertences
"^I^rSSircomtarnt tambam inteiramente ^
fazendas de gosto que seria eafadonho mencionar.
Para hombros de senhora
Grande variedade de chales, bournous, retonde3 e alge:
guipare a 10, 16, 20, 30, 40, 60 at 800.
Modernos soutembirques de Seda de superior qualidade
Lindos bertes de seda de cor pretos e de cachemira,
dem de cambraia branca bordada com muito gosto.
Sautembarques e bournoux de cachimira de cor e outtos mudos artigos de
bom gosto.
Para cabega de senhora
*i Superiores cbapelinas de palha, de seda e de crina de multo bom gosto a m-<
(ft peratriz. ...
m Chapeos de pilha da IUlia grande variedade.
? Lindos gorros e bonets de-palha de Italia, Imperatrtz,
*V e a Grante, chegados de Paris pe'o ultimo vapor.
'*% Grande variedade de enfeites de froco e de flores para casamento.
Superiores vestidos de blonde, e de moireantiqae brancos.
Bons nnireantiques brancos e superioresi sedas braocas.
Bons vestidos de tarlatana branco bordados.
Lindas mantas de bloade e boas capellas.
Bordados*
Grande variedade de ntremelos bordados transparente e tapados. ,
Tiras bordadas transparentes e tapadas, babados bordados, saias bordadas e;
outros maitos artigos. ', ,_,; "I ^
LOJt DAS COIiUMWAS
C0RREI4 DE VASCONCELLOS ]UAtfTEIr*
Manteiga ingleza perfeitamente flor che-
gada oltimamente a l.ooo rs; a-libra, e
em barril ter abatimento.
Manteiga franceza da safra- nova a 8oo rs.
a libra e em barril ter abatimento.
RANHA
Banba refinada superior
barril ter abatimento.
CHA
Cha uxim de primeira e superior qualida- i
da2,8oors;
dem hyssen o melhor ueste genero a
ir. :
____Vinagre
SuperiOBvinagre de Lisboa a 2,ooo rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ha
mais baixo ii$2oo rs. a garrafa e l,4oors.
a caada. # -
Azeite doce
Superior azoite 'doce de Lisboa a 64o rs. a
a 64o rs. e em' garrafa e a 5,ooo rs. a caada.
f|MO CAPORAL.
Latas comsufierior fumo caporal a l,8oo
Medicina domestica do Dr. Hering
Repertorio do Dr. Mello Moraes..........
Diccionario de termos de medicina.........
Os remedios deste estabelecimento slo por demais conhecidos
tanto de serem novamente recommendados as pessoas que quizeresa
verdadeiroa, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode
rerdadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservacae, tintara
lados estabeleciraentos europeos, a mais exacta e acurada preparaco, a
energa e certeza em seus effeitos.
Casa de saude para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enferraidade ou fazer-se-lbe
operacao, p ira o que o annunciante julga-se sufficientemente habilitada.
0 Iratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na
funccionando a casa ha mais de quatro annos, ha muas pessoas de cajo
pode duvidar, qae podem ser consultados por aquel les que
doentes.
Paga-se 2 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 15300.
As operacoes se rao previamente ajustadas, se nio se quizerem aojeilar
razoaveis que costuma pedir annunciante.
ospr, flsoaa a
Paasa
Superiores paisas a 2,5oo o quarto e
2,600 rs., e sendo em porcSo ter abatimen- 9,3oo rs. a caixaalerarroba hespanhola e a
iiCanutier, Clotilde'
I
DE tffTOIHO
RA DO CRESPO M. 13
..r<
t, tambem ha proprio para negocio de 2 a
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de l,8oo a 2,5oo rs.
a libra.
nlscontos
Latas com superior biscouto ingler de di-
versas marcas a l,2oo rs. a lata.
Rolaehfmkas
Latas com bolachinhas da acreditada fa-
brica do beato Antonio, proprias para dar a
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata.
dem com quatro libras de bolachinha de
soda a 2,ooo rs. a lata.
Queijos
Queiios flamengos chegados pelo ultimo
vapor de 2,3oo a 2.5oo rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespanhol a l.ooo e l,2oo rs.
a libra, francez e suisso a l.ooo rs. a libra
e portuguez a 800 rs. a libra, em porcSo
ter abatimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Velho Secco, Lagrimas do
Douro, Maria Pia, D. Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a l,ooo a garra-
fa e 9.000 a 12 ooo rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3.ooo,
3,5oo e 4,ooo rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 64o
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
anceretas de 8 e 9 caadas a 24,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,ooo a caada.
56o rs. a libra.
GEWEBRJl
Genebra de larahja verdadeira a lo,5oo a
duzia e l.oob rs. ao frasco.
Genebra de Hollanda verdadeira a 6,ooo-
rs. afiasqueira e aS6o rs. o frasco.
Idom de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da unas.
Garrames com 24 garrafas de genebra de
Hollanda a 8,ooo rs. o ganvifo. Tambem
ha garrafoes com 5 e 14 garrafas de 3,2oo a
6,ooo rs. cada um.
VELAS
Velas de spermacete a 64o rs. a libra.
dem de carnauba de lo a 12,ooo rs a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
PEIXE
Peixe em latas j preparado de l.ooo a
l,2oo rs. a lata
ALPISTA E PAINCO
Alpista e painco muito novo de 3,8oo a
4,ooo rs. a arroba e de 14o e 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS.
Superiores charutos do fabricantes Simas,
Imperiaes, Delicias, Parisienses e outros de
2.2,5oo e 3,ooo rs. a meia caixa: tambem
temos Suspiros, Havaneiros, Ligueiros e
outros muitos que vendemos por mdico
preco.
Ucores
Licores francezes e portoguezes a l.ooo e
l.ioo rs. a garrafa ou frasco.
Doces
Do:e daca
tas a l,2ooo caixo e ,8oo rs. a I la.
Frota
Frutas em calda e em latas fechadas her-
AItMAZEM E FAZEWDAS
'C.
DE
CUSTODIO CARViLHO *
27 RA DO QUEiMADO N. 27
Madapolo francez muito fino, tendo pouco mofo, cada peca
10*000.
Lia de c res a 300 rs. o covado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a preco de 800 rs a vara.
Lencos brancos para algibeira a 2$ 00 a duzia.
Fin s perclaras a preco de 400, 440 a 560 rs. o covado.
Ricos cortes de 15a de barra de 105 a 30,5000.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.
coa 27 varas aor
Novidades do Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Este estabelecimeoto apezar de sempre
' se acbar bem sorlido come todos sabem,
, boje mais que nunca, nao s pelo que rece-
da goiaba em caixoes e la- ^ ^e gua pr0pra conta, toas tambem pelo
' que recebe de consignares; parece sem
duvida que deve offerecer grandes vanta-
tantoem
e co-
gens para o respeitavel publico
meticamente, muito bem eofeitadas, conten- precog como na escoiha dos 0bjectos
do pera, pecego, ameixa rainha Claudia, al mo acaba de chegar grande remessapelo
'perche e outras frutas a oo is. a lata.
Caixas cora urna duzia de garrafas de su-[Tambera ha latas grandes para l,2oo rs. a
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa e lata.
RIJA DO BUM 38*
O proprietrio deste eslabelecimento deseja chamar a attencao dos senhores pro-
rritarios aos acreJitados mechanismos que continua afornecer; os quaes garante ser
como sempre, da melhor qualidade posavel:
]ik(Miias de vapor
forca de 2 Va cavallos para cima. As menores s5o mui proprias para motore sde
descarocamentos de a'godko; as maiores para moer canna; ha tambem que podem junta
(u separadamente moer canna e descarocar segundo soas proporcoes. Estee vapores
sao simplissimos na construcco, e se regem por qualquer pessoa intelligente, a facihda-
de da conduccao sendo especialmente considerada, tanto que nSo ha lugar em que nSo
ilas-e podem-se applicar a qualquer moenda j existente sem outra mudanca do que
a substituido das rodas da almanjarra. Ellas tem depsitos d'agua e boeiros de ferro,
) nao precisam para o seu assenUmento de obra alguma, qur de carapina, quer de al-
onara. O tempo para assenta-las nao excede de doze dias ao maisy e em casos de
mor les de animaos ou arrombamentos de acude?, etc., garante-se o assentamento era
oito dias. Lembra-se aos senhores de engenho que a venda dos animaos e o servido da
?ente occupada no seu tratamento osh5o de recoperar da maior parte da despeza do
vaoor deixando-lhes a vantagem de urna moagem certa o accelerada; e acabando com a
despeza da compra continuada de novos an'maes. com os desgostos do trabalhaque
se tem com elles. M
Roda d'agua de Cerro, mui maneiras e moendo com qualquer altura
' Sarllhos eoia crnzetaa de ferro para as mesmas, quaado se desege fazer
o re*to da roda dfljnadeira, .tmoaodo-se assim a roda ligeira no trabalho. .
n*>em&m de caatoa de todos os tamanhos, desde as mais pequeas chma-
las do serta. Ara petMU^eql feitio e aconhamento. i
Rodas de espora e anajularea de todos os tamanhos e proporcoes.
Paroca bu eticbea para receber o caldo.
Crlvo* de foirnalha para assentamentos, frescos para o foguista, fazendo
grande cal r com pouco combflstivel, e duradouro.
Portas de foroallu de todos os tamanhos e de diversos systemas.
Foraos c mtanos para a fabrica de farinba e tambem chapas redondas
,para fernos pequeos.
Bombas simples e de repucho.
Tal xas de ferro batido e fundido e de cobre.
Formas de ferro batido galvanisado para purgar assucar, leves para carragar
isemplos de qoebrar-se. '
.Jamaiqus de ferro de todos os tamanhos, custando s a terca parte do
proco dos de cobre, mais regulares na distillacao e igualmente duraveis.
filaos e rodas de carro cora (uaug s de patente, obra mu segura para
cari egacSo de peso. .
Arados, gradea, enchados a cavallo e outros instrumentos de agri-
cultura. E finalmente lado o objscto de que possa precisar um engenho.
Machinas de descarocar algodia
Na fabrica se fazem obras novas encommenda e colearlos, com a maior preste-
za c solidez. O gr.mde deposito de pecas e objectos habilitam-na muito para este fim.
O proprietrio ser sempre mui feliz de poder tr occasio de dar informafoes ou
oclarecimentos aos senhores qde se servirem de seu prestimo.
D. W. Bowman, eogenheiro.
AZEITE DE REFINADO
Superior azeite francez refinado a 8,ooo
rs. a garra'a e a9,ooo rs. a duzia.
MOLHO INGIEZ SAUCE
Molho inglez Sauce em frascos grandes
com rolba de vidro a l,8oo rs. o frasco em
7oo rs. a garrafa.
IFK
Caf do Rio de 1.* e 2,* qualidade de
6,8oo a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra. *
SARAO
Sabio maca de primeira qualidade de 18o. duzia ter abatimento.
a22ors. a libra e de 16o a 21o rs. sendo BATATAS.
em caix5o.
Serveja
Superior servej a Bass dos melhores fa-j
bricantes, como sejam: Shlers & Bell. T. F.
Ashe a 7,3oo e 7,ooo rs. a duzia e a 7oo rs.
a garrafa. Tambem ha de outras marcas j
como seja: Victoria e Alcope a 5,ooo rs. a du-
zia e a 5oo rs. a garrafa.
BOIOES VASIOS.
Boi5es vasios, louca ingleza muito pro-
pria para manteiga e deposito de doce de 4
a 12 libras a l,2oo e 2,5oo.
FARINHA DO MARANHO.
Farinha do MaranhSo a 240 rs. a libra.
SAG*.
Sag muito novo a 4oo rs. a libra.
ARARUTA.
Ararota verdadeira a 4oo rs. abra.
Pinwntav cominbo, crato, canalla, ervadoce, alftrzema, tijoflo para limpar facas pa-
litos para denles, palitos de fogo, e ootros muitos gneros que se ternaria enfadonho
mencionar, aflancaodo cinceridade nos presos e Obojn acondiconamnto de qualquer
gen ro.
.....m------------------w*
Gigos com 3o libras de batatas a l,ooo rs.
o gigo.
SARDINHAS.
Latas com sardinhas de Nantes e Lisboa
de i oo a 46o rs. a lata.
FUMO AMERICANO.
Superior fumo em cbapa a 640 rs. a libra
ERVILHAS
Latas com ervilbas e feijSo verde j pre-
parado 64o rs. a lata.
MASSA DE TOMATE
Latas com 1 libra de massa de tomate a
64o a lata.
VERMUTH
Esta bebida muito fresca e estomac 1 e
muito propria para a presente estagSo. a
qual vendemos a 2,ooo rs. a garrafa e 184
a duzia.
" II.i-------1------------r------
ROMANCES BARATOS
Vendera-se, na livraria da praca da Inde-
pendencia n. 8, a 400 rs. O volume, os ro-
mances portuguezesseguintes, embrochura:
A voz do sangue, 2 volumes.
Connemara, 2 ditos.
A noite de S. Silvestre, 1 dito.
O ftlho de Titiano, 1 dito.
Adonis ou o bom negro, 1 dito.
As du-js amadas, 1 dito.
O pacha de Buda, 1 dito.
Trilby, 1 dito.
Ignez de l Sierra, 1 dito.
Joven Siberiana, 1 dito.
n
Veode-se sal grosso : a tratar oa ral da Ma-
dre de Deas o. i.
Veode-se urna cata na Estrada era, tea
commodos para familia, e maito propria para ne-
Korio, a qual tem bous moradores qae nao tem
fallad* ae seas pagamentos : a tratar defronte no
estabelerment do Sr. Ignacio, estrada qae segu
para o Cachangij__________.________________
Tesoros pira encrespar baba dos,
Vendera-se tosouras para encrespar babados
de duas, tres, quatro e ciqco pernas : na roa do
Qaeimado, A te ved & Irmos._____________
" Farello
em saceos grandes a 4jjRS00: dos armazens
da Taiso frm5os. '
"^"Vede-se a taberna da raa do Rosarlo da
Boa-VIsu o. 33, bem a(regseiada. por sea dono se 1
querer retirar para fra da provincia : quero,pre-
tender dinia-se a meso taberna, que a vstase
tari negocio.
Vende-se ama carrosa com boi e um novilho
maito proprio para criar: om Santo Amaro, con-
fronte ao chafarU, taberna, a tratar com Antonio.
do_Eego ledeiros.
Queijos de sertao
Vndese superiorqaeijo do serUo i na
Madre de Deo?, armazem junto a igreja.
! Gomipa de milh) branco.
americana
Esia prestes* fcula, caja propriedadea medt
cines a imprensa europea unto tem exaltado para
1 a cora das molestias do peito, recommenda-se tam-
Ibera como alimento sadio e nutritivo para as crl-
------- ancas, prestando se a variados prepares carinarlos.
A geral aaitacao que ella tem oblido por toda a
roa da' parte o sen maior elogio : vende se uaicameote
1 na roa do Imperador n. 87, armarem Altianea.
vapor Douro e o navio Solferino de
diversos objectos de gosto e proprios do
tempo dos quaes se mencionarlo alguns,
por nao ser possivel mencionar todos. O
dono deste eslabelecimento espera a pro-
teccao de todos.
Riquissimas caixinhas ornadas e com
msica'propria para um delicado mimo.
Caixinhas de msica tanto deveiocomo
de corda.
Ricos porta joias e necessarios.
Riquissimos est jos a feitio de um bausu
nho ou chapeuzinho.
Ditos em casca de noz e de outros gostos.
Leques de madeperola de sndalo e de
faia e madeira.
Chapbsinhos e touquinhas de muito
gosto para enancas.
Meias e sapatinhos de seda para as mes-
mas.
Meias de seda para senhoras.
Capellas e grinaldas de flores proprias
para casamento.
Enfeites e capellas de muito gosto para
seuhora.
Riquissimos porta boquels.
Boquet de flores com urna borrachinha
com cheiro.
Luvas verdadeira de Jovio.
Ditas-de seda eda Escocia.
RkiWseimas planas e guarnices para
enfeitar chapeos.
Contas e tubos de ac branco, que ha
muito se desejava para enfeites.
Brincos, flvellas e cruzes d crystal.
FiveUas e cruzes de tartaruga, madripe-
rula e dourados.
AlfinejLes para grvalas.
Botpea com croas para punios.
Gravaiinhas e mantinha* da muito gosto,
tanto para aomem como para seniora.
Riquissimos adereces pretos, assim como
caixinhas com a'finetes pre,to.
Bengallas de canna com cabo de marflm.
Ditas de baleia, borracha e de outra
muitas qualidades, assim como chicotinhosT
Riquissimos peales de tartaruga do ulti-
mo gosto; assim como de arregaco para
menina, pois neste artigo ba um completo
sortimento de todas as qualidades.
Diademas para cabeca do ultimo gosto.
Riquissimas fitas avradas e lizas.
Trancas pretas com vidrilho e de corea.
Pulseiras tanto para senhora como para,
meninas.
jMde8eda_ede algodio.
Suspensorios de seda e de algodS e mui-
tos outros objeetos que se n3o podem anr
nunciar por nab se tornar enfedonho.
S no Gallo Vigilante ra do Crespo n. 7.
MACHINAS DE PATENTE
DE TRABALHAR A MO CARA DK3CA-
RgAR ALGOOAO
FABRIAM POI
PLART BBOTHHS&C.
OLDAM.
18 arrobas por dia ou cinco aiiaam a al
godo limpo.
Assim como machinas para sen
das por animaos, que descar^cam 18 i
bas de algod3o limpo por dia; e
para mover urna, duas ou tres
chinas.
Os mesmos tem para vender
mo vapor que pode fazer pover i
machinas mencionadas; para oque cobt-
da-se aos senhores agricultores a vireai ver
e examina-k), no a mazem de algodao, ao
largo da ponte nova n. 47.
Manadera alia>aaWa 4k C.
Recife praca do Corpo Santo n. II.
Os nicos agentes neste pas._________
~0 eastello de rasviDe.
TraiMie aafraacet par i. J. L aa Craa.
Vende-se este bailo roauace eaa avsti
tomos pelo baratissimo proco 4a 3#00C
oa praga da Independencia, livraria as.
8 e 8. -~
Framcisco Jos Qcnnano
RA NOVA N. K,
acaba de receber naj liado e antMca sar-
timento de oculos, luoetos, iairaaaaVltaa
timo e mais apurado gosto da Ewoaava ta-
los de alcance para observacoea apara aa
maritimos.
Manual io Ckdo
Vende-se o Manual do CidaCat cal aan
Governo Representativo oo priaofisa a
Direito Publico Constitucional Aaawetra-
livo e das Gentes, por SUvestaja Paaiii
Ferraira, as 3 volumes brriHiraaa por U
oda obra : na livraria n. da praca aa
Independencia.
Veodearetj Mpertoret ftmmtm t Wiwpfce
ha, cheadof nido vasar: aa raa i Trapa.
ebrn. 9,
Roopas fetas de toaat aa
Vndese napa fcHa, mea
pardo a V, dtta feria bnamSe
o U calcas de easemira prett U,
lis de cores, tnrta raselr>, a 3# t
de casemra a 64, 71 e 8*. ftmm
cordal,3*000*, mm i
a USO, Sihx UaJmm NOva 3*j
easemira de cores a SJ, S,7, |n
panno prete a 6*. 7, 8 e 101, c
1*600, decaeemlra 3A AA
Moas
peitos de cores a 2* e UD80, dita Ii a R-
de pregas largas a 1*500, 3* 3*31: m
da Impertirla. ki|a da Arara a. fa.
Lovs de Jauvia arelas e aaUraa
tam
Chegaram para aloja de
lado D, 10.



*


i

i
. r
DlAtf ate gjMliPMff -m^p^tt fr^crdi de
1866.

NOVA LOJA
ENCICLOPDICA
*S Una da Imperatrii armazem
da porta larga ftt.
Jun a nadarla f radceza de
Paredes Porto.
Neste esto beleci ment encontrartaj respeiuvel
publico nm variado sertimento de laiendas france-
xas, lif;letas, gotosas e allemes, qae se venderlo
por prego commodo.
Paredes Parte
Vene e chales de rendrde cores que se vende-
rn a I89 est vendendo por 6#, diies pretos, fa-
zenda nova, 5, 6*. 8 a 20, um sortimento com-
pleto de manteletes, capas e soolamharques 14* a
23*. Ra da Iroperaint n 42, junte a padarla fran
ceta, armazem da porta larga.
Paredes Pcrto
Rece.ieu nm completo sorllmento de liasiahas a
240, e 280 rs. covados, para acabar, cambraias de
cor a 2U) rs. o covado, riscado escossez-para roo-
Kde menino, fusio de nbo a 430,400 e 500 rs.
a da ImperalrU n. 52 junto a padaria francesa,
armazem da porta larga.
Paredes Porto
Receben para cortinados para cama ranceza a
11* a pega canbraia lisa tina a 3,J 4* at 10* a
peca, cortes de tarlatana de bonitos gostos a 34300
e 4, cambraia cora flor de seda, gqstos ioleira-
mente r ovos a 400 e 500 rs. o covado, ne armazem
da porta larga n. 53, roa da Imperatriz junto a pa-
daria ranceza.
Paredes Porto
Rece u pelo ultimo paquete nm sortimento de
ernzes .som pedras para o pescoco, bonitos cazinels
de lia |iara pescoco de seohora. Ra da Imperatriz
n. 53, armazem da porta larga.
Paredes Parto
Vende cortes de gorgurao preto para vestido com
31 cov.idos cada um 35*000, grsdenaple preto a
14600, 14800 e 24 o covado, I5as lizas finas a 400
rs. o covado, lias de quadrinbo para vestido, enfes-
tada, a 3X0 rs. o covado. Ra da Imperatriz n. 52,
armazem da porta langa.
Ronpt feita
' Ra da Imperatriz n. 52 armazem da porta lar-
ga junto a padarla fraoceza, enconi.ra-se neste es-
tablecimento nm completo sortimento de paletos-
saceos e sobrecasacos, de todas as cualidades, cal-
cas, cohetes, ceroulas, camisas, grvalas, mias,
chapees de sol, ditos francezes para cabeca, por
precos coromodos, roapa para menino e ontras
ailas azendas por precos commodos, armazem
da pon;, larga.
No rresmo estobelecimento encontrar o respei-
tavel publico, sempre um completo sortimento de
roupas fetas de todas as qnalidades, como sejam
paletos de alpaca preta e de cor, ditos sobrecasa-
cos a 44 e 54, ditos da brim pardo a 24800, 34 e
34500, ditos linos a 44, ditos netos cazemira a
34500, t* e 54, ditos cazemira saceos a 64, 74, 84
e 104, c itos sobrecasacos a 10 e 124, ditos de pan-
no saceos a 64, 84 e 104, di-:es sobrecasacos a 194
e 254, ditos de merino preto a 64, 74 e 104, cal-
cas de brim de diversas qoalidades a 14800 a 44,
diios brancos a 24500 e 400, ditos cazemira 54,
64 e 74, ditos pretos a 54, 64, 84 e 104, ditos
metas cazemiras a 34 44, coletos de diversas
qoalidades, seroulas rancezas de algodo, ditas de
liubo, ditas de bramante a 24 e 24500, carnizas de
algodo de linho francesas de 24500 e 34. Gran-
de pecoincba neste genero, grvalas de todas as
qoalidades e brancas para casamento, grande sor-
timento de meias para senhoras, ditas pan bomens
a 34, stiperiores a 34590 e 44-
!Ura completo sortimento de chceos de sol de
alpaca a 34, ditos de seda a 54, 74, 104 e 144,
itos francezes para cabeca, grande ortimento
a 64-
Pechiuclia admiiave!.
Grande sortimento de chambres a 44600 e 59,
lences de carabraia para homem a 34 a duzia, di-
tos de liohoa 44 o -54-
Grande sortimento de roupa para-meninos e on-
tras multas qnalidades que seria edfadonho men
cona-las.
Paredes Porto
Recebeu pelo ultimo paquete rancez ricas las
granadinas com flores de seda a 400 e 500 rs. o
covado, esto acabando-se, cambraia preta para
luto. Porta larga junto a padaria -ranceza, a ra
da Imperatriz o. 32.
Paredes Porto
Receben pele ultime paquete esparlilhos a pre-
guicoso por 3$, sao bous, lencos de seda para se-
nbora o homem a 1, ricos cortes de cambraia
bordados de lg a 7}f, por ter nm toque de mofo,
esto se acabando, na ra da Imperatriz n.52, jun-
to a padarla fraticeza.
Paredes Porto
Venda um completo sortimento de fazendas
brancas, como sejam madarolaoa 44500, 54, 64 e
109, petas de algodo por barato-preco, cbia frao-
ceza a 240, 2SG. 320, 360 rs. o covado, precalias
muito fiaas a 360, 400 rs. o covado, chita ingleza
a 200 e 240 rs. o covado. Ra da Imperatriz n.
52, junto a p&daria ranceza.
Fazendas.
Vende-se superior merino preto proprio para ca-
pas de senuora e vestidos a 24. lustrim da China
a 14800 o covado. Ra da Imperatriz, porta larga.
Paredes Porto.
Vendo emeeu estabeleeimento-tiras e ntremeles
bordados, grande sortimento de eorplnhos rica-
mente bordados a 34, 44 e 54- 85 o Paredes Por-
to, ra Ja Imperatriz no 52-, porto larga junto a
padaria ranceza.
DMINOS

para o carnaval
Vendem-se on alugam-se ricos dminos para o
carnaval, sendo de velludilho e da- ore mais lin
das qoo ptsstvel, e tambem de outras qualidades
que quera desejar sahir estes dias dirija se a ra
da Imperatriz n, 56, loj earanzern da Arara, que
achara r. m grande sortimento de gosto.
Fazendis pretas para a quaresiaa, grsde-
naple preto a 16600.
Vendc-se grosdenaplo preto muito-bom a 14600,
14800, !4, 24600 e 34 o covado, mwreaulique pre-
to muitc bom a 34 o covado, merino preto fino a
34 o corado, bonabazina para vestidos de senhora
a 14400 e 14600 covado, alpaca preta fina a 500,
600, 700 e 800 rs. o covado: na ra da Imperatriz
n. 56, leja da- Arara.
P.jino preto hno a 2# 0 covado.
Vende se panno preto fino para paletls e calcas
a 24,24500, 34, 44 e 55 o covad \ easemira pre-
ta Boa a 3450U, 44 e 54 o corte, dita para covado
a 1480.',24, 24500e 34 : na roa da Imperatriz,
toja da Arara n. 56.
Chales de fil de linho a 80.
Vendem se lindos chales do fil de tinbo a 84 e
404, retondas de ril de linho a 124, cortee de ves
tido a Mara Pa a 74, 04 e 124 : na ruada Im-
peratriz, luja o armazem da Arara n. 56.
Me;;iscruas para menino a 10 a duzia
Vendijm-se meias croas para meeino a 14 a du-
zia, cha es de merm estampados a 24, ditos de
lia a 14280, ditos de algodo a 14, colarinhos ara
homem a 5u0 rs. a dalia para acabar : na roa da
Impetatriz n. 56. ioja da Arara.
Cortea de ganga e de brim a 10600.
Vendiun-86 curtes de ealca .para tornero, de gan-
ga e hri m de cores a 1*600e 14800". cortes de
meia casemira de eor a 2*606 3#, cortes de ca-
semira preta para caiga a 34500, 45 e 54 : na
ra da I mperatriz n. 56,
Cintas baratas a 220 covado.
Vend jm-se chitas de cores fizas a 220 e 240 o
covado, ditos rancezas finas a 280. 320, 360 e 400
rs. o covdo, cassas de cores para vestidos a 320,
360 e 400 re. o covado, riscado francs para ves-
tido a 210 o covado : na roa da Impetatriz n. 56.
Laazinriag para restidos a 240 o covado
Vend^m-se laziabac para vestidos a 240, 320,
360 e 400 rs. o cd vado, ditas tinas eom qoadros
de seda a-590 rs., ditas da ama so cor a 50 j rs. o
covado, goliuhas para senhora a 240 e 320, man-
guito* a 14, eamisiohas a 14000 e ?.*, finas a 44 :
na roa da Imperatriz, Ioja e armazem da Arara
n. 56.
Bales de arcos a s:0
Vendera-se baldes de todos os tamanhos o 24,
48S0C, .15, 34500 e 4* : s na toja e armazem da
Arara, ra da Imperatriz n. 56-
Fil de linho de cores a 160 o covado
Vndese fi de linho de core proprio para
bnnquedo do carnaval a 160 o covade, topete de
cores a 500 rs. o covado, valbutinas da cores a 800
rs. ganga encarnada a 320 o carado, paoninbo sar-
geta a 180 o corado ; na roa da froperatrlz nu-
mero!?}.
FABRICA A VAPOR
99 RA DO MONDEGO 99
Deposito na ra Nova n. 50 Ioja de rrlojoelro.
Delouche donos (leste estobelecimento partecipa ao respeiuvel publico qae sua fa-
brica esta montada com as melhores mchicas que existem na Europa, e que pode
fabiicarcom melbor perfeicSo possivel. Todo o chocolate desla fabrica est garantido, e
puro, o que n5o se pode encontrar naquelle que vem de fra, e qu se vende por preco
baixo, visto os producios serem do
paiz. Na etiqueta tem sempre urna aguia.
Meia libra.
Urna libra.
PREGO.
400
800
Urna arroba L......190000
Na mesma fabiica acaba do se montar urna officina com serrara a vapor para
obras de marcineiria propria para edificio., para o que encarreg --se de fazer portas, ja-
dellas, assoalbos (parqu francez como se usa na Europa,) e armaces, ludo com brevi-
oade eperfeic3o. Toma-se quaiqder eocommenda para Tora da cidadeJ entregando-se
prompta a collar-se no lugar.
DE
Una la Cruz n. 16.
No armizem de azendas
baratas de Santos Ooelho
R na do loelMad* I.
Venda-sa o segaiate :
Cokartae de chita Ana a 248OO.
Diui de dito a 24400.
Leacoes de panno de linho a S4200.
Ditos de dito de linho a 24-
: Dio de bramante de linbo de um $9 panno
34200.
Panno de linho Ano com 9 1|2 palmas de larga-
ra pelo barate preco de 24400 a vara-
Bramante de nbo fino cora 10 palmos de lar-
gura a 245OO a vara.
Pecas de cambraia com salpicos brancos e da
cores eem 8 1|2 varas a 44500.
Pecas de cambraia adamascada propria para
cortinado de cama com 20 varas a 114.
Baleas da arcos a 24560,34, 34500 e 44.
Leacps de cambraia fina a 2$600 a duzia.
Ditos de dita a 24 a dnzia.
Atboalhado de linho fino a 24800 a vara,
Dito de algodSo a 24 a vara.
Algodo entestado com 7 liS palmos de largara
a 1420Q a vara.
Pe$as de bretanha de rolo com 10 varas propria
para sa,a a 34500.
Fil de linho liso fino a 800 rs. a vara.
Dito de dito com salpicos a 14 a vara.
Cambraia de linho fina a 44500, 64560 e 94 a
vara.
Cortes de laazinba de lindos gostos com 15 co-
vados a 54.
Pecas de madapolle flnissimo pelo baratisslmo
preco de 84, 94,104 e 114.
Flanella branca fina a 600 rs. o cavado.
Dita de Cores fina a 880 rs. o covado.
Baldes de mossellna para menina a 34, 34500
44.
Cambraia de Zorro a 34 a pega.
Dita fina a 44500, 64 e 7j> a pega
Gnardanapos de linho a 34800 a duzia.
Toalbas de algodo felpudas dnzia a 124.
Esleir da India propria para forro de sala de
4,5 e 6 palmos de largura per menos preco do
que em ootra qualqner parte.
Neste armazem tambem se eneontra om grande
sortimento de roupa feita e por medida.
Continua a baver diariamente um sortimento de pastis, podios,
empadas etc., etc. Os donos deste estabelecimento, acbam-se nas-melhores
de poder satisfazer encommendas coDcernenles sua arte, em consequencia
Freitas ter sido administrador chele de algumas das princii aes fabricas na corle, sendo
urna a do Sr. Joao Goncalves Guimaii5es (confeitaria d Leo) antiga casa de Carceller.
Todos os trabalbos s3o diflerijntes dos que se fazem em casas particulares.
Os propietarios deste estabelecimento nao se tem poupado a despezas, era se
pouparSo, se bouver concorrencia como esperara ; lendo continuadamente bom sorti-
mento de doces para cha; presuntos e ditos em fiambre, tambem se recebem para se-
rem preparados ; assim orno doce fie caj novo superior, secce e crystalisado, dito em
calda em latas hermticamente fechadas, podendo durar anuos em perfeito estado.
Para janlares e partidas recebm-se encommendas dos seguintes objectos; ban-
deijas ricamente enfeitadas sem armicao pecas de amendoas (nogaces), ditas de tmaras
de ovos, p5es de 16 enlejiados com dsticos anlogos a qualquer fim; dilos montados,
kechs simples e enfeitados com fructs ingiera; gatheaux de la reine, ditos de le d-
chese, tortas de fructa, massa (binada; ditas de peixe e carne; cremes e doces de ovos
de differentes especies.
Tambem tem um completo sedimento de vinhos engarrafados, como sejam: vinho
do Porto superior, Fi^oeira, Madeira, Lisboa, Cherez, Bordeaux, Champagne fino, ser-
veja, licores, cbaropes e conservas. Para festas: bonitas caixinbas com amendoas, con-
fesse mais enfeites. Mui tos des tes obyectos mencionados podem-se perfeitamente ac-
con<}cionar tanto para a provincia, como para fra.
Capachos iuglezes.
Vendem-se na ra do .Qoeimado Ioja da agnia
branca n. 8.
Baleias para vestidos.
Vendem-se na Ioja da aguia brancaj ra do
Queimado n. 8.
Opiata ingleza e franceza.
Vendem-se na roa do Qoeimado Ioja da aguia
branca n. 8.
Papel mata mosca.
Na roa do Qneimado n. 8 Ioja da. agola branca
continua a vender-se papel para matar mosca e
giS| Bonitas cestinbas para meninas.
conaicoes | vendem-se na roa do Queimado Ioja da aguia
do socio branca o. 8.
Agulhas para machinas.
Vendem-se na Ioja da aguia branca a ra do
Queimado n. 8.
Pastilhas fumantes e ebeirosas.
Vendem-se na Ioja da agnia branca n. 8, a rna
do Queimado, sendo ellas en. caliinhas- de pape-
lio e de porcelana.
Bollas de ail Gno para engemmados.
Vendem-se na ra do Queimado ioja da aguia
branca n. 8.
Bonitas caixibhas
com perfumaras e miras coro necessarlos para
costura, sendo estas com msica e sem ella : ven-
dem-se na Ioja da agnia branca ra do Queimado
n.8.
Colla branca para vidros e madeiras.
Na ra do Queimado Ioja da aguia branca n. 8,
vi udero-te (rasqnluhos eom colla branca para sol
25 RA NOVA N. 25
Este estabelecimento acaba de^ receber um rico sortimento de pianos fortes ex-
tpressamenle fabricados para o clima deste paiz, dosaiais afamados fabricantes da Euro-
pa, poF isso o proprietario convida ap respeitavel publico para virem apreciar as qua-
lidades dos referidos pianos.
Continua-se sempre com esmero e promptidao fazer-se qualquer reparo nos ditos
instrumentos. Afieam-se os pianos debaixo do melbor systbema ltimamente adoptado
na Europa.
AGUA NUNCA
Ra do Uueimado n. 8.
A ioja da agola branca acaba de receber nm
novo e grande sortimento de differentes objectos
daaosto e ultima moda, sendo :
Bonitos enfeites para (entraras gostos intelra-
mente novos.
Ditos ditos de grade com comas grandes.
Lindas Avalas grandes para cintos eom moldes
agradieis a diversas qnalidades, madreperola,
tartaruga, ac e douradas.
Boas e bonitas fitas acbamalotadas para ditas.
Ditos de dita de grosdenaples lisas e lavradas
com novos e agradaveis desenhos.
Trancas pretas de seda com vidrilbos moldes
novos e de gosto.
Bicos brancos e pretos de seda com vidrilbos e
de differentes larguras e benitos desenhos.
Cascarrilbaa de seda com diversas cores e lar-
guras, formas inteiramente novas a imllacao de
palo, babadinbo eoutra com nma translnba no
centro e qne Ibes d muita graga.
Outras estrei-as a largas guarnecidas de bico
de seda obra de muito gosto.
(Jotras de cambraia de cores.
Botdes de seda, velludo e ac para enfeites de
vestidos.
Tranca* de seda estrenas e largas brancas e de
cores para enfeites de vestidos.
. Flores finas
CAPELLAS PABA MENINAS E NOIVaS.
A aguia branca a ra do Queimado n. 8, rece-
ben para vender :
Delicadas capailas brancas para nolvas.
Ditas ditas para meninas.
Ditas ditas de caixos de Aor de laranja.
Ditas ditas de rosas camelias e ontras.
Ditas ditas on ramos de trigo.
Diversos ramos de flores finas para peito de
vestidos, enfeites de chfeos etc., etc.'
}'reparos para flores.
Na roa do Queimado n. 8, Ioja da aguia bran-
ca vende-se:
Papel de cores para rosas.
Dito verde para folhas.
Dito dito e pardo para cobrir os tolos das ditos.
Musgo em rama.
Folhas para rosas.
A gulhas e linhas para croehet.
Vendem-se na roa do Queimado n. 8 Ioja da
aguia branca, assim como agulhas para trabajar-
se em ISa.
Papel de sobrecellente para os
phosphoros hygienieos ou de
seguranca.
A vista do grande tamanho das caizinhas dos
phosphoros hygienieos ou de seguranca, tornava-se
nonce o papel qne vem em ditas caixinbas, e para
remediar essa falta a aguia branca mandn vir e
acaba de receber esse especial papel, c qnal so
dar de sobrecellente a qnem comprar de toes
phosphoros e se vender indistinctamente a qnem
delle precisar. O prego de cada caixinha de phos-
pboro continua a ser 160 rs., e vendem-se na roa
do Queimado b. 8, Ioja da aguia branca.
Seda froucha para bordar.
Vende-se na ra do Queimado Ioja da agola
branca n. 8.
Obras de crystal.
Brincos de diversos moldes.
Outros tambem de crystal de cores.
Oatros de aljofares brancos e ontras cores.
Adereces de crystol obra de gosto.
Rosetas de dito e cruzes.
Botdes de dito, brancos e de cores para collete.
Dito de dito tambem brancos e de cores para
punhos.
Voltas de dito e ontras qualidades.
Vestidos
PvcMattha MM Igwil.
Chegou a Ioja de Paredes t orto om hostia aar-
ti mente de vestidos de lartalaude rotes e iraaf
qae serve para partidas por ser hn.a paaalaeia ta-
teiramente de gosto pelo paralo prego da 4#
brancos a 4*500, esto acabando-se : ao arsaaata
d porta larga roa da lmpeatiiz n. 52, juato a pa-
daria franceza. .
Cortinados.
Cbegou a Ioja da Paredes Porto om rentis
sortimento de cortinidos ricamente bordados a
prego de 25$, 365 e 45$ na roa da Impera*
b. 52, porto larga junto a padaria franceza.
Ricas romeiras.
Paredes Porto receben peto ultimo paqwie osa
sortimento de romeira de guipure prrias a de lio '
a prego commodo : Da rna da Imperatriz n. a,
porto larga junto a padaria trauma.
trat' de pechincha.
Coitos de lia escocer entestada para vasMo
fazenda de 500 rs., esto se vcadeada a 280 e 3Ui
rs. o covado : na roa da Imperatriz a. 52 Ioja
porto larga.
4000
Cortes de laa escocesa para vestido a 3$ o cor-
to : na rna da Imperatriz n. 51 toja da poru tor-
ga, jnnto a padaria franceza, estad se acabando.
Chales de renda
Paredes Porto, na rna da Imperatriz n. 52, poru
larga, vende chales de renda de corea cea teqoe-
no toque de mofo, a 3J500 e 4$, fazenda de MI*
e 122000.
120
Para roupa* 1c eseravaa.
Paredes Porto tem para vender chita aial e ra-
cade proprio para o lim cima a 120 r. rotaav.
urna grande pecbinchafje esta' se acabando : aa>
roa da Imperatriz c. 52 poru larga jodio a paaV
ria franceza.
Grande pechincha.
Paredes Porto esta' vendendo riscado rancez a
200 rs. o covado : na ra da Irr.peratriz ac 5S ar-
mazem da porta larga jonto a padaria francesa-
Para luto.
Laas pretas com salpiccs brancos a 4C0 e 50t
rs. o covado : na roa da Imperatriz o. 52 justo a
padaria francezaarmazem da poru torga.
dar vidrose porcelanas, e outros com dita para leqUeS de d\i erSS QUalidadeS
obras de madeira, custa 500 rs. cada um delles, e ..} .______. nn~7^ o ii. a*
por essa commoddade de prego convm compra- Vendem-se na ra do Queimado B. 8, Ioja da
los para estar prevenido.
Papel greve pautado com 33 linhas.
Fazendas, phantasia-para vestidos chegados de Paris pelo ultimo vapor.
Lindes robes de organdys cesariaas fazenda transparente de intelro gosto.
Ditos de percalia campestre padjroes muito ricos.
Riqusimas grnadioesde s.-da o qae tem vindo de melbor gosto oesle mercado.
Lindos cortes de sallan pekm para vestido fazenda inteiramenie nova.
Ditos de gaze setim empega fazenda transparente e de gosto muito modernos.
Lindos chafes degrenadim broch, primeira vez aqu apparectdos.
P.icos bournus de crep guarnecidas de tranga muito proprios para
Riquissimas (velas para sinto, de metal, de crystal com ago e com
que ha de mais novo.
E outras muas fazendas do Inteiro gosto.
passeios.
pedras Osas,
Le|a das caimanas le
Ra do Crespo m. 13.
LDtonio Crrela de Vasconcellos
rentpanhla.
BE
VIGNES-
AL 55. HIA ISO lHPERDOR N. 85.
Os pianos desto aotiga fabrica sao hoja asss conhecidos para que seja necessario insistir abre a
ios superioridade, vantugense garantiis qQeofferecem aos compradores, qualidades estas incootesta-
veto que ellestem defiaitivameate conquistado sobre todos os que lera ipparecido nesta praca.; pos-
miado nm teclado e macbinismo que obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas, sem
aurjca falbar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ultimamf nte merboramenios tmportan-
dssimos para o elima deste paiz ; qaanto si voces, sao melodiosas eflaotadas, e por isso muito agrada-
reis aos oav idos dos apreciadores.
Fazem-.'e conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Pars, socio
correspondente de i. Vlgoes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as espoeigdes.
No mesmo esuoeleciroento se achara sempre am ezplendido e variado sortimento de msicas dos
melhores amores da Europa, assim cacao harmnicos e piaas harmnicos, sendo lado vendide por
precos commodose razoaveis.
cunts
Grande pechincha.
No ra da Imperatriz n. 58 poru larga de Pare-
des Porto, vende-se ehales de merino estoatpados a
2$ e 24800 j finos 5$, estao se acabanc 0.
Bordados.
Chegou a Ioja de Paredes Porto, ra da Impera-
triz n. 62, eorpiohos, romeiras e sintos, de cambraia branca,
pelo barato prego de 2$500, 3500 e 4$, golliohas
500 rs., romeiras a 800 e smtos a 860 rs, grande
qoaasMade de ntremelos a 000 e 800 rs. a pega,
esto se acalcado.
Novidide.
Cbegaram os bonitos ehales e rotondas de guipa-
re brancos, a veadem-se na roa da Imperatriz n.
52, Ioja da parta larga, de Paredes Pono.
Luvas de Jouvin.
A ioja de miudezas na na do Queima-
do n. 16, resebeu-asporesje_u2tjino_^por,
Brea em barricas pequeas.
Cera am velas de todos os tamanhos.
Bogias.
Mercurio.
Na roa do vigano n. 19, primelro audar.
Na padarla n. 9 da rna do Raagul vende-se
orna machina que serve para dirTereatort misteres,
como seis, djscarocar algodo e moer firlnha etc.,
1 para ser movida por canijo; na mesma se vende
1 ora boro eavalio.
Caabraias.
Parede Ponto vende cambraias lisas finas, gran-
de sortuoento, a 3$ al 6$, ditos Victoria muito
finas, com 10 varas a 6$, 64500 e 7#; na roa da
Imperatriz n. 52, jonto a padaria lanceta.^
Cbegnem aos eorpinhas de ctmhraia
Veadem-se eorpiohos de cambraia com ntre-
melos a 4$ e 5$, esto se acabando : na ioja de
Paredes Porto, rna da Imderatriz n. 52, porto lar-
ga, jun.u a padaria fraoceza.
avariado.
Francs barrica 5$000
Portland dem 8J600
Em perfeito estado:
Francez barrica 10*000
Portland dem 12*000
No armazem de Tasso Irmos caea da!Apollo.
As verdadeiras-brides e
picadeirasde Ipojuca
Vendem Azevedo A Irmio,a raao Qoeimado.
A14 raTa hatlji T*
Tinta preta para escrever, de boa qnalidade :
vende-se na roa das Cruel n. 41 A, taberna da
porta torga.
A aguia branca acaba de receber novo sorti-
mento de papel greve liso e pautado com 33 linhas
assim como de peso tambero liso e pautado, dito
pequeo em caixinha. sendo liso, pautado, beira
doumda e sem o ser. TSmbem recebeu erande
sortimento de envelopes, e tudo se vende por pre-
cos commodos : na ra do Qoeimado Ioja da aguia
branca n. 8.
Papel paquete branco pautado.
Vende-se na ra do Queimado n. 8, Ioja da agnia
branca.
Artificiaes.
Hamos de trigo com diversas cores mui proprios
para enfeites de gorros e chapeos de senhoras e
meninas, acbam-se a venda na rea do Queimado
Ioja da aguia branca n. 8.
Baiihas e extractos finos
A agnia branca recebeu um excedente sorti-
mento de perfumarlas finas, sendo bonitos frascos
de cores com extractos fines o de agradaveis chei-
ros ; assim como bellos vaso* de porcelana delira-
da om banba de superior qualidade, lendo nestes
alguns com InscripcSes apropriadas para presen
le, etc., etc. : quem se dirigir a ra do Qoeimado
a. 8, Ioja da agnia branca, achara a certeza disso,
e boa disposicao para vender a dinheiro por pro-
cos commodos.
AU PROVEITOSAS AGUAS
balsmica, dentiScia e ambreada, acham-se ven-
da na rna do Queimado, Ioja d'aguia branca nu-
mero 8.
-
Latas e foarrfszfnhoa aom graxa
economice.
Vendem-se por pregos razoaveis : na ra do
Queimado Ioja de miudezas n. 16.
Agua de Hollde parafazer os ca-
bellos pretos.
Na Ioja de miudezas a ra do Queimado n. 16,
vendem se caixinbas com essa excellente prepara-
gao Agua de Hoildepara fazer os cabellos pre-
tos, quem delta precisar pode dirigir-se a dita Ioja:
na ra do Queimado o. 16.
Pastilhas odorficas para perfumar sa-
las, piioetes, ele. etc.
Na Ioja de miudezas a ra do Queimado n. 16,
vendem se caixinbas com essas odorficas pastilhas
fumantes.
Papel de ppso tauteo, liso e paulado.
A toja de miadezas a roa do Qoeimado n. 16,
acba-se bem provida de papel de diversas quali-
dades, sendo almsgo greve liso e pautado, cora 33.
linhas, dito de peso peqoeao em caixiahas igualmente lisa e pautado,
com beira dourada e sem o ser, assim como enve-
lops grandes e pequeos, os pretendentee dirijam-
se a dito Ioja na roa oQueimado n. 16, que serio
beK servidos.
Mesmo depois da" festa gasta-se pe fa-
ma ra fina
A amiga Ioja de miudezas a roa do Qoeimado n.
16, acaba de receber om bello sortimento de per-
fumarias Boas, sendo baohalina, em diversos o de-
licados vasos de porcelana dourados com significa-
tivas inscripgSes e sem ellas ; assim coma bonitos
Irascos de phantasia com escolenles extractos de
finos e escolhidos cheiros, e bem como superior
agua da Colonia em garrafas e frascos de diversos
tamanhos, dita denlifrees, balsmica e de flor de
laranja, cosmetiques finos e bandas em frascos de
differentes moldes. Vende-se tudo por pregas com-
modos a visto da soperiorldade das qualidades :
na ra do -Queimado, lofa de miudezas n. 16.
ivenos objectos.
Vendem-se na Ioja de miudezas
a rna do Inclinado n. 16.
Bonitos leques de sndalo e ontras qoalidades.
Bonitos cintos com fivellas de diversas qnalida-
des e moldes.
Brincos e cruzes de crystal.
Abotoadnras de dito para coletos.
Bonitos port-relogios.
Delicadas caixas com munca e sem ella, para
eostura.
Agolnas e linhas para ebrocbel. ,
Retroz superior em carriteis.
Rendas pretas e bicos eom vidrilbes.
Fitos de velludo com listras de cores para en-
feites de gorros e vestidos.
' Ditos de grosdenapoles, lisas e lavradas, brancas
eawtssadas.
No armazem da ra do Imperador n. 3
Caes de Pedro II n. 2, tem para vender-se
bor gaz existente no mercado.
on ao
b O-
aguia branca.
' Aspas fortes para baldo
Vendem-se na rna do Queimado Ioja da agnia
branca n. 8.
Qromacome para Ungir ca
bellos.
A aguia branca avisa aos constantes fregoezes
dessa excellente tintnra, que ella acaba de rece
ber urna nova remessa de cromacome, coloricome
e sat.o branco, necessario para lavar os cabellos,
portanto podem dirigir-se a dita Ioja na roa do
Queimado n. 8.
A bridores e luvas.
Vendem-se na roa do Lneimado Ioja da aguia
branca n. 8.
Port bonqnets
de bonitos moldes, dourados e cabo de madrepero-
la : acham-se a venda na ra do Queimado Ioja
da agnia branca n. 8.
Bonitas tonqoinhas
de fil de linho, cambraia e setim todas mui bem
enfeitadas: vendem-se na ra do Queimado n. 8,
leja da agnia branca.
Carreteis com retroz.
Na roa no Queimado n.8, Ioja da aguia branca
PAR* A QSM
PECHINCHA aDMIRAVEL.
6rosdcnaple preto a i600
Vende-se superior grsdenaple preto, fazenda
muito encornada, pelo baralissimo prego de 1600
o covado. sendo fazenda que val muilo mais di-
nheiro : na Ioja e armazem do Pavao na ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
DGMINO'S PARA O CARNAVAL
Na leja de PaviO.
Vende se nm bonito sortimento de dminos pro
prios para o carnaval, sendo de differentes fazen
das e com os modelos man modernos, assim como
velbutlnas, gangas e entras fazendas proprias para
o mesmo fim : na raa da Imperatriz n. 60, loj do
Pavao de Gama A Silva.
MANTAS PARA O PESCOQO
a 15, s o Pavao.
Vendem-se bonitas mantas para o pescoco, pelo
barato prego de IJ : na leja do Pavao na roa da
Imperatriz n. 61., de Gama & Silva.__________
Na ra do Imperador n. 28 tem superiores
bichas hamburguezas para vender em porgad a a
retalbo, e tambem alugam-se ; rap Panto Cordei-
ro viajado, igual ao de Lisboa, e para gosto de al
gucs, melhor, por nao (erir, etc.
Para os bailes mascar, dos. .
A aguia branca est vendendo por bratissimos
precos. para acabar, os objeetos segnfotes.qoe ser-
vem mol bem aos que tomara parte nos bailes mas
carados, sendo :
Matos de seda a 1 o par.
Enreites de flores a 15, i& e 33 cada am.
Pilas lavradas de 310 a 1$ a vara.
Cintos largos com pontos cabidas.
Vende-se urna Ioja de miadezas com poacos
fondo em rea e negocio por prego muito em
conta ; na mesma casa vende-se ama mobilia da
amarello novinha : quem pretender dirija-se a ro
da Imperatriz n. ti, Ioja de entalhador qne se dir
quem lem para vender.
1 1 iO 1 1 .. ..... mi ni! 1 I
Gasa venda.
Vende-se um pequeo sobrado na roa da Paz
idos Afogados, com bom quintal murado e cacim
ba, por prego commodo : a tratar com Lourengo
de Moraes Pinbeiro, na ro de Apollo n. 17.
Os dminos do Pavao.
Vendem-se os mais.elegantes domin?, on ala
gam-se, proprios para o carnaval, zssim como se
vende fazenda propria para os meamos : na Ioja
do Pavao, roa da Imperatriz n. 40.
Grsdenaple preto a JJ600.
1" grande pichincha!!
Vende-se grsdenaple preto, sendo muito encor
pado e de boa largura, pelo baralissimo prego de
IJftOO o cavado : as rna da Imperatriz n. 60.
Hincados a ItOri.
Vende-se rlscadlnho escoro proprio para vesti
dos ou roupas para homem, pelo baralissimo pre-
co de 120 rs. o covsdo : s na roa da Imperatriz
n. 60.
Vende-se am carro de qoatro redas com ar
ralos, torta a em bom astado a bar : na raa dea
Coalaos n. 11__________________________
Vende-se ama negrinha pretinba, de 10 bo-
bos de idade, e am raolatinho de igual idade; na
roa da Matriz da Boa-Vista n. 81.
1^400
aol.
Chapeos de
Vendem-se chapeos de sol de panno a t^M '
urna grande pechincha s para acabar : na va* a
Imperatriz n. 52 armazem da pwia torga da Pare-
des Porto.
A 10500.
Vendem-se pegas de tranca preta para
de vestidos, sooltmbarqoes, capas de na asta a
160 com 10 varas, orna grande pe chincha: as
roa da Imperatriz n. 52 junio a padaria franceza
Tasso Irmoa
Vendem no sen armazen ra tt
Amorim 0. 35,
Licor fino Cnragio em botija e meias botijas
Licores finos sonidos em garrafas cosa ralba* a
vidro e em lindos frascos.
VinhosGberes.
Santernes.
Cbambertin.
Hermitage.
Borgonbe.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
Bordeaaz.
Cognac.
Od Ton.
PAezel lagniol.
v- ca r. < o se 55 > ?* c.
I Erg g E.Rg.3 sr^-
ls|!
1 2. <
jj D- KBwO
t
c<3 t
lis
a?
B tu
o Clt
fia
gsg-s,


*
o d.0 25 ?3*Q.S,
Sg' c-o S--0 3 2 S
??tOPa?P
|S|lf.|.;&
2 B -2 9
-1 ?? O w
o.
1
o _:. _
2
8-g-
i
te
2 z'SZ 'SE
1
a>
'S
I?
v> <
8"g|.
3 s
ce O
a
O
A>
3.
B
1
i
o> o
a 2 a
3 5" c
09
al
a> tu
M
"SS
ufe
*
II


>
c
O
PC
cu
Novidades do Pavfto
OU PECHINCHA ADM1RAVEL.
Iscassezas a 3#SM
Cegaram os mais lindos cortes da
proprios para vestidos, sendo fazenda inleiraa
nova no mercado; e vende se a 3A200 o corte aai
260 rs. o covado na Ioja e armazem do Pavao, raa
da Imperatriz, n. 60, de Gama & Silva|
Cassas francesas a 24u rs. a cavada.
Vendem-se bonitas cassas francesas de coras I-
ZS8 pelo baralissimo prego de MO o covado.
Ditas a 280, 320 e 360.
S na Ioja do Pavio, roa da Imperatriz a. 60, t
Gama A Silva.
Caitos aiariaas.
Vendem-se finissimas chitas francesa, casa pe-
queo toque de avarto, pala baralissimo proco da
280 o covado.
grande pechincha.
Assim como dius inglesas roas a clara, saaa
mofo nem avaria, pelo baralissimo preco de 110 a
covado ; assim como, ditas multo boa a 200 a 240
o covado, is 10 na Ioja e armazem do Pavao, raa da
Imperatriz n. 60, de Gama A Silva.
Chapeos para asraiass.
HA LOJA 00 PAVAO.
Vendem-se os mais delicados e bem enfuiaaV
chpeos de palba da Italia, para mentas : pe-
chincha, na laja a armazem do Pavio, rata da sav
peralriz n. 60.
Doaaasa. WOOO.
80 O >J),VA0.
Vendem-se bonitos dmsttos para mascaras arta
baralissimo preco de 3JM0 ; assim cmno
fazenda de muito boa qualidada a 10*000.11
e 14*000 i ou alogam-se aa anta a ara
Pavao, roa da Imperatriz n. 10, de Gaaaa Mas
Escravos ftigidos
Fogio s dto torca-mira aOdaJaaaro anata
Ando, a preta crionla de nomo Mantos, da Maato
36 anuos, pooco mais on menos, atado de cor Pa-
la, altura regular, levoo 'esttda da casta orara :
quero a apprebender, eoiidaiMa a a casa da aaa*-
xo atsignado, aa raa da laaparalris a. M, r~
gratificado.
Francisco Aofasto de Aojo.
_ Fogio-no da 7 eo meto dto aau.
Dosaa Antonia, idade 40 e tontos aaaos, resta easa-
pridoe picado de boxitas, bem sallante, ada pe-
queos, levoo om vestido de qoadros cor do cada
e amarello, e levoo aaaa trenza cosa aatra resad
nevo de palmitas, sapatos e aaatos, tai atesore a
eagenho do tollsaaia lasj Fereaadas da Croa a ad-
timamente comprada ao Sr. Anloaio Jas anisa a
Mello, quem a pegar leve-a a ra da Cadato a- re,
qae sen' recompeosado.
I


te
iMaT1"* '
s
Diario de reraasttbuc Sabbado IO e Ff-vcrrir de 1866
l LITTERaTUM
s
lilil A.
(Conclosio.j
Lista da distribuido de premios residida pelos
Exms. Si s. arcebispo D. Manoel Jtiaquim da Sil-
veira e presidente da provincia Dr. Manoel Pinto
de Souza Dantas.
Medalhas de ouro.
Manoel Darreto Dantas.
uaquim Lopes dos Res.
Confirm.gao das .medalbas de orno olidas no3
annos precedentes.
Roy Baibosa.
Medalbas de prata.
Joao Coirtia de Araojo.
Tbeopbllo Ribeiro de Resende Jnior.
Jos Guedes Nogueira Jnior.
Pedro Augusto Borges.
Manoel Ivs Coelbo.
Raulino Francisco de Oliveira.
Braulio Abdon de Mello.
Lino Reginaldo Teixeira.
Confirmaeo das medalbas de prata obtidas no
annos precedentes.
Manoel Pinto de Souza Dantas.
Jjo Ferreira de Araujo Pinbo.
Joaquim Das Larangeiras.
Euclides Alvos Ferreira da Rocha.
Mengoes honrosas.
DcDingos Velloso Gnimaries.
Manoel Pedro de Resende Jnior.
Antonio Jos de Castro.
Gasparino Moreira de Castro.
Ernesto Oracillano Larangeiras Dantas.
FranciscD Alexandre Guedes chagas.
Manoel Vieira da Silva.
Francisco de Moncorvo Lima.
Manoel de Sa' Brrelo Sampayo. .
Joso Jos 5 de Souza Menezes Jnior.
Joaqaim da Silva Gomes.
Abdias de Lima Faria Oliveira.
Si.eo da Motta Re be lio.
Jos Rodrigues da Costa.
Castriciano Marlins Corvello.
Manoel Jaclntho Navarro de Campos.
Alfredo Hayward.
Pedro Vicente Vianna.
Hormino Martins Curvello.
Menandro dos Res Meirelles.
Reinerio Monteiro de Magalhies.
Joao de Aguiar Pereira Boto.
Manoel de Mendonga Guimaraes.
Manoel Oclaviano Guedes Nogueira.
Custodio Rodrigues Vasconcellos.
Joaquim Jos dos Reis.
Antonio Alves Ribeiro Jnior.
ConQrmacao das menges honrosas dos annos
precedentes.
Jos Beaicio de Abreu.
Plinio d2 Magalhes e Silva.
Alexandre Freir de Carvalbo Biteucourt.
Virgilio lavares de Oliveira.
Rodolpho Epyphanio de S. Jos Dantas.
Manoel .los de Figueirdo Leite.
E varios outros premiados conr livros e coras.
mdia m que elle, sentldo-se ilgeraraente pruvavelmenie pelo asorgo Ooa fitai^ abri
indisposto, se delara flcar era sua e< lia, fui per- pone os bracos e eu pode refugiarme a ara; canto
guntar-lne como se achara do sea eacommodo, e da Ai'
offerecerfhi o* meus' servieos e bons desejos. Enlio,.ft s entao foi qo en a meo pal, cense-
Achel-o sentado era ama cama de couro e ferro, 8ai08 saber quera era o tal desconbecido, e oroo-
com os cotovellos sobre as pernas e a i abega apola. llV0 porque me dra elle com tanta sem cerlmo-
da as ma(s. i nia Dos olhis ihe corriam duas grossis lagrimas,
suas tejQoes estavam contrahidas e os cabellos em
desordera : todo o'aqnelle retiro dizia que Fr. Bru-
no passra urna noute de vigilia, e que dentro de
um mosteiro tambem se pode viver som tranquil!-11|
dado. !
Uisse-nos que era o pal da moca que eu sal val
, na vespera cora eminente risco de vida, e c
mea pal Ihe declarasse que ignorava completamen
" le o que elle eslava a diter, referio-tbe miudamen
Saude na matriz do Pogofla Panella, a qual tere
lagar com toda sumptuotldade poesirel, nada fal-
lando para o sea total brilhantismo.' I
. A rica armacio do templo, a oda mustia da fes-
la, os melodiosos cnticos ao dasarrorar a bandei-
ra, entoados por un coro de anjiobos perfeitamen-
te ensatados com todas as regras da msica, a ca-
jas bas votes desses hymnos celestes arrebataran!
a todos que os ou virara, o excedente (ogo de arllfl-
qaeimado depois, e a grande concurrencia de
povo que de todas as partes affluio, tudo provava o
explendor e magnificencia de ama rica resta, como
e tude que os leitores j sabem, acrescentando que ha mailo nao se azia por aqui.
l tendo chegado, bavlara poneos dias, de ara enge-
nho desui propriedade, adra de passar a semana
santa n'esta cldade, acontecer que sua Bina, que-
, rendo visitar os nossos bellos arrebaldes, sabira
[ n'aqoelle dia em sua companhla; mas sendo um
Meu amigo, respondea-me elle, depois de fazer- pouco tarde, ella se Impacientara com o passo ma-
Meu amigo, disse lh eu, com ama forte icen-
tuago na voz, nao ha ddr qoe nao poisa encontrar
unitivo na nossa santa religio : Deus um Pal,
que nao al andona a cenhnm de seus illbos.
Fr. Bruno.
Na minba raocidade, leitores, o mea maior en-
tretenimento, o meu passeio predilecto eram as vi-
sitas que eu fazia nos dias santificado? ao conven-
to de.............................................
O claustro tinba para mira urna attrago irresis-
tlvel, e os frades me pareciam homens superiores,
especie de Santos, e sabios de i.* pana.
Mas, n'aquelle tempo, no Brasil como era Portu-
gal, e ali como na Hespanha, a sciencia estava por
assim dizer encerrada nos mosteiros, e com ella
a austeridade das virtudes, e um certo chairo de
sauda le, que impnnha respeito e veneraco aos
Seis, e determinava em grande parte o desen-
volvimento da e os explendores da nossa reli-
gio.
Occasioes ba em que anda me parece ouvir o
echo dos meus passos sobre o chao d'aqoelles cor-
redore soturnos e compridos, alia miados durante
o dia por um frouxo raio do sol, que difficllmente
ali peoetrava, e noute pela luz escassa e mora
de urna, alampada abandonada.
Quanta meloda achava eu ento nos cantos sa-
grados, entoados por vozes varonis I
O silencio com todos os seas misterios, a solldo
com tolos os seus encantos.
Aqaillo sim que era um mundo parte, em que
nicamente Deus impefava.
A vudade, a ambiguo e a perfidia nao transpu-
nbam o limiar da casa do Senbor, onde s o seu
pensaraento oceupva o espirito e o coragio dos
oons frades.
Todos aqaelles homens (com excepgio apenas
de Fr. Bruno) se haviam amorta Ihado em vida
por sua propria vontade, movidos por urna vocagao
religiosa de que ninguem conseguir dissuadi-los,
que nada houve que tivesse a forja de (azer arre-
fecer.
Fr. Bruno contava quasi trinta annos, qnando
professou, e foram o despeito, a dr e as desillu-
soes qae o resolveram a entrar na convento.
Ungo religiosa tinba a elle sem duvlda, mas es-
ta, grinde para um profano; era entretanto pe-
quena de mais para um bomem que se desquitara
do mendo, para quem devia ter ama vida sania,
para um frade emfim do convento de.............
Fr. Bruno amara, e amara com o arrojo, a ( e
a intensidade de um sentiraento profundo e rerda*
deiro, qae nao se reprodux na vida de um bomem*
porque orna s existencia nao pode comportar a
repet gao de affectos taes.
Se bouvesse sido feliz, s Deus sabe at onde o
teria cooduzido o desejo de elerar-se aos olbos de
Eulaia. Para enfeita-la, elle sa senta com torcas
de arrancar das entranhas da trra suas inexgota-
veis riquezas, de extrabir do fondo dos mares seus
oceultos thesonros, e at de despojar os proprios
astros dos seas raios diamantinos, para com elles
ormar para ella um diadema de luz.
Mis, como foi infeliz, despedacou os ellos da ca-
deia que o prenda ao mundo, e fezse frade.
O desanimo bavia substituido a loucura, o claus-
tro lomara o lugar do mundo.
Nao precizei de muito lempo para conhecer que
Fr. Bruno conservava em si alguma coosa estranba
ao. claustro, algo ma recordago da sociedade em
que vivera, e qoe lbe perturbava ainda o espiri-
to, fazendo-o fluctuar em urna, continua distrcelo-
Seus gestos, sna conrersaco a inconstancia e
incerteza de seu olbar, e mais que tudo sua cons-j
remadora preocupado, revellmm que o frade
ainda era o bomem, qae a sua razio estivera qnasi
de: vairada, e que em sua alma morava o desalen-
t, qae as grandes dores costumam gerar no cora-
gao dos infeiizes. Fr. Brnno tinha pouco mais
pjuco menos a mlnha Idde; eeoemovia o a sol-
cilude de qae ea constantemente o cereava, e ins-
piravam-lbe eonfianga as aitencoes que ea recebla
de todas os seus companbeiros de clausura.
me sentar junto a si, Deus por certa um Pai mi
sericordioso, mas nao permltte mais aue os raortos;
se levantera do tmulo, como Lzaro, nem que o
sol interrompa o sea curso voz de novos Jo-
su?.
O que est feilo est feito I Um cadver foi re-
hilado peo mundo s portas d'este claustro, e este
claustro, mais generoso que o mundo concedeu-ibe
urna more alna e urna sepultara : o cadver sou eu,
a moralo.! o burel que me cobre, e a sepultura
esta estrella e pobre celia. Para q ie pois vindes
perturbar o repeuso dos morios ? I
Fr. Bruno, disse-lhe ea ainda, tornai vos; se
eu n posso reslitur-vo3 o 'socego que perdestes,
posso ao menos acorapanharvos na dor que vos
acabrunha, e participar de vossos petares.
Na. confidencia da araizade podareis derramar
quantas lagrimas qulzerdes.e ellas porventura sua-
visarao os vossos soffrimentos, por mais pungentes
que estes sejam.
Eu sinto por vos a ternura de um Irmo, e o in-
teresse que sempre inspiram s alrais bem forma-
das o infortunio que nao procede do crime, e a roo-
cidade impolluta. Se confites, portanto, na minha
discri^ao, abri-me sem reserva nem escrpulos o
vo'so coragao, e fazei-me a narragac fiel e circuns-
tanciada de vossas magoas.
Fr. Brnno nao se fez rogar; levaatou-se, e de
pois de ter-me abracado por algum tempo, mistu-
rando com as minbas as suas lagrimas, comecou
assim a sua historia:
Corra o anno de 1822.
Um da eu volts va da cidade de qnando ou-
cona estrada urna grande vozeria, ao principio mui-
to ao longe e confusamente, e depois tornando-se
cada vez mais prxima e distncia.
Eram gritos de aecudam I... acendara I.... e o
soccorro que se pedia devia aproveitar a alguem,
que vioba sobre um cavallo que espumava sangue
da bocea, e (razia urna carreira louca,. perdida, que
causava horror ver, e que avancava sempre-....
sempre..., sem qae coasa alguma o contivesse I
Nesse mesmo tempo, rpida e indistinctamente
parece i-me reconuecer no cavalleiro urna senhora,
quasi desmaiada, que se conservava ainda montada
por causa da seguranca dos sllbdes que ento esta-
vam em aso na provincia.
O animal havia se desbridado, e ninguem ousa-
va por embarazos sna carreira impetuosa : a in-
feliz senhora estava pois votada urna morle cruel,
desastrosa e inevttavel.
E o cavallo avancava sempre pelo mel da estra-
da, acompanhado dos gritos de terror de quem o
va correr daqaelle modo.
Ea liona urna alma franca e generosa, e era ca-
paz naqaelle tempo de qaaesquer sacrificios e das
maiores dedicaces.
Considerando que procurar salvar ama mulher,
indefeza e abandonada, de ara fin como o qoe todos
esperavam, levando como capital esse jogo deses-
perado, em que me ia empenhar, a propria exis-
tencia, era fazer alguma cousa agradavel Provi-
dencia.
Nao hesitei pois um s momento, e tomando urna
resoluco extrema, em qae o facto material foi
quasi tao rpido como o pensamento que e conce-
bea, e f lo pr era execucao, saltei para o meio da
estrada, qnando todos se affastavam u'alli precipi-
tadamente, e, apezar dos gritos que soltavam os
que pretendiam fazer-me mudar de intento, nao ar-
redei p do perigoso lugar em que me collocra de
meu proprio movimento. Isto tudo foi apenas obra
de alguos momentos.
Na mesma occasao urna densa nuvem de p, e a
ventanaproduzdi pelo ar comprimido, deramme
a conhecer que nio havia mais tempo a perder;
cavallo e cavalleira estavam a meu lado quando
levantei os olhos; abr e repentinamente um cha-
po.de sol que comigo irazia, e levei-o corajosamen-
te frente do animal.
Este eslacou immediatamenle, cambaleou um
pouco, e quiz partir de novo ; mas, eu nao tinha
perdido o tempo, e ja o havia domado, cravando-
Hh doas dedos vigorosos sobre as narinas, e espe-
rando qae alguem se aproximasse para fazer apear
a pobre senhora, qoe estava mais morta do qae vi-
ra, e qae, s por si, nao o podia fazer.
Qae feliz inspiraco fra aquella minha I
Eu fitera parar a catadupa que se despenhava
com horrendo fragor, e-com o auxilio apenas de
meu bracosuspender ao mel da queda o corpo
qae, por ellimpellido, se despenbra do alto de
um medonho precipicio.
Os applausos da multidio me convenceran! de
que aquello acto era digno de lonvor,se antes
delles, j o mesmo nao me hoaresse- dito a propria
derado que le va va o sen cavallo, e o castigara re
petidas vetes, apezar de suas advertencias.
Ardego e muito fogoso, o cavallo tomara o freio
nos denles e partir pelo modo que ja' diste-
mos.
Para salvar sua filha, ou para nao sobreviver a
sua perda, tudo elle tentara entao.
Porm, por mais que enterrasse as esporas no
brioso animal em qua estava montado, por mais
que das ilbargas d'este, corressem linbas de san-
gue, nao foi possivel vencer a distancia que o se-
parava d'aquelle em qae ia sua filha.
Encomios aos ipcansaveis esforeos dos dignos
festeiros, que assim souberam calcar aos ps os
grunbidos de certos entes pequeninos e obscuros,
que a torca e pela torga qoerem ser grandes e no-
laveis oesta freguezia I
Agora a ordem do dia por aqui sao as novenas do
Monteiro.
Tem sido ellas bastante concorrida, havendo ver-
sos sotfrlvelmente cantados ao piano, porm com
um coro de acompanbamento completamente de-
sentoado, o que bem para lastimar, porqnanto o
tora bastante harmonioso.
Dous abusos notamos que nao devemos deixar
impunes sem a nossa critica. O primeiro eolio-
carem-se impolticamente cadeiras no centro da
igreja com prejoizo das senhoras que chegam por
ultimo. O segundo seren adraittidos no coro do
A carreira do seu cayalio ia enfraqueceado n/o- templo onde smente deviam ter entrada senhora?,
gressivamente, e nenhuma espernca mais lbe res-, alguns cavalleiros previlegiados, com excluso de
tava de tornr ver Eulalia ainda viva, quando o oatros.
Me dsseste : Tenho medo I
E en Tetofoni em segredo :
Mas taro de mira compaixio i
*
..:....
som longiquo e confuso de muitas vozes tot-lhe
suppor que alguma cousa extraordinaria e inespe-
rada acabava de dar-se.
Que longa anciedade, e pungente incerteza deve
ter sido a do attribulado pai n'aquelle momento I
Eram a vida e a morte qoe se revolviam no co-
racao angustiado do pobre bomem ; eram a dnvi-
da ou a certeza, o sim ou o nao, o co ou o in-
ferno I
A singue fri nao podemos bem conceber cou-
sas taes: s pode ajuisa-Ias verdaderamente
aquelle que ja' passou por iguaes tribulacoes.
Si essas scenas se dessem freqaentemente na vi-
da de nm bomem, teriamos os hospicios cheios de
alienados, ou a cifra dos bitos muito mais aval-
lada.
Felizmente para Vasco, assim se chamava o pai
de Eulalia, (Vasco de...) a noticia da sal vacio de
sna filha passou com a velocidade do raio, de boc-
ea em bocea, pela linha de cariosos qus corriam
para a lugar em que se esperava o synistro.
Quando elle chegou ao sitio em que se achava
sua filha, encontroa-a sentada sobre a relva de dos
lados da estrada, e cercada.
(Continuar-se-ka.)
K pois necessano urna emenda, porque uestes
lugares nio admittimos aristocracia...............
Au revoir.
6 de fevereiro de 1866.
Phidtas.
f A miaba Blba Cbiqninba
Nio chega nunca a janella,
Kmbora vista flanella,
Com corpintio de settm ;
Diz-me ella : Que se importa
Qae ea chegae ou nio chegue porla
Nio sabe que eu sou assim ?
i
'} Pois nao qae nao mereca
Dos homens certa attencio; _
Aquelle Man Cabega
Que mesmo um rapaz piopo,
Morra secco por casar-se
Com a rapariga arisca,
Morre secco de paixo ;
Tem-lhe dado muitas prendas,
Rosas, chetros, brincos, rendas ;
Abraca-a, beija, belisca ;
Mas ella corre a arrufarse
Sem si quer pegr-lbe a mao.
c Nao se enfelta nos domingos ;
Sacode com desraazele
Quatro, nove, dote pingos
Dagaa fra no cabello,
Passa o pente por passar
as duas trancas, qae sola,
No pescogo nao poe volta,
Nem a roupa quer mudar.
< No doce
Abandono
Se esonece
De si; "
Deitou-se;
No aomno
Parece
Que ri.
A cobras da alfombra
Qae brigam em co,
as dobras da sombra
Se abrigara com fro.
Qae grata
Poesa,
Qoe meiga
escr
Na malta
Sombra,
Na veiga,
Na flor /

i

consciencia. .
Para furtar-me s demonstra?oes de recooheci-
mento da familia de Eulalia, romp bruscamente
por entre o povo, e, desapparecendo aos olhos da
mullidao, que se abria para me deixar passar, di-
rigi-me para o bairro do Recito, e recolhi-me m-
mediatamente a minha casa, sita roa da Cruz do
mesmo bairro.
Alli, depois de reffectir algum tempo, acerca da
aventura em que eu desempenhra um papel lio]
importante, consegu adormecer tranquillo e salis-
feto,. como antes disto nanea me acontecer. Era
islo orna justa recompensa da boa aeco que eu
praticra.
Despert! no dia seguinte as 8 horas da manhia,
e duas horas depois meu pai mandava-me annun-
ciar a visita de um bomem, que declama querer
absolutamente ver-me e fallar-me aquella mesma
hora.
Meu pai estara sobresanado com semelbante in-
sistencia, por parte de urna pessoa que era a prl
meira re que ia a nossa casa, e nao sabia a que
attribolr aquella visita; visto que eu nada Ihe dis-
sera acerca do que se dra no dia antecedente, e
nem a pessoa que me esperava qaerla esclarecer o
mysterio antes de me ver entrar na salla.
Logo qoe me apresentei no logar em que era es-
perado, o horaem que se achava junto a meo
pai .pergunlou vivamente a este : este o Sr.
Bruno? >
Mal tinha meu pai acabado de responder pela
afflrmativa, e J eu senta o corpo comprimido pe-
lo mais rigoroso abraco que renho at boje rece-
bido.
Meus ossos esta lia vam sob a pressio de dous
bracos muscolosos, e chegae! al a pensar qoe ia
pwder os sentidos ao desewnmunal amplexo do
meu ignoto apreciador, vlsto'oomo j ia senllndo
falta d'ar nos pulmdes, e a respirado dlfflcil e per
nosa.
Felizmente para mim, o tal senaor, extenuado
Divagacde campestres.
ABnal livemos no dia 1* do correte a almejada
bandeira do Monteiro.
As oito horas da noite ja' o seu verdejante e es-
pacoso pateo, apresentava um bello panorama, aos
olbos de quem como nos alli se achava vido de
distraego.
A igreja e moitas casas particulares viam-se per-
feitamsnte Iluminadas, e em frente a Tranateque
se achava erabandeirada, ergaia-se raagestosamen-
te um lindo arco de folhas com o seguinte dstico
Viva a Senhora da Conceieo, o qual consta-
nos ter sido levantado a expensa dos festeiros.
Dispersos no vasto campo encontravam-se atpi
e alli, graciosos grupos de fetiieeiras virgens pare-
cendo quererem voar as azas-de Cupido, cercada
de esbeltos cavalleiros, que procuravam com pri-
mazia reqnesta-las, aos qaaes-ellas respondiam ora
com um terno e meigo sorriso de encantar, que
s por si significava um suspirado sim, ora com o
mais desdenhoso ar de despreso, farecendo lr-se
em seus labios um perfeitoe decidido nao, que tan-
to faz sofTrer a pobre victima, que fascinado pela
belleza e attrativos da ingrata, seria capaz de sa-
crificar por ella at a propria existencia I
A loa quebrando mansamente as osclllantes va-
gas das ralas nuvens qoe orna va o firmamento, as-
suma fulgurante no horisonle, e esteadendo' a sua
luz argentina por todo este compacto de prazer e de
testa, ioebriava-nos a alma com sublimes e po-
ticos pensamentos, fazendo assim mais realcar este
soberbo quadro de encanto e delicias para nos t
As 9 horas teve lagar o alvorar da bandeira,
com toda a pompa e explendor, sendo imraenso o
acompanhamento de senboras e cavalleiros; foi
pena porm, qae tivessemos de notar o mais toa-
mal desentoamento no cantar doa versos.
Em seguida dirigimos os nossos passos ao porto
de um sitio onde devia ter Ingar ama partida an-
nunclada explendida, a qnal era dada por meio de
ama sociedade; e ahi recostados ama frondosa ar-
vore ; contemplamos um sem numero de fermosas
jovens que deudejantes de alegra e enthasiasmo,
faziam a sua entrada trinmpbal no salSo do baile.
E ellas linbam razo, porque um sali de|baile o
jardlm onde naseem as pnmeiras vergonteas de
amor,e onde se enraizara aquellas queja" exisieml
Principioa a danca, e d'abi a poucos momentos
das jaoeilas Iluminadas pittorescamenle evapora
va-se o confuso mido da msica, o murmurio das
palavras, o delicioso ranger das finas cambrias, o
encantador perfume das flores, e lodo este borbo-
rlnho de um baile no campo.
Alta noite servio-se a mesa, a qual consta-nos
estava bem simples, e embora a distancia em que
permanecamos, onvimos alguns brindes frentica-
mente correspondidos, com especialidade e do bel-
lo sexo.
Ja' era bastante tarde quando retiramo-nos para
casa, e adormecendo scismando no ardor da juren-
tade aos vate annos com os nossos primeiros
amores, que se esvairam como as crespas ondas se
esvaem na superficie do mar, sonhamos durante
toda noite com o dolo actualmente de nosso co-
racao, com aquella a qnem temos a loucura de
amar.
Qae differenca mea Deus I
Adormecemos pensando no anglico boiao do cra-
vo, que para nos foglo tao ingratamente, e sonha-
mos com urna flor cajas pealas vemos despedaza-
das pelo ar impuro que respira I
Mysterios da natureza I.......................
UM POTJCO DE TDO.
Sao do Sr. Dr. Tilo Fabio estes'
APONTAMHNTOS DO CAMPO.
V
Ea dorma no seio tepido e macio da phao-
tasia.
A phantasia o amor.
O amor desperta os sonhos do poeta, como a au-
rora vai acordar nos adytos do bosque as geragSes,
que dorraem junto das flores e por cima das folhas
trmulas.
O amor tem as suas auroras e os seus crepscu-
los. O crepsculo do amor a morte lgida da
vida-
O crepsculo de- amor tem os invernos- da des-
illuso, com todas-, as brumas, com as geadas p-
treas, que matam a olantas da planicie, e sufto-
cam as poeiras da veredas.
O coragao orna tela de variegada cures, es-
maltando desenhos de contornos lindos de figuras
vizinhas, eujos labios seduzem pela graca, cujas
trangas psndem pela belleza, cujas physionoma,
assemelham-se tradiogo dos selvagene, que sen-
ara-se attrabidos por impulso irresiilivd ao as-
pecto das encbenles.
f sim.
Quando cahe da pbaotasia essa toalb sombra e
ttrica, a obscurecer as perolas alvissimas do pel-
lo, ai I... nio urna tealba sombra, qoe se des-
enrola por cima d'essa palpitages niteotes; um
licor corrosivo, ao contacto do qual se desvanecem
e extlnguem os coloridos pbosphorecentes da tela.
Eu dorma- no seio da pbantasia, por qoe o amor
para mira abre ainda auroras balsmicas, espec-
tculos encantadores, panoramas explendidos e
magestosos, como a la vista de sobre as monta-
nbas.
O vento da noite entrn indiscreto pela janella
do meu quarto.
O vento da noite arrastou-se pelos livros, dei"
xados em meia leitura em minba mesa- saecudio o
p, que o dia depositara n'ella eincivil visitan
lefurtivamente revolveu-me a pasta e-atirou pelo
assoalho da sala os fragmentos dos papis, guar-
dados, em segredo, alli.
A luz da manha acbou-me engolpbado ainda no
pensamentear profondo do mea sondar.
A luz percorreu as paginas esparsas aos ps da
t Episodio do thealro de Santa Isabel.O Sr.
nm homem incommodo I
E o Sr. um bomem incivil f
O Sr. incommodo por que incivil.
E o Sr. incivil por que incommodo.
Ora que nos lances mais graves da represen-
lagao, o Sr. interrompa o pathelico com orna garga-
'hada parva I....
Ora que o Sr. as snages mais vivas da
torga ioterrompa o espirito com o estampido de
urna pilada immoral, que mette no nariz f-
Pois, meu caro....
Pois, meu rico
Nio seja estpido I
Dou-lhe ja.cora a mo na cara !
Burro I..
~ Bebado !..
* .Veste momento bradaram peo a um alar
ve, que surgi em um. camarote com o chapeo na
cabega, e os dous interlocutores cortaram a- alter-
ca gao :
< Poste. Fui. E nio me viste.
Passei a tarde tao triste !
Em todo apaihia e tedio I
Que sombra no coracao I
Levei o tempo seismando
Vago, perdido, indagando
Para minh'alma nm remedio,
Mas ladobem vsem vio.
Refernia o buleio da tormenta
Pelos plaioos inflados do osar ;
Contra as praias a onda rebenta,
Verga o angico aos embates do ar ;
Mas minh'alma, pacifica, en tanto,
Como luz em fechado saleo,
Sent a lula sem longes de espanto.
V a lula em tranquilla laacfe.
as alturasqoe estrpitos br<
Pelo en ao-desfiado o cipo f
E as brenhastorcidos os ti
E as rochasas pedras ea p t
Mas miah'alma, velada da awato,
Qne protege o que er no Senaor,
Todo esse exterminio da espaalo
V, sem nada sentir de pnror.

t Aps a noite tristonha
De negro e roedonbo veo,
A natureza abre o dia
Debati de um lindo co.
c As vetes brame o ocano
Com furia ingente e voraz
Ejlogo serena e acalma
E a caima o socego traz.
< No )ogo das desrentaras
Nos enredos do soffrer
Quando a gente menos pensa
Surge a aurora do prazer.
f E' que a vida, em seas arca
Ne seu ioeerlo vaivn,
Joga o riso atrs do pranto,
Depois do mal joga o bem.

t E me condemnam t Que querem ?'
Vejam bem e consideren!
Que exlstem no coragao
Forgas fataes, invenciveis,
Poderes inflexiveie.
Que valem maie-que a razio.
Que golpe profundo, roen Dos I Acabaraav
se os dias de gosos Hmpidos, e me cahirara. todos
os sonhos e ficou-m a. morte no coragao !
Oh. I Mata-mel So, n'esla crise agoia,. seria
supremamente feliz com a morte I
Cora a mortesim !
Se eu tivesse ceiagem para suicidarme I
mesa e leo, com as radlagoes de si mesma, os mys-
terios, que dormiam n'esse retiro tmido.
Oque ahi estava eseripto- era tai vez o ultimo la-
mento de um gemido, quebrado eooira o papel:
talvez a pulsagao derradeira de urna historia de
urna noite lnguida ; talvez urna apologa vi-
da... do coragao.....da iraaginacao-.. do amor ;.
talvez urna blaspnemia v talvez. um riso desespe-
rado e dolorido.
Levantel-me cambaleant do.... ddr, pela vio
iencia pela divalgagao d'est'act tolla aos arcanos
de muh'alma.
O vento tinha percebido aa palpitages d'essas
lagrimas; a noite Itnba respirado as efluses alea-
ses sorrsos secretos; a lux eonbecera a funda lo-
dos aquellos solugos, aquellas rerelagdes, que de-
viam esvaecer-se ignoradas.
Irritado pguei os papis pela janella.
Alguem apanhou-os fra e veio depois recitar-
me, estropbe por estropne, as particularidades da
pasta infeliz.
Ellas diziam assim:
c Abre os leas labios, donara,
Dize a lioguagem do aroma,'
Na hora, em que o sol assorna
Bebendo o suor do mar ;
A brisa, da manhansinba
Tem solugos e quebrantos
Solta brisa teas encantos,
Que ella chora por te amar.
Amigo e co>fodre.Ficara entregues- todos os
papis relativos a sua pretengio e.................
........

c Vai-te, mysterio de fortuna acerba I
Vaga sobarba, que um destino tem
Trouxe-te, a asmo, s regios do norte,
Vaga mais forte te arrebata alm.
Vleste apenas ostentar encantos
N'estes recamos de inaegao atroz,
Para os deixareste ansentando-aos poneos
Inda mais cos, isolados, sos.
Despertando pela manha, quando o sol mal des
pontava no bonsonte, e a natureza alvorecia com
todas snas fascinagoes juvenis, o nosso primeiro
cuidado foi indagar quem tinba sido a rainba do
baile.
Respondern) nos que ama deidade Fluminense.
Nio possivel, retorqulmos logo, que entra tan-
tas Pernambucanas ama Fluminense tivesse a pal-
ma I Nao, a ralnha do baile nio foi esta qae pen-
saes; pelas que vimos entrar, ful ama linda rosa
branca, cheia de caodura e poesa, que veio fugi-
tiva de um outro arrabalde, como de proposito con-
quistar essa palma que lbe queris roubar.
A rainba da partida do Monteiro foi portanto
urna Pernambucana..........................
Era o dia da afamada festa de Nossa Senhora da

........................

f Abriste a bocea e cantaste
Sons, ignotas melodas,
Canges, que j mais ouvi,
Vieram, como contraste,
Relembrar-me as harmonas
Da minha feliz infancia,
Passada longe d'aqui,
E qne se haviam perdido
Como o echo de um gemido'
Como da rosa a fragrancia,
Como ba.nesta consonancia
Do arrulo da jurity.
f Fallei-fe. Mal respaafieste,
Tinba um pudor celeste ;
Coofetsai os meus impulsos
Na ternura dssas phrases,
Que sobem do coragio
Aos labias de amor convulsos,
E que ananas sao capases
ue sincera conflssio;
c Inda vos vejo, inda sonho.
Fascinado, como outr'ora,
Oavir-vos a voz, senhora,
E morter por vos amar ;
u episodio risonho
D'esses- instantes passados
Entre vos, enamorados,
Deixou profundo lembrar.
t Inda vos sinto bem perla-;
Nio posso esquecer os dias
De incisivas alegras,
D'esses conebegos de amor ;
Bem juntostudo deserto
Longe do ruido iosralo
Em nm recanto do. mato
Lna harmonasodor I
t Da vida pelos desertos,
as areias da existencia,
Queimam-se, s vetes, ardencia
Do sol da sorte fatal
Labios de flores, abertos,
Pedindo seiva de vida
A orvalbada cabida
Da regiio sideral.
i Morre a vida, morre a planta,
Desfaz-se o desejo lonco;
Pranto, preces, tndo pouco,
Tudo nada e myrra a flor;
O engao se desencanta,
Flca o cadver dos sonhos,
Como em jazigos raedonhos
Oss'ada de peccador.
< Porque .acudiste aa azas,
As atas de ouro azol ?
As nuvens do cea de gazas
Voaste arebaojo?
Nao viste
Meu peito indinado a dor t
Porque as azas sacudiste.
Perfumado beija-flor T
c Foi-se o ebeiro da vida,
Fui-se a vida do meu ser
Depois da toa partida;
Ai me ficen a dor
Como a pona de um
Espinbo,
O espinbo de nma afllcgao;
Foste como um paswint,
E eu Qqoei na solido.
Tambem as aias minh'alm
Tambem as atas balen,
E foi altlogindo a calma
Das gatas, do atol do co,
Bebendo os ares,
Querida
Os ares atrs de ti;
Mas logo cabio tenia*
Qual ferido colibr
Se eu fosse a transcrerer aqu todo i
encerrava u'essas nota macilentas dan
illusdes desvairadas, a oilava pagina tajai
teria proporges, toda Ua, para abraager a. vas
da collecco.
Para panno de rooira, tosa o qae ahi sa a
dita
Agora, remootando-me ao Monteiro,;
leitores de qae abrio-se agora ali nm
to asseio e variedad.
, Sorvte todas as noules ali se encanara.
Era ama necessidade qne orgia. Foi
da, e satisfeta.
As minbas felicitgdes ao sem laoerieaara a a*
povoago.
Ouvi diter qoe aqni na Casa Parlo
estabelecer urna casa de paste-.
Dens a traga.
Tudo isto, gragas a Deus, inem-WM ser i
as reflex'es expendidas ao. bmb primeiro i
ment.
Tenho nma gloria com u!
Recommendages da sacriso 4a i
Al logo.
agnaanao*
As despezas de Irapressao dos
sentados ao parlamento iBglez petas
parlgoes ministeriaes, dorante es
annos, foram as seguales:
Em 1860..... a7:Sa*t
lnUMg1
1861..... 9:MQa
> 1863..... ii8:0Sf
> 1964..... 110:110
Total... 553:ai0*
Nesta conta nao estio
pressSes feitas por ordem do parlamento.
t A' naco brasilnraA' S. M. o Imperador.
Os negocios do Prata sao serlos, como ama ameaga
terrivel 1
< Do Paraguay formigam exercitoa.
c Os nimos irritados desallendem aos irapessi-
veis e arrojara se sednzidos per nina torca vehe-
mente.
t Abalxoas myslifleagoes.
t A Imprensa o apanagio da verdade.
f Do come da imprensa falle se ao paiz com a
realidade dos fados, a gravidade dos acontecimen'
tos; a pureza da situago.
E muita cousa mais, e moila cousa mais, etc.,
etc.
...........................................
Fragmento de um poema.
t Gorgeios macios
Recita o pal mi;
Nos seios dos rios
Dormita o loar.
Eis aqui extractado de nm jemal
mo offlcial dos trapos ou oojras
das ao fabrico do papel, importadas ei
durante os nttimoa ouie annos, isla ,
al 1864:
Toneladas.
1854... 11,413 ISSjMt
1856... 9,414 119,
1836... 10,184 a%iw
1857... 11,196 W8
1858... 11,379 146433
1858... tkjm *njm
1860... 16,155 mm
1861... 10,485 **m
1861... 13,941 48M99
1863... 45,58* 590,716
486'*... 67,817 693J69
3,177 vmjrt
~~' ~
PERNMBUCO -TYP. DB M. F."l>l fT&^M
*-^mmmmm
aonaasaMaVV *


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGNW227AV_1ITO79 INGEST_TIME 2013-09-05T04:25:27Z PACKAGE AA00011611_10889
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES