Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10888


This item is only available as the following downloads:


Full Text
-
I
I!
111110 XIII. HUMERO 32
--------?-----------:------------------------------------------
Ptr cb rtei pagt dcitr* os 10 dias d t.* mez ,
dem de^is das I,04 la das da carnee* eieitra da quartel
Parte aa correio par tres mezes.........> .
./:"
*
SfMt
6aaa
75a
SEXTA FEffiA 9 DE FETEREIRG SE 1866
for ana paga dentro de i odiando i. mez.
farte aa carreia por in anno
Slaaa
DE PERNAMBUCO.
_^_
ENCAWO6AD0S DA SUBSCRIPTO DO NORTE
Parahyba. o Sr. Antonio Alexndrino de Lima;
Hatal, o Sr. Amonto Mirones da Silva; Aracaty, o
8r. A. de Lemos Braga; Caa/, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maraabo, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Sr. Gemido Antonio Alves &
Fillios; Amillonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SUL.
Alaanas, o Sr. Glandlno Falco Dias; Babia, o
Sr. Jos Marnins Arres; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Ribeiro Gasparinbo.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e etagoes da via frrea
Agoa Prata, todos os dias. |
Iguarass e Goyanoa as segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezsrlros, Bonito* Caruar,
Altinho, Garanbuns, Buique, S. liento, Boro
Conselho. Aguas Bellas e Tacaran, as torgas
Mras.
Pan d'Alho, Nazareth, Limoeiro.Breto, Pesqaelra
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis
ta, Ouricury,
feiras.
Salgueiro
e Ex, as quartas
Serinhem, Rio Pormoso, Tamandar, Una, Bar-
reiros, AguaPreta i Plmenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TMBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal 0o commercio r segundas e quintas.
Relago : tercas e sbados s 10 horas.
Faienda: quintas s 10 horas.
Joizo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos: tergas e sextas s 10 horas.
Primeira Tara do eivel: tercas sextas ao mel
dia.
Segunda vara do civel
hora da larde.
quartas satbades a 1
EPHEMER1DES DO MEZ DE FEVEREIRO.
7 QoarU) ming. as 5 h., 20 m. e 16 s. da t.
13 La aova as 7 h., 53 m. e 56 s.da m.
22 Quarto rese, as 2 h., 28 m. e 45 s. da m.
DIAS DA SEMANA.
a. Segunda. S. Agooda v. m.;S. Genuino b.
6i Terca. S. Dorotha v. m.; 3v Vidaslo b.
7. Qnarta. S. Romualdo ab.; S. Ricardo re.
8. Quinta. S. Joo da Matta; 9. Jovbbco b.
9: Sexla. S. Apolonia v. m.; S. Ansberlo.
10: Sabbado. S. Guilherme duque; S. Silvano b.
11. Domingo. S. Lzaro b.; S. Clocro b.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as II horas e 42 m. da roanha.
Segunda as 14 horas e 6 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES- COSTEIROa.
Para o sol at Alagoas a 14 e 30; para non*
al a Granja a 7 e 22 de cada mi; pan Feraaa-
do nos dias i i dos mezes de Janeiro, marco, aau
jnlho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recito, na Huraria ja praca da iaeVpaanci
ns. 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa e Paria
& Filbo.
PARTE OFFICIAL
MINISTERIO A GEBBA.
Ministerio dos negocios da gherra.-Rio de Ja-
neiro, em 19 de Janeiro de 1866.
Iilm.e Exm. Rr.-O vice almirante chefe das for-
jas roaritimas que operam no Paran e rio da Pra-
ta, chamando a atlenco de V. Etc. em seu offlcio
de 28 de deembro do anno prximamente nodo,
para a inconveniencia que se d no desembarque
dos contingentes de liaba dos navios da esquadra,
inconveniencia, cuja consequencia ser o ucar a
mesm esquadra sem o meio de defeza, em que
confia, para o momento critico de nma abordagem
repentina, sendo escassos os recursos, de que dis-
poe, pondera que, nao podendo os voluntarios, pra-
vas bisonhas como sao, substituir, nos naios de
guerra, aos soldados de 1* linha adestrados no ser-
vico especial de sua arma, e deveado acarretar o
cumplimento da ordem de desembarque para as
pragas do Io batalho de fuzileiros resultados u-
nestos, continoavam a permanecer bordo os con-
tingente de 1* linha, esperando que fique sem effei-
to a ordem desle ministerio.
Sao estes os prlnclpaes motivos que servirara de
base reclamagSo felta a V. Exc. pelo visconde de
Tamandar no citado offlcio de 28 de dezembro, e
-sobre os qaaes V. Exc. fundamentando o seo aviso
de 9 do corrente, em que solicita do ministerio
meu cargo que contramande as ordens expedidas
para o desembarque dos referidos eoatingintes, ac-
crescentoo, como razao poderosa, que, sendo mix-
tas as operacoes militares, que dependem de evo-
lugoes nos rios, operagoes quo formam um genero
de guerra especial, no qual representa um impor-
tante papel o soldado da arma de infantaria, e pe-
los servicos que Ihe toca nos variados iocidentes da
luta, nao pode indiferentemente ser substituido
por um soldadado de marlnha; observando mais
V. Exc. que agora com maior torga militam os mo-
tivos que aconselharam o embarque daquelles cen-
tingentes, coja retirada boje nao conveniente,
ainda mesmo que causassem seos'vei desfalque no
-grosso do exercito, o que nao acontece.
Prestei a devida atlencSo ao contendo do aviso
de V. Exc, a que respondo, e nao posso deixar de
manifestar a V. Exc. a sorpreza que rae causn sua
'leitura, vista das ocenrrencias que antecedern
e segoiram a requisigo a que se refere o mesmo
vicealmirante, e o procedlmeoto comante desle
ministerio em relago coadjuvago que deve pres-
-tar o exercito armada, a qual se podria presu-
mir enflaquecida pelos termos por aquello Cheto
empregados, e no aviso de V. Exc. repetidos e am-
pliados.
A publicarlo integral do dito aviso me torca a
ser, nesta occasio, um pouco minncioso na expo-
sigo das referidas ocenrrencias ou toctos, sobre os
quaes solicito a attengo de V- Exc.
Nao Ignora V. Exc. qoe os oiBciaes e torgas que
seguam com dtreegao aa easwiHo, aaaai sempre
tomavara o deslino que Ihes davam os coramandan-
tes das torgas martimas do imperio, e outras auto-
ridades, independente de requisigo ou ordem das
autoridades competentes soburdinadas a este mi-
nisterio, permanecendo, ainda hoje, favorecidos tal-
vez pela sorle, offlciaes arregimentados, que deviam
compartilbar, com os seus companhelros de armas
os arduos, mas gloriosos trabalhos da campanha,
em empregos sedentarios, em parte alheios sua
misso.
E' Umbem um fado inconlestavel, que segundo
o mappa incluso, se achavam destacados na arma-
da, at o 1' de dezembro 75 ofQ ;aes e 1,249 pra-
vas do exercito, alera de duas companhias de zua-
vos que estavam em servigo da esquadrilha do
Uruguay; e permita V Kxc que aiada Ihe revele
que, em aviso de 26 do mez prximo linio, recom-
mendei ao general que, se o comrpandanie em ce-
te da esquadra precizasse de torgas para auxiliar a
raesraa esquadra em alguma empreza ou plano de
guerra, as prestas.se.
Pego igualmente permisso a V. Exc. para recor-
dar-lbe que, em 16 de setembro ultimo, toram,
requisigo de V. Exc, transferidos para a armada
100 recrutas escolhidos, e que, em 7 de novembro
seguinte, se deu no mesmo sentido outra transfe-
rencia de igual numero de recrutas; tendo sido es-
ta ultima feila cora a condigao de retirarem-se pa-
ra o exercito algumas de suas pragas destacadas
nos navios da esquadra, como se v do aviso de 1
de novembro do mesmo anno.
E*tes fados s por si seriam sufflcientes para
que V. Exc. acalmasse os receios do vicealmiran-
te commandante das torgas navaes, que operam no
Rio da Prata, se por venturi a historia e o funda-
mento patente da requisigo que motivou sua re-
clamaglo nao bastassero.
O general Manoel Luiz Ozorlo, em dala de 19 de
agosto do anno passado, offlelou a este ministerio,
dizendo o,$egunte, em referencia ao major Fran-
cisco Marii dos Guimares Pelxoto, e ao destaca-
mento de infantaria : Offlcial este, que rogo a V.
Exc para que, com urgencia, se digne mandar
a desembarcar com o destacamento do batalho
de infantaria, afira de que veoha coramandar es-
te batalho, para onde ha toda a vaotagero dalle
t ser transferido, visto que na esquadra a guarni-
c gao nao combale como a infantaria, e esta torga
pode ser substituida por tropas novas em quanto
que coosagram bandeira de sen batalho e qoe
a foole dos mais brilhantes leilos de bravura.
Alera disso, em um momento critico, em um
ataque repentino de abirdagenl, o soldado de in-
famara pouco uso faz da sua airraa ; nao necessita
perito, porque, era taes occsiSjs vale mals a tor-
ga muscular do que o bora manejo da arma ou a
pericia dos movlmeotos ; 00 entretanto que, em
Ierra, sendo os movimentos combinados as evo-
luges diffieeis, preciso que para Isso os corpos
eslejo bem dissiplinados e instruidos, e nao con-
vera por modo algum que se fraccioneni os bata-
Ihoes que j teem a conveniente instruego. A
1 < 'ii
Rio da Jaaatro. Ministerio dos negocios da
gnerra em 15 de novembro de 1863. 2* directo-
ra geral.1 secgao.
Illra. e Exm. Sr.-Rogo a V. Exc. se digne
ordenar que desembarquen dos navios que fazem
parte da esquadra do Rio da Prata os zuavos ha-
banos qne nelles se achio e que aiera falla no
exercito, visio qne, em data de 7 do corrente se
permittio a escoto de 100- recruUs do exercito
de arrimo, resolv dlspensa-lo do servigo da guer-
ra para que eslava designado : o qoe conmunico
I a V. S. para que mande apresenlar Besta capital
de entro guarda em substituido aquelle.
Dito ao diredoi geral da instrnego pnblica.=
Attendendo ao que me reqneren Celieina Mara de
Siqueira Yarejo, prefessora publica da cadeira da
freguezia de Nossa Senhora da Gloria do Goil, re-
solv qne seja contada do da 16 de Janeiro proxi
Ivo Maru'ns d'Almefda, Pernambuco, 33 annos,
s9lteiro, Pogo da Paneila; irritago de intes-
tinos.
Antonio Joaquim Pacheco, Portugal, 45 nnos, vio-
vo, Boa-Vista ; anazarea.
Fehppe Jos Santiago, Pernambuco, 42 annos, viu-
vo, Boa-Vista : peritooite.
Valentim Jos dos Reis, Pernambuco, 40 annos,
vfovo, Bea-Vista ; tubrculos pulmonares.
bordo dos navios de guerra ex slem pracas do ba-
talho naval qne, alm dos conhecimentos profes-
alra do exerclcio
do mar, possuem a
1 mo findo am diante a llceoga de 3 me3 qne Ihe Hermio Carneiro de Mello, Pernambuco, 12 an
' Deus guarde a V. ExcAngelo Moniz da Silva foi copcedida por portara de 22 daquelle mez : o nos, solteira, Boa-Vista ; incepaelite.
FerrazSr Francisco de Paula da Silveira Lobo, que Ihe eommunico para seu connecimento. Mana Candida dos Sanios Figueiredo, Pernambu-
Dito i cmara municipal do Recito Remetto in-1 co, 25 annos, casada. S. Jos ; epelepsia.
------ ..... i clusos c% requerimeotos de Jos Soares Pinto Cor- Mara Jos de Brito. Pernambuco, 66; annos, sol-
, j. .,. n. nA->rwr Il^O 1A PBIM IX -- ro poblieo, para que a cmara monicipal desta ci- Tnereza de Jess Vellozo, Pernambuco, 73 annos,
siooaes da arma de ioraniana alera do exercicio Expediente do dia 6 M ferereire de 1865. dade aceitando o abate de 268* que offerece o sup- viuva, S. Jos; feridas na garganta,
de artiihana, teem os hbitos do mar, possuem a r niicaniATnn nroen dn arcrpscimn (ta ohra. felta na 6
educago martima; sao, por ai.ira dizer soldados ^^fgg^g******* t^ZlZ'V,"mSS^acuantia de'sOOl Luiz de Franga d'O.iveira Lima, Pernambuco, 4*
mixtos, propnos para as operago3s tarabem m.x- mas l^e V. Exc MWaMPNjMMe joao m maemnsagao do referido accrescimo. annos, casado, S. Jos bepatiie.
tas da guerra, como as que ex gem evolugSis nos! MMl 0 Reg Monleiro no requenmenio que aqu. v j^- eoD^|ho d(J compras d& arsenal de guer- Joaquim Jos do Nasciroento, Pernambuco, 14 an-
rios; por isso mu judiciosamente o general era !. ra.-Rcoromendo ao conselho de compras do ar- nos, solteiro, Boa-Vista ; pneumona.
SS^friSffi.lSfcZS ffSt I sotl'lVZpo dMeanvoe.uVnanos Sonto Gre- seal de guerra que compre 10 arrobas de fio de Marcelino, Pernambuco, 11 annos, S. Jos; febre
SSSfdo ^rtal!liittodtel|^lK ?IT Bbs- i tono Gcc.l. 69lho. que serve de araporo a velaba prov.men.o doa.moxarifado do mesmo
titolgo por outras pragas._ | .__________, sua BJIMiv mLm m v b ^ InfArmar Dl,0 ^ ^ joiz da paz do dislricto da fregue-
Assim, espero que V. Exc. declare ao mesmo
visconde de Tamandar que, logo que da parte de
S. Etc. for requisitada aos generaes em Cheto dos
dous exercitos alguma torga ecolhida, ser-lhe-ha
sua mai viuva.
Dito ao mesmo. Srvase V. Exc. de Informar
sobre o que pede no Incluso requerimenio o guar-
da do, 2. batalho de infantaria, destioado ao ser-
vigo da guerra Pedro Celestino, juntando V. Exc
zia de Igoarass. Informe Vine, ero que dia en-
trn no exerclcio de Io julz de paz dessa fregnezia
perniciosa.
Josepba Mara da Conceigo, Pernambncano, 30
annos, solteira, Recito; tubrculos pulmonares.
Antonio, Pernambuco, 1 mez, Boa-Vista ; varilas
confluentes.
uisua cAcit-iius aiiiuuii ai/iva i>vuhmi., --. --------- .-----:----------.--------------,' U-*.irl-.
esta tornecida, conforme as orJens, que tenho ex- o parecer da inspecgao a que deve ser submetlido
pedido.
Deus guarde a V. Exc Angelo Moniz da Silva
FerrarSr. Francisco de Paulada Silveira Lobo.
Quartel general do exercito de operagoes contra
a repblica do Paraguay, no Qualeguaysito, 19 de
aonctn lia tRfi
o supplicaole.
Dito ao inspector da thesoararia de fasenda.
Estando em termos os inclusos documentos que re-
metten o ommandante superior da comarca de
O.inda com ofBcio de 10 de Janeiro ultimo, e nao
havendo inconveniente, mande V. S.' pagar os ven-
cimentos a cootar de 16 de julhi at 31 de outu-
agosto de 1865.
film, e Exm Sr. Recebi o aviso de 9 de Julho
prximo lindo em o qnal V. Exc se dignou com- _
municar-me achar-se de posse das ordeos do da na fortaleza do Pao Amarello, e bem assira de do
desle exercito sob ns. 27 a 29 e 32 a 33, bem co-1 us cornetas do 9. batalho de infantaria d'aquella
mo me observa que as transferencias de offlciaes cidade, correspondente ao citado mez de desembro
de commissao dependem de approvacao desse mi- como se v dos preditos documentos.
nisterio da guerra, ao que me eumpre responder > Dito ao mesmo. Se nao houver inconveniente
a V. Exc. que, pela aulorisacao que me foi conce- aiaade V. S.* pagar ao baro do Livrameclo, como
dida fago essas transferencias e envi repartigo pPt)e no incluso requerimeoto a quanlia de 3:785$
da guerra as ordens que sao r ilativas, como Ara | a qoe tem direiio por ha ver coocluido a obra da
de que o governo resol va o qoe a respeito julgar; rampa mandada coostrufr ao caes da roa do sol.
consenianeo ; e se antes de cotimetter taes trans- ( rj{0 ao mesmo. Era vista do pre junto em
ferencias nao consnlto ao governo porque a ur- duplicada, mande V. S.* pagar ao voluntario dapa-
gencia do servigo nao permute sperar. O 1" bata- irta Joaquim Henriques ttes Santos como pede no
iho de guardas nacionas da crte destacado nes-1 reqnerimento que incluso devolve e sobre que in
le exercito nunca passou de tres companhias; ten- formn V. S.* em officio n. 69 do Io do correte
do-se retirado por doenle o sen commandante e o mez, os vencimentos que Ihe competirem a contar
mesmo tendo-se dado com o mijor e sendo alias je 24 de setembro do anno prxima passado era
de muito bora pessoal estas tres companhias man- qUe alistou-se na villa do Salgaeiro at 10 de janei-
dei-as addir ao batalho 14 de; linha, qne apezar ro ultimo era qne foi addidoao 6.corpo desta pro-
de sea limitado numero de pragas tem 2 comea-1 vnca.
obias destacadas na esquadra do Rio da Prata, | Dito ao inspector da thesouraria provincial.
formando pois destes dous cornos um batalho re- Ao cabo Flix Dacia de Barros, mande V. S.* pa-
guiar, cujo commaodo del ao major Jos Martn!, gar se aka houver inconveniente a importancia
com quera os offlciaes do referido 1 batalho de dos vencimentos relativos a 2* quinzena do mez de
guardts nacionas Rearara to tf tisfeitos, qoe nesse I Janeiro ultimo do destacamento de guardas nacio-
por impedimento do respectiva proprietario e a ra- Flrmina, Pernambuco, 2 annos, Santo Antonio ;
zo porque nao afflxoo os edivaes para a reuniio pbtysica.
da junta revisora da qualificago na 3a dominga de |
Janeiro prximo findo.
Dito ao juiz de paz mais votado do 1* distrioto
da Iregueiia de Igoarass.-loteirado do qoe Vmc.
comraunica em seu offlcio de 22 de Janeiro prxi-
mo findo, recommeodo Ihe que faga reunir a junta
revisora da qualificago dessa freguezia no dia II
sentido me dingiram um voto I de agradecimenio.
Qaanto ao tenanuaairoAel de commissao Jos
Antonio da Silva Lopes, contin 1 commandando o
batalho 11 de infantina, ao qual se acha reunido
o 15 d'onde major o mesmo tenenle-coroncl Lo -
pes, visto qne para o Io de gaaidis nacionas da
corle para onde (ora ltimamente despachado era
irapossivel qoe como tica dito sta reunido ao 14
de linha.
To Jas estas alteragdes sao Alnas da conveniencia
na; se, porm, o governo desalpprovar estas me
didas far sem querer um grande mal ordem
que as crcumslancias (em aconselhado.
Quanrio ao major Marlini natal V Exc que tam-
bera fura elle mesm 1 qu j so icitra sua trans-
ferencia do 1 batalho de infan aria, por sso que
convm a remogo deste major pira outro corpo,
visto que nao est em boas re agoes com o seu
respectivo chefe, sjoJo todava ambjs ramto bons
offlciaes. c Eu teria tono esta transferencia para
c a qual sou autorizado, dependendo da approva
gao superior, e no entre auto !no a lenho feito
por achar-se na esquadra o major Francisco
< Mara dos Guimares Peixolo, offlcial este que
< rogo a V. Exc. para que com urgencia se digne
< mandar desembarcar com o destacamento do
mesmo 1 batalho de infamara atim de qoe ve;
< nha coramandar aquelle batalho, para onde ha
c toda a vantagera del te ser transferido, visto que
na esquadra a guarnigao nao combale como a
bro,Ts iVaFdeYeserab'ro "tdo'"do"Mni'pW- Je margo vihdouro, que para hwjlea *f*;
xirao passado de 2 goardas naconaes destacados ^Jfcffi^ *VSSfiFt< I
Por esta occasio eumpre que \ me. rae declare
em que data passou o exercicio ao 4 jniz de paz
sen substltulS. ''
Portara.-O presidente da provincia,attendendo
ao que requereu a professora publica de instruc
gao primaria da p>voago de Poota de Pedras.Her-
milla Floresta da Cunha Salles, e tendo em vista as
intormagdes do director geral da instruego publi-
ca de 2! de Janeiro prximo findo e do inspector
da thesouraria provincial da 5 do correle, resolve
de conformidade com o art. 23 da le n. 598 de 13
de maio do anno passado, remover a mesma pro-
fessora daquella cadeira para a da Boa-Viagem,
creada pelo art. 19 2 da citada le.Fizeram-se
as oecessarias commancaedes.
Dita.O presidente da provincia, attendendo ao
que requereu Manoel Joaquim Lobato, resolve eon-
ceder-The lieenga para embarcar no vapor Paran-
ba, com destloo ao presidio de Fernando, os gene-
ros constantes da relago junta, assignada pelo se-
cretario do governo, e recommenda ao comman-
dante daquelle presidio qne proceda aos necessa-
rlos exames nos ditos gneros, afim de que se nao
desembarque bebidas alcoolicas.
Expedient* do secretario do gsTerno da dia 6
* de fererelro de i8. '
Offlcio ao commandante do presidio de Fernan-
do.e ordem de S. Exc o Sr. presidente da pro-
vincia, peco a V. S. qoe remella a esta secretaria
alguns caxotes com arela preta para o expediente
da mesma secretaria.
EDITAL.
2' secgao.-Secretoria do governo de Pernambu-
co, 6 de tovereiro de 1866.
Pela secretaria do governo se faz publico o des-
pacho proferido peto Exm. Sr. ministro da jostiga
no mez de dezembro prximo findo :
Manoel Joaquim Pereira Lobo, guarda nacional.
Indetorido.Era dala de 12.
O secretario, Dr. Francisco de Paula Salles.
EUITAL.
2* secgao.Secretaria do governo de Pernambu-
co, 6 de tovereiro de 1866.
Pela secretaria do governo se convida os Srs.
Augusto Bereoguer de Alraeida Alcoforado e Ale-
xandrino Ofyrapio de Hollanda Chacn, a virera ou
raandarem pagar os portes dos requeriraenlos em
que pedem ao governo imperial a serventa vitali-
cia dos oficios de 2 tabelllo e escrlvao do termo
d'Agna-Preta, afim de poderem ter o conveniente
destino na primeira opportunidade.
O secretario, Dr. Francisco de Paula Salles.
naes existente na villa de Ipojuca, os quaes cons-
tara do pret jante ear naHeaia que ova esse m
me remetteu o commandante superior da comarca
do Cabo com offlcio de hontear sob n. 208.
Dito ao mesmo. Annniado ao qne solicitoa o
delegado encarregado do expediente da repartigo
da polica em offlcio de bontem sob n. 153, reco-
mend a V. S". que oao havendo inconveniente
mande pagar a Antonio Augusto Maciel aquaotia
de 66#666 reis, em que segundo a conta junta
de harmoolsar a ordem necessidade da discipli- em duplcala, importa o alaguel vencido nos me
qne ero
havendo
zes de novembro a Janeiro ultimo, da casa que
serve de priso no termo de Barreiros.
Dito ao mesmo.Recommendo a V. S.
vista da caria junta em duplcala e nao
inconveniente mande pagar a quantia de 305000
proveniente do aluguel de 3 mezes vencidos era 20
de Janeiro ultimo, da casa que serve de quartel ao
destacamento de guardas nacionas existente no
dislricto de Jabwto, podendo esse pagamento ser
effectaado a Luiz Pe ira de Mello que passou a
ser proprietario da mencionada casa, segundo cons-
ta de offlcio do delegado encarregado do expedien-
te da reparligo da "polica, datado de bontem e
sob o. 156.
uito ao mesmo.Providencie V. S. para que es-
tando em termos a conta junta em duplicata, seja
paga a Joao de Araujo Pessoa, oa ao sea procura-
dor conforme solcitou o delegado do expediente
da reparligo da polica, era offlcio de honlem sob
, n. 155, a quanlia de 17#032, correspondente ao
infamara, e esta torga pode ser substituida por aluguel de 2 mezes e 4 das, vencidos em 20 de
EXPOSIQAO DOS PRODUCTOS AGMCOLAS, IMDOSTBUB E
OBRAS DE ARTE DA PROVINCIA DE PERNAMBUCO.
Acia da 1* sesso da commissao directora cele-
brada em 25 de Janeiro de 1866.
Aos 25 de Janeiro de 1866, em ama das salas do
palacio do mveroo de Pernamboco, ao meio-lia,
achando-se presente o Exm. Sr. senador conselhel-
ro Joao Lustosa da Cunha Paraoagu, presidente
da provincia, comparecern! os Srs. baro do Li-
vramento, Jos Joo de Amorim, Dr. Jos Joaqnim
de Moraes Sarment, Dr. Gervasio Rodrigues Cam-
pello, e o Dr. Manoel Bnarqae de Macedo, faltando
o Exm. Sr. comraendador Domingos de Souza Leo,;
por estar ausente, todos memoros da commissao
incumbida de dirigiros trabalnos da exposigo qne
deve ler lugar no Jia 1 de julho prximo.
Dando-se comego aos trabalhos propoz o Sr. Dr.
Sarment que se procedesse organisago da com-
missao, e dislribuigo dos trabalhos especiaes
pelos re>periivos membros.
Approvada esta proposta, toram eletos : presi-
dente o Illro. Sr. Dr. Jos Joaquim de Moraes Sar-
ment ; secretario e relator o Dr. Manoel Buarqoo
de Macedo ; classitlcador e redactor do cathalogo o
Sr. Dr. Gervasio Rodrigues Campello, Qcando os
Exms. Srs. Dr. Domingos de Souza Leo, baro do
Llvramento e o Sr. Jos Joao de Amorim, eocarre-
gados da acqoiMgo de productos, escolha de casa
idnea para a exposigo, dos arranjos qne nella to-
rera precisos para a coilocaco dos obectos expos
tos e da expedigo para a corle daquelles que to
rem designados pela commissao.
Em seguida resolven-se que o Dr. Buarque re-
digsse a circular qoe tem de ser dirigida aos in-
duslriaes da provnola e mais pessoas'qne estrtw1
rem no caso de concorrer para a exposigo.
E nada mais havendo a tralar-se, deram-se por
fiodos os trabalhos e levantoiKse a sesso.Dr. Jo-1
s Joaquim de Moraes Marnenlo, presidente.Ger-
vasto Rodrigues Campello.Jos Joo de Amorim.
Baro do Llvramento.Manoel Buarqae de Ma-
cedo, secretario.
Acta da 2' sesso da commissao directora, cele-
brada em 31 de janeiro de 1866.
as offleinas dos arsenaes da provincia, os eooimao
dantos do presidio de Fernando e-catea** arittar
de iraont-uras, e raais autoridades- araviaeiaes
prestem toda a ooadjuvacao a commissao a eoacor-
ram com os productos de qoe dispozereo.
Nao havendo mais nada a tratar araaiaa por
terminados os trabalhos. Gervasio Rodriga
Campello. Jos Joo de Amorim. Bario
Livramento. Manoel Bnarqae de Macedo, se-
cretario.
Communiead08
So agora vete- ao mea coobecimento o 1
atoado, que pobhcoo o Jornal d& ttreife de 3 a>
correte mez, assignado por Baziliaa aa Haga-
Ibes Castro ; e julgo de mea dever tazar as se-
gmntes declaracSes :
E falso indo quanto assevera de aria, e cas re-
lago ao Exm. sr. desembargador Praaetaeo
mingues da Silva, a correspondencia a qne
excepto, porm, o entreler en coaa o mesa
desembargador relagdes de cortetia, o qne ai* ao
der nanea servir de embarago a' boa Ibirttai
gao da justiga, e dis:o ja' teas dado protae naaii
ranies o mesmo Exm. Sr. dcaaaaaargador.
igoalmente ama (al-idade revoiaale ana de
rain ha parte, da de mi nha mi, 00 de alinea por
ella se tenba feito apptieaeao ao me* Ooado l
dos epithetos iafaDMntes meaeioaaaos
respondencia; os proprlos autos 4a ajoest* a ajH
a correspondencia allude do tesleaako do qa
acabo de asseverar.
Tambera nao Uve noticia algoata do eaaaaaaai-
cado inserto neste Diario sob a upigrapna A
Themis Pernambncana e o Kxm. Sr. 1
dor Francisco Domingnes da Silva seaio 1
o II.
Recito, 8 de tovereiro de 186(1.
Joao Fernando da Cruz.
Correspondencias
Srs. Redactores. Tendo sabido a passe do oa-
genho Gotiuba, propriedade de man to Silvaao 4a
Araujo Barros e Albuqnerqoe, onde esto* paaaa*4a
algons dias, afim de tratar de atiaba saaa>, ao dan
28 de janeiro prximo pastado, encontr! oa indi-
viduo, qoe se dirigindo a aia, pergnntoo-ae se
estava em raen podar o eseravo Maaoel Fraaa aer-
tencente a' mea pal. Conbeceoo aa qne aquella
pergnota parta de um qudam to eatobre om fono
e roubos, morador no eogenho Terra Prata, pro-
priedade de mea pai, o qual ja' baria dito a seas
parceiros, qne o vera bascar caso estivesse o as-
cravo em mea poder, aehei prudente nao s res-
ponder afirmativamente ao tal individno,
tambem fazer sciente ao publico qoe o escravo 1
tava em mea poder, e qae o tal qnidmm aao gi
de litlo algum que roe ponha tora do 1
, cravo, como me tea posto 4o tato
I gozsT t easa do raen pal.
Eogenho Guliuba 1 de tovereiro 4a 18*5.
Vllytus Carreta de Cratlo.
tropas novas emquanto que em trra carecemos
s de batalhdes disciplinados, accrescendo mais que
c o Exm. Sr. visconde de Tamandar disse-me que
t podia dispensar a bordo os servigos deste major
< os quaes tanto convm nesle exercito. >
Deas guarde a V. ExcIllm. e Exm. Sr. con-
selheiro Jos Antonio Saraiva, ministro interino
dos negocios da guerra.Manoel Luiz Ozorio, bri-
gadelro.
Rio de Janeiro. Ministerio dos negocios da
guerra, em 22 de setembro de 1865.2' directora
geral.1* secgo.
Illm. e Exm. Sr. Representando a este minis-
terio o general commandante em chefe do exerci-
to imperial era operacoes ao sul do imperio, sobre
a conveniencia de fazer desembarcar o major de
1 ti tontada Francisco Maria dos Guimares Pelxoto,
e as pragas do 1* batalho da mesma arma qae se
acho destacadas na esquadra, a Um de encarre<
que, em torra, carecemos de batalhSes disc.pli- J"SEST^IESE* uZeUe" batalho deleado da P0^ da Capuoga' ff"5 d0 deS-
----- "- viscon- Bar, mw major do comraanao aaquene Daiainao, ,,,/ ^ Dl,dlc ,, n listante, sa-
c
c nados, accrescendo raais que o Exm. Sr.
1 convra neste exercito.
outubro do anno prximo passado, da casa que
serve de quartel ao destacamento de guardas na-
cionas existente no dislricto de Saulo Amaro Ja-
boatio.
Dito ao mesmo.Constando de officio do chefe
da reparligo das obras publicas, datado de non-
tem e sob n. 36, que j se acha concluida de con-
tormidada com o respectivo orgament, a obra das
280 bragas correles do empedraroenlo entre os
marcos de 13 a la mil bragas na estrada da Vic-
toria, acabo de autorisa-lo a lavrar o termo de re-
cebiraeato definitivo d'aquella obra. O que decla-
ro a V. S. para seu connecimento, e afim de que
em visia do competente certificado, mande pagar
ao respectivo arremtame a importancia da ultima
prestago a que tem elle direiio.Commuuicou-se
ao chefe da reparligo das obras publicas.
Dito ao mesmo.Com as inclusas notas cobertas
com a mformago por copia ministrada pelo sob-
Publicares a pedido
Fez honlem am mez qoe a mo do sicario
boa a vida ao infeliz altores Marcolmo Jos 4a lao-
... raes delxando ama esposa nconsolavei, a oo -
Aos 31 das do mez de janeiro, ao meio da, em (hos M orphana-adrf
urna das salas do palacio do governo comparecern) Marcolino Jos de Moraes filbo caico 4 lew ate
S. Exc. o Sr. cooselheiro presidente da provincia corone| Manoe| F|oreneio M,m 4, Wmm,
Joo Lustosa da Cunha Paranagua e os membros nes|J provinC|ai qne aa 4a rio
da commissao da exposigo, faltando por esur lora | ftor, cargos pab||C0S> Cuando bea em relevo o
da capital o Exm. Sr Ur. Domingos de Souza Leao. seu caraC,er honrado e austero.
Aberta a sesso, to lida e approvada a acta da 1 A m pub|iCa qDe em toda a sua vida
sesso anterior. I |8vantoa para tecer-lhe o elogio de aoa
Era seguida o Dr. Buarque propoz que fosse do, a mesma que hoje se levanta natscaa
adoptada a segninte redaceao para a circular que pedir a panico severa de seas assaasiaos a
tem de ser dirigida aos Industriaes da provincia e pjjces, dando-se desf arte nma satistoeo
para
I sendo as referidas pragas substituidas por oatras
lencerera, expega V. Exc. ordem para que sem
demora se eftoctue essa medida proposta pelo mes-
mo geoeral, que providenciar sobre a snbstitui-
ueus guarde a V. Exc-
Sr. vice-almirante visconde de
Communicou-se ao general Ozorio.
Saraiva.
Tamandar.
O Sr. ministro dos negocios eslrangeiros, que
diriga interinamente a repartigo meu cargo, d.,.mharpam
durante a ratoha estada na provincia do Rio Gran C J" Guarde a V Exc -Jos Aut
de do Sul, vista desta representago, expedio
aquello commandante em chefe visconde de Ta-
mandar, a 22 de setembro, um aviso, ordenando
que se effectaasse a medida proposta pelo referido ( Coramand0 em chefe da torga; naval do Brasil
general; declarando que este general providencia-; em 0pera,.oes no Rio da Praia, bordo da corveta
ria sobre a subsliiuigao das pragas que desembar- Nicliieroy em Buenos-Ayres, 30 de novembro de
cassero. | (865.
Accusando a recepgo do citado aviso o roencio- lllm e Etm Sr.Achandose expedidas as con'
nado vico-almirante, em data de 30 de novembro \ venlenles ordens, em execugo ao disposto por V.
prximo findo, participou que havia expedido or
dem ao commandante da torga naval bloqueadora
do Paraguay, para fazer incorporar ao exercito do
general Oso'rio o contingente do 1 batalho de fu-
zileiros.
Sem a menor do vida nos fados expostos, nao po-
diara actiar fundamento os receios que assoberbam
o referido vice-almiraote, de que, por falta de coad
juvago da parte do exercito, Qcasse a torga naval
desfalcada dos meios de detoza am que confia,
quando sujeita a um ataque repentino de aborda-
gem ; e, por certo eu me limitara simples expo-
sigo dos mesmos factos, se o aviso a que respon
do, nao encerrasse algumas reflexSes em ap-io da
reclamago do mesmo vice-almiranle.
V. Ese. nao ignora que os preceitos da discipli-
na aconselham que nao lenham carcter permanen-
te os destacamentos; por Isso qoe as pragas que os
compoum, vo perdeado pouco a pouco os hbitos
e tradicgoes do sea batalho, e sobretodo a instrue-
go pralica
Exc. em aviso de 22 de setembro ultlm >, para
desembarcar o contingente do 1 batalho de in-
famara que est nos navios da esquadra, logo qae
o exerciio imperial so baja posto em commonica-
go com ella as margeos do Paran, a qae j se
deve ter realizado. E'qaanto se me offerece o
participar a V. Exc. em resposia ao dito aviso.
Deus guarde a V. Exc. Illm. e Exm. Sr. coo-
selheiro Aogelo Moniz da Silva Ferraz, ministro e
secretario de estado dos negocios da guerra. Vis-
conde de Tamandar.
tacamente de guardas nacionas all existente, sa
tisfago a requisigo de V. S. comida em offlcio de
25 de Janeiro ultimo, sob n. 32 ao qual vieran an-
nexos os prets que devolvo do mencionado desta-
camento e dos das fregnezas do Pogo da Penella e
Varzea, todos relativos a 1.' quinzena do citado
mez de janeiro.
Dito ao mesmo. Seno houver inconveniente e
estando em termos os inclusos documentos,que me
remetteu o commandante superior da comarca de
Oimda, com offlcio de 10 de janeiro ultimo, mande
V. S. pagar nao s os vencimentos relativos a 2.*
quinzena do mez de dezembro do anno prximo
passado, do destacamento de guardas nacionas
existente n'aquella cidade, mais tambem a Impor-
tancia das despezas feitas durante os mezes de ju-
lho a dezembro do predto anao, com o forneci-
mento de luz e agua para a guarda da respectiva
cadeia.
2" directora geral.1- secgo. -Rio de Janeiro.
Ministerio dos negocios da guerra em 16 de se-
tembro de 1865
Illm. e Exm. Sr.Coramunlco a V. Exc qoe fo-
ram expedidas as oecessarias ordens para serem
j entregues ao ministerio a cargo de V. Exc. 100 re-
! cruiai dos existentes na fortaleza de Sania Cruz,
: e escolhldos pelo commandante do corpo de lm-
Os destacamentos a bordo de um navio de goor- perlaes marinheiros.
ra, torrado por fraccSes de corpos, cora muito Deus guarde a V. Exc -Jos Antonio Saraira.-
maior razo operam este desvantajoso resollado; o Sr. Francisco de Paula da Silveira Lobo,
"ervigo a bordo muito dlrTerente do praticado em ; Gabinete do ministro-^Ministerio os neglos
terrafe os hbitos sao outros : na esquadra o sol- da guerra.-Rio de Janeiro em 7 ^oMbro de
dado do inf.ntaria de torra nao lera evotagoes era 1865.-A' directora geral -JeU-se que 0^
manobras a fazer; as guarnieses nao combatera, ministerio.da marinha va escolhendo, para a^arma-
So Infantaria, e sobretodo as pragas assira des-1 da at 103 dos recratas tonw\to,&Mn os qae
tacadaj vio tambera gradualmente perdeodo o es- j estf.e na corle e os que torem chegaqda-, Jos,
prito de corporago, e principalmente esse araor Antonio Saraivi,
Dito ao mesmo Consta de offlcio do chefe da
repartigo das obras publicas datado de hontem, e
sob n. 39, que j se acha concluida a obra da con-
servago do 3." termo da estrada do sul, da qnal
sendo arrematante Francisco Alves de Miranda
Varejo, tora encampada e dasse um saldo a favor
do mencionado arrematante na importancia de
749JJ810 rs. O qae declaro a V. S. para sea co-
nhecimento e flm conveniente.Commanicoa-se
ao chefe da repartigo das obras publicas.
Dito ao cnsul de Portogal.Respondo ao offlcio
qne o Sr. cnsul de Portugal dirigime em 5 do
corrente com referencia ao de 11 de outubro ul-
timo, declarando qae nos termos da circular do
; ministerio dos estrangeiros de 10 de Janeiro do an-
no prximo passado, Do posso reconhecer o ha-
chare! Joo Coimhra, agente consular nomeado
pelo Sr. cnsul para o termo do Rio Formoso, se
nao em vista do imperial exequtur que o referido
bacharel dever apresenlar.
Reitero ao Sr. cnsul de Portugal a seguraoga de
minha considerago e estima.
Dito ao oommandante superior da guarda nacio-
nal dos mnatolpios de Santo Aoto, e Escada.At-
tendendo a qne o guarda do batalho n. 23 de in-
fantaria do municipio de Santo Anto Manoel Fer-
reira de M,ello e filho nqieo de viuva a qaem serve
REVISTA DIARIA
Por portara da presidencia, de 6 do corre-
te, foi transferida da cadeira de Ponta de Pedras
para a da Bjaviagem, a prolessora publica D. Her-
milla Floresta da Cunha Salles.
A cmara municipal, em sesso de 7 do cor-
rento, procedeu a apurago dos votos para depuia-
dos proviociaes do prmeiro dislricto, a qual deu o
mesmo resultado que ja' publicamos.
Espera-se hoje do Rio de Janeiro e Baha, o
vapor americano Havana, qae devia ter sabido da-
quelle porto ao dia 2 do correle.
Domingo prximo tem logar a festividade do
Sr. 8om Jess dos Passos em Nazareth do Cabo,
oraudo lauto oa festa como 00 TeDeum o Rvd. Sr.
padre Antonio de Mello e Albuquerque.
A' noite ha togo de artificio.
Damos hoje em nossa 8> pagina a publicidade
um interessanle escripto do nosso dislincto amigo
o Sr. Dr. Sabino Olegario Lodgero Pinboa acerca
do hypnotismo, cuja leitura recommendamos.
Coasta-nos qae aos das 11,12 e 13 do cor-
rento, havera' cavalhadas que aeve comecar as 3
horas de cada dia, oa praga do Capim, e que sero
muito concorridas, por isso que os encarregados na-
da tem ooupado*
Para essa funego carnavalhesca chamamos at-
tengo do pnblico desta cidade.
Amanba se extrahir 1.* parte da 1.a lote-
ra (47.*) beneficio da matriz de Pao d'Albo, sen-
do o maior premio 6:000000.
Passageiros do palbabote nacional Sania Cruz,
entrado do Aracaty :
Adriano P. Laudi e 1 criado.
Passageiros do vapor brasileiro Parahyba,
sahido para a Ilha de Fernando :
25 sentenciados, varias pragas de polica qae os
escolta e 1 escravo a entregar.
REP\UTigAO DA POLICA.
Extracto das partos do dia 8 de tovereiro de
1866.
Foram recolhldos i casa de deteogo no dia 7
de tovereiro :
A' ordem Dr. juiz especial do commercio, Au-
gusto Jos d'Azevedo, por nao ter cnmprldo os de-
veres de fiel depositario.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Manoel, es-
cravo de Manoel Isidoro d'Oliveira Lobo, por cri-
me de furto.
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio,
Aotooio Joaqnim Saraiva, por insultos.
A' ordem do da Boa-Vista, Claro da Rocha Ta-
vares e Rosa Mana da Coooegao, para oorrec-
gio.
O chefe da 2* secgo,
/. 6, ie Mesquila.
Cbmiterio publico, obituario do ma 5 de
FSVBRB1RO Ii' 186C. .
Jos Antonio dos, Santos e Silva, Pernambuco, 84
annos, casado, Boa-Vista; apoplexla eerebral.
mais pessoas que se acharera no caso de auxiliar
a commissao :
t Illm. Sr. O governo imperial resolveo, por
acto de 14 de outubro ultimo, que se Qzesse, no
corrente anno, urna exposigo dos productos agr-
colas, industriaos e obras de arte, em todas as ca-
pitaes das provincias do imperio.
Para dirigir os trabalhos da exposigo desta
provincia, qne dever effeetnar-se no dia 1 de ju
Iho prximo, o Exm. Sr. conselheiro presidente
nomeou ama commissao, composta dos abaixo
assigoados, a qual se acha constituida e funecio-
1 nando regularmente.
a sociedade. Os sicarios Joo Rufino da Sata, a
Vicente Ferreira Campos, ja se achara prono e
processados, agora compre que o Sr. Dr. chele 4a
policia, para triumpho completo da justica traa 4
pesquisar se por ventora nesse trama saa|uinoaaa
to entraram mais personagens.
O altores Manoel Jos de Moraes foi victiaa palo
servigo publico: tendo instaurado na precesso
' contra Joo Rufino da Silva, por am eriae de aor-
te, que a opfnio publica o iodigitava coa aartor,
Do p le acabar esse processo, porque o sonde te
gado 2* supplente, ssumindo acintosaaeate o
exercicio da subdelegara, lolhe a acgo da josiiga
c A commissao, compenetrando-se da espiahosa e eocooraja dest'arte o braco homicida de Joao Rn-
tarefa que Ihe confiou o governo, hesilou se devia Qno da Silva, qae mais Urde, cbeio de presar,le,
lomar a si drecgo de trabalhos to importantes e | manda assassinar ao cidado pacifico e boanle.
cujos resultados iofluem to directamente ao fatu-'
ro da provincia, e tera solicitado a sua dispensa
se nao coofiasse no zelo de lodos os Pernambuca-. A iDISICa CirClICIMS.
nos por todo qae tende a engrandecer a sua trra ; ^Q ^ M curara radicalmente mediante
natal, e na cooperago decidida e patritica de to-1 Xnarnkma de
dos os industriaes da provincia, que por certo cor- 0
rero pressurosos, gomo j o fizerara em 1861, a
participar de to til quo gloriosa Inta
t As exposigSes teem sido nos tempos modernos
os poderosos e raais efflcazes incentivos para o des-
envolvimento da industria.
Por ellas teem os povos devidameate aquilata-! piracao
o uso do Peitoral de Anacahuita de Kem,
todos os casos ordinarios de toase ebrooiea,
bronchites, catarrhos, asthma, etc., mas
sim tambem mesmo quando a molestia
baja aneciado seriamente os orgios da res-
seus progressos poden se atather
do o "valor de suas riquezas e mostrado a torga de; pei0" espaoo de annos interos, e a apptica-
sea engenbo. attl,,AM'' cSo do remedio proporciooart am aHirio
Em paizes como o nosso, pouco estudados ?ne,.nf9npn nrlprinito N5o ba I
pelos horneas do velho coniinento, as exposieSes 'nslantaneo e indenoito. j~"T"
irazem a doplavaniagem de trnalos conhecldos dade de abrigar ou ter 0 menor rece re-
como industriosos, ainda que na Infancia, e de dar |ativamente aos seus effeitOS, mesmo do-
mis prompta sabida dos seus productos. |ranle os periodos mais araneados de dabi-
c A provincia de Pernambuco nao pode anda ""*? F ^^
apresentar aos olhos do mundo industrial produc- naaae. ... -
los fabris 00 manufacturados que susientem apn- Na sua elaborada composicao nao entra
mazia ou mesmo a concurrencia com os dos pai- opiatos, nem aci 'o prussicO, nem antimo-
zes mals adiantados; mas nao 6 este 1o Om Je aemnenhama ontra droga nanseaban-
SaTnr^^'q^co^ o smente compe*. e
pertoito connecimento da utilidadc dos seus pro- parada da exlraCClO dOS SOCOS 00 O
ductos. i arvore balsmica do Mxico, a qnal poasae
Ouiro nao pode ser o pensaraento do governo., pr0preaafjes as mais admiraTeis e Cav
oE Sr'SSSif tSSSii?* S: S.LP e ss cura, n*M -
correr para aquella festa de industria, e despert ravilhosas.
o espirito dos que estiverem no caso de anxiiai-o. Acha-se a venda as pbarmacias de J. C
a Qoalquer que seja o producto que V. b. nos -, i^rboaa
env!ar sera' recebido com a mais viva sallsfaco, Bravo U e 1.30
de 15 de
vendo achr-se em poder da commsao
maio a 18 de jnnho prximos, e confie V. S. qae
de seas esforeos tero sciencla o goveroo e o palz,
que sabero devidamente apreclal-os
Phthyalea.
O xarope etherio de veame por mim pro-
Junio achara V. S. as nstrucgSes pelas qaaes 1 parado muito tem eproreitado aos qoe SOI-
se dever regular, podendo, para mais esclarec- j^ desta molestia, e de lameotar-se, qae
protestos de sna mais subida considerago, e ofe-! snccnmbem de tobercoios ""7?*
recem os seos servigos a V. S. a quem Dos gaar- sem procorarem o .recurso do prancoeao
de. oo experiente, qoe lhes pdem encaminhar o
Depols de approvada a circular, resolveo se que K salvac*).
foSsePel.a impressa era avu.sos enosjornaes de me.o de *** d fe
mais circolagao da provincia. ".f \ w ^
A commissao incumbida da escolha da casa para Direitt, foi desengaado por 1
a exposigo declarou que o pavimento terreo do ^^og^ acba-se bom COan 0
palacio do governo, onde faoceioaa a secretaria, e
Udiauu uu jwiciuwj vm-w -------------- iota
nico qne julga apropriado a aquell1 flm, em vists
do que resolveu-se offlciar ao governo para qne
bouvesse de conceder o dito pavmelo poodo-o
opportunamento disposlgo da misse
ufflciou-se a S. Exc. o Sr, cooselheiro presidente
da provincia, pedlpdo a sua Intervengan para que
mim proscripto.
A Sra. Jeronyma Maria da Coaceicao, mo-
radora na travessa do Monteiro n. lo, 1
do-se desengaada, tambem a mii
rea e acha-sn re tabelecid.
'a-



*
Um sobrinoo do Sr. professor donata-
3'. ::"' VjH j v
Diarla ie PeruHkiM eita felra de Fevereiro de 1866.
reth do Cabo, acha-se bom, como se v" de
'mente no
que vician os humores, como escorbuto, prsos que aqu.
alporcas, gallico, asthma, beiigas, sarampo. Aquellas, pois, que estiye?em nestas cir-
etc. cbmetatieies, eules facilit aplicar ea-meios
jTilb
-d*i
h '
~
**r
^F


rae..
a>
sa"o mos, segundo pens, principal- sa interna; nSo ha pois razao aigtpw. em ta ,piai;l3o 'mas dado o ferro em Jifia de Femando Vapor-bwiieire
Fio verfo., crr que ellas se podem curar com ramiiaa mhj|piin>jnj|>nttn resultado que tenho ob- commandante J. i. Martios, carga difrerentee, ge
' fiz publicar) em certas e
poaeria aqu mencionar. moius uo se transportar e mu estara isso arcnoonco ae veame para o traia p tias; por exemplo : ane-
A pbthyetei a destruic5o e a magreaa se responde, que naquellw lugares exretem' affeccoes do systema nervoso e fibrqojftaW niia<,o fiafcllHotermitentes, terminam mui-
do todo corpo, em conseqoencia de chagas, casas vasias e alugam-se por prece commo- como: tas vezes por nazarea, que accomulacjo
tutierculos e mercelo dos jbofes e de em- do, e mesmo manos gneros de primeira Gotta, rbeumatisaao, par.alysa, j de serosidade no tesado cellular (aguaquan- o Dr.Tristio de Alencar Araripe offlcial da impe-
pyema, atrophia nervosa e outras molestias oeoessioa'e all se vendan pelos mesaos Dores, Impotencia, esterilidade, do esta-antre a pelle) e depois oscile ou hy- riai ordem da Rosa,jak especial de commarcio
EDITIS
Marasmo, hypocondria, emmagrecimento. dropesia, douwntre, que accimiojafao de
O xarope alchoolico de veame 'sobre serocidade na peritoneo,
tudo, da maior. utilidade para curar radi-i E' sabido qe o ferro um dos afate*
n'esta cidade do Recite de PeroamlMCO por Sua
Magestade Imperial, ele.
Paco saber aos que o prseme
Na phthysica, chegando ao astado.de gra- palos quaes se devem rege* e lhes fornece- calmentve em pouco tempo: o rheuma-'alais importarte para que o sanguooe pro-\ d'jitVnoticia Uverem qae por pane
', |tismo. pare eaperf^fti
. blico, que Advert-se que overdadeiroxaropeaase aeguinte o maia i
tos o ardo campo, exercicio conveniente asminhaspreparacSes de veame sao reu-1 vende nesta cidade na botica cima indica- envolvimento destas* molestias; mas sendo
vidad, o que muito pode concorrer para a re os medicameniog-aratBiUmente, j tismo. pare
salvacao do doente e ajndar os medicamea- Naodeitarei de advertir ao publica que Advert-se que o- verdadetKfcxaroo* s ao aegumte
i v
Gui
e aperfcip6e devidamente,. a por con- 22a,Te",rae fc01 d'"l p^'C5 f> "
ate o improprio para impedir o dea- ^:^*J!jgg^
rtreeaer
aseries
e dieta, a qual nao deve ser de nenhoma nidos-com; ontror ingredientes, e com elles-:da, dobaixo assignado; e em entra--ul- elle omeflkar excitante, sorbente esecer
cousa quente, ou de defficil digestao; e a tenho oblido ptimos pesultidos/: nao se en- quer. parte qoe>sa to*annnm5iado'iJ&o'a nente, claro* que* s aseociaoV eorao se
bebida cumpre que seja de natureza branda gane o mesmo publico com outros que por mesma composicao, e nem o abaixo assigna- acha neste xarope, pode dar o resultado
e fresca. ahi se annunciam, cujas preparaces ignoro^
Todo o sen alimento se ha de dirigir a assim como o aproveitamenlo aos enfermos,
moderar a acrimonia dos humores e a nu- a qoem porventura lenharn sido appticados;
trir esuster o doente, ara o qoe preciso cada um responde por si, e eu affirmo com
reduzi-lo ao uso de vegetaes e leite. verdade O que aqu .tenho relatado, cujos me-
Toda comida e bebida, que se tomar ha dicamentos nest provincia so vendo em mi-
de ser em poocas porefos, para evitar que nha botica na ra Direita n. 88.
o excesso do chylo fresco opprima os bofes
e accelere muito a circulado do sangue.
Jos da Rocha Paranhos.
Nazreth do-Cabo, 7 de setembro de 1863.
TTM
D'MA
Molestia Ulcerosa
Curada.
Muitos doentes desta molestia se tcemen- M8t Sr. Jos da Rocha Prannos.On
trege ao uso do oleo de ligado de bacalbo, o maior prazer lero ac conhecrmeto de V.
e outras preparares de resinas e paleamos, S-, que o doente que V. S. acha-se admi-
sem que delles tenhan tirado proveito; e nistrando-lbe rei.edlos.acha-se no todo nes*
alguns exposrttres de medicina combalem tsbelcido, portanto, nada sent, tendo des*
com muita razio esse tratamento. pparecide nu todo a tosse, Hto multa dispo-
costme carrear o estomago do doen- sicSo comida e acha-se njutrido. Deixou
te com medicamentos oleosos e balamicos; tomar os ltimos remedios quo V. S. recd-
porm estes m vez de tirar a cansa ug- ta no di*' 30 do passado.r esta agora a V.
mentam-na, esqnentando o sangue, ao mes- S. mandar-me dizer qual a dieta qoe o
mo tempo que tiraw o apetite1, relaxan* s doente deve conservar e ptnr qnanlos tem-
solidos, e sao de toda sorte perniciosos. pos, mencionando as comidas que dever
Tudo que se fizer para extinguir a tosse, osar daqdi em diante,
alm do exercicio e rgimen apropriado de- Resta-me1 agora agradecer a Y. S. o cui-
vem ser remedios de natureza acida, deter- dado que tomou no tratamento do meo so-
gente e calmante. brinlio, abaixo de -Deus, de vid o o seu resta-
os acido* possoera a virtude deprodzi- belecimento a pericia devJs., -e porisso
rem bons effeitos nessa enfer'midade, por pode V. S., sempfe eOntar com- os mes ai-
que, nao s contribuem a apagar a sede minutos prestimos, e desejarei em todo o
quaodo accommettem a febre etWca, mas tempo dar urna prova'do toea reconbeci-
tambem a refrescar o sangoe. mente.
Aos dOntes desta nfernidde, quando o Desejo a V; S. tedas as ventrrfa?, por, ser
seu estado de gravidade tal que a febre de V. S. muri rspeitador e "brigadissimo
ethica os accommette, prescrcW-lhes nsn- rundo..-Francisco Bermgter Gesar de Me
co de um limSo dissoltflo em trma chicara ezs.
d'agua com bastante assucar em um grande
copo para misturar com um papctonbo dos
pos refrigerantes para tomar,"'BDn queali1-;
viam no acc tmihettimtJto da ffebre; e pela,
manba o xarope etherio de veame. Tenho
aconselliado, que facaoi uso de vegetaes de
natureza acida, como laranjas linfps;pi-
tangas, uvas, etc., h applicaces de plantas
amargosas, que fortificam o estomago e ser-
vem ao mesmo tempo para' destruir e miti-
gar a sede.
A Sra. D. Joaquina de S Brrelo, tendo
urna sua escrava fallecida dsta molestia, sub-
raettida ao tratamento de seu medico, resol-!
veu proebrar-rae para fratat'de flrt'Otitro4
escravo, que soffrla da mesm fcnfermidd,'
prescrevHhe o xarope de veame, tem me-
(horado consideravelmeote.
A senhora do Sr. Antonio Frdncisco Ho- i
norato foi desengaada por habis mdicos
desta cidade, esleve prostrada, e nos lti-
mos paroxismos da mor te, foi com o xaro-
pe de veame salva, como se v da carta
impresia no Jornal do Recife de 9 de feve-
reiro de 18>3.
O escravo Emilio, do Sr. teneote-coronel
Rodolpho 1030 Barata de Almeifla, foi tam-
bem desengaado por habis mdicos, e
com o xarope de vellame acha-se c*mpleta-
mente reslabeleoido, como se v tambem!
da caria imprssa do mShlo Sr. tenente-!
coronel no mesmo Jornal do Recife.
OSr. Aotooio Christiano Fogt, Gibo do
Sr. Chrisliano Fogt, proprietario e estabe
lecido na cidade de Macei, o primeiro bem
conhecido neste Cidade, pois que foi empre-
gado na casa do Sr. Len Chapein, retra-
tista estabelecido na ra da Impenatriz, ao
commettido desta molestia, fbi daqui desen-
gaado por habis mdicos: retirou-se para
a Babia, e all continuou em tratament > ate
que foi segunda vez desengaado pelos m-
dicos dalli, chegando eu em Macei, umj
amigo pedio-me, que o acompanhasse at a
casa do Sr. Christiano, para ver um doente
e prescrever-lhe algum remedio, encontrei
o filbo m urna cama desanimado e em es-
tado de prostragSo, pois que escarrava sua-
gue, e tinba completa inapetencia e fraque-
za a ponto de nSo se poder por em p, no
fim de urna garrafa do xarope etbereo de
veame j se achava elle no astado "de pas-
seiar em casa, desapparecida a inapetencia e
os escarros de sangue ; e a tosse mitigados.
No fim da segunda j achei em estado de
faze-lo passearplo sitio todas as manhas.
Acabada esta o aconselhei, que ontinuasse
no uso do mesmo xarope therio alternado
com o xarope atedoheo de vellame, e qne
usasse dos banhos salgados na pancada do
mar. Sentio eilenos primerros banhos al-
guns cho loes, mas eu O acorrselhe- que con-
tinuare, com o que se tem dado -murto bem*
pois que tenho >recebido cartas de Macairi
em qoe se me commuaica o seo bom estado, i
Nesta molestia os expositores de meflici- i
na nao aconselbam banlwe salgados, apenas
quando delles tratam, dizem 'ser applicados
as ecrOpbulas, bypocondm,'stlhertsme>,
;imei orrhea, ractrmmo, eiqc; entretanto'vi
este bom resultadoiiO filbo do Sr. Cristianos
e outros factos igoaes tenho visto tras om-
i'Slias sipbyliticas, e outras martas que com
o uso do xarope tatelicr> dewellome tera-se
obtido cura radical. ,
do se responsabilisa.
Jos da Rocha Paranho.
que se espera, e a experiencia me tem de-
monstrado sem risco de offcpder as entra
nhas.
Os effeitos dos incitantes, sao : promover
as secrecoes, e ab.sorcoes, augmentar o ca-
lor natural, e remover aquellas dores que
nascem da falta dos movimentos irritativos.
Todos aquelles qne se acho stijcitos sof-
fre-audesUa 8ofiesas, nlccttoBas, du'sypld-
liticas, ainda mesmo as reputad i de peioT
naturz, apenas necessitao d 1er b sp^uinte
easo mravilhoeo, para que se sinto iiiteira-
mente eouveneW* que a sua poprla curar
nilo s meraiente posslvel mas fiin abeolu-
tameitte certa.
JoSo Jos FeiIreiea Barhozj residente
na Cidade de Maranliao, tinha todo o sen
corpo algnnoR annos se achava debaixo do tratamento
de Biedke os mais afamatloB, tendo usado
durante todo este tempo quasi toda a especie
de mediiciitas que em taes casos empregttda
pela facldftde medica, porm debalde sem
obter o menor beneficio ou S!Mo: achando-se
pois em taes apuros elle finalmente resolven-
se, depbS 6b repetidos e baldados eWr}6 &
fazer uso da]
Salsaparrilha
DE BRISTOL.
No todo elle apena chegou a tomar Cinco
Garrafas de Saltaparrita e quatro frescos das
Pillas Vegttaes Amicaradat, e o resultado
foi lite obter una completa te perfeita cura.
Os Sers.tf'ERHEiB. & Ola., Drogutetwr-ae
Mafannat>, 'forSo quem supprirao os medica-
mentos, o acliSo-se perfit ame irte so facto
d'este caso, e os mesmos Senhoree, nao s se
acliao promptos confirmar o meslno, como
tambem em fornecer o actual ndreesb'do Seflr.
Babboza, i toda fe qualquer pessCa que pV>r'
ventura se deaej informar da verdade.
ReeommendaJBe mui particularmente aos
Doentes que tnSo o malar cuidado na icollia
deete cicelieote remedio, nao usando entro 6
nao ser aG-'ulna -Salsaparrilha de B ristol,
a qual exlusivamente preparada poi'
LANMAN & KEMP,
De NOVA YORK,
pois que todas aa mais alo Inefficazes e de aen
Aam prostfnio
Vende-se fias hoficas de Caors A Barbosa
e G. llravoC.
lHi
Erisipela.
O medicamento que com mais influencia
e energa tem combatido essa terrivel en
fermidade, tem sido o xarope alcohlico de Os sorbenles sSo tambem aquelles agentes,
relame. os quaes augmentam os movimentos irrita-
Urna escrava^a mi de Sr. FrancHco'Fir- tivo*, que-rbrmam-absorcao, e oss-cernrn-
mrno Monteiro; pessoa bem'eonheeida nesta' tes aquelles que augmerrtam"es momentos
cidade, aihando-se de cama, e com as per- irrilatives que Constituem as secresSes.
as bastante bichadas, e chela de lumores, Assim, pois, v-se que sem a precisa combi-
tomando o xarope de veame, acha-.s* hoje nacoe modifioaelo nio pode ser elle appli-
boS, prestando servir;/.. cado indistmeamente. Multas vezes-o pra-
A mana do' Sr. Jos Frhcbco Pinto,- mo- freo deixa de fazer appBca^ao do ferro por
radar na ra. Direita n. 5, tendo sido conheoer anspeitar.que o<6gado,. o bofe ou
aceormnettida do mesmo mal acha-se tam- puim30, e or^o essencial da repiraco, ou
te"1 Da.- 'ouira eniranha %sUr offendjdB-, entretanto
A Sra. D. Senhorihhtf Umft'ellna dos qe> se e tivesse apphCado em tmpo se
Santos, moradora na rua das Calcadas n. poderia ter evitado" rydefflTfflvliliento da
38, achando-se atacada -de erysipella as c- molestia. # Asskrj, poiii MPap prepara*
xas, cora qoatro tumores bastante- volunaW-Jan como Seaicxpasto se pode asar sena-
sos, no etd indolente, que a privava de^co por n3oofender as entontas. As mo-
p6r-sedepha muito tempo, com o uso hjstias contra as quaes e xarope tonio re-
.do xarope alcoholicode veame pilotes pur- frigeraate pede ser appticado om prryvto,
gativas do mesmo, achare restabelecWa, e'8S0: as amenorrheas, ou suspencao doflu-
O usO'dos medicamentos os tumores ter-:Xo menstrual das malberes, anemia, ou di-
minarm pela suppuracSo. minuicao da massa do sangue e sua consis^
A Sra. D. Rita, moradora na rua de Sania tentia alterada, dores de estomago, debili^
5L2 L3', fI!2?lroL miL,6?ffrett msro mal m monos anno$, pois qti a ery-' mucosos, floes tuneas, coioros, molestias
sipelU atacava amiudadamente, aepois que- teado esse remedio nunca mais Ihe grjor gera, 'colerisae^ipallrda da cor ofi
es'terdinbada, empobrecirento do saiige,
eofartes-ehronicos das visceras abdomiaaesi
aiporca- oh escropbulas, escorbatoSi opila-
do, pallifleZj e os etragos preduidos pe-'
deu.
Outros muitos factos desta ordem' delxo
de mencionar aqu para nao me tornar pro-
lixo eenfadonho. Sendo a erysipella ma mol stia que-sen aVmoIeStSV^ffiti^
duvida e effito de materia gerada rio corpo {& forGas; fraques grl: ha hydrope-
como expoern alguns esenptores de medici-
na, e em consequencia da febre lancela
na pelte, 'Onde pr&duz inflsnlnTab, e que
muitas pessas, por n5o se terem conve-
nientemente tratado, suecumbem com o
pernicioso uso de que, nos tres diasnao &
vem usar de remedio algum, o qae faz-se
estender o mal por nao se ter a priacipid,
combatido; por isso, pois', conveniente
que, logo que alguem se sentir atacado de
tal mal, dev provocar i transpraco tomn-'
do ao principio urna colberinha de cha do
xarope alcohlico de veame dissolvido em
urna chicara de infus5o de flor de sabu-
gueiio ouedte,adocaddo^ com'mais assu-
car, continuando nos tres dias ness trata-
tamento, no fim dos quaes usara' do xaro-
pe de veame na forma prescripta no recei-
tuano, tendo todo o cuidado de se abafar,
alim de soar conver.ientemente, alem de
conservar o ventre correte, que conseguir
mesmo veame.
Todos qaritos suecumbem
tia se diz :falleceu de erysipella recdlhl-'
sia anazarca e ascites; tendo-se o cuidado
de observar nestas duas ultimas molestias
principaTmen'te.'e em todas as outras, "que
um dos effeitos salutars des te xaropa te-
ro-ventre correte, as trinas desembara-
cadas.
O modo"de usa-se 'e fegWar^Se va des-j
cripto no lireiro pregado no frasco..
Vende-se nicamente na botica da rua
Direita n. 88 de
Jos da Rocha Paranhos.
haWMe
.. coaoMr-
V GtiDfalvw que aeado-
Ities Luiz Francisco, de Araua Picado, tleoriques
tle Sooct Lima, Francisco Soverino Manroes da
Cruz, e CoMiie Jos do Moale detedoriMi primei
ro da quanlia di 1:0913280, o 1 e 3." de 27780,
e o quarlo de eeoto e o le ota e dona rail no vecen-
tos e Ltenla por letras ja vencidas e nao pa-
gas acontece qae esta' prozimo a Andar o praso
necesario a preserever ditas lettras. e porque os
supphcantes qneiraro fier loterromper a mesma
prescripSo por meio do competente protesto por
isso requeren) a V. S. se digne mandar tomar por
lermo dito protesto para que seja devidamente io-
limado aos supplicados, e achando-se estes ausen
em logar lacerto e nao sabido pelos supplicautes,
requeren) pois a serem admittidos a justiQcarem
dita ausencia e incerteza do logar, para que julga-
do por sffltenca sor justifea$ao se passe carta, de
aditos para por meio desta aereor .os snppHeailos
intimados do referdD protesto, marcando V. S. da
e hora para aioquirico das testemuuhas. Pede
V. S. deferimeoto.
E recebera' merc.
Procora(dor Ciorindo Ferrelra Clao, na qual dei
o seguinte delpacho : lome.se e ustitiquo a ausen-
cia no dia 18 do crrante mez depois da audiencia.
Recife Id de Resembr de 186o. Alencar Ara-
ripe.
Eqi virlude do qal fura a mesma pelicao des-
tribuida ao escrtvao (Teste jaizo Hanofl Mara Ro-
drigues ds lascimento, o qual fez lancar o termo
de protesto do theot- segmote : T>-rmo de pro-
tiesto. Aos 16 de dezemnro de 1865 na cidade
do Recife em mu carlorio apparecerain os snppli-
eanles por seu ba>taute procurador o solicitador
Ciorindo Ferreira Caan, e dissera parante miro, e
as lesterouohas iofra assignadas que redima a pro-
testo o cenlhedo de sua peticao retro, a qual otle-
receram como part do trente que Qca sendo di
como assim o disseram e protestaran) lavre este
termo, no qual depois de lida se firniaram com a>.
d tas testamnbas: en Manc'el Mara Rodrigpes do
Nasciiheiiio HM-nvo o escrevi.Ciorindo Ferreira
Cato, SecondiBo Eliodoro da Cunba, Fraacelino
Olyinpio'PeTeira de Oiiveira. E tendo os suplican-
tes rodozMo suas testlmunhas sellados e prepara-
dos os autos sotiram a' miuhn conclasao e n'vlles
dei e profer a sentenca do tbeor seguate : Hei
lior justificad a auwucia ; e as;im maudo, que os
sapplicados Fe citemtpor edictos de trinta dias pa
ra o Qm requerido; pagas as cusas ez-rausas.
Recife 20 de dezembrdde 1865. Tristao de A-
lencar AWripe.-i-Por lorta do qual oreferidoeserl-
vo fez passar o presente cdilal, pelo qual hamo,
cito e hei por Intimados os referidos suplicados
para que tompancam n'este juizo d'entro do iodi-
cado prazo, alim de atlegarem o que for de juslca.
E para que chege as contweimento de lodos man-
dbi passar,o presente qae sera' publicada pela im-
prssa a afihtdo nos tugares do costume.
Recrfe 20 tle flezembro de 1863 Eu MaBOel
Mara Rodrigues do Nasimeoto, escftvo o sub-
screvli
TrutS re Ateneo- Ararfet
.
.
COMMERCIO
\ovo banco de Pernan-
baco.
Novo Banco descoma letras a 12 por ceDio
ao anno, toma dinheiro a praso Dxo ou em coala
corrent pelo premio eoboicoes que se conven
clonar, e sica sobre praca da Baha
tomafldo una oo duas pilulasipurgativardo ^it| filfnl do banc do Birasll
rvi rt^tvi a i Alnn* a ... .i
cu Pcrnainbnco.
icoles- De ordem da directora se faz pnlico que o
triesorer j desta oaia se acha orisado a pagar
OSr. Dr.'Silva,me(io:babn'd Ma'Vi,'
depois dB fr ptcdo a u'm seu doente de
rheuinatrsmbJ xarope alcoolic de vella'me,
logo que elle s bqz m estado d targar as Xarope alcloolico de Veanle, preparado
O acn6e- P*5 pbarma'ctidtico Jos da Rocba Paranhos,
mesmo estabelecido embotica na rua Direita n.
ATTENQ50.
moleta', em que ndava arrirrrado, o
lhou que conttnuass (ont o uso dO
i i >i*-ii
Xarope tnico refrigerante devlame e de
ferro preparado pelo pbarnaceatico Jos
da Rocha Paranhos,estafteftcWnacidade
do Recife provincia de Hei'tfirib'n'cb, rua
Direita n. 88. '
xarope '(ttidfoclatoente' 'Co'rn os banhos sai- '88 "em Pernatobat.
gados, combas1 Se tem dadd'miitrj^ra, Es* *arpe Inconlstavelmenfe stpeiHOr
um dos mdicos que alliem Macei tem cm-'a fodos s, iarbpe's depurativos, de cuja
pleta cohifia,rr/ 'fias' prepacos de vellame 'ompoatcao o seu .mar ele ento a salsa
por mim feitas, pelos bons resultados q^u pa'rilha, 'pois 'qoe-se tem conhecido !ser o
tem obtido em sua dioica. veame ttais ner^rc^'p'ara a prptnpta cura
i das mofesiias, cuja Jjas (essncal depende
Quando alguem se ve com tosse-yai ao me- lfja purificaco do sangue ; assim pois se
dico, este o examina edeclara-osenbdr es-i:tem verificado por muitas peseoas que se
t affectado dos peumoes-o doente desaai- achavam desengarfadas, as quaes ^ehnnr-se muscular por sua qualidade frrea, ao
macona esta senteaca, entende estar sem hoje restablecidas com o referido xirope mesmo tempb purgativo pela parte do vo-
mais cura, guando os factos e a experiencia alchoolico de veame; entreunto que al-'lame que enterra, e refrigerante pela par-
teem demonstrado que muitos tendo procu- gU8s, tendo ttsido; do-xarope' de Cnrinier, te acide, alm da precisa para perfeka ae-
rado o lugarapopriado, se teem salvado; d>Larrey, de salsa parrilha, de saponaria, lneSo-e combinaeS do ferro; este atacado
assim explicam muitos expositores de me- Oleo de figado d bcalha'o, e outros agentes pelo acido ca em extrema divisSo, e as-
aa- desta ordem riada coDseguirara. E' elJe-de sim o mais soluvel que poaaivel, deserte
126:1355699
28:4o657.j:J
loi:o925io2
MOVitEiNTO DA ALPADA.
Volumes entrados com fazendas.... 87
< com gneros..... 231
-------318
da ; ao contrario, aleuns expositores ore-' dividendo do semeste fiado em 31 de dezembro
inmpm sumem ser o ueseriYOivimenio oa puirerac- gg fi|ja- do ^^ do Brasil 15 de Janeiro
f5o do san.ne, tanto que o fugar inflamma- de 1866.
do qu, ento a sua cor era encarnada, se: O guara-livros,
troca em lvida ou negra, e term na em gan- j Ignacio Nunes Crrela.
grea, e por essa razao que conveniente; aLFaDega.
o xarope alcohlico de veame na infusao de Rendimento do da i a 7 .....'
flor de sabugo, para se conseguir resolver a dem do dia 8..............
inflammaco, ou peJo menos terminar pela
supporacjo, impedindo assim a gangrena.
-Os effeitos do xarope alcoholicode veame
applicado na flor de sabugo ao doente, nao
s de vantagem por sua qualidade diafo-
rtica, como pela anti-septica para impedi
a putrefaveo as molestias.
Na erysipella naodeVe o enfefmo nos pri-
meiros tres dias us?r de comidas e bebi-
das que possam esquentar e inflammar o
sangue.'
A comida durante esse tempo deve ser do
ririo vegetal, como sag, farinha do Mara-
nhao, p3o torrado. bolaob, etc.
Ainda nao vi expositor de medicina que
acohselhasse que nos primeiro* tres dias de
accomiiettimentos do mal, nao fe usasse de
medicamento'; o que'elles repeliera sBoos
unguenfos. unturas que obstrnem maise
repellem do que proruvem a evacuaf5o da
parte; o que^onvm 'trazer o lugar ata-
cado e bem gasalhado para ajudar a trans-
piraco e defebdr do ar.
0 verdadeiro xarope de veame vende-se
na botica da rua Direita a. 88, de Jos da
Racha Paranhos.
Tenho recebido captas de algumas peaJ
soas de ti tos pro?ircias q ue me >comm*-
nicm ter desta-cdade" sido renl'ettido o men
xarope fa'sific-do, que tem dalo resultado
ao descrdito de minba preparacao, cujo co-
nbecimento se tem verificado-depois dos ef-
feitos que taee remedios lapresentafa ; as-
sim, pois, tentifl-a declarar ao publico qoe>
ni letreiroqiiB vai i'regado na garrafa do
xaxdpe/sewpre foi assignado por-'me pi-
nbo, e daquf.em dlante; alm' desta assig-
natura "o fari tambera no papel que cobre
garrafa. Rogo ao mesmo publico que
quando forem .assim engaados, tomem tes-
temunhas, me rcmettam os rotlos falsifica-
dos e'me-partlcipm'paTa fazer effctifo' o
artigo 167 do cdigo crimfrta do 'Brasil.
Jos da Hocha PaftTthos.
Volumes sabidos can fazendas..... 138
< com gneros..... 1,071
-------1,209
DeScarreeam hpje 9 do fevereiro.
Brigue inglesRosalietnercadorias.
Polaca italianaindadem.
Lugar prusiiano-Acrffarinha de trigo.
Brigue escuna inglezllollyock-^bacalho.
Escuna hollandezailietemercadiirias e ferro.
Paiacho ioglez Uagadore Pocket machinas e
carvo.
Barca francezaVtrgtesal.
Poiaca hespanhola/nitacharque.
Brigue iiespanbolJfarii Rosadem.
Brigue nacional Selladem.
Brigue nacionalf/MuuNeiue dem.
Brigue argentinoVolantedem.
Escuna dinamarquea Junodem.
Patacho porluguezJosdem. .
Biraa nacional -Guaraliin.
Iaaportacio.
firigue escuna raglez Holiyoek, entrado de TeiTa
Nova, consignado- a Sawnders Brothers & C.*, ma-
nifesiou o seguinte :
2.083 barricas biealho, 7 caitas oleo de figado
de bacalbo, 10 barrwas batatas; aos censignata-
ros.
Hiate nacianal Santa Cruz, entrado M Aracaiy,
eonsignado C. C. da Co?ta Moreir, maslfestou o
tequate:
408 sacess Com 1.863 arroba; e 20 libras de al-
godo, 449 ditas com 518 arrobas e 6 libras cera
de carnauba, 193 oaixas com 271 arrobas e 11 II
bras de velas 'de dita, 23 molhos com 575 couri-
nhos de -cabra curtido?, 1 Chuto de osea, 1 etu-
hrulho com 10 cabezadas de c uro, 4 caius com
15 libras de peanas de papagato, 87 molhos com
7S0 e>t*ra ae oarnanba-; a' rdem'de diverso.
REKiEBEOORtA DE EN1>AS ihNYElVNft GE-
, RAES 'DE PERNAUBU0O.
Rendimento do dia 1 a 7...... fi:946W+4
IderadoduS ................ 1:002*966
. sim mais soluvel ,
Ora, nessa provincia iemos facilidad^ ^h| fcil digeatao/agradavel-ao paladar eaool- queja nio >'to dependenle de ser digerido
je e recurso do ar; por que'a va frrea -pfafttf Algon mefflttos desia cidade e da pelos acidosfraeds, que'setcbtar nosocto
nos propohciona, pois que em pouco tempo de Ramelo b teei retllmendado para"a -' gstrico durante a diga o. Os eipositors
urna pessoa que existe nesta oidde fcil- Ta das
mente se t ansporta para as ullimae eslacoes Impigeas, tirma, eseropbulas,
de Gamateira e Una, lagares perto do Boni- Tomores, rrlcera, esewbulo,
to e de outros pontos que sao considerados Cancros,sariri dagQrada, fluxo alvo.
sertio. qaanto mais qoe os mesmos lugares I Todas estas ateces prom de ttaa can-
de medicina sao de pinJSo que o ferro*
DECUMCflES
I IIIIII I lili I
-aula*,*.
n manda faxer p>b4if
da faverauo pfnila>
qne se tem de abrir i
eochimenio da vacas e mnt^nm Ma
^Cio.nai 4^.SS.0?9
4m
versarao Nave as
art. 1.a do Mo n. aiM
a saber : leara, aa: _
pnia, arilhaNea e mi p|
eam esewialiaAe a
oaedidatv ealcaJ* de
pastos, IbmM caal
coacumaiea dwari
requerlmeotos instruid
vefla i'lida cottole
e colpa, e bom comporlai
do decreto-n. 2M4t !*> np fc<
Secretaria da inesoararia da f
buco em 18 de Janeiro de 4MC
ServindodeedUali
MandUte
*i <
Mua
Obras mWm.
De ordem de llloa. 8r. eafeaiMro
repartlcio das obras pabUeae aa ha
concarso para o preeoeuiaeote dea"
tica otes desta reeartico, lera I
mareo proiimo vindonro, as 10
oe*ta secretaria.
Os eiames versaro sobre as sagaMirs
ras : lio^ua nacional, abraafMaV a i
tora e aoaiys grammaiiaal, deseaba
qnirella, arithmeliea eso todas as *m
e geometra linear.
Os requerimentos para Ioscriaeee daa i
los, devero ser aprasenUdos ale o ia 8, a
rio ser instru dos com qnaMU]oer
ttulos scienulieos qae abooee* a
mesmos candidatos.
Secretara da repartico das obras
de fevereiro de 1866.
No impedimento i
Joao Jo aMaeaa f
O lllm. Sr. lenle c ronel daMcaar i
nal da guerra, manda publicar qaw aa aba O tf
correle, se ba de arrematar as t barjs da daa a
ra>uipolac5o da fabrico de doas mu Mavaait as
ao azul oa prazo de 30 das improroeaveis. Os aV
cltaotes apresentarao as soas proposta* asa carea
fechada al o mesmo da a dita hora, aVveavte aas*
com iettra' clara a otelligivel para ao aaintar ala-
vidas, e podero ir a oficina ao dia II aaia aar a
qualidade da fazeoda, e natoreza da aira.
Arsenal de guerra de Pernamboea, 7 da :
roda 1S66.
O escrlvo daa i
Ma noel Jos Pareara i
Consolad artriareM
Pela mesa do consolado pPirlaeaal aa ta i
co qoa os trila dias otis marcados aare
ca bocea do cofre dos imposto da JO re. par a*-
queire de sal, de 4 0|O sobre os esUb-lectatcMea
de fra da cidade, prensas de abjoeaVt, tyaafra-
phias, cocheiras, boteqaias, bote, casas de aafba,
cava narices e fabricas; de 8 OjO asare coeeeitanae
mdicos e cirurgicos, cartorioa e eacrialuiiea ; de
20 0|0 sobre estabeleeimeotos de eoaaaaaraa asa
grosso e a retalho, e trapiebaa ; de 800 asare ca-
sas de buhar e modas; de 200-5 sobre casas da
ruupa feila e sellins esiraogriro, e decaaeaae ; da
1:0004 sobre casas de operacoe* asacaras cosa
emisso e aprevilegios ; de 6O0aO9U par 4*e* eeee
emisso e sem previlegids ; de 400#t per
emisso, compabhias anoayaaas e
100# sobre correteres comoaareiaes,
leilo e de casa de compra a reala de ,
de 30,1 por escravo empreado am ssreaa da at-
varedga: de 1} por tonelad* da arvarnaga; de
tOO por bote oa savelra ; a de 1501 par aaliera;
de 601-por escravo ganhador : de 101 par cavaOa
de sella de aluguel ; 61 por dalo partacaier ; e O
impostos de carros a carrocas penaacaaaaa ae aas
floanceiro de 1863 a 1866, e tambe* !
do imposto de 20 0|0 do consumo de
principia a coatar do dia 1* de
Mesa do consalado proviocial da I
de Janeiro de 1866.
Antonio Caroeiro Birlado Ros
Administrader.
ODr, TrlstSb de Alhcar Araripe fficil da
Imperial ordem da Rosa e juiz especial
docommercioperS; M. I. etci
-Faco saber aos que o prsenle edita! virem
e delle noticia tlVerfem que ho dia clhCO de
marco d corriente anno, se ha de arrematar
por venda a quem mais der em praca publica
deste juizo o seguinle:
Um sitio sito com cafa terrea no lugar
do Monteiro freguezia do Poco da Panella,
tendo qHatro centos e vinte palmos de frente
com um muro e pofto de ftrro na estrada
que vai para o MOrtteifO com trsentrjs 6 vinle
palmos de largura, com um pon3o de ma-
deira com afrente para a estrada denominada
Caldeireiro, e de comprimente oitoceniose
setenta palmos, de um lado divide com o sitio
de trras d Jos Camello e o Dr. Alcofo-
rado, e o lado do tiorlecom urna t -avesea que
vai ao rio, tendo a casa urna porta e duas ja-
nellas nos oites, sallas, quartos, cosinha, e
um soto com sete quartos, cacimba, bomba
tanque para banho, com estribara e lalrina,
sendo as trras rendeiras, avahado em cinco
contos de reis, o qual foi penhorado por
execuc3o de Ignacio Luiz de Brito Taborda
contra Jorge Vistor Ferreira Lo es, e nao
havendo langador que cubra o preco da ava-
liagao, a arrema'agSo ser feita pelo preceda
adjudicaco -na forma da lei. E para que
chegue ao conheoimento de todos mandei
passar a presente que ser publicado pela
imprensa e aflixado nos lugares do costume.
Recife 3 de fevereiro de 18GG.
Eu, Manoel Maria Rodrigues do Nasci-
ment, escrivlo o subscrevi
TristSo de A'encar Araripe.
O Dr. TrtBtSo de Alencar Araripe official da
imperial ordem da Rosa, e juizespecialdo
commercio por S. M. I. etc.
Fac saber a'Osqtieo presente edital virem
e d"elle noticia tiv^remque-por este juizo pen-
dem uns auctoS de execucSo de sentenca de
Francisco Xavier de Oliveira contra o admi-
nistrador da massa fallida de Seve Filhos
& Companbia. E tendo-se feito penhora em
dinheiro perteTicente ao exefltado, fra pelo
S'illici tador Ignacio Barro o de Mello, procura-
dor do exequente, feito o requerimiento no
seguinte termo: Aos cinco de fevereiro de
miloilo cutos o sessenla e seis, nesta cidade
doRecifede Pernambu&oe d publica audiencia
que aos fetos e partes dawa o Dr.-juiz de
direito especial do commertto TristSo de A-
lencar Araripe, nella pelo sollicilador Ignacio
Barroso de Mello procurador do exequente,. janelta na frente, t salas, 3 quartos, costaba lera,
fra aecHaada a penhera feila em -dioherro I f|ft' ^^no> caclttb4 n,ertr. ** I
pertencentedo producto dbstensptfrtitulresl "cujas propWedades foram peonoradas a Ma
do fallido Manoel Joaquim Seve ,e reijuereu Pinio Regs de Sonza, por execogao da saa ababa
(}ue licassem assignados oe Seis dias a mesma! Diaria da^Cooceiao Carralbo Araafo.
No da 9 do correte, depois da
do I'lm. Sr. Dr. juiz municipal da pr lew Ira vara,
tem de ser arrematado urna parta da casa torrea
de pedia e cal o. 48, sita oa roa da Olea ato O. la-
dro Martrr da cidade de OHada,
de frente e 74 ditos de fonda,
da mesma cesa orna freo de
mos, coja parte vai a praca pelaqbaaoa da
que foi dado a fazenfda prorioeiar,
do sello nacional, nos anto* da tatoasarb de
Mafia Jos Coottoho dos Sacaos, toada para
precedrde audiencia do Sr. Dr.
camar annlelpal
Pela coniadora da cmara
dade se faz publico qoa nos nanee de i
marco se recebe i bocea do cofre a i
nicipal sobre casas de negocio, e aqaettes ajea i
pagarera oeste tempo esli sujetase a asean a
forma do an. 32 do regnlameato a. 300 da 10 da
juono de 1814.
Contadoria 1 de fevereiro de 1866.
O contador.
____________ Caetaao Silvorto daSOsa
Gompanhia peraaniocou
De ordem do conseibo da direegio, e esa casa
primelo ao disposto no artigo 24 dea
sao convidados os senhores aecloaistoa a
se em assembla gerai oo dia 15 do corrate, aa
meio -dia, na casa da praca do Corp j Saeta a II,
seguodo andar.
Pernamboco 3 de fevereiro de 1866.
____ ___O gereoleP. P. Breas.
= Pela ssbdeiegacia do Peres forana
didos e recomidos a deposito trae eavaOaai
temi am oastaobo, oulro roce a i
quem for seu dooo comparece, qae
doaiini >, Ihe ser entregoe. Sobaeleeacia
res 4 de fevereiro de 1866.O aab
Alexandnoo Martios Gomia!
Pelo juiM municipal da prlaebaTa vara 1
cidade, escrivao Cunha, tem de ir a praca I
9, 13 e 16, para serem arrematadas por
propiedades segoiotes :
Um sobrado de 2 andares a' roa da rVaOa a. 0,
tendo 4 portas na frente, varaada de farro aa aev
mei.o andar e janellas no segnado eompea)Htoaa
quartos, sem auinial, avahado por 6:0001.
Outro dito na mesma roa o 4 da asa andar o
solae, com varan Ja de ferro co priaaefro aadar, a
ama varanda em urna janella de solio, aaaj aa-
queaas salas e peaueoos qaartos, com laatal, pre-
cisando Je concrtos, avafiado en 4:0000.
Urna casa terrea a ma dos Pesca -orra a. TT
com porta e janella na frente, doas satas, 3 cetar-
ios, cosinha Tora, quintal ma ado, caeimea estes-
ra, com pequea corredor portio, qne
fundos para a roa nova da Praia de A
liada por 1:5001.
Ouira dita a' roa do Poco de n. 57,
7:MAJ409
CONSULADO PHOVINClAfa.
Rendmeatododiala7....... 35:7811833
dem do dia 8..............
s
perthora, dei ao'CredoTes incertos;^ cfue).0,s preientlntes p^derao cnmparaeer
jj_ _.!-:..:____j______._ .. : audiencias nis indcalos das ao aaeto
ouvdo pelojuiz.mandouapregoar pelo por-
teirodsauditor06 que>o lezna forma do es-
lylo, e dra e de estar pYesedter6 sollicitador
s-7354811 M'guel'JOttrrnlerilaPerrltfibucd, procu-
_'__, rador doeettildo, o administrador damssa
41;6!$o65 fallida de Seve Filho & G., que pedio vista,
-------termos em que'hotrvee juiz a penhora por
j:_-..._^__- _*saamm feila e aCcsado os seis e dez dias por as-
MnVMPNTn nfl 'PTffTi signados, eavitapor concedida,a que juntei
muilffltlllU UU runiu----- 0 mandada e lermo de penhora, peiic6ese
Navws entrados no dm 8. repplica que seguem: eu Secunoln EttOfloro
Este rarope, que d'tonV' Oo iaovimento ^h'* 4t dias, barca mgieu coieertae Scot, de datunha escrevente juramentado o escrevi:
.308 toneladas, capiao^arlee Dowell equipa- eu'Mano6l alaria Rodrgtfe*TJo,KasCTme()tO
gemll, em lastro ; a Wilson A Hett. Receben A9(,riv5n n brihsTfivi Por fft-fit an ftipn flP-
ordens e segoio para o Rio Grande do Norte. escrivao o suoscreu. ror lorca ao meu oes-
Araoaty 6 dias, palhabete-aaetenat Santn paoo o refer do escriv5o fez passar o pre-
irvz, de 101 toneladas, capiodi yictonoo'das siote-pel''qoal coailio, cito hei por'irttima5-
rNeves, eouipagem 10,-carga iWrardes com al- ^ 0s calores inceTtOs do ditoexecutado,
godao e outros gneros t, a C. G. caCosuM-
a
reir.
Nano sahidorno memo da.
Rio da Prata Barca porittgueza Heoreio, cspitao
aanoel Pereira da Silva, e
Ceerl Pallwbote nacional Garaldi, caplto
Cifstdio Jos Viaona, carca d Liverpool pela Parahiba Galera inaHei Hhorpo-
todas s suas preparafoes gozam das virto*f- *x des eminentemente tnicas, que aDWreiW**?K~ Pf^hooortocuez Mariatm-tl, ei-
em todas as molestias que sao eo*b*oiWvpt^
das por fraqueza; e com ffeito acho exac-T pitao J. Wearne, carga carvo de pedri.
mente munidos.
dia,
eieeadode l.-Oa>
l.Seccao. Secretaria da
buco Ia de fevereiro de 1806.
De ordem do lllm. Sr. Dr.
tricto d'.-i-a cidade, encarregade de" .
ta repartigo, na ausencia do lila. Sr. Dr.
polica, faco publicar o reolantea*a
de fevereiro de 1855, qoe aballe val
a fim de qae as pesseaa qoe se
tretenimenios do carnaval,
das disposfeois do aapisr.ii Vaguto
N bapealmtieas de
ODr.
tor
Copl.-i- Fevereiro ti de 1888.-.
polica resolve qae pela delegada
deste termo, e pelas sobdefecaetM
observem as segatetes pruvIdscBtae ato
ebshre pe? feiceo. digo a -perpetratie
por occasiao do prximos dwa
raeh-o 6 eac^sniaeate praMaveo i
do, e o laaotr-se agoa sebre as
sitareiafssas' rae% eaeba|a tasa
do vasos en seringaa, eoer pela
para q'a comparca'm neste juizo dentro do
dito prazo, afim de allegar o querfr de jus-
tica E para que ohogoe ao eonhecimento
de lodos mandei passlr o prsenle que ser m*da* Hma3 **
poblicado^ela ImpreAsa, eafflsado nos luga- u
res d' costume.
Recife 6 de fevereiro de 1866.
Eu tfanoel MariaRuYgh'es do Nascimen-
toscrlv5d o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
frV
gados-em teo per
mitdos os groeoa
-m
das qae digan
Terceiro
aprsente!
zar de outras
SSSJ t-v-vt
_____


\
de papelid, oa madalra frgil.-* Qaarto ao
modo algura parmudo a iotroducgo da .el
no raeio dos mascaras, e os que enire elle*
acoatrados ssram prem e eorrucclonado.:
to, fti mascaras perlar-se-hao vtm decencia, _
praticaram Insultes, e Ihe naotfaltiprmittido va- RayeWCl COstePa POP
garpeUs ruai, depois das 8,h*B igtolte.- Sel- '"'vn V w v
to, a aqaelles que formarera stheatw, apts^iwdo 4ar7 KVuos,eifcraayba, Natal, Macao, Aracaty,
praticar assaadas. Sara' respeindo .secreto dos
?estuarios dos mascaras e maguera peder' dirlgir-
ihes perguntos. d iravar com tiles eonveraasftes
que nao sejam decentes e dignas de repetir-as as
melheres reunioes.' Do mesmo iodo at ha varara
os mascaras nos para com os outros, e principal-
mente para com as familias dos camarotes a que
se diriglrera. Stimo, toda a pessoa mascarada
pie por algura* modo offeader a decencia, provocar
Tizas, e perturbar a ordem mantida nos salOes, se-
ra', mandado retirar immediatamente. Oitavo, na
falta de observancia das providencias cima, a po-
lica preceder' contra os infractores como deso-
bedientes.
Secretarla da polieia de Pernambaco, 12 de feve-
sreiro de 1855. O befa de polica.
Luiz Corle a4>oiva Iwsrira.
IiKILAO
A1$0S WARITHWQS
coMpiNfflA pernambulana Seita-feii ms 11 horas,
vapor,
Gear e
ca da Boa-
t-* --. J.___ no amaiea n.26ni
tata.
Pelo agante Euzebio.
Aearac u" J,ln<,ro parteses oHfcOtwestes novos e
Seguir'n di* Q *> WHMnr. COBJjrvadof para padaria.____
LELAO
o vapor nacional Persinunga,
comroandanie MarUos, para os
porto cima indicados. Recebe
carga at o da 8. Encommendas,
passageiros e diobeiro a frete at 3 horas da tarde
do-dia da sabida : escriptorio no Forie 4o Mattos
numero 1.
Jomit geral
iPla admrais-acad do correio desta cidade sa
fas piblico que as malas.que tem de eondazir o
vapor coste'it MerjiMU^ga para os poirlos-do norte
* Granja, echar-sc-ho boje (9) as 3 horas da
at
(arde.
Conpanhia de paquetes a vapor entre
o EsUdoa-llai ios e o Brasil.
Al o'dia 9 es-
pera-se dos por-
tos do sal o vapor
Hmvana, cora-
mandante Greem,
o qoal depois da
demora do cost-
me seguir' para
New-York tocan-
do no Para a S. Thomaz.
Para frete, passageiros ete.,trata-se com os agen
THE4TRO
DE
.les Henry Forster & C.. roa do Trapiche n. 8.
Compaobladas Veasageries Im-
periales.
At o dia 14
do correte raes
esperase da Eu-
ropa o vapor
francez Gutenne,
Grande baile mascarado
A' PARISIENCE
NOS DIAS
Sabbado, domingo, se-
gunda e ierga.
O PRIMEIRO BAILE TERA' LUGAR
Sabbado 10 de fevereiro de
1866.
O grande sjlo de-Daocaque eoraprebende
Be movis, piaas e joias
Aaoabia as 44 horas.
Ra da Cadeia numero 8.
Amerlco F. S. fara' leilo em sea annazem
45
CALCADO
Hua Virita
45
ra da Cadeia n. 8, por iotervencao do agente
Mamas, de 1 mobilia de Jacaranda, 1
amarello, 1 coromoda de Jacaranda, 1 secretarla de
amarello, 1 piano, 1 relogio de mesa, t mesa e as-
nea, 1 apparadur, 1 marqaexa, 1 cama para ca-
sal, 1 espingarda de 2 anos, 1 temo de bandjja,
cadeiras avulsas, cabidos, mesas, toucadores, laa-
ternas, quadros, e outros trfuitos objectos.
Na mesma oceasio continuara' com a liquida-
gao de joias e relogio* ae ouro e prata.
A primeira condicjfo nJispensavel con-
f-servagao da sade traier os pea b*m de-
fendidos contra os ataques da humidade;
calgado botn e seguro e o nico preserva-
bas dessas mii enfermidades a que est su-
jeto oJ8io->-eu Um chnelo veH cal-
cado por um dandy patuscameote, ou urna
botina acalcanbada em pequenino p deen-
, cantadora deidade aleta da aecusar que-
: brafleira horripilante, prova contra as f-cul-
a dadas intellectuaes'dos adeantesj e nao ha
LKIO
o qual depois da
demora do eos-
tome seguir' pa-
ra Babia e Rio
de Janeiro.
Bara coudicgoe9, fretes e passagens trata-se na
agenda ra do Trapiche o. 9.
Sabbado 10 de fevereiro, na ra da Gdeia
n. 38, pTimeiro andar.
pelo agen'e Euzebio.
Do sitio n. 1 na travessa de Hutocolomb fre-
goeaia de N. 8. da Paz na Alegados, com casa de
. vivenda, olaria, diversos arvoredos etc.
De un sobrado de um andar o. 7 sito na ra Di-
re.'.a freguezia dos .Togados, logo ao sahir da
' ponte, as chaves se achara' na padaria do Sr. M ju-
ra, qoasi defronte, pes-oa bem coaheeida.
COMPANHIA B&iSILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do norte espera-
do al o dia 20 do corrente o va-
por Gerente, coramandante o pri-
meiro tenante Serqaeira, o qual
depois da demora do costume se-
guir' para os portjs do sol.
Desdej recebera se passageiros e eagaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encom-
; mandas e dinbeiro a frete at o dia da sabida as
consiruido afflangando a mais completa seguraaca
Sera' illumioado o gwno o mais esplndidamen-
te aue for possivel.
O salao acha-se ricamente ornado com lastros,
estatuas, qaadros, espeifaos, vasos com flores, ban-
deiras etc.etc, sem que para este tira se teuha
poupado despeza alguma.
A banda de msica do 1* batalhae da gnarda |
nacional deste municipio, eob a direccao do seu
dhfJooio mestre 6 que tem de funecionar nos ex-
plendidos bailes cima menioaados, a qual tocar :
orno introdcc3o do baile ama peca de harmona
Antonio Luiz de Oliveira Azevede 4 C.
Commt I14SILGIS.4
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos portos do sul o
vaper Paran, commandante o
capitao de fragata Antonio Joa-
quira de Santa Barbara, o qual
depois da demora do costme se-
guir' para os portos do norte.
que d ir comeco ao movimento
Seaaiodo se a primeira quadrilha burlesca et- Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
pressamenteescnptae composta pe'o Sr. Colas flJ carga qae o vapor poder conduzir a qual-dever;
[ser embarcada oo dia de sua chegada^ encommen-
das e dinheiroa ffele at o dia da sabida as S ho-
ras : agencia raa da Croz o. 1, escriptorio de An-
io Luiz de Oliveira Azevedo & C.
AVISOS DIVERSOS
1NTA DOS GORRETORtS.
No dia 10 do correle bavera sesso da junta
dos corretores, na sala da associaco comraercial
ao raeio dia em ponto._______________________
LOTERA
Aos 6:00Os00O.
torre amanha.
Acham-se venda na respectiva thesou-
raria i ra do Crespo n 15, os billetes,
meiosAfoiiUos da Ia parte da 4'lotera
(47), a beneficio da matriz de Pao d'Alho,
cuja extraccao ser no lugar e hora do
costume.
Os premios de 6;000000 at lOgOOO
serao pagos urna hora depois da extraccao
at asa horas da tarde, e os outros depois
da distribnicio das listas. >
As encommendas serao guardadas so-
mente at a noite da vespera da' extracelo
como de costume.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Sou/.a.
dita da Qaem leQdo bom senso, queira passar por
maluco, ou pobre de surr5o : ergo, cor-
ram a:
4*-RUA DIRBITA**.
e attendendo a' baraieza.
Homens.
Borzeguins parisienses de bezer-
e cordavSo...... 8l000
Ditos de Bordeaux .... 7)SMX)0
Ditos barcellonezes de lustre e
de porco. ...... 6(OO0
Sapatoes de Nantes de duas ba-
teras rasas...... 5|>000
Sapatos de lona, sola de borra-
cha...... ; 20000
Ditos aveludadog..... 45600
Ditos de tranciAons .... 10800
Seaboras
Borzegui'jsenfeitados. 50000
! Ditos de laco...... 44800
! Ditos lisos......, -40500
. Sapatos de borracha .... 10600
Selleiros, corrieiros e segeiros 1
Sola de lustre, meios grandes 204060
E um completo sortimento de calgado fa-
bricado no paiz. '
mmmmmmmmmmmmmm
Vaixeiro.
Precisa-se de am caixeiro portuguez para o Rio
Grande do Norte, que tenha pratica de molhades,
prefere-se de 33 a 40 anoos de idade : quem es-
tiver nestaeircnmslancia dirjase a ra estrella
do Rosario, loja dos Srs. Maia A Landelmo.
Arrenda-se oa vende se a-n sitio nos Reme-
dios, com tres casas, dous viveiros, orna olaria e
diversos arvoredos, tado por preco commodo : a
lr*aiar no mesmo sitio, o qual e_alieoiJj pelo si-
liodaen_f_Blioa._________________________
Aiga sa a veode-se urna escrava : em F-
a de PlSrias, rtra do Pharol n. 3i.
DE KANIIOS
m
iiiu, a qual deuorainon-a
FOLIAS DO CARNAVAL.
A pe^as que tem de ser tocadas dorante as 4
M&Oi de baile, sao as- sesnmtes :
OUADRILUAS.
A cascat de chivos.
EstapBania.
O carnaval do Io de Janeiro.
O marquez do Pomba.
Coan-chon.
Domin negro.
A bella Helena.
O to Braz.
Artbur Npoleao.
WALSAS.
Joven Helena.
Viuleta.
Rainhadas Rosas.
Ncti vaqu.
POLKAS.
Serrinha pelo Sr. Colas fllho.
O- vuluotarios pelo Sr. Golas lho.
Adflaide pelo Sr. Colas Albo.
A Cassa.
Italia.
SCHOTISCH.
Flor d'Alma pelo Sr. Colas fllho.
Quides pelo Sr. Stranss.
o Club.
America.
Para dar flm ao bailo a banda de msica tocar
a grande
GALLOFE INFERNAL
cora toques de campas, sinos, estrepidos e rebom-1
bos de trovad.
No saino haver ama pessoa perfeitamente ha-
bilitada para formar os pares e dirigir as qaadri-
lbas, aura de evitar confutes.
A entrada geral e sahida para os mascaras e es-
pectadores pela porta da frente do theatro.
Os carros dppois de deitarem seas donos flearo
poetados ao sul do edificio.
O escriptorio para venda dos btlhetes ao lado
do botequim onde estara' illaminado.
As seohoras mascaradas entrada grtis.
No boteqaim se encontrar diversos e saborosos
petiscos, vinbos de todas as qualidades, licores
arveja, i-tc, etc.
O reglamento da pol cia ser publicado em tem-
po para o bom andamento e orriemdos bailes.
PREgOS DAS ENTRADAS.
A posse de camarote de 2.a ordem 105.
dem dem de 3.' ordem 89.
Entrada geral 2 *.
As senhoras mascaradas entrada gratis.
bailes m Mascabas
A BRASILIENSE
no
Palacete do pateo d S. Pedro
Miau*
Sabbado 10, domingo 11, segunda 12 e
terca-feira 13 de corrente.
Os grandes e espaeosos salces desse edificio, se-
rio illuramados esplndidamente tanto qoanto fOr
possivel.
Os saines acbar-se-hao ricamente ornadas eem
lastren, araadeias, espelbos, vasos con flores e ou-
tros adornos, sem qae para isso tenha poupado o
sea di.-ecur despezas e fadigas.
A msica que tem de funecionar em ditos bailes
sera' urna das mais acreditadas a qual tocara' as
segaintes :
QUADRILHAS.
A tomada de Paysandu.
O (jyro commercial.
Moi fea nos anf.
Os miiielucoi do Imperador.
A noite do castalio.
O i' i.-tello de GrasTille.
Teleg rapta.
Les zaaves.
SCHOTZ.
Flores d'Alma.
Brasileira e oatras.
POLKAS.
Pernambucana.
Bah ana e oatras.
WALSAS.
O. Liga.
O papaga de D. Liga e oatras.
Nos ataVv bavero pessoas competentemente
babiliudas para bem dirigir os quadros, efiundo
assim a coafasia.
A entrada a'porta do edificio ao lado *squerdo
starai a' venda os bilhe>es de entrada que serao
a preco o costume,'sendo gratis o ingresso para
as dama*, menos para aquellas qae sendo do sexo
Wsscaiao assim trajarem.
No ("it^viim se eaeaacnr vinbos, serveja e li
ores os mais finos, assim cooio bavera' petisejs
do divers.s qualidades.
O ruguUmento da polica sera' mantido pelo di-
rector des mesmos o analto coabscido Miguel Can-
dido ie Medeiros Piolo.
Para o Porto,
vai seguir com mnila brevidade a barca portugue-
sa Silencio, tem parle de sea carregameoto promp-
to, e para a resto que Ihe falta e passageiros, tra-
U-se com Madoel Ignacio de Oliveira & Filbo, lar-
go do Corpo Santo, escriptorio n. 19, oa com o
capitao na praca.
Precisa se tomar a risco martimo sobre o
casco, frete e carga da barca inglea Florence
Danvers, Warne mestre, com destino de Valparai-
zo, a quantia de 10:0005 pouco mais en menos,
para seus reparos e costeio necessario, tendo dito
navio arribado a este porto por forca maior oa
sua viagem de Swansea para Vaipara'izo. Propos-
tas em cartas feehadas devem ser entregues no
dia 1' de fevereiro prximo at meio dia no es-
criptorio de Saunders Brothers & C, agentes de
Doyds, praca do Corpo Santo n. 11. I
~ Wanted on Botlomry on the Hall freight and
cargo of the Brit Barque tflorence D,anvers War-
ne Master boand for Valparaso, the sum of abeut
Ten thousand Milreis for necessary ijepairsand dis-
bursements; the said vessel having pul inio this
port in distreson her voy age from SwanscaUi Val-
paraso,
Sealed tenderslo be sent into Messrs. Saunders
Brothers & C, Llovds agents upto raid-dav 1 fe-
braary 1866. ____________l_
PORTO E LISBOA.
A barca portuguesa Amelia, de exceliente mar-
cha pretende em poneos das sahir para esses dous
portos, ja' tendo a maior parte de sita carga enga-
jada ; quem nella quizer carregar al frete dirija-se
a roa do Vigario n. 10 escriptorio d Bailar & Oli-
veira. ________
" Ilha de 8. Miguel
Sabe com umita brevidade a escuna portngueza
Bma: para o resto d carga e passageiros trata-se
com o consignatario Jlo do Reg Lima a' raa 4j
Apollo n. i._____________________________---.
Para a Ilha de S. Miguel.
esperado a cada momento do Rio de Janeiro
o patacho portugnez Fernandet, o qual lera ne-ta
cidade apenas a demora de 10 dias, recebe carga
a frete por prego muito commodo : trata-se com
os seus consignatarios Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C, no seu escriptorio roa da Cruz nu-
mero 1.

(U Dr. Francisco Pires Machado!
Portella
MEDICO E OPERAHOR
PELA
Facnldade de Pars.
continua no exercico da sua -ptofisso,
especialmente as molestias de olhos, de
vas urinarias e de palle, para cojo tra-
tamenio julga-ic Habilitado altela a. pra-
tica adquirida nos hospitaes daqae la ca-
pital, e os instrumentos mais modernos
que possne.
Accode promptamente a qualquer cha-
mado para fora da cidade.
E encarrega se de enllocar olhos arti
ficiaes.
No paleo do Carmo n. 2, esquina da
ra de Hurtas, das 6 as 10 horas da ma-
aba, e das 3 as o da Urde.
Levio Jacobsobn, sobdito prossiao, vai para
Europa._________________________________^
Vestuarios carnavalescos
de todo o posto e phaotazia ; vendem-se oa alu-
gara-se na roa estreita do Rosario o. 21, segundo
andar. Preco mdico, pagamento i inmediato.
Domingos Jos Pioto da Silva, Brasileiro, mfe-
nor de 12 anoos, segu Portugal em oompanbia
de Jos Antonio dos Santos Andrade._______
Thomaz Barnes, subdilo britnnlco, retira-se
para Europa. ______^________
Leopoldo Ferreira Martins Ribeiro,
mudou-se da ra da Imperatriz n. 40, para
a mesma ra a. 12, segundo andar.
Para Lisboa.
b^i-r
.
Joanna BapQS da Azevedo Vianua, (au-
sente; Thereza de Jesas Azevedo, Mana An-
gelina Azevedo Tinoco e Francisco Ignacio
Tinoco de Souza, convidara as pessoas de
sna amizade e os amigos do fallecido Joo
Pernaudes Prente Vianna, a ouvir ama
a
.raissa que se ua de celubrar na igrea do assignaotes qae inda a nao receberam, queiram
| Curio S.nto pelas 8 turas da rafeada do,
da 14 do corrente, em snffragio d'alma des- \
te seu esposo, genro, cqnhado e socio.
Alug?-se o soguudo andar e soto do
sobrado da ra das Aguas Verdes n. '64,
tem commodos para grande familia : a tra-
tar uo primeiro andar da mesma casa ou no
Recife armazem n. 38 a' roa de Apollo com
Francisco Ribeiro Pinto GuimarJes,
Os Drs. Joao JooThome da Silva e Al-
varo Caminha Tavares da Silva tem o
sea escriptorio de adogaa no primeiro
andar n. 41 da ra do Imperador, onde
pudem ser procurados das 10 horas do
dia as 3 da tarde.
s
m
O bngue portaguez Billa Fi-
gueirente, capitao C. deCarva-
Ibo Sobrinho, vai sabir com bre-
vidade, por ter prompto a maior
parte do carregameoto, para o
resto da carga e passageiros tra-
ta se com o consignatario E. R. Rabello, ra do
Trapiche n. 44, segando andar. i
PdrCl Lt isbCL Passaado fundicao da Aurora, em frente de
.-_-.-. ----- k-.-u.. ._-.. -______doos arvoredos, se alugao andar terreo com belas
^_^ SaTS?. Lw i ffiTnn acommod.55es 'para familia ; a chave est ao so
florinoa, qae recebe carga a rete : a tratar no fc_Al ___, ..,,,. #-,_-_ h,r o hnr** m
escnp.erio de Amorlm Irmaos, roa da Cruz o. 3. 5_____. ^ faodi5ao, das V horas era
oa com o capitao Joaqaim Angosto de Souz na.

Gusa.
praca do commercio.
LEILES.
I.EILAO
De 15 daas le toalhas 4e liaba para
rosto boNadas, 3 ditas ditas lisas.
Gordelr Hlmien
por conta e risco de qaem perteaeer fara leilo dos
objectos cima mencionado, isto t
HOafE.
No armazem a raa da Cruz n. 57.
Die deulsche Nationalilaet ist ib Bra-
silien bereiis so zahlreich verireten, dass
sich das Beduerfniss eigener Prossorgane
geltend machte, trie sich die Aofgabe stetl-
ten, dia, Interessen der in Brasilien leben-
den Deutscnen zu besprecben und zu for-
dern deutscoes Neben und Sitte zu bewa-
bren nnd die geisge Verbindung mil dem
alten Vaterlande a erhaiten nd zByJiraef-
tigen. Ate solches Organ ist die seil 3 Jab-
ren in PortoA legre erseheinende, in ecbt'
vaierlaendischem Geiste redigirte
i DET&CHE ZEITUNG
* zu empfehlen, welebe unler .Leitung d*s
r, Hrn. C. von Koseritz tvuA Toecbfentlich
r 1 Jahr 12^,'
;. I
p n i ralppa nn r#f to- "enschemt. Preis fr 1 Jahr iU, 6 Monate
ve urna caiccacoa 4 rotas e caiio: u In Rk)l,de.^^^ehmen E H.
dos os perlenc 8, 1 caurieiei jnasi Laemmert Abonnement anigegerr; in dw
nove tambem om todos osperlences. Nord-Provinzen wende ma sich an die be
Cordeiro Simties deutenderea Bucli liaeadier em Peraambu-
por conla e risco de quem pertncer fara' leilo ^ narifraria-ecoflonsica, ruad^Crespo n.
dos objectos cima mencionadas
HOJE
No armazem a raa da Groa o. 57.
-----------------------------,_____-
-
Leilo
De movis, louca, Yidros etc.
Cordeiro" Simes
legaimente autorisado fara leilo de moWiias
amarello e jacaraoda', marquezas, mesa'
caodleiros e ootros artiges.
IIO JE.
No armazem a ra da Croa o. 57.,
2, defrQie do arco, de Santo Antonio.
Nenes Abonnement vom i Januar an.
i......iii.ni mi ii i n in
Aos 80 dminos tara o carnaval.
Na raa do el n. 10, 1 andar, tem para alu-
gar dminos rsas qualidades, como i
THoa ajaliodados, ditos de carab
de gtoga de diversas oores e qua-
da seda e diversas qualidades, o
por ser grande a quantidsde,
U a 3, e de 10* a 15* ; para
26-Paieo da Carme-26
Nesle estabelecimento tSo importante
para asando e.asseio do Corpo acham-se
montados 20 banheires, que sao servidos
com a ordem e acrio qae para dese-
jar-se. Qaafo des'es banheires sao espe-
cialmente reservados para senhoras e por,
isto acham-se eol locados em lugar reser-
vado aonde s tem entrada as pessoas de
( ama mesma familia.
Wt Preros de banhos avulsos.
S i banho fri, morno ou de cba-
9k visco.......500
W 1 dito dito de choque.....1*000
1 dito de farello.....i*O00
I 1 dito aromatizado.....1*000
tjK 1 dito medicinal ser segundo sua qua-
lidada.
Pi'pcds par nssiunalnra.
ti 30 banhos por me: fri, morno
ou de ebnvisco. .... 10*000
ilS 25 ditos com candes para o- mes-
Ok mos........10*009
__} 12 ditos com candes para os
m mos...... 15*000
|as 12 ditos com candes de cingue.. 10*000
55 1* ditos com candes de farello. 0*000
SJR O estabelecimento estara aborto nos
Jjjg das uteis das 6 horas da manha as lO
i da noite, nos dias sanlifleados das 5 as
tfk da tarde.
mmmmmmmmnmwmt
Uk\
R libo
MARTIMOS
Alves Hamburger & C^do mandado por um
gaohador (mulato), cajo aoow ignorara, am baiaio
coutendo as mercadonas aballo designadas, com
destino roa do Queimado o..., e tendo noticia
qae ellas nao chegaram ao sea deslino, prevlnem
ao respeitavel publico e ospeeialmentu aos Srs
logistas de, no oaaode terem noticia dessas mer
cadorias, ou do iovoltorio que levava a Arma da
cas, de o paiticiparm roa da Cruz o. 54,-onde da nesta praca, toma segaros
se Ibes ser suraauateate grato.
Designarlo das mercadorias.
6 pepas de Blas de seda para cintos.
1 dtizia de botos de tnadreperola para paobo.
2 ditas de chaves douradas para relogio.
1 dita.de chicotes.
2 pegas de borracha para calgado.
13 dazias de peales de chifre para atar cabello
de pedras falsas
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnisadoro, tMabekei-
ritii
Ore navio e sena carreganaenloo, e
fogo em edificios, mercadorias e i
na roa do Vigario n. 4, pavimento
I
Jacomo Antonio Clarello, Miguel Clarello, Ni-
cola Lamoiha e Antonio Agrede, subditos italianos,
retiram-se para Buropa.
Baw
Na ra da Aurora
um bom cosinbeiro.
n. 32 precisa-se de
Diccionario grammatical
portuguez
*OR
JOS' ALEXANDRE PASSOS
1 vol. cm 8a com cerca de quairocentas paguas.
E-ta obra pelos importantes anigos que contm,
do maior interesse a toda a pessoa encarregada
de lecrianar liogua portuguesa ou desejosa de
habilitar aeipara o magisterio, e geralmeote a to
dos os que quizer em aperfdcuar-se no patrio dio
ma. O autor esmexon se, e consegoio, tornar o
seu tranalho snperiora todas as grammaticas exis-
tentes na liniruapurtquueza, tomando por modlo
os livros de grammaiica transcendente que ha em
outras linjiiia-.
Est se BUblicando esta obra no Rio de Janeiro,
e assigoa-se oa livraria Econmica (em Parnam-
buco) roa do Crejpo o. 2, defronle do arco de
Santo Antonio.
Prego da assigoatura 4*.__________________
Precisa-se de um ama para o servigo inter-
no e extorno de urna casa de duas pessoas : a ira-
ar na raa do Raogel n. 44, 2* andar________
Trcivo PTTORESCO
Recebeu-se pelo vapor inglez a 9*.caderneta do
8' vol. d> sta interessaote jornal; rogase aos Srs.
lera bondad mandar procura-la oa livraria Eco-
nmica ra do Crespo o. 2.
Arrenda-se a casa e sitio n. 235 na roa Im
perial, com grandes eommodos, sendo o Sitio todo
murado com grande altura, empossibtllta ser eva-
dido, t-anca-se teda propriedade com am portBo de
ferro, est se tratando para botar peana d'agaa :
os pretendentes podera dirigir-se a roa estrella do
Rosario n. 31, armazem do Moreira.____________.
O abaito assigoado scienlifici ao publico e
especialmente ao corno do commereio, que eedeu
a sua loja na raa do Queimado n. 39 a seas cai-
xeiros Jos Luiz de Mello e Domingos Jos Antu-
nes Guiraaraes, para continuaren) o mesmo nego-
cio, sob a razo social de Mello, Guima la* & C..
ficando o abaixo assignado commanditario era dita
sociedade, cojas bases coasta do contrato que re-
gistroa na estacao competente : approveita a ac
casio de noticiar aos intorestado?, qae flcoa com
o activo e responsabilisado a solver o san passivo e
por virtude disso livre a nova Arma de qualquer
onu. Recife 6 de levereiro de 1866.
Joaqaim Rodrigues Tavaree_de Mello.
chegado fumo de Garanhons muito sope
rior por prego de 1*600 a libra : qaem quizer
comprar dirija-se a camboa do Qarmo n. 10.
- Beroardino Jos Leitao fac %er qaie arudoa
sua residencia para a Capaaga, roa das Crioalas
numero 3 A.
HOSPITAL PORTUGUEZ
DE
BEHEFICEMCIA. EMPKMAM-
BUCO.
De ordem de Iilm ..Sr. provedor se faz publico
para qaenHMerwssar iJossa, qae os Malos de na-
conalidade para instruir o reqaerimeoto de quem
pretender advnHsio fratafU-B*^ enfermaras deste
hospital, somente serao considerados taes o pasta-
port com qne teta fara o paiz, ppetela ou matri-
cula pusoal de qumiquer navio, conforme o diapesto
o*artigo 87 dus et-utaios, e jamis certificado do
consulado portuguez, que d'ora em dianw nao te-
rao vaioralg'am bara o Qm qae flea indicado
Sacretarl* < Hospital Prtoguez de BeaOcen-
eia era Pamamboeo 7 de fevereiro de 1865.
O secretario
Joo Pereira Rabello Braga.
--------
Em
casa de Theod Christiansen, ra do Tra-
Sicfie-oovo o. 16, a'nico agente no norte do Brasil,
e Branoanbarg frres, Bordeaos, encontrase e-
fectivameote deposita dos artigos soguintes :
Si. Julien.
S. Pierre.
, Larose.
11 -Chatean floviilt.
aeao Maraaax. *
feaod vio Chateau Lafltte 1858.
iteaa Lafltte.
Haut Saoteroes.
1 hateaa Baoternes.
Cbateao Lataur Blancbe.
. Cbateao Yquem. |
Cognac em tres qualidades.
Azitedoce.. Procos de Bordeaux.__________
a ama para casa de hornera
~Preels*ae de uraa amague saiba eozinbar.r olteiro oo de posea familia : na ra do Padre
Precisa-se de-ama -boa
(iva : na ra da Umo n. 48.
engommal-rira.sap
Nao sesabeado quem o Sr. Jos Antonio
da Costa Siqueira, roga-se Ihe o obsequio de apaa-
recer na ra do Trapiche n. ti, 2 andar.
Precisa se de um creado forro oa captivo qne
saiba cozinhir : na ra da lmperalrlr n. 45, se
gundo andar. ________________________
A pessoa que aonnncia dar 500* sobre hvpo-
tbeca, (|uerende lar 300* sobre penhores, au-
nuncie._____________________________________
Capel.
Precisa-s-i de ara capellao para um lagar pouco
distantedesiapraca, e com comm ulidades : trata-
se na roa do Crespo, laja do Sr. Jos Azevedo Je
Andrade._______________________________^_
Precisa-se alugar um moleque para o servi-
go de casa, sendo fiel e de boa conducta : a iratir
oa ra Nova n. 44.
Alagase
Alagase a casa terrea da as i
19 : a tratar na roa do Imperador a. ti.
~D se 2:000* a premie aasra
orna casa nesla cidade : na roa D*ru
dir quem da'. ______
a 24, M
Precisa-se de orna ama para servigo i
de urna casa de pooea familia a* n
o. 86, sobrado._____________ _
Constando ao abano assigoado qae s
propalado qne os neommodos qae levaaaSI a
paitara o fallecido Sr. Antelo Cartas
da Silva, fra motivado por ter Ido
assignado ajnizado, o abaixo alienado sa
a declarar qne qnnstao atgama
fallecido, a que a antea pus lia
com o Sr. Estevo Joa da'
daqoelle fallecido.
Domingos Alves Mamaos
COZINHEIRO.
Precisa-se de am eoziobelro : na ma de (Jsei-
mado n. 12, 1* andar. __________
Preeisa-se alagar qoatro escravo
possentes para servigo deraixo de coberu,
do-se bem : a tratar no largo da A-semblas a. V.
PrecUa-se de am trahalhadcr de padaria aja*
seja deligente no seo trabalho : na raa Imanrial
n. 39.
\

Francisco Augusto da Costa Gmcalves, Por
tuguez, retira-se para o Rio de Janeiro.
Quera precissr de um offiVial de padeiro, che-
gado ha pouco da Europa, dirija-se ao hotel Italia-'
no, na roa do Trapiche n. 5. _
Aluea se por 16* measal a casa terrea da
ra dos Prazeres : a tratar na raa dos Pires nu-
mero 64.
Troca.
Pede-se a pessoa que por engao trocon um cha-
peo de pello no dia da festa de S, Sebastio, na
villa do Cabo,queira ter a bmdade de vir desfazer
a troca na ra larga do Rosario o. 40, 2o andar.
Sorvete de creme
do Trapiche n. 18
Creme,
hoje ao meio dia,
na ma
l'recisa-se de urna ama para cozinhar : na
ra da Cadeia do Recife n. 10.
I Precisa-se sobre hypolh'ca di quintil de
1:000* a juro de 1 112 por cento, pelo lempo de
12 mezes : quem quizar fazer este negocio deixe
caria fechada nesta typographia com as inicia es
R. A. H.
ATTENCAO.
Henry Forster 4 C, ra do Trapiche n. 8
tem para vender:
Prensas para enfardar algodao.
Machinas de descarocar algodo, de 30 a
60 serrotes, com motores, assim como moto-
rs que servirlo para qualquer servigo, e tima
machina de 120 serrotes comjuma machina a
vapor, propria para a mesma.
Precisa-se alagar om preto, eado qa i
dad* padaria : na ra Imperial n. 39._________
GARKAUX. DE LAILHACAR C
LIBRAIRIE FRANQrISE
Raa al* Cresas .
LIVROS NACIONAES B ESTRANGEHaOS
Rfligio Pbilosophii Jiriaprodesda Llrra-
tura Scieneias e tica.
Papelaria, objectos para escriptorio.
Na fabrica de ;abo da roa de S. Hqjsaf,
fregaezla dos Af'gados, precisa se singar tres ts-
cravos, paga se bem : a tratar na ibmj. ea aa>
Recife, ra do Auiunm n. 41.
Precisa-se de om hornera para trahadur am
uro sitio cora plantagao de capim em Beb^ribe : a
tratar na roa Direia o. 69.
01ub~Pemambucano.
A directora do Cluue Pernamhu ano de-
liberou que fosse irans'eri la para o da 12
a panida do c irrenle mez, e qae fo cebidos os socios que vie-sem vellidos a ca-
rcter, niio sendo permittido conservarera as
mascaras.
Precisase de am criado qae saiba tratar <>
um cavallo e qua eoten la do strrico de om ra-
sa : na ra da Cadeia do Recife o. 40.
Pe4e-se nttenrao do panuco!
Amelia Angosta de Ouveira Quintal partan,'! 4e
novo ao respellavel publico e aos senhores asi !*
familia, ae tem aberto seu cur*<> deaic o di 13
de jueiro ; e continuando aleccionar r>ttkslar-
tiit me a ler, escrever, contar, grammi-a n >
nal, ariihmetca, dnntrina chrslia, eoarr, marca',
labyrinihar, bordar branco, de laa de sedv, in
froco e de ouro ; asseverando au senborrs qo>.
empreara todo o cuida'lo e icio ao compri': :
de seus deveres. Pode ser procoradi ?u:i sua |. ,-
ssao, na ra da Concordia n. 15, 1* andar.
abaixo assignado, professor d- Utim tfa
(resuezia de S. Jos dr-.-u edade, d- chra a*t pn-
hlico qaea soaaolaesta em exen-irin anda > la
3- do corrate, e qae a matricula d. roesma -- i
mii a estar aborta : os preieodeuie iHrijaai--.-
ao sobrado n. 5, sito no largo da rineira.
Manoel Francisco Coelbo.
Precisase de orna ama para casa m aonra
familia : oa roa do Hospicio n. 62.
Precisa-se alagar orna preta escrava para <>
servigo interno e externo de ca*a de aoaca ami-
lia : na roa do LivranMnto n. 23, primeiro ao ir.
Aluga-se orna sala com doas aoartoaaa ai
meiro andar do sobrado da roa das Craaes a. 41:
quem quizer dirija-se ao mesmo sobrado, 6 10
horas as 3 da tarde, ou a taberna contigua a. 41,
oo a roa da Maogueira a. 6.__________
Ca valho A Nogoeiri na roa do Apol-
lo n. 2o, sacam sobre Lisboa e Porto, a
vista on a prazo._____________________
Manoel Duarte Rodrgoea, roa 40 Trapete
o. 26, saca sobre a cidade do Porto, avista co a
praso.________________________
Po>*o do ai:
no armazem da bola amarella oo oito da secreta-
ria da polica recebem-se eocommendas de fogo
do ar para dentro e fora da provincia.
Precisase de ama ama para
nhar para peqoeoa famila : a tratar aa raa tfa
Hospicio n. 80.____________________________
Jornal das Familias
publicaco measal, illasmda, litlera-
ria, art-stica, reerenlifa ele
Ornado de Agarraos, viabeta*, gravaras sokre
ac, aquarellas, sepias, pecas de mostea, i
de iraba hos, sobre lalagarg, de crorbrt,-1
meia, laa e bordados, mo;des de vestidos,
em geral de todo o qae e concerne ote a iriaiee
de senhoras.
Publica-se no Rio de Janeiro.
Prego da assignatora 12* por anno.
Recebem-se assignaiaras para o 4* aaaa *Vss-
interessanle jornal, em Pernambaco, aa livraria
Econmica defroote do arco de Santo Aalaaia, ea-
de se ai ham tambera a venda coHegS.s
anno an'eri>res.
A nga-se por 16*000 a casa aova da roa d
Prazeres a. 1 R : a tratar na loja de raarciactro
8 da rbaEstrerta do Rosario.
CARNAVAL.
Offeroce-se par praoo eoonaado aa Uada riaa
costamacomplala do daqot iSa-artaae*. rrgeaia
aeFiaaca: sawadaCaiagts.m, m%qsaaa
o negocia. ______________________________
de#el
a, sobrado o. 54 a* andar.
Floriaoo n 71.
Desappareeea no dia 5 do correBte,pelas 3 horas
da tarde, am moleqne crioalo por oorae Germano,
eom os signaes segaintes: cor fula, muito criaoca,
pode r de Idade, pouco taels oo menos, 11 12
aneo*, levoo vestido caiga de algodao preto de ris-
cado. camisa de algodao branco ero bom estado,
chapeo de palha velho, ni cabega tem om grande
calombo airas de nma orellia. parece ser de que-
madora de fago^ amito simplorio por estar muito
pooce lempo oesta praca, natural do Ico : por
tanto roga-se as autoridades poilciaes e capites de
campo que o apprehendam e levem a sea seohor oa
rna estreita do Rosario o. 24, hotel, que seria gra-
tificados generosamente. O aoaunotaate Saciara
desde j que proceder rnniri i]riip_aoi
Boleos.
Deposito de p>5o e de cestas.
Ra larga do Rosario n. 36, acham-se constante-
mente ptimas melaoeas das Corcuranas a Brecas
razoavels, sao grandes e frescas para mimosear-se
os am gos pelas 11 horas do dia.
KESTAIMT
No oitao do theatro acha-se ais acetad
tapara descanco daspesaoas ajaa aascarraaan aa
baile mastro, com qnartos idOMbadaa, oslo aefca-
ro om conforfavel lana, ajaos aa**variaa qaali
dades, caf, en, earaajl, sarape, haveads laaa-
bam tragos a raasoaras toda par Uto tais preta
que adral ra, allanto o estado das oaoaaa: a admi-
nistrador ja Dea eonbeelda da rapazeada, sada
pooear para bom servir. ____
Achou-se nma sedla jaata aam aaa
meato : quem per de u dirija sa a raa da f
tria, casa terrea o. 75 jonto a fabrica de i
Precis-se de nma ama qae atabe
casa a> pansas* familia : a ralar fea praga da I
dependencia o. 8. __
O abaixo asrtgaido u wifci laaaa a saa ta-
berna da roa da Guia a. 98, Jolga ada evrr a
sasaaa aigaraa unto aesu praga eom Un, ma,
se alguem aa considerar seo orador cempateca
ser pago.
Recife, 1.* de fevereiro de 1866\
MaoorI Ma A C
Preobasealogaram aafeVqo* para
servigo da orna casa estrangeira : a traiar as raa
Wova o. 21._______________________
Para 10$ Meaaaes.
Aluga-se om pequeo armazem eos pasta Se cs-
chelra, no fundo da casa de qmaa a. Si aa raa
dos Pires, sendo dito armazem eom freote para a
roa do Sebo, o qnal pode servir para algsaaa a8>
ca oo qualquer estabelecimento : a fallar sa la-
berna da mesma casa.______________-__
Na raa do Hospicio o. 23 tem oo
multo esperta o diligente para aadar
para ser alagada.___________
Alofa-sea casados LeOes, aa r
res, cora soto, e commodos para f
lilia.
i
aammam


>
-i
4

*"
4*0 1866.
AUen$aot
Esta' para alugar-se o armacem da roa do Apol-
la d. 19, roulo proprio para deposito de fazendas
oa algodo, por ser mullo eneboto e claro : a tra-
tar do 1* andar do rae?mo.
Precisase de orna ama paraeqgommar : na
raa da CaeU do Recife n. 27, 1* andar.
Precsa-ee de uro criado, preferiodo-se escra-
vi), e que sarta colindar ou fuer o servico de co-
peiro : em Santo Amaro, casa confronte ao nospi-
ul inglez._______
Preeisa-ee alugar urna ama forra ou escra-
va para comprar, cosinbar e engoaaar:'. oa roa
de Hortas o. 71__________________
AMA
Precisase de ant ama para comprar e cozinhar
para ama pessoa : a roa de Hortas n. Mi, -segun-
da andar. *b
mmmumm mis mmu
O solicitador Mif uel Jos de Almeida
Oom|)aahia gem hespanhola de Segeos mutuos
sobre a Tida
AJTORBADA PELO .REAL DECRETO DE 2i DE DEZEMBRO DE 1858
Ubi fiaftca ^ dinheiro, depositad* dos fres do estado,faraite a boa ai-
mtiistraco da eenpaaiia.
BANQUEAROS DA COMPANHI A* DIREGCAg ERAL
O Kaoca de Hespjtaha Madrid : Roa do Prado n. 19
s
Pernambuco participa aos seos constituio-
les e ao publico qae Xem o sea escrito-
rio oa raa do Imperador o. 39, primeiro
aodar, onde pode ser procurado para o
exercicio de sua proftwo das 8 horas da
manha as 4 da tarde, dos dias atis.
Eduardo Pirmiao da Silva por si e pela
familia de sea finado sogro Jos Antonio dos
Santos e Silva agradecen) a todos os seos
amigos qae se dignaran) acompanbar ao ce-
n i lerio publico os restos mortaes do dito sea
sogro e de novo Ibes roga e aos seas paren-
tes de comparecerem no da 10 do corrcnte
pelas 7 boras da raaoba na matriz da Boa-
Vista, aflm de assistlrem a ama mista do
limo dia qae manda rezar por alma do m
mo finado.
Esta compsala liga pelo systma mutuo todas as oembwaodes .de supervivencia dos seg
ros sobre a vida.
Nella pode se aier a substrjpsao de maneira qae em nenhum caso mesmo por morte do
segurado te perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Siotao eaprebeadentes os resultados que produzera as sociedades da ndole deA NACIO-
NAL, qae aiada mesao dimin&indo ama terca parte do intereese produzido esa recentes liquida-
ces ecorabinaado-o con a mortalidade da tabella de Depareieox qae adoptada pela companhia
para seas clenlos e liquidares, em segurados de idade de 3 aW anuos, amaJmposicaoannaa.
de 100J produ? era fleotvo metlico:
No fira de 5 anuas.......:H9#300
. de 10 ....... 3:9*2,1600
i de 15 .......41:208*200
de 20 .......30:296*000
de 25........80:331*000
as idades menores de 3 annos e maieres de 30, os productos sao mais onsideraveis.
Prospectas e mait informales serio prosudas pelo sob-direetor nesta provincia,
.oatjuim Pinza de Oliveira, rnadaCadeia n. li, oa a Boa-Vista ra da Imperatriz n. 12, estabelci-
ment dos Srs. Haymuedo, Carlos.Leite & Irmo.
Na praca da Independencia n. 33, loja de
oarlves, corapra-se ouro, prata, e pedras preciosas,
e tambem se faz qualquer obra de encommenda, e
todo e aualquer concert.
Aluga-se o segundo andar do sobrado n. 62
da raa da Guia : a ti atar no 1 andar.
$*i* mmm mmmm
aa> Alugam-se duas casas em Santo Amaro ^
g assobradadas, com sota, com bastantes ^
J{ comraodos para familia, sendo urna na j
t* roa da fundicao e ouira no correr da ra K
g* da Aurora ao p da ponte do Sr. Starr a *K
fjf fallar com Jos Goncalves Ferreira Costa, -
a,,i- m
Arrenda-se o engenbo Manass distante da
praca menos de quatro legoas, e mai prximo a
povoagao de Jaboato, tem safficiente terreno de
b>a prodcelo, bom cerrado e matas bem conser-
vadas : a fallar no mesmo engenho.
0 Sr. Joo Xavier da Fonseea Capiba-
ribe rogado a apparecer na livratia d. 8
da praca da Independencia, a' concluir o
negocio que desde outgbro se cempro-
metteu.
a Companhia fidelidade de seguros
maritiraos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PERNAMBUCO
Antonio Lu/, de Oliveira amedo & C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomara seguros de navios, mercadu-
ras e predios no sea escriptorio ra da
Crax n. 1.
TINTURARA
AO GRANDE S MAURICIO
PROCESSOS APERFEI^OAllOS
PARA
Tingir. 1 i ni par e lustrar a vapor.
F. A, SAL
29 Kua 7 de setembro 29
DeroDte da roa aova do Ouvidor (Rio de Janeiro)
Os propietarios deste estabelci ment, o primeiro no seu genero no Brasil, por
trabalhar com as machinas mais aperfeicoadas para tingir e lustrar, de que se faz uso ni
Europa, eajudados por alguns dos melhores officiaes de Paris e Lyao, podem assegu-
rar seus freguezes urna perfeicjio no trabalho, a qual seno pode ciiegar pelos proces-
sos ordinarios.
Tingem, lavam, limpam e demofam com a mai r perfeiclo e brevldade qualquer
qualidade de fazendas, liram nodoas e limpam secco sem molliar as sedas e as vestimen-
tas de senhoras e de homens.
E. & H. LAEMMERT, NOVA PUBLIA(?O.
Acaba de aahir dos prelos de E. & H. Laemmert, em cuja casa se acha venda, as-
s m como as principaes livrarias das provincias..
Jos Gomes Villar S
i com loja na ra do Crespo n. 17, j|{
m convida aos seus devedores do ma- jk
Sp to e desta praca a pagarem seus de- W
*< bitos quanto antes, principalmente I
W os que idevem a mais de seis me- W
S zes. 4 m
Paa escriptorio.
Aluga-se o primeiro andar da casa da ra da
Cruz n. 5, proprio para escriptorio, mnlto fresco,
com Vista de mar e por pre^o commodo : a fratar
no escriptorio do sobrado junto n. 3.
mmm mmmmm mmmmmm
ffi O Dr. Carollno Francisco de Lima San- jH
tos continua a morar na ra do Impera- m
dor n. 17, segundo andar, tendo alias sea "
fli gabinete de consullas medicas, logo ao jH
3 entrar, no primeiro.
O mesmo dootor, que se tem dado ao
ijy esludo tanto das operares como das mo-
jasj lestias internas, prestase a qualquer cha-
mado, quer para dentro quer para fra
da cidade.
N. 0. Bieber & C, sucessores, sa-
cara sobre o Rio de Janeiro a vista ou a pra-
zo conforme se convencionar.
iEducacao primaria e se-J
cundaria,
^ N instituicao de Jeronyrao Pereira Vil-
5R lar, na ra larga do Rosario n. 22, nao
? -c se ensinam as materias qae constl-
22 taem o corso regular de primeiras letras
Jjft como ss disciplinas preparatorias para a
Jg; faculdade de direilo ; cujas aulas estarSo
abertas no dia 8 do presente Janeiro, e
serao regidas pelos raesmos professores.
Saques para a Baha, Para e
Vlaranho.
Antonio Jos Rodrigues de Sooza na roa
do Crespo n. 15, saca a vista oa a prazo
contra a Bahia, Para e Maranhao,
A. HWEKNAT C-
99Raa do Imperador 19.
Deposito de joias francezas por atacado.
Casa em Pars e Re de Janeiro.
Recebem directamente por todo; os paquetes.
mwammmmmmm mmm
g DEPOSITO DE CALCADO
W FABRICADO NA CASA DE DETENgO M
OJi Hala Xova n. 1. |p
tH Abi se encontrar5o obras de di- m
^ versas qualidades, e por pre^o mai ?
' diminutos, a retalho e em porces. W
m S se vende a dinbeiro. m
S-tmoel Power Jehnsfen & Companhia
Ra da Senzala Nova o. 4.
AGENCIA DA
Fundilo deLow Moor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro codo e batido para enge-
nbo,
Arreios di- carro para um e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Mathna8para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
= Precisa-;e de urna pessoa casada oa solteiri
oa mesmo algum senbor sacerdote para ensinar
no engenho Pererecas, distante duas legoas da ci-
dae do Rio Formoso, grammatica portuguesa, ma
sica piano, mediante a quantia de i-,200,1 por
amo, alem de casa para morar e'mais algn fa-
vores : a tratar nesta cidade no escriptorio de Leal
& Irmo
MEDICINA DOMESTICA E POPULAR
contendo urna therapeutica completa ou exacta descripeo de todas as molestias in-
ternas e seu tratameDto ; a cirurg a oa tratamento das molestias externas, e urna
minuciosa instruegao para differentes operaces que repentinamente se possam tor-
nar necessarias; consellms praticos as mulheres no estado de gravidez, directorio
para o parto e seus accidentes, cuidados aos recem-nascidos; principaes molestias
da infancia; as .^ciencias accessorias ; a anatoma, i liysiologia, hygiene, materia me-
dica, descripgo e applicacao medicinal *s plantas indgenas al hoje conhecidas,
nogoes a respeito do uso das aguas mineraes, etc.
por '
THEOIIORO J. II LAVGGA ABD
doulor em medicina pelas universidades de Copenhague e de Kiel, approvado com dis-
tinegao pel;i faculdade de medicina do Rio de Janeiro, cavalleiro da imperial ordem da
Rosa, da de Christo, da real ordem dinamarqueza do Danebrog, da sueca da Estrella
Polar, condecorado com a medalha de ouro do Mrito, da Dinamarca, membro de varias
associagoes scientificas; autor do tratado completo dos partos, traducior do texto do
Atlas de anatoma de Bock, etc.
3 vols. com 2,180 paginas impressas Ilustrados com 236 6guras, prego, encad. 16$
0 presente novo diccianario de medecina, devido ao talento de um medico distincto,
j por urna longa pratica de 30 annos, j por obras de reconhecido mrito sobre a mede-
cina, oceupar sem duvida um lugar honroso entre as publicagoes anologas. Ao passo
que ella se recommenda ao professional pela grande e preciosa copia de conhecimentos e
investigagdes scientificas, o leigo, dotado de alguma inteligencia, fcilmente se c- nven-
cer que a obra justifica o titulo ele diccionario de medecina popular e domestica, pelas
nogoes claras e precisas que encerra acerca da importante arte de curar e de prolongar a
vida. 0 autor, longe de contestar o merecimento de algumas outras obras do mesmo ge-
nero, com tudo nao pode deixar de notar que quasi todas ellas laborara n'uma falta sensi-
vel, qual a de terem por base o systema seguido por escrptores europeus e calculado
para as circunstancias da Europa. L onde os mdicos abunlam, onde ao lado do cura
PII0T0GR4PI1IA
ARTSTICA AMERICANA
RA DO IMPERADOR N. 38.
Artista americano
Artista americano.
Artista americano.
Artista americano.
RetratosRetratosRetratos.
Em porcelanaNiepgotypie.
Em lencosArchrutypie.
Em vidroAmbrotypie.
Em metal=Daguerreotypie.
Em papel Talbotypie.
No grande salSo da ra do Imperador d. 38
No grande salao da ra do Imperador n. 38
Neste estabelecMBento tiram-se retratos
em todos os systemas, com asseio e promp-
tid5o, desde as nove horas da manha
at as cinco da tarde; assim como tem
sempre a venda grande sortimento de cai-
xas finas de diversas formas. Quadros
ovaes Passepartouts e todos os mais ob-
jectos e productos chimicos, relativos a ar-
te e recibidos oltimamente dos melhores
fornecedores de PARS e Nova York, tendo
de tudo, para todos os gostos e para todos
os precos.
Salgo Ja ra do Imperador n. 38.
Sal5o da ra do imperador n. 38.
~ A LEGITIMA
uiurinuu
A sociedade de seguros mutuos sobre a vida de-
baixo d'ste titulo, fundada, administrada* garan-
tida pelo banco Aliaoca do Porto, efferece asmaio-
res vantagens as pessoas qae nella se qsizerem
inscrever : quem, pon, acerca de tal instituicAo
desejar obteresclareciroento?, dirlja-se a Juao Car-
loe Coelbo da Sirva, a ra da Madre de uens o. 28.
Para prova do quanto esta sociedade se acba
eminentemente acreditada, transcrevemos para es-
te jornal o artigo qae acerca delta peblicoa o Com-
mercio do Porto:
Acaba de ebegar do Brasil o Sr. Jos Antonio
Pinto da Rocba, inspector naqaelle impeno da so-
ciedade de segaros mutuos sobre a vida, fondada
e administrada pelo banco Allianca, denominada
A PREVIDENTE.
Para mostrar o boa crdito e sabida confianca
qae esta sociedade goza entre os nossos compatrio-
tas all residentes, publicamos a seguinte lista das
snbscripcdes por elle obtidas ne corto espaco de
seis mezes, montando a 578:375$; facto este qne
i de per si falla mais alto do que todas qaantas con-
: sideraedes podessemos apresentar, e qae por isso
nos abitemos de fazer.
Illms. srs. subscriptores. quantias subscriptas.
MOTA PlBLItAVlO FORENSE
Acaba de sabir dos prelos de E. & H, Laemmert, em cuja casa se acha venda, assim
como as principaes livrarias das provincias.
DE BRjSTOL
PREPARADA NICAMENTE POR
UNAN k KE1P,
NOVA YORK.
Composta de substancias, gozando das
propriedades eminentemente depurativas ;
approvada pelas juntase academias de rae-
Idicina; usada^nos principaes hosptaes, ci-
vis militares e da marinha as Antilhas e
no continente americano; receitada pelos
facultativosos mais distinctos do imperio do
Brasil e da America hespanhol
CUBA RADICALMENTE
escrophulas, rheumatismo, escorbuto, en-
fermidades venreas e mercuriaes, chagas
antigs, morphea e todas as molestias pro-
venientesd'um estado vicioso do sangue.
Emquanto existem varias imitagoes e
falsificagoos, preciso a maior cautela para
evitar os engaos,
A legitima salsa de Bristol vende-se por
CAORS A BARROZA
JOO DA C. BRAVO A C.
Jo5o da C. Bravo & C.
Deposito geral em Pernamouco roa di
Cruz n.22 em casa de Caros & Barbo
Freitas Gui-
de appare-
i Indepen-
dencia.
As Pilulas Catharticas
O Sr. Francisco Jof de
maraes, queira ter a bondade
da aldea ha tambem um facultativo, e onde os transportes sao facis, comprebenrJe-se a ^r n.a vraria n. 8 da praga
justificavel reserva dos ditos escriptores, com que, deixando de tratar muitos casos em
suas obras, insistem n'um tratamento por facultativos. Mas no Brasil, tao vasto, tao falto
ainda de mdicos e recursos por grandes povoages, e onde os meios de communicago
sao tao escassos, se carece de urna obra que suppra, quanto razoavelmente fr possivel,
essas faltas e inconvenientes, collocando o hornera curioso e intelligente, o pai de familia,
c fdzendeiro, etc., que vivem longe dos grandes vel, applioar elle mesmo os recursos opporlunos e adequados aos males que affligem a
humanidade. Tra, o nome do autor do presente diccionario, os solidos estudos qne fez na
Europa, e a sua longa pratica adquirida pela maior parte no interior do Brasil, que o ha-
bilitou aconbecer as necessidades a que prov este seu trabalho, parecem ser garantas
mais que suficientes para o cabal desempeaho da tarefa que tomou sobre si, assim como
para o bom acolbimento desta importante obra, que alias traz em si os melhores ttulos
de rtcommendag5o.
DE AYER.
O purgante mais efeca* mi hoje eonheeido.
#M
-
DAS
IEIN V1\I$
PELO DR. AUGUSTO TEIXEIRA DE FREITAS
Impressa por ordem do governo imperial, revista por urna commtsSo nomeada pelo
mesmo governo, cujo parecer foi approvado pelo decreto de 22 de
dezembro de 1858.
Segunda ediccao correcta e augmentada
Un Toliune de 867 pagioas imprecas cacadernado 15,5000.
Acaba de ser publicada a segunda edigo, em que seu illustre autor, aperfeicoan-
do a primeira edigSo, aprsenla, alm do texto mais correcto e emendado, um grande
numero de notas em referencia legislago patria posterior a primeira edigo, inclusive
a das convenges consulares e a da novissima reforma hypothecaria, vindo tambem a le-
gislagSo romana e patria applicavel a casos dealforrias concedidas a escravos, qur em
actos entre vivos, qur por disposlgoes de ultima vontade, supprindo assim a omisso
que houve na primeira edigSo, em que o illustre autor deixou de consolidar a legislago,-
relativa a escravos para ser classifi ,ada parte e formar o cdigo negro. Na nova edi-
g3o, porm, vem esta legislagSo, a que c de uso mais frequente, e remettemos os leito-
res para o que o illustre au:or diz a tal respeito na introduego pag. VIH nota. Sup-
prndo-se essa omisso, pre3tou-se grande servico ao foro, oude nao sao poneos os casos
oceurrentes nesta materia.
A segunda edigo, alm de ser impressa cm formato maior e conter mais 103 pa-
ginas do que a primeira, tambem augmentada com o exame feito lei de 2 de setem-
bro de 1847 sobre filiagao natural paterna, e neste exame o illustre autor analysa ocom-
mentario dessa lei feito pelo Sr. Dr. Agosiinbo Marques Perdigo Mameiros, ora con-
cordando, ora discordando das opinies desse Sr. r. Em suas respectivas partes
tambem analysado e referido o manual do procurador dos feit s da fazsnda, obrado
mesmo Sr. Dr. Per Jigao Malbeiros.
E finalmente aproveitando-se da segunda edigo o illustre autor responde s obser-
vag5es que fizera o Exm. Sr. conselheir Antonio Pereira Rebougas a alguns pontos da
primeira edigo. Desta maneira apresentada a segunda edigio moito augmentada,
mais correcta e aperfeigoada, mereaendo por i gistrados, advogados e de todos que deejam conhecer a le^isgao civil do pajz.
Estn pilalaa sao paramente veg-
iia.s, nao tendo na sna compo-
tso nem mercurio nem ontto
ingrediente mineral; lao inno-
centes para as crianc'as e pessoas
mais delicada!, ao mesmo tempo
qne, compoatas como aio de vegi-
taes mu fortes, sao baatante acti-
vas e eficazes para as pessoas mais
robustas.
Estas plalas catharticas purgo c purlflco todo systcma
humano sem mercurio.
Nio ae tem poupado trabalho nem despeza para levar estas
pilulas a um grao de perfeeco tal, que nada deixa a desejar;
Bao o resultado de annos de estudos laboriosos e constantes.
Para alcnncar todas as Tantagcns que resultao de uso de cathar-
ticos, tem-se combinado somentc as virtudes curativa das
plantas qae sao empregadas na oonfecco das plalas. Sna
composicao tal qne as enlermidades que estao ao alcance
de sua accao, raros vezes podem resistl-las on evad las.
Suas propriedades penetrantes explorio peuetrio, purlflco e
do vigor todas as partes de organismo humano; pois corrigem
a sna aefio viciada e faz recuperar a sua vitalidade. Urna das
consequencias dstas propriedades qae o doente, abatido de
dr e debllldade phvslca, dmlru-se de encontrar, tao deprvasa,
cajf saude e energa recuperadas por meio d' um remedio o
simples e ngraduvel:
Se molestias que estao ao seo alcance sao.
Prizao de venire Bhmmatitmo, Dr da cubera, A Neuralgia,
Xnxaqtuca, hutigettio e mal do estomago, Hemorrhoidat,
PADEOrjEHTOS DO FKrADO,
Febrt gastro-lifpatica, Gattrile, affeccoes BUiosai Lombrigat,
Erytipta, Hydroplia, surtlfi, ceguira parcial, e Paralytia.
No almanak e Manual de Saade do Dr. Ayer, qae se publica
todos os annos para distribuieo gratuita, vucontra-se um tra-
tado sobre aa diversas doencas que eslao ao alcance de
REMEDIOS PURGANTES.
Acha-se em todas as Botlcos e Drogaras do Imperio.
O Peitoral de Cereja
I>E AYER,
Angina,
PARA A l'BOMPTA CORA OA
de Conatipacoes, Toases, Bouquidao Influ-
Bronchite, Tisioa primaria, Tubrculos
pulmonares, e todas aa moleatiaa do
Peito, assim como para aliviar
os tnicos deolaradoa.
As preparacoes do Dr. Ayir sao teadlda as principaes
drogaras e boticas do Imperio,
Vende-se em Pernambuco:
na
iPHARMACIE FRANGAISE
deRMAURER&C1^
i RA NOVA NUil
Jos Aniui Pidi da Rocha....
Albino Jos da Silva...........
Luiz Amonio Siqaeira........
Aagoslo Cezar de Azevedo Gue-
des.......................
Americo aues Correia........
Amonio Al ves deMuraes.......
Hanoel Duarle de Figueiredo...
Manoel Mariins de Oliveira Aze-
vedo ........................
II. T. Baslo...................
Amonio da Silva Pontes uirna-
raes.......................
Manoel Gomes da Cruz.........
AntoDio Loorengo Teixelra Mar-
ques ......................
Bernardo Jos de Oliveira Ma-
chado.....................
Jos de S Leilo Jnior.......
DomiDgos de S Pereira J-
nior......................
Vicente Ferreira Coimbra......
Jos Joaqaim Alves.......,....
' Jos Feruandes Lima..........
! Jos Joaquim Leiilo...........
Jos Antonio de Brito Bastos...
Joaquim Luiz Ferreira Leal....
Silvino Guilnermede Barros....
Alfredo Henrique Garcia.......
Antonio Valentim da Silva Bar-
roca.......................
Jos Rodrigues da Silva Bor-
ges.......................
Manoel Jos Mureira...........
Virgilio de Castro Oliveira......
Jos Antonio da Costa Valen te..
Justino da Molla Silveira.......
Manoel Marques de Oliveira....
Antonio Fernandos Duarle Al-
meida.....................
Joo Martins de Barres.........
Antonio Joaquim Fernandos da
Silva......................
Custodio Jos Alves G.uima-
raes........................
Jos Gongalves Villa Verde.....
Alfredo Jos Antunes Guimaraes
Manoel da Caoha Guimariles...
Joaquim Cabral de Mello.......
Jos de Azevedo Maia e Silva..
Bernardo Pereira do Valle Por-
to.......................
Ignacio Pereira do Valle........
Felisberto Ferreira de Oliveira..
Domingos Jos Ferreira Guima-
raes.......................
Manoel da Molla Machado......
Manoel Joaquim da Rocha......
Seraphim de Sena Jo'ge........
Manoel Joaquim Fernandes.....
Josepha Mara da Conceicao..
Luiz Pereira Lima-............
Antonio Henrique Rodrigues
Manoel Francisco dos Santos
Maia.......................
Manoel Joaqnim Ribelro........
Manoel da Silva .Nogueira......
Joao J^ucio Marques...........
Francisco Joo de Barros......
Joaquim Rodrigues Tavares de
Mello......................
Jos da Silva Loyo............
Francisco Jos Alves Guima-
raes.......................
Caetano Cyriaco da Costa Mo-
re-ira......................
Jos de Mello Costa Oliveira....
Manoel Muniz Tavares Cor-
delro......................
Antonio Joaquim de Vasconcel-
os........................
Antonio Jos da Silva Brasil...
Joo Jos Rodrigues Mendes.....
Luiz de Moraes Gomes Ferreira.
Domingos Jos da Costa Amorim
Manoel Fernandes da Costa.....
Joo Carlos Coelho da Silva.
Manoel Ramos de Oliveira.....
Manoel Jos Pereira Marinho...
Manoel Ferreira Bartholo.......
Manoel Francisco Marques.....
Gregorio Paes do Amaral.......
Joaquim Jos GonrjalvesBeltro.
Joao da Silva Ferreira..........
Jos Joaquim da Silva..........
Antonio Jos Coimbra Guima-
raes.........................
David Ferreira Bailar..........
Antonio Jos dos Res..........
oo Ribeiro Lopes___........
oaquim Custodio de Oliveira...
o (Gomes de Freitas.........
ernardino Gomes de Carvalho.
Antonio Baptista Nogueira......
i Joao Francisco dos Santos Jnior
: Francisco Ribeiro Pinto Guima-
raes.........................
Alfredo Prisco Barboza........
! Manoel Soares Pinheiro.......
I Joao do Como Alves da Silva...
Joaquim Monteiro da Cruz.....
| Antonio Jos Dantas...........
: Salastiano Francisco Martins...
Antonio Pereira de Faria.......
\ Antonio Luiz Ferreira Lima....
Manoel Jos da Cunha Porto...
i Flix Venancio de Cantalice....
Manoel Alves da Silva Caldas.
Joo Francisco Antunes........
Custodio Colaco Pereira Jnior.
Jos Goncalves Torres.........
' Antonio Jos Paulo de Carvalho.
'Joaqnim Ferreira dos Santos
Coimbra Guimaraes.........
Justo Cesar de Almeida Jordo..
Jos dos Santos Oliveira.......
Belarmino do Reg Barro*.....
i Manoel Ignacio Rodrigues Praca
I Joao Jos da Silva..........
Fortonato J. G. B.............
Jos Correa de Mendonea Sobri-
nho.......................
Emiliano tvangelisia de Moraes
Antonio Pedro da Souza Soares.
Manoel Jos da Costa Pereira...
Joao PerHra Reg............
R.M.S. A. F.................
Custodio Francisco Martins.....
Manoel Albino da Costa Torres.
Jacintho Jos da Costa Torres..
Bernardino Augusto da Costa
Torres.....................
Joaqaim Pedro da Costa Torres.
Padre Tiburclo Pereira Gomes.
Manoel Gomes Correa.........
Joaqnim Ventura da Silva Pinto
Manoel Ventura Telxeira Pinte.
Domingos Marques de Oliveira.
Antonio Rodrigues Padim.....
Panto Jos Pereira da Silva....
Francisco de Oliveira Braga...
Joo Pinto de Oliveira.,........
Paulino l) as Fernandes.......
Antonio Leite de Si Coelho....
Padre Manoel Goncalves Guima-
raes.......................
Jos Affonso Guimaraes.......
Manoel Tavares de Pioho......
Floriano Alves da Costa.......
Joaquim Antonio Carneiro Sal-
danha......................
Miguel Albino da Costa Machado
Padre Jos Ventura Telxeira
Pinto......................
Antonio de Agolar Silva.......
Manoel MartinsBaslos.........
3:000<(i00
5:00000
1:230*000
2:8004000
2004000
1:0004000
1:2504000
1:2504000
6:2504000
1:2504000
1:0004000
5004000
Polldorlo Jos da Pol*........
Jos dos Santos Castro Garrido.
Angosto Corroa Dorie........
Francisco Paeoeco dos Santos..
Alipio de Faria Gomes.........
Anumio Francisco da Silva.....
A(S2J2f,r"ta Co6,bo ^ifeira
Antonio Gomes Coelbo Tirres
Joao nariln loito*
Pedro AfT.nso Coio ........
Aos Alves Veras Coni'"
Severino Ferreira da Molla Ma-
cbado............
Antonio Manoel de Lima'.'.....
Antonio da Costa Sol___
Francisco Antonio Mendes de o.'-
veira Jnior.................
Jos Alves Macietra..........""
Bernardo Affonso de Miranda!!!
Manoel Pereira Machado........
Vicente dos Santos Simes......
Manoel Francisco Florea........
Manoel Ferreira Marques......
Manoel Luiz Baptista Pioho....!
Antonio Lmz Baptista Pinho
Manoel Jos Gomes de Andrad
Antonio Leite de Castro Bro-
chado..........
Joaqnim Leal de MeireHes.'.".'.*'
Antonio Pinto Bandeira
Antonio Joaquim Alberto 4a*jiY.
melda.................... #>
Joaqaim Amanes da Cunha Gui-
maraes..............
Jos Vidal da Rocba...!!!!"!!."
Js de Soaxa Velloso.........\
Jos Carvalho Pinto Bastos....!!
Zefenno Jos da Rocba........
Nicolao CioAl...........!
Jos Antonio Pinheiro Basioa.'.!
Antonio Joaquim de Carvalho
Lima....................;
Manoel Domiogaes Guerra!!!!!!
Jos da Silva Miranda..........
Bernardino Alves Barbosa Santa-
rem..................
Otto Rodolph Siengel.!!.'.'/..!!!
Victorino Jos Duarte Fioza....
1:2504000 Mjmm Antonio Teixeira Ma-
2:5004000 i n cha<,,.....................
I Bernardino Jos deAraoio....
5004000 i Jaqnim da Cosa Carneo.....
1:2504000 \ Domingos da Costa Araojo Bar-
2:5004000:. res;...............Ti.....
luiz Antonio da Costa Pereira .
Joaquim Ferrreira Coelho da Ro-
cha................
Bernardo Jos da Pai..'. "
Amonio AlvesPeixoto..!!!!!.**
Jos Nunes Pinto......
Salvador Oliveira Rezende!
Adriano Joaqaim do Caes Sei-
xas........ .......
Fulgencio Jo- da Costa.!!.".""
Domingos Moutinbo...........
Jos Joaquim Telxeira da Fonse-
ca Bastos...........
Antonio Ribeiro Rosado!!.!
Eduardo Pereira Nones.
Joaqaim Jos Ferreira de Freila
Antomo Marques Ferreira.....
Antonio Ventura Teixeira Pinto
Pedro da Cosu Nanea.........
Joo Jos Rodrigues de Sa..".".*.*
Jacintho Jos Martins Correa
Jos Ferreira da Silva.........
Domingos Jos Ferreira .!!!!!"
Joo Fernandes da Costa Guima-
raes..................
Bernardino Alves Barboza..'.".".!
Antonio Ferreira de Carvaho
Carlos Alves Barbosa.........'.
Joaquim Jos Gomes da Sooza!!
Jos Fernandes Ferreira..
Domingos Jos Ferreira da Silva
Manoel da Cunha Guimaraes.
Antonio dos Santos Coelbo
Silva...................
Max Hamburger.....!!...' \\\\
Francisco Xavier de Oliveira !!
Antonio Goncalves de Azevedo .
Francisco Jos Lopes..........
Jos Joaquim de Agoiar......."
Joaquim Francisco do Reg.!!!
Jos Alves Barboza Jnior.....
Jos Maoot-I Baptista..........
Jos Guilherme Goimars!!!!
Noberio Correa da Cos a Bara-
Chuy.................
1:2504 00
3:7504000
7:5004600
6504000
5:0004000
504000
6:0004000
1:2504000
6:0004000
2:5004000
1:2504000
1:5004000
1:2504000
5:0004000
4:0004000
1:2504000
1:2504000
5004000
5004000
1:2504000
2504000
2:2504000

1:0004000
1:00 4000
1:2504000
6:0004000
1:8004000
1:0004000
5004000
1:2504000
1:0004000
5004000
7:5005000
1:2504000
1:2504000
2:5004000
6:5004000
10:0004000
10:0004000
8:7504000
1:0004000
2:0004000
1:2504000
1:2504000
2:0004000
2:50'4u<)0
5:0005000
3:7505000
3:7504000
4:0004 i00
3:2504C
1:25041)00
1:2504000
1:2504000
2:5004000
3:73040110
4:0004000
2:3005000
2:5004000
8:0004000
2:0005000
5:0004000
1:0005000
2:5005000
1:2505000
1:0005000
5005IKX)
1:2505000
1:0004000
750*000
1004000
1:2505000
2:5004000
1:0004000
650SO0
5:2504000
1:0004000
2:0004000
1:2504000
5004000
2:0005000
2:5005000
1:0005 00
1:2504000
10:0004000
1:2504000
1:2504000
2:5004000
2:0004000
2:5004000
2:5004000
1:3804000
5004000
1:2504000
1:2504000
2:5004000
2:0004000
7504000
5:0004000
5:00e4000
3:2504000
1:2804000
1:2504000
3:00)4000
2:0004000
2:5004000
4:0004000
2:0004o00
8004000
1:2804000
5:0004000
3:0004000
2:5004000
2:0004000
2:5004000
5:0004000
1:0004000
2:8004000
2:0004000
2:0004000
1:2804010
2:0004000
3MB400
25004000
50BMMO
15 OJO
It9t4*<0
4:0N|tt
3WBJHI
I 2505*10
2:0J
>:2S04JO
SSBMO
S:9M|0M
1:2304000
s.mgono
1:2304080
2:0MfM0
B4u.
3:7501000
MSBJMO
COO400O
578:3754(00
N. B.-As quanas subscriptas, 'Z
nadas, sao realisadas no espaco de 10, IsTa?
2o annos, entrando se anonalsnentetS
pequea prestado, segundo as po criptor.
ois-
Joo da Silva Ramr a
pela universidaie de i.oiBibra, d
consultas em saa casa das 9 as
II horas da manb5a, e das 4 as 6
da Urde. Visita os doentes em soasj
casas regularmente as boras para
isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que sero soccorridos em
qualquer occasio. D consultas aos
pobres que o procuraren, no hos-
pital Pedro II, aonde encontrad
diariamente das 6 s 8 horas da
manba,
Tem sua casa de sade regalar-
mente montada para receber rioal-
quer doente, ainda mesmo os alie-
nados, para o qne iem commodos
apropriados e nella pr.itica qualquer
opperacSo cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira casse. .34000 diarios
Segunda dita____34300
Terceira dita. .20000 >
Este estabelecimeuto j btm
acreditado pelos bons servidos que
tem prestado.
O propietario espera que efle
continu a merecer a confiaoca de
jue sempre tem gozado.
\
ENCANAMENTOS
PABA A6A
Na roa Nova n. 30 fazem-se e eoneertaa-se ea-
cnamento, assim como riniba pan agaa.
Briicos dfcnslal Iira7
Na loja de ourivf > no arco a CanccteA, no Re-
cite, tem os melhores que ha eneasioados em oar*.
Ceblas a i99
_Na roa da Madre de Deoa a. k.
Est por alagar se o pnnmro'
brado da ma de Atoas-Verdes n.
ra das Cruzes, sobrado n. 9, Ia

Precisase de urna
gomme para duas pessoas
23, segundo andar.
Precisa-se alugjr urna
nheira : na ra da lmperatrii u. 9,
ana aot cetialw e ea-
: oa raa da
i



Ai TE\CA0

Na roa do Jasmia n. 24, oIBciaa de erre*ra>, de
Guilherme Daigel, na para vaadar daas nkhnhlj
novo?, um de 4 rodas e com asamos para 4 pes-
soas, e para ser puchado por o mi s cavan,
de duas rodas, ambos feitos cea toda a i
quem os pretender dirija se a nesm
achara com qoea tratar.
Baca
com asseio, promptieao e preces
Augusta n5, loja.
C4SA.
Aluga-se, passando a uodicao de Saafo
o andar terreo ea frente aos pe* de arvores. coa'
bellas acommodaeoe* para laasNa e
lado; a chave no serado, para tratar na 1
cao da Aurora, das 9 horas ea f
Precisa-M de ama anaer para nr
panhia de ama senhora casada uxer aaa
para aaisinformaros tratase na
dre le Dos n. 1


r%cm%mbmf ~eUa felra
Vevefelra de 1800.
4 S4LS4 P4RBILH4 DI AYER
PARA A CURA RADICAL
de escrfulas e molestias escrofulosas, tumores, ulceras, chagas, feridas ve-
lhas, brondiocele, papo ou papeira, a syphilis, enfermidades venerias ou mer-
curiaes.
FORTOiU
piooo.
Bilhetes garantido*
A' RA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTUIIR
O abaisoassignado vendea aos seas mallo (li-
tes bilhetes garantidos da lotera que se acaboo
de eatrabir, a beneficio da Santa Casa de Mise-
ricordia, os seguiotes premios:
N. 1381 tres quinto com a" sorte de 6:000*.
N. 2432 doas meios com a sirte de 1:200*.
N. 2855 tres quintos gom a sorte de 500,$.
N. 2857 doas quintos com a sorte de 200*
E oatras roaitas sortea de 100*, 40*. t,20*.
Ospossuidores podem virreceber seas respec-
tivos premios sem os descoatos das leis na Casa
da Fortuna ra de Crespo a. 23.
Aebam-se a venda os da i* parte da Ia lotera
(*7') beneficio da matriz de Pao d'Albo, que
se extrahiri a 10 do crreme.
PRECO.
Bilhetes.....6,5000
Meios......3*000
Quintos.....1*200
i pessoas que compraren) de OO^OOO
para cima.
Bilhetes. 5*500
Meios. ..... 2*750
Quintos.....1*100
Manobl Martins Fidza.
Para
propria para transporte de barrica?, saceos de as
sucar, om smo pequeo, urna beata de regar jar-
dim, um bote-de (erro e ontro de madeira que ca-
rece de reparos: a tratar na roa do Imperador, no
escriptorio-da empreza doaceioda cidade, por bal-
xo do convento de S. Francisco.
O abanto assignado agradece maito aos Srs.
Castro Redondo, Jos Diniz, Jos Alves e outras
pessoas qoe concorreram para o seo transporte ^
assim como aoSr. Jaio da Rocha Pinheiro e outros *es n- ** A-
mais,e-oom especlalidade- o sea amigo Ribeiro,
soa familia, a familia da Sra. D. Mana Pessot-de
Mello e Sra. D. Candioha, > sea muito amado
iilbo Aprigio, de cojas qaalidades jamis me esqee-
cerei.
Laurectino Brax de Olivetra,
AS MOLESTIAS DAS MULHERES
retenclo, menstro doloroso, ulceracBes tiro tero, flores brancas, etc., ulcera-
olio, debilidade, expoliacSo dos oreos* a nevralgia e convulsoes epilpticas
quando causadas pela escrfula.
ERYS1PELAS ERPES; ETC.
liaferuaidades ciitaaeas, erup,o. borbulha, pstalas,
Bastidas, etc.
O extracto composto de salsa parrllia, con'eccionado pelo Dr. Ayer, uma
combwaca'o dos melhores depurativos e alterantes conhecidos medicina; confeccio-
nado segundo as regras da sciencia, approvado e receitado pelos prineiros mdicos dos
Estados-Unidos da America do Sul e Central, das Antilhas, do Mxico e das Indias, e
multas outras partes -do mundo : e resultado de estudos apurados e minuciosos, e de
experiencias feitas pessoaimente pelo Dr. Ayer, por muitos annos, nos principaes hos-
pitaes e enfermadas da America ; *cm sido approvado pelas academias de medicina e
juntas de hygieooe das priocipaes pitaes da America do Norte; para prova disto vede
os attestados atrttientkxss no Almsnak e Manual de Saude do Dr. Ayer, os quaes se dis-
ribuem gratuitamente nos lugares onde se vende o remedio.
A SALSA PARILHA DE AYER
JKspecialrente efOcal a cura das melestlas que tesa sna orlgem
va scrofirla, na infeceo venrea, no uso
exeesatoado niereu. lo ea qnalquer impureza do sangue.
A molestia ou infeeejte peculiar, conhecida'pelo nome de escrfula, um dos ma-
les mais prevl3oentes e universaes que ha em toda a extensa feta das enfermidades que
atacam anossa-rsca; disseum celebre escriptor da medicina que mais de urna terca
parte de todos aquelles que morrera antes da velhice sao victimas, ou directa ou indirec-
tamente de escrfula; por isso so nao tSo destructiva, perm a principal causa de
muitas outras enfermidades que nao Iheso geralmente attribuidas.
_ urna causa directa'da tsica pulmonar, das molestias do ligado,* do estomago
e affeocoes' de cerebro ; -entre seus numerosos-symptomas acbam-se os segurles: falta
de anpetite., -o semblaste plido e encbado; -as-vezes de urna alvara transparente-e outras
vezes cora 1o e amarertento irregul.r, fraqueaa emoeza sos msculos ao redor da boc-
ea; algesia* fraca e appetlite, falta de energa; ventre-encbado e evacuarlo'irregular;
quaado o-mal tem se assento sobre os pulmoes urna cor azulada moslra-se em'reda dos
olhes; quaado ataca es orgos d'gestvos, os olhos tornam-se avermelbado&; o bali-
to ftido, a lina ua carregada; dores de cabeca, tonteiras, etc. Naspessoasdedisposi-
cSoescrofulosa apparecem frequea^aniente erupcoes na pelle da cabeca eoutrasparles
do^orpo-; sao predispostas s afeocoesdos pulmoes, do figadr, dos ras, dosorgaos
digestivos -e uterinos. Portanto, rao sao-sement aquees que padecetn das formas ul-
cerosas-e'tuberculosas da escrfula* que- necessitam de protecco contra os seus estragos;
todos 'aquellos emeqo sangue existe'O-viras latente dcste terrivel flagello (e-s vezes
hereditario), estospostos tambem a-sdffrer das enfermidades que-elle causa, que sao:
\A ti sica, utoeraces de6gado,do-estomagoedos rins; erupctes e enfermidades
eruptivas da cotis.'TOsa ou erysipela.'borbulhas, pstalas, nascidas, tumores,'rteuma,
carbonelos, ulceras e cbagas, T!beumtifmo, dores -nos ossos/nas costas e na cabeca.
debilidades femininas, flores brancas cansadas pela uiceracao interior, e enfermidades
uterinas, bydropesia, indigestao, enfraquecimento e debilidade geral.
1 (Merecemos a estas pessoas um -abrigo seguro e um antidoto efficaz costra esta
molestia e suas ooesequencias na
SALSA PABfULHA DE AYER
que opera directamente sobre o sangue, pur ideando-* e expulsando detle a corrupcSo e o'..
veneno-da molestia:; penetra todas as partes e todos-os orgSos doceryo humano, livran- i
do-09 ta sua aoeo viciada e inspirando-lhes novo vigor. um alterante poderosissimo 'mM^K'AV^'iM &ttW'MM
paraarenovacio do sangue, o d ao csrpo j enfraquecido pela doenca, torcas e ener-; J 2SSi^s5i^JS25?2
gias- renovadasoomo as da joventude. ialatiSBi 9S6?0 g
1 tambem o methor anty-^hilitico onhecid M ATTEI\fi40
cura permanentemente as pores forreas de syotiilis* e as suas cossequencias. Poucaj h TMfr >
necesstade h de informar o publico do inestinwvei valor de um remedio que, como m: Acha-sena casabe Kelier & C. ^g
eate.Jirra o sangue desta corrupf5o^ arrebata a vintkia das garras de urna merte lenta rjg ^ar?a W^^ 55;u0aa cirta vin"
e ignominiosa, porm inevitavel. se o-mal n5o logo-combatido oomenercia. .k-, .?. ?e j8ne""0 ^ 'vaper
rE umpoderosissimoalterante para a reoova^ao do sangue para darnwra for-:
ca ao-corpo j ofsaquecido pela doenga.
-Sendo composto de produdos vegetaes, esie>medicamentoionocente eaomes-i
me'tempo effieaz, um fado de immensa importancia para aquelles,^ue o tonam ; por-j
quemuilos dos remedios alterantes offerecidos ao publico tem por base o mercurio ou o j
arsnico, e sendo aesim, bem ques-vezos podem efectuar curas, com ludo deixac suas
victimas'Carregadas de urna toiiga ^erie de males, muitas vezes petor-do que o mal ori-;
ginal. "A nica ooBsa necessaria paraobter urna cura^radical seguk.com juizo e cons-"
alucia as reccoes que acompanbam cada frasco.
io preieodeaios promulgar, oem queremos ^ue se inQra que. esta composicjo'a
um remedio infalHvel para a cora de todos os padecimentos humanos; infelizmente
escrefula e.a syphilis s5o enfermidades tao sulis nas-suas naturezas,-e arreigamse to S
firmemente no systema, que muitas vezes evadeua eresietem aos remedios mais pode- Sk
rosos que a sciencia humana pode inventar para combate1 las: o que dkemos que o W
Extracto composto de salsa parnlha de Ayer H
a melhor preparace at hoje descofeerta para estas e eu urna oombinac'o dos alterantes mais ejHcazes conhecidos, e que esta comfcinacio temido jR
regulsda ;por longas.e laboriosas experiencias, e fioahnenle que temos ccnscienciadeof- ^
ferecer ao pablico o raelor resultado que possivel preduzir, da inteligencia e: pericia wl
medica dos nossos teopos.
Este-remedio dove ser tomado com syslema e regdardade, e n5o.com abandono, j
pois um remedio e sao bebida. ?4f
Qeando as.iBestias do figado* jio lem suaorigem na escrfula, o remedio ffj
mais propio. as p ilute cat lia rucas de -Ayer, que sao efficazos na cura da> molestia, que |K
tem por eaosa.iun dosacranjo dos orgos digestivos. Pedi a salsa parriiha de Ayer.-e ^
nao aceita outea preparaco.
Pernembuco.'i'ua Nova o. 18., pharmacia francezade P. Maurer A-C.
' VEM)E-S]E
v*o aruiazeaa^e V. M. Ramos e ftllva & irnrtt. ra do 'Vigarto
n. II, ^constantemente, os segnlntes artlgos, ffue
j-ecefeeis? por eacowmenda propcla de
VE\V-X4M1K.
Legitima salsa 5*rrilha4eBristol, preparada por Lanman & Ket:p.
Verdadeira agaa Florida, preparada pelos mesmos.
(Caz em latas de cinco.gcles, o mais purificado que se pode desejar da ecredi-
tada marca F. W. D. & C.
ftelogios perfeitos reguladores, com corda-de quatro a oito dias, dasafamados fa-
bricantes N. Welch.
phia).
Superior oleo para machinas de costura.
Agulbas para as mesmaa.
Breu cu bar. icas grandes e pequeas.
Vne-se tambera;
Cofre.
Compra-se um cofre em puna mi : do ar-
mz*m da^bolla aaurella ao oitao da secretarla
da polica.
Cobro, Jalao c chambo.
Compra-se cobre, Uto e chumbo no rmaiem
Ja bola marella no oiiio da gecreiuia da polica.
Compra se om escrave peca : "a rtl* do
Crespo d. 17.
GIUNBE E>TABELECIENTO
00
Silezia para $*iu a 44s ra. a van aa aya
j
Ba da imperatrlz, !V*. 60
DI
GAMA & SILVA.
LOIA E AMAZEM DE FAZENDAS.
Tendo os proprieiarlos df^te Rrande estabeleci-
feilo esUdo
curado.
quem tlver anauocia para ser pro-
Onro e prata.
Em obras velhas: coirpra-se na praca da Id
aepeDdencio p. ii, loja de bilhetes.___________
Compra-se orna osera va que saiha cozlnhar
e eogommar : na ra do Crespo o. 18, segando
andar.
Na roa da Cadela do Recite, loja n. 41, com-
prase om cabriolet com pouco oso.__________
r- Compra-se nma escrava quesailia cozinbare
eogommar: a tratar na roa Bella n. 3.
Compra-se um santuario de Jacaranda' en-
vidiado com 4 on 5 palmos de bocea, e em per- "t t*to um grande abainuenio em "
as fazendas, pela occasta.i do balncp qo deram
no ultimo de dezembro de 1865, resolvern vender
maito mais barato do que costuraam aflm de cada
vez mais agradaren! aos seus uumerosos fregu-
es ; por tamo Ihes offerecem um avulado sorti-
mento de fazendas francezas, oglezas, a quaes
vendero mais barato do que em onira qoakwer
parte, comprometiendo se a mandar levar qual fazeoda em casa dos fregutzes que nio pederam
vir a loja, ou a darem as amostras, deixando flear
I o penhor, assim como convidara as pessoas, qoe
i negociam em menor escala que neste grande esta-
beleeimento eneoolraro um grande sortimento
I tamo a relalno como por atacado, vendendo-selhe
. apenas pelos precos que compram as casas ingle-
zas, sendo com o dinheiro a' vista.
Pechincua a 3OOO e 500
AS MELPOMENES DO PAVAO.
Veodem-se bonitos coi les de melpomene para
vestidos de senhora?, sendo dos padrSes mais mo-
dernos pelo baralissimo preco de 3^000 cada nm.
Ditos de indiana, tendo oito e raeia varas, pelo
baratissimo preco de 24300 rs.
Isto para acabar na loja do Pavo, ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Astoaihas de li lio do Pavas.
Vendem-sa superiores toalhas de linlios para
VENDAS
F0LH1AHAS
Anda est por alegar o sitio em Santo Ama-
ro, em que morou o Sr. Cambrone.
Os commodos da casa, a sua elegancia, eas pro
porches do sitio, que alem de estar bem plantado,
tem boas bazas de caplm, offerece as mesmas con-
digoes s pessoas de tratamento, sendo que pelo L- DlllA joai
aluguel que ora se elige nao caro. V- rimWia 19fSO
a quem quizerficar com o mesmo sitio, ou aF Acabam de sahir -A luz as folhinbas de' T^^m^TXmmt^'^^''^^"^
&iina,^^Tans^r c a,ibera e de prta para annde i866- ia m cada uma-
aStsS%rSMStfs^ >"? P8Sval tanto no calculo m\jg^*fmg* Pa mez, a
molas, multo maoeira eainda nova, com arreios, las e eclipses, como as diversas feslas **Soperior atoalhado de linho coro oito palmos de
para om-cavaflo, outra carrocha de caixa, muito que a Igreja celebra; vendem-86 unicamen-; largura sendo branco e pardo, e vende-se mai ba-
i60 ris as de porta e 320 ris as de algi-
beira.
'Precisa-se de urna ama para o servico interno
de urna casa de pooca familia : a tratar na praca
do Corpo Santo n. 17.
" Precisa-se de oficiaes de charufeiro : na ra
das'Cruzes n. 37.
mmmmmm.......
*0 Dr. Sarment Filho
m previne aos seos doentes e pessoas de seu
Sj -conhecimeMo que se mudou para a -ra
I -Jo Imperador a 19, segundo andar.
brasileiro Gerente, para ser en-
tregue ac-Sr. Jo5e Kafcl ou Kehl,
roga-se prtanlo ao mesmo senhor.
queira ter a bondade de apparececv
te na livraria da praca da Independencia, rato do que em outro parte, na loja do Pavio na ra
Veodem-se 400 pedras para ladrilbo, vindas
Vndese umsellim Ingles com arreios, com
pouco oso e por preco raioavel: na ra das Cru-
da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Rico* vestidos a 80000 rs.
pecbiaclia admiravel.
S6 o Pavo receben pelo ultimo vapor francez
om grande sortimento dos mais ricos corles de
vestidos transparentes com lindas barras e enfeitcs
de seda, sendo estes vestidos muito proprios para
baile e passeios, e vendem-se pelo baratissimo
preco de 8*000 rs. cada um, na loja do Pavao na
roa da Imperatriz o. 60 de Gama & Silva.
Os corpinhos de seda pretos do Pav5o.
Vendem-se os mais ricos corpinhos de seda pre-
tos, ricamente enfeitados, pelo barato preco de 111
cada om : na lo|a do. Pavo na roa da Imperatriz
D. 60, de Gama & Silva.
Organdy a 1:200 a vara.
Cbegoo para a loja do Pavo um brilhante sorti-
mento dos mais ricos organdys malisados, sendo a
fazenda mais fina que lem vido neste genero com
padrSes inteiramente noves, e vendem-se pelo ba-
Vende-se um grande soriimento de grosdena- g^ _gf? fejgg* i'dr.m ASi
pie a 1J600, 1*800, U e 2*500 o covldo ; dito \ **** na rua do Imperatriz n. 60 de Gama 4 Silva.
As precallnas do pavao a 4 1
Attencao!
Attemjaol
Attencaol
Grande sortimento de fazendas pro-
prias para a quaresma.
Acaba de chegar a este novo estabelecimento
om grande e variado sortimento de fazendas pro-
prfas para ?. quaresma, a saber :
(rosdenaples preto a t.sGOO o covado.
dito
j muito superior a 2*800 e 3a : na rua da Impera-
I triz o. 72, loja de Gaimaraes Irmo.
MoriaBtiqse preto a 2->800.
Vende-se um graade sortimento de morianliqae
: a 800, 3* e 3*500 a covado.
Chales de renda pretos a 8000.
Vende se tambero nm variado sortim nto de cha-
les de renda a*, 9S500 e 18* ; ditos muito fiaos
a 11* e 12* j ditos de seda fazenda muito lina a
20*000.
Retondas pretas a tO#.
Vendem-se retonaas pretas pelo barato prece de
'10* el!*: na rua da Imperatriz n. 71, loja de
Guimares & Irmo.
Vendem se as mais lindas precallnas inglezas
proprias para vestidos com largura de chita fran-
ceza pelo baratissimo preco de 440 e 480 rs. o co-
vado, fiuississimas precalas com os mais modernos
desenbos a 500 e 560 rs.
Chitas escoras fraucezas a 320, 360, 400 rs.
Ditas com flor5es proprios para chambres e co-
bertas a 640 rs.
Ditas iuglezas claras e escoras a 260 e 240 rs.
Na loja e armazem do Pavo na rua da Impera-
triz n. 60 de Gama & Silva.
Cortes de colim para calcas
a 1*120 s o Pavo.
Vendem-se superiores curtes de cotim, fazenda
brande pecnincha panno preto a 2-J090 0 maito eocorpada para calcas e palttots, tendo pa-
PROGRAMA
m

HORDEitM'
.1/ qnalidade.
St. Estephe.
St. Jalien.
C. Margaux.
jC. Lafitte.
I Medoc.
POETO
l2qHaW*de,
Vinho fino do Porto embarris de/, 10/ e 20/.
Superior vinho doBheno.
Cera de Lisboa em velas e em grome.
!So demiage i 1 do corrate mez (era'
lagar 3. festa 4e Nossa Seehora da Con-
ceico da capelta do Mooteiro coro ex-
traordinaria pompa, para o enrarregades too tem envidado.
I.'ma banda de msica tocara' na ves-
jiora escoUiidae pecas, come iambem ao
-irraiar da aerara do dia, qoe sera' an-
iBUGcrado por ama estrondosa salva.
Antes de comecar a festa, o quo ser'
s M *oras, se distrlbulro temlas aos
pobres que coo^parecerero.
Os pregadore* da festa e Te-eum sao
ir iRvmds. padres mestres pregadores da
apella imperial-Lino do Mmue Carmello
e Fre ioaquim do Espirito ao:p.
A&'S horas da l^rde subir'' aos .ares
u hatoli dado de- seo autor. Arreada aban-
dera de ao eicaJaa e festejada -Ceohura,
sera" cocduzida para casa da aova juiza
em prooissap, foraaada de coasideravel
numero de senderas. Queiowvse-bo
BaaJeMDto grande quantidade de pecas
de fogo, teaiunando por om assaUo dado
a forlaeza do Humayta' pelos vapores
couracados.da armada imperial, ao.que o
povo puriota se alegrara' em ver uma
scena tte sorj>r^za
Arcos, bandearas, baadas de msica de
curiosos, fogoetes, cavaitadas, mascara-
dos, barracas, holeis, mueles baldes aos
ares e a presenea das ia&ressantes se-
ohoras que ja all se adiara e tero do ir
.sero os inlretenimeotos que em tao poe-
lico arrabalde encentrara' e povo desta-
kJade, qoe eertamente as preferir' ao
de aella flcar para-ver someaje poneos e
desengranados oascarados vagarem nes-
seciia peas proatcas roas.
covado.
Veo^-"', paono preto proprio para caigas e pa-
litos z*-e 2*200 o covado -, casimiras pretas
a L.sjo, 2*, 2*400 e.2*500 o covado.
u Muito tralo cortes de casimira a 3;5oOO.
Vendem-se cortes de casimira preta a 3*500
4* e 4*500; dita muito lina a 0*.
Admira cortes de briiu de cores a
Vendem-se cOrtes de brim de cores para calca a
U28MS600, i*800e2*: na rua da Imperatriz
n. 72, loja de Guimares & Irmo.
E' baratissimo a 120 ris o covado.
Vendem-se riscadinbos muito proprios para rou
pa de-escravos, a 120ris o covado; ditos escooe-
zesmuito.floos a 240, 280 e 300 ris o covado.
Cambraias lisas a 3.000 i s. a peca.
Veada-se um grande sor timen te de cambraias
lisas pelo barato prego de 3*. 3*500, 4*, 4*300 e
5* : ditas muito ioas a 3*500 e 65; ditas victoria
6*S00 e J*; ditas de uma vara de largura a 8*
e 9*.; ditas pira forro a l*6tx), i& e 2*200 : na
rua da Imperatriz n. 61
Chitaa francezas largas a 260 ris.
i.ye???"s?-0in Rrande sortimento de chitas a 260,
dr5es esenros e alegres, e vende-se pelo barato
prego de 1*120 rs. o corte de caiga ou a 320 rs. o
covado, sendo esta fazenda grande pechincha pelo
prego.
Brim pardo entrangado a 700 e 800 rs. a vara.
Dito liso mullo encorpado a 640 e 700 rs. a vara.
Dito branco entrangado a 1*280 rs., isto pe-
chincha na loja e armazem do Pavo na roa da
I Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
; Os cortes de cambraia nraoco bordados na
loja do Pavo.
Vendem-se os mais ricos cortes de cambraia ri-
camente bordados com barras e babados a 20* ca-
da um : na loja e armazem do Pavo na rua da
Imperatriz o. 60, de Gama & Silva.
t ores de chita a 20000
SO NO POVO.
Vendem-se cortes de cbilas inglezas com dez ca-
vados a 2*.
Ditos com onze covados a 2*200.
Ditos com doze covados a 2*400.
Ditos de chita franceza com dez covados a
3*200 s na loja e armazem de fazendas ; na rua da Imoeralriz n. 60 de Cama & Silva.
Os chales pretos de renda da Pavo a S000 rs.
Vendem-se os mais ricos chales pretos de renda
Ama
Preeisa-se -de uma ama torra ou eserava qoe
saiba eoaioi'ar e eogommar ; & rua da Impera-
triz u. 4.
Principe Real.
Podr i V.
Mara Pia.
Princeza D. Isabel.
VictOi- Emmanuel.
Duqu.
Malva sia.
CaLQS CALOS!!
Pedicuro, participa ao respeita-
vel publico qoe elle tem pratic do
cora bom resultado aqjiel'a arle, du-
rante urna residencia de mais de 11
annos nos Estados-Unidos e Alterna-
nha, e vern offerecer .seas servicos a
quem delle precisar, durante os pon-
eos dias que lhe possivel demorar-
se cesta cidade. Gara para sempre,
os calos de qualquer qualidade, sem

. BLM
com isto causar a menor dor ao pa-
ciente em 10 mjnutos, como larabem
d remedio s unlias defeituosas dos
Attenc&o.
No dia S .pera 4 do corrale ez fortararo do
.ogeobo Licnoetco,fregnezia da Eeeada, umcavallo
melado com dinas, cauda e ps nreto, no o de
bk dos lados test u couro das quizadas groseo,
tem a testa jnnto a Mota do focinho om tanto pe-
lado, bastante ardego, anda a passo, furla-passo
at nwio, e nao tem ferro por ser nascido no mes-
mo (ugenlio, est lazando a segunda muda i ouem
o trcu*.T ou der noticia do ladro recebar 100*
de gratki'- gao.
Des(icamiDhon-se uso quarto grande, cas
aoho, e descarnado, com marcas de sarnas as
ancas : quem o acbar pode levar em Santo Amaro,
sobrado junt ao cemiterio loglez, que se grati-
ficara.
280, JttO, 520 e 360 rs. o covado ; ditas preciares ;'com 1aatro poo^s, senda muito grandes pelo ba
a 400,440 e 500 rs. ;ff atissimo prego de 8*.
Cambra.s de cores a 20 rs o St/BS S m' ** "*
COVdo Manteletes de reada, tazeada muito superior i
Vendem se amLraias francezas a MO, 300, 320, lo#O00-
360 e 400 rs. o covado. i -Capase saothasfibarqDes de grosdenaples bor-
Laazinlras a 400 rs dados, fazenda intwamente nova, por pregos mais
Uu.sfeudasoadriste. a 300, 320..360 e M> VssW*a2sWlWas
js. o oovada ; duas muito finas a 800 e 560 : na K,? n 60 d SIT>t
rua da .Imperarte n. 72, loja de Guimares & Ir-196tMr,t D' de f" 4 T* .
mo.'. Para luto vende o Pavo.
Crles de la a 5#0CO. 6a',it, da Chioa com palmos de largara, fazen-
Acaba de cnegar a este importante estabeleci- '' *"?* para ,at0' Pr<>Pria Pa" vestidos e ronpas
ment uro sortimento de corles de la que ce ven- Pra:QOiens. set)do esu nova fazenda sem lustro e
de por .5* e J*SOO; ditos a Maria Pia, fazenda 'de mo,t8 boa flsalMaa, garantiodo-se nao ticar
muto moderna a i2j, 14*, 18* j O ; ditos com [yVSSSi0 temP1e vende-se pelo barato prego de
camifinha, cinta e grvala a 25*.e 28* 2* e 2*1S9d covado, assim como neste eslabeleci-
tOUPA PEITA ment tem um grande sortimento de todas as fa-
Veade-se um completo sortimeto de roupa fei- f-Ddas P*"?*3 como sejam cassa e chlUs Pretas
ta felta. assim como sejam palitots, calcas coletee. uPada< e transparentes, princeza?, alpa-as,
camisas francezas a 1*600 e 1*809i ditas finas a sarjas, e(e.:: na loja e armazem do Pavo na roa
2* e de iinbo a f jSOO, 3* e 3*500; seroulas de da ImPeralr'1 60, de Gama & Silva.
MO, 1^400 e 1*600, _de linho | e 2*500.: ^ baSes do pav5o
Vendem-se superiores baloes de mugulina com
, maUa roda a 5*, ditos crinolines com 33 arcos a
13*500, ditos com 30 c 25 a 3*, cilios para meni-
I as, sendo brancos e encarnados a 2* e 2*300 :
i na laja do Pavij a roa da Imperatriz n. 60, de
! Gama <& Silva.
rua da Imperatrii d. 7*. loja de Guimares & Ir-
CTo.________
NoFidades do Pavao
O PECB1NCHA ADMIRAVEL
Escossezas a 30200
Cegaram os mais lindos eortes de escossezai,
proprios para vertidos, sendo tazenda inteirameott
nova ao mercado i e vende se a 3*200 o corte ou
260 rs. o covado na loja e armazem do Pavo, roa
da Imperatriz, n. 00, de Gama & Silva]
CassM fraieeaas a 24o rs. o erado.
Vendem-se bonitas eassas francezai de cores ti-
ras pelo baralissimo prego de 240 o covado.
Ditas a 280, 320 e 3/W.
S na loja do Pavo, roa da Imperatriz n. 60, de
Gutaa, & Silva.
Caitas aunadas.
Vendem-se nissimas chitas francezas, com pe- i
Veadem-se silezia tieaaa aaaS karata masa
boae propria para sala*, pala Stale prtf Ss Mu>
rs. a vara : na l ja ad Pava aa roa da faiaera-
trii a. 60. de Gaaa & Silva.
As salas boreladaa m pava.
Vendem se saiaa borasaa arado bata
boa, sendo ricamente bordadas e cata
vendendo se petos barates pregos i> C* Rf
reis cada nma na leja do Pavao aa raa
triz o. CO de Gama Silva.
Pegas de ataatUe rafcstata.
Vende-se per hinchas a !< i,|a..* witetadB
com 12 jardas cada prca seada Lirada smmu a-
perior pelos baralUsiatos ttaeM 4* a i* rs m
loja do Pavo na raa da Imaeratm a OS St orna
A Silva.
iLeofas braaaoM a < res* a
Vendem st leagos braaeta fiwaat mmi'.o toa
pelo baralissimo prego de 2* a dasta, thu -m
barra de rr a 2*000 isto para ataaar aa toa da
Pavo na roa da imperauiz a. CO t Gaaaa S &t-
'grnoe PECHINCHA?
Lsiihas a 120 rs. aa laja so r*s.
Vende-se lsinhas pretos artartoe para tato sea-
do ba fazenda a 120 rs. o rata* Mtat aaasto
Anas de qoadriohos a 480 e 350 n., dtoaa rafrM.
das a 400 n., ditos auOiiaadas i 3 rt, *
transparentes eoca palma da seda 4SS rs^dto* *
zas e com salpico* a 300 nw pata acaSat aa a-to
armazem do Pavo aa raa da Itaatiatolt a. Ss>. de
Gama A Silva.
Poupelinas modernissimas a 400 e 300 ra.
o covado na loja do Pavo.
Vendem se poopeiinas aiailo Saas todo faz-oda
muito moderna de qoadnaaos t loa vittiade m
pelos baraios [ regos de 400 t 300 rs. o cavad aa
loja do Pavo na roa da Imperatriz a. OS Se G^ot
di Silva.
Bretassss de rsls s 35*0
Vendem se pegas de bretooha de rola rom H>
varas cada pega, pe-'o barau* artejo de 3*
na oja e armazem do Pavo, raa da haperarrn b.
60, de Gama & Silva.
rosdeaaiales prti m Pava*.
Vendem-se sopertores trosdiaipln arr*>< ,
baratsimos pregos da 1*500, l*S0O, t**a e Ji
o covado, sendo fazenda moiio boa. s atrj a- .
bar : na loja e araazem do Pavo, raa da tape-
ralriz n. 60, de Gama A Sirva.
Bramante de llalla da Pasa.
Vende-se superior brasaaala de UaS* -rm i-
palmos de largara, prfutios para leatae, p-o-
baratissimos pregos de 2* e 2*600 a vara. -
como paono de linho moiio Sao tatos aaraab.!rr"
pregos de 640,700 e 809 rs. a vara : aa !..
mazem do Pavo, roa Impe.-atrtt a. OS, de Ga-
ma & Silva.
As fassas s
Veodem-se eassas maito aaeriorrs rata SatV
padioes, pelos baratos pregos de 300 t 3Sr --.
covado, ditas moilo fiaas a 3SS u. para ar^ar
na loja do Pavo, roa da Imperatrit a. 09, SaGa
ma & Silva.
Cambraias lisas de Pavo.
Vendem se pegas oe cambraia ina maito -c: -
rior, pelo barato preco de 3*200 e 33500 > -
ditas moilo finas a 3*, 6*. 7* e 8-3 : r
armazem do Pavo, roa da Imperatriz e. I
Gama & Silva.
PECHINCHA !
a 2000, para calfaa, a a Pava.
Vendem se superiores rris de m-u ns i
com msela de seda a 2*. ditos G*rioaJd.'K. a
2*800, dius escoras a 2*jO, a a 1*000 o e .,
do : na loja e armazem do Pavo, roa St fap-; .-
triz n. 60, de Gama & Silva.
PATEADORES
ou roupis de cambraia bordados pr- pru s
para as senho-as vestiresi de manhac.
Cbegoo esta novidade pasa a loto da PX-
moilo lindos e do melbo: goslo al toji-*, pie-
os maito razoaveis : na loja do Pavi >, ra
mperatriz n. 60, de Gama A Silva.
COJIares Royer calares auco-
dlaas
para facilitar a dentigio das cruag Sfttfi
las das convatade*
O feliz resallado obtido ima. ..< e. -
prodigiosa forga magntica dos cato. .
casos de coovolsdes, e dentico das ti -. .
altamente elevado o en bem merrri:
e hoje J4 se pode dizer qoe esto gr-ra!eL
ceituado?, e estimados de internarav*m at
familias : de aos porque do oso Snett satab-
colares viram salvos co perigo seas chters
nhos, e de oatros porque co!h*-r>m dTWS-- ""*
proficuo exemplo para ignalmeme a*rs*rv..
seos. Assim, pois, a aguia braaca, toado ese -
tas a otilidade e proveilo desees prtdkftoM r..a
res anodinos oo Royer, maadoa vir o taot tor-
mento que agora recebeo, e eooiiaaari a rereto-
Ios para qoe em lempo algoin a falta SHtoa |K- '
ser funesta aopas de familia, es aaea Irar.o
certos de os acbar coosuotemeale aa raa da One-
mado, loja d'agoia braaca a. 0.
r
at
1
-
aaaf,aaaa*
Os chales do pavo a 2ooe e 2ooo rs.
Vendem-se chales de merino estampados a 2*
e 2*300 cada um.
Hitos de merm liso a 3*300.
Ditos estampados de crepoa a 6*, 7*, e 8*000.
Ditos pretos bordados com franja de seda a 14*.
JN'a loja a armazem do Pavo na roa da Impera-
triz o. 60 de Gama & Silva.
Pode ser procurado no hotel da
Europa das 8 at as 40 horas da ma-
nba, e visitar casas particulares,
dando lhe o nome da pessoa que o
procura, o da run e o numero da
casa.
Antonio Alves de Oliveira Braga de S. Ro-
raao, participa ae respeitavel poblico e principal-
mente ao commerclo, qoe desta data em diante se
ascignar Antonio Alves de Oliveira Braga.
' Precisase de alugar um moleqoe ou preto j Portugus, pora sen interesse moilo se deseja fal
para todo servico, seado (1*1, pagase bem ; pa roa lar com este senhor, e se agradecer a quem-der
da Boda n, 6. I noticia deiie pa roa di Cadeta o. 17.
mt DANIEL D4 COS-
ta Miranda,
INJECCAO BROW.
Remedio infaiiivel as agnorrbeas antigs
e recentes, nico deposito no pharmacia
franceza, rua da Ou n, 22 e ao preco de
3000.
COMPRAS
Compra-se ouro, prata e pedras preciosas,
em obras reinas : na rua da Cadea do Recite,
cja de onrives no arco da Concelgo. _______
Comprase carosso (sement)dealgodio: no
armazem deaIgodo de Sannders Brothers 4 C.
no caes dt Apollo. _________________^^__
Compra-se urrn casa terrea em qual-
quer uma das ras desta cidade, e que nao
soja em travtssa: a tratar na rua de Hortas
casa do fallecido Loureiro,____________
Compra-se um par de malas osadas, em bom
estado : ni loja de cera da praea da Boa-Vista.
~ Compra-se ora escravo qaTeja mogo, sadlo
aaem vicio: nargalarg* dj Rosarjo o 3, bo-
tica,
Cambraias de forro a I $600 o 2 do PavSo.
Vendem-se pegas de eambraia de forro com no
quano toque de avarla, pelo baratissimo preco "de l Tt.!irasc3da P. pelos "baratissimos pregos de
280 o covado. !*C00 e 2#: na loJa e armazem do Pavo na roa
grande pechincha. 'mperatriz n. 60, de Gam? 4 Silva.
Assim como dius inglezas rosas e claras, sem ^s cortinados do PavSo.
mofa aem avaria, pelo baratissimo prego de 160 o Vendem-se superiores cortinados aamiscados
covado $ assim como, ditas muito boas a 200 e 240 P3ra camas pelo baralissimo prego de 1* cada par,
o eovado, ito na toja e armazem do Pavo, roa da ditos moito fios ricamente bordados para camas
Imperatriz o. 60, de Gama & Silva. oo jaoellas a 15*, 202 c 2o* o par : na loja e ar-
bapos para nraiaaa. : mazem do Pavo Da rua da Imperalrfa n. 60, de
na loja no pavao. Gama i Silva.
Vendem-se s mais delicados e bem enfeitados Pannj preto a 2# na loja do Pavae.
chpeos de palha de Italia, para meninas: pe-
chincha, na loja e armazem do Pavo, roa da Im-
peratriz a. 60.
Jtouia a 5(3(000.
SO O PAVAO.
Vende-se paono prelo. fazenda moito boa, pelo
barato prego de 2* o covado, dito moito fino a
3*500 4*, 5*e 6*, assim como casimira preta de
cordo a 2* o covado : na loja do Pavo na roa da
Imperatriz n. 60, de G.ma & Silva.
Grande armazem de n-i
| tas medijamentos etc.
Roa do latenraar a. 21
?Foo Pedro alas Mere* ge-
reate) tem m rem m
searsriate:
Productos chimicos e pharma-
ceuticos os mais empregdos ea
medicina.
Tintas para todo o enero de fea- j
tora e para tinturaria. m
Productos indosiriaes e tiatas 9
para fl. res, como botes ds feres j
e modelos em gesso pan imitar ,
frucias e passiroa coa o eoaae- 2
lente desenlio. H
Prouctoscbinikoa e iodustriaes 9*
Spara photograpbia, lio orara, po- 9
tura, pyrotecnia el*. Jj
Montado em grande escala e aa- *
i prido directametile de Paria, Loa- l
5 dres, Hamburgo, Aoven s Labos 5
*{ pode offerecer producios de pieaa II
m confianca e satistesr ojaalawr ao- jf
9 commenda a grosso trato e a reta, s
P Ibo e por preco coaaodo. ^
s
I
Vendem-se bonitos dminos para mascaras pelo I Cortes de laa a Mana Pa na loja do Pavio.
baratissimo prego de 5*000 ; assim como ditos de > Veodem-se os mais ricos cortes de la a Maria
fazenda de moito boa qualidade a 10*000,12*000 O", pelos baratsimos precos de 7* e 8a, ditos
e 14*000; oo alugam-se na loja e armazem do moito finos a 10*, 12*, 16* e 20* : na loja do
Pavo, roa da Imperatriz n. 60. de Gama Silva- Po na roa da Imperatriz n. 60, de Gama 4
- Veodem-se duas armaces de taberna e cal A, aBnHr,\un. a D *
ibes para amostran, e cantefros, por prego moito Us espariunos ao ravao.
commodo : a tratar na roa da Aurora n. 74, so-1 Vendem-se orna grande e variado sortimento de
brado qoe e6tar se oncertando. < espartilhos dos mais bem feitos qoe tem 'viodo ao
~ tt -3---------zrz:i-. i-----. mercado, sendo de todos os tamaobos, veodendo-se
- Vendem-se garrafas e botijas vaslas e lava- por nm preco moilo raIoa, tl0 Da ,oj, do Pa.
das: na rsa laSMadade 0J8.________ | T0 n raa da impera^iz 0.60, de Gama & Silva.
- Vende-se ama escrava crioola, de 18 a 20 j Cortes de cambraia com palmas na leja do
annos de idade, qoe sabe coser perfeilamenie e fa- j Pavo
zer labyrintho vinda ha pouco d'Agoa Preta : na i Veadero-se cortes de cambraia braaca com pal-
rua da Pme Velpa n. fc_______________________Itpa?. sendo fazeoda moit) boa, palo baralissimo
- Vende-se ama negrinha pretinha, de 10 au-1 prego de 3*St}0 para acabar .- na loja e armazem
nos de idade. e nm raolatioho de igual idade: na do Pavio na rua da Imperatri? q. 60, de Gama 4
roa. da Mtr dt P^aVista n. 34. 'gilva.
Acaba de enerar impressa para aiaao tia Nc'i
e desejada qoadfilba exirahlda da perda raen --*
d e Offeobak, palo director t retate da anSeacra
do theatro de Sania Isabel, Catas asa.
A' venda en casa do Sr. Daasaai aa ra Xov.
armazem de musir. Cada ntaatar l*90S
Vende se cera ataaraRa : aa raa da Cadeta
nnmero 10._____
Veode-se aro graade sWo~i
te : Uma casa terrea esta maliet c
do orna grande ci>ieraa ao aiaul tata
agoa ; orna estribara graade aaaea ; ata
ga com tres bofe destinados ao servido da
coja arroga prodoz dianameate do arto a sev n."
reis de rtadimenio pelo trabalba da teadar aaaa ;
orna machina de pilar mimo, caf t arrea rata ladra
os seas oteneilkM e em perfeito lado lasa taro-
bem oo mesmo sitio om graade aeada, cate ajnaa
baoba orna grande parle da lerrat tartaistda' t ra
a planta de cannas, eapim, rir.; *\t*u ~
no mesra'i sitio, grande qaaatidad* da
saber : 1500 ps de laranjra, 5SS p* d-
raeiras, 30 ps de jaqoera, 4 tdade anaganr^.
2 ps de fructa pao, 4 ps de jamba*. 4 ts 4
potis, 6 coqoeiros, 1000 riasiiiu a aaa fiada
porcao de bananeiras, anaaaat, ata.: arta a pr-
teoder dirjase a Pedras a> Poao aa ras dt f*>\>
nba a tratar com Ignacio Jo* de Tasc.acviltt taa-
rador no mesmo itio.


BSSj y.\ KT-^%f


N. 11Ra do QueimadoN. 11 !
A' casa de Augusto Porto chegaram pelo vapor francez neos cortes de
vestidos de seda decores dos mais bellos gostos, proprios para bailes,
partidas ou casamentos.
Chales de Guipure pretos e brancos.
Bonets de palia da Italia para senhoras.
Moir branco e preto.
Bonita seda para vestidos,
Casemiras de quadros.
Esteiras da India para salas.
m Madapol5es francezes a 400 e500rs, a vara,
Ias para vestidos de diversas qualidadps, e
gostos diffreentes,
Q que tudo se vende pelos mais commodos presos.
NOVOS GERENTES
DOS
TRES GRANDES
ARMAZENS DE PLAHfWS
DlNOMWADOS
PROGRESSIVO pateo do Carmo n. 9
UNIO E COMMERCIO ra doQueimado n* 7.
VERDADEIRO PRINCIPAL ra do Imperador o. 40
DE
CORTES RE SERA
Chegaram pelo paqaete ingle riqaissimos copies de moreantiqae de cores, e se
rte inteiramente oovos. 1||AAA ,
Seda de quadros por 1*000 o covado
5RA DO CRESPO-5 t
Gregorio Pac do Amaral t Companhla.
la lavrada pa-
DE BOU
G0ST0


,4U|
DM
.0
I
seu car-
s muitas'

Para vestidos de senhora.
Cortes de seda de c6r de bom gosto e superior qualidade.
Lindas sedas de quadrinhos.
Bons moireantiques de cores.
Grosdemples da todas as cores.
Lindos poil d i chevre fazenda assetinada de inteira nividade.
Lindas duquezas assetinadas fazenda inteiramente nova.
Modernos grenadines de seda o que tem vindo de mais novo.
Grande variedade de 15as de cores lisas e de salpicos.
Or?andys e cansas de maito bota gosto.
Percalias modernas com grande variedade.
Lindos cortes de 15a Clotilde com todos os pertences <
tan inteiramente novos.
BmscMes deca fazendas de gosto que seria enfadonho mencionar.
Para hombros de senhora
Grande variedade de chales, bournous, retondes e algeriennes de fil e
guipare a 40, 16,' 20, 30, 40, 60 at 800.
Modernos soutembjrques de seda de superior qualidade.
Lindas bertas de seda de c&r pretes e de cachemira.
dem de cambraia branca bordada com muito gosto.
Sautembarqaes e bournoux de cacuimira de cor e outros muitos ; rtigos dej
bom gosto.
Para cabeca de senhora
Superiores chapelinas depalha, de* seda e de crina de muito bom gdsti
fpsratriz.
Chapeos de palha da Italia grande variedade.
Lindos gorros e bonets de palha de Italia, Imperatriz, a Canutier,
jh e a Grante, chegados de Parispe'o ultimo vapor.
'? Grande variedade de enfeites de froco e de llores para casamento.
fSiperiore3 vestidos de blonde. e de moireantique brancos.
Bons nnireantiques brancos e superiores sedas brancas.
Bons vestidos da tarlatana branco bordados.
Ai Lindas mantas de blonde e boas capellas.
32$ Bordados.
efe Grande variedade de entremeios bordados transparente e tapados.
W Tiras bordadas transparentes e tapadas, babados bordados, saias bordat
% outros maitos artigos. I
l.O.J% O AS COMJMWAjl
ANTONIO CORRE!* OE VASOONCELLOS & C.
BA DO CRESPO ff. 13
barril ter, abatimento.
114
(Murimdeprimetra e superior qualida-
de a 8,8oo rs.
dem byssen o mellior aeste genero a;

Clotilde'
DE
BITA DO BBUM W. 38.
O proprietario deste estabelecimento deseja chamar a attenco dos senhores pro-
pietarios aos acre .litados .mechanismos que continua a fornecer ;
como sempre da melhor qualidade possivel:
os qu
Machinas de vapor
aes garante ser,
forca de 2 '/ cavallos para cima. As menores sao mui proprias para motare sde
descarocamentos de aigodSo; as matares para moer canna; ha tambem jue podem jonta
cu separadamente moer canna e descarocar segundo suas proporces. Estee vapores
sSo sitnplissimos na coristruccSo, e se regem por qualquer pessoa intelligente, a facilida-
de da conduccao sendo especialmente considerada, tanto que n8o ba lugar em que nao
se possam conduzir, qur por trra, qur embarcado. Ha com moendas juntas ou sem
ellas e podem-se applicar a qualquer moenda j existente sem outra mudanca do que
a substituido das rodas da almanjarra. Ellas tem depositas d'agua e boeiros de ferro,
e :io precisara para o seu assentamento de obra alguma, qur de carapina, qur de al-
venaria. O tempo para assenta-las nao "excede de doze djas ao mais, e em casos de
niories de aoimaes ou arrombamentos de acudes, etc., garante-se o assentameoto em
oito dias. Lernbra-se aos senhores de engenho que a venda dos animaos e o servico da
gente oceupada no seu tratamento os ho de recoperar da maior parta da despeza do
vapor deixando-lhes a vantgem de urna moagem certa e accelerada; e acabando com a
despeza da compra continuada de novos anlmaes. com os desgostos do trabalbo que
se tem com elles.
Rodas d'agna de Ierro,-mui man jiras e raoendo com qualquer altura
d'agua.
Narllhos com ern zetas de ferro para as mesmas, quando se desege fazer
e resto da roda de madeira, toroando-se issim a roda ligeira no trabalho.
noeodas de canoa de todos os taannos, desde as mais pequeas chama-
das do sertioV Obra perfeita^em feitio e acunhamento.
Rodas de espora ;e angulares de todos os tamanhos e proporces.
Paros on eockes para receber o caldo.
Crlvos de fornalha para assentamentos, frescos para o foguista, fazendo
grande cal -r com pouco^ombustivel, e duradouro.
Portas de fornalha de todos os tamanhos e de diversos systemas.
Fornos. e moluhos para a fabrica de farinha e tambem cbapas redondas
para fornos pequeos.
Bombas simples e de repucho.
Tallas de ferro batido e uodido e de cobre.
Formas de ferro batido galvanisado para purgar assucar, leves para carregar
e isemptos de quebrar-se.
Alambiques de ferro de todos os tamanhos, distando so a terca parte do
preco dos de cobre, mais regulares na distiflacSo e igualmente duraveis.
liixos e rodas de carro com oaaQg s de patente, obra mui segura para
cnrregaco de peso.
Arados, grades, cachado a cavaIIo e outros instrumentos de agri-
cultura. E finalmente todo o objecto de que possa precisar um engenho.
Machkas de descarocar algodao.
Na fabrica se fazem obra aovas aacommenia e concertos, com a ;i?aor preste-
za e solidez. 0 grande deposito de pe e objecto habilitam-na muito p.ira este flm.
O proprietario ser sempre mu HU de poder ter occasio de dar ioformacCes ou
esclarecimeotos aos senhores que se servirn de seu prestimo.
D. W. Bowmak, engenheiro.
DUARTE CARVALHO PERIRA C.
Fazem scrente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
gentas, lavradores e maispessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
berarais os propietarios dos tre grandes armazens, reunir.todos os seus estabeleci-
mentos em um s atnuncio, pelo qual o preco de um ser de todos, promette-
mos que nao inflingiremos a tabella que abaixo vai publicado, anounciar os gneros
por um preco, e na ofcaso di compra quererem por outro, como socode constante-
mente em outras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar isto
aisda mesrao con prsjuizo Bosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
serio tambem servidos como viessem pessoalmente fazendo-hos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela qual se ver os procos .tal qual annunciarmos, o que se nao arrepender pessoa
alguma que fizer saa despenca em nossos estabelecimeutos; pois poupar mais de
5 por cesto na sua despeza diaria.
MOTEIGA
Manteiga ingleza perfeitamente flor che-
gada ltimamente a l,ooo rs. a libra, e
em barril tara abatimento.
Manteiga franceza da safra aova a 8oo rs.
a libra e em barril ter abatimento.
BANHA
Tlnagre
Superior vinagre de Lisboa a 2,ooo rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ha
mais baixopara 2oo rs.a garrafa e l,4oors.
a caada.
Azeite doce
Superior azeite doce de Lisboa a 6io.rs. a
Banha refinada superior a 64o rs. e em garrafa e a 5,ooo rs. a caada.
FUMO CAPORAL.
Latas com superior fumo caporal>a l,8oo
rs. a lata.
Passas
Superiores passas a 2,5oo o quarto e
NSIMOMO MEHC0-CIRIR6IC0
DO
DR. OEDRO DE ATTAHDE LOBO HOSCOSO,
MEDICO. PARYEHIO B BPBItAD>#>m.
3Ra d Gloria, casa do Fundao3
O Dr. Lobo -Mosqsso d consultas gratuitas, aos pobres lodos os dias as 7 as II
doras da maoSQ, edas 6 e meia s 8 horas da.noite, excepeo dos dial
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio ha sempre o mais approprado sortimeoto de
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisaces e pelos preco
Carteiras de 12 tubos grandes. 12,5000
> de 24 tabes grandes. 18*000
de 36 tobos grandes. 24*000
de 48 tudos grandes. 301600
> de 60 tubos grandes. 351000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e coa os
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 14000.
Sendo para cima de 12 custaro os precos estabelecidos para as carteira.
Ha tubos mais pequeos cada orna 500 ris.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jarfc
dous grandes volumes com diccionario...........
Medicina domestica do Dr. Hering...........
Repertorio do Dr. Mello Moraes...........
Diccionario de termos de medicina........... H0OO
Os remedios deste estabelecimento slo por demais conhecidos' e dispensas sor
tanto de seren novameote recommendados as pessoas que qnizerem asar de rsssoana
verdadeiros, enrgicos e duradores: a tudo do melhor que se pode desejar, globos <
rerdadeiro assucar de leite, notaveis pela sea boa conservacSe, tintara dos ans
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada prepararlo, e portaalOi
energa e certeza em seus effeitos.
Casa de saude para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe
operaco, p ira o que o aoounciante julga-se sufficientemente habilitado.
O Iratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, cono aa i
funecionando a casa ha mais de quatro anuos, ha muitas pessoas de cajo nsmiiH
pode duvidar, qae podem ser consultados por aquel les que desejarem
doentes.
Paga-se 2? por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 15500.
As operacoes serao previamente ajustadas, se nao se quizerem sujetar ai
razoaveis qae costuma pedir o annunciante.
ARMJLZEM DjG fazemdas

2,6oo rs., e sendo em porco ter abatimen- 9,5oo rs. a caixa de arroba hespanhola e a
to, tambem ha proprio para negocio de 2 a
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de l,8oo a 2,5oo rs.
a libra.
Bisooatos
Latas com superior biscouto inglez de di-
versas marcas a l,2oo rs. a lata.
Bolaehinhas
Latas com bolachintus da acreditada fa-
brica do beato Antonio, proprias para dar a
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata.
dem com quatro libras de bolachinha de
soda a 2,ooo rs. a lata.
Queijos
Queiios flamengos chegados pelo ultimo
vapor de 2,3oq a 2.5oo rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespanbol a l.ooo el,2oo rs.
a libra, francez e suisso a l.ooo rs. a libra
e portuguez a 800 rs, a Ubra, em porcSo
ter abatimento.
VINHOS
Superior vlnho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Velho Secco, Lagrimas do
Douro, Maria Pia, D. Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a l,ooo a garra-
fa e 9.000 a 12 ooo rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3,ooo,
3,5oo e 4.000 rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 64o
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
anenretas de 8 e 9 caadas a 24,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ba mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs, a garrafa e 3,2oo a
3,5ooa caada.
56o rs. a libra.
CEVKBUIl
Genebra de laranja verdadeira a lo,5oo a
duzia e l,ooo rs. ao frasco.
Genebra de Hollanda verdadeira a 6,ooo
rs. afiasqueira e a 56o rs. o frasco.
Idom de Hollanda em botijas a 4eo rs. ca-
da ums.
Garrafoes com 24 garrafas de genebra de
Hollanda a 8,ooo rs. o garrafo. Tambem
ha garrafoes com 5 e 14 garrafas de 3,2oo a
6,ooo rs. cada um.
VELAS
Velas de spermacete a 64o rs. a libra.
dem de carnauba de lo a 12,ooo rs a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
PEIXE
Peixe em latas j preparado de l.ooo a
l,2oors. a lata
ALPISTA E PAINCO
Alpista e painco muito novo de 3,8oo a
4,ooo rs. a arroba e de 14o e 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS.
Superiores charutos do fabricantes Simas,
Imperiaes, Delicias, Parisienses e outros de
2.2,5oo e 3,ooo rs. a meia caixa: tambem
temos Suspiros, Havaneiros, Ligueiros e
outros muitas que vendemos por mdico
prego.
Licores
Licores francezes e portuguezes a l.ooo e
1,4oo rs. a garrafa ou frasco.
Doces
DE
CUSTODIO CARVALHO
27 RA DO QUEiMADO N. 27
. MadapolSo francez muito fino, tendo pouco mofo, cada
10(3(000.
La de cures a 300 rs. o covado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a preco de 800 rs a ara.
Lencos brancos para algibeira a 2(5' 00 a duzia.
Fin is perclaras a preco de 400, 440 a 560 rs. o covado.
Ricos cortes de 13a de barra de 103 a 30,5000.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.
* c.
peca com 27 varas par
Novidades do Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Este estabelecimento apezar de sempre
| se achar bem sonido como todos sabem,
_ hoje mais que nunca, nao s pelo que rece-
Dose da casca da g01aba em caixoes e la- be de sua4propria wnUi masF tanem pe|0
que recebe de consignacoes; parece sem
duvida que deve offerecer grandes vanta-
gens para o respeitavel publico tanto em
mebeamente, muito bem enfe.tadas, conten- como Qa ^ e cq_
do pera,pecego,ameiMramha Claudia al mo acaba de cbegar graade remessapelo
perche e outras frutas a oo rs a lata. vapor ,Douro> e 0 na\0 t Solferino de
Caixas com urna duzia de garrafas de su-Tambem ha latas grandes para l,2oo rs. a diversos objectos de os do
rior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a cana e lata. tftmnn dns nnafis sp mnn.nnar3n aiM
AZEITE DE REFINADO
Superior azeite francez refinado
rs. a garrafa e a 9,ooo rs. a duzia.
tas a l,2ooo caix5o e i,Soo rs.
Frotas i
Frotas em calda e em latas fechadas her-
penor
7oo rs. a garrafa.
CAFE
Caf do Rio de 1.a e 2.a qualidade de
6,8oo a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
S1BIO
MOLHO INGIEZ SAUCE
Molho inglez Sauce em frascos grandes
com rolha de vidro a l,8oo rs. o frasco em
Sabo maca deprimeira qualidade de 18o, duzia ter abatimento.
a22ors. a libra e de 16o a21ors. sondo'
em caix3o.
Serveja
Superior serveja Bass dos melhores fa-
bricantes, como sejam: Shlers & Bell. T. F.
Ashe a 7,5oo e 7,ooo rs. a duzia e a 7oors. (
a garrafa. Tambem ha de "outras marcas i
como seja: Victoria e Alcope a 5,ooo rs. a du-
zia e a 5oo rs. a garrafa.
B'dOES VASIOS. I
BoiSes vastas, tanca ingleza muito pro-
pria para manteiga e deposito de doce de 4
a 12 libras a 1.2ooe2,5oo.
FARINHA DO MARANHO.
Farinha do Maranbo a 240 rs. a libra.
SAG'.
Sag muito novo a 4oo rs. a Ubra.
ARARUTA.
Araruta verdadeira a 4oo rs. a libra.
BATATAS.
Gigos com 3o libras de batatas a l.ooo rs.
o gigo.
SARDINHAS.
Latas com sardiahas de Nantes e Lisboa
de 4oo a 46o rs. a lata.
'PUMO AMERICANO.
Superior fumo em chapa a 640 rs. a Ubra
ERVILHAS
Latas com ervllhas e feijo verde j pre-
parado 64o rs. a lata.
MASSA DE TOMATE
Latas com 1 libra de massa de tomate a
64o a lata.
VERMUTH
Esta bebida muito fresca e estomac d e
maito propria para a presente estago. a
qual vendemos a2,ooo rs. a garrafa e 18$
a duzia.
Pimenta, cominho, cravo, canella. ervadoce, alfazema, tijollo para limpar facas pa-
litos para dentes, palitos de fogo, e outros muitas gneros que se tornara enfadonho
mencionar, aflancando cinceridade nos precos e o bom acondicionamento de qualquer
gen ro.
M*
i
------------------------------------------_
Livro do pavo.
O livro do poto, obra ornada com estampas, con-
tando a vida deNosso Sennor Jesns Cbritto, e mai-
tos artigos atis. Este livro das familias reeom -
mondado e approvado pelos Exms. Srs. D. Loiz,
bispo do Maranhao, e D. Maooel, arcebispo da Ba-
ha, acaba de publicar-se a 4* edlcge desta impor-
tante obra, e vndese na torrarla econmica, roa
do Crespo n. i, Preco 1J carlooado.
nUlfl[lLtJ DAllil 1 ffkj em saceos grandes a 4,5500 : nos armazens
Yendem-se, na Kvraria da praca da Inde- de Tasso irmos.
P??^!-?.^^^^?^?!??!.?8-!?: Vend^auberna
Tesoaras para encrespar babados.
' Yendem-se tosouras para encrespar babados
de dnas, tres, qaatro e cinco pernas : na roa do
Qaeimado, Azevede a Irmaos.________,
Veodera-se doas casas terreas pecroenas, ama
dila na Dovoaoio do Monleiro, e oalra ao balrro do
Becife : quera as quier comprar, dirija-ss a boti-
ca da ra do Cabuga, que encontrara com qoem
-atar.
tempo dos quaes se mencionarSo alguns,
. por nao ser possivel mencionar todos. O
) dono deste estabelecimento espera a pro-
tocolo de todos.
Riquissimas caixinhas ornadas e com
musioa propria para um delicado mimo.
Caixinhas de msica tanto de ve i o como
de corda.
Ricos porta joias e necessarios.
Riquissimos est jos a feitio de um bausi-
nho ou chapeuzinho.
Ditos em casca de noz e de outros gostos.
Leqoes de madeperola de sndalo e de
faia e madeira.
Chaposinhos e touquinhas de muito
gosto para enancas.
Meias e sapatinhos de seda para as mes-
mas.
Meias de seda para senhoras.
Capellas e grinaldas de flores proprias
para casamento.
Enfeites e capellas de muito gosto para
seuhorai
Riquissimos porta boquets.
Boquet de flores com urna borracbinha
com cheiro.
Luvas verdadeiras de Jovin.
Ditas de seda e de Escocia.
Riquissimas plumas e guarnieses para
enfeitar chapeos.
Contas o tubos de ac branco, que ha
muito se desejava para enfeites.
Brincos, Ovellas e cruzes de crystal.
Fivellas e cruzes de tartaruga, madripe-
rola e dourados.
Alfinetes para gravatas.
BotOes com croas para punhos.
MACHIN&S DE PATENTE
DE TRABALHAR A MO PARA DCSCA-
RUCAR algodao
I Altftl ADO |*OR
PLANT B10THEBS & C.
OLDAM.
Ests asacai
naspodeai des-
carocar sssaV
qoereofeciede
algodio asa
estragar o fs,
sondo
doas
para
lbo; pdeo-
carocar ana
arroba da al-
godab esjca-
rooo sss 40
minutos, oa
18 arrobas por dia ou cinco arrobas de al
godo limpo.
Assim como machinas para serna
das por animaes, que descarocam 18
bas de algodio limpo por dia; e motores
para mover urna, duas oa tres dessss fu-
chinas.
Os mesmos tem para vender oa nrlaaai
mo vapor que pode fazer mover seis dotas
machinas mencionadas; para o que coari-
da-se aos senhores agricultores a rama ver
e examina-lo, no a mazem de algodao, aa
largo da ponte nova n. 47.
Sanuders Brothers 4k C.
Recife praca do Corpo Santa a. II.
Os nicos agentes neste psiz.
O castalio de Grssyille.
Tradmido i* fraacet par 1. J. C aa i
Vende-so este bello romance
tomos pelo baratissimo preco de 3#00C
ua praca da Independencia, livrara as.
e8.
/
Farello
da roa do Rosarlo da
manees portuguezesseaunies, embroofeura:; Roa-Vista n. 53. bem afregaezato, por seu dono se
4-qaerBt rttirar para rora aa provincia : qnem pre-
tender dinSJ-se awwma taberna, qae i vista se
fari negocio.
Framcisco 'Jos Germano
RA NOVA N. ,
acaba de receber om lindo a angaVa sar-
timento de oculos, lunetos, bioocolos, do ai-
timo e mais aparado gosto da Europa e oce-
los de alcance para observacSes eaara es
mari timos.
Manual do Cidado
Vende-se o Manual do Cidadlo cal aas
Governo Representativo oa ptimifiai de
Direita Publico CoasUtaciooal A<
tivo e das Gentes, per Slvaatre
' Ferreira, em 3voloaies brorarsJotsor 3#
Gravatinhase mantinhas de muito gosto, cada obra : na livrara a. 8 da praca a
tanto para homem como para senhora.
no ultimo vapor : aaraai
RiqntSSlmos arerecOS pfetOS, assim COmO __ Vendem-se sopertores presusM Se
caixinhas com a fineles ipretos.
Bengallas de canna com cabo de marfim.
Ditas de baleia, borracha e de outras
muitas qualidades, assim como chicotlnhos.
Independ ocia.
la, chegados
he n. 9,
A voz do sangue, 2 voluaies.
Conrremara, 2 ditos.
A noite de S. Silvestre, 1 dito.
O fllho de Titiano, 1 dito.
Adonis ou o bom negro, 1 dito.
As du-s ornadas, 1 dito.
O pacha de Buda, 1 dito.
Trili.y, 1 dito.
Ignez de la Sierra, 1 dito.
Joven Siberiana, 1 dito.
vende-se ama carraca com bol e um novilbo
mnito proprio para criar: om Santo Amaro, con-
fronte ao chafartz, taberna, a tratar com Antonio
do Reg *f edeiros.
M. .......I|l I I ......." '.....
Vende-se urna casa na Estrada Nova, tea
commodos para familia, e moito propria para ne-
gocio, a qaal tem bons moradores qae nao tem
fallado aos seo* pagamentos : a tratar defronte no
Vende-se sal grosso :"a tratar ua roa da Ma- estabelerimento do Sr. Ignacio, estrada qae segu
dre de Deas n. 2. para o Cacbangl
Trancas pretas com vidrilho e de cores.
Pulseiras tanto para senhora como para
meninas.
Ligas de seda ede algodSo.
Suspensorios de seda e de algodao e ami-
tos outros objectos que se n5o podem an-
nunciar por nao se tornar enfadonho.
S no Gallo Vigilante ra do Crespo n. 7.
Roopas feitas de odas
Vende-se roopa feita, mSo .
Riquissimos Senles de tartaruga do ulti- pardo a 2J, ditas de-brin branco de t
mo gosto; assim como de arregaco para
menina, pois neste artigo ha um completo
sortimento de todas as qualidades.
Diademas para cabeca do ultimo gosto.
Riquissimas fitas lavradas e lizas.
4. calcas de casentra preta a 51, 4 Sg, V
Us de core?, mHa raseaira, a 3g 3gfH\ ta
de casemira a 61, 7* Sg, eaMcS aria a
coresa 31, 31600 3& 4tim rta bram
a 41500, ditos de alpaca preta a 31 e '
asemira de cores a
paimoprewa 61, 7,
11690, de r-asmaira l
11600 e 21200, eaaisM IfMCtuti
peilos de cores a 21 e 1M90, ditas iBfltsas Se I-
nho de pregas largas a 21500, 31 e 3
rea da Iapcratr. loja a Aon a. M.
alpacapreua3g4g.iaa a
51. 6. 7. 8 t0g7M ,
7,8. 10* esfetatea ean ,
a 31 e 41, rti hnmu a

Fumo.
Vende-se fomo da Rah a e a trra, 4
qualidade, em por?*o e a rettlno r oa ras aa
zal Nova n. 1.




Diario pniMrtwt *** ledra
' lil
ENCICLOPDICA
HiHia Iaaperadrla an
da m>** larga *.
JubI* a padlarla fradceza de
Paredes Parto.
Nesle i.'stabelcimeaw encontrara o respeUavel
publico cm variado sertimento de fazendas Arance-
las, iaglozas, snlssas e allemes, qoe se venderao
por prego commodo.
Parean Porte
Vende chales de renda de cores que se vende-
rn a 18 est vndente aor 6}, di tes pretos, te-
lenda nova, Si, 6, 8 a 20,5, um sortimento com-
pleto de manteletes, capas e souiambarques 14 a
25*. Roa da Imperatriz n 41, junto a padarla fran-
ceza, armazem da porta larga.
Paredes PrU
Recebeu um completo sortimento de lasiabas a
240, e 280 rs. covados, para acabar, cambraias de
cor a 240 rs. o covado, riscado esrossez para roa-
na de menino, fusto de linho a 420, 400 e 800 rs.
Roa da Iraperatm n. 52 junto a padaria franceza,
armazem da porta larga.
Paredes Porto
Receben para cortinados para cama franceza a
11* a pe a cambraia lisa fina a 3* 4* al 10* a
peca, coi tes de tarlatanade bonitos gestos a 3*500
e 4*, cambraia cora flor de seda, gostos ioteira-
mente novos a 400 e 500 rs. o covado, no armazem
da porta larga n. 82, roa da Imperatriz junto a pa-
daria.frauceza.
Paredes Perto
Receben pelo ultimo paquete um sortimento de
cruzes com pedras para opescoco, benitos caxineis
de la para pescoco de senhora. Ra da Imperatriz
n. 52, armazem da porta larga.
Paredes Porto
Vende cortes de gorgurao preto para vestido com
21 covados cada um 35*000, grsdenaple preto a
1*600,1*800 e 2* o covado, ISas lizas finas a 400
rs. o covade, lias de quadrinbo para vestido, entes-
tada, a 32 rs. o cavado. Ra da Imperatriz n. 52,
armazem da porta larga.
Reupa feita
Roa da Imperatriz n. 52 armazem da porta lar-
ga junto a padarla franceza, encontra-se oeste es-
tabelecimento um completa sortimento de paletos-
saceos e sobrecasacos, de todas as qualidades, cal-
as, colletes, eeronlas, camisas, grvalas, meias,
chapeos de sol, ditos franceses para cabeca, per
precos modos, roupa para menino e outras
muitas fazendas por pregos commodos, armazem
da porta larga.
o raesaio e.tabelecimeoto encontrar o respe!-
tavel publico, sempre um completo sortimento de
ronpas fetas de todas as qualidades, como sejam
paletos de alpaca preta e de cor, ditos sobrecasa-
cos a 4* e 5*, ditos de brim pardo a 2*800,3* e
3*300, ditos linos a 4*, ditos meias cazemira a
3*500, 4* e 5*.ditos cazemira saceos a 6*, 7*, 8*
e 10*, ditos sobrecasacos a 10 e 12*, ditos de pan-
no saceos a 6*, 8* e 10*, dites sobrecasacos a 12*
e 25*, ditos de merino preto a 6*, 7* e 10*, cal-
jas de brim de diversas qualidades a 1*800 a 4*,
ditos brancos a 2*800 e 6*00, ditos cazemira 5*,
6* e 7*, dites prelos a 6*. 6*, 8* e 10*, ditos
meias cazemiras a 3* e 4*, coletes de diversas
qualidades, seroolas francezas de algodio, ditas de
linho, ditas de bramante a 2* e 2*500, carnizas de
algodao de linho francezas de 2*506 e 3*. Gran-
de pechincha neste genero, grvalas de todas as
qualidades e brancas para casamento, grande sor-
timento de meias para senhoras, ditas para bomens
a 3*. superiores a 3*500 e 4*.
Um completo sortimento de chapeos de sol de
alpaca a 3*, ditos de seda a 5*, 7*, 16* e 14*,
ditos trnceles para cabrea, grande sortimento
a 6*.
Pee-hincha admiiavel.
Grande sortimento de chambres a 4*600 e 59,
lencos de cambraia para homem a 2* a duzla, di-
tos de linho a 4* e 5*.
Grande sortimento de roupa para meninos e ou-
tras muitas qualidades que seria enfadonho men-
ciona-las.
Paredes Porto
Recebeu pelo ultimo paquete francez ricas las
granadinas com flores de seda a 400 e 500 rs. o
covado. estao acabando-se, cambraia prea para
luto. Porta larga junto a padaria franceza, a ra
da lmperairizn. 53.
Paredes Porto
Receben pelo ultimo paquete espartilhos a pre-
guicoso por 39, sSo bons, lencos de seda para se-
nhora e homem a la>, ricos cortes de cambraia
bordados de 18$ a 78, por ter um toque de mofo,
estao se acabando, na roa da Imperatriz n. 32, jun-
to a padarla franceza.
Paredes Porto
Vende um completo sortimento de fazendas
brancas, como sejam madapoto a 4*500, 5*, 6* e
109, P*?as de algodao por barato prego, chita fran-
ceza a 240, 280. 320, 360 rs. o covado, precalias
muito finas a 360, 400 rs. o covado, chita ingleza
a 200 e 240 rs. o covado. Ra da Imperatriz n.
52, junto a padaria franceza.
Fazendas.
Vndese superior merino preto proprio para ea-
pas do senhora e vestidos a 2*. lustrim da China
a 1*800 o covado. Ra da Imperatriz, porta larga.
Paredes Porto.
Vende em seu estabelecimento tiras e ntremelos
bordados, grande sortimento de corplnhos rica-
mente bordados a 3*, 4* e o*. S o Paredes Por-
to, ra da Imperatriz no 52; porta larga junto a
padaria franceza.
FABRICA A VAPOR
99 RA DO MONDEGO 99
Deposito na ra Nova n, MI loja de relojoelro.
Delouche donos deste estabelecimtnto partecipa ao respeitavel publico que sua fa-
brica est montada com as memores machinas que existem na Europa, e que pode
abiicarcoai meluur perfeicao possivel. Todo o chocolate desta fabrica est garantido, e
paro, o que alo se pode encontrar naquelle que vem de fura, e que se vende por preco
baixo, visto os producios seren do paiz. Na etiqueta tem sempre urna aguia.
PRE^Q.
Meia libra......... 400
Urna libra......... 800
Urna arroba........19*000,
Na mesma fabiica acaba de se montar urna officina com serrara a vapor para
obras de marcineiria propria para edificio, para o que encarreg -se de fazer portas, ja-
dellas, assoalbos (parqu francez como se usa na Europa,) e armacues, ludo com brevi-
nade e perfeigao. Toma-se qualquer enconamenda para fura da cidade, entregando-se
prompta a collar-se no lugar.
DE,
4 OII.IIO & EITA*
Ra da Cruz n. 16.
ti
No armazem de lazendas
de Santos Coelk
Ra Wdaaclaad* .
Veadooo^aemiM*:
LeijfleWude panno de Itabo-a ^*W0.
Ditas de dito de liobo a 2*.
Dito id bramante de linho de um s5 panno
3**0Q,
Panno de linho fine-com 9 lr2 palmea de largu-
ra pelo barato-prego de 2*400 aovara
Bramante de-linho flno cora 10 palmos de lar-
gura a 2*500 a vara.
Pecas* de cambraia com salpico; brancos e de
cores com 8 1|2 varas a 4*800.
Pecas de cambraia adamascad* propria para
cortinado de cama own 20 varts a .11*.
Balfies da arcos a 2*500,3*, 3*300 e 4*.
Leagos de cambraia fina a 2{600'a duza.
Ditos de dita a 2* a duzia.
Atboalbado de linho fino a 2*800 a vara,
uno de algodio a 2* a, vara.
Algodao enfestado com 7 Ii2 palmos de largura
a 1*200 a vara.
Pegas d bretanha de rolo com 10 varas propria
para sa,a a 3*509.
Fil de linho liso fino a 800 rs. a ara.
Dito de dito com salpicos a 1* a vara.
Cambraia de linho fina a 4*500, #560 e 9* a
vara.
Cortes vad os^ 5*.
Pegas de madapolie Bolsimo pelo baraitsstoe
prego de 8*, 9*x 10* (1*.
Planella branca fina a 600 rs. o covado.
Dita de cores fina a 880 rs. o covado.
Baldes de musselina para menina a 3*, 3*300
el*.
Cambraia de forro a 3* a ,peca.
Dita fina a 4*500, 6* e 7* a pega.
Guardanapos de linho a 3*800 a duzia.
Toaftus de algodao- felpadas dozia a 12*.- -
' Esler da india nroprfafpara&rrai de sata *
4,5 e 6 palmos de largura per menos prego, ,da
que.em outra qualquer parte.
Neste armazem tambemse encontra um grande
sortimento do roupa feita e por medida.
i

F AGUA BRAMA
Ra do Queimado n. 8.
A loja da aguia branca acaba de recebar um
nevo e grande sortimento de differentes objectos
de fasto t ultima moda, sendo :
Bonitos enfeites para senhoras gostos toteira-
meoie novos.
Ditos ditos de grade com eontas grandes.
Linda* flveias grandes para cintos com moides
agMda?eu diversas qualidades, madreperola,
tartaruga, ac e douradas.
Boas e bonitas fitas acbamalotadas para ditas.
Dites de dita de grosdenaples lisas e lavradas
com novos agrada veis desenos.
Traogas pretas de seda eom vidrilboe moldes
novos e de gosto.
DOlMS
para o carnaval
Vendem-se on alugam-se ricos dminos para o
carnaval, sendo de velludilhoe da* cores mais lio
das que pcssivel, e tambera de outras qualidades
que quem desejar sahir estes dias dirija sa a ra
da Imperatriz n. 3G, loja e armazem da Arara, que
achara um grande sortimento de gosto.
Fazendas pretas para a quaresma, grsde-
naple preto a 1*600.
Vende-se grsdenaple preto muito bom a 1*600,
1*800, 2*, 2*600 e 34 o covado, moreautique pre-
to muito bom a 3* o covado, merino preto fino a
3*o covado, bombazina para vesiidos de senhora
a 1*400 e 1*600 o ovado, alpaca preta fina a 500,
600,700 e 800 rs. o covado: na ra da Imperatriz
n. 56, loja da Arara.
Panno preto hno a 2* 0 covado.
Vende-se panao preto Sao para paletots e calcas
a 2*, 2*500. 3*. 4* e S* o covad >, casemira pre-
ta fina a 331300, 4* e 3* o corte, dita para covado
a l*80,2 loja da Arara n. 36.
Chales de fil de linho a 80.
Vendem se lindos chales do fil de linho a O* e
10*,retondas de fil de linho a 12*, cortes de ves
tido a Mara Pa a 7*, 10* e 12* : na ra da im-
peratriz, loja e armazem da Arara n. 56.
Me-as croas para menino a 1)5 a dozia
Vendem-se meias efuas para menino a 1* a do-
zia, ebales de merm estampados a 2*, ditos de
la a 1*280, ditos de algodao a 1*, colarinhoe para
homem a 3,0 rs. a duzia para acabar : na roa da
Imperatriz a. 36. loja da Arara.
Cortes de ganga e de brim a 1,-5300.
Vendem-se curtes de caiga para homem, de gan-
ga e brim de cores a 1*609 e 1*800* cortes de
meia casemira de cor a 25300 e 3$, cortes de ca-
semira preta pira caiga 3*500, 4* e 5* : na
ra da Imperatriz n. 56,
Cuitas baratas a 2 o covado.
Capachos mgiezes.
Vendem-se na ruado.Queimade loja da aguia
branca n. 8.
Baleias para, vesiidos.
Vendem-se na loja da aguia branca! ra do
Queimado n. 8.
Opiata ingleza e franceza.
Vendem-se na roa do Queimado loja da aguia
branca p. 8.
PapeJ mata mosca..
Na roa do Queimado n. 8 loja da aguia branca
continns a -vender-se papel para malar mose* e
Continua a baver diariamente um sortimento de pastis, podina, bolos, ingleses, i Bonitas MinbasJi cara meninas
empadas etc., etc. Os donos deste estabelecimento,acban>rse as, melhores- condc5es vendems&na ruado Q^mado, luja da'aguia
de poder satisfazer encommendas coBcernentes sua arle, em consequencia do socio branca n. 8.
Freitas ter sido administrador chefe de algumas das princii aes fabricas na corte, sendo
urna a do-Sr. Jo5o Gongalves Guimar5es (confeitaria de l*5o) antiga casa de Carceller.
Todos os trabalhos*s5o differentes dos que se fazem em casas particulares.
Os proprietarios deste estabelecimento nao se tem poupado a despezas, nem se
poupar5o, se houVer concorrerjeia como esperam.;, lendo continuadamente bom sorti-
mento de doces para cha; presuntos e dito* em fiambre, tambemse recebem para se-
rem preparados-; assim como doce de caj novo fuperior, secce e crystajisado, dito em
calda em atas hermticamente fechadas, podendo durar annos em perfeiio, estado.
Para jamares- e-partidas recebenr-se encommendas dos seguintes objectos; ban-
deijas ricamente enfeitadas sem armacao pecas de amendoas (nogaces), ditas de tmaras
de ovos, p5es de t enfeitadt com dsticos anlogos a qualquer fim; ditos montados,
kechs simples e enfeitados tom- froctas ingiera; gatheaox de la reine, ditos de le d-
chese; tortas de fructa, massa 'folhada; ditas de peixe e carne; cremes e doces de ovos
de differentes especies.
Tambera temomcompleto sortimento de vinhosengarrafados, como sejam: vinho
do Porto STjperior, Fi{.ueira,- Madeira, Lisbea, Cherez, ^Bordeaux, Champagne fino, ser-
yeja, licores, charopes e conservas. Para fest: bonitas caixiDbas com amendoas, con-
fettose mais enfeites. Muiros destes objeetts mencionados podem-se perfeitamente ac-
ondicionar tanto para a provincia, como para fra.
Pechl
Vestidos
Chegou a loja de Paredes torro pb.
timeuttf de vestidos de ftriajftM stfKi
qoe serve para partidas por ser una ptaalam m-
teiruneote dei gpsto pe* |>*rslo pree de 4*
brancos a 4*500, estao acabando-se : no are
da porta larga roa da Imperatriz n S I
darla franceza.
Cortinados.
Cbegou a loja de Paredes Porto
sortimento de cortinados neamrnte borda*
preco de 25*, 33* e 45* : na roa da Impenirat
n. 52, porta larga junto a padaria franceza.
.Ricas romeiim
Bicos brancos epretos de seda com vidrilbos e maum de romeira defoip0re p,uT5* m
de differentes larguras e bonitos desennos. pre0 commodo : na roa da Imprratrrz
Casc*rrllha> de seda com diversas cores e lar- i p0rt*V|arg* ionio a padaria franretV
06
*. a*.
guras, formas inteiramente novas a imitago
25 RA NOVA N. 25
Este estabelecimento acaba de receber um rico sortimento' de pianos fortes.ex-
pressamente fabricados para o clima deste paiz, dos mais afamedos fabriesntes da Euro-
(I, por isso o proprielario convida ao respeittivel publico para virem -apreciar as qua
idades dos referidos pianos.
Continua-se sempre com esmero e promptidao fazer-se qualquer reparo nos ditos
instrumentos. Afinam-se os pianos debaixo do melhor systliema ullimamente adoptado
Da Europa;
Fazendas, phantasia para vestidos chegados de Pars pelo ultimo vapor.
Lindos robes de organdys cesaManas fazenda transparente de iuteiro gosto. i
Ditos de percalla campestre padrees muito ricos.
Riquissimas grioadines de seda o que tem vindo de melbor gosto neste mercado.
Lindos cortes de, saltan pekio para vestido fazenda inteiramente nova.
Ditos de gaze setiin em pega fazenda trans rente e de gesta muito -moderaos.
Lindos chales dtfgrenair troch, primeir* vez aqui apparecidos.
Ricos bournus'de crep guarnecidas de (ranga muito proprios para passeios.
Riquissimas Tivelas para tinto, de metal, de crystal com ago e com pedras finas, o
que ba de mais novo.
E outras muitas fazendas de iuteiro gosto.
Ra do Crespo n. 13..
I^oja das columna'sde Antonio Crrela de Vasconcellos

DE
J* VIGNES-
IV. 55. RA O Irll-i: A fM>R M. 55.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje asss conbecidos para que seja necessario insistir sobre a
toa saperiwidad, vantgense garantas qneoffereHem aos compradores, qualidades estas incontesta-
reis que elies tem detrnttivanneole cooquistado sobro todos os qua tem appareoido nestapraga pos
inindo om teclado e machinismo que obedecem tod& as vootades e caprichos das pianistas, sem
aunca falbar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ulmamente melboramentos importan-
assimos para o clima deste paiz ; qnauto fs votes, sao melodiosas -flautadas, e por isso multo agrada-
reis aos ouvidos dos apreciadores.
Pazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica cono na do Sr. Blondel, do Pars, socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposigdes.
o mesmo estabelecimento se achara Sempre um explendido e variado sortimento de msicas dos
memores amores da Europa, assim como harmnicos e pianos -harmnicos, sendo ludo venUrde por
pregos commodose razoavels.
GHillS
rnd pechincha.
No ra da ImpralrTz n. 5t pbrU'targa e Pari^
ides Porto, vea*!- chals de Merina estampados *
U e 2J300 e finos 5&, estao se acabando.
Bordados.
Chegou a toja de*I*rtflto Port, roa-da Impera'
tris n. 32, viu sorliraeaio de oamizkobas, golliohas,
corpinits, rotueiras e sin.tos, de cambraia branca,
Vendem-se chiras de corWBxas a 220 eiWo^--
eovado, diuis francesas finas a *80. 320, 360 e 400 SOO ts rpmirfc > fj^l H 80T tt, grande
rs. o coYdo oassas de coree para vestidos a 320,; quantWrtrde teoirenreroira -tiO e 800 r. a pega,
360 e 4O0 rs. o covado, riscado fraaeez para ves- esto se acabando*
Parede Porto vende cambraias lisas 'finas, gran'
de sortiuiento, a 3 at 6, ditas Victoria muito
fias, com 10 viras xWQVM 6"i : 'naTda ta
Iroperatrit a. 52, jonte a padaria fanoeza.______
ChefueTo aos corpifllio^ de cambara
* Venaem-s cOrpinh'os de tambrala com eutre-
meidfa 4H e t>&, estao 'se aeaHaiido : na loja de
ptoo banto' preo de 3o^%^"eT47eo7lra"hasi Paredes Torto roa da Iaaderatriz n. 2, porta lar-
tido a 240 o covado : na roa da Impetatrlz n. 56.
Liazinhas para vestidos a 240 o1 covado1
Vendem-se laazinbas para vestidos a 240, 320,
360 e 400 rs. o cdvado, ditas finas com quadros
de seda a 5*0 rs., ditas de urna s cor a 38J fs.
covado, golinnas para senhora a 240 e 320, man-
guitos a U>, camieinhas a 4^600 e 3t, finas a 4fi :
na ra da Imperatriz, loja e armazem da Arara
n. 56.
Baldes de ares a 24
Vendem-se bal8es de todos os tamanhos o 2&
2950C, 3i, 3*500 e 44 : S na loja e armazem da
Arara, ra da Imperatriz o. 35-
Fil de linho de cores a i60 o covado
Vende-se fl de inho de cores proprio para
brioquedo do carnaval a 160 o covade, tapete de
cores a 500 rs. o covado, velbntioas de cores a 800
rs. ganga encarnada a 320 o covado, panninho sar-
gehm a 280 o covado : na ra da Imperatriz nu-
mero W,
Noridade..
Chegaram es bonitos chales e retondas de guipa-
re brancos, e vendenl-se na ra da imperatriz n.
52, loja da port? larga, de ParedS'Potto.
Luyas de Jovin.
A toja de fciudezas a ra do Qoeima-
do a. *6j teroben-an por este-qrtwo vapor,
Brefl em Trricas peque**.
Gera em velas de todos ce tmaa*o*y
Bogias.
Mercwro.
Na roa do viganon. 19, pnmeiro andar.
ga, jun.o a padaria franceza.
"' 'Na padilla fl! 9 Su- Tai tJo Hangel vetdat*
orna nraehinH (rae serve 'p*r dlffetentei 'ttisieresf
comoli eiwroaf igodoe moer farinha ate.,
para ser movkk-por eaiwlio ; na mesma se vende
um bom cavallo.
avttriao.
Prancez balftw 5*080
Portland i4e 84&00
Em perfeito estado:
Francez barrica 10*000
Portland dem 12#t No armazem de Tasso IrmSos caes do!A**llo.
As verdudeiras brides e
pieadeiras de Ipojuca
Vended Ateveffoft IfmSo,* qn'do Qnermado.
7a it *. a hkipT
Tirita preta para''escrever, de no* 'fnnHadfr :
vende-se na ra tfu Crotes o. 41 A, taberna da
porta larga.
Agulbas para machinas.
Vendem-se na loja da aguia branca a ra do
Queimado n.i8.
Pastilhas fumantes e ebeirosas..
Vendem-se na loja da aguia hranea h. 8, a roa
do QMeimado, sendo ellas ea calimbas de pape-
lo e de percerana.
Bollas de ail fino para engommades.
Vendem-so** ra- de Qetaada roja da agura
branca o. 8.
Bonitas caixibhas
com perfumaras e ( uiras com necessarlos para
costara, sendoestas -com mnska e eca ella : ven-1
dtm-se na loja.da aguia branca ra da .Queimado
n.8.
Colla branca para vid ros e madeiras.
Na roa do Queimado loja da aguia branca n. 8,
vendem -te frasqulnhos com colla branca para sol-
dar vidros e porcelanas, e outros con dita para
obras de madeira, costa 500 rs. cada um delles, e
por essa commodioade de prego convm cmpra-
los para estar prevenido.
Papel greve pantado com 33 linhas.
A agoia branca acaba de receber novo sorll-
metilo de papel greve lito e panudo com 33 iinbas
assim como de peso tamb*m liso e paulado, dito
pequeo em caixinha-. sendo liso, pautado, beira
dourada e sem o ser. Tambem receben* grande
sortimento de envelopes, e indo se vende por pre-
cos tornosos : na rna do Queimado leja da aguia
branca n. 8.
Papel paquete branco pautado.
Vende-se na ra do Queimado n. 8, loja da aguia
branca.
Artificiaes.
Ramos de trigo com diversas cores moi proprios
para enfeites de gorros e chapeos de senhoras e
meninas, acham-se a venda na roa do Queimado
loja da aguia branca n. 8.
Banhas. e extractos finos
A aguia branca recebeu um excellente sorti-
mento de perfumaras finas, sendo bonitos frascos
de cores com exiractos fines o de agradaveis chei-
ros ; assim como bellos vasos de porcelana doura-
da c m bao ha de superior qualidade, tendo nestes
alguns com inscripgoes apropriadas para presen
te, etc., etc. : quem se dirigir a ra do Queimado
n. 8, loja i)a aguia branca, achara a certeza disso,
e boa disposieu para vender a dioheiro por pre-
cos com modos.
AS PP.OVEITOSAS AGuAS
.balsmica, dentlficia e ambreada, acham-se ven-
da na ra do Queimado, loja d'aguia branca nu-
mero-8i
Latas e barrtszfnhos aom graxa
econmico.
Vendem-se por preges razoaveis : na ra do
Queimado loja de miudezas n. 16.
Agua de lie- llde para fazer os ca-
bellos pretos.
Na loja de miudezas a ra do Queimado n. 16,
veridem se caixinrias com essa excellente prepara
gao>Agua de Hoildepara fazer os cabellos pre-
los, quem della precisar pode dirigir-se a dita loja:
na ra do Queimado n. 16.
raslilhas edttrificas para perfumar sa-
las, gabinetes, etc.. etc.
Na loja e mladezava ra do Qneimido- n. 16,
vendem se caixinhas com essas odorficas pastilhas
fumantes.
Papel de peso e al maco, liso c paula o.
A loja de miudezas a ra do Queimado n. 16,
aoha-se bem provida de papel de diversas quali-
dades, sendo almeeo-greve liso e pautado,'eom 33
linhas, dito de peso tamnem liso e paulado, -dito
pequeo em caixinhas igualmente liso e paulado,
com beira dourada e sem o ser, assim come enve-
lops grandes e pequeos, os pretendientes dirijam-
se a dita loja na ra do Queimado n. 16, que ser*
bem servidos.
Mesmo depois da testa gasta-se peifo-
oiaria fina
A amiga loja de miudezas a ra do Queimado n.
16, acaba de receber um bello sortimento de per-
fumarias finas, sendo banha Sna, em diversos e de-
hcados :vas de porcelana, dourados com signica-
tivas inscripgoes e sem ellas ; assim com bonitos
Irascos de phantasia com excellentes extraeros de
fines'e esrethrflw oheirtfs, e bem- como^ nperlor
aeaa da Gatonb-ea garrafas e frascos de diversos
lamaahos, dita deuti/rees, balsmica e de flor de
laranja, cosmeliques finos e banhas em frascos de
differentes moldes. Vende se todo por precos com
modos a vista' da superioridade das qualidades :
na r*a do Queimado, 4o(a de wiudezas n. 46.
ivenos oiyteto*.
vendem-se na loja de mlordezas
a roa Bonitos leques de aandale outras qualidades.
Bonitos einios.com flvellas de diversas qualida-
des e moldes.
Brincos e crozas de crystal.
AboteadoTss de dito pan'oleres.
Bonitos pori-relogios.
Delicadas caixas com msica e sem ella, paca
costura.
Agulnas e linhas-para ch roche i.
Retroz superior em carriteik
Redas pretas e bicoa com vidrilhos.
Fitas de velludo com listras de corea para en-
feites de gorros e vestidos.
Ditas de grosdenapoles, ttsft e lavradas, branca*
e matisadas.
G,\Z.
No armazem da rna do Impendor a. 3 oa no
Caes de Pedro II n. i, tem par* vender* o oe-
hor ai existente no mercado.
pafo, babadinho e outra com urna transinba no
centro o qoe Ibes da muia grago.
Outras esirw-as e largas guarnecidas de
de seda obra de muito gosto.
Uulras de camnraia de cores.
Botdes de seda, velludo e ago para enfeites de
vestidos.
Trangas de seda estrellas e largas brancas e de
coles para enfeites de vesiidos.
Flores finas
. GAPELLAS PABA MENINAS E NWVAS.
A aguia branca a roa do Queimado o. 8, rece-
ban para vender :
Delicadas capellas brancas para noivas.
Duas ditas para meninas.
Ditas ditas de caixos de flor de laranja.
Ditas ditas de rosas camelias e outras.
Unas ditas ou ramos de trigo:
Diversos ramos de flores finas para peilo de
vestidos, enfeites de chfeos etc., etc.
treparos para flores.
Na rna do Queimado n. 8, loja da aguia bran-
ca vende-se:
Papel de cores para rosas.
Dito verde Para tullas.
Dito dito e pardo para cobrir os talos das ditas.
Musgo em rama.
Folbas para rosas.
aulhaseUnhas para crochet.
Vendem-se na rna do Queimado n. 8 loja da
aguia branca, aseim come agulbas para ira-ralbar-
se em laa.
Papelee sobrecellente para os
phosphorus hygienieos ou de
seguranza,
A vista do grande tamanho das caixinbas dos
phospboros hygienieos on de seguranga, tornava-se
poure o papel que vem em dila caixinha, para
remediar essa falta a aguia branca mandou vir e
acaba de receber /se especial papel, c qual so
dart de sobrecellente a quem comprar de taes
pheephoros e se vender indistinciamente a qnem
delle precisar. O prego de cada eaisinba de pnos-
phoro continua a ser 160 rs., e vendem-se na rna
do Queimado n. 8, loja da aguia branca.
Seda, froucha para bord&r.
Vender na ra do Queimado loja da aguia
branca n. 8.
Obras de crystal.
Brincos de diversos moldes.
Outros tambem de crystal de cores.
Ontros de aljofares brancos e outras eores.
Adereg.es. de cry.-taI obra de gosto.
RuseUs de dito cruzes.
Botdes de dito, brancos e de,cores para collete.
Dito de dito tambem brancos e de cores para
punbos.
Voltas de dito e outras qualidades.
leques de dit ersas quolidades
Vendem-se na ra do Queimado n. 8, loja da
aguia branca.
Aspas-fortes para baldo
Vendem-se na rna do Queimado loja da agoia
branca n. 8..
Crmacome para Ungir ca
bellos.
A. aguia branca avisa aos constantes fregnezes
dessa excellente tintura, que ella acaba de rece-
ber urna nova remessa de cromar orne, coloricome
esa bao branco, necessario par* .lavar oa cabellos.
pui lauto podem dirigir-se a dila loja na roa do
Queimado n. 8.
A bridores de luvas.
Vendem-se na ra do Lueimado loja da aguia
branca n. 8.
Port bonqnels
de bonitos moldes; doorados e cabo de madrepero-
la : acham-se a vdnda na roa do Queimado loja
da aguia branca n. 8.
Bonitas louquinlias
de fil de linbo, cambraia e selim todas mui bem
enfeitadas: vendem-se na ra do Queimado n. 8,
loja da aguia branca.
Carreteis com retroz.
Na ra no Queimado n.8, loja da aguia branca
Grar de pechincha.
Cortes de lia esroceza entestada para
uco fazenda de 600 rs., est se ve*ded* a 380 e &
rs. o covad* : na rna da Impwalriz a. 52, teto Ja
porta larga.
HU A QUARSSMA
PECHINCHA aDMIRAVEL.
Grsdenaple preto a i 1600
Vende-se superior grsdenaple preto, fazenda
muito encorpada, pelo baralissimo prego de 15600
o covado, sendo fazenda que val muito mais di-
nheiro : na loja e armazem do Pavo na ra da
emperatriz ni 60, de Gama & Silva.
DOMJNO'S.PARA O CARNAVAL
Na loja do Pavitk
Vende-se um bouito sortimento de dminos pro-
prios para o carnaval, sendo de differentes fazen-
das e com os modelos mais modernos, assim como
velbniinas, gangas e outras fazendas proprias para
o mesmo fim : na roa da Imperatriz n. 60, loja do
Pavao de Gama. A -ilva.
MANTAS PARA O PESCOCO
a 1-3, s o Pavao.
Vendem-se bonitas mantas para-o p3scogo, pelo
barato prego de 1 : na loja.do Pavo na roa da
Imperatriz n. 6', de Gama A Silva.__________
-^Naroa~do Imperador n. 28 tem superiores
bichas hamburguezas para vender em porclo e a
retalho, e tambem alugam-se ; rap Ptulo Lordei-
ro viajado, igual a de Lisboa, e para gosto de al.
gucs, melhor, por nao terir, etc.
Para os bailes mascar-dos.
A agoia branca esla vendendo por baralissimos
pregoj. para acabar, es objectos segu otes, que ser-
vera mol bem aos que tomara parle nos bailes mas-,
carados, sendo :
Metas de sed* a It o par.
Enfeites4e flores a If, 90 3# cada om.
Filas lavradas d 3t0alj> a vara.
Cintos largos, coa pautas cabidas.
Vende-se ama loja de miudezas com poucos
fondo em rna de negocio por prejo muito em
conta ; na mesma casa vende-se urna mohilia de
Sniareilo novinha : quem pretender dirfja-s*-a roa
a Imperatriz n. 2i, loja de eatalhador^aeise dfr*
'quem tem para vender.
Casa venda.
Vende-se'um peqoeno sobrado oa rna da Paz
dos Azogados, noca bt>m quintal morado e cacim
b, por prego commodo : tratar com Lourengo
de Muraes Fiobeiro, na ra de Apollo o. 47.
.JWO
Cortes de laa eseeeesa para vestido a 3 te: na roa oa Imperatriz n. 61 teja da pom lar-
ga, junio a padaria franceza, estao se aeataodc
Chales de renda
Paredes Ferio, na rna da Imperatriz n. perla
larga, vende ebales de renda de core* coa psqaa
no toqne de mofo, a 3J500 e 4i, fazenda > tuj
e 12*000.
120
Para ronpas de enerar*.
Paredes Porto tem para vender chna jioI rm-
cado proprio para o fim cima a 130 r*. o ravad*.
urna grande pechinchafe esta' se irilna : a*
rna da Imperan iz n. 52 porta larga jvato pada-
ria francesa.
Grande pechmclia.
Paredes Porto esta' vendendo Turado frawa
200 rs. o cavado : *a raa da Imperatriz a. tt ar-
mazem da porta larga jqnto a padaiia franceza.
Para luto.
Lias pretas com salplcs brancos a 4CO Mi
rs. o covado : na rna da Imperatriz n. 52 jaalo *
padaria franceza armazem da porta larca.
1400
Chapeo* de ael.
Vendem-se chapeos do sold paaao a tM
nma grande pechincba s para araLar : na iaa d*
Imperatriz n. 52 armazem da pena larga de Pare-
des Porto.
A
10500.
. Vendem-se pegas de tranca preta para
de vestidos, soottmbarqoes, rapas de tea aera *
1 600 com 10 vaias, orna grande pe chine na : na,
rna da Imperatriz n. 52 junio a padaria lia*tai*.
Tasso Innatos
Vendem no sea irm ru *
Amorin 55.
Licor fino Cnragfto em botijas e meias botija*.
Licores finos sortidos em garrafas com rol*** dt
vldro e em lindos fraseos.
VinhosCberes.
Santernes.
Chambertin.
Hermitage.
Borgonbe.
Champagne.
Muscatel.
Reine.
Bordeaox.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniol._______________________
Queijes do sertta
Vende-se superior qoevjo do sertao : aa raa da
aladre de Dos, armazem junto a greja.


Prego para estnefme e
Vende-se em barricas ou a retalbo : a roa d*
Queimado. Azevedo & Irmao._____________
Gomma de milho branoo
americana
Esta preciosa fcula, cojas prepriedades Wi
cinaes a imprensa europea tanto lem eialudo para
a cora das molestias do peito, recommeada-ae uav
bem como alimento sadio e nutritivo par* as err-
ancas, prestando se a variados prepar. s raaarira.
A gerai aceitagio qoe ella leas obndo por toda a
parte o seu raaior elogio : vende se ooicaaveafe
na roa do Imperador n. 57, armazem Alhanga

j
o
^i*?,52'^<5i
8 S-I.S.S-S." "
1 f*S &V1 i
D. o ^ E3sS.y
* g. 3
Soco o-"5
SBgsrss
si
^8
-2
a -%
=> B
?df
a.
q. t o
3f2
1*3?
Si
,^9
2TB 5.
fFS"
o
O.
B
S=323
P|||
s
f
scravo fgido
N4*v,s d*.coa*al* laato.d* m
vieica, fregoezia da Gloria do Godi.
Vicente, crioulo, ge idad* 30 aaaof,
menos, bai*o,grolso, oarbode, laa*
saga*-** rosn, nao mMo
pago.
-WmW t a^'aWto *V"t*M
nome Antonia, Idade 40 e Unios
prido* pieao **aiia,M
Os dminos dO'Paydo.
Vendem-se os mais elegantes dminos, 00 ala-
gam-se, proprios para o carnaval, issim como se
vende fazenda propria para os meamos : na toj*
do Pavo, rna da Imperatriz n. 40.
Grsdenaple preto a 1$600.
I' grande peehinefca!!
Vende se greedenaple preto, asadoa*uito**eor-
pado e de boa largura, pelo aaratissmo precoaVr-dOotea** p*fl4 falla***, aaaw aM
14600 o covado : na ra da Imperatriz n. 60. cavallo, de cangalla; qoejn bm troaier sra
Rfseadlas a lio.
Yesde-s* risoadwho escaro proprio par* vesii-
dos ou roupas-pac* homem, pelo baralissimo pr-
go de 130 rs. o covado t s na raa da Imperatriz
n. 60.
Venle-se nm carro >da
reos, forte e em bom estado
Coelhos n. 12._____
Vendem-se lingoas do -Rio Grande ea cal*
muito,nova*,*2i0 cada ama : no paleo do Car-
n), esqaina da rna de Borlas, armazem a. 1,
i
I
Vetbdenirse
machinas americanas o* errte para desrecar
algodao : na ra da iaila aov *. 42.
Lavas e Jmyi tretas e Miras
Mi
Chegaram p*ar* a teja de mi* I iris : aa raa da
Qoeima*tn.i6.
EscraTOS fgidos
Fugio no di* terga-feira 30 de Janeiro proxiaw
flodo, pret* rlonl* la none iareiaaa, da idad*
36 aoooa, pono **a*>a iaea, atado ** oar to-
la, altor* Mgoiar, levoo voatid* da coda orara:
quem a apprehender, condoziado-a casa do ***
xo assignado, na rna da Imperatriz a. 30, sata
gratitoada.
Francisco Ajar*** da,
:------atrr^ a*e***wia*jw, om. voatwte da aaadrn *tr do **
'V^UB ,rodas, ?*L "Ktffe i w irona coa* oaar* aMafc
e barato : na roa dos B0V0, nlnritas, sapatos *M*a, |ai e-crarada
eng*aavaa1Wleevdo loa
timaarala enmarada ao }Br.
Mellov toara a pegar tev** a roa d*
que aera' recompensado.


8
Diarlo de fernnmhuto cita felra 9 Fererelro i 4806.
1
lITTERATR
HYPVOTlSHfl.
U segundo submettido sesso desse dia, moio 1 da applteagd deesas duas sabstaoeias foi o Mo i E ioda si assim fosse qoanlo a Inslrucgao, te-
raoleqae escravo, que fot bypnotisaod do rami c >llega, Sr. Dr,Joaqaim de Aqaioo Foaceca, aquem Iramos apenas qoe trabalhar pela rebabilitago da
modo, com o rae3mo relogte sm oioeo. minos ;\ me dirig pedmdo as iuformagesque V.S.* exigio.e parte moral do eosioo porm o mal loca tambero,
este responden lacnicamente A algan cbus da
que te'tne parguntava; a insea-ibililale cutnea,
Regosta da Dr. SabiuJ O. L. Pinho a urna carta e a usencia de dr erara completas; mas a rigen
iIj i).-. Jjaquim Moaielro Caminhoi, lente da Fa- cataleptica era fraca, coaservand) todava.as posl-
cul!. le de Medicina do Rio de Janeiro, na qual c5ai que se ha dava.
pBaa .oformaebes acerca do bypootismo, e procura M(lJUj M|(1S eIperj saber quaes os pratlco*, que Pf*alrb empreg; am em muJt0S mMmi era.mi) 0Ceisario eoaiernr
por louito lempo o corpo luzente sobre a testa, e
Isso rae caasassa grande ineoramodo, iraaginei
cuja resposta aebara' Inclusa; e o primelro toe profundamente, a parte instructiva do roesmo
in l'erurabuco o eth$r, o chloroformiO b a amu-
len i, como meios auesthesicos, na* operares ci
rurgicas. i preoler esse corpo en un cordo ou Ota amarra-
Uiin Sr Dr Joaqulm Mouteiro Caminhoi.Re-do em ro da cabega, lanlo o objecio de maoei-
rife" 7 de marco de 1868. Respondendo ao seu," 1< P^aare m V'-'J P*te paciente em am pon
predo favor de 7 de fevereiro prximo P>^X^J^^%'J^^*^^S ??
eu simo bastante arhar-me presentemente multo
atarefado da trabalbos, que nao podem ser postos
de parte, pais tena muita satlsfacio em descrever-
Ihe as minias observares acerca do hypnotismo,
alguma das, quaes sao rauito inleressantes. Toda-
vi., com a presten que V. S. exige, Ihe referirel
alguma cousa a tal respeilo.
Estando eu em Paris, em dezerabro de 1839,
ouvi fallar om algumas experiencias que se fazaro
relativamente ao hypnotismo; e, sendo bera nata-
ral que um medico, amigo do progresso, nao fosse
indifferente a am facto to extraordinario, procu-
rei saber de ludo quanto bavia a tal respailo, e en-
ro fui informado de que om noaso patricio e colle
ga, o Dr. Marhus de Frailas, natural da provincia
do Rio-Graude do Sul (qae ali se aehava com mui-
to proveito aperfeicoando-se em alguns ramos da
sciencia) era mui saceptivel a' acgio hypnoptica,
a por vezes se bavia submettido a experiencias com
resultados indubitavels, pedi-lhe que se prestasse
a urna sessio, a qnal teve lagar no mea aposento
peraute os nossos distluctos patricios e collegas, os
Drs. Antonio Francisco Fernandes, Gregorio Pe-
reir de Miranda Pinto e Luii Antonio de Azeredo
Gunha, assisllndo igualmente um outro collega na-
tural da Grecia, Mr. Melaxas, que se dedicava
opbtalmologia, com o fim de observar o que se
passasse as membranas do olbo.
ko ento que pela primeira vez vi e observei
esse phenoraeno verdadeiramente admiravel, tendo
sido o instrumento empregado um annel da bri
ilianle.
O Dr. Martins de Freilas apresenlava os pheno-
menos calalepiicos e anesthesicos em grao eminen-
te; elle survlo depois a urna sessio do Dr. Ver-
neuil, cujc resuludo foi publicado na Gazefa dos
ospitaes de 2i de dezembro de 1859, que vale a
pena de sor lido por V. S.
De volla ao Brasil, sabendo que em Pernambaco
anda nao se liana posto em pratica o hypnotismo,
eu tratei de mostrar o seu processo a alguns curio-
sos, e depois convidei os mdicos e cirurgioes pa-
ra assislirem a urna sesso publica a' que compa
receu apenas o Dr. Jos Sergio Ferrelra, ou por
que fosse o aaico que nanea tivesse visto pralicar
o hypnotismo (sem embargo de nunca ter sido aqu
pralicado), oa porque realmente se compenetrasse
da neeessidade de observar um facto estupendo,
que tanto interessa a' sciencla como a' taomanida-
de ; mas me parece poder-lhe afflrraar, qoe o ver-
dadeiro motivo da iadifferenga foi a sciencla infu-
sa, de que se julgam dotados alguns, ou a maior
parte do* nossos collegas, que na forja do sen or-
gulho se acreditam desquitados do dever, que con-
trahiram com a sociedade, de estudar e de apren-
der sempre, sem alten^e a' pessoa, que Ihe? pode
ensinar alguma cousa que por ventura ignorem
iSe9sa sesso bypnotisei a dous individuos ; o
primeiro foi o Sr. Arsenio Fortunato da Silva, pin-
tor de muito merecimenlo. estanelecido actualmen-
te no Rio de Janeiro, em quera observei phenome-
dos dignos de serem referidos. Eram cinco hora.-
a meta di tarde : servi-me de um relogio da ouro,
liso, na circunferencia; colloqael o paciente em
um lugar roais oscuro da sala, lando fechado al-
gumas janellas; mandel vir urna vela accesa, que
colloijuei em urna mesa em tal posicao, que poes-
sem os raios da lu produzir na supertele lisa do
relogio um ponto on foco laminoso, e d'abl reflec-
tirem sobre os olhos em estado de strabismo con-
vergente superior ( o relogio tei collocado sobre a
tesia, em lugar que a convergencia superior dos
olbos permiltisse ver o ponto luminoso); conser-
vou-se assim o paciente em estado de strabismo
convergente superior por espago de cinco minutos,
liados os quaes, elle deu um suspiro, e em seguida
duas lagrimas Ihe correram pelas faces, urna de
cada ngulo externo; es olhos lornaramse injec-
tados desde o terceiro minuto; o paciente pareca
que mastigava e edectivameaie engolia a saliva
( em algans hypnotisandos a saliva se torna mu
abundante); depois espregulcou-se e cahio no es-
taao liypnotico. Deixel passar dous minutos, e en-
to comecei a provar a anesthesia, Ja passando as
barbas raolhadas de ama penna pelos labios, j in
troduziodo-a nos ouvidos e as fossas nasaes, e j
faiendo Ibe cocegas na 'planta dos ps, e por toda
a parte;, a inseasibilidade era completa. Passados
outros dous minutos, passei a provar a analgesia,
introduiindo um alfloete no braco at o ponto de
tirar sangue; e, com am caivete, dei um taino no
dede; nenbura movimento houve que indicasse
dr. Fu aj paciente algumas perguntas, nada res.
poodeu ( o que acontece cora outros); z algumas
fricQoes no pesclo at a garganta (o qae emal-
guns restitue a palavra), nenhum effeito produ-
Ii0-
iNo fin de outros dons minutos tratei de verificar
ari|M cataleptica; levantei-lhe am brac,o, qae
desejava.
tos.
Deste modo tenho hypnotisado a mui-
Das mlnhas experiencias ealu concluido, que o
bypnotumo reclama com ondlcdas esseociaes:
i. O emprego de un corpo lxente collocado
sobre a testa, perto da raiz do nariz, de modo que,
apresentando uro so jo lu.nuosj possa ser apa-
ndado pelos olhos em estad i de perfeito strabismo
convergente superior. (Se exista mais de um pon-
to luminoso, ainJa qae o strabismo sejacompleto, o
paciente se distrabe, e multas vazes (alba a expe-
riencia.)
3.a Convergencia completa dos olbos para dentro
e para cima. (Se o estado de strabismo nao
completo, falla a exparieacia, pois anda na> con-
segu hypnotisar nenhum em tal circumstan-
cia.)
3.* Silencio profundo dos eircumstantes,
nao dstrahir o
empregott as operacoes cirarfica*,- foi o noaru
collega, distincto cirnrglo Jos francisco Pinto
Golmaries, como consta do impresso qae igual-
mente Ihe remeti.
A amylena foi tamben) empregadapela primeira
vei pelo mencionada cirurgiad Pinto, em am casa
de ectomla do escroto Eis aqai o qne Ihe posso
Informar i cerca dos objectos de saa carta, e mui-
to estimare! que Isso ihe possa servir de utllidade
na composiclo de seu irabalho, a respeilo dos anas-
thesicos. E, agradecendo-lbe a boadade, com que
se dignou de tratar-me, rstame afflrmar-lhe qae
me achara disposto a prestar-me ao sea servico,
por ser com a mais dlstmcta considera^ao de V.S*.
Collega moiio obigado e criado
Dr. Sabino Olegario Ludgero Pinho.
Da'-M ma' educacSo, e tambem m.a' iosiracgao a
mocldade, como bel de provar agora mesmo.
Mas procurare! antes disso raostrar-vos, rascrai-
E' qae hoje s se esforca por aperfejoar-se as
materias preparatorias am oa oatro raro ujoeo de
?ogflMpecial, oa que tem ni pal bastante sen
para nio se delxar arrastar peta onda de so-
pertcialidade que a lodos val conduzindo : oa
mais. e slo a qoasi lolalldade, confiados os empe-
nhos, e eerios de qne at seas proprlos mestres os
damente, qaaes 'HffereD?as que descabro ealre' acopatbaro mesmo a' sala dos exames, aflm de
os dons ramos do ensino. | os ampararen) com saa Influencia, nio somente
A instruegio obra sobre as facaldades intellec-'poncose applicam aos estudos, como at xombam
toaos deseovolvendo-as:a educajo obra sobre a dos qae os nio imitara Das vadiaedes.
vontade goveroando-a, e eucaminbando-a para o
BAHA.
-
Discurso que por oeeasio da solemne disiribuigao
de premios do Gymnasio Bahiano, a 26 de no
bem.
A instruccjuriilflge-e ao espirito, ~e esclare-
ce-o : a educaeo dirige-se ao corago, e por-
flca-o.
A instrucgao val direilo a inteligencia, e subli-
ma-a; a educacio vai direlto ao coradlo, e forma,
e regala os senlimentos.
A insiruegao pode fazer um philosopbo; mas s
a educagio pode fazer um bomem lemente a Deus:
a iosiruego far am sabio; mas s a educa-
gao far am homem virtuoso, e po: tanto am bora
cidado.

Finalmente, como dix um sabio pedagogo, a ins-
vembro de 1863, proferto seu director o Dr. Abi-1 irucgo iostrue, e a educagio torna o homem capaz
lio Cesar Borges, cavalhetroda Ordem de C/iri*fde fazer bom oso do que apreodeu : a insiruegao
to,ex director gerat dos estados, <*embro de.con- (ornece reCQr80S u| on u| Mrre|ra 9 a edu
selho superior da instrucgo fHblica, socio cor
rfspon lente do Instituto Histrico e Geograpluco
Braseiro, e de varias ontras sociedades Hilera-
Has.
Senhores. Oilo annos de existencia boje comple-
ta esta grande obra, que minba natural vocagio
para o ensino da mocidade inspiron-me, qne com
para I f profunda estabeteci, e com estremecido amor le-
hypnotisauJo, pois que a menor D|J0 sem interro|)Qao algama dirigido, desenvolvido
dislragao prolonga o estado de vigilia, senao faz
[albar a experiencia.
i. Attengao profanla da parte do hypnotisando,
em olbar para o ponto lami.so.
5.s paciencia em esperar que o estado hypooti-
co apparega, pois que se isso oa maloria dos casos
tem lugar em3-10-15 20minlos, multas
vezes me tem side necassano esperar ama hora e
mais, conseguindo sempre a apparigo do somno,
urna vez que o individuo esteja as eondigdes
cima referidas.
A primeira vez que hypnotisei o moleque que
foi objecto da segunda experiencia, na sesso, de
que cima f al le, ti ve de esperar mais de urna
bora, e aliaal consegu o resultado que dese-
java.
Os sexos parecam nao ter muita influencia no
hypnotismo.
As idades de 12 annos a 65 (at onde tenho po-
dido experimentar) tambera parecera nao exercer
influencia; mas as criangas sao difflcillmas do
hypnotisar, o qoe attribuo com fuadamento natu-
ral mobilidade de espirito, que faz o caracterstico
da infancia.0 escravos em geral se hypnotisam
fcilmente, talvez pela tendencia que elles tem ao
somno, e promplido com que dormem, quando
esto cora qualquer descanso.
As horas do da exercem sua tal, ou qaal in-
fidencia, por quanto ha pessoas qne tenho feito
dormir tarde, ou noate, era quanto que nao
pude conseguir isso de mantiaa; e ouiras era quem
acontece o caso contrario.
para
cagao d recursos para todas as posigoes e para
todas as carreiras.
e aperfeieoado.
Dito aooos intelros, em qae mea anico pensa-
ment, minha exclusiva oecupagio, foi a educagio
de meus jovens patricios 1
Oilo annos durante os qaaes, suffocando todas as
miohas aspiragdes, exilei-me da sociedade, para
viver sempre entre os meninos, e smente para
elles I
Oilo compridos annos de incessante e penoso la
bor ;de abnegagao e sacrificios de todo o genero;
porm que considero os mais importantes de mi-
nba vida, por empregados na misso de mais ele-
vado alcance sociala de Ilustrar e preparar se-
gundo os principios da verdade e da jusliga, do di-
reito e do dever, a geraco qae na de em breve to-
mar em saas maos os destinos deste nosso charo
Brasil, fadado a ser aro dos primeiros paizes do
mondo.
J vedes, meus senhores, qoio grato me deve ser
aro tal anniversario, a que vos dignastes de com-
parecer, penborando altamente a mim, e honrando
e animando a mocidade do Gymnasio Bahiano, qne
o nico objecto desta interessante festa.
Nada ba qae mais agrade e sensibilise ao funda
dor de qualquer obra, do que v-la apreciada e
honrada I
E por qual medida poderla eu mais exactamente
aferir o grao de aprego em que sao tidos meus
trabalbos, do que por este concurso annual, cada
vez mais crescente e brilhante, das pessoas mais
disuadas e Ilustradas desta capital, que sempre
Depender isso dos habito 1 Anda nao posso comparecein a esta ceremonia luterana?
eraitur um juizo seguro. i Senhores 1 iNa quasi geral iodiffereoga por ludo
O hypnotismo nao dependa da esforgj da vontade quanto respeilo ao easino pablico, iodiffereoga qae
da pessoa que bypoolisa, e nem da vontade do por vezes me tem abalado a constancia, -me grato
hypnotisando; basta que este preste attooco ao ioiiraamenle grato e animador, o cooveocer-me, por
ponto luminoso, convergmdo bem os olbos, nio o i tal facto, de qae anda exislem pas e cidados bas-
moveodo para m e oatro lado, podeado com todo Unte iateressados pela educagio da mtcidade, para
pestaoejar. aqai virem, a menos urna vez cada anuo, passar
O somoo hypnolico nao desprovidj de encanto algans momentos entre os meninos, applaudindo
para a maior parte dos lypootisados; algans se seus pequeos triumphos, no da em que tenho de
tem mostrado descontentes, quando os accordo, e conferir os premios devidos a eada um na propof-
me allrmam que o somno delicioso. 5o Justa do seus merecimentos.
Muitos odividuos. canem fcilmente no somno E' tambem por isso que sempre digo, e agora
hypnotico, poaco lempo depois da refeigo, parti- repito, que a solemnidade em grande parta dev-
cularmente depois do jaotar; e, al hoja, nio tenho da a minha constancia no diBcil e espinhoso cargo
visto nenhum perigo em hypnotisar, estando o in- que exergo, assimcomo o augmento progressivo de
dividuo no trabalho da digesiao; entretanto me minha dedicago por este Gymuasio Bahiano.
pareca que em tal circumstaocia a aegio hypnoli- j Nem So estas nnicamente as razSes porque ligo
ca devera provocar um allaxo de sangae cabega, a esta solemnidade um valor inestimavel:ba, en-
assim como provoca para os olhos, na matar parte lre outras mais urna e momentosa ; isto :qoe
dos casos; e eu jamis coosenteria em hypnotisar De||a deparo eu todos os anuos ama vantajosissima
alguera com o estomago repleto, seno tivesse occasio, j para discutir, perante juizes compe-
observado o seguate facto. teut^, algum poulo controverso da sclencia do en-
Havja eu em urna reunio de familias hypnot-! sino, ja para expr alguma cousa que enlendo olil
sado a urna moga, depois do qu^ fomos convidados ao deseovoivimeoto moral e intellectual da gerago
para o jaotar, onde nos demoramos alem do lempo que vem sorgindo.
comraum ; um rapaz estudante, que hava jantado \ assim que passo a enlreter vos com algumas
bem e bebido melhor, levantou-se da mesa e diri-' rpidas consideragoes sobre alguns defeilos que
go-se para a sala, onde se bavia feito a experien- DOlo na primeira aJucago que se d aos meninos
cia; pegou oo aonel, de que me havia servido, e e iamoem sobre o estado de vergonhoso abalimeo-
qoe aioda se aehava atado a' um fita, collocoo-o e l0 a qUe [em chegado a loslruccao, chamada prepa-
amarrou-o sobre a testa, poz-se a olhar e a espe
rar, sem se lembrar qae poderia dormir sem que
poesse saber at quaodo, ama vez qae o dio soa-
bessem acordar; e com effaito dormio a bom rega-
lo por espago de meia hora, poaco mais ou menos.
Quaodo me levanto da mesa, e me dirijo para a
ratoria, da mocidade brasileira.
Nem se pense que eu me quero arvorar em C-
lao, ou reformador; porm meu dever de educa-
dor coosciencioso dizer, com franqueza e lealda-
de, ludo quanto concorrer possa para o melhora-
ment, seno aperfeigoamento, da^uelles que d-
se conservou erguido, nao sendo jamis posslvel
conseguir abaixa lo, sanio quando empreguei as
friegoes na direegio dos msculos exteosores; le-
vantei e abalxei os bracos todas as vezes que ea
qaiz, iipezar da rlgeza extraordioaria qoe em
nenhum outro teobo eocootrado.
(As friegoes relaxara os msculos, com mais
ou menos irabalho; as vezes o deltoide fica to rijo
qae difBcil relaxa-lo.)
Levantei o paciento da cadeira, em*qae estova
assentado, elle conservoa o equilibrio; levantei-lbe
urna peroa e os bragos, anda o equilibrio se con-
serveu; quiz assenta-io de novo, equei espantado
de -.o formar para traz um arco de circalo, dos
ps a cabega lornando-se impoaivel collocalo
assentado sobre a cadeira, e qae me obrifoa a ter-
minar inmediatamente as experiencias, soprando
nos olbos ar fresco, e friccionando as palpebrai, a
face, e o pescosso.
(Em geral basta abrir os olhos e soprar por
algum tempo, frieelonando-se simultneamente as
palpebras para que o individao despert immedia-
lamente.)
Pan dar a V. S. urna idea do qae seja a rigeza
cataleptica no Sr. Arsenio, tasla dizer-lhe que'me
tendo esquecido de fazer abaixar os bragos por
meio das fnegoes, oa faz-los segurar por alguem,
acontoeeu qae ao despertar batea eom excessiva
violencia com am dos bragos em ama cadeira, pelo,
que andn bastante maltratado por algans das.
Ntete senhor tenbo encontrado o typo da rlgeza
cataleptica.
Depois de despertado o Sr. Arsenio, disse qae
ouvia confusamente o qne se passava a roda dalle
durante o somno; mas ignorava completamente as
experiencias, que ihe foram feitas, qaer em relagio
a aoosthesia, qaer em relagio a analgesia, e s
nisse acredilou, quando Ibmostref o dedo cortado,
e a pello pieada.
sala, vejo o rapaz cora o anoel sobre a testa, e sem '; vem succederoos um dia oa direegad dos negocios
mais exame Ibe disse que oio comraettesse essa \ da patria.
improdeocla, que lbe poderia ser fatal; mas como j A loD_a pratica os ltimos dez aooos da miaba
nao me respoodesse, me dirig para elle, e coDheci vdaj ,mterrompldameote gastos no servigo da
qne estava bypootisdo. I edacacao da mocidade, (1) me da', creio, urna cer-
Com a presteza que exiga o temor de ama apo- ta aulondade para fallar, e algum direto a ser,
plexia, abri-lhe os olhos, soprei-lhe ar, e frecciooei quando oo seguido, ao meos atteodido.
as palpebras, levando nlsso obra de dons on ires ( Denjaij a missjo do edacador como a do sa-
mioulos(oque augraentava mais a minba impacien ^doie :da' ihe nma especial Independencia no
cia), e a final acordon rindo, e satisfeito do som- dlier Terdades, embora desagradando,
oo, qoe havia dormido, sem que nada absolotamen-1 g pojS me relevareis, si neste pequeo discurso
to denotasse alguma perturbagao da digestid, nem ea me aveDiorar a usar de franqueza desusada,
aigum dos symptomas apoplticos.
Do que tenbo observado concluo qoe o hypootis-
mo am poderoso mel aoesthesico, e analgsico,
qoe merece ser estudado cuidadosamente, quer
em relagio a' saa oalureza, quer em relagio aos
seas processos, afina de substituir vantajosamente
aos outros raeios at aqui empregados petos cirur-
gioes; tanto mais quanto a sna applicagio nao offe-
rece os perlgos, que por vezes se tem observado
oo emprego do chloroformio, do etber, da amyle-
do & & O collega estara' sem davida desejoso de
saber se esse meio ja' foi aqui empregado dos ca-
sos de operagfios cirargicas, e ea Ihe direl qae oio.
Come nio me dedico a cirargia, tenho pedido a
algons collegas que empreguem'o hypnotismo, ao
menos em operages ligeiras, taes como abertura
de algam abeesso, ablagao de algum dedo, extir-
pado de algam kysto, &; e at rae teobo offereci-
do para hypnotisar; man, ou nio se tem praticado
algama operago nesta grande capital, no espago
de 16 mezas, oa entad os collegas se resentem de
culposa negligencia no que respelta ao progresso
da sciencia.eao interesse da humanidad*, que lan-
o direto tem a nossa dudlcagio ao esludo e ao
melhoramenlo da pratica. Nada se tem publicado
nem consta tal respeito.
E' provavei qae a primeira hypothese seja ver-
dadera, isto de nio ter bavido em desesseis me-,
zesneabomaoperagio cirnrgica, que exija o em-
prego dos anestbesicos, o qae prova o estado lisoo-
geiro da salubridade relativamente as molestias ci-
rargicas em ama popula?io talvez soperlor a cem
mil almas 1
Quioto ao medico oa cirarglio qae primeiro em.
pregoa em Peroambaco o etker e o chloroformio,
soa informado de qoe o crlraeiro qae dea noticia
tratando de assumpto to de minha especial predi-
lecgio.
Como disse, pretendo boje oceupar vossa alteo-
go com alguns defeitos que eocbergo na educagio
e ua instruego da mocidade ; defeilos que- urge
cotrigi-los a bem do futuro do paiz.
I
Quanto a educagio, devo comegar ponderando
qae, em geral, nao ella, no ensino, discriminada
da inslracgo propriameote "dita ; quando, na es-
sencia, so realmente disuadas; posto que mar-
chen! e se deseovolvam de par, e quasi sempre
to estreilamente ligadas e mutuamente ajudaodo-
se, qae oo fcil dlstiogai-las ou separa-las oa
pratica ; sendo qae,oa accepgao commum, pela pa-
lavra educagio se exprlmem gerameote os dous ra-
mos do ensino.
E de semelbante confusio procede em parte a
degenerago dos costumes; porquanlo os encarre-
gados do ensino eotendem, no geral, enmarido sao
dever, cultivando as fatuidades iolelleclaaes dos
meninos, ensinando-lbes artes, lettras e selencias;
tem se lembrarem da parte mais Importante de sna
missoa moral e religiosa.
Permitli, senhores, qae eu insista am poco oes-
te pooto, pela cooviegio qoe nutro de ser muito
mais proveitosa ao paiz ama mocidade moralizada
e tornete a Deas, do qae ama mocidade replecta
de iostruegao, porm licenciosa e libertina, sem
moral e sem vlrtade. (i)
Depois de assim em largos tragos haver assigna-
lado as priocipaes differengas entre a educagio e
a insiruegao propriamente ditas, passare a apon-
tar per summa capita os defeitos qae noto em ama
e oulra.
Senhores 1 O que voa dizer-vos sobre o assump-
to oio aovo, aera ignorado;est na sciencia e
conscieocia de toios -.porm oio ha muito quera,
esqueceodo sociaes conveniencias, queira lomar a
si o oobre e booroso encargo de levar o dedo a
ebaga, denuociar claramente o mal, e procurar-
me o remedio, ou ao menos bradr e rebradar por
elle.
Nlnguem pora cerlamenle em davida que a edu-
cagio dos meninos deva comegr desde a primeira
infancia: e foi essa a misso qne Deas confien
aos pas, e mas particularmente as mais.
Entretanto qual ser a m ou o pai que possa
ergoer-se e dizer seguro : ea teobo corapndo
oeste pooto o preceito dlviao Y I
Quem poder afflrmar qae tem seguido o coose-
Ibo do sabio:Se meamos nossa sement desde pe-
la ruanbat 1
E entretanto o menino, como diz o sabio Gan-
they, desde a aurora de seus dias deve ser dirigi-
do com prudencia; deve oavir constantemente pa-
lavras de vida : pois s assim, seas seotlmealos)
seus gotos, seus hbitos, suas esperanzas, se pe-
oetraro de ludo quanto ha de bom e de bello. E'
sob estas santas iofiuendas que elle proseguir fe-
liz na carrelra da vida, e feliz alcangar o termo
della.
O evaogelbo que a palavra annuaciada aos po-
bres, lambem o qae convem aos meninos. Seu
espirito se abre mais depressa do qae se er as
verdades santas, as qaaes lbe causam impressdas
geralmeote inextinguives.
Urna educagio comegada sob taes principio*, e
continuada na escola por mestres dignos da misso
de que se oceupam, em breva regenerarla a socie-
dade mais corrompida I... Mas, quo longe esta-
mos disso ?
E o que eu disse dos pas, nio poderia dizer
igualmente dos mestres em geral t
Quantos so os mestres qae caidam com a ne-
cesaria seriedad na educagio moral religiosa
dos discpulos ?
Quaos os que se oceupam de iovestigar e estu-
dar aliadamente as disposigdes oaturaes de cada
um, para Ibes dar a direcgo conveniente, desen-
volreado-as ou reprimindo-as, conforme boas ou
ms?
Quantos tem bastante aboegago para vverem
incessantemente ao lado de seus discpulos, apro-
veitando todas as circumstancias que se lhes
apresentem, alim da os tornar amigos da verda-
de, da honra e da virtuJe, respeitosos, carldosos,
e, antes de ludo e sobre ludo, cheios do temor de
Deas? I
Das facaldades d'alma, senhores, aquella de que
os pais, como os educadores, se deviam mais parti-
cularmente oceupar, a vontade; pois segundo for
olla bem ou mal dirigida, assim ha de ser mo ou
bom o carcter do homem.
E quantos pais ou mestres diriera, como convm
a vontade de seus til tos ou discpulos?
Aluda aqui muito a proposito vem citar algumas
tahas do citado autor.
i Quando a vontade cede freqaentemente aos
mesmos desejos, estes desejos tem urna tendencia
a reproduzirem-se, e tornam-se porianto em indi-
nacoes.
< Os actos da mesma especie maitas vezes repe-
lidos tornam-se em hbitos: es hbitos da vonta-
de eis o aue constitue o carcter do bomem.
As inclinagoes que se apoderam d'alma, de mo
do a snbjnga-la e perturba-la violentamente, to-
mara o nome de paixoes, as quaes, qaando se nao
contrariara em tempo, obscurecem a razio e tur-
nam-os verdadetros tyrannos.
E' assim qae urna boa direegio da voDtade, tor
oaodo-se um habito, constitue a virtode; e orna
direegio contraria prodoz o vicio. >
Toda a boa educagio, pois, deve comegar pela
vontade.
A mxima dos mogos de boje(fallo sempre em
pral, salvando as honrosas excepgos) :estu-
dar os preparatorios no menor espago de tempo qae
for poisivel, e conseguir, os nao sabendo embora,
urna matricula era qualquer academia, com tanta
oae seja depressa, e maito depressa, anda que
atravz de empenbos, rogos e vergonhas de toda a
especie I
Ha algons annos dzia eu fallando deste ob-
jecto :
De muitos e graves defeitos resente-se a edu-
cacio que se da' a' mocidade; e entre nos faz-se
tristemente notavel nm por demais funesto, e com-
promettedor do futuro deste nosso caro Brasil :
quero fallar do afn com que accelerada e mal
soffrida corre a mocidade por sobre os estudos pre-
paratorios, em bu'ca de urna matricula em qual-
quer academia ; afn que deploravelmeote fomen-
tara, aoimam e ajadam muitas vezes os pais, car-
regando seus lillios de poderosas cartas de empe.
nho, am de serem approvados.
Donde provm matricularen) se as (acuidades
meninos de 13 a 13 annos de Idade ; e estar o paiz
ingando-se de doutores de 20 a 21 annos, baldos de
prudencia, e de habllilages Iliterarias e scienti-
ficas.
O qne temos a esperar, meus amigos, o qne tem
a esperar o paiz, de ama mocldade assim prepa-
rada ? I
Refiedi agora oo papel disuado qae aguarda se-
guramente aquellos mogos que, sera muito se in
quietaren) sobre o lempo a gastar dos estados, ti-
verem a coostaocia e o bom senso necessarios para
fazerem aprofundados estados de todos os prepara-
torios.
Apenas matriculados em qualquer facoldade,
ser-Ibes ba dado lagar distincto entre os seus colle"
gas, cujas attenges para logo conqolstaro : den-
tro em pouco tero graogeado as sympalhias e ami-
zade de seos mestres : e afioal, terminados os es-
tudos, abrem-se-lbes por si mesmas as portas de
todas as posiges; e em vez de, como os individuos
carecedores de mrito, mendigaren) empregos de
segunda e terceira ordem, sio elles ao contrario
procurados para os mais importantes :qae assim
o privilegio do verdadero mrito, de qne vos po-
deria ea citar numerosos exemplos.
Qae idea farieis vos da pessoa que pretendesse
levantar um edificio sem alicerces, ou com alicor-
ees de barro ?
Pois a mesma deveis fazer daquelles mogos que
se propem seguir a carreira das lettras, esperando
ter nella feliz succedimento, sem baverem feito so-
lides e reaes estados dos preparatorios, base indis-
pensavel, em qne tem de assenlar o edificio da soa
lostrucgio.
Sempre, mesmo antes.de lundar esta casa, repro-
vei qae alguem se empeDbasse por approvages im-
mereeidas :e peccado pelo qaal, espero, nooca
terei de bater aos petos.
Havendo ja' oilo annos que dirijo o Gymnasio
Bahiano, anda nma vez nadappareci no recinto da
academia de medicina, em quanto doram os exa-
mes de preparatorios ; e oem orna carta se quer
escrevi aos examinadores (tendo alias entre elles
amigos dedicados) para serem approvados meas
discpulos.
Para serem chamados a' exames, sim, todos os
aooos rae loteresso ; mas para approvados ouoca :
__seria isso desboorar-me perante mioha propria
cooscieocia, e toroar-me portanto indigno da nobre
misso de educador.
Felizmente, porm, enconlram-se ainda pais bas-
tante avisados, que sabem melhor comprehender e
promover os interesses futuros de seus fllhos, em-
penbando-se para qoe tenbam ellos urna solida ins-
Irucgio :e aqai mesmo diante de nos alguns des-
te3 dignos caracteres vejo, os quaes apontaria, se
nao fosse o bem entendido recelo de lhes offender
a modestia.
Simo, porm, nao ur licenga para declinar nesta
importante occasio o nome de um pai modelo, qae
acaba de dirigir a seu filbo, meu discpulo, nma
carta notavel pela sia doutrina e puras verdades
que encerra ;carta, que passo a ler-vos, no intui-
to de que sua leitara maito proveitosa sera' para
aquelles pas qae assaz nao leem reQectldo sobre
os mais seguros raeios de promoverem a ventora de
seas Albos. Que me elle perda esla especie de
violagio, publicando ama carta que cerlamente nio
destioava a' poblicidade.
Eis a carta : .. Q1U
Meu filbo.
ET chegada a poca de prestares teas exames no
collegio; e do resaltado delles devers julgar da
tua capaeidade intellectual e habilitares.
Jalgo-te em idade propria de escolher a carreira
qne ters de seguir no mundo ; e por isso, consol-
taodo a toa consciencia e inclinago, o deves
fazer.
Deixo-te plena e inteira llberdade na escolha ;
certo de que, qualquer que ella seja, ea me esfor-
ca! ei qoanlo poder, para te ajudar, al qae chegaes
a' cooclusio dos teas estados; at qoe poseas eo-
trar na sociedade com a fronte ergnida, e o animo
robustecido pela certeza de que nio s nella um
membro intil.
O maior, sanio anico praaer qoe boje i
de le ver, e a teas irroios, fasean boa L_
mando, prestando a sede lana o* aarvfcaf *a to-
dos lbe devemw, resultando d'ahi proven
oos, e utludada para a commonbad.
Sao astee os mm desejos, nos as*
panbado por la mi Aooiaha, par tote as, e
por lodos aquHes que per nos se MMeanto;
a alna daque.Ha que M w o ser, U alto o cea,
onde a bondad* de Deas tem davida a eettoeon, se
associa a a-, e faz preces ao creador pera oo
elles se realizem.
Tea pal do eoragio
Ceara', 26 de ootobro de 1M5.
Havera' quem conteste a parata verdad
doutrina que se contm nesta jadictesa enra ?
E devia en, deixando-a ignorada, amar a
tos pais da liegao qoe poden tirar de son I
lora ?
Nio merecerei ser absolvido de lio
abuso ?
Bem sei, senhores, que desagrado a i
te exprimindo-rae com lana fraoqoeza
triste situago da educagio e iostroreao da anas
mocidade ; mas eu nao miro a lisonjear a Ma-
guera. Mea m mais elevado ;ea (alie acto nm
do paiz, cuja regeneracao e progresso dsete de to-
do o corago.
Altendei me, pois, eu vos peco, mais alfana ani-
los.
A julgar-se pelo que se v nos dominio* da an>
truegio, vai o reinado da realidada eeieae lo-
gar ao das appareocias.
Bem poucos hoje aspiran a ama solida olroe-
go : o a qne se aspira a um dtotena oal-
qner, embora gaoho sem trabalho, e sen norerl-
menio.
Corre-se no estado das preparatorios : nrre-
se nos cursos acadmicos.
E o que ficam valendo Jootores assim feNos eV
carreira f
Qne importancia alcaocaram na sociedade T
Poderao ser (i*lize ? Tao (lites cono
artista perito em sua arte T
Vos todos sabis quantos doolores desee* i
por abi a fazer a mais deploravel das Aforas l
E, para ainda mais aggravar o mal, Imbroi-sc
o goveroo ceatral, em hora nefasta, de estaantoeer
programmas para os exames de preparatorios esa
todo o imperio, determinando anonalnenia, cana
grande antecedencia, nio s os autores, con* al
os captulos em que devem ser argidos a* exa-
minandos I 1 Picando assim o exame de snaVien-
cia reduzldo, qoasi, is propercoes de nana leeeso
estudada de vespera.
l
II
E desgragadameate ha mestres qne se
geitado a taes programmas, cn-inaodo pelos Rvro*
nelles determinados, e smente os ca pillos fnjdjj -
nados ; com o que nada mais fazen do qoe lis**)
gear a preguiga dos diseipoios, ao nesno lento
qae alseiam totalmente o ensino.
Eu nanea segu semelhaoles progrannas ; pois
sempre rae repugnon a consciencia consentir qoe
meus alumnos evtudassem, nio para saberes*, e atol
nicamente para prestaren) exames.
Nio me desvaoego, senhores, de qoe qaaato abi
deixo ponderado influ maito em bem da edoca
gao e lostrucgio da moridade brasileira ; na* la-
me a consciencia de haver comprido mea dever ;
eso disso roe cimiento.
O mal profunda, e geralmeote sentido, la-
mentado por quaotos sinceramente se ntoronin'
pete progresso do Brasil; pocen poaco***** ja*
se resolvem a denoocla-lo clara e rorajoanenes,
aflm de Ihe ser appcado o heroico renedte de ojo*
oecessita, por anea tiver o oecessario poder.
E' preciso pois abrir os olbos do pait sobre esta*
cousas :porque quinde a opiniio pnbliea recla-
mar devras a morai>aiv) do ensino, ni* na re-
sistir a' sen enramando !
E essa occasio ha de ebegar t
III
Agora, terminando, algumas palavras aos neos
jovens companheirus de trabalbos ; aos meas al-
to presados alumnos.
Queridos meniav* !
Chegou emflm o momento de ajnslarroos nossa*
contas : e espero toma las com jusliga, si ben ojo*
temperada de clemencia.
Ea quizera poder agora esquecer-me totalmente
das pequeas fraqueas de algans de vos, aSm de
a lodos premiar na altara do amor qoe a todos
igualmente consagro : mas si, pnniodo oo per-
doaodo, eu me esqueco ioleiramenle das voseas bi-
tas, para a todos dar mea amor, as vetes al em
grao mais subido >os qne mais peecaran, soa en-
tretanto forgado, na occasio de galardoar os ne-
ritos conforme o precedimenlo, applicagie pro-
gressos de cada um durante o ando, son forgado,
digo, a regular-me pelas notas, boas oo
se acham nos livros de parles das auLs e A
cas de estudo, assim como pelas listas por or
de merecimenio que me apreseotam vossos dig-
nos lentes, meus diatiactos e devolados coopera-
dores." ,
(1) Comprehendidos dous em qaeexerci o cargo
de director geral dos estados.
(2) Depois de se achar no prlo este discurso,
deparei, lendo o Paris en Amertque de Renato Le-
fabvre, com as seguiotes lnhar, que por apoiarem
as rainhas reflex5es, aqai transcrevo :
.....C'est un beaax spectacle qu'ane Jeanesse
Se quanto a edacagad vamos no estado qae aca-
be de esbogar: acerca da iostruegao propriamente
dita, serio mais animadoras as condigoes da ac
tualidade ? Digo qae oo; e accrescento qae, em
vex de melhorarmos, parece qae peroramos senst-
vel mente.
Nio sendo o fim que me proponbo boje tratar
dos diversos ramos do ensino, comprehenderel as
reflexdes que passo a fazer, somente em geral,
aquillo qne se chama insfruccao preparatoria
para a matricnla as diversas academias do im-
perio.
Senhores I Por poaco qae se alteada para a
marcha da insiruegao secundaria, v-se lego qae
de aoao para anno a mocidade se applica com me-
nos fervor aos estudos, no entretanto que cada vez
mais apressada se mostra em matrlealar-se as
academias, embora a po 1 bagues I
E a prova cabal disto esl mais qae patente as
Devo, porm, fazer-le nma observigo : e que
ser-me ha muito mais agradavel ter um filho sapa-
teiro, mas qae salba fazer sapatos com perfeigo,
do que medico ou bacharel em direto, que ignore
como se passa ama receita, oa se faz ama peligo 5
e qae, portento, nio deves esperar a menor protec-
gao da minha parte, para qae obtenbas approvagSes
por empenbos.
Ea farei quauto em mim couber, para proporcio-
narte todos os metes de estudar; mas, quaodo ti
veres de comparecer perante os examinadores, para
lhes dar a prova io tea aproveitamento, coma so-
mente com o fraeto do tea estudo e da toa boa coo-
docta.
/ilbo mea nio lera' por influencia minha ou de
neos amigos, com sciencia minha, nma carta de
empenbo para qae seas examloadores sejam benig-
nos com elle : oteando com desprezo para essa
allovlio de individuos que por ahi aodam com di-
multas reprovages qae annaalmeote se dad em j plomas scientifleos, e que nio passam de grandes
todas as facaldades do Imperio, nio obstante a in- ignorantes; e com indignadlo para aquelles qae
cessante e universal procura da cartas de empe- lh'os conferiram, en jamis cootribuire para que
nhos para os lentes examinadores, etc., cartea qae se augmente o numero.
sio sollicitadas, pedidas e at exigidas, nio s pelos \ O Angoste fea exame de pratlco da costa, sem
examinados, seoio tambem pelos pais e prenles' qne eu para Isso o coadjuvasse ; e qnando eu o
dos mesmos; e al, o que alada mais escndalo- aconselbava para qne se demorasse i
so, pelos proprlos mestres 11
E o que tem prodazldo semelhanie procedlmen-
to, aoimado pela fraqueza de alguus examinado-
res ? ,
qui a le coarage et la foi. Dleu nous preserve de
ses vieiilarda de dix hult aos, qui ne croient a
ren qu'a lear agleme ; ame grangrenes qui in-
fecten! toat ce qu'eiles toucheot, et ne laissent
aprs elles que la corruption el la mort.
lempo, apresentoo-se-me com o respectivo diploma
Tve grande prazer eon isso e testemnnheilh'o
presenteando-o com nm rico relogio.
Creio baveres-me dito qne queras estadar medI-4
cia : se ainda estlveres nessalniengao.oqoe mul-
to approvo, acho bom qae fagas logo algans exa-
mes na academia : isto, porm, no caso de qae os
teas boas tos e perceptor o Jalgaem conveniente ;
Relies, melhor do qae en, o podem avaiwr.
Si algum de vos nao ficar satisfeito eon o pre-
mio qoe Ihe couber,qoe dupltejo* de esforc* a
boa vontade, afirn de no anno seguale ser dassi-
ficado entre os primeiros.
Dir-me-beis que oem lodos teen o don do la-
lento em grao bastaote elevado para aspirar aos
primeiros premios ; mas vos todos sabis qoe aqai
nio se premeia s ao lalento ; sim lamben se*
esforgos constantes no eamprlmenlo dos deveres.
Todos, portan!", podis aqai nutrir ifoaes asai-
ragdes : e dentro em pouco veris a realidad? do
qoe acabo da dizer. Nem lodos os qoe vi* reeefcer
os nraiores premios so os mais habis ; por** to-
dubitavelmenie cerno m mal* snnlirados, to de
mais docilidad* e da melhor procedimento.
Sintoja' soar a hora da vossa partida (
Em breve Iris irisar das ioeffaveis doenras da
lar domestico, ao p de urna mil querida de nm
pai extremoso f
E quem sabe, si no meio.de tantas ventoras ta-
ris nma lembranga sn ooer, para aqnrlle oo* por
tanto lempo, e com rete estremecido, vos soreto de
pai e de mi, nao tendo onlro pensamenln, qo* aa
fosse o de vossa felicidade. nem ootra nrrnpul*
qoe nao fosse a de promore-la ? (
E qne vos dlrpi en azora de mim, ea qo* on*
poda passar um s dia fr.i de vos, ea on* a to-
dos v* amo, como a verdadetros fllho.
Nao vos nosso ctp imir ludo qnaoto ne v;i o*
intimo do peiio ; mas ide certos de qoe
do OS mais arrenles votos ao Ton
de vos livrar das rceasioes 1we todo das ms conpaahias, as qnas
em poucos mementos nodetn niTocar os
de virlude, que com tanto desvelo piantei,
cultivado em vossos coragttes.
aso-
(
PERNAMBUCO -TYP. DR F. DE F. & FUJaV
~ i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EBTN9IRQC_YJ6OY5 INGEST_TIME 2013-09-04T21:36:51Z PACKAGE AA00011611_10888
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES