Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10883


This item is only available as the following downloads:


Full Text



5
.






AHUO ILIl HOMERO 37
I >fo ^m >r a* :+4**4***
Idea tf i-i.'U fas dt ctveco t deilrt d qw
..... S|MO
'teptisasf. #idctecocdcitro d qnartcl 6-o*o
Pnrte Mttrrefo jtrttwiMes .,..,,.,,,,.,. 75o
* %b *.<
SABBADO 3 DE FEVEREIHO DE Ufit

or armo tagt deitrt de 4t lias dt i. Hez.
Porte a correi por ib mo......
......
19jc*
ENCARRBGADOS DA SUBSCRIPTO DO NORTE
Paraiyba, o Sr. Antonio Aleundrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonia Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhio, o Sr; Joaquim Marques Ro-
drigues) Para, os Srs. Gera Ido Antonio Al ves &
Filbos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falcao Oas; Babia, o
Sr. Jos Martins Al ves-, Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinbo.
PARTIDA D)S ESTAFETAS.
Olinda, Cabe, Escada e estacSes da via frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Gravat, Bez9rros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns Iloique, S. Bento, Boro
Conselbo. Aguas Be las e Tacaral, as tercas
feiras.
Pod'Alho, Naiareth, moeiro, Brejo, Pesqneira
Ingazeira, Flore, Vil a Bella, Cabrob, Boa Vis
ta, Ouricury, Salguen o e Ex, as qaartas
feiras.
PARTE OFFICIAL
MIMSTKBI DA FAZKVMi
EXPEDIENTE.
Serinhiem, Rio Portnoso,Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agna Preta Pimenteiras.nas qalntas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do comroercio: segundas e quintas.
Relagao : tercas e sbados as 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphaos: tergas e sextas s 10 horas.
Primeira varado civel:
da.
Segunda vara do civel:
hora da Urde.
tergas t sextas ao meio
quartas sabbades a 1
EPHEMER1DES DO MEZ DE FEVEREIRO.
7 Quarto ming. as o h
15 La nova as 7 b., 33
22 Quarto eres*.*as 2 h.
20 m. e 16 s. da t.
m. e 56 s. da m.
28 ra. e 45 s. da m.
DAS DA SEMANA.
29. Segunda. S. Francisco de Salles b.
30. Terga. S. Adelelmo ab.; S. Martlnba v m
31. Qoarta. S. Pedro Nolasco; S. Cyro m.
1. Quinta. S. Ignacio b. m.; S. Peonio:presb.
2. Sexta, cga A Puriflcago de N. Seuhora
3. Sabbado. S. Tito b.; S. Braz b.
4. Domingo. S. Andre Corsino b. c.; S. Elias b.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 6 horas e 54 m. da manhia.
Segunda as 7 horas e 18 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES
Para o snl al Alagoas a 14 30;
at a Granja a 7 e 22 de cada
do nos dias 14 dos meaos de Janeiro,
julbo, setembro e novembro.
ASSIGXA-SE
no Recife, na Hvraria da praca da
ns. 8, dos propietarios Manoel K
& Filho.
a aptidao necessaha
para as artes, que se ezercitarem^no mesmo arse-
nal.
3. Os que se alistarem voluntariamente, ou
se engajarem com destino arma de artilharia.
4.' Os aihos das pragas de pret fallecidas em
combate, ou m servido, e que flearem abandona-
dos ou sem amparo de familia, ou qne forem vo-
luntariamente apresentados por sens pas ou tuto-
res.
5. Os filhos de pessoas indigentes, ou que es-
tiverem as circumstancias referidas no peragra-
pho antecedente.
6. Os que, achando-se as circumstancias aei-
realisar o pagamento da arrematagao em apolices I roa especificadas, forem remettidos de qualquer
da divida publica gera! de 6 por cento pelo valor, parte do imperio pelos presidentes das provincias
iras passadas e garantidas na forma da lei de 13 ra da corte, que nao tiverem
de novembro de 1827, accomulaodo-se ao prego
da arremalacao os juros de 6 por cento pelo lem-
po da mora.
As flaneas sero prestadas administrativamente,
e com todas as formalidades das angas flseaes, e
as letras sero passadas. perante o tbesouro naci-
Offlcio thesoorana de Pernambuco, declarando nal, como me convier aos interessados, vista das
Bcarem approvadas as avaiiages dos bens do respectivas cartas de arrematagao, qne serao de-
extincto encapellado do Itamb, na mesma provin- volvidas ao juizo dos faltos, com as convenientes
cia, a que se procedeu, em curaprimeoto la ordem verbas, logo que esteja recolbida ao cofre a impor-
do ihesouro n. 40 do Io de margo de 1861, segundo tanda da arremalacao, quer seja em dinbeiro, quer
consta dos autos, que acabam de ser pela directo- em letras. I
ria geral da contencioso devolvidos ao procurador 9. Aos arrematantes a vista sera permitlido
fiscal da mesma thesouraria, nao se estendendo,
porm, esta approvago s avaliages dos engo-
rraos Novo de Goyanna e Paogauh, e da compre- que segundo a cotago da praga do Rio de Janei-: oa per aotondade competente,
henso do Cumb que foram .menos rasoaveis, ro, tiverem no dia em que entrarem no tbesouro | 5 us que por seus pas oa tutores torera;
cumprindo por isso que se proceda quaoto antes a ] nacional onde neste cafo se far effectivo o paga- apresentados para terem praga no deposito,
aovas avaliages, devendo na do priraeiro desses ment. | A JfJ recrutas que
engenbos attender-se ao que ponderou o jais dos ; 10. U juiz dos feitps da fazenda o competen- oe^i annos.
feitos da fazenda, que as ditas avaliages presidio, te, por si, ou pelo Intermedio do julz territorial,
isto separar-se por occasio deltas do prlmelro i mediante requisigio sua para fazer a entrega dos
dos ditos engenhos, o terreno das duas proprieda-' bens arrematados. A elle se dirigrao as represen-
des nelle encravadas, urna do coronel Vianna, e tagnes dos arrematantes ou de terceiros, as qnaes
outra dos herdeiros de Maria de Mello. enviara' ao presidente Ida provincia com sua iofor-
Estas novas avallag5es dos ditos engenhos Novo mago, e com os esclareclmentos, que bouver co-
4e Govaona Pannnba e comoreheoso do Cumb, Ihido sobre o objecto. O presidente resolver' as, Wade, fleando aggregados a companhia dos meno-
----- -'- edirecgodo duvidas que se suscitarem e forem de fcil solu-; res dos arsenaes at a oade de 12 annos, em que
gao, e sujeitar as mais importantes decisio do voltario para o deposito.
ministerio da fazenda, a quem dar' todas e as i 2.* Ser de constitofgo robusta, e propna pa-
mais minuciosas iuformaces, que sirvam a escla- j 'a as funeges de artiiheiro.
recer a questo. 3- Ter 8do vaceinado.
11 0 mesmo juiz nao effectuara' a arremata- Art 4 A instruego dos aprendlzes artilheiros
altribuidas ao joiz e mais fuoccionarios que nter- gao sem levar ao conhecimento do presidente da sera ineorica e pratica.
vierara as referidas diligencias, e que, por ezage- provincia ludo quanto tiver occorrido, que poesa 8 A instruego theonca
rada nao merecen a approvagio do tuesouro. O iofloir na dellberaco [do governo imperial. O pre-, classes, e mprehender :
psito, e segundo programmas organisados na for-
ma do art. 15. O commandante da escola, ou osen
immediato podera presidir aos exames.
A.i IW n i. j______.T.______ _______ _r
ver credite para pagamento da quantia de 6l080,
proveniente da gratlflcago que por offlcio de 23
do corrente mandei abonar ao patro e quairo re-
nao tiverem ldade maior
Art. 3. Para ser admittido no deposito de apren-
dizes artilheiros necessario :
1.* Ter mais de 12 annos de idade e menos de
19.
Os individuos comprehendidos no 4 do artigo
antecedente podero ser admittidos com men>r
podero ser feitas sob a presidencia
juiz dos feitos ou do joiz territorial, por aquello
deprecado, asslntindo a ellas, em todo o easo, o
procurador fiscal ou sen delegado.
E por esta occasio chama se a attencao da
mesma thesonraria para a contagem das c istas
ser dividida por
o official, sendo empregados estipendiados pelos
cofres pblicos, alm da condoegao que a dita the-
sonraria Ihes maodou fornecer, como partieioou
em seu offlcio n. 190 de 2 de novembro de 1863,
nao t'nham por semelhante trbala j direito a ou-
tras vaotagens mais do que a^ diarias para cami
gado do procoTador*fiscal, o escrivo e sidente remetiera' a' slecreuria dos negocios da fa- i Primeirs letras, escrlpU e grammalica por-
zenda teios os papis relativos a arremataglo ,0|oe"-
acompauhados de informagao e de quaesquer es-1 NogSes elementares de arithmetica, incluln-
clarecimentos que possa mioistiar para oriental o do o systema mtrico de pesos e medidas, e prln-
governo imperial em sua deciso antes da qual se, clp'os de geometra pratica.
nao podera' dar por concluida a arrematadlo. ** Uesenho linear.
12. O auto de arremaugo, que se deve lavrar; 4.* Escnptnrago e contabilidade militar,
io "estada" abonadas^po metade, nos termos das em seguida a' praca, velera" como tolo de com-' Doutrina chrisla, ensinida pelo capaila da
instruccoes de 28 de abril de 1851, que se refere pra para o Bm de sujeitar os arrematantes as con- eacola miniar. -
ao regiment de 10 de outubro de 1754, o que sequencias legaes do laneo aceito, sem embargo de 8 2-^A instrucgao pratica comprehendera :
sempre foi praxe no thesoaro, se aeha declarado flear a mesma arrematarlo dependente de appro-
em mais de urna decisio do goveruo, e acaba de! vacio do governo imperial, para sortlr todos os
de ser decidido sobre consulta da secgo de lazan-1 sens effeltos em relagao a' fazenda nacional,
da do conseiho de estado. 13. OMida a approvago do governo lesa' lo-
Quanto, porm, aos avaliadores posto que nSo gar a entrega dos bens arrematados, dndose aos
percebam veocimentss pelos cofres pblicos e te- arrematantes como de estylo, ttulos de posse e
dominio, que sgro registrados na thesouraria de
fazenda e nos quaes sera' infera como clausula
no caso de arrematagao a praso qne os bens Acara
hypotnecados a' fazenda nacional para pagamento
do debito contrahido pelo arrematante
nham por isso direito aos respectivos emolumentos,
alm das refer las diarias por intelro, ludo Ihes
devera ser contado pelo supracitado regiment de
10 de outubro de 1754, especial para a fazenda
nestes casos e cujas disposigSes fazem parte inte-
grante das instruccoes de 28 de abril de 1857, em
que foram textualmente transcriptas.
Se, pois, em consequencia da coma a que se
1.* Nomenclatura je todas as boceas de fogo,
das differentes especies de viaturas usadas .oa ar-
tilharia, da palamenta, dos projectis e das muni-
g5es.
2. Nomenclatura da carabina, do mosqaelo e
do equpamelo respectivo.
3." Limpeza, armamento e desarmamento do
mosqoeto e carabinas. ,
4." Nog5es sobre, o Uf das Doccas de fogo, mos
quetoes e carabina!.
5.* Uso das alga* e methodo pr tico de calcula-
las. ;
6." Apreciagao das distancias pelo methodo pra-
tlco.
7.* Calclo de espoletas.
e limpeza da artilharia e pro-
jectis.
9. Carregamento das granadas.
-<40. Confecci de cartoxame, nao so de artilha-
ria como de todas as armas.
11. Determinacao p r meio pratico, do vento e
das boccas-de fo-
eriOcagao dos defeitos pro-
s quaes dar a the-. pcavel. Se nao aceilarem, disso mesmo se lavra-1 veD'en{?* *J 'Ti?r'ma,nc
toca, prompta execu- ra- termo e os bens serio postos eu leilio goar- j* 'D',nn.0!
avaliagSes, a que ora faiiS l0(Jas a? disoosiges antecedentes. *eios ae encra,ar 8
de artilharia.
e desencravar a artilha-
Art. 2. Njs termos da resolugio n. 778 de 6 de
setembro de 1854 o juiz dos feitos, antes de abrir
a praca e licitacao sobre os bens e trras de que
alinde se bouver pago a algum ou alguos dos refe- se trata, mandara' afrontar pelo prego da respec- / uaicuio ae e
ridos funccionarios importancia maior que adevi- tiva avaliago a' pessoa ou pessoas, que por qual-!. uonservagao
da, e constante da nota que se Ihe remelle, far a quer titulo se acharem na posse delles ou tiverem
mesma thesouraria indemnisar mmediafamente o| bemfeiiorias as trras.
cofres pblicos desse excesso. Se os detentores aceitarem, flcarlo'os bes arre-
Outrosim, cumprindo dar aos bens do extincto matados, pendendo toda via, essa arrematagao da
encapellado de Iiarab o destino determinado na approvago do governo, nos termos dos 11 e 12 ..*,;'"^''^u^.Li*HZZ
lei n 586 de 6 de setembro de 1850, nesia data doHi. Tntecedeote' procedendo-se ulteriormente S'SJSJS^SHSS
autorisada a venda desses bens, conforme as ins- na conormidade destas mstruegoes no que fdr ap- |7,25?X!, Terinca5a
truegoes abaixo transcriptas,
sourana pela parte que Ihe toca
gao; couviudo que as novas avaliag5.-, ..-,,v|li, ,_________
se manda proceder sejam fetas com a presteza ArI. 3.. 0 act0 .j^ venda em praga, logo que se-1 -. d (
indispeosavel, de forma que possaro esses bens ser ja appr0vado pelo governo imperial, exonerara a | "'ht"JV?.ff '
tambera arrematados.com os demais do enea- faienda nacional d toda e qualquer responsabili- q "Jj "3n a .*"ft "t
dade em relagao aos bens arrematados.
Se, porm, 00 acto da entrega judicial dos mes-
mos bens se verificar a falta de algum dos objec-
tos descriptos no inventario, far-se-ha na thesou-
raria de fazenda mediante requisieao do joiz, o
competente abatirnento 00 prego da arremalacao,
00 se restituir' ao arrematante o valor do objecto
encontrarado, caso ja' o tenha pago.
Nos casos de accrescerem, ou de se acharem no
acto da entrega objectos nao descriptos, o juiz fara'
tomar nota delles, proceder' a sua avaliago e os
deixara' depositados em mi do arrematante da
ou a praso, conforme o art. 4o da lei n. 586 de 6 de proprledade fazenda, ou comprebeosSo a que taes
setembro de 1850. ; objectos pertencerem ou os pora' em nova praga
1. A venda ser feita em hasta publica, cele- qaAnt0 0 dito arrematante nio os qoeira pelo pre-
brada no lugar da situagao dos bens, e presidida ,.,, ja arrematagao, oa assim o entenda convenien-
pelo juiz dos feitos da fazenda, ou pelo juiz ternto- te 0 mesmo jmz.
rial por deprecada daquelle, e, em todo o caso, rl. 4.0 Qs bens que nao f&rem arrematados por
com assistencia do procurador fiscal ou seu dele-j ,a, de licitantes, pdenlo ser mMUM -j" ^"^^0 sVr 'escoihidos (Tentre
ad0- d-se com m,ls conveniente fdr, as farendas em; > h TlJEl ti ados d.entra M d0S
2. A' arrematagao precederao ed.taes com o sesmarias e estas em lotes. O governo, porm po- rp",de ,rlfiS'qS tverem bon,"omporte-
praso de tres .metes, os quae manda;* o ju.z affi-1 aera' faser arrematar em qualquer .lempo os bens | cornos "^ffinTlS^V^ Dos
ri LrrSSSif os exames a commissao organ- madores do escaler da repartigao da saude do por-
sara por ordem do merecimento urna relagao dos -
que se acham habilitados para serem transferidos
para a classe superior. A' vista desta relagao se-
ro organisadas.as classes para o futuro asmo.
Art. 19. O commandante do desosito propori an-
nuaimente ao ministerio da guerra,, por interme-
dio do commandaote geral da artilharia, os apren-
dizes que por seu confportaraento, applicago e me-
Ihur elassifleagao oblida nos exames annuaes de-
va m ser matriculados no curso preparalori) da es
cola militar, nao excedendo de tres o numero dos
propostas. Esta proposta devera ser informada pe
lo commandante da escola.
Art. 20. O aprendiz artiiheiro que fr por duas
vezes consecutivas reprovado em urna mesma ma-
teria, ser transferido para um corpo qualquer de
liuha e excluido' do deposito.
Art. 21. Quaodo algum aprendiz artiiheiro, de-
pois de ter completado a idade de 19 annos, fdr
Dita. O presidente da provincia
mear o bacbarel Antonio Borges da Pe
nior para o lugar de promotor publico 1
lo desta capitel, pelo"serrco'quVp"r"es"raa"m;sun fcSSL, rSST '"rJS ^*"*
do de promptidao por espago de 9 ds para, no 1^^ "
caso de virem pessoas atacadas do cholera uwrbus' hZ "T. ,-..- a.
dos vapores transatlnticos serem ellas conduti-!de aftl" ,*[* iSSLL1^
das ao lugar destinado para as receber, mande V. ^STTSJSKVSSST2"2 '
S. effectaar esse pagamento sob m.nha responsa-11"' rJSlu d,0,m.,nQl,SlerO iT'LM
bilioade nos termos do art 3 3 1- do decreto n q 8a1e8P'a do snl o aospegafe do eorao do
2,884 do I- de fcwrelS de IM 11"*0 Pan,?,eio "S da Triodade
D.to ao mesmo-Reslituindo a coma documen- i J2** ***} "
tada, que veio annexa ao seu offlcio de 27 do cor-1E*****A*"U*
rente, sob n. 53, relativa as despezas, na importan- i na '-""''fr ... _
cia de 1:568*032, fe.tas pelo juiz de'direito da co-! Z-^-Wg! >!%'
marca de Cabrob, Dr. Antonio Ba.rque de Lima,|^SiSSrSjPS^SZTSwt
Fernando de Noronha, em navio de vete
algum vapor que para all seguir, os 1
tantes da relagao junte, assicsnda pato 1
do governo a serem entregues a
Vieira da Silva, nao podendo porm
desembarque dos ditos objectos sem que 1
do commandante do mesmo presidio ae p
exame afira de verificar se ba agurdenle 1
com os voluntarios da patria, que vieram da villa
do Ouricury para esta capitel, tenho a dizer em res-
i posta, que nao obstante as r zoes a presentadas
I pela contadoria dessa thesouraria, mande V. S. em
vista do que pondera o mencionado juiz de direito
I em sua informagao de boje junte por copia pagar
por seus exames julgado habilitado para exercer a mencionada quantia, podendo esse pagamento ser
as funegoes de artiiheiro, o commandante do depo-; efectuado sob minha responsabilidade nos termos
sito participar ao commandante geral de artilha- do decreto n. 2,884 do de feveirero de 1862, vis-
ra, por intermedio do commandante da escola mi- to nio haver credW para esse fim, segundo cons-
ular, dando circomstanciadainente informgoes so- ta de seu citado offlcio
b,D.rf22nk apr'Dd,,n ^ ia I Di,oao mesme.-Se nao houver inconveniente,
Paragrapho nico. O commandante geral da ar- mande V. S. pagar ao gerente da Campaohia Per-
lilnana indicara ao governo, por intermedio do Dambncana, que assim o solicita em offlcio de hoje
ajudante general do exercito, o corpo de artilnana a quantja de 11:1664666, proveniente da subven
onde devera servir o referido aprendiz, podendo Qa0 correspondente ao mez cadente com qoe o go-
M inferiores ser transferidos no mesmo posto que: verno auxilia mensalmente aquella companhia que,
do enca-
pellado.
Ministerio dos neizocios da fazenda.Rio de
Janeiro, 30 de dezembro de 1865.
Jos Pedro Das de Cirvalho, presidente do
tribunal do ihesouro nacional, ordena que para a
execocao da lei n. 586 de 6 de setembro de 1850,
se observem as seguiotes instruccoes:
Art. 1." Todos os bens de raiz, movis e semo-
ventes que pertenciam proprledade do extincto
encapellado de Hamb, cujas avallacoes se acha-
rem approvadas pelo governo, sero arrematados
e veadidos a quem maior prego ollerecer, a vista
15. Manejo e ezercicio ao alvo com o mosqueteo
e carabina.
16. Escola do soldado e de peletio.
17. Pratica da escripturagio e contabilidade de
companhias.
18. Esgrima e gymnastica.
19. Naiaco.
Art 5. O deposito de aprendizes artilheiros da
Praia Vermelba, ser considerado de 1." ordem.
Art. 6. O deposito de aprendlzes artilheiros se-
r organisado era companhias do modo segointe :
1. Por cada 100 pragas urna companhia.
2. As pragas que excederem de 100, emquanto
nao completaren) este numero, formaro urna sec-
go de companhia
Art. 7." Alm do commandante e dos comman-
dantes de companhias, havera dous ou mais offl-
ciaes e pragas de pret em numero necessario para
:-:r,sr, s szsv z ,oh""ei e c""
! as pragas do deposito, ou tirados d'entre as dos
tiverem no deposito, conforme seu comportamento
civil e militar.
Art. 21 O aprendiz artiiheiro, quer voluntario,
quer tenha sabido dos aprendizes menores, oa do
corpo e companhia de artfices, servir no corpo
de artilharia que ihe fdr designado o lempo mar-
cado pelo art. 10 do regulamenlo de 3 de Janeiro
de 1842.
Art. 23. Os aprendizes artilheiros sero nos cor-
pos preferidos para os lugares de inferiores.
. Art. 24. O deposito licara sujeilo ao rgimen,
economa e disciplina da escola militar.
Art. 25. le) aprendizes artilheiros serao alojados
conforme soas idades, de sorle que os maiores &
quem separados dos menores.
Art. 26. Aos aprendizes artilheiros se abonad
soldo.de artiiheiro.
I 1." Do sido sera' entregue mensalmente a ca-
da um aprendiz urna terca parte, sendo as oulras
duas tergas partes levadas a urna calza econmica,
entregando-se ao mesmo aprendiz urna caderneta
para com ella, se assim Ihe convier, naver o seu
pagamento, quando fr transferido para qualquer
corpo de artilharia.
2." Quanto ao sustento, vestuario e trata men-
t observar-se-hao as dispsigdes dos artigos 5 e
6 de ja' lado regulamenlo de 3 de Janeiro de
1842, servindo de quartel-mestre e mesmo da es-
cola militar.
Art 27. O uniforme dos aprendizes artilheiros
sera' catado brim branco ou pardo e de panno
azul; Mu* de baeta azul"para 0 Invern; de pan-
no azul e de brim escuro para o verao, leudo estas
em cada manga, na parle superior do braco, cinco
liras de ganga ou de ia carmesim, e de cada lado
da gola urna granada de panno da mesma cor, de-
vendo os botOes serem amarellos: os mesmos
aprendizes usaram de bonet de panno, tudo confor-
me o figurioo annexo.
Paragrapho nico. Serio distribuidas a cada
aprendiz as pegas de tardamente constantes da ta-
bella annexa.
Art. 28. Aos aprendizes artilheiros menores de
quer quer bebida espirituosa.
segundo consta do predito offlcio cumpno com suas
obrigagoes em todo este mez.
Dito ao mesmo.Providencie V. S. para que ao
Dr. Jos Leandro de Godoy e Vasconcellos seja abo-
nada, como pede no incluso requerimento, a ajuda
de custo que Ihe compete como deputado assera-
bla geral legislativa por este provincia.
Dito ao mesmo.Estando em termos o pret jun-
to em duplcala, e nio navendo inconveniente, man-
de V. S. pagar a quantia de 634000, corresponden-
te as etapes abonadas, a contar de 12 at 26 d i
OVERW
Expediente o dia 26 de Janeiro.
Offleio a cmara muoicipal da cidaoe de I
Acensamos o reeebimeolo do offleio de Vv.
datado de 24 do correte, no qnal
cam, qoe a IIIma. cmara manicipal f
dignara commissionar a Vv. Ss. para eo
felicitar-nos pela nossa felix th.egada e .
diocese, pedindo-nos ao mesmo lempo a 1
do da e hora para este Um.
Agradecendo desde j lio subida boara,
coranosco quer baratear a lllma. cmara,
mos o dia 27 do correrte das 9 s 4 horas da l
ou o da 29 s mesmas horas.

Sabendo nos, qne se vai inirodasfado eetfre os
crreme mez, aos 15 recrutas consuntos do men-; nossos diocesanos oreprehensivel costume de saki-
cionado pret, os quaes vierara de Panellas de Mi
randa e foram destinados ao servigo do exercito.
Dito ao mesmo.Altendendo ao que no incluso
requerimento pede o bario do Livramento, recom-
mendo a V. S., que mande resUtuir-lhe a quantia
de 1534300, que pagou de direltos na alfindega
desta capital tres encerados que mandn vir de In-
glaterra para as salas do palacio da presidencia.
Dito ao mesmo.Mande V. S. abonar a ajuda de
custo que compete ao deputado a assembla geral
legislativa por esta provincia, Dr. Francisco Carlos
Brandio, que tem de seguir brevemente para a
corte
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Declaro a V. S. para os fins convenientes, que em
o 1* do corrente apresentaram-se effeclivamente
para o servigo, os 10 guardas e um inferior, que
por offlcio de 23 de dezembro ultimo, mandei des-
tacar na cidade de Nazareth, disposigio do res-
pectivo delegado.
Dito ao mesmo Tendo seguido para a corte no
vapor Santa Cruz, no dia 27 do correte, afim de
reunirem-se ao corpo de polica desta provincia, o
cabo de esquadra Claudino Jos de Souza e soldado
Jos Joaquim do Espirito Santo, do mesmo corpo,
os quaes foram papos dos seus venc mentes at o
da 26 desle mez, como consta da guia que os
acompanhou; assim o commuoico a V. S. para seu
conhecimento.Offlciou-se oeste sentido a thesou-
raria de fazenda.
Dito ao mesmo.Mande V. S., em vista da in-
16 annos podero- ser applicados correccionalmen-1 c|osa conlaj pa.Jr a Mai)0e| pioueira de Faria &
te pelas faltas que commetterem, castigos modera-1 Fimo a qu,nta de |ft proveniente da impressao
dos e prisio solitaria com, ou sem jejum, eonter- de 120 exeraplares do decreto n. 3,535 e de coo
me a gravidade do delicio ; os maiores daquelia
idade ficarao sujeitos aos mesmos castigos que pa-
ra idnticos delictos se applicavam aos artfices.
Art. 29. O commandante do deposito nao pode-
ra' applicar castigo algum sem permissao do cora- > l3nio em ,ormos 0 pret janl0 em dap||Cala; e nao
mandante da escola militar, salvo o de reproben-, havendo inconveniente, mande pagar a Antonio de
s*0- Albuquerque de Hollanda Cavalcaoll, conforme so-
Arl 30. Os aprendizes artilheiros que, por mal l |,c,ou 0 commandante superior da comarca do
morigerados, se mostraren incorngiveis, sr9o ex-1 Brejo, em offlcios de 5 e 15 do corrente, os venc-
pulios do deposito e transferidos os menores para mentos a conlar de 20 ie UOTeinbro do anno pro-
sulta do ministerio da justiga de 23 de setembro
ultimo para o expediente da secretaria do go-
verno.
Dito ao mesmo.Recommendo a V. S. que, es-
ura deposito 00 escola de instruego, afim de ser-
ximo passado at 4 de Janeiro cadente, do deste-
ten) po os bens
zar na capital da provincia e era todas as povoa-. arrendados, dando preferencia," tanto por tanto aos I rjK" """ JKrTJ tocc^de'sTciWrio'
goes do muniepio da stuago dos bens, devendo, I arrendatenos. _, IJJ'*" d?^2S ermano
alm disto, serem publicados, doratte os referidos, Art. 5.. Os pleitos, qoe nascerem da arrematagao, uult ** t "',.,;
tres meses, e ao menos urna vez em cada semana,; dos bens do encapellado, assim como aquelles que
annuncios em todas as folhas da provincia de j 8e moverem a respeilo do activo e passivo delle,
Pernambuco, e as de maior circulagao da Hrj considerados^ da fazenda nacional e como taes :ac]|V0
C6Sepraso de tres mezes de que trata este.peragra-Pf^tA siz. devida das arrem.tegoes de ^\jjj*m |gg g ar"T.StedsSePo?:
pho comegar correr da data do pnmeiro edital se ,raU> ^ conforme as disposiges em vigor, "mma8 mstruegao, aos reguiamenws
, w Por metede ^%^^ 3-:_ Propr, por intermediodo .comra.udante?_e-
adiantera' ao procurador fiscal respectivo as quan-
Art. 8.* Compete ao commandante
l. Exercer v,gilancia, e fisoalisar tjdo o servi-
go, quer administrativo, quer disciplinar ou ins-
apital de Pernambuco.
"f-i" ^os ed',aes e annuncios sero annunciados'
mu Japeciflcadamenle os bens, que houverem de tias pfeci8ag para pagamento das diarias para ca-
eer arre^audos declarando-se suas denorainaco&s, minho e estada, e mais despezas com o processo da
lugares Vm que forem situados, a extenso de arrematagao, que tiverem de ser abonadas aos em-
terreno que conliver cada propriedade ou fazenda, pregados do juizo territorial, quando nio seja essa
se as trras sio de lavoura ou de creagio, o nume-1 diligencia praticada pelo juiz e mai fuoccionarios
ro de escravos, de cabega de gado, edificios e mais do juizo privativo da f.uenda, ficando para isso
obras, movis ele., com o prego especial de cada aberto a' mesma thesouraria o crdito de seis con-
urna dessas classes de bens. tos de res per conta da rubrica, eventuaes deste
S As diversas propriedades e comprehens5es ministerio no correte ezercicio.
avalladas, qoe constituan) o eztiocto encapellado: ^ft. 8. Fieam revogailas quaesqner dlspos\g5es
poderio ser arrematadas conjuociameote, isto o,! em contrario.ios Pedro Diat de Carvalho. 1
formando cada urna um s lote com tedas as suas ; a' presidencia da dita, provincia transmlltin-
pertengas como edificios, escravos, machinas etc., do copia das instrucgSes cima transcriptas para
00 na falta de quera assim as arremate, podero; ordenar a sua ezecugo, tendo em vista i disposi-
ser divididas em diversos e menores lotes, como gao do 8 5* do arl. qoe leen por base a do J 2
mais conveniente fr aos inters da fazenda, prece- do art V da lei n. 586 de 6 de setembro de 1850,
dendo autorisacao do presidente da provincia, po- recommendando-se a expedigio das mais termi-
dendo os beos movis e semoventes de urna serem nantes ordens nao s para que sejam com a maior
distribuidos pelas outras, e tambera dividirem se; presteza designados os terrenos que devam reser-
as trras de urna comprebensio pelas outras, e se | var-se para logradoaros pblicos e abertura de
isto convier aos arrematantes e puder facilitar a j estradas, mas igualmente para que nessa designa
arrematagao. gao se nao ezcedara os limites de urna justa e bem
As ierras, que, por sua extenso nae acharem entendidajjecessidade.
promptaraente licitantes, podero dividirse prece-
dendo igual autonsagio, em sismarlas, e estas em
pequeos lotes, queressas trras sejam de cultura,
SXTervar-se-hao as povoagoes e freguezias' lnstrucifitt expedidas peto hmIt-io da 1
SUfflSTERIO BA CEBRA.
virem de tambores, pipharos ou cornetes, e os camento de guardas nacionaes ezlstentes na villa
maiores de 18 annos para qualquer deposito dede Pesqueira.-Commnnicouse ao commandante
disciplinagem precedendo o competente processo 1 superior da guarda nacional do Brejo.
ou conselho de disciplina. Dito ao commandante superior da guarda nacio-
Aru 31. Os aprendizes artilheiros que deser-1 nal de oiioda e Iguarassii-Mande V. S. postar em
tarem ficarao sujeitos as penas que sao impostas frente da igreja de S. Sebastlo da cidade de Olin-
aos aprendizes menores dos arsenaes de guerra, da no dl 2 de fevereiro prozimo vindouro, as 9
na forma do arl 12 do regutamento de 3 de janei- noras da maoha, urna guarda de honra tirada do
ro de 1849. 9* batalhio de infamara, afim de assislir os actos
Arl. 32. o deposito de aprendlzas artilheiros da festa de N. S. do Bom Parto,
nao havera' eadetes. Dito a commandante superior da gnarda nacio-
ArL 33. Nio sera' permittido ao aprendiz art- na| do Pao d'Alho.Deferindo o requerimento do
Ibeiro licenca para se casar emquanto estiver no 1 gQarda nacional do batalhio n. 16 de intentara
deposito.
Art. 34.
Em pocas que o ministro da guerra
des-e municipio, Jos Quirino de Souza resolv
despensa-lo do servigo de destacamento para que
5'
os terrenos necessario para logradouros pblicos e
abertura de estradas e destes do sua extenso,
situagao etc., dar o Jalz minuciosa eoota ao presi-
dente da provincia para que tenha lugar a sua
encorporagio aos proprios provnclaes.
6. S sero aceites langos daquelles licitantes,
"sobre a organitacao dov depsitos de aprendizes
artilheiros. +
Gabinete do ministro.Ministerio dos negocios
da guerra.Rio de Janeiro, |em 3 de Janeiro de
Na conormidade dos artigos 3. e *. do decreto
aso, que depositarera previamente e n. 3,555 de 9 de dezembro de .1865, ordeno que na
a titulo de sigoal em puder docollector ou na tbe- organisagio, adm.n.stragi.0 econonia e errieo b-
souraria em dinhero, bilhetes dos bancos, 00 apo- terno e externo dos depsitos de aprendizes aru-
lices da divida publica um valor igual a quarta Iheiros se observem as segrales instrorcei1.
parte do prego Jos bens que pretenderem. Desta Art. !. O deposite de VfMa," d'd!
clausula ficarao dispensados os licitantes a praso qoe trata10 irt..8.' do decreto 0.3,555 de 9 de^de-
que se aeresentarem com seus fiadores competen- zembro de 1865, tem por fim especial 'oranrene-
eraeote habilitados, nos termos das presentes fes de pega e bons *".J^'6>?rl'"Jjt
instruccoes. I ferente corpoe de artilharia, como para o servteo
8 7.-'Os valores depositados na forma do para- das bateras das fortalezas e sera eslabeleclo
grlpho antecedente, serao restituidos quando fr uesta corte, na fortaleza da1 Praia Verajhj.
enirMoe a thesouraria de fazenda em dinheiro ou Art. 1 Poderlo ser f-m'ttido3 ao deposito de
era letras o prego da arrematagao, cor-rendo por aprendlzes artilheiros e uno nehe ^a-
conta dos arremalaetes os prejoizos, pontee | As actnaes pragat do corpo e companhias
damoos causados pela demora, ou recusa no rece
bimento dos bens arrematados.
deVtifices que nio passt rera para a companhia
de operarios, coartante qtte tenham bom comporta
8 8.' O tencador a praso, alm de prestar flan- mente civil e militar.
1 idnea, Suara' pelo prego da arremaiasao le- 6 0 Mcebos arutoes do mm a? iner
ral da artilharia, e com informagao do comman-
dante da escola, as medidas que julgar convenien-
tes para a boa marcha do servigo, e para o pro-
gresso e disciplina dos aprendizes.
4. lostruir os aprendizes na parte pratica da
artilharia.
5.' Fazer os pedidos dos objectos necessarios.
6." Apresentar annoalmente um relatorio em
qoe se mencionem todas as oceurrencias e se pro-
ponliam as medidas convenientes,- as allerages e
melhoramentos que devera ser atteodldos, tanto
para o enslno dos aprendizes, como para sua dis-
ciplina, bem estar, etc.
Art. 9. Ao instructor que servir de ajudante
compete receber e transmltlir as ordens do com-
mandante em ludo que fr conveniente ao servigo
do deposito.
Arl. 10. Ao instructor que servir de secretario,
e qoe ser ao mesmo tempo o archivista, compete
fazer teda a correspondencia e a escripturagio re-
lativa aos aprendlzes.
Art. 11. Aos-instrumentos em geral incumbe:
1.* Coadjuvar ao commandante na instruego
pratica da artilharia. ,
2.a Observar os programmas e ordens relativas
lo servigo pratico.
Art. 12. Aoscommandantes das companhias com-
peted, alm das funeges de commandante de
companhias dos corpos de linlia as que Ibes forem
designadas pelo commandante do deposito.
Art. 13. As secgfiss serio commandadas por in-
feriores, qne podero ser pragas veteranas dos cor
[os de artilharia, que por seu exemplar com-
portamento esteiam em circumstancias de bem
dirigir os aprendlzes, e de Ihes servir de instruc-
tores.
Art. 14. A instruego theorica poder ser dada
por qualqner empregado do rragisterio da escola
militar, mediante urna remuoerago especial, que
Ihe ser arbitrada pelo ministerio da guerra.
Art. 15. A instrucg&o, tanto theorica como pra-
tica, sera dada segundo programmas annoalmen-
te organisados pelo commandante do deposito, sub-
mettidos a approvago do ministerio da guerra,
por Intermedio do commandante geral da artilha-
ria, com iQform,igao do commandante da escola mi-
litar.
Arl. 16. Os aprendiies artilheiros farao anual-
mente exames das materias theoricas e pratica
que durante o anno tiverem estudado.
Art. 17. Os exames serio fettos perante ama
commissao nomeada pete commandante da escola
militar, da qual f*r& P|e 9 Wim'UiVM 4? de-
marcar os aprendizes artilheiros se exercilaro ao f0, designado at que se recorra a classe a que elle
alvo na escola do tiro. ; perteoce, o que declaro a V. S. para que mande
Art. 35. Nos casos omissos as presentes ins-, presentar outro guarda em substitoigao aquelle.
truegoes o enraman dan te do deposito, por interme- Djt0 ao director do arsenal de guerra.Mande
dio do commandante da escola militar, propora o y# g. apromplar cora urgencia os objectos requisi-
que julgar conveniente. Angelo Moniz da Silva tados pe|0 commandante do presidio de Fernando,
Ferraz. afim de serem enviados no vapor da companhia
tabella do tardamente que se distribue a cada um i pernambucana de navegago costeira tem de man
aprendiz menor na forma do paragrapho primei-1 dar ao mesmo presidio no dia 4 de fevereiro pro-
ra do art. 28.
Blusa de panno... 1
Dita de baeta..... 2
Dita de brim..... 2
Canutas-----..... 6
Calcas de brim... 4
Caiga azul..-..*. 1
Sapatos.......... 4
Gpavata......... 1
Bonet........... 1
para dous anuo?.
por anuo.
1

4
1
4
1
I
Angelo Moniz da Silva Ferraz.
V 1 i 1 iw -----------
l.OVKMO BA^BOTIS CIA.
Kxpeiienle de dia 3 de Janeiro de 186G.
simo vindouro.
Dito ao juiz municipal da 1* vara desta cidade.
Tendo a companhia Pernambucana de navegago
costeira do mandar um dos seus vapores ao presi-
dio de Fernando, no dia 4 de fevereiro prozimo
vindouro, assim o declaro a Vme. atlm de qne po-
nha a disposigio de delegado encarregado do ex-
pediente da polica, os sentenciados que estiverem
as circumstancias de ser para all remettidos, en-1 j or Manuel Buarqoe de Maceo.
rera algunas pessoas a esmolar petes cidade*, vil-
las o campos eooduxiodo imagera, o boa pono
dido de que i nao poncas irreverencias esa ex-
postas ditas imagens nessas exeuraes : pvolUA-
roos pela presente, o mndaseos aos Rvd*. paroefeos
que em nosso oome prohiban) expreseaaeeaM este
costume, recorrendo, so assim for ai mearte, s
autoridades policiaes, para qne os aoiihVa oa re-
presso de seraelnanie abuso ofieasivo a Saata R<-
ligao e compromeltedor da venerago devida aos
sanios de Dens.
Offlcio ao Rvd. vigaro de Santa Lnzia do lorie.
Foi-nos entregue o offlcio de V. Bvaa. ea qoe.iipeis
de felicitar-nos por termos entrado na pos-e do go-
verno deste bispado, nos declara a iu m f*
V. Rvma. prestados a bem da igreja^ a naxaMa*
da ereegio do cemiterio dessa villa.
Agradecemos a V. Rvma. suas delicadas ezares-
ses ; e loovando-o pelo seu zek a 1
confiado aos seus cuidados, o anlonsaaos a I
a primeira pedra do cemiterio, de qoe tez 1
e bem assim ao m^smo cemiterio de pois de coacta-
do. E poder igualmente gosar da fatuidad* 1
tanle da nllima parte do seu offlcio.
VIGARARIA GERAL DO BISPABO.
Expediente do da 25 de janmo.
Offleio ao vicario do Jardim (reservado).
Dito ao visitador do Bit* Grande do Norte 1
referencia ao mesmo vicario.
-27 -
Circular aos Rvds. paroekos.
O Ezm. e It un. Sr. bispo diocesano determina a
V. Rvma. que se 1 en ti fique ao mesmo Sr. aspo, ea
qoe mez do anno passado leve lugar m o paro-
chia o ultimo jubileo concedido por Soa Sanada*
e que frucio colberam seus fregoeze* Oe o saiuur
graga.
29
Offlcio ao escrivo da cmara ecciesiaetiea.De
ordem do nosso venerando prelado, declaro a V.S.
que se faz necessario qne remeta ao aaao Sr.
bispo, orna relagao circumslaociaaa de qaaaSa oa-
pregados ezistem nessa cmara, o leaao dt ano
provises, quanto percebem de ordenado t ojnan
ihes fornece este ordenado.
Dito ao reltor.O Ezm. Sr. bispo diranal or-
dena a V. S. qoe Ihe d urna relagao areaaanea-
da do pessoal desse seminario, desde o reiar as o
ultimo empregado, quanto vence cada na do or-
denado, quantos seminaristas, pensiooatao,4
lugares de numerario e quantos gaaa
quantos ezistem presentemente 00 e>tel
e quantos sahiram por ocra-iio das lefias.
PERNAMBUCO,
REVISTA DIARIA
Hootera desaquartotoo-M o 3* baulbao do gnar-
da nacional, que fasia o servigo da goaraicao team
praga, e oro sobstiloico no mesmo servigo eneren
o 4* batalhio da mesma guarda naetenai.
Temos noticias da vottgio do coitefa do Ca-
brob, perlencente ao 5* dislricto eleitoral:
Dr. M. Buarqne de Manado............
Vigaro Francisco Pedro da Silva.
Vigario Pedro Manoel da Silva T
Dr. Tibnrtlno Barbosa Nogoeira
Dr. Joo Alvos Mergolbio.............
Vigaro Manoel Lopes Rodrigues de B
Dr. Vicente Jansem de Castro..........
Isto posto, ule o resoltado contacte
para a eleigio provincial do referido
1* Vigano Pedro Manoel oa Silva Burga.
41
U
nal
viaudo-me com antecedencia as respectivas guias
bem como as dos qoe all exisrem sem ellas.
Commonlcou se ao delegado encarregado do ex-
pediente da repartigao da polica.
Dito ao capilao do porto.Respondo ao seu offl-
cio de hootem, soba. 11, declarando Ihe que deve
Vmc. requisilar directamente ao inspector do ar-
Offlclo ao Exm. general commandante das ar- seal de marinha, como tem sido pratiea, a mes-
mas.-Sirva-se V. Exc. de inforraar-me acerca do! tranga daquella repartigao para a vestoria do hiaie
que pede no incluso requerimento, Camarina Emi-; Sergypano, bem como para outra qualquer a que a
lia Brrelo dos Sanios, viuva do tenente do 10* ba-f capitana tenha de mandar proceder.
Dito a'enmara municipal do Bonito. lenao
sido elevada a' catbegoria de villa a povoacio de
S. Jos de Beserros pete lei provincial n. 616 de
9 de maio do anno passado, euja freguezia reunida
a' de Grvate' formara' um termo annexo ao do
telbo de infamara, Joaquim Cerdoso dos Santos.
Dito ao mesmo.Remetto a V. Exc. para os flns
convenientes, o incluso requerimento em qoe se
prope a justificar cadetes Os soldados do 6* corpo
de voluntarios da patria, Crlmerico Alvos de Fa-----------------
ras Pedrosa e Eduardo reir de Albuquerque Bonito, recommende a cmara manieinai da viua
Pedro, aos quaes pode V. Exc. conceder o uso. do Bonito que, de conormidade com a tei oe 1 oe
das respectivas insignias at qoe justlBqoem. agosto de 1846 e mais dlsposieoes em vigor, d as
Dltoao mesmo.-Quera V. Exc. informar sobre providencias negessanas para que se preceda oa-
0 qoe pede no induso requerimento o soldado do quellas duas freguezias no da 29 de abril vtedou-
6- corpo de voluntarios da patria, Joaquim Siraoes
de Oliveira.
Dito ao inspector da ihesonraria de fazenda.
Estando em termos os inclusos documentos a que
se refere o offlcio. do commandante superior da co-
marca de Flores, datado de 18 do corrente, mande
V. S. pagar ao sargento Manoel Alves Pereira Cha-
ves, ou a seu procurador Joaquim Carnelro de An-
drade a importancia dos vencimentos, a contar de
19 de setembro do anuo prximo passado, at 15
de Janeiro cadente, do destacameoto_ de guardas
ro a eleigio de vereadores do novo municipio.
Dito ao superintendente da estrada de ferro.
Em vista do une expe o administrador do correto
em offleio de 17 do corrente, junto por copia, in-
formo o Sr. superintendente da estrada de ferro se
ha incouveDieule em que o servigo a qoe se pres-
tara os ohefes das estages da mesma estrada na
entrega das cartas de que trata o citado offlcio con-
tinu a ser feito pelos referidos cheles.
Portarla. O presidente da provincia resol ve
nomear Aleandrioa Marques da Silva Mascare-
" gran
nacionaes, existente no termo de Villa ReUa.-Com- nhas para reger in'erinamente eiawMante a graii
municouse ao commandante superior da guarda Beaeao annaal.de 60MMO a cade.ra_de>gtraenb
nacional de Flores. primaria de Baixa-Verde. ummunicoD,.s |r
Dito ao mesmo.RaspondendQ & sea offlcio de
bOBtem sob n. 61, teBo dlzer que, visto glto ba-
direcioq garal da instruegio publca e aa lnspeete-
da thesouraria ".......
3* Vigaro Francisco Pedro da Silva....
4* Dr. Tiburtino Barbosa Nogoeira......
5* Dr. Vicente Jansem do Castro........
6a Dr. Joo Alves Mergolbao............
Vigario Manoel Lopes Rodrigues de B...
O nosso amigo Sr. Dr. J.
solicitemos das autoridades o
providencias aeeessarias, ana
pessoa que achou e conserva
bolsa de viagem, de velludo verde, leca
ve, qoe M perdn na estrada da Pona
na tarde do dia*K> de Janeiro, o i
apandada por oa pardo A
de alguma roupa, ama porgan
goezes (Revolucie dt Settmbro o <
naes), cartas, recibos, letras e nns i
O tenente Jos Podro das Nova,
ezercicio de joiz de paz da freguezia do Reate, da'
audiencias em sua casa a roa oa Cadera a. i*
andar, as tercas e sextes-feiras
e sendo esta feriados sera' nos dias i
e desoacba diariamente na referida casa, ta a I
do Crespo n. 15,1* andar.
No dia 4 do corrale moa a tomes a*!
tejado com toda a pompa o ailagran S. Fraari
de Paula, em ana nova o elegante eanaUa, na
voacao de Catanga',
Achando-se rioameote embandeirada toda a
da povoagao, ama importante salva real, nal
msica do l. baulbao de infartarte f
ciooal, saudara' o alvorecer de lio i
Mraejado da.
Depois da missa do dia, e tefe u tea mm
ras da manhia principiara' a misa soaana aa>
horas
do celebrada pe fo **"* *
aaaaaHIalalai
aja
.-
mm


f1af
aaaam

=
I rfilU'.^lHJUL
-.i *
re Jot Avelina alWanlHt'Tilma eiWpmirwnMIMf!h'Seerln di Trnd.'Pernam'baeo, 60 Em noUs menores
evangelio o Rvm. Aatodio de Mella Arauraetque, )- anims, sutleirj., fupj da amHa; eryslpella. de 10#000
por deaiais coobecido na tribuna sagrada pela sua Francisca rroBTia Martn* Mooleiro, Peroarabaco,
ser'<*oiaea|*ecolhidis,voaes. Jos Jl4rla.djitii Conelolda a eerlmonia da missa, a raasiea mar- to Antonio; incbacio.
cial ezecoura' lindas pe^as, verificndose a aseen- Maooel, Peroambuco, 5 meies, Santo Antonio; tosse.
sao de (loas elegantes baldes. ,. JiMarla, JferoaaaJwco, 18 arate, S. Jet; febre ce-
A' tarde bavera' caviladas, teato ergaorsada* rebraJ.
por cavallelros disllnctoee imaitsiOai. que ai Maria,.Pirna*lco, 6 meis, Boa-Vista
espontneamente se prestara .Mimar mais alafre
e risonbo o da do excelso 8. Peanciaeo de Paula.
A nova capella, a mals bearacabada que temos
em nossos arrebaldes, estara' eraada ) sioaaiicl
dade e posto e bastante illuotaeada.
, A noite toda a povoacio esiara' illamlnada e ean-
tar-seha a ladainba, Bata* qnel sera Urada tea*
casado Exm. jali da Testa vin-
salarie m Fei*maoalefjed) --
Safabado 8 i* Feverelro de 1866
3S
-mr-
nasaeoco, 6 meis, Boa-Vista ; convnl
6 oes.
Indora, Perna*nco,4S aanos, escrava, Bea-Vlsta;
scyrrao no Mero.
31
tato Jotf GiafalvM Gomarles, *ettajal, 70aa-
nos, trovo, Boi-VisU; atoolecinusto cerebral.
Auna Manada Concereao, Petnaraboco, aases,
deira e condusida casado Exm. jnli da festavln- solteira, Boa-Vista ; gastro interne.
dotm,-por-grado noaero 4e-aennora9-di3t>tieta, Mariana Francisca, Peruambuco, 38 annos, vlnva,
trajando de branco e formando duas extensas alas. Boa-Vista ; bexigas.
Terminar* a festivnjade qoeimando se um bello Cosma, liberta, Pemaitibaco, 15 -aanos, solteira
e variado (ogo de artificio e com a ascencSo de Santo Antonio; febre biliosa.
Em moeda de tro
ico........ #077
Em notas do ban- ,.
ico do Brasil e
das calxas filiaos
domesmo...... 163:0000000
Em notas da aro-
pria caixa. ...
8;J.7000 v 101:130*880 MM:7J77
-------------------------------------------------------
rera
18,M8:635594t
accommeite-
mais dous lindos baldas.
Assim os encarregados da festa esperam o con-
curso do publico para completo brilbantisroo.
Comecamob hoje a publlcacio neste Diarto
do expediente do bispado, visto terse dignado S.
Exc Rvma. de aceitar o onerecimento, qoe ti vemos
a bonra de fazer-ibe, a sua ebegada, das nossas co-
lumnas para este m.
A publicidade dos actos administrativos Uo fe-
cunda em bons resultados, e isto lo manifes-
t, que nao carece urna demonstrado de nossa
parte.
Assim, pois, folgamos qoe o uosso respeiiavel
prelado aonuisse a publicaco
o qoe da' ama prova do espirito de qoe se acba
animado.
- Pela vapor costeiro Persiana**, chegado
hontem dos por tos de sna escala at a Granja, ape-
nas recebemos tres nmeros da Cons/iNi-.-o do
Ceara', que nenhuma noticia trazem digna de mea-
cao.
S. Exc. Rvm. assistio hontem, pela manhaa,
a missa e o edro na cathedral.de Olinda.
Numeracao dos bi I he tes a lotera 47* olfere-
cidos pelo thesoureiro das loteras, para auxilio das
despezas da guerra.
Bimetes na. 178, 1787 e 2S5.
Meios ns,-695,991, 1595,1493, 2996,3393, 3319,
e 3807.
Quintos ns. 184, 523,728.1012.1318,1606,1907.
2093, 9368, 2364, 2819, 3002. 3432, 3709 e 3904.
Os-btlbetes das loteras 11- a 46* prodmiram
1:807*808.
De orna carta de Corrientes, datada de lo de
dezembro, escripia por offlcial do nosso exercito,
copiamos:
< Estamos com o exercito Jonto a Corrientes, es-
perando que i) sio Pauma' cjesca, para fcilmente
chegarem as tropas que devem reeoir-se aqu
logo que a.esauadra^sa manobrar "
remos os selvagens.
c O estado sanitario boro.
t Aqui ja' se acba o segando eorpo dessa pro-
vincia, que de la' sabiodo com 600 pracas, ca en-
! irporou se com 200 e tantas, visto terem os de-
riis ticado ducales e ospalbados pelo Bio Grande
do Sai.
t Ja' temos raais forca regular, mas anda bus-
ca-se augmenta la para nada fallar.
De Macei escrevemnos em data de 30 do
passide:
ous barbaros assassinatos tiveram prxima
mente lugar na aldeia de Santo Amaro, freguena
do Pilar.
'( l'm indio, suspeitando da Adeudada da sna
chara ametade, trabatfcoo. por saber se tinha razos
para isso.
t -fufelUmente nm dia em qne voltava do servi-
eo, armada de urna fouee, encontrase com a triste
reallsade, e eom na s golpe matou ambos: de-
pois-de qoe, o esposo ultrajado entregon-se a au-
toridade competente, e acba-se recolbldo a pri-
sao.
Fallecen, depws de tonga, e dolorosa enfermi-
dade urna fllha do Exm. Sr. barao de Jaragoa', ha
poneos Metas casada com o sea primo e cuohdo,
l)r. Jaeintho Morelra de Mendonca, D. Julia More-
ra de Mendonca.
A illustre lloada reunia os dotes do corpo ao
do espirito.
c Tere logar no dia 28 com toda a pompa e
soleranidade, mediante os es torcos do Rvd. vigario
Maooel Anoaocio das Odres Chaves, a bencio e
laucamente da prmeira pedra para o projectado
cem'terio da fregoezia de Jiragaa', que esta' deta-
Ihado com vastas proporeSes.
O acto religiosj foi feito pelo Rvd. vigirb de
Mace com a asststeocia do clero de arabas as
fregueiias, e ara concurso de povo, calculado em
raais de 1000 pessoas.
< Foram i a lrinho* o Exm. Sr. presidente da
provincia, Illms. Srs. Drs. ebefe de polica, leoeote-
corooel Joo Alves Branco, e Rvd. -r. Atnancio
vigario encorameodado de Jaragoa'.
< Urna guarJa de bonra, e urna banda de mu
sica marcial, fizeram as continencia* do esiylo. >
Passageiros do vapor Persinunga, vindo da
Granja e purios intermedios :
Adolpho Eugenio Soares, Jos Augusto Bilten-
court, Manoel Pi da Silva L.'ureiro, Ignacio dos
Sanios Coelho, Maooel Seve Fllho, Pedro Lopes de
Mendonca, Hermenegildo da Silva Lobo, Manoel
dos Res Oliveira Pinto, Manoel Gomes Moreirs,
Jos Coelho Moreira, Manoel Jos da Silva Res,
' Jos Pereira de Castro Pinto, Joaqun) Jos Ribeiro
da Cnnha, Alonzo F. Chasterton, r. JoSo Vicente
Perefra Dulra, Francisco Antonio Oliveira Peixoto,
Jos Antero Aogusto de Abren, Raymnndo Nonato
de Oliveira, Francisco Emiliano Pereira, Jos de
Souza M. Pereira, Praneisco Estoves Qneiroz e nm
criado, H. Jos Machado, Fausto Jos H. Prettas,
Manoel H. de Sa', Fiel Vieira Torres, Alexan-ire B.
Coelho, Goucalo Uetflno P. C, Jos Torquaio de Sa'
C, 1 fllha, 1 criada e 2 escravos, Antonio Ferreira
MesqniU, Jos Leas Franco, Manoel Joo de Me-
deirov, Francisco Ignacio Ferreira, Joio Freir
Guoaaraes, Manoel da Silva Ribeiro, Ciemniioa
Ferreira Paula, Liberal Moreira Vidal, Francisco
Jos da Cunha Sampalo, Fabricio Gomes Pedrosa,
'> lilhos e 1 escravo, 2 escravos a entregar.
Passageiros do vapor brasileiro Gerente, sabi
do para os portos do n*rle :
Antonio Manoel de Sampalo Jonior, coronel Jos
Mara ttderonso Jacome da Veiga Pessoa e Mello,
anspecada PantaJeo Nery da Foa^eoa e sua mu-
Iher, Mara Alves de Castro 8antoe e 2 limos, A. I.
Cooke, V. Besley, Vicente Martina Aras, Do-
mingos Francisco Moreira, Francisco Bento de Al-
meida, Felippe Honorato da Silva Miranda, Henry
Broklchorst, Red. Fr. David da Natividad de Nos-
sa Senbora, D. Panla Joaquina do Nascimento, 1
fllha e 1 crala, Dr. Joo Franklin de Alencr Li-
ma, Antonio Demetrio da Silva. Laranja, padre Pe-
dro da Silva Brandad, D. Eugenia Infante da C-
mara, Virissimo Ferreira Chaves Jonior, bacbarel
Jos Antonio Nones, bacbarel R. Tavares de Al-
meida, soa senbora e 1 fllho, Fabin Soplem, Cae-
tano do RegoTosoano, Symphronio Jos da Silva,
Alfredo Webr, 1 sargento, 6 pracas e6recro-
tas.
Psgagelro do hiate brasileiro Exhaiayio, sa-
bido para o Aracaty :
Joae Ernesto Vieira.
RepaiiticAO da polica.
Extracto da parte do da 1* de -feverelro de 1866.
Foram recomidos casa de detencao no dia 31
de Janeiro :
A* ordem do Dr, delegado da capital, Rodrigo,
africano livre e Joaquim Jos du Lemos Magalbass,
para correego : e Manoel Laurindo do O', a re-
quisieo do capito do porto.
A' ordem do subdelegado da Boa-Vista, Antonio,
escravo do Manoel da Silva Santos, a reqoenmento
des*.
A' ordem do da Capunga, Anna Balblna do Es-
pirito Santo, Paulina Francisca do EspVilo Santo e
Mana dos Saatos Delgado, para cor receso.
A' ordem do dos Afogados, Lonrenca Man do
Sacramento e Felismioa Joano fiaptita, por otTen-
sas ph y si cas.
O chefe da 2* .seeco,
i. G. de Sltsguita.
Casa dr oaTBfigAO.
Movimento da casa de detencao no dia 30 de ja-
ueirade 1866.
Exibtiam 384, entraran) 10, sabfram 9 ; existem
383.
A saber:
Nacime 187, mumeres 11, estrangeiros 41
raulberes 3, exravos 68, escravas total 386.
AlimeMadaa a cusa dos cofres pblicos 202.
Movimento da enfermarla no da 29 de Ja-
neiro de 1866.
Te ve alia:
Benedicto, eacravo de Miguel Augusto de Oliveira.
CtauTaato pdbuoo, on-roaaio do ha 30 de
JANEIRO DB 1866.
Antonio fiases de Oliveira, Portugal, 42 anuos,
solleiro, Boa Vista; aaaxarca.
Matbas Jerga da Souza, Pernambuco, 60 annos,
casado, Santo Antonio; bydropesia.
Joaquim, Hernambueo, 3 niezes,
pneumona
CHROIUa JUDIGURU
escravo, Recife
TRIBUNAL UO (DOHMERCIO
ACTA DASESSAO AMtNtSTR, TIVA DE 1 DE
FEVERBIRO DE 11 66.
PRESIDENCIA DO F.XM. SR. Dfc 1MBARGADO
ANSELMO FRANCISCO PE IKTTI.
As 10 horas da maoha, esund reunidos os Srs.
deputados Rosa, C Alcoforado, Basto e Miranda
do expediente, com! Leal, o Exm. Sr. presidente deca ou aberta a ses-
'slo.
Lida, foiapprovada a arta di sessao antece-
dente.
EXPBD1BMTK.
L'm officio da juma dos corretones datado de 31
Bcmtodo BratU amtao cw/Ual
Valor foraecidope-
la aoixa matriz.
EmissSe.
Valor om circnla-
co.......:.
Letras a pagar.
Por dmbeiro (bma-
do a premio. Por saijues. .....
2,000:0004000
13,107;3004000
Diversos.
Saldo de variascon
tas........
Lucros e perdas.
Lucros sujeitos a
liquidacao. ..
l,813:839*i3o
37:5965'*9i
16,938:7S*9i9
Omoarda.livrog.
juipuuar iiiwiwuv (jvp i i>U*
.. i' **
do Uai. Sr. tenenle Firmino de Freitu
Mi
_^BP> Sr. Francisco Cavalcante.
CMuto do lito. Sr. teneote Joo Pereira Cha-
ve*.
eadai to Illa). Sr. alferes Pedro Velloso de
**ISqu*que.
Consorte do Illra. Sr. Antonio Joaquim da Fonse-.
caCarvo. qe,
Escrlvo por eleft.
0 IIIm.>Sr.boel de Barros Wandertey.
Escrlva por eleico.
A Exma.w.'D. Rosa, consorte a***!. 8r. Je-
' ronymo Barreiros Rangel.
Escrivo por devocad.
O Illm. Sr. alferes Carlos Lenidas^IbRegO-lir-
ros.
Escrlva por devaste.
A Exma. Sra. Consorte do Illm. Sr. Francisco Tito
Xavier de-Lima.
Thesooreiro.
O Illm. Sr. Joaquim de Paula Meira Lima.
Procuradores.
Os Illms, Sr. :
Jacintho Machado de Mendonca.
Francisco Antonio Meira Lima.
Australiano Pergentfno de Almeida Andrade.
Tito Machado Freir de Barros.
Eoearregados das novenas.
Todos os Illms. Srs. devotos que qulzerem
prestar.
O vigario Dtmttrn Jeteme fraujo.
i ii iw ii *ane? i -----
1 tfllLlULUl x
Jl*iUl_
Tudo que se fizer para ilugulr a june, Re8fcwne agradaeer iVii
alear do exercicio e rgimen aproa/Mq de- iyBij tA, aa'.gSg?.f 3-
^er remeflios efe oatareznaaoS. deter- ^bo,-aba*toWBf)a7*^i
e calmaite: belecimente +iwi!lhV L t
Os acidos.po88iien a vtrtudede prpda_a- p6deT%., sem^reVHitar'&m oafcS^T
Umara mauicioal de Recife.
MATADOORO PUBLICO DSTA CIOADE.
Mataran) se para o coasnom desta cidade no mez
de Janeiro do correte anuo 9,377 rezes,
ber
a sa-
Gontadoria, 1 de fevereiro de 4866.
O contador,
Caetano Sverio da Silva.
do mez proiimo lioilo, juntando ofe prego corren- Libano Candido Ribeiro & C............ 647
tus da semana ltimamente Bnda.<-Ao archivo. | Virginio Horacio de Frenas............. 339
Aos Srs. deputados foram ilsiri nidos os seguin- Jos Lucio Lms.......................
tes livroe: Joo Gbrysostomo de Albuquerque....... 278
Diario de Antonio Alberto de S uza Agniar. Manoel Francisco de Souza Lima........ 143
Diario e copiador de M llu Ir mi os.di C. Manoel Jtequim de Souza Tavares------,.. 143
Idam idem-de Guilherme, Olive ra & C. Maoeel 'Paulo de Albuquerque...........
Comparecencia os avaiiad jres i ovaraente recon- > Wenceslao Machado Freir Pereira da
dusidos Vicente Antonio do spir lo Santoe Anto-; Silva..,............................. 116
nlo da Cunha Soares GuiroaresJpresttram jura- Bellarmino Alves Archa...............
ment e assigoaram o respectivo termo. i Francisco Candido da Paz.............. 83
DRSPACHC6. Maooel de Souza Tavares............... 64
Reqoerinreato de Fraocisoo del Paula Mindello, Geminiaoo Jos de Albuquerque......"... o9
Jos Lopes de Oliveira e Bernardipo Lopes de Oli- (Ernesto Celestino de Mendonca..........
vaira, pedindo que no registro daseu contrato de Luiz de Franca Soares.........-.........
sociedade se facam as aonotacoes pe conforaaidade
com o distrato, que. juotaio, no sentido de se acbar 2,377
desligado delta o socio Jos Loops de oliveira.
Vista o Sr. dezembargador scal.
Dito de Bartholoitnea Torquato le Souza e Silva
e Jos Pedro de Souza e Silva, pe Modo que fosse
admiiiido A registro o seo contrat social qne jun-
tam.Vista, ao Sr. neieamargador fiscal.
Dito de Joaquim Francisco da lojas de fabricacao de calcado I a ra do Livra-
mento numeres i A e 3, pata r tambem regis-
trado o contrato social que juatai .Vista ao Sr. Srs. Redactores. Nunca foi dirigida nma asser
dezembargador foca]. 0 qoalquer em minha defesa contra as cavlllo-
Com informacao dio Sr. dezemb rgador fiscal : I sas aecusages eitas por parte do Sr. comendador
Dito de Jos GuilDerme Goimires e Felisberto Antonio de Seqneira Cavalcante. qne felizmente
Ferreira deOJiveire,! para ser adbiUido a registro naotivesse serapre o cunha da verdade.
o contrato de sociedade esa cornmandiu qne jun- E' por Uto, que o director de minha muiher, na
tara.Satisfaeam o parecer flstall conservaeo de seos mieretsu, nao podeado, com
Dito de Franela Guedes de Araujo e Antonio tudo, confutar as notas qneee achara abaixo da
Perewa de Miranda, para ser tambem registrado o certido transcripta em seo conceiluado Diario de
uta contrato social que juularo.--4Regtre-se. 29 de Janeiro, apenas vaga e desastradamente, em
Di lo de Antonia Jos Silva do Brasil e Joao seu desespero, bnsea anda abalar os nimos oara
Mariios de Barros, para qoe se deaitlisse regs- a compaixo, com o costumado e caduco estribilho
tro o papel de disirato social qi. e juntara.Regs- do fingido martyrio qoe soffreu minha ranlh-r da
tre-se. rante o espace de dez annos, como se esta triste e
Dito de Bernardina Jos Mooelro Filbo e Jos miseravel talsidadeja' nao eslivesse sido cabalmen-
Domingues da Silva |Peixeto para ser registrado o te destruida por ella mesma, sobre tudo, nos amos
contrato social que jontam.Registre-se. d:3Cr* rescisera da seatenca de divoreio 1
Nada mais havendo a despat bar, foi encerrada SI o director dessa seohora tem consciencia de
se
Ao publico.
Correspodeiicias
a sessao as 11 horas k raeia do
lia.
SESSAO JUDICIAfillA EM 1 )E FEVEREIRO
DE 1866.
P.iESIDENCIA DO EXM. SR. ESEMHARCAL'OR
A. Fl JUMUIt
Secretario, Julio Guimaraes.
As onze horas e meia da raarjha.i o Exm. Sr. pre
sidente deciarou aberta a sessao, estando reunidos
os Srs. desembargadors SilvafGuimaraes e Res e
Candido Alcofera
de 18
por
Silva, o os Srs. deputados Ros;
do, Bastos e Miranda Leal.
Lida, foi approvada a actaf
prximo passado.
O Sr. dezembargadbr Acjcioli
achaodo-se deente nao poda
nos trabajaos deste tribunal.
Assigoou-se o.acordam pri/erido na sessao pas
sada; eotre partes.
Appellante, Virginio Barbofea da Silva ; appella-
dos, Cardoso Souza. |
JCI.UAME.N' OS.
Appellantes, os admiuistr; dores da massa falli-
da de Amorm, Fragoso, Sintos & Companhia ;
appellados, Raymuodo Cario; Leite & Irraaos.
Desprezaram-se os embarcos.
Appellantes, Joaquim de Si uza Maia & C.; ap-
pellado, Pedro Gon^alves, Pe reir Cascao.
Adiou se o julgamento a sed ido de um dos Srs.
deputados.
Nao estando presente o ir. dezembargador Ac-
cloli nao poderam ser pro; ostos os feitos seguin
tes, que foram apreseniades pelos Srs. deputados
qoe naviam requerido o' a liameoto em sessao de
18 de dezembro ultimo; eni re partes
Appellantes, Joaquim da Costa Lima e outre ,
appellado, Jos Rufino de ouza Raogel.
que ja' nao pode mais, por maneira elguma illudir
a opinio publica; deye lar boje, mais do que nun-
ca, a cortesa de qoe menos peder' illudir a justi-
ca de Deui, qoe tem evidentemente feito sentir e
. seu poder irresistivel at por intermedio da jostra
dos boraens, lago depois da injusta e Iniqua sen-
tenca de divorcio escandalosamente obda.
Srs. Redactores, confesso-Ibes, que nao posso sop
portar impotacoes calumniosas, sobre tudo de or-
dem d'as qoe sou victima, por tanto, para que to-
dos techara por feito coobecimento de que lado deve
; estar a raso e a juslica, consequentemente quem
de dezembro o culpado oa innocente, forca publicar em um
; grosso volume, todo c processo, que se acha inte
participou que galmente copiado, d'accao resclsoria da sen tenca
isso lomar parte (le divorcio.
Assim o querem, assim o teaham.
Com a publicacao destas rudes linbas muto Ibes
agradecer' o sea assignaole.
Antonio Carlos Pereira de Burgos Ponce de Leo.
Agna de Fiorlda d Harray fc
I.aamau.
Em consequenc a da sua grande e vasta
popalaridade e justa celebndade em todos
*os mercados da America do "Sol e das Anti-
Ihas, para o uso de cojos paizes, ella foi
exclusivamente manufacturada, ha mais de
viole anuos; a mesma tem sido exclusiva-
mente imitada e contrafeita neste paiz. Po-
rm presentemente o artigo original foi n-
troduzido, e em virtude do mesmo apresen-
tar a distincliva marca commercial dos pro-
prietarios, p pela sua apparencia exterior dessas outras
simdadas e fraudulentas composices. Os
signaes internos de perfeita genuidade sao
muito menos fcil de engao, por quanto a
Agita de Florida de Miaroy e Lanman tem
e desenvolve o aroma proprio das frescas eias
Appellantes os curadores
Goncalvbs Bastos ; appellados
1 al nao apresentou os
da de Joao Baptista
Mello, Lobo & C
O Sr. disputado Miranda
feitos adiados a seu pedido ha sessao de 18 de de-
zembro do anno ando; entr partes.
Appellante, Francisco Anti nlo Pontual; appella-
do, Antonio Gomes da Canba e Silva.
de Siqueira Caval-
Srs. redactores.No seu Diario de hontem de-
paramos com urnas publicacoes assignadas pelo
ez juiz de dlreito de Flores o Sr. Dr. Joaquim Gon-
calves Lima, as qaaes relatando occurrencias qne
diz, terem-se dado em Villa Bella procura chamar
a odiosidade sobre dous importantes cavalheiros
d'aquelle Ingar, o commandante superior Antonio
Xavier de Moraes e o Dr. Tiburtino Barbosa No-
goeira.
E-tando porm informados por pessoas chegadas
d'aqoella comarca do contrario d'aquelle a que
avancou o referido Dr. Lima em seas artigos, pe-
dimos ao publico, e a quem possam interessar taes
occorrencias, que snspendam o seu juizo, at que
as victimas do ex juiz de dlreito prodnzam a sua
fiscaes da massa fall- defeza e restabelecam a verdade dos tactos.
Nao duvidamos das boas qoalidades pessoaes
que acompanbam o Sr. Dr. Lima, mas como poli-
ticos do partido decahido, procura anda servir
como pode oa interesaos do sen credo. Aim d'is
to, o q o adro foi mal preparado; as tintas estn
multo carregadas, e agora que dos tbeatros foram
bao idos os Sele Manes de Lera, e a Degolago dos
Innocentes, nao se pode acreditar como anligatnen-
Appellante, Manoel Ignacio
cante; appellado, Joaquim Salvador Pessoa de Si- w em seenas tao horrorosas 1...
qoeira Cavalcante. Xo acreditamos tambem qoe tanta o Sr. coro-
0 Sr. deputado Rosa apresentou o feito adiado a mandante superior, como o Dr. Tiburtino qne ac-
seu pedido na sessao de 18,de dezembro ultimo; ba de merecer um lugar na assembla provincial
Joao Piolo da Lemos Jonior; ap-
Cavalcanli de Albu-
entre parte.*.
Appellante,
pellado, Antonio Peregrino
querqne.
E o Sr. deputado Bastos pedio o adiara en to.
PASSAGBM.'
Do Sr. dosembargador Jlva Guimares ao Sr.
desembarga ior Res e Silva : '
Appellantes, os administradores da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Santos i Companhia ;
a ppellado, Luiz Jos da Sil va Guimares.
O Sr. dezembargador Res e Silva jurou suspei-
V*o e apreteatoa para aova dittribako o feito;
entre partes.
Appellante, Joao Pereira Rabello Braga; appel-
lado, Antonio Jae de Caslroi
E ao pode ser distribuido por nao ter compa-
recido o Sr. dezembargador quem competa esla
distributeao.
Nada mais bavendo a tratar/se o Exm. Sr. pre
sidente eacerron a sessao a meia hora depois d-
meio dia.
possam representar os papis em qoe O ex jnia de
direito os quer, ou desoja tornar conhecidbs. -Se o
Sr. Dr. Lima goza de bom coneeito, nao o gozam
de menos os cavalheiros a quem se refere,
por essa razad qne s depois de ouvidos pederemos
conhecer a verdade.
Juia*.
''-'
=a
Publicares apeddo
- -:- -
Ekirlo des ievatoe que ten de festejar a lama-
culada Conceico da poveaflo de Gamelleira ai
presente anuo de 1866.
Juiz por elevad.
O Illm. Sr. tenente-ooronel Coriolano Veilato a
Silveira.
Juiza por eteicao, ...l>
A Exm. Sra. D. Pelippa, consorte da III. Sr. capi-
to Francisco Maneel Wanderley Lins.
Juizes por dtfvocao.
Caixa filial do hairco do Brasil -em Per- g "'
aambnco
BALANCETE EM 31 DE JANEIRO DE 1865.
ACTIVQ.'
Letras descontadas.
Com duas asigna-
turas residentes
no lugar do des-
cont....... 101:649*987
Com urna s dita
dito....... 3:3l7jt49 10i:67j;236,
. Mi i' '
Letras caucionadas.
Por ouro, prota e
ttulos commer-
ciaes------... V-.llfm
Por outree titulas. &
Letrasn receber.
Saldo desta conta.
Cantas crrenles.
Saldo desta conta.
Diverso.
Saldo de varias con
tas. .......
Caixa.
Pelos seguintes va-
lores:
Em moeda de ou-
ro de ii quila-
tes ........2,2-38:030*000
Em notas do tbe-
souro dos valo-
res de 10*000 e
superiores. .. 84:800*000
15:471*060
11,263:828*017
786:767*206
2,231:428*333
Illm. Sr. capito Bartholomeu do Reg Barros.
Juas por ffevocStt
A neSos Pedro%lw^s1fv?lra>SnTOr^,'*?
A Exma. Sra. D. Antonia, coMorte a Illa. Sr. al-
fares Joaquim Silveno de Souza.
Juizes protectores.
Os Illms. Srs.:
I Seminarista Joo Augusto do Nascimento Pe-
reira.
1 Dr.Joaqnim Cerdelro Colbo Cinlra.
Commepdador Gilber.ma Jorge da Motta.
Major Amerco Xavier Pereira de Brluo.
Rvm. Jos Ribeiro de Andrade.
Seminarista Flonano da-Oaeirz Gouttinho.
Teneote Martiabo lladr%ues da Silva.
Alferes Menoel Vicenla da Costa Pereira.
Manoel Dnarte Ribeiro.
Miguel Alexandiiooda Fonseca GalvSo.
Antonio Augnsto MacleL
Jos de CasTrb Paes Barrelto.
Jos Bazilio Camello C.valcanie.
Juizas protocloras.
As Ejmas. Sra. DD.:
Mara Amelia Adelaida Pereira, fllha do Illm.
Sr. alferes Manoet Antonio Pereira,
ATTfiNfAO.
Felizmente vivemos sob leis de nm goveroo con-
stitucional, onde o cidsdo dispoe da liberdade da
mprensa para.clamar contra-as iojustieae e trope-
las que soffre -em seos direitos e eos-seos'legti-
mos interessesi fazendo dest'arte ebegarem os fac-
tos ao coobecimento das autoridades e do pnDlico,
para receber de um prompta reparaedo que o caso
exige, e de outro a Justa apreciacao e o verdict da
opiuio publica. *
Em 1860 Uve nm pleito judicial no foro desia
eidade do Recife perante o juizo dos orphios, no
anal rae pe-diam a re*tituigao de uas escravos que
me bavia dado em dote a vmte e oito annos o meo
fallecido sogro Francisco Goocalves da Rocha.
Foi meu advogado o Exm. Sr. coselheiro Dr.
L-iurenco Trigo de Lourenco. e advogado ex ad-
verso o Illm. Sr, Dr. Antonio Vicente do Nasci-
mento Feitosa.
Obtive sentenca a men favor que passou em jul-
gado, mandei tirar certido deila para meu docu-
mento e salva guarda ; tenho nisso empregado
desde esse lempo (seis annos I) os esforcos e meios
nossiveis em laes cirenmstancias, eocarregando
dessa acquisicao a varias pessoas ; mas indo tem
sido baldado, porque aQaal se diz que os respec-
tivos autos desappareceram 111
Estou por tanto prejueioado sensivel mente em
meu direito e interesses, e desengaado de nada
obter vou recorrer ao Exm. Sr. presidenta da pro-
vincia a ver se alcanco justica, protestando empre-
gar todos os recursos qu a le me oulorga, e de
qne humanamente poder dispor, para fazer resna-
citar os autos do abysmo em que, de proposito, os
oessa enfermidade, por miD0tOs prestimos, e dese
cootribrjto a alagar a Sede tempo dar ama prova o
CURA
Esimitm e Aniratrl
DE UMA CHAOA
CANGROSA E
OTJ
POLYPO NO > 4IIZ.
bons effeitos
d3o s
qando accommettem a febre ethloa, mas mente.
lambemarefreswoaofDe, ____ D(^< V.9. toda as vMnras, poraar
Aos aoentes uesta enfBrmiofae, qrjanao o e y $ mnito respeitador a nbricadiaano
Ja estado de gratidada tilque a febre criado -Lftanelm Btrmgmr CelaHkM*.
Mica os accoma*Mte, pres6rto-lnesosa-'new##
ee de um lim5o dtasolvido em tima chicara
dbgua com bastarlte assvar eft'um grande
copo para misturar com um papelinho dos
pos refrigerantes rjara tomar, com qnenti-
viam no a^AttMWfrtontD i ftbre, e pela
manba o xarope etherio de vtame. Tenho
aconselhado, que facam uso de vegetaes de
natureza acida, como laranjas, rimSes,-pi-
tangas, uvas, etc., e applicagoes de plantas
amargosas, que fortifican] o estomago e ser-
vem ao mesmo tempo para destruir e miti-
gar a sede.
A Sra. D. Joaquina de S Barrete, tendo
uma'stja escrava fallecida desta molestia, sub- i
mettida ao tratamento de seu medico, resol-
veo procorar*me -para tratar de um ^etro
escravo, que soffria da mesma enfermidade,
prescrevi-lbe o xrope de veame, tem "me-!
borado consideravelmeote.
A sonhora do Sr. Antonio Francisce Ho-
norato foi desengaada por habis mdicos I
desta tidaBe, esteve prosfrada, e nos lti-
mos paroxismos da morte, foi com o xaro-
pe de veame salva, como se v da carta
impressa no Jornat do Recife de 9 de feve-
reiro de I88S.
O escravo Emilio, do Sr. tenente-coronel
Rodolpho Joao Barata de Almeida, foi tam-
bem desengaarlo "por habis mdicos; e
com o xarope de vellame acha-se completa-
mente restablecido, como se v tambem
da carta impressa do mesmo Sr. tenente-
coronel no mesmo Jormil do Refe.
0 Sr. Antonio Christiano Fogt, fllho do
Sr. Cbrisliano Fogt, proprietario e estabe-
lecido na cidade de Macei, o primeiro bem
conbecido nesta cittede, pois qoe foi empre-
gado a casa do 9r. Len Chapdlin, retra-
tista estabelecido na ra da Imperatriz, ac-
commettido desta molestia, foi daqui desen-
gaado por habis mdicos: retirou-8e para
Babia, eali corrtinuot em tratament) ate
que foi segunda vez desengaado pelos m-
dicos dalli, chegando eu em Macei, um
laucara, fasendo respooder aerante os tribnoees i ^^ ->""TI t ^_ ...
do paiz, e perante o re^peitavel eubco o autor, ou, amigo pedio-me, que o acompatmasse at a
casa do Sr. Christiano, para ver um doente
e prescrever-Ihe algum remedi, encontrei
autores de larga tao ignubil, pois nanea trepido e
nem recuarei a despeito de quaes quer considera-
coes no sacnflcis, quando se da'a occasode
fazer valer o meo direito.
Eogecbo Algrete, 31 de Janeiro de 1866.
Zcrino da Cunha Bastos.
o fllho em urna cama desanimado e em es-
tado de prostracio, pois qae escarrava sua-
gue, e tinha completa inapetencia e fraque-
za a ponto de nao se poder por em p, ao
fim de urna garrafa do xarope ethereo de
veame j se achara eHe ao estado de pas-
seiar em casa, de^appareoirja a inapetencia e
os escarros de sangue ; e a tosse mitigados.
No fim da segunda j achei em estado de
faze-lo paasearpek) sitio todas as raanbaas.
Acabada esta o aconselhei, que corftinuasse
no uso do mesmo xarope etherio alternado
com o xarope alaoeheo de vellame, e que
usasse dos baohos salgados na pancada do
mar. Sentio elle nos prtmeiros banhos al-
guna cho oes, mas eu oaconselhc que con-
tinnasse, com o que se tem dado muito bem
pois que teaho recebido cartas de Macei,
em que se me comraunica o sen bom estado.
Nesta molestia os expositores de medici-
na nao aconselham banhos salgados, apenas
quando delles tratam, di/.em ser applicados
escrophulas, hvpocondria, estherismo,
flore5cent(?6 flores e plantas do trpico das amenorrhea, raclhismo, etc. ; entretanto'vi
quaes ella deriva a sua bella eexquisita com- ^^ bon* resultado no fllho do Sr. Cristiano,
posifo, e a exposico ao ar, em lugar de ie outros fados iguaes tenho visto as om-
diminuir, augmenta a delicadeza de seu uno *osl'as siphyticas, e outras murtas que com
aroma, em lugar de produzir urna emana- o *? do xarope alcoolico de vellame tem-se
co acre ou urna certa effluvia desagradavel obtido cura radical.
como acontece, com esses perfumes e aguas
de cheiro as quaes s5o preparadas e com-
postas com leos baratos e fortissimos de
esseacias.
0 Sr. Dr. Silva, medico hbil de Macei,
depois de ter appticado ano seu doente de
rheumatismo o xarope alcoolico de vellame,
logo que elle se poz em estado de largar as
(Tenha-se, pois, todo o cuidado de exami- moletas, em que anriava arrimado, o'aconse-
oar e ver que os nomes de Murray e Lan-: *hou qe continuasse com o uso do mesmo
man, se achem inscriptos e gravados sob I xarope conj ueta mente com os banhos sal-
cada envoltorio, letreiro e garrafa e na falta gados, com que se tem dado muito bem, e
dos mesmos, fcil >uspeitar da sua falsi- am dos mdicos que all em Macei tem com-
dade)
Vende-se as pharmacias de Caors &
Barbosa e J. da C. Bravo & C.

Phthyslca.
O xarope etherio de veame por mim pre-
parado muito tem eproveitado aos que sof-
fre m desta molestia, e de lamenta r-se, que
pleta conflanca na* preparacoes de vellame
por mim feitas, pelos bons resultados que
tem obtido em sua dioica.
Quando alguem se v com tosse vai ao me-
dico, este o examina e declarao senhor es-
t affectado dos pulmoeso doente desani-
ma com esta sentenca, enlende estar sem
mais cura, quando os fados e a experiencia
! teetn demonstrado que muitos tendo procu-
m* cread de servir reeidnte ei
bnco e perteneonte k ExT SeBr Vi
db Ooi.\kxa, foi attaeada d'nmm tcrrfvel <
g cancros e roedoraoo PoIJpa no
A mesma involvia e tomar todo pavte in-
ferior do nariz, amacando jS itWnilr tat
parte cartilaginosa como o mestto eso; Coii
toa primeiro por pprecer sob o belfo epe
rior e parto da face. extendende>e per tal
forma e eom tal raplder, >|ue rn poseo ao>a-
carn transformar todo o rosto n'mna eaenw
cliarg vira e asqaeroa. Parante todo esto
terrivel estado, todos os recurso mediif
qoe em taes caaos se nzSo forio aii
mente empregndos, w*m qne de leve
parar a marcha lenta e distraidora de tao 1
rivol enfennidadr, e todos os meios e
forfio baldados, e no em tanto o mal creed i
qae por milagros fortan da infi-lii
as comas neste ponto, se experrmeMto pela-
vez primeira
SALSAPARRILHA
DE BRISTOL.
O effeito produzldo. por este inestimavel remedio foi rerdadHra-
meate maravilboso e sem igual; este graneo
pnrifleador do sangnn e dos humores do sj*
tema, imtnediatamente pox nm ftao 4 Mar-
cha disastroza e fatal da molestia, derramndo-
se e infiltrando-se atravts dos tiridse os aaar
delicados do eorpo, expeDindo t
propriedade ou vestiglo virulento 4 I
dentro d'nm corto espado de tempo ]

Completa e RadieaL
Este fei quio ndmiravel resalude Am oM
do apenas eom o shnples tao
Doma so nnica (.arrafa!
d'este incomparve e inapreciavel de
recommendamos portaato a todos
qoe proeurem obter cora o Mata
nica e verdadeira Salsaparrilba de
nicamente preparad por
LANMAN & KEMP,
De \OTi YORK,
na certeza de qoe, todas as mais piaanaaaffan
Imitativas nao valem para coma algsaan
Vende-se as boticas de Caors & Barbosa
e C. Bravo & C.
no obtuario desta cidade a maioria dos que I "T uu*u,"',uo ty rau'* ie"uu p^"-
suecumbem de tubrculos pulmonares, Indo ]^irv Propriado. se teem salvado ;
sem procurarem o recurso do pratico e d tJSSP expIlcara mu,tos exP0Slt0res de rae-
experiente, que Ibas pdem encaminhar o j Sl^" ,..___- --____'.-^J^"!aVL-
meo de sua salvacao. 0ra> nessa P^^ncia temos facilidade ho-
OSr.BragatomlojadefeYragensnarua W.e recurso do ar ; por que a va frrea
Direita, foi ^desengaado por Lm habis S1^^^^1^^
5S2Sr *" "" tr>tamenl ^ I ^nVsTtMans^taTa Smafesta^
A sVa. Jerooy'ma Mara da Conceico, mo-; fe Gamelera e Una, lugares perto do Boni
radoranatravessa doMoateiro n. t^han- ^ e de outros poutos que s3o considerados
do-se desengaada UnS mimWeor- ?** fant? raa,s ^ 8 meimos u?ar?
reu e acha-sf re-tabelecidn, I.JfJ* gf segnndo Penso> P^
Umsobrinho do^r. professor oeNaza-, w.!^!!^' .
sua carta abaixo transcripta, alem de outros oa _,._, ^,- ,.!!., i.,-.-*- ,;oi
fados, que poderla aquinTenconar. l^^eZo^XT^^S-
pyema. airormia1 nervosa e outras molestias pr5Sae7,S D90u Que eativeram nestas cir-
que vciam os humores, como escorbuto, Aq08"?5' P*f* 4ue ef"vereiP nesMS c.ir'
alnnrraTaalMrn, a3hm? h!!a Sino comttanoias, eu ibes facilito ex-pltcar os maios
a porcas, gainco, asinma, Dexigas, sarampo,. pe|(/g quaes se devem reger e ,be8 {W9Ci.
Na phthysica, chegando ao estado de gra-1 reVS8 medicamentos graloitamente
vidade%quemuitoVconMrrerlPaSa!a8Sfada^
SW?AS1 tt m^SS!' SSS SatrS^ienSTcon? lea
^A^^n^^^S0^^'^^ obtido ptimos reeultados: nao se en-
lS^^rTA7^-rl!^m gane o mesm7publico com outros qu por
f^^LZ^^ll18^1 / annunciam, etrpM-rw^rraraeoesIgnoro,
bebda .mmpre que seja de natureza branda ^ qQm Q am,^ alnap^,
rr^\ >n .idm^. ~. -. An ^--i.- a quem porventura tenbam sido applicados ;
Todo o seu alimento se ba de dirigir a J nmrospondepor ai, e eu affirmoco^
r?*" laCr!S^!a ,d0i hum0re8- 6 ^8' verdade o qe aaoi tenho relatado, cojos roe-
trir e soaler o doente, para oqt e preciao ;dicamehs4nesui provlncia 80 vend0 Z mw
reduri-lo ao uso de vegetaes elelte.
nha botica na ra Direita n. 88.
Jos da Rocha ParanJu*.
Toda comida e bebida, que se tomar ha;
de ser em poiicas porpes, para evitar que!
o excesso do chylo fresco opprima os bofesj Nazrei do Cabo, 7 de setembro de i 863.
e accelere multe a tlrculaclo do aangoa. | -Wm. 'Sr. Jos da Bocha Paranhos.Com
Mtritos doentes desta molestia se teem en- o maior orazer levo ac conhecimento de V.
trague ao uso do oleo de figado.de bacalho, S., que o doente que V. S. acba-se admi-
a outras preparacoes de resinas-e pateamos, nistrando-lhe re-uedios,acha-se no todo res-
sem qae deltas tenham tirado proveito; e tabdlecido, portante, nada sent, tendo des-
Auioni* Mara d Araao, oibadolOm. Sr. ca- algnns expositres' de medicina corabatem apparecldo no todo a tosse, tem mnita dispo-
Ri iXijim sf 5ua!n?Tn-thti nutra GOta muita caz3 e86e ^atmeato. slcao eomida e acba.se nutrido. Deixou
Joasutaa, fllha do illm.:*.^Antnio JosTWow! costume carregar o estomago do doen- tomar os ltimos remedios que V. S. racei-
E3ireliaai, consorte 4o Htm. Sr. tenente-eoronel te com medicamentos oleosos e balsmicos; too no dia 80 do passado.r esta agora a V.
Joao Loses dos Santos. porm estes em vez de tirar a causa aug-
^se silva Dr"p*ro 6 FraDcise, consorte do illm. Sr. aifere Antonio motampo que tirata o apetite, relaxam os
Jos Gomes de 8oa. solidos, e sao de toda sorte perniciosos.
S. mandar-me dizer qual a dieta que o
doente deve conservar a por qoanios tem-
os, mencionando as comidas que deveri
usar daqui em diante.
ATTENCIO.
Xarope alchoolico de veame, preparado
pelo pbarmaceutico Jos da Rocha Paraobaa,
estabelecido com botica na roa Direita _
88 em Pernambuco.
Este xarope incontestavebnente superior
a todos os xaropes depurativos, d caja
composicao o seo maior ele > ente a anam
parrilha, pois que se tem conbecido ser
veame mais enrgico para a prompta cora
das molestias, caja base (essencial depende
da porificacao do sangpe: assim pois ao
tem verificado por muitas pessoas qoe so
achavam desengaadas, as quaes achanto
hoje restabelecidas com o referido xarope
alchoolico de veame; entretanto qoe al-
guDS, tendo asado do xarope de Cormier,
de Larrey, de salsa parrlna, de lapooaaia,
oleo de ligado de bacalho, e outros agamias
desta ordem nada consegoiram. E' alo 4o
fcil digestao, agradavel ao paladar e ao e#-
phato Alguns mdicos desta cidade a da
de Macei o teem recommendado para aca-
radas
Impigens, tinha, escrophulas,
Tumores, ulceras, escorbuto.
Cancros, sania degenerada, floxo aho.
Todas estas affeccoes provm da noao/caov
sa interna; nao ba pois razio aigon em
crr que ellas se podem corar coaa i
externos. Tambem se prescreve o:
alchoolico de veame para o tratas
aflecces do systema nervoso e fibroso, <
como:
Gotta, rheumatismo, paralysia,
Dores, impotencia, esterilidade,
Marasmo, hipocondra, emmacrecisaaooi
O xarope alcnoolico de velasne .
todo, da maior otidade para
clmente, e em pouco tempo o
tismo.
Adverto-se que o verdadeiro xarope ai ao
vende nesta cidade na botica cima asona-
da, do abaixo assgnado; e esa oatra oaat-
quer parte que se tem annunciado nao do
mesma composicao, e nem o abaixo i
do se responsabilisa.
Jos do Rocha,
+
COMMERCtO
Moto taasao de
O Novo Banco descorita letras a II par <
ao anno, toma dinhelro a praso txe ao eaa <
correte pelo premio e condleOet aa se taa
ciooar. e saca sobre a praea da Balita
CaUa Olial do ba
eaa Pon
De oraafl a
ibesonreirj desta cala n _
o dividendo de semestre flado em at a
prximo passado, oa raaie de tal para
Caixa filial do banco doBraaH VOa
dteos.
O
lsaaciaN
-":- -
i


,.
.
/


\
1
-
1D:37*73
Rendimeuto do da 1.........
MOV1MBNTO DAALF4DBGA.
Votamej entrados cora razeadaa.... 13
c eomganeros.,,... .,#
Valnmes sabidos ce (ajendas.....
. coa ageros.....
Deaeaweg*.mneje ^ *o t*are*ro.
Barca francelv-aw-6ran atache inglezUagadore Pachet dem.
rigue poriuguezJnda pedras.
Ba,ra fraoceuFir^iJ-rjdHwrsos genera.
Brigae inglei-TSMjl-,caift de pe.
Brigue inglezFling Clouddoia.
Barca ingleza raa/oridain.
700
m
i ?

qu
ilqoer na-JFr
isjruasjdo Mon- rr
m seguida ti
omfi^iu eojif
i* (UderJo*dtr Jsablr pe-
las duas ponas de Pedro II e Boa-Vista.
Secretarla da aoHcia de Pernanibuco 31 de ja-
Miro de ia^~f>iacelrio,
Ettoardo de Barros Patea* de Lacerda,
DiClTitfttS
w l.Seccg.- Seefa^dann)ciAdeParDrn-
bjica. fr< de /evararo da tfei.
De ordera do Mira. Sr. Dr. delegado do i* dis
arcaiQgia-ru;or-vdaj. Uc|o,(*etoeiiat*^ittddowdieDtedes-
Pdiac;i hespaahola/niiaoharque.


le nespanholAlaria ft9a-T _ ae nacioQl SW/a-iden. _.
rigue argeotino-iFoan/e-Bidam.
uqna dioaraarqnez*Juao.-rideai.
Patacho portugueaJosidpov
Inaporta^io*
Vapor inglez Rhone, entrado da Soathampton,
manifestou o seguate :
20 caitas queijos ; a Ferreira & Loureaoo.
35 ditas ditos ; a Tasso.
ii ditas ditos; a. Vicenta T. da Costa.
6 ditas ditas ; a Duarte iC
15 ditas ditos.; a. Pilmeira.
17 ditas ditos; a Corga.
77 ditas ditos ; a Aquioo Kousee & C.
I dita ditos; a Soutnall Ifallors.
ditas ditos-,.a J.Pater &C.
iO ditas ditos i a Braoder a. Urandis.
II ditas ditos.-r a J. F. da-Gasta.
12 ditas f zeodas de algoso j aRaa Scaaroal-
tau & G.
1 dita dita de liaho ;.a.J. F. Lopes.
1 dita hvros, i. dita fawnd* o> algado, 2 ditas
dita de seda e modas; alfiler & C.
1 caira calgados ;. a.Roberto & Filbos.
3 ditas hvros; a G. Lalhaicar.
3 ditas moda;.; a Mello Lobo.
9 ditas objeclos diversos; Magalnaes & ir-
mO.
i.dita ditos dito! *fleario*oi.Jne*edo
0 ditas chales e modas v a Vat ct Leal.
9 ditas fazeadas de la e otjaelo de modas ; a
Ferreira &. Aragjo. .
1 dita objectos diversos; a Altas Hamuurger
&C.
7 ditas modas; a Burle &.G.
1 dita ditas ; a Lindea Wild.
2 ditas ditas; a Monteiro Lopes.
1 dita ditas.; a M. Machado.
1 dita relozios: a-Leliaman.
67 ffolumesiawndas .de tos ; a J. Ryder. ,_
1 caita fazeods de- algodo; a Augusto G. ae
Abren.
3 ditas objectos diversos; aJ. A. de Araujo
1 voluraediobeiro; a To Jeflerles.
1 dito dito; a Sa Leiuo Jnior.
2 dius dito : a Tisset Freres.
1 caita modas j a Maaoel Ignacio de Oliveira.
i ditas lvros ; a J. .\. de Souza. m
1 cetto sanguesagas.; O. A. M.
60 barns toucinb), 2 caixas ca ; a Raoello.
33icaizas ractas, doces, peues, liogvifas, ervi-
ibas etc.; a Marques Barros & C.
Vapor nacional Gerente, eotrado do Rio ae Ja-
neiro, manifestau o seguale :
Gneros estraogeiros.
7 fardos aniagem ; a Ferreira & Matbeos.
i caitoes chapeos ; a Ferreira & Araujo.
1 dito ditos -, a J. Altes da Crai.
Gensro nacional,
l.caixa de folha, objectos para.odcial; a Anto-
nio dj Alraeida Gomes.
i .dita rauiioas impressas; a Augusto Golom-
30 rolos de urao ; a Lima Bairo.
Eocommendas.
1 volume ; a Coelho & Freilas.
Ldito ; a Kiaardo Pradahyba de Mattos.
1 dito ; a M-iure Romaguera.
1 dito ; ao conselhero Paranagua.
1 dito ; a Thom da Franga.
Barca nacional Carolina, entrado do Rio bruna
do Sui, consonado a David Ferreira Baltar, manl-
le9tou o seguinte : _,.
10,199 arrobas de charque, 12 barris e 7 quar-
lollas cora 5,269 tainhas salgadas, 50 saceos com
100 Hl.meires de cevada; ao mesmo.
Escuna ingleza Magadose Pachet, entrada de
Londres, consignada a Rabe Schmeiau & G, raa-
nifestou o seguinte :
200 saceos arroz -. a F. G. de Araujo.
54 toneladas de carvao ; aos consignatarios.
16 barris de breu; a Maia & Espirito Santo.
20 caitas canella ; a Luiz Jos da Costo Amo
10 barris cal; a Joao da Silva Fana.
8 ditos cimentes; a F. de ollveira.
lt rolos chumbo; a Izldoro Netto.
i iMos dito ; a Morelra Dias.
50 barras de dito; a Izidoro Netto.
350 barricas cerveja; a J. Pater.
50 ditas dita ; a T. B. Roberts. .
28 vjiumes raaohinismo ; a Amorlm irmaos.
4 harrfi drogas; a Cruz Correa.
43 volumes madeira para tingr -, a J. aa suva
Farla.
26 barris tinta -, a Itidoro Netto.
10 ditos dita ; a Prente Viauua,
6 barricas tinta para pintura; a
boza. .
32 ditas dita ; a Joao da Silva Fana.
9 caixas objectos diversos; a' ordem.
5 ditas : a Joo da Silva Faria.
5 duas dita ; a Bowman.
10 velumes zinco; a Prente Viaoaa.
6 barricas jvedra-hume; a Joao da SHva Fana.
20 barris salitre; a Vat e Leal.
13 ditos dito; a Moreira Dia.
20 ditos dito; a J. da Silva Faria.
2 caitas encerados; a Tasso.
3 ditas kerosene; a Itidoro Netto.
600 barris plvora ; a anaders.
315 ditos; a-' ordem.
400 ditos; a Jobn^ton & C.
5W-a Adm?on Howie.
^barris oteod lintraca; a Cnw'Correa.
agGF.UKORIA DE RUNDAS 1NTBKNA8
RAES DE PERNAMBCO.
Rendlmento do dia 1...... 924#''3
CONSULADO PROVINCIAL.
Hendimento do dfa-1............ 4.9bd*77
ta rj>artiiio, *a
poli'cia, aco publicar o regularaenio policial de 124.
de fenereiro de 185; que abaito val transcripto,
i lim de que as pessoas que se oropelera aos en
tf(emaat< dp oaroaval, tenham. conhecimento
das disnasiaoas do nasoo nacalMBeato
Joaquina Manada Cooceiclo. -
JM"Praioo iibeiro PB.
Jojto Marflues Bacalhio.
LtU^Duarleda Silva.
HaBwnlro Praneacio Pereira SMtos.
Maooat Anacalo da Silva.
Manad Caralcauti Pereira da Paz.
"Maaoel Novaes da Costa.
Manof I S. Plmentel.
N. P. Lindbom.
Paula Baptisia (JUJUJIO.
Rosa Mara da ConceigSo.
No iavartioMnlo do.secretaria,
JosiX. ftmsttm IhrnM*
GftftM- Fwereiro 14 de W53.- O Dr. chefe de
polica, resolte que pela delegaeia do Io dislricto
des te termo, e pelas aabdelegaoiu respewivas, se
observeai as seguintes providencias era ordem a
obelar a per feigao., digo a perpetrataa do*, del icios
aaroccasiao dos prximo*.d do-eatrado. Pri-
oaeiao expressamenle prohibida o jogode entra-
do, e o lancar-se.agii sobre as pessoaa qua Irao-
starera pelas, raas, qaer seja isso leito por ra,eio
da-vasos ou seringas,, qoer pelo eprego-das cha
raadas limas de cheiro;e bem asslm, o uao de tin-
tas lamas e outros objectos, que tam sido empre-
gados em to pernicioso jog. Segando sao per-
mit idos os grupos.de mascarados caracterisados
por qualquer modo, sem allusSes, e espacialmente
das que digan resperto a reliffiae eseus ministros.
Terceiro nos difJerentes .caracteres con quaa
aprasenlarem os mascaras, oio sera' perflsitttdo ti-
zar de outras armas que nao sejam as fabricadas
de papelao, ou madeira fragiL Quario ndo por
modo algura permiitido aintrodueQaad'4ravo
no raeio dos mascaras, e os que entre alies frem
eacantrados seram presos corraccioaados.'.Quio-
to, es macaras ponar-se-ho com deceacia, nao
praticaram lasulto*r e Ihes nao sera' permiitido va-
gar pelas ras, depois das 8 hars da notte.r Sex-
to, a. aquellos que formareai reuniSes para bailes
nos Iheatros, prohibido dar assobios, gritos, e
praticar assuadas. Sera', respeitado o segurado dos
Testoarios dosmascaiasftojngaem podara' dirigir-
ibes pergunlas. e tratar coht eUea eonversacoes
que nio sejam decente dignas de repelir.se as
melhores reunioes. Do mesmo modo se haeram
os mascaras mas para com os outros, e priacipal-
meoe para com as familias dos camarotes a que
se dirigirem.-r SetJmor toda .. pesso* mascarada
que por algum modo ofleoder a decencia, provocar
rtxas, e perturbar a ordem mantida nos saldes, se-
ra.'- mandado retirar iBamediaumente. Oiiato, aa
faka de observasen das provideucias cima, a po-
lica proceder', contra es Infractores cobmh deso-
bedientes.
Secretaria da polica de Peraambuco, 12 da fere-
reiro de 1855. O chefe.de polica.
Luiz CarhadePaiva Teixeira-
^Obras publicas.
De ordem do lilao. Sr. eageoheiro em cuefe da
repartlgo das obras publicas se faz publico que o
coBcarso para o preeacaimento das vagas de pra-
tiunles desta .repanigo,, tara- lugar *no da 9 de
mareo prximo vindooro, as 10 horas da manba,
nesta secretaria.
Os exames versarlo sobre as seguintes mate-
rias : lingua aacional, abrangeado a escripia, ler-
tura e analyse grammalicai, desenho linear e de
aqoarella, arithmetica em todas as suas operaedes
e geometra linear.
Os requerrnoslos para inseripces dos candida-
tos, devero ser apresentados at o da 8, e pode-
ro ser instru dos com quaesquer documeaios ou
litlos scienliQcos que aboaem a capacidadc dos
mesmos candidatos.
Secretaria repartido das obras publicas 1
de favureiro de 1866.
No impedimento do secretario
Joo Jaaquim de S. Varejio.
Itej^a G-
ros.
ve?,
es*.
9A
!'..
II.
Club Ferowabuca.
&pvtkta (Jo pos de f?erairo Igra lugar
a noitd do di* M),. adciiitg-sa-,ftascaras
un* recottecid pw; ama coa^fsap.
JoseMartins dj Sllta'vai a Europa.
. Preeisa-ae da-.ufpara. uaVi sitio, na.ueno perto
da praga.que seja pesso capaz a. trabalbador,
*dise casapropriae boa pira morar : a fallar na
i Nova- n. Wt, rrcmirn tndur
COMPANHIA PBRNAMBUCANA
DE -
Kavegaca ewteim p4rf >apr.
liba de Feraaodo.
Segu no dia 4 de fevereiro as 10 liara* da ma-
nba o vapor Parahyba, para o presidio de Fae-
nando.
Recebe carga, eaoommeodas, passageiro e dt-
aheiro a Irate at 4 horas da tarda do dia 3. Es-
critorio no Forte do Malos a. 1.___________
QOIVANHIA PERNAMHUANA:
M
Ravegaco costeira por vapor.
pABA i
Parabyba, Natal, Macab.( Araeaty, Cear e
Acarac.
Seguir' no dia 9 do c< rrente,
o vapor nacional Persinunya,
oonanaadanie MkUi para m
partos cima indicados. Recebe
cargaal odia8 Eocommendas,
passagelros e dinheiro a /rete al 3 horas da tarde
do da d sahida : escrtpwrta no Portado Mallos
namero 1. _______________
i Precisa se tomar a risco- mritio*9 sobre 9
casco, frete e carga da- barca ingleza ttorenct
Danvers, Warne mestre, com destino de Valparai--
to, a quaniia de 10:0002 pouco* mais ou menos,
para seus reparos e custelo necessarlo, tendo drio
navio arribado a este porto por torca raaior na
sua tiagemde Swansea para Val para izo. Propos-
tas em cartas fechadas detem. ser eairegues no
da de fevereiro prximo at meio dia no es-
criptorio de Saonders Brothers & C, agentes de
Doyds, praca do Gorpo Santo n. 11.___________
J?ara o Porto.
vai seguir com mulla brevidade a barca portague-
za Silencio, lem parte de sen carregamento promp-
to, e para a restoque Ihe falta e passageiros, ira.
roa Not i. tf fhB^rd'waaf.
Arreoda-se o- engenno- Sa'nassu dlsttnte d
prae* BMoasde qaatro legoae, o- nal prertmo a
ponoaco de Jaboato, ton, suJBcjeate terreno de
b, a produccao, bom cercado.-e matas besa.conser-
vadas : a fallar no roesooo. eossenho.
^- Preelsi-e de boi amaidelerte qne seja sa-
dia : na ru Direta n. 3, primejro andar.
d
la-sa com Madoel Ignacio de Oliveira & Filbo, lar-
go do Corpo Santo, escriptorio n. 19, ou com o
capillo ua praca._________________________
tara o Rio de Janeiro
pretende seguir cora rauita
bem contiendo patacho nacional Beberibe, tem par-
to de seu carregamento prorapto : para o resto qne
Ihe falta a escratos a fret, trat'-secom os seus
consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo &
C, no sen escriptorio ra da Cruz n. 1.
BQLEEIBO.
Precisa-se de. am boleeiro que tenha boa con-
dneta, sem vicio.: na roa du Crozas o. 36, pri-
melro andar. _______^^______
Precisase alogar urna casa para urna farxi-
iia, quesejia fresca e commoda, prefera.se. urna casa
de um s andar, tendo quintal, uas roas da Aurora,
Pire, Sebo, Hosakio : quem quizer dirija-se a ra
do I oaparader, a* 45, If andar.
CASA DA FOBTIU
Aos mw$wo>
Uilbedes garantidos.
A,' RA IX) GltKSRO N U E GASA 0 COfTUME
0 abaitoasslgnadovtndeuuosseus muitofeli-
zes bi I heles garantidos da lotera que se-acabou
de ettrabir, a beneficio d Santa Casa dftajise-
ricordia. os seguintes premios:
N. 1361 tres quintos com a sor te da 6:
N. 2452 dous meios com a sarta da 4;
If. 2815 Mas quintos com a sorte de
N. 2857 do i quintos com a sorte de 200*
Edutras limitas sortes de 400#, 40*, a 20*.
PH0T0GR4PI1IA
artstica americana
RA DO IMPERADOR N. 38.
Artista americano
Artista amerieano.*
Artista americano.
Artista americano.
RetratosRetratosHetratos.
Em porcelanaNiepcotypie.
n lencosArchroiypie.
Em vidroAmbtotypie.
Em metal=Daguerreotypie.
paogiTalbotypie. T
o 4k rag do Imperaajter S. 38
odatroi do Imperador o. 38
elacimdato tram-sa- rattatos
stirnas, com asseioe promp-'tbtequ
da
No grggde
No grande s
Ngtte es
em todoros
tidSo, desde
OTERA
6:OOQ#O0.
Crres8Baia HnU ftrreale.
Acham-M a tenda na lUflJIl
rana roa do Crespo a 15, os
1 rneies e quintos da 4a parte d I
(47), a beneficio da statrig.4e Pao U*,
aya extraerlo- ser no lugar a
eosturne.
Os premios de 6:000*000 at
ser3o pagos ama hora depois da ex:
ata*UeM*gatarda 9>moa*K>i
da distribuiSo das lisia.
As encommendas serio goardaeaa so-
mente at a noite da vespeta da extracto
como de costme.
O tbesoureiro,
Aotonio Jos Rodfijaes da Saa.
festa dogltritM aiartrr fax, raa
igreja (ni de S. Jti lerife
A mesa regadora da Irma adate a> Jl. S. do
Terco festeja no da 3 do corrate (atibada) atar
tyr S. Brax, com missa canuda aa t Horas a an-
nha e ladaintia a uoite, na if reja aaairli a S.
Jos, e estar etposfa a' adoraeSe das tato par *-
guns dias, como de ceMame. &>pen,
a maior concorreneia w d^ot da
a drogado daa- motestta da gargsaia.
Aluga-se o andar
terreo do sotirado
rPH/AOCBM,
lagaS: asea
a
larga
para swTica de
h> a. 33.
Bere*hars da raanha
at as cinco d tarde; arsim como tem
sempre a venda grande sorthmnrto de ca- ^^^Y*4"0* prel "'*
d^.r. fW-,^ ^ Ornare erv,Cl> de c?** d P000
awerw tararas. upaorosi cisar aj^m
AMA
apta para
xas finas de 'dt*W>Vaw.'-I^^kos,^S^^VStSSO^1^
CvaeS* PaSsep^fftorjtS"e todBs OS mSis Ob^ do sobrado qne Oca confronte ao chafara.
Ospossoidares podem Tjrreeeber aensmeo- jectos e productos chimicos, relativos a I- Manoel Zefenoo GoocaWes T.-aes reravaa
SJr^SS1* se??."!? ^aaneisn*wsa te e recibidos nltimamente dos melbores; para Macei, por isio pede as pessoa* a i
Acbampe a venda w da ?' parte da i latera fornecedores de Pfilfte' Nova VrjA;terdo4"" credarwo>e apn-eoleo. soas a
VAlho! que dg tUdo. W todos os gostos e para todos %^,^mir^f.i9&
(47a) M beneficio da matriz de Paa d'.
se
Para

extrabir a 10 do correte.
PREQO.
Bilheles.....6000
Meros......3*000
Quintos.....1*200
pesseas que camararem de 400*000
para cima.
Bilhgtes. ./. J 5*300
Meias. ... 2*750
utntos.....1*100
Mahobl Ma?.tins Fidza.

Caors & Bar-



QE-
Ilia de & Miguel.
Sabe com malta brevidade a eseuaa pertosueu
Erna i para o resio da carga e passageiro* traia-se
com o consignatario Joao da Reg Lima a' ra do
Apollo n. 4.____________________________
Manoel Ignacio da Suva Teixeira participa
aos seus fregaezes e aquclies que quierem ser
que em sua padaria sita ni largo da Santa Crol
n. l'e 55 ra de Rosario rfa Boa-Vista, qm, alm
do bom po q'iecostuma a mandar fater de todos
brevidade m e os taraauhos bem torrado conforme a vontsde de
seu fregaez tem aanMga nolacha farad! ce 3, 10,
15, 20 e 40 em libra, e aramia, biSeolMjf tatia's,
i tado fabricado da metbor farinha que possivel e
manda entregar o pSo a-qnem precisar na redon-
dacado.seU eslabeleoimento.
-~Aehou-se urna corrente com diversas chaves
quem se julgar seu dono dirija-se a praca da Inde-
pendencia fabrica de chapos ns. 2%. a 30, que
dando os signaos certoa loe eero entrrgnes.
MO4MHT0 DO PORTO
Navio entrado no dia Io.
Habor Grace 30 dias, patacho nelez Haidee, de-
13S toneladas, oapttio Tnemaz EIMsH, equipa-
gein 8, carga 21:24 barricas cam bacaihao ; a
Sauuders Brothers C.
JVaeos liMoaf no memo da. _
Araeaty biale brasileiro Exhalacao, caplUo.Tra-
ano A. da CosU, carga diderenies gneros.
Liverpool-barca ingleza Ttckler, capilo Preea,
carga assuearp'algodlt. iafl
Babia-brtguft-b#etBeae Hidra, capilo A. Eybea,
em lastro.
Portos do nortevapor brasileiro Gerente, coa*
maudaai ArnaWo 46 S%illira, carga diferentes
gnroa. ^^
ftispeaUeo do lamario pg'ra o Iar*jnaTio atarea
iogleza 4ketuipd, captUo .*, cai o *esao
lastro ijue trouxe do Rio de lanero.
Granja e portos intermedios10 dias, vapor brasi-
leiro PrrsnttHaja, de 4K toneladas, cap'rto J. fc
Aitins; equipagem earga algodSo' awtra
gereros. i--'*
Ro de Janeiro-*) dias, brigue laglez Wi Hun
trets, de 357 toneladas capilo D. Gebbip, eqm-
pagem 9, em la*rro; a Thoraas JbrTeries fi C
Navio faMei n* #k*i o. <
Liverpool barca iagle CAawzo, oapitao R. B.
Fenlay, carga algodo.
Cear-escuna haooveriana Emmanuel, catltao R.
Wehlen, canga parta da- que troua da Ham-
borgo.
A cmara municipal desta cldade jeado de
proceler no dia 6 do correte a apuraeio geral
dos votos para-membros da assembla provincial,
convida, conforme reeommenda o 12 do art. Io
do decreto n. 842 de 19 de setembro- de 1855, e
art. 25 do decreto n. 2824 de 22 de agosto de
1860, aos eleitores dos collegios que compoem o
primeiro distrielo a comparecerem no dia indica-
do para o fim de asslslirem a mesma apuraeio.
Paco da cmara municipal do Recife de feve-
reiro de U366.Luiz Jos Pereira Simoes, pro-pre-
sidente.Francisco Canuto da Boa-Viagem, sacre-
lao. _^__^______^_
O Illm. Sr. inspector da thesouraria de fazan-
da manda fazer publico que tem marcado o dia 26
de fevereiro prximo vindouro para o concurso
que fe tem de abrir nesta thesouraria para pre-
enehimento das vagas de pralicaoles nesta repar
taco, na alfandega e na recebedoria. Os eiames
versaro sobre as materias de que trata o. 1. do
art. I. do decreto n. 311* de 27 de junho de 1863,
a saber : leitura, analyse grammalioal e onhora-
phia, arithmetica e suas applicagoes ao coramercio
com especialidade a' reduceao de raoedas, pesos e
medidas, calculo de descont, Juros simples e com-
postos, theoria de cambies e suas applicacdes. Os
concurrentes devero previamente apresentar sens
requerimentos instruidos de documentos qua pro-
vera idade completa de 18 annos, isencao de pena
e culpa, e bom comportamenlo na forma do art. 3.*
do decreto n. 2549 de 14 de margo da 1860.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Pernam-
buco em 18 de Janeiro de 1866.
Servindo de offlcial maior
Manoel Jos Pinto.__________
Consolado provincial
Pela mesa do consulado provincial se faz publi-
co que os trila dias uleis marcados para cobran-
ca bocea do cofre dos imposlos da 50 rs, por al-
queire de sal, de 4 0|0 sobre os estabelecimentos
defdl-ada cidade, prensas de algodo, typogra-
phias. cocheiras, bbteqnins, botis, casas de pasto,
cavallarices e fabricas; de 8'OjO sobre consultorios
mdicos e cirurgicos, carinos e esariptojios ; de
20 t)fO sobre estabelecimentos d commercio em
grosso e a retalho, e trapiches; de 50J sobre ca-
sas d bilhar modas; de 00* sobre casas de
roupa feita e sellins esteangeiros, e de cambio; de
1:000* sobre casas de operarse? bancarias com
emisso e previlegios; de 600SO90 por casa com
emisso e sem previlegios ; de 409* por. casa sem
emisso, companhias anooymas e agencias ; de
100* s)bre corretores commerciaas, agentes de
leilaoe de casa de compra e venda de asara vos.;
de 30* por escravo empregado ara servico de. al
varenga-, de 1-5 por tonelada de alvarenga; de
10* por bote oo. savalra -, e d 1(>0* por baiieir
de 50* por escravo^ganhador.; de 10* por cvallo
do sella dealuguel'-, 6* por dit> particular ; e a
impostes de carros e oarrocas pertencentes ao anno
floanceiro de 1865 a 1866, e tambera o 1* semestre
do iraposto de 20 0|0 do consumo de agurdente se
Para o Rio de Janeiro, segu o brigue na-
cional NORMA, recebe carga e escravos a frete:
a tratar no escriptorio de Amoiim Irmos, roa di'
Croa n._3.________________^________________
7Paraa Ilha de S. Miguel.
esperado a cada momelo do Rio de-Janeiro
o patacho portnguez Fernands, o qnal ter nesta
cidade apenas a demora de 10 dias, recebe carga
a frete por preco mnito commodo : trata-se com
os seas consignatarios Antonio Luiz de Oliveiaa
Azevedo & C, no sea escriptorio ra da Craz nu-
mero 4.______
os precos.
Salo da ra do Imperador n. 38.
Sala o da ra do imperador n. 38.
AchaeaHTcasa% MtbriS C, rna da Grtf
n. 55, urna carta vioda do Rio de Janeiro pelo va-
por bra ileiro c6ereotl para. ntregw aSr. Joo
KM ou Koki, o mesmo senhor tenha a bondade
de apparecer.___________ _,_
Precisa-se saDer a morada nesta praca do Sr.
Felicio Jos Vaz de Ollveira, atina de ser procurado
para se Ihe fallar.
Auiouio Aires de Onveira Braga, de Santo
Aoto, participa ao respeitavel publico e princi-
palmente ao commercio, qo.e desta data em diante
se assignar Antonio Alvesde Oliveira Braga._
' Predsa-se ife nmaama para casa d9 faml-
i lia 'de duas pessoas : a tratar ntraa- da Meada
! n. 29. __________________
ATTENCAa
J66.

Jos Baptista Braga e Aatonia
Moreira Sampaio soetx* da Aada AaSMHo
Gomes de ('liveira, agradece cmintimmi
a todas as pessoas que asistiram ao faarral
do dito finado, as?im romo rogara a lodos o*
amigos aasisiirem a ama missa por ataaa a
finado oo seMnodlao qoal lera' laaar aa
igreja de Nossa Senhora do Carreo, sesiwb-
feira 5 de fevereiro pelas 7 horas da nwaaa.
Therezade Siqueira Cavalcanti manda di-
gzer umaraissa no dia de fevereiro as 8
e meia floras da manhaa na matriz da Boa-
Vi>ta, anniversarlo do failecimeoio de sna
I presada filha Tbereza de Siqueira Alcefora-
.do, pelo repooso'eterno de saa alma, pede a
i.seus pareles e amigos e aos de sua filfca o
ravor de assistirem a este acto religioso, e
desde ja agradece a aquelle que se dignar
ouvi-la.
Henry Forsler & C, roa do Trapiche n. 8
tem para vender:
Predas para enfardar algodo.
Machinas de desearo^ar algodo,.de 30 a
]> 60 serrotes, com motores, assim como moto-
rs que servkSo para qualqeer servico, e urna '
machina de 120 serrotes-can urna machina a
vapor, propria para a mesma.
r
Para Lisboa.
O brigue portuguez Bella Fi-
gveirense, capito J: C. de Carva-
Ibo Sobmbo, v sabir com bre-
vidade, ponerpronrpto a maior
parle do carregamento, para o
ato. di carga e passageiros tra-
ta-se com o consignatario E. R. Rabello, ra do
Trapiche n. 44, segando andar.
LEILOES.

EDITAES
O Illm. Sr. Dr. delegado do l diatridlo 4esU
cidade, encarregado do expediente dWta repart
manda fazer publico para conhecimento de quem
interossar possa.a resoloco qne desta data-lomou,
e a*saginte: acerca dos carros, mnibus e mais
vehicnlos de condueco que trans tam nesta ci
dade. As entradas e sabidas dos carroi de agri-
cultura e mnibus sero feitas pelas ponles de Pe
dro l e provisoria : os qoe vierem pela estrada
de Pao djAiho e Pont* de uhs, e beta assa os-
Da taberna rm do Colovello n. 49.
esquina do becco das Bar reiras.
as 10 e I ]2 lloras em ponto.
Joao Jos Lopes da Silva
com con8enco de seas credores e por intrveB$ao
do agente Cordeiro Simoes, levar hoje
ma vez a leu os-gneros, armacao,
dividas da taberna cima dita.
pela uiti
utenciHos e

EXPLENDIDO
LEU AO
DE
MffBTM'A*.
Terca>{eira 6 do correote
Rufino Antonio da llalla, leodo-se retirada- para
a Europa, fara .leilao do su* mobi ia, por interven-
cao do agente Resuma, constando de rica mobilia
de Jacaranda' do mais moderno gosto de Pars, ri-
cos espelhos, piano, quadros, camas d Jacaranda',
lustres, candfeiros, farros, goardanapos, toilttea;
tapetes, guarda-louca, mesa elstica; facas e garfos
de marrim, servico de- porcelana- para-mesa de cha
e jamar, vidro?, cryMaes, salvas, bandejas, apoare-
Iho todo de mtal fina, etc., e muilos outros objec-
tos qaa-njelhor sarao- aaauaciadw. por-avateos
lerca-feira 6 do correle pelas 10 horas da maohaa
na ra da Aurora casa rx 2 andar.
j
LEILAO
DA
Taberna na ra dos Qiwfcro.
CJantoseoruOliiuU
Gordelr
a requehmani de. Vicente Ferreira Nunes da
Paula e despacho do Illm. Sr. Dr. juiz municipal o
principia a contar do da! de fevereiro vloouro. docomnrercio di cldade de Ollnda, lra' lellb dos
Mesa do consulado provincial de Pernambuco 30 gener0Sj armacao e mais pertences da taberna acl-
-dejaielrode 1866. _____ ..,....., ... ma, a qual fora embargada a Manoel da Silva N
ves Continho, isto
Antonio Cmeiro Machado
Administrador.
Ros
Correio geral.
Rehcao das cartas segaras1 eiiisientes na-admi-
aletraco do correio desta cldade. para os seataoree
abaiO) declarados : .
Alejandre dos Sanios Barros.
Atiioao Augusta Medial! da^ Gostt.
.Amadlo Jos da. Panacea.
Bento Pachecotde Soma (fedra.de Fofo).
Fraoasco Cordeiro daPaiza Cimpello.
Dr. Joaquim de OHvatra a Soata.
Jlo Baptista Garjo. s
Joio Silverio de Sonta.
Jos Gabriel de A. Pmto. -'
Lolz Baptista da Fonseca.
Raymundo Pedro da Costa.
Sttvhj-Pelico Pereira: flewaz.
Tobas de Souza Lima.
Terca-fcira 6 ft correnle
as 14 horas em poato na mesma taberna.
RTSOS DIVERSOS
O abaixo assigoado faz publico que tendo dado
ao Sr. Elias Cordeiro Coelho Cintra urna letra da
importancia de-1:590^ sacada em 12 do correte
pele abaixo assignado e aceita pelo Sr. Francisco
Muniz Paes, para Ihe fazer o favor de selar, e
sabendo pelo Sr. Francisco de Paila Cavalcanti
Lins. que acaba de ebegar nesta esiago que o
Sr. Elias viera com elle no vapor e seguir para
Uns, e que Ihe dissera qoe a letra que en Ihe ba-
Via dado para selar, que elle liona entregado a
seu iimo o Sr. Andt.Cordeiro Ciojra, pava a
submelter a sello, e que tendo dito seu irraao se-
guido para o Paraguay, elle igoorava onde ella es-
lava e que a. suppuaha extraviada. A vista do
exposto o abaixo assignado previne para que nao
se fa?a iransac^ao alguma com mencionada letra, i
e protesta desde ja.' contra qualquer negocio que.
se Jaca com a mesma. Ribeirao 30 de Janeiro de |
4866.
_____ Jote do Reg Lima.______
Precisa-sede urna pessoa que seja
casada para ensinar no engenho Pererecas,
distante 2 leguas da cida le do Rio Formo-
so, grammatica portogoea, franceza, mu-
sica e pian, mediante aquantia de 1:2005
por anno, alem da casa para morar e mais
algans favores: a tratamesta cidade no
escriptorio de Leal &. Irmao, das 10 as $
da tarde.______________________
Andast por alogar o sitio em Santo Ama-
ro, em oae-raaroa o Sr. Cambaoae.
Os commodos da casa: a saa-ele^ancU, e as pro
porjoet do-sitio, que alem de estar bem. plantado,
tem boas baixas de capjra, offerece as mBsmas con-
digoes s'pessoas de tratamento, sendo que pelo
aligueqoe-oaa^e-etige -nlo- caro.
A qaea quizer flear com o mesmo sitio; ou a
qualquer outro, cede-se por preco razoavel atn ca-
bnolel, um bom cavallodoas bois, um rauito bo-
mfeeoufro qae-seVeoda-baratOi orna carraca de
molasj malta mtneiraf e alna aova, jcora arreios
para onf rttHo; outra- carrftea- *e-eaixa, muito
propriatpara^raasporiie de.barrieasy sccos-aas-
sucar, umsiao.ptqa8no,.nmaiboaiba de regar jar-
dina, um bota de ferroaoutro da. madeira que ca-
rece de reparos: a tralar na ra do Imperador, na
esertotorto daempreza do celo da cidade, por ba-
xe do comwaso de S. Fraaciteo.
j. ~1Z~Q baixo signado agradece ranito aoa^rs.
Wre Radaada, Jote Dlaiz, -1- Aires e oalras
fllssas qpe concorreram para o seu transporte -,
atsira como aoSr.uJ5o da Rocha Pinheiro e outros
mais, e cora esppclaffdade o s^n amigo Ribeiro,
sua familia, a familia 9a Sra. D. Mana Pessoa de
Mello e a Sra. 0. Candinha, e seu muito amado
(liba Aprigio, de cujas qualidades jareis m* taque -
EanrehrtBO BYat deOHvelra.
Precisase (Mal'4tfi9r. Joo do Reg Rrthe-
CITRSO
DR
na litraria tu 8 narpracatdf Independencia.
Macla das cartas Mas de exewile awaaera-
(iesas canrpw db nrlpamas seirtWrM abaiso
declarados :'
D. AJetandria Francisca daa Cbagas.
D. Afllonia Guilhermina Pereira do Lago.
Antonio Martins-das Santo?.
Antonio Paulino'Cavalcanti de AUmquerqae.
9. Dollarmioa Marta da Cooceicao.
Barbosa Antones Cordeiro Faltosa.
Celestino Augusto d S.
Emiliano Ernesto de Mello T. (i\.
Ffaarico Augusto Velloso 4a Stlsira. .
PEP4RA10R^S.
J os Soares de Azevedo,. profesor de c
lingua e liiteratura nacional no Gyranazio
Provincial do Reclfe, tem aberto em sua ca-
sa, ra Bella n. 37, as seguintes
preparatorios!
GEOGRFICA E HISTORIA
PHWOSOPHIA
f*r1IIITO*I(;\ E. POTICA
tem&*lm^Um wtndar qual-
dkorulaas^ podam dirigiMe i
inill UlIlilMmf' ate as 9 ho-
ras, de ^iMtmmmmm
1 ado.
laaajjSB^i
Achavsa.fugida desde. 23 de pasudo a-, malata
gaeda.d 2fl anoos4 alta, reforcada, vesga da Jim
Iho, perleoceatea Exma. Biroaaza da Victoria ;
i vaaiida.com-vestido de cassa desbotada, atesta
ravidji: quem a pegar leve-a a ma da Autora,
asado Dr. Fraila-i Heorques, que ser gratifl-
Fraocisco Al ves Monteiro Jaator, eotdW
mete agradeee a lodos os sea* amago q-
' se dlgnaram assisttras exequias de ua nta;-
to presada esposa D. Fraaeisca-P>reVa Mr
i-ns-Monteiro, e de-nevo os c avMa > mi*-
Mir a missa do stimo da namairiz >to C>r
po Santo, segaoda-feira 5 de fevereiro aa fi
horas da manba.
FESTA DE S. BRAZ, ADVOCADO DA GAK
GASTA.
A irmaodade de S. S. do Terco, erecta aa .m-.
triz tie S. Jos, faz striente ao re*p*ttvel aaadara
que tem de festejar o lorise S. Brz ao a .", de
fevereiro com missa canuda, as 8 horas 4 > -
nhaa e ladainba as 7 horas da noiii, e de^-e itia
em diante fleari exposta a imagem do mea Ma-
to na forma do coslomi, por espaco d> 8 da*.
Samuel Pewer Jehistaa & Ceaaaafli
Roa da Senzala Nota n. 4.
AGENCIA DA
Fu ndIcio deLew Iter.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavaltos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios d carro para am e dona caralloa.
Relogios de onro patenta inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costara._______________
Fai-sa qualquer negocio cora na aaoNe^ da
divida publica : na praca da fadepeadeacia a. tt.
Ga^a vazia.
Aluga-se urna pequea casa aa roa do Rbbbbbbi
n. 14 : atrattr com Azevedo & Irmao, aa raa db
Qoeimado.
Menlo.
Aos sanbores (uaaaaks. eaaaaa baca
porale ricos caebuabos de escama, aa
chapeos da sol, roa da Qaaiaaad a. ;
se acha na dita om graade sarUaMato da
de sol da todas as ajoalMada*, eoare-sa e
qualquer concert perteacaate a esu arta
fax**
5 CASA BE RAMOS
26-PalediCar#-26
MVA YtWWK.
DE COR CHEIRO xt&BOR AGRADAyEW
Infinitamente mais-effipazee-do qse todo
os mais remedios perigosos enauseabundos
que existem para a expuls5o dastombrigis-
Para einflrlri.
Aluga-se o primelr 'andar da casa da roa da
_ruz o. 5. proprio para escriptorio, mallo frasco, _,
oro vista de mar e por preco oomraodo: a fraiar rv5ac!nsaffl^ doresie prodotem seu effeito
no escriptorio do sobra jo junto n. 3.. j sem precisar logo depois de purgante ne-
Precisase de nm erlado, preferindo se asara- ohu e taoincilantes em apparencia e deli-
aulas de#to, e que saiba cozinhar ou fazer o servico da co-
pelro : em Santo Amaro, casa confronte ao hospi-
tal inglez.
O escrlvioda irmandade d N. S. da-Solada-
de convida aos seus Irmos para que se dlgnem
rennir-se m consistorio da respectiva igreja, no
dia 7 deaotrante, apto dar procedepsa a eleico
do juiz que teto de faccionar no presente anno.
Dama a*rjia a.oa! furlaram nm Santo
Antonio, um peqoeoo Craciftto de prata, urna me-
dalha^om transelim de ouro com redoma e ca-
bello ; pade-se a vigilancia da polica.
Precisase de ama ama ou cosiuheira : a
'tratar na ra das Cinco Pon tas o. 101
ciosas em gosto, que ascriancas est3o
promptas a tomar mais do que marca a re-
Uteis como um excellente meio de fater
remover as obstroecBes do ventre, mesmo
no caso de nso existtrem verme algum, as
PASTILHASVERIUFGAS DK KKMPS S50 promp-
las eiofalliveis naeoa orjericJ e por todos
os respeitos dignas deconfianca e approva-
qSo de todoa os paea de familias. Prepa-
radas nicamente. porLanman & d,
Nova York.
Hornera 19 do correa,
ia desta ridade par* a Peale de Otada, >
ceu nm saenvda aia|
unto usado, toada"
carias, papis avaboa a aa alas, aj
fecbadora e esuva fecaada: oaaa l
tenha a-bondade de o Ir enUcfar aa f-J- caaa-
pos, asanieaarlraoria,**'r da D.r *a)a. 2.
soorado, que soca geaeToeaaaeaia
Keste esubdecimtnto uaaortaaaa M
para asando a asela do corpo acaaaaaa S
montados 20 bantmtras, qoe sao aervii
com a-orden e aceto djae
jar-se. Qoatroi
ciaUnente reservados para i
isto acham-se col locados un logar i
yado aonde so lem entrada aa |
ama mesma Malla.
Prreasde-1
Ibaafco fro,
visco.
1 dito dito de choque.
1 dffo de farelio .
1 dito-aroanatlzado .
1 dito medicinal ser4 segoada saa ana.
Uoade.
Praca par
36 banhos por mei fri,
ou de crmvisco.
SS dilaa cosa earataa paral
com canoa para aa
ditos
raos.....
12 ditos com cartBes da eaogac.
1* ditos com eartSee da brea*,
Q estaba!acmenlo _
da oteis.da*6 horas da aaaaasi aa *{
M da noite. nos das sanliteaaos daa 5 aa
Wt 4 da tarad.
ma-da-sv g
CollB|ideS. Jta^iiB
No collegio d s. Joaqoim precha-aa aa aaa ra
linhelro qoe seja perito na sna arle, o aja ##Mt
digna aboaaco de ma eoaducta.
Precsa-aa de om maaiaada I:
que tenha boa letra a alfa
caixeiro de umavaasa daaagaria
Imperial n. 27, oa oo caes da
bacaaa n. 4.
a Mi
Precisa aa da aaaa amai
ra da Cadeia do MU .
-- I
<
J


i.
ra
* 4
m
1866.

Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISaDA PELO REAL DECRETO E i DE DEZEMBRO Dfc 1859
Cea flanea em dinheiro, depositado nos cofres io estado, garante a boa ad-
ministraco da companhia.
BANQEIROS DA COMPANHIA* MRECCO GERAL
O Banco de Hespanlia Madrid : Ra da Prado n. I
Esta companhia liga pelo systema mutao todas as combinaedes de supervivencia dos segn
ros sobre a vida.
Nella pode se tazer a sabscripcao de maneira que em nennum case mesmo por morte do
segurado e perca o capiul nem os joros correspondentes a etes.
Sao tao supreliendentes os resaltados que produzem as sociedades da ndole deA NACIO-
NAL qae ainda mesmo dimlnnindo urna terca parte do interesse prodorido em recentes liquida-
ntes 'ecombinando-o com a mortalidade da tabella de Depareieux qae adoptada pela companhia
para seusclculos e liquidares, em segurados de idade de 3 al9 anuos, orna imposicaoannua.
de 100* produi em effectivo metlico:
No flm de 5 annos.......1:1191300
de 10........34Uf880
t de 18 >.......11:208*200
de 20 .......30:256*1)00
> de 25........80:331*000
as idaues menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais considera veis.
Prospect e mais informacoes serio prestadas pelo sub-director nesta provincia,
oaquim Fiuz de Oliveira, ra daCadeia n. 52, ou a Boa-Vista ra da Imperatrlz n. 12, estabelecl-
mento dos Srs. Raymundo, Carlos,Leite k Irmao.
TINTURARA
AO GRANDE S MAURICIO
PROCEROS APERFEI^OADOS
PARA
Tinglr. llmpar e lustrar a Tapar.
F. A. SALINfiRE & C.
29 Kua 7 de setembro 29
Defronte da roa nova do Oavidor (Rio de Janeiro)
Os proprietarios deste eslabeleciraento, o primeiro no sen geDero do Brasil, por
trabalhar com as machinas mais aperfeicoadas para tingir e-lustrar, de que se faz uso ni
Europa, e ajudados por alguns dos melhores officiaes de Pars e Ly5o, podem assegu-
rar seus fregu/es urna perfei^o no trabalho, a qual seno pode cuegar pelos proces-
sos ordinarios.
Tingem, lavam, limpam e demofam com a mai r perfeico e brevidade qualquer
qualidade de fazendas, tiram nodoas e limpam secco sem molLar as sedas e as vestimen-
tas de senboras e de homens.
ATTEUCAO
Hontem p )r occasio de desembarcarem
os passageiros do vapor nacional Gerente,
desencaminbou-se um bah contendo roupa
e papis, que s podem servir ao proprio
dono : pede-se pois a quem o ti ver levado
por engao de mandar ao hotel de Franca
entrega-lo ao major Jos Guedes Nogueira,
o qual recompensar com generosidade.
Na praca da Independencia n. 33, loja de
ourives. compra-s onro, prata, e pedras preciosas,
e tambem se faz qualquer obra de encommenda, e
-todo e nualquer concert.
I-Ingoaitna-se
rom a Augnsta n.o, loja.
Precisase de ura feitor para ora sitio : a tra-
tar no sobrado n. 5, sito no largo da nbeira.
Casa para altigar
Aluga-se casa terrea da ra de Santa Rila n.
69 junto a igreja, com mu lo bons commodos para
familia e reedificada ha pouco : a tratar na ra do
Imperador, armazem n. 81.
Aluga-se o segundo andar do sobrado n 62
da ra da Guia : a ti atar no C andar.
D-se 500* sobre hypollisca : quem precisar
aonuncie.
Calxeiro.
Precisa-se de ura calxeiro que seja muito prati-
co para armazem de molhados em Macei, paga-
se bom ordenado : a tratar com Francisco More-
ra da Costa, ra da Praia n. 12.
l\ >0
A abaixo ai signada faz saber que validade algu-
n, a lem um papel de dote que seu genre Joo de
Allmquerque Barros de Vasconcellos lem do escra-
vo Amaro, crioulo, acaboclado, pois o passou urna
pessoa figurando a seu rogo ; sem que a abaixo
assignada o fizesse de sua livre vontade, e sim
constrangida, e por isso validade alguma tem, pois
oportunamente a abaixo assignada ou seas her
deiros o deverio tet de nenhnm effeito. Cidade de
Nazarelh 27 de Janeiro de 1866. Por minba mi
l'mbelina Rosa de Jesas,
Jos Cabral de Oliveira Vasconcellos.
GARRAUX DE LAILHACAR <5 C.
UBRAIRIE FRANQAISE
Rua do Crespo b 9.
LIVROS NACIONAES E ESTRANGEIROS
ReliguePhilosophia Jurisprudencia Litl era-
taraScieocias e artes.
Papelaria, objectos para escriptorio.
Na fabrica de sabo da rua de S. Miguel,
fregnezia dos Afogados, precisa se alugar tres es-
cravos, paga se bem : a tratar na mesma, ou no
Recife, rua do Amorim n. 41.
GAMELLE1R4
Instrocco inblica primaria.
0 professor publ co de instrueco prima-
ia da povoaco de Gamelleira part' ipa aos
Irs. pas de familia que desde o da 15 do
orreDte se acha no exercicio de seu ma-
{isterio. ____________',
AO PUBLICO.
Tendo me retirado do termo de Garuar i declaro
qfce nada devo all a pes-o alguma, e quo, portan-
loL ser de raa' f todo e qualquer que se inculcar
daroeu credor, ou compromeitidi em dividas por
inlm, visto como sempre capriebei por nao ter des-
se; compromisos.

Miguel Bernardo Vieir, de Amorim.
f- Antonio Gesario Moreira Dial, pode ser pro-
cu ado no escriptorio
rua da Cruz n. 50.
de J. A. Mnreira ias, na
N. 0. Bieber < C, scessores, sa-
cam sobre o Rio de Janeiro a \isia ou a pra-
zo conforme se convencionar.
Pede se ao Sr. tbesoureiro das loteras que
nao pague o bilhete inteiro n. 205 cas) sala pre-
miado, senao ao a anunciante, qae o perdea.
Alexandre dos Santos Rarros.
Bsibf's "W^"I inven 5 H^
Joo da Silva Ramos, medico 1
pela universidale de coimbra. d jM
consultas em sua casa das 9 as "
11 horas da manha, e das 4 as 6
da tarde. Visita os doentes em suas
casas regularmente as horas para
isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serSo soccorridos em
qualquer occasio. D consultas aos
pobres que o procuraren! no hos-
pital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 as 8 horas da
manhaa,
Tem sua casa de sade regular-
mente montada para receber qual-
quer doente, ainda mesmo os alie-
nados, para o que tem commodos
apropriados e nella pratica qualquer
opperaco cirurgica.
Para a casa de sade.
Prime ira classe. .35000 diarios.
Segunda dita.... 3*300 >
Tercetra dita .2*000
Este estabelecimento j bem
acreditado pelos bons servico qae
! tem prestado.
0 proprietario espera que elle
I continu a merecer a conaoca de
[que sempre tem gozado.
1
s
-- Em casa de Theod Christiansen, roa do Tra-
pict e-novo n. 16, nnico agente no lorte do Brasil,
de I randenburg frres, Bordeaux, encontrase ef-
fectivamente deposito dos artigos seguimos :
Sil Jalieo.
St Pierre.
LaYose.
Cria tea u Loville.
Crlateau Marganx.
Grttnd vin Chateau Latine 1858.,
Chateau Lafilte.
Haut Santernes.
Chotean Santernes.
Chateau Latear Blancbe.
Chateau Yqnem.
Cognac em tres qnalldades.
Azlette doce. Procos de Bordeaux.
O Dr. Cirollno Francisco de Lima san- |
s contina a morar na rua do Impera- g
or n. 17, segando andar, tendo alias seu
ahinete de consultas medicas, logo ao
ntrar, no primeiro.
O mesmo doutor, qne se tea dado ao
estado tanto das operares como das mo-
lestias internas, presta-se i qualquer cha-
mado, quar para dentro quer para (ora S
da cidade. gPg
mmmmmmmmmmmm
DIKIBL DA COS-
ta Miranda,
Portoguez, pam ten interesse moilo se deseja fal-
lar com este seahor, e se agradecer! a quem der
noticia delle na roa da Cadeta n. 17.
Waoted cd Botlomry oa tbe HuTT'freight and
cargo of tbe Brit Barque *twoac Daoversi War-
ne Master boond for Valparaso, loe sum of about
Ten tboasaod Milreis for necessary repairnand dis-
borsemeats ; the said vssel having pul ioto Ibis
port in distr'eson her voy age from Swanscate Val-
paraso.
Sealed tender sto be sen! into Messrs. Saonders
Brothers Si C, Llovds agents apto mid-day Io fe-
bruary 1866. | .
MARTIMOS
JOi
AGUA FLORIDA
CONTRA FOGO. ,
A companhia Indemnisadora, eslabeleci-
da tiesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercadorias e mobilias :
na rua do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Alngam-se as casas terreas da rna do Heo-
rique Das (vulgarmente fconbecida per Estancia)
ns. 8 e 20, com commodos para familia, Miadas e
pintadas de novo : os pretendentes podem diri-
gir-se a rua da Cadeia n. 39.
. Ama
Na raa da Cadeia do Recife n. 51, terceiro an-
dar, preetsa-se de umi ama forra ou captiva para
familia de duas pessoas.
Precisa se alugar um preto qae seja fiel : na
rua de Hortas n. 7, leonagao._________________
Precisa-se de ama ama para o servico de
ama s pessoa : na rua de Agoas-Verdes n. 0.
panhia fidelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTKS EM PERNAMBUCO
Antonio Lniz de Oliveira Azevedo k G,
competentemente aotorisados pela direc-
tora da companhia de segaros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
rias e predios no sen escriptorio rna da 8
01
Cruz n. 1.
m
Jos Gomes Villar
com loja na rua do Crespo n. 17, j|
convida aos seus devedores do ma- 2K
to e desta pnca a pagarem seus de- ^
bitbS quatiM antes, principalmente ^
os que j devem a mais de seis me- *
zes. f
'**
AMA

Precisa-se de urna mulher de boa conducta que
saina bem engommar, paga se bem : na roa do
Brum n. 72, 1 andar.____________________
Na fabrica de calcados de Jos Vicente Go-
dinho. no nbeira de S. Jos n 23, comprase paos
para timancos, e se paga a|!2 o cento, conforme
sua qualidade.______________________________
Precisa-se de um calxeiro de 12 a 14 annos
de idade : no pateo do Paraizo n. 30.
jEducac&o primaria e se-
cundaria.
N inslituicao de Jeronymo Pereira Vil-
lar, na rna larga do Rosario n. 22, nao
s se ensinam as- materias qne constl-
taem o corso regalar de primeiras letras
como as disciplinas preparatorias para a
facnldade de direito ; cujas aulas estarao
abenas no dia 8 do presente Janeiro, e f
serio regidas pelos mesmos professores. jjR
sac
Saques para a Baha, Para e
lfaranho.
Antonio Jos Rodrigues de Souza na rua
do Crespo n.*15, saca avista ou a prazo
contra a Bahia, Para e MaranhSo,_______
Precisa-se de urna ama para casa de ura ho-
mem solieiro : na rua do Cordoniz n. 8._^____
=~Na fundico do Bowman roa do Brum n. 38
precisa-se de ofhciaes de marcineiro. ___
Alfonso Jos de Oliveira recebe alumnos ex-
ternos e internos em sua escela particular de ms-
trueco primaria e secundaria na rua estreita do
Rosario n. 31, terceiro andar.
Ceblas a AOO ra.
Na rua da Madre de Dos n. 5.______________
Precisa-se de urna ama para casa de
pouca familia : a tratar no becco dos Copia-
res n. 3, primeiro andar.
Est por alugarse o primeiro andar do so-
brado da roa de Agoas-Verdes n. 86 : a tratar na
raa das Cruzes, sobrado n. 9,1 andar.
XHVVEIINAfTC-
Jtt-Rua do Imperador19.
Deposito de joias fraocezas por atacado.
Casa em Pars e Rio de Janeiro.
Receben) directamente por todo os paquetes.
A pessoa que perdea ama carta para o Sr.
Albiao Jos da Costa dirij -se a roa do Rangel n.
60, qne Ihe ser entregue.
Precisa-se de urna ama para o servico interno
de urna casa de pouca familia : a tratar na praca
do Corpo Santo n. 17.______________________
Precisa se de ama ama qae cozinbe e en-
gmate para duas pessoas : na roa da Penba n
23, segando andar.
Precisa-se alugar um cesinheiro on coss-
nheira : na rna da Imperatriz n. 9, seguodo andar,
Precisa-se de um criado, dando fiador de sea
comportameato : na roa do Imperador n. 79, se-
gundo andar.
INJECCAO BROW.
Remedio infallivel as agnorrheas antigs
e recentes, nico deposito na pharmacia
franceza, rua da Cru n. 22 e ao preco de
30000.__________________________
Precisa-se alogar quatro escravos qae sejam
ponentes para servido deoaixo de coberta, pagtu-
do-se bem : a tratar no largo da A'serabla n. 20.
A enQam
Esta' para alugar-se o armazem da roa do Apel-
lo n. 19, muito proprio para deposito de fazendas
on algodio, por ser muito enchuto e claro : a tra-
tar do i* andar do mesmo.
Na rna da Cadeia do Recife n. 50, precisa-se de
orna ama para cosinhar. ___
A administradlo do crrelo desta cidade pre-
cisa de quatro homens para serem empreados no
servico de camlabeiros : quem estiver nenias con-
dicSes e qoizer eogajar-se,
ministraco.
dirija-se a mesma ad-
O Sr. Francisco Jos de Frenas Gui-
maraes, queira ter a bendade de ippare-
cer na livraria n. 8 da praca da Indepen-
dencia.
i paz
i Preclsa-se de nm rapaz para alagar para to-
do o servico de casa estrangeira preferindo-se es.
crjavo : na rna do Hospicio n. 33.
Ama de leite
(Precisa-se de orna ama de leite, pr e/e re se par-
da : na roa da Caixa d'Agba n. 46.
Precisa-se de um amassador: na padart em
Salto Amaro, atraz da func icao do Sr. Siarr,
DEPOSITO DE CALCADO
FABRICADO NA CASA DE DETENCO
Raa IVoTa n. I.
Ah se encontrarSo obras Je di-
( versas qualidades, e por preco mui
diminutos, a retalho e em porces.
K S se vende a dinheiro.
??<"! 4aIII imm-mkWk Wk
Em quanto o Sr. acadmico Antonio del Cas-
tro Alves no mandar pagar 635000 que deve de
aluguel da casa em que morou na roa dos Coelbos,
ver o sea nome neste jornal.
ttMMMMttMM
HO Dr. Francisco Pires lachadti
Partella
MEDICO E OPERArOR
PILA
Facnldade de Parla.
8 continua no exercicio da sua profisso,
e pecialmente as molestias de olhos, de'
8 vas orinaras e de pelle, para cojo tra-
tamento juiga-e oabilitado attenta a pra-
tica adquirida nos hospitaes daqne: la ca-
8pital, e os Instrumentos mais modernos
que^possoe.
Accede promptamente a qualquer cha-
mado para fora da cidade.
E encarrega se de colloear olhos arti-
ficiaos.
No pateo do Carmo n. 2, esquina da
rua de Hortas, das 6 as 10 horas da ma- I
nba, e das 3 as 5 da tarde.
wm BMW S HUiai'BSS
Precisa-se alugar orna ama forra oa escra-
va para comprar, cosinhar e engommar : na roa
de Borlas n. 72._________________________
ENCANAMENTOS
s
m
s
PA1A AGUA
Na roa Nova n. 30 fazem-se e conoertam-se en-
coamentos, assim come bombas para agna.
Precisa-se de nm (orBeire : a rn* Imperial
o 51/padarii.
MURRAY&LANMAN
A agua florida de Murray A Lantnan
olhada como um artigo de perfume, nSo
tem podido ser igualada pelas preparaces
as mais costosas: conserva sen aroma, co-
mo se formasse parte da prenda a que ella
se applica.
Sua efflcacia tso delicada, como elegan-
tes sao seus multiplicados usos, qur seja
empregada como artigo de toucador, qur
no uso do banho, ou como suavisador da
pelle, depois que se tenha feito a barba;
j para limpar as gengivas ou aromatisar o
hlito.
D suavidade, brilho e elasticidade as
compleices, depois de se haver lavado; al-
livia a irritarlo de erupces ordinarias; faz
desapprecer o desagradavel aspecto dos
pannos, das sardas, do rosto, rugas e toda a
casta de ebulices, e d vigor e frescura a
parte onde qoer que se appllque. Sua efli-
cieocia e elegancia sao igualmente infalli-
veis nos casos em que seja preciso applica-
la como estimulante e antisptico, nos con-
cursos e assemblas numerosas, as loca-
lidades infeccionadas, na alcova de um en-
fermo, assim como um antidoto excellen-
te para os desmaios causados por cansaco
ou suffocaco. Preparada nicamente por
Lanman & Kemp, Nova-York, e a venda por
Gaors k Barbosa.
JoSo da C. Bravo & C.
Deposito geral em Peraamouco rna di
Crez n.22 em casa de Caros & Barboza
Aluga-se urna escrava para todo o servido in-
terno de urna casa de familia, e vende-se nm mu-
alo escuro muitu mogo, bonita figura e bom ofi-
cial de sapateiro : a tratar no pateo do Terco nu-
mero 22.
Candida Balbina da Rocha, faz publi-
co que a sua anla particular de instruccao
primaria de meninas ser aberta no dia 16
de fdvereiro prximo, na rna doRaogel so-
brado n. 59, nao o fazendo antes por se
achar este sobrado em ultimacao de con-
certos.
Briacos de crystal o pulseiras.
Na loja de ourives no arco da Conceici, no Re-
cife, tem os melbores que ha eneastoados em ouro.
Perdeu-se urna letra sacada em 5 do corren-
te mez sem ai signatura do sacador, somente assig-
nado o aceitante Francisco Pereira dt, Merelles, a
quatro mezes, da qoanlia de 1545710, do aoe ja
est sciente o aceitante de nao pagar seno ao sea
proprio dono, e quem achar, querendo resumir, se
dar alguma coosa pelo achado, pode dirigirse ao
pateo da Penha.taberna n. 21.________________
D. Clara Ciementina Carlota, de Brito declara
ao respeitavel publico que nada deve a ningoem,
porque tudo quanto compra a dinheiro vista,
nem assigna letra de muguen, nem tambem fia
dora. Nao faz tenco de fazer o contrario do sen
costume, e por isso declara qae tudo quanto appa-
recer falso.
Precisa-se de um rapaz del i a 16 annos
para caixero de taberna e que d fiador a sua
conducta : a tratar na roa dos Acoogutnhos n. 20.
O Peitoral de Cereja,
DO DE. AYER,
PAIIA A CrRA RADICAL E CER-
TA de todas as molestias do peito
e da garganta, tosses, constipa;5es,
Broncbitc, asma, defluxos, roqui-
(15(i, Coqueluche, angina, DIptherU.
Este sarape peitoral o resul-
tado de longos annos de estado
por um dos prlmeiros mdicos da
America do Norte, e de experi-
enoiaa minuciosas nos principos
hospitaes do mundo; reccltado pelos mdicos mala distlnctos
deste seculo na sua dioica particular, por tanto digno de toda
confianca, 1, por ter eficaz, alcanzando com urna certera infal-
lyel o assento da molestia e arrancando lhe as ralscs, assim
dando aos orgaos affectados urna aeco natural e sa: 2, por
ter Innocente e appUcaval a qualquer pesta de qualquer idade
ou texo, ao homem robusto ou i enanca da mais tenra idade,
cada frasco sendo accompanhado de dirrecces minuciosas:
3, e ultimo, por nao ter um remedio tecreto, pois qualquer med-
ico ou pharmaceutioo podo obter a formula da sua composico,
dirlgindo-se pessoalmente ou por carta ao agente geral, H. II.
Lae, a rua Direita No. 16, Rio de Janeiro.
Mui tos caaos qne tinho zombado de todos os recursos
da sciencia tem sido curados radicalmente com o uso do
Peitoral de Cereja.
As pessoas atacadas de fosse, defluxos, Dir da oarganta,
Bronchite, asma, etc., c outros symptomaa da tilica prima-
ria geralmente fazem pouco caso do sen p&decimcnto at
que seja tarde para cnra-lo. Nao descuidis d' urna tosse
porque agora parece de pouca importancia; urna tosse
descuidada chega a ser chronica e indnz a formaco de
Tubrculo! nos pululos.
Nenhuma casa de familia deve estar sem um foseo
deste xarope mo; pois nos ataques repentinos de
Angina, de Croup, e nos paroxismos do (loqueluche; ou
tosse comprida a que esto rajeitas as enancas, nio ha
ietnpo de chamar um medico, nem de fazer remedios, e
este xarope alivia immediatamente e pfle o filho querido
sao e salvo, fra de acrgo.
As molestias que Uo ao alcanee das virtudes curativas
do PEITOKjLL DE CEREJA o
Defluxoa, Toases, Asma, Esquinencia, Bronchite,
Coqueluche, Tosse ferina ou convulsiva.
Hoquidio, Todas aa molestia do peito
e grnta. Oonaompcao dos Pul-
rodos on Tisica pulmonar.
Acha-se em todas as Boticas e Drogaras do Imperio.
i
Pilulas Oatharticas do Dr. Ayer
CRAO
Pritm de sorra, Xndlgeta, ContHpmco, Jlheu-
ntatUm, BtmmorrhtUai, Dir de eoeeo, A Xerral,-
gUi, mal do etlommfio, Etutmqutem, mml d Figado,
Oatlritr, Febre'eattro-hfmtita, Jximbrigtu. Eryrip-
tita, Bydropala, Incremento do bofo.
Todas as molestias que provm do uso excessiro do
QuiBlne.
0 mlhor purgante at hoje condecido.
F.stat pilulas atsucaradas too puramente vegilaet.
PTJBGAO X PUBIFICO SEX MEECTJBia
A venda em todas as Boticas e Drogaras do Imperio.
ACUESTO BEEiL,
H. U. IiASTB, Boa Direito No. 16,
Rio de Janeiro.
Vende-se em Pernambnco:
na
iPHARiyiACIE FRANCAfSE
A sociedade de segares mataos sobre a vida de-
baixo d'ste titulo, fondada, administrada e garan-
tida pelo banco Alianca do Porto, efJerece as maio-
res vantagens as pessoas qne nella se qniterem
trncrever : quem, pois, acerca de tal institoico
desejar obter esclarecimentos, dirlja-se a Joo Car-
loe Coefno da Silva, a rna da Madre de uens d. 28.
Para prova do quanto esta sociedade se acha
eminentemente acreditada, transcrevemos para es-
te jornal o artigo qne acerca della pcblicorj o Com*
mercio rfo Porto:
Acaba de chegar do Brasil o Sr. Jos Antonio
Pinto da Rocha, inspector naqnelle impeno da so-
ciedade de segaros mataos sobre a vida, fondada
e administrada pelo banco Alliaoca, denominada
A PREVIDENTE.
Para mostrar o boa crdito e sabida confianca
qae esta secledade goza entre os nossos compatrio-
tas alfl residentes, publicamos a segointe lista das
snbscrlpcdes por elle obtidas ne corto espaco de .
seis mezes, montando a 878:375-1; facto este qne Am"l? um
Polidorio Jos da Ponte........
1 Jos dos Sabios Castro Garrate.
Angosto Correa Dore...
Francisco Pacheco dos Santas..
Atiplo de Parla Gomes.........
Antonio Francisco da Silva.....
Jos Joaquim Coelbo de Oliveira
Antonio Gomes Coefho Torres ..
Jlo Martina dos Santos........
Pedro ArTnso Cooto............
Aos Alves Veras Cont.......
Severiuo Ferreira da Mona Ma-
chado......................
Antonio Manoel de Lima.......
Antonio da Costa Sol...........
Francisco Antonio Mendes de Oli-
veira Jnior........;.........
Jos Alvos Maetetra.............
Bernardo Affonso de Miranda...
Manoel Pereira Machado........
Vicente dos Santos Simoes......
Manoel Francisco Florea........
Maooel Ferreira Marqoes.......
Manoel Lul Baplista Pin no.....
Antonio Luir BaptisU Pial....
Manoel Jote Gomes de Aadrae.
te Castre Bro-
chado.
de per si falla mais alto do qae todas qaantas con-,
smeVacoes podessemos .presentar, e qae por isso 11"** -| ***
nos abstemos de fazer.
Illms. Srs. subscriptores. qoantias sabscriptas.
X/i/s*
m
Jos Antonio Pinto da Rocha....
Albino Jos da Silva...........
Lniz Amonio Siqoeira ........
Angosto Cesar de Azevedo Que-
des.......................
Americo Nones Corris........
Antonio Alves deMoraes.......
Maooel Duarte de Figoeiredo...
Maooel Martios de Oliveira Aze
vedo........................
M. T- Basto...................
Aotooio da Silva Pontes Gnima-
raes.......................
Manoel Gomes da Croa.........
Antonio Lourenco Teixeira Mar-
ques ......................
Bernardo Jos de Oliveira Ma-
chado.....................
Jos de S Leitao Jnior.......
Domingos de S Pereira J-
nior........-..............
Vicente Ferreira Coimbra......
Jos Joaquim Alves.......,....
Jos Feroandes Lima..........
Jos Joaquim Leitao...........
Jos Antonio de Brito Bastos...
Joaquim Loiz Ferreira Leal
Silvioo Goilhermede Barrus....
Alfredo Henrique Garca.......
Antonio Valentim da Silva Bar-
roca.......................
Jos Rodrigues da Silva Bor-
ges.......................
Maooel Jos Moreira...........
Virgilio de Castro Oiiveira......
Jos Antonio da Costa Valeote..
Justino da Molla Siiveira.......
Manoel Marques de Oliveira....
Antonio Fernandos Duarte Al-
meda.....................
Joao Martins de Barres.........
Antonio Joaquim Fernandos d
Silva......................
Costodio Jos Alves Goima-
res........................
Jos Gencalves Villa Verde.....
Alfredo'Jos Antones Guimaraes
Manoel da Caoba Guimaraes...
Joaquim Cabral de Mello.......
Jos de Azevedo Maia e Silva..
Bernardo Pereira do Valle Por-
to........................
Ignacio Pereira do Valle........
Felisberto Ferreira de Oliveira..
Domingos Jos Ferreira Guima-
raes.......................
Maooel da Molla Machado......
Manoel Joaquim da Rocha......
Seraphim de Sena Jorge........
Manoel Joaquim Feroandes.....
Josepha Mara da Conceico....
Luiz Perejra Lima-............
Antonio Henrique Rodrigues..-.
Manoel francisco dos Sanios
Maia......................
Manoel Joaquim Ribeiro.......
Manoel da Silva Nogueira......
Joao Lacio Marques...........
Francisco Joo de Barros......
Joaquim Rodrigues Tavares de
Mello......................
Jos da Silva Loyo............
Francisco Jos Alves Guima-
raes.......................
Caetano Cyriaco da Costa Mo-
reira......................
Jos de Mello Costa Oliveira.. .
Manoel Muniz Tavares Cor-
deiro..................-----
Antonio Joaquim de Vasconcel-
los........................
Antonio Jos da Silva Brasil...
Joo Jos Rodrigues Mendes.....
Luiz de Moraes Gomes Ferreira.
Domingos Jos da Cpsta Amorim
Manoel Fernandos da Costa.....
Joo Carlos Coelho da Silva
Manoel Ramos de Oliveira.....
Manoel Jos Pereira Marinho...
Manoel Ferreira llartlnio.......
Maooel Francisco Marques.....
Gregorio Paes do A mar a I.......
Joaqnim Jos Goncalves Beltro.
Joo da Silva Ferreira..........
Jos Joaquim da Silva..........
Antonio Jos Coimbra Guima-
raes ........................
David Ferreira Bailar...........
Antonio Jos dos Res..........
oo Ribeiro Lopes............
oaquim Custodio de Oliveira...
cGomes de Freitas.........
ernardino Gomes de Carvalho.
Antonio Baptlsta Nogueira......
Joao Francisco dos Santos Jnior
Francisco Ribeiro Pinto Guima-
raes......"...................
Alfredo Prisco Barboza........
Maboel Soares Pinheiro.......
Joao do Coato Alves da Silva...
Joaqnim Monteiro da Cruz.....
Antooie Jos Dantas...........
Salostiano Francisco Martins...
Antonio Pereira de Faria.......
Antonio Luiz Ferreira Lima....
Maooel Jos da Cunha Porto...
Flix Venancio de Caotalice....
Manoel Alves da Silva Caldas..
Jlo Francisco Antones........
Costodio Colaco Pereira Jnior.
Jos Gon ca I ves Torres.........
Antonio Jos Paulo de Carvalho.
Joaquim Ferreira dos Santos
Coimbra Guimaraes.........
Justo Cesar de Almeida Jordo..
Jos dos Santos Oliveira.......
Belarmino do Reg Barros.....
Manoel Ignacio Rodrigues Praga
Joao Jos da Silva............
Fortunato J. G. B.............
Jos Correa de Mendonca Sobri-
nbo.......................
Emiiiaoo Evangelista de Moraes
Antonio Pedro de Sooza Soares.
Manoel Jos da Costa Pereira...
Joo Pereira Reg............
R.M.S.A. F.................
Custodio Francisco Martins.___
Manoel Albino da Coito Torres.
Jacintho Jos da Costa Torres..
Bernardino Augusto da Costa
Torres.....................
Joaquim Pedro da Costa Torres.
Padre Tiburcio Pereira Gomes.
Manoel Gomes Correa.........
Joaqnim Ventora da Silva Pinto
Manoel Ventura Teixeira Pfnte.
Domingos Marques de Oliveira.
Antonio Rodrigues Padim.....
Paulo Jos Pereira da Silva....
Francisco de Oliveira Braga...
Joo Pinto de Oliveira..........
Paulino Das Fernandos.......
Antonio Leite de S Coelho....
Padre Manoel Goncalves Goima-
raes.......................
Jos Affonso Guimaraes.......
Manoel Tavares de Pioho......
Floriano Alves da Costa.......
Joaquim Antonio Carneiro Sal-
daoha......................
Miguel Albino da Costa Machado
Padre Jos Ventura Teixeira
Pinto......................
Aotooio de Afiliar Silva.......
Manoel MariinsBastos......
Antonio Pinto Baadeira.
Antonio Joaqnim Alberto de Al-
molda......................
Joaqnim Antones da Cuaba G-
mares.......................
Jos Vidal da Rocha............
Jos de Sorna Velloso..........
Jos Carvalho Pinto Bastos......
Zeferioo Jos da Rocha..........
Nicolao Cioffl...................
Jos Antonio Piobeiro Bastos...
Antonio Joaqnim ate Carvalho
Lima.........................
Manoel Domiognes Goerra......
Jos da Silva Miranda..........
bernardino Alves Barbosa Saata-
rem........................
Otto Rodoipb Steagel...........
Victorino Jos Duarte Fiuza___
Joaquim Antonio Teixeira Ma-
chado.....................
Bernardino Jos ate Araojo....
Joaquim da Costa Carneo.....
Domingos da Costa Aran Bar-
ros .......................
Luiz Antonio da Cosa Pereira..
Joaquim Ferrreira Coelbo da Ro-
cba.......................
Bernardo Jos da Pai.........
i)00O01 Aotooio Alves Pelo.........
50000 Js Nuoes Pinto.............
[ Salvador Oliveira Roteado.....
Adriano Joaquim do Caen Sai-
xas. ......................
Fulgencio Jos da Costo.......
Domingos Moulinbo...........
i'5o05OOO IJf Jeaqoim Teixeira da Fosse
1:2304000; Bastos.................
Antonio Ribeiro Rosado........
Eduardo Pereira Nuoes........
Joaqoim Jos Ferreira de Freitos
Antonio Marques Ferreira.....
4005OO!Antonio Ventura Teixeira Pinto.
Pedro da Cosa Nones.........
1:2504000 Joo Jos Redrigoes de S.....
Jaciolho Jos Martins Correa...
1:2504000 J< Ferreira da Silva.........
50040001 Domingos Jos Ferreira.......
5004000 'oo Fernandes da Costa Guima-
1:2504000 raes......................
2504000 Bernardino Alves Barbota......
2:2504000, Antonio Ferreira de Carvalho..
.Carlos Alves Barbosa..........
1:0004000 Joaquim Jos Gomes da Sonsa..
' Jos Fernandes Ferreira.......
Domingos Jos Ferreira da Silva
Manoel Aotooio dos Santos Coelbo e
Silva......................
1:00040001 Max Haroborger..............
0OO40OO Francisco Xavier de Oliveira...
1:2504000 Aotooio Goncalves de Azevedo..
3.0004( 00
5:0004800
1:2504000
2:3004000
2004000
1:0004000
1:2504000:
1:250400o1
6:2504000
1:2504000
1:0004000,
5004000
1
1:2504000
2:5004000'
I
5004000
l:2ol4000:
2:5004000,
1:2504 00
3:7504000.
7:3004800'
6504000
6:0004000
1:1504000'
6:0004000;
1:5004000
1:2504000
5:0004000
3:0004.1)
r.JMaVjtt)
13
1:00 '4000
1:2304000!
6:0004000
1.50(i4000
1:0004060
5004000
7:5004000
1:2504000
1:2504000
2:5004000
6:3004000
10:0004000
10:0004000
8:7504000
1:0004000
2:0004000
1:254000
1:2504000
2:0004000
2:5004 5:0005000
3:7300OO
3:7504000
4:0004'00
3:2504000
1:2504060
1:2504000
1:-504000
2:5004000
3:7504000
4:0004000
2:5004000
2:5004000
8:0004000
2:0004000
5:0004000
1:0004000
2:3004000
1:2504000
1:0004000
5004000
1:2504000
1:0004000
7504000
1004000
1.-2504000
2:5004000
1:0004000
650*000
5:2504000
1:0004000
2:0004000
1:2504000
5004000
2:0004000
2:5004000
1:0004 00
1:2304000
10:0004000
1:2504000
1:2)04000
2:5004000
2:0004000
2:5004000
2:5004000
1:2504000
5004000
1:2504000
1:2504000
2:5004000
2:0004000
7504000
5:0004000
5:00e4000
Francisco Jos Lopes..........
Jos Joaqoim de Agolar........
Joaquim Francisco do Reg___
Jos Alves Barboza Jnior.....
Jos Manoel Baptlsta..........
Jos Gullherme Guimaraes....
Noberio Correa da Cos a Bara-
Chuy.......................
3-ftWOOO
I:29h4009
l:2MflW
5004000
2.5no*mo
2 5004"OO
2:504i
Iflaimo
54NO0
l:23Um>
2:OOU4WJO
6>JjOQO
3:7SMw>
I:904*M
6004OM"
578:37541 i
N. B.-As quanlias subscriptas, cima mttvio-
nadas, sao realisadas no espaco de 10,14, 20 u
25 annos, entrndose anooalroeole co* na?
pequea prestacao, segundo as postes te snbs-
criptor.________________________________
- Antonio Luiz Triieir Culmars deius ate
ser caixeiro do Sr. Jos Flix da Cmara Pimea-
tei desde o dia 31 do prximo pas-ado.
COMPRAS
Compra-se um lustro de vidro para gax, noe
tenha 4 ou o bicos : qo^m o ver e quizar ster,
dirija-se a rua nova de Santa Rito, serrara ate Vi-
cente Alves Machado._______________
Por 4000000
Compra-se nma preta de meia idade que nao te-
nha vicios nem arhaqoes : na roa do '-ahoga n.
2 B.
Compra-se onro, prata e pedras preciosa*,
em obras velhas : na roa da Cades* do Recite,
cja de ourives no arco da Contirte.
Comprase carosso (sement) de stgndio: no
armazem de algodao de Saonders Brotners C
no caes de Apollo.
uro e prata.
Em obras velhas : compra-se na
dependencio n. 22, loja de Mneles.
praca da la
Compra-se urna casa terrea en qual-
quer urna das ras desta cidade, e que nao
seja em travrssa: a tratar na roa de Hortas
casa do fallecido Loureiro.
Cofre.
Compr-se um cofre em segunda sso : no ar-
mazem da^bolla amarella no oio da
da polica.
Cobre, lata e efci
Compra-se cobre, latao e chambo: no
da bola amarella no oitio da secretaria da
Compra se nm osera ve
Crespo n. i7. ______
peca : na mn do
Compra-se ama carroca para cavarte,
do cm bom estado, com os seos rompssssiisj ar-
reios : na roa larga do Rosarlo n. 20.
3:2504000
1:2504000
1:2504000
3:0004000
2:0004000
2:5004000
4:0004000
12:0004u00
5004000
1:2504000
5:0004000
5:0004000
2:3004000
2:0004000
2:5004000
5:0004000
1:0004000
2:5004000
2:0004000
2:0004000
l:20#0ll0
2:0004000
VENDAS
F0LHI.\HAS
PARA 1866o
Acabam de sabir i loz as olhinbas de
algibeira e de porta para o asno de MN, o
mais correctas possivel tanto 00 cscale das
las e eclipses, como as diversas festas
qoe a igreja celebra; vendem-se unirna
te na livraria da.praca da Independencia, i
160 ris as de porta e 320 ris as de asfi-
beira.
1
Vende-se orna carroca cosa noi o na _
muilo proprio para criar : em Santo Asases
fronte o chafam, taberna, a tratar com AototM so
Rege Medeiros.
Vende so a casa tarrea da roa Diteta a. C
e a da rna Imperial n. 16 : trata-as na rrn f
do Rosario n. 20.
Livro do povo.
O livro do povo, obra ornada
teodo a vida de Nosso Seonor Jetas OaTlsts, e
tos artigos otis. Este livro das fassMsas 1
mendadoe approvado pelos Biess. Srs. D.
bispo do Maranho, e U. Manoel, ares"
hia, acaba de publicarle a 4* ediceao
tanto obra, e vende-se na livraria
do Crespo o. 2. Preco 14


i
.


I


da
Paredes Porto.
Neste estabereeimento encontrar o respeitavel
poblko um variado sertimeolo e fazendas france-
ses, Ingletas, sulssas e allemes, qae se venderSo
por preco eenmodo.
Paredes Porte
Vende chales de renda de cores qae se vende-
ra a 188 est vendando por 64, ditos preos
xenda nova, 54, 64, 84 a 20*, n sortimento con
pleto de manteletes, capas e soutambarquea 144 a
354. Ra da Imperatriz n 43, jonto a padarla fran-
ceza, armazem da porta larga.
Paredes Parto
Receben aro completo sortimento de liasinhas a
140, e 180 ra. corados, para acabar, cambraias de
cor a 240 rs. o corado, riscado escosse para ron-
Bi de menino, fustao de linho a 420, 400 e 500 rs.
oa da Imperatri n. 51 junio a padaria ffaneexa.
armaiem da porta larga.
Paredes Parta
Receben para cortinados para cama franceza a
11* a peca cambraia lisa fina a 34 4* al 10* a
peca, cortes de tarlatana de bonitos gestos a 3*500
a i*, cambraia com flor de seda, costos inteira-
mente novos a 400 e 500 rs. o covado.ne armazem
da porta larga n. 52, roa da Imperatriz junto a pa-
daria franceza.
Paredes Parto
Receben pelo ultimo paquete um sortimeoto de
cmzes com pedras para o pescoco, bonitos caxineis
de lia para pescoco de senhora. Roa da Imperatriz
n. 52, armaiem da porta larga.
Paredes Parte
Vende cortes de gorgurio preso para vestido com
31 covados cada um 35*000, gredeoaple preto a
1*600,1*800 e 2* o covado, las lizas finas a 400
rs. o covado, las de qnadrinho para vestido, entes-
tada, a 320 rs. o covado. Roa da imperatriz n. 52,
armazem da porta larga.
Itesaafsita
Roa da Imperatriz n. 62 armaiem da porta lar-
ga junto a padarla franceza, enconlra-se neste es-
tabelecimento um completo sortimento de paletos-
saceos e sobrecasacos, de todas as qaalidades, cal-
cas, colletes, ceroolas, camisas, grvales, meias,
cbapos de sol, ditos francezes para caneca, por
precos commodos, roepa para menino e ontras
mnitas fazendas por precos commodos, armazem
da porta larga.
No mesmo estabelecimento encontrara e respei-
tavel publico, sempre um completo sortimento de
ronpas eitas de todas as qaalidades, como sejam
paletos de alpaca preta e de cor, ditos sobrecasa-
cos a 4* e 5*, ditos de brira parlo a 2*800, 3* e
3*500, ditos finos a 4*, ditos meias cazemira a
3*500, 4* e 5, ditos cazemira saceos a 64, T4, 8*
e 10*, ditos sobrecasacos a 10 e 12*, ditos de pan-
no saceos a 6*, 8* e 10*. ditos sobrecasacos a 12*
e 25*, ditos de merino preto a 6*, 7* e 10*, cal-
cas de bnm de diversas qualidades a 1*800 a 44,
ditos brancos a 2*500 e 6*00, ditos cazemira 5*,
6* e 7*, diles pretos a 5*. 6*, 8* e 10*, ditos
meias cazemiras a 3* e 4*, coletes de diversas
qaalidades, seroulas (rancezas de algodo, ditas de
Jinho, ditas de bramante a 2* e 2*500, carnizas de
algodo de lioho francezas de 2*500 e 3*. Gran-
de pecbincba neste genero, grvalas de todas as
qaalidades e brancas para casamento, grande sor-
timento de meias para senhoras, ditas para bomens
a 3*, superiores a 3*500 e 4*.
Um completo sortimento de chapeos de sol de
alpaca a 3*, ditos de seda a 5*, 7*, 10* e 14*,
ditos francezes para cabeca, grande sortimento
a 6*.
Pechincha admiravel.
Grande sortimento de chambres a 4*600 e 5,
leoces de cambraia para homem a 2* a duzia, di
tos de linbo a 4* e 5*.
Grande sortimento de roupa para meninos e on-
tras muitas qaalidades que seria enfadonho men-
ciona-las.
Paredes Porto
Recebeu pelo u I limo paquete francez ricas lias
granadinas com flores de seda a 400 e 500 rs. o
covado. esli acabando-se, cambraia preta para
lato. Porta larga jonto a padaria franceza, a roa
da Imperatriz n. 52.
Paredes Porto
Receben pelo ultimo paquete esparlilhos a pre-
gaicoso por 3, sao bons, lencos de seda para se-
nhora e homem a I?, ricos cortes de cambraia
bordados de 18$ a 7, por ter nm toque de mofo,
esto se acabando, na rna da Imperatriz n. 52, jun-
to a padaria franceza.
Paredes Porto
Vende nm completo sortimento de fazendas
braneas, como sejam madacolao a 4*500, 5*, 6* e
10, pecas de algodo por barato prego, cblia fran-
ceza a 240, 280, 320, 360 rs. o covado, precalias
muito finas a 360, 400 rs. o covado, chita iogleza
a 200 e 240 rs. o covado. Ra da Imperatriz o.
52, junto a padaria franceza.
Fazendas.
Vende-se snperior merino preto proprio para ca-
pas de senhora e vestidos a 2*. lustrim da China
a 1*800 o covado. Ra da Imperatriz, porta larga.
Paredes Porto.
Vende em seu estabelecimento tiras e enlremeios
bordados, grande sortimento de crplnhos rica-
mente bordados a 3*, 4* e 5*. S o Paredes Por-
to, ra oa Imperatriz no 52; porta larga junto a
padaria franceza.

para o carnaval
Vendem-se oa alagam-se neos dminos para o
carnaval, sendo de velludilho e das cores mais lio
das qae pcssivel, e tambero de oulras qualidades
qae quera desejar sabir estes dias dirjase a roa
da Imperatriz o. 56, loja e armazem da Arara, qae
achara um grande sortimento de gesto.
Fazendas pretas para a quaresma, grosde-
naple preto a 15600.
Vende-se grosdenapie preto muito bom a 1*600,
1*800, 2*, 2*600 e 3* o covado, moreantque pre-
to mano bom a 3* o covado, merino preto fino a
3* o covado, bombazina para vestido* de senhora
a 1*400 e 1*600 0 covado, alpaca preta Ana a 500,
600, 700 e 800 rs. o covado: na roa da Imperatriz
n. 56, loja da Arara. -
Panno preto hno a 25 0 covado.
Vende-se panno preto fino para paletots e calcas
a 2*, 2*500, 3*, 4* e 58 o covad ', caseraira pre-
ta fina a 34500, 4* e 5* o corte, dita para covado
a 1*803,2*, 2*500 e 3* : na roa da Imperatr,
loja da Arara n. 56.
Chales de fil de linho a H-
Venden) se lindos chales do fil de linho a 8* e
40*, retondas de fil de linho a 12*, cortes de ves
ti do a Mara Pia a 7*, 10* e 12* : na roa da Im-
peratriz, loja e armazem da Arara n. 56.
Meias cruas para menino a 1$ a duzia
-Vendem-se meias croas para menino a I* a du-
zia, chales de merm estampados a 2*, dos de
Jaa.a .1*280, ditos de algodo a 1*. colarinhes para
borneai a 5^0 rs. a duzia para acabar : na roa da
Imperatriz n. 56. loja da Arara.
Cortes de ganga e de brim a I 800.
Vendeaa-se cortes de calca para homem, de gan-
ga e brita de cores a 1*603 e 1*800; cortea de
meia caseraira de cor a 2*500 e 3, cortes de ea-
semira preta para calca a 3*500, 4* e 5* : na
rna da imperatriz n. 56,
Cuitas baratas a 220 o covado.
Vendem-se chitas de cores Oxas a 220 e 240 o
No amaze ig lazendas
ttt de Sanios CoeJho
a do peanlo Jf. *,
Vaast-aae aaafln :
panno
FABRICA VAPOR
W BA DO MONDEGO 99 1 < a I f i
Deposite ea ra* Sova O leja le relejeelre.
Deloucbe donos deste estabelecimento parlecipa ao-respeitavel publico que sua fa-
brica est montada com as melbores machinas que existen oa Europa, e que pode
fobricarcom melbor perfeicSo possivel. Todo o chocolate desla fabrica est garantido, e
paro, o que nao se pode encontrar naquelle que vem de fura, e que se vende por preco
baixo, visto os productos serem do paiz. Na etiqueta tena sempre urna aguia.
PRECO.
Meia libra........ 400
Urna libra-. ....... 800
Urna arroba........190000
Na meseta fabiica acaba de se montar urna officioa com serrara a vapor para
obras de marcioeina propria para edificio, para o que eocarreg >se de fazer portas, ja-
dellas, assualbos (parqu francez como se usa na Europa,) e armacoes, tudo com brevi-
nade e pertleic5o. Toma-se qoalquer encommenda para fra da cidade, entregando-se
prompta alcollar-se no lugar.
DE
COELHO & FREIT1
Ra da Crai n. 16.

ede
para
Cobertas da caita fina a 2*800.
Dita de dita a 2*400. ,-
Lencoes de panno de linho a 2*200.
Ditos de dito de lioho a 2*.
Ditos de bramante de linbo de um se
mano diflabe fino com 9 l|2 palmes de larga,
ra pelo barato preco de 2*400 a vara '
Bramantede linho fino com 10 patojos de lar
Peebtfli^mbraii'com lpicos brancos
cores com 8 1,2 varas a 500.
Pecas de cambraia adamascada propria
cortinado de cama com 20 varas a II*.
Baldes do arcos a 2*800,3*. 3*300 e 4*. *J
Uncos de cambraia fina a 2j600 a doria.
Ditos de dita a 2* a duzia. **
AiBoalhado de linho fino a 2*800 a vara,
Dito de algodo a 2* a vara.
Algodo enfestado com 7 li2 palmos de largura
a 1*200 a vara.
Pecas de bretanha de rolo com 10 varas propria
Fito de linho liso fino a 800 rs. a vara.
Dito de dito com salpicos a 1* a vara.
Cambraia de llano fina a 4*500, 6*560 e 9* a
vara.
Corte de liazioba de lindos goetos coa 15 co-
vados a 5*.
Pecas de madapolo Onissimo pelo baratissimo
preco de 8*, 9*, 10* e II*.
Flaaella branca fina a 600 rs. o cavado.
Dita de cores fina a 880 r. o covado.
Bales de mnsselloa para menina a 3*, 3*500
*
Cambraia de forro a 3* a peca.
Diu fina a 4*500,6* e 7 a peca
Goardanapos de lioho a 3*800 a duzia.
Toalhas de algodo felpadas duzia a 12*.
Esleir da India propria para forro de sala de
4, S e 6 palmos de largura par menos preco do
que em ontra qnalqner parte.
Neste armaiem tambem se encentra nm grande
sortimento de fooea folia e par medida.
4GUIA BIANC4
Ru% da Uueifljatio Dr8.
A loja d| aguia Lianca acaba de receber
aw-
Cor.tinua\a baver diariamente um sortimento de pastis, podins, bolos inglezes,
empadas etc., etc. Os donos deste estabelecimento, acham-se as melbores condicoes
de poder satisjEazer encommendas concernentes k sua arte, em consequencia do socio
Freitas ter sido administrador ebefe dealgum'as das princii aes fabricas ua corte, sendo
urna a do Sr. Jo3(nGoncaltes Guimares (confeilaria do Le9o) antiga casa de Carceller.
Todos os trabalhos sao differentes dos que se fazem em casas particulares.
Os proprietarios deste estabelecimento n3o se tem poopado a despezas, nem se
pouparao, se houver concorrencia como esperam ; lendo continuadamente bom sorti-
mento de doces para cb; presuntos e ditos em fiambre, tambem se recebem para se-
rem preparados; askim como doce de caj novo mpoijor, secco e crystali&ado, dito em
calda em latas hermticamente fechadas, pudendo durar annos em perfeito estado.
Para jantares partidas rcebem-se encommendas dos segumtes objecios; ban-
deijas ricamerte enfeitadas sem armado pecas de amendoas (nogaces), ditas de tmaras
de ovos, pies de l enfeitados com disticos anlogos a qualquer fim; ditos montados,
kecbs simples e enfeitados com fructas ingleza ; patheaux de la reine, ditos de le d-
chese, tortas de fructa, massa folbada; ditas de peixe e carne; cremes e doces de ovos
de differentes especies.!
Tambem tem um completo sortimento de vinhos engarrafados, como sejam: vinbo
do Porto superior, Figoeira, Madeira, Lisboa, Cberez, Bordeaux, Champagne fino, ser-
veja, licores, cbaropes e conservas. Para festas: bonitas caixinbas com amendoas, con-
feitos e mais enfeites. Muilos destes objectos mencionados podem-se perfeitamente ac-
condicionar tanto para a provincia, como para fra.
DEPOSITO m PIANOS
25 RA NOVA N. 25
Este estabelecimento ac.ba de receber um rico sortimento de pianos fortes ex-
pressamente fabricados para o clima deste paiz, dos mais afamsdos fabricantes da Euro-
pa, por isso o proprietario convida ao respeitavel publico para virem apreciar as qua-
lidades dos referidos pianos.
(k>ntinua-se sempre com esmero e promptido fazer-se qnalquer reparo nos ditos
instrumentos. Aflnam-se os pianos debaixo do melhor systhema ltimamente adoptado
na Europa.
Fazendas, pbantasia para vestidos chegados de Pars pelo ultimo vapor.
Lindos robes de organey? cesarianas fazenda transparente de intelro gosto.
Ditos de percalia campestre padioes muito ricos.
Riquissimas grinadines de seda o que tem vindo de melhor gosto neste mercado.
Lindos cortes de saltan peklo para vestido fazenda inteiramente nova.
Ditos de gaze selim em peca fazenda transparente e de gosto muito modernos.
Lindos chales de grenadim broch, primeira vez aqui apparecidos.
Ricos bournos de crep guarnecidas de tranca mmto proprios para passeios.
Riquissimas fivelas para sinlo, de metal, de crystal com ac e com pedras finas, i
que ba de mala aovo.
E ontras mollas fazendas de Inteiro gosto.
Ra do Crespo n. 13.
Loja das columna de Antonio Crrela de Yasconcellos
dt Companhla.
DE
covado, ditas francezas finas a 280. 320, 360 400 flOO r^rcoeras a 80o sintos a 809 .grande
rs. o cov-do. cas de cores para laitlM a 320. a.uaaudade de ntremelos a 600 e 800 re. a peca,
360 e 40D rs. o covado, riscado fraez^Pira ves- aeUo se acabando.
ido a 240 a ovado : m ra da fmpaiatriz n. 56.
Uaziohas para testidoaa 240 o covado
fendem-se liazinnas para vestidos a 240, 320,
360 e 400 rs. o cdvado. dttas finas com quadros
de seda a 500 rs., ditas de orna s cor a 501 rs. o
covado, golintiis para seobora a 240 e 320, ean-
guilos a 1*, eamisinhas a 1*600 e 3*, finas a 4* :
na roa da Imperatriz, loja e armazem da Arara
a.**-
Bales de arc> a 24
Vendem-se baldes de todos os tamanbos o 2*
j|80C, 3*. 3*500 e 4* : s na loja e armazem da
Arara, roa da Imperatriz n. 56-
pil de Itabo de cores a 160 o covado
Vende-se fl de abo de cores proprio para
bnnaoeda do carnaval a 160 o covade, tapete de
coros a 500 rs. o covado, vetbotinas de cores % 800
DE
J. VIGNES.
M. 55. RA DO IMPERADOR X. 55.
Os pianos desta antiga fabrica sao boje asss conhecidos para qae seja necessario insistir sobre a
toa superioridade, vaotugense garantas que offerecera aos compradores, qualidades estas incontesla-
Tftis e.ne elles tem definitivamente conquistado sobre todos os qae tem apparecido nesta praca ; pos-
ralndo um teclado e machlnismo que obedecem i todas as vontades e caprichos das pianistas, sem
nanea falbar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos ImportaiK
tissiuios para o clima deste paiz ; qoanto is vozes, sao melodiosas e flautadas, e por* isso muito agrada-
reis aos ouvidos dos apreciadores.
Paiem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital forana sempre premiados em todas as exposiefies.
No mesmo estabelecimento ie achara sempre nm esplendido e variado sortimeoto de msicas dos
nelbores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
precos commodos e ra&nvela.
J i ,. m ni 'i
Cnmbraias.
Parede Porto vende eambralas lisas Anas, gran-
de soriaento, a 3* at 6*, ditas Victoria muito
finas, com 10 varas a 6*, 6*500 e 7* : na roa da
!mperatrix:n. 52, junto a padaria fanceza.____;
Cheiacm aos corpiahos de cambraia.
Vendem-se corpioho de cambraia com enlre-
meios a 4* e 5*, estao se acabando : oa loja de
Paredes Porto, roa da Imderalriz n. 52, poria lar-
ga, jun;oapadariafranceaa;^______________
Neiidide.
Chegaram os bonitos chales e retoodas de guipa-
re brancos, e vendem-se na roa da Imperatriz n.
52, loja da port> larga, de Paredes Porto.
CHALES
Grande pechincha.
No rna da Imperatriz n. 52 porta larga de Pare-
des Porto, vende-se chales de merino estampados a
2* e 2*500 e finos 5*, esle se acabando.
Bordado*.
Cliegou a loja de Paredes Porto, roa da Impera-
triz n. 52, um sortimento de camizinnas, gollinbas,
eorrinhos, romeiras e sintos, de cambraia branca,
pele barato preco de 2*500, 33506 e 4*, golliohas
Luras de Jouvin.
a loja de miodezas na roa do Queima-
do n. le^reseben-as por oste ultimo vapor,
^Bren em barricas peqoeiiaa.
Cera em velas de todos os tantaotaos.
Bouias.
Mercnrio.
Na rna do v igano n. 1, primetro andar.
Bolachinha de leite
Vende-se bolachinha da leite per commodo pro-
co : na roa estrena da Rosario n. 5, no deposito
de Guimares Ribeiro & C
A. 140 ra. a botija
Tinta preta para escrever, de boa qaalidade:
^TlW^o?^ Cn,^ da
mero W.
nona larga.
avaHado.
Francez barrica 6*000
Portland idem 8*500
Em perfeito estado:
Francez barrica 10*000 -
Portland idem 12*000
No armaunide Tasso Irmaos caes do!ApoHo.
Taaiaa de Paysaada' e Mtatevido.
Com este ltalo acaba de ebegar de Pars ama
linda phantaaia militar para piano, composta por
um dos melbores compositores, aeha-se a venda a
2* cada exemplar na loja franceza da roa Nova
n. 11.
Capachos inglezes.
Vendem-se na rna do Qneimado loja da aguia
branca n. 8.
Baleias para vestidos. ^
Vendem-se na leja da agoia branca| rna do
Qaelmado n. 8.
Opiata ingleza e frai.ceza.
Vendem-se na roa do Queimado loja -da agoia
branca n. 8.
Papel mata mosca.
Na rna do Queimado n. 8 loja da agola branca
continua a vender-se papel para matar mosca e
cusa 40 rs. cada folha.
Bonitas cestinbas para meninas.
Vendem-se na roa do Queimado loja da agoia
branca n. 8.
Agulhas para machinas.
Vendem-se na loja da agola branca a roa do
Queimado n. 8.
Pastilhas fumantes e ebeirosas.
Vendem-se na loja da agoia hranca a. 8, a roa
do Qneimado, sendo ellas ea calxinhas de pape-
lo e de porcelana.
Bollas de ail fino para engommados.
Vendem-se na ra de Queimado ioja da aguia
branca n. 8.
Bonitas caixinhas
com perfumaras e oulras com necessarios para
costara, sendo estas com msica e sem ella : ven-
dem-se na loja da aguia branca ra do Queimado
n.8.
Colla branca para vidros e madeiras.
Na ra do Queimado leja da agoia branca n. 8,
vendem-se frasqnlnbos com colla branca para sol-
dar vidros e porcelanas, e oalros com dita para
obras de madeira, costa 500 rs. cada nm delles, e
por es si commodldade de preco convm compra-
Ios p: a estar prevenido.
Papel greve pautado com 33 linhas.
A agoia branca acaba de receber novo sorli-
.uento de papel greve liso e paulado com 33 linhas
assim como de peso tambero liso e pautado, dito
pequeo em caixinha; sendo liso, pautado, beira
dourada e sem o ser. Tambem recebeu grande
sortimento de envelopes, e todo se vende por pre-
cos commodos : na ra do Queimado loja da aguia
branca n. 8.
Papel paquete branco pautado.
Vende-se na ra do Queimado n. 8, loja da agoia
branca.
Artificiaes.
Ramos de trigo com diversas cores mni proprios
para enfeites de gorros e cbapos de senhoras e
meninas, acbam-se a venda na roa do Queimado
loja da agnia branca n. 8.
Banhas e extractos fines
A agoia branca receben um excellente sorti-
mento de perfumaras linas, sendo bonitos frascos
de cores com extractos finos o de agradaveis chei-
rus ; assim como bellos vasos de porcelana doura-
da c ni banha de superior qualidade, lendo uestes
alguns com ioscripces apretinadas para presea
te, etc., etc. : qaem se dirigir a roa do Queimado
n. 8, loja da agoia branca, achara a certeza disso,
e boa disposiQo para vender a dinbeiro por pro-
cos commodos.
AS PROVEITOSAS AGi AS
balsmica, dentificla e ambreada, acham-se ven-
da na rna do Qaelmado, loja d'agoia branca nu-
mero 8.
graxa
Latas e barrlsxlnhos aom
econmico.
Vendem-se por preces razoaveis : na roa do
Queimado loja de miodezas n. 16.
Agua de Huilde para fazer oa ca-
bellos pretos.
Na loja de mindezas a roa do Queimado n. 16,
vendem se caixinhas com essa excellente prepara-
caoAgua de Hoildepara fazer os cabellos pre-
tos, quem della precisar pode dirigir-se a dita loja:
oa ra do Queimado n. 16.
Paslilhas adoriGcas para perfumar sa-
las, gabinetes, etc.. etc.
Na loja de miodezas a roa do Queimado n. 16,
vendem se caixinhas com easas odorficas pastilhas
fumantes.
Papel de peso e al maco, liso e pautad.
A loja de miodezas a roa do Qaelmado n. 16,
acba-se bem provida de papel de diversas qaali-
dades, sendo almsco greve liso e pautado, com 33
liabas, dito de peso tambem liso e pautado, dito
pequeo em caixinbas igualmente liso e pautado,
com beira dourada e sem o ser, assim como enve-
lops grandes e pequeos, os prelendentes dirijam-
se a dita loja na rna do Queimado n. 16, que serio
bem servidos.
dea* i s da fasta gasta-se per fo-
lia ra fina
I A antiga loja de mindezas a ra do Qaelmado n.
16, acaba de receber um bello sortimento de per-
fumarias finas, sendo banha fina, em diversos e de-
licados vatos de porcelana doorados com significa-
tivas inseripees e 'em ellas ; assim coma bonitos
fraseos de phaniasia com excelleotes extractes de
finos e eseolhidoe ebeiros, e bem como superior
agua da Coloou em garrafas e frascos de diversos
tamanbos, dita denufrees, balsmica e de flor de
laranja, cosmetiqoes finos e banhas em frascos de
differentes moldes. Vndese tndo por precos com-
modos a vista da superioridade das qualidades :
na ra do Qaelmado, loja de mindezas o. 16.
l)ivcr> os objectos.
Vendem-se na loja de mludezas
a rna dio Queimado n. 16.
Bonitos leques de sndalo e ontras qualidades.
Bonitos cintos com fivellas de diversas qaalida-
des e moldes.
Brincos e croles de crvttal.
Abotoaduras de dito para coletes.
Bonios pori-relogios.
Delicadas caixas com mostea e sem ella, para
costura.
Agulhas e linhas para chrochel.
Reiroz superior em carritels.
Reodas pretas e bicos com vidrilhos.
Pitas de veirudo com listras dt cores para en-
feites de gorros e vestidos.
Ditas de grosdenapole?. Usas e lavradas, brancas
e matisadas.
GtZ.
No armazem da roa do Imperador n. 3 oa no
Caes de Pedro II n. i, tem para vender-se o me-
nor gaz existente no mercado.

3
oro
novo erafda'soWiarenio da^diuTrentes.tibjectoi
degosdellltaa njeda, send .' '
Bor4tos aofcites para senhoras gostos inteira-
mente novos.
Ditos ditos de grade com comas grandes.
Lindas fivela mides para cinloe com moldes
agradaveis e diversas qualidudr?, madreperola,
tarurega, aee e dooradas.
Boas e bonitas filas achamalotadas para ditas.
Diles de dita de grosdenaples lisas e lavradas
coro novos e agradaveis desenlio?.
Trancas pretas de seda eoia -.'idlicos moldes
novos e de gosto.
' Bicos brancos e pretos de seda com vidrilbos e
de differentes larguras e tonilos desenbos.
Cascarrllha de seda com diversas cores e lar-
guras, formas inteiramente novas a imilac.ao de
palo, babadinho e oulra com urna transinba no
centro o que Ibes d muita graca.
Oulras estrei-as e largas gnarnecidas de tico
de seda obra de muito gotio.
Oulras de cambraia de cores.
Botdes de seda, velludo e ac para enfeites de
vestidos.
Trancas de seda estrellas e largas brancas e de
cores para enfeites de vestidos.
Flores finas
CAPELLAS PAItA MENINAS E NOIVaS.
A agoia branca a roa do Qoeimado n. 8, rece-
ben para vender :
Delicadas capellas brancas para uoivas.
Ditas ditas para meninas.
Ditas difas de caixos de flor de laranja.
Ditas ditas de rosas camellas e ontras.
Ditas ditas oa ramos de trigo.
Diversos ramos de flores tinas para peito de
vestidos, enfeites de cbapos etc., etc.
treparos para flores.
Na rna do Qaelmado n. 8, loja da agnia bran-
ca vende-se :
Papel de cores para rosas.
Dito verde para folhas.
Dito dito e pardo para cobrir os tales das ditas.
Musgo em rama.
Folhas para rosas.
Agulhas e linhas para crochet.
Vendem-se na rna do Queimado n. 8 loja da
aguia branca, assim cerno agulhas para iranalbar-
se em lia.
Papel de sobrecellente para os
phosphorus hygienieos ou de
stguranca.
A vista do grande tamaobo das calxinhas dos
phospberos bygienicos ou de segoranca, tornava-se
poace o papel qae vem em ditas caixinhas, e para
remediar essa falta a aguia branca mandn vir e
acaba de receber esse especial papel, c qaal se
dar de sobrecellente a quem comprar de taes
pbospboros e se vender indistinctamente a quem
delle precisar. O preco de cada caixinba de phos-
phoro continna a ser 160 rs., e vendem-se na roa
do Queimado b. 8, loja da agnia branca.
Seda froucha para bordar.
Vende-se na roa do Qaeimade loja da agoia
branca n. 8.
Obras de crystal.
Brincos de diversos moldes.
Outros tambem de crystal de cores.
Outros de aljofares brancos e eutras cores.
Adereces de crystal obra de gosto.
Rosetas de dito e crozes.
Botdes de dile, brancos e de cores para eollete.
Dilo de dito tambem brancos e de cores para
punbos.
Vollas de dito e oulras qualidades.
Leques de ditersas qualidades
Vendem-se na ra do Queimado n. 8, loja da
aguia branca.
Aspas fortes para baldo
Vendem-se na ra do Queimado loja da aguia
branca n. 8.
Cromacome para Ungir ca
bellos.
A agnia branca avisa aos constantes fregnezes
des
ber ama nova remessa de cromacome, coloricome
e sabio branco, necessario para lavar os cabellos,
portento podem dirigir-se a dita loja na ra do
Qoeimado n. 8.
A bridores de luvas.
Vendem-se na roa do Lueimado loja da agnia
branca n. 8.
par booqnets
de bonitos moldes, donrados e cabo de madrepero-
la : acham-se a vdrida na ra do Queimado loja
da aguia branca n. 8.
Bonitas louquinlias
de fil de linho, cambraia e selim todas mu bem
enfeitadas: vendem-se na roa do Queimado n. 8,
loja da aguia branca.
Carreteis com retroz.
Na rna no Qoeimado n.8, loja da agoia branca
Vestidos
Pechincha sena igual.
puu a l"ja de Paredes i orlo um BMBM<
lueentxte vestidos de tartalale de reres e I
que serve para partidas por ser nana pbattaia ke-
teiran.ailr d* gosto peto lralo pete d 4 <
brancos a 4*800, estao acabando-se : no araajea
d porta larga ra da Impef airia a. U, jueto e an-
dara fraoceza.
Cortinados.
Cbegou a lija e l'aredt-s Porto nm
seriimentQ de cortinados ne*ir*h> bordee
preco de 26& 35J e. tri* : na im da lapataire
n. 52, porta.larga jontu a padaria franceza.
Kicas romeiras.
Paredes Porto receben pele ultimo paquete naa
sortimento de romeira de guipore prelas t de 6!
a preco commodo : na rna da Imperatriz a 33,
porta larga junto a padaria franceza.
ravde pechincha
Cotes de li escoma enfeslada para vanan
lateoda de 800 rs., est se tendead* a 38 e 3M
rs. o covade : na rna da Imperatriz n. M, safa da
per larga.
Haita.attenQfto.
Guimares & Irmao proprietarios do grande ar-
mazem de fazendas e ronpas feitas na rna da Im-
peratriz n. 72, tendo recebido um grande sorti-
mento de fazendas de gosto trazidas por um dos
socios pelo ultimo vapor, vem porlaolo fazer sole-
te aos senhores e senhoras os precos de sua fazen-
das, os proprios afflancam vender as fazendas por
menos 20 por cento do que em ontra qualquer
parte nao s por ser no fim do anno como tambem
por sor a festa lempo este qoe as Exroas, senhoras
devem mnmr se do borr e barato, a saber :
Ricos cortes de lia com barras..
Vende-se um grande sortimento de corles de
lias com barras tendo todos os perteoces, camisi-
nha com gravalinba e sinlo, sendo oa mais novos e
modernos qae tem vindo ao mercado, diles de
pbantasia com lindas barras e vendem-se por pro-
cos muilo razoaveis.
Lias escocesas com lisias de seda.
Vende-se nm bonito sortimento de laasinhas es
cocesas a 600 e 560 rs, ditas transparentes de lis-
tas de seda a 320 e 360 rs.
Percaliis finas con lindos dsenhos.
Vende-se lindas percalias multo finas a 360,
400, 480 e 500 rs., chitas de todas as qaalidades a
saber de precos 280, 320, 360, 409, 440, 480 e
500 rs.
Cassas francezas mindinhas.
Vende-se nm grande sortimento de cassas min-
dinhas sendo as cores seguras a 280, 360 e 400 rs.
' Cambraias brancas transparentes.
Vendem-se pecas de cambraias brancas trans-
parentes a 3*, 4*, 4500, 5*, 5500, 6*, 6*500 e
74, ditas malte finas cem ama vara de largura a
94 e 10*.
Chalis de merino finos.
Vendem-se chales de merino fines sendo com
estampas bonitas e modernas pelo barato preco de
74,74500 e 84, ditos lisos com lindas cores a
44, 44500 e 54, ditos estampados a 24 e 24500.
Crinolinas balees.
Vende-se am prande sortimento de crinolinas a
24500, 34, 34500 e 44-
TarlaUaaslinas a 640 rs. avara.
Vende-se lartalana de cores pelo barato preco
de 640 e 00 rs. a vara.
antas para iimern a 1,5300.
Vendem-se mantas para homem as de mais gos-
to que tem vindo ao mercado pelo barato preco de
14300 e 14500, todo isto s oa roa da Imperatriz
u. 71, loja de Guimares & Irmao.
Tiras bordadas a 10.
Vende-se am grande sortimento da liras borda-
das a 14 cada urna e pecas de enlremeios a 14,
14200 e 14500.
Camisas francezas tara benem.
Vende-se omgrande sortimento de camisas Irn
cezas a 14800, 24, 24500, ditos de peito de linOo
a 34,34500, 44 e 44 : isto na ra da Imperatriz
n. 72, loja de Guimares & Irmio.
Rsnpas feitas.
Vende-se nm grande sortimento de ronpas feitas
assim como sejam : paletots, calcas e colletes de
pannos e de caseraira tanto preta como de cor pa
ra precos mnito razoaveis assim como tambem lem
de brins brancos e de cores, seroulas de linho a
dealgodioe todo isto se veode por precos muito
moderados : isto na roa da Imperatriz n. 72, loja
de Gainxaraes & Irmio.
Cortes de laa escocesa para vestido a 31 e eer-
te: na roa aa Imperatriz n. 51 loja da pana lar-
ga, junto a padaria franceza, eslo ae acafetaMa.
Chales de renda
Paredes Porto, na rna da Imperatriz n. 82.
larga, vende chales de renda de cores com .
no toque de mofo, a 34500 e 44, fazenda de
0124000.
120
Para ronpas de eaeravs.
Paredes Porto tem para vender chita azal e ral-
eado proprio para o fim cima a 120 r. a rnvadv-,
orna grande peeWncaaCe esta' se annanli : sa
rna da Imperatriz r. 52 poiu larga jodio a ad-
ria franceza.
Grande pechincha.
Paredes Porto esta' vendendo rfoeado fraerea a
200 rs. o covado : aa roa da Imperairiz a. 82 ar-
mazem da poria larga jan lo a padaria francez.
Para luto.
Lias pretas com salpicas brancos a W: e 3M
rs. o covado : na rna da Impeainz n. 53
padaria franceza armazem da porta torga.
1,400
Chapees de sel.
Vendem se chapeos de el de nanas a 14* *
urna grande pechincha para araar : na rna da
Imperatriz n. 52 airoaztm da parla torga de far-
des Purio.
A 1-J500.
Vendem-se pecas de iranea preta para eeirrtes
de vestidos, soot*abarque?, ranas de sentara a
14600 cera 10 varas, urna grande prctutraa : na
ra da Imperatriz n. 52 junto a padaria fraseeia.
Tasso Irmao*
Vendem na sea a ramea m e
Amarim i. J5.
Licor fino Caracho em botijas e meias botijas.
Licores finos sonidos em carrafas coa ma** ea
vidro e em lindos frascos.
VinhosUleros.
Santeroes.
Cbambern.
Hermitage.
Borgoobe.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
Bordeanx.
Cognac.
Od Ton.
Paezei lagniol.
Em casa de Phipps Brothers & C, m Vigario n. 2, vendem-se cofres de (erro, prava da
fogo, dos afamados fabricantes Milaer a Sea. <
Liverpool.
Na roa do Imperador n. 2irr.. -prriur.-
bichas bamburgnezas para vender en fi: e a
retalho, e tambem alogam-se ; rap Po. '--
ro viajado, igual ao de Lisboa, e para gusa, we na>
gacs, melhor, por nao :erir, ese.
Qneijes da certas
Vende se superior qneijo do sertio : na rnSt
Madre de Dos, armazem junio a itreja.
Charutos suspiro
No armazem da porta larga, roa das Crozes .
41 A, a 14 a caixinba.
FUI!.
Vendem-se oito fardos de fumo da Bania n*r
pre^o muito commodo : na rna do Codofntx aa-
mero 8.______________
. Roupas feitas de todas as qoaiidadts
Vende-se roopa feila. sendo relfas de rere*
pardo a 24, ditas de brim branco de linho a 343 <*
e 44, calcas de caseraira preta a 54, 64 e 8#. '
tas de cores, meia rasemira, a 34 e 345<, dilas
de casemira a 64, 74 e 84, paleou de ama de
cores a 24, 34500 e 34, ditos de brim braeea a
a 445OO, ditos de alpaca preta a 34 e 4, no Sr
casemira ae cores a 54, 6, 7. 8 e 104, dito* aV
panno prele a 64, 7, 8 e 104, colletes da eer a
14600, de casemira a 34 e 44, eeronla franceza a
14600 e 242OO, camisas francezas finas brancas
peilos de cores a 24 e 24600, ditas aalew Se it-
abo de pregas largas a 24500, 34 e 345SS : na
ra da Imperatriz, loja da Arara n. 56.
As verdadeirasbridese
picadeiras de Ipojuea
Vendem Azevedo A Irmao, a roa So Qoraaudo
Luvhs de Jan va arelas e aetras
carea
Chegaram para a loja de mindezas : 11 ru t
Queimado n. 16.
Cafcrislel.
Vende-se nm eabriotel inglez de au rv*fa-.
qoasi novo, cora arreios, por 1804: a tratar n>r
na cocbeira dos Srs Tboroaz 4 Ritmara, na rae da
Roda. ____|__ _
A l ten cao
Na roa de S. Jos a S vende-se
do caj a 800 rs. a garrota_________
Vende-se a taberna da rna do Rosarla a
Boa-Vista n. 53. bem afregnezasa, per sen Sano -
querer retirar para fra da provincia : narm pre-
tender dinja-se a meseta taberna, qae a vista >*
far negocio.
Pregas para eataisnae e ti
Vende-se em barricas oa a rrtaSje: a raa *
Qoeimado, Azevedo & Irmio.
Farinha a3f5u
Vende-se farinba de mandare, taceos
oo armazem dos Srs. Tasso rmeos,
pelo preco cima meoelosesu.
SO*3*
Loja de
modas
Madama Boes ard Milloeheeu reetnan nato a*-
limo vapor neos corles de etitiSna pretos pava a
qoaresma, ricos enfeites para ditas, dna>aa n*ra
senhora e moitos oniros objeeto* leanVaiei ao
let das seaboras de bom torea : na roa a taaar-
ratnz n. 1.________________^____
Gomma de milho branco
americana
Esta preciosa fcula, catas -
cinaesa imprenta europea tasto ton exahas para
a cora das molestias do parta, reeeanaeaanW taav
bem como alimento sadio e notririvo para aa *-
ancas, presando te a variados prepar eanariii .
A geral aceitacio qae, ella teta abona par nato a
parle o sea nuior elogio : vende se 00eaava-
na roa do Imperador n. 57,artaazep .Altoaata
Vende-te nm slHw ndirao, ata naa eia-
do, e com todos os seo perteores a tratar r
Santo Aniio, na roa da Imperatriz n. 1%,
de Manoel Antonio Gonealve* Lima.
trelta do Rosario, loja de Maia a Lai



v,_s.
<(
twtHrrxwnhiKht ***
#WMMlfe
N. UEn* do QueimadoN. 11
A' casa de Augusto Porto negaram pelo vapor francaz. rices, cartea de
vestidos de seda decores dos mais beltosgostos, proprios para bailes,
pardas oa casamentos.
Chales de Bonete de ptha da Italia para senhoras.
Moir kanco e preto.
Bonita seda para vestidos.
Caseairas de qnadros.
Esteiras da Ma para salas.
Madapoloesf. fraucezes a 400 e500r$, a vara,,
Ias para vestidos de diversas quididades, e;
gostos difluentes,
Qque tudo se vende pelos mais comraodos preees.
KOVOS GERENTES
DOS
TES GRANDES
ARMAZENS DE M0LAH00S
INNOMINADOS
PROGRESIVO pateo do Carmo n. 9
TJIflAO t COMERCIO ra doQueimado o* 7.
VEfiDADEIRO PRINCIPAL ra do Imperador q. 40
DE SI kfS J! 'M
DUARIE atWALHO RfiftjOS^,^ ... ,
Faiem sciente o respeitavel publiee, e com especialidade aos senhores de en-
-^SUTORIO
m. mmo RATTA

/3 -Ra da Gloria, m^ fiada^a
O Dr. Lobo Moscos di consultas .gratuitas aos pebre* todos os diae das
oras da eianha'o, e das 6 e meia is 8 horas de eaite, exceecao dolis m
Pharmacia especial homeopathiea
No me*ae consultorio ha sempre o mais appropriddo sortinneoto de
tubos avulsos, asira como tinturas de varias djmuamuacjSes | 0#~
Carteiras de 12 tubos grandes. itdOOO
> de 24 tubos grandes. 481000
de 36 tubos grandes. 2
de 48 tudos grandes. .
de 60 tubos grandes- i.
Prepararse qualquer carteira conforme e pedido, que se
Mm tubo avulso ou frasco de tintura, de meia onca iMOO.
<\* 8j%dft taJMWftiW<2 custar5o os precos establecidos paca
Ha tubos mais pequeos cada urna 500 ris.
ORTE DE SED1
Chegaram pelo paqnete inglez riqoisBliBos cortes de moreaBliqae de cores, e seda lamia pa-
!"-Bte BOTOS. u/v/\/\ 1
Seda de quadros por 1^000 o covado
5RA DO CRESPO-5
Gregorio Pace do Amaral dk Comparta.
ees inteirameote botos.

; i
FAZE\DA8





J
Para vestidos de senhora.
Cortes de seda de cor de bom gosto e superior qualidade.


.



/ A
M
wsi
..!i




j
Lindas sedas de quidrinhos.
Bons raoireantiques de cores.
Grosdenaples da todas as cores
Lindos peil di chevre fazendaassetinada deiateira nradade.
Liadas duquezas assetinadas fazenda inteiramente nova.
Modernos greaadinesde seda o que tem vindo de mais novo.
Grande variedade de ISas de cres lisas e de salpicos.
Organdys e cansas de maito bom gasto.
Percalias modernas eam grande variedade.
Lindos cortes de la Clotilde con todos os pertences cada un em seu car-
ian inteiramente novos.
Bons cortes de ca>si co n barra tambem inteiramente novos e outras muitas
fazendas de gosto que seria enfadonho mencionar.
Para hombros de senhora
Grande variedade de chales, bournoux, retondes e algerieanes de fil e de
guipare a 10, 16, 20, 30, 40, 60 at 800.
Modernos soutembarqaes de seda de superior qualidade.
Lindos bertes de seda de cor pretos e de cachemira,
dem de cambraia branca bordada eom muito gosto.
Sautembarques e bournoux de cachimira de cor e outros muitos artigos de
bom gosto.
Para cabeca de senhora
Superiores chapelinas depalha, de seda e de-crina de muito bom gosto a im-
paratriz.
Chapeos de palha da Italia grande variedade.
Lindos gorros e bonets de palha da Italia, Imperatnz, Canutier, a Clotilde
k e a Orante, chegados de Paris pe'o ultimo vapor.
ti Grande variedade de enfeites de froco e de flores para casamento.
Superiores vestidos de blondo, e de moireantique brancos.
Bons m >reantiques brancos e superiores sedas brancas.
Bons vestidos d taHatana braaco bordados,
fc Lindas mantas de Monde e boas capellas.
|$ Bordados.
Grande variedade de entremeios bordados transparente e tapados.
ff Tiras bordadas transparentes e tasadas, babados bordados, saias bordadas e
% outros muitos artigos.
ffirtJT& DA COL.UV1AAS
DE ANTONIO CORRBIA DE VASHONCELLOS & C.
RIJA DO CRESPO N. 18
2,600 rs., e sendo em porc5o ter abatimeo- 12(8o(> a wia de.arroba heapaahala e
RUI DO J1K111 H. 3S.
O proprielario deste esUbeleciomuto deseja chamar a attenc5o dos seirhores pro-
prie-tarios aos acreditados mechanismoa jue continua a fornecer; os quaes garante ser,
como sempre, da melner quatidade postvel:


Machinas de vapor


forca de 2 {% cavallos para cima. As imeoores sao mu pniprias para motore sde
descarogamentos de a'godao; as maiores para moer canna; ha tambera que podem junta
en separadamente moer canoa e descargar segundo soas preporces. Estee vapores
sao simplissimos na conslrucfo, e se regpm por qualquer pesav rntelligente a facllida-
de da conducejo sendo especialmente considerada, tanto que n3o ha lugar em que ttSo
se possamcondozir, qur por trra, qnr embarcado. Ha com moendas juntas ou sem
filas e podem-se applicar a qualquer raoenda j existente sem outra mudanca do que
a iubstituico dasfodas da almanjarra. Ellas tem depsitos (Fagua e boiros de ferro,
e nao precisara para o seu assenlamento de obra alguma, qur de earapioa, oar de al^
venara. O tempo para a3senta-las nao excepte dot das no mais, e en* casos de
mortes le animae* ou arrombamentos de acudes, ^etc, garanie-se o assentamento em
oito das. Lembra-se aos senhores de engenho que a venda dos animaes e o servico da-
gente oecupada no seu tratamento oshao do ecupera* da mior parte da despeza do
vapor deixando-lhes a vantagem de urna moagem.certa e accelerada; e acabando cora a
dfrspeza da compra continuad de novos | anima es. com os dasgostos do trabalno que
so tem com elles.
todas d'agua de ferro, mut rrraneiras e mocudo com qualquer altura
d'agua.
OS PARAGUAYOS
E' a ordem do dia f Acabar com1 os Par-e.
guayos a bayoneta, a mini, a revolver;
fulminados com os encausados armados
de espor5es, armstrongs e raiadas de 80 4
199; exterminados em sumatt aeapafa, a
faci e a puBhal de que se trata ; mas
n*j*gixyv se lembroo aioda de esmagar o
l*araguayos com as armas que Deus dos con-
ceden ;vacabar com elles a tacSo e a ponta
iarllhos eom cruzetas de ferro para as mesmis, guando se desege fazejr ps, para o que necessario encour'acar esta
e resto da roda de madeira, turnndose aesim a rod* ligeir no trabalho.
Mocadas de canna de todos os tamanhos, desde as mais pequeas chama
das do serto. Obra perfeita em feitio i acunhamento.
Rodae de espora e angnlares de todos os tamanhos e proporooes.
Parees on coches para receber o caldo. i
criros de fornalha para assentameotos, fresco para o foguista, fazendo
frinde cal r com pouco combostivel, e duradonro.
Portas de fornalha de todos os tamanhos e de diversos systemas.
Pomos e molnnos para a fabrica de farinha e Uunbem chapes redondas
para fornos pequeos. i
Bombas simples e e repuebo.
Tallas de ferro batido e fundido e de cobre.
Formas de ferro batido galvanisado para purgar ascar, leves' para carregar
e isemptos de quebrar-se.
.aaoiqaes de ferro de todos os tamanhos, Gustando s a terca parte do
prcro dos de cobre, mais regulares na distifteco e ignilmertte draveis.
Elios e roda de carro com tiang s de patento, obra mu segura para
carrejacao de peso. ,
Arados, grades, anchados a cavallo e outros instrumentos de agri-
cnitura. E finalmente todo o objecto de quepossa preolsarum engenho.
Madrinas de descarocar aigf>dRo.
Na fabrica se fazera obras novas encommenda e cnoer tos, com iri5aior preste-
aa c solidez. 0 grande deposito de penis e objeclos habilitam-na muito para este flm.
0 proprietario ser sempre mu feliz de poder ter occasiao de dar ioformaces ou
esclarecimentos aos senhores que seer?irem de seu prestimo.
D. w. Bowan, rtgenheiro. .
lill
^v


feohes, lavradores e mais pessoas do* centro, que para mais fccilHaf suas compras deli-
eeraram os proprietarios dos tres grandes armaaens, reunir lodos os seus estabeleci-
mentos eni um s a anuncio, pelo quat o .preco de am sera- de- lodos, promette-
mos que nSo nf>iflgiramoaa:4aliaUa^e abaixo vai aubeado,'senuBcir os generes
por ua preco, na sooasrto < compra quererem por outro, como SOCUB Conswnte-T
mente em outras nmitas casas, porem nos nossos estabelecimentos nao se dar isto
aida mesmo cora prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
serlo tamljem sertidos eomo viessesi pessoalmente fazendo-nos o favor- de- mandar seos
pedidos em cartas faadas) para etitar qualquer engaos, remetiendo nos ema-coata
pelaqeal se ver os precos tat qual aosunoiarmos, e que seeo arrepeadw alguma que fizersua despenda em nossos estabelecimentos; pols ponpar mais de
S por ceoto na sua despaja diaria.
I
Vinagre
Superior vinagre de Lisboa a 2,ooo rs. a
papada eSSQrsr agaerafa. Tambenvha
mais baixo para foo re. garrafa M4qJ-s.
LITROS.
-
Manteiga foeleza perettamente flor che-
gada ltimamente -a l,0oo rs. a libra, rei
em barril Lera abatimeoto.
Maateiga franceza da safca aova a 8oo El.
a libra e em barril ter abatmento.
BANHA
Banha reinad soperior a 94o rs. e em
barril ter abatmento.
CHA
Gh uxira de primer o superior quada-
de a 2,8oo rs.
dem byssen o melhor neste genero a
WiAteitedoce
Superior azeite doce de Lisboa a 6io rs. a \ doentes.
A melhor obra da, ijoraeopathja, o Manual de Medicina Homeopatbico do Dr
dons gr'andes vohimes com diccionario ,..........
Medicina domestica do Dr. Hering...........
Repertorio do Dr. Mello Moraes...........
Diccionario de termos de medicina..........
Os remedios deste estabelecimento s5o por demais conhecidos a
tanto de serem novamente recommendados as pessoas que qoizsrsm
verdadeiros, enrgicos e (Juradores: ha todo do melhor tos tapete desojar,
rerdadeiro assucar de leite, nota veis pela sua sea ensurvafls, listara oes ans
lados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparaelo, e portaato
energa e certeza em seus effeitos.
Casa de saude para esertfvos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermkUd* ea fazer-se-lbe
operaco. p ira o que o anauneiante julga-se safficientsmeate hahiUtado.
O iraUmento o mahor possivel, tanto na parte alimentar, como na
funeciooando a cisa ha tiaif de quatro anuos, ba muias pessoas de cojo
pode davklar, que podem ser CoiwulUdos por aquellas que
Je*
garrafa e a 5,ooo rs. a caada.
'*, wsas Sh
Macarrao e talaerim a 360 rs. a libra a a
5,ooo rs. a caixa.
Pastas
Superiores passas a 3,ooo o quarto e
Paga-se 25 por dia durante 60 das e d'ahi em diante l||BOO.
As opraseos aeaf o previamente ajustadas, se nlo se quizerem sujeitar
razoaveis que costuma pedir o anauaciante.
auiX .k i,,..
ii
to, tamben ha proprio para negocio de % a
S,4oo r. a libra.
dem preto superior de l,8oo a i,5oo rs.
a libra;
Blscontos
Latas com superior biscouto inglez da di-
versas marcas a i,2oo rs. a Uta.
5oo rs. a libra.
OEYEBRA
Genebra de laranja verdadeira a lo,8oo a
duzia e l ,ooo rs. ao fraseo.
Genebra de Hollanda verdadeira a 6,ooo
rs. afiasqueira e a 66o rs. o frasco.
Idom de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
ARVIASBEVI DE FAZEMBAS
u nt
Bolaefalnhas da nms.
Latas com bolachinhas da acreditada fa- Garrafoes com 24 garrafas de genebra de
brica do boato Antonio, proprias para dar a Hollanda a 8,oeo rs. o garrafao. Tambem
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata. I ha garrames com 5 e i 4 garrafas de 3,2oo a
dem com quatro libras de bolachinha de 6,ooo rs. cada um.

soda a 2,ooo rs. a lata.
Queijos
Queijos flamengos chegados no ultimo
vapor de 2,6oo a 3,ooo rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespanhol a i,eoo e l,2oo rs.
a libra, francez e suisso a l.ooo rs. a libra
e portuguez a 800 rs. a libra, em porfo
ter abatmento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Velho Seeco, Lagrimas do
Douro, Mara Pa, D. Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a i,ooo a garra-
fa e 9,ooo a 12 ooo rs. a dozia.
Vinbo Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3,ooo,
3,5oo e 4.000 rs. a caada.
Superior vinbo ehauisso em barril a 64o
rs. agarrafa ea 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
ancoretas de 8 e 9 caadas a 24,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinbo braoco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,50o a caada.
Caitas com urna duzia-de garrafas de su-
perior vinbo Bordeanx a 7,ooo rs. a caixa e
7oo rs. a garrafa.
O-A FK
Caf do RW IJ* e 2/ qualidade de
6,8oo a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
ABA
Sabao maca de prime ira qualidade de 18o
a22ors. ahora ede46o a2lors. sendo
em caixSo.
Sflrvega
Superiot servejs Bas* *> llres fa-
bricantes, como sejam: Shlers.& Bell. T. F.
Ashe a 7,5oo e7,oeo rs. aduna e a'Toors.
a garrafa. Tambera ha de outras marcas
como seia: Victoria e Alcope a 5^)00 rs. du-
zia e a 5oo rs. a garrafa.
VELAS
Velas de spermacete a 64o rs. a libra,
dem de carnauba de lo a I2,ooo rs a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
PEIXE
Peixe em latas j preparado de l.ooo a
l,2oo rs. a lata
ALPISTA E PAINCO
Alcista e paingo muito doto de 3,8oo a
4,ooo'r8. a arroba e de 44o e 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mais acreditados fabrican-
tes, como sejam: Jo3o Furtado da Serrias,
Manoel Peixoto da Silva Nelto, Castanho &
Filho e Brando e de outros muitos, os
quaes vendemos pelo mdico preco de 1.6oo,
ji, 2,8oo, 3,5oo, 4,5oo, e 5,ooo rs. a caixa.
I>leores
Lieores francezes e portnguezes a l,ooo e
l,4oor8. agarrafa ou frasco.
Ooccs
CUSTODIO CARV4LHO *
27 RA DO QUEiMADO N. 27
MadapolSo fraacez muito fino, tendo pouco mofo, cada peca
10,8000,
Laa de cores a 300 rs. o covado.
Cambraia franceza a 260 rs. e covado.
Finos organdis a preco de 800 rs a vara.
Lances brancos para algibeira a 1$00 a duzii.
Fin is perclaras a pre^o de 400, 440 a 560 rs. o covado.
Ricos cortes de 13a de barra de 105 a 30)9000.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.
coa 27 varas per
MACHHUS DE PATEITE
DE TRABALHAR A MO PARA OtRCA
RU^AR ALfiOOAO
vabricam rmm
PLAlfT B10TEK & t
OLDAM.
Novidades do Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Este estabelecimento apezar de sempre
se achar bem sortido como todos sabem,
boje mais que nunca, nao s pelo que rece-
Doce da casca da goiaba e caixes pe- be de sua propria conta, mas tambem peto
-
-
queoos a 7oo rs. e de 5o caixes para cima
a 64o rs. o caixSo.
Frutas
Frutas em calda e era latas fechadas her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pera, pecego, ameixa rainha Claudia, al
perche e outras frutas a 00 rs. a lata.
Tambem ha latas grandes para l,2oo rs. a
lata.
AZEITE DE REFINADO
Superior azeite francez refinado a 8,000
rs. a garra'a e a 9,000 rs. a duzia.
MOLHO INGIEZ SAUCE
Molho inglez Sauce em frascos grandes
com rolha de vidro a l,8oe rs. o frasco em
duzia ter aaatimento.
SAG FARINHA DO MARANHO E
AKARUTA
Sag fartoh do Maraoho e araruta a
3oo, 4oo, 5oo, e 64o rs. a libra.
Tijolo para limpar facas, erva doce, co-
minhos, cravo, canella, alf nema, pimenta, e
outros muitos gneros qu de/xamos de men-
cionar por se tonar ofadonbo, afiancaado
nos sincaridade nos pPego, e Obdm acondi-
cionamenfo"o*e qaalqeT genero.
9 ff r O O -1 ^
2 a>
3-a
P 3.g'Srfra'
9 a. =1 os.*
aBft

ss
Jf3
*SIe
parte de nosso corpo com os formidaveis
-ditompe^erro, esmaga eobra^ arranca tocos
quebra marmore e outros que se vendem
-HUA OIRKITA-45
8000
4000
Borsegoins Bordeanx.....
* patricios......
para senhoras,
...
en-
' eitados.......
i.. wm laoj etvet.'.
Sapatoes* eaaoafteadosv. v.. *.
Bbrsegoins para meninas bom
'last-co...:.............
Sapatos de lona, sola elstica.
avelludados.........
> de tranca...........
com salto de lustre..
Um completo sor ti me uto de calcado da
trra p'ara homens, senhoras e meninas;
assim como bezerro fraacez; couro d lus-
tr, marroquins, taixas de todas as quali-
aades, fita para sapateiro, muito sortidas,
sola e couros que tudo visto necessariamen-
te-fareobtcaaocomptador pela barateza.
5500'
*^?
5^000
3,5000
25000
1(9(600
1^600
2^240
que recebe de consignares; parece sem
duvida que deve ofierecer grandes vanta-
geos para o respeitavel puWico tanto em
presos como na escolh dos objectos, e co-
mo acaba de chegar grande remessa pelo
vapor Douro e o navio Solferino de
diversos objectos de gosto e proprios do
lempo dos quaes se menciona rao algons,
por nao ser possivel mencionar todos. O
dono deste estabelecimento espera a pro-
teccao de todos.
Riquissimas caixiahas ornadas e com
masict propria para um delicado mimo.
Caixinhas de msica tanto de veio como
de corea.
Micos peen jola e neeessarios.
Riquissimos est jos a feitio de um bausi-
nho ou chapeuzinho.
Dte* em casca de noz e de outros costos.
Leques de madeperola de sndalo e de
faja e madeira.
CtopCBnhos e touquinhas de muito
gosid para enancas.
Meias e Mpaohos de seda para as mee-
18 arrobas por da 00 aneo
godio limpo.
Assim como machinas para
das por animaos, que descanjeasa IS i
bas de aUjodib limpo por dia; e
para mover orna, dase oa tres
chinas.
Os mesmos tem para vender
mo vapor que pode fazer mover 1
machinas mencionadas; para o que
da-se aos senhores agricohores a
e examina-lo, no a mazem de 1
largo da ponte nova n. 47.
anaders aira aleas dk C.
Recite praca do Coros Samo a. II.
Os nicos agentes neste paiz.
O castalio de Grasvk.
Traaxile i fraacei par 1. J. C. da 1
Vende-se este bello rosaoac m
tomos pelo birrtissae proco da 3#00C
oa praca da Independencia.
6 e8.

Venle-se ufa carro de quatro rodas com ar-
reos, forte*era boWMMa'e'Mrato : na ra dos
Coelhos n. it.
HOTEL RE IfULU.
Vende-se este eWeflente'estatelectmnto : quem
o pretetnkr dinja-se ao tneriw a tratar too fr-
Follearfarmlgas. pnetarta.--------------u------,-----^^^
Veode-se enxefr%*i: 40 rs. a libra on 1 a arro-1 Veodewqueijo do Mrtio raaHo 0eior,
ba para foliiar Ifornrigas : no armazem da bolla pe/o barato prefoa 30a r. a Hbra, o mais barato
aaiarella oltito da secretaria da notfcia id* mercado : do pateo do Ter?o n. 141.
MeTa d Seda" para senhoras.
Capellas e grinaldas de Odres proprias
para casamento.
Enfeites e capellas de muito gosto para
siinoa.
Riquissimos porta boquets.
Boquet de flores com urna borraehinha
comcheiro.
Luva^' verdadeiras de Jovin.
Ditas de seda e de Escocia.
Rjqelraimas pa mas e guamic<5es para
tfffftrUBapos.
Cfitas e tubos de ac branco, que ba
muito se desejava para enfeites.
Brincos, fiv el las e cruze* de crystal.
Fivellas e crois de tartaruga, madripa
rola e Morados. ii<: ->
Alflnetes paFa gravatas. :b "
Botoe cOft croas par pttnbos. -
Gravatinhtsid)mtiftltittts de muito gosto,
tanto para hbrnem como para seMbota.
Riquissimos aderecos pretos, a"ssim cmo
caixinhas com a'finetes pretos..
Bcngaila* de canoa eom cabo de marflm.
Dlfes d tffeia; botrachs' e' de outras
muitas qualidades, assim como chicotinhos.
Riquisslmes penkes de tartarga do ulti-
mo costo; assim como de arregace para
menina, pois oeste artigo ha um complete
sortimeBto de todas as qualidades.
Diademas para cbeca do uttiinb gosto.
Riquissimas fitas lavradas e lizas.
Framcisoo Jos
RA NOTA K J
acaba de receber o hado a
timaassde oculoe, (oseta
tuno e mais apurado gosto da
ros de alcance para obsemeoes
marilimof.u ...

...
MMal da Cidado
Tende-se o Manual do .
Governo Representativo oa
Direito Poblico
tire e das Gentes, por
Ferreira; eto 3 vohaaes
cada obra : na livraria n. 8 da 1
Independencia.
li, CtMCadOS
khe>ma,._
TVanfas prrtaseom vidrilhe edeebres.
Pulseiras tanto para senhora como para*)1
mefninas.
LigM de seda e de atgodSp.
Suspensorios de seda ed'lgodaTe mui-
tos outros objectos que se nSo Dodem an-i
nunciaf"lor trau'se toTar enfSdopho.
S no Gallo Vigilante roa d'o Crespo n. 7.
ea* portad
Rio Formo, *
Venda de pora e cat,
porgare *n Hiiili
oeanfla, esm do fviasa
fitoda melhor otto
te do eofetOo oyinaio,
eigeatK Cooccifio, 4t
malas, e casas par lavresroB,
rsm avallados so iavssttario __
baixo preco: a 1- so a:0l o a *
cojas partes se veSieo peta'
todo e qaalqoor negocio : a
assignado ia estrada do
mltsrio.
aaoelIBa o>
.

ySZ\


I
I
I

r
i
Ioperalrix a 60, de Gana & SUts.
DOIUNO-' PARA O CARNAVAL
ji Mt i PawaO.
Vende-se un bonito aortimeato de domin ,ro-
Orto para o cimaul, settdo de 'diferentes fai en-
fnaetom es modelos mais uddwBes, asslm como
otadle, gaacas e nutras (axeodas proorias pira
o marro Rm : aa roa da latperatru u. 60, loj 4o
io4e mJntasSSw ;0 WCOCO
-a 5, o Pavio.
-Veadem-se bonitas mantas para o psscoco, felo
barato proco de 15 : na loj a do Pavo na roa, da
Impera trii.n. 60, de-Gama A Silva.
ROMANCES BAMllSl
VenBem-se, na livnria da praca da Inde-
pendencia n. 8, 400 rs. o votame, os ro-
mances portoguer.es seguinles, embrochura:
Aw dosangue, 2 volamos.
Connemara, 2 'ditos.
AHoRe de S. Silvestre, i dito.
0*lho de Tftrano, I dito.
Adonis oa o bom negro, 1 dito.
As duas amadas, 1 dito.
O pacha de Buda, 1 dito.
lYUby, 1 dito. _____
Ignez de la "Sierra, t dito.
Joven Siberiana, 4'dito.
W
M uHucnileft al llamos alta Y uro, ra Vlgarla
-york;
^ 9*s d*Wa*8.
iNMHi wMMniMiMtBaae
Legitima salw pamlte''Brltol, prepirwta^por Laarntr**: Kemp.
VeSadeiraigoa lorida, preparada pelos mesmos.
Gu em lata 5 de cinco gales, o mais purificado que se pode desejar da acredi-
4la marea F.W.D.aC. s. _, .
Rlogios petreto refladores, eom corda de (juatro a oito das, dos afamados fa-
bricantes E. N. Wlch. _, _______ .
firaixa em feuas grandes da bem conhecita marca las. S. Masn (de Pbiladel-
phia).
Superior oleo para machinas de costura.
A guias para as mesmas.
Breu em bar icas grandes e pequeas.
as. sendo trancos e encannos a ff f 15800 :
na toja do Pavao na ra da'twpetatrii n. W, de1
fiama & m.
Oe-eata^rputo a U e 18a rs.
Venden* atolw a9e inermo auaaapaaas ti
elaWOeadaom.
Ditos de merm liso a 3*500.
Dilos estampa-tos de crepon a 05, 75. e tfOOO.
wwn lalas #' PBtfw.
aiie datos-wi**ojneaa aenooras a 45 ". Ditas- tea
a 800 rs. na, hundo Pavio na roa ua lmpetauu o.
0 de GamTlrSlta.
RaNDE PECHINCHII
UiiaiM 1410 m. U* fc faaaa
Venden* fwnhas preaas proprlas para Into sen-
do Maiaxeada IIOm. o-eovado. DiUs Mito
Isas de qoadriobos a 480 e 310 rs., ditas enfesta-
das a 400 rs., ditas tnathlzadas a 320 rs., dius
vS^s^TJrstifu^ xkzrssiv*
BOHDI Al \
1.a aaaUoaie.
St. Estephe.
3t. JulieikJ
G. Margaux.
0. L afitte.
Medoc.
ide armazem de ti
tas medicamentos etc.
lea da Imperador i, 22.
fdtoo Pe4ro das Veres Cue-
vearte) * Tetada
seguate:
Productos cbimicos e pharma-
cenlicos os mais empregados em
medicio.
Tintaspara todo o genero de pin-
tura e para tinturara.
K Productos industriaes e tintas
| para flores, como bot5es de Aeres
Wj e modelos em gesso para imitar
g froctas e passaros com o compe-'
9? tente desenho.
Productos ebimieos e industriaes
W parapbotographia, tinluraria, pin-
tura, pyrotecnia etc.
Montado em graode escala e sup-!
prieto directamente de Paris, Lon- '2
dres, Hamburgo, Anters e Lisboa^
'pode efferecer productos de plena |
!R confianza e satisfazer qualquer en- fK
^ commenda a grosjo trato e a reta- jg
j| Ibe e por preeo oommodo. m,
Smmm mam-wmmmmmm
COIares Royer m colares ano-
dJMaaa
para faoiliur a denti^ao das crian jas e preserva-
las das coavulsoes.
O feliz resaltado obtido immensas vezes pela
prodigiosa orca mjpwtfca os colares Royer, nos
casos de onvnlsoes> e denticao das criaooas, tera
altamente elevado o sen bem mereoido prestigio,
e hoje j se pode diier qoe estao geralmeate con-
eilaados, e estimados de innameraveis pais de
familias: de tras porque do uso desses satatares
colares virara salves do pertfo seas charas ftlbi-
nhos, e de oatros porque oHieram daqoeties rao
proficuo exemplo para eualmeme preservar os
seos. Assim, pois, a agaifi branca, tendo m vis-
tas a utilidade eproveif aesses prodigiosos cola-
res anodinos oa Royer, rasndoa vir o novo sorti-
mento que agora recebea, e continuar a recbe-
los para que ero tempoalgom a falta dellee possa
ser funesta aos pais de familia, os quaes ticarao
certos de os acbarconstaatenente na ra de Quei
mado, loja d'aguia branca n. 8.
Vendem-se
nachinas americanas de serrote para descacocar
algodao : na roa da Senzala ova n. 4S.
Vende-se tambem:
Principe Real.
Pediy T.
PORTO Mara Pia.
Princeza D. Isabel.
l*qa*lldale, 'Victor Emmanul.
(Duque.
[Malvazia.
Vnho fino do Porto-em barris de 5/, 10/ e 20/.
Superior vinlio do Rueo.
Gera de Lisboa em velas e em grane.
fiRlHDE ESTABELECHENTO
Ba
60
Drfaady 1:200 a vara.
Chegou para a, leja do Pavio um briinaate sorti-
trii n. 60 de Gama 4 Uva.
Cambraias de forro a 1^600
do PavSo.
Vendem-se pecas de carobraia* de forro com no-
ve varas cada pega, pelos baratissimos precos de
rjWOO e 3}: na toja e armazem lio Pavao na ra
da Impcrairii n. 60, de Gama & Silva.
Os cortinados do Pavo.
Vendem-se superiores > eartinados adcades
pata camas pelo baratiasimo preco de Ifi cada par,
ditos mnlto Anos ricamente bordados para camas
ti Janelfas a 1S4, JO e M#tpar : na toja e ar-
maiem do Pevao na rna da Imoeralrir n. 60, de
Gama & Silva.
Pecas de cassas lavradas na loja do Pavo.
Vendem-se pecas de cassas lavradas proprias
para cortinados, com 17 varas cada pega, sendo fa-
lenda malta moderna a ii,para acabar : na loja
do Pavio na ra da'Imperatriz n 60, de Gama &
Silva.
Panno prelo a 84 na loja do Pa*3e.
Vende-se paaao amio. laceada muito 'boa, ato
barato preeo dea* -o mua, dito .mao lioo-a
330d, it, Si* W.assira como casimira prela. de
cordo a 24 o covado : na loja do Pavio na ra da
Imperatrlr n. "60, "de Cortes delSaa Mara>Pa na k*jado PavflOj
Vendem-se os-ai :rioes^cortes iae ia a Mara
WBnHHHw ;Pla pelog baratissimos precos de Ig, e 8, dUos
ment dos mais ricos organdys man sanos, sendo a mujt0 Bnos t J( mi |M e 20* : na loja do
fazenda mais fina que tem vindo nesle genero com ^-^ na m ^ ftm^xta .^o e Gama &
padroes Inteiramente ovos, e vendem se pelo ba- gj|n
Os espa/tilbes do Pavo.
SOO rs., para acabar na leja e
aranazem do.Pavao.na roa da Imperatrlzn. 60. de
e 4aaloja, Gama A Silva.
Poopelinas modernissimas a 400 e 500 rs.
0 covado na loja do Pavo.
Vendem-se poopelinas multo Boa sendo fazenda
moito moderna de qosdrinhos e liza -vendendo-se
pata* baratos .precos de 400 e 600 rs. o covado na
loja do Pavo na ra da Imperatriz n. 60 de Gama
& Silva.
As casimiras do Pa\3o.
Vendem-se superiores casimiras de cores sendo
tastana muito Boa a 3 rs. o covado. Ditas em
cortes a 5 e 6 rs. para acabar na toja e arma-
zem do Pavo na ra da imperatriz o. 60 de Gama
& Silva.
Gachios.
Vendem se bonitos cachinas ou agasalhos para
cabeca propno para enhoras na sabida dos ttaea-
tros ou qualquer partida vevdendo-se por um pre-
go mullo razeavel na loja e armazem do Pavio na
rna da Imperatriz n 60 de Gama & Silva.
Boleas d" viagciD, Da loja do pavio
Vendenvto boleas de viagem mallo boas, sendo
com mala oa sem ella, vendendo-se por nm preco
razoavel: na loja i e armazem do Pavio, ra da
Imperatriz o. 60, de Gama & Stlva.
Bretanbab de rala a 3s000
Vendem se pegas de bretaoba de mo eom Id
varas cada peca, pelo baratissimo prego de 3 :
ba-
ratlslmo preeo de IJBOOts. a vara, ina toja do
Pavao.na ra do Imperatriz o. 60 de Gama Silva.
As preeallaas da pava a 444.
Vendem-se as mais lindas precalinas inglezas
proprias para vestidos eom largura de chita trn-
cela pelo baraussimo preco de 440ie 480 rs. o ne-
vado, finisslssimas precalas ctm os mais modernos
desenos a 800 e 560 rs.
Chitas escuras francezas a 320,360, 400 rs.
Ditas com Bordes proprios para chambres peo-
neras a 640 rs.
Ditas.inglesas claras e escoras a 200 e 240 rs.
Na loja e armazem do Pavao na roa da Impera-
triz n.eO de Gama & Sirva.
Cortes de eoUn para alfas
a IS1M o Pavao.
Vendem-se superiores curtes de eotm, fazenda
multo encorpad para caigas e.palitots, tendo pa-
^dro>s escoros e alegres, e vende-se pelo barato
da loaperatriz,
DE
GAMA & SILVA.,
LOJA E ARHAZIIL DE FAZEWDAS.
Tendo os proprletarios 'dete grlnde estabelecl-
meoto fefto nm grande a batimento em muitas de
as faztodas, pela oecasiflo do balaogo que deram
no ultimo de dezembro de-1865, resolveram vender
muito mais barato do que costumam aflm de cada
vez mais agradaren] aos seas numerosos trege-
les ; por tanto Ihes offerwem unt avulado sorti-
mento .de fazeodas ranearas, ieglezas, as qaaes
vende rao mais barato do que em outra qualquer
parte, comprometindose a mandar levar qualquer
fazenda em casa dos freguezes que So poderera
vlr a toja, ou a daremos amostras, deixaodo ficar
o. penhor, assim como convidam as pessoas, que
negociara em menor escala que neste grande esta-
belecimento encontraro um grande sortimento r
tanto a retalho como por atacado, veodendo-se-lhe covado, seodoesta fazenda grande pechln** ,peto
Vendem-se urna graode-e variado soriimenla de
espartilbos dos mais bem teitos que tem vindo ao
-mercado,-sendo"de todos o tamanhos, vendendo-se
por nm preco awito razoavel : Uto na loja do Pa-
vo na ra da Iraperatm n. 60, de Gama & Silva.
Cortea de cambrau com palmas na leja do
PavSo
Vendem-se cortes de cambra a branca com. pal-
mas, sendo fazenda muito boa, pelo baratlssimo
preco de J**(90 do Pavao na ra daJaperatriz a. 60, de Gama &
SiWa.
Cortes de cambraia.com barra de cor ni loja
do Pavo.
Vendem-se os rnais ricos cftes de cambraiaj
com barras de cres.pclos iurallssimos pregos de
na loja e armazem do Pavo, ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Flaaellas VfavQ.
Vende-se superior flanella de quadrinbos, pelo
toara ti simo prego de 800 rs. o covado, dita lisa,
Asteada multo fina, alio covado : na toja e ar
aaatemdo Bavao, rna da Imperatrh.n. 60, de Ga,
ma & Silva.
COrte de percal I a a SgOOO. na
laja de PavSe.
Tendem-se superiores fortes de perealla com
casaveqne, sendo fazenda muito moderna, e ven-
de-se pato baratissimo prego de 84 o corte para
-asabar : na Idja e armazem do r'avo, roa da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Grosdenaples pretea do Patio.
Vendem-ie superiores grosdenaples pretos pelos
baratissimos pregos de IS500, t460, I8G0 e
o eovado, sendo fazenda muio boa. s para ac
Fumo.
yuMo Miaatovt-aMnras*MrYi, 'da
qoalidde, em porgio e a ratalbo : aa raa
rala Nava a 1. ____________
Veada-ae a ui
tratar na mesma.
da raa do Fega a. M : a
Escmvoe fBgi4o
- No dia S3 do i
desappareeeu da Soandad*.
mora Jos Teixaira Beato,
11 a 13 anuos de tdar, por i
caica camisa da i .
eaieate petas costa, aaal de I
ieira do eacaako Cnaiae dar
a 15 das ao abaixo
oo entreunto no rmate de i
plebe da alfandega"
a naaabaa at a.aeite,
aa di Belatads. d'oada
a quem dalle tiver aotieta ou o i..
va-lo ao referido armazaai daawaear a. 9 da
plebe da alfandega velhe,randaAtetnarava,
ledade, casa aciau rafarMe a. dt, ea aoi
amo. Late Ignacio Titean i
de cima, que se grailicar.

preco t)e lij0 rs. n-cortede calca ou a 920rs. o^B..o} de Gama 'SHfa.
Vende-se sal grosso
dr de Deus a. 2.
a tratar ua ra da Ma-

apenas pelos precos que compram as casas ingle-
cas, sendo con o dintteiro a' vista.
PeeJaiacba a a^OOO e 50O
AS MELPOMENES DO PAVAO.
Vendem se bonitos cortes- de mdpomene para
vestidos de senhoras, sendo dos padroes mais mo-
deros pelo barattsamorpre de 3000 cada um.
Dilos de indiana, tendo oito e meia varas, pelo
baratlssimo prego de 25500 rs.
Isto para acabar na loja do-Pavio, roa da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
As toaiaas de li- lio do Pavo.
Vendem-S3 superiores toalbas de linhos para
rosto pelo baratlssimo prego a 640 cada urna.
Gnardanapos de lioho-adaaiateado para meza a
2800 a daua ou a 240 rs.cada nm.
Superwr aloalbado de liohq com oito palmos de
largura sendo branco e pardo, e vende-se mais ba-
rato doque-emoutvo'parte.oalt'jado'Pavao mvrna
da Imperatriz o. 60 dfr Gama-ift Silva. I
lew ?ealdaa.a 8#000 va.
feebineka admiravat. I
S o Pavo receben pelo.uiieto vapor franeez
um graode sortimento dos mais ricos cortes de
vestidos transparentes com lindas barras e enfeites
de seda, sendo estes vestidos muito proprios para
barte* e passelos, e-rendenvse pelo bafatissirao
prego de 8*e00 rs. ada usn, a loja do Paveo na
roa da imperatriz n. 00 de Gas* & Silva.
As cawisinhas com mangai tos pretos oa loja
do'Pa*3o.
Vendem-se caitiieas com manguitos pretos pro-
prios ara loto a 14600, ideai follinbas com man-
guitos pretos a t, assim como camizinhas com
manguitos de cambraia branca bordados a 15,
maugaltas com gollinhas de dita a 300 rs., golli-
uhas de fil a 390 rs., dito de tmbralas bordadas
a 500 rs.: na toja do Pavao oa roa da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Osorpinhos de seda pretos do Pavao.
Vendem-se os mais ricos corpinhos de seda pre-
tos, ricamente enfeHados, t>elo barato prego de 12
cada u : na loja do Pavo na rna da imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
ptego
Brim pardo entrangado.a 700 e 800 rs. a vara.
Dito liso multo encorpado a 640 e 700 rs. a vara.
Dito branco entrangsdo a 1#S80 rs., isto pe-
chincha na loja e armazem do Pavao na ruada
Imperatriz n. 60 de Gama&Siiaa.
Os cnes de cambraia .branco bordados na
loja do Pavo.
Vendem-se os mais ricos cortes de cambraia ri-
camente bordados com barras c babados a 20 ca-
da um : na loja e armazem do'Pavaona ra da
Imperatru'O. 60, de GanteA-Silva.
Cortes de chita a 2^000
S NO POVAO.
Vendem-se cortes de chitas Inglezas com dez co-
vados a SS.
Ditos com onze corados a 94200.
Dilos com doze covados a 2M00.
Ditos de chita franceza com dez covados a
3200 s na loja e armazem de fazendas do Pavo
na Toa ta Imoerati^h- 60 de Cama & Sirva.
Os chales freas de renda do Patio a 8000 rs.
Vendem-se os mais ricos chales aretes de renda
com qoatro ponas, senda muito grandes pelo ba-
ratissimo. preco de 85-
Ditos de guepure a IS&, I8&.20, 255-
Retonas de dito a 40. m
Mantetetes.de renda, Maceada moito superior a
ioisXIO.
Capas e sauthambarqnes de grosdenaples bor-
dados, azenda lntelramente nova.por-pregos mais
baratos qoe em ootra rjoalutier parte.
Isto na loja armazem do Pavao na ra da lm
peratrlz n. 60 de Gama & Silva.
Para luto vende o Pavo.
Setim da-Coi na com 6 palmos de largara, tazen-
da prela para luto', propria para vestidos e roupas
para nomens, sendo esta nova fazenda sem lustro e
de moito boa qaalidade, garantlndo-se nao flear
rassa eom o tempo e vende-se pelo barato.preeo de
25 e 2300 o covado, assim como .neste esubeleei-
mento tem um grande sortimento de todas as fa-
zendas pretas como sejam cassas e chitas pretas,
e itja : na loja do Pavo na ra da Imperatriz bar : na loja e armazem do Pavo, roa da Impe




&
Silesia para saias a 44o rs.'t vara na'toja
'do Pavio.
Veudeaj-se silesia ondeada ando fazenda moito
boa e propria para sai?, pelo barato preco de 440
rs. a vara : na laja do Pavo na ra 4a Impera-
triz n. 60, de Gama & Silva.
As salas.bordadas de pavo.
Vendem-se salas bordadas sendo fazenaa mni
boa, sendo ricamente, bordad as e com muita rod
vendendo-se pelos baratos pregos de 65 88 el
reis cada urna na loja do Pavao oa ra da Impera
triz n. 60 de Gama & Silva.
Pegas de madapolao infestado.
Vende-se peeblnetias de madapoln entestado
com 12 jardas cada peca sendo fazenda muito su-
perior pelos baratissimos precos de45 e 55 rs. aa
loja do Pavo na ra da Imperatriz n 60 de Gama
& Silva.
Leneo braaeos a 20OO rea a
das la.
Vendem se lencos .brancas fazenda muito boa
pelo baratissimo prego de 25 a duzia, Ditos com
barra de cor a 2(00 isto para acabar na loja do
Pavo-na ra da Imperatriz o. 60 de Gama & Su-
va.
Sau eaaibarques de car.
Vendem-se sauleambarques de la de cores sendo
moito bem feitos e dos mais modernos que ba ven-
dendo se pelos baratos pregos de 65 e 65 rs. para
acabar na loja e armazem do Pavo na raa da
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
VESTUARIOS PARA MENINOS A .i&OO.
Vendem-se vestuarios de la para meninos muito
bem feilos pelo barato prego de 35 rs. cada um.
Ditos para meninas a 3(600 e 45 rs. na loja do Pa-
vo na rna da Imperatriz n. 60 de Gama o Silva.
Grosdenapules de cor na loja
do Pavo.
Vendem-se superiores grosdenapoles de edr sen-
do asul e cor de rosa vendendo-se pelo barato pre-
las lapadas e transparentes, princezas, alpacas,! co de 2| rs, o eovado. Dito de quadrinbos a 1V00
sarjas, etc. : na loja e armazem do Pavo na rna na loja e armazem do Pavo na ra da Imperatriz
da Imperatriz n. 60, de Gama VSva. | n. 60 de Gama & Silva.
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Bramante de Itabo do Pavo.
Vende-se superior bramante de linho com 10
palmos de largara, proprios para lenges, pelos
baratissimos precos de 25 e.25600.a vara, assim
como panno de linbo muito fino pelos baratissimos
pregos de 640,700 e 800 r?. a vara : na loja e ar-
mazem do Pavo, rna da Imperatriz o. 60, de Ga
ma Silva.
As cassas do Pavo.
Vendem-se eaesas muito superiores com lindos
padioes, pelos baratos precos de 300 e 320 rs. o
covado, ditas muito finas a 360 rs. para acabar :
na leja do Pavo, rna da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Cambraias lisas do Pavio.
Vendem-se pegas oe cambraia lisa muito supe-
rior, pelo barato prego de 35200 e 33500 a pega,
ditas muito finas a 55, 05. 75 e 85: na loja e
armazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
PECH1NCHA f
a 25000, para cairas, s o Pavio.
Vendem se superiores ertfs de meia casemira
eom msela de seda a 25, ditas Garibaldlnas a
25800, ditas escaras a 2580, oa a 15600 o eova-
do : na loja e armazem do Pavo, roa da Impera-
triz a. 60, de Gama & Silva:
PATEADORES
oti roupss de cambraia bordados proprios
para as senhoras vestirem de manlia.
Chegou esta novidade paia a loja do Pavo,
mullo lindos e domelbor gosto al boje,
L'scuAve fum
Fugio ao dia 17 do correle, da
qulnho.em Serlnniem, pertan
ci de Barros Wsndertey, o 1
os sigaaes segantes: nato, cafff Har. paa a-
nos e eom calor de ogo, cor foto, ana dei
menesaa frente, e a pinto
mao eaqnerda em eima das >
rice o com os don piloMitr sraa
dito negro j tem estado por vean
tencao eom ooane trocado : raaa-M>
pollciaes e capilies de campo ana o arroda* I-
vem ao dito major Ignacio de Marran WaadetltT,
noetrgenho Ubaqnrnaa, aa no Berta?, ao ranea
Moedan.5 casa de Manaai Alaea Perrrr, ana
se pagar todas as d ipeam
a ttencsm
Pogio no dia 22 de detamarade tat5 a eaevaaa
Felicia, de idade de 40 aonos, leode o signaca e-
gn'nles : cor cabra ciar, estatura baia,
porm tem o rosto ouodo,
de dente na frente, eabeMo
e moito rente, levoa vestido de nu
merino azul, ambos j usado ; M
lado de Paulista, porm jnlga-se rila
pelo Recite : roga se a iMondadcs
pitaes de campo, as., da aaateoeo*
roa do Trapiche n. 46, aoe M nt
nerosamente.
.Fugio do engenb o Serrana a
do Cabo, no dia 15 d) corrate, da
doabaixo assigoado o escravo mulato
tonio, com os sigaaes seguinles:
corpo regalar, barbado, deixa kdli
ba, lem a saissa estreita, olbos
lem o dedo grande do pe dircito
pela joota, Garapia, suppe-se aaa
assentado praca : paga-se eM
de a qnem o trooier ao Oito
leva-lo ao Sr. Jos Pereira Viaona.
Manosl Filippe de Saaaa
2
Atteneao
Fugio ao dia seiU-feira 2 de jaaeire de
do eogenbo Sacamin o cabra Aaieo, 1
naes seguinles : alio em proporgao, no
polenlo, nariz nm naneo chato, cabellos 1
ps e per as regulares, cor nm mato noca, ar sa*
misso na presenca do sea bono, a riiinaa Man dal-
le, representa ter a idade de 35 anoee, |
oa meno;, pouco sanado as cosos a:
soppoe-se que ten ha ido pt atorar a aegia
com quem casado, a qual to acta vendida a ama
prela da Costa de nooe Aaaa aja* mata aa na
Velba do bairro da Boa-Vista : raga-*, portaa.
as autoridades polieiaes e qnaianar pessaa. ipw -.
preudam e levem a cata do Sr. Braao Alvar.
Barbosa da Silva, eorrespoadftaf 1
por pre- nado, aa rna da Croa n. 45, oo 1
AnmwMi
eos moito razoaveis : na loja do Pavio, raa da j bu, onde ser generosamente racamaoauaaa.
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva. Fugio do eogenbo aju
Serinhem, o escravo de nome m, n
Jos Goiauoa, foi moudo em aa borra
gama, cor castaoho e gordo, aaaa
guiles: cor bem preu, erloaaa, aliara
Vende-se a taberna da camboa do Carmo n. 3,1 faiU de denle na frente, j pinu baataate.
ou da-se sociedade a urna pessoa que entre com
atguns fundos, a qaal tem por titulo armazem do
bom gosto, coja se vende nao por preciso e sim
pelo dono ter outra e acbar-se molesto, sendo bem
afregnezada para a praca : quem pretender diri-
ja-se a camboa do Carmo, esquiaa, na taberna do
mesrao proprletarlo n. 44.
caiga e camisa de algodo, e mais roopa, chapen le
palba pintado eom tinta encarnada, npie se ano
ande na freguezia do Cabo onda bem eeoteeafa:
quem o pretender leva-a ao (nfinhiAana-PrinanB
Ipojuca, ou no engenbo cima meacieaae, ac
senhor Antonio.Bandeira de Mello, ana 1
sari.


4:
DOS PREMIOS DA V. PARTE DA LOTERA, CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 636, A RENEF1CI0 DA SANTA CASA DA MISERICORDIA, EXTRAHIDA EM i DE FEVEREIRO DE 1866.
NS. PBEMS.
5 65
NS. PREMS.
190 65
7
8
16
24
i
46
47
48
52
53
54
55
60
64
74
81
90
n
95
96
97
104

12
14
17
19
23
14
28
30
35
37
6
ao
as
62
16
7
as
9
70
81

91
93
95
97
200
4
17
19
50
31
33
34
38
II
43
-4 ao
53
60
m
65
NS. PREMS.
.360 65
405
405
205
05
205|
5
64
67
74
78
85
86
91
93
405
105
65
05 94
98
99
303
0
8
9
12
14
16

24

28
SI
-a JT'
39
44
m
1
55
62
68
-71
76
79
83
**
86
92
m
97
408
10
14
W
22
25
,30
3i
33
M
M
44
80
.55
tf
69
0
78
m
,83
84
8
91
92
105
O! 98
502
3
7
10
16
10
91
24
2
28
39
205
65
205
,
NS. PREMS.
543 65
205
65
46
48
51
52
60
67
.77
78
80
83
88
90
95
99
02
3
9
11
16
22
93
94
25
38
48
51
7
59
60
67
71
76
V
87
8
90
90
99
790
t8
_1 40
19
14
tf
33
35
36
39
0
105

2(15
65
205
.65
JOJ
m
65
m
i-i
6*
NS. PREMS.
742 65
A3 -
46 -
48
54
55 -
66
72 -
73 -
74 -
78
81
90
94
96
98
801
6
7
13
13
14
17
24
31
33
38
40
44
45
SO
52
54
-61
62
~
105
6*
NS. PREMS.
928 65
9 -
30 -r
34 -
36
37
39
46
49
50
53
57
J
64
66
68
72
76
77
78
82
.84
91
92
94
95
1001
7
13
(19
NS. PREMS.LNS. PREMS.
><
67 ~
70
26
84
901
.
r-ntdl
11
a
48
23
25

105
6*
205
65
22
28
33
34
39
U
al
49
44
A
57
59
60
3
67
1097
99
1103
4
6

15
25
28
35
40
41
42
43
46
49
06
7
58
59
,65
68
83
88
92
93
99
1204
6
.9
U
46
18
U
35
41
42
45
65
m
6J
65
10*
65
TT
m
o*

65 tf
ai
93
59
5f
59
99
tf
3
67
74
76
76
1282
90
1300
3
10
26
32
35
38
49
44
47
50
9a
7
61 6:0005
70 *65
73
71
78
84
90
92
97
96
1400
i.a
r*5
19
21
93
24
98
31
39
49
53
M
58

53
0
76
NS. PREMS.
1510 65
12
16
'19 -,
29 -
30 105
35 65
38 -B
40 -,
50 ,
51 105
52 5
54
57 r-t
58 ~
61
68
70
.77
82
tf
.90
95
105 1604
65
NS. PREMS.
1719 65
6*
5
15
19
37
39
44
47
55
59
62
63
w
71
M
NS. PREMS. NS. PREMS.
q
105
65
105
65
205
6*
105 >5
65 9100
V
I9J
65
9112
14
Vi
22
26
34
37
40
43
47
48
56
57
74
75
77
78
84
91
92
94
98
2200
8
16
21
22
26
34
37
40
46
48
51
53
55
58
1
068
57
71
.72
33
75
77
80
88
90
98
.205
6A
M
105
69
205
65
*M
6>
652300
4
-5
6
.9
10
48
22
27
28
30
33
34
1
W
-ts
"51
54
61
62
64
6
'69
70
75
76
SO
87
65
105
65
105
205
2402
3
8
9
44
25
39
46
47
52

56
87
.,66
to
35,
84
2508
10
12
tf
19
25
30
31
41
50
51
55
60
64
72
73
75
81
*W
91
95
2612
18
22
27
32
38
39
45
49
51
6,
57
63
68
70
.5,,
78
82
91
.97
65

m,.
J
X

*

, i'.iV
r 1i
1
_!
I
105
205
65
2tf
tf 2701
id):
,5
7
lOtf 89
98
96
11
I 26
27 -
AU..J 2728 iKM.S. 65 2910
29 13
35 14
41 18
43 19
45 21
49 26
82 30
64 34
70 41
78 _; 45
83 46
84 _ 48
88 . 1 52
86 205 60
n 6 68
92 70
:94 1 74
2802 fm 77
4 m 79
12 .^_ 82
14 m 84
15 .88
16 m .91
19 65 94
20 m* .95
97 . 3000
36 tftf '2
37 . 3
40 * 5
41 44 405 <57
46 Itf as
50 65 38
53 + 49
58 8995 45
56 5 tf
87 2004 98
61 tf P09
67 <0
77 m
9 1 tf
89 99 -MM X
98 -i 19
9999 *
1 25
i m w
4 * 98
6 33
KS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.
3522 tf
36
48
60
43
64
65
99
74
78
80
81
87
94
99
3601
2
6
10
12 tOtfj
14 tf
16
47
63
87
1
65 3134
105 42
65 44
45
_ 46
105 82
65 5o
56
60
105 62
65 64
405 69
65 75
76
80
83
87
89
105 08
65 3200
-t m
20
-~ 91
~l 26
32
96
39
Mita 40
44
55
88
ai 6
_~ 06
. 67
IM. 0
O) 71
78
1 96
1
M 84
a 96

M 99
95
.M.
3302
' 4
_
mm 12
na. >b. rn
65 3318
105 20
405 91
65 22
24
25
M 30
34
-- 38
-- 40
50
54
-- 56
-- 58
-n 60
405 61
tf 68
82
-T 83
^_ 88
4 89
41 90
MM 3409
105 4
'tf 4
_ 7
. 8
_ 12
_ 19
_ 28
39
-, 41
47
...*. 48
88
78
i 79
84
- 99
93
ata 97
tf 3801
* f
_
w 9
9.
10
11 a*
105
65
-205
65
-
.11
65
405
65
70
99
76
77
78
97
89
M
37TJ9
a
17
49
86
86
89
0
74
83
88
91
M
NS. PREMS.
3994 tf
6
46
17
94 m
39
43
49
80
88
99
99
94
98

98
71
78
4
W
96
m
3990
3
14
17
19
23
94
ti
%
99
47
92
84
89
I tf
t


A loa altiva e soberana ei
cor da atol, eeraeda de
mit radiante e chela de
; mentas da naiareza qae de
; cortina aos nostos oiboe.
E quando assim abstracta na doceontemplagio
Lthrono
alio-
mouu-
f
0-

1

!
%"
Serapbim da Matta e a Rosinha do Brejo eram
anda mojos, casado, e tinturo, trae- fllhos, dous
rapares e ama rapariga, qne eram o fructo e o re-
gajo de toa vida conjugal.
O Sraphim faxia todas as plantagoes do sea
pequeo sitio, colbta 0 milho, o feijao, arroz, raan
dioaa, e ja liaba alguns pesiobos de caf, que pos.
meies do floroseeucia cobriram seas galbo de
braacas lores, verginaes e perfumadas como as
primicias da amendoeira.
Era robusto, gil, emprehendedor e activo, de
serte que, ajodado por saa companheira, levava
urna vida feliz, possuiudo ama extensb bastante de
terreno para o cultivo que lhe era necessarlo, e
vea do seao o luxo, ao meos ama frugal abun-
dancia garaatir a existencia de sua familia.
P coronel bavla sido padrino > d'esta casamento,
leria muilo a seus booeslos afllhadot.
(Jas pareles |de Seraehim lerabrram-se um
dia posse sagrada da saa pequea propriedade ; e bas-
tou esta amaga para levar a iajaieiauo, o desas-
socegc e as lagrimas ao seio d'a.juella desolada fa-
milia.
Seraphim, apanaa informado da mqualiflcavel
vioieHcia que premeditavam. fazer-lha seus abasta-
dos prenles, dirigie-se casa do coronel, e com
semblante angustiado, os olbos rasos' de agua,
coatoa ao respeitavel ancio o risco immlnente
que corra a saa feUcldade, o aspecto meJonho
com que se loe apresealava o futuro, caso os mal
vados lograssem coosegair o sea vil e miseravel
uleoto.
Nao tem duvlda, mea lho, Ibe respoadea o
coronel batendo-le com a mo oo bombro
deixa estar, bomem... Deus justo, e la nao
bas de ser vicuroa d.esses algozes, aem fcaras
desamparado... U leu velbo padriaho anda ser-
ve para algurna cousa... Vai descansando para
o lado de la mulber o de leus lbos, e deixa por
minba conta o negocio.
Seraphim sabio mais animado e alegre, e cor-
rea para casa enxugar as lagrimas de sua esposa
que o espera va rodeada dos fllbinbos.
O coronel, porm, estava longe de partilhar a
e;eraoca que liavia conseguido dar a sea afilha-
do : coanecla os recursos dos malvados, a pouca
conflanga que Ibe mereca a justica,e a impualda-
de com que contam os poderosos para conseguir
realisar os seas tenebrosos projeclos.
Approxiroava-se o dia em qae tinba de decidir-
se este desgranado pleito.
A atmospbera, toldada de nuvens espessas, pa-
reca augmeatar cem sua pesada tristeza o aspec-
to sombro e desolador da rustica morada de Se-
rapbim.
ludo era appreuensoes esmagadoras.
O co negro, e os coracdes obumbraJos pela des-
grana, dir-se-hia circamscreverem o horizonte da
vida, e concentraren! aquellas almas nos transes
de angustiosas dores.
Urna divida simulada era o pretexto d'esta feroz
estonio.
Os documentos, as teslemunbas e tsdo o litigio
do processo luviam sido encamlnbados pelos ad
versarlos de Serapbim com to profundo coohe-
cmento das falsas interpretagoas da lei e dos des
nos da instiga, qae a causa parecera das mais
instas aos olbos d'aquelles qae nao conbecessem
de perto a qual dos lados assislla o direito na mais
santa das propridades.
Chegou por fim o da fatal da decisao defini-
tiva.
Serapbim foi citado para comparecer diaote do
juiz, cuja senienca nao poda ja ser du vi dos a.
O desventurado maodou a pressa cbamar o ve-
lbo corunel, esperando que este, com o peso de saa
auloridade e a fraude influencia qae gozava no
municipio, fana operar maisam de seus milagros,
mostrando a todo* a luz da verdade, e esclarecen-
do os meandros de um processo tecido e fabricado
dos mais cavillosos repugnantes embastes.
O coronel nao se acbava porm na fazenda :
bavia partido do dia anterior para a povoacao da
margeni opjosta do no, oude linba Ido decidir um
ouiru pleito que Ibe nao mereca meaos desvelada
atlengio.
IV
O coronel foi informado do acontecido s nove
horas da maoha, e ao raeio da em ponto devia
achar-se ao lado de seu aibdo.
Estes acontecimentos passavamse em daas po-
voacds quasi fronteiras, estabelecidas margem
do rio Paraliyba.
O rio, eogrossado com as encbentes das cabecei-
ras e dos mil tributarios que desaguam em sen
leito, apresentava um aspecto tenebroso e medo-
obo.
O temporal desfeito torca a agontava os ramos
e os truncos das arvores das florestas circumvizi
nnas, e a ventana soprava em violentas rajadas
pelos reconcavos das matas e as gargantas das
moutannas com um silvo agudo e aterrador.
Era um espectculo feroz ver a naiareza deba-
teodo-se, gigantesca e vigorosa, nos bragos titni-
cos da tempestado desvaira !
O rio bavia crescido a ponto qae transbordava
das margeos.
Grandes passaros negros, de azas alongadas, es-
voacavao por ama dos vagalboes, soltando longos
e fnebres pos.
As aguas pesadas e brrenlas rngiam com (aria,
quebrando contra os penbascos, atirando.se pelas
a acesias das montanhas, engolfndose pelas ensea-
das da praia, ou redemoinbando nos sorvedores,
afastando-se aas voragens, como se o aojo da des-
tr jicio ti vase ordenado aos elementos orna lata
de exterminio.
Quem se afoataria a arrostar a impetuosidad*
da correnteta.
Qai seria a canoa bastate temeraria para se
aventurar ao meta d'esse pego revoiio, em cajas
se viam ja os destroeos de algumas ligeiras em-
barcacoes, e em caja superficie so divisavam pas-
tar, impedidos por ama tarca irresistivel, os tron-
eos vigorosos e os ramos anda verdes das arvores
das florestas I
Umabarreira invencirel separara pois, oeste
momelo, as daas povoagoes.
O temo, longe de acalmar, recrndescia de vio-
lencia.
As lloras passavam o meta da estava prxi-
mo.
O coronel eslava em ama agitacao febril.
Tinba oflerecido ja cem e dtenlos mil ris i
quem fosee levar ama carta argente a margem
opposla porm as pirogas dos mato oasados ba-
viaujse epedacado pondo-se em pratica as pri-
meiras tentativas.
Todos baviam desanimado.
A insistencia do coronel em conseguir quem
transpozesse o rio bavia allrahido riba grande
amero de pestoas, qae Iba teguiam acompanba-
wam todos 03 movimentos com visivel inleresse e
curiosidade.
De repente toaram as tadaladas do meio-dia,
femende as atas da procella.
O coronel detpie a sobresasaea, agarrn em dona
aegros qae eram seas pageos, aiiroa-os para dea-
tro da uoic. oa alada se esaptoVava amar-
raa a praia, e pelando tarabea elle cesa urna egi-
lidade inconceblve na saa Hade, sanst aco-
pa, gritando pira os as^remopefactos t
-Remera
O peW ana>aasravase cada vea mais, s am
marmerio iadescriptiral sabio dos labios: ie todas
os que presenciaram esta tncrivel temeridale.
A canoa, apenas solta, palou sobre a superficie
revolta da agua como se fosso urna folha secca, e
princ^iou eotis urna lata entre o lenho e a cor-
reaten do rio que ra impossivel poder deicrever.
A' cusu de .nditos estarces, e vendo a todos ?**_._ **.. *?,^0D^?,"n." ** *T'
de tanto bebese, aJmtr
varern-se nsaaaameote as c
vamos o pensamento ao
dourados sonhos, recordaj
amores, parecendo querer
artorsdos corva-
da viracio, vol-
objecto de nossos
loucura de nossos
e-Ios no melanclico
aroma das flores, nos tiroidoe murmures das fio-
tlnuais, vossa misso providencial.
unuais, vossa missao proviaenoiai. uotsao uojo ... dftMldaO naf*
records um grande fello de arma?. Ea respeltarel p ,'* qae Te,0 rr *w0 P
os momentos a morte abrir-se debaixo dos seus
pe, o coronel e os dous negros conseguirlam ven-
cer metade da largura do ro.
Ah as difflculdades redobraram
No meta do rio o impulso das aguas era mais
forte e caudal.
A canoa sostinba-se milagrosamente na crista
dos escarceos, e era agitada como por u na (orea
diablica no meta de toda esta explosao c acn ira-
da dos elementos.
De quando em quando ama lofada de rento ra-
zia quasi perder o equilibrio frgil plroga, e poa-
co faltoa mais de urna vez para que ella virasse,
sepultaodo os desgranados dentro do abysmo.
Os escravos estavam j extenuados.
A voz do coronel animava-os de eontli no.....
mas aos ouvidos dos que anciosamente olhavam
devisamos um lindo bando de gentes donzellas
quasi todas trajando de branco, nossa cor predi
lecta, dtscorrendo as amenas campias como o co-
libr borboleleando as flores da acacia, e seguia-
do-as com a vista vimos passarem jnnto de nos,
encaminbando-se para ama casa que depois inda-
gando dlBjeram-nos ser do Sr. R, e onde oc-
capando ama o piano, e ontras formando um cir-
culo cercados de cavalbeiros,.ensaiaram os doces e
melodiosos cnticos da baadeira e novena, notando
nos qae o coro anda bastante rebelde a arte da
msica, deseotava descommunalmenle o acompa-
nbamento.
Alm disto temos coniiouadamente reunioes fa-
peluveis, seniisse pelas cosas o bario *% atolaaeo eom nma expedieo qne Ibe ameacasse VeapU*,1 td, aa 9de feverero de 1851, a victoria da civi-
apaas datandida por velhos o criaogas, a sorte de (sacie sob abarb muitos de vos, senho-
Lopez eslaB sivel que res, conbe nacraelll"bon faimicif sefeMd,';gfaTi-
dentro mesmo do p'aiz aoseleVaatasse um partido le qtiinh 'deporta, a < infedera?lo Argentina
para entregar a vlnganga dos atliados o'tyranno regitro nos aanaes di fea historia vossos vallo-
qne o opprime. ; W| < | 11 JflQJ ff^ee* g
Infelizraentoiqaelle valente e distincto cnefel Agira aos mwimentos importantes em qae ani-
'alvez nao posta tentar esta diversao por Dio Ibe o ao Estado Oriental e a Confederacao Argentina
ter chegado a expedlgao confiada ao eomraando do I B
coronel Drago.
Reina ama grande activldade no exercito e na
esquadra para preparar ludo, aflm de effectuar-se
o mais rpidamente possivel a invaso. Os gene-
raes Mitre, Osorio, Flores e chefe Barroso, a frente
de snas torgas, e o almirante aqni, mnltlplicam se
para altender a tudo, aflm de p'oupar o saogue dos
soldados e dimioair-lhes as fadigas.
Temos neste porta de Baenos-Ayres anda a cor-
veta Nitherohy, que nao tomara' parte as opera-
coes; as canboneiras Parnahyba e Araguay que
esto coacertando, e quasi promptas, vapores Ma-
racan, Refe, Onze de Junko, Lyndoia, Princeza
3 e chatas, que esto earregando ama immensida-
de de objectos.
No Princeza se acha j tudo quanlo necessario
para se montar am hospital de marinba em Cor-
La
trl
del
dos ros saadar-w oeste lagar.
Oh I milagTVj sanio do amor d ama
espago destruio-se. O aperto de mi dea
trilas atravessa a immenjiiai. Jlia ba
eia na non da coagratateeio do aova.
vos veoeedores I
O propiio monarebt, o prlmeiro votaatatle

da praia para este terrivel esoectaculo apaas che- borbulbao mais febricitante amor, ora
miliares, onde se mostram seductoras e cheiasde rlentes com 600 camas, enel le consta-meque se-
vivo encanto as lindas deidades do Monteiro, lau-1 gaem na terga-feira prxima os Drs. Carlos Frede-
I gando merc d'esses coragoes de rapazes onde riC0 Daraazio e Vilaboim, que vao servir nesse es-
ara olliar
gavam os chos queixosos dos intrpidos, porm
quasi desfallecidos canoeiros, cortados pelo fragor
das cacboeiras e pelos silvos drenlo espedacadorl
O terror augmeotava.
Cbegou am instante, porm, em que os (loas pre-
tos suicumbiram ao trabalbo.
Alagados em suor, com os peitos da camisa abor-
tos, pareciam dous entes phaniasticos atr; vessando
a lagoa mysteriosa da Estige I
Sentiram enfraquecer as per as, rugir I es a luz
dos olhos, passar-lhes ama vertigem pe i cabeca,
e um aps outro cabio deotro da canda quasi sem
vida, e de todo sem animo nem esperance 7
O povo j apnhado entao as dnas margeos,
acompanhava todas as peripecias desta lata, bra-
dando ao coronel que voltasse, mas sem q ie am s
dos assistentes, apezar de todo o interesse que Ibes
inspirava o aoci&o, se atreresse a la'ngar- ao rio
para lhe acudir.
E' porque a morte era all iuevitavel I
O coronel, acbando-se s dentro da canda, ape-
zar da difflculdade que linba em mover-s i, pois os
dous escravos jaziam como morios a seas ps, to-
mo u o remo mais forte, leuaatoa-se de p oa proa
da embarcagao, e tai tal a energa qae umpregoa
neste passo extremo, qae o barco, galgiudo pela
face espumosa do rio, varou como ama flecha o es-
pago que restava para ebegar margem, e tai en-
calhar dentro da arela da praia I
Um grito unisono e estrepitoso retunbou das
daas ribas oppostas, e parece qae os ele Tientos se
acalmaran! um momento para saudar o triumpho
da vontade e da energa humana contri toda a
conflagrago das potencias da natureza I
V
Passava j muito do meio-dia, e o pobre Serapbim
linba sido neste intervallo condemnado a perder a
sua nica esperanga, pois a queslo se liavia deci
dido, como era de esperar, infelizmente ostra elle.
O coronel, iuformado do occorrido, depois de ha-
ver recebido as felicitages de todos, a que proeu-
rava furtar-se, anda e sem baver descansado am
s momelo, foi ter com Seraphim, e lhe disse, ba-
lendo-lbe familiarmente com a raao no bombro, e
! sorrindo afilhada
Por sua causa acabo de rapar agora um gran-
' de susto !... Eu j sabia que voces perdiara o ne-
I gocio I... Conhego a casta de tratantes com quem
tinbam de iidar I... O que fago en.? O Seraphim
e a Rosinha nao hao de Ucar sem o sitio 1___Es-
crevo ao meu correspondente, e mando buscar ama
somma de dnheiro qae calcule: aecessara para o
resgate da sua fazeudola... Mello ofdnheiro no
bolso, e ateimo em atravessar o rio con urna tem-
peslade furiosa 1... Qae eu morra, nao faz mal
dizla eu comigo : estou relho e j nao presto para
nada ; mas que se perca o dinheiro, jue (i juera o
Serapbim e a Rosinha sem a sua sitaigao, ao des-
amparo e a miseria neste mundo. J. nada; nao
quero!... E luiei, lotei, al que cheguei aqui...
Agora tomem o dinheiro, paguem a divida simula-
da a esses ladrees, e nao quero vei mais caras
cnorosas nesta casa I
O coronel camprio a sua promessa de tal modo
que no dia seguinte era da de .'esta no sitio do Se-
raphim. I
O coronel nao gostara que se ccfniassem estas
coasas; mas agora qae elle me nao ouve, pens
que muila gente, lendo estas linhas, resar urna
' ora-o pela saa alma.
E. Ziluar.
tabelecimeolo.
raeigo e expressivo, ora am sorriso de desdem i .. ; _.,,
7, A demora dos encouracados Ja val sendo senai
fingido, anglico e tentador, que nos vm fenr sem .. ... .____.
. a vel. E elles anda tem de fazer urna longa e peri-
piedade o amargo do coracao, prendendo s vezes
eternamente ama existencia a outra.
Fugaces borboletas que sacodem magaeticamente
o polfen de suas azas de amor, para depois esma-
gar a creatura sobre quem elle cahir I..........'.
gosa traressia para ebegar aiui, e se gastarem um
mez, como o Tamandar, nio podera estar em Cor-
rientes se nio no principio de margo. Tatnbem
rasoavelmenle nio se pode esperar nenhuma ope-
ragao de vulto se nao por essa poca, em que a
' crescente do Paran tem chegado a seu mximo, e
Temos por aqu tarabem um boteqaim mallo flrBt.M ^ |lHH Wmpo
bem sonido denominado a Traviata, que diaria. I
mete nos d boa serveja de Bass, refrescos, pe-
Hscos, e saborosos sorretes, em troca do metal
sonante a vista, porque .logo a entrada l se em
letras maiusculas o seguinte letreiro aqui nao s
se fia I
O sea proprietano ama boa creatura na ver-
dade; principalmente pela boalembranga qae tere
de estabelecer a sna Traviata este anno no Mon-
teiro. Lhe aconselhamos porm qae seja menos
salgado nos pregos e..........................
Meia noute acaba de soar no relogio do vislnbo,
ramos pois dormir, e Deas qaeira que o tal bamba
tneu boi nos deixe repoosar socegado aos bracos de
Morpho, e oo acontece como hootem, que at as
3 horas da madrugada oo pregamos olbos, com a
infernal gritarla qae tanto abominamos.
A revoir.
30 de Janeiro de 1866.
Phidias.



Tenbo visto qae de algam tempo esta parte se
procura alienar a alfeicao e sympathia popular de
; qae gosa o nosso almirante merecidamente pelos
servlcos. Como qne se
qur apalpar a opinio publica para se despresti-
giar am dos bomens mais eminentes de nossa ma.
rinba. Nao atino com a vantagem qae possa ter
este systema deploravel de deprimir os mais nobres
caracteres de nossa trra.
Os bomens da tempera do riscoude vingam-se
sempre com galhardla. ao qae, por am estranho
contraste, accasam boje de inerte, e de moroso, ao
qual em Paysand censuram de precipitado, elle
responder brevemente em Humait, escreveodo
mais ama pagina de ouro em nossa historia patria.
Foi o qae fez o chefe Barroso depois de ter sido
horrivelmente injuriado na imprensa dessa corte
Riachuelo orgneu-o tanto, qae elle pode fazer ca-
lar, confundidos, os qae o aecusaram.
Esperemos... e os factos nos dario plena razio.
Pude obler com muita difflculdade o importante
discurso pronunciado pelo Dr. Luiz Alvares dos
Santos, em Corrientes, quando se celebra va o pn-
meiro anniversario da lomada de Paysand, e aqui
o transcrevo :
THEATRO DA GUERRA.
Em um recanto obscuro deste continente deixou-
se medrar mysteriosamente am povo, educado oa
obediencia a mais cega, e subordioado a am s! Seohores.-Sos os hroes da formosa epopa
hornera, que, cegaodo-se por sea turoo com o po- jcaios canr08.mais.sa_blim.es ??*5.*-*!
der qae liana aas maos, Julgoa qae poda esmagar | chuelo.
os povos visinhos, qae dormiam tranquillos, e do
as convieges polticas dos partidos: nao falto a
nenhuma conveniencia social, quando de leve me
redro a gloria das armas brasileiras em Paysand.
O dia de boje rememora a bravura e o denoio do
distiocto offlcial brasileiro, que marcha impvido
na frente de seus soldados, a 6 de dezembro, brao-
dindo a espada como estrella polar no co da glo-
ria e do triumpho, deixaodo aps si um rasto aver-
melhado de luz, por qae o saogue da mao despe-
dazada pelo fuzil inimigo, o tangae da mi qae
nio treme e qae ao contrario, na convulso tet-
nica da ferida, mais apena o pnnho da espada,
como talismn sagrado da victoria. Ob I glorioso
fello das pocas modernas !.... Valente mancebo,
em cuja fronte alvejam lao depressa as caes da ve-
Ihice, qae brotam das privaces e trabalhos na vi-
da soffredora de soldado brioso, eu te saudo am no-
me da mocidade admirada. Perdoai, senhores, es-
la expansode entnusiasrao : a ovagao de minha
alma ao majnr Penlo, a quem tenbo a Honra de
conhecer ba 13 annos.
Deixemos, porem, os feitos de Paysand. Abra
mos a pagina brllbaote de Riachuelo.
Quanta gloria, senbores I qaanla gloria I Aquel-
lo rio que alli corre, indo levar ao mar infinito as
suas aguas tangnquas, ja levou bem longe tam-
bera, fazeodo estremecer as vagas doo ceaoo, o
echo pavoroso de .vosso triumpho. O Paran, es-
se ro magestoso, que, como seus dous confluentes,
tem sua origem no Brasil, alravessando lodos tres
o continente da America do Sol, para, com o oorae
do Praia, mislarar-se com o ocano, o testemn-
nbo eterno da gloria da armada brasilera. O feto
de 11 de jnnha tem na historiadas pelejas navaes
dous factos que ibe possam ser semelbantes a
baialna de Trafalgar e a de Navarino. Mas nao, se-
nbores, o combate de Riachuelo nao tem iguaes ea
historia, uuico, porque foi a primeira batalba en"
tre navios a vapor. Na navegago a vapor as con-
digoes da guerra naval mu Jara. A victoria em tres
circamstancias s depende do valor, da bravura
dos combtanles.
Duas esquadras a vapor encontram-se no meta
de um rio, cujo leito tralgoeiro se irriga de bancos
e baixios anda mais traigoeiras. Um encontr nes-
te campo entre marlnbas prvidas de todos os ele-
mentos de destmigo moderna, das machinas fu-
nestas Inventadas pelos descobrimentos da scencia
na arte da guerra, um encontr horroroso. A ar-
mada paraguaya, matreira e traidora, ampara-se
com as bateras de ierra, levantadas s escondidas
na sombra espessa do mais basto arvoredo.
Trava-se a lata. Qae lata, seobores, qae lata
cheia de rasgos de valor e heroismo I
L encalha infelizmente o lequilinhonha ; os ini-
migos lentam abrdalo em tres vapores; [aos taes
vapores a guarnigio valente e decida resiste com
o desesespero da desgraga.
as fadigas da guerra ; o defensor do Iaaneftey fae
velo engastar no sea brilbaote diadema a
rutilante de vencedor da Urogaari
menta se congratula tamben
e agradecido. Une-te a nacafl'aW
amor atravs do espago. Poro e rei
clam-se neste momento para saudar
a armada do Brasil.
Terminemos, senbores. Oto roto
breos restas anda qaeotes de ledos es aaartr-
res dessa causa sagrada; sobra esus
na vastldo dos desertes, oa no neo
aguas urna prece sentida qne soba al
depois sobre essas mesmas sepulturas j
dos nio voltar a patria tem ringar a
dignidide do Brasil, que tem sid lio
ultrajada pelo ingrato Paraguay. EspereaM ea
Deus, e caminhemos aos combates. Junto da baa-
deira nacional, veoce-se oo mirre se. Mortoa en
veoeedores, seremos gloriosas reminiceacias da
patria agradecida.
aa
Divagaees campestres,
Quem nao gostara de sna visar j por esta tempo
de festa o intenso caler de nosso magestoso
Recita, em qaalquer am dos seus pitoresc js arra-
baldes ?
Quem se esquivar de fazer a vontade i. mulber
qae sofre dos.nervos, Alba, irmia ou sobrinha,
qae padece dos faaiqaltas amorosos, e mesmo ao
cynismo que taato aos acabronha as ras d
j Crespo, Queimado, Imperador, ou qaalquer outra ?
Como poder resistir as malditas Itolagbes do eam-
' po, que acabando todas estas molestias, nos deixa
em recompensa a peior de todas;, a qual como as
outras someote nos lembrmos quando a sentimos
! a tsica das algibeiras ? *
Ninguem cortamente.
Agora escolber de preferencia o airabaIde onde
o deve fazer, 6 queslo melindrosa qae qu isl sem-
pre se decide em solemne assembla da familia,
depois de reohlda discassao, rencendo moilas
rezes a menora contra a raaioria (ultima moda do
progresso do paiz,) pois qae a vontade doe velhos,
em taes casos qne predomina soberana t exclu-
sivamente.
Mas se os nobres pas de familia nos deiagassem
o poder da escolna, sem hesitar am momento Ibes
apootaria immediatamente o potico Monteiro e o
ameno Caldereiro, esses dous locaes geneos nio
s pela peqoeaa distancia qne os sepan, e pela
rima de seus pomposos nomes, como pela belleza
com que a ualureza Ibes approuve ornar, e pelos
ntimos lagos de amisade qne une as peenoas qua
tem a dita de os habitar.
E' esta a raziio originaria de todos os almos por
esto tempo pagar mos o notao trinlo i essos bellos
lagares, qur pastando a festa propriamente, qor
visitando-os amindadamente. ".:
Para os moertinenles qae quizerem tambera sa-
ber, a razio, de someate afora lembramo-nos de
escrever essas firagacoet campestres, diremos tem
o menor rehago qne foi a leitura de uns aponu-
mentas do Sr. Fabio Tito.
Brtamos sent;idos no* maeios bancos da pontosi-
nba do Monteiro, oariado o melifluo susurrar das
aguas da desanude torada.
A noute eepeiba todos oa sena perfooMi, todas
as anas harmonas, todas artaparas rohptaosi-
Batas l
mina-Ios da mesma sorte.
Esta bomem e este poro recuaram espantados
diante do acordar terrivel dos gigantes que foram
provocar, deixaodo am rasto de sangue pelas ler*
ras que pisarara, e sua memoria amaldigoada e
odiosa.
As victimas boje batem altivas as portas dos bar-
baros, para vingar a honra ultrajada e redazi-los a
condigno de nio poderem fazer nenhum mal para o
futuro. j
O Japio impenetravel da America vai por flm
ser devassado aos olhos do mondo, e seas myste-
rios nao lhe serviro mais para cerca-Ios de ama
aureola de terror.
Os pendo es da civilisago l fluctuara j em fren-.
O paz intairo, cheio do mais profundo re-
conhecimento pronuncia hoja os vossos nomes, re-
commendando-os gratidao da patria. Permitti
por unto, senbores, quo o satos humilde dos admi.
radores das acedes grandes, eleve neste recinto sua
dbil voz, como om echo fraco, mas sincero das
ovagdes do imperio inteiro ; permitti que o escrip'
ior obscuro, que la, em ama das provincias mais
eatbusiastas de nostos faganhas, procurou na im-
prensa peridica leva-las todas, urna por ama, ao
intimo do coragao do povo aflm de grava-las na me.
mora das geragdes que passam e das geraedes pro.
viadouras, veona de perto saudar-vos em nome do
pan agradecido ; permitti qae o depalado, que, in-
terprete fiel dos seotimeatos populares, na tribuna
parlamentar compendiou em rpidos tragos os fei-
tos vossos, agora, quando tem a honra de partilbar
comvosco as fadigas da guerra, vos renda em no
e
te ao passo da patria, e os soldados da allianca, da ,
tidos apenas pelo magestoso Paran, que os separa im; do mesmo *"? oma ****** ** respeito
do inimlgo, aguardara que os ebees concluam lo- dos os preparativos, allm de rechassalo em sua ul- d* ,01 de ,ossa K|of,a-
tima guarida. Os ministros venerandos da religiio de Cbristo
Nunca se vio na America do Sul am exercito acabara de elevar at ao co suas palavras sagra.
mais imponente, tanto pelo seu numero, como pela das em aegio de gragas pelo faito grandioso que o
organisago, do que o que se acha reunido para le-, dia de boje recorda e solemnisa. E' a communica
var ao Paraguay a liberdade e o progresso.
Faz prazer var o extenso acampamento de Lagu-
na Brava em que 33,000 brasileiros debaixo das
ordens do general Osorio, aguardam um sigoal s
para voarera ao campo da honra e da gloria. Ah
gao mysteriosa entre a creatura e o Creador; a
cada sublime entre o homem e Dos. Oh I ori-
gem magnifica de grandezas nefaveis para a bu
maoidade I O espirito bumano se prende ao espi
rito divino destas horas solemnes das glorias de
nassara-se as noites recordando tallos heroicos dos ama nago. Dos, centro de forga e de herosmo,
antepassados, e preparando o animo para imita-los! communica ao homem um raio de sna luz eterna.
e na mais nobre emulagao, tanto os liltios do norte,
como os do sal, os do sertio como os do littoral
jurara oo voltar a patria seoao Cubarlos de loaros,
depois de assegurar-lbe respeito e tranquillidade
para os das viodouros.
Tenho visto muitos estraogeiros quo votaram de gens dos grandes ros, coja reuno
nosso acampamento descreverem enthusiasmados
o estado de nossas tropas. Principalmente os cor-
pos quo marebaram desde a Concordia destacara se
pelo sea ar e porte militar, e entre estes se distin-
gue o 4 batalho de voluntarios do commando do
Dr. Francisco Pinheiro Guimaraes, cujo matar en-
trelenimento consiste em resolver e dar a resolver
problemas de lctica, e os nossos melhores praticos
assim reeonhecera que tarabem a theorla tem seo
valor que nao devera desdenha-la.
O exercito argentino composto de 11,090 horneas
entre os qaaes ha pma liada legiao estrangeira,
tem am acampamento na Ensenada am poaco
adianto do nosso, e oceupa-se tambera em adestrar-
se por meio de exercicios diarios. Nao ha davida
de qne no meio das pelejas que se approximam es-
te exercito se ba de cobrir de gloria, sob s ordens
do Ilustrado general Mitre, que, trocando a pena
pela espada, demonstra que sabe manejar perfeita-
mente as duas armas.
A Repblica Oriental nio figura entre as torgas
alliadas com ara exercito propiamente dito; por
qae acaba de sabir de ama lula civil prolongada
A tendencia para essa luz, a aspiraco permanente
de bomem para a perfeclibildade o que a lingua
gem humana chama citutoacao.
Pois bem, senbores. A vi-foi reservada a te
refa honrosa da propaganda civilisadora aas mar-
forma a ira-
mensa baca de agua doce que se chama o Praia.
Fostes o bioomo do progresso, o afb do movimen-
to da humanldadepensamento e aegao. Sim. A
historia se cornpoe de dous elementos inseparaveis
as ideas e os factos. Os successos sao geralmen
te a consequencla das dispesiedes do espirito bu
mano. A idea procede ao facto, por que o espirito
anterior i materia. Mas moilas vezes os suc-
cessos reagera inesperadamente sobre as ideas, e
entao causas e effeito, abalroando-se reciprocamen-
te, se vio modificando, e coostituem por flm um to-
do, donde resalta estranho encadeamento de fac-
tos. E' que os destinos humanos sao regulados na
mente infinita, por que Deos a.inteiligenciaomni-
potente. Eolio a humanldade, sem saber como,
camnlta para am estado social preconcebido pela
Providencia, comeo carvio de podra bada surgir
na floresta derrabada por um cataclysma geolgi-
co, e como o diamante ba de apparecer mutas mas-
sat de carvo fulminadas pelo raio.
E' a aceito providencial qae realisa seas effeitos
no mundo physico como no mundo moral.
E' assim, senborea, qae a misso da armada e
qae a abatan profundamente. Mas o seaconngen-' do exercito do Brasil tem sido no Prata fazer ser-
te de 1,000 bomens disciplinados, sob a: ordens do! 'le8 a cansa da civillsagaoe do progreseo.
general Flores, bomem activo e emprehendedor, I ijuando nma navem de Odio e de terror envol'
reaaido a brigada brasilera do coronel Kelly e a via a Repblica Argentina as trevas do hito e da
brigada argentina do general Paanero, em nnmero morte ; quando Rosas fazia reeaarem as armadas
total 0,006 homens, ha de anda adquirir ranitos francezas e ingiezas, sem qae padessem conseguir
loaros nesta campaeba, para reunir aos de Yatahy o flm a que se pfopnaham, ama parte de nosso
e Urogoayana. j exercito, amparada pela armada nacional, one-se a
Esta forga, qae se pode chamar da vanguarda,'uma porgo de Qihos bravos dessas trras opprirai.
oceupa a villa de S. Cosme, e a mais prxima do das, constituindo com elles o grande exercito liber.
oimigo.
Temos, portaoto, mais do 50,000 bomens as
margens do Paran, apoiados pela esquadra, que
est em i^rrien.tes, e qne dentro de (mocos das
receberi e refrgo qne boje seglo deste porto,
composto do encouraijado Brasil e canhoneiras
Iguatemy, Benriqu Mariins e Chavy.
Em S. Borja o genera bario de Porta-Alegre,
tador da Amarica do Sal.
Sabis, senborea, todas as peripecias daqoelle for-
mlo drama. Sabis como aquello valente exerci-
to se renne no Diamante, povoagio situada na mar-
gem do Paran', em frente da provincia de Sania
Em p, firme, preso sorte traigoeira onde enea
Ihra o Jequitinhonha, am volcio de ramo, de ta
go e de balas.
O inimigo recua diante da resistencia tenaz de
um navio enealhado que se converle nesse momen-
to em um inferno de destruico e de morte. E' o
arranco do infortunio, o mar ty rio da desespera-
gao na guerra. Aquel les vaientes soldados sasteo
taran am fogo reunido com as bateras debaixo de
qae se acbavam, at qae no flm de dous das obe-
decendo a ordem superior retiraram-se constran-
gidos, deixando o infeliz Jequittnhonha como o
momento da desgraga e do herosmo.
Alm do Parnahyba de momento abordado :
ondas e ondas de Paraguayos se Ibe precipitara na
tolda. Que horror I O paviinao brasileiro vai ser
preza da mo selvagem de um soldado do Para
guay I O guarda marioba resiste como beroe ;
apena ao curago palpitante de valor e patriotismo
a insignia querida, a bandeira nacional. Seis tiros
de revolver fazera pagar caro aos seis atrevidos
que tentara apoderarse do estandarte do Brasil. O
joven Greeoghalg ensopado no proprio sangue qae
tingia a bandira nacional de nodoas preciosas. O
martyr da honra e do dever foi mono abracaodo
ainda o talisraaa de qae era o guarda. Os barbaros
yo arranca ta das mos fras e Inertes do cadver.
Al da honra do Brasil? Mas nao, outro hroe a salva.
De momento, como a voz poderosa do Eterno, sor
gem os soldados brasileiros. Approximam-se ou
tros vapores derramando por toda a parte a des
traigao e a morte. Hoora, gloria a armada nacio-
nal A Parnahyba est limpa dos ps Impuros que
a maucharam : o sangue paraguayo correndo em
jorros lava as nodoas desses ps audaciosos.
A todos os navios brasileiros cabe uma aureola
de gloria neste combate memoravel. Da um lado a
Belmonie, de outro o Ypiranga, acola a Mearan fa-
zem prodigios de valor. Alm a Bebenbe, a Iguale
my e a Araguary salcam as aguas como scentelbas
de vinganga nacional, deixaodo ao inimigo os sig
naes mortferos da peleja. Ki-lo alteroso e nobre
caminha o magestoso Amazonas. Raio supremo da
vinganga, como animado por am espirito superior,
se precipita sobre cada navio paraguayo e os mel-
le a pique, Os poneos que se podem escapar, levan-
do no costado os lestemunbo do valor da armada
brasilera, sobem tmidos e covardes, pasmando
diaote da forga heroica de to briosa esquadra.
Venerando ancio! em cuja fronte encanecida
pelo estudo da scencia naval, e pelos trabalhos da
guerra, alvejam as caes punssimas de uma velbi-
ce respeltavel, aceita neste momento, diante do al-
tar sacrosanto do Creador dos mundos, os meos vo-
tos sinceros de agradecimentos e respeito, como a
homenagem vastissima do imperio inteiro, pelos
servlcos que lhe prestaste, valente cabo de guerra,
naquelle dia de bengios e de gloria. Um dia a pos-
teridade escrever-te-ba na podra sagrada da sepul-
tura estas palavras sublimes :
t Ta fostes a victoria. >
Senhores, perdoai, se no ardor de meas sentl-
raentos estou reprodazindo factos que todos vos eo-
nheceis, factos de que muitos de vos flzeram parte
integrante e activa, e de qne podis dizer como o
poeta:,
... atir que ipse misrrima vidt ti quorum.
Pars magna fui. ~~-
Perdoai. cssasidas me escapara dos labios.
Os feitot gloriosos de um povo de vera ter sempre
repetidos como incentinos de valor para as gera-
gdes qae os vaem e admirara. Ai do povo qne
nio river de tradigoes 1 E' por itao que esse
fetim modesto com que solemoisamos o prlmeiro
anniversario da victoria das nossas armas na luta
actual, tem altas sigoifleagio. Nao eaqaegaraos
tambera qne ao lado de Paysand e Riachuelo brt-
Iho na historia patria Mercedes e Coevas Na
passagem desses deas pontos bou ve tarabem heros-
mo : l por entre as balas inimigas nossos vapores
UM POUCO DE TUDO.
O laxo apodera-se cada vea mato dae reatfet lo
mando parisiense, e o corretpoodeate de aaa jornal
iagiez, oecopaodo-se do matriaoaie do doqoe Ae
Mouchy, expressa-se nos Mgnintes toril
cendo pormenores, que serio
pelas nossas leiloras:
Na ceremonia da bencao nupcial levaras o I
a tal extremo, que a libr dos lacaios era
e de om prego lonco.
Os criados vestiam calgo enro;
de seda e costara m cem frasees >
razio dos bordados a ouro qae as i
O chicote do eocbeiro linba costado mil;
(1801.)
E' nma lastima qne se gaita taato i
dar algumas chicotadas nos earaltoe.
No cesto das bodas da princeza Marat, o ckwae
dispenden mais de 270 eoatot de reto aaa dto-
mantes.
Posso garantir a completo exaetidao de tota
estes pormenores, qne nio deixam de ter i
como symptomas caracteristieot da poca.
Quanto ao mais, o laxo ral de dia para 41
diodo todo; e os brioqaedot do tretagat. qae
constituem o principal commercio oestes
dias do anno novo, partilnam Igualmente da i
midade reinante.
Hontem ti ve ensejo de examinar a toja de 1
e confesso Ibe qne o espectculo ara i
te : viam-se brinqoodot ele
daas librea.
Por duzeotos e vinte mil ris i
pequeo aauaritit de sala, gracioso a i
Qaao longo estamos da poca om qae oaaa |
dinheiro se compraram brineadotrae para aa l
cas.
Hoje mistar desembocar nota valiosa i
ta para Ihes fazer am presento i
meato.
A AUSENCIA.
E' bem longe esse tempo soflrido
De vi ausencia no fiel da amargara,
Vaga o bomem viajante perdido
N'am deserto de horrenda espessora.
Como o naufrago entregue a corroati
Sent as aguas levarem-no morte I
Assim elle caminba tremente
Pela vida a luctar contra a torio.
Ergue os olbos ao sol do boruoaie
Eil-o occolio oo negro occidente,
Fri venta lhe sopra na fronte
Sob os ps tente o soto i
Pede as nuvens nm astro taodoso
Do relmpago fulge o livor,
Clama afflicta com gutu cboroso
Lhe responde o trovio com fordr.
Assim passa da amante entre horrores
Quando entregue da ausencia ao reres,
Cada iostante um seclo de dores
Cada dr mil mones talrez.
fc
Mas se om dia esta ausencia i
Bella a vida comeea entre encantas,
E' lio boa qnal fra raadima
C por beijos se trocam os pranlos.
Ob I meu aojo, eu soffri tangas horas
E por ti longos das chorei,
8 de balde de noiie deshoras
Miohas penas a noite coatol.
Nao voltavas-----De balde ti esp'rava.....
Te esperara esperance bem va,
Mas de balde que a mim
Repelindo: Tal vez amanba.

rana'; _
F. Sabeis^tnaores, qae a passagem do Paran mostrara anda qae sao guiado* por am Om pro
comegaodo a S2 de dezembro de 1861, terminen a' vldenclal nesses ros. Abi o brioso batalbo U
com nm exercito de 15,000 bomens, deve dentro1
em poaco, pastar o Urogoay e ir ameacar Itapiia.
Os transporte! Apa, a Leopoldina, com partido 3,000 hornear, sabiram
nesta semana para aufzotontar mais este punbado
de bravos ao nosso eieatho. Se ao mesmo tempo
qne o Paraguay fosee Invadido peto Paisa d^H
tria pela Tranquera do Loreto com forcas to res-
8 de Janeiro,
ao sentir o
de, como i
se eral
no. S
dotv acato
Sabis qae a provioeia de Santa Fe,
to libertador do pendi aari-rer-
por nm cboqae elctrico, ergae-
^^^^Ki-p contra o lyra-
.ercito do dwta-
_I^^^^^B do eero-
nel Santa Coioa f do exer-
cito libertador. Sabe X) horneas que
la ro camtabo la gloria sellaram,
de rolunlarios da patria receben sea btptlsmo de
sangue.
V lempo de coocluir, senhores.
Longe, bem longe estamos da trra qoerida, on-
de est todo qae mais amamos. Nesta hora o
mptH^^^K solemnisa coraoosco a primeira
pagina dete poema qoe estis eserevendo, senbo-
res do exrecito e da armada, deste poema ceio
epilogo ba de ser Assanpcao, capital do Paraguay.
Hoje em flm. Tu voltaste e com tigo
Ja voltou-me a rentara ootra vez,
Em teu seio me da' doce abrigo
Mas que ea cnore de goto taires
Sao teas olhos os asiros d'esta alma..
Sao leas labios as rosa do amor....
Da'-me a roza do amor como pelma
Da'-me o goso pois deste-me a dor.
A lei de Moyss proscrere
mollas peetoas nio ruto
nma proeeripcio religiosa,
bygienica.
Uma epidemia qne gratta
sia, veta dar razio a tabedoria judaica: a i
dos tr chinos, biebiohos qne te
carne de pomo, tomou am carcter i
quietadores em Badersleben o noa i
A Gazeta de Halberlslail di a I
minuciosas noticias.
Em oma semana, em Haierelebea o:
ras, 3a peatoai qne tinbam i
snecumbirara.
No domingo segninte, merreram mesmo
dersleben S pettoat, entre as qaaet <
ene matara o porco, todas ellas
oa dos iriMiaet.
Actnalmenie ha mato de 2001
O aspete dos moribundos, qae todos i
mais atrotes dores, horrirel; aa i
cem e expirara conservaado perfeita I
espirito.
Aa netitat de Qnedlimbergo tan
tristes.
Os doentes sao numerosos, o aso i
menor mormeota em I
Em^H|^Htoen a peUeia para j
0IHbibbbbbbbbbbbbbbbC
LasseasV-
*
jn 3t*i^
DE M. 9.08 r. 4 FILBO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EBNINL2KS_RKWIUE INGEST_TIME 2013-09-04T22:28:28Z PACKAGE AA00011611_10883
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES