Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10860


This item is only available as the following downloads:


Full Text
tYiiaWiMh
Ox
T7
kJUflMkMBH
mno XL, SUERO 4.
i

Per qtirlcl ? delire des 10 das e i.* mez
Mea depon des l.01 le its de eomece e dentro de qaartel
Ferie o eerreie eer tres mezes .,,-....
tttee
UN
75e
jtafii
SEXTA FEfltA 5 D JAffilKO DE1KS
Per ene eege deetre de le das de 1. ei
Porte ae eerreie ter im aaie .
V
,
DIARIO DE PERNAMBUCO.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antooio Alex?odrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonia Marques da Silva ; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Olivoira ; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Aires A
FHbos ; Amazonas, o 8r. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SL.
Alagoas, o Sr. Clandlno Fatoo Dias; Babia, o
Sr. Jos Martins Aires; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribelro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFBTAS. iSerinhem, Rio PonBOSo.Tamaadar, M, Bar-
Ollada, Cabo, bei e astacoa. da ri. frrea at **-. *'. O**.
Agoa Preta, todos os dias. iras.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.I
Santo Anto, Grivat, Bezerros, Bonito, Caruar, AUDIENCIAS DOS TRIBUNA DA CAPITAL.
Altinho, Garaaaons, Buiqoe, S. Bento, Boraj
Conselbo. Aguas Bellas Tacaral, as tercas Tribunal do eomraercio: segundas e quintas.
lajiras.
Pao d'Albo, Nazareta, Limoeiro.Brejo, Pesqneira
Ingazeira, Floros, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgoeiro eExt, as quartas
(eiras.
Relaco: tercas e sbados is 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Jolzo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orpbaos : tercas a sextas s 10 horas.
Primeira Tara do civel: tarcas sextas ao meio
dia.
Segunda rara do ctvel: quartas a sabbades a 1
ora 4* larde.
EPHEMER1DES DO MEZ UE JANEIRO.
1 La chela as 4 b., 28 m. e 46 s. da m.
B Quarto ming. as 7 h., 17 m. 0 40 s. da t.
16 Loa nova as 6 h., 17 m. e 56 s. da t.
33 Quarto erase, as 6 h., 34 m. e 58 s. di i.
! Loa chela as 6 b., 9 ro. e 3o s. da t.
DAS DA SEMANA.
I. Segunda. t% Circumciso do Seuhor.
1 Terca. S. Isidoro b.; S. Argeo m.
3. Qnarta. S. Aprigio b. de Bja; S. Antero p. m.
4. Quinta. S. Prisco presb.; S. Aquilino m.
5. Sexta. S. Simeao Estellita; S. Eduardo re.
6. Sabbado. & Epiphania ou Manifestacao do S.
7. Domingo. S. Luciano presb.; S. Clero dlac.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 7 horas e 42 m. da rnanhia.
Segunda as 8 horas e 6 minutos da urde.
PARTIDA DOS VAPOUBI
Para o sal at Atafsas a 14 30;
al a Granja a 7 e 11 de cada saat;
do nos dias 14 dos matas de jaaefre,
julho, setembro e noveenbro.
ASSIGNA-SB
no Recite, aa livraria da
ns. 8, dos proprietartoa
& Filho.
rafa ala
35C
PARTE OFFICIAL
CieVERVO B A FOVI5Cf A.
Expediente da dia 29 de exeaArde'WtWKS.
Offlcio ao general commandante das armas.
Urna vez que, segundo o termo annexo ao seu offl-
cio de hontem, datado sob n. 568, foi considerado
incapaz por soffrer ulceras sypbiluicas o guarda
nacioual do baialhio n. 48 de Cabrob, Ca9simiro
Francisco Ribeiro, pdeV. Exc. manda-lo eliminar
do segundo bitalho destinado para o servico da
guerra. ,
Dito ao mesmo. Sirva se V. Exc. de informar
acerca do que pede no incluso requerimento ocom-
meodador Antonio Gomes Nelto.
Dito ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de informar
acerca do que pede no inctuso reguerimento Mana
Francisca dos Wateres.
Dito ao mesmo. Mande V. Exc. eliminar do
servico da guerra o guarda nacional do segundo
batalhao destinado aquelle servico, Pedro Jacintno
de Santa Anna, visio ser o arrimo de sua mai
riuva. .
Dito ao mesmo. Pode V. Exc, como informa
em seu offlcio de S3 do crreme sob n. 2531, man-
dar considerar como lente no segundo balalbao
destacado, a Joao Stlveira Carneiro da Cunha, visto
ter sido promovido aquelle posto pelo batalhao n.
42 de Senohem a que perteuce.
Dito aolnepector da thesouraria de fazenda.
Recommendo a V. s. que por conta do roinis'erlo
da marinha. mande pagar a quantia de w#0*
7004 repartidamente pelos seus membros, aes ter-
mos do arl. 126 | i* n. 3 da citada le de 19 de
agosto de 1846; e determina que se remella ao
joiz de direito da comarca copia da presente por-
ua para respoosabllisar a referida cmara, de
conformidad* coca a le.
Ontrosim, reoommeoda ao actual presidente da
predita cmara, que cora o seu secretarlo e nos
termos do art. 28 da lei do de outubro de 1828,
e avisos de 23 de junho de 1834 e de 14 de no-
venibro de 1861, convoque os supplentes e os ju-
ramente em numero preciso para que possa formar
cmara e fnnecionar,
EDITA L.
2" seccao.Secretaria do governo de
buco, 28 de dezembro de 1865.
Pela secretarla do governo se faz publico para
conbecimento de qnem interessar possa, o edital
abaixo transcripto, do juiz de direito da comarca
de Palmares, pondo a concurso o offlcio de escri-
vo privativo do jury e eiecuces crimioaes do
termo de Agua Preta.
Os preteodeotes devem apreeentar seus reque
rimemos no prazo do 60 dias e instruidos na forma
do decreto n. 817 de 30 de agosto de 1851.
O Dr. Joo Francisco da Silva Braga, juit de direi-
to da comarca de Palmares, provincia de Per-
nambuco, por S. M. o Imperador que Deus
guarde etc.
avise de 29 de malo do correa anno, devem con-
considerar-so creados por forra daqoelle decreto
de 30 de Janeiro de 1834 e por oocasio da crea-
cao da respectiva illa pela lei provincial n. 345
de 13 de malo de 1854.
Curapre, portaoto, que Veje, abra sen demora o
referido concurso, observando o qne determlnei
Vaqoelle meu offlcio de 17 de agosto e me remeta
immediatamente copia do edital, para ser aqai re-
produzido; e, Ando o praso legal, envie-me sem
perda de lempo os requerimentos dos prelendenles
que liver em seu poder, depois de devidaraeBte
informados, afim de terem o conveniente destino.
Dito ao director geral da instruccio publica.
Pernam- Respondendo aos offlcios de 31 de outnbro ultimo
I e de 15 do correle ero que a cmara municipal do
Limoeiro, communjeando a deliberaco que tomou
de dar ao sen procurador urna graliticaco annual
de 2004000 em compeosacao a seus trabalhos su-
periores, a pequea porcenlagem que percebe pe-
de a approvaco desta presidencia, tenho a dizer
qne essa graliticaco deve ser na importancia de
1004000 e nao de 2004000, como indica a mesma
cmara.
Dito a* cmara municipal de NazareLPode a
cmara municipal da cidade de Nazareth, como
sollicia em seu offlcio de 17 de noverobro ultimo,
mandar pSr novamenle em preca, com o abatimeo-
to da 5* parte o imposto de 500 rs. sobre cabeca
lento industrial
ckco enrgica,
do nosso lempo. E' urna apre-
a largos traeos, abundante de
e revestida d'aquelle estyllo ex-
lito familiar pena do Ilustre
o..l ..k. ~ ,,( mo f miniiadn nlo de gado vaceum, bem como coro o accresciroo taro-
rs.. em Qtte?seiude o"P7e't que'de'vofvo em dupli- ^Jf^J^^'f^Stt^S^l'^^ Pra ir a'cidaae de Goyanna prestar, na
ca, que tAe remetteu o juiz municipal supplente g^SS&tSE&TT*1 qualid.de de eleilor de Itamb, o seu S elei-
ero x'ercicio uo termo de Nazarelh, com oficie de
marco desle anno, e a que se refere a sua inror-
roaco de 21 do crreme n. 916, foi despendida
com o sustento do menor Antooio Ferreira de Me-
nezes, que lendo-sido recolhido a cadeia d'aquelle
termo, foi para aqu remeltido e acha-se por ordem
desta presidencia alistado na companhia de apren-
dizes marinteiros, com o noma de Antonio ferrei-
ra de Menezes Moraes, segundo informou o inspec-
tor do arsenal de marinha.
Dito ao mesmo. Nao havendo inconvenienie
mande V. S. pagar ao priraeiro cirorgio reforma-
do Dr. Miguel Joaquim de Castro Mascarenhas, co-
mo pede no incluso requerimento sobre que infor-
mou o marecbal commandante das armas, em offl-
cio de hontem n. 2569, o sold integral de sua pa-
tente at o da anterior ao em que, teve aqui exe-
cuco a ordem do dia do exercito, que publicou a
sua reforma como manda a circular do Ihesou-
ro nacioual de 7 de julho do anno prximo pas-
sado.
uno ao mesmo.Respondendo ao offlcio de 27
do crreme, sob o. 925, em que V. S. impugnou o
pagamento do pre que devolvo em duplcala, rela-
tivo aos vencimentos correspondentes a primeira
quinzena deste met, das nracas do terceiro bata-
lhao de guardas nacionaes destinado ao servico da
guerra, tenho a dizer Ihe que mande effecluar esse
pagamento; nao obstante estar o pret assignado
pelo major, visto ter o lente coronel comman-
dante do batalhao rellrado-se para o centro da pro-
vincia, e nao dever as pracas ficarem privadas de
taes vencimentos.
Diio ao mesmo. Expeca V. S. as suas ordena,
para que estando em termos a relago nominal e
prels juntos ero duplicata, e nao havendo inconve-
niente sejam pagos a Francisco de Oliveira Cabral,
como solicita o delegado snpplente ero exercicio no
termo de Cabrob, em offlcio de 25 de novembro
Dltimo, os vencimentos a contar de 5 de outubro
prximo Ando, al 23 do correle mez, de 2o vo-
luntarios da patria, remedidos pelo mesmo delega-
do para esta capital, como se v do predito offl-
cio. ,
Dito ao mesmoInteirado dequantoV. S. expoz
em seu offlcio de 27 do correte n. 926, tenho a
dizer em resposla, que em vista da informacao
junta por copia, ministrada pelo marechal com-
mandante das arons, em data de boje e sob
n. 2.578, mande pagar, como Ja se tem praticado
em casos idnticos a folha a que*se refere o citado
offlcio, tirando vencimentos para o tanente-coronel
commandante do 3* batalhao da guarda nacional
destinada ao servico da guerra, e bem assim para
o respectivo major altendendo o nal da referida
inlormacao.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.Re-
commendo a V S. que em vit i do competente
ertitirado, mande pagar ao empreileiro dos caxi-
Ihos e grades do Gvmna^io Provincial a quantia
de 592J500, a que tem direito por ja haver execu
lado strvico correspoodente a quarta parte do seu
contrato, segundo consta de offlcio do ebefe da
repartido das obras publicas, dalado de honiem e
sob n. 413.-Communicou-so ao chefe da reparti-
co das obras publicas.
Dito ao mesmo.Mande V. S. por em hasta pu-
blica, separadamente e no praso de um mez, de
confirmidade com o arl. 103 doreguUraenlo da
repartilo das obras publicas datado de 9 de julho
do anno prximo passado, a estrada do norte, na
parte relativa ao contrato addicional da empma
Mamede, e bem assim o lango da estrada de rto
d'Alho, que falta executar, servindo de base a taes
arrematacSes, os orcamento juntos por copia que
na importancia de 88:824*280, me remetteu o
chefe daquella repanico com offlcio tambem I
junto por copia de 18 do crreme, sob n 400, bem
como as clai sulas que Ihe sero enviadas pelo
mencionado chffe.-Comroumcouse a est.
Dito ao chefe da repanico das obras publi-
cas. InlHralo de quanto V. S. exni em seu
offlcio do lJdocorrrntesob n. 383, tenho a dizer
em resposta que trt< de desapropriar o terreno
necessario para a casa em que deve residir o feilor
encarregado da conservaco do 3o termo na estra-
da da Victoria, correndo essa despea pela vt rba
votada o. Io do art. 15 da le do orcamenlo vi-
gente.
aproveite.
Deus perde aos primeiros.
a,eErapara SS ff SSZE de todos! *es.a que se tero de proceder para deputados pro-
roaodei passar o presidente edital que sera' affl-'. vinciaes.
xado nos lugares do coslume, e reproduzido na Dita. O presidente da provincia, tendo em vis
capital da provincia por ordem da presidencia. ta o que requeren o 2* escripturario da thesoora-
Villa de Agua Preta, 16 de dezembro de 1865. de fazenda, Januario Constancio Monteiro de An-
Eu Jos Norberto Casado Lima, escrivo, o escre-! drade, e bem assim o qne esse respeito informou
vi.Joo Francisco Braga. ; o respectivo inspector em offlcio de hoje sob n.
O secretario, Dr. Francisco de Paula Salles. 935, resolve conceder-lhe dons roezes de licenca
30 coro vencimentos na forma da lei para tratar de
Offlcio ao Etm. Sr. Dr. Joaquim Saldanha Ma- sua saude fra da cidade.
rinho, presidente da provincia de Minas Geraes. Dita.O presidente da provincia, tendo ero con-
Pelo seu offlcio de 18 do oorrente flquei inleirado sideracao a proposta do director geral da iostroc
de haver V. Exc. prestado juramento e tomado j cao publica de hoje datada sob n. 318, resolre no
posse do cargo de presidente dessa proviocia, para mear para os cargos de delegados Iliterarios das ,
o qual foi nomeado por carta imperial de 18 de fregueiia* dos Afogados bacharel Antonio Justino 1 _,.
novembro ultimo. de Sonta, de Caruaru' bacharel Antonio Epami- ',0> e
Dito ao Exm. desembargador provedor da Santa oondas de Barros Correa e de Serinhiem bacharel
Casa de Misericordia.-Concedo a autorisacao que ifanoel Nicolao Rigoeira Pinto de Soma, os aous
V. Exc. solicita em seu offlcio de hoje datado, sob primeiros por se acharem vagos e o outro por ter
n. 6,116, para entregar a exposta Candida Mara S|0 nomeado para a provincia de Minas-Geraes o
Justioiana de Almeida. t jais municipal de Serinhiem bacharel Guilherme
Dito ao generai commandante das armas.Faca Qordeiro Codlho Cintra qne o exercia.Communi-
V. Exc. apresentar ao inspector do arsenal de ma- con-se ao director geral de instruccao publica
rinha, para-servir na tompaobia de aorendizas
ideas grandiosas
plendido qoe
peeta.
E' soberba a descripcao rpida
de aprazivel silio em que se ergue o palacio da ex- que publicara acerca do casamento clvi
posico. Para onde caminhamos nos, se a injuria suppre
Se o enlevo potico, diz o Sr. Mendes Leal, a confotaco ; se a mocidade estudiosa se oao estl-
c insinuando nao sei que penetrante melancbolia, ma estimando os mestres de nos todos I Dipse dixtt
atlrahe docemeole os sentidos, arrebata-se ae fez o seu lempo ; mas o decor deve ser de todos
< mesmo passo o espirito ao Atar as perspectivas os lempos e a audacia quaodo ultrapassa as barrei-
de futuro, essa, a bem dizer, paizagens roen- ras das conveniencias, chega a ser derassido.
< taes, que a idea contorna como oro borisonte, Urna folha poltica regida o relo, sorri do des-
< qne a rasie iitemioa como nm sol. pranterlo e lastima o arrojo.
Sostena 'lflBrl'" poucas mas eloqueotes li- Nao se liroitou a isso, em anlogas circumstan-
anas o Sr. ifeades Leal que neste paiz a indolencia cas, o Sr. Julio de Castilho. E fez mais porque
on ames o egosmo se mascara com o titulo de in- se tratara nao smente de urna reputacio europea,
credulidade para hostilisar toda a tentativa seria e mas de seu proprio pai.
fecunda. < Nao ha trra ende mais se falle em A questo aqui revela-se de oulro modo. Nio
< reformas, diz aquelle distincto eserlptor, e ain- sao as polmicas de ultramontanos guiada boje pela
da nao houve reforma a valer que nao suscitas- invicta espada do hroe de Almoster, contra os
c se tempestades de mprecacoes, de sarcasmos, cismontaoos e progressistas avancados que levam
de indignaedes mais ou menos poticas, mais on na vanguarda o austero cantor da Harpa do Crente.
t menos interessadas. Porque ser ? Nao sao os caones e tridentino a batalharem coro
c O numere dos censores infinito, e todos es- a jurisprudencia. O assumpto outro, mas nio
t ses Salomdes; o dos laboriosos limitado, e o menos aguerridos os contendores. Alero, ao lado
1 lempo oo Ibes chega para conputar frivolidades de A. Herculaoo e de Abel M. Jordao, e do viscon-
tendo de ganhar o pao e trabalhar em cousa que de de Seabra e dos jurisconsultos da commisso re-
cader nem parar. O notavel commetttmento por- cesso do dia, velo dar mais pronunciada feico ao QOme pelo talento ionegave" que
tuense da exposico Internacional, velo paleotear assumpto, ou aos qne o tratam ao sabor de suas e ii0 desgracadameale empregom
i Europa e ao mundo quanto se tem desenvolvido intenc5es e provocara tambera as conleslacoes dos cerlo uueo immorulisou nauueih por
entre nos a actividade industrial oestes ltimos que nao juram as palavras do profundo pensador a penoa ou antes o estrele inexim*iJ <
lempos. As commonicacoas acceleradas, a om sys- liberal. Dre coQigQQo,.
tem> qm nos ligtq a essa sesma Europa que a Recommendo Ihes, amigos redactores, esta carta, g- ao crer qae 0 mol\m leraaodo per
dos gfaswfes cdneilios rndostriaes de Par* l*- porque esclarece mullos a questio, tem sobre mu- alvlires de boa f laucadas por sao "
ates nos coBhecia e appreciava, dererae estrellar, tos mritos o da extrema clareza, e pode at certo
cada vez mais as relacSes mercaolis, e a conviven- ponto considerar-se um modelo deeslylo didaelieo.
ci mutua que por ora nos failava para eomple- Nao um discurso para os phllosophos transcen-
manto dos escorces nacionaes. dentaes; mas um papel escripto com varonil fraa-
% ja que Ihes fallo ootra vez da exposicao, nao queza cheio de bom seose e dialctica vigorosa e
devo passar em silencio a bella epistela do Sr. acompanhado da aotorldade incontestavel de um
sfcndes L^-al a nm dos primeiros Jornaes de Lisboa nome que toda urna geracao venera por suas vir-
sdbre o palacio de cryslal e o alcance deste aconte- tudes cvicas e saber amplissimo. Muitos orgos
da imprensa estraogeira tem levado a mal ao no-
bre duque de Saldanha o nao ter pesio a questo
u'ontros termos
Ha poucos das um esludaule da provincia, em
artigo atirado para nm prelo da sua visinhanca,
mas (ao exacta cubra de doesios o grande historiador pela rana
Ora
Ahtrguei-me na transcripcao e cont que os nos-
sos leilores m'o agradecen).
Mas assim ; o reformar, (aqoi como em toda a
.' parte) urna tarefa asperrima. Mas emflm os
(actos attestam a preponderancia da teima bem-
aventurada dos reformadores, sobre a occiosa gar-
la est o pala-
cio nacional, de que o Porto e o palz todo se ufa
naro, a proclamar a victoria moral
sobre a desaoimaco dos tibios.
; 1 ore1
s la
rinheiros o menor Antonio Goncalves ajas, ea que
alinde o offlcio de V. Eae. de 28 do eorreofe, sob
o. 2,565.Communicoo-se ao inspector do arsenal
de marinha.
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. eliminar do ser-
rico da guerra, para que estavam designados, os j
gnardas nacionaes Joo Carneiro de Lacerda e Fe-
Hppa Santiago de Santa Anna, visto terem sido
julgados incapazes do servico militar, como s
COMANDO DAS ARIAS.
Qnartrl general d esmuands das armas 'le Per-
ambuco na cidade da Recite, 2 de Janeiro
de 1866.
Ordem addicional do da n. 181.
O marechal de campo commandante da armas.s
faz publico para os convenieotes fios, que nesta
dos termos de inspeccao annexos ao seu omcio ue data Dotneoa 0 conselho de guerra que lem de jul
honiem datado, sob n. 2,585, declarando-lhe que o gar os Srg c,pl5o Malhias Vleira de Aguiar e te-
de nome Felippe Santiago j havia mandado elirai- nenie Francisco de Paula S Peixoto, ambos refor-
nar em 27 deste mez, por ter provado ser o arrimo raa00s eropregados no deposito, e o soldado do 6
de sua mi viuva cora familia numerosa. batalhao da guarda nacional do municipio do Re-
Dito ao inspector da thesouraria de tazenda cjfe joa(JDJm Jo(J de Mello, pela culpa que Ihes
Accusando recebido o oficio de 16 de novemDro resU|t0U no processo d mvestigago que se instau-
ultimo, sob n. 829, com que V. S. ma reraelleu a rou pela f(lga dos recrulas em deposito a 30 de se-
labella junta por copia, do arbitramento a que pro- [ ,eiDDro do ann flnd0j sendo 0 mesmo conselho
cedeu essa thesouraria da etape para as pracas con,p05,0 da segQjnlft maneira :
dos corpas do exercilo existeotes nesta provincia, Presidente,
do pao alvo para os doentes das enfermaras mili-; Q Sr coronei Antonio Pedro de S Barreto.
lares e da forragem para a companhia Qxa de ca- Auditor,
vallara no semestre de Janeiro a jooho Pro*' I q Sr. auditor Dr. Manoel Jos da Silva Neiva.
futuro, calculando se a 1" em 360 rs., a 2' em MH Interrogante,
e a 3" em 600 ris diarios, tenho a dizer em res-1Q Sr lenete.oorone| Joaquim Caetano de Sooza
posto, qoe appr vo provisoriamente a mencionada coossero.
tabella al que o governo imperial resolva a esse Vogaes.
respeito o que entender mais conveniente.Com- Q Sr m t^^^^ Gaspar Lopes de Azevado Vil-
municou-se ao general commandante das armas. as-Boas
Dito ao inspector da thesouraria pro'0.0181- o .'-. capitao Nicacio Alvares de Souza.
Tomando em considerado o que expoz no incluso 0 g capilo Heoriqoe Eduardo Costa Gama,
requerimento o professor interino de prlmelras el-: Q Sr capito Joao Mrlnho Paes Brrelo,
tras da freguezia de Fazenda Grande, Manoel viet-
visora do cdigo civil, veremos o governo do esta
do, se levar por diante a sua Iniciativa dando a
Deus o qoe de Deus, sem recusar a Cesar o que
de Cesar. Delimitar-se-ho os campos no parla-
mento, se a commisso parlamentar ltimamente
incumeida de opinar sobre o cdigo ultimar traba-
lhos, se o governo os apresentar definitivamente na
lela da discusso, se se resolver a fazer questo
ministerial dellas (do qoe algons duvidam ainda
seu grande fundamento) se emflm o applaoso da
impreosa estraogeira e sobre ludo dos orgos libe-
dos crentes, | raes de Hespanha, de Inglaterra e Franca, bouver
de ser fecundo para a legislacao portogueza e se
A exposicao diz o Sr. Meodes Leal, e disso eslo! da legislacao passar para os costumes pblicos
convencidos j hoje lodos os espintos qoe pensam
pensam bem, ,'mais do que um monumento in-
dustrial, mais muito mais do que uro padro
de gloria para os benemritos portueoses que o
iaauguraram.
,0 palacio de crystal portuense significa ama re-
forma-em Portugal.
Applandin-a o genio e patritica devocio do ce-
lebrado cyrico poringuez ; applaudem-oa os nos-
sos irmos dispersos por todo esse rasto imperio ;
mertceu lonvor tambem a esse poro heroico de
braslleiros, to amigo dos nossos triumphos e to
urna medida que a legilimaco dos contratos eslava
reclamando sem urna sombra de invaso no foro
das consclencias, sem um passo imprudente nos
dominios da igreja, pois tal o qoe prope o cdi-
go, no assumpto ero questo, considerado a luz da
imparcilidade seja por qnem for, 00 as pracas,
ou oos additos do parlamento, on ainda mesmo uo
Interior das sacbrlslias e dos presbylerlos.
O assumpto que provocou um notavel opsculo
do filho primognito de A. Feliciano de Castilbo,
est agitando o nosso mundo litterario com entra-
do Interesse.
Determina em consequencia o mesmo marechal
ra de Fonies Feitosa, recommendo a V. a. que dfl c oe Sf jam reco|hidos presos ao estado-
mande pagar-lhe os seus vencimentos. independen mtof Q0 res.ecljv0 qaartei os Srs. capitao Aguiar
le da falta que se nota documpra-sedo director e lenBn^ peixoto
geral da ioslrucco publica no titulo de noraeagao /As8^,a{,0_) _,' FrMCisco Sergio SOliueira.
do supplicante. fesl conforme.Antonio Francisco Duarle, 2.'
uiioao mesmo. -Annuindo ao que soitciiou o tenente.ajudanle do ordens interino eucarregado
chefe da reparticao das obras publicas em offlcio de|a|he
de 28 do crreme, sob n. iii, transmiti por copia
a V. S. o orcamento j* reconsiderado do empedra-'
ment da estrada de Santa Anna, afim de servir j
de base a arreraalacao daquella obra, para a qual,
nao tem apparecido licitantes, segundo coosta do
predito oficio.Communicou-se ao chefe da re-
panico das obras publicas.
Dito ao mesmo.Resumo a V. S. para o fim
conveniente e coropelentomenle aulhenticado o
prel junto em duplcala, tirando vencimentos re-
lativos a 1 quinzena do mez de novembro ultimo,
para as pracas da guarda nacional destacadas na
freguezia de S. Lourenco daMatta.
Dito ao mesmo. Mande V. S. por era hasta
publica a obra da estrada da Boa-Viagem, autori-
sada pelo art. 55 6 da le do orcamenlo vigente,
servindo de base a essa arrematado as clausulas
e orgaraento juntos por copia, e bem assim as in-
clusas plantas em original que me remellen o che-
fe da repanico das obras publicas com offlcio de
16 do correte sob n. 398. Communlcou se ao
e.terWl
Organise V. S. e aprsente roe com urg
plano regular para o planto oe arvores as ras e
D.to ao meSraOn-Constandflde efflcio da-amara; ^ d dade Q adlIjllliremj emiuindo lo-
oTS i o ^sTrpicS lSS Pa^e "SSf^ttJS "^ ^
Meodonca jara.nt, procedido os oecessar.os exa- j lnen^reJ1cer '"e'hr P"^,Tdu dar-se comeco an-
vembro ultimo, recommendo a V. S. que me apr-
sente o respectivo orcamenlo, planta e clausulas,
para a arreraalacao dessa obra.
Dito ao conselho de compras do arsenal de
guerra.Promova o conselho de compras do ar-
senal de guerra, a acqisieo dos artigos constan-,
tes do inclu pedido sob n. 112. os quaes sao pre- su ">te'gtoia e execucao.
cisos, pata fornecimento do laboratorio de togos 11 Dito ao director da Companhia de Bebertbe.-
provimento dos armazens do mesmo arsenal. Declaro a' V. S., ero resposta ao seu offlcio. d 18
Portara.O presidente da proviocia, altendendo de outubro ultimo, que concedo a permissao que
ao que requereu o goarda da casa de detenco Ge- pede a Companhia de Bebenbe r.
nuino Auu.-to Peixoto, resolve conceder-lhe om cada um
mez de licenca com vencimentos para tratar de sua Reeife
3aud0 dimetro interno, afim de- continuar a abastecer
Dua.-O presidente da provincia tendo em vista d'agoa pota vejo balrro do Recite urna vez que os
os oficios do iuz de direito do Rio Formoso de 17 eocanamentos*de que se trata sejam os mais aper-
feicoados, e havendo o maior cuidado na sua coito-
CORRESPO\DKX( I1S O HH-V
RIO H PKHSAlIBrCO
LISBOA.
ii de lezembro de 1865.
Desta vez o Gladiador da linha de Liverpool es-
pera-s ao mesmo teftipo que o Oneida da de.Sou
IharaptoD. s m
Nio sei qual dos dous paquetes chegar prime!'
ro ; se fr possivel o que tirar mala depois, leva-
r um post scriplum.
Prosegue na casa electiva a ioteressante discus-
so sobre a novacao do contrato cora a companhia.
do caminho de ferro de suelte; operacao floancel-, e penences c
ra, que na opioio do conselleiro Martins Ferro,' gomemos 11
emitl.da n'um brilhame d.scuVso a favor da pro-.>" suas locabracS-i escripias, t
. debates oraes e ouotidianos.
ar se de parte a par-
de triste effeito ah o emprego
chefe-da repartlco das obras publicas. u Ul ,.,.. ,^, ._....
Dito ao chefe da repanico das obras publicas. p^j do g0verno- um verd>delro emprestimo e: oermesoraes e quotiaiaoos.
enca um g^, mJ,tii de expediente ditada pelas circums-1 ^^^^^r.r^
'ESSeasSet
memo da estrada de Olinda, cujo orcamento, re-
considerado, foi remetlido a' thesouraria que ja o
poz em arremataco com o prazo de tres mezes, te-
nho resolvido, nos termos do art. 103 do Regula-
mento de 9 de julho de 1864, restringir a 30 das
o referido prazo; o qoe communico a V. S. para
dos lados externos da ponte de ferro do
ama lioba d canos de cinco pollegadas de
se nao damnificaren! as obras
de novembro ultimo, e do presidente da cmara
muoicipal de Serinhera, dalado de 11 do crreme, cac^o, em ordem a
dds quaos con-la que a mesma cmara tem sido e ornatos qoe guarnecer os lados da referida
omissanocumpnmemadeseusdeveres.deixaad) pome, e correndo os reparos e as despezasque
j de re-iair-se e funecionar, e j de dar comprl- d'ahl seongiaarem por cont da. mesma compi-
menlo a ardera desta presidencia, expedida era 17 Bala. p.u.ka d-, ,um<
de nove.nnro prximo oda. par a coovoeaco dt Dito ao jou municipal de Cabrob.-Em respe
junta rewisora di quUlkaco da freguaia de Se- t ao seu offlcio de 28 ro uM*ntio a
rionem, comman.fesu iofracclo do art. 7 da lei d.^er-lhe que os oficios^de de 19 de agosto ie 1846, em prejnUe dos inters- crlvies desse termo, que om dala de 17 de agoflf
hs da muaiciplidade, resolre nao s suspender a maadei por a conenrso, de conformidade com o
referida raaramauipal, cdmTxcepcoTo seu decreto de 30 de Janeiro de 18 por ,sm oW
pS5M mas umbem ralU-U bbuU de verdetermioadooExm. Sr. roioisfro di jaslica.^
malavindos a familia nacional. Era urna quesillo
novacao do c. ntralo um elixir Qoaoceire, mas que
que a nossa siloacio flnanceira n
da, mas cumpre nao a aggravar,
meios efflcazes de a raelhorar, sao os^caminhos de
rada poltico-religiosa levanlou-se d ora Instante
para outro, como se levantara em II 8 a respeito
das irmaas decaridade francesas.
tender que deve continuar no systema de emisso
de fundos, deixar elle de ser ministro. 1
Dos oradores da opposico, um dos mais nota-
veis foi o Sr. Carlos Bento da Silva ; mostrou lar-
gamente os dados em que se fundava para nao
considerar verdadeiras as bases em que o governo
apreciador dos nossos ttulos de nobreza nacional. vao tambero exlremar-se os campos e deflnlr-se
Applaudiu-o emflm a industria europea. as Da|jsas da djVersas escolas.
Assim podessemos todos, vos e nos outros,- E- ,ns,e porm Q regjslar que aioda oulra veI
applaudir a reforma urgentissima da regenerarlo se vjo a pa|ma dog mes(res menoCabada pe|a
intelleclual e moral do povo portuguez pela escola : ve|leidade irrequieta de aJol-scentes presumidos.
Pr'mari* Ha pouco failava-lhe do estudante obscuro que
E reforma, e basta-Ihe II Idesatou era convicios descortezes a sua Ira contra
Ha de vir, e j nao vira cedo, porque a opiniao 0 auIorda Historia de Portugal a proposito de um
antecipa-lhe ja uns assomos de favoravel acolht- escri ,0 er|o sobre uma o maij ,erja aioda
No assumpto Iliterario que onginou to vigoro-
sas paginas ao Sr. Julio de Castilho, vemos a no-
breza filial de um espirito generoso, repellindo co-
rajosamente a afTronla que um moclnbo de verdes
aooas, despedio dos bancos da universidad^ contra
o autor dos Quadros Histricos contra o verdadei
ro ao amigo Jos que trabalham por tudo que pode
engrandecer-nos aos olhos do mundo, contra o poe-
ta ovldiaoo, que depois de interpretar os monu-
mentos classicos dessa to lormosa como opulenta
literatura da amiga metropole da civilisaco, tem
consagrado a escoU da infancia as mais bellas con-
cepcSes do seu genio.
Foi o caso assim : Pioheiro ('.bagas, um dos
mais conscienciosos escrptorasque exercem a cri-
tica sensata em Portugal, e poela elle proprio co-
mo os que o sao, publicou a pouco o seu Poema
da Mocidade, que o Sr. Castilho preceden de nm
pr< logo, como o havia feito ao- D. Jaym de Tho-
maz Ribeiro. Ura prologo completa o outro pro
logo. Em ambos se tratoo, a luz da razo e de
urna experiencia feita era lanos aonos de lavor
Iliterario e de sympathia pelos cultores das nossas
letra-, a questo moraentosa, das tendencias que
se vo manifestando neste mundo abencoad) das
ideas, da poesa, do peosaraeoto e da esthelica.
Na ultima das prefaedes, na que apresenlava ao
publico a obra de Pinheiro Chapas, davara se con
selhos salutares oo a um grupo, ou como Ihe
querem chamar a escola de Coimbra ; mas a al-
guns mocos esenptores que se iniciaran) ha
pouco tempo por brilhantes estreias e que lem
j hoje um nome as letras comoTheophilo Braga,
as letras nos fastos parlamentares como Vielra
de Castro e na poesa, como Antero do Quintal.
Palavras charas e que a amizade ditara sem
malvola inteoco foram a falsea que incendioo,
na formosa Coimbra, alguns espiritas desregrados
pelo despeito. Fez-se representante dessas vida-
des offendidas de sbito o Sr. Antero do Quintal,
que atirou para a imprensa com um parapnlet >
que decorou cora o titulo de Bom senso e bom
gosto, carta ao Exm. Sr. A. F. de Castalio.
A sem ceremonia, (para Ihe nao dar outro no-
me), com que o autor d'aquella desgrenhada ver-
rina prodigalisou epilhetos, insiou^coes, desdens
ridiculos, o raivosos apostrophes contra Sr. Cas-
tilho, foi imitada por outro de seus confrades uni-
versitarios. A denominada escola de Coimbra de-
clarou-se Analmente armada de ponto em branco
para esgrimir com os que lem revelado ideas me-
nos origioaes sobre o bora gosto e sobre o bora
senso. Manoel Roussado .0 engracadissiino paro-
diador do D. Jayme, e Pioheiro Coagas, um n'um
folhelo, outro. n'um folhetim pulrensaram oescrip-
to coimbro.
O opsculo porm do filho do grande
mais do que urna critica severa, muito r
no
fados a iniciativa que Ihe puz era hombros com
deeiso e com f.
Proseguiodo porm nesla revista, j que oao me
permute o espseo, nem o tempo, nem por ventura
a ndole dete retrospeclo o deixarme ir de prefe-
rencia tona de ideas to sympathicas, e que de
tao perto se ligam com a ordem de trabalhos a qoe
ofllcialmente me incumbe consagrarme,direi
que oestes ltimos dias, alm d'aquelle facto me-
moravel que ainda o jubilo patritico esta cele-
brando, (o da exposicao) novamenle glorificado
pela critica nacionalissima do Sr. Mendes Leal,
temos outros dos mais notaveis a attrahir a atten-
co do paiz e a conduz-lo da apalhia em que jaz
por vezes a ura grao de animaco, que, p >r Ara
de comas nao um mu symptoma, porque de-
nuncia actividade e vida collecliva.
Reflro-me em priraeiro lugar caria do nosso
pnmeiro historiador, o Sr. Alexandre Hercnlano,
ao Jornal do Commercio. E' daiada do 1. de de-
zembro, anniversario memorando da restauraco
da independencia portugueza do jugo estranho.
Foi publicada na folha do dia 2. Versa sobre a
debatida questo que suscitou o projeclo do Cdigo
Civil apresentado pelo governo as corles, quando
regulou a forma do casamento civil. Como julgo
ler-lnes dito na minha precedente, o marechal
Saldanha escreveu ha pouco um pamphleto contra
o casamento civil, fundando se em razpes canni-
cas que sua coosciencia fallaram mais alto, que
os motivos que levararo o autor do primitivo pro-
jeclo a commisso revisora do cdigo, e o governo
a aisentarem n'aquellas bases o contrato matrimo-
nial.
O opsculo do nobre duque, tevantou um debate
aguerrido as columnas dos peridicos, em folheios
avulsos, as pracas, nos cafs, nos circuios, em to-
da a parte onde se l, onde os noraes dos celebres
jurisconsultos da commisso tero um echo de res-
peitoso acolhimento, e onde as glorias e servicos
do Ilustre marechal sao considerados coao glorias
Coraecou se porm, por ar-
gumentos irado, e a ira desviou os causdicos ton-
frontispicio de um lirre chelo de soa
nha a proloogar-se aiada, o qne 6
symptoma.
Se deploravel alfana eivisa asa l
ptima a tendencia actual dos es pintos
que, antes todo qoe a atona e o a*
pessimo ero poltica, maHase asa I
toca as que toes de cooseieoria, aioda
que d ao iadilferentismo, uttim* rali
ralidade e da podrido social.
Qoe oais Ihe direi por hoje T Qoe a
de Gounod, apreseotado com urna riqueza
sa de mise eu scent ra na qdiata
no tneatro da S. Carlos. Parar lyrico
Como nunca I Bravos X Volpio,
nini coros aeoapreatl guamas
E' o que Ibes diga
/'. & Omissio imperdoavl
a roensagem de pezames a aobre viura
Palmersloa, e o brilbaote discorso
M cmara dos paras o Sr. Keoeilo da Stlva.
dor mais inspirado, aiada o aio tirraaa
Estevo; eloqueoeia oais correla esa
graodiloauos, nao li vemos anata.
acadmico, que as mais esplendidas
homem de tribuna, de historiador, e
rene o talento raro do polygtotta,
ero malez aro tributo seotiodo i
de estadista, como, ha pouco, tracara
Cervaotes urna celebre homeoaf esa
Martnez da la Rosa, extraordinario
panhol, qoe dotoa a liiteratora pWosofwi
p m/. coro as profundas pafiaas i
Siglo I
Sejam de lato, j qoe de flaados
as ultimas liabas desta carta. O
ba de eslremecer com a traosmissao
mais triste para a Blgica e para
liberal. Fallecen ao dia 10 do 1
ras da maoha el-rei Leopoldo,
Coburgo Gotia succombindo maii 1
que Ihe mioavam ba lempos a exiftaacsa aja* ao
peso dos anuos cootava 75 de idade. Para elassa
re dos belgas pelo eoagresso aaewaal asa 4 da
junho de 1831, e subir ao taroaa ero 21 a iass
Era viovo da rainba Luisa Mana, prioeexa *"Or-
leans, desde II de outubro de 1850. T Berasro
do throoo o principe Leopoldo Luiz, 1
baole, casado com a areiudaqoeza de
ria Henrlquea. O principe herdeiro lees 30 ;
O finado rei era lio de S. M. el-rei
Portugal, o Sr. D. Fernando.
Uma mensagem de pezames sari
S. M. pela commisso hootem
ra dos pares.
Foi approvado o projeclo de resposta ao
da cor* naquella casa do parlameat, laada hi-
lado sobre ella o marques de S 4a Raedura.
Na cmara dos deputados osoa da pata ir 1 a
novo ministro da guerra, o Sr. Salvador Piala da
Fraoca, protestando o seu respailo a eaaaara, e as
seus bous desejos de corresponder soa coaSaaca
e aos encargos da soa elerada oiissao.
O mioisiro das obras publicas (coale de Castra)
apres-ntou nma proposta de /ei leadeate a reaular
os dlreitos que devem pagar os riaaaa da Doaro
que deem entrada ao Parto e villa Nova da Saya.
Prosegua a discusso do projeclo a aaraea da
contrato do caminho de (erro de sueste. Orna a
Sr. Gaicho, apreseolando ama nsoeio para a pra-
jecto ser addiado. Coroeeoo a osar da aalarra
Sr. Teixeira de Vascoocellos, redactor esa estele
da Gtizela de Por ugal.
A corte est de luto por trila dias, aajane pe-
sado e quinze alllviado.
Sao ptimas as noticias de el-rei o Sr. D. Lait a
de S. M. a Seohora D. Mara Pa ; a reeeaee d
reaes viajantes em Ploreoca eootras csdadta da
liada foi eothusiastiea. SS. MM. partir para
Mi to por Francfort, oole el-rei leria aa eaera-
vlst com sua irma. De Milo dirigir se-a -5.
MM. para Pars e depois para lo* aterra.
Chegaram a Pars, ames d'booiem (10) sssjBBJdJa
coo-ta por ura telegraroma.
Uma correspondencia de Pars de 2 lo correan
publicada na Independencia Belga de 5 asi:
Parece estar dilinitivameale aoaodoaaaa a pra-
jecto da viagem a Roma do re e da ratas de
Portugal -. mas em compeosaco, aaVaaa-sa aja*
SS. MM se demoraran em Madrid por algas das,
na sua volta de dmpiegoe para Lisboa. Ha mai-
tos adnos que os soberanos portugoezes ao rlei-
fam a corte de Madrid.

dasesoera- quimuaue ue animo ; porera
me um dos sim e desfigurara o sentido do texto do projeclo do
caminhos de' corfioo, que Bea muito a quera do cdigo cinlTran-
Hoje como nes-
?e lempo chorem protestos e contra-protestos.
Enio como hoje, fallara o grande publicista.
Naquelles dias de extraordinaria agitaco oceupou
PERNMBUCO,
REVISTA DIARIA
Fuaccionou hontem o Instlalo Arehuligiei a
Geograpbico Pernarobocaao sob a presiaVarta da
Exm. moosenbor Munlz Tarares e eosa aassat.-aela
dos Srs. Drs. Aprigio Guimares, Nselaseols Fal-
tosa, Gervasio Cara pe'o, Soares da Azeredee Ay-
res Gima, padre mestre Lioo e major Salradar.
O Sr. secretario p rpetuo da coola do seguate
expediente :
Um oficio do Exm. proredor da Saata Casa e
Misericordia declarando em resposta a aatro da
Instituto datado de 4 de deirmaro ar<>xiaw Basca-
do, que a junta adroinisiratira dera provtdeacia*
para que fosse satisfeita a axigeacM do la. Miase
com relaco ao ariramento das lettras da laasda
collorada no froatespicio da easa dos exa
Ioteirado.
Oulro do Sr. Dr. E-tero Beaedieto Fraaea 1
momeando a sua aceitaco de socio eorra
dj Instituto. Ioteirado. _.
Varios nmeros dj Diirio de Ptrnmmbme, 1
lados pelo coosocio eom'aeaaBdof M Paja
Faria.Recebido com agrado,
chirar.
O mesmo Sr. .secretario perpaioi fax Meara das-
te offlcio dirigido ao Bxra. Sr. ajiahtro da fasrra :
c Sala do Instituto Archeaiogieo a Geua^apasea
poeta, e Pdraarabucaoo, 4 de Janeiro de 18W.I-la a
do Exra Sr.O Instituto Archeologieo a fieagraadaa
radjt
>le Tt
assentou os calclos do relatono da oova'cSq.do Alexaudre Herculano a tribuna dos comicios po-
contrato, e expoz com toda a clareza e necessaria putares e orou com aquella energa vigorosa o.
amplitude as raz5es que tem para achar o coutrato soa argumentacJo to cloquete corno erudita,
ruinoso. Nao devo omittir a profuoda sensaco prestigio do pbilosopho, e o valor dos argumentos
que fez o discorso do Sr. Santos Silva, e nao me- agruparam-lhe de em torno todos os liberaos since-
ros o do Sr. Sant'Anna e Vasconcellos, oradores ros (e, aioda mal) os que nao reuuema sincenda-
da opposico: e a circumspecco com que o Sr. de dosu crdito poltico a prudente perseveranca
Silveira da Mona tratou do assumpto. E* de crer de qne depeade a fecondidade dos cerametlimen-
que a discasso termine esta semana, anda que tos. Poda eolao lucrar muiilssimo da prudeocia
ba muitos oradores inscriptos para esto importante ; a dilatacio do enslno para as classes interiores ;
debate. ma9 nao Iucmu, porque os ullimos echos da voz
Antes d'hontem parti pira Badajos, ra com-, inspirada daquelle cenobita do peosamento, foram
boio especial o mt qoez de Salanvaaca. Aflrqaa-se perderse oos tactos dos salde* indolentes ou nos
qoe o opulento capitalista espera que os seas con parlatorios da hurguetia da capital pouco afloita a
tratos com o governo acerca de -camlabos de Ierro, guardar o sea enthusiasrao por mais de oito das,
estradas ordinarias, e o da pome sobre o Douro O certo que o escripto ducal provocou nm sa.ro
sajara apreaoatados prximamente aa parlaflfeato.' amero de replicas mais ou meos apera, maU
A poca de melhoramenlos materian, e a .ea ajano argnmenta.a\iTa. Acara de A. He^u-
qae o pa.1* eprqq qeste cnaiiaao, nio pode ra(ro- Uno, por raui;^ atotly^ notaveis, lera sida o suc-
Peraarabucaao, tendo conhecic
pedida pela secretaria de estado
uerra >o presidente de Peroamaaea
he serern enviadas daas pecas de 1
no arsenal le guerra desta proviocia el
que os Hollaodezes abaodooaram qaaado a aaraa-
paraaTaaai
que Urna satyra con limentiJa do mais fino atti-
cismd. E' uma replica feliz qne esraiga nio s o
escripto adverso, mas o proprio adversario para
nunca mais se erguer, sem uma anunde honrabte'
que o rehabilite peraote o bom senso, e Ihe d por
expiadas as culpas a luz do bom gosto. Revelara-
se Julio de Castilho em toaros annos poela do o-1 cidade dos Peroambaeaaos 0$ Pag
0! raco; mas a resposta abundantissiraa com que para serapre deste territorio; a
hoje se estreia para a publicidade deauacia urna melbante reliquia do desmedido rasar a 1
alma de rija tempera dominando os dotes do cora-, de seus pais Oque depositada nesta
cao. Erudito quanto se pode se-lo n'um escripto I cia e nao saia delta : raga a V. Exc aa 1
fugitivo, rene o Sr. Julio de Castilho uma certeza' rar ao alio coneciraeotode 8 M. al
de apreclacoes, uma superiorldade de vistas, ama tes votos do Instlalo Archeologieo a Geopn,
hombridade lio precoce, rats tio completa, que, Pernarobucano a quero S. H qoit fcava aataa
aluda mesmo suppondo que um talento assim oo titulo de seu presidente honorario,"^ a>|
progredia, elle ja de to extraordinarias dimeu- oe maadarexpodir ordena "*" iiimairl
s5es, qne bem se pode gloriar uma litteratura de bucolpara que em logar 'arsteuer paral
o possuir. Tamanhas sao as opolenelas com que o as duas pesas em qoas^ gj,
joveo eserlptor se apresdota nesie brdo da indig-; nos ama a topo*ci^ Aaael
. .a_ <^^__ t..t_l.. nr,nl.nn4 I^ac al arnil<\9 i PAIHartta AA*a^>
naci (para fulminar os oppugnadores
sea paiz.
Ciio-lhes pois ama establlissima estreia
e zoilos de, conserve con'
Pernamb"-,.
"jco onde
i
boaac$io. OSr. Quintal quando nio tlvesse da 1 tlsr^j das geracoas qoe rtofaaa.
proloagar para a posteridae memoria di feo Das 8,rte y. Bxe.
j esuram
ser
da iaeaalva aa 1
a *
?*
X^*-
^e
i.
^
lUGlVEl
^\


*m
">- -
aa. mJi




^
>**-
6=
otaria *

/
- Beita felra ie Jaaeiro 4e 1866.
aec
-*1-
,r .miaiTi.'
3*
^

. mistar.- m. Sr. ^selhe ro pcwi.vo medico im das 26
aw* da S^aFerrazTniioV B
^tidodosjagoc.os daguer*- ^fgj**.
deTOpTerqun,VJecMrw- -
m segnllu, Sr. major fftor Hrlq, re-
atando a ccmmisso de/4gaJta|historico3 e ar-
cheologieos, fazaicilura'd* *' ..-h,
O los ututo na s^aodo4a 7 fe 4"*"*
findo, apreciando a.udiea|b que Ihe foiaSbmet
tida,afJmdequ*/represotasse ao gororao ge.
ral contra a reny"a para a corte, das duas peg-
de bron to5& aoa hoftBeiia, *o enudo dej -pagante Olimpio, heie
arsenal de guerra ra da Ladeta do Recita a. 36
e J9 as 9 horas,
flcarem as nsmas pecas > a -
desta pro< braeo, Dpwvou- a referiia iadieaca e com ella
os re^ae' imnntes des-Srs. Drs. Machado Pwlella e
Na*aiento Feitosa; o primeiro para que na re-
presentarlo se pedis-ie car ao raen's urna oesias
(lecas; e o segunde neta que a commisso de tra-
tamos histricos e arcfleologle'os, ero todo o caso,
se dirigase ao lu*ar onde se acharara as referidas
pee*?, e sobre ellas desse um relatono circums-
tanciado; variucandi ao meso lempo se, em al-
gama ouwa parte, etistiam oolras pegas aim da-
quellas daas. !
A commis-ia, no desempenho deste Oever,-
vem apresentar ao Institua o resultado de eus
trabalhos. '
i Por informc5es do proprio comandante a a
fortaleca do rain, soube a commisso que all
exisliam mais tres pecas das que miara tomadas
aos hollandezes, e que por terera-nas pintado a
olee, nao p*4ffl-se di-*i-H{uir das oulras con ra-
cidaae; oque dea lugar a- raesrao cemmandaiite
a principio ignorar a existencia all de semelhantes
t Dirigindo-se a commisso ao arsenal de ma-
rinha pode obter do lustrado inspector daijueiie
arsenal, o de-enbo das daas pecas de bronze de que
cima traamos, d.isenbe que tem a commisso o
prazer de apreseniar ao loslilulo, como uferta pre-
ciosa de vida a tumoado d-quelle senhor.
c Nesta desenho observase qae as pegas, her
sootaliimoto postas --o vistas como se e^tivessem
moudas e represeotam o m^smu que na presente
projeegao, seguaduse em torno deilas as rama-
gens J.js refurcos. ._.
t A discncao pas, que a commisso lem a "-
xer desias ticas a seguinte ;
Urna oTcalibra 3 e outra de 32, ambas de
bronze, e a undicao dallas leve logar era ww.
c As dimeikdVs da priraeira >itj as Siguiles.
emprmenlo da culalra al a bocea p. e 4
1/2 pol.
Accresciaw da colalra 11 pol.
Maior dimetro da culatra l p. e 7 IJt poi
iametro do luar dos m'anhoss 1 p. e
. Diaaiouo da borca 10 1/2 pol.
Oiarneiro da baila 6 pol.
Dimetro dos aiuuhes & 1/z pol.
f Seu peso 4,3() arrobas.
oiam-se uesta peca
baixo relevo.
< Entren culatra e os munhSes v-se um galeno
com arte das suas velas aberlas, temi mais abai-
xoa rma do fabricante ou un-UJor, e na dir^cgao
dos referidos munlioes dous goiphinho em alto re
levo.
As diroeosoes da segunda sao as sega
Coojprimeato da culatra at
1/ pol.
O mordomo Je me.A.. J. Gomes do C**reo.
O refeole.-Luk de fteg Bawos.
. -i Sm eoan^ueeoia de rnda eslMgjl lem a igreja do Monte em Oliada e dos cafcertus
qa-i lo ser emprehendidos apenas pasemjpa d^as
fosiMws acliwes, a > pode baver Me aM%Mom a
uompa do costme, a (esta da padroetris m s,
i'ousta-nos que uo da 21 do correnie nave** um a
pequea featividade, a qoal devtm eoncorrMWs de
em seo armaiem a
faz te!lio de movis,
Traotntrfoo, crioolo, ilho legltiow de Tranquilino
Semm Sais e Jovloa Mara da Concerni.
Bdaardo, braneo, olbo legutqw te Jos eroardino meritlisimo wbaaat do commercio da Bahi a, de
Crrela da Barros e Idan'a Candida Pereira 14 de deaembro oltimo, aecusando flear de poste
Lobo.
Guilhermina, branca, filha natnral ln Aata/indrina
Perreira de Souza Haes.
Arthar, braneo, filho legitimo de iaooel Pedro de
Malln Mirlo BluS Uultn
objecios de ouro e prata e oatroa tutos ar-
ugos.
Hontem foi lasultuosamente injunado na pro-
PTprta reparticio por ama parte o*", adnrini-
trador da recebodoria de rendas interaas, sobre
qiem coo>tanos jneprarlea^a o mesmo individuo
at violencia pessoal, pondose em uga em segui-
da, sendo para notar que, entre taa gente all
presente, naoJwuvesse quem cootivesse esse a'to
do urna procipitacSo ou hallucinaco sem nomel
E' iaaudito qoe nm facto d'esia ordem te dsse
n'esU capital e "una repartieo publica, poster-
gande-so assim todos os principios do respeito que
se deve a tado que consagrado pela toi e pelas
1 relac.5es sociaes,- que impSem condicSes de coovo-
' nieacia, qae nao licito desduuhar de modo tae
indecoroso.
Em presenta, pois, de tito ignominiosa oecarren-
exproirnt. i visto pelo expediente pnMleado-H|qe no M imJ
Om offlcio do depuudo secretarlo interino do presso no Jornal do Rmfe de boje.
'--*- necife,r4 do jnelro^e.l86. \
ello e Mara Rita de Mello.
Antonio, braneo, SU* legitimo de Antonio Daarte
Carneiro Viauaa Mara Emilia Stares Vanos.
Elisa, branca, filha Ugiilma de Jos Antonio dos
Santos Goelno Rota Franeacn de Soma G je-
Iha
Camltla, parda, filha natural de Glandiaa, esccava
de Caetano Sirverio da Silva.
Leonisia, parda, filha legitima de Manoel Josloo de
Carito Sota Patl Marta da Coneei^mo.
Francisco, semi-Lranco, fliho natural de Caetana
MAflft O6Qu0riOu\.
Francaliti, branca, ulna de Fetta Bnrboaa de Prei
tas e Marcolina Maria da Conceico.
Mara, branca, filha legitima da Francisco Xavier
fle S Leilllo e Rita Baptlst de Si Leltab.
Fortunata, parda, filha natural de Francolina Ma-
ria do Espirito Santo..
Adolpho, braoco, filho legitimo de Christovap Jos
de Abran auMiaroa e Anoa de Jesos Azevedo
GuimaraeSk
Francelina, parda, fi ha natnral de Maria Antonia
da Conceico.
Hermelinda, branca, lina legitima de Francisco de
Paula de Aibuquerque Maranho e Hermelioda
Correa de Aibuquerque Maranho.
da qoe u Um dirigi em i' do mesmo mez. Ar-
cblva-se. < .
Odlro do secretario da junta dos corretores, fir-
mado de boje, juntando os precos correales da se-
mana prxima passada.Arhlve-se.
Aos sentares aeputados torara distribuido* os
ataate* tarros:Uiano de Candido Alberto So-
dr da Molta.dito da companhia de seguros Indem-
nlaadara.
D5P\CH0S. .
O reqoerlmento de Antonio Joaquina Fernandos e
Jos Fernandos dos Saolo Bastos, pedlndo que
(osse admettido registro o contrato social que
Jiintam.Vista ao Sr. desembargader Oscal.
*-r.
O Sr. Braga com loja de ferragens m roa
OireiU, fui lettagaaad por Uoo habis
mdicos, acUa-se bou com 0 tratamenlo por
mita prescripto.
A Sra. Jeronyun MarlaHaTJooeeftl, mo-
radora na travessa do Monteiro o. do-se desengaada, tarntajai a mim recor-
rea eaclia-se re tabelecid*,
Um aobriabo do Sr professor ae Naza-
reth do Cabo, acha-se bom, como se T de
Honrado pelo partido liberal, repreaeotado pelo Sa carta abxo IrtMCripU, alm de OOtTOd
seu respectivo directoris, com a inclosio do raeu (actos, que poderii aqui mOBCionar.
bumiide oome oo numero dos candidatos por elle a. pbtbysca a d estro icio e a magreza
aposentados depotacio proviteial por esto pri- j. rf connsaaencia de chJWas,
meiro circulo, e cerlo de que os senhores eleitores T*Ll0_ 1corP0' e "TnTv.. VT*
Puolica$es a pedido
Aos Srs. eleitores dopri-
meiro circulo.
- Sr. m
Dito de-Seraflm- Irmauvpedindo umbem a ad- $ab,m ct,mprlr perfeitameote a sua nobre missSe, tubrculos e Cuocrecco 00 botes ede i
misso do registro do documento que Juntaro. venho imprensa declarar que aceito tao subida pyetna, atropbia nervosa e OOtras molet1lt5
honra, se entendrem que amerego, e desde J que viciam OS homores, COmo eacOTbOtO,
c*a, i|u< acensa urna degradacao, forca qae a na80^) braneo, fimonafural de Constancia Con
moraliJade publica seja vingada como convem. i gajM Lomba.
Assim, portento, pr-se-hao um bice a repelica* ttmt branca, filha natural da mesma.
de semelhantes desacatos, ao passo que se nao j^ braneo, filho legitimo de Miguel Jos Alves e
deixara sem a devida correcto um facto altameu- jMaoi yrsaia Moreira.Alves.
differentes dessnhos em
a bocea 9 p e 10
egatra-sn.
Dito de Barlbolomeu Torqoato de Souza e Silva,
e Jos Pedro de Souza e Silva, para que fosse re-
gistrada a escriptura qu por cplaiuolam, pela
qual sao constituidos ce*sionarios do estabeleci-
mento de phanmcia, sito na roa larga do Rosario
D. 34, qoe pertenceu a firma de Barlholomeu Fran-
cisca daSoaza & C Sellado o documento; vol-
tem.
Dito de Joao Martios de Barros e Antonio Jos
1 da Silva do Brasil para qoe no registro do contra-
to social sob a firma de Barros & Silva se fizesse
a annoUcio de sa achar elle extlneto, a proceden-
do-se a liquidadlo por coala e risco de ambos os
' socies.Vista ao Sr. dwemhargador flseal.
Olio de Domingos Jue da Silva, dizeodo que
tundo comprado a botica da ra da Cruz n. 2 a
Joao Pedro das iNeves, pedia qae (osse admettido a
registro o Ululo qoe juutam de dita compra.Re-
agradeco os votos dos que eonflarem em meu ca
racter poltico como sectario dos verdadeiros prin-
cipios liberaes, que nao excluera, e" antes delles
decorrem, o progresso real e a conservarlo das
boas instiinices nos limites constituclonaes.
Recite, 26 de dezembro de 1869.
Dr. JoSe Joti Pinto Jnior.
te criminoso, qne por todos os principios carece- [ Mra> braaca, fllha legitima de Manoel Lourenco gisire-se.
dor de puoicao. Pddrosa'e Mara da Sleria Podrosa. ,_ j Representaco feiu ao tribunal pelo ofllcial-
- \maoha celebrara alguns devotos a festivl-' Jos, braneo, filho legitimo de Joaqun fcrfvofel- maior da secretaria sobre nao ler ainda apresen-
dade da ImmwuUdrGVuwfcio de N S. em sua I'* da Souza e Gandida Maria Batista ie Souza. lado o cenuec.raento de baver pago o imposto de
Silla d S mS IIe 01 ndl Fortunau. orloula, filha natural de Justina Clandi- seu offlcio o agente de Inildaa qi se acha suspen
capella dos Milagre m u uda. L Antonio Rodrigues de Almeda.Jntese
.2* vSn.* JaD"s. branca, Q|ha legitima de Antonio Gomes ao* 0tos de suspensa* e d-se vista ao Sr. dosem-
M Cnha da Silva e Herrana Oliadma da Cuaba e bargador fiscal.
Tocn hornero u'esto porto, procedente de s|va Nada mais havendo a despachar, o Etm. Sr.
Livarpo >l, urna canhooelra encooracada i **Pr> Euclides, braoco, filho legitimo de Miguel Beroar- presidente encerrou a sessao s enze horas e
de nome Minerva, com bandeira ingleza. E* nm do QUtero e Leopoldina Carolina de Oliveira uaeia da manha.
bello vaso, que demanda de 7 a 8 pi d agaa; e Quioteiro.' -------- a
de boa marcha. Margarida, branca, filha de Joao do Reg Pacheco
Velo tomar carvo, o seguio bonlem mesmo para ,. jesu,na Puli-.heria Bandeira de Lima,
o Rio de Janeiro. Jos, braneo, filho legitimo de Urbano Mamede de
Nao Toi permittida a visita a bordo dorante a sna Aimelda.
Um liiho legitimo de Jos Maria Ferreira da Cuoha
(Santos leos).
Casamentos :
Augusto Ilygno de Miranda com Joanoa Rosa de
Lima.
Bacnarel Marcos Gorreia
alporcas, gallico, astbma, bexigas,
etc.
Na phthysica, chegando ao estado de grav
vidade, o qae muito pode concorrer para a
salvaco do doente e ajudar oa medicaatea-
i tos o ar do campo, exercicio ojoveDieote
e dieta, a qual b3o deve ser de nenhuma
cousa quelite, ou de defficil digetao; e a
depuudo provincial, acontece que o'mao'eaud bebida cumpre que seja de natorea branda
de miaba saude nao me cousenle dirigir-me pes- e fresca.
soalmente aos Srs. etettore?, que por ventura po- Todo O sen alimento se ha de dirigir a
^^^1^0 da impreusa. para honrar a "fdeiir a icrimow dostami a. nu-
escolha que de eu nome flzeram os directores do trir 6 SUSter O doeale, para f M e preciso
partido liberal, e para de aaie-mao agradecer aos reduzi-lo ao uso de vegetaes e leite
meus amigos os votos, com qoe leoba de ser gra- Xoda comida e bebida, que ae tomar ha
ticada a minha tenue coadjuvacao ao mesmo par- d AesSrs. eleitores do Io disliicto.
Cooiemplado na chapa do partido liberal para
30
<
t
c
t
Accressimo da colatra 11 pol.
Maior dimetro da culalra 1 p. e 7 1/2 pol.
Diiinetro no lugar dos munhoes 1 p. e J pol.
Dimetro da bocea 10 1/2 pol.
Dimetro da baila 7 pol.
Dimetro dos muahoes 4 pol.
Seu peso nao se pode saber por eslarem im-
parceptiveis os algarismos que o indicavara.
< Hasta pe^a, hoW-sb tambera dillerentes em-
blemas eu> baizo relevo. .
Entre a culatra e o lugar dos munhoe- ezis
lem done, de forma elptica, contendo o pnmeiro
o nome do lugar da fuodi$o e o sgunao a Urma
do fabricante ou fuudidor, que o mesmo da pri-
oeira peca.
t Na dTeccao dos munhoes tamb-m existem
dous golphmhos em alto relevo iguaes aos da pri
meira peca.
Eisoque a commisso, de seu*
esforcos p le colher, de conformidade
berado pelo Instituto. ,
Sala das aeftsSes do Iostltuto Archeologico e
Geograpluc-j Pe.oambucan>, 4 de Janeiro de 18f>b.
Salvador Hennqur de Albuquceque.-PiAre Lino reedi|icasao, esse templo abri,
do Monte CamtUo Luna. ^^ religiosas, vuUaodo
27 do corrente o an
trabalhos e
com o den-
ostada aqu.
Eserevem-oos de Goyana :
O espirito religioso d'esla cidade, que se poe
i uola as grandes festividades da igreja pelo im-
measo concurso que acode ao sancluario, e pelo
resuelto e compuouao de que ah da musirs a po-,
pulacao, leve urna locante manifestaco em a noite
da njtiviJade do Hjmum-Ueus. Esse portentoso
acontecimenle, o milagre mais nolavel dequaotos ]
se in.-crevem nos tactos da igreja, sempre recor-1
dadu com um alvoroco iodisivel de prazer. |
i Lemos dos jornaes e sentimos que o Oneida
oao nos irouvesse o esposo com que o ctiefe da :
chnstandade leve a bem dotar a igieja pernambu-
cana. A vinia do illustradissimo Pastor, aouociada
ao i-eu rebaono por urna carta pastoral repassada
Je fervor e numildade, deve de suscitar em lodos
os pontos da diocese estremecimenios de jubilo. E'
bem natural que as varias irmandades e contra-
rias celbrela aqui este facto corn a pompa que
Ihes fr compalivei.
c Ja que nos couduzimos para ah, vem a pooto
aoticiar a coucluso de importantes reparos em al-
gumas de nossas igrejas.
f Por deliberaco da mesa regadora da Santa
Casa da Misericordia, e a custa do respectivo pa-
trimonio, esta seodo substituida a cubera da igre-
ja, que eslava arruinada. Dizem qoe a obra vai
adianto do que era necessario, e que inutilUou-se
madeira velha superior a nova que est sondo col-
locada.
com D. lina Pires Machada Por talla.
Bacharel Celso Tertuliano Ferreira QuinleHa com
Maria Leopoldina Alves Machado.
J io Bautista Ancheta com Adelaida Mara da
Cruz.
Barlholomeu Rodrigues Alves de Mello com Joan-
na M-na Monteiro.
Pergamino Rodrigues Machado com Caetana Mar-
imba da GonceiQio.
Patricio Ignacio do Nasciraento com Apolonia Fe-
licidade dos Santos.
NOVO BANGO DE PEK.NAMBIXO.
Batanete is Nevo Canco de Pernaiubuco, em
de deseubra de 186o.
ACTIVO. ,,,.
Apolicas da divida publica........ 870:6725481
Estrada de Ierro da Baha........ 131:0745706
Deposito......... 80:1)005000
Joi'as depositadas...... 5:7355:280
da Cmara Tamarindo Ttulos depositados...... 60:*?8f^a
Letras caucionadas
Letras descontadas.....
Letras reeeber......
Letras protestadas.....
Banco da Rabia N/C .
. Banco Mercantil Portuense.......
Francisco do Figueiredo & C, do
Rio de Jamuro................
Alugiiel de nasa......
Forneeimento.......
Jaros.............................
4:5305000
1:073:7985700
44:6595280
197:189519''
162:8745124
do.
R'ecifp, 16 de dezembro de 1865.
Dr. Apngio Jasliniano da Silva GuimarSes.
Ao illastrado corpo eleitoral do Io dis-
trido.
Solicitando dos Srs. eleitores a honra de ser c n-
templado era o aoracro dos 9 deputados provin-
ciaes, que d este districto, conheco que seu o
menos habilitado para bem preenctier os deveres
inherentes a este cargo ; mas como nao me falta a
boa veniade de contribuir com o meu fraco contin-
gente para o desenvolv ment do bem publico,
entrego minha candidatura a benevolencia do res-
peitavel corpo eleitoral, esperando que cada nm
dos Srs. eleitores se dignara de attender ao meu
pedido, pelo que antecipo meu profundo reconbe-
cimento.
Dr. Sabino Olegario Ludgere Pinho.
A cada um dos Srs. eleitores do Io districto.
E' V. S. um dos danos eleitores deste pnmeiro
7^j7inii circulo, que no di* 7 de Janeiro prximo lem de
/OU0UUU ..._ihar 1%S nnoo m
Premios de saques e remessas.
Despeine geraes
Reis....
FASSIVO,
a
166:2505
45:7505
Devenlo fesieiar-se no da _
niversano da restaurarlo desta provincia, qm e
taubm o anniversario da lastalUgao do lii-Uiolo,
o Exm. monsenhor presiente noniea os 9n., ors.
Nascimenlo Feito-a, Witruvio Piulo B.ndein e
Ayres Gama, para comporem a commisso, qu-
lem A-i convidar aos Exms, Srs. coti-elheiro pres-
dante da provincia, hispo diocesano e mareenal
comman lante das armas, afl:n de assitirem a es
ta anni versarla, ..
Iiraal.nente foram nomeados os Srs padre Lino
d* Monte Carmello Luna e r. Gervasio Lamplo,
atim de comp. rein a commisso que dove tra'ar da
deroracao do edilicio para a mesma festa.
Ternmiados os trabalhos, o Exm. mnn*enrior
prosilente levanta a sessSo, convidando a todos o,
memhros do Instituto a comparecen! no da 27 a
gesso magna, para que seja esta revestida de toda
a grande, de que cred ir o duplo motivo que
Ihe (id lugar.
F.lleceu hontem a Exma. Sra. D. Maria Joa
quina ita Siiva Maula, coutauJo 79 annos deidade.
Esta aeiihora recoromeiida-se a' sua mengilo es
pecial pela polendade. de i|Ue foi ella tronco.
Teudo nascido em 1787, em Fofa de Portas on-
de sempre moruu, catn em 18n8, e nest estad,
viveu 51 annos, lendo apenas sobrevivido ao mari
do 6 anuos.
De seu consorcio houve 13 tilhos sendo M>
sexo (emiuino e 7 do masculino. Uestes filhos na*
ceram 38 neios.e destas 28 rusnetos, de sorte que
a sua descendencia era de 79 pesssoas at o mo-
mento de sua morte.
Mandando o Sr. Dr. Amaro Bezerra tira por-
tador a esta cidade trazer urna porcao de dinheiro
foi elle acfoinmeliido, no lugar prximo da vill.-
de Iyuarass, por tres ladaSes, i|ue o espaucarar
de nudo lastimoso, sem que todava conseguissen
tirar-lhe o dinheiro que ella liuha em si, pois pare
cando-Ihes aceorrer ^eole em soceorro., deix^ram-
no no referido estado.
Este porta lor acha-se njsta cidade '.m ca*a do
nosso aroi^o o Sr. Ur. Hermog^nes ; mas ignora
rnos as providencias que teutia lomado a indicia
de Iguaras a respeiu, se bem que aquello indi-
vidwi de pas&agem parlii-ipasse-ihe o que com H
aedrra. No enlietaoto (orea que a polica all
revista-s de energa, para que d-se a preveiicj
de crimes de lal urdem, loruando-se effecliva .
segu anca de pessoa e propriedade garantida pela
le.
O Sr. tenenle-coronel Mariano pede-nos a pu-
blicado do segrale :
Srs, redacluies.Dentro das columnas de sua
conceituida Revista Diaria, rogo-Ibes deem cabida
a segrate mlerp-ilaco dirigida aos redactores ou
culiai'Ora.lores do p'-riodico Liberal
> Em 9 d aoverrlbro ultimo, ob n. 9 do L6?-
rof, vera inserida a aecusacao de haver eu mandt-
do prender na barra >ie Seriuhaem um ancio ca-
sado e com lilaos, para por elle me ser entregue
um individuo que eslava contratado a casar se ioin
orna sua cuobada.
c Pois bem. Declioai os nomes dessas victimas.
Exhib d aumentos de ordens minhas de prisfo
qne autorisam vossas asseverac5es. Quero ahs-
ter me de qualibca-las. Nao precho de sombras
para esconder me debaixo do anonymo. Nao temo
phaotasmas. Tenho a paz e segura ufa que me la
a consciencla de cumprir o raeu dever.
Somente agora provoco explicajdes por que
ornete chega ne-le momento ao m-u conhecimin-
to a noticia nerramada pelo peridico Liberal. .'.ri-
tes nao a couhecia, por qae nao me tcm sobrado
lempo para er
peridico; que eu acredilava grave e serio bis
tante, para nao admittir accusarSes serias de fic-
tos swos sem serena formma-iDs enm toda a serie-
dad e circum-peccao. Cumprehende-se facilmeiite
que a boa repulirlo e o dir-iio a zela la nao pule
ser apanaglo prtvilegiado de ninguero, e nem Bus-
nw dos Srs. redactores oa eollaboradores do l.iit-
ral, por mais elevad i qoe curtsiderera a saa po-
slco.Mariano Xavier Cartutro da Cunta.
Mappa deuionsiralivo do hospicio de aliena-
dos na Misericordia de Oliada, do 1* ao ultimo de
dezembro de 1165 :
Existism 91 horneo*, 41 mulheres; entraran 1
bomem e 1 raolber; sabio i muiher ; morreram 1
hornera e 1 muiher ; existen) 21 bomens e 40 mu-
lheres.
Existen) 8 empregados coste estabelemimentr 6
bomens e2 mulheres, sendo : medico, capellio,
porieiro, sacnsiio, enfermeiro, barbeiro, eoermei-
r e coiinheira ; 2 serventes.
Foi visitado o aesoo estaJbeletQMDto pelo rus-
Boaveotura Manoel do Nasciraento com Isabel Ma-
na da ConceiQao.
Gabino Joaquim Gomes com
aio.
Maria Augusta Dubeux com Me. William Vau-
S'ian.
no do Reg Pacheco com rabelioa Augusta
do Reg.- i Capital.
Marcoliao lavares da Silva com Damin Maria j i m circula-
da Goncei^ao. Emisso< q5o.....
Francisco Manoel da Rosa com Marcolina Xavier: (Emcaixa..
de Uliveira.
Francisco Mariins Barbosa com Mana Sancha de Depsitos da direegao
Jess. Lenas por dinheiro re ce bi do a
t Nao lemos verificado a jostra d'esta cansara, pas9aReiro9 do vapor nacional ParoAtlia, vin-
e somos inclinados a crer que ella provem do gus- 00 fo Macelo :
lo, que tem muiu geale em criUcar o 'iue oairoi Felippe Nery de Santiago, Alexandre Cerreia
fazem. Porque motivo a mesa augmentara des- Cabral, Jesuino Affcnso de Barros, Flix PeneU,
peas, que o seu espirito de economa adiou por g Leopoldo e Souza Magalbes, Ur. Serapio C
lauto tempo. Acau, Joaquim Laz Correia. los Marones dos
As obras da igreja do Senhor Bom Jess dos gaolo9 Carregal, Frederco Rotiiiar, Anr Gur-
Mariyrios eslao ttaalmeote concluidas. ArVuinado cjoo per|rl sus senhora e tres Olhos menores,
lia 17 anuos, e fallando a irmandade da bomens Antonio TnoTmrc PMeira, Praqciseo P*r#ira da
pretus, que o dirige, os melos necessarios para a g,,wa) ioSo Amonio Machado, Jo<5 Virjiinio Teixei-
se no da de Natal r, Ar80j. ra Mtitiora e daos scravos, Gabar-
para eUe poucos me Baptista dos Sanios, Domingos Jos de Souza Descontos.........,.v............
das antes, em procisso muilo ceucorrda, as ima- ptlX0t or faeintha Paes de Mendonca Jaragu,
gens que se achavam depositadas na igreja do Am- Dr. Antonio Buarque de Gusmao e um-criado, Bel-
miro Lins, Pranciseo Pereira' Camello.
325:3885169
1:3125500
5:0005000
6:1705131
66b5b67
3:2485*42
0 excesso do chylo fresco opprima os bofes
e acodere maito a circulago do sangoe.
Mu tus due riles desta molestia se leeaa en-
tregue ao uso do oleo de finado de bacalfio,
e outras prepararles de resinas e patoeatoa,
sem que deltas tenhai tirado proveilo; e
alguns expositores de medicina combaiem
com muila razan esse tratameoto.
costnme carregar o estomago do (loes-
te com medicamentos oleosos e balsmicos;
porm estes em vez de tirar a cansa aug-
meutam-na, esquentando o tangos, ao aset-
mu tempo que tiram o apetite, relaxara os
solidos, e sao de toda sorte perniciosos.
Tudo que se Gzer para extinguir a toase,
; alm do exercicio e reg men apropriad e-
1 rem ser remedios de natnreza acida, eter-
' genie e calmante.
Os cidos possuem a virtude de prodozi-
rem bons elTeitos nessa enfermidade, por
que, nao s contribuem a apagar a sede
escolher as nove memros para a composi^ao da
TuTr^oden,^
pedir a V. S. a incluso de meu nome no numero
de seus escolhidos.
Como garanta do bom comprimeno das obriga-
g5es unidas a minha aspiracao, nao posso oferecer
a V. S. um pa*sado rico de iradiccoes, que revelem
meriio superior; mas meu proceder na mesma as
Mara do Palroci- Caixa.......................... 126.5335644
Tni-ttQXfiift sembla, durante a legislatura Boda, creio abando- d'agua com bastante assucar
3,,UJD!' nar a sincendade de meu carcter, e o proposito C0Dft nap. mis,rar mm
2,000:0005000
192:0005000
80:0005000
'/uros ...:::.;.;......... 36.0525270
Comas correates Com juros ^09;lolos
Conlaa rorrele simples.......... ooo*
Fundo de reserva...... *?2
Ttulos em cauco.....
Bauco da Babia S/C .
Knowles A Foster, (le Loojlres.l
Massas fallidas cargo do Banco.
Dividendos........
Juros da garanta da emissc.
Premios e commissdas..........
66:7245210
139:49j5S73
135270
3:6845i
7045000
2.0W5000
Arme de nao desviar me de minhas ideas e sentl-
mentos em bem de nossa provincia.
Gonscio da bondade de V. S., aotecipo meo reco-
nhecimento, e offereco mens servaos por ser
De V. S.
Atiento venerador e criado obngadissimo,
Recife 15 de dezembro de 1865.
Jos Eustaquio Ferreira Jacobina-
Ao
Ilustrado corpo
ni- iio dist icio
ca.
tarabem a refrescar o sangue.
Aos doentes desta enfermidade, quando o
seu estado de gravidade tal que a febre
ethica os aceommette, prescrevo-lhes o sa-
co de um limo dissolvido em ama chicara
emuaa graade
copo para misturar com um papetinbo des
pos refrigerantes para tomar, com qne ali-
viana no acc amettiment da febre, e pan
manhaa o xarope etherio de veame. Tenbo
aconselliado, que facam uso de yegetaes de
natureza acida, como laranjas, 1 m>s, pi-
tangas, uvas, etc., e applicafdes de puntas
amargosas, que fortificara o estomago e ser-
eliiiloral do pri- vemao mesmo tempo para destruir e miii-
destn pr*vn-
paro, grabas ao Dr. Luceoa, juiz oe capellas, que
levo a feliz leinbraoca de nomear administradores
das obras e procuradores dc^smolas pessoas inla-
ligaveis, como o major Jos Ceiar d'Albuquerque,
i|iie merece menco especial entre os seus cumpa-
uheiros.
E' por certo digno de louvores o procedimenlo
oo Dr. Lucena: alm do servigo exposto eoe mu
tos melhoramenlos relativos a aiministrago dos
patrimonios e arrecadaejio dos rendimenios das
igrejas, a elle se devem mais as reconstruc\5es da
capella de Nossa Senhora do Pilar, ja concluida, e
da de Ros!* Senhora da Lapa, em obras.
t A igreja de Nossa Senhora do Amparo, gragas
aos auxilios pregados pela assembla provincial
(ora dos onze beneficios que se devem ao Dr. Luiz
Gonyaive) esta' renovada: pouco falta para Ucar
prompta.
c A irmandade merece tambera os maieres elo
gios: pouco valenam sem a
econmica e liel os recursos pecuniarios prestados
pelos devotos e obtidos para obras lo cuitosas pe-
lo eloqoente depirtado. i
Somente a matriz, templo in^gesloso, ainda nao
poude eceber todo- os beneficios deque precisa, e
a ruina vai progredindo I f necessario queda,
liarte do governo e das pessoas, a quem particular-
mente incumbem os reparos, h^ja o preciso cuida-
do. Os antigos edificaran) tantas e lo boas igre-
jas, e a geracao prseme difcil conserva-lab I
t Nao temos em mente censura alguma ao re-
vereudo vlgaiio. Elle faz o que pode: a idade e a
falla de meios que contrariara os seus bons de-
sejos.
Por fallar na matriz, consta-nos que vai come
gar urna demanda eutre o reverendo vigario e a
irmandade do Santsimo Sacramento. Rmpanse
Rep\uticaoda polica.
Extracto da parte do da 4 de jaoeiro de 1866.
Foram recolbidos a casa de dotenjao no da 3 do
corrale :
A* ordem do subdelegado do Recife, R. Jaque e
Harm Fabr, Ioglezes, a requtsico do respectivo
cnsul.
A' ordem do de Santo Antonio, Joao Nery de
Sant'Anna, por crime d estupro ; e Joaquina Ma-
ria de Frenas, para correccSo.
A' ordem do de Sao Jos, Jos Alves Ferreira e
Marcelino Jos dos Santos, por tentativa de Incen-
dio; Manoel, escravo de Anoa Maria do Reg, por
fgido, Mina Alexandrina da Conceico e Anoa
Joaquiua da Soledade, por dMurbios.
A' ordem do da Boa-vista, Ltnez Maria Fraocis-
,- ca, Tranquilina Anna do Espirito Santo, Rosa Ma-
sua administrarlo na da Couceico, Candida Telles de Menezes, Ma-
noel G. Corroa, Ricardo Pereira Mendes Jnior, -
74:2105000
8505000
2:5785000
Estado da caixa.
Em ouro amoedado .
Em notas do Ihesouro de 105000
Em ditas meuofev......
Em ditas da eaixa filial do San- ______
co do Brasil...... **:,ZSSH
Bta ditas do proprlo baBco. ^:78i!f?7
En trauecobre. 1:0185*
Ao Ilustradocorpo eleitoral 'o primeiro districto
apresentamos o nome sympatbico do Dr. Jos Eus-
taquio Ferreira Jacobina.
Libsrai distineio, de urna re 'utaco em mancha,
of)r. Jacobina na legislatura fiada soube mostrar se prescrvi-lhe e xarope da veame.
35f*;J'**<* *acamt*tmmu ao^atw deberes, a sincero *
93:3575088 em fnas c ,,i^aflc.
Emoora algum, despenado por nao ter levado a
effeito urna prrseguico a um individuo, originada
por motiva immorat, e que soube uuilificar o Dr.
Jacobina, requerendo em favor da pobre, victima,
ande por ahi a pedir contra a caodidadura do mes-
mo doulor, muilo confiamos na independeucia do
Ilustrado corpo eleitoral do primeiro districto, que
por certo se nn prestar a satisfazer vingangas
Bis. 3,100:5925648
Ris. 126:5335644
Demonstrace da emissao.
59 olas do valor de
98 >
83
2005000
IOO5OOO
505000
gar a sede.
A Sra. D. Joaquina de S Brrelo, lendo
urna sua escrava fallecida desta molestia, sub-
mettida ao tratamenlo de sea medico, resol-
veu procurar-me para tratar de om oalr>
escravo, que soffria damjsma enfermidade,
tem me-
Ihorado consideraveimente.
A senhora do Sr. Antonio Francisco Ho-
norato foi desengaada por habis mdicos
tiesta cidade, esleve prostrada, e nos lti-
mos paroxismos da morte, foi com o Jaro-
pe de veame salva, como se v da carta
impresr^ no Jornal do Recife de 9 de fcve-
reiro de 1863.
O escravo Emilio, do Sr. tenente-corosel
11:8005000
9:8005000
4:1505000
Ris
.25:7505000
No impedimento do guarda livros.
Commuiaicados
Jovto Jas da Silva, para averiguag5es sobre rl-' O escriptura rio, Jfuno Ignacio de Torres Bandeira.
me de ferlmenios e tentativa de morte. I
A' ordem do da Capunga Francisco Xavier Maia,
por insultos.
0 chefe da 2" secQao, |
J. G. de Mesguita.
CEMlTEWO PUBUCO, OMTUABIO DO Dl\ 1 DE
JANBIRO DE I86C.
Joaquim Amaro da Silva Passos, Portugal, 40 an-
nos, solteiro, Recife, apoplexia cerebral.
Jos Fortunato de Lima, Pernambuco, 26 annos,
solteiro Boa-visia, inlerite.
Maria Emilia da Costa, Pernrmbuco, 50 annos,
viuva, Boa-vista, pbtysica.
candidatura provincial. /
Recife, 3 de Janeiro de 1866.
Os candidatos leein esiabelecido o precederle das
aahciuces individuaos, ja em pessoa, ou npr car-
tas, precedente que me parece improticuo, quando
Bao sao elle-, conhecidos.
Tivera sido melhor para lodos o adoatar-M o
sysiema das reunidas eleitoraes para a.nte ellas o
Bernarda Pmheira dos Santos, Pernambuco, 80 caodidato apreseniar sua prosso de fe, indicando
annos, solteira, S. J s, velhice.
entre elles a antiga harmona. Quando estivermos Lucia, Pernambuco, 2 meus, S. Jos, denticao
bem informados "das causas e'pormenores d'eise
rtmpimento daremos noticia exacta e circunstan-
ciada, que nos impossivel agora; mas que orom-
pimeulo deu-se e serio nao ha duvida. Ja' os si-
nos grandes da irmandade deixaram de annunciar
a missa conventual, co jio antes fazlam, passando a
local a re.-pectiva entrada o pequeo e fanhoso si-
no da confrana das almas.
O reverendo vigario acaba de prestar um ser-
vido importante : por mel de demarcacSo Judicial
- 2
Paulo Jo- da Silva, Pernambuco, 22 annos, soltei-
ro. Boa-vista, vanlas.
Maria Horata da Conceico, Pernambuco, 14 annos,
solteira, S. Jo.-, sarampo.
Mara Theodora do Patrocinio Barros, Pernambuco,
46 aunos, solteira, Boa-vista, tubrculos pulmo-
nares.
llermioa, Pernambuco, 36 aunos, solteira, Boa-vts-
logo os meios de realisacso de suas ideas com re-
ferencia a ordem social.
Ha iotelligencas puramente theorcas, a quaes
falta o soceorro de nm espirito prattf, e estas em
taes comicios sex" anilestariam, e o corpo eleitoral
se habilitara d te modo a fazer escolha con-
veniente. '
Nao crendo na ulilidade dos pr Jldos por cartas
preferira o pedido pessoal ; mas, chegada hoje
mesmotle Campia Grande, para onde fai acom-
paobar minha filha, que all vai residir com seu
mando, o corpo eleitoral em seu bom tenso com- ^^'00^ d~a Silva.
; np^n44 Imnn^hilliada *m nni* do Cachaug,
de 1866
uo anno
Mello
ta, tubrculos pulmores.
erificoUque' umaHgraUn'de"pTrtedeum*ti"doado Velen, 15 annos, Pernambuco, solteira, Santo An- \ 9T~^Q'ae a impossmiidade em que estou de pro
a Sant'Anna achava se na posse de oulro's por con- tomo, phtyslca. curar nm a nm os dignos Srs. eleitores, qne o com-
fuso de limites. Ludovioa, Pernambuco, 58 annos, solteira, Boa-vis- pJSia.
. ... ,_. ,. ta, hepatile chronica. L Assim que, sendo conh
- Hoja se exlrahira a 5* pane da 5' lotera precilla, Pernambu-o, 10 dias, S. Jos, ttano. Ppios de vndadeira tibtrd
(43a) a beuecio da Santa toJe Misericordia; Ceciliana, Pernambuco, 18 mezes, S. Jos, espasmo uHsultejedes; julgando-
sendo o maior premio de 6:0005000. Decio, Pernambuco, 10 mezes, Boa-vista, gastrite u0 qUe nunca rege
Relacao dos baptisados feitos na matriz de chronica. peBso qne os Srs. eleltofei
Santo Antonio do Recife no mez de dezembro de Anna, l'ernaraboco, 2 annos, Santo Antonio, tosse obequiarem eom seu
tg63 convulsa. a|'qd4dra actual se ofrece
Man, nilia legitima de Rodrigo da Silva e Maria Francisco, Pernambuco, 3 annos, Recife, convul- pendente, e capz de/dar a
da Paixo ptery da Silva s5es- Ce*" que fdr #e Cesar.
Joanna, parda forra, filha de Thoomia, escrava do Sebastin, Pernambuco, 6 annos, S. Jos, Sarampo.f 0 lemo das exajeraces se
Or. Amonio o> da Costa Ribeiro. Ozias, Pernambuco, 2 annos, escravo, Boa-vista, co- por Sso presuma, que os que pretendem
Juiz por eleice.
O Kvm. Sr. Antonio de Mello e Aibuquerque.
Juiz pur devocao.
0 Illm. Sr. Jos Tneodusio B irges.
Juiza por eleicao.
A Exma. Sra. U. Jeronyma Emiliana de
Cousseiro.
Juiza por di-vocao.
A Exma. Sra. D. Severioa Francisca da Costa.
Joita protectora.
A Exma. Sra. D. Ba:bina Firmo Pereira da Silva.
Juiza da bandeira.
A Exma. Sra. D. Joaquina Marques da Silva.
Escrivo por eleiQo.
O Illm. Sr. Francisco Atiostinho Madeiro.
Escrivo por devora 1.
O Illm. Sr. Joao dos Santos Marombro.
Escnva por leirao.
A Exma. Sra. I). Isabel Maria de' Hungra.
Esciva p r devo^o.
A Exma. Sra. D. Auna Colhn.
Procuradores.
Cslllras. Srs. :
Joao Pereira Franco.
Ignacio Martios da Costa.
INrmino da Cruz Codio.
1 Jos Carlos de aiaujo.
votos
'.idos os meus princi
que se nao prestara a
honrado com meu pas
nem hei de regeitar;
estao babiluados a me
, se reeonbeeerem qoe
de nm carcter Inde-
Deus o qne de Deus,
foi enm a idade, e
manler
mesquiuhas e particulares, e por motivo altamente
reprov n m. B. S. Rodolplio Joo Barata de Almeida, foi
^tm bem desengaado por habis mdicos, e
"PllpiP-lft (\(Yi vVh) liieiVlO OW8 UVCTO qUC LCIU menle reslabe|ecid0) comose T lambeai
de festejar 0 glOllOSO O da carta impressa do mesmo Sr. tenesde-
D .au ____ ?;rt coronel no mesmo yorn/do fleci'/e.
ileneaiCtO, na pOYO.QUO 0Sr. Alltonio christiano rogi. filho do
Sr. Clirisliano Fogt, preprietario e estabe-
lecido na cidade de Maceio, o primeiro bea
conhecido nesta cirlade, pois qae fei empre-
gado na casa do Sr. Len Cha pelln, retra-
ti.-la eslabelecido na rui da Imperatriz, ac-
commettido deSta molestia, foi daqni desen-
gaado por habis mdicos: retiroo-se pera
a Baha, e all continuou em tralament ale
que foi segunda vez desengaado pet dicos dalli. chegando eu em Maceio, sai
' amigo pedime, que o acoro panhasse al a
! casa do Sr. Christiano, para ver om doeale
i e prese re ver-1 lie algum remedio, encootrei
: o liltio em urna cama desanimado e eaa es-
tado de prostracao, pois qoe escariara
gue, e tinha completa inapetencia e fr
(za a ponto de nao se peder por em p, no
fim de urna garrafa do xarope etbereo de
': veame j se achava elle no estado de pas-
seiar em casa, desapparecida a inapetencia e
os escarros de sangue ; e a tost asiligass.
No fim da segunda j achei em estis e
faze-lo passearpelo si io todas as asanUas.
Arabada esta o aconselhei. qoe continuaste
no uso do mesmo xarope etberio altaraio
com o xarope atcoobco de veMaBse, e qae
usasse dos banbos salgados na pancada do
mar. Sentio elle nos primeiros banbos al-
guns choques, mas eu o aconseibe- qoe eaa-
tinuasse, com o qne se tem dado muro bem
quelcche.
Pedro, Pernambuco, 8,annos, Santo Antonio, es-
cravo, colite aiiuda.
Amaro, frica, 35 annos, solteiro. Santo Antonio,
escravo, apoplexia por snbroerso.
3
ma do r. Manoel Pereira Laurianna Maria da Assomps5o, Pernambuco, 3
Amelia, branca, flina legitima dejThomaz Llns So-
riano e Guilhermina Amalia de Ges Lins So-
naoo.
Carlos, braneo, fliho legitimo dos mesmos.
Felismini, parda, filha natural de Francisca Mara
da Concfirao.
Anna, branca, lilha legi
sta provincia no^ de grandeza em qoe deve es-
tar, e qoe ha perdido por circumstancias especiaos
ao alcance dejvtodos ; (ario bem proteger ranina
eleicao, liberaiwando me seus votos, e solicitando
em meu favor os rotos dos seos amigos.
Querer podar : se boje resoscito e quero fazer-
me valer, fario bem todos os bomens honestos tan-
da Moraes Pinheiro e Maria Amalia de Moraes annos, solteira, Boa-Visla ; tubrculos pulmo- tarem a experiencia, que nao pode trazer conse
Pjnheiro nares. quencias fataes a piovincia e ao paiz d
Virginia, sem! branca, f >rra. fllha de Liberata, es- Anna Maria da Conceico, Pernambuco, 3J annos, -qaalqoer pooto
crava de Valentim do Valle Lobo. | n solteira Boa Vista ; phlysica pnlooMr. meios
Lecncio Amancio de Rosalina, Pernambuco, 2 annos, Santo Antonio, rados
de vistaalienta a facilidade dos
5 para obstar o desregraraeolo dos inconside-
Thoiu do Reg 1 barros.
Herculano Antonio de Oveira.
Francisco Antonio de Qjiveira.
TbesuurHro.
O Sr. Antonio Jjaquim da Gama.
Mu domos.
Tedoe joe devotos moradores da reguesia, que:P"is que tenho recebido
cartas de
quisr.rem concorrer para a festividad*1.
Cachaoffl, .20 de fevereiru de 1865.
O vigario 1 nromm"ndado,
Jos Zacharias Ribetro.
Franci-ca, fllha legiiima de
Carvalho e Cesara Rachel dos Santos,
o neressanl- noMciano daquelle*Isabel, branca, fllha legitima de Manoel Joaquim
Ribeiroe Fraocisca Maria de Mello Ribeiro.
Antonio, hranco, Olho legitimo de Joaquim Ferrei-
ra da Costa e Mara Candida da iosta.
Lenidas, branca, fllha legitima de Germano Pinto
de Magalhaes e Francisca de Paula Luiza de Car-
valho.
Maria, branca, fllha natural de Rosa Maria da Con-
ceico.
Arthur, erioulo, fliho de Sophia, escravo de Joa-
quim Pereira Bastos.
Zefenno, erioulo, fliho legitimo de Joo Pereira da
Silva e Mareellot Francisca de Paula Ramos.
Amelia, parda, lima natural de Martinh Vieira.
Caetano, pardo, Olho natural de Antonia Maria da
ConceicSo.
Tneodoro, erioulo, fliho natural deDelphioa Maria
da ConreiQo.
Maria, parda, fllha legitima de Manoel Jos Ramos
da Costa e Leopoldina Theodora doa Passos.
Ambrosina, branca, fllha legiuma do major Malinas
yieira de Agolar e Maria Jos de Jess Agolar.
bronchites.
Honorato, Pernamboco, 3 annos, Boa-Vista; vario;
las confluentes.
Prudenciana, Pernambuco, 30 mezes, S. Jos-
convul^Ses.
Luiz, Pernamboco, i mezes, S. Jos; convut-
edes.
Franciseo, frica, 85 innos, escravo, Bo-Vista ;
pulmente.
HRM(*a_JUB.CUItU
TRI Hl \ A I, l0 nflKH IO
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 4 DE
JANEIRO DE 1866.
PRESIDENCIA 00 EXM. SR. DRSKMBABOADOll
ABSBLMO FRANCISCO PKBITTI.
As iO oras da manha, estando reunido* se Srs.
deputados Rosa, Basto e Minada Leal, o Exm. Sr.
presidente declarou aberta a gesso.
Lida, foi approvada a acia da sessao
dente.
odo mes fallecesse o bom senso, e o amor
m dignidad*.
o-me capaz de fazer o bem, e embarazar o
reeuei ante tio ousada tentativa, to gran-
auga tenho no distlncto corpo eleitoral do
cto desta provincia.
or qoe me aprsenlo a sos patrocinando-rae
a boa vontade dos bomens de bem, neo forte-
[do em minha craOaoca, agradecendo desde ja
ellas qna ase hoararem atteadldo e considerado,,
Salquer que seja o resoltado.
Dr. Antonio Borges da Fonteca.
Correspondencias
AnacahnlU peltoral de aaeaap.
Urna simples tosse pode chegar a ser mortal se
nao se alalbar a tempo ; p rom evitar-se-ha com-
pletamente o pnrigo fazeodO'Se oso immediato da
anacahuita peiiorai de Eemp, a qoal medame a
ua benfica influencia faz ceder rapidam-nte a ir-
ritago dos pulmdes e garganta, e re.-labelece sua
acgo vigoro>a, regular e saudavel. Os que dizem
que a aslluua incuravel muilo se enganam.
Risa tonificante composigao vegetal subjuga essa
i affiVtiva molestia, anda u.esmo quando debaixo
1 das formas as mais obstinadas e aggravantes. As
anginas nunca lerminaro em bronehitesa tosse
i em que se me communica o sea boa estaos.
Nesta molestia os expositores de
na nao aconselbam banhoe salgados,
quando delles tratara, dizem ser appJtcados
as ecmphulas, hypncondria, esthenaaso.
ame^norrhea, raclhismo, etc. ; entretasv*vi
este b-m resultado no filho do Sr. Cristiano,
e otiirus' factos iguaes tenho visto as
1 slias siphyliiicas, e outras muitas que i
o uso do xarope alcoolico de velLme
oliliilo cura radical.
O Sr. Dr. Silva, medico babH de
depoisde ter applicadoa um sea doeaM
rheumatismo o xa ape alcoolico de u
logo que elle se po* em estado de
em phlhvsicanem a rouquido em asthma, se moleta^, em qoe anriava arrimis,

Sniores reiaelorts.Smenle consent ni pu>
blieacio das pilavras que precederam as felicia
(das das distinctat amaras muaicipaes de Sal Succumbem
t'ieiro a rabrob, l eoconlrei o
^^^^ea pouco apreciadas pelo ~
aiiac r I la provincia, qne nem ao meos
I acensar raoepcao de seos
Mgulmel
T. presidenta
tan digaadi
desde logo em seos principios forem alalhados com
este balsamo vegetal soavisador e sedativo ; seus
benficos effeitos sio promptaraenle executados as
enfermidades dos pulmdes, dos vasos broncbos e
da pleura.
Pode se achar a venda em todas as boticas e lo-
jas de drogas.
Vndesen*s pharmaclas de Caors (t Barbosa e
J. C. Bravo & a
PIH b jale.
O xarope etberio de veame por mira pre-
parado muito tem proveitado aos que sof-
rea desta mujestia, e de lamenta<-se, que
no obtuario tiesta cidade a maioria dos que
de tubrculos pulmonares,
procurarem o lecurso dj pratico e do
experiente, que Ibes pdem encaminbar o
aio de sua salvaco.
Ihou que c mtinuasse com o oso do
xarope conjunctamente con os
gados, com qu se tem dado maito
um dos mdicos qoe all em Maceio leas
pleta confianca as preparaces de
por mim feitas, pelos baos
tem obtido em sua clnica.
Quando algoem se v cosa tosse sai as i
dico, este o examina e declarao
t alectado dos polmeso
ma com esta sentones, eoteode
mais cura, quando oa facise a
teem demonstrado que moitos teado
rado o lugar apropriado,
e assim explicam muilos
dicina.
Ora, nessa provincia
L.
estn
aaass-
/*
.V
) 'X l
1
<*>
,-
Mi


Marto ote B^rttirt
6# *exta felra 3 de Jatfrtk o de 8
<
Birca hinnoverian h'lio, entrada de Trieste
consignada*, Saudas Brotli"rs & G. manfestou
2:|63 barricas farinha de trigo; aos mesmos.
IECEBEDORIA DE RENDASP ISTERNAS GE-
RA1S DE pHRNAMBUgO.
Rendimeoto do dia 1 a I...... 1:938*075
dem do da 4................. 1:038*5*8
2:976*600
CNSUL A f>0 PftOVUtClAL.
Rendimeoto do da 1 a 3......*
dem do dia 4.............
35:1624072
je e recurso do ar; por que a va frrea
nos proporciona, pois que em pouco teiipo
vina pesaos que existe nesta cidade factl-
roeote se t ansporta pan as ultimas estarces
dij Gameteira e Una, lugares perto do Boni-
to e de eutros pontos que sao considerados
sertao, quauto ruis que os meamos lug; res
j nao sao mos, segundo pens, principal-
mente no orto.
lias dir-se-baurna pessoa pobre nao lera
meios de so transportar e all estara isso
se responde, que naquelles lugares exislem
casas vasias e alugam-se por prego comino-
do, e mesrno muitos gneros de prim> ira
oicessidade aili se vendem pelos mesmos
preces que aqui.
Aquelles, pois que estiverem nestas .;r- Naviol mniil m m 4
cumstancias, eu Ides facilito explicar os autos Liverpool*2 das, vapor mgiei encoaracado Mi-
pelos quaes se devein reger, e Ibes fornece-; nena, commandante Dowaaid. Receuea car-
vio e seguio para o Rio de Janeiro.
Montevideo40 das, sumaca hespanhola Dolores,
de 140 toneladas, capitn Silvestre Mani, equi-
pagem 10. earga 3,31!! quintaes hespaaboes de
carne ; a Tasso A Irmao.
Navios saludos no mesmo dia.
Rio de JaneiroBarca brasileira Boacica, capltao
Luii Francisco de Souza Juuior, carga assacar
e ouiro-; gneros.
CanalBarca prussiana Gluckduf, capilao A. Rei-
dei, carga assucar.
Observapio
Suspenden do lama rao a barca ingleza Imogene,

Para o Pdfta,
Pretende sabir aten dla-10 da Janeiro prciin*:
(atoro brigtM tsptrtnca ; para o rosto da ea
t passaffeirov trata se eorn Cnafta lrmaV 4
ra da Madre de Dos n. 3.

fflSOS DIVEffiSirS
Para a Baha
n
CURSO
M
segu impreterivelmenle oestes seis das coma' l U "1 i i 1/ II I If'kj*
#rga que livor, palbabote Gloria 11; por isso' _
13 019?9i <|uem quier carregar, p'le dirigirse ao consig- Jose >oares de Azevedo, professor de
;H24778 otario Jw,^^^ nacional no Gymnazio
1 -A.....~t\ ~\ '--------------,'Profkcial do Reclfe, tem aberto em sua ca-
Para a Babia.
IITOVIMENTO DO PORTO
O patacho D. LUIZ a sabir con toda a brovida-
de, apenas coro demora de 10 dia?. Us Srs. car
regadores podero despachar sua carga e para
que ainda se recebe trata-'se ConTo eapitJo e
eom Jos Mari Palaeira, largo do Curnp Santo
re os medicamentos gratuitamente,
NSo deixarei de advertir ao publico, que
as minbas preparacoes de veame sao reu-
nidas com outros ingredientes, e cora el les
tenho obtido ptimos resultados: au se m-
gane o mesmo publico com outros que por
ah se annunciam, cujas preparacoes ignoro,
assirn como o aproveitamento aos enfermas,
a quem porventora lenham sido applicados;
cada um responde por si, e eu affirmo com
verdade o que aqui tenho relatado, cujos me-
dicamentos nesta provincia s vendo em mi-
rilla botica na ra Oireita n. 88.
Jos da Rocha Paranhot.
Nazretli do Cabo, 7 de setembro de 1803.
Iilm. Sr. Jos da Rocha tWanhos.O m
o maior prazer levo ac conhecimento de V.
S., que o doente que V. S. acha-se admi-
oistrando-llie re i tedios, acha-se no todo res-
tabelecido, portanto, ndaseme, tendo dcs-
apparecido no todo a tosse, tem muita di.spo-
sico comida e acha-se nutrido. Deix )u
tomar os ltimos remedios que V. S. reo i-
tou no dia 30 do passailo.ifesta agora a V.
S. mandar-rne dizer qual a dieta que o
doente deve conservar e por quanios tem-
pos, mencionando as comidas que dever
usar daqui em diante.
Besta-me agora agradecer a V. S. o cui-
dado que torauu no tratamento do meu so-
brinho, abaixo de eus, devido o seu resta-
belecimento a pericia de V. S., e por isso
pode V. S., sempre contar com os meus di-
minutos prestimos, e desejarei em todo o
tempo dar urna prova do meu reconheoi-
mento.
"V1....."V ***
Para o tfiorto
pretende seguir com bxevidae 4 toare portugue-
ra Ctaudina, de Ir mareba ; para carga e passa-
ei ros, iratase cora Cuaba Irmaos &.C., na ra
Madre de Deas n. 3, na coa eapitao a bordo.
Para a Hhade S.Miguel.
Do Rio de Janeiro esperado o patacho porta
goez Fernando, o qual tera' nesta ponca demora,
pqp* ter metade de sea campamento promplo :
para o resio oue Uie falta trata-se com os sens con-
signatarios Antonio Luiz de Otiveira Azevedo 4 C.,
no sao escriptorlo, ra da Cruz o. 1.
CdaSiaW"Srai,h,com a mBSmacarg*qU lrouxe,Gapanhia de paqaew a v>or catre
' os Es atoswto f o Brasil.
DECtARACOES /t^ C0TDt8 e,sper;
se dos portos do
ani o vapor South
America, enm-
mandanteTinkle-
poogh, o qoal de-
pois da demora
do costurae, se-
para e S. Tho-
Santa Gasa de Misericordia do
Recife.
A junta administrativa da Santa Casa d>) Miseri-
cordia do Recite tendo fcito e continuando a fazer
grandissimas despezas, j com o costeio, j com o
melhoramenio dos esta be I eei me n tos pios que e-lao
a seu cargo, mana pela ultima vez avisar aos
seus devedires em atraso, e tambera aos ajores
destes, que brevemente far publicar pelo Diario
a relapso dessas dividas, e promover sua cobran-
ga pelos meios judiciaes.
Convido, portanto, a lodos aquelles que nao qui-
zerem ser cbamados pelo Diario nem atrepelados
p-'la justiga a tratarem quanto antes de solver seus
dbitos.
Secretarla da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife 28 de dezembro de 1865.
Oofflcial,
Manoel Amonio Viegas.
"
sa, ra Bella n. 37, as seguintes aulas de
! preparatorios:
LISC-UA FRAXCEXi
GEOGKAPHIA 1! HISTORIA
PHiLUSOPUIA
RHETORICA E POTICA
As pessoas que desejarem estudar qual-
quer destas disciplinas, podem dirigirse
indicada residencia, de maobia at s 9 ho-
ras, e dejarle a qnalquer hora.______
Francisco Pereira Raposo, urna sua mana,
mniher e Qtbo menor, vio a Enrona.
r Antonio Caetano Martlns Marques, subdito
portuguez, retira se para Portugal.
A Sra. Mary Beviv, subdita ingleza^ vai para
Inglaterra com qaatro IIIboa menores.
Aluga-se para ama umapreta es era va:
tratar no Passeio Publico n. 8.
Dentista de Pernambueo
RA ESTREirADO ROSARIO N
AO P DA IGHEJ.A.
FRANCISCO PISTO OZORId
COLLOCA DENLES ABTIFICUES PELOS
SYSTEMAS MAIS MCDEnNOS.
Emprega todos os meios scienii-
fleos para conservar os naturaes.
Pode ser procurado em seu gabine-
te das 9 horas da manhaa as 5 da
tarde.
ADEIBO LE
' Jgt-O. Candida de Souza
PdUngal.
Hattos retira-se para
Atten$lo.
A abano assignada com aula na ra larga .do
Rosario n. 37. avisa aospais de soas alumias n a
quem mais coovler que do dia 15 por diante, tem
sua aula abert* para conlinuar sus trabalhos.
_ Priscllla S. M-ndes Albuquerqne.
F jno armazem da bola amarella no oiiao da i>creia-
ria da polica reeebem se encommenoas de fugo
i do ar para dentro e. fora da provincia.
Atteii#"o.
A pessoa que annunciou precisar de 1505. diri-
ja se as Cinco Pontas n. 03.
Santa Casa da Hisericordia
Hecife.
A junta administrativa da Santa Casa de Mise-
ricordia do Recife manda lzer publico que no dia
Desej'o a V. S. todas as venturas, por S3r 9 do corrente, pplas 10 boras da manhaa, havera'
V. S. muilo respeitailor e brigadissimo concurso mau aecratarla par'x provimento do iu-
gar de eserivo : os pretenderles poderao dirigir-
se a mesma secretaria para as precisas informa-
rles.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife 2 de Janeiro de 1865.
O offlcial,
Manoel Antonio Viegas.
de V; S. muilo resp
criado Francisco ieringuer Cesar de Me-
tieses.
COMMERC'O
PRAQA DO RECiCt.
Cotavdes offlciaes.
4 de Janeiro.
Algodo primeira sorlo 185300 por arroba.
Cambia sobre Londres 90 d/visla 28 e 28 l|4
d. por mil ris.
Dubourcq Jnior,
Presideute.
' Guimaraes,
Secretario.
Caita filial do banco do Brasil coi
Pernaninuco.
A caita descoma as letras de seu aceite pela
tana i>: 9 0(0 ao anno.
Oguarda-livros
Igoacio.Nunes Correia.
Caa&a filial do banco do Brasl
em Pernambnco.
Tendu-se desencaminhado da massa fallida de
Gm lierme Garramo & C. o recibo rte lo acc.5 w
das localisadas ne>ta caixa, soh ns. 2787 a 2801,
pt-rl' nrvntes a Guilheruie Fredenco di Souza Car-
valii 1, socio daquella tirma, a directoria faz publi-
co a ijuem inlere-sar soasa, que por parle de Jas-
feo fos de Souza Campo-, administrador da r
fer i da massa, se vai proceder a transferencia re
ditas areffes para a Sra. D Henriquea 4a Sllv
actual posaaidora 'las mentas, visto as ter em has-
ta publica comprado, como ludo provam com d-
cume.ntos que licm archivados nesta raiza.
Ciixa filial do banco do Brasil 30 de novemb o
de 18155.
O euarda-livros,
Ignacio Nunes Correia.
Sovo banco de Pernam-
bueo.
O Piara Banco descoma letras a 12 por cenlo
ao anuo, toma dinheiro a praso flxo ou em conla
crreme pelo premio e conoijoes que se conveu-
cionar. e saca sobre a praca da Bahia
ALFANEGA.
Ren lmenlo do dia 1 a 3......
dem do dia 4 ...............
34:1405861
42:1744382
96:3212413
MOVIMEiNTO DA ALFADEGA.
Volumes entrados com fazendas----- 348
- c com gneros..... 678
Volumes sahidos cem fazendas
< com gneros...
-------1,023
107
633
-------74
Descarrepam hoje 5 do Janeiro.
Patacho nacional Palma -farinha de trigo e mais
genero-.
Escuna h >llandeza Speculante -diversos genero 1
de estiva.
Vap ir io,'iezGladiator mercadorias.
Brizna hamburguez Nyade diversos gene-
ros.
Brigite brflmos3H'//(i-farinha de trigo.
Barca banovenanaKUo fartoha de trigo.
Brutue portuguez Relampaijo -pedras.
Patacho naooveriaoo Ida & Charlottediversss
gneros.
Barca ingleza7Vc/;/icarvo de pedra.
Barca inglezaRumih carvo de pedra.
Barca inglezaFanny- idem,
Barra injjlezaVisinidem.
Barr maleza Ronald dem.
liare 1 nacionalHntina --hariiae.
Barc nacioaal Santa M'iriaidem.
Brigite nacional Sellaidem.
Brigue argentino Volante idem.
Patacho oriental Santo Aoostinho idem.
Escuna dinamarqueza -Juno idam.
Polaca hespanhoia AnWAa-idem.
Importaeao.
Polaca hespan ma Vicente, entrada deBircelona,
consignada, a N. O. Bieber & C, m.nifestou q se-
guim-:
154 pipas. 113 barris de 5, 130 decimos vi-
cho tinto, 100 cofas amen loas, 1 bahu calcado;
i ordem do eapitao D. Gabriel Masti.
Patacho hannovisiaoo Ha & Charlotte, entrade
de lli n'iurgt, consignado; a Ujmiugos Aivcs Mar-
tin-, manifesten: ,
2 canas fazendas de algu-JSo ; Schafheitlia
C.
3 ditas chapeos, a G. Chri-tiani.
1 fardo carnizas de la, 298 caixas ve lias steari
as, 23 eaixts vidros ; a Riba S'-hmmeltau A C.
8 canas mercadorias, fructa era conserva, fer
ragen-, couve, e vidros a olio Bohres.
2 caixas cadernos para escrever; a Lioden Wild
-A C
3 caixas mnsias, ">0 barris potassa ; a ordem
1 emxa niano, 270 barricas, 800 frasq>ieira.,
1 OJO irrafos, e 200 caixas g-nebra, 330 laboas
<1-) pinho, 50 barris aicatro, e 30 caixas velas ste-
arina-:; D. A. MatBoes.
7 caixas vidros e botSes; a Lsdislo Jos Fer-
reira.
2 cfttM faseadas de Seda, t dita piano,- a
Theodro Chistiaosen.
2 caixas l nara bordar, e 1 dita ferrageos; a
D. P. wn & C.
1 il.ta cama ; Brender a Brandis..
1 fjrJo fasendadel; Alvos Hamburger 4
C
1 caixa albuns, 1 dita diversos artigos, l barril
ractas seccas; F. H. Caries-
Pela reparticao das otiras panucas se faz
publico para conhecitn-nt dos proprieiarios oas
ras do C itiitgi, R isjcio larga e estrella, que se
vai proceder ao calgaraolo dessas ruis, e que fica
marrado na forma do regulamento de 27 de jo
uho de 1864. expedid' para a xecugao do art. 47
da lei n. 5 6, o prazo de 30 das para a construe-
5u dos passeos, os quaes deverao ser feitos" cora
lages que lenham pelo menos qualro palmos qua
dr.iii 1- de superficie.
Secretaria da re >artie,5o das obras publicas 3
de Janeiro de 1866.
Servinlj d i secretario, ;
loan J-iaquim de S. Varjao.
D psito de recrutis.
O conseibo.econmico do mesmo depoMlo manda
fazer publico, que no dia 3 do crrente, peante o
referido conselho, se ha de ar/ematar a quera por
menos liaor o (sr..fi.n*in.ii dus KOQeros HMBM0O :
Arruz pilado, assacar refi/udo inasc branco de torrSo, azeite doce, agurdenle, baca
litio, cal muido, carne secca, carue frnsca, f.iri-
uha de mandioca, fejo, l^nna, raantelga france-
za, pao, sal, toacinho de Lisboa, vinagre e vtuho,
alera de todos os g-ra-Tos precisos para as dietas
dos dientes em tratamento na enfermiria militar,
devendo ser laes gneros dos da primeira qualida-
de n 1 meicado.
A arremataran ser feita por tempo de tres ou
seis meze-, conforme cunvier ao conselho.
A< pessoas que se prupozerem a esta arremata-
gao comprelam na secretaria do mesmo deposito,
no quarlel da SoleJade, no dia cima mencionado,
peas l horas da uiaoha, e competentemente ha-
bilitadas.
E para que o referido conste se maniloj publicar
pelos joroaes.
Secretaria do deposito na Soledade, 31 d dezem-
bro de 1865.
O secretarir,
Alferes Polycarpo Jorge de Campos.
Pea subdelegada da apuaga fui recolhida
casa de detencao no da 26 de dezembro prxi-
mo lindo a pi ra Felicia, qua diz ser escrava de
M.uiu -i Jji |aini, moralor ou senhor do engenho
Goiauninha, sito era Ierras de i\ S. do O'; e para
que ebegue ao conhecimento de quem se julgar
com dtreito a dita escrava se faz o prnsenie an-
nuncio.
Subdelegada de polica da Capuoga 4 de Janei-
ro de 1866.-Osuhlelegado em exercicio
Francisco Anl inio da Silva Cavalcanti.
~lnspecco di arsenal de
uarfnlia.
Faz-se publico que a coman-sio de peritos, exa-
minando na forma determinada no re^ulamento
anuexo ao decreto n. 1,324 de 5 de fevereiro de
1854, u casco, machraa, caldetra, apparulbo, mas-
treacio, veame, amarras e ancoras do vpor
Permnungti da corapa ihia Pernarabucana da na-
vega^) costeira, achou toilos estes objectos em
estado de poler o vapor navegar.
Inspeccao do arsenal de marrana do Pernam-
bueo 4 de Janeiro de 1866.
O inspector,
H. A. Barbosa de Almeida
Tribunal do conmercio.
Pela secretaria do tribunal do coraraercio de
Pernambueo se faz publico que forara cesta data
regi.-lrados : o dwtrato de sociedaJe do Man >el
J aquira da Rocha, Mraoel X*vier Cir^ea Lima,
e Jj> Guilherrae Ginntrej que gyrava nesta
praya soh a firma de Richa, Luna & Gaimaras.
era virtude do qual fleu o ex-socio Giimires
exoaeradode toda resp josabilidade e seni mais di-
reiio a rec.laraacISo alguma des le o dia 3J de ja-
abo de 18 >0. qnindo terralnoa a soctfdide ; e o
de Augusto Ciors e Mtooel Alves Barbosa, que
tambera gyiava nesta p^aca sob a firma de Gaors
& Barbosa, cuja duraco Qndou era 15 de abril do
correte anno, llcanlo a cargo do ex socio Ciors
lodo o activo e passtvo. e o ex-socio Barbosa exo-
nerado de qual^uer responsabilidade e pago do
que Ibecoube no balanc) a que procederam.
Secretaria do tribunal" do ommercic de Pernam-
bueo 28 de dezembro de 1865
O offlrial-raalor,
Julio Guimaraes.
gira para New-York tacando no
maz.
Para passagens etc. tratase eom os'agentes Hen-
ry Forster A C., ra do Trapichen. 8.
COMr-ANHIA PERNAM3UCANA
BE
ravs5!'cao costoira por vapor.
Portos do Norte al Granja.
O vapor Persinunga, comman-
danta Belrairo, sahira para os
portos do norte at Granja, no
dia 9 do correte as 5 horas do
tarde. Recebe carga soraente at
o da 8; encoraraemlas, passageiros a dinheiro a
freie at as i horas da larde do dia da sabida
criplono no Forte do Mallos n. 1.
~de
LOTERA
Aos 6:000$00O.
AMA
}m cada garrafa, ra, catre a
liir leva o aen nele, uaa rata*
rrllo con o selio lariii
N. B. RcawtterulO-lt
sobre Paria, aceilarel a dt Oaa >
goa-K do abaUmcajn e 4o
Deposito principal
lo Irfiliiuo Le Ro/
em Caza do domo
nico, afete pala
Rrazil a Saa Aara-
>io PaANC : de L*-
cuu na Baha t
noa principa*
marru tecos.
Precisa se de urna ama seca : na Inja de Mitos
ao p do arco de Santo Antonio.
Precisa se alujar um moleque pa a o
servico de casa : a tratar na rua do Crespo
n 23.
Una de Miguel
O patacho portuguez Jwgens sahe Impreterl-
velmente no dia 15 do rorrenle : a tratar cora Joao
do Reg Lima na rua de AtjoIIo n. 4.
Corre segnada-feira 15.
Adiam-se venda na respectiva thesuu-
raria rua do Crespo n 15, os billetes,
meios e quintos da 9' parte da lotera
(44), a beneficio das familias dos volunta-
rios da patria, cuja exiracciio :>er no logar
e huta do i'i sttime.
Os premios de 0:0003000 at 100006
sero pagos tima hora dermis da extraccao lr*lar Da rUi* do Mondegr-, alaria n. 13.
at as 4 horas da tarde, e os nitros depois! Aos Srs. pa s de fa m i I i n
da distribuico das lisias. Faz vero abaixo a>-i.uao que a .scola a s u
As encommen las serSo guardadas so-; cargo (segn ia de intrucho pi imana di rr gue-
e8'mente at a noite da vespera da extraccaoi,ia Samo Antonio) eonvea os >eos iraaatfw*
r,r. ii J^e,.mn n> dia H d ) a jlanl-, et-unl i a inesi a s tuaila a
como de costume. rua da ra4eU NijVa(aten?ail) n. tl.
I Precisa-s de ulna ama fjrra ou e.-crava pa-
; ra fazer as c.mpras e o servico Interno d" nma
casa de piua fain lia : a tratar na rua da Cal
Vellu n. 4o, loja do Porto.
Alaga se a casa assobradada n. 36 na roa da
Afcgria, iimpria para fa-nilia ou estudantes: a
ISILOES.
O ihesourciro,
Antonio Jost'1 Mu Irivue* -I-* ^"
i
O profes
I i i I
>r cnidico,
.11 "i e
LEILAO
Do sobrado de um andar o soto da roa do
Arago n. 26, que rende 5 05.
Ura dito na rua da Roda o. 47, que rende aa-
oualraente 8b43>, e edificado m chios propri03.
Cinco terrenos (era liohs da rua da Aurora ao
collegio de S. Viceute de Paula no Hospicio) sendo
el les cortados pelas ras da Uniao, Saudade e
camlioa dos Ferreno-, tenda.cadi ura 33 3(V pal-
mos de frente e 138 3|4 da fundo.
Sexla-feiaS de janpiro as \\ lio as
em polo.
Por intervengao do agente Piolo, em seu eserip-
torio roa da Cruz n. 38, primeiro andar.
&*" Feira semanal
De trastes avulsts, objectos de o ro e
pr tu, relogios e outroi. muilus 1
arligos.
I JE
Sexta-feira 5 do crrenle as \ l horas.
NO GRANDE AHMAZGM DE LE-LES
DO AGGNTV.
OLYMPIO
36Itiiu da adea ao itcele-36
'
De38jacazes ciiu tiniciiiiii de Minas
marca C.
HOJE
OagenU Pestaa fu leii por coata e risco
e quem perteacer de 38 jacales cora toucinho de
linas marca C, em un on mais i tes a vootade
dos compra lorosv: h >i-> 5 h corrate pe'as_ 10 ho-
ras da raanha no arma'.ein ) Sr. Atevedo de-
fronte da escadlnha da alindola.*
LEOO
' Ds nma ?Mcca leileira com cria.
Hoje as 11 Uaras na porta do armazem
do agente
-
-n

*d 3
O"
S O
> 2
es a>
d O <
w
53 3
>^
(^ .uo
o
B-
n 6?
a 3
H
o
cw
&
LJ|rJrJrJrJrJrJrJrJrJi-JrJrJrJrlr-'r4-|
r
3
|S
j
5
S
S
yjrJrJrJrJrJrJrJrJrJrJrJrJrJgi=r.r;

OLYMPIO
36-RUA A CADEJA DO HECIFE--
Do edtScio da fanncude sahS da na I roera I,
com espaco de I 8 palmos de frente, 404 de rundo,
iacluiado-duas caldeiras cora fornalba e bueiros
com 270jds, cubicas cada om, feitos de tijollo e
cal, maifeira de pioho, r.sfrigeradores, cerca de
3,500 pee dV enpraoohamenw superfloo chapeado
com Ierro, 16 cacos vazios, urna maehinaide tor-
ca de doie cavailog, .'erra circular incompleta, 3
prensas de ferro foodido, 150 p- de cano de gaz,
j 40 dito de ferro fu4id0j eixos, tambores, rodas.,
um raojp de cano para a machina da prrar, 400
! pos de correles, 6 quintaes de ferros velhos, ludo
no estado e lugar era que se acha na referida fa-
brica na rua 1 ni penal.
ierga-feira 9 4ejaie.ro.
O agente Pinto farar JeiiSo a reqaerimento- dos
admuistiadores da mas-a fall la de rtosiron, i
Rook-r & G. e por mandado do Iilm. Sr. Dr. juii ,
esoecial do comraercio (em ora oo mais lotes>drjs
objectos aolma mencionados uertencentes a referi-
da massa, as 10 horas era poni do dia cima Wo
na mesma fabrica Ja rua Imperial.
BaBBBBaanaai
O Alcoholado de Guaco de Pascal urna nova preparaco da qua!
basta mencionar suas propriedades para appreciar sua importancia.
Era primeiro lugar um preservativo inalivel do contagio venerio (ver
folheto para o modo de o impregar).
2o Tem a vantagem de ser o remedio mais certo e mais agradavel para
as molestias syphiliticas de toda a especie, ulceracSes primitivas e secun-
darias, ec.
t 3o Empegado em injeccoes, o melhor tratamento dos corrimentos
recentes ou cftronicos as pessoas dos dous sexos e da leucorrhea as
tnulheres
4 Emftm como antidoto dos virus, soberano na cura das chagas e f-
tidas, de m natureza, chagas gangrenosas, dartros, ulceras das pernos,
opfitalmia purulenta, ou blenhorragica, mordeduras e picadas de ani-
maes venenosos, ec.
Esta especifico vegetal, izento de toda a ac?ao mortfera, foi experimen-
tedo nos hospitaes de Paris, Lyon, Marcelha, ec, e recebeu a approvafao
dos distincto douteres Ricord, Bachet, A. Richard, Calvo, Diday,
MELCHIOa ROBERT, COSTILHES, BERENGER, eC.
Deposito geral em Paria, botica de CHEVRIER, 21, ru du Faubourg-
Montmartre.Casa de expedicSo, PASCAL e C, 33, rua Monsieur-le-
Prince. Paris.
cedor da Caza Imperial do Eiereito
francei, garante te que qnalqitr-r
pessoa podera sen 4or aeaa fui*\
lvrar-se de seos callos. Esta inven-
Cao : privilegiada em varo* paizes.
reconhecida oficial mente efffieaz
por 15 nacAs, premiada com
dalliasdel1e2'cla*neeappfo,ada
por diversas academias e pelo Ea"
Presidente da Junta de IIygicne i
corte. Por ordem do Minhtro da
G tierra fez -se em Pariz experievxa*
sobre mais de 2000 soldados trac
fica rao livres de seo* callo*; igaul
resultado foi oblido na gaarnirto
do Rio de Janeiro. Haia de 3000
pessoas ja se tem curado coa esta
Limas. As provas do qoe so diz ci-
ma e os attestados arliam-se a*>
prospectu, que se di no Ir.po'Kas,
Casa principal em Pariz, R Prinet^
Kugne, 18, Agente pomo Bruz,
o S' M. O. ABRANCHES. rm
da Alfandega, JV 10. no Corto.
Le sr no Mamilar t la l'harmmtm.
A cli-rlririd.ide baje eanpirfa4a par Hnfiw aa
mediros afjmjdos. pura o irjUaa.nl aV um
molestias, Diesmo para as qae reaiatra* aa alraa
mi-dicace.
a A eli-rtridade predmida peta frirraa lesa aasa
sui. i'kTiikie inconleslaiel, ea laatafraa r na*
da r abalo*, e de poder ser graduada pela ante.
A causa a mais frcfiurnte das aaatef'aa
esiaKoafa do sango*- ou dos airas uajaidaa st-
i..< Kistableccudo se a ccoUfaa> %*-
nismo, curaran-sc as mrlestias.
Quando se sent a^-una dAr tai nrlajaer
parte do corpo logo, e inslinctnammlr, serrTrrsa
o !u ir emlo'orido com a Basa, r .loalliva. l-'>
ptplica o rrsnliado inrunti -utrl ajac
duir um apparelho e'relric*. Par i
|irarr< r.i unnuiiriaran Pulilicn<|uooS de Uitilli-rs res dt-ntr, baak-sart da
n..T..., o, n;... .i... .. H-ina *> aaa
app irclho SUctro Ma^oelico, sob a Coran e
urna osi ova, cem o qnal os dorales se poaV-raa
cin t sem nvliiima ouira nedica^ao. Oa aardicaa
que a lem rirx.-rini.iil.nln, ai testaran aaat a
. Escova lotao BCaojsETica Oka* para
curan OS KbeuiasatissaMs.aParaljs-a, Calta,
aTraqueza dos mrsnbf os da C^lasnna rr-
tebral dfblidade geral, 2frTragaa, e*aw
K-tamos certos que breve cada taani a>paaaaaaa
esta c%coa que pn-iarj grandes imita*.
A pedido de militas pessoas, o aa*Jt deeidla ai
a eslblecer um deposito de seo apparehas a* a?
> Rio de Janeiro, em tata da Sa Usmu ifraara,
rua nota do Uuiidor, 33.
Pernaiui'uo, liriuacia Irm.e/a de P.
Maure ra n. 18.
i
Mi
(lanrs & lia b>- lod'is'os m-ii- fre-jiif-/>-. d* tH .. <| t^i^l aa-
i bario 'U rniitr ii,) s i.-;ii, r --i r i Aa .-in-i->ajV
o Sr. Maiin-l Alv s |; nii.i-j, ti'-Hti o rtivi> f ^s>
[live ri^ ttii ii :i cart-i di > i-i'i n *>. A Cutr*.
ijii- rniiliiKMi.. o ni- -ii. i MbbjbJ da pnarmasna -
I dr' Baria uVhaii do DOOM de A. Cu f s. Hvntts
; de |neiro riu iRfifi.
i'i
molhnri
Di i it i n. IV
isa-sc ii ii n calx i
une d flarUr tna ral
ea > ratra !*
limeta : aa rn*
S'TVI'
do frapn
de reme
! n. IK
Creme,
hoj- ao on*io di'
ni nta
A i iix'tuiii !!> ri'iii-jio .<- A. >. di naarii-
qao, n>s Owlhiis, n. li, aelataaViaa* a- fr*riaa
referido collgm no da 8 do r. r-. ni- i-n>ir.>.
por eonsegunte entrarla das alin n- ite-aV pact-
|e da.
rilDKffirjQ) 6ini4
Relar> das cartas seguras existentes aa admiois-
traeo da curris desU cidade para os seooores
abaixo declarados:
Dr. Antmiii Jansi-m de Matos Pereira.
FTreira Looreiro.
Francisco Cordero ra Rocha Catipello.
Liliorio Affooso de Ollveira.
Luiz Gonales da Silva.
LKILO
AVISOS MARTIMOS
COMPNIILV PERNAMBUG .NA
BE
NivesiCrio cnsleirn por vapMr.
- Maceie eseths Penei e Aracij.
S^am n du 13 is 3 n ir s ria tarle. il rapir
Parahtba, comman Uotn Mirtina R-foba ca
al o da 11 E nheiro a frote at 3 b iras rit lar te d-j fita da sahi
da : escriptorlo ao Porte do Matl.s a. I.

D'Msi'o, nnstreaco, machinris, ea
brestanlev s^brcelleates e mais
prteaees do vapor ame icono Rns-
sa.
A 11 do corrate ao nielo ella.
M. S. Poner, catMo ti) vapor aOMTrcaao Huilla-
(ara lena' em presen^ do film. Sr, cpnsul dos '
c,stadu-Undiw.'e de uai einurefaj) da alfandega
nomsado palo Illra. Sr. Inspawor da' mefma, aor |
inteitaen^ilo.lii-atreriie oLYvlPIO, di>caro (lotiaj
cerca.de 370 i.irie4ljl4s4fciBWs). r,biia, mas. |
traadlo, ancoras, cornmies, Oajb, estao e, nio tp.s,
fugo*, la iraatse aotia a eorO'i do< Ptsarlrroos
oa ladirii^atira-flese p-jn, aon*3 arrlbou
eom agua abena na sua TwfH* viagein d B)ston
par Rio de Janeiro e pir i eoBd^na*,'B'S*piid> Tender-SB-ha 0QfiWscom j
U matos, 3 velas, 4 mesas. \t crlnlras com as-
seawWe pa'hioha, eoiefiS's, 101 cortinas para i
camalute.s, 17 saivt-vidas, 3 espas, l pac d ca i
Do, papas para agua, tal]-, bimbas, aaiirrils de ;
marear, fj5U*tt4e.ul'jfliabas para -sigaios a nof- i
te, 1 ajoreralo para as-oulio, I loldi de lona,.e
oairrairn tilos unj^elosaslenles na rmatea do
baraafdo L vramenta no ces do Apollo. O Casco
sera Afodidl .ftunti faira II do correnta a Inelo
dia 09 Associa^ao Ci-amerctale os sobrecenantes
em s*f u,4o no caes do Apollo armasen* do barao
do Ltfrsmeafa.
UMA GRANDE DESCOBERTA
deFIGADOdeBACALHAU
MEDALHA
DE
HONRA
DE B
.TADQrlIppi^
As propiedades meilii'^ics memente receohecidas. MaB seo-cheiro e seo sabor tio desagradaveis
tortrjo q pso Velle muita*. vezes impoaaivel, mesmo aos estmagos
os mais robustos e aos mais condescente*,
Por isso a descpnem do Sur. CHBtRgR que lhe permettio de
desinfectar inteiramente o oleo de figado de bacalhao sem alterar suas
propriedades tem sido um dos mais felizes problemas resolvidos pela
Iherapeutica moderna. ___
Q oleo de flado de bacalhao deainfeotado de Chevxier,
eom um cheiro agradavel e um sabor assuearado, o nico que nSo
lem nem gesto nem cheiro de pese. _
bjecto de numerosos relatnos scientificos elle goza em franca
da ma fama, beta raareeida, e recehado por todos os mdicos em
lugar do Oleo de figado de bacalhao ordinario. Tendo as mesmas
propriedades do oleo de figado de baealhau ordinario, usa se d'elle
nos mesmos casos isto as :
Fabrrxa da aaaajne,
EshlKmrnU por exeeaaa de
MolCHtiaa eserafulaaaa,
naebittan o,
oh riirraa daa Rlanalea,
Tialea pulmonar,
MalaaMaa aa uclle,
CanaallaUea* lyiaahatira,
Aaaaaaa, sleailUdadr, fraajueu,
trabalha ou ale araarrr,
a*e*tlaa daa braaehlaa reaea-
tea aa chraateaa,
Tmi'i iterllaaaea,
Gaalritra, aiaalralailaa,

Daaea de Mlaaa|*
Else coivem a todas as compleicoes e a todas as idades, e tomada
fcilmente pelas pessoas as mais delicadas. Elle um poderoso socorro
-pars a alimentacao das enancas fracas doente*
Um folleto accompanha oada vidro e
Deposito em Par, na pharmacia de Ghevrler, e em todas aa boas pharmacias de Franca e do estrangairo.
Deposito geral em Pernambueo rua da Cruz d. 22 em casa do Caros & Barbosa.
O Oleo de figado de baealhau Ut infectado [ermgin 4*
Chevrier constitue o melhor meio de administrar o ferro. O
ioduro de ferro reunido com o oleo de figado de bacalkaa,
augmenta a aeclo tao efficaz d'este ultimo, se disaorae *****
fcilmente nos lquidos das \ias digestivas, se assimila muilo
mais bem do que quando tomado sob a forma de plalas,
xaropes, etc., enflm perde suas propriedade* irritantes e ni
provoca a constipac&o.
As pessoas as mais delicadas que nio podem sapportar ao
preparaees ferruginosas ordinarias, as quaes, primnpalmestfe
nos paizes quentes, tem militas vezes grandes inconve*d***a*>
podero com a nova descoberta do Snr. Chevribb, usar do ferro,
um dos mais poderosos agentes therapeutico, tomando-o anido
ar oleo de figado de baealhau.
O oleo de figado de baealhau desinfectado ferrufiBoao alo
Chbvribr, se emprega em todos os caso* que o tono aca*>-
sel hado; julgamos intil de os enumerar.
contem aa ohaerva^Ses medlcaea.
\
^


i

' V

I M
^T^^*^^F^^ ^^m^^^^r^^

MEDICAMENTOS FRAICE_E5 AFAMADOS
A 1 BIDA EM PEBSAMBUCO
Em c.isa aVa.Srs. Oois e Barboza,^rna da Cruz n. 22.
Os elementos que compoem esta preparacao,
ferr, o vedo e t ouina, a colloco no primeiro
{trio das preparacoes ferruginosas. Basta attestar
sea* resallad* obtidos pelos Mdicos dos hospi-
laes, e os reltenos dos prtieos mais eminentes.
que confirmarlo sea poderosa efficacia as se
tilintes affeccdes:
rr4|aemm,
A--la,
Chlaraar leterteta,
rulrai,
AlFrcfiea do -tero,
SuBarraaatH < re-
ara* e deaar-eaa _
uc-atr-af-a,
JJIee> ulaaaaa.r e
MdwIlM ral maCa,
feria aa pcti te, ele.
Canrateare-ea de loa
Saa nialeatlaa,
leaUaa escrfula
aaa,
Papclra,
Ohalruccas 4aa clan-
dalas,
Humorrs frlea,
Tunare braaeaa,
Raekltlaaaa,
Arreecoea eaaceraaaa
' ayphllltlena,
reare tjrahoidea,
Beilgaa, ese., etc.
Vejio-it os buelins de therapeutica medica
e cirurgica de 30 de novembre 1 860; a Ctela
dos hospitaes de 28 de julho 1 860, etc., etc.
Alem das pulas de lodurete duplo de ferro e de
quinina de Rebuto, os Mdicos aconselhao
urualmente o Xarope d'iodureto duplo de
ferro de quinina do mesmo author para as
pessoas que alo gostio de medicamentos sob for-
ma pilular e os meninos. Rsie xarope nao tem
como o tirope d'iodureto de ferro, o inconveniente
de alterar-Be e de se nSo poder conservar.
Peca-s o folheto que se d de graca em casa
dos pharmaceuticos depositarios.
Para se evitaran falsificacoes, exija o com-
prador em cada frasco de Pillas ou Xarope a as-
s gaatura do inventor.
Depsito geralem Pars, pharmacia Rebillon,
4 42, rae da Bac, e em todas as boas pharmacias
de Franca e as dos paizes jstrangeiros, etc.
Pelas comminSes em
DE WASMAN
,1 DOEWCAS
1 dos MENINOS
J^FdT
X^attUkk^Kgettvaicoma ,
Wasmetn, emprego se com succest-o b j
alguna timos cas celebridades mecieses de
Pars, Londres, Vienna, etc., em todas as in-
commodidades em as quaesadigestao difficil,
penosa, imperfeita ou mesmo impossivel: eis
o melhor remedio para coral as.
GaatriilKlas, Marraeaa e H
nlsacaaias, lcao irtaasMai
EMltaracMnlrlcu pclaa elaaaraeaea
A faatrite, lefelluoaaHdsaall-
Aa affeccoea orgAnl- mentaa.
ras da cnliii.ieu,
Sua accao vivifica o sangue e os Vgios de
tal sorte que, atli as pessoas que seni soffrer
as nffeccSes gstricas cima mencionadas sao
nicamente iracas ou d*um temperamento um
pouoo dbil, e necessilo substancial alimento
para forncar-se, cimo no emprgo dss pastur-
aos de pepsina de II asman, um poderoso meio
para a isso chegar.
Aviso importante.Osuccessodas pastilhas
falsificacoes e imiucocs d'esse producto que os
mulos se quercm desfazer. Puis j>or falla
d'uma boa preiraco a pepsina que n'ella
entra, jaz alterada. Seremos ao abrigo d'este
inconveniente, exigindo os compradores que as
pasUlhas tenho as iniciaes B. P. e saio da
pharmacia Chevrier.
Depsito gcral em Pars, pharmacia Caaamer,
21, Faubourg-Montmarlre, e em loria; as boas
pharmacias de Franca e dos paizes cstnmgeiros.
CUBADAS rsxof
XAROPES DO DOTOR DANET
t. Caatra aa CLICAS POS sncnNOS aatea
e daraata Mlana '
(Xarope da eraeglsass s de seido saecude>
N*
Caatra
TOS9B COICVULSA a S
NBKVOSA
(Xtrope de cjnogloiie e da leo volata de merino)
H* S.
Caatra aa COMVULCOBS DOS
A CHOREA
MENINOS
(Xarope de cynogloue e de acido volata de lucerno)
Estes novos productos preconizados na Aca-
demia imperial de Medicina de Parts sao em-'
regado com grandissimo successo pelos mdicos
c Franca para o tratamento das molestias dos
meninos cima indicadas, e yierao eneher um
vacuo importante na therapeutica, no que teca as
affeccdes da infancia, para as quacs, ath hoje,
a pepsina de Wasmando causa a se fazerem nda se nao pode indicar tratamento racmnnal-
nem infalhvel.
(Peca-sc o prospecto em casa dos pharmacea,L
ticos depositarios.) ; J*
Preco do frasco em Pars. 3 fr.
Para se evitarem as falsilcacSes, exija o com-
prador que cada frasco tenha sobre os rtulo* a
assignatura Ghanteaud.
Depsito geral em Pars, pharmacia Cuan
teaud, c em todas as boas pharmacias de Franca
e dos paizes estrangeiros.
MASSA e XAROPE
DS CODENA
DB
BERTH
As expeenaias clnicas comparativas
dos Snrs Magcadie, Barbier d'Amiens, Wil-
liams Grogor, Martin Soln, Aran, Viga,
C. Dumont, etc., membros do Instituto de
Franca, medico* do* hoapitae* de Pars, tem
provado que a Hasta $ Jarope de erlh i
o remedio o mais seguro contra todas as
dores nervosas e lendo a propriedade de
calmar com admiravel rapidez as tosses rebel-
des e extremamente fatigantes da grppe (ca-
tarrhe epidmico), defluxo, coqueluche ou
tosse convulsa, bronchite tsica pulmonar.
A Maesa e Xarope de Berth, se
achao em todas as boticas.
Para evitar qualquer
falsificscio, exigir ero,
cada produlo o nome
e a firma Berth.
Depotito geral em Pars, em casa de MEHIER,
fiufl Si-d#-^-irli#r.
GRANULOS
[de BISMTHJ
DE CHEVRIER
Maleatlaa de Ugada,
A Iclcrieln,
Palaltaeaa da earaeaa
Ddrea naa rlna,
05 granulos de bismuth de Chevrier em supe-
riores a todas as outras preparares de bismuth
empregadas antes com o maior successo pelos m-
dicos de todos os paizes, para prevenir e curar as
Dlarrhraa rlirouleaa,
DyaaenterlaS,
DSrea d raleinsa,
Dypeaalaa,
Depsito geral em Pars, pharmacia Chevrier,
Ma dleeataea,
Gaatrltea,
Gaatralftaa, etc.,
Opareaeaea,
DSrea de rahrea,
irritaeoea de beaifa e em todas as pharmacias ae Franca e dos paizes
da niatrix, ete. estrangeiros
ASTHME
ASTHMA ASTHMA ASTHMA1!
Sufioecco ervos* e Oepreene
nico remedio efficaz para combatter esta* mo-
lestias, acalmar um attaque d'asma e impedir a
volta o Jarope aromtico de Succino (mbar
amarello) do Dr Danet. Deseoberta inteirameate
recente, este novo producto se tem propagado
com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54,
ra do Commercio, Pars-Grenelle, e em todas as
boticas de Franca e do estrangeire.
grosso, dirigirse aos S WILLAEBT BERGER, comisarios em drogara, 11, ra Saint-Lasare, Pars.
4 SALSA PARRILUv DE AYER
PARA A CURA RADICAL
de escrfulas e molestias escrofulosas, tumores, ulceras, chagas, feridas ve-
lhas, broncbocele, papo ou papeira, a sypbilis, enfermidades venerias ou mer-
curiaes.
AS MOLESTIAS DAS MLHERES
retencao, menstro doloroso, ulceracoes do tero, flores brancas, etc., ulcera-
cao, debilidade, expoliaco dos ossos, a nevralgia e convulsoes epilpticas
quando causadas pela escrfula.
ERYSIPELAS ERPES; ETC.
Enfermidades cutnea, empeo. borbnlhas, pstulas,
nascidas, ete.
0 extracto composto de salsa pnrrllha, con'eccionado pelo Dr. Ayer, uma
combinaco dos melbores depurativos e alterantes conhecidos medicina; confeccio-
nado segundo as regras da .ciencia, approvado e receitado pelos prin eiros mdicos dos
Estados-Unidos da America do Sul e Central, das Antilhas, do Mxico e das indias, e,
muitas outras partes do mundo : o resultado de estudos apurados e minuciosos, e de;
experiencias feitas pessoalmente pelo Dr. Ayer, por muitos annos, nos principies hos-j
pitaes e enfermaras da America ; tem sido approvado pelas academias de medicina e
juntas de bygienne das principaes capitiies da America do Norte; para prova disto vede
os attestados aulhenticos ao Almanak e Manual de Saude do Dr. Ayer, os quaes se dis-
tribuem gratuitamente nos lugares onde se vende o remedio.
A SALSA PARILHA DE AYER
nsirvciaimente efficaz na eura das molestias que tem sua origem
na escrofnla, na infeceo venere, no uso
excessivo do niereu- lo ou qnalqner Impureza do sangue.
A molestia ou infeceo peculiar, conhecida'pelo nome de escrfula, um dos ma-'
les mais prevalientes e universaes que ha emtoda a extensa lista das enfermidades que
atacara a nossa rac; disse um celebre escriptor da medicina que mais de urna terca!
parte de todos aquelles que raorrem antes da velhice sao victimas, ou directa ou indirec-;
tamenie de escrfula; por isso so nao lao destructiva, porm a principal causa de
muitas outras enfermidades que n5o Ihe sao geralmente attrituidas.s
urna causa directa da tsica pulmonar, das molestias do figado. do estomago
e affecces do cerebro; entre seus numerosos symptomas acbam-se os seguintrs: falta
de appetite, o semblante plido e enchado; as vezes de urna alvura transparente e ontras
vezes cora 'o e amarillento irregul.r, fraque7a e molleza nos msculos ao redor da )oc-
ca; digesto fraca e appetlite, falla de energa; ventre enejado e evacuac5o irregular;
quando o mal tem seu assento sobre os pulmes urna cor azulada mostra-se em roda dos
olhos ; quando ataca os orgaos dgestivos, os olhos lorn'am-se avermelhados; o bali-
to ftido, a lm.ua carregaria; dores decabeca, tonteiras, etc. as pessoas dedisposi-
co escrofulosa apparecem frequenlemente erupces na pelle da cabega e outrss partes
do corpo ; s5o predispostas as affeccJes dos pultnes, do figadr, d^ s riiis, dos org5os
digestivos e uterinos. Portanto, nao sao smente aquelles que padecem das formas ul-
cerosas e tubeicuiosas da esciofula que necessitam d" proteccSo contra os seus estragos;
todos aquelles em cujo sangue existe o virus latente deste terrivel fla;ello (e s vezes
hereditario), csto expostos tambem a soffrer das enfermidades que el'e causa, que sao:
A tisica, ulceracoes de figado, do estomago e dos rins; erupces e enfermidades
eruptivas da cutis, rosa ou ery:>pela, borbulhas, pstulas, nascidas, tumores, rheuma,
carbnculos, ulceras e cbagas, i heumatismo, dores nos ossos, as costas e m cabeca,
debilidades femininas, flores brancas causadas pela ulceraco interior, e enfermidades
uterinas, hydropesia, indigesto.-enfraquecimento e debilidade geral
Offerecemos a estas pessoas um abrigo seguro e um antidoto efficaz contra esta
molestia e suas consequencas na
SALSA PARRILHA DE AYER
que opera directamente sobre o sangue, purificando-o e expulsando delle a corrupgo e o
veneno da molestia; penetra todas as partes e todos os orgi s do corpo humano, livran-
do-os da sua aeco viciada e inspirando-lhes novo vigor. um alterante poderosissimo
para a renovaco do sangue, e d ao corpo j enfraquecido pela doenca, forjas e ener-
gas renovadas como as da joventude.
tambem o melhor aaty-syphilitico conkecido
cura permanentemente as peiores formas de sypbilis e as suas consequencias. Pouca
necessidade ha de informar o publico do inestimavel valor de um remedio que, como
este, livra o sangue desta corrupeo e arrebata a victima das garras de urna morte lenta
e ignominiosa, porm inevitavel. se o mal n3o logo combatido com energa.
um podefosissimo alterante para a renovaco do sangue e para dar nova for-
ca ao corpo j enfraquecido pela doenca.
Sendo composto de productos vegotaes, es;e medicamento innocente e ao mes-
mo lempo efficaz, um fado de immensa importancia para aquelles que o tou.am ; por-
que muitos dos remedios alterantes offerecidos ao publico tem por base o mercurio ou o
arsnico; e sendo assim, bem que s vezes podem effrctuar curas, comtudo deixam suas
victimas carregadas de urna longa serie de males, muitas vezes peior do que o mal ori-
ginal. A nica cousa necessaria para obter urna cura radical seguir com juizo e cons-
tancia as dii eccoes que acompanham cada frasco.
Nao pretendemos promulgar, nem queremos que se inGra que esta composicao a
um remedio infdllivel paia a cura de todos os padecimentos humanos ; infelizmente
escrfula e a syphilis sao enfermidades to sulis as suas nalurezas, e arreigamse t3o
firmemente no systema, que muitas vezes evadem e resistem aos remedios mais pode-
rosos que a sciencia humana pode inventar para combate las: o que dizemos que o
Extracto composto de ialsa parnlha de Ayer
a melhor preparacao at hoje deseoberta para estas e outras molestias anlogas, que
urna combinado dos alterantes mais efficazes conhecidos, e qu esta combinaclo tem sido
regulada por longas e laboriosas experiencias, e finalmente que temos conscieucia de of-
lerecer ao publico o melhor resultado que possivel produzir, da intelligencia e pericia
medica dos nossos lempos.
Este remedio deve ser tomado com systema e regularidade, e n8o com abandono,
pois e um remedio e n5o bebida.
Quando as molestias do figado n5o tem sua origem na escrfula, o remedio
mais proprio as pilulas catharticas de Ayer, que s5o efficazes na cura da molestia, que
tem por causa om desarranjo dos orgos digestivos. Pedi a salsa parrilha de Ayer e
nao ceitai outra preparacao.
Pernambuco, roa Nova n. 18 pharmacia franceza de
l'ernauuco. ra IVuva n. 18. ptiarmacialrancu- ib p. wurer<*
P, MUllER i C.
PERFUMERA da casa oger
Boulevart Sebastopol, 5Q, I*ariz
Dez medalhas, a condecorare da Legin
d'honneur e a grande reputacao que tem Ihe
dado o publico, taes sao as recompensas que os
s^itcos prestados a industria mereeerao a
esta importante casa desde sua fundacao em
180i.
N'um sortimento de mais de 500 artigos,
as pessoas elegantes escolherao os seguintes:
ROSEE OU PARADIS, tracto superfino
para lenco.
POMMADACEPHALIQUE contra a cal-
vida.
AGUA VERBENA para o toucador.
OXIMEL MULTIFLOR.
VINAGRE DE PLANTAS HYGIENICAS.
TINTURA VIRGINLE de beijoim.
-ROSEE DE LYS, verddeira agua de
jouvencio.
CREME LABIALE de sueco de Rosas.
POMMAOA VELQURS para amaeiar a
pelle.
ELIXIR OOONTOPHILE.
SABAO dedicado as damas americana.
SABAO de bouquet de Frasca,
d* de florea de alcea rosea,
d* de flores printanires.
d* de bouquet do outono.
d* de perfumes exticos,
d* aurora, dedicado aos dedos cor de
rasa,
d* de flores das raontanbas.
d de cheiro de foins noaveaux.
d* de bluets cheirosos.
d* de althea balsmica.
diapr, caixa rica, tuitesi% pari-
nace.
Companliia geral hespanhola de seguros matuoe
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE
Urna Sanca em dinheiro, depositad* aos ctfres do estado, garaate a boa id-
ministraco da com-paabia.
BANQE1ROS DA COMPANfflA* DIRECgAO GERAL
O Banco de Hespaoha Madrid : Ra PraJai. 10)
Estacompanhia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de sopervif eaasi m aVpaV
ros sobre a vida.
Nella pode se tazer a subscripcao de maneira que em nenhum caso mesmo por aserte do
segurado se perea o capital nem os jaros correspondentes a estes.
Sao to saprehendentes os resultados que prodnzem as sociedades da lodote tA 1
NAL,que anda saesrao ditnlnumdo urna terca parte do interesse produzido esa rscMlrs
coes ecombinando-o com a mortalidade da tabella de Depareieui qoe adoptada peta <
para seus calculse liquidares, em segurados de idade de 3 al9 anuos, aia^ impoaice i
de lOOa produz em effectivo metlico:
Ne fim de 5 annos. .....1:119*300
de 10 >.......3:94i000
> de 15 .......ll:tO8#SO0
. de 20........30:tO*O00
de 18 .......80:33I4WOO _____
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais considerarais.
Prospect>s e mais informales serio prestadas pelo sub-direcior nesta prtrincia.
Joaquim Pinza de Oliveira, ruadaCadeia n. 52, ou a Boa-Vista ra da Imperatrit r
ment dos Srs. Raymundo, Carlos.Leiie k Irmo.
1,
Traspasso.
Francisco Gomes de Mallos Jnior mndando-se
para a provincia do Cear (donde filbo) or me-
! tivos de sua saude, participa ao corpo do coramer-
' ci deste e oulros lugares que sao possuidores hoje
de sua casa commercial os gerentes damesuia seus
! Albos Franci-i-o Antonio Gomes de Mallos e An-
tonio Gomes de Mattos, que sob a Arma de Gomes
I de Mallos Irmos, recominenda a benevolencia e
' confianza d'aquelles que sempre Ihe deram.
U= abaixo assrgnados possuidores boje da
', casa commercial de seu pai o Sr. Francisco Go-
mes de Mattos Jnior, sob a Arma de Gomes de
Mallos Irmos, esperam merecer do publico e es-
: pecialmenip do corno commercial desta cidad a
mesraa coufianca que inspira seo pal. Recite 3
de Janeiro de 1866.
P. A, Gomes de Mattos.
!___________Antonio Gomes de Mallos.
Da ra do Jasmim n. 1, porlo de ierro,
acha-se ausente um mulato acaboclado por nome
Jos, moito esperto e onde ebega diz que forro,
sem achaqne algum, levuu vestido calca de brim
. pardoe camisa escura comlistras.e ramagensja
velna : quem delle souber ou o ti ver em seu poder
como se desconfa o queira levar a dita casa, que
se Ihe payara' a despeza.______________________
Precisa-se de urna ama para todo o servico
interno de urna casa de tres pessoas; pagase bem:
na ruado Hospicio n. 62._______________________
Linden Wild & C. participam a esta praca
que finda-se o seu contrato social nesta dala, reti-
ra-se da sociedade o Sr. Emilio Wlid, (cando o
activo e passivo da mesma cargo dos socios,_os
Illms. Srs. Linden & Rodolpho Weydmann qne
contlnnaro o mesmo negocio debaixo da Arma
Lnden Weydmann & C. Recife 31 de dezembro
de 1865.
O abaixo assifinsdo, proprietario da offlcina
' I de culilaria n. 34, sita na ra Nova, outr'ora loja
de cutilaria, e pertencente a seu ex-patrao o Sr.
Jos Pradines, avisa ao respellavel publico que dito
seu eslabelecimento se acba aberlo todo o dia at
8 horas da noile, e ahi podero utihsar-se de seu
presiimo, e ponlualmenie serera satisfeitos.
Joao Francisco de Oliveira Santos.
IIIIHUI
Festa de Santo Am
das Salinas,
No dia 6 priocipia-se as oreis, do-
ningo 14 vespera, 15 festa.
!
Anda nao appareeea o cabrtoto GoiikeraM,
que fugio de G&tneleira no da 14 de atare 4
anuo passade, com os sigues seguate* : estalara
regular, bem parecido, falla de denles m freale,
olhos grandes, bocea pequea, nariz aliado, rako-
ca grande, cabellos um laolo caraptohado, ptVaaM
finas, ps pequeos, com cicalriies de rara ams
costas, bstanle ladino, iotitolan4o-se por km,
presame-se que vire por la acontado por alfaea :
quem o aprehender leve-o ao enjrenbo PrOras da
fregoezia de Barreiros, qoe reeeberi 501 de i
fi cacao.
O secretario da irmaodade de Nossa Si altar i
da Boa-Viagem avisa a lodos os charos iratios i
domingo 7 do correte pelas 10 horas da
ha reonio de mesa geral para proreder-se a elei-
<\o da mesa regedora qoe lera de (uocciooar ao
correte anno. Assim pois, espera a maior
correncia dos dignos irmoa, no referido dia e
ra no consistorio de nossa igreja.
Francisco Pereira de Meireiles, tendo jusioe
contralado a compra da taberna sita na ra de S.
1 Jas n. 2, livre e desembarazada de qualquer ouus,
1 aitende a qualquer reclamaco que alguem tenba
' a fazer sobre esle negocio, durante tres dias, na
ra do Nogueira n. 29, Andos os quaes ninguem
tera' direito a reclamaco alguma. Recife 2 de ja-
neirp-de 1866. _____________
-^ Carvalho. Nogaeira sacam sobre
Portugal, a prazo a a-vM* : na ra O
Apollo n. 20.
Contrato de limpesa da cidade.
Previne-se aos devedores da empreza de aceio e
| limpesa da cidade, por collocago de apparelhos
1 em suas casas, servico de limpesa, ele, que s aos
proco'radores doSr. commendador Antonio Gomes
Nelto, successor do Sr. Luiz Carlos Cambrooe, de-
vem fazer pagament >-, sob pena de nao serem le-
vados em conta os nao feilos dos referidos pr cu-
radores, on a pessoas por elles autorlsadas por do-
enmento escripto.
Padre Joao Galverto de Araujo a risa ao Sr.
Ihesoureiro das loteras que tendo perdido o billie-
| te inielro n. 114?, por isso previne que no caso
que saia p,r sorte algum premio, nao saiisfaca o
pagamento sem o abaixo assigoado etar presente.
Anacleto Publio de Moraes Carvalho, pro-
fessor particular de inslrucco primaria e secun-
daria, participa aos pas de familia que quizerem
conllar-lhe a educaca de -cus Albos no dia 8 de
janeiro abre as aulas, de phmeicas letras, fraocez
e filez, tambem ensina pelas casas aos sexos mas-
cuoo e feminlno, igual offerecimento faz aos Srs.
de engenho que recebe alumnos pensionistas para
primelras letras e preparatorios : a tratar na ra
do Caldeireiro n. 7 ou em sua residencia ra de
Borlas n. 106.
Vndese urna escrava crioala bonita
com 25 snnos de idade, abe lavar, eogoeanar
cosinha soffrivelmente : a tratar no armar** que
foi do Ruflno na rna da Conceicao da Bja-Vittt.
=- Tem de sahir nestes das para oe centros da
provincia urna pessoa habilitada de negocio, o Sr.
negociante que quizer dar fazendas e moldados
mediante alguma porcentagem, dar' a me*au
pessoa bons (adores, e se tratara' da maneira qos
se eonvencionar : quem quizer annoocie.
Graufica-se generosameote a qoem aprtkesr
der e levar ao 1* andar do sobrado da roa da fa-
geratriz n. 24, a escrava Luisa, mulata dan, ca-
bello cortado, tem os olbos pequeo* e empanoea-
dtf?, estatura mediana. Kogio levando vest^ de
chita amarella de qoadros, sem chales e levando
pequea condessa, bem conhecida nesta ridade
por ter andido de taboleiro vendeodo dore e ver-
duras, qoando era escrava de D. Deiftna que tea
sitio aos qpatro ledos na estrada de J io de Bar-
ros, intitulase de forra quando anda fogida til*
ler e escrever.
Um voto de gratido
Retirindo-se do engenho Cajabuss, onde estire
dous annos lecciooaodo os Albos do ir. Maaoei
Barbosa da Silva, nio posso deixar de pelo orgao
da impreosa render um voto de gratido ao Sr.
Barbosa e soa Exm' seohora pelo boa trataaetto
que me proporcionaran), esmerando-se em dar-ao
incessantes provas de sua bondade | recoahecida
por lodos aquelles que tem lido a feliriiUde de es
conhecer de perlo. Descolpem-me o Sr. Barbosa
e sua Exm* Sr* se offendo a sua modestia, e rof-
Ihes qoe me bonrem sempre com as soas orden
em qualquer parte em que me possa acnar, qoe
serei Asi execnior dellas.
Firmino Pomposo de Mello Paleo.
Ama
Precisa se de urna ama
n. 12, primeiro andar.
na ra do Queimado
Criado.
Precisa se de um criado : na ra do Queimado
n. 12. primeiro andar.
O abaixo assignado faz sciente ao respeitavel
publico e com especialidade ao corpo do commer-
cio que nesta data deixou de ser interessado em
sua casa commercial o Sr. Vicente Coelbo de Ma-
galhes, o qual fazia parle da Arma Francisco Al-
ves Monteiro Jnior & C, cuja liquidacao reali-
s da por coala de ambos, sendo as iransaccoes
desta dala em diante por conta somenie do abaixo
assignado. Recite 2 de janeiro de 1866.
Francisco Alves Monteiro Jnior.
Joaquim Caelano da Silva mudou seu esta-
belecimenio da casa n. 12 da praca da Boa-Vista
para a de n. 18 na mesma ra.
Alugam-se as casas sitas na ra do Corredor
do Bispo ns. 18 B, 18 C, 20 e 24, por 20 meosaes
cada urna, caiadas e pintadas, e com commodos
para familia : a tratar na ra larga do Rosario, ta-
berna da esquina, defroute da botica do Sr. Bar-
holomeo.
Educaclo primaria e &e
cundaria.
N lostiluicao de Jeronymo Pereira VII-
| lar, na ra larga do Rosario n. 22, nio
s se enslnam as materias que consll-
. tuein o curso regular de primeiras letras
\ como ts disciplinas preparatorias para a
t faculdade de direito ; cujas aulas estarao
! aberlas no dia 8 do presente Janeiro, e
sero regidas pelos mesinos professores.
m
m
Aviso.
A directora do collegio Santa rsula previne aos
pais de suas alutnoas que os trabalhos. do collegio
a seu cargo terSo principio no dia 8 do correnle
mez.rsula Alejandrina de Barros._________
~"Na~rna dTloiperairiz, loja de fazendas n. 28,
precisa-se de um seguodo caixeiro.
" F7P08RIEK
cootina cem a sua fabrica de carros e marcinei-
ra na mesma casa de sua oficina, sendo a entra-
da pelo caes de Capibanbe.
O ata ama on urna escrava
Precisa-se de un a escrava qoe saiba cotinhar
do de urna ama forra para o mesmo servico, pa
ga-so bem : a iralar na roa da Gloria, casa do fls
cjJ, da Boa-Vista, 011 a roa dos Gnararapes n. 54
Precisa-s de orna ama para comprar e co-
ar: na ma da Impertir!*., n. 21, primeiro
aadar.
!.l,BYVEHNATVC
99Ra do Imperador -J.
Deposito de joias francesas por atacado.
Casi em Pars e Ru de Janeiro.
Recebera directamente por lodo? os pa gotea.
Tendo eu, como coosenhor de doa% casas no
Giquia, despendido crescida quaolu na reedifca-
cao da casa maior e no rande concert da menor,
por se acharem em completa ruina, das qoae*
tambem consenhor o Sr. Hilario Urboo da Silva
em duas sextas parles, qoe sao as qoi o r. Ja-
Francisco da Silva-Perreira lera contratado cca-
prar ao mesmo Sr. Hilario, decan qiM?, nao *suo-
do eu embolsado do que despend pelo Sr. Hilario
nessa ree-liAcagao e concert, protesto coaira lal
venda, com o lim de ser pago pelo Sr. Hilario ai
pelo comprador das mencionadas partes de casas,
como for de direito ; e convido ao dito Sr. Silva
Ferrara, o a quera mais Interessar, a ver os docu-
mentos que provara o referido, na minbi residen-
cia na ra do Rangel n. 36, 2* andar.
________ Jos Brhoa de. Miranda Saiiaga.
Barlholomeo Francisco de Souza e Jos Cae-
lano de Carvalho participam ao resisHaiel pahfeeo
e especialmente ao corpo do commercio, qoe di-
solveram amigavelmenie a sociedade qoe linbaa
no eslabelecimento de pharmacia e drogara na
roa larga do Ri-sario n. 34, qne gyrava ob a Ir-
ma social de Barlholomeo Prancisro de Sonta 4
C., Acando o activo e passivo do referido estbale
cimento, a datar de 14 de setembro ftndo, a cargo
de Barlholomeo Torqualo de Sonsa e Silva e Jos
Pedro de Souza e Silva, e o ex-soeio Jos C
de Carvalho totalmente desonerado, todo 1
coosla da eseriplura que celebraram em Liinea
aos 7 das de dezembro ultimo. Recite 1 de jaaai-
rode 1866.
Barlholomeo Torqoato de Sonu e Silva e Jos
Pedro de Souza e Silva commantcam ao respeita-
vel publico e especialmente ao corpo do eoaaer-
clo, que esiao de posse do achvo e passivo dw es-
labelecimento de pharmacia e drogara da ma lar-
ga do Rosarlo o. 34, que yrava sub a traa social
de Barlholomeo Francisco de Soasa & C., ea ra-
a j da ompleu cesso qoe do mesmo silibelen-
menioihes fez seuav. o Sr. Banbotoaeo Praaets-
co de Souza por escriptora publica passada na
Lisboa a 7 de dezembro ultimo, e qae contlaaarao
no mesmo gyro de negocio sob a Orma social do
Barlholomeo & C. Beclfe 2 de janeiro d 1SC4.
Francisco oinleiro Rodrigos Esleves asa-
do de mandar celebrar orna misa por alan do
seu Anafe .ajajfo Lourenco Bezerra 4-, Siquara
CavalcaotVioga a lodos os seos amigos e prolis
do Aado, qoe se acharan aqui na praca, de coa-
parceremno da 8 do correte, pelas 7 oras da
manhaa; na"Igreja da ordem terceira de N. Si do
Carnto.________________________________________
Barbara de Jess da Cosu Res, PofHaf-era.
casada, reiira-se para a cidade do Porto no brigrae
porluguez tSaveraoca*., levando ea soa eeapn
nhia suas dos? Albas menores, Anna e Mara.
( aixeiro.
Na roa do Rosario da Bm-VisU n. 41 preetsase
de um menino de 14 a 16 annos, qoe tente aaarata
pralica de taberna.
No 1* andar do sobrado n. 48 na ma t A-
guas-Verdes, precisa-se de urna ama para o sem-
(o interno e externo de urna casa do penca fa-
milia.
Acha-se aberta a matricula da ifnri'T. 1
de instruccao primaria da freguesa da Boa-Vista
numero 12.
RoutMrant do poder do abaixo asonado
dos bilbetes, nm de n. 1667 e ootro de o. 1
por isso roga-se ao Sr. ihesoureiro qoe se per
so sahir algum prem r ao mesmo abaixo
assignado. Recite 4 de janeir
Jos Antonio Laudo RefO.


w r



- r,
0tr>#4rt^iHM^Ielr^^^^|iHr^^^
5CD1
flli
GARl
UBI _
AES
Relujii*PhilesepMa Jurisprudencia Littera-
tara Seleaciae e arte. -
Papelaria, objeclos para escriptorio.
""iaqnes *ara o Uto e Baha.
Antonio Jos Rodrigues deSooza na ra
do Crespo n. 15, saca a vista ou a prazo.
""^Os abaixo assigoados fasem scieote ao res-
peiuvel corpo do commercio, que leudo dissolvid j
amlgavelmeote em 31 do prximo passado a soci<-
dade que a-nove anuos tem gyrado nesta prac,
sob a Arma de Barros & Silva, prloelplam hoja
em liquldacao o activo e passivo daqueila Arma
social, sob a respoosabilidade e a cargo dos mes-
mos abaixo assigoados. Recife 2 de Janeiro dj
1866. '
Joo Martios de Barros.
_____________Antonio Jos Silva do Brasil.
Alaga-se o terceiro andar do sobrado n. 3 Joaquim de Albuquerque Mello embarca pa-
da ra estreitt do Rosario, com grande solio j ra o Rio de Janeiro o seu escravo Martiniano, cri-
mailos commodos e fresco : oa ra do Crespo bu- oolo, de 80 annos de idarte.
mero 15. __________________ I Precisa se de duas criadas, urna para cozi-
nba e outra para engommar : na ra do Impera-
dor o. 17, *> andar.
0 thesoureiro da assootaco protectora das fa-
mUiai dos voluntarios da patria fax sciente aos
interessados qae paga ts msoalidades venaldas,
principiando do dial* at id e cada mei, das 6
hora meta al as 10 da m;inhia, excepto nos
domingos e dias santiBcados : o os que nao com-
parcctrem em ditos dias e Juras. flcaro para o
mea seguale.__________________
- Devendo proceder-se a eleigio 4* mesa rege-
dora da irmaodade de N. S. da Soledade desta re-
gueiia, a qual tem de servir durante o crreme
auno, convido de ordem do IIlea. Sr. juiz a todos
os nossos Irmos a se reuoirem no da 6. do cor-
rele no consistorio da mesma igrejj, pelas 9 ho-
ras da maooa. Consistorio da irmaodade da N.
S. da Soledade da freguetia da Boa-Vista 2 de Ja-
neiro de 1866.
O escrivo
_________Janaario C. Mooteiro de Andrade.
PrecUa-se de ura caixeiro para padarla
roa Direita dos Afogados o. 06 A.
na
Alaga-se de om at quatro escravos, pagan-
do-se bem : na roa do Trapiche o. 13, armazn i
de Manoel Teixelra Basto.______________
padre Je ao Jos da Costa Riceiro mudou
a soa residencia para a roa das Cruzes o. 22, se-
gando andar.
Duartd, Carvalbo, Pereira C. pedem a lo-
dos os senhores que estao de veodo a exlineta .fir-
ma ele Doarie & C o favor de maodarem saldar
seas dbitos al o lira do correte mea, e nao o
fazeodo ser seos nomes publicados por est;
jornal. __^________________________
Dnarte C. scieotlllcara ao corpo do com-
mercio que nesta data deram sociedade em seos
estabelecimentos de molhados sitos na roa do
Queimado n. 7, ra do Imperador n. 40, largo d)
Carmo n. 9, aos seus caixeiros os Srs. Luir Perel-
ra de Carvalho e Bernardo Jos Pereira, ficando u
activo e passivo a cargo da nova Arma que flc.i
gyraodo na razio de Duarte, Carvalho, Pereira
C. Recife i" de janetro de 1866.
B-MM MMBMMII
|jf Benio Goocalves Cavalcanli de Oureiu, g;
S professor de todas a; aualidades de fio- 3
i res, passaros, froctas e borboleas mu- S?
S ilou a sua residencia para a raa da Ma- VA{
^ triz sobrado primeiro andar n. 28. oode
2&S pode ser procurado para o exercleio de 21!
B sua proflssao al as 8 1|2 da maoha e **,'
fm das S 1|2 da Urde em diante.
'^m*
CASA Di F0RT0A4
Aos 6:000p00~
Bilhetes garantidos.
A'lA DO CRESPO N. 23 E CASAS IrO COS i
O abaixoawignado vendeu M seMPMtofeH.
xes bilbeles garantidos da loaeria que se ac boa
ejstrahir, a beneficio das fan.ihas drn volua-
s da patria, os seguites premios:
336 ura meio cnm 12:"080.
771 dous quietos com :OU)J.
l 321 um meio com 500.
.3317 mel com 2005.
Boutras mallas sones de 100, 40}, 20*.
Ospossuidores podem vir receber seus respec-
tiva premios sernos descootos das leisnaCasa
da Portuoa i*ra de Crespo n. 23.
Acbam-se a venda os da 5a parte da 5* lo-
tera (43*) he.oficio da Sania Casa da Miseri-
cordia, que se extrahir no da 3 de janeiro.
PRECO.
Bilbeles.....64000
Meios......3*000
Quintos. .... 1*200
Para ai pesseas qoe compraren! de 100*5000
para cima.
Bilhetes.....5*800
Meios......2|760
Quintos. 1*100
Manoel Mabtins Fiuzi.
Escriptura$lo.
Precisa-se de orna pessoa |devidamente hahilita-
da para tomar conta da escripia de ama casa com-
mercial, nao se duvidando pagar bem : quem es-
tiver nestas condiedes deixe carta f- chada nesta
typographia com as iniciaes AB C; designando o
dome e a moradia para poder ser procurado.
Manoel Jos Moreira e Jos Aoluoes Perei-
ra Braga, fazem scieote ao respeitavel publico ;
priacipalmeote ao corpo do commercio, que flze-
ram sociedade as sua* tabernas sitas na ra d)
Livramento os. i e 3 A, e gyrara na raio social
de Moreira & Braga. Recife 2 de Janeiro de 1866.
Precisa se de
ra da Guia n. 2.
urna ama para cosinhar : n;
atf O externato Gadault no principio da m,
E roa do Hosp co, abre as suas aulas no S
j$ da 8 de Janeiro. Os pas que o quizerem J
M| honrar com a sua coofiana podera pro- gj
55 cura lo na casa da sua residencia das 8 i
mmmmMmmmmmmn
Aluga-se urna casa terrea com comraodoi
para pouca familia : a tratar na roa do Nogueira
n. 29, ou na travessa de S. Jos n. 22. _____
^ Precisa se de nma ama para casa le ponen
familia, preferindo-se escrava : a tratar na ra do
Noguera n. 29, ou na travessa de i. Jos o. 22,
taberna^______________________________________
OfIjTce-se urna ama para qualquer casa dt
familia, para o servigo de portas a dentro : a tra-
tar aa raa da Praia n 25. armazera.
Protest*
Constaada ao abaixo assignado que o Sr. Fran-
teco Pacheco de Que*-og tem offerecide a' vend;.
a heran^a que Ihe tocou por morte de seu pai, 11
mesmo ja' tem annuociad por este Diario, o eoge-
he -Minas de Uuronesle termo de Porto Calvo
{Jacuipe) vera prevenir que ninguem faca negocio
algom com o dito -seohor, por quanto aqui nesto
foro exi.-tem peodeoles questoes que traro a oul-
lidade da veoda deqaalquer bem por parle do dito
Sr. Qaeiroga. Porto Calvo 12 de dezembro do
4868.Jos Felicio Baarque.
Os abaixo assignados /azem scieote ao pu-
blico e especialmente ao respeitavel corpo do com-
mercic, que leudo Goalisado o lempo de seu con
trato, dissolveram amigavelmente a seciedade que
tinham na loja de selleiro, sita na ru Nova n 27,
e que gyrava com a firma de Rodrigo into Morei-
ra &C-, fleando todo o aclivo e passwo da mesms
casa a cargo nicamente do socio Moreira. Reci
fe 2 de Janeiro de 1866.
Rodrigo Proto Mireira.
Jos Egidio de AltNiquerqae.
Francisco Autouio da Silva Tenorio.
Precisa-se de orna ama para cozinbar e comprar
para casa de hornera solteiro, preferndo-se escra-
vo : na ra do Queimado o. 32, loja.
Precisa-se de orna escrava por aluguel ou
por hypotheca, nao se olha a preco : oa roa da
Palma n. 84. ______________-__^
DE
CAVALLO
Na nolte de 18 para 19 do correte furtou-se um
cavallo mellado caxito, da eslrabaria do sen dono,
com sellim ioglez qoasi novo; cojo cavallo tem
cimas e cauda pretas. as cimas sao grossas e ca-
bero sobre ambos os lados do pescoco, e tem urna
ferida pequea na mo direita ; esta acostumado a
andar em cabriolet e bem conhecido nesta praa:
quem delle der noticias certas ou leva-lo a' Estan-
cia, sobrado de dous andares n. 2, ser gratificado
Quem tiver para ser alugado um escra-
vo quealm de muito boa conducta, esteja
bem habilitado para desempenhar satisfac-
toriamente qualquer servifo inierno ou ex-
terno de urna casa de pouca familia, an-
nuncie ou dirija-se a ra da Aurora, sobra-
do de n. 70, segundo andar.
Em casa de Theod Christiansen, roa do Tra-
piche-novo o. 16, nico agente no norte do Brasil,
de Brandenburg frres, Bordeaux, encootra se ef-
feclivamenie deposito dos artigos seguintes:
St. Julien.
St. Pierre.
La rose.
Chateau Loville.
Chateau Margaux.
Grand vio Chateau Lafilte 1838.
Chateau LaBtte.
Haut Sauternes.
Chatean Sauternes.
Chateau Lataur Blancbe.
Chateau Yquem.
Cognac em tres qualidades.
Azeite doce. Procos de Bordeaux.
COMPRAS
Compra-se ouro,' praia e podras preciosas,
em obras velhaa: na roa da Cadeia do Recife,
cja de oorives no rco da Conceicao. _______
OS P A KA G U AYOS
W rDrmar4v& i Actbsr com o Par-e
guayos a bayoneta, a mini, a revolv;'
ful mina-Ios -com os encour atados armados |
. armstrongs e raiadas d80
ixtermina-los em sumfaa espida, a
faoio e a puataJ de que se trata; mai
ninguem se lembrou anda de esmagr os
ParagtiayofMSoai :edeu;" ac&Cfeam elles a tac3o e a ponta
ps, para-o^je beces9ffe eocouragar asta
parte do. bosso corpo coa os formidaveis
romp#.feiTO, esmaga ebra, arranca Ucos,
quebra marmore e outros que se vedem
4&-RLIA HIRI2ITA45
Borseguins Bordeaux........
patricios.........
i M para senhorts, en-
feitados ..^-...
> com laco e flvella ..
SapatQes encouracados.......
Borseguins para meninas bora
elagt ce.................
Sapatos de lona, sola elstica.
avelludados.........
> de tranca...........
. > com salto de lustre..
NOVA LOJA foja
ENCICLOPEDIA!
* Raa da Impera triz armazem
da porta larga *t.
f unto a padarla fradeeza de
Paredes Porto.
Neste estabelecinrcnto tnoinfrar o respeitavel .
pnblieo om variado sortimento de farendw frince- j
las, logletas, -suissas e allemies, que se venderao
por pre?o commodo.
Paredes Porlo
Vende chales de renda de cores que se vende-
rao a 18j> esta vendendo por 6, ditos pretos, fa-
SIOCO Ienda nova' 55' 6*> ^ a 20*' um cru'niento com: |
pelo de manteletes, capas e soutarobarques 145 a [
25#. Ra da Iraperatrit n 42, Junto a padarla fran- '
ceta, armazem da porta larga.
Paredes Parto
Receben um completo sortimento de iaasinhas'a
40. e !80 rs. covados, para acabar, cambraias de
| cor a 240 rs. o corado, riscado escosse para roo-
pa de menino, foslao de iinbo a 420, 400 e 500 rs.
Roa da Imperajrz n. 82 Junto a padaria franceza.
armazem da porta lafga.
Paredes Parta
Recebeu para cortinados para cama franceza a
114 a peca cambraia lisa fina a 35 45 al 105 a
pea, corles de larlalana de bonitosgoslos a 3,5500
par
cha'
9
balatfo de Coas
a 55C0.
;rca#aX5
S<9M)0
54500
4*800
5,5000
34000
2|JOOO
1,56011
15600
24240
Ouro e prata.
Em obras velbas : compra-se na praea da lo
dependeoefo n. 22, loja de bilhetes.
Comprase carosso (sement) de algodao: no
armazem de algodo de Sanoders Brothers & C,
oo caes de Apollo.
Na ra de Santa Rita n. 15, con>
pram-se relogios velhos de todas as quali-
dades.
= Comprase oa roa Dtreita o. 4, armazem de
molhados, pedra marmore, garrafas e botijas va-
sias, nao sendo de gaz o era de oleo qualquer.
Compra se om balco que esteja em bom es-
tado : oa roa do Queimado n 15,1* aodar.
Onro.
Compram-se libras e quaesqaer oufras moedas
de ouro. Trocam-se notas do banco do Brasil por
oulras da caixa filial de Pernambuco ou Babia :
oa ra de Hurtas o. 72, sobrado.
mmmmmi
DEPOSITO DE CALCADO g
m FABRICADO NA GASA DE DETBNCiO M
0 Roa \ova n. I. jp
Ah se en con traro obras de di- mt
t versas qualidades, e por preco mui ?
diminutos, a retalbo e em porcoes.
K S se vende a dinheiro. H
Nova escola deprimeiras
letras. -
O abaixo assignado, professor jubilado oa pri-
raeira escola publica de primeiras letras da fre-
guezia da Boa-Vista desta cidade pretende abrir
no dia 8 de Janeiro do anno prmrrrmrvtndouro urna
escola particular na roa da Palma, casa n. 31, da
fregupzia de Sanio Amonio de*ia m.m eldade :
os sh-Mures pais de familias que quizerem que
seus Gibes frequentem a mencionada escola, podem
entender-se desde agora com o mesmo abaixo as-
ignado a referida casa.
Jos Joaquim Xavier Sobrelra.
Aluga-se urna escrava propna para todo o
servico de casa de portas a dentro : na ra da Ira-
perat'rir n. 77.
por 285500 oucas da patria : o
praca do da Independencia n. 22.
ma-sE
ioo da Silva Ramos, mlico
pela universida le de Oolmbra, d
consultas em sua casa das 9 as
II Loras da maoira, e das 4 as C
da tarde. Visita os doentes em suasll
casas regularmente as Loras para
isso designadas, salvo os caso ur-
gentes, que sero 6occorridos em
^ualqoer occasi5o. D consultas aos
pobres que o procuraran) no Jios-
,>ital Pedro (I. aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da
oaanbaa,
Tem na casa de sade reguiar-
taecte montada para receber qual-
quer doente, ainda mesmo os alie-
nados, para o que tem commodos
apropriados e nella pratiea qualquer
opperac3o oirurgica.
Para a casa de sade.
Pritaeira classe..34000 diarios.
Segunda dita____34500
Terceira dita .24000
Este estabelecimeuto ja beta
acreditado pelos bons servicos que
tem prestado.
0 proprietario espera que He
onlinue a merecer a conflanca de
(que sempre tem gozado.
M. O. Bieber & C, sucessores, s
can sobre o Rio de Janeiro a vista ou a pra-
zo conforme se convencionar. W'
Precisa se alocar um moleque de. 12 a 16
annoa : no pateo de S. Pedro o. 24.
"" Quem precisar de om bomea para vender
pao oa lomar coala de om foroo, dirija-se a roa d i
Raogel o, 25.______________________
Preeisa-se de um bom copeiro para casa es-
trangeira : quem se julgar habilitado, dinja-se i
roa do Traplehe n. 8._________________________
Precisa-se de ama ama de leite para ama-
ntMlar ama eriaoca de qaatro metes : a tratar nn
raa Direita o. 3, 1 aodar.
n
Para a constru-cao de machinas
DE
AdLHEKTSf\ K OI'IAXS
New Loodon, Cormectieur, Esta-
dos-Uoidos
Solicitam pedidos de descaroca dores de algodo,
adoptados ao alcodao sol-ameriano. Hao-se de-
dicado a es:e negocio durante 25 annos, e atleode-
ro immediataraente a correspondencia que se (bes
dirigir.
mmm mmmm mmmmmm
^ O r. Carolioo Francisco de LiraaSan-
* tos continua a morar na ra do Impera*.
* dor n. 17, segundo andar, tendo alias seo
H gabinete de consultas medicas, logo ao
g entrar, no primeiro.
K O mesmo doutor, que se tem dado ao
H estudo tanto das opera^ioes como das me-
lestias internas, prestase a qualquer cha-
mado, quer para deatro quer para fra
j| da cidade.
I Companbia lidelidade de seguros M
^ martimos e terrestres u|
estabelecida no Rio de Jaueiro. S
AGENTES EM PCIINAMBL'CO JH
^ Antonio Lait de Oliveira Azevedo i C, (
competentemente autorizados pela dlrec- ^|
toria da compaohia de seguros Fidelida- *
de, tooiam seguros de bavos, mercado-]
rias e predios no seu escriptorio ra da fia
Cruz o. l._ M
AMA
D-se a quantia da 205 a 285 pelo aluguel dej
urna escrava que faca o servieo Mierno e externo;
de ama casa de familia: a tratar m Fra de Por-
tas, ra do Pilar, oo primeiro andar do sobrado
n. 13S.
SlGabiuete medico-cirur-
gico.,
t Roa da Imperatriz n. 36.
*R O Dr. Joo Mara Seve, medico panel-
m ro e operador mudou a sua residencia
ffi para a ra da Imperatriz sobrado o. 36,
&< onde pode ser procurado para o exercicio
|Sm de sua proflssao at as 10 horas da ma-
is nha e das 4 da larde em diaote.
Um Completo SOrmentO dO Calcado da e 45, can.braia cun flr de seda, gostos ioteira-
terra para bomens, senboras e meninas; Bien,e nw8 a 400 e soo rs. o covado, no armazem
assim comobezerro francez, conro e lus- AUSHu'n0'W*'"" da Imfieri"riI JUD, a pa-
tre, marroqnins, taixas de todas as quali- Paredes Porlo
dades, fitas para sapateifO, muito SOrtidas, 1 Recebeu pelo ultimo paquete um sorilmemo de
SOla e COUros que todo visto necessariamen- crozes com pedraspara o pescoco, benitos caxioeis
te faz cobica ao comp ador pela barateza.
Samuel Power Johnston & Gompanh
Ruada SenzalaNova n. 4.
AGENCIA DA
Fundlco de Low Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cauaMos.
Moendas e meias moendas para engenbo. de ac, sotados em graos.
Taixas de ferro coado e batido para enge- '
nho.
Outro objectos.
Vindos tambem para a antiga loja de
miudezas ra do Queimado n. 16.
Sapatinbos desetim branco bordados pa-
ra baptisados.
Outros de merino tambem bordados e
gnalmente bonitos.
Meias de seda, correspondente no tama-
nbo dos sapatinbos.
Outras mui finas de fio da Escossia e
brancas listradas.
Luvas finas de fio da Escossia brancas e
de cores.
Ditas de seda para senboras.
Ligas de dita para senboras e meninas.
Pentes de tartaruga mui fortes para des-
embarazar.
Carriteis com retroz preto e outras cores.
Carteiras com agulbas.
Agulbas francezas, as afamadas.
Caixinbas com allinetes brancos e pretos.
Haspas de baleia para vestidos.
Fitas de linbo proprias para ditos,
Gaixas com linbas de novellos grandes
para crochets.
Trancellim de borracha preto, redondo.
Bonitas flvellas grandes de aeo,
donradaa, madreperola e tar-
taruga.
A loja de miudezas ma do Queimado
n. 16, receben um bonito sortimento de
fivellas grandes para cintos, sendo de ac,
douradas, madreperola e tartaruga, asquaes
esto sendo vendidas em dita loja por pre-
cos commodos ; assim como boas e bonitas
fitas de gorgoreo achamalotado, proprias pa-
ra dita5 fivellas.
Ore- Las de penetra .e de outras
* calidades, para quem soffre
da vista.
' A' loja de miudezas ra do Queimado
a. 16, tambem recebeu oculos de peneira
com vidros claros e escuros, para quem sof-
fre da vista, assim como outros de armacSo
Arreios d' carro para um e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Coroas tercos de cornalina.
A antiga loja de miudezas a' ra do
Queimado n. 16, recebeu mui bonitas co-
roas e tercos de cornalina, os quaes esto
a disposico dos bons ebristos que os qui-
zerem comprar em dita loja: na ra do
Queimado n. 16.
Esponjas Unas grandes e pe-
quenas.
Vende-se na ra do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
A a 11 Hita loja de miadczxs na raa do
Queimado d, 16, acua de receber:
Novas e bonitas guarnir-oes pretas para vestidos e
, soutembarques.
. Bicos de seda brancos e pretos com vidrilhos, e
diUeieules larguras.
Trancas pretas com vidrilhos.
: Cascarrilhas de seda de diversas cores e moldes
novos ; ouir?s enfeiladas com bicos de seda,
fiabadinbos de seda.
Trancas branca., de seda para enfeites.
alcmeira e dnRorta naraarifip "l fifi "ni Booilas flta8 brancas lisas e lavradas ; ootras de
aigioeira e oe pona para o armo oe laoo, O cores ,ambem-|jsas fl |avradas ; outras achamalo-
mais correctas posstvel tanto nocalculodas] udas para ciotos, largas.
VENDAS
MUAS
PARA 18GO.
Acabam de sahir luz as fovbinhas de
de 13a para pescogo de senhora. Ra da Imperatriz
o. 6S, armaztm da porta larga.
Paredes Porto
Veode cortes de gorgurao preio para vestido con,
11 covados cada um 355000, grsdenapie prelo a
15600,15*00 e 25 o covado, las lifts finas a 400
rs. o eovado, laas de quadrinho para vestido, entes-
tada, a 320 rs. o covado. Ra da Imperatriz o. 52,
armazem da porta larga.
Roopa frita
Roa da Imperatriz n. 62 armazem da porta lar-
ga junto a padarla franceza, encentra se neste es-
tabelecimento um completo sortimento de paivts-
saceos e sobreeasaecs, de todas as qualidades, cal-
esa, rolletes, ceroulas, camisas, grvalas, netas,
chapeos de sol, ditos franetzes para cabera, por
presos rommedos, roopa para menino e outras
muitas fazendas por presos commodos, armazem
da porta larga.
No mesmo eitabelecimento encontrar o respei-
tavel publico, sempre um completo sortimento de
roopas fetas de todas as qualidades, rr-mo sejaro
paletos de alpaca preta e de cor, ditos sohrecasa-
cos a 45 e 55, ditos de brim par Jo a 25*00, 35 e
35500, ditos Unos a 45, ditos meias cazerrira a
355OO, 45 e 55, ditos ra?emira saceos a 65, 75, 85
e 105, ditos sobrecasacos a 10 e 125, dilos de [an-
uo saceos a 65, 85 e 105, dilos sobrecasacos a 125
e 255, ditos de merino prelo a 65, 75 e 105, cal-
cas de brim de diversas qualidades a 15800 a 45,
dilos brancos a 250OO e 6500, ditos cazemira 55,
65 e 75, dilos pretos a 55, p>, 85 e 105, ditos
I meias cazemiras a 35 e 45, coletes de diversas
qualidades, seroulas francezas de algodao, ditas de
llnho, ditas de bramante a 25 e 25oOO, carnizas de
algodo de linho francezas de 25500 e 35- Gran-
de pechincha neste genero, grvalas de todas as
qualidades e brancas para casamento, grande sor-
timento de meias para senhoras, ditas para homens
a 35, superiores a 35500 e 45.
Um completo sortimento de chapeos de sol de
alpaca a 35, ditos de seda a 55, 75, K'5 e 145,
ditos francezes para cabea, grande sortimento
a 65-
Pechincha atimiravel.
Grande sortimento de chambres a 45600 e 59,
lencos de cambraia para homem a 25 a duzia, di-
tos de linho a 45 e 55.
Grande soilimento de roopa para meninos e ou-
tras muilas qualidades que seria enfadonl.o men-
ciona-las.
Paredes Porto
Recebeu pelo ultimo paquete francez ricas las
granadinas com flores de seda a 400 e 500 rs. o
covade, esto acabando-se, cambraia preta para
luto. Porta larga junto a padaria franceza, a ra
da Imperatriz n. 52.
Paredes Porto
Receben pelo ultimo paquete espartilhos a pre-
guicoso por 3$, sao bons, lencos de seda para se-
nhora e homem a 1?, ricos cortes de cambraia
bordados de 18$ a 7jf, por ter um toque de mofo,
eslo se acabando, na ra da Imperatriz n. 52, jun-
to a padaria franceza.
Paredes Porto
Vende nm completo sortimento de fazendas
brancas, como sejam madar.olo a 45o00, 55, 65 e
IO9, pecas de algodo por barato preco, chua fran-
ceza a 240, 280. 320, 360 rs. o covado, precalias
muito finas a 360, 400 rs. o covado, rhila ingleza
a 200 e 240 rs. o covado. Ra da Imperatriz n.
52, junto a padaria franceza.
Fazendas.
Vende-se superior merino preto proprio para ca-
pa* de senbora e vestidos a 25. lustrim da China
a 15800 o covado. Ra da Imperatriz, porla larga.
Paredes Porto.
Vende em seu estabelpcimento liras e entremeios
bordados, grande sortimento de corplnhos rica-
mente bordados a 35, 45 p 55- S o Paredes Por-
to, raa da Imperatriz no 52; porta larga junto a
padaria franceza.
las e eclipses, como as diversas fesias Fivelas grandes de ac,* douradas, madreperola e
que a igrejacelebra; vendem-se unicamen-1 tartaruga,
te na livrara
da praca da Independencia, Sq^sd^anda.ooVulL5
160 ris as deporta e 320 ris as de algi-
beira.
Attenc&o.
Vende-se a taberna da ra do Rangel n. 48 : a
tratar oa mesma.
enhoras.
qnalidades.
Grande novidade.
Aluga-se a loja do sobrado 1 junto a fa-
brica do gaz, a nargem do' rio, om commodos
para familia, tendo denlro agua de Jjeber e cacim-
ba ; prego de 155 (neosal 1 a tratar ao mesmo so-
brado.
Eei quanto o ir. acadmico Anloolo de Cas-
tro Alves nao mancar pagar 635000 que devo de
aluguel da casa em que morco oa roa dos Coelhos,
vera o seo aome oeste joroal.
ATTECAO
Precisa-sede nm coziabeiro e om caixeiro para
biteqoim, e de urna ama : as Cinco P-wtss oo-
mero 102.
Na praca Ai Independencia n. 33, loja de
orives, compra-e ouro, prata, e pedras preciosas,
e xambem se faz qualquer obra de encommenda, e
todo e qualquer concert.
r Um moco bastante habilitado, offere-
ce-se para leccioaar fraeez e portugez em al-
gum engenho; quem pretender dirija-se
Ra Direita n. 75.
Mole Precisa-se alagar nm rooleque de 18 a
nos de idade : ua raa do Queimado o. 12,
ro aodar.
20 an-
primei-
ME1H0D0 CASTILHO.
Vende-se robosto, cozloheiro, com principio de selleiro, e
bom trabaltiad r collegio da ra dos Coelhos n. 12.
Vende-se a taberna n. 20 da ra do Fogo : a
ratr na mesma.
MACHINAS DE PATENTE
TRABAi
PARfrOESCA-
DO
FABRICADO POR
PLANT BROTHERS & C.
AM.
Estas machi
as podem des-
Lourenco Pereira Mendes Guimares, proprie-
tario da grande loja e armazem da Arara, ruada
Imperatriz n. 06, declara ao respeitavel publico e
seos fregoezes, que recebeu diversas qualidades
LmdoS O delicados enfeites Bara bai- de fazendas vindas pelo vapor francez, por isso
i__ M.s,.. cono a fesla est quasi acabada resolveu vender
es paaseiws. barato para acabar al o flra do anno.
A amiga loja de rmudezas na ra do Queimado, A n0Tflade) chaies de renda a 100000.
ra ao yaeimadon. is. ^ soutemharques de laazinha a 55, dilos bran-
rinas Capel* para UOlVas e eos fino a 85 : roa da Imperatriz, loji da Arara
meo i 11 as. */
Acham-se venda oa roa do Queimado. loja de \ Cortes Mara Pia a 8^000
miudezas n. 16. Vendeny-se rices corles de ve.-iido de cambraia
li.tnilc tAnnninhaa bordados a la e seda a 85 e 105, ditos de laazinha
DOHiias Mtuquiuoas fleos a 8, 125e 165. cortes de cambraia de ba
de fi e cambraia bordadas e eofeitadas : ven- bados a 35, ditos de cassa franceza finos a 35,
demise na rna do.Queimado, loj de miudezas no-; pecas de cambraia braoca fina a 35, 45, 55 e 65,
mero 16. ditas do cambraia para forro a 25, cortes de cbl-
Lauetos de dous vidros com aro de aro, bnfala | tas a 29200 e 35 : ra da Imperatriz, loja da Ara-
e tartaruga. ra n. 86.
A loja de miudezas, ra do Queimado Cassaa franceeas a 300 rs., chitas a 240.
n. 16. recebe, um. beHo sortimenfo del^lgj^--- E^sif i JSSS2
netos e ocuwb de vidros com armacSo fina de 400 rs. covado, alpaca de cor para vestidos a 320
ac, bfalo e tartaruga, e OS est vendendo o eovado : ra da Imperatriz loja da Arara n. 56.
por precos razoaveis : os pret-ndentes diri-' LSazinhas a 240 o eovado.
jam-se a esta loja na ra do Queimado n. 16. Laaziubas a 210,320 e 360 o covado, ditas lisas
finas a 400 e 500 rs. o covado, ditas escocezas fl-
da Itoafna rnara Impertir I /
Hitas
ita,*w
Ditas d cabei
a dozi
Caixa com 0 overo de liaba 4e giz a MO rs.
Tesooras fiuas para costara a 30u t -'> ra., 1
1500o.
Resma de papel almaco a 256T0
Oit greve niito bom a 35*-
Baralho de cartas franceza* para voliartte a 240
e280rs.
Jogo de vispora a 000 e 800 n.
Enfeites para caneca o a>ais aoderao mte to a
250OO.
- Pentes moli finos com coala da aelal pava
peniear a 500 rs.
Helas croas nara hemem moho encorpadas a
240 rs.
Aholoadma de crysial para rllele a 5(0 r 15.
filas de coz com 10 vara, de om dedo a mm
de largura a 440 rt. a prca.
Liga para atar meias a 100 n. o par.
Pares de tuspeat-orlos a 160 e 2*0 r.-.
Grbalas de seda prea a de core* a i>00 n.
Ricas golloras com pnahoi para stohora a 15-
Luvas t'e fio de Escocia, de corra, (ara beata*
a 320 rs. o par.
Carreieis de linha de Aleindre de d. 80 aiCO
a 100 rs.
Gaia de borracha 1 :ra briaqoedo de a-taiao a
100 rs.
Caitas com clcheles nuito tx>os a 40 e (O ra.
Dilas com lamparillas [ara 3 anejes a40 rs.
Dilas com tbreias n uiio ara a 40 rs.
Fivelas grandes [ara rilos de diversas ioa'da-
des, lilas para cinlos, ditas de vellorio, trtrtat'le
cores lisas c de caracol, bicos e rroda, vctla *
aljofares, ditas prct a bailo, t en renplvio r-
timento de miudezas que ce esta' liquidan-k a eV
Dbeiro.
Vestidos
Prchincha sea fgal.
Chegoo a loja de Paredes lorio nm bo o arr-
tlmento de vestidos de lanalata tfe cores e :nitt<
qoe serve para partidas por ter orna pbaolasto hv
teiramente de goslo lelo barato preco de 45 e
brancos a 45500, eslo acabando-te : bo aiaux**
d porta larga ra da Imperatriz o. 52, junto a lu-
dan;: franceza.
Cortinados.
Chegou a loja de Paredes t*>rlo om tmiUXi
sortiu inlo de coriioids ncameole b.i(id>s a
pretil de 255, 355 e 455 : a roa da Imperalra
o. 52, porta larga joolo a padaria franceza.
Kicas romeiras.
Paredes Porto recebeu pele oltimo paqnele cm
sortimento de romeira de goipnre prrts r de k'o
a preco commodo : na ra da Imperatriz o. i,
porta larga junto a padaria franceza.
Grvele pechivch'i
Corles de la escoceza eofestada para vcfMa
fazeuda de 500 rs., esl se venden-in a 2S0 oW)
rs. o covado : na roa da Imperatriz o. 52, lato a
porta larga.
3$000
Vendem-se
carocar qual-
quer espeeie de
algodao sera
estragar O fio,, machinas aoericanas de serrote para descarocar
sendo bastante algodao : na roa da Senzaia aova n. 42.
PaUraa3oPSb^ Notas miadas do governo.
Ihn- nr\rlplii-t Vendem-se cm pequeo premio Dotas miudas
mu, jjuue ui.b- Q g0verno na rua do Vigario n. 2, escriptorio.
cae^ar u m 8'
arroba
godao
roco em
minutos,
de al-
era ca-
Vende-se
om bonito moleque : na rua estrella do Rosario
40' onmern 47.
OU
18 arrobas por dia ou cinco arrobas de al-
godao limpo.
Assim como machinas para serem movi-
das por animaos, que descarocam 18 arro-
bas de algodao limpo por dia; e motores
para mover urna, duas ou tres dessas ma-
chinas.
Os mesmos tem para vender um bellsi-
mo vapor que p le fazer mover seis estas
ManoelJos de i1 si roes profeasor de loa- machinas mencionadas; para o que convi-
troccaoeleineotarjielo melhodo Casttlho, avisa ao [ ___.. ^.
pais de seus ainmrus e ao respeiuve pbiieo, que, da-8e a9s seobores agricultores a virem ver
no dia 8 do correla estar iberia soa aoia oa roa e examina-lo, no a mazem de algd3o, 00
Cera de caruan ha.
Vende-se cera de carnauba, prtmeira qualidade,
pelo preco de 95500 a arroba
de Dos n. 5.
as a 500 rs. o covado, lencos de seda a 640, 800 e
15 : roa da Imperatriz, loja da Araia o. 06.
aloes a 2fl(l0.
Vendem-se balSes a 25, 25500. 35000 e 35500,
saias bordadas para senhora a 75, golinhas para
senhoras e meninas a 240 e 320, iMmis'nhas para
senhora a 15, 25, 35 e 45 : rua da Imperatriz,
loja da Amara o. 56.
Roopa frita, calcas 20000.
Veodem-se caigas de brim pardo e de ganga a
25, ditas de brim branco a 25500, 353G0 e 45,
dilas de casemira decores e pretas a 55, 65, 7jf e
85, paleto! de casemira a 55, 65. 85 e 10$, dilas
de brim de cor a 25 e 3a, de alpaca preta a 35 e
45, camisas francezas a 15800, 2c e 25500, ditas
ioglezas, pregas largas, a 35500 e 25500, ceroulas
15600 e 25, e outras multas fazendas
O
Cortes de laa escocesa para vestido a 35 o for-
te: na roa aa Imperatriz o. 52 loja da puna lar-
ga, unto a padaria franceza, eslo se acabaede
Manual do Cidi dao
Vende-se o Manual do CidiriHo i-m ;:
Governo Representativo ou principios e
Utreito Publico Constitucional Aouuniitr*-
tivo e das Gentes, por Silvestre l'ti.htirri
Feri eir, em 3 vulumes brmurad s p*i 35
cada obra : na livraria n. e '' pr.. a
Independencia.
ROMNSFSB Ri S
Vendum se, na livraria da praca da Inde-
pendencia n. 8, a 400 rs. o BMC, os ro-
mances portugue/esseguinles, em bro ura:
A voz do sanjue, 2 volume?.
Connemara, ditos.
A nuite de S. Silvestre. '. dito.
O lhu de Titiano, 1 diio.
Adonis ou o bom negro. I dito.
As du s imadas, i dito.
Opach de Buda, i dito.
Triliy, 1 dit".
Ignez de la Sierra, I dito.
Joven Siberiana, 1 dito.________
Na refiaaria da Concordia n. 8 vende *e m*
de purgar assncar ou de furo, c ais h.npo d 1
o que vem dos engenhos, caada a 600 rs, a gar-
rafa a 120 r.
As Pilulas Catharticas
DE AYER.
O purgante mait efetmx mU h*)* fmhttU.
Eftu pilalaa a paruitt -
itaet, ato Kid aa mb *>
s9o Beai mercurio mm mm-
iagredinto aiaeral; 4 taa-
ecntea para aa criaatrw aaaaoa.
mala dctVcaaaw, a* atanaa ks.-^.
qoe, coaaaaaaaa como aa ala wi
taca aiat fprlaa, ao Imlaata i
roa e rirarfa pare aa aaaaaaa aaatt
robaataa.
Estas pilotas catharticaa pargao c prUcio loo
humano sem mercurio.
NSo se tem poupado Irnbnllio acia ilaapnit pora I
pilulas a um grito de pcrrc-cco tal, qoa aaa cita a njaa.
ao o resultado de anuos da eaaaaVia kakariavaa e aaaaa)aaar.
Pora alcancar todas as Tontagena rme raaaicaa Je uao 4a caaaaa-
tieos, tem-ae combinado aaiaratc aa mirtmles nn-t
plantas que sao empregadaa aa lonlaevo da* pilula-. .
coniposico e tal que oa cafuaiiJaata aja* esta* ao> aaax.:
de sua ceao, rara* vejes poileaa reaiaal-laa aa evad laa.
Suas propiedades penetrantes espiono araetro, aaaMaaa e
dao vigor tolas aa partea de orgaaisa aawaan ; aoaa aaattar m
a sua aceiio viciada e roa recuperar a aaa vlaallda*!. Baaa Jai
coasequencias datas prepriedjdaa 4 aa a ataie, aanafcaa V
dr e debllidade plivsica, adaalia ai da la liai, taa a.pi.
sua saudc e energarecuperadaa por telo d'aa> naili l*>
aimplea e ogradavel.
As molestias que eato ao aeo aloaace ai.
Prizao de centre Wuumatitma, Dtr ata laania, A T aaaajf.i.
Eiixaqueca, Ituligetlio e mal do em
PADECDEHT08 DO nOADO,
Feto-e gastro-htptica, Gaitritt, afKtttt jNNm
Eryipela, ITydroptia, turdez, ctguim parca*/, '
No almanak e Manual de Saade do Dr. Arar, que a
todos oa annos para distrlbalco grataata, a
tado sobrt os diversas doeocas qoe estao ao
HEMEDIOS PrjHQAJrTSS.
Aoha-se em todas aa Botlcoa Dragarla* 4
mm Precisa-se de um homem para feitor de un
sitio perto da praca, mas que nao tenba familia :
3aem eativer nesUs eircurastaocia*. dirija se a ron ij0 y vraniento o. 20, segoodo aodar. Assimicono largo da ponte nova n 47
a Cruz do Recife n. 02 gara traar. tambera recebe pea sionistas, ao eicedeodo de ti
_ Preclsa-ae de urna ama o,ae compre a cot aooos de idade, poi prepo muito raxeavel, obrigan- r
nhe para casa de omem solieira : aa praea tfi do se o dito oroff sr a empregar lodo o .digvelo e
Boa-Visla n. 18 cuidado oo adiantaioeoto de seas alomaos. I
auadlers Brothers <& C.
Reeife praca do Corpo Santo n. H.
Os tnicos agentes neste paiz.
Madre t*mM e ** eou,ras multas lazenaas que se oao
maore ^e mencionar p0r estar muito oceupado, porm
_______ com a vista do comprador observarao o que ba-
Cebolas a 500 rs. rato e bom, isto para agradar aos seas fregoezes
Na raa da Madre de Dos o. 5. _______ qne nonram a grande loja e artnatem da Arara,
Vende-se nma pequea mobllia : na rua de i rk.i_ --* tiaan
Hortas n. 72, sobrado. Ch,,M d* -eriB 2000'
,. i i Veodem-se chales de merino estampados a 2,
- Vende-se a taberna da rua do Nogoeira n. dt0. de la a l* e 1*280, chales de merino moi-
49 com poneos fuodo? propria para meta tinr l0 finos a 49, 4300 e 6*800 : roa da Imperatriz,
famiha porque a casa tem boas commodos: qoeea |0ia da Araran. 86.
a pteteader dirija-se a mesma para tratar, qoe lo-
do negocio se faz por seo dono nlo poder cooti-
ooar por falta de saade.
A149 rs. a botija
Tinta preta para escrevar, de boa qualidade:
vende-se m raa das Craxea o 41
pona larga.
INJECCAO BROW.
Remedio infallivel as agnorrheasv antigs
e recentes, nico deposito na pluYmacia
A, ubrt-l,frauCeM rua da Cru n, 22 e aoprfo de
'34000.
O Petoral de Cereja
DE AYER,
PARA A PBOPTA COTU OA
Angina, de Oonatipaedea,
onaa, Bronohit*), Tiaio* ]
pulmonar*. toda*
Peito, a**i_ oomo para aUriar
oa athioo* 1
Aa preparaoiea do Da. Anut ais <
drogara* a boticaa de Imperio.
Vende-se em Pareamfavco:
na
i 1



l^^i^HIB^^H
^^1
* serta letra de araneiro de 4860:
Bai^BaM;
N. 11Ra do Queimado--N. 11
A' casa de Augusto Porto cbeg: ram pelo f tpor francez ricos cortes de i
vestidos de seda de cores dos mais bellos gostos, proprios para bailes,
partidas oa casamenios.
Chales de Guipure pretos e crneos.
Bonete de palna da Italia para senhoras.
Moir branco e preto.
Bonita seda para vestidos,
Casenaras de quadroe.
Esteiras da India para salas.
Madapotes francezes a 400 e 500 rs, -a vara,
Dts para vestidos de diversas Qualidades, e
gostos diffreentes,
Q que tudo se vende pelos mais commodos presos.
CORTES E SEWA
Chegaram pelo paquete iogle riquissimos corles de moreantique de cores, e seda lamda pa-
roes inteiranreote notos. AAA ,
Seda de quadros por 1#000 o covado
5RA DO CRESPO-5
Gregorio Pae de Amaral & Cotnpanhla.
DE B 011 I
GOSTO
Para vestidos de senhora.
Cortes de seda de c6r de bom gosto e superior qualidade.
Lindas sedas de quadriohos.
Bods moireanliques de cores.
Grosdenaptes da todas as cores.
Lindos po d chevre fazenda assetinada de inteira novidjde.
Lindas duquezas assetinadas fazenda inteirarnente nova.
Modernos grenadines de seda o que tem vindo de mais novo.
Grande variedade de las de cores lisas e de salpicos.
Organdys e ca;sas de muito bom go>to.
Percalias modernas com grande variedade.
Lindos -orles dela Clotilde com todos os pertences cada um em seucar-
[tan inteirarnente novos. \
BmscMes deca jfazendas de gosto quesera enfidonho mencionar.
Para homaros de senhora
Grande viriedade de chales, bournoui, retonde3 e algeriennes de fil e dej
f guipare a 10, 16, 20, 30, 40, 60 at 800.
-A Modernos soutembarques de seda de superior qualidade.
$m L-nd')3 bertes de seda de cor pretos e de cachemira.
<*P dem de cambraii branca b irdida com muilo gosto.
fR Sautembarques e bournoux de cacliimira de cor e outros muitos artigos dej
'bom gosto.
Para cabeca de senhora
Superiores chapelinjs de palha, de seda e de crina de muito bom gosto. a im-
>p;ratm..
Chapeos de palha da Italia grande variedade.
Landos gorros e bonets de palha de Italia, k Imperatriz, Canutier, Clotilde
e a Orante, chegados de Paris pe o ultimo vapor.
Grande variedade de enfeites de troco e de flores para casamento.
SS iperiores vestidos de blon le. e de mreantiqe brancos.
Bonsmiireaotiqes brancas e s iperiores sedas brancas,
lio s vestido-i A ta-latana branoo bordados.
Lindas mantas de blinde e boas capellas.
Bordt los.
Grande variedade de entremeios brdalos transparente e tapados.
Tiras bordadas transparentes e tapidas, babados bordados, saias bordadase
outros muitos artigos.
IiO.1% l%S COIiIJJIWJdi
DE ANTONIO CORREU DE VAS ONCELLOS & C.
RA DO CRESPO m. 13 *

AO RESPEITAVEL PUBLICO
A tafeea akiixo publicada serve de base de presos,
tanto deste armazn como do armazem progressivo pa-
teo do Carmo n. 9, principal armazem ra do Impera-
dor n. 40.
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialkjade aos senhores de en-
genhos, lavradores e mais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
oeraram os proprielario dos tres grandes armazens, reunir todos os seus estabeleci-
tnentos era um so anouncio, pelo qual o preco de um ser de todos, promette-
mos que Dio infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os gneros
por um preco, na occasio da compra quererem por outro, como socede corrstante-
mente em outras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar teto
aioda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pesspa poder mandar seus lmalos que
serio tambera servidos como viessera pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feizadas; para evitar qualquer engaos, remettendo nos urna conta
pela qual se ver os procos tal qual annuociarmos, o que seao.arrepender pessoa
uguma que fizer saa despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
CONSULTORIO HEBKO-MtlCO
00
DR. PEDRO DE ATTAHYDE W MOSC08O,
IBMCI, PAHTEIRO I! OPBRADOP
3-Rua da Qlorifi, cas,fo Fijn^o 3
O Dr. Lobo Moscoso di consultas gratuitas aos pobres todos os das das 7 fcll
doras da manho, edas 6 e meia s 8 horas da noite, excepco dos das i
Pharrnacia especial homeopathica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriad sortimento da
tobos avulsos, assim como tintaras de varias dymamisac5es s aeios precos
Carteiras de 12 tubos graades. 42*000
> de 24 tubos grandes. 18*000
> de 36 tubos grandes. 244000
de 48 tudos grandes. 301000
de 60 tobos grandes. 36#000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e cos es:
me se pedir.
Um tubo avulso ou fraseo de tintara de meia onca 14000.
Sendo para cima de 12 custarSo os presos estabdeeidos para as
Ha tubos mais pequeos cada um a 600 ris.
LITROS.
A melhor obra da bomeopatbia, o Manual de Medicina Homeopathico da Dr. Jssh
dous grandes volumes com diccionario '..*......... Sf
Medicina domestica do Dr. Hering...........
Repertorio do Dr. Mer> Moraes..........
Diccionario de termos de medicina........
Os remedios deste estabelecimento sio por demais conbeeidos e dii
tanto de seren novamente reoommendados as pessoas que quizerem osar
verdadeiros, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desajar,
verdadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservado, tintara dos sai
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparado, e portantoa:
energa e certeza em seus efeitos.
Casa de saude para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-Ibe
operaco, p ra o que o aonunciante julga-se sufBcientemeote habilitad.
., O iratamento o methor possivel, tanto na parte alimentar, como na a
fnnecionando a casa ha mais de quatro annos, ha muitas pessoas de cojo eoDeeni
pode duvidar, que podem ser consultados por aquelles que desejarem saa
doentes.
Paga-se 2$ por dia durante 60 dias ed'ahi em diante 1*500.
As operaees ser j previamente ajustadas, s nao se quizerem sojeitar a
razoaveis que costuma pedir o annoociante.
ARMAZEM E IA/J\DAN
Mi^TEICl
Maoteiga i igleza perfeitamente flor che-
gada ltimamente de l.oooa l.loo rs. a li-
bra, e em barril ter abatimento.
Manteiga franceza da safra- nova a 86o rs.
a libra e em barril ter abatimento.
BANHA
Banha refinada superior a 64o rs. e em
barril ter abatimento.
csi.i
Cha uxim de pcimeira e superior qualida-
de a 2,8oo rs.
Serveja
Superior serveja Bass dos melhores fa-
bricantes, como sejam: Shlers & Bell. T. F.
Ashe a 7,5oo e 7,ooo rs. a mzia e a 7oors.
a garrafa. Tambera ha de outras marcas
como seja: Victoria e Alcope a 5,ooo rs. a du-
zia e a 5oo rs. a garrafa.
Vinagre
Superior vinagre de Lisboa a 2,ooo rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tarabem ha
mais baixo para 2oo rs. a garrafa e l,4oors.
a caada.
Azeite doce
Superior azeite doce de Lisboa a 6lo rs. a
dem hysson o melhor neste genero a
2,600 rs., e sendo era porco ter^abatiujen-1
to' tambera ha propri para negocio de i a sjipenor azeiie uoce ue ^
2,4oo rs. a libra. *arrara e a 5,00 }'
dem preto superior de i,8oo.a 2,oq rs. -.- Massas
a fibra. Macarrlo e talaerim a 360 rs. a libra e a
Biscoiitos i 5,000 rs. a caiza.
Latas com superior biscouto iogtez de di-! Passas
versas marcas a l,2oo rs. a lata. Superiores passas a 3,ooo o quarto e
Bolaehinhas 12,5oo rs. a ca xa de arroba hespanliola e a
Latas com bolachinhis da acreditada fa-'


IrritaQo dos pulmoer. angi-
nas, tosse, escarros de
sangue, crupo ou garro-
tilho, catarro, rouquido
e todas as innumeravei molestias que affec-
lo aos orgios da respiracSo
OEflIPPARECEH
ediante a acc5o da balsmica e irresistivo
ANACAHUITA
brica do beato Antonio, proprias para dar a
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata.
dem com quatro libras de bolachinha de'
soda a 2,ooo rs. a lata.
Qneijos
5oo rs. a libra.
GEJTEBKA
Genebra de laranja verdadeira a lo,5oo a
duzia e l.ooo rs. ao frasco.
Genebra de Hollania verdadeira a 6,ooo
rs. afiasqueira e a 56o [S. o frasco.
Idom de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da ums.
GarrafikjS com 24 garrafas de genebra de
. i Hollanda a 8.000 rs. o garrjfSo. Tambem
e portuguez a 800 rs. a libra, em porco
ter abatimento.
Queijos flamengos chegados no ultimo
vapor de 2,600 a 3,000 rs.
CHOCOLATE
DE
c.
CUSTODIO CARVAIilIO
27 RA DO QUE.MADON. 7
Madapolo francez muito fino, tendo pouco mofo, cada peca cosa
10,51000.
La de c res a 300 rs. o covado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a preco de 800 rs a vara.
Lencos brancos para algibeira a 2$ 00 a duzia.
Fin s perclaras a preco de 400, 440 a 560 rs. o covado.
Ricos cortes de laa.de barra de 105 a 3'5O00.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.
27
FEITOBAL de KEMP.
a anacahuita mexicana que di o nome es-
pecial este incomparavel remedio, urna
arwe, cuja madeira por muito lempo se
ha usado no Tampico para a cura das in-
formidades cima mencionadas. Foi tam-
i>om ensaiada e approvada pela academia
medica de Berlim O peiloral de Kemp
um xarope -delicioso inteirarnente livre de
opio, acido bydrocyaoico e outros ingre-
dientes nocivos.
A' venda as drogaras de Caors & Bar-
boza, Bravo A C. e em todos os estabeleci-
s pliarmaceuticos do imperio.
em Pernamouco ra d>
de Caros dr Barboza
s 35- sraS'r #
avariado
Km Prancez barre ((000 Portland dem 81500 perfeito estado: FrancMbarrica 1040M Portland dem 1*000 rmsiem do Taaso Irmaos caes do!Apollo.
Hrm em barrica? pequera,
ib veiM de todo os Umantios.
Bufi
rea da (
e eooprir
iGrande armazem de tin-g
' tas medicamentos etc. ]
Roa do Imperador o. 22.
*?Joo Pedro das Neves (ge-*
W rente) te a a renda o
>^ seguate:
|j Productos cbimicos e pharraa-
& ceuticos os m-is empregados em
M medicina.
Tintas para todo o genero de pin- !
*K tura e para tinturara.
>*$ Productos industriaes e tintas i
|S{ para fl res, como botes de Aeres ^f
W e modelos em gesso para imitar |
jlg frdetas e passiros com o compe- y*
2 tente desenho.
Pro lucios chimicos o industriaes '
m para photographia, lin uraria, pin- f
$ tura, pyrotecnia et\
j Momado em grande escala e sup- 22S
2? prido directameite de Paris, Loo- d
*^ dres, Uamburgo, Anvers e Lisboa
9- pode offerecer productos de plena
4% confianca e satisfazer qualquer en-
W commenda a gi os-o trato e a reta-
^ilho e por preco commodo.
MmmwM&mmmmmm
colares Royer on colares ano-
dinos
para facilitar a dentiQio das enancas e presrva-
las das convulsoes.
O feliz resaltado oDlido immensas vezes pela
prodigiosa forca magontica dos colares Royer, nos
casos de coavals5es, e denticao das criaocas, tem
altamente elevado o SKI bem merecido prestigio,
e hoje j se pode di?er qne estao feralmente coo-
ceituados, e estimado de innumeraveis pas de
familias : de uns porqie do aso d^sses salatares
colares viram salvos d) perigo seus charos fllhi-
obos, e de ontro? porque cotheram daqueltes to
proncao exerplo pan igualmente preservar os
teas. Assim, pol-, a a guia branca, tendo em ts-
tasa utilidade e provel- desses prodigiosos cola-
res anodinos oa River, mandia tir o novo sorti-
oeoto qae agora repellen, e continuara a recbe-
los para qae em tempe algum a falta deBes possa
Ser funesta ao< pas d famtHa. os qaaes flearo
certos ile os achar nmuanlemeote oa ra do Quei
nado, luja d'aguia bfiww n. 8.
Veodese a lafceiea da ra, 4 GaWifetro n. |
9i, com pouco< muito freaezda : a ]
tratar napraca [ iii.vMfinienria n. 22.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Velho Secco, Lagrimas do
Douro, Maria Pia, D. Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a l,ooo a garra-
fa e 9.000 a li ooo rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. agarrafa, e a 3.ooo,
3,5oo e 4.000 rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 64o
rs. agarrafa ea 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
ancertas de 8 e 9 caadas a 21,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs, a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
Caixas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa e
7oo rs. garrafa.
CAF
Caf do Rio de 1.* e 2,* qualidade de
6.800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
ra.ailibra. ^~
- *\nio
Sabio maca de primeira qualidade de 18o
a22ors. a libra e de 16o a2lors. sendo
em caixo.
6,000 rs. cada um.
VELAS
Velas de spermacete a 64o rs. a Hbra.
dem de carnauba de lo a 12,ooors a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
PEIXE
Peixe em latas j preparado de 1,000 a
l,2oo rs. a lata
ALPISTA E PAINQO
Alpista e painco muito novo de 3,8oo a
4,000 rs. a arroba e de 14o e 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mais acreditados fabrican-
tes, como sejam: Jo3o Furtado da Serrias,
Manoel Peixoto da Silva Nelto, Castanho 4
Filho e Brando e de outros muitos, os
quaes vendemos pelo mdico preco de 1.600,
2, 2,8oo, 3,5oo, 4,5oo, e 5,ooo rs. a caixa.
Ucore
Licores francezesep>rtuguezes a l.oooe
l,4oo rs. a garrafa ou frasco.
0aes
Doce da casca da goiaba e caixes pe-
queos a 7oo r3. e de 5o caixoes para cima
a 64o rs. o caixo.
Frats
Frutas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muito bem epfeitadas, conten-
do pera, pecego. ameixa Jainha Claudia, al
perche e outras frutas a o> rs. a lata.
Tambem ha lat grandes para l,2oo rs. a
lata.
' MBt ifSTX rjiTPii iiTTl
a
3 fariha
) cima' tr
L3A/tAA ffU
Uvas pelo ultimo vapor.
Peras pelo ultimo vapor.
Mcas pelo ultimo vapor
Ameixas pelo ultimo vapor.
Passas pelo ultimo vapor.
Figos pelo ultimo vapor.
Froctas seccas pelo ultimo vapor.
Fructas em calda pelo ultimo vapor.
Nozes pelo ultimo vapor.
Queijos Iondrinos,pelo ulimo vapor.
Queijos4aroeogos frescos pelo ultimo vapor.
Presunto fiambre pelo .ultimo;vapor.
Tudo se vende barato aos seguimos armazens:
Ana do Imperado n. 40. Verdadelro Principal.
Ra do Qnelmado n. 9, I nllo e Com mere lo.
godoC
Novidades do Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Este estabele cimento apezar de sempre
se aehar bem. sorlido como todos sabem,
hoje mais que nunca, nao s pelo que rece-
be de sua propria conta, mas tambem pelo
que recebe de consignages; parece sem
duvida que deve offerecer grandes vanta-
gens para o respeitavel publico tanto em
pregos como na escolha dos objectos, e co-
mo acaba de chegar grande reraessa pelo
vapor Douro e o navio Solferino de
diversos objectos de gosto e proprios do
lempo dos quaes se mencionarao alguns,
por nao ser possivel mencionar todos. O
dono deste estabelecimento espera a pro-
tecgo de todos.
Riquissimas caixinhas ornadas e com
msica propria para um delicado mimo.
Caixinhas de msica tanto de veio como
de corda.
Ricos porta joias e necessarios.
Riquissimos est jos a feitio de um bausi~
nbo ou cbapeuzinho.
Ditos em casca de noz e de outros gostos.
Leques de madeperola de sndalo e da
faia e madeira.
Chaposinhos e touquinhas de muito
gosto para criancas.
Meias e -apatinhos de seda para as mee-
mas. JMf
Meias de seda D?ra senhoras.
Capellas e grinaldas de flores proprias
para casamento.
Enfeites e capellas. de muito gosto para
senhora.
Riqusimos porta boquets.
Boquet de flores com urna borracbinha
com ebeiro.
Luvas verdadeirs de Jovin.
Dita de seda ede Escocia.
Riqmssimas plumas e guarnigbes para
enfeitar chapeos.
Contas e tubos, de ac branco, que ha
muilo se desejava para enfeites.
Brincos, fuellas e cruzes de crystal.
Fivellas e cruzes de tartaruga, madrpe-
rula e dourados.
Alfinetes para grvalas.
Botoes com croas para punbos.
Gravatinhas e mantinhas de muito gosto,
tanto para homem como para senhora.
Riquissimos aderegos pretos, assim como
caixinhas com a flnetes pretos.
Bengallas de canna com cabo de marfrm.
Ditas de baleia, borracha e de outras
muitas qualidades, assim como chicotinhos.
Riquissimos pentes de tartaruga do ulti-
mo gosto; assim como de arregago para
menina, pois ueste artigo ba um completo
sortimento de todas as qualidades.
Diademas para cabeca do ultimo gosto.
Riquissimas fltas lavradas e lizas.
ju,. 1. amnatnnMnBnBni^
Trancas pre tas com vidrilho e .de cores.
Pulseiras tanto para senhora" cbmo para
meninas.
Ligas de seda e de algodo.
Suspensorios de seda e de algndo e mui-
tos outros o l
Rival sem segundo
fiui da Qoeinaa as. 49 r 55, laja e
ruiudezas dr, tres partas, lajMi-
maada lude kan e araU, qaoi aja-
zer ver admirar veiiaa laja
Bigo Caixas de papel amiade, e sea ella lia* paafaB
a600rs.
Grozas de botdcs de loafa praieaot
derna a 160 rs.
!>! piaai dt qo l*fmm fc i
Pegas de tranca de laa lisas t s i
40 rs.
Escotas finissimas para liaipar tata a!
3iU rs.
Pecas de fila de cs eslreHas ees M^
320 rs.
Caixas com clcheles frai
dades a 20 rs.
Tinieiros de barro, con superior Bata a ICO n.
Pecas de cordo para vestidos, hacm fcw a
36 rs.
Baralhos muilo tinos para rotoame s Wt
240 rs.
Laus cora snperior boa** Stt rs.
Fraseos de macaca perala saailo la Saa rs.
Frascos e garrafiohas eos acaa a CoiMa a
400 rs.
Frascos grandes com snperior agaa te Cahma a
640 rs.
Caixas cea 12 frascos *e chairoa aaso kwi
1*400.
Sabonetes pequeos de bolla a StO rs. a fraaaas a
320 rs.
azia de sabonetes peqaenos cota eaejw a 1W rs.
Afina deniice snperior qoali4a4 a 90t rs.
Calas com superior p de arroa a 9tt rs.
Frascos de superiores esseaeiaa aaatal ovaras a
1*200.
Frascos com essencias para tirar aoiaas a aaaaa
aSOOrs.
Frascos com rheiros de ledos os precaa a Mt, ta.
240 e 320.
Frascos bonitos com ebeiros lana a 500 rs.
Duzia de meias muito finas para i rajara a
44800.
Golliohas mallo finas para i talara a 2M rs.
Caixas com soldados de eaasabe para araaiaaa a
160 rs.
Pecas de fita de lia para dubi un tu wifHa, ana
10 varas a 900 rs.
Ditas de Mea* loaeritaa, pan acabara***
809 rs.
Podras de lousa para meninos a 160 rs.
lioneros de choro e paoao a 110 rs.
Calas con bonitrs estawpas para rafea M)ia
Capachos com prido, boa lateada a la* rs.
Grosas de botoes peqaeaos araras para ratea a
100 rs.
varas de eordio de espsrtimo a 20 rs.
Novellos francezes com 20* jareas a M) rs.
Pecas de liras bordadas a 6*0.
Oozias de meias ernas mna hatea i
3*500.
Gorma de ailan braacaa
Esta preciosa fcola, cojas prearraaaaH
cin^es a imprensa europea lasa
ra a cara tfaa mola a a
tambem como alimenio saeta a
creaneas presiando-se a variados preparas
ros. A geral ae'Haeao qne ella
toda a parte, o sen maior
Pernamboco roa da Cadeia a. 4.
Vndeseooieameaie a rtala*
rador n. 57, armazem alliaafa.
Taada a Payaania* t
Com este tralo araba de tbeaar a
linda phaatasia militar para
um dos melhores compositores,
21 cada eaamplar : aa rola fraweta
o. ai.
Troco (miado.
Ni i na de Trapiche a. 14.
dse, medanle ama peoaeaa ,
da de prau de 2J, 14 e 580 rs.
6\Z.
Nq armazem da roa ia
Caes de Pedro II a. 2, ten
Ihor gas existente ao mrese*.
Luyas de J A loja de miudezas na rea do
do n. 16. reseUn-a por asta
Qaeijis da tciH

Vndese saparieraaerjoI
Madre de Daos, armazeminnnnnm
Veadese sopen
tenaUiaaea


I


).

J
1

FABRICA A VAPOR
99 RA DO MONDEGO 99 /
Deposito Da ra Nova n. o loja de relojoefro.
Deloache donos deste estabeleeimento partecipa ao respeitavel publico qae sua fa-
brica est montada com as melhores machinas que existem na Europa, e que pode
fabricarcom mefcor perfeig5o possrvel. Todo o chocolate desta fabrica est garantido, e
paro, o <*ae nao se pode encontrar naquelle que yem de fra, e que se vende por preco
baixo, visto o producios serem do paiz. Na etiqueta tem sempre urna aguia.
PRE(?0.
Meia libra......... 400
Urna libra......... 800
Urna arroba ........19,5000
-it
.......
.......
Na mesma fab ica acaba de se montar urna officina com serrara a vapor para
obras de marcioeiria propria para edificio, para o que encarreg -se de fazer portas, ja-
dellas, assoalbos (parqu francs como se usa na Europa,) e armacoes, ludo com brevi-
nade e perfeicSo. Toma-se qualquer encommenda para fra da cidade, entregando-se
prompta a collar-se oo bagar.
COELHO <* FREITAS
moa da Cruz m. 46.
Continua a haver diariamente un sortimento de pastis, podas, boles inglezes,
espadas ele, ele. Os donos deste estabeleeimento, acham-se na*, melhores condicoes
de poder satisfazer encommendas coacernentes sua arte, em consequerrcia do socio
Freitas ter sido administrador ebefe & algumas das prmci aes fabricas na corle, sendo I
urna a do Sr. JSo Goncalves Guimares (confeitaria de LeSo) antiga casa de Carceller.
Todos es traballios sao differentes dos que se faeem em casas particulares.
Os proprietarios deste estabeleeimento nao se tem poupadp a despezas, nem se
pouparao, se houver concorrencia como esperam ; tendo continuadamente bom sort-
mento de doces para cha; presantes e ditos em fiambre, tambera se recebem para se-
rem preparados ; assim como doce de caj novo superior, secco e erystasado, dito em
calda em latas hermticamente Techadas, podendo durar annos em pereito estado.
Para jamares e partidas recebem-se encommendas dos sej/urntes objeelos; ban-
deijas ricamente enfeitadas sem armapSo 'pecas de amendoas (nogaoes), ditas de tmaras I
de ovos, pues de l enfeitados com diticos anlogos a qualquer Ga; dilos montados, j
kechs simples e enfeitados com fructas ingleza; galheaux de la reine, ditos de le du-!
ehese, tortas de fructa, massa folhada; ditas de peixe e carne;
Tasso Irmos
Vender, no sea armazem ra da
Ameiim n. 3b.
Licor fleo Curago em botijas e meias botijas.
Licores finos sortidos era garrafas com rolbas d
vidro e em Irados frascos.
VinhosCberes.
Santernes.
Chamoertin.
Harmilage.
Borgoahe.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
Bordeaux. ,
Cognac.
Od Ton.
gjMJ lagstoU________________
0 castelo de Grasville.
Traduzido do frasees por A. J. C. da Crai.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 3400C
na praca da Independencia, livraria ns.
f; p
Framciseo Jos Germano
RA NOVA N. 22,
cremes e doces de ovos acaba de receber um lindo e magnifice sor-
tmento de oculos, iunetos, binculos, do ul-
Tatiibem ternura completo sortmento de wnhosengarrafados, como sejara: vtaho! timo e mais apurado gosto da Europa e ocu-
do Pono superior, Fgueira, Madeira, Lisboa, Cherez, Bordeaux, Champagne/fino, ser-
veja, licores, cbaropes e conservas. 3*ara festas: bonitas xiobas com amendoas, con-
feitos e mais enfeites. Mu tos destes objectos mencionados podem-se perfollamente ao-
condieionar tanto para a provincia, como para fra.
S VISIIIIM ROMICiO 9
(Da de el)
Haver os bolos de Ms .
(Gatheaus de Le Roi.)
Recebem-se encommendas tp.ra bolos e custo de 4, H& e 3$( caa um, contem
os ditos bolos urna &va, que orache em Franca e josao entre as familias pagar a
cliaiH/agne a pessoa >gwe comeado o encontrar. \
los de alcance
martimos.
para < bservacoes e para os
No armazem de lazendas
baratas de Santos Coelho
i.
DEPOSITO, PIANOS
Este estabeleeimento acaba de receber um rico sortmento de pianos fortes ex-
pressamente fabricados para o clima deste-psiz, dos mais afamados fabricantes 'da Euro-
pa, por isso o prQprietario convida ao respettavel publico para virem apreciar as qua-
idades dos referidos pianos.
Continua-se sempre cora esmero e promptidao fazer-se qualquer reparo nos ditos
instrumentos. ACnam-se os .pianos debaksc do melhor &ysthema ltimamente adoptado
na Europa.
H&dj%aHdjadjg&
e de
pera
Fazendas, pbantasia para vestidos chegados de Pars pelo oliimo vapor.
Lindos robes de organdy> cesananas fazenda transparente de inlelro gosto.
Ditos de.cercalia campestre padides muilo ricos.
Piiqaissimas grinadioes de seda o que lera vindo de roeKior gosto oeste mercado.
Lindos cortes de sattan pt-kra para vestido fazenda inteiramente nova.
Ditos de-gaze selim empega azeuda transparente e de posto muito modernos.
Lindos chales do grenadim broch, primeira vez aqu appareridos.
Iticos bournns de crep guarnecidas d< tranca muilo proprios para passeios.
Itiquissimas flvelas para tinto, de metal, de crystal com ago e com podras finas,
que ha de mais^uovo.
E outras Quitas fazendas de loteiro goslo.
Rita do Crespo n. 12.
JLoJa daaolnaanade Antonio Crrela de Vasconcello*
& Compaiihla.
Rae do t)nelmado
Veade-se o unirte :
CoberUs.de chila (loa a 4,1808.
Ditas de dita a 55400.
Len; Ditos de dito de linho 2*.
Ditos de bramante de liebo de um s5 panno
SJiOO.
Panno de linho fino com 9 1r palmes de larga
ra pio"barato preco de 25400 a vara.
Bramme de linho tico com 46 palmos de lar
gura afioOO a vara.
Pecas de cambraia <:om salpicos brancos
! cores eem 8 4|2 varas a 44800.
I'it -s de ramhraia adamascada propria
conloado de cama com 20 varas a 114.
Raleas da arcos a t500,35, 35300 e 44.
Lencos de cambraia fina a 2J690 a duzia.
Ditos de dita a 25 a duiia.
Alboalhado de linho fino a 25800 a vara,
Dito de algodao a5 a vara.
Aijodo entestado com 7 1|2 palmos de largura
a 14200 a vara.
Pecis de hrptaohcde rolo eom 10 varas propria
para a,a a 35500-
Fil de linbo liso fino a 800 rs. a vara.
Dito de dito com-salpicos a 45 a vara.
Cambraia de linho fina a 44500, 65300 e 9g>
vara.
Caries de laazinh* de lindos gostos com 1S eo-
vadus a S5-
Pecas de madaprlSo flnissimo pelo baratissimo
prfen de 84, 94, J05 p i 15-
Flanella branca fina a 600 rs. o cavado.
Dmb de cores fina a 880 rs. ocovado.
Ba4oes de mnsselina para memna a 34, 355C
e44.
Cambraia de forro a 34 a peca.
Dita fina a 445fl0,-434 e 7* a peca.
Goardaoapos de linho a 34800 a duzia.
Toalhas de alpodao felpudas dozia a 124-
Epeira da India popria para-forro de sala .4o
4,5 empalmos de largara per -menos preca do
que em outra qualquer parte.
Neste armazem tamhem se encentra um grande
sortmento de roopa feta e por medida.
Grande ii'ffiazem de tilas.
RA DO IMPERADOR 22.
G armasem de tintas um grande deposito de
productos chimicos oteosi? e os mais empregadoe
8*8^ loja ateazettdo
Pavfto.
Rtta da Emperatriz o. 80. de Gama & Silva.
< leeto o proariatarkM rle8Uaaleeiaata|i de
liquidireai ama grande porfo de snas fajeadas,
al ao fim d tas e apurar oaleiro, resolveram vender tois lis
hiendas com grande abatimento em precos, tanto
aki aorcao como a retaibo, por Uso prdvkwm a
todos os seus freguezes, a ao respeiuvel pobltfa, e
u pessoas qae negociara em pequea escalla eom
rateadas, qae neste estabeleeimento encontrar a
um grande sortimeato que multo Ibes bao le agra-
dar Unto em precos como em qoalidada; awii)
como mandam pelos seas caixeiros levar as fazen-
das e amostras as casas das familias que nao po-
derem vir a loja, ou dao as amostras deixando fl-
car peabor.
LaBbraias lisas a 31000, la laja do
Pava*.
Veodem-se pecas de cambraia lisa branca e
transparentes, tendo oito e meia vara cada peca,
pele barato preco de 34500, ditas mailo finas, por
44500,54, 64 at 104, sendo tapadas e transpa-
rentes, assira como cortes de cambraia com salpi-
cos a 25500: isto so oa loja e armazem do Pavo,
na roa da Imperatnz n. 60 de Gama & Silva.
As camisinhas do Patio.
Mendem se as mais modernas camisinhas borda-
das eom maogoiloR, para seohoras, sendo as mais
modernas que tem vindo ao mercado a 4550Q, di-
tas com manguitos, para acabar, a 14 ; ditas pre-
tas com manguitos para lato a 14800 rs., Tangui-
tos e golinhas prelas a 14, finissimas geliebat) do
cambraia branca bordada a 500 rs., caleinbas para
menina a 640 rs., romeiras de fil e cambraia
branca bordada a 14600 : na loja do Pav, rna
da lmpecaju-*.ti, *> <>ma 4 Silva.
- V Hata ie ayrm* a 8<5WOO. .
Vendem-se nsoais tnoaersos hatee de roerrai
estampados a 25000 cada um, havendo tambem un
grande sortmento dos mesmos matizados que se
vendem a 64,74 e 84060 na loja e armazem do
Pavo, roa da Imperatnz a. 60, de Gama & Sirva.
i* aaiaa do Paiaa.
Vendem-se as mais fiuas saias bordadas asagu-
Iha branaas sendo da melhor fazenda que tem vin-
do neste gnero, tpniTe mni a roda, pelo baratissi-
mo preco de 104080; ditas bordadas a croch a
65100 e 84000, ditas com babadinhos a 9400, a
loja e armazem do Pavo, na ra da imperatnz n.
60, de Gama & Silva.
Notos vestidos do Pari a 10#000.
Chegaram para loja do Pavo os mais ricos coi-
tes de vestidos de cambraia transparente com os
mais deliradas bordados de differentes cores a pon-
to deagulha, senda n'esle geaero a ataior novida-
de qae tem vindo ao mercado, garantindo-se o te-
rem muita fazenda e enfeites suficientes para o
corpa e toaaga?, e vendem-se pd barato preco de
1040(10 eada um, na Iota de Pavao, na ra da tai-
peratriz n. 60, de Gama- 4c Silva.
Os csparlhos do Pavia.
Vendem-se uro grande e variado sortmento de
espartilhos os mais bemfeitos que tem vindo ao
mercada, sendo de lodos os lmannos pelo baratis-
simo pre$o de 45, 54, e 64000, por haver grande
sortimento, oa loja do Pavo, na roa da ImperatrU
n. 60, de Gama & SUva.
Retoi'asjrretas a 12 Na loja do pavao.
Chegata pelo ultimo vapor as mais ricas ro-
tondas de renda pretas, sendo das mais comandas
que tem viudo ae mercado, e veodem-se por prego
muito em conta : na loja e armazem do Pavao, roa
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Crtes de casimira, pichincha,
A 2800, na loja do pavo.
Vendem-se bonitos cortes de casimira de cores,
tendo claras e escuras, e vtmdem se pelo baratis-
simo preco de 24800 o cene, oo vende-se a mes-
ma fazenda a 15600 o covado, lendo 6 palmos de
largura : isto na loja e armazem do Pavo, roa da
Imperatrir n 60, de Gama & Silva.
Os ertes de casimira do Pavo
Vendem-se superiores cortes de casimira, sendo
fazenda anulo fina, pelo baratissimo preco de 54
cada o ImperaltjE n. 60, de Gema & Silva.
-L-4 Os cintos do pavao a 1000.
n. Vendean-se cintos de fita com flvelas pelo bara-
tislimo preco de 5000 : na loja do Pavo, roa da
Imnerairiz o. 60, de Gama & Silva.
Vestidos indians a 300 do pa'o.
Vendem-se os mais bonitos corles de vestidos
indianos, sendo esia fazenda transparente e inteira-
mente nova no mercado, e tende entre el les auitos
cortes roios proprlos para senhoras qae etio de
luto; e vendem-se pelo baraUssimo prego de 34
cada um psra acabar : na loja do Pavo, rna da
Imperatru o. 60, de Gama & Silva.
Manguitas e golas a 560 rs.
Vendem-se manguitos com golas de cambraia
pelo baratissimo (ireco de 500 rs., isto para li-
quidar : oa loja do Pavo, roa da Imperatriz n.
60, de Gama & Suva.
Chales de renda a W&, 12<5, 184, 204 t 254, ia
loja-da Pavo.
Vendem-se chales de renda preta muito finos a
104 e 124, ditos de linho a 154, ditos de seda de
linho dos -melhores que ha tm cbales de renda
20 e 254, ditos brancos de tres ponas a 69, isto
so na loja e armazem do Pavo, ra da Imperatriz
o. 60, de Gama & Silva.
PARA A FESTA
Popelinas a 400 ra.
Popelinus a 400 rs,
Popelinas a 400 rs.
Chegaram para a loja do pavo as mais Iradas
popelinas, fazenda propria para vestidos de senbo-
ra, sendo muilo transparentes e brilhantes com as
mais Iradas cores qae tem vindo, as qnaes facili-
tara fazer-se om vestido com muita pbanlazia por
pouco dinheiro, e vendem-se, sendo de qoadrinhos
a 400 rs. o ovado, e as de urna so cor a 500 rs.
na loja do pavo, ra da Imperatriz n. 60.
A 3O0 o corte, -
AGUA BRANCA
Ra do Uueimao n. 8.
A loj da aguia branca acaba de recebar ata
novo e grande sortimento de difiranles objectos
de gosto e ultima moda, sendo :
'Benitos enfeites para senhoras gostos inteira-
mente novas.
Ditos ditos de grade com eontas grandes.
feUMV
Continua a veaer iada>aa madezas mm
declara por precos adairavefc. ^
Massos de pailita lixados para denles a 100 ra
E.p.no. de, adaTMa^^raka^t^iVi
Beaau de oludo pan aaaadaaa a I4w ^^
Ditos de-cooro soperior faaaada a liij..
Lindas flvelas grandes para cintos com moldes ** ".L^S^?!?1 ry.
agradave e d.versas qualidades, madreperola,liS?Jibg*
iaruroga, ace e douradas.
a
Boas e bonitas titas achamalotadas para ditas.
Dites de dita de grosdenapies lisas e lavradas
com novos e agradaveis desenhos.
Trancas pretas de seda com vfdrilbos moldes
novos e de gosto.
Bicoo francos e pretos de seda com vldrilbos e
de differentes larguras e bonitos desenbos.
Cascarrilhas de seda com diversas cores e lar-
fQras, formas inteiramente novas a imitacao de
palo, babadinho e outra com urna traaslnba ao
centro o qne Ibes d muita grata.
Outras estrei-as e largas guarnecidas de tico
de seda obra de muito gosto.
Unirs de cambraia de cores.
Botdes de seda, vedado e ac para enfeites de
vestidos.
Trancas de seda estrellas e largas brancas e de
cores para enfeites de vestidos.
Flores finas
CAPELLAS PARA MENINAS E NOIVAS.
A aguia branca a rna do Queimado n.
beo para vender :
Delicadas capellas brancas para noivas.
Bitas ditas para meninas.
Ditas ditas de caixos dnflor delaranja.
Ditas ditas de rosas camellas e outras.
Bitas ditas oa ramos de trigo.
Diversos ramos de flores finas para pelto
vestidos, enfeites de chapeos etc., etc.
treparos para flores.
y rna do Queimado n. 8, loja da aguia
ca vende-se:
Papel de cores para rosas.
Dito verde para folhas.
Dita dito e pardo para cobrir os talos das
Musgo em rama.
Folhas para rosas.
taixae con 100 ea volse, aaeaea nee a OOtn.
G rozas de pennaa de ac, fuetea aeprnor a OH-a.
Gruzas de botdes maareterota tu* %
e 640 rs. "'"
Calas com 50 novellos de Naba de tai a 7M r
Canas com superiores oWeiasdc cola a %*atrs.
Petas de tita branca elstica ceas 9 varas a MOn.
Varas de franja de la para cafle de vestida
4o rs.
Bralees dourados saperiom aaalidadts a 100 n.
Novtllos de Imita coas 400 jarda a 00 n>.
Liros para assenios da raspa lavada a ICO ra.
Pares de boloes para poabo, fazenda rira a ISO n.
Tesooras para costaras snpeikiies 'i"--Infidel a
400 e 14.
Caia de pennaa de caif rapeia, faltada aaa a
Haesos com superiores grampos a 30 rs.
Pares de sapatos de tranja e tapeti a \ZCO.
Caixas com superiores agolaa a 240 rs.
Libras de la sonidas de aoaMas cores a 7#oao
Caixas eom superiores ebfeias de ata* a eOaa.
8, rece- Rudinhas com alflnetes franceses a
a SOra.
Resmas de papel almaco a 24400 a fJOM ra.
Escovas para roopa, faienda boa a 720 e 14.
; Dozias de tesooras com loque de trusa
! 600 rs.
' Dmias de facas e tartos de cabo prk> a _
de Talfaeres mnito One para criaoeas a 240 o.
Pulseiras para meninas a 32o rs.
Ditas e volias para senhora a 500.
Frascos de Agoa Florida ttOaoira a I4SM.
Frascos com soperior banba a 240 e 500 ra
dem de soperior oleo babosa a 320 ra.
Caixas com lamparinas para 3 meirs a 40 rs.
Varas de habado do Perla a 00 e 14 n.
Cartas de aifiaeles franceses a 100 rs.
bran-
ditas.
8nademos de papel pequeo a 20 rs.
ravatas de rflres, faienda soperior, a 900 ra.
A gultlCiS e lintiaS para Crochet. Pap+i* de agulhas, fapdo doorado, a eU____
Veodem-se na rna do Queimado a. 8 loja da Arajaiea baliza, rata do Liarav
aguia branca, assim como agaihas para tranalbar-1 nriito 89-
nemlVj t. 1? 4 Vent,M,e 'lo Lisboa, marra N., rkrgaA.
Papel de SOOreCellente para OS pelo Relompego, com WO Hars rada saces, .
phosphoros hyvinteos ou de p
e usados.na pharmacia, pintura, pfcotographia. tin-
turana, pynotechiniaCfagos de arlifieio) e em outra*
uao talas.
MoBtado.em grande -escala, e sapprindo-se di-
rectamente -as prlncipaes drogaras de Paris, Lon-
dres, Hamburgo, Anvere e Usboa, pode offereceer
produelos de plena confianta e satisfacer qualquer
encommenda a grosso trato e a retaibo, por precos
razoaveis.
Prvidos de machinas appropriad&s satisfar
com promptldaa qualquer pedido de listas moidas
'
10
DE
l. Y1GNES.
N. 55. RA DO IMPERADOR IV. 55.
Os pianoedesta antiga fabrica sao hoje asss eonbeoidos ara que saja oeeessario ioeieitr sobre a .
oaaaperioridade, vantugeose garantas queofereoem aos compradores, qualidades estas incontesu-!? \"*[* qnaiiaaaee poreja ae seusingreaien-
vels qne etlds tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; pc-' p7ef aer-eeammada as eonsnmtdor, o que
salado om teclado e maelnsismo que obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas, sem Bi
nanea falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se >feito oltimaraeste melborameoios importan-
tissimos para o clima deste paiz ; quanto is vozes, sao melodiosas e flautadas, e por isso muito agrada-
reis aos oavldos dos apreciadores.
Pasem-se conforme as encommendas, tasto ne orrespoadeote de i. Vigoes, em cuja capital ferara sempre premiados em todas as exposicOes.
e que se ocdntram no mercado em laias.fechadas.
Tem grande callecco de vidros de difTerentes
frmalos, desde urna oilava at dezeseis on^as de
capacidade 4 de vidros para .dragas e diamantes
para corta-Jos; de.praceis para fingir madeira coro
Brides de Ipojuea
Azevedo 4
Veadem .na roa do Queimado n. 32,
lrmao.
CUUES
No mesmo estabeleeimento se achara sempre um expieadtdo e variado sortimento de musieas dos li"! .'"t08'. ? papeas dourados e pra-
melhores amores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo todo vendida por ;*;' e ,0!IUi ae fr*1*""* Pca orna meato; do
precos commodoseraieavets. ^ f^pel graniie e pequeo formato de varias cores
para erabrulno. para torro de casa, para desenbo
com fundo j feito; de papel albuminado l,e Br(sio
verdadeiro saxe para photographja e para filtrar,
e ostros ; vernizes de essencia para quadros, de
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
teiior ; oleo graxo, oleo seccative, oleo de linbaca
clarihVado, oleo de toiele, secativo de Harlim, onro
verdadeiro em p ; prata, oro, e estanto em fo
mas de varias cores ; tintas vegelaee. inoffensi-
vas proprias para confesarlas; la de cores, e
olhos de vidros para imagens; tintas em tobos t
telas para retratos; tintas em pastis sen po pa-
ra aquarelia; essencia de rosa superfina, de ne-
roly.jasmira, bergamota, aspice, paicbouly, mbar,
bouquet.limo, alcaraiva, roelissa, ortela pimenta,
louro, cereja, alfazema, jninpero, Portugal, lima,
ar.is da Russia, eanella, cravo e muito* outros ob-
jectos que s com a vista podero ser mostrados.
Joo Pedro dtu evet,
Gerente.
Cambrai as.
Parede Ponto vende eambraiae lisas finas, gran-
de sortimeoio, a 34 at 64, ditas Victoria nsito
finas, com 10 varas a 64, 64500 e 74 : na roa da
Imperatriz o. 52, junto a padaria faoceza.
oVraade peehlacaa. 1 .
No roa dn Imperatriz 0. 52 porta larga de Pare-1 CMffQeifl 406 eorpiBflOH de (ktDraia
des Porto, veode-se hales de meno estampados a Veodem-se corpiohos de caaibraia com entre-
94 e 2&500 e finos 54, esio se acabando. meios a 44 e 54, esio st* acabando : oa loja de
Rardadava. Paredes Porto, roa da Imderatnz n. 52, poria lar-
Chegoo a loja de Paredes Porto, raa da Impera- *. Ja.o a padaria Trance.
trix n. Si, om sortimeato de camizinhas, golllnhas, I
eorpiobos, romeiras e slntos, de cambraia branca,
pele barato preco de 24800, 3500 e 44, gollmbas
500 rs., romeiras a 800 e siolos a 809 rs, grande
qaantidade de ntremelos a 600 e 000 rs. a peca,
esto so acabando.
Ksvidade.
Chegaram os bonitos cbales e retondas de (ipa-
re brancos, e ven'dem-se na raa da Imperatnz a
52, loja da port? larga, de Paredes Porto.
- Chales de renda
Paredes Porto, na roa da Imperatriz n. 52, porta
larga, vende ehales de renda de cores com peque-
no toque de mofo, a 34500 e 44, fazenda de 104
Vende-a aaa earre do 4 redas, se irebalba
com roo oa dona cavados, faltando apenas forro e
coberta, lem ptimos arrtios, excedentes molas e
esta pintado de nove : v se na raa do Hospicio
oobeii-ado ir. Crrllle, e irata-se nests oficina.
Vendem-se superiores presuntos de Westpba-
AesMadop as ollin vapor; oa roa do Trapi-
Na roa Direita n. 84, na
constantemente para ven-
diT-se cylindros americanos
a
chegados de PbiUdelpbla o
tnez paseado
Vende-se um vjieilo : na estrada do arraial,
sitio de porto e grade de ferro pintado de encar-
nado e branco.
(al de Lisboa
Chegoa no brigue Soberano, nico deposito em
Santo Antonio, raa da Praia n. 43, taberna de Ge-
aaao Jos da Rea. -__________________
TABERNA (ll flGliWS
Vende-se a arma(Io da taberna da roa do Ro-
sarlo Larga n. 18, propria para taberna op pira
loja de cigarros: alralar na mesma.
Vendem-se iperiores cortes de cassa, sendojfe.
zendi muito flna e de corestoas, pelo baratissimo
preoo de 34000, e ditas indianas, fazendas trans-
parentes, de muita phanlasia,pelo baratsimo pre-
go tambem de 34, para acabar : na loja do Pavo,
Toa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Vestidos zuavos.
Ghcaaram a* Iota do Pavo os mais lindos -cortes
de vestido com o competente auavo e cinto, viodo
ludo em om cartao, sendo a maior novidade qae
tem vindo -para a festa: vendem-se por barato
preco na4oja do Pauae, roa da imperatriz n-60,
de-Gama.4 Silva.
Vestidos d seda.
Chegaram para a loja do Pave os mais ricos
cortes de seda para vestidos, sendo em qnalidade
o melhor que lem vindo ao orercado; patfrdes os
mais modernos por serem quasi todos listados com
cores mol delicadas, afianc^ndo-se ser seste gene-
ro o melhor que existe : vendem-se por precos
muito razoaveis, na loja do Pavo, ra da Impera-
triz n. 00, defama & Silva.
Para chambres.
Vendem-se as mais lindas chitas proprias para
chambres, e muito baratas : no armazem do Pa-
vao, ra da Imperaim n. 60, de Gama & Silva.
Paletots a 20500
Vendem-se paletots de alpaca preta com salpicos
pelo baratissimo preco de 24500 : no armazem do
Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Melpomenes a 3$500
Chegaram para a loja do Pavo os mais lindos
cortes de melpomenes, sendo esta linda fazenda
inteiramente nova no mercado, tendo os mais lin-
dos padroes, tanto claros como escaros, vindo cada
nm arranjado em seu papel, sendo mnito proprios
para qnem quizer dar um vestido de festas por
pouco dinheiro, e vendem-se pelo baratissimo pre-
co de 134500 o corte : nicamente na loja do Pa-
vo, roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Penteadores
seguranca.
A vista do grande tamanbo das caixinbas dos
pbospberos bygienicos ou de seguranca, tornava-.-e
pouco o papel que vem em ditas caixinbas, e para
remediar essa falta a agnia branca mandn vir e
acaba de receber esse especial papel, c qsal se
dar de subrecelleote a qnem comprar de taes
phosphoros e se vender indis-tinciamenie a quero
delle precisar. O preco de cada caixinba de pbos-
phoro contiena a ser 160 rs., e vendem-se na rna
-do Queimado n. 8, loja da aguia branca.
Seda froucha para bordar.
Vende-se na rna do Queimado loja-da agola
branca n. 8.
Obras de crystal.
Brincos de diversos moldes.
Ostros tambera de crystal de cores.
Outros de aljofares brancos e outras cores.
Adereces de crystal obra de goslo.
Rosetas de dito e cruies.
olees de dito, brancos e de cores para collete.
Dito de dito tambem brancos e de cores para
punbos.
Voltas de dito e ontras qualidades.
/ eques de di ersas qualidades
Vendem-se na rna do Queimado n. 8, loja da
aguia branca.
Aspas forte para baldo
Vendem-se na ra do Queimado loja da aguia
branca n. 8.
Cromacome para Ungir ca
bellos.
A aguia branca avisa aos constantes freguezes
des*a excedente tininra, qne ella acaba de rece-
ber orna nova remessa de cromacomf, coloricome
e sabao branco, oeeessario para lavar os cabellos,
porianlo podem dirigir-se a dita loja na rna do
Queimado n. 8.
A bridores de luvas.
Vendem se na roa do Lueimado loja da aguia
branca n. 8.
Porl brinquis
de bonitos moldes, dourados e cabo de madrepero-
la : acham-se a venda na roa do Queimado loja
da aguia branca n. 8.
BoililS lOUqililllllS
de fil de linho, cambraia e selim todas mni bem
enfeitadas : vendem-se na rna do Queimado n. 8,
loja da agoia branca.
Car retis com retroz.
Na ra no Queimado n. 8, loja da agola branca
Muita attenQo.
Guimsres & lrmao proprietarios do grande ar-
mazem de fazendas e roanas feitas na rna da Im-
peratriz n. 72, lendo recebido om grande sorti-
mento de fazendas de gosto trazidas por um dos
ocios pelo ultimo vapor, vera porlanto fazer selen
te aos senhores e senheras os precos de sua fazen-
das, os proprios afliancaro vender as fazendas por
mesas 20 por cento do qae em outra qualquer
parle nao s por ser no fim do anno como tambem
por sor a festa tempo este que as Exmas. setboras
devera muir se do bom e barato, a saber :
Hitos corles de la com barras.
Veode-se um grande sortimento de corles de
las com barras tendo lodos os pertences, comisi-
ona com gravatinha e sinlo, sendo os mais noves e
modernos que tem viudo ao mercado, ditos de
phantasla com lindas barras e vendem se por pre-
go* muilo razoaveis.
Las escocesas com Usas de seda.
Veode-se um bonito sortimento de lasinhas es-
cocesas a 500 e 560 rs, ditas transparentes de lis
tas de seda a 320 e 360 rs.
Percalis linas eom lindos desenhos.
Veade-se Iradas percalias muito finas a 360,
400, 480 e500 rs., chitas de todas as qualidades a
saber de precos 280, 320, 360, 400, 440, 480 e
500 rs.
Cassas franeezss miudinbas.
Vende-se um grande sortimento de cassai mlu-
dlnhas sendo as cores seguras a 280, 360 e 400 rs.
Cambraias brancas transparentes.
Vendem-se pecas de camt-raus brancas trans-
parentes a 34, 4, 44500, 54, 5*500, 64, 64500 e
74, ditas muito finas cem urna vara de largura a
04 e 104.
Chales de merino unos.
Vondero-se chales de merino finos sendo eom
estampas bonitas e modernas pelo barato preco de
74, 74500 e 84, dilos lisos com lindas cores a
44,44500 e 54, ditos estampados a 24 e 24500.
Crioeliaas oa baldes.
Vende-se om grande sortimento de crinolinas a
245OO, 34, 34500 e 44-
Tarlatanasfinas a 640 rs. avara.
Vende-se tarlalana de cores pelo barato preco
de 640 e 800 rs. a vara.
Vende se a taberna da roa da Casa Pavee,
-Novidadesortida e bem airegoezada, esa as
das meihures casas de negocio par< fazer (orUtoa.
a qoaiqaer principiante ; veade-se este estabaei
ment por se adiar o proar teta rio delle
pelos mdicos de habitar so dito Is
de saude : qaem a pretender dirija ae a
que achara' rom qnem tratar.
VM-SE
a taberna no largo do Cara n. 5, com pisco tas-
dos : a tratar na taberna do Campos, raa estrena
do Rosario n. 47.
Escravos fogidos
Gratifica cao fe 50|.
Atiseolnu;se da casa 59 da rsa do
(ontr'ora Collegio) no sainado 16 do corrate 1
de setembrode 1865, o escravo pardo desosae Joa-
qnlm, enm os signaes segointes : estafara re
idade 18 a 20 annos, sem tersa, ps brrov
grandes, cabello corrido, com sosa ncaira 1
e bem visivel na testa, parte do d*nie da :
armiados, e com falta de algnns do lado, i
com caifa de brim pardo e paleto! curio de 1
mas levou mais ronpa branca e de cor,
astucioso, costo ma intitularse forro e andar cat-
tado ; f- i escravo do Sr. Gtrilherme Prederteo da
ouza Carvalho, genro do Usado Sr rommesdader
Manoel Goncalves da Silva : rega-se a soa raptara
a toda as autoridades polieiaes a qsalesrr ca-
pito de campo oa outra pessoa particular jm* <
apprehender se gratificar rom 504, alm das des-
pezas de condueco, entregando-o a srs sesacr
Miguel Jos Alves. na cata aeiaw, os so sea
cnpiorio na roa da Crnz casa n. 19.
Fugiram no da 26 do correle os eseravo-
segliinles, do engenlio J.ssir, em St-rintiSras :
O mulatinho acaboclado da seeae atentas, ase
repre.-enla ter 15 annos de idade, puncu s.a ee
menos, cor clara, cabellos conidos, tem forlaai,
rosto oval, olhos pretos, denles perfeltos e alvt,
ps pequeos, e com os dedo swsiwa mi tantu
levantados, testa pequea e cabrea rodeada, aaavto
esperto e cara dlsfarcada, Intitula se forro, diz
rhamar-se Jos Sabino ; esse mnUtmro fui de Ca-
rins-novos, vendido por Cecilio de F.aies Rasgal*
ao tapia Silvino Guillarme d> Barr. >.
Joo, crioulo, reproeuu ter 22 aono* ^c idade,
pouco mais 00 menos, cor preta, rslalnra regala*.
rusto descarnado e birudo, tem falla de drete* sa
frente ; esse escravo fot do logar Guarna, vesdie
tambero ao mesmo capito Silvia*, e" ambo per
este ao aballo assignado : a pessoa qor es pea**
00 del I es der noticia certa ao abnixo assigsesV
ou os entregar nessa cldade aos Sr-, Cimba, ar-
maos & < sera generosamente recompensad.
Jassir 28 de dezembro de 1865.
Francisco Manoel de Azevedo Oiiveira.
No dia 24 do correle foglo do engrano Ria-
cho das Podras orna escrava crioul, de neme Aa-
gela, de idade 38 a 40 acnos, poseo roa> os as-
nos, lem um signal no rosto e lainbem travos jat-
eos nos ps, ella foi dos A'opas, e leve ea JV
ooalo, veio para esta praca para rasa do Sr. a-
noel Pereira Leos, e foi vendida r<-roSr. Mra-
donca, por procoracio do Sr. Manoel Bernardo da
Meodooca, morador nos Afogadus: n ga se a lesa
os senhores qne a encontrar, de a pegar e levar ac
mencionado engenho ao Sr. Antonio Jos de Mes-
quila, 00 a roa de Apolla 31, 1* andar, aja* se
gratificara coa generosidad.
oh roopocs de eambraia bordadas ara-
onas para as seohoras vestireii
de manhoa.
Cneeou esta novidade para a loja do Pavo, aai-
to lisdos e do melbor gosto at boje, por precos
muilo razoaveis : na leja do Pavio, ra dalape-
ratrlSB.OAdoGoaa Agilva. ____'
" KdJ casi de Mppa 'Brotljer" br C., rita do
Vigano 'n. 2, vendem-se eofres de ferro, pro va de
fogo, dos afamado! fiWcMtf MllW Pop, e
Liverpool.
Manas para hornea a 14300.
Vendem-se mantas para homem as de mais gos-
lo qoe tem vindo ao mercado pelo barato prego de
14300 a 14500, todo isto s na ra da Imperatriz
a. 71, ioja de Guimares & lrmao.
Tiras bordadas a 14.
Vende-se nm grande sortimento de tiras borda-
das a 14 coda urna e pecas de entremetes a 14,
I4IOO e 14500.
Camisas francozas para hornea.
Vende-se nm grande sortimento de camisas fran-
cezas a 14800. 24, 24500, ditos de pelto de liaOo
a 34. 34500,44 e 44 : isto na roa da Imperatriz
B. 72, toja de Guimares & Irao.
Ronpa feitas.
Vndese nm grandesoriirnentode roopas feitas
assia como sejam : paletots, calcas o colleies de
pannos e de casemlra tanto preta como de corpa,
ra precos mallo riz n veis assim como tambem tem
de brin brancos e le eoree, sroslas de linho a i
de algodao e lodo isto se vende per precos muito
Fogio no dia 4 de noveabro sa
crioulo, de nome Cosme, idade 13 aea<>, ara are-
lo e mnito regrista, consta ose aada lavasd) ca-
va dos oas coebeiras ao p ds paoaadieo : por asa
pede se ao Sr. subdelegado de Sanio Aatoate asa
o mande pegar e levar em Santo Amaro, jseta a
taberna do Sr. Antonio do Reto: assim aaa os-
tra qoalqner pessoa qne o pegar e o levar a dita
casa, sna senhora gratificara genero-aroense.
Attd'DCAo
*
Fogio 00 dia 22 de dezembro de 1805 a escrava
Feliria, de idade de 40 anno, teade o* signasse-
grales : cor cabra clara, estatura baixa, aera,
porm tem o rosto osando, olnoa encovado*, bus
de dentes na frente, cabello cortado rrrerieaaeaoa
e mmto rente, levou vestido de Ha o reatas da
merino azul, ambos j nudos ; foi escrava para o
lado de Paulista, porm jolga-ie ella andar aosraa
pelo Reetf : roga se as autoridades poUetats, ea-
pites de campo, etc., de apprrtesde-a o sraa-fet
roa do Trapiche n. 46, qoe se reeoavpeaaara ge-
nerosamente.
I
% i tenca o.
levarlo em Sanio Amar
_ casa de seo senhor \
aaderadtw : isto na n 4a Imperatriz n. 72, loja res, oa na prata
dj Goiaares 4 lrmSo. \ cade,
Fogio no dia 14 de detentare do asno irritan
Ando o escravo Jos, crioulo, d idade 35 asaos,
pouco mais ou meos, airara regatar, caris ds
corpo, os dedos dos ps levantado, os nltnaaiij
rodas por ter tido grande qaintidade de asi tes,
urna.das orelhas com ama ferias, aa-ia ceandsaa
na cabeca, barba fechada, todos os dente, rosta
redondo, os olhos encovados, mnito regrisu, asa
o costme de se inculcar forre, levos vesOdo sa-
ga de brim de sor ja' osada, soasa bresca, asav
po de massa copa baixa, descosaa-se as aada
em Fra de Portas, onde j Sol visto
portento, as autoridades poiisae a ca
campo a apprrtessao do da aaaravo,
se gratificar-se generosamente a anea o 1
a sea senhor, oa roa do Queimado, kda de |
das n. 41
Fuglo, havera'j
com idade 26 annos
pretos, ps.essar
tas, ronpa de l|


._____-

I



Blbllographia.
Em cond en terreno lio Jotra to. cerno otdo Eatre-Ros; da aroma coraoissa
podia despo: danta pro- ** Ctffa das 'rejrablleas do Paraguay,T
veitosa T pars das provincial da imperio do Brasil
Todava o Instituto anda as totalmente inerte e descados, como verts no re- tragada segando os documentos raais acreditados,
digno 1
^^^^ftmos, a mal* enrgica e sonora
de te oa, qoasi qae ignorada alen
das frentelras do Portugal a do Brasil; e a nossa
[literatura, anda eavolu as faixas infantis, mas
ja opulenta na idea e graciosa as formas, ama
Incgnita em eoja procura aodam os phlloMgos eu-
so prtico de pedagoga latorie do digno f seereurio, cajos serviros fu pele Sr. major Pedro Terqoalotarier de Brllo; da w^&^?^^n<^m|t ,ttlHt^
os B8TEES das BscoLis kobm&es pnnu*v.s me demoeeo de aqu reeoohecere apregoar me- l*coimlsiSo degecfrphte acercldo Eosalo so- ^^oq
mr. au- recedores do agr deel ment d soeiedade.
>tt!IIAniA
AOS INSTITU1D0IIKS EM IXHtClCIO, POR
OMJLT, DIHECTOH DA ESQSU NORMAL TO $ ^ ^ .
D ALENCON, TaADUXlbO PO J. P. M. P. ^ j^JJ* ^ ^^ ^.^^ ^ ^ ,.
os prelos da typographia Universal de Recife minoo por fala| coropensacao ; outros a taexoravel
bre a salubridade, esUtislica e palhtOfta
acab de sabir a estampa em poriuguez o atflissi
mo livro cujo titulo cima se l, publicado por Mr.
jliga jlt, director de ama das mais ceusideradas
escolas uormaes de Pradga, e addido ao conselhc
nnifeisilario d'aquelle pan. E' um bello pequeo
volme in 8* fraocei, que pelo pensaineolo e pela
forma se recommeoia dd um modo admiravel
a todos aquellas para qoem foi escrlplo. O seo
cttrtt 4e Pedagoga divide se em tres partes distinc-
taj : educagao physica, edocagao nlellectual,
educagao moral e religiosa. Todava auies de en-
trar na primeira deesas partes e de ensinar ao
alumno-mestre o que elle deve fazer, assenton o au-
tor que cunvinba dizer-lhe o que deve ser, e ini
calo na importancia e dignidade da sua futura
profissao : do que o autor se oecupa em dois ca-
pitulos preliminares, qae servem de introducgio ac
corso.'
Depois entra em materia, e na educacio physica
expdem nao s os meios indirectos ou precaug5e
hygienicas a observar as escolas, pa a que a lau-
do dos meninos se nao altere, mas tambem os meio>
directos ou exercidos physloos a que os alumnos
se devem dar.
Na edueagao intelleetual (que para nos a mais
importante parte do sea tractado), dispdem Mr. Dali-
gaull a escolna do local, deseaba a mobilia que a esco-
la deve ter, diz-nos os meios disciplinares que o pro -
fessor lem de por em pratica, o systema de pena i
e recompensas admissiveis, os registros que a es-
cola deve pusuir, como que os alumnos ho di
s;r classilicados na escola, quaes os modos de ec-
sino geraes e particulares at hoje seguidos, e qual
o metnodo racional que devera' adopur-se no esta-
do das differentes disciplinas.
a instrucgo moral e religiosa, emfim, estada
Mr. Daligault com o leitor as priocipaes differeugas
que appresenta o carcter dos alomos, os aefeitcs
peculiares que nelles devem ser combatidos, as
virtudes essenciaes que mister manter ou crear
no cjraco dos mininos, e os meios geraes, n'uma
palavra, de fortificar as creancas o iostincto mo-
ral e o seotimento religioso.
Por esta sucointa enumera gao de materias, com-
prebendera' o leitor a importancia do livro de qoe
nos occupamos, e connecera' a necessidade qoe
teem todos os bomens que se do ao ensino prima
rio, quer em aulas publica; quer em particulares,
de ter serapre a' vista este precioso manual, lio lu-
cida como magistralmente escripto.
Todos sabe ji como at aqu iam as nossas esco-
las, e qual o primeiro voto que faziam os bornees
sisudos, euipeahados no progresso da gerago ac-
tual e das que nos vio succeder .crear mestros
qae soubessem ensinar a infancia, e modelar desde
logo o spro anglico dessas flores que se abreni :
o saber ensinar ludo na grande e suprema tare: a
da educagao.
A escola normal, ba tanto tempo reclamada e fs-
llzmente creada ha pouco entre nos, veio eneber a
lacuna que sentamos. Mas com os habis profei-
sores que pussue Peroambuco, com aquellos que
se coutam em todo o Imperio, e com as disposicdjs
que se observara em quasl todos os membros to
corpo eusioanle elementar, fallava-nos anda um ]
livro exceilente, que reunisse solidez da idea a
clareza e preciso qoe taes obras demandam. Sao
as qualidades que o leitor eaconlra ao estudar com
efleilo o curso de Pedagoga de Mr. Daligault.
Agora quanto a' verso. Q jando asioiciaes que
veem a freute do volme nos nao revelassem o oo
me do traductor, bastar iam as numerosas citaco
dos autores que elle compulsou por todo o tem)o
que esleve encarregado da direcgo do insino pu-
blico, a provisto de esludo que havia feito dos
mais acreditados desses escrplores, e sooretudo o
suceuleolo das notas com que llustra o texto,
para proounciarmos desde logo, e sem esforjo
a'gum, o nome tao conhecido e lo respelaio
do Sr. Dr. Joaqun Pires Machado Porlelia. E
'ah, a correceo da lingoagem, a severldade la
phrase que esta genero comporta, e urna certa fH-
cao de traduzir que nao mulio commum enlre
nos, do ao curso de Pedagoga do Sr. Daligault,
vertido em portugus, um duplicado mrito de < c-
ceilago.
Felicitamos por isso sinceramente o Sr. Dr. .V a-
cbado Porlelia, ou antes s ledras patrias e ao en-
sino publico elementar de todo o Brasil, a quem,
como se v, a pdblicago de tal livro irs com sigo
inicio e renome.
SOABES D'AZEVEDO
mao da morte. Seus nomes vos revelar, e a raso-1
mida historia de sua passagem no mondo, primoro-
sameute esbozara o eloquente orador a quera eu
nao posso nomear sem prlogos de louvor.
Tenho executado, conforme as minhas forcas, o
preceito dos estatutos. Resta-me, senhor, dar gra-
?as a V. M. Imperial, a S. M. a Imperatris e i SS.
AA. Iraperiaes, pela merc outorgada ao Iostituto
de honrar com suas augustas preseocas esta festi-
vidade acadmica.
Est aberta a sesso. Visconde de Sapucukt.
viaeia de Santa Catharina, pelo sr. Dr. Jlo Ri-
beiro de Almeida ; e Baalaeote da eommlssio de
fundos e orcaraentos eom referencia preteojo
do snpraettado Sr. conde de La Hora de ser pelos
cofres do instillo auxiliado as pesquizas geolgi-
cas e archeologicas qae tencionava fazer, tanto
| nesta como as demais provincias do Imperio.
Passando agora a tratar da parle ecoaimica e ad-
ministrativa cabe-me a satifajo de iaformar-vos
que aprsenla o oosso estado linanceiro urna pros
paridade relativa aos fracos meios de qae dispo-
mos, gracas ao zelo nunca desmentido do nosso
digmssimo tbesoureiro, que cada vez mais se torna
credor de estima e gratido.
de verdadeira
______o appareeimento do livre de lltastrado se-
da pro- cretarlo da academia imperial de Vwana, e agr
dejamos Ibe o empenho que mosiroo de exhibir
nossos primores Iliterarios, analysendo-os e verten-
do-os na cotmopolitlca lingaa de Villemain, La-
martine e Vietor Hugo.
A gradecendo a benvola aiteneao com queme
bavia portado, ponbo aqni termo ao paludo rrflexo
dos talentos' da nossa assoeiaco no periodo que
acabamos de transcursar.
(ContinHar-se-ka.)
UM POCCO DI TUBO.
L-se na Estrella do Sul:
O VELHO SOLDADO.
Em orna bella tarde do verSo de 1808, esta-
1 iistlliio Hisiorieo e Ceogra-
phico Brasilelro.
SKSSXO SOLEMNE, EM 15 DE DEZBMBRO DE 1865.
Discurso do presidente.
Anda uma|vez, senbores, cabe-me a honra de an-
nunciar a eelebracSo da sessio solemne annivor>a-
ria da fundajao e regeneracao do Instituto Histcri-
co, Geographlco e Eslhnograpbico Brasilelro.
Este da, at agora, de simples festa natalicia de
familia, comecou o anno passado a marcar urna
poca oelavel e esperanzosa uos fastos da monir-
cbia.
RELATORIO DO i" SECRETAIUO B0 INSTITUTO HISTRI-
CO K GBOFRAPHICO BRASILE1RO, CONEGO DR. I. C.
FERNANDES riXHEIRO.
Senhores.Cabe-me anda a honra de dirigr-
vos i palavra neste dia para nos de tao grata re-
cordado, e posto que nao me possa dizer novel no
desempeobo das funcc5es, qoe por nimia bondade,
me cooastes, confesso-vos que nao dimiauio o
meu acanhamento nem menos necessilo da fossa
indulgencia.
Comegaram as nossas sessoes pouco depois das
ferias da Paseos, sendo levadas ao sea termo com
a habitual regularidades acontecimentos, perm,
extraordinarios, e que lodos conhecera e apreciara,
privaram-nos por algum tempo da augusta presen
{a do nosso magnnimo prolector, qae o oavir
os gemidos das victimas de S. Dorja, Itaqm e Uru-
guayana, correr extremldade meridional doim
perio para castigar o audacioso e prfido invasor.
Estes mesmos acontecimentos, actuando poaero-
samente nos nimos, anda os mais arredlos das
mavorcias lides, Azorara com que menos abundan-
te fosse tambem a messe trazida aos ceieiros do
Instituto pelos seus infaiigaveis segadores.
Estreou as annuaes leturas o nosso digno 3* vi-
ce presidente, communicando-nos um carioso ira-
balho, devido a elegante peona do Sr. Amerieo de
Castro, sobre a Repblica do Paraguay. Noticias
exactas e minuciosas acerca dos paizes qoe nos vi-
zinham, sao sempre recebidas pelo Instillo com
salisfacao e reconbecimento. Seguio-lbe e Sr. Dr.
Pinbeiro de Campos lendo a continuacao do sen
Bosquejo histrico do reinado do Sr. D. Pedro 11.
Baldes imperiosas, que ja submel ao vosso dls-
cernimenlo, impoe-me silencio a respeito deste tra-
balbo do nosso collega.
O venerando ancio, que a soiicitude do governo
Imperial collocou frente do Iosliluto dos Mininos
Cegos, nao satisreito de seguir a gloriosa trilha de
Valentim Hauy, aspira anda as laureas de Gau-
det; e destinando seus curtos lazeres a historia de
lo caridosa instiiuico, veio ebeio de f e de en-
thuslasmo fazer-nos consones das suas Impressdes.
O trabalho do nosso llustra amigo participa da
natureza das autobiographias, onde o autor se idea
tfica com o actor, onde o objectivo confunde se
com o subjectivo ; sem que todava a vaidade ve-
nda empanar a siugela narrativa do ebronista.
Em sua piedosa romagem aos Tmulos de um
Claustro tracou-nos o Sr. Dr. Moreira de Aeevedo
rpida resenha da vida de alguns vardes bseme
ritos, que exornara os (asios nacionaes com a com"
memorarlo de seus feilos. NeOhum povo deixa de
prestar homenagem a memoria de seus morios,
por isso, fallando do anliqoissimo culto qoe Ibes
tributado; assim se exprime om erudito esenptor
contemrjoran.eo : Antes de conceber e adorar lo
dra, on Zeas, o horaem adorou os morios ; leve
medo delles e eoderecou Ihes preces. O sent roen
to religioso comecou por ahi. Foi sem duvida em
prdsenca da morte que primeiro teve o bomem
idea do sobrenatural, e nutri esperancas poslhn-
mulares. A morte foi o primeiro myslerio, que
conduzio aos ootros, elevo o pensameoto do visi-
vel ao invisivel do transitorio ao eterno, do huma
no ao divino. (1)
Louvores sejam, pois, dados ao aosso consocio,
que com uto leuvavel zelo collecclonou as esparsas
tradlgoes que adejavam em torno das sepulcraes
jazidas do convento de Sanio Antonio.
Inscrevemos no livre d'ouro da nossa associaejio
os preclaros nomes dos Srs. : Alexandre Hercula-
oo, que a semelhanca do qoe praiicaram Curtius,
Grote, Niebubrs e Mannoseu com as historias da
Grecia e de Roma, refez a de Portugal sobre no-
vas e verdaderas bases, escrutando, examinando,
comparando os textos, as inser pQdes, as leise o ca-
rcter dos individuos ; Rebeilo da Silva, que no
incalgo de tao sabio mestre, ergueu a patria im-
morredouro padro na sua Historia de Portugal
nos seculos XVIIe XVIll, na qual com o arebote
da mais pura critica espancoo as ir vas onde se
urdiram as funestas tramas da domioacio bespa-
nbola Levy Mara Jordo, eximio jurisconsulto,
que as palmas de Pascboal de Mello e Pereira Ra-
mos juntou as de Andr de Rezende, escrevendo
com aparado esmero urna interessaniissima memo-
ria em lingua latina, acerca das inscripedes deixa-
das pelos Romanos no slo portugoez. A estes no-
mes quegozam de urna reputaco europea, vieram-
se juntar dous outros, que em mais modesta es-
pbera, nao deixam de se tornar recoramendaveis ;
quero fallar dos Srs. Drs. Cesar Augusto Marques
e Jos de Saldanha da Gama Jnior, o 1* autor de
ama ulilissima monograpbia, sob o titulo de Apon-
lamentos para o diccionario histrico, geographico,
Folgo outro sim-de declarar qae os erapregado* vamos todos reunidos, pai e mai, e filhos no espa
que dos nossos cofres recebem estipendio nao de-
calnram do lisongeiro conceito que delles tenbo for-
mado, emulando oo exacto eumprimento dos seas
deveres.
Com a possivel regularidade val sendo publicada
(oso limiar da casa de campo de meu pal no sul
da Pranca, conversando agrada vel mente, e espe-
rando pela bora da ceia.
O sol la vagarosamente desappareceodo por de.
traz dos outeiros, e os seus raios de despedida bri-
a oossa revista, haveodo a experiencia demonstra- 'navam sobre as lindas aldeas da planicie, em
do a ntilidade da divislo das materias ahi ollima- qi"o que as das roootanhas estavam ji envolv-
mente introduzda. d*9 ea> ie,* e obscaridade.
Com u favor desse raethodo pode ser dado es- joio 0 paz Mtava animado daquelle zuido
lampa, quasi sera interrupeo, pitRoso trabalbo de m0Tmemo e de vida qtf sempre prece-
do nosso consocio o Sr. J. M. Pereira de Alencas- de a nora do somno flo non,Bm e a repouso da na
tre, sob o titulo de Annats da provincia de Goyaz. [Ureza.
Inconlestavel a vantagem de conheeermos cora
individuado a historia de cada um dos membros
da vasta communho brasileira ; e qoando essa
historia escripia por borneas da capacidade do
oosse Ilustrado collega, e que sabem juntar a exac-
tidao dos (actos e a profuudeza das vistas ama-
s se vlam pelas estradas carracas acuguladas
e em torno d'ellas os segadores com suas foices
ao bombro, seguidos de respigadores carregados de
enes.
Pelas veredas, moitas e ruioas s se ouviam as
nidade e s gracas do esiylo, aioda mais proficuo e vozes dos meoinos, os canto* dos passarinbos, ou
recommendavel se faz esse trabalho.' os ecbos distantes.
A proposito da Revista pede a justlca que regis-! Aqoi) M ,accas Mgaim ,agarosamente as tor-
tre aqu um voto de agradecimento ao mulo co- ,00*4,*, de um ribeiro orlado de relva; alli, os
nbecido e acreditado livreiro desu capital o Sr. B. cordeiros se eropurravam por entre urna passagem
L. Garnier pelos relevantes kervicoe que ibe tem estreita, levanuodo nnvens de p.
prestado; qoer na qualidade de editor da mencio
nada Revista quer pelos donativos de importantes
obras que Ibe tem feito, quer iaalmente pela in
enmbeoca que lomou de eocamiobar a remessa
das nossas publicarles para diversas academias e
sociedades estrangelras com as quaes estamos em
relages scienlifleas e. Iliterarias.
Continuou o instituto a reeeber dos supremos po-
deres do estados a mesma proteceao e benevolencia
com que desde a sua foodaco lem sido tratado, e
das autoridades subalternas, tanto geraes como
provioefaes, animarles e auxilios de. que tem ne-
cessiiado. A aos e a outros importa que reiteremos
nossos agradecimeotos.
Tambem no decurso do anno Ando receben o
Eolio, quando gradualmente cessaram estes
movimentos, ouviram-se os sinos da aldea, lem-
brando aos pacficos habitantes que os seus derra-
deiros peosamentos deviam ser os da oracao, de
agradecimento a Daos peles beneficios do da que
se fludava, e de conflanca n'Elle pelas esperancas
do dia seguinte.
De todas as aldeas circamvisinhas, a que habi-
ta vamos era sem excepgao, a mais linda, mais flo-
rescente e populosa.
Ao norte tmha por limites extensos prados, por
entre os qoaes corra om pequeo rio, cojo corso
era todo marcado por ama fileira de salgaeiros e
de lamos.
archivo grande melborameoto com a acquisicSo de, Ao sul bavia urna larga e espessa cintura de
mais dous compartimentos, devidoc auniQceocia bosqaes alm dos quaes peder-se-hia ver as monta-
do quem nunca se canga em beneficiar-nos, e para abas dos Alpes, eoroados pelo Moole Braoco,
com quem fallam-nos palavras qae possam expri- dentro destes limites se estendiam feriis cara
mlr condigna gratido. pos e viohedos cercados de seves de madre-
Entre os manuscriptos ltimamente ofiereeidos, silvas, e plantados de vicosas arvores fructi -
alguns ha que pela importancia e inmediato inte-' feras.
resse desucam-se dos demais e exigem que delles nossa casa eslava edificada no eume de um
faca expressa e particular meoQ&o. Neste caso pen- pequeo outeiro, donde os olbos podiara alcaogar
so acbarem-se os seguioles: urna memoria sobre 1 o todo esta paisagem, ao mesmo tempo linda e
a fabrica de ferro de S. Joo de Ypaaema, doada a grada vel.
pelo nosso saudoso consocio o Sr. Dr. F. I. M. Ho^ Deve ^ ^ Mxif ds9e meQ
fi-[nai, voltando-se para mim.
Nao podemos esperar qae Teaha mais algum po-
bre campnos depois d'eita hora, e o jardineiro
cial do general Lcor ao sea governo da Ci
na, presente do nosso prestimoso coilega S. A- A.
Pereira Coruja ; e urna importante e mal cborosa
memoria do Sr. conde de la Hura e por elle offere-
cida, relativa ao valor scieotitico do manuscripto
da bibliolbeca nacional e imperial, dando coala da
inscripco acbada na cidade que se suppoe existen-
te nos serios da Bahia. A cada um destes genero-
sos oflertaoles reitero em publico os protestos de
reconbecimento que ja em particular ihes manifes-
lei em oome do iostituto.
I deve ter acabado regrar as plantas; vai e dze-
Ibe que me traga as chaves, e que feixe, em quan-
to estamos aqu, porm nao o perturbes se estiver
oceupado.
Fui como me disse, e logo voltei, ditendo meo
' pai qoe Nicolao trabalhava aioda.
Maito bem, disse, esperaremos por elle. Eo-
to, viraodo-se para minba mi, accrescentou,
' muito gostaria, mioha querida, de acbar om ve-
Eorqueceram a nossa bibliotheca preciosos li- m so|dado tom a,gama peqneDa pensao sna pr0.
vros, opasculos, revisUs, cartas, mappas e joruaes, prii) que eQ podesse ajQncUr alguroa addico, e
enviados pelos seus respectivos autores e editores '' que qQiieSse acceitar aqu moradia e sustento, em
ou por pessoas que oio cessam de dar-oos teste- relorno de -^ abflr p,,, manhaa 0 mta e fel.
muohos da sympalhia que consagrara aos lias da xa.,0 a nossa iostiiuicao. 1 sena mu|0 Dom termos um velbo invalido por
Encontrar-se-ba nos anuexos a este reiatorio o ( porteiro ?
minucioso catalogo de todos esses dooativos, seotio- Fomos lodos desta opiaio, e eu mais do que os
do que me ajlecam o lempo para faier-vos rpida] Outros, porqae logo anticipava qae o velho soldado
resenha de todas ellas. Conformando-me, porm,: me contara historias de balalhas, e me (aria espa-
com o uso esiabelecido (aliarei de alguns, sem to- das de pao para brincar
davia firmar seleccoes, nem preferencias. -.
un uiuiu i= v f v este momento ouvimos o som de passos vaga-
J no meo ultimo reiatorio alguroa cousa disse rosos e regulares na ara spera do pateo; appro-
acerca da magistral obra do oosso erudito e inrati-, ximava se gradualmente mais, e, aotes que podes-
gavel consocio o Sr. Dr. Jos M. Pereira da Silva, sernos communicar uns aos ouiros as nossas con-
que, utilisando-se de um honroso ocio em sua vida ; jeciuras, appareceu um soldado no fundo do limiar
Mea pai disse-rae eolio em voz balxa im con-
duxlsse Mafgalet a coslnha, e dsse ordem para
qoe elle tivesse sua refeicio a parle.
Qoando nos reunimoe i ena, Ozemo a mea pe Vio.e
mil pergonus relativas a Margalet. Eolio elle nos
disse o que se segu:
Durante o aono de 1774, ou 1775, liana elle re
cabido riuitos recrutas pan O sen regiment, e
entre elles Margalet.
Era elle en tao um lindo mogo de 18 annos, e
entrando oo corpo mostron orna tao boa vontade e
Indiligencia que meo pal loraou-lhe logo grande
amisade e ajudou a soa promovi.
Depois, lendo delxado o regiraanlo; elle havia
perdido de vista, e desde qae arrebentou a revoiu-
cao nada tinha ouvido d'elle, com Indo, parecia-lne
agora, que continuara a servir nos exercitos da
repblica e do imperio.
Porm, continuou elle, eu o chamare! dorante
o almoco, e o farei relatar-nos o resto de sna his-
toria. Se fordes boas meoinos, ea vos permlltirei
ouvi-lo.
Depois do oosso almoco, como mea pai nos ti-
nha promettido, Margalet foi adraittld* na sala de
jantar. All, tendo bebido dous grandes copos de
vioho, que para elle enchra minha irma mais
moga, referio-nos a sna historia, maito semelhaote
a de muitos soldados daqoella poca. Elle inier-
roeloo a soa narradlo de moitas mximas revo-
lucionarias, t protestares de fldelidade ao Impe-
rador e repblica, qne para elle eram nma e a
mesma cousa, e censaron a mea pai por me dar
um padre por preceptor, porque Margalet eslava
infelizmente embebido dos principios irreligiosos
do eu tempo. Porm elle falln com tao bom na-
tural, e transpareceo tanto de honrado e recto oo
fundo deste aoriio, que meu pai tomn logo a
resolugao de tmalo a sea servico como porteiro
de casa.
Quando Ihe foi (ella esta proposigo, o semblan-
te do velbo soldado brllbou com om raio de alegra
e de gratido que o fez parecer realmente bello.
Approximoo-se de meu pai, tomoa Ihe a mi, e,
apertando-a ao coragio disse :
Capilao, Margalet vos agradece! Elle teria ac-
celtado ura lugar atada mais humilde,porm quando
vos respeitaes a sua crux de honra, e as anas cica
trises a ponto de o (aser vosso porteiro, nao Ihe dei-
xasles nada mais a desojar. Acceito, porm debaixo
deduaa coodicdes: a primeira que en possa con-
tinuar a trazer a minba (arda e o mea penacho ; a
segunda que eu seja livre de niio ir mssa. Sen-
do assim, looga vida ao imperador e ao mea ca-
ptae I
Margalet (oi por coosegoiote estallado no sea
novo cargo, e meu pai flcou multo satisfeito com a
boa aegio que tinha (eito.
Margalet era activo, pontual, laborioso, vigilan-
te ; elle ameagava com tanta gravidade, e fazia tao
boa guarda de todo, qae nogaem tentava se a pro-
vocado, ou procurava escapar aos seus olhos pene-
traotes
Miabas irmaas e eu nem sempre eramos trata-
dos com indulgencia pelo velho soldado, ninguem
mais do que outro.
Era geralmenle affavel comnosco; porm se com-
mediamos alguraa falta, meu pai era immediata-
mente informado.
Por ouiro lado, qoando eu proceda bem, passa-
vamos jnntos moitas horas felizes.
Havia urna cousa em Margalet e esla certa-
mente muito seria qae multo affligia meas pas,
o sea odio a religio, que alada nada tinha po-
dido vencer, nem adinoestacoes, exemplos, nem
mesmo oraedes. Os padres erara obieclo* da *-
ror para elle ; manifesia va na verdade ao meo pre-
ceptor ama certa reverencia, porm era isto so-
monte por que elle om dia langou-se dentro de om
lago para me salvar, estaodo eu quasi a affogar-
me. Margalet disse eolio muito bem, este bo-
mem um bravo ; pena qne nio seja um grana-
deiro I
Depois de mojes tentativas, minha excedente
mil, que tmha moito a pelo a cuoversao do velho
ludo deixou para orar por elle ; qoando ama cir-
cumslancia, na apparencia accidental, conduzio a
orna mudauga que iodos os nossos desejos e pre-
tengoes nao liobam sido capazes de effectuar.
Margalet viva por si mesmo em urna pequea
casa unida ao solar, donde elle podia ver lado o
que se passa va nos pateos, pomares, e tambem nos
bosques, que, sendo eotao plantarles novas, via-se
(acilmente por entre elles.
O velho soldado bavia arraojado lindamente o
Quando o padre
Ufe* incliaoo
V lujar ao lado de mea pai, qae Ibe
A procissio eofltiaaou a avaotar pan a
segaiadnas sinuosidades das
Ao chegar alli, e sacerdote sabio os detraes aae
conduzem i entrada, e eatio voHaado-ae para ade,
proooncioo, daquefe sitio elevado, au I
bre todo o paiz circoravisioho.
Naquelle momete olhel para o valla
repoblicaoe, e percebi doas grossas lagrii
rer de snas faces sobre oe bigodes griaataue.
Qne palavras disse nio sai, ana pada ver aa
seos labios moverem-se; porm qoe orada poda-
ria ser mais real do que a fervorosa eojoeio ajaa
assim o iraha em sen mesmo somalaata T
Qnando a multidao ajoelbada levaatoa-se,
galet permanecen alguns momentos mais
posieao; depois o vimos lomar vagarosamente o
minho de sna casa, levando na mi dtrerta 1
daquelias cruzlobas de pao braoco ajaa ti
beatas para os habitantes da aldea aa anal la
ade :
oma-
a aa
Em 15 de dezembro de 1864 santificou a igieja
oindissoluvel n que vinculou em feliz consoiclo topographico e estatislico da provincia do Mara-
SS. AA. a sertMissima prioeeza Sra. U. Leopoldina nbo, > na qual se encontrara curiosas noticias so-
e o Ilustre principe Sr. daque de Saxe. Providen- bre (actos, quasi que descoohecldos, InforinagSes
cial coincidencia que augura ao Instituto Histrico e dados estalisticos de subido valor, ludo loeirado
Geographico a elBcaz proteegao do formoso u- no crysol de aprimorado criterio ; o joven de
gusto par I graodes esperangas, que aa aurora da vida eotre-
Senhor I Permuta V. M. Imperial que em oome ase louvavel ar4cr" Uborios8 P6^0'"8'
onde nos acoavaraos reunidos.
O conde esta aqu ? pergunlou o bomem em
tom alegre e familiar. Desejava dar-lbe as boas
tardes.
Meu pai levantou-se dizendo, aqui estou cama-
rada ; que desejaes de mim ?
O que eu desejo ? pois bem, apenar a vossa
mao, e dizer-vos quanto me alegro de vos ver res-
tituido ao paiz, pois que tamoem acabo de regres-
sar a elle. Capio, eo vos sado I
Um creado eoiroa nesse momento mesmo com
Mea pai problbio-nos de (aliar a I
se tinha passado, e ditse qoe o deti
berdade, conbectado bem qne o
confiara os seos pensameolos aaqoeila oeeasio.
De (aelo, elle o vio ebegar poneo
suas primeiras palavras foram :
Mea eapitio, soa agora om dos 1
zeis isto f
Que estou encantado, meo 1
zei-me qoando vos occorreo este bom 1
Ob I capitn, nao (oi um mero
qoe esla manhaa nio liona iuteogao alga*
genero. Eu liaba justamonte encovado o
forme, quando de repeate, enviado o 1
cnticos, a lerabraoca da minba 1
cuegoes de miaba mai, da miaba pnmmra eomaj*.
nhio veio sobre mim, e me seo ti totalmente aa>
presso. Fensiva oovir ama voz qoe ase daa, Mar-
galet, mea amigo, talvex brava morrerele, aarta
moito boa que peasasseis am pooeo ao boas Deas!
Sabi eatio, e, apenas miaan o ana mala, aae
achei oa estrada com a procissio, loado aa aaia a
cbapo.
Approximoa-se entio a neo pal, a
voz aogmeotoa... mas nio isto todo,
desejo breve fazer a minba eoafisaio :
qaizerdes arranjar isto eom o cora, me
grande servico.
Maito bem, mea amigo, ide a (groja,
dejoelhos junio ao confesswnario, e
a' Deas.
Elle compleura' o qne Ja' eomeean lio I
Margalet seguo este conseibo, o depois
semana que consagren toda a ama coaassi
nos veio rogar para qne todos (oseexos a' 1
dia seguinte, na qual elle desejava 1
Foi om espectculo tocante, esta
pois que ba mais de tnnu annos, e ella 1
vivamente prosele miaba memoria I
eslava ebeio de alegra, e qaaaaa voHoo
ao castello, dis=e que sentia-se moito
que no dia em qae receben a soa croa
das mos do imperador. .
Em todo o decano daquelle dia (a
de Margalet, e meu pai me dioso 1
oio interrorape-lo, porque som davtda
orar.
A Urde entrou um creado,
se tinha esqnecldo do 1
Mato.
Oh I deveras I diste moa pal,
tar denote ; vamos a sna. casa.
O criado tomn urna Untaran, mea pal 1
e eu o acompanhei.
A porta do quarto de Margalet esuva de 1
aberta.
Ea o percebi reclinado sobre a cama ; a sao es-
pada eslava encostada a sen lado, e joato a' sea
peilo vimos a cruzioha branca das rogaofaa ; aa-
serablaole tinha urna expressao ldete!val do
iranquillidade, como o de algnom qoe uvate ador-
mecido em paz.
Meo pai o chamou, porm elle nio
tocouo,eslava ioteirameole Irio; e,
os seos bracos, perceaemos aae estova mono.
Ah 1 bem,-disse meo pai,eis aant 1
qae, oito das antes, nio orava par a
agora, estou cerlo, roga por
da assoeiaco eu manifest nesta oeeasio o jubilo
de que ella est possuida pelo fausto motivo da
commemoragao de lio venturoso acontecimeoto.
O illustrado Io secretarlo vos informar, ser.tao-
re, dos trabalhos do aono social, os quaes oio at-
tingiram o poni a qne ebegaram nos anteriores
por causas poderosas, patentes a qualquer obser-
vador o mais superficial.
nimos agiudos e preoccopados, desde o prin-
cipio do anno social, com as deploravels oceurren-
eias oascidas da traicoeira iovaso do dicudo; do
Paraguay as provincias de Matto-Grosso e de S.
P;dro do Rio Grande do Sal, nao podiam gozar do
remanso necessario para estados e creages Ilite-
rarias.
E' verdad^ qoe o Instituto celebrou snas sessdes
ordinarias em periodos regalares ; os socios, rojos
nomes esli registrados as actas, comparedam
asiduos, mas quem nio v que taes soasos fras
e desmaiadasi deviam resentlr-se da ausencia do
sel qae as arraecia e Ibes dava cor T Esse brilban-
la sol Iluminava eotao as trras do sal do imiierio
eom seas fulgurantes raios espaacava treva e
dissipava esDessos nevoirot.
Os coragSss dos dedicados membros do Instila
lo confragam-se ao contemplar vana a cadeira do f^t
tao aogosto principal presidente.
as Improbras locobragoes exigidas pela scieocia de
Protero, Mariano Velloso e Freir Allemto.
Alm das propostas qoe (undamenuram estas
admisses e de mais algumas idnticas que anda
pendem do juizo da respectiva commissio, (oi apre-
sentada, na sesso de 7 de julho urna indicagio, as-
si guada por lodos os membros prsenles, para qae
o Instituto expriraisse a S. M. o Imperador a since-
ra gratido de qae se acbava possaldo pola mag-
nnima resulugo lomada pelo mesmo augusto se-
nhor, de dirigir-se a provincia do Rio Grande do
Sul a animar as operaoes de guerra em que o
Brasil se acba erapenhado contra o dictador do Pa-
raguay. Contendo em si a approvago (01 asta pro-
posta levada a effeito, iodo urna numerosa depnta-
go manifesUr, pela loquete voz de seti orador
os vivos sentimenlos do Instlalo.
No decurso das nossas sessoes foram lilos e ap-
provados os seguioles pareceres: do Sr. Dr. Capa-
nema acerca de nma memoria do Sr. eoaiie de la
Hura, relativa a aigamas invesiigaces a que pro-
ceden no. depsitos cooetiiferos do Ititoral doSaby,
oa provincia de SanU Catnarioa, da Ia ncmmsso
de geograpbia sobre outro trabalbo do referido Sr.
conde, concerneote a explorago do rio l'arahyba
dos terreos ribeirrahos eatfe Desenga-
(i) Fusiel de Goulaoges Lo Ctti AnKQ
poltica, acaba de publicar successivamente cinco
volumes da Historia da fu.ulaco do imperio bra-
sileo.
Inspirados pelas memores obras dos modernos
historiadores, renuncia o tom dogmtico de Tcito,
as declamagdes de Salluslio.e a prosa pica de Ti-
lo-Livio, sem comtudo abrir mao dos esplendores
do eslylo, quando o assumpto absolutamente o exi-
ge ; coma mais vetes do qoe canta, e da siogela I
exposigia dos fados deduz coronarios, sazonados
ael experiencia e cabal conhecimento da difficil i
arte de goveroar os hmeos Bmprehendimentos,il<" "ounciando que esuva posta a cela, e pode-
como este,senhores, honrara os ind.vidnos que os\>* eDlo d^tingu.r as feiges e trajes do nosso
pralicam, os governos que os auxiliam, e as asso- SDgular visitante.
ciagoes em cujos disticos se veem escri pos 'seus Era nm nomem de 50 annos, pouco raais ou me-
nomes. \ nos; alto, ainda vigoroso, e de urna apparencia na
Outro illustrado brasileiro, qoe igualmente per- realidade imponente.
lence ao nosso gremio, Sr. Dr. A. Pereira Pinto, | VegUa Q nnifrrae dos so|dados da repblica
deu Inz publica e fez bomauagem ao jjstituto de Franceia eompridas e brancas polanias qoe Ibe
orna obra de subido qoirale, e que deveTJousar so-. cnegavara aos joeinog, (arda azol bandada de bran-
breobu(eiede lodos os nqssos estadisus; redro- co> fflUa eomo para denar ver o collete, e om
me aos seus Apontamentos para o dtftito interna- pequeno cnapo ornado de urna borla de lia ver-
eional. melha. Tinha .o cbapo oa mi, de modo qoe,
A obra do oosso collega urna verdadeira bisto- qaaudo a loz dea-Ihe na face, percebemos orna
ra da diplomacia brasileira, escripia com summo testa calva, letaibada de orna grande cicatriz;
criterio, vasada nos melbores e mais c nspicuos U(Iia tez rugosa e testada, e um par de bigodes gri-
moldes. E' um testemonho aoihenlco da nossa ge- sainos.
nerosidade e cavalleir.smo um brado enrgico al- i __ Que ^ v0 meu bfe Marga|et ? exc,a.
gado contra a exlorso e violencia de que por vetes ^ meu ^ esleodeQdo a mao ^ Velbo soldado,
temos sido victimas; amigavel advertencia aos fu-
turos negociadores para qne das ligos de passado
possam colber a norma do futuro.
Asimples compillagao dos documentos, sepulta-
dos no p dos archivos, ou esparsos por joroaes e
revistas de ephemera natureza, ja seria por si um
eu vos julgava morlo.
E eu juigava Umbem que ji o devia esUr,
meu capilao, mas arraojou-se isto de outra ma-
neira : eo podia tambem ser boje marechal do im-
perio, someote por desgraga nunca pude saber
grande servigo, e por elle devra ser a patria re- como assignar o mea nome, e assim anda son um
conoecida. goMado raso
Nao circumscreveu, porm, o nosso autor nesse '
circulo o mbito de suas locubragas, antes n'uma Tenbo agora a minha balxa, e a minha crux de
linguagem flaente e concisa asbocoa o histrico de n rende duieotos e cincoenu fran-
todas as nossas negocaces, guiaado-se pelos dic- "' ,4 ,,_____ ,_________
Umes da prudencia e rnuderagao, sem aja jamis eos ; pelo que disse, comlgo mesmo, Ire viver no
se deixasse contaminar pelo contagio das declama- mea paiz natalcom meas pas se forera vivos,
coes e das bynerboles. Bem baja o Sr. Dr. Pereira ou com 0 raeu capilio se ji tiverem morrido; e
Pinio, e possa elle ver a sua emprea coroada de eii>me tvi
PVZZl?lTws emalheio idioma e1 E sois bem vindo, mea velbo amigo; Ide to-
derradeiramente offarecdas, apenas oceuparme- mar a vossa ragio da ceia, e depois Ide-vot repoa-
hel com Le Brsil Litlerairi do Sr. Dr Fernando sar; araanbia conversaremos sobre o que fr mais
tos conveniente que eu faca em vosso bem. Da miaa
"apre- parte, poneos momentos antes que cbagatseis, tal-
e- lava fot meas filhos da vonude que liona de ter
WoW.
Cre, senbores, que lucramos
olbos do mundo scieollnco
seuUdos taes quaes somos, com
ta : o nosso paiz anda
respailo correo) fbulas q
acerca dos reinos 4e K.
curso no tempo de Colorabo.
sea cornigo um velbo soldado; assim vedes que tinha-
"b*^ moa ambos o mesmo poaaatnento. Agora, boas)
Doutes, meo bravo caraarada.
que elle chamava a sua gorila, e para augmentar
a sua rustica mobilia que meu mai Ihe llnba dado,
(ex um tropho militar, composto de soa espigarda
de soldado e sabr, seu pequeo chapeo tricolor, e
om par de dragocas de graoadeiro.
Eolio elle ornou as paredes caiadas de braoco
com urna collecgo de pinturas militares, repre-
sentando as principies batalbas em que liaba to-
mado parte, e os retratos dos geoeraes qoe tinha
mais admirado : o do imperador, sobrepujado de
urna cora de iouro, oceupava um lugar separado,
t cabeceira do seu Jeito.
Entre as ceremonias religiosas que tinbam sido
rettauradas depois da revolugo, eram as procis-
ses de Corpo de Deus, e das rogagoes.
Durante o tempo que Margalet esleve em oosso
servigo, elle tioba tesmnobado as eruzes e as bao-
deiras levadas em pacifico triumpbo passarem por
sua babitago ; porm naquelles das o velho sol-
dado feixava-se em casa, e observamos que depois
dorante a semana conservava se geralmenle silen-
cioso e reservado, e algum tanto severo no exerci-
cio dos seus deveres ; por que de faci qualquer
mostra de religio era elle deiestavel.
I Cerca de tres annos assim se passen, quando
chegou de novo o tempo de se fazer por all a pro-
cissio das rogagdes.
Estavamos todos reunidos oa extremidade da
aveoida, esperando a procissio, dlspostos a acom-
paoha-la capella, onde sempre (azia a sua pri-
meira esugo.
O firmamento naquelle dia estava de um brilho
que uffuscava ; a trra, rica de beogos, nio liaba
mais do que urna voz para bem dizer a Deus por
seos numerosos dons, e cada semblante resplande-
ca de gratido e de alegra:
A procissao avaogavase para nos vagarosamen-
te, ao tongo de urna estrada debruada de seves de
madresiivas em flor
Era um bello espectculo, aquella dupla fileira
de borneas grisalhos e de raparigas joveos e vlgo-
sas, eom suas bandeiras tremolando ao sopro da
brisa, e seus veos braneos e Quemantes contrastan*
do com o verde pete dos caropoi, e sobre todo o
sgoal da nossa redempgio respiandecendo aos
raios do sol, que nelle reflecliam.
Tomamos nossos lugares na meio des aldeaos, e
com ca ticos e orages chegamos entrada do par-
que.
Qaal nao foi a nossa sorpresa e emocao, quando
percebemos o velbo Margalet em p, com o cbapo
na mi, esperando a procissio, como quem tinha
oteogao de introduzi-la no parqoo I
A soa attitude era respeitosa. o sea olhtr digoo
e ebeio de sentimento.
como Deas bom e grande l
Comegou a sabir Inz em Torta a
qoe diz ser variadosaturicohfermU hmrnret
-detestavel.
Intitula-se o Inferno, e os rticos sao aasjaaias
por Minas, Corone, Btizeimt, Sfanos, drama, me
O seo objeeto principal diz qae laxar 1
todas as penas nesta vida para gosar o 1
outraAmen.
O bario Caazal contiena a soffrtr da
qoe um macaco Ibe dea n'am brage.
O resubelecimeoto do ministro da
Blgica, parece dever sar mato
se esperava.
Um artigo publicado pela
annuocia qoe por decreto real, o
fot encarregado da pasto da gatm
disposigo do lenle general bario
Na noite em qae fot i seena, em Berna, pota pri-
meira vez lAfrktnm, aNM
e chorado maestro Meyerneer, a
enviou a' vjova deste, nm vaso 1
abado de ama graciosa carta ,
A raioba AogosU foi somero a
eothusia.-ta de Meyerboer.
A viuva do Ilustre e lmmortai
liosos presentes aos principa aferptatasda Afri-
cana, em Berln.
Segundo diz am jornal
nao desdeohava de
os joroaes.
Eis aqni como as
Um jornalisu, qae maaonaa
habiiuai com o secretorio do
eslrangeiros, reeebia urna
assim :
Meo caro..., o
ministro da Austria em roante a
e aos seos direitos poliiieos,
em harmona eom a poltica da
porm nunca ba do monear a
vemo de s. M., ote., O
do Palmerston.
Ojornalwu corUva
o final da opistoia. t o rosta
de fundo, qr
a vooto|
bailador em^m^l
MtMoia
tinbam
Era laeil ver qoe esu*a deba
Ide alguma podero oouvicgao.
11 111 iHm^aaWa^Bat^ '* *
X
K3F-
m


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EW0NKRKWH_3GV7MH INGEST_TIME 2013-09-04T23:12:35Z PACKAGE AA00011611_10860
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES