Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10851


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO XLI. GOMERO 294
Par qaartel pago dentro de 10 das do 1, mez ;..t i ,, 5J000
dem depois dos 1.' 10 das do comecoe dentro do qnartel.... 6J000
Porte ao correio por tres nezes..........? i 750
>,K^V
SABBDO 2a DE DEZEMBRO DE 1865.
Por auno pago dentro de 10 das do 1.* mez ,,,..,. 191001
Porte ao correio por un anno ..,.,.,.,.,.,, 3$ 009
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alex?ndrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques ca Silva ; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos da
Oliveira ; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Fillios ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SOL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falco ias; Baha, o
Sr. Jos Martins Alves;
Ribeiro Gasparinho.
Rio de Janeiro, e Sr. Jos
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estagSes da via frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
[guarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruaru,
Altinho, Garanhuns, Ituique, S. Beoto, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pod'Alho, Nazareth, Lmoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio e Exu, as quartas
feiras.
Serinhem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do comroescio: segundas e quintas.
Relago: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphaos : torcas e sextas s 10 horas.
Prmeira Tara do civel: torgas sextas ao meio
dia.
Segunda vara da civol: quartas e sabbadets a 1
hura da tarde.
EPHEMBRrDES DO MEZ DE DEZEMBRO.
2 La cheia as 4 h., 24 m. e 48 s. da t-
9 Quarto ming. as 9 h., 53 m. e 28 s. da t.
18 La nova as 2 h., 15 m. e 34 s. da m.
24 Quarto cresc. as 10 h., 11 m. e 22 s. da m.
18. Sgnnda. S. Esperidiaoh c; S. Thentmom.
19. Terca. S. Dario m.; Ss. Pautillio e Fausta mm
20. finarla. S. Domingos de Silos ab.; S. Julio m
21. Quinta. S. Thom ap.; S. Tbernteles m.
22. Sexta. S. Honorato m.; S. Flaviano m.
23. Sat.bado. S Victoria v. m.; S. Tercilla v.
24. Domingo. S. Uelphino b.; 5-. Tar*illa m.
PREAMAR DE HOJE.
Prnera as 9 horas e 18 m. da manhaa.
Segunda as 9 horas e 42 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o snl at Alatroas a 14 e 30; para o norte
al a Granja a 7 o 22 de cada mez; para Feman-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro marco, malo,
julho, setembre e novembro.
ASS1GNA-SE
no Recife, na iivraria da praga ra Independencia
ns. 6 e 8, des proprietarios Manoel Figneiroa de
Faria & Filho.
PARTE OFFIOAL
DE
pulagao da Franga nao tinha direilos algn*, que
a aristocracia fosse obligada a respeitar.
Os bens terriloriaes da Inglaterra, Irlanda e Es-
cossia, sao agora possuidos por cerca de 45 mil
familias; os capilaes eslo em quasi oulras tantas
mos; oitocentos ou novecentos mil eleilores i
votara em lugar de perlo de 30 milhoes de almas:
os nobres e os plebens poueas sympatuias tem era
coramum; escravos brancos esto sobe jugo em
todos os condados; os porcos e os cavallos sao
CiOVKRXO DO IIISIMIM
PERNiMBVCO.
SEDE VACASTE.
Novas dispensas matrimomaes.
Chegaram do Rio de Janeiro as peti^es de dis-
nensas do 1 grao igual da liona lateral e 2 grao raiados melhor do que as maturas humanas.as
attiogeote aoV de oosanaulnidade constantes da \ intell.genc.as do.mpeno. apesar do suborno excep-
lista abaixo publicada e cuja coucessao foi aulori- i clonal, como o da elevacao de Macaulaj
sada pelo Exm e Rvm. Sr. internuncio apostlico, jo, es
em data de 2do prximo passado.
Podem ser procuradas era Olinda na cmara ec-
clesiaslica, e no Recife em casado lllm. Sr. conego j
da capella imperial, Francisco Jos Tavares da Ga-'
ma, ra da Cruz n. 56.
Olinda, 16 de dezembro de 1863.
Conego Joaquim Ferrara dos Santos.
Secretario do bispado.
Lisia das pet*ces.
do Carmo Lima e Maria Pinheira de
Antonio
Jess.
Joaquim
Jess.
Herculano
lina.
ao pana-
com as cenmonias absurdas,
dispendiosas" e indultantes de classe e ttulos e com
o louco systema de governo, que pondo de parte
todos os direilos naluraes de talento, actividade e
educacao, faz nohre um homem simplesmente por
que descendente de algum pirata Normando :
mais de nove decimos da popularlo excluida da
participago na confeceo das leis, a que ha de
obedecer e na representado do governe que sao
obrigados a sustentar com o seu dioheiro e j
vidas.
na vanguarda dos sacrificios e na retaguarda dos
gosos e vantagens; at a nossa compauhia de na-
vegago a vapor fluvial e cosleira, nico elemento
de prosperidade que possuimos auxiliado pelo es-
tado, nao pode conseguir aquillo que a le Ihe con-
cedeu, apezar de ser a nica compauhia regular do
imperio, depois da do Amazonas.
Nem se nes leve
urna populaco de
sive 60,000 escravo
2,500 homens de
anual, sendo a uni
dilferenea o seu contingente da mesma guarda
Somos de certo enteados do ruim padrastro.
Tratare da Iraha dos vapores dos Estados-Unidos,
e o nosso porto tica no esquecimento, nem ao me-
nos para que seja visitado as viagens em que fa-
lla a escala do Para, quando sabido que nisto
vai grande conveniencia para o norte, sem demora
anno n esse que
deveerapoucoco- regueri. .^^J^^ Luiz: Vires, r*rra, ero Flores teclarou-se verme.l.o
povo ; mas que da sua parte ir mostrando que os
liberaos nada valem ; e por isso que as diligon-
geocias foitas por Vires sao sempre feitas sem
n'um bom
mejar.
Chegaram honlen dos Estados Unidos pelo .
Cear, os vapores da marinha americana : fragata ?lI8,rqu.e L,BS> 'Jue era ek,(or daque-lla freguezia e
PowhaUau. do commando do capilao Ridgley, com ae Prcder-se a eieigao para depulados pro-
24 pecas o monitor Monadanock, do commando 'c,aes \ de Janeiro futuro, rois a cmara
d eieitor raiiecido.- 8ado rt Bore| ue qu8fB lo4os Q. nomeQ5 noneslo5
votado da tmmna de muill> *iiPerara- Como Vir5ei "ao Prende, e como
E/11 l ,! f'uer "wstrar aos novos sensores que adquiri nes-
heiw duendo que len- u ierra que um vermelhj de lomba, encentran-
do-se comigo prximo a casa de mraha morada em
dilig-ncia prendeume e amarrou me,
ostentar tanto puder raandou soltarme!
, pedir diplomas ao prim'eiroe segundo" su7plen.es lal'MLSenm "SLSS, ^12^
provincia do Piauhy at o mez prximo Romaneo Luiz da Freitas e Pergentino Nelto de r iraeo!o' "* se eDf v*f v ui>--'titj-o\* v-i Men', .i uw a .i' un .- ------------- r-- ut/'ftc i iniii'i
lo monitor fondeou no poco, 5K horas IE*!S ar;,and-? ,f"ra da provincia os eleilo- Occasiao de
, e foi inmediatamente visitado por eres- [es. 'T^Ha fr.'guezia Jovmo Epiphanio da Cunha Hpog d,
ero de oessoas. ie J.ull0.d'! Sl|veira -obo, pede a cmara mande ex- R ,
e sem desvio na viagem, como se allega a respeto sendo 1,940 pracas de pret e 83 offi^Laes.
Esla forga acha se distribuida desle modo :
O nav
da tarde
cido numero de pessoas.
A
passado tem contribuido para a snsimnacao dos Azeredo Coulinho,. que os devera substituir.Que
brios nacionaes com um pessoal de %fU3 homens, se expedissem.
Se o- casos da Franca em 1780 e da Inglaterra
_, ,,.;, jjem 1865 sao quasi precisamente os raesmos, por,
Francisco Das e Joanna Mana oiqaedeVeraoserdlferenies os recitados?
Antes que passem muitos annos havemos de ver
na Inglaterra urna revolucio tremenda, que ha de
acabar com o estabel-cunento de urna repblica
Jus dos Santos e Anoa Maria Brasi-
Corpo de guarnicao..................
Voluntarios da patria... *.............
Guarda nacional expedicionaria........
Voluntarios para o exercito e armada...
Corpo policial.......................
330
774
699
137
83
Alvaro Fragoso de Albuquerque e Candida Rosa seme)hanle a nossa, fundada no nico principio
ae uuveira. _. I fundamental que po>sa ser permanentemente acei-
Joaquim de Barros Vieirae Anna Joaquina de Vas- ,o pof um p()'vo c'jvjhsado do nosso secu|0 dezeno-
ve, que todos os governos
concellos.
Joo Mirinho da Rocha e Rita Maria da Con-
ceicao.
Thoniaz Xunes de Azevedo e Joaquina Francisca
da Conceigao.
Firn,ino Rodrigues Sobral e Constancia Maria da
Conceigo.
Antonio Fernandes de Macedo e Anna da Costa
Vasconcellos.
Francisco Primeiro dos Santos e Joanna Francisca
de Jess.
Anlonio Gomes Brrelo e Francisca Carolina Pe-
reir da Silva.
Joao Martins S'ianna e Antonia Romana das
Neves.
Francisco Gomes de Moraes e Miria Felismlna dos
Santos.
Jos Rodrieues de Mello e Luza Ro=a da Costa.
Jos Francisco da Silva e Josepha Maria da Con-
ceicao.
Claudino Correia da Silvera e Maria Francisca
Correia de Oliveira.
Joao Lourenco Vieira e Mara Francisca da Con-
eeieao.
Cosme Theodoro da Silva e Maria Magdalena da
Conceico.
Vieram mais as seguinles petirOes concedidas na
mesma dala.
Francisco Gurgel de Oliveira e Mana dos Aojos de
Oliveira.
Raymundo Gurgel de Oliveira e Sima Gaudeosa
de Oliveira.
Manoel G nzaga de Araujo e Francisca Rosa de Al-
buquerque.
Jos Felippe de Moura e Felippa Maria de
Honra.
Francisco Bernardo da Cunha e Rosa Carolina de
Paula e Silva.
Ezequiel Renovato de Mello e Candida Francisca
de Mello.
Luiz Maria de Oliveira e Florinda Maria da Con-
cedi.
Jos Joaquim de Aquino e Francisca Anglica d)
Espirito Santo.
Manoel Jos Moreno e Mara Rosa da Penha.
Raymundo Nonato de Aquino e Maria Florencia do
Espirito Santo.
COHMMO DAS ARM.1S.
Quarlel general do eomraaado das armas 'le Per-
naniimco na cidade do Recife, 22 de dezemliro
de 186o.
Ordem do da n. 177.
O marechal de campo commandante das armas
faz publico para que tenlia o devido effeito, que a
presidencia resolveu em portiria desta data dis-
pensar do servico de guerra ao Sr. capilao Joao
Baplista A-cioli Lina, pertenc nte ao 2 hatalho
da guarda nacioual destacado para tal servigo.
(Assignado.) Francisco Sergio d'Oliueiva.
Est conforme.Antonio Francisco Duarte, 2.
'.>nente a jalante de ordens nterin) encarregado
do detalhe.
EXTERIOR.
A naortc de lord Palmerston.
Cremos que foi Metternlck, sagaz e celebre dipl-
mala e estadista, quem durante a lerrivel convulso
de 1848, sen lo perguntadooque havia afazer, com
socego respondeu :
Fazer ? Nada I Depois de mim ha de vir o
diluvio.
No raosmo sentido podemos nos applicar estas
notaveis palavras de lord Palmerston.
Durante o< passados quinze anuos o seu talento,
tacto e genio e a sua influencia pessoal e polilica
conservaram de p o governo britannico, reconc
liaram e harmonisaram faccoes inimigas, e obsla-
ram a qualquer pretexto ou opportunidade de urna
formidavel revoluijo.
Agora porm elle cadver e depois delle ha de
vir o diluvio que ha de afogar a Inglaterra e des-
truir aquelle imperio soberbo e poderoso, mas
artificial e fra da natureza.
Olhando para a poltica ingleza do nosso ponto
de vista ind-ipendente, era vo procuramos um
presidente de ministros, que posa organisar urna
.adminlstrago permanente.
Falla-se j em Earl Rossel, mas pessoalmente
elle impopular e a opposico sempre foi e cooti-
nuar a ser coutra elle vehementsima e caracle-
risada.
Mencionara lords Greuville e Blarendon, mas
estes nao lera forca alguma nem mesrao no pro-
pro partido.
Gladsione tem sido nomeado com frequen-
cia; mas a recente eleieo de Oxford mostrou que
a aristrocacia da igreja ingleza era sua inimiga e
os seus discursos de suffragio liberal chamaram s
armas contra elle todos os conservaderes.
Quanto a Uerby e Disraeli, claro que nao en-
trara era linha de conta porque ha poucas semanas
votaram cootra elle os eleitores da Inglaterra com
a costuraada energa.
Esperamos portanto que ser escolhido um chefe
de gabinete depois de outro, que um gabinete ser
formado aps outro temporariamente, cada qual
mais fraco e menos estavel do que o seu ante-
cessor, al que mais cedo ou mais tarde venha o
diluvio, que dissolva o imperio da G'a-Bre-
tanha.
O philosopho, amigo da historia, achara anlogo
o presente estado da socledade e poltica ingleza
ao estado da Franga era 1780, quando comecou a
agitaco que chegou ao pice da revolugao de
1789.
Os bens territoraes da Franca eram ento pos-
suidos por cerca deoitenta mil familias; as dis-
traccoes de cla>ses eram to severamente mantillas
que quasi equivaliam a distincc,5es de canas: a
maioria do povo era conservada em servido prati
ca, o governo re administrado em proveito da
anstrocacla somante, porque nove decimos da po-
derivam os seus justos
poderes do conseotimento dos goveroados e que
todos os poderes quo delle nao derivam sao Ileg-
timos e devera ser destruidos.
Ninguem poder alternamente considerar os:
vastos problemas que providencialmente tem sido
resolvidoe dorante o seclo passado sem que re-
conheca que a humanidade esta com firmeza pro-
grediodo em harmona com um plano absoluto e ;
definido.
A Inglaterra estabeleee urna colonia neste conti-
nente; em pouco lempo rebellamo-nos e separa-
mohos della por causa daquella mesma represen-1
tagao que costumn minar todos os systeraas gover-!
namenlaes. i
Depois tendo formado urna nagao nova e resus-
citado a velha experiencia de una repblica, fio-!
rescaos e prosperamos aitrahindo a admiraco
de mundo.
De lempos a lempos cxprmenta-se a forca da
repblica com urna guerra estrangeira e de cada ,
conflicto saimos mais poderosos que nunca.
O nosso exemplo eomeea a affectar a Europa
inteira e milhoes de gentes secretamente aspiram
e combaiem pelas lberdades, de que nos gosa-
raos.
Apesar disso ainda a aristocracia sustenta que a
nossa repblica apenas urna experiencia, que
por fim havemos de cahir e que nenhura povo
pode governar-se a si proprio.
Chega em fim o momento das provas.
Rebellam-se onze estados contra o governo
federal.
A Europa abana a fronte coroada como quem
advinha e solemnemente declara que esta dissolvi-
da a Unilo e que as inslitulc/Sej republicanas nada
valem. l
Depois de quairo annos de guerra civil, em que
levanlamos os maiores exercitos, produzimos os
maiores generaes, construimos a marinha mais
poderosa, damos as mais tremendas balalhas e ga-
nhamos as victorias mais gloriosas que o mundo
tem visto, v a aristocracia da Europa nao cum-
pridas as suas prophecias, contrariadas as suas
esperanzas e a sua decis&o revogada pelos fados:
porque a Uniao est restaurada, a capaciJade do
povo para se governar est amplamente demons-
trada, e a repblica americana provou que era e
urna grande e feliz realidade.
E' multo natural que este resoltado anime o ele-
mento revolucionario d Europa uas suis mais'
fundas fibras.
Os votantes inglezes ousadamante elegem para
o parlamento os melhores amigos deste paix, logo
que como candidatos se apreseulam, precipita-se
o raovmento Feniano na Irlanda e Kossustz parte
logo para a Italia, onde se faz o plano de quasi to-
das as conspirarles continenlaes. Nesta conjunc-
in vital morre Pal(nerlou e nao deixa aps si
pessoa alguma, que possa tao admiravelmente ma-
nipular os varios partidos da luRlaterra, conciliar
to artificiosamente a opinio publica, cora tanta '
sagacidade oppor os nobres ao pov.) e o povo aos
nobres. com lana audacia prometer tudo e nada
fazer na parte da reforma do governo, lisongear
com tama destreza a vaidade nacional quando na
realidade sacrificava a honra nacional, tao caute-
losamente usar de seus alijados estrangeiros para
s manler no poder e com lo bom xito conservar
em movimento o velho, complicado e gasto mi-
chinismo da eoostitoicao Ingleza. A sua morte
abre a porta i agitaco! aparta as restriegues aos
radicaes e outros revolucionarios e franquea o ca-
niinho da completa transformaeo das insliluiQoes
iuglezas.
Repetimos portanto que depois de Palmerston
vii o dllucio e depois do diluvio urna repblica
britannica. E' irresistivel a lgica dos aconteci-
raentos e a conclusao inevitavel.
( New-Yorl; Wreklij Herald.)
do porto de Ilelm.
Consulle o Sr. ministro da agricultura aosma-
ranhenses que ah se achara sobre os negocios p-
blicos, e se est em moda nao fazer caso dos re-
presentantes da provincia, que Ihe podem dar in-
fornlardes fidedignas; lembramos a S. Exc. o Sr.
Dr.JQuintanilha, Or. Custodio Serro, o conselheiro
D. Francisco e o Dr. Lopes de Leo, etc., etc.; e
lodis Ihe diro que as trras do Maranhao sSo as
mais proprias do imperio para a cultura do algo-
do, e iguaes as primeiras para a cultura do. arroz
e da canna de assucar.
Dr-lhe-hao mais que aqu temos grande copia
de ierras devolutas de primeiraqualidade e a mar-
gem de ros navegaveis como o Mearim Grajah,
l'indar e Gurupy, onde podem ser arrumados os
colonos cora pequea despezas, podendo ficar a me- do crreme :
dicao dos lotes para mais tarde. A' ordem do Dr. delegado da capital, Miguel
Elies diro tambem a S. Exc.; que. mesmo as Rodrigues dos Arijos. Joo de Soma Barro?, Jos
ferlilismas trras dos municipios do Codo, Coroat Bernardo le Sena, Jto Barbosa do Nascimenlo,
e S. Luiz Gonzaga, os emigrantes acharo trras Sevetiuo Jos de Stula Anna e Jos Porcino do
venda por cororaodo preco, e mesmo habitacoes Espirito Santo, como sentenciados, viudos do pre-
que ainda podem ser utllisadas, pertencentes aos sidio de Fernando, sendo o uliimo requisitado e
fazendeiros que a longa baixa de preco do algodao os demais por terem liaali forgou a veoderem para o sul cerca de 12,000 es-. A'ordera do subdelegado do Recife, Manoel Gal-
cravos. | dio da Costa Medeiros e B.-larmino de Queiroz,
Mulas destas demoram porto das margeos do Para correceo.
| Outro do fiscal da freguezia do Recife, informan- |^ Jeria .ue os se
donaohaver inconveniente em perm.ttir-se que y.Z. j* '{?' ^*.;
! Manoel Jos Pereira, faca um estivado n fundo do JJMSK
inint^i Ha .o., ^.,-,k..i,:;___.,____... ...i,. -.u Jcrioades letHw ei
: quintal de seu estabelecim-nto a ra do Apollo sob
n. 6, urna vez que sejam observadas as disposic,5es
: d"5 Irt* *>ie5 das postoras de 7 de agosto
de 1855.Concedeu-se no sentido da informado.
- Hoje as 9 tf horas da manhaa se proceder i ?U1,1 t?0' diz?d 1u^correQ,1o'heL0.9*
no lugar do cosiurae a exiraeco da 8.' parte be- Ie/Jl0"'- MJasJW8tar*i 'C"onaes de 20 de
nefico das familias dos voluntarios da patria, pelo j 3^2^ !^i^mJ!.n![^"er.Ap.on.tl-?i
plano de 40:0005000, sendo os dous maiores pre
mos de 12:0005000 e 3:000000.
Rep\rtiqao da polica.
Extracto da parte do dia 22 de dezerabro de
1865.
Foram recolhidos a casa de detengo no dia 21
de setembro, e sendo o numero de tres serventes
que lera para o servigo da limpeza das ras in-
saflkiente, pede a cmara que o autorise a aug-
menta-lo cora mais dous e umacarroga quando. lor
preciso.Aulorisou-se.
Mos mandou aiaarrar-me uovameute ameagaa-
espancar me.
Se nao fora a familia que de mira necessita me-
sabujo mais me provocasse.
trabalho e sampre re>peilador das
certeza que Vires nao tem apoio
para taes exces>o>. Mas myster que esse covar-
de seja severamente censurado por aquelle*, que
esto em condigoes para que as provocagoes nao
augmenlem os crimes. Eu o desprezo. Continu
Vires na acqoisico da papagaios, jacus, viados,
emas, e tudo quanio puder filiar continu raesmo
a talhar carne para os soldados sem querer pagar
o subsidia; ludo isto faga, nao iremos ao seu en-
contr. Mas raellnr mudar de caminho noque
respeila as viogancas, que por outros quer tomar.
Ao passo que este reptil, espoleta de ova especie
Itapecur, rio navegavel por muitos barcos cerca
de 100 leguas do seu curso, e por tres vapores
meosaes, que rebocara grandes barcas de ferro e
era cuja ribeira florescem as villas do Rosario, Ha-
pecur-mirim, Coroat, Codo cidade de Caxias e
villas de s. Jos e Pastos-Bons.
Outros a margem do Mearim, tambera navegado
por muilos barcos e um vapor por mez ; e outras
a margem do Pindar em idnticas circumstancias
d'onde demorara a cidade de Vianna e villa de
Mongo.
Na foz do caudaloso Gurupy do lado do Para
O chee da 2* secgao,
J. G. di esquita.
Casa de btbncao.
Movimento da casa de detengo no dia 20 de de-
zembro de 1865 :
Etisiiam 358, entraran) 19,sahiram 12 ; falleceu
1, existen) 3i, a saber: nacionaes 249, mnlheres
8; estrangeiros 31, mulheres o; escravos 66, es-
cravas 4 ; total 364.
Alimentados a' cusa cofres dos pblicos 181.
M^ovlmenlo da enfermarla oo dia 21 de dezem-
bro de 1865.
Teve baixa
O Sr. Sanios pede a palavra, a qual sendo Ihe
concedida, propoe para supplente do fiscal da fre-
guezia de S. Jos, o lente reformado Jos Cae-
gundes da Silva, visto que nao fra reconduzido o
cidado que actualmente ocenpava dito lugar-
Sendo posta em dissusso a proposla, foi approvada.
Despacharam-se as petiges de Antonio Jos de
centjs; ne-ti mesma carreira que fez o espoleta
mor, indo .10 lugar Cacimba Nova pertencente a fa-
milia Campo* ah esteve e commuoicou com o cri-
minosos de morte Leonardo de tal que ah eslava
descarogando algodao sera e encommodar.
H i poucos dias onstaudo ao delegado que den-
tro desta villa eslava Xico Namorado, desertor de
marinha e Indicia lo em cri rae pelo tiro dado no
acha se a villa de Viseo, onde aporta o vapor eos ,
teiro nma vez por mez, e algumas leguas cima do Florencio das v irgens Macieira, febre.
lado do Maranhao a llorescente colonia militar do! Teve alta : .
Gurupy, e duas leguas ao centro as lavras de ouro tranco, escravo de Jos Ignacio.
da companhia ingleza dos Montes ureos. Enteso-1 Lemiterio publico, obituario do
da 18
DEZEMURO DE 1865.
Alfredo, Perhambuco, 3 mezes, Sinto Antonio;
toase convulsa.
Maria, Pernarabuco, 4 annos, Santo Antonio ; co-
queluxe.
Jos Francisco de Jess, Baha, 65 annos, solteiro,
Boa-Vista ; tubrculos pulmonares.
48 annos, solteiro,
berho rio que extrema as provincias do Maranhso
e Para navegavel por grande extenso, faz o seu
curso entre ierras devolutas de urna e outra mar-
gem, e das mais apropriadas para todo o genero de
culturas das plantas equlnociaes.
Se o ministerio da agricultura ti ver vistas largas
nao se deixando arrastar por interesses de campa-
nario, desprendendo-se de um provincialismo taca- GongaloDias deQueiroz, Ceara,
nho, acachapado e incompativel com as grandes B la-VIsla ; cancro,
aspiragoes deste vasto imperio da Sania Cruz, pode : Francisco Pinto do Nascimenlo,
tirar grandes vantagens da emigragao americana;' annos, casado, Bri-Vista
mas, se pelo oontrarlo,pret;nder fazer acre litar que nares.
o algodao so produz as trras proprias para o ca-, Antonia, Pernambuco, 1 anno, Santo Antonio
f e a canoa de assucar as ierras proprias para a chago.
callera do trigo, ha de fazer victimas eai vez de
colonos. I JS Candido d
Oliveira Uraga, Antonio Valentim da Silva Barroca, subdelegado desla villa mandou ao tal Vires pren-
Bartholomeu Francisco de Souza, Bernardo Jos da dlo, e a priso que este miseravel fez foi pedir a
Rocha, Antonio Moreira Ros, Joaquim Pereira de seus senhores que mandassem retirar ao tal Na-
Azevedo Ramos, Bernardo Martins de Souza, B^r- morado, visto que elle o nao queria prender e como
nardo Alves Pinheiro, Bernardlno Jos de Medei- de facto inmediatamente o Naraorado desappare-
ros 4 C, Duarte Borges da Silva, Dmaso Antonio' ceu da ra.
de Alcntara, O. Emilia Carolina Madeira Ferreira,[ Consia-me mais que o mesmo Vires passando
oacharel Francisco Leopoldina de Gusma j Lobo, um dia em casa do capilao Bapti.-ta na Eucruzilha-
bacharel Francelino Bernardo Quinteiro, Francisco di hi esteve cora o Correa de Athayde. Na mes-
de Magalhes Ribeiro, Francisco Jos Rodrigues ma occasio om que fui victima d8 sua Drutalida-
Jos Norberto Cistello Branco, Jos Francisco Ri-
beiro Machado, Jos Marcelino Gongalves Salguei-
ro, Jos Francisco de Msnezes Amorra, Joaquim
Dias Fernandes, Jos Soares Pinto Correa, Jos
Francisco Prreira da -ilva, Luiz Manoel Rodrigues
Vallenga, Manoel Anlonio de Jess, Marcelino los
Lopes, Manoel FigueirOa de Faria & Filho (i), Dr.
Manoel Pereira de Moraes Pinheiro, Manoel Anto-
DE nio de Jess, Vicente Herculano de Lemos Duarie
e Virginio Fidelis Ramos.
Levantou-se a sesso.
Eu Francisco Canuto da Boavagero, secretario o
de dando o mesmo Vires varejo em casa de Pau-
lo Alves, velho septuagenario roubaram Ihe nao s
dintviro, como outros objectos, os quaes foram
mandados restituir pelo delegado, por ter vindo
queixar-se a elle o dito Paulo Alves. Mandou o
mesmo Vires dar um tiro em um mogo fllho de
Ignacio Francisco de Padua, que corria cora medo
He serrecrutado e que felizmente a baila desvian-
do nao o olfend'u. Muito mais tinha que dizer
deste vil e degradante ente ; mas paro aqu espe-
rando que o Exm. Sr. presidente da provincia ze-
loso e justiceiro como providenciar, para que os
Pernambuco. 43
tubrculos pulrao-
in-
- 19
Souza Castro Jnior, Pernambuco,
Facilite S. Exc. aoe commissarios a visita do palz
inteijro. deixe-se de dar conselhos sem base e fun-
damento sobre a -preferencia desta ou daquella
provincia, que ns emigrantes sabero escollier por
si o que acharen) melhor. Mas se s. Ese. at se
esqueceu do Amazonas, sonho dourado dos Ameri-
23 anuos, solteiro, Saulo Antonio ; tubrculos
pulmonares.
Jos, Pernambuco, 7 dias, Boa-Vista, escravo ; t-
tano.
Luiz, Pernambuco, 24 annos, Boa-Viita ; asphixa
por submerso.
canos, onde as ierras devoluias valen tanto como, Thereza, Pernambuco, 14 mezes, Santo Antonio
a luz do sol e a agua do ocano, com) se nao es-1
queceria do Maranhao apezar de seus ros navega
veis
. que corlan) todo O territorio do littora! ao ser-
tio em dez.ou dozelinhas quasi paralellas ? Jique
se esqueci-, de ns,quera tem o deverde lembrar-se,
brado eu destes confins do norte para lembrar que
aqui ainda vivera os pais e prenles dos que es-
to derramando o seu sangue as margens do
Prata.
(Correio Mercantil.)
INTERIOR.
A emigra^o aiuericmna.
Emquanto o governo bra>ileiropreoccupava-se ex-
clusivamente da colonisagao alleraa, bem pouco se
nos dava que se elle empenhasse era attrahi la ex-
clusivamente para o sul do imperio ; porque em
verdade nao cubigavamos a cultura do trigo, da
baiata e da vinha, que sao par c plaas ex-
ticas.
A queslo agora outra.
Trata-se nada menos do que de chamar colonos
habituados a culturas semilares as nossas e affeitos
a um clima quasi idntico ao nosso, e adestrados
na lua com difflculdades naturaes, ignaes as de
ca. Doe-nos por isso ao fundo d'alma que o minis-
terio da agricultura, creado para o fomento da in-
dustria do Brasil inteiro, se estrelle e amesquinhe
entre os limite de S. Paulo e provincias, visinhas que
malconhecera a cultura do algodoeiro.do arroz e da
canna de assucar, e mostr se todo erapenhado em
eocarainhar para all exclusivamente a emigrago
dos plantadores do algodao, arroz e canna de assu
car do sul da unio.
Dar-se-ha acaso que s nos consideren) brasilei-
ros para a guerra do Paraguay ? Quando se trata
de repellir o estrangeiro que invade a mo armada
as fronteiras do sul, l vamos, ca de to longe,
airavez dos mares, ferro em punho, vingar a honra
nacional, quando muitos visinhos deixam-se ficar
em santo ocio.
Ento nada importa a differenga de clima, por
que a infamara do norte sabe manejar a espada e
o fuzil, mesmo tiritando de fro : mas quaodo as-
sira se despovoam as proviecias do norte para sal-
varnos as fronteiras do sul, tralj-se ao menos a
estas enteadas no mesrao p defiguaidade, e nao se
se procure desviar dallas os emigrantes que Ihes
sao mais apropriados.
Nao se provincalise um negocio de Interesse na-
cional, na mesma occasio em que damos testerau-
nho, rubricado com o nosso Brasil entende-se do
Oyapock ao Uruguay.
Esta infeliz proviqc'.a do Maranhao anda sempre
DIARIO DE"PERNAMBUCO."'
O vapor amoricano Sonf America, chegado hon-
lem dos Estados-Unidos, pelo Para, s 5 horas da
tarde, apenas den a mala s 7 ) da noile.
As noticias s
naes que re
Corra que
gocios no Ri
wood, emquanto estlver nos Estados Unidos o ge
nnral Webb.
No estado do Alaharaa annuncirase a partida
de um navio de Mobile, cora colonos para a provin-
cia do Pai, cora destino a fundaren) urna colonia
agrcola u'uraa das margens do Amazonas.
O ministro francez em Washington, conde de
Moniholon, exigi do governo americano a resti-
tuigo do tabaco apprehendido ltimamente em
Richmond como propriedade dos rebeldes, allegan-
; do perlencer elle um subdito francez.
O vapor da marinha mexicana Antonio, ten-
do a seu bordo um contingente do exercito fran-
cez, com 2 pegas de campanha, suba o Ro Grande
batendo-se contra urna forga de republicanos, quan-
do foi atacado da margem americana do Texas por
urna outra forga (rajando uniformes federaos. O
commandante da forga franceza achou prudente
' nao responder ao fogo, e somente realisar a sub-
1 da do Rio, como fez, perdendo duas praca. Sup-
punha-se nilo ser a tropa atacante mais do que me-
, licaios disfargados ou rebeldes confederados, que
1 lodo o cusi querea provocar um rompimento
entre os Estados-Unidos e o Mxico.
Do Para nada oizem as cartas que temos
vista.
Antonio, Pernambuco, 11 annos, Santo Anlonio;
sezO's amalignadas.
Joo Jos Alves da Silva, Pernambuco, 2o annos,
so teiro, Varzea ; phlysica pulmonar.
Joo, Pernambuco, 3 annos, lija-Vista; sarampo.
Joo Baplista Lopes, Pernambuco, 64 annos, viu
vo, B ja-Vista ; apoplexia cerebral.
Manoel, Pernambuco, 10 dias, Recife ; espasmo.
Luiza, Pernambuco, 9 mezes, Recife, escravo ; con-
vuisoes.
- 20
Anna Candida da Jess Ribeiro, Pernambuco, 40
aonos, slteira, Sauto Antonio ; congeslo cere-
bral. ---,
. Armnica, Pernambuco, 3 annos, Boa-Visla ; inte-
nte.
I Manoel, Pernambuco, 8 dias, Boa-Vista ; espasmo.
snbscrevi.Pereira SimVs, pro presidente, Dr. Vil-! paclflcjs cidados de Flores no se vejara forgados
las-Boas, Santos, finio Fonseca e Cosa Moniciro. a langar mo de meios extremos para castigar a
i audacia desse espoleta miseravel. Causa-rae tanto
I nojo o bedel carabela qu sou forgado a nada mais
I dizer por agora p-dindo desculpa ao publico de
oceupar a sua alinelo com um ente lo despre-
sivel.
Flores, 28 de novembro de 1865.
iMthano Gomes Patriota.
COMMNICADOS.
75
PERNAMRUCO,
REVISTA DIA1IA.
Somos rogados pelo Sr. major Salvador Henri-
, que de Albuquerque para que declaremos nao ter
elle parle alguma na publicago, que se fez da
momenclatura dos individuos, que deposeram na
devassa de 1817 ; e com isto julgamos ter satisfei-
, lo a S. S.
A proposit), declaramos igualmente que o Insti-
tuto Archeologico e Gegraphico Pernambuco ne-
nhuraa iogerencia tem na referida publicago, e
nem propriedade sua o respectivo manus-
crito.
Cartas que temos da cdada do Ico, provin-
cia do Cear era data de 6 do correle : annun-
ciara-nos que va> ali bem a situago, havendo anima-
! gao em tudo, morraente no mercado do algodao, de
que por ultimo tem-se feilo vendas a bom prego.
Em ootobro prximo passado cahiram chovas
sufficieotes para plantaren) esperangas, coja rea-
lisagAo berg fundada.; e assi'u lodos confiara
miente.
Clara Delfina Maria de Araujo, Pernambuco,
annos, viuva, S. Jos ; dyarrhea.
Paulino, Pernambuco, 19 mezes, escravo, Boa-
Vista ; sarampo.
Antonio Flix de Moraes, Pernambuco, 23 annos,
solteiro, Santo Antonio ; asphixiado.
(14)1 UtUICMIIIP.VI, ORK01I-E.
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS 6 DE DE-
ZEMBRO DE 1865.
Presidencia do Sr. Pereira Simes.
Presentes os Srs. Aquioo Fonseca, Santos, Dr.
Villas-boas e Pinto, abrio-se a sesso, e foi lida e
approvada a acta da antecedente.
Leu-se o seguinle
JEXPEDIENTE .
Um offlcio do Exm. presidente da provincia, re-
commeodando a cmara que d era lempo as pro-
videncias necessarias, afim de que se reunara as
juntas qualirlcadoras das freguezias do seu muni-
cipio na 3' dominga de Janeiro prximo vindouro,
havendo o raaior cuidado para que se faga regular-
mente o processo da qualificago, e (endo se em
vista para a organisago das respectivas listas o
disposto ne decreto n. 2,865 de 21 de dezembro de
1861, e mais disposigSes era vigor. Que se res-
poodesse que j se expedirn) em 29 de novembro
que acabou as necessarias communicagoes no sen-
tido exposto.
Outro do director da repartigo das obras publi-
cas, communicando que achando-se sob a direcgo
daquella repartigo os trabalhos do calgaraento
desia cidade, executados por urna empresa, roga a
cmara a exoedigo de suas ordens para que os ,
fiscaes nao ponham embaragos a marcha regalar |
dos irabalhos,devendose entender com elle direc-
tor por intermedio da mesma cmara, ou directa-
mente quando julgarera conveniente fazer alguma
reclamago.Que neste sentido se officiassa aos
fiscaes, e se responderse ao director que licavam
expedidas as ordens.
Outro do inspector da sande publica, dizendo que
tendo de apreseniar o relatorio do estado sanitario
da provincia, pede a cmara que se digne remel-
lar Ihe al 15 do crreme, orna relagodas pessoas
fallecidas e sepultadas no cemiierio publico, roen
cionando as molestias de que fallecern). Que o
administrador do cemiteno fornecesse.
Ouiro do uii d.e paz votado do i distncio da
llics \V:\t \wxy-
No seu communicalo pnhlici neste Diario em o
da 20 do correle, o Sr. Ur. Victoriano de S Al-
buquerque, depois de expor como quiz os factos
que deram lugar a entrar elle na posse dos terre-
nos do engenhb (maca, que dantos eslavara na de
raeu irmo Goncilo, perguntaCom>, pols, qn t
o Sr. Gaspar eaeonirar na pi-se de-es terrenos
um acto, qua n) fisse pralicado em nome da le 1
Gimo pretende ainla tirar argumento de pari i ide
com o que sa esta passando era o eugenbo Ara-
taney t
A resposla salla aos ollios.
Priraeiraraenie, nunca disse (e appello para os
raeus communicados) que a posse que lomou o Sr.
Ur. Victoriano desses terrenos fosse um aclo Ilegal ;
e portanto,se elle tinha era vistas, como disse, resta-
belecar a verdade dos factos, tez inteiramente o
contrario.
Em segunlo lugar, parece-me que essa posse to-
mada em execocio de urna senlenga, nao pode ter
maior pa'idale do que com/a que eu hoje quro
tomar do raeu engenho eur virtude de urna sen
tenga que tambera passou em julgado, e que como
muito bera ensina o Sr. Dr. Victoriano, nao pode
ser suspensa pelo recurso de revista.
Apeuas noto ura pequea differenga, e que,
segundo diz o Sr. Dr. Victoriano, raeu irrao esteve
de posse dos terrenos da Chaca pir 18 anuos, no
entretanto que seu irmo o Sr. Joo do Sa, por si
e por seus antecessores, tern estado ni possa do
meu engenho smenle por 12 annos.
Tal vez que esta dilferenca de tempo con-titua
tambem differenga ao direito e esteja ah o meu
engao, porque nao sou professiooal na materia
como o o Sr. Dr. Victoriano.
Admiro a simplicidade cora que se inculca, e re
pele o Sr. Dr. Victiriano, que raeu irmo nao
raoeu as cannas que exist im nesses terrenos por
que nao quiz, visto dar sa-lha para isso permisso;
pois que s vejo nisso a confirmago da rainha as
sergo, isto que S. S. tomou posse dos terrenos
cora tudo quanto nelles exista.
Pretender', porm, o Sr. Dr. Victoriano alardear
assim a sua generosidade, appellando para mim ?
Poupc-me S. S. o desgosto da entrar na narrago
das picardas, que entao soffreu raeu irmo, e fi-
que urna vez por todas sabenlo, que elle tem bas-
tante digoidade para nao receber esmolas de quera
quer que seja, e muito menos de quem proteslav
reduzr seus filhos a essa condigo.
Quanto ao cont da mioha pretendida resisten
ca ao Dr. Gervasio, liraitar-me-hei apenas a dizer
que o Sr. Dr. Victoriano possa, por nao ler boa
memoria, ao mesmo lempo que dotado de urna
imaginago muita fecunda, e por isto acontece mul-
las vezes que recorrendo a esla em falta daquella,
diga cousas que Ihe parecen) ter-se passado ;
o que supponho ter-lhe acontecido agora, tanto
mais quanto o cont nao deixa de vir a proposiio.
Nao sei donde pretende o Sr. Dr. Victoriano que
eu tire a conviego da que S. S. e os seus nenhum
aclo de favor querem, onde deva faltara jusliga :
em iodo o caso assevero ao Sr. Dr. Victoriano que
se acha, que eu nao teoho razo de qoeixar-me da
jusliga de nossa ierra, S. S. metiendo a mo em
sua coosciencia, achara' que anda menos razo
Ihe assiste para isso. Exphqne-se com clareza, que
nao recusarei.
Serinhem, 21 de dezembro de 1865.
Gaspar Cavalcanti de Albuquerque Uchoa.
0
O capito Francisco Luiz Vires
f azendo-sc valeute em Pajeu.
E' vencendo grande-repugnancia, que procuro a
imprensa para oceupar-me de ura hornera, que ten-
do-me insultado s rae provoca nausea.
Victima do insulto do bedel Francisco Luiz Vi
raes pego ao publico desculpa para fallar nesse bi
cho que pude de Olinda chegar at Flores; Vires
sempre servil, sempre abjecio, foi em falta de ho-
mem, mandado pelo Exm. conselheiro Paranagui
com urna forga de 40 pragas da guarda nacional do
hatalho de Olinda para garanta dos eidados
araeagados pelos sicarios, que a todos accommet-
tia.


Si*. Di*. Cypriaio Fnelon Gaedes
Alcoforado e a sua cori'espontencia
de lioiilem
Sob a epigraphe Queslo Aratangij appare-
ceu no Diario de 21 do crreme um commnnicaJo
' com a assign)iura *. em o qoal nos demos ao
i trabalho pouco agradavel, mas lalvez til, de ex-
i por ao publico da mineira mais polida e aifnrio-
I Sa a doutrina que o Sr. Dr. Cypnano francamente
i professa orno procurador fiscal da fazenda pro-
| rinelal em relaco a cobranga da impostos fiscaes,
que elle obrigdo a promover em deserapeoho do
seu cargo.
Tivemos o cuidado de citar, urna por urna, as
palavras do Sr. Dr. Cyoriano; e os leitores que
passaram pelos olhos o nos*o escripto, deveriam
ter visW"que nada demais disseraos do Sr. Dr. Cy-
priano, do que aquillo que elle mesmo dissera de si.
Mije, purn, vimos com alguma sorpre:a que o
ir. Dr. Cypriano, quablcanlo de insulto, Murta
vil e calumnia molanle o nosso commnnicado,
accrescentou qoe ia chamar a' responsabilidade o
autor anonymi, e que provavelmente sena este um
homem de pallia.
Temos dito mais de urna vez no correr do pre-
sente debate, que oassumpt) serio, e nao rene-
gamos o nosso proposito diante mesmo dos epilhe-
tos pouco delicados de que o Sr. Dr. Cypriano fez
uso como argumentadlo convincente e irrespondi-
vel.
Deveraos crer que, se o hnralo Sr. Figueira,
proprialario do Diario de Pernambuco, foi citado
para exhibir a responsabilidala do communicado
alludido, j o fez; e o Sr. Dr. Cypriano esiar sem
duvida a esta hora convencido de que a quahQca-
gao espirituosa da homem de palha por elle dada
ao autor do communicado nao passou de ura gra-
cejo, que nos devolvemos ao Ilustrado Sr. Dr. Cy-
priano, sa elle nos permittir.
E, carao a queslo prometa ter urna vida longa,
nos pedimos respeitosaoieote a todos os leitores do
Diario de Pernambuco o obsequio de relerem com
allengo o nosso escripto, atim de poderera acora-
panhar, cora sciencia propria,a discusso era todas
as suas phases; para mais facilidade, e na defi-
ciencia, ah vai outra vez publicado o nosso es-
cripto.
Questo Aratangy.
O Sr. Dr. Cypriano Fenelon Guedes Alcoforado
assignon e fez publicar no Diario de honlera um
commiiuicado cora o fim exclusivo de provar que
e|le pode ser diligente e zeloso procurador fiscal
da fazenda provincial e ao raesmo terapo advogado
e defensor de contratos ero que as parles, nao pa-
gando os direilos e impostos devidos, tenhara tesa-
do a mesraa fazenda.
Urna s excepgo ao seu procediroento parece
recoohecer o Sr. Dr. Cvpriano, e ella, quaodo fr
dada a' thesouraria denuncia formal de que a par-
te, da qual e le conslluio-se patrono, defraudou a
fazenda provincial.
A declarago do Sr. Dr. Cypriano foi provocada,
como elle o asseverou, pelo pequeoo trecho de um
artigo publicado no da 16, no qual se disse que o
tenentecorooel Gaspar Cavalcante de Albuquerque
Ucna losara a fazenda provincial, comprando aos
herdeiros da casa Arataogy um grande numero de
escravos sera pagamento de uro real da meia siza
devida a" mesma fazenda, sendo advogado e fervo-
rooo defensor dasse contrato evidentemente nullo
e crlralooso o Sr. Dr. Cvpriano.
As nossas palavras escripias por obediencia
verdade e aos factos foram qualificados pelo Sr. Dr.
Cypriano de insinuacao maligna.
Nao aceitamos essa qualiQcago ligeira e injusta.
O assumpio serio, e estamos convencidos de que
Scarao patentes e vencedoras a boa f e sincerida-
de com que entramos na presente discusso, que
reputamos de alia moralidade publica.
Traoorevamos as palavras do Sr, Dr. Cypriano.
Bi'las :



Js


1
Mario de reraanbwc* Segunda tt de Dezembro de **


t Nao sou ohngado a saber qiiando os irapostos
delxam de ser pagos nesu ou naquella localidade j
da proviacia, mas, quando isla acaalece e vera ao
meu conhecimeoto por meio de denuncia thesou-
raria, sempre promovo a saa cobranca pelos ca-
naes competentes. Nao rae coasta que a' thesou-
raria fosse dada denuncia alguma su ..re essa pre-
tendida defraudacao de direilos.
Q auto a cousur tsto dos autos e dos ttulos
que foram juntos pelo meu constituirte para habili-
tarse, devo duer que nao sendo competente como
procurador fiscal para esmeril harse dos autos que
correm no foro desta cidade ha algam documento
d'onde conste defruidaca de imposto, nao sou lam
tem nos que despacho como advogado obrigatlo a
olhar pura eltes com olhos fiscaks.
Nao ere
mos infiel
PUBLICASES i PEDIDO
por mim feitas, pelos bons resaltados que crr que ellas se podem curar enm remedios
tem obtido etn tua dioica. j externos. Tambem se prescreve o xarope
Quando alguem se v cota tosse vai ao me- akboolico de veame para o tratameoto das
dico, este o examina e declarao senbor es-, aecces do systema nervoso e fibroso, taes
t atTeqtado dos pnlmoeso doente desani- como:
ma coto esta sentenca, entende estar sem Gotta, rheumatismo, paralysia,
Phthystea.
O xarope etherio de veame por mim pre-
parado milito tem eproveitado aos que sof-
frem desta molestia, e delamentar-se, que;mais cura, quando os factos ea experiencia Dores, impotencia, esterilidade
no obtuario desta cidade a maioria dos que teem demonstrado que muitos tendo proco- Marasmo, bypocondria, emmagreciment,
soecumbem de tubrculos pulmonares, | ra(j0 0 |Ugar apropriado, se teem salvado ; i O xarope alchoolico de veame sobre
sem procurarem o recurso da pratico e do e agsim cxpficam muitos expositores de me- todo, da maior utilidade para curar radi-
dicina. clmente, e em pouco tempo o rheuma-
Ora, nessa provincia temos facilidade ho- tismo.
ar ; por que a via frrea Adverte-se que o verdadeiro xardo eso se
experiente, que lhes pdem encaminharo
meio de sua sal va rao.
O Sr. Braga com loia de ferragens na ra e e recurso do
eia o i.ubiico que a trauscripeo qae flze- Direita, fot desengaado por ilous naoeis nos proporciona, pois que em pouco tempo vende nesta eidade na botica cima nica-
liei. Ena esta letra por letra, palma por mdicos, acha-se bom com o tratamento por j Qma pessoa que existe nesta cidade fcil- da, do abaixo assignado; e em outra rosal*
paiavra, no commumeado do Sr. Drri:ypriano' ., j mim prescripto. | mente se t ansporta para as ultimas estaces duer parte que se tem annunciado nao da
tm^t^^^^^Stlu^ui-1 A Sra- Jeronyma Mara da Conceicao, mo-ide Gameleira e Una, lugares perto do Boni- mesma composicao, e nem o abaixo assigna-
cao, atienta a franquea e a ngenuidade com que radora na travessa do Monteiro n. lu.achan-, l0 e de outros pontos que sao considerados do se responsabiiisa
procurador scai da faienda provincial ostentou do-se desengaada, tambem mim recor- serto, quanto mais que os mesmos lugares
a sua indilTerenca pelos iuteresses da faienda pro- reu e acha.se re tabelecid i, j;\ no sao mos, segundo pens, principal-
Mas prosigamos Um sobrinho do Sr professor ae Naza- mente no ver3o.
Entrando no circulo estreno, dentro do qual o relb do Cabo, acha-se bom, como se v de Mas dir-se-haurna pessoa pobre no tem
Sr. t)r. Cypnaoo iracou os seus deveres Useaes, sua carta abaixo transcripta, alea de outros meios de se transportar e all estara isso
nos encontramos esuiieiec.da a ^*'*X10 fados, que poderia aqu mencionar. |sc responde, que naiiuelles lugares existem
^^^'/^,C^^^L A Phthysid a destruido e a magreza;cnsas asasellugam-se por prec^commo-
defraudado do imposto provincial em ahjum docu de todo corpo, em consequencia de cnagas, do, e mesmo muitos gneros de primeira
ment que in-trua os autos que elle despachar como tubrculos e ConcreCCao dos bofes e de em-
advoyado. ^A.....J pyema, atrophia nervusa e outras molestias
necessidade all se vendem pelos mesmos
precos que aqui.
Aquelles, pois, que estiverem Restas cir-
Que a moralidade e o senilmento do dever de ,llimrM cnm pcrorhnto
empregado publico repeliera tal dooinna, nao te que \iuam os Humores, como escorouiu,
mos necessiJade de prova-io, porque felizmente alporcas, gallico, asthma, bexigas, sarampo, cumstancias, eu Ibes facilito explicar os meios
anda no chegamos a uma poca em que a traigo etc. pe|OS quaes se devem reger, e lhes fornece-
do patrono ao seu consiituiniei toni ser 1^. Na phthysica, chegando ao estado de gra- rei 0s medicamentos gratuitamente,
%ZXt\?%%^ SSnS. V-dade, o que muito pode concorrer para aj Na0 deixarei de advertir ao pubco, que
e exciuem reoprocamenie. salvado do doente e ajudar os medicamen- as minhas preparacoes de veame sao reu-
Mas admitamos, sol protesto, a doutrina do Sr. tos o ar do campo, exercicio conveniente ndas com outros ingredientes, e cora elles
Dr. Cypnano. e ine pecamos i.cenca pira pergun- e d|eta a f^Q deve ser de nenhuma tenho obtido ptimos resultados: noseen-
qu.l eo motivo ou cons.d-racao qoe pode ^^ ^^ ^ de ^^ (|gest5o e ,
tar-lhe
obrigarS. s. a fecharos seas erandesolhos fiscaes 60088 quente, ou de deicil digesto el gane o mesmo publico com outros que por
para nao ver essa defraudago nos documentos bebida compre que seja de natureza branda aif, seannunciam, cujas preparacoes ignoro,
que elle compulsa uma, duas e muitas veies: nos e fresca. i assim como o aproveitamenlo aos enfermos,
documentos sobre w qoaee .alie aagja e dtreito To(]o Q sen alimeilt0 se ha de dirigir a a quem porventura lenham sido applicados ;
&?XSSSEffi!l SSSSX modera'- a acrirnia dos h"raores e a nu" ca'a m responde por si, e eu afirmo com
no cna e invoca para pedir fencttneoto da causa tnr e suster o doente, para o que e preciso verdade o que aqui tenho relatado, tuyos me-
em favor desse consiituinie feliz, iiesprer.aios aaiia reduzi-lo ao uso, de vegetaes e leite. I dicamentos nesta provincia s vendo em mi-
e escarnecidos os mteresses da infelii fazeuda pro- T(]a comi;l e bebida, que se tomar ha nna botica na ra Direita n. 88.
do que n, <** ser em P0UC8S porcoss, para evitar que
Quem fr menos polidj e generoso uo <|uo -, r- r-
e sobretudo n'um lempo em que o homem d^ bem o excesso do Chylo fresco opprtma OS bofe
e accelere muito a circulago do sangue.
Muitos doentes desta molestia se teem en-
tantas vetes calumniado, talve queira enchergar
nesse proi-e.limeuio do illu-^rado procurador fiscal
&Z ^ff&SJlSSR tE trege ao uso do oleo de figado de baca.ho,
tos ao briltto embaciado do metal ^m que recebe e outras preparares de resinas e palsamos,
ha mullos annos os seus ordenados mensaes de sem que delUs tenhaii tirado proveito; e
promotor dos inieresses tscas, ja se oao incom- a|ns expositores de medicina combaten!
modam rom esn luz, em manto que o melal que > tratamento
os clientes partieaiares olerecem aos seus pairo- com mulla rano es^t iraiamenio.
nos de bniiio tao vivo e desinrobrador, qu in- L costme carregar o estomago uo qoen-
commoda a vista, e obriga os oitios, mesmo os mais te com medicamentos oleosos e balsmicos;
Jos da Rocha Paranhos.
Nazreth do Cabo, 7 de setembro de 1863.
IHm. Sr. Jos da Rocha Prannos.Om
o maior prazer levo ar. conhecimento de V.
S., que o doente que V. S. acha-se admi-
nistrando-lhe remedios, acha-se no todo res-
tabelecido, porlanto, nada sent, tendo des-
apparecido do todo a tosse, tem muita dispo-
sic.io comida e acha-se nutrido. Deixou
tomar os ltimos remedios que V. S. recti-
tou no dia 30 do passado. resta agora a V.
fiscaes, a fecbarem-se, proieg ndo se assim contra m estes em Vez de tirar a causa aug- s. mandar-me d'izer qual a diea que o
lXXtt*2: .VeSf: mentam-na, esquen.ando o .angue aoi mes- doante deve conservar e por quan.os tem-
gado publico. m- tempo que tiram o apetite, relaxam os p0S^ rneni;ionando as comidas que devera
Nao somos n?, repelimos, que pen-amos assim. solidos, e sao de toila sorte perniciosos. | usar daqui em diante.
E nunca >erademais e>ta declarado Pr,iu^)ar Tudo que se fi/.er para extinguir a tosse,I Resta-me agora agradecer a V. S. o cui-
SStt**EUZttt alm do exercicio e reg men apropriado de- dado que lomKou no tratamento do meu so-
seria, e nos debates desta orde.n o respeito para vem ser remedios de natureza acida, aeter- brindo, abaixo de Peas, devido o seu resta-
sena,
com o dversariu a primeira condicao para o
triumpho.
E qiando mesmo a nossa educacao e os nossos
deveres df polidez no nos recomineodassem esse
respeito para enm o Ilustrado Sr. Dr. Fen^lon,
ama consideracao existe que nos nao permiltiria a
mais leve lemendade na maneira de apreciar a sua
conduca.
N6i sahornos, porque do domilio publico, que
o Sr. Dr. Penelon possue edesfructa hojfl uma for-
.tuoa n-t-n-iva ue se eleva a mais dr uma de:eoa
de d-z n is de eolitos de ruis, adquerida no correr
de muos nonras annos, e mesmo esles com algu-
mas interriipcoes, pelo oso exciu-ivo de sua pro copo para misturar com um papelmho dos
issod a!..'jilo, o que revna um talento espe- p08 refrigerantes para tomar, com que ali-
cial que o abriga contra a maledicencia, que por-
ventura o 'piiz.-'ss- ferir.
O aviso deSdemaio de 1831, citado peio Sr.
Dr. Cypriano, nao pode reger a especie de que se
trata.'
Esse aviso, ad li.i, verdade, o pagamento no
lmpoio na compra da heranca que no liquida
para d;>i>i- da liiuida^ao.
gente e calmante. | belecimento a pericia de V. S., e por isso
Os cidos possuem a virtude de produzi- pode y. s., sempre contar com os meus di-
rem bons elfeitos nessa enfermidade, por minutos prestimos, e desejarei em todo o
que, nao s contribuem a apagar a sede tempo dar uma prova do meu reconheci-
quando accommeltem a fehre ethica, mas mento.
tambem a refrescar o sanetie. Desejo a V. S. todas as venturas, por ser
Aos doentes desta enfermidade, quando o de V. S. muito respeitador e brigadissimo
seo estado de gravidade tal que a febre criado.Francisco Beringuer Cesar de Me-
ethica os accomnvtte, prescrevo-lhes o so-
co de um liman dissolvidn em uma chicara
d'agu.i com bastante assucar em um grande
nezes.
JURUBEBA.
A jurubeba urna das substancias medicamen
. losas, ao reino vegetal, e penence classe
viam no acciimeitunento da leure, e pea dlJS ,l)ni).05 e desobstruentes, sendo em prega
maiihia O xarope etherio de veame. Tenho; na com vantapem contra as Tebres inlermileule>
Mas, cumpre nao esqoecer que os escravos com
prados furam dcscriptos pelos seos nenies, e ava-
hados um |iO' um, secundo consta das notas do
tabellio Ili^ueira, d<> termo de S-'rinhem, onde
foram passadas as escripturas, e que pelos mesmos
nomes e valores foram dados pelo tenente coronel
Gaspar aos herdeiros em pagamento de suas be
raneas.
iga e mesmo para
amargosas, que l'ortificam O estomago e ser- cao dilcil, resultante da mesma anemia ou chlc>
vem ao me-mo tempo para destruir e mili- rose,
gar a sede.
A Sra. D. Joaquina de S Brrelo, tendo
uma sua escra^a fallecida desta molestia, sub- (
metlida ao tratamento de seu medico, resol-
veo procui ar-me para tratar de um outra
escravo, que soffra da m-'sma enfermidade, | t rua larga do
Eo bom s.-n-o nao admiuiri de certo que e-sas prescrevi-ihe o xarope de veame, tem me-
Ihorado consideravelmente.
A scnbora do Sr. Antonio Francisco Ho-
norato foi desengaada por habis mdicos
desta cidade, esleve prostrada, e nos lti-
mos paroxismos da morte, foi com o xaro-
pe de veame salva, como se v da carta
duas transare, es precisas e determinadas ossem
realisadas. em ser a vista de um padro tao pre-
ciso e d-terminado, como as roesmas transac-
c -s.
AS h"rancas qoe se diz terem sido compradas,
foram expressamente avahadas, e Bao uma vez -
menle, mas duas a primeira no acto da compra, .
, a segunda do acto do pagamento, distinrc.ia impres>a no Jornal do Rccife de 9 de feve-
primeira vista, susceptivel de reparo, mas ecos- reiro de I8')-1.
sana na especia pnrqne os objertos comprados, Q escravo ir,n|0 j0 gr. tenente-coronel
sendo pa.i< com ello me.-mos, d-viarn ter sido y, ,, i :,i r; ,
p ir forca des>a iransaeco avahados duas vezes. RodolphO Joao Barata de Alltlcida, foi lam-
\ acora indo ne' liqunlo e cerlo para oSr. Dr. Cynriano, procurador com O xarope de
fiscal da Fazenda provincial e advoeadj do tenente-
comnel Gaspar.
Era eerlamente sobre eoosa certa e liquida, en-
genho e pscrav.is, que segundo o Sr. Dr. Cypria-
no, assentava a execuco do jmz leigo Costa e
Silva.
Extrato alcoolico de jurubeba.
Emplastro idem.
Oleo idea).
Tintura lidem de idem.
Xarope idem.
Vinho dem de idem.
Filulas de ext. idem.
I);> iiii. pharmacia de Pinto,
sano n. 10.
Hoje, porm, o vento e a correte mudaram.
O importo Oscal no devido, porque ludo nessa
transaccao mcerto e illiquido, segundo o mesmo
Sr. Dr. ''ypmno.
\"' .-<;, pus, que a invocacao do aviso de 5 de
maio oo p^s-a de um rerurso da chu-ana.
O publico ja sabe que na ses*a"ode 19 do corren
le o re-peilavel tribunal da relacao deu provimen-
to ao azeravo que o tenente-coronel Joao de Sa in-
A Jurubeba.
As virtudes therapeulicas da jurubeba sao desde
muilo conluecidas no s no Brasil, pois que dellas
Iratou Pisoq em sua excelleote obraHistoria na-
turalts et medica ndice occtdentalis, seno as
Aniilhas, onde o sueco das folbas e fructos como
aqui, muilo eslimado c appl cado contra as obs-
trueces abdomiuaes, principalmente do flgado e
bagj; e se todos os facultativos desla provincia o
no applican) com frequencia, islo se nao deve a
no reconhecerem elles essas virtudes, mas slm a
nao serem encontradas coro facilidade e em todas
vellame acha-se completa-' as eslagoes do anno os fructos dessaplanta, e a re-
pugnancia, que apresentam os deentes em fazer
uso do sueco desses fructos, em consequencia de
ser extremamente amargo.
A jurubeba no desconhecida dos botanistas :
O Sr. Antonio ChViStianO Fogt, fllho do|W t'lan,a P.ertence familia das solaneas,Jim
. i ; a denominarlo de so/aniin pancula!um, que Ine
"' '-' dada por Lyneo.
mente resiabelecido, como se v tambem
da carta impressa do mesmo Sr. tenente-
coronel no mesmo Jornal do Recife.
I"!
Sr. Chrisliano Fogt, propietario e
lecido na Cidade de Maeei, o primeiro bem; pareeendo-ns conveniente facilitar o uso do
conhecido nesta cidade, pois que foi empre- sueco dos fructos da jurubeba, que o mais em
o-adn na ra,a dn Sr I.enn (".liatiOllin retra-1 pregado, nos propozemos e conseguimos preparar
gauo na cav oo br. Letm u\>i,. i eu* com e||e nS(j s. um vm$m aIcoolico que pde ser
tisla estabelecido na ru i da Imperan iz, ac- ,pp|icado em pilulas, mas tambera um vinho, um
COtnmettido desta molestia, foi daqui desen- xarope, e um emplastro que pode substituir, em
ganado por habis mdicos : retirou-se para cerlos casos, o de Vigo ; e estamos persuadidos qut
a Babia, e alli continuou em tratament ate *
humanidade e
ecimento o mais ligeiro do direito, e assessoria- im,ao oedio-me. Que O acompanhasse at a : em seu Diccionario de molera medica t therapeu-
pelo pniprin advogado da parte contendora, co- ,' ~ rhrimhnn nara vr nm doente "Cfl. diien) O"6 a"s An'ilhas se faz oso do sueco
9 se ve da certidao qoe vai transcripta. casa do Sr. Lhnsl ano, para \er um doente, oi'(rmos Iaduros de?sa p|,nta contra o catar-
com islo prestamos um servico
hterapeuiica.
terpoz das troDol'ias com que elle e sua familia es- que foi segunda vez desengaado pelos me-; P|S00) lral8ndo da hydropesia, prescreve a de
tavam sendo flagellados por um juiz leigo, sem co- dC0S dalli, cliegando CU em Macei, um coceara das raizes da jurubeba, e Mrat e Delens,
nhecimento o mais li"1
do
e prescrever-lhe algum remedio. encontrei|^ ""sit-a; ea autoridade dos nomes desses me-
o fllho em uma cama desanimado e em es- dicos, merecidamente celebres, nos leva a crer em
lado de proslracao. pois que escarrava san-, suas palavrai, e por isto cuidaremos de terem
Depois de lio solemae justica feita pelo veneran- gue, e linha completa inapetencia e fraque-! B0!S0 tabelMimenlo essas raizes, para que possam
.nhunal da relacao ao tenente-coronel Jao de za a pi,ni0 de nio se poder por em p, DO "V83 a>r*ta tal, eos resultados
fim de uma garrafa do xarope etbereo de tnerapeuticos
veame j.i se achava elle no pstado de pas- taotes, que
seiar em casa, desapparecida a inapetencia e '*'? (iue Bca
A votado foi unnime, sendo jugadores os dig-
nos Srs. de-embargadures Molla, Caetano Santiago
e Gitirana.
Depois de
do tribunal da relacao ao tenente-coronel Juo de
S, a continuaco do presente debate parecer tai-
vez desaecessana.
Julgamos, porlanto, da oosso dever declarar a-^s
leltores que, entrando na presente discos o, tive-
mns sempre em mira o triomoho e a victoria de
uma causa mais nobre do que aquella que repre-
sentavam ohjectos materiaes, encenho e escravos,
os quaes consliluiam a hde judiciaria.
A nossa mira foi posta mais alto.
Deposito:
obtidos ltimamente sao tao impor
nos parece intil dizer mais do que
escripto.
pharmacia de
Joaquim de Almeida Pinto.
ATTENgO.
Xarope alchoolico de veame, preparado
tedio que pcodozio em ns a harharia dfr certns
tiomens que ju'gando-se Incompativeis com as lels
e as autoridades publicas, no ennflam ness re-
cursos da cvtiaco, appellando assim para a for
ca bruta jogada por mos indviduaes j fomns le-
vado, emflm, ao debate pelo respeito pndttodo
que consagramos a moralidade potdica, que nos
julgamos, gravemente offendida pelo facto de ser
em pleito judiciano advogdo de ama das partes e
ao mesmo tempo do flM e defensor legal desto,
sendo inc'inciliaveis os inieresses por elle simul-
Jos da Rocha Paranhos.
iTTIkff
CASO HORRIVEL
ALFANDEGA DE PERNAMBUCO. raou com as ditas testemunhas; eu Manoel Mara
Mercadorias. Unidades. Valores.
ii-i'ii*
Molestia Ulcerosa
Curada.
Todos aquelles que se achSo suiitos sof-
frer molestias scrofulosas, ulcerosas, ou syphi-
liticas, anda mesmo as reputadas de peior
natureza, apenas necessito de 1er o seguinte
caso maravillioeo, para que se sinto inteira-
mento convencidoa que a sua propria cura,
nao s meramente possivel mas sim absolu-
tamente certa.
Joao Jo8fc Ferheira Barbo, residenta
na Cidade de Maranhao, tinha todo o seu
corpo coberto de chagas ulcerosas, e durante
algunos annos se achava denaixo do tratamento
de mdicos os mais afamados, tendo usado
durante todo este tempo quasi toda a especie
de medecinas que em taes casos empregad*
pela faculdade medica, porm debaldo aem
obter o menor beneficio ou alivio: achando-se
pois em taes apuros elle finalmente resolveu-
e, depois de repetidos e baldados esforooe i
faier uso da]
Salsaparrilha
DE BRISTOL.
No todo elle apenas chegou a tomar Cinto
Garrafas de Salsaparrilha e quatro frascos das
Pilulas Vegetaes Assuearada, e o resultado
foi elle bbter nna completa e perfeita cura.
Os Sers. Fekreika & Cia., Droguistas de
Maranbo, forao quem suppriro os medica-
mentos, e acbao-se perfeitamente ao facto
d'este caso, o os mesmos Senbores, nSo e se
acbSo promptos confirmar o mesmo, como
tambem em fornecer o actual adresso do Ser.
Barboza, i toda e qualquer pessoa que por
ventura se desej informar da verdade.
Rccommcnda.se mui particularmente aos
Doentes que tenbio o maior cuidado na escollia
deste excellente remedio, nao usando outro
no ser a Genuina Salsaparrilha de Brlstol,
a qual exclusivamente preparada por
Abanos......... eento
Agurdente de cana H caada
dem restilda ou do reino
dem caxaca........
dem genebra.......
dem alcool ou espirito de agua- i
ardente.......
Algodao em caroco _. arroba
dem em rama ou em laa
Arroz com casca.....
dem descascado ou pilado
Assucar mascavado.....
dem branco....... *
dem relinado......
Azeite do amendoim ou mendo-
bim ........ caada
dem de coco......
dem de mamona ....
Batatas alimenticias .... arroba
Bolacha ordinaria, propria para
embarque....... >
dem fina........ >
Caf bom .......
dem escoma ou restolho.
dem torrado...... libra
Caibros........ um
Cal.......... arroba
dem branca ....
Carne secca (xarque) ...
Carneiros ....... um
Carvao vegetal ..... arroba
Cavernas de sicupira uma
Cera de carnauba em bruto. libra
jdem idem em velas ...
Cha .........
Charutos ....... cento
Cevados (porcos)..... um
Cocos (seceos)...... cento
Colla........ libra
Couros de boi, salgados.
dem idem seceos espichados >
dem idem verdes ....
i dem idem cabra corlidos um
; dem idem de onca ....
Doces seceos ...... libra
dem em gela ou massa
dem em calda .....
! Espanadorcs grandes um
dem pequeos...... >
: Esleirs para forro de estivas
de navio........cento
! Estopa nacional .....arroba
1500
800
800
380
800
900
4J250
134000
I 300
2G00
25100
3700
3900
2000
1600
i000
i 300
3O00
7000
60O0
6000
i'i o
360
320
580
3200
45000
1J006
:)000
300
300
!300
2o00
155000
40O0
600
155
240
120
350
105000
1000
320
500
45000
2000
E tendo a snpplicante prodatido snss testemu-
nhas sellados e preparados os autos subiram a mr-
nha concluso e nelles dei a seolenca do theor se-
guate :
Procede a justificarlo pela qual se mostra achar-
se ausente a suppllcada, a quem mando citar por
editos de 30 dias aa forma requerida. Becife, 24-
de agosto de 1865. Tristao de Alencar Ara-
ripe.
for forca do meu despacho o referido eserivao
fez passar o presente, pelo qaal chamo, cito e het
por intimada a supplicada, para que compareca
neste Juizo dentro do dito prazo, ariru de allegar o
que for de justica.
E para que ebegoe ao conhecimento de todos,
mandei fazer o presente edital, qne ser publi-
cado pela iinprensa e allixado nos lugares do eos-
turne.
ltecire. 30 de agosto de 186o.
Eu Manoel Mana Rodrigues do Nascimento es-
erivao o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
DECLARARES.
Farihha de de mandioca alqueire
! dem de aramia .... arroba
Feijao de qualquer qudlidade
! Frechaes ....... um
; Fumo em iolha, bom arroba
i dem ordinario ou restolho
I dem em rolo bom......
l dem ordinario ou restolho.
j Gallinhas ....... uma
iGomma........ arroba
1 Ipecacuanha (raiz)......
Lenha em achas..... cento
Toros.........
Linhas e esteios...... um
Me I ou melaco...... caada
Milho......... arroba
, Papagaios ....... um
Pao Brasil....... quintal
dem de jangada...... um
Pedras de amolar .... uma
dem de filtrar .....
dem de rebolo .....
Piassava........ molho
Pontas, ou chifres de vaccas ou
novilhos....... cento
Pranches de amarello de dous
costados ....... um
dem de louro...... >
Rap......... libra
Sabo.........
Sal........... alqueire
: Salsa parrilha....... airooa
j Sebo em rama......
dem em velas.......
Sola em vaqueta...... uma
Taboas de amarello..... duzia
c diversas ......
Tapiocas......... arroba
Taiajuba........quintal
Travs.........uma
Unhas de boi ...... cento
Vassouras de de piassava
Ditas de timb......
Ditas de carnauba.....
Vinagre. -....... caada
LANMAN&KEMP,
De NOVA YORK,
pois que todas as mais sao ineffiesses e de nn
hom prostimo
Vende-se as
e C. Bravo & C.
155000
15HO0
25000
45000
25800
55000
155000
85000
8010
5000
600
25600
235000
25000
115000
6000
320
15500
35000
55000
5O00
800
000
15000
120
3600
205000
105000
15000
120
400
255000
55000
75000
25000
1405000
875000
35000
25000
6|000
200
105000
85000
6000
500
Consulado provincial.
Pela mesa do consulado provincial se faz pnblico
que os 30 dias uteis marcados para a cobranca
bocea do cofre do 1* semestre do anno fliwBceiro
de 1865 a 1866 do imposto da decima urbana das
freguezias desta cidade e dos Afogados, e da parte
da da Boa-Vista e do Poco da Panella, qoe en ar-
recadada pela collectoria de Ollnda, se principiara
a contar do dia i* de dezembro vindouro.
Mesa do consulado proviucial de Pernambuco,
30 de novembro de 1865.
Antonio Caroeiro Machado Rios,
__________________Administrador.___________
O tenente-coronel Francisco de Albuquerque
Maranhao Cavalcanli, commandanle do sexto c r-
po de voluntarios da patria, convida aos eidados
que queiram alistar-se no mesmo cerno, em defesa
do palz contra a repblica do Paraguay, a compa-
recer no quartel do Hospicio, das 9 horas da ma-
nria em diante, certo de que, alm das garantas
offereoidas pelo governo de S. M. o Imperador, o
commandante por si e seus officiaes (arito suavisar
os trabalhos da guerra com um tratamento con-
digno cada cidadao, qualquer que for a classe a
que partenca.
Consulado provincial
Pela mesa do consulado provincial se faz publi-
co que no dia 23 do correte ao meio dia se ha de
arrematar a' porta desta repartirlo 206 caixaozi-
nhos com 300 libras de doce de goiaba, apprehen-
didos a Jos Ferreira da Costa pelo conferente da
alfandega Francisco Alfonso Ferreira, os quaes fo-
ram avallados por 96.
Mesa do consulado provincial de Pernambuco 19
de dezembro de 1865.
Anfonio Carneiro Machado Rios
Admiuislrador.
Alfandega de Pernamuco, 16 de dezembro de
1865.
(Assignados):
O 1." conferente, Pedro Alexandrino de Barros
! Cavalcanle.
O 2. conferente, Joao de Freilas Barboza.
Approvo. Alfandega de Pernambuco 9 de de-
vembro de 1865.A. Eulalw.
Conforme. O 4." escripturario, Joao A. Perei-
ra Rocha.
Patacho brasilelro, entrado do Rio de Janeiro,
. ^ ,_ consignado a Miguel Jos Alves manifestou o se-
boticas dolaors de Barbosa; gUnle :
10:076 arrobas oe charque e 60 couros seceos;
a ordem.
Inspecco do arsenal de marinua.
O arsenal de marinba admitte carapinas e ser-
ventes para as obras, bem como serventes para a
informara de marinha.
Inspecgo do arsenal de marinha de Pernambu-
co 22 de dezembro de lMi3.
O secretan*,
_________Alexandre Rodrigues dos Aojos.
' CuTnlri glRV
Rclaeo (lascarlas seguras existentes na adminis-
traco do eurreio desta cidade para os senbores
abaixo declarados:
Dr. Apngio Justioiano da Silva Guimares.
leuacio Vieira de Mello Filho.
Padre Ignacio Francisco dos Santas.
Joaquim de Assumpcao Queiroz.
Liborio Affonso de Oliveira.
COMMEBCIO.
Brasil
MOYIMENT D PORTO
Calx;lfll;xl lo banco do .
* __ ..mKM Navios entrados no da Z2.
em re u.tuilUK o. R0 (le iane,ro 30 uia!S b.rca hanoveriana Lan-
Tendo-se desencamiohado da massa fallida de (iu.erstm, de 592 t meladas, capitao John Sands
Guilherme Carvalho & C. o recibo de 15 arcoes I ,ed euipagem u m lastro a Thomaz JelTe
das locahsadas nesta ealia, sob ns. 2787 a 2801,! rj J ^ c
Xew York por S. Thomaz e Para'22 dias, vapor
avisos Mugare.
Companhia de paquetes a vapor enlre
os Estados-Unidos e o Brasil.
Al o dia 21
do correte espe-
ra -se de New-
York e escala o
vapor Soii/i Ame-
rica, o qu^l de-
pois da demora
do costume se-
guir para os
portos do sul.
Para passagens, fretes etc trala-se com os agen-
tes Henry Forster & C, rua do Trapiche n. 8.
COMPAHlTBrASIEIRA"
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do sal esperado
al o dia 30 do correnle um dos
vapores da companhia, o qual de-
pois da demora do costume se-
guir para os portos do norte.
Desdeja recenem se passagelros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida as
2 horas : agencia rua da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luizde Oliveira Azevedo & C.
os escarros de saojue ; e a tosse mitigados.
No fim da segunda j achei em estado do
far.e-lo passearpelo si o todas as manhias.
Acabada esta o aeonselttei.- que continuasse
no uso do mestno tarop etherio alternado
Fomos levados aos debates pela indifacao que COin O xarope alC0nliC0.de vellame, e que
nos causavam as vi-iencias n abusos de nma auto- usasse dos luidlos salgados na pancada do Pe' pnarmaceuttco Jos da noena prannos,
ridade leiga, caprichosamente aconeihad*; pelo mar Sentio elle nos prittieiros banhosal- estahelecidc com botica na- rua Direita n.
guns clioq.ies, mas eu o aconselhe' que con- em Peri ambuco.
tinuas.-e, com o que se tem dado muito bem E*u$ xarope eincontestavelmentesuperior
p..is que tenho recebido cartas de Macei, a todo* os jaropes depurativos, de cuja
em que se me communica o seu bom estado. composic5o e
parrilha, pe is que se tem conhecido ser o
Nesta molestia os expositores de medici- veame tnaii enrgico para a prompta cura
na nao aconselham banhos salgados, apenas das molestif s, cuja base >essencial depende
quando delles tratara, dizetn ser applicados da purificsco do sangue ; assim pois se
as e-cn.phulas, hypiieondna, esthensmo, tem verificado por muitas pessoas que se
perteneenles a Guilherme Frederico de Souza Car-
valho, socio daquella Urma, a directora faz publi-
co a quem interessar possa, que por parle de Jus-
tino Jos de Souza Campo-, adminlsirador da re-
ferida massa, se vai proceder a transferencia de
ditas accoes para a Sra. D. Henriquela da Silva
actual possuidora das mesmas, visto as ter em has-
ta publica comprado, como ludo provam cora do-
cumentos que ticam archivados nesta caixa.
Ca xa filial do banco do Brasil 30 de novembro
de 1865.
O guarda-livros,
Ignacio Nunes Correia.
Caia filial do banco do Brasil em
Pernambuco.
A ca xa desconta as letras de sea aceite pela
taixa de 9 0|0 ao anno.
O guarda-livros
Ignacio.Nunes Correia.
Noto banco de Pernam-
buco.
O Novo Banco desconta letras a 12 por cento
ao anno, toma dinheiro a praso flxo ou em conta
corrente pelo premio e condigSes que se conven-
cionar. e saca sobre a praca da Baha
ainerieauo yoitlh America, de 2,157 tonelada
commandanle Tenklepangh, eqoipagera 60, car-
ga dilfeientes gneros a Henry Forster & C.
Navios sahidos no mesmo da.
Ceara' Hale brasileo Ganbatdi, capillo Cus-
todio Jos Viauna, carga dilferentes gemfos.
Ass Hiate brasileiro Graciosa, capilo Cosme
F. da Costa, em la-tro.
Observarlo
Fundearara no lamaro uma esquadrilha ame-
ricana composta de uma fragata, uma corveta e
um monitor.
EDITAES.
COMPASHIA BRAS1LEII.A
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos portos do norte
at o dia Io de janeiro, o vapor
Paran, commaodante o capito
de fragata AntoBio Joaquim de
Santa Barbara, o qual depois da
demora do costume seguir' para os portos do
sul.
Desde j recebem-se passagetros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sahida as 2 ho-
ras : agencia rua da Cruz n. 1, escriptorio de An-
nio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 1 a 21......
(dem do di&22...............
563:7263441
16:2843343
580:0103784
taueamente patrocinados.
Os primaros motivos j cessaram, verdade
mas o ultimo existe ainda, e nao deixaremos a dis
cusso antes de sermos convencidos de
so juizo severo de mai.
seu maior ele- ento a salsa
Descarregam boje 23 do dezembro.
Polaca hespanbolaThemoleo IIvioltos.
Barca inglezaCoriacarvo de pedra.
Barca ingleza-Dolfine-carvo de pedra.
Barca inglezaAnne Loganidem.
Barca inglezaFanny Idem,
amenorrhea, raetliismo, etc. ; entretanto'vi achavam disahganadas, as quaes acbam-se Barca ingleza-Visionidem.
este b..m resultado no filho do Sr. Cristiano, hoje restablecidas cora o referido mfal!B*JSS~lT*Zmm*^ aM^.
e outros lacros igtraes tenho visto as om- alchoolico fe veame; entretanto que al- gJSnacionai-/"a/.na-charque.
que o nos- \nl9S siphyliticas, e outras militas que com ^unS) tead^j usado do xarope de Curinier, Barca oacionai-Sonfa fonodem.
MOVIMENTO DA ALFADEGA.
Volumes entrados com fazendas....
c c com gneros..... 27
Volumes sabidos cem fazendas..... 30
c t com gneros..... 1,405
27
-------1,435
Teremos, pois, de voitar provavelmente aodeba- o m d xarope alcoolico de vellame tem-se de Larrey, de salsa parrilJia, de saponaria, Patacho oien^-SanfoAoojf.nAo-idem.
te, e fioaremos hoje aqu.
20 de dezembro.
A responsabilidade a' que tomos chamados em
nada altera o nosso proposito.
No foi a vaidade ou outro motivo menos nobre
qoe nos irouxe ao debate.
No lim a Mii-i-dada dir se ella ganhou ou per-
deu nesse certamen.
obtido cura radical.
O Sr. Dr. Siiva, medico hbil de
depois de ter
rheumatismo
logo que elle se poz em estado de largar as
moletas, em que andava arrimado, o aconse-
lhou que continuasse com o uso do mesmo
xarope conjunctamente com os banhos sal-
ota deligafodebaealho,^ outros agentes J^Sff WlSoif OTMINlS GE-
Ma<:ei, de>ta ordemnada cooseguiram. E' elle de raes de pernambuco.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe offkial da impe-
rial ordem da Bosa, juiz de direito especial do
commercio desla cidade do Recife de Pernam-
buco, seu termo por Sua Magestade Imperial
e Constitucional o Sr. D. Pedro II a quem Deus
guarde etc.
Faco saber aos que o presente edital vlrem e
delle noticia tiverem, que por parte de D. Josepha
Justica de Jess Goncalvus, me fot dirigida a peti-
co do theor seguiole:
Diz D. Josepha Justiga de Je*us Goncalves, viu-
va de Manoel Antonio Goncalves, administradora
de seu casal e por isso mesmo liquidatana da Urma
Oliveira & Goncalves, que sendo esta devedora a
Manoel Heraldo de Lima, fallecido, por uma letra
de seu acceile da cifra de 8703900, vencida em 22
de agosto de 1860; e como por fallecimento do sup-
plicado nao se tizesse inventario e casse de posse
de seus beos a sua viuvit D. Prancisca Emiliana
de Lima, a qual por carta de 29 de marco de 1862,
coolinnou a existencia du fallado debito de seu ti-
nado consorte, e se comprometteu a sati>faze-lo;
qu-r a supplicante interromper a prescripvo da
referida letra, pela forma estabelecida uo 3 do
art. 453 do cdigo do commercio; e como seja ig-
norada a residencia da mencionada D. francisca
requer a supplicante para que se passe carta de
editos de cooformidade com a lei, por isso pede ao
IHm. Sr. Dr. juiz especial do commercio defenmeo-
to.E. R. M.Procurador, Antonio Piulo de Bar-
ros.
Na qual dei o despacho do theor seguinte:
Justilique a mcerteza da Tendencia da supplica-
da no da 21 do correnle mez, depois da audiencia.
Recife, 18 de agosto de 1865.Tristao de Alencar
Araripe.
Em virtude do qual fura a mesma peticao dis-
tribuida ao escrivo deste juizo, Manoel Mara lio
drtgues do Nascimeotn, o qual lavrou o termo de
COMPNHIA PERNAMBUCaNA
DE
Navegacao costeira por vapor.
PARA
Parahiba, Natal, Maco, Aracaty, Cear e
Acarac.
Segu no dia 27 do corrente
para os portos do n< re o vapor
nacional amanguape, comman-
dante Ralis. Recebe carga at o
da 26. Encommendas, passa-
ceiros e dinheiro a frete at as 3 horas da tardo
do dia da sabida : escriptorio no Forte do Matos
o.l.
Para a Iltiade S. Miguel.
Do Rio de Janeiro esperado o patacho portu-
guez Fernando, o qual tera' nesta pouca demora,
por ter metade de seu carregamento prompto :
para o resto que Ihe falla trata-se com os seus con-
signatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C,
uo seu escriptorio, rua da Cruz n. 1.
Ilha de S- Miguel
0 patacho portuguez JORGENCE, segu coro
muita brevidade por ter a maior parte do seu car-
regamento prompto, para o resto da carga e pas-
sageiros trala-se com o consignatario Joao do Re-
g Lima, rua do Apollo o. 4.
PAR i
applicadO a um seu doente de fcil digestiO, agradavel ao paladar e ao Ol- Rendimento do dia 1 a 21...... 22:9183217 protesto do theor seguinte :
o Miope alcoolico de vellame, phato Algons med.cos desia eidade e da Um do da 22................ ?f Aos 21 de agolmfe Iffina'ci
tabn o oosso nona j seja do domioio do po- pj com qi|(# getem dado m0lf0 Dem e
*n?mtaffiiFvum'- Ium dflS raediC08 q *em V!acei tem com-
i pleta confiajufa as pre>sr,aces de vellame
de Macei o teem recommendado para a cu-
ra das
Impigens, tinha, escrophulas,
Tumores, alceras, escorbuto,
Gancios, sarna degenerada, fJuxo alvo.
Todas estas affecces provm de uma cau-
sa interna; no ha pois razao .alguma em
24.034*145
CONSCLAOO PROVINCIAL.
Rendimento do da 1 a 21....... 110.096*748
dem do dia tt............... jl:Saai47
123.9301692
cidade do Recite,
na sala das audiencias, onde eu eserivao adame
declarado me achava ah e comparen-u a suppli-
cada por seu bastante procarador, Antonio Pinto
*e Barros, e disse peraote mos e as testemoohas
iirtr assigo das, que reduza a protesto o coute-
do de aa peticao retro, aqual oWM cuino par-
te do presente, qoe ea sendo; e de emoo assim o
cusse e prk?tou, iawai sie tormo, ao fial se r-
Pretende sabir em poneos dias o patacho Pa*
raense por ter o carregamento quasi completo, c
para o pouco que Ihe (alta, tratase com o consig-
natario Juaqnim Jos Oiugaives Beltro, na roa do
Vigario n. 17, Io andar.
PiriL
Esta a chegar a todo o momento o brigue escu-
na G ACIOSa, que sahira com brevldde para o
indicado porto, vi-lo talurem apenas 500 meias
barricas para eompleiar o sea carregamento : tra-
ta-e com o respective consignatario Antonio de
Almeida Gomes, roa da Cruz n. 23, ptimeiro
andar.




*~
------------


Islario 4c Pemxmhtic& abitado 1.1 d ncremhro dr MU*
LEIL8ES.
LELAO
De todos os movis pertcueentes ao
Club Commercial.
IIO JE
0 agente Pestaa fara leilo por coola da quem
pertencer de lodos os movis perteocenles ao Club
Ciramercial constando de bilhares com sen* per-
tences, bacatelas, dminos ticas para vollarele,
sadr?., cadeiras, sotas, espelhos, loiletes, toucado-
res. piano, mesas elsticas, bancas, bancadas, jar-
ros, relogios de parede, serpentinas, lustres, lou-
ca, vidros, cortinados, toninas, tapetas, talheres e
inuitos outros objectos que seria enfadonho euu-
mera los e que se acharan) patentes aos compra-
dores : sabbado 23 de dezembro de 1865 na casa
on Je fui o uo pelas 10 horas da manha.
D'IODURETO DUPLO
oe FERRO eQUININA
0
>
MEDICAMENTOS FRANCEZES AFAMADOS
A VEMI>A KM PERJVAMBUCO
Em cisa d LKILAO
De dous escravos sendo ama
c os i n lie ira e mu ue^ro pedreiro.
negra
HOJE
O agente Pestaa legamente autorisado fara lei-
lao por conta e risco de quem pertencer de urna
negra que cosinha o diario de urna casa, ,lava, e
um negro bom pe Ireiro, iurlo vendidos hoje de-
pois do leilao do Club Commercial e na inesma
casa._______________________________
~~ IKIL lO
De 2.7oo saceos tifies para assucar.
Hoje 23 de dezembro ao meio dia
na ra da Cruz n. 38
O agente Pinto fara' leilao por conta e risco de
quem pertencer de 3 fardo* com 2.700 saceos va-
tios proprios pira assaear, boje 23 Jo correte na
ra da Cruz n. 38, ao meio da em ponto._______
JLKIIjAO
De nma casa terrea no Barro.
Quarta-feira 28 de dezembro.
O agente Piolo lev.ua oovamente e pela ultima
vez a leilao por despacho do liliB. r. Dr. J de
orphio, em virtude do que requeren o inventa-
rame dos bens di finad i Jjanni Francisca de Me-
D /. -, a casi terrea cubera de lelha na freguezia
dos Afogados partencente a nwsma finada ; as 11
boros do dia cima dito em seu esenptorio ra
da Cruz n. 38.
t ttfSSBBSSBSBSBBSSBBSSBBSBl WSBSBB SBS
ATOOS BIYE&SOS.
LOTERA
Aos 6:000*000 e i ;200.s000
Actiam-se venda na respectiva tliesou-
raria rua do Crespo n 13, os burieles,
mei >3 e quintos da 5' pule da 5a lotera
i] i Santa lusa da Misericordia (43), cuja
extra .-cao ser no dia 3 de Janeiro prximo,
se al o dia 31 do correte mez chegar o
vapo brasileiro dos portos do sul que se-
pan o norte
os premios le (i.-OOOSOOO at 105000
serao pagos ama hora depois da extraeco
is i lioras da tarde, e os outros depois
da distribuido das listas.
As encommeodas serio guardadas so-
menl at a noite da vespera da extraeco.
Ti isouraria das loterirs 23 de dezembro
de 1865.
O thesoureiro,
Antonio Jos Ro iribes de Sooza.
Os elementos que compoem esta preparagao, o
ferro, o todo e a quina, a colloco no prirneiro
grao das preparaedes ferruginosas. Basta altestar
seus resultados oblados pelos Mdicos dos bospi-
laes. e os rclatorios dos prticos mais eminentes
que conlirmro sua poderosa eflicacia as se
giiintes aflecedes:
MlnsOM no mhiikuc,
Fraque,
Anemia,
Cliloroae Ictericia,
Menstruo,
AfTecern do otero,
Snp|reNNoe* das re-
cr e desordena na
mematruae ao,
Afierra pulmonar e
phlbislea,
Molestias ll (HloiilitKO,
(iastraliclua,
Perda Convalescenra de lon-
giiA molestias,
Molestias eserofulo-
Pavelra,
OhNtrnceao don -lnn-
dulaii,
Humores frin,
Tmiiorn broncos,
llai hltUnlO,
Affeeeoes cancerosa
e aynhllltlf ns,
Febrew tjplioldes,
Bcilgas, etc., etc.
Vejaos: os bulletins de Iherapeutica medica
e cirurgica de 30 de novembre 1860; a Guela
dos hospitaes de 28 dejulho 1860, etc., etc.
Airan das pihuas de iodurclo duplo de ferro e de
quinina de Hebillon, os Mdicos aconselho
igualmente o Xarops d'iodureto duplo de
ferro de quinina do mesmo aullior para as
pessoas que nao gostao de medicamentos sob for-
ma pilular e os meninos. F.sle xarope nao tcm
como o xarope d'iodurelor/e ferro, o inconveniente
de altcrar-se e de se nao poder conservar.
I Vea-so o follieto que se d de graca em casa
dos pliarmaceuticos depositarios.
Para se evitaran falsificares, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito geral em Paris, pharmacia Rebillon,
142, ru du Itac, e em todas as boas pharmacias
de Franca e as dos paizes estrangeiros, etc.
PASriLHASI
IGESTIVAS
IEPEPS1KA1
de ymmjiN
Dlari liras e a eonsll-
pncao producidas
pelan elaborueea
defeltuosus don ali-
mentos.
i s pasiilhas digestivas com a pepsina de
Wasman, emprcgSo se com successo h j
algins amios pelas celebridades medicaes de
Paras. Londres, Vicnna, etc., em todas as in-
commodidades em as quacsadigesto difficil,
per osa, imperfeita ou mesmo impossivel: eis
o i clhor remedio para coral as.
CaiMi-algla,
Dispepsias,
Emn.'iriiros gstricos
A fmrtrlta,
AnUfeceoea aruaui-
eas do estomago,
Sua accio vivifica o sanguc e os rgaos de
tal Sorte que, ath as pessoas que sem soffrer
as o Tcccocs giistricas cima mencionadas sao
on ament iracas on d'nm temperamento um
pouco dbil, c necessilao substancial alimento
par; forlilicar-se, acbSfl no emprogo das pastil-
has de pepsina de Wasman, um poderoso meio
parq a isso cliegar.
A so imprtame.0 successo das pasiilhas
peisina de H'isumndeu causa a se fazercm
falsi icacoes e Unilacdcs d'csse producto que os
em os se querem desfazer. Pois por falla
d'un a boa preparacSo a pepsina que n'ella
entr., jaz alterada. Seremos ao abrigo d'este
inconveniente, exigindo os compradores que as
pasiiihas tenhao as ini.;iacs B. P. e saio da
pharhiacia Chevrier.
Dejpsilo geral em Paris, pharmacia Chevrier,
21, Haubourg-Montmartrc, c era lo,-Ias as boas
pharmacias ilo Franca e dos paizes estrangeiros.
cris MENINOS
Cl-BABAS PELOS
XAROPES DO DOUTOR DANET
N* 1. Contra aa CLICAS DOS MEMNOS antea
e durante a deatleaa
(Xarope de cvnoglosse e de acido succinido)
N* 3. Contra a TOSSE C0NVUL8A a TOSSE
NERVOSA
(Xarope de cynoglosse e de leo voltil de succino)
V 3. Contra as CONVULCOES DOS MENINOS
A CHOREA
(Xarope de cvnoglosse e de acido voltil de succino)
Estes novos productos preconizados na Aca-
demia imperial de Medicina de Paris sao em-
preados com grandissimo successo pelos mdicos
de Franca para o tratamento das molestias do-
meninos cima indicadas, e vierao enclier um
vicuo importante na iherapeutica, no que toca as
affeccocs da infancia, para as quaes, ath hoje.
ainda se nao pode indicar tratamento racionnal-
nem infallivcl.
(Peca-se o prospecto em casa dos pharmaceu,
ticos depositarios.)
Preeo do Irasco em Paris, 3 fr.
Para se evilarem as falsificacoes, exija o com-
prador que cada frasco tenha sobre os rtulos a
assignatura Chanteaud.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chan-
teaud c em todas as boas pharmacias de Franr?
e dos paizes estrangeiros.
<<

HflASSA e X4KOPE
DE CODENA
M
BERTH
As experiencias clnicas e comparativas
dos Snrs Hagendie, Barbier d'Amiens, Wil-
liams Gregor, Martin Soln, Aran, Viga,
C. Dumont, etc., membros do Instituto de
Franca, mdicos dos hospilaes de Paris. tem
provado que a Massa e Xarope de Berih i
o remedio o mais seguro contra todas as
dores nervosas e tendo a propriedade de
calmar com admiravel rapidez as tosses rebel-
des e extremamente fatigantes da grippe (ca-
tarrho epidmico1, defluxo, coqueluche on
tosse convulsa, bronchile e tsica pulmonar.
A Massa e Xarope de Berth, se
achSo em todas as boticas.
Para evitar qualqucr
falsificado, exigir em
cada produto o nome
e a firma Kertti.
Deposito geral em I'aris, em casa de MENIER,
Ba Ste-Croix-de-la-BrclinnerU.
liudo,
MolcMllan dr
A Iil.TUla,
Pulpltacao do coraco
Dores] non rlnn,
Pelas commiagSes enj grosso, dirigirse aos S'
0|)|>rrHrOrn,
Doren le rnbrca,
Irrltaeoen de bczls;a
da luatrls, etc.
WILLAERT
Os granulos de bismuth ileChevrier cm supe-
riores a todas as outras prcparaQcs de bismuth
empregadas antes com o maior successo pelos m-
dicos de lodos os paizes, para prevenir e curar as
DIorrheiiH rbronlcaa, Man dlnentoes,
DynaenterlaS, Gantrltea,
llores d'cnloniuifo, Gaotralglao,etc.,
Dynpcpnlas,
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
a e em todas as pharmacias de Franca e dos paizes
estrangeiros.
e BERGER, comisarios em drogara, 11, ra Saint-Lazare, Pars.
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SitiToccco nt-rvnmi e Oppresso
nico remedio efficaz para combatter estas mo-
lestias, acalmar um attaque d'asma e impedir a
volla o Xarope aromtico de Succino (mbar
amarello) do Dr Danet. Uescoberta inleiramente
recente, este novo producto se tem propagado
com extrema rapidez grapas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54,
ra do Commerco, Paris-Grenelle, e em todas as
boticas de Franca e do estrangeiro.
g""
J>~
4 SaLsA PAUlfiHi
PARA A CURA RADICAL
de escrfulas c mplestias escrofulosas, tumores, ulceras, chagas, feridas ve-
Ibas, bionchcele, papo ou papeira, a syjptiilis, enfermidades Teneras ou mer-
curiaes.
AS MOLESTIAS I)AS MULIIERES
retencao, menslro doloroso, ulcerares do
rao, debiliiiade, expoliafo dos o^sos, a
quando causadas pela escrfula.
mero, flores brancas, ele, ulcera-
nevralgia e eonvulsOes epilpticas
i) Oi.ii.ii'i-i Jou piaociso reixeira a o
r. Mano-I Francisco Teixeira sinceramente
lecem a ludas as p-s-oas que se digna-
rain comparecer as exequias celebradas por
alma de sea presado irmai o bacharel los
ili Cuiiiia T-ix-ira, no convento do Carino,
:i e-pcialulade ao Rvm. provincial Fre
I >rg i de Aani'Anoa L icio e mais religiosos
la promptldao com que se pre>tarain.
A: r 'V 'itaui a occa.-o para cunvidarem a
; i! seos prenles e aini^o^ afim de as>isti-
i missa do timo dia que pelo repouso
el ra< J. Soado tem de ser celebrada na ca-
do cemiterio publico a< 6 horas da
iiiiiiUm do dia 27 do corrate.
ESTRADA DE PERRO
DO
Recife a Sao Francisco.
4>iso.
D i di i S! do cjrrenii em diante s se receber
.''n t is pin d)4DaCttar em Cmci Ponas e se en-
-io- que tirerem viado do interior, das 6 m
Mi ra; da manla, e das 9 \cl da maulia as
."i ii i i trde.
Faz e tamhem saber aos interessados que a pon
le ferro da esUQao da Escada acha-se j soa
ina la pira dar transito aos passageiros e merca'
donn da dita estaco mediante o seguinte peda>
gio :
P-oe................ 20 rs.
Cavallos carregados... 40 rs.
Cavalleiros............ 60 rs.
Ca'roon earroea...... 160 rs.
ERYSIPEUS ERPES; ETC.
lnfcruiidades enfaness, empeo. borhuili ,s. pstulas.
nscidas. ctv.
0 extracto composto de salsa parrilha, confeccionado pelo Dr. Ayer, urna
comlunacao dos melhores depurativos e alterantes cembecidos medicina; 'confeccio-
nado segundo as regras da ciencia, approva-lo ereceilado pelos prin eiros mdicos dos
Estados-Unidos da America do Sul e Central, da Antilhas, do .Mxico e das indias, e
muitas outras partes do mundo : o resultado de esludos apurados e minuciosos, o de
experiencias feitas pessoaIntente pelo Dr. Ayer, por muitos annos, nos principaes los-!
pitaes e enfermaras da America; tcm sido approvano pehs academias de medicirta e
juntas de hygienne das principaes capitaes da America d- Norte; para prova disto vi-de
os attestados authentcos no Almaoak e.Manual de Saude du Dr. Ayer, os quaes sedis-
tribuem gratuitamente nos lugares onde se vende o remedio.
A SAL* pabilha de ayer
lspecialineutc cfQc.z na cura las molestias que tem sua origcm
ua escrofnla, na ioft-cco venere, no uso
excessivo do mereu.io ou qnaliner impureza do singue.
A molestia ou infeccao peculiar, conhecida pelo nome de escrfula, um dos mi-1
les mais prevalecentes e universaes que lia emt-ida a extensa lista das enfermidades que
latacam a nossa rac; disse um celebre escriptor da medicina que o mis de urna termal
parte de todos aquelles que morrem antes da velhice sao victimas, ou directa ou indirec-
tamente de escrfula; por isso s nao lo destruciiva, porm a principal causa de
muitas outras enf^-rmidaJes que nao Ihe sao geralmente attri: udas.
E nma cansa directa da tsica pulmonar, das molestias do figado, do estomago
e affeccoes do cerebro; ntreseos numerosos symptomas acham-se os seguintes: falta
de. appetite, o semblaste plido e enchado; as vezes de urna aivura transparente e outras
vezes cora o e amarellento irregul r, fraque/a e molleza nos muscul"S ao re lor da boc-
ea; digestiio fraca e appettite, falta de emrgia; ventile encliado e evacuacio irregular;
quando o mal tem seu assentn sobre, os pulmes nma cor azula la mostra-se em roda dos
oluos ; quando ataca os orgos d gestivos, os olbos t'imam-se avermelhados; o hli-
to ftido, a lm,'us carrega.ia; dores decabeca, tonteiras. etc. as pessoas de disposi-
Cao escrofulosa apparecem frequentemente erupedes na pelie da cabega e outras partes
* do corpo ; .-o predispostas s affeccoes dos pulmes, do Ggadr-, d s rins, dos igaos
digestivos e uterinos. Portanto, nao sao smente aqueles que padecem das formas iul-
cerosas e lubeiculosas da escrfula que necesitara d proteccao contra os seus estragos;
todos aquelles em cujo sangue existe o virus latente dfiste terrivcl fla^ello (e s vezes
hereditario), esto expostos tambera asoffrer das enfermidades que ebe causa, que sao:
A tsica, ulceraces de ligado, do estomago e dos rins; erupces e enfermidades
eruptivas da cutis, rosa ou erynpela, borbulhas, pustjuias, nascidas, tumores, rhetima,
K-cripiorio da superintendencia Villa do Cabo carbnculos, ulceras e chagas, rlieimiatismo, dics nos osso, as costas e na cabeca,
i Je dezembro de 1865. ^ ^ ^^ debilidades femininas, flores brancas causadas pela ulceraca-i interior, e enfermidades
Engenheiro e superiuteuJeo'te. uterinas, hydropesia, indigesto. enfraquecimento e dbilidade geral
jperiuleudeute
Charles A. Siunders subdito inglez retira se
jara i-ra da provincia.
Da-se t'i& de aliliruel por urna preta de afflan
;a 11 conducta, que seja boa cosinbeira e que sai-
bs fi'.-r mii-servigoj ^e, caza familia :na ra do
Pilar n 6, sobra lo rncarnailo._________________
Os abano asojgnadus leudo dissolvnlo ami-
ravelinenle a sociedade que sob a firma social de
Goimares & Carneiro uvroa a I-ja de azendas n.
26 da ra Nova desta cidade, declaram ao re>p
Offereeemos a estas pessoas um abrigo seguro e um antidoto efficaz contra esta
molestia e suas consequencias na
SALSA PARRILHA DE AYER
que opera directamente sobre o sangue, purificando-o e expulsando delle a corrupgo e o
veneno da molestia ; penetra todas as partes e todos os orga- s do corpo humano, livran-
do-os da sua aeco viciada e inspirando-Ibes novo vigor. um alterante poderossimo
UMpm^'qMae*ihml^MM^St'9 para a renovacao do sangue, e d ao corpo j enriquecido pea doenca, forcas e ener-
a e .r,-. do s icio Guimares todo o activo e passi- gias renovadas como as da joventude.
vo da m-sma, o d^sonerado de toda a respinsabi-
iilad u socio drneiro na confonnidade da con- -r*> ,.,..
h tambem o nelhor auty-sypMlitieo conhecido
cura permanentemente as peiores formas de syphilis e as suas consequencias. Pouca
necessidade ha de informar o publico do inestiraavel valor de um rrmedio que, como
este, livra o sangue desta rorrupcSo e arrebata a victima das uarras de. urna morte lenta
e ignomi iosa, porm inevitavel, se o mal no logo combatido com energa.
E um poderossimo alterante para a renovacao'do sangue e para dar nova for-
ca ao corpo j enfraquecido pela doenca.
?eni;41 que o so:io Giimares fez c,jin os respec-
tivos ere lores sociaesem data de i-f do corrente
niez. Uecife 21 de deiembro de 1865.
Guilherme CarndTro da Cunha.
Jos Aotuoes Giiimares.
GH4NIIB BilLiT"
No> sa!5es do cles do Ramos
Hdje23 eamaiituh 24 vespera
de festa.
Sendo composto de productos vegetaes, ese medicamento innocente e ao mes-
mo lempo efficaz, um facto de immensa importancia para aquell-s que o tou,am ; por-
Sen l.i esie baile de dommao da ra noite para que muitos dos remedios alterantes offerecidos ao pnhiic i tem por base o mercuro ou o
5, noi?* S illura,nadS as hras arsnico; e sendo assim, bem que s vezes podem eff ctbar curas, motado deixam suas
Ser cumplid o regulameoto da polica. victimas car-regadas de urna longa serie de males, muitas vejs petar do que o mal ori-
; ~" -i ------t ~------ Iginal. A tnica cousa necessaria para obter urna cura ralical seguir com juizo e cons-
lii DI ."i plp'UCOS I tancia as diiecces que acoropanbam cada frasco.
II i para alugar-s* uina casa grande ena excel-i
lente i..cai, d lado do no, peno do banno e mu Nao pretendemos promulgar, nem queremos quei se infira que esta composicSo a
roa'd^'aSrio'fl SnMi.'.Dd-r"1' d,rija'se ,am remedio inMIivel pata a cura de todos os padeciutentos humanos; infelizmente
escrfula e a syphilis sao enfermidad>s tan sutis as suas naturias, e arreigam se trio
firmemente no systeraa, que muitas vezes naden e resistero aos remedios roais pode-
rosos que a scienci-i humana pode inventar para combate las: o que drzemos que o
Extracte composto de ^alsa parrilha de Ayer
a melhor preparacSo at hoje descoberta para estas e ouiras molestias anlogas, que
urna comiiinac o dos alterantes mais nilicazes conheri los, e que esta combinagio teta sido
regulada por longas e laboriosas experiencias, e linalmente que temos rnnscietuia ileof-
ferecer ao publico o melhor resultado que possivel producir, da inteligencia e pericia
medica d>snossos temaos.
Esle remedio deve ser tomado com system e regula -idade, e u3o com abandono,
Aluza -se o prirneiro e |.seund i andar do so
orad i n. t da ra Direta : a tratar na ra Au
gtisu n Vi.
AMA
de
Prei-ae alugar nina escrava para srvjgo
casa ile pouca familia: na ra Wiba o. 17.
INJECCAO BROW7"
Remedio infallivel as agnorrheas antigs
e rigentes, unco deposito na phanuacia pois um remed'O e uSo bebida,
raiceza, ra da Cru n. 22 e aopreco de Quando as molestias do flgado nSo ten sua oriiem na escrofafa, o remedio
35000. mais propno as pilulas calharticas de \yer, que sao efficazes na cura d molestia, que
_ Pre-isa-se de nma ama oara rasa de pouca lern Por causa um desarranjo dos orgaos digestivos, ledi a salsa parnloa de Ayer e
familia : na ra Nova n. 69, i* andar. nlo aceilai OUtra preparacSo.
PERFUMERA da casa oger
Boulevart Sebastopol,
I)ez medlhas, a condecoracAo da Legin
d'honneur c a gninde reputacao que tem Ihe
dado o publico, bies sao as recompensas que os
servicos prestados a industria merecerao a
esta importante casa desde sua fundacao em
1801.
N'um sortimento de mais de 500 artigos,
as pessoas elegantes cscolhemo os seguintes:
ROSEE DU PARAOIS, extracto superfino
para lenco.
POMMAOA CEPHALIQUE contra a cal-
vicia.
AGUA VERBENA para o toucador.
OXIMEL MULTIFCOR.
VINAGRE DE PLANTAS HYGIENtCAS.
TINTURA VIRGINALE de beijoia.
ROSEE DE LVS, verdadeira agua de
Jouvencio.
56, Far*iz.
CREME LABIale de sueco de Rosas.
POMMADA VELOURS para amacar
pelle.
ELIXIR ODONTOPHILE.
SABAO dedicado as damas americanas.
SABAO de bouquet de Franca.
d
A
4*
d*
d-
d*
d-
d'
d'
de flores de alcea rosea.
de flores printanires.
de bouquet do outono.
de perfumes exticos.
aurora, dedicado aos dedos cor de
rosa.
de flores das montanhas.
de cheiro de foins nouveaux.
de bluets cheirosos.
de althea balsmica.
diapr, caixa rica, fantesia pari-
siena'.
Tnii i
i GARBAUX DE LAILIIACAR v C.
LIBRAIR1E FHANfjAISE
I8; do Crespo n >.
LIVROS .NACIO.NAES E ESTRANGEIROS
RcliijioFliilosaphia JarispriuleBcia ttera-
tura Scipiicias e artes.
Papelaria, ohjectos para escriptorio.
CLUB FIBN4IIBIJC4K0
DflflniBgo Ll'i do correte baver reunio
de familias. _____
Pede-se ao lllm. Sr. Dr, juiz mnnidpal d
ignara> 'tue nio consinta que ?e entregue be'
alituoi dus credures mi herdeiros de I). Briles S
bastiana de Movae?.dona que i do engenholn-
bainan, sera rale sej < feita a arrematacao em hasta
publica, visto constar queja ,-e deu este faci con
alguos doi escravos nanos ein iiaganifiiti).
Precisa-se de um caixeiro com has-
tante pratici de taberna, dando-se hom or-
denado se der fiador da sua conducta : na
ra do Amorim n. 3R.
Pele se ao Sr. ihesonro qu nio pngne, caso
saiam premiadon, o liilhete n. 87i e u .)uinlo n.
:{7!I7 da lotr'rja (), seoo ao -es legitimo dono
Antonm RVmundo P. es de Lima. .
VERDADEIRO LE RO
de SIGXORET, ocleur-Mcdccin f
Ru de Seine, 51, PARS.
Km rmla parrnfn, val, nitrc a roll:i i* n pi
que le\a mi'ii iiade, um rotulo iissreMO Wi
lio runi o SILLO mi-i'.hial i>o luvei.nu ii;
IV. B. CeinellendO-se urna ledra Jo 500 i
obre I'aris, aeHtavrl a i II alias ile vista, au na
Igoza-se ilii aliaiiiuriiio c du maior deseouto.
Ucpostto iirincipal f
Lio leniliuio I.c Roy ^'l'^y'---------
[rm Caza do iiiso -*cS/ or/Tio^-'^~y
liliilro agente pelo
|llrazil a SKS Ant-
io Franc : de I.a-
Ickrd* na Baha e
nos principaes pliar-
Iniacrutcos.
Com
as ImIW.AS'
CEI1VTICAS HT-\
P. MOURTH, forne
cedor da Caza Imperial do Exerciloj
francs, garante-se que qualqucr!
pessoa podera sem dor nem perigoB
livrarse de seos caifas. Esta inven-1
f 9o : privilegiada cm varios paizes,
reconliecida officialmente efficaz
por 15 MCOAs, premiada rom me-9
dalhasde V e2" classc capprovadaI
por diversas soadmias e pelo Ex"
Presidente da Junta de Hygienc da
corte. Por ordem do Ministro da
Guerra fez-se emPariz experiencias
sobre mais de 2000 soldados que
fcarao livres de seos callos 5 igual
resultado foi obtido na guarnico
do Rio de Janeiro. Mais de 300(1
pessoas ja se tem curado com estas
Limas. As provea do que sp diz ci-
ma e os attestados achom -se no
prospectu, que se da no deposito.
Casa principal em Pariz, R Prime
l'*ugne,l&, Agente paran Brazil,
o & M. O. ABRANCHES, ra
da Alfandega, N 10, na Corte.
Le se no Monilcur de ta Pluinnacic
Aclcctriridado lioje empreada por lodos 0$
mdicosafamados, para o tralanunlo de minias
molestias, mesoiopara as que resislem as outras
medicaces.
A elrclridade prodmida pola friccaolem urna
superioridade inconteslavel, c a tanlugem de nao
dar abalo-, ede poder ser graduada pelo doeute.
A causa a mais frequeule das molestias a
cMagnnca do sangue ou dos ouiros lquidos vi-
taes. Reslablecendo se a circuUifa no urga-
nisnio, curarao-sc as oinlestias.
Quando se scnle algunia dor em quelquer
parle do corpo logo, einslinctivanienle, seerfrega
o lugar endo'orido com a ma, cisioalliia. Isto
explica o resultado inconteslavcl que deve pro-
duiir um apparellio e'cclrico. Por isso lomos
prazerom aunuiiciarao Publico queoSur Cui-uii
de Bivilliirs residcnle, koulovart du Princo
Eogtoe, 48, cm Pariz, dolou a niedlcinade um
appirelho Electro Magnetice, snb a forma de
urna estova, com o qual os dorlos se podera
curar som nebuma oulra medicaea. Os mdicos
que a tem experimentado, aitoslarao que a
.Escova LECTao Magntica ollicazpara
curar: os Bheumalistnos, a Poralysia, Ootta,
Eraqueza dos membros e da Columna ver-
tebral dbilidade geral, Nevralnai, etc.
Estamos certos que brete cada fami ia (tossuira
esta escova que prestara grandes snicos.
A podido de muitas pessoas, oaulordocidio-se
a establecer um deposito de seo< apparo'bos no
Rio de Janeiro, em cata do Su Didier Ruin,
i ua nova do Ouvidor, n* 33.
Pernarabnco, pbarmacia rauceza de P.
\faurei & C, ra Nova n. 18.
Precisa-*: de urna ana forra inri camprar
e connhar : na ra do Liv araenti n. 1-5, S'gundo
andar.
Alnga-se a ea
na rui da
A'ejria. prupris pan familia e e-tu-lastej : a ira-
tar na rua di Mmd-'ito, olaria n. II
O aaixo assi^'ii ii da diti d-st* deixa de
ser olllcial d justica. Hecife it de dezemnro de
ISiio.
Henri'i'ie Julio Cipitnlii i di Silv> Pintes*.
Tiltil mi > il uliveira .N-ves e Ambrozio Jor-
ge dos Santos, abati aseiftsaos, fatetn sriente ao
respeitavel publico, e cono e-pecialnlado ao corpo
do commerci", que nesta data dissulveram ainiga-
velmente a sociedade que liahini ni e>talielec-
mento de roiiimerrio du rnolhados oa tnvessa doi
ipostoe n. 18, que gyrava s ib a ratao meial de
Oliveira & Santos, pertvocendo diio esialiel-cinun-
to de hoje em dianlean ex snc i Antonio Jorce dws
Santo*, o qual tica ohrigadn com nico responso-
vel a ln|iilacao do activo e passlvo da extincta
tirina social, >ahiulo o ex^o-io TiVotonio de
Oliveira Neves pago e .atiaraite da importanea de
seus fundos. Recife 21 de dezembro a* 186-5.
Theotouio de Oliveira Nevos.
Amhnzio Jiirge dos Santo*.
Precisa-se de nma ama para o <.rvico de
nma can de imuca familia : na rua da Im;>eratriz
numero t, toja.
Precisa-se alagar urna sa'a para consultorio
medico ou cirurgico, sendo eia em I* ou i andar,
oas ras do Livramenlo, Ponha. ou ireiu, al N.
S. do Teigo; adverto-se que a pessoa s precisa
las 8 horas da manha at 4 da tarde, pois mora
fra da cidade : que.m qmter faier este negocio
dirija m a botica do Sr. Cnagas, da rna Direila,
|ue saber para quera .
Desappareoeu da rua do MamM um pepueno
le tora de 8 a 9 anuos, de cor pard > escuro, le-
"on camisa de madapolo n caifa do llano rxo,
chama se Jo<, fllho de Jos Alves Cnaves, mora-
lar no engeoho Brejo : quem o achar queira le-
var a rua do Caldeireiro n. 42.
r*
Til AT\r\



DI* ti
o de r
jrm
ernaatmeo % Segnuf;i t'3. de Kceembro de lS*.
IFDif
DE
CVELO
Xa noilede 18 para 19 do crrente furtou-se ura
cavallo mellado caxilo, da estrabaria do seu dono,
toai sellim nglez quasi novo; cu;o cavallo tetn
cimas e cauda pretas. as cimas sao yrossas e ca-
era sobre ambos os lados do pescoco, e tem urna
ferida pequea na mao direiia; esta acoslumado a
andar em cabriolet e bera conhecido nest?. praca:
queui delle der n tinas certas ou leva-lo a' Estan-
cia, sobrado de dous andares n. 2, ser gratificado
Sociedade de seguros mu-
tuos sobre a vida
O banco Allianca do Porto leudo estabelecido
esta sociedade deba'ixo de sna inmediata vigilancia
e respoasabilidade, facililou a creado de capitaes,
dotes, rendas, pensSes, isenjSes do servigo das ar-
mas, etc., por roeio de subscripcoes nicas ou au-
nuaes, as -quaes convertidas em ioscripcoes da
divida publica, de renda nacional, e da mesuua fr-
~Precisa-se de uuu ama forra ou escrava que ma os juros semostraes que tlllas se forem ven-
a tratar na cendo, ficam por um certo 'numero de annos era
deposito, al que, Dudo o praso estipulado, sao
restituidas aos socios com os krteresses amonloa-
AtteitCO ^os' ^em como as 'lue pertenoerem aos associados
fallecidos, visto que destes sao herdeiros os sobre-
viventes.
Pela engenhosa combinado econmica adoptada
nos clculos desta sociedade, v-9e que, com urna
entrada annual de 3020(10, por exemplo. ohtem-se
em 5 annos 4302000 a 550*000, em 10 1:5002000
a 2:0002000, em 15 3:5002000 a 4:500fii00, em
20 8.0002000 a 10:0002000, em 25 18:0002000 a
saiba bera cosinhar e engommar
ra da Pentia sobrado o. 23, primeiro andar.
Precisa se de urna ama que saiba cosinhar e
fazer compras para casa de homem solleiro, pre-
fere se portuguesa : na ra da Cadeia do Hecife
d. 38, primeiro andar. ^^
Aluga-se para pasear a fesa ou
por auno.
Aluga-se por preco commodo Ulna casa 25;ioo2ol^reonforreTi'da.e"do individuo sobre
na estrada do Motileiro defronte do Oitfto quem eilo o seguro, pois que nos referidos cal-
da "reja, com bons tommodos, muito fres- culos conissecom a maior ou menor probabilida-
caeemmuito bom estado, tendo f^i*Ett!L*+wmm *+**
quintal ao lado c cimba, estribara e co.heira.' a tratar com fandacao de um capital ou dote para seus flihos ou
Antonio Jos Rodrigues de Souza na ra J filhas, segurando-os qeando nascem ou em quanto
Crespo n, 15 ou na mesma povonco. "^qSSS*, "ais circunstanciadas ioformaCoeS
Claudio Dubeux para evitar equvocos e con- desejar sobre tal sociedade, ou se quizer inserever
testacoes, faz sciente aos senhores passageiros e romo soW6 ella, dirija-se a ra da Madre de
assignantes da Hassagem e seus confins, que elles neus n, 8, onde se poder entender com Joao
nao podem ter ingresso no mnibus do Cachanga ; Carlos Coelho da Silva, que para isso se aeha en-
por quanto tem aquelles senhores o seu mnibus carregado._______________________
especial para o mesma lugar da Passagem ; acn- rrr:.-s .... n nln~+ Itahf.i
tecendo multas vezes andar este vatio, e aquelle ; aqiies para O ItlO e liaoia.
nao poder couduzir todos os senhores passageiros! AutOMu Jos Rodrigues de bouza l.a ra
do Cachan* por cau-ca dos da rassagetiu Adverte u0 crespo n, lo, saca a vista ou a prazo.
outro siiu que, qnalquer senhor passageiro avulso -
que entrar no omniOus do Cachanga, pagar 12
para qualquer lugar que fon, aioda mesmo que va
para o Chora-tneuinos ou outros lugares de igual
disiancia. E-te aviso eral, cuja ukservaco sera
rigurosomeate cumprida a despert de qualquer
pretexto
UMA GRANDE DESCOBERTA
O^EO
deFIGADOdeBACALHAU
k DESINFECTADO
REDALHA
DE
HONRA
As propiedades medicaes do oleo de figado de bacalao Torio itniani-
memente reconhecidas. Mas seo cheiro e seo sabor to desagradaveis
torno o nio d'elle muitas vezes impossivel, mesmo aos estmagos
os mais robustos e aos mais condescentes.
Por isso a descoberta do Snr. Chkvrier que lhe permettio de
desinfectar i nleiramente o oleo de ligado de bacalhao sem alterar suas
propriedades lem sido um dos mais felizes problemas resolvidos pela
therapeutics moderna.
O oleo deflgado debacalhao desinfectado de Chevrier.
com um chairo agraduvel e um sabor assucarado, o nico que n5o
tem ncm gasto nem cheiro de peixe.
Objecto de numerosos relatorios scientificos elle goza em Franca
de urna fama bem merecida, e receitado por todos os mdicos em
lugar do Oleo de figado de bacalhao ordinario. Tendo as mesmas
propriedades do oleo de figado de bacalbau ordinario, usa se d'elle
nos mesmos casos isto as :
MoImtlM qaerafolaaaa,
Itiirliilinina,
Ohiirurri da* glandes,
Tlalca |iul>ionr,
Moleatlaa a prllr.
Canatllule&a UiiLpbalIra,
Anemia, deUHUInUr. Ini|urn,
Pabresa da Mingue,
EafairaDirnl* por hchw de
traftalhe n de araaere,
Moleatlaa doa breueblaa recen-
te* ou ebrenleaa,
Taaaea nerlinasea,
Gaatrltea, gaalrnlglaa,
Dores de entornago.
O Oleo de figado de bacalliau desinfectado ferruginoso de
Chewier constitue o melhor meio de administrar o ferro. O
reduro de ferro reunido com o oleo de figado de bacalhau,
augmenta a aeco to efficaz d'estc ultimo, se dissolve mais
fcilmente nos lquidos das vias digestivas, se assimila muito
mais bem do que quando tomado sob a forma de pilulas,
xaropes, etc., enfim perde suas propriedades irritantes e n3o
provoca a constipaedo.
As pessoas as mais delicadas que nao podem supportar as
preparaeoes ferruginosas ordinarias, as quaes, principalmente
nos paizes quemes, tem muitas vezes grandes inconvenientes,
podero com a nova descoberta do Snr. Chevbjer, usar do ferro,
um dos mais poderosos agentes therapeuticos, tomando-o unido
ao oleo de figado de bacalhau.
O oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chbvriek, se emprega em todos os casos que o ferro acon-
selhado; julgamos intil de os enumerar.
Ii r u vi1 i,or -8su0 uUas "a P:,,ria: na
A-iiB'Mi praca du da Independencia n. 21
PerdeiHBfl u maco de cartas viudas
do sul para o l)r. Lu/. FHipps de Souza
Leo, (jueui as tiver adiado nuerctido res-
titui-las pode dirigir-se ao escripluiio u. G
da praca do Corpo Santo, ou retnette-las
para o engenlio Santo Ignacio, no Cabo.
d
(Juera tiver para ser alugado um escra-
vo que alm de muito boa conducta, esteja
bem habilitado para desempenhar satisfac-
toriamente qualquer servifo interno ou ex-
terno de urna casa de pouca famia, an-
nttncie ou dirija-se a ra da Auror, sobra-
do de n. 70, segundo andar.
--- Aluga-se um sitio na Torre com boa
casa para grande familia e muito fresco,
com todas commoditlades : a tratar na pa-
dana do mesmo lugar. _____ ___
Precisa-so de urna criada portugueza, e urna
escrava que saiba engommar bem : a tratar na
ra da Cadeia n. 3i.
Todo o ioleresse se f-ira' com o senhor sa-
cerdote que quizer ser capello de um engeuho,e
que tambem tenha habiliU(5es [>ara enslnar as
primeiras letras o algnos preparatores : a faltar
com o Sr. Antonio > i.ni da Silva na ra do Ca-
boga'. ___________
Preci una ana para coziohar em
casa de rapai solleiro : a tratar na ra da Moeda
numero i'J.
MEDICO E OPERADOEJ
Dr. Juao Raymuodo Perelrada Silva, *
chegaodo ltimamente de Pars, onde fre- |
queulou os mais notaveis hospitaes, pode i
ser procurado para o exercicio de sna "
oidfisro Da ra da Cruz n. 40 segundo |
andar. Da consultas todos os das das 7 e
as 10 horas da inanha. Especialidades, i
molestias de olhos, partos e vias urinarias. |
an ryz&t -j* ?
, JBI lOli **".
O abatxo assignado faz publico, que desde o
da 5 do correte, se aeha delgado da sociedade,
que leve na sna taberna da ra do Rosario Larga
n. 18, o Sr. Cusu-Jio Jos de Oliveira, nao deveno
por tanto os devedores da me.-nia taberna pagar
seus debilos se nao ao abaixo assigoado, ou a pes-
soa por elle authonsada. Outro sim o abaixo as-
signado nao se re.^poosabelisa por qualquer dbito
que em nome da extinta sociedade faya o mesmo
Sr. Recife. 1G de desembrode 18C6'.
.li'.V) do Couto Aives da Silva.
Precisase de urna ama para coziohar em
casa de homem solleiro, que tem pouca familia :
na ra do Crespo; casa o. 12.
Magrean
Elle convtm a todas as compleicScs e a todas as idades, e tomada
fcilmente pelas pessoas as mais delicadas. Elle um poderoso socorro
para a alimcntaco das enancas fracas e doentes.
Um folleto accompanha cada vidro e contezn as observacoes medicaes.
Deposito em Ports, na pharmacia de Chevxier, e em todas as boas pharmacias de Franca e do estrangeiro.
Deposito geral em Pernambuce ra da Cruz n. 22 em casa de Caros & Barbosa.
Precisa se de urna ama para andar com um me-
nino e fazer mais algum servico em casa de fami-
; lia: na ra do Queimado n. 39, loja..
i Autonio Jos Rodrigues de Souza, na ra do
Crespo n. 15, aluga sua casa e sitio no Monteiro
; em frente ao ottau da igreja, tendo o sillo porlao
j de ferro, cacimba com b..a agua, estribara e co-
I cheira, e a casa salas, 7 quartos, e :oto, a qua
< muito fresca e esta de novo bem caiada, concerl
tada e pintada : para ver, as chaves eslao era a
i casa do Sr. Nicolao Machado na me.-ma povoaQa?.
Na praca da Independencia n. 33, loja de
l ourives, compra-.-e ouro, prata, e pedras preciosas,
e tambem se faz qualquer obra de encommenda-, e
todo e qualquer concert.
li DEPOSITO DE CALIBO g
W rAUKICAD XA CASA DE ETENCO W.
jK Ra \ova ii. i. gJH
ag Ah se eucontrarao obrs de di- utf
; versas qualidades, e por frefO mui ?
diminutos, a retalho e em porgues.
S se vende a dinheiro.
^Gabinete medico-cirur-
gico.
"._ Ra da Imperatriz u. 36. |
MR O Dr. Joo Mara Seve, medico partei- i
J^ ro e operador mudou a sua residencia
-?/ para a ra da Imperatriz sobrado n. 36, >
fK onde pode ser procurado para o exercco '
''/ de sua profisso at as 10 horas da ma- l
>.< nba e das 4 da larde em diaute.
N. O. Bieber 4 C, sucessores, sa-
cam sobre o Rio de Janeiro a vista ou a pra-
zo confoime se convencionar.
-W^^S
Casa em Oliuda.
Aluga-se urna casa no pateo de S. Pedro Novo,
co;n bailantes cumtnodos, quintal e cacimba : a
tratar no largo do Carmo, em Olnda, com Albino
Jos da silva, ou n:> ra da Cruz do Recife n. 57,
armazem.
Xo nT290 do Diario do corrente leu o abaixo as-iguado urna derlaia-
cio que fez publicar o Sr. Manoel da Silva Neves
Coutmlio dirig udo-se aseuscredorei.ta qual Ihes
faz sciente (e a quera mais convide!) que o lei-
lao de sua taberna deixou de cffectuar-se no dia
anuuociado em razo d > embargo, que soffrera
nella a requerimento do abaixo assignado, cojo
ruiir-entiiuento para a referida venda So havia
solicitado por nao julga-lo credor I Resta parte
responda ao Sr. Neves Coutinho a >ua propria con-
Ossio i ni outro numero do referido Diario.
Com urna tal declaracao procurou anda o dito
Sr. Neves Cootinho illaquiar a boa f d'aquelles,
que nao oconherendo, deixaram-e por c"e i"u"
dir___ Se o leilo nao eflectuou su no da an-
nuuciado foi por acto puramente do referido Sr.
Noves, que e mandou suspender e nao por effsito
do arresto de que falla, por quanto este arresto
realisoh so na dita taberna dous das depois do an-
uuDciado para a venda della em leilo; accrescen-
do que o embargo tanto poda ser feilo no produc-
to como as proprias mercaduras e perlences da
ai erna sopracitada.
tjuanto ao mais dessa publlcaco sempre supoz
o abaixo assignado que ja achando-se affei la aos
tribuoaes sua arcan contra o Sr. Neves Coutinho,
e por e.-te meio tndo igualmente provocado a de
feza deste senhor lirmada no seu figurado credilo,
ou antes procurado coagi-lo a vir a juizo com esse
falso titulo que diz possuir com o aceite do abaixo
assignado, que o mesmo senhor leria a prudencia
de aguardar os julgados, e euto fazer com acert
publico o motivo que tem para nao ter incluido o
ahaixo assignado entre seas credores. Esteja o Sr.
Neves Coatiabo tranquilo, nao se mostr tao so-
freg ne>le negocio, con o a quem lhe amotina as
votes da conciencia ; porque a verdade contra di-
ta falsidade ha de mostrarse to clara como o a
luz do dia.
Recife 20 de dezembro de 1865.
Vicente Ferreira Nunes de Paula.
DEW.1PPARGCEH
ediante a aeco da balsmica e irresistivo
ANAGAHUITA
'^ssb es?
Fazendas, phanlasia para vestidos chegados de Pars pelo ultimo vapor.
Lindos robos de organdys cesarianas fazenda transparente!de inlelro gosto.
Ditos de percalia campestre padioes muito ricos.
Riquissimas grinadines de seda oque tem vindo de melho gosto neste mtreado.
Lindos cortes de saltan pekio para vestido fazenda inteirannente Bova.
Ditos de gaze selitn em |ieca fazenda transparente e de gostb muito modernos.
Lindos chale? degreuadim broch, primeira vei aqui apprecidos.
Ricos bouruos de crep guarnecidas de tranca muito propios para passeios.
Riquissimas fvelas para sinlo, de metal, de cryslal com aejo e cem pedras fioas,
|U ha Ue mais novo.
E ostras muitas fazendas de Inleiro goslo.
Ba do Crespo u. 13,
Loja tas columnas de Antonio Crrela de VasconceUos
& C'oinpanhia.
^m
Oompanhia
m mm mm*
FABRICA A VAPOR
99 RA 00 MONDEGO 99
Deposito na ra Xo*a n. 50 loja de rclcrjoclro.
O dono deste estabelecimenlo partecipa ao respeitavel publico que sua fabrica
est montada com as melhorts machinas que existem na Europa, e que pode fabricar
com melhor perfeicio possivel. Todo o chocolate desla fabrica est garantido, e puro,
o que nao se pode encontrar naquelle que vem de fura, e que se,vende por pieco baixo,
visto os productos serem do paiz. Na etiqueta tem sempre urna aguia.
PREGO.
Meia libra......... 400
Urna libra......... 800
Urna arroba........19^000
geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 859
Urna auca em dilieiiv, depositado nos cofres do estado, garaale a boa ad-
ministraco ra companhia.
BANQE1ROS DA COMPANHIA* DIRECgO GERAL
O Banco de Uespanha Madrid: Ra do Prado n. 19 Na mesma fab: ica acaba de se montar urna ofcina com serrara a vapor para
Esta companhia liga pelo svstema mutuo todas as combinares de supervivencia dos segu-, ob[.as Ue marcineiria propria para edificio, para o que wmi|N de fazer portas, ja-
ros sobre a vida. V- e nellas, assoalbos (parque francez como se usa na Europa,) e armarues, ludo com brevt-
U Nella pode se lazer a subscripcao de maneira que em nenhum caso mesmo por morte do dade e perfeicao. Toma-se qualquer encommenda para fura da cidade, entregando-se
segurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes. prompta a C0llar-se no lugar.
Sao to suprehendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole deA NACIO-
NAL,que anda mesmo diminuindo urna terca parte do interesse produzdo em recentes liquida-
cocs ecombinando-o com a mortalidade da tabella de Depareieux que adoptada pela companhia
para seus calculse, quidacoes, em segurados de idade de 3 al9 annos, urna iraposico annua.
de 100# produz em effectvo metlico:
No fim de o annos.......1:1195300
. de 10........3:9425600
de lo .......11:2085200
de 20 .......30:2565000
. de 25 .......80:3315000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consderaveis.
Prospect is e mais informacoes serao prestadas pelo sub-direejor nesta provincia.
lliveira, ra da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista ra da Imperatriz n. 12, estabeleci-
menlo dos Srs. Ray mundo, Carios.Lejte & Ir mao.
Joaquim Fiuza de Ol
ma
PEITORAL de KEMP,
a anacabuita mexicana que d o nome es-
pecial este incomparavel remedio, urna
arvore, cuja madeira por muito tempo se
ha usado no Tampico para a cura das in-
formidades cima mencionadas. Foi tam-
bem ensaiada e approvada pela academia
medica de Berlim. 0 peitoral deKemp
um xarope delicioso inteiramenle livre de
opio, acido hydrocyanico e outros ingre-
dientes nocivos.
A' venda as drogaras de Caors & Bar-
boza, Bravo & C. r^m todos os estabeleci-
mentos pharmace-i.cus do imperio.
r
ALCOHOLADO de GUACO
DE N
DE
contagio venerio (ver
mais agradavel para
O Alcoholado de Guaco de Pascal urna noval preparar/Se da qual
basta mencionar suas propriedades para appreciar sua importancia.
Em primeiro lugar um preservativo inalivel do
folheto para o modo de o impregar).
2 Tem a vantagem de ser o remedio mais certo e
as molesft'as syphiliticas de toda a especie, ulceracoe^ primitivas e secun-
darias, ec.
3* Empregado em injeccSes, o melhor tratamnto dos corrimenlos
recentes ou chronicos as pessoas dos dous sexos e da leucorrhea as
mulheres.
4? Emfim como antidoto dos virus, soberano n^ cura da chagas e fe-
ridas de m natureza, chagas gangrenosas, dartrosL ulceras das pernos,
ophtalmia purulenta, ou blenhorragica, mordedurus e picadas de ani-
maes venenosos, ec.
Eote especifico vegetal, izento de toda a accao moftifera, foi experimen-
tado nos hospitaes de Paris, Lyon, Marcelha, ec, jrecebeu a approvac&o
dos distinctos doutores Ricord, Bachet, A. Richard, Calvo, Diday,
Melchior Robert, Costilhes, Berewger, ec.
Deposito geral em Parif, botica de CHEVRIER, SI, fue du Paubourg-
Montmartre.Casa de expedicSo, PASCAL e C,83, ra Monsieur-le-
Prince. Paris.
COEIiHO & FREITAS
Riia da Cruz n. 1'6.
Continua a baver diariamente um sortimento de pastis, podins, bolos inglezes,
empadas etc., etc. Os donos deste estabelecimento, acbam-se as melhores condices
de poder satisfazer encommendas concemenles sua arle, em consequencia do socio
Freitas ter sido administrador ebefe de algumas das princi; aes fabricas na corte, sendo
urna a do Sr. Joo Goncalves Guimares (confeitaria do Leo) antiga casa de Carceller.
Todos os trabalbos sao differentes dos que se fazem em casas particulares.
Os proprietarios deste estabelecimento nao se tem poupado a despezas, nem se
pouparo, se houver concorrencia como esperara ; tendo continuadamente bom sorti-
mento de doces para cha; presuntos e ditos em fiambre, tambem se recebem para se-
rem preparados ; assim como doce de caj novo superior, secco e crystalisado, dito em
calda em latas hermticamente fechadas, pudendo durar annos em perfeito estado.
Para jantares e partidas recebem-se encommendas dos seguintes objeclos; ban-
deijas ricamente enfeitadas sem armaco pecas de amendoas (tragaces), ditas de tmaras
de ovos, pes de l enfeitados com disticos anlogos a qualquer fim; ditos montados,
kechs simples e enfeitados com fructas ingleza; gatheaux de la reine, ditos de le d-
chese, tortas de fructa, raassa folhada; ditas de peixe e carne; cremes e doces de ovos
de differentes especies.
Tambem temum completo sortimento de vinhos engarrafados, como sejam: vinho
do Porto superior, Figueira, Madeira, Lisboa, Cherez, Bordeaux, Champagne fino, ser-
veja, licores, charopes e conservas. Para festas: bonitas caixinhas com amendoas, con-
feitos e mais enfeites. Muitos destes objectos mencionados podem-se perfeitamente ac-
ondicionar tanto para a provincia, como para fra.
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnisadora, estableci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus ca regamenlos, e contra
fogo em edificios, mercaderas emobilias:
na ra do Vigario n. 4, pavimento terreo..
Em casa de Theo Cbristiaosen, ra do Tra-
piche-novo n. 16, nico agente no norte do Brasil,
de Brandenburg frres, Bordeaux, encontrase el-
fectivacnente deposito dos artigos seguiutes:
Si. Julien.
St. Pierre.
Larose.
Chateau Loville.
Cbaleau Margaux.
Grand vin Chateau Lafilte I85'8.
Cbaleau Latine.
Haul Saut-rnes.
Chatean Sauternes.
Chateau I.ataur Blanche.
Chateau Yquem.
Cognac em tres qualidades.
Azeite doce. Preeos de Bordeaux.
wm mmmm mam
Companhia fidelidade de seguros ^
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jatieiro. ^
Sk ACENTES EM PBRHA1B0CO -^y
^ Antonio Lttii de Oliveira Azevedo k C, tjfc
jg compccuteiuente autorisados pela direc- "^
5 toria da companhia de seguros Fidelida-
|W de, tomam seguros de navios, mercado- f
fS ras e predios no seu escriptorio ra da g
Cruz n. 1.
Alugam-se tres casas na povoa^o do
Monteiro a margem do rio, com muitos"
bons commodos e em muito bom estado
de limpeza : a tratar na ra do Crespo n,
20, esquina, cujo preco de alugnel ra-
zoavel. ___
"BOf CA E DROGARA
DE
H6. e-'. de KuHza t& .
Ii i larga do Rosario n. :i i
Remedios de Raduvay
Prompto alivio.
Pilulas reguladoras.
Rtzdutivo.
Remedios de Kemp
Anacahnita.
Salsa de Bislol.
Pilulas assucaradas.
Agua florida.
Pastilhas vermifngas vegetaes.
Chegados pelo ultimo navio vindo da america
Tendo^i irmandade do Divino Espirito-Santo
da igreja do Collegio, resolvido em sessiio de mesa
conjunta, mandar fazer de marmore branco fino a
capella-mr de sua greja; convido de ordena da
mesa regedora qu-.llas pessoas que se acharem
habilitadas a mandar eiecutar semelhaote obra,
a examinarem a planta que se aeha exposta na sua
sacri>tia, e a apresentarem as suas prepostas uo
praso de 40 dia< contados desla data. Consistorio
da irmandade, em 10 de novembro de 1863.
O escrivo.
Francisco Belarmino dos Santos Freitas.
Nova escola de primeiras
letras.
O abaixo assigoado, professor jubilado na pri-
meira escola publica de primeiras letras da fre-
guezia da Boa-Vista desla cidade pretende abrir
no dia 8 de janeiro do anno prximo vindouro urna
escola particular na ra da Palma, casa n. 31, da
freguezia de Santo AtUinio desla mesma cidade :
os senhores pais de familias que quizerera qua
seus Qlhos fre'iuentem a mencionada escola, podem
enlender-se desde agora com o mesmo abaixo as-
signado na referida casa.
Jos Joaquim Xavier Sobreira.
Aluga-se
DE
PSITO
DE
J. VIGNES.
X. 55. RA DO 1 illMSKADOIl X. 55.
.a. ..:. f.K; f/\ Ut\A n-.-'ic c, >nhi.i'i(i nara'ma culi naraccii
0 pianos desta antiga fabrica sao hoje asss conhecidos parajque seja necessario insistir s*re a
ma perioridade, vantugense garantas queofferecem aos eompridores, qualidades estas incontesta-
Teis que elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que Itera apparecido nesta praca ; pos-
luinjo um teclado e machinismo que obedecem todas as vontdes e oajwichos das pianistas, sem
nunca falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se eito ltimamente melnoramenlos Importaa-
tissimos para o clima deste paiz ; quanto s vozes, sao melodiosas e flautadas, e pe* jsso muito a^rad*-
reis aos ouvidos dos apreciadores. .

25 RA NOVA N. 25
Este estabelecimento acaba de receber um rico sortimento de pianos fortes ex-
pressamenle fabricados para o clima deste paiz, dos mais afamados fabricantes da Euro-
pa, por isso o proprielario convida ao respeitavel publico para virem apreciar as qua-
lidades dos referidos pianos.
Continua-se sempre com esmero e promptido fazer-se qualquer reparo nos ditos
instrumentos. Afinam-se os pianos debaixo do melhor systhema ltimamente adoptado
na Eoropa.
por 205OOC mensaes urna casa ua Soledade n. 11,
com 3 quartos, boas salas, cozinha fra, quintal e
cacimba, a chave, esl parede meia : a tratar na
ra da Imperatriz, loja de caljado n. 38, ao p do
becco dos Ferrelros._______________________
Aluga-se urna casa nova na rui dos Prazeres
bairro da Boa-Vista, com 1 salas, i quartos, cos-
nha, quintal e cacimba pelo preco de 164mensaes:
a tratar na roa estrella do Rosario n. 28.
Para
COMMIIA
de madrinas
a cnstrufrao
DE
VLIIi:ilTM>\ E DOUGLASS
New Londoa, Cormeclieor, Esta-
dos-Unidos
Soliritam pedidos de descarogadores de algodo,
adoptados ao aluodao sul-ameritano. llao-se de-
dicado a es.e negocio durante 25 annos, e attende-
ro iraraediatamente a correspondencia que se Ihes
dirigir.
Malheus Jos de Souza Guimares scienliGca
as pessoas que teem em sea poder relogios para
concertar para irem bscalos at o dia 28 do cor-
rente mez, visto o anuuncUnte ter de retirarse
desta cidade. *
Modas.
Madama B. Adour acaba de receber pelo
; ultimo vapor cbaose visita para seoho-
Maooel Duarte Rodrigues, ra do -Aluga se a casa confronte a S Jos no Man- romeiras de/uiuure Dreta rotonda de
ara nhrp a ridarfP do Por- 8UIDh. com 3 Quartos, cacimba de boa agua de, ra,_ romeiras ae guipuie prea, rotonua ue
beber, por 16 mensaes: quem a quizer lugar. | guipu e verdadeira, camisinhas bordadas 6
mais outros enfeites perteocenles a senho-
Trapiche n. 1\,
to, 3, vista ou a prazo
O abaixo assignado faz publico que o Sr. Jo-
s Luiz thurte de Azevedo deixou de ser sea cal-
seif* desde .da 18 do correte.
Joo Ferreira dos Sanios Jnior.

dirija-se a tratar com Bento dos Santos Ramos, na
ra da Glora n. Jt9.
Quem tiver e quizer vender ama balanza
usada de concha, annuncie.
ra, ludo do mais apurado gosto: vende-se
na ra do Imperador n. 48, primeiro an-
dar, casa de modista franceza.
Il

.


DI* rio
de reruaiftbueo eguud 33 de ttczenibro de 1S*.
OS PARAGUAYOS
E' a ordena do dia I Acabar com os Par-e
guayos a bayoneta, a mini, a revolver;
fulmina-los cm os encouracados armados
de espores, armstrongs e raiadas de 80
120; extermina-los em summa a espada, a
faci e a punhal de que se trata; ma3
ninguem se lembrou ainda de esmagar os
Paraguayos com as armas que Deusnos con-
cedeu; acabar com elles a tac5o e a ponta
ps, para o que necessario encouracar esta
parte do noss'o corpo com os formidaveis
rompe-ferro, esmaga cobra, arranca tecos,
quebra marmore e o otros que se vendem
45-Kll OIREITA44
Borseguins Bordeaux........ 83000
patricios......... 55000
> para senhoras, en-
feitados....... 55500
com laco e fivella .. 4#S00
Sapatoes encouracados....... 50000
B irseguins para meninas bom
elastco................. 35000
Sapatos de lona, sola elstica. 20000
avelludados......... I 5600
de tranca........... 16600
com salto de lustre.. 2240
Um completo sormento de calcado da
Ierra para homens, senhoras e meninas;
assim como bezerro francez, couro de lus-
tre, marroquins, taias de todas as quali-
dades, litas para sapateiro, muito sortidas,
sola e couros que tudo visto necessariamen-
te faz cobica ao comp ador pela barateza.
...... Y. ,
O Dr. Cosme de S Pereira conti- *
I na a residir na ra da Cruz n. 53, )g
Io e 2o andar, onde pode ser procu- j
S" rado para o exercicio de sua profis- m
sao medica, e com especialidade j
sobre e seguinte
Io molestias de olhos;
2o de peito:
3o > dos orgaos geni- ag
ti urinarios. B
Em seu escriptorio os doentes se- g.
ra"o examinados na ordem de suas I
entradas comecando o trabalbo pe-
I los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
S 6 as 10 da manhaa, menos nos do-
** mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
Sco que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus \$ j
H doentes.
mmmmmmmw;::
Precisa-se de urna ama de leile : na ra do
Progresso n. 7.
||Deiitista de Pernambuco.j|
gg Roa eslrcifa do Rosario n. 3, pg
ao pe da igreja iM
CASA DA FORTM
Aos i2:000$00u
3:000000
900*000
5006000
Bllhetcs garantidos.
A' RA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTUME
Oahaixoassignadovendeuuos seus uiuilofli-
tes bilhetes garantidos da lotera que se ac bou
de extrahir, a beneficio das familias dos volun-
tarios da patria, os seguintes premios :
N. 629 dous meios con 12:0COj.
N. 2841 doas quiutos com ;Hw.
N. 3768 dous quintos com 2000.
E oulras muitas sor".3S de 1003, 400, e 203.
Ospossuidores poderu virreceber seas respec-
tivos premios sem os descontos das leisnaCasa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 8* parte da lotera
(42J beneficio das familias dos voluntarios
da patria, que se extrahr a 23 do corrente.
PRECO.
Rilhetes.....12*000
Meios......65000
Quintos.....*M)0
Para as pessoas que eomprarem de 100*000
para cima.
Rilhetes.....113000
Meios......5*500
Quintos.....2*200
Manoel Martins FlUZA.
amuel Power Jolinstnn & Compauhia
Ruada SenzalaNova n, 4.
AGENCIA DA
Fundido de Low Iloor.
Machinas a vapor de 4 e 6 ca val los.
Moendas e meias moendas para engeuho.
Taixas de ferro coado e balido para enge-
nho,
Arreios de carro para um e dous cavallos.
Relogios de onro patente inglez.
Arados americanos.
; Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Esta para alURar-se o Io andar e lujas
=4? d sobrado n. 4i a ra da Aurora : quem
l:::';:;:4 "s .u'zer dirija-se a' ra Nova jo Sr. Joao
ssaP% R. do Reg, em seu arniazem de fazendas
n. 24._______________________________
Aluda esta por alugar una casa na ilha do
Retiro, a qual tem commodos tiara familia, est
piulada, tem banho na porta e milito fresca, po-
dendo o pretndeme examina la no memo lugar :
a tratar com L. M. R. Yaleuga.

MI
FRANGISGO PINTO
colloca deutes artiflciac
pelos sysleuias mala iut-
2 dci-uos
i Emprega todos os meios scientificos para
?5 conservar os naturaes. Pode ser procara-
3 do em s-ii gabinete das (J horas da ma-
gjS nhaa as 3 da tarde.
itii
rr^nsS--
, mm m3m
11*
O Dr. Carolino Francisco de Lima San- jgJS
ra tos contina a morar na ra do Impera- Sj
lor n. 17, segundo andar, tendo alias seu *&
ji gabinete de consultas medicas, logo ao 0$
v; filtrar, no [trmetro. S
^S O mesmo doutr, que se tem dado ao M
V*\ estado t:mto tas operares como das mo- |gg
g( lestias internas, prestase a qualquer cha- S
jSfi mado, quer para dentro quer para fra M
.. cidade. 91
wmmmm n&r
Alu
ra-se
urna excelleote casa terrea no Poco da Panella jun-
to ao sobrado do pateo da matrir, fresca e com
bons commodos : a tratar na ra do Imperador
n. 83, primeiro andar.__________________
Ama para casa.
Precisa-se alagar urna ama para todo servico de
una casa : na becco das Boias u. 2, primeiro!emojJ:a"
Joo da Silva Ramos, meneo ij!
pela universida le de Coimbra, d H
consultas em sua casa das 9 as %
P] 11 horas da manhaa, e das 4 as G mi
^ da larde. Visita os doentes em suas'lsl
1' casas regularmente as horas para ^
M isso designadas, salvo os casos ur- jjgj
B gentes, que sero soccorridos em g
H qualquer occasio. D consultas aos
[ pobres que o procurarem no hos-
j pital Pedro II, aonde encontrado
Pi diariamente das 6 s 8 horas da
-: manhaa,
Tem sua casa de sade regular- '?
B mente montada para receber qual- -;)
'ucr doente, ainda mesmo os alie-
nados, para o que tem commodos ,
apropriados e nelta pratica qualquer [
gj> opperarao cirurgica.
Para a casa de sade.
%. l'rimeira classe. .3-5000 diarios.
Segunda dita.... 3^500
Tercctra dita .20000
ffC Este eslabelecimento ja bem
' acreditado pelos bons servicos que
lem prestado.
O proprielatio espera que elle
cmiinue a merecer a conianca de
;"'que sempre tem gozado.
Precisa se por ahiguel dous escravos : na
ra da Cruz do Recite n. 33._______
Precisa-se d urna ama que teuha bom le-
te, paga-se bem : na ra Direita n. 84, obrado de
um andar.
KXAMXSS..--: ; -' V r.- -^ :tt.-: jr :>.rff: *?** rentaamaff
Grande armazem de Untas.
RAjDO IMPERADOR N. 22.
O armazem dle tintas um grande deposito de
productos chimlcos utensis e os mais empregados
e asados napharmacia,pintura, photo!raphia, tln*
turara, p\ rotedhinia(fogos de artificio) e em outra
industrias. i
Montado emjgrande escala, e supprindo-se di-
rectamente as |irincipaesdro?anasde Paris, Lon-
dres, Hamburoo, Anvers e Lisboa, pode otlereceer
productos de pjlena confianca o salL-fazer qualquer
encommenda a;grosso trato.ea retalho, porprecos
razoaveis.
Prvidos de machinas appropriadas satisfar
com promplldao qualquer pedido de tintas moidas
a oleo,cuja qualidadee pureza de seus ingredien-
tes poder* ser examinada pelo consumidor, o que
nao fcil fazer com aquellas que sao importadas,
e que se enconlram nu mercado em latas fechadas.
Tem grande collercao de vidros de differentes
, formatos, desde urna oilava at dezeseis oncas de
' capacidade ; de vidros para vidra^as e diamantes
; para corta-Ios; de pinceis para fingir madeira com
I rtopriedade e outros; de papis doorados e pra-
peados e folhas de gelatina para ornamento: de
I papel grande e pequeo formato de varias cores
, para enibrulho, para forro de casa, para desenho
i com fundo j feito; de papel albuminado l,e Bris-u
verdadeiro saxe para photographia e para filtrar,
e outros ; vernizes de essencla para quadros, de
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
teiior; oleo graxo, oleo seccativo, oleo de linhaga
clarificado, oleo de toiele, secativo de Harlim, ouro
verdadeiro em p ; prata, ouro, e estanho em fo-
lhas de varias cores ; tintas vegetaes, inoffensi-
vas proprias para confeitarias ; la de cores, e
olhos de vidros para imagens; tintas em tubos e
telas para retratos ; tintas em pastis e em pd pa-
ra aquarella; essencia de rosa superfina, de ne-
i rol y, jasmim, bergamota, aspice, palchouly, mbar,
i bouquet.limo, alcaraiva, melissa, ortelaa pimenta,
louro, cereja, alfazema, juinpero, Portugal, lima,
ans da Russia, canclla, cravo e rauitos outros ob-
jectos que s com a vista podero ser mostrados.
Jotio Pedro das Ncves,
Gerente.
Vende-S3 um sitio em Henifica a' margem do
rio Capibaribe, com bastantes commodos para urna
grande familia : trata-se na ra Nova n. 24, das 9
horas as 4 da tarde. ______________
Vende-se a fabrica de charutos e cigarros
da ra do Aragao n. 32, bem afregi'ezada : a tra-
tar na ra dos Cuelhos n. 2j
0 OLE HA DE MUH
a 5#UU0.
i: sao poneos.
Chapeos francezes de muito bonitas formas a
o* ; na ra dos Quarteis n. 22, junto a leja de fu-
nileiro.______________._^__^^_^_______
Seleiros e correaros
pbchincho
Sola de lustre em perfeiio estado,
meio............20,5000
45Ra DIrelta45
VBMKvSE
a taberna do Isrgo do Carino n. 5, com poucos fun-
dos : a tratar Aa taberna do Campos, ra estrella
do Rosario n. J.
um bonito mo
numero 47
Vendase
eque : na ra tslreila do [(osario

M
Vende-se
Governo
Direito l'ub
tivo e das Gentes
Ferreira, em
cada obra
Independnc
31 anual do Cidadao
Manual do Cidsdiio em um
Rcbresenlativo ot principios de
Constitucional Adminislra-
por Silvestre I'inheiro
3 volumes broxurados por 3?5
livraria n. 8 da praca da
a.
ICO
na
.-

m
e mais peehincha

iBfiiV
H
!l
Tabeas americanas com palmo e meio de largu-
ra, com pequei o toque de avaria, a 80 rs. o p :
no raes 22 de lov mbro n. 24, armazem de Paulo
Jos Gomes e Wayor.
Cellas a 500 rs. o ceuto.
Xa ra da Madre de Dos n. 0.
SOMPIA
Peonas
' vende-se na
i criptorio"
rui
untar.
AMA
Sivino Guilherme de Barros 'compra e ven-
de elTeclivameiite escravos de ambos os sexos :
ruado Imperadorn. 7l>, terceiro andar. ____
Comprase ouro, piala e pedras preciosas,
s velhas : na ra da Cadea do Recite,
cja de ourives no :ico da Conceicao.__________
Vendem
lia, chegados
che n. 9,
Vende-se
mos de altura
Sokdade n. !9|
eina de muio superior <|ualidade):
do Vigario u. 24, Io andaj, es-
e superions presuntos de Westpha-
ho ultimo vapor: na ra do Trapi-
nm cavallo ruco pedrez com 7 pal-
muito bom de cabriole! : na ra da
Ouro c pi-ala.
Em obras velhas : cor pra-se na pra^a da ln
Precisa-sede urna ama forra ou captiva para de|,enj,,D(.0 m |,,ja de bilhetes
comprar e cozinlnr para ra>a de pouca ramilla : ------u------------------.----.
aa ma da Coucordia n. 34, sobrado do armazem
do sol.________
PERGNTA INNO-
CENTE
Heseja se sabr a qual dos dous partido' politi-
os penen, em os senhores que esto as diias cha-
pacProgressista e Genuinacom especiaiidade o
sr. Or. Jos Eustaquio Ferreira e Jacobina. Es-
peru-se que o mesmo scuhor doator se sirva res-
aoA-ir para poder votar sem illusao.
Um eleitor da Muribeca.
Atten^ao,
Pee fie a pessoa que achou urna cambada de
ebaves eafiadas em urna areola de ac, que faca o
fovor deotregar na roa Nova, loja de ferragens
n. .11; ue *en' recompensada._________,,.,..
Precisa-se
alugar urna sala o com alcova se tiver, as ras
do Trapiche ou Cruz do Uecife, com vista para o
mar, para pess.oa do commercio : quem tiver an-
p inicie._________________________________
^ Carvalho & Nogueira rogam a quem possa
l;i|:|>:-{iiiitli-plaiiis|lic-ii:i.
Xa ra do Livramento n. 19 compra se um map-
pa-planispherteo.
Compra-se carosso (sement) de algodao : no
armazem de algodo de Saunders Rrothers 4C,
do caes de Apollo._______________________ I
~~Compra-se ou alnga-se urna escrava, paga-se j
bem agradando : na Cpuoga, ra das Cnoulas
numero 3.
(Jal de Lisboa
Vende-se a 35 o barril : na ra do Rrum n. 66,
armazem de aspucar.
As Piulas Catharticas
VENDAS.
OE AYER.
O purtjan e mate efeeaz at Iicje conhrtelo.
Esta pilulus sao puramente rrg-
itaes, nao tendo na sua compo-
si;o ncm mercurio ncm outro
ingrediente mineral; sao inno-
centes pura as criaucas e possoaa
mais delicadas, ao mesmo terapo
que, compostas como sao de vegi-
tacs mu fortes, sao bastante acti-
vas c clicazes para as pessoas mais
robustos.
catharticas purgao c purilleo todo systena
rcurio.
biipado traljallio nem despez para levar estol
Estas pilulas
humano sem nuj
Nao se lem p
1860.
luz as folhinhas de
PARA
Acabam de sahir
algibeira e de porta para o anno de 18CG, o
mais correctas possivel tanto no calculodas
las e eclipses, como as diversas festas
^r'.t.T^.SSS..Si .th2|que a igreja'celebra; vendem-se unicamen-
aiiar na ra de Apollo n. 20, ou annunciar sua te na livraria da praca da Independencia, a
i 60 ris as de porta e 320 ris as de algi-
beira.
Chapeos a 1$500 e 1$.
Tem para homens e meninos : no armazem da
estrella, largo do Paraiio n. 14. ________
_A40rs.a botija
Tinta preta para escrever, de boa qualidade :
vende-se na ra das Cruzes n 41 A, taberna da
porta larga:_____________________________
Na Miliaria da Concordia n. 8 vende se mi
de purgar assucar ou de furo, n ais limpo do que
o que vem dos engenhos, caada a 600 rs., a gar-
rafa a 120 rs.
morada.
__ Aluga-se o segundo andar da casa da ra do
Ic&erador n. 30, com muitos commodos : a trat?r
na anesma.______________________________
Aluga-se de ura at quatro escravos, pagan-
do-seiiem : na ra do Trapiche n. 13, armazem
de Masael Teixeira Basto._____________
CACHORBO.
Desaparecen da porta da secretaria da policia
um caenurro vermelho esbraoquecado, de raga de
Twra-Nova, grande, canda dna : a pessoa que o
pegar, quer se a ra das Trincheiras n. 18.______
O abaiio assignado com loja de ourives na
rea da Imperalriz, para se livrar de suspeitas e
pesquizas que irte lera apparecid, declara ao res-
peitavel publico q'ie nada deve nesla praga nem
fra della, e se alguem se julgar seu credor apr-
sente sua conta pan iramediatamente ser paga.
Da mesma forma declara que nao deve honra a
senhora alguma, pots que uaa que tem em sua; beduinos e rotondas, faada esta de sua propiia
companhia atilhada de sua fallecida muluer, e encommenda, e qoe podem vender pelo piejo qie
foi criada aa sua casa desde 4 anaos de idade, ten-; os ,je miii logistas comprara. Os objectos cima
do sido por elle e sna mulher adoptada por lilha,! s;lo ,je fiQssimos tecidos e mui lindos lavores, as-
quando falleceu a mai e ella devia Qcar ao desara-1 sjra conjo 0utras muitas fazendas por pregos ba-
paro. Nao teme o abaiio assignado os pasquina' ratissimos, que seria enfadonho mencinalos.
que escrevem contra elle, porque tem a conscicn-1
pilulas a um gr o de perfecco tal, que nada delxa o desejar;
sao o resultado da anuos de estados luboriosos c constantes.
Tara alcanfor ti das as vantagens que BMIllUo de uso de cathar-
ticos, tcm-se combinado soineutc as virtudes curativas das
plantas que s 9 empregados na coulVcv.io das pilulas. Sua
composicao 1 ul que as enfermldades que esto ao alcance
dt; sua HC^ao, n ras vezes podem resisti-las on evad las.
Suas proprict ades penetrantes exploro penctro, purifico e
dao vigor tod: s as partes de organismo humano; pois corrigem
a sua aC9o vii iada e faz recuperar a sua vitnlidude. Urna das
consequencios lstas proprivd^des t- que o doente, abatido de
dOr e debilidad i physiui, admira-se de encontrar, to depressa,
sua saudc c el ergia recuperadas por meio d" um remedio to
simples e agrai uvel.
As molestias! que estilo ao seo alcance sao.
J'ri^o de ve itre liltcumatismo, DOr da cabera, A Xecralgia,
Enxaqueca, Ii digestUo e mal do estomago, femorrhoidas,
'ADECIMENTOS DO HGADO,
Ontros objectos.
Vindos Un.bem para a anliga loja de
miudezas ra do Queimado n. 1G.
Sapatinhos deselim brauco bordados pa-
ra baptisados.
Outros de merino tambem bordados e
igualmente bonitos.
Meias de seda, correspondei.te do tania-
nho dos sapatinhos.
Oulras mui finas de o da Escossia e
brancas listradss.
Luvas finas de fio da Escossia brancas e
de cores.
Ditas de seda para senhoras.
Ligas de dila pata senhoras e meninas.
Pentes de tart .ruga mui fortes para des-
embarazar.
Carriteis com retroz preto e outras cores.
Carteiras com apulhas.
Agulhas frncezas, as afamadas.
Caixinhas com allinetes brancos e prelos.
Haspas de baleia para vestidos.
Fitas de linho proprias para dilos.
Caixas com linhas de novellos grandes
para crochets.
Trancellim de borracha preto, redondo.
Bonitas flvcllas grandes de ac,
douradas, madrcperola e tar-
taruga.
A loja de miudezas ra do Queimado
n. 16, recebeu um bonito sortimento de
fivellas grandes para cintos, sendo de ac,
douradas, madreperola e tartaruga, asquaes
i stao sendo vendidas em dila loja por pre-
ces commodos ; assim como boas e bonitas
fitas de gorgorao achamalotado, proprias pa-
ra ditas fivellas.
Oculos de penelra e de outras
qualidades, para qucn soffre
da vista.
A' loja de miudezas ra do Queimado
u. 16, tambem recebeu oculos de peneira
com vidros claros e escuros, para quem sof-
fre da vista, assim como outros de armaco
de ago, sonidos em graos.
Coroas e tercos de cornalina.
A antiga loja de miudezas a' ra do
Queimado d. 16, recebeu mui bonitas co-
roas e tercos de cornalina, os quaes esto
a disposiejo dos bons christos que os qui-
zerem comprar em dita loja: na ra do
Queimado n. 16.
Esponjas finas grandes e pe-
queas.
Vende-se na ra do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
A ailiga loja de mintlezas na ra do
Queimado n, i6, acaba de recelier:
Novas e bonitas guarnieoes pretas para vestidos e
soulembarques.
Bicos de seda brancos e prctos cm vidrilhos, e
differeutes larguras.
Trancas pretas com vidrilhos.
Casearrilhas de seda de diversas cores e moldes
novos; oulr: s eufeiladas com bicos de seda.
Babadinhos de seda.
Trancas brancas de seda para en frites.
Bonitas lilas brincas lisas e lavradas ; outras de
cores tambem lisas e lavradas ; outras acharaalo-
tadas para cintos, largas.
Fivelas grandes de ac, douradas, madreperola e
tartaruga.
Bonitas ligas de seda para senhoras.
Leques de sndalo o outras qualidades.
Lint! s o delicados enfeitcs pasa bai-
les e passcios.
A amiga luja de miudezas na ra do Queimado
u. 16, recebeu novos e lindos enfeitcs para bailes
e passeios, todos de muito gosto e inteiramente no-
vos, variando o preco delles confo' me a superiori-
dade : os pretendentes os acharao em dita loja, na
ruado Queimado n. 1G.
Finas capeilas para noivase
iiicitin; s.
Acham-se venda na ra do Queimado. loja de
miudezas n. 10.
Bonitas louquinlias
de fil e cambraia, bordadas e enfeitadas : ven-
dem-se na ra do Queimado, loj de miudezas nu-
mero 16.
Lonetos de dous vidros com aro de aro, bfalo
e tartaruga.
A loja dp. miudezas, ra do Queimado
o. 1(). recebeu um bello soi lmenlo de lo-
relos e oculos de vidros com armac3o fina de
ac, bfalo e tartaruga, e os esta vendendo
por precos razoaveis: os pret mientes diri-
jam-se a esta leja na ra do Queimado n. 16.
i'PECHWCHA!!
53Ra Direita53
Salitre refinado muito flno Si 55300 em barrica,
lona muito larga propria para encerado de barca-
da e camas de vento 1> a vara, camas de vento a
5$, e de encnrnmenda lona do reino Cum laxas de
cobre a 74500. espingardas dous canos muito finas
a 255, 355, V>5 e 605. facas e garfos cabo de viado
i 35 800, bataneas finas 55, pentes e en frites para
' senhoras tudo de bom go^o modernos, bandejas
finas, nulo pelo barato preco que s com a vista se
podera ver._____________________________
Na praga do commerclo n. 4, escriptorio de
Jos Mara Palmeira, vende-se :
Cerveja Bass, verdadera em botijas, chegada
recentemente no navio inglez oAnne Kay.
Biscouto inglez muito tino.
Bolachinha hamburgueza nova cuja qualidade
, ja aqui nao vem ba talvez 2 annos.
Chales de renda
Paredes Porto, na ra da Imperatriz n. 32, porta
larga, vende chales de renda de cores com peque-
no toque de mofo, a 35500 e 45, fazenda de 105
e 125000.
Novidades do Vigilante
RA 00 CRESPO N. 7.
Este estabtlecimetilo apezar de sempre
se adiar bem sortido como todos sabem,
hoje mais que nunca, nao s pelo que rece-
be de sua propria conta, mas tambem pelo
que recebe de consignagoes; parece sem
duvida que dc\e offerecer grandes vanta-
gens para o respeitavel publico lauto em
pregos como na esculla dos objeclos, e co-
mo acaba de ebegar grande remessa pelo
vapor Douro e o navio Solferino de
diversos objectos de gosto e proprios do
lempo dos quaes se mencionarlo alguns,
por nao ser possivel mencionar todos. 0
dono deste estabelecimcnio espeta a pro-
teegao de todos.
Riqusimas caixinhas ornadas e com
i msica propria para um delicado mimo.
Caixinhas de msica lano de veio como
de corda.
Ricos porla joias e neccssaiios.
Riquissimos est jos a feilio de um bausi-
nho ou chapeuzinho.
Ditos em casca de noz e de outros gostos.
Leques de madcpercla de sndalo e de
faia c madeira.
Caposinbos e touquinhas de muito
gosto para criangas.
Meias e sapatinhos de seda para as mes-
mas.
Meias de seda para senhoras.
Capellas e grinaldas de llores proprias
para casamento.
Enfeites e capellas de muito gosto para
seuhora.
Riquissimos porla Loquis.
Boquet de flores com urna borrachinha
com cheiro.
Luvas verdadeiras de Jovin.
Ditas de seda e de Escocia.
Riquissimas plumas e guarnieres para
enfeitar chapeos.
Coritas e tubos de ago branco, que ha
muilo se desejava para enfeites.
Brincos, fivellas e cruzes de crystal.
Fivellas e cru/.es de tartaruga, madripe-
rola e dourados.
Alfinetes para prvalas.
Botoes com croas pata punhos.
Gravatinhas c monlinias de niiiilo gosto,
tanto para homem como para senhora;
Riquissimos aderecos pretos, assim como
caixinhas com afneles prelos.
Bengallas de canna com cabo de marfim.
Ditas de baleia, borracha c de outras
murtas qualidades, assim como chicotinhos.
Riquissimos pentes de tartaruga do ulli-
mo goslo; assim como de arregace para
menina, pois ueste artigo ha um completo
soriimento de todas as qualidades.
Diademas para cabeca do ultimo goslo.
Riquissimas litas aviadas e lizas.
Trangas pretas com vidrilho e de cures.
Pulseiras tanto para senhora cerno para
meninas.
Ligas de seda e de algodao.
Suspensorios de seda e de algodo emui-
tos outros objectos que se nao podem an-
' nunciar por nao se (ornar enfadonho.
S no Gallo Vigilante ra do Crespo n. 7.
l'a a afesia.
Aa ra das Cruzes n. 30. loja da (cbs-
licncia,
Veode se um grande sormenlo de calcados de
todas as qoalidsdes Dltirnaiwnte rliegadcs, assim
como borracha |vlu ,: ihincto preco cheguem fre-
gueres a vista fax l.
Ni i es se llir.-.m
Barato o pn y
Chegnem fregu: es
Abaizover-se.
Borzeguins de lastre Milie para homem
Ditos de bezerro dito dito
Ditos ae luMree bezerro para roenlDO
Botinas para senburas e meninas
Bjrrarha a vara
Grande soriimento de chagiin e de cordavo.
?5;;oo
7*000
05000
:i-^noo
JO
ENCICLOPDICA
52 B&ii& da porla larga L'.
tFio a padae-fa fradecza I'arciieiS Porto.
.Veste estabelecimento encontrar o respeitavel
publico um lariado soriimento de fazen las frnce-
zas, jngh'ias, soissas e ailemes, que se vender ao
por prego commodo.
Paicdrs Porto
Vende chales de renda Je cores que se vende-
ram a 18$ es'.a vndenlo por (<>, ditos pretcs, ta-
zenda nova, 55,6$, 8a 2P, um sortiminto n
pleto ce manteletes, rapas e soulambarqm > .. ,!
28f. Boa da Imperatriz n 4, junto a padaria frao-
eeza, armazem da porta l3ipa.
Paredes Porta
Recebeu nm completo sormenlo de laasir.l as a
!40. eSSOrs. covados, para acabar, can.bi
cor a 210 rs. o covado, iiseado esrossez para r< li-
pa de menino, fu.-iao de linho a 120, 14 0 i 0 rs.
Roa da Imperatriz n. ';' junto a padana fr
armazem da porta larga.
Paredes Porto
Receben para cortinados para cama frai a
115 a pega caml raa lisa fina a "f:> i", at \{; a
peca, cortes de larlatana de bonitos g stos a
e $, caubraia cr.ni flor de fda, gestes inteira-
mente rovos a '.'" e 0 rs. o covado.no arm, zem
da porta larga n. 52, tua da Imperatriz judio ;. .;>
dara franceza.
Paredes Porto
Receben reto nlnmo paquete um sortimer \
crnzi c<;:; pedras i ra o| i scejo, i nlos casiners
ce la para pesco?i de senhora. Una da Imp< ratrii
d. 52, armazem da porta larga.
! aredes Porto
Vende coi tes de gorgnrio preto para veslidc om
1 covadns cada um 3500O, grsdenaple prcti a
I5CC0, 10800 c 20 o covado, las lizas fina; 0
rs. o covado, laasde qoadrinbo para res
:;;di>. ;. : -- rs. o covado. Hua Oa ln j.
armazem da porta larga.
Koapa fciia
Ra da Imperatriz n. 52 armazem d ; r lar-
ga junto a nadarla franceza, encontra se m si es-
tabelecimento nm completo soriimento de [.nr<
saco s e sobreeasac s, de tedas as quaiidadi al-
cas, rolletes, cerclas, camisas, grvalas, v.uu,
chapeos deso, ditos francezes para caber, por
precos rommedos, renpa para n enlno -
niuiis azendas por precos commodos, armazem
da porta larga.
Ko mesmo estabelecimenlo encontrar or
tavel publico, sempre iim completo s
1 ronpas futas de todas as qnalidadcs, r n %
I palitos de alpaca preta e de cor, ditcs robn -.-
ros a 10 e 50, ditos de 11 im pardo a 20800, .;,3 e
| 30500, ditos finos a 40, dito? meias razfmir: a
30500, i0 e 50, dll cazemira s: reos a P0. I "-,
e iO0, ditos sobrecasaros a 10 e 12 ,d ran-
1 no saceos i 00, 80 e 100, ditos sobre rasac s a !0
I e 250, ditos de merino preto a 60, '.", I0
I cas de l'iim de diversi I lad<.- a 81 0
' ditos brancos a 20500 e 6000, ditos launniri
60 e 70, dilos prelos a 0, 00. 80 e 100,
meias cazemiras a 30 e 10, < d.
qualidades, seroulas franrezas ct So. di
linho, diasde bramante a --'0 e .0.
algodao de Imite fiandzas de 20500 i
de pechincba nesle genero, grvalas d<
qualidadese brancas| ... casamento, grai
Um* lo i! meias pai a senhoras, ditas ara :
a 30, superiores a 30500 e 10.
Lm completo soriimento de chap
al| ac a 30, ditus de teda a 50, 70, K-0
cites francezes
a 60.
40,
*
i-
de
n-
as
.- sor-
os
- le
Febre gastro-lep EryHiiela, Hy Iropsia.
No ulinannlc
todos uh mino
lado sobre as
Acliu-se cm
Gastre, affecetes Biliosas Lombrigas,
', surdez, cegulra parcial, e Paralysia.
e MuquuI de Saudc do Ur. Ayer, que te publica
para distribuido gratuita, eiicontra.se uiu tra-
llversas doencas que esUo ao alcance de
1EMJ3DIOS PURGANTES,
todas as Bolleos e Drogaras do Imperio,
Tomada de Paysndu' c Hootevido.
Com este titulo acaba de chegar de Paris urna
linda phantasia militar para piano, composta por
um dos melhores compositores, acha-se a venda a
20 cada exemplar : na loja franceza da ra Njva
n. ti.__________________________________
. Queijfls do serlo
Vende-se superior queijo do serlao : na ra da
Madre de Dos, armazem junto a igreja.
Cal de Lisboa
Na roa do Vigario n. 10, i* andar.__________
Brides de Ipojuca
Vendem na ra do Queimado n. 32, Azevedo &
lrmo. ___________
Vende-se urna negra moca perita engomma-
deira. cosinheira, doceira e boa lavadeira, e urna
mulata de 20 annos qoe cosinha o diario, ensaboa
e cose : na ma da Imperatriz n.2. _______
Liquitlafo de chales de la.
Na loja de fazendas da ra do Queimado n. 5,
de Monteiro & Guimares, ha para vender ricos
c' al s de renda i retos, ditos italianos, boi r u-,
ca tranquilla, e ainda menos receia se realisem as
ameacas de esbordoarem o, por qaanto vive reti-
rado das intrigas muodauas e s oceupado do seu
trabalho. Quanlo a dizer-se que vive amancebado
com a na afilhada, apenas pede a Dos que nao
faca solTrer ao inventor dessa calumnia a realida-
de da soa Invenco torpe.
Custodio Manoel Gonrplves.
Breo em barricas pequea*.
Cera em velas de lodos os tamanbos.
Bogias.
Mercurio.
Na ra do vigario n. 19, primeiro andar.
Aos 2,000 cortes,
Chegou a loja do Paredes Porto, cortes de la
O P|eitoral de Cereja
X>3 AYER,
PARA A PROMPTA CURA DA
Angina, do Constipares, Toases, Houquidao Influ-
enza, ronchite, Tsica primaria, Tubrculo!
pul nonare, o todas aa molestias do
Feito, assim oomo para aliviar
os elhicos declarados.
As prepor coes do Dr. Ater sito vendijas as principad
drogaras e t ticas do Imperio.
Vende-se em Pernambnco:
na
No armazem da ra do Imperador n. 3 ou no
Caes de Pedro II n. 2, tem para vender-se o me-
Ihor gaz existente no mercado. ^_______
Vende-se:
ma nea do escoceza para vestJos,|[que ecl vendendo a 30,
Precisa-se de urna ama pata casa de olhmdo aFgrande quantidade: ra da Imperatriz
pouca familia ; na ra .Nova primeiro andar n- 32 armazem bem coohecido da Poru-Larga,
3^
D. 69,
junto a padaria franceza.
PHARMACIE FRANQAISL
DEP.MAURERiC'f
HUA NOVA N= I
BcS
____
Cha.
Conga.
Cognac a 100 a duzla.
Na ruado Trapiche n. 18, segundo andar.
Novidade.
Chegaram os bonitos chales e retondas de guipn
re brancos, e vendem-se na ma da Imperatriz n.
62, loja da port? larga, de Paredes Porto.______
A Heneao
I
Vende-se a taberna bem afreguezada, da
ra dos Assoguinbos n. 20.___________
Vende-se urna mobilia de amarello ja usada:
na ra eslreifa do Rosario o. 17, 2* andor.
la boa bu ra da impci&tviz.
r. 94.
Vendem se colheres de metal principe para cha'
a 20 a duzia.
Ditas para sopa a 'ijOOO. ^s
Facas e garfos de cabo do baneo de dous bo-
l5es a OoO a dina.
Ditas de un b to a E0oOO.
Ditas de cabes cravados, pelas e branca? a 30
a duzia.
Caixa rom 50 nvelos de linha de gaz a 700 rs.
Tesouras finas para costura a 300 e 300 rs., e a
10000.
Resma de papel almsco a 20600.
Dito greve. muito bom a 33-00.
Raraiho de cartas franrezas para voltaretc a 240
e 2S0 rs.
Jogo de vispora a oO e 8G0 rs.
Enfeites para cabeca o mais moderno que ha a
20000.
Pentes muito finos com costa de metal para
pernear a 500 rs.
Meias cruas para homem muilo encorpadas a
2i0 rs.
Abotoadura de crystal para cnllete a 800 e 10.
Fitas de coz com 10 varas, de um edo e meio
de largura a U rs. a pega.
Liga para atar meias a 100 rs. o par.
Pares de suspensorios a ttO e 210 rs.
Gra Ricas g^inhas com punhos para senhora a 10.
Luvas de lio do Escocia, de cores, para homem
a 320 rs. o par.
Carreleis de linha de Alexandre de n. 80 a 200
a 100 rs.
Gaita de borracha para brinquedo de menino a
100 rs.
Caixas com clcheles muito bons a 40 e 60 rs.
Ditas com lamparinas para 3 mezes a 40 rs.
Ditas com obreias muito boas a 10 rs.
Fivelas grandes para cintos de diversas qualida-
des, filas para cintos, dit3s de vePudo, trangas de
cores lisas c de caracol, bicos e rendas, voltas de
aljofares, ditas pretas a balao, e um completo sor-
timento de miudezas que ee esta' liquidando a di-
nbeiro.___________________________
"CHUES
Grande pcchlucha.
No ra da Imperatriz n. 32 porta larga de Pare-
des Porto, vende-se ch2les de merino eslampados a
20 e 2500 e finos 50, estao se acabando.
Bordados.
Chegou a loja de Paredes Porto, ra da Impera-
triz n. 52, um soriimento de raraizinhas. gollinhas,
corpinbos, rouieiras e sintos, de cambraia branca,
pelo barato prego de 23300, 3?300 e 40, gollinhas
500 rs., romeirs a 800 e sintos a 800 rs, grande
quantidade de ntremelos a 600 e 800 rs. a pega,
estao se acabando.
Farello.
Vende-se superior farello de Lisboa : no arma-
zem allianga, ra do Imperador n. 57.
Grande bazar.
Nesle grande estabelecimento tem cliega-
do ltimamente dos Estados-Unidos urna
variedade de cadeiras para homem e pro-
prias para senhora e enanca de todos os
tamanhos e outros riquissimos artigos que
por gosto se pode comprar, tudo por preco
muito commodo : na ra Nova ns. 20 e 22.
Luvas de Jourin.
a loja de miudezas na ra do Queima-
do n. \6, resebeu-as por este ultimo vapor,
para cab ja, grande surt: enti
Pechincba admirare!.
Grande sormenlo de ebambres a 40600 e 3?,
iences de rambraia para homem a 20 a duzi?, di-
tos "de linho a 40 e 33-
Grande soi tmenlo de roupa ira n eninos e ct-
trss muitas qualidadesque seria enfadonho nut-
cona-las.
Fazendas.
Vende-se superior merino preto proprio para i"a-
pas de senhora c vestidos a 5. In>irini da China
a 10800 o covado. Ra da Imperatriz, porta larga.
Paredes Porto.
Vende em seu estabelecimento liras e ntremelos
bordados, grande soriimento de corplnho; rica-
mente bordados a 33, 4-3 c 5'5. S o Pa r
;o, ra da Imperatriz no 52; pona larga junto a
padaria frauceza.
Paredes Porto
Recebeu pelo ultimo paquete francez ricas
granadinas^com flores de seda s 400 e 500 rs. o
covado. estao acaLandc-se, cambraia prela para
luto. Porta larga junio a padaria franceza, a ra
da Imperatriz n. 52.
Paredes Porto
Vende um completo soriimento de fazendas
brancas, como si-jam madapolo a 43300. 50, 03 e
10#, picas de algodao por barato preco,(hila fran-
ceza a 240, 280. 320, 360 rs. o covado, precalias
muito linas a 360, 400 rs. o covado, chita ingieza
a 200 c 240 rs. o covado. Ra da impera"- r
52, judo a padaria franceza.
Paredes Porto
Recebeu pelo ultimo paquete esparlilhos n pre-
gnigoso por 39, sao bons, lencos de seda
nhora e homem a 1, ricos cortes de
bordados de 18$ a 7jf, por Ur nm ti ene de t
eftao se acabando, na ra d.i Imperatriz D.2, jun-
io a padaria franceza.
Vende-se uui niuiatiuho de 16 al" anno.-.
proprio para papera pjr ser muito bonito e ce boa
con-Jucta : na ra do Imperador n. 45, terctiro
andar.
Piano forte,
Acaba de chegar de Pars um lindo e elegante
piano f:rte de 3 cordas e 7 oitavo?, vmdo para
amostra e o mais moderno que aqu tem viudo al
hoje: qualquer pessoa que queira possuir f str
bom instrumento o qual se vende pi.r barato pre
go, dirija se a luja franceza da roa Nova n. U.
Lages para calcadas"
Chegou grande quantidade de !ag^< para ca'ca-
das e ladnlhos, vndas da ilha de S. Miguel: quera
pretender comprar, dirija-se a ra do Imperador
n. 26, a fallar com Joao Mara Cordelro Lim?, cu
na ra de Apollo n. 4 com o 8r. .Lo do Ri go
Lima.
Para a fes la
Azeitonas novas a 10280 a ancorelae320 a gar-
rafa, farinha do remo a 140 a libra, toucinho a 4C0
rs., banha a 640, manteiga ingieza a 10, cha miu-
do a 236(10, caf a 260, qooljos a 35. vinho de Lis-
boa a 360 a garrafa, e 20600 a caada, Figceira
puro a 480 a garrafa e 30800 a caada, gaz liqui-
do a 130 a lata e 560 a garrafa : no irraazem da
Estrella, largo do Paraizo n. 14.
EG Na loja de Andrade & Reg, ra do Crespo n. 8,
esquina da ra do Imperador, continua a vender-
se superior algodao da Baha por menos prego que
em ouira qualquer paite.
Gaz idrogeneo primeira
qualidade
Na ra Nova ns. 20 e 22. no grande ba-
zar de Carneiro Vianna.
1
\
/


X

cSr^^t!^ TJ55
i) mil
N. 11Ra do Queiniado~N. 11
A' casa de Augusto Porto chegaram pelo vapor francez ricos cortes de
vestidos de seda de cores dos mais bellos gostos, proprios para bailes,
partidas ou casamentos.
Olales de Guipure pretos e brancos.
Bonets de palia da Italia para senhoras.
Moir branco e preto.
Bonita seda para vestidos,
Casemiras de quadros.
Esteiras da India para salas.
Madapoloes francezes a 400 e 500 rs, a vara,
lilas para vestidos de diversas qualidades, e
gostos diffreentes,
Q que tudo se vende pelos mais commodos precos.
. ..dUL .-
*$&#
CORTES 1IE SE1VI
Chegaram pelo paquete ioglz riquissimos cortes de moreaatique de cores, e seda lavrada pa-
*r5es mteiramente novos.
Seda de quadros por 1$000 o covado
5-RUfl D CRESPO-5
Gregorio ae.v do Amaral fc Companhla.
Para vestidos de senhora.
Cortes de seda de cor de bom gosto e superior qualidade.
Lindas sedas de quadrinhos.
Buds moireaniiques de cores.
Grosdenaples da todas as cores.
Lindos poil d clievre fazenda assetinada de inteira mvidade.
Lindas duquezas assetinadas fazenda inteiramente nova.
Modernos grenadinesde seda oque tem vindo de mais novo.
Grande variedade de las de cores lisas e de salpicos.
Onrandys c ca sas de muito bom go4o.
Percalias modernas com grande variedade.
Linios cortes de 13a Clotilde com todos os pertences cada um era seucar-
' i ini jiramente novos.
B ms cartea de ca*sa cot barra tambm inteiramente novos e outras muitas
fazendas de gosto quesera enf.idonho mencionar.
fp Para hombros de senhora
,"'' Grande variedade de chales, bournoux, retondes e algeriennes de fil e de,
guipare a 10, 16, 20, 30, 40, 60 at 803-
Modernos soutembarqaes de seda de superior quadade.
Lu k bertcs de seda de cor pretos e de cachemira.
Mem de cambraia branca bordada com muito gosto.
Sautembarqnes ebournoux de cacliimira da cor e outros muitos artigos de;
'bom gosto.
: Para cabera de senhora '
Superiores chapclinas de palha, de seda e de crina de muito bom gosto a im-'
P 'fatriz.
ji Chapos de palha da Italia grande variedade. (
Lindos gorros e bonels de palha de Italia, Imperatriz, Canutier, Clotilde'
a Grante, chegados de Pars pe'.o ultimo vapor.
Grande variedade de enfeites de froco e de llores para casamento.
'. iporiorea vestidos de brande, e de rmireantiqae brancos.
Rons m ureantiqnes brancas o superiores sedas brancas.
Bons vestidos d; tarlatana branco bordidos.
Lindas mantas de blinde e boas capellas.
ItoriLidos.
Grande variedade de entremeios bordados transparente e tapados.
Tiras bordadas transparentes e lapadas, babados bordados, saias bordadas e
_- litros muitos artigos.
IjOJI DAS COIiUlHMLS
DE ANTONIO CORREl l>E VASCONCE.LOS fe C.
RA OO CRESPO IV. 13

. ^
a ni*

*fe
LORIBA
ilf*v;
Mil
-
f
itt
K4
m

j j.sii' f^r *
DE
nMY&ULNMAN
A agua florida de Murray A Lanman
olbada como um artigo de perfume, nao
tcm podido ser igualada pelas preparacoes
as mais custosas: conserva seu aroma, co-
ido se formasse parte da prenda a que ella
se applica.
Sua oilii'acia to delicada, como elegan-
tes sao seus multiplicados usos, qur seja
empregada como artigo de toucador, qur
bo n so ilo banho, ou como suavisador da
pelle, depois que te tenlia feitoabarba;
j para limpar as gengivas ou aromatisar o
balito.
Da suavidade, brilho e elasticidade as
c imj' ii.oe-, dci'ois de se baver lavado; al-
livia 3 irritarlo de erupces ordinarias; faz
desapparecer o desagradavel aspecto dos
pannos, das sardas, do rosto, rugas e toda a
casia parle onde quer que se applique. Sua efi-
ciencia e elegancia sao igualmente infalli-
veis i os casos em que seja preciso applica
la como estimulante e antisptico, nos con-
cn sos e assemblas numerosas, as loca-
lidades infeccionadas, na alcova de um en-
fermo, assim como um antidoto exceden-
te pina os desmaios causados por cansado
ou suJocarao Preparada nicamente por
Lanman .v Kemp, Nova -York, e a venda por
Ca i & Barbosa.
Joo da C. Bravo & C.
Deposito geral em Pernamnncu ra d
Craz a.22 em casa de Caros & Barboza
Bichas de Hamburgo m
todos os paquetes da Europa se recebe R
destas amigas do sangue humano e se 1&
vendem a troco de pouco lucro s afim 9
de ler sempre rasa nova : a loja de bar- 35
- beiro ra estreila do Rosario n. 3, ao p j^
J5S da igreja. [
^wmmm mmm mm^mm
colares Royer ou colares ano-
dinos
para facilitar a denticao das crianzas e preserva-
las das convulsoes.
O feliz resultado obtido immen*as vezes pela
prodigiosa forca magntica dos colares Royer, nos
casos de convulsoes, e denticao das enancas, tem
altamente elevado o seu bem merecido prestigio,
e hoje j se pode direr que esto geralmeote con-
ceituado?, e estimados de innumeraveis pais de
familias : de uns porque do uso desses salotares
colares viram salvos do perigo seus charos fllbi-
nhos, e de outros porque colheram daqaelles to
proficuo exemplo para igualmenie preservar os
seus. Assim, pols, a aguia branca, tendo em vis-
tas a utilidade e provea desses prodiffosos cola-
res anodinos on Royer, mandoa vir o novo sorti-
meDto que agora recebeu, e continuar a recbe-
los para que em tempo algum a falta delles possa
ser funesta ao- pas de familia, os quaes flearo
certos de os achar constantemente na ra do Quei-
maao, loja d'aguia branca n. 8.
araado.
Francez barrica 54000
Fortland dem 84800
Em perfeito estado:
Francez barrica 104600
Portland idem 124000
No arrnazem de Tasso Irraos ees do.'ApolIo.
Vendem-se duas escravas recolhidas, de ida-
de 23 a 24 annos, excedente conducta, engommam
perfeitamente e fazem todo o servico de urna casa :
na travessa do Carmo n. i. ________________
Vendem-se quatro burras mulo mansas, boas
de carga e de seila, por preco coramodo : a tratar
do hotel de Franca.________________________
Machinas para descansar
algodao.
De novo modello : na ra Nova n. 20,
no grande bazar de Antonio Duarte Carnei-
ro Vianna. _
Na ra do Vigario n. 2*, primeiro andar,
vende-se o segninte :
Caf lavado do Rio do mais superior que tem
vindo ao mercado.
Gomma de mandioca superior em saceos.
Esleirs de palha de carnauba muio grandes e
novas.
Cabecadas com duas redeas a ingleza, mana-
factura nacional da provincia do Oara, as quaes
pela elegancia e bemf*-itoria da obra, convfdain os
amadores da bella montara a arreiarem seus ca-
vallos com elegancia, sendo que, em conwqoencia
da modcidade do preco ninguem deixara' de
comprar. ____________________
Giimma de milho hrauc-o smierirann.
Esta preciosa fcula, cujas propriedades medi-
cioaes a imprensa europea tanto tem exaltado pa-
ra a cera das molef tias do peito, recommndas8
umbem como alimento sarita e nutritivo para as
cranlas preslaodo-se a variados preparos culina-
rios. A gerjl ac*-itaeo que ella tem obtido por
toda a parte, o seu maior elogio. Deposito em
Pernambuco ra da Cadeia n. I.
Vndese nnicamenie a retalho na roa do Impe-
rador n. 37, arrnazem allianca.
Diarlo jt Pernambnco Megnuda t3 de Drzembro detS^i.
>^3>^S^0
^P^^^0
AO RESPEITAVEL PUBLICO
A tabella abaixo publicada serve de base de pregos,
tanto deste arrnazem como do arrnazem progressivo pa-
teo do Carmo n. 9, principal arrnazem ra do Impera-
dor u. 40.
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
genhos, lavradores e mais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
Deraram os propietarios dos tres grandes armazens, reunir todos os seus estabeleoi-
tnentos em um su annuncio, pelo qual o preco de um ser de todos, promette-
mos que Do infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, aununciar os gneros
por um pre^o, e na occasiao da compra quererem por outro, cuino socede constante-
mente em outras muitas casas, poror nos nossos estabelecimentos nao se dar isto
ainda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
sero tam'.em servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela qual se ver os precos tal qual annunciarmos, o que seno arrepender pessoa
alguma que fizer sua despenda em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
Manteiga hgleza perfeitamente flor che-
gada ltimamente de i.oooa l.ioo rs. a li-
bra, e em barril ter abatimento.
Manteiga franceza da safra nova a 86o rs.
a libra e em barril ter abatimento.
BANHA.
Banlia refinada superior a 6io rs. e em
barril ter abatimento.
311
Cha uxim de primeira c superior quada-
de a ,8oo rs.
dem hyssen o melhor neste genero a
2,6oo rs., e sendo em porco ter abatimen-
to, tambem ha proprio para negocio de 2 a
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de 1,800 a 2,300 rs.
a libra.
Biscoiitos
Latas com superior biscouto inglez de di-
versas marcas a 4,2oo rs. a lata.
IBolaehlnhas
Latas com bolacbinhis da acreditada fa-
brica do beato Antonio, proprias para dar a
doentes de 2,000 a 3,ooo rs. a lata.
dem com quatro libras de bolachinha de
soda a 2,000 rs. a lata.
Gueijos
Queijos flamengos chegados no ultimo
vapor de 2,6oo a 3,ooo rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespanhol a 1,000 el,2oo rs.
a libra, francez e soisso a 1,000 rs. a libra
e portuguez a 81)0 rs. a libra, em porco
ter abatimento.
VINHOS

Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, comosejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Velho Secco, Lagrimas do
Douro, Maria Pia, D Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a 1,000 a garra-
fa e 9.000 a 42 000 rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3,ooo,
3,5oo e 4.000 rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 64o
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
ancoretas de 8 e 9 caadas a 2i,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
faixas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,000 rs. a caixa e
7oo rs. a garrafa.
CAFE
Caf do Rio de i .* e 2,* qualidade de
6.800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
SABIO
Sabao maca de primeira qualidade de 18o
a 22o rs. a libra e de 16o a 21o rs. sendo
em caixao.
Serveja
Superior serveja Bass dos melhores fa-
bricantes, como sejam: Shlers & Bell. T. F.
Ashe a 7,000 e 7,000 rs. a duzia e a 7oors.
a garrafa. Tambem ha de outras marcas
como seja: Victoria e Alcope a 5,ooo rs. a du-
zia e a 5oo rs..a garrafa.
Vinagre
Superior vinagre de Lisboa a 2,000 rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ha
mais baixo para 2oo rs. a garrafa e l,4oors.
a caada.
Azeite doce
Superior azeite doce de Lisboa a 01o rs. a
garrafa e a 5,000 rs. a caada.
Massas
Macarrao e talaerim a 360 rs. a libra e a
5,ooo rs. a caixa.
Passas
Superiores passas a 3,ooo o quarto e
12.5oo rs. a caixa de arroba hespanhola e a
5oo rs. a libra.
Genebra de laranja verdadeira a lo,5oo a
duzia e l.ooo rs. ao frasco.
Genebra de Hollanda verdadeira a 6/100
'rs. aftasqueira e a 5Go rs. o frasco.
Idom de Hollanda em botijas a 4oo rs.sa-
da ums.
Garrafes com 24 garrafas de genebra de
' Hotlanda a 8,000 rs. o garr.-fao. Tambem
I ha garrafjes com 5 e 14 garrafas de 3,2os>- a
; 6,000 rs. cada um.
VELAS
Velas de spermacete a 64o rs. a libra.
Mem de carnauba de lo a 12,ooors a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
PE1XE
Peixe em latas j preparado de 1,00o a
l,2oo rs. a lata
ALPISTA E PAINQO
Alpista e painco sauito novo de 3,800 a
4,000 rs. a arroba e de 14o e 160 rs. a ii-
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mais acreditados fabrican-
tes, como sejam: Joao Furtado da Serrias,
Manooi Peixoto da Silva Netti, Castanho 4
Filho e Brandao e de outros muitos. os
quaes vendemos pelo mdico prego de 1.600,
2, 2,8oo, 3,5oo, 4,5oo, e 5,ooo rs. a o?ixa.
Licores
Licores francezes e portuguezes a l,ooo e
l,4oo rs. agarrafa ou frasco.
Doces
Doce da casca da goiaba e caixoes pe-
queos a 7oo rs. e de 5o caixoes para cima
a 64o rs. o caixao.
Frats
Frutas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pera, pecego, ameixa rainha Claudia, al
perche e outras frutas a 00 rs. a lata.
Tambtm ha latas grandes para l,2oo rs. a
lata.
CONSULTORIO MEDICO-CIRllGICO
DO
)R. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MEDICO, PARTEIRO E OPERADOR.
. 3 Ra da Gloria, casa do Fuudao 3
0 Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os das das 7 s 11
aoras da manhao, e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepeo dos dias santificados.
Pharmacia especial ttomeopathica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sorlimento de carteiras
rabos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisacoes e pelos precos seguintes;
Carteiras de 12 tubos grandes. 123000
de 24 tubos grandes. 183000
de 36 tubos grandes. 243000
de 48 tudos grandes. 303000
de 60 tubos grandes. 353000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedioi
me se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 13000.
Sendo para cima de 12 custar5o os precos estabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
A melhor obra da homeopalhia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jaih
dous grandes voltimes com diccionario............ 20300^
Medicina domestica do Dr. Hering.........\ 103000
Repertorio do Dr. Meli*' Moraes........... 65000
Diccionario de termos de medicina........... 330OO
Os remedios deste estibeleoimento sao por demais conhecidos e dispensam por
tanto de serem novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios
verdadeiros, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de
Terdadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservado, tintura dos mais acredi-
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparado, e portanto a maior
energa e certeza em seus effeitos.
Casa de mude para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualqner
operaco, p ira o que o annunciante julga-se sufficientemente habilitado.
O Iralamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica,
funecionando a casa ha mais de quatro annos, ha muias pessoas de cujo conceito se nao
pode duvidar, qae podem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se 23 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 13500.
Asoperacoes sero previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
razoaveis que costuma pedir o annunciante.
Uvrtf n do
Baloes econmicos.
Baldes econmicos.
A' loja do Balao.
Estes bales sao encarnados e por isso que merecem o nome de econmicos,
pois como todos sabem, a cor encarnada nao sugeita ao sujo como os brancos, e tem
lido preferenc a a todos os outros, ha tamhem com os arcos brancos e pardos; final-
mente ha um completo sorlimento dette genero indispcusavel ao BELLO SEXO.
DE
AZEVEDO FLORES
Kua da Cadeia do Recife, esquina da Madre de Deus.
DE
CUSTODIO CARVAIiHO C.
27 RA DO QUEnMADO N. ti
Madapolao francez muito fino, tendo pouco mofo, cada pega com 27 varas por
103000.
La de ci res a 300 rs. o eovado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a preco de 800 rs a vara.
Lencos brancos para algibeira a 23 OU a duzia.
Fimsperclaras a prego de 400, 440 a 560 rs. o covado.
Ricos cortes de la de barra de 103 a 303000.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.
Uvas pelo ultimo vapor.
Peras pelo ultimo vapor.
Macaas pelo ultimo vapor
Ameixas pelo ultimo vapor.
Passas pelo ultimo vapor.
Fkos pelo ultimo vapor.
Fructas seccas pelo ultimo vapor.
Fructas em calda pelo ultimo vapor.
Nozes pelo ultimo vapor.
Queijos loDdrinos pelo ul'imo tapnr.
Queijos flamengos frescos pe'o ultimo vapor.
Presunto fiambre pelo ulmo vapor.
Tudo se vende barato ms seguintes armazens:
Ra do laiperador n. AO, Verdadelro Prlaeloal.
Rna do Qnelmado a. 9, Uatio e HiaX
l^argo de Carmo O, Progressivo.
Grande novidade.
! Lonren^o Peraira Mendes Guimare?, proprie-
\ tario da graod." loja e arrnazem da Arara, ra da
lmperatiiz n. 5G, declara ao respeitavel publico e
seus freguezes, que n-cebeu diversas qualidades
de fazendas vindas pelo vapor francez, por isso
como a festa est quasi acabada resolveu vender
barato para acabar at o liui do anoo.
A noviildde, chales de reada a 163000.
Vendem-se rices chales de renda muito finos e
novos a 105, 12& e 135, retundas muito finas a
12 e 155, soulembarques de grosdenaple a 18A,
205 e 255, rapas pretas de grosdenap!* a 205
25'5. soulembarques de laazinha a 55, ditos bran-
cos finos a 85 : ra da Imperatriz, iu;a da Arara
n. 56,
CortM Maria Pia a 83000
Vendem-se riees cortes de vetido de cambraia
bordados a la e seda a 85 e 105, ditos de laazinha
finos a 8j>, 125e <65. cortes de cambraia de ba
hados a 35, ditos de cassa franceza finos a 35,
pefas de cambraia branca fina a 35, 45, 55 B 65,
ditas de cambraia para forro a 25, eortes de chi-
tas a 2&200 e 35 : ra da Imperatri?, loja da Ara-
ra n. 56.
Cassas fraiceeas a 300 rs., chitas a 210.
Vendem-se cassas francezas finas a 300,320 e
360 o covado, chitas finas a 240, 280, 320, 360 e
400 rs. o covado, alpaca de cor para vestidos a 320
o covado : ra da Imperatriz loja da Arara n. 56.
liazinlias a 210 o ci>adt.
Lazluhas a 2M), 320 e 3G0 o covado, ditas lisas
finas a 400 e 500 rs. o covado, ditas escocezas fi-
nas a 500 rs. o covado, lencos de seda a 6W, 800 e
15 : ra da Imperatriz, loja da Arara o. 56.
Baloes a 23'>0.
Vendem-se baloes a 25, 2*300, 35000 e 35500,
saias bordadas para senhora a 75, oiinlias para
senhoras e meninas a 240 e 320, camisinhas para
senhora a 15, 25, 35 e 45 : ra da Imperatriz,
loja da Amara a. 56.
Itnnpa feila, caifas 23000.
Vendem-se calcas de briui pardo e de ganga a
25, ditas de brim branco a 25500, 35'>'0 e 45,
ditas de casemira de cores e pretas a 55,65, 7* e
85, paletoU de casimira a 55, 65. 85 e 10$, ditas
de brim de cor a 25 e 3, de alpaca preta a 35 e
45, camisas francezas a l500, e 25500, dilas
iog'ezas, pregas largas, a 35500 e 25500, ceroulas
a 15600 e 25, e outras muita* fazendas que se nao
pode mencionar por e com a vista do comprador observarao o que ba-
rato e bom, ilo para agradar aos seus freguezes
que honram a grande loja e arrnazem da Arara,
ra da Imperatriz n. 56.
Chalas de mrri a 23000.
Veodem-se chalas de mei in e.tampados a 25,
dims de lia a 15 a 15*80, chales de merino mui
to finos a 4, 4-5500 e 65500 : ra da Imperatriz,
loja da Araran. 56.
Rom e barato
Manteiga ingleza flor a 15 a libra, franceza a
840, arroz do Maranho a 100 rs., paioro a ISO,
amendoas a 24", caf do Rio bom a 240, vinho dx
figneira a 400 rs. a garrafa, e 35 a caada, Lis-
boa a 3i0 a garrafa, e 35600 a caada, azeite dore
a 600 rs. a uarrafa, vinagre de Lisboa a 208 rs. a
garrafa, e 15500 a cariada, queijos do aPimo vape
a 2.-300 : na ra das Cruzes n. 24, esquiua di
travessa do Ouvidor.
Algoddo trangado
da fabrica de Fema Velho : no pgcriplorio de
M-m.iei Ignacio de Oliveira & Futi, largo do Coj
po Sanio n. 19.
I Rival sem segundo
Ra do tyueimado ns. 49 e 53, leja de
niiutiezas de tres portas, est quei-
in.in:io tudo bom e barat, quem qni-
zer ver c admirar > cnlia loja do
Biiotiinlio.
Caixas de- papel amizade, e sem ella liso e pautado
a 600 rs.
Grozas de botoes de louca prateados fazenda mo-
derua a t60 rs.
Duzias de peona de ac fazenda boa a 40 rs.
Pegas de trasca de laa lisas e de todas cores a.
40 rs.
Escovas Seissimas para limpar denles a 240 e
320 rs.
Pegas de Ota de eos estreilas com 10 varas a
320 rs.
Caixas com clcheles francezes, superiores quali-
dade a. 20 rs.
Tinteiros de barro, com superior tinta- a 100 rs.
Pecas de cordo para vestidos, fazesda boa a
20 rs.
Baralhos muito finos para voltarete a 200
240 rs.
Latas eom superior banha a 200 s.
Fraseos de marac perola muito ino a 200 rs.
Fraseos e garrafinbas com agaa de Colunia, a
40Ors.
Frascos graBdes com superior agua de Colojsia a
640 rs.
Caixas com 12 frascos de ebeifos muito fiaos a
?5400.
Sabooeies pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
320 r.
I>uzia de sahonetes pequeos eem cheiro a 709 rs.
Agua dennfice superior qualidade a 800 rs.
Caixas com superior p de arnox a 800 rs.
Frascos de superiores essenetas santal e outros a
15200.
Frascos com essencias para tirar Boduas de rouna
a 300 rs.
Frascos com cheiros de todos os precos a 160,200.
240 e 320. *
Frascos bonitos com cheiros fieos a 500 rs.
Duzia de meias muito linas para senhora a
45800.
Gollinhas muito finas para senhora a 200 rs.
Caixas com soldados de chambo para meninos a
160 rs.
Pecas de fita de lia para debrum de vestido, com
10 varas a 600 rs.
Ditas de bicos superiores, para acabar a 600
800 rs.
Pedras de lousa para meninos a 160 rs.
Bonicos de choro e panno a 180 rs.
Caixas com bonitas estampas para rap a 100 rs.
Capachos compridos, boa fazenda a 500 rs.
Grosas de botdes pequeos pretos para calca a
varas de cordXo de espartilho a 10 rs.
Novellos francezes com 20* jardas a 40 rs.
Pecas de tiras bordadas a 640.
Duzias de meias cruas muir fortes a superiores a
35800.
AttencHo.
Vende-seosegninte na roa da Cruz n. 2.1, pri-
meirn andar, escriptorio de Antonio de Almeida
Gomes :
Estopa de 40 poilegadas de largura.
Superior vinho de nhamnacne em figos, conten
po garrafas e meias garrafas.
rl de Lisboa.
Vende-se ral de Linoa no** sem pedra : no e-
criptorin de Jos Perora da Cunta & Filhos, ra
da Cadeia do Recife n. II.
/
*\i mi -a i i.


,u
Diarlo lie pernambuco Segunda 93 Je Dezembro de f 865.
9 NOVO GERENTE
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
5m & Jibinii idi si dhm B'ja
AO
UESPEIIVVIIi PUBLICO.
A apreciago dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
cent da Liga estabelecido ra Nova d. 60 am magnifico sortimento ;de molhados,
que sendo em sua maxim.i parte mandados vir directamente do estrangtro"podem ser
wndidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm .iffiancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas :
1/ Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3." Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sua posicSo social gozam de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condi?5o do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquellos que sao pooco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de
muitas patacas, afreguecando-se nesta casa, onde se Ihes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem veBder.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devera vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quisto se pode vender barato.
Para os senhores que compram para tornar a vender existe om sortimento espe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhores
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DIMHEIRO A VISTA:
\ i Graixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
ALPISTA a 120 rs. a libra. ( urna.
dem e patuco de oito libras para cima a j u
i00 rs. KIRSCH de Wasser a 2J a garrafa.
Arroz de 90 rs. a libra a........ j,
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra. LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Aveiaas a 210 rs. a libra. Letkia a 400 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os ta-
annos.
dem idem em potes de todos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
Edem idem em frascos de todos os tama-
nhos.
Azeits doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Alhos a 200 rs. o raolho.
Absyntho a 2^000 a garrafa.
O < O 35 3- 0"2 CS^Hg
^ C Q O T ---*< u O O o
d>" g a 2. sr-9 g a.
=3"0 O. V Si ? Q.CB__ T3
5 -
1 CO-u
5T
lljlls>S^S,Sl!!}rli'>4
tsi
5 R'ITMgAe ojo??
_B0.0t>'n O. S"
Grande loja e armazem do
Pavao.
Roa da Imperairiz n. 60. de Gama Silva.
Tendo os proprielarios d'este estabelecimento de
AGUA BRANCA
Ra do Queimado d. 8.
A loja da aguia brauca acaba de receber
um
RIVAL,
Rua do Uueuiado iis. 49 e .
as nuudeza juc abara
Contina a veudt-r ioda.-
liquidarem um grande poreo de suas fazendas,! novo e grande0sorlimenio de difTerentes objectos u.!3ecCUra p' pres ?n"ravei!i-
2 ,S
o mcra
S

W
<
B 5. -5-
S.8 3.
'&
5
o

8
|
M
D
CB
S"
S
H
o
o
CU
o
O.
o
2 5?
M
-i a

O
at ao m do corrate auno, alim de fecharem con-1 de gosto e ultima moda, sendo :
las e apurar dinheiro, resolverara vender todas as Bonitos eufeites para senhoras gostos
fazendas coro grande abatimento era presos, tanto mente novos.
en porgo come a retalho, e por isso previnem a \ Ditos ditos de grade com contas grandes.
todos os seus fregoezes, e ao respeitavel publico, e j Lindas Uvela itra
as pessoas que negociara em pequeua escalla com agradaveis e diver
fazendas. que oeste estabelpcimenlo encontraro tartaruga, are e douradas.
ssos ae paliios lixados para eni-s a 100 rs.
inteira- ^P6'"08 de molduras domadas a nuo, 240 e J;) r.
lionets de oliado para meninos ai
Ditos de couro superior azenda ai
fe
s
c
u
MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 1$, a libra.
Mah.mei.ada dos mais acreditados fabricantes.
Macarro e talharim a 320 rs. a libra.
Massa be tomate a tUO rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho iNGLEz de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas unas para sopa branca e amarella a
G0 rs. a libra, em caixas om 9 libras a
36500.
Tasso Irmaos
Vendem no sea armazem na do
Amerim n. 35,
Licor fino Curac^o em botijas e meias botijas.
Licores unos sortidos em garrafas com rolbas el
vidro e em lindos frascos.
VinhosUheres.
Santernes.
Chambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatei.
Beino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagaiol.
0 castello de Grasvile.
Traduzido do franca por A. J. C. da Crni.
Vende-se este bello romance em quati
tomos pelo baratissimo preco de 300C
na praca da Independencia, livraria ns.
6 e8.
Vende-se um sobrado de dons andaras no
I airro de Santo Antonio, o qual rende para mais
de 1:200, e urna casa terrea no birro da Boa-
Vista a tratar cora agente Olympio em seu arma-
zem na ra da Cadeia do Recite n. 34.
des cara cintos com moldes Frascos com 8l*ur ,in,a roc"a a -''" '-
STJHUSF madreuerla Meiadas de llBha rrtlXa 'ara Lt"d;il1" K 0"
r,rt,qc maarei,erola' Ca;xas com iUO envelopes.fazena fica a 6t) rs
de
Uta
trabalhar nao
descaro^ar algodo
1-iirJ)
FAKKICADAS
em
. 'Milho paingo e alpista, sende mais de 8
iaiasl bras a 100 rs.
BOLACHINIIAS do Beato Antonio
grandes e pequeas,
dem do Principe Alberto a WOQ a lata, e N0ZES m ,b
de cinco para cima a 1/0G ; N fa a
dem de sola em latas graneles a 25000 e
de cinco para cima a 10800.
Bisamos inglezes de todas as qualidades s
15200, 15250 a 15300.
Bolo francez em caixinlias a 400 rs. cade
urna.
Batatas inglezas.
Ba.mia de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a G00 rs. a libra.
dem suisso a 15 a libra.
dem de musgo a 15300 a Irbra.
Choi'ricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 210 e 2G0 rs. a libra, e em porcS
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 75000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orchata, etc., etc.
Cucaras e ires a 15800 a daa.
Cerveja da superior marca Teoente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
O
Ostras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a 15C00, de
todas as qusiidades, como sejam save!,
gt>ras, corvina, pargo, salmo, pescado e
pescadinha, iinguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparago.
Palitos para entes a 120 rs. o mago muito
grande.
Passas era qnarto a 15400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs, a duzia.
a
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra.
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QUARTINIIAS OU MORINQUES a
It
RAPE' Mearen a 15 a libra.
dem Princeza do Itio a 5200 a libra.
dem francez s 25300 a libra.
Por Plant Brothers & C.
0I.DAS
jP \\ __ Estas machn
'._ V, -.#'-fet. Podemdescaroca
' Kvsffi^f^.walqner especi
l_i.de algodao sea
. estragar o fio.
V\ A v<'m-T^ sendo
" ^ k^-ffltg
um grande sorlimento que multo Ihes nao de agr
dar tanto em precos como em qualidade; as.im
como mandara pelos seus caixeiros levar as fazen-
das e amostras as casas das familias que nao po-
derem vir a loja, ou do as amostras deixando fi-
car penhor.
mili i-ai as lisas a 3500O, la leja do
Pava.
Vendem-se pecas de cambraia lisa branca e
transparentes, teudo oito e meta vara cada peca,
lelo barato preco de H&'iOO, ditas muito tinas, por
'oo,, 6^ at H>, sendo tapadas e transpa-
rentes, assim como cortes de cambraia com Min-
eos a 25500 : isto so na loja e armazem do Pavao,
na ra da lmperatriz n. 60 de Gama A Silva.
As eanmiuhas do Pavo.
Mendem-se as mais modernas camismbas borda-
das com manguitos, para senhuras, sendo as mais
modernas que tem viodo ao mercado a 4500, di-
tas com manguitos, para acabar, a Ki ; ditas pre-
tas com manguitos para luto a 580U rs.. mangui-
tos e goliohas pretas a 1,5, finsimas golinhas de
cambraia branca bordada a SUO rs., calciubas para
meuina a 640 rs., romeiras de fil e cambraia
branca bordada a 15600 : na loj do Pavao, ra
da lmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Ctales de merino a 25U00.
Vendem-se os mais modernos chales de merino
estampados a 2000eada um, havendo tarabem um
grande sortimento dos mesmos matizados que se
vendem a 65, 75 e SfOOO : na loja e armazem do
Pavo, ra da lmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
As saias do Pavao.
Vendem-se as mais finas saias bordadas asagu-
Iha brancas sendo da melhor fazenda que tem vin-
do neste genero, tendo mui a roda, pelo baratissi-
mo preco de 105000; ditas bordadas a croch a
65CO0 e 85000, ditas com babadmhos a 950G0, na
loja e armazem do Pavao, na ra da lmperatriz o.
60, de Gama & Silva.
Notos vestidos do Pavo a 105000.
Chegaram para loja do Pavo os mais ricos cor-
tes de vestidos d cambraia transparente cornos
mais delirados bordados de dillerentes cores a pon-
10 de agulha, sendo u'este genero a roaior novida-
de que tem vmdo ao mercado, garantindo-se o te-1
rem minia fazenda e enfeites sufficientes para o
corno e mangas, e vendem-se pelo barato preco de '
105010 cada um, na loja do Pavao, na ra da lm-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Os esparlillins do Pavo.
Vendem se um grande e variada sortimento de
espartilhos os mais bemfeitos que tem vmdo ao
mercads, sendo de todos ns tamanhos pelo baratis-
simo prego de 45, 55, e 65000, por haver grande
sortimento, na loja do Pavo, na ra da lmperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Retondas pretas a 125000,
Na loja do pavao.
Chegaram pelo ultimo vapor as mais ricas Te-
lendas de renda pretas, sendo das mais compridas
que tem viudo ao mercado, e vendem-se por prego
muito em cunta : na loja e armazem do Pavflo, ra :
da lmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Crteti de casimira, pichincha,
A 25800, na loja do pavo.
Vendem-se bonit< s cortes de casimira de cures, i
tendo claras e escuras, e vtmdtm se pelo baritis-
simo prego de 25800 o corte, ou vende-se a roes-
de
ditas.
Gratas de pennas deago, fazendatupenor a 500rs.
botes maareperola linos .-. oWi
Boas e bonitas mas actiaroaloladas para u...
Dites de dita de grosdenaples lisas e lavradas 0 ":
com novos e agradaveis desenhos. i ..,c -A ...,i j .- L .
Trangas pretas de seda cura vidrllhos' moldes t^Z*g"J* ** 6?* **>**
novos e de costo. U.xas ton. superiores obreas de c I. a U'i 80 rs.
Bicos brancos epretos de seda com idiilhos e Vg* y**1- *"'* CT 9 v '" ^ ls
de d.flereiites larguras e bonitos desenhos. P*" eDr"e8
Cascarrilha de seda com diversas cores e lar
guras, formas inteiramente novas a imilago de
palo, babadiuho e outra com urna translnha no
centro o que Ihes da omita graga.
Outras estrei-as e largas guarnecidas de bico
de seda obra de muito gosto.
Oolras de cambraia de cores.
Boioes de seda, velludo e ago para enfeites de
vestidos.
&U rs.
Barallios dourados superiores qualidades a 400 rs.
iNuvellos de linba com 400 jardas a -ii i>.
Luros para assentos de roupa lavada 100 rs.
Pares de botes para punbo, hienda rica a 110 rs.
Tesouras para costuras soperious ucaliaadesa
400 e 15.
Caixas de pennas de callipraphia, i. yut let a
15000.
Trangas de seda estrellas e largas brancas e de op superiores granipos a 30 rs.
cores para enfeites de vestidos. i ^ar's de sa',atS de ,r8na larel' ;; 'MO.
.>, ,. | Larxas com superiores agolbas a 240 rs.
IOTCS IHUS j Libras de la senidas de bonitas celes a 75000.
CAPELLAS PARA MEN.NAS E NOIVaS. | Caixas com superiores obreas de massa a 40 rs.
A aguia branca a ra do Queimado n. 8, rece- Rodiuhas com allinetes francizes mnitu soperiroi
a 20' rs.
Resmas de papel almaco a 25400 e 35800 rs.
Estovas para roupa, fa'ienda toa a 720 t 15.
Duzas de tesouras com toque de .'twiscmt
600 rs.
Duzas de facas e garfos de cabo pn lo a 35000.
Talheres multo fino para criangas a 240 rs.
Pulseiras para meninas a 32o rs.
Ditas e vollas para senbora a 500.
Fiascos de Acua Florida vtrdadeira a t2(-0.
Frascos rom soperior banha a 240 e 500 s.
dem de superior oleo babosa a 3O rs.
Caixas com lamparillas para 3 neztt a 40 rs.
Varas de babado do Porto a 80 e 14' rs.
Cartas de alfineles francezes a 100 rs.
Quadernos de papel pequeo a 20 rs.
Grvalas de cies, fazenda superior. ;i 00 rs.
de agulhas, futido dourado. a 80.
bran-
beu para vender :
Delicadas capellas brancas para noivas.
Ditas ditas para meninas.
Ditas ditas de caixos de flor delaranja.
Ditas ditas de rosas camelias e oolras.
Ditas ditas ou ramos de trigo.
Diversos ramos de Dores finas para peilo de
vestidos, enfeites de chapeos etc., etc.
/'reparos pata flores.
Na ra do Queimado n. 8, loja da aguia
ca vende-se :
Papel de cores para rosas.
Dito verde para folhas.
Dito dito e pardo para cubrir os talos das ditas.
Musgo em rama.
Folhas para rosas.
Agulhas linhas para crochet. ^
Vendem-se na ra do Queimado n. 8 loja da
aguia branca, assim como aguihas para iranaihr-
se em la.
Papel de sobrecellente para os
phosphurvs hyyicnieos ou de
seguranca.
A vista do grande tamanho das caixinhas dos
pbospheros hygienicos uu de sepuranga, tornava-se
pooce o papel que vero em ditas caixinhas, e para
remediar essa falta a aguia branca mandou vir e
acaba de receber esse especial papel, c qual sa
dar de sobrecellente a quem comprar de taes
phosphoros e se vender indi>tinclanienle a qnero
delle precisar. O prego de cada caixinha de phos-
pboro rontiuua a ser 160 rs., e vendem-se na ra
do Queimado n. 8, loja da agnia branca.
Seda froucha para bordar.
Vende-se na ra do Queimado loja da aguia
branca n. 8.
(bras de crystal.
Brincos de diversos moldes.
Ootrus tambem de crystal de cores.
Outros de aljofares brancos e outras cores.
Aderegos de crystal obra de gosto.
Rosetas de dito e cruzes.
Boioes de diio, brau e de cores para collete.
Dito de dito tambem brancos e de cores para
punhos.
Vollas de dito e outras qualidades.
bastan!
pessoas para
o trabalho; pd
descarogar um}
arroba de algo-
dao em caroct
em O minutos
ou 18 arroba.'
por da ou o ar-
robas de algodac
limpo.
SABO massa z 160 rs. a
faz abatimento.
ibra, era caixa se
Charutos das mais acreditadas marcas, co- ^AL limado em frascos a 503 rs.
Salame de Leitn a 25.
Sardimias de Nzntcs de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas mito grandes a
720 rs.
Stkari.nas a OO rs. o mago.
mo sejam : Normas d'Havana, Exposico,
Flor do Brasil, Parisienses, uelicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Regala, Mississipes,
Paoetellos, Apraziveis. Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
pregos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto pottta branca, etc., etc.. a 25000,
262<>0, 25560 e 25800.
Copos lisos de todos os tamanbos de 20 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanlios a du-
zia a 25500, 35500, 45 e 55.
Cauces de lodos os tamanhos.
Cognac superior a 15 e 15500 rs. a garrafa.
CGAtutos do Kio, pardos, a 80 rs. o maco
de doco macinhos.
D
DOCES de todas as qualidades: brasileiros,
portuguezes, iaglezes, francezes, etc. etc.

ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
rvadoce a 400 rs. a libra.
Sag muito nove a -100 rs.
TGUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas 2 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
VINHOS
!!
a
55000 a gar-
Principe Alberto, de 1831,
rafa ; d vida aos velbus.
Velho 6ecco a 25 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 15500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 25 a garrafa.
Duque a 15 e 15500.
Cha tu isso a 15, 15200 e 15500 a garrafa.
D. Luiz a 15 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 25 a gar-
rafa.
Carca velos a 15.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por n5o ter com-
posicio alguma.
Laoterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 15 00,0 e 660a garrafa.
Absyntho a 25 a garrafa.
Kirsch a 25 a garrafa.
Wermouth a 25, e a caixa a 185.
Bitter Maurer a 15 a garrafa,
, Vinho figueira em ancoreta a 205.
8O0saceos, de todas as qualidades, de to-,dem Figueira e Lisboa em pipa a 25500 a
dos os tamanhos e de todos os precos* caada.
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400,500 e 800 rs.
Figos de enmadre a rs. a libra.
Folio verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 15.500
Faello ha sempre em deposito de 500 a
fazenda muito fina, pelo baratissimo prego de ;>>
cada um : na loja armazem do Pavao, ra da
lmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os cintos do pavo a 1 <'(|00.
Vendem->e cintos de lita com fivelas pelo liara-
lisiimo prego de 13000 : na loja do Pavo, ra da
lmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Vestidos indianos a 300 do |'a>ao.
Vendem-se os mais bonitos corles de vestidos
indianos, sendo mente nova no mercado, e tendo entre elles n uitos
cortes roxos proprios para senhoras que eslao de
lulo; e vendem-se pelo baratissimo prego de 3
cada om psra acabar : na lote du Pavao, ra da
lmperatriz n. 00, de Gama A Silva.
Manguitos c jolas a oOO rs.
Vendem-se manguitos com golas de cambraia
I pelo baratissimo prego de 00 rs., isto para li-
quidar : na loja do Pavao, ra da lmperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Chalfs de ronda a 105,125, IS| 205 e 2o, na
loja do Pavao.
Vendem-se chales de renda preta muito finos a
105 e >2, ditos de linho a tS, ditos de seda de
linho dos meibores que lia mi chales de renda a
20 e 235, drtos brancos de tres ponas a 65, isto
s na luja o armazem do Pavo, rua da lmperatriz
n 60, de Ga-aia & Silva.
PARA A FESTA
Popelinas a iOO rs.
Pupcliniis a ion rs,
Pepduias a loo rs.
Chegaram para a loja do pavao as mais lindas
popelinas, fatenda propria para vestidos de senho-
ra, sendo muito transparentes e brilhantes com as
mais lindas cores que tem vindo, as qnaes facili-
tam fazer-se un vestido com muia phanlazia por
acaba de riceber un lindo e magnifico SOr- ll0,lri) dinheiro, e vendem-se, sendo de quadrinhos
tinento timo e mais apurado gosto da Km opa e ocu-
los de alrajice para tbservagoes e para os
maritimos.
ma fazeuda a l(iio o covado, leudo 6 palmos ue
largura : isto na loja e atmai.m do Pavao, rua da UqUS de di' ei'HlS (UOUUaneS
lmperatriz n 60, de Gama & Silva. Vendem-se na rua do Queimado n. 8, loja da
Os corles de ca^mia do Pavao eo' branca.
Vendem-se superiores corles de casimira, sendo Aspas Ortef para Oal >
TI ^
Assim como mactimas para serero movidas or
nimaes, que descarogam 18 arrobas de aodc,
linpo. nor dik; o olores para luovt'r urna dua
eutr3s dessa^i raic Os roesmosjtein para vender un bellissimo va-
por que pd fazer mover seis destas maohjnai
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores; virera ver e examma-lo, no arma-
sem de algod lo, no largo da ponte nova n.47.
Saundm Brothers I C.
zf. II, bra^a do Corno Manto
RECIPE.
Os arrieos agentes nesto paiz.
Vende-ie om cylindro urna masserra, urna
balanga gram e e ama dita pequea, tom todos os
pesos e mais jiencilios de padaria : a Iraiar na
rua Dueia n 2i.
Vende e urna negrinha de idade de 10 an-
nos : a irat na rua da Imp. ralri/ n. 20,
Framcisco Jos Germano
RUA NOVA N. 22,
barata
Rua
No arnazem de lazendas
s de Santos Coellio
e de
para
ATTENCAO
\ende-se oas otarias de Jos Caroeiro da Cooha'
am frente ao hospital Pedro II, e na rna dos Pra-
zeres n. 38, telha superi ir de barro de agua doce a
304 o milneiro, alveoaria batida a 30, e ladnlho
a 264000. i
lo <|uriinado 11. 19.
Vende-se o secninte :
Oherlas Ditas de ri ta a 25400.
Lentes di panno da linho a 25200.
Ditos de dijo de linho a 25.
Ditos de bramante de linho de um so panno -
35500.
Panno de linho fino com 9 1|2 palmes de largu-
ra pelo baratjo prego de 25100 a vara.
Bramante de linho fino com 10 palmos de lar
gura a 25300 a vara.
Pegas de cambraia com .lpicos brancos
cores com 8 -lia varas a 45SO0.
Pegas de Iramhraia adamascada propria
cortinado deirama com 20 varas a 115.
Ha loe-' do arcos a 25000,34, 35o00 e 44.
Lengos de cambraia fina a 25600 a duzia.
Ditos de dita a 25 a duzia.
Athoalhado de linho fino a 25-800 a vara,
Uito de algodSo a 24 a vara.
Algodo e^festado com 7 1|2 palmos de largura
a 14200 a vara.
Pecas de hrpianha de rolo com 10 varas propria
para ?a,a a 34500.
Fil de linho liso fino a 800 rs. a vara.
Dil'i de dito com salpicos a 15 a vara.
Cambraia de linho fina 45500, 65500 e 95Ja
vara.
Cortes de laazinlia de lindos goslos com 15 co-
vari'is a 55.
Pecas de rna.itfHe finissimo pelo baratissimo
prego de 85, 95, 105 e 115.
Flanella branca fina a 600 rs. o cavado.
Dita de cores fina a 880 rs. o covado.
Baloes de musselioa para menina a 35, 34500
e44.
Cambraia de form a 35 pega.
Dita fina a 45500, 64 e 7 a pega.
Goardanapr. de linho a 34800 a duzia.
Toalhas de algodo felpudas dnzia a 124.
Esteira da India propria para forro de sala de
4, S e 6 palmos de largura por menos prego do
que em outra qualquer parte.
Neste armazem tambera se encontra um graade
sorlimento de roupa feta e por medida.
ChWUem aOS CarpillhOA d Cambraia. Novas camas de ferro de elegantes modelos
Vendem-se corpiohos de cambraia com entre- chamineis e globos para az, lapidados e esmlta-
melos a 44 e 54, esli se acabaudo j aa loja de dos de cores, a preco commodo : do armazem da
Cambraias.
Parede Porto vende cambraias lisas finas, gran-
de sorti.'nento, a 34 al 65, ditas Victoria muito
finas, cora 10 varas a 64, 64500 e 74 : na rua da
lmperatriz n. 52, junto a padaria fanceza.
Farinha a 3#5">
Vende-se farinha de mandioca, saceos grandes
no armazem dos Srs. Tasso Irmaos, ponte nova' Paredes Porto, ra da Iraderairis D..5, pori'a lar- exiwsigSo desondres na da Cadeia do Recite nu
pelo prego cima meacionadof, ga, jon.o a padaria franceza. 1 mero o. 60.
i
MI
na loja do pavao, rua da lmperatriz n. CO.
A 300 o corte,
Vendem-se superiores cortes de cassa, sendojfe-
zenda muito fioa e de cores fizas, pelo baratissimo
prego de 35000, e ditas indianas, fazendas trans-
parentes, de muita phantasia, pelo baratissimo pre-
go tambem de 35, para acabar: na loja do Pavo,
rua da lmperatriz n. 60, de Gama <& Silva.
Vestidos /natos.
Chegaram a' loja do Pavao es mais lindos cortes
de vestidos com o competente zuavo e cinto, vindo
ludo em um carlo, sendo a maior novidade que
tem vindo para a fesla: vendem-se por barato
prego na loja do Pavao, rua da lmperatriz n. 60,
de Gama dt Silva.
Vestidos de seda.
Chegaram para a loja do Pavo os mais ricos
cortes de seda para vestidos, sendo em qualidade
o melhor que tem viodo ao mercado; e padroes os
mais modernos por serem quasi todos listados com
cores mui delicadas, afiangando-se ser neste gene-
ro o melhor que existe : vendem-se por pregos
muito ruzoaveis, na loja do Pavo, rua da lmpera-
triz o. 60, de Gama & Silva.
Para chambres.
Vendem-se as mais lindas chilas pruprias para
chambres, e muito baratas : no armazem do Pa-
vao, rua da lmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Paletots a 2$500
Vendem-se paletots de alpaca preta cem salpicos
pel baratissimo prego de 25500 : no armazem do
Pavao, rna da lmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Melpomenes a 3$500
Chegaram para a loja do Pavo os mais -lindos
cortes de melpomenes, sendo esla linda fazenda
inteiramente nova no mercado, tendo os mais lin-
dos padr5e?, tanto claros como escuros, vindo cada
um arranjado em seu papel, sendo muito proprios
para quem qtiizer dar um vestido de festas por
pouco dinheiro, e vendem-se pelo baratissimo pre-
go de 135300 o corte : nicamente na loja do Pa-
vo, roa da lmperatriz o. 60, de Gama & Silva.
Penteadores
ou roupes de cambraia bordadas pro-
prios para as senhuras vestirem
de manlioa.
Chegou esta novidade para a loja do Pavo, mui-
to lindos e do melhor gosto al hoje, por pregos
muito razoaveis : na Inja do Pavo, rua da lmpe-
ratriz d. 60, de Gama & Silva.
Em casa de Phlpps Brothers 4 C, roa do
Vigano n. 2, vendem-se cofres de ferro, prova de
f-'go, dos afamados fabricantes Milner & Son, de
Liverpool.
Vendem-se na rua do Queimado loja da aguia
branca n. 8.
Crvmacome para. Ungir ca
b rllos.
A aguia branca avisa aos constantes freguezes
desa excellente liulura, que ella acaba de rece-
ber urna nova remessa de cromronte, coloricome
e sabo branco, necessano para lavar os cabellos,
portanto podem dingir-se a dita loja na rua do
Qoeimado n. 8.
A brillares de luvas.
Vendem-se na rua do Lueimado loja da aguia
branca n. 8.
Port biloquis
de bonitos moldes, dourados ecabo de madrepero-
la : arham-se a venda ua rua do Queimado loja
da aguia branca n. 8.
Bonitas tosqninha^
de fil de linho. cambraia e setim todas mui bem
enfritadas : vi-ndem-se na rua do Queimado n. 8,
leja da aguia brama.
Curretfis com retroz.
Na rua no Queimado 0.8, luja da aguia branca
Muita atteugao.
Guimares & Irma" proprielarios do grande ar-
mazem de bztRdas e roupas ft-iias na rua da lili-1
perairiz n. 72, leudo rectludo um grande suin-
menlo de fazendas <- gusto liazulas por um do>
ocios pelo uliimo vapor, vem paranlo fazer selen
leaos senhores e senhoras es pregos de sua fcieo-
das,os proprios afiiaucain vender a.- f-izenita> p n
menos 20 por c.euio do que em ostra qualouer
parte nao s por ser no n.n du aaao como tamben.
por sor a fesla lempo este que as Binas, seiihtras
devem muir se do liom e barato, a saber :
luios corles de la rom barras.
Vende-se um grande sortimento de cortes de
las cora barras tendo lodos os perlences, cami>i-
ijlia com gravalmha e sinlu. si-mlo os mal.- nov, s e
modernos que lera vindo ao mercado, ditos de
phantasia com lindas barras e vendem se por pre-
gos moilo razoaven.
Las escocesas cobi listas de seda.
Vende-se um bonito soriimeiuo de lasinhas es
cocesas a 500 e 660 r<, dita.- transparentes de lis
tas de seda a 320 e 360 rs.
Prrcali.s linas euro lindos desenlies.
Vende-se lindas percatm muito linas a 360,
400, 4m.i e 00 rs., chitas de todas as qualidades >
saber de pregos 280, 320, 360, 400, 440, 480 e
500 rs.
Cassas francezas niudinbas.
Vende-se um grande sorlimento de rassa miu-
dinbas sendo as cores seguras a 280, 360 e 400 rs.
Cambraias brancas transparentes.
Vendem-se pegas de rauu iau- brancas trans-
parentes a 35, 4, 455OO, 55, SOO, 65, 65500 e
75, ditas muito fiuas com urna vara de largura a
95 e 104.
Chales de merino finos.
Vendem-se chales de merm linos sendo com
estampas bonitas e modernas pelo barato pieco de
75, 755OO e 85, ditos lisos coin lidas corea a
45, 45500 e 55, duos eslampados a 25 e 24500.
Crinolinas ou baldes.
Vende-se um grande sorlimento de crinolinas a
25500, 35. 35500 e 45-
Tarlalanas linas a USO rs. avara.
Vende-setartaiana decores pelo barato prego
de 640 e 800 rs. a vara.
h
Na roa Dlreita n. 84, ha
constantemente, para ven-
derse cyiindros americanos
chegados de Pbiiadelpbia c
mez passado
Acha-se
a venda na livraria acadmica, na rna do Impera-
dor; na do Sr.Nogueira, jnnto ao arco de Sanie
Antonio ; e na typographia imparcia!, na rua es
trena do Rosario a compilago de toda a leaislagao
tendente admmi>trago, ameadagao e fisi i-
sago dos dinheiros de orphaos defunios e ausen-
tes, herancas jacenles legados, etc., contando oo
s o ngimeaio de cusas e a lei geral das exe .1-
ges, Como tambem todas as orden- e avisos de
goveroo. que a ludo tem explicado, tanto a re.-,. 1
to das obrigagoes inherentes ao cargo di dilf-n ri-
tes empregados de ju-t.ea e fatenda, cuno dos di-
reitos nacionaes e emolumentos qti a<> dfvidYs.
Este livro contendo mais de 700 pginas era nida
impressao e bem papel, e prestaodo-se alilidada
de dilTerenies rlasses, torna-se rer fflro--Ddave!
Sen cusi 105000 por cada exemplar em dons
omos.
Vestidos
Prohinch sem fffiirJ.
Chepnn a loja de Paredes loilo ddi bonito sor
lmenlo de vestidos de larialata de rores e hr:nras
que serve para partidas por ser un a jl anlvu a-
leiramenle de gusto peto barato prego de V.J e
brancos a 45500, isln aeaband >-se ii" ^rn.;; ::
da porta larga rua da Inperatrit n. .'i2. jante 3 pa-
daria franceza.
Cortina dos.
Chegou a loja de Ha redes Pono nm completo
sorlimento de cortinados man dad u
precii de 254, 355 e 54 : "a roa da Intperati'iz
n. ')2, porta larga junto a ; adari i.neeza.
Kicas romeit; .
Paredes Porto recebeu pelo ullini" paquete om
sortimniio de romeira de guipnre pretas e de
i prego ronmoilo : na run da [m| ratriz 11. .'
I" ila larga junto a padaria franr 1
(tviirde tecla nrln.
Corles (le la oscoceza mfrstaan 1 sra vestido
la/enda .ie olio rs., e-la se v. ndeti .
rs. o covado : ua rua da
orla lar ya.
lmperatriz o. i

3
I. irte-de laa escoce-a pan
le: na roa da Imperan i' n. '-i
ga, innio a padaria franr
a 34
Vendem-ae
Maulas para bomem a I 300.
Vendem-se mantas pira hornero as de roaisgo.-
to qne tem vmdo ao mercado pelo barato prego de
1530O e 14500, todo isto s na rua da lmperatriz
n. 78, loja de Guimares S Irmo.
Tiras bordadas a id.
Vende-se um grande sortimento de tiras borda-
das a 15 cada urna e pecas de entremeios a 14,
142OO e 14500.
Camisas francezas para hoaem.
Vende-e nm grande sorlimento de camisas fran-
cezas a 14800 25, 25500. ditos de peilo de liaOo
a 34. 34SO0, 45 o 44 : isto na rna da lmperatriz
n. 72, loja de Guimares & Irmo.
Roupa feitas.
Vende-se nm grande sorlimento da roupas feitas
machinas anv riCMne .le
algodo : na raa da Seala .vova n
2SCBAT0S PCI? ~
firalifici;V> de M|.
Ansenton'se da casa n. *>9 da raa da
(ooir'i ra Coilegio) no -atoado 16 da 1 rrenie men
e setembiode isn:.,. .-rravopard a>m M i a-
qmm. cc 1 daile II a 21" anno-, -em barba, pe- .1
grandes, rafcf lo corrido, com nm n-?n
e bem vi-ivel na le-ia, parte dos d.nie- da h
airuraados, e com falta de alguns 1! lado--, -ab'o
i m calca de brra> pardo e paJMM 1 .r.m,
mas lev iu mais roopa branra e de rr, e a
a-iiicioso, ci-iorria ratilolar ft f .1-
cado ; f i escravo do Sr. Guilhern"' Ft.d.-rn-. ja
Souza Carvaiho, genro do tinado Sr p mn >-ndnalBj
Manuel Gongalves da Silva rnga-e -a
a Mas as autoridades poliriaes e a onaiquer >.
pitao de campo ou onira pessoa paiiooiar i|u* o
apprehenJer se gratificara com 505. ano. Ja.- o>s
pezas de conduego, enlregando-o 1 h alK-r
Miguel Jos Alves. na aaj cima, ou do >eu es-
cripiorio na nu da Ouz m n. In.
No dia 20 de selembro paOTMW aasnajli *i-
gio do ensenho Terra-prela. doaiiv> --i^nad, c
escravo Juho, crioolo, de airara recular. roaMX
de 30 annos de idarte, pones harba. 'em *$ 1 -- bem
fetos e pernas, mnilo fallante, ale faz r. neo,
tem o dedo polegar de urna Bjfli BM ulo para ibn-
iro, snda rom urna carta fechada, do lejienlr .onv
nel Amaro Gomes da Cunha. .ipadnoiaod i, min-
ea foi sorrado este escravo, fui ha BjBBHn f( rr praita
a focha Lima e Guimares : qo"" | ta* leve ao
mesmo engenho ou no Recife a'rua da Roda a'
Alexandre Correia da C. Jonior, iiu>* sera bem re-
compensado.
Alejandre Correia de C -tro.
Uhbocla iigida
No dia 28 do mez pas-ado fuaio de casa de .--'a
senhor a rabocla Luiza, idade JJ-orjo-, 1.aura
reguiar.com falla de denles, cabello apanda^ > aj
sido encontrada na Soledad'' e nbeia fe Sacio
Antonio, inlilnlando-se forra : quera a levar a rua
de Apollo n. 30, rerebera 204 o>gr libVa^o.
r%iieiiefi>.
Ansentou-se da casa 4 sea aentwr a enanajan ca-
bra de aoroe Mara, conhecida por mo, cm os signaes segorales : alt^. oih s feaHa
assim como sejam : paletots, caigas e colines d | le papudos, ro* falta de om dente na fr. ne, vna
pannos e de casemira lano preta como de cor pa ornas letras atoes no brago direilo. multo |,j
ra pregos mnilo raz veis assim romo tambera tem forra e moilo conhecida, ruja e-craa (> de O.
de brin tiraanos e de coree, seroolas de linho a Mana Bacellar ; portanto rtgi se a- aoton.
de algodo e todo isto se vende por pregos muito poiinaes e pessoas d.> povn qne a apprphrmtam
moderados : isto na roa da lmperatriz n. 72, loja I a levem na raa Augusta o. 26. qne sera rwa>
de Guimares di Irmo. i pensado.



^I""! >Mii'W>r<
8
Diarlo de Pernimhnco Sabbado 93 de Bezenbi
T*JT!?S!Tin 1 ??>'?S e acompanha a pbrase para iaculir. Sao os sig-' rendo com agrado, mas com profaso, sobre essas
il tj"ila.J Qn naes percarsores dos grandes movtmentos. Depois j mnimas questSes, nugas sonoras, qae formam o
ti 1 IrCl^l 1 ft 1 1 A l x x L E A ___X ______h 1 I I I 1 I 1 \ ^ 1 1 i* J K .. i l x x _. I i __ .. Z __ A_________A
Jikc i:s I
oso dos salvadores da disciplina interna,
eigao, era cujo seio, como nos limbos, se!
remendas revoluroes que bao de mudar
Pr>san?a e voz insinuante, phrase e phantasia
arrebatada, eis as prendas que conquistaran) a Jo-
FNtevao i- palrmsde primeiro orador portuguez
i o lagar eminente que occupa as lides parlamen-
tares.
n -nido o assumpto o inflamma, quando sol.re
el] desee a luz que o astro radioso dos poetas.
qo*m oovindo-o, nao sentio correr pelo espirito a
Mmmnc/io irresistivel que s o bello tem o raro
privilegio dj excitar, qualquer que seja a forma e
mimento ?
esta manifestacao de arte urna das mais arris-
ca!:'-, os dotes physicos sao auxiliares poderosos.
N tribuna militas tetes o aspecto completa o
discurso : por isso antes de nos deterroos diante do
orador paremos por alguns instantes a contemplar
O hornera.
Josd Estevao pertence geranio que asisti s
q i la da liberdade em 1828, e que padeeeu por el-
la ni- amarguras do desterro e nos combates.
De estatura mais tjae mediana, esbelta e tocada
de certa arrogancia militar, que l~.e cabe com gra-
e,a, a sua preseaga espirituosa, sympathica e ani-
mi la, attrahe e insinua-se.
O ros* chio e engrapado, as feicSes nobres e
varoois, e nos olhos a viveza rpida, de que o me-
mr impelo faz sciotillar a charama, earacterisam
i .. mais distinctas pbyslonomtas do typo pe-
ni:! -Jar.
A froute, ja despovoada. resga-se espacosa e sem
:. iv ras, em barmoaia com o sorriso, nao desmali-
cii que Iba alegra a bocea.
T las as proporcoes do corpo, quando um gran-
de pensimento o domina, concorrera para o deco-
ro do gesto e da exposiefio ; e as oecasies solem-
oes ningaem excedo a elegancia daquelle busto,
qae a OHtitreza parece ter formado de proposito pa-
ra s tribuna. .
Pi horas de auciedade publica ou nos momen-
1)3 mais graves de urna elevada discussao antes de
abrir os labias ji o silencio de amigos e de adver-
sarios anouncioua voz, que tolos desejam escalar.
nervoso e sensivel, o coragae pulsa-lhe era cada
ra. o enilrasiasmo ou a indigoae,ao aesendem-
Ihe a phrase, e de um jacto fundera a imagera.
Xa ijuestao do Charles et Georges, urna das suas
mais opulentas ostentad-oes oratorias, houvo perio-
js em que o auditorio suspenso pode julgar que
a pobre patria era a que fallava naquelle verbo ve-
hemeate para fulminar o abuso da forc.a contra o
brio.
los Estevao na prosa dos seus discusos 6 mais
pela do que amitos que gosamdas honras de vali-
do das musas. N'iuguem se eleva tanto uas aza
di curo da inspirac/io sem ter recebido de Deus
ere dom facilidades que poneos bao de possuir no
mesmo grao.
A sua eloqnencia, tia mimosa da phantasia,
nan :a hesloo nos grandes rasgos que lirmam a re-
p.it icao do orador.
Devcodo meaos ao estudo e s roeditaedes do que
ai; raptos da espontanea illuminaco, que nelle
aJevi iba tn lo, sera digna dos raoddlos classicos,
se uoisse au; dotes nalaraes os subsidios de urna
vasta leitura e o profundo eonheeimento de tolos
gredos da arte.
Alas i'quem sabe I) talvez perdesse ento a fac-
lidade arrojada que o leva sem hesitar por entre os
pr >. |ua os maior^sengeuhos nao souberam
'ii re evitar.
O tnumph i s a gloria de Dernosthenes sao un-
na historia.
Das ciazas do famoso orador de Alhenas nunca
i vaolou quem Ihe berdasse osceptro.
inhum d p< amigos ou das modernos competi
com i lie e a sentenco proferida pelos mulos do ri-
>'al r- "iii'- .i ma espera de tantos seculos pela
i iri 'i aul ii idade qa i a lia de reformar.
A piella palavra sublime, em que ardiam as iras
'. i nvi diva ao mcsrr.o tempo oreeciam todas as
. do estylo ornando o raciocinio e emmude-
a replica no pastado e no prneote nao ea-
couti pira a ie| rlir.
M rao a grande Bguri de Cicero foi apenas urna
i i ira 11 com o vulto do mostr!
,\ i ii lageiu dos Demosthenei e dos Ciceros nao
t ifi i.....in 11 que a de Homero, do Dante ou de
n. ( i -r.i-M tantos milagrct da apiido i6
mente para sur agradare! ditounador, qus oto it
i, i > o mal elevada menlo, arrollando-
i J c .ni o pangos da tribuna,
malar a Imaginadlo, eobrlMa da iravas
tBuri i vacillar i v >;. 11 rulo I
Por Uso Mirabean, em nmi ipolrophi memora-
i i r itlvoi i malor lia mu lneiaa,oi-
'i. i mri o- h intem nfl i m eo|in
iu .i i eapiiolto a rochi Tarpoli s modelo no
pn ..i
i \ m i. que o liaviadi pros-
I i nfl ir ida Q0I UBI brae""
in i. ii ni iuiiiiiniiirain pinlynoi polo
lerroi d .iLirmii n mili b"i.i i i n ia alcnncAd*
tadtgM > oalorooi i
n
Og >m i 'i i | M I I ; Nlo '' 0 quo
mpreglOH iiii MoBionafooof
11 i miii meen M lonjo li rura-
ob|ngi ',"">', W pini ii mjamia Coniian^ bosm m Iimm ou-
iros '...... ot iraooi rlforooMi i !
. i,...ix iiftrtt dantanada* HnlMil<
, [o o calor viviileam* qu anima o
qilulro.
\ i i! ,m de (urina, o Mavo* cinii|i.|o
i, o mu i .mi em.Uilo.o, r\* liM enrulada* Bra<
a o par! nutro litm. N ioi|ii'' ib In
ti i i impurceplivoli, quo nalcam a
paginas dulivro ii luiiie mi iiiM-iriam na* iua
urn.i
l.mei 11 o no BfaOM do* auditorio, auto a
0 wiimuiiii-1-liio* a palxo, qus o arrwbali, dlinndo
o qiia a alna hrHOlN inspira ao repantisla noi
in i mil- rio quo daixa da vivar a vida proprla pa-
r rifar fallar segundo o corarlo dos que o as-
rol un inclusos.
Natas raptos, em quo nlo tem igual, tudo Iho
acodo o u Uvoreca. A lingua crda e prasta-te aos
MBoras caprichos, a phrasa molda-se espontanea,
dando o corpo a Moa, o ardor da Inspirado circu-
la por todos os membros do discurso, e as grandes
imagen-, as mugen* picas forjadas oo fogo do en
tliu-usiiio, surgem armadas e prosipitsm-se urnas
a.us uuiras, realisando a fbula comoMinerva
aatiga na fronte de Jpiter.
Naqu-lles momentos psrcebe-se aadmlracao das
maittddes de liorna e de Alhenas extasiidis dianta
dos prodigios da palavra ; comprehende-se como
Lamariuie, em nossos dias, s e desarmado, soube
estacar, depois-ctraW e por (im encamiobar ao seu
seio as ondas revolucionarias embravecidas na
praca publica.
Em Jos Estevao, medida qae a tela se vai de-
senrolando, as figuras a principio confusas aval-
lara e caraelerisam-se. O semblante abre a expres-
sao e illumina-se de vivas cores, reQexo da chara-
ma interior. A cabera erecta e doorada pelos ralos
q-ie despeie a commocao interior, toma posi?5es
poticas em harmona com a grandeza do assump-
to. O gesto largo e magestoso no exordio precede
e torrente que se despeaba, o trovo que estalla, pasto sano
o espirito que de esphera em esphera se arre vasos de e
messa as nuvens, perdendo de vista a ierra, fi agitara as
nalmentc o que os latinos chamavam magna vox, um da a face... de regimeoto.
eo que Mirabeau traduzlo na presenta dos comi- : As mesrias impaciencias, que arrastara a esgri
cios sobresaltados, o orador antigo resusciland mir-se com todo o esquadrao dos homens de ferro
pelo delirio sublime, uao coraos affectos morios da procisi-o do campanario ou do regiment, atra-
dos livros, mas com os affeelos vivs e abrazados, coam-o Unbem a ponto de o tornarem um dos in
qae ao sol da liberdade brotara n'um s dia.
Ouviiidoo, ve-se que familiar com a leitura de ,
alguns classicos, procnwu, sobretodo, a confiten-; Jose Eslef -.com riM na bacca 6 uma alJva al
terruptore
Se a di
cia do Vieira e que a aproveitou. A cada momen-1tes,ada de
lo notam-se-llie trechos, que lembram as ousadias \ ^0S' cruza
dor, que
s mais recalcitrantes e endurecidos,
cusso llie nao merece grande cuidado
epigrammas,- passeia por todos os ban-
a sala em todos os sentidos, e se o ora-
oceupa a tribuna, se desvia das suas
e as elegancias que em tantos periodos estimados
cunham o estylo admiravel daquclle tlenlo, ainda 'deas ou fprova as C0Qlrarias. atalha". 'ardeia-
mais apto para a elocuencia politica do que para "i6 d,SCrs0 de apartes-salpica "l' de chislcs e
a persuaco religiosa, talento comprimido pelo ha- Da PT?T" estraD8ula Wo na Ra^nla a
bito e pela poca, cujas explosoes repentinas, mu- rae' Caminho da mesa dos chigraphos, assassi-
daudo o pulpito em tribuna, tantas vezes iransfor-
uado por um accesso fulminante de hil&ridade.
niara o panegyrico era sa.vra acerba da corle o dos I, ?. dVersar'0 de esla,ura Pa ^ com el-
ministros, ora para cravar os validos da cruz do'le' da'se oulra s,n8ularidade mei>os curiosa-
mao ladro, ora para, na mais pungente e eDge. A'^fuPo provoca a replica, trava-se o dialo-
Dbosa das ironas, flugellando uma legio iuleira J de par e,f P"[e' 6 Camara """ dU3S ""
de persiguidores, pedir aos peixes a liuguae o dis-' C*s paralellas, era que o qulnhao do interruptor
farct, nao de ordinario o mais pequeo.
As digrjessoes jocosas, os tiros da irona recipro-
Em Jose Estevao o que mais impera neslas oc-! ca, e por Iflm a voz solemne e irritada do presiden-
casies o sentimento. Partidario, as refregas or- te represimtam o duelo, depois o terceto e por fim
diarlas esta ao lado da sua baodeira e d.-fende um c6ro ,eral> em que ,ud0 acaba ao som das vo.
com todo esforco o altar do seu culto; mas, re- zes dS u emas do regimeuto, escandalisados, con-
beoie mstantaneo um grande conflicto, estremece vulsos e ransidos de sanio horror,
ou vacille na base alguma das hberdades essen- Kada rL,s cmico ento do que ver no meio dos
ciaes, ou receba o paz na face algum ultraje, e ve-' bancos guarnecidos aquelles bracos dobrando ao
res corno os impulsos geuerosos o concitara, como som da f,,mosa formula disciplina, aquellas boceas
a indignaco o transllgura.como aquella physiono- eotre-abettas para sollarem o mesmo grito, e por
ma meia adormecida, pelo cancasso da lula quo- delraz 0 ,ull0 meio sumido dos apagadores encar-
tidiana despena, revive e se espiritualisa. E' outro tados, en punhando o sceplro falal do silencio e a-
homem, outra voz. j gUardan( 0 qUe um instante de paz Ihes de" entrada
Nesles lances torna a vestir todas as pecas da para... -alvarem a ordera.
sua armadura de tribuno ; a imaginado rejuve-! Estes i ao os detfeltos, os peccados veoiaes, de
nesce-lhe como nos das de esperanzosa anciedade, que acedamos o orador, que applaudraos, e que
em que Ihe entregaram as priraeiras coras. Tudo alm de sincero amigo, temos muitas vezes toma-
nelle remoga, o corado, o espirito e os poderes in-: do por njestre as lutas parlamentares. Felizes
tellectuaes. firme e recolhido, esquece e rompe to- 'culpas, regatadas por tanta gloria I Mas, nao lio
dos os vnculos, que Ihe possam prender as toreas leves assfra mesmo, que nao carecam de serem
para entrar na arena, como o athleta anligo, com apontadais, como prova de intera iraparcialidade.
Ninguem perfeito e o dever da critica justa"
mente eqnsiste em por o espelho diante da vista.
O elogi sem a verdade parece-se muito cora a
lisonja, r tanto deve repugnar a quem adula como
aquello quem se oliendo, suppondoo capaz de
aceitar < tributo servil.
III
A caraira de Jos Estevao comecou cedo. Em
1837, qi ando pela priraeira vez tomou assento em
cortes, ao contava mais de 26 annos. No con-
toda a liberdade dos movimentos e com lodos os
brios da sua vigorosa rganisagao.
Erguendo a vzeira, encara os obstculos, e atira
a luva direita ao rosto do iuraigo. Nao Ihe propo-
nhara temporisages, que as rej^itar como treguas
indignas do valor da causa que advoga. Nao Ihe
suggirao evasivas ou manobras austucosas, porque
fugir dellas como de uma ciliada infamante.
Se o desampararen!, r s, pelejara' s centra
'dos, e amorlalhado no glorioso estandarte dos
principios sem recuar um passo, dir fortuna que gresso cjrastiurate que a vocagao principiou a
o futuro pertence a Deus e que a derrota de hoje weterie para realgar em soberbas manifestages
amanhaa servictoria. I as legislaturas de 1839 e 1840.
Mais de uma vez o temos visto cavalleiro nico,! Foran dias de luta, mas tambem de vivezas, de
desafiar todos os encontr?, medirse com os mais crengas beraes, aquelles em que, mogo de cora-
denodados adversarios, e sahir vencido pelo nnme- gao e mnvido por nobres illusoes, o orador se en-
ro, mas triomphante pela palavra. !conlrav em duello grandioso como maieres
Elevando-se por uma syothese grandiosa s emi- vultos d tribuna, com os Garretts, os Rodrigos e
nencias, d'onde aos olhos do phllosopho on do poe- Seabrasi
ta todas as pequeas vaidades e todos os pequeos Era bello e grande ver ento aquello mancebo,
inleresses figuram em pugilato microscpico, a sua filho das suas obras, prodigio de engenho precoce,
phantasia inspira se dos perigos, que v de longe cora a bandeira do seu partido sempre hasteada,
nos horisontes, apenas euouveados, e a sua voz disputando o lerreao palmo a palmo, colhendo
prophetica tem annunciado tempestades, que nin- uovo esforgo em cada revez e vibrando a apostro-
gera descobria e que os aconteciraenlos se encar- pbe e a imprecago.
regaram de verificar. I Um Deus tmha sobre elle a sua mo ; o cora-
E' o condo divinatono dos engenhos superiores. gao acudia-lhe aos labios, e a alma do poeta, ra-
Encarnecidos na bonanga pelos manipuladores de diosa e udiguada ao mesmo tempo suba coma
elixires polticos, pelos miopes, que charriam pru-' esperao a, ameagava cora a ira, cinfundia com a
deucia e cordura a inercia e a iuseusibilidade, mas irriso i assoaibrava at os mais consuramados
que sbitamente acordados pelo vulco, que Ihes pela owadia das imagens I
sacode a trra debaixo dos pos, veara desabar so- j A ind )le de seu tlenlo oratorio d-se bem com
bre a sua obra frgil as alluidas muralhas das ios- o desafc (0 da opposigo. Na maioria, sente-se
tiluiges a que prom ,-tliam seculos, era vez de ado-
raran no terrivel azemplo a le natural do pro-
gresso humano, maldizein e bUsphemarn, aecusan-
mals co istrangido, hesita, duvida e receia ferir
alguns i os lados traeos, que lodos os goveraos
olTerecei. Mas os que imaginavam que a idade
do-se poique nao forjaram de melhor ferro as al- n'elle o quaesquer preoecupages podiam comer
gemas do pensameoto, ou porque nao aporlaram de a cor a biagmagao ou murchar-lhe o vigo, enga-
lodo a mordaga, que devia abafar os clamores da naramse por nao couhecerem os recursos de qu
opimao. dispe.
NostOS combates, tiestas queatSao, quo fazem vi-' u di.-curso sobre a queslo Charles et Georys,
brar lodat ai libras do Corceo de um povo, por- ve revelar aos mais Incrdulos quo os grandes
que encerr os futuros destinos da bamanldode, espirito nunca enveihecem, que peiios.onde res-
que Jos RtlefBO mbretaba c nao couhece rival, imam, (jomo no seu, os elevados sentimentos do
) motivo parece simples. A persuago penelra-o mor dli patria e da liberdade, nunca esfriara.
a alio primeiro do que penetra os outros antes da J )S Estevao quando quiz tornar a ser o mesmo
Dorase Inflammada Chegar aos auditorios, accen- homem, e luda a cmara suspensa e caplivada
deu nelle a chama lumiuosa de lodos os Insliuclos saudou o quadro pico do repentista,
generosos. Felas promesvis do seu esplendido noviciado,
l'.uluuum largos rasgos, a luz, que Ihe doura a ?.EL0 LET22 ''LT1 Cm f0*
loqueBci.. nao i o rlardo sereno e Igual da ruo S.JJST'S t "SS l)"
. ? feiileiidn os foros da uimanidade e nun ndo a eo-
lia sua rrlela, o esplendor fulgurante, quo relam- ......" K", B LU
,. \m vardi provocai'fl i das no< franceza. v ino- a ro-
pala 'obre todos os dimes. A rtfa \oi, como a do ,% .' '
i ,ii. i ""'o hroe Hbreu, arrancar dos quicios as ponas
li.ivao, disperta osee ios amortecidos das pslxes, A. ,,. ., ,
. H 'oa ti Iide, i ponas dos linderos, e r asenla as
t vuibora daliaiso sombras sobro algumss ptrles,
i'iiiliorii o rlbOfflba dos Otll alenos n.'io ehega'se
a ludas as ?cnluHla liiiuiiiibldss da vigls, deu 0
prlmolro roble, loolirou n irafai mus detmis, e
no "oinnn e t liniiioiiiiidadi! lbtUIIIO a fotga o a
MftOi
(1 elfidln ile luc dlClirn llo n reprodiis do-
poli lOH a ineiiioiia |m fN o pcnUram, nein a
pagina do IIvio nlllnal
nss frotitelras do futuro Juit Inexoravel dos op-
pressorOi e opprlmidos, dos escravos e dos com-
pradores, das victimas e dos tyrinnos.
O Ni IBUfOBlO Ihe ItTifMII as mos ; mas
boje apmta-o contra a agula, que ful das eonquls-
ii- |f 1 tomou pr emblema ns gargaihelras
servia 'Oirdor la InspirAgo Uo e apsgnu, a
imsgnm, eoino antes, surgn armada o luminoss,
Apagada a vos, o MDirllo tumo rom -lis, > da "J" Pf^f^':
Kii'ullal-i) 1 Sfigtilo-o nos vi ittdooloioi
nial lilil" como iU mai inuvada formu-
lara, IBWll n esdaver lira I
A notar linllms, na riolilet msrmoraa o na II-
viile ilo luimilo, do quo M n\ conm-i va romo um
mull hJfJMog do. Niirartiviu fM o lornavim o
nievo de iodo; rom os primeras da minina a-
conloen o menino,
(l ultimo om,qni> Kxplrau net labio do orador,
quahrou o anranm, a vida pmnit, dspou um
aawoBO imtn inHei lentir em vao Hx.r na ai-
tuna os liiirtimenio r a* MejN da sita physiono
una Rural.
Mu o ratralo Mftj impnMlo, senao desrrofas.
io todo o aipaoiu do vulto parlamentar de Jo-e
Kslfvao.
Nlo se Julgua da levo que olla sampra o met-
mo, Fluanle e apliiiuoo, romo partidario protll-
gallsa da mu em mullas oceasloea os precioso*
recursos do orador.
Paladino Incansavel, na nppotieto appsreoe a
mmdo >obre a brecha a aoada Instante sabe as va-
tes do teu campo a proposito da menor escara-
muga.
No nielo dos zumbidos dos zang* da colmla
legislativa duraolo os murmurios at elega do
ciropanario, nao raro ouvir-te aqunlla vos pode-
rosa, tentando debalda dominar os coros das con-
versages, oa ltimos arrepios da oloquencla cam
ponaza da algum Graciano, que poda um tino ou
! uma ponte para a sua aldea, e al (oh I suprema
alfrouia Ij o importuno badalo da monstruosa cam
painba da presidencia, chamando os Lycurgos a
ordem coa o mesmo xito com que chamara os
mouros a conOsso.
Ao meio doste ruido Incessante, das mogoes que
se cruzara, dos glozadores quo se acolovellam e
dos apostlos da ordem, que eoflam perongSes so-
bre perorages, com um calor digno de melbor sor-
le, quem buscar a figura di.-tmeta do primeiro ora-
i dor portugus, cuidando que a descobrira' separa-
da e indifferente, nem sempre sera feliz na conjec-
.tora.
i Em mais de nm lance ha de encontra-la discor-
Vedi'romo o ftNototfM I 00 falo hrrrto* Mo
n i iriliiin.il da hlilona, MfhMta a billa n
suliliiiii' rompnragVi o orador rom n msls flliigla-
das loo RMOtm da irlliiina hiiiinniea O da fran
i'i'ss a MOtl dlin in ha nelle qun lnvo|ar a que
no Mh ruando nomo rxnmplo n meds-lo ()
Km IH|i, na rHo mi i.i do fnveralro, rospon-
ilendo o fomon dl.i'uran pronunciarlo por I I
roU na npjh da H, Invanlou o primeiro padrlo
da sua superioilitada eouio orador,
l.nun lo corpo a Mfpo, m lerrcno narolbido
pulo roniiarlo e rom um Igania lio podirosn na
tribuna romo na. isiraa, denon ai oplnl.u gof.
ph'Xa, de modo qun nada hoja n no liba qnal
fol o vrnrlilo e o vrneador,
Km 11 da gnito do mmo anno, rombal nln
oom llodrlgo da Konsera Magalhan, depola H
mallograda a rsvolugAo da veapnra, ahrlu nma
dat mal nolaval* oragaa, de qun ha memoria do
parlamsnlo, palo saguinla exordio vasado nos mol-
des da Mirabeau.
Acabava de recolher i sala da commisso espe-
cial encarregada de redigir a leis extraordinarias
propostas pelo governo conlra os autores do tumul-
to nocturno.
Jos Estevao, levando-se no meio do silencio,
comeado as iras dos centros com o olhar domina-
do e as interrupgoes cora o gesto imperioso, rom.
peu pela apostrophe, que vamos repetir :
t Entrou o prestito lgubre e traz debaixo das
togas o decreto da morte.
t Poucos momentos de vida restam viclima,
em breve sobre o seu cadver levantar um thro-
no a tyranuia, mas tyranuia que ser funesta a
quem a lembrou, funesta a quem a proteger, fu-
nesta aos que tem de exercitar.
Garrett foi o nico ainda que se atreveu a to
mar-lhe o passo.
Tudo o mais emmudeceu entro o terror da anar-
chia, que visitava a cidade como um espectro du-
rante a noute, e a admirago de uma eloquencia,
que acabava de tocar maior altura do arrojo tribu-
nicio.
Nesta segunda lula, se o cantor de Camoes e D.
Branca levou palma, forgoso dizer, que tam-
bera nunca era Portugal oulra voz, era a sua
mesma, tomou a adiar o segredo da inspirada ora-
gao, que a musa de Dernosthenes Ihe dictou n'um
momento de enlhusiasmo.
Estes sao os principaes monumentos da carreira
do orador, que abjnam o merecido concello de
Jos Estevao.
Soldado lirrae das suas ideas e sobretudo, ho-
mem da sua poca e do seu paiz, a pureza da vida
e o desinteresse dos actos responderam serapre s
insinuages dos que o aecusavam, porque os nao
seguiu.
Para ellos os partidos hoje nao representam,
nem podem representar o que se poda houtem.
O progresso, nao como pa.avra, mas como prin-
cipio, deve sera demora traduzir-se em factos.
A quem concorrer ps.ra esta cruzada chamalhe
alliado, quem a contrariar, combate-o.
A sua divisa, honrosa, fecunda e que nao des-
mente as primeiras aspiragoes da sua joventude,
que tudo se ha de fazer pela nago e para a na-
gao I
Permuta Deus que muitos a acceitem e a saibara
cumprir.
Encerra-se nisto todo o nosso futuro.
1.. A. HKHEI.I.O DA SILVA.
(Revista Contempornea.)
l'I POLCO DE TUDO.
Diz o Journaf of Gaz ligthmg :
O Times, e outros jornaes publicaram uma car-
ta era que o Sr Evans, engeoheiro da companma
privilegiada do gaz em Westminster, menciona as
qualidades curativas que possue o alcatro ou ver-
niz de gaz, na cnolera, e ouiras doengas, e nessa
carta recommeoda a applicago deseo alcatro pa-
ra debellar a molestia do gado.
Diz elle, que um facto incontestavel, e bem
sabido, que o oleo que se obtem pela distillago do
alcatro de gaz, possue uma quanlidade extraordi-
naria de qualidades antispticas, e que a putrefac-
gao cessa inmediatamente cora a evaporago dalle,
e menciona muitas prvas dos benficos resaltados
que dessa evaporago se obtiveram duraole a cho-
lera no anno de ts.'j'.i, era que os operarios ou era-
pregados as fabricas de gaz (orara iseraptos do
contagio, tendo aquelle engenheiro recebido relat-
nos de todas as compaohias de gaz de Londres, e
da raoitas outras de loglaterra, nos quaes se Ihe
alllrmava que nem um s dos seus operarios havia
sido atacado da molestia ento reinante.
Menciona elle tambem o facto curioso da grande
quanlidade de alcatro da gaz que se exporta para
o rtente, e que all se quenna com bom resulla-
do quan-lo l se desenvolve a febre, a chole-
ra etc. etc.
Por estes factos julga elle, que, se a molestia do
gado fr devida a alguma eondiegio peculiar da
alraosphera, como a que se suppoe prevalecer
quando ha a cholera, a evaporago do hydrocarbo-
nieo produzido pelo alcatro do guz, far* cessar a
molestia, e para isso indica a conveniencia de se
collocarem celhas com aqueile oleo, nos lugares
onde se recolher o gado, e de se untarem com o
mesmo oleo as paredes e ferragens desses edifi-
cios : e lembra mais, que como medicamento se
de uma pequea p >rgo desse oleo ao gado que es
tiver atacado da epidemia.
Devemos mencionar, como illue.idagito pratiea, e
exactidao da Idea do Sr. Evans, que em uma das
malares queijarias de Londres, tem diariamente es-
fr gado com alcatro de gaz as ventas das vaccas
quo all estao, e que at hoje, nenhuma dessas vac-
cas foi atacada da molestia que grassa no gado.
Nos perfumes, nos bafos matutinos,
Vagos longe de um cntico ioeffavet
Que vera do co, aspiro a essencia toa
Oh I nao poder te amar com mais candara I..
Se este ancioso querer, e lonco anhelo
Nao amor que se revele aos anjos,
Por que nao tenho um corago mais puro ?
Ceg indito*o que adormido sonha
Bcijar-lhe os olnos peregrina magem,
Accorda a sent o olor ;palpando as vestes
Do sonho cerlo que Ihe diz :olhae-me
lll.'isphema, estorce-se, e nao pode v lo I..
Que horrivi-l transe I a I BOOM qoe eu te amo
E' assim que le encaro e neo te abrago,
Que nao posso diier-lo e nesta luta
Bindo assislo aos combates ienebr--os
Qoe se do na ralnha alma ;sempre amado
Nem dos meus olhos este amor confio.
Queizera, virgem, que mens verso* debis
Meus pensares, ao ar sollos, perdido*,
De mistura com as auras vi-spertinas
Modulassem de manso aos teus ouvidos ;
Te fallassem do co, da tarde limprda,
Derramando em ina alma um vago enleio ;
Que to podesse*. entendendo as queixas,
Meus versostmida esconder no seio
E como a santa da legenda, quando
Cortinda o vo a' virginaes amores
Tau pai a caso perguntasse :filha.
Que tens no seio ?respondes-*.-:flores.
Quizera a' leo lado chorar de ternura,
Dizer :que ventura,
Bal hem I
Guardar em tua bocea, esse cofre de gemmas'
Miaba alma. Nao temas....
Que tem ? t
Em lendo e-tas phrasesdo mar na bafagem,
N beijos que a aragem
Te da
Teu anjo suspira :nao ver que contigno ..
Tu dizes :comigo ?
Sera' ?....
E atienta a' pensar murmurando sosinha :
Meu pello adivinha
Sou eu.
Que delle ? perganias e o veoto que passa
Dir :que desgraga !..
Morreu.
um cao morto hvia algum teaepo introduzndo ihe
as arterias coronarias saoga* queme a W
Fahrenheit.
I'm fabricante de velas, eom esUbHeeiniwiro em
Pan=. reeeha ha Jh ama carta anonvraa asoOBI
concebida :
Caro senhor, pela nafnreza da OBBDl in deveis wr n-ii BtJBM seatattaflB ; BSi m ~t%-
par nada as e ^^ f||fc # ^^
haver pavio >a|MB. ^ f lhMB>^,
aaiserav.-lmi'n'
feflM a BOMtfl -i-. a -rio. inh
loni Oo srac^j..
Acendei o pavio da vossa vfinnria, 9 ai>tBSH-
rei- bem depressj a prov.i l -i.
lod-s os Jim parares tV veOae qw vnrut a laOatBR
precos .jner ios l-*ndeiros talla que adquiri, araras a rnn4teMB0> > aossoa*
que eslabeleceu.
D.... f<-z-m nma pirra* 1 le mao put. 9 pnf
isso que o dennnnn n l- nr > nm ptuual.
manto, mas (|,I(.ro nntar-m- por aniJ ojaw n*
ioteressariam porreo, a ajBO>, 11 |'>ar_aw
xo de narrar.
O fabricante and->n na pnra rri yasaooO)
ciada, e pilhou a a tiaal OH rtigraote
ItjBjBjBt
Tamb-'m para s^ vinfar o*la ra par. -fn
qoe ara amigo d- fatr pirra^H a> aoaOe a
rnai- de -- i-t ;.n-ir Jo ataVin. eaOfijwi-? v*> tri-
buna -
Alguns jornaes italianos annuneiam que "m con-
selho de raiolstros, reunido em Florenca, fol toma-
da uma deliberago de grande alcaoee.
Tratase nada menos qoe da uma dirainuago de
100:000 homens do exercito italiano.
Por ernquanto, esta noticia nao se confirma ofU-
eialmeote, comqtianto o estado actual das lioangas
Italianas a torne verosmil e necessaria ; porrn o
parlamento abrirse ha manha. |S, e a falla do
throno nao pode deixar de locar neste importante
assumpto.
Na Sicilia, nma doenga contagiosa atacou os 14-
moeiros e as laranjeiras, e esta doenga passando o
e.-tri-ito, ja' invadiu as Galahrias.
Tem sido iouteis todos os recursos em pregados
para combater este mal.
E' uma grande calamidade para a Sicilia, a qual
provinhau. deste eommercio peno de 000 ceios
de ris por anno.
() Kis a grande imagnm a que allndlmot oo dia-
curso i cerca do CBsrlre H Oeergn, O orador re-
fore-so aos vardadriro hroes.
Aondas tocadas da leinpaltdo hslnm furia-
smenla no BOBBaseo que a asoberba.
Nenia llda alropailim-t*, amnnloam-se : so-
bom unas sobra as outras, rrpetem os assaltns, re-
dobrarri os rorBoraoa, ate que galgam a almra Ron-
de a rdsislancla as lavan, e de la, fatigadas a das
faltas em rspuma, nbrm no mir d'onde sahirim,
no mar d'onde arara, no mar que Ihet den a forca
no marlem que se lornam.
Os hroes silo eslas cataratas pasagaira, es-
ts caelrs espumosos.
O mir a hunuQidade como ella largo vasto,
immensjo, rom ella quorendo sempre sallar fora
suas liarreiras. fugir as leis que o dnmeaticam, r
voliando sempre, acetar da sua mquieiagUo, aot
principios de harmonii aituril a qoa perpetua-
mente esta stijeiio, e para conservar os qaaes foi
creado. E serenada a tempestada, qae resta dos
penhaseps em que as ondas ja nao hatem, qui o
mar apenas rog, qae ja nao altrahetn as nossas
vistas p*la Iota que sobre ellas se travara T
i Podras de irregular conformacio, em belle-
zas que satisfacam a nossa curiosldade, nem ex-
citem o notso pasmo.


Em Paris uma senhora tinha um estabelecimen-
to especial e prevlleglado, para a limpeta de ba-
lanzas e petos de cobre.
Desgoslosa ltimamente com um dos ssas cai-
kelros, p 9 ser profOhjoeo, resulveu desped lo.
Assim fez.
Pouco depois recebeu a visita da mulher do sea
caixelro esla qucixou se por Ihe lerem despedido
o marido 1 IfflOBOafl a autora loMfl mal com o ar
rcpriidlunrilo nuil 11 bflfO,
Kireeiivamente no da rgulnte a dona do esta-
beleciinaiiio privllrgiado enrontrou sn cara a cara
rom a muliir do OBllOttO, que, aotl Mor palavra'
Iha Bllrnu M Mlo rom um liquido que trazis n'um
fratco, n fngiii prar-lpltadamanla.
Aluda que WnVtfldo inatantanaamrnle aa alrozr
dure. BOJO Iha ranino o vltrlulo da que vlnha da
aar Inniiinlada, I que Ihe qiirlmav o roato a o
pello, a Infeliz lava mima para correr aira* da fu
llif, prliandn para que a pran lesam.
A ponaos paaaoi ella N alTiTiivampnia praia.
A vlrtun lirn horrlvaim.m quaimsds 1 o san
etado rt dm mal grave, e se nUo marrar, Arar*
raga.
0) isa
uta,
Oh I de ton dout sourlre rmhelllimol la va...
y. Huno.
Tan traje Aa ramo o aom das age-as,
Tau corpo irema, e Ina sombra chaira
Perdt ae naa horas qna sa ambahem
No eoraeXo mal chelas da amargura.
Mais petadas de mor a da saudade,
Pens em li :do ten salo modBtaN
Sinto a onda empalada < m anan dores
Quebrarse janto A mlm.
O' mlnhs estrella.
Nolva dos lyrlos, parola celesta,
Lagrima de anjo sobre mlm chorada,
Qoe le somas no fondo de mlnhs tima;
Perdoa, sa naa horas do reponen,
Quando di morte ma deslnmbr* o rlo,
Tenho dosJo tmidos de ver-la,
Que nii agasle do tea iojo as atas,
Que alo te accore ;te Invajir le o sonmo.
I-i darle om baijo na mionnha casia
Qae deitaste pender fra do leilo
Perdoa aioda, se arroabado, insomne,
Qnando oa testa do levante paludo
Menos bella qae la-a alva fulgura,
Iluminando a dogma do tea nome,
Segundo diz a Gazetad'Elhtrfrli, forana jolg 11 -
na Prussia, durante os nltlm s iras annos. mais
processos de un prensa do qae em toda a Eu-
ropa.
Que liberdade 1
Acabamos de irjna folha offl ial do governo fran-
cez o segrale :
As fragatas Mogador e Kldorado parliram em i I
de novembro de Givita Vecchia. levando para Fran-
g, a primeira, dois halalhoe- de infantaria da 0>
viso franceza que oceupa Boma, e a segunda dois
esquadres de hussares.
Cartas particulares de Boma, em data de P, an-
nuneiam que o 11 -v 1 mini-tro da gu-Tra, o BCB ni
Kmzl-r, i'xp-dira irdens a todos os destacam til- -
papalinos para darem vigcrosamente a caga ao-
salteadsres.
Os zuavos do papa deviam accapar V-lletri.
Vctor Emmanuel, acempanhado pelos ministros
que o seguiram a .aples, pelo prefeito e pBfJ
1 mnira de aples, visitn no dia II oscButertass
nos hospitaes; examinoa os servigos sanitarios e
distribua soccorros aos doenla.
->-<--.
A Austria contraio um novo emprestirao de ?>o
uiillines de francos.
A casa Ingiera Baring Brofters, associada com o
Ciedit fnnrier o o Comptmr d'esnmjile, eslabeleet-
menios hancirios franceses, encarregaram--'' aVsta
oparacio flnanieira.
<
O faUOTO capitalista e millionario, o haro Boths-
ilnid acaba de inaugurar em Friega a erie da
BOrUtflI d> OIBt, Bfl que mdM n. anno. ohe.
qu i 1 o eos numerosos amigos as =na irras o>
terrieres.
Elas partidas da raga nvallsam com as qna
rn.luma dar o imparador Napob-o nm Compi'--
na a am Fontalnerdean
Knira o- los da prim
rommendador Nlgra, ministra rTflslls >m Pars.
Morreu rac"ntamenta em Parl o procurador f*
ral Dopin, na idade da i annos
Era urna da elorhs da Fringa moderna, a nmi
das latei mais hrilhantes do I. ro rVanaar
F.serevem da Florang 1 nm |ornal franacr, qn
o gannral Montehello, commandant" das tropas fran
catas am Boma, apraeni tor Fmm
nmt carta da Nacotaio, on qna. pelo. mnos. f, eceirregido da aummonia.irA. vrba. olReis^s
Ant"s de partir da Flofanga pan Roma, o OOOJBVIf
Montahaiio lave rom o ral nma entrevi!, na qmt.
segundo asavar o jornal a qna illndlma.
cnpori parlicnhrmma das dvspoic(*iB IOBJBBBfs *
pravmir toda a esperte oV ennriitn< mr* t* imt
itillinas e romanas obr a frmMra*. enja vtft
lanria aasson da sfr coiH*aSa a p*|0)Hs Mb>
eetes.
Paraca qna o gnaral ^mahlto **m o r*a
Vctor Fmrnaiwrt mm mt fovraf>ls dlaOJBBO.
Cwes, levi#m> #a r irraes'i a a^MUmei dlv rfC
govi-rno iialiino a prattam
sa anagrirar a mi laal 1
15 Be oiMasafo.f
' m oaeai
% politirn ai
Al l. raco. fracM-* Be
simplfidade, o pr-itrammi
ser exhibid
competente do pr-il^Dl- I -
Nada mais ~impla', nada
mesmo tempo nada mais litJMOf
T->maudo por base a ttk-i 1*4*. ,
ter,nUtlrdas BBBj|BB| *r Ojaal hr ai
territorial, o "i BMaMViwtto 1
nal, a politira am-ri'-am. priMSJSJB peita o din-u 1. a BOfJBBBBJl d oBa
do-e absolutamante de iOfrir--e n
BBBjIa intensa.
l-lo -. grande, ist 1 philoOfliian, hBB ibin #
Andrew lohnson iaanaiiraiss>afBB>|
a da rata e Be din Mu. eOngi
o -y-i.'ma inierv -r >r 1 i'-inh-> gqa
A polilira anaanrina 1 pac, o imnr a
europea. is?o a p,linea itei11 jteiii j. 9
o odio, a guerra.
Ernquanto asta insimm petate
las !nri<, annulla-l,
lo-, ,le sua proprie :
dianta 1 t.. i 1 ir me'idiaaaa. m
manta ,vi lir -i'. 1 11 fraai aun o Ba ff. n nwl-
ta a soberana aihaia
propria soh-rania. zeta tanta o 1
o pr'prio '
K-?4 trsz a vardalam
nalo d> Tir-ir. aqna*sBn'ee
e retinada barbaria, que a
rapen.
Fmquanto diqnaila ileorre
de.ta pr-rir.ira a
A politira arn-ro-ini a trilf iHilW .
.t ni l-i-imana B>h por 1 potitiea lTM
annollago de lud rsO.
\ 1 exageramos.
llavera' >rnan ase roafar-Bas *
llavera' aigum e-pir qm ana
com am #riM Je -abadona '
-ariim-w-, -1 porque a r*rn I
pro luz mI
Ktemplo- irro- Xts r.xt.M Bn .
Mp um navio lanjBBO otViae* Bar 1
;a. 1 ri'i!i'n MnaanaaoOMii
n-'la d-- Ti n 1 (trans.
pnr s" a""0' 11 io in-na-* ila'ii
A In.-ii'ti i--'-"i -1 nv>< .* s^h rmtVT--
e di/-- BBT Pj \ r,if44 B>irwi wn am
navii, pagai-ma, nma vet qwe avja-
r > imrt-t nrl* ejae atwa a am
s^niineila. aaf BOt "* onna niela Urara. a I
trra a prim-tr aaria lo laaai : Bni e*i
- ann.
11 Brasil demotron qoe o drtti. 1 mm* nm-
nv-inho. w ppntii 1 v*-a-'.i
eem puta, lisnte la e1rta BOlaB>
Janeiro, as tn-
De i -sfara 9 dir-ito F 1 "sprtraBa 1
a 11 mrio bTMiaatra *
N 1 p,,ri 1 da iuhi 1 im
r*arta. r< w
|eis 1 tir id 1- n lamen! 1
luaemi. 1 un anata pr-jadi
u l:
plenas m 1 1-
forte narao do rnun taB'ant
dip'iro esto 1 m~m$r ano 1 nt^
lemive as rnaior>s da Kur
Nadan vOf o asaana*
ihar-a Innr> do BOrrin*.
Piste th t podramos etBnM
cram'"". ipie da r-nnlBK
anda atlas sa n t
narrVs frara, qn-> a rTram efJa
P''i-nt- r .mo 0 afama
Filha do vino e dn
ignalmant-' -rrcoeas
Kx-mplo
'stivamenta pola
1' a |BJ> BBRRe 1
ti proas
1 a iletnit'
laBMtfiM 1 pr
, prtmaifn 'fBVOnnP
id *
Dacifiamna a mw n*-la eu
'sH||h
_.
idlo alai tai, tw 1
r !-
1 y par
3r '
'-.

WaiW, taarariV
-
W^m^nj m nBJB wrjmw
Vm saMo nweVo rnffe-r eta fflaatBa m
wm sernw naps, iaa> entarvam a aa^*an
peto menrai, mm aawnorrns Ba \nm* 'i>i
* |WI'^a''fW! ***^f*VsbbW IbvHt WWttttf Wm\
PBJBBortBMte, Boraat- vina attonjosa, a
B> AaMLfl


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E7UHFXXHM_9ZLQO9 INGEST_TIME 2013-09-05T00:29:55Z PACKAGE AA00011611_10851
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES