Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10849


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO JLI. HOMERO 292
Por fiarte! pago dentro de 10 das do l,mez t .
dem depois dos l.'l Odias do comecoe dentro do quartel. .
Porte ao corre/o por tres mtzts ...,...,.,,,:
5J000
61000
750
^vf^Ryvs
QUINTA FEIRA 21 DE DEZEMBR0 DE 1865.
Por anuo pago dentro de 10 das do 1/ mez
Porte ao correio por um anno.......
19|00l
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyha, o Sr. Antonio Alex?odrino de Lima;
Natal, o Sr. Antooio Marques da Silva ; Araraly, o
Sr. A. de Lemos Braga: Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira -, Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Gersldo Antonio Alves &
Filhos Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SL'BSCRIPQAO DO SL'L.
Alagoas, o Sr. Clandino Falco Das; Bahia, o
Sr. Jos Marlins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estceles da via frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
lguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruaru,
Altinho, Garanhuns, Ruique, S. Rento, Rom
Conselho. Aguas Bellas e Taearatd, as tercas
feiras.
Pao d'Alho, Nazarelh, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cahrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio e Ex, as qnartas
feiras.
Serinhem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agna Preta Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do oommercio : segundas e quintas.
Relaco : tercas e sbados as 10 horas.
Pateada : quintas s 10 horas.
Julzo docommercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 hnras.
Primeira Tara do civel: tercas sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a 1
hora da tarde.
EPHEMER1DES DO MEZ DE DEZEMBRO.
2 La cheia as 4 h., 24 m. e 4o s. da t
9 Quarto ming. as h., 53 m. e 28 s. da t.
18 La nova as 2 h., lo m. e 34 s. da m.
24 Quarto cresc. as 10 h., 11 m. e 22 s. da m.
DAS DA SEMANA.
18. Segunda. S. Esperidiao b c; S. Thentimo m.
19. Terca. S. Daro m.; Ss. Paulillio e Fausta tnm.
20. Quarta. S. Domingos de Silos ab. ; S. Julio m.
21. Quinta. S. Thom ap.; S. Themistocles m.
22. Sexta. S. Honorato m.; S. Flaviano m.
23. Sabbado. S Victoria v. m.; S. Tercilla v.
24. Domingo. S. Uelphioo b.; S. TaMlla m.
PRFAMAR DE HOJE.
Primeira as 7 horas e 42 m. da manhaa.
Segunda as 8 horas e G minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sal at Alagoas a 14 e 30; para o
ala a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, marco, maio,
julho, setembro e novembro.
ASS1GNA-SE
no Recife, na livraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa_d
Faria & Filho.
PART OFFICIAl
.ovi;h\ o rispado di:
PllXtNItl'O.
SEDE VACASTE.
r.\|n'iliente do dia 11 de dezrmbro de 18f>5.
Officio ao coDego JouChrysostomodePaiva Tor-
res.Tenho presente 0 seu officio com data de
honli-m, em que me participa haver reeebido urna
procurago do Exm. Sr. hispo confirmado, pela
qual o autorisa a tomar posse e assumir o governo
Ueste rispado,e me pede que para esse fira convo-
que o Rvm. cabido.
Em resposta tenho a dizer-lhe que pode \. >.
comparecer na sala capitular s 10 horas do di*
de .unauhaa, 15 do correte, onde achara reunido
u Itvm. cabido para o fim que sulliciia.
Dito ao vigario de Quenrangulo.A' vista do
que rae expe no sea ofllclo de 26 do prximo pas-
, a que respondo, autoriso a V. Rvma. para
ir dos livros competentes os assenlamentos de
baptisados e bitos que tendo lido lugar no lempo
us aotecessores, se acham cor anear. Espe-
ro que V. Rvma. procedendo com a prudencia e
circumspeccao que deve ter o bom pastor, (ara en
elles un exame imoacioso, alim de s langar
lies cuja veracidade estiver evidente.
Quanto ao que me diz a respeito da oecessidade
di ir ah o Rvm. raissionario eapochiBho Fr. gi-
a Uu respond em data de 12 do correle.
16
GftJeio ao Kxm. e Rvm. Sr. D. Manuel do Reg
nspo confirmado desta diotsse.Tenlio
i honra de aecusar rebebido no dia 13 do Brren-
te, por Intermedio do Rvm. conego J.1o Chrjrsos-
tomo de Paiva Torres o offlcio de Y. E*e. Rvma.
datado de Roma a 3 do prximo passado, em que
immanica que nesa mesma data enva ao
Rvm. coneg i referido as lellras apostlicas pelas
quaes o saolissimo |)apa Po IX confirma a V. Exc.
bispo desta diocese ; e igual mete me participa
remelle ao mesmo Rvm. ronego o mandato ou
i i lia-tante, para que elle lome po>se 'I --
ti diocese, em nome de V. Exc.; e a-sim tambem
a proviso, em virtude da qu il o autoriza a rge-
la e goveroa-la durante a ausencia de V. Exc. na
qualidade de seu vigario eral e ofllcial, como diz
o mencionado otlicio a que respondo. I'oucas ho-
- de me haver sido entregue este offl -io
i oulro do proprio Rvm. capitular Joo Chry-
pedindo que eu, na qualidade de deso e
lente du cabido, reunisse este para o Um in-
razei o dia I." do correte para a reunio ca-
ihi oramapresentadas pe Inesmo Rvm.
-!im> a bulla de coufirmacao de V.
rago bastante para tomar posse do
7 m como nina proviso de vigario eral
i qualidade governa-lo durante
Exc. Vio apreseotou perm o
. go o beneplacil i imperial, sem o qual
i referida bulla, visto como
luic i i /imperio, e pelo nosso direito
i netihum breve, bulla, ou eonstituicio apos-
i p le ter exei ucS i no pan, sem o plcito im-
Assrm pois, nao pode ler lugar a posse, o
irmnunico a V. Exc Rvma., alim de qne se
: ivideuciar para que' me seja apresentado
in i beneplcito.
noalguns Rvms. capitulares fossem de opl-
i va dar a posse iodependente do be-
i e li , dfecUrei Ihesque nn poda subraetier a
m materia que et expressaraente re-
la na le. visto como fra absurdo sugeitar a
." deve u oo obedecer se a mesma
nmuniquei todo o occorrldo ao governo
erial como me cumpria.
Di I neg Joao Chrysostomo de Paiva Tor-
i i-me sido entregue por intermedio de
Beto do Exm. Sr. bispo confirmado desta
datado de 3 do prximo passado, remello
- i resposta inclusa, alim de. que a faca che-
qnto antes s mos do mesmo Exm. e
sr.
18
ao Exm. presidente desta provincia.Pa-
i dar o meu parecer acerca do con-
ifflcioa do director da colonia militar de
inteiras, do eapellio da mesma colonia e do vi-
ignezia do Bontl', os quaes aeompauha-
; :lo de V Exc. de 15 do crreme, torna-
,Miniar o regulamenlo ou re-
s que rege'm a ineucioiiada colonia, pelo
, Eic. que se digpe fazer que quanto
imettida copia del les.
Dito ao vigario de Taquafalinga Lamentando
v Rvma. o estado deploravel enYque se acha
bivo dessa matriz, espero que V. Rvma. me
'..' qual o meio mais raeil 'l" remediarse o
mal que causa aos povos o desleixo ioqualiticavel
-- r o fallecido padre Francisco das
I erra de Avelloz. Altendendo igualmen-
justas razoes expendidas uo seu offlcio de 15
lia i passado, a que responde, cu o auteri-
ra ,.;i- ir certidoes de bito mesmo dos assen-
i .arar, fazendo nella-essa mes-
a preceder celebracao dos ca
de pssoas viuvus, quando estiver certo
i viuvez. Emtim, contirmando as conc.essoes
i;oho felo aos Itvds. parochos ne>te sentido,
i que V. Rvma. facilitar quauto Mr possivel
ti di i seos parochianos, sem todava
faltar ao que essencial. Pede lancar nos livros
c mpeleo'es i asseotos que estlverera em regra.
lauca da matriz, brevemente resol-
verei.
Dit' i vigario de Afogados.Accuso recebida a
:a di ssa reguezia coordenada com cuidado
>;>tada ao lim que Uve em vistas quando a exi-
m lual ao vigario da freguezia de Pon'Alegre.
Antonio Gomes Brrelo e Francisca Carolina Pe-
rora da Silva.
Joao Martina Vianna o Antonia Romana das
Noves.
Francisco Gomes de Moraes e Maria Felismina dos
Sanios.
Jus Rodrigues de Mello e Luza lima da Costa;
Jos Francisco da Silva e Josepha Maria da Con-
ceiclo.
Claudioo Correia da Silveira e Maria Francisca
Crrela de Oliveira.
Joao Lourenco Vicira e Maria Francisca da Ccn-
ceicao.
Cosme Theodoro da Silva e Maria Magdalena da
Conceico.
VUram mais as seguinlei petiqoet concedidas na
mesma data.
Francisco Gurgel de Oliveira e Mana dos Anjosde
Oliveira.
Ra> mundo Gurgel de Oliveira e Sima Gaudeosa
de Oliveira.
Manoel G nzag de Araujo e Francisca llosa de Al-
buqtl-rque.
Jos Fclippe de Moura e Felippa Maria de
Moura.
Francisco Bernardo da Ctinha e Rosa Carolina do
Paula e Silva.
Ezequiel Renovato de Mello e Candida Francisca
de Mello.
Luiz Maria de Uhveira e FloiinJa Maria da Con-
ceico.
Jos Joaquina de Aquino e Francisca Anglica d)
Espirito Santo.
Manuel Jos Moreno e Marta Rosa da Peona.
Raymundo Nonato de Aquiuo e Maria Florencia do
-pirito -Santo.
EXTERIOR.
ovat dpetuat matrimoiuaa.
Chegaram do Rio de Janeiro as petlcSes de dis-
is do i' grao igual da lioha lateral e 2" grao
itlingente an 1" de c.oosangulnidade constantes da
ibaixo publicada e cuja eoncessao foi autori-
Kxm e Rvm. Sr. internuncio apostlico,
.!, Je 2.; do prximo passado.
lem ser procuradas em Olinda na cmara ec-
astica, e no Recife em casado lilm. Sr. conego
ipella imperial, Francisco Jos Tavares da Ga-
rua da Crm n. 56.
Olinda, Di de dezembr de 1865.
Conego /ooommi Ferreira dos Sanios.
Secretario do bispado.
Lisia das pettres.
do Carmo Lima e Maria Pinheira de
Francisco Dias 8 Joanna Maria de
dos Santos e Anna Maria Brasi-
Aotonio
Jess.
I i |iiim
Jess.
Herculano Jus
Alvaro Fragoso de Albuquerque e Candida Rosa
de Ouveira.
loaqoim de Barros VieiraeAnna Joaquina de Vas-
concello-.
Joo Mariano da Rocha e Rila Maria da Cou-
ivic,o.
Thomaz Nunes de Azevedo e Joaquina Francisca
da Conceico. .
Firmino Rodrigues Sobral e Constancia Mana da
Conceico.
Antonio Fernandes de Macado e Anna da tosa
Yasconcellos.
Francisco Primeiro dos Santos e Joanna Francisca
de Jess.
COatK^SPOVatEXCSAS I MA
JttlO 1E PrltWMIiaO
PORTUGAL
Porto, 27 de novembro.
Elfectuou se no domingo 17 a eleico da cmara
municipal para o biennio de 1866 a 1867. A urna
(o muito concurrida e os traalhos corrern) com
a raaior regulardade e .-ocego. Deu-se nestaeleicao
urna circomsiancia pouco vulgar nos processos elei-
loraes entre nos. Foi a do desaccordo de um gran-
de numero de eleiiores niescolha doseidado para
representante do municipio. A diversidade de lis-
tas era lio grande que o apuramento de votos sea-
bou em quasi todas asassemblas ae cahir da tar-
de do dia 21, i.-to lev> u mais um dia doque em
oulras occasides lem levado.
A auioridade administrativa do dlstricto deixuu
desta vez de fa/.er pesar a soa inITiieiicia junto da
urna, e aeste faci attribuimos nos a espoalanei-
dade di el llores em lazerem listas siesolares,
cuino appireceram mullas na urna, ou a lomarem
nomes das diversas li-las que haviam sido publica-
das nos peridicos ou distribuidas pelos uQuenles
de cortos comicios e foiinaiem listas segundo o seu
modo de avallar us cidados que se propunham.
ah resuliou o nao viugar nenb ma daquehas lis-
tas e ticarem eleilos Individuo- rujo aulaguui-mo
lera de apparecer bem assignalado ua governaco
o inuoicipio se iiorveulra todos elles acceitarem
o cargo de vi n-adur.
as dez assemblas do concelho do Porlo entra-
ram na urna .'f.S lisias.
u-ii cidados mais votados, e que por isso de-
vem compor a futura cmara municipal, sao os se-
guiules :
Antonio Caetano Rodrigues..... 3,126
Antonio (lardoso ilos Santos. .. 2,'JXU
Antonio Pinto Moreirada Costa.. 2,7'J'J
Alfredo Alien................... 2,449
Visconde de Lagoac.a............ 2,243
Francisco i'ioto Bessa........... 2,037
Antonio Jos do NascimeotO Leo 1,876
Raymundo Joaquim Martins..... l,8S3
Thomaz Joaquim Das........... 1,671
Jos Joaquim li.irbosa de Araujo 1,642
Jos Duarte de Oliveira......... 1.610
Os cidados que ubtiveram votaco i n media la,
cima de 1,000 votos, foram Eduardo Ribeiro de
Faria 1,397, conde de Terena 1,501, baro do Set-
xo 1,485, Antonio Rodrigues da Cruz Coutinho
l.iSO, Malinas Cameiro de Vasconcellos l.'i"8,
Custodio Jo? de Suuza 1,358 e Joaquim Jos h'er-
reir de Oliveira 1,314.
O Sr. visconde de Lagoa^a, presidente da comar-
ca actual, foi o quinto dos cidados mais votado
para a futura vereacao. S. Exc. a quem o muni-
cipio deve |mp irtautes melhorameuios materiaes
tmha, poneos dias antes da eleico, declarado em
carta publicada nos jornaes, que nao poderia ac-
ceilar a reelei^-o. caso continuasse a merecer a
c inliauca dos eleitures, apresentado paiaesla es-
cusa o .-eu melindroso estado de saude e terera os
s-u- collegas na vereacao declarado estarem no
Orine proposito de aproveitarem da isempcao que
a lei Ibes concede se novossulragios os chainabsem
a entrar na futura municipalidade.
Depois desta declaraco solemne, o Sr. visconde
de Lagoaca nao poda >ein quebra da sua palavra,
acceitar o cargo de vereador, porm os seus ami-
gos tralaram de Ihe aplanar o caminho para urna
reconsideraco, e ante-hootem apresentaram-se a
maior parle dos vereadores da cmara actual e al-
guna dos nomeados para a do futuro biennio a so-
licitar de S. Exc. que acceitasse a sua nova reelei-
co, secundados por urna pelico de 254 cidados.
E o Sr. visconde, reconsiderando, declarou que es-
tas demonstraces de estima e consideracao com
que tanto o obrigavam os peticionarios a demudar
do seu proposito, senara mais um incentivo para
Ihe redobrar o zelo na promoco dos melhnramen-
los e bem-estar do municipio. Urna reconsideracr
assira feia nao desairosa, nao tira mal a ninguem.
O Sr. visconde reconsiderou ele anno, como ja ha-
via reconsiderado ha dous anuos por igual motivo
e c ,m os ruesmos fundamentus.
Continua atera a exposteo internacional, mas
est prximo do seu eucerramento que dever ser
nos lin- do prximo dezembro. O lempo corre
bstanle invernoso e ja agora pode-se dizer sera re-
celo de rectificaeo que lerminou a concurrencia
de visitantes de fra da cidade. Nao se elevou
ella ao numero que se esperava tanto de nacionaes
coreo de eslrangeiros sem duvida divido ao eslado
sanitario, nada lisougeiro, em que desde junbo se
tem conservado uraa parte da Europa. O cholera
invadindo vanas cldades da Italia, Franca e Hes-
panha, peneirou em Portugal pela provincia do
Alentejo e fazendo bastantes e-tragos era Elvas,
desviou nanita gente de vir ao Porto, onde l ao
longe, corria existir tambem a terrivel tnoleslia.
Nesia cidade dsram-se apenas nns tres ou quatro
casos de doenya suspeita do cholera, como era lem-
po noticiamos e nada mais. Felizmeole dissipa-
ram-se os recelos e a exposicao foi rauito concor-
rida de visitantes nacionaes durante o mez passado
e principios do actual.
A direcco da sociedade do palacio de cryslal e
a commissao da exposicao lera procurado lodos os
meios de aitrahir a exposicao grande numero de
visitantes, ja Iluminado a noite interior eexlenor-
menle o palacio j esiabelecendo rifas ou sonetos
de premios de objectos exposloi o dando concertos
coustando ds diferentes trechos de msica a orgo,
piano, harmuniura, violoncellos, etc.
Em 28 do mez passado foi a primeira noito de
illurainacao e sorleio de premios. Sao esles esoo-
Ihidcs segundo o producto das entradas. Os con-
cerlos comecaratn em 17 do correrjfe, e a noile
passada leve lugar o quarto. O favor do publico ha
auxiliado estas innovaes, sendo as entradas, termo-
medio 3,000 pessoas. Os bilhetes de entrada cus-
lam 20J ris e os da rila 100 ris, mas a toquis*
cao destes nao obrigatona.
Concluio-se no paiz vinhaleiro do Douro o coslu-
raado arrolamenlo do vinho. Desde que come^ou
a molestia das viuhas foi este o anoo em que esta
operaco ofllcial apreseotou maior cifra. Foram
arroladas 95,806 '/> pipas de vinho da ultima no-
vidade.
Eis o arrolamenlo dosqualro ltimos annos:
1862 75,592 1/2 pipas.
1863 82,>-66'/2 .
1864 66,578 '/2
1865 95,806 '/2 >
Pelo varejo a que por esta occasiao se proceden
no Douro, verilicou-se que existiam all 6,046 pi-
pas, 17 almudes e 7 caadas de vinho velho.
Na cmara dos deputados foi approvada a pro-
1 posta de lei sobre a liberdade do commercio dos
vinhos, de que fallamos na nossa ultima missiva.
j Assim nos diz um lelegramma expedido hmlem da
capital.
Encerron-?p a exposicao suplementar de gado e
plantas cuja abertura demos na missiva passada.
Esta exposicao pelo que respeita a gado, (oi pobre.
Coucorieram 24 exemplares de raga cavallar, pela
maioria parte ordinarios; 30 cabegas de gado b
vino, algumas ovelhas e poucas ave*.
Em plantas lornou se digna da attengo dos en-
tendedores pela vaiiedade de flores, algumas fru-
tas e leguraes.
Os premios distribuidos pelo jury constara da
seguinte relaco c
Gado cavaliar.Ao Sr. Borges de Souza e socios,
por um cavallo de quatro annos e meio, 25$.
Ao mesmo, por urna egua de o annos de idade,
, 20^0(10.
Ao Sr. Manoel de Oliveira Maia, por urna egua
1 pigarea de 3 annos e tres mezes de idade, 203.
Ao Sr. Jos Ferreira Pinto Basto, por um potro
de 3 annos e 4 mezes de idade, i'i'j.
Ao Sr. Jo Joaquim da Cosa, por urna poldra
1 de anno e meio de idade, 20.
Medalha de I* classe. Ao Sr. visconde da Trlu-
dade, por urna egoa. (Nao entrou em concurso aos
premios em dinlietro por a haver retirado antes du
fim do tempo.)
Mencao hunrosa.Ao Sr. Borges de Souza e so-
cios, por um potro de 2 annos de idade.
Gado inuar.Ao Sr. Jos Francisco dos Santos,
por nma nula de dous anuos e meio de idade, 20J
Gado Bovino.Ao Sr. Manoel Francisco da Silva
Santos, or nm boi gordo da raga de Rarrozo, pe-
sando 6i arrobas e 16 arralis, 255.
Ao Sr. Manuel da Silva Pereira, por um boi gor-
do da raca de Bai rozo, pesando 59 arrobas e 25
arralis, SOa
Ao Sr. Antonio Joaquim dos Sanios, por umi"
vacca com cria de rara aronqoeza, 243.
Ao Sr. Roberto Wa'nzeller, por um touro de raga
Durliam, 20JS.
Ao Sr. Jo.- Rodrigues Carneiro. por urna junta
de bois de irabalbo, 2<>3.
Medalha de l* classe.Ao Sr. Jos de Souza, por
um nnvilho de 7 mezes da raga de Barroso.
Ao Sr. Domingos Rodrigues de Mello, por urna
vacca com cria da raga arouqueza.
Gado ovino Ao Sr. Sebastiio Teixeira Campos,
por duas ovelhas da raga Soulh-Dow, (.-i.
Ao Sr. Sebastiio Pilippe Barboza de Castro, por
um grupo de i carneiros gorJus, raga crusada do
Mazago e M -ri, 93.
Medalhas de I* classe.Por nao poderem pelo
artigo 3" do programma concorrer a premios em
dinheiro. ao Sr.-- Siemers, Rock, MuHiern e Prltze.
Gado .-nio. Ao Sr. Domingos Rodrigues de Mel-
lo, por uro varro da raga Vorksbire, 183.
Ao me-mo pela purea mais pesada pertenceote
mesma raga, I -.'3.
Ao Sr. Roberto Wanzeller, por um varro da ra-
ga Berkshire pequea, 93-
Ao Sr. Sebastiio Pblippe Barboza da Costa, por,
um porco gordo da raga cruzada Berkshire e cana-'
pina, 93.
Medalha da l classe.-Ao Sr. Jos Maria Re-
bello Valente, por um porco de |raga Yorkshire
grande, que nao pode entrar a concurso aos pn-;
mos em dinheiro por estar fra da idade marcada
no programma.
Aves.Ao Sr. Roberto Wanzeller por um gallo
e gallinha da raga porlugueza creada por elle com
os cruzamentos da Dorking, Cochinchina e branca
33000.
A" Exma. Sra. D. Anna Marques de Araujo Li-
ma, por nm gallo e gallinha, raga branca, 33-
AoSr. Juhn Delalorce, por um gallo e gallinha,
raga Seabrigh, 33-
Ao Sr. Simo Piulo de Mesquita Carvalho Maga-
Ihes, por um casal de patos da Oceania, 33.
Meoco honrosa. Ao Sr. Roberto Wanzeller,
por um casal de palos, raga de Rouen.
dem.Ai Sr. Rodrigo Pereira Felicio, por 18
patos do liasil.
Outrus animaos.MencSo honrosa.Ao Sr. Vas-
co Ferreira Pinto Basto, por um cao e urna cadella
de raga hespanhola.
dem.Ao Sr. Jos Alves de Castro Sobrinho,
por urna clmela.
A commissao do monumento do Sr. D. Pedro V.,
para cuja ronclusao falla s o enllocarse no pedes-
tal erguido na praga da Batalha a estatua de bron-
ze, ja fundida daquelle chorado monarcha, trata de
colher donativos para salisfazer as despezas da ul-
timago do mesmo monumento.
Devido talvez a iniciativa dos artistas lisbonen-
ses que aqu (Sliveram para estudar a exposigo
internacional i Centro Promotor das classes labo-
riosas promo\e entre as classes operaras da capi-
tal urna subsc ipgo com aquelle lim.
Entre os pr necios que se concebera na Inglater-
ra para estab. lecer um cabo elctrico transatlnti-
co para a trar smisso de despachos lelegraphicos |
para a Ameriria, ha de uraa companhia que designa
como ponto ibngado a cidade do Porlo. O cabo j
tira de Falmoiiih a esla cidade, da qual s-guir ;
I ilha das Flore i desta ilha ir a Halifax. Todo o ca-
bo medir una extensao de 2,900 milhss inglezas.
Consta que a orapanhia que intenta eslabelecer
; esta linha ja dedira ao governo portuguez a precisa
1 eoncessao dec arando que nao quena subsidio nein
previlegio de natureza alguma.
O Rv Carlds Mikoszewski publicou nos jornaes
! desta cidade 1 ma carta despedindo se e agradecen-
do em norae dos seus companheiros de exilio a
lodos os ainigus dedicados da nobre causa do Polo-
nia e aos que- ioscrevendo-se no seu livro de beoe-
fleencia, derain o seu obulo para o alivio dos Pala-
eos emigrado .
Como em o itra oocasio disseraos, o Rv. conego
polaeo encont ou aqui ura ptimo acolhimeoto.
Durante a i ua estada nesta cidade e na sua hida
Sr. Antonio Francisco Torres Jnior, do Rio de bargadores Barros Vasconcellos, Gitirana e Duria.
Janeiro, determinando que esses gneros fossem Derara provimenio.
depois vendides, e do seu producto se destmasse | Recrreme, o juizo ; recorridos os vereadores
dous tergos para as obras do monumento do Sr. U. j da cmara do Serid.Relator o Sr. desembarga-
Pedro V. eo oulro terco ao conego polaco em favor dur Doria. Sorteados os Srs. desembargadores
de seus irmos exilados. j Santiago, Assis e Barros Vascuncellos Improce-
O Sr. Mikoszewski conseguio deixar constituida
; ne.-ta cidade urna commissao permanente com o
uoait de Luso-Polaca, da qual presidente o Sr.
i ceode de Lamodaes, para de futuro agenciar dona-
I liv.s para os Polacos proscripto^, ecuja commissao
(oi nomeada em casa do Sr. visconde da Trindade
em urna reunio de alguns cavalleiros expressa-
ment convidados para esse fim.
Falleceu na (regnexia de S. Christovo de Mafa-
mode, concelho de Villa Nova de Gaya, ura indivi
dente.
Recrreme, Evaristo Velloso da Silveira ; recor-
rido, o juizj.Relator o Sr. desembargador Ucha
Cavalcante. Sorteados os Srs. desembargadores
Barros Vasconcellos, Assis e Santiago. Deram
provimento.
Aggraco de instrumento.
Aggravante, Joao de S Albuquerque; aggra-
vado, Gaspar Cavalcante de Albuquerque Ucha.
Relator o Sr. desembargador Motta. Sorteados os
do com 106 anuos de idade, chamado Joo Re-, Srs. desembargadores Santiago eGilirana.Deram
bello. provimento.
Viva de esmolas. Appellares civris.
Ha-ia sido militar elido em lempo baixa do Appellanie, a Sauta Casa de Misericordia ; ap-
servico. pellado, Antonio da Silva Ferreira Jnior.Contir-
I Era urna das raras reliquias ou talvez a nica mada a sentenga.
a divisao di ex.-iciti porioguoz que reunida ao Appellanie, Francisco de Paula Borges L'cha ;
[xercito his.ian'iol fizeri a camomila do Roussi appellada, a Santa Casa de Misericordia. Coa-
ha, 1 atacando em 1791 o sul da Franca.
firmada a senlenca.
Tiuha alm disso feto a guerra peninsular e Appellanie, a fazenda; appcilado, Manoel da
iransposlo no exercito anglo-portuguez os Pyren- Silva Paranhos.Confirmada a sentenga.
neus em 1814. Appellacoes crimes.
Se depois de-ta poca cootinuou a servir, para' Appellanie, Antonio Pliiladelpho da Rocha ; ap-
1 admirar que Joo Rabello nao pertencesse ao corpo pellada, a justiga.Reformad* a sentenga.
j de veteranos. Appellanie, Jos" Feliciano Barbosa ; "appellada,
Talvez fosse urna d-s muitas victimas da nossas a juslica.Nullo o processo.
' djs Escrivao Joaquim Francisco de Paula Esleves
Clemente.
Advogado o Sr. Dr. Manoe.l Joaquim Silveira.
Reo Antonio da Silveira S Brrelo.
Feita a chamada as 10 horas da manhaa acham
se presentes 38 Srs. jurados.
Foram multados em mais 203 cada ura dos Srs.
jurados j mullados nos anteriores dias de sesso e
e cada ura dos que faltaram hoje.
Abena a sesso, procedeu-se o sorleio do conse-
lho do jury de sentenga ao qual (oi deferido o
respectivo juramento, dos dantos Evangelhus.
Interrrogado o reo foi lida o processo da furraa-
go da culpa foi desenvolvida a accusagi e defeza
e lindos os debates depois da replica e ireplica e
resumida estas foram propostas as quesles de fac-
i ao jury de sentenga e relirando-se este a -ala
secreta das conferencias as 3 horas la tarde d'on-
de voltou as 4 com suas re-postas que foram li-
das em alta voz pelo presidente do jury de senten-
ga em vista de cuja deciso o Sr. Dr. juiz de di-
reito declarou que appellava da decisao do jury
para o superior tribunal da relag > absolvendo o
reo e condemnando a municipalidade as cusas.
Levanlou-se a sesso addiandoa para o dia se-
guinte pela 10 horas da manhaa em que tem de
serjulgado oreo Aleixo Januarlo Serra Grande
aecusadoporcrime d? homicidio.
COMMNIGADOS.
Evora-Monte.
Abriram termo de carga
Em 13 a galera Tentadora, para o Rio de Janei-
ro; era 18 a barca Douro, para a Baha.
Kntraram
Em 18 a barca Stimpsllua, de Pernambuco; em
a ju-tiga.A novo jury.
Appellanie, o juizo ; appellada, Delphina Maria
Diniz.Improcedf nte.
Appellanie, o julzo ; appellado, Jos Rodrigues
Cavalcanti.Nao se tomou conhecimenlo.
Appellanie, Manoel Domiogues dos Reis ; appel-
20 o bngue brasileiro /Vnimoiieano, do mesmo pellada, a jusliga.Improcedente.
; porto. Appellanie, o juizo ; appellado, Francisco Meo-
Sahiram. des de Castro. Improcedente.
Em 15 o brigue Adelmo,para o Rio Grande; era ^ diligencia chime.
16 a barca Flix para o Rio de Janeiro. Cora vista ao Sr. desembargador promotor da
Arnbou a Vigo no dia 26 a barca Alfredo justiga
As appellages crlmes.
Appellanie. o juizo ; appellado, Flix Kohy.
Appellanie, o juizo ; appelladu, Theudora Ma-
tlulde da Conceigo.
Appellanie, o juizo ; appellado, Marcelino Jos
da Silva.
DRSIGNAgO DE DIA.
Assiguou-se dia para julgamento das seguin-
les :
procedente do Maranhao em 17 dia?.
pernaMco.
umn dia&u.
Rene su hoje o Instituto Archeologico Geogra-
phico Pernambueano em sesso ordinaria. Appellages civels.
... .... Appellanie, Augusto Carneiro Monteiro e outros
- Succumbio honlem por meiudia na freguezia appellado, Jesnino Ferreira da Silva,
da varzea. para onde se transportara a conselho; PASSAQENS
iiiidico, o barnarel Jos daCunha Teixeira. victima [ DoSr. desemhar I r it'ranaaoSr.desembar-
de febre typhoide que u assaltou depois de longo e gad0r Lonrenco Sai ti
i doloroso padecimenio. | A appellacao crime.
i Olmadorecberaem 18.jt o grao scientihco que' Appellanie, ojuizo; appellado, Felisbello Jos
1 o adiiruava, e |ue cooqulstoo com apphcago. Do- ja Silva.
tado de talento e.dispondo de aptidiopara a tribu-, Ao Sr! desembargador Almeida Albuquerque
na, onde apparecou muiia vez cun honra, atirou-' A appellacao civel
se o joven tachare! as lides do foro que entretanto | Appellanie, D. Joanna Maria das Dores; appel-
nao1 sgotavain a -ua a.tividade |ad0i uazi|iano de Maga|haiiS Caslro.
Distinguindose como advogado pela sua energa, Ao Sr. desembargador Molla
e alfiuutaodo com placidez as difficuldades, Jos | ^ appellacao civel
Teixeira subres.hio mais como hornera politino 001 Appellanie, Maria Magdalena'da Conceigo;
curlissimo penodu de sua vida publica. Merabroi appellada, Cypriana Mana^de Mallos,
decidido do partido Imeral, cullocuu-se a frente do j o Sr. desembargador Guerra ao Sr. desembar-
seu orgao na wiprensa que por multo lempo di-! gaar Lourengo Santiago -
ri210- A revista civel.
Membro da asserobla provincial, houve se com Recrreme, Josaphat Lourengo de Souza ; recor-
independeticia, tomando urna atlilude respeitada rido, Dnalo Jos Marlins.
pela facihdade de sua palavra, que novia algumas Do Sr. desembargador Lourengo Santiago ao Sr.
vezes rom impetuosidade mel das pequeas tem-
pestades polticas, em qne se vio envolvido.
Com Jos Teixeira. o mancebo esperangoso, o
poltico e cultor rdeme do programma liberal, dos Santos.
desembargador Almeida Albuquerque
As appellages crimes.
Appellanie, o promotor ; appellado, Jos Caetano
perdeu o seu partido um liuinem de futuro.
t.omu se esvueeem tantas esperangas ?
Derramamos na lousa que ha de cobrir os seus
restos una lagrima sentida.
Domingo, vesperal (esta ha reunio de fa-
milias no Club Pernambueano.
A barca ingleza Rozedale gaida de Macei a
16 do correnta, arribou hoje a nosso porto, em con-
sequencia de se haver sublevado parte de sua tri-
polagao, da qual se acham recolhidos a casa de de-
tengo cinco de seus marinheiros.
Depois d'amanha se extrahir pelo novo pla-
no de 40 coutos de ris, 8' parle da lotera (42'),
em favor das familias dos voluntarios da patria,
sendo os dous maiores premios 12:0003 e 3:0003-
O agente Simes etlecluar boje o leilao de
movis e uutros arligos, era seu armazem a ra da
Cruz n. 57 as 10 l|2 horas em ponto.
REPAlITig.VO DA POLICA.
Extracto da parle do dia 20 de dezembro de
1865.
Foram recolhidos a casa de detenco no dia 19
do correle :
A' ordem do subdelegado do Recife, Gabriel Jos
Caetano e Honorata Maria da Conceigo ; por
briga.
A' ordem do de S. Ju*, Zeferina Maria da Con-
ceico, e Braz, escravu de Jos Marques de Amo-
nio, por embriaguez.
A' ordem do da Boa-Vista, Anna Maria da Con-
ceigo, para correego.
A' ordem do do Pogo, Jorge, escravo de Euzebio
Raphael Rabellu, por ferimentos graves.
O chefe da 2' secgao,
J. G. de Mesquita.
SSjfKSft -Co o ** *' Sr:^mb~Kago
zembro de 18bo: | anne|iara0 rrime
J^*^A*2SfiSl JfffSg oVSTS^o. Marcelino Go-
ge,ros 28, mu.beres 5 escravos 71, escravas 4 ; Appe|,aQtae; juz0 appe,lad0i Joaquim omes
10131 u*>/.
Alimentados a' custa cofres dos pblicos 176.
Movimento da enfermarla no dia 19 de dezem-
bro de 1865.
Tiveram baixa :
Joo Pereira Machado, intermitente.
Antonio.unes da Silva, idem.
Antonio Alves de Atahyde, dem
Tiveram alta :
Florencio das Virgens Marcieiras.
Jos Luiz de Sani'Anna.
Appellanie, o juizo ; appellado, Venancio Freir
de Rivoredo.
Do Sr. desembargador Almeida e Albuquerque ao
Sr desembargador Molla
A appellacao crime.
Appellanie, Antonio Jos de Freitas ; appellado,
Joo Jos da Silva.
A appellagao civel.
Appellanie, Manoel Patricio dos Santos ; appel-
lado, Fabricio Gomes Pedrosa.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembar-
gador Assis
As appellages crimes.
Appellanie, o juizo ; appellado, Candido Hera-
clio Constantino.
Appellanie, e promotor ; appellado, Manoel Leo
da Fonseca.
A appellagao civel.
Appellanie, Vicente Mendes Wanderley ; appel-
lada, a parda Guilhermina.
Do Sr. desembargador Assis aoSr. desembarga-
dor Doria
Appellages crimes.
Appellante, o promotor ; appellado, Manoel das
Neves.
Appellanie, Manoel Joaquim Fernandes ; appel-
lado, Joo Ferreira de Souza.
A appellagao civel.
Appellanie. bacharel bernardo Duarte Brando ;
appellado, Antonio Ferreira Amero.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. desembar-
gador L'cha Cavalcante.
A appellagao crime.
Appellante, o juizo ; appellado, Solero, es-
cravo.
Appellante, o promotor ; appellado, Francisco
Xavier de Araujo.
Do Sr. desembargador Barros Vasconcellos ao
ao Miuho fui pbsequiosamente hospedado m casa
de diversas 1. milias consideradas.
N'uma das ultimas casas em que esteve foi na
da Sra. barot eza de Fornos, a qual o Sr. Mikos-
zewski, na s ja despedida nos jornae*, tribua o
mais profund) respeito, dizendo que a hospitalida-
de que receb ra da Sra. baroneza, llzera lembrar
ao proscripto
sua familia.
As diversas)
cidade pelo R
que reunidos
parte da imp<
caixole com 1
ua exposicao
de Souza.
A's 2 horas e meia encerrou-se a sesso, e de-
rara-se as ferias do natal.
JURY RECIPE.
18 DE DEZEMBRO de 1865.
(Continuago.)
PRESIDENCIA DO Sn, DR. MANOEL JOSK DA SILVA
NEIVAS.
Promotor publico o Sr. Dr. Francisco de Car-
valho Soares Brando.
Escrivao Joaquim Francisco de Paula Esteves
Clemente.
Advogado o Sr. Dr. Antonio Justino de Souza.
Reo Manoel escravo do Rvm. Joaquim Mauricio
Wanderley.
Deferido e juramento ao conselho de sentenga
que acabou de funeelonar foi o reo interrogado e
lido o processo da formago da culpa, foi desen-
volvida a aecusago e defeza, e lindos os debates
C1IK0MU JUMCIAKU
TltlIU'VlL DA RELACO.
SESSO DE 19 DE DEZEMBRO DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. C0NSEI.IIEIR0
SOUZA.
s 10 horas da manhaa, presentes os senhores i depois da replica e (replica resumida a materia
desembargadores Santiago, Gitirana, Guerra pro-, da aecusago e da defeza (orara propostas ao jury
curador da cora, Lourengo Santiago, Almeida Al- \ de sentenga as quesles de (acto e retirando-se
buquerque, Motta, Assis, Doria, Ucha Cavalcanti, \ este a sala secreta das conerencias 3 horas J
os dias felizes que passou no seio da
listas dos donativos recebidos nesta
i. sacerdote polaco preazera 7003125,
aos donativos agenciados em Braga,
Guimares, Vianna, Carainha, Valonea_e Lamego,
forma o urna
quanlia superior a 1:2003-
Na referid quanlia eslo incluidos 103, trga
rtancia em que foram calculados um
ssucar e oulro cora caf, que existem
Internacional e mandados ahi pelo
Domingues da Silva, e Barros Vasconcellos, abri-
se a sesso.
Passaos os (eitos, deram-se os seguiutes
JLXGAMBNTOS.
Recursos crimes.
Recrreme, Francisco de Paula Campos Qua-
resma ; recorrido, o juizo. Relator o Sr. desem-
bargador Assis. Sorteados os Srs. desembargado-
res Doria, Domingues da Silva e Gitirana.Impro-
cedente.
Recrrante, bacharel RuUdo Coelho da Silva;
recorrido, o juizo. Relator o Sr. desembargador
Almeida Albuquerque. Sorteados os Srs. deserri-:
tarde de onde voltou as 4 horas com suas res*
postas que foram lidas em alta voz pelo presiden-
te do jury de sentenga, em vista de cuja deciso
o Sr. Dr. juiz de direito condomoou o reo a 200
acoites e as cusas o sennor do mesmo.
Levantou-se a sesso addiandoa para para o dia
saguinle pelas 10 horas da inauha em que tem de
serjulgado o rea Antonio da Silveira Sa Brrelo.
19 -
PR8SIDBNCIA. DO SR. DR. MANOEL JOS BA SILVA
NB1VA.
Promotor publico o Sr. Dr. Francisco de Carva-
lho Soares Brando,
tiiesto Arat^ngy.
O Sr. Dr. Cypnano Fenelon Guedes Alcoforado
assignou e fez publicar no Uiarto de huntem ura
communicado com o lim exclusivo de provar que
elle pode ser dngenle e zeloso procurador fiscal Ja
fazenda provincial e ao mesmo lempo advogaio e
defensor de contratos em que as partes, nao pagan-
do os direitos e iiupostos devidos, tennam lesado a
mesma fazenda.
Urna s excepgo ao seu procedimento parece
reconhecer o Sr. Dr. Cypnano, e ella, quando fOr
dada a thesouraria denuncia formal de que a parte,
da qual elle constituio-se patrono, defraudou a fa-
zenda provincial.
A declaraco do Sr. Dr. Cypnano, foi provocada,
como elle o asseverou, pelo pequeo trecho de um
artigo publicado no da 16, no qual se disse que o
tenenle-coronel Gaspar Cavalcanti de Albuquerque
l'cha lesara a fazenda provincial, comprando aos
herdeiios da casa de Araiangy um grande numero
de escravos sem pagamento de um real da meia
siza devida a mesma fazenda, sendo advogado e
fervoroso defensor desse contrato evidentemente
uullo e criicinoso o Sr. Dr. Cvpriano.
As nossas palavra.- escripia- ^or obedien* i 1 a
veidade e aos factos foram qualilicados pelo Sr.
Dr. Cvpriano de easmuacao maligna.
.Nao aceitamos essa qulilicago ligeira e injusta.
! O as-umpto serio, e estamos convencidos de que
Qcarara patentes e vencedoras a boa f e a since-
ridade cora que entramos na presente discusso,
que reputamos de alta moralidade publica.
Transcrevamos as palavras do Sr. Dr. Cvpriano.
E.-Ias :
t Nio-sou obrigado a saber quando os rapo-tos
deixam de ser pagos nesla ou naqu-dla localidade
da provincia, man quaudo i.-to acontece e vera ao
meu conhecnneuto por meio de denuncia thesou-
raria, sempre promovo a sua cobraoca pelos ca-
naes competentes. Nao me consta que' a thesoura-
ria fosse dada denuncia alguma sobre essa preten-
dida defraudagao de direitos.
ijuanto a constar tsfo dos autos e dos ttulos
que Io ruin junios pelo meu consttlwnte para habi-
litar se, devo dizer que nao sendo competente como
procurador Fiscal para e.-iiiriliiir se dos autos que
correm no foro desta cidade ha algum documento
d'onde conste defraudagao de imposto, nao sou
tambem us que despacho como advogado obrigado
a olliar para elles com oi.uos fisoaes. >
Nao crea o publico que a iraoscripgo que fize-
zemos infiel. Ella est letra por letra, palavra
por palavra, no cnmmunicado do Sr. Dr. Cypriano.
Julgamos necessaria essa declarago, por que
talvez os leilores duvidera da veracidade da trans-
cripgAo, aiteuta a franqueza e a ingenuidade cora
que o procurador fiscal da fazenda provincial os-
leotou a sua iodilferenga pelos ioteresses da (alen-
da provincial.
Mas prosigamos.
Enlrando no circulo estrello, dentro do qual o
Sr. Dr. Cypriano tragn os seus deveres fiscaes,
nos encontramos establecida a doulnna de que o
procurailor fiscal da fazenda provincial nao obri-
gado a abrir os seus ulhos fiscaes para enchergar
defraudarlo do imposto provincial em algum docu-
mento que instrua os autos que elle despachar como
advoaado.
Que a moralidade e o sentimento do dever de
empregado publico repeliera tal doutrina, nao te-
mos necessidade de prova-lo, por que (elizmente
anda nao chegamos a urna poca em que a irai-
go do patrono ao seu constituate deva ser glorifi-
cada, em que o mesmo defensor possa, sem crime,
patrocinar ao mesmo causas que se contraran) e
excluem reciprocamente.
Mas admitamos, sob protesto, a doutrina do Sr.
Dr. Cypriano, e Ihe pegamos licenga para pergun-
tar-lhe, e qual o motivo ou considerago que pode
obrigar S. s. a fechar os seus grandes olhos fis-
caes para nao ver essa defraudago'nos docume"Jps
que elle compulsa urna duas e rauilas 1*Z "aol
documentos sobre os quaes elle ass^'j^b direito do
seu consumite defraudad/j; a fazenda provincial;
nos documentos emfiu>que o Sr. Dr. Cypriano cita
e invuca para pedir vencimento da causa em faver
desse constituiute feliz, despresados assim e escar-
necidos os interesses da infeliz fazenda provincial ?
Quem fr menos plido e generoso do que nos, e
sobre u'utn lempo em que o hornera de bem lan-
as vezes calurauiado, talvez queira enchergar nesse
procedimento do Ilustrado procurador fiscal, algum
motivo pouco louvavel, talvez queira dizer, qae os
olhos fiscaes desse zeloso empregado, a lcitos ao
briiho embaciado do metal era que recebe ha mul-
los annos os seus ordenados mensaes de promotor
dos interesses fiscaes, j se nao incommodam com
essa luz. eraquanto que o metal que os clientes
particulares offerecem aos seus patronos de bri-
II10 to vivo e deslumbrador, que incommoda
vista, e obriga os olhos, mesmo os mais fisgues, a
(echarem-se, protegendo-se assim contra a obriga-
go que o sentimento do dever e a digoidade do
homem tmpem lyrannicamente ao empregado pu-
blico.
Nao somos nos, repelimos, que pensamos assim.
E nunca ser demais esta declarago, por que j o
dissemos, e otamos 00 firme proposito de cumprir
nossa asseveracao, a discusso em que entramos
seria, e nos debates desta ordem o respeito para
com o adversario a primeira condigo para o
triumpho.
E quando mesmo a nossa educago e os nossos
deveres de polidez nao nos recomraendassem esse
respeito para com o lluslrado Sr. Dr. Fenelon,
uraa considerago existe que nos nao permitliria a
mais leve lemeridade na maneira de apreciar a sua
conduca.
Nos sabemos, por que do dominio publi-o, que
o Sr. Dr. Fenelon possue e desructa hoje orna for-
tuna ostensiva que so eleva a mais de urna dezena
de dezenas de contos de ris, adquerida no correr
de rauito poucos annos, e mesmo estes com algu-
mas interrupQQes, pelo uso exclusivo de sua pro-
fisso de advogado, o que revella um tlenlo espe-
cial que o abriga contra a maledicencia, que por-
venlura o qnizesse ferir.




O aviso de 5 Je maio de 1831, citado palo Sr. Dr.
Cypriaoo, niu ptfde reger a espacie da 'iue se tratar.
Esse aviso, aBdia-, 6 veruade, o pagamento do ira-
imposto na compra da heranca que nao liquida
para depois da li<|Udafo.
Mas, eumpre nao esquecer que os escravos com-
prada foram descnptos pelos seus nomes, e alalia-
dos um por um, segando consta das notas do ta-
belliao Ibqucira de tormo de Serinhaem onde furara
passadas as esenpturas, u que pelos mesmos no-
mes e valores foram dados pelo tenenle corone!
Gaspar aos herdeiros e. pagamento de suas fte-
raticas.
E o boin enso nao admittk de cerlo que e-ssas
suas transaccoes precisas e determinadas, FossetB
realrsades, sem ser a vista de om padro taopreci-
so e de:errniuado, como as ncesmas trausac^oes.
As Seraneas que ae tt erent sido compradas,
oram expres-araetite vahadas e nao urna vei
somenle, mas duas; a primeira no acto da com-
pre, e a segundo no wcio do palamenta, distnccio
a primeira visu, strscepli-vel de reparo, mas neces-
x-aiia na especie, por que os ubjeelos comprados,
sendo pagos com e les mesmos, devixm ter sido por
torca doss.i trans*(\'o avallados duas retes.
At atora tude nessa quesli) de Arantigy era
liquido e-acto -pura o r. Dr. Cypriaoo, procarador
riscal da fatenda provincial e advogado do leneute-
corouel Gaspar.
Era c-rumenie-sobre cousa certa e hunida, en-
geuho e eaorafOS, qae segundo o Sr. Dr. Cypriaoo,
assejatava a eiecu<; Hoje, porm, o noto h a crreme inudaram.
O iinp siofiscal nao devido,por que lulo nessa
trausaeco tncert-o e tlliquido, segundo o mesm o
Sr. Dr.Cyiniauo.
V se. pois, que a invocaco do aviso de o de
rnaiu nao passa de um recurso da chicana
Diario de Pereambiico Huate felra 1 d Dezenibro de *-
A imprudencias, como esta, dever o partido t oppondo-se embargos a carta precatona execnto-
prugressista, iiue inaugurou-sa lao cheio d espe- na, dejvem ser remettidos ao juiz deprecante
ancas, e com Untos elementos de looga vitalicia- t sem suspensao da extendi.
de, a saa dissoluco ; e o patz voltar irremedia- Desenvolvendo melhor a<|uelia proposico, direi
velmentc ao dominio dos vermelhos, qae Deas sabe que : Pej-eira e Soma na nota 885 apunta as ex-
o qae (aran. Meditem bera os humeas sobre quem cepcSes o principio de que, os embargos do exe-
ha de cahir o azorrague da clera verraelha ; me- cutado regularmente oo se admitiera nao em j Jos Miguel de Lyra Jnior,
tfitem, e tempo anda de evitar o flagello, que uto apartado, dtpots de seguro o juio, e urna, Maooel Jos Affonso.
parece avesinhar-se. O horlsonte poltico est car- d'ellas (q|ue nao exclue a seguranza do juizo) a | Juizas por devocao.
Antonio da Silva Neves.
Justino Jos de Souza Campos.
Saltador Estevo de Oliveira.
Maaoel Francisco Gomes.
Jos Goncalves Beltro.
Belroiro Gomes de Oliveira.
| Na phthysica, chegando ao estado de gra- pelos quaes se devem reger,
vidade, o que muito pode concorrer para a re os medicamentos gratuiU
dos embargos de nullidade patente dos autos, ou As Exmas. Sra-.:
de pagamento provado logo com quitaco-1 e do- D. Mara Monteira Neves.
cumentos legaes para os quaes, 0911ro o juizo D. Adelaida Tayares.
se d vKa oos proprios autos... posto que /lea D. Amalia da Silva Neves.
lime ao juiz a vista aa materia delles recebe- D. Candida Alves Leite.
los nos proprios autos ou em apartado, dito ass. D. Francisca de Paula Carvalbo.
de 4 de margo de 1690. D. Fancisca Amalia de Souza.
Accresceotarei tambern para tornar mais com- D. Malhildes Goncalves Lessa. 7
morali-ar o pait e execalar as leis sem atteo?o as pleta aquella resposta, que para serem admissiveis D. Joanoa Rodrigues Meodes.
como ha de consentir que os eugenhos taes embargos era necessarw que nao fossem j D. II
regado de nuveos suspeila*.-.-. Pela nossa parte,
fiel e prudente coaselheiro as conferencias parti-
culares, oas deliberares do partido, levaremos
aiuda os nossos conselhos, fructo de longa expe-
riencia, as discuss5es da prensa, lao inconve-
niente e ievianamente iniciadas.
E* preciso que o partido pr. gressista mostr por
(actos a sincendide de soas promessas. Promettia
pessuas, e
de certos iudividuos sejain asylos iavioLaveis para allegados na causa principal. Pereira e Souza 00
criminosos e desertores?
S.i ha em nosso gremio pessas que, a (orando
se em fiialguias contestadas, ueste lempo era que
as verdadeiras caliera em de-uso e at 00 ridiculo,
pretendan, lolamente orgulhosas como prs de
roda, impar-nos o seu capricho como lei, e azer-
os cmplices, por conseotimenlo, de seus crimes
e inmoralidades a essas, quarsquer que sejam,
responderemos lerinioautemente : Galhardos h-
roes de antigs desordens e tumultos, se os vossos
(eBleodeis-008 *) nao vos supporlaram, menos nos
vos sofTreremos os desatinos, como por exemplo e
D. Mara do Reg Fooseca.
D. Anna Francisca Vianna.
D. Leopoldina Alves de Moraes.
Escrivaes por devogao.
Os Illms. Srs.:
Joao Francisco Ferreira Juoior.
Francisco de Figueira Faria.
Americo Nuoes Correia.
Hypollto Jos Roberto.
----------- a --------- Ermioio Egidio de Fgueiredo.
Sr*. redactores.-Ha trnta e cinco dias soffre D. Juan Anglada.
urna priso Ilegal e arbitrario o alteros secretario Fraoklim Jos de Andrade Poggi.
do 3o balalhao de iuantaria dete municipio, Adria- Joo Snnes de Almeida Juoior.
no da Silva Faria, oor (orea de urna parle, digna Manoel Nuoes da Fonseca.
ta880ord. do I. 3. (it 87 II.
Logo a juizo do juiz deprecado, e em vista de
sua materia, que os embargos sao admissiveis ou
nao, e devem correr nes proprios autos ou em auto
apartado.
Recie, 20 de dezembro de 1865.
Cupriano Fenelon Guedes Alcoforado.
O publicla sabe que na sessao de 19 do corren- remos: Faoanoes, j Dio alternes a nioguem
te o respeilavel tribunal da relaeao deu proviineuto os vossos castalios este destruidos ; abalados des,
ao aggravo que o leneate coronel Joao de Si nter de muito tempo pilas tempestades
poz uas tropelias com que elle e sua familia esta-
van sando lligellados por um juiz leigo, .-e'n oe-
nbeeimeoto o mais legeiro Jo direlto, e assessoria-
o pelo propno advogado da parte contender,
como se v da cerlido que va iran-cripta.
A vutico foi unnime, sendo juigadores, os dig-
nos Srs desembargadores Molla, Caelauo Santiago
Giliraua.
fiepois de lao solemne justiga feita pelo veneran
do iribooal da relegan ao teaenU-eorooet Joo de
5a, a eootlmiagao do preseote debate parecer lal-
vaa desnecessarla.
Jaleamos, portanto, do nosso dever declarar aos
leitores .|ue, eiilrando na present; discus>ao, tive-
mos sempre em mira o triumpho e a victoria de
ama causa mais nobre do que aquella que repre-
seotavam objertos materiaes, en^-oiio e eseravos,
os quaes '.-oiistiiuiam a lide judiciaria.
A oussa mira foi posta mais alto.
Fomos levados aos debate pela iudignacao qae
eos causavam as violencias e abusos d'uma a ate
ndade leiga, caprich i-am-nle aconielhada ; pelo
tedio <;ue produzo em os a barbaria de certos
homens que, ju'gando-se inc -mpativeis com as luis
e as autoridades imblicas, nao confiara aesses re-
cursos da civilisacio, appellando assim para a Tor-
ga brula jugada por inaos individuaes; tomes le-
vados, emiim, ao debate pelo respailo profundo
que consagramos a moralidade publica, que c-
julgaiiios, gravemente offendida pelo (acto de ser
filo iiidiciario advogado d'uma das part<*8 e
rccmtamenlo em mnssa, (eito na Lapa, nao se
poupando m veihos meninos e mulheres, que (o- de ser apreciada pelos seus fundamentos, dada palo Joaquim Cardoso de Almeida.
rara iodos amarrados, e pontos a toi montos I Nun- tenenteoronel Francisco de Miran la Leal Seve. Adolpho Roberto Koop.
ea nunca sacriflearemos a vo^sa luucura o uturo commaodanle do mesmo balalhao, contra o refer- Alexaodre Pinto de Medeiros.
de' u.u gratulo partido... > do alferes, pelos suppostos e imaginarios crimes; Escrivas por devogao.
Aos vossos rmpanles e castelhanadas responde- de desobediencia e nsubordinagai
elhes fornece-
graiuitamente,
salvado do doente e ajodar os medicamen- N0 deixarei de advertir ao pubco, que
tos o ar do campo, exercicio conveniente as mjnhas preparacoes de veame so reu-
e dieta, a qual nao deve ser de nenhuma njjas com oulro8 ingredientes, e com elles
cousa quente, ou de deflicil digestao ; ea tenho obtitlo ptimos resultados: nauseen-,
bebida cumpre que seja de natureza branda gane 0 mesmo publico com outros que por
e fresca. ah se annunciam, cujas prepararles ignoro,
Todo o seu alimento se ha de dirigir a assm como o aproveitamenlo aos enfermos,
moderar a acrimonia dos humores e a nu- a qUem porventura tenham sido applicados;
trir e suster o doente, para o que preciso cafja lim responde por si, e eu affii mo com
reduzi-lo ao uso de vegetaes e leite. (verdade o que aoui tenlio relatado, cujos me-
Toda comida e bebida, que se tomar ha djcamentos nesta provincia s vendo em mi-
de ser em poucas porcs, para evitar que nDa botica na ra Direita n. 88.
o excesso do chylo fresco opprima os bofes jos a j\ocha Paranhcs.
e accelere muito a circulacao do sangue.
Muitos doentes desta molestia se leem en-
tregue ao uso do (leo de figado de bacalho,
Nazretli do Cabo, 7 de setembro de 1863.
Iilm.'Sr. Jos da R< cha Paranhos.Ci m
o maior prazer levo ar. conhecimento de V.
e outras preparacoes de resinas e palsamos, $., que o doente que V. S. acha-se admi-
sem que dellas tenha n tirado proveito; e j nistrando-lbe remedios, acha-se no todo res-
alguns expositores de medicina combatenv Peleado, portanto, nada sent, tendo des-
com muita razo esse traUmento. I apparecido no todo atosse, tem muila dL*po-
E costume carregar o estomago do doen- j sc3 a co,ni,ja e acUa-se nutrido. Deixou
te com medicamentos oleosos e balsmicos; 1 lomar os ltimos remedios que V. S. recti-
porm estes em vez de tirar a caus3 aug- (ou no \3 30 do passailo. resta agora a V.
mentam-na, esquentando o sangue, ao mes- mandar-me dizer qual a diela que o
m<> tempo que tiram o apetite, relaxam os doentc ueve conservar e por quanlos tem-
, e em vinude As Exmas. Sras.:
della se Ihe forma conselho de discipliaa, mandado ; D. Evangeliua de Vasconcellos.
instaurar pelo respectivo commandante superior D. Annunciada Jorge.
interino. D. Maria da Apresentagao de FigueirOa Faria.
Venficou-sc a reuniao desse conselho no dia t6,, D. Ismena Lopes de Almeida.
em que teve lugar a sua primeira sessio, que ter- j D. Adelaide Emilia da Silva Manta,
minon s horas da tarde, oc< upando-se smenle. D. Julia Apolioara da Co-ta.
da desuniao
que e providencial, j cahiram de todo sol o indu-
lto civiHsador de ama poltica, que nao reconhece
privilegio- de familir., e que fez da igualdade pe-
ranie a lei promeitida pela coostituigao, urna ver- com o interrogatorio, que devendo ser felo pelo ca-; D. (dalina Forgaz de Lacera,
dade pratica. P"to vor4 interrogante, o foi pelo presid--
Podeis |ior tinto, caros fidalgos, arrntar nobreza, conselho.
e disttnccao a todoe os respedos, probidade, digni- Se nao fossemos testemunhas do quanto
dadee e'o que mais quizerdes. Adubai udo isto feito contra esse distincto mogo
com versos bespanhes, que na verdade devem mos que anda neste seculo, e,
merecer vossa preferencia.
se ha
nao acreditaria-
principalmenie
Escavacando assim nesta qaadra, pode sois apenas dignos de riso e despreso. seu colla, e as viogangas particulares com taola
Fleai certos de que vos opporemos sempre a faeilidade serem saliseitas, levando-se, por melhor
mais decidida e tenaz resistencia, maior anda do commedidade, para o foro militar, aqullo de que
que temos eito as preieugoes de eerto Napoleao so o foro commum poderia lomar conhecimento.
que, teudo procurad n> primeiro casamento do : Forga, porm, cone^sa-lo.
grande bere motivos de comparacao com sigo (ri-, Nada vemos que justilique semelhaate proced
sum tcneates), o pretende imitar uml.em arrogan
do-so, ego suin qui tu, direegao exclusiva e ab
soluta do partido, e usurpando as attribuigoes de
um directorio regularmente eleio. Como o solda-
do corso, na oceasiao de ser sagrado em Pars por
Piu Vil, collocou elle proprio sobre sua cabega a
corda'imperial para significar que s a devia ao
meato, e meaos anda que se possa formar conse-
lho de disciplina a um ufficial da guarda nacional
por faltas, se faltis podem ser ditas, que nao sen-
do ccmmetlidas em servieo ordinario oa de desta
camento, nasceram de provocagoes ini|ualficaveis
de qaem, nao achando-se revestido de suas iasig-
nas, julgouse, pelo que representa, autonsado a
seu concidado, sem
em
ao mesmo lempo do fisco o defensor legal desta, que a opposigo colligada de cermellios e genumos
sendo locoDciliaveiS os interesses. por elle snnul- E vejamos o que ja vai aconieceodo.
seu grande geuio e victorias ; assim pretende o injuriar publicamente a um
Nnpoleao-pba dever smente a si o poder que se ouiro motivo que urna indisposigao gratuita, ro-
allr,tle I meulada e ajoiada por alguna, que devendo por
Nao DOS referimos a uioguem, de proposito evi natureza dispensar ao referido aleres toda a pro-
tanus os nomes proprio>; queremos fallar da< teccao, ao contrario, pela degenerago do aone
cousas e nao das pessis; temos em vista smente tem se constituido seu mais eucaroigado inimigo.
indicar os erros e dizer bem claramente que im- Ao Exm. presidente da provincia foi dirigida
prudencias taes fizem maior mal ao partido do urna petigo, que indo a informar ao commandante
lancamenie patrocinados.
Os primeros motivos ja cessaram, verdade ;
mas o ultimo existe aioda, e oo dexaremos a dis-
cussSo antes de seriaos couveacidos de que o nos-
so juizo severo de mais.
Taremos pois de voltar provavelmente ao debate,
e Acarelos boje aqu.
0 de dezembro.
Joao Altooso R'eguera, tabellio vitalicio do judi-
cial e notas, esenvo do crime cvel, ausentes,
capellas e residuos do termo de Serinhaem, por
-. M. o Imperador, que Deas guarde ele.
Certifico que veodo os autos da atecueao de pie
trata a prseme peticao, consta a urecarage que
e requ-r por certidlo a fl i", e do theor se-
{.'tnnte:
E>tavam as armas imperiaes. Imperio do Brasil
e provincia de Pernamboco.Procurago especial
Din delegado digno dos raaiores elogios, Ilus-
trado, moderado, lutegro e dedicado ao partido,
reiira-se desgostoso, e protesta nao reassumir o
exercicio de s.-u cargo para uAo ser insultado em
superior interino, anda este nao se dignou de dar
a informagao exigida. Fazemos, porm, a ju^iga
de suppor que uisso oiio houvera proposito.
Aguardamos o resultado de ludo sto, e volta-
renos.
Queremos confiar na independencia do conselho,
odie ios por um subdelegado, que preteude dar-lhe que lera por seu presidente o capito Silvino Gui-
ligoes de direilo. Inerme de Rarros ; enfetaulo, o processo, sua
E' isto urna grande perda, que feliimente s p- marcha, termos, julgamenlo e sua historia repug-
de ser remediada, quanto s funegoes policiaes, nante como ludo isso pode ser, sero devidamente
por que enlrou em exercicio o respeitabilissimo analysadas 5 e ento sera' o publico inteirado do
coronel Remo Jos Ferreira (tabello, para quem quanto h de monsiruoso em
nao ha louvor .pe baste, n-m palavras que Bel-
mente descrevam a pureza de seu carcter e a
amemdade de sen trato, t' a pessoa que mais
dignamente pode substituir o Sr. Dr. Barroso, e
disto tome oota o go'eroo para o caso de que esle
seohor inste por sua demissao.
(Jiiauto ao directorio, muitos dos sens membros
eslo desgo-to-os, ven lo ijue as deliberacdes da
maoria oo so respetadas, que aiteram-s-, as
feito.
(..tem o leucule-corjuel Gaspar l'.avalcaule de cbapas quaesijuer deeisdes p >r vontnde soberana
lbuquerque (Jchoa e sua mulher D. Francisca de
Ass Cavalcantl Uciio..
Saibam quanlos este publico instrumento de pro-
curacao hastante especial virein, que nu auno do
nacimeuto de Nosso Senbor Jesns Cnri-to, ae l8Gi,
aos i\) das do mez de setembro, nesle engenho
Quliuduba, do termo da villa de Serinhaem da co-
marca do Rio F rioso, provincia de Pernaiabuco,
onde eu labellio a chamado vjm, ah comparece-
ram o leneote-coronel Gaspar Cavaleanti de Albu-
querque Ucha, e sua multer D. Francisca de As-
sis Cavaleanti (Jchoa, proprielarios deste dito en*
genho,oude residiera, pessoas conecldas de min
tabelli >, e das testemunh.s abaix assignadas pe-
las proprias de que se trata, do que dou ( ; e pa-
rante as ai^sma- lestemonhas disseram que pela
presente consliluiam especialmente seu bastante
procurador nesta proviucia ao advogado Dr. Gas-
par de Meoezes Vasconcellos de Diiunii.ond para
tratar de todas as suas causas civeis, crimes e
ommerciaes em que elles outorgante^ forem auto-
re- ou reos, intentar quaesquer outras de direlto, promover contra o teaente-ceronel Joo
de-Sa e lbuquerque, e sua mulher quaesquer ac-
gfies que (orem nacessaria-, para qne elles entre*
guern o engenho Aratangil, (alinea, bois. ce., e
mais perteoces, propriedade. delles oulorganies,
visto terse lindo o prato do arrendamenio, que se
Ihe havia feito ; e tamben) propor quaesquer outras
acedes de ajustes de c mas uu como em di eito
melhor no me teuha, contra os ditos tenenle coro-
todo esse bello
Voltaremos.
Recite, 19 de dezembro de 1805,
Argos.
m a mi
Seiiores redactores.J estavam esquecidos
entre nos os males caucados pela revolugo, e
niiiguem mais se lembrava das testemunhas que
deposeram contra as victimas de 1817, quando
acaba de apparecer um* reiagao destas testemu-
nhas, contra todo ojnteresse, a sem nenhuma
utilidade; porque uo passando os crimes dos
delinqueotos, vemos que para a divulgacao de
taes nomes, e de pessoas |a (allecidas, nj vem
s -11.10 causar dissabores a seus lilhos, e netos, que
usio nenhuma culpa tiveram, mais que assim
mesmo forara irasidos ao publico, como que que-
rendo-se plantar odios entre as (amibas.
Todos sabem que o systema de devassas, outr'ora
em uso entre nos, acarretava odiosidades ; que os
commendador Antonio Francisco Pereira, chele re- juramentos erara tomados em papel solt, a que se
conhecido e confessado dos progressstas de origem juntavam outras folhas, pan se (orgicarem crimes,
conservadora? Por quo nao se inspiram os pro- que nao tiuliam sido praticados, e nem haviam
gressistas de procedencia liberal oa conducta sem- sobre elles as testemunhas jurado, juramentos, que
pre digna do venerando vigario Domingos Alvares, ao depois apparec.iam viciados para augmentar
Vieira. a dos Rochas F..rias, Barrosos, Rentes de eulpabilidade de-te ou daquelle ineliz; e quem
Merece e tantos outros ? conbece a historia de no^sas revduges, oo deve
Approxima-se a eleigo de Janeiro, e nos j te-, alimeular semelhaues odios, cujos causadorrs ca-
ms mlo das prelengoes, que bio de surgir. Co-.hiram na execraco publica; pois sabem todos
m i que notemos apoio a candidatura, que, embra i quem uram os dous carrascos de Peroambuco, na
minio dignas, uo sao apadrinhadas pela chapa do revolugo de 1817, com os nomes de Rodrigo Lobo,
D. Jesuina Maria Dnarte.
D. Ignez de Castro Vianna.
D. Mana Amelia Xavier Vianna.
D. Emilia Maria da Silva.
D. Umbelina da Conceigo Bacalho.
Juiz perpetuo.
O illm. Sr. Modesto Leopoldo Bustortf.
Juiza perpetua.
A Exma. Sra. D. Emilia Monteiro Neves.
Mordomos e mordomas, todos os devotos e devo-
tas solteiras.
O arcediago vigario Placido Antonio da Silva
Sanios.
solidos, e sao de toda sorle perniciosos. poS) mencionando as comidas "que dever
Tudo que se fker para extinguir a tosse, usar aqa\ em diante,
alm do exercicio e reg men apropriado de-; Resta-me agora agradecer a V. S. o cui-
vem ser remedios de natureza acula, deter- dado que tomou no tratamento do meu so-
gente e calmante. brinho, abaixo de Ueus, devido o seu resta-
os cidos possuem a virtude de produzi- belecimento a pericia de V. S., e por isso
rem bons elTeiios nessa enfermidade, por poJe v. S., sempre contar com os meus di-
que, nao s contribuem a apagar a sede mnulos prestimos, e desejarei em todo o
quando accommettem a febre elluca, mas lerapo dar uma prova do meu reco.nheci-
tambein a refrescar o sangue. 'ment.
Aos doentes desta enfermidade, quando o j UtSej0 a v. s. todas as venturas, por ser
seu estado de gravidade e tal que a febre de v# s muil0 respetador e 1 brigadissimo
criado.Francisco Uertnguer Cesar de Me-
tiezes.
ethica os accommette, prescrevo-!hes o su-
co de um limSo dissolvido em uma chicara
d'agua com bastante assucar em um grande
copo para misturar com um papelinho dos
I pos refrigerantes para tomar, com que ali-
A Jurubeba.
As virtudes therapeulicas da jurubeba sao desde
viam no acc >n,mettimentO da febre, 8 pela muito conhecidas nao s no-Rrasil, pois que dellas
manhaa o xarope etherio de veame. Tenlio; lralt,n l'i-'c,n pm >"a exceliente obra-Hworm na-
afnns'lhmln mo facim un rio vr-/etaps (\p\'HraUs el ""'d'ca ln'Ua occtdrntalis, senao as
aconsciiiauo, que l-iiam uso tic \e^etaes ae (An,jlhaSi 0Dde 0 SU(.C0 das fulhag e fraclos > como
natureza acida, como laranjas, I mo?S, pi-1 aqui, muito eslimado e appl cado contra as obs-
Pede-se ao sr. commandante do balalhao da
cuarda nacional da reserva da provincia da Pa-: tangas, uvas, etc., e applicaroes de plantas irucgoes abdominaes, principalmente do figado e
rahiba, Antonio Rufino Aranha, que tenha a bon- amargosas, que fortificara O estomago e ser- i ha5J i e se te"
*? --^equrmudeo!Ve,na me dade de cumprir o despache
que manda passar guia a um olDcial
sua residencia para esta provincia.
UM
CASO HORRITEL
D'I'MA
Molestia Ulcerosa
Curada.
se todos os facultativos desta provincia o
com frequeurla, isto se nao deve a
nao recoonecerem elles essas virtudes, mas sim a
gar a sede. ino serem encontradas com facildade e em todas
A Sra. D. Joaquina de S Brrelo, tendo i as estacSes do anno os (rucios desa planta, e a re-
uma sua escrava fallecida desta molestia, Slib-i pugnanna, que apresmlam os doentes em azer
mettidaao tratamento de seu medico, resol- gfcjgjf^^ em consequenca de
veu procurar-me para tratar de um OUtr > a jurubeba nao desconhecida dos botanistas :
escravo, que soffria da mjsma enfermidade, j esta planta pertence familia das sotaneas, e tero
prescrevi-ihe o xarope de veame, tem me- ia denominagao de solanum pamculaitm, que Ihe
Ihorado consideravelmente. | PaSSo-BoT^oDfeoieBlfl facilitar o uso do
A senhora do Sr. Antonio r rancuco lio-, succo d0s (ruetos da jurubeba, que o mais em-
noralu foi desengaada por habis mdicos pregado, nos proponemos e conseguimos preparar
1 desta cidade, esleve prOStrada, e nos ulti- com elle nao s um extracto alcoolico que pode ser
mos paroxismos da morte, foi com o xaro
applicado em pilulas, mas tamben) um vinho, uro
xarope, e um emplastro que pode substituir, em
certos casos, o de Vigo ; e estamos persuadidos que
humaoidade e
d.' um s I Va a quem loca. Quis polest cpete ca
pial.
Pode isto continuar assim 1 l'm directorio, de
que (azem parle caracteres elevados, pessas de
posigao, saber e virtudes, pode licar adsli icio, pre-
so subordinad) vonlade de qualquer usurpa-
dor mediocre,ambicioso vulgar, ou parven intole-
ravel ?
Por que nao tomam todos o utilissimo exemplo
de desinteresse, annegaco e lealdade do prestante
paitito, orgaaisada pelo directorio central ; ao
passo que sentimos que ha cerlo desJem por al-
gn.--nomes incluid is nella, como por exemplo o
do sympathico flho do prestimoso Dr. Jos dos
Aojos, moco de servicos reaes e victima de perse-
gmcao venn-'liia. Assim rompe-se a disciplina do
partido, apparece a desordem, e em vez de um
lodo harmnico e santamente inspirado por unn
nobre causa commum, terem.'s partes heieroge-
na'S em lula aborte e sustentada por ambiges pe-
nel Joo de Sa, e sua mulher, iiiterpoudo os recur- queninas e sent mantos repr.vados.
os de direito, para quaesquer juitos ou trtbunaes
superiores; para o que Ihe conceden) os necessa-
ros poderes, alim de que possa ter validado o que
em nome delles outorgantes praticar dito seu pro
orador, que poder reqoerer e asignar o que con-
vier conceroente ao objeclo A> presente instrumen-
to, ante quae-quer autoridades policiaes, crimes,
civeis, commerciaas, administrativas, Bseaes, jadi-
caes, 011 ecclesiasiicas; e poder soBStebelecer a
presente, Qeaodo-lhe os p-.deres do mesmo em seu
inteiro vigor. Em ( de verdade assim o disseram
e oulorgarao : e send>-lhe esle lido assignaram
E' i>to o que pretende evi.ar com seus conselhos
e reti-uras, que cada um lomar, conforme Ihe fo-
rera caljiveis, o
Velho expniente
Goyanna, 18 de dezembro de 1865.
CORRESPONDENCIAS
Srs. redactores. Alguns amigos avisaram-me
que Cbristovio da Rocha Cuoha S.nihi Maior me
com a* te.-lemuohas prsenles, abaixo tainbem as- havia calumniado torpemente no Diario de Per-
signadas. namburo de 18 de outubro prximo lindo, noacre-
Eu J.io Affonso Regueira, labellio, a sobscrevi ditei, udo, s porque nunca ufeiidi a esse homem,
p a gnei em publico e razo dos signaes deque como porque considei que esse Christovo nao est
oso senninte : no caso de provocar di-cusso contra ninguem
Em testemunbo de verdade. Esteva o sianal pu- acerca de negocios de digmdade.mas ao lr o com-
blico.U labellio publico.Joo AIhimi Reguei- munieadu, conveuci-me deque era exacto oque
ra.-Gaspar Cavaleanti de lbuquerque Uehoa. rae disseram e pasmei 1
Frauci-ca de Assis Cavaleanti Uehoa. Mannel Pe- E,n aiiengo ao publico e as autoridades da pro-11
res Campello Jacomo da Gama. Joo Haptista vincia ; direi (|ue also e mentiroso dizer que eu
Braga.N. 7. Em braoco.Res duzeolos Pa- -ccebi dioheiro para soltar recrutas, que nenhum
gou 200 rs. de sello. Seriniiera, 26 de setembro de eu soliei e que estellionatarlo vergonhoso, nojenio
1864.Numero.O escrvo interinoArruda. e miserave o rbula Christovo da Rocha Cunha
Os poderes da presente procurago sobslabeleeo Soulo Maior, muito conbecido em toda esta comar
nos 6rs. Dr. Gaspar Cavaleanti de lbuquerque Ca, suas irallcancias e ladroeiras que esse misera-
ve advogado igaoranie e presumido, desgragou a
pobre M ra Magdaleaa desta villa sobre um nego-
cio em que inlerveio uo carcter de advogado, que
desgragou ao pobre, Manoel Luiz Cavalcauti tam-
bera desta villa, vendendo Ihe seu sitio, como tudo
consta de autos, e que muitas outras ladroeiras tem
(eito e nao ha quem o bole na cadeia e o mande
e Bernardo TVixeira; odios que o benemrito ge-
neral Luiz do Reg, mais procurou mitigar, nao
pudendo todava (aze lo uo todo, por vir acompa
nhado de gente rancorosa, como o celebre Merme
e outros desta qaalidade,*T)ue contra faziam as or
deus delle eraauadas, e a poolo de, com excepgo
de ires testemunhas que juraras) de vista, na de-
vassa, cujos fados nunca presenciaran), e nem
sabiam, os mais foram arrasiados, e talvez se escr<-
vesse aquillo que elles nao juraran). Isto po-t,
para que rekinbrar odios, vingaogas e desaffei-
ges, por facios passados ha 50 annos 1
Nao pense o autor de tal lembrauga porm, que
temos rasca oa assadura. Gragas a Deus somos
de familia ramilicada j uaquelle lempo, e que le
ve suas victimas em todas as revoluges mais nao
foram os seus membros do numero dos juradores
falsos; e no eutaut uao temos odio a guardar.
Nao peuse pois que por essa razao que fazemos
estas reflexes; (azemo-las, sim, por querer ver a
harmona na nossa proviucia, e em todo o Brasil, e
porianlo esperarnos, que o autor desta lembrauga,
publicaudo (actos odio-os, oo se lembre de apre-
seniar nomes de alguem.
Seu venerador e criado.
O Antiquario.
PU1MGACSES 1 PEDIDO
l'choa e Pedro Cavaleanti de lbuquerque Uehoa,
reservaudo-os para mim em seu inteiro vigor. Se-
rinhaem. 4 de outubro de 1864.O advogade Gas-
par de Menezes Vasconcellos de Drummoad.
Subslabrleco os poderes da presente no Dr.
igmpio Marques a Silva, reservando para mim
os mesmos poderes. Serinhaem, 19 de dezembro
de 1864. O advogadoGaspar de Menezes Vascoo- para Feroando de Norouha. Teuho uma pequea
cellos de Drummood. propriedade, negocio, disto vivo e nao de Vahean-
Ceriifl -o mais, em cumprimealo do mesmo des- ca..
paci, quanto ao fioal da petigo retro, que o ad- Dera pubucidade a eslas linhas, Srs. redacto-
rogado Dr. (Mumpio Marques da Silua aceitou a res, como que muito agradecerei.
tnesmit procurago, e rufiiereu em favor do lente Figueira de Pedra Tapada, 18 de oulubro de
coiowl Gaspar Cavaleanti como um dapelicao de iS6S.
f! 28 por o mesmo Dr. escripia e asstgnada.
E mais se nao eonlinba era a prediia procurago
bastante que se pede pjr cerlido, a qual vai bem
fielmente extrahida dos proprios aulot originaes,
aos quaes me reporto ; e vai a presente, sem coa-
sa que duvida (aga, por mim escripia e assignada,
-conferida e coocertada na (Arma doestyio, nesta
illa de Serinhaem, t*rmo da comarca do Rio
Formoso, provinea de Pernami.uco, aos das 14
do,mez de dezembro do anno do Bastimento de
Nos. o Senhor Jess ChriMo, de 1845, 44 da inde-
pendencia e dcjimperio do Brasil. Eerevi e assig-
nei.m de verdadeJoao Affonso Regueua.
Manuel Galdino da Cuta Menezes.
jni/.as e mais devotos que
tem de festejar o muito glorioso S. Goncalo
de Amanilles, que se venera na igreja de N.
S. do Pillar para o anno de 1866.
Juiz por eleigao.
O Illm. Sr. Jovioiano Fernandes da Silva Manta.
Juiza por eleigo.
A Illma. Exma. Sra. D. Rosa Candida Penna, Qlha
do Illm. Sr. Luiz Antonio Gongalves Penna.
Esenvo por eleigo.
O Illm. Sr. Francisco Pedro da Cruz Neves.
Escriva por eleigo.
A Exma. Sra. D. Maria Itaymunda do Rosario
Chilk.
Thesoureiro.
O Illm. Sr. Jos Jeronymo Bustorf.
Procurador geral.
O Illm. Sr. Alexandre Americo de Caldas Pa-
dilha.
Procuradores.
Os Illms. Srs.:
Jo3o Januario Pinto de Azevedo.
Jos Silvino da Costa.
Hesposta a Al-Gazcl.
'-' A priso de um desertor, sendo acto de dever, e
1 si mesmo justificado, vai eustaudo ao digno e
hunradissimo delegado, que a (ez, uma guerra vio- no que se den em o meu ultimo coinmunicado.
Srs. redactores.$0 seu jornal de hoje vm um Jos Jeronymo de lbuquerque Maranhao.
extenso rommunicado em o qual um anonymo, Candido Rodrigues Vianna.
que me chama seu collega responde ao primeiro I Bazilio Maooel de Jess,
artigo que publiquei em resposta ao meu illustrado Gabioo Jos Baptista.
amigo o Sr. Dr. Moraes e Silva. Jos Dativo dos Passo Bastos.
O resp. ito que devo ao Sr. Dr. Moraes e Silva, Justino Miguel da Costa,
e o meu proprio sentimealo me levam a declinar Luiz Eloyde Miranda Duro.
da honra de responder a esse coltega, porque nem
o collega pode ter a preteogo de responder
melhor do que o (ez o Sr. Rr. Moraes e Silva, a
quem ja re-pondi, nem devo encelar discusso ju-
rdica corn um collega que nao as>igna o seu no-
De; involveodo n'ella o nome do advogado, para
doesla-lo.
Approveilo a occa'io para rectificar um enva-
lenta, que j cotsega a manifestarse na imprensa.
JJur um (acto digno de mil louvores, pois que
um desertor sempre desertor e merecedor de
castigo, nao obstante a sua residencia de oito an-
nos, a fivguezla de agurdente e a boa sombra que
o cobre; o Ilustre Sr. Dr Barroso collocou se no
meio de seu partido como i>uiz XVI no meio do
povo francez, entregue as furias da grande revo-
lugo ; de modo que a seu respeiio tem applicago
as palavras do advogado do infeliz re : procu-
ro juizes, s so encontr acc usad ores I 1
1
Tratando da admisso dos embargos, disse:
o jaiz deprecado competenU para eonhecer
< do que respeita a trma dos embargos e a sua
admisso Pereira e Souza nota citada <883)
< ass. de 4 de margo de 1690, podendo, quando
c oppo-ios legtimamente, remette-los ao juiz de-
c precante para eonhecer d'elles. Pereira e Souza
< nota 886. >
O engaito consisti em estar ahi escripta a pa-
lavra < podendo em lugar de c devendo > e es-
tar citada a nota 886 em vez da ola 770, que diz:
IV
Emeterio Vital de Negreiros.
Juizes protectores.
Os Illms. Srs. :
Tenenle coronel Francisco Maranhao Cavaleaote de
lbuquerque.
Dr. Ayres de Albuqu-rque Gama.
1. Tenente Ernesto Ignacio Cardim.
Manoel da Silva Mendonga Vianna.
Juizas protectoras.
As Exmas. Sras.:
. Constaoga Amalia de Si Pereira.
D. Galdina de Wasconcellos.
D. Esmelinda Claudina de Carvalbo.
D. Geoigiaua Tasso.
Juizes por devogao.
Os Illms. Srs.:
Gapitao tenente Fraoclsco de Salles Oliveira.
Jos Faustino Porto.
Ricardo Pereira da Costa.
Cycero Brasileiro de Mello.
Todoe aquellos que se acuito suiitos i sof-
frer molestias scrofulosas. ulcerosas, ou syphl-
liticas, anda mesmo as reputadas de peior
natureza, apenas necessitao de lr o aeguinta
caso maravilloso, para que se sintao inteira-
mente convencidos que a sua propria cura-
nao i s meramente possivel mas sim absolu-
tamente certa.
Joao Jos Ferheira Barroza, residente
na Cidade de Maranhiio, tinha todo o seu
corpo coberto de chagas ulcerosas, e durante
algunos annos se achava debaixo do tratamento
de mdicos os mais afamados, tendo usado
durante todo este tempo quasi toda a especie
de medecinas que em taes casos empregada
pela faculdade medica, porem debalde sem
obter o menor beneficio ou alivio: acbando-ss
pois em taes apuros elle finalmente resolveu-
e, depois de repetidos e baldados esforcos
fazer uso da
Salsaparrilha
DE BRISTOL.
No todo elle apenas ebegou a tomar Cinco
Garrafas de Salsaparrilha e quatro frascos das
Pilulas Vegetaes Amicarada, e o resultado
foi eUe obter una completa e perfeita cura.
Os Sers. Feiireira & Cia., Droguistas de
Maranhao, forao quem supprirao oe medica-
mentos, e acho-se perfeitamente ao facto
d'este caso, e os meemos Senhores, nao s se
achao promptos confirmar o mesmo, como
tambem em fornecer o actual adresso do Ser.
Barboza, toda e qualquer pessoa que por
ventura se desej informar da verdade.
Recommenda-se mui particularmente aos
Doentes que tenho o maior cuidado na escolha
deste ezcellente remedio, nio usando outro a
nao ser a Genuina Salsaparrilha de Bristol,
a qual exclusivamente preparada por
LANM AN & KEMP,
De NOVA YORK.
pe d veame salva, como se v da carta
iinpressa no Jornal do fecife de ) de feve- com isio prestamos um servigo
reiro de 1863. bierapeuea.
r r<_-i- a o_ >nnnr.i/N/.^nnnni Pisn, tratando da hydropesia, prescreve a de-
I O escravo bmilio, do Sr. tcnenle-coronel; CCcSo ra|1M da ^ >e Mt,ral e DelenSi
ROOOlpbO Joao. Barata de Almeida, 101 tam- em;eu Diccionario de materia medica t therapeti-
bem desengauado por habis mdicos, e tica, dizem que as An'ilhas se faz uso do sueco
com o xarope de vellame acha-se c mpleta-: dos frncios maduros dessa planta contra o catar-
,' 1 ., ____.. _. JLw-_ rho vesica ; e a auloridade dos nomes aesses me-
mente Feslabelecido, como se ve tambem dico5) merecdamen[e ce|ebres, nos leva a crer em
da caita impressa do mesmo Sr. tenente-;suas paiavras, e por isto cuidaremos de ler em
coronel no mesmo Jornal do Recife. nosso estabelecimenio essas raizes,para que possam
. O Sr. Antonio Christiano Fogl, lilho do ser experimenladas.
c. n, .- ,, .ik A repuiacao da uruheba e tal, eos resultados
Sr. Uinsliano rot, proprietano e estabe- ^3^,,^^ ol)lid/os U|,liname',e sao uo impor
; lecido na cidade de Macei, o primeiro bem iantes, que nos parece intil dizer mais do que
; conhecido nesta cidade, pois que foi empre- isto, que tica eseripto.
Deposito: pharmacia de
Joaqmm de Almeida Pinto.
JURUBEBA.
ido na casa do Sr. Len Chapellin, retra-
tista eslabelecido na rm da Emperatriz, ac-
commettido desia molestia, foi daqui desen-
gaado por habis mdicos: retirou-se para
a Babia, e all continuou em tratament. ate A u(jel)a e uma das sullS[aucias medicamea
que foi segunda vez desengaado pelos me-; ict<^, ao reino vegetal, e penence classe
dicos dalli, chegando eu era Macei, um dos tnicos e desobstruentes, sendo em prega
amigo pedio-me, que O acompanhasse at a: o m vantagem conlfa as febres intermitentes
.., .1, c- nk.:... ,. *. m ,ini acomi.anhadas de engorgiiamenlode nuado e bago.
casa do Sr. Lhn>tiano, para ver um doente E||a (r|n sdo ipplha coin iconiesiavei proveitc
e prescrcver-lhe algum remedio, encontre; conlra a anemia ou chlorose, e hydropesia, catar-
o Gibo em uma cama desanimado e em es-1 rho da bexiga e mesmo para combaler a menstrua-
tado de prostracao, pois que escarrava san- 0 a'fflnl- resottante da mesma anemia ou chic-
gue, e tinha completa inapetencia e fraque- '
za a |)tnto de nao se poder por em p, no
flm tic uma garrafa do xarope elhereo de
veame a se achava elle no estado de pas-
Extrato alcoolico de jurubeba.
Empla>tro dem.
Oleo idem.
Tinlura idem de idem.
flTTENQ&O.
Xarope alchoolico de veame, preparado
seiar em casa, desapparecida a inapetencia e ym'^o Idem"^' id^m.
os escarros de sangue ; e a tosse mitigados. I p;uias de ext. dem.
No fim da segunda j achei em estado de Deposito, pharmicia de Pinto, ra larga do
faze-lo passearpelo sitio todas as manlias. |sar10 n- 10-
Acabada esta o aconselhei, que conlinuasse! mm m r-.
no uso do mesmo xarope etherio alternado
com o xarope alcoolico de vellame, e que
usasse dos banbos salgados na pancada do
mar. Sentio elle nos primeiros banbos al- pelo pharmaceutico Jos da Itocha Paranhos,
guns cboqaes, mas eu o aconselbe que con- estabelecido com botica na ra Direita n.
linuasse, com o que se tem dado muiobem 88 em Pernambuco.
pois que tenho recebido cartas de Macei, Este xarope incontestavelmente superior
em que se me communica o seu bom estado. a todos os xaropes depurativos, de cuja
Nesta molestia os expositores de medici- composico o seu maior ele ento a salsa
na nao aconselliam banbos salgados, apenas parrilba, pois que se tem conhecido ser o
quando delles tratam, dizem ser applicados veame mais enrgico para a prompta cura
as eiCrophnlas, hypocondria, esthensmo, jas molestias, cuja base essencial depende
1 amenorrhea, raclhismo, etc. ; enlretanto'vi da puricaco do sangue; assim pois se
: este bom resultado no lilho do Sr. Cristiano, iem verificado por muitas pessoas que se
e outros fados iguaes tenho visto as om- achavam desengaadas, as quaes acbampe
leslias sipbyliticas, e outras muitas que com hoje restabelecidas com o referido xarope
o uso do xarope alcoolico de velloine tem-se alchoolico de veame; entretanto que al-
obtido cura radical. i gUns, tendo usado do xarope de Curinier,
! 0 Sr. Dr. Silva, medico hbil de Macei, I de Lairey, (^ salsa parrilha, de saponaria,
depois de ter applicado a om seu doenle de 0leo de figado ile-tocalho, e outros agentes
rheumatismo o xarope alcoolico de vellame, desta ordem nada conseguiram. E' elle de
logo que elle se poz em estado de largar as: faci digestao, agradavel ao paladar e ao ol-
molelas, em que anuava arrimado, o aconse- phato Alguns mdicos desta cidade e da
lhou ijue continuasse com o uso do mesmo de Macei o teem reeommendado para a cu-
' xarope conjunctamente com os banbos sal-
, gados, com quo se tem dado muito bem, e
pois que todas as mais sao nefficazea e de nsn ,,_ j mj; n- 11 a ___
H um dos mdicos que all em Macei tem com-
hom pi*wtimo p|eta confianca nas preparacoes de vellame
Vende-se as boticas de Caors & Barbosa por mim fetas, pelos bons resultados que
e C. Bravo & C. tem obtido em sua clnica.
Phthysica.
Quando alguem se v com tosse vai ao me-
dico, esle o examina e declarao senhor es-
0 xarope etherio de veame por mim pre- t affeclado dos pultt.es-o doente desam-
parado muito tem eprove.tado aos que sof- ma com esta senttnca> entende estar sem
frem desta molestia, e e de lamentar-se, que mas cur3j quando S factos e a eXperiencia
no obtuano desta cidade a maioria dos que leem demonstrado que muitos tendo procu-
suecumbem e de tubrculos pulmonares, rado 0 ,URar apr0priado, se teem salvado ;
sem procurarem o recurso do pratico e do e assim eXpiicam muitos expositores de me-
expenente, que Ibes podem encaminhar o j cna
meio de sua salvacSo. 0ra,' nessa provincia temos facilidade ho-
0 Sr. Braga com loja de ferragens na ra je e recurso do ar a via ferrea
Direita, foi desengaado por dous habis nos proporciona, pois que em pouco tempo
mdicos, acha-se bom com o tratamento por uma pessoa que exsle nesla cidade faCll.
mim prescripto. | menie se t ansporta para as ultimas esiaces
A Sra. Jeronyma Mana da ConceicSo, mo- deGameleira e Una, lugares perto do Boni-
radora na travessa do Monte.ro n.1.jachan- l0 e de outros pontos que sao considerados
do-se desengaada, tambem a mim recor- serl5o> quanl0 mais que os mesmos |ugares
reu e acha-se re tabelecida,
Um sobrinho do Sr. professor ae Naza-
reth do i-abo, acha-se bom, como se v de
sua carta abaixo transcripta, alm de outros
factos, que poderia aqui mencionar.
A phthysica a destruico e a magreza
de todo corpo, em consequencia de cbagas,
tubrculos e concrcc5o dos bofes e de em-
pyema, atrophia nervosa e outras molestias
que viciara os humores, como escorbuto,
alporcas, gallico, asthma, bexigas, sarampo,
etc.
j nao sao mos, segundo pens, principal-
mente no vero.
Mas dir-se-hauma pessoa pobre nao tem
meios de se transportar < all estar-a isso
se responde, que naquHles lugares existem
casas vasias e alugam-se por preco commo-
do, e mesmo muitos gneros de primeira
necessidade alii se vendem pelos mesmos
precos que aqui.
Aquelles, pois, que estiverem nestas cir-
cumstancias, eu Ibes facilito explicar os meios
radas
Impigens, tinha, escrophulas,
Tumores, ulceras, escorbuto,
Cancios, sarna degenerada, fluxo alvo.
Todas estas affecces provm de. uma cau-
sa interna; nao ha pois razao aiguma em
crr que eilas se podem curar com remedios
externos. Tambem se prescreve o xarope
alchoolico de veame para o tratamento das
affecces do systema nervoso e fibroso, taes
como:
Gotta, rheumatismo, paralysia,
Dores, impotencia, estril dade,
Marasmo, hypocondria, emmagrecimento.
O xarope alchoolico de veame sobre
tudo, da maior utilidade para curar radi-
calmente, e em pouco tempo o rheuma-
tismo.
Adverte-se que o verdadeiro xardo eso se
vende nesta cidade na botica cima indica-
da, do abaixo ass gnado; e em outra qual-
duer parte que se tem annunciado nao da
mesma composico, e nem o abaixo assigna-
do se responsabilisa.
Jos do. Rocha Paranhos.
C0MME1CI0.
\ovo banco de Fernn
buco.
O Novo Banco desmota letras a 12 por cen
ao anuo, toma dioheiro a prase flxo ou em cooU
correte pelo premio e coodic5es que se conven-
ciouar. e saca sobre a praca da Babia
J
.'


Diarlo d sPernanfeHCO Quinta f> ti de (Dezeibro de **
Cala filial do banco do Brasil Approvo.- Alfandega de Pernarabuco 9 de de- de quera pertencer de 80 saceos com farello ava-
vembro de 1865.A. Eulaho. I riados a borde do navio portugus ARMINDA, em
Conforme. O 4." escriturario, Joao A. Perei- sua viagem do Porto para Pernambuco entrado
ra Rocha. \ era i do correte e sero vendido? boje pelas 11
Patacho brasilelro, entrado do Rio de Janeiro, horas era ponto em um ou mais lotes no largo da
consignado a Miguel Jos Alves maniistou o se-
guinte
em Peruainbnco.
Teodo-se deseocaminhado da massa fallida de
Gu>lherme Carvalho 4 C. o recibo 'le 15 acedes
das localisadas nesta caiza, sob os. 2787 a sol,
pertencentes a Guilherme Frederico de Souza Car-
valho, socio daquella Orina, a directora faz publi-
co a quem luteressar possa, que por parte de Jus-
tino Jos de Suiza Campo-, adminisirador da re-
ferida massa. se vai proceder a transferencia de
ditas aegoes para a Sra. D. Henriqueta da Silva,
actual possuidora das mesmas, visto as ter era has-
ta publica comprado, como ludo provam com do-
cumentos que ticam archivados nesta caixa.
Cama filial do banco do Brasil 30 de noverabro
de 18(K.
O guarda-livros,
Ignacie Nunes Correia.
Caixa tilial do banco do Brasil em
i pinambuco.
A cana desconta as letras de seu aceite pela
tana de 9 0|0 ao anno.
Ogaarda-livros
Ignacio.Xanes Correia.
10:076 arrobas oe charque e 60 couros seceos;
a ordem
RECEUEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendlmento do dia 1 a 19...... 19:672*27:1
dem do dia 20................ 1:425*808
21:098*081
CONSULADO PROVINCIAL.
Reodimenlo do da I a 19....... 100.00I503
dem do dia 20............... 7:535*406
107.536*449
MOYIMENT m POETO
e solo
26, que rende
Navios entrados no dia 20.
Re.ndimento
dem do di:
aLFaNDEGA.
do dia 1 a 19.....
20...............
escadinha da alfandega.
i,i:ii,\
De um sobrado de um antlai
da ra do Aragao n.
otiUs anualmente.
IIOJE.
O agente Pinto legalmente antorisado fara lei-
lo do sobrado de um andar e sotao da ra do
Arago n. 26, as II horas do dia cima dito em
seu escriptorio ra da Cruz n. 38, onde podero
os pretendeotes obler as chaves da dita casa.
"IEIIjAO
DE
Urna casa terrea no Barro.
IIOJE.
O agente Pinto levara' novamente e pela ultima
vez a lellao, e por despacho do lllm. Sr. Dr. juiz
LOTERA
Aos
900SOUO
Aracaty12 das, hiate nacional Gracioza, de 90 $e 0rphos, era virtude do que requereu 9 inventa-
515:641*581 toneladas, capifao Cosme Rodrigues da Costa, riarUe dos beus da liu<4la joanna Francisca de Me-
23:757*268 euuipagem 7, carga algoJiio e outros gneros a BPleJI< dacasa terrea coberta de telha, no Barro,
----------------- Bartholomeu Loorenco. fregueia dos Afogaos, pertencenle a' raesma fina-
539:400*849 Macei4 das, barca inuleza Rozedale, de 47a lo- da ; as 11 horas do di* cima dito, em eu escrip-
neladas, capito A. Soyd, equipaem 14, carga ,on0i rua da croz n_ 33.
MOVIMENTO DA ALFADEGA.
Voluntes eulrados com fazendas....
i c cora gneros.....
algodao e assucar ; a Wilson & Helt.
Volumes sabidos cem fazendas...
t com gneros------
-------- 85
104
913
--------1,017
Descarresiam hoja 21 dodezerabro.
Barca ingleza Ronald mercadonas.
Brigue ingles Walter Raiwbacalhao.
Barca inglezaCoriacarvao de pedra.
Barca ioglea Dolfine -carvo de peJra.
Barca ingleztAnne Loyin dem.
Barca ingleza Kisionidem.
Barca niglezaFanny dem,
Brigue inblePara -idera.
Barca nacionalhialina charque.
Barca nacionalSania Maaidem.
Patacho Dorluguez -Furtoidem.
Patacho oriental Sonto Anostinho idem.
Polaca liespanhola Antelha dem.
Importaco
&Hiale nacional Graciosa, entrada do Aracaty,
;""
BE
Consulado provincial.
Pela mesa do consulado provincial se faz publico
que os 30 das titeis marcados para cobranca
bocea do cofre do Io semestre do anno tnanceir o
de 1863 1866 do imposto da dcima urbana das
freguezias desta cidade e dos Afogados, e da parte
da da Boa-Vista e do Poco da Panella, qoe en ar-
recadada pela eollectoria de iinda, se principiam
a contar do dia t de dezembro vindouro.
Mesa do consulado provincial de Pernambuco,
30 de novemliro de 1865.
Antonio Carneiro Machado Ros,
Administrador.
LEILO
De caixas com peras e fardos com ca-
oiares seceos.
HOJE
O agente Pestaa fara Icilaoporconta e risco de
quem pertencer 18 caitas com peras e fardos de
, caraaroes seccos.iu, o de er.ee lente qul.dade e | o^ndou sus
, rao vendidos para fechar contas em otes a vonta-. d(J arr'e?Io r.(||
i de doscompradores : qu.nlafelra 21 do correte rea|isou-se na dita tal,ern
pelas 10 horas da machia na porta do armazeff
do Sr. Azevedo defronte da escadinha di alfan-
dega._______________j_________________________
LEILO
HOJE
Quinta-feira 21 do corrcnle as II horas.
O agente Hastias fara leilio ne armazem do Sr.
Americo F. S., a rua da Cadea do Recife n. 8, de
106 chapeos do chili, 177 de palha, 8 a,.parelhos
O ienenie-coron>l Francisco oe AUmquerqne
Maraohao CavalcaoU, comroandaote do sexto c r-
po de voluntarios da patria, convida aos c nadaos
que. queiram alistar-se no mesmo eorpo, em defesa de louc* lina para jamar, 1 piano, l mobilia de
consignado a U.rthoiorne Loureugo mamieMJu o d(J paU con[ra a repnn|ca do Paraguay, a compa- ]araranda, 1 dita de amarello, i santuario, 1 mo-
segiiinie : recer no quartei do Hospicio, das 9 horas da ma- |,|a de Jacaranda e outros m o i tos M-ligos de gos-
So >accas com 3ti arrobasa 30 libras ae.ii^- nhaa em oante, cerlo de que, alera das garanas t0 cuos arl|,)S serao vendidos pelo raaior preco
dao e 90 meios de sola ; a Francisco o mes ue off^reaidas pelo uoverno de S. M. o Imperador, o
commandante por si e seos offleiaes farao suavisar
os trabalhos da t'iterra com um tratamento con-
disrno a cada cidadu, qualquer que for a classe a
que partela.___________________
Mallos.
32 saccas cora 138 arrobas e 10 libras de algo-
dao ; a L. Antonio de Siqueira.
192 saccas com 549 arrobas e 25 libras de al-
godao, 480 meios de solo, 33 s ecos com 129 arro-
bas e 24 libras de carnauba, 7 ditos com 3 1|3 al-
queires de go 1 ma, I erabruiho 9 libras de pennas
e 10 caixas com 40 arrobas de velas de carnauba ;
a J >- do Sa Leito Jnior.
134 saccas com 647 arrobas e 12 libras de al
g ida > ; a Alfredo & Matheos.
Hiate nacional Exhatario, entrado do Aracaty,
consignado a J >s ue Sa Leito Jnior maotfeslou
o sesuinte :
25 saceos cen de carnauba com 19S arrobas e
19 libra e 72 saccas com 284 arrobas e 19 libras
de algodao ; a Parale Vianna.
8 caitas 12 arrobas e 8 3|'i libra velas; a An-
tonio Alfonso.
12 camas 18 arrobas 8 libras; a Lino de Faria.
it saceos com 39 1|1 alqaeire denomina, 24
dil 1- '.lo irrobas cera, 23 ditos 83 arrodas e 8 li-
bras de algodao, 143 meios de sola, 275 couriohos,
14 libras pennas e 3 arrobas de carne, 5 arrobas
ecra dr. abelba ; a ordem.
ALFANDEGA DE PERNAMBUCO.
Al 1 A nos PBEQOS IXIS GKNBROS MMUTOS A 0IHEITS
DE KXPORTACXO.SBMAMA BE 18 A 23 DO MEZ DE
DE DEZEMBRO DE IRliS.
Uercadorias. Unidades. Valores.
Abanos.........cenl l*3tw
Agurdente de cana .... caada
[detn rcstilada ou do reino .
Idem cavara.......
dem genebra......
dem alcool ou espirito de agua-
ardente .......
Algodao em carcho ....
Idem era rama ou era lia .
Arroz com casca.....
dem descascado ou pilado .
Assucar mascavado ....
dem branco.......
dem refinado......
Azeite de araendoim ou mendo-
biui ........
dem de coco......
deni de mamona ....
Batatas alimenticias ....
Bolacha ordinaria, propria para
embarque.......
dem lina........ >
Caf bota .......
dem escolha ou reslolho.
: i a torrado......libra
Caibros........um
Cal..........arroba
por conta de diversos.
Consulado provincial
Pela mesa d-i consulado provincial se faz publi-
co que. no dia 23 do correte ao raeio dia se ha de
arrematar a'porta desta repartico 200 caixaozi
nhos com 300 libras de doce de guiaba, apprehen-
didos a Jos Ferreira da (vista pelo conferente da
alfandega Francisco Affmso Ferreira, os qoaes fo-
ram avallados por 96*.
Me>a do consulado provincial de Pernambuco 19
de dezembro de 1863.
Aofuuio Carneiro Machado Rios
Admiui>trador.
LEITO
mu
i'
ios.
arroba
Companliia iepnquctKS a vapor
os lisiados Unirlos e o Brasil.
Al o
dia 21
do correte esp--
ra-se de .Vw
York e e-cala o
vapor South Ame '
rica, o qiiji de-
pois da demora
do costme se-
guir para os
800 porto., do sai.
380 P',ra pas^agens, fretes 8tc trata-se com os agen
800 les Ik'iiry Forster cS; C., rua do Trapiche n. 8.
GtVANllA IUSILHU
DE
Pechincha para os pais de famias.
Vestuarios de casemira e lia para meninos de
todas as idadesos quaes serao vendidos sem reser-
va de prec,o pelo genle Martins.
No armazem da rua di Cadeia do Recife n. 8, as
11 horas._____________________
Leilo
De calcado fraucez
Hojeas H horas,
Americo P. Si, far leilo era seu armazem a
rua da Cadeia do i ecife n. 8, de urna caita com
! borzeguins de bezerro e de lustre para homem, os
1 quaes sero vendidos pelo maior prego por corita
enlre de quem pertencer, por intervengan do agente
Martins. ________ _________
Importante leilo
De mobilias de Jacaranda e amarello, guarda lou-
ga, guarda rouua, obras de bnltiantes de ouro
de lei, ricos reloKUs de ouro, cadeiras, marque-
zas, toucadores looga de porcelana, eandieiros
a gaz o outros nimios artigas de gosto.
(Sem liraiUs.)
Cordeiro Miindes
por conta e ordem de diversos fara leilo dos ob
jectos cima mencionados sem limites di prego
para apurar dinheiro para a fesla, isto
Quinta feira -2\ do corrente as 10 \\-2 horas
No armazem a rua da Cruz n. 57.
i 2:000001)0, 3:OOH5000,
e SOOOOO.
Parii as boas lesias.
Corre depols d'amanha.
Acham-se venda na respectiva thesoo-
raria os billetes, meios e quintos da 8a
parte da lotera em beneficio das familias
dos voluntarios da patria, cuja extracto
ser no dia mencionado e no lugar do cos-
tume.
Os premios de 42:000(5000 at 'OOOO
ser5o pagos unta hora depois da extraccao
at as 4 horas da tarde, e os outros depois
da distribuicaodas lisias.
As encommendas s sero guardadas at
a noite da vespera da extracc3o.
O ihesoureiro,
______Antonio Jos Rodrigues de Souza.
No n. 290 do Diario be Pernambuco de 19 do
correle leu o abaixo assignado moa decla>ago,
que fez publicar o Sr. Manoel da Silva Heves Cmi-
tmho irigindo-se a seus credores, na aual Ibes
faz sci'-nie (e a quem mais conviesse I) que o le
| lo de sua taberna d- ixou de efleeloar-se no dia
annunciado em raiie do emliargo, que soOrera
nelia a requTimento do analto assignado. cojo
consenlimento para a referida taberna nao bavia
solicitado por uo juina lo credorl Ne.sta paite
respondo ao Sr. Neves ('outinho a sua propria con-
lissao em ouiro oumero do referido Uiirto.
Com urna tal declarago procurou ainda o dito
Sr. Neves Contralto illaijuiar a boa f d'aquelles,
i|ue nao o cooheceodo, deixaram-se por lie Ilu-
dir------ se o leilo nao eff-etnou-se no dia an-
nunciado foi por acto puramente do referido Sr.
uspeuder. e nao por effeito
por quanto este arresto
a dous das depois do an-
nunciado para a venda della em leilo ; aerescen-
do (ue o emnargn tanto poda ser f-ito no produc-
to com as proprias mercadorias e pertences da
taberna supracitada.
Quanto ao mais dessa publicaco, sempre swp-
pot o abaixo assignado, que ja achando-se afecta
aos Iribunaes sua aeco contra o Sr. Neves Couti-
nho, e por este meio lendo igualmente provocado
a defeza deste senlior frmala no seu figurado
crdito, ou antes procurado coagido a vir a joizo
com esse falto Ululo qoe diz po-suir com o aceite
do abaixo assignado, que o mesmo senhor lerta a
prudencia de aguardar os jnlgados e entilo fazer
i com acert poblico os motivo qoe leve nao ter m
: cluido o abaito assignado entre seus credores. Es-
teja o Sr. Neves Contieno tranquillo, nao se mos-
! tre lao sofreg ueste negocio, como a quem Ihe
amotina as votes da conseiencia ; porque a veidi-
de contra dita falsidade ha de mostrar-se lao cla-
ra como oca luz do da
Recife 20 de dezembro de 1863.
Vicente Ferreira Nones de Paula.
IyEHDADEIROLE ROY
de S1GNORET, Docteur-Mdcciu
I'.ue de Seine.l, PARS.
45230;
153000
15500,
25600;
25"00
35700,
35JW0;
PAQUETES A VAP03.
.-?*A
caada


arroba
25000
15600
15'XH)
15300
35000
Idem branca ....
Carne secca (xarejue) ...
Ca n iros ....... um
Cu v.'io vegetal ..... arroba
Cav rnas de sicopira ... urna
Cera de carnauba em bruto. libra
dem idem em velas ...
Cha .........
Charutos ....... cento
Cevaikis (porcos)..... um
Cco> (seceos)...... cento
........ libra
ros de boi, salgadosr
dem idem seceos espichados
Idem idem verdes ....
Idem idem cabra cortidos um
Idem idera de onga ....
Doces seceos ...... libra
dem em golea ou massa
Idem em calda .....
Kspanadores grandes um
dem pequeos.......
Esleirs para forro de estivas
de navio........ cento
.... arroba
E' esperado dos portas do norte
al o dia Io de Janeiro, o vapor
m xxv Paran, coinmandaute o capito
''^fflBi lle r;i-:i,il Antonio Joaquim de
^-tSB& Sania Barbara, o qual depois da
dernura do costume seguir' para os portos do
sal.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir a quil dever
ser embarcada no dia de sua chegada. encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sahida as 2 ho-
75000 ras agencia rua da Cruz n. 1. escriptorio de An-
65000 n0 ] u,z jeOliveira Azevedo & C.
65IHM)
440
360
320
580
35200
45000
15000
35000
300
300
15-"O0
2531X1
155000
COMPANHIA BMSIuEIRA
DE
Desdeja rece
arroba
um
arroba
>
>
>
urna
um
caada
arroba
um
quintal
um
urna
c
>
molho
45001)
258U0
55000
1551 KM)
85'KJO
850i0
55000
o'III
45'00
23500*1
25000
115000
65'*>0
320
15300
35O00
55000
55000
800
600
15000
120
cento 35600
Estopa nacional ....
Familia de de mandioca .
dem ib- araruta ....
Peijao de qualquer qudlidade
Preenaes ......
Pumo em tolba, bom .
dem ordinario ou reslolho
dem era rolo bom ....
dem ordinario ou reslolho. .
Gallinlias ......
GoHima........arroba
Ipecacuanha (raiz).....
Lenha em achas.....cento
Toros..........
Lralias e esteios .....'.
Mol oa melaco......
Miibu ".......
Papagaios .......
Pao Brasil .......
Idem do jangada......
Pedras de amolar ....
(ii.-n de librar .....
Idem de rtelo .....
Piassava ........
Ponas, ou chifres de vaccasou
novitbos .......
Pra'iH-hoes de amarello de dous
coatados ......1.
dem de louro......
Rap ..........
Sabo.........
.Sal...........
Sais parrilna.......
Sebo em rama......
dem em velas......
Sola era vaqueta......
Tabta- de amarello.....
> diversas ......
Tapiocas.........
Tatajuba........
Travs.........
Uutia 'o boi ......
Vassouras de de piassava .
Ditas de timbo......
Diu de carnauba .....
Vinagre.........
Allandega de Pernamuco, 16 de uezembro de
1865
fAssignados):
O 1." conferente, Pedra Alexundnno de Barros
Cae'ili'iinte.
O 1. conferente, Joao de Freitas Barboza.
PAQUETES 1 VAPOR.
Dos porto* do sul esperado
at o dia 30 do corrente um dos
vapores da cnmpaohia, o qual de-
pois da demora do c>>tume se-
guir para os portos do norte.
eoi se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no da de sua chegada, encoin-
450O0 mendas e dinheiro a freie al o dia da saluda as
600', t horas : agencia rua ca Cruz n. I, escriptorio de
155 Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
240
120
350
10*000
15000
320
500
14000 i 0 ^u e?cnpiorio, rua da Cruz o. 1.
llha de S- Miguel"
O patacho portuguez JOIIGE.NCE. segu cora
mmta brevidade por ter a maio^ parte do seu car
LEILO
Oe 50 sacros com arroz parte com to-
que de avaria.
Sexta-leira 22 do corrente.
O agente Pestaa legaimente autonsado vende-
r em leilo por conta e risco de quem pertencer
30 saceos co 1 arroz rom avaria d'agua salgada a
bordo do hiate nacional NuVAES, em sua recen-
te viagem do Maranho para e>te porto de Per-
nambuco, e sero vendidos em um un mais lotes :
sextafeira H do corrente pelas II lloras da raa-
nha no trapiche do Cuulia no Forte rio Matos.
Grande feira
De relogios de ouro e prala, correles para ditos,
trastes avulsos, objectos de ouro e prata, e ou-
tros mullos artigos.
Amanbaa sexla-feira 22 do corrente
NO KANOE ARMAZEM DE LE'LOES
DO AGENTE
OLYMPIO
36llii.1 ua .adea <> Medie ;i
- B
fV

j ^3
* If
(* C 1
3 k fi
1 3 2.

C ^ 2
a
c
a
?
o
d
-


Encada garrara, tai, rnlre rollia e o pa|ifl
iyw lera o incn siiidi*, um rotulo mpT'-sso ein araa-
rriki filil O Stl.m 1IIRUI. 1)0 GOVEKSO rilANtlZ.
y. II. i'riiii'i-ii.lo-si- una lettra de 500 Iranio
obre Pars, arri'avil a III tas ilc lsU, au rnaxiniu,
gaEhtt iln abalimrnto e d maior descuido.
Drprstti jirim i
!o l^gilimo l.( H
rni i a/a ilo nos-
unlm ngeate pilo
Rrazil a Ski anto-
mii Fiunc : di- I.a-
(uou na llallis e
nos prinripacs pliar-
macmtcos.
nenio r un inamr
eso -*--V o*,
Para a Illiade & Miguel.
Do Rio de Janeiro esperado o patacho porto-
gnez Femando, o qual tera' oesia pouca demora,
por ter metade de seu carregamenio promplo :
para e resto que Ihe falla trata-se com os seus con
signatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C,
153000
IJttOO
alqueire u r|1Jtamwlto prompio, para o resto da carga e pas-
sageiros trata-se cora o consignatario
go Liraa, rua do Apollo n. 4.
Juo do Re-
VISOS DIVERSOS.
O bacharel
P\Ri
Joao Francisco Teixeira e o Dr. Ma
Pretende sabir em poneos das o patacho Pa-
reme por ter o carreijameuto quasi completo, e
para o peono que Ihe taita, traase cora o consig i
natano Joaqmm Jo- G^uQalves Bcllro, na rua do
Vigario n. 17, 1 audar.
LEIL9ES.
um

libra

alqueire
arrona
urna
duzia
arroba
quintal
urna
cento

ranada
20*000
10,5000
i i M ii i
i*i
ion
25A000
oOOO
7llUO
24000
14U 874000
3*M)0
2501)0
6<> 0
200
105")0
H5'MI0
65
500
IflUVO
Urna linia victoria, pelo ageote Pestaa
- *_ w-;
Quinla-feira 21 do corrente ao meio da em
ponto.
O agente Pestaa t a' leilo no dia quinta feira
10 do crreme nt porta da Awociacao Oiramer
cial Beneflcenle, de urna linda victoria, forrada de
seda e conros iia losire da melhor qnalidde, c.m
arreos de metal principe muilo fino, um carro
de. muito go-to e proprio nao r- paia quem estiver
,.aseando a festa fora, como para qualquer seobor
de eogenho por ser muito leve e forte.
noel da Cunha Teixeira convidam aos amigos do
seu presado e fallecido irmSo, o bacharel Jo> da
Cunha Teiterta, a compareeerpm hoje s 4 horas
da tarde na igreja d Nossa Senhora do Carmo. on-
de [ei yo lugar os ltimos sulTragios pelo eterno
e-caiicu do iilMilo.
Instituto Archeologico e Geoijraphieo Pernam-
bucano.
Haver sessao ordinaria quinta feira 21 do cor
rente, as 11 horas <1a manha.
Urdem do dia.
Pareceres, relatnos e mis trabalhos de com-
mis>5es.
Secretarialdo Instituto 18 de dezembro de 1865.
J. Soares de Azevedo,
Secretario perpetuo.
De
Leililo
umn escrava
IIOJE
O agente Pinto fara' leilo a reqnerimento do
inventarenle do- beos da nuada D. Hermina Ade
iai.lt- dos Sanios Campos e pir man lado do Dr.
jiiiz d isorphis, da e-crava cabra de o une Albi-
na as II huras do da acuna declarado no seu es-
cripiwno da rua da Cruz n. 38.
"LEILO
De 80 HMseK riiui Carell com toque
tlr Jvaria.
II.j as 11 horas em potito.
O ageute Festina ura li uo por eoata e risco f
GARKAUX D LAILHACAR & C.
LIBkAIRIE FRANQAtSE
Hu do Crespo a 9.
LIVROSINACINABS E ESTRaNGEIROS
Religin Pmilosephia Jurisprudencia Liltera-
i tura Scieucias e artes.
Papelaria, objectos para escriptorio.
AndrlGomes, subdito hespanhol. retirase
para fra dp Imperio.
Vnioi; Imprulii, Viceiile IniiTolo, Braz Imprn-
lo, Sabino Bissudo, Viceule Farse, J s Antonio
Chela, subditos iialiauo-, retirara se para Europa.
Manuel Caetano Saldanha (inerreiro d boje
em dlaute se assignara Manoel Sallanha Guer-
reiro.
CLIIH ViMHWJC4\0
Domingo 24 do corrente haver reuniao
de familias.
M^theus Jns de Sooza Guimaraes scientifica
as pescas que leem era seo poder relngios para
concertar para irem bu-calos al o dia 28 d > cor- .
ronie me;, visto o annunctante ter de retirarse coo na pra<;a de 17.-0 administrador,
desla cidade. Joo Fraoei-w. do Reg Mata.
Com
as LIMAS
CBIMICAS DE
p. mourth, torne
redor da Caza Imperial do Exercilo
franrez, garante-se que qualquer
pessoa podera sem dor ncm perigo
ivrar se de seos callos. Esta inven-
cao : pri* ileginda em varios paizes.
reconhecida officialmente efficaz
por 15 nacAs, -premiada com me-
dalhas de 1 c 2' classe e approvada
por diversas academias e pelo Ex'"
Presidente da Junta de Hygiene do
corte. Por ordem do Ministro da
Guerra fez-se cm Pariz experiencias
sobre mais de 2000 soldados que
ficarflo livres de seos callos; iguJ
I resultado foi oblido na guarnico
do Rio de Janeiro. M-iis de 3000
peanas ja se tem curado rom estas
Limas. As provas do que so diz aci -
ma e os altestados acham-se no
prospectu, que se da no deposito.
Casa principal em Pariz, 1? Prime
Eugne,i8, Agente paran Brazil,
o S* M. O. ABRANCHES, rua
da Alfandega, N 10 ni Corle.
Le se no UonOeur de la Pharmacie.
Aelectricidade boje empreada por iodo ot
medicos afamados, para o Iralamciito de mudas
Molestias mesmo para as que resistrm as oulrat
Mi'dIcacWi
A oliclridade prodniida pela friegan tem urna
i smi.-i ii-riihide inconleslavel, e a vanlugeiu Ue nao
dnr abalo?, ede poder ser graduada pelo doente.
A causa a mais frequenle das molesl.as a
eslaRuaca do saiiftue ou dos ou.n lquidos vi-
'laes. Reslablecpiulo se a circulata no orga-
n:smo. curarao-se as mcleslias.
Quaudo se sent al)uma dor em quelquer
parte docorpnlogo, eiuslinctivanientc, seerfreg
o lujar endolorido com a ma, eu'oalvia. Islo
explica o resoltado incontestavel que deve pro-
duzir um apparellio eirclrico. Por iso teniM
prazeremannunciarao Publico qucoSnr Buisson
de Uml.ii-rs residente, boulevarl du PriiiCi;-
F.ngfric, 18, em Pariz, dolou a n edicina de um
apparelbo Electro-Magntico, snb a forma de
iiuii esiova, com o qual os doenles se poilera
rin.ii mu ncliiima ouira medicaca. Os mdicos
que a lem experimentado, aileslarao que a
Escova Electromagntica etlicaz para
curar: os Rhenmatismos, aParalysia, Ootta,
Tc uquea dos membros e da Columna v.-r-
te'iral dibilidade geral, Nevralgias, etc.
!'.-lanos cerlns qoe brete cada f:imi ia possuira
eta e>con que preslara guindes servics.
A pedido de militas pessnas, o autor deeidio-sa
a esl.blecer ion deposilo de seos appare tas no
H'o de Janeiro, em cata do Sn Diuii.r Roirrf,
ru* nova do Oueidor, n* 33.
rVrnain iu o, i.iianuaiia trauceza de P.;
Maare & ti., rua Nova n. 18.
Nao se leudo effeciuado o arrendamento da
mata da proorledade Apipncos, no da 17 do cor-.
renta) por falla de cuoco> rentes, tica a me mn ar-1
rematagao transferida para o lia :tt dest- me;, I
pelas 4 horas da tarde, em ca-a do re-pectivu ao> ;
niinisirador em dito Untar de Aponeos. A base
para a arrematado 4:0005, mttanr preco olTeie-1
ASTHMAII ASTHMA ASTHftlA
SUFFOGgAO NERVOSA E OPPRESSA
Lnico remedio eflicaz para COinhattir estas molestias, acalmar um alfaque d'asma e impedir a
volta o Xarope aromtico de. Succino (mbar amarello; do r Danet. Ileecoberta inteirameate
recenta, osle novo producto se tem propagado com extrema rapidez graeas aus admiraveu resul-
tados que lem senipre prodnzido..
Ilepnsito goral, na botica Chauveaud, 'i, rua do Comercio, Paris-Grenelle, e ero todas a>
bnii-.is 'le Franca e do esirangeirO.
#1
iP- :irMBr-*:.
O Alcoholado oe Guaco de Pascal urna nova preparare da qual
basta meneionar suaspropriedades para appreciarsua importancia.
Em prlmeiro luj,rar um preservativo infalivel do contagio venerio (ver
follieto para o modo de o impregar).
1' Tem a vantagem de ser o remedio mais certo e mais agradavel para
aa molestias syphilitieas de toda a especie, ulceracSes primitivas e secun-
darias, ec.
Empregado em injeccOes, o melhor tratamento dos corrimentos
recentes ou chronicos as pessoas dos dous sexos e da leuconhea as
mulheres.
4o Emlitn como antidoto dos virus, soberano na cura das chagas e fe-
ridas de m nntureza, chagas gangrenosas, dar tros, ulceras das perria-s,
ophlaltnia purulenta, ou blenhorragica, mordeduras e picadas de ont-
maes venenosos, ec.
Este especilico vegetal, izento de toda aaccao mortfera, foi experimen-
tado nos hospitaes de Paris, Lyon, Marceiha, ec, e recebeu a approvaco
dos distiuctos doutores Ricord, Bach'et, A. Richard, Calvo, Diday,
Melchiob Robf.rt, Costilhes, Berenger, ec.
Deposito geral em Paris, botica de CHEVRIER. 21, ru du Faubourg-
Moutruartre. Casa de expedicao, PASCAL e C, 33, rua Monsieur-le-
Priuce. Paris.


- rr. r-. _S ^^1B------------------------------------ BBdn ^e^eWeWe] paal
2
"TI 3
C"
S *** o
> i c
e a>
Sd O
H as
!] s
aW

fr QO
c
n B)
E
B3
r\
3-


5
7
s
5
as. tfSr*ra
3
a
a s' a
*?*-?*- = *&* fE s
= f.-8-S i .9.7 3 = 2- = ^ 1
i1!^: Hit
ffa 2-3 _s=*K
5 1?
i9l
yjrJrJrJrJrJnJrJrJrJrJnJrJr.JlHI.r

tum
^X


Mario d fernambuco Quinta elra Zi c Dezembro de ii*
IF1ATD
DE
CAVALLO
Na noilede 18 para 19 do correte furtou-se nm
cavallo mellado raxito, da eslrabara do seu dono,
com seltim inglez quasi novo; cujo cavallo tem
dinas e cauda pretas. as cimas sao grossas e ca-
era sobre ambos o* lados do pescoco, e tem urna
ferida pequea na mo direita ; esta acostumado a
andar em cabriole! e bem coohecido nesta praca:
queai delle der n tieias certas ou leva-lo a' Estan-
cia, sobrado de duus andares n. 2, ser gratificado
Sociedade de seguros mu-
tuos sobre a vida
Precisa-se de urna ama forra ou escrava que
saiba bem co>innar e engommar : a tratar na cendu, flcam por um certo
O banco Atlianca do Porto teodo estabelecido
esta sociedade debati de sua immediata vigilancia
e responsabilidade, facililou a creacao de capilaes,
dotes, rendas, pensoes, isencoes do servido das ar-
mas, etc., por meio de subscripcoes nicas ou an-
nuaes, as quaes convertidas em infcripeSes da
divida publica, de renda nacional, e da meswa for-
ma os juros semestraes que dellas se forera ven-
nmero de annos era
ra da Peona sobrado n. 23, primeiro andar.
deposito, at que, lindo o praso estipulado, sao
restituidas aos socios com os inleresses amontoa-
pesue om 3 a 6 pessoas fra o ca- ; ** be/D com, as ''uHe Pertencerera aos assoc.ados
i tiver e Ihe convier alugar, pode ffi"cs" vislu 1ue desles sao ******** sobre-
Aluga-se urna canoa de carreira, por mez,
que estanque e
noeiro : quem a ..
comparecer na ra dos Quarleis, hole larga do ilo- EIT.__._v. .u- .*
sario n. 16, padaria, que achara cora quera tratar. -_fJS!"Sm.bl"a0 e.conom,ca adP|ada
- 1----------- nos clculos desta sociedade, v-se que, com urna
Aluga-se urna boa casa com bou quintal,! entrada annual de 500()0, por exemplo. obtem-se
cacimba e soto, na ra dos Martyrios : a tratar em 5 annos 4500000 a 5505000, era 10 1:5005000
na ra Direita n. 47.
Attencao.
Precisase de urna ama que saiba Cosinhar e
fazer compras para casa de hornera solteiro, pre-
fere-se porlugueza : oa ra da Cadeia do Recife
n. 38, primeiro andar.
Aluga-se para passar a festa ou
por auno.
Aloga-sc por preco commodo urna casa
na estrada do Monteiro defronte do oito
a 2:000,8000, em 15 3:500,8000 a 4:5005000, em
20 8.000,8000 a 10:0005000, em 25 18 0005000 a
25:(M)O50OO, conforme a idarie do individuo sobre
' quem feito o seguro, pois que nos referidos cl-
culos contase com a maior ou menor probabilida-
de de duracao de vida.
Esta sociedade sobretodo vantajosa aos chefes
I de familia, visto que loes facilita seu sacrificio a
fundacao de um capital ou dote tiara seus lhos ou
filhas, segurando-os quaodo nascem ou em quanto
sao chancas.
Quem, pois, mais cirrumstanciadas informacoes
desejar sobre tal sociedade, ou se quizer inserever
da igreja, com bons commodos, multo fres- como socio della, dirija-se a ra da Madre de
ca e em muito bom estado, tendo grande Deus o. 28, onde se poder entender com Joao
quintal ao lado com porto de ferro, ca-
cimba, estribara e cocheira.' a tratar com
Antonio Jos Rodrigues de Souza na ra do
Crespo n, i o ou na mesma povoaco.
Francisco Antonio Martin* responde ao an-
nuncio da Sr.a D. Mara Senhorinha da Silva Lel-
te inserto no Diario de Pernambuco, que nenhuma
duvida tem em desonerar-se do encargo de procu-
rador do Sr. cadete Manoel Jos da Silva Leite,
com tantu ijue este ou a mesma senhora o embol-
sen; di quantia que tem despendido tanto com a
questo como dos adianiamentos, do que Ihe ser
muito e rauto agradecido.
Carlos Coelho da Silva, que para isso se acha en-
carregado.
Saques para o Rio e llaliia.
Antonio Jos Rodrigues de Souza na ra
do Crespo n. 15, saca a vista ou a prazo.
UMA GRANDE DESCOBERTA
de FIGADO de BACALHAU
DESINFECTADO '
MEDALHI
QE
HONRA
As Propiedades medcaos do oleo de figado de bacalao forio unni-
memente reconhecidas. Mas seo cheiro e seo sabor to desagradaveis
torno o uso d'elle muitas vezes impossivel, mesmo aos estmagos
os mais robustos e aos mais condescentes.
Por isso a descoberta do Snr. Chevrier que Ihe permettio de
desinfectar interamente o oleo de figado de bacalhao sem alterar suas
propiedades tem sido um dos mais felizes problemas resolvidos pela
therapeulica moderna.
O oleo deflgado de bacalhao desinfectado de Chevrier,
com ora ckeiro agradavel e um sabor assticarado, o nico que nao
tem em gosto nem cheiro de peixe.
Objeclo de numerosos relatorios scientificos elle goza em Franca
de urtia fama bem merecida, e receitado por todos os mdicos em
lugar; do Oleo de figado de bacalhao ordinario. Tendo as mesmas
propiedades do oleo de figado de bacalhau ordinario, usa se d'elle
nos niesmos casos isto as :
Molr.tlaa rirrofuio^ai,
Itarhidan
Ohnrrii<-j-aa dm ulaniln,
Tlaira pulmonar,
Moleatlaa da -rile,
(ou.(Huirn Imphatiea,
Anemia, debllidade, fraques*,
Magrraa,
Pobrraa da nangue,
Fr-iraiuriiio por exceaa* de
trabalhe au de praxerea,
Maleatiaa iloa bronebloa recen-
tea ou ehronlraa,
Taaaea perllnasea,
Gaatrltea, naatralc-laa,
Dorea de eataraaga.
0 Oteo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
hevrier constitue o melhor meio de administrar o ferro. O
i )duro de ferro reunido com o oleo de figado de bacalhau,
augmenta a accao to efficaz d'este ultimo, se dissolve mais
fcilmente nos lquidos das vias digestivas, se assimila muito
mais bem do que quando tomado sob a forma de pilulas,
jaropes, etc., enfim perde suas propriedades irritantes e nao
provoca a constipaco.
As pessoas as mais delicadas que nao podem supportar as
preparares ferruginosas ordinarias, as quaes, principalmente
nos paizes quentes, tem muitas vezes grandes inconvenientes,
poderao com a nova descoberta do Snr. Chevrier, usar do ferro,
um dos mais poderosos agentes therapeuticos, tomando-o unido
ao oleo de figado de bacalhau.
O oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chevribr, se emprega em todos os casos que o ferro acon-
selhado; julgamos intil de os enumerar.
MEDICO E OPERADOR
O I)r. Juno ltaymuoao Pereira da Silva, Jjj
g| chegaodo ltimamente de Pars, onde fre- f|
rg> quentnti os mais nota veis hosptaes, pode jgg
ser procurado para o exercieio de sua ^*
B| oj(lli>>a<> na ra da Cruz n. 40 segundo Wt
B andar. Da consultas todos os das das 7 gj
* as 10 horas da manha. Especialidades, 1
jig.: molestias de olhos, partos e vias-unnarias. I
mmmm mmm 'mM mmwm
O abaixo as.-ipnado faz publico, que de>de o
da 5 do crreme, se acha delgado (la sociedade,
que teve na sua lauerna da ra do Rosario Larga
n. 18, o Sr. CustoJio Jo.- de Oliveira, nao devendo
por tanto os devedores da mesin taberna pagar
seus dbitos se nao ao abaixo assignado, ou a pes-
soa por elle autlionsada. Outro sim o abaixo as-
siguado nao se respoosabehsa por qualquer debito
que em nome da extinta sociedade faca o mesmo
Hecife. 10 de desembrode 1865.
Joao do Cotilo Aives da Silva.
El|e convcm a todas as compleicoes e a todas as idades, e tomada
fcilmente pelas pessoas as mais delicadas. Elle um poderoso socorro
para ja alimenlaco das crianzas fracas e docotes
Um folleto accompanha cada vidro e contem as observacoes medicaes.
Deposito em Parta, na pharmacia de Chevrier, e em todas as boas pharmacias de Franca e do estrangeiro.
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caros & Barbosa.
Precisa se de urna ama para andar cora um'.me-
niooe fazer mais algum servico em casa de fami-
lia : oa ra do Queimado n. 39, luja.
i Aotooio Jos Rodrigues de Souza, na ra do
Crespo n. 15, aluga sua casa e sitio no Monteiro
em frente ao oitii" na igreja, teodo o sitio porto
de ferro, cacimba com hia agua, estribara e co-
cheira, e a ca>a 1 salas, 7 quartos, e :oto, a qua
muito fresca e esta de novo bem caiada, concerl
lada e pintada : para \r, ?s chaves eslo em a
casa do Sr. Nicolao Machado na me>roa povoaca?.
Na praca da independencia o. 33, loja de
ourives, comprare ouro, prala, e pedras preciosas,
e lambem se faz qualquer obra de encommeoda, e
todo e qualquer concert.
DEPOSITO DE GAL EO
m I Alllill. \1)0 NA CASA DE di:I KM.. 10 *&.
ftk Roa .\vi n. i. )
gx Ahi se eucontraro obrs de di- Mg
versas qualidades, e por pre^o mu l
diminutos, a retalho e em porches. 9tt
S se vende a dinheiro. ^
mmmmmm*wmw*m
Si
Ar
|Gabiiiete mdco-cirur-
gico.
,.. Ra da Imperati'Iz n. 3G.
*B< O Dr. Joao Mara Seve, medico fartei-
H ro e operador raudou a sua residencia
jj< para a ra da Imperairiz sobrado n. 36,
SJR onde pode ser procurado para o exercicio
-"v de sua prolisso at as 10 horas da ma-
'h nha e das 4 da tarde em diante.
mm1,
(58
m
Procuradoria
Sr.
Curso primario.
Amelia Angosta de Oliveira Quintal, educada no
collegio das orphaas, acbaodo-se habilitada pela
directora da iostrnecSo publica para eii.-niar par-
ticularmente a lr, eserever, contar, gr-mmaiica
nacional, doutriua christaa, bordar em branco, em
seda, em la, em froco, em ouro, marcar, labyrin-
thar, afinal cuser bem ; abre seo curso no dia 15
de Janeiro, na rui da Concordia u. 15, Io andar,
onde pode ser procurado : asseveraodo aos senio-
rs pas de familias i|Ue se quizerein ulilisar de
seu prestimo, (no empregar o maicr zelo e cui-
dado no cumpriment de seu< deveres.
Precisa-se de tres amassadores, sendo um
tara mestre da masseira : as Cinco Ponas nu-
n>ero W. aai Precisa-se alugar urna ama para o servico de
Claudio Dubeux para evitar equvocos e con- uma familia pequea : a tratar no Hecife no hotel
testaces, faz sciente aos senhores passageiros e Univers com urna pessoa estrangeira.
assigoantes da i'assagem e seus confins, que elles
nito podem ter ingresso no mnibus do Cachaoga ;
por quanto tem aqoelles senhores o seu mnibus
especial para o me.-ma lugar da Passagem ; acon-
tecendo muitas vezes andar este vaso, o aqoelle yJ
nao poder conduzir lodos os senhores passageiros
do Cachaag por causa dos da Passagem. Adverte
outro sim que, qualquer senhor passageiro avulso
que entrar no mnibus do Cachaoga, pagar l.j
para qualquer lugar que for, anda mesmo que va
para o Chora-meninos ou outros lugares de igual
distancia. E rigorosomente curaprida a despeto de qualquer
pretexto
< 3 ~> O S crs ro a: 3 ~.
ti O
- S- co -i r. 2 j Z3
\ rlsl-s o Q. ~3 ro 5 -_- .
?O ro _:. j. _-w' i, 5r* ~ c - ce o 8 7, >
"B w~ 5 r O H
32Sf H
!^?|2. L J g
-I 2!
a r)
>
1 i 3% 5' B O 2 O a c 3 - H 9

ro'
ro 3 ro ro
B O _? S
j;
00
O solicitador Iturgos Ponce de Len, mudou-se
para a ra de Santa Hita, sobrado de um andar n.
; 3, onde pode ser procurado das 6 as 9 horas da
i manha, e das i as 6 horas da larde, para o exer-
cicio de sua proflssio, e fora desias horas e duran-
te o dia sera encontrado as salas das audiencias.
Elle recebe, casas commerciaes, de partido, por
um ajuste razoavel, como lambem se enesrrega
de promover cobraDcas de dividas e execucoes de
! sentencas fora desta cidade, por mais poderosos
que sejam o< devedores.
N. Bieber & C, sucessores, sa-
cam sobre o Rio de Janeiro a vista ou a pra-
zo conforme se convencionar.
PAGtJI-SE
por 285500 ougas da patria : na
praca di di Independencia u. 22.
Perdeu-se um maco de cartas viudas
do sul para o Dr. Luiz Filippe de Souza
Leo, i|uem as tiver adiado querendo res-.
titui-las pode dirigir-se ao escriptorio n. G
da piaga do Corpo Sanio, ou rcmette-las;
para o engenho Santo Ignacio, no Cabo.
Xa reliuaco da ra Jo Rangel o. 13 preci-
sa-se de trabalhadores, paga-se bem ; tambem se
; i i-1 j urna ama para casa de hornera solteiro,
para coziohar.
1'tTitiu se ao descer na plataforma da estaQao
das Cinco Puntas una pulceira de ouro de 11 qui-
lates object) muitissimo conhecido pela es(|uiziiis-
- do modelo, que oulra pessoa nao pode usar
d'lia : pede-se a reslituicao na ra de Kortas n.
l'.< ou na villa do Cibo em casa do Souza pintor
que ser recompensado.
Len Chapelin avisa ao respeitavel publico e
especialmente aos seus freguezes que vai a Euro-
pa no primeiro paquete que se espera do sul, a
tratar de negocios urgentes de saa familia, dei-
xando sua seobora diri^indo o seu estabelecimen-
to e com todos os poderes para fazer todas as
trnsameos relativas ao mesmo estabelecimenio.
Precisa-se de urna ama para coziohar e eo-
pommar, iiaga se bem : quem estiver neslas cir-
crasUocias dirija se a ra da Amizade, na Ca-
punga.
ilKi
Qaeo tiver para ser alugado um escra-
vo que alm de muito boa conducta, esteja
bem habilitado para desempenhar satisfac-
toriamente qualquer servido interno ou ex-
terno de urna casa de pouca familia, an-
rnincie ou dirija-se a ra da Aurora, sobra-
do de n. 70, segundo andar.
--- Aluga-se um sitio na Torre com boa
casa para grande familia e muito fresco,
com todas commodidades : a tratar na pa-
dana do mesmo lugar.
Precisase de urna criada porlugueza, e urna
escrava que saiba engomraar bem : a tratar Da
ra da Cadeia n. 31.
Fazendas, phantasia para vestidos chegados de Paris^elo ultimo vapor.
Lindos robes de organdys cesarianas fazenda transparente de intelro gosto.
Ditos de percalia campestre pdrdes muito ricos.
Hiquissimas gnnadines de seda o que lem vindo de melhor gosto ueste mercado.
Lindos cortes de sallan pekin para vestido fazeda ioteirameote nova.
Ditos de gaze setim em pega fazenda transparente e de gosto muito modernos.
Luidos chales degrenadim broch, primeira vez aqui apparecidos.
lucos butirnus de crep guarnecidas de tranca muito proprios para passeios.
Rlquissiraas (Helas para tinto, de metal, de crystal com ac e com pedras, finas, o
|Ue ha de mais novo.
E ouiras muitas fazendas de Inteiro gosto.
Ra do Crespo n. 13.
Loja das eoluninas de Antonio Crrela de Yasconcellos
V Companhia.
ATde X^Aj

?*>>
~*-~j


MARTIMOS
#3
A NACIONAL
Compauhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO E 21 DE DEZEMBRO DE i 859
lina (anca em tiinlieiro, depositado dos cofres do estado, garaate a boa ad-
minislraco da companhia.
DIHECCO GERAL
est
com
BANQEIROS DA COMPANHIA
O Banco de llespanha
FABR11 A VAPOR
99 RA DO MONDEGO 99
Deposito na ra *oia n. 50 luja de relojoeiro.
O dono deste estabelecimento partecipa ao respeitavel publico que sua fabrica
montada com as melhores macbinas que existem na Europa, e que pode fabricar
melhor perfeicao possivel. Todo o chocolate desta fabrica est garantido, e puro,
o que nao se pode encontrar naquelle que vem de fra, e que se vende por preco baixo,
visto os productos serem do paiz. Na etiqueta tem sempre urna aguia.
PRECO.
Meia libra......... 400
Urna libra......... 800
Urna arroba........ 19^000
Madrid : Ra do Prado n. 19
rus
Na mesma fabi ica acaba de se montar urna offleina com serrara a vapor para
combinares de supervivencia dos segu- ^ras de marcineiria propria para edificio, para o que encarreg -se de fazer portas, ja-
nellas, assoalhos (parqu francez como se usa na Europa,) earmacoes, ludo com brew-
!f_*i^5L!Il^Sffi^i'l^Si0 ,5-i?!_?_-^-5I?5_B?J?en,IU,ll, caso mesmo por morte d0 dade eperfeic5o. Toma-se qualquer encommenda para fra da cidade, entregando-se
prompta a collar-se no lugar.
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as
obre a vida.
segurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao lo suprehendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole deA NACIO-
NAL,que anda mesrao dirainuindo urna terca parte do interesse produzido era recentes liquida-
coes ecotnbinando-o com a mortalidade da tabella de Depareieux que adoptada pela companhia
para seus clculos e liquidacoes, em segurados de idade de 3 al9 annos, umaimposi^aoannua.
de 100 produz em effectivo"metlico:
No Gm de 5 annos.......1:119>300
de 10........ 3:9425600
de 15........11:2084200
de 20 .......30:256*000
de 25........80:331*000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
ProspecDs e mais ioformacoes serao prestadas pelo sub-director nesta provincia.
Joaquim Piuza de Oliveira, ra da'Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista ra da Imperatriz n. 12, estabeleci-
mento dos Srs. Raymundo, Carlos.Leite & Irmo.
DE
Todo o interesse legara' com o senhor sa-
cerdote que quizer ser capellao de um engenho, e
que lambem tenha hahililacoes para encinar as
primeiras letras e alguns preparatorios: a faltar
com o Sr. Antonio aeralim da Silva na ra do Ca-
l'Uga".____________________________________
A pe>soa que achou |uma chavesinha que-
rendo restitu-la pode dirigir-se a praca da Inde-
pendencia n. 8, livraria.
O padre Joao Jos da Costa Ribeiro e minos
agradecem cordialmeote a todas as pessoas que se
d goarara assistir as exequias que se celebraram
na igreja do convento de N. S. do Carmo. pe al-
ma de sua mu prezada mana D. Anna Candida de
Jess Ribeiro, e com especialidade ao muito digno
provincial Pr. Jorge de Sant'Anna Locio e mais
religiosos que se prestaran) a esse acto de carida-
de gratuitamente. De novo convidara a todos os
amigos e prenlas afim de assistirem as missas do
stimo dia que sero celebradas na igreja do mes-
mo convento, pelas 6 horas da manha, no da 23
do corrate, por cujo obsequio se reconhecero
ainda mais gratos
PERFUMERA da casa oger
Boulcvart Sebastopol, 56, IPariz.
Dea medallws, a conilecoraco da Legin ] CREME LA6IALE de sueco de Rosas.
1 lionneur e a grande reputacao que tem Ihe ; POMMADA VELOURS para amaciar
lado o publico, taes sao as recompensas que os pelle.
ELIXIR ODONTOPHILE.
serviros prestados 1 ndus'"ia merceme a
esta importante casa desde sua fundacao em
1804.
Ynm soiliineiilo de irais de 500 arligos,
as pessoas elegantes escolhcrao os seguintes:
ROSEE DU PARADIS, extracto superfino
para lenco.
POMMADA CEPHALIQUE contra a cal-
vicia.
AGUA VERBENA para o toucador.
OXIMEL MULTIFLOR.
VINAGRE DE PLANTAS HYGIENICAS.
TINTURA VIRGINALE de beijoim.
ROSEE DE LYS, verdadeira agua de
Jouvencio.
SABAO dedicado as damas americanas.
SABAO de bouquet de Franca.
d" de flores de alcca rosea.
d de llores printanieres.
(1 de bouquet do outono.
de perfumes exticos.
d aurora, dedicado aos dedos cor de
rosa.
d de llores das montanhas.
d de cheiro de foins nouveaux.
d de bluets ebeirosos.
d* de altliea balsmica.
d* diapr, caixa rica, fantesia pari-
sience.
COEIiHO Je FUEITAS
Riia da Cruz n. 16.
Continua a haver diariamente um sortimento de pastis, podins, bolos inglezes,
empadas etc., etc. Os donos deste estabelecimento, acbam-se na, melhores condicoes
de poder satisfazer encommendas concernentes sia arle, em consequencia do socio
Freitas ter sido administrador chefe de algumas das princi aes fabricas na corte, sendo
urna a do Sr. Joao Goncalves Guimares (confeilaria do Leo) antiga casa de Carceller.
Todos os trabalbos sao dilTerentes dos que se fazem em casas particulares.
Os propietarios desle estabelecimento nao se lem poupado a despezas, nem se
pouparo, se houver concorrencia como esperam ; tendo continuadamente bom sorti-
, ment de doces para cha; presuntos e ditos em fiambre, tambem se recebem para se-
rem preparados ; assim como doce de caj novo superior, secco e crystalisado, dito em
calila em latas hermticamente fechadas, podendo durar annos em perfeito estado.
Para janlares e partidas reci'bem-se encommendas dos seguintes objectos; ban-
deijas ricamente enfeitadas sem armaco pegas de amendoas (nogaces), ditas de tmaras
de ovos, pes de l enfeitados com dsticos anlogos a qualquer fim; ditos montados,
kechs simples e efeilados com fructas ;i ingleza; gatheaux de la reine, ditos de le du-
: chesc, tortas de fructa, massa fulhada; ditas de peixe e carne; cremes e doces de ovos
[ de differentes especies
Tambem tem um completo sor timen t>> de vinhos engarrafados, como sejam: vinho
do Porto superior, Figoeira, Madeira, Lisboa, Cherez, Bordeaux, Champagne fino, ser-
veja, licores, charopes e conservas. Para festas: bonitas catabas com amendoas, con-
feitos e mais enfeites. Muilos destes objectos mencionados podem-se perfeitamente ac-
! condicionar tanto para a provincia, como para fra.
TOfeWt.
DE
J.
DE
VIGNES.
N. 55. RA DO IMPERADOR \. 55.
Os pianos desta antiga fabrica sao boje asss conhecidos para que seja necessario insistir sobre a
iua superioridade, vantugens e garantas que. offerecera aos compradores, qualidades estas iocootesta- na Eurona
veis que elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; pos- *
mindo nm teclado e raachinismo que obedecem todas as vootades e caprichos das pianistas, sem
aunca falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente nielhoramentos Importan-
DEPOSITO de PIANOS
25 RA NOVA N. 25
Este estabelecimento acaba de receber um rico sortimento de pianos fortes ex-
! pressamente fabricados para o clima deste paiz, dos mais afamados fabricantes da Euro-
pa, por isso o propietario convida ao respeitavel publico para viran apreciar as qua-
lidades dos referidos pianos.
Continua-se sempre com esmero e promptido fazer-se qualquer reparo nos ditos
instrumentos. Afinam-se os pianos debaixo do melhor systhema ltimamente adoptado
Da-se a quantia de 20 a 2-3 pelo aloguel de
urna escrava que. fa^a o servico interno e externo
de urna casa de familia : a tratar em Fra de Por-
tas, ra do Pilar, no 1 andar do sobrado n. 13o.
Precisa se de orna ama para cozinhar em
casa de rapaz solteiro : a tratar na ra da Moeda
numero 29.________________________________
Precisase de urna ama para cozinhar em
casa de hornera solteiro, que tem pouea familia :
na ra do Crespo' casa n. 12.
Casa em Olinda,
Aluga-se urna casa no pateo de S. Pedro Nova,
com bstanlas commodos, quintal e cacimba : a correspondente de J. Vignes, era cuja capital forara sempre premiados em todas as espsicSes. O abaixo assignado faz publieo que o Sr. Jo-
tratar no largo do Carmo, em Olinda, com Albino No mesmo estabelecimento se achara sempre um espieadido e variado sortimento ^e msicas dos s Luiz Doarte de Azevedo deixou de r seu cat- Precisa-se de um criado para o servico de
Jos da Silva, ou na ra da Crut do Recite n. 57,, mfilhoree autores da Europa, assim *a fcaracnicos /iiaj>s haratoaicos, sendo todo rendido por xeix desde o dia 18 do crreme. asa de hornera solteiro : a tratar no arsenal de
armazem. i resoswmMose razo*veis. ( Joao Ferreira dos Santas iuoior. .Miaba cora o Sr. Horacio de Gusrao Coeltw.
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnisadora, estabeleei-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercaduras e mobilias:
na ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Em casa de Theod Christiansen, ra do Tra-
piche-novo n. 16, nico agente no norte do Brasil,
de Brandenburg frres, Bordeaos, encontra se ef-
fectivauente deposito dos arligos seguintes :
St. Julien.
St. Pierre.
Larose.
I'hateau Loville.
Chateau Margaax.
Grand vio Chateau Lafitte 1858.
Chaleau Lalnte.
Haut Sauterues.
Chalean Sauternes.
Chateau Lataur Blanche.
Chateau Yquem.
Cognac em tres qualidades.
Azeite doce. Precos de Bordeaux.
mmmm mmmmmm mmmm
IjK Companhia hdelidade de seguros martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PERNAMBUCO
<#^ Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C,
m competentemente autorisados pela direc-
g toria da companhia de seguros Fidelida-
de, tomara seguros de navios, merrado-
B rias e predios no seu escriptorio ra da
Crui n. 1.
**<^Vpfj/sa,5Br.2^ tKSrijif. iatr^"-*
Alugam-se tres casas na povoaco do
Monteiro a margem do rio, com muilos
bons commodos e em muito bom estado
de lmpeza : a tratar na rua do Crespo n.
20, esquina, cujo preco de alugnel ra-
zoavel.
BOTICA E DROGARA
DE
R. '. de Souza & C.
lina larga do Rosario n. i i
Remedios de Raduvay
Prompto alivio.
Pilulas reguladoras.
Rtzdutivo.
Remedios de Kemp
Anacahuita.
Salsa de Bristol.
Pilulas assucaradas.
Agua florida.
Pastilhas vermfugas vegetaes.
Chegados pelo ultimo navio vindo da araerica
Tendo a irraandade do Divino Espirito-Santo-
da igreja do Collegio, resolvJ,, em sesso de mesa
conjunta, mandar fazer de marroore branco Tino a
capella-mr de sua igreja; convido de ordem da
mesa regedora aquellas pessoas que se acharem
habilitadas a mandar executar semelhante obra,
a examinaron a planta que se acha exposta na sna
sacrista, e a apresentarem as suas proposias no
praso de 40 -lia- contados desta data. Consistorio
da irraandade, em 10 de novembro de 1865.
O escrivao.
Francisco Belarmino dos Santos Freitas.
Nova escola de primeiras
letras.
O^baixo assignado, professor jubilado na pri-
meira escola publica de primeiras letras da fre-
guezia da Boa-Vista desta cidade pretende abrir
no dia 8 de Janeiro do anoo prximo vindouro urna
escola particular na rua da Palma, casa n. 31, da
freguezia de Santo Atit'nio desta mesma cidade:
os senhores pais de familias que quizerein que
seus Tilhos frequenlem a mencionada escola, podem
entender-se desde agora cora o mesmo abaixo as-
signado ua referida casa.
Jos Joaquim Xavier Sobreira.
Aluga-se
por 205000 meosaes urna casa ua Soledade n. i 1,
com 3 quartos, boas salas, cozinha fra, quiutal e
cacimba, a chave est parede-meia : a tratar na
rua da Imperatriz, loja de calcado n. 38, ao p do
becco dos Ferrelros.
Aluga-se urna casa nova na ru dos Prazeres
bairro da Boa Vita, cora 2 salas, 2 quartos, cosi-
nha, quintil e cacimba pelo preco de 16mensaes:
a tratar na rua estrella do Rosario n. 28.
Ama
Precisa-se alugar ama ama livre ou escrava
para comprar na rua e cozinhar, pagase bem : a
tratar na loja da rua Nova n, 11.
Manoel Duarte Rodrigues, rua dol A pessoa que tiver direito a 25 caixas com
tssimos para o clima deste paiz ; quanto s vozes, wo melodiosas e flautadas, e por isso muito agrada- Tranirhp n 91 saca nitro a I-i,uto i\t\ Par vinho, marca ancora dous A, vindo no brigue sue-
i veis aos ouvidos dos apreciadores. V J ti nf. 1,1 co- P^cedenie de Hamburgo, queira dirigirse
Fazemse conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Btoadel, de Paris, socio i .; Pr"2-__________________rua da Cadeia do Recife n. 18.
Para a
C0)il\MliV
de machi as
constru cao
DE
ALBERTSOX E l'OH.I tss
New Londoo, Cormeciieur, Esia-
dos-Unidos
Solicitara pedidos de descarocadores de algodao,
adoptados ao alcodo sul-ameriano. llao-se de-
dicado a este negocio durante 25 annos, e attende-
ro iramediaiaraenle a correspondencia que se Ibes
dirigir.

i
,M.
4
J V
,-:


Diario de rernantbuco Quinta letra 31 de Dezembro de iSt*.

OS PARAGUAYOS
E' a ordera do dia I Acabar com os Par-B
guayos a bayoneta, a mini, a revolver;
fulmina-los com os encouracados armados
de esporoes, armslrongs e raiadas de 80 i
120; extermina-los em summa a espada, a
lacio e a punhal de que se traa; mas
DiDguem se Icmbrou ainda de esmagar os
Paraguayos com as armas que Deus nos coa-
cedeu; acabar com elles a taco e a ponta
ps, para o que necessario encoura?ar esta
parte do nosso corpo com os formidaveis
rompe-ferro, esmaga cobra, arranca tecos,
quebra marmore e outros que se vendem
I. IU A OIHEITA4
Borseguins Bordeaux........ 83000
patricios......... ojJOOO
i para senboras, en-
feitados....... 55500
com laco e fivella .. 4$800
Sapatoes encouracados....... 5r$000
Borseguins para meninas bom
elast co................. 3-3000
Sapatos de lona, sola elstica. 2(5000
avelludados......... 10600
de tranca........... lGOO
com salto de lustre.. 2,^240
Um completo sor.ime; to de calcado da
trra para homens. senhoras e meninas;
assim como bezerro francez, couro de lus-
tre, marroquins, taixas de todas as quali-
dades, fitas para sapateiro, niuito sortidas,
sola e couros que tudo visto necesariamen-
te faz cobica ao comp ador pela Uarateza.
Mo da Silva Ramos, me-lico W
M pola universidaJc de :oimbra, da J,
5 consultas em sua casa das 9 as
1 11 horas da manliaa, e das 4 as 6
I da tarde. Visita os doentes era suas1
<:asas regularmente as horas para H
isso designadas, salvo os casos ur- |
gentes, que serao soecorridos em v
qualquer occasio. D consultas aos
pobres que o procurarem no lios-
| pital Pedro II, aonde encontrado
gg diariamente das 6 s 8 horas da
Kraanlia,
Tem sua casa de sade regular-
, mente montada para receber qual-
B quer doente, ainda raesmo osalie-
fSI nados, para o que tem commodos
apropriados e neto pratica qualquer
gpperacSo cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe. .33000 diarios.
Segunda dita-----350
Terceira dita .25000
Este estabelecimento j beta ^
un acreditado pelos bons serviros que sg
m tem Presta"-
O propnetario espera que ele g
continu a merecer aconfianca de
que sempre tem gozado.
Aluga-se o segundo andar (la sobrado
da ra do Imperador n. 79, do aluguel
an^ual de G0O50OO, o qual tem as salas e
a loo va da frente forradas a pape!, boa* esca-
dss com entrad i independenle, bastante
fresco e com encllenle vista nao so para a
mesma ra como para o caes de 22 de No-
vembro a tratar com Antonio Jos Rodri-
gues tc Souza na ra do Crespo n. 15.
:>"
GASA DA FORTUM
Aos12:0003000
3:0003000
9OOA0O0
5005000
Bilhetca garautldos.
A' RA DO CRESPO S. 23 E CASAS DO COSTUME
0 akaixoassignado vendeu aos seas muito feli-
ces oiihetes garantidos Ja lotera que se ac bou
de extrabir, a beneficio das familias dos volun-
tarios da patria, os seguintes premios :
-Y 629 dous meios com 12:000?.
N. 2844 doos quintos coin 5(>t>5.
N. 3768 dous quintos com 2005-
E outras rnuitas sortes de 1005, 405, e 205.
Ospossuidores podeni vir receber seu* respec-
tivos premios sernos descontosdas leisnaCasa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 8* parte da lotera
(42") beneficio das familias das voluntarios
da patria, que se exlrahir a 23 do coirenle.
PltECO.
Bilhetes.....125000
Meios......65000
Quintos.....25400
Pan as pessoas que comprareis ielOC500C
para cima.
Bilhetes.....111600
Meios......55500
utntos.....25200
______________Manoel MartinsFiuza.
Arreudase o engenho Sama Rita, ua trege
:ia do Cabo, distante tres leguas a N. 0. da eslacao
de Olinda, de muita produrcao, me com agua e
tem obras snfflcisotes, incluem-se no arrendamen-
to as safras pendentes : qutm pretender dirija-se
ao mesmo engenho.
aoiuel Pewer Johnsfen A Companhia
Ra da >enznla Nova n. 4.
AGENCIA DA
FundieSo de Low Hoor.
Machinas a vapor de A e G cavados.
Moendas e meias motndas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios d carro para nm e dnus cavallos.
Relogios de onn. patente inglez.
Arados americanos.
Ma< hinnf para descantear algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Esta para alngar-se o 1" atitiar < ljas
t do sobrad d. 44 a ra da Aurora : quera 1
::.:.: .1 os quizer dirija-ge a" la Nova ao Sr. Joo
li. do Ilepi', em sea armazeiu de fazendas
Ainda esta por aiugar una casa na illia do
Retiro, a qual tem commodos para familia, est ,
pineda, tem banhona porta e muito fresca, po-
dendo o pretndante examina la no mesmo lugar :
a Halar ruin 1.. M. R. Valeuga._________
Aluga-se o seguudo andar da ra das Cal
cadas n. 10 : a tratar na travessa de S. Jos n.22.
O Dr. Cosme de S Pereira conti- 3j
I na a residir na ra da Cruz n. 53, -jtp
1 1 e 2o andar, onde pode ser procu- m
S* redo para o exercicio e sua profis- Ij|
s.o medica, e com -especialidad-: H
-sjbre segulule
Io molestias dcolhos;
2o de peito: J|
|3 3o des orgaos geni- m
ii urinarios.
Era seu escriptor'G os doentes se-1
ro examina-dos na urdem de suas jg
I entradas coffiecando o trabalho pe- I
n Is doentes de olhos. ^1
Dar consultas toaos os das das B
I G as 10 da uianha, cienos nos do-
Dingos. m
Praticar toda e qualquer opera- M
8cc3o que q%et conveniente para o I
prompto restabelecwiiento dos seus S
m coentes. ^
m^-nm&mmmmmmmM
Precisa-se < ao-.c acr.t. de leite : na ra do
Prog-.esso n. 7.
mmmmmmmmmmmmmt
tentista de PernambucoJ
q Kua eslreila lo Rosario n. 3,
ao p da igreja
Ifencisco PfflTO ozobibJ
Clloca Icuos artilclaes |
pelos iysieiiium uiais iu- B
tferuos
Em(,rvga todos os meios scentificos pars 9
|i5 conserrar os natm aes. Pode er procura- m
SS do .:n. seu gabinete das f toras da ma- I
n-i.i. ai o da tarde. 1
O Sr. FcliBlo Jos de Almeida queira aooon-
riar a sua morada, on spparecer na ra larga do
Rosario n. 24, a Degocio de seu particular inte-
resse.
Tendo-se deseiwaminhado urna carta dosSrs. j
Salgado, Souza A; C, do Cear, datada em 6 do
correcle mez, cociendo tres conheciroentos a or-
dem, pelo embarque de 233 saccas de algodo a
boTdo da barca ingleza Belle Poulg, sendo um de
100 saccas marca S travesso C por baixo, oulro |
de 79 ditas SS e B por baixo, e o terceire de 54 di-
tas S travesso, os quaes foram remettidos por,
aquclles .entrares, com os respectivos endossos em
branco a Marques, Barros & C, desta prara : estes |
fazendo pobtico eslaoccorrencia previnem para que
ninguem begocle taes conhecimentos que Ihes [ier ,
teoc ni, e prolesiam desde j por qualquer abuse
que com os mesmos se tenha dado.
Recite, 19 de dezembro de 18G5.
Merques, Barros & C.
= Jos Antunes Guimaiaes faz cenle ao res-
peitavel corpo commercial desta pra^a, que dissol-
ven am.gavelraente a sociedade que tinha rom o
Sr. Guilherme Carneiro da Cunha na leja de a-!
leudas sita na ra Nova n. 2, a qual gyrava sob
a razao de Cuunares ^ Carneiro, ficaudo a cargo
do annuncianle e activa I passivo da uiesma firma,,
e exonerado de qoalqwr ci^npromisso reeoliaote
da mesma sociedade o socio Carneiro. Recife 19
de dezembro de 18o.
Prensa-se por aluguel dous escravos : na
ra da Cruz do Itecife n. 3.*i.________________ ;
Os abaixo assignados declaram ao publico i
e especialmente ao corpo do commercio, que des-
de o da 8 do frrente :>e ada dissolvida a socie-!
dade que liuham na taberna sita na ra keNa o.'
6, e que gyrava sob a rnzo social de Lopes Fer-
nandes & (',.: Meando a cargo >ie Antonio Joaquim
F^rnandes a' liquida^ao do actu e passivo da pre-
dicta liiroa. Mi-cife 14 de dezembro de 186o.
Victorino-Lo[ies da Costa.
Antonio Joaquim Fernandes.
Domingos Martins de Barros Monteiro.
Seleiros e correeiros
PECHLNCHO
Sola de lustre em perfeiio estado,
meio............205000
45-Bna Direlta45
Rival sem segundo
Ra do Queiuiado ns. 49 e 35, loja de
uiiudczas de (res portas, esl quei-
ui.inilo tudo bu ni e barato, quem qui-
zer verke admirar venham loja do
liiituliiilio.
Caixas de papel amizade, e sem ella liso e pactado
a 600 rs.
Crozas de bo'.Ses de louga praleados fazenda mo-
derna a 160 rs.
Duzias de penna de ac fazenda boa a 40 rs.
Peps de tranca de ia lisas e de todas cores a
40 rs.
Escovas flnissimas para limper dentes a 2W e
320 rs.
Pecas de tila de eos esireitas com 10 varas a
320 rs.
Caixas com clcheles francezes, superiores quali-
dades a 20 rs.
Tinteiros de barro, com superior tinta a 100 rs.
Pe;as de cordo para vestidos, fazenda boa a
20 rs.
Barallios muito finos para voltarete a 200 e
240 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos de macaca perula muito fino a 200 rs.
Frascos e garralinhas com agua de Colonia a
400 rs.
Frascos grandes com superior agua de Colonia a
640 rs.
Caixas com 12 frascos de cheiros muilo finos a
14(X.
Sabonetes pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
320 rs.
Duza de sabonetes pequeos com ctieiro a 700 rs.
Agua dentifice superior qualidadea 800 rs.
Caixas com superior p de arroz a 800 rs.
Frascos de superiores essencias santal e outros a
14200.
Frascos com essencias para tirar noduas de ronpa
aSOOrs.
Frascos com cheiros de lodos osprecos a 160, 200,
240 e 320.
Frascos bonitos com cheiros finos a 300 rs.
Diuia de meias muito finas para senhora a
45800.
Gollinhas muito finas para senhora a 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo para meninos a
160 rs.
Pecas de fita de laa para debrum de vestido, com
10 varas a 600 rs.
Ditas de bicos superiores, para acabar a 600 e
800 rs.
Pedras de lousa para meninos a 160 rs.
Bonicos de choro e panno a 160 rs.
Caixas com bonitas estampas para rap a 100 rs.
Capachos compridos, boa fazenda a 500 rs.
Grosas de bolocs pequeos pretos para calca a
100 rs.
varas de cordao de esparlilho a 20 rs.
Novellos francezes com 20 ardas a 40 rs.
Pegas de tiras bordadas a 640.
Duzias de meias cruas muite fortes e superiores a
35500.__________________________
NtfMaie.
Chegaram os bonitos chales e retondas de guipu-
re branco, e vendem-se na ra da Imperalriz n.
52, loja da pnrt? larga, de Paredes Porto._______
Vndese os pertences de urna padaria tudo
em Tii estado : a ruada Conceico o. 34.g
Manaa/ do Cidudo
Vende-se u Manual do Cidadao em um
Governo Representativo ou principios de
Direito Publico Constitucional Administra-
tivo e das Gentes, por Silvestre Pinheiro
Ferreira, em 3 volum.es broxurados por 3$
cada obra : na livraria n. 8 da prara da
Independ, ncia.
Outros objecoo.
Vindos tamben) para a antiga loja de1
miudezas ra do Queimado n. 16.
Sapatinhos deselim branco bordados pa-
ra baptisados.
Outros de merino tambera bordados e
igualmente bonitos.
Meias de seda, correspondente do tama-
nho dos sapatinhos.
Outras raui linas de o da Escossia e
! brancas lislradas.
Luvas finas de fio da Escossia brancas e
de cores.
Ditas de seda para senhoras.
Ligas de dita paia senhoras e meninas.
Pentes de tartaruga raui foites para des-1
i emba arar.
Carriteis com retroz preto e outras cores.
Carteiras com agulhas.
Aguihas francezas, as afamadas.
Caixinhas com allinetes brancos e pretos.
Haspasde baleia para vestidos.
Fitas de linho proprias para ditos.

Novidades do Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Este estabelecimento apezsr de sempre
se adiar bem sortido como todos sabem,
hoie mais que nunca, n3o s pelo que rece-
srsrjsn se?*** be dc su? i)i''""ia ss ?as izc
que recebe de consignares; parece sem
duvida que deve oll'erecer grandes vanta-
' le ac 8ens Para o respeitavel publico tanto em
domadas, madreperola e
taruga
para crochets.
Trancellim de bonacha
Bonitas flvellas fraudes de aeo,
tar- PreCs como na escoma dos objectos, e co-
mo acaba de chegar grande remessa pelo
aToJ*T miudezas ra do Queimado japor Douro e o navio Solferino de
. 16, receben um bonito sortimento dc diversos objectos de gosto e proprps do
fivellas grandes para cintos, sendo de ac, tempo dos quaes so mencmrarao alguns,
douradas. madrenerola e tartaruga, as auaes Por nao ser possivel mencionar todos. O
dono deste cstabelecimtn'o espera a pro-
n.
douradas, madreperola e tartaruga, asquae
tao sendo vendidas em dita loja por pre-
sos commodos ; assim como boas e bonitas
lilas de gorgoro achamalotado, proprias pa-
ra ditas fi\ellas.
Oculos dc pendra e de outras
qualldades, para quem soffre
da vista.
tecrao de lodos.
Riqnissimas caixin!
tas ornadas e com
Pechiiieba
Para a fesla.
Va ra (Is Cimes 11. 3U. loja da i ons-
eiciuia.
Vende se um grami.; sonimento de calcados de
todas >-i|uaiidades ulunamente rhegadts, asstcn
romo b rraclia pelo diminolo preco, '-liegurm fre-
guezes a vista faz le.
Nos pes seaniniirfm
lia rato o prn;o
Ciuyuem fregaeiea
Abaixover-se.
Borzeguins do lastrs a Milie para homem 7:3500
Ditos de btrerro diio dito 75000
D1U1S e.lusire e bezerro para mi uino 65000
Botinas para senhoras e meninas 35000
Itoi radia a vara 500
Grande sorlimenlo de chagrn e de cordavo.
musita propria para um delirado mimo.
Caixinhas de msica lano deveio como
de corda. 1
Ilicos porta joias e necessarios.
A'loja de miudezas ra do Queimado quissimosestjos a o.t.o de um bausi-
o. 16, tambera recebeu oculos de penetra nhovou chapeuztnho.
com vidros claros e escuros, para quem sof- P'los em d.e noz flle.out' f JJfJ;
(re da vista, assim como outros de armaco LeW ()c madeperola dc sndalo e de
de ac, sonidos em graos. : lai'e maae"a- .
coreas e tercos dc cornalina.; OttpoDhw e touquinhas de muito
A antiga loja de miudezas a' ra do gosto para en
Queimado n. 16, recebeu mui bonitas co-
roas e tercos de cornalina, os quaes esto
a disposico dos bons christaos que os qui-,
zeremPcoraprar em dita loja: \m roa'do IgJ. Iriwkta
Queimado n. 16. para casamento.
Meias e sapatinhos de seda para as mes-
mas.
Mtiasde seda para senhoras.
esponjas flnas grandes e pe-
queas.
Vende-se na ra do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
A iniiua loja dc miinitzas pa ra do
Queimado d. 1G, acaba dc receticr :
Novas e bonitas guarnieres prctas para vestidos e
soutembarrjues.
Bicos de seda brancos e pretos com vidrilhos, e enienar tliapeos.
Enfeites e capellas de muilo goslo para
seuhora.
Riquissimos pona boquets.
Boquet de flores com una borracbinha
com cheiro.
Luvas verdadeiras de Jovin.
Ditas de seda e de Escocia.
Riquissimas plumas e guarnicoes para
ec
e vais pee hincha
PIWHII
Tabeas americanas com palmo e roem de largu-
ra, coan pequeo loque de avaria, a SO rs. o pe ".
no caes 22 de novtmbro o. 24, aroiatem de Paulo
Jos Gomes & Mayer.

O Dr. Carolino Fraoei&io de Lima San-
: js contiuiLa a morar oa ra ds Impera-
dor n. 17, segundo andar, lendo alias seu
{^Jnete de consultas medicas logo ao
.ealrar, no pcimeiro.
.s,uJi) tanto das operacoe como as mo-
I.-,,.-, interna*, prestase a qualquer cha-
maos, quer psra dentro quer para fra
d2 .ii'ie.
m
Ahiga-se
nma excelleaie asa terrea no P090 da Pacolla jun-
to ao obrado io paleo da matriz, fresca com
ifcons commodoe : a tratar na ra do lustrador
e. 83, primeifo andar._____________________
Ama para casa
PMelsaVM alugar urna ama para todo servieo de
ums casa : na beeco das Botas n. 2, primeir
andar.
AMA
Procisa-se de urna ama forra ou captiva para
comprar cozinhar para eaa de pouca familia :
oa ra da Concordia n. 34, sobrado to armazem
o sol.________^______________ _
- Precisare de urna ama de leite forra ou es|
erava : no largo do Terco n. 30.
Tendo regressado do seu itinerario o meo
aniado Antonio Cyrillo Dutra, deve advenir aos
meus conhecidos e amigos que podem, como d'ao-
tes, a prestarem-lhe a sua confianca,
Joo Baplista do Espirito Santo.
Pergunta innocente.
Deseja se sab-r a qual dos dous partido? polti-
cos periencem os senhores que esto as duas cha-
pas Progressista e Genuinacom especiaiidade o
Sr. Dr. Jus Eustaquio Ferreira e Jacobina Es-
pera-se qoe o mesmo seohor doulor Re sirva res-
ponder para pGer votar sem illuso.
Um eleitor da Muribeca.
' Alugam-se o Io e 2 andares do obrado n.
27 4a f Direita j a tratar ua ra Augura n. 9,
Attm Pede se a pessoa que arhou urna gambada di-
chaves eoliadas em uma areola de ac, que faga o
favor de entregar na rua Nova, luja de ferragens
a. 31, qoe sera' recompensada.______________
"Modas.
Madama R. Adour acaba de receber pelo
ultimo vapor chapeos de visita para senho-
ra, romeiras de guipare preta, rotonda de
guipu e verdadeira, camisinhas bordadas e
mais outros enfeites pertencentes a senho-
ra, tudo do mais apurado gosto: vende-se
na rua do Imperador n. 48, primeir an-
dar, casa de modista franceza._______
Precisa-se de urna ama para casa de
pouca familia : na rua Nova primeir andar
n. 59,

G0MP1AS.
Ceblas a 500 rs. o ceuto.
Na rua da Madre de Deis n- 0.____________
P.-DTias de ema de imito superior qnalulade;:
vende-se na rua do Vgario n. 24, Io aodaj, es-
rriptoro*
r.'iidpm-se superiores presuntos de Weslptia-
lia, chegados no ultimo vapor: na rua do Trapi-
che a.% ____________
Vende-se um cavalle rugo pedrea com 7 pal-
mo* di altura muito bom de cabriole! : na rua da
SolediKte n. 19.___________________
Cal de Lisboa
Vende-se a 55 o barril : na rua do Brum n. C6,
armazem de assucar.
As Pilulas Catharticas
DE A.YEH.
Silvino Guilherme de Barros'.compra een-
de effcctivamente escravos de ambos os sexes :
rua do Imperador n. 79, terceiro andar._______
-Compra-se ouro, prata e pedras preciocas,
em Ou.'is velhas : na rua da Cadeia do Recife,
cja de oorives no treo da Conneigo.
Ouro e prata.
Em obras velhas : conipra-se na praca da n
dependeneio n. 22, loja de bimetes.
Ka^pa-iuundi-pUifli^lierico.
Xa rua do Livramento n. 19 compra se um map-
pa-plaoispi>erico.
Compra se carosso (sement) de algodao : no
armazem de algodo de Saunders Brothers & C,
no caes de Apollo.
YENDAS.
POLHINflAS!
PARA 1866.
Acabam de sahir luz as folhinhas de'
algibeira e de porta para o anno de 1866, 0
mais correctas possivel tanto no calcuredas
las e eclipses, como as diversas fesiasj
que a greja celebra; vendem-se unicaraen-
te na livraria da praca da Independencia, '
160 ris as de porta e 320 ris as de algi-i
beira.
0 OIE H4 DE MKLIIOR
a 5^'0o.
E sao poueos.
Chapeos francezes de muito bonitas formas a
55: na rua dos Quarteis n, 32, junto a loja de fu.
oiic.ru.
O purgante mmit tfecax mU hoje conhecida.
Estas pilulas sao puramente reg-
itaet, nao tendo ns sua oompo-
6C0 nem nwrcurio nem outro
ingrediente mineral ; eo inno-
centes p;ir:i as criancas e pessoas
mais delicadas, ao mesmo tempo
que, coiuimstas como sao de vegi-
taes mui rortes, sao bastante acti-
vas e licazes para as pessoae mais -
robustas.
Estas pilulas cutliurUcas purgao e purilico todo systema
humano sem mercurio.
Nao se tem poupado traballio nem despeza para levar estas
pilulas a um grao de perifeoeo tal, que nada deixu a desejar;
sao o resultado de unnos de estudos laboriosos c constautes.
Para alcancar todas ns vantagens que resnlto de uso de entliar-
ticos, tem-se combinado soinente as virtudes curativa* dad
plantas que sao tmpregadas na conioceio das pilulas. Sua
composi^ao tal que as cureruiidades que esto ao alcance
de sua nc$ao, raras vetes podem resistilas on evadi las.
Suas propriedades penetrantes exploro penetro, purilico e
dao vigor todas as partas de organismo humano; pois corrigem
a sua aeco viciada e faz recuperrur a sua vitalidade. L'ma das
consequeneias dibu propriedades que o doente, abatido dc
dr e debilidade pliy.ica, admirase de encontrar, tio depressa,
sua Nade e euergia recuperadas por meio d' um remedio tio
simples e agradavel.
As molestias que esto ao seo alcance sao.
J'ri-o ilc veiUre Uheuiiuitiamo, Dr da cubera, A Kivralgia,
Eiixaqueca, Jiuliaesto e mal do utomago, Ilemorrhoutas,
PADECIMEHT08 DO HGADO,
febre gatro-hepatica, GastrUe, affecj;0e Biliosas Loinbrigas,
ErysiKla, Hyilropsia, surdez, ceguira Mtrcial, e l'aralysia.
Ko uhnanak c Manual dc Saudc do Ur. Ayer, que se publica
todos os anuos para distribuico gratutu, encoutra-se um tra-
tado sobre as diversas doencas que estao ao alcance de
REMEDIOS PBQANTES.
Aefct-sc em todas as Boticos e Drogaras do Imperio.
difTeieules larguras.
Trancas pretas com vidrilhos.
Casearrilhas de seda de diversas cores e moldes
novos ; unir; s enfeitadas com bicos de seda.
Babadinhos de seda.
Trangs branca., de seda para enfeites.
Bonitas fitas brancas lisas e lavradas ; outras de
cores lambem lisas e lavradas ; outras achamalo-
tadas para cintos, largas.
Fivelas grandes de ago, douradas, madreperola e
1 tartaruga.
Bonitas ligas de seda para senhoras.
Leques de sndalo ooulras qualidades.
Lind s o delicados enfeiles para bai-
les e passeios.
A antiga loja de miudezas na roa do Queimado
ii. 16, recebeu novos e lindos enfeites para bailes
e passeios, lodos de muilo gosto e inteiramente no-
vos, variando o prego dellet conforme a superiori-
dade : os pretendentes os acharo em dita loja, na
rua do Queimado n. 16.
inas capellas para noivase
menin; s.
Acham-se venda na rua do Queimado. loja de
miudezas n. 16.
No ni tas loiiqinuliiis
de fil e cambraia, bordadas e enfeitadas : ven-
dem-se na rua do Queimado, loj de miudezas nu-
mero 16.
Lonetos de dous vidros com aro de ac, bfalo
e tartaruga.
A loja de miudezas, rua do Queimado
n. 16, recebeu um bello sortimento de l-
elos e oculos de vidros com armaro fina de
ac, bfalo e tartaruga, e os esta vendendo
por precos razoaveis : os pret ndentes diri-
jam-se a esta leja na rua do Queimado n. 46.
VPECHYCII\H
53Rua Direita53
Salitre refinado muilo Gno a 5300 em barrica,
lona muito larga propria para encerado de barca-
ga e camas de vento 15 a vara, camas de vento a
55, e de encommenda lona do reino com taxas de
cobre a 75.j(l0, espingardas dous canos multo finas
a 2o>, 3o, 45jS e 605. facas e garios cabo de viado
35300, balangas linas 55, pentes e enfeites para
senboras tudo de bom gu.-iu modernos, bandejas
I finas, tudo pelo barato prego que s com a vista se
podera ver.
Cotilas e lubos de ac tranco, que ha
muilo se desejava para enfeiles.
Brincos, fivellas e cruzes de cryslal.
Fivellas e cruzes de tartaruga, madripe-
rola e dourados.
Alfineles par;; grvalas.
Botes com croas pura punhosi
Gravatinhas e mantinhas dc muilo gosto,
tanto para homem como para senhora.
Riquissimos aderecos pretos, assim como
caixinhas com a fileles proios.
Bengallas de canna com cabo de marfil.
Ditas de baleia, borracha e de outras
muilas qualidades, assim como chicotinhos.
Riquissimos peales de tartaruga do ulti-
mo gosto; assim como dc arregaco para
menina, pois neste artigo ha um'completo
sortimento de todas as qualidades.
Diademas para cabeca do ultimo gosto.
Riquissimas filas lavradas e lizas.
Trancas pretas com vidrilho e decores.
Pulseiras tanto para senhora como para
meninas.
Ligas de seda e de algodo.
Suspensorios de seda e de algodo emui-
tos outros objectos que se nao podem an-
nunciar por nao se lomar enfadonbo.
S no Gallo Vigilante rua do Crespo n. 7.
Na praca do commercio n. 4, escriptorio de
Jos Maria Palmeira, vende-se :
Cerveja Bass, verdadeira em botijas, chegada
recentemente. no navio inglez Anne Kay.
Biscouto inglez muito fino.
Bolachinha hamburgueza nova cuja qualidade
ja aqu nao vem ha talvez 2 annos.
Chales de renda
Paredes Porto, na rua da Imperalriz n. 52, porta
larga, vende chales de renda de cores com peque-
o toque de mofo, a 35500 e h>, fazenda de 10JJ
e_l_25000._______________________________
Breu em barricas pequecas.
Cera em velas de todos os umauhos.
Bngias.
Mercarlo.
Na rua do ngario n. 19, primeir andar.
Machinas de descarocar al-
Loj
godao.
No caes d'Apollo, armazem de Tasso Irmlos.
Toinada de Paysandu' e Montevideo.
Com este Ululo acaba de chegar de Paris uma
linda phaniasia militar para piano, composla por
um dos melhores compositores, acba-se a venda a
25 cada exeinplar : na luja franceza da rua N va
o. 11.
MISIC
O Peitoral de Cereja
I>E AYER,
TABA A PBOMPTA CURA DA
Angina, de Conatipafes, Toases, Bouquido Influ-
enza. Brouchito, Tisica primaria, Tubrculos
pulmonares, o todas as molestias do
Pcito, assim como para aliviar
os tnicos declarados.
As preparantes do Dr. Ayer sao rendidas naa priucipftci
drogara! e boticas do Imperio.
Vende-se em Fernambuco:
na
Vende-se um baixo de .-ibemul, em bom estado,
. por 335, tendo Bastado a l.em pouco lempo 755, e
acha-se na rua da Cadeia, loja de leiloes n. 53.
Queijos do serlo
Ven le se superior qneijo do sertao : na rua da
Madre de Deo, armazem junto a igreja.
Vende se o bilhar n. 39 na ma da Impera-
tri', bm afiepuezad-i, e por coinmodo precc, o
, qual vende-re porque o dono tem de ir residir f-
ra da cidade : quem o preleuder dirija se a rua
dd Arago, rasa n. 14.
Cal de Lisboa
Na rna do Vgario n. 19, I* andar.
Brides de Ipojuca
da boa fe na rua da Iinperatriz
d. 94.
Vendem e colheres de meial principe para cha'
a 25 a duzia.
unas para sopa a &5-000.
Paras e trarfos de cabo de halando de dous bo-
tes a C5300 a duzia.
Ditas de um botSo a 55500.
Ditas de cabos cravados, preas e brancas a 35
a duzia.
Calza com 50 nvelos de linha de gaz a 700 rs.
Tesouras finas para costura a 300 e 50(1 rs., e a
15OO0.
Besrna de papel almaco a 25600.
Dito prev muito bom a 3.5200.
Baralhj de cartas francezas para vollarete a 240
e 280 rs.
Jogo de vispora a 500 e 800 rs.
Enfeiles para cabeca o mais moderno que ha a
25OOO.
Pt-ntes muilo finos com cosa de metal para
pennar a 500 rs.
Meias cruas para liumem muito encorpadas a
210 rs.
Abotoadura de cryslal para collele a 500 e i.
fitas de coz com 10 varas, de um dedo e meio
de largura a 140 rs. a pega.
Liga para atar meias a 100 rs. o par.
Pares de suspensorios a KiO e 210 rs.
Gra* alas de seda preas e de cores a 500 rs.
Hicas golinhas com punhos para senhora a 15-
Luvas de lio de Esencia, de cores, para homem
a 320 rs. o par.
Carreteis de linha de Alexandre de n. 80 a 200
a 100 rs.
Gaita de borracha para brinquedo de menino a
100 rs.
Caixas rom colchetes muito bons a 40 e 60 rs.
Ditas com lamparinas para 3 mezes a 40 rs.
Dilascorn obreias muito boas a 40 rs.
Fivelas grandes para cintos de diversas qualida-
des, lilas para rintos, ditas de velludo, trancas de
cores lisas e de caracul, bicos e rendas, volias de
aljofares, ditas pretas a balito, e um completo sor-
timento de miudezas que ee esta' liquidando a di-
nheiro.
CHILES "
Grande pechlncha.
No rua da Imperatriz n. 52 pona larga de Pare-
des Porto, venife-se chales de merino eslampados a
25 e 2?500 e linos 55, estao-se acabando.
Bordados.
Chegrm a loja de Pan des Porto, rua da Impera-
lriz n. 5:2, uru sortimento de cammnhas, gullinhas,
carpianos, romeiras e siotos, de cambraia branca,
pelo barato preco de 25500, 3*500 e 45, gollinhas
500 rs., romeiras a 800 e siotos a 800 rs, grande
qoanlidade de enlremeios a 600 e 800 rs. a peca,
estao se acabando.
F relio.
Vrnde-se superior farello de Lisboa : no arma-
zem alliauca, rua do Imperador n. 57.
ENCICLOPDICA
59 l&na da Imperatriz armazem
da porta larga ~<\'-t
Simio a padaria fradeeza de
Paredes Porto.
Neste estabelecimento encontrara o r speisve!
publico um variado sortimento de fazendas fraoee-
tas, ingletas, snlssas e alientes, que se venderlo
por preco commodo.
Paredes Porlo
Vende chales de r- oda de ei res qn ?e v 1 de-
ram a 1? esl vendendo por (.. l -, a-
zenda nova, 55,65, 85 a 205, un i.eni r-
pleto de ii nileles, rapas e soutan ::.! .'.. a
155-Kna i'a Impe 11 d 12, junto a p ..:.-
ceza, armtzem da pona larga.
Paredes Parto
Ren-bei um completo sortimt-nto de laa-inhas a
240, e 280 rs. covados, para acabar, can l\ ;
cor a 2I0 rs. o eovado, riscado escost-ei pararto-
pa de menino, fnslao de nnho a 420, 400 i.-.
Roa iia lii'; eratrii n. iii juui 1 a ; ii n :-..
ni azem oa porta larga.
Paredes Puno
Receben para cortinados para rama fi nr 1 1
115 a (.>.. cambraia lisa Ba ; 35 i a
peen, rorles de larlatana de bonito; g .tu.-a
i 45, can-braia com l". de ->' in ira
mente novos a 400 e 500 r. o rovari re rn '
da [ 1 na larga n. 52, rua da Imperatriz junto a .a
dara Irai.i eza.
Paredes Torio
Receben relonliimo paquete nm son
crui es cm pi i\r:.> \ ara 1 pi so 51. b-.n 1-
de laa para pescte de senhora. Rua da impe triz
n. 52, armazem da porta larga.
Pande* Porlo
Vende cortes di gorgurao prel parav -llcocoin
21 r. vadi s cada um 355000, grsdenapl pr'o a
15600, 15800 e 35 o c, irado, las lizas finas 100
rs. o covado, lias de quadrinho para vesli lo, el 'es-
tada, a 320 rs. o tovado. iua da lu.peralri* 1,. -'_
armazem da porta larga.
lulipa frita
Rua da Imperatriz n. 52 armazem d.: porta lar-
ga junio a padaria franeza, enconira ?.: n-.-i es-
labeleclmento nm completo sortin.enl 1 "?-
saceos e sobrecasaecs, de ledas a. qualn ade., ral-
gas, coltetes, ceroulas, camisas, grvalas, mtias.
chapeos .'e sol, ditos francezes para c : ;a, por
presos commodos, roopa para menino ''.ira-.
mmtas fazendas por precos commodos, armazem
da porta larga.
o mesmo estabelecimento encontrar o respei-
tavel publico, sempre um completo sorlio.eitu de
roo fas filias de lodas as qnalidades, con u s-ji-m
pah ios de alpaca preta e de edr,ditos pobrecasa-
cos a v e 55, di 1 is de 1-rim pari 25800, 35e
3J1SO0, ditos finos a 45. ditos meias razerrira a
35500, 45 e 55, ditos cazemira-. pro* a ,'-'>. 75. K
e 11;'", din s sobrecasacos a 10 e l-5. din de an-
no saceos a 65, 85 e 105, ditos sobn .a-e a !5
e 255, diti s de merino preto a 65, "5 105, ca-
cas de brim de diversas qualidades a 15800 1 15,
dito? brancos a 25500 e 6500, (tilos cazen iia 55,
65 e 75, ditos pretos a 55, 65, ^ e 105. ditos
meias cazeroiras a 35 < 45, de -as
qnalidades, seroolas francezas o< lao, o de
linho, dilasde bramante a 25 e 2-' 1' rmiz de
algodo de linho francfzas de 25500 Grau-
de i eriiineha nesie genero, grvalas i ..-as
qualidades e brancas paia casamento, gr,,..- -or-
1 timenlo de meias para senhoras, ditas para homens
I a 35, superiores a 35500 e .
l'm completo sortimento de ehat .-
alpaca a 35, ditos de seda a 5, ~,-j, '.
ditos francezes para cab ja, gran
a 05-
Pechincha aiimiravpl.
Grande sortimento de chambres a 5600 e 5c.
I lencos de cambraia para homem a 25 a duzia, di-
I los de linho a 45 e 55.
Grande soi lmenlo de rcipa para meninos e rt-
! tras militas qualidades que siria enfadorjlo mrn-
I clona-las.
Fazendas.
Vende-se superior merino preto proprio para ca-
; pa> de senhora e vestidos a 25, Inslrlm da China
I a 15800 o covado. Rua da Imperalriz. pena iarga.
Paredes Porto.
Vende em seu estabelecimento tiras e entr-rr.eios
j bordados, grande sortimento de rorpinhos rica-
mente bordados a 35, 45 e 55. S o Pandes 'or-
to, rua da Imperatriz no 52; porta larga junto a
padaria franceza.
Paredes Porto
Recebeu pelo ultimo paquete francez rica- ir.?
granadinas com flores de seda a 100 e 500 rs. c
covado. estao acabando-se, cambraia prela para
luto. Porta larga unto a padaria franceza, a rua
da Imperatriz n. 52.
Paredes Porto
Vende um completo sortimento de fazendas
brancas, crino ejam madacolo a 45500, 55. 65 e
10?, pecas de algodo por barato preco,chita fran-
ceza a 240, 280. 320. 360 rs. o covado, precalias
muilo linas a 360, 400 rs. o covado, rhita inglesa
a200e240rs. o covado. Rua da Imperainz d
52, junio a padaria franceza.
Paredes Porto
Recebeu pelo ultim paquete espartilhos a pre-
guicoso por 3?, sao hus, lencos de seda par se-
nhora e homem a |j>, ricos cortes de cambraia
bordados de 18$ a 7?, por tt-r nm t. que de moto,
e.-t."io se acabando, na rua da Imperalriz n. 52. jun-
io a padaria franceza.
Vende-se um mulaiiulio de 16 a 17 snnos,
propyo para pagem por ser muilo bonito 1- de boa
con-Jucia : na rua do imperador 11. 45, terciiro
andar.
di
li,
i! :iiintp
le sol
t i
Grande bazar.
s)*
PHARMACIE FRANQAISE
DEP.MAURER&C5
RUANO VA NIH
Nesie grande estabelecimento tem chega-
, do ultimaiLenle dos Estados-Unidos uma
1 Vendem na rua do Queimado n. 32, Azevedo & > u
lrrao v 1 vanedade de cadeiras para homem e pro-
- Novas camas de ferro de elegantes modelos Prias Para senhora e Crianga de todos OS
chammeis e globos para gaz, lapidados e esmalta-: tamaitos e outros riquissimos artigos que
dos de cores, a prego commodo : no armazem da por gosto se pode comprar, tudo por pre^O
exposicao de Londres rua da Cadeia do Recife nu-
mero o. 60. _________- -______
Vende-se uma negra moga perita engomma-
deira. cosinheira, doceira e boa l4vaeira, e uma
muala de 20 annos que cosinha o lijarlo, epsaboa
6 f-oje : na roa da Imperalriz n. 2,
muito commodo : na rua Nova ns. 20 e 22
Luvas de Jouvin.
A loja de miudezas na rua do Queima-
do n. 16, resebeu-as por osto ultimo vapor,
Aos tabaquistas
Vende-se as apreciaveiacaixas para tabaco, l.em
feitas, obra fabricada no Aracaty. poi n uilo barato
preco, para acabar ; na rua da Cadeia (Recife) r
7, loja.____
Piano forte,
Acaba de chegar de Pars um lindo e ei. gante
piano f-rte de 3 cordas e 7 oilavos, viudo para
amostra e o mais moderno que aqu itm vindo a:
boje: qualquer pessoa que queira possuir e-ie
bom Instrumento o qual se vende por barato pre-
go, dirija se a loja franceza da rua Nova n. II.
Na rua do Vgario 11. 24 primeir andar, ha
para vender-fe um preto muilo bom earreiru *
deslillador, tendo alm disso mnita pratica de
lavoura e boa conducta.
Lages para calendas
Chegou grande quantidade de !ags para cal-
das e ladrilhos, vindas da ilha de S. Miguel: quem
pretender comprar, dirija-se a rua do lm| erj-dor
0. 26,a fallar com Jlo Maiia Corddro Lit:-, ou
na rna de Apollo n. 4 rom o 8r. .1 ".. do llego
Lima.
Vende-se urna mobilia de aniarello ja usada:
na rua estreifa do Rosario n. 17, 2o andor.
Para a fez!a
Azeitonas novas a 15^80 a ancorla e 320 a war-
rafa, farinha do reino a 140 a libra, loin-inho a 400
rs., banha a 640, manleiga inglesa a 15, cha a in-
do a 25600, caf a 260, queijos a 35, vinho da Li--
boa a 360 a garrafa, e 25600 a caada, Ptgoeira
puro a 480 a garrafa e 35800 a caada, gaz <\ o-
do a 135 a lata e 560 a garrafa : no armazem da
Estrella, largo do Paraizo n. 14.
*
i
a


DSar de Pernambncc Quinta fera ti de Dezembro dei$*.
A' casa de Augusto Porto chegaram pelo vapor francez ricos cortes de
vestidos de seda de cores dos mais bellos gostos, proprios para bailes,
partidas ou casamenlos.
Cuales de Guipure pretos e brancos.
Bouets de pallia da Italia para senkoras.
Moir branco e preto.
Bonita seda para vestidos,
Casemiras de quadros.
Esteiras da India para salas.
Madapol5es francezes a 400 e 500 rs, a vara,
Lilas para vestidos de diversas qualidades, e
gostos diffreentes,
Q que tudo se vende pelos mais commodos piceos.
&w
CORTES HE E1
Chegaram pelo paquete toglez riquissiraos cortes de moreautitjue de cores, e seda lavrada pa-
roes ok'iramenle novos.
Seda de quadros por 1#000 o covado
5-RUfl DO CRESPO -5
Gregorio Pae do A mar I Companhla.
Para vestidos de senhora.
Cortes de seda de cor de bom gosto e superior qualidade.
%p Luid is sedas de quadrinhos.
l/.L B'ins inoireantiques de cores.
liin l.-naples d.i todas as cores.
Ln os poil d chevre fazenda assetinada de inteira nrvidade.
Lindas duquezas assetitiadas fazenda inteiramenle nova.
L Modernos grenadines de seda o que tem vindo de mais novo.
Grande variedade de laas de cores lisas e de salpicas.
f/-) Orsrandys e casas de muito bnrn go>to.
< : Pen ilias modernas com grande variedade.
Lindos .orles de 13a Clotilde com todos os pertences cada um em seu car-^
sf^tii i n lluramente novo. i
Bons cortes de ca*sa con barra t.imbm intciranunte novos e outras muitas
flbfazendas de gosto quesera enfidonln mencionar.
Para hombros desmhn-a
' Grande variedade de chales, boarnoax, retondes e algeriennes de fil e de.
guipare a !0, 16, 20, 30, 40, (50 al 805- '
Mod irnos soulembu jues de seda de superior qualidade.
Lmd-H bertes de seda -le cor pretos e de cachemira.
" dem de cambraU branca birdula com muito gosto.
Sautembarqnes ehourmux de cac'imira de cor e outros muitos artigos derij
-to. O
Para cabeca de senhora C
Sap riores chapelinas de palha, de seda e de crina de muito bom gosto a im-^
tfy p*ratrU.
Chapeos de pilha da Italia grande variedade. \
is gorros e bonete de palha de Italia, Imperatriz, Canutier, Clotilde
e i Crante, chegados de Pars pe'o ultimo vapor.
Grande variedade de enfeites derroco e de llores para casamento.
s m riores vestidos de blonle. e de moireantiqae brancos.
Bons m lireantiqnes brancis e superiores sedas brancas.
it vestidos de ta-latana branco bordados.
Lindas mantas de bbnde e boas capellas.
Bordados.
Gr mde variedade de ntremelos bordados transparente e tapados.
i. as bordadas transparentes e tapadas, babados bordados, saias bordadas e j
outros muitos artigos.

A
L.

mu* sus ooiiiTjniJJi
DE ANTONIO CORREU DE VAS ONCELLOS & C.
RA OO CRESPO f. 13
s? ~is &y ^ ***"
A LEGTIMA
>3
Bichas de Hamburgo
todos os paquetes da Europa se recebe 1
fie-tas amigas do sangue humano c se '?
vendem a troco de peuco lucro s am j
de tt-r sompre coasa ova : a loja de bar- j|
heiro ra estreita do Rosario n. 3, ao p
da igreja.
m
PBEPABifiA HICAMENTE TOE
LAX1AX S Km?,
. NOVA YORK.
Conioosta de substancias, gozando das
pr i i:i: 11 les eminente nenie depurativas :
approva h pelas juntase academias de me-
dicina ; usada nos principaes hospitaes, ci-
vis militares e da marinha as Antilhas e
n" continente americano; receitada pelos
fai rltativosos mais distinctos do imperio do
Brasil e da A.nenca hespanhol
CUSA RADICALMENTE
escrophnlas, rlieiunatismo, escorbuto, en-
fermiriades venreas e mercuriaes. cbagas
antigs, tnn phea e todas as molestias pro-
i uientesd'um estado vicioso do saDgue.
Emqnanto existem varias inaitacoes e
falsiticacoos. preciso a maior cautela para
evitar os engaos,
Deposito \.ti em casa de Caros & Barbozi
i
n
m
^mams
COlarcs Royer on colares ano-
dinos
para facilitar a dentico das mangas e preserva-
las das convulsSes.
O feliz resoltado obtido immensas vezes pela
prodigiosa forca magntica dos colares Royer, nos
casos de convulsoes, e dentico das enanca*, tem
altamente elevado o seu bem merecido prestigio,
e hoje ja se pode dizer que estao geralmente con-
ceituados, e estimados de inoumeravuis pas de
familias : de uns porque do uso desses salutares
colares viram salvos do perigo seus charos fllhi-
nhos e de outros porque colheram daquelles tio
proficuo exemplo para igualmenie preservar os
sens. Asim, pol, a aguia branca, teodo em vis-
tas a ulilidade eproveit desses prodigiosos cola-
res anodinos ou Royer, raandju vir o nevo sorli-
meoto que agora receben., e continuar a recbe-
los para que em lempo algutn a falla delles possa
ser funesta zo< pas de familia, os quaes flearo
certos de os achar constantemente na ra do Qaei-
mado, loja d'aguia branca n. 8.
4a
avana do
Francez barrica ; ril..iid dem Em perfeito estado: Franrpz barrica Pnrtland dem 5,0000 8*500 loaooo 125000
" armazem da Tasso Irmaos caes do'Apollo.
Gaz idro^eneo priraeira
qualidade *
Na ra No-a ns. 20 e 22. no grande ba-
sar dt Carneiro Vianna.
Vendem-se duas escravas recolhidas, de ida-
de 23 a 21 anns, excellente conducta, engommam
perfeitamente e fazem todo o servido de urna casa :
na travessa do Carmo n. 1.
Vendem se quatro burras mulo mansas, boas
de carga e de seda, por prego commodo : a tratar
no hotel de Franca.
Machinas pura descarocar
algodao.
De novo modello : na ra Nova n. 20,
no grande bazar de Antonio Duarte Carnei-
ro Vianna._____________
a ra do Vigario n. 21, primeiro andar,
vende-se o seguinle ;
Caf lavado do Rio do mais superior que tem
ViBda ao mercado.
flomma de mandioca siperior em saceos.
Esteiras de palha dr carnauba muito grandes e
novas.
Cabecadas enrn duss redeas a ingleza, mana-
factura nacional da provincia do Cear, as qnaes
pela elegancia e hemf-iioria da obra, cunvidam os
amadures da bella montana a arreiarem seas ca-
vados com elegancia, sendo que, em cnns>queneia
da modicidadt) do prego nioguem deixara' de
comprar.
(i.nimia de milho brancoanicricano.
E-la preciosa fcula, cuja< proprie^lades medi-
cin^es a imprensa europea tanto, tem exaltado pa-
ra a ci-.ra das mnle-ths do peit>, recommenda-se
tamhem enmo alimento sadio e nutritivo para as
ereanCMS presiand'i-se a variados pr> paros culina-
rios. A ger^l ac-ilaco que ella |em obtido por
leda a |iane, o seu maior elgio. Deposito em
Prrnaii'hnco rna da Cadeia n. I.
Vende-se nmcameme a relalho na ra do Impe-
rador n. 57, armazem allianja.
AO RESPEITAVEL PUBLICO
A tabella abaixo publicada serve de base de precos,
tanto deste armazem como do armazem progressivo pa-
teo do Carmo n. 9, principal armazem ra do Impera-
dor n. 40.
Fazem setente ao respeitavel publico, e cora especialidade aos senhores de en-
genhos, lavradores e mais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
oeraram os propietarios dos tres grandes annazens, reunir todo os seus estabeleci-
auentos em um s annuncio, pelo qual o preco de um ser de todos, promane-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os gneros
por um preco, e na occasio da compra quererem por outre, como socede coi i-s tan te-
men te em outras muitas casas, purera nos nossos estabelecimentos nao se dar isto
ainda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
sero tara em servidos como viessem pessoalraenle fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remettendo nos urna conta
pela qual se ver os precos tal qual annunciarmos, o que seno arrepender pessoa
aiguma que fizer sua despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
Manteiga i .gleza perfeitamente flor che-
gada ltimamente de l.oooa l.too rs. a li-
bra, e em barril ter abatimento.
Manteiga franceza da safra nova a 8Go rs.
a libra e era barril ter abatimento.
BANIIA
Banha refinada superior a 6k> rs. e em
barril ter abatimento.
CHA
Cha uxim de primera e superior qualida-
de a ,8oo rs.
dem hysson o mr-lhor neste genero a
2,6oo rs., e sendo em porco ter abatimen-
to, tambem ha proprio para negocio de 2 a
2,4bo rs. a libra.
dem preto superior de 1,800 a 2,5oo rs.
a libra.
Biseoirtos
Latas com superior biscouto ingles de di-
versas marcas a l,2oo rs. a lata.
Isolaehinhas
Latas com nolachinhis da acreditada fa-
brica do beato Antonio, proprias para dar a
doentes de 2,ooo a 3,000 rs. a lata.
dem com quatro libras de bolachinha de
soda a 2,ooo rs. a lata.
Serveja
Queijos
Queijos flamengos chegados no ultimo
vapor de 2,6oo a 3,ooo rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespanhol a 1,000 e I,2oo rs.
a libra, francez e suisso a 1,ooo rs. a libra
e portuguez a 800 rs. a libra, em porco
ter abatimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Velho Secco, Lagrimas do
Douro, Mara Pia, D Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a i,000 a garra-
fa e 9.000 a 12 000 rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melbores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3.ooo,
3,5oo e 4.000 rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 64o
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
anepretas de 8 e 9 caadas a 2i,ooo rs. a an:
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,;ho a caada.
(aixas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,000 rs. a caixa e
7oo rs. agarrafa. _
1FE
Caf do Rio de 1.a e 2,* qualidade de
6.800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
Sabo maca de primeira qualidade de 80
a 22o rs. a libra e de 16o a 21o rs. sendo
em caixSo.
Superior serveja Bass dos melhores fa-
bricantes, como sejam: Shlers & Bell. T. F.
Asbo a 7,ooo e 7,ooo rs. a uzia e a 7oors.
a garrafa. Tambem ha de outras marcas
como seja: Victoria e Alcope a 5,ooo rs. a dn-
zia e a 000 rs. a garrafa.
Vinagre
Superior vinagre de Lisboa a 2,000 rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ha
mais baixo para 2oo rs. a garrafa e l,4oors.
a caada.
Azeite doce
Superior azsitc doce de Lisboa a 6io rs. a
garrafa e a 5,000 rs. a caada.
Ufassas
Macarrao e t.dierim a 360 rs. a libra e a
5,ooo rs. a caix*.
Passas
Superiores paseas a 3,000 o quarto e
12.ooo rs. a ca:xa de arroba hespanhola e a
000 rs. a libra.
GE^EBRl
Genebra de laranja verdadeira a lo,5oo a
duzia e 1,000 rs. ao frasco.
Genebra de Hollanla verdadeira a 6,coo
rs. a fiasqueira e a 56o rs. o frasco.
Idom de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da ums.
Garrafoes com 24 garrafas de genebra de
Hollanda a S.ooo rs. o garr.jfao. Tambem
ha garrafjes com 5 e 14 garrafas de 3,2oo a
6,000 rs. cada um.
VELAS
Velas de sperraacete a 64o rs. a libra.
dem de carnauba de lo a 12,ooo rs a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
PEIXE
Peixe em latas j preparado de l.ooo a
l,2oo rs. a.lata
ALPISTA E PAINC0
Alpista e painro muito novo de 3,800 a
4,000 rs. a arroba e de 14o e 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mais acreditados fabrican-
tes, como sejam: Joiio Furtado da Serrias,
Manoel Peixoto da Silva Netto, Castanho &
Filho e Brando e de outros muitos, os
quaes vendemos pelo mdico preco de 4.600,
2, 2,8oo, 3,5oo, 4,5oo, e 5,ooo rs. a caixa
Licores
Licores francezes e p^rluguezes a l.ooo e
l,4oo rs. a garrafa ou frasco.
Doces
Doce da casca da goiaba e caixes pe-
queos a 7oo rs. e de 5o caixoes para cima
a 64o rs. o caixao.
Frutas
Frutas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pera, peceo, ameixa rainha Claudia, al
perche e outras frutas a o s. a lata.
Tambtm ha latas grandes para l,2oo rs. a
lata.
CONSULTORIO MED1C0-CIRIRGIC0
DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LORO MOSCOSO,
HEDICO, PARTEIRO E OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos osdias das 7 s 11
aoras da manho, e das 6 e meia s 8 horas da noile, excepcao dos dias santificados.
jRharwacia especial homeopathica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sorlimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisaces e pelos precos seguintes:
Carteiras de 12 tubos grandes. 125000
de 24 tubos grandes. 180000
de 36 tubos grandes. 240000
i de 48 tudos grandes. 300000
de 60 tubos grandes. 350000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
roe se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 10000.
Sendo para cima de 12 custaro os precos estabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopaihico do Dr. Ja'h
dons grandes volumes com diccionario............ 200000
Medicina domestica do Dr. Hering........... 100000
Repertorio do Dr. MelK Moraes............ 60000
Diccionario de termos de medicina........... 30000
Os remedios deste esttbelecimento sao por demais conhecidos e dispensam por
tanto de serem novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios
verdadeiros, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de
rerdadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservaco, tintura dos mais acredi-
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparago, e portanto a maior
energa e cerieza em seus effeitos.
Casa de saude para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operaco, pra o que o annnnciante julga-se suficientemente habilitado.
O Irahmento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funcionando a casa ha mais de quatro annos, ha mui'.as pessoas de cujo conceito se nao
pode duvidar, que podera ser consultados por aquellas que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se 2-5 por da durante 60 dias e d'ahi em diante 10500.
Asoperaces sera o previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos presos
razoaveis que costuma pedir o annunciante.
U
OJA
DO
AZEVEDO FLORES
Eua da Cadeia do Recite, esquina da Madre de Deus.
Grande sorlimento de fazendas por atacado e a relalho e um completo sorti-
mento de roupa feita, de casemira e de brim, tudo por menos que emoutra qualquer
parte: quemduvidar venha ver.
CAICAS
de lindas e finissimas casemiras escaras e claras, de superior casemira preta, de finos
brins brancos e bom brim pardo.
Paletos
de superiores casemiras escuras e claras, de tina alpaka branca, de superior alpalca pre-
ta e de brim pardo.
Colletes
de boas casemiras preta3 e de cores e :?e lino brim branco.
CAMISAS
Superiores camisas francezas de 2r> at 50.
HfAMTAS
Novas mantas de seda para pescoco de homem.
PELO ULTIMO PAQUETE
Grande sortimento de bales de arcos ecobertos de panno.
Biloes de arcos encarnados os melbores que ha no me cado.
Bales de arcos brancos, tambem os mais novos,
Baioes de arcos oscuros, a primeira vez que vemao mercado.
Bales cobertos de superior musselina.
Baioes cobertos com pannos de cor.
Esles bales encarnados e escuros devem ter um completo acolhimento por.todas
as serfhoras, pois tem a vantagem de nao se sujarem; como acontece com os brancos.
M*>@0
armazem: re fazrwdas
Uvas pelo ultimo vapor.
Peras pelo ultimo vapor.
Macas pelo ultimo vapor,
Ameixas pelo nltimo vapor.
Passas pelo ultimo vapor.
Fitos pelo ultimo vapor.
Fructas seccas pelo ultimo vapor.
Fructas em calda pelo ultimo vapor.
Nozes peto ultimo vapor.
Queijos londrinos pelo ubimo vapor.
Queijos flamengos frescos pe'o ultimo vapor.
Presunto hambre pelo ul.imo vapor.
Tudo se vende barato n-s seguintes arma/.ens:
Ra do Imperador n. 40, Verdadelro Prlacloal.
Ra do Qneimado n 9, t'olo.e Conm Largo do Carmo n. O, Progressivo
DE
CUSTOOIO CARTAIiHO C.
27 RA DO QUE.MADO N. 27
Madapoln francez muito fino, tendo pouco mofo, cada pega com 27 varas por
100000.
Lita de & res a 300 rs. o covado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a preco de 800 rs a vara.
Lencos brancos para algibeira a 20' 00 a duzia.
Fin sperclaras a preco de 400, 440 a 560 rs. o covado.
Ricos co'tesde 13a de barra de 100 a 300000.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.
Grande novidade.
LoarenQO Pereira Mendes Guimares, proprie-
tario da grao* loja e armazem da Arara, ra da
Impertiriz n. 36, declara ao respeitavel publico e
st-us freguezes, que n-cebeu diversas qualidades
de fazendas viudas pelo vapor fra'-cez, por isso
como a fest est qaasi acabada resolveu vender
barato para acabar at o flm do anuo.
A Bovitade, chales de ruda a 100000.
Yendem-se rices chales de renda minio Tinos e
novns a 105, 12* e io&, retundas muito fiuas a
I2i e 155, >outembarques de grosdenaple a 184,
2u e o, rapas prelas de grosdenaple a 2U e
255. ouir-mbarques de laaHina a 54, ditos bran-
cos finos a 85 : ra da Imperatriz, loja da Arara
d. 56,
Corles Maria Pia a 80000
Vendem-se rices cortes de ve-tido de cambraia
bordados a laa e seda a 85 e 105, ditos de lazioba
linos a 8, 145 e 165. cortes de cambraia de ba
bados a 35, ditos de i-as>a franceza tinos a 35,
r< c..s de cambraia branca flua a 35, 45, 35 e 65,
dits de cambraia para forro a 25, c> rtes de chi-
tas a tsiOO e 35 : ra da Imperatriz, loja da Ara-
ra n. 56.
Cassas franeeeas a 300 rs., chitas a 2i".
Veudem-se cassas francezas fina- a 30o, 320 e
360 o covado, chitas finas a 240, 280, 320, 360 e
400 rs. o covadi', alpaca de cor para vestido:- a 320
o cuvadu : ra da Imperauz loja da Arara u. 56.
Laziohas a 210 o corado.
Laazluhas a 240, 320 e 360 o covado, ditas lisas
finas a 400 e 500 rs. o covado, ditas escocezas fl-
as a 500 rs. o covado, lencos de seria a 640. 800 o
15 : ra da Imperatriz, loja da Araia n. 56.
Bales a 20"i 0.
Vendem-se baie> 25. 25500. 35000 e 35500,
saias bordadas para senhora a 75, golinhas para
senhoras meninas a 210 e 320, camisinhas para
senhora a 15, 25. 35 e 45 : ra da Imperatriz,
loja da Amara u. 56.
Roupa frita, caifas 20000.
Vendem-se calcas de bnm pardo e de zanca a
25, ditas de brim branco a 25500, 35">'0 e 45,
il \< de RSfrffflfM de cores e pr--tas a 55. 65, 7,1 e
85, palptots de rasemira a .'5. 65. 85 I"", ditas
d.- i.rim de cor a 25 e 3#, de alpaca pr-ia a 35 e
45, camisas francezas a '5800, 23 e 25500, ditas
intf'e, pregas larcas, a 35500 e 24500, cprnnlas
a 15600 e 25, e outras milita- fazendas que se nio I
prie mencionar por e con) a vista do comprador observara.) o qne ba-1
ralo e b>m, i-to para agradar aos seus fregnezes
que honram a grande loja e armazem da Arara,
roa da Imperatriz n. 56. I
! ALGHD40 HA BAHA
Na loja de Andrade 4 Reg, ra do Crespo n. 8,
'esquina da ra do Imperador, contina a vender-
se superior algodao da Baha por menos preco que
em outra qualquer parte._____________________
Algodu Iruncaau
da (abrir de Ferno Velho : no escriptorio de^_
MiDurl lgna?io de Ohveira & Fuho, largo do Co^
po Santo n. i9. ______ '
iaz.
No armazem da ra do Imperador n. 3 ou no
Caes de Pedro II n. 2, tem cara vender-se o me-
lhor gaz existente do mercado.
Baleao
Vende-se um balco de amarello qo* ainda nao
foi servido, obra moilo bem feita, sendo dito bal-
co coro volt. propria para loja ouontro qualquer
estabelecimenlo, por mdico valor; na ra do Vi-
gano n. 26 ou caVs de Apollo no deposito de sabo.
AI lenca o-
Vende-se a taberna bem afreguezada,
ra dos Assoguinhos n. 20.
da
hom e barato
Manteiga ingleza flor alia libra, franceza x
840, arroz do Maranho a 100 rs., painco a 120,
amendoas a 24o, caf do Ro bom a 240, vinho da
Kigueira a 400 rs. a nrrala, e 35 a canaria, Lis-
boa a 3*0 a garrafa, e 25^00 a canaria, azeite doce
a 600 rs. a garrafa, vinagre de Lisboa a 208 rs. a
garrafa, e 15500 a caada, queijos do nl'imo vapor
a i.-.'UM) : na ra das Cruzes n. 24, esquiua da
travessa do Ouvidor.
Vende-se um sitio em Bemfica a' roargem do
rio Capibaribe, com bastantes commodos para urna
grande familia : tratase na ra Nova n. 24, das 9
horas as 4 da tarde.
Vende-se a fabrica de charutos e cigarros
da ra do AragSo n. 32, bem afreguezada : a tra
tar na ra dos Cuelhos n. 2|
Vndese:


Cha.
Lnea.
Cognac a 105 a duzia.
Na rna do Trapiche d. 18, segundo andar.

'


Diarlo de pernambuco Quinta .'eir II Je Dezembro de i865.
0 NOVO GERENTE
fi955 _:'___' 2 2 S5 9
os p- _>
5*! g O. 55 55 c
W1 w D.

0?SS5S-S^
__;
1g.s
^S 5 j 3
a sct>
i,S9'?5Sg--Bl.*S
Grande loja e armazem do
Pavo.
Roa da Imperalriz n. 60. de Gama & Silva.
Tendo os proprietarios d'este estabeleciraenlo de
a>
0 .
aaSsS^jB rSg i Ijquidareiii urna grande porcao de soas fazeoda9,
p.SijQO.?l"pg_ E"c___ al ao fliu do Crrenlu a0D0' aDm de fecharem con-
00 i_z! las e apurar diuheiro, resolveram -nria<
B
g S B 2 "i t .
2 ^ a =^ => 3 i
Ib
* I 8*3
w. o- >_^ tas e apurar umneiro, resoiveraui vender todas as
g" _L S ^C fazendas cora grande abatiraenlo em presos, tanlo
2 ** I em porcao como a relalho, e por isso previnera a
i iodos os seus freguezes, e ao respeilavel publico, e
5-!e
CD
i O.
3 o o -
S-S.||ft
So
el 8
o -i
12.1
O as ?
M
*CI CO
AL\ lliWCi
Eua do ueimado n. 8.
A loja da aguia branca acaba de receber un
novo e grande sortimenlo de differentes objecios
de gosio e ullima moda, sendo :
Bonitos enfeites para senhoras gostos inteira-
menle novos. Ditos de couro superior fazenda a i 500.
Ditos ditos de grade com comas grandes. Pmeoi t0U1 suutruir lin,a rocha a 2'iu rs.
Li?das flvela!..e"des ??__?___ ?. .u Meladas de linna Iroxa para bordad, a 20 e 60
na val
SM &JE6, U1VIJO
liua do Uueiuiado us. -i e frft.
(.uuiioa a vender i&das as mtudezas que a>ai_.
declara por presos adrniraveis.
Massos de palitos lixados para denles a 100 rc.
Espelbos de molduras domadas a 200, 240 e :'.r .
iiouels de oliado para meninos a l000.
CO
O

ESTABELECIDO A RA NOVA % 60
\tm a\ nuunM Don ai mnn
AO
UESPEITAVEl. PUBI.ICO.
A apreciacao dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
_em da Liga estabelecido ra Nova n. 60 ora magnifico sortimenlo .de molhados
que sendo em sua mxima parte mandados vir directamente do estrangtiro podem ser
tendidos por precos asss razoaveis. ___
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
nrimeiro e nico em seu genero, pde-se porm .iffianrar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das segointes promessas -
i; Delicadeza no trato.
2.; Fidelidade no peso.
3.* Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sua posico social gozam de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos flnissimos manteiga e cha sempre de
orimeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condico do fregnez, elle deve contar que sera sempre mul-
to bem servido. .
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte faro mensalmente urna economa ae
muius patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se Ihes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas parles nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio inleresse, a esle estabelecimento para se convence-
ren! d quanto se pode vender barato.
Para os senhons que compram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhores
03
erg I --.
3^2 2.
i?! i
03 -I
OQ O
B

o
3? 8-

5 o
03
9
O
o
K
as pessoas que negociare em pequeua escalla com ] agradaveis e diversas^ qualidades, madreperola, caixas com 100 envelopes.fazenoa lina a bUO rs.
fazendas, que nesle estabelecimento encontraro
urtj grande sortfmento que muito Ihes ho de agra-
dar lano em presos como em qualidade; assiin
como mandam pelos seus calxeiros levar as fazen-
das e amostras uas casas das familias que au po-
derem vir a loja, ou dao as amostras deixando Ti-
rar penhor.
(ambraias lisas a 3MI0O, la leja do
Pa\o.
Vendem-se pecas de cainbraia lisa branca e
transparentes, tendo oito e meia vara cada peca,
pelo barato pre^o de ."^oOO, ditas muito linas, por
4o00, o&, C at 105, sendo tapadas e transpa-
rentes, assim como cortes de cambraia com salpi-
cos a 25500 : isto s na loja e armazem do Pavao,
na ra da Imperalriz n. 60 de Gama A Silva.
As camisiuhas do Pavao.
tartaruga, ac e douradas.
Boas e bonitas lilas achamalotadas para ditas.
Dites de dita de grosdenaples lisas e lavradas
com novos e agradaveis desenos.
Trancas prctas de seda com vidillhos moldes
novos e de gosto.
Bieos brancos e pretos d? seda com vidrilbos e
de differentes larguras p bonitos desenhos.
Cascarrilhas de seda com diversas cores e lar-
j Grozas de penna^ de ac, fazenoa suptiiur a 600 rs.
Grozas de boles madreperola tinos a 500
e 640 rs.
Caixas com 50 novellos de liuha di gaz 3 760 rs
Caixascom superiores obreas di cola a H'eSC'rs.
Pecas de fila branca elstica coin 9 va fas 0 280 rs.
Varas de franja de la para enleiits ci vestidos a
4u rs.
Ilaralbos duurados superiores qi>;>l<;af'-s ^ ICO rs-
guras, formas uteirameule novas a imttar;.io de Nove||OS de linl.a rom 400 jaldas a M:rs
pafoL babadinho e outra Pares de boioes para ponbo, lan.da rica a 120 rs.
centro o que Ihes da muita gra^a
Outras estrei-as e largas guarnecidas de bico
de seda obra de muito gusto.
Outras de cambraia de cores.
Boioes de seda, velludo e aro para enfeites de
vestidos.
Mendem-ses mais modernas camisinhas borda- cores para enfeites do vestidos
Tasso Irm&os
Vendem no seu armazem roa de
Amorim n. 35.
Licor fino Curaco em botijas e meias botijas.
Licores tinos sortidos em garrafas com ruinas d
vidro e em lindos frascos.
VinhosCheres.
Santernes.
Chamberlin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Mu sea le.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniol.___________________
"0 castello de rasville.
Traduzide do francez por A. J. C. da Croi.
Vende-se este bello romance em quati
tomos pelo baratissimo prego de 3600C
das com manguitos, para seuhoras, seudo as mais
modernas que tein viudo ao mercado a 45500, di-
tas com manguitos, para acabar, a 15 ; ditas pre-
tas com manguitos para luto a 1^800 rs., mangui-
tos e golinhas pretas a 15, fnissimas golinhas de
cambraia branca bordada a 500 rs., calciuhas para
meuina a 640 rs., romeiras de tilo e cambraia
branca bordada a 15600 : na loja do Pavo, ra
da Imperalriz n. 60, de Gama Silva.
Ctales de merino a _-M)(iil.
Vendem-se os mais modernos chales de merino
estampados a 25000 cada um, havendo larobem um
graud!; sortimenlo dos mesmos matizados qua se
vendem a 65, 75 e 8000 : na loja e armazem do
Pavao, ra da Imperalriz o. 60, de Gama & Silva.
As saias do Pavao.
Vendem-se as mais finas saias bordadas asagu-
Iha brancas seudo da melbor fazenda que lem viu-
do nesle genero, tendo mui a roda, pelo baratissi-
mo preco de 105000; ditas bordadas a croch a
65<;00 e 8OtiO, ditas com babadinhos a 05000, na
loja e armazem do Pavao, na ra da Imperatru n.
60, de Gama & Silva.
Novo vestidos do Pavao a lOjjOOO.
Chegaram para loja do Pavao os mais ricos cor-
tes de vestidos de cambraia transparente enm os
mais delicados bordados de differeules cores a pon-
to de agulba, sendo n'este genero a maior novida-
de que tem viudo ao mercado, garantindo-se o te-
rem muita fazenda e enfeites suflicientes para o
Tesouras para cusiuias superiuii-:- > uric-s i
400 e 1,3.
Caixas de pennas de calligraphia. fazenda boa-a
15000.
. Masos con: superiores grampos a 30 rs.
Trancas de seda estrenas e largas brancas e de pares de M_>|M de (rana |ppe|f, a ,-5c0>
Caixas com superiores aguihas a _40 rs.
Libras de laa soilidasde bor.ias cores a 75*|00.
I Caixas com superiores obreias de mas^a a 40 rs.
Hiidmhas com allinetes francizes nuie superiert
a 20 rs.
i Resmas de papel almaro a .400 t 2,-t 0 rs.
' Escovas para rtupa, fa7enda boa a 720 e 15-
1 Duzias de tesouras com toque de l-iiLpem
i 600 rs.
Duzias de faras e garfos de cabo pri b : oJOOO.
Talheres muito fino para erlancas a .50 rs.
Pulseiras para meninas a 32ti rs
Dilas e vallas para senhora a 500.
Fiarcos de Agua Florida vudaten; a 1280.
Frascos com ?upi rior banha a 840 e 500 rs.
dem de superior oleo babosa a :!-(' rs.
Caixa- com lamparlnas para 3 meies a 40 rs.
Varas de babado do Porto a 80 e 14 rs.
Carlas de altiiieles franee?es a 100 rs.
(nademos de papel pequeo a 20 rs.
Grvala- de cores, f-.zenda snperioi. .i 500 rs.
compradores. aa nraca da Independencia. livraria ns. corpo e mangas, e vendem-se pelo barato preco de
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixara de fazer a diligencia para agr- fi b ^ 105010 cada um, na loja do Pavao, na ra da im
Flores linas
CAPELLAS PABA MENINAS E NOIVaS.
A aguia branca a raa do Queimado n. 8, rece-
beu para vender :
Delicadas capellas brancas para noivas.
Dilas dilas para meninas.
Dilas dilas de caixos de flor de laranja.
Ditas ditas de. rosas camelias e outras.
Ditas ditas ou ramos de irij-o.
Diversos ramos de flores linas para peito de
vestidos, enltites de ihapos ele, etc.
treparos para flores.
Na ru-do Queimado n. 8, loja da aguia bran-
ca vende-se :
Papel de cores para rosas.
Dito verde para fulbas.
Dito dito e pardo para cobrir os talos das ditas.
Musgo em rama.
Folhas para rosas.
Agulhaselinhas para crochet. M'"""" >'"^ f""rt" dw,ri"l-'-sl
Vendem-se na ra do Queimado n. 8 loja da
aguia branca, assim como agmhas para trabajar-
se em laa.
Papel de sobrcccllente pura os
phosphoros hyijicnieos ou de
seguranca.
A visia do grande tamanho das caixinhas dos
dar a todos.
PELOS SEGU1NTES PRECOS SO SE VENDE
A DINHEIRO A VISTA:
A Graixa em latas, muilo nova, a 80 rs. cada
ALPISTA a 1-0 rs. a libra. urna.
6 e8.
Vende-se um sobrado de dous andares no
bairro de Santo Antonio, o qual rende para mais
de 1:2005, eurna casa terrea no birro da Boa-
Vista a ti atar com agente Olympio em seu arma-
zem na ni
dem e painco de oito libras para cima a
iOOrs.
Arroz de 90 rs. a libra a........
Amendoas, casca mulle, a _80 rs. a libra.
Avellas a 240 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os ta-
annos.
dem dem era potes de todos os tamanhos.
KIRSCH de Wasser a 25 a garrafa.
Ii
LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Letkia a 400 rs. a libra.
MANTEIGA ingleza e franceza de
qualidade a 1, a libra.
pnmeira
da Cadeia do Becife n. 34.
INAS
para
Por
dem idera em bocetas de todos os tama- Marmei.ada dos mais acreditados fabricantes.! _
nhos.
dem idem em frascos de lodos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Alhos a 30 rs. o molho.
Absy.ntho a 2^000 a garrafa.
B
BOLACUINIIAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas,
dem do Principe Alberto a I(5800 a lata, e
de cinco para cima a 1(5700.
dem de soda em latas grandes a 2?$000 o
de cinco para cima a -3S00.
Biscotros inglezes de todas as qualidades a
15200, Ifj250e 1-53DO.
Bolo francez em caixinhas a 400 rs. :da
urna.
Batatas inglczas.
Baniia de porco refinada.
c
CHOCOLATE francez a 000 rs. a libra,
dem suisso a 1(5 a libra.
dem de musgo a UaO a libra.
Ciouricas muito novas a 800 rs. a libra.
Cap a'240 e 2C0 rs. a libra, e em porclo
se far abatimenlo.
dem de primeira qualidade a 7)5OG0 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. ceda um,
sao muilo novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orcliata, etc., etc.
Chicaras e pires a i 5800 a duzi.
Cerveja da superior tria rea Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Norteas d'Havana, Exposico,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Regala, Mississipes,
Panetellos, Aprazivuis, Varetas, Brasilei-
ros, Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e ds todos os
presos, Qysson, huxim, aljfar, preto, e
preto poma branca, etc., etc., a 25000,
22"0, 26560e2800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 26500, 36500, 46 e 56.
Clices de lodos os tamanhos.
Cognac superior a 16 c 16500 rs. a garrafa.
C-GARH05 do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco maeinbos.
1
DOCES de todas as qualidades : brasileiros,
portuguezes, inglezes, francezes, te. etc.

ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
ervaooce a 400 rs. a Irka.
MacarrAo e talharim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 600 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a .
Massas finas para sepa branca e amarella a
00 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
36500.
Miliio painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
M
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
|1
rafralhar nao
escarolar algodo
FABRICADAS
tlant Brothers & Cft
OLDl
Estas machina:
podem dcscarocas
phosphoros hygienicos ou de seguranca, tornava->e
pouco o papei que vem em dilas caixinhas, e para
peralriz n. 00, de Gama & S_ra. remediar essa falla a apuia branca mandou vir e
Us spat tilhfls do Pavo. acaba de receber esse especial papel, c qual so
Vendem se um grande e variado sortimento de AI^ de sobrecellenle a quem comprar de laes
esparlilhos os mais bemfeilos que lem vindo ao phusi.lioros e se vender iudisiinciamenie a quem
mercads, sendo de lodos os tamanhos pelo baralis- de|e preci.ar. o preco de cada caixinha de phos-
phoro continua a ser 160 rs., e vende.m-se na ra
do Queimado n. 8, luja da aguia branca.
Seda froueha para bordar.
Vende-se na ra do Queimado loja -da aguia
branca 11. 8.
( bras de crystal.
Brincos de diversos moldes.
Outros tambero de crystal de cores.
Outros de aljofares brancos e outras cores.
Adereros de crystal obra de gosto.
Bosetas de dito e eroies.
Botoes de dito, brancos e de cores para colU-le.
Dito de dito lambem braucos e de cores para
3 V -- qualquer especi. 1 lpntl aras e escuras, ,
^r..W, ,V---j^;de algodao Sea s'mo preco de. 2580 o c
\X" estragar o fio nia fazenda a 15000 o c
simo preco de 45, 55, e 05000, por haver grande
sortimento, na loja do Pavo, na ra da Imperalriz
n. GO, de Gama Ov Silva.
Relounas pretas a 126000,
Na loja do pavao.
Chegaram pelo ultimo vapor as mais ricas re-
tondas de renda preas, sendo das mais compridas
que tem vindo ao mercado, e vendem-se por preco
muito em conta : na loja e armazem do Pavao, ra
da Imperalriz n. 60, de Gama & Silva.
Certas de casimir, pichincha,
A 2(5800, na loja do pavao.
Vendem-se bonitos cites de casimira de cures,
tendo claras e escuras, e -vemdem se pelo baratis-
punhos.
Volias de dito e outras qualidades.
corte, ou ven_*-se a mes
ovado, tendo 6 palmos de / ./;, ersQg (uididadcs
sendo bU^ji^^^.feto^'^VM^e^PaV5e, ^ ":" '
I duas pessoas par Imperalriz n 60, de Gama & Silva,
Osiras inglez.s e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a 16t-00.de
,

\
como machinas pao* serem movidas por'
que descarocao 8 arrobas de alo_o
limpoJoor din; e motores {.-ara mover urna, d_as,
dessrs machinas. i
o trabaiho; pd i corles de casimira do Pavo
descarocar umf Vcndem-se superiores corles de casimira, sendo
arroba de algo- facenda muito lina, pelo baratissimo preco de o*
o em earori cada um : na loja e armazem do Pavao, ra da
tm 40 minutos, liupealriz n. 60, de Gama & Silva,
ou 18 arrobas Os CntOS do MVM a 1000.
robas de0UalCod"c' Vendem-se chitos de fita com Brotas peto bara-
' tisiimo preco de 15000: na loja do Pavao, ra da
Imperalriz n. 00, de Gama & Silva.
Vestidos indianos a 3*000, na loja
do l*a>ao.
limpo.
Ve"ndem-se na ra do Queimado n. 8, leja da
aguia brauca.
Aspas forley para bal>
Vendem-se na ra do Queimado loja da aguia
branca n. 8.
Crvmacome para Ungir ca
bellos.
A aguia branca avisa aos constantes Fregueses
dcs>a exrellente tintura, que ella acba de rece-
Itier urna nova remessade cromacome, colorirome
esabo branco, necessano para lavar os cabellos.
! porianto podem dirigir-se a dita loia
Peras em latas, excellente preparado.
Palitos para denies a 120 rs. o maco mui$
grande.
Passas em qnarto a 1,6400.
dem muito novas a 400 rs. i libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
Q
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suksos a C00 rs. a libra.
dem londrinos a 800 rs. a libra.
Quartinkas ou morinques a
R
BAPE' Meuron a 16 a libra,
dem Princeza do Rio a 16200 a libra,
dem frf.ncez a 26500 a libra.
m
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz .batimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 29.
Sardinhas de Nanles de todos os fabricante s.
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Steajhnas a S00 rs. o maco.
Sag muito novo a 100 rs.
T
TOCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
V
VINHOS!!!
Principe Alberto, de 1831, a 5600G a gar-
rafa ; d vida aos velaos.
Velbo secco a 26 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 16500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 26 a garrafa.
Duque i 1 e 1*500.
Chamisso a 1)5, 1(5200 e 1(5500 a garrafa.
D. Luiz a 1(5 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 2(5 a gar-
rafa.
Carcavelos a 6.
Colares a 900 rs. a garrafa; o unios vi-
_ ... ___ ,_A nho que se pode beber por nao tercian-
FARINHA SSS de Sitos paraca a 120: *, 3^
rs. a libra. Lanterne a 800 rs. a garrafa,
dem de araruta a 320, 400, oOO e 8 rs. Bordeau_ Medoc a 800 rs. a garrafa.
oja na ra
Vendem-se os mais bonitos cortes de vestidos ; Que'ado n. 8.
A 1. a t .,- Mndianos, sendo esm Tazenda transparente ciBterra- ihWnwi (li> hlVKlS
Os esmes tem para vender um beil.ss.no va- nienlf nva D0 merradj e lenoo ire lies mu.los I ^ <>? ttfOl C> Ol IW*'
todas as qualidades, como sejam savel, Pr Ip Pode fazer n5-xsr seis desias nwchina ttnet rOT<)S prci,,nos para senhoras que elo de! Vendem-se _a ra do Lueimado loja da aguia
seras corvina oargo, salmao, pescado e ^Qtt?a(tas ; -pHra i que convid,a-se aos Srs. ,ul0, e velldem-fe pelo baratissimo preco de U branca n. 8.
i-ncultoresa v.rem ver e exam.na-lo. no arma-1 ca_a' um psra BCa_ar : na loja do Pavao, ruada port l)OUt|IICtS
! laperatm n. 60, de Gama & SOva. j de im\l0$ moldis, dourados e cabo de madrepero-
Manor.itos e jolas aaOCrs. |a acham-se a venda na ra do Queimado loja
i->avremvr e examina-lo, no arma-
pescadmha, linguado, sardtnha. etc., etc.,, r,.m de algodo, no langa da ponte nova n, .7.
Saantiers rolhers & C.
IV. II, praca To Corpo Kanto
rfSCIFE.
Os nicos agentes nsste paiz.
Vende-se um eylindro, urna naeseira, urna
balanza graude e tima dita pequea, cos todos os
pesos e mais utenciis de paitara : a tratar na
ra Diieia n. 24.
Vende se ume negrinha de idarie de 10 an-
nos : a tratar na ra da Imperatri' o. 20,
loja do Pavc.
Vendem-se chales de renda preta muito finos a
t e 125, dos de linho a 155, ditos de seda de
Iinho dos melhores que lia em chales de renda a
_0e .55, ditos brancos de tres ponas a G, islo
s na loja e armazem do Pavao, ra da Imperalriz
c. 60, de Gama & Silva.
PARA A FESTA
Popelinas a 400 -r.
Popelinas a 100 rs,
Popelinas a 100 rs.
Chegaran para a loja do.pavao as mais lindas
.popelinas, fazenda proprla para vestidos de senho-
ra, sendo muilo transparentes e brilhantes com as
mais lindas cores que tem vindo, as qaaes farili
I tam fazer-se um vestido com muita phaalazia pur
sendo de juadrinhos
Carreteis com retroz.
Na ra no Queimado n.8, loja da aguia branca
5S000
Framciseo Jos hermano
RA NOVA N. 22,
acaba de recr un, lindo e mngnifico sor-, ^ ^^ad^'dtuma so cor a 500 rs. :
tmenlo de oeotos, lunetos, binculos, do ul- ua, ^ o> rua da im^rairiz n. o.
timo e mais apurado posto da Europa e ocu- ( ^ 35'()00 O corle
los de alcance para observares e para os
Vendem-se superiores cortes de cassa, sendo;
zenda muito lina e decores iixas, pelo barassli
preco de 35000, editas indianas, fazendas trans-
parentes, de muita phantasia, pelo baratissimo pre-
martimos.
Figos de comadre a rs. a libra.
Feijao verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 4^.500
Farello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
dem S. Julien a 1*5 00,0 e 660a garrafa.
Absyntbo a 2,5 a garrafa.
Kirsch a 24 a garrafa. m
Wermouth a 25, e a caixa a 180.
Bitter Maurer a 15 a garrafa,
Vinho figueira em aocoreta a 200.
dem Figueira e Lisboa em pipa a 2(5500 a |
caada.
Cambraias.
No armazem de lazendae
baratas de Santos Coelho
I ;> do ^Mimarlo n. 19.
Vende-se o sepuinte :
C(hertas de Ma fina a 25300.
Dilas de dita a 25400.
Lentes de panno de linho a -5200.
1 >11c de dito de linho a 5.
Pitos de bramaote de linho de am so panno -
3J.0O.
Panno de linho fino com 9 lr2 palmes de largu-
ra pelo barato pMOO de 25-OO avara-
i.ramanfe de liutio fino com 10 palmos de lar-
gara a 25500 a'v,.r;i.
Fecas de camhraia com salpic.es brancos e de
cores com 8 1|2 varas a 45500.
Pegas de cambraia adamascada propria para
cortinado de rama rom 20 varas a 115-
Ba!5e-- do arcos a 25500, 35, 3*300 e 45.
Lencos de cambraia fina a 2$600 a duzia.
Ditos de dita a 25 a duzia.
Athcalhado de linho fino a 25806 a vara,
Dito de auzodao a 25 a vara.
Algodo enfestade bm 7 1|2 palmos de largura
a 15200 a vara.
Pecas de bretanha de rolo com W varas propria
para sa,a a 35300.
Fil de linho liso fino a 800 rs. a vara.
Dito de dito com sai;.iros a 15 a vara.
Cambraia de linho t._a a 15500, 65500 e 95fa
vara.
Cortes de laazinha de indos gostos om 15 co-
vados a 55.
Pegas de madap'lao finissimo pelo baratissimo
preco de 85,05,105 e 115.
Flanella branra fina a 600 rs. o cavado.
Dita de core* fina a 880 r*. o rovado.
fialoes de mssselina para menina a 35, 35500
eU-
Camhrala de forro a 35 a peca.
Dita fina a 45500, 65 e 71 a peca.
Guardanapos de linho a 35800 a duzia.
" Toaitus de alpodo felpudas duzia a 125.
Esleir da India propria para forro de sala de
fe-
ATTEUCAO
Veode-se as olarias de Jo= CarneirodaConha' Parede Porto vende cambraias lisas finas, gran-
ero frente ao hospital Pedro II, e na ru dos Pra- d sortimento, a 35 at 65, ditas Victoria muito 4,5 e 6 palmos de largura per menos preco do
zeres n. 38, telha superr de barro de agua doce a finas, cora 10 varas a 65, 65500 e 75 : na rua da que em outra qualquer parte.
304 o milneiro, alveoaria batida a 30, e ladrilho tmneratriz n. 52, juoto a padaria fanceza. Nesle armazem tamben se encontra um grande
a 265000. ____________________ ;_________: sortimenlo de roopa feita e or medida.
Farinha a3#5"i
Vende-se farinha de mandioca, taceos graudes
o armazem dos Srs. Tasso Irm
pelo preco cima mencionados.
_hej[Ufm aOS COrpinhOS de eambraa. Vende-se na roa Nova n. 32, loja, as dezmio
Vendem-se corpinhos de cambraia eom entre- epstolas on o fiel eatholico, escripto pelo padre
melosa 45 e 55, estao m acabaudo : oa loja de noestre prepador da imperial ft.pm,_emBa-
l co tambem de 35, t>ara acabar : ua loja do Pavao,
rua da Imperalriz n. 03, de-Gama & Silva.
Vestidos zuavos.
Chegaram a' loja do Pavao ts mais lindos cortes
de vestidos com o competente zuavo e cinto, vindo
tudo em um carto, endo a maior novidade que
tem vindo para a testa: vendem-se por barato
prego oa lo-a do Pavo, rua da linperatriz n. 60,
_e Gama. Silva.
Vestidos de seda.
Chegaram para a loja do Pavo os mais ricos
cortes de seda para vestidos, sendo em qualidade
o melhor qce lem viudo ao ir aneado; e padroes os
mais modernos por serem quasi todos listados com
res mui delicadas, afiaocando-se ser neste gene-
ro o metoer que existe: veniem-se por pregos
meito razoaveis, na loja do Pavae, rua da lpera'
trie n. 60, de Gama & Silva.
Para cbamhrtea.
Vendem-se as mais lindas
chambres, e muito baratas : no armazem do Pa-
vQ, rua da lir.peratnz n. 60, de Gama & Silva,
Pateots a 2#S00
Vendem-se paletots de alpaca preta cem salpicas
pelo baratissimo prego de 25500 : na armazem o
Pavao, rna da Imperalriz n. 60, de Gama & Silva.
Melpomenes a 3$5O0
Chegaram para a loja do Pavao os mais lindos
cortes de melpomeees, sendo esta linda fazenda
inteiramente nova no mercado, tendo os mais lin-
dos padr5es, tanto claros como eseuros, vindo cada
um arranjado em seu papel, sendo muito proprios
para quem quizer dar um vestido de fe9tas por
pouco dinheiiro, e vendem-se pelo baratissimo pre-
go de 135500 o corte : nicamente na loja do Pa-
vo, rua da Imperalriz n. 60, de Gama & Silva.
Penteadores
ou roupes de cambraia bordados pro-
prios para as senhoras vestirem
de ni nuil lia.
Chegou esta novidade para a loja do Pavo, mui-
to lindos e do melhor gosto al hoje, por pregos
muito razoaveis : na leja do Pavo, rna da Impe-
ralriz n. 60, de Gama & Silva.________
do
J&xxz^rv&r^ *x^^*z^np*s& s*i ** wde
ga, jun.o a padaria franceza.
55000.
Muita attencao.
Gu'.maraes & lrmo proprielarios do grande ar-
mazem de fazendas e roupas feilas na rua da Im-
Iperamzn. 72, tendo recebido um grande soin-
! menta de fazendas de gosto irazidas por um dos
ocies pelo ulnnm vapor, vem porlanto fazer selen-
te a>)s senhores e senhoras os precos de sua fazen-
das, os propiios afflaBCam vender as fazendas por
mases 20 por ceulo do que em outra qualuuer
p:u;^ uu > pur ser m> fim o auna como lambem
por sor a fesia lempo este que a* Samas, senhoras
dovtii muir se do bom e barato, a saber :
Rices corles de laa com barras.
Vende-se um grande sortimento de corles de
laas com barras leudo lodos os perlences, eamisi-
ulia com gravalinba e ^iulo, si-ndo os mais novos e
modernos que tem wndo ao mercado, ditos de
phantasia com lindas barras e vendem-se por pre-
imo ^os muilo razoaveis.
Las escuchas com lisias de seda.
Vende-se um bonito soriimenio de lasinhas es-
cocesas a 500 e 5G0 rs, ditas transparentes de lis-
tas de seda a 320 e 360 rs.
Percals linas com lindos desenhos.
Vende-se lindas perradas muito finas a 360,
400, 480 e 500 rs., chitas de todas as quaiidartes a
saber de precos 28C, 320, 360, 400, 440, 480 e
500 rs.
Cassas :ancez?s miudinhas.
Vende-se um grande sortimento de cassas miu-
dinltas sendo as cores seguras a 280, 360 e 400 rs.
Cambraias raneas transparentes.
Vendem-=e pegas de camiraias brancas trans-
parentes a 35, 4, 45500, 55, 5j500, 65, 6500 e
75, dilas muito tinas eom urna vara de largura a
95 e 105-
l'.lial de merino linos.
Vendem-se chales de merm finos sendo com
estampas bonitas e modernas pelo barato piego de
. 75, 73500 e 85, dilos lisos com lindas cores a
5 ,PIT''!'Po,a 45, 45500 e 55, dilos estampados a 25 e 25500.
Crinolina ou baloes.
Vende-se um erando soriiraentu de crinolinas a
25500, 35. 35500 e 45-
larlatanas linas a CO rs. a vara.
Vende-se tartalana de cores pelo barato prego
de 640e8O0rs. a vara.


Na rua Din ita 84, hs
constantemente pra ven
der-se eylindros amerifanoj
chegados de Philadelpbia c
mez passado
cba-se
venda na livraria acadmica, na ira do lanera
dor-, na do Sr. Xogueir, junto ao arco de Santo
Antonio ; e ua tvpographia imparcial, na rua es-
trella do llosario a compilagao de toda a legislagao
tendente administragao, arrecadagao e Bscali.
sago dos dinheiros de orphaos defnntos e ausen-
tes, heraucas jacenles, legados, etc., contando oac
s o regiment de cusas e a lei .eral das execo-
goes, como tambem todas as ordeas e avisos do
governo, que a ludo len explicado, tanto a respe-
to das obrigagoes Inherenti ao cargo dos d'ffercn-
les empregados de jaslica e faz< da, como dos di-
reilos nacionaes e emolmeiiios que sao devidos.
Esle livro eontendo mais de 700 |Mgina m ntida
impressao e bom papei, e prestando-?e a Otllidade
de dilerenies rlasses, torna-se reeommendavel.
Seu rusto 10500 por cada exemplar em dous
omos.______________________
Vestidos
Peehineha sem igual.
Chegou a loja de Paredes lorio um bonito sor-
timenlo de vestidos de lamala de cores brancas
que serve para partidas por ser una phania>ia In-
leiramenie de gosto pelo barato prego de 45 e
brancos a 45500, eslSo aeabando-se : no arm zem
d porU larga rua da Imperalriz n. 52, junio a pa-
daria franceza.
Cortinados.
Chegou a loj de Parede:- Porl< um rompile
sortimento de cortinados ricamente bordados a
prego de 255, 355 e 455 : o ll,a da Imppia'.iiz
n. 52, porta larga junto a padaria franceza.
Kicas romeiras.
Paredes Peno recebeu pele ultimo paquete um
sortimento de romeira de goipnre pretas e de ii!o
a preco rommodo : na rua da Imperalriz n. o-.
porta larpa junto a pa>laria franceza.
d ra>'de peckincha
Coi les Oe laa escoceza enfestada para vestide
fazenda do 500 rs., e>la se vendeodo S80
rs. oeovado : na rua da Imperalriz o. ,
l-orla larga.
ioja da
Cortes de laa escocesa para veslido a .15 o cor-
te: na rua ua Imperalriz u. 52 loja oa pona lar-
ga, junio a padaria franceza, eslu se acabando.
Aos 2,000 cortes.
Chegou aloja do Paredes Porto, corles de 18a
esroreza para vosli.los,itque et venrViido a 35,
olhando a grande quanlidade: rua da Imperalriz
n. 52 armazem bem coohecido da PorU-Larga,
junto a padaria franceza.___________________
Vendem-se
machinas americanas de serrote para( descarogai
algodo : na rua da Senzala Aova n. 42.
' Em ra-a de Pbipps Brothers & C, rna
Vigano n, 8. vendem se cofres de ferro, pro va de
fogo, dos afamados fabricantes Milner & Son, de
Liverpool.
Manas para honietn a 15300.
Vendem-se manas pira homem as de mais gos-
to que tem viudo ao mercado pelo barato prego de
15300 e 15500, tudo isto s na rua da Imperalriz
n. 72, loja de Guimares & lrmo.
Tiras bordadas a {&.
Vende-se um grande sortimento de liras borda-
das a 15 cada urna e pecas de entremeios a 15,
15200 e 15o00.
Camisas francezas para homem.
Vende-se nm grande sortimenlo de camisas fran-
cezas a 15800, 25, 25500, dilos de peito de IbOo
ESCllYOS JHMS.
GraliOceo de 0$,
Ansentou^se da rasa n. 59 da rua t j Imperador
(ouir'ora Collegio) no sabbado 16 rio crreme mex
oe setembtode 1865,0 escravo pardo denome Joa-
qun), rom os signaessegointes : estatura legular,
idade 18 a 20 annos, sem barba, ps largos, c.:hos
grandes, cabello corrido, com urna cicatriz grande
e bem visivel na (esta, parte dos denles da frente
arruinados, e com falta de alguns ous lados, sabia
rom calca de brim pardo e paletot curto de panne,
mas levon mais roopa branca e de cor, B.uito
astucioso, costoma inlitular-se forro e andar cal-
cado ; f i esrravo do Sr. Gullherme Frederico de
Souza Carvalho, genro do tinado Sr commendador
Manuel Gongalve.s da Silva : rogase a sua captura
a todas as autoridades policiaes e a nu-.lqner ca-
pitiio de campo on outra pessoa particvlaV que o
apprehender se gratificar com 505, alni das des-
pezas de condqcgo, enlregando-o a seu senhor
Miguel Jos Alves, na casa cima, ou no seu es-
cripiorio na rua da Cruz casa n. 19.
^"No~dia~_0 de setembro prximo passado fu-
gio do eneenho Terra-prea, doabaixn a^.Mgnado, o
escravo Jolio, crioulo, de altura regular, grosso,
de 30 annos de idade, poura barba, tem os ps bem
fetos e pernas, muilo fallante, al se faz rouco,
tem o dedo polegar de urna mo cabido pera den-
tro, anda rom urna carta fechada, do tenente coro-
nel Amaro Gomes da Cunha, apadrinhando-o, nun-
ca foi surrado esle escravo, foi ha muilo cnmpradu
a Beata Lima e Guimares : quem o pegar leve ao
mesmo engenho ou no Recife a' rua da Roda a'
Alexandre Correia da C. Jnior, que sera bem re-
compensado.
Alexandre Correia de Castro.
Fugio no dia 16 de novembro o escravo de
nome AMpio do Sr. capitSo Laurino Angelo de Al-
inela Silva, morador na villa de Ingazeira termo
do Paje de Flores, rujo escravo tem os signaes
seguintes : idade de 18 a 20 annos, cor ohra es-
a 35. 355O0 45 e 45: islona.ua da tafenifte ^o^testoaSi. ae^rfr_d, ventas gros-
. 72, loja de Guimares 4 lrmo.
Roupas fritas.
sas e grande, altura e corpo regular, cabellos pre-
tos carapinhos, pernas nao molte grossas com um
Vende-se um grande sortimento de roupas feitas taino na testa e mnitas cicatrizes na rahega, ps
assim como sejam : paletots, caigas e colletes de regulares, dedos esgaranchados, tambem tem as
pannos e de casemira tanto preta como de cor pa costas com cicalrises de chicote : portanio roga-se
ra pregos muilo razia veis assim como tambem tero as autoridades policiaes ou a qulqoer capitn de
de brins brancos e de edres, seronlas de linho a campo que aprehender e o levar no Forte do Mato
de algodo e tudo isto se vende por pregos muilo na prenga dos Srs. Rodrigues e Santos, que ser
moerados : isto na rna da Imperatril n. 72, loja generosamente gratificado, cojo escravo foi visto
de Guimares & lrmo. I no dia 6 de dezembro no largo da alfandega.
I

jSV
N


8
Diarlo de rernambaro Quinta letra t f de Dezembro de iSk.
JURISPRUDENCIA
O loriim.
Ja tivemos occasio de publicar a historia de um
proces.-o instaurado no termo do lieara-Mirim, pro-
vincia do Rio-Grande do Norte, contra o labellio
antoni Pliiladelpho da Rocha, que ha quasi dous
annos se acha privado de exercer o seu offlcio, era
conseqjencia da pronuncia e condemnagao.
S'm t epetirmos essa longa histori, seja nos licito
recordar que esse iniivi Juo. carregalo d>- familia
numerosa, tenJo sempre merec!) a estima e bom
conceito dos magistrados com quera servir,
achou-se, de ura momento para outro, sob o peso
de urna aecusago originada por indisposigoes
polticas e particulares. O proprio orgao da justi-
ga pubiica* (apezar da severidade excessiva cora
(iij de ordinario procede em taes casos a promoto-
ra) deelaroa que nao hacia trocas de crimmalida-
de, mas smente presumpres fortes e indicios
hementes.
.Mas, apezar deste importante tesleinunho, e do
mais que consta dos autos, foram impostas pelo
juiz ddireito penas gravissimas, taes comoperda
do oicio cora ialiabilidade para outro por tres
anuos e raeio, priso por viole cinco mezes e cinco
das, multa e custas.
Servio de carga principal ao accusado, ou antes
de base a esse procedimento to austero o testemu-
nbi nao jurado de um funccionario, denunciado
pelo proprio tabellio em virtude desse mesmo
fact" que foi logo depois aproveitado por aquelle
individuo para tirar de si a culpa e lanca-la
onta do tabelliau, com auxilio de certas pessoas
que por seu turno souberam prevalecer-se de to
bom en.-ejo para aggravarem a sorte da victima, a
quem eram desaffectas.
Ainda assim, nao obstante o empenho de se
esoi'Tilharem todas as circumstancias que mos-
trassem a crimioalidade, restaram apenas pre,
tumpee*, alias destruidas por outras presumpcoes
contrarias, e por deelaragoes judiciaes e extrajudi-
eiaes dos inimlgos do acensado.
Como se v do accordao abaixo transcripto, o
tribunal da relago teve de reformar a senlenca
appellada, rejeitando a theoriade se condemnar
por meras presumpcoes,theoria perigosisslma,
porque offerece pretextos a perseguiges in-,
ervels.
Entretanto no julgado superior nao ha rnente
que notar a jaslica deciso, mais ainda a presteza
j:i que os autos foram examinados e julgados, de
modo que a pobre victima, que estivera dous annos
manietada pelo juizo de primeira instancia, vio-se
aqui desembragada em piuco tempo. E' ura con-
traste, que se. nota com frequencia. A juslica do
interior, tendo menos que fazer, e s vezes quasi
nada, anda muito mais vagarosa qae o tribunal
superior que conhece de urna inflnidade de recur-
so- Baja vista a justica civel do termo do
llano-
Eis o accordao a que nos referimos:
' Accordao em relacao etc.Que reformara a
..emenda appellada, para absolveren) como absol-
vjm o apnellante, porquanio nao se acha sufflelen-
tmente provado ocrime que Ihe imputado, e nao
bastara indicios por mais vehementes que sejam
para a condemnagao. Pague a municipalidade as'
castas. Recife, 10 de dezembro de 1865.Sou?a,
presidente.Ucba Cavalcante.Santiago.Gitira-
na.Almeidae Albuquerque.MoHa. Assis.Do-
mingues Silva.Barros e Yasconcellos.
R le, 20 de dezembro de 1865.
J. B. C. F. Jnior.
jimmn.
0 EMBCSTEIRO.
'CUNTO POPULAD DE TRUEBA)
IV
(Conrlusao)
Tinbam .decorrido oito dias desde o memoravel
em que o Sr. visconde de Seto Castellos sahira de
Tomiiiar, deixando no abysmo da saudade os habi-
tantes d'aqaella povoago, e ainda se nao sabia se
i Sr. visconde chegara felizmente a Madrid, porque
S. Exc. nao esorevera apezar de te-lo promettido, e
ist eouservava em ternvel anciedadeos tomilaren-
19 se o Sr. visconde nao tinha escripto era
signal de que eslava doeote, ou que no caminho
Ihe suecedera alguma desgraca.
O Sr. regedur julgou que era chairado o caso de
ear conselho para discutir em primeiro lugar
o meio de saber do Sr. visconde ; e em segundo
lugar, de dar-llie a conhecer quauto se iuteressa-
va o povo tomiliarense pela preciosa sauda de S
Exc.
soou a trompeta com a qual era de uso e costu-
me convocar o conselho, e lodos os habitantes af-
duiram a' sala da reuniao.
Depois de longa e acalorada discussao, era que
mais de ura orador forcoso confessa-lo Isa-
srificou ao immoderado orgulho de ostentar galas
oratorias o sagrado interesse da patria, vivamente
empenhada em decidir com urgeoeia to arduo as.
sumpto : depois de longa e acalorada discussao, re-
petimos, resolveu-se que o Sr. regedor, o escrivo
da regedona e o raeslre da escola fossera, cmo re-
presentantes, do povo tomiliarense ao palacio do
Sr. visconde de Sete Castellos, em Madrid, am de
comprimenta-lo, e saber-se S. Exc. gosava de sau-
de perfeita.
Paotaleo disse a tia Margarida quando
scnbe a deliDerago do conselho dos varoeseu
tambera desejo ver aquelle abencoado senhor.
Tiburcio accresceolou Gomisindotambem
eu vou com vosi-emecs, mioba mi, porque nao
Ihe d na cabeca ao regedor ir comsumbaias ao
Sr. visconde para que o faca a elle administrador.
A ta Margarida improvisou um par de dusias
de certos bolos que eram muito dogosto do Sr. vis-
conde, peoteou com esmero a sua grisalba, cabel-
leira, vesiio a uia domiogueira, atou cabeca ura
lenco de algodo de solTrivel tamanho, collocou em
um celo de saza os bolos, e, com o desembarace
da mocidade, ella e seu fllho, qae tambera trajava
com a elegancia devida a ura administrador em pers-
pectiva, foram-se reunir com os representantes do
povo tomillareuse.
O Sr. regedor vesura-se tambera com o trajo de
fasta, pondo a capa de panuo fino ; e o mestre de
meninos embora como horaem de letras carecesse
de capa, posera gravata aperlada como a sua situa-
Qo pecuniaria, calco curto como o sea ordenado,
meias de la negras como o seu futuro, e as mos
as algibeiras vasias.
Eraquanto ao escrivo, escasado descrever-ltie
o trajo, por ser aqui personagem muito secun-
daria.
Ao deixarem atraz os ultimas casas de Retamar,
reuniu-se-lhes o rapaz, a quem vimos fallar com o
Sr. vizconde naquelle mesmo sitio. la d'esta feita
com o jumento a foote, d'onde tamcem vinba da
outra vez.
Que novldades ha em Retamar.rapaz?pet-
guntou-lhe o Sr. regedor.
A maior, a nica, a de que nos divertimos
de grande com as comedias.
Pois, tem agora comedias em Retamar ?
E muito b as. Hontem a' noite tornaram a
representar urna que se intitula O Bario, e gestei
mais d'elia que da outra ver. Nao a virara vosse-
meces nanea ?
Nao.
Eu Ihes direi como .
E o rapaz contou aos tomillarenses o argumento
da comedia de Moratin.
O mestre de meninos iicou pensativo.
Gomislndo quera dizer alguma cousa, e so se
atreveu a murmurar :
Ai, que lance...
Cala-te, rapaz I -iutorrompeu o mestre, lan-
gando-lhe um olhar basilisco, e o rapaz fecbou a
bocea.
O retamarense parou na fonte, e os representan-
tes ilo povo tomiliarense, camin a, camlnha, segu-
rain sera parar al a capital.
Entraran) aoanoutecer pela porta de Alcal, mon-
tados em ruins jumentos, como elles costumavam
viajar.
Para se apresentarera ao Sr. visconde de Sete
Castellos com a devida decencia, os cinco lavaran
a cara na fonte de Obelles, onde beberam em com-
panhia dos cinco juramentos.
Depois de deixarem as cavalgaduras na estala-
gem de Barcellona, continuaran, para a porta do
sol.
Ao avistaren) esta, o Sr. regedor comegou de re-
pente a gritar:
Pogo I fogo I que se queima essa casioha I
E lancando para ura ntico luminoso, que era a
' casinha que no seu conceito se queiraava, laucou
a capa ao incendio para o sulTocar.
O guarda do kiosko, julgando que o provinciano
tinha vontade de apupada, repelliu com o p a ca-
pa do Sr. regedor e a raultido apupou esta respei-
tavel autondade.
Quando o alcaide saniu do seu erro e de entre
os ps do guarda do kiosko, o mestre, que era ins-
truido como empregado de inslrucgo publica, pro-
rorapeu u'esta senteuca, digna do inserever-se nos
vidros dos kioskos luminosos para a necessaria
clareza.
< Toda a autoridade que confuuoir a luz com
o fogo expor-se-ha pateada popular.
Ao chegar a' ra Maior, o mesire pergentou a
um rapaz :
Uize-me, rapaz, onde mora o Sr. vlscende
de Sete Castellos ?
O rapaz respondeu com vos clara :
Mora na ra do....
Do?...
Do Embaxador
E' verdade, verdaderespondern) os pro
vincianos, incluindo o mestre, lembrando-se de
que, com elTeitu, o visconde Ihe dissera habitar no
seu palacio da ra do Embaixador.
Yodando a esquerda, entraram na Praga Maior ;
mas o que all se passou merece novo capitulo.
V
Otuttimundi alvorocava o numeroso concurso
de soldados, rapazes, raparigas, vadios, aldeos e
todos de Coria, que oceupavam raeia praca.
Ratapln, ratapln trufava um tambor, e o
horaem que o tocava gntou :
Quem quer ver por dez ris a Vida do mo
honum I Ratapln, ratapln, ram I Vou come-
car I----- Vamos, meus senhores, mulh ires e ho-
rneas ; vamos, que se aprende muito.
Minha midisse Gomisindovou ver isto,
nos que os administradores carecemos de saber
muito para que nao nos embacen).
U saberaccressentou sentenciosamente o
mestrenao oceupa lugar. Todos, todos vamos
ver isso, e sers tu, regedor, o primeiro de nos.
Os cinco tomillarenses applicarara os olhos a ou-
tras tantas lentes, eraquanto o hornera do luli-li-
mundi explicava a I'i'la do mo homem nos termos
seguintes :
t Jopa o peo com os gaiatos era vez de ir a es-
cola :
t Bate na mi, prendem n'o por tao feia
acgo :
Assenta praga n'ura regiment, e deserta rou-
bando a naco ;
A polica caplura-o novamente, o os tribunaes
mandara n'o para o degredo ;
t Curapre a seuteoca, da novo talhe a' barba e
poe oculos de vez em quando ;
t Traja de cavalleiro sera oceupacao, e frequen-
ta as casas de jogo;
i Favoreee-o a forlana, e joga-a nos lundos p-
blicos ;
Adopta as transaccoes o uso ae receber se
ganha, e nao pagar se perde ;
a Mullieres, jogo, cavallos, deixara-n'o sem um
real;
f Mette-se a mineiro, e, engaando os socios, ga-
nha bom dinheiro ;
Perde novamente tudo que tem ganho;
t Falsifica um papel, e descobre-se o ardil ;
a Procura-o um beleguim, e evade-se da ca-
pital ;
i Nao tem dinheiro, rouba e mata um arrieiro .
i Chega nao sei onde, e inculca-se visconde ;
Acreditam-n'o uns aldeos, e surripia-lhes os
llaveros;
t A polica d cora elle na aldeia, e mette-o na
cade i a ;
E, afiual o mo bomem paga por junto os seus
crimes. A lei inexoravel. >
Os taraillarenses flearam pensativos e silenciosos
depois de ouvirem esta narrativa.
Dize-me, regedor perguntou por im o
mestre que te parece o que referi o homem do
tambor ?
Homem, queres que te falle verdade, deviam
ser muito parvos os aldeos que se deixaram era-
bagar por semelhante embusteiro.
E o homem disse que tambera era visconde
accrescentou Gomisindo.
Cala-te, rapaz !----interrompeu o mestre
laogando-lhe outro olhar de basilisco, embora nao
to feriuo como o que Ihe lngara prximo de Re-
tamar.
Todos guardaran) silencio.
Pantaleo disse a lia Margarida hei de
saber se sso verdade ou mentira. Diga-me vos-
semec, bom homem accrescentou dirig ndo-se
ao pelotiqueiro do tambor exacta a vida do
mo homem ?
Pergunte-o vossemec aquelle que os solda-
dos levam ali preso. Deve sabe-lo respondeu o
charlato de tuli-li-raundi.
Os tomillarenses langarara um grito de sorpreza,
indignago e dor, e sabe Deus qae mais, ao reco-
nhecerem o preso.
Sr. visconde I exclamaram em coro.
Qual visconde, nem qual demonio I Ihes
respondeu um dos soldados. Visconde I Con-
demnado s gales por toda a vida !
D'onde o trouierara vossemecs ?
De ama povoaco de Alcarria, onde, havia
perto de oito dias, enganava aquelles parvos.pobres
camponios, coitados I dizendo-lhes que era viscon-
de, e ia transformar em paraizo a aldeia d'elles,
cousa que acreditan) aos ps justos aquelles ani-
maes, que deviam ler palba e cevada.
Sn, senbor ; sim, senhor; deviamos comer
palba e cevada I exclamaram ao mesmo tempo
os tomillarenses, e dirigiram-se tristemente a re-
poosar cora os dignos companheiros que os espe-
ravara na estalagem.
mn ^1
UM P00C0DETUDO.
Osseguinles documentos foram commonicados
aos jornaes americanos pelo cnsul gera! da rep-
blica do Mxico nos Estados-Unidos, segundo as or-
d eos do Sr. Romero, ministro de Juare em Was-
hington :
Yoa do ministro dos negocios estrangetros da re-
pblica ao Sr. Romero.
Paso del Norte, 1S de agosto de 1865.A copia
junta da circular publicada boje pela miaba repar.
ligio, vos fara saber que o cldado presidente da
repblica abaodonou a cidade de Chiahuahua no
dia 5 d'esie mez, e que ebegou hontem a El Paso,
onde tenciona estabelecer por algura tempo a sede
do goveroo nacional.
Se a fortana da guerra necessitou urna mudanga
na residencia do goveruo, j mais produzr na re-
solugao Arme e constante do presidente, a idea de
deixar de cumprir com o seu dever, seja qual fr
o ponto da repblica era que possa achar-se, ou
para onde possa dirigirse.
Son, etc. Lerdo de Tejada.
Circular.Paso del Norle. 15 de agosto de 1865
Depois de haver abandonado a cidade de Chi-
huahua, era 5 do correte, o cidado presidente da
repblica chegou hontem a esta cidade, e na con-
forraidade das suas iostrucgSes, estabeleceu-seaqui
at nova orden), a sede do govuras nacional.
Durante a sua permanencia aqu, ou em qual-
quer outra cidade onde se torne neoessario estabe-
lecer o gov too, o cidado presidente far tudo
quanto estiver ao seu alcance para cumprir a sua
tarefa cora j firmeza. D'este modo corresponder
aos desejos do povo mexicano, qae j mais deixar
de combateri era (oda a parte contra os invasores, e
que ha de certaraente triumphar defendendo a sua
odependenejia e as suas instituigdes republica-
nas.
Commuoico-vos o que fica dito, para que proce-
dis segundo a conveniencia.
Independencia e liberdade.Lerdo de Tejada.
Car(a de Jurez aos gocernadores.
Paso del Norte, 17 de agosto de 1865.Mea caro
senbor.A entrada dos imperialistas em Chihua-
hua, nao melhorou a sua stuago, por que elles
nao alcangaram vantagem em consequencia dos
seus ltimos movimentos. Tambem nao consegui-
rn) destruir o goveroo legitimo da repblica, como
era o seu principal lira.
Se o general Negrale tivesse ficado nos estados
a Nova Leo, de Taraanlissas, e de S. Luiz para
oceupar a altengo dos imperialistas, como o fa-
zem hoje os geoeraes Escovedo, Mndez, Cordinas
e Aguirre, o movimento contra Chiahuahua nao te-
na sido tentado. Mas o general Bnncourt deixan-
do de estar ameagado do lado de Coahinla pelas
tropas de Negrete, resolveu marchar para o inte-
rior do estado. Depois de ter atravessado ura de
serlo enorme e dispendido semmas consideraveis,
chegoua Chihuahua ; mas nada encontrou alli. Eu
j tinha mandado urna parte das tropas de Negrete
para Coahuila, e outra para Durango. am de re-
(orear Patoni e Corona, em quanto que o resto se
postava as montanhas, prximo de Chihuahua, s
ordens do governador militar D. Manoel Ojinaga.
O inimigo estabeleceu as suas forcas no Interior'
avangando c'aquelle estado, e as nossas tropas j
coraegarara a ataca-las, parcialmente, cora vanta-
gem, tendo toda a camella de se nao envolveren)
em acedes geraes e de se nao deixarem encerrar
as cidades.
Cheguei aqui no dia I i, e estabeleci a sede do
goveruo..',
Seria quasi impossivel ao inimigo seguir-nos at
aqui, e se o zesse, nao teria n'isso vantagem al-
guma. Pelo contrario, este movimento s servira
para tornar a sua posigo mais critica, por que nao
alcangariam destruir o poverno nacional. Este trans-
portava--.e para outro ponto do territorio mexicano;
os imperialistas deveriam pois augmentar a distan-
cia que os separa do grosso das nossas tropas ver-
se iam a quinientas leguas da capital do chamado
imperio, em quanto as nossas forgas continuaran)
activamente a eampanha no interior do parz.
Patoni, Corona e Villagra operam eontra Durau-
go : Pueblita encontra-se no estado do Guanajuato;
Arteaga, Reguos, Salazar e Riva Palacios no M>
chiaeum Alvarez opera contra Iguala e Cuerna-
vac; Garca, que subslituio o general Porfirio
Dias, eommanda nos estados deVera-Craz, d'Oija-
ca, de Chiupas e de Tabasco; emfim Escovedo,
Mndez, Cortinas e Aguirre acharase nos estados
de S. Luiz de Tamanlissas, de Nova Lsao e de Coa-
buila, cm quanto que operam em Sonora e Sina-
k a, os generaes Rosales, Rubio Pesqueira e Garcia
Morales.
Todos estes chefes sao de opinio que chegado
0 momento de atacar o inimigo com probabilidade
de xito, porque est eofraquecido em consequen-
cia das enormes distancias que separa os seus di
versos corpos.
Dentro em pouco estarei habilitado a escrever
vos para coniirmar a exactido dos meus clculos,
que sao bascados no conhecimento que lenho da
stuago do paiz.
Benito Jurez.
Esta proclamago foi dirigida pelo imperador
Maximiliano ao povo mexicano.
Mexicanos.A causa que D. Benito Jurez sus-
lentou cora tanto valor e constancia, ja tinha suc-
cumbido, nao s perante a vontade nacional, mas
perante a propria lei que esse chefe invocava em
apoio das suas pretengoes. Esta causa, que tinha
degenerado no baodolismo, est abandonada pelo
seu proprio chefe, que j delxou o solo da patria.
0 governo nacional foi por muito lempo indulgen-
te ; prodigalisou a clemencia para deixar aos des-
varados, aquellos que nao conhecem os factos, a
possibilidade de se uuirem maioria da naco e de
retomar o senlmento do dever.
E alcangou o seu Qm ; os horaens honrados
1 agruparam-se debaixo das suas bandeiras, e accei.
tarara os principios justos e liberaos, que respeitam
a sua poltica. A desordera apenas manlida ago-
' ra por alguns chefes, movidos por paixoes qae nao
' sao patriotismo. Esto junios a esses chefes, ho-
mens desmoralisados, que nao coraprehendem os
principios polticos, e a soldadesca sem lreio, que
sempre como o nico e triste .vestigio das guer-
1 ras civis.
D'aqui por diante a luta sera' somente entre os
homens honrados da naco e a escoria do povo,
composta de criminosos e salteadores. A indul-
gencia cessa, porque s servira para o despotismo
dos bandidos, aquelles que incendeiam as povoa-
enes, aos que assassinam e violam os cidadaos pa-
cficos, velhos e cran$as sem defeza. Forte e po-
deroso o governo, ser de futuro inflexivel para
punir, por isso que assim o exigem os direitos da
civilisago e da humanidade, e as exigencias da
moral.
Jlaximi/i cmo.
Esta proclamago foi acompanbada de um de-
creto, cujas principaes disposigoes sao as se-
guintes :
1. Todo aquelle individuo que pertencer a ura
bando armado, quer queira proleger-se com um
pretexto poltico ou nao, sera' julgado por um con-
selho de guerra; se for declarado criminoso, se for
pelo nico fado de pertencer aquelle .bando, ser
condemnado a' morte e execulado no prazo de 24
boras.
2. Todo aquelle individuo que pertencer a urna
guerrilha, sendo preso combatendo, sera' julgado
pelo chefe da Jorga que o liver apprehendido, o
qual, no prazo de 24 horas, quando muito, ba de
Interrogar o criminoso, ouvir a sua defeza, e pro-
nunciar a sua senteuca, que sera' executada em
24 horas.
3.a S flearo isentos da pena de morte aquelles
qae poderem provar que foram incorporados tor-
ca na guerrilha, ou que se achavara accidental-
mente com ella.
4.* Se na conformidade do art. 3*, o chefe de
ama torca conhecer que o preso est compreben-
dldo n'algum dos dons casos cima indicados, nao
pronunciara' a sentenga, mas fara' apresentar o
preso a um conselho de guerra, ao qual snbmette-
ra' o sea relatorio.
5.* Serio jalgados e condemnados conforme o
art. 1;
Aquelles que auxiliaren) voluntariamente as
guerrilhas, com dinheiro ou qualquer outra
cousa ;
Aquelles que Ihes derem instrueces, informa-
mages ou cooselbos ;
Aquelles que, com conhecimento de cansa, ven-
derem armas, cavallos, vveres, ou quaesquer ou-
tros arligos militares aos guerrilhas.
6. Sero tambem julgados por conselbos de
guerra ;
Os que conservaren com os guerrilhas relages
que mporiem convivencia ;
Os que oceultarem voluntariamente os guerri-
lhas ;
Os que nao avisarem da passagem de bandos
pelas suas propriedades. a autondade mais pr-
xima.
. Os primeiros sero conpemnados a dous annos
de priso, ou tres annos de trabathos (oreados, se-
gundo a gravidade do caso, a nao serera prximos
prenles dos guerri has ; os segundos serao puni-
dos com urna multa de 200 a 2,000 piastras.
7.a As autoridades locaes que nao avisarem da
passagem dos guerrilhas, serao punidas com urna
multa de 200 a 2,000 piastras, ou de tres mezes a
dous annos de priso.
8. Qualquer habitante de urna povoago que,
tendo conhecimento da approximago de um ban-
do, nao der aviso a' autoridade, sera' punido com
urna multa de 5 a 5i' piastras.
9. Todos os habitantes de qualquer povoago
que for ameagada por ura bando (tendo 18 a 55
annos;, sao obrigados a apreseutar-se para defen-
der a localidade, sob pena de urna mulla de 5 a
200 piastras. Sao exceptuados os enfermos e os
faltos de torgas pbysicas.
10. Qualquer proprietarie ou administrador de
urna fazenda, que, podendo defenderse o nao fl-
zer, ou que, na impossibilidade de resistir, nao li-
ver dado aviso da presenga dos guerrilhas, sera
punido com orna mulla de 100 a 200 piastras, se-
gundo a gravidade do crime.
i I Os salteadores sero julgades e condemna-
dos a' morte porconseihos de guerra.
12.- E' concedida urna amnystia a todos aquelles
que livereiu pertencido ou pertengam a bandos ar-
mados, se se apreseotarem a' autondade antes do
dia 19 de noverabro prximo, urna vez que nao le-
nham comraettido outro delicto, a contar desde a
data da presente lei. A autoridade recebera' as
armas dos que se apreseotarem (para colber os be-
neficios desta amnystia. O governo reserva-se pa-
ra declarar, quando devem deixar de estar em vi-
gor as presentes disposi^oes.
Pedem-nos a publicajao desta poesa
PENSAMRIiTOS NTIMOS.
De qne vivia eu ao sorvrr a essencia
De mil flores nos beijos maternaes.
No seio dos anjinhos com affluencia
AITagando-me no berro tao leaes ?
Viva de innocencia.
Mas quando em meus labios se abrir, o riso,
Primeiro encamo de singelloamor,
Volv os elhos ao mundo, e enio diviso
A minh'aUna, qaal botao de flor,
N'ura paraizo!
Depois qaa os passos irmei, brincando,
Achei-mo sempre c'as irmias mimosas ;
Mas porque tambem as mogas me beijando
Abriao em soas faces duas rosas ?!...
Talvez futurisando I...
Innocente eu era enlo f tiutia beijos
Do meus pais, meus irmos e das criaoga;
Das mogas todas qua mostravam-me em, gracejos
A' alguns mancebos de quem tinham esperangas
Era seus Servidos desejos.
Dos seus eolios eu fugia p'ra o jardim.
Correado d'elle as borboletas de mil cores,
Que manchavam as folhas desetim
Das flores que eu cuidava, meus peabores :
Zeloso eu era assn 1
E meu viver iafantil evaporoa-se,
A' ternuras e alfagos sempre afleito ;
E na idade da paixo inebrioa-se
Minn'alma, e o coragaa, encheodo o peito,
Damores dilatou-se.
Com as mogas e seus beijos, entao sonhei -,
Mas desojando crianca ser sonhando,
E gosar d'amor o que outr'ora eu desprezei
N'uns labios de carraira doce osculando,
Delirante despertei I
E aio vi dos lindos sonhos es primores,
Nem o aojo que de mira se apoderou,
Como se fura o esp'rito santo dos amores
Ao co subi, e apenas me dei xou
Paludas flores t
Essas flores acolhi-as no meu peilo,
E regando as com as lagrimas d'amor,
Vi-as a vida tornar em brando leito,
Cheias de vlgo e de gentil primor.
Grandioso effeito I
Entao vi seductora virgem bella,
Tendo da noite a cor a sua veste ;
E tomando urna flor, ella reveila
Ser do co, e da mi nh'alma anjo celeste,
N'um beijo de donzella.
Essa flor occullou no ebrneo seio,
Que arfa va docemente compassivo ;
N'um olhar revellou me santo enleio,
Ab I meu meu Deus I que olhar tao expressivo,
Do amores cheio I
Assim me nao podes fugir, porque te sigo,
Como a sombra que segu o corpo leu;
Porque em teu seio ja me deste abrigo
E o brando corago uniste ao mea
No temo peito amigo I
O jornal Intitulado Osstrvatore Romano acaba
de publicar um d'esses documentos, cuja exagera-
cao tal, que logo revelou a sua origem sus-
peita.
u -^
Falleceu recentemenle em Nova-York um rico
fabricante, John Chase, o qaal legou aos seos 400
operarios a sua universa fortuna, qae se eleva a
cinco mil contos de ris.
Fallou-se ha lempos na venda dos cavallos de
Ganbaldi ao re da Italia. Agora publica um dia-
rio inglez urna carta do neroe italiano, em que se
l o seguinte :
Nao exacta a noticia que da um peridico
acerca da venda dos meus cavallos.
Vendi dous, porque eram os outros de sobejo
para o servigo da minha casa.
Nao eslou, como se tem dito, em grandes urgen-
cias de dinheiro.
Agradego aos amigos generosos que se tem dig-
nado favorecer-me e dou-lhes parle de que nao es-
lou sem fundo;.
Orgulbo-me de ter recebido deiles essa prova da
amizade.Garibaldi.
No dia 14 do correte foi collocada n'uma mesa j
de pedra, na capella da Virgem, que faz parte da
igreja de Nossa Senhora, no Havre, uraa bomba |
cabida no mesmo lemplo em 1759.
Esle projectil tem gravada a seguinte inscrip-
go :
t No-bombardeamento de 1759, esta bomba, lan-
cada pela esquadra ingleza, traspassou a grande
abobada diante da capella da Santa Virgem, e ii-
cou suspensa n'uma trave sem rebentar.
< Mara vela sem duvida pelo nosso templo. >
s 8 horas da manha de ura dia da semana pas-
sada houve em Clamart, perto de Pars, um duello
pistola entre Augusto P redactor da folha
poltica La France e Luciano P___, redactor de
am jornal luterano.
Trocaram-se dous tiros, sem que felizmente ne-
nhum dos contendores ficasse ferido.
E' possivel que, reconciliados em seguida mes-
mo no campo, fossera ao mais prximo restaurante
afogar o seu resentiraento era-----Champagne do
mais genuino. -^
perdea-se de vista, apezar de todas as lunetas e ocu-
los de grande alcance.
Tendo-se sumido o objecto da curiosidade geral,
a multido dispersou-se tranquilamente, meio sa-
tisfeita.
Eis aqui o contrato nnpclal tal como foi assigna-
do no balo.
CONTRATO NUPCIAL.
Assignado sob as nuvens, por entre os ares,
na conformidade da jurisdiccao, e segundo as leis
do estado de .\ova York, no oitavo dia de novem-
bro.
Impresslonados pela sublime presenga de Deus
e de lodos os entes espirtuaes da creago, aproxi-
mrnosos quanto nos possivel dos cos e persua-
didos de que o amor de duas almas, na pureza do
mais perfeito amor, emana da fonle eterna da ver-
dade e da sabedoria.
Nos, partes contratantes, John F. Boynton, M.
D., da cidade de Siracusa, estado de Nova York o
Mary A. Jeokins, da cidade de San Louis, estado
de Missouri, entregarro-nos um ao outro desde j e
para sempre, e unimonos pelos lagos sagrados do
hymiueo.
Juramos solemnemente que nos havemos de
estimar e amar como marido e mulher, eraquanto
durar a nossa existencia, e, segundo a lingua-
gem da santa escripiura, fazemos a seguinte ora-
gao :
c Que o homem nao ba de separar aquillo que
Deus uni I >
E era t da verdade, nos assignamos:
c John F. Boynton
Mary A. Jenkins
Testemunhas e padrinhos :
T. De W'ui Talrange
< Susie II. Boynton
L. G.
C. Lows.
A' cerca dos barbaros trauraeoloa que os Rus-
sos continuara a infligir aos Polacos, encontramos
n'uma correspondencia de Posen as segutnles iu-
formacoes:
A igreja catholica perseguida cora aocarniga-
mento.
Para ve-lo provar, relatarei alguns faetos que de-
veriam revoltar a coasciencia dos calholicos na
Europa.
Na cidade de Troki, sede do districto deste no-
me, havia uraa estatua de S. Juo, que a autorida-
de local mand ni apear; os execuiores desta or-
den) ataram uraa corda ao pescogo do santo e atira-
rara trra no meio dos apupos dos oflciaes mos-
covitas.
A populago catholica desta provincia, que esla-
va reunida era grande numero e que muito pie-
dosa, precipitou-se logo para apauhar os restos da
estatua do santo ; mas bem depressa foram disper-
sos a ponta de kooui.
Era lugar do sanio, pozeram um globo terrestre
de pao, encimado por uraa aguia de duas cabe-
gas.
i'm tacto semelhante leve lugar em Stoklicbeki,
districto de Troki.
N'uma casa de Wilna, onde foi outr'ora o con-
veuto dos Piaristas, destruirn) da mesma maneira
a estatua da Virgem.
I'ui sacerdote a que se permitlio a liberdade de
reprehender os soldados por commetterem seme-
lhante profanagao, teve de pagar urna mulla de 50
rublos.
Nos arrabaldes de Suipicheki, perto de Wilna,
as irmaes de caridade mandaran) restaurar urna
magem de Christo, que eslava n'um nicho.
O artista que fez secretamente esta obra foi ex-
pulso da cidade.
Finalmente na cid ida de Heichicheki, districto
de Lida.cuja populago exclusivamente catholica
e israelita, os Russos forgara os habitantes a fre-
quentar a igreja scismathica.
Os habitantes mais grados, que se oppuoham a
esta violencia, foram metiidos n'uma priso.
Escrevera de Roma que o papa quis receber os
oflciaes dos corpos que deviam partir para Fanga.
O Santo padre Ihes dirigi alguraas palavras ;
porm tal era a eommogio que d'elle se apoderara
: qae nao pode acabar.
Deu ao general Polhes e a cada um dos oflciaes
. urna medalba.
As tropas papalinas tomaram as suas posigoes
na fronteira, porm n'uma linha interior que as
afasia um pouco dos piquetes italianos.
A partida das tropas francezas abalou a con-
flanga do partido capitaneado por Merode. e este
partido inventou logo um meio de sobresaltar e
excitar o povo romano.
Este meio consiste em redigir a publicar clrcu-
; lares falsas atiribuidas a commissao secreta qqe
I trabalba em nome do partido da acg&o.
Do Courrier des Etats-Ums traduzmos o se-
guinte :
Trata-se de um casamento celebrado n'um ba-
lo, e a sceoa passou-se em Nova-York junio de um
lago, onde secosiuma patinar, era Central-Park.
O professor Lowe comegou mui cedo a encher
de gaz o United-tales, nome do gigantesco balo.
Esta operago foi retardada pela falta de gaz.
Durante esle^tempo, os curiosos examinavam o
wagn aereo, que era extremamente airoso e ele-
gante.
A seda, o veludo e os outros ornatos eram de
urna riqueza e de urna frescura notaveis.
As reodas e as flores artificiaesestavam colloca-
da- com gosto e harmona.
O sobrado eslava coberto por um tapete encor-
pado e de pisar macio.
Este balo poda conter dez pessoas.
A mullida i penetrou no recinto a urna hora da
tarde; os burieles de entrada cnstavam 400 rs., pa-
ra os assentos ordinarios, e 2000 T3. para os luga-
res reservados.
A' hora indicada para a ceremonia, havia perto
de 2000 pessoas no recinto, ao passo que mais de
10,000 esperavam tora do reeinlu.
Durante este tempo os noivos estavam tranquil
lamente assentados n'uma das salas d'uma hospe-
dara prxima, pouco se Ihes importando que o pu
blico estivesse a espera.
A's tres horas a impaciencia comagou a manifes
lar-se por mel de gritos pouco harmoniosos, como
os que sellara as multides impacientes, e ura re-
tratista phoiographo preparou os seas instrumentos
para tirar urna copia da scena que ia ter lugar.
No mesmo instante, duas raparigas, escomidas
d'entre as mais lindas, esmaltaran) de flores o ta-
pete do wagn nupcial.
Estas jo"ens trajavam de branco e uraa myriada
de lentejoulas luziam-lhes sobre os vestidos, ao
passo que tinham as suas copiosas e magnificas
trancas de cabello ornadas de rosas brancas e de
flores de larangeira.
Os noivos nao tardaran) a chegar; o noivo indi-
cava ter quareota janeiros, ao passo que a noiva
conlava apenas vlote primaveras.
Vinham acompanhados pelos padrinhos e por
testemunhas do sexo frgil e do sexo forte. En-
traram todos no balio, e o publico rorapeu em ca-
lorosos applausos.
Porm faltava um personagem importante, e a
multido comegou a perguntar voz em grita :
Onde esta o padre ?
Onde esta elle ?
Soube-se d'ab ha pou-o qae o sacerdote, pouco
desejoso sem duvida de viajar pelo ar, tinha parti-
do para Philadelpbia, preferindo os riscos e perigos
do caminho de ferro aquelles do vasto espago que
se alarga entre a Ierra e o firmamento.
Foi grande o desapontamento dos espectadores,
aos quaes de proposito se deixara ignorar esta cir-
enmstancia.
S mais larde que se soube qae o casamento
fura celebrado n'uma hospedara.
Isto fez com que, em lugar de um matrimonio
celebrado as regioes ethereas, honvesse tao so-
mente urna excurso depois das nupcias.
Comtu lo as quatro boras e dez minutos, ouvio-
se distioctamente o grito de:
Largai as cordas I
E 0 balo elevou-se magestosamente aos ares, no
meio dos applausos da multido; d'abi a pouco
L-se n'um diario de Pars :
A visinbanga do bairro de Santo Antonio acba-se
desde alguns dias alvorogada com um aeortteci-
mento qne a principio se apresentava com todos os
caracteres do mais odioso crime, e a respeito do
qual anda nao ha lodos os esclarecraentos dese-
javeis.
Os esposos M... sio ims honrados operarios es-
tucadores, moradores na ra Sedalne; trabalbam
fra, cada qual em dilema differente.
Tiiiii.iiii dous llu.-, um rapazinho de 11 annos,
chamado Luiz, e una rapanguinha chamada Mana,
de idade de 18 mezes.
Luiz era de um carcter vivo, decidido e mani-
e.-Uiva urna certa pertinacia.
Os esposos M... parecan) amar muito seus fi-
Ihos e nao Ihes faltavam coa nada.
Um destes dias pela manhaa, o marido sahio pa-
ra a sua oflicina; sua mulher sabio tambera, po-
rm s depois de preftar os cuidados neeessanos
ao pequeo Luiz e a sua irro.
Obrigando aquelle a Bear em casa, sua m in-
fliga ihe uraa especie de castigo, porque tinha obs*
tmidamente; recusado ir a escola.
A mulher.....voltou as duas horas da tarde,
deu de jaolar as creangas, e em seguida sahio
outra vez, deixando-us fechados, como pela ma-
nha.
Na sua volta definitiva, as seis horas da tarde,
ficou surprehendida, antes de entrar em casa, de
nao ouvir ruido algum no interior.
Ao abrir a porta, um espectculo horroroso se
offereceu a seus olhos.
.0 pequeo Luiz eslava pendurado de um gaucho
por iraz da porta e tinha cessado de viver.
A pequea achava-se estrangulada no seu bergo.
A infeliz mi soltou gritos terriveis que attraht-
rara n'um instante toda a visinhanga.
O primeiro pensamenlo de cada um dos que acu-
dirn), foi que um crime bornvel havia sido com-
meltido.
Foi prevenido apressadamente M. Lambquln,
commissario do bairro de la Roquelte, que acudi
inmediatamente ao lugar da desgraga, acompanba-
do de um medico.
O magistrado participou ao principio da impres-
sao geral, relativamente ao crime commetlido por
pessoas estranhas.
Porcm como haviam enlrado essas pessoas ?
Que tira era o seu f
Nao havia vestigio de arrorabaraento, nenbum
roubo liuha sido praticado.
Variadissimas eram as conjeciuras, quando urna
palavra proferida pela mulher M... mudou o cur-
so das supposigoes.
O pequeo Luiz, segundo ella, havia declarado
que se teimassem em raauda-lo a escola se enfor-
caria.
Elle realisara, pois, segundo se suppoe, a sua fu-
nesta resolugo.
Mas faltava ainda explicar a morte violenta di
oulra creanga.
Dissemos que Luiz era de um genio insoflrido e
vilenlo.
Tem-se vislo creangas desta idade e dest* tem-
peramento comraetter assassinios; estes tactos (e-
.izmenle sao raros, porm existen).
Talvez o pequeo miz, resolvido a pC* termo a
vida, estrangulasse sua irmia, alira de nao ser im.
pedido pelos seus gritos e nao ter lestemuobas na
realisago do seu intento.
Por outra parte, pode ser que tivesse querido
brincar cora sua irma, passando-lhe urna corda
ero volta do pescogo e, apenando-a de mais, suflb-
casse a creanga. Entao, depois de haver balda-
damente tentado faze-la voltar a si, LuizM...
talvez se assustasse com as consecuencias da sua
acgo e lomara o partido de se malar estrangu-
lando-so.
O auto a que Sb procede esclarecera' sem du-
vida o mysterio que envolve este estranho suc-
cesso, objecto de todas as conversagoos no bairro.
O Sr. Petronio, que as ultimas eleigSes geraes
italianas, sahio deputado por Maafredonia, adqui-
ri repentina celebridade em toda a Italia com um
programraa qae formulou em dez lionas, e man-
dou a todos os eleiiores do seu circulo junto com o
seu retrato em photographia.
A idea nova e graciosa, e o inventor foi recom-
pensado com ora completo Iriumpho eleitoral.
O seu programraa o seguinte :
< Liberdade, unidade, independencia da patria,
i Applicacao do plebiscito,
c Le sobre a respoosabllidade menisterial.
< Ampliacao do direito eleitoral.
< Seguraoga geral garantida, camiohos de ferro,
estradas, commodidades educaoao do povo.
c Aboligao de tributos vexatorios, inquistoHaes
e injustos.
c Economas as despezas do estado sem enfra
quecer o exercto.
Tambem notavel nesta circular a conclasao
Diz:
Abi esta' a raioha proflssao de fe, se eu faltar s
minbas promessas, sirva-me de condemnacio esta
mesma profisso de t, e este retrato que junto ro-
raetto venha a ser o retrato deshonrado de am
raidor.
.
PERNAMBUCO- TiP. DB M. F? DE F. $ PILHQ
V
e
t .
.*- '


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EARFPJ64F_N7DSBV INGEST_TIME 2013-09-05T03:31:38Z PACKAGE AA00011611_10849
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES