Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10847


This item is only available as the following downloads:


Full Text

.
AMO m. BDMEiO 290.
Pr q na riel pago deutro de 10 das do 1. iiiez ...ti.
dem depo/s dos ." 10 dias do comecoe dentro do qoartel. .
Forte o eorreio por tre& aezes..........,
V&w
5|000
61000
750
TERCA FEIBA 19 DE DEZEMBRO DE 1865.
Por anno pago dentro de 10 das do 1. mez ,,,.,. 191001
Porte ao eorreio por um anoo ,..... S$009
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexfodrino de Lira;
Natal, o Sr. Amonio Marques da Silva ; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos da
Oliveira ; Maranhao, o Sr. Jnaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves Filhos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SOL.
Alagoas, o Sr. Claodino Falco Dias; Babia, o
Sr. Jos Marlins Al ves; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacos da via frrea at
Agoa Preta, todos os das.
Igoarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Grvala, fiezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhnns, Buique, S. Rento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqoeira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salguen o e Ex, as quartas
feiras.
Serinhem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, AguaPreta Pimente i ras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do comrnerclo: segundas e quintas.
Relagao: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Julzo do commercio: segundas as i i horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira Tara do civel: tercas sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1
bora da tarde.
EPHEMERIDES DO MEZ DE DEZEMBRO.
-
2 Lis chela as 4 h., 24 m. e 45 s. da t
9 Qaarto ming. as 9 h., 53 m. e 28 s. da f.
18 La nova as 2 h., lo m. e 34 s. da m.
24 Quarto cresc. as 10 h., 11 m. e 22 s. da m.
DAS DA SEMANA.
18. Segunda. S. Esperidiaoh. c.;.S. Theotimom.
19. Ter?a. S. Dario m.; Ss. Paulillio e Fausta mm.
20. Quarla. S. Domingos de Silos ab.; S. Julio m.
21. Quinta. S. Thom ap.; S. Themistocles m.
22. Sexta. S. Honorato m.; S. Ftaviano m.
23. Sabbado. S Virtoria v. m.; S. Ternilla v.
24. Domingo. S. Delphrao b.; S. TarMIla m.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 6 horas e 6 m. da manhaa.
Segunda as 6 horas e 30 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o snl at Alagoas a 14 e 30; para O
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernn*
do uos das 14 dos mezes do Janeiro, marco, malo,
julho, setemhro e novembro.
ASSIGNA-SE
noRecife, nalivraria da praca da Independencia
ns. 8 e 8, dos propietarios Manoel Figueiroa da
Faria & Filho.
PARTE 9FEIGIAL
GOIBIMO DA PilOvW.U.
Expediente do dia 15 de deiembre de 1865.
Offlcio ao Exm. presidente da provincia do Ma-
ranhao.Rogo a V. Exc. que se sirva d* dar o
conveniente destino ao eapilo Felisberlo Jos No-
guerra Paranagua e a varias pravas que vieram
como voluotarios do Piauhy e regresso hoje no
vapor Paran, por terem sido aquelle dispensado
do servico do exereito e estas considerada? inca-
pazes do mesmo servido.
Dito ao mesuo.Transmuto a V. Exc. para o
fim conveniente a inclusa guia do guarda nacional
Antonio Feliciano de Almeida, que segu hoje no
vapor Paran, a disposigao de V. Exc.
Dito ao Exm. presiden!-* da provincia do Rio
Grande do Norte.Transmiti a V. Exc. para que
tnha o conveniente destino, a guia das pragas que
fago seguir hoje para essa provincia a disposigao
de V. Exc.
Dilo ae Exm. presidente da provincia do Piau-
hy. Transmiti a V. Exc. para o lim conveniente
a inclusa guia das pravas Manoel Francisco de
Sant'Anna, e Halaqaias Ferreira dos Santos, que
fago embarcar hoje no vapor Paran, disposigao
do Exm. presidente do Maranhao e com deslino a
essa [irovincia.
Dito aogeoeral commandanle das armas.Res
pondeudo ao offlcio que V. Exc. me dirigi hoje
sob n. 2,147. lenho a dizer que faca seguir para
Piahy e a disposigao do respectivo presidente de
confonnidade com as minhas ordens o voluntario
daquella provincia, cadete Renedicto Jos de Sou-
za, que foi Julgado incapaz do servico do exercito
segundo consta do termo queio annexo ao seo.
citado offlcio.
Dilo ao inspector da ihesourana de fazen-
da.Mande V. S. entregar ao alferes Joaquim dos
Santos Teixeira da Molla Cavalcante, a quanlia de
400*, para o pagamento do que perceber at o fim
deste mez, a forca de 30 praeas da guarda nacio-
nal, que sob o seu commando vai descatar no ter-
mo de Ipojuca, devendo o referido alferes prestar
coritas opporiunamenle a essa thesourana.
Di lo a cmara municipal de Serinhem.Infor
me a cmara municipal da villa de Serinhem, os
materias porque nao expedio como Ihe foi recom-
mendadoem minha circular de 16 de agosto ulti-
mo, as precisas ordens ao juiz de paz competente
para se proceder nessa villa, no dia 7 de Janeiro
viodoo.ro, a eleigo de deputados provuciaes para
a legislatura que lem de funcciouar nos anuos de
1866 a 1867.
Dito ao juiz de paz rrnis vota lo da freguezia de
Serinhem.Constando-me Dio ter a camtra mu-
nicipal da villa deSerinhiem, com) Ihe foi ordena-
do em circular de 16 de agosto ultimo, expedido
as convenientes ordens para se proceder no dia 7
de Janeiro vindouro, a eleigo de debutados pro-
vinciaes, para a legislatura que tem de funecionar
nes annos de 1866 a 1867, recommendo a Vine,
que faga quanto antes a convocacao dos respecli
vos eleitores para aquelle dia e rena o collegio
eleitoral ati jq de ter lugar a referida eleico, tendo
Vmc. em atterrgo o disposto no decreto n. 2,633,
do Io de setembro de 1860 e mais disposigoes em
vigor.
Portara.Os senhores agentes da companhia
Brasileira de Paquet-s a Vapor, maodem dar trans-
porte para c Maranhao, a disposigao do Exm. pre-
sidente daquella provincia, por cuita do ministerio
da guerra, ao turriel Antonio Feliciano de Almeida,
a ella pertenc-nte, bem assim as praeas do Piau-
hy, cadete Beoedieto Jos de Souza, Mauoel Fran-
cisco de Sinl'Anna, e Malaqnias Ferreira dos
Santos.
DitaOs senhores agentes da companhia Ura-
sileira de Paquetes a Vapor, mandem dar transpor-
te para a provincia do Rio Grande d Norte, a
disposieio do re-pectivo presidente, as praeas a
ella perteocentes. Jos Luiz de Franca, Manoel
Duarle Gu'd->, Thomat Jos de Aquioo, Antonio
Arcacer, Manoel Sevenano de Freitas, e Manoel
Jos de Freitas, que foram julgados incapazes do
servico militar.
Dita.Os senhores agentes da companhia Brasi-
lera de Paquetes a Vapor, mandem dar transporte
at o Maranhao, por conta do ministerio da guerra,
no vap voluntarios da patria da provincia do Piauhy, que
foi despensado do servico Felisberlo Jos N ogueira
Paranagua.
EXTERIOR.
LISBOA.
28 de novembro do 186o.
(Concluso.)
O Porluguez de 22 torna-se notavel cora as
seguintes qnatone perguntas :
t Mui respeitosamente uos dirigimos hoje ao
parlamento, pediudo aos seus membros, que bus-
quem achar urna resposta exacta s seguintes per-
guotas:
l* Ser verdade que, por parte d um certo con-
cilibulo, se ousou dar passos para comprar ou fa-
zer calar a respeitavel e honrada redaego do Jor-
nal de Lisboal
2o Ser verdade haver ordem para distribuir em
Portugal al 400:0005, na questo da oovacao do
caminho de sueste?
3' Ser verdade que, sabendo-se que a Gazeta
declarara que vender urna pane das suas colum-:
as para a defeza do contrato Debrousse, foi pro :
curada para defender a novaco do contrato do ca-
mioho de ferro de soeMe, e effectivamente esla ho-'
j i ao servico da empreza por doze contos de res,
dos quaes ja recebeu cinco ?
4" Ser verdade terso feito diligencias junio do
Sr. A. R. Sampaio, para defender calorosamente o
contrato, ao que elle se nao lem querido prestar,
dizendo que nao cifniro e que nao emende de
contasf
* Ser verdade que fura encarregado nm amigo
do honrado deputado e jurisconsulto, o Sr. Torres
e Almeida, para fallar a este cavalleiro. e dizer-lhe
que se quena ser ministerial, fazer parte da com-
misso de fazenda, e do contrario nao ; e que o di-
to amigo nao quiz encarregar-se de semelhante
missoT
6" Ser verdade que um honrado negociante da
praca de Lisboa, e depulado, nao fez parte da com-
misso de fazenda, por declarar a algum dos mi-
nistros que nao podia seguir o governo na questo
do contrato de 14 de ootubro, porque era negocian-
te e devia saber fazer conlas ?
7* Ser verdade que se tem feito promessas ao Sr.
FradescodaSilveira, de que se salvar a compaohia
Unio-Mercantil, se o Ilustre deputado approvar o
contrato de 14 de oulubro?
8* Ser verdade que o deputado Claudio Jos
Nuoes est promettida urna boa collocago, dentro
do prazo dedous annos, se elle apoiar, defender e
approvar o novo systema financeiro do Sr. Fontes?
9* Ser verdade que ja se princlpiou a corrom-
per na cmara dos pares, (endose promettido car-
gos rendosos a algons delles T
10* Ser verdade que fra um persooagem en-
carregado de fazer com que o honrado ex ministro,
o Sr. Carlos Benlo da Silva, nao diga, na cmara
dos deputados, o que sabe a respeito das propostas
que Ihe foram feitas pela companhia de sueste.
11* Ser verdade que os delensores do contrato
propalara que a novago fura resolvida u'uma con-
ferenciados Srs. Fontes,Serpa, Casal Ribeiro e Mar-
tens Ferro ?
12" Sera verdade qne estfto errados os clculos
do reudimenlo kilomtrico dos caralnhos de ferro
porluguez, no relaiono do governo, e que o nico,
meio de saber a verdade, pelo rendimento dos 5
por cenlo que o thesouro cobra do dito rendimento |
ou perfumando ao eogenheiro Canto?
13' Sera verdade que Salamanca quer passar as
Habas do norte e leste, por meio de um contrato
igual ao do sueste, e que sobre isto ha urna pro-
messa particular desde as celebres acclaracoes, e
que para isso j se t tu feito conta simulada do
rendimento kilomtrico, mas que o thesouro lem
recebido menos pelo imposto de 5 por cento?
14" Ser verdade, que as razoes que allegara os :
cavalleiros convidados para a pasta da guerra, pa- i
ra a regeitar, o nao quererera lomar a responsa-1
bilidade do contrato de 14 de oulubro?
As fofnas govenameniaes tem respondido pela
negacaoa e-las perguntas do Portuguez.
Ja se noliciou que >e tralava de construir um
balito novo entre o passeio publico e S. Sebastio \
da Pedreira.
Para esle lira organisou-se urna companhia por-
tugjeza, e ltimamente outra companhia ingleza
denominada (.General Internacional Society, resol-
ven lomar metade das acedes, no valor de um mi-
Iho de libras.
Ja esli feitos os planos das edificacSes para o
novo bairro.
llavera' una ra, como arteria principal, desde
0 passeio al S Sebaslio, com a largura de 401
metros.
A meio caminho se formara' urna grande praea
circular, d'onde pirtirao doze ras principies do
novo bairro.
A praca deve ler as dimensoes do terreiro do
Pago.
Km S. SdbatlSo se fara' um graDde parque ar-1
borisade.
Parece que as exproprlacoes necessarias nao ex-;
cedem a 700 conlos.
As ras serao Je grande larguras; os predios
as melnores condiedes hygiemcas.
E assim necessano. Urna das causas que mais
conlribue para a salubridade de Lisboa a desac-'
eamalaeao da populaco. A isto se deve, nao terem
sido anida maiores os estragos da febre amarella .
em 1857.
Qoando pois se trate de povoar esses g'.andes
terrenos livres, que tanto conlribuem para conser-
var a pureza do ar, indispensavel que as ras e
os predios tenham todas as condicoes hygienicas,
para que to importante malhoramento nao venha
a ser, por outro lado, funesto a cidade.
O Diario d= 21 annuncia que os facultativos
de. Elvas consideraran exiincta a epidemia do cho-
lera inorbus que invadi a mesma cidade. No da
23 na S de Elvas foi cantado um solemne Te
Ueum pela lerminacao do mal.
Chegouja a Lisboa o conselheiro Jos Baptis-
ta de Andrade, ex-governador geral da provincia
de Angola, distmclo capito de mar e guerra.
Kealisou-se na sexta feira a experiencia do
vapor destinado ao bey de Tunes. Para este fim
fo,ram bonvidados pelo barao de Rivire OS offlciaes
de mi i mili de patente superior, erapregados su-
perior* s do arsenal de mariuln.
O vapor largon a amarracao ponen depois do
meio da, e segoio at a' altura de Cascaes, reto- j
mando a sua amarrago no Tejo pelas 9 horas da
noite.
O batao de Rivire offereceu um lunch a's pes-
soas que tiverarn a honra de ser por elle convida-
dos pa'*a a experiencia do vapor.
Appareceu una caria do Sr. Jos Alonso era
resposia a' carta que o Sr. Anthero de Quental di-
rigi Jo Sr. A. F. de Caslilho em defeza da osela '
deuominada Coimbra. Essa caria devida a penna \
de umfescriptor hunioristico mui conhecido e fes-1
tejado.l Diz-se que do Dr. Manoel Roussado.
Appareceu no iostitoto industrial desta cida-
de o pesenho e descrincao de um novo meio de!
transporte lluvial e martimo para evitar a baldea-
cao inanuil, e o longo trabalho das cargas e des-
cargas as embareaedes ordinarias. E' urna espe-
cie de caminho de trro fluvial, eogenhosamente i
contbinado, cuja inveoeio se deve ao Sr. Gilberto
Augusto Furrier des t'.orats, residente em Paris, o
qual obteve para este seu invento patente de intro-
decio em Portugal por cinco annos.
Consta que os logistas da baixa tencionam fa- i
zer um merlina para pedir providencias ao gover-!
no por causa do augmento ezcessiVo das rendas ;
das casas. Provocou esta resolncao alm de mui-
tos casos, ura conflicto grave entre um logista do
Chiado e o senhorio da casa.
No asvlo da Ajuda foi entregae a quantia de
3:0005000, "era metal, pe o Sr. Manoel Antonio de
Senas, como lestamenteiro do finado Antonio Es-
queoppett.i, legado que este deixon.
O; bancos Ultramarino, Uniao e London and
Brazilian comegarara no da 17 a abonar aos seus
depositantes o juro de 3 por cento ao anno por de-
psitos vi.-ta. Esta elevacio devida probabi-
lidade de continuar subido o juro pelos descontos
de letras, era consequencia da procura de moeda i
para exporlago e dos avultados capilaes chamados i
pelo governo para a divida fluetuanle.
A's 6 horas da tarde do dia 14 do corrente,
houve urna grande explosiio de gaz n'uma sala no i
palacio dos condes de Penafiel. Foram quebrados |
todos os vidros, e a exploso levanlou o soalho, o
forro do tecto e estuque.
Ficaram duas criadas queimadas na cara e as
m.aos, estando j em t alamento.
Appareceu urna bomba, porm o fogo nao pro-
grediu.
Consta que vai ser elevado a conde de Tor-
res Novas, o irraao do fallecido, o Sr. Jos de Vas-
concelos Correa, commaudante da guarda muni-
cipal de Lisboa.
Sua alteza o infante D. Sebaslio brindou o
Sr. Pedro de Souza, lente dislinclo da academia
real das bellas artes, com um rico alfinete de bri:
Ihantes.
Houve grandes alieragoes no alto pessoal do
ministerio das obras publicas. O conselheiro Er-
nesto de Faria, que era secretario geral do minis-
terio passou para administrador geral das maltas
do reino; o Sr. Jos de Mello Gouveia qoe exercia
e*te ullimo cargo foi noraeado chefe da repartico
de agricultura, o Sr. Mello Archer, foi passado a
chefe da reparligao ;central e secretario geral do
ministerio. Ninguem esperava esta alierago e por
isso muia gente se tem admirado.
Depois de se encerrar a exposigo interna-
cional, tencionase converler parte do palacio de
crystal em bazar ou exposicao permanente dos di-
versos productos da industria e engenho humano.
Consta que j procurado o espaco para esse lim,
( o que nao admira sabendo-se que aquelle edificio
1 e os seus jardins hao de tornar se o principal pon-
to de reunio da cidade do Poito.
i Movimeoto dos seguros de vidas. O do ban-
co Unidoobteve desde o 1." de setembro at 30
dome107 subseripcoes, por ura capital de
4o:675000.
A Prevtdente do bancoAllianea obleve desde
i o referido dia primeiro de setembro at 30 do mes-
monoventa e duas subscriperjes, por um capital
de 147:137,5500. A Ttift/nr-desde o dia 2o de
agosto de 1865 at 25 de setembro obtee, por to-
das as suas agencias de Hespanha, Portngal, Bra-
I sil, e outros paizes 58 subscripgoas por nm capi-
tal de 544,050 40 reales de vollon, ou 25:570*370.
O Ptrcir das Familiasobleve tambem de todas
s suas agencia.- rje Hespanha, Portugal, etc., de-
de o dia 15 de anosto de 1865 al 15 de setembro;
525 subseripcoes, por um capial de reales de!
velln 48,60, ou 2:284*200.
A assembla geral do banco de Portugal i]
approvon o regulamento para transaccoes de segu- i
ros sobre vidas, sendo estas transarroVs completa- I
mente estranhas s ontras a que o banco se entre-'
ga em viriude da soa carta orgnica.
O regulamento ser levado presenca do gover-
no, para a sua approvaco.
O visconde de SoUmaior, (Antonio da Cunha
Solomaior) nosso ministro em Compenhagne, che-
gou a Paris, vindo do Mxico, onde fura enviado
pelo nosso governo no desempenho de misso espe-
cial. O imperador Maximiliano recebeu-o cora
grandes demonslrac.oes de affecto, e fez-lhe algnos
presentes de grande valor. Entre outros contara-
INTERIOR.
connuspoviinvn vs ioi
BIO DE 1*EUVIJIIILXO
Therezina, 23 de novembro.
Parte hoje para o theatro da guerra o primeiro
batalhao de guardas nacionaes, com que coucorre
esla provincia para desaffronta da dignidade e bros
da nacao, to torpemente olfendidos peto lyranno
do Paraguay.
E' um bonito batalho composto de mais de qui-
nhentas pravas, das quaes Meara aqu algumas que
foram ltimamente attacadas de varila, mas que
se uns arreioscomplelos e riquissimos, chapeados oiro logo que Ihes perraitllr o sea .lado de
e repregados de ouro e prata maclssos; um traje sade.
coraplelo de (dalgo camponez, de riqueza pouco E' commandanle do batalho o Sr. tenente-coro
vulgar na Europa, e da pelle de um animal do Ca- nel Pacifico da Silva Caslello-Branco, primo co ir-
nada, com botoes de prata macissa dourada, e urna rr-io do Exm. Dr. Borges Caslello-Branco, e um
caixa chela de dolos mexicanos ou divindades dos mais ricos e iraporiantes proprielarios desta
que aquelles povos do Mxico adoravam. provincia, na qual ninguem se disllnguio mais as
Sob proposta do deputado Vieira de Castro, actuaes circomstancias do paiz.
que fez em sentido de discurso, a cmara dos de j s.r- tenente-coronel Pacifico Caslello-Branco
putados votou urna mensagem de sentimento In '. preslou relevautes servicos a causa da patria, ja
glaterra pela morte do seu primeiro estadista, a concorrendo com multo exforco na aequisigo de
quem Portugal deve tantos servicos, Henry John voluntarios, entre os quaes conta-se um crescido
Temple, visconde de Patmerston, e outra vlscon- numero de membros de sua familia, que poderosa-
dessa vi uva. mente concorrerara com suas pessoas, com seu di-
... .. nheiro, e com sua influencia para a organisaco
Vanas associacoes operaras de Lisboa tem vola- aos dous brilhantes batalhoes de voluntarios Piau-
do mensagens no mesmo sentido. hyenses, que j seguiram para o campo de bata-
O vapor de guerra Mindello, eocontrou pes- Iha; e ja na apresentaco de guardas nacionaes
simo lempo logo que chegou ao Cabo de S. Vicen- em que toraou parte mu activa, ulilisando se de
te; apesar disso e de algumas pequeas avarias sua lfluencia e prestigio, despendendo sommas
na proa e caixa das rodas, fundeou em Gibraltar crescidas para augmeniar o numero de praeas do
no dia 19 do corrente. D'alli, logo que recebeu o batalho, o que brilhantemenle conseguio.
carvo uecessario, seguiu para Genova, onde vai No commando do batalho de guardas nacionaes
ficar s ordeus de S. M. el-rei D. LuizI. val o teiieute-corooel Pacifico Caslello-Branco, oc-
Consta que o Sr. Aleandre Herculano ten-
ciona vir imprensa esclarecer a j to controver-
tida questo do casamento civil.
cupando ura lugar, para que ninguem era mais
competente, porque summameote apreciado e res-
peitado pelos seus subordinados, sobre os quaes
Foi conferido o ttulo de conde de Cavalleiros eIerce unia influencia benfica ij proveitosa, dando
ao Sr. D. Rodrigo de Menezes, amigo deputado as
cortes. Recahiu perfeitamenle o titulo no Sr. D.
Rodrigo, que e um nobre carcter em toda a ex-
tensn da palavra.
Vi jornaes francezes publicam a segrate re-
laco do numero de metros quadrados, que no edi-
ficio da expo-igo universal de 1867 de Paris ho
de ser concedidos a cada na^o. E' a seguinte :
Franca, 64,056 ; Gra-Bretanha, 23,002 ; Prus-
sia, 7,528 ; Austria, 7.528 ; Confederace, 7,528 ;
Blgica, 7,249 ; Italia, 3,888 ; Estados-Unidos ;
3,346 ; Russia, 2,916 ; Suissa e Noruega, 2,091 ;
Paizes Baixos, 1,993 ; Hespanha, 1,994 ; Turqua
e Japo, 810 ; America Meridional, 810 : frica e
Oceania, 810 ; Dinamarca, 650; Grecia, 647 ; Ro-
mana, 648, e Estados-Unidos, 618.
O augmento diariamente crescente do com-
mercio de Franca com o Brasil obriga o governo
francez a crear um consulado no Rio de Janeiro,
aoude Ja tem urna lega;o encarregada das rela-
Coes polticas com o governo brasileiro.
O cnsul francez naquella corte ser encarregado
dos negocios comraerciaes e naciouaes, e de todas
as quesioes relativas radustria raariliina de Fran-
p'.ir si o exemplo no enorme sacrificio que faz dos
seus abundantes commodos, e das vaotagens que
poderia tirar de sua fortuna, para servir a patria
com a sua propria pessoa.
O Sr. tenente-coronel Pacifico Caslello-Branco,
em todas as quadras representa, um papel saliente
entre os bons Piauhyenses, que se exforcam pelo
bem de sua provincia, e agora este passo q\ie aca-
ba de dar o torna wmmamenle credor da estima e j
veneracao de seus patricios, que de ha muilo Ihe
reconhecem um carcter nobrb e prestavel, e o col-
locam pelo seu apreco em urna posic.o importan-
te, da qual merecedor por todos os ttulos.
E.-t bm prximo o di
ceder nesta provincia a elei
geral.
iNenhum Piauhyense duvi a em dar
ao Exm. Dr. Borges Casit
reunir mais urna prova i
seus patricios as ennuraeras Ique ja'lhe leera
em ideulicas e dToreotes ciicumstancas.
O distinelo Piauhyense ca rado das lutas parti-
darias, e cercado de crescido
traco dessa provincia, da qi
sabio, nao leve lempo para
em que se hade pro-
o para um depulado
o seu voto
lo Branco, que assim
apreso e eslima de
dado
Ca. M. Delapone, cbanceller da legacao traneeza seus n meroso, narm.,s
era Carloruke, o noraeado para esle novo porto, 5SK7S5KE
e pariira brevemente. g [io lratlsceuJenIe, as syn
A Tulla official annuncia : to valiosas, e os s-us amigo
1." Durante o mez de setembro ou no de outu- nao ha a menor duvida de q
bro de 1866, como mais convier, realisar-se-ha na mente honrado pelo voto de i
villa de Cevillia urna exposigao regional, compre- i das ambicies de dous candid
hendenlo os tres districlos de Caslello Branco, Vi-1 dirigir circulares dizendo se
zeu e Guarda. D|S|0 protegidos por pessoa
2." Para as despezas da exposicao e do congres-, curado ollu-car a reputayo
so destinada a verba de 6:000*. di^lribuida pela co, com o que so lem conseiuido palentear-lhe a
trabalho na adminis
al to brilhantemente
ngir-se a um s dos
higos nesta provincia,
o, mas o seu mrito
patinas que tem sao
lo dedicados, que
e elle seja unnime-
eus patricios, anotar
tos, que chegaram a
candidatos offlciaes, e
Ique tem seropra pro-
do Dr. Caslelio-Bran-
frma segrate
Ministerio das obras publicas 3:000*.
Junta geral do dislriclo de Ca-lello Branco 1:500*.
Dita do districto de Vizeu 600*.
Dila do dislriclo da Guarda 600*.
Eutraa dos vizilautes no recinto da exposicao
300*.
Total 6:000*.
superioridade.
Ao receber destas noticias j o distincto Piau-
hyense sera representante nago, por se ler de
proceder a eleic&o no primeiro de dezembro pr-
ximo.
A elelgo para deputa ios provinciaes deve
ser a 4 dezembro, e nao se pode prever com cene-
ser eleilos.
za a totalidade dos que tem de ser eleilos, porque
o" novo "banco que se traa de fundar em Lis oram excluidos da chapa petsoas de merecimento,
boa denominar-se-ha Banco Nacional Porluguez 1u, nao se accommodaram. sendo de descont, de emiss5es, de depsitos e de l'ari* sfl 'azerera eleger.
operar-oes de crdito movel, sendo os seus funda- ~ A presidencia continua a extorcase per ad-
quirir voluntarios, guardas nacionaes, etc., e de
crr que anda consiga muilo porque nesse emj>e-
nho valiosamente auxiliada pelas pessoas .impor-
tantes da provincia.
I A varila tem feito estragos nesta capital, e
em toda a provincia, mas vai ja' declinano, e 6
] Qds que tem tomado a populacAo.
dores os Srs. duque de Saldcnha, marquez de La-
pressauge, Ronald Waneslrocht e Bernardino Mar-
tins.
roram grandes as innundacoes que o tempo-
ral da noite de 24 para 25 do corrente produzo
nos campos de Riba Tejo. d efw aesa|ipart,ca brevemente pelas precau-
Na Alhandra chegou a agua aos pnmeiros anda--^. ,,,,',um ,..i .* nnu^
res. Ha grandes prejoiios. Esteve inlerceptada a
linha frrea do norte e leste.
iNo dia 25 de mantilla, abaten no caminho de fer-
ro de norte e leste a ponte junto a Alhandra, na
occasio em que passava a machina do comboyo n.
5 (que era comboyo do eorreio.) Diz-se que a ma-
china cabio para o vo da ponte, nohavendo com-
ludj desgroca alguma. A cheia que produzio o
levaotamento da ponte. O comboyo do eorreio te-
ve que voltar a Lisboa.
As commissoes offlciaes infermam de que em
Loures a tres leguas da capital, a cheia destrulo no
dia 25 a ponte, os muros e as casas, fazendo saltar
as umbreiras das portas e alagando no cumprimen-
to de 50 metros a estrada a ponto detornar-se in-
tran-ilavel assim a p, como a cavallo. Na ra
Fria oude os estragos foram maiores morreram
tres pessoas, entre as quaes se conta o Sr. Pereira,
loi!>la e proprietano.
DIARIO DE PERNAMBUCO.
Pelo vapor nacional Tocnnfins, chegado dora
go s 9 doras da noule, recebemos jornaes do
norte, que alcancam : do Para 8, do Maranhao
9, do Cear a II, do Rio Grande a 13 e da Pa-
rahya 15 do corrente.
para.Eis quanto occorreu, segunlo diz nosso
correspondente :
Esle vapor (Tocantins) entrado hontem tar-
de nada conduz importante para essa ao fim de
oilo das depois da sabida do ullimo o (Oyapock),
quanto a uovidade d'esla provincia.
< A siluaco pollira contina no mesmo ma-
l m Ponte de l,oua a torrente levou urnas casas I rasmo ; os progressistas que a dominara seguem o
com tres pessoas que eslavam dentro, du s pontes,' norte do seu directorio, que ludo, tanto n'esta
urna de pao e outra de pedra, e quatro azenhas, e! cidade como pelo centro ; os conservadores, sem '
tornou pela mesma forma inlransitavel a estrada "" cabe?a visivel que os dirija, cada um aguar-1
As fazendas ficaram perdidas, os arvoredos que- da a mudanca dos negocios pblicos, conforme as
brados, tudo emfim. estragos e rumas. As perdas! ua-s 'deas e os diclames, das suas aspKdcoes
por serem imraensas nao se podem por ora calcu-lultra liberaes nao commungando nem com
com a entrada do novo, se estabeleca urna situa-
rn definitiva no commercio.
Do que propriamente martimo ha o nolavel
successo da arribada do brigue nacional Marquez
de Santa Cruz, que tendo sabido para o Havre era
principio de oulubro, se vio forcado, para evitar
urna perda total e conseguir a salvago de vidas,
a regressar a este porto da procedencia.
O navio em alto tceano, mas lao distante da
Afli-rica cmoda Europa, sotfreu como outros um
ten i >el lufo, e apanhando-o com lodo o rigor de
sua lorea, foi obrigada a Iripulaco, a cortar os
cabo a picar os maslros, do contrario faria da
quilha portlo.
Neste estado andou a matroca e a merc das
ondas por alguns dias, quando foi encontrado por
varios navios que aconselhavam acarapanha a
abandonar a embarcacao.
Como o navio era novo e capaz dj resistir, a
iripulaco deliberou a todo o custo regressar
qualquer pono da America, e oonseguinlemente
concertando um dos mastros eapanhando os ven-
tos geraes pode alcanzar o Para ao lim de 2 mezes
que d'aqui sahio.
A' principio este tacto causou seria aspecta^ao,
mas hoje lodos reconhecem a pericia nutica dos
que dirigiam o navio, e assim os seguros tanto
deste como da carga, devem reecohecer que seno
fosse a arribada por semelhante modo e o animo
da tnpolac-io, caro Ihes custaria os objectos loma-
dos a risco ; porque a embarcagao e o carrega-
menio prefazera valores importantes, segundo
consta.
Com ludo a arribada faz graves transtornos a
todos os interessados, com especialidade aos car-
regadores pelo menos em razo da demora e em-
pane de seus gneros.
Tambera aqu entrou com avarias a barca
Adelaide vinda do Porto, e corre que outros navios
apanharara o temporal que sotfreu o Marquez de
Santa Cruz ; sendo nolavel que o lugre Betem, sa-
ludo d'aqui para Lisboa em ^etembro, ainda nao
tivesse chegado a seu destino com dous mezes
de vtagem.
t Desta vez segundo as informacoes qoe acabam
de me dar nao embarca tropa nem recrutas para o
sul, e assim o vapor segu hoje para o seu desli
no nao obstante ter entrado hontem tarde e ser
tambem hoje dia santo.
Por estes dias aguardarnos a chegada do va-
por americano de New-York e por elle, se algu-
ma novidade houver, Ibe escreverei.
O movimento do porto durante o mez de novem-
bro o seguinle:
Navios. Entrados.
Dr. Francisco Gouvea .. 122
Padre Eduardo...... 118
Dr. Rogers......... 117
Dr. Ivo......... 115
Dr-Rufino........ 107
Dr. Crispim....... 165
. Padre Antero....... 91
Dr. Ca riacho....... 89
Dr. Benevid.'S...... 85
Dr. Assumpco Neves. .. 83
Costa Villar....... 76
Durante a semana de 7 13 do corrente en-
traram, na iospecgo do algodo da capital, i,544>
saccas de algodo.
PERNAiMUC.
Brasil el ros.
Portuguezes....
Inglezes........
Francezes......
Peruano.......
Norte Americano
12
3
5
6
1
1
~27
Sahidos.
10
2
4
3
O
1
20
Porluguez.
Ioglez.
c dem de passageiros estrangeiros :
t Eutrados 71sahidos 37.
Navios no porto :
Brasileiro. Bertha Reinsthorf.
Marquez de Santa Cruz.
Flor do Vez, a sahir para Lisboa a
10 do correte.
Adelante.
Jamega.
Mudara.
Monda.
Florist.
Lidia Mary.
> Los amigos.
Izabella.
Itahan Hers.
t Um vapor Norte americano qu< segu hoje
para o sul.
Os navios portuguezes Viajante e Pahneira
sahiram para Lisboa aquelle a 3 e este 6 do cr-
reme, e o americano Suso* a 4 para New-York.
Maranhao. Fallecer o capitao Manoel Ignacio
Vieira, pai do Exm. Sr. senador Dias Vieira, com
78 anoos de idade.
No da 7 do crreme o corpo commercial ele-
geu a coraraisso da praca para o anuo de 1866 ; a
qual iic.ii composta dos Srs.: Luiz da Serra Pinto,
Antonio Joaquim de Lima, Manoel Joaquim A. de ,
Magalbes, Walter Grange, Joaquim Antonio da
Silva Ferreira, Pedro Jos dos Sanios, Agostinho
Colho Fragoso, Joaquim Marques Rodrigues e Jos
Joaquim Lopes di Silva.
O cambio sobre Londres regulava 27 }( d.,
Cear.No mez passado foram despachados na
alfandega os seguintes gneros :
Caf . 30:834 arrobas 193:227*100
Algodo. . 9:258 i 134:3624233
Assucar. . 16:615 a 29:077*671
Couros . 3:815 19:075*000
Borracha . 396 0 3:564*000
Vilete.. . 420 i 143*500
Carrapicho. 64 > 56*600
Cera de car-
nauba . 102 614*080
Sebo . 67 1 214*400 400:325*504
lar. Em Smlo Anlao do Tojal.os estragos sao calcu
lados em 30 ou 40 contos de ris. Em S. Julio e
S. Saturnino de Fanhoes larobem foram extraordl
narios os de-trocs causados pela cheia.
A urna hora da tarde do dia 25 ja havara appa-
recido dous cadveres I
Ao solemne Te-Deum que, para solemnisar o
anniversario da restauracao de Portugal, se canta
no dia 1" de dezembro na S patriarchal assistiro
este anno os alumnos da aula da issociacio Civili-
saco Popular, e consla que os de outras escolas
publicas.
Foram presos o commandanle do hiate S. P.
Pedro, 1" i-nenie da armada Agostinho Jos Mana
da Molla, e o escrivo encarregado Joaquim Jos
Simoes, para haverem sido pronunciado em um
processo que se Ihes Instaurou na provincia de Ca-
bo Verde.
Representou-se pela primeira vez no da 25,
no theatro do Principe Real, a comedia era um ac-
to Meus olhos! Mea nariz Mtnha bocea I ac-
commodada a scena porlugueza pelo Sr. Antonio
deCastilho. Dizemque a comedia linda, e esta'
esmeradamente escruta.
Brevemente apparecer no theatro de D. Ma-
ra II O Demonio do Jogo, venida por um dos nos-
sos homens de lettras.
O circo Prlce tem este anno apresentado mul-
tas novidades acrobticas equestres e gymoasticas.
No theatro de S. Carlos ensaia-se o Fausto e
deu so a Martha ltimamente com grande xito.
Chegou no dia 25 do crreme, a bordo da b^.
ca Ligeira procedente do Para a eximia adrlZ por-
tugueza D. gnvJia d N'eves e Souza,
os
uns
uem com outros, qualquer acooleciment que por
ventura succede, nenhuma importancia ligam, em
quanto os homens da sua crenca nao subirem ao >
poder.
< E' assim c-mo vo as cousas por aqui; e j
v que nenhuma importancia propriamente poli-.
tica exprime a aciualidade.
t Entretanto o Constitucional Paraense, orgo
dos genuinos conservadores passou a sabir duas
vezes por semana, segundo declarara os seus re-
dactores, em viriude das necessidades do partido
e dos desmandos do poder.
c Od.i um, pois, atiere as necessidadese os des-
mandos pblicos conforme as suas crencas t
< A questo empenhada pelo Dr. Ambrosio Le
lo da Cunha pouco mais lm dado de si pela im
prensa, a vista do que notialei pelo ullimo vapor.
Esperemos ainda pelo resultado porque nao
tarde ; e demais a mais as eleiedes ou antes as
ambicoes na contenda eleitaral nao e-to longo a
se debater.
< Ti vemos a 2 de dezembro Te-Deum e parada
pelo o anniver.-arb de S. M- o Imperador, notan-
do-so ales da pouca concurrencia publica, a au-
sencia do nosso prelado deccesano.
< Do commercio contina o negocio cora mais
ou menos animado pelas Qltimas noticias do pre-
go da borrachi, do cacao e outros generes as pra-
eas da Europa e dos Estados Unidos.
i E' verdade que este vapor nao transmute no-
vQ3 lelegramraas de melhores precos, como se es-
perava, alguns especuladores parecem esmoreci-
dos a concorrerem as compras e transaccoes.
Qaanto a negocio a meo pensar que at ao
flm do anno iremos Reatas vacilacSes, at que
L-se no Cearense :
t No sabbado, 9 do corrente, S. Exc. Rvm. con-
ferio ordens de tonsura e menores, na capella da
Cmivici.i, da Pr.iinba, aos ordenados Annessio de
Torres Bandeira e Ignacio Hybiapina da Silva So-
bral, do bispado de Pernarabuco, e anle-hontem os
de subdiacono aos mesroos. -
t Fundearam era nosso porlo no dia 10 do cor-
rele, procedentes dos Estados-Unidos, em viagem
para o Pacifico, a fragata de guerra Vanderbuilt,
cora o signal de chefe John Hodgero, montando 12
pegas de 11 pollegadas de bocea e guarnacida de
cerca de 400 horneas; e o encouragado Monaduoch
com 4 pegas de 15 pollegadas, guarnigo cerca de
250 homens. Foi o primeiro, que visitou os nossos
mares. Consta-nos que estes dous vasos, bem como
a corveta Tuscorora. que ainda demora em nosso
porto, e o A'ihs'is que j seguiram, fazem parle de
urna esquadra de 11 vasos, que vai destacar no
Pacifico.
O Monaduoch foi visitado por numero constie-
ravel de curiosos.
c Con ver leu se ao catholecismo o protestante
Pedro Carlos, subdito britanoico, sendo baptisado
por occasio da festa da Conceigo, na capella do
ouleiro da Prainha. >
Rio cranokNada occorreu digno de mengao.
Pahahyba.A alfandega rendeu, de 1 13 do
corrente, 41:515*810.
No dia 10 comecou a eleicao dos deputados
provinciaes. Era o seguinle o resultado dos colle-
gios da capital, do inga, do Pilar, da Taquara e de
Mamanguape:
Dr. Rabelio.......172
Dr. Cordeiro......170
Padre Benlo.......169
Dr. Antonio Gouva. 158
Dr. Luir. Ignacio.....157
Padre Galvo....... loo
Dr. Costa Ribeiro .... 153
Alferes Assumpco. 147
Dr. Abdon.......146
Capitao Antonio Moura. 145
Dr. Jeronymo Cabral. 144
Ildefonso......... 139
Dr. Joo Florentino ... 139
Dr. Camacho......138
Dr. Francisco Carvalho. 137
Pr. Antonio Bernardino ,, \p
REVISTA DIIA.
No sabbado ultimo a coramissao encarregada
pelo Exra. Sr. commandanle das armas d- inven-
tariar os archivos do quartel das Cinco-Pontas, en-
coulrou, era im dos quarlos da reserva, o cadver
d'uma praca do 7" batalho de infamara de linha.
Segundo exames e pesquizas que se procederam
ulteriormente, reconheceuse ser o cadver d'um
soldado invalido ipie ah raorava, e fallecer, sera
duvida, victima de alguma das multas bebedeiras
que tomata. Depois deMes actos foi mandado in-
humar peto Sr. subdelegado de S. Jos.
E' forga que ainda urna vez chamemos por
providencias contra o reiterado furto de algodo
pratieado s claras as cargas que vo em deman-
da das respectivas prensas.
Hontem esleve era nosso escriptorio um pobre
matulo, qoe leve o prejuizo de quasi duas arroba*
em seis sacca-- que trouxe para vender, sendo a
Dior parte desla snblrago eflectuada, quando
elle descarregou os animaes e poz se em acto de
realisar a veuda.
Sabemos, lodavia, que providencias lem partido
da parle do Sr. ur. delegado, tanto quanto Ihe lem
sido possivel para fazer cessar semelhante abuso;
mas tem ellas sido incompletas por circunstancias
alheias a' sua vontade; e para que envide elle
aclividade e solicitude, enchendo esse incompleto,
que langamos aqui estas linhas.
A 11 do corrente foram dadas a exame para
escola publica de insirueco primaria do sexo fe-
mioino da cidade de O'iinda duas alumnas; as
quaes foram approvadas plenamente.
Presidio ao acto o Sr. Dr. Jos Cardozo de Quei-
roz Fonceca, e foram examinadoras a respectiva
professora a Sra. D. Leonor Carolina de Vascon-
celos Borges Leal e o Sr. conego Dr. Manoel Tho-
maz d'Olixeira.
Nos communicam o seguinte extracto de
urna carta escripia de Garanhuus:
O capilo Borges Leal tem aqui se conduzido
bem, com aclividade e zelo; e de esperar que
consiga os iras da sua honrosa commisso a estas
paragens, onde tera cooperado para a manutengo
da ordam e a suslenlagu da harmona entre as
autoridades locaes, de modo que justifica a sua es-
culla para a commisso, que Ihe foi confiada.
De Goyanna nos communicam o seguinte :
t Consta-nos que o Sr. Dr. Rarroso, delegado de
polica deste termo, est descontente e promette
relirar-se da poltica, porque est solTrendo opposi-
ci.i de muitos dos seos amigos.
Ouvimos dizer que precede isto da prisao feita
por elle, no seu proprio engenho, deum desertor
que raorava no engenho Agua Branca, proprieda-
de do Io supptente da subdelegada da Nossa Se-
nhora do O', e da troca de olcios desagradaveis
entre este no exerccio do cargo e o mesmo Sr.
Dr- Barroso, como delegado.
< Nao nos ach.rado bem informados, nao pode-
mos emillir julzo seguro sobre laes boatos. Ape-
nas podernos afflrraar que o Sr. ur. Barroso dei-
xou o exerccio, e que nao o querendo o 2" sup-
pleule da delegada ( miseraile dictu I) passou elle
ao coronel Benio Rabello.
i Temos ouvido a pessoas serias que o hornera
preso como desertor nao o E' lo possivel que
o Sr. Dr. Barroso fosse engaado, como possivel,
no caso contrario, que o -r. Feliciano Cavalcante
ignorasse o crime do seu morador, que reside n'es-
ta comarca ha muitos annos, e de pouco lempo pa-
ra c no engenho Agua-Branca.
t Fazeraos lo bom conceilo do Sr. Dr. Barroso
e do Sr. Feliciano Cavalcante, que nao podemos
crcr que o primeiro fizesse urna prisao arbitraria,
e que o segundo livesse scieutemente um desertor
sob sua pruteceo.
O caso para explicagoes, e nao para hrigas,
ou para a triste repeligo do que houve entre e
Exra. Sr. Caslello Branco e o seu chefe de polica,
Moraes. E' lo feo i>to !
< A chapa de deputados provinciaes organisada
pela direcgo do partido hgueiro, contend) 17 no-
mos, vola a' morte eerta 8 candidatos. Alm disto,
er se geralmente aqu, que dous ou tres candida-
tos de fra abrirn etpago para si, vindo a ser elei-
los someule 5 ou 7 da chapa.
Esses caudidatos de fra sao : l. o Dr. Joa-
quim Tavares de Mello Brrelo, mogo de grande
talento, que dispoe aqui dos melhores recursos;
lio do Dr. Armioio: 2. o Dr. promotor publico,
Correa da Silva : 3." o Dr. Jos Bonifacio de S
Pereira, que n'este collegio efflcazmenle protegi-
do por seu to, o Dr. juiz de direito, e que na le-
gislarlo passada deveu a sua eleigo a' votaco
unnime que ebteve aqui. Outras pessoas tambera
o prolegem desla vez.
Esses tres, o Dr. Araujo Barros, o Dr. Arminio,
o Dr. Luiz Gongalves, o Dr. Souto Lima, o Dr.
Augusto de Souza Leo e o Dr. Francisco Luiz
Correa, parece que serlo os feliT.es d'esle collegio;
ao menos sao geralmente apontados como os can-
didatos predilectos de Goyanna. Outros tero vo-
tago ; mas como o collegio gosar do antigo e co-
nhecido accordo, poderao te la sem prejuizo da
preferencia dada aos que ficam indicados, e qne
chamaremos candidatos da primeira classe. Dos
ouiros, que chamaremos da segunda classe, pareee-
que ser mais volado o Dr. Vieira de Amorira
protegido por seu lio Dr. Florlpes, decidido susien-
sador da chapa. J se diz que lera elle de 2&a
30 votos.
O Dr. Luiz Gongalves, ohabilissiraoeeloqoen-
lissimo orador, que tantos applaosos merecen,.ap-
parecendo pela primeira vez na assembla provin-
cial depois de longos annos passados no fflro desta
cidade, em retiro modesto; parecen descoidoso do
sua eleigo para depulado provincial, depois de ter
resignado sua auspiciosa e ambicionada candida-
tura a deputago geral em favor do Dr. Araujo
Barros.
t Ha quera diga que elle desoja voltar ao seu
antigo retiro e indilTerenlisrno poltico; porm
amigos ntimos do Ilustre GoyaBnisla nos infor-
mara que elle deseja fazer urna experiencia ; quer
ver se o corpo eleitoral dirgese por empennos,
cabalas e patronato, ou se pela ra'.reclnente pro-
vado e importantes beneficios, que elle tanto son-
be promover; somente para GoyannaOoze !
< Felizmente elle gosa de universal sympathia,
e ao menos n'este oollegio ter votago quasi un-
nime, se nao lar un.nime. Na eleigo passada
nao pedia aqu um voto, e s nao leve os que nao,
quix por accordo.
Basta por hoje.
De Garanhuns escrevetu-nos ras dala g? 10,
do corrente o seguinte;

.'*

\.

r



Bfarto de Pernambne* Terca, felra 10 de Dezembro dr i *fc
T
forNM*i ti. dign i. Utit. Imh>.mii H. ..I ..i. ,4.,..|..-i..t.i uei^n^nL. a. f-. ... ..! t. ..... .1, ____t......_. ........ ..TT..1._____
Em Serra Grande, ni d C
acaba de dar se mn s niu Gato, tioiuem saleiro, liona relagods de aiitii4f. fceru,. ou de aigcua roUsaJa mpssaliua, paitu- tidao ; e se nao, veja.
""asado. I t-am bora claramente a educagio e sentimentos do Diz o nutre collega era sea primaba eamOMai-
JI" '..* If'. II'/IU(III .li.-Tii, HUH" ll;IBVVli3
de com LouriAjo. de lai qe casado
No da 5 do correle. -Loreego- dirigw-se, a
noite a caa deGalp que moraba s, e convidou-a
para tocar viola. Aceito o ctmvite pelo dono da
casa, puieram-se a discorrer nos iosirmneutos,
como costume dizer-se per estes rem Hitados,
tendo Lourenco se assentulo por detrs de Gata.
No entretanto chega mn c impadre desie que, fin
do de vi igi ni, p. de-Ib* irn pouso que irte fui con-
cedido, e traa de agasalharse no interior di casa,
demando os doas amigo na sala da frente os
quaes contmuavam em soas tocatas. '
c Em puono cessam as vozes das violas e o hos-
pede sent que urna della* tem cnido no chao,
sem qu* ouvisse a menor pauwa Enlao.s apren-
dido, levanta se e dirige se para a sala, e, alli che-
acJu
bicho seu autor, verJadeira asqaoraiidade da Ir- nado
'
e alguma cousa dizer em defeza do digno Sr.Dr.
chi'f de polica, cuja intervengan na especie de
UHZla de Gravat.
Nao nossa niencao sujar-oos com esse verme,
dando loe a ceafianca de ama respeoia, ponata te- < que se tracta, fi par mini coi instancia reque-
mos sempre em o adagio quem cora porcos se a rida.
mistura; trelos comej todava, para que Oque Ora, sendo essa intervengo coohecida pelo fac-
elle mais conhecido, e maior seja tambera o des- to dtfbaver-se transportado o Sr.tDr. befe de po-
prez i a que dse ser condemoado com o seu pas- liria a A^antagil com forra, e nao sapeado eu, oem
quim pelos lameos de bera, o retrataremos era pou- teado razio para saber do telegrama do delega-
cas palavras. do,de que s agora anco fallar, justo etique, setn
O autor dopasquimalludido una misaravel.qoe deslealdade alguraa,iiferisse do bonxjno acolhimm-
nao inm o que comer, oem o que vestir ; ana- ca- to do Sr. Di\ chife de pelleta supjiiica do Sr. Uo
valleiro de industria rauio conhecido era toda a ie.$, como em oulra parte dessajuiesmo commuui-
comarea do Bomto-ef ma serie iatimta de rafi- cado diz oSr. Dr. ,-Moraes e Silva, que a inierven-
eancias de que tem felto proflssSo habitual; um cao havida fosse a justamente requerida, iradu
gando, eucoOtra o cadver lo infeliz dono da casa patoteiro que, em Grvala, tem menos crdito do zindo assitn deferimento benigno da supplica'pe-
cora diversas facadas, sen i) que Lourenco, o pro-1 que qualquer, rae,r^icjz, re, que (ui capaz de, (als.ii- lo facto da iutervencao com orca.
incitantes
seu
Pttdia)Qoiaflarmecomestare.sposi,masaver- vermfugas de Kcmp, que sao
ade que o imposto na oera exigivel porque o Sr, emaonarencia edelifions rlemaK
Gaspar Cavalc*ote comprou heranca, e de compra "'"Pi'" enca, t deliciosas emaib no seu
.dferang se nao deve importo antes de liquida- g.sto para serem regettadas Lstas paslhas
da Aviso de-* de maio de 1831. Manual dos m- sao muito procuradas por quatro motivos :
toa-l 5 n. 13, corroborado pelo 6 do ari. 7.- no contm mineraes ; nao precisam depois
lZZT^uXt'e aquella maligna insinaa- ti P"r?a te effecluara 1 sedesejasem
cao sem nenhum fundamento.
Recite, 18 4a dezembro de 1865.
typriano Fenelon G. Alcoforado.
causar dor ; as enancas estao promptas a
tomar maior dse do que a mrcala na re-
ceita. Nerihuma mi que j as tenlia expe-
prlo assassino, ja c irria em procura do matto I car um'dos livrs da matriz djijaele lugar para
Diz-se geralmeate que semelhante crime fura liear-se rom mingoados vintn-- delia; Unafraen-
praticado por Loureo^o, por le descoberto que o j le, um reo de polica, tanto que est seudo proces
infeliz Gato eutrelinha relagoes illicitas cora sua sado por crime de resistencia.
Dito islo pocho termo aqui.
Cypnano Fenelon Guedes Alcoforado.
Recife, 18 de dezembro de 1865.
mulher.
c A polica anda em cata do assassino que al
hoje ainda nao pude ser preso. >
Piulado assim em toda sua hediondez, e com a
mxima fidelidade o bicho que teve o arrojo de
descoinpor ti Sr. Dr. Julio.estamos convencidos, de
- O agente Mariins laz hoje leilo de mebitias. I l"8plrd"s-">uell,, Jue oo Uiew cum f''flf'l*;
pianos, r, v>iaes, oas de ouro e pula, no ^rma- ^ncord rao en^que ne.n ao menos e d.gqo de ser
zem a rua'da Cade.a do Uecfe n. 8. | ^do ron. os ,,e< de um l.omem que se est -
! ma ; e que antrts deve-se deixa-lo, bem a sen gos-
Hoje o agente Cordeiro Simfies fara' leilao de lo, aloladu na cloaca, donde sahio para euiporca-
mobilia> de Jacaranda, santuarios, vidros. randiei- Ihar o Otarlo de Pernambuco.
ros a gal, louca, diversas obras tem brilhaotes, pe- Sabemos quii esse bicno nojento no fez mais
rolas e esmeraldas, brincos de cry-tal, cadeias de do que represeotar o papel de testa de ferro de
O Hr. .loao Caplstrano Torres
..lindo, c os 'ori'CMpunden-
los desta provincia, para os
Jornaes ,a eo.ic.
Em ilias do mea passado o Sr. Joo (Lipristraoo
de Torres Galindo ex auliridade da freguezia de
Grvala,fez urna publicaco no Diario de Pernam-
buco, em que procurou escooceituar o integerri-
ino juiz de direito do Bonito, o Sr. Dr. Julio Bar-
bosa de Vasconcellos, apresenlando-o
...Srs. rdatt$jt.Devo agradecer o que a respei-
10 de miuha candidatura a depuiaco provincial
pelo 1 (lisetelo ele Hura I disseUm cidado em
seu coramuoacaflo transcripto uo Diario de Pernam- guistas no imperio, e em I'emambuco por
bveo de hoje, e julgo conveniente declarar, para Caors & Barbosa e J. da G. Bravo & C.
evitar equvocos, que voUva eoulra a diviso da_______________
freguezia da Boa^VisU, por me oo parecerem suf- "
Hcienles as razoes apresentadas durante a dis- l^llthyslca.
o uso do xarope alcoolico de velLme tem-se
obtido cura radical.
O Sr. Dr. Suva, medico hbil de Macei,
depois de ter applicadoa aaa seu iloenle de
rheumatismo o xarope alcoolico do vellame,
logo que elle se poz em estado ido largar as
moletas, era que anava arrimado, o aconse-
lhou que continuasse com oemo do mesmo
xarope coniunctaojente com os tanhos sal-
me, ado urna vez quer outro verm.fugo na gadolS) ^J ^ dado ^U) bem> e .
sua.^asa- lumdosmedicr
A venda por todos os primetros dro-
cusso.
Sju com toda a consideraba >, etc.
Dr. Joaquim dAquino Fonceca.
18 de dezembro de 1865.
........ ., ....,.,,,.,,.,-. iiiWu como seu
relogios, etc etc., as 10 horas, no armazem a ra outros qua-i da usna especie, e a quera da gran- ,,T!iUiao presseguidor, a at infiel era suas infor-
da Cruz n. 57. i de i.ii|iortancia para merecer-lhes igual. A estes, m 5t,s ao emo ,iresjdeD[e da
_ por toda rasposa, diremos : e proprio de quem sr. Dr. Castello Branco
i no tem carcter e vergouha nao prezar a reputa-
j (o alhefa.
FlLICAgOES A PEDIDO
Eleico dos jaizes ejaizas e mais em-
pregdos que hau de festejar o glo-
rioso marlyr Sanios Cosme e Da-
min no ai'ino ilc 1866,
Juizes por eleigao.
P5
as
o
I S?l "t
I
I ?!
I I
o
>
o
o
>
: i : i : 1 : 1 ^
1 ex Z S Masculino. \ vt 1 1 o 1 f >
S i Kt 1 1 Fcminino. 1 o > M V.
%
Masculino.
Fcminino.
S
a
1 7
1 o. 1 1 1 Masculino, j | > c en
1 >~ 1 M - 1 1 - Fi'niinino. 1
1 III V 1 Masculino. 1 | '|ul loo
1 SI . 1 Fcminino. 1 1 i si '
Os lilms. Srs
proviacia o digno, Dr. Juo Jo^ do Monte Jnior.
Exm. baro de Vera-Cruz.
Aproveitando o ensejo, certos correspondenles Teoentecoronel Epaminondas Vieira da Cunha.
TodoTomein de bem deve araiilbar-e de ter Int- S" ,rovincia ,')ara "s l*** fiarles da corte Commendador Antonio Francisco Pereira.
igostaes i procuraram explorar contra o digno magistrado Dr. Gervazio Bodrigues Campello.
(Juodo'alguma p-ssoa digna de con-ideraco eSperTm Tvn lemnn mu p m.irn, no.s nue n f^f^ S?.lrl02",&!.e" lfm*'u k-
aceasar set.a'Seote oPSr Dr. Jutio, nao Acara' ^JSTtS T(S^SS^^'Z Anl^lT^SZT "*Tah*-
resposla da nossa parte, ,.o.s que mu.to a _este publj,.a .Ao ID0Jt0 brtive 'i^ restabelecer a verda- j^mtwAo
apreciamos ; e estamos bem Certos de que entao o da nH,lH me.mo lino C((Dfundilldo ao Sr. capia- Os Illms. Srs
iso, ce i ,rino e aS ex,,iorad jres. | Congo Jos Joaquim Camello de Aodrade.
Pedimo>, pois.ao publico se djgne aguardar para Gonego Firmino de Mello Azedo.
O xarope elberio de veame por mim pre-
parado muito tem eproveilado aos que sof-
frem desta molestia, e de lamentar-se, que
no obtuario dcsta cidade a maioria dos que
jsuccumbem de tubrculos pulmonares,
jsem procurarem o recurso d> pratico o do
e.xperiente, que Ibes pdem encaminbaro
meio de sua salvacao.
O Sr. Braga com toja de ferragens na ra
Direita, fui desengaado por ilous habis
mdicos, acha-se bom com o Iratamento por
mim proscripto.
A Sra. Jeronyma Mara da Conceigo, mo-
radora na travessa do Monteiro n. K),acban-
do-se desengaada, tambero mim recor-
a<
, mesmo Sr. Dr. no se deixara
muito acertada e dignamente se tem conservado
al agora dianle dos laudos de leprosos ea>s, e an-
tes
que
Di
Becife, 8 de dezembro de I8G5.
O azorrague dos safados.
- m agora u ame no, aimos oe epro-o, eaes, em- es,a pub|iCac0, Certo de que Ocaro pulverisadas Coneio Joo Baptista de Albuquerque.
| tes acudir pressuroso para defender-se, e mostrar t9llas as ca^raDla. jogada< pe|0 Sr. Capistrano Bvm Antoni" Manoel d'A sumuco
^ ijue e to prono e jusliceiro, que SO falsa e calum- ronlra r,raiCres nne s.mnre Miarn a -imi dn SZ i" h 1 V Assumpgdo.
- niosameiit.' o noilem mviriivar 'ce c':,rlc,e^e:, ,1ue s'mPre e-wao cima oe Rvm. Agoslinho de Lima Uvalcanli d
niosainean upraem luviciifar. S. S., e dos especuladores pequeoinos. que.
de Albuquer-
Sem querer alimentar diseasso, que julgo in-
conveniente, corno di?-e, sou forjailo ainda a res-
ponder ao comm nicado que o raeu ilinstrado col-
lega e amigo fez publicar -m o Diario de 1G do
Recife, 12 de dezembro de 1865.
OJuslus.
\ Advogado Joo Francisco do Araaral.
Jos Jacome Tasso.
Antonio Hamos.
Domingos Tasso.
Juizas por. eleico.
A Exmas. Srs.:
D. Mana Victorioa Pinheiro Phyrro, esposa do
Sr. tenente-coronel S^bastio Jos Bazllio Pyrro.
D. Olindina, esposa do Sr. Dr. Manoel Clemeulino
Carneiro da Cunha.
D. Jorgiana, filha do Sr. Jorge Jacome Tasso.
I I I I SI
Masculino.

I 2
Fcminino.
c.
| TOTAL.
31
ADVERTENCIA.
Na (otalidade dos doentes existen! 16.1, sendo 8i
homens e 7! mnlheres.
Parara visitadas as enfermaras estes dias:
As 6, 6 lia, 6 l|-2, G i\, 6
Dr. llamos.
As 9 l|'i, 9, 9 1,1, 9, 9, 9
ment.
Fallecern) '
Jos Silnuo de Lima; ttano.
7. ferino Alexandre da B icha ; tubrculos pulmo-
nares.
Jos Carlos; abeesso no ligado.
Antonia Miranda Lessa; schirro no ventre.
Aiiionia Mana do Carmo ; ti-xias confia-me.
Cathanna Alaria ila Coneeico: gangrena no pe.
Gjn>alo Dias ile Queiroz; cancro do e-iouiago.
Passageirosdo vapor nacional Tocant >ns, vio-
dos poi t'.s do norte :
I o Ferreira Bailar, Jaciolho Rodrgaos da Sil-
va, Jesuino Alolih' da Suva, Benicio, escravo a
entregar i Antonio de Alra^ida Gomes, Joles Yol-
de', Sun ni Koura, Antonio Constautioo da Silva.
S-im-mii para o .-ul :
Dr. Ocucilio Cunara', coronel laoiccnciu Eusta
quio Ferreira de Araujo, Manoel Jo do Valle
Gunnares, CamilloJo^ do Vahe Gaiinare.*, Leoo
Iiun, lente coronel Pacilieo da Si>va Castello
Brano, i capites, i leoooles, 8 alferes, II cade-
tes, S78 ,0na- iia guarda nacional do l'iauhy, te-
neuie-coronel Manoel Aadr Torres Galvao, 1 ma-
jor, capites, o leoenies, G alfi-res, o cadetes e
17o pracas do i' de voluntarios do Bio Gran le do
Norte, 26 guardas naciooaes, 17 recrutas do cier-
to, l ditos |i ira mariona.
Passageiros do vapor nacional Focoatau, sa-
hnio para o Itio de Janeiro e portos miennedios :
Francisco G. de Arauo Vasconcellos, Jos de
Barros Doarte, Jos Goocalves d i Piano, Jos Al-
vares do Amarai, Julio Filgueira (Africano livre),
escravos de Ji.-; Pereira Vianna. Antonio Pe-
reira Caldas, L. Caetano Pert-ira Goimaiaes J-
nior, J..;Vi Antonio Machado, Jos F^rnandes de
Magalnaesel criada, Joaqalm CoelbO Barboza,
J io l-ni7. Goocalves, Mana Joaquina da Apresen
lacio, Bohdpho Sergio Ferreira, iTaocisco Bezer-
ra d- Meder >s, Joo Baptisla de
cintho de M -o i inga Jaragna, sua Irma e
dos, Jos Francisco Martinsda Aimeida e
QuestUo Aratangy.
\o Sr. 4. II. i. Alcoforado.
O Sr. Dr. Jo.- Bernardo Galvo Alcoforado de-
Cuireote, alim de ractiticar algumas de sua pro- clinan lo o meu nome em sua correspondencia pu-
po>ic5es, qiu no ine parecetn exactas no ponto blicada no Diaru de 15 relativamente qnestao
de vista em que as devenios encarar. de Aratangy, nbriga-me que eu venha a Imprensa
.Na que-to principal, vnrdade que lenho por dizer alguma cousa sobre a rectillrago, que fez o .
iiiiui a gema armadura de dous accordaos, mas mesmo doutor ao cortmunicado publicado naquelle u- ^:,nslanc'a> l'lha do Sr. Dr. Cosme de Sa Pe-
ahsirahiii lo da aatori-lade desses juigados, que jornal no dia H.
valiosissnna, para mim iucoutesiavel a simula^ao \ Creio no ter havido iasinnacao malvola da par-
da dire-nhilidade da divida de D. Cecilia, por vir- te do utor do cominunicado, que se refere o Sr.
lude da qual se ceiebrou a esoriptura de 3 de no- \ Alcoforado, e se o seu nome foi aprevenalo no con-
verahro de i8o. i trato, que fez meu iranio com os oradores da casa
Quera para prova dessa simalaeao proprio his- de Aratangy, foi smente para mostrar se que esse
tonca que da divida faz o Sr. Dr. Moraes e Silva.! contrato era legal, e qu i por parte dos credores
Hilo aqu : leve um rtistmeto advogado quem Batoja illustra-
i Seas credores sem attenderem que D. Cecilia, cao, e intelligencia para Armar qualquer conven-
serulo viuva nao .poda ser liadora, nem garantir ; cao em bases radicaes e legalmente seguras,
t letras, acellatam tiara seu debito a responsab- i Honve engao da parte do Sr. Dr. Alcoforado
lidade directa di-seu genro Manoel Pereira Gui- quando disse que deisoo o patrocinio da causa do
t maraes, com a lianca ou garaniia de D. Cecilia ; ] meu irrain em 1852 ou 1853.
mas depois ambos passaram aos mesmos credo-l Nao o foi se nao em 1836 sendo tambem certo,
res luirs, nas quaes tanto i). Cecilia, como seu queeu no me enlendi com elle para pedir-lhe que
genro Gunnares eram acceilanles, e, porianto,
t devedores directos.
E' iiique.-tiouavel que o litlo original da
divida ara dallo por forca do-Beneficio do Sena-
3|i, 6 3|i, 6, pelo tus Cinsult) Vellelanoo que jamis pode ser
contestado, porque islo mesmo consta da concordata
l|i, pelo Dr. Sar- celebrada em 1813 entre Guiinires e seas credo-
res, da eseriplura de 1818, e da de 18', que se
refere aquellas ollas, donde resulla pjr modo ir-
resistlvel, que aaceiacSo conjancla que de uovos
tilmos liz-ram l>. Cecilia e seu g-mro, p*ra que
ainlio-se tornassein di.-vedores di/eclos, era una
perleitissima sunulaco para encubrir a nullidade
da garanta prestada nos ttulos onginaes da divi-
da :seudo islo feto com o lira de por D. Cecilia,
mulher viava, fra da sanegio do mesmo beneficio
V'elleiau, que ella nao poda renunciar expressa-
mete, e menos com simulacao. CtUM aliad
agilur, aliad simulanlur, tel scnbttar.
Os dous venerandos accordaos sao por tal modo
claros, que os fazemos publicar para illuslraco
dos leitore-. (*)
Pego peruiisso ao meu Ilustrado collega para
contestar a .-ua denuostracio da illegalidade do
mandado expedido em vutude de senteoca, e na
forma da lei, (amia quando fosse cora excesso, o
que conte.-loj e de poder ser comprehendido na
UisposiQao do arl. 113 do cod. rrim. com a consi-
di-r.-cao qu-! passo a expender.
Couhecer a polica, ou qualquer autoridade ad-
miuisirativa que dispoana de forja publica, dos
ciinlinuasse no patrocinio da causa, e fui apenas
saber das occorrencias, que apiiareciam, e que o
obrigara deixar a defeza de um contrato para
que elle c.oncorreu.
reir.
Esposa do Sr. Dr. Joo da-Silva Bamos.
Esposa do Sr. Jo > Pereira Moulinho.
. Candida de Sa' Barrete
Filha do Sr. Fiaociscu Jos de Oliveira Barboza.
Juizas por devo^ao.
As Exroas Sras.:
D. Mana das NeVes Carneiro da Cunta.
D Maria Jos de Queiroz Dourado.
Esposa do Sr, Dr. Francisco de Araujo Barros.
D. Maria, Alha do Sr. ("nenie-coronel Francisco Ca
valcanti Jaime Galvo.
Esposa do Sr. Dr- Manoel Ferreira da Silva.
Esposa do Sr. Dr. B -oto Jos da Costa.
D. Francisca, esposa do Sr. Joo Lfer.
D. Francisca Tarares, esposa do Sr. Francisco la-
varas de Lima.
Escrivos.
Os Illms. Srs. :
^sque alli em Macei lem com-
pleta ooqfianca nas prepatt*jj6es de vellame
por mim Caitas, pelos boMesuHados que
tem obiiiio em sua clinica.
Quando Jguem.se v com tosse vai ao me-
dico, este o examina e declarao senhor es-
t aectado dos pnlm5eso doenle desani-
ma com esta sentenca, entende esiarsem
mais cura, quando os lacios ea experiencia
teem demonstrado que muitos temi procu-
rado o lugar apropriado, se teem salvado ;
e assim explicara muitos expositor s de me-
d cia.
Ora, nessa provincia temos faci idade ho-
je e recurso do ar; por que a \ ia frrea
nos proporciona, pois que em pouco tempo
urna pessoa que existe nesta cidade fcil-
mente se t anspor'.a para as ultima:! eslaces
de Gameleira e Una, lugares perto do Boni-
to e de outros pontos que sao considerados
serto, quanto mais que os mesmos lugares
re?imhift?ire ?bf Cd''r v J* nno s5 m;ios se*unu Pens, principal-
Lm Sdbnnho do Sr professor oe >aza-' menle n0 ver30 '
! .,J:aKb'-' "i3*86 b0.m' *T* %1 de I Mas di^e-baluma pessoa pobre no tem
sua carta aba.xo transenpta, alea de outros imeios de se .^^0^ 4 all estara isso
factos, que podena aqu mencionar. se rtSp0n,)e, que llJqudjes iugares exislem
A plitb}s.ca e a de.tru.cao e a magreza casas vasias e alugam-se por preco commo-
de todo corpo, em conse(|uenc.a de chagas, d0j e mesmo mu|l(jS ^ de meira
tubrculos e eoecreccSo dos bofes e de em-
pyema. atrophia nervosa c outras molestias
que viciara os humores, como escorbuto,
alporcas, gallico, asthma, bexigaS, sarampo,
etc.
Na phthysica, chegando ao estado iMtra-
vidade, o que muito pode coacorrer
salvacao do dof-nte e ajodar os raed
tos o ar do campo, exercicio convenSile
e dieta, a qual nao deve ser de nenhuma
necessidade alti se vender pelos mesmos
precos que aijui.
Aquel les, pois, que estiverem nestas cir-
cumstancias, eu Ins facilito explicaros meios
pelos quaes se devem reger, c Ibes fornece-
rei os medicamentos gratuitamente,
Nao deixarei de advertir ao publico, que
as minbas preparacoes devlame sao, reu-
nidas cim outros ingredientes, e com elies
tenho obtido ptimos resultados: nuseen-
cousa quente, ou de defficil digestao ; e a jgant 0 mesm0 pilbHco Com outros que por
bebida compre que seja de natureza branda ah ^ annHnciam> Clljas nreparages ignoro,
Todo o seu alimento se ha de dirigir a!
se
moderar a acrimonia dos humores e a nu-
trir e suster o doente, para o que preciso
reduzi-lo ao uso de vegetaes e leite
Toda comida e bebida, que se tornar ha
d-i ser em poucas porcik's, para evitar que
o excesso do chylo fresco opprima os bofes
e accelere muito a circulacfto do sangue.
Muitos doentes desta molestia se teem en-'
trege ao uso do oleo de figado de bacalho,'
e outras preparacoes de resinas e paliamos,
sem que deltas tenha n tirado proveito; el
alguns expositores de medicina combatem!
com muila razao esse Iratamento.
assim como o aproveitameuto aos enfermos,
a quem porventura tenham sido applicadi.s ;
cada um responde por si, e eu allirmo cora
verdade o queaoui tenho relatado, ujos me-
dicamentos nesta provincia s vendo cm mi-
nha botica na ra Direita n. 88.
Jos da Hacho Paran/tos.
Nazreth do Cabo, 7 de setembro de KSG.'I.
Idm. Sr. Jos da Ri cha Paranhos. m
o maior ptazer levo ar. conbecimento de V.
S., que o doente que V. S. acha-se admi-
nistrando-lhe remedios, acha-se no todo res-
tabelecido, portante, nada sent, tendo des-
apparecido n > todo a tosse, tem muila di.-po-
sicio comida e acha-se nutrido. Ueixou
Hoje que nessa qoeslio de Aratangv ludo se pro- vm- '^ ',os^ **e Araujo.
cura transrfnar e inverter : hoje q a malicni- Manoel do Nascimento Vieira da Cunha.
dade pae chepar ponto de tirar daqu-lle proce- Lapilao Baziliano Rodrigos Campello.
dimanto do Ilustre advogado orna illacio menos Tenente Luiz Crios Pereira de Araujo.
verdadeira : seja me apenas pfrmittido declarar Ab|"' Pereira de Lira,
que o Sr. Dr. Jo- Bernardo deixofl a cansa de meu uao Manoel P.mtual Jnior,
irrnao smente por deferencia a alguem, enjo no- Francisco Jos das Virgens.
me no devo aqui revelar, assim como o mais, que ''"rencio Tertuliano do Bego Costa,
enlo entre nos se passon. Joe Joaquim Ca valcanti Lms.
pas
Araiangy, 17 de dezemhro de |8G*>.
r de
CORRESPONDENCIAS
Srs. redactores.De tira modo to violento e des-
i" "iii 11 un 11 fui tratado no dia 7 do correte pelo
juiz Oe direito desta desgranada c imarca, bacharel
Julio Birbosa de Vascoucellos, que no posso fur-
lar-me ao rigoroso do er de chmalo a cuntas do
alto da imprensa, alim de que Oque elle convenci-
do de que no me deixarei massacrar sem exalar
um gemido que paienle ao puhlico e o gov^rno os
desmandos daquelle a quem estando confiado o
magno poder de nina cuiiian-a, aliusa desse poder,
ora transformando o em cornucopia Je abundancia
Escrives.
As Exmas. Sras.:
Esposa do Sr. commen ador Manoel Figueira
Faria.
Esposa do Sr. alferes Manosl Militio da Kocceca
Pinito.
Esposa do Sr. Joo Sima i de Aimeida.
Filha do Sr. Manoel Alvos Cavalcanti.
K*posa do Sr. Luiz da Cunha do Amaral.
Filha do Sr. Theodono Jos Pereira 'lavares.
Filha do Sr. Joaquim de Mello Ca.
Mana Jos de Miranda.
Mordomos.
Todos os fiis devotos dos mesmos santos
Procuradores.
Os lllmi. Srs:
Augusto Claudio MoiiHro Catio.
Joo Luiz de Aimeida Lima.
L cosutme carregar o estomago do doen- lonlar os u|limos reme(103 ue y. S. rect i-
te com med.camentos oleosos e balsmicos plou uia 30 (|o ,0> ^ a y
porm estes em vez de tirar a causa aug- s. manrlar.me dizer qual a diea que o
dever
mentam-na, esquentando o sangue. ao mes- do6Dte deve conservar e por quat.ios tem-
mo tempo que t.rara o apelde, relaxara os men-ionando as comidas que
solidos, e sao de toda sorte perniciosos. ^aT da,.u em djante
ludo que se fi/.er para extinguir a tosse,! Uesta.me agora agrafJecer a V. S. o cni-
alera do exercicio e reg men apropriado de- dado ,fJ U)mou no lralamcnl0 do meu g(1.
vera ser remedios de natureza acida, deter- brQ0 abax0 de UcuS) devd(J 0 WQ resta.
gente e calmante. .... helecimento a pericia de V S., e por isso
Os cidos possuem a virtade de produzt- ude v g sem e contar com osmousdi.
rem boas effeuos rtessa eofermidade, por mnutos prcslilIlS) e desejarei em todo o
que, nao so contr.buera a apagar a sede ^^ dar uma rova dyJmeu reconhec.
actos do poder judicial io, qualilicar suas seut^ncas para recoinpeusar seus amigse adiados, e ora Eupropio Hozalino do E-pirito Santo.
mi ores, madama C Liorent e I fuho menor, Dr.
Victorino Antonio do Sacramento e sua seuhora,
Francisco Jo? de Magalhes Bastos.
ou seus mandados de ordem que, por manifesla-
menle contraria s leis, ao dizer das parles, ou ao
J0IZ0 daquella .-lotiridade, pode ser laxada de
iliegal ; e como tal, sujenos o< que as (iroferem
e expedem a sanego do art. 143 do cdigo crimi-
nal, e jusiilicar a resistencia, o que domis sub-
versivo pode aulorisar-se pela inlelligencia que o
nobre Collega da' ao referido artigo de le, com re-
ferancia ao poder jadiciano.
Poda a polica nao salisfazer a requisico de for-
ca que por ventora llie bouvesse sido feta [iara
auxiliar o mandado que julgasse iliegal, mas, no
loi islo o que praticou, e antes foi nppor-se ao
cuiiiprim-nio desse maulado, a requisico daquelle
Avi-llar, Dr. Ja- contra quem fofa expedido, ou devera ser execu-
1 cria- lado.
2 lilhas E s por causa de-sa malfica intervengas, por
(IIK0.Ma__JllCIAKI4
JI'UV 0 RECIFE.
16 DE DEZEMBBU de 1863.
PBBSIOBNCIA 00 Sil. Dll MANORL JOS DA SILVA
NBIVAS.
Promotor publico o Sr. Dr. Francisco de Car-
valho Soares Brando.
Kscnvo Joaquim Francisco de Paula Eeleves
Clemente.
Advogado* os Srs. Drs. Amerlco N'tto de Men-
dorga Celso Tertuliano Tavares Quiniella.
Reos Manoel Antonio Bastos da Silva, Manoel
Antonio dos Aojos Penante e Claudino Eufrazio
de Franga Lima, acensados os dou* pnmeiros por
crime ue roubo e incendio na prenga do Forte do
Matto e o lerceiro como jierjnrio no dito pro-
eesso.
r'eita a chamada as 10 Doras da manhaa achara-
se presentes 39 Srs. jurados.
Foram modados em mata -Uj cada um dos Srs.
jurados ja multados nos anteriores dias de sesso e
mais a cada um dos seguinles :
Jesniao Ferreira da silva.
Dr. E^tevo Cavalcanti de Albuquerque
Abena a sesso, procedeu se osortf.io do r.oose- de mam de 10'JO, podeudo, quando oppostos legin-
Iho do jury de sentenca ao qual foi deferido o mmente, remllelos ao Jui/. deprecante para co-
respeciivo luraraento, dos -ntos Evaugelhos. nhecer dalles.Pereira e Souza nota 886. Esta
O Sr. juiz de direito propoz ao jury de seulenga doutrina nao sabe ser contestada,
que oo leudo comparecido asdeoMM le>temunhas Passando a tractar da execugao, o nobre collega
da accu>agao e Bornete a que aecusada de per- enira em uma serie de consideragoes a que carta-
jura nao obstante serem todas ellas uoiificadas co- mente responde a priori o segundo artigo que tiz
mo consta da certido do ifficlal de JSslica, lioiiia publicar uo mesmo Diario, e haveudo ah iirocura-
o jury pronunciar o seu veto inlependeiiti do com- do demonstrar, conforme me ajudou Deus, que a
pareciinenlo das mesmas testemunhas, foi respon-
uido pelo dito jury por maioria de uove votos que
nao, em vista do que o dito juiz dissolveu o conse-
Iho addiando o julgameulo dos reos para oulra
sesso e achaodo se a hoia adiantada e faltando
numero jurados para naver casa levaotouse a
mais que para ella se cate pretexto, deixou o man-
dado de lera devida cxeca,o. Si assim nao fura
; o prlmeiro dever do Sr. Dr. chefe de polica era
I auxiliar o juiz que actu no luga" para exer-
cer acto de sua junsdiccao, e nao proceder ao
seu interrogatorio, e outros, que bem podiam
i ser deixndos para depois.
A i-to foi que chamei prerogaliva descommu-
nal e contraria a' independencia dos poderes.
Sobre a materia dos embargos, pelo que nelles
se iratou ou dixou-se de tratar, no posso convir
com o nobre collega, por mais que respeite a sua
opmiao, que o juiz devesse sup>rir, o que nos mes-
mos fallasse.
Ao juiz cuinpre fazer executar a sentenca, e a
parte allegar o que a bem de sua defeza venha,
porque correte que o juiz nao pode supprir a
defeza do reo, antes adslricto a julgar smente
segundo o allegado, e provado, aiuda que sua con-
setnela Ihe dte o coutrario.
Mandar o juiz deprecado que taes embargos cor-
resseui era aulo apartado, visto no apontarem nul-
lidade das que, provada do ventre dos autos, de-
vesse suspender a execugao, nem serem de reten-
gao de bemfeitona-, respeitando s aojulgado, se-
guro o juizo, era o que devia fazer-se, como ensi-
uam os praxislas. Pereira e Souza art. 448 e no-
ta 883.
O juiz deprecado competente para coohecer do
que respeita a forma dos embargos, e a sua ad-
missoPereira e Souza nota citada, Ass. de 4
execugao dada a senienga era a nica cabivel, n3o
cabendo na especie a pretendida acgo de despejo,
pego perniUso ao meu Ilustrado collega para re-
ferirme a elle, era quauto o no vir contestado
Concluindo faz o nobre collega a dislmcgo da
posse corporal da lela, e parece querer dar a en-
sesso, addiando a para o dia 18 do correte t>las tender que a posse que ah caba era esta ultima,
10 horas da manhaa, designado para serem jul- ijue uo iraplicava o despejo: isto quera o oo-
gados ns reos Severiaoo escravo do lenenle-coro-, DrH collega que, nulla a escripiura de hypolheca
nel Manuel Joaquim do Bego Albuquerque acedado se execulas^e a seoteoga por modo, que o Sr. Joo
pelo crirn.- de homicidio em uma escrava sua par- de Sa continuasse na poss corporal e elfectiva; e
ceira e Manoel escravo do Rvm. Joaquim Mauri- conseguintemenle que a nullidade decretada por
i seolenga licasse burlada.
E exactamente islo que eu digo que se no
coaduna com a entrega, que implica necessaria
menie a posse corporal, deveodo a entrega da cou-
sa ser efectuada realmente na forma da ord.
Eis o que cumpre responder ao meu Ilustrado
No Diario de Pernambuco de 23 do mez passado colleea. a 'Ju,"n ag^deco as maoeu-as delicadas, e
deparamos com um pasquim, assignado por uma e*pr>ufts obsequiosas com que rae Jjonrou.
cousa que se chama em Gravat Joo Capistrano' Nao Pisso.porem.deixar de, por miuna vez, quei-
Torres Gallmdo, contra o Sr. Dr. Julio Barbosa da ?!r"me D0-s sesmos termos em que o az o Sr. Dr.
o i Waoderley.
COMMNICADS.
Vasconcellos, muito digno juiz de direito da comar
ca do Bouito, e magistrado que faz bonra a sua
classe.
A desenvoltura da linguagem, a insolencia e es-
tupidez que se nota era todo esse immando escrip-
Moraes e ::.va, de suppor-me 6. S. capaz de uraa
i
(*) As certidCes ao podaran) ser extrabidas a
tempo-de serem publicas com este artigo serio
publicadas depois^
transfuriiiaudo-o em arma pengosa para ferir
aquelles que tem a coragem precisa para resistir
aos .-eus accessos imperiosos e tresloucados.
Base juiz de direito de que tralo. oa nnpossibili-
dade de vingar-se de mim sera pratiear urna revol-
tante udignidade ; baldo de meios de fazer-me pa-
gar, sem recorrer a infamia, o grande peecado de
o ler convencido pelo Diario /< Pernambuco de
calumniador, incumbi ao sen Qlus achates Aulo
mo de L-^mos, um Mebre auto de resistencia, con-
tra mim, em virtude do qual, fui no da cima
mencionado, preso dentro de>ta villa, e recolhido a
uma priso de sargentos, apesar de. aebar-me far-
dado de capito da guarda tucioual. declarando o
Sr. Dr. Julio que uo me consenta ua ca.-a da c-
mara por que hia dar audiencia. No parou ainda
ahi a viuganca desse homem: procurando eu pon-
derar-lhe que acnandj-me fardado e com as insig-
nias correspondentes ao posto de capitao, no po-
da elle mandar me acompauhar por dous soldados
de bayoneta na mo, taes e tao horriveis gritos
deu-ine, que mais proprio eram de um carneceiro
embriagado dentro do acougoe do que um jui/. em
audiencia. Eeu -offri ludo e Uve calma para ca-
lar-me diante de toda a casta de provoeaco, alim
de que o Sr. Dr. Julio no livesse o gosto de vdr-,
me perdido. Taivez que em toda a sua vida de
juiz, nao tenha o Sr. Dr. Julio tratado a um criml-
noso de morte do modo por que eu fui tratado, no |
se lembrando, que se o aecusado no tem o direito |
de ser tratado a doce e cha, tem 0 de ser tratado
com a delicadeza que caracterisa a lodo o hornera
bem educado. E' grande a agitago em que me
acho, e por iso pego aos Srs. redactores, que aguar-
dein a historia da persegucio de que estou sendo'
victima por mais alguns dias, certos de que quaes-
quer que sejam os tratos e torturas por que o Sr.
Dr. Julio me faga passar, no desistirei do propo-
sito de dizer tudo o que elle e o que foi, para |
que elle se convenga de que se dspem do brago
poderoso do poder para flagellar-me, eu he de dls-
pr da livre imprensa para profligar os seus des-
mandos e pedir jostica a quem m'a possa fazer.
Joo Capistrano Torres Gall.ndo.
Bonito, 10 de dezembro de 1863.
Thesoureiro.
0 Illm. Sr.:
Francisco das Chagas Cordeiro Campos.
Villa de Iguarass, 10 de dezembro de 1803.
0 vigano interino,
Florencio Xavier Das d'Albuquerque.
Senltores redactores. No /Jimio de 16 do cor-
rete, em uma correspondencia publicada em res-
posta a oulra do Sr. Gaspar Cavalcanle, vem con-
tra mim uma maligna insinuago no segrale tre-;
cho :
.......... cousa incrivel, mas, entretanto,:
verdadeira, porque a escriptura ah esta' e o at-'
testa, esse intitulado instrumento de compra e ven-
da de beus semoventes e de raiz, escravos e enge-
uho, foi passado sem que um s real fosse pago a'
fazeoda geral e provincial da meia siza dos escra-
vos e da siza do eogeoh), e anda hoje Ul vicio
no esta' sanado, apezar de ser procurad r liscal
da fazeoda provincial o Sr. Dr. Cypriano Fenelou
Guedes Alcoforado, que deve melhor do que nin-
guem saber dessa leso feita ao:- cofres provra
A'joven veluotaria ecarense Jovita.
Seguir do monarcha o passo
Urna joven no hesita :
Do Brasil monarcha Pedro I
Da patria lilha Jovita I
Da justa guerra o thealro
Do Brasil o povo incita ;
Seja homem como Pedro,
Ou mulher como a Jovita I
Quem aos reclamos da patria
Seguir o monarcha evita T
Quem no liel a' patria,
Como a varonil Jovita I
Qual do Brasil o tilho
Que a tal aegao n' Imilla ?
Vendo a exemplo de Pedro
Marchar a' guerra Jovita ?
No lem smente o monarcha
Direito ao solo que habita ;
Da patria tambem filha
Muito amante a audaz Jovita t
Ufanai-vos bravo* filhos
Dessa provincia bemdita,
Qu'em defeza da patria
Mandou a' guerra Jovita I
Ao Ceara' (mi dos genios)
Um pegnimo felicita I
Mas teus genios de coragem
Esto muito aquem de Jovita I
Da guerra a cauca commum
O casto pudor agita;
E, de seu sexo a fraqueza
Converle em valor Jovita I
Tea passo altivo, oh mulher I
Nenhom homem mais imilla I
Vai a guerra e s feliz I
S venturosa, ou Jovita t
Alag-a Nova, 7 de setembro de 1865.
Maniel de Athiyde.
quando accomraettem -a febre etbica, mas
tambera a refrescar o sangue.
Aos doentes desta enfermidade, quando o
seu estado de gravldade tal que a febre
ethiea os accommette, prescrevo-lbes-oso-1 ^^
co de um litno dissolvido em uma chicara
d'agua cora bstanle assucar em um grande
copo para misturar com um papelinho dos
pos refrigerantes para tomar, cora que ali-
viara no acc .[metimiento da febre, e pela
manliaa o xarope elberio de veame. Teolio
aconselhado, que facam uso de vegetaes de
natureza acida, como laranjas, 1 moes, pi-
ntelo.
esejo a V. S. todas as ventura?, por ser
le V. S. muito respeitador e brigadssimo
criado. Francisco Bermguer Cesar de Me-
in jurubeba.
As virtudes therapeotleas da jurubeba sao desde
muito condecidas no s no Brasil, pois que dellas
iratou Pisn em sua encllenle obraHistoria na-
luralis el medica huta occtdentalis, seno nas
Anlillias, onde o sueco das foi has e froctos como
aqui, muito estimado e appl cado eoulra as obs-
troccoes abdominaes, principalmente do ligado e
tangas, uvas, etc., e apiiiicacoes de plantas bag; e se tndo> os facultativos desta provmcia o
amargosas, que fortificara o estomago e ser-i n?" "fP"? c"m [ri,'i'-nc'a.. / se nao deve a
i "' *" P .. I nao reioriheierem elles essas virtudes, mas sim a
vem ao mesmo tempo para destruir e mui-,na() serem encontradas com facdidade e6m todas
gar a sede. as estagdes do anno os frncios des>a planta, e a re-
ASra. U. Joaquina deS Brrelo, tendo Ipognaoea, que presentara os doentes era fazer
uraa sua esera meltula ao Iratamento de seu medico, resol- .\ jn,beim nao descoobeeida do* botanistas :
veu procui ar-me para tratar de um outr esta planta pertence familia das solaneas, e lera
escravo, que sotTria da mjsma enferraidade, adeoominacao de solanum pamcntalum, que i!,e
prescrevHbe o xarope de veame, tem w+\**!*mmlmm foilil,r osod(>
inorado cousideraveiiiienle. ^ gacco ,js rr0cios da jurubeba, que o mais em-
A senliora do Sr. Antonio Francisco lio- pregado, nos proponemos e conseguimos preparar
norato foi desengaada por habis mdicos com elle no s um eatracto alcoolico qoe pode ser
desta cidade, esleve prostrada, e nos lti-
mos paroxismos da morte, foi com o xaro-
pe de veame salva, como se v da carta
impressa no Jornal do Recife de i) de feve-
reiro de I8t>:{.
0 escravo Emilio, do Sr. tenente-coronel
appiicado em pillas, mas tambem um vinho, um
zampe, e um emplastro que pode substituir, era
certos casos, o de Vigo ; e estamos persuadidos que
rom islo prestamos um servlgo a humanidade e a
b teraputica.
Pisn, tratando da hydropesia, prescreve a de-
cocgo das raizes da jurubeba, e Mrat e Delens,
em seu Diccionario de materia medica e theranen-
Rodolpbo Joa Barata de Aimeida, foi tara- tica, dizeui que nas Ao'ilbas se faz uso do sueco
bem desengaado por habis mdicos, e S frnes maduros dessa plaa contra o catar-
com o xarope de vellame acha-se c, moleta- ^^1^^^^^
menle reslabelecido, Como se V tambem sa' pHlavras, e por StO cuidaremos de ter em
da carta impressa do mesmo Sr. lente- uosso estahelecimeuloessas raizes,para que possam
ser experimentadas.
A reputago da jurubeba tal, e os resultados:
therapeuticos oblidos ltimamente sao lao impor
Untes, que nos parece intil dizer mais do que
islo, que Oca escripio.
Deposito: pharmacia de
Joaquim de Aimeida Pinto.
coronel no mesmo Jornal do Recife.
OSr. Antonio Christiano Fogt, filho do
Sr. Christiano Fogt, proprietario e cstabe-
lecido na cidade de Macei, o primeim bem
conhecido nesta cidade. pois que foi empre-
ado na casa do Sr. Len Chapcllin, retra-;
lista estabelecido na ru i da Imperatriz, ac-j
comiBettido desta molestia, foi daqui deseo-1
ganado por liaDeis mdicos : retirou-sc para A jurubeba uma das suhsiancias medicamea
a Babia, e alli COntinilOU em tratament ate losas, ao reino vegetal, e pertence classe
que foi segunda vez desenganado pelos rae- dos 'ol>ieos e desobstruentes, sendo era prega
(linos llalli cliptrando pii em Mu-ei um aa c,n vanIaPem contra as febres intermitentes
ni, cnegaiio eu era MaceiO, um a,om me, que o acompanhasse ale a Ella tem sido applieada com incontestave proveltc
casa do Sr. Christiano, para ver um doente contra a anemia ou colorse, e hydropesia, catar-
e prescrever-lhe algum remedio, encontrei rho dajiexiga e mesmo para combater a menstrua-
e em es-
JURUBEBA.
0 filho em uma cama 'desanimado 7ah C^'O"!, resollante da mesuia anemia ou chic
tado de prostraeo, pois que escarrava san-
Caramba que es el diluvio universal IIIII
Os drogas levarummeagua nobico lili
Lase foi barra a fra a menina de meus olhos....
ciaes, uma vez que elle tambera o advogado do Minha podara. ...
teueQie-corooel Gaspar Cavalcaale de Albuquerque An eu a* s^ Qlie diabo de bruxarias fizeram
Ucha. os drogas ; tamo que me humitket, tanto que me
No devo resposia a anooymos, nem costurao mroj/ei aos ps dos homens que lem os sapatos
gue, e tinha completa inapetencia e fraque-
za a pt'Dto de nao se poder por em p, no
fim de uma garrafa do xarope ethereo de
veame j se achava elle no estado de pas-
seiar em casa, desapparecida a inapetencia e
OS escarros de sangue ; e a tosse mitigados.'
No fim da segunda j achei em estado de
faze-lo passearpelo sitio todas as manuas.
Acabada estao aconselhei. que continuasse
no uso do mesmo xarope etberio alternado
Extrato alcoolico de jurubeba.
Emplastro dem.
Oleo dem.
Tintura idem de idera.
Xarope idem.
Vinho idem de idem.
Pilulas de ext. idem.
Deposito, pharmacia de Pinto, ra larga
sario o. 10.
-gg i. ^e-*-^g^^i
do
TTENQiO.
Xarope alchoolico de veame, preparado-
da-la,,no caso vrteme, porm, a devo ao publico, muito justos e que no admitiera pedrmhas...... com o xarope atcoohco de vellame, c que pelo pharmaceutico Jos da Rocha Prannos,
No sou obrigado a saber quando os irapostos UuUs excelencias que incuti nos memoriaes, tudo USasse dos banhos salgados na paucada do estabelecido C0U1 botica lia ra Direita n
deiiara de ser pagos nesta ou oaquella locaiidade foi de balde..... ... mar. Sentio elle nos primeiros banhosal- 88 em Pernambuco.
eKKiUSpTS. de denuSa KaS -ttffSRSiS *mm~~n *^'' S> choqoes, mas eu o aconselbe- que con-1 Este xarope incontestavelmeme superior
rana,sempre proraovo a sua cobraoga pelos ca- ada Coragem agora ... No possivel. Eu tmuas>e, com o que se lemdado mui'Obem a todos OS xaropes depurativos, de Cuja
naes competentes. vio, eu parto, eu fujo para o Paraguay imiiiiiiin pois que tenlio recebido cartas de Macei, composifo o seu maior ele esto a sais*
Nao me coosla que a thesouraria fosse dada deos menina dos meus ollios ; padaria sem di- eai (,Ut se me commuoica O seu bom estado, parrilha, pois que se tem Conhef ido lar n-
denuncia alguma sobre essa orelendida defrauda- nbeiro : fogo vivissimo, certetro. Adeos aentes ailok. m,.i, -. j ^^ f. F'""" v?ta 4UC 3C icui uuuuewu ser O'
gao de direitois. pretena.aa aeirauna ^ mJ^^ ^ que cobrem Nesta molestia os expositores de medict- veame mais enrgico para a prompta cura
Quantu a coaslar isto dos autos dos ttulos que tat- Vou para o Paraguay, >em embargo dos em- na no aconsellwm banhos salgados, apenas das molestias, cuja base essencial depende
foram juntos pelo meu constituale para habilitar- bargos despriados, e la flearei ainda mais quando delles tratara, dizem ser applicados da purilicacao do sangue : assim pois se
nr,,!r,T,d6e^l,,ue? D" "S? "****co"01 Salgado \ \AS e.-crophulas, hypoeondria, esthensmo, tem verificado por muitas nessoas aue e-
ZSSSfB^SgSSVSfSSS p..an... ii,w *. K. BSft K2f*V^ fFS** ;diav *fi? P J2
d-oodecoostedefraudagodeim.oosio, no sou tara- """"" -o"5 c a.enp. este bom resultado no filho do Sr. Cristiano, hoje restabeiecidas com o referido xarope
bem dos que despacho eomo advogado obr^ado. a truncas atormentadas por vermes podem e outros factos iguaes tenho visto nas mo- alchoolico de veame- entrt tanto que al-
oihar para eties com oaos fiseaes. ser alliviadas com uma s dse de pastilhas lesas atf,hyliiicas, e outras militas que com guas, tendo usado do xarope de Curiflier
'V



.V*'-----

(
mm


Mari* e rri
Tere fe> i de totiemhmm 0* 1 *.
de Larrey, de salsa parrilha, de saponaria,
oleo de lgado. de bacabio, e outros agentei
desta ordem nada conseguiram. E' elle da
fcil digestSo, agradavel ao paladar e ao ol-
phato Algn mdicos desta cidade e da
ra das
Impigens, tinha, escropbulas,
Tumores, ulceras, escorbuto,
Caucios, sarna degenerada, Iluso alvo.
Todas estas affecces provm d* urna cau-
sa interna; nao ha pois razo aiguma em
crer que ellas se podem curar com remedios
externos. Tamhem se prescreve o xarope
alchoolico de veame para o tratameuiu das
alleccoes do systema nervoso e fibroso, taes
como:
Golta, rlieumatismo, paralysia,
Dores, impotencia, esteriiidade,
Marasmo, bypucoodria, euwnagreciment.
O xarope aleooolico de veame sobre
tudo, da maior utilidade para curar radie
clmente, e em pouco tempo o rheumaj-
tismo.
Ailverte-se que o verdadeiro xardo eso se
vende nesta cidade na botica cima indica-
da, do abaixo ass gnado; e em outra qual.
duer parte que se tem annunciado nao da
mesflta composigo, e nem o abaixo assigna-
do se responsabiiisa.
Jone da Rocha Paranhosv
CURA
Espanto/a e Ailiniravel
DE MA CHAOA
CANCROSA E ROEDORA
ou
POLYPO m NARIZ.
ma creada de servir residente em Pemam
buco e pertonconte Ex"* Sefir*. Visconessa
i>k Goiaxxa, foi atlacada d'unia terrivul clia
ga ennerosa e roedoraou Polypo "o Nariz.
A mesma involvia e tomara todo a parte in-
ferior do nariz, ami'iu.nndo j'i distruir tanto a
parte cartilaginosa como o mesmo oso ; Com
cou primi'iro por apparecer sol) o lieico supe-
rior e parte da face, extendendo-se por tal
forma b com tal rapidee, que- em pouco anu-a-
<.ava transformar todo o rato n'uma enorme
eliarga riva a qmiyim, Durante todo este
terrivel estado, todos os rapunoa medicnues
que riu tac.-* cazus bu QSO foiao abundante-
mente empregados, sem que de leve Batease
parar a marcha lenta a c'.istrtiidora de tio lior-
rlvel enferiiiidade, e todos os meios e esforcos
torio baldados, e no cni tanto o mal resela eis
qoupormilngrosa fortuna ila infeliz estando
is conzua no?ic ponto, se experimentou pela
v. /. piinieia a
SALSAPAERILHA
O efibito prodnsido, qnasi qne instantneo
xir este Inesmavel remedio foi vcrdmleira-
ment maiaviUioBO e sem igual: este grande
pnrifieador do mngoe c dos liMinores do sys
tema, inmediatamente pz um termo Ji nar-
clia disastroz-i e fatal da molestia, derramando
se e infiltrndose airares dos tecidos os niaie
delicados do corno, expellindo at ultima
propriedade ou vestigio virolento da molestia,
e dentro d'uin curto espaco de tempo produzio
CURA
Completa e Radical.
Este feliz quao admiravel resultado foi obti
do apenas c<>m o simjil> uso
Duina so nica Garrafa!
d este incomparavel e inapreciarel depuratorio,
recommendamos portanto todos os Docntes
que procurem obter com o maior cuidado a
nica e rerdadeira Salsaparrilha de Brigtol,
nicamente preparada por
LANMAN & KEMP,
De NOVA YORK,
na certeza de que, todas as mais preparagde*
imitativas nao valem para couza alguma
Vende-se as boticas deCaorsdr Barbosa
e C. Bravo & C.
nOMMEBr10.
PRAGX DO REOIKK.
Cota es offlciaes.
18 de dezembro.
Assticir mascavad > americanofilOO por arroba
Cambia sobre Londres 90 d/visia 28 >|2 d. por
mil ri-.
Fr.! te algodie para Liverpool I d/ por letra
sem primagem.
uubourcq Jnior,
Presjdeute.
Guimaraes,
Secretario.
\ovo banco de Peroam-
buco.
0 Novo Banco descoma letras a 12 por canto
ao auno, lotna dinheiro a praso ixo ou era conU
carr< ule pelo premio e coodigrjes que se couven-
Ciowr. e saca sobre a praca da Baha
Calxa filial do banco do Brasil
em Pernatmbuco.
Ten lose desencainiahado da massa fallida de
Gdllherrae Carvalho & G. o recibo .te 15 arco-s
da< loralisadtS ne>ia caixa, soh ns. 2787 a 2801,
pertenreotes a Goilherme Fredencn de Souza Car-
valno, socio daquella tirina, a directora fat publi-
ca a qnem interesar possa, que por parte de Jus-
lino I is de Souza Campo-, administrador da re-
ferida massa. se vai proceder a transferencia de
ditas acedes para a Sra. D. Henriqtieta da Silva,
actual p'nssuidora das mestnas, visto a< ter em has-
ta puMica comprado, como tudo provam com do-
cumentos que ficira archivados nesta caita.
Caita Itlial do banco do Brasil 30 de. noverabro
de I8ii.>.
O guarda-livros,
Ignacio Nunes Gorreia.
aLFaNDEGa.
Reudinwnio do dia t a 16...... 45:I:9396I0
dem do dii 18............... 19:985*116
M&Mttftt
MnVlMK.siu DA ALFADEGA.
Volumes entrados com fazendas----- 92
c Cun leiieros..... 3bo
457
Volumes sabidos cem fazenla..... 197
i t con gneros..... 600
------- 797
Descarretram hoje 19 lodzmbro
flarca ngleu Ronatd mercaduras e pedras.
Sacca malezaHuumlanieta.
Hatea iiiitlezaCoren earvo de pedra.
Barca inRleza-Do/^mr-carvao de pedra.
B^rca iugieia-7*z6ea-carvo de paira.
Escuna iqgleza- Muchufcarvio de peda.r
Barca ingiez^ Anne Loqanidem.
Brigue lulilez Pw<-idem.
Brige nglez Walltr fiii-bacalhao.
Patacho hespanholSebastiaovinhos.
Barr nacionalWi/inacharque.
Barca nacional Sania Maaidem.
Bngue portuguezimpropto-idem.
Patacho portuguez -Furto idem.
Patacho oriental Santo Agostinhp idem.
Barca prussiana Cluckauf farinha de trigo e
mais gneros.
Importaco.
Patacho hespanhol Themoteo U, entrado de Bar-
celona, consignado a T. Christjaqsen, manifestou o
segu ule:
lo t pipas, 12 nielas ditas, 100 barris de quinto
e 40 ditos de dcimo, vinho tinto ; a orden do ca-
pii do mesmo.
Polaca hesp.tuhola Anlilka, entrada de Montevi-
deo, consignada,* ordein, mamCestou o seguinte :
2,900 '|iu-)ta<* be#|i*n;.6eid9 carnu d ; charque;
ao capito.
Brlgue argentino Volante, entrado de Bueaos-
Ayres, consignado a.Amqrl.m jrraos, manifestoa o ;
se^ninte :
3 041 } qutntaes hespanhoes de carne de char-
que e 30 couros seceos; aos mesmos.
Bnsue nacional Sella, entrado de Montevideo
pelo Uio de Janeiro, coasignado a Amonm Irraao.-;
manife-tu o seguate :
3,099 qnintae,s.hespanhoes de carne secca de
charquee Sdcouros seceos; aos mesmos.
Vapor nacional Tocantins, entrado dos portos do
oorle, inaolfefUou ,o segu te :
Do Para'.
3 caixas tabaco picado, 900 latas ; a ordem.
Do Per.
2 fardos 475 chapos do Ghili; a ordem.
Mercadorias nacionaes.
28 rollos salsa ; a ordem.
Do Maraoho.
4 canastras joias; a ordem.
Rugue nacional Henrique, entrado do Rio de Ja-
neiro, manifestou o seguinte:
2UU frasqueiras geoebra, 1,'200 pedras para moi-
nho, 100 barricas razias, C caixas machinas para
descansar algodao.
Genero nacional.
397 rollos fomo, 20 latas dito, 10 barris potassa,
57 jacazes louciobo. 4 banis dito ; a ordem de di-
versos.
ALFAN'DEGA DE PERXAMBUGO.
PA.TA.POS PHECOS DOS GENKJIOS SUJEITOS A DIREITOS
DB^EXBORTAgAO.SRMAa BB 18 A 23 DO MEZ DE
de uszKwmo dk 1865.
Mwcadonas, Unidades. Valores.
Abanos......... ceuto l&M)
Agurdente de cana .... caada.
Idem {estilada ou do reino >
dem a\aca....... >
dem genebra......
dem alcool ou espirito de agua- 900
ardente .......
Algodao em caroco .... arroba 4*280
dem em rama ou em lia 155000
Arroz com casca..... l5-')00
dem descascado ou pilado 2*600
AssQcar mascavado..... 2*100
dem branca........ 3*700
dem retinado...... 3*900
Azeitc de amendoim ou mendo-
bim ........ caada 25000
dem de coco...... 15600
dem de mamona .... UW00
Batatas alimenticias .... arroba 1*500
Bolacha ordinaria, propria para
embarque....... 35000
dem lina........ 75000
Caf Lom ........ 0*000
dem escolha ou restolho. 6*000
Idem loriado...... libra 440
Gaibros........ um 360
Cal.......... arroba 320
dem branca .... 580
Carne secca (xarque) ... 35200
Carneiros ....... um 45000
Carvao vegetal ..... arroba 15000
Cavernas de sicupira urna 3*000
Cera de carnauba em bruto. libra 300
|dem idem em velas ... 300
Cha ......... 15500
Charutos ....... cento 25500
Curados (porcos)..... um 155000
Cocos (seceos)...... cento 4*000
Colla........ libra 600
Couros de boi, salgadosA. 155
dem idem seceos espichados 240
Idem dem verdes .... 120
Idem idem cabra cortidos um 350
Idem idem de onca .... 105000
Doces seceos ...... libra 1*000
dem em gela ou massa 320
Idem em calda ...... 500
Espanadores grandes um 45000
dem pequeos...... 2*000
Esteiras para forro de estivas
de navio........ cento 155000
Estopa nacional ..... arroba 15800
Farinha de de mandioca alqueire 25000
dem de ara ruta .... arroba 4*000
Feijao de qualquer qudlidade i 25800
Frechaes ....... um 55000
Fumo em tolha, bom arroba 1550O0
dem ordinario ou restolho 85000
dem em rolo bom ..... > 850:10
dem ordinario ou restolho. 55000
Gallinhas ....... urna 600
Gomma........ arroba 25600
Ipecacuanha (raiz)..... 25*000
Lenha em achas..... cento 25000
Toros.......... 115000
Linhas e esteios...... um 6*000
Mel ou melac.o...... caada 320
Milito......... arroba 1*500
Papagaios ....... um 3*000
Pao Brasil....... quintal 5*000
dem de jangada...... um 5*000
Pedias de amolar .... urna 800
dem de tiltrar ..... 600
Idem de rebolo ...... 1*000
Piassava........ molho 120
Ponas, ou chifres de vaccas ou
norilhos....... cento 3*600
Pranchoes de amarello de dous
costados....... um 20*000
Idem de louro...... 10*000
Rap......... libra 1*000
Sabo......... 120
Sal........... alqueire 400
Salsa parrilha....... arroDa 255000
Sebo em rama...... > 5*000
dem em velas...... > 75000
Sola em vaqueta...... urna 25000
Tahuas de amarello. .... duzia 1405000
. diversas....... 875000
Tapiocas......... arroba 34000
Taujuba........ quintal 2*000
Travs ......... urna 6*0"0
Uuhasdeboi ....... cento 200
Vassouras de de piassava 10*000
Ditas de timb...... 8*000
Ditas de carnauba..... 6*000
Vinagre......... caada 500
Allandega de Pernamuco, 16 de dezembro de
1865.
(Assignados):
0 1.* conferente, Pedro Alexandrino de Barros
Cavulcante.
O 2." conferente, Joo dr Freitas Barboza.
Approvo. Alfandega de Pernarabaco 9 de de-
vembro de 1865.A. Eulalia.
Conforme. O 4." escriturario, Joo A. Perei-
ra Bocha.
KF.CEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendlmento do dia 1 a 16...... 14:7844975
Idem do dia 18................ 3:083*132
nal locaiUuu, couiuiandaale urimauo uhwId As il.fewr** do di ao utatm da ra do
Alvaro de Araujo. gario n. T
DECLiliCiES.
u.
Contualado provincial.
Pela mesa do consulado provincial se faz publico
que os 30 das otis marcados para a cobraoca
bocea do cofre do 1 semestre do anno financeir >
de 1865 a 1866 do imposto da decima urbana das
freguezias desta cidade e dos Afogados, e da parte
da da Boa-Vista e do Poco da Panella, que en ar-!
recadada pela collectoria de Oilnda, se principian
a contar do dia 1 de dezembro vindonro.
Mesa do consulado provincial de Pernambuco,
30 de novembro de 1865.
Antonio Carneiro Machado Ros,
Administrador.___________
Relacao das canas seguras viudas do norte pelo
vapor, TocanUuis e das existentes na administra-
gao do correio desta cidade para os senhores
abaixo declarados :
Florentina Mara dos Prazeres.
Francisco de Paula de Albuquerque Maranhao.
Francisco de Paula Mariano Falco.
D. Henriqueta da Silva Cavalcanti.
Henrique da Silva Ferreira Rabella (Pao d'Alho).
Iiuacio Vieira de Mello Filho.
Joaqun de Assumpco Queiroz.
Jos Buarque Lisboa.
los Francisco Ribeiro Machado.
Jos Rodrigues de Souza.
Lino de Fana (2).
Luiz Muoiz.
Marcohna Miria da Conceigao.
Mauricio Francisco de Lima. '
Liborio Alfonso deOliveira.
Dr. Trislao de Alencar Aranpe.
Theotonio Ribeiro e Silva (Penedo).
Impojtyute lefio
UPmtVM, sOTrtai-fos-^rairtes c p#-
gaz. cftapiis deso t diles do cili.
(Sem limites.)
Gordelro lines
por conta e risco de quera pertencer fara' leilo
d8 urna rica mobila de jacarauda* a Luiz XV
com lampo de pedra, i dita mais inferior tambera
a Luiz XV e cora (ampo de pedra, 1 dita de ama-
rello, 1 guarda roupa de mogno, 1 guarda louca
de amarello, l m*sa da amarello, cadeiras de guar-
nido e balang >, mesas, apparelhos de almoco e
jaotar, mais 7 chapeos de sol, 32 ditos do chili e
ootros muitos arligos de goslo.
Hoje as 10 horas em i>onto.
No armazem a la da Cruz n. 57.
De diversas liras de brilheHtes. ca-
dei s pa
de crystal e oulios muit Hoje as IO horas.
No armazem a rna da Cruz n. 57.
LEILAO
GompaDhia de paquetes a vapor enlrc
os Estados-Unidas e o Brasil.
Al o dia 211
do correte espe-1
ra-se de New-
York e escala o
vapor South Ame
rica, o qu.il de-
pois da demora
do coslume se-
guir para os
portos do sul.
Para passagens, fretes ate,, trata-se com os agen-
tes Henry Forsier & C, ra do. Trapiche o. 8.
Para a Ilhade S.Miguel.
Do Rio de Janeiro esperado o patacho portu-
guez Fernando, o qual lera' uesta pouca demora,
por ter melada de seu carregamenlo prompto :
para o rest, que.lhe falta trala-se com os seus con-
signatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C,
no seu escriptorlo, ra da Cruz u. 1.
Para o Porto.
Deve sahir com brevidade o brigue portuguez
Esperanza por ler a maior parte de seu carrega-
meato ja' tratadj : para o resto e passageiros tra-
ta-se cora Cunha. Irmaos C, na rua da Madre
de Dos n. 3, ouc^m o capito a bordo-________
Ilha de 8- ligael
0 patacho portuguez JORGENCE, segu com
mulla brevidade por ter a maior parte do seu car-
regamenlo prompto, para o resto da carga e pas-
sageiros trata-se com o consignatario Joo do Re-
g Lima, rua do Apollo n. 4.___________
Para o Rio de Janeiro
Segu a barca brasileira Boatsica; recebe
carga e escravos a frete : a tratar no escrptorio
d'Amonm Irmaos, rua da Cruz n. 3, cu com o
capito Francisco Luiz de Souza Jnior, na prara
do Commercio.
PAR v
Pretende ahir em poneos das o patacho Pa-
raense por ter o carrea-amento quasi completo, e
para o pouco que Ihe talla, irala-se com o consig-
natario Joaqniro Jos Giu^aives Beltro, na rua do
ViL-ari
i n. 17, Io andar.
0p
POUCO!
PS
.1.
Cear
Ihibote Ganbaldt segu para o Cear em
das : trata-se com Tasso Irmaos.
LiHijQES.
IiEILJLO
De u na casa lenca em flia .s ftreirfs
a 'U^ do Pa'ai'i ido Bispe n 38, reo-
MoS mensaes.
Cordeiro ttimes
competentemeule autorisado fara leilo da casa
cima dila, a qual pode desde ja ser examinada,
na mesma dc.easio venderseha em leilo o *
re c a .nesma.
No irmazem da rua da Cruz n. 57.
HOJE
Terga-feira 19 do correte as 11 horas.
ter-
L

I
ao
iter$a-Mra 19 e quinta-feira
21 do correute.
Americo F. S. fara leilo para prestar contas de
venda, por conta de diversos amigos, de 4 mobilias,
! 1 piano, 1 aparelho de looca para janlar, 1 dito
I para almoco, 1 cama franceza de Jacamoda para
casal, e 1 mesa elastrica, 2 candieiros, 2 lanleruas,
1 relogio, diversas joias do ouroe prata, e outros
: muitos artigos, os quaes sero vendidos pelo aiaior
1 prego e ao correr do martello, por intervengo do
agente Marlins, as 11 horas em ponto, em seu
armazem a rua da Cadeia do Recife n. 8.
LEILAO
De um grande sitio com grande casa de vivenda
I no logar do Laca entrada defronte do sobrado
grande da Pasagem, lendo a casa capella, 5
salas, cosinha fora e o silio 1650 palmos de fren-
te e 1750 de fundo, com grande quantidade de
arvoredos, cnrrai etc.. re.
V Hrl^
Terca feira 19 da correte as II horas
NO GKANE AKMAZGM DE LE LOES
1)0 AGENTP
OLYMPIO,
35tilia da adela o a&ccaae Jli
De borzeguins de bezerro, conro de
poico e cordavo eitos na lerr*.
O agente Martins por autonsago de Joaqum
Loureiroda Silva queso retirara para a Pnrahiba
por motivo de molestia delxa de seguir fara leilo
do referido calcado.
Quai la feira 20 do correte
as 11 horas no armazem da rua da Cadeia do Re-
cife n. 8.___________-__________________
3r Feira semanal
Ue muitos objeci >s de ouro, relogios de praia e
ojro, grande ouaulidade de arligos de marci-
neiiia, crysiaes etc., etc.
Quarta-fclra 90 do corrate.
NO GRANDE ARMAZEM DOAGE.NTE
OLYWIPIO
Sli-RUA DA CAOEA Du REGIFE-36
LtJIlilO
Uma linda victoria, pelo agente Pestaaa.
Quinta-luir 20 do crrenle.
O agente Pestaa la-a' leilo no diaquinlafelra
20 do correle ni porta da Associago Commer-
cial Beneticeote, de uma linda victoria, forrada de
seda e couros de lustre da melhor qualidade, Cum '
arreios de metal principe muito fino, um carro
de muito goslo e propno nao s para qoem estiver
assando a festa tora, como para qualquer senhor
de engentio par ser muito leve e forle.
Leili
lao
De urna eserava.
Quinta-feira 2i de dezraubro.
O agente Piolo fara' leilo a reipierimeuto do
inveniarianle dos beas da tinada D. llermina Ade-
iaide dos Sanios Campos e por mandado do Dr.
juiz dosorphos, da e-crava cabra de nome Albi-
na as 11 horas do dia cima declarado no seu es-
criptuno da roa da Cruz n. 38.__ ____________
De um sobrado de tiro andar e soto
da roa do Arago n. 26, que rende
560" aiinualmi'Mte.
Quinta-feira 2t) de dezembro.
O agc-uie Pinto legaloieiile autonsalo fara' lei-
lo do sobrado de um andar e solao da rua do
Arago n. 26, as 11 horas do dia cima dito em
seu escriplorio rua da Cruz n. 38, onde podero
os prelendeules obter as chaves da dita casa.
LEILAO
LEILAO
UE
Uma casa tarrea no Bar/t.
Quinta feira 21 de dezembro.
O agente Pinto levara' novamenie e pela ultima
vez a leilo, e por despacho do Illm. Sr. Dr. juiz
de orphos, em virtnde do que requereu o invenia-
rianle dos bens da tinada J.ianna Francisca de Me-
nezes, da caa lerrea Coberla de telha, nj Barro,
freguezia dos Afoga.ios, periencenle a' mesma tina-
da ; as II horas do di* cima dito, em seu escrip-
lorio, rua da Cruz n. 38.
___AVISOS MWBM.
Instituto Archeologlcj e Ceograpliieo Pernara-
liucano.
Ha ver sessao ordiuara ipiinta-feira2l do cor
renle, as 11 horas da inanha.
Urden do dia.
Pareceres, relatnos e mis trabalhos de cora-
missoes.
Secrelaria do Instituto 18 de dezembro de 1865.
J. Soares de Azevedo,
Secretario perpetuo.
"garraux de LAILHAGAB & C.~
UBRAIRIE FRANQA1SE
Rua do Crespo a 9.
LIVROS NACIONAES E ESTRA.NGEIROS
ReligioPhilosaphia Jurisprudencia Liliera-
tura Scieocias e artes.
Papelaria, objectos para escrptorio.
LOTER/A
Aos 12:000^01)0. 3:00 >000, 900,5000
e 5DO6000.
para as lioas fesias.
Corre no dia 93 leste mez.
Acttam-se venda na respectiva theson-
raria os bil etes, meios e quintos da 8*
parte da lotera em beneficio das familias
dos voluntarios da patria, cuja exlracco
ser no dia mencionado e no lugar do cos-
tume.
Os premios de 12:0005000 at 205000
serSo pagos uma hora depois da extracto
at as 4 horas da tarde, e os outros depois
da distribuicaodas listas.
As encommendas s sero guardadas at
| a noite da vespera da extraeco.
O ihesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Hermn S-rculi, cidadao snisso vai a Eu-
ropa.
MEDICO E OPERADOR
De farinha a> triso americana.
HOJE
0 agente Petana fara' leo por conta e risco
17:868-31071 de qaem penencer de cerca de 100 barricas com
===== || I fariuha americana em um ou mais lotea a vootade
_____________________ ; dos compradores: lerea-feira 19 do correte pelas
II horas da manha no armazem do baro do L-
MOTIMENTO DO PORTO w^ntoMMd^APoiio. __________
Leio de biscoitos.
Para os das de festa.
HOJE.
Por intervencao do ag<-me Pinto no armazem do
Sr Annes em frenle da alfandeu>.
Principiara' as 10 horas.
s
NaviflS-atlradoino dia 17.
Portos do Borle 10 dias, vapor nacional Tocan-
tins, de 750 toneladas, commandante o prim-iro
lente Francisco Maaocl Alvares de Araujo,
equipagem 50.
Rio de Janeiro15 dias, patacho brasileiro Cyro,
de 237 Mueladas, capito Casemiro Ribeiro Go-
me.-, equieaRem II, carga 10,076 arrobas de
carne ; a Miguel Jos Alves.
Baha-18 das, hiale portuguez Vodo Feliz, de 91
toneladas, capito Joo Mara da Tnodade, equi-
ptg m 8. carga couros e oQtroS gen*ros ; a An-
tooio Luiz de uliveira Azevedo & C. Este na-
vio arnbou a este porto por haver faltado o mas-
Ij-o de traquete no da 16 do crreme, s 8 horas
da maih* ; seu de-amo era Lisboa.
Navios saludos no mesmo dta.
Rio de Janeiro e portos intermedios-Vapor naci-
LEILAO
De 20 saceos cu tu assucar,
O agente Martins fara' leilo a reqnerimento de
i Jos Joaqun da Cnoha e por mandad do Illm.
Sr. Dr. jniz especial do commercio de 20 saceos
cora assucar sendo 9 de branco, S mascavado hnm
1 e 6 ditos mascavado broto os quaes foram embar-
gados a Maooel Jos la Cmara Pimentel.
HOJE.
O lr. J.-ao Raymunoo Perelrada Silva, g
chegaudo uliimauenie de Pars, onde fre- JH
queotou os iwais aotaveis hospitaes, pode cm
ser procurado para o exerenio de sua
OJdfisso na rua da Cruz n. 40 segundo ^|
-andar. D consullas todos os das das 7 ge
i as 10 horas da maoha. Especialidades,
S molestias deolhos, parios e vlas-ur.narias. j|
mmmmwmmmm&mm>m
A viuva do tallecido Dr Ignacie N^ry da
| Fonseca eunvida os eredores legtimos do seo casal
a vereHcarem os seus crditos no inventario dos
baos do ca-al a que a annuoeiacte esta proceden.-
do pelojti'zo dos orphaos desta cidade e"cariorio
do esenvo Briio. _________
l Da-se 5004 a juros : quem precisar an-
o u ocie.__________
Andr Gomes, subdito hespanhol. retirase
para (ora do Imperio.
AMA
Precisa-sede ama ama forra ou captiva para
comprar e cozinhar para ca^a de pouca familia :
na rua da Concordia n. 34, sobrado do armazem
do sol._______________^__________________
- Precisase de una ama de leile lorra ou es'
crava : no largo do Terco n. 30.
Pernambuco, rua Nova n. 18 pharmacia franceza de
P. MAURER & C.
ASTHMA ASTHMA1! ASTHMA
SUFFOCgAO NERVOSA E 0PPRESS0
nico remedio eflieaz para combaltir estas molestias, acalmar um atlaque d'asma e impedir a
volta o Xarope aromtico de Succino (mbar amarello) do Dr Danet. 0e6coberia inleiramenle
recente, este novo producto se tem propagado com extrema rapidez gravas aos admiraveis resul-
tados que lem seinpre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud. ?'4, rua do Comercio, Paris-Grenelle. e em todas as
bdiicas de Franca e do eslranj;eiro.
O Alcoholado de Guaco de Pascal uma nova prcparaco da qu;
basta mencionar suas propriedades para appreciar sua importancia.
Em primeiro lugar um preservativo inalivel do contagio venerio (ver
folheto para o modo de o impregar).
2o Tem i vantagem de ser o remedio mais certo e mais agradavel para
as molestias syphiliticas de toda a especie, ulcerac5es primitivas e secun-
darias, ec.
3" Empregado em injeccOes, o melhor tratamento dos corrimentos
re-entes ou chronicos as pessoas dos dous sexos e da leucorrhea ua-
mulheres.
4 Emfim como antidoto dos virus, soberano na cura das cluigas e fe-
ridas de m natureza, chagas gangrenosas, dartros, ulceras das pernos,
iiphtalmia purulenta, ou blenhorragica, mordeduras e picadas de ani-
maes venenosos, ce.
Este especifico vegetal, izento de toda a accao mortfera, foi experimen-
tado nos hospitaes de Paris, Lyon, Marcelha, ec, e recebeu a approvacao
dos distinctos doutores Ricord, Badchet, A. Richard, Calvo, Diday,
Melchiob Robert, Costilhes, Berenger, ec.
Deposito geral em Paris, botica de CHEVRIER, 21, ru du Faubourg-
Montmartre. Casa de expedicao, PASCAL e C% 33, rua Monsieur-le-
Prince. Parts.
Deposito geral em Pernambuco rua da Cruz n. 22 em casa de Caros & Barbosa.
" BenVfj:gj?iUwfw
PERFUMERA da casa oger
Boulvart Sebastopol, 56, Parlz.
Dez medalhas, a condecoraco da Legin CREME LABIALE de sueco de Rosas.
para
d'hooneor e a grande reputarno que tem lhe
dado o publico, laes sao as recompensas que os
sel'vicos presUidos u industria merecerao a
esta, importante cosa desde sua fundacao en
ISO i.
X'itin soilimento de mais de 500 artigos,
;i- peasoaa clcguites escolheiao os seguintcs:
ROSEE DU PARADIS, extracto superfino
para leu^o.
POMMADA CEPHALIQUE contra a cal-
vicia.
AGUA VERBENA para o toucador.
oximel multiflor.
vinagre de plantas hygienicas.
TINTURA VIRGIN ALE de beijoim.
ROSEE DE LYS, verdadeira agua de
Jouvencio.
POMMADA VELOURS para
(elle.
ELIXIR ODONTOPHILE.
saBAO dedicado as damas americanas.
SABAO de bouquet de Franca.
d de flores de altea rosea.
d de flores printanires.
(Io de bouqnet do outono.
d* de perfumes exticos.
d* aurora, dedicado aos dedos cor de
rosa.
d" de flores das montanhas.
d* de cheiro de foins nouveaux.
* de bluets cheirosos.
* de althea balsmica.
d diapr, caixa rica, fantesia pari-
sience.
'Jh


Mari* e FcrBambuco rerca lelra 1S m Dczcmbro de !
Sociedade de seguros mu-
tuos sobrt -a vida
0 l*nco Atlianca do PertOtendo establecido
esta sooiedade debaixo de sualramediata vigilancia
e respoosabilidade, fariMtoo a creacSo de eapltaes,
dotes, rendas, pensoes, iseocies do servico das ar-
mas, etc., por meio de subscrip^des aolcas oo au-
fluaes.-ss qoaes convertidas em roscrlpcSes da
divida publica, de renda nacional, e da mesma for-
ma os juros semestraes que deltas s foretn ven-
cendo, ficam por um corto numero de annos ern
deposito, al que, lindo o praso estipulado, sao
restituidas aos socios eom es intepesses amontoa-
dos, bera como as que perteocerem aos associados
fallecidos, visto que destes oherdeirosos sobre-
viventes.
Pela engenhosacombioaeo econmica adoptada
nos calclos desta sociedade, v-se eDtrada-anoual de 50,J0i>0, por exemplo. obtem-se
em ."> annos 4505000 a 55(15000, em 10 1:5005000
a 2:0005000. em. 15 3:5005000 a 4:500S<'00, era
20 8:(H)050eo a 10:0005000, era 25 18.0005000 a
25:0005000, conforme a idade do individuo sobre
quem teilo e segur, pois que nos referidos cal-
culos conta-se com a maicr ou menor probabiiida-
de de duracao de vida.
Esla sociedade sobretudo aotajosa aos eoefes I
de familia, visto que llies facilita seu sacrificio a
iuid.ir.io de um capital oo dote tiara seos lilhos ou i
iilhas, segorando-os quaodo nasccm ou em quatto
sao enancas.
Quem, pas, nus circumstanciadas itiformacies '
desejar sobre tal sociedade, ou se quizer inserever i
como socio della, dirjase a ra da Madre de
Deus n. 28, onde se poder entender com iois
Carlos Cselho da Silva, que para isso se acia en-
orregado.
DIODURETO DUPLO
D FERROeQIUNA
DE
MEDICAMENTOS FRANCEZES AFAMADOS
1 YEIDA EM PERVAltlllUeO
Em c.isa dis Srs. Caop e Barboza, ra da Cruz n. 22.
Os elementos que eempoem esta preparacao, o
ferro, o iodo e a quina, a colloco no primeiro
grao das preparacoes ferruginosas. Basta attesUu
seas resultados obtidos pelos Mdicos dos hospi-
taes. e os relatnos dos ptticos mais eminentes,
que conhrmro sua -poderosa eflicacia as se
guinlcs affecedes:
ESTRADA DE FERRO
DO
Recife a Sao Francisco.
Em razo da praudc alltiencia da bagagem pa-
ra o interior em (meo P.mtas e para commodida-
de do publico resolveu esta superintendencia que
o escriptorio da bagagem esteja aberto para o des-
paclu nos dia? uteis das 6 horas da manha as 8
l|i e das t da manlifia as 4 3|4 di larde.
Escriptorio da superintendencia 15 de dezembro
de 1865.
G. O. Mano.
____ Engenheiro e superintendente.
Precisa-se de urn cozinheiro forro ou escravo'
na botica franceza, ra da Cruz n. 22.
Precisa-se de nina ama que cozinhe e engora-
nte : na ra de Moras n. 72.
*llilKnat o MMilKiir,
Krii4|iirxa.
Aurmla,
CMaraae a Irlcrlrla,
filonfttruik,
\rii-vciiv* do tero,
Sp|irr.nen ton re-
C. e aVaorilena u
ICBKtrilHfR.,
Af.-rr:io pnlinutlNr
|ii('lillr,
Molemlan il .kIoiiibic,
(*umU-jiIuIii>*,
Peras tlM|>|>rtllr, rc.,
GonTitlcBcenru de. Ion
gan nialcMlua,
K'il<-tlim carrafa la-
n,
Pil>i-lri,
OliHtrm-rio d.H |(laa-
lulaa,
Uiim.nn frloa,
TniHfiiT. Ilranron,
UackllUm.
AfTeaeora ranrrrn.
e wyphllItlcnH,
PaJwea Cyuholtlra,
Bcxlgaa, clr., etc.
Vejao-ii os bulletins de Iheraftevtica medica
e cirurgica de 30 de novembre t X60.; a Gazela
dos hospilaes de 8 de juiho 1860, etc., etc.
Alfim das pilulas de todureto dupU de ferro e de
quinina de Rebillon, os Mdicos aconselhSo
igualmente o Xarope d'iodureto duplo de
ferro de quinina do mesmo autlior fura as
pessoas qne nao goslo de medicamentos sob for-
ma pilular e os meninos. Este xarope nao tcm
como ox%ropcd'i0(/urfl0(fc ferro, O inconveniente
de alterar-se e de se nao poder conservar.
Pcca-se o folheto que se d de greca-em casa
dos pharmacenticos depositarios.
Para se evilarem falsificacoes, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito geralcm Pars, pharmacia Rebillon,
142, ru du Bae. e em todas as boas pharmacias
de Franca e as dos paizes ^strangeiros, etc.
DE WASMAW
Dtarrheaa r a ronnll-
paco producidas
IK-l.if. rlabm-nrra
dcrrlIiiciMaadoaall-
nientH.
As pasliCluis digestivas com a pepsina de
Wasman, emprego se com successo h j
alguns anoos -pelas celebridades medicaes de
Paris, Landres, ^ieona, etc., em todas as in-
commodidadesm,as quaesadigesto diffcil,
penosa, iciperfeila ou mesmo impossivel: eis
o melhor remtlic (ara coral as.
Ga l>lk|M-palaa,
Etnt.ari*rOM|ina1f^rfl
A aatrllr,
A* nf/-rrcH w'.kI-
chh do t- Sua aceo vivilica o sangue e os rg3os de
tal sortc que, atlie ac pessoas que sem soffrvr
as nffccoocs gstricas cima mencionadas sao
nicamente fracns ou d'um temperamento um
pouco dbil, e ecessitSo substancial jumento
para fortificar le, ao.liSoao emprgo das pastil-
has de pepsina de Wautmn, um |K)dcroso meio
para a isas cliegar.
Aviso imprtame.Qsucccssodas paslilkas
pepsina de Wasman deu causa a se fazerem
falsificacoes c imita<^es d'e^e producto que os
mulos se qnerem IcsCaaer. Pois por falta
d'uma boa preparaco a pepsina que n'ella
entr.i, jaz alterada. Seremos ao abrigo d'este
inconveniente, cxigindo os compradores que as
pastilhas tenhSo as iniciaes B. P. e saio da
pharmacia Chevrier.
Dc|isilogeral em Paris, pharmacia Chevrier,
t, Faubourg-Honimartre, e era todas as boas
pharmacias de Franca e dos |iaizeseslraugeiros.
dos MENINOS
CURADAS PELOS
XAftOPES DO DOUTOR DANET

tea
Castra aa CLICAS DOS MENINOS
durante a dcntlraa
(Sirope de cvnoglosse e de acido siccioi.o)
N* S. Castra a TOS8E CONVULSA a TOSSB
NERVOSA
(Xavape de rjnoglosse e de leo voltil de aaccino)
y S. Contra
aa CONVULCES
A CHOREA
DOS MENINOS
(Xarec de cynoglosse e de acido voltil de euocino)
Estes novos productos preconizados na Aca-
demia imperial de Medicina de Paris s5o em-
preados com grandissimo successo pelos mdicos
de Franca para o tratamento das molestias do>
iieninos cima indicadas, e vicrao encher um
vacuo importante na ihcrapeutica, no que loca as
aJTcecdcs da infancia, para as quaes, ath hoje.
anda se nxo pode indicar tratamento racionnal-
nem infalli\x;l.
(Pcca-sc o prospecto em casa dos pharmaceu,
ticos depositarios.)
Preco do frasco em Paris, 3 fr.
Para se evitarem as falsificacoes, exija o com-
prador que cada frasco tenha sobre os rtulos a
assignatura Chanteaud.
Depsito gcral em Paris, pharmacia Chan-
teaud. c em todas as boas pharmacias de Franc
c dos paizes estrangeiros.
GRANULOS
BISMUTH
DE CHEVRIER
Os granulos de bismuth de Chevrier em supe-
riores a todas as outras prepararles de bismulh
empregadas antes com o maior successo pelos m-
dicos de todos os paizes, para prevenir e curar as
Molratlaa de littudo,
A Ictericia,
pnlpitxrno da earacaa
Brca aaa rtaa,
nliirrlK-iiH chronleaa,
Dy asentcrlaS,
Drca dVatoniuao,
Dyapepalaa,
Depsito geralem Paris, pharmacia Chevrier,
MAa dlgeatoea,
Caatrltca,
Gaxtralxlaa,ctr.,
U|iprcMCOt-a,
Dorea de cabrea,
irritar de berniaae e em todas as pharmacias ae Franca e dos paizes
4a matriz, re. eslrangeiros.
Pelas commifsSet em grosso, dirigirse aos S'" WILLAERT
a praga do Rio
SAQUES.
Mills Lslham (.V C. sacam sobre
de Janeiro.
Precisase alugar um sobrado de um andar
no bairro de snu> Antonio, sendo em boa ra e
que tenha cotiimodos para familia, e com quintal
'. cacimba : quem liver aoDOncie ou dirija-se a
ra das Flor-s n. 33.
No sabbado a noite perdeu-se da ra Direila
um eavallo ruco pedrezcom urna carga, seodo urna
sacca com caf e tres caixes com sabao : o dono
do dito eavallo e da carga pede as autoridades des-
ta eidaile e de fra della, e a qualquer pessoa que
souber deste eavallo, participar na ra do Livra-
ment n. 3 M, taberna._____________________
Prect-a-se Se ura criado t>ira o ser^i-.j de
casa de homem solteiro : a iralar no arsenal de
marlnlia com o Sr. Horacio de Gusinao t;oelho.
A festa de N. ,i. da Soledad da fregu-zia da
Boi-Vista f)i transferida para domingo 31 de de-<
zembro de 1865.Manoel Ferreira liamos,
Thesoun-iro interino.
e BERGER. comisarios em drogara, II, roa Saint-Lazare, Paris.
MASSA e XAROPE
DE CODEfNA
N
BERTH
As experiencias clnicas e comparativas
dos Snrs Magendie, Barbier d'Amiens, Wil-
liams Gregor, Martin Soln, Aran, Viga,
C. Dumont, etc., membros do Instituto de
Franca, mdicos dos hospilaes de Pars, tem
provado que a Massa e Xarope de Berth i
o remedio o mais seguro contra todas as
dores nervosas e tendo a propriedade de
calmar com admiravel rapidez as tosses rebel-
des e extremamente fatigantes da grippe 'ca-
tar rlio epidmico.', defluxo, coqueluche ou
tosse convulsa, bronchite a tsica pulmonar.
A Massa e Xarope de Berth, se
achao em todas as boticas.
Para evitar qualquer
falsificado, exigir em
cada produto o nome
a Bnna Bcrth.
Deposito geral em Paris, em casa de MENIER,
Ra Stc-Croix-de-la-Bretinnerit.
ASTHME
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SuToceco nervosa e Oppresso
nico remedio efficaz para combatter estas mo-
lestias, acalmar um aunque d'asma e impedir a
volta o Xarope aromtico de Succino (mbar
amarello) do Dr Danet. Descoberta inleiramente
recente, este novo producto se tem propagado
com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54,
na do Commercio, Paris-Grenelle, e em todas as
boticas de Franca e do estrangeiro.
Precisa se de urna ama para andar com um'me-
nino e fazer mais algum servico em casa de fatni-
j lia : na ra do Qneimsdo n. 39, loja.___________
I Antonio Jos Rodrigues de Souza, na ra do
Cre>po n. lo, aluga sua casa e sitio no Monteiro
em frente ao oiia-> da igrej., tendo o sitio portao
' de ferro, cacimba cotn boa agua, estribara e co-
cheira, e a casa 4 salas, 7 qoartos, e .oto, a quaj
muito fresca e esta de novo bem caiada, concer
lada e pintada : para ver, as chaves eslo em a
i casa do Sr. Nicolao Machado na mesma povoaga.
Na praca da Independencia n. 33, Joja de
, ourives, compra-; e ouro, prata, e pedras preciosas,
e tambem se faz qualquer obra de encommenda, e
todo e qualquer concert.
_faV
mmmm
DEPOSITO DE GAL 1110
m
m
i\
DE
c^pt ATde g^Y
Aluga s! o i i canoa de carreira, por mez,
que estanque e pegue am 5 a C pessoas fra o ca-
noiro : quem a tiver e llie coovjer alugar, pode
comparecer na ra dos Quarleis, huje larga do Ro-
sario n. 16, padaria, que achara com quem tratar.
Precisase de urna aun para cozinhar e en-
gommar, paga se bem : quem esliver nestas clr-
cumstancias dirija se a ra da Amizade, na Ca-
paoga.
A pessoa que achou urna chavesiuha que-
rendo restilai-la pode dirtgir-se a pra^a da Inde-
pendencia n. 8, livraria. -
Aluga-se ama casa nov* na rm dos Prazeres
ba>rro da II >a Vi-ta, com i salas, i qoartos, cosi-
nha, quintil e cacimba pelo prego de I6uiensaes:
a r.tiir na ra e-lr-^ti do Rosario n. 28.
Oabaixo assignado faz publico que o Sr. Jo-
.- Luiz Duarle de Azevedo d>'ixou de s^r seu cal-
x^iro desle o dia 18 do correle.
Joao Ferreira dos Santos Jnior.
______________________________________-
Maques para o lio c Habla.
Antoui i fos Itodrigucs de Souza na ra
du Civspp n. i, Sara a vista ou a prazo.
Teudo regressado do eu iliiierario o meu
alilhado Antonio Cyrillo Dulra, deve advenir aos
meus condecidos e amigos que podem, como d'ao
tes, a prc-tarem Ihe a sua ccnaoea,
Joao Bai>tita do Espirito Santo.
Quem annun.'iou dar 5005 a juros dirija-se
:. ra airaz da matriz da Boa-Vista u. 20, padaria,
t;ue achara com quem tratar.
Alugam-se o i e 2 andares do sobrado n-
VI 'a roa Direita : a tratar na ra Augusta n. 9-
FABRICADO .Yl USA DE lilil \CA0
Ra \ova n. DI.
Ahi se encontrarao obr..s de di-
H versas qualidades, e por pre$0 moi !
\ ^ diminutos, a retalho e em porces. Jm
m S se vende a dinheiro. Bj
Casa.
Aluga-se e tambem se vende a casa n. 83 ra
do HoodMgo na Boa-Vista, tem 3 Iquartos grandes,
2 salas, cosinha fora, quintal grande e cacimba, o
a hiRa-se barato, a chave est na olaria junto: a
tratar na na do Imperador n. 81.
- Precisase de 1505 a jaros por pouco tempo,
quem quizer dar sob una garanta annuncie paia
ser procurado.
mmm mmmmmsmmmm
^uabillete medico-cirur-I|
|3 Rua da Imperatriz u. 36.
> O Dr. Joiio Mana Seve, medico fartei-
^5 ro e operador raudou a sua residencia
> para a tua da Imptrairiz sobrado n. 36,
j*< onde pude ser procurado para o exercicio
^ de sua protissao al as 10 horas da roa-
^< nha e das 4 da tarde em dianle.
mfflmm&m mm mb
Procuradoria
O solicitador Burgos Ponce de Len, mudou-se
para a roa de Santa Rita, sobrado de nm andar n.
i 3, oude pode ser procurado das 6 as 9 horas da
r manhaa, e das i as 6 horas da tarde, para o exer-
i cicio de sua profissao, e fora d-.-tas horas e duran-
te o dia ser encontrado as salas das audiencias.
t Elle recebe, casas commerciaes, de partido, por
um ajuste razoavel, como tambem se enca'rrega
1 de promover cobranzas de dividas e execueoes de
sentene.as fora desta cidade, por mais poderosos
que srjam o< devedores.
N 0. Bieber & C., sucessores, sa-
cam sobre o Rio de Janeiro a vista ou a pra-
zo confoime se conveLcionar.
m<
m
geral hespaiihola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO E 21 DE DEZEMBRO DE 1859
Urna fanca em dinheira, depositado nos cofres do estado, garaate a boa ad-
ministracao Ha couipanhia.
Sorvete de creme
o Trapiche n. 18.
Creme.
hoje ao meio dia
a% rua
Ama
Precisa-se alugar urna ama livre ou escrava
para comprar na ru e cozinhar, pagase bem : a
tratar na loja da rua Nova n, II.
O teneute-coronel Francisco ae Albtiquerque
Maranhao Cavalcanli, commandanta do sexto c r-
po de voluntarios da patria, convida aos cidadaos
que queiram alislar-se no mesmo corpo, em def^sa
do paiz contra a repblica do Paraguay, a compa-1
recer no quarM do Hospicio, das 9 horas da ma-
nhia em diante, ct-rto de que, a'm das garantas
olferejidas pelo goveruo de S. M. o Imperador, o
coflaraandante por si e seos officiaes farao suavisar
os trabalhos da guerra com um tratamento con-1
::-n cada cidadao, qualquer que for a classe a
que p.iiUura.
O a ha ixo assignado faz publico, que desde o
da 5 do correle, se aclia desligado da sociedade,
que leve na sua taberna di rua do Rosario Larga
n. 18, o Sr. CnstoJIo Jo-fi de Oliveira, nao devi-ndo
por tanto os devedores da mesma taberna pagar
seus dr hitos se nao ao abaixo assignado, ou a pes-
soa por elle authonsada. Outro sim o abaixo as-
Mgaado nao se r--spou que 'oii nome da extinta sociedade fmvi o
Sr. Recife, 10 de desetnbrode 1865.
Joao do Couto Aives da Silva.
DE
J. YIGNE&.
X. 55. RUA DO IMPERADOR X. 55.
Os pianos desla aotiga fabrica sao hoje asss conhecidos para que seja necessarto insistir sobre a
ma superiondade, vantugense garantas que ol-recem aos compradores, qualidades estas incontesta-
veis que elles tero delictivamente conquistado sobre todos os] que tem apparecido nesta praca ; pos-
suindo um teclado e machinismo que obedecem todas .as Untades e caprichos das pianistas, sem
nunca ralbar, por seren fabricados de proposito, e terse leiti ltimamente melhorameutos importan-
tissimos para o clima deste paiz ; quanlo s vozes, sao melodiosas e flautadas, e por isso muito agrada-
reis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazerase confoime as encummendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris socio
correspondente de J. Vigoes, em cuja capital fonal sempre prn niados em todas as exposicoes. '
No mesmo stabelecimento se achara sempre um esplend k) e variado sortimento de msicas do
tnelhores amores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por !
precosconiiodoserazoavels. F-^.DsHlS.4/ -fL \\ \T ". SBIIIC
99 RUA DO MONDEGO 99
Deposito na rua Nova a. 50 laja O dono deste eslabelecimenio partecipa ao respeitavel publico que sua fabrica
est montada com as melliorts machinas que existem na Europa, e que pode fabricar
com melhor perfeico possivel. Todo o chocolate desla fabrica est garantido, e 6 puro,
o que nao se pode encontrar naquelle que vem de fra, e que se vende por prego baixo,
visto os productos seren do paiz. Na etiq eta tem svmpre urna aguia.
FRECO.
Meia libra......... v,0
Una libra......... soo
Urna arroba........19^000
.______________________^
I Na mesma fab ica acaba de se montar urna officina com serrara a vapor para
obras de marcineiria propria para edificio, para o que encarreg -se de fazer portas, ja-
Estacompanhia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de supervivencia dos segu- 1el!aS' ass(^|hos (parqu fiancez como se usa na Europa,) e armaces, ludo com brevi-
ros sobre a vida. 1 dae e perfeico. Toma-se qualquer encommenda para fra da cidade, entregndole
Nella pode se lazer a subscripeao de maneira que em nenbum caso mesmo por morte do prompta a collar-se no lugar,
segurado se perca o capital nein os juros correspondentes a estes.
Sao taosuprehendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole deA NACIO-
NAL,que ainda mesmo ditninuindo utoa ter^a parte do tuteresse produzido em recentes liquida-
cesecoinbinandi-o cotn a inortaliiade da tabella de Depareieux que adoptada pela companhia
para seus calculse. liquidacSes, em segurados de idade de3al9annos, urna imposifaoannua.
de 100$ produz em eflectivo metlico:
No fim de o anuos.......1:1195300
de 10 ......... 3:942*600
de 15........11:208*200
de 20 .......30:236*000
1 de 25 >.......80:331*000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
"Prospectis e mais infnrmacoes sero prestadas pelo sub-director nesta provincia.
Joaquun Piuza de Oliveira, ruadaCadeia 11. 52, ou a Boa-Vista rua da Imperatriz n. 12, estabeleci-
mento dos Srs. Baymundo, Carlos.Leite 4 Irmo.
BANQUEIRS DA COMPANHIA
O fCanco de Uespaoha
Madrid
DIBECgAO GERAL
Rua do Prado n. 19
MARTIMOS
Fazeodas, phanlasia para vesiidos chegados de Paris pelo ultimo vapor.
Lindos robes de organdys cesarianas fazenda lran>parenle de inleiro goslo.
itos de percalia campestre padioes muito ricos.
Itiquissimas grinadines de seda o que tem vindo de melhor gosto neste mercado.
Lindos cortes de saltan ptkto para vestido fazenda inleiramente aova.
Ditos de gaze selim em peca fazenda transparente e de go?to muito modernos.
Lindos chales degrenadim broch, primeira vez aqu apparecidos.
Ricos bournus de crep guarnecidas de tranca muito proprios para passeios.
Biquissimas livelas para tinto, de metal, de rystal com ac e com pedras linas, 1
que ha de mais novo.
E ouiras multas fazendas de inleiro gosto.
Rua do Crespo n. 13.
Loja das eoluuinas de Antonio Crrela de Vasconcellos
fc Companhia.
COELfilO Je JFn\EXTAS
Rua da Cruz n. 10.
Continua a haver diariamente um sortimento de pastis, podins, bolos inglezes,
empadas etc., etc. Os donos deste estabelecimento, acham-se na melhores condices
de poder satisfazer encommendas concernenles sua arle, coi consecuencia do socio
i Freitas ter sido administrador chefe de algumas das princi, aes fabricas na corte, sendo
urna a do Sr. Joao Goncalves Guimates (confeilaria do Lelo) antiga casa de Carceller.
Todos os trabalhos sao differentes dos que se fazem em casas particulares.
Os proprietarios deste estabelecimento nao se tem poupado a despezas, nem se
pouparao, se houver concorrencia como esperam ; tendo continuadamente bom sorti-
mento de doces para cha; presuntos e ditos em fiambre, tambem se recebem para se-
ren preparados ; assim como doce de caj novo mperior, secco e crystalisado, dito em
calda em latas hermticamente fechadas, podendo durar annos em perfeito estado.
i Para jantares e partidas iecebem-se encommendas dos segantes ohjectos; ban-
deijas ricamente enfeitadas sem arm.ico pecas de amendoas (nogace>), ditas de tmaras
de ovos, pes de l enfeitados com disticos anlogos a qualquer ira ; ditos montados,
kechs simples e enfeitados com fructas ingleza; gatheaux de la reine, ditos de le d-
chese, tortas de fructa, massa folhada ; ditas de peixe e carne; cremes e doces e ovos
de differentes especies.
! Tambem tem um completo sortimento de vinhos engarrafados, como sejam : vinho
do Porto superior, Figoeirt, Madeira, Lisboa, Cherez, Bordeaux, Champagne fino, ser-
veja, licores, cbaropes e conservas. Para testas: bonitas caixinhas com amendoas, con-
I feitos e mais enfeites. Muitos destes objectos mencionados podem-se perfeilamente ac-
ondicionar tanto para a provincia, como para fra.
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnisadora, estableci-
da nesla praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamer.los, e conlra
fogo em edificios, mercadorias emobilias:
na rua do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Em casa de Theod Christiansen, rua do Tra-
piche-novo n. 16, nico agenle no norte do Brasil,
de Brandenhurj! frres, Bordeaux, encentra se tf-
feciivauente deposito dos ailigos seguintes :
St. Julien.
St. Pierre.
La tuse.
(^Iiateau LOTlIle.
Chateau Margaoi.
Grand vin (>bateau Lafltte 1858.
Chalrau Latine.
Haut Saulerues.
(hatean Saut^rnes.
Chatean Lataar Blanche.
Chateau Yquem.
Cognac em tres qualidades.
Azeiie doce. Precos de Bordeaux.
mmmm msmmm mmmm
| Companhia (idelidade de seguros )K
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PEH.NAUBUCO
Antn (i Luiz de Oliveira Azevedo i C, j|
compelentemente autorisados pela direc- ~
toria da companhia de seguros Fidelida- ^
de, tomam seguros de navios, mercado- jH
rias e predios no seu escriptorio rua da RS
Cruz n. 1. 0
^Mmmmmmmmm mmmm
Alugam-se tres casas na povoac5o do
Monteiro a margem do rio, com muitos
bons commodos e em muito bom estado
de limpeza : a tratar na rua do Crespo n.
20, esquina, cujo prego de alugnel ra-
zoavel.
Attengao.
A pessoa que tiver direito a 25 caitas com
vinho, marca ancora dous A, vindo no brigue sue-
co, procedente de Hamburgo, queira dirigirse 'Aluga-se para passar a festa ou
rua da Cadeia do Becife n. 18.
Aeha-se justa e contratada a taberna da rua
11? Santa Cruz n.5, pertencente ao Antonio Manme
de Souza : otiem se. jular com direito a ella ap-
pareca no praso de tres dias na mesma taberna, e
nao o fazendo perder' o direito a qualquer recia-
maguo.
Precisa-se de urna pessoa para socio em urna
sociedad ie discantar algodo. estabelecida no
quarto para prelos e coebeira, jardim ao lado e si- lugar de Qoipapa', onde ja' existe urna machina
tio soffrivel, cuja casa pertence ao Sr. Porto, com com motor, sendo que a pessoa que quizer ser so-
confettaria a rua do Trapiche : a tratar e ver a ci devera' entrar com um pequeo capital, e di.<-
chave na rua do Livramento n. 38, no armazem I pdr-se a vendedor e tomar cuota do estabeleelmen
Baliza. I lo, o qual promelte muitas vantagens : quem qui-
zer fazer este negocio dirjase a botica da roa Di-
reita n. 88.
Precisa se de urna ama que saiba cosinbar e
fazer compras para casa de homem solteiro. pre-
fere-se porlugueza : na rua da Cadeia do Becife
n. 38, primeiro andar.
Aluga-se por 2o* mensaes urna casa terrea
mesmo no Chacn, acabada de pouco, com cosinha fora.
PSITO
Para a
ceostrucco de machitias
DE
ALBERTftOS B OOCJLAtS
New Lout .i. Coi n. ceu:, Esu-
dus-L'ul ia
Solicitan) pedidos de descarocadores de algodao,
it'HY*?* caani!ud-HSUl'a?iei"JaD0- "a0S,? d,e"l Kranc.sco Antonio Martms responde ao an
? mm. r .1 S ,l ranl8 23,aDnos' e aI,e",le- nuncio da Sr." D. Mara Senaoriaha da Silva Lel-
rto imraediatatnente a correspondencia que se lites |9 BSerIO no Dtano de Pernambma,, /|Ue neuhu.na
,, ^ Na rellnacao da rua do Banuel n. 43 nreci-
Aluga-se por preco COmmodo uma casa sa St de trabalhadores, paga-se bem ; tambem se
na estrada do Monteiro defronte de oilo preetsa de urna ama para casa de homem solteiro,
da igreja, com bons commodos, muito fres- para cozinhar.
Ica e em muito bom estado, tendo grande I
quintal ao lado com porto de ferro, ca-
rii!in. p-tribaria e co.heira.' a tratar com
25 RUA NOVA N. 25
Este estabelecimento acaba de receber um rico sortimento de pianos fortes ex-
pressamente fabricados para o clima desle paiz, dos mais afamados fabricantes da Euro-
pa, por isso o proprietario convida ao respeitavel publico para virem apreciar as qua-
lidades dos referidos pianos.
Continua-se sempre com esmero e promptidao fozer-se qualquer reparo nos ditos
instrumentos. Afinam-se os pianos debaixo do melhor systhema ultim?menle adoptado
na Europa.
Aui it-ij Jos Rodrigues de Souza na rua do
Crespo n, 13 ou na mesma povoagao.
Francisco Antonio Martins responde
IfflS^M
Precisa se de uma ama para engommado de \
poucas pessoas : na rua Direita n. 112, primeiro
andar.
dirigir.
INJECCAO BROW-
Remedio infallivel as agnorrheas antigs
e recentes, nico deposito na pharmacia
franceza, rua da Cruz n. 22 e ao preco de
3(5000.
se do modelo, que outra pessoa nao pode usar
delta : pede-se a restituico na rua de Hurtas u.
duvida tem em desonerar-se do encardo de procu- * rador do Sr. cadete Manoel Jos da Silva Leite, iu seta recompensado.
com taoto que e>te ou a mesma entera u embol-
Todo o inicresse se fara' com o seohor sa-
cerdote que quizer ser capello de um engeoho, e
Perdeit se ao descer na plataforma da fstaco que tambem tenha habilitacSes para ensinar as
| das Cuco Pjntas uma pulceira de ouro de 14 qui- primeiras letras e algons preparatorios : a faltar
lates object) multissiino conhecido pela esquizitis- com o Sr. Antonio serafim da Silva na rua do Ca-
sero di qoanlia que tem despendido tanto com a
quesiao como dos adiaHlamentos, io que .Ihe ser
muito e muito agradecido.
buga'.
Len Cliapelin avisa ao respeitavel publico e
. especialmente aos seus fregueies que vai a Euro-
pa no primeiro paquete que se espera do sul, a
tratar de negocios urgentes de sua familia, dei-
Aluga-se uma boa casa com tioa quinta^ xando sua senhora dirigindo o m eslabelecimen-
cacimba e soto, na rua dos Martyrio ;: & iralar |4o e com lodos os poderes para 'fazer todas as
na rua Direita d. 47. .fnsaedes relativas ao mesmo esnbeiecimetto.
Manoel Duarte Rodrigues, rua do
Trapkbe a. 21, saca sobre a cidade do Por-
to, a vista oh a pr-zo.
A coramisso nomeada para a verificado
dos crditos da massa fallida de A. B. cuervo &
C, convida os respectivas credores a apresenta-
rera seus ttulos no prazo e tres dias oo escripto-
rio do Dr. Jos.BjPdrigues.Epeira Jnior,, travfifsa
do Ouvidor n. 4C
DE
GAVALLO
Na noite de 18 para 19 do correte furlou-se um
eavallo mellado caxito, da estrabaria do sea dono,
com sellim inglez qaasi novo; cujo eavallo tem
dinas e cauda pretas. as dinas sao grossas e ca-
llero sobre ambos os lados do pescoco, e tem uma
ferida pequea na mao direita ; est acostumado a
andar em cabriole! e bem conhecido nesta praca:
quem delle der n lletas certas ou lvalo a" Estan-
cia, sobrado de dous andares n. 2, ser gratificado
Precisa-se de uma ama forra ou escrata que
saiba Lew eosinnar e engommar: a tratar na
rua da Penha sobrado p. 23, primeiro andar.
Precisas de uma perfeita engommadeira pa-
ra casa de pouca familia na rna da Cadeia u. 27
1 andar._________ ^_______
BOTICA E DROGARA
M
B. F. de Mouza & C.
Una larga do Rosario o. 3 i
Remedios de Raduvay
Prompto alivio.
Pilulas reguladoras.
RtKlolifO.
Remedios de Kemp
Anacahuita.
Salsa de Brislol.
Pilulas assucaradas.
Agua florida.
Pastilhas vermifogas vegetaes.
Chegados pelo ultimo navio vindo da america
Tendo a rmandade do Divino Espirito-Santo
da igreja do Coliegio, resolvido em sessao de mesa
conjunta, mandar fazer de marmore branco fino a
capella-mr de sua igreja; convido deordem da
mesa regedora aquellas pessoas que se acharem
habilitadas a mandar eiecotar semelhaote obra,
a examinarem a planta que se acha exposta na sua
sacrista, e a apresentaretn as suas prepostas no
praso de 40 dias contados desla data. Consistorio
da irtnandade, em 10 de novembro de 186o.
O escrivao.
Francisco Belarmino dos Santos Freitas.
Nova escola de primeiras
letras.
O abaixo assignado, profesor jubilado na pri-
meira escola publica de primeiras letras da fre-
guezia da Boa-Vista desta cidade pretende abrir
no dia 8 de janeiro do ann? prximo vindonro uma
escola particular na tua da Palma, casa n. 31, da
freguezia de Santo Ant-inio desta mesma cidade :
os se.-.hores pais de familias que qutzerem que
seus fllhos frequenlein a mencionad escola, podem
entenderle des le agora cot o mesmo abaixo as-
signado na referida casa.
Jos Joaquim Xavier Sobreira.
Aluga-se
por 2050OC mensaes uma casa ua S-ledade n. i I,
com 3 quartos, boas Mas, cozinha fra, quintal e
cacimba, a chave est pande-meia : a tratar na
rua da Imperatriz, loja de calcado n. 38, ao p do
becco dos Ferrelros.
Offerece se um moco de 20 annos com prati-
ca de taberna e padaria, o d conhecimento de sua
conducta : quem de sea prestimo se quizer utilisar
appareca na rua das Cruzcs n. 41, que achara com
quem tratar.________________________________
Aluga-se na Capunga uma casa nova muito
fresca, propria para tamilia : na rua das Trin-
che ras n. 9, se dir quem aluga.

,-__- -\.


*?-
' Marta 4c 2CJr*aJMbuc rerea felr^ O di Ueie cabro de tsa.

OS PABIGUAIOS
E' a orden do da f Atabar com os Par-e
cuajos a bayoneta, a mini, a revolver;
ralmina-los com os eucou rajados armados
de espores, armslrongs e raiadas de 80
V 420; extermina-tos em summa a espada, a
fac|o e a punhal de que se trata; mas
BDguem se lembrou ainda de esmagar os
Paraguayo&coari as armas que Deusnos con-
cedeu; acabar com elles a taco e a ponta
' ps, para o que necessario encouracar esta
parte do nosso corpo cora os formidaveis
rompe-ferro, esmaga cebra, arranca ticos,
quebra marmore e outros que se vendem i
45-IUA OIREITA-45
Borseguins Bordeaui........ 86000
patricios......... 35000
para senhoras, en-
eitados....... 5,5500
com laco e fivella .. 45800
Sapates encouracados....... >?$000
Burseguins para meninas bom
elasteo................. 3,5000
Sapatos de lona, sola elstica. 2<5O00
velludados......... 1(5600
de tranca........... I600
com salto de lustre.. 2240
Una ompleto sormeto de calcado da
trra para homens. senhoras e meninas;
assim como bezerro francs, couro de lus-
Ire, marroquins, taixas de todas as quali-
dades, fitas para sapateiro, muito sortidas,
sola e couros que tudo visto necessariamen-
'e-Taz cobica ao comp ador pela baratera.
mmmmwMmm-mmm
Joo da Silva Ramos, medico W
pela universidade de Coabra, d jg>
consultas en sua casa das 9 as &
ti horas damanhaa, e das 4 as G
da tarde. Visita os doentes em suasJ
I casas regrfarmente as horas para |S
isso designadas, salvo s casos ur-
m gentes, que serao soccorridos em v
{M qualquer occasio. Dconsultas aos j
*3 pobres que o procurarem no hos- B
pilal Psdro II, aonde encontrado B
jg^ diariamente das 6 as 8 horas da |$|
?ti mMMIt, p
Tera sua casa de sade regular- 1
^ neMe montada para receberqual- H
s quer doente, ainda mesmo os alie- ':
ja(| natos, para o que lem commodos K
propriados e nella pratica qualquer &
spoeraco cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe. .35000 diarios. jj
Segunda dita.., 3)5500 g;
Terceira dita .25000 M
Este estabelecmento ja bem ^
j "acreditado pelos bons servicos que
| tem prestado.
O proprietario espera que elle
continu a merecer a confianca de
jf que sempre tem gozado.
Aluga-se o segando andar da sdbrado
i:, ra do Imperador n. 79, de lugacl
anaual de 00(50O0,o qual tem as salas e
acova da frente forradas a papel, boas esca-
las com entrad independenle, testante
fresco e com exceUatle vista nao sS para a
mesm.i ra como. para o caes de 22 de No-
-'.embro. a tratar'Ccua Antonio los Uodrn-
-phc-s de Souza oaraa do Crespo n. 15.
H( Dr. Gastas de S Pereira eoaii- Jt
B nia a residir na ra da Cruz n. 53, g
3 Io e 2 miar, ende pode ser procu- m
H rado para o ejercicio de sua profis- S
g| sao me&ca, e com especialidade |
sobre e seguate
j| l* mlesties de olhos;
2o de peito: jS5
3* dos orgos geni- ra
.$5 ti urinarios. ^j
** Era aac^asertrio os doentes se- f
Vit rao exaua 55 entradas oaaiefa'nclo o trabalbope- M
g| los doentes de oJhos.
Dar co-nsultas todos os dias das g
"M i} as 10 da aacbla, menos nos do- ma
** mingos.
Pratiear seia e qualquer opera->
S ;o que jalg cenveniente para o i
$% ;>rompto reetejeteciiuento dos seuc gg
g. Loen tes.
CASA DA FORTfl
Aos 12:0000000
3:t)00000
900(6000
500000
Uilhetes garantidos.
A' RA DO CRESPO N. 23 E CASAS UO COSTUME
Oabaixoassignadovendeu nos seus muilofeh-
tes bilheles garantidos da lotera que se acaboc
de extrahir, a beneficio das familias dos volun-
tartos da patria, os scKuinies premios :
N. 69 dous meios cora t:000j.
-N. 2844 doos quiulus eom i>ui\.
N. 376K d.ms mintos com 200$.
E outras muias sortes de 100, i05, 6 20J.
Os poisuidores podem vir receber seus respec-
tivos premio? sernos descontos das leis na Casa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-s a venda os da 8" parte da lotera
(42a) a b-eaeticio das familias das voluntarios
da patria, que se extrahir a 23 do corrente.
PREGO.
Rilhetes.....12*000
Heios......6*000
Quintos.....2*400
Para as pessaas que compraren del000OQ
para cima.
Bilhetes.....11*000
Meios......5*500
Quintos.....2*200
______________Manoel Martins Fiuza.
Mugase o leroeirt audar da casan. 88 da
ra da Imperatriz, c o sino n. 1 da errada do Ar-
raial : no ra da Aurora n. 36, _________
Arrenda se o engenho Sania Rila, na fregu-
zia do Cabo, distante tres legoas a NO. da estibo
de Olinda, de multa producQo, me com agua e
lem obras sufficieoles, incluem-se no arrendamen-
to as i-a fias pendentes : quem pretender dirija-so
ao mesmo engentio.____________________
amuel Po^cr Johnstou & Companuia
Ruada SenzalaNova n. 4.
AGENCIA DA
Fnadi^io de Low ffioor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho.
dous cavallos
Icz.
Arreios d>' carro para nm e
Relojiios e ouro patente in(.
Arados americanos.
Ma'hinxspara descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machkias de costura. __________
Eia para alogar-se o Io andar e lujas
-i;. .. d<> sobrado n. 4t- a ra da Aurora : -quem '
::;:':::',' os quizer dirija-se a" ra Nova o Sr. Joo *
---'- B. do Itego, em ea aimazem de fazendas
n. 2^_____________________________
O aliaixo assignado declara aos seos credo-
res e a quem mais convier, que n3o realisou o lei-
o do sua taberna an:innciado para o dia 12 do
corrente por motivos iodept-ndtnies de sua vena-
le, como previamente communicou ao respectivo
igenie ; e quandose>preparava para eflectua-lo no
dia lo do corrente, fui embargada por seu cimba-
do Vrente Perreira Nunes de Paula, no dia 13,
lendo este embargr.do-lhe os movis no dia II :
leclara lambem <{i'c nao prornrou 'consentimento
do ditosen candado para effectuar o leilao por
nao ronsidera-lo credor do abaixo assignado, visto
is iransac^oes eRrlentes entre ambos. Olinda 14
le dezembro de fkio
Maaoel da Silva Neves Coulinho.
Ainda est por alugar urna casa na ilha do
Seleiros e correeiros
PBCMNCHJk)
Sola de lustre em perfeiio estado,
raeio............20^000
45Ra Dlrett*45
Kiviilsem segundo
Roa do QueiiMiidd ns. 4(J e IV, loja de
miudezas de lies portas, est quei-
uuiiiilo tudo liuw o barato, quera (jui-
zer ver admirar venliam loja do
Bigodinlio.
Caixas de papel amizade, e sem ella liso e pautado
a 600 rs.
Grozas de botoes de louca prateados fazenda mo-
derna a 160 rs.
Duzias de penna de ac fazenda boa a 40 rs.
Pecas de tranca de laa lisas e de todas cores a
40 rs.
Escovas flnissimas para limpar denles a 240 e
320 rs.
Pecas de fita de eos estreitas com 10 varas a
320 rs.
Caixas com clcheles franeezes, superiores quali-
dades a 20 rs.
Tinteiros de barro, com superior tinta a 100 rs.
Pecas de cordio para vestidos, fazenda boa a
20 rs.
Baralhos muito linos para voltarete a 200
240 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.-
Frascos de macaca perula muito lino a 200 rs.
Frascos e garrafluhas com agua de Colonia a
400 rs.
Frascos grandes com superior agua de Colonia a
640 rs.
Caixas com 12 frascos de cheiros muito finos a
1*400.
Saboneles pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
320 rs.
| uza de saboneles pequeos com rheiro a 700 rs.
Agua dentice superior qualidade a 800 rs.
Caixas com superior p de arroz a 800 rs.
Frascos de superiores essencias santal e outros a
1*200.
Frascos com essencias para lirar noduas de roupa
a 500 rs.
Frascos com cheiros de todos os preces a 160, 200,
240 e 320.
Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
Ducia de meias muito finas para senhora a
4*800.
Gollinbas muito finas para senhora a 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo para meninos a
160 rs.
Pecas de fita de la para debrum de vestido, com
10 varas a 600 rs.
Ditas de bicos superiores, para acabar a 600 e
800 rs.
Pedras de lousa para meninos a 160 rs.
Bunecos de choro e panno a 160 rs.
Caixas com bonitas estampas para rap a 100 rs.
Capachos compridos, boa fazenda a 500 rs.
Grosas de boi5es pequeos pretos para calca a
100 rs.
varas de cordio de esparlilho a 20 rs.
Novellos franeezes com 20 jardas a 40 rs.
Pegas de tiras bordadas a 640.
Duzias de meias cruas muito fortes e superiores a
3*800._______________________________
Xoidade.
Che(raram os bonitos chales e retondas de guipu-
re brancos, e vendem-se na ra da Imperatriz n.
52, loja da poft? larga, de Paredes Pono.
Grandes melicras
as machinas iaperiaes de ctscr-
Aruiazrm n. 536 Broad-Way NenVork.
"Estas machinas sao construidas p-ir um novo
sysrema, com muias e importantes melhoras, e


' Uniros objectos.
i Vindos lambem para a antiga loja de
miudezas ra do Oueimado u. 10^
Sapatiuhos desetim brauco bordados fs-
ra baptisados.
Outros de merino tambera bordados e
' igualmente bonitos.
Meias de sed>;, correspondeiite no tama-
nho dos ^apntiiilics.
Outras mui finas de fio da Escossia e
brancas listradas.
Luvas finas de fio da Escossia brancas e
de cores.
Ditas de seda para senhoras.
Ligas de dita para senhoras e meninas.
Pentes de tait'ruga mui fortes para des-;
embaracar.
Carriteis com retroz preto e outras cores.
Carteiras com agulhas.
Agulhas francezas, as afamadas.
Caixinlias com allinetes" brancos e pretos.
Haspasde baleia para vestidos.
Fitas de linho pruprias para ditos.
Caixas cem linha de novellos grandes be dc IWfP contn- T38 tambem
para crochets s uc uw que recebe de consignaa.es; parece sem
Trancellim de bonicha preto, redondo. duvida que deve offereccr grandes vanta-
Bonltas flvella grandes de ao, ens P o respe.iavel pubha. tar.tocn.
dooradas, madreperola e lar- precos como na cscolha dos cbjectos, e co-
tariVa v mo acaba de ebegar grande remessa pelo
- vapor Dotiro e o navio Solferino de
esto e proprios do
mencionarlo algnns,
dourada, madreperola e tartaruga, as quaes Por *> ser ponlrel nitncioiKnr kilos 0
siao sendo vendidas em dita loja por prc- ^".V'f' fstabelecimento espera a pro-,
eos commodos ; assim como boas e boniias jS?,t-?,
fitas de gorgoreo achamalolado, proprias pa-; |qu^smias
msica propria p: ra un delicado mimo.
Novidudes do Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Este estabelecimento apezar de sempre
se adiar bem sorlido como todos sabem,
boje mais que nunca, nao so pelo que rece-
Aloja de miudezas ra do Queimado *aP01 B,,0"ro,('- .na
n. 16, receben um bonito sortlmento de diversos objedos de
fivellas grandes para cintos, sendo de ac. ,emP *qwesei
teiiro, a qual tem commodos para familia, est end.i examinadas por Habis peritos foram julga-
uiotada, tem banfco na porta e muilo fresca, po-idas de sutnma pei"fefo. A agulha direila e cose
lendo o pretndante examina la no mesmo lugar : 'iperpendicularmenle, com o ponto de lpade, <\ae se
i tratar com L. H. R. Valonea.
Alua-se o segundo andar da rna das Cal
gadas n. 10 : a tratar na Iravessatle S. Jo.- n.22.
C91P11S.
Silvino'GiKlhcrme de Barrer- compra evc*>
de clectivaiDeati escravos de ambos os sexos".
ra do Imperador u. 70, terceiro andar.
'recisa-se decebatn&o?. leite : na raaJo
PMMFe-so n. 7.________________________
iFreeisa-se alugar iiii noleque : na ra c
Cabo^l n. 18. das 10 teer-as as da tarde.__
ta ra do V(acio m.'tS centinua-se a vec-
der-ejitugar bietaaa dettacaborge ehegddas ana
payte.
mmmmm m^mm mmmmm
3J)eKista de PernambucoJ
Compra-st ouio, prata e.yedras preciofts,
ra obras veltas: na na da Cstiea do Keaife,;
arco da CoMefeao.
Ouro e r.-rta.
Em obras velhas : conpra-i-ena praca do n
dependencio n. 22, loja de bilhetes.
-xiunili-jilaprspherico.
Na ra do Livramenio n. 19 cucipra se um lacp-
aa-planispberlco.
Comprase carosso (sement-a] de algodo : >bp
armazem de lgoo de Saunders Brolhers L -C.
no caes de Apolic.
TlfflAl
m
Ra estreita do [;s.aio n. 3,
ao |i la ijtr.ja
m
FRASXISCO PINT OZGEIOj
Callee dente nricla** !
pelos y.i tomas mH mu- ^j
Empresa lodos os mei.'S scieR(icos para ffi
conservar oc wturaes. Pode ser (*"c,ura- m
do em rea (jinete das 9 hora* i ma- M
nbaa as .'/ da itrde.
ilillIlliSiil
- Alagare a caca terrea n. 24 na ra de San-
'ikreta : quem qu n.S.
iBaeeisa-M de urna soia que saiba cosiohar
.para .ca4<" de pouca familn ; no pateo do Terc/p
a- 31.
4a T
mo
. Frec.i*a-se de nina ama na povoacdu de l'un-
u de Pedras. para casa de bmilia : a tralar na
rus Direila d. 106.
mmm wmmm mmmmmm
S O Dr. Carolino Francisco de Lima San- jfi|
w to* contina a morar na ra do Impera- mt
M dor o. 17, segundo andar, tendo alias sea J
t iabnete de consultas medicas, logo ao |
^ entrar, no pruneiro.
O mesmo doutor, que se tem dado ao J
W esludo tanto das operares como das mo- jf
gg leslias intercas, prestase a qualquer cha- v
JH mado, quer para dentro quer para fura R
a cidade. JQ
AIu
iga-se
urna exeellente casa terrea no Pogo da Panella jun-
to ao (obrado do pateo da matriz, fresca e com
bom; commodi : a tratar na ra do Imperador
n. 83, prirneiro andar.
A pessoa que annuucia precisar de 1504 a
jur s annuncie onde deve ser procurado para o
meimc negocio._________________________
Ama pura casa
Precisa-se alugar urna ama para todo servico de
urna casa : na beeco das Bolas n. 2, prirneiro
andar.________________________________
Quem liver para alugar urna escrava que
faca o servico interno e externo de urna casa de
familia, poder se dirigir a ra do Pilar, em Fra
de Ponas, no prme ro andar do sobrad n, 133.
1MIM 1S60.
Acabam de .-. I r luz as.folhinhas de'
algibeira e de poi tapara o anno de 18(iG, o
mais correctas possivel tanto no calculodas
las e eclipses, como as diversas fesias
que a ig;eja celebra; vendem-se nicamen-
te na livraria da prf,a da Independencia,
160 res ae de porta.e 320 ris.as de algi-
fceira.
Vendo so supenorrc- presuntos de Weslpha-
lia, chegados ao ultimo vapor : na ra do Trapi-
che 9,______________________________
Vende-serTi cavallo rox) pedrez.cos 7 pal-
mos c. aliura idio bom de >cabri(-let : na ra da I
Soledle n. 19.
X>B
robutjii.
Kstss pliilns calliartlcu purgo c purifteo todo fystemm
faKiiu.no.,em inrrcurio.
KCo c ti-ir. ]>ou|MIo trabnllio nom dwpoza para lorar estas
| pUu!a< a uin ;.'>" ele perfec^o tut, Que jvda deixa u Jesejar;
j fio o refultudr. de nnims de f^tudni liiboviono* e coiit'Jiites.
Vender a 5$ o barril : na r.v du Uruir. ,c. ti(i, PatajmfMilaiM u-miinMifpg iMlliMideuodcaatbar
(Jal de Lisboa
ra ditas fivellas.
Ooulos de penetra e de outras
qualldades, para quem sofffre
da vista.
A' loja de miudezas ra do Queimado |
u. 16, lambem recebeu oculos de peneira
com vidros claros e escuros, para quem sof- j
fre da vista, assim como ontros de armagao |
de ago, sonidos em graos.
Coroas e tercos de cornalloa.
A antiga loja de miudezas a
Queimado n. i6, recebeu mui bonilas co-
roas e tercos decDrnalina, os quaes esto
a disposicao dos bons christos que os qui-
zerem comprar em dita loja: na ra do
Queimado n. 16.
Esponjas finas grandes e pe-
queas.
Vende-se na ra do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
k aiiiiua loja de mimlt zas na ra do
Queimado n, 16, acaba de receber:
Novas e bonilas guarnicoes pretas para vestidos e
soutembarques.
Bicos de seda brancos e pretos cora vidrilhos, e
differcules larguras.
Trancas pretas com vidrilhos.
Cascarrilhas de seda de diversas cores e moldes
novos ; nutrrs eufeitadas com bicos de seda,
i Babadinhos de seda.
I Trancas branca de seda para enreite?.
| Bonitas filas brancas lisas e lavradas 5 outras de
cores lambem lisas e lavradas ; oulras achamalo-
ladas para cintos, largas.
Fivelas grandes de ac, douradas, madreperola e
tartaruga.
Bonitas ligas de seda para senhoras.
Leques de sndalo o oulras qnalidades.
Lind s o delicados enfeiles para bai-
les e passeios.
A amiga loja de miudezas na ra do Queimado
11. 16, recebeu novos e lindos enfeites para bailes
e passeios, todos de muito gosto e inieiramente no-
vos, variando o preco delles contorne a suneriori-
dade : os pretendentes os acharao em dita taja, na
ruado Queimado n. 16.
rias capcllas para noivase
meninas.
Acliam-se venda na ra do Queimado. loja de
miudezas n. 16.
Bonitas louquinlias
de (rt e cambraia, bordadas e enfeitadas : ven-
dem-se na rna do Queimado, loj de miudezas nu-
mero 16.
Lselos de dons vdres com aro de are, bfalo
e tartaruga.
A loja de miudezas, ra do Queimado
I n. i<>. recebeu um bello sortimento de lo-
: netos e oculos de vidros com armaco fina de
I ac, bfalo e tartaruga, e os esta vendendo
por precos razoavets: s pret-mientes diri-
jam-&e a esta laja na ra do Queimado n. 16.
I A PEIVCIIA
53Ra Dirata53
Salitr-3 refinado muito lino 5o'00 em barrica,
lona muilo larga propria para encerado de barca
i ca e camas de vento 13 a vara, camas de vento i
| 53, e de encommeoda lona do reino cum laxas de
cobre a 7S00, espineardas dous canos muito linas
I a 255, Sofl, 4*3 e 605, faca? e garios cabo de viado
i 35500, baangas tinas 55, peales e enfeites para
; senhoras lado de bom go>lo modernos, bandejas
linas, ludo,pelo barato prego que so com a vista se
I podera ver..
a praca do commerclo n. 4, escriplorio de
Jos Maria Palmeira, vende-se :
Ceiveja Bass, verdadeira ern botijas, chegada
cernen para as crbuifas e pesnoas { receotemeote -uo navio inglez u Afine Kav. t
niuis delicada, ao xiesmo tempe BiSCOUto inglet IllUtO llUO.
que., eomposuis com sao de veg- ] Bolaclniilu haiiidur^ueza nova cuja qualidade
taen mui fortes, sao bastante ac(i- ja aqu llu Vem ba lalvez i OOOS.
Jias.e.eti Chales de renda
Paredes Porto, na ra da Imperatriz n. 52, porta
larga, vende chales de renda de cores com peque-
no loque de mofo, a 35500 e 45, fazenda de 10J
e 125000.
caixiuhas ornadas e com
ado min
de veio como
-nao desmanclta era im',nnii;a e que i^ual de
'-ambos os lados ; faz costuras perfeilas em toda a
11 (] ;t.] <- de cidos, desden couro at a mais flna
cambrain, lendo (ios de algodo, de seda ou de h-
nho, desde o-mais grosso at o mais delgado. C<-
mo nao tem rodas dentadas, por se ter -eviiado a
menor alrilO'pnssivel, trabalha com facilidade e -
sem cnniradicaoUMA HACHLNA QUE NAO FAZ
RUIDO ALGDM.
T. J. Me. AKTUL'R & C, fabricantes* jtropne
latios na casa supra.
Manual do CUiado
Vende-se o Manual do Cidfdao em um
Governo 'Representativo ou principios do
Direito PnUlico Constitucional Administra-
tivo e das -Gentes, por Silvestre Pkibeiro
Ferreira, em 3 votamos brosurados^ior 35
cada obra : na livrapian. 8 da .pra^a da
Independ noia.
Caixinhas de msica lano
de coida.
Ricos porla joias e necessarios.
Riquissimosest jos a feitio de um baosi-
nho ou chapeuzinho.
Ditos em casca de noz e de outros gostos.
Leques de madeperola de sndalo e de
faia e madeira.
Chaposinhos e touqoinhas de muito
ra""d goy, I'ara crianC-''s.
.Meias e tapat'mhos de seda para as mes-
mas.
Mtiasde seda para senhoras.
Capellas e grinahlas de llores proprias
para casamento.
Enfeites e capellas de muilo gosto para
seuhora.
Riquissimos porla Loquis.
Boquet de flores com urna borraeliinha
com cheiro.
Luvas verdadeiras de Jovin.
Ditas de seda e de Eseocia.
Riquissimas plumas e guarnii,ijes para
enl'eilar chapeos.
Cotilas e tubos de ac branco, que ha
muilo se desejava para enfeites.
Brincos, fivellas c cruzes de crystal.
Fivellas c cruzes de tartaruga, madripe-
ri-la e dourados.
Alfineles para grvalas.
Botes com croas para punbos.
Cravatinliasc mantinhas de muito gosto,
tanto para homem como para senhora.
Riquissimos aderecos pretos, assim como
caixinhas com a fineles pretos.
Bengallas de canna com cabo de marfim.
Dilas de baleia, borracha e de outras
muitas qualidades, assim como chicolinhos.
Riquissimos pentes de tartaruga-do ulti-
mo gosto ; assim como de arreg'aco para
menina, pois ueste artigo lia um completo
sorlment de todas as qualidades.
Diademas para cabeca do ultimo gosto.
Riquissimas fitas lavradas e lizas.
Trancas pretas com vidrilho e de cores.
Pulseiras tanto para senhora como para
meninas.
Ligas de seda e de algodo.
Suspensorios de seda e de algodo emui-
tos outros objectos que se nao podem an-
nunciar por nao se tornar enfadonho.
S no Gallo Vigilante i na do Crespo n. 7.
e mais peehincha
Taboas americanas com palmo e meio de largu-
ra, com pequeo toque de avaria, a 80 rs. o p :
no caes do Rraos 22 de novembro n. 2, armazera
de Paulo Jos Gomes & Mi ver.
As Pilulas Catfiarticas
AYESE.
O purgante tuait eftcat at /<-.> conherido.
F.tas punas s* puramente tvg-
itam, nfio tendo na sua coni|i3-
sico nem uirrcvrio nem outro
D^rediente mineral ; -.\o ituc
armazezc e ass.uca.r_
i
c.-

eeiiii
cia
Para a testa.
\arua das < xuzc* u. 30.
eiencia,
Vende-se uro grande soriimeoto de calcados de
todas as qualidades ltimamente chegados, asfim
como borracha pelo dimiuulo prego, cheguem ra-
guezes a vita faz f.
Nos pes seifllrmero
Barato o prejo
Cheguem fregueies
Abaixover-se.
Borzeguins de lustre a Milie para homem 75500
Ditos de bezerro dito dito 75000
Ditos de lastre e bezerro para menoo 65000
Botinas para senhoras e meninas 35000
Borracha a vara 500
Grande sortimento de chagrn e de cordavao.
Vigario n.
tu:-.: -i:i t cvi. I.tu.nl.i saueulcan elrtiuUs curativa* das
planta* yuc sao mpregadaK na enfecco (Iji pilulas. nu
co!ii.iosi;;. r tal .^ue a <-nf.rinuiu*'- que eto ao alcauec
de sua cap, rraet.ezes podem rMMHM on i-\.di las.
Boai ]iro^rieil:ides penetrantes explo/do peaetrio, purifico*
do vigor todus as purtes de organismo humauo; pois corrigem
a sua ac?o riciada e-faz recuperar a sua vitalidad?. L'ina das
I consequeneia. dstas itiupriedsdes *' queo4|oeiitetiU)atido de
.dr e deblidaUf: pliy.-i(j|i,]admira-se de nu-outrar, to depressa,
/la //in -sua l"""'0 c eu-rgla recuperadas por mel d* um remedio to
II 141 ^niples e agrada.!.
i molcstlax qae^stao ao seo alcance sao.
J'fizo ile veuire IU< ituw!L lUCeca, liullyesMo e mid do estomago, flemorrhoUlas,
PADEOWEKOS PO FIGADO,
Pebre gtro-hepaticat Ga*trUet offtcC-'fies Biliosas /.< uibrigas,
rysiuJa, Jlydroptia, iwrdez, erguir parcial, e ParalgHa,
Noulnianajf e Manual de Sagde da Ur. Ayer, que se publica
todos os nuuw para distribuiejio gratuita, en<*outra-se um tra-
Uulu sobre as ^versas doencas i|ue eslao ao alcaucc de
REMEDIOS PUEGA.NTES.
Aclia-ic em todiu Boticos e Drogaras do Imperio.
Orea em barricas pequecas.
Cera ere velas de todos os lmannos.
Bufias.
Mercurio.
Xa ra do vigario n. 19. prirneiro andar.
Machinas de descoronar al-
godo.
No caes d'Apoto, armazem de Tas^n Irmaos.
Vende se um raulalinho de 7 anno de idade,
bonita figura, propria para quem tem meninos para
brincar e j presta algura servico: para ver e
tratar na ra do Nojueira n. Vi
Vendem-se
maehinas americana
algodo : na rna da
de serrote para descarocar
enzala .Nova n. 42.
24, prirneiro andar,
mais superior que tem
Na ra do
vende-se o seguinle
Caf lavado do Rio do
vindo ao mercado.
Gotnma de mandioca superior r-m sarco-.
Esleirs de palha de carnauba muilo grandes e
novas.
Cabezadas com duas redeas a ingleza, manu-
factura nacional da provincia do Oar, as quaes
pela elegancia e b.-mf- itoria da obra, convidara os
amadores da bella montara a arreiarem seus ca-
vallos com elegancia, sendo que, em consequencia
da modicidad) do prec.o nioguem deixara' de
comprar.
Veade.se ama [boa casa na cidade de Olinda,
siia na ra de S. Francisco, com 1 porta e 2 jauel-
las na frente, 3 quaiias e cozinha fra, um grande
solo com 2 quartos, tem um bom quintal cora co
queiros e diftereoles arvores de inicio, tem mais
. ao lado 16 bracas q lambo, tem a voVedo" Todo P# barat0 W f *;,**> ^ PJ
o terreno pro'prio qnem quizer comprar a refe-1 ^*:LT?m.?*El !"Sl2! ? *S2, .r!' .Br.a.n.d.
O Peitoral de Cereja
I>E AYER,
TABA A rBOJfPTA CCRA DA
Angina, do Constipaooos, Toases, Houquldio InflU. TOlada de PajSaildu' e .Ml||leV(lfO.
nda casa e terreno, i irija-se
cora quem tralar,
da boa f na ra d. 34.
Vendem se colheres de meial principe para cha'
a 25 a duzia.
Ditas para sopa a OOO.
Facas e garfos de cabo de balando de dous bo-
tes a 65500 a diuia.
Ditas de um boto a 35u0O.
Ditas de cabos cravados, preas e brancas a 35
a duzia.
Caita com oO nvelos de linha de gaz a 700 rs.
Tcsotiras finas para costura a 300 e 300 rs., e a
15000.
Resma de papel almaco a 256C0.
Dito greve moilo bom "a 35200.
fiaralha de cartas francezas para voltarete a 240
e 280 rs.
Jogo (to vspera a 500 e 800 rs.
Enfeites para cabeca o mais moderno que ba a
25000.
Pentes muilo finos com costa de metal para
peonar a 5C0 rs.
Meias cruas para homem muilo encorpadas a
240 rs.
Abotoadora de crystal para collete a 500 e 15.
fitas de coz com 10 varas, de um dedo e meio
de largura a 440 rs. a ; -:.
Liga para atar meias a 100 rs. o par.
Pares de stispensorins a HiO e 240 rs.
Graaias de seda preas e de cores a oOO rs.
Micas gulinhas com punhos para senhora a 15-
Luvas de lio de Escocia, de cores, para homem
a 320 rs. o par.
Carreteis de linha de Alex;.r.dre de n. 80 a 200
a 100 rs.
Gaita de borracha para brinquedo de menino a
100 rs.
tJaias com clcheles muito bons a 40 e 60 rs.
Ditas cora lamparinas para 3 mezes a 40 rs.
Ditas com obreias muilo boas a 10 rs.
Fivelas grandes para cintos de diversas qualida-
des, lilas para cintos, dilas de velludo, iranQas de
cores lisas o de caracol, bicos e rendas, volias de
aljofares, ditas pretas a balo, e um completo sor-
limeuto de miudezas que ee esta' liquidando a di-
nheiro.
CHILES
Grande pechlnclia.
No rna da Imperatriz n. 32 porla larga de Pare-
des Porto, vende-se diales de menn estampados a
25 e 2{500 e Unos 55, eslao se acabando.
Bordados.
Cheona a loja de Paredes Porto, ra da Impera
triz n. oi, um aormenlo <1e camir.inhas, gollinhas,
corpinhos, romeira? e sinlos, de cambraia branca
ENCICLOPDICA
42 Hitada Imperairlz armazem
da porta -arga 63. ^
Junto a padarla l'radceza de
Bare Xette pstabelcciiicnlo encontrar o respeitavet
publico um ariado sortmeBto de fazendas france-
las, ingleas, (Qissas e allenses, que se vender So
por preo commodo.
Pinedo Perlo
Vende chales de renda de cores que se vende-
rn a 185 est vendendo or 115, ditos pretos, ra-
leada nova, >, 65, 85 a 205, um sortimenlo m-
plt-io de manteletes, capas e souiambarques I- j a
255- Rpa da Imperatriz n 42, junto a padarla fran-
ceza, armazem da pf ra larga.
Paredes Poilo
Rerebou um compiti sortimento de ISasinbas a
110, e 280 rs. covados, para acabar, cambraias do
cA( a 240 rs. o ce vado, riscad fsrossn para rcu-
ca de menino, fu.-io i!1 nnho a 420, 400 e 500 1?.
Ra da ImferatrU u. 52 junto a adaria fran /..
irn.a?(-ni da porla larga.
I'arciifs Poilo
Receben rara cortinados para caira franreza i
115 a peca caml raia lisa lina ;i 35 *5 al 10-3 a
peca, corles de tai ialana de bonitos p- los a ':-.>' tO
-. \>, cambala com fir de seda, goslos inteira-
ceLte i ovos a 500 e 500 rs. o covado.no armazem
da 11 na larpa 11. 32, ra da Imperatriz junio a ;a-
daria franceza.
Paredes Perlo
Receben peto ultimo paquete um portimentode
eroTes r< m pedras 1 *ra o i- scc{o, bi nitos caxini 1
de la para pesroco du senhora. Ba da Impera'.)iz
n. 32, aimaztm d;t porta larga.
Parales Porto
Vi mi- rentes de gorporiio 1 telo para vestido cem
21 11 vad'-s cada om 355OOO, gisdenaple preto a
15600, IJfOO e25 1 c,\ado, las lizas til .. (0
rs. o covade, laasde qoadrinbopara vestido, :..--
lada, a 320 rs. o covado. llua da Imperatriz r "-,
armazem da porta larga.
Rotwa ffila
Roa da Imperatriz n. 52 armazem da porta -
ga junio a padarla franceza, eno nira se 11< m es-
tabeleiimenio um romplelo sortimenlo de ; (en-
saceos e sol recasac s, de '.das as nualidadi -. r
gas, colletes,ceroola?, camisas, gravaos, n .^,
chap-.'S deso, ditos franeezes para cabera, por
preros commodos, icupa para menino e ot ras
minias fazendas per pteos con modos, armazem
da porta larpa.
o mismo e-iabelerirnenlo erice: ..rr.r o r -:- i-
tav, 1 publico, sempre nm complete so:limen: r
ronpas bitas de ledas as qttaidades, cuno -'ni
pali los de alpaca pela e de cor, gu-jj :,,. ., -
eos a -15 e 5&, ditos de bnm pardo a 2580ii. 35 e
355(0, Jilos linos a 45, ditos meias razemira <
35500,45 e 35, ditos cazemirasaccosa 65, '%>, >
e K'5, diios sobrecasacos a 10 e 125, lites de pan-
no suecos a ('5, 85 e 105, ditos sobrerasacos a !25
e 255, diies de merino preto a 65, "5 e 105. ai-
eas de bnm de diversas qualidadts a (800 i5
diio^- brincos a 23G0 C 0500, oio. cazt-rnira 5,
05 e 75, ditos pretos a P5, 65, 85 e 105, ditos
muas cazemiras a 35 e 45, toletes de diversar,
qualidades, stroulas francezas de algodo, ds d.-
linio, dilas de bramante a 25 e 25300, carnizas de
:;"iu de imlio fiance zas de 2.' .-5. Glan-
de 1 ernimha nesie genero, grvalas de tedu? as
qoalidades e brancas para casamento, grande; 1-
timer.io de meias para senhoras, duss para bctxens
a Vj, superiores a 35500 e 45-
lu romplelo sortimento de chapeos de sel do
alp.'ia a 35. ditos de seda a 55, ~j3, Km 145,
ditos franeezes para eab1 r,a, grande sorliri-cnlo
a 65-
rcdiiiclia adniavei.
Grande sortimenlo de chambres a /^l'OO e 5;.
leccHS de cambraia para homem a 25 a duzis, di-
losde linho a 45 e 35-
Giandc sortimenlo de ropa para meninos ? cu-
tas reinitas qualidades que seria infadonlcj :n:u-
cona-las.
Fazendas.
Vndese superior merino preto proprio par. ca-
pa do senhora e vestidos a 25. lustrim da li'ina
a 15800 o covado. Rna da Imperatriz, porla I, ra.
Paredes Poi! \
Vende emseu estatelccimentoii..- e enlr ios
bordados, grande sortimento de c--rririhos tica-
mente bordados a 3-5. 45 e 35- S o 1.1 ',-- jV-
10, ruada Imperatriz no 52; porla larga j'.:::toa
padaiia franceza.
Paredes Porto
Receleu pelo uirno paquete francez r\r?< laas
granadinas cem flure de seda s 4(0 e 5U r?. o
covado. eslao acabando-se, cambraia preta para
Into. Pona larga junio a padaria franceza, a ra
da Imieralrizn. 52.
Paredes Porto
Vende um compiti sortimenlo^de razendas
brancas, ce mo sejam madaf olo a 45500, 3,3, '5 e
IOS, pecas de algodo por barato preco,chita ..' i-
ceza a 240, 280, 320, 360 rs. o covado, precalias
muito linas a 360, 400 rs. o covado, chila ir
a200e240rs. o covado. Ra da Imperairi p..
52, junio a padaiia franceza.
Paredes Porto
Recebeu pelo nliimo paquete espanilhos a pre-
guicosn por 39, sao Lons, lencos de seda para se-
nhora e homem a Ir, ricos cortes de can: rtia
bordados de 18g a 7}, ror ter nmbquedc
estao se acabando, na ra da Imperatriz n. 52, jun-
to a padarla franceza.
Vende-se um mnlalinho de 16 a 17 acnos,
proprio para pagem por ser muilo bonito e de boa
con'Jucta : na ra do Imperador n. 45, terceirc
andar._____________
Aos tabaquistas
Vende se as ap'eclavels caixas para tabaco, : er,':
fetas, obra fabricada uo Aracatr. por rr.uo i sraio
preco, para acabar ; na ra da Cadeia (Recife; c
7, leja.__________^__________
Gaz idrogeneo primeia
qualidade
Na ra Nova ns. u e t. no grande ba-
zar dt Carneiro Vianna.
Vestidos
a mesma que achara
Vende-se os pertences de urna padaria tudo
em bom estado : a ra da Cohceic.ao e. 34.
Vende-se:
Cha.
Lonca.
Cognac a 105 a duzia.
Na rna do Trapiche n. 18, segundo andar.
enza, Bronohite, Tisioa primarla, Tubrculo*
pulmonare, e toda aa molestia do
Peito, asaisi oomo para aliviar
o othiooa declarado.
A ;.r. |iiii-:u..'m do Dit. Avkii sao vendida na principas
drogurltuj c botica do Imperio.
Vende-se em Pernambaco:
na
PHARMAC1E FRANQAISE
DEP.MAURER&C'f
RA NOVA N
Com este titulo ara 1a de chegar de Paris ama
linda phantasia milita para puno, composta por
nm dos melhores con positores, arha-se a venda a
25 cada ejemplar : 1 a loja franceza da ra Njva
n. II.
qnanlidade de eulremeios a 600 e 800 rs
eslao se acabando.
a peca,
Ceblas a ,)00 rs. o cento.
Na ra da Madre de Dos n. 9.
Peonas de ema
vende-se na ra
criptorio'_______
Ilcelfc. rna da ConeordU-
imiiicr* 8.
Vende-se mel de purgar assucar ou de furo,
mais limpo do que o que vem (los engenho?, caa-
da a 600 rs., garrafa i 120 rs.
Pi relio.
Vende-se superior farello de Lisboa
zem alliaira, ra do Imperador n. 57.
no arma-
Grande bazar.
Nesle grande estabelecimento tem chega-
do ltimamente dos Estados-Unidos urna
variedade de cadeiras para homem e pro-
prias para senhora e enanca de lodos os
ema le muito superior qualidade;:; tamanhos e oulros riquissimos artigos que
do Vjgano n. 21, 1- anda.., es- por gQSt0 se f)()(Je compr;1|.( (mlo por nre(.0
moito commodo : na na Nova ns. 20 e 22
Luvas de Jouvio.
A loja de miudezas na ra do Queima-
do n. 16, resebeu-as por este ultimo vapor,
Pcchlocha sem igual.
Ci'.fgou a loja de Paredes I'oilo um bono sor*
lmenlo de vestidos de lartalata de cores e brancas
que serve para partidas por ser un,a phaota-. u-
leiramente de (rosto pelo birato preco de i.' e
brancos a U500, e>lao acabando-so : no ntL-.z. m
d poita larpa ra da Imperatriz n. 32, junto a pa-
daria franceza.
Cortinados.
Chegou a loja de Paredes Porto um compleio
sortimento du cortinados ricam^nle bordados a
prego de 235, 335 e 435 : na ra da Imperan iz
n. 32, porta larga junto a 1 adaria franceza.
lucas romeiras.
Paredes Peito recebeu pelo ultimo 'paquete um
sortimeuto do romeira de guipure pretas e de lili
a preco commodo : na ra da Imperatriz u. 3,
porla larga jur/to a padaria franceza.
Grarde pe chincha.
Corles de la escoceza eofesiada para vestido
fazenda de 300 rs., e?la se vendendo a 280 e 310
rs. o covado : na ra da Imperatriz n. 32, cja da
orla larga.
Corles de laa escocesa para vestido a 35 o cor-
te: na ra da Iropealiiz n. 32, loja da porla lar-
ga, junio a padaria franceza, esto se acabando.
Vende-se urna motillia deamarello ja usada:
na ra estreifa do Rosario o. 17, 2o audor.
Cavallo,
Vende-se nm excellente cavallo andador.de bai-
xo a meio o esquipador, tambem anda de pajo era
toda altura, bonilo, gordo e manso, opmo para
passar a festa : os pretendentes dirijam so a Olio.
da ra do Amparo n. 40, sobrado de Jos Pigueira
Curado.
Vende-se na rea Nova n. 32, loja, as dezoilo
epstolas ou o fiel calholico, esenpto pelo padre
meslre pregador da imperial Fr. Kaparica, cernen-
do 315 pagiuas escripias era quarto, pelo piej-j de
3000.
/



Dlar! de Peroaaabneo Tere lelra 1 le Dezembro de t *.
N. 11Ra do QueimadoK 11
A' casa de Augusto Porto chegaram pelo vapor francez ricos cortes de
vestidos de seda de cores dos mais bellos gostos, proprios para bailes,
partidas ou casamentos.
Cuales de Guipure pretos e brancos.
Bonets de pala da Italia para senkoras.
Moir branco e preto.
Bonita seda para vestidos,
Casemiras de quadros.
Esteiras da India para salas,
iladapoloes fraucezes a 400 e500rs, a vara,
Laas para vestidos de diversas qualidades, e
gostos diffreentes,
Q que ludo se vende pelos mais commodos presos.
CORTES DjE SE II\
Chegaram pelo paquete inglez riquissimos corles de moreaaiique de cores, e seda lavrada pa-
er5es al'ramete novos.
Seda de quadros por 1$000 o covado <
5-RUfl DO CRESPO-5
Gregorio Paes do Amara! V Compankia.

&
i
C?f
ox
Para vestidos de senhora.
Curtes de seda de cor de boin gosto e superior qualidade.
Lindas sedas de quadrinlios.
B"nsmoireantiques de cores.
Grosdenapies d. todas as cores.
Lindos poil d clievre faz^nda assenada de inleira mvidade.
Luidas duquezas assetinadas fazenda inteiramente nova.
Modernos grenadinesde seda oque tem vindo de mais novo.
Grande variedade de las de cores lisas e de salpicos.
Onra-idyse ca sas demnito bom go-to.
Percibas modernas com grande variedade.
Lindos cortes de la Clotilde com todos os pertences cada um em seu car-^
v|t5n inteiraraente novos.
Bonscrles decapa con birra tambem inle-amentc novos e outras
fazendas de gosto que seria enfadonh > mencionar.
Para fiom'iros de senhora
Grande variedade de chales, bo'irnoux, retondes e algeriennes de fil e de,
ff guipare a 10, 1C, 20, 30, 40, 60 at 80,5.
Modernos soutembarques de seda de superior qualidade.
L i 1 >< bertes de seda de cor pretos e de cachemira.
! lera de cambraia branca birdida com muito gosto.
Sautembarques e bouruoux de cacuimira de cor e outros muitos arligos dej
c gosto.
Para cabera de senhora <
' iperiott chapelinas depalha, de*seda e de crina de muito bom goslo a im-<
> ratriz.
is depdha da Italia grande variedade. i
Lmd is gorros c honets de palha de Italia, Imperatriz, Canutier, Clotilde
a tiranta, chegadosde Parspe'o ultimo vapor.
G -a ule variedade de enfeites de froco e de flores para casamento.
s iperiores vestidos de blonle. e de m ureantiqae brancos.
Bonsmiireantiques brancos e superiores sedas brancas.
Bons vestidos da tarlatana branco bordados.
Luidas mantas de bbnde e boas capellas.
Mordidos.
Grande variedade de ntremelos bordados transparente e tapados.
IVas bordada* transparentes e tapadas, babados bordados, saias bordadase

r
fi-)
#
\ nutres muitos arligos.

DE
IjOJ* IMS COIaUJISTAS
ANTONIO CORREU DE VAS> ONCELLOS & C.
RA lftO CRESPO *T. 13
;-.
. T/f -

Bichas de Hamburgo
jf? todos os paquetes da Europa se recebe M
%s deslas amigas do sangue humano e se tjjj
i=3 veodem a troco de peuco lucro s afim S
/& de ler semprc cousa nova : a loja de bar- jjj
y'^ beiro ra estreita do Rosario n. 3, ao p J
da igreja.
NOVA YORK.
DE COR CIIEIRO E SABOR AGRADAVE1S
1;ii i lamente mais elicazesdo que todos
os mais remedios perigosos enauseabundos
que exi&tem para a expulsao daslombrigas*
Kao causam llores e produzem seu effeito
sem precisar logodepoisde purgante ne-
ulium u laoincitantes em apparencia e deli-
ciosas em tfosto, que as crianzas estilo
promptasa tomar mais do que marca a re-
ci ita
litis como um excellente meio de fazer
remover as obstrueces do ventre, mesmo
nu caso e nao existirem verme algum, as
J>ASTlLtlASVEMIIFU6A8 OE KKMPSSO promp-
ta* cinlalliveis na suaoperaco e portodos
os respeitos dignas deconnanca e approva-
cao de todos os paes de familias. Prepa-
radas nicamente por Lanman & d,
Nova York.
A legitima salsa de Bristol vende-se por
CAORS A BARBOZA
JOAO DA C. BRAVO & C.
Juo da C. Bravo & C.
Deposito eral em Pernamouco ra di
Cruz -a. ti em casa de Caros Rarboza
COIares Royer on colares ano-
dinos
para facilitar a dentico das crianzas e preserva-
las das convulsoes.
O feliz resultado obtido immensas vezes pela
prodigiosa forca magntica dos colares Royer, nos
casos de convulsoes, e dentico das crancas, tem
altamente elevado o seu bem merecido prestigio,
e hoje j se pode dizer que esto geralmeate con-
| ceiluados, e estimados de innumeraveis pas de
i familias : de uns porque do uso desses salntares
J colares viram salvos do perigo seus charos filbi-
nho, e de outros porque colheram daqaelles t3o
proficuo exemplo para igulateme preservar os
seas. Assim, pols, a aguia branca, teodo em vis-
tas a aiilidade e proveit- desses prodigiosos cola-
res anodinos oa Royer, maodou vir o nevo sorti-
meoto que agora recebeu, e continuar a recbe-
los para que em lempo algum a falta delles possa
ser funesta ao< pas de familia, os quaes fiearao
certos de os achar constantemente na rna do Quei-
mano, loja d'aguia branca n. 8.
**
<0
averiado.
Francez barrica 54090
Portland dem 8*500
faro, perfeito estado:
Franppi barrica 10*000
l'ortland dem 12*000
No arnu^m rtfTass'i (rm-^tns <"ae< dn'ApoHo.
Veode-se urna cabra boa leitera c muito
man=i : a :r:.iar do Campo-verde, ra do Soceco
D. 50. b
Vendem-se duas escravas recolhidas, de ida-
de 23 a 2i aonns, excellente conducta, engommam
perfeilamenle e fazem todo o servigo de urna oasa :
na travessa do Carmo n. 1.
Vende-se um sitio em BemOca a' margena do
rio Capibaribe, com bstanles commodos para ama
grande familia : trata-se na ra Nova n. 24, das 9
horas as 4 da tarde.
Vnndem-se quatro barras mnto mansas, boas
de carga e de seila, por prego coramodo : a tratar
no hotel de Franga.
MOBILIA.
Vende-se por prego muito commodo urna niobi-
lia de Jacaranda, inteiramente nova e de costo
moderno, constando de dnzia e meia de cadelras,
(sendo 4 de bracos) 2 ronsolos com lampo de po-
dra e l sof com encost de palhinha : na rna da
Matrlz_da Boa-Vista n. 9.
Machinas para descansar
algodao.
De novo modello : na ra Nova n. 20,
no grande bazar de Antonio Duart* Carnel-
ro Vianna.
Presuntos de Lamego de snperior
qualidade recentemente despachados, em
pequeas ou grandes porces : na ra do
Trapiche casa n. 26, ou deposito ra da
Cruz n. 47. a 400 rs. a libra.
r.ij
DO
AO RESPEITAVEL PUBLICO
A tabella abaixo publicada serve de base de presos,
tanto deste armazem como do armazem progressivo pa-
rpn fin flmun n Q nriipinil arm^Pm na \\ TmnPrq- !Pera^ P!ra te O UO UllJUO II. J, pimoipai armazem rUd aoimpea- o Iratamento o metbor poseivef, tanto na parte aumentar, como na medica, (
OR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSC080,
MEDICO, PARTEIRO E OPEH.4UOH.
3Ra da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aps pobres todos osdias das 7 s il
loras da manho, e das 6 e meia s 8 horas da noe,., excepc5o dos das santificados.
Pharmacia especiad' komeopathica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisacoes e pelos precos seguintes.
Carteiras de 12 tubos grandes. 120000
de 24 tubos grandes. 18000
de 36, tubos grandes. 24(5000
de 48 tudos grandes. 300000
de 60 tubos grandes. 350000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
me se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 10000.
Sendo para cima de 12 custaro os precos estabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris. *
JLI VAOS.
A raelhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr
dous grandes volumes com diccionario............ 200000
Medicina domestica do Dr. Hering........... 100000
Repertorio do Dr. Meh' Moraes............ 60000
Diccionario de termos de medicina........... 30000
Os remedios deste estibelecimento so por demais conhecidos e dispensam por
tanto de serem novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios
verdadeiros, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de
verdadeiro assurar de leite, notaveis pela sua boa conservacSo, tintura dos mais acredi-
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparacao, e portante a maior
energia e certeza em seus effeilos.
Casa de saude para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
/
dor n. 40.
Fazem sciente ao respeitavel publico, e cora especialidad^ aos senhores de en-
genhos, lavradures e mais pessoas do centro, que paramis facilitar suas compras deli-
Oeraram os propietarios dos tres grandes armazens, reunir todos os seus estabeleci-
.meutos em um s annuncio, pelo qual o preco de um ser de todos, promette-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, aonunciar os gneros
,por um prego, e na occasio da compra quererem por outro, como soesde constante-
mente em outras umitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar isto
ainda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
serao tamben) servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela qual se ver os precos tal qual annunciarraos, o que senu arrepender pessoa
alguma que fizer saa despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
funecionando a casa ha mais de quatro annos, ba muias pessoas de cujo conceito se nio
pode duvidar, que podem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se 20 por da durante 60 das e d'abi em diante 10500. I
Asoperaces serao previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
razoaveis que cosluma pedir o annunciante.
II.fcXTEItt*
Manteiga i gleza perfeitamente flor che-
gada ltimamente de l,oooa l.loo rs.a li-
bra, e em barril ter abatimento.
Manteiga franceza da safra nova a 86o rs.
a libra e em barril ter abatimento.
BANHA
Banha refinada superior a 64o rs. e em
barril ter abatimento.
114
Cha uxim de primeira e superior qualida-
de a 2,8oo rs.
dem hysson o melhor neste genero a
2,6oo rs., e sendo em porfo ter abatimen-
to, tambem ha proprio para negocio de 2 a
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de l,8oo a 2,5oo rs.
a libra.
Biscoiitos
Latas com superior biscouto inglez de di-1
versas marcas a l,2oo rs. a lata.
Bolaehlnhas
Latas com bolachinhis da acreditada fa- 5oo rs. a libra,
brica do beato Antonio, proprias para dar a
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata.
dem com quatro libras de bolachinha de'
Serveja
Superior serveja Bass dos melhores fa-
bricantes, como sejam: Shlers & Bell. T. F.
Ashe a 7,5oo e 7,ooo rs. a uuzia e a 7oors.
a garrafa. Tambem ha de outras marcas
como seja: Victoria e Alcope a 5,ooo rs. a du-
zia e a 5oo rs. a garrafa.
Vinagre
Superior vinagre de Lisboa a 2,ooo rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ha
mais baixo para 2oo rs. a garrafa e l,4oors.
a caada.
Azette doce
Superior azeite doce de Lisboa a 64o rs. a
garrafa e a 5,ooo rs. a caada.
Momos
Macarrao e talaerim a 360 rs. a libra e a
15,ooo rs. a caixa.
Passas
Superiores passas a 3,ooo o quarto e
112,5oo rs. a caixa de arroba hespanliola e a
soda a 2,ooo rs. a lata.
Queijos
Queijos flamengos chegados no ultimo
vapor de'2,6oo a 3,ooo rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespanhol a l,ooo el,2oo rs. ,
a libra, francez e suisso a 1,000 rs. a libra Ja.?ar.raf5.e.s1^.m5 e U garrafas de 3'0 a
e portuguez a 800 rs.
ter abatimento.
Genebra de laranja verdadeira a lo,5oo a
duzia e 1,000 rs. ao frasco.
Genebra de Hollanda verdadeira a 6,ooo
rs. a fiasqueira e a 56o rs. o frasco.
Idom de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da ums.
Garrafes com 24 garrafas de genebra de
Hollanda a H.ooo rs. o garr.ifao. Tambem
LOJA
DO
BALO
DE
.AZEVEDO FLORES
lua da Cadeia do Recite, esquina da Madre de Deus.
Grande sortimento de fazendas por atacado e a retalho e um completo sorti-
mento de roupa feita, de casemira e de brim, tudo por menos que emoutra qualquer
parte: quemduvidar venha ver.
CAICAS
de lindas e finissimas casemiras escuras e claras, de superior casemira preta, de finos
brins brancos e bom brim pardo.
Paletos
de superiores casemiras escuras e claras, de tina alpaka branca, de superior alpaka pre-
ta e de brim pardo.
Colletes
de boas casemiras pretas e de cores e de fino brim branco.
CAMISAS
Superiores camisas francezas de 20 at 50.
MANTAS
Novas mantas de seda para pescoco de homem.
PELO ULTIMO PAQUETE
Grande sortimento de baloes de arcos ecobertos de panno.
Bdoes de arcos encarnados os melhores que ha no me cado.
Baloes de arcos brancos, tambem os mais novos,
Baloes de arcos escuros, a primeira vez que vem ao mercado.
Baloes cobertos de superior musselina.
Baloes cobertos com pannos de cor.
Estes baloes encarnados e escuros devem ter um completo acolhimento por todas
assenhoras, pois tema vantagem de nao se sujarem; como acontece com os brancos.
a libra, em porcao
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Velho Secco, Lagrimas do
Douro. Maria Pia, D. Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a l.ooo a garra-
fa e 9.000 a 12 ooo rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3,ooo,
3,5oo e 4.000 rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 64o
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de. Lisboa e Figueira em
ancuretas de 8 e 9 caadas a 24,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
Caixas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa e
7oors. agarrafa.
CMFK
Caf do Rio de 1.* e 2/ qualidade de
6.800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
MAIB.iO
Sabio maca de primeira qualidade de 18o
a 22o rs. a libra e de 16o a 21o rs. sendo
em caixao.
6,ooo rs. cada um.
VELAS
Velas de spermacete a 6lo rs. a libra.
dem de carnauba de lo a 12,ooors a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
PE1XE
Peixe envalas j preparado de l,ooo a
l,2oo rs. a lata
ALPISTA E PAINgO
Alpista e painco muito novo de 3,8oo a
4,ooo rs. a arroba e de 14o e 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mak acreditados fabrican-
tes, como sejam: J
Manoel Peixoto da
.l
Filho e Brando e
quaes vendemos pelo
2, 2,8oo, 3,5oo, 4,5
>3o Furtado da Serrias
va Netto, Castanho 4
de outros muitos. os
mdico preco de 1.6oo,
c, e 5,ooo rs. a caixa.
Mdores
Licores francezes e p irtuguezes a l.ooo e
l,4oo rs. a garrafa ou frasco.
Doces
Doce da casca da{ goiaba e caixes pe-
queos a 7oo rs. e d(| 5o caixes para cima
a 64o rs. o caixao.
Frats
Frutas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pera, pecego, ameixa rainha Claudia, al
perche e outras frutas a o> s. a lata.
Tambera ba latas grandes para l,2oo rs. a
lata.
ARMAZEM DE FAZENDAS
DE
CUSTOOIO CRTAMO C.
27 RA DO QUEiMADO N. 27
Madapolo francez muito fino, tendo pouco mofo, cada peca com 27 varas por
100000.
La de cures a 300 rs. o covado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a preco de 800 rs a vara.
Lencos brancos para algibeira a 20' 00 a duzia.
Fin sperclaras a preco de 400, 440a 560 rs. o covado.
Ricos cortes de la de barra de 100 a 300000.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.
Grandenovidade. I W(|1||\(| IM |\||\
-,o Pereira Mendes Guiniares, Droorie- ILVIFAV '/! IPfBllwfl
Lourenco Pereira MeDdes Guiaiares, propre-
tario da graode luja e armazem da Arara, ra da
Imperan iz d. 56, declara ao respeitavel publico o
Na luja de Andrade 4 Rejto, ra do Ciespo n. 8,
esquina da ra do Imperador, contina a vender-
Uvas pelo ultimo vapor.
Peras pelo ultimo vapor.
Macas pelo ultimo vapor
Ameixas pelo ultimo vapor.
Passas pelo utimo vapor.
Finos pelo ultimo vapor.
Frudas seccas pelo ultimo vapor.
Fmqtas em calda pelo ultimo vapor.
Nozes pelo ultimo vapor.
seus freguezes, que recebeu diversas qualidades | se superior algodo da Baha por menos prego que
de fazendas viudas pelo vapor francez, por isso em outra quaiquT parte,
como a (esta esta quasi acabada resolveu vender
barato para acabar al o Qm do anuo.
A Dovidade, chales de renda a 100600.
VeBdem-se rwes chales de renda muiio qs e Manoel Ignacio de Oliveira 4 Fnbo, largo do Coj-
novos a 1U, ii e io, retundas muuo finas a po Santo n. 19.
Algodu trancado
da fabrica de Ferno Velho : no escriptorio de
iaz.
No armazem da ra do Imperador n. 3
Caes de Pedro II n. i, tem pare vender-se
Ibor gaz existente no mercado.
on no
o me-
tii e 18$, souiembarques de grusdeuaule a 184,
2i 15 e 2d, rapas pretas de grosdenaple a 20 e
2'r5, souletnnarques de latiuba a 54, ditos rarj-
cus finos a 84 : ra da Imperatriz, loja da Arara
n. 56,
Cortes Mara Pia a 80000
Vendem-se rices cortes de ve.-tido de cambraia
bordados a la e seda a 84 e 104, ditos de lazmba
linos a 8, 12*e 164. cortes de cambraia de ba I Vende-se um balco de amarello que anda nao
bados a 74, dito ue cassa franceza tinos a 74, foi servido, obra multo bem feita, sendo dito bal-
prcas de cambraia branca Tina a 34, 44, *4e 64, c|0 com volta. propria para loja ou outro qualquer
dius de cambraia para forro a 24, cortes de chi- estabelecimento, por mdico valor; na ra do Vi-
tas a 25200 e i>: ra da Imperan Iz, loja da Ara- gano jf ou caes de Apollo 00 deposito de sabio.
ra n. ob.
lateao
Esleirs ua China para forrar salas :
vepdem-se em casa deTeo loro Christiansen,
ra dn Trapiche ivo n. 16
Vndese a fabrica de charutos e cigarros
da ra do AracSo n. 32, bem afregnezada : a tra-
1 tar na ra dos Cuelhos n. 2]
Queijos londrinos pelo uliimo vapor.
Queijos flamengos frescos pe'o ultimo vapor.
Presunto fiambre pelo nlijmo vapor.!
Tudo se vende barato nos seguinies'aromens a
Rna do Imperador o. AO. Verdaieiro Prlnclnr!
Rna do Qnelniido n. 9, Unfio e Coa|nrclo.
L.argo do Cartn n. 1, Prognes!*o.
/tttencad
Vende-se a taberna bem afreguezada,
ra dos Assoguinhos n. 20.
da
Piano forte,
Acaba de chegar de Pars um lindo e elegante
piano hrte de 3 cordas e 7 oitavos, vindo para
amostra e o mais moderno que aqni tem vindo al
, hoje: qualquer pessoa que qoeira possuir este
bom instrumento o qual se vende por barato pre-
co, (njale a> loja fcinoea da roa Nov > 11.
Cassas franceeas a 300 rs., chitas a 24a.
Vendem-se cas>as francezas finas a 300, 320 e
.160 o covado, chitas finas a 20, 280, 320, 360 e
400 rs. o covado, alpaca de cor para, vestidos a 320
o covado : ra da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Liazinbas a 210 o covado.
Laziuhas a 2i0, 320 e 360 o covado, ditas lisas
finas a 400 e 500 rs. o covado, ditas escocesas fi-
nas a 500 rs. o covado, lentos de seda a 640, 800 e
14 : ra da Imperatriz, loja da Arara n. 56.
Balees a 20"i<0.
Vendem-se bai5e> a 24, 24500. 34000 e 34500,
saias bordadas para senhora a 7^5, golinhas para
senhoras e meninas a 240 e 320, camisinhas para
senhora a 14, 24, 34 e 44 : ra da Imperatriz,
loja da Amara n. 56.
Roupa feita, aleas 20000.
Vendem-se raigas de brim nardo e de canea a
24, ditas de brim branco a 24500, 34 VO 44,
d>tas de casemira de cores e pretas a 54. 64, 7a e
84, paletots de casimira a 54, 64. 84 e 109, tas
de hrirn de cor a 24 e 39, de alpaca pria a 34 e
44, camisas francezas a 14800, 2 e 24500, ditas rlqnlsslmo sortimento de leqnes de sndalo que
ing'*, presa lant**, a 34600 c 24600. ceroalas muito deve agradar, brincos a balo de nvo uso
a 14600 e 24, eontras multa* farenrtas que se nao i de Paris, enfeites para cabera de riquissimo go>to,
pode mencionar por estar muito oceupado, porm : e ouirns moitos artigos de moda para senhuras,
com a vista do comprador nbservarao o que ba- {advertindo se que ha enfe>tes de baraiissim pre-
rato e bom, iMo para agradar aos seus fregueses co de 14 cada um ; vendem-se baraios estes ditos
que honram a grande luja e armazem 0*a Arara, | enfeites por ter grande porcao : na roa Nova ns.
ra da Imperatriz n. 56. 20 e 22, tojas de Carneiro Vianna.
sum
O proprietario deste riquissimo estabelecimento
avisa as senhoras de bom gosto que r-cebeu um
.

i


Mario de i-ernambuco Tercafelra 19 Je Resembr de i SOS.
a)"1
& ~ B
en"
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
ffilUi A IIIBM 3)3 81 3IIJM3
O
IPI'
ffi3i
a--a
o c o

-|
en rt r> < 'O'sefto > > rts; es -n --13
fi s m ruases
s s -o 11 e
33^
, o sr o. .- o. g ^^
Ss8l.a|ft S Si
o n. ^^ o !) ?
a "* 9 5
5 P-2 -2 ->
ifr*

Grande loa e armazn do
Pavao.
Eua do Queiiuado d. 8.
A loja da aguia branca acaba de
nra
*
M
ir.
Ra da Imperatriz n. 60. de Gama di Silva.
Teiido os proprietarios d este estabelecimento de A loja da aguia branca acaba de receber
lignidarem urna grande porfo -de scas fazeedas, novo e grande sortimenlo de difierenles objectos
al ao lim do crreme anoo, alim de fecharen) roa- de gosto e ultima moda, sendo :
l tas apurar dinlmiro, resolvern) voder todas as Bonitos enfeites para senhoras gostos inteira
] fazendas com grande abatimenio em pregos, tanto mente novos.
3

-a
as
so
u> <
rif *
3 8
t9
Q. 2! i
= -,-o
h
o
Ditos ditos de grade com conias grandes.
Lindas livela grandes para cintos com moldes
agradaveis e diversas qualidades, madreperola,
3
o.
o
o
V.
STB'
as"
Q.
i
UESPEITA.VEL PUBLICO.
K apreciagao dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
sen da Liga estabelecido ra Nova o. 60 am magnifico sortimento 'de molhados,
que sendo em sua max m i parte mandados vir directamente do estrangtiro~podem ser
rendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm ;.ffiancar, com toda a seguranca de que
nenhum oulro o exceder no restricto cumplimento das seguintes promessas:
1.' Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
8." Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sua posicio social gozam de certo tratamento, acharSo nesta
casa os melhores queijos lonirinos, cerveja, vinhos Onissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a cndilo do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bom servido.
Aquelles que slo pouco favorecidos da sorte farSo mensalmente urna economa de
maitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se les vender o arroz, o caf, a man-
t'.ga ossucar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
am ou oo querem vetider.
Os senhores de fora da cidade, dos arrebares ou centro, que compram para ne-
gociar, devera vir, pelo sen proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
Tena c quanto se podo vender barato.
Para os senhor cial. cscolhido por pessoa entendida que certamente mu i to deve agraciar aos senhores I
compradores.
Nao se tem poupudo sacrificios, nemse deixar de fsser a diligencia para agra-
t-er a todes.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DIMHEIRO A VISTA:
A Graixa em Mas, muite ova, a 80 rs. cada j
urna.
B
o
f
O
a
c
>
I em porgao como a retalho, e por isso prevlnem a
iodos os seds fregones, e ao respeitave publico, e
as pessoas que negocian) em pequea esoatia com
laztndas, que nesie esiabelrcimento encontraro: tartaruga, ace e douradas.
iim grande sorliraento que muito Ihes hao de agr-'
dar lano em pregos como em qualidade; assim
como mandam pelos sens caixeiros levar as faen-
das e amostras as casas das familias que nao po-
derem vir a loja, ou do as amostras deuando fl-
car penhor.
iimbraias lisas a 3^000, la leja do
Tasso IrmUos
Yendem ie sen armazem raa de
Amorim n. S5.
Licor flno Curn^ao em botijas e meias botijas.
Licores finos sonidos em garrafas com rolbas d
vidro e em lindos frascos.
VinhosCheres.
Santeroes.
CbambertiQ.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscalcl.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniol.
para o:ma a
ALPISTA a 120 rs. e libra.
dem e paingo de eito libras
i 00 rs.
Arkoz de 90 rs. a libra a......
Amendoas, casca mi.de, a 280 rs. a libra.
Avellas a 2i0 rs. a libra.
Ameixas francezes em latas de todos os ta-
maitos.
dem idem era potes de todos os tannos.
dem idem em bocetas de todos os taa-
nnos.
dem dem em tascos de todos es lma-
nnos.
Azeite doce c ?rimeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
lhos a 200 rs. o molho.
Absy.ntho a 2^000 a garrafa.
u
BOLACIIIXIAS do Beato Anton:<5 em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a (;?8C0 a lata, e
de cinco pera cima a 10700.
dem de soda em latas grandes a 25000 e
de cinco para cima a 15800.
Biscorros inglezes de todas as qualidades a
13200. !2;0e 13300.
Bolo francez em caixinhas a *90 rs. cada
tima.
Batatas ing!?zas.
Bamia de parco refinada.
c
CHOCOLATE francez a 000 rs. a libra.
dem suisso a 13 a libra.
dem de margo a 15300 a libra.
Chouricas muito novas a 800 re. a libra.
Cap a 2i0 e 260 rs. a libra, e em porcao
se far abetimento.
dem de primeira qualidade c 75000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 is. cada um,
sao muilo r.ovas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 15*00 a duzia.
Cerveja da superior marca Teneate a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
t ment.
dem Victoria Bas tres X e deouras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'Havana, Expsito,
Flor do Brasil, Parisienses, eiicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Uegalia, Mississipes,
Panetellos, Apraziveis, Varetas, Braslei-
ros, Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
precos, hyssoo, huxim, aljfar, preto, e
preto poma branca, etc., etc., a 25000,
2iM"8, 23560 e 25800.
Ceros lisos de todas os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de lodos os tamanfeos a du-
zia a 25500, 35380, 43 e 53.
Cauces de todos os tamanhos.
Cognac superior a 13 e 13300 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, p.rdos, a 80 rs. o maco
de cinco macinbos.

DOCES de todas as qudidades: braaieiros,
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc.
e
ERVILHAS sercas a 120 rs. a libra.
xrvadoce 2 400 rs. a libra.
0 castello de Grasville.
Traducido do francez per k. J. C da Crnz.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratisswao preco de 3300C
aa pra<;a da Independencia, livraria ns.
6 e8.
Vende-se um sobrado fte dous andaras nc
bairrode Santo Antoe+o, o qu1 rende para roais
de 1;2005, e urna casa terrea no b*irro da Boa-
Visa a tratar com agente 'Slympio em seu arma-
zn na ra da Cadena do Recife n. 3i.
SfACHASlEPATl
de trahalhar nao p.rs
decare<*?tr algodo
MHiWCADAS
Por Plant Brothers & C.
t)A

E5tt?niachina;
podcictscaroca!
x^s^^1^" esPecic
___l^de alrodao sen;
,: estragar o fio.

tt
KIRSCH dc Wasser a 23 a garrafa.
L
LATAS cora graixa a 80 rs. cada uma.
Letria a OO rs. a libra.
9
MANTEIGA ingleza e franceza de primara
qualidade a 15, a libra.
Marmklu dos mats acreditados fabricantes.
Macarr/.o e TALiiAMM a 320 rs. a libra.
Massa d" tomate a 600 rs. a lata.
Mostarca ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho kglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdedeiro de Zara a .
Massas finas para sopa branca e amacolla a
60 rs. a libra, em caixas eom 9 libras a
35390.
Milho painco e apista, sendo mais di 8 li-
bras a 100 rs.
N
N07XS a 120 re, a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Ostras inglezas e americanas.
, jeuiris dsssas'ijachinas.
PElxE em posta, latas grandes, a 4G0, de Os msmem para vendor en beiiisstrao
todas as qualilades, como sejam savel, I f**" ?!" pdeazer moyer ei;-destas machina)
goras, corvina, panro, salmao, pe;ado ei!fci;??atlas; para ? i*3 coc^ida-se aos Sr.
pescadioha, liiguado, sardinha. ele, etc., | ?(^'0^:,-Tirem ver *"*. o
35000,
Pave.
Vendem-se pecas de cambraia lisa branca e
transparentes, leudo oito e meia vara cada peca,
pelo barato preco de 3500,'ditas muito finas, por
458(10, Si, 65 al 10J>, sendo tapadas e transpa-
rentes, assim eomo cortes de cambraia com salui-
cos a 2^800 : isto so na loja e armazem do Pavao,
na raa da Imperatriz n. 60 de Gama A. Silva.
As ramisinhas do Pavo.
Mendemse as mais modernas camisinhasborda-
das com manguitos, para seuhoras, sendo as mais
modernas que tem viudo ao mercado a 45800, di-
tas com manguitos, para acabar, a 15 ; ditas pre-
tas com manguitos para lulo a 15800 rs., mangui-
tos e golinhas pretas a 15, finissimas golinhas de
cambraia branca bordada a 800 rs., calcinitas para
menina a 640 rs., romeiras de fil e-cambraia
branca bordada a 15600 : na loja do Pavao, ra
da Imperatriz o. 60, de Gama & Silva.
Chales de merino a 25000.
Vendem-se os mais modernos chales de merino
' estampados a 25000 cada um, havendo tambem um
| grande sortimenlo dos mesmos matizados que se
i vendem a 65, 75 e 85000 : na loja e armazem do
Pavao, roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
As saias do Pavao.
Vendem-se as mais finas satas bordadas asagu-
Iha brancas sendo da melhor fazenda que lem viu-
do neste genero, tendo mui a roda, pelo baratsi-
mo preco de 105000; ditas bordadas a croch a
65000 e 85000, dias com babadwtios a 95000, na
loja e armazem do Pavao, na ru da lmperalnz n.
60, de Gama & Silva.
Notos vestidos do Pavao a 105000.
Chegaram para loja do Pavao os mais ricos cor-
les de vestidos de cambraia transparente com os
mais delicados bordado de differeuies cores a pon-
to *e agullia, sendo u'este genero a maior novida-
de que tem vindoao morcado, garanlindo-se o te-
rem muita fazenda e <-ufeites sufficlentes para o
corpo e mangas, e venem-se pelo barato preco de
7O5O10 cada um, na toja do Pavao, n* raa da im-
peratriz n. 60, Oe Gntna & Silva.
Os espartilhos do Pava.
Vendem-se utn-grande e variad" sorlimento de
'esparlilhos os m8is bemfeiios qoefm vindo ao
mercads, sendo'de lodos os tamantios pelo baratis-
simo preco de H$>, 85, e 65000, por haver grande
sortimeuto, nr. bja do Pavao, na t da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Hctoaias pretas a 25000,
Na loja do pmJSo.
Cl'.fgarnra pelo ultimo vspor asjnais rio*e-
tonds de renda pretas, smde das mais compridas
que tem Vlado ao mercado, e'vendem-e por prejo |
nidito em conta : na luja, t a;s(azem do Paveo,'na ,
d* fmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
l:'e> dc casimir, c ptchiacl,
A 25800, na lop do jiavo.
VencVro-se bonitos cofres de casimira de rores,
Sendo*otaras e escorits, e vtmdrm se rtelobaratis-'
sima preco de 25809-0 cirte, ou vende-se a mes-:
tende 6 palmos de
RIVAL
Ra do Uueimado ns. 43 e Skh.
Lontina a veader lodas as miodezas qut abaixt
declara por preco* admiraveis.
Massos de palitos litados para deoles a 100 rs.
Espelhos de molduras douradas a 200, 40 e 320,rt
liouets de oliado para meninos a !>UOo.
Daos de couro superior fazenda a 15800.
Frascos com suptnor linla rocha a 240 rs.
Meiadas de hnha froxa para bordado a 20 e 60
Caixas com 100 envelopes, fazenda boa a 600 rs.
Grozas de peonas de ac, fazenda sii| 1 rior a oOrs
Gruzas de butoes maureperola Quos a 80o
e 640 rs.
Caixas com 30 novellos de linlia do ga? 2 7(0 rs.
Caixas com superiores brelas de rola a 40e8( r.
as a 280 rs.
Varas de franja de la para eoleites de vestidos a
lar-' 4U rs-
Baralhos dourados superioiesquaiidaces a 400 rs.
Novellos de
Boas e bonitas Utas achamalotadas para ditas.
Dites de dita de grosdenapies lisas e lavradas
com novos e agradaveis desenhos.
Trancas pretas de seda cora vidrllhos moldes
DBicos r.Te pretos de seda com vldrilhos e ;!
de dirTerentes larguras e lonilos desenhos.
Cascarrilhas de seda com diversas cores e
guras, formas inteiramente novas a imitacao de
pafo, babadinho e outra com uma transinha no
"Z,*nuT S'Smcm, d M srt"";?
400 e 15.
Caixas de pennas
I50OO.
i Haesos com superiores gremios a 30 Tf.
I Pares de sapa tos de tranca e tpele a 15500.
Caixas com superiores agulhas a 240 rs.
Libras de la soriidasde bonitas cotes a "(00.
luha com 400 jardas a feu rs.
Lutos para assenios de roupa lavada a 100 rs.
largas guarnecidas de
de seda obra de muito gosto.
Oulras de camtiraia de cores.
Boioes de seda, vellu'Io e a^o
vestidos.
Trancas de seda estreitas e largas brancas e de
cores para enfeites de vestidos.
para
enfeites de
cosiuias superioKs m slidades a
de calligra|bia, fa enda bot a
Flores finas
CAPELLAS PARA MENINAS E N01VAS.
A aguia branca a ra do Queimado n. 8, rece-
ben para vender :
Delicadas capellas brancas para noivas.
Ditas dilas para meninas.
Dias ditas de caixos de flor delaranja.
Ditas dilas de rosas camellas e oulras.
Ditas ditas ou ramos de trigo.
Diversos ramos de flores finas para pello de
vestidos, enleiles de itiapeos etc., etc.
treparos para (lores.
Na ra do Queimado n. 8, loja da aguia bran-
ca vende-se :
Papel de cores para rosas.
Dito verde para folhas.
Dito dito e pardo para cobrir os talos das ditas.
Musgo em rama.
Folhas para rosas.
Caixas com superiores obreias de massa a 40 rs.
Kodinhas com alfinttes fraDcezes muito s.upen*rs
a 20 rs.
Resmas de papel almaco a 25400 e 25800 rs.
Escovas para roupa, fazenda boa a 72U e 15-
Duzias de tesouras com toque de Itiregen)*
600 rs.
Duzias de facas e garios de cabo pn lo ? 35000.
Talht-res muito fine para criancas a 240 rs.
Hulseiras para meninas a 32(> rs.
Ditas e voltas para senhora a 800.
Fi a.-cos de Agua Florida vudateira a 12^0.
Frascos com superier banha a 240 e 800 rs.
Idem de superior oleo babosa a 3a0 r?.
Calas ce m lampariuas para 3 mezts a *0rs.
Varas de babado do Porto a 80 e 14' rs.
Carlas de alfineles francezes a 100 rs.
Quaderims de papel pequeo a 20 rs.
Grvalas de cit-s, fa?enda superior, a 500 rs.
Ayulhase linhas para crochet. pi-'<^ gmhas. fundo donrad...
a 80
Vendem-se na ra do Quein.ado n. 8 loja da
aguia branca, assim eomoagu'has para traralhar-
se em la.
Papel dc sobrecellcnte para os
phosphuros hyuienieos ou de
seguranca.
i A vista do grande tamanho das caixinhas dos
phosnfoeros hygienicos ou de seguranca, tornava-se
pouco o papel que vera em dilas caixinhas, e para
remediar essa falta a aguia brauca mandou vir e
1 acaba de receber esse especial papel, c qual so
dar de sobrecellcnte a quem comprar de taes
phosphoros e se vender indislinciamente a quero
delle precisar. O prefode cada caixinha de phos-
*oro iontlna a ser 160 rs., e veodero-se na ra
iio Qoeirnadc n. 8, loja da aguia branca.
Seda froucha para bordar.
Vende-se na ra do Queimado loja da aguia
1 branca n. S.
t'bras de crystal.
Brincos de diversos molde?.
Outros tambem de crystal de cores.
Outres de aljofares brancos e oulras cores.
Adereces de crysial obra de gosto.
Rosetas de dito e cruzes.
BotSes de dito, braucos e de cores para collete.
Dita de dito tambem brancos e de cores para
punhos.
Velias de dito e oulras qualidades.
sendo bastante
duesyessoas par
tMbalbo; pi*
desoarocar u.
nrroba de ilgo-
di'j em earwcc
-;m 40 minco's.
ye 18 ansias
fff? dia ou S ar-
Telas de alc>?dar
KPO.
iciperatriz n-60, d.;ama 6: Silva.
Asaca como naektaM para mb movidas por VestldOS MHMM 300H, KA loja
s, que oscaroyam 18 arrtfoas de algodao \it\\*u
ia; motores, nara i.-y-:pr nmQ ZZ, ., *"; !""
vendem-ee os mais bonitos cortes Ce vestidos
"ndianos, s>o esrr.'fazenda transparents e inteua-
menie nova o mitrado, e teodo enirc-elles n.iritos
limpo. oor d
ma Taenda a 156y)-o cavado, tende o patnios ae I.'JJii
Isrgora: isto na i^a earnazem do Pavao, tuada' /'QUeS de dl'-ersOS (UolUlaeS
Imparalriz o 60, re'Gataa & Silva. Tendem-se na ra do Queimado n. 8, loja da
S Cortes de-GeMDlira d ParvO agaia branca.
V;ndem-se siu?eriore? cortes detsimlra, sendo j SpS fOTCf para bala1
fac?ada muito tina, pelo baratisslwo preoo de 55 -Vendem-se na ra do Queimado loia da aguia
cuda um : na loja e armazem do Pavas, ra da y^tD.i n g
r^At*Sft?lim OV-maeomc para Ung ca
Vendem->e r-intns re fila com fivelas pelo bara- IH'lloS.
tisiimo pre^e de-15003: na loj do Pava, ruada' A aguia branca avisa a. s constantes freguezes
'desa excelleote titilara, que ella acaba de rece
^ber uma nova remessade croroacome, culoricome
lesabao branco, necessano para lavar os cabellos.
res paca uK>:;er uma, duas
Peras em latas, excellente preparar.
Palitos para dentes a 120 rs. o ma?9 -muito
grande.
Passas em qnarto a i 9400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pokada muito nova a 280 rs. a azn.
Q
QUCIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra.
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
Qr/.RTIMIAS OU ORINQUES a
R
RAPE' Meuron a 1,5 a libra.
dem Princeza do Ro a 1(5200 a libr-a.
dem francez a 23500 a libra.
8
SAEAO massa a 1-60 rs. a libra, em ccisa se
faz abatimento.
Sal retinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 25.
Sakbnhas de Nantes de todos os faiwucases.
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Steaei.nas a 300 rs. o maco.
Sag muito novo a 400 rs.
T
TOGNHO de Lisboa a 320 rs. a libr*.
Tomate era laias a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
cortes roxos proprios para seetoorar qse esto de
luio; e veodem-se pelo terattasimo preco de lf
cada um psrii eabar: na loja do'Pavio, ra d*.
Imperatrtc 60j>d3 Gama A Si*va.
Ua(ci;as e gol; aoO012.
Vendeav*t raanguilos ccmi celas de cambraii
pelo baratiesimu preco de KIO c-s., isto para li-
quidar : na loja o Pavao, nca da Jr.peralrt: c
r Vende-w um cyidra. oc masseira, ame! 5?' .de f~M ^":"'^'. ,a-< t-j, m a-t,
balan-a graade e uma dita pequesa, com todos es !hikh 1^ <0r>, 12:X kfcW e 2aA, nt
pesse maisatencilios de :pads?ia : a trater na! Joja do Pwue.
temd lgodau, no largo da ponie nova n.47.
Sendera Bretbero&C.
K. II, f-raca deCerpo Manto
RECIPE.
Osoicos agsntes neste ca.
ra ftreita o.-2i.
^/ende-scuma negno&a ide idade de f6;s-
pos:: -a'trata.-;na raa da laipeissriz n. 20,
Piano
VeoSe-se uir. piano forte-e madsrno visto retj
rar-se para o *ertao a familu a.^em elle portee-
te : na ra do Queimado n. 37, leja.
V
VINHOG
!!
Principe Alberto, de 1834, a 5(5000 a gar-'
rafa ; d vida aos velnos.
Velho secco a 25 a garrafa.
Lagrimas do Douro 1^500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 2$ a garrafa.
Duque a 1,5 e 15500.
,Cbamisso a 1, 1200 e 1(5500 a garr.a.
D. Luiz a 1)5 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setufcel a 25 a gar-
rafa.
Carcavelos a li5.
Colares a 900 rs. a garrafa ; o nico vi-
nbo que se pode beber por a5o ter com-
posico alifuma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa,
idem S. Julien a l 00,0 e 660a garrafa.
Absyntho a 23 a garrafa.
Kirsch a 2<$ a garrafa.
Wermouth a 25, e a caita a 18|5.
Bitter Maurer a 15 a garrafa,
Fabelxo ha sempre em deposito de 500 ti Vinho figueira em ancoreta a 205.
800 saceos, de todas as qualidades, de to- dem Figueira e Lisboa em pipa a 25500 a
dos os tamanhos e de todos os precos. caada.
Framcseo Jos temano
RA NOVA N. 22,
acaba timento de ocuios, lunetos, binculos, do ul-
timo eaiais aparado gosto da.Europa e ocu-
Ios de alcance {tara observafes e para os
martima.
No armfizem de iazendas
baratas de Santos (Joelho
II ui de Queimado as. 19.
FARINHA SS S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra.
! Figos de comadre a rs. a libra.
Fei/ao verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em Utas a 15-500
e de
para
.ITTK1CAO
Vende-se as olarias de. Jos Carneiro da Cansa'
em frente ao hospital Pedro II, e na ra dos Pra-
Gambraiaa.
Parede Porto vende eambraias lisas (loas, gran-
de soriiinento, a 3 at 64, ditas Victoria moito
zeres n. 38, telba superi.tr de barro de agua doce a finas, com 10 varas a 6$, 6*500 e 7 : a ra da
'Mi n milneiro, alv^naria batida a 30j, e ladnlno Imperatriz n. 52, junto a padaria fanceza.
a j&OOO. I _^^__^_^^^^^_^^^^^^^^
Chegoem aos corpiobo de cambraia.
Vendem-se enrpinhos de cambraia com entre-
iieios a 'ti e bi, eetao se acabando : na loja de
Farinha a 3#5"0
Vcnde-. farinha de mandioca, saceos graudes
no armazem dos Srs. Tasso Irmaos, na ponte nova' Paredes Porto, ra da Imderatriz n. 52, poria lar-
nelo pncp iicj meDolooados. ga, jun.o a padaria franceza.
Vend?-se o segninle
Cobertas e chit-fina a S.
Dilas de dita a 2JU0O.
Lentes de panuo de linho a 2*200.
Ditos de dito de linio a ii.
Ditos de bramante de linho de um s .panno -
.3$ 200.
Panno de lir.iio 6no.com 9 1|2 palmee-de largu-
ra pelo barato preco da 2*400 a vara
r.ramanie de iioho Oao com 10 palmoc .de lar-
gura a 2*o00 a vara.
Pe;as de cambraia om salpicos braococ
cores com 81|2 varas a 4600.
Pe$as de cambrata adamascada propria
cortinado de cama com 20 varas a II*.
Ba'Se- da arcos a 2*500,3*, 3*300 e 4*.
Lencos de cambraia fina a 2#600 a dozia.
Ditos e dita a 2* a cluria.
AthoalLado de linho lioo a 2*800 a vara,
Dito de algodao a 2* a vara.
Algodo enfestado com 7 tr2 palmos de largura
a 1*200 a vara.
Pecas de hretaoha de rolo com 10 varas propria
para sa,a a 3*500.
Fil de lirrho liso fino a 800 rs. a vara.
Dito de dito eom salpicos a I* a vara.
Cambraia de liuho fina a 4*500, 6*500 e 9*|a
vara.
Cortes de laaziaia de lindos goslo com 15
vados a 5*.
Pecas de madapolo nlssimo pelo baratissimo
preQ0de8*. 0*, 10* e II*.
Flanella branca fina a 600 rs. o cavado.
Dita de cores fina a OSO rs. o covado.
Baldes de musselina para menina a 3*. 3*500
e4*.
Cambraia de forro a 3* a peca.
Dita fina a 4*500, 6* e 7s a peca.
Gnardanapos de Iioho a 3*800 a dozia.
Toalhag de algodao felpudas duzia a 12*.
Esleir da India propria para forro de sala de
4,5 e 6 palmos de largura por menos preco do
que em outra qqalquer parle.
Neste armazem tambem se encontra am grande
sorlimeDio de roupa feila e por medida,
co-
Vendem-pc e*o!?s de reoda.:irpt?..muito finos z
10* e 12*, ditos-de linho a 13& ditos de seda de
linho flos melheres ijue ha em chales de rendar.
20 e 2o*, ditos br;ineos de tpes pealae a 6$, isic
s na loja armacein do Pavao, ra da Iraperatrk
n. 60, de PAIL1 A FE&TA
Popelkifts ai 400 rs.
PopetittKc a -100 rs,
Popeiine a 400 rs.
Chegararo ipajw a loja do pav&o as mais lindas
popelinas, iineat propria (>ara vestidos de senho-
1 ra, sendo tmiilo transparentes -e flMiNes com as
i mais lindas cofos que tem vrodo, asquaes facili-
tara fazer-se um eslido com i.kili phanta7ia pur
jipouco diohetro,e vendem-se, sendode quadrinhos
|a 400 rs. o covada, e as de unta s cor a 500 rs. :
aa loja do pavo,. ra da Imperatriz n. 60.
AS.sO o irte,
Vendem-se -supariores corees de cassa,-endo*fe-
nda muito fin c de cores fisae, pelo baralissimo
preco de 3*000,-e ditas indianas, fazendas trans-
parentes, de muita .phanlasia, pelo baratissimo pre-
ce tambem de 3*, <>ara acabar- na loja de Pavao,
rea da Imperatpiz-n. 60, de Gama ,t& -Silva.
Vesidos /.nxvos.
Chegaram a' loja do Pavao os mais lindoscrtes
de vestidos com o-competente zaavo e cinto, vindo
ludo em um ^a:o, sendo a maior novidade que
tem vindo para a festa: vendem-se per'barato
.prsfo na loja do Pavao, ra da imperalriz^. 60,
da ama & Silva.
Vestidos de seda.
Chegaram para a loja do Pavao os mais si'cos
ores de seda para vestidos, sendo en qualidade
o melhor que tem vindo ao rrercado.-. o. padroee os
mais. modernos porerem quasi todos oslados eom
6ra:" mui delicadas, afiaocaodo-seser nesie gece-
ro o melhor que existe : vendem-se por preeos
muilo razoaveis, na loja do Pavao, ra -'a linperf-
triz n.rSO, de Gama & -Sil va.
Para hambres.
Veodem-se as mais tadas chitas prp?ias para
chambres, e muito baratas : no armazem do Pa-
vao, rua.da Imperatriz ..60, de Gama & Suva.
Paletots & 2#500
Vendemvce paletots de alpaca preta cem salpicos
pelo baratsimo preco de 2*500 : no armazam do
Pavao, rna da Imperatriz 0..16O, de Gama Si &'lva.
Me^omenesa 3^500
Chegaram p&ra a loja do Pavao os mais lindos
.corles de melpomeoes, sendo sia linda fazenda
ioeirameote nova no mercado, itendo os mais lin-
dos padroes, lano claros como oscuros, vindo cada
o arranjado em seu papel, sendo muito proprios
para quem quizer dar um vestido de fesjas por
poueo dinheiro, e endem-se pelo baratissimo pre-
co de <3*o00 o corte : nicamente na loja do Pa-
vao, ra da Imperalriz n. 60. de Gama & Silva.
Penteadores
ou i'ouues de cambraia bordados pro-
prios para as senhoras veslirem
de manhea.
Chegou esta oovidade para a loja do Pavao, mui-
to lindos e do melhor gosto ate hoje, por pregos
moito razoaveis : na leja do Pavo, ra da Impe*
ratrlz n. 60, de Gama & Silva.
fus
porlanto podem dir;,;ir-?e a dila loja na ra do
Queimado n. 8. i
Abridores de lucas.
Vendem-se oa ra do Luemadj loja da aguia
branca n. 8.
port bouqncts
de bonitos moldes,- adorados e cabo de madrepero-
la : achaoi-se a venda na ra do Queimado loja
da aguu tranca n. 8.
yi'is toaquinlias
de fil di icfif), cambraia e seiim todas mut bem
enfeii.adas : vendem-se na ra do Queimado n. 8.
ioja da aguia branca.
Carretas com retroz.
Na rsancQueiiRr.do n.8, loja da aguia branca
Muiti atten^aa
Guiinaraess^- Irui-i proprielarios do grande ar-
mazem de faeondas-e roupas feilas na ra da hi.-
peralnz a. Z, tendo recebido um grande sorli-
mento de fMeodtSNde gosto tratioaa por um dos
torios pelo oftiBio vapor, vew portaMo<(aeerscteo-
'. 'j-~ eliures c-senloras c- -.ii:a -iK/ei:-
das>os wPupMM ailitigam vender as fazendas por
ie.< uon tf pur cenlo o >juo em ouira qualnuer
pjerte oa.. s^or-Oer Qo fim do aoii.i coaio^aibem
Pr r-i'r j. festa (mpc esie que as Ezmas. senfcoras
4e*em monir-sr. do feem e barato, a saber.:
b-tem. f.-ire- de la com barras.
Vende-se um grande sortimenlo de corles de
ifass com barra- tendo lodos os perlences, .cantisi-
uha com gravatiohae sinlo, s-ndo os mais noves e
.modernos que (em v.-.irfo ao mercado, ditos de
phcitasla com liadas .'arras e vendem-se por pre-
sos muito razoaveis.
Las sos*esa; un lisias de seda.
Ar'ende-se um betnito oriimenio de lasiohas es-
ooecas a 500 e 5*30 rs, ditas transparentes de lis
ias.de seda a 320360rs.
Percali6 teas ewn lindos desenhos.
Veade-se lindas iierealias muito finas a 360,
4, Ato e UO rs., caitas de todas as qualidades a
saber-de precos 280, 32C, 360, 400, 440, 480 e
500 rs.
Cassas frafccexa& miudiuhas.
Vendo-se um grande sortiwento de cassas lu-
dinnas sendo as cores seguras a 280, 360 e 408 rs.
.Cambraias brancas transparentes.
Veodoia-se pecas de eamr.raias brancas trsns-
parentes 3i, i, 4*500, o*, 5a50O, 6*, 6*5Ue
7*, ditas isuito bas com urna vara de largura a
9* e 10*.
Chales dc merico finos.
Vendem-se chales de merm finos sendo <*oro
I
Na ra Din a n. 8'i, ha
contaniemenie para ten-
der-se cylindros americanos
cheg^dos dc Philadtlphia o
mez passado ______
Acha-se
a veuda na livraria acadmica, na rna do im>er&
dor; na do Sr. Nogueira, junto ao arco d.- ^aL!:
Antonio ; e ua fypographia imparcial, na ra es-
trena do Rosario a compilacao de toda a legislaca
tendente adminislracao, arreeada?ao e sirli
saco dos dinbeiros de orpblos defunlos e austa
tes, herauvas Jacentes, legado?, ele, cootendo nc
s o regiment de cusas e a lei geral das execu-
Qfjes, como tambem ludas as ordens e avisos d&
governo, que a indo lem explicado, tanto a re.-iti
lo das obrigacoes nh> renli s ai cargo dos difTered
les empregados de jnstica e fa?.i nd, como des dl-
reitos nacionaes e emolumentos iine .-Su devidoi.
Esli livrocontendo mais de 700 paginas em Ditid
impressao e bom papel, e prestando-se a ut;lidite
de dlfferemes elasses. (orna-se r pi ;i mi odavel.
Seu cusi 10*0OM por cada exemplar em dous
omos.
Vende-se
rs
w
a taberna do paleo do Carmn u. 5 : a tratar
taberna do Campos, ra estrena du Rosario n.
lUm e barato
Manteiga ingleza flor a 15 a libra, franceza a
840, arroz do Msranhao a 100 rs., painfo a 12(1,
amendoas a 240, caf do Ri" bom a 240, vioho d3
Pigoeira a 400 rs. a garrafa, e 35 a ranada, Lis-
boa a 3i'0 a garrafa, e 3*(00 a canalla, azeile d. ce
a 600 rs. a garrafa, vinagre de Lisb a a '200 rs. ;-
garrafa, e 1*500 araada, f|tieijos do uhiwo vapor
a 2?30O : na ra das Cruzes n. 2i, esquiua da
travessa do Ouvidor.
cEvy ftt umu.
Na lj do cha' vende-se superior cerveja da Ba-
biera, uma raixa com duas dalias de carrafas por
10*, e a re'aihu a SCO rs. a garrafa. _________
Goiiima de millio branc merieaat.
E-ta preciosa fcula, cujas propriedades medi-
cinaos a imprensa europea lano lem exaltado pa-
ra a cera das molestias do peit.\ recoinnienda-se
tambem como alimento sadio e nutritivo para as
cranlas presiaodo-se a variados preparas rullua-
rios. A geral aceitacAo que ella lem < Mido pof
toda a parle, o seu maior elegi. Deposito em
Pernarr.bueo ra da Cadeia o. 1.
Vende-se uoicamenie a retalho na ra do Impe-
rador n. 57. armarem allianga.
Aos 2,000 cortes.
Chegou a loja do Paredes P,>rt", corles de lia
escoceza para vesliJos,i|que esta vendendo i 35,
"litando a grande quanlidade : ruad Imperatrl
n. 52 armazem bem conhecido di Porta-Larga,
junt.i a padaria franceza.
Vefiiie-.-<- uma muala de idade de '''- ai n- s,
perfeita co7fnheira, engommadelra e rosloreira,
certa e faz vestidos, faz calcas de h> mem, e toda a
qualidade de c.istura. penleia e vest" urna senho-
ra, tem todas 31 habilidades necessi rias de lima
boa cscrava : a tratar na ra da Cad.-ia do Het'.fe
sobrado n. 66.
mum FGIDS.
Gratificaco de
Ansentou'se da casa n. 59 da roa do lmr (ouir'ora Coilegioj.no sabbado 16 do crreme me;
ne setembrode W65,o escravopardo donme Joa-
qun), com of signaes segninles : estatura regular,
idade 18 a 20 anuos, sem barba, p (argos, o.os
grandes, cabello corrido, com uma cicainz prands
e bem visivel oa tesa, parte dos dentes da frente
arruinados, e com falla de alguns dos lados, sanio
com calca de brim pardo e paleto! curto de panno,
mas ievou mais roupa branca e de cor, minio'
asineloso, costoma intiUilar-se forro aodar cal
cado f i escravo do Sr. Guilherme Frederico d6
Sonza Carvalho, genro do tinado Sr remmendador
fdanoel Goofalves da Silva : roga-se a sua caplnra
a todas as autoridades policiaes e a qualquer ca-
pitao de campo ou outra pessoa particular que o
rinoliBas ou balcs.
Vende-se um grande sortimenlo de crinolinas a
ifibOO, 3*. 3*500 e 4*.
Tarlatanas linas a 640 rs. atara.
Vende-setartalana decores pelo barato preco
de W e 800 rs. a vara.
Mantas para homrm a 1 5300.
Vendem-se mantas psra homem as de mais go5-
to que lem vindo ao mercado pelo barato pre^ode
15300 e 1*500, ludo isto s na ra da Imperatriz
n. 72, loja de Guimares & Irmao.
Tiras bordadas a 15.
Vende-se um grande sortimenlo de tiras borda*
das a 1* cada uma e pecas de ntremelos a i*,
1*200 e 1*500.
Camisas franteas para homem.
Vcode-se um grande, sortimenlo de camisas fran-
cezas a 1*800. 2*, 2*500, ditos de peito de IibOo
a 3*. 3*5u0, 4* e 4* : isto na ra da Imperatriz
n. 72, loja de Guimares & Irmo.
Reupas feitas.
criptorio na ra da Crnz casa n. 19.
No dia 20 de setembro prximo passado fu-
gio do ensenho Terra-prela, doabaixo assignado, o
escravo Julio. crioulo, de altura regular, erosso,
de 30aonos de idade, pouca barba, tem os ps bem
fetos e pernas, muito fllame, at se faz rouco
lem o dedo polegar de orna man cabido para den-
tro, anda com uma carta fechada, do lente coro-
nel Amaro Gomes da Cnnha, apadriohand.-o, nun-
ca foi sorrado este escravo, foi ha muito comprada
a Mocha Lima e Guimares ; qoem o pegar leve ao
mesmo engenho ou no Rerife a' ra da Roda a'
Alexandre Correia da C. Jonior, qne sera bem re-
compensado.
Alexandre Cerreia de Castro.
Em casa de Phipps Brothers & CTTrua" do
Vigario n. 2, vendem se cofres de ferro, prova de
I Liverpool.
- Fngio no dia 16 de novembro o escravo de
nome Alipio do Sr. capillo Laurino Angelo de 4.1
meida Silva, morador na villa de Ingazeira termo
do Paje de Flores, cujo escravo tem os sgeaes
segninles : Idade de 18 a 20 annos, edr rabra es-
coro, com testa grande acameirada, ventas gros-
j sas egrande, altura e corpo regolar, cabellos pre-
| tos carapinhos, pernas nao muito grossas com uto
Vende-se um grande sortimenlo de roupas feitas talho na testa e mnitascicatrizes na cabera, peo
assim como sejam : paletots, calcas e colleies de regulares, dedos esgaranchados, tambem tem as
pannos e de casemira tanto preta como de cor pa costas com cicatrises de chicote : portanio roga-so
ra precos moito rana veis assim como tambem tem as autoridades policiaes ou a qualquer capitn de
de brin brancos e de cores, smolas de linho a campo que aprehender e o levar no Porte do Mato-
de algodao e lodo isto se vende por presos mnilo na prenda dos Srs. Rodrigues e Santos, qne sera
moderados ; isto na ra da Imperatriz o. 72, loja generosamente gratificado, cojo escravo foi visto
dp fipimaraes & Irmo. i po dia 6 de dezembro no largo da alfandega.




At\ *^
s
Diario de reruambuco ffer^a leira 19 de Dezembro de !&*.
LTIEEATMi
TUEATRO: DA ltllUA.
te eviia-se fazendo a marcha por este cami nho chegando a acampar as 5 3|4 horas da tarde neste
apezar de ser a volt alguma consa comprida. lugar denominado-Santa Mara Martyr, sem ter
Em 31 de maio de 186f. 'occomdo durante toda a marcha nem na noite
Pica a repblica d) Paraguay I passada novldade algama, exceptaaodo ter fallec-
Eim. Sr.Com o devido respailo teoho a honra do um cabo de nfantaria do batalhlo n. 14, cha-
Continuamos a publicado das partes uffluiaes de levar ao fumimg^mn de y. Etc. que tendo raado Jos Martnez, visinho de
da Estigarrlbia : pernoilado, sem novidade algums, no lugar deno- monia.
Viva a repblica io Paraguay \ minado S. Gtirisiovao, lovaotei cimpo do dito lu- Hijeas 9 horas da manbaa, recebi aparte do
xm. Sr.Participo a V. Exc. respetosamente gar boje s 6 horas da manla, e marehei com a major Duarie datada de hdntem, em que me com-
qne .cabo de recsber a parte do major Duarte, ,mnua divisao ir.. leguas, chegando a este lugar munica que no da 3 do crrenle tinbam descober-
agora qae sao as 8horas da noite, datada bonteffl chamado s.Thomaz, em que tiz acampar as for- lo que a urna balandra, que esleve sempre no por-
aples, qae a v todos os das passear escoltada
pelos seos moleqnes, nao falla de ootra cousa.
Urna actriz dos Delassemeots comnjues de Pars
27 do corrente as 10 horas da manha, em Cu.y- ras, entre 4 e 3 hiras da urdo, sem ter acontec- to de S. Borja, foi occupada de repente por 30 ho-
!.:.. id, commuuicando-me que tendo despachado . 26 o teneule Cabrera para explorar a pona
e um morro a direa da ilha Carap, linha volta-
do a primeira noite, trasendo 100 cvalos e um
brasileiro recem-esiahelecldo naquelles lugares, a
q'iem per encia aquella cavalhada, e que o brasi
OS Oi iaes como entre as pragas desta columna sob Iheres e um avallo com recado, em que desceuao
meu commando. Por, um homein decentemenie vestido, o qual se-
Se me apreseniaram o capitio di cavallarla cida-, guiu com todos os mais deixaodo-se levar pela cor-
dao Lucas Ibarroba, e o alferes do infamara cida- renteza do rio.
dao Pedro Saoabna, sendo este incorporado ao ba- Esta parte remettida s 8 horas da noile.
leiro poz a disposigao do major Duarte, nao s os la|h30 n tg asrdeos d) tenente Z.rrilla; e: Deus guarde.Campo em marcha Santa Mara
sen-haveres, mastimbem a sua pessoa para qual- ajuelle ao regiment u. 2 s ordeus do major Martyr, em 5 de julho de 1865.
quer servigo, asseverando que elle nunca tomou L)Uarle. Vtva a repblica do Paraguay I
Exm. Sr.Com lodo u acalamenlo participo a
V. Exc. que, tendo levantado o meu campo hoja s
i i i, ficandocom a cavalhada, haviadoixado livreo corrieotiQo Aulonio Soles com um filho, e o alferes 7 horas da manhaa do lugar denominado Santa Ma-
asseverando que elle nunca tomou
.-.ii' nos movimentos dos seus patricios nem dos Apreseutatam-se-me tamban o majar oriental
ci -minos contra o Paraguay e que por esta ra- Juimmo Salvanach com seus dous camaradas, o
Iti, de pneu- j dlta ha das ao faculiativo do tbealro :
Doutor, estou muito mal.
Euto que tem ?
Parece-me que me envenene!.
Que diz?
E' o que Iba digo, doutor; soffro muilo.
Mas que foi que coman-I
Beefsteack, roaslbeef...
S isso T
S, mas estou envenenada.
Nao possivel.
Acredite que essas comidas foram para mim
um veneno activo.
Pela nniih i parle nao acredito, accresceniou
o doutor com a maior seriedade ; mas se for certo
velo hemos fazendo-se-lne autopsia.
Em um baile dado ltimamente em Pars den
brasileiro. eolreriano Antonio Zapata com um mulatinho ar ra Martyr, cheguei as 4 3|4 horas da nianha do
Da costa do Cuay Grande, onde incorporou-se- gen,no> que 0 garve coin, g(JU camarada e apezar! do lugar chamado Cassapava, distante cousa de mu" 9"e fallar de si um general que abara de
Iba a columna do ca pliso Lopes, que fra mandada de nJo ter rt,cebido orjen de V. Exc. respeito quatro leguas do ponto onde pernoitamos nao tendo chear da Argelia e se dispoe para partir para o \ o qual derrama lagrimas de sangue
Ningaem tem de mais gloria e mais louros!
Portugal, t fsle um dia a pedra
Do diadema de Dens qne cria os mandos I
T domaste o sol em seu levante :
Os mares te temiam, e recuavam
Perante tuas frotas, que iam longe
Plantar as tuas quinas vencedoras I
Nao mancebo, volta os teus elhares
Desse painel sombro que ligura
A Europa corcumida : volta teus olhos
Para o throno de Dos, bergo do genio
Oilia para verde America mancebo,
Olha par essa trra predilecta,
Ondo com mais ardor o sol fulgura,
Onde os ros caudaes o mar affroutam,
O thesouro de todas as grandezas,
Que a naj da providencia poz no mundo,
Altar onde perenne qaeima o fogo
Da santa liberdade qae avvenla
O peilo americano : Ergue-te e olha :
Ali a natureza tem mais vida
Que o podero do homem nao profana
Os presentes que deu-lhe a divndade:
Ali se levanta a uniao americana,
O soberbo colosso que o universo
Desafia a combate. Ali o Mxico
O mais brilhante renov
Desse mundo sem rival
Salve trinidad querida
Salve raga destemida
Que quebraste lo servil
E que do sul al o norte
Affrontas-te negra morte
P'ra libertar o Brasil.

. estrada de S. Thom, e que nao cxperimentou deiles dUS unjmSj ju|guei conveniente recbelos occorrido na noite, nem na nossa jornada novidade
Mxico.
tnvidade alguma, o major Duarte baria despacha
do duas partidas, comnniididas pelos alferes Bnte
i Ibanez. pira explorarem os recanlos do Cuay-
Chico, e na volta apanhar as crias, com o Bm de
esculber entre ellas os potros o cavallos que forem
uteis.
O major Duarte diz que a partida correntina pas-
sara ao oulro lado do Agaapey, segundo o bom-
Loiro que leve o denodo de se inlroduzir na pevoa-
Ie S. Thom e fallar >Qom as familias que alli
existen), as quais Me derain esta noticia, aceres-
it indo que :i juella (orea tencionava vadear o rio
Uruguay, indo ao territorio braaileiro polo passode
Curuc.
Na parto de bootem communiquei a V. Exc. que
o arroyo Igarup assoberbou muit >, por cuja cau-
sa a 8 carretas anudadas daqui para trazerom as
canoas que esli na Candelaria, ticavam detidas na
r.- i do mencionado arroyo ; mas o sargento, com-
m; udante daquella partida, participou que teudo
d ndo o arro)o e dado passagem as carreta?, mar-
chQU boje do tarde em direcrio a Candelaria, eque
iio o da de amanha estar de volta com as
caudas: por este, motivo ousarei asseverar a Y-
Exc. que dentro de ires das parlirei, nao aconte-
cendo nenhurn oulro contratempo.
Nesta data apresentaram-se-me ocapitaocidado
Francisco Ceniurion e o teueuie cidado llanoel
Coronal tendo prestado o primeiro o juramento
prescripto pela patente dasua nomeagao de eaplto
'uj; acto li a assentado cm continuago no despa-
. e por cusoguinla aclia-se collocado no i' es-
qnadrao do re^iuieato n. 28 e reconhecido pelo
commandante do dito regiment.
O lente cidado M moal Coronel fies reconhe-
cidi na sua classe da 1J tenante no 2o esquadrao,
i' cjompauhia do regiment n. Xi pelo commandante
do-Jtnesmo regiment.
A guarda de S. Cirios f hoje mentada pelo al-
feres, cidado Jos Paira rom 9 sen esquadrao
-j, em relevo do alferes cidado Aliglo Do-
guez, o qual se apreM-ularia ainanha oeste
aca!B|iaraento vo:n o 4" esquadrao do regiment n.
.". es suas ordens.
Esta parte remettida a>!' horas da noite.
Deus guarde, etc.Em 28de maio de 1863.
1 na a repblica do Paraguay!
Exm. Sr.Com o meu ac.istumado respeito par-
ticipo a V. Exc. que hoje as I/i horas da manlia
bl con; demora, o offlcio do major Duarte, da-
tado em Cuiy-Crande no da 26 do corrente, por
causa de ter sido remedido por meio de um cabo
Irazia asea cargo seis pragas decavallana,
Deentes aj E. S., que Ihe pedi que trouxesse
, sie acampamento, e que devero demorar-se por
fallar-Ibes cavallos.
N ditacomiuunicasoomajorjDuarte me partici-
pa |ue,coufjrme a suprema disposigao de V. Exc, foi
reconhecido como primeiro o 2" alferes cidado
M.guel Brlte, om recompensa do seu boui o activo
portamento 11a primeira guerrilha de S. Tho-
m-
todos para formar deiles e dos que torera apreseu- J alguma.
lano me em diante um corpo separado, s minhas | Nesta data mando s
Unmediatas ordens, e aproveitar os seus servigos
em casos convenientes.
Juntos remedo a V. Exc. os raappas dos ofllciaes
e das pragas ijue formam esta divlso em marcha
e dos que lloarara por doentes ou por outros im-
pedimentos, exceptuando os olDciaes e pragas
que formam a columna de explorago do major
Duarte.
Porque perguntou-lhe urna dama, que ten
rgo do alferes Romon <>o j alcangado tanta gloria, vai anda procurar
mais ?
j Nos restos dos hroes, e no sepulchro
Da liberdade, roesmo estrangulada
Pelas mos suicidas dos seus fllhos:
Vs ali as repblicas pequeas
Acaba de ser publicada em Inglaterra a estad'-
tica da epidemia que alacou o gado : li 000 ani-
maes foram alteados pelo mal.
D'estes, morreram 12:000; porm o 000 foram
morios alim de Impedir o contagio.
Contaram-se 700 e tantos animaes, que poderam
ser salvos.
E-tes atgarismos representara ama perda enorme,
por isso que o'olles e.-iao incluidos rebanhos da
subido valor, como os de lord Granville e de raiss
Gouts, cuja fama chegava mu longe.
Todava, reeonhece-se hoje que o prejuizo nao
tao ronsderavel como se jolgava, e mal nao pro-
gride, e a inspeegao das carnes que saem do ma-
tadouro feila com tanto cuidado e escrpulo qae
os recejos do publico se desvaneceram de todo.
Valle, mais de 4,000 entre potros e eguas que
mandei recolher em todo o transito pelas partidas E Por<>U9 aae sendo ,5 Jrm que despachel com esse fim como igualmente dos deu general, pede ainda aos arre iques mais for- j E' lempo basta de fallar dos povos,
campos de S. Thom, pela gente de major Duart-, c ""' nV rr ""*
com ordem de eoirega-los na Candelaria a' dispo-
sigo do commandante da vilia da Encarnagao.
A resposta fez eiTeito.
Nao dansa, general ? perguntou Ihe outra.
Nao sei dansar, mnba senhora.
Na parle que recebi hoje, datada de hontera, me 0ra uma ya|sa coosa bem fac|| Dg
communica a major Duarte, que se Ihe aprsenla- qua, fi0SU maiS( da de dous terapos ou da de
Os doentes mencionados e o armamento que foi j ram quatro correntinos, chamados Joao de Rosa (res ?
A valsa, minha senhora, respondeu o vetera-
recolhido tanto deiles como dos que morreram, foi Vega, Guilherme Ramirox, Fellppe Arabregon e
por mim entregue aos ofTJciaes maodaudo com esse Jorge Galarza : os dous primeiros haviam servido
fim pelo commandante da villa da Eucarnagao, -! debaixo das ordeus do coronel Pato, e tendo sido
caudo a guarda do hospital e do armamento a car-' maudados pelo seu capilo Joaquina Coza, cora born-
eo desle. I beiros para observar a Golumna do major Duarte.
aproveitarara a occosio para vir se azylar no exerci.
no, nao tem mais do que um tempo, e esse j pas-
sou para mim.
Tambem me communicou que um correntino
contara a um bombeiro, que lora mandado para
observar a partida inimiga pelo lado de S. Thom,
que na povoagao de S. Borja estavam de guarnicio
d regimentos de cavaliaria e iO0 pragas de in-
fantana; e um pouco mais aaixo achavam-se
igualmente iuo fuzlleiros e mais longe 6,000 ho-
mens sob o eoromando do general avadid (sic)
David Canabarro, e que esta forga ura esperada
com anxiedade em S. Borja ; porque o chefe desle
ponto eslava assas contrariado, vendo-se com mui-
la ponea gente.
n ste acampamento nio lia uuvidade alguma eu-
ire as forcas deste acampamento, achando-se todas
promptas para a marcha que como annunciei
a V. Exc. pens por em execugo, quarla-teira 31
do corrate.
Esta coramunicago remedida as 9 horas da
noile.
Deus guarde a V. Exc. por muitos annos.A-
caiopaineolo de Piodapoy, em 29 de maio de 1865.
Viva a repblica do Paraguay I
Exin. Sr.Com o devido respeito participo a V.
Exc. que recebi hoje as horas da manha a parle
do major Duarte datada em Cuay-Grande, em 28
do crrante, annunciando-me que toda a sua forga
eslava sem novidade, e confirmando me a noticia
que me mandou em 27 do corrente, de que as par-
tidas inimigas a as familias refugiadas nos Cuayses
desappareceram totalmente daquelles lugares, sop-
pondo lerem passado o Aguapey com Intengao de
emigrar para a provincia do (lio Grande.
Julguei conveniente perdoar o castigo, que por
mais de quatro mezes sofi'i erara, ao sargento de ca-
vali-.i i 1 Roque Paredes do regiment n. 26 e ao
cabo Francisco Domnguez e raais a 8 soldados do
uiesmo reguneulo que jaziara nos cepos por terem
carneado uma vacca de um brasi leiro, visioho dos-
te lerriloro, e iucorpora-los a divi-o, collocaudo"
os no seu respectivo corpo, esperando que V. Exc
dignar-se-ha de perdoar a liberdade que tomei, pos
assim o tiz por seren os ditos individuos mogos
uteis e de esperanzas pira o servigo de campanha-
Em i." de junho de 186o.
rica a repblica do Paraguay I
Exm. Sr. Cora o devido respeito tenho a honra
de participar a V. Ese. que hoje as 7 1/1 horas da
manha comecei a minha marcha do lugar chama-
do S. Thoraaz, e caraintiei co:n a rainha divisao al
esse lugar denominado S. Cirios, onde liz acam-
par a diviso as \ 3/4 horas da larde, sem aconte-
cer cousa alguma desa^radavel em lodo o trausito,
exceptuando a desergo de um soldado de cavalia-
ria do regiment n. 28, chamado Escolstico Cue-
va, visinho de luty, que fugio do lugar onde per.
uuitamos depois do primeira loque de diaua e de
pastar lisia de esquadra, na occasio de sabir da
buha para mudar os seus cavallos ; leudo levado
comsigu o seu uulforrae militar, as redeas, sellt e
roupa, com excepcao das suas armas. No acto da
sna desapparico mandei partidas em sua perse-
guigo pelos contornos e avisei opportunamenle as
guardas de S. Tnom, e da trincheira, fazendi
igual advertencia ao commandanle da villa da En-
carnago para que avisasse convenientemente aos
mais pontos da froiiteira, e igualmente ao chefe de
luty para que esteja alerta.
Tenho era meu poder qualro partes do major
Duarte, do da 29 do mez prximo passado ao 1.
do corrente, parlicipando-uie nellas que, depois de
ler percorrido cora as suas forgas divididas era
duas columnas as costas dos dous Cuaysu e do Uru-
guay fazendo explorar com pequeas partidas to-
dos os r'Mil i- e os malos em busca das parlidas
luimigas ou das familias escondidas, e nada adian-
do em todos os lugares explorados, voliou a acam-
par-so no dia 30 do mez prximo passado em fren-
te da povoagao de S. Tnom, esperando a minha di-
visao.
Na parte de houtem me communicou que ha-
viara visto no oulro lado do Uruguay, na povoagao
de S. Borja, e dalli em baixo um movimenlo gran-
de de familias ora em carretas, ora levando ani-
maes ; pelo que elle acredita que essas familias es-
to relirando-se da povoagao e dos seus contornos
nao ouvindo mais quatro dias antes da remessa da-
quella parte os toques de instrumentos bellicos as
horas de costume.
Communicou-me igualmente ter recolhido dentro
o ei lo daquelles lugares 136 bois mansos, que es-
lo pastando igualmente, e que mandou limpar o
largo da povoagao com as ferramentas achadas as
casas completamente saqueadas pelas partidas cor-
rentinas e brasileiras que estiveram reunidas na-
quelle lugar.
Esta commuoieagao remedida s...
Deus guarde a V. Exc. por muitos annos.
Acampamento em marcha, S. Carlos, em 2 de
junho de 1863.
PttHl a repblica do Paraguay I
Exm. SrTeuho a honra de participar respeto-
samente a V. Exc. que a minha marcha de hoje foi
de quatro leguas, tendo movido hoje a divisao as 7
1/ da manha e acampado s 6 horas da tarde
neste lugar denominado Playadila, sem ter aconte-
cido novidade alguma durante a noite cem no tran"
sito.
ti paraguayo, segundo foram osjseus desejos anterio- Foi descoberta ha pouco na Anerica, em Sur
res revelando ao raesiuo terapo que todos os cor- prise Valley uma extensa mina de gesso, perfeta-
reuiiuos que esli as ordens do dito chefe, dse- mente crystalisado, e com a mesma transparencia
jam anciosamenle passar as nossas baodeiras ; po- do mais puro gelo.
rm que os seus chefes nao Ihes deixam accasio Este gesso, que tem a dureza da rocha, parte-se
azada para o fazerem. naturalmente em cubos perfeitamente regulares, e
Os dous ltimos serviram como major Velazquez, pode ser vantaj isamente empregado as cons-
que se acba, segando as revelagoes dos apresen- irucgoes.
lados, uo lugar denomiaado Santa Rosa, e que da- Alguns especuladores tencionam construir varias
li haviam fgido cora o proposito de procurar p casas com este novo material, as quaes serao ver-
exercito paraguayo, e pedir que possara voltar as dadelros palacios de cryslal em miniatura, e nao
suas familias a suas casas era Cairer, qde abaodo- tero necessidade de jauellas, visto que a luz ahi
naram por ordem vigorosa da autoridades, achan- penetrar por todos os lados atravz das paredes,
do-se aclualmeule as dilas familias que deixaram Bastar resguardar eom cortinas no interior os
as suas casas por engao das raesmas autoridades quartos que os inquilinos quizerem oceultar ao pu
correntines.
O major Duarte recebeu os quatro correnlinos
cora manifeslagues de benevolencia, e conserva-os
actualmente entre as suas tropas.
Esta coinraunicag) c remetida s 8 horas da
noite.
Deus guarde a V. Exc. por mullos anuos.
Campo em marcha. Caasapava,em 6 de julho de
1865.
blico.
Naquelle paiz nao
ceiros.
bao de enriquecer os vidra-
segiiiole modo
E' do Sr. Joaqulm Aurelio Brrelo Nabuco de
Aran jo
ARCANOS E FUTURO.
(Visito nocturna.)
Quem se levanta alli? Eu velo ou durmo?
Nem mesmo sei ament teoho em brisas,
Parece ver chegada a derradeira
;a PODCO BE TUDO.
Victorias Sa dou, na sua ultima eapp.udida co- Hora da existencis: do sepulchro
media intitulai a A familia Benoiton, descreve do Vejo em face sombras ressurgidas,
o agitado vivar de urna senhora pa- Vejo paludos phantasmas que se erguem
risiense elegai te e casada :
a's nove t oras da manha conferencia com a
modista.
A's dez, junta de beneficencia.
A's onze, consulta com o ourives.
A's doze, v sita duqueza A.
A' uma da larde, visita condessa B.
A's duas, o almogo.
A' tres, passeio pelo bosque de Bolonha, etc.
etc.
Toda afleute
Do fundo do ocano, amortalhados
No pendo brasileiro, ennegrecido
Co'o fumo do canho que santifica
i O sigoal da patria I Deus I Quem se ergue
Quem se ergue all I Que sombra errante
A recordar os liihos do silencio
Montona como a cruz do cemilerio,
Paluda como os espectros do sepuichro I
Oh! que sombra, ineus Deus, sombra sinistra
Miuba mente abrasada se derrama
v minha mulher, excepto en E,n lagrimas pungentes que lacerara
e minhas filoas, exclama pacificamente o Sr. Be- As "bras do corago que se enregela
noilon. Diaote da amargura e do raariyrio
Nisto chegs
Vos po
E' ven ade.
Que fe
uma amiga daSra. Benoiton.
aqu ? pergunta Benoiton.
Eu nado era luz : mas to ardente brilho
Que deslumhra meus olhos descarnados
Pelo pranto de sangue que derramara
?Tum eterno soffrer merencorio.
A minfta visa nao casual. Eu uuizra viver no mundo cahos,
.. ., Aules que abrir meus olhos fascinados
Tanto inelhor. A que devo eu attriDui la ? n,01, rfi ,, ___.
Uiaute de lauta luz que vera de cima
fillP Vlil*
H Porque > a luz dos cos inspira mente
Porque s a luz dos cos da vida ao genio.
Caale mancebo : a luz eslranha
Que deslumhra leus elhos sagrada ;
! Sagrada como a luz que em lempos idos
Explcai-me, eu vol peco, o motivo da vos- ., ,
No cuno do Thabor mosirou-se aos povos :
E' a luz da gloria que derrama
Um suave clario que tu nao viste
Em teus sonhos dourados de poeta I
Ergue-te I Caramba I E vem comigo
Sombra para li sinisira e horrenda.
I Olba vs a leus ps o mundo que se estende
I Vs all as cordilheiras gigantescas,
lava uma polmica com o Sr. Guroult, director ^aos d are.a sumido nos espagos ;
da Opinin nationale. V' alli os n00* *ot,as d'aKua>
Aos argumentos succederam os insultos, e o Qlle a n,So da Providencia deu aos mundos
primeiro mandou ao segundo os seos padrinhoj. i Vs ai" c'dades- os monumentos.
O Sr. Guroult despediu-os, dizendo-lhes qae nao iE os Pa'"s "'"te Que se escondem
se daria ao trabalho de manejar armas com um ho-!An,e a,omo creado como hompm
mem que to mal manejava a penna. Anle seu Creador. Vs todo .. rannlo
Os dous redactores continuara a escrever.TqTe, E,esla rude massa 1ue se move
prova pelo menos que nao se foriram no brago di- um Pon,odo "W simples abmo,
reito.
Victoriano Sardou, applaudido dramaturgo, tam- '<
bem esteve para bater-se em duello.
Logo que os peridicos anouociaram que eslava
em ensaios a sua nova comedia A familia Benot-
i?, acaso
Vossajesposa mandou-me dizer
aqu.
Aqui r I
Sim, aqui. Adraira-vos isso ?
Por certo.
sa admiraijo.
Fica sabendo, querida senhora, que miaa
esposa qujz-se livrar da vossa presenga.
Ah leudes a Sra. Benoiton. ou a mulher elegan-
te, descrila pelo seu proprio marido.
Na parte do major Duarte que acabo de receber,
datada hoje, participa-me que nao ha novidade na
Comrauu.cou-rae tambera qae o coronel eriental tropa do seu commando, achando-se sempre acam- j ~ ;~u (
pado em frente de S. Thome^ l0D capjl5o de cava||aria> UUB exiga que fosse al-
Esta parte e remedida as 9 horas da noite.
Orrego h.via reunido qualro mogos,dous orientaes
e dous brasileiros, queachou em urnas fazendases-
tabelecidas entre os Cuayses, tendo-se comprme!
tido os quatro rapazes a servirem fielmente na car-
reir militar era prl da nossa causa, e que os tem
comsigo como ncleo para formar um regiment
ou esquadrao dos que ir apanhando ou chegarem
procurando o nosso exercito.
O major Duarte, de recolher as crias e escolher
Deus guarde, eleAcampamento em marcha
Playadila, 3 de junho de 18Go.
Vtva a repblica do Paraguay I
Exc. Sr.Com todo o respeito tenho a honra de
participar a V. Exc. que a minha marcha de hoje
se reduzio nicamente a legua e mea ale chegar
terado o (itulo da pega, porque nao queria ver em
scenas os seus prenles.
Que hoje ou amanha a eternidade
Pode absolver. Olha para ierra
Vs as nagoes altivas que se elevam
-as azas da glora, como o fumo ;
Mas que depois cahiodo desle vo
Rojam pelo p que despresaram
Mas p d'onde sahiram ; renegados
Que injuriam a mi que Ihes deu vida
S porque, mili commum abriga a todos.
I T vs a Franga, o ponto culminante,
Sardou respondeu como devia, mais esperou de- j Em cuja frente a e'roa tem mais brilho,
balde que o capito realisasse as suas ameagas. [ E cujo pavilho tremola o vento
Provavelmente era algum Benoiton maricas, que' Rasgado pelas balas mas sublime,
quiz lutimidar o dramaturgo dndose ares de ca-: Porque, jamis cahio, qae nao surgisse
ao lugar denominado S. Alonzo, com o flm de pas- P'lo de cavalleria; mas a comedia vai ser posta Para vingar a macula das affrontas
d'entre ellas os cavallos e potros, como annunciei! tar bem a cavalhada, e de dar lugar para que as, era scena sea> alteragao no titulo.
a V. Exc. tem ordem de abandonar aquelles luga-
res e vir-ras esperar nos contornos de S. Tnom,
para vigiar os passos Uruguay.
Entre as fo rgas do meu commando nao ha novi
dado alguma.
Esta parte remedida as 8 horas da noite.
carretas se approximera divisos, tendo fleado
muilo airaz por quebrar-se frequenlemenie os eixos
por causa do grande peso das cargas.
Durante a noite, e em todo o transito nao occor
reo mais novidade do que ler morrido hoje de ma-
nha antes de levantar o arraial, o soldado Gamillo
Deus guarde a V. Exc. por mudos annos.Acam- i Rodrguez, do batalho n. 15 visinho de Sanio An- r|0sal>
Chegou ltimamente a aples uma linda joven
hollaudeza, com vinte e quatro annos de idade, a
bordo de um barco de vapor que ella mesma fretoo,
e com o qual tem feito viagens longiquas e cu-
pamenlo de Pindapoy, em 23 de maio de 1865.
Viva a repblica do Paraguay I
Exm. Sr.Com o devido respeito tenho a honra
de levar ao conhecimento supremo de V. Exc. que
boje s 4 1/2 horas da ta'de mov a forga do mea
tonio, vieiima de diarrhea, e o soldado do rgimen
to n. 33, visinho da Villa-rica, de morte repen-
tina. I
Na primeira parte do major Duarte qne recebi
datada de honlem, parlicipa-me que a sna colum"
O ultimo palz por ella visitado foi a Nnbia.
P'alll trouxe moleqnes de ambos os sexos, que
Ihe obedecem como se fra uma rainha.
Esta senhora, moga e extremamente formosa,
tem um gusto mu decidido pelas viagens, sbrela
commando do acampamento de Pindapoy, e tendo i na tica sempre sem novidade em frente de S. do quando sao acompaohadas de aventuras extra-
marchado cousa de uma legua, acarapei neste lu-
gar, chamado S. Chrislovo, d'onde pens conti-
nuar araanhaa a minha marcha at S. Thom,
ou mais alm, se nao acontecer contra-tempo al-
gum.
Tivemos que fazer uma volta por este caminho
Por cansa de um arroio pantanoso qae ser mudo
difficil passarmos. que vai directamente do acam-
pamento guarda de S. Carlos, e este inconvenien-
Thom.
Esta communicago remedida s 7 horas da
noite.
Deus guarde, etc.Campo em marcha, S. Alon-
zo, em 4 de junho de 1865.
Vtva a repblica do Paraguay !
Exm. Sr.Com o meu costumado respeito tenho
a honra de participar a V. Exc. qne hoje s 8 ho-
ras da manha puz em marcha a minha divisao,
ordinarias.
Gosta qne obedegam s suas ordens.
Teve o prestigio ou a arte de fazer com que ban-
dos numerosos de Nubianos depozessem as armas.
Atiribuem-lhe os invejosos e iuvejosas o designio
de regressar Nnbia, e de la fundar, a sombra do
enthusiasmo que inspira, ama especie de princi-
pado.
Esta mulher um pbenomeno, e a populagao de
No sangue dos imigos que beijavam
O p que revolviam seus ginetes.
Vs ali a Bretanha embrutecida
Por sede de dinheiro, vil garganta
Por onde vio correndo, o ouro e a prata
De lodos os dominios do universo :
Vs a Italia altiva que estremece,
E qual valente leo a hora espreila,
De comprar com o sangue generoso
A cara liberdade de seus fllhos :
Vs a Hespaoba aonde o fanatismo
Arvorou seus pandos : Vs a Hollanda,
Esse pequeo (orro que quasi inteiro,
Sob as aguas mergulha, e que foi grade,
Porque lutou braco a brago com o occeano,
E doraou o elemento impondo aos mares
Ootras raas qae nao as primitivas:
Vs a Rassia e a Polonia : o captiveiro
A lutar com a santa liberdade,
K a dourar-se no sangue do martyno :
Vs Portugal, pequeo, pobre e morto
ebrugado as ondas, contemplando
A historia, que se espelba em suas aguas,
Historia, qae o (ai viver, qne um passado
Um inglez desaliou a jogar ao whist todos os jo-
gad ires francezes.
A quautia que olferece jogar monta a 50 cootos
de ris.
Olhar p'ra la trra, santuario
Do que a creago tem de mais caro.
Que queres ver ? Pede!
Mortal ou anjo
Rasga as nuvens sombras que me occullam
O futuro da patria I Claro ou negro
Faz-me ver o painel que representa
O porvir da nagSo.
Ergue-te mancebo,
Olha para o Oriente, onde nasce
O carro do sol, que vs T
Que vejo?
Vejo um carro puchado por potencias......
Pos sao os povos do mundo que em
Triuinpho conduzem o Brasil.
Eu vejo um vulto
Que sobranceiro se ergue sobre as turbas.....
E' o Imperador.
Vejo em derredor delle,
Ennegrecido do fumo das bombardas
Dous vultos.....
Os prncipes voluntarios I
Vejo o mundo curvado : vejo a fronte
Do Brasil scintillar fervendo em glorias
E' o colosso soberbo que se eleva
Do pesado leihargo para ao mundo
Mostrar seus trnpheos de mil Victorias.
Vejo ura monstro cahido sob as rodas
Do carro resplendente do triumpho.....
E' o Paraguay I
Vejo fortes por trra
Alias mura Mus lodas na poeira,
Mynades de cadveres que juncara
O solo da pelei|a, onde resplende
O pendo auri-verde tremulando
A aura liberal que Ihe beija as dobras.
Vejo um painel de luz : a humanidade
Se ajoelna ao passar esle cortejo
Vejo um carro encuberto n'uma nuvem
De fumagas e de gloria inda vera longe
Nao mancebo, olha
Tanta luz me cega
Que vs?
Vejo um carro brilhante arrastado
Por homens cuja fronie aos cus refulge.
Sao os hroes do occeano : sao os Nelsons
Os Jram Baria, as glorias que a sepultura
Eucoutravam as aguas combaiendo
Cora valente pujauga, e com denodo.
Dentro do carro vejo a mocidade
Juvens eusagueatados, cujo peito
Bnlha ao sol dos livres: e sua fronte
Uma divina aureola coros.
Sao os bravos da Patria que morreram
fas aguas de itiachuello I
Salve!
Vejo o painel mudar-se de repente
Vejo o inundo rolar no vasto abysmo,
Sobre elle erguendo a fronte laureada
O gigante do carro d > victoria
Em cujas mos respleude triumphante
O pendo auri-verde.
E' que vira um dia,
Em que os povos curvando se levante
Do leito de granitos de palmeira
O gigante da trra americana.
E tu que assim me fallas, quem s dize I
Quem eu sou I Sou uma sombra d'outro mundo;
Phantasma ressurgido do sepulchro:
Meu nomo vagava outr'ora entre as turbas
Como amigo da patria !
Equal teu nome?
P'ra que sabe-lo se elle esl volado
A negro esquecimenlo; se na ierra
Passei qual meteoro, nao deixando
De minha existencia ali oulro vestigio
Mais do que uma lembranga passageira,
Que hoje ou amanha ha de extinguir-se,
Como se eslinguio p'ra mim a luz da vida :
Eu araei a patria : lodos os meus sonhos
Eram p'ra ella captiva e agrilhoada ;
Pude quebrar o negro captiveiro,
E por paga de lodos es servigos
Era paga dos horrorosos soffrlmentos
Que supportei por ella, que me deram ?
O esquecimenlo I Outros com minha gloria
Ornam as suas frontes, e o meu noraa
Vai passando esquecido do universo!
E qual foi esta trra aventurada
Que te vio nascer e que foi livre
Pela sabedoria do teu brago ?
O Brasil
E teu nome ?
Nao o conheces
E' intil dizer-te-o que o esquecimenlo
Cobrio minha memoria em toda trra.
Mas teu nome
Oatr'ora rae cbamaram
Jos Bonifacio!
E esles vultos
Que em derredor de ti vagam sombros ?
Os meus irmflos como eu ambos votados ao es
quecimeoto.
Muda-se o quadro
Nova luz apparece, um novo vulto
Mais resplendente, o Archaojo das victorias
Que em sea carro brilhante rasga as nuvens,
E que exclama medindo os firmamentos,
Como n'ma voz que alra nos pagos:
i Seras grande Brasil maior que todos
Os povos do universo, que mais genio
Mais vico, e mais vigor possues que elles
Mas s ingrato: esqueces os grandes nomes
Que le legaram a vida e liberdade:
Esses irmos Andradas qae tslhsram
No mappa das nagoes independentes
Um immenso lagar p'ra ti captiva
Sao esquecidos na turba dos teus genios :
Do vasto Armamento brasileiro
As tres estrellas mais resplendecentes*
Brilha fugitivas entre nevas.
Salve trindade immortal
Qae flzeste livre um povo
P general Chazal, ministro da guerra na Bl-
gica, est gravemente lerido, por ter sido mordido
n'ura brago por um macaco, de que Ihe haviam feito
prsenle.
Foi (sreciso fazer Ihe uma dolorosa operagao ci-
rurgica.
O goveroo chinez irabalha activamente para des-
truir as sociedades secretas, que se multiplicam
n'aquelle paiz de um modo extraordinario, e que
em dillerentes occasioes tem ameagado derribar a
dynastia reinante, produrindo ltimamente a gran-
de msuireigo, que aluda nao foi suffocada.
O povo chine?, i' to all-igoado a estas sociedades
secretas, que at mesmoas conserva nos paizes es-
Iraogeiros, para ende emigra.
E concluir-se um tratado postal entre os estados pon-
tificios e o reino d'lialia.
Casia-nos a crer lo boa nova. Esperemos que
ella se confirme.
Segundo o art. 7. do regulamento geral da ex-
posico universal de 1867, um plano de Installago
eslabelecido as subdivises da parte do palacio
destinada a cada paiz, deve ser enviado a Pars
pe 's commissoes eslrangeiras.
A commissao imperial ja recebeu os planos do
reino unido da Gra Bretanha e Irlanda, de Portu-
gal, da Suissa, da Grecia, da Dinamarca, da Tar-
quia, da regencia de Tunis e do imperio de Mar-
rocos.
No campo de Marte proseguem com grande acti-
vidade os trabadlos para a elevagao do palacio des-
tinado exposigo.
Parece que logo que a eslagSo se tornar mais fa-
voravel, estes trabalhos poderam continuar noute
e dia com o auxilio de uma illummagao elctrica
produzda por pharoes dispostos para este effeito
nos pontos culminantes do terreno e dos seus ar-
redores.
Era preciso, para esta illuminagio ser eficaz-
mente praticave, achar um carvAo bastante resis-
tente e duro qu- produzisse uma luz continua, e
diz-se que se eonseguio descobri-lo.
Esta poesa dedicada por ama joven Pernam-
bucana a' distlncia actriz O. Adelaida Amaral:
Actriz I nao sei os mysterlos
Do teu taleuto estupendo ;
Mulher! eu te comprehendo
as fallas do coraco
Tu sympalhlca e celeste
Colhe.-te, d'arte aos quebrantos,
O applauso de nossos prantos ;
E queres deixar-nos? nao.
Se tens saudades que ao longe
Dispersara teu pensamento,
Nos pediremos ao vento
Que sopre mais de vagar;
Que a tarde as fibras ternas
Do teu peito harmonioso
Module um canto mimoso
Que nao te faga chorar.
A noite... que seja meiga,
Que nao te traga lerabrangas
Que durmam, que sejam mansas
Todas as ondas do mar.
Nos pediremos a' la
Que venha mais seductora,
Que te consol, senhora,
Que nao Jo faga chorar.
E por ti que se enternecem
As nossas auras olentes,
E os corages innocentes
Melodiosos de amor
Se parles, que faz a virgem
Do orvalho que (em no seio ?
E do seu clice chelo.
Se parles que faz a flor ?
Os genios vvem de orvalhos,
Alimentam-se de odores:
Diremos s flores: flores,
Nao deixeis ella partir
Com ella a chorar se aprenda
Todas as dores profundas,
Todas as maguas fecundas
Que a mulher pude sentir.
O Pall maill azette publica a segrate ancdota,
que mostra os costumes eleitoraes de Inglaterra :
Um laberneiro enviou, nao ha muilo lempo, a
segulnle nota ao agente do partido conservador,
depois de uma eleigao :
Pao, queijo e'vinagre para desemborrachar a
A. B., trazido borracho por C. D. na carruagem do
partido liberal e levado depois por qualro homens
para a carruagem do partido conservador para ir
volar pelo candidato deste ultimo W.....3 d.
I. i.
O sepulchro do ultimo imperador da China, pai
do actual, consta de um magnifico trogo de granito
negro, que lera 10 metros de altura e 15 de largo.
Tem-se eilo deslro deste grande monolito uma
serie de galeras, em cujo fundo est o ponto onde
se depositar o atade.
Passada a porta da entrada, esta gravada em le-
tras de ouro incrustadas na pedra um resumo da
historia da dynastia actual, que comecou a reinar
em 1644.
Todas as galeras esto coberlas de caracteres
chinos.
As galeras flzeram-se na mesma pedreira d'on-
se extrahio> monolito, que esl a duas leguas de
distancia de Pekio, a o Qzeram assim para dimi-
nuido, e transportado com mais fac idade.
Apezar disto, tem sido necessario para conduzi-lo
ao seu destino 600 bois ao carro em que o eolio-
caram.
A primeira porta deste mausoleo ser de bronze,
a segunda de prata massiga, e s o imperador lera
a chave.
PERNAMBUCO- TYP, DE M. F. DE F. & FILHO

v'l
*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EBCN79ZTM_RZIYCL INGEST_TIME 2013-09-05T01:21:05Z PACKAGE AA00011611_10847
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES