Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10843


This item is only available as the following downloads:


Full Text
f
km ni. jomo 286
?or qnartel pago dentpde 10di.isdol. mez ..ti.. 5|000
dem depo/sdis 1.' lOdiasdo ooiiiecoe dentro do qoartel. 6J000
Porte ao cwreio pr tres mnts ...,.,.,..,,:. 750
QUINTA FEIRA 14 D DEZEMBRO DE 18SS.
Por anno pago dentro deludas do i.* mti .
Porte ao correio por um aaoo ,.....
. *
22!
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alax?ndrino de Lima;
Natal, o Sr. Amonio Margues rta Silva Araeaty, o
Sr. A. desmos Braga; Coar, o Sr. J. Jos de
Olveira ; Maranhio, o Sr. Joaqoim Marque? Ro-
drigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves A
Pilaos ; Amazona?, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SOL.
Alagoas, o Sr. Claodino Falco Uias; Bahia, o
Sr. Jos Martina Alves; Rio de Janeiro, a Sr. Jos
RUieiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Senohem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar
reros, Agua Preta t Pimenteiras, as quintas
fairas.
Olinda, Cabo, Escada e estafes da via frrea at
AgoiPruta, todos os das.
IguarasieGoyanna as segundas e sextas feiras
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanluins, Buique, S. Rento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pod'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relagao: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
, Julzo do commercio: segundas w n wi.
lito de orphos: tergas e sextas s 10 horas.
Primeira Tara do civel: tercas sextas ao meio
da.
Segunda vara do civel: cuartas e sabbados a I
bora da larde.
EPHEMER1DF.S DO >1EZ DE DEZEMBRO.
2 Loa cbeia as 4 !)., 24 m. e 45 s. da t
9 Quarto ming. as ir h., 53 m. e 28 s. da t.
18 Lna nova as 2" h., 15- m. e 34 s. da m.
24 Quarto cresc. as 10 i., 11 m. e 22 s. da m.
DAS DA SEMANA.
!f. Segunda. S. Damao p. m.; S. Pranci?r-o c.
tz. Terga. S. Sereno; S-. Eprmacho m.
13. Quarta. S. Lucia v. m.; S. Eustrario m.
14. Quinta. S. Agnello ali. m.; S. Matroniano m.
15. Sexta. S. Albina m. :S. Cerili no m.
Ili. Sabhadn. Ss Ananias Mizael e Azarias mm.
17. Domingo. S. Flonaoo ro.; S. Colanico ra.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 1 horas e 18 m. da tarde.
Segunda as 1 boras e 42 minutos da manhia.
PARTIDA DOS VAPORES COSTSIROi.
Para o ni at Api s, N 30: n o
ata a Granja a 7 e 22 e rada raz; para Persao-
da nos dias 14 dos Mea) do jaoetro aargc, BUK
juho, Mlemhfu e novcmbra.
ASSIiiX.V-SK
ao Recife, na livraria da- praga da lndej, ndes.-a
bs. ? e 8, dos proprieiarius Mano
Faria & Filho.
Cite diente do dia 9 de dezerabro de 1865.
Ofllcio ao general eommandante das armas.
Sirva-se V. Exc. de informar ar.erra do que nos
inclusos requermeutos uedem Anua Joaquina 'lo
Espirito Saoto e Mauoel Joaquim de Souza Leao,
podendo maudar inspeccionar este se assim julgar
preciso.
Dito ao mesmo.Urna vez que o *' tenante re-
formado Jos Francisco da Suva por seu estado
mrbido nao pode cuidar das ohrigr.coes inherentes
ao lugar de ajudante do forte do Buraco, convenho n
em que seja elle exonerado desse emprego, sendo
substituido interinamente pelo 2 lenle tambera
reformado Joaquim Fraileasen de Souza Navarro,
conforme prop >z V. Exc. em ofllcio de 7 do cr-
reme, sob ii. 2,386 que tic- assim respondido.
uo ao inspector da thesouraria de fazenda.
ann-xos ao ofllcio de V. S. de 30 de novembro
prximo Ando satisfago a requesico da coutadona
dessa thesouraria cootida no parecer a que se i
refere o seu cilado offleo, relativamente ao paga-
ment qoe pede o predito capito.
Dito ao mesmo.Ezpega V. S. as suas ordens
para que o pagamento da consignago deixada
nesla proviucia, pelo alteres do carpo de polica.
Basilio Lulz Coelho, tenha principio de Janeiro
oximo futuro em diante como pede o predito
feres no seu incluso requerimenlo.
Dito ao mesmo.Declaro V. S. para seu co-
nhecimeoto e fim conveniente que usando da atlri
lieo que me con fe-e,o art. 66 2." do regula-
nenio de 19 de setembro do ISbO, resolv por
p4irtaria do boje, e sob proposta do thesoureiro in-
roo da alfandega desta capital, a qual veo an-
xa ao seu oficio de 9 do corrento, sob n. 88i,
nbmeou a Modesto do Reg Baptista para tiel do
uesmo thesoureiro.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
ti
Providencie V. S. para que nos devidos lempos crrenle, sob n. 462, e nao havendo inconveniente
seja paga a consignado de 20.5, q"e do sold de S(.jam pagos os veucimenlos relativo-i a 2.a quin-
sua pa.ienie pretende delxar nesia capital, como
se v do inclus i requerimenlo, o alferes do 3' ~
po de voluntarios desta provincia, Francisco
de Almeida Pernamhueo.
Duoao mesmo.-Expega V. S. as suas orden
para que nos devidos lempos-neja paga a consig-
cor-
Jos
EXTERIOR.
i:oiim:si'o\iiK\( i an io i a
HIO 1>E FFRVAtlll < O
liOWDBEH.
23 de novembro de 1863.
Tivemos noticias do imperio pelo paquete .V i-
varre, mais de pouca importancia foram ellas.
As olhas de Loalres anounciatn que em todas
as trras do Brasil se recebeu com enthusiasmo a
noticia da tomada da Uruguayana, e que a escua-
dra do Paran ticava anda tranquilla, esperando
com tudo a chegada dos vapores eneouragados,
um dos quaes a corveta Brasil ja se achava em
Montevideo, para emprehender operagoes deci-
sivas.
A cotagas do cambio das nossas pragas sobre
o successor natural de
Derby, se bem que Mr
cullocar-se a frente do
cedo ou tarde a assumi
pado pelo nobre conde
po, que ser imitado \< !. Austria e Italia.
ord Russell ser o conde
Gladstone se prepare para
partido liberal vindo mais
o lugar que agora oceu-
Rus.-eli. Mr. Gladstone II-
songea de mais asopir os democrticas, para que
; a raioba o chamasse d
fe de urna adiinislrag
Aiuiunri.ru algumas
imperador Napoleao ac
no exercito de quarent4
O governo prussiano
prompto alim de ser o che-
o.
folhas desta capital que o
lia de fazer urna reduego
mil homens e mil offlelaes.
eguira este salutar exem-
i.inln acaiia de acreditar
nte diplomtico. E?te ex-
sido tomido em conse-
das pela Prossia e Austria
ni o lim de collocar alli um
poltica daquella
Londres veio desta vez mais favoravel, o que cau
Providencie V. S. para que em vista do prets jun- sou aqu effeito mui salutar para as transaegocs
to em duplcala a que se. refere o ofllcio do com- commerciaes entre os dous paizes.
ra ldanle superior desta capital, datado de 9 do O banco de Inglaterra mantera o descont a 7
0|0, havendo desapparecdo o recelo de que essa
luna seja elevada a 7 l|2 ou 8. As res-rvas desse
A ralnha da Graa-Br
junto do senado um ag>
pedieote parece have
quencia das ameagas l
aquella corporago, e c
defensor da existencia
corporago.
O cholera desapparecfcu felizmente de Madrid, e
tem diminuido considerlvelmeute era Pars. O im-
perador parti a 14 do (jrrente para Compigne,
depois de s have-r certil ca lo que aquelle flagello
esta va ja no perfeito periodo de sua declinago.
z<(na do mez de novembio ultimo, das pragas do
6.' batalho da guarda nacional deste municipio,
d stacadas na freguezia dos Afogadgs, e nos po-
jados da P.issagem e Peres.
Dito ao mesmo. Se estiver em termos os in-
usos documentos, mande V. S. pagar ao nego-
batalhao destacadas naqmlla villa, como se vedo*
prets annexos ao predito requerimenlo.
Dito ao mesmo.Rcomra-ndo a V. S. que, se
nao h luver inconveniente, nuude pagar, como so
licita o tenente-coronel Joaqui.n Lucio Mont-iro da
Franca no incluso reqinrimeiito, a quanta de 123
eslabeleciraenlo tem augmentado, e por conseguin-
te pode-se quasi contar com a permanencia do
descouto a 7 0|0, e mesmo cora a diminuigao des-
te se as clrcumstancias da praga melhorarem.
As noticias do Rio que aqu recebemos aceres-
ceuiaui que se fallava alli em modifleagao minis-
provavel a retirada do ministro da
depois da chegada de Sua Magostado
a corte do Rio do Janeiro. Esse Au-
gusto Seuhor seria recebido, ao regressar alli, com
inultos festejos ; e as folhas iuglezas mencionam
a projeclada offerta de uraa medalha de honra,
que a Sua Magestade ser olferecida pelos habi-
tantes daquella capital.
Nsnhuma explicugo tem sido dada aqui a noti-
cia da provavel sabida do poder do ministro da fa-
zenda do imperio ; ser por acaso devido esse ru-
mor a mi.i impresso que se diz causara alli a ne-
nio contratado em
_ operago no poderla
Dito ao inspector do arsenal de raarinha.-Ten- ser melhor, alientas as circunstancias ; e o gover-
do o Instituto Archeolngicoe Gaographico Pernam- no imperial sabe que lora da praga de Londres
bucano de mandar proceder a escavagao dos ali- nao Ihe teria sido fcil levantar s carreiras um
cerces em que outr'oraachava-se levantado o arco do emprestimo de cinco uiilhoes eslerlinos. Aquella
Sr. Bom Jess das Ponas, com o lim di descubrir questao deve ser encarada sob este ponto de
adata de sua fuodaco, recomm-m-lo a V. S. de vista, para se fazer inteira justiga aos merecimen-
0 limes, escrevendo
da reconciliago entre a
primio se nos termos s
bem acolhida pelo pnbh
ha das um arligo acerca
Inglaterra e o Brasil, ex
guiul-'s: Ser certameote
io a noticia d^ urna recon-
aaote de 30j mensaes, que do saldo de sua paleo- Cjanie Francisco da C isla Maia, conforme solicuou (erial, sendo
te pretende deixar ne:-ta provincia, como se v do 0 eommandante superior da comarca do Rio Por- (azenda logo
incluso requerimenlo, o alferes do 2 corpo de moso, em ollicio de 6 do correte, os vencimentos o Imperador
guardas uacionaes d-stiuado a' guerra, Augusto r,.|ativos ao mez de novembro ultimo, do destaca-
Olympio de Mello Pacheco, que segu para a corle ment0 je guardas nacionaes existente n'aquella
com a compaohia do mesmo corpo, que vai addida c,aa(|e,
ao 3 batalho de voluniarios. Dito ao mesmo. -Transmillo V. S. ainclusa
Dito ao mesmo.Nao havendo inconveniente 00ulai aBm de ^ .-, havendo inconciente,
mande V. S. pagar a Simplicio Jo de Mello, como man,ie p,g;'r a Jos Antonio de Freilas, conforme
pede no Incluso requerimenlo documentado o ca- f|jCj(U 0 ,.|iefe d,. polica em offlcio de 6 do cor-
pitan'eommandante interino do batalho_o. 35 de rente> sob u. 1912 a quanlia de 683600 rs. des-
infamara da guarda nacional oo municipio do pendida durante o mez de mimbro ultimo, com o .
Brejo, Jos Antonio Pereira. a quantia de 219-5600, SUftento dos presos pobres da cadeia de termo do gociaco do ultimo emprest'
proveniente dos vencimentos das pragas do mesmo $Aal0 Anto. Londr'es ? Entretanto essa op
ciliaco formal dos doujs governos, a qual poz ter-
mo ao roinpimento diplqmatico entre a Inglaterra e
o Brasil. IIin enviado plenipotenciario parti en-
carregado de urna misso especial para a corle bra-
sileira, e o Imperador; do Brasil recebeu este mi-
nistro, dirigindo-ihe por essa occai5o palavras de
concillagao e boa amizaie. Acham-se pois restabe-
lecidas as relacoes ordiijaras de estados amigos;
e o Brasil e a Inglaterra de novo manteem essas
relag5es. E' quasi impossvel imaginar um paz
mais abundante de recursos do que o Brasil, o im-
perio nunca fui cuidadosamente esludado com a
attengo necessaria para se poder apreciar em to-
da a sua ext-mso, a qual de mel milho de
milhas quadradas, pooeo mais ou menas ; maior
presente coujunclura. parece ser de grande impor-
tancia.-
Assegura-se nos circuios polticos desta capital
que ha bastante probabilidade de que se complete
o gabinete cora lord Stanley, filho do ron-ie Derby,
e cora Mr. Rrigbt. Os partidarios da reforma ag-
lain-se, e alera disso os successos da Jamaica, o fe-
nianismo a os negocis pendentes com os Estados-
Unidos sao oulra* tantas complicage< que aug-
meiitain as dilBcuidades do gabiifle. O conde Rus-
sell parece eulretanio coufiar no futuro, e anda ha
das disse no banquete de inaugurago dado pelo
lord Maior de Londres que esperava apoiar-se na
maioria do congresso, a qoal ha de sempre res-
peitar.
Tem-se dado aqui grande importancia a esse
banquete, para o qual f ,ram convidadas 1,030 pe<-
soasefllreas qua^-s secila o lord Chanceller. o con-
mesma | ile itussell, Igrd Grey, e os Srs. Gladstone, Milner
Gibson e Cardwell.
Contina a receiar-se que os fenians venham a
atacar o Canad ; o Monung Post jolga entretanto
que o governo dos Estados-Unidos obstar a que
elles coinitteltam esse alternado contra a soberana
in^leza. De Dublin escrevem para aijui que dous
agentes de pilma, encarregados de prenderem uns
fenians. Corara forillos por alguns tiros disparados
por mo desconhecidi. Igoora-se por emquanto
qnt-m foram as autores desse crime.
Temos aqui noticias recentes de Nova-York. Cor- i
ra alli o boato, com quanto ainda nao olflcialmeme
confirmado, de que o processo, por traicn, contra '
l)avis, comecar.i' muito brevemente em Washing
ton peraue o tribunal superior.
A mensagi-m de Mr. l'erry, governador proviso-
rio da Carolina do Sul, havia sido lida a assemblai
desse Estado. Nesse d icummlo o governo alinde '
aos progressos rpidos do estado para a reconsii !
luigo. O governador declara mais que o Sr. Se- I
ward o nulificara de que as tropas federaes sero
retiradas desse estado, apenas o governo desle es-
tiver organisado.
O general Wood Hampton, do exercito rnnfede-
r ni i. ( u elt-ito governador da Candna do Sul por
do que os Estados-Unidos, e s inferior, quanto grande maioria. A eleigao de um governador e dos
extenso de territorio, aos imperios da Russia e inembros do congresso no Estado da Georgia devia
ler lug*ar a 13 do corrente mez.
No ultimo conselho de ministro
China. Pode dzerse que as riquc.is desse im-
nienso .paiz, cuja populacao de oito milhoes, nao
estn amia por explorar ni maior parte, porque a
populago est
quasi to com
ou Australia.
i ao prusente coucenlrada na costa,
pleamente como na Nova Zelandia
celebrado pelo
presidente Jonhson, parece que este adoptara reso-
lugoes importantes acerca da correspondencia do
conde Russell e de Mr. Adams, por mdivo das re-
c]amag<5es do Alabama : o governo dos Estados-
por elle adiantada ao 1 cadete Julio Cesar de^ar- conformdade com o que me solicjiou o secretario tus da receute operago financeira que o Brasil
coolratou nesta praga. Os fundos desse empresti-
mo licam a S S 2 1|8 e a? 2 1|2 de premio, hv
vendo realisado j 25 por cada apolice.
Os fundos Brasileiros amigos de 5 0|0 estao a
93, e os de 4 1|2 0|0 a 69 e 71 depois do dividendo
pago. Sao bem coohecidas as causas d'esta de-
preciago, e a guerra que sustentamos no sul
dim, Mauoel Pereira da Silva, visto ler provado ser Diio ao uliefe da reparlcao das obras publicas, que lem influido mais desfavoravelraenle naquel-
o arrimo de sua familia, cumprindo que V. s. de- _Q,jncolj0 a autonsago que V. S. pedio m ofllcio las cotagoas. Oi consolidados ioelezes eslo a 88
valho Araujo, para supprimenlo de 10 voluntarios
da patria que conduzio para e>ta capital.
Diio ao eommandante superior da guarda nacio-
nal do Limoeiro.-Maude V. ^. eliminar da lista
dos guardas nacionaes designados por esse r
cipio para o servigo da guerra, o guarda i
nao n. 22 de infamara da fregaezia
hala-
do Bom Jar-
perpetuo daquelle instiluto, em ofllcio de 9 do cr-
reme, que providencie para que semelhaute traba-
lio seja coadjuvado pelos operarios desse arseoal
que assistiram demoligo do referido arco.001-
ciou-se ueste sentido ao chele da reparligo das
obras publicas e coramunicou se ao secretario per-
petuo do Instituto.
signe outro para substituilo. de 9 do correle, rob'n. 387, para mandar lavraro
Hito a. inspector do arsenal de marinha.1-agi termo de recebimento definitivo da obra do 2 lan-
V. S. entregar ao alvigareiro do telegrapho da tor- ^ da e:iira(iA j0 norie (empreza Mamede) visto
re do Collegio, o rstame dos objectos requisitados aC|,ar.se e||a em Duin estado de conservago segn-
pelo administrador do correio, para o servigo do o e0nsti do seu citado ofllcio que tica assim res-
mesmo telegrapho.Communicou-seaoadministra- p0,1,ijl>.Gommuoieou-se ao inspector da thesou-
dor do correio. ( raria provincial.
Dito ao eommandante da comoanhia provisoria! Dito ao capia.) do porto.Com i inclusa copia
de polica.Mande Vmc. auresentar ao general do oIqc0 do Exm> vice.presldent da Parahyba, de
eommandante das armas o soldado do corpo de :j je novembro ultimo, respondo ao de Vmc. de
polica Claudino Teixeira de Cirvalho, aflm de se- jy Je novembro deste auno, sob n. 207, solicitando
guir huje para a corte a reunir-se ao seu balalhao.
Portara.O presidente da provincia aliendendo
ao que expoz o alferes do 2' batalho destarado,
solidados inglezes eslo a
1|8 ; a renda franceza 3 0|0 o 68 francos 40 c. Os
3 |0 hespanhes a 46 1|2. Os 3 OpO porluguezes
a 46. O- 5 0|0 Italianos a 64 1|2. s 6 0|0 de
Se acontecer que lenhamos de dirigirnos a pai- Cuidos renovara' suas instancias, para que essa
zes extranhos para nos abaslecermos de gado, o que?lo seja decidida por arbitramento.
Brasil fornecer-uos-ha os pnncipaes por tos de com-: O movimento dos fenians tem producido certa
merco. N'aquelle paiz a carne, que entre nos agitago no Canad'. O Toronto Cader diz ser pro-
cada vez mais cara, compra-se por baixo prego no [ vavela invaso das inargens do Canad', sendo por
mercado; poderemos assim importar gado to fa- isso conveniente a adopgo do systema de passi-
cilraente como cereaes, e ter carne barata como | portes, e o esiihe!ecmenlo di; forgas na fronteira.
temos ja o pao. O presidente Johnson mandou por em liberdade.
Julgamos intil accresceular que consideragoes Mr. Muchell, amigo redactor do New York Da//;/
desta ordem nunca podero obligar qualquer go- News, a pedido dos f-nians dessa cidade.
verno iogle a resignarse a actos de violencia e I O premio do ouro ficava a 147, e o cambio a 159
de lojustiea, e pela nossa parle sabemos que um I sobre Loudres. ^~s
estado fraco pode commelte-los tambem como um '......,i_ n_. i... .i i 't----------
Baenos-Ayres a 83. Os russos 5 0|0 a 93 e os
turcos garantidos de I 0|0 a 99 e 100.
O alguJSo de Pernambuco e do Maranho
flea
estado poderoso. Nenhuma inlengao temos de ven-1
lllar urna questao, que acaboo; porm emende
mos dever convidar os Brasileros a que notem que
* rssrst vassuS mpSnss \
romp ment depois dos factos, que se deram. Os
dous estados devem ser os melhores amigos do
mundo, e
DIARIO DE
de-
mencionada licenga ser contada do h MgQt ,,lian,0 anles para 0 R,o de Janel
Francisco Pacifico de Assis Libo, e leudo em Vista
a informagao do general eommandante das armas,
de 7 do crreme, sob n. 2,381, resol ve que seja
elle desligado daqueile balalhao, e di-speusado du
servigo da guerra para que fura designado.
Dita.O presidente da provincia tendo em vista
o que requeren o secretario da thesouraria provin-
cial, Antonio Ferreira da Annuui.iagfio, e bem as-
sim o que a esse respeiio informou o respectivo
inspector, ea ofllcio de 7 do Brrente, sob n. 483,
resolv conceder ao mencionado secretario 3 DIO-
SOS de licenga com vencimentos, no termo* do
ari. 49 do regulamento da masma inesourana
venlo porm a
Io deste mez.
Dita. ,0 Sr. eommandante do vapor inglcz
Agnes Arckle mande receher na repartigio dj cor-
reio, hojeas duas horas da Urde, a mala que lem
de ser c inluzda para a cOrte.Cominunicouse
ao a Imim-trador do correio.
Dita.O presidente da provincia tomando em
consideracao o qpe expoz o procurador fiscal da _
thesouraria provincial em offlcio de 5 do correnle, H" co: renle7sob7i."l78,
rejolve demillir o bacharel Pedro Jos unes oo lieil lugar de ajudante do mesmo procurador fiscal na
comarca do Rio Formoso, e para o snb-titoir no-
meia o promotor publico daquella comarca, bacha-
rel Antonio Rogerio Freir de carvalho.Fizeram-
se as nec^^sanas communicacoes.
Dita.O presideute da provincia attendendo ao
que requereu Eustaquio Antonio Gomes, guarda
da casa de deteneiio, resolte conceder-lhe 2 roetes
de licenga, com ordeuado, para tratar de -na saii-
de ra esta capital.
Dita. O Sr eommandante do vapor inglez
Aqnei Arckle, mande dar transporte at a Babia
a' ex-praga do Io corpo da guarda nacional desti-
nado ao servigo da guerra, Carlos da Silva Ferre-;
ra, correndo por conta delle as despezas de co-
medorias.
- 11 -
Offlcio ao geueral eommandante das armas.
Mande V. Exc. Inspeccionar o guarda nacional
Firmino Jos Ferreira da Silva de que trata o io- i
cluso requerimenlo.
Dito ao mesmo.-Sirva-se V. Exc. de informar-
me acerca do que pede/no incluso requerimenlo;
CUodino Jos de Freus.
Dito ao inspector da Ihesouraria de fazenda.
Estando em termos a pret junto em duplcala, que ]
me remetteu o chefe be polica com offlcio de 7 do
crreme, sob n. i,9l3,e nao havendo incooveoien-1
te, mande V. S. pagar a Jlo Baptista dos Guima-
res Peixoto a quanlia de 403600, despendida pelo
delegado do termo de Flores com os recrutas con-
stantes d i mencionado pret, os quaes de confor-
mdade com as ordens desta presidencia foram
entregues ao recruiador uaquelle termo, o tenante
coronel Jos Lucas Soares HapOSO da Cmara, pa-'
ra lerem o couvenienle destino, segundo conla do
predito offlcio.Communicouse ao Dr. chefe de
polica.
Dito ao mesmoEslanlo em termos os inclusos
documentos que me remeiteu o cominnidante su
i a soltura dos calafates matriculados nessateapia-
na, Manuel Joaquina de Sant'Aana e Seveano dos
Sanios, que f iran Daquella provincia recrutados.
Dito ao juiz inuoicipal da l vara desla tdade.
I ransinitto a guia da sentenciada Auna Joaquina .qualidade dj 6i s. a 70 s.
de Jess, que Vmc. requisitou ein data de 3 de no :j s. por cewi. Assucar
vembro prximo lindo.
Dito ao juiz municipal de Cimbres.Remlla-
me Vmc. com brevjdade os requerimentos e rela-
gao Bomnal dos proteo lentes aos offleos de tabel-
'ao e escrivo desse termo que ahi existirem para
informar como exi^i em data de 9 de novembro
ultimo.
Dito aos consignatarios do vapor Inglez Piper,
Pereira Carneiro ox CRecoinmendo a Vmcs. era
addilameuto ao meu ofllcio de 5 do correte, qui
e Macei de 20 d. a 20 d. I|2 por libra. A cola-
cao desse arligo tem pos baixado na ultima quin-
zena, o quj devido a reac^ao qu existe as
transaegoes daqualla mercadoria por motivo do
recejo de urna elevagao na tixa do descont. Ca-
cao do Brasil lica colado de 37 s. a 53 s. por cewt.
call de prn^ira qjalidade de 71 s. a 81 s. po"
cewt ou 112 arralis inglezes; dito de segunda
. e ordinario de_ii-sTa
branco de Pernambuco
e da Parahyba de 23 s. a 26 s. 6 d. por cewt.; mas-
cavado de 18 s. a 22 s. 6. d. Assocar branco da
Baha de 22 S. 6 d. a 23 6d. e mascavado de
18 s. a 22. por cewt. Pao Brasil a 70 s. por tone-
lada. C luros secc is do Rio de 6 d. a 8 d. 1|2 por
libra e salgados de 3 d. 7 a 5 d. 1|2 por libr.
Na ultima qoinzena houve o seguinle movimen-
to martimo : do Rio Grande Maislnl Reith (II) a
Graveseod ; de Pernambuco Floating Cloud (12)
a Liverpool ; do Para Aracatis (13) a Liverpool.
Procedente da Europa chegou hontem pela ma-
nhaa, o vapor francez Kxtremadure, ci m datas :
de Hamhurgo 21, de Londres 23, de Pars 24, do
fallamos nina inguagem amigavel, acres-! Porto 27 e de Lisboa 29 do passado.
i Pa
ara o Brasil seguirain :
para o Rio Grande ; de
de Liverpool Adonn
Liverpool Rivero (l'i)
o vapor inglez Viper, o qual devera locar somente
na Babia, deixandode o fazer as Alagas, como para Pernambuco; de dito Theresina (ii) para
eu havia resolvido no predito offlcio. Parahyba ; de dito Goadyear (15) para a Bahia ;
Portara.O presidente da provincia, attendendo e do mesmo porto o vapor Peruvian (16) para a
ao que requereu o capttao do batalho o. 39 de in- jj thia.
botarla da guarda nacional do municipio do Cabo
Joo Loiz Goncalves Ferreira, e em vista da infor-
magao do respectivo eommandante superior de. 7
editando ijue muito desejamos que o nasceote im-
perio escape aos riscos e despezas da guerra, e de-
dique toda a sua activnlade e recursos s empre-
sas e obras da paz. Tal o tora em que se nos
dirigi a principal folha desta capital, orgo inde-
peodeote desta cominnnidade.
Com essas observacSea monioraes quiz porm o
Times eocobrr ou disfarcar o fim principal do seu
arligo, que nao foi outro teoSo aconselhar o gabi-
nete da rainha a prezar as relacSes d'um povo, que
por suas condicoes naluraes "pode ser de grande
Ulilidade para a Gra-Brotanha. E' portante por
egosmo que aquelle conselho dado, emboca se
pretexte urna amitade que nunca pode ser sincera
da parle d'uma nago que busca sempre o seu io-
teresse sera cuidar de concilia-os com os d'aquel-
les com quein se acha em contacto. O gabinete
brita;nico nao desprezar a liedo, porque estou
cerlo que era qualquer occasISo ha de novamenle
mostrar ao Brasil que a voolade d'um colosso de-
ve sempre triumphar. Entretanl-i o Brasil lera
Na aberlurado parlamento italiano o re Vc-
tor Emmanuel no seu discurso disse aos represen-
tantes lailanes que Ibes recordava as palavras
pronunciadas em Tu>in incitando-os ao animo e
esperanga para o futuro, e que a essas palavras se
seguiram os mais felizes aconiecimenlos ; que nes-
sa occasio, e com a mesroa conlianga repela es-
sas palavras em Florenga onde se haviam de ven-
cer lodos os obstculos que se oppozessem ao
cuinprimento da reivindicago da autonoma ita-
liana.
O governo italiano acudir por deflerencia ao
papa, e satisfar os interesses religiosos, e as ne-
gociagoes que forem interrompidas, quando se veja
que podem menoscabar os direitos da cora e da
naci.
O monareba italiano declara que o tempo e a
forga dos aconiecimenlos responderam a questao
do passado; que lauto a Italia como a Franga de-
vem guardar fielmente a convengan de setembro;
que as relagoes com as potencias estrangeiras vo
resolve que seja elle dis-
guerra para que eslava
peo
desigoado.
Dita. -O presidente da provincia, usando da at-
Iribuicao que Ihe confere. o art. 66 | 2" do regula-
mento de 19 de setembro de 1860, resol ve sob pro-
po>la do thesoureiro iuterino da alfandega desla
capital, nomear a Modesto do Reg Bapli-ta, para
fiel do mesmo thesoureiro.
Expediente do secretario do governo do dia 11
de ilrzembro de 186o.
Offlcio ao inspector da ihesouraria de fazenda.
S. Exc. o Sr. presidente da provincia manda trans-
mitir a V. S. a inclusa ordem do thesouro nacio-
nal sob n. lio.
Hb"
Sua UagesUde a raioha conservase em Wind-
sor, on le lem presidido ltimamente alguns con-
seibos de estado, ecreio que demorar anda al-
gum tempo a sua partida para Osborue.
O principe de Galles esta' em Sandrigham com
a sua real esposa, tendo recebido ahi ha pouco a
pnnceza real da Prussia, o principe e a princeza
Luizde llesse, alm de outros personagens que
esto habituados a receher a hospitalidade de sua
alteza. De Sandrigham nao sahiro suas altezas
reaes seno pelo Natal, poca em que se reunirao
a raioha em Osborne.
Havia eu annunciado que o dnqoe de Somerset
dera a demisso do cargo de
mirantado, mas essa noticia nao
se, achaudo-se sua graga anda neute daquelle
lugar.
Sir Cearles Wood, ministro e secretario de es-
tado dos negocios da ludia, escapou uo da 10 do
corrente de um perigo eminente. Achando-se
caga na sua casa de campo, foi laogado a trra do
cavallo que monlava, e cora tal violencia baleu
com a cabega contra urna parede que durante al-
gumas horas esteve sera sentidos.
O illustre enfermo tem meihorado, porm, e est
mesmo livre de perigo segundo tem referido varias
folhas: publico inglez tem dispensado nesta oc-
casio provas de grande respailo aquell
aqu grande numero d/amigos, e influencia des- cresceudo a olhos vistos o que prova recentemenle
les se pode dizer foi flevida a moderagao do gabi- o recouhecimenio da Italia por parte da llespanha,
nele da rainha posteriormente aos insultos pralica- Baviera eSaxonia; que a Italia oceupara um lu-
dos no Brasil por Mr. Chrislie e pelo almirante gar importante entre os grandes estados da Euro-
Warren. i Pa> cooperando pelo triumpho da juslica e da li-
A iosurreicao dos negros da Jamaica preocenpa' berdade; que Bo Irucliferos resultados deu a lia-!
vivamente os espirites aqui, se bem que corra a ; lia.
noticia de haver sido supplantado esse movimento.! O re da Italia prometteu que o seu governo ap-
O Moming Pos diz que o carcter desta insurrel-' presentara projectos de le para o complemento da
gao rea I i.>a os mais sinistros receios dos estadistas uuidade, da inslroccao e do melhoramento do ere- >
da Inglaterra. Os negros nao s se insurrecciona- dito; disse, mais que era difflcil equilitar a fizera
ram, como tambera commelteram lodos os actos de sera causar piejuzo as forgas militares, e que era
barbaria que acornt-anham sempre os esforgos do' dolorissuno pedir novos sacrificios, mas que eslava
selvagem para suhmelier o homem civifisado. Urna i certo que o patriotismo do povo as saberia arran-
nrin'1"'" 7 r'd'fo'ar1 carW de 1>,sssau de 23 de outubro diz que o baro Jar, quando couviesse: que os cargos pblicos se
.tnflraiar Reitlelirl foi a primeira victima dos negros, e que bao de distribuir o mais equitativamente possivel;
!. .'' ,'.J.'. S...! LlI tambem fura horrivelmente esuuarlejado ura eccle- que a (taha deve deslindarse de cenas iradicges
esquartej
siastco.
A forga armada nao foi sufllciente para sulfocar
a rebellio bo comego, e dizein algumas folhas
que os rebeldes conseguiram ler a superloridade
em alguns districtos. A revolta rebenlou na parte
occidental da Jamaica, e todas as forgas disponl-
ves n'aqoella colonia se reunirn para combater
aquelle raovimenlo.
Infelizmente nao s a sublevago da Jamaica
que preoecupa neste momenlo a atteugo do gover-
no bnlannico. Pelas ullunas noticias sabe se que!
COMANDO DAS AMAS.
Qnartel ceneral do nuniiiairln das armas de Per-
iiaiiiliiir na cidade do Kccife, 13 de dezembro
de I86S.
Ordem do da n. 173.
O marechal de campo eommandante das armas, que durante um longa carreira tem
publica para devido effeito e conheetmento da gear una alta reputago de sabedoria, houeslidade
guaruigo, que a presidencia era portaras datadas, e dedicagao poltica ao partido que serve,
de 12 do correnle, resolveu exonerar do posto de i O gabiuete Russell Gladstone oci.upa se seria-
alferes do 6 corpo de voluntarles da patria ao Sr. I mente de um projecto de reforma ?"""tarta,
Francisco Vaz Pereira de Lucena, que tambem que devera ser annunctada por occasio da abertu- ^ nQ6minhaU|llina car[ai mHls um mollV da
dispnsou do servigo de guerra, por ter sido julga-; ra do parlainenio.^ ^_____ n ^.........^ ore0ccupaco para o gabinete britannico. Com
do incapaz do mesmo servigo em inspecgo de sa-
de a que foi submettido no da 11 deste mez; e
concedendo a separago da igreja do eslado, e a
suppresso das corporages religiosas.
El-rei Vctor Emmanuel terminou com estas pa-
lavras :
< Se novos e neviiaveis combales rebentarem,
os lhos da Italia se agruparam junto a mira para
eu Ihes fazer frente e guarda-Ios. Se a forga da;
civilisago prevalece, est nago discreta saber |
approveitar-se d'ella para garantir a inviolabilida-
de dos direitos e a honra da Italia.
Tornase necessano avangar sera receio pela
;!iu S6, tambera houve revolta as unas do prncipe Eduar-; senda de uraa poltica nacional, e confiando, como
, USi ,,,, I do, pequea colonia da America do Norte. De confio no amor do meu povo, e no valor do exer-.
,SDZ I Halifax sahiram forgas para trazer os rebeldes cito, nao duvidosoque se leve a cabo a grande.
forgas para
obediencia da autoridade.
A captura do cruzador confederado Shenandoali
pela fragata ingleza Uorugal, segundo coramuni-
conceden ao Sr. alferes no 2o batalho destacado
Andr Cordeiro Colho Cintra, tres dias de licenga
para ir ao seu domicilio.
O mesmo merechal determina, da conformlade
com as ordens da presidencia comraunicadas em
ofllcio de 7 do andante mez, cora referencia as do
governo imperial, aos Srs. commanlanles de cor-
penor des.e municipio, com offlcio de 9 do correo- pos de guardas nacionaes destacados para o serv-
e sob n 463 mande V. S. pagar os veneimenlos go da guerra, que provideneiem do modo, a que
elal vos ao me de novembro oiiimo, do chefe do nos dias em que houverera de embarcar para a
Sudo maior dos cornetas, el arras e tambores em- corte, apresente.n a este quartel general um mappa
oreado" nos coros da guarda nacional desta ca-. dos olhViaes e mais pragas apuradas para os seus
S tal CommiraToa se ao respectivo eommaudan- respectivos corpas, com declaragao dos batalhoes
! e municipios a que pertencem, sendo os mappas
DikTao mesmo Inleirado de quanto V. 5. ex- ar-omp.nhados de ama relagao nominal do pessoal
poz era sua informagao de 7 do corrente, sob n. i neltes conl.do, e oulra tambem por eorpos e rauni-
882, dada com referencia a da contadoria dessa: cipios das-pragas que
thesouraria a cerca do requeriraeoto que devolvo, peeficagao dos motivos das dispensas, dates
do capito do corpo de voluntarios da pal'ia n. 30,
Alberto de Bnto Cavalcante Arco-Verde, recommen-
do a expedigo de suas ordens para que a esse
offleial sejam pagos os vencimt-nlos que se Ihe es-
liver a dever.
Diioao mesmo.-Com as inforraages em origi
foram dispensadas, com es-
e por
quera ordenadas.
O Sr. eommandante do 2* batalho s >b o cora
mando, do teoente-coronel Mariano Xavier Carnei-
ro da (lunha, dever desde j enviar a secretaria
militar para ser transmiltiido a presidencia c n-
forme exigi, um mappa do seu batalho organi
A este respeilo diz o Moming Post que a tenta-
tiva de reforma parlamentaria trar a dissolugao
do parlamento a o mgresso ao poder do parudo
lory.
Oulra folha insiste era que se leve a effeito in-
mediatamente a reforma, concedendo se aos opera
nos o direito ue volar.
Nesta questao de reforma a opinio sensata nes-
obra que do nosso dever deixa la concluida aos
nossos suceessores.
Assegura-se que o governo italiano vai tratar de
reduzr o seu exercito. Diz-se que o general La-
marmora esta de accordo nesta medida, depois de
alguma resistencia.
As economas que resultara desla medida daro
lugar ao ministro da fazenda communicar ao res-
tabeleciniento do imposto sobre a menagem, con-
nal minstralas pelo capito Francisco Antonio de saodo po^enlido fl^a dito.
S Padilha e pelo lenente-corooel eommandante
do 1* corpo da guarda nacional, destinado por
esta provincia para o servigo da guerra, as quaes
vo cobrindo os documentos que devojvo e vi&ram
preoecupagao para o gab
respeilo a quosto se o dito navio deve ser entre-
gue ao Estados-Cuidos, nao pode haver a menor
duvida : o governo inglez a resolver pela raesma
forma por que a resolveu o governo hespaohol com tra o qual se proouucia a opioiao publica. O >r.
I relagao ao Stonewalt. Mas parece que o repre- Sella, ministro da fazenda tem sempre insistido
sentante americano em Londres pede nao s a en- as reformas especialmente tendentes a reduegao
, trega do navio, como tambem a da tripolago. Se, das forgas militares, tomando-as dependentes da
.,1 porm, o Shenandoah pirata verdaderamente, de- apreseniago das propostas de novos impostes, ou
te paiz se inclina nia.s para os conservadores que ^e ser'co|);lderado como ioimigo de tedas as na- restabelecimenio dos amigos, nao obstante serem
so com mulla prudencia estao dispostosi faze.era de eSeS auginentos de contribuigo muito impopula-
coucess5es: receia-se que ijfM^2^lSuMl4M rtllHlalem tira o direito de jal- res na Halla.
desconhegam a sua ra.sso. indo al.n do que Ihes ^ qs J lnpo|ant89S. SB no mais do qae ura A imorensa auslnaca ^ $e ^^^ ndille.
. corsario que tem respeitado as leis internacionaes, rente
arriscando assi.n o equilibrio deste grande povo. w naltjralmept0 Pser eQlregue ao goeroo da So da faxenda. A Gazeta de Vienna atacando o
Unio, mas sem a tripolago, visto que o direito das j, jCurso do Sr. Sella, era que esle ministro diz que
gentes no autonsa o abandono dos prisioneiros de a questao de Veneza era uraa questao de fazenda,
guerra. Tudo leva a crer que o gabioete da ra- e convidara a Italia a ter confianga no seu futuro
nha considerara a questa i sob e-.te aspecto ; mas financeiro, diz que a ameaga proferida deste modo
para receiar que esta doutrina no seja aceita contra a Austria por um dos membros do governo,
pelo governo de Washiogton, e neste caso se aggra- carece de algumas obervages; que na la ha de
varo as complieages com respeilo ao Alabama, assuslador, em que na opinio do Sr. Sella a ques-
complicagoes que esperamos todava sero lermi- do veneziana esteja subordinada ao regulameuto
nadas pacificamente. da.< finangas na Italia ; mas qne pelo lado finan-
O Sr. Adams, ministro dos Estados-Unidos nesta ceiro no brilba de certo a nova organisago poli-
corte, resolveu resignar este importante cargo, e tica d'aquelle paiz, e qoe neste sentido a ameaga
manifestando ao mesmo tempo do sr. Sella tarde se reahsar.
(Assigiudo.) Francisco Sergio d'Oliueira.
Est conforme.Antonio Francisco Duarte, i.
teaeote-ajudaole de ordens j)|erQ0 eocarregadQ
do delalhe.
Iniziaterra e i V us sous "!''<"" i sn """ "a"' u" "T" u,u a imprensa austraca no
gXSe \&l*snUtof*!mtmtm*M leis internacionaes, rente ao discurso pronunciado ha nouco pelo mi-
Entretanto reconhece se a necessidade do uraa
concesso qualquer, e por isso pode preverse que
naquelle ponto chegou para a luglalerra o momen-
lo de fazer ura passo progressivo.
O conde Russell todava insudo pela parciali-
dade radical para fazer concessoes extremas, e se
vier a ceder ter conira si no s os lories como
tambem muitos liberaes, que nesta questao vota-
rao cootra o ministerio actual.
O conde Derby e Mr. Disraeli eslo preparados
para a lula, de modo que lord Russell e Mr. Glads-
tone sao levados a meiirera escrupulosamente seus
uassos pelo recelo de apressarem a dissolugao da I assim o annnticiou, manifestando ao mesmo lempo ao r. sena urna w rwwwra.
admini-trago em que ervem. Dar-se-hia poVra o que, segundo a sua op.oio, se hSo de resolver por Contina aquelle jornal, que para aquelles que
_.slrag
caso em que a rainba viesse encarregar Mr. Glads-
tone da formego de ura ministerio, caso o conde
forma pacifica as questSes pendentes entre os dous pregam constaniemente a necessidade de um ajus-
paizes, por isso que o gabinete de Washington de- te entre a Italia e a Austria, e que no reconhe-
Ruswl vS' wr sUup'puTaTa7pa7ecVra7qe seja S P com a Inglaterra. Esta, declaragao na cem na Italia outra minio mas do qae a da mais
obsequiosa difb-reitcia para cxn o ga-hiame 4
Florenga, esle fado ara saiHbrient^ indi
que emquauto os iainbi-o.> do go/eruu lUlwae n
julgareiu autorisados e ou.arem proiiuoeiar-.-
uaqueile seutido a espeilo da Austria, lleve de
cerlo confiar se pouco nesle aju-te. |ue i i..
inquieta que o Sr Sella p. n-a cou.-t
Vneta, roas que b-jo deiia de ser a, ifter
como elle pen.-a a esle respeilo ; e que e->
esta declaragao ha de abrir os olho- i n- l-
tanos.
O Moniteur de Vienna lamben m orrup* desee
assuiuplo, julgaudo impossvel de-te nv>do im ac-
cordo entre a Austria e a Italia; -egund.
ual o governo austraco l-m pt-os*li enarairnte
no eslabeleciiueulo da> retaco- regular-
dous paizes, resUbelecira'-iito qu joi.-1 '. suave-
mente aos mlerrsse.- da Aostria como a-js da l
lia; mas accrescenta que embora exista
sejo entre os membros do gabinete de Vee),
nao deixara elles de encarar do rne-n- ,
da a questao de Veneza. Podes., d *>\ u
hender a maneira porque a Au-tria pjelM preheuder este negocio logo c|ue ^t (taha o enriu
seriamouie.
O governo italiano (rabalhande. para a us
cao da Italia no pode deixar d.- yeaar na lite:
dade d'aquelles povos irmaos lajb i I I IBe
esta no < a opportunilade nem por istu Btxl'
quecer que elles viv-m na opyre-.i., -.:r,u.
A L'ii/'i C'iUi)Iii: iliz que o u>vo parlan
italiano deve ser convidado a >TT jar i i'
da, que outr'ora declarara rtoin-i. eepMOl U lia
lia; e que e.-la e a condic'.-i da r-i.r... i
das tropa- francezas ; este boato espal&ad i
versas formas, encontra--e ein muitos
uaes, e parece que uto deixa de ter algum funda-
mento.
A opinio publica conserva se en orna rrta**-
pectalva pori|m; eiaquanto uu- tu.
o .overno actual leulu contraAido
de aprsenla: uuia prop-isia u'aque >a-
Iros n-ceiara que o pMaaei --1 le* 111 eeti ne-
cessidade a cominetter e.-e err M -
tro pensam que a cania, a mea) eej s-aVme
les elementos liberaes p.ra poder satosfaer I
inelhautu exigencia.
Ja chegarain a Toolon as dua- 5; fra
gatas que conduz-m a Franca o prun.-ir i coniin-
guuie do exercito francez de jet ipa-., em Rwaee.
Tiubam a seu bordo o l'>' regimeoto de mfantir .
de linna e o 4" de cavallaria d' hu--ar J-.
rudo que parti ulinuainente deve coadaeir aero
conliugenle.
Dizein os correspondenies de R ima qu- i
verno pontificio parece muito emli.ii -
maneira porque deve i-obnr as vaga que
da sabida das tropas fraucezas. I.z qm> (ja-
vo miuistro da guerra conhecera qoe i-,
guarnecido os pontos avancato- n .
serviara os trancez-s, Ine uao liiavam fo#{a db>-
pomveis para defender a cioiul.
Em Roma ha Dos estajos pontificios grande pr-
vengo e indisposigo contra os .- za
diz se que os habitantes de Veletri I MeaJoM
eluu zuavos (|ue devem ocrupar a<|ueila-
se que apenas as tropas francezas abitniwm as
frouieiras, as guerrilhas augmrnt*m em nif-r-ni
localidades, e ijuc algumas provincia* lem -
mandado a Roma deputacoes para m i-lrar-n
governo a situaran em ,)Li- -e a.harn, e par <
direui medidas elficazes, e que d'oulra inin-.
subditos romanos se veru o! r i mvurav a
preteeeio das tropas italianas da fr nteira.
As fragatas Lulradur e Oumer taml-m ja rere-
beram a bordo tropas impenae-,
O amigo iiiinisiro da guerra Mgr M-r, |
deixou de exercer ai fue I
crelo do papa ; ura commuuicado que
cial publicou, inoslra que lOM ein na-i. ^r i-a as
estima e alf ic,jo do soberano Malea, .alli
se pois que Mgr. Meroile deixau-l
ui>tro da guerra, exerce pinl :r-a
mesina iuflueucia d'oulr> lemp< uias I
anda podem ser mais pernm- -
bre elle nao pesa befa Mapeaaab
O novo minisiro da goans, |ese I i
ordem a lo los os batalhoes ajJMkH> paee
rem enrgicamente o hiuli OK fl i M -. Auamr-
tinha ido tomar o comraando das proviu>-tas OV Ma-
ritliua e de Carapanha.
O governo italiano dirig" js mi.>r
pontos visinhos da fronteira ponlitiiia ir .-
truccoes que devem *,;)tiiir logo da-poi- I i
das ropas francezas.
O re Vctor Emmanuel part. -\ ; --
liara aple- alim de visitar os tal
pitaes e infundir coragem aos i;m r, I -
se no dia II de oneaajjjavaM Itaefl
litares dos choerno- em RailHjri ti !.
di, e S. Giovanm de Te luceso. ajjMOfl
eulermarias aproximando se do- doniie-,
do um particular intere.--- arlos eh lencenles ao exercito ea in innlia. A n -
dos hospitaes el-rei fu iiiuit" v.-i irndu ;
napolitano. Regre-saa-lo a pala.io S >l
do seu boisiulioparlicular a quanlia !. 12 iJei>
para soccorrer os doeates e os orphlos p.o.r
victimas di epidemia. Osminisir- t
jusliga destinar a in para o mesm din '-> i al i
ura diis seus respectivos orgaroenlos ; as tinas ler-
gas parles desta quanlia -er.io a^etJbMMl -
phos e o resto a.x doente-. I' .- oinma *r
sabe-se que felizmente o cholera tem diminu!
aples.
Torna a fallar se no casament mIo prin.i,-' I -
berto, allirman lose que et-re tftea Kmm laael
deseja que este ca-amento se ofloaooi emw ara
princeza calholica, e que nesiecaj > exi-tem t -
na Europa i|ue estejam em estado 'le a- ir
O barao de Boeh apresa-nlou M
imperiaes que poero lim a' sua ni.o .le emhai-
xador d'Ausiria em Roma. O baro d- II i.r
era seguida recebido em audiencia panada
padre santo, e Ihe apre.-eniouas .reden, i
embaixador extraordinario do imperador \ i
junto da santa s.
O re Vctor Emmanuel leve nltunanvnie -m
aples urna conferencia rom c ir leal \>
que proi-urou S. M. para ihe pre-tar ; .-
nagens como re di Itnlin, agradecen i
mesmo lerntio as finezas pessoaes que lem r
deste soberano, este soberano quand s.,nie
corte de Roma tioha mandado susen**r o- -ut-i-
dios deste cardeal mandou-lhe onVreeer urna aa
sao de vinte mil francos.
As relagoes que existen entre o re Vieior Eia-
mnuel e o cardeal Andrea sao eoanieVr-wlos por
alguns correspondentes, como tesicmunh i.
mldade que de luturo se d-ve estalwi-c r
Roma e a Italia.
Diz-se que o cardeal Ant melli -' r
dirigir urna circular a lodos os nuan.- da *nt.
acerca da evacuago de Koma pela We^rn* fr ..-:-
cezas.
O reino da Halla foi rernnhendo pela aaaaaie <
pela Baviera ; o Sr. Barral qoe anualmente rear -
senla a Italia em Berln, e qn* parece ter romrot-
rulo (tara o restabelecimento desla relar**. t
partir para Dresde onde sera acreditado ; para j-
nich tambero partir brevemente uta iaiaaje/a a-
| bao.
O exemplo destes estados allema>s vai ser se-
guido pelo Wurteroberg. que proxuaajneate r.-r -
obecer o runo da Italia.
Diz-se qne o governo da Baviera convdala jo-
ven Francisco II a faxer retirar o sea tepr i aaMla
qae anda resida ea Munich. m_____
O general Ganbaldi aopareeea haBjastadaesen <
?


nlRTln de ^erwavtlHco .- Qjiniu 'eir 14 de Dezembre de |S
era Ptoreoea ; diz-se quo o (Ilustro general quer prendidas da oppo?i{5o que os Mlwiw Tawm aos
conquistar ao novo parlamento o lugar que Ihe
compete como chele de partido.
O Monilenre 16 d.-novembro pubhcoa o de-
creto da redufo do ex-rcito, pelo qual se soppri-
ateta sete batalhoes da narda Imperial. 66 esqua-
droes de cavallarla e 200 cumpaohias de ratania-
ria, iO bateras de animarla, e eutras suppreseo-as
seus rojee tos de engraudeeiiweeto.
6 miaislro da Inglaterra junta 4a coleragao
genaanici acaba de ser acreditado tamben) junto
do senado de Francfort, onde aluglaterra nunea
liaba sido representada at boje. Este Tacto as
actuaes circumstancias mi rpi ciado pelgs jornaes
allemes como urna maatfesUco do gabinete de
importantes. Metade das vagatnras que existem Londres coatra a poltica das daas grandes potea-
so destinadas aos oIBeiaes que tenham de licar cas no ultimo conflicto que parece ameacar a ia-
em di>ponibilidade em consequencia da citada re- j depeadeucia dos pequeos estados,
dueo. Vao crear-se tres batalndes de gaerrflhei-1 O duque de Auguslerntiurgo para evitar a
,ros da Argelia. Corra em Pars qae os soldados sua expulso de Kiel cemprou all urna casa ? esta
da guarnico de Versailles haviant falto ama ma- compra faz com que se considere como habitante
nlfesiaciu de descoutentamenio pela renaci do daquella cidade.
exereito, raas tal boato era inicuamente destituido! a gazeta de Vieana desmonte a noticia que
de fundamento O ministerio da mariuha prepara! corre de se lerera rompido as negociadnos com
urna reduco no orgameoto para 1867 que subir a mereiaes da Inglaterra com a Austria.
4 millies de franco.-.
O Otitn-Nrws applao.de a reduco do ejercito
francs e diz que a Franca tica raais forte do que
at aqui, e maullaste tambera.o desojo de ver cha-
mar as tropas As ultimas noticias de Argel denotan urna gran-
de mudanca na insuiTeic* i que bavia rebeutado
naquelia colouia; as tropas que deviam panir para
reforcar o exercilo fraucez da frica ja reeeberam
contra ordem.
Falleceu em Paris Mr. Dupiu procurador geral
juoto do tribunal de cassaeo ; tinna 82 anuos e
gozava dos moldures crditos pela sua lutclhgeiica
e oeuelracSo ; era dolado de muito espirito e de
rara eapaetdade ; limito liberal u'ou ro lempo e
agora inais conservador do que liberal. O tribu
nal de cassacio nao funecionou nos primeiros das
depois da mrte de D-ilange foi lomeado para o lugar deixado por Mr.
Dupin.
Mr. Ronhet Coi nomeado primeiro vice-presidente
do senado, e secret rio Mr. Ferdioand Barroi.
A viagemdo duque de Magenta Au-tria nao
Un jorual hngaro assegura que o imperador
Francisco Jos se far acotnpanhar n sua prxi-
ma viagem Uungna, por seu iruiao o archiduque
Carlos Luiz; o qual sera nessa occasiao elevado
dignidade de palatino. Dizem que o joven archidu-
que gusa do minias sympainias na Hungra. Os
direiios e aliribuices de um palatino cuja institu-
(o remonta aos primeiros anuos da realeza hn-
gara, sao muii'j ampios. E' o representante do re
o regenie do reino, durante a raeaondade do sebe-
rano ; o chefe doexercito; o pre-adenl- da assera-
bla dos magnaias; e ocoosoih-iro entre a cora
e o estado. As Iris de 1848 aioda ampliaram mais
as prefugalivas do palatino cotifertndo Ihe urna au-
tondade qua-i real.
A dignidade de palatino a electiva, mas desde
1790 o soberano tem sempre de empenh Uesias funeges un mmbro da familia
Imperial, o qual depois confirmado pela assem-
bla das duas cmaras reunidas O ultimo palatino
nomeado em 1847, fui o archiduque E.-tevu, irmo
da duqueza de Brabante.
Ha quem veja nesta iotiraidade de relac5es entre
exeur>ao o seu casamento.
izem de Constanlinopla que Ali Pacha se en-
tendeu ja com o embaixador Arancel Mr. de Moos-
lier sobre as condiedes precisas da reoniSO la con-1
ereocia sanitaria internacional. Toda a popula-
cao aroiheu com alegna a certeza da prxima reu-
nio. As irmas de caridade as pessoas parten-
cenes aos outros institutos de benebeencia foram
felicitar a embaiainz por occasiao do seu re-
gres-o.
A lamilia Imperial fraoceza parti para Com-
pilguo onde se Conservara at lo de dezembro re-
cebendo quairo series deleonvidaOO*. Esperavam-
se all os res de Portugal no di.i 7 de dezembro.
O Momteur declara ler-se aborto um crdito de
tres milndes e meio de francos que figurara' no
orcamenio da guerra de 1866, ja melh irava o sold
dos capities, lenles e alferes do exernto.
Em Toulon ren-heram-se ordens para a redugao
da e-quadra fraoceza do Medilerraneo em quairo
navios cooracados.
Acaba de abrir-sa o parlamento belgo ; nao
boove discurso real de abertura : sid inexactos os
boato- assuslfWes acerca da sade do rej Leo-
poldo Mr. Barn fui nomeado mioi-tro da ju--
tica.
As ultimas noticias da Irlanda referem-se ao
ataijue coiilra os agentes da polica quaudo verifi-
caram a pristo docht fe dos tenanos Slephens. Os
dous agrnie.s da polica chamavain s- Hughes e
Doy I- ; a prisao nao era so de Mr. Slephens, mas
tem carcter poltico, por isso que o motivo desia a cora imperial da Austria e a Hungra urna no-
va origem de couflietos para o governo austraco.
O vice-rei do Egypto adoptou urna medida
importante durante a sua viag>-m pelo Alio Egy.do.
Ismael-Pacha tomar a seo cargo todas as Uividas
dos cultivadores do Alto Egypio, ailivado-os desla
maueira dos encargos que eHes ha muitos anuos
supportavam.
O vice-rei deliberou tarabem que desde que se
estabelecesse om caminho de ferro do Cairo ao
Alio Egyplo.
O ministerio grego presidido pelo Sr. Bulga-
ris, |)eJio a sua demissao, visto que o rei se recu-
sou a dissolver a cmara. O uovo gabioete nao
exigi com o seu antecessor a saluda iinmediata do
conde Sponneck, conselheiro do rei; mas apresen-
tou como cundido que o conde Sponneck se nao
envolvera uos uegocios pblicos.
O conde de Spouneik al agora traiava directa-
mente com os ministros, nao representando ?gora
o mesmo papel, provavel que sala prximamente
da Grecia.
A-sim que o novo gabinete entrou em exercicio,
rouipeu coulra elle a opoosieo as proprias filen as
donde sanira. Uizem de Aib-nas que cumquanto o
programma do governo seja razoavel, e o presiden-
te do conseilio e os seus collegas eslejam animados
d-is melhores iul'-neoes, na actual situaijo nao pa-
rece que lera urna vida mais longa que os que o
precederam.
As guerrilhas infestara todas as povoac5es
a h-
toacu impossivel de manter-se, mas a auiorida-
comprhendi i lambem oulms individuos seita. Urna das balas ferio Hughes no hombro, e : por as exiorsoes a que os povos eslao sujeiios. A
Doyle Beob fendo no osso dorsal. Nao se desco-|aaiU{ao geral ; em Alhenas mesmo promovern!
brir-iin os autores de-te ataque, contra a polica ; I os e-iudantes ama manifestaeio na universidade;
no enirelaotu suppoe se que o< tiros loram dados. dinglndo-se as aggre--oes contra mn lente a res-
de urna jan. lia prxima. Pel-se urna busca em peilo do qual os estudantes manlinham a sua ani-
casa .le mn f'-niano da> imniediagoes, ma- nada se mosidade. A inlerveuyao do reitor dillieilineiile
descubri. St pliens e os seus co acensados foram pode traui|uilisar os nimos e estabelecer a ordem.
reenviados ao trionoal. Slephens recusou defen- O imperador do II >-xico oobfleoo, segondo se
der-e e assUnou urna d-claracao assim conceb afflrma, as Bolencias com quem esta em relacoes,
da : i Repudio a existencia da le iogle/.a na Ir- a esculla que diera do principe Ago-linho Iturbi-
lauda. o despiezo toda a puoigao pronunciada con-. de. neio do imperaoor Iturbide para seo succe Ira mu. 0 ilueno. Esta nolificagao datada de lo de outu-
Muitos propietarios de jornaes leem rdcebidolbro parti para a Europa no paijuete do Io de
cartas avisaudo-os a que nao escrevam contra o novembro.
feojianismo, e ameacan lo os que, se o Qzerem serio Agostioho Iturbide tem hoje 12 ann is de idade,
a>.--mados, e incendiados os seu- escrlplurios. Ie pelo decreto imperial pode ser declarado maior
0 tribunal de. Justina rejeitoU 0 pedido feito pelo i aos 16 anuos. Com esta resolueo quiz o impera-
re iCIot do rtl People para que 0 lugar tenente da
raiuiia na Irlanda
r;a- briannicas.
cuniparoce.-se perante as ju-U-
E-pera-se todos os das em Londres a noticia de
terem os reanos da America atacado Canad.
A insurreico da Jamaica fui reprimida. A
maior parte dos insurgentes, comprehendendo ot
chefe foram presos e executados.
E-ta Ibaechase ha multo lempo n'um estado
poueo satisfactorio anda que regido coo-iuciooal-
menie. A cmara lenislativa havia sobrecarregado
cun pesadosimposlos usobjectosde primeir ne-
ce--i !.i|. : o ijne fa?.ia rom ijiie os negros vives-em
minio attnbuiads.
A insurreico rehentoo porm prematuramente
em con-cijneiicia de ler sd) preso um dos conspi-
radoras por outro crlme. Os conspiradores preteo-
diaui preparar-se para -e apoderarem das proprie-
dades d i brancos e ds mulato-.
A revulnco geral eslava preparada pira reDen-
lar no da de Natal. O lim de-la con-piracao era
muir r io los os homens e crianzas, dividindo os nj-
gi enlre -i nao -o x< propriedades, mas as mu
Hieres dos proprieta ros. A insurreico e.-ia por
as ira suffocada, e as aoiorltades eropreeam iodos
os meios paia que ella se nao renov e se nao pro-
pague.
A- noticias porm sao contradictorias. Dizem al-
gumas cartas que a insurreico em vez de. dimi-
nuir augmenten, e que ra dirigida por um negro
chama lo Marino, contra-mostr de urna plaolacao
de .un., nocondadn de lyiruwaIL
Este Marino um hornera mmto enrgico, e que
tem a -na oisposico armas e inoncoes, e que com
orna forca a> sua- rdeos oceupa a> prineipaes pas-
Sagen- das moolaotlaS AlUeS, que alravesam a
ilha, achan lo se all snlidamente esiaiielecidos.
liiZ'-ui que a 'JH de outiibrn chegaram :>< u.-ur-
dur Maximiliano lespooder ao sentiroento nacional
mexicano e as susceptibilidades americana-', por
is-o que o imperador [trbido nasceu no Mxico, e
Kos seas cinco Hlbos depois de recebereo a pnmei-
ra educacao na Borona, foram estabrlecer-se as
iromediagdes de. Ne.w York.
A memoria do imperador Iturbide anda mnito
recent e nao pode ler deixado boas recorda-
do-- enlre os mexicanos ; liurbid- fui proclamado
imjierador era maio de 1822, por 51 depotad.s,
quand i naquella poca a cmara se compona de
liO rep'escolantes ; dizem algons jornaes, que
pste imperador r^stanelecera a 'oquisicao, creara
einbar.icis ao eoramercio ; laucara grandes tribu
lo*, e substituir o congresso por urna junia esco-
mida por eiie, eque estes e outros actos da sua
vida publica foram a causa da insurreico i|de re-
benliiu logo depois obngando-o a abdicar em inar-
co de 1823 e a reiirar-se para Laura Un anno
depois denles aconteriraent s liurbid'! embarcoa
em um navio mercante io.'lez t tento.i restaurar
o imperio, sendo fuzilado era Sotto-la-mariua a 19
de jUlhO d- 1821.
IJma paite da mprensa fraoceza entende que
estas Iradicdes sao anida muiti rcenles para nao
adeciaicm o espirito dos mexicanos, quando veem
iovuear-se os serviros desse liornem para cliam.tr
ao logar supremo do imperio os seus descendentes.
Entretanto esta noticia carece de confirmacao.
0 g iverno mexicano conceden urna annistia aos
que formando parle dos bando- jaaristas e nao ten-
do commettino criraes corarauos >e apresentassem
as autoridades antes do i de noveinbro.
0 Times publica o iexlo da caria do capitad
do nav > confederado Slisnuniloalt as autoridades
inglezas em Liverpool. A caria mnito inieressan-
le pois esta escripia com bastante firmeza e dini-
daile. O capilo do vapor briiaunie.o onequl foi au-
geni aluns reforcos, das povoaofte- mm-diatas, tunsado a eniregar o Slu-namlutili e seos vveres e
mas nao consideraran! anda suficientes para
tomar a (T-n-iva; e (|iie as In-pas inglezas se coi
cculravam em Spanish. Algn- jornaes mgleies
fallaiam na oeeessidade de um golpe decisivo na
insurreico n dizem que para e -e lim se prepara-
nn em Inglaterra tropas para partir para a Ja-
man-a.
O govern i de Nova E-cossia mandn pira a Ja
maica ama parte das tropas que for-mava o a gu-r
nico de Halifax, mas pedio logo pa>a Londres, a
sub-liluico de-sa- tropas e de alguns navios cou-
racados para crusar-em aquellos mares.
11 u-se ordem liara se reunir urna divisan naval
inunicoes an cnsul auiericjio de Liverpool ;
qual lotuou pos-e em nome do seo governo.
0 ministro dos E-talo- Unidos Mr. Sawird sus-
tenta que a America tem direito a reclamar urna
lodemnisaco do governo inglez, p -rm que o da
Uuio na eveoiuahdade de um movira-ato dos fe-
niaiios obstara a veuda de material de guerra
Derara-se ordens para continuar o desarmamen-
to dos navios que se tinhain preparado para a
guerra.
O ex-presideute Uavis sera mui brevemente jul-
gado.
A Hespanha, apenas lerminnh a-questao de
coiapo-la de corvetas e canhoneirax a vapor para S. Domingo-, parece querer entrar em novas em
vigiaren! o litloral da Jamaica e impedirem quei presas. Esta declarada a guerra entre esta poten-
naqiiHia col iina se ntroduz-sem armas e, niuiii-1 ca e o Ciiiu ; o almirante hespaohol Pareja rom-
(5es que podessem servjr aos Insurgentes. Alm I peu as bostihdades, declarando o bloqoeio das eos-
disto armam-se alguns transportes para ronduti-1 tas daquella repblica. E-ie. almirante lem apenas
rera cinco mil homens, arlilliana e muuicoes de lo- as suas ordens quairo navios de guerra, e foi com
da a especie. i estas ambarejujoes qae elle manlou bloquear qua-
Pnblicoii-se a proposia apresentada dieta tro differenles purtos, tornando se o bloqneio in-
germanica pela Saxouia, Baviera e grao ducad i de [ completo, visto que a repblica do Cbili lera ouiros
H--e. relativamente a quesiao do Schle-wig Hol--!portos que se acoam Uvres
leio. A aititude lomada pela Prussia e pela Austria | As causas que mollvaram este acto ainda nao
d a esta proposla noia "grande importancia. Ha I sao bem conbecidas, mas parece que tem ongein
exposico que procede a proimsta, fiinlam as tres | no ultimo desaccordo enlre o gabinete de Madrid
curtes -eciindana- o -eu pedido, na respo.-ta dada
pela* gabinetes de Vienoa e de Berlim a pmposta
que com o mesmo propisito tioham feito em juiho
ultimo.
Os dous gabinetes d-rjararam que iratavam se-
mente d- promover aran solueo d--iniiiva so
bre a questa doi> ducado- do 'Eib-, eque convida-
rla ra a dieta a atiende! com eoofianca o re-uliado
das -na- nltimu neunpiagge-, re-ervxodo se fazer
Cuininunicacoes ml> de-eIIVolvirta<.
Uizem os gabinetes do.-ires estadog secundarios
que sendo baldadamente esperad as comrnunira-
i; ie. pruineltidas e vendo que o convenio de Gas-
tein len le a corlar a qoe-io sera o conr.ursn da
dioi, pe lem agora -me aquella a-emhla nao es
perandn pelo rotatorio d c mini--sS se pronnucie
sobre a indicada muce de jutho. E-ta pr<>po-ta
prodazio um grande fITriio na asaeiiilua, princi-
palm-nteem pre-enca da* suas novas concluyes,
que >e re-umein no s gumte :
Digne-se a dieta re-olvor dirigir os seguales
< pedidos aos guvrrnos da Au.-tria e da Piussia :
Io Que convoijnem proxiniamente urna repre-
* seniacao geral, filha dos pintares livre- do du-
a cada.- do oi-iein, tiara cooiierar na solurao das
* qu---i6e.s anda pendente, a respeito dos ducadus
a do Elba;
2* Que tranalham para a admlsso do ducado
dochi-swig ua C iifederaco Gei uiaoica.
Pedem laiiibeui os uie-iiio- governus que n'u
ma das prximas, seeses da dieU se vute a sua
pmpo-la.
A Au-ina ea Prus.-ia reagem contra estas ten-
dencias de urna parle imporiaute da Allemauha,
Em Freocfoi i as-igna se urna ineu-agem de fe-
lrilacn ao .-enano pela r- >\t--ocia i|Ue nppde a's
prWi-ncoes dos gabinetes de. Bei jmi e Vienua.
ilu-se que a pnwejra idea u ergamsar ama
mauiie-!i;ao poltica, mas que as aptornlades se
e o do Pe por iss que na de-intelligencia entre
as duas naques o l^hili uiauifestou as mais vivas
SVmpaltiia- pelo- P.-ruaUoS.
O general Pareja, chegando a Valparazo, pedio
imuiediata sali-faco ao ifoverno do Cbili, mar-
cando o prazo de quairo dn-, findos os quaes, to-
ur.ana medidas extremas. Exiga em termos mui-
tti enrgicos e decisivo* que urna salva de 21 Uros
sauda->e o paviltio hespanbot, e que depois daria
a euanecer a satisfacao que exiga. O guverno chi-
leno inanife-lnu que nao poda ac.ceiiar a exigen-
cia do almirante bespanhol; e enlo este enviou o
seu vKun'i/u/n, annunciando que as hostilidades
corneal lam u da seguinle. O corpo diplomtico
protc-tou entra o ai bilrano proceder do general
hespauho! e i.biev desie o prazo de algumas h na-
inais par le.var a effeito o sen utUmatttM O ge-
neral Pareja declara no da 2i de seierabro o blo-
queio As duas cmaras da repblica apprnvaram
o procedimenio do giivero, e declararam guerra a
Hespanha, votando para lhefazr faee ura subsidio
de vinte mltioes de duros, e urna autnrisaco para
recrutamento e para armar navios. Todos os par-
lidos da repblica apoiam o governo. Pareja eon-
cedeu dez das aos navios neutraes para sabires)
dos purtos.
Era Inglaterra e .em Franca tero oseorposcore-
meiciae-reclamado dos seu governos que prote-
jan! os inieresses dus tus concidados. no Ciidi. O
cou>eiho de minolros do gabinete brilannico. r*-uai-
do a 20 de uoveinbro, re.-ukeu dirigir a' Hespanha
enrgicas reclamaces relativamente ao CtHil;
paibu lo in-uiediaiaiiiriiie um crrelo coui despa-
chos para Madrid.
Os prineipaes negociaoles do Havre dirigirn)
urna peticao impe ador, agradeceudo-lhe as or-
dens que deu para se protegeiem e/flcazuienle os ,
inleres.-K fra^iceze no Cbili.
A Patiie de 23 diz que a Hespanha responder
to do Chlli, e'Vie. mandara ja' ordem ao simpan-
te Pareja para nao atacar os portas ctiilenos.
O Murruhj Post pubMca una caria do Sr. Tan',
Censurando o procedimento' do graeral Pareja que
julgacontrario ao desojo de conciliacao deque asta
animado o goveranhespaohol.
O governo h*spanhol adoptou lambem urna
medida reduzmdoo seu exercilo. Ura decreto
manda dar baixa a oito homens por corapanhia e
a quairo homens por esquadro. Nao se pode di-
zer que e-ta redueco seja imporlaoie, mas, segun-
do dizem os jornaes hespanhes, nao deixa de
operar urna notavel eeooomia no orcamento da
guerra.
O general Espartero e o Sr. Olozaga recusaran)
o cargo de presidencia da commissao eleitoral pro-
gressista, mas o general Espartero foi reelelto ; e
ste facto parece mdicar que o partido progressis-
la hespanhol nao quer persistir na absienco pol-
tica cu|'i partidario o Sr. Olozaga
A Hespanha acha-se em plena crise eleitoral;
foram convocados os collegos eleiloraes e breve-
mente os eleilos iro tomar assenlo as novas c-
maras.
As folhas minisleriaes louvara a independencia
com que procede o ministerio, e apreseutam a ul-
tima circular do ministro do reino como um mo-
delo de liberdade eleitoral, pretendendo que os
Miembros do gabinete sao completamente estranhos
a esta locta, para que o voto da orna seja a verda-
deira expresso da opinio publica. A imprensa
opposicionista allribue ao governo tima influeocia
indirecta representada pelos actos das rommissdes
da opiuio liberal; falla das suspenso?* de autori-
dades; de desintelligenrus euire os membros do
gabinete sobre a maoeira por que devem proceder.
Corra na B.Isa que a presidencia d i conselho de
ministros fra offerecida ao general Espartero.
O banco de Londres banou o descont de 6
por cento e o de Franca a 4 por c nto.
A ra'nha de Hespanha estmelhor, e nao re-
gressa a Madrid antes da abertura das cmaras.
as intimas dalas houveram em toda a Hespa-
uha .- > casos do cholera.
Em Portugal lioha sido nomeado major do
corpo de estado-maior Salvador Pinto da Franca,
ministro da guerra, sendo exonerado da iotenni-
dade o ministro da mannha, vi-conde da Praia-
Grande de Mani, que, utamente com a sua, ge-
rla aquella pa^a jiela enfermidade c depois pelo
fallecimento do conde de Torres Novas.
Fra approvado por qua.-i unanimidade, na c-
mara dos deputados, o importante projecio de lei,
que lorua hvre a exporiaco de quaesquer vinhos
produzidos em teTitono p>rtuguez, peta barra do
Douro. A diSCHSSgo durou apenas dou* das. Co-
mecara o cbate sobre o projecio de resposta a'
falla do throno, que teria breve di-cus-o.
0 projecto de cdigo civil ainda eslava affeclo
a's couimisses da cmara flos deputados; a carta
do duque de >aldanha ao presideule do conselho
de ministros sobre o casamento civil provi.cra
militas respostas, urnas dos peridicos liberae-,
outras em folhetos, como a do redactor do Portu-
guez J. Flix Kodrigues. Do grande escriptor a-
llerculano esperava-se um opsculo sobre o as-
snmpto.
A uovagao do contrato com a empreza do cami
nho de ferro do sudeste era assumpto de geral con
truversia na imprensa poltica.
Ainda nao linham comecado os debales no par-
lamento ; mas prora- tem ser dos mais acalorados.
El-rei. sua augusta esposa e o principe real ain-
da estavam em liaba.
Em Elvas terminara o flagello do cholera,
tendose ja' cantado um sslerane Te Deum era ac-
cai de granas. Tambera nao navta symptoma al-
guin epidmico nos oulros pontos do reino, pelo
que liuham cessado os boletins oIBciaes do Conse-
lho de sade.
O i-verno ta milito rigoroso, e em Louros, Ta-
jaes, Faobe-, Alhandra, Alverca e Villa-Kranca
tinhain as ultimas chelas causado desastres,sendo
para cima de oito ou dez os af gados pelas torren
tes pluviaes.
Ja' esiabelecra se um novo banco era Lisboa
com a denomiuaco de Banco nacional porioguez.
Os fundadores con-lava serera o duque de Salda
ola, lieruardino Maiiins e vanos capitalistas es-
Iraogeiros.
O governo tinlia apresentado um projecto de lei
de imprensa, mais liberal do que a lei vigente u'a-
qui.dle paiz.
.comofliti-) obe-
negaram a consentir oas reiimoes puWicas. As i da reelamafOH dos gabinetes de Paris e de Lon-
duas grandes potencias aJlouiies jpy*i/aj0.e sor- ares, que acceiuria a mediac&o europea na ques-
KiMSTl Wkm.
Cartas de Boma dizera que S. Exc. Rvma. o
Sr. 1). Mano-I de Ifedeiros-, bispo do nossa diocese,
parta de SuuUiamplon no dia 9 do curente a
bordo do vaoor mglez, que aqui deve chegar no
da 27 ou 28.
Ficava a' sahir em Lisboa, para o nosso por-
to, do 12 a' 13, o vapor ioglez Gladhlor, da Imba
de Liverpool.
Segundo cartas de Portugal, foi aprisionado
Da aguas de Lo inda na lat. S. 80 80' e na long
O. de Greeuwich 10 10', o bugue portuguez Mu
ra, por suspeito no tralicj de escravos, pelo cru
zador inglez Ranger.
Eis as noticias commereiaes da Europa, de
que fu p -rtador o vapor francez Extremadurt '.
' Hambnrgo, 20 de novemh o.
Apezar da esc-i-sez de diuheiro, nenhuma mu
davga notavel sofTrera'm os gneros. O algodo tica
colado de 17 1/2 a 18 1/2 schilings por Ib. O a<
socar foi poocu procurado aos oreos de, 17 a 18
b. por 100 ib. o mascavado e de 19 a i2 o bran-
ca. Venderain-se poneos couros de o 1/i a 6 sh
por Ib. O cacao do Para' vende-se de 6 7/8 a 7
sch.
i Sabio para Pernambuco o navio Adrle, e fl-
cain a' carga o Emi-aivel e a Hargareth.
Havre, 20 de, novemnro.
O algodo do Bra-il vendeu-se de frs. 2la a
260. Na la -e fez em as-uear. Os couros regularam
de frs. 16 a' frs. 102 por O kilo.
t Porto, 27 de novemln o
t O aosucar branco de Pernambuco v-nde-se de
25 a 2JJ150, o someno- dn 15750 a 1-I00, e o mas-
cavado de 15430 a i-VitO por Ib. 0 almude de
melaco Vende se a 25(0 I.
begirain de, P-rniniboco o brigne Pernnm-
biiC'ino e a barca Sgmpatkia, e fleavam carga os
bngues Unido a Esperanza
Lisboa, 29 de novem'bro.
t Cotara-se assim os gneros do Brasil : algodo
de 300 a 400 rs, o arratei ; o arroz de 55200 a 65
o quintal ; u assucar branco de 15700 a ^5300 e n
e o mascavado de 15300 a 15601); o cacao a 4?!00
a arroba ; e os eonruS de 90 a 121 rs. por arrat-l.
Sabio liara Pernambuco o brigne Relmpago
13 ; e fleavam a carga a barca Constante Itl. os
brigues Ftorinda, Siberano e Lain. I. t
O vapor francez Bslrenutdwre trouxe da En
ropa 209 oassagelros, sendo : 9 para feruambuco,
6 para a Babia, 89 para o Rio de Janeiro, 31 para
Montevideo e 74 para Bueuos-Ayres.
A emrada abundante do algodo, qae tem-se
dado, promeitedora de urna safra crescida no
crreme anno em nossa provincia.
Nesie mz | tem yindo ao mercado para mais
de 10,000 sanea*, tendo acontecido que so no dia
11 eutraram 1,924.
Ura disiincio membro da sociedade humani-
taria ConciUiu;do, pedemos esla publicado :
Cm'oi que se saiba, abra de desazer o e[fe
lo de alguina my-ulicagao, que a baodeira ofTerla-
da ai> 8* corpo de vuluntario-, o fui a expensas pu-
ra e sunpiesmeote da sociedade humanitaria C<>n-
CtagSfi ; que, por occa-iaoda respectiva beugao,
ii-oiiuma lita com di-tico votivo de alguma son-
dado .-cereta foi alarla a haste da raesraa bindeira;
e que finalmente o Eira, monsenhor Pinto de Cam-
pos recu-ou-se ao couvite daquella sociedade uo
sentido deiieofficiar na ceremonia religiosa da re-
ferida bencao.
Sao farras estes de notorledade, e s algum
proposito -Ins vestir rOr diversa na sua narrago.
t Pedind a publicaco destas palavras, Srs. re-
dactores, tarabem Ihe pego a da caria, queoExm.
mousenhor Pinto de Campos dirigi em resposta a
outra da sociedade, o que me retiro mais cima ;
piis d.-il.i vera se os motivos que o levaran)
aquella recusa, bem como o por que efTeclivatnenle
benzeu a bandeira.
t Eis aqu por que se diz, que ha aecu-aees que
bonram mais do que prejudicara I E que diremos
das crilicaziuhas dos Tlvsrus e pyrainides mus-
gosas!
j Muito desereria o Exm. monsenhor Pinto de
Campos do criterio do publico, se descesse a dar
catufafad a mordidelas de insectos. >
I11111-. Srs.Acabo de reeeber o convite que
Vv.Ssme tizeram para benzer a bandelra do 3*
balalho de voluntarlos da patria. E por que se
rae faz e-te convite em nome de una sociedade,
que me infurmam ser tnaconica, sob o titulo de
Conciliato, amo declarar a Vv. Ss. que, se assim
, nao posso aceitar to honroso convite, por partir
de urna corporacao Julminaaa com graves penis
*ela igreja calholica, cujas dec-so
lente, llevo respeilar e cumprir.
a Euiretauto, teudo-me anteriormante convidado
para o mesmo ira o commandante daquelle batt-
hio, pretendo, querendo Ueus, achar-me na igreja
so dia indicado por elle, para salisfazer esse acto
do raeu ministerio. Est entendido que lenh fal
lado na hypoihese de ser macoaica a referida so-
ciedade. Vv. Ss. sabem o alto apreco era que os
lano corno individuos, e como amigos.
c -us guarde a Vv. S<. R-cife, II de novera-
bro de l8f3.Joaquim Pinto de Campos.
RspuiTigAO da polica,.
Extraoto da parte do da 13 de dezembro de
1865.
Foram reoolhidos a casa de deleneao no dia 12
do correle:
A'ordem d) Illra. Sr Or. chefe de policia, Ti-
burcio Jos de S-iuza. Vicente Antonio da M da,
Joo Manoel de liveira e Manoel E-tevo Villa-
Nova, como sentenciado; Alipio, escravo de L rindo Angelo de AUneida, por fgido; Jos Pedro
da Silva e Manoel Tneodoro de Campo* para recru-
tas; Manoel Martios de Oliveira, como desertor; e
Ju-tino Francisco dos Santo-, como guarda uacio-
nol designado para o servir., da guerra.
O chefe da 2* MCfo,
J. G. de Mesquita.
Casa pe etenqao.
Moviraeolo da casa dedetenco no dia 11 de de-
zembro de 1863:
Exiliara 361, entraran) 19, sahiraro 9; existen)
371, a saber : nacionaes 258, muliier-- 6 ; eslan-
geiros3l, mulheres 5; escravos 67, esciavas 4:
tout 371.
Alimentadas a' cusa cofres dos pblicos 176.
Mov ment da enfermara no da 12 de dezem-
bro de 181.
Tiveram baixa :
I Sevenno Urbauo ; tumor.
j Francisco das Virgens Maximiano ; sarampos.
! Igu-cio Fi auci.-co da Silva ; uplltaimia.
i Jos, escravo de Siqueira Lins ; sarampos.
Te ve alta :
I Flix, escravo de Antonio Francisco S. Lima.
Pasageiros do vapor fraucez Extremadme,
viudos da Europa :
Muneglio Miucenzo, Muneglio Vito, S. Antonio
Visina, Sergio Leal Ca-tello Branco, Tisset r-aus,
Engelhard 11., Luiz Alberiu Anluues da Mulla, Ju-
Lopes Ferreira, Joaquim Jos de AZevedo.
Passageiros do hiate brasileiro Sania Cruz,
sahidos para o Aracaty :
Jjs Moiileiro Torres de Castro.
Passageiros do hiato nacional Voro Invensi-
vel, sabidos para o Aracaiy :
Jos Joaquim Alves da Silva e duas irmas, Jo-
Mana C-sar do Araaral e duas irmas.
Passageiros do vapor francez Extremaiure,
sahidos para os portos do sul :
Jos Ferie y Baires, Josephina e Ehsahelh ir-
raias de caridade, L D. Samuel, Blocii David,
Joanna Mana Nabuco, Salvator Beneditii, G. Fraer,
bacharel CyiHio de Lenios Nuoes Fjgundes, ba-
ctiarel Eduardo Tnompson e 2 criados, Luiz Go-
mes Amado de Agotar, Antonio Lopes da Silva,
Jos Camp.ony Barros, Manuol t'ouii-ura y Paz e
Manoel Sobral Piulo.
Passageiros do vapor brasileiro Persinunga,
sabidos para os porras do oorie :
Dr. Joaquim Pereira da Silva Guiraaraes e um
criado, Francisco Jos da Coala e -Iva, Joo Jos
Riten o Guimares, Isidoro Gomes de Souza, Ma-
noel Correa Luna, Jos B. de Mello, r. Paulino
R. Borges da Fou.-eca, Thomaz Antonio Nunes M ju
leiro, Joo Si.veira de Souza, An-elmo Joaquim
Barbosa Tinoco, Jod 1 Joaquim Al ves, l)r. Otlon de
Amaral Henrlqoes, Joo Mana Soares de Amonm,
D. Anna liabello Pes.-oa Guimarae<, Jo- Paulino
Castro M-deiros, l)r. idalbiasi Nunes Bandeira de
Mello, .-ua senlioro, 1 meuiua h 4 escravos, cap to
Ju- Caetanu de Albuqoerqub e 5 escravos, Dr.
Jos Mina Carneiro de Albuqberque Lcenla.
Ce.MITEHIO PUBtICO, OBITUARIO DO DIA 9 DE
DEZBMuno DE 1865.
Heiiodoro, Pernambuco, 18 m^zes. Sanio Antouio ;
coqueluche.
Augusio, Pernambuco, 7 metes, Santo Antonio ;
eclampsia.
Antonio Luiz Ferreira, Rio
anuo-, -olteiiu, Id a-\'i-la;
Cecilia, Pernambuco, 11 ralez
coqueluche.
Malliildes Mana da Coneeic'
nos, sjlteiro, Boa-Vista ; ti
Pbilomeoa, Pernambuco, 13
uaslro entente.
Mauoel Thuma CandiJo de ^
anuos, solteiro, Santo Ant
Isabel Mara de Oliveira, Pohugal, 60 anuos, viu
va, Boa-Visla ; insepbalile
Paulina, Pernambuco, 5 mez ;s, S. Jo.-; gastro in-
tente.
10 -
Luiz?, Pernambuco, 10 anuo
Um prvulo encantarado n
Jo- ; sem mais alguma dJclaracao.
Silvestre Jo- Fernandes, rarnambuco, 40 annos,
solteiro, Pono da Pauell|; lubj^ulos pulmo-
nares.
Auna Joaquina Jorge Goncalve', Pernambuco, 40
annos, solleira, lioa Vala; tubrculos pulmo-
nares.
il 4
I.-abel, escrava, Pernambuco, 11 mezes, Boa-Vista,
eunvulsdes.
Frei Joio do Rosario, Pernambuco, 71 annos, Bua-
Vi-ta; pneumona.
Joaquim, Pernambuco, 12 njeze?, Boa-Vista; va-
rilas.
Joaquina, escrava, frica, 40 annos, solleira, Boa-
Vista; gasiro-intente.
Acacio Colno Ribeiro, Pirtogal, 23 annos, soltei-
ro, Boa-Vista ; febre typhoidfc.
Honorio, Pernambuco, 2 anuos, Recife ; entenle.
Tnereza, escrava, Peruambuio, 28 annos, solleira.
Sanio Antonio; apoplexia.
Isabel, Pernambuco, S. J is ;i ronvulsoes.
Felippe Sanl>ago Silva, Parnajrabuco, 23 anuos, sol
teiro, Boa-Visia ; lubercules pulmonares.
Joo, Pernambuco, 12 mee- S. Jos ; Coiivul-O-S.
Auiono Bernardo. Pernambuco, 13anoos,solteiro,
Santo Antonio; espasmo.
Jos, escrava, Pernambuco, 40 dias, Boa-Vista ;
couvuisoes.
ces-ionarto de Xicolii Oit) Bieber e outro, foi por
carta precatoria ex-cutona ler comego no termo
de Ip-ijuca, avista do que eusina Pereira e Souza
em a nota 389.
E essa execuc, versando sobre boom inc.erla
rnandou o exequeule apresentar ao juiz sapplente
(por ser seu prente o juiz elf-cuvo) a arta prec.a
loria exeeutoria, para reeeber o cumprase, que da
a execuco o principio I -g d de sua existeocia.
E assim foi ella intimada pessoalmente, para ler
nmprllOent o arcordaj, que julgou o libello, que
a base da aeco.
A intimacu di caria exeeutoria ao cooderanado
entende-se frita, para todos os termos da execucao.
Ord. L. 3 m. 86 pr. e 27.
Quando porm a execucao versasse sobre cousa
certa, essa iiilimaeo deveria ler sido acensada em
audiencia, para Q-pois coniarem- e dez das, que
formara o prazo para entrear-se a cousa ou para
ser ella embargada. OrJ. L. 3 lii. 86 15. Pereira
e Souza ola 786.
E-sa mimacao nao foi aecusada de harmona
com o accor lo e u exequeule enlendeii, que devia
deixar a lei, para recorrer a trica d> chicana, sem-
pre fllate capcio-a.
U exequ-nie depois de ler o curapra-se na caria
exeeutoria apresenlou ao juiz urna pencan, jiedin-
do mandado para ser intimada a senteiiga ao exe-
cutadn, para no prazo de dez dias entregar o enge-
nho Arntiingy, escracos, etc.
O juiz sera o raeuor escrpulo, sem ver, que o
mandado pedido na i eslava de narnionia cora o ac-
i cordo, e nao coobeceinlo que jsso era nina trica
' sutitil, deferio a peticSe, que Ihe era apresen-
tada.
E o mandado fui expedido pelo que se pedia em
a pelieo, e a ciuc.Vi fez-se. para ver correros dez
das da lei, visto que lrata-se de una execucao so
bre accio real.
Duas cilaeoea se Bzeram, urna lancou se na car
ta execuioria e mura em o mandado ; una respei
lando a uina carta de seiib-oi; e ouira de coofor-
nn I -de cora as allegai;oes de urna aetieio, que es-
lao em inteira opposicio ao julgado era o accor
d.io.
Fallamos para os homens entendidos. Qual de--
sas eiiaefies deve valer no caso em qnestae ?
Aquella, une mspnitoil ao juigado ou e-ta, que adul-
teroa u accordo, dando n sentido ain.-io ao pensa
rn-oto dos j dg dores e do libello, que Urinou a in
tencio do pedido T
O libello a--un eoncloe :
P. n nullil'i'lr da esenptara e n coivl-mnacao
dos reos nos prejmzos perda e dumaos qae te /<-
quitnrrm.
O excesso da execucao, que no juizo deprecado
se lem dado, ailloiisa o p-n.-aineulo de que O exe-
quente nao quer alqnerir o direito pgnl ; ma<
pretende o lem con-eguido dar u iv i seniido aos
fundameotus do aeeurdao, para era sen miere-se
'. pedir o despejo do execulado do engenlio Ara-
' langy.
A eonelosad do libello, que servio de base a3
julgado da relacao da bem a eonheeer, que a seo-
lenca llliquida ; o que aluda -e prova con a se-
guinte razo.
Nicolao Uno Bieber e outros erara cred ires da
casa de Aralangy ; i ninen hypetbeea legal nest-
engenho e eni indo o que parle inlegranle das
fabricas de a-sucar, c uno escravos, Imis, ele.
E e||--s correram a arfeo da cobranca, legalisa-
ram o seu debito p-ir urna genlenea e nessa occa-
siao os seus devedorea, resnettando ao joigdo ti/.e-
ram unV compo-ico amigavel e enlregarain o en-
Grande do N irte, 24
vanlas.
Santo Antonio ;
, Pernambuco, 33 an-
berculos pulmonares,
oeses, Sanio Auiouio;
-sos, Pernambuco, 13
nio ; uasirile.
Boa-Vi-ta ; anemia,
igreja da Penba, S.
MMaNIS.
Sendo perguntado a Eurpides qual era a faml
la mais numerosa de Alhena-, responden : A
dos crticos ridiculos. Pergunlan-lo-se-lhe anda,
qual era a menos numerosa, responden : A dos
crticos sisados.
Pois bem, para que o pnblici saba a qual das
duas familias pneme o meu critico, que ho|e ap
pareceu no Jornal do Renfe, depois de haver crea-
do musgo a provocado que Ihe tiz sob a leltra
Z, indispensavei, de sua propri^ dignida
de, que saia das trovas do anonyrao, escreveodo
por extenso o seu norae, para que a controversia
se torne patente e leal, e se coubega ao mesmo
lempo quem o ignorante, si eu ou o meu criti-
cador.
Nao precisa que Ihe proteste desde j toda a cor-
tesa de minha parte, porque ak-da ninguera que
coinigo desputa.-se se pilguo nlT-ndido.
Acceito este repto formal, declaro que levanta
re a luva, e emao licar bem demonstrado qual
de nos dous pedante. E se. nao acudir ao meu
convite, consj lera-lo hei um raalsim despresive!,
indigno de atten(o.
Recife, 13 de dezembro de 1865.
Pinfo de Campos.
Questo Araiangy.
A opinio publica onde deve ass otar o juizo
certo e verdadeiro do pensamento fiel do dir-it>,
precisa de mullos esclarecimentos, para pronun-
ciar a senlenca da mais justa equidale.
E' para que venha es>a sentenva firmada as
melhores ideas, que viemos a imprensa esclarecer
a essa opinio na execucao, que corre no foro Je
Ipoju a entre paites o tenente coronel Gaspar Ca
vab-.ante de Albuquerque Uciia e tenente coronel
Joo de Si e Albuquerque, o primeiro como exe
quinte, e o segundo como execulado.
Nao entraremos por ora na dmcussao dos accor
daos do tribunal da relacao, que deram o direito
ao exequeule.
Pende sobre elle o recurso de revista, cuja deci-
so vira' mais tarde uizrr qual das partes tem o
direito, que tem estado duvidoso, ja a favor de um
e ja & lado de outro.
Nossa.mi-sao aqui smente discutir o modo,
porque tem corrido a ex-cnco, tendo ora vista as
leis do processo, que regulara o direito das par-
les.
Entraremos oa discussao do curso da execucao
dizendo :
Que o juiz da arc/io foi o da primeira vara da
cidade do Recife, <'>>nd- sahio a causa principal,
para o tribunal da relacao.
Que essa execucao devendo de correr no foro do
domicilio do execulado, que o foro rei itlce, como
genho Arataagv,para pagamento da -lvida por do-
ze anuos ou por lautos quanlo- fossem uccessanos
para o pedido em a arca".
Esse negocio foi todo dirigido e futo por parle
de Btrber e ootros p-lo Dr. J Bernardo Gal va
Alcot'orado, cojo nome aqu invocamos para dizer
bem alto perante seu irm > o Dr. Fenel-n, advo-
gado di exeqoeme, s- o eontrncio foi e ou nao
I-gal, desde que foi elle quem fjrueceU as sua>
bases.
Dous annos passarara se e os credore- nada lo-
craram no engenho que leeeberam, reconheceodo
I 'go que n i pudiara cun'intiar a ler o pr- d as suas direcedes.
Procuraran] a quem transferir o contracto e o
execntado receben o com a certeza que ihe dea
sempre o Dr. Alcoforado, de que o negocio era I--
gal sobre elle nenhuma dnvida penda : qiund-
ja penda em juizo nina arcao para a nulli dad da
e-cripiura de convenio, ultima que com a ca-a de
Arataugy celebraram os credore* que a tmbam de-
mandado, acyo ero '/' o ";-. Dr Jos Bernardo
foi adrogado al e juigameuto di primeira instan
ca, r a mesma que se exeevt i.
Punco dep ns do c mu acto do executa-to e de es-
tar elle na posse do engenho, os herdeiros vende-
rara a-> exequenieo* s<*os direitos a herauea eelle
Se hibililiu e foi j dgado seu s.icces-or.
Nesse contrato o exequenie nada despendfu, pc-r
que deu em pagamento us propnos bens, que e-ta
V.iii bypolhet ados e que C lliplnU os e vendeil-i-
cnmiosamente ; e at o rngeuho Morissoca na--
Ihepertencia, porqne f-,-i levntalo em Ierras lo
engenho (Jbaca de Nossa -enhora do Carmo, qoc
sem duvida sera importunamente reinvidicado pe-
los direciores da ordem rarmelllana.
Contiuuou a c(an intentada e o exequenie, que
nao linba solo admilinlo em Joan p-lo honrado Dr.
Enie-to Je Aqnmo quando jmz do Cano, onde ror-
reu a acc i Coimn-icial iM crpdor-S, por nao ler
pago a sita oas her incas, que havia comprado;
foi no eutaolo habilitado a .-u- ceder.
Dez anuos sao passados, que o execntadoesti no
eng-nho Aratangy.
Ora, se o engenho fui dado para pagamento do
dbil.i, Claro, que o e\e penle preci-i -ab-r il-i
e-tadu da obrtgacan para por meio de urna liqni-
dac;io e linda e-ta se fazer entrega do bem,
pagando as b-riifeilorias a que. o execulado tem di-
reito.
O aceorda, que respeitoa ao libello nio pode
conceder se nao o que nelle se pedio : nunca a i-n-
trega do engeubo pira a qual nao houve condem-
liacfl i liem p li ;.i
ainda rne-m -, que o accordo condemoase a
entrega do eng-nho, nao era razo para que ella
se liz-s-e imineiiiatam-nie, porque n execulado lum
o direil i de d r--/a em o miso da execucao, e es-e
dlleilo ful la| e eXercidu p ir lal foron. que abalou
os Fundamentos do accnrd, que vai ser levado a -
supremo i'ibunai n- justica.
D'aqui se v claramente, que a execoeao fela
por mandad excedeu o julgado e millo e irrito se
torna o que neiu ,-e cun'm, porqne como bem en
loara us mestres da jorisprn leuda a lenlenen
deve executar se como expreesnmente julga e deter-
mina. Pereira e Son/a, nula 760.
Ora, se o aeeurdao nocondemna a ootregadn
predio, bem claro pelo que ensinam lodosos
praxisias, que esse julgado nao pode ser exce-
dido.
_E nao obslanto ludo is.-o foi acensada a intima-
C-ioem addleucia : nao feia era a caria execuio-
ria, mas a i aneada em um maulad i e no prao le-
gal o execulado apre.-eiiiuu os seos embargos de
nullidade primada m coniinrnti do centre dos au-
tos.
F'd a ex'-ruco a conelosio do juiz e esta deci-
di, lei-ebend- os embargos era auto apartado de-
pois de seguro 0 juizo.
A interl-cutiiria, -me assim ju'gou Ilegal, vio
lenta e paiiio de um juiz inc nnpet-nte.
Tq fallar sobre a materia as leis e os pra-
xistas.
Esses embargos sho daqnelles, que .-u-pendem
lodo O pi'i 'ik---ai|-'.
Os efb-rgos de nullidade (lo proce-so e da
sentenc sendo a nullidade patente dos autos ou
provada ni rnntinenti. A-s. de 4 de marco de
1690. Dr. Paula Biptisla. comp. de thur. e trat.
190, suspeudeii u curso da exeeucao.i
t Os embargos de nullidade provada do venlre
dos autos tem o ilfeiio suspensivo. Pereira e Souza
nota 604.1
Fica dito quanlo basta para provar, que foi lile
gala iiileilocutoria, recebendo em amo apartado
embargos de nullidade a senlenca, apreseulados em
a execucao.
Occupamo nos agora da seguranza dojuizoeda
sua inc nnpeiitencia para diz-rse os embargos deve-
riam ler sido reCebidoS nos propnos autos ou em
apartado.
Para ler lugar a execucSo de urna senlenca ne-
res-.ui i, que el'a seja liquida, visto romo assim
se pdela conbecer a inltrlaco do exequeule e o seu
pedido.
Ora, se o acrordio do tribunal da relacao manda
liquidar de harmona eom o libello p&ast dum-
nos claco, que i vista do seu julgado duas ron
cluses a elle nata almente se prendera e sao as
seguim- s:
Nao pdese dar a execucao sem previa liqni-
dac30-
Sem ella absurdo inqualiflcavel a seguranca do
juizo em urna execucao cujo valor nao se co-
nhece.
Nao poda n ex- qnente deixar de proceder a exe-
cucao a iiquidaco, para se connecer o val-r da-
quella e ler lug a liquidac--i pode dar esse resonado. Liqnida;-!..
o acto pdo qual se futa em certa somma ou quan-
tiJ.ade, a condemnaedo de um objeclo, cujo talor e
qmnttdade nao era antes determimvh Dr. ap
lisia Comp. ^ 186.
A uicoinpeteuria do juiz para reeeber o rmbar-
gos em auto apartad > nao sore eooie-ti.d, ;. -r
que elle o jint deprecado.
Opp-.n-lo ,e nrabirgos a carta execuioria de-
vera ser remeto los ao juiz deprecante. l':r*ira
e Souza nota 770.
Esa* inlerim-.uKirla, que receban os eraharir ><
! em auto aparia "Xecuiado uzar contra lia do recurso te amm<^>
i de insiru nenio, para o sup-rior tribunal da reta-
I cao, cura os fundamentos, porque ronrluimos a
illegalidadee a violencia de um aci>i un
caprichoso.
Que esse agitravo cora e litaavnlo i i m -
potencia do juiz ^u -ua deciso, doulno. correle e nui< bem au-
lunsada.
Os aggravos de in sobre materia de c.>in,ieteo.ia s i-peiit-i o cor- i
da causa, as.-im cono ile inc-Mii(e|etici.. V--
de 23de ma-co de 1786. Moraea Carvaibu, Praa*
Forense j 741.
O aggiavo de instrumento, quando v.-r-a -
bre a cumpelencia uu inconipeleiM-ia da jun- i
cao u-iieii-ie iodo o proces-al-.. Ord. L. I T
20 g 9 Pereira e Souza nota 652. >
.Neiu >e diga, que es-a parle di legi-la- i .
esla' revoga-la pelo rej. de M de mm** t M I
visto como esse regnlamento em o an. *|H in.n U
vig irar u que s c-mlem as oriUmrOes Ira e -
serii., que regiilam a ordem do jmtso.
Aiui di-so, Unto .1 lulrio.i correle, ipi- Jlo-
raes Oarvaln ; que eserev-u dppois do ri|al r -
giilaiiieiito, amonsa-a nv-ucioaaiKlo-a para aw
della sirvau-e como de uui.i aikgac.io Miz B">
casos euique f-.r ella applic-vel.
A ludo i .-so foi urdo o juiz municipal Fra*e-.-
C0 Jo- da Costa e Silva.
E elle havia deeMitlo, qiw a oa le ern i--
sejo de enlregar o enyriilio AraUugy a" e.i-ijue i
te como o limo generoso entrena ai ma-i I-
pai o dobro, fH adquiri pelo me>o fcil -le urna
occup^c.io rail-lica.
Pan-ta anula esse recurso, que ao tinha
exnedido. quanl i u ez.-qu-iue reijucreii nundado
de despe,o que foi lh- Cuiicedido
Emusaiii-la oineed-ria -" u-z arl
violento se mais Ihe fosse rnjueri I -e apreciar w papel, que repre-enu, eeci luid. oa
honra, vida o propriedade do Ci li-ii >.
Os canos de Ar^el e os a.io-,- 1 i
Azamlmja talvez fo-i-m rnai- c ,M.--
|coin a- sua- vn-uraas do que o Sr. C -
' para cura os seus de>affeicj)ados, qu* lera a
i Ucidade de le lo corno juigadur..
Sao >io smente esia- r-in-iilerac*--, ik ir
zemos a iuipren-a, a ir >ra uarrar- ;-.
que se deram na po- exequente e que Ihe foi conced lo
Expedid-i o mandado de despejo entend-u
i quenle, que Cu-i aiitori--i;Vi proi n i -
da po-ic.io de lente coron-l r. nnino .
: ti 1 i iiMinr da guarda n.o-ionil AeMMi
i va reunir Ion;a armada no -eu eageno-i } al n
duba combinado com o tenente corone i J i K
renlioo Cavcanti le Abui pier pie,
Auloriio de Carvalho e Al buque r pie. Jt.-n
res Carnpello Jarumo da Ga na, e -ej. p ,.. *ri
jinvadirem o engenno AraUugV e a f
I como auienurmeii'.e ditiatn e BNaatoOwa -- r-
servas, expeir a faun u o exe-ut i '.
ui'i alien l-r aus preceilo, que a 1
vilnlade inando, que u ciddo observe
Esees boatos aterradores nimio anle- -I-
ces-ao di mandado e..p,,pi,iJo-, deram a I
que o jote municipal M pr.-laria an :.',.iii-. fa-
virave- ao ex--q icnle, hawaMftl v
de.-airo-a- ao peii-auenlo da le e ao carcter o
; JUIZ-
E es-as noticias tizeram rom que o eseea
levaaae dina reprrscniac-io ao hourado Dr. strfi
de polica, p-dindo-lhe garantas, n
da barbara invasao, que se projerla-a. -le uj.,s
dadas Culll o IUIZ.
E o Dr. chefe d;- polica nao irepid- n ei
ranti i- ai cfaOBu, que a- | i i. e aflrioo a
leado de polnia de Ipomea, para une |
-euli--e, ne.o prest.se Pire-, para rimneliifr-m-
-e acto- de e-buliio, rj^ vi-Oeucia e O' de-r-;
('i nlra a familia do rxecuudn.
O acto praiic.nlo pelo clief- u> polici i
m-Ti;cer a menor c-n-nra,
>ila- allrib in;o-- dar garaiiiias ao ri-la-'o n
col da le e do direito, rumo Un.b- r. ripie
rom a aottasa da asMasali de (on;a armmi <
pna-.be lomar as ec-sarias pruvi I B
persa-la.
O delegado de polica m-jor TheotH
Vieira reieliendo a nrdeiii do chefe.
mente diripio-se ao eapafta Anatsgy. i
correle mez de Oezeiiilno e logu i
liuiliienu- Corder-. C nraeaolK M
Nicolao Rigueira Piulo de S eiza, iq i atu-
nicipal e este delegado Uo lermo V S
pala que dl-per-a-.-ein a p'i r-UMda
dola e pre-las-e Ibe auxilio uo ca- .
sen i-Tinn.
As autoridades d Sermhiea pe tar
il.-viam, r--unir.ini forca e dirigirn. ..
uli-i (Joitmduba ilo exequeole. pan
respailo da m o da orlem. anannai a t
e duS llilllles de sel! termo (do engenll-
enviaraia um ref->rro d- irinta pr.---
c.ndo, que no rele do l-J-lllr
exequeole invadir n lernm d- Ipojoc^ -
ra pala engeiili.i Sauli Clara, mn-|ii 'I' '
gua di>lan|e do engenho Aranlagy, iwr i-
Vaffl pelo pnz niilllicipal para reuiurem -- e vir- a
platicar ario le-oliaul---. -n [<-,. ,
,11-111 |ire|el|'lia po !-l- e li e\.- '.
O deleirado, com coniieciiiiento M ova-
sao do S--U lermo, dirig......mgjMt. tmx
ra, den ordem ao -xe-pienie. para que di-, er.-.,--
a forca crniiino-imeiiie reun i i e .~ ge,
alleiid-raiil a aulolldade. HM SM I
clamava.
Tomn entao ni paleo do eof
te. a um morad r, qu- eslava mmttsmwi
bello i fou;a armada, e a o;ca vi-t i I
va reservas, conservndole a'n-u.......
e ^eyondu iii/iain M m aaana
lambem invadir najenli i AraabM.
As dez hora- do da t inv.il' o juiz mor
nao BOm BeMa, que >e vi--e cal un -ni
nada, ma- cora grande numero de c.-v ,
referido engeahu, para ai-nr ao de-pe.
do, mas euasarvun a forra bem perlo d -
seniin to em una reuma i de ttSS/S il *m\
iraria e deila utili^ando-.-e, quando devia dasco-
ve-la
E' tn.-le a po-icio de joi/. qu se. coll'iea as ar-
di-n- de ii-ii* liarle, que na.i pr-teu-le (,;.i I
mea direito, mas que rom o direilu da forca preiea-
de empiegar a violenei i e o de-re.-peilo a le, coo-
tra o enla i.ii e a aul-iridate.
Todo fe o juiz municipal com sciencia aV*a
f T-; i armada.
elle talvez fo*-e o proprio a acoii-eh-r a sua
reuniao, para macular o direito do eSecutado, te
liedla garana- lega-$.
Apparereu u mandado : e ao --undo prsenlo
O execulad-i, sua-eiih-iri re.p'ndeu diz n-lo. qaa
nao poda reeeber por si -rnenle mlimac-s Jifli-
i-iaes e que aguardaste essa inliiiiaco, para quan-
do >i-u inaiido v.i||as-e.
Nesia occasiao no circulo da le e do iireii.i >
advogado do execulado o Dr. Joo (aiirabra cafen
o r-cur-o, que a le (acull, allegando a iaeua>ae
teora do pairo e oillias cansas (innatas ero iri ga-
ra impedir, que o aelo iliegil e arbitrario uvosee
o ile-.-pido ellelto.
(Juaiidu e.-ses recur-os pendan) em cartas leatr-
muubavei-i e em pei^oe*. pie o jmz re vbia, ^.ir i
.ipies-adainente in-l-terir ; um aovo manOaal 4e
despejo lol pa-sado na ca-a de vivemla .lo enf--
ulio Arautagy, para ser intimad i a t-oulia >io v%r.-
colado e a toda- a- pe-soa- que ah m acbavaiu pa-
ra incontinenti de-pejar-m o eageitlej.
E-camialo ni ludito !! Despejo s-ia pretedar a
acgi co.npeieiite I I 1
Mandado ilie^ai por cerio foi esse. Nem a bar-
baria com os horrores de -toas penas puderia laaa-
ginar pena peior para nina fataaliadespejo laraa
tmenti de um engenho I I I
Todo .lena fazer o Juiz municipal.
Ao reclainacoe- corara a rdate) latimada parx
lods, vieram de lodo-, e lodos failavam r. nlra as
iropebas e os escndalos pralicados pela aulonda-
<)e ju-iiciaria.
Einoo delegado de policia eomaMinicou-ih-.
que baVM mandado um tele^rantrna *< Dr. ebae
de polica, indiciando a Invasu da brea a pidan
do prooipio soccorro
Tudo euio sereouu e s a* sele horas da antie,
de-.-edia r-appa ceu o terror, quaatfu a X |ma
le no Hielo de graude numero da Cav*dieir<*. e>ta-
cioiiou -l. ir- ule da esa .le vivenda, lewdu viaMo,
como claramente duia buscar O jou I I t
Felizuieute s oaze horas da aoiie t^-mm a Dr.
chefe de i-oln-ia, que fe indagacd^-5 saaa a ei<-
lem-ia da forca. nmWmfSWSM *oi jentrmn, tn* ana)
so animaran a negar o acto criUHaasu, num
pralicado.
E de todas as indigacoes, que fez aiaa do em
da reumSo da forca, coaheceu mais um criase


M
na re de >Moda Quinta fefra f 4 fe
br *> ***.
Yalsidade pralirado por dous offl.'iaes de justiga e i
o sollicita lor Pedro Alexandrino da Costa Macha-
do falsitic .ndo um. ceriido.
C'im a le aa ma se evidencia, que o exnqo*u-
le eommeiteu o crime previsto em o ari. 1 i I do
<'."!. Cnm. e de esperar que seja severamente
punida.
O Dr. chefe de polica den garanta a todos, ohri-
gou os revultisus a dispersaren! a Torca sinm-nle
com a sua chegada, e o jan municipal recoohe-
cendo ento que o seu procedimentn era caprir.no
so e
Illm. Sr. Manol Gomes da Cruz, inui digno so
ci do mesmo Monte-Po.
Jos da Silva Loyo,
Presidente.
Joaquim Gerardo de Bastos.
2 secretario.
Monte-Pio Portiuuez.
A directora provisoria do Monte Pi P-riugoez
preiemie recolher at ao da 13 do corrente as lis-
Ilegal, reformou o sea tndefertdo sempre | us, de caja cobranca aioda nao chexoo o resultado
prorapto para as petigoes do circulado, ordeaando; ao seu c nheciment >, e por isso solicita de todas
a supenso da execucao at a extracao das carias. as pes.-ous. a queui diz respeito a enunciago deste
te.-temunhaveis. des-jo, que ne-se -cutido se sirvam envidar os seus
Essa a narrago flel ao'pensamenlo da verda- e.-fureos. A boa vootade ny* cavaineiros que nene-
de, do que se passou no encuno Aratangy no volametue se incumbirn) desU missao, junta a
das quatro, cinco e seis, das essesem que ahi es- boa vouiade dos signatarios das mencionadas lis-
leve o Dr. ctiefr de polica, tas, neivssariamenie prodimra o rffeito que tanto
Podem agora os leitoresavaliar o procedmenlo para desej r. facilitan.io a*sim o* segundos toa
do lenente-curuoel Gaspar Cavalcan de Albouuer- primeiros o ueserapeuno 'e urna tarefa, que deou-
que r.-na, reanindo forga armada para faier des- tra -orle se tornara eniadonha
pejir um eogenho a peso d'armas, e do juiz mu Passaodo a juia a 255000 a contar do Io de ja-
cipal suppleote Francisco Jos da Costa e Silva, neiro pruximo, conformo i-rereua o arl. 70 dos
calcando a le e violentando a justiga para praticar estatutos, de inleresse de iodos os signatarios de
um acto que pode ser considerado aafs' um favor li-tas reaii-arem o pagamento da sua joia qnanto
antes, nao deixando expirar o correte mez e anuo
sem o haverem feit>, mesmo porque, guardndose
a raaior parte para es* lempo, nao ser posslvel
lar lugar enlo o pagamento, ja por deverem reco-
Iner-se as listas e recibos nao pagos al ao di* t5
deste raez, ja por nao se poder depois mandar
receber de todos a um lempo.
A directora lembra igualmente a todos os inte-
Para OUbliCO f-a ll0Slr.Sraa Cama- ron*-*, que -.nda "de sua conveniencia o un-
r .;- ia_ mediato pagamento da juia, pois que s seis mezes
ra UlUUICipal UO LiaiueirO lef e depois de o fazerem, e .le estarnin em vigor os es-
tatutos (o |ue sera -.pportunamente aoonneiad)
a. seus amigos do que puro compritnento de lei.
8 de dezembro de 1865.

CORRESPONDENCIAS
embregados pblicos.
i ouvenciilo desta verdade que h> je, levado
nelas arbitrariedades que sonYeme* do Sr. Anlouio
Fet reir da Silva cal do Bom-Jardim, vimos a
seu conceptuado jorual, por patente ao publico a
ctiromca poueo invejosa deste senhor.
Suu liooii'iD donato, e compleamebte alheio a
todo este rebolico da senda jonalistica, e por isso
peco desde logo aos leitores, que disculpando mi-
cha ignorancia, attendam smenle aos (actos ial
qual sao.
K" lieui conhecido na freguezia do Bor-Jardim
o setiti r liscal, pelas tropelas e arbitrariedades,
que le.in commettido acutieri .do com a capa do i'in-
prego, que oceuoa; as multas que arl> trariam. o-
te um imposto, e que depois por pequeas pagis
das partes ten) dispensado, a troco, segundo dizenl,
do raspagaio de quem tauto gusta, e muitos outros
acls ai mranos, que tem pratieado, sao faelos que
e.-lo na memoria de lodos os habitantes daqoella
fregueiia, e que sao conhecidus pelos iufelizes
maiutus, qud frequentam aquella feira.
No eotanlo sem querer entrar na analyse dos
innmeros faci*, que a sua embriaguez l-ro praii-
ca-Jo, rxporei ao puoiico aqueiies que me diz-m
ni us de porto, o o< que e-tao raais em contacto com
O lugar Je inintia inoradla.
A poneos lempos u senhor fiscal mandn fixir
um edual em casa de Antonio Meod-s da R u-tia,
ordenando aos proprieiarius a regir sua* t.-rra>,
que fosseui limiirophes aos caminos e estradas, e
Stu al o da lo dejulho pas-ado.
tu e rniolia familia, nao calundo no agrado do
senli .r ti-cal prucuramos, desde que livemos s.-ieo
cia de dito eiiial, cumpnr o mmdado, me-mo por
que ja de a muito sabamos de sua incejada
elin inca.
No principio do mez de jullio rogamos todas as
nnssas ierras, que se achavam CaMnprebendidas na
urdjin do senhor fiscal, cuino publico por lodos
ni u- visiohos; mas qual n:i.i foi no-sa surpreza
sa iodo que 0 Sr. Antouio F--rreira da Silva, nos
havia multado por nao ler rociido nossas terrea
limilrophes ao caminliu?
I(. cuiieci-nd i quai era o ftm do senhor Bucal em
nos multando, que era s.nenie para vengarse da
pequeua iotmisade que nos Votava, nao darnos a
menor mporiamii a dita multa; eenta pr.cura-
in >s fater urna representaga-i, a iuusiruna cmara
municipal, as>iguada por todos os moradores da
Vlslnllalica.
Ain la nao livemos decisaoda illustrm cmara,
e por isso desde ja prevenimos ao publico, que a
havemos .le pubcar.
Cuintudo, faiando-me esta Vlsio da illu-irma
cmara, aprecu me em por pat-nte ao publico
quem o Sr. Antonio Perreira da Silva.
N. occasio em que famos multado tambjm
urtfTieu a inestna pena Duunntios Cabrai da Silva
Cusa, nossu visiuho; puim o Sr. Cabral, tomando
u trxpeuieie de eolendfr-se cora o senhor liscal,
para dispensa lo da mulla, fui mais fe iz do que
nos; porque e>te senhor, receben lo do Costa, a
instguilicaate quaotia de qumiieutos ris, o livrou
da mulla que liavia i ocurrido.....
E lira o senhor fiscal, que nao exacto este
fac..?
r.ui lempo o provarei.
O seuiior liscal, c|u^ tao cumpridor da lei se con-
sidera para Cora seu* d-safeclos, praticara o mes-
mo oir.i con) seus amiKos?
Al i iKUai pira lulos,diz-nos altamente nosso
pacto funda.iit-nial; no enlamo o seunor fiscal, ca-
l.ii 11 .--te preeeito da lei, mulla a seus desafectos,
emb >ra looiMn cumprido seu d-ver, e deua isen-
to della jo leoeule-coionel Jo- Pnum d .. i:-.ipneiariu das Ierras Coilipreheo Jldas eOlre
baii i di Tape e Mauso, que a muiios anuos nao
roca os canutillo-, con iirvjuito dos viandantes,
que mal conhecem o irilrio por onde trausuam;
de xa anda passa por alto a (ande barreira, que
exi le em frente da ca-a de Louien<;o (Jumes Pro-
Copiu, ij:ie Uulus daninos lem causado aos que
transitis a estrada puldica desta ciJade para o
""''"'"' o r. i
T i lis estas tropelas t-m praticada n Sr. Feriei-
r, seiu que a eousciencia se que a tem, liie re-
m..r.li pralicanlo untas injusticas.
Cilnei mudos acto-, que sel, por ouvir diz-T,
ter o senhor fiscal prato -ido, hem como a cele-
lien una multa de um Tn.rnaz Crianea, do B un
Jar.lim, dd quein S. S. receo-u mil mil ri<, para
seus arraujuS parucutaie*, e depois, o uobre pa
cente, vi o se obngado pagar viuie tantos; a da
vi.iv i P. re |UI i de quem dispensou a multa rece-
ben lo a gr->tilicaC/io de. 85, para o mesmo fl n ; e
multas nutras nnuoo-ras jue em sua mbrUguet
tem imposto, e que faz vergonha ao luais losignli-
Cante individuo .le nsa suciedad.), cujos actos
ii.i me faz corar as taces.
Termino aqu deixando de mencionar, os que
e-le -eiinur pretende praitcar, e que teto a sem
Ceremonia declarar, quando entrar no excr.-icio de
suti vi ado,. de que lufelizmeule qu-rto sup-
plrllle.
I' i-, portaolo, a illu-irissima cmara municipal,
que lome em WOfMeracAo tantas arbiiranedad^- a
bem de seus muuicipes
Mamadjnna, l de novembro de 1863.
Juaquim Qnmtt de OUveira.
cao, de que even(nalm<>nie po-sam vir a carecer,
.secretaria no M nte Po Porluguez em Pernam-
buco, 6 de dezembro de 1865.
Jos da Silva Loyo,
Presidente.
Joaquim G-rardo de Bastos,
4o secretario.
HUMA VIDA SALVA!
Nao temos conhecimento algum de nenhum
caso que to perfeitamente mostr d'uma ma-
neira a mais clara e persuasiva o poder da
Sciencia ledica sobre a molestia ; qual seja o
de Antonio Joaquim Pkreira, da Babia.
Este homem infeliz havia mais d'um auno que
soffria as dores as mais atrozes e pungentes
proveniente de
Troze
Terrveis Chagas Abortas
espalhadas por sobre differentes partes Be sea
corpo, sendo ama das quaes sobre o peito do p
urna funda e maligna chaga, a qual o privara
de andar, cauzando-lhe as dores as mais agoni-
santes quer de dia quer de noute; continnadav-
mente atormentado por taes afliccoes e dores,
e quasi que aborrecido da continua^ao de sim-
ilhante vida, tendo posto de parte toda a f e
conanca em medecinas, e na realidade parec*
qu para elle nao lhe restara mais esperanza
algnma; asshn pois resignado esperara corn-
pacicncia o termo final de seus mutiplicadoi
soffrimentos, eis que milagrosamente por for-
tuna sua lhe receitarSo o grande purificado
do sangue
A Salsaparrilha
DE BRISTOL
e mediante a sua grande efficacia e excell enca
elle se achou dentro de pouco tempo, livre de
seu irremediarel estado de desespero, e a doce
e risonlia esperanza tornou de novo reviver
em sen corao; sob a poderoza e benvola in-
fluencia dcste admiravel medicamento, as suas
chagas em breve principiaro assnmir um ca-
rcter favoravel diminu ndo o aspecto de sua
malignidade A massa do sangue e mais
humores do systema tornou adquirir ama,
apparencia clara e saudavel, as dores ator-
mentadoras d'outro ora o deixaro, e urna doce
e suave trunquillidade principiou precorrer
todo o seu systema, restaurando-lhe a desejada
paz e socego d'espirito; as chagas urna urna
se foro fechando at que finalmente se cica-
trizarao d'um todo, e hoje acha-se perfeita-
mente sao, gosando d'um peifeito estado de
aude, depois de se ter visto privado d'este
grande gozo durante mais d'um anno. Elle
durante esta sua cura, apenas fez uso de
Des db Bristol. preparada exclusivamente por
LANMAN & KEMP,
De NOVA YORK.
Reeommenda-se mu particularmente aos
Doentes d'ambos os sexos, que empregnem
toda a camella na escolha d'este adnravel
remedio, afim que nao obtenho outra com-
posH,ao qualqubr, que nao seja a Salsaparril-
ha Genuina de Bristol, pois que todas as
mais preparares e imita^oes d'esta natureza
sao falsas nao possuindo virtude algoma.
Ven.iee na.s tmticas de Caur> A Barbosa
e C. Bravo & G.
ATTENQaO.
Xa cope alcho.ilico de veame, preparado
! palii phdriiiaceuiico Js di RochaI'a-anhos,
estatiHieciilo com tiotica na roa Uireita n.
88 em Pernauhiico.
E.sie xarupe ioe >ntestavelmerile superior
a linios na ar..|is d-puiativu-, de cuja
coiiiposierio o sen mai>r ele ento a salsa
p-trriliia, iois que se tem conherulo ser o
(Corrrspundrnaa.) ~ velante mais enrgico para a prompia cura
Uireei.ru prvi~)iU do Monte Po das lulesiMS, cuja base essencial depende
a honra de comm micar a V. S, da ,jUrilii'acao do sangue ; asstm |mis se
ggmjjigjM A PEDIDO
lloiite-Pio Portusuez.
clmente, e em pouco tempo o rheuma-
tismo.
Adverte-se que o verdadeiro xardo eso se
vende nesta cidade na boiica cima indica-
da, do abano ass gnado ; e em outra qual
duer parte que se ten aimonciado nao da
mesma comiwsigao, e nem o abaixo assigna-
dv* se respousabiiisa.
Jos da Rocha Paranhot.
C0MME1CI0.
PRAgA DO REPJFE.
Cotaces offlciaes.
13 de dezembro.
Algodaodt Parahiba 18000 por arroba posto
a bordo.
Cambie sobre Londres 90 d/vista 28 1|4 28 l|2
d. por mil ris.
Dubourcq Jnior,
Presideute.
Guimares,
Secretario.
.Voto banco de Peroam
bnco.
0 Novo Banco desconta letras a 12 por cento
ao aono, toma dinheiro a praso fixo ou em coola
corrente pelo premio e coo.iicSes que se conven-
conar. e saca sobre a praca da Bahia
Caixa filial dobaoro d Brasil em
PcPBambuco.
A caixa descorna as letras da sea aceite pela
tai xa de 9 0|0 ao anuo.
Ogoarda-livros
Igoacio Kanes Gorreia.
Calia flllal do hunco do Brasil
em Peraambuco.
Tendose dnseocaininhado da massa fallida de
Guilherme, Carvamo 4 C. o recibo 15 accos
das localisadas ne.-la caixa, sob ns. 2787 a 2801,
nertenceotes a Guilhermw FredVnco de Souza Car-
valno, socio daquelia urina, a directora fai publi-
cj a quem interessar possa, que por parte de Jus-
ino Jos de Souia Campo-, adminisirador da re-
ferida massa, >e vai proceder a transferencia de
ditas acc5es para a Sra. D. Heoriqueta da Silva,
actual pnssuidora das me ta publica comprado, como tudo provam com do-
cumentos que licam archivados nesta caixa.
Cana filial do banco do Brasil 30 de novembro
de 1865.
O guarda-livros,
Ignacio Nuoes Correia.
ALFANDEGA.
eudimenio do dia 1 a 12...... 280:83i5i9i
idem do dis. 13............... 43:817*013
3"2'i:6995307
II in. S^.A
Poriuguei t'-ui
,L- ,1a quanl.ad^qu.rentamilr.s.queV. -. ** ver.fi^du por mudas Pe>s..as que M)
se servio entregar lh-, iiupirtanc a e-ti dasjoias acliavain deSfr guiadas, as quae.s achau-.-e
M iute- io, inclusive
h je r stalieli-cnlas c im o referido xarop*
alel.lohcn ile velain^ ; entretanto que al-
guns, tendo itstdn do xaiope oe lUirinier,
de Larrey, de salsa parrilha, de saponaria,
ole i de uoa lo .ir bacalliio. e outros agenies
de quairu socios do m--m i
de V. a.
Ag i.lecen.Kj lhe cordialmenle a hondade com
que ?e presin a satifazr o pedido deu iiirecio
ra, .-II i aproveiu o eo>ejo (>ara lhe a^seijiirar ao
me-oi i lempo os seos sentuneotos de estima e coo
'!'"""' ., m .. o detta ordemna Ueus guinle a V. S. -Secretaria do MoniPin
Portu^uez em Peroambuco, 13 de dezembro de
18155.
l.i u. Sr. J >s Antonio Ferro de Figueiredo, mu
digno .-ocio do niesiuo Monte Po.
Ju> da Silv* Liyo,
Presi 'eme.
Joaquim Gerardo de Bastos,
t secretario.
MOV MENT 0A ALFBEGA.
Volumes entrados com fazeodas------ 363
i c com geoeros..... 478
Volumes sabidos ce ni fazeodas.....
< c coa geoeros.....
com
-------- 841
182
730
-------- 912
Desearreuam hoje 14dodezembro
Barca ingleza fionafcl cerveja e gigos
luca.
Brigue inglezJfarfbacalho.
Barca ingleza Dolfine -carvo de pedra.
Brigue inhiezPara -dem.
Barca inglezaAnnr Lojunidem.
Barca inglezaCoreararvfn de pedra.
Escuna ingleza- Mucluefcarvo de pedra.
Patacho nalezFotn-diversos gneros.
Patacho nglez-flose't'ii/inachioas de descaro
gar algoJo
Rarca prussianaC/ncfriu/'-farlnha de trigo.
Brigoe porluguez8Wf.i Fiquerense pedras.
Patacho hespanholScO'isidovinhos.
Patacho austriacoEsperunra diversos gneros
de esliva.
Barca inglezaMirandadem.
Karca nacional hialina enarque.
Barca nacionalSan/'i Maaidem.
Brigue porluguezImproviso i.lem.
Patacho porluguezFurto i tem.
PaUcbo oiieuial Santo AqostinJio idem.
HECEBEDOUIA DE UENIJAS INTEHNAS
BAES DE PEIUN'AMBCO.
rfendimento dn dia I a l...... 10:4314804
dem do da 13................ MSI*
GE-
11:37(>43IS
CONSULADO PROVINCIAL.
hendimento do da la 12.......
Idem do dia 13...............
64.8355723
4:9024611
69.794*134
MOTIMEBTO
SO
TO
Navios mirado s no da '3.
B irdeaux e porbts intermedios 17 das, vapor
francez Extremadttre, de 1279 tonelada, com-
mndame de S mier, equipagem 123 carga fa-
zeodas e outros gneros.
Bania 13 das, patacho inglez Romeo, de 210 to-
neladas, capitn Wilham Pet-r.-on, equipagera
8, em lastro ; a Wilson & H.ill.
Tr-rra-N'ova ij oas, brigue inglez Waller Baine,
de 228 tonelada- capito Th.nna?. Daris, equipa-
gein 13, carga 2970 arricas com bacalhao; a
Joiin-tou Pater 4 C.
Nova-Yoik 43 uia^, patacho inglez Rnsenay, de.
208 toneladas, capitn ooluiau, equii-agem 9,
carga taboado e ouiro- gneros; a He,nry Fors
ter & C
Monto sahido no mesmo dia.
Aracaiy Hiate brasileiro Sania Cruz, capito
Jo Victonoo das Neves, carga differentes ge-
nero*.
Aracaty Iliaie nacional Novo Invencivel, catii-
to Joaquim Antonio de KigueireJo, carga diffe-
renles gneros.
Rio de Jaoetro e BahiaVapor francez Extrema
dure, co mandante de Soiner.
Rio Grande rio Sul Brigue nacional Prazeres,
capito Jos Coelho de Carneiro, carga assucar
e aguardeute.
Liverpool Brigue inglez Ella Bruce,capito Light-
body, carga algodo.
Estado Brigue iuglez Chanleclier, capito Ma-
letn, carga a^sucar.
P.rtos do NorteVapor brasileiro Persinunga,
commandante li -lunro Baptista de Souza, Carga
differentes genero*.
Observaqao
Fnndenu no lamaro uuh barca ingleza, mas nao
leve commuuicaco com a trra.
SDIT1ES.
fcil dtgestan, agradawl ao paladar e ao nl-
phat > Alguns uieduos desia cidade e da
de Macei o teem recoiumendado para a cu-
ra 'las
Impiden*, tinha, esrrophnlas,
Tumores, ulceras, esciufinlo,
C;iNi'i -, sarna dr generada, llux-i alvo.
lo las e>ls affectofs provm d-. urna cau-
sa imerna ; ikm lia pus razao a pruna em
crr que ellas se podem iirar com remeilios
exiernos. Tainti' m se pre.-creve o xar pe
lllui. Sr. Cnub-' hontem a esta directora provi-
soria a satl-fac.lo de receh-r con) O seu aprecuvel
olllcio a .planta de cem mil ris, sendo mienta 'las
jotas de oito ocios por V. S. agenciados, e vinte alel.m ico de vtame p>a o tralauieii'0 das
de mi epnotanea co'itnhU'c.
A'**, caba'menie pr-enchi1a a incumh -nci i
que V- S. e d'gnni assumir a convip desu .lirec
ton., paia esia cumn-iin^nto de um agra.livel
d-ver te>t.-innnhar a V. S. quanlo a deixa penho-
rada o sen obaequioso prnemlim-nto.
D-us guar,ie a V. S. Secretaria do Monte-Pio
Porluguez em Pernambuco, 13 de detemoro de
1865.
O Dr. Tristo de Aleocar Aranpe, offlcial da im-
perial ordem da Ho>a, juiz dediieito especial do
coiomercio desu el lade do Recif* de Peraam-
buco seu termo por Sua Magesiade Imperial o
Cooslitucional o Seohor D. Pedro II que Deus
guarde etc.
Faco saber an que o presente edital virem, que
uo da 14 de dezeinbru do correte anoo, as II ho-
ras da mauha ua sala das audirucias lera lugar a
reuuio dos credores da ma-sa fallida de A. B
Cuervo & C, aflin de se cumprir o disposto no art.
V.' (-11 do ttt* '" cdigo commercial; advirtiudo porm, que
uenliuui credor Sara aduiitndo por procurador, se
esie nao liver poderes especiaos para o acto, e que
a procurarn nao poJera ser dada a oessoa que so-
ja d.-vellora dos fallid.i<, nem um mesmo procura-
dor representar por dous diversos credores; ou-
trosim, que se.ro unidos nos volos da maioria dos
credores preeules, os dos credores que d ixarem
de comparecer.
E para que chegue ae conhecimento de tolos,
era publicado pela uoprenca e adiado na forma
do estylo.
Recife, 12 de ootnhro de I86>.
En, M inn -i de Cirvalno Paes de Andrade, es-
crivao o subscrevl.
Iristao de Aleucar Arartoe.
aflec-coes do sysietfa nervoso e fiDroso, taes
orno:
G'itta, i lieumatismo, paialysia,
Dir*, uiipotencij, esterinda '.e,
Muasuio, hyiM>condria, emma^re'imento.
O xaro,ie tic ool co de veame sobre
tudo, da maior utiiidade pera curar radi-
OECLUCOES.
Arsenal de guerra.
O c.on-elho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o seguinte :
Para o 3' barahao da guarda nacional.
400 booets para seWados e inferiores.
400 ditos redondos.
17 ditos a Cavanhaqoe- adra cornetas.
17 pares do charlateira* para ditos.
400 mantas de la.
27 bandas de la.
2 devi.-as para sargento ajudaote e qaartel-mes-
tre.
i espadas para os ditos.
2 talins dem I tem.
34 cordes para ca nudos.
17 dito-i para cornetas.
17 cornetas de loque.
1,376 metros de panno azul para fardas.
1,848 ditos de dito para capotes.
924 ditos dp baeta verde.
34 ditos decasemira encarnada.
229 ditos de aniagem.
917diio< alg-idao/.inho para forro.
2,00 ditos dito para camisas.
4,400 ditos de brim branco.
3.6| boloes grandes de metal ama/olio.
3.753 ditos peifuenos idem idem.
1 bandeira imperial de seda com ha 2 capas de brim e oleado para a mesma.
. 1 porte com gaiao.
Para o 4 haialhao de voluntarios.
2 cornetas de loque.
200 booets redondos.
As pessoas que quizerem vender ditos artigos'
apresentem suas propo-tas na sala do conselho de'
compras, as II horas da rnanha do da 16 do
correrte.
Sala das sessoes do cooselho de compras do ar-
senal de guerra 13 de dezembro de li65.
O encarregado da escripturacao,
Manuel os de Azevedo Santos.
Santa Casa da ilis-nconlia do Recife
\i A Illm." junla administrativa da Sauta Casa da
Mi-i-iic .ma do Recife, manda fazer publico que
no dia 14 do correute pelas 4 horaa da tarde, na
sala de suas sessoes, tem de ser arrematado o for-
necunento dos gen-ros em seguida declarados, que
houver de consumir os diversos estabelecimenlos
pios a cargo da mesma Santa Casa no trimestre de
Janeiro a marco prximo futuro :
Estahelecimenlos de cand.de.
Manteiga fraoceza, libra.
Caf em grao, idem.
Cha preto, idem.
Cha hysson, dem.
Assucar refinado I* sorte, idem.
Dito dito 2' .-orle, dem.
Dito em torr.io 1* sorte, Idem.
Arr -./ pilado do MaranhaOi idem.
T meinlio de Lisboa, idem.
Bacalhao, ideiik
Tapioca, idem.
Alfti ta, dem.
Carne seca, dem.
Sahn amarello, idem.
Fumo, dem.
Velas de carnauba, idem.
Dias de spermacete, dem.
Farinha de man noca da ierra alqueire novo.
Vinho nulo de Li>doa. garrafas.
Dito brauco de Lisboa, dem.
Vinagre de Lisboa, Idem.
Agurdenle branca, idem.
Fei|o oiulatiuho alqueire novo.
Azeite doce, carrafas.
Dito de carrapaio, Idem.
Cebla, cento.
Farello. sacco.
Carne verde, libra.
Bolacha, Idem,
Pao, idem.
Collegio de orphos.
Manleiga fraoceza, libra.
Assucar refinado 1* sorle,. idem.
Dil-i dito 2" sorte, idem.
Caf em grao, iuem.
Cha hy>si), ubra.
Airoz pitadodu Maranho, idem.
Bacalhao, idem.
Batatas, idem.
Alelria' idem.
T-jucinli.i de Lisboa, idum.
Ceblas, cento.
Farinlu de mandioca da ierra, alqueire novo.
Fcijao .nulaliuli >, dem.
A/eiie de carrapato, garrafa.
Dito doce, dem.
Vinagre de Lisboa, idem.
Sal, cuia.
Li nhi em achas, cento.
Carne verde, libra.
Dila seca, dem.
Bolacha, dem.
P;iu, idem.
As propostas devem ser especiaos ja para os es-
tabeleciineolos de -aridade e ja para os collegios
de orphos, sao tarali-m aceitas propo>tas de car-
ne verde ou de pao e b laciias para consumo dos
hospiaes Pedro II, dos Luaros e para a casa dos
expostos.
Hec.ommenda-se aos concorrentes que observem
em suas proponas a uvdnni, peso, medida e quali-
dades indicados na relacao dos gneros descnplos
neste editaL Ne.-ta secretaria -e daro os esclare-
cimeiitos de que os concn entes precisaren, e no
acto da arremaiaco deveran cues comparecer com
seus dadores ou munidos de cartas darte, que fl-
carao re-ponsav.-i- pelo inleiro cumi.rimenlo dos
resp -ciivos contratos.
Secretaria da Sania Ca a de Misericordia do Re-
cife II de dezembro d*. 1S65.
O offi'-ial,
Hannej Amonio Viegas^_____
Onselh' de compras itavafs
Nao achando-se amia c .intratado o fornecimento
de carne verde, para o- navios da armada e estabe-
lecuneutns de marinha no trimestre -le Janeiro a
marco prximamente vindouro, pela exig acia -le
alto- precis, o conselho manda faze.r ouliUco que
para is-o e crrente mez. d.-vendo cniHenuiuteinenle os que
prelend-rem desle fnrnecunenio apreseular nesse
dia suas pmpo-tas em cartas fechadas al as II
horas da inanna.
O conselho no mesmo di i 16 do correle mez
proinove a conpa de 60 palmos de varanda de
ferro fundido, e cjntrata mai< o seguinti: P'ir
lempo de seis mezes o fornecimento de rarv> oe
pedra para navios da armada e e-lahe'eciinen-
tos de marinha ; e por tres mezes al uurco pr-
ximo o fornecimento de saiiaio-- fetos no palZ,
cobertores de la, colchas de algol.io, e leng de
seda preta para os aprendlzes arlilices, sapaio-s
fetos no paz e lencos de seda p eta para imu-
riaas manheiros aproa Uzes ditos, grvala* .le
couro de lustre esapao-* fetos no pao. para fuzi-
leiros navaes.
Contraa igualmente o conselho no m-ncionaio
dia 16 do corrente mez o foroecimeulo de frdelas
e caigas de panno aml nara os guardas da cumpa-
nliia de apren-lize- artiti es.
Pr.imove o conseino a compra da varanda de
ferro, e effeetna os contratos acerca dos forneci-
mentos df carvj de pedra e de nhjectos do farda-
ment avista tamtiem de propnstas receidas em
cartas fechadas naqueile da at s II oras da
manha.
Sala do conselho de compras navaes 13 de de
zembro de 1865.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Aojos.
tara o Kio de Janeiro
Va*sabir cora bravidade o brigue "oVIai-Je
por tec a maior parle de se carregamento trata-
do ; e para o que- lhe laiu, trata se com o consig-
natario Joaquim K C-mcalves Beitro : i ra
o Vigario n. 17, t* andar.
Rio de Janeiro.
Pretende wguir com muita brevidade o brigoe
oacional Amelia, para o resto da carga e pasacei-
ros que lhe falta tratase com os seus consignata-
rios Antonio Lniz de Oltveira Azevedo & C, rna
da Cruz o. i.
Tea bajas commodos para passageiros e es-
cravos.
CtfPASBIA" m\SILEIX\
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos porto-; do norte e-perado
al o da 16 do corrente o vapor
Tocantins. commanduite o pri-
ineiro lenle Araojo o qual
depois da demra do costume se-
guir para os pnrtos do sol.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder cooduzir .a quil dever
ser embarcada uo dia de sua chegada. encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sabida as 2 ho-
ras : agencia ra da Cruz n. 1. escriptorio de A li-
nio Luiz deOliveira Azevedo 4 C.
Para a Ilha de S. Mi^neL
Do Rio de Janeiro esperado o patacho portu-
gaez Fernando, o qual lera' ne-ia pouca demora,
por ter meiade de seu carregamento prompio :
para o resto que lhe falta trata-se com os seus con-
signatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C,
oo seu escriptorio, ra da Cruz n. I.
Para o Porto.
Deve sahir com hrevidade o brigue porluguez
Bsperangii por ler a maior parte de seu carrega-
mento ja' tratado : para o resto e passageiros tra-
ta-se com Cunha. Irmos & C, na ra da Madre
de Dos n. 3, ou cem o capito a bordo ________
Illia de S-Miguel
O patacho portuguez JORUENCE, s-gue cora
muita brevidade por ler a Bator parte do seu car-
regamento prompio, para o re-lo da carga e pas-
sageiros trata-se rom o consignatario Joo do Re-
g Lima, ra do Abollo o. 4.______________
Para oRio de Janero
Segu
carga e
a barca brasileira BooMfM recebe
escravos a frete : a tratar no escripiorio
d'Amonm Irmaos, ra da Cruz n. 3, cu com o
capito Francisco Luiz de Souza Jnior, na praei
do Commercio.
m\
Pretende sahir em puncos dias o patacho Pa-
raense por ter o carre.'arneuto quasi Completo, e
para o pouoque Ule taita, traale com o consig-
natario Joaqmra Ji- Giicaives Beitro, na ra do
Vigario o. 17, 1 andar.
IiLB5.
He nm snb-ado il um aliar e soln na
traves d-is QiM' li-is 35
O agente M'rtms f-ra leilo legalmente autori
sado de um sobrado de un andar e soin Uo na
travessados QiiarWs o. 3>, terreno foreiro e reo-
de meosilmeule 425-
HOJE
No arma-.em da ra -laCncia n. 8, as II horas.
Leiiao
l)p. veis.erystaes, joias de prata. re
8 e nitros muins irtigM de
,g
gusta,
iioji:
Quinta-feira 14 do c-irrento as II huras.
AMERiCO F. S faca' leilo por coota dn diver-
sos amigos de tolos os movis, crysiaes, j das de
ouroe prala e ontrn minios artigos exi-i-nte no
seu armazem de c iinuiisses a ra da Cidea Ou
B'-cife n. 8, cojos obieetis serio venUiios pelo
maior pre^o por inlervenco do agente HartlttS.
fi j ;
0 agente Martins fara l-uo por ordem do Illm.
Sr. Dr. Can.lino ue Araojo Guimaries, cnsul por-
luguez, d duas mesas grandes, 6 cadeira*, non
inarqueza, urna conm ola velha, um mocho, un
espe ho tima cama -le armtcio io lo prin*nle
ao es .olio da fallecida Justina Mana da C-mcelgo.
No armazem da ra ua Cadete do Hecife o. 8, as
11 horas.
LELAO
mus aiAwraii,
COMPANHU B iASIEIRA
DE
PAQUETES V VAPOR.
E' esperado dos portan do sul,
at o da 14 do corrente, o vapor
Paran, commandante o capito
de fragata Antonio Jnaquim de
Santa Barbara, o qual depois da
demora do distme seguir' para os portos do
sol.
Desde j recebem se passageiros e engaja-se a I
carga que o vapor poder cadu/.ir, a qual dever
ser embarcada no da de sua chegada, encom-1
mendas e dmneir a frete at o da da sahida as
2 huras : agencia ra da Cruz n. I, escriptorio dn
Antonio Luiz de Oiiveira Azevedo 4 C. _______ .
COMfANHlA PER.VAMBLANA
Xavej; ca* ent-'rn por v;ipor.
Para Fernando.
Segu nu da 14 do corrente, as
9 horas da inau'ia, o vapor na-
cional Mnanguape, commandan-
te Ralis.
Rea-elM ca. ga, encommenitas,
passageiros e dinheiro a freles at o dia 13 as o
horas da Urde.
Bscriptorio na Forte do Mattos D. 1.
De urna pancada ra onipi.-ta para msica mar-
cial, nova e com h->ns ons, estantes e cahides
proprios para socielade pariiculare<, io-tru-
ineiitos diversos bem como : saxes, troioann -,
baixo-ciarecorue., cirmelos te, balices para
estantes e mais nerlenceii 40 msica.
Sexla-fcira Ib do corre oto -s II horas.
NO GKANE AKMAZEM DE LE LOES
UO \GEVTi-'
OLYMPIO
36 Km ua .a.ieu o toconc J
r/'(iV< serrmwil-
t) I milulia de Jacaranda com lampo de pedrai
grande quanii lade de ohjeclos de ouro e prata,
reloaio- de div-rsas qaali lad->, apparadores .le
mogn, ornas fiancezis de |acarada e amare)
lo, guarda Vestid >, miar.la l'UCa, 1 luslruui ntat
co' pieio para u ua mu-ica e ouiro< muitos ar-
tllOS.
Sexta-feira lo do torrente as \ I horas.
\ilC.\NnE ARMAZEM I") MiBirS
OLYMPIO
36-RUA DA CADBIA Du HE .11- E -Jo
Leilao
De um caixi) cm chapeos d Win
para senhnri inrcs lonlrio alindes
a requerimenio do capito da e-cuna ERNESTINA
naufragada ua barra il, A'-arar e despacho du
IIim. sr. Hr.juii de direito oapnejol do commercio
fara leilo de urna c.a.xa com ch.pns ile fellro
para senhor>s, o i|uai se ortla depo-uado na al-
fanieua, cuj leilo sera offe-tuad) na mesma re-
partiyo e cora MaMeaeta de um empreguto, isto
no da
Sexta feira 15 'lo corrente as II horas.
LKILIO
Urna Una victuna, pelu agente Pe>tana
Quinta-fuira 20 du corrente.
O agente P stana la a leilo uo oa qninla feira
20 do crrente o< prM da Aiw<0>eio ChUMOjm
Cial BeneHceute, de nula Iluta vicinria. forraOa de
Seda e couros Oe lustre da melhor quaiidade, cm
arreos de metal prmcipe muito lio>, Uin carro
de inulto go-loe prnpno nao m waia quein esiiver
passaudo a festa fora, como par* quaiquer seunor
de engeuho p*r ser muibi leve e forie.
AfISOS MTEMto\.
GARKAUX DE LAILHACAR & C.
LIB.iAiRIE FMNCJISE
Rna I Crespo -
LIVROS NACIOVAES E H>TR iNCEIRO^
Religio Pbitesapbi Jwis rudencia -Lit era-
tara, Scieucus e artes.
Papelari, obiectoa para escriptorio.
LOTERA
Aos l:0005000. 3:0O>v|0UO, MHM
e OiiOOO.
Para as baas fes as.
Corre lia ta ue*le
Acau-se a venda na respectiTa
rafia os bil etes, meius e quintos la
parte da lotera em beneficio das bu
dos voluntarios da patria, cuja Mtri
ser no dia mencin lo e uo lugar do cas-
tume.
Os premios de I0004000 at iOMOO
serSo pagos urna hora ie|wis da extracta*
at as i horas da tarde, e os outros depus
da ilistriluiic;iii das listas.
As encommendas s sern guardadas at*t
a noite da vespera da extraegu.
O tbesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de ^Mi^ax
lASA DA FORT^r
Aosl..:Oia)W)i)
JeMfM
9UM4M)
5t>OdO0
Hllhetes caraalllfi
A' RA INI CRESPO >- K CASAS DO UISTrUl
0 abaixoassignad" vendeu nos -eu- mmiofel;-
tes iiiliieies garaotidos da lotera .ne M
de exiratiir, a beneticio d;.s familia- :
torios da patria. o- -esininie- prmio* :
N. 619 dous meios rom li.OOO?.
N. 2Xi 'loas .punios com oni.
N. 37ol Uous quinlos com ioui.
E juiras umitas surtes d tuuX, W$, '.
Ospo>suidorrs podem vir recefter
tivos premios sem os descomi, das leis oo Casa
da Fortuna a rna d Crespo o. tX.
AcQam-sea venda os da P parte da lotera.
(42") a beneficio da* familias d-s voluntan >*
da patria, que se exiratura a 2o do correaMe.
PBt'.O.
Bilheles '. liSiatW
Meios...... 64000
Quintos..... 23V*
Para as pessaas qnr comprare a OOto
para cima.
Bilhetes..... ti* i
Meios...... TtiSOO
Uuinio..... 1iki
M\N0L M-.aTIMs KiliA
Sociedade de seguros mu-
tuos sobre a vida
kwmim
O banco iIMhOOPJ d) Porlo tenlo ..-,! .-htn
esla Socielad.- cl.-uaixo de -n i i.ii'i !i r .
e respou.-alolida le, facilitou a ce..."'
dotes, rendas, pen-5-s. isenro-s do >-rvie tis ar-
mas, etc., por meio de -ub-cri|H-i>s uc .- i n
nuaes. a- qo.ies convert'as ern 'n-cri: da
divida publica, de renda nacional, e da ni .a lor-
ina OS juros seme.-liaes qu ""-
rendo, li,-..m por nm cerio oaowN d- oo *m
deposito, al que, (inda o .ra.....
ritstitoittos aos socios com r.s nteres--- ni -
dos. Iiein como as .pie >-r!eiicerem aos a
fallecid s, visto que de-tes sao h -ril-rr -
VlVenle.S.
Pela enirenho-acomhnac.io econmica arioonofli
n<- calculo- de.-!* s-.ne Ude. v-... n i- o m
entrada anmnl a- iOJOoO, i.-.r -'X-mi-r>. .'
em 5 aun a INSUDO a .r3oS 01. -"< 'O I
a 2:OlH-aO00. em 15 .'iroOOjuno % .-H'-V --n
20 8 IHNijiMN) a lO.OllOiOiNi. ein i"i IM II -> 1*1 <
25:oiK)5ilHi, c informe i la le do indm.iu.. ...ferp
quem f i > o ufio. p-o- -i no n- o *-f i
culo- culi-se i-,),i, a ni'i t .i i
de de doraco de vida.
Esta s i.-ie la-le I -..rTetn 1 v;in' i; .-a i '-*<
de familia, vislo que Pies fr'lllli -') -' '
fond :ci. lie un r il .i ao i n -'i
liilia-, .se'.'.iranlo-o- juan lo OOOOOOI
si > enanca.
Qoein, |e-is, mls cir- om-Uncia I.
iles.-jar -otire t.l lorieOadV. oO *-r
como s i-io della, dirij--.- a ra l.i Sa4r* Deus n. 28, un-le se pp.i-ra eni'-nl--r cui
Cario- C-elho da Silva, que para i--1 aOOH eo-
carregado.
Ilermu Lith-r, subdito aliea... ool ,. ra a
Alleinauua._________________________________
E>crava futida
Aoaeal .use da ca-* il- mo seuor on di
c.rreiiie a e-cra.a J-ioiui, rrimii. I-
baixa, icvou vii 11 d-- cnm Oo c iri na
les de merm ja v^ih pr..te .pie acula-la, e pe lee M anl i-I i I 1 ;
mais pes-na; d i DOTO que .p..r.-0-n I >. -irai
leva-la no at-riinh i do (j quia, ra-1 n. tii. que
serio rofcwopoo wda*. ____
A.leiif'*.
r
Fupio no da 7 do corrente. 11 -n.-. |
gal, i.ropfiedde do caeilio J..-.- Wt o-i-.
sil-i no l-rm d- Barreiros da m OOrOB >\- PM o>-
res. oescraV) Pri-co. o .pal ton O" -."i -
nuintes : raOrt, calello s..lT.iv-l, .lent--
e-til-ira regular, cneio lo rorpo, birlii iplisi n^-
n lu na, pea i;rai|it-s e a ilii-la.l i-. re;.r. m i fejf
a 11 i.le de 22 a i\ anima, met i r fruto, a t:;
ser forro ; e-s- e-crav t-un mu I l I! -if-,
.nde se supp'ter id >. ern n lio .! < --Mar
praga nos corpo de voiunt.rio< 'ioe -e e.-,
iiisaud", ou mesmo laaoafear inri i m u
o laier. visio ter levado i-ii.n- g> nns 2UOJ. e ..+.
lhe fallar a-locia- ; portanlo r-iga- .- li-
des policiaca e caoi-s -te OMBOi a ra tm i :
du-' muuto. senhura D. rsula Candid i d-Aiiuqu r 11 mo-
ti, ou ne-ta praga reedhido a' casi de : 'i.-i-,
parti-ip'iido-e ao lilm. Sr. D". I'i.l-.r l'u.i-.n.'
Ijoelho Catanho,ou Dr. Avres dama. !'> re-
comiieiisara _^__^^_^___
Pie.-isa-e d- um raixeiro pan tah-rni. >
12 a I i auno-, do,-ltimos chegadi-: > palo
da Rlheira u. 21,_______________________________.
aut P.K\ HtlCW
De couf 'nuidade com o art. II oos "O-
vos estol itis sao coovi.hd-is os Srs aaoj *
accionisas parase reunirem sahba-lo Ir I.
Crrente as 7 hras da n->ile na sala is
sess's para nomearem a nova ..iro. t-lia.
Club Pernimbucano 13 de dezemliro de
IMS.
Ramrr*,
I9 secreta no.
Alua-s o srgund > an lar da s<>lrasl
da ra do imperado n. 7^, de a uguel
annual de 00 000, o qual v-m as si s e
Icova da f ente forrad isa i-a.i I. Inia es-a-
das com etiDadi uidepvnleiile, bisti'ti
fresi-o e com encllenle 's;a nao p ua a
ajMBjoj rna coito para o caes de ti iW* %*-
vembro a latir ci.m Anniii" J-rs Rmln-
gues de Soua na roa d Crespo n. 15.
Preci-a de u >-a ama de le lo : .i riM J
Progresso n 7.
Francisca Mri do- Sant.e mora lora oe>
bairrode S Fre P-dro O'"gai** que em c..ne-
qu-n-'a de haver nutro n -m- imial It ara A- hop
em diaute as-ignan lo Francisca M los F^rrer.
J .-e lian.lid ile-ftirro- J.ini-.r, por 'a* 00
pi.la vase.ii pira > theatro .1:1 gu-m MU B-^O
lesp dir se de todos o* -eu< p-rentes e 000)0" 0
por esi-pele-Ules descnl..* .l-la falta invni'MMO-
ria offerecen lo loes ijraalmeiiU o sea presumo Ha-
de quer que a surte c-m-lux.________^_
Precia a. loar um mot-MU* Br arlr
rom um.. laboMa d>- juia* : a tratar m r.i I .s
Laraaijeirasofflciru de inw a> A'>r-to Baudo-L
Na ra d I*rng-iras a. I*. 1* ao-lar, pro-
c.isa-se aiugar urna peasoa para comprar e eo-
ohar.


litarlo m
<|u lata-totora 14 e IXucann de f &.
COVANUA PBMAMBUCAN1
0 agente Olympio m 9u armazem a ra
da Cadeia o. 96, compra apolices da compaatna
Pernambucana.
O Dr. Cosme de-S Pereira conti-
na a residir na ra .da Cruz n. 53,
i e 2o andar, onde-pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
sSo medica, e com especialidade
sobre e seguinte
Io molestias de olhos;
2o de peito:
dos org5os geni-
1i urinarios.
Ern seu escriptorio-es doentes se-
rlo examinados na ordena de suas
entradas eomecando e trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
cSo que julgar convenieEte para o
prompto re6tabelecimento dos seus
doentes.
s
A.Tbe X,
AVIO
Aluga-se ,
-oe-a de tres andares e o pavimento terreo da ra
da Cadeia do Recite n. 29 : a fallir na ra da polica e ao publico.
Manoel Conrado, morador no engenho S. Paulo,
districto da Vanea, temi um so lilho de menor
| idade, de nome Jota-, altara regular, descarnado
do corpo, cabellos crespos ; e como leona o mes-
Precisa se de urna ama para andar com um me-! mo filh fgido de sua compaonU seduzido por
faino e fazer mais algum servico em casa de fami- urna mulher meretriz de nome Mara Magdalena
lia : na ra do Qudmado 39, loja. da Conceicao, moradora na ra do Ouro desla ci-
- Antonio _3 itudriew de Souza, na ra do dade' casa D' 3 j. e c"n "'1"5 2_ di,a T
Crespo n. 15, alaga sua casa e sitio no Monieiro I oor "ue a "g"""* Sedulira ahm de com elle
em frente ao oito da greja, tendo o sit.o portao casar-s,-, e oao estando o pai disposto a ver seu
de ferro, cacimba com boa agua, estribara e co-:,,lho menor casado com ?"? mulher' pede' portan
cheira, e a casa 4 salas, 7 quartos, e :oto, a qual! ''a p"l,c,a e as ondades competentes, que o
' -**.*-.'* f -cj -. nnruliuu.t.ir i\ii n.i.- '.*. tina rt j 11 li>>.r mi..'
AMA.
FABRSf A A VAPOR
M RA O MONOEGO 99
8 cao que julgar conveniente para o | Deposito na nua Nova n. ioja de relojoeiro.
prompto re6Ubelecimento dos seus g| i dono deste estahetleeimenio partecipa ao xespeitavel publico que sua fabrica!
est montada com as melhores machinas que existeur na Europa, e que pode fabricar
; com melhor perfeico possivel. Todo o chocolate dosta fabrica est garantido, e puro,
,o que nao-se pode encontrar naeuelle que vem de fra, e que se vende por preco baixo,
Pede-se aos ered^s do 8r. ***.uao Antonio ^ ^ ^QfiC[os serem do g Na etiq- eta tem sempreTurna aguia.
PRECO.
Meta libra......... 400
Una libra......... 800
Urna arroba ........ 19000
rouito fresca e esta de novu tiem caiada, concer
tada e pintada : para ver, as chaves eslao em a
casa do Sr. Nicolao Machada na mesma povoacj.
Na praca da Independencia n. 33, ioja de
ourives. compra-te ouro, prata, e pudras preciosas,
e tambem se faz qualquer obra de encoinmetida, e
todo e qualquer concert.
Na Ioja n. 1 da ra rio Qneimado existe urna
carta para o lilm. Sr. Francisco Pedro da Costa
| Moreira, estudante de preparatorios.
:+:
faca apprehender, ou pessoas que o conhecer. quei-
rain preude-lo e leva-lo ao nr chefe de polica,
afitii delle darlhe destino ao sul.
Attencao.
Na ra da Assumpgao n. 1 lava se e engomma-
se roupa de homem com toda a perfeico, e se res-
ponsablisa pelas faltas que hoaverem.
Ama.
Precisase de urna ama para comprar e engom-
mar : a tratar na ra da Cruz n. 13, 1 andar.
Aluga-se urna boa casa nova muito fresca,
Precisa-se de am* anu qne ozmne e compr r
na ra do Qorimnilo n 12, andar.
Fugio no da 16 de novembro o esrravo de
nome Alipio do Sr. capitSo Laurino Amova t 41-
meida Silva, morador oa villa de lagazetra lera
do Paje de Flores, rujo escravo ten os sigan
seguintes : Mata de |H a 20 anno-, rr 'abra es-
curo, com tola grande ararneirada, vntas gra-
sas egrande, abura e c>-po regular, cibelkM prp-
tos earapinho-, pttmt nJo muito ir-issa-* coa* um
lalhn na testa e mnius ciralrizes iw raheza, p.-*
regulares, dedo* psgaran.-hados tambra tem as
cosUs com cicalnses d- chicle : MM M
as autoridades policiaes oa a qualquer > apiiu de
campo que aoreheuder e o levar n<> Forte d-> Sbti
na prrnca dos Srs. Rodrigues e Sant.H, qu sr
geoerwsamente graiind", rujo errao f..i vih>
no dia 6 de d-zemhro no larg.i da lfmdea.
Prerisa-se alugar um e.-rravo pn aadar
com laboleiro de fazendas : a tratar na ra Nova,
sobrado n. 48.
Da.se
nuncie
HMp a juros : qu-;:ii pr*i-isar.
mesmo lugar.
Joaquim de Mello, a irem a ra to Livramento
n. 38, para receberem a utiimo divideado, ficaudo
cerlos de que nao recebendo al ao lim do correte
mez, ser suas importancias recolhidas ao deposito
geral._______________________.^
Ota4
Precisa-se de um criado aikam molegue, pa-
ga-se bom ordenado : na ra da imperatriz n. 47,
2 andar._____________________________
- Precisase do urna ama para casa depouca-
faitia ; na rus Nova n. 65, i andar._______
iQuem no da 11 por esqueciment daiiou
era DIB.wagn de 2a ordem da via frrea um m-
brulho com calcas, appireca em casa de Manoel
de Sonta Cordeiro, na travessa dos Ezpostos n. t4,
quj dando o signal I lie sera entregue.________
Na ra da.>anu Cruz n. 7 precisase de dous
catxeiros portugueses que tenhain pratica d= ten-
der, e que afiance sua conducta.______
Offerece-se ama ama portugaeza de meia
idade que costaba e eagoroma e faz todo o serv
co, preferearrumar se tm casa de pessoa solleira:
a ra das Laraegeiras n. 23.
Na tnesma fab' ica acaba de se montar urna olTiein?. com serrara a vapor para
obras e HMrcmekia propria para etli^cio, para o que eneaireg -se de fazer portas, ja-
nellas, assoalbos (parqu francez coaao se usa na Europa,) earmacoes, ludo com brevi-
dade e perfeico, Toma-se qualquer encotnmenda para fra da cidade, entreganjo-se
prompta a collar-seno lugar.
m '55S5JB StJ" S ^ Cap,
JR Hl'.llli \llli \ \ RUI M ttCTCIir.in ii
m
m
m
Aluga-se urna ca>a sita
nnuil; \mi na casa ir. ni.i i:\i: ni
Rita .Hova n. Hl.
Ah se encontraro obras de di- i' chegar a [groja da coaceiciio : a
versas qualidades, e por preco mui 5',PoD,!,s"- w. pagara,
diminutos, a retalbo e em porces.
K S se vende a dinbeiro. 3M
u Barro, antes de
tratar as Cinco
AMiguel tic pscravs
Medico.
Ama
Precisa-se de urna ama para eosiohar para casa
de familia, forra ou eserava : a tratar na ra lar-
ga do Rosario n. 2t. fal:ri"a de cigarros.
Manoel Duarte Rodrigues, ra do
Trapiche n. 2i, saca sobre a cidade do Por-
to, a vista ou a pr-zo.___________^^
Aviso.
quem precisar de um bom cozmlieiro francez po-
de prucura-la do hotel do L'nivers, ra do Trapi-
che.____________________________________
~_ Os curadores da oassa taluda de Lima &
Martras sao convidados a virem receber o quarto
dividendo no e.-criptorio dos administradores, ra
da Cadeia n. 4, trazendo os respectivos titulas pa-
ra screm annotudos.
Aluga-se o Io andar do sobrado da ra de
Santa Hita n. 2o : a tratar com Antonio Jo- de
Castro e Azevedo na ra da P.-aia, armazem de
carne n. 44.
VE
COEfilIO Feitor
Prccisa-se de um feor para um sitio, que cn-
tenda destes negocios; dando provas de sua con-
ducta, e prefere se um solteiro; quera se julgar
' i. liad i dirija se ao sitio n. 'J no corredor do
l'n'L'ija-s de urna perfeita engommadeira pa-
ra -1 :
i andar.
tea I tmtlia ; n i rna da Ca leu
O Dr. Miguel Joaquim de Castro Mascarenhas,
rezidindo actualmente nesta cidade (ra do Sol n.
11), tem a satisfacao de comrauaicar ao publico, e
especialmente as pessoas que serapre o honraram
com sua rouflanca, que a qualquer hora porierA
ser procurado para o exercicio de sua profUsao.
fie fina cao
Precisa se de tres trabajadores pagase bom
ordenado : na relinacao da ra nova de Santa Ri-
ta n. o3.
Precisa-se alugar urna ama que saiba cosi-
nhar e tratar do mais servico de casa de pequea
familia : na ra das Cruzes em Santo Antonio n.
41, segundo andar.
Alagase urna Ioja na ra da Peona propria
paca negocio e inoradla : a tratar no primero
andar.
%%^
Precisase de uina ama que sub eugommar
na ra do Trapiche n. 3G, segando andar.
Precisase de um.
ra da I.ingoeta n. 1.
ama para cosinhar
ua
ila Cadeia n. 12,
n. 4.
Ra da Cruz n. 16.
Continua a haver diariamente um sortimento de pastis, podins, bolos inglezes,
empadas eti'., etc. Os donos deste estabelecirnenlo, acham-se as melhores condicoes
de poder salisfazer encommondas concernentes sun arte, em consequencia do socio
Freitas ter sido administrador chefe deagutnas da princi aes fabricas na corte, sendo
una a do Sr. Jlo Gnncahes Guimaies (confeilaria do Le3o) antiga casa de Carceller.
Todos os trabadlos sao diferentes dos que se fazem em casas particulares.
Os proprietarios desle estabelecimento nao se tem poupado a despezas, nemse! Aluga-seTcasi da ilba do ttetiro, a primal-
potiparao, se houver concorrencia como esperam ; leudo coniinuadamente bom sorii jra. Tue ,em <'uPiai" a' '*"> ^ f|: a traliir cor"
ment de doces para cha; presuntos e ditos em fiambre, tambem se. recebem para se- oUlgl!"' ^'''!1'"mj'lP)*la.l'v1'11
rem preparados ; assim como doce de caj novo Miperior, secco e crystalisado, dito em
calda em latas hermticamente fechadas, podendo durar annns em perodo estado.
Para jamares e partidas recebem-se encommendas dos seguintes ohjec.ios; ban- ^<(jrubillitG B16(lC0-CrUr-
deijas ricamente enfeiudas semarmic3o pecas de amendoas (nogacc-), ditas de tmaras I.j^
de ovos, pes de l enfeitados com disticos anlogos a qualquer lira; ditos montados,
kechs simples e ei-.feitados com fructas ingleza; gatheaux de la reine, ditos de le d-
chese, tortas de fructa, massa folbada ; ditas de peixe e carne; cremes e doces de ovos
de differentes especies
Tambem lemum rompilo sortimento de vinhos engarrafados, como sejam : vinho
do Torio superior, Fi.ueira, Madeira, Lisboa, Cliere/, Bordeaux, Champagne fino, ser-
veja, licores, cbaropes e conservas. Para festas: bonitas caixinhas com amendoas, con-
feitose mais enfeites. Mui tos destes objectos mencionados podem-se pereitamente ac-
condicionar tanto para a provincia, como para fra.
No principio da roa do Corredor do Bispo na
6* casa nova sera numero dos Srs. Amorins, ha
para alugar-se urna boa escrava e um escravo.
Alug\se o terceiro andar da casa o. 88 da
ra da Imperatnz, e o sino n. 1 da e-irada do Ar-
raial : uo ra da Aurora n. 36,_____________
Precisa-se de tralwlnadores de padara que
entendam peritamente do mesmo trafico de pao
e bolacha e bolachinha dn aramia, pagar-se-ha
com generosidade o merecimento de quem melhor
desempenhar o seu dever ; na ra larga do Rosa-
rio n. 16, padaria.
Arrenda sn o engenho Santa Rita, na fregue-
sa do Cabo, distante tres legoas a N. O. da estacao
de "lirada, de multa iiroducca, me com agua e
tem obras safficienles, incluera-se no arrendamen-
to as safras penJenles : quem pretender dirija-se
ao mesmo engenho.
Para passar a festa era Olinda. ou por anno
para raoradia, aluga-se urna casa no largo do Am-
paro, com 4 quartos, gabinete, por prego muito
commodo ; para tratar na ra da Aurora n. ".
OITerece-se om menino de ttmtt de li anuo-,
dos ltimos chegados, para eaixeiro : quem pre-
tender dinja-iaa roa de <. Franti-r., n. 79.
Offerece-se urna ama de muilos iins ro-tu-
mes para casa de familia oa bemrm *ilt.-r para
cosinhar : queira dirigir -e ao berro i- Padre cha-
mado travessa do Livramento n. 14.
Para passar a fest. d .lala-
K-ta vasta ama boa casa com 5 qiari.c e mnito
fresca, junto a bomba da ra di Qaiahu da povoa-
c.'io dos Afogados, d muito perlo da enagao da via ftrrea ; alagase
pelos tres mezes da festa pir 60,1. e sendo annual
por preco coramod : a tratar no pateo do Terco.
Aloga-se a casa assobradada n. .16 a roa da
Alegra, com comraodos para faraiiia e nroprla pa-
ra estudaoes : a tratar a ra do Moudego ola ra
n. 13.
eP9P5S"
G0MPE1S.
Sil vino Guilherrae de Barros ;compra e ven-
de efectivamente escravos de ambos os sexes : a
ruado Imperador n. 79, terceiro andar.
Compra-se ouro, prata e pedras preciosa-,
era obras velhas : na roa da Cadeia do Recite,
cja de ourives no arco da Conceicao.
Libras storiMM
e ouro francez compram-se no hotel de l'l'nivers
n. 7.
Forueiro
Precisase de um forneiro que saiba desempe-
nhar o s-u
A, deposite,
mmim\
ligar : na ra estreita do Rosario n. 2 "
i Ouro e prata.
Em obras velhas : compra-se na praca da In
dependeucio n. ti, h ja de bilhetes.
H ii (lauca.
O padre Themistocles Rondo Pereira
doxSantos mudou a sua residencia para
a roa do Hospicio n. 7.
1
^wm mmmmm^wmm
gico.
Una da Iiupci'atrie u. 36.
O Dr. Joo Mana Seve, medico -artei-
ro e operador mudou a sua residencia
para a ra da Imperatnz sobrado n. 36,
oude pode ser procuradu para o exercicio
de sua proflssio al as 10 huras da ma-
nhaa e das 4 da tarde era dianle.
Pogio no da i "lo crranle tr.tz de dezembro,
a' horas da manhaa, o escravo Joao, crioulo, dr
eslora baixa, "r prela um tanto fula, pouca barba
mas i spe.-a na pona do queixo, entende algoffli
i de pedreiro; este escravo, foi da familia do
Sr. Cardeal da na da Praia. fe i vendido para um
Di,, de onde volu u para esta praga : quein o
leve a na da Cncordia n. 8 refinacao, que
mmmmm
Procuradoria
O solicitadnr Burgos Ponen de Len, mnd' para a ra d^ Sania Rita, sobrado de un andar n.
3, onde pode ser procurado das G as 9 huras da
manhaa, e das i as 6 horas da tarde, para o exer-
I cicio de sua proisso, e fora destas horas e duran-
te o da ser encontrado as >alas das audiencias.
i Elle recebo, casas commerciaes, de partido, por
j um ajuste razoavel, como tambem se enearrega
i de promover cbrancas de dividas e exicucoes de
25 RIJA NOVA N. 25
Este estabelecimeulo acaba de receber um rico sortimento de pianos fortes ex-, t,nlen?as rora ,1^^> por mais poderosos
pressamente fabricados para o clima desle paiz, dos mais afamados fabricantes da Euro- (|
pa, por isso o proprietario convida ao respetavel publico para virem apreciar as qua-
lidades dos referidos pianos.
Continua-se sempre com esmero e promptidao azer-se qualquer reparo nos ditos
instrumentos. Alinam-se os pianos debaixo do melhoF systliema oltimamente adoptado
na Enroiia.
se gr tiHcat com i ni losidade.
Cabocla fgida.
No dia 28 do mez prssado fugio de rasa de seu
lor a catocla Lulza, idade ii annos, estatura
r- guiar, com falta de denles, cabello aparado, lera
-i lo en nirada na Soledade, e ribeira de Santo
Antonio, intitolando-se forra ; quem a levar a roa
de Apollo i!. 3', recebera' 205 de gran lira cao.
Escrava fgida.
No dia 20 de noveinbro fugio a crioola Vicencia
comprada aos .*>rs. Ges c Bastos, coja preta era
do Sr. Mu I Salvador dos Aojos, da comarca do
i, poroi a escrava dina que era de Barrci-
is ; representa vinte e tantos annos de idade, alta,
feia, rosto redondo, testa curta, ps grandes, per-
nas linas, um pooco umbiguda, nariz atollo mal
feto, lew u roepao 'le chita cor dr me I e chale pe-
queo, todo ja usado: ropa-se as autoridades po-
liciaes de Bonito ou Bezerros a captura da dita is-
crava, on pur "nde fir encontrada, assim cimo
protestase contra quem a liver occnllado. Gran-
Bca-se bem a quem a trouxer a' ra Ujreita nu-
m-ro -'i.
Graliicaca de 5S-
Alisen ton'se da casa n. 59 da ra do Imperador
(ontr'i-ra CoUegio) uo sabbado 16 do correle me:
ue m t--'l.'io de 1805,0 escravo pardo de nome Joa-
quim. com os signaes secuinies : estatura regular,
idade \x a 0 annos, sem barba, ps largos, olhos
grandes, rabelio corrido, com orna cicatriz grande
bem visivo! na testa, parte dos dentes da frente
arruinados, e com falta de alguns dos lados, sabic
com calca de brin pardo e palelot curio de panno,
mas levou mais roupa branca e de cor, muito
astucioso, costama intitular-se forro e audar cal-
eado ; f i escravo do Sr. Guilherme Frederico de
Sonta Carvalho, genro do finado Sr. commendador
Manoel Goncalves da Silva : rogase a sua captura
a toda; as autoridades policiaes e a qualquer ca-
pltio de campo ou "tura pessoa particular que o
apprehen ler se gratificar com 505, alm das des-
pezas de condoecJio, entregando-o a sen senhor
Miguel Jos Alves. na casa cima, ou no sea es-
eriptorio na ra da Cruz casa n. 19.
mflw ASTHlVIAir ASTHWA ASTHMA
^M-4P SUFFOCqO NERVOSA E OPPRESSlO
>Unico n medio eflicaz para combattir estas molestias, acalmar um atlaque d'asma e Kipedir a
voltao Xarpe aromtico ie Succino [mbaramarello) do r Danet. Descoberta inteiramente
recente, este novo producto se tem propagado com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
tados .ue lem sempre produzido.
Ileposito geral, na botica Chauveaud, i, ra do Comercio, Paris-Grcncllc, e em todas as
blicas de franca e do estrangeiro.
N. O. Bieber A C, sucessores, sa
cam sobre o Rio de Janeiro a vista ou a pra-
zo conforme se con\encionar.
Precisa-se alugar tima preta que saiba cozi-
nhar : na ra da Soledade n \<>
Xa ra da irnperatriz, Ioja de fnzendas n. 5S,
precisa-se alugar doos pretos velhos para o servico
de ra, e urna preta para casa de pouca familia ;
quem os tver e quizer alugar dirija-se a dita Ioja
Precisase alugar urna barcaea nova ou mes-
rao cm bom u?o, para navegar, bem apparelhada
e fatu icada, por tirapo de um anuo : na ra da
Senzala, padaria de Antonio Jos Pedro Gongal-
ves, se dita' quem pretende.
Na ra do ttaugel u. 9 precisa-se de um ira-
balnador de padaria, pagando-se-lhe :t-5 rnensaes-
Precisa-se di^ um cozinheiro, fono ou escra.
vo : na botica franceza, ra da Cruz u ii.
attoel P>\er Jolinstoii Ai Companhia
Ruada "-euzalaNova n. 4.
AGENXIA DA
Fandl^tt deiLoiv Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e rucias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e balido para enge-
nho,
A.rreios d carro para um e dous cavallos.
Relogios de obro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Miippa-mandi-planispherica.
, Xa ra do Livramento n. 19 compra se um map-
, pa-plauspherico.
Comprase earosso (sement) de tlcjoAn : no
armazem de algodao de Saunders Brothers & C,
1 no caes de Apollo.
Compra-se um r-Jt*illo que l-'iiha andires
macios que possa miniar urna tenhora d ente :
i na ra larga do Rosario n. 10. Xa mesma ca-a
se compra um t>oi que eslej.i acoslumado a traba-
Ihar em carroea.
YENDAS.
imm m>
m
No dia 20 de setembro prximo passado fu-
gio do eiiteiihu Terra-preta, doabaixo assgnado, o
-cravo Juliao, crioulo, de altura regular, grosso,
de 30 annos de idade, pouca barba, tem os ps bem
feilos e pernas, muito fallante, at se faz rouco,
tem o dedo p llegar de orna mao cabido para den-
tro, amia com urna carta fechada, do teneotecoro-
nel Amaro Gomes da Cunha, apadrnhando-o, nun-
ca foi surrado este escravo, foi ha muito comprada
a Hoiha Urna Guimaraes : quem o pegar leve ao
mesmo engenho oo no Recfe a'ra da Boda a'
Alejandre Correia da C. Jnior, que sera bem re-
compensado.
Alexandre Correia de Castro.
O Alcoholado de Gcaco de Pascal uina nova prcparacSo da qual
basta mencinnar suas propriedades para appieciur sua importancia.
Em primeiro luj;ar um preservativo inlalivel do contagio veneno (ver
folheto para o modo de o impregar).
2o Tom a vanta^em de ser o remedio mais certo e mais agradavcl para
as molestias syphiliticas de toda a especie, ulceracOes primitivas e secun-
darias, ec.
:*" Empregado em injeccOes, o melhor tratamento dos eorrimenlos
recentes ou chronicos tas pessoas dos dous sexos e da leucorrhea as
mulheres.
4 Emftm como antidoto dos virus, soberano na cura das chagas e fe-
riaos de m natureza, chagas gangrenosas, darlros, ulceras das pernos,
ophtalmia purulenta, ou blenhorragica, mordeduras e picadas de ani-
maes venenosos, ec.
Este especifico vegetal, izento de toda a acelo mortfera, foi experimen-
tado nos hospitaes de Pars, Lyon, Marcelha, ec., e recebeu a approvacao
dos distinctos doutores Rigord, Bauchet, A. Richard, Calvo, Diday,
Melchior Robert, Costilhes, Berenger, ec.
Deposito geral em Pars, botica de CHEVRIER, 21, me du Faubourg-
Montmartre.Casa de expedico, PASCAL c O, 33, ra Monsieur-le-
PriD.ce, Pars.
CONTHA FOGO.
A companhia Indemnisadora, estabelcci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus ca regante; tos, e contra
fogo em edificios, mercaduras emobilias:
| na ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Amerco Ferrelra di Silva, tem a honra de par-
I cipar ao re j ra da Cadeia do Becife n. 8, um armazem de
i coimnissdes de compras e vendas de quaes quer
! effeitos de que o incumbirem tanto em seu arma-
jzem como fora delle tendo em boa guarda os que
Ihe forera remeltidos, observando belmente as ios
! truenes que Ihe forera transmitidas para o bom
i comprimenlo dos seus deveres a contento de todos
! que Ihe honrarera cora sua contanca.
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caros 4 Barbosa.
Fugio no lia 26 de novembro prximo pas-
sado, um prelo de nacao, de nome Manoel, repre-
senta quarenta e tantos anuos de idade, estatura o
corpo regular, quebrado, magro, tem em urna per-
oanma ehaga ioearavel, cojo p um pouco en-
chado, tem os dedoj arrebatados, tem signaes de
rcenle queimadura em arabas as ralos n falla
atrapalhada, levou calca de quadrinho escuro e
camisa de algodao branco, novas; fugio na oeea-
sio que levava ora mimo p urna caria para a
praia do Jang a Sra. D. Galdina Amelia de Go-
ma >. Este preto tem por costume mudar o nome
porque sendo oulr'ora escravo no engenho Pirapa-
raa, .nde se rhamava Sebasliio, fug o de l e foi
preso na cidade de Olinda como vagabundo, oode
dase iue se cbarama Manoel, escravo em afinas-
Geraes, de um hornera qae era roorto e depois de
correr os termos legaes foi arrematado em hasta
publica no juizo de auseoles pelo abaixo assgna-
do : quem o pegar leve o a cidade de Olinda boti-
ca dos Quatro Cantos, onde sera' recompensado por
Joo Soares Rapozo.
Medico e operador.
O Dr. Joao Raymundo Pereira da Silva, chegan-
do oltmameute de Pars, onde frequentou os mais
notaveis hospitaes, pode ser procurado para o
exercicio de sua proisso na ra da Cruz n 40
segundo andar. D consultas todos os dUs das 7
as 10 horas da manhaa. Especialidades, molestias
de olhos, partos e vlas-urinarias.
DE
CAVALLO
Na uoitede 18 para 19 do crrente urtou-se um
cavallo mellado cuito, da estrabaria do seo dono,
com sellim inglez quasi novo; cujo cavallo tem
dinas e cauda pretas. as cimas sao groesas e ca-
bera sobre ambos os lados do pescoco, e tem urna
ferida pequea na mao direita ; esta acoslumado a
andar em cabriolet e bem conhec.ido ne.-t prac^a:
quem delle der n iticias certas ou leva-lo a' Estan-
cia, sobrado de dous andares n. 2, ser ratificado
Precisa-se de urna ama forra ou escrava que
saiba bem cosinhar e enzotnmar a tratar na
ra da 'enha sobrado n. 23, primeiro udar.
Precisa se de urna ai*.a para o 6ervic ,'oierno
de urna asa; w ra da lu^ie/a dpr a. 35, ji/nei
ro andar.
BOTICA E DROGARA
DE
B. F. de SoMza A C.
Ra larga do Rosario n. 34
Remedios de Raduvay
Prompto alivio.
Plulas reguladoras.
Rik lulivo.
Remedios de Kemp
Anacahuia.
Salsa de Brislol.
Plulas assuraradas.
Agua flnrda.
Pasiilhas vermfugas vegetaes.
Chegados pelo ultimo navio viudo da america
Tendo a irmandade do Divino Espirito-Santo:
da igreja do Collegio, resolv do em sessao de mesa'
conjunta, mandar fazer de marmore branco fino a
capeila-inr de sua igreja^ convido de ordem da
mesa regedora aquellas pessoas que se acharem
baiiilitadas a mandar executar semelhaule obra,
a examinaren) a planta que se ada exposta na sua
Morulla, e a apresentarera as suas propostas no
pTSMi de 40 diaj coutados desta data. Consistorio
da irinandade, era 10 de novembro de 1865.
O esenvaa.
Francisco Betarmim dos Sauiot Frtitas
: Irmandade de i\. S. l Conceicao dos
Militares.
Pelo presente sao convidados todos os irraaos
: desta veneravel irmandade a' co.uparecerera no
respectivo consistorio no dia 15 do crrenle, as 4
, horas da tarde, para tomar posse o novo presiden-
te, e proceder-sea eleico de nova mesa, na forma
dos estatuios.
M. J. Victoriano Je Borba.
____________________Secretario.
Em casa de Theod Chrisliansen, ra do Tra-
' piche-novo n. 16, nico agente no norle do Brasil,
; de Branden bu rg frres, Bordeaux, enconlra se ef-
feclivamenle deposito dos arligos seguinles:
Si. Julien.
St. Pierre.
Laruse.
Chateau Loville.
Chaleau Margaux.
Grand vin Chaleau Lafitte 1858.
Chateau La hite.
Haut Sauterues.
Chatean Sauerne?.
Chaleau Lataur Blanche.
Chaleau Yquem.
Cognac em tres qualidades.
Azeile doce. Precos de Bordeaux.
gpfcxamc ifaeMBoananai
Companhia Qdelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PBKNAMBUCO
Antonio Luii de Olivfira Azevedo t C, B
corapeleuteraenie autorisados pela direc- >^g
JS loria da companhia de seguros Fidelida- S
H de,tomam seguros de navios, mercado- %
ras e predios no seu escriptorio ra da Sg
J Cruz n. 1. m
mmimmmmwmm mmmm
Alugam-se tres casas na povoacao do
Monteiro a margem do rio, com muitos
bons commodos e em muilo bom estado
de lunpeza : a tratar na roa do Crespo n.
20, esquina, cujo prego de alugneJ ra-
zoavel.
I
Dentista de Pemambuco.
i^ ni
1^ (ua estreita do Rosarie n. 3, m
f^ ao p fia igreja
IrilNCISCQ PINTO 0Z0EI0|
B < m aeramos
$& Empregaludos os meios scienticos para ^|
conservar os n iluraes. Pede ser procura- ^gi
iSl do em sen gabinete das Olieras da ma- Sal
&| nhaa as o da larde. ^
Aluga-se o terceiro andar da casa da ra da
Cadeia n. 4 : a tratar no armazem da mesma.
Est para alugar-se o Io andar e lojas
do sobrado n. U a ra da Aurora : quem
os quizer dirija-se a' ra Nova 20 Sr. Joao
B. do Bego, em seu armazem de fuyendas
MUAS
IMlLKA 9866.
Acabam de sabir luz as folhinhas de
algibeira e de poita para o armo ile 1866, o
mais correctas possivel tanto no calculods
las e eclipses, como as diversas fesias
que a igreja celebra; vendem-se nicamen-
te na livrara da praca da Inilepemli-ncia. it
160 res as de porta e 320 res as de algi-
beira.
Manual do Cidodo
Vende-se > Manual do Cidsdao em um
Govemo Representativo ou principios de
Direito Publico Constitucional Administra-
tivo e das Cenes, por Silvestre l'tnlieiro
Feneira, em :j volumes broxarados por ?,&
cad: ulna : na livraria n. H da praca aa
Independencia.
INJECCAOlm<)Wr
. ..:.
n.2l.
A ma ^reo'wa-se de na ama de leile : na ra do Jn>
anradn" id, A2, terca/o audar.
Aiiia de leite.
Precisa-se de tima ama para casa de pouca
familia : na ra da Conceicao 11. 6.
Ama para casa
Precisa-se alugar urna ama para todo servido de i
urna casa : na neceo das Boias n. 2, primeiro
andar. _______________^__________
Ainda eslao para alugar duas casas na ilha
do Reliro, tem commodos para familia,esli pinla-^
das e (em banho na poila: a tratar com Lnii Ma-
noel B. Valenca, pudendo o pretndeme examna-
las no mesmo lugar._______________________ !
Convida-se ao Sr. sacerdote que quizer con-
tratarse para celebrar as missas ae natal no Itio
Formoso, engenho Serra d'Agua : a dirigirse a i
ra da Madre de Dos n. 3, escriptorio de Cunta
Irraaos & C.__________________________
Precisa-se de dous fabricantes de charutos :
na praca da Boa-Vista n. 15.
Continua haver pao quente todos os dias das
4 horas da tarde at as 9 da noite, assim como to-
das as qualidades de massas finas ; na padaria
airaz da matriz da Boa-Visia n '16.____________.
Precisa-se contratar um Sr. teligioso que,
queira ir celebrar as missas de festa do natal na
matiiz do Limoeiro, affe.receudo'se condicoes van-
tajosas: a fallar na ra do Crespo n 18.
Precisa-sede um caixeiro que teoha pratica
de taberna e que de conhecimento de sua coaduc-
ta : a tiatar na praga da Santa Cruz, padaria n. 6.
Precisa-se de um bom caixeiro para padaria
do que dever ter pratica : a tratar na ra da
Cruz do Becife n. 35. ^_^_________
Precisa-se alugar um raoleque para conducir
joias nesta cidade : a ra Direila n. 66, loja de ou-
rives.________________________
W. G. Fennelly socio gerente da casa" com-
mercial de Soutball Melior & C, desia praca, ten-
do de Ir a Baha, declara que delxa encarregado
da gerencia de sua casa com ^rocuragSo bastante
em Io lugar ao Sr. Eduard Merretield e em 2 lu
gar o Sr. M noel Jos dos Santos.
Precsa se de um caixeiro portoguezpara um
engenho prximo a estrada de ferro : quem esti-
ver nessas circurostancias dirija-se a taberna da
travessa de S. Pedro o. 11.__________________
- Precisa-se de urna ama para todo o servico
de orna casa : na ra da Concordia n. 65. j
Alagam se duas casas terrea* ritas na pro- j
priedade de Sant'Anua, que foi do tinado Beim,
as quaes se achara caiadas e pintadas, contendo a
maior 4 saletas, 5 quartos, cosinha fora, quintal I
murado coro seu competente portao, e a outra 2 sa- j
Precisa-se de utoa ama que tentia bom leite, para ,,Jas, 2 quartos, cosinha fora e quintal tambem mu-
sanar de amamantar urna enanca de oito me- r*do com seu poptao: quem as pretender dirija-se
*.-: na ^ua do-^uen/iado n. 17 segiacdo ar.dar. i a m_-sma proprieiatte que aou>r coa quem tratar.'
Remedio infallivel as agnorrheas antigs
e recentes, nico deposito na pliarmacia
franceza, ra da Cruz n, 22 e ao preco de
3-501 0.________________________________
-'avallo.
Vende-se tira exceliente cavallo andador de bai-
xoa inain, e esqnipador, lami>era anda de paco em
loda altura, bonito, gord >. e manso, ptimo para
passar a festa; os precntenles dirijam se a Olin-
da. ra do Amparo n. 40, sobrado de J.j> Figuei-
ia Curado.
MORII.IA. "
Vende-se por preco mnilo romirodo urna raobi-
lia de Jacaranda, inteiramente nova e de o-to
moderno, constando de dnxia e meia de eadeiras,
(sendo 4 de bracos) i consolos com lampo de pe-
dra e 1 sof com eocorto de pallunha : na ra da
Matriz da Boa-Visia n. 9.___________________
Vende-se um bom cavallo, granda e novo,
tanto para sella como para cabriole!; na praga do
Capiui, COipira do Sr. Leipoldino Silva.
MacHinas para: descarocar
algodao.
De novo modello : na ra Nova n. 20,
no grande bazar de Antonia uarte Carnei-
Vp^J(ianna. ___
^Presuntos de Lamego de superior
qualidade recentemente despacbados, em
pequeas ou grandes pnreoes : na ra do
Trapiche casa n. *6, ou deposito ra da
Cruz n. 47, a 400 rs. a libra.
%iienci{)
Vende-se a taberna bem afreguezada,
ra dos Assoguinbos n. 20.
da
Piano forte,
1
Acaba de chegar de Pars um lindo e elegaote-
; piano forte de 3 cordas e 7 oilavos, viodo para
amostra e o mais moderno que aqu lem vindo at
boje: qualquer pessoa que queira possuir este
bom instrumento o qual se vende por barato pre-
go, dinja-se a loja franceza da ra Nova n. 11.
Todiada de Paysandu' e Montevideo.
(kiin este titulo ac-aba de chegar de Pars urna
linda panlasia militar para piano, composta por
um dos melhor* compositores, adiase a venda a
25 cada exemplar : na loja franceza da ra Niva
n. 11.
Atteaefto.
Vende-se a casa terrea na travessa do Pocinho
n. 20, com bons commodos: a tratar na mesma a H
qualquer hora do dia.
Vendem-se dilTerenles obras de direito qua-
si novos: oa ra do Imperador n. 2, cartorio.
Vende se um mulalinho de 7 annos de idade,
bonita figura, propria para quem tem meninos para
brincar e j presta algum servigo: para ver in-
tratar na ra do Nogueira n. 43 _____
Vende-se urna rica mobilia de Jacaranda com
as pecas seguinles : I mesa de meio de sala com
pedra branca, 2 cons dos cora pedras branca, i
eadeiras de bracos, 2 eadeiras de balango. duzia e
meia de badeiras singelas, 1 candelabro de 5 iu-
zes, 2 ditos mais pequeos de 2 luzes, e I rico re-
logio dourado cora redoma de vidro, tudo novo :
na ra do Sacramento da Boa-Vista, casa n. 28.


Diario de "crnanbuco ituiuta feira 14 te lftextiubro de !*.
A Salsaparilha
r>E AYER.
Para n cura radical de
AGUA BRANCA
Ra do ueimado d. 8.
A loja da aguia branca acaba de receber uro
novo e grande sortimento de dilferenies ubjectos
EscroftM, ulcera., chtga, fer- IdeJos! e ullfima moda> se,,d :
<<.. ..,v.. > ..: v. Bonitos enfeiles para senhoras gostos mteira-
ida vtlhM, molMtiaa lyplul- meu,e noTOS
iticM, e mercunaw, Enfcrmi- I ds dilos de nie com conlS graD(]eS.
dde das muflieres, como re- Lindas flvelas grandes para cinlos com moldes
teneao, menitro doloroso, uicei> agradareis e diversas qualidades, madreperola,
aeao do tero, e flores branca*, tartaruga, ac e douradas.
Boas e bonitas tilas achamalotadas para ditas.
Dites de dita de grosdenap'es lisas e lavradas
com novos e agradaveis desenhos.
Trancas pretas de seda com vidrllhos moldes
novos e'do goslo.
Bicos brancos epieto; de seda com vidrilhos e
A Nevralgia, Convulaies, Ery-
sipelas, EnfermMades Cutneo,
borbulhas, nasoidas, etc.
O extracto romposlo de SALSAPARILHA, confeccion-
ado polo !>i!, AYER, tivo e alterantes conhecldos medicina; comptsto segundo de dlfleretlles larguras O honilOS desellhos.
lis hcis da sciencia, approvado e reccitado petos primelros
medie 4o Retados Unidos, da America do Sul, do Mxico,
las Intil e dos piincipavs Estados dn Kuropa.
A SALSAPARILHA de AYER rsiecinlmente cfflcaz na
cUrn das molestias que tem sua itgu na escrfula, na
iriftc? o venrea, no usa eceeulTe -io mercurio ou em qualqucr
il pureza du Sangue.
Entre todas as mokftlaH que lligem o genero humano, nio
liaun'.a niais umwrml c tefrftel do que a escrfula; por si
nao v tao iennidailes que u-i llie si* geralinente attribuidas.
lima causo directa da lisien jmlmsnar do mu ilo
flgad'i, t ftni/irt|/o, nJfrers ,lo cerebro, lthciitiinlisiii',
e /fef'**iji ^tij Icf*(*:: entre seos symptomas liaos seguinh-s;
Kalta '4o apetito, tVaqueza e inuleza em todo corpo; M4o
clit-Iro >ri bota, Mn-Mniiii' plido e incluido, as vezes dViua
ahur* transparente, outras vezes corado c ainnrelln ao redor
da 'i'.: Hip'-l.j ft-aca c apetito Irregular; Ventre iucliado
i evaCaago irregular i Qiiiiudo atacu os pulmoes una edr
azofaraa iuottfa-se u roda dos oBim, qunndo no estomago
sito averiiiellm dos, XfM pessoas de disposicJio escrofulosa
MlarilHlIk Ocquentemento erupete na pclle da Vatcca eout rus
Surtes do orno sao predlspdstas affecpea dos pulmOts, do
figntlv, dos rins c dos orgaos digestivos a uterinos, rorlanto,
nao so sement aquelles que padecem das formas ulcerosas
e tuberculosas da escrfula que uecessiiaiu de proteccao
contrae- s. ns e-tragos ; todos aquelles em cio saugue existo
o virus ltante dette terrivel Ilgello (c As vezes hereditario),
stio xiKjstos tambem a saTrer das O.urmidadas que elle
caula
Or recemos a estas pessoas un abrigo seguro e um antl-
ttotcemcaz cernir* esta aMtesti e ailacronsequendas, na
Cascarrilhas de seda com diversas cores e lar-
guras, formas nteiramente novas a irollacao de
palo, babadinho < outra com urna transiuba no
centro o que Ices da muita gracia.
Outras estrei-as e largas guarnecidas de bico
de seda obra de muito gosto.
(luirs de camtiraia de cores.
Bovdes de seda, velludo e ac para enfeites de
vestidos.
Trancas de seda estreitas e largas brancas e de
cores para enfeites de vestidos.
Flores finas
CAPELLAS PARA MENINAS E NOIVaS.
A aguia branca a ra do Queimado n. 8, rece-
ben para vender :
Delicadas capel las brancas para noivas.
Ditas ditas para menieas.
Dias dnas de caixos tle flor delaraoja.
Duas ditas de rosas camellas e outras.
Ditas ditas ou ramos de trigo.
Diversos ramos de flores finas para peilo de
vestidos, euleiles de chapeos etc., etc.
I'reparos para flores.
Na ra do Queimado n. 8, loja da aguia Li an-
ca vende-pe
Papel de cores para rosas.
Dito verde para folhas.
Dito dito e pardo para cobrir os talos das ditas.
Musgo em rama.
Fulhas para rosas.
Salsaparilha de Ayer
que o|iera directamente subre o Ugve, purifienndo-o e ex- A U UlhttS V f W/lttS pulsando dille a enrrnpeao o o veneno da molc.-tia: penetra .'. c _.j m i;. a.
todas asparles e tetar, a orgai-s 'do corpo humano, lnnnr.1i- entlein-Se na ra do yueimaQO U. O lOja da
o- da -ua aecao vlebria o Inaptrattdo-lhea novo vigor.
alUnniir piHlen^isstnio para "a reuovacau do snn'gue, < d fto
cor|K> j enlraqwcddo pida do-.nja fur^ c cucrgia renovadas
E'.um ^ a^ni.i branca, assim como agulhas para tranalhar-
e em laa.
como aa da juvoawrfe.
i: YA Mili!X O .IfHTsKOll .fSTI-SYPUImCO
COSUECIDO ;
curn pcrmaiwwmeHte as -peiores formas de SYPHCLIS e'&s
suas emiseq lico do iiieMmuvi>l valor de um remedio que, como este, llv
Papel de sobrecaliente para os
phosphoros hygienvcos ou de
seguranca.
A visia do grande lamanho das caixlnhas dos
o sansue nessii rnirnprao e arrbala a rict na ihis irarras de i t t
una norte lenta ignominiosa, porm inevu.ve se o ma l>'' pouen o papel que vem em ditas caixinhas, e para
remediar essa faKa a aguia branca mandou vir e
no logrtcombalidocxim eaergia.
Nao pn:*c-ndemos promalaar, neni qnerenraa iju*- se iuir*
que osle remedio nfavcl para a cura de todos -os 'padeci-
mentos ^luuauos, o-'jiie dizeiuos que a
Sataparillia de Ayer
i' a ^ moWor rrreiKir^Ao at hoje descoberla para estas e outras
dogas,
cvi.lieeiilos, e que temos conscienoia de olTerecer dn tli-.pimada tn 8 l,,i-i A icni-i he,no-i
ao publico o melhor resultado que possivel produzir, da i 00 yueimdaB- s. I0)a O aPula Branca
mjeselas iiiali-gas, que urna combinado dos alterantes
maiscflieazes-cei.heeiilos, e que temos eonsciencia de olTerecer
; acaba de receber sse-especial papel, iqual S9
dar de sobrece1!(ente a tmem comprar de taes
phosphoros e tr. vender indistinclamente a quero
' delle precisar. O pre^o de cada carsinfea de phos-
horo rontious a ser 180 rs., e vendem-se na roa
inteigeuoia e (uricia medica dos nossos lempos.
REMEDIO DE AYER PARA SEZOES
Irtfalivel as febres intermitientes, remitientes,
Febres Biliosas e terc.is, mal do finado, in-
cremento do baco, cegueira. Dor nos
ouvidos e palpita' oes, quando
ao causados pelos
PEBRES IXTERMinENTES, OU REMITIENTES.
As prcpnraes de Dn. Ayer sao vendidas em todas aa
Uofci; i. BTOfarlaa do Imperio.
Vemie-se em Pernaoibuco:
na
Seda froncha para bordar.
Vende-se sa ra do Queimads loja da aguia
branca n. 8.
bras de cryskd.
Drincos de diversos molde?.
Outrus ambem de-crystal de cores,
(luiros de aljofares brancos e outras cores.
Aderemos de crysnl obra de gosto.
Rosetas de dito e cruies.
Boioes de dito, brancos e de cores para cllete.
Dito de dito tambera brancos e de cores para
punlios.
Voltas de dito e outras qualidades.
/equesde diversas quolidades
Vendem-se na ra do Queimado n. 8, loja da
agi>!a branca.
Aspas forle para bala
\'<2ndem-se na ra do Queimado loja da aguia
branca n. 8.
Cromacome para Ungir ca
bdlos.
A aguia branca avisa aos constables freguezes
6S s-a exielleole tintura, que ella acaba de, rece-
ber urna nova remessa de cromacosne, coloricoma
ecabao brance, Deceesario para lavar os cabellos,
porianlo |.odeiti di^glr-^e a dita loja na ra do
'Queimado n. 8.
a bridores de laxas.
Vnidem se oa ra du Luemiado loja da aguia
! branca n. 8.
elo barato prejo de 2553, 39300 <> W, gollinhas P01'' >UI|lieS
500 rs. romeira's a 8 quampCttle de eotremeies a SOOo 880 rs. a peca, '** : cbam-se a venda .na roa do Queimado loja
da aguia branca n. 8.
ei
cil
Ix
1
'HARMAC1E FRANQAISE
deP.MAURER&C'
RA NOVA N
^&
ClhLKS
(ii'iinde fterkinelia.
No na da Imperatrit n. 32 porta larga de Pare-
des porto, veode-se chafes <\e merm estampados a
^ e 'i-.oOO e fiaos 35, eslo se acabando.
Cordados.
Chegau a loja de Paredes Porto, ra da Impera-
"riz n. .>>, utu sofiimento de cami7.i;ihas, gollinhas,
corfinl. is, rouieiras esintos, de camln-aia branca,
Onros objeetos.
Vindos tambem para a aouga loja de
miudt-z.'is ra do Queimado n. 16.
Sapatinhos desetim branco bordados pa-
ra baptUados.
Ouiros de merino tambem bordados e
; igualmente bonitos.
Meias de seda, correspondente do taraa-
nbo dos sapatinht'S.
Oulras mui futas de"bo da Escossia e
| brancas listradas.
Luvas finas de o da Escossia brancas e
de cores.
bitas de.seda para senhoras.
Ligas de dita para senhoras e meninas.
Pentes de tartaruga mui fortes para des-
embarazar.
Carriteis com retroz preto e outras cores.
Carteiras com apulhas.
Agulhas francezas, as afamadas.
Caixinhas com alfinetes brancos e pretos.
Raspas de baleia para vestidos.
Fitas de linho proprias para ditos.
Gaixas com linhas de novellos grandes
para crochets.
Trancellim de bonacha preto, redondo.
Bonitas vellas grandes de aeo,
donradas, madreperola e tar-
taruga.
A loja de miudezas ra do Queimado
n. 16, recebeu um bonito sortimento de
flvellas grandes para cintos, sendo de ac,
douradas, madreperola e tartaruga, as quaes
* sto sendo vendidas em dita loja por pre-
sos commodos ; assim como boas e bonitas
fitas de gorgorito achamalotado, proprias pa-
ra ditas fivellas.
Oculos de penetra e de ontras
Jualidades, para quen soffre
a vista.
A' loja de miudezas ra do Queimado
u. 16, tambem recebeu oculos de peoeira
com vidros claros e escuros, para quem sof-
fre da vista, assim como ootros de armacSo
de ac, sortidos em graos
Coroas e tercos de cornalina.
A antiga loja de miudezas a' ra do
Queimado n. 16, recebeu mui bonitas co-
roas e tercos de cornalina, os quaes esto
a disposiejio dos bons christSos que os qui-
zerem comprar em dita loja : na ra do
Queimado n. 16.
Esponjas finas grandes e pe-
\_-~v quenas.
Vende-se wa ra do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
A anlisa loja do, initnit zas na ru do
Queiiiiarto n, 1G, acaba 4t receber:
Novas e bonitas guarnicoes pretas para vestidos e
soulembarques.
Bicos de seda brancos e preos com vidrilhos, e
diffeicutes larguras.
Trancas pretas com vidrilhos.
Cascarrilhas de sed de diversas cores e moldes
novos, ouir. s enfeitadasom bicos de seda.
Babadinbos de seda.
Trancas brancas de seda para enfeites.
Bonitas fitas brancas lisas -e lavradas; outras de
cores tambem lisas e lavradas; outras achatnalo-
ladas para cintos, largas.
Fivelns grandes de ac, douradas, madreperola e
tartaruga.
Bonitas ligas de seda para senhoras.
Leifues de cndalo o outras qualidades.
Li:iilos o delicados eafeiles para bai-
les e passeios.
A amiga luja de miudezas na ra do QooimaA"
B. 16, receben novos e lindos enfeites para ba
e passeios, iodos de muito gosto e inteirami-frie iiu-
vos, variando o prifo deiles confirme a -uperiori-
dade : ns pretendentes os acharo em dita i"ja,-na
ra du Queimado e. 16.
Finas etsjic-Has para noivas-e
Loja
da boa f na na da Imperatrlz
n. 94.
Vendem-se eolheres de meial principe para cha'
a ti a duzia. A
Ditas para sopa a Q0Q.
Pacas e garlos de catia de bataneo de dous bo-
ioes a 6500 a duzia.
Ditas de um iMao a ;iA00.
Ditas de cabos cravados, prelas e brancas a 3#
a duzia.
Ca xa com o'O nvelos de Uu*a de gaz a 700 rs.
Grande loja e armazem do
i Pavfto.
Ra da Emperatriz n. 60. de Gama & Silva.
Tendo os propiietarios d'esle estabelecimenlo de
liquidarem orna grande porcS de Boas fazendas,
at ao fim doromnie aono, i'lim defecharem ton-
tas e apurai dintieiro, re.-olveram vender todas as
fazendas com grande abalimenio em precos, lano
em porcao como a retalho, e por isso previuem a
lados os seus fregtfezPs, e ao respeitavel publico, e
as pessoas ijue ni gociaiu em peipieua escalla cora
fazendas, que nesie estabelecimenlo enconlrarao
um grande sortimento que rnuito Ibes bao de agra-
dar unto ern piceos como em qualidadc; assim
ENCICLOPDICA
53 Rna da lnipera(riz drinazem
da porta larga 53.
Junio a padarla fradeeza de
l'aredes Porto.
Ne?le pslabelecimoolo encontrar o respesve
poblico um variado sortimento ae fazendas france-
zas, ingleas, animas e allemaes, que se venderito
por p.rcco commodo.
Paiedcs Por lo
Vende chales de renda de cores que se vende-
2o. Rna da Imperairiz n 42, juuio a ptdaria ran-
' ceza, armazem da perla laiga.
Paredes Por lo
Iterebeu um completo sortimento de laa-inhas a
como mandara pelos seus caix- iros levar as azm-
uSitlUraS Para CS,Ura 8 r8"' e das e moslras as casas das familias que nao po-
Sn de Miiel Imaco a 2600 erera a !"i;'' 0U ^ as i""os,ras ^^'io "", wYtS esi vendando por 7;;'d,'s p'rts, fa-
ile irreVe muito lliw car pe.ih,.r. xenda nova, 55,0*. fta 205, um sonlmenio com-
^T^miSBc^nyo\iTttiiW tambraias lisas a Um, la leja do g^,^^>,/apa.wb.Weifa
e280rs. I!a\o.
Jogo de vispora a oOO e 800 rs I Vendem-se pecas de cambraia lisa branca e
Mrttt p:"a C* '** 'na, mollerDO que ha a transparentes, leudo oilo e meia vara cada peca,
.> .' r .i pelo barato preco de 35500, ditas muilo finas, por
Peales muito finos com costa de metal para Lenn $-
penitar a 500 rs. rentes'
Meias crua6 para bemem muilo encorpadas a ns
140 rs.
Aboloadura de cryslal para rollete a 800 e I*.
Fitas de coz com 10 varas, de um dedo e meio
de largura a 440 rs. a pec.a.
Liga para atar meias a 100 rs. o par.
Pares de suspensorios a 160 e 40 rs.
Grvalas de seda pretas e de cores a 500 rs.
Ricas goliohas com priuhos para seobora a i.
Luvas de fio de Escocia, de cores, para homem
a 320 rs. o par.
Car retis de linha de Alexandre de n. 80 a 200
Gaita de borracha para brinquedo de menino a da Imperalrlz n. 60, de Gama &: Silva.
100 rs.
Caias com clcheles muito bons a 40 e 60 rs.
Ditas com lampar mas para 3 mezes a 0 rs.
Ditas com obreias muito boas a 40 rs.
tos e goloh preus, all#, finismV^J ,oria larga n. 52, ma da Imperalrlz jun'.o a (a
cambraia branca bordada a oU0 rs., calcmhas para
menina a 640 rs., inmiiras de iil e cambraia
branca toldada a i000 : na loja do I'avao, ra
diales de merin a 26000.
Vendun-se os mais modernos chales de ranino
estampados a 2,3000 cada um, bavendo tambem um
graude sortimento dos mesmos matizados que se
daiia franceza.
Paredes Porlo
Receben pelo ultimo paquete um sortimento de
crozes com iiedraspara o pesclo, bonitos caxinels
de l:a para pescoco tle senhora. Roa da Iinptraluz
n. 52, arraazim da perla larga.
Paredes Porlo
V< iide t-crles di gergorao preio para vestido rom
Luvas de Jouvin.
A loja de miudezas na rna do Queima-
do n. 16, resebeu-as por este ultimo vapor,
Nodade.
Chegaram os bonitos chales e retondas de guipa-
re brancos, e vendem-se na ra da Imperatriz n.
52, loja da port? larga, de Paredes Porte._______
Acha-se
. venda na Iivraria acadmica, na ma do impera-
dor ; na do Sr. Nogueira, junto ao arco d* Santo
Antonio ; e na typographia imparcial, na rna es-
treita do Rosario a compilacao de toda a legislacao
tendente administrarlo, arrecadaejb e fiscali-
sat;o dos dinheiros deorphos defuntos e ansen-
mais modernos que tem vindo ao aereado ludo
islo se vende por um proejo razoavel que muilo
Ibes nao de agradar : isto so na loja e armazem
do navio na ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
As hAh du Pavo.
Vendem-se as mais finas saias bordadas asagu-
lha brancas sendo da melhor fazend tpie tem vin-
do neste genero, tendo mni a roda, pelo baraii.-si-
; moprefode 10000; ditas bordadas a croch a
Paredes I'erio
Tem para vender por precn commodo, pijas de
-st:iiio de linho cora 10 varas a 7', S, panno Ce
linho para lences a 610 e 70O rs. a' vara, braman-
te de linho de 4 larguras a 2&00 e SfoOO vara
Paredes Porlo
Vende cortes de r.ubraia bordadas de ricos
gostos a 105 e 125, ricos vestuarios para ir.ii.iui
e menino, ricos corles de cambraia Hara Pia a
, 65C00 e 8500U, di'as com babadinbos a 9*000, na W* e 205, tarlatana branca e de i..r a 640 e 7
loja e armazem d, I'avao, na ra da Imperatriz n. a vara Ra da Irap'rainz armazem da porta
' 60, de Gama & Suva. larga n.o2.
Novos vestidos do Paviio a 105000.
tes
mais delicados bordados de difTerentes cores a pon
to de aguiha, sendo nVste genero a maior oovida-
tes", herangas jaceBtes, legados, etc., contendo nao de que tem vindo ao mercado, paranlindo-se o te-
Reittpa frita
Ra da Imiieralri?. n. 52 armaztm d.' rorla lar-
Chegaram para loja do Pavao os mais ricos tta- |0 ^ frap.eia enconlrafen .:
!A2?!"fj!!?,,J,P?!.1?!!!. c"ma-s ttbel^imenlo um completo sortimento de paftts-
s o regiment de custas e a lei geral das eiecu
cues, como tambem todas as ordens e avisos do
governo. que a ludo tem explicado, tanto a respei-
to das obrigacoes inlierenles ao cargo dos difTeren-
tes empregados de justica e fazenda, como dos di-
reiios nacionaes e emolumentos que sao devidos.
Este iivro contendo mais de 700 paginas em ntida
impressao e bom papel, e prestando-se a utilidade
de difTerentes dasses, tornase recommendavel.
lgodao trancado
da fabrica de Fernao Velho : no escriplorio de
Manoel Igcacio de Ohveira & Filho, largo do Coa-
po Santo n. !D.
Cal d^ Lisboa
--Vp' 'se a 55 o barril : na ra do Brum n. 66,
arrr.a.etu de assucar.
4PECHWCBA!!
53Eua Direita53
saceos e sobrecasacos, de todas as qualidadi cal-
?as, colletes, ceroolas, camisas, grvalas, n ios.
ehapps deso, ditos franceses para cabrea, por
pregos coranedos, ronpa para menino eeulras
muitas fazendas por |-re;os cr.nTi:odt-s. ain ::n\
da P"'ta larga.
No mesmo eslabelerimenlo encontrar o r spei>
tavI publico, serrpre um completo so:;.'
roo| as P Mas de todas as qnalidadt -. ei mo
pai< ios de alpaca prela o de cor. din s
eos a 5 e 55. ditos de rim par lo a 258W ".
1800, ditos lino.- a 45, ditos meias cazen
eslao-se acabando.
Forello.
Veade-se superior farHo de Lisboa .: no arma-
zem aliitnga, ra do Imperador n. 57.
Muita iitenrfQ.
Guimecies & iroaio i^-oprioiarios do grande ar-
mazem e fa/.indas e roupas feias na ra da lm-
roerainz .ti. 72, tendo receido um grande sorli-
tnanto ti fazendas de geste irazidas por nm dos
socios pulo ;iliinio vapor, vm porianto fazer scien-
le aos soanores e senhoras .precos de sua fazen-
dasyos pripiios amaneara vender as fazendas por
menos il por cento to qoe em mura qoalqoer
parte m s por ser no fim do ann-i como tambem
por sor .a Cesta lempo este qonas !-;>irna.:. seLhtras
deveni mnoir Be do bom e bacato, a saber:
ivns cortes de la cttii lian ax.
Vendy-ce um grande sortimeolo de .corles de
Bae com iliarras tendo indos os perirnces. ramisi-
nia com pravatinha e simo, sendo os mais novos e
modernos t;oe tem vindo ao ntercadQ, dilos de
phaotasla com lindas barias e veadeBMe |wr pre-
cos sauio lazoavi-is.
lac escocesas com listas de seda.
Veade-se uoi bonito sortimento de laaskWias es-
cocesas a .500 e 560 rs, ditas transparentes de lis-
tas de seda a .tO e 360 rs.
J-V-ii-ai.'- linas nuil lindos desenhoa.
Veode-se UEdas fierealias muito finas a 360,
400, 4>0 e5oy rs. cintas de todas as vialidades a
saber de Mecos 20, 320, 360, 400, 410, 480 e
500 rs.
Cassas franee-z's tniudinlias.
Vende-se um grande sortimento de casias miu-
dinhas sendo as cores segoras a 280, 360 e 400 rs.
Cambalas brancas trasparentes.
Venderr.-e pe^as de camiraidS brancas trans-
parentes a 35, 4, 45500, 55, 55500, 65, 65500 e
75, ditas muito finas com urna vara de largura a
05 e 105.
Chales de merino linos.
Vendem-se chales d merm linos sendo com
lampas bouilas e modernas pelo barato preco de
75; 70500 e 85, ditos lisos com lindas cores a
45.. 45500 e 55, ditos eslampados a 25 e 25500.
Crinolinas u balites.
Veade-se um grande sortimento de crinolinas a
25^00, 3 35300 e 4*.
farlalanas linas a 640 rs. a vara.
Vende-se lartalana de cores pelo barato preco
de 640 e 800 rs. a vara.
llantas para homrui a I 300.
Vendem se manas para homem as de mais gos-
to que tem vindo ao mercado pelo barato preco de
15300 e. 15500, ludo isto s oa ra da Imperatriz
n. 72, loja de Guimares & Irrnao.
Tiras bordadas a 1.
Vende-se um grande sortimento de tiras borda-
das a 15 cada urna e pecas"de eniremeios a 15,
15200 e 15500.
Camisas francezas para hornea.
Vcnde-se um grande, soriimeulo de camisas fran-
cezas a 15800, 25, 25500. ditos de peilo de IibOo
a 35, 35500, 45 e 45 : islo na ra da Imperatriz
n. 72, loja de Guitnaraes t lrmo.
Itoupas fritas.
Vendes, um graude sortimento de roupas feilas
assim eomo sejam : paletots, caifas e colletes de
pannos e de casemira tanto preu como de cV pa-
ra precos muilo razia veis assim como tambem tem
de brins mancos e de cores, seroulas de linho a
de algodaoe lodo isto se vende por precos muilo
mo'erados : tooa ra da Imperatriz n. 72, loja
de Guimaraes i\ lrmo.
Veode e urna et-crava mofa, perita costurei-
r engommadeira, cozinha o diario, faz dices e
bolos, lem urna filha de dous mezes, e pode muito
bem ser *aia de leite ; a irala' na ra da Impera-
rjz n. 6fi; 1 andar.
Bonitas louquiilta*
de (il dp linho, cambraia e selim todas mui bem
eneiiadas : vendem-se na ra do Queimado n. 8,
loja da aguia branca.
Carreteis com retroz.
A'a ra no Queimado n. 8, loja da aguia branca.
de viado
35UO, bataneas linas 55, pentes e enTeiles para
senhoras ludo de bom go.-to mrdernos, bandejas
finas, ludo pelo barato preco que s com a vista se
podera ver.
ltennos.
Acharn-e venda na ra do Queimado. cja de!C0Dre a 75500, espingardas dous canos mui
miudezas u. 16. a 255, 355, 455 e 605. facas e arlos cabo c
Botitas toii(|iviiilia.s
de fil e cambraia. bordadas e enfeitadas : ven-
dem-se na ru; doiQueimado, loja de miudezas nu-
mero 10.
Lonetos de dous vtJros com aro de aro, Lualo
e tartaruga.
A loja de miudezas, roa do Queimado
n. id, receben um bello sortimento de lo-
netos e oculos de vidros com armacSo fina de
nro, bfalo e tartaruga, e ns est vendendo
por precos razoavetsj ns grel mientes diri-
jam-se a esla leja n:i na do Queimado n. 16.
rem BHrita fazenda e enfeites siifllcientes para o
corpo e mangas, e vendem-se pelo barato pre^o de
1050' 0 cada um, na loja to I'avao, na ra da Im-
perotriz n. 60, de Gama & Silva.
Os espariillios do Patio.
Vendem-se um grande e variado sortimento de
espanilhos os mais bemfeilos que tem vindo ao
mercads, sendi. de lodos os lmannos pelo baratls-
- simo prego de 45, 55, e 6fi000, por baver grande .,
beo cusi e 105000 por cada eiemplar em dous sortimenio, na loja do I'avao, na ra dalmperairiz 35SOO, 45 e 55, ditos cazemirasiccosa 65,1 )
omo-____________________ _______________ o. 60, de Gama & Silva. e 105, ditos sobrecasacos a 10 e i25, ditos de tan-
Rcloiiuts pretas a 12*000,
Na loja do paviio.
Chegaram pelo olliriro\vpor as mais ricas ro-
tondas de renda pretas,' sendo das mais cempridas
muito era i na : na lija e armazem do Paviio, ra
da Imperatriz n. 6U, de Gama & Silva.
Cortes A 8()0, na loja do paviio.
Vendem-se bomli s cotes de casimira de cores,
tendo claras e escuras, e venidera so pelo baratis-
sinio prego de 25S00 o rrte, ou vende-se a me's-
v ma fazenda a 15600 o rovado, tendo 6 palmt s de
largura : i^lo na loja e armarem to I'avao, ra da
Salitre refinado rootto fino a o5->00 em barrica, imperatriz n 60, de Gama & Silva,
lona minio larja propria para encerado de barca- ( erlfi ih> civimii-i dn Pnv'ia-
ga e camas de vtnlo 15 a vara, camas de vento Z US tl lC& ,,L tdMnilia 00 I t\t0
s e de enrornmenda lona du reino com tazas de Vendem-se superiores corles de casimira, sendo
j0 (nas fazenda muilo lina, pelo baratisslmo prego de 55
cada um : na loja t- armazem do I'avao, ra lia
imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os cintos do pavo 10OG.
Vendem-se cintos de Ola com fivelas pelo bara-
tisiimo prero de 15000: na loja do Pavo, ra da
Imperatriz b. 60, de .'lama t Silva.
I
Grande liquidado
Kivalsem segundo
Ri:n do Queimado ns. 49 e 55, loja ile
miudezas de tres piulas, est qiiei-
Biando ludo lioii) c barato, (ucm qui-
itv ver adairar venhan loja do
Kigodiabo.
Gaixss de papel araizade, e sem ella lise e pautado
a 603 rs.
Crozas de boioes de loug,a praleados fazenda mo-
derna a 160 rs.
Duzias tie penna de ago fczenda boa a 40 rs.
Pegas de {ranga de la feas e de todas cores a
40 rs.
Escovas fim'fsimas para limpar dentes a 240 e
320 rs.
Pecas de fila de cs estrellas com 10 varas a
320 rs.
Caixas com clcheles franeezes, superiores quali-
dades a 20 rs.
Tinleiros de barro, com superior tinta a 100 rs.
Pegas de cordao para vestidos, fazenda boa a
20 rs.
Baralhos muito finos para voltarete a 200 e
240 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos de macag perula muilo fino a 200 rs.
Frascos e garralinhas com agua de Colonia a
400 rs.
Frascos grandes com superior agua de Colonia a
640 rs.
Caixas com 12 frascos de cheiros muito finos a
^ 15100.
Sabonetes pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
320 rs.
Duzia de sabonetes pequeos com cheiro a 700 rs.
Agua dentifice superior qualidadea 800 rs.
Caixas cora superior p de arroz a 800 rs.
Frascos de superiores essencias santal e outros a
15200.
Frascos com essencias para tirar noduas de rouoa
a 500 rs.
Frascos com cheiros de lodos os precos a 160,200,
240 e 320. '
Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
Duzia de meias muito finas para senhora a
45800.
Gollinhas muito finas para senhora a 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo para meninos a
160 rs.
Pegas de fita de laa para debrnm de vestido, com
10 varas a 600 rs.
Ditas de bicos superiores, para acabar a 600 e
800 rs.
Pedras de lousa para meninos a 160 rs.
Cuneos de choro e panno a 160 rs.
Caixas com bonitas estampas para rap a 100 rs.
Capachos eompridos, boa fazenda a 500 rs.
Grosas de botoes pequeos pretos para caiga a
varas de cordao de espartilho a 20 rs.
Novellos franeezes com 2(K jardas a 40 rs.
Pegas de tiras bordadas a 640.
Uuzias de meias cruas mui'e fortes e superiores a
35800.
43Riia Direita45
De fazendas e roupas ferias; na loja e armazem
da Arara a ra da 'Imperatriz n. 50, de Lourengo
l'ereira Metido Guimare.
Corles de chila a 2200.
Vndese corles de chita de tures xas a 25200,
ditos de dita franceza a 35, corles de cmbala de i >> Prata do commercio n. 4, escriptorio de
cores a 35, dilos de dua com barras a 35 e 35500, ofe Maria Palmeira, vndese :
a ruada Imperatriz n. 36. loja da Arara. Cerveja Bass, \erdadeira em botias. chegada
Chales de inclin s 200. recentemeute no navio inglez Anne Kay.i
feode-se chales de merm a .'5, 35, 45, 65, e EEStLffi ',"""" '";-
85. riM-ados escuros a 240 e 280 o covado, a rna ,. f!0.,.?,c!.'L,,.,,!^am.t?.r8oe, nova cuJa f"H**
dal(eratriz loja da Arara n. 56.
lloupas fe,.i;'> para liu,ujdar.
Vende-se palitols de brundecor a 25 e 35, ditos j
de meia casimira a 45. 55 e 65, daos de panno ^uP"lo^ vnho do Porto das marcas-Pedro V e
fino e de casimira a 85,105, 125 e 145, calcas de >;a'Dna ** Po,lu8a'l'm parraras solas poner
brim pardo e de cor a 25 e 25500, dnas de dito fado cuP,m nas cai*a:. a Pr '^o se vende por
branco a 35500 e 45, p^lils de alpaca preta de ba[a'o prego.
Vende-se um cavallo ruco pedrez com 7 pal
mos de altara muito bom de abiielet : na ra da Chales Ilielos (le I'Ollda a 8-S'OOO. D8
Soledade n. 19. '
--..... loja lio ;;.\at>.
^1 ^^l^iA lili D41II-A Chegaram para a i ja dn Pavo os mais ricos
ilLsi^' mI." I* i f \ llv !\ <*a,,'s dc renda l'r'!"s' rte Pontas ,; moi,d i""11-
Na luja de AndradeA Reg, rna do Crespn. 8, S*.mdMl 'se '';' '""V i'r^" ^ W
esquina dama do Imperador, contina a vender! g*" u,,!' J*r aal'"; na l,;ja d, l'ava s rua da
se superior algodao da Babia 'por menos preco que l""""8'*1 ll1- l!.' '"":;i >-V.,Sl ".,
em outra quaiquer parle. Vt'stltlOS I Odia 006 a ,{>l)l:, lia lOja
do pavo.
Vendem-se os mais bonitos corles de vestidos
beleiros c correaros
I'ECIll.NCH
Sola de iustre em perfeiio eslado,
meio............20)5000
indianos, sendo esia fazenda transparente e ioteira
mente nova no mercado, e tendo entre elles muitos I luto. Pona larga junto a padaria franeeza" ? un
cortes roxos proprlos para senhoras que eslo de da Imperatriz n. 52.
propr
lulo; e vendem-se pelo baratissimo jirego de 35
cada um psr? acabar : na loja do Paviio, ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.

ja aqui no vem ha tal vez 2 ? nnos.
Vinhos finos.
CAVALLO.
Vende-se um cavallo rugo, muito novo, bem car-
nudo e de ptimos andares : quem pretender com-
pra lo dirija-se a casa n. 10 da ra do Destino.
Vende-se urna casa terrea na roa da Soleda-
de n. 60 ; a tratar o> mesma.
Vestidos a 4
Vendem-se cortes de vestidos a Maria Pia orn
barras bordadas, pelo baratissimo prego de 45000
para acabar : na loja < armazem do PavSo, ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Uanijiiilos ,' jolas a 500 rs.
Vendem-se manguitos com golas de cambraia
pelo baratissimo preco de 500 rs., isto para li-
quidar : na loja do Pavao, ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Corles de chita do Pavo
i 4e pregas jg*> Jem OHmbirril.Bhoa de ./ de ptimo vi- eo^oSSdT^dito""!! SSK
largas a 35 355(0, cern las francezas a 15600, ^*K' e ludo se vende por prego if>m d|tos com ,2 covarios a 24800, isto s
25 e 25500, ftilerinhos fiuos a 600 a duzia, caigas wbjukwu l"ra acarar. Dara .-..i,... na i01il rin p.vgn -, ,ja |mnprair,
1*las.miraa45,65e85)aruadaImperairizloja- No armazem de Ferreira & Matheus, ra da l
da Arara n. 56 | Gadea do Recife n. 62. __
CiO.
no saceos a 05, 85 e il!5, ditos sobn rasao 1 125
e 25-5, dilos de merino 1 reto a 65. 75 e I05, cal-
ca- de liiim de diversa; qualidadis a 15800 a 1-5.
dilos l-rancos a 25500 e 6500, dilos razt mira -5.
65 e 75, dilos pn tos ;. .'5,65, 85 e lOJ, titos
meias razemiras a 35 t-15. eolel
qua^dades, seroulas francezas de algodao, ditas de
Hubo, dilas de bran ante a 25 p 5500, cami 1- de
algodao de linho francezas de 25000 e :;5; Gran-
de pechincha neste genero, gravsiasdo leas as
qualidades e brancas pr i rasanter.! r-
timr-nio de meias para *< ni oras, d a 35. superiores a 35ot 0 i.
Um rompilo sortimeolo >ii cl-apos
alpaca a 35, ditos de seda a 55, 75, i ;''
ditos fraucezes para cab ga, grande sorti
a 65-
Pechincha amii "!.
Grande sortimento de chambre.- a
lenges de cambraia para homem a i .
to- de i '10 a 'i5 e :';''.
Grande soilimenio de ronpa para n poln< -
:r;.r inuias qualidades que seria enfadonho
eions-las.
Pazeudas.
Vndese snperii 1 merinotreto proprio ; >ra ca
pas de senhora e vestidos a ?5, lusirim da Ihiaa
a IC :';: o C-. va llua da Imperad iz, porta .....
l'are' '.' o.
Vende em seu estabelecimento liras e enl 11
bordados, grande sortimento de s rica-
mente borda I a 35, i j e 5-5. S o ri li-
to, ra da Imperatriz ni 52; porta larga junto a
padaria franceza.
Paredes Porlo
Receben pelo ultimo paquete francez rica lai
granadinas com flores de seda t (i 0 e 500 rs. \
covado.esloacabando-se. cambraia prela para"
Imp
ci>-
rr.eu-
cores e branca a 45500,'45 e*35, carnizas france- Ha lambem S mesmas marcas em caixinhas de
Lencos tle seda a CiO. Vende-se um mulalioho de 16 a 17 aonos,
Vende-se lencos linos de sede a 640, 800, 15600 proprio para pagem por ser muilo bonito e de boa
e 15, ditos dito* de bobo a 45500, :< e 65, a dita con-lucta : na ra do Imperador n. 45, terceiro
ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara. andar.
Chitas de cores li\as a 20 e covado.
Vende-se chitas de cores fizas a 230 e 240 o
covado, dilas finas francezas a 320, 360 e 400 o co-
vado, percalas linas a 440 e 500 o covado, alpaca
de cores rara vestidos de senhora e roupa para
meninas a 360 o covado, a ra da Imperatriz n. 56,
loja da Amara.
Cassa franceza a 320 o covado.
Paredes Porlo
Vende nm completo sortimento do faz
brancas, como sejam mada olao a ',''' o, ,. .'.
'"?, pe-cas de algodo por barato prego, ch la fftu-
ceza a 240, 280. 320. 360 rs. o povad >, ; recalia
muitn tinas a 360, 4(Kl rs. o covado, chita infleza
a 20U e 240 rs. o covado. Rna da Iraperstri:
52, junto a padaria franceza.
Paredes l'oito
Vende gangas de cor propria para roupa de me-
ninos a 320 rs. o covado, riscado francez::
320 rs. o covado. Ra da Imperatriz n. 52, junto
a padaria franceza, pata larga.
Paredes Porto
Recebeu pelo ultimo paquete espanilhos a pre-
guicoso por 3a, sao bons, leos de seda para se-
nhora e horaem a 1?, ricos corles de cambraia
bordados de S;? a ";, por le-r un. I que de mi fo,
estao se acabando, na ra da Imperan iz n. 52, jun-
to a padaria franceza.
Vende-se urna mebilia deamarello ia usada:
na ra esireifa do Rosario n. 17, 2 andor.
Miliio

eneosde
labyrintho
Na ra do Crespo, loja da esquina n. 8, ha sope-'
Cassa franceza se vende a 520 e 360 o covado, rores |eDC0S e labyrintho, que se vendem por
orpandis finos a 360 e 400 o covado, pegas decam- commodos pregos. 1
braia lisa fina a 35. 35500, 45, 55 e 65, a ra da
Imperatriz loja da A ra a n. 56.
lia hits a 2;HI00.
Vende-se baloes de 20, 2o e 30 arcos pelo barato
Aos tabaquistas
Vende se as ap-eciaveis caixas pan tabaco, bem
prega de 25, 25500 e 35500 iTlj' tailiTmUlrtr feilas> obra 'hrieada no Aracaly. por muito barato
para senhora a 65500 e 75, ricos vestidos a Maria Cec-1"1"3 acabar M rua da Cadeia (Recife) n.
7, loja.
VENDE-SE BARATO
Junto da lj pographia do Diario, rua
das (j-tizos n. 42
Manteiga ingleza fina a 15 e 15280 a libra, dita
franceza a 900, queijos prato a 800 a libra.ditos do
reino do ultimo vapor a 25600, dilos frescaes a
25200 vinho Fipneira a 560, dito Lisboa a 480, dito ^ 7*"iob. di a. dtez
^%*^:LrX:Z* '""S frentes, de mui.k pbanlasia, pe.
l'ia com lindas barras a 135, 145 e I8, ditos de
cambraia boldados a la ntla a 85, 95 e 105,
laslnha para covado pelo barato prego de200, 240,
320 e 400, dilas de quadro de seda a 560 o
covado.
Todas estas fazendas se vende por barato prego,
para liquidar al o fim do correute nez, a rua da
Imperalrlz lojada Arara n. 56.
Gaz idrogeneo primeira
qualidne
Na rua Nova ns. u e 2. t.o grande ba-
zar de Garneiro Viunna.
Grande bazar.
Nesie grande etabelecimento tem chega-
do ultiinamenle dos Estados-Unidos urna
variedade de cadeiras para homem e pro-
prias para senhora e criaoca de todos os
tamanhos e oulros riquissimos artigos que boas de 22 palmos de comprlmenio, 6 poleg'adas
por gosto se pode Comprar, ludo por pret de *'(Eura, e 1 de grossora a 75(00 a duzia, e de
muilo commodo : na rua Nova ns. 20 e 22 f n. 60, de Gama & Silva.
Chales de renda a 105, i%% 18& 20^ e Tfr, na
loja do Pavo.
Vendem-se chales de renda prela muito finos a
105 e 125, dilos de linho a 155, ditos de seda de
linho dos melhores que ha em chales de renda a
20 e 255, ditos brancos de Ires pontas a 6, islo i a 'Oo'tO e 50000
s na loja e armazem do Pavao, rua da Imperatriz a wcea e em eaia a 250 rs., farelo novo a 45O00 i
n. 60, de Gama & Silva. saeta; no armazem da Eslrela, laro do I'araizo
[n. 14
Chales de renda
Paredes Porto, na ruada Imperatriz n. 52, portt
larga, vende chales de renda de cores com peque-
no loque de mofo, a 35500 e 45, fazenda de 103
e_i_25000._________________
Vende-se urna negrinha de idade de 10 ao-.
nos : a tratar na rua da Imperatriz u. 20,
Bren em barricas pequeas.
Cera em velas de lodos os tamanhos.
Bopias.
Mercurio.
Xa rua do \ tgario n. 19, primeiro andar.
Machinas de descantear al-
godao.
No caes d'Apollo, armazem de Tasso Irmaos.
Vendem-se superiores presuntos de Wt.-i; I .
nas, fazendas trans-
1, pelo baratissimo pre-
240 a libra, ameudoas a 280 a libra marmelada a co tambera de 35, para acabar: na loja do Pavao,
ruada Imperatriz p. 60. de Gam-> A Suva.
NoYidade
PARA A FESTA
Popelinas a '100 rs.
Piipeliiiiis a 400 rs,
m Popelinas a 100 rs.
Chenaram para a loja do pavo as mais lindas
popelinas, lazenda propria para vestidos de senho-
ra, sendo muilo transparentes e brilhantes com as
mais lindas cores que lem vindo, as quaes facili-
tam fazer-se um vestido com muia pbanlazia por
pouco dioheiro, e vendem-se, sendo de quadrinhos
a 400 rs. o covado, e as de urna s cor a 500 rs. :
na loja do paviio, rua da Imperatriz n. 60.
A 3-S0O o corle,
Vendem-se superiores cites de cassa, sendo fa-
zenda muito fina e de cores fixas, pelo baratissimo lia. chegados no nlimo. vapor : na rua do Tr'api
640 a libra, c! i da odia a 25800, dito Ison a
35OOO a libra.
che n. 9,
24--CAES 22 OE ROVEHBRO-24
Paulo Jos Gomes A Mayer.
Eslo-se acabaudo as laboas que lemos annnn-
ciado; portanto as pessoas que anda lem vontade
de fazerem casas de madeira para moradia, dilas
para banho, quartos para agazalho de pretos;
aproveitarem, pois na realidade baratissimo, ta-
VCilisios ZU.
Cheparam a' loja do PavSo os m. > lindos cortes
de vestidos rom o competente zuavo e cinto, vindo
ludo em um cartao, sendo a maior novidade que
tem vindo para a fesia : vendem-se por baralo
preco na loja do Pavao, rua da Imperatriz n. 60,
de Gama A Silva.
Novidade para a fesla,
Vestidos de seda.
Chegaram para a loja do Pavo os mais ricos
cortes de seda para vestidos, sendo em qualidade
o melhor que tem vindo ao aereado; e padres os
nho,8tambem por preco que agradara aos compra- mii^ md^; por'7remVuasi lodo's Sos cora
i --"--------------_______________________ cores mui delicadas, allancando-se ser neste gene-
Pennas de ema de muito superior qualidade': ro o melhor que existe : vendem-se por precos
machinas americanas de serrote para descarocar | vende-se na rua do Vivario n. 24, i andaj, es- muito razoaveis, na loja do Pavo, rua da Impera-
algodao : na rua da Sentala nova n. 42. criptorio- trtz D. 60, de Gama & Silva.
Vendem-se
A ttenga.
Vende-fe o ?i';" de Franc--, -v A-sis Pereira.
."reir 11 logar a:, 'minga (yuii, :. l*w*w'
a tratar com AcgnMo Genoioo de Pigoeitt po-
curador do mesmo Sr. freir.
Balcao
Vende-se nm balcao de amarello que ainda uo
foi servido, obra muito bem feita, sendo do 1 hl-
elo com volta, propria para loja ouontro qualqorr'
estabelecimenlo, por mdico valor; na rua do VI-
gario n. 26 oa ca'es de Apollo no deposito de sabio.
Cera de carnauba
em saceos; vende-se na roa do Vigario n. 13.
Esleirs da China para forrar solas
vendem-se em casa deTeoJoro Chnstiansen,
rua do Trapiche Novo n. 16.
'



1 :


Diario de PerMMbaeo Quinta lel#a i I de Dczembro de i *.
N. 11Ra do QueimadoN. 11
A' casa de Augusto Porto chegaram pelo vapor francez ricos cortes de
vestidos de seda de cores dos mais bellos gostos, proprios para bailes,
partidas ou casamenios.
Guales de Guipure pretos e brancos.
Bonets de palha da Italia para senhoras.
Moir branco e preto.
bonita seda para vestidos,
Casemiras de quadros.
Epeiras da India para salas.
Aladapolftes fraucezes a 400 e 500 rs, a vara,
Lias para vestidos de diversas qualidades, e
gostos diffreentes,
Q que tudo se vende pelos mais comraodos pregos.
CORTES WE SE I A
Chegaram pelo paquete ingles riquissimos cortes de moreauuque de cores, e seda lavrada pa-
Ire; iDieiramentP oovos.
Seda de quadros por 1#000 o covado
5RA DO CRESPO -5
Gregorio Pac. do Amaral fc Companhla.
FAZEND4
fiOST
g< Para vestidos de senhnra.
Cortes de seda de cor de bom gosto e superior qualidade.
t) Lindas sedas de quadrinhos.
ijji B.'us moireantiques de cores.
Grosdetnples d Lindos poil d chevre faz-mda assenada de in'eira mvidade.
lindas duquezas assetinadas fazenda inteiraraenle nova.
tfe Modernos urena>lines de seda o que tem vindo de mais novo.
Grande variedade de las de cores li>as e de salpieus.
(':) Onrandys e ca sas de muit bom go-tn.
cijp Percalias modernas com grande variedade.
{'',' Lindos -los de lia Clotilde com todos os pertences cada nm era sen car-^
St3n i n le rmente novos.
Tf Bous c Wes de ca-si co n barra tambem inteinnunte novos e otaras muitas
azendas de gosto quesera enfidonhi mencionar.
Para hom*rns d$mhnra
Grande variedade dectia'cs, bo irnntu, retondes e algeriennes de fil
n\
cp^guipire a 10, IG, 20, 30, 40, 60 al 0$
Modernossoutemlnr pjes de seda de superior qualidade.
rft)
e de.
L-ndus bertes de seda le cor pretos e de cachemira,
dem de cambrah branca b irdida com minio gosto.
Sauteutbarqaes e boarnoux de cacbimira de cor e outros muitos artigas de;
'-. liom gosto.
Para cabera de senhora
- .>
Superiores chapelinas de palha, de^edae de crina de rauito bom goslo 3 im-
l
%5J
#
1
: .-
Chapeos depdha da Italia grande variedade.
L nd is orros e bonete de palta de Italia, Emperatriz, Canutier. Clotilde1
e a GranM, chegadosde Parispeo ultimo vapor.
Grande variedad.! de endites de fro-.o e de llores para casamento.
S ip triares vestidos de bien le. e de m lireantiq-ie brancos. f
R ms n liivanliqes bnne >s e s iperiores sedas brancas.
Hus vestido-; d; ta-latana brano bordados. '
Linda-s mantas de blinde e boas capellas. t
lio ral i os.
Grande variedade de enlremeios bardados transparente e tapados. (
Ti as bordada* transparentes e tapadas, babados bordados, satas bordadas e
outros muitos artigos.
\
1)K
4NTONIO roRHKI lR VAS ONCKLLOS & C.
RA 0 CRESPO X. 13
*sq

A LEGITIMA
PEPASADA NICAMENTE POR
LAMAN & KEMIV
NOVA YORK.
C imaosta de substancias, gozando das
p 11,i; la 1n eminentemente depurativas .
dii Lili ;.das juntase academias de me-
di< i 11 a: usada nos prmeipaes bospitaes, o-
vis militares e da marinha as Anlilhas t
Dii euiiti ente americano ; receitada pelos
lactiltativosos mais distinctos do imperio do
brasil e da America bespanlml
CU HA RADICALMENTE
e- TCipliulas. rlieumasmo, escorbuto, en-
f 'unidades venreas e mercunaes. rbagas
a:it:gis, mo pitea e todas as molestias pro-
venieittesd mu estado vicioso do sangue.
!.n pianto existem varias imitaces e
falsilicacoos. precao a maior cautela par*
evitar nsemeanos,
A legitima salsa de Bristol vende-se por
tlAUKS & RARBOZA
lOA DA C. BRAVO 4 C.
J.o da C. Bravo & C.
Oep isiio eral em Pernamnoco roa da
Cnu n.tt em casa de Garos A Rarhnz

ava nado
Francpz barrica 55000
l'orih.od dem 84500
Era perfi'im -lado :
Pranm barrica 105000
I' ...mi dem 12000
N'n irm-tri-ni d Tas <* Na airara da Ptalo vi-lha ve.tdem se tahnas
d> lonrn imarello, e tamhem pranchoss, mais
|>ir-to do que em ootra qaaiquor parte.
LOJA DO BEUA FLOR
Ka ni Nesia lu por lodos os vapores si- recebe luvas de
pellica brancas e decores, tanto paraliomemcomo
para seoh.ira.
Vo t*s, C'-ozcs ft brincas.
Chegou ao ultimo vapor un grande sortimento
de voltas e cruzs, imitando cornalinas brancas,
as.-im como brincos da musoiae d-icrysial do mais
apurado gusto que se pdfl desejar, fui s quem
reeebea : oa loja do b-MJa-flor, ra do Queimado
n. 63.
Enfeiles para coq je.
Assim como rer^beu enfeit--s para coqoe e eu-
tras multas qaalidades, que se vendera mais barato
[ do aue om nutra qiulqoor parte.
| Uouecas que riiam ni mami e papai.
Teodo rwMlMdo iiio rau.le s.irtun.-nto de boae-
; cas que charnam papai e mami e movem com os
olhos, milito b-rn vetida<, com cab'lleiras, o
que p le haver de g.iio ueste gemro, e vende se
mais barato do que em mira qualquer parte.
B laios.
A-.-, m como om bonito sortiroeato de balaios para
menina de escola, tanib.-m ha inuuo bons peotes
para desembarazar, guarnecidos de melai.
m Bichas de Hamburgo m
JK todos os paquetes da Europa se recebe 9|
^ destas amigas do sangue humano e se )
B Tendea a troco de pnuco lucro s afim 5
XR de ler sempre cousa nova : a loja de bar- j&
iL boira ra estreita do Rosario n. 3, ao pe ^
M da igreja. f^
Mnmmwm m&m mmimm
colares Royer on colares ano-
liaos
para facilitar a denticao das criancas e presrva-
las das convulsoes.
O feliz resollado ohtido immensas vezes pela
prodigiosa forja magnetii-a do colares Royer, nos
casos de coovuisdes, e rieniif.ao das crianza1', tem
altamente elevado o seu bem merecido prestigio,
ehojej* se ple direr que estao feralmente con-
ceiluados, e estimados df innnineraveis pais de
familias : de uns porque do oso d-sses salutares
colares viram salvis do oerigo s*os charos filhi-
ohos, e de outros porque aoMoraa daqaelles to
I profleoo pxemplo para ieoalmKnie preservar os
seus. Assim, pol, a agina branca, tendo em vis-
tas a uilli'iadf e prnvejt d>-s-es prodigiosos cola-
res anodinos no R>ypr, mandto vir o nnvo sorti-
OMito que agora recebfo, e continuara a recbe-
los para on- em tempo algum a falla delles possa
ser funesta nx pas de familia, ns quaes ficaro
certos de os acbarconsiantemeDte na ra do Quel-
mano, loja d'aguia branca n. 8.
Vemipm-sf duas escTavas rfcolhi las, de ida-
de 23 a 24 annoc, excedente Conducta, engommam
perfi'iainente < fazem todo o servigo de urna casa : !
na travessa do Carmo n. 1.
Vende-ce um silio em Remflca a' margem do
rio Caidharike, com ha>tantes comniodos para orna
grande familia : tratare oa ra Nova n. 24, das 9
horas as 4 da urde.
Vendem-.se qoatro burras mulo maosas, boas
de carga e df se.ia, por proco commodo : a tratar
no hotel de Franca. I
AO RESPE1TAVEL PUBLICO
A tabella abaixo publicada serve de base de precos,
tanto deste armazeo como do armazem progressivo pa-
teo do Carmo u. 9, principal arcmtzem ra do Impera-
dor n. 40.
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senfcores de en-
henaos, lavradures e mais pessuas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
oeraram os proprielarios dos tres grandes armazens, reunir todos os seu-s estabeleoi-
uientos em um s annuncio, pelo qual o prego de um ser de todosr promette-
utos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicad, annunciar os gneros
por um preco, e na occasiao da compra querersm por ootr, como socede constante-
mente em outyas muitas casas, porm nos nossos estabetecimentos nao se dar isto
onda inesmo com preiuizo nosso, qualqoer pessoa poder mandar seus fmulos que
*ero tam em servidos como viessem pe*soalment2 fazendo-nes o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qoalquer engaos, remetiendo nos urna coma
^eta qual se ver os precos tal qnal amiunciarmos, o que- senao arrepender pessoa
aiguma que Czer sua despenga em nossos estabelecimentes; pois poupar- mais de
5 por ceuto na sua despeza diaria.
Manteia i gleza perfeitamcnte flor ebe
gada ltimamente de i.oooa l.luo rs. a li-
bra, e em barril ter abatimento.
Manteiga franceza da safra nova a 80o r.
a libra e em barril ter abatimento.
BNHA
Bsnha refinada superior a 64o rs. e em
barril ter abatimento.
COA
Cha uxim de priraetra e superior qualid.v
de a ,8oo rs.
dem hysson o melhor neste genero a
2,6oo rs., e sendo em porclo ter abatimen-j
to, tambem ha proprio para negocio de a I
Sf>rveja
Superior serveja Bass dos melhores fa-
bricantes, como sejam: Shlers A Bell. T. F.
Ashe a 7,5oo e 7,ooo rs. a mzia e a 7oo rs.
a garrafa. Tambem ha de outras marcas
como seja: Victoria e Alcope a 5,ooo r3. a du-
zia e a 000 rs. a garrafa.
vhaagrc
Superior vinagre- de L'sboa a 2,000 rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ha
mais batato para 2co rs. a garrafa e l,.4oors.
a caada.
Azeie doce
Superio- azeite doce de Lisboa a 64o rs. a
2 4co rs. bra. 8arrafa e a 5,000 rs. a caada.
dem preto superior de l,8co a 2,i5oo rs.! Mnssns
a libra. HfacarrSo e taKierim a 360 rs. a libra
e a
Bieoiitos
Latas com superior biscouto inglez de i-
versas marcas a i,2oo rs a lata.
IStilnehinha
Latas com nolachinhis da acreditada fa-1
brica do he to Antonio, propias para dar a
doentes de 2,ooo a 3,000 rs. a lat.
dem com quatro libras de bolachinha de
soda a 2,ooo rs. a lata.
Queijos
Queijos flamengos chegados no Itimo
vapor a 2,5oo rs., tambem ha do vapor pas- ,ja umS-
10,000 rs. a caixa.
Pasma
Superiores passas a 3,000 o quarto e
12,5oo rs. a ca xa de arroba hespanliola e a
5oo rs. a libra.
GEVGBRi
Genebra de laranja verdadeira. a lo,5oo a
du'ia e 1,00o rs. ao frasco.
Genebra de Hollanla verdadeira a 6,000
rs. a fiHsqueira e a 56o rs. o frasco.
ldom de Hollanda em botijas a ioo rs. ca-
0 BAILE III) CUBE PERWMBICAW
Gregorio Paes do Amaral & Companhia.
Offerecem a lodos os convidados, do explendido baile do Club Pernambucano o
seu bello e escolbido sortimento de hzendas de phanlasia, ebegadas pelo Gueme, que
consta das seguinles especialidades.
Vestidos Cesarlos
Linda e nova fazenda de la-brilliant, transparente, com listas e llores de seda,
padrees do ultimo gosto.
Em cortes padres novos. escuros o daros.
Em peg*s nioireantique liso ondeado e lavrado.
dem estmpado com listas e flores.
Tarlatana.
Resta urna diminuta porgo de cortes de larlatana branca, enfeitados caprickosa-
mente a cores. Todos os amadores de partidas e soirs, ho comprado para suas famt-
las estes vestidos, j pelo diminuto prego, ja pelo bonito gosto.
EUTEITGS
A imperatriz Eugenia e a ramha Victoria que adaptam com muila elegancia
ao Kok.
Jouvin C.
Resentia-se o nosso mercado da falta absoluta das verdadeiras luvas de Jouvin.
Temos a satisfago de poder annuncia-las a nossos freguezes pelo prego de 3JOOQ o par.
E grande a economa vista da flexibil dade e bom acabado, que Ibes d dupla
duragao sobre as falsificadas.
Trinta diversos objeetos
Proprios para o complemento dos enfeites de vesiido como berthes, costageo,
suspensorios, etc., gostos os mais pliantasticos em dentelle preto e branco, tafet etc.
Mandam-se amostras.
. > ademas e peotes de tartaruga.
E a primeira vez que vem esta fazenda ao mercado. A pequea porgo que res-
a convida as Exmas. senhoras a urna breve compra.
a CIATOS
Com fivellas de madreperola gravada, tartaruga, metal, etc.
Chales de 016 de reres.
Nova remessa.destes chales e rctondes a duas e mais cores em xadrez. Nada se
pode julgar do magnifico effeilo destes chales, sem experimentar; as pessoas que os de-
sejarem mand iremos amostras.
E urna infini laile de fazendas de gosto, como sejam:
Chales de fil preto de 103000.
Os mais ricos vestidos para menino de 3 a fi annos.
Colxas de croeg e pannos de labyrintbo.
Tif branco e Glo de seda.
Superiores bales de clina, recommendaveis pela longa durago e bom talbo.
Tudo a
5
CRESPO 5
DO
AZEVEDO FLORES
Kua da Cadem do teoite, esquina da Madre de Deus.
Grande sortimento de fazendas por atacado e a retalbo e um completo sorti-
mento de roupa feta, de casemira. e de brim, todo [ior menos que em outra qnalquer
parte: quemduvidar vsnha ver.
de lindas e 6nissimas casemiras escuras e claras, de superior casemira preta, de finos
brins brancos e bom brim pardo.
l>alets
de superiores casemiras escuras e claras, de Una aipaka branca, de superior alpaka pre-
ta e de brim pardo.
Colletes
de boas casemiras pretas e de cores fr de lino b-im branco.
CAMISAS
Superiores camisas francezas de 2$ at .
MANTA*
Novas mantas de seda para pescoco de bomem.
PELO Ul/TliflO PAQUETE
Grande sortimento de bales de arcos e cobertos de panno.
Bales de arcos encarnados os meltiores q^eha no me cado.
Bales de arcos brancos, tambem os mis novos,
Ba'es de arcos escun-s, a primeira vez que vemao mercado.
Bales cobertos de superior musse ina.
Ba oes cobertos com pannos de cor.
Estes bales encarnados e escuros devero ter um completo acolhimento por todas
as senhoras, pois tem a vantagem de nao se sujarem; como acontece com os brancos.
la

mA@.
sado a 2,3oo rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespanhol a t,ooo e t,2oo rs.
a libra, francez e suisso a 1,ooo rs.>a libra
e portuguez a 80 rs. a libra, em porgo
ter abatimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, comn sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Velho Secco, Lagrimas do
Douro, Maria Hia, D Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a 1,000 a garra-
fa e 9 000 a i 000 rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garra'a, e a 3,ooo,
3,5oo e 4.000 rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 64o
rs. a garrafa ea 4,5oo rs a caada
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
anchetas de 8 e 9 caadas a 2i,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,200 a
Garrafes enm 24 garrafas de genebra de
Holl.mda a 8,000 rs. o garr-fo. Tambam;
hi narraoes com 5 e 14 garrafas de 3,2uo a
6,000 rs. cada um.
VELAS
Velas de spermacete a 64o rs. a libra.
ldom de carnauba de lo a 12,ooo rs a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
PEIXE
Peixe em latas j preparado de l,ooo a
i,2oors. a lata
ALPISTA E PAINC0
Alpista e paneo muito novo de 3,800 a
4,000 rs. a arroba e de 14o e 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS
Ch-irutos dos mais acreditados fabric-tn-
tes, como sejam: Joao Portado da Serrias,
Manoel Peixoto da Silva Nelto, Castantio *
Filho e Brando e de outros muitos, os
quaes vendemos pelo mdico prego de I.600,
2, 2,8oo, 3,5oo, 4,5oo, e 5,ooo rs. a caAa
alcores
Licores francezes e p irtuguezes a l.ooo e
3,5oo a caada. l,4oo rs. agarrafa ou frasco.
atxas com urna duzia de garrafas de su- s oces
perior vinho Rordeaux a 7,ooo rs. a caixa e 0nce da casca da jaba
7oors. agarrafa.
CIPE
Caf do Rio de 1.* e 2,' qualidade de
6.800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
Sab5o maga de primeira qualidade de 18o
Doce da casca da goiaba e caixes pe-
queos a 7oo rs. e de 5o caixes para cima
a 64o rs. o caixo.
Frutas
Frutas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pera, peceo, ameixa rainha Claudia, al
perche e oulras frutas ioj s. a lata.
a22ors. a libra e de 16o a 21o rs. sendo Tambua ha latas grandes para l,2oo rs. a
em caixao.
lata.
ARM1ZE9I 1E FAKEIRAN
DE
CUSTODIO C A13 VII.IIO
ti RA DO QUE MADO N. 27
Madapolo francez muio fino, tendo pouco mofo, cada pega com 27 varas por
105000.
Laa de c res a 3<0 rs. o covado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a prego de 8U0 rs a vara.
Lengo* bra eos para algibeira a t 00 a duzia.
Fm s p*rclaras a prego de 4<>0, 44oa 56o rs. o covado.
Ricos cotes de la de barra de 104 a 3"(50no.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.
CONSULTORIO MEUICO-CIRIRGICO
Do
Uvas pelo ultimo vapor.
Peras pelo ultimo vapor.
Maguas pelo ultimo vapor
Ameixas pelo ultimo vapor.
Passas pelo ultimo vapor.
Fwos pelo ultimo vapor.
Fru tas seccas pelo ultimo vapor.
Fructas em calda pelo ul'.imo vapor.
Nozes pelo ultimo vapor.
Queijos londrinos pelo uhimo vapor.
Queijos flamengos frescos pe'o ultimo vapor. I
Presunto hambre pelo ni imo vapor. I
Tudo se vende barato ns seguintes armaens: I
Una da Imperador a. 4. Verdadeiro Prlacioal.
Roa do 4(iiclin ido a 9, Uolo e ( ominercio.
Largo do Carmo
DR. PEDRO DE \TT.\HYDE L01R0 MOSCOSO,
MEDICO, I'ilMIvSKO U OPKRADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundao3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos osdias das 7 s 11
aoras da manho, edas 6 e meia s 8 horas da noite, excepgo dos dias santificados.
harmacia especial bofneopatfiicu
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
cobos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisages e pelos pregos seguintes.
Carteiras de 12 tubos grandes. 12000
de 24 tubos g.andes. l.v-souO
> de 36 tubos grandes. 24dOOO
> de 4H tudos grandes. 30^000
> de 60 tubos gran es. 35 Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se flzer, e com os remedios
me se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onga liJOOO.
Sendo para cima de M cusiaro os pregos eslabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada urna 5iK) ris.
lilYItO*.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr
lous grandes volumes com diccionario............ 20(5000
Medicina domestica do Dr. Hering........... 10<50"0
Repertorio do Dr. Meh Moraes............ 6*000
Diccionario de termos de medicina........... 3000
Os remedios deste estibele^iraento s3o por demais conhecidos e dispensam por
lano de serein notamente recommendados as pessuas que qui/erem usar de remedios
'erdadeiro, enrgicos e doradores: ha tudo do melfcorqoe se pode desejar, globos de
erdadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservago, tintura dos mais acredi-
'ados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparagao, e portanto a maior
-toergia certeza em seus edeitos.
' a&u fie audf pnra escravos
Rpcpbe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
peragro, p ra o que o annunciante jnlga-se sufflrientemente habilitado.
O raimiento o meih ir possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
raticcionando-a casa ha mais de qoatro annos, ha mui as pe-soas de cujo conceitn se nao
pode duvidar, q ie podem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seos
loentes.
Paga-se 23 por dia durante 60 dias e d'atai em diante 1(5500.
Asoneraces serli previamente ajustadas, sen3ose quizerem sujeitar aos precos
razoaveis que costuma pedir o annunciante.
--------------------------------


Diario de per nata lineo Qufu
G.
NOVO GERENT
LIGA.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
AO
KESPEITAVEIi PUBLICO.
A aprcia(3o dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
lea da Liga estabelecido ra Nova d. 60 um magnifico sortimento [de molhados,
que sende em sua maxm parte mandados vir directamente do estrangtiro'podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em scu genero, pde-se porm iffiancar, com toda a seguranza de que
necbum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
V Delicadeza no trato.
2, Fidelidade no peso.
3." Sinceridade nos presos.
As pessoas que por sua posico social gozara de certo tratamento, acharSo nesta
casa os melbores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
prime ira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condiclo do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquelles que sao pooco favorecidos da sorte farSo mensalmente urna economa de
nanitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se Ihes vender o arroz, o caf, a man-
teiga assuar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os seuhores de tora da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
foc'tar, devera vir, pelo sen proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
ren do quanto se pode vender barato.
Para os senhori-s que compram para tornar a vender existe om sortimento espe-
cial, escullido por pessoa entendida que certaraente muito deve agradar aos senhore>
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGU1NTES PRECOS S SE VENDE
A DINHEIRO A VISTA:
Graixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
urna.
ALPISTA a i20 rs. a libra.
dem e piuco de oito libras para cima a
100 rs.
Arroz de 90 rs. a libra a........
Ame,ndoas, casca molle, a 280 rs. a libra.
Aveixas a 240 rs. a libra.
Ameixas francesas em latas de todos os ta-
maitos.
dem idem era potes de todos os tamaohos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de todos os taa-
nnos.
Azote doce de priraeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Alhos a 200 rs. o molho.
Absy.ntho a 2000 a garrafa.
IB
BOLACHINHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a I 5800 a lata, e
de cinco para cima a 15700.
dem de 6oia em latas grandes a 25000 e
de cinco para cima a 100.
Biscorros icglezes de todas as qualidades a
15200,15250 e15300.
Bolo francez em caixinbas a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Banha de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 600 rs. a libra.
dem suisso a 15 a libra.
dem de musgo a 15500 a libra.
Chouiucas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 240 e 260 rs. a libra, e em porcao
se fai abatunento.
dem de primeira qualidade a 75000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 32G rs. cada um,
sao muito novas
idem inglezas, frascos grandes.
Chami'ane de todas as marcas.
Cbarope de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 1500a duzia.
Cerveja da superior marca Teneote a 500 rs.
agarrafa, eem duzia se faz grande-aba-
timento.
(dem Victoria Bas tres X e de ostras marcas.
Charutos das roais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'Havaaa, lixposicao,
Flor do Brasil, Parisienses, uecias, Gua-
nabaras, Trovadores, Kegalia, Missi.-sipes,
Panetellos, A.prazivv,is. Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Gb de todas as qualidades e de todos os
precos, bysson, huxira, aljfar, prelo, e
preto ponta branca, etc., etc^ a 25000,
252"0,25560 e 25800.
Copos lisos de todos os lmannos de 120 a
520 rs.
dem lapidados de todos os tamaubos a du-
zia a 25500, 3S5G0, 45 e 55.
Clices de todos ostamanhos.
Cognac superior a 15 e 15300 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o ma$.
de ciuco maciuos.
i KIRSCH de Wasser a 25 a garrafa.
L
LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Letria. a 400 rs. a libra.

MANTEIGA ingleza e franceza de prmeira
qualidade a 15, a libra.
Marmelada dos mais acreditados fabrioantes.
Mac/.hko e TALiiARiM a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 6O rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Moi.o [nglez de todas as qualidades.
.Marrasquino verdadeiro de Zara a .
Massas finas para sopa branca e actarella a
60 rs. a libra, em caixs com 9 libras a
35500.
Milho painco e alpiste, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
N
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 00 rs.
O
Os? ras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a 15C00, de
todas as qualidades, como sejam savd.
goras, corvina, parg", salmo, pescado e
pescadinha, tinguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, encllente prepsraco.
Palitos para dentes a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em quarto a 15400.
dem muito novas a 400. rs. ;i lfera.
Pomada muito nova a 80 rs. a duzia.
<*
QEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 000 rs. a libra.
dem londrinos a 80o rs. a libra.
UCARTINHAS OU ORINQUES a
R
RAPE' Meo ron a 15 a libra.
Idem Princeza do Bio a 1(5206 a libra,
dem francez a 25500 a libra.
S
SABAO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado eiu frascos a 500 rs.
Salame de Len a 23>.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes.
Idem de Setubal em latas mullo grandes a
720 rs.
Stearinas a 300 rs. o maco.
Sag muito novo a 100 rs.
V
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomace em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
VINHOSI
Principe Alberto, de 1631, a 55000 a gar-
rafa ; d vida aos veltms.
j Veltio seca) a 25 a garrafa.
| Lagrimas do Oouro a t500 a garrafa.
>OCES de todas as qualidades : braseros,' *g do Porto verdadeiro a 25 a garrafa,
portuguezes, inglezes, hocws.eie..ij^,^ '^ im> gamfa
E I b. Luiz a 15 a garrafa.
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
ervadoce a 400 rs. a libra.
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra.
Moscatel verdadeiro de Selubal a 25 a gar-
rafa.
Car cvelos a (5.
Colares a 900 rs. a garrafa; o* nico vi-
nbo qne se pode beber por nao ter com-
posico alguraa.
dem de'a'r'aVuta a 320, 400, 500 e 800 rs. f^"6 **,r6' \^nh'
Figos de cmadre a rs. a libra. i *** ** a f *fc-
FeuAo verde em latas a 600 rs. Idem S" Jul,eD a lS m- e 6"a arrafa-
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 15.500
Ahsyntho a 25 a garrafa.
Kirsch a 25 a garrafa.
Wermoutb a 25, e a caixa a 185.
Bitter Maurer a 15 a garrafa,
Fa&ello ha sempre em deposito de 500 a Viudo figueira em anenreta a 205.
800 saceos, de todas as qualidades, de to- dem Figueira e Lisboa em pipa a 25500 a
dos os tamanhos e de todos os precos. caada.
ATTKNCAO
Vende-se Das otarias de Jo CarneirodaConha'
em frente ao hospital Pedro II, e na roa dos Pra-
zeres n. 38, telba superi ir'de barro de agua doce a
304 n milneiro, alveaaria batida a 30$, e ladrilho
3.265000.
Farinfla a 3$5
Vende-se Tahona de mandioca, saceos grandes :
no armazem dos Srs. Tasso Irmaos, na ponte nova'
pelo prero cima mencionados.
Cambraias.
Parede Porto vende eambraias lisas (Inas, gran-
de tnrii.nenln, a 34 at 64, ditas Victoria muito
finas, f.jm 10 varas a 62, 65o0 e 7 : na ra da
Irupci'i.;n/ n. 52, junto a padaria fanceza.
(;hP!iifib aos corpisho1* t, cambraia
Vendem-se MpiMRH de can hnia com *Mre-
meios a 41 e b$, stao sm acahaudo : na toja da
Paredes Porto, ra da ImdHratriz u. Si, poria lar-
ga, jun.o a padaria franceza.
AO PUBLICO
0em o menor constran.
glmeuto *e entregar o
Importe do enero que
nao agradar.
ATTEfCO
#a precoa da aeguint
tabella t para todo, pu-
dendo aasint servir de ba-
se para o ajaste de contafe
com os portadores;
rival m
SEM. MJElaitJ^ltO
Hua do ttueiniado u. 4 e 44.
Cuuima a vender iooAs as BlUdezaa que alano
i-c.ura por prec>> amiiavei .
Masius oe palitos lixados para denles a 100 rs.
impelios deBioldoras tomadas a t, 240 e 310/s.
; bunels de oliadu para mi-liik > a ..' i ".
I Ditos de couro supeiior lazmila a 4&j(i0.
^rasco^ com suptuur una r.lia a lio rs.
Meladas de Imha (roa paia ivoiadi a 20 e 60
Caixas com 100 envelopesfazenua Boa ; C00 rs.
: Grozas Je peuuas oeai;o, Iazei.ua supuiof aOBOra.
' Grozas de boles niaui ept-ro.a nc.- a 500
e 640 rs.
iCaixas com 50 novellos de liria do gai a 7PC r?.
Caixasrom superiores brelas0t -la a i0e80rs.
Peras de tila brama elasiira cin !> varas a ItO rs.
: Varas de franja de laa i .ia eokile De vcfilitks a
4o rs.
;Baralhos donrados superiores qoatldatles a 400 rs.
| Novelkis de Imha com 400 jarna.v a hv rs.
Luros para assmios de ronpa laaM a JOOrs.
j Pares le boles para pPDbo, lazer-da rir* a ItOn.
' Tesouras para costuras supem res t.klio;.tfcS a
400 e 1$,.
Caixas de peonas de callipraihia, hinitU
1*000.
Macsoa com superiores grandes a 36 rs.
Senhore r.A'nhoras, o aceio qne presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mas que todo a nrnmntiHA Pares de sai,atos de ,,anva'' ,ai{ : KKO.
ezacotn que ser3o tratictos unvida a uma visita ao mesmo, certos de que sem dnvida me dar3o a proteccao p nrpflron.To '" f"." oneriorps aoih?!. a m\ rs.
ra dos .eneros que precisara a e quando nao possam vir poderao mandar seus portadores, ti*dl qn7L\*"Zn ZZ' ^^"m^i^c^^t
^os ser5o t3o bem servidos como se viessem pessoalmente, bavendo para com estes toda recommendaco, afim de quenSovao R-dinhas comairnues fraiuue- r. i \.. >i|timrei
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando areo da ConeeleSo)
PARA BEM DE TODOS;
Manteiga ingleza especialmente esccIluda a
i,ooo e 800 rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha bysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem bysson muito superior em latas de i5
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a 1,6oo rs.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,000 e 2,2oo rs. a libra.
Lifiguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelietas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a:
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato a 8oo rs, a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem viudo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata.
Aletria, macarro e lalharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ouamarella a 64o rs.a libra e
3,5o a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancorlas de 9 caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa : Port, Figueira e Lisboa a
32o, loo e ooo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 38oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a loo e ooo rs. a garrafa e em caa-
da a 3,000 e 3,5oo;
Vinho branco para missa em caixas de ^ du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melbores marcas qne
vem ao mercado como sejam : Lagrimas |
do Douro, Duquedo Porto, Rainba de Por-
tugal, buque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, I5,ooo,
12,ooo e lo,ooo a caixa com 1 duzia e9oo,
1 ,ooo e 1,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartes com bolo francetmuito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
c fi Resmas de papel almaco a 24CO e ffO r.
aai rennado em frascos de vidrocom tampa fcs,l,vas para roopa, faeta boa J;o e i,.
do mesmo, a 5oo rs. Duzias de leeoaras com toque de Icutifema
genneavmnCa d3S mJarC3S maisacreitadas oSsTe facas e garlos de cal, ,.,. a 8^000.
. _._" a0 mercad0, a 500, 56o e 64o Tallares muito fin^ para criara.- a 240 r8.
a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,5oo a du-
zia.
Cevadinha de Franca muito nova, a 2oors.
Lharutos.do aTamado fabricante Jos Fua-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposicao Normal de Harona, lmperiaes,
Londrinos, Guasbaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em n eias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
ntillas de Ilavana, intervallos,Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo,2,5oo e
3,ooo a caixa.
oivnac nple/ das melbores marcas, a 8ooe
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandese novas
a 1,8oo o cento e 1,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinhode Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,ioo a arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinba Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranhao muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l.'oo o frasco.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo! Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
rs. a duzia. para mimo a 3,ooo rs.
dem idem para vinho a 24o rs., o 2,4oo rs. Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a duzia. a lifera.
Chocolate frtcez hespanhol e suisso a 9oo,: Figos de comadre a 24o'rs. a libra.
l,ooo el,2oo rs. a libra. j Ameodoas de casca mole a 4oo rs. a ibra.
Espermacete superior a 6oo ef)4o rs. a li-! Milo de amendoas a 5oo rs. Caixinhas com fructas em doce secco de di-
hra e em caixa se faz abatin>ento. Bolar^inha d'agua e sal, da fabrica deJco| versos tamanhos, muito proprias para
Peixe em posta em latas hermticamente la- d Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li- mimo, a 1,60o, 2,600 e 3,5oo cada urna
eradas e das melhores quaKdades de pei-' bras por2,5oors. iRuibos, excellente'peixe portuguez, em
xe a 800, l.ooo e l,2oo rs. ; Amixas francez::s em Tasco de vidro com: barris pequeos ou a retalho a vista se
Vinho Hordeaux das marees mais acredita-, lampa do mesmo, a l5oo. far 0 preco.
das que vem ao nosso Tnorcado a 7,ooo e A-meixas franc zas em caixinhas de diversos Azeitonas de Rivas em ancoretas grandes de
8;ooo a caixa e 64o e ?oo ris agar-| tamanhos com bonitas estn pas na ca- j 8 garrafas por 600 e 800 rs. a garrafa
rala. xa exterior, a l,4oo, 1,600, l,8ooe2,ooo; Azeitonas portuguezas ?. 5oo rs. a garrafa e
u-enoorc de llollanda a So rs. a botija de cada uma. 4 r>oo cada uma ancoreta.
contecerta. A~eite doce refinado hespanhol ou portuguez champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
Frasqueirasde genebra deKollanda a 6,80c a 9oo rs. a garrafa e lorooo a caixa.
e <4o rs. o frasco. ''Batatas muito novas a 80 rs. a libra e2,5oo
Genebrc de laranja verdadeira em frascos; o igo com 36 libras.
ranees a l.ooo e 11,000 rs. a frasqueira. 'Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
Caf do Rio de 1* qualidade a 28o rs. ai- 8.5oo a dutia.
bra e 8,500 rs. a arroba. .Vassouras de escova para esregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li- 4oo rs.
bra c 7,5oo rs. a arrob3.
Arrozdn Maranhao do Ia qualidade a lee
rs.a libra e 2,800 a arroba.
dem a India a loo rs. a ibra e 2,80c r.
arroba.
Nnzes mnito novas a 16o rs. a libra.
Molho nglez em garrafa de vidro comrolha
do mesmo., a 16o rs.
Mosiarda in?i?za dos melhores fabricantes,
a 800 rs. e frasco.
dem de Java a 80 rs. libra e 2,4oo a ar Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4no rs. o frasco.
Painco o alpista a 14o rs. a libra e.ooor. Lentilhas fraocezas, excellente legme para
arriba. sopa, a 2o rs. a libra.
Massa de tomates de superior qnalidadea 64c Marrasquino de Zara propriamente d'.io a
fs. t
Iho.
lata de uma Irlv.a eo6o rs. a re;c-
1 -"y a garrafa e 11,00o a duzia.
Palitos ile ilente 2 14o rs. o maco.
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos emsextinhas a 80 rs,cada uma e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a 1 ,4oo e 2.000 rs. a caada.
Azeile doce de. Lisboa a 4,800 rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinapre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
t J ^ r 3 o i '-<
-. a t ;. = s. b n -
S'gSgBg-g-Q.iS"
00

<* *~-
. X, <*
s : S a ffi as?"*'1^'
o C -
C3 "*2 H S
P ?s 0
aif&s-5-ssS
3
sa


9?
-z T
J.
O u> -r> >*
CJ
o q
cu 2.
CE
|t: VI
S Oi
- O5
o con
e -5
09
- < a
o, o "i
CA CD
O
03

03
CD
- s
o
cd ?
CD ^P
3
3
te =? o ._, o i r
3 ~.= 2; -o cd
o
" 2-
O
o
os
09
o"
O.
B
3
~
6
z.
i
f

09
i||l
Pt
113
03
09
O
OS
"l
-I
O
*r>
ai
03
o

Tasso Irmos
Vendeih do sea aimazem raa de
Amtii'im n. 35.
Licor tino Curarlo em botijas e rucias botijas.
Licores aus surtidos eiu garrafas coki ralbas da
vidro e em lindos (rceos.
VinhosUheres.
Sa maraes.
Chana burila.
HermiUge.
Borgonhe.
Champagne.
Muscalel.
Reino.
Bordea ux.
Cognac.
Od Ton.
PAetei lagBiol.
=
I
O casteUo de Grasville.
Traduiid do francei por A. J. C. da Crai.
Vende-se este bello romance em quati
tomos pelo baratissimo preco de 300C
oa iraca da Independencia, livraria ns.
6 e8.
Venrip-sA om sobrado d dous andaras no
I airro d>- Sanio Antonio, o qoal rende para ma>
riliNjIsnFJPATI
''lIillriiVJ UBal fkmEi
de trav^alhar mo
decaroear a&gado
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C
OLDAM
Estas machiE
Bodem descarocar
lualgaer espeoii
algodao sej
^estragar o fe
f^' seado bastanti
duas pessoas par
o ir aba Iho; pd*
dasc&rocar um;
arrcLa de algc>
dao em earoc<
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por ia oa "> ar
robao de algodar
Umpo.
Assim como mchicas para serem olvidas por
aaiOUOe, que descarcam 18 arrobas fe algodao
limpo, tor dia; e motores para mover uma, duas,
uii";s iessas machiaas.
Os mmosiempara*ender um bellissuno va-
por que pode fazer mover seis desle BMchinaj
mencionabas ; para o que convida-se aoe Srs.
agricultores a virem ver examina-lo, no uma-
esm de abjedo, no largo a ponte nova a.L'L
Banadera Broihers & G.
W. H, pra$a do Corno Santo
RECIFE.
0 npcos apestes neste paii.

VEINDE-SE
um e-abflolet sun&rieano de quatro rodas para duae
pessoas, um ouifo para quatro pessoas, ambos
com arreio, novws elegantes, por preco commo
do : na ra da Poole Velha n. 8.
Vende-se um cylindro, urna magseira, ama
batanea grande e uma dita pequea, com todos os
pesos e maie oieocitios de padaria : a tratar na
ra Dirpia n. 24.
Hom e barato
Hsnteiga ingleza flor a i$ a libra, fraoceca a
840, arroz dn Maranhao a 100 rs., iminco a ISO,
amendoas a 24o, caf do Rio bom a 240, vinho da
Mgoeira a 400 rs. a garrafa, e 3 a ranada, Lis-
boa a 3ri0 a garrafa, e 2fiW)(l a caada, azeite doce
a 600 rs. a nrrala, vinagre de Lisboa a 200 rs. a
garrafa, e 1/1800 a caada, queijos do ul'iwe vapor
a 2*300 : oa ra das Crazas n. 14, esquiua da
travessa do Ouvidor.
Framcisco Jos Germano
RA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
limenlo de oclos, lunelos, binculos, do ul-
timo e mais apurado posto <1a Euiopa e oc-
los de alcance para i-bservacoes e para os
marilimos.
'So arinazem de tazendas
baratas de Santos Coelho
Un;: So Qnrimado u. 19.
Vende-se o sciiinte :
Gobertas de rtiia fina a 2^800.
Ditas de dita a 2400.
LerKji'P.s de paniio de linhn a 220O.
Ditos de dito de iinho a 2$.
Ditos de bramaEte de Iinho de um so
3*200.
Panno de Iinho rico com 9 1|2 palmes de largu-
ra lelo barato preco de 25400 a vara.
Bran-iam? de Iinho fino com 10 palmos de lar-
gura a ajaaov.
Pecas de cambraia com salpicos brancos
cores com 8 t(2 varas a 44500.
Pegs de cambraia adamascada propria
cortinado de cama com 20 varas a IIJ5.
Baleo-: da anos a 2,8500,35, 35300e &.
Lencos de cambrai fina a 23600 a duzia.
Dilos de dita .- -J-3 ;i duzia.
Athoalhado de Iinho tino a 2800 a vara,
Diio de aleonan a 25 a vara.
Algdo enfestado com 7 li2 palmos de largura
a 15200 a vara.
Pecas de hreanha de rolo com 10 varas propria
para sa,a a 35500.
Fil de. Iinho liso fino a 800 rs. a vara.
Dito de dito com salpico a 15 a vsra.
Pulseiras para meninas a 32i- rs
Ditas e vollai para fenhora a li(0.
Fiascos de Afiua Florida Virdafleim a l2F0.
Frascos rcm -uj.ritr banha a 540 e ;(0 is.
Idm de superior oleo babosa a 390 rs.
raizas cem lamparillas para itatns a 40rs.
Varas de babado do Torio a 60 14' rs.
Carlas de altlr.eles Iraricezes a 1(0 rs.
Quadernos de papel pequeo a 20 is.
Grvalas de cores, fa?.tnda superior. a SOO rs.
pai-pi* iIp arnihas, fundo domado, a M).
Na ra Direita n. 84, ha
constanienienie p-ra ven-
derse Ojrliodros americanos
chegados de Phadelpbla o
mez passado
Kovidadfs do Titulante
panno
"e de
para
RA DO CRESPO N. 7.
Este estabelecimento apezar de sempre
se acbar bem sor! ido como todos sabem,
boje mais que nunca. nSo s pelo que rece-
De de sua propria conla, mas laa Um peto
que recebe de consignacoes; parece sem
duvida (jue deve ofi'erecer grandes vanf-
gens para o respeitavel publico tanto i m
piceos como na escolha dos f-bjeetns, e co-
mo acaba de chegar grande remessa ptlo
vapor Dotiroi eo navio Sollerine de
diversos objeelos de gosto e proprios th
lempo dos quaes se menciou.irio alguns,
lor dSo ser possivel mencionar todos. O
dono deste estabelecimento espera a pro-
tecciio de lodos.
Hiqoissiinas caixinbas ornadas e com
msica propria para om delicado mimo.
Caixinhas de msica lano de veio como
de corda.
Ricos poila joias e necessarios.
Riqoissimosest jos aieitm de um bausi-
nho ou cbapeuzinho.
Diios em casca de noz e de outros goslos.
Leques de madepeola de sndaloe do
faia e madeira.
Cbaposinhos e touquinbas !e muito
goslo para criancas.
Meias e sapalihbos de seda para as n,cs-
m;is.
Meias de seda para scnliora-.
Capellas e grinaldas de Cores proprias
para casamento.
Enfeites e capellas de amito gosto para
seiihora
Riquissimos porta boquels.
boquet de llores com uma borracbinha
com cheiro.
Luvas verdadeiras de Jovin.
Jilas de seda e de Escocia.
Riquissimas plumas e guarnicoes pr.ra
enfeitar chapeos.
Cotilas e lulos de ac branco, que La
muilo se desejava para enfeiles.
Brincos, livellas e cruzes de crystal.
Fivellas e cruzes de tartaruga, "madripe-
riJa e dourados.
Alfineles para grvalas.
Rotoes com croas para punhos.
Gravatinhase mantinbas de muito gosto,
tanto para bomem como paia senbora,
Riqusimos aderecos pretos, assim como
caixinbas com a teles pieo.-.
Rengallas de canna com cabo de marfm.
Dita.s de baleia, borracha e de nutras
muilas qualidades, assim como chicutinlios.
Riquissimos penies de tartaruga do ulti-
mo gosto; assim como de arregace para
menina, pois ueste artigo lia um ampielo
sortimento de todas as qualidades.
Diademas para cabeca do uliimo gosto.
Riquissimas fitas iavradas e lizas.
Trancas prdas com vidrilbo e de cores.
Pulseiras tanto para seniora cuno para
meninas.
Ligas de seda e de algodao.
Suspensorios de seda e de algodao e mui-
tos outios objectos que se nao i.odem an-
Cambraia de Iinho Boa a 45500, 65500 e 9'a ntmciar por nao se tornar enfad
onlio.
S no Gallo Vigilante ra d. Crespo n. 7.
Em ea-a de Phipps Brothers C, roa Jo
de 1:2005, e uma ota terrea no b>irr da Boa-' Vigano n. 8, venderos* cofres de ferro, provade
Vta a tratar com agente Oiympi > em seu arma-] < an, dos afamados fabricantes Milocr & Soo, de
zem oa ra da Cadeia do Recife o. 34. Liverpool.
lar na ra dos Coeliios 2|
GAZ.
vara.
Cortes de lazioba de lindos gostos com 15 co-1
vadosa*. ; Vende-se a fabrica de charutos e cigarro
Pecas de madaprlao finissimo pelo baratissimo da ra do Aragao o. 32, bem afregi^zada a tra-
preco de 85, 95, '*5 e 115-
Flanella branca fina a 600 rs. o cavado.
Dita de cores fina a 880 r. o covado.
Halues de musselina para minina a 35, 35500
e 45.
Camhraia de forro a 35 a pee*.
Dita fina a 45500, 65 e 7* a peca
Guardanapos de Iinho a 35800 a duzia.
Toalhas de algodao felpudas duzia a 125.
Esleir da India propria para forro de sala de
4,5 e 6 palmos de largura por menos preco do
que em outra ijualqupr parte.
Neste arma?em lan hem se encontra um grande
sortimento de roupa feta e por medida.
ou no
o me-
No rma*m da ra do Imperador n. 3
Caes de Pedro U n. 2, tem para ender-se
Ihor gaz exigente no mercado.
CEMEJ4 Di MMk.
Na loj do cha' vende-se superior cerveja da Ba-
biera, uma caixa com duas dotUs de garrafas pur
105, e a retaiho a 800 rs. a garrafa.


5
i.. ^. ._. r


8
Diarlo de reraatabaro Quinta letra 14 de Dezembro de 18*.
UTEB
SCENAS DA VIDA 1RLANDEZA,
IMA MOVA MEREJA.
(Concluso)
IV
'J i overeado John Calven se reslabelecra da
lerrivel doenja que seguir sua queda.
Os obreiros nao tiubam perdido o seu tempe
A Dovaigreja eslava termina Ja, prompta pira
recebe* o bispo que devia consagra-la. Enln-un-
to o bispo,o bispo protestaolenao linlia sido
vnv, i,4 i... e inesmo linha-se Ihe dado a entender
que nao se desejava que elle viesse anda.
0 j iven ministro solida, o devia viajar; elle ia
a Roma era compaohia de seu lio e de alguns ou-
tros prenles.
Nesta narrajao o norae de um sane dol caiholi-
ro uba sido como por acaso meocioaado.
O bispo deu por esoriplo alguns conselhos, cita-
ra europios de mocos ecclesiasticos mallo ulosos
que haviam partido para a Italia para tratar de
sai saade, e que dabi linhara voliado-completa-
incale uQvolvidos as redes do papismo.
S i cidade ludo e^t em movimenlo, em alegra.
Que [esta gloriosa.
Qae tnumpho I Paulo e Cecilio devem esludar
juntamente no collegio iuglez de liorna.
K ludo acouleceu tao naturalmente, que as pes-
rar se.
Jobo Calven tinha orado para pedir a luz, e
aquello que prometleu tque aquelles que pedem
recebero uuvm sua suppliea
Nao Iiuiive da parle de John Calven nenhuma
resistencia a'graca ; nao cousiderou no que delle
pceriam diter seus amigos de Oxford.
Viu o que eus Ihe pedia, e fui simplesmente ge-
neroso.
Esta pura generosidade allrahio sobre elle e sna
familia as mis ricas beucos de Deus.
O padre Saint Jean durante toda a viagem foi o
companlieiro inseparavel de John Cal ver t.
Qaudo elles pararam para destancar em urna
linda cidaJo do sul da Franca, o padre Saint Jean
condoli seu companheiro a ura convento clausu-
r
Abi John Calven viu sua joven e linda irmaa,
esta irioa da qual desde tantos aunos tao pouco
se embrava.
Jjhu chorou a sen pezar quando a bella menina
u llie seus bracos em redor pescojo, e Ihe
disse q.iaulo havia pedido a Deus por sua cen-
verso.
Minha primeira communhao eu a olTereci
por vos, querido John, e se tiver a felieidade de
ser religiosa.ipedirei a Deus nolte e da para que
lies vos chame ao sacerdocio.
Se assim respondeu John Calven solem-
nemente, minha primeira missa-sera dita por vo.-sa
IDl D{O.
Muito lempo antes que John e seus amigos Uves-
sem ebegado a Koma, John era caiholico.
Na igreja de S. Pedro foi Oaptisado, confirmado,
e fez ,-ua primeira communhao.
Do eolleglo loglez, onde apres.-ou-se a entrar
como seminarista, escreveu a' sua pobre mi urna
caria, que fe por de parle seu traje de luto, e oc-
casionoa dias de festa para os fazendeiros e cam-
pouezes
O vellio Diniz eslava como iouco de alegra
ie o oven a-no devia vollur verdadeiro sacer-
d le, e a igreja ia ser consagrada por um verdadei-
ro bispo. Serei eu, dizia elle, que terei a honra de
laucar por ierra e.-te graude gallo, e erguer em
sen lugar a aula Cruz do Senhorl
0 oven amo voltou cora elTeilo sacerdote calho-
lico, trazendo cora sigo Paulo e Cecilio para pas-
car as ferias do Natal, E nunca se viu aletru
igual, dizia o velho amo nos mostrou da janella do
salo seu lilho e herdeiro, e camos e bebemos
nasso whisky sobre a reiva.
Ha bem cincoenla annos,
Porm, a minha f, ajuma elle, eu me sinto tSo
joven, neste momelo abeujoado como o era ento.
Q te Deus me ajude I
A reja foi solemnemente consagrada.
O padre John Calven eslabeleceu ahi sua missao,
que tomoa-se urna boa edilicanie misso.
Ella encerra boje um mosteiro, cujo abbade o
p?. jre Paulo de Lacy.
Sut seus claustros acba-se um i abobada de fa-
milia, onde repuosam os restos de Sir John de.
Lacy e de sua mulher, e os de sua ircuaa Mana
Calven.
juiz de paz de S. Thom. Estas noticias foram con-
firmadas ao alferes Brite pelo oriental Avelardo
Barbr, que iem o seuestibeiecimeui) de estae"*
em Tareir.
O alferes diz que nao vio as (azeudaseslau-
ciase nos campos, raais do que muilo poucos ca-
vallos e bois, e com abundancia vaccas e eguas,
tendo noticias de que os cavallos e os bois foram
levados a S. Thom.
Os regimentos ns 24, 26 e 27 se exercitam na
instruejo de esquadro, na 2.* parte, artigo 12
marcha era columna; eo regiment n. 28 na do
recruta, 6.' classe, 6.' lijao ; lodos estes corpos sao
os que existem neste acampamento.
O batalhao o. 21 instrue-se na 3. parte, 4. li-
cu : o batalhao n. 8 na mesma parte, 3.* ligio ; e
o batalhao n. 41 em 2.a parte, 2.a lirio.
O regiment o. 33 e o esquadro avulso de ca-
Com semelhaates noticias do alferes Brite pens (vallara na 3.a classe, 2.a lijo na instruejo do
pascar amauha a Pindapoy a maular o sargento jrecruta. Estes corpos sao os existentes na villa da
uujor Duarte com dous osqnadrdes de cavallaria e Eooarnaco.
duascorapanbiasdeiiifaiilariamouiadas, para h- Esla communicajo foi despachada s quatro
terem a conveniente explorado com o Om de se horas da madrugla por estar esperando sem fe-
apossar da cavalhada e boiada reunidas em S. Tho- cha.|a, abarte do major Duarte, que nao chegou
me, obrando serapre de couformi.laie com as ios-
irucjoes que V. Exc. se diguou de me dar.
Junto achara V. Exc. o eslado mensal geral das
forjas do meu commando, jumamente ora os es-
lados pessoaes das mesmas forjas e as listas dos
enfermos, morios o doeutes de grvida le existen-
tes nos hos|itaes militares de um e outro p:ralo.
Os batalhoes ns. 14, lo, 16, 17, 28 e 31, que se
at agora.
Neste acampamento, na villa e nos pontos da
sua jurisdiejo nao ha novidade alguma ; fleando
as forjas do meu commando na sua costumada boa
erdem e disciplina.
Nesta mesma occasio tenho a honra de com-
municar a V. Exc. que recebi o offlcio de V. Exc.
acham no acampamento de Pindapoy, se exercitam de 3 do correte, hoje s 3 horas da madrugada, e
de mauh-'u na instruejo de compannia e no raa-' em virtud-i do seu conledo dei ordera ao capilo
nejo das armas, e de tarde na instrueco de bata-' Cacos, commandante da villa, para que mande
Iho. O batalhao n. 33 praca a 3.a Helo da 3.a marchar o batalhao n. 32 a se reunir s forjas !
parle. i deste acampamento, collocando em commisso o
Os regimentos ns. 2i e 20 se exercitam de ma-caP',ao Abalos no commando delle eraquanto o '
nhaa na instrueco de guerrilhas e no manejo das capilo Crdenas exouera-se do commando da
armas, e d>; tarde na iuslrucjao de regiment. Os v'"a-
regimentos ns. 27 e 28 se acham na C classe, 6.a' F'00 scienle de que devo destinar a ontros cor-
lijo. pos as munigdes trazidos pelo regiment n. 28, fl-
balaibo n. 32, que acha-se uesta villa, ios. cando este sendo de lanceiros.
irue-se na 3.a parle, 3.a lijo. O balalho n. 41 na I Deus guarde a V. Exc. por muitos annos.
2.a parle, 2.a lijo. Acampamento de Pindapoy, em 7 de maiode 186o-
0 reguneuto o. 33 e o esquadro avulso de re-i v'va a repblica do Paraguay I
cruias de cavallana, acham-se na 3.a classe, 1.a li-' &vd. Si.Tenho a honra de participar a V.
jo da instruejo oe recrulas. Exc. que nesie momento2 horas da tardeaca-
Nesla villa e no acampamento de Pmdapoy e 1,u ut re|;eber a parte do major Duarte, datada de
inais |ionios da sua jurisdijo nao ha novidade al nou,eiI)i e despachada s 2 horas desta noite, do
gama, licando as tropas do meu commando em boa |uar denomioado Capoo de Quito, distante duas
ordem e disciplina.
O Paran voltou a subir 2 pollegadas.
Villa da Encaruajao era 3 de maio de 1865.
Viva a repblica do Paraguay I
Exm. Sr.Cora o devido acatainento tenho
leguas de Playadiio, jurisdiccao de S. Alonzo, no-
ticiando-me que era todo o seu transito nao tinha
acontecido cousa alguma desagradavel.
Participou, porm, que na casa de um Italiano,:
estabelecido em S. Alonzo, hava achado tres car- i
honra de participar a V. Exc. que recebi hontem relas de familias correntinas prepa-adas para se
s 6 horas da manhaa o uffleio de V. Exc. de 2 do relirarem ao mallo na costa do Agoapey, por te-
corrate, de cujo conteudo aquel imposto com at-
teujo.
Sem ler mais noticias dos nimigos do que as que
commuoiquei a V. Exc. trazidas pelo alferes Mi-
rem recebdo urna ordem do commandante Calle-1
ron, para passar asylar-se sob a proteejao das for- j
jas de S. Tom.
O mesrao Italiano revelara igualmente ao major i
guel Brite, mandei hoje as 4 horas da tarde, no Duarte Quesoube por intermedio de alguns espas.;
leudo podido faze-lo de manha por causa da gran- 1ue cb^garam a sua casa, que era S. Thom havia |
de cimva, o major Duarte com duas companhias un,a for,'a or6an'sa,ja de 800 horneas de cavallana i
de iufantana montadas e dous esquadroes de ca- e tle uin itUlna0 de iofantana, cuja noticia foi
vallara, sendo a infantaria a compaolua de grana-
confirmada por um Brasileiro, que achou na dita
deiros e a primeira companhia do balalhao n. 28 casa recera chegado de S. Tnom ; accrescentando I
s ordens dos sub teuentes 2.0" Fmnino Colraan 1ue todas as mulheres que $e haviam retirado dei-*
Isidoro Lugo e Antonoo Amoategai, levando cada xaDdo suas casas- foram 0Dr'8*'l!'s a P^s" ao ou-1
individuo quatro paquetes de carluxos; e a caval- ,ro lado do UruBuay Cl>m lodos os D0S e cavallos j
larla sendo os dous primeiros esquadroes do regi. que ,inham reunil,us em s- Th0Ql-
ment u. 2i, sob o commando do lente 2. Zaca- Em visla da aolKi de Que as foras do com- i
ras llamos e dos sub-tenenies 2" Cirino Ibanez e raandan,e Calderson sao superiores as que com-
Miguel Brite, levando comsigo cada individuo dous raaada maJor Duarte, determino neste mesmo
paquetes de carluxos. Total da inlantaria 200 pra- mome"* mandar u lente Elias Cabrera e o sub-
jas e tres olficiaes; total da cavallaria 242 prajas lenle llamn Vatdez com dous esquadroes de
cavallaria a augmeniar as forjas do major Duar-
te, na.i |iori|ue duvide do bom exilo das suas ope-
rajoes, mas sirn para que depois de acutilar essa
pouca forja, possa oceupar com as oulras as fron-
teiras e passo do Uruguay.
Hoje a 1 1|2 horas da tarde mandei de novo um
emissariochasqueao major Duarte, avisando-
e tres oflciaes
Alm das mnitas advertencias que fiz ao major
Duarie, levou ord?m de procurar certificar-se bem
dos movinientos, das forjas s mas circunstancias
do inimigo para Ihe dar urna pancada certeira e
ap >ssar-nos de todos os elementos que reuni, isto
, se o inimigo nao iem forjas demasiadamente su-
periores as que elle leva ; do contrario, nao deve Ihe que Ihe envi mais gente para montar a sua
fazer oulra cousa mais do que entreteji e me avi frCa. e dando-lhe convenientes e opportunas ad-
sar para eu marchar com forjas sufBciente para venencias para que neslas operajoes nao saia bur-
operar contra elle com toda a segurfdade. ,ado Pe* iuimigo por causa de um arrojo irapru-
Depois de so ler apossado dos .elementos do ini- denle-
migo, ou que leona probabllidada de o conseguir, lNes,e aca'nPa'nento, e na guarnijo da villa e
deve avisarme para mover parte da diviso, ou' em lodas as suas dependencias, nao ha novidade
loda ella, como for mais conveniente, e marchar- alSuma entre as forjas. Esta communicajao sane
mos a oceupar as frouleiras do Uruguay, conforme dal!ui as 3 noras da ,arde-
ao que V. Exc. se dignou de ordenar-me uo ofDcio
de 28 do mez prximo passado.
O major uarle levou, aim dos cavallos da in-
fantaria e cavallana, que sao bous, 200 cavallos de
reserva, bastante gordos.
Tambera levou 12 individuos praticosbaquea-
Deus guarde a V. Exc. per muilos anuos.
.\campaineuto de Pindapoy, em 7 de maiode 1865-
l'U POUCO UE 11 DI).
No mez de marjo deste anno, is jornaes de Pa-
THEATKO DA (iLEUKA.
Contlnaamosa puhlicajo das partes officiaes de
Estigarribia :
Viva a repblica do Paraguay !
Exm. Sr.Cora meu acostumado respeilo parti-
cipo a V. Exc. que por ter-se apres-ntado a mira,
hornera da manhaa, o alferes cidado Miguel Bri-
te, de volta da sua commisso em perseguijao dos
dous desertores que fugiram do acomuamenlo de
Pindapoy p .ra S. Thom, deixei de passar ao men-
el nado acampamento por ter o dito alferes trazido
noticias menos assustadoras do que as anteriores, e
tambom porque nao quiz desamparar esta guarni-
jo na ausencia do capilo Crdenas, que na mes-
ma manhaa da chegada do alferes Brile foi ca-
pella de Jess dispr o alojamento dos indio Cai-
gu i-, que em numero de !3 se reuniram ao sar.
genio Oriundo da aldea de Jess, que foi mandado
para conduzilos.
O mencionado alferes me deu conta de ter che-
gado al Tareir, onde teve noticia certa de have-
rem passado os ditos desertores com di'recjo ao
passo de Quero uo Aguapey, soguindo para ltaqui;
por cuj motivo o alferes Brile com a sua partida
dirigio-se para o referido passo, dalll retrocedeu,
tornando a direcjo de S. Carlos. Em toda a ex-
teuo peicorrida nao achou mais partidas do
qu- urna composta de 6 correntinos, 4 delles
armados e 2 sem armas, que, segundo elles,
andavam policiaodo aquelles lugares para evi-
tar prejuizos : apenas partida correntinas ap-
proximou-se a do alferes Brile, este a intimoo, e
adianiaiido-.-c o que commandava a partida corren-
tiua, disse ao alferes que nao vmham com fim si-
Dislro, seuo para reconhe-los, e saber o objeclo
com qoe andavam por aquellas paragens ; e res.
pondeudo-lhe Brite que lara cumpnr urna commis-
so que Ibes lora confiada pelo seu superior, mos-
trara u--; os correnlinos muilo humildes e polidos
e despedirn* se do alferes e da sua comitiva, di-
zendo que elles em lugar de serem inimigos dos
paraguayos erara seus amigos e irmos.
Em tudo o que percorreu o alferes nao achou
mais habitantes do que em muito poucas casas so-
memo mulheres, e tanto estas como todos os via-
james com quera achou-se, Ihe disceram que as fa-
milias so dingirara para os Cuaises e S. Thom, a
se refugiarem sob o amparo de urna pequea par-
tida de correntinos. Esta partida, segundo as no-
ticias adquiridas pelo alferes Brile, nao passa de
150 correutioo?, e aqni, alera destes, sao esperados
40 da mesma najo e 50 brasileiros, pouco mais
ou meos, sendo falsa a passagem do exercito bra
sileiro nos passos de S. Borjae ltaqui, e que a dita
partida est commandada por om tal Caldern,
nosdo esquadro avulo, cora o fim de que sem ris e dosdepariaraeuios pubncaram um anuuncio
enfraquecer as suas forjas, mande diariamente concebido uos seguinles termos :
dous denles iudividuos para rae razer a parte dos Anna C.... de 20 aunos, bella possuindo urna
acooleciraentos diarios, para deste modo poder eu fortuna de dous railho,*, deseja casarse cora um
irausmiiii-ios ao supremo coohecimento de V. Exc. hornera honrado, de preferencia sem fortuna.
Foram recouhecidos nesta data os sargentos e P. S.-Os pretendemos podera dirigir se por car-
cabos proposlos paraos baiailioes e regimentos la fechada aAouaC..., Pars, 112, arrabalde
desta divisan, conforme as respectivas listas e a or- Montmartre.
dera que V. Exc. diguou-se de rae dar a esto res-' Eslas palavras sera fortuna, eram propnas
t":l'0- para translornar a cabeja a todos os celibatarios
Estou esperando a cada momento o armamento pobres,
que vem dessa capital, do Passa da Patria e Cerro ( Foi o que aconteceu.
ui mi, segundo V. Exc. sa dignou de aoounciar-rae.[ Era poucos dias mais de mil e qulnhentas cartas
tiz ja pa;sar para esi parte do Paraua 737 ca- exprimindo os votos e as esperanjas de pretenden-
vallos e 100 bois, dos 1297 cavallos e dos 724 bou : tes foram dirigidas a Anna C...
quechegaramja dos dislrictos visinhos, ordeoei Um pouco mais larde estes receDeram urna cir-
que se continu a pass3gem do resto destes e dos cular impressa.ua qual a rica herdeira annuncia-
que vo chegaudo dos mais dislrictos. va qve em lugar de dirigir a sua resposta a cada
Finalmente, eommaoico a V. Exc, a desagrada- um, publica la-na, assim corno as cartas que Ihe !
vel uoticia da deserjo do artilheiro Elias Lora- trabara enviado e a escolba que zesse, por meioj
bardo, visinho de S. Pedro do Paran, que fugio de ura jornal intitulado O Tambor da Cidade.
deste acampamento hontem as i0 horas da manha El a accrescentava, para dar mais inleresse a sua
em cuja perseguijao se iem feilo, desde o monien- publicajo, t que publicara ao mesrao lempo as
to da sua desapparijo, as maiort-s diligencias, suas memorias.
mandando diversas partidas em differentes direc- Esta circular era acompauhada de ura prosnecto j
jes e dando opportuno aviso s guardas para a sua assiguado por Themir, aununciando a fundajo do
raaior vigilancia. Tambor e offerecendo urna reduejo em proveito
No mais ole ha novidade alguma nesle acampa- dos Prndenles de Anna C.
menlo, nem na villa e de mais pouto da sua ju-
nsdicjo eic, etc.
Acampamento de Pindapov, em 5 de malo de
1865.
Viva a repblica do Paraguay I
Eira. Sr.Com todo o respeilo devido a V. Exc.
Estes pagavam s 15 fr. 50 c. em lugar de 21
fr. 50 o. os de Pars e 19 fr. em lugar de 25 fr.
os dos departamentos.
Estas assignaturas chegaram tanto mais depres-
sa quauo Auna C... separava da lista dos seus
pretendeotes os individuos que nao assignaram e
lenho a honra de Ihe participar que, segundo a \ declarava que para responder seguira a ordem da
parte recebida hoje de manha do major Duarte i "'i'Qao.
pernoitou elle com a sua partida deexplorajao sob A 27 da 'UD0 aPPareceu primeiro numero do |
seu commando na costa do arroio de S. Jos, ds-1 Tambor-
tante urnas tres leguas desle acampamento donde! CoQl,nha em folnetim Primelro capitulo das
sera ter occorrido novidade alguma continuara a MttDor'as de Anua ^. a publicajo de duas
sua marcha hoje as 6 1/2 horas da manha, deven- das carlas ,,ue lhe ,,uhain s,do diri8idas-
do eu communicar a V Exc. os acontecimentos ; DtV,a aPParecar duas vzes Pr semana, mas
que succederem na sua marcha de hoje, depois de i Dennum ou,ru numero se seguio ao primeiro.
receber a parte que estou esperando por momen-1 HuUVe rtclama5oes, e at queixas s autorda
tos.
Juigo conveniente por no conhecimento de
' des, e a justija teve por fim de proceder a urna in-
y formajo.
Exc. que o numero total dos cavallos que tenho
desle lado do Paran sobe j a 2096, indotado 190
muas, accrescentando tambera os que se fizeram
| passar anteriormente com os primeiros corpos que
oceuparam esie acampamento, formaudo o numero
de bois 343.
Soube-se que Anua C... nao existia ; que o Sr.
Fleury, com o pseudomino Themir, director geren-
te, liuha imaginado este annunciode casamento pa-
; ra obter dinheiro.
O ministerio publico soube infelizmente para o
. Fleury, que'o jornal linhacessado de apparecer lo-
Todos os bois e cavallos se acham em bom esta-. i 1ue as asignaturas foram recebidas.
! do, exceptuando alguns poucos cavallos do servijo' Esles factos, consliluindo aos olhos do minisle-
i desle acampamento, que esto em um eslado solfri- ri publico o delicto de burla, motivaram a con-
j vel, porm capazes de servir. deranajo de Thimaz Alfonso l'leury, architecto,
Juntos envo a V. Exc. os estados pessoaes das dous mezes de priso.
forjas do meu commando, e as listas dos enfermos
morios e doeotes de gravidade existente' nos hos-
ptaes militares deste acampamento e da villa da
Eocarnajo.
Os batalhoes ns. 14,15, 16, 17, 28 e 31 exerci-
tam-se de manha na nslru. jo de companhia e
| de guerrilhas, e de tarde na de batalhao.
O batalhao n. 33 se exercita na instrueco de re-
' cruta, na 3.a parte, 1.' lijo.
Estas pejas foram dadas a luz por occasio da
partida do 3.* corpo de voluntarios no da 9 do
correte, sendo esla prun-ira recitada pelo Sr.
Joo Candido G. S. no palacio da presidencia.
Como se lora verdade,
Vede o esplendor de um fes tira,
Onde a linda beroicidade
Hoslra o seu veo de rubim.
Ouvi mil seres fogosos,
Doudas, fataes, estremosos
Soltando gritos ruidosos
C imo um rasgar de setim !
A' cada brado estridente,
Errara mil lanjas no ar 1
E o sol beijando o poenle,
Em fogo o deixa nadar I
Depois, mil raios possantes,
Erguidos, bellos, brilhanles
Acordam seus semelhanles,
P'ra mil infernos tragar I___
E" ajsim a vossa fest.
Brajos de fogo a luzir I
Primor de incautada orcbeslra
De gladios a retiir |
Em voseas frontes c'roadas,
V-se o brilhar das espadas,
Que eslao as campas doradas
De amor, de luz, de porvir I....
Mas,oh! p'ra que vos erguestes?...
Foi pouco aioda I Pois sim !
Fica co'essas mesmas vestes,
Filando um co de carraim.
De vossas mos a bravura,
Que esse estandarte moldura,
Leva a completa ventura
as azas de um cherubim I...
Ergue te, oh filho das rosas,
Brasilio, ureo pendo I
D'aquellas trras lodosas
Vai fluctuar sobre o cho.
Da guerra nos espleudores,
Faz valer os teus valores.
Primor de excelsos primores,
Poema d'esta najo.
E"s grande, s fortes, s valente
Como um mandad j de Deus 1
Vai deslumhrar o occideute
Da ierra dos pharizeos I
Flucta como farfalhas
Qur na paz, qur as batalhas,
Qur a talhar as mortalhas
Dos grandes, ou pigmeos I___
T s o bro dos bros,
Astro nos cos a brilhar !
Caminha p'ra es desallios
De quem le veio lusulta/,
Pozando a pezo de ouro.
Os golpes daquelle mouro
Affeito a ser o desdouro
Dos cos, da trra, do mar I...
Essa mo, que le segura,
Sabe apanhar um cartel!
Depressa, vai em procura
D'aquelle immundo bordel I..
E quando entrares as lulas,
Chama aquellas prostitutas,
Piza-lhe as faces enchutas,
Co'as palas de leu corcel I....
Briosos voluntarios da patria I Em hora extre-
ma, vos dirigimos a palavra. Preslai-lhe ouvidos
ltenlos no meio da festa patritica que urna
populaco inteira vos olerece em testemunho da
admirajo enthusiaslca que vos tributa.
Ides camiulio da gloria, caminho dos comba-
les.
Ides pelejar a mais justa e a mais santa das
pelejas, onde a honra do pavilho nacional se bate
com o iuimigo audacissimo que ousou pizar o solo
imtnaculado da patria.
Ides vingar a soberana de urna grande najo
livre, vilmente atroutada pelo algoz inhbil que
tyranuisa o Paraguay.
Ides ajunlar-vos aos tantos mil bravos que esta
heroica provincia maudou ja resgatar um povo,
que geme sob a mais desptica oppresso.
Ennobrecei-vos que a vossa rnissao civlisadora,
viogando a honra e o decoro da patria, restituir
urna najo da America communhao dos Estados
Ilvres.
Ide, soldados e apostlos da liberdade; planlai
sobre os muros d'essa infeliz cidade da Amrica
livre o pavilho auri verde da najo mais livre da
America 1
Nao fostes surdos as intimas agonas da patria ;
com o sacrificio dos commodos da vida pacifica e
laboriosa, correstes a alislar-vos em ura ncleo de
verdadeiros voluntarios; cumpristes o vosso dever
de cidados I
A patria nao vos ser desagradecida; ella sabe-
ra compensar-vos a devotajaa patritica que vos
acea para os campos de baialha I
Briosos e valentes concidadaos!
Est vossa frente ura militar experimentado,
o benemrito e bravo coronel Francisco Joaquim
Pereira Lobo.
Embora da oploiao proscripta, foi elle o primei-
ro Pernambucano que protestou ante o governo
da provincia erapunhar a espada em defeusao do
paz I
Desprotegido dos caracteres que se acclamam os
eminentes da siluajao, desajudado o'esses recur-
sos que tirara origera das posijoes olciaes, elle
teve a nobre firmeza de dirigirse aos brios da pro-
vincia, e a fortuna de ver correspondido este alio
appello patritico I
Ei-lo que, rodeado da flor de nossa mocidade,
de mancebos iotelligenles e esperanjosos que de-
pozerara as glorias da carreira Iliteraria pelos pe-
rigos da guerra, de cidados de todas as classes,
coramerciantes, funecionarios pblicos, artistas e
agricultores,deve cora pouco conduzr s pla-
niceis do sul esse punhado de bravos e verdadeiros
voluntarios I
Troquemos barabens, Pernambucanos I
O 3." corpo de Voluntarios da Patria nao mar-
cha com escolla I
Vai all muilo sacrificio, muita abnegajo, muito
amor desinteressade pela patria I
Sao traslados de puro patriotismo aquelles esfor-
jados pugnadores da civjhajo I
Incitou-os o exemplo do primeiro cidado; cada
um d'elles lo voluntarios como o Imperador I
O Deas dos exercitos os robusteja em sua de-
dicajao, e os ampare nos difflceis recontros era que
o seu valor vai ser posto rigorosa prova.
Ide, voluntario? do 3.a corpo I
Espera-vos a gloria,e as benjaos da opinio pros-
cripta vos acoinpanham 1
Viva S. M. o Imperador IViva a najo brasi-
leira IViva o 3a corpo de voluntarios I
Do Brasil a nobre trra
Ao soffrer torpe aggressao,
Soltou um grito de guegra
Cintra a fra d'Assurapjo !
Pernambuco denodado
Escuta do sul o brado ;
E' cada filho ura soldado
Cada soldado um leo.
ousou Lpez temerario
Cuspir-lhe o escarneo atroz,
Trema o tigre sanguinario
Nossa vioganja veloz :
Eia, pois, pernambncanos,
A' guerra marchai ufanos,
Sem Je bel lar os ty ramios
Nao volle aqu um de vos.
Aos louros de Riachuelo,
De Urugotyana ao braso,
Junte-se um louro mais belio
Ao brasileo pavilho;
Avante I brava cohorte
Ide valente do norte
Sem temer p'rigos ne raorte
Haslea-lo em Assumpcao !
Vollai com elle em hoslilbas
Mas que volle vencedor
Revelando as maravilhas
Fetas por vosso valor;
Segu posteridade
Um tropbeu de beroicidade,
D'amor firme a liberdade
A' patria, e do Imperador)
Viva S. M. o Imperador I Viva a najo brasi-
leira !Viva o 3* corpo de voluntarios I
Mais voluntarios que parteml
Sao jovens Pernambucanos
Que (8o alegres, ufanos
Novos louros conquistar I
Pas, filhos, irmos, amigos
Ouvindo o gnio de guerra
Vodeixaudo a sua trra
Pela patria balalhar I
Parti 1 suffocai saudades,
E essas bagadas de prantot
Vede... ja choraram tanto
Tantos filhos do Brasil !
De*honra, morte, extermio
E' a senha dos Paraguayos;
Pois bem I ide como raios
Vingar nos do imigo vil !
Vos tendes louros vrenles
Por nossos avs delxados,
Valentes e denodados
as guerras contra o Hollandez;
Mas... myster novos louros!
Fallou... fallar a historia
Que a maior parte da gloria
Vos pertence inda esla vez I
Ide pois I a patria espera
No amor de todos os Pulios;
Nao Ihe haveis manchar os brilhos
llaveis louros conquistar;
Eos nos Diro altivos p ufanos :
Os jovens Pernambucanos
Sabem morrer... e matar!
os ferldos do exercto dinamarquez, acabam de re-
ceber cada urna um broche d'ouro, acorapanhado
d'uma carta auihographa do rei Christiano.
Cada broche, suspenso a urna Ota com as cores
do pavilho dinamarquez, Iraz as iniriaes do rei e
esla Inscripjo:
i Urna boa aejao nunca se esquece. s
A Patrie, de Pars, noticia que a admioistrajo
superior u'aqueila cidade acaba de lomar orna de-
liberacao sobre a questo da carne de cavallo.
Permiitiu que se abriste um taino especial as
mesmas condijo-s que um lalho ordinario.
O |iroprletario especulador deste talho dever
construir um matadouro particular para as neces-
idades do seu coramercio.
nETIUTO DE JESS CHRIST0.
Nicephoro, no livro Io cap. 40, descrevendo a
efDgie de Cbristo Nosso Seohor, diz desta ros-
neira.
Segundo o que sabemos dos nossos malores,
o semblante do Salvador do mundo foi egregio, e
vigoroso.
A estatura do corpo de sete palmos.
O cabello alguma cousa louro, annellado as
ponas, e nao muilo deu-o.
As sobraucelhas preas, e nao muito arqueadas.
Os olhos vivos, as pupillas algurai cousa loaras,
adrairavelmeoie engrajadas.
O nariz alguma cousa comprido.
A barba loura como os cabellos, e nao muito
longa.
O pescojo mediocre, do sorle que a estatura nao
era muito ala.
A face nem redondo, nem muilo aguda, mas
convenientemente comprida, con. > a de sna Mi
Santissima.
A cor triguera, isio alguno tanto morena,
porm rubicunda, e finalmente em tudo seme-
Ihante a sua Mi Santissima.
A esta descripjao nao se oppe o que escreve-
rara alguns padres fundados na prophecia de
Isaas (cap. 53) a qual fallando de Jess Cbristo,
diz :
Nao iem belleza nem formusura : e vimo-lo
e nao tinha parecenja do que era, por isso nos es-
iranhamos.
Feito um objecto de desprezo, e o ultimo dos
homens, um varo de dores, experimentado nos
trabalhos: e o seu rosto achava como encuberto,
e pareca despresivel.
Por quauto sto se deve. entender de Jess Cbris-
to nao qual antes era, mais no estado a que ficou
reduzido depois dos acerbissimos tormentos de sua
Paixo, como claramente se deduz do mesrao texto
do propheta : n.-m os referidos padres podiam dar-
Ihe outra intelligencf.
Releva porm nolar-se que da descripjao de
Nicc|ihoro nao se deve inferir, que Jess Christo
fosse dolado de utna belleza extraordinaria ; mas
que apezar de macerado com jejuns e vigilias, e
com continuo exercicio de pregar nos seus ltimos
annos, o semblante de Jess Christo era todava,
veneravel e inagestoso.
Com teto esl de accordo a exposijao de S. Tho-
maz s palavras do Psalmo 44.
Tu vences em formusura aos filhos dos ho-
rnees.
Islo no sentir do santo doutor, a formosura de
que aqu se falla, nao aquella que costumara
imaginar os poetas, ou que os olhos admiran em
objeclos forraosissimos; mas sim a que convinha
a condijo e pessoa de Jess Christo, e ao fim por
que veio ao mundo; por quanlo ha urna belleza
verdaderamente tal com relajo ao carcter das
pessoas em particular.
Neste sentido pois que se deve crer, que no
semblante de Jess Christo necessariamenre de-
viam refleciir aquella belleza perfeitissiraa, e
aquella adoravel mage>lade que couvinham ao su
blirae carcter do lledemptor do mundo; aquella
belleza jue na persuasiva phrase do melifluo Ber-
nardo inveiicivelmeute Ihe atrahia os horaens, lo
encantados da suavidade das palavras, como da
formosura do aspecto : Adharebant ei, aflatu port-
ier, et aspectu illius delectati, cujas ntmirum vox
suuvi, et facus decora : (Serm. de oran. Sanctis).
HEIHATO DE NOSSA S8NH01U.
O mesmo Nicephoro, liv. 2* cap. 23, descreve I
igualmente, segundo Epphanio (como elle diz), a
eUJgie da Sanlissima Virgera por eslas palavras.
Ella foi de estatura media, anda que alguns di -
zem que foi de urna grandeza raais que mediana.
A cor triguera.
Os cabellos louros.
Os oinos vivos, as pupillas azeitonadas, e algu-
ma cou.-a louras.
As sobraucelhas arqueadas, engrajadamenle
preas.
o nariz alguma cousa comprido.
Os labios bem formados, e de mutia suavidade
no tallar.
O rosto nem redondo nem comprido.
As mos e os dedos compndos.
O aspeelo grave e modesto, sem altivez nem af-
l-ciarao, mas simples e humilde.
Os seus vestidos nao eram tintos, mas de cor na-
tiva, o que al o prsenle demonstra o santo veo1
que trazia na cabeja : e para dizer ludo em urna
palavra, em lodas as suas cousas se divisava urna
graja celeste e divina.
Esta descripjao tambem referida por Baronio,
anno 84 n. 26, accresceoiaudo que S. Lucas lez o
retrato da Santissima Virgem e tambem do Salva-
dor.
Diz o Express de Londres, que alguns dos cone-
gos de Westminsler, ajudaram cora as suas pro-
pnas maos a entulhar, cora urna mistura de car-
vo e de arela, a cova onde foi enterrado lord Pal-
merston.
Tambem se diz que o diamante e os anneis de
ouro que dentro da cova haviam sido lanjados por
M. Sullivan, foram d'alli cuidadosamente tirados
para evitar o perigo da profanajao do tmulo.
Um jornal americano conta cousas incrlveis de
Nashville, cidade Americana.
Os arredores desta cidade tem sido oestes lti-
mos lempos, o theatro das mais abominaveis de-
predaces, cujos autores iem al aqu frustrado
todas as pesquizas.
Descobriu-se ultimameule, que havia por baixo
da cidade cinco cavernas, das quaes a mais vasta,
tem a sua enirada no cemiterio, dentro do tmulo
de Mac Nary.
A auioridade militar mandou proceder a excava-
joes neste sitio, porm medida que a trra ex-
trahida, a excava jo obstruida por Ierra fresca,
por meios at aqui ignorados.
Diz-se que foi acola que, durante a guerra se
refugiavam os negros fgidos, com os cavallos que
roubavam.
E' all que ho|e escolheram domicilio os salteado-
res que tem posio a saque a cidade e as campias.
A voz do povo assevera que este tmulo abre ca-
minho jior vas subterrneas, a um lago de vasla
superficie e de urna profundidade iosoodavel, o
qual doimc por baixo da cidade ; e em cujas mar-
gens ha cotlanes e escondrijos armados como forta-
lezas.
Excavase sem cessar, e ouvem-se surdindo de
profundidades desconbecidas, rumore* que se as-
seraelhara a descarga de artilharia.
O Sr. Castillo (el Zaragozano) cujos pnrgnostlcos
sobre as alterajoes do lempo quasi serapre tem si-
do justificados, vemos (segundo nos diz um jornal
hespauhol) que annuucia, para os mezes de feve-
reiro e marjo do anuo que vem 1866 haver fura-
ces acompauhados com ebuvas e ueves, que faro
estragos as costas; adverle aos raariliuws que
devem estar mu prevenidos em lodos os mares da
oropa, especialmente em 4, em 10 e em 2o de
fevereiro, e era 11 de marjo assim como de 15
aos 25 do mesmo mez.
Para abril assigoa-la como dias em que ho- de
seuiir-se completamente fros com saraiva os 27,
28, 29 seguidts de geadas que bao de causar mal-
los damnos nos viohedos; por fim presagia para
maio fortes frios com trovoadas, furaces, chavas
e saraivas, que espera que se repitam em junho,
em cojo mez felizmente succeder urna forte rea-
lujo atmospherica em beneficio das colheilas que
sero excellentes.
Fallecen hontem a noite depois de prolongada e
dolorosa enfermidade o Sr. conde de Mello, par- do
reino, general de divisan, e Vgal do supremo con-
selho de justija militar.
Assentara praja na da 1 de setembro de 1814
e furo promovido:
A alferes em 19 dejulbo de 1815; a tenes le em
6 de abril de 1318 ; a capilo em 9 de julho de
1827 ; a major era 25 dejulbo de 183:1; a lenen-
lecoronel om 24 de jtilho de 1834 ; a coronel era
26 de novembro de 1840 ; a brigadeiro em 29 de
abril de 1851 ; a general de brigada em 12 de
marjo de 1860 e a general de diviso em 14 de
agosto de 1865.
Era commendador das ordens de Aviz e de
Christo ; offlcial da Torre e Espada ecavaileiroda
ordem de Nossa Senhora da Conteijo de Villa
Vi josa.
Os estudantes da universidade de Gralz ojn>ae
rara ltimamente responder por meio de um :e!e-
graraina a mensagem dos esludantes de Liege- JBel-
gica). Diziam no seu despacho, que na Austria,
sob a legislajo actual, os estudaules nada podiam
fazer para a consolidaco e extenso dos. direitos
acadmicos.
Os empregados da eslajo telegraphlca eonsulla-
ram o chefe de polica, e taes cousas ouviram qus
recusaram o despacho-
Muitas senhoras habitantes da cidade de Sooder'
bourg, ducado de Schleswig, conhecidas por suas
sympathias a favor da Dinamarca, e que, durante i
ultima guerra, trataram jom maternal crpqo PERNAMBUCO- HP, PE M- ?, PE F, 4 FiLHO
Um jornal francez annunciou ltimamente que
Napoleo 111 tinha querido conservar uo seu gabi-
nete das Tulherias a hibliotheca de acaj que tinha
no seu aposento de Ham, e que se liaba opposta
a que pozessem vidrajas nesta bibliotheca para a
conservajo dos livro?.
Este jornal podia accrescentar, segundo dls ou-
tro peridico qne temos a visla, que se va igual-
mente nesle gabinete urna bella colleccao de ca-
chimbos de escuma do mar; mas parece'que S. M.
os deixa estar em descanjo ha muila lempo, por
causa da prohibijao quo o seu medico Ihe fez de
usar delles. Todava o imperador viuga-se da ty-
raunia do seu medico, dando alguns cachimbos,
quando se Ihe olerece occasio para isso.
Nesle gabinete Cas Tulherias Nap leao nao tem
sequer um robedechambrt ; usa quando all esl
de um paletol j muito velho.
Encostados as paredes e amantoados sobre o soa>
Iho veem-se muilas vezes qnadros e gravuras de
grande valor.
Um dos seus creados empregava amigamente um
ardil muito fcil quando desejava adquirir um des-
tes quadros ; tinha o cuidado de o collocar de mo-
do que interrompesse a passagera.
Com a fortuna I dizia o imperador; parece-
me que os quadros vio augmentando a ponto de
ficarmos enterrados nelles. Nao se poderla tirar al-
guns T
Perfeitamente, senbor, responda o criado ;
vou tirar os que Incomroodam mais.
E levava-os para o seu quarto, obleado deste mo-
do ama magnifica cellecjo.







Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EO861QU63_TS36MJ INGEST_TIME 2013-09-04T22:07:35Z PACKAGE AA00011611_10843
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES