Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10841


This item is only available as the following downloads:


Full Text
411* 11 1I# g<
TIKrattK

DIARIO DELPERNAMBUCO.
^MNPMfe ^ ^'?a % X
*>.US M IMI
pj > -*.. ID *.
*.a~aaa4
.aja, V <)*** \>* **J r.. ^ 4 4aMatfK SJ*.
>V l
*** tlglittlfO<4a
?4STS SFRSUl
Decrete a. *Vt*aV 54km*r i***-
Faieveara^data^apcaar**ia*pe** ***-
<'!.. ,roa; Unaaaan parta a> c man n-> ** de
tbM.km.ki as- 4swwOVs *> 4t a. Wd **
Hei ptir a*aa decretar a segaraae :
Arn*o tiaara. A> atsauneoes Jo denet a. 3JB9
de M 4o corrale sari e aaaa, fcBI u-o
e w aatdataa a nafcmii inraeas- da irmJa
que toiuaram parle ao combate na j1 4 RUrhue-
lo til* tm exleaias aos oftViaes e proras d-- prrt
do exercitu que igualmente temaran parte aaquei-
le combate.
Angelo Mcnii da Silva Ferrax, do meo conselbo,
ministro e secretar de estado dos negocios da
gorra, asim o tenha entendido e faca executar.
Palacio do Rio de Janeiro, em 29 de novembro
de 1865, 44" da independencia e do imperio.Com
a rubrica de S. M. o Imperador.Anorto Moniz da
Silra Ferraz.
vfl\l*TFKIO 1 V JlSTIt, %
Decreto n. 3,53b ilc io de norembro de 18 ti..
Concede o uo de bons a' ravaignae, em 2o uni-
forme, ao 1* batalho da reserva da guarda na-
cional da provincia do Para'.
Attendendo ao que me represenlou o presidente
da provincia do Para', bei por bem decretar o se-
guirte :
Art. i." O i balalho da reserva da guarda na-
cional da provincia do Para' usara' em 2* unifor-
me de bons a' cavaignar, de panno azul com vi-
tos encarnados, correia e pala de couro preio, vi-
rola e o numero do balalho de metal araarello,
galo de ouro do pollegada para os offlciaes, e de
la da mesma cor dos vivos para os inferiores, ca-
iras e guardas.
Art. 2.* Fica revogado nesta parte o decreto n.
1,034 de 14 de agosto de 1852.
O senador Jos Thomaz N'abnco de Anejo, do
meu conselho, ministro e secretarlo de estado dos
negocios da justica, assim o tenha entendido e faca
executar.
Palacio do Rio de Janeiro, em 25 de novembro
de 1865, 41 da independencia e do imperio.Com
a rubrica de Sua Magestade o Imperador.Jos
Thomaz Nabuco de Araujo,
3.* seceo.Ministerio dos negocios da jostica.
itio de Janeiro, em 28 de novembro de 1865.
Illm. e Exm. Sr.Foi presente a *ua Magestade I
o Imperador o offlcio n. 114 de 22 de setembro ul-
timo, no qual referindo-se ao de n. 113 de 9 do!
mesmo mez, informa V. Eic. que o chefe. de poli-
cia, a quem encarregara de submetter a processo, j
pelas occurreucias desagradavei que liveram lugar
era Serpa, o ex-delegadode polica Rayiuundo Can-
dido Ferraz eo ex-subdelegado Evaristo Rodrigues
Lima, presos na capital por orden de V. Exc, como I
cmplices as referidas oceurrencia, observara que
se julgava incompetente para instaurar aquella
processo avista do que dtspoe o -viso de 20 de ago
to de 1831, que positivamente declra incompetente
o chefe de polica para processar individuos que
nao sao domiciliarios na capital da provincia, e
que ah nao commetteram o crime em que sao in-
diciados, salvo quando est no domicilio dos reos
ou no lugar do delicio, ou quando mandado es-
pecialmente para iustaurar o processo. E que
acreditando V. Exc. que nao procedan) e.-sas ra-
zOes, nao so quaoto ao mencionado ex delegado,
cuja re.-idenca mudara para a capital, segundo de- j
clara V. Exc, como tambem quaoto ao ex-sub.-le-1
legado, por nao haver pessoal habilitado em Serpa,
para instaurar-Irie o processo, recorrer e funda-1
ra-se na interpretarlo ampia da le de 3 de dezem-
bro de 18*1, quando da' jurisdiccao criminal em I
teda a provincia ao chefe de polica, e era assim no!
principio jurdico da prevenco de jurisdiccao e I
connexo de causa, e ordenara ao chefe de poli- j
cia que formasse o proce>so mesmo na capital,
err.quanto o c nlrario nao fosse resolvido pelo go-
veroo imperial.
Tendo sido ouvido o conselheiro consultor dos i
negocios da justiga, com cujo parecer tvuvepor:
bem S. M. o Imperador conformarse, manda o1
mesmo Augusto S-nhor declarar a V. Exc, em ras-
posta ao seu citado offlcio, que a nica providencia
legal que devia V. Exe. tomar neste caso, era or-i
deoar ao ebefe de polica, que de novo se transpon
tasse para o termo de Serpa, e all permaoecesse j
at o eoncluso do summano : por quanto embora
fosse prevenida a jurisdiccao das autoridades de
Serpa, tomaudo o chefe de polica conheciment do j
crime de Evaristo, essa preveocJtp nao pode ter
effeilo de destocar o ro de seu foro legal para o
foro da capital.
Deus guarde a V. ExcJos Thomaz Nabuco de
Araujo.Sr. presidente da provincia do Amazonas.
aran iiar aja.
sapMk ara
Ja eKW
iho *>
IS4 4>*4>
-aas Banana* ea*
lim>iaw.
Sa^aee v. &4k>aftesajra
bmmm da rioiinsu.
Expediente do dia o de deiembro de 1805.
Oflleio ao general commandante das armas.
Mande V. Exc inspeccionar o voluniario da patria
do 6* corpo Jos da Silva Monteiro de que trata o
iaeloso requenmento.
Dito ao mesmo.Transmiti por copia a V. Exc. i
para seu conhecimento o aviso circular da repart-
cao da guerra de 16 de novembro ultimo, dando
instrueces para o abono da etape concedida pelo
decreto n. 1,254 de 8 do crrante anno, aos offlcies
que servirain no exercito durante a lua da inde-
pendencia.
Dito ao mesmo.Tansmitto a V. Exc. para seu
conhecimento e direccao, copia do aviso circular I
do ministerio da guerra de 13 da novembro ulti-
mo, declarando quaes as pracas que nao se achara
coraprebendidas na circular de 10 de junho do
correte anno, manda recolher a seus corpo todas
as pracas que estiverem fra delles.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de informar-
me acerca do que pedem nos inclusos requermen-
tos Marcomila Mana daConceicao e Anoa Joaquina
do Espirito Santo.
Dito ao mesmoMande V. Exc. inspeccionar o
paisano Jo> Caetano Ferreira, offerecido pelo re-
cruta Joaquim Severiano Alves de que trata o in-
cluso requenmento.
Dito ao mesmo.Sir\a-se V. Exc. de mandar
eliminar do servico da guerra os guardas nacio-
naes do municipio da Escada Feliz Jos de Olivei-
ra e Dionisio de Barros Reg, visto terem sido con-
siderados incapazes em inspeccao de saude, segun-
do V. Exc declara em seus offlcios do Io do cor-
rente, sob ns. 2,3(12 e 2,312.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.,
Annuindo ao que solicitoa o marechal commandan-
te das armas em offlcio de hontem, sob n. 2,327,
recomraendo a V. S. que se nao houver inconve-
niente, mande adiantar a quantia de 37,5500 que
no offlcio junto por copia pede o coronel comman-
dante do 3* corpo de voluntarios para remonta e
conservacao da respectiva msica.
Dito ao mesmo.Transmiti por copia a V. S.
para seu conheeimento e direccao, o aviso da re-
particao da marinria de 20 de novembro ultimo,
determinando que seja dispensado do servico da
enfermara de marraba desta provincia o cirurgio
Joaquim Jos Alves de Alboquerqu, pnr nao estar
no caso do art. 2 j I do decreto n. 1,981 de 30 de
setembro de 1857, sendo contratado para subslitui-
lo o Dr. Estevo Cavalcante de Albaqoerque.N'es-
le sentido fez-se o necessario expediente.
Dito ao mesmo.Transmuto a V. S. para seu co-
Hgieai 'a sor 4kV >
i nseiit i ti r casni a > -^*> t*n*. Frawrse- fcfkita Cutda C>> >Hmk W>
jaaarli>ta aawt a* a c4ta piah
iHta proxMaa ^nasaara
D* a-> a*f!xK>taadV -a 41 a utefti
e pevts | asa em 4aaacata na* aavead usmsv
4 mu' V. S. pagar os iiaiiBiasnr reJaa-
*>s ans ewMs eV iWen a swnnsero 4*-t- aeao
dos volantn"- da patria alistiK>s aa villa 4o Sal
goriro ao tstate J-quim de >i Arauf'-
Dito ao mesm.. -M m4e V. S. r**ff aa seere-
tiria 4o goTera 7 caitas coas 70 litros 4e i* clas-
para o registro geral 4e kypothecas, que vieran
remettido* com aviso d^ 4 de novembro ultimo, ao
qail o Exm. Sr. ministro da justica declara que
breve sera remetuda a coala da importancia dos
referidos livros cojo pagamento deve ser efectua-
do de conformidade com o aniso circular de 26 de
jnlho ultimo do qual remetti copia a V. S. em 28
de agosto deste anno.
Dito ao mesmo.-Expeca V. S. as soas orden*
para que nos devidos lempos sejam pagas as con-
signacoes que do sold de sua patentes querem
consignar ne^ta provincia es alteres do 3* corpo de
voluntarios Austricliano de Torres Gailindo e Joa-
quim Rodrigues Pinheiro como se v dos inclusos
reqnerimentos.
Dito ao mesmo.Annoindo ao que solicitou o
gerente da cornpanhia peruambucana, em offlcio
de 30 de novembro ultimo, recomraendo a V. S.
que nao havendo inconveniente mande pagar Ihe
a quanliade ll:666666 proveniente da subvengo
relativa aquella mez, com que o governo imperial
auxilia meosalmenie a referida cornpanhia a qual
cumprio com as suas obrigacSes no predito raez de
novembro segundo eonsta do citado offlcio.
Dito ao inspector da thesouraria provincial. -Em
vista da inclusa conta, que rae rem-tteu o chefe (h
polica com o offlcio de hontem, sob n 1,893 e nao
havendo inconveniente mande V. S. pagar a quan-
tia de 50J300 despendida pelo delegado do termo
de Goyanna com o concert feilo na respectiva
cada.
Dito ao memo. -Mande V. S. adiantar ao agente
fiel pagador da reparticao das obras publicas, con-
forme solicitou o respectivo chefe em offlcio de
hontem, sob n. 384, a quantia de 12:500,i(K) cons-
tante do incluso pedido, para ontinua^ao das des-
pezas com as obras por administracao a cargo da-
quella reparticao no crrente mez.
Dito ao m> sino.Recomraendo a V. 9. que em
vista dos inclusos documentos e nao havendo in-
conveniente mande pagar a quantia de 5143500
em que importa a despeza feita durante os mezes
de julho a outuhro deste anno com a illumnago
da casa de detengao como se v dos predi tos do-
cumentos que veram annexos ao offlcio do chefe
de polica datado de hontem e sob n. 1,894.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Recite.Expeca V. S. suas orden atim de
que de amanhaa era diante e emquanto durarem
os trabalhos da presente sesso do tribunal do jury
desta cidade all se aprsente diariamente a dispo-
sigo dojaz de dreilo presidente do mesmo tribu-
nal urna guarda composta de pracas do batalho
da guarda nacional que se acha aquartellado.
Dito ao mesmo.Recommeodo a V. S. a exped-
cao de suas ordens para que a guarda de honra
que em virtude de meu aflelo do 1* do correte
tem de assistir ao acto da festa de .Nossa Seohora
da Conceico que dever ter lugar no da 8 deste
mez, na igreja matriz da tregoezia i S. Jos des-
ta cidade, na sua passagem pela igreja de Nos Se-
ohora do Terco se colloque em frente desta jgreja
aflm de acompanhar as imagens que d'alli vao ser
trasladadas para a predila matriz, onde dever a
mesma guarda flear at liodar-se os actos da festa
cima dita.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Rio Forraoso. Em resposta ao offlcio
de V. S. de 25 de novembro prximo Ando, teoho
a declarar-lhe que deixam d>; perceber veocimen-
tos desde o dia da priso os guardas nacionaes des-
tacados que a ella sao recolhidos por crime civil.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal de Na7.arelh.-Em vita do que V. S. expoe era
seu offlcio de 23 de novembro ultimo, que veio 60-
briodo os re'iuerimentos dos guardas nacionaes
desinflados para o servico da guerra Fabrico Jos
Nogueira e Antonio Jos de Sant'Anua, tenho re-
solvido que sejam elles dipensado do misino ser-
vico por serem visivelment* enfermos, segundo de-
clara V. S. em sen citado offlcio, cmvindi que d
suas ordens para que sejam designados para subs-
titu los outros que nao esjam nestas circum-lan-
cias.
Dito o commandante superior da guarda nacio-
nal de Santo Antao.Em vista dos documentos
com que o guarda nacional do batalho n. 23 ob
seu commaudo superior Jos Virissimo da Silva
provou ser fllho nico de sua mai viuva, a quem
serve de arrimo, recommendo a V. S. que o man-
de eliminar do servico da guerra para que fra
designado, dando logo suas ordens atim de ser elle
substituido por outro.
Dito ao coronel commandante do batalho n. 25
da guarda nacional da Escada.Dei o convenlecte
destino ao guarda nacional do batalho sob seu
commando Manoel Francisco dos Sautos a que al-
lude o offlcio de V. S. de 2 do corrente a que res-
pondo.
Dito ao director do arsenal da guerra.-Mande
V. S. trocar 110 pares de sapatos que foram forne-
cidos ao 3* corpo de voluntarlos e bem assim entre-
gar ao coronel commandante do mesmo corpo dous
jogos de malas.
Dito ao Dr. juiz de direto de Cabrob.Accu-
sande a recepeo do seu offlcio de 6 de novembro
ultimo, cabe-rae dizer-lhe em resposta que tenhe
no merecido apreco as pracas de civismo e os es-
teros patriticos empregados na acquisico de vo-
luntarios pelos cidad.ios aqoeallude o citado offl-
cio, o que Vmc. Ibes fara constar.
Dito ao procurador llscal da thesouraria provin-
cial Com o parecer junto por copia ministrado
pelo conselheiro presidente da relacao em 18 de
novembro ultimo, respondo ao offlcio que Vm me
dirigi em 15 de setembro prximo rindo, expondo
as duvidas que encontrara na execucao do regula-
memo n. 3453 de 26 de abril deste anno.
Quanto porm as hypotheses para as quaes j
tlver decorrido o prazo de 30 das marcado no pre-
dito regulamento, deve se tratar da sua revalida-
c "i i aflm de poderem ser inscriptas na forma da lei
o citado regulameoto.
Dito ao consignatarios do vapor inglez Viper, Pe-
reira Carneiro & C\Respondendo ao offlcio que
Vmcc. dirigiram-me nesta data communicando a
chegada do vapor inglez Viper, cabe-me dizer-lhes
que sendo safflciente o vapor Agnes Arckles para
conduzlr a tropa que est prompta a maretnr para
o sol, pode regressar o Viper, locando entretanto
as Alagoas e na Baha, onde receber a que por
veulura all possa haver.
Dito ao commandante da cornpanhia provisoria
de policia.Estando doente o cabo de esquadra Jo-
s Joaquim de Souza Pontes, como consta da sua
informacao n. 41 de 4 deste mez mande Vmc. re-
coihe-lo ao hospital para ser convenientemente tra-
tado.
Dito ao delegado de Salgueiro.Chegaram a es-
ta capital 43 voluntarios da patria dos que alinde
Vmc. em seu. pfJQcio de 7 de qovembro e agradeco-
r^wwa -** fft *aia 4a
la aja* t*saina r>aun 4www AaJ>vv *">
imiI.ii na Nimi.asa*!*1 dw^l^taaa
A* .Y*u*a* kfcaaa* aa asa tisssjMnn asgo-
wr* coa na>w 4a, t4>ga jaau m>iaaa4a *->
>e d tyMta*. aatswdaad sataa asar >f-iiaiaaisaj^gsaeta>sa+s M*rk* a* cuasnaaJaa** 4o **> a*'i4w *o
IHTEIIOI
cvda aaxaaaf, attm 4a satatdlrar >* aa agaarJka-
is ea oaara |atlsair Isbsda *iansaai>.
IMa.O iw*raai 4a aroviaa I*a4a
aa vrtiaasasi puadarea a
perior tanna 4a gaar4a aacwaat dtM awaaiciaio,
resol ve desagaar os US-cocos s Rodataao
Jo* Rana de Alaaeida, Praactsco do Miraada
L--jI Sov* Doning- Alves Maihea^ para c>atio
rera a iuata que es grau de appellaciv tees de jul-
car o alferes do 4* batalaao de infantina Maaoel
Roma i Correa de Araujo Jnior.
Dita. O presdeme da provincia tendo em vista
a propota do lente-coronel exurnandant-* do ba-
talhe a 16 de latanlaria 4a guarda nacional do
Pao do Albo, acerca da qual Inform m o respetllvo
commandante superior em data de 24 de novem-
bro prximo dudo, resol ve nao so privar a Fran-
cisco de Souta Monteiro e Manoel Ignacio Caval-
canti de Albuquerque dos postos de alteres, por
Kstarem eomprehendidos o 1* na disposi^o do art.
79 do decreto n. 722 de 23 de outuhro de 1850, e o
2* na do 1* do art. 65 da lei n. 602 de 19 de se-
temoro do mesmo anno, mas tambem nomear offl-
ciaes do referido b.lalho os cidados abaixo de-
clarados.
Estado-maior.
Teoente cirurgio o guarda Manoel Jos Carneiro
da Mulla Silveira.
2* compaa.
Tenente o alferes aggregado Ignacio Joaquim de
Souza Menezes.
6* cornpanhia.
Tenente o alferes Manoel Garca de Souza Ramos.
Alferes o guarda Francisco Machado de Araujo.
Dito Franco Vieira de Mello.
Commuoicou-se ao respectivo commanaote su-
perior.
Dita.U presidente da provincia attendendo a
que o tenente do batalho n. 23 de infamara da
guarda nacional da cidade da Victoria Joo Lau-
i rentibo Cavalcanti de Albuquerque administra-
dor das fazendas de seu pai sexagenario conforme
provou este com os documentos annexos ao seu re-
querimento, resolve dispensa-lodo servico da guer-
ra para que fura designado.Fizeram-se as neces-
sarias cotnmunicacoes.
Dita.O presidente da provincia, attendendo a
que o capto do batalho n. 27 da guarda nacional
do muncipo de Caruar Jos Januario Correa de
Sa' foi considerado incapaz em inspeccao de sade,
segundo se v do termo annexo ao offlcio do gene-
ral commandante das armas do 1* do corrente sob
n. 2300, resolve dispensa lo do servico da guerra
para que fura designado.Fizerara-se as necessa-
ras coiorauoicacoes.
Dita. O presideote da proviocia, attendendo
a que o teneote do 4 batalho da guarda nacional
deste municipio addido ao 2" batalho destacado
Manoel Juvencio Bezerra de Menezes soffre de
congesto no ligado, segundo o termo de Inspeccao
annexo a arma do 1* do corrente sob n. 2,308, resolve dis-
pnsalo do servico da guerra para que fra desig
nado.Fizeram se as necessarias comraumeacoes.
Dita.O pre-tdente da provincia, attendendo a
que o tenente do batalho n. 39 da guarda naci
nal do municipio do Cabo Ernesto Ferreira de
Barros Campello tem a seu cargo sua mi sexa-
genaria e 4 irmes solteiras, e tendo em vista a
ioformaco do respectivo commandante superior
de 29 de setembro ultimo, sob n. 171, resolve dis-
pensado do servico da guerra para que fra desig-
nado.Fizeram-se as necessarias comraunicages.
Dita.0 presidente da provincia, resolve conce-
der ao bacharel Daniel Germano de Ajinar Mon-
tarroyos a exonerarlo que pedio do cargo de pro-
motor publico da comarca de Tacarat e para o
substituir nomea o bacharel Tiburtino Barbosa
Nogueira.Fizeram-se as necessarias communica-
(5es.
Dita.O presidente da provincia, attendendo ao
que requeren Luiz do Carmo resolve cooceder-lhe
licenea para levar em sua cornpanhia para o pre-
sidio de Fernando urna sua ama de nome Anna
Joaquina da Conceico.
Dita.O presideote da provincia, tomando em
consideraco o que expoz o inspector da thesou-
raria proviucial em offlcio do 1 do correte sob
n. 477, resolve abrir um crdito snpplementar na
importancia de 165530 para a continuaco no
corrente exercicio da despeza de que trata o 3*
do art. 18 da li do orcamento vigente, Commu-
nicou-se a thesouraria provincial.
D ta.0 presidente da provincia, attendendo a
que o alferes do 7 batalho deste munido Antonio
Lope Muniz sofre de pytriglos em ambos os
olhos segundo o termo de inspeccao annexo ao
offlcio do general commandante das armas do !
do corrente sob n. 2298, resolve dispnsalo do
servico da guerra para que fra designado. Fi-
Z'-r m-e as necessarias corara unicagoes.
Expediente do secretario do governo do dia o
de dezembro de 186o.
Offlcio ao inspector da thesouraria de fazenda.
O Exm. Sr. presidente da provincia, manda trans-
mitir a V. S. as 10 Inclusas ordens sendo 4 do
thesouro nacional sob ns. 153 a 156, 4 expedidas
pelo ministerio da guerra em 9, 13 e 15 de no-
vembro ultimo e 2 era duplcala tambem expedi-
das pela reparticao do ajudante general sob ns.
481 e 482 o finalmente um offlcio da directora
goral das rendas publicas de 13 do predito mez
de novembro.
COMANDO DAS ARMAS.
Quarlel general do coinuiamln das armas de Per-
uamliuro na cidade do Keeife, 11 de dezembro
de 186o.
Ordem do da n. 171.
O marechal de campo commandante das armas
fa< certo a guarnigo para que tenha o devido ef-
feite que a presidencia em portara de 9 do cor-
rente resolveu dispensar do servirp de guerra ao
Sr. alferes do batalho o. 42 do muoicipio de Se: i-
nhem Francisco Pacifico de Assis Lobo, que ser
iluminado do i' batalho destacado a que ticou per-
tencendo.
O sobredlo marechal de campo mediante a auto-
! risaco da mesma presidencia commuoicada em
! offlcio da referida data determina que fique exo-
nerado do emprego de ajudante do forte do Buraco
que bera servio o Sr. 2* tenente reformado Jos
Francisco dos Santos, visto a sua incapacidade
physica e nomeia para servir interinamente o dito
eraprego o Sr. 2* lenle tambem reformado Joa-
quim Francisco de Souza Navarro, que se dever
boje mesmo apresentaraoSr. commandante daquel-
le forte.
(Assignado.) fVaiicwco Sergio Oliueira.
Est conforme.Antonio Francisco Duarte, 2.*
teneote-ajudante de ordens iqtorino encarregado
do detalhe.
>.S*\1VH
MI* K r KM> V*t 4
A dvaaaa ao vas rus- 4aa4w
dad>\ aMWt<> ynsKi>aanM swtaan a feas va-
rtxife iu tutaa aagat. aawteiw tara saaa-
aw as asis*** !
raaia*at> a a*** fui agaasa 4e*4a a raasjSr
4a a eOrve 4* Sa Mag-s*k4* saradar pna-
cttHs ea r grenv 4a cianaana 4o >ai.
Por e>te nk4iv t* asurcan ata rvcrWJw ato sd
o vapor wnw a nntieta.
Hoatem a pr*~id*acia lateado Maular, por na
de uiaa pro lmario a>iHK.-j, orrcrevi do sso-
narcha, roavidmi o pava as autvrida4*s nacio-
naes e estrangeira a um Te-Drmm me levo lugar
as 3 horas 4a tarde ao convento do Carssu.
D'aqui em dian- aguardvn > ruin mleree o
paquetes do sul, i viia da po-iei i que vai assu-
inindo o ex rriio adiado era onen guay ; entretanto para raula (ente, (ora de dn-
vida, qui a guerra anda durar*' muitos niMes.
De (xilitica desta ierra, o que ha de mais salien-
te a oppo^icio do Dr. Ambrollo l.'it.i i da l'.unha,
as columna do lh mi 4o GrUo Para', a situadlo
administrativa da provincia, com especialidade ao
seu presidente Dr. Cmlo de Mgalha->
llenan lo de historiar o facto do rompim'nlo op
posicioni-ta do Dr. Leitio, quanto a actual ordem
de cousas, pretendere alguns -jii > os motivos cau-
saes e inmediatos sejam ja as eleires futuras pa-
ra deputados geraes, por cooslar que houve exrlu-
sao daqnelle doolor da chapa do partido progres-
sisla, entrando em *eti lugar o desemnargador da
relacao do Harsahte J >o BaptistaGoncalves Cam-
pos, natural desta provincia.
Nao assevero ito como um faci plenamente.
exacto, mas o que consta ; entretanto para fazer
idea das auOtas como aqoi se vao passando, ajun \
lo ab.iixo a decUracao do Dr. Leilo. em referen-
cia a discusso que susteotou o Dmrio do Grao
Para' na Imprensa, occasionada pelas observarles
que fizera ao novo regiment de signaes lelegra-
phicos, mandado executar pelo governo da provin-
cia, e que na verdade contralla algumas fallas e
erros geographicos.
Quanto as eleices provinciaes para deputados,
e apezar da abstencode votar os eleitores do Ac-!
ra', e dos arrufo- e desinteligencias que se consta-
vam haver em Santaem e que nada produziram a
chapa do partido progressista, que actualmente di-
rige a situacao, foi como se esperava a eleita, sen-
do os deputados os seguintes :
Dr. Jos da Gama Malker.
Dr. Jo Mana de Moraes.
Dr. Joaquim Jos de Assis.
Dr. Jos Coelho da Gama e Alves.
Dr. Joa<|uim Fructuoso Pereira Guimares.
Dr. Camillo Jos do Valle Guimares.
Dr. Antonio Joaquim Gomes do Amaral.
Dr. Felippe H. da Cunha Minna.
Dr. J. H. de M. Junior.
Dr. Antonio A. Capper.
Dr. Francisco Acacio Correa.
Dr. Henriques E. de Castro Junior.
Dr. Americo Marques Santa Rosa.
Couego J. R. Pinieotel.
Padre Flix Tcente de Leo.
Coronel Jos Caetano Ribeiro.
Dito Raymundo Pereira Lima.
Dito Antonio Rolla Sobrinho.
Dito Pedro Honorato C. de Miranda.
Tenente coronel Pedro M. Moraes de Bttancourt.
Dito J. G. e Silva.
Dito L. M. de Miranda.
Major G. A. da Silva.
Dito G. Ferreira Bentes.
Teen le-coronel B. P. da silva Frade.
Capito A. Rodrigues Souto.
Joaquim Cardozo de Andrade.
Martinho I. Pereira Guimares.
Joo Antonio Nunes.
Joo Diogo Clemente Malcher.
Acaba de chegar, no paquete entrado hojo do
Amazonas, segundo rae afflrmam, o deputado ala-
goauo Dr. Tavares Bastos, havendo sido muito ob-
sequiado duran!) a sua estada as dilTerenles loca-
lidades d'aquella provincia, sendo por ultimo
acompanhado ao bita fra por um vapor da corn-
panhia do Amazonas, no qual, despedida houve
um luoche, offerecido por varias intluencias, em
obsequio a visita do ilustre parlamentar.
Pelo que consta dessa provincia mui provavel
que o seu correspondente Ihe inlorme o que se tem
ali passado, cora especialidade quanto ao recruta-
meuto, que como por aqu, ha grande repugnan-
cia, muito principalmente quando as duas provin-
cias, Para e Amazonas, tanta gente tem dado para
a guerra, em comparaco a outras, e por isso bas-
tante faita e atrazo vo faz-ndo ja agricultura e
ao commercio, pela defflcieuca sensivel de bracos,
e em que nada abunda esta parte do imperio t
Temos por aqu tido urna enchente de festas e
de concertos como nunca.
Depois da popular festividade de Nazareth, appa-
receram os concertos musicaes do pianista Jorge
Victor no Cassino Paraense, dos irmos Tenorios
(flauta e clarineu) e do tenor Barbosa no theatro,
<: eis agora que nos chega o menino Ligoun que
tambem quer beneficiar as algibeiras contnbuln-
tes, concertando as suas com o desconcert das
nossas (I), alm da romana de Sao Braz e da festa
de Nossa Senhora da Conceico, o que tudo se faz
custa da philaotropia e religiosidade do respeita-
ve publico paraense I
No commercio ha pouca animaco, com e pecia-
lidade em referencia exportaco, pela falta de
gneros, a ponto que alguns navios vindos dos por-
to de Inglaterra e da Franca tem sahido nestes
ltimos lempos em lastro.
Felizmente a chegada do vapor veio trazer rae-
Inore noticias do preco de alguns gneros da pro -
vincia, sobre ludo da borraxa.
Nao sei, alm do que levo referido, o que possa
haver de mais Importante; os jornaes desta sup-
priro as lacunas da presente. Consta, porm,
que o nosso presidente prepara-se a ir fazer a sua
promettida viagem ao Tocantlns, l para o comeco
do anno novo. Outros acreditara que S. Exc. de-
seja retirarse da provincia, para ir tratar da sua
candidatura em Minas, por onde pretende ser elel-
to deputado geral. Emlira seja o que fr, o facto
real qje 3. Exc. prepara urna viagem, e tanto
que consta estar organizando o seu relatorio.
O commando das armas acaba tambem de ser
entregue ao marechal Lopo de Almeida Henrique
Botelho e Mello, ebegado oeste vapor.
u rend ment da alfandega neste mez de.....
125:0004000.
dem da recebedorla de rendas internas.......
27:0004000.
Outras repartirles flseaes no mesmo mez......
3:2004000.
Os navios no porto sao :
Barca porlugueza, Nova Palmeira.
Barca porlugueza, Flor de Vez.
Brigue portugus, Viajante.
Barca ingleza, Rkonda.
Patacho inglez, Florist.
Hiate inglez, Suzan.
Consta vir entrando o brigue portuguez Tamega
de Lisboa.
O vapor, sabe boje a noite, e conduz para cima
de cem pracas desta provincia, para a carapautia,
alero das que vao do Amazonas.
PEMftMMIC).
> Vannax fajo aono 4%>4*ca,* -c ua ava
w- o-
4o >
ra
aa ncaaa, naiU
'> a tag r a auata a*r.aul
agpdjas
a tara* *.
4 sjnaat fiaaiva-' kwaiva a
a atata aau nn.anai a ana a-i papakar. ea>
aa .. 4idor |>aa-Hru laaaa a>uad- ala M
r.-a44". are-eviav>4a a tn\> qaanK. m ka
(-Mu n tf xio-. aaalKa-, aa sw>ataea na-
itetv. ik* ii'ui i-H-ula\.'i ii.t-ir i *v-.Vhi a
r--rard.i 4> > mai< ladiR rente uraa rxaltaau qaa-
A" ara aiuU4a. i Ndrtadu da innaasa nul-
l lio que se aroiuvelliva a par* 4 quarM 4
SsaaaJasa, dv^num > > rur^ coa a di*ri| !>n
lean, qiM di-tiuguem m sea raovineai'.
preredm ile uAVues dn bililh.io 4a rofnaf-1
ras e 4o g* 4a guaHa nac nal deUrua e a.-ora-
panhaJo de una banda de auslca que alteraava
cora a !< rorpo.
A ra do Hospicio e a da Imper.lru. ornadas
de bandeiras da r..res nacionaes eM-varn htl-ral-
'nente apinhada de urna Istia nraiti lio que pro
rompen em appian-os ao .'! eorpo, ..bre qual
cnoviaui fl. .re de grande numero de vranda.
A ra Nova, onde tem reid-n'ia o digao rom
mandante, offareria um aspanta eoranta4ur. Tr s
arcos cum symbolos nacinoaes, < euiamados de
fidhas vireot davam pas:igem a nova phalan-e
de bravos que esta provincia manda a vmgar a
dlgllldide da liarn.
Ao desfilar o corpo, sempre arclamado ph'ene-
ticameote, cahiam Ihe llore das casas de ditinc
las familias, sendo as proprias seohoras que as lan-
ravam.
Um arco gracioso dava entrada para a ra do
Cabuga'. Ah, onde funccijna a sociedade huma-
nitaria concili\c\o, cujo edirlcio etava adornado
de bandeiras nacionaes, fui locante a scena da
passagem. Um nevoeiro de flores e repetidas ac-
clamaces e-peraram e brioso corpo que, cum
mais de 450 pracas, ostentava se garboso como
nunca.
A sociedade conciuacao que tomava por este
moao to activa parte na solemnidade do embar-
que, houvera sido a doadra do estandarte do cor
po- Este nejo quasl a associava a' festa.
Numerosas gyraodolas subam ao ar do largo da
matriz de Santo Antonio
Segurado pelas ras do Crespo e Imperador, a
pnmeira das quaes ostentava-e aderecada de ban
deira= raulliires, o 3* corpo encaminhouse ao pa-
lacio da presidenria onde tomou posi^o. A rapi-
dez do movimento, a mestria do manejo d'arma e
a exactido cora que o corpo execuira as conve-
nientes evolugoes, quasi se nao podiam suppr e
muo menos esperar de um batalho de volunta-
rios.
As varandas do palacio estavam apinbadas de
pessoas distinctas, entre as quaes os Exms. conse-
Iheiros presidente da provincia, marechal com
maridante das armas e senador Sa" e Albuquerqu1,
os Srs. Dr. chefe de polica, comm radante superior
da guarda nacional, os offlciaes de todas as gradua-
rles, merabrus da magistratura e funcionarios p-
blicos.
Recebida a continencia do estylo, o Exm. conse-
lheiro presidente da provincia dirigi ao 3 corpo
enlhusialicos vivas que foram correspondidos com
rara animacn, sendo seguidos de outros que o
Sr. coronel Lobo fez ouvir no meio de geral applau
so Do seio da raultido rompiam amiudadas san-
daces ao digno commandante, que por vezes se
descobria f-ara agradcelas.
Tomando a direia do Sr. presidente, um joven
acadmico recitou urna animada poesia, que era in-
terrompida a' cada estropbe por unnimes ap-
plausos.
epoj de razoada demora, que se passou entre
acclamacoes incessantes, encaraiohou-se o corpo a'
seu destino, precedido dos Exms. conselheiro pre-
sidente da provincia e commandante das armas, e
dos Srs. Dr. chefe de policia, coronel Nery Ferrei-
ra, tenenie-coronel Maranho; tenente-coronel Se-
ve, major Quintelro e grande numero de offlciaes
da guarda nacional de todas as graduacoes, que
formavam um grupo luzido de cavalleiros'.
Entrando o bairro commercial, o do Recife, a
nossa admiraco subi de ponto. A ra da Cadeia,
extensa como desdobrava se a' vista com um as-
pecto verdaderamente grandioso, offerecendo o
mais risonho espectculo. Eslava como as ras
precedentes juncada de (lores e folhas, o que forma
vara um largo tapete estendido desde o arco da
Conceico at ao ponto do embarque. He todas as
varandas, que estavam vestidas de colchas de um
a' outro extremo da passagem, pendiam estandar-
tes nacionaes que sedeslacavara d'eotre as baodei-
ras variegadas que atravessavatn a ra de um la-
do para outro.
Dir se-hia ao entrar aquelle bairro que cada um
dos seus habitantes protesta'ra a' competencia os
tentar mais ardor e eothusiasmo.
A ra da Cadeia, o 3* corpo nao foi smente ap
plaudido; foi vctoriado. 0 seu digno commandan-
te, o benemrito e popular coronel Francisco Joa-
quim Pereira Lobo, foi por vezes cercado de uraa
raultido delirante que levantava vivas estrepitosos
a' sua pessoa, qual dasejaodo mais aproximarse a
apertar-lhe a mo ou cingi-lo com um abraco.
Defronte de um sobrado, cujo morador nao co-
nhecemos, o eothusiasmo locou ao delirio. Cho-
viam flores a' roda de todas as janellas visinbas,
papis impressos, e de todos os lados vivas frenti-
camente acalorados.
0 Sr. coronel Lobo nao teve nem hade_ ter mo-
mento mais solemne na sua vida. Elle nao poda
bastarse para agradecer; por um movimento na-
tural de expresso indisivel foi obngado a' deler-se
e estar por largo lempo descoberto em sigoal de
reconhecimento.
Um arco elegante encerrava a ra da cadeia.
Descrever o que se passou de sentimental enthu-
siasmo a' ra da Cruz, urna das mais espacosas
desta cidade, por ventura superior ao que tao ra
pidamente irnos escrevendo sob a impresso dos
factos.
Abena e encerrada por dous arcos de formas
alegantisslmas, e sobre as qoaes se divisavam lu-
zenies brazdes nacionaes, a ra da Cruz exceoeu
a todas na recepeo que fez ao 3 corpo.
Os arco3 a' que nos referimos deixavam ver en-
tre cores bem combinadas disticos de viva cloquea-
da popular. Em um delles, artsticamente traba-
Ihado ambos, urna agradavel sorpreza eslava re-
servada a's vistas impacientemente curiosas do pu-
blico. Assentando em quatro columnas enramadas
de folhas, e formando come um docel da natureza,
viara-se nos quatro ngulos pyraraides pouco ele-
vadas que entreabrnd-se no momento da passa-
gem, deixaram ver quatro infantes de alvos vesti-
dos e cintos azues, tendo cada urna as raaos um
porabo enfeitado de filas verdes e amarellas e um
lindo bouqoet de preco.
Dous baldes de forma graciosa arrojaram-se ao
ar no momento em que destilava o corpo.
Incessantes acclamacoes, llores em grande copia,
irapressos, os lencos que se movlare agitados pelas
senhoras, atteslavam a febre patritica que re-
quelmava aquellos coragoes. Dirigidas a todo o
corpo, essas manifestacoes iam tomar como objec-
to d'esse culto apaxooado do patrioti-mo o Sr.
coronel Lo|jo e o digno capito Jos joaquim Lopes
-*tn ca.gui.. i.- da L iajiirui ao aiaasu Je
a^taaa. *. .a.u u atada kaa. wiuu
m. F*a.adu m. u u.u.s*ifc- u* a i. i .**. aae avivatuva ..a a tr*caai, nao w-e \a-
v imtUt a>ia <* rM 4* -11011144
.*.*.* untaran--* ao aw. 4jt
4 ana* nwpua
at-iv il.ux J gvian.fcj*a iue e
aawanvata 4e-
i) +** .wiir > > aa p. uco aviaaada da vi-
ii uos ^tM iaaa la*r. cada un ao .ea> aaaigo,
a inasaisa +*** la O ^i Paltiar-. man
r,F*0 4 nniMgi-a-ta iaa-cid*inenle c-parai.
SSM poc mu lalere.ssuate d.xur- '
II Sr. rurvari l tu liuha aaagadu i hotdu rjia
- *-u arales u Juvil rguliiad de lautas
i-i uva do po*'* iar<0Mrudo apreso. Klava
era rigor car regado de U-oquen, qy. eW graado
aasaaro ihe tiavuu pjda ailereri4u
6 Sr Exm. cua*lheiro pYassdasjss e o Exm. ma-
rechal ro)inaad*ui-) da *na> denoiarara-M a
hurdu ale a uluna hura, havrado examinad., com
e-rnipulosa alleuc a ar.ininod.i,Isa e motran-
4o por palavras igniAcaliva o aobre praser de
que rstavam pouldu.
>4i; nienus. a 6 hora, larga o vapor. A
nultido dehrucada em tuda a rxh-aao do raes
anda aauda e BnSffn o 3 corpo, ruja musir
derrama harmonas sobre a tvlda do navio que por
milito lempo nao -r.Vi ouvidas entre no-
llegi-ira no esta feta popular rom um certo
devane-imeoin. O brios de IVruainburo reju-
Vene.rein l.J,.s os da
Don ronduia sa PjHaaai Volntanos do 3.* cor-
po t A b- oraos da patria o arompanliam t
Da amanhaa o nosso Santa habet a sua ultima
rcatansttagin nete c.rrenie anuo em um especia-
rulo variadiuno em beoencio do Sr. Francisco
l....ani.j Colas.
Compoto da parle dramtica e parte lyrico-ios-
iniiiieiii.il, um di ver lmenlo este que honra o li-
uo de selercao do dotlnrto coniraponti^ta, que na
regencia da orchetra do nosso theatro tem sido in-
cansavel ero encantar o nosso publico pelo presti-
gio da harmona da< peca, que nella sao tocadas;
e ja pela attenco pessoal de que elle credor, e
]a pela cu'm luna cao das paites de que se cumpde o
expectaculo, estamos que que terrino buje no Santa Isabel, convidando por
conseguute a concurrencia.
.Nao seguio para a corte a bordo do Oyapock
o corpo de guarda nacional destacada do Piauhy,
sob o comreaudo do Sr. teneote-rorooel Parilico da
Silva Castello Braoco, como hootera dissemo-lo, em
consequencia de carta recebida do Maranho que
islo nos coiniiiunicava. Esa (.rea que devera
vir no Oyapock, vira efleclivameiile no Tocantins,
pois (cava no Mai aub* seudo tal demora prove-
niente da vacoiu.u;o d'alguns soldados.
Consta por noticias do Aracaly, ha all um
deposito de suas nove rail saccas de algodu, con-
tinuando a entrada de tal genero em grande copia
todos os das. A causa da existeocia d'esle de-
posito assim crescido a falla de oavio para o
traDsporte.
No domiogo ultimo (10 do corrente) pela
larde chegou a esta cidade o ncleo do 3." corpo da
guarda nacional destinado ao servico da guerra, e
orgauisado na comarca de Garanhuos pelo Sr.
tenente-coronel Luiz Paulino de Hollauda Va-
lenga
Compe-se j de cerca de 40 pracas, as quaes
aquartelaram na fortaleza das Cinco Puntas, de-
vendo em pouco serem transferidos para o quarlel
da Suledade, que Ibes foi de ignado para caserna
diriiva.
Foi nmeado promotor publico da comarca
do Teixeira, na provincia da Parahyba, o Sr. Dr.
Joaquim Francisco de Arruda, pessoa de quem
t raos as melhores informaces.
Amaohila .-e extrahir a 7.1 parte da lotera,
em favor das familias dos voluntarios da patria
(41.), pelo plano de 40contos, sendo o maior pre-
mio 12:0004000.
Escrevem-nos de Garanhuns, em 4 do cor-
rente :
< No dia 26 do mez passado, ao chegar villa
de S. Bento o estafeta com a grata noticia de ja'
estar na capilal do imperio Sua Magestade o Impe-
rador, que all era esperado por urna populaco
inteira, a qual, agradecida, jamis se esquecera'
dos beneticios por elle feitos em prol do seu paz,
de que muito digno chefe ; grande euthusiasrao
apossou-se dos moradores desse lugar.
c Ura amigo descrevendo me os festejos que eo-
lio houveram, assim se exprime : Hontem, com
a chegada do correio que trouxe a prasenteira no-
ticia do regresso de Sua Magestade o Imperador e
dos principes, divisava-se a alegra era todos os
semblante?. A' noule, houve a mais bella illumi-
nango que se tem visto nos povoades ceoiraes. 0
juiz de direto, o tenente-coronel Luiz Paulino,
commandante do batalho que aqu se organisa, as
mais autoridades e todas as pessoas gradas desta
villa e suas immediacoes, percorrerara as rnas com
msica de pancadaria, enlosado vivas, que foram
enthusiaslicameote correspondidos, a' Sua Mages-
tade, a' familia imperial, ao exercito adiado, a'
S. Exc. o Sr. conselheiro presidente da provincia,
etc. Por tira, indo a msica tocar varias pegas
na porta do Dr. juiz de direto, este oftereceu-lhe
um copo d'agua, e a's onze horas da noute cada
um recolheu-se a' sua casa, cheio de prazer por
to fausia noticia. Dezeaas de duzias de foguetes,
oflerecidos exclusivamente pelo Dr. juiz de direits.
atroarara os ares em demoostraco do regosijo de
que se cima possuida a populaco desta localt-
dade pela volla do nosso virtuoso, sabio e idolatra-
do monarcha, que tanto tem captado a respetuosa
estima dos seus subdito. A raelhor ordem possi-
vel re i n mi em todo este festejo publico.
< Pde-se di desta provincia que melhor tero compreheodido
as oecessidades aciuaes do paiz. O seu eothusias-
mo cada vez mais se maoifesia e sobe de pomo.
Aioda ha pouco, consta que o capitao Antonio Ben-
to de Oliveira e dous sobnohos, os quaes alias sao
de opiaio poltica adversa a do tenente-coronel
Luiz Paulino, marchara com este, alm de outras
muilos cidados de familias distinctas daquella la-
calidade.
Eis o reverso da medalha :
Achavaro-se na casa de priso da povoaco da
Palmeira cinco recruias apurados pelo recrutador
deste termo, os nicos que este empregado pren-
dera desde a sua nomeaco e que tinha de enviar
para S. Bento, sob a guarda de alguns voluntarios
daquelle lugar (Palmeira.)
Guarneciam a casa de priso dez guardas na-
cionaes, e quando, na noite do dia 28 do passado,
oito delles dorroiam, velando nicamente dous que
estavam de sentinella, eis qne se apresenta um
grupo de vinte e tantos a trinta bomeos, ataca de
improviso a casa de pri-o, faz fogo nos pobres
que dormiara, arrumba a priso com machadadas,
tira os reorulas e retirase t
A guarda nao teve tempo de oppr resistencia,
por tioarem logo cahidos sete soldados, dos quaes
ires esto gravemente feridos, jnlgando se que nao
escaparo.
c Os autores de semelhaote attentado, digno da
mais severa punico pela alrocdade que noosira-
ram atirando at em horneas, 'que dormiara, sao.
uns pardos moradoras no qqarteira do Timb,


n
.
i O

Infarto de fernabaee ffer^a felra 19 de Deze'jibro nMl
ai ala'
deste dislrcto da vil!, unidos a oulros que aiaaa desembargadores Gihrana, Molla, Assis, Dona,
Di i se sabe bem qaem seUaft. Ucl,0a Cavalcanti. e Barros Vasconcelos, falun-
aOseuehefe, que all era inspector, apresen- d os Srs. desembargados SaiHiago, Guma pro-
tou se nesla villa na mesaia noiie do alteolado va- j curador da coro, Loureugo Sauliago, Alraeida
do pedir por uoi dos recrutas, como diza alte ; Albaquerqe e Domiuguos da Silva, i
mas o delegado de polica agarrou o e mais a ara sesso.
companhciro, que uo ouiro dia de niattbia aqu
chegou em procura do parele.
A polica, lito e, o delegado, ajudado pelo sao-
delegado da l'.lnnira e por urna torca que se nena
nesla villa sub o comnisn lo do capilo Borges Leal,
ja teem procedido a diversas diligencias leudo pa-
ra islo reunido perto de 200 horneas. Dos eoroe
os seos esforcos e os do juiz municipal supplenle,
o teaeole Antonio Bautista do Mello Peixolo, que
Imniem pariio para o lugar do conflicto, adra de
que nao fique impune Huta perversulade.
No da 2 do crrente aqui chegaram dessa ca- justiga
pital, duas imneos eueomuwudadas pelo missio-
nano Fre Egydo, para nitta capellinha que esta-
mos coustitHudo. l-oram recebidas eoin muito en-
ihosiaanM pelo povo, que a foi encontrar eoa gran-
de uuniero.
De urna carta do Sr. Dr. los Paulino da Ca*
mar extractamos o seguinte ireclio que AMfai al-
guns boatos espoliados, era que se Ihe empresta-
vam desgostos que O mesmo doutor nunca Uvera :
Principio por asseverar que soberanam-ntc
falsa o boato de que es mu menos satisfeito aqu ;
bou pelo contrario, nes maiores lormenlos da vida
rigorosa a quejuejimpoE, tenho da sempte resig-
nuci, e nunca in-us iabios profei iram urna Hgeira
pbrase. d qual se podesse concluir arrependime.n
lo do sacrificio qae teono fetto em defett da cara
mai patria.
i Uiga a......, a quem nao posso na presente
oeeasiao escrevee, que tenho resolvido nao aceitar
o lug:ir de auditor de guerra, tanto ojie teoho re-
cusado lugares que me ponara fra da fileira, a
qual me prenda um dever de boara, que nao sacri-
fico a' interesse algum
t Qsmeus superiores, co proprio geaerai em
chefe me tem sempre considerado, e me iratam
muito bem.i
Na eleico que o Hospital i'ortngnez proce-
den no dia O para a junta administrativa, que o
deve regrr no futuro anuo, sahicam eleitos os se-
guiles seniores :
llarcelioo Jos Gongalves da F.mt-, provedor;
Joio Jos Rodrigues Meodes, vice-pmvedor ; Je-
ronyino Joaquim Fiuza de Oliveira e Joo Francis-
co Paredes Porto, secretariosj Jos Femantes Li-
ma, esmoier Manoel Ferreira Piolo, Joaqun Fer-
reir dos Santos Coimbra. Jos Joaqui ra Alves,
Francisco Tavares da Silva, Manoel Pedro de Hel-
io, Joaquim Rodrigues Tavares de Mello, Anwaio
Goocalves Bellro, Francisco los AWes Guma-
r.ie>.' Livio de Sonsa e Silva, loo iimo do Almei-
da, Jos Antonio Feroandes Fradique, dan el Jos
de S ma, Flix Pereira di Silva, Joaquim Francis-
co da Silva Jnior, Augusta Cear de Axevedo
Guedes, Jos Peixolo da Fooseca, Guiiherme J >s
de Sou/.a e Antouio Gonealvee de Ate vedo, mordo-
mos.
A commssAo de eximo de conlas compSe-se dos
Srs. : J.iio Licio Marques, Miguel J js Alves e Lu/.
Jos da Costa Amorim.
Passados os feitos, deram-se os seguiotes
JULGAMBNTOS.
AppeliarJks crimes.
Appcllaote, o juizo ; appellado, Romo do Reg
Barros.A aovo jury.
Appellanle, Vicente Ferreira da Cunta ; appel-
peada, a justiga.Improcedente.
Appellanle, o juiz i appellaio, Jos Joaquim de
Jess..improcedente.
DILIGENCIA CRINE.
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
As appellacoes crimes.
Appellanle, o juio ; appellado, Soler**'.-es-
cravo.
Appellanle, o promotor ; appellado, Manoel Leo
da Fonseca.
PASSAGEXS.
Do Sr. desembargador Guirana ao Sr. desembar-
gador Ga*rra
A appellago civel.
Appetlaute, D. Jo/quina Pires Ferreira Carneiro
Mouieiro ; appellado, Symptironio Pacheco de Quei-
roga.
Ao Sr. desembargador Lourenco Santiago
A r.ppellago criine.
Appellaute.o promotor, appellado, Joo Jos Bar-
bd.-s.
A appellago cive.
Appellanle?, Francisco Casado da Foaseca -, ap-
ilada, a (atonda.
Uo Sr. desembargador Motta ao Sr. desembar-
gador Assis
As appellacoes civeis.
Appellaolo, Antonio Flix de Meuezes ; appella-
b, Manuel utra de Sou/.a.
Appellantes, os herdeiros de Francisco Joaquim
Ppreir de Carvalhu appeliada, a cmara muni-
pal.
Do Sr. desembargador Assis aoSr. desembarga-
be Doria
A appeUaco crime.
Appellanle, o juio ; appellado, Maaoel Miguel.
A appellago civel.
Appellanle, Ignacio Jlo da Silva
.Yptonio Pereira Lobo de Balo.
1*1 s CO r*j O
M i as s 2. >
'J. ^ -i 'S.
-! :? M JJ
B -i 1 a 3 o
'. . o H
: : : : : > o
: - - S =
. . - -?
Masculino. 1 o
r^ a ^f
c-- 1Z- - s
f ** o
Friiinino. 73 iS
ai CJ 1 w
C 14 -1 -- SJ
Masculino. V5 "3
it i SBh
_ - _
' rx -^
Feminino. i r. ss
- - - * ' s
. a.
Masculino. v> i
&! . w - CU \ JN
t$
Fe mi uno. i ^
- m i ^
- n
ifascuVfto. z rsru
U a - - ~ \ **
-5
Feminino. ' > 9-
* .
i a i* o
p
Masculino. i S5 *5
a l o
-- * - 1 i: \ " 3ro
* B

Femininn.
~J i
SS -a - J
TOTA..
~j -3
Chegando depois o jnii, dirirlo-je para o eng-
nho Aratuigil, e, mandando intimar o mandado,
recusaram-se dar-lhe curaurimelo as pessoas que
emito achavam-se em casa, allegando diam deliberar por nao eslar ahi o"fti oio d* S,
e assim entretiveram o juiz al a nie, regendo^
de permanecer all aflm de garanli-las, por quaoto,
liziam, estaram amea^ada de alpuma.violencia de
minha parte, e nao se julgavam seguras, apezar
da presenca, do delegado e sm forer.
A' Quite, ji por tarde, chegou o *r. Dr. chefe de
polica acompanhado de urna escolta de cavalla
ra, e, iessa mesma noile fui notificado para ir a
sua presi'iica to da seguiDte.
Todo isto teve lugar n i dia i do earreute : no
dia 5 apresentei-me no engenho Aratangil em obe
dienca a nrdem que me navia sido intimada, e
sendo muito bem tratado pelo Sr. Br. chefe de
policia, que me assegurou as sua* boas inleneoe>
e imparcialidade, assim como que a sui missao
era somonte para garantir a orden publica, a boa
admmisiracao da justiga, interrocon-me relativa
mente ao fado da reunio de gerAe por mim feita
sendo que causou-me especie o p"rguntHr.inj
U meu cunhaio o icsembargnder Alvaro tambem
tinhame mandado aijuma\grn(t armada I per-
gunia que, alias, se aao escreveu.
Fiado o interrogatorio, e despee iodome para re-
lirar-me, pergniHou-me ainda o Sr. Dr. chefe de
polica, se eu me retirava para a minha casa,
e dizendo-lhe eu que ia para o engenho Sania
Clara d nde me retirara no dia seguiote, pe
din me, que, antes-de ir para a casa, esse en
tender-me com elle, segui, pois, para o engenho
Santa Clara, e ness*. mesmo dia receln um cha-
mado do Sr. chefe de polica, a quem aprese.ntan
do-me, foi-me por elle proposto que eu retirasse o
mandado em queslo, em quanto se decida o ag-
gravo inierpost) para a relacSo ; que me assegu-
rava, qoe, se nao houvesse provimenK ser-me-
hiam entregue* os raeus bens sem dilculdaJe
algnma. (.E se eu o nao reiirasse ?....)
Apezar da opiniao de alguns de meus auiigos,
que ciitendiam dever ser aceila esta proposta, du-
videi annuir a ella, lembrando-me do timeo Daaos
H dena ferenles, e resolvime a ir a e*sa cdade
I consultar o meu adv-igado, parliudo efleciivamen-
| te nesse mesmo dia para a minha casa no eogedoo
i Quitiuditha, donde segui na dia seguate (0) a lo-
i mar o trem da estrada de ferro na estac.au da Llha,
appellado, ch-gaudo a essa cdade pela tarde.
Devo notar, que at a muha partida, o que me
S'. desembargador Santiago
/ A appeUaco crime.
Appellanle, Paulo Elias da Silva :
usiica.
Ao meto-dia enicrrou-se a sesso.
ADVERTENCIA.
Na i talidade dos doentes esistem 167, sendo 03
homens e ''< raulheres.
Foram visitadas as enfermaras estes dias:
As 6 l|i, 6 \\i (i l|-2, 0 1|-2,G l\l, 0 3|'i, pelo
Dr. (tamos.
A- 7 3ii, 8 l|i, 9 l|-2, 8 l|3, 9 1(4, 7 l|2, 8 3|4,
, 11 iir. Sarment.
Fallereram :
Manida Maa da Coocetcao ; luberculos pulmo
nares.
Feiippe Santiago e Silva ; tubrculos pulraoiians.
Luiz i ; anemia.
Pa-sagei os do vapor brasileiro Uyapock en-
tri los dos portos do norte :
Julio dos Santos Per.'ir:!, Antonio Bernardo do-
Navegantes, Amonio dos Santos Villar, Narcizo A.
V*j ira daCunha, Mariano de Mello, .Vy e Levy, D.
Sabuel.
Si :'ii 'n pnra o sol.
Dr. Aurellano Candido ':'.:- Bastos, madama
Josephina Personeere, Mamedia Barnizo de Cal-tas,
Jos Francisco Pere.ra, Abraban Scholl, Caettoo
Jos i!- Souza, Antonio Card"Z'o Barata, Amonio
Amazonas a'Almeida, Antonio Pimenta de Maga
- .. v escravos, Henrique J s da Silveira, Iodo
de Lin Hara Rnsa.Joo Ferreira de W<os, Ma-
noel Jantfario de Olveira, Josepll Vleln, I offlcial
568 prajas do txercilo e 10 escravos para entre-
gar.
Passageiros do vapor brasilelro Oyapock, sa-
bidos para os portos do sui :
VVilliam Manden, Mariano Lopes Rodrigues, A-
maro Seraphtra da Costa. Vasquale Begrl, Domeni-
co Spolidoro, Rafarelle Gorgoro, Tilo Lamalhia, II.
Halegoa, B-njamim Alves de Carvalho, Anacleto
Ju.- de Mallo-, Guilhern o Ba|rtisla dos Santos,
Paulo Africano tvro, Luiz Cirios d'Azevedo, AnM-
nio Eli=bao dos Sanios Maia, Dr. Jos Alfredo de
Olveira, Jos Ferreira dos Sanios Das, Miguel F.
Dias dos Sanl-s, Luiz Pereira da Cunha, o guarda
policial Leandro Pendra da Costa, Dr. Antonio C.
da Rocha, Silvino Vieira, 1 criado, e 1 escravo de
Manoel Joaquim Ramos Silva e Genios, D Candi
da Rosa do Espirito SanK Sergio Gomes Ferreira.
Dr. Augusto d'Araujo Santos e I criado, Antonio
Ahvs Caminal, b irtiarel Jos Gomes Ferreira e 2
esciavo*, bacharel Maxmiano Febronio Esmera-
do, Brai Marone, Mana Souza do Espirito Sanio,
Jos Pedro de Paiva Haracho e I escravo, Venan-
cio d'Otiveira Ayres, Dr. Luiz Caetano Muniz Bar-
rel i. Dr. Frederlco M. de Araojo e I escravo, Ar-
senio Simdes A. e I escravo, Anlonio da Silva llo-
clla, AnloDio Elias d'Aguur, Antonio Agripioo
de Gusmao, Carneiro Mooteiro.
Rbpart(ao da polica.
Eira .to dai partes dos das 10 e i l d dezembro
de 18.1.).
Foram recolhidos a' casa de Jetengo no dia 9
do correte:
A' ordern do Illm. Sr Dr. chefe de oolkria, Jos
Paulino de Moura e Silva para rer.ruh.
A' ordem do subdelegado do It-cife, Maria Go-
mes da Silva e PatMCle. escravo d* Jo- Aatonio
Piul', por bnga e Zefermo, escravo de Antonio Jo-
s Goncalves de Azevedo, para corree^ao.
- 10 -
A' ordem do Dr. del-gado da capital, Antoaio
.11 IV UO tU'SF2.
8 DE DEZBMBRU de 1863.
PRESIDENCIA DO SU. DII. MAKOEL JOS DA SIL A A
NEIVaS.
Promotor publico o Sr. Dr. Francisco de Car
taino Soares Brao lio.
Bserivio Joaquim Francisco
Cirneme.
Feua achami as 10 horas da mnnha compare-
cern 8 jurados e o Sr. juit de direilo hmoloo
sessJo addiaodo-a para o da segninte pelas 10 ho-
ras da maim em que tem de resi onde1- o reo
Tniago Alves Ribeiro acensada por crime de homi-
cidio.
9 -
I'IIBSIDENCIA DO Sil. DR. MaSOEL JOS BA SILVA
NEIVA.
Promotor publico o -r. Dr. Francisco de Carva-
lho Soares Brandan
Escnvfio Joaquim Francisco de Paula Estaves
Clemente.
lio Tniago Alves Rtberre.
Feita a chamada as 10 brasa da inanha, achil-
se preseules :t Srs. jurados, pelo que o Sr. Dr.
juiz de direilo muitou os ^rs. jurados qu-' faltaram
e levanlou a sesso ad liando-a para o da il pelas
lela, foi, que elle apossou se doescrivo do feto
que servia perante o juiz, para continuar a fazer
appeliada, a loterrogalorios, e bem assim dos autos da execu-
:5A0para os examinare indicar, talvez a maaeira
I porque se devia administrar a justica ; e que,
alm de c> oservar a torca reunida pelo delegado
de Jpojuca, achava-se acampada as proximidades
do engenho oulra, reuuida pelo delegado e pelo
Juiz municipal do termo de Sermhaem.
Proeurei imiuedataraente entender-me com o
meu advogado, e elleapprovnu o meu proedimen-
to em recusar a proposta oflerecida pelo ?r. Dr
chefe do polica, nao s porque a decislo do ag-
de Paula Eeteves gravo poderia prolellar-se al as ferias qu* prin-
cipiam no da 20 do correle, e ento .- era feve-
rero teria ella lugar,sendo que, ainda assim,
novos embarazos poderlam suscitar se, seoao por-
que, c >nviiiha com essa recusa levar o Sr. chefe
de polica a pateniear bem a sua Wtervenclo era
nina queslo puramnle judicial, na qual tanto in-
teresse pareca lomar : e, aconselhando me mais
que insistfsse pelo curapnmento do mandado, re-
qu-rendo iMvamenle ao juiz nesse sentido.
Nessa intemja voltei no dia 7 no trem da ma-
nbaa, e quando cheguei, ja se tioha retirado o Juiz
para a sua casa, e o Sr. Dr. chefe d; polica para
essa cdade, deixando, segundo me luformaram,
urna forja para obstar a que se commettesse algu-
ma violencia coiura o Sr. Jo3o de Sa.
Do que se passou em minha auzencia apenas
consta-me, guecontinuarmis interrogatorios em
larga escalla, pareceodo que se proceda a urna
da- antigs janeirmkas ; que foram ameacados
10 bollas da manhila designando u mesmo reo para com preeessos o meu procurador, os oflMses de
serjuigado. 1 jostica e al o dono de engeabo Sann ("lara em
II qoe esiive hospedado, e Analmente, que o Sr. che-
i'ikside.ncia j su. Du. manoel jos da silva i fri de polica apresenlou ao juiz ivii requerimento
NEIVAS. i do Herniado, para ser despachado, pn-lendendo
Promotor publico o Sr. Dr. Francisco de Carva- djetar-lhe o despacho, ao qne se recusara o digno
dio Soares Braudo. i juiz ; omiito purm era loda esla exposioo mni-
ErOnvao Joaquim Francisco de Paula Esleves ja< circumstaneas ;aigumas porque procuro in-
formar rae com toda aexaclido, e oulras por nao
serem aqui bem cabidas, re;ervando-me pan re-
feri-las em nutra occasio.
Vou, pois, proseguir na execocin da Btnteaea
que obtive em meu favor, e insislire nisso, al
que justica re seja feita, ou que a administrado
Cine ote,
ito Tniago Alves RilMiro.
Adv.igado o Dr. Autouiu Joaquim Ayres do Nas-
ci melo.
I-Viia achantada as 10 horas da raaohaa achara-
se presentes 38 Sr.-. jurados.
Foram multados em mais 05 cada um dos Sr-\ a embargue clara e patentemente.
jurados ja multados nos anteriores das de sesso ; Ab>teuho-tne de adduzir ao fado quaesquer re-
proc ieu->e osoiiio do eoaselbo de Muteoca ao n x-s; entrego-oa apreciaeaa do publico, a quem
qual foi deferido o respectivo jurndolo, foi o reo hei de inteirar do que fr occorrendo, coraoja' pro-
tuiei rogado e lido o proeesso da formaco da culpa mell.
pioi-eu^e na accusaoiio e defez-t, e lidos os Seiinhaem, 8 de dezembro de I85.
debales depois da replica e ireplica feito o resumo Gaspar Curalcanti de Albuquerque Uchoa.
f escripias as quesles de laclo que foram eutre- m IM u .,
gues ao residente interino do jury de senienca Lendo homem no jornal denominado F/nfe Cmci
co o proeesso, u.|ual recolhendo-se este com os ,;,, Mar(0 lK, 7 d correote enlre 0^ faetos diversos
demais membros a sala secreta pelas J 1|2 horas sob a epgrapbe Hesislencta aordens legaes, urna
ua tarde donde voluram as i i\i com suas res- lll)|B.u SQSCI1U rto ,,,. 0Ccorrera engenho Ara-
po-ias .|ue foram udas em alta voz pelo presidente tan n ,,, dr i|)nj.jna, na qual o lllustre re-
do jury de sentenca, em vista de cuja decisaoo dactor daquelle jornal sem dovida por mal infor-
Sr. Dr. juiz de dirnto condeiuua oreo 14 anuos mado f-z ao Illm. Sr. Dr. chefe de polica urna
de pri-i-i simples.
Levaiitou^e a sessio, addiando-a para o dia se
gol ale pelas 10 horas da manhaa, em que tem de
ser juigado o reo Jo> Anaslacio de Albuquer-
que aecusado por crime de leutaliva de homicidio
_ -i.' *
OMMSIGifS.
Hucsio de Arataugil.
II i mais de nove annos trago um pleito judicial
com o Sr. Joo-de Sa e Aibdqaerque, e em t las
as pb.ses d'elle, qoaesquer que fossem a- contra-
riedades porqoe passasse, nunca jalguei conve-
niente recorrer a impreusa ; nao s porque espe-
rava aflnal obter jaslica dos tribunaes, a quera In
combe admiui-tra-la comoporque entenda serem
os autos o nico lugar a inde devia fazer val r o
ai' u direito. Boje, porm, que esse pleito esta
sendo levado para o (5ro administrativo, cuja com-
peleucia jdescooheco na materia e conira aquil
nao sei a que reeurra, vejme obrigado a sabir do
meu proposito, e dar publicidade aoqne lem occor-
rldoe f >r occorrendo, ao meaos para que se fique
aabendo a nova le em que vivemos,
seguiole.
grave cnsura, por haver inlervindo ni queslo
movida eni-e u.s Srs. tenentes-coroneis Joo de S
e Albuqutrque, e Gaspar Cavalcanti de Albuqoer-
qne Uchoa, enten li que c mo advogado do Sr.
Juo de Sa' nesla cidade, me corra a obrigagao de
resiabelecer averdade d i fa-to argido, e alguma
cousa dizer 'i d'f-z.i do digno Sr. en -fe de poli-
ca, cuja mtervencao na especie de que se traa
foi por ni i ni com Instancia requ rlda,
Sinto profundamente ter de contestar o mostra-
do mdactor do jornal a que respondo, mas justo, e
Imparcial como eu o julgo, e realmente o nao
levara' pirc-Tt i a mal que c:i reponha em resu-
mo a verdade do qu- lem occorrido, o para que
mullas palavras possam ser devidamente aprecia-
(I is cumpre-me antes declarar o sgointe, e que
nao tenho a honra de partilhara privanza do dig-
no Sr. chefe de polica, a quem era de vista co
ni ; i : que para mim particularmente, gracas a
Deus, era urna precisSo tenho de S. S., e que mes-
mo tenho camarariameote censurado um ou nutro
aclo jen, que tem chegado ao mea conhecinv-nto,
e que m i tem parecida meaos regular ou menos
josto. Agora pasarei ao caso.
Teodo-se agitado entre os ditos tsoeote-;-coro'ieis
O caso o J*o de Sa e Gaspar Cavalcanti, o prlmeiro como
eessionario dos credores da finada D. Cecilia Ca-
da materia dos embarcos oppostos, e de ser elle Impigens, tinha, cscrophulas, ,
incompetente para us julgar; I 'i sua penca tilde- T..,,,...,^ |rnr escorbuto, *l
tonda, e aggravando foi ihe denegado o aggravo, ulllun*. altel^'^T .Im.
do que tirou cana tesiemuuhavel, que creio ja' tai*] Gaticws, sarna tma sa aehar no tribunal na relajo. Todas estas affectes provem (U urna cau-
Prosegmndo no seu proposito, uivez por ser es- sa interna ; nao ha pois razao alguma em
tranho a estas materias, o juiz deprecado se prepa- J( d rar Com remedios
rou para fazer o Sr. Joo de Sa'despejar s.'m mais *',' 4"" i se pouciu .Q ..,
demora o eegeoho Arantagil, ondomora cora sua externos. Tambem se prescre\e o xarope
faimia, ond*^ eslava mnenio a safra creada, lem alchoo'ico de veame para o tratamenio das
ootra creaado se, quando leve o Sr. Joio de Sa' aeccocs do syslema nervoso e fibroso, taes
scieocia do q ae se medita va ; ento procurou a ia- rnm(..
lerveoco da polica para o livrar de violencia U- .
manha, taaudua e eminenteraent escaud.lo-a : e Guita, rheumatismo, paralysia,
feiizmentvomo era de esperar, foi su 1 suppiica Dores, impotencia, esterilidade,
benignamente acoinida pelo Sr. Dr. ehefe de pulida, Mirasmo, hypocoDdria, cmmagrecimento.
que indo a Arat mgil, e chegmdo mda a lempo 0 alCBOliCO de veame sobre
evtur seinelhante escndalo preseuciou e por si '^ ..... ___-# '
uiesmo.vrik:ou a axaetuiau de quanto ihe i.avia ludo, da maior ulilidade pata curar raai-
sido relatado, isto o despejo in cominean, que se clmente, e em punco tempo o rbeuma-
procurava realisar, de om -predio rustico por una tmo
sente-c... que apena, haviajuijaio nutta urna es- A(I;.erle.se r|lIC 0 V(;rdadeiro xardo eso se I
cnptura de cemposicuo : ficto estupendo e talvez vl v. .', :,i,. i
sem exempio nos aoaes db foro 111 vende nesta cdade na botica acuna ndita-
Na verdade se obtida una sentenca era acc.ao de da, ilo abaixo asS'gnado ; 0 em Olltl'a qual-
reiviudicaco de um ureio urbano, uo pode a uer parle que se lem annuncia lo nao da
^ZnT^^w^^^^ rma sa ne,n abaixo assigna'
inquilino, queoccupa.o forga que inienle a aficao do SC responsabllisa.
e^pecial de despejo, como/poderia ser esta preter- i Jos lia [tocha Paranhos.
da tratando-se de um preflio rustico, cujo despeja m
se processa pela via ordinaria? Onde jamis se vio
um iulividuo ser expelido de um engenho, em
que inora deixandossus jissucares, safras, animaes,
etc.?
E' portaulo inquestio avel, que o mandado di
despejo na especie verte ite era urna ordem Ilegal,
urna revoltaote arbitrar idtde. una incjpaliflcav
violencia ; uina semelh inte violencia provocava a
resistencia; e a resistei lia poderia Itazer funeslis-
simas conse piencias. Jrabarajar e obstar, que se
deeui facUs taes, de qu podera resultar males mu
serios, de que se poden origiuar crimes gravsi-
mos, por semduvida 1 mais sublime raissao di
pobcia, como mu ben coroprehendeu o Sr. Dr.
sueco dos fructos da jurubeba, que o mais em-
pregado, nos propozemos e conseoimos preparar
com elle nao s um extracto alcumico que pode ser
applicado era pilulas, mas tambera um yinho, iim
xarope, e nm emplastro que pele substituir, ero
cerlos caso?, o de Vigo ; e estamos persuadidos que
com isio prestamos um servlco huraanidade e
b teraputica.
Pisn, tratando da hydropesja, prescreve a de-
coeso das raizas da jurubrba, e Mrat e Deleus,
era seu Diccionario de materia mdica e therapeu-
tica, dizem me as An'lhas se faz uso do sueco
dos fructos maduros dessa planta contra o catar-
rho vesical; e a aotoridade do comes esses m-
dicos, merecidamente celebres, nos leva a crer era
suas palavras, e por i.>to cuidaremos de ler era
nosso eslabelecimeuto essas raizes,para que possam
ser experimentadas.
A repulacao da jurubeba tal, e os resultados
therapeulicjs obiidos ultimameiiie sao lo impor
tantee, que nos parece intil d.zer mais do que
islo, que (ica escripto.
Deposito: pharmacia de
* Joaquim de Almeida Pinto.
Do Sr. desembargador Barros Vasconcellos ao eonstoo relativamente aos actos do Sr.chefe de po-
Sob a depominagao ,icNoces do syslema em
trico decimal acaba de a nitidez na lypographi* Uuivenal urna pequea.
broehuia de i paginas, que um primor de pa-
eieoeta de seu autor a um recurso manual de ca-
da instaute para as uossas casas de comiiiereio e
aulas ptimanas da provincia. Sob o Ululo, pois,
que acuna se l publica o Sr. Jos Antonio Gomes
Jnior, once importantes laboas comparativas das;
acliiaes medidas de pesq. de capacidade e estengao
com as do syslema uielrico fraucez, j mandado
adoptar pelo goveruo em lo 10 o imperio, de tal
>orle calculadas, que o guarda livros, o caxeiro,
ou anda o empregado >ie qualquer seccao da fa-
I'iudahyba, pois e melh r prevenir o crime do que Ztf(1(Jaj Dj0 l|1. |1|ais ,kl ^ prcurar na respetii-
Castiga-lo ou punido. .va laboa o caso que se Ihe ollerece, e por na upe-
Continu pois o Sr. D '
igual "
eeasa
Iiones,= ,,uc ,u.u uo..v- u v--~ ale S ultimas tracci
S pillara1 ellas doode part- das oemt.|haults ,a|,1)as je expcacGo uidi-pen-a-
veis para os que se nao acliain iniciados 110 sysle-
JURUBEBA.
A jurubeba urna das substancias medicamen
tosas, ao reino vegetal, e perience clas-e
dos Inicos e desobstruanles, sendo em prega
aa com va'otagem contra as febres inlerinilenies
aeompaobadae de eugorgiuuceniode ligadu e baco.
Ella tem sido applicada com nconteslavel proveitc
contra a anemia ou chloruse, e hydropesia, calar
rho da bexiga e mesmo para combater a menstrua-
cao dilli.-il, resultante da mesma anemia ou chic
rose.
Extrato alcoolico de jurubeba.
Emplastro idem.
Oieo idem.
Tintura idem de dem.
Xarope dem.
Vmho dem de d-m.
Plalas de ext. idem.
Dep< >ilo. pharinacia de Pinto, ra larga do
^arlu n. 10.
rem ; nao receie, que uor actos t;\o justo e rego:
lares fique manchada pu uodoada a sua loga al
agora impolluta ; e acredite que se na sttu*co em
que as cousas se acharara S. S. livesse ra i-trado
menos actividade e energa, 6 que sua toga loria
certamente licado raai^hada e poiluta.
R:cife. 10 de dezenjliro de 186$.
Dr.A. i. de Maraes e Silva.
Termioou-se emlimj a pariilha dos beus de Ma-
noel Bernardo da Coi I Era um espolio nao pa-
ma decimal, e. de. vanados exemplos de reduce.f,
de medida a medida, e do valor em res, para
Era j lempo de ser adoptado enlre, nos o sys-
tema mtrico, luje uniformemente acceito por to-
dos os paizes da Europa e da America, bltava-nos
apeuas quem o locna&se faciuio na pralica, para
os individuos meuos versados em oneragoes ari-
Ihemeticas.
O Sr. (jomes Jnior, que ja havia dotado a nos-
sa praga com as suas auuotaiovs aos priucipaes
queno, que era Oiinla exista po indiviso de~de artigos do coligo commercial lirasileiro e com as
1836. Nao haviam f.|rcas que. o fuessem liquidar. suas ae escnpluracao mercantil por partidas do
Os iutere-salos expei!imeulavam o mo impulso de bradas, que lile vateram as mais ii.-ungeiras apre-
uraa torca occuita, e a f,.zeuda provincial solria ciafPes dos iribuuaes e oraeus compeleales, vera
as conseqaeocias...L Desappareciam processos, agora acudir a esta necessidade popular, presun-
inutilisavarn-se ouiro.-.; e o uilimo, j gozando dos do assim um verdadeiro servico a todo o Brasil,
foros de nacabavel, toi hbilmente concluido pelo com as suas lo-Coiuraodas e lo claras laboa,-
novo juiz municipal dtaquella cdade, o Dr. Eluar- comparativas, que bao de sem duvida adiar lugar
I do A. Piolo de Oiiveiiia, cujo Uno, dignidade e in- em todos Os esendorios, era todas as bancas e era
' dependencia muito o jiisiiuguiram. todas as casas de negocio, como um pequeo e
Reina Itoje entre osjinieressados a mais comple uiilissimo poraptuano de operages.
I la salisface: cada uip esta na posse do qae seu, Jjo dnvidamos portantu que, dentro em pouco,
e a f.i/.einia passa a aqrecadar o sello de beranca, se veja o Sr. Gomes Jnior, obrigado a tentar urna
ijue se ihe retarden a fjuasi iriula anuos. segunda edicao das suaj excelltules uogoes du
C m-ta que o juiz nUiuicipal se condut all pela syslema mtrico,
melhor forma, e que amm ido des mentores sent- (Da fevtsta Diaria, sob n. 191 d) Diario de
COMMB&U,
mantos de jostic, vi enrgicamente acabando
cora os abusos que tlageliavam as parles.
Deus o conserve pa,ra traaquillidade daquella
pequea parte da proviucia.
l'envimbiico de 2o de agosto de l8o.)
Pago da cmara municipal do Uecife, 9 de se-
leuibro de 18o.
lilm. Sr.A cmara municipal desta cidade re-
ceben com agrado o officio 'fe V. S. datado de 6
do crreme, acoropanbado de um exemplar da
obra que fez publicar denominadaNocoes do sys-
lema mcirico decimal cujo exemplar muito agra-
dece a V. S. Deus guarde a V. S.Illm. Sr. Jos
Antonio Gomes Juoior.Luiz Jos Pereira Simdes
Senhores redactores da Revista Diaria.-Existe pro presidente -Francisco Canulo da Boaviagem
no becco do Abreu urna prostituta por alcunha secretario.-
am irelttnha, que o alvo de (odas as obscenidad! s. Itio de.Janeiro, O de selembro de 186o.
Eoleiideu ltimamente que devia apoupar todas as Illm. Sr. Jos Antonio Gomes Jnior.Acensan-
tardes um pobre hornero, que assenda os lampeSes do recebida a carta de V. S. do 1 do corrate,
de gaz do referido becco, proferndo palavras taes muilu Ihe agradece a ollera que se digna fazer-rae
que as familias que 110 becco e seus conlornos mo- de um ex-mplar da obra que fez publicarNogiVs
rara v in-se obligadas a reliraremse das suas va- do syslema mtrico decimal. Reitero os protestos
randas. de estima e eonsideracSn c 'in qu son. De V. S.
Pedimos ao mu digoo subdelegado as proficuas amigo venerador. J. T. Nabuco de Aranjo.
providencias que cvisiuma empiegar em casos taes, Rio. Sr. Acensando a recepcao do offlelo de
Soto banco de Pernaiu-
!eo.
O Novo Banco descoma letras a 12 por cento
ao anno, toma dinheiro a praso fixo ou era cotila
Brrente pelo premio e condicoes que se couven-
cionar. e saca sobre a pi ac da Baha
Caixa ilial lo hmiro fio Brasil cm
r*erna 111 buco.
A caixa descoma as letras de seu aceite pela
laixa de 9 0|0 ao uaoo.
Oguarda-livros
Ignacio Xunes Correia.
Caixa fllial do banco do Ilrassl
era Pernambuco.
Tendo-se desencamiuhado da massa fallida de
Guilherme, Carvalho t C. o recibo de lo acedes
da- locahsadas nesta caixa, sob ns. 2787 a 2801,
pertencentes a Guilherme Frederico d> Souza Car-
valho, socio daquella firma, a directora faz publi-
co a quem interessar possa, que por parte de Jus-
luo Jos de Souza Campos adrainlsirador da re-
ferida massa, se vai proceder a iransferencia de
dilas arges para a Sra. I). Henriquea da Silva,
actual possuidora das mesmas, visto as ler em has-
ta publica comprado, como tudo provam com do-
cumentos que lie.im archivados nesla caixa.
Caixa filial do banco do Brasil 30 de novembro
de 1863.
O goarda-livros,
Ignacio Nones Correia.
a.FaNDEGa.
I'endimento do dia i a 9......
Idera do da 11...............
186:466*339
47:W(i-5ol
233:96258o9
do que ilie lieara' suuimamente agraJecido.
r.
V. S. que. acoinpaiibou mu PXemplar das No-
Qoes do syslema mtrico decimal por V. 8. or-
gaui.-aiio, e ao (pial se dignou clfererer a este tri-
bunal, cabe me agradecer em, mue do tribunal a
sua ulferla, e dizer-lhe que o mesmo tribunal de
opiniao que seu irabalho facilita a todos a com-
ue lem de
iillcico dan juizes e raais devo-
tos que Cera de festejar o Glo-
rioso S. Sebastin na villa do prehensao do syslema mtrico francez
Cabo no anuo >!* 1806.
Juiz por eb.'ig.io.
0 Illm. Sr. capilao Itmbellno de Paula Souza LeSo.
Juiza por rleigao.
A Exraa. Sra. do Dr. Luiz Fetippd de Souza Lefio.
Juiz por devogao.
O III Souza Leo.
Juza por devocao.
A Bxma. Sra. do Dr. Antouio Luiz Cavalcanti de
Albuquerque.
Escrlvo por eleico.
O lilm. Sr. Ignacio Ferreira Coimbra.
E-crivaa por eleico.
A Exma. Sra. D. Rufina,esposa do Sr. Manoel Jos
Sanl'Anna e Araujo.
Bscrivao por devogao.
O Illm. Sr. Domingos Jos P-reir da Costa.
Bscrivaa por ddvoQao.
A Exina. Sra. do Sr. Francisco Rufino do liego
Brrelo.
Tbesonreiro.
O Sr. teaenle Jos Eloy de Paiva.
Procuradores.
Os Srs. :
Jos Jeouino Ferreira.
Alauoel Marques dos Santos.
Antonio J s Mirlins Lima,
llartholouieu Caetano Gomes,
Mordemos e. mirdoiiiis, todos
concorrerera cora suas esniolis.
O vigaro,
Jos Lui Pereira de Queroz
MOVIMENTi) DA ALFAUEGA.
Volumes entrados com fazendas----- 313
c com gneros..... 416
------- 757
'feudo obtido-na relacSo sentenga annullandoa tharina do Monte Sinay, e o segundo como eessio-
hypolheck e arrendamento do engenho Aratang narje do? herdeiros desta, orna importante quesiSo
com escrpvos, bolada, todos os uleosis, e mais urna acerca da nnllijade da escriptura de composicao
safra principiada a comer, e outra creada, por ser pela mesma ce'ebrada com seus credores, na qual
, 11 de uetilium valor e Insubsistente a divida 1 -e estipulara, que estes ficariam na posse e gozo
que deu lugar a esse arrendamento, visto ser ella do engenho Aratangil, suas perleocas, escravos,
proveniente de urna flanea prestada por orna mu- animaes, etc. por espaco de doze anuos, ou pelo
llu-r contra o disposto da Ord. doLiv. 4 Tit. 61, | to>po que mlster fosse para se elles pagarem da
fiz extrahir sentenca, e requer ao juiz da 1' vara somma de i8:C0J, em que a mesma D. Cecilia
municipal (que o da exeeugao) precatoria para se acliava condemnada, evitando se dest'arte os m-
ser execulada no termo de Ipojnca, aonle se achio commolos e d.spezas de urna exeeugao ; haverido
situados os beus, e aondo mora a parte vencida, o aquella escriptnra sido julgada valida e subisten-
Sr. Joo de sa. te em pnmeira instancia ; e tendo o superior tri-
Ezpedida a precatoria, requer ao juiz dep-eca- bunal da relago proferido dou* accordaos recu-
d), que fossem assignados os dez das da le ao saudu toin.r couhecmenio da appellagao interpos-
execuWdo para a entrega dos bens cima ditos, la, o que importa a ua confirraago, foi por (im
pedindo elle vista que Ihe foi dada para embargos ] reformada a sentenga da pnmeira instancia, e
de nulli lade provada do ventre dos autos e de re- igualmente os dou~ mencionados accordaos, julgan-
leogo de he.iifelonas. i do-se simulada e nutta aquella escriptura de com-
Apresentados os embargos tratou-se smenle de I potigo, e sendo eondemnado o lente coronel
nullidades ja allegadas e desprezada* na causa j Joo de Sa' nos prejuizos, perdas e damnos, qne
principal, e uem de leve se tocou em bemfeiionas- se liqiiidarem, uo obstante ter assignado a__me-ma
Pajlilhas veroifujas de Kerap.
Cbamaraos a atieoco de todas as mais para o
remedio mais agradavel o til que se conhece para
fazer expeUir as lorabrigas: as paslilhas verm-
fugas de Kernp. Em vez de todos esses inmundos
ser adiniilido no paiz ; que traz vantageUS ao com-
mercio, e til ao publico em geral, nao s por
quepoupa a uns o Ir.ballio, e a utros fa ilila as
operagdes com as (..boas de comparacio que nelie
se eiiconlra.M, e cojos clculos eslao ex dos.
Deus guarde a V. S. Secretaria do tribunal do
comroercio de Pernambuco, 14 de setembro de
1863.lilm. Sr. Jos Antonio Gomes Jnior. G
secretario, Jos Marcellioo da Rosa.
Illm. Sr. Jos Antonio Gomes Junic-r.-Recebi o
exemplar da obraocSes do syslema mtrico
decimalque V. S. teve a boodade de offererme.
, Agradeco a ofierta de V. S. cuj 1 Iraialho lorna-se
; apreciavel h de grande utlidade, j.i p -la exactido
dos clculos, e j pelas lab lias comparativa-, que
puupain eiifadouhas oqeragoes, a que leamos da
recorrer 110 uso de nossas iransaccoes qnotidianas.
Sou com estima. Ue V. S. muito alenlo venere-
dor. -T. Je Abracar Aranpe. Sua casa lo de se-
lembro de 1865.
0 e n.-ellio dos professores da Escola Normal
abaixo assignados examinando com escrpulo as
Nogocs do syslema mtrico decimal publicadas
por Jos Antonio Gomes Jnior, e por elle su je Has
ao juuo desta escola ;e de opiniao que este bre-
ve uahaliio, desiiiiado a auxiliar as uperacBes do
cotnmercie e os clculos as repariig5js d faz-n
das, satisfaz as necessidades e preeucheas lacunas
que al aqu se dayam nos Halados i- opsculos
devotos que sobre a mateca, escripto.- antes para os m
iniciados us setnela, do que para a classe labo-
riosa do conimercio, que desejameios pralicos
de fazer os seus clculos com a maior brevidade.
Cun eleiio o trabalho do Sr. J is Antonio Go-
mes Jnior, que o conseibo lem em mos econo-
misa o lampo que cada individuo gastara de ou-
iro modo a reduzir os amigos peso, e medidas ao
cyslema que a lei adoplou ; pois iue por una
simples operacao de aritbroeUca se acha a coover-
sao desojada em kilogramroos, li ros e metros.
E' por tanto o onselho de pan-cer que aquelle
e prifOsos remedios vermfugos, compostos de trabalho que o sapplicante offerece, de sua
toda a casia de minoraos, aprsentenos um deli-
cioso coofeito vegetal promplo e infallivel na sua
operacao, nao causando nauseas nem encommodos
de qualidade alguma, produzmdo sempre o seu ef-
felo d'uma maneira suave e completa, nao care-
cendo depois a assisieocia de qualquer nutro pur
gante : til como um excelleolu raeo de fazer re-
posig-o, de grande ulilidade pralica para lodos
aquellos individuos que sao obngados a calcular
pelas novas medidas de exlensao, capacidade e
peso, e sob este poulo de vista adroissivel as es-
colas elementares da proviucia. Sala das confe-
rencias da Escola Normal de Pernambuco, 2 de
oulubro de I8G0. Francisco Rochael P. R. de
mover as obstruccoes do ventre, mesrao no caso Medeiros. Maxmiano Lopes Machado. Jorge
de nao exist rem vermes alguns, e finalmente tor Doroeilas Pessoa. Miguel Archanjo Mmdello.
nam se ellas dignas por lodos os respeitos da con- |um_ gr A euraraissao da praca do coraraer-
finga e appmvagao de lodos os pas de familia, os cio d,.su tuUto, lera a honra de acensar recebido
quaes acharao estas paslilhas eleganieraente acn-1 0 0nj,.10 de y_ gxc_ rte -i ,jrt agoMo passado, que
diclonadas dentro de frasqujnhos de crystal, e 1 acoiiipauliou um exemplar da obra Nogoes do
venda oas bottras de Caors & Barbosa, e de Joao SVsiema mtrica decimal com que V. Exc. se
escriptura como testerauoha Jos Maria do Vascon-
cellos ourboo, e achar-se a procuragao de D. Ce-
cilia, dada para a celebracao dessa escriptura, as-
da C. Bravo & C.
Jos da Costa, para reeruiz.
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, Am-
brosio, escravo de Cosme das Trevas Teixcira, a
requerimenlo deste.
A' ordem do da Boa Vista, Rodrigo, escravo do
desembargador Alexandre Bernardino dos Res e
Silva, p^ra averiguagSe< sobre crime de roubo.
A' ordem do dos Afogados, Luiz de Franca da
Silva e Joao Lopes de Olveira, para eorrecgao.
O chefe da 2* seecao,
J. G. de Metquita.
Foram reeebnlos era auto aparta to, sera suspen.
sao, do que interpoz o executado aggravo de ins-
trumento ; e. como taes aggravos nao suspendem
a exeeugao, requer langamento dos dez das e signada por Amonio Pereira Guimares, a rogo de
mandado para rae serem entregues os bens. D. Cecilia, e por Bernardino Jos Arantes, como
E' preciso n dar que, desde que oblive sentenga leslerauuha, todos tres herdeiros de D. Cecilia, res-
linal em meu favor, espalhava-se qae eu jamis laudo apenas dous que nao lomarara parte nesse
timara posse do raeus bens, que agora que a negocio.
guesjio ia principiar ; que alada os actos do Sr.: Exirahida a sentenga e posto o cumprase pelo
Joaii de S desfrutariam o engenho Aratangil : o juiz muacioal da vara desia cidade, deprecou
que, todava, me causava pouco abalo, por quaoto este ao juiz municipal supplenle do termo de Ipo-
no podia acreditar que alguem houvesse lo po- juca a qxeengao da seoteuga naquillo que por ven-
deroso entre o< que llzesso parar o curso e ac- tura la tiouvesse a execular-se ; c tendo-se all in-
ATTENQO.
gao da justica. Entretanto, ch nheciroeulo, na ve-pera da intimaco do mandado, eugenho A-alangil, o que nao havia sido decretado
que, em aJguus lugares de Ipojuca, se reuna geote nos accordaos ti* relago. pedio o Sr. Joo de Sa
armada para o flu de obstar o cumpnraenio do vista para embargos de nuilidade patente dosau-
raesrao masdadj, Hz tambera reunir alguraas pes- toSieexeesso de execueao : dahi comegaram as
soas c rae d distante do Aratangil, com inteogo de por essas I Concedida depois de algumas difDculdades a
pessoas a dlsposlco do juiz, se isso fosse neeessa vista pedida, e apresenlados os embargos, o juiz
rio, aliin de que elle livesse forga para fazer-se deprecado arrogando-se o direilo de aprecia-los,
obedecer. Eolio, alguns amigos raeus que all 'mandou que corressem em aulo apartado, seguro
coneurreram, c.nvencerara-rae deque era ioeon- o jallo, sem altnder a nalureza dos mesmos era-
Xarope alchoolico de veame, preparado
pelo pharmaceulico Jos da Rocha Paranhos,
estahelecid com botica na rita Direita n.
88 em Pernambuco.
Esle xarope incontestavelmenle superior
a todos os xaropes depurativos, de cuja
composicao o seu maior ele ento a salsa
[i iiTilha, pois que se lem conhecido ser o
veame mais enrgico para a prompta cura
diunou obsequiar a dila conimissao. Ella, pois,
ramio agradece a V. Exc. este obsequio, e liga a
to bom irabalho o merec.imenlo e estima devido
Deus guarde a V. Exc. Maranhao, i i de oulubro
de I800. Illm. e Exm. Sr. Jos Antonio Gomes
JniorAntonio Joaquim de Lima, Io secretario.
Os poucos exemplares que re.-iau de dila obra
NogiVs do syslema mtrico decimal veodetn se
a 1000, ua ra do Imperador, livrarias, Ijniver-
sal, Acadmica e Kraoceza, e ao arco de Santo
Antonio livraria Ecunomica.
CiiOMC-V JUMll.Kll
Tltini'MiAI >.%. RBL.%910
SESSO DE 9 DE DEZEMDKO DE 1866.
PI1ESIDE.NCIA DO EXM. SR. C0NSELIIEIR0
SOL'ZA.
s 10 lleras da maulia, presentes os senbores acompaaharam.
veniente a reunido dessa gente que rae acompa
nbava, tanto mais quanto poda isso mesmo servir
do pretexto ao meu adversario para burlar a dili-
gencia a que se ia proceder, e iutervir o delegado
que j tinha por seu luroo reunido forja e tomado
carainho de Arataogil.
Aceiaodoo conselho desses amigo', flz logodis-
persarera-se e retiraren! se as pessoas que me
bargos, que esta vam fora da sua competencia, e
sera reflectir qae nao poda havef penhora, era
no proeesso se fazia mencao de quaolia ajgutna
eura que se devesse segurar o juizo, decisao, da
qual o Sr. Joo de S interpoz aggravo de lai-tru-
mento, que actualmente pende do supe"ior tribu-
nal da relago.
Era sejfuirnenlo requereu o Sr. Joao de Sa' ao
juiz deprecado, que sustasse na exeeugao em vista
A jurubeba.
As virtudes therapeuticas da jurubeba sao desde
muito conhecidas nao s no Brasil, pois qne dellas
; Iratou Pisn em sua excelleote obra Historia na-
das molestias, cuja base essencial depende ,malis et mfdka ,naiw ocnntaiu. senio as
da purilicacao do sangue ; assim pois se | Aatilhas, onde o sueco das folhas e fructos como
tem verificado por muitas pessoas que se >QUi, muito estimado e applicado contra as obs-
achavam desenianadas, as quaes acham-se "^ "Mominaes, principalmente do ligado e
boje restahelecidascom o referido xarope #2?J^iST SUSSK
alchuohco de veame ; entretanto que al- nao rocoohenw eiies essas virtudes, mas sim a
gllDS, tendo usado do xarope de Curinier, nio serem encontradas com facilidade e em todas
de Larrey, de salsa parrilha, de saponaria, ,s erta^es do ano0 os frocl05 dessa pianu, e a re-
oteo de ligado de baca.ho. e outros agentes *f~*B+2!^~J~^-
desta ordem nada conseguiram. E7 elle de ser extremamente amargo,
fcil digesto, agradavel ao paladar eaool- kjmmbmfm nio-^anasnhaciii dos botanistas
phato Alguns mdicos desta cidade e da ^laQ,a ''-erU?ce ,famil,a das soianeas, e toa
*. ,, .. 1 a denoramacao de solanum pamcu atum. oue Ihe
de Maeeio o teem recommendado para a cu- & dada ^ Lyneo_ F ~- q
ra das -1 Parccendo-nos conveoiente facilitar o uso do
Volumes sabidos cem fazpndas..... 7S
cora gneros..... 9'i8
-------1,026
Descarregam hnje iSdedezembro
Vapor inglez.4nn:on mercadorias.
Barca ioglezaJsaftff/acarvao de pedra.
Barca inglesaDol/htecarVao de pedra.
I". una inglesa Mischt/ef earvSo de pedra.
Barca ingieza.lime Soqanidem.
Brigue InhlezParadem.
Patacho aii-tnacoEsperanza diversos generes
de estiva.
Patacho inglezMary Cc//=bacalho.
Barca raglezaRona/rfcarvo de pedra.
Patacho poi tngoezGeorgense^eriS.
Barra ingiezaCorsacarvao de pedra.
Brigoe iqgtezMarybaralbao.
Ifarca nacionalIdatiaa charque.
Brigne portugnezImproviso -dem.
Patacho portnguezFurtoidem.
Patacho orientalSanto Agostinho idem.
EiuporlarQ-
Palacho nacional VaUnie, entrado do_ Rio de Ji-
aeiro, consignado a Marques Barros &C, manites-
tou o segrate:
300 saceos [arelo, G0 latas e li rolos fumo. 99
caixas velas, 10,137 arrobas charque. 71 coaros
de refugo seceos, 31 jacaz loocinho, 50 volumes
cabo de liubo ; a ordem de diversos.
Barca gleza Marcellos, entrada de Cardiff, con-
sigb id 1J. Pal r & C, maniestoii o seguiote:
Vi'i toneladas carvao de pedra ; a ordem.
Barca portuguesa Despique II, entrada do Rii
de Janeiro, consigna la \ Ferreira & Looreiro, raa-
uifeslou o seguiote :
2i caixas machinas de descarocar algodo, 9i
volumes barricas vasias, 2' barnquin|has ditas,
30 pipas ditas.
Gneros nacionaes.
100 brnc.s casias, 100 ditas vastas Com quai-
1 o.- de ditas abatidos, 100 .-accos fahniia de m in-
di a, 100 j 1 azes lou.iinlio, 9o0 saceos caf, 6 bar-
ricas iliio ; a ordem de diversos.
Vapor nacional Oyapock, eatrado dos portos d)
norte, manifcstou o seguiote :
Do Maranhao.
1 pacole reJes de lio de algodo ; a Joaqun;
Franco de Sa.
I-.' cdTos com 30 arrolas de camarOes ; a ordem.
7 jacasts fumo de corda ; a llosa & Irrailo.
Do Para.
10 caixas ferros de engoramar, o dilas descaro-
cadores de algodo, i dilas tabaco picado america-
no, (> volumes chapeos do Onie, 30 rolos salsa, e
2 machinas para descarocar algodo -. a ordem.
Ilrigue inglez Para, entrado deAI'oa, consignado
a Tiioin Buskinyuung & Itoberts, manifestou o se-
guinte :
4oO toneladas de carvao ; aos mesmos.
Polaca nacional Marinlic, entrada do Rio de Ja-
ueiro, consignado a Amorim Irraos, manifeslou o
segrate:
100 frasqueiras genebra, 1,500 barricas vasias,
100 pipas vasias, 2 caixoes chapeos, 5 dilos
papel piulado, 10 dilos drogas, 1 caixo rap, 313
rolos fumo, 30 pipas vuagre, 50 saceos caf ; a
ordem do diversuS.
Vapor nacional Mamangnape, enlrado dos portos
do norte, manifest o segrale :
Do Acarac.
300 meios Je sola -, a Joao Jos de Carvalho llo-
raos.
93 ditos ditos ; a Antouio Alves de Moraes.
2 tnicas sebo, I sacca algodo, 11 meios de
sola ; a Joau Ferreira do Santos.
801 meios da sola ; 51 saccas algodo ; a Jos
de S Leilo Jnior.
Do Aracaty.
110 saceos algodo, 417 arrobas e 23 libras ; a
Luiz Antonio Siqueira.
6 saccas 25 arrobas e 14 libras de algodo ; a
Cosme Jos dos Sanios Callado.
64 ditas dito, 252 arrobos e 5 libras de algodo;
a Joo da Cosa Magaihes.
79 ditas, 205 arrobas e 23 libras de algodo ;. a-
Jos de Sa Leilo Jnior.
112 saccas algodo ; a Braga & C.
LFANDEGA DE PERNAMBUCO.
PAUTA DOS PBBC0S DOS GNEROS SUJE1TOS A D1RB1T0S
DB EXPOBTACAO.SBMANA DB 11 A 16 DO UU DE
DE DEZKMUHO DS 1865.
Mercadorias. Unidades. Valores.
Abanos......... cento 15
Agurdente de cana .... caada 800
dem resillada ou do reino 800
dem caxaca....... 380
dem genebra...... 800
dem alcool ou espirito de agua- 900
ardente.......

ii r-^M\ #r-i


Diario de Pernambaco Terca tef&ta 19 fe Dezembro ,~ tnais
Algodao em carolo __. arroba
dem em rama ou em lia <
Arroz rom casca..... <
dem descascado ou pilado t
Assucar maseavado ....
dem branco.......
dem refinado.....t.
A7.i'He de amendoim ou mendo-
bim........ caada
dem de coco......
dom de mamona.....
Batatas alimenticias .... arroba
Bolacha ordinaria, propria para
embarque........
dem lina ........
Caf bom .......
dem cscolha ou restolho.
dem torrado...... libra
Caibros........ um
Cal.......... arroba
dem branca ....
Carne secca (xarque) ...
Carneiros ....... um
Carvao vegetal ..... arroba
Cavernas de sicupira urna
Cera de carnauba em bruto. libra
jihmi idem em velas ...
Cha .........
Charutos ....... cont
Cevados (porcos)..... um
Ceos (seceos)...... cento
Colla........ libra
Ce m ros de boi, salgados t.
dem idem seceos espichados >
dem idem verdes .....
dem idem cabra cortidos um
dem idem de onca ....
Doces seceos ...... libra
dem em gela ou massa >
dem em calda .....
Estaadores grandes um
dem pequeos......
Esleirs para forro de estivas
ilo navio....... cento
Estopa nacional .. arroba
Farinha de de mandioca
dem de aramia .... arroba
Feijao de qualquer qudlidade
Fiechaes ....... um
Fumo em tolha, bom arroba
dem ordinario ou restolho
dem em rolo bom......
!.!. iii ordinario ou restolho.
Callinhas ....... urna
Gomma........ arroba
Ipecacuanha (raz).....
Lenha em achas..... cento
Toros.........
Lmlias e csteios...... um
Mel ou inelaco...... caada
Jlilho......... arroba
Papagaios ....... uin
Pao Brasil ....... quintal
dem ile jangada...... um
Podras de amolar .... una
dem de lilirar ..... t
dem de rebolo .....
Piassava j....... molho
Ppntas, ou chifres de vaccasou
novilhos....... cento
Pranchdes de amarello de dous
costados ....... um
i! ::i de loill'O......
Ka,")......... libra
Sabao ..........
Sa!........... alqueire
155000
15500
25600
25*00
35900
35900
25000
15600
15000
15200
35000
75000
05000
65000
440
360
280
580
35200
4,5000
15000
35000
300
300
15500
2^600
135000
45000.
600 1
153!
340
oo;
3501
10.3000 i
15000
320
300
45000
25000
155000 I
1,3000
Carret, Francisco Rufino Correa de Mello, Flavio
Ferreira Cato,major Gistavo Josdo*R go, tenan-
te Vicente de Paula Oliverra Vitas-Boas, Dr. Apri-
gio Justioiano da Silva Guloiares, ien-nte-coronel;
Feliciano Joaquim dos Santos, Joaquim Claudio
Monteiro, lente Joaquim Jorge de Mello, Dr. J >a-
qnim de Oliveira e Souza, tenenle Symphronio |
lympio de Qu.'iroga, Thoniaz de. Carvalho Soares |
Brandan, tenenle coronel Antonio Carlos de Pinito'
Brges, capilo Antonio Jo- da Costa e Silva,'
Francisco Antonio da Silva Cavalcanli, Joaquim
Conga I ves Ferreira, Jeronymo Jos Ferreira, Ma-
noel Antoni) Teixeira de Alhuquerqne, Manoel
Francisco Honorato, Antoaio Carneiro da Cunta,
Francisco mentes Marlins, Dr. Luiz de Carvalho
Paes de Andrade, coinmendador Antonio Jas de
Ca>tro, inajor Manoel Jos da Silva Guimaraes, Pe-
dro Alexandrlno de Barros Cavalcanli, major Luil
da Cosa Porlp-Carreiro, lente Luiz Jos a Silva
Guimaraes, Dr. Eduardo de Barros Falcao de La-
cerda, capitao Joo Athanasio Boielho, Dr. Nabor
Carneiro Bezerra Cavalcanli. Suplientes Dr.
Caetano Xavier Pereira de Brilo, Dr. Manoel Joa-
qnim Silvnira. Leopoldo Feneira Marlins Hibeiro,
Manoel Theodoro Rodrigues Pinlo, Antonio da Silva
Ferreira Jnior, Amonio da Silva Guimaraes, Dr.
-Antonio Ferreira Marlins Riheiro, Antonio Carlos
Consulado de Portugal em
Periaamfouco.
Sao chamados os senhores credores, dos finados |
subditos porluguezes Gaspar Pereira da Silva, e
Custodio Luiz Gomes, a virera receber, o que Ins
tucou em raleio na liquidaco de seus yspolios.
Recite, 7 de de/embro de 18.
Consulado provincial.
Pela mesa do consulado provincial se faz publico
que os 30 das uteis marcados para cobranza a
bocea do cofre do i" semestre do anno tlnanceiro <
de 1865 a 1866 do imposto da decima urbana das |
freguezias desta cidade e dos Afoga.los, e da parle
da da Boa-Vista e do Pogo da Panella, que en ar-
recadada pela colleeioria de, Ollnda, se princlpiam
a contar do dia Io .de dezembro vindouro.
Mesa do consulado provincial de Pernambuco,
30 de novembro de 1865.
Antonio Carneiro Machado Rios,
Administrador. ___
u administrador Ja recebedoria de rendas
internas gerae-, avisa aos contrihuinies dos nipos-
Ios segulotes, do ejercicio de 1864 1865 : reo-
da dos proprios nscionaes, foros de terrenos na-
cionaes, decima addicional de mao mora, imposto
.le Lemos Duarte, Augusto Claudio Monte.ro Ca- j de > V<* cento sobre lojas, dito especial sobre ca- ^H
... .. n _,. -__ cae Ht miivtiie mima u eitilo latineados em uaZ --^tt/
la 1, Antonia Eliso Antones Ferreira, Antonio Can
dido dos Guimaraes e Silva, Andr Alves Rios,
Bento Francisco da Cunha, Antonio da Silva Aze-
vedo, Dr. Jos dos Santos Xunes de Oliveira, Ma-
nuel Luiz da Veiga, Carlos Augusto Lins de ^ouza,
Eipidio de Araujo Ferreira Jacobina, Eduard > Flr-
mino da Silva, Jos Antonio Pinto de Medelros,
Ttiomaz Times. Tertuliano Sclpiao da Fonceea, Pe-
dro de Alcntara e Silva, Francisco Joaquim lla-
mos e Silva, Francisco Jos da Silva Guirnariie-,
Francisco Alfonso Ferreira, Dr. Joao Gongalves da
sas de movis, roupa, calcado fabricados em paiz
estrangeiro, de confeitaria e perfumara, e laxa
de escravos, que no crreme mez de dezem-
bro, que se linda o prazo da cobranza no do-
micilio dos contrlbuiites, e que os que os nao
pagarem no referido mez, serio coagidos a faze lo
executivamenle.
COMPANfll BUSILEIBA
IDE
PAQUETES A VAPORo
E' esperado dos portos do sul,
at o dia 14 do corrente, o vapor
'aran, commandaute o capilo
de fragata Antonio Joaquim de
Santa Barbara, o qual depois da
demora do cosiume seguir' para os portos do
sul.
Desdej reeebem se passageiros e engaja-se a
carga (pie o vapor poder ponduzir, a qual dever
ser embarcada no dia d sua chegada, encom-
mendas e dinheiro a frete late o dia da sabida as
2 horas : agencia ra da Cruz n. 1, escriplorio de
Antouio Luiz de Oliveira A|zevedo & C.
COMPANHIA PERNAMBUCTA"
DE.
Navcgaciio cstci|'a por vapor. '
Aracaj e escalas.
Segu no da 14 as 5 horas da
tarde o vapor Parahi/ba, com-
mandanta Marlins. Recebe carga
at o da 13. Eocommendas, pas-
sageiros dinheiro a frete at 2
le do dia da sanida : escriptorio no
Forte do Matts n. 1.
Rio de
Janeiro.
salsa parnllia.
alqueire 15800'
45000'
25800
55000
113000
8 30; III
83'I'O
5!III0
600
2*560
2550' )0
25000
115000
65000
3-20
15520
35000
55000
55O00
800!
400!
15000
120 i
35500'
205000
105000
15000
120
400
253000
55O00
7*000
25000
1't03i)00
875000
35000;
23000,
650 '0:
200
105000
85000!
030001
500
gar narecebedona, livre da mnUa de 3 por cento,
o 1." semestre do ejercicio de 1865 1866 da de-
cima de mao murta, do imposto de 20 por cento, e
Silva Monlarravos, Fraucisco Antonio de Menezes, do imposto espeeiaL m<. M ,. Homhrf, a.
Joao de Deus Quilella, Jos Clemente Pereira dos Recebedor.a de Pernambuco, o de dezembro de
Santos, tenenle-coronel Jos Thoraaz de Aguiar, 1B,J',
Joao Tiburcio da Silva Guimaraes, Jn> Maria Ge- _____
rabie-, Joo Antonio dos Rris, Luiz Mellanio Fran- No dalo, 16 e 17 do correle mez de
co, Luiz Jos Anlunes. Manoel omingues da Silva dezembro, pelas 4 horas da tarde, se arremalarao
Jnior, Manoel Jos de Lemos Barros, capitao Ma-: de renda as mattas da propriedade Apipuc.is por
Pretende seguir com Biuila brevidade o briguo
Dacional .lmW'i.-para o resto da carga e passagei-;
Oulrp sim, qae no snpradilo mez deverau vir pa- ros qUe |ne fa|U tr,(a.Se jcora os seos consgnala-!
rios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, ra i
da Cruz n. 1.
Tem bons commodosl
cravos.
LOTERA
De grandes premios e c\< cliente
plait).
Aos 12.0050O, 3:00^5000, 900^000
e SOIMOOO.
Corre auianba.
BILHETES A' 10,)000, MEIOS A' 5)5000
E QUINTOS A 2)000.
Acharn-se venda na thesuuraria ra
do Crespo n. i', os billietes da 7a parte
da lotera das familias dos voluntarios da
patria, cuja extracto ser quarta-feira 13
de dezembro corrente e pelo cxcellente
plano abaixo publicado.
Os premios de 1-2:0005000 at 20#000
serao pa^os urna bora depois da extracto
___ at as i horas da tarde, e os outros depois
inais lotes aratade .1 os compradores da distrit)lli(;3das ,islas.
Os bilheles encommendados s sero
conservados at a vespera da extraegao.
O ihesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
PLANO
Para as exraccoes
DE
Leillo
Do um eseravo moco e sa-iio.
IIOoiE
Por intervencao do agente Pinto, do armazem
da ra da Gadea n. 8, on le haver leilo de mo-
vis.
De 20 barricas com Ipisia e 100 cai-
xas com sabao.
Quarta-feira 13 do dezembro.
Por inierveucao do agente Pinto e por conta e
risco de quem pertencer no armazem do Sr. Au-
nes em frente a alfandega.
Le Ido
De cerca de 800 caix-s com sab;*u> in-
Vz branco e amarello em um ou
para passageiros e es-
Manoel Carneiro de Souza Lcenla.
Para a Ilia
Do Rio de, Janeiro
guez Fernando,
de S. Miguel.
esperado
o qua! lera' nesla
de se i
o patacho porlu-
pouca demora.
arroija
urna
duzia
i
arroba
quintal
urna
cento

caada
Sebo em rama
dem em velas ....
s.!:i em vaqueta. .
rab as dr amarello. .
< diversas ....
Tai locas.......
Taiajuba......
Ti. ves .......
- de boi ....
Vassouras de de piassava
Ditas de timb ....
Ditas ,!< carnauba .
.:<.......
Alfandega de Pernamuco, 9 de dezembro de
1863.
..- ignados):
O I. confidente, Antonio Carlos do Pinho Bor-
0 %.' conferente, Jote Mana C?sar do Amoral, i
Approvo. Altandftga de Pernambuco 0 de de-1
ro de 186S..1. Eulalio. i
i ; mu. O 4 e.-cnpturario, Joao A. Cera-
noltlA DK RENDAS INTERNAS OB-.
KAES Dli PKltNAMUL'CO. !
Reii! meuto do dia I a 9....... 5:9S15l6o
. i do dia 11................ l:f?l
7:6i'3i:il
CONSOLA "O PROVINCIAL.
. ato Jodia 1 a 9........ il>i!)l3-)!19
Jo dia 11............... W:ttW89
5't.22l3V1:i
noel de Mello e Alhuqueniue, Hanel Coelbo da
Silva. E para constar maodei fazero presente edi-
tal, afflxa-lo nos lugares mais pblicos desta fre-
iiezia, publica-lo pela imprensa, noltlicar os Srs.
elmtori s e sapplentes para comparecerem no dia
designada Eu Francisco de Barros Correii es-
criv.ioque osubscrevi. Freguezia da Boa-Vista,
II de dezembro de 1865.Deciod'Aqoioo Fonceea.
O Dr. Tristao de Ahincar Aranpe, oflcial da im-
perial ordem da Bo>a, juiz de direito especial do
commercio desta citado do Rectfe de Pernam-
buco e seu termo por Sua Hagestade Imperial e
Constitucional o Senhor D. Pedro II que Deus
guarde etc.
Fago saber pelo presente edital, que Antonio Hen-
riqnes Rodrigue-, me fez o requerim60lo do Ihepr
seguinle:
Illm. Sr. Dr. juiz do commercio.Diz Antonio
Ilenriques Rodrigues, que Ihe devedor Jos Go-
mes Ua Cuoha, daquantia do 9635'tOO, sendo esla
divida proveniente de urna letra qne se acha ven-
cid i, e querendo o snpplicante interromper a pres-
cripcao nos termos do art. 453 !} 3o do cdigo com-
mercial, reqner a V. S. que se digne mandar tomar
por termo o sen protesto, arn de |Oe em ipialquer
lempo possa haver a importancia de sua referida
letra, sendo o mesmo protesto intimado o suoplica-
do por (-arta editai, visto achar-se em lugar incerto
e nao sabido.
Pede a V. S. asslm Ihe delira e admita a justifi-
car a ausencia, e espera receber merc. Antonio
Heoriqnes Rodrigues.
E n-'ta petieao qne me foi apresentada dei o
despacito seguinle:
Justifique a ausencia do supplicaJo no da 3 d)
corrente mez. depois da audiencia. Recife II de
novembro de 18 i5.Alencar Aranpe.
lempo de um anno, a contar do Io de Janeiro de
1866, cuja arrematado lera lugar em casa do
respectivo admini>lrador. Condoeoes e mais riis-
poslcoes relativas ao arrendamenio que por eilen-
Qas deixamse de publicar serao franqueadas aos
inleressados que para e^se dm se podero dirigir
a casa do mesmo administrador em Apipucos.
Os licitantes Japresentarao snas proposias em
carta fechada, vindo a^ompanhados de seus dado-
res, que devem ser pessoas idneas, alim de assia-
na'rem o lermo de arremalaeTio quaudo ella se
realise.
A arrematacao ser as 4 horas da tarde nos dias
cima indicados.
Apipucos, 1 de dezembro de 1865.
O administrador.
Joo Francisco do Reg Maia
No dia 12~do corrente mez de dezembro, e
depois da audiencia do Illm. Sr. Dr. juiz de orphos,
vai a prac.a por venda a casa e sitio da Boa-Viagem
annnnriad.-t para o dia 5 do corrente, avahada por
2:0003, e tem de ser posta em praga cooj o ahati-
da lei; cuja propriedade pertence ao casal do falle-
cido Diniz Antonio Ferreira Marques, e v,ii a praga
para pagamento da credora D. Huiubthna Candida
Nunes de Mello.

No da 12 do crreme, depns da audiencia
do Sr. juiz di paz de Santo Antonio, tem de ir em
praga os bens movis que oram penhorados a Joo
Ferreira de Carvalno, por execugo de Pareule
Vianna & <;.
(UHEiO (EAL
Pela adminislrago do correio desta cidade. se
faz publico que em virtude da convengao posul
lebrada pelos Rovernos brasileiroe Trancez, serao
Segaindo o que forca do qual foia feita a dbtrihuico ao escrivo te mez pelo vapor inglez Jouro. .
deste juizo Manoel de Carvalhu Paes de An Irad*, o As carlas sero recebidas at as 2 horas antes
qu ti dando cumprimento an dito despacho lavroa -a ,|Ue for marcada para a sanida do vapor, e os
o lermo de protesto do ih-or segoiote : jornaes at tres horas ant.
Protesto aos 3 de novembro de 186o, nesta cidade Admiolstraco do orreio de Pernambuco 8 de
lo Recife em mea carlorio peraule as testeinunhas jMemr je 1865.
olttriidofl
Antonio Augusto Ferreira Lima.
Anlouio Jos de Castro.
Belarmino de Barros Correia.
David Ferreira Hallar.
I). Emilia das Neves & Souza.
Fel'X Sauvage & C.
Francisro Ignacio Pinto.
aeereTda ausencia d supplicado, los Go-1 Joao Baplista Casauova.
Joo de Freitas Guimtraes (\ ictoria).
Jos Rodrigues de Souza.
Lourengo Julio de Almeida.
Dr. Helchlades Pereira da Silva.
Manoel Mendes da Cruz Guimaraes.
Dr. Sabino Olegario Lu.tgero de Piuho.
Satvro Raymundo dos Saulos.
flMENT PC PUMO
Naot entrados no dia lo.
i -M dias, brigoe Inglet Vory, de 237
loa id i-, cipii i G. Deoris, eqniBagaoi 12, car-'
11 harneas com bacalho ; a Jobostm Pa-
I 'i A '-
33 i i-, sumaca he-panh la Sehisltan, de
II ;. i .,i..., i .-. i ni:Vi Luiz Calais, equipagera
\i carga vinlio ; a Ta-so & Irmao.
j metro30 das, brign iagta Gkanrr, de
1 i meladas, capilo James Lnke, equipagem
ID, m lastro ; a Sowih^l Mellors A.- C.
S un i iv /1 na mam a.
; o h Pratt-hrigo' brasileiro knnauo, capitao
Metes Farrea, e>r-a assucar.
Obserrarao
DlJp aliil do lamiro'p^ra Bahia a barca in-
.m... capilo W. Smilh, com a iMHU
man de Beira Nava.
,i i Ma.' ni gal -ra msleza SateiU, capi
i ->iii. com o mesmo lasiroque irouie do Rio
de J.i
Naettt i-ntrados no da II.
I i-irn 30 das, Wm*e hanovenano Sara
i, .le 2H: teseladas, capilo li Bu-k.iil,
i$ ,n 9, em lasir i; a Tliniuz J^ff.-ries & C.
Ha i ni i pelo Ass 27 das do primeiro porto e
gando, liiat-' hrasiieiro Garittaldt, de 109
i.,ii. i Ti-, ..tioi.ii) Oaamin laa Vianna, eqmpa-
f .o id, carga algolao e outro gneros; a Tasso
A Irma". ,. ,
Aacio saludo no nwsnto dial
Par -t du sulvapor hrasiieiro Oyapock, com-
tii.n laute o capilo lente Castroe CosU.
inra assignndas compareceu o suppiicante por seu
procurador o solicitador Ignacio Alves Ferreira da
Silva L .pe-, e por elle fci dito que reduza a termo
indi o conteddo di pelico retro, que lica sendo
pane do presente, que depois de lido assigoou com
as indicada- testemunbas.
Eu Manuel Sllvluu de Dttrroc Fjloao c^crovente
juramentado o e>crevi.
Bu Manoel de Carvalho raes de Andrale eseri-
vo o suliscrevi.Ignacio Alves Ferreira da Silva
Upes.Antonio Alves da Fonseca Jnior.Joo
Vicente de. Torr-s Bauleira.
S-guindo o que se continln em dito termo de
protesto, depois do qual proluzindo o snpplicante
soas testemunbas, que deposerarn conveniente-
mente
mes da Cunha, o respectivo escrivo fazendo sellar
e preparar os autos, me os fez conclusos, e nos
quaes dei e profer a seulenga do theor se-
gmnte:
llei por justificada a ausencia, assim mando, que
o supplicado seja Citado por edilos de 30 dias para
o ti n requerido, pagas as rustas es-causa. Recife
16 de novmbro de 1865.Tristo de Alencar Ara-
npe.
Seguindo qti", se cnnlinha em dita minha sen ten-
ga em observancia di qual o respectivo escrivo fez
passar o presente editai com o praso de 30 dias,
pe i qual e seu iheor chamo, cito e hei por citado
ao dlio ausente los Gomes da Cunha, para que
dentro do referido praso compareca ante e.-te juizo
por si ou por seu procurador, allegando e privan-
do o que for a bein de seu direito e justiga sob
pena de revelia.
Porianto, toda e qualquer pessoa, parante, amigo
ou coahecido do referido ausente, poder-lhe-ha faz:r
sciente de lodo expendido.
E para que chagua ao conheciment de todos,
mandei fazer o presente editai que sera afflxado
nos lugares do costume e publicado pela im-
prenca.
Dado e passado nesta cidada do Reeife de Per-
namhuco, aos 23 de novembro de 186").
En. Manoel de Carvalno Paes de Andrade, es-
crivo o subscrevi.
Iristao de Alencar Aranpe.
O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
mai

por ter meiade de se|i carregamento promplo :
para o resto que Ihe falta trata-se com os seus con
signatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C,
no seu escriptorio, ra da Cruz n. 1.
COMi'ANHIA PERNAMBOCANA
H
.\aves5-ca1 cosleira por vapor.
Para Fernando.
Segu no dia li do correle, s
9 horas, da inanhaa, o vapor na-
cional Mawanguape, commandan-
te II ('.-.
Recebe carga, encommendas,
passageiros e dinheiro ja fretea at o da 13 s 5
horas da tarde.
Escriptorio no Forte do Mallos n. I.
Companhin Hcniamlnicaua
iivega^o cositeira por vapor.
pina
Parahiba, Natal, Maco, Aracaty e Cear
segu no uia 13 do enrente s 5 horas da tarde
o vapor nacional Persim\ivja, commandanle Bel-
miro.
Recebe carga at o dia-12. Encommendas. pas-
sageiros e dinheiro a frete, al as 3 Inras da tarde
do dia da sabida.
Escriptorio no Forte do Mallos n. 1.__________
Conipaailiia las jensageries im-
prtales.
At o dia li
P* do corrente mez
espera-se da Eu-
ropa o vapor
francez Estrema-
dure, o qual de-
pois da demora
do costume se-
guir para Bahia
piro.
Pera eondicc5*s, fretea e passagens irata-se na
agencia ra ds Trapiche1 n. 9.
Para d Porto.
Deve sahir com brevidlade o bngue porluguez
Esperanca por ter a
ment ja' tratado
r parte de seu carrega-
para resto u passageiros tra-
& C, na ma da Madre
de Dos n. 3, oueem o capitao a bordo
IlUa de B-Miguel
O patacho porluguez fORGENCE, segne com
minia brevidade por ter aimaior parte do seu car-
regamento promplo, para o resto Ja carga e pas-
sageiros trata-se 1:0111 o consignatario Joo do lle-
go Lima, ra do Apello n. i._________
Para o Rio de Janeiro
Segu a barca brasileira Boassica; recebe
carga e escravos a frete : a tratar no escriptorio
d'A'iionm Irmos, ra da Cruz n. 3, cu com o
capitao Fraqcisco Luiz de Souza Jnior, na praga
do Commercio. ____
mi
E 1TBO
DE
Pi
K\
Ate ao lim desta semana seguir ao indicado
porto em direitura o veleiro hiate Lindo Paquete,
capitao Francisco Flix Nogueira, cousignatario
; Antonio de Almeida Gomes.
Quarta-fetra 13 de dezembro.
O agente Pinto levai a leilo por conta e risco
de quem pertenc-r, cerca de 800 caitas com sa-
bao inglez (o qual tem lido mulla aceitago nesla
praga pela sua boi qualldade) as II horas do da
cima dito no armazem do Sr. Annes em frente a
alfandega.__________________
DelOcaixas com latas le liiscoutos
siulidos em leles a vuulade dos com-
pradores.
Quarta-feira 13 de dezembro no armazem
do Sr. Annes em frente da alfandega.
Southall Mellor& C. faro leilo por inteivenco
do agente Piulo, e por C"iila e risco de quem per-
lencer de 19 caixas com latas de biscoutos sorlidos
em lotes a vontade dos compradores, as 11 horas
do dia cima dito jio armazem do Sr. Annes em
frente da alfandega.
iHM
De urna mobilia de Jacaranda a Luiz XV, 1 dita de
amarello, guarda roupa. guarda vestido, mesa
elstica, santuarios, bercos, cadeiras, toucadores,
relogios de ouro e cadeas d--. dito, a-parelhus de
jantar ealmngo, candiuiros a gaz ele, etc.
Cordciro iioc*
far leilo por cunta e risco de quera pertencer dos
objectos cima mencionados, islo
Quarta-feira 13 as II horas
no armazem a ra da Cruz n. 67.
iu
DE
El
Pjra ser applcado qua-ido conveniencias
especiaes venda dos bilbetes o
aconselharem.
Approvado pelo E\m. Sr. presi 'cnlc.
Leil
lao
De btalas e ceblas.
Quarta-feira 13 do corrente.
O agente Pestaa fjra leilo por conta e risco
de quem pertencer de caixas cora batatas e dias
com ceblas e sero vendidas em um ou mais lotes
a vonude dos compradores: quarla'feira 13 1
corrente pelas 10 horas da manht no
do Sr. Azevedo defronte da escadiuln
dega.
40U0 bilheles a 104000.. 10:0005000
Beneficio, sello e commiss 0 -2'tfi.. 9:0005000
Li uido...... 30:'t005OOO
1 Premio de 12:0001000
I Dito de. ....... 3:0004000
1 Dito de... 9003000
1 Dito de.. 5003000
1 Dito de.. 2OO301IO
8 Ditos de OO 8005000
23 Ditos de O000 9205000
49 Di los de 203000 9805000
923 Ditos de 125000 11:1005000
----- ____ 30:4005000
1010 Premios.
2990 Brancos.
De 2 cestas cm camaritas.
Quarta-feira 13 do corrente.
O agente Pestaa ftr leilo por conta e risco
e de quem pertencer de 24 cestos co camaroes
os quaes sero vendidos etu lotes a vontade dos
compradores : quarta-feira 13 do corrente pelas
10 horas da manha uo armazem do Sr. Azevedo
defronte da escadinha da alfandega.
4000 Bilbetes.
N. B. Os premios que esto sugeitos a descont
sao os de 5003000 e9 lOJOOO ao de 5 por cento, e
armazem os de 3:0005000 e 12:0003000 a de 17 por cento.
da alfan-1 end 1 5 por rento da lei provincial e 12 por cento
da lei geral.
Tnesonraria das loteras de Pernambuco, 22 de
novembro de 1865.
O thestureiro,
Antonio Jos lludrignes de Souza.
Feira semanal
De grande quandade de objectos de ourn, bri-
Ibantes, prata, relogios de at/ihcira de ouro e
prata, mullos ti avie- avulsos, miudezas, crystaes
e outros muitos arligos.
(Jiurla-feira 13 do enrronte as II horas.
Vi ail \V'>K MtM v/l-'M DO AGF.N'TF.
OLYWPIO
CASA DA FOET
Aos 12:0003001'
3:000000
9O0A000
5001000
asilhetcs garantidos.
A" RA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTUME
0 abaixoassignadovendeu nos seus muitofeli-
tea bilbetes garantidos da cieria de eztrahir, a beneficio da Santa Casa de Mise-
ricordia, os segninles premios :
Um meio 1. 2iiS com a sorle de 6:0005.
Um inleiro n. 1200 com a sorte de 1:2005
um Inleiro n. 1427 com a sorte dd 5005000.
Um meio n. :!"il" com a sarle de 2005000.
E jutras maltas serles de 1003, 405, 20J.
Ospossuidores poden vir receber seus respec-
3Kiiiida Catleia do lleclle00 liVl)S B1.e0,os 8em os desconlos das leisnaCasa
jBmc AYIS02 BITC.S8S.
dezembro.
exiraliira
PRECO.
da Fortuna a ra do Cresj on. 23.
(41*) a beneficio das familia* d
De um sobi-ado de um andar c sala na |da patria, que se
travessa d>s Quarteis n. 33
O agente Marlins far leilo legal mente autori-
sado de um sobrad i de um andar e sotan sito na
iravessa dos QaarMs n. 35, terreno foreiro e ren-
de mensalmeitte 425-
Quinta-feira 14 do corrente.
Xo armaiem da ra da C ideia n 8, as 11 horas.
voluntario*
uaru-feira 13 de
Para
EfARAGOE!
COMPANHIA
DO
ffli-B
"P*
Nao se tendo reunido numero
-So
legal dos

Ultimo espectculo dividid em 3 parles.
AMANDAA
Quarla-feira 13 de dezembro de 1863.
Lindo e variado divertimento era beneficio de
FIUNC1SC0 LIBANIO COLAS
(llnente da ordiestra do theatro.)
Comear o espectculo peloQuadro histrico
DESEMBARQUE
DE
Pedro Alvares Cabral.
Composico do Sr. Henrique Fleiuss, redactor
da Simara [Ilustrada, versos do Sr. Dr. Pinheiro
Guimaraes.
O quadro vivo sera execulado por alguns senho-
res artistas que obsequiosamente se prestara.
Os versossero recitados pelo Sr. Pedro Joaquim.
Segue-se pelo beneficiado, urna
rltimSIA DE FLAUTA,
PaR
Pretmdc sabir era poneos dias o patacho Pa-
raense por ter o rarrezamento quasi completo, e
j para o poucoque Ihe talla, tratase com o consig-
11111 iiii J m |iii:n Jos i; ne i ves ll.'liro, na ra do
Vigario n. 17, i- andar.
BIL DES.
LEILO
sennores accionista para ter lugar a assem-! sobre motivos da operaTraciata.
EEITiES.
O Dr. Luiz de Albuquerqu^ Marlins Pereira, dele-
lo poiiea d'i Io distncto do termo da ci
dad di Recile, em viriude da li etc.
saber a quem int-ressar possa, qne dei-
miii di' tratialhar (teranle a delegacia os offie.iae*
e i -i"M Joan GeroncioS.res de Carvalho e Jos
Un' M ireira de Alencar, por lerem auresentado
I j!ii7-s municiparfs, emeedendo a de-
missi i iio" solicitaram.
I, ii II de dezembro de 18G3. Eu Diooizio
Ferreira Cvaleli, escrivo, wn.
L. A. Martins Pereira.
Deeio e Aquino fooceca, juiz de paz
; iie da junta de qualific.acao da fregue-
xi., : i;.,-Vista, -m viriude da lei, etc. Fco
sal'-i ao- Srs. etertores e snppOntes desta fre-
jjuezit. que em virtude do dis|>osto no art. 4 da
le i.-i.-ulawonlar da- eleiceN tem de r>*unir-se na
tercena domingi do ro^z de jan^ir.. i2li prximo
fuitirn a (Ma a* q*iatiftcac* |Mii t^te mho. cono (ibWvadats as drsposges
4a >i citada, eerfto n. 42 de i< de set-mbro d-
riei r-lativa* ae-se pro
Mao. doctwtos n. 2621 de 2* de agosto de ***M*
n. i -1' e 21 d' dezembro de t61 : convoco
portaiiii awaneanaas Srs. Heitores e suplientes
para i o refT*'. ta a- H toora* 4a anhaa,
c.Mnpar-ca mwm mmmi 4a o-Viaa, do
MMattHc os dantarmn o> comparecer s"in mo-
a respectiva aeta. El"itoreT"wnte
Arjainii F.wcpea, t. S-rvio Tarqaiin
r. Jo.. Marta -w, eapiUo J-(
m, aujor Mil el v San Nunes
4e Olrroica, C*arad i F-rroica Catao. Fraw5i*cn
MBCI i/ d- li OalT. aler<- Joao ItarlIinliirn.'U
a^mclvaaSilta. atajar Manoel > Ka-nnientn
a .".-li Homuaru, wj>r Boroardo Jos Martras
' mm Me--Silva, eaw^Mdtwiro
r 1 1*111 alteres Tkoaaaz
bla geral extraordinaria annunciada para
boje, sao novamente convidados os mesmos
senhores a se reuniretn no da II do cr-
reme mez ao meio dia no escriptorio da
m^sma, ra do Cabug n. 16, afnn de se
deliberar sobre as pretencoes dos empreza-
SEGL'NDA PARTE.
Scena dramtica, composico do ador Vasques,
representada pela Sra. D. Adelaide Amaral, inti-
tulada
A oiirii w
Phantasia de flauta sobre motivos da opera So-
nmbula, eieculada pelo joven pernambucano o
rios dos trilhos de ferro, e de Claudio u- Sr. candido, discpulo de aperfeicoamento do Sr.
beux, pruprieurio da linha de-omnibus em colas.
que peilem, este passar com os mnibus' A orchestra tocara" em scena aberta a sympho-
p,lo aterro pnvatL da companhia; e.- ,* PoUto- a raQde orcheslra' com
quelles a assenlar os ditos trilhos por ater-1 TERCEIRA PARTE.
ros perteticentes a mesma ompanhia. Pre-' Monologo da tragedia de Sdntler, representado
venindo-se que na conformidade do artigo | pela Sra. D. Adelaide Anwral, i
l(> dos est'tutos a reuni* ser considerada
De movis, obras de ouro e prata, livros, roupa e
muitos outros objectos que eslaro patentes ao
esarae dos concurrentes no armazem da ra da
Cadea n. 8, no dia
*ta-arMrc:
Terca-feira 12 de dezembro as 10
horas em ponto.
A requerimento de Joao Luiz Ferreira Ribeiro
invenlariante dos heos deixados pelo finado Joa-
quim Francisco do< Sanios e por mandado do Illm.
Sr. Dr. juiz de orpliitos, o agenle Pinto fara' leilo
dos objectos cima mencionados perlenceoles ao
mesmo finado, as 10 horas do dia cima dito no
armazem da ra da Cadeia n.
GARRAUX DE LAILHACAR & C.
LIBRAiRIE FWlSE
Ras: do uresp a. .
LIVROS NAClONAliS E ESTRANGEIROS
Reliyio Pbilosephia Jurisprudencia Lillera-
tura -Scieneias e arles.
Papelaria, objectos para escriptorio._
E' para admirar!
Ser possivel e mesmo acreditavel que tendo
fallecido ha mais de dous annos e meio Joaquina
Cavalcanli de Albu.|uerque, e suas duas manas
Francisca Luzia de AIDuquerque e Anglica Can-
dida de Albuquerque, todas no estado de solteiras
e moradoras no sitio, que foi do finado padre F-
lix ua freguezia do Afogado, deixando escravos e
t o presente nao se tenham felo os inventarios
respectivos, causando-se deste modo graves preiui-
tos aos orphos e mais herdeiros int-ressados ? I t
Tudo isto infelizmente verdade, que com pezar
confessa
O impassivel.
Achase justa e contratada a taberna sita na
ra da Casa Forte, pertencente ao Sr. Francisco
Fernandas de Paria, armaco e caixilhos, or pre-
I50 de 1303000, sujeita a mencionada no debito de
aluguel de casa e imoostos da fazeada ; quem se
julgar com direito a esta compra, apresente-se no
praso de tres das a' taberna de Manoel Caboclo,
do contrario perder' o direito.
Uilhetes 125000
Meios......65000
Quintos.' .... 2*400
as pessoas quf compraren! de 1000OO
para cima.
Bilhetes.....11-3000
Meios......^3300
Quintos.....25200
Manoei, MaRTINS Filza.
Aluga-se o lerceiro andar e soio do sobrado
da ra da Imperatriz n. 34. tem coramodds 11 ira
grande familia : a tratar na luja do mesmo so-
brado. ____ __
Precisa-se de una ama fjrra ou captiva para
coziuhar e comprar para casa de rapaz soileiro :
na ra do Queimado n. 7.
Precisa-se alugar una prela que saina cozi-
nhar : na ra da SoieJadu n 46
Sociedade
tuos
de seguros mu-
do Sr.
IiEILAO
De urna taberna eui Olinda nos Qaatro
Chotos.
Mauoel da Silva Neves Coutinho far leilo por
intervencao do agente Cordeiro Simoes, dos gene
ros, armago e mais uienciius de sua taberna, cu-
jo balango se acha era poder do mesmo agenle,
isto
no.11;
as 10 horas na mesma taberna.
completa e fuaccionar com o numero de
accionistas que comparecerem ueste dia.
Escriplorio da Companhia do Beberibe
G de dezembro de 1865.
O secretario,
Dr. Joao Jos Pinto Jnior.
Arseaal t gierra.
o ronseiho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o seguinle :
Para provtmeolo do Almoxarifado.
450 WiK^ramraas da plvora fina de marca P. N.
ou 11 urna 1111- H.
Quem quizer vender ditos artigos apresentem
-u- propicias na sala do cooselho, as II horas do
da 13 do corrale.
Sata do roasHho de compras do arsenal de guer-
ra 7 de dezembro de 1863.
O aearregado da escripturaco
Maooel Jos de Azevedo Santos.
No dia l do corrente mez, as II horas da
inanhaa, vai er d paz da fregoezia de S. Frei
aro Gtaralves do Recife, a metade de um bote
que foi pi'uhorad.i a Antonio Ignacio de Oliveira,
or eiecocao que contra o mesmo encamino Jos
Mara Vasques.
Dr. Pinheiro Guimaraes, intitulado
JOAWl D-ARC
A orchestra execuiara' era scena aberta a nova
polka _
ACTRIZ HEBREft
composta, offerecida e dedicada pelo beneficiado a
Sra. D. Adelaide Amaral,
A JUDIA
poesa (a pedido) composico do autor do celebre
poema D. Jayme, o *r. Thoraaz Ribeiro, recitada
pela Sra. D. Ad-laide Amaral.
Em consequencla de pintura para o quadro e
estudo desta bella poesa, que deu causa a mu-
dar-se o espectculo para amanha 13.
Comecara' as 8 horas.
Leilao
MISOS MARTIMOS.
tara o Rio de Janeiro
Vai sahir com hrevdade o brigue Adelaide
por ter a maior parte de seu carregamento trata-
do ; e para o qua Ihe falta, trata se com o consig-
natario Joaquim los Goncalves Bellro : na ra
do Vigario u. 17, f andar.
De um piano forte, urna mobilia de Jacaranda na-
va, urna dita de faia, 5 quadros de Jacaranda
com fio'. gravuras, cadeiras americanas, ditas
de balando, 1 sanctuario, alguma louga e mui-
tos outros objectos que estaro patentes no ar-
mazem da ra da Cadeia n. 8.
IIO JE
Por intervencao do agenle Piolo.
GKJMIIE FEllU
De chapeos de massa fina de differentes
eitios para bomem, ditos de palha de
varios gostose do cnyli.
* -o
Terca-feira 42 do correnle ao meio
dia.
NO GRANDE ARMAZEM DO AGENTE
OLYMPIO
36-RA DA CADEIA DO RECIFE-36
Precisa se de 2005 a premio quem quizer
da-los annuncie pira ser procurado.______
Aluga-se a casa da ilha do Retiro,
ra que tem copiar a' beira do rio
Miguel Joaquim da Costa, na ma
elioaco da Senzala Nova
ou na refinada
a primei-
a tratar com
da Cadea n. 12,
n. 4.
Ama de leite
A tratar na ra da Florentina n. 18.
" Pede se a pessoa a quem pertencer 300 bar-
ris com plvora e 45 volumes cora a marca RBP
viudos de Liverpool na barca ingleza Ann Kay,
queh-a por obsequio dirlgir-se a ra do Trapiche
Novo\aos seus consignatarios Patn, Nash & C.
mmmm mmmmmmmtm
^Gabiuete medico-cirur-j
gico.
Raa da Imperatriz u. 36.
O Dr. Joo Mana Seve, medico Janei-
ro e operador rnudou a sua residencia
para a ra da Imperatriz sobrado o. 36,
onde pode ser procurado para o exercicio
de sua profissao al as 10 horas da. ma-
nha e das 4 da larde em diante.
m
m
Procuradoria
O solicitador Burgos Ponce de Len, mudou-se
para a ra de Sania Rita, sobrado de um andar n.
3, onde pode ser procurado das 6 as 9 horas da
maohSa. e das 4 as 6 horas da tarde, para o exer-
cicio de sua profissao, e fora distas horas e duran-
te o dia ser encontrado as salas das audiencias.
Elle recebe, casas commerciaes, de partido, por
um ajuste razoavel, como tambera se encrrega
de promover cobraocas de dividas e execucjjes de
sentencas fora desta cidade, por mais poderosos
que sejam os devedores.

:
O banco Atlianca do Porlo tendo estabelecido
esta sociedade debaixo de suaimmediata vigilaucia
e responsabilidade, faciliiou a creaco de capitaes,
dotes, reodas, pensoes, sencoes do servico das ar-
mas, etc., por meio de subserineSes nicas ou an-
nuaes, as quaes convertidas en inscripcoes da
divida publica, de renda nacional, e da mesma for-
ma os juros semeslraes que dellas se forem \vn-
cendo, ficam por um certo numero de annos era
deposito, at que, lind>i o praso estipulado, sao
restituidas aos socios com os nleresses amontoa-
dos, bem como as que oertencerem aos associados
fallecidos, visto que destes sao herdeiros os sobre-
vivenles.
Pela engenhosa combinado econmica adoptada
nos clculos desta sociedade, v-se que, com urna
entrada annual de SOS**1", por exemplo. oldem-se
em 5 aonns 450*000 a 330*i00. em 10 1:3005000
a2:00i'5000. em 15 3:500^1000 a 4:f>0!*00, em
20 8:0004000 a 10:0004000, em 25 18.0005000 a
25:0005000, conforme a idade do iudividuo sobre
quem feto o segure, pois que nos referidos cl-
culos conta-se com a maior ou menor probabilida-
de de duraco de vida.
Esta sociedade sobretudo vantajosa aos chefes
de familia, visto que Ins facilita seu sacrificio a
fundago de um capital ou dote para .-eus filhos ou
liilias, segurando-os quando nascera ou em quanlo
sao crianzas.
Quera, pais, mais cintumstanciadas informacdes
desejar sobre tal sociedade, ou se quizer inserever
\ como socio della, diri.-se a ra da Madre de
i Deus n. 28, onde se poder entender com Joao
Carlos Coelho da Silva, que para isso se acha en-
carregado.____________________
Ama para casa
Precisa-se alugar urna ama para todo servico de
urna casa : na neceo das Boias n. 2, primeiro
, aiuar. __________________________
N. Bieber A C, sucessores, sa-
; cam sobre o Rio de Janeiro a vista ou a pra-
zo conforme se convencionar.________
Anda eslo para alugar duas casas na ilha
do Retiro, tem commodos para familia, estao pinta-
Precisa-se de dous amassadores e um I *** temi tanta na potta: a tratar com Luiz Ma-
. ... i a n___ Ooe R. Va enea, podendo o pretndeme examina-
fornetro na padana da ra larga do Rosa- |a0se,noKraeSIDOgluVar.
rio n. 46.-------------------.
Ama.
Precisa-sa de urna ama para casa de urna es-
trangeiro, que saiba coziuhar e lavar : na ra No-
va n. 2L________________
Pede-se aos credores do Sr. capitao Automo
Joaquim de Mello, a virem a ra do Livramenio
n. 38, para receberera o ultimo dividendo, ficando
certos de que nao recebendo al ao fim do corrente
mez, sersuas importancias recolhidas ao deposito
geral.___________________________________
Aluga-se o lerceiro andar da casa da ra da.
Cadeia n. 4 : a tratar no armazem da mesma.


V


Mat-to da ffernaMbueo Terca letra ft e Dezembva de i*.
MA GRANDE DESCOBERTA
3AD0:BACALHAU
des ictado
lEElHI
BE
HOfM
DE BACALHAU
DESINFECTADO FERRUGINEO
O Oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Ckerrier constitue o raelhor meio de administrar o ferro. O
ioduro de ferro reunido com o oleo de figado de bacalhau,
augmenta a aeco lao efftcaz d'este ultimo, se dissolve mais
fcilmente nos lquidos das vas digestivas, se assimila muito
mais bem do que quande tomado sob a forma de plalas,
tarops, etc., enfim perde suas propriedades irritantes e nao
provoca a constipado.
As pessoas as mais delicadas que nao podem supporlar as
F-reparacdes ferruginosas ordinarias, as quaes, principalmente
nos paizes quemes, tem muitas vezes grandes inconvenientes,
poderio com a nova descoberta do Snr. Chbvribr, usar do ferro,
cb dos mais poderosos agentes therapeulicos, tomando-o unido
ao oleo de figado de bacalhau.
O oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
mn, se emprega em todos os casos que o ferro acon-
selbado; julgamos intil de os enumerar.
cada vidro conim as oberva?oes madicaes.
todas as toas piarmacias de Franca e do estrangeiro.
i Pernamboco roa da Cruz a. 22 em casa de Caros & Barbosa.
Deposito de pao e de cestas
lina larga de Rosario n. Se.
Fructuoso Marllns Gomes muito grato a honda-
da 4:0111 que seus numerosos fregnezes o preferem
as suas obras de vime, de palha e de gesta com
que sempre se aeha prvido o estabelecimento
cima indicado, vem de novolembrar e repetir que
s ueste estabelecimento aonde se encontra um
completo sortimeuto de ditas -obras para todos os
mistares de casa de familia, a seguranza das obras
os msHioramentos mais moderos no seu forma-
to a par Jos preeos o mais fa-voravtl que possivel
'cdelas, esta ultima adic.co m tem feito e faz
merecer a proteccao e preferencia dos meus ami-
jgos, ass-im desde ja os convido a vlrem a este esta-
j belecimeoto muoirem-se de bercinhos finos para
'deitar o mea ion Deus nos presepes, cestiohase
' maracas cotiertos de palha para as pastoras, ba-
laios linos para meninas de.escola ; bercos volan-
I tes de ,paiUu para recem-nascidos, balaios para
I enancas aprenderem a andar, cadeiras de vime
i braoco, cestas de arco para compras, bandeijas de
J vime para rupa engommada, balaios para deposi-
to de roupa sujs, ditos para deposito de papel ras-
! gado, ditos para arrumar roupas de passar os dias
I da fasta no campo, ditos para conduzir jantares,
1 acafates de p para ter as frutas tobre a mesa, ba-
j laios de tampa e sem ella para costura grossa, ter-
nos de condec-as e de acafates braocos e de cores,
condesinbas de cures para doces seceos, ninhos
para canarios do imperio,gigos de rime grosso pa-
ra padana. outras muitas onras aqu ezistem mas
seria por demais raassante apreciar o lim a que el-
I las podem -ser applieadas. Aqui se acham sempre
j ueste tempo os bons abacazis do Monteini a 500
j rs. e meiancias das Curcurauas a 15, garaole-se a
boa qualidaoe.
Aluc:a-se
a ca a de tres andares e o pavimento terreo Ha ra
di Cadma do Recife n. 29 : a fallar na ra da
Imperatriz n. 21.
MMk* t (Reidor.
aVtvtra da Sara. rWp
> r*TK. aaV arraxi at a. at-
area?** aanr
>at a O
** fa< I
Errmttii ... awaMaai
' preta |iirtan 1.-1-
a tratar na ra da ui
aa4.
Ama do leite.
Ml.% |.ra
rruara <* ae-
H M-gaaaV ao lar.
MIXI E IHtlN.AKIA
K
I. I" f caza aV c.
fcaa larca 4a aWorta 3 i
aV-av-Oms de Ka luvav
Tristao de Alencar Araripe manda cele-
brar urna raissa com memento pela alma de
seu irmo o capllo do ezercito Xilderico
Cicero de Alencar Araripe, f Mecido na villa
de Uruguayana no dia 22 de setembro ulti-
mo. A missa tera' lugar na matriz da Boa-
Vi-ta no dia 13 do corrente mez as 8 horas
da manhaa.
Precisa se de urna ama para andar cora um me-
nino e fazer mais algum servico em casa de fami-
lia : na ra do Queimado n. 39, loja.
mmms
PAR 1866.
Acabam de sabir luz as fblhinbas de
algibeira e de poda para o anno de 1866, o
polica eao publico.
Manoel Conrado, morador uo engenho S. Paulo,
districto da Varzea, temi um so filho de meoor
idade, de nome Joo, altura regular, descarnado
do corpo, cabellos crespos; ecomo teoba o mes-
mo filho fgido de su* compannii seduzklo por
urna mull.t meretriz de nome Mara Magdalena
da Conceigao, moradora na ra do Ouro desla ci-
dade, casa n. 3 : e com i eon-te ao pai do dito me- ma'S correctas possivel tanto no calculodas-
nor que a supplicante o seduiira alim de com elle las e eclipses, como as diversas fesias
casar-se, e nao estando o pai dispo-to a ver seu que a ereia celebra' vendem.sp nnicamon
filho menor casado com dita mulher, pede, portan SZ^tSS, i .1^ unicamen-
to, polica e s autoridades competentes, que o *L"a J!vrar|a da praca da Independencia,
taca apprehender, ou pessoas que o conhecer, quei- *yp reis as de porta e 3U ris as de algi-
ram prende-lo e lvalo ao Ur. chele de polica, beira.
afim delle dar Iba destino ao sul. -----------------------
Manual do Cidado
Vende-se o Manual do Cidsdo em un*
Governo Representativo ou principios de
Direito Publico Constitucional Administra-
tivo e das Gentes, por Silvestre Pinbeiro
Ferreira, em 3 voluntes broxurados por 3
cada obra : na livraria n. 8 da praca da.
Independencia.
Aos tabaquistas
Vende se as apreciaveiscaizas para tabaco, bem
feitas, obra fabricada no Aracaty. por muito barato
preco, para acabar ; na ra da Cadea (Recife) n.
7, loja.
Atten#w.
Na ra da Assumpcao n. 1 lava se e engorama-
se roupa de homem com toda a perfelco, e se res-
ponsablisa pelas faltas que houverem.
Ama.
Precisase de urna ama para comprar e engom-
mar : a tratar na ra da Cruz n. 13, andar.
Aluga-se urna boa casa nova muito fresca,
na Capunga, ra das Crioulas n. 3 : a tratar no
mesmo lugar.
Precisase de urna ama para o servico inter-
no de ama casa : na ra do Livramento n. 21,
3o andar.
Aluga-se urna casa sita
chegar a igreja da conceicao :
Pomas n. 40, padaria.
no Barro, antes de
a tratar as Cinco
Mclo
.4 luga-se
o
ItltltK t 1 VtlMIIt
99 HUA UO MONDEGO 99
Deposito na rna Xova o. .->> loja de relojoeiro.
dono deste esialielecimento partecipa ao respeitavel publico que sua fabrica
urna grande casa terrea com sitio na ra de Joao
Pernandes Vieira : a tratar no sitio dos quatro
leSes na mesma ra, das 6 horas as 8 da manhaa
e das 4 da tarde em diante.
Antonio Jos Rodrigues de Souza, na ra do
Crespo n. 15, aluga sua casa e sitio no Monteiro
em frente ao oitao da igreja, tendo o sillo porlo
de ferro, cacimba com boa agua, estribara e co-
cheira, e a casa 4 salas, 7 quartos, e . muito fresca e esta de novo bem calada, concer-
tada e piolada : para ver, as chaves eslo em a
casa do Sr. Nicolao Machado na mesma povoaco.
Na |iiara da Independencia n. 33, loja de
ourives. comprare ouro, prata, e pedras preciosas,
e tatnbem se faz qualquer obra de encommenda, e
todo e qualquer concert.
Na loja n. 1 da ra do Queimado existe urna
carta para o lllm. Sr. Francisco Pedro da Costa
Moreira, estudaDle de preparatorios.
esta montaba coa as melbores macbinas
I i
w* de Kerap
Sana V llrM.
raj ananradM.
*af* f-**Aa.
Q-pl.~ \>riu al'i-> aavK> viudo d america.
" ;> r^ond 1 ni awai d- ,,,>.
-ajatia, aaanar Ui-r I mann<-r<- kraan lu a
-m* V -ua isria: rmivid-f fr*
tataMada' a man4ar <-tn-oiar s*iBlhatil- Ira.
-vaarfair*-* a |>'anu qn< v arha m$mU na an
-tu. r a ai rf-^nlar'in a< -\\a> pn |~.-la no
- fcn 4ia- eaaM -."-la data. Cali i hu ia
;- 1- -.juu:-. -. |u \- n v< i,r j.. |h..:,.
O aawtaia
IMtrmmn ./> >il,.< F,. -/./s
.iimt ; Inte.
htdraw de una ama d-- l-ite : na ra do Im-
1-raJ C n ii. trrr^ir.i audar.
Alu-' iin-.-.- tres rasas na povoac3<> do
Monten o a inargem do rio, com miiilos
romniodos i- em miiiio bom estado
iii|'-/.i 1 tratar na na do Crespo n.
sque existen, na Europa, e que pode ^\^^1tt**ttttl
poi tetrao possivel. Todo o clioculatc desla fabrica esta garantido, e e puro,: Sr. Julio Cesar Pinto de Oveira, sita a ra da l.n-
e cauda
eno e j ve-
PRECO.
Meia libra......... 400
Um libra......... 800
Lina arroba........ I900O
... .^. p.^. ru-""< viiwvuioh, u<.i5ia iauiit,a cid f-didiiuuu, e u puiu, sr. juno Lesar finto de Uliveira, sita a
0 <|ue t.o si- pode eiiconli"ir naipielle que vem de fra, e que se vende por preco baixo,; peratriz, um cavailo melaoo cora dinas
vi>to os |iroduilos sereui do naiz. Na eaneta tem sempre urna atmia. branca, sujo, um pouco magro, ppquen<
Na mesma f;ih ica acaba de se montar nmi nffi 10, anda bem, eslava sellado e enfreado com ar
rolos usados e nao tioha redeas na picadeira, cu
jo cavailo muito conhecido no segundo districto
de Afogados, porter pertencido a Francisco Jos
de Paiva morador defronte da igreja de N. S. dos
Remedios e hojea Francisco Avila Mendonca mo-
rador no mesmo luear : roca-se nn'"nio js auto
-a-jua puuciaes que delle tiverem noticia a
--..........- |""|"', I'-"'' eii licio. para o que encarreg -se de fazer portas, ja- Pprehenso do mosrno, e a qualquer pessoa que
nellas, assoalbos iparqu ftancez 'nino se usa na Europa,) earmacoes, tudo com brevi-lf,ueira ser sVnerosa"'Pnl,i recompensada com a
dade e periei.ao. Toma-se qualquer encommenda para fra da cidade, entregando-seqtta-Di,a-?.J3*.!!v^2J>l^l0li?^________
piompta a collar-se no lugar.
<. .vjuit.a, rujo preco de alugnel
vel.
K11 ra-a aV T'f-orf (jin-iian-en. ra do Tra-
> o lii, unii-o aL't-iite no Dorte do Brasil.
raadaaauri kre*, Itordcauz. enrnntra se ef-
< 1 -tu depo-itu H ampos st-gumtes :
m Julin.
St. Pierre
I. r a|
kaM I.' villr.
Oiat>-au MarpMiz.
Mi viu 1.hatean (.afine 1858.
'.bat-aii l.alllle.
BaD tantn.
i.iiat-an SaaMraes.
. au Lanar lanche.
Ckaaaa Yqin-m.
CoaajM -'m tres qualidades.
Aeile doce. Preeos de Bordeauz.
DE
CAVALLO
Na noiiede 18 para 19 do rorrenie furtou se um
ravallo mellado razito, da st abara do sen dono,
com sel 11 m inglez quasi novo; rujo cavailo tem
e mas e rauda pretas. as cimas no grossas e ca-
bera sobre ambos os lados do pescoco, e tem urna
ft-nda Kqu--na na mo direiia ; esta acostumado a
andar -m cabriole! e bem conhecido nesta praija:
queui delle der noticia> certas ou leva-lo a Estn-,
a, sobrado de dous andares n. 2, ser gratificado
m^MWtmmmmmm mmmm
M Cniipanbia fidelidade de seguros 2M
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTRS EM PEHNAMBUCO
I Aoteaie Laia de Oveira Atevedo k C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da rompanhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no seu escriptorio ra da
Crut n. 1.
mmmmmmmmmm mmmm
Na ra da Aurora, casa n. 70, segundo an-
dar, precisa-se alugar um escravo que tenha moi-
i boa rundii' ta e as demais n-cessanas habilita-
Cie para o servico interno e ezterno de urna casa
de pouca familia : quem a tiver annuncie ou diri-
jase a' referida casa.
~C01P i MI II PtRIUIBOCiNA
O agente Olympio em seu armazem a ra
da Cadeia o. 36, compra apollces da compaahia
IVrnamburana.
COEfiSIO
Ra da Cruz n. 16.
Continua a baver diariamente um sorlimento de pastis, podins, bolos inglezes,
empadas etc.. etc. Os donos deste estabelecimento, acbam-se as melbores condices
de poder salisfazer encommendas concernentes sua arte, em consequencia do socio
Precisase de urna ama para todo o servico
de urna casa de tres pessoas de familia : na ra
do Hospicio n. 61
Protesto ao publico.
Tendo chegado as nios do abaizo assimado um
memorial escripto pelo Sr. Antonio Marques de
Amorim aos seus amigos, em o qual arreda de si a
responsabilidade, do que se passou sobre o infeliz
negocio da commandita Amorim Fragozo Santos &
C. desvirtuando os factos que all se deram. e
descrevendo-os com cores, que nao sao as verda-
deras, e nao quereudo o abaizo assignado'cam-
gar com a censura de haver-lhe aggravado a sor-
te, quando ainda se acha ella pendente dos iribu-
naes : protesta responder em tempo opportuno a
Aluguel tic escravos
No principio da ra do Corredor do Bispi na
6* casa nova sem numero dos Srs. Amorins, ha
para alugar-se urna boa escrava e um escravo.
Precisa-se de urna ama para lavar, engommar
cozinhar e para fazer compras: na iravessa da ra
das Crozes n. 11, Io andar. ____________
Frer.isa-se de umraizeiro para padaria, lendo
pratica de taberna tambem serve, dando conhec-
ment de sua conducta : na ra Direita dos Afoga-
dos n. 66 A.^_____ ____________________
Aluga,se o terceiro andar da casa n. 88 da
ra da Imperatriz, e o sitio n. 1 da estrada do Ar-
raial : no ra da Aurora n. 36,_______________
FOGO DO Alt.
No armazem da bola amarella no oitao da secre-
-aria d polica rerebem-se encommendas de fogo
a dor para dentro e fra da prouincia.
2| O Dr. Carollno Francisco de Lima San-
ta tos contina a morar na ra do Impera-
9 dor n. 17, segundo andar, tendo alias seu
| gabinete de consultas medicas, logo ao
K entrar, no primeiro.
O mesmo doutor, que se tera dado ao
I estudo tanto das operaedes como das mo-
Klestias internas, prestase a qualquer cha-
mado, quer para dentro quer para fra
^| da cidade.
mmmm mmmmmm mmmm
Precisa-se de trabalhadores de padaria que
emendara perfeitamente do mesmo trafico de pao
e bolacha e bolachioha de araruta, pagar-se-ha
com generosidade o merecmento de quem melhor
deserapenhar o seu dever na ra larga do Rosa-
rio n. 16, padaria.
Arreoda se o engenho Santa Rita, na fregu.-
zia do Cabo, distante tres legoas a N. O. da eslacao
de Olinda, de muita produccao, me com agua e
tem obras sufDcentes, incluera-se no arrendamen-
to as safras pendentes : quem pretender dirija-se
ao mesmo engenho.
Para passar a festa em blinda, ou por anno
para moradia, aluga-se urna casa no largo do Am-
paro, com 1 quartos, gabinete, por prego muito
commodo ; para tratar na ra da Aurora n. SO.
Vende-se um balcao de amarello que ainda nao
fui servido, obra muito bem feita, sendo dito bal-
cao com volta, propria para loja ou outro qualquer
estabelecimento, por mdico valor; na ra do Vi-
t*TM> 20 ou ca'es de Apollo no deposito de sabo-
24--CAES 22 OE K0VEMBRO~-~24"
Paulo Jos Gomes A Mayer.
Esiao-se acabando as taboas que temos annun-
ciado; portanto as pessoas que ainda tem vontade
de fazerem casas de madelra para moradia, ditas
para banho, quartos para agazalho de pretos; -
aproveitarem, pois na realdade baratissimo, ta-
boas de 22 palmos de comprlmento, 6 pollegadas
de largura, e I de grossura A 7*100 a duzia, e de-
forro 44500. Travs, enr.hams, e calbros de pi-
nho, tambera por prego que agradara aos compra-
dores.
Na ra Direita n. 81, ha
constantemente p&ra ven-
derse cylindros americanos
chegados de Philadelphla o
mez passado
Vendem-se
Forneiio
Precisa-se de um forneiro ime saiba deserape-
nhar o seu lugar : na ra eslreita do Rosario n. 2
mmmmmmmm mmmmmm
'0 Hiidanca.
M O padre Themistocles Romiio Pereira
S dos Santos mudou a sua residencia para
I a roa do Hospicio n. 72.
m
machinas americanas de serrote para descarocar
algodo : na na da .Senzala iNova p. 42. _______
Pennai de eraa de muito superior qualidade':
vende-se na ra do Vigano n. 21, Io andaj, es-
criptorio'
CEKVEJA DA BARIERA.
Na loj do cha' vende-se superior cerveja da Ba-
biera, urna caiza com duas duzias de garrafas por
10,5, e a reaibo a 800 rs. a garrafa._________
Vendem-se inhames da Costa e jerlmuns da
melhor qualidade : na ra da Moeda n. 31.
A Henead\
Vende-se o sitio de Francisco de Assis Pereira
Freir no lugar da Capunga (porto do Lasserre>
a tratar com Augusto Cenuino de Figueiredo pro-
curador do mesmo Sr. Freir.
GiZ.
Na ra da Imperatriz, loja de fazendas n. 58,
precisa-se alugar dous pretos velhos para o servico
de ra, e uina preta para casa de pouca familia";
quem os llver e quiser alugar dirija-se a dita loja
Creme,
Creme boje ao meio dia : na rut do Trapi-
che n. 18.
No armazem da ra do Imperador n. 3 ou no
Caes de Pedro II n. 2, tem para vender-se o me-
lhor gaz eziMente no mercado.
Loja
Oabocla fgida.
No dia 28 do mez prssado fugio de casa de seu
senhor a cabocla Luiza, idade 22 anno-, estatura
esse memorial do Sr. Amorim, levando a evidencia I regular, com falta de denles, cabello aparado, lera
toda a verdade dos acontecimenlos daquella des-1 sido encontrada na Soledade, e ribeira de Sauto
venturada associacao.
1865.
Recife 9 de dezemhro
Joo B. Fragozo.
Ir ni a mi ule de IVossa Senhora Mi dos
Homens na igreja da Madre de
Dos.
Tendo-se deizado de proceder a eleicao da nova
mesa regedora da irraandade aaima referida por
falta de numero legal as sesses ltimamente pa-
ra isso convocadas, novamente sao convidados to-
ra- r reitas ter sido administrador chefe de algumas das princi; aes fabricas'na corte, sendo
urna a do Sr. Joao Goncalves Guimaiiies (confeitaria do Leao) antiga casa de Carceller.
Todos os trabalbos sSo differentes dos que se fazem em casas particulares.
Os propietarios desie estabelecimento nao se tem poupado a despezas, nem se
pouparao, se bouver concorrencia como esperam ; tendo continuadamente bom sorti-
in.'iito de doces para cb; presuntos e ditos em fiambre, tambem se recebem para se-
rem preparados; assim como doce de caj novo superior, secco e crystalisado, dito em
calda em latas beimelicamente fechadas, podendo durar annos em perfeito estado.
Para jantares e partidas recebem-se encommendas dos sepuintes objecios; ban-
i deijas ricamente enfeitadas sem armacSo pecas de amendoas (nogace>), ditas de tmaras do.
; de ovos, paes de l enfeilados com dsticos anlogos a qualquer im ; ditos montados, rente pelas o t|2 oras da tarde "no consistorio da a mu
kei lis simples e enfeilados com ftuctas iiigleza ; galbeaux de la reine, ditos de le du- mesma igreja aQm de se elegerem os novos func-
t^^SJ^'massa folhada; dilas de peixe e carne; cremes e doces de ovos SXtt2B3S? & VSliS
de Antonio, intitnlando-se forra ; quem a levar a ra
de Apollo n. 30, recebera' 20,5 de gratificacae.
Precisa-se alugar urna barcada nova ou mes-
mo em bom u-o, para navegar, bem apparelhada
e fab ic.ida, por ti-.mpo de ura auno: na ra da
Senzala, padaria de Antooio Jos Pudro Goncal-
ves, se dir' quera pretende.
luiperairlz
Na ra do Rangel u. 9 precisa-se de um tra-
bajador de padaria, pagando-se-llie 305 mensaes-
Precisa-se de um cozinheiro, forro ou esc.ra-
, vo : na botica franceza, ra da Cruz n. 22.
os Irmaos a reunirem->e lerea-feira 12 do cor-
de differentes especies
Tambem temum completo sorlimento de vinhos engarrafados, como sejam: vinho
do Porto superior, Figoeira, Madeira, Lisboa, Cherez, Bordeaux, Champagne fino, ser-
veja, licores, charopes e conservas. Para festas: bonitas caixinhas com amendoas, con-
feitos e mais enfeites. Muilos destes objectos mencionados podem-se perfeitamente ac-
ondicionar tanto para a provincia, como para fra.
DEPOSITO i PIANOS
25 RA NOVA N. 25
Este estabelecimento acaba de receber um rico sorlimento de pianos fortes ex-
pressamente fabricados para o clima deste paiz, dos mais afamados fabricantes da Euro-
pa, por isso o proprietario convida ao respe>tavel publico para virem apreciar as qua-
; lidades dos referidos pianos.
Continua-se sempre com esmero e promptidao fazer-se qualquer reparo nos ditos
; instrumentos. Ainam-se os pianos debaixo do melhor systhema ltimamente adoptado
l na Europa.
SEGUROS
MARTIMOS
Casas
fe 9 de dezemhro de 1865.
O escrivao interino,
____________Joaquira Francisco da silva Jnior.
Preci>a-se de um raeniuo pai a caizeiro de
taberna na Varzea : a tratar no pateo da Penlia
n. 12._________________
O capito do 3o corpo de voluntarios da pa-
tria Jos Joaquim Lopes de Alraeida,no tendo Ihe
sido possivel despedir se pessoalmenle de todos os
seus amigos, em viiiude dos seus grandes afazeres,
pede-lhes desculpa por to grave falta e Ihes olfe- Ma hias para
rece todo s^u prestimo em qualquer parte que por "
ventura a sor le o colloque.
Power Johustou k dompanhia
Ruada Senzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fundido de Low ioor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho.
Arreios de carro para um e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
COMPEAS.
Alugam-se duas casas novas na freguezia da
Boa-Vista, ra do Principe ns. 4 e 8, com 3 quar-
tos. 2 salas, coznha fra, quintal bom e murado,
cacimba, sao muito sadias : a tratar na ra Nova
numero 3.
Precisare de um caizeiro para taberna que.
tenha pratica da mesma e que d fiador a sua
conducta : a tratar na Soledade taberna n. 30.
Precisa-se de urna ama forra ou escrava,que
saiba bem cosinhar e engommar : a tratar na
ra da Penha sobrado n. 23. primeiro andar.
AMA
Precisa-se de orna ama prefenndo se captiva e
que seja riel, para comprar e cozinhar : aa ra do
Queimado n. 40, loja de fazendas.
Quem annunciou precisar de 2005 a premio,
annuncie sua morada para ser procurado.
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnisadora, estabeleci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamentos, e coHtra
fogo em edificios, mercadorias emobilias:
na ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.
SITIO.
m
i
m
Aluga-se o sitio no Rosarioho o. 2 junto a capel-
la, com bastantes arvoredos de frncto, casa, co-
ebeira, boa agua, por prego muito commodo : tra-
ta se na ra Nova n. 5o, ou heeife na ra da Ca-
deia n. 3.
Criado
Precisa-se de um criado ou de un moleque. p-,|
ga-se bom ordenado : na ra da IiBBerairu.n. 47,
2 andar.
Attentfto
Precisa-se de urna ama que sai-
ba muito bem cosinhar e que faca
compras : na ra da Cadeia do Re-
cife n. 38, primeiro andar.
**mra mmmm m
Convida-se ao Sr. sacerdote que quizer con-
tratarse para celebrar as missas ae natal no Rio
Form iso, engenho Serra d'Agua : a dirigir-se a
ra da Madre de Dos n. 3, escriptorio de Cuuha
Irmaos & C.
Est para alugar-se o i" andar e lojas
do sobrado n. 44 a roa da Aurora : quem
os quizer dirlja-se a' ra Nova o Sr. Jeo
B. do Reg, em seu armazem de fazendas
n.24._________
Preasa-se de urna ama para casa de pouca
faiailia : aa jua da Conceicao n. 6.
Jos Joaquim Lopes de Almeida capitao do
3o corpo de voluntarios da patria, scientitica que
deiza por seu bastante procurador nesta cidade
durante sua ausencia no theatro da guerra, o Sr.
Joaquim Cardozo de Almeida, para tratar de lodos
os seus negocios quer geraes, quer particulares.
Recife 9 de dezerabro de 1863^______________
Alugam-se duas casas terreas sitas na pro-
priedade de Sant'Anna, que foi do finado Belm,
as quaes se acham caiadas e pintadas, contendo a
raaior 4 saletas, o quarto?, cosinha fora, quintal
murado com seu competente porlo, e a ouira 2 sa-
las, 2 quartos, cosinha fora e quintal tambem mu- Compra-se ouro, prata e pedras~preciosas,
rado com seu portao: quem as pretender dirjase | em obras velhas : na ra da Cadeia do Recife,
a mesma propriedade que achara com.quem tratar. cja de ourives no arco da Conceicao.
^aWWMW"1*-"
Silvino Guilherme de Barros compra e ven-
de efectivamente eseravos de ambos os sexos :
ruado Imperadorn. 79, terceiro andar.
Compra-se um balcao que tenha 20 a 22 pal-
mos de comprldo e 3 de largura, estando em bom
estado; a pessoa que tiver dirija-se a ra do l.i-
vramenlo n. 2i, taberna.
da boa fe aa ra da
n. 94.
Vendem-se colheres de metal principe para cha'
a 25 a duzia.
Ditas para sopa a i;000.
Facas e garfos de cabo de balanco de dous bo-
toes a 6o00 a duzia.
Ditas de um botao a oJOO.
Ditas de cabos cravados, pretas e branca? a 35
a duzia.
Caiza com 30 nvelos de linha de gaz a 700 rs.
Tesouras linas para costura a 300 e 500 rs., e a
15000.
Resma de papel almaco a 25600
Dito greve muito bom a 35200.
Baralhj de cartas francezas para voltarete a 210
e 280 rs.
Jogo de vispora a 300 e 800 rs.
Enfeites para cabeca o mais moderno que ha a
25000.
Penles muito finos com costa de metal para
pentcar.
Meias cruas para hemem muito encorpadas a
240 rs.
Abotoadura de crysial pira collete a 500 e 15.
Fitas de coz com 10 varas, de un de.io e meio
de largura a 410 rs. a peca.
Liga para atar meias a 100 rs. o par.
Pares de suspensorios a 160 e 10 rs.
Gra*atas de seda pretas e de cores a 300 rs.
Ricas golinhas com punhos para senhora a 15.
Lnvas de lio de Escocia, de cores, para hornero
a 320 rs. o par.
Carreteis de linh de Alezandre de n. 80 a 200
a 100 rs.
Gaita de borracha para brinquedo de menino a
100 rs.
Raizas com clcheles muito bous a 40 e 60 rs.
Ditas com lampannas para mezes.a 40 rs.
Dilas com obreias muito boas a 40 rs.
Fivelas grandes para cintos de diversas qualida-
des, litas para cintos, ditas de velludo, trancas de
cores lisas o de caracol, bieoa e rendas, voltas de-
aljofares, ditas pretas a balo, e um completo sor-
limento de miudezas que ee esta' liquidando a di-
nheiro.
Vende-se por o dono se ter de retirar desta
provincia a muito afreguezada taberna sita na ra
Formosa n. 9, cora muito poneos fundos, livre e
desembarazada ; quem a pretender dirija-se a
mesma.
DEPOSITO DE CAL 10 **
M FABRICADO NA CASA DE DETENQO
Ra .\ova a. I.
jg Ah se encontrarlo obras de di- m
* versas qualidades, e por preco mui '
W diminutos, a retalho e em porces. W
W S se vende a dinbeiro. 9K
mm#mmmm m
Medico.
O Dr. Miguel Joaquim de Castro Mascarenhas,
rezidindo actualmente nesta cidade (ra do Sol n.
II), tem a satisfaco de communlcar ao publico, e
especialmente as pessoas que sempre o honraram
com sua confhnca, que a qualquer hora poder
ser procurado para o exercicio de sua profisso.
Libras slerlinas
e ouro francez compram-se no hotel de l'Univers
n. 7. ____________________
Ouro e prata.
Em obras velhas : compra-se na praca da ln
dependencio n. 22, loja de bilhetes.
Happa-mandi-plaDispherico.
Na ra do Livramento n. 19 compra se um map-
pa-planispherico.
Comprase carosso (sement) de algodo : no
armazem de algodo de Saunders Brothers & C,
no caes de Apollo.
VENDAS.
Cavailo.
Vende-se um ezcetleote cavailo andador de bai-
Vende se um novjlno crioulo mauso de carro
e propno para carroca e muito gordo : na Estrada
Nova do Cazane sitio da viova Villa seca.
Cera de carnauba
em saceos; vende-se na ra do Vigario n. 13.
neos de
7
labyrintho
Na roa do Crespo, loja da esquina n. 8, ba supe-
riores lencos de labyhotho que se ven em p ir
comraodos preeos.
Vende se urna escrava moca, perita costurei-
ra e engoramadeira, cozinha o diario, faz d.ces e
bolos, tem nma liliia de d\ius mezes, e pode muito
bem ser ama de leite : a tratar na ra da Impera-
triz n. 66, l aodar.
Na serrara da Ponte velha veadem se taboas
de louro e amarello, e tambera pranchos, mais
barato do que em ontra qnalqner parte.
PERDA.
No dia 8 do corrente, por oceasio da procisslo xo* mai0' e esquipador. tambem anda de paco em
do Terco, na matriz nova, e dabi a roa Direita, \loda al,ara. bonito, gordo, e manso, ptimo para
perdeu se um altnete de ouro con 9 brilhntes' P*ssw a festa i 5 pretendentes dirijam-se a Olio-
sendo o do meio grande, e os que formara circuios i da- faa j Amparo n. 40, sobrado de Jos Figuei-
menores, cujo p frma rosca : quem achar e o r lacado.
queira restituir a sm doto, leve o a ra de Santa : Vende-te orna casa lerr-ea na raa da Sofeda-
Ther*a ns. 54 e 56, flue-sftri bem recempfloeado.' de o. W; viraar na mesma.
Notas do thesouro
Vendem-se no hotel de l'Univers roa do Tra
piche. _
INJECCAO BROW.
Remedio infallivel as agnorrheas antigs
e recentes, nico deposito na pliarmacia
franceza, ra da Cruz n. 2 e ao preco de
34000.



Orio de rrrnatvbuco rei*$a felra lt de fr.mbro de |9d.
Rival sem segundo
Roa do Queiniuda 18. 49 e 55, hija de
miudezas de tres portas, estaquei-
uundo lado boro e barato, quem qiii-
zer ver.e admirar venliam loja do
Bigodinho.
Caixas de papel amizade, e sem ella liso e pautado
a 600 rs.
Groias de botoes de louca prateados fazenda mo-
derna a 160 rs.
Duzias de peana de ac fazenda boa a 40 rs.
Pe^as de tranca de laa lisas e de todas core a
40 rs.
Escovas Qnissimas para limpar denles a 240 e
320 rs.
Pegas de Uta de cs estrellas com 10 varas a
320 rs.
Caixas com clcheles francezes, superiores quali-
dades a 20 rs.
Tinteiros de barro, com superior tinta a 100 rs.
Pegas de curdo para vestidos, fazenda boa a
20 rs.
Baralhos muito linos para voltarete a 200
140 rs.
Latas com superior baoha a 200 rs.
Frascos de macag peruta muito fino a 200 rs.
Frascos e garraflnhas cora agua de Colenia a
400 rs.
Frascos grandes com superior agua de Colonia a
640 rs.
Caixas com 12 frascos de cheiros muito finos a
1*400.
Sabonetes pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
320 rs.
Duza de sabonetes pequeos com c-helre a 700 rs.
Agua deotiftee superior qualidadea 800 rs.
Caixas cora saperior p de arre* a 800 rs.
Frascos de superiores essencias santal e outros .
14200.
Frasr-os com essencias para tirar nooNtas de rotan
k.SOOts.
Grande loja e armazem do
Pavfio.
Ra da Imperatriz n. 60. de Gama & Silva.
Tendo os proprietarios d'este estabeltcimento de
liquidaren) urna grande porgao de suas fazendas,
at ao flm do corrente auno, afim de fecharen) con-
tas e apurar dinheiro, resolveram vender todas as
fazendasToro grande abalimenio em pregos, lano
em porgad como a relalho, e i> r isso previnrm a
todos os seus freguezes, e ao respeilavel publico, e
as pessoas que negociara em pequea escalla com
fazendas, que nesle estabelirinu-uto encontraro
um grande sorlimento que mullo Ihes nao de agra-
dar tanto em pregos como em qualidade ; aaata
como mandam pelos seus caixi-iros levar as fazen-
das e amostras as casas das familias que nao po-
derem vir a loja, ou dao as amostras deixando ti-
car penhor.
Cambraias lisas a 30000, la leja do
Pa>o.
Veodcm-se pegas de cambraia lisa branca e
transparentes, lendo oito meia. vara cada pee*,
pelo barato prego de 34300, ditas muito finas Pr
AGUA BRAMA
Ra do ueimado D. 8.
Grande liqiidac&o
De Prenda e mti|>a< Mi n* ii.j i e an n-m
da Arara a rna da Imperatriz o. 36, i- Lo reari)
l'ereira Rend (iunmrV*. (
Corles de rkila a 2,5200
Vende o r 11<> de. nrrt ii- rdres x .*,- >.
(lile- c II"- ; W*>*M a
Bofe a ''. h .1 ras a :4 l
ra d.i I' pe Irnt i -Vi. Inj i i'a .'.i <;*. ._|
(Bales de ajeriad a 2 >fWO.
Vndese rhare 4 mi 5. *>4, e
84. Hatadas r-'ii: i- ,i M .mi i i.
da Imprrain/. I ,: di Arar* n. ii>.
lUiipa* f. !a | .i a iHfnidJJf.
Vrnde-S'- palil' I- '! l'iii'.i! I
di' meia ra.-uri la I
lino e de ra-imira a 5, !'
bnm pard-> uV ro a i i Htm, dttas a> M i'
Seleiros e correr mu
PF
Snia ilr lastre e-m p. rfi i iitr.
Mtwm.. ..'i*''
K-IH atfillar-
NOVA LOJA
* fiara r~m
da p>4r-i hr; --
ar >, Vmnm.
X -' i ilii i i ia a arwtarara p*f
rtadk rtiii^itn aja*
Novidades do Vigilante
IlCA DO CHESPO N. 7.
Este cstabelecimento npezar de scniprc
Frascos com cheiros de tofljs os precos a 160 SOO, 6ranfl 240 e 320. vetrem a 64, 74 e 84000 : na loja e armazeni da
Frascos bonitos com cheiros finos t 500 rs. P*^o, ra da Imperatriz n. 60, de Gama Sirva.
)uza de meias mnito finas nara senlwra a Os rulos d l'avo.
44800. Vendem-se riqusimos sintos de litas de d!vw-
Golltehas muito finas para ssnhcra a 200 rs. i MW cores e domados rom fivela larga e doun:la,
Cahxas cora soldados 4e chum*o para meninos a jassim como enjertes para cabega dos melhores e
44500,54, 64 at 104, sendo tapadas e uauspa- se adiar bem sorlido tiOOM lodos sahein,
rentes, assim como cortes de cambraia com salju-! hoje mais que Tiunca, n8o S pelo que rece-
eos a 24500: isto s oa loja e armatem do Pavao, b i niYmria Minia mn tamlwm irf>ln
na ra da tmperatrit u. 60 de Gama Silva. ,De ae suf P^Pr'3 cenia, mas lamoim |kjio
\% craisiobas do Pa5o. ^ue recebe de consignacoes; parece sem
Meiktem-se as mais modernas camisiohas borda- duvida qe deve olTerecer grandes vanla-
das com manguitos, para senhoras, sendo asmis gens para O respeitavel publico tanto em
modernas que tem viudo ao mercado a 44500, di- prcCos COIllO na escollta dos obieCtOS, e co-
tas com manguitos, para acabar, a 14 5 ditas pre- mQ rhpo-ar nnda Hmau nPln
tas com manguitos para luto a 14800 rs., mangui- "l0 d0*IJIai e cnegar gratiae remessa pe o
ws e golinhas pretas a 14, fioisrfmas golinhas de vapor Uouro c o navio Solferino de
ambraia branca bordada a KK) rsn calciuhas para diversos objectos de gosto e proprios di)
menina 610 rs. romeiras de lit e cambraia; lompo dos quaes se mencionarSo alguns,
branca bordada a 14600 : na loja do Pavao, ra ,,__ *,___*____. ,_____.____,. ^
da Imperatriz n. 60, de Gama A Silva. 'P* n3, ser POSSivel mencionar lodos. O
Chales de uterino a 2*5000. rlono ***** eslabelecimenio spera a pro-
Veedem-se os otis moderos chales de merino ^eccSo de todos
esiahi.iados a 240O0cada um, havendo tambem um I Riquissimas caixiobas ornadas e com
150 rs.
'Pegas de fita d laa para debrsm de v.tido, com
10 varas a 00 rs.
'Ditas de bioos seperiorrs. para acarar a 600
800 rs.
|Pedras de (ottsa'para meninos a 160 rs.
Bunecos de chore e panno a 160 rs.
"Caixas cora bodlfsestampes parara?.'- a 100 rs.
Capachos compridos, boa fazenda a frO rs.
Grosas de toi9es pequeas pretos para caln a
100 rs.
varas 4e cordita de espartilho a 20 rs.
Novelkts fra-nrezes com 20( jardas a 40 rs.
Pegas -de Oras bordadas a 640.
uzian de-meias eruas mue fortes e superiores a
MBOO.
tntLES
Crunde pechlncha.
No ra da Imperatriz n. "2 purla larga de Pare-
des Porto, vende-se chales de merino estampados a
24 e 230O6 e finos 54, esto se acabando.
R o r rinda*.
Chefou* loja de Paredes Porto, ra de Impera-
triz n. 52, 11 id sorlimento de camizinhaf, gollinhas,
carpinos, rottMlre e sintos, de rambrala branca,
pelo h.irto prego de 24500, 3^500 ? 44, gollinhas
K) rs., romeiras a 800 e sintos a 800 rs, grande
quantidade de ntremelos a GOO.e HO rs. a pega,
cswo se acabando.
tois modernos que tem vindo ao aereado 'ludo
isto se vendedor um iprego razoavel qvle*'muito
Ihes hao dcttpradar : isto s na luja e armnzem
do pavao na ra Ja Imperatriz o. 60, de -Gama &
As sas do Pavo.
Veodem-se as mais Moas saias bordadas asagu-
Iha branctis sendo da melhor fazenda que'lem vin-
Ido oeste genero, teodo mui a roda, pelo baratissi-
'mo preoo de II140OO; dilas bordadas a croch a
64000 e "8*0*10, ditas com babadinbos a"84000, na
loja e rmazem'do l'avo, na ra da imperatriz n.
60, de'Gama & Silva.
Nimia x'sMns do Pavo a 10.MKI-.I.
Cltegaram para loja do Pavfio os mais ricos cor-
les il vestidos de cambraia transparente com os
mais delicados bordados de difTerentes cures a pon-
i de agulha, secdo n'esie genero a inaior oovida-
de qu tem vindo ao mercado, garantindo-se o te-
rer:) minia fazenda e enleiles sufllcleates para o
corpo e mangas, e vendem-se pelo bara'.o prego de
10401 0 rada um, na loja do Pavao, nc ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
'M espai tilhns do Pari,
Vendem-se um gratule e variado sortimenlode
espartilhos or. mais bemfeilos que tem vindo ao
tncrrads, sendo de lodos os lamanhor pelo baratis-
simo prego de 44, 64, e 64000, por haver grande
sorlimento, n.t loja do Pavo, na ra da Imperatriz
a. 60, de Gama & Silva.
ReUoiaa pretal a 12-5000,
Na loja do pavo.
Chegaram pelo ultimo vapor as mais ricas re-
TSa taja de Andrade & Itago, ra do Crespo n. 8, tondas de renda pretas, sendo das mais rompridas
esquina da ra do Imperador, contina a vender- |que tem wndo ao mercado, e vendem-se por prego
DA BAHA
msica propria para um delicado mimo.
Caixinhas de msica tanto de veio como
de corda.
Ricos porta joas e necessarios.
Riquissimos est jos a fclio de um batrsi*
nho ou chapeuzinho.
Dilos em casca de noz e de outros gestos.
Leques -de madeperola de sandalc de
faia e madeira.
Chaposinhos c louquinhas de muito
gosto .para enancas.
Meras mas.
Meias de seda para senhoras.
Capellas e grinaidas de lloros proprias
para casamento.
pafo, babadinho e outra rom urna transinha do
centro o que Ibes da n.uita graga.
Outras estrei-as e largas guarnecidas de bico
de seda obra de muilo g sto.
tduras de canil.raa de cores.
BoiGes de seda, vellodo e ago para enfeiles de
vestidos.
Trangas de seda eslreitas e largas brancas e de
cores para enfeiles de vestidos.
Flores finas
CAPELLAS PARA MENINAS E NOIVaS.
A agnia branca a ra do Queimado n. 8, rece-
beu para vender :
Delicadas capellas brancas para ooivas.
Hilas dilas para meninas.
Ditas ditas de caixos de flor de laranja.
Ditas dilas de rosas camellas e outras.
Ditas ditas ou ramos de trigo.
Diversos ramos de flores finas para peilo
vestidos, enfeites de chapeos etc., eic.
Prcparos para flores.
ca
A loja da aguia blanca acaba de nceber nm
novo e grande sorlimento de differeniei objetUM
de gosio e nliima moda, sendo .
Itonitos enfeiles para senhoras goslos inieira-
inenle oovos.
Ditus ditos de grade com conlas grande.
Lindas livi.i,,. grandes para nnlos iuim moldrs
agradaveis o diversas qualidadns, madreperola,
i tartaruga, ago e douradas.
Iloas e bonitas ntas arharoalitadas para dilas.
' Hites de dita de grosdinapUs lisas e lavradas
com novos e agradaveis descuhos.
Trangas pretas de seda com vidrllhos moldes
I novos e de gusto.
Rii-os brancos e rrelos de seda com vidiilhos e
de dilTereules larpuras e bonitos desenhns. brano a :i4i e 14. |mi ai|...i-.. pr-ta pmM- ^ wn
Cascarrilhas de seda com diversas cores e lar- crese brao. -.i a i->v-o. i-i .- :i. am.M- frafg zaw, PW^sra ara*
guras, formas inteiramente novas a imllacio dei"" a 2 e 24-V, (lita* mgieas de pi^a pr pr-^a **..
largas a .14 e 34^0, rrr nl^- fi n'--?a- a I4*4*. *Vf4p^ Pbffta
4 e 24-'"0, ciiicruiln linos a i>00 a iluza. algas Vrn<*>-rhl>< % r>-*A >
de casimira a i*, t"41 4. a ra da lapwra'nz i";a nm |K; eMa rrni'm* por ^4
da Arara n. :<. : i*r I ", | 2W)R m
l.i-nriis de sila a KiO. !p*t" 6* na* i''
Vendes k MJl |n o> 4f a fiWK *"'" 'i""1 ;;i* "'" '" hn*>rrini. Vi
e 14, Mh diiil- de linlic a HUBO, ">4 S#\ i arma-w j
ra da Imperatn? n M, l.|a da Aiara. Pan PNr
Titilas de mrs l\as a 7H rvad. fW-r,,. um rrmp*** rtiaavr
Vende-i- cana flxa> a MB IW SU -""!
Civadc, dila^ lina> Iran-?;.-a :i*>, ti." >: VHI a ?' i- .4
vado, piirala- |MH :. MI e .">4tO u tovad. i >"-. .'ME i
de cores^ta vi |idi t de -nh- ra e
menina^a :i60>i ruvado, a ra da Imperatriz p. -">>.
hija da An.ara.
Cassa franc za a 30 retad*.
Cassa (ranee i a hhI a .'20 e :i0 e ratV.
organd- (ir^ a 360 e MKI o mvaat,
braia loa lina a 14 :iMM>. i4. .'4 e 64. a ra da
Imperatriz Naja da Araia n M
laioes a HU.
Vende se Mfini t W. i-'< t M trt> i
Na ra do Queimado n. 8, loja da aguia brao- pTe^ ,,,, it iiim e ;t-VH, w >Ai:i, ,,01,
vende-se; para fnUnra a 64-ViO t 7/. rtrna wntu Mi
dr
Papel de cores para rosas. i pja rn, |irKj |,arr a ,.^j w ,. (^ rt
Dito verde para folhas. caminata Mdad.-. a Rn -.la a r<4. '4-1"*.
Dito diH e pardo para cobrir os talos das ditas. ii,sll,i, para ron*) pH. fiara** pregr Osa. zM'.
Musgo-em rama. :o e 400, dirs d.- quadm* de '-> iM o
Folhas ara rosas. corado.
AaulhaS e UnhaS ara Croehft. Todas fjenla- N v,nle por baral. i
Veodem-se na roa do -Queimado n. 8 loja da far '"""^ ** a" "!* r"
aguia tranca, ass.m como agarbas para trar.alhar-, 'mperainr ...ja.da Arara n -,h
se em laa.
Onlro mhte1nn.
Vindos tamliem par a ant pa
Pa/pel de sobreccUcnle paraos' Vindos lami^m pan taniifa a iic
tphosphoros hygienieos mi ile' mi"^s:' nto.9^^'^ 5 ,
r r aapatmhos desolim oranco bortlndn* [-
seguranca. \n taimen.
A vista do graDde tamanho das calrinhas dos| (Kitros de merin-'. lamliim v r'
phospheros hygienieos on de segoranga. tornava-se' igualnKinle bonit -
Ssiles e iPfllildtmHaoslop.rateireSa i
SOnora. acaba de receber esse especial papel, qnal se DOO dos sapatinhes.
IIquissimos porta boquels. dar de sobrecenante a quem comprar de laes! Outras mui liras ile fio da
Boquet de flores com urna borracliinha vhosphoros e se vender iodistlDciamente a quero bancas hstradas.
- n 9
raw-ni rjpi.
rarfr^ Pct
h>rr f\ para rnrMwln aor<
114 fr* raml r* fin) lh
jeja, r. i 'i~ > larbranj .ir fe. m
' 44- ri t.r^ia nm l*V *!
p*f ."i*a i
*a 1 ra* -i ua 4 laj
enra fraf <-}.
pjrr#> rrt

21 r> t*> r4a im* .i3fi*M* r>
IJfir ii IJMH Jf .. fin*. laV
. > lOe '|w nalM- a-
anaaz> m da pana ua>
rVMf f-r
infin ei m K>
HB*-i m M* -
!eV imlKi *> 4 lataara-

t
"n .t fn-i-

I :-
se superior algodo da Babia (ior meaos prego qoe
em outra qualquer parle.
Vende-se um escravu cabra escoro, laratolre
c r.orlnhciro, barato : no coegio da Conci-lcSo nes
<.neHii).s n. 12. No mesmn collegio-se aluga T.
grande sitio ctm muita frn.-ta, banlio, etc., na Ta
mnrineira.
Farefl.
Tende-se superior farello de Lisboa
rom allianca, ra do Imperador n. 87.
no arma
A Salsaparilha
D13 AS\' E 1.
muilo em conta : na loja e arnrnem do Pavfio, ra
da Imperatriz n. 60, de Gama A Silva.
Cortes ilc casimira, pichincha,
A A800, na loja do pavao.
Vendem-se bonitos corles de casimira de ci'ires,
tendo ciaras o escuras, e venidrm se palo bar&Us-
simo prego de 248110 o corte, ou vende-se a mes-
ma fateada a 14600 o covado, tendo 6 palmos de
largura : 4>to na loja a armaren)'do Pavao, ra da
Imperatriz u 60, di-. Gama \ Silva.
Us cortes de casimira to Pa\ao*
Veudenwso superiores corles de casimira, sando
fazeuda muiio lina, pulo baratlsslino prego de 14
rada um : na luja *- armazem do l'avo, ruada
laperalrit d Os cintos (lo pavio a 1000.
Vi-ndem-fe cintos de lita com fh-elas pelo liara-
Esrrofula, ulceras, chagai,lar- tisiinio prego de 14000: na loja do Pavo, ra da
idas reinas, moestiaa syphil- Imporalrll D.-60, de ama t Silva.
itiCM. e mercuriaes, Enfermi- ill.lll'S |l'CtOS lll' I'lMUlil \ 8,S"000, H.'l
dedes das mulheres, como ra- |(ii,| (||| Piv0.
tenr;ao. mcnitro-dftloioio, nlcep- Chegaram .para a loja do Pavao os mais rices
acto do tero, e flores branca, .rhalis de renda pretos, de 4 jionlas e muilo gran-
A Hcvrulgia, Convulsdes, Ery- des. veodendo-se pelo barati>imo prego de 8#00C
sipelas, Enfemitofcs Cutnea, fada "ra Para a(-a,,ar: na luja do Pavo, ra da
. .. Imperairiz n. 60, de Gama borbu&us, nascida, etc. :, ... o.aaa i
. u,.. -.,. Vestidos m lanos a 36U(, na oa
< etrtHtrto r*.,xpo*to v SALSiAPAIILHA, confeccin- "~-" ~j
:^,. p|o Di:. Avr.l.' urna r.inil.iiiii \.o .l.is 1111 Ih.ir. (l,[.ur:i- (III |'l\(ll).
thoeatwmnmcomliecldoaaedMoa; wmpeato egimdo Vendem-se os mais bonitos cortes de vestidos
l?.r:i
.un r.'ulic.'ll <1
com clieiro.
d.uvas verdadeiras de Jovin.
Ditas de seda e de Escocia
Riquissimas plumas e -guarniges.pape
onfeilar chapeos.
Cuntas e lutos de ago Ivnnco, que Ita
muilo se dosejava para enfeites.
Brincos, livellas e cruzes de crystal.
Fivellas e cruzes de tartaruga, 'madripe-
rola c dotirados.
delle precisar. O prego de cada caixinha de phos
phoro rontiooa a^er 160 rs., e veodem-se na roa
do Queimado n. 8, loja da aguia branca.
Seda [roncha para bordar.
Vende-se na ra do Queimad- loja da aguia
branca o. 8.
Ohms de crystal.
Briocos de diversos moldes.
Outros tambera de crystal de cores.
Outros de aljofaresbrancos e otiiras cores.
Aderegos de crystal obra de gosto.
Roaatai de -dito e cruzes.
Iloldes de dito, brancos e de cores para rollete.
Dito de dito laiubem brancos e de cores para
Luvas finas de fio da Escossia
1 de cores.
Iotas de mh pan si'nhora?.
Lifas de ilita para senhoras
tartas de Urt.rutf;i mui fortes
embarazar.
F..->'>- i e
bnn- as e
ln4 \t' "jnarw

r>. a wa>. Bn Ca
tmft eM
Boa ta anaerairif n.
n jnni'. a retara frM-^ <
ib
'3r -alM>A
Ti h*w-v para
Carinis com retrm preso i outras tnres. -r^ai-. ,
raai'-i latrarfas pnr pega "
I,...
Allinclcs para grvalas.
BotOes fom croas para punhos.
Gravatintias e maoliiihas de muito gosto,' punhos.
tanto para liomem como para senliora. i Volias de dito e ontrasqualidade.
Hiquissimosaderegos pelos, assim como Leuues-dc dU crsas quolldades
caixinhas com a linetes prclos. Vend-m-se na ra do Queimado n. 8, loja da
Hengallas de canna com cabo de marfim. tguh "M*-
Ditas de baleia, borracha c de outras Aspas orle? para hala*
militas qualidades, assim como chicoliulios. \ondemseoa ra do Queimado loja da aguia
branca n. 8.
Riquissimos penles de larlaruga do ulti-
mo gosto; assim como de arregaco para
menina, pow nesle artigo ha um completo
Eoriimeoto de todas as quahtlades.
liadeflfiM para cabega-do ultimo gosto.
C-Vowi-acomc para Ungir ca
bfllos.
A aguia branca avisa aos constantes fregoeref
dessa ixcellenle Untura, que ella acaba de rece
Carletras "im aginlias.
Agulhas franri/as. as afamadas.
CaiMMi eoai sMnetes hrmept nm.
flaspas de lialci;i para t
Filas (W nliri |irii|>ri;is para ditnfi.
Caixas com lindas de l9*eHns ir."
para crochets.
Trar.cellim de borra.-ha pret". r t- 1
llnnlf.it fi rilan *r:>ndrn 4t ;r.
donr.i farnuai.
A loja de miudezas ru.i do Qih madA
n. IB, ren-lii-ii um bonito sortian
fivellas grandes para rtlrt ^S
douradas m;..lr.T.T.,a .-lai.aru,,
i-slau sendo vendidas i-m rlila h \ pi r pre- 4.
eos crifnnindos ; assim rumo \> - nj'
KJsWMfe
*
l4Vi"'.
I4.V)
'4. -'i i1* ata- ...
ti- arrim H*a a .",
SMar
''
^4 "-*. diii 1 r
T4
4

Itiquissitnas lilas lavradas a lina. ber urna nova remessa de riyimaci.me, colorirome litas de gorgorao ai-bamalul idi- proni asna-
I'tilseiras tamo para senhora como juira Queimado n. 8. ma ilr prnrira r de ^nr;.
Abridores de lucas.
loja da
aguia
meninas.
Ligas de soda e do algodo.
,,.. ,>,.;.. 1,11 1 )- Vendem se na ra do Lneimado
Suspensorios de seda c de algodao e mu- branca u. 8.
tos outros objectos que so nao poden an- |4>r-| |mitin 11 i'fs
nunciar por nao se tornar onfadonho. de bonitos moldes, loarse eaao de madrepero-
analidndr*. para jairaa mflrr
nlwla-
A' loja de miudezas na do Oi-'"'^"*''1
n. 10. laaalrem rrcrJ mi m
com vidro-1 lares s sasar i, para *-f-
I
>
i
"'

S no Gallo Vigilante ra do Crespo n.7. la : acham-se a venda na ra do Queimado loja fre da vista, assis&romo Potro
-1 T -------'da aguia branca n. 8.
LUVIS de JOUVIII. Bonitas louquinhiis
A loja de niiudezns na na do (Jueima- ^e 116 de linho, cambraia e Nffa HmIm mai bem
do n. IC, resri>eu-as por esx; Ultimo vapor, *nfei'ldas v^dem-se na roa do (Juelmado n.
.\ovid&de.
:'t- Ma di BClsMfiCfai apirova Tn-i.lit<.-ii. n Efltulsit l*nido
tias Jiii- .- lus priiioipai's litados da Kuropa.
A *A..Sf r\lt!i:j \ rJO AYKU .spcriaiiiatiii-; MBCU na
(ni.! di ni dimfiu fue tem ma origem m escrtftitm, na
InfefleJM *mm n-n, il u-i pxocmto du lacmurfo mi < u, ikiIiiu r
iinpur*-j-.a li t$Hnaw
Kmr*'liX!i-* as VMaV m uh que atTHgi'm o f onero humano, nao
ha um: *iiu^ -iinivi-ir-jti lerrivel do que ^ t*C*$/ntlkt por .-i
nao ti* fi' itrnetiva ptnin a r.uisa prBcipal di-inutas cn-
femtrtswiri iii ii.t>.:i4- bo genimentartMbridaw
rl uiirt ettaM diracta da tlataai jntiutunar lio nisii 4a
jujinh,, ettmumffOi mjftteqet *U> ccrrbrv+ jeiirutnalintno
f ajtWr5t.* dt* Ciis :. N ><'"- cyinptoman |M os X'jfuitiU-s ;
Falta ili- ;i|.-!_.;,,. ,-.ju^a e auloza em todo corpo; Muo
ebeJua da baasa, taeaaldanla alido e incliadu, reaea duiaa
alvura trauspur*Jitf, uuti:^< \t:/.v& corado v ama- lio ao reOor
da Ikc ; l)ipi mvo Iraca c ijM'tit > irregular; V*ntre iuoUitto
C 'vacuio.io irrcajalfir; fjiaaafltl ataca os pulnoea/fma^cTir
azulada mofttarae si roda om ollios, guando m .stuni.i^o
sao avtTincIha Aaa, as iK's&uns de dcposlcrio 4^crofulo apparewni frri|U>'tit* monto rrnp-firs na p partfs do aacpO ; nao jVj-i-dispsW- s ftfnvfep doa pxJni&es, do
fil/oxln, dos riiis o do^ urgo itafiafiroi o uU-rinos. I'ortantq,
nao ,'o soiiK-tite .i'ji.'-Ji. quo pnduo-m das formas nlrvro*aB
a tnl*rctili>mi8 da r*rr0f'uta qu* nocossitan do protccfao
contnt,. s ama -tragos ; UjAos ;n|uil*-- em cujo taagM ?xinte
o virus patente dent torrrrj tiagetlo \t ik vezes horodilarJo),
etti "xa-^tos tanitom a aoffcer diu cntirmidadas qoc aaaal
CAUSK.
<.)fforoc*?n! a estn pessoaa um trigo seguro e um anti-
doto cffiv;u<30Utra enta molestia *- BMI coutA-quoncas, na
H;iis,-i|>;iri||ia le Ayer
tfiw .Cf^ra directamente nobre o aaiigue, purrando-o e ex-
jnii.-i.t^!. delle j corrupeo c o veneno da molestia: penetra
toda.- a* parten g todos on orgaon do corpo liumano, Hvrando-
oa da Na .'*','.e' viciada e innpirandodhen novo vigor. K'um
alternar- puiir.i-i miu para a rcnovac/io do angue, e d ao
corpo yt enfraquecido pela doenca forci c energa renovadas
como a* 4a juventud*.*.
l AMISJ.M O UELUOK AXTI-BXPniltTICO
eoxuEcino ;
cura pcrmjiiMnimento an peloren forma* de 8YPHILM8 as
nuan connoqu*?fHxa.s. Pbuca neceasldad* ha de Informar & pub-
lico do incstiuuvcl valor ra um remedio quo, como ente, fivra
o angue dea>a orrupeo # arrelmta a victima das gnrraa d
urna morte U*ut* 4* ignominiosa, porcia inevitava.'! ne o nal
ii..' logo combatido com energiu.
Nao pretondom que este remedio <- infalivol para a cura de todos oa padec-
onenton humano?, o *jue dizemo que a
Salsaparilha de Ayer
a wtihnr preparaco at*^ hoje deacoberta para estas e outraa
Chepararo os boDita- chales e relonda? de guipa-
re- bramos, e veBdem-^e na ra da Imperatriz n.
A i .:_ i_____. l______ a. w\ \
t-ios primciros ndiauos, sendo wu fazend lran>iiartnte e inleira- -'t-Jojadaportrjafga, de Paredoe Porto.
ca Aaiv-icn do ^ul.uo Mxico, b..** .1H _________i_ ,__j_ Z-.__._______._- -----1 -^^-~
mente nova no morcado, e tendo entre elles muitos
ccrles roxos pruprios para >enhora que e.*lo de
luto; e vendeiii-.-e pelo baralls>imo prego de .'!
caa um psra acabar : na loja do Pavo, ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Vestidos a 4
Veodem-se cortes de vestidos a alaria Pia cira
barras bordadas, pelo baratsimo prego de 400
para acabar: na loja e armazem do Pavo, ra da
lmper&:riz n. 60, de ama & Silva.
Manguitos golas a .'00 rs.
Vendem-se manguitos com golas de cambraia
pelo baraSSlUHJ preco de 500 rs., isto para li-
ijuidar : ai loja do Pavo, ra da Imperatriz n.
b, deiGasafi & Silva.
Cortes de (bita do Patito
Vendem-se cortes de chita franceza omito boa
com 10 corados a 25400, ditos com II covados a
25600, dit,s ..-.110 12 covados a 2J800, sto s
para acabar : na loja do Pavao, ra da imperatriz
n. fiO, de Gama & Silva.
Hules de renda a I0>. 12, |:,;4. 205 e 2S^, na
loja do Pavo.
10 125, ditos de linho a 155, ditos de seda de
linbo Oa melhore que ha em chales de renda a
. 20 e 2S5, ditos brancos de tres ponas a <~ isto
s na loja e armazem do Pavo, ra da Imperatriz
n 00, c Gama & Silva.
Novidade
PARA A FESTA
Popelinas a 400 rs.
Popelinus a 400 rs,
Popelinas a 100 rs.
Chegaram para a loja do pavo as mais lindas
popelinas, fazenda propria para vestidos de senlio-
ra, sendo muilo transparentes e briUiantes com as
mais lindas cores que tem vindo, as quaes facili-
tan) fazer-se um vestido com muita phantazia por
poseo dioheiro, e vendem-se, sendo de quadrinhos
mowia nalogC qne mo coiiii.inii.'a.i ios niieran'te* I a 400 i, o covado, e as de urna s cor a 500 rs. :
auis cSeazni conlieciilo.*, e que temos eonaclcncla do nflerccer n-i lua du invii rns its Imnoratrii n fifi
ao iHU'lm o melhor r. mIiu.Io que MMd*el produzir, da Da l0Ja ,aVa5)' O imperatriz D. 00.
ul*ilig<-ucla e pericU medica do aMSM tmpos. \ O'-OUl) 0 COTlP
Vendem-se superiores cortes de cassa, sendo fa-
zenda muito na e de edres fxas, pelo baratissimo
preco de 35000, e dilas indianas, fazendas trans-
parentes, de muita phantasia, pelo baratissimo pre-
qo tambem de 35, para acabar : na luja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Vestidos zuavos.
Chegaram a' loja do Pavao es mais lindos cortes
de vestidos cora o competente zuavo e cinto, vindo
ludo em um carto, sendo a maior novidade que
tem vindo para a fesla : vendem-se por barato
i preco na loja do Pavao, ra da Imperatriz o. 60,
de Gama & Silva.
Novidade para a fesla,
Vestidos de seda.
Chegaram para a loja do Pavo os mais ricos
cortes de seda para vestidos, sendo em qualidade
' o melhor que tem vindo ao mercado; e padroes os
-.((rfc ma's modernos por serem quasi todos listados com
rao i cores mui delicadas, aflancando-se ser oeste gene-
M) ro o melhor que existe ; vendem-se por precos
"y \ muilo razoaveis, na loja do l'avo, ra da Impera-
| IfiP, 60, de Gama ti Silva.
godo.
Veodem-se Chales de renda pre muito finos a J caes d'AP4. armazem de Tasso Irmos.
aguia branca.
CarreUis com retroz.
Na ra no Queimado n.P, loja da aguia branca.
Muita attenefio.
Guimares A Irmo proprielarios do grande ar-
mazem de fazendas e roupas feuas na ra da lm-
Acha-se
i. renda na hvraria Acadmica, na ra do Impera-
dor; na do Sr. Nogueira, junio ao arco de Santo P<-'"i''i n. 'i, lendo recebido um grande sorii-
AntOOio ; e na lypograpbia imparcial, na ra es- 60i? de fazendas de gustu Irazidas por um d..s
treKa do Rosario a compilaco de toda a legislacac soc,os P,'lo_ulllm vaI'or, vem p.rianto fazer sclen-
tond^ote administraco, arrecadaco e fiscali- le aos sennores r senhoras os precos de sua fazen-
sa^o dos dinheiros de orphaos defuntos e ausen- daf,8 tror'os albancam vender n fazendas por,
de ago, soriiilus em pr
foros c tercos de corcaHaa.
A anlifia lij.i de mni'li/;i-
Qu-imarlu n. Iti. rereheu mu .n-
roas c lerros dec irnalina, os
a disposiro nos bons chrislos ;n
lerSSI comprar em ilila luja : M a 4
Quciniadn n. If.
kVIspoujns Otan* grsades e pr-
SJMBBB
Vende-sc na na do iji i.a le
miudezas n. I (i.
A anliaia laja de aiiarirza* aa na da
Qarimada n. K, ar>*l>a de receber :


r-r
0
lee. berancas lcenle lecados ete eoniendn nin menus zu p.ir cenio do que un ouiia qualquer v _
s o regiment de cusan ITl'ei eradalTUS Parle nau s P^ > "'" a" emo rabem Nu"J ***** tsa para t
{oes., como tambem lodas asrdeos e avisos do jjorsor a r?s,a "mpo este que as Exmas. senhiras
goveroo. que a tudo tem explicado, tanto a respei- devera ni"!"r se dobom e ,ira,. a saber :
to asoirigaci's inherentes ao eario dos difieren- llicos cortes de laa rom barras.
tes empregados de justica e fazenda, como dos di-' Vndese um grande soitinienlo de cortes de
las com barras tendo todos os pericnces, camisi-
nha com gravalioba e miiIo, sendo os mais novos e
moderos que jem viudo ao mercado, dilos de TrasfI branra.'Te seda para enr.ii,,.
os muflo razoaveK5 '" ** *"' Bon"" "'" t)"nr!,s U<*' r ,a*n,,a<
lias escocesas com lisias de seda.
Vende-se um bonito sorlimento de lasinhas es
cocesas a 500 e 560 rs, ditas transparentes de lis
tas de seda a 320 e 360 rs.
Perealias finas com lindos descaaos.
re tos oacionaes e emolumentos que sao devidos.
Este Jivro contendo mais de 700 paginas em ntida
iapreaafio e bom papel, e prestando-se a ntilidade
de differeEies classes, torna-so recoramendavel.
Seu rusto 05000 por cada exemplar em dous
omos.
Machinas de descaro^ar al-
soillt inl.^rqil- >.
Biro de seda l.rancns e prel -s com vidriibo*. e
dihVi rules larguras.
Trancas pretas aafij vidrilhos.
Casoarrilhas de seda de diversas aafSi e ov-lde-
novos -, ooir.'s enfeiladas rom bien* t ? Babadinho' de cpda.
REMEDIO DE AYER PARA SEZES
Infalivel as febres interraittentes, remitteutei,
, Febres Biliosas e tercis. ral do figado, in-
cremento do baco, cet;ueira. Dr no
ouvidos e palpita'..es, quando
ao causados pelas
FEBRES INTERMITENTES, O REMITIENTES,
As preparadles de I)i. Ateb sao vendidas era todas a*
Boticas e Drogaras do Imperio.
Vende-se em Pernambuco:
na
Vendem-se iperiorrs presuntos de Westpha-
ha, chegados no ultimo vapor: na ra do Trapi-
che n. 9,
Breo em barneas pequeas.
Cera em velas de lodos os tamanhos.
Bogias.
Mercurio.
Ka ra do v igario n. 19, primeiro andar.
ouira*
aasnai le
ai f..iB*o-
cores lambem h*a e lavradas
ladas para rinlos, larga.
Fivelas grandes de aro, di-oradas, madrer*r. a e
tartaruga,
ftnniias ligas de seda para senrmrav
Leques de cndalo o outras qualidade<.
Je?d'fet,,',?das CS?1^ moi, inas 360> Li"ds deliradas eafrile* para bar-
loo, 4^0 e 500 rs., chitas de todas as quabdades a i
I
VENDE-SE BARATO
Junio da tvposzraphia do Diario, ra
das Cruzes n 42
Maoteiga.ingiera fina a 15 e 15280 a libra, dita
franceza a 900, queijos prato a 800 a libra,ditos do
reino do ultimo vapor a 25600, dilos frescaes a
25200, viDho Pigueiraa 560, dilo Lisboa a 480, dito
Eslreilo a 440, caf 1" sorle a 280 a libra dito 2* a
240 a lihra, amendoas a 280 a libra marmelada a
640 a libra, cha da.India a 25800, dito Ison a
35000 a libra.____
Vende-se ama mohllia de amarello j usada:
na roa estreifa do Rosario n. 17, 2 andor.
a sarca *aeea; o. 14. Milho a 43500 e 50000 e em cuia a 240 rs., farelo novo a 45000 a no armazem da Eslrel, largo do Paralzo
Cal de Lisboa
na ra do Brum n. 66,
Vende-se a 55 o barril :
armazem de assucar.
3*
(17
deP.MAURER&C'.e
RA NOVA N^l
Chales de renda
Paredes P^rto, na ra da Imperatriz o. 52, porta
larga, vende chales de renda de cores com peque-
no toque de mofo, a 35500 e' 45, fazenda de 10J
e 125000.
saber de precos 280, 320, 360, 400, 410, 480 e
500 rs.
Cassas francens miudiiihas.
Vende-se um grande sorlimento de cassas miu-
dinhas seudo as cores seguras a 280, 360 e 400 rs.
Cambraias brancas (raosparenles.
Vendem-se pecas de camdraias brancas trans-
parentes a 35, 4, 45300, 55, 5J500, 65, 65500 e
75, ditas muito unas cera urna vara de largura a
95 e 105.
Chab s de merino linos.
Vendem-se chales de merino linos sendo com
estampas bonitas e modernas pelo barato preco de
75, 75500 e 85, dilos lisos com lindas cores a
45, 45500 e 55, ditos estampados a 25 e 25500.
Crinolinas ou baldes.
Vende-se um grande sorlimento de crinolinas a
25500, 35, 35500 e 45.
Tarlatanas linas a ti 10 rs. a vara.
Vende-se tartalana de cores pelo barato preco
de 640 e 800 rs. a vara.
Manas para bvineni a 1 300.
Vendem-se mantas pira hornera as de ais gos-
to que tem vindo ao mercado pelo barato preco de
15300 e 15300, tudo isto s na ra da Imperatriz
n. 72, loja de Uuimares & Irmo.
Tiras bordadas a I .
Algodao trancado
Vende-se um graude Mrliaaaata de liras borda-1 d* fabrica de Fernao Velho : no escriptorio
e aaseias.
A amiga loja de miudezas na rn do Q.ioinn.1
n. 16, receben novos e lindos enfeii p.,r F-ailf*
e passeios, iodos de mnilo fasta e MBfiJBafifMi *..-
vos, variaodo o pr*-co lailaa ronfo-m* a -np^riori-
dade : os pretndeme os arharao em di;a l-ja. oa
ra do Qoeimado o. 16.
rinascapella para aana**
MHM.
Aehaowe i venda na roa do Queimado. lop r
miudezas n. 16.
Itmiihs louquinhas
de fil e cambraia, lardada* e enditada- : va-
dein-st- na roa do Queimado, loja de mimlezas so-
mero 16.
Lonelos de dous vidras ctm ara de ara, sfala
e larlaraga.
A loja de mindcizas. roa do Queimado
n. 16. receben um helio sorlimento de lo-
nelos e ocl'Ios de ridros com armafo finid*
ac, bfalo c taririiga, e os est;i vendendn
por precos razoaveis: os pret menles diri-
jam-se a esta leja na ra do Queimado o. 16.
feriara tP*m
ear;
'
ra irn'i- ',iiiisisa> i t> .rf afajuai. .
r*frw4a*
\'-m*r -- -nf>-rv r m- rtn* r *
rmr r >i il> i > z
a I5*M eva*. Um *
- -
....
Tnr ( r.tat.rt > 4 14
o. roa 1 mpprtmn m m-. t
ana fnmr-
rV*V* P. r>
n-rr%rm f*tt aftrivn pttf .
araoasjtna* mnv w*sv^ ta*
ci .ad". i^rn >rjai-
i larga |Hr
da lmp*ramr a -i
rartlp r*wm
V-a> xm n ipl. w -**.-
braiira* n m> j*a *#{*
*?. *r ** aaMV> fmr ajara pa> %-a
eran a iV. 2*> :rS* ) r*
aawVn gttaw a 3a*. W* r*. m !>>. Hri*
a e JW r
'A. jnrin a p.idafia fc>
Piw'ihva *fi)l
Vend uasta- *> tm a*
ron a I." r- .> mraslV. nr**-1*
320 r- i. r..n... aja* 4 lij> -.'
a paitara tnmrm. f na ara
Part|>ji f\f\"
fUrrbrm Naaaa f*11" *uam*' > r--
An N>. arT> -. .f -
nann fcxmrm a tf. ir* n-'V -Mt
hor^T** r m? a 7g. i*m B
elao *r rln>\ m
lo a paan. franr-ra
W-or
a
-%'fenc'o.
aai .
no escriptorio de
a 15,1 Manoel Ignacio de Oliveira & Filho, largo do Ca*.
po Santo u. 19.
das a 15 cada urna e pecas de eolremeios
15200 e 15500.
Camisas franceas para hornero. ^Tvende se urna negr.nba de idade de 10 aa-
\ ende-Mi^ arraia^ aroriamento de camisas fran Dos : a Iraur na ra da Imperalri/ n. %%
cezas a 15800, 25, 25500, dilos de peilo de liaOo
a 35, 35u0, 45 e 45 : isto na ra da Imperatriz
n. 72, loja de Guimares & Irmo.
Roupas feitas.
Vende se um grande sorlimento de roupas feitas
assim como sejam : paletots, caigas e colletes de
pannos e de casemira tanto preta como de edr pa
A' PEGIIINGHi!!
53fina Direita53
Salitre refinado moiio flooH> Vende-se a fabrica de charutos e cigarros
da ra do Arago n. 32,-bem afregpezada : a tra-
ta r narnadosCoelhosmSI
Aieovo
Vende-se relogios de prata dourada por mnilo
barato preco ; na praca da Independencia n. 18
____ 35300, bataneas finas 55, pentes e enfiles para
Vende-se um cavado ruci pedre com 7 pal- senhoras tudo de bom go>to modernos, bandeja*
raos de altura multo b^m de cabridel ; na ra da finas, tudo pelo barato preco que s cora a vista s
Sgledadeq. 19, podara ver.
/-
Sabio in rm rVr. in rm
ro. aa livraria *> U
Cmi a. -"i
F rnlrv> nn pwm avrV prr t L 5 ra>r
aovn. 7- *#k>. afHia(aaV m
a-ir. >. a ariiawaiaaav H% acara*.
eat tt rmt. arre KJiHW
3a RN-Mn Iivran > swaj>ai aa
tes do nir <> ramw
fMrrMaark #> mi'inm araatar. >
.1 ol. rm 9a r%r. arere 9H-
lli-t >ria aainral par mmtmt mrw** I m
e a* ear., aren tjMa
Indo de raafii ti i a atada > rivatti*. o i
das besaaa awsrr. *m m ranmwm. m rafiaa,
r do aseen krarfcara. ea fi*. p-rr* 1+
X* arara da raa>iiefci a I.
Jas Marra ttmrtra, rrw* ~
Cerveja aas. rerrr ra
rereatftenle an aavw ajafin Ma Bav
lli-rnnin laglrl rtiat fia
dolar hintia hanttarcam mor nata t ,
ja aqu ao vem a lalm t
Vinho*
SaaerVar viaho o Para dta i
ratafia a> foraafal-
dada a rafia aa eaita* a a*VlBBa*<
barato arera.
Ha ta
oxia. brai roa. fiimaiafiuii #r <
aba uaafii do Para, a aam* se
aaaajadaaara araaar.
ta araaaaaa da farretra
propno para
ron lucia : aa
aadar.
\
'Wra


Diarlo e Peroarabnco Terca letra 1* de Dezembro de % 8.
.
W4KB
N. 11Ra do QueimadoN. 11
A' casa de Augusto Porto chegaram pelo vapor l'rancez ricos cortes de
vestidos de seda de cores dos mais bellos gostos, proprios para bailes,
partidas ou casamentos.
Calales de Guipare pretos e brancos.
Bonets de palia da Italia para senhoras.
Moir branco e preto. ^
Bonita seda para vestidos,
Casemiras de quadros.
Estbiras da India para salas.
Ma(lapol5es fraucezes a 400 e 500 rs, a vara,
lilas para vestidos de diversas qualidades, e
gostos diffreentes,
Q que ludo se vende pelos mais commodos precos.
COR TES SIE SEI*;%
Cbejarara pelo paquete inglez riquissimos corles de moreaatique de cores, e seda lavrada
roes Dteiramente novos.
Seda de quadros por 1$000 o covado
5-RA DO CRESPO -5
Gregorio Paes do Amaral ffc Couipanhia.
0
m CUBE rERMHICAX*
Gregorio Paes do Amaral & Companhia.

ato
mm-m
AO RESPEITAVEL PUBLICO
A tabella abaixo publicada serve de base de presos,
tanto deste armazem como do armazem progressivo pa-
teo do Carino n. 9, principal armazem ra do Impera-
dor n. 40.
Offerecem a todos os convidados, do esplendido baile do Club Ptriaabotm
seu bello eescolhido sortimento defazendts de pliantasia, chegad pelo Orn^rnt, at
consta das seguintes especialidades.
Vetido Cesarlas.
Linda e nova fazenda de l-brilliant, transparente, con lista e flores de sed.
padres do ultimo gosto.
r ,. SEDAS
Lm cortes padrocs novo?, escuros e claros.
Em pecas nioireanlique liso ondeado e lavrado.
dem estampado com listas e /lores.
Tarlatama.
Resta urna diminuta porcao de cortes de larlatana branca, enfritadns eaprkfco*a-
mentea cores. Todos os amadores de partidas e afea, Mi cmpralo para soas m-
uas estes vestidos, j pelo diminuto preco, ja pelo bonito gosto.
., EXFEITES
a imperatriz Eugenia e a rainha Victoria que adaptara com moita H*gsaa
Jouvin A C.
Resentale o nosso mercado da falta absoluta das venladeiras l*ri< fa Jmmm.
lomos a satisfacao de poder anntincia-las a nossos freguezes pelo prp o de :t*OOQ o par.
h grande a economa vista da flexibil dade e bom acabado,'que Ibes da m
iduracao sobre as falsificadas.
Trlnta diversos objeetos
Proprios para o complemento dos enfeites de vaaa como
suspensorios, etc., gostos os mais pliantasticos em dentelle puto
Mandam-se amostras.
D. ademas e peales de lar taraza
15 a primeira vez que vem esta fazenda ao mercadu.
a convida as Exmas. senhoras a urna breve compra.
P r CBIWI
Lom ivellas de madreperola gravad, tartaruga, metal, et<-.
Chales de filo de aire.
Nova remessa, uestes cbales e retondes a dur.s mais cores em xadrez Jlada te
pode julgar do majnifi :o effeito destes chales, sem experimentar ; as pessoas oue os de-
sejarem mand iremos amostras.
E urna infinitadle de fazendas do gosto, como sejam:
Chales de fil preto de 10$0<>0.
Os mais ricos vestidos para menino de 3 a 6 annos.
Colxas de croeg e pannos de labvrintlio.
berthes. costasen,
I laam uto etc.
A peqoena porcio qoe res-
I
i

t
Para vestidos de senhora.
Curies de seda de cor de bom gosto e superior qualidade.
Lindas sedas de quadrinbos.
IV ns inoireanliques de cores.
Grosdeaaples d-> todas as cores.
Lindos poil d clievre fazenda assetinada de neira nmdade.
Lidas duquezas assetinadas f.izenda inteiramente nova.
Modernos greuadines de seda o que tem vindo de mais novo.
Grao.le variedade de laas de cores lisas e de salpicos.
Organdys e ca-sas de muito bom go. Percalias modernas com grande variedade.
Lindos cortes de la Clotilde com todos os pertences cada um em seu car-
tan inteiramente novos.
B >!iscirtcs ile ca-sa con barra tambero, inteiraminte novos e outras muitas tyP
fazendas" de gosto que seria enfidonho mencionar.
- Para hom'irns de senho-a
Grande variedade de chales, bonmoox, retondes e algeriennes de fil
" guipure a 10, IG, 20, 30, 40, 60 at 805-
Modernos soutemharqaes de seda de superior qualidade.
Landos bertes de seda de cor pretos e de cachemira.
dem de cambraia branca bordada commuito gosto.
Fazem scicnte ao respeitavel publico, e com especialidado aos senhores de en-
genhos, lavradores e mais pessoas do centro, que paramis facilitar suas compras deli-
oeraram os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir todos os seus estabeleci-
mentos em um s annuncio, pelo qual o prego de um ser de todos, promette-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicada, annunciar os gneros
por um preco, e na occasiao da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em outras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se "dar islo
ainda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
serao tam pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela qual se ver os precos tal qual annunciarmos, o que senSo arrepender pessoa
alguma que Bzer sua despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
3 por cento na sua despeza diaria.
Tif branco e fil de seda.
Superiores bales de dina, recommendaveis pela longa duraro I bom talbo.
Tudo a v
5 RA DO CRESPO 5
e de,

Sautembarques ebourmux de caehimira de cor e outros muitos artigos de^
bom gosto.
Para cibera desenliara

al
V/i
Superiores chapelinas depalha, de seda e de crina de muito bom gosto aim-'-'a
p-ratriz. ^
f'-ft;. Chapeos de p a Iba da Italia grande variedade. &>
L n los gorros e bonets de palha de Italia, Imperatriz, Canotier, Clotilde -
ranl chegadosde Pars pe'o ultimo vapor.
Grande variedade de enfeites defroo) e de llores para casamento.
i iperroTes vestidos de blouJe. e de moireantiqae brancos.
B-ms tireanliqies brancas e superiores sedas brancas.
Boos .c-iiliis da tarlatana branco bordados.
Lindas mantas de blonde e boas capellas. j
Bardados. *
Gi ni le variedade de entremeios bordados transparente c tapados.
Ti as b irdadas transparentes e tapadas, babados bordados, saias bordadas e'
outros muitos artigos.
Qfl ANTONIO CORRBIa l>K VASi'.ONGELLOS & C.
RIJA DO CRESPO \. 13



A LES9MA
,cc>
tfantejga i gleza perfeitamente flor che-
gada ltimamente de. I.ooo a I,loo rs. a li-
bra, e em barril ter abatimento.
Manteiga franceza da safra nova a 80o- rs.
a libra e em barril ter abatimento.
BANHA
Banha refinada superior a Gio rs. e em
barril ter abatimento.
CHA
Cha uxim de primeira e superior qualida-
de a 2,8oo rs.
dem hyssen o melhor neste genero a
2,0oo rs., e sendo em porcao ter abalimen-!
to, tamlaem ha proprio para negocio de t a
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de l,8oo a 2,3oo rs.
a libra.
Biscoafos
Serveja
DO
VL40
DE
n AZEVEDO FLOKES
Kua da Gadea do Recite, esquina da Madre de Dos.
Grande sortimento de fazendas per atacado e a realbo e om completo s.rt-
Superior serveja Bass dos melhores fa- ment0 de roupa feita, de caseinira e de brim, tudo por menos .jue emoutra qualquer
bricantes, como sejam: Sblers & Bell. T. F. parte: qcm dovidar venba ver.
Ashe a 7,5oo e 7,ooo rs. a uzia e a 7oors. CAIit'AS
a garrafa. Tambem ha de outras marcas \9 initac a finkmae iIimn, ...,. i i .
como Se|a: ViCoria o Alcope a S.ooo rs. a do- SSSUfBTJE SS SU'""""' "'"""" *** ^
zia e a Soo rs. a garrafa. Paletos
Superior vinagTe^de^aoa a 2,ooo rs. a J Xm p^? CSUraS ^ ** "^ ^^ ^V*' **
caada e 280 rs. agarrafa. Tambem ha rolletes
mais baixo para 2oo rs. a garrafa e l,4oo rs. | de boas casemiras pretas e de eres e de lino I, ,m branco.
CAMISAS
Superiores camisas francezas de 2,) ate 5#.
MAMTAS
Novas mantas de seda para pescoco de hornero.
a caada.
Azeite doce
Superior azeile doce de L'sboa a 6io rs. a
garrafa e a 5,ooo rs. a caada.
Momos
Macarrao e taherim a 360 rs. a libra e a
u,ooo rs. a caixa.
Latas com superior biscouto inglez de di- ( Passas
versas marcas a l,2oo rs. a lata. Superiores passas a 3,ooo o quarto e
Bolaehiohas l2,5oo rs. a caixa de arroba hespanhola e a
Latas com bolachinhas da acreditada f:i-!5oors. a libra.
PELO ULTIMO PAQLKTE
Grande sortimento de bales de arcos ecoberlos de panno.
brica do beato Antonio, proprias para dar a
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata,
dem com qualro libras de bolachinha de
soda a 2,ooo rs. a lata.
Queijos
Qneijos flamengos chegados no ultimo
vapor a 2,Soo rs., tambem ha do vapor pas-
sado a 2,3oo rs.
CHOCOLATE
Baloes de arcos encarnados os melhores que ha no me cado.
Bales de arcos brancos, tambem os mais novos,
Bales de arcos escuros, a primeira vez que vem ao mercado.
Bales cobertos de superior musselina.
Bales cobertos com pannos de cor.
Estes bales encarnados e escuros devem ter um completo acolhimenlo por lote
Genebra de laranja verdadeira a lo,5oo a as senhoras, pois tem a vantagem de nao se sujarem; como acontece com os brnr
duza e l,ooo rs. ao frasco. *
GENEBRA
0,ooo
PHEPARADA NICAMENTE POR
LAN1AH k KEIF,
NOVA YORK.
Composta de substancias, gozando das
pr iprie la les eminentemente depurativas ;
approvada pelas juntase academias de me-
dicina ; usadajnos principaes hospitaes, ci-
vis militares e da marinha as Antilhas e
no continente americano ; receitada pelos
facultativosos mais distinctos do imperio do
Brasil e da America bespanhol
CUSA EADICALMENTE
es ropholas, rheumatismo, escorbuto, en-
ormidades venreas e mercuriaes, chagas
antigs, moiphea e todas as molestiaspro-
venientesd'nm estado vicioso do sangue.
Emqnanto existem varias imitaces e
talsiicacoos. preciso a maior cautela para
evitar os engaos,
A legitima salsa de Bristol vende-se por
CAORS & BARBOZA
JOAO DA C. BRAVO & C.
Juo da C. 8ravo & C.
Deposito geral em Pemamouco roa di
Cruz n.it em casa de Caros & Barboza
t

r?S-fS
avariado.
Francez barrica 5O00
i'ortlaDd dem 8o00
Em perfeito '.-.tado:
PraDrex barrica 10^000
Portland dem 12*000
No armarm <1p Tasso Irmaos cae do'ApoHo.
Vend:- ee urna Dpgfinha de 10 annos, com
principio di) habilidades : na ra da Aurora n.
SO.
I LOJA DO BE i JA FLOR
Na roa doQueima<1o n. 63.
Ncsla luja prtanosos vapores se recebe luvas de
; pellica braocas e decores, tanto para hornera como
para senhora.
Votas,eruzese brincos.
Chegou no ultimo vapor um grande sortimento
de voltas e cruzas, imitando cornalinas brancas,
asslm como brincos da mesmae decrystal do mais
apurado gosto que se pode desejar, foi s quem
receben : na toja do beija-llor, ra do Queimado
n. 63.
Enfeites para coqae.
Assim como receben enfeites para coque e ou-
tras muitas qualidades, que se vendera mais barato
do aue em outra quafquer parte.
Bonecas que chaniam mami e papai.
Tendo recebido um grande sortimento de bone-
cas que chamara papai e mami e movem com os
olhos, muito bem vestidas, com cabelleiras, o
que pie haver de gosto neste gnero, e vende se
mais barato do que era outra qualquer parle.
Balaios.
Assim como nm bonito sortimento de balaios para
menina de escola, tambem ha muito bons penles
para desembarazar, guarnecidos de metal.
m Jachas de Hamburgo
Ji? todos os paquetes da Europa se recebe jj($
f destas amigas do sangue humano e se ~"M
L vendem a troco de penco lucro s aflm ^
SS de ter sempre cousa nova : a loja de bar- jfc
yl, beiro ra estreita do Rosario n. 3, ao p *.
fm da igreja. H
um mmm mmmm
colares Royer ou colares ano-
dinos
para facilitar a dentigao das crianzas e preserva-
las das convulsSes.
O feliz resultado ohtido immen*as vezes pela
prodigiosa forga magntica dos colares Royer, dos
casos de convulses, e denticao das crianzas, tem
altamente elevado o seu bem merecido prestigio,
e hoje j* se pode dizer que esto geralmente con-
ceituados, e estimados de innumeraveis pais de
familias : de uns porque do uso desses salutares
colares viram salvos do perigo seus charos filbi-
nhos, e de outros porque colheram daquelles tao
proficuo ezemplo para igualmente preservar os
sens. Assim, pois, a aguia branca, tendo era vis-
tas a ulilidade eproveit' desses prodigiosos cola-
res anodinos ou Royer, roandou vir o nevo sorti-
meDto que agora recebeu, e continuar a recbe-
los para que em lempo algum a falla delles possa
ser funesta aos pas de familia, os quaes flearo
certos de os achar constantemente na ra do Quei-
mado, loja d'aguia branca n. 8.
Vendem-se duas escravas recolhidas, de ida-
de 23 a 24 annos, excellente conducta, engommam
perfeitameote e fazem todo o servico de urna casa :
na travessa do Carmo n. 1.
Vende-se um sitio era Bemfica a' raargem do
rio Capibarlbe, com bastantes commodos para urna
grande familia : trata-se na roa Nova n. 24, das 9
horas as 4 da tarde.
Chocolate hespanbol a I ooo e l,2oo rs. ha garrafoes com 5 e 14 garrafas'de 3,2oo
ibra, trancez e suisso a 1,ooo rs. a libra q ooors. cadaum.
Genebra de Hollanla verdadeira a
rs. aftasqueira e a 5Go rs. o frasco.
Idom de Ilollanda em botijas a ioo rs. ca-
da ums.
Garrafes com 24 garrafas de genebra de'
Hollanda a 8,000 rs. o garr.fao. Tambem;
a
ARM1ZEHI ItB FAKKID1
DE
e portuguez a 800 rs. a libra, em porcao
ter abatimento.
VINIIOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Vellio Secco, Lagrimas do
Douro, Maria Pia, D. Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a l.ooo a garra-
fa e 9,ooo a ii 000 rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3,ooo,
3,5oo e 4.000 rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 64o
rs. agarrafa ea 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de LisboL e Figueira em
anchetas de 8 e 9 caadas a 24,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
VELAS
Velas de spermacete a 6io rs. a libra,
dem de carnauba de lo a 12,ooo rs a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
PEIXE
Peixe em latas j preparado de l,ooo a
l,2oo rs. a lata
ALPISTA E PAINCO
Alpista e painco muito novo de 3,8oo a
4,ooo rs. a arroba e de 14o e 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mais acreditados fabrican-
tes, como sejam: Joo Furtado da Serrias,
Manoel Peixoto da Silva Netto, Castanho &
Filho e Brandao e de outros muitos. os
quaes vendemos pelo mdico preco de I.600,
2, 2,8oo, 3,ooo, 4,5oo, e 5,ooo rs. a caixa.
Licores
Licores francezes eportuguezes a l,ooo e
8n. l,4oors.agarrafa^uJrasco.
Doce da casca da goiaba e caixes pe-
queos a 7oo rs. e de 00 caixoes para cima
a 64o rs. o caixo.
Frotas
* C .
CUSTODIO C AI3VA fcMIO
27 RA DO QL'Ei.MADO N. ti
Madapolo francez muito Dno, tendo pouco mofo, cada peca com 27
103000.
Llia de c res a 300 rs. o covado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a preco de 800 rs a vara.
Lencos brancos para algibeira a 25' 00 a duzia.
Fin s perclaras a preco de 400, 440a 560 rs. o covado.
Ricos cortes de lia de barra de 103 a 3O-KH)0.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.
varas por
CONSULTORIO NEDICO-GlKl'RGIC
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa e
7oo rs. a garrafa.
CAF
Caf do Rio de 1.* e 2,a qualidade de
6,800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
ABAO
Sabo maca de primeira qualidade de 18o
a 22o rs. a libra
em caixao.
Frutas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pera.pecego, ameixa rainha Claudia, al
perche e outras frutas aoi is. a lata,
e de 16o"a 21o rs. sendo! Tambera ha latas grandes para l,2oo rs. a
'lata.

DO
Uvas pelo ultimo vapor.
Peras pelo ultimo vapor.
Macaas pelo ultimo vapor
Ameixas pelo ultimo vapor.
Passas pelo ultimo vapor.
Figos pelo ultimo vapor.
Fructas seccas peto ultimo vapor.
Fructas em calda pelo ultimo vapor.
Nozes pelo ultimo vapor.
Vendem-se quatro burras mulo mansas, boas
de carga e de seila, per prego commodo : a tratar
l 00 hotel de Franga. |
Queijos londrinos pelo ultimo vapor.
Queijos flamengos frescos pelo ultimo vapor.
Presunto fiambre pelo ullimo vapor.
Tudo se vende barato nos seguintes armazens:
Rna do Imperador n. 40. Verdad el ro Principal.
Roa do Qnelmado n 9, UnlSo e Commerelo.
Largo do Carmo n. 9, Progressivo.
i)R. PEDRO DE \TT\HYDE LOBO WOSCOSO,
HEDICO, P4RTUIRO E OI'llItlIOR
3 Ra da Gloria, casa do Fuudao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os das das 7 s 11
Qoras da manho, e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepro dos das santit. i
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisaces e pelos precos segniaim.
Carteiras de 12 tubos grandes. 12d000
de 24 tubos grandes. 18J000
de 36 tubos grandes. 245000
de 48 tudos grandes. 305000
de 60 tubos gran les. 355000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e coa os ro
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 15000.
Sendo para cima de 12 cuslar5o os precos estabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 res.
kM \ ICO*.
A melhor obra da bomeopathia, o Manual de Medicina Homeopatbieo do Dr.
dons grandes volumes com diccionario............ 20501
Medicina domestica do Dr. Hering..........' tOrjonO
Repertorio do Dr. Mel* Moraes..........\ 65000
Diccionario de termos de medicina..........\ ;j.yioo
Os remedios deste est ibelecimento sao por demais conbecidos e dispeasai por
ianto de serem novamente recommendados as pessoas que qui/.erem osar de nmmmm
verdadeiros, enrgicos e doradores: ha tudo do melhor qoe se pode desejar. ftofcos de
rerdadeiro assucar de leite, nolaveis pela sua boa con?ervae3o, tintara dos mais acretfc-
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparacSo, e portaoto a amor
aoergia e certeza em seus effeitos.
(.asa de saude para escravos
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-Ihe fHMpnr
iperaco, p ra o que o annunciante jnlga-se suficientemente habilitado.
O irat-imento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica.
funecionando a casa ha mais de quatro annos, ha mu i.as pe>soas de cojo conceito
pode duvidar, q ie podem ser consultados por aquefles qoe desejarea a
lenles.
Paga-se 25 por dia durante 60 das e d'ahi em diante 15500.
Asoperacoes ser) previamente ajustadas, se nao se qnizerea lojertar
razoaveis que costuma pedir o annunciante.

--



Ciarlo de pcruaEufcuco JTerca feira 13 Je Drzembro de 18G5
0 PUBLICO
cra o menor constran.
glmento se entregar o
Importe do genero que
nao agradar.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
AO
ATTEigftO
tabeEia 6 para todos, p4 -
i^endo ass!m servir de Uf
se para o ajuste de cobtas
com os portadores;
RESPEITAVEL PUBLICO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande rma-
sela da Liga estabelecido ra Nova n. 0 um magnifico sortimento [de molhados,
queseado em sua maxim-- parte mandados vir directamente do estrangiro"podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interossante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm .fliancar, com toda a seguranca de qne
nenhum outro o exceder no restricto campamento das seguintes promessas:
V Delicadeza 110 trato.
2. Fidelidade no peso.
3.' Siuceridade nos precos.
As pessoas que por sua posicao social gozara de certo traamento, acharSo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos nissimos manteiga e cha semprede
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condifo do freguez, elle deve contar que ser sempre mul-
to bem servido.
Aquellos que sao pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de
mnitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se Ihes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucr, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem eu nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que tompram para ne-
gocisr, devem vir, pelo sen proprio kiteresse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pdde vender barato.
P>ra os senhores que compram para tornar a vender existe um sortimento 'spe-
cir!, escolhido por pessoa entendida que certamenie muito deve agr lar aos senhores
compraderos.
N3o se tem poepado sacrificios, nem se dcixar de fazer a diligencia para agr-
Car a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DIMIIEIRO A VISTA:
A : Gpaixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
ALPISTA a 120 rs. r libra. urna,
dem e painco de oitp libras para cima a: u
i 00 rs. | KIRSCH de Wassf.r a 20 a garrafa.
Arroz de 90 rs. a libra a........ -t
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra. LATAS com graixa a 80 rs. cada urea.
Avellas a 2i0 rs. a libra. Letria a 400 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas e todos os ta- j H
manhos. i MANTEIGA inglcza e franceza de primeira
dem idem em potes de todes os tamanhos. qualidade a 1$, a libra,
dem dem em bocetas de iodos os tama-Marmelada dos tuais acreditados frbricanf.es.
nhos. Macahro e talhawm a 320 rs. a libra.
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando PARA REM DE TODOS;
ir < nhoras, o aceio que presidio aos arranjtjs deste novo estabelecimento, e mais que tndo a prompti-lao e inipi-
>rao tratifl9S| i nvida a urna visita ao mesmo, crtos de que som duvida me darl5o a proteccao e prcfrren.-ia na um-
KIV.il,
a* isa uo iiucliaaiio o*. 49 e
LuDilua .i veud< r ios ;->
detiara por pMf ;. M
a*aaa da paAMt liiadi pin
EpatbM OeD-odura.
lii nel> lie oliadu | ;it* Dn i 11 i
Dito. tit (i uik siiptrior
Kra.-ios kui siiptikt Iil
MeiadM lie I MU Irt Xa |ai I
( XM com 100 envrli ;
- i | GfOXM de batei n i
t 140 rs.
Caiai raa 50 noitcs n i
Cana* ro uj 11
Pt<_;i> de Bll bfaara i l..-in ., n
Varas iie braatja te Ha iw: ,
IjU rs.
Raiullus mi
NoveMw de in.i ; Lito- i; i da r i i
Pares de tu Idea i>ara i lm o, la* i
Tmvrai para oriuia- -i
400 e l.
C^ixas de peonas de
UOIO.
Hmmm rom nprrh i


.
i-
Manteiga ingleza especialn ente esccHiida a
i,ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. era barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Gh perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra,
dem hysson muito superior em latas de 45
libras muito proprio para negocio a 2,0001
Pares de >;< [ it< "i V
Carias ri te i i i -
Libras oe l.ia w rl
Caitas nm aa*rre e*r< m i
Rudinha ron all.
a 20 r.
He.-rra- (! p^[ e! r.'n
Senhore
ezacom que sero trainus; uviua a urna rana au UM39U1U, uoiwb iic i|uc mu uuviuo mi? udiau a proreccao e proicrenria a em
rra dos gneros que precisara fl e quando n3o possam vir poderao mandar seas portadores, anda que estes lejam pnuco praticod
pois ser3o to bem servidos como se viessem pessoalmcnte, havendo para com estes toda recommendaciui, afim de que nao vo eni
tra pi'*1-
Aletria, macarro e talharim a ioo rs. a li-1 Sal refinado em frascos devidrocom lampa para na, ia;.r.
bra e 6,ooo a caixa. do raesmo, a 5oo rs. Uuzhs de tomas un. tiqa*
Massa para sO|ia : eslrelinha, pevide e rodi-1 gerveja branca das marcas mais acreditndns
nha branca ou amarella a 64o rs. a libra e, que vem ao mercado, a 5oo i6o e 64o
3,5oo a caixa com 8 libras. a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e'o.ooo a du-
Vinho do Porto muito fino proprio para i zia.
eiisrarrafar, em ancoretas de S caadas a I Cevadinha de Franca muito nova, a 2oo rs.
3i,ooo rs. Charutos do aflamado fabficinle Jos Furta-
Vinhoemppa: Porto, Figueira e Lisboa al do de Simas, das seguintes Dualidades:
32o, 4oo e aoo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
ifL

i O rs.
Dntia> r : ;. r t: ;
Tall tu torio Bm ; i rs 'r i
Fuleira.- psra n rfJhVsi i > r-
Iiila- e volias para i nh' ia a .".<>.
Fia.-ii de AfU i i ntcti
I-1:, i o? ri i:i -i![ ri' r I i I
dem de m> rnsrt !>' >s>ssa a 3ri r-.
Caisa? n ni !) art s fas 3<
400 rs. coda
rs. a libra.
dem idem em frascos de todos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira quslidade a 560 rs.
a garrafa.
Alhos a 200 t. o molho.
Absyntiio a 2C00 a garrafa.
B
BOLACIIiXIIAS do Beato Antonio em latas;
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a I 3800 a lata, e
de cinco para cima a 15700.
dem de so la em latas grandes a 2000 e
de cinco para cima a I800.
Biscoitos inglezes de todas as qualidades a
15200, !$230e I03OO.
Bolo trance? em caisinhas a
urna.
Batatas nglczas.
Baniia de porco refinada.
c
CHOCOLATE francez a 600
.dem suisso a 1-5 a libra.
dem de musgo a 15500 a libra.
Chouucas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a'240 e 260 rs. a libra, e em porco
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 75000 a ar-
roba.
Conservas era frascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 15^00 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
agarrafa, eem dnzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mosejam: Xormas d'llavana, Exposicao, k
Flor do Brasd, Par sieoses, oecias, Gua-
nabaras, Trovadores, Kegalia, Mississipes,
Paneleos, Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha da todas as qualidades e de todos os
precos, hysson, husim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 25000,
22"0, 2)5(30 e 25800.
Coros lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 25300, 35500, 45 e 55.
Cauces de todos os tamanhos.
Cognac superior a 15 e 1*500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinhos.
I>
DOCES de todas as qualidades : brasileiros,
Massa de tomate a 60 rs. a lata.
Mostahda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho inglkz de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a .
Massas finas para sopa branca e amarella a
60 rs. a libra, em cuxs com 9 libras a
35500.
Mii.no painco c alpista, sendo mais de 8 fi-
bras a 100 rs.
M
NOZES a 120 rs. a libra.
Nauos em latas a 800 rs.
O
Ostras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a 15C00,
todas as qualidades, como sejam save!,
guras, corvina, pargn, salmo, pescado e
pescadinha, [aguado, sardinha. etc., etc.,
Peras em lates, excellente preparaco.
Palitos para demes a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em quarto a 15400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muitc nova a 230 rs. a duzia.
QUEIJOS flamsngos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem sqssos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a li'jra.
QUARTINHAS OU MORINQUES a
II
RAPE' Mearon a 15 a libra,
dem Princeza do Rio a 15200 a libra.
dem francez a 25500 a libra.
H
SARAO massa a 160 rs. a libra, era caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 re.
de Len a 2??.
Sakdinhas de Naetes de todos os fabricantes,
dem de Sctubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
Seg muito novo a 100 rs.
T
TGUCINHO de Lisboa a 320 rs. a Ufara.
Toate em latas a 600 rs.
Tinca azul e preta para escrever.
V
VINHOS1
Principe Alberto, de 1831, a 55000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 25 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 15500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 25 a garrafa.
Duque a 15 e 15500.
portuguezes, inglezes, fraucezes, etc. etc. cha4miss0 a l&> l)jaoo e imoo a garrafa.
B
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
irvadoce a 400 rs- a libra.
FARIXHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra.
dem de araruta a 320, 400, 500 e 800 r.
Figos de comadre a rs. a libra.
FeijAo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fono do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 15-500
D. Luiz a 15 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 25 a gar-
rafa.
Carcavelos a (5-
Colares a 900 rs. a garrafa ; o nico vi-
nho que se pode beber por notercom-
posicao alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Jalien a 600, 800 e 15 a garrafa.
Absyntho a 25 a garrafa.
Kirsch a 25 a garrafa.
Wermouth a 25, e a caixa a 185-
Bitter Maurer a 15 a garrafa,
Farello ta sempre em deposito de 500 ajVinho figueira em ancoreta a 205.
800 saceos, de todas as qualidades, de to- dem Figueira e Lisboa em pipa a 25500 a
dos os tamanhos e de todos os precos. caada.
ATTEIfCAO Canrbraias.
Vende-ge as otarias de Jos Caroeiro da Cunha' ( Parede Porto vende cambraias lisas Anas, gran
em frente ao hospital Pedro II, e na roa dos Pra- de sortirnento, a 3J at 6J, ditas Victoria muito
zeres n. 38, telha superior de barro de agna doce a finas, com 10 varas a 62, 62500 e 7$ : na roa da
305 o milneiro, alvenaria batida a 30?, a ladriio Imperatriz n. 52, junto a padaria fanceza.
a 265000. i ______________________________________________
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oo rs.
dem preto o que se pide desejar neste ge-
nero a "i,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Lingrjicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chourifas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oors. a libra.
dem prato o 8oo rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
FaHnha a3$5>o
Vndese farinha de mandioca, saceos grandes :
ao armazrm dos Srs. Tasso Iratos. na pooje aova'
pelo prego cima mencionados..
Cfaegucm aos corpinhos de cambraia.
Vendem-se corpinhos de cambraia com ntre-
melos a i e 52, esto se acabando : na loja de
Paredes iforto, rna da Iraderatril 0, 52, poria lar-
ga, jun.o a padaria franceza.
Exposicao Normal do Harona, Imperiaes, jg* 5*J"'' ';'", |!
I nn.lrlnn r.,n.i t. r. i Lai > o'allii i .> frar f 7'> a
Londrinos, Goanabanis, Parisienses, Sus-: y,,,,.,,,,,.,,,,,,, i ,,r, ,
Vinho branco de Lisboa de excellente quali- piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo,
dade a 4oo e ooo rs. a garrafa e em cana- 6,000 e 7,ooo a caixa ou'em'n eis. '
da a 3,000 e 3,5oo. Charutos finos de diversas marcas e fabri-
Vinfoo branco para missa em caixas de 1 du- cantes, como sejam: Flor do forte, Ma-
sa a 8,000 e 680 rs. a garrafa. nilhas de Havana, intervallos,Vencedores,
Vinho do Porto das melhores marcas que Panalellas e Suspiros, a2,ooo,2,5co e
vem ao mercado como sejam : Lagrimas 3,000 a caixa.
do Douro, Duquedo PorU, Rainha de Por- opnac inglez das melbi-res marcas, a 800 e
tugal, Duque genuino, Luiz 1, Madei- i,2oo a garrafa.
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo, \ Doce da casca de goiaba a 2,000 a lata com
12,ooo e 10,000 a caixa com I duzia e9oo, 4 libras,
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa. -Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
Vinho Cherex de superior qualidadea 16,ooo j fibra,
a duziae l,5oo rs. a garrafa. 'Matte.excellente cha para os navegantes, a
Sardinas de Nantes a 4oo rs. os quartos e! 200 rs.
64o rs. as meias latas. ; Sebollas de Franca muito grandese novas
Bolaciinhas nuezas muito novas a 5,ooo a a 1 (80o o cento e 1,2oo soltas.
(iraala* di 1 ftri -. f r
Pa|pi^ de apnlhas, (*


OiZ, CAZ. UZ.
Gaz em laia> 1 ii>-i! u<- .'-
rado, vcii'i.....1 r
Manoi-l Fi-rnaml. l Carta 2 .
nm ii. 41, e na rna iU Um? i' i'
a loja de tuDilheirn, (Mal
Fernandes da Coala.
dem suisso o mais superior que ten vindo | barrica e 320 rs. a libra. i Palitos do gaz a 2,oo a prosa.
ao mercado a 64o rs. a libra. Bolachinhas de soda em ?atas de diversas' Toucinho de Lisboa muilo novo a 32o rs.
Ervilhas e favas pnrtugueas j preparadas i qualidades a 1,3oo rs. libra e 8,5oo a arroba.
cm lates hermticamente lacradrs a 64o. Certcs com bolo francezauiito proprios pa-
Feijo verde muito superior a 640 rs. a lata.' ra mimo a 64o rs.
Copos lapidados para agua a 5,oco e 5,5oo fassas multo novas emeaixinhas enfeitadas
rs. a duzia. para mino a 3,ooo rs.
dem idem para vtnhc s 24o rs., e 2,4oo rs. Passas de carnada a 8,-ooo a caixa e 4oo rs.
a duzia. a libra.
Chocolate francs hespanhol e suisso a 9oo: Figos de comadre a 24o rs. a libra.
il&Ci A^G Fl
l.ooo e l,2oo rs. e libra.
Espermacete superior a 6oo o 64o rs. a li-
bre e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas herir.eticamentela-
cradas e das meiliores qudidades de p3i-
xe a 8oo, l.ooo e l,2oo rs.
Vin!;o Bordeaux tjs marcas mais acredita-
Amendocs de casca r:ole a 4oc rs. a ibra.
Milo de amendoas 5oo rs.
Bolachinhad'agua e sal, da fabrica deJoao
de Brito no Reato Antonio, era lata de 6 li-
bras por2,5oore.
Ameixas francez-sem Tasco de vidro com
lampa do mesma, a l5oe.
das que vem ao nosso morcado a 7,-fioo e Ameir.as franc zas em caixiilbas de diversos
8,ooo acaixec64o c'7oo ris
Baaba de poico refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemente tem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do MaranhSo muito a!va e cheimsa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversasH'1 v.-
qualidades a 2,5oo e l,Soo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a i,6oo, ,6oo e 3,5oo cada una.
Ruibos, excellente peixo porluguez, em
barris pequeos ou a relalho, a vista se
far o preco.
a gar-
rafa.
Genebra de II3!".anda a 4So rs. a botija de
conta certa.
Frasqueirade genebra de llollanda a 6,8oo
e 64o rs. o frasco.
Azeiton3S de Rivasem ancoretas grandes de
tamanhos com bonitas estat; pas na cai-l 8 garrafas por 6oo e Soors. a garrafa,
xa exterior, a ,4oo, l,6oo, I,8oo e 2,ooo Azeilonas portuguesas a 5oo rs. a garrafa e
cada urna. l,5oo cada urna ancoreta.
Azeile doce refinr.do hespanholou portugus Champagne da mellior qualidade que ven
a Ooo rs. a gerrafa e lo:ooo a caixa. ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, c
j Batf-as muito novasa 8o re. a libra e2,5oo j 24,ooo e 26,ooo o gigo.
Genebra de larcnja verdadeira era frascos; c gigo com 36 libra-. Gomma deengommar muito alva a 12o rs.
grandes a l.ooo el I.ooo rs. a frasqueira. Conservas i nglczas a 7$o rs. o frasco c a libra.
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. a li- 8,5oo a doa. Figos em sextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
bra e8,5oo rs.a arroba. Vacsouras de escova pare esfregar casa al rs adnzia.
Caf do Gear muito superior a 24o rs. a li-: 4oo rs. Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
bra e 7,5oo rs. a arro'ia. Noxes muito novas a 16e rs. a libra. ; Balaios para roupa suja, grandes e peque-
Arroz do Maran'o de Ia qualidade a loo Mo.ho inglez em garrafa vidro coa rolha nos, por diversos precos.
rs. a libra e 2,8oo a arroba, ; do mesmo, a 16o rs. Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra,
dem da [mita a loo rs. a libra ell/too a llestarda ingfeza dos mel.ores fabricantes. Latas com fructas em calda: pera, peceo,
arroba. a 8no rs. o frasco. ; damasco, rainha Claudia e cerej'a, a 8o
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4-co a ar- Mestarda franceza em po'.es j preparada a I rs.
roba. ioo rs. o frasco. i vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a farra*
Painfo e alpiste a 14o rs. a libra e 4,ooo a Lentilhas frncezas. expe'.ente leguree para I fa e a 1 /mo e 2.ooo rs. a caada.
arroba.
Massa de tomates de superior qualidad; a Rio
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-
mo.
Fupio no ata l
n c Libaaaa, Masa M aos -.
tal i'ilu> cuinoi ^, i-ii.< itfw i.
rusto d>rariMa>, < i>n
e.-|iifrt*:i l*-m Mi >'. .- M
podi r tu m Li r, r na si ii
e o i uno um rala 11 *t*itasa aa *.a*J
xails. '*t a i- roas ,
M*i 6 Boler-na. Ir\iu *aM
da saatlN rol rasa ilaa en-- r
liada lia p< nri > da- a KimiI i;- I i ?
hu(|U"ri|i' Mi'IIp. n "M r r I i i *
l'arsli\lia : rigawsc as al i
oraa dalla ti\- r
da ni pa ron^u/am a' rna I- -
hf sgrartei ^ -" artisaa"
#
I
ise
Fncio o Asi 4 4a rarrraJs n-- '
a 6 i ras ti n ai 1 ,ia. a -< < ,
efiuia aarsa, il i I
n ais i n i -.1 aa i ii '-i i '
r< u-a S' i -'iii ii- ; k-v -i- v .
Sr. Car* il da in ea I 'rala, aaaeaj
enpeiiho de i-Brte v. I> li [ I;-i, "*
petar li ve a ii -i -: '
sa fi-\ Ik ara i n l i ; <<<. ________

.- -
i IIC
sopa, a 2<*> rs. a libra. ; Azefe dore de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
Merrasqutno de Zara prepriamente dito a \ e 640 rs. a garrafa.
5 a garrafa e : 1.000 a duzia. Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. 1 i
Prde-=e a Hias a-
iroi ir forr '.!" !' 1 '
esciavo Mmia) que se n 1
do parrad, n 1
estatura r. pular, n; ?n\ ral
rorii ?, f.: la da -
.- n ;i anda 1
fellr-'. K--'- 11
na aranaii a ros r Jk
i; m / >,a ra 1 da Cria 1 WL v
qw dil ..-11 .v-i s r-nhn t I
ile (Hm;ia n: Af-u-a'1-'-. Pl r' "
liouvi r ar. utaia dM
preheader leve o a ro -
casa do delaarao, dan
, rr eir ea .3.
Kerife. |.
-errhrr do
PeSitoa de dente a 14o rs. o maco.
garrafa.
0^"Mi3 o o ". as 3 O S
-: arn --B^' o^"K

~D
7 2.
o _
= S o
03 CB 2J
X =
s-
>i
|S-2
^ o ana.
3 3 B
c
.. a
c rr>CD
Cb
t"
o 2 o
s
^3
de
rs
i: ra
CD
3
u
co
-!_
-g-a 3
3
O aa
B 2.
g-3 E &S5 3 a S S-ao g
o
03
^ m f3
o, g, a.
O 01
' co
O

a
as"
O.

te
B
o_
H"
a>
O
'a

o.
R: t
01
i
5563
=J
a; C
- -'
a *
o
as
O
o
as
fj
O
o
o
as
8-
-o co
as
^ 3"
es-
ifiiiAu
trafealhar a eio
dlccaro<;ar a^godo
FABRICADAS
Por Plant Brotters & C,
OLDAI
Estas macina
podem desea* o^ar
f.qaalqaer especii
^j'dfl algodao sen
estragar o fio
Tasso Irmos
Ven de 111 no ch annazera roa do
Amorim o. 35.
Licor fino Curaco em otijas e sneias botijas.
Licores Anos sortidos em garrafas coca roMs da
vidro e em lindos frascos.
VinhosCheres.
Santernes.
Chambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagaiol.
*
0 castello de Grasville.
Traduiide do francez por A. J. C. da Cruz.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 3dOC
aa praca da Independencia, livraria ns.
6 e8.
I*
dao era earo$<
em 40 minuto.
ou {8 arrobas:
por da ou o ar-
robas de algodar
iimpo.
Assim como machinas para seren movida?, por
animaes, que descArocam 18 arrobas dc-algodo
Iimpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
eutr 35 dessas machinas.
Cs mesmos tem para vender um bellissiiao va-
por que pode fazr mover seis destas maoiiina
mensionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agrioaltores a virem v6r e examma-lo, no asaa-
sem de algodao, no lar^o da ponte nova a.47.
Saoiders Brothers C.
M. II, pra^a de Corpo Santo
RECWE.
Os nicos agentes neste paiz.
MI?
" Vende-se um sobrade de dous andares no
bairro de Santo Antonio, o qaal rende para mais
de 1:2005, e urna casa terrea no bairro
um cabriolee americano de qaatro rodas para duas
pessoas, un outro para quatro pessoas, ambos
com arreios, bovhs e elegantes, por preco commo
o : na roa da Ponte Velha n. 8._______________
Vende-se um cylindro, urna masseira, urna
balacea grande e urna dita pequea, com todos os
pesos e mais ntenctlios de padaria : a tratar Da
ra Direila n. 24.
Hom e barato
Manteiga ingleza flor a i& a libra, franceza a
840, arroz do Maranbo a 100 rs., painco a 120,
; amendoas a 240, caf do Rio bom a 240, vinho da
i Figueira a 400 rs. a garrafa, e 3,5 a ranada, Lis* I
i boa a 360 a garrafa, e 250O a caada, azeite doce >
a 600 rs. a carrafa, vinagre de Lisboa a 200 rs. a
garrafa, e i500 a caada, queijos do uliine vapor
a 2s300 : na ra das Cruzes n. 24, esquina da
travessa do Ouvidor.
Fraineisco Jos Germano
RA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento tle orulop, lunetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gosto da Europa e ocu-
los da alcance para < bservaces e para os
martimos.
No i-mazem de tazendas
baratas de Santos Coelho
Rhi do Qncfniado a. 19.
Vende-se o seguinle :
Ccbertas de chita fina 3. 2$8O0.
Ditas de dita a 25400.
Lenci-es de panno de Ikiho a 22O0.
Ditos de diio do lindo a -5.
Ditos de tratn.'inte de Jinio de um so panno
3-200.
Panno de lirrho fino com S 1|2 palmos de largu-
ra { elo barato prreo de 25OO a vaia.
.Bramante de linho fino cc-m 10 palmos de lar
gura a 25500 I vara.
Pecas de cambraia cora salpicos braneos Je de
cores com 8 1|2 varas a 44500.
Pecas de cambraia adamascada propria para
cirtlnado de cama com 20 varas a 115.
Balees da arces a 25500, 35, 35300 e 45.
Lencos de cambraia lina a 2^600 a dnzia.
Ditos de dita a 25 a duzia.
Athoalhado de linho fino a 25800 a vara,
Jito de aJgodao a 25 a vara.
Agcdo enfestado com 7 1|2 palmos de largnrs
a 15200 a vara.
Pecas de hreranha de rolo com 10 varas propria
para sa,a a 35500.
Fil de linho liso fino a 800 rs. a vara.
Dito de dito com salpicos a 15 a vara.
Cambraia de linho fina a 45500, 65500 e 95 a
vara.
Cortes de laazinha de lindos gostos com 15 co-
vadosa 55.
Peras de madapr lao Onissimo pelo baratissimo
preco de 85, 95, 105 e 115.
Planella branca fina a 600 rs. o cavado.
Dita de cores lina a 880 rs. o covado.


Bi-
Pcde se a toda* snternIaiV-
(|Uer que o .-ni-inl:-' sfir--nei
\\- nii. qi arta fut
;rti>. -1 r d OS n-
ref ular, su ci>, dsdrniaiio. ;
um 1 i'UC r n a- i>rn -. I
ii'a ansa P" roH t 1 i".i ra
nas ru-i.is > na< aad- 1
lam < n: antiga*, <'. 1 a
ios de irt.idi'. fun.n ip: rr.- v-\
Iraja crnu-a de ratapa j:i ra. om '1 ni.
,-o de palha nn 1 ir- niro qu- -iiv a? r
Iha, ll-a de j:n har na rna e ilej.; '
da ra mi |i:l he:.n.- aja diz>mt-- .ji a [-..irn
semana, a i naoa i;i--- i| prri Mi 1
ripi" i!a ra 61 >'.< rredor i'n Hi-
ni iva d- An unir, r.u- sera h. m r.c n -
Eserara fgk
N.i dia 10 da oc-v. rnbro fup:n a 1 mhi
eoanaraVi am^n-Bn hmri rar*aa
do Sr. Mam el Salvadi.r il--,>i
Bnnilii. (M-ii'in a escrava dnu Itarrvi-
ros ; riunaiaj vinie c tari- s aom .? i^taav. xu,
feia, rosto rerli-ndo. te-la ron, i nmi-i. nr-
oas linas, um i-onco omlupuda aarti ni'-, mM
felo. levou nniao rte rf.iu rnr d- n p*-
qoeno, ludo ja usado : rogase a aninn** .
limes de ld-nil'i 011 Bezerri a c*f.io'.i nna *%
crava. na por onde for eDCnatra^a. a-im ajj
proiesia se mnira queni a liwr
fica-se bem a quem a troixer a rna ir>tta wm-
mero *5.
6ratifece tie Ss.
Ansenlon.se da rasa n. 59 da rna rt*m
(outr'ora Colleam) ao sal-hadn 16 *< eorn-aa aaaa
oe setembto de 1865, o escravo pard-
qnim, com os signaesseguiui-- : Malura reputar,
idade 18 a 20 annos. sea barba, re- ara
grandes, rabeilo corrido, co ama notna 111
e bem visivel aa testa, parle des axatj da
arruinados, e rom falta de ataan >< baa.
com calca de M| pardo e paleM rarh> V
mas levou mais roopa branca e de tor. e
astucioso, cosiooia intitular--e f rn-
cado ; f- i esrravo do Sr. Goiiher
Souza Carvalho, georo do toado Sr <
Manoel Goncalves da Silva : raga-se a -na
a todas as autoridades polinaes e a aaaaM
pito de campo on corra pessoa parnrniar aj
apprehender se gratificara rom 5t<5. aien aa 1
peras de conduccao, entregaado-o a ---a
Miguel Jos Al ves, na rasa arima, ra wn
criptoro na nn da t'rnz ra-a a. 19.
Em casa de Phipps Brothers & C, mi do
da Boa- Vigano -o. 2, vendem se cofres de ferro, provade
Vista a tratar com agente Olympio em seu arma-1 fog, dos afamados fabricantes Milner 4 Son, de
zem aa ra da Cadeia do Recif n. 34. Liverpool.
-- No dia 20de setembro iraim 1.
fio do engenbo Terra-pre**, *n abai\c
esrravo Juliao, crionlo, de atara
Baldes de musselina para menina 1 35, 35500 de 30 annos de idade. poora barba, lea
e 45-
Cambraia de forro a 35 peca.
Dita fina a 45500, 65 e 7? a peca.
Guardanapos de linho a 35800 a dnzia.
Toalhas de algodao felpudas duzia a 125.
Esteira da India propria para forro de sala
de
4,5 e 6 palmos de largura per menes preco do
qne em outra qualqner parte.
Neste armazem tambem se encontra nm grande
sortimento de roupa feita e por medida,
P. a*- aj.
'-Htma>,
ar. ari-aaat
-es bra
feilos e pernas, muito fallante, a' m tt nw*.
tem o dedo polegar de nma aaao r:-i*> para aVa>-
trn, inda nm nma rarta felfeada, i a rra 1
el Amaro Gomes da Coa**,.
ca foi sor rado Me esrravo, fui
a Porha Lima e Guimairs : qoca pegar lea* a*
mesmo engenho 00 do Berife a' roa da UndD af
Alexandre Correa da C. Juior, qoe sera beta aa
compensado.
Alexandre Correia da 1


X
IW

y\


Diarlo de rernamhnco Ter^a fe ira 1 de Dezembro de !)*.
LITTERATRA.
t
I.1VIK
SCENAS DA VIDA IRLANDEZA,
mi NOVA i <- m .11.
(CoDtinuago.J
III
de seu cunhado autes de sua morte, e de conce-
der-lhe e'receber om inleiro perdao por lodos os
dissabores que haviar existido entre elles.
Mas apenas linha terminado sua orago de gra-
gas, quando recebeu tste escripto assiguado pela
mo moribunda do marido de sua irma :
Senhor, coin quanto vos tenha perdalo ludo
que fizestes para conservar a idolatra em meus
A chuva cania em borbotas sobro as vidragasda dominis> > 6o todos os meus esforcos para
capella em que o padre S. Joo celebrava missa.
O velho Diniz e seus coiupanheiros orava.n com
um fervor que nao os perturba n;in o ruido da sa-
raiva, que balia contra os viJr>s, uem as convul-
foi eutao que o filtio protestante velo para casa,
vada entre vos, vossa familia e a mioha. Ser-vos-
ha prohibido o ingresso em miaba casa. Vossoetc.
Martin Cal?erL
ses das janellas.
Paulo de Lacy eslava ajoelhado sobre os degraus
jj altar; sua attiluJe linha um cunho de gravida-
de e de modestia.
Seus aiversos movimeutjs no santuario, suas at-
tencoes para com o pairo, o tom das suas respos-
tas, ludo'linha urna graga tal e revelava um tal
icspello, que era fcil ver que elle comprehendia
e apreeiava a dignidade do seu ofllcio.
Em torno do altar esavo sir Joo de Lacy, sua
mulher, seus fmulos e os aldees.
Logo que o sacriclo lerm.nou se, o velho Dlniz J*" e faz,am ecnar em seu Craca0 as dores. Pun
evantou-se e seguiu o sacerdote sacrista. geT' 4,Ue S Um verdaue,ro ca,uolico Pode com"
.. .... prebenden
Lom licengn, reverendissimo, disse elle ; ja
que o Senhor vai em pouco lempo arrebatar-nos de Destruio-se a paz de sua alma, sua sade se en-
juntos de nos, e de novo deixar-n >s orphos. te- 'raqueceu acouselhou-se llie que viajasse e elle
neis a bondade de dirigir algunas palavrasaes po- resolveu-se a azd-lo.
bros que estao na capella ? Ver laderamente, re- Qom diai Diniz> di5sp faalmeut3 sir Joo.
vareudissirao, sao maravillosas as noticias que es- Estou pesaroso de vos ter feto esperar tanto tem-
a manhaa ouvimos sobre o minis.ro e sua igreja, p> B eu de,ja |w ejlas cam9 ,oJas de iod.
sobretudo sobre sua amavel mai. E possa Deus, p, a jm
e;n sua misericordia, c onsolar seu corago depois
dj magoado pelas mentiras e calumnias destespro-' ~ ->ao faz mal> excellentissimo, verdadeiramea-
testantes que querem faze-la urna renegada, urna te nada>teuh0 a fazer seno estar a disposigo de
e a igreja protestante foi edificada.
A pobre viuva, cujo corago estava magoado,
continuava.a rifar amando sempre seu Bllio como
urna mai sabe amar, e esperando que dia vina em
que Deus, na sua infinita misericordia, dissiparia
todas essas sombrias nuvens de heresia que tora-
vam sua casa tao odiosa a seus olhos.
Sir Joo va o detestavel edificio erguer-se cada
dia, ao mesmo lempo que oS-boatos de aposlasia,
da parle dos obreiros rlaudezes, feriam seus ou-
sa marinha sobre es vaporas de guerra argentinos tendo Justificado, em forma bastante, serem os mundo inteiro a sua urisdiego a poder espiritual,
surtos no porto de Corrientes, de cojos gloriosos j ditos animaos da sua legitima propnedade, offere-1 A esse livre ejercicio a igreja tem direito por
feitos das armas naclonaes Acara scientet as tro- cando pagar a attengo que aguarda de S Jos instituigao divina, e por consequencia o pontiflee
pas desta guarnigoe igualmente as do acampamen-itivera no pasloradouro aos ditos animaes, supplico' romano, estabelecido por Jess Christo cabera e
to de Pindapoy. | respetosamente a V. tixc que se digne de Indi- cen,ro de ,oda a igrtja- A,sm com0( po,,,,,^ ao
Nesla mesraa data mandei o capitao Alvarenga, "rine 1ue devo a"f a resPt'l dos dltos int9-, bomem necesario ama habitaco e roupasjara
e o lente Zorrilla cora seos respectivos batalb5es resses' faieDdo Psente a V. Exc. qne, por causa ; cobrir corp0) paTa que posga v(ver abrgado do
a se incorporarem eom as torgas de Pindapoy, le- dof a;t *" an'maes> dertou um soldado da ,emp0) assm lambem aQ e Tom w^
vando cada umdellesoseu correspondente parque,refenda guarda, ha ponco lempo, e igualmente sar0 0 poder ,enipora| para bem e ulilidade da
igreja, para que viva com liberdade, e se mostr
ivre a todos no exercicio de seu sublime cargo de
pastor universal dos bupos e dos Seis.
de artilharia ; tendo deixado nesta guarnico o
alferes Flix Bargas com 113 homens de tropa, in-
cluindo um sargento e dous cabos do batalhae n.
16, para servirem de instructores, pois esta guar
nirilo carece nimio delles.
Passei revista aos batalhdes regimentos desta
do pa^to destes animaes, desertou um soldado da
referida guarda, ha pouco lempo, e igualmente
neste servico oceupam-se muitos cavallos do
estado.
Dos militares reformados desta vila e dos dis-
tridos del Carmen. Trinidadc, e Jess preencherei
as vagas dos que foram dispensados do servieo al
a data, sendo mea proposito levar ao supremo
A morle de Christo
[
guarnido, e fiquei convencido de que todos estes connecmento da V. Exc. os estados pessoaes na Vde-o, co'a cruz aos hombros se encaminha
corpus esto formados de soldados ulei-, excep-
tuando alguns poucos doentlos e muito velhos no
regiment n. 27, composto dos reformados, como
igualmente o batalho n. 8, que compoe-se na sua
toialidade de velhos e bomens doenlios, otis, po-
rm, para o servico dos pontos da fronteira.
Com os reformados que devem vir dos distric-
tos inmediatos, tratarei de substituir os velhos
e doenlios do regiment n. 27, para reforma-Ios
juntamente com os enfermos que sao de diulcil r
cura. ,
O batalhae n. 41 e a mor parle do batalho n.
33, composto de recrutas engajados em duas dis-.
(netas pocas, acham-se inteirameDte atrazad3
nos exercicios doutnnaes ; mas termo o empenho
de apressar, quanto for possivel, a sua instruegao
para faze-los pegar em armas e torna-Ios aptos para
eutrarem em campanha muito brevemente.
minha prxima commuoicaco, depeis de ter feito Do supplicio ao lugar :
as Teforraas necessarias nos corpos e formado Em bagas mil seu precioso sangue
trocos do excedente.
Deus guarde a V. Exc. por muitos aenos.Villa
da Encarnaco em 20 de abril de 1865.
l'M POCO DE TUDO.
Na Estrella do Norte l-se o que segu :
O DMHEIliO OK i. I'KIIUO.
lnitrucqo ao povo
Em forma de dialogo.
P. O qne o Dinheiro de S. Pedro de que tanto |
boje se falla?
R. E' qualquer quanlia, que os catholicos do
ao Santo Kadre Pi IX, para ajuda-k) a fazer face
as despegas publicas, as quaes ja nao pode salisfa-
0 regiment o. 33 acba-se no mesmo estado de zer com s seus recursos ordinarios.
traidora a religio de seus paes, no em tanto que
olli esta tao Qrme em sua f como eu ou melnor,
jmo vos mesmo, reverendissimo.
Meu bom amigo, disse o padre S. Joao, dai-
:ne alguns instantes para fazer minha acr;o de
gracas, e para logo sere todo vosso.
Com effeiio, reverendissimo. sera vos faltar ao seus deveres.
V. Exc.
O que que vos iraz de madrugada, Diniz f E
1'J.jue signilica este rebanho de aldees qaa eu vi
ajoelhados abaixo das escadas ? Idos dizer-me que
o ministro faltou as suas promessas para rom el-
les, e que esses desgranados voltam de no-?o aos
respailo, que mais agradaveis aceOis de gracas po-
dieta fazer do que restituir a Deus e a' sua Santis-
iima Mai o que o diabo Ihes havia roubado ?
Que queris dizer cora Uto, miz !
Se vossa reverendsima uvusse afastado os
qUios do soallio qaands descia o altar, vena ajoe-
]lidos ah os maus velhacos que prometieran! ao
Dimz centou a sua historia, ou melhor, a historia
que Peter Cuiten contara diante delle.
Elle linha um olliar perspicaz, e inmediatamen-
te reconheceu que a sua narragao alliviava- os
seus ouvintes do grande e pesad j fardo de sua
vida.
Suspiros ligeiros e alegres se escapavam do pei-
miuistro de Ihe prestar seu concurso e abandonar to de sir Joo, e, antes que a historia tivesse ter-
a Santa Religio de seus pais. Porm agora ver- minado elles deram expansao as suas lagrimas,
dadeiramente se arrependem. e vossa reverendis- i O velbo Diniz nao soube mais que fazer.
sima nao Ihe de-ve voltar as costas. para tira-lo desse einbaraco Paulo conduzioo-
Envia-ra'os, meu bom amigo, e eu os rece- P"a a cozinba, oude se havia preparado o seu al-
erei. moV-
- Desejo dilatada vida a vossa reverendi ssima.! Meu JVei> ita, seria muita liberdade da
YM j ouvi-los todos, depois irei levar esta boa m,una Parle rogar-vos para que vos informasses
noticia aos senhures, que Deus os ajude I
Sua reverendsima deseja dizer-vos urna pa-
lavra, murmurou -Diaiz aos seus companheiros,
quando airavessava a capella. Euto abnndo lu-
gar a nebro familia que se dispunlia a passar di-
ante delle, seguiu-a silenciosamente at a salla, on-
de eslava preparado o alraoco. A tempestado li-
aba cessado, e um sol lumiuoso bnlliava alravez
das jauellas da escada. U velho Diuiz o cootem-
plou, e vio seus raios ferir a doirar a torre da no-
va igreja.
Gracas, meu Deus, o sol deixara" para logo
de Iluminar assun esse velho gallo dourado, collo-
minba
desses desgranadas que eu deixei na capella. O
contramestra da nova igreja deve estar bastan-
te zangado, inaldizendo e praguejando a minha de-
mora.
Ei-los que chegam, disse Paulo, e muito ha
tempo para beberem urna chicara de caf quente,
pois ,U'.- a manhaa est muito hmida.
atrazo que as tropos soprameocionadas ; a datar
de hoje, porm, praliea-se com elles a ro<^~- 'Te-
vidade na instrueyao disciplinar para po-k .n> es-
lado de desempenhar a campanha. Os mais cor-
pos de Infamarla e ca val lana acham-se j promp-
los para qualquer servicu de campanha.
Hootem preslou as mnilias mos o juraraeato
da le o sub-tenente i." de cavallaria ciaado
Manoel Cabral, promovido a lente 2.* da 1.'
companhia do 1.* esqoadro do regiment n. 29,
segundo ordena o supremo despaebo da sua pro-
mocio.
Nesta mesina tarde tratarei de passar ao acam-
pamento do Pindapqy, com o flm de revistar as
tropas all existentes e de fazer ouJras observa-
res eoncernentes rea-uisacao das forgas da-
ijuollo acampamento, de cojo resultado Kerei a bon-1
ra de dar eonhecimento a V. Exc. na prxima com-
municae,*}.
Neste mesmo momento me foi commaoicado por
um soldado mandado pelo offlcial encarregado da
guarda de observaco da trincheira de S-. Jos, de
ter sido p.'eso um desertor do acampamento de
Pindapoy pela guarda que se acba na roargera, no
momento em que o dito desertor, querendo apro- j
veitar-se da escurido d noule, tratava de desalar
ama das eacoa que estavam all, para fazer com
ella a sua passagem a esta parte, e que, conbecen-
do o offlcial iwe o preso pertencia s fbreas de
Pindapoy o- remetiera disposico do raajor Du-
arte.
P. Porque dizeis qualquer iptanliaf
R. Porque esta pode ser grande ou pequea,
segundo as posse* c a boa isposiyo de cada
um.
P. E aeaso poder essa quans.-a ser de alguns
vinteus?
R. Sen> duvida : de seis, ue quafr) e at roes rao
de um vu.^in.
P. Mas se esse dinbeiro para t> Santo Padre
Po IX, porque se ha de ehai ar dinheiro de S. Fi-
ar o, e nao da Pi 1X1
R. Chama se asslm para indicar, qae o d-se a
Pi IX na quaitdade de swjc or de S. Pnlro, e por
eonseguinle sa qualidade de Vigano de Jess
Shhsta e Cabera de toda a i hristandade.
P. Porque dizeis que a s erta feita pelos ca-
iholicos f
R. Porque os idolatras, o mahometinos, os ju-
leus, os hereger os schisn ticos e os incrdulos
nem reconhecem no
iL'ario de Jess Chris-
Aiieudtfnlo s continuas desertes que ha
Agradecido a voss alteza. Que Nosso Senhor naquelle acampamento, mandei dar novas ordens
vos iei'uuipeuse
excUmuram lodos.
{.Continuar-u-ha)
1IILAHIU DA I.LtlIHi.
(om o Jim de satisfazer ao publico transcreve-
em todos os pontos, para ijue sejam vigiados com peias.
Dais cuidado os passos e caminhos por onde pos-
sara fuglr os desertores, eujo primeiro resultado
acredito ler sido a captura que hoje de noule se
detodasorle nao amara, e
Summo Pontfice- Po IX o V
lo;, e porque tambem, se por '.motara soccor.*-e;sera
as precisos do-Santo Padr*, nao poderiam ser
propriameote considerados como auxiliadores do
Dinheiro de S. Pedro
P. Quereria agora saber po?que o Santo Padre
nao emprega de outro modo os- seus rendimenlos
ordinarios ?
1!. Porque tiraram a mor parte de seus Estados,.
pela revoluco e pela inva-Ai; donde resaltou
Qcar privado das rendas necessarias para occorrer
as multiplicadas e- dispendiosas administracoes e- a
divida publica. Tiram-lhe quas todos os rendi-
meolos, e o detxaram sobrecarregado de des-
P. Sero grandes as despezas do Santo Padre?"
R. Multo grandes, e em propo*cao do pouco que
Ihe deisaram, pode-se dizer que sao enormes.
P. Mas eotaocomo podero os catholicos satis-
Inunda a trra ; j sem forra, exange,
era pode respirar I
cbe a custo a montanha do Calvario;
No fastigio chegou ;
Arvorado na cruz, a' Mai querida
Disse o extremo adeus; do peito a vida
N'um suspiro escapou I
Rasgou-se o veo fatdico do templo!
A trra estremeceu I
Traja luto a natura e a humanidade
E o sol, perdendo a luz na immensidade,
Cobre a face no co I
II
Cumprio se o que estava escripto
No livro das prophecias;
Ello, o divino Messias,
Preuado n'aquella cruz 1
As faces tao denegridas,
O peito aberto co'a lanya
Pela furia da vinganca
ijuiz ter o manso Jess I
Quz ter: com tanto que as portas
Do co aos homens abrisse,
Que do peccado os remisse
A troco daquella dr;
Quiz exgotar esse calix
Que Ihe off'recra o Eterno,
Para livrar-nos do inferno;
Quiz ludopor nosso amor!
Elle, o cordeiro innocente,
Creador do co, da trra,
E em quem a vida se encerra
Que tem inundo poder.
as mos dos seus inimigos
Vai-se entregar humilbado,
E no leoho sublimado
Quiz morle injusta soffrer I
ChrisUoscurvmonos todos
l'jniild'i-. contrictos,
A mente nos infinitos
Dos eos, os olhos na Cruz :
Sigamos de Christo os passos.
Que no mundo deixar veio,
0/ o sea derradeiro anceio,
Farol de esplendida luz.
mi
E o muado percorre n'um giro con-tant-
O astro da f ;
Nao para, mas segu donoso, bmante,
Nao teme a influencia de sombra inconstante-
Que passa-lhe ao (' I
apresentava ;esses eoatoa sao
av, mas paraca... nao pgaa.
Acabado o sermo, sahio o eareila
rar o pregador pona da Igreja, a cal
diante d'elle, ihe disaa :
Acabis de dizer, oten reverente, que Deas
f^z todas as cousas com pereic* ; oihai besa pan
nim, e dzei-me se a mochil* jai trago aa eoaaaa
conlribue para realgar as aaiohas bellezas corpo-
raes.
Meu irmao, Ihe responden o frade, lo es ans
, urna prova de ludo o que acabo de expender a
pulpito ; por que na ciasse dos carcundas, Deas
, nao pode fazer nada mais perfeiio.
A proposito de carcunda, foi ba das encatrado
rm mono n'um dos bosques dos arredores ds Pa-
us, e era escrevente de um escrivao criminal.
iTiohase suicidado d-ndo aa tiro de patata a
bocea.
Poi-lhe encontrada no bolso a segainle carta ;
Mato-me voluntariamente, e eis por que :
A natureza, minha divina mai, traloa-me salto
mal; son horrivelmente rarcunda, n por iam i
culo. E todava tenho um coraeo qne
o de lodos os outros homens, siolo todas
do amor; finalmente, amo ama sympatiea a jowaa
loora I
Oosei dizer Ih'o, ella enternecen se um iastaale.
Espere, por que Ihe fa.lava a liagoagea da al-
ma. Mas, de repente, escapando a faaataaajio qua
as ininlias palavras exerciam n'ella. olhoa para
miin e deu urna gargalhada p Sim, ella no da minba ridicula coaforjiu !
Eis por que, oo tendo a esperanza de ser
acabado com a vida.
fez.
Juntos levo ao conhecimento de V. Exc. os esta- P. Mas ento como podero os catholicos saris- De balde rugindo lufo da impedade.
:o1"" mus do Uiario 0$cM as partes otlkiaes do cida-1 dos de armamento e fardamento de que se carece faze-las, sobretodo dizeis, que se- pode soccorrer t> lenta extinguir ;
' I do Antonio Estigarnbia, commandante da diviso' para prover s forcas desta guarnigo. Jumas re- o Santo Padre com urna pequepma quantia? Seu ^m *> coasegue, que a eterna verdado
em operages sobre o Rio Uruguay ; e offerecemo- metle-lambem a V. Exc. as listas dos enfermos, I R. Se cada um dos duzeotod nwlhoes de catholi- Arroja oo abysmo o furor da maldad,
las a sua selencia por importaren) muito a respec^tmortns e doeotes de gravidade, existeotes nos nos- eos dsse ao Samo Padre um vintem por semaoaj sempre fulgir,
tiva ieitura. pitaes militares desta villa a do acampamento de elle lena todas as semanas qttatro mil cont*, e
sigual da rederapeo para todo o paiz. Sim, nao
licareis por uiuilo lempo ahi, meu bello passaros
com o vosso pescoco de protstame, que alongaes
por cima das Ierras alieuroadas. Ah I Prasa a
Deus que seja eu inesrao que vos lance d'aiii a bai-
lo, e ponha a santa cruz no lugar que Ihe de-
vido.
Que fazeis aqui, Diaiz, disse ama voz por de-
:raz delle.
Ah I Sois vos, Sr. Paulo ? E' urna ma' noti-
cia para nos saber que vossa familia vai deixar o
paiz, e certamente se nao fosse por causa das boas
cousas que temos sabido da grande casa la' de bai-
xo, nao leria verdaderamente o coraeo ma-
goado 1
Que boas noticias, Diniz ?
Se desejais saber, communicar-vos-hei na
presenca de vossos pais.
Sir Jofio Lacy estava oceupado a ler nimias car-
tas, quando Diniz entrou.
Acenou ao vellto de tomar urna cadeira e sen-
lar-se.
Sir Joo de Lacy lia ha uqs quarenta annos; era
um lioraem de alta e bella estatura; seu ar, seus
gestos, seu carater, deno tavam um inglez de urna
educago distiucta, um verdadeiro daigo.
Ningucm poa pensar, considerando a dignida-
de e a caima do semblante do sir Joo e ouvindo-o,
que elle fura oulr'ora o odio de sua familia, o des-
gosto de sua rai, a desgraca de seu pai e em se-
guida seu lilho desherdado.
Entretanto, antes de attingir os seus dezoito an-
nos, elle se linha langado com a cabega baixa na
estrada do mal, e o desgosto matara sua mai. En-
tretanto, antes de attingir os seus dezoito annos,
ello se tinha langado com a cabega baixa na estra-
da do mal, e o desgosto matara sua mal. Ento
seu pai, exercendo urna justa porm severa justigaj
o desherdara do grande e velho castello com suas
trras tao bellas e seus esplendidos rendiraentos.
Mais tarde, seus olhos se abriram, e elle voltou
para casa contricto e arrependido.
Sua irma construa Ihe urna encantadora habi-
taco italiana, e deu-lhe todas as provas de bonda-
de eliberalidade que estavam ao sea alcance.
Elle tardou era casar-se, e tornou-se o modelo
de um bom catholico.
Sua irma casou se tambem, e coube ao irmao
por sua vez chorar'as faltas daquella que sempre o
olhara como um typo de perfeigdes.
Ella desposou um protestante zeloso e de espiri-
to curto, que obteve que seus filhos seguiran a
religio de seu pai.
Quanto s filhas, elle as deixava.
Sir Joo abriu ento sua casa ao velho padre,
que, ha tantos annos, era o capello da familia, e
o altar foi arrancado da antlga capella do castello,
sir Ju.io o comprou, ajuotou ama nave sua habi-
tago, e convidou os herdeiros e aldees a satisfa-
zer com elle seas deveres religiosos.
Assim decorreram-se bastantes annos; a reserva
a a ndifferenca existiam entre as duas familias.
De tempos a tempos algamas sahidas violentas
da parte do protestante, chelo de um zlo puritano,
pareclam dever induzir urna completa raptara;
mas ellas erara recebidas sempre com ama calma,
ama indiffcrenga completa pelo catholico.
Chegou o momento em que o lilho mais velbo
protestante foi enviado para Oxford, e a filha nica
desterrada para longe em um convento; ento do-
rante muitos annos, nao bouve lilho no castello, at
o dia em que nasceu Cecilio, tres annos justos de-
pois do nascimento de sea primo catholico Paulo-
Logo que o lilho mais velbo chegou a maiorida-
de, foi ordenado segando o rito protestante, e sea
pai, sempre ebelo de zto, den instrucgoes para a
editicacao de urna igreja que devia ser erigida ao
lado da formosa habitago de sna mulher.
Tendo terminado a sua missao, morrea.
Sir Joo agradecea humildemente a Deas qae
Ihe proporciona va ama occasto de aportar as mos
Viva a repblica do Paraguay I
Exm. Sr.Participo a V. Exc. com o mais pro-
fundo respeito, que os batalhdes ns. 8 e 32, e os
recruias de armas dobatalbj n. 33, Ucam nos
mesmos lugares e exercicios que parlicipei a V.
Exc. na minha communicago anterior; como
Pindapoy.
Na lista dos enfermos existentes no hospital des-
ta villa vo notados os que nesta data sao da-
dos de baixa pelas suas eufermidades incura-
veis.
Pela parte recebida do major Duarte soube que
igualmente o batalho n. 41 e os recrutas do bata- n0 da 16 do crrente desertara da guarda de S.
Iho n. 33. Carlos o soldado de cavallaria do regiment n. 26,.
Os regimentos ns. 27 e 28, e igualmente o reg- i chamado Leonardo Alm.ron, visinho de Santa Rosa, e *r um VIQte,n Por sefnana' f re5a dous,
. -.. i a a i .'. ,-, Aa cor Ires, quatro ou mais; em sarama d o mais que
ment n. JJ acham-se nos mesmos lugares e exer- na occasiao de desempenhar a commissao de ser
cicios que noiiciei a V. Exc. na minha ultima com-; espia, juntamente com outro da sua mesma cas-
muncagao, tendo cessado a instrungSo de lodos os se, chamado Francisco Alfonso n'uma ilha, dis-
corpos supramencionados da quinta-feira a sexta- tante cousa de 1 legua e 1 quarto de legua da re-
feira d.-ia semana santa, e continuando desde o ferida guarda, e pouco mais ou menos 15 cuer-
5aljliado da aileluia depois da missa. -idas (*) do outro lado do Uruguay : para realisar
Junios levo as mos de V. Exc. os estados pes-: esta' depravada idea pretextou ao seu companheiro
soaes da forga que tem esta guarnico sob meu que ia dar de beber ao seu cavallo, com cujo pre-
i De balde r que o mundo percorre constante
por anno duzentos e oito mil co*los. Quanlia que
nao seria pesada a ninguem em particular a qual'..
. \ao nra mas segu donoso, br hante
seria de mais para satisfazer as suas necessi- *" P3' T*": u
dades.
P. Mas quera sabe se lodos i^s catholicos fazem a
sua olT-ria ?
R. Se todos nao a fazem, mister que aquello
que tem a inspirago de fazo la, a faga; e em vez
commando, como igualmente as listas dos enfer-
mos, dos raortos e dos doentes que se achara em
texto engaoso dirigio-se a um passo do mesmo
rio : tardando mais do que era natural em voltar
perigo no hospital da mesma. As academias dos causou receio ao seu companheiro, o qual, descon-
oQiciaes, sargentos e cabos continuam com aclivi-, fiando de que pedesse ter fgido, foi ver no passo,
dade e constancia, sem perda de tempo. onde aportou-se, e s acbou as pegadas do avallo
*Nestes das santos nao occorreu novidade algu- que passavam ao outro lado, evitando ser enxer-
uia, sendo vigiada a boa moralidade por meio de gado pelo seu compauheiro a costa do Reg que
rondas desde quarta-feira al o sbbado inclusive, montuosa.
O astro da f
Nao teme a influencia de sombra inconstante.
Que passe-lhe ao p.
Assist as festas de igreja destes das com os fu-
ciaes e tropas em todos os actos religiosos, com o
respeito devdo a commemoragSo de Uo sagrado
mysterio.
Nestas circunstancias foi apressadamente ar
conta ao seu commandante o tenente Paulo Arze,
o.qual no mesmo momento mandou duas partidas
commandadas pelos sargentos Francisco Heytas e
O padre vigario Duarte pronunciou um discurso janQario Colman, em perseguigo do desertor com
eloquente acerca da magnaniraldade do mysterio ordem de penetrarem at onde podessem no de-
que commemora-se na qainta-feira desta semana pariamento de'S. Thom, e que, tendo penetrado
santa. O padre Canay pronunciou outro discurso naqae||e departamento at a distancia de 12 le-
nao menos eloquente sobre o mysterio do deseen- regressaram sem conseguir a captara do
dimentode Christo da cruz, e em seguida se fez a desertor> nem ,er nolicia a|gQma de que t|Vesse
procisso fnebre do Santo Sepulchro, presidida gjdo preso.
pelo mesmo padre Duarte e encarainhada pelo qua- Na mesma data bavia desertado daquella acam-
drado desta praga, a qual assisti tambem com toda pamenl0 0 soldado de inhalara, chamado Baltha-
a offlcialidade e tropa, tendo sido observados mui- iar Quarip da l companhia do batalho n. 28,
to recollnraento e piedade nos concurrentes duran-! visIino de Je9US do Parana) e segund9 informagoes
te todo o tempo destes actos religiosos. fejtas pe|0 offlcai de s. Jos, resultou ser este
A tropa do meu commando contina na sua boa desertorcaptuiado pelo piquete daquella guarda,
ordem e disciplina.
Segundo a mesma parte do major Duarte, no
dia 17 do correte, foi capturado o soldado Tbomaz
Pahon da companhia de reserva do batalho n. 15
visinho de Ibicuhy, pelo piquete que tem na raar-
gem a guarda da Candelaria na occasio de chegar
o porto a solicitar passagem para a margem direi-
la do Paran. Este desertor as declaragoes ver-
baes que fez ao major Duarte, confessoa qae havia
consumado a desergo pelo s desgosto que causou
no seu espirito o sea cabo Leonardo y Irala, o
qual, por ter elle desertor tardado a apresenlar-se
a retreta-das 8 horas, e tido debaixo do poncho um
pedago de carne verde que dra um dos seus ca-
ntaradas, imputou-lhe o roubo de alguns farda-
meatos que nesse mesmo dia, foram subtrahidos
da sua companhia, ameagando-o de acusa lo peran-
te o offlcial da sua companhia.
O capitao Crdenas parlicipou-me que o argenti-
no Aristide Stefani, expulso desta villa por ordem
de V. Ex. tinha deixado nesta villa urna porgo
consideravel de fumo e alm disso 25o cabegas de
gado vaceum, que trouxe do exterior sem formali-
dade alguma, por cuja razo o capitao Crdenas
O Paran desceu 18 poilegadas.
Deus guarde a V. Exc. por muitos annos.Villa
da Encarnago em 15 de abril de 1865.
Viva a repblica do Paraguay I
Exm. Sr.Tenho a honra de levar ao supremo
conhecimento de V. Exc. que cheguei a esla villa
em 19 do correte, as 6 horas da manhaa, pouco
mais oa meaos, e oo mesmo momelo eotreguei o
oflkio que V. Exc. se digaou de dirigir ao capitao
Crdenas, commaodante desta goarnigo, fazendo
ao mesmo tempo chegar ao sea destino o oatro of
ficio dirigido ao major Duarte, commandante do
acampamento de Pindapoy.
De ordeos inmediatamente aos chefes dos dis-
trelos expressados as instruegoes, que V. Exc.
se dignou de communicar-me, pedindo a cada um
delles razao exacta dos cavallos, burros, egoas
mansas e bos de propnedades particulares, que
existem nos seas respectivos districtos, recommen-
dando especialmente qae estejam promptos para
fazerem a reuolo e remessa dos ditos animaes ao
primeiro aviso que recebara neste sentido.
Igualmente, exped urna ordem circular aos
poder.
P. Por que razo chamis: pa a inspirago de
contribuir para o dinheiro de S. Pedro ?
R. Pela razo de que o diabeiro de S-. Pedro
um dos meios de que boje se serve a Providencia
para manter o santo padre no exercicio de sua so-
berana temporal, a qual necessaria ao bem da
igreja.
P. Mas essa soberania temporal ser absoluta-
mente necessaria t
R. Antes dj responder, vos quero explicar urna
distiocgo importante, e a seguate : Urna cousa dous rapazinhos, e os arrastaram para dentro
pode chamar-se necessaria de dous modos, de um
modo ubsoluto, e de ura modo-relativo. Eu me
explico. Quando dizemos que ao hornera neces-
sano comer para viver, fallamos de urna necessi-
dade absoluta, que nao esta ligada anenhuma sup-
posigo particular, pois que era todas as supposi
goes ( salvo om faci sobrenatural ) uecessario
que o homem coma para viver. Quando porm
dizemos que ao homem necessario urna casa, rou-
pas, ento fallamos de urna necessidade relativa, qQe propunham de os vender,
que se refere a urna certa supposigo, que no nos- j a embarcago affastou-se logo depois e fex-se de
so caso vein a ser que o homem deve viver abri- vela para as costas da Barbaria,
gado do rigor das estagoes e das intemperies do i Ada vara se j nao muito longe dali quando ele-
lempo. Feita esta distiocgo, eis a minha respos-. vou se urna furiosa tempeslade que o quebrou con-
ta.A soberania temporal do summo pontfice nao' ira os recites que bordavam a praia.
necessaria de um modo absoluto, mas o de um j Joaquim e Eduardo apoderam-se de ama pran-
modo relativo. cha, e, depois de ter lutado por espago de militas
P. Fazeis-me agora o favor de explicar mais horas conlra as va8as furiosas abordaram em flm
sobre a costa habitada por Mouros.
Os dous rapazinhos langaram-se aos ps
O TRABALHADOllSIXHO.
O joven Eduardo perteocia a urna familia muito
rica, e pondo todas as suas esperanzas na fortuna
de seus pais, nada quiz aprender.
Joaquim, pelo contrario que era pobre, aprtsn-
deu a fazer cestos, o mostrou-se sempre mui labo-
rioso.
Um da, Eduardo passeava margem do mar, e
considerava as bellezas da natureza, quando en-
controu Joaquim que levava ao nombro urna carga
de ramos de vimes que tinha cortado na floresta
para fazer cestos.
De repente os piratas aliraram-se sobre os
de
urna barca para os levar depois para bordo de
seu navio que bordejava a urna certa distancia da
praia.
Os dous captivos encheram o ar de gritos lameo-
taveis; porm ludo foi intil, foi preciso ceder a
necessidade.
Chegados a bordo do navio, Eduardo e Joaquim
encontraram no poro urna multido de outras pes"
soas que os piratas tioham ja antes apanhado, e
ebefes del Carmen, Jess y Trinidad, para qae embargara ludo e puzera debaixo do cuidado da
cada um delles rena e ponba a disposicJo desta guarda da triocheira de S. Jos; e tendo solicita-
commandancia os militares reformados das Iras do o dito Stefani exportar o famo n'uma escuna
armas, fleando a meu cargo a execuga do engaja- A ebegou de Corrieotes para este m, e tirar os
ment dos desta villa. mencionados animaes da triocheira de S. Jos para
Tive a honra de receber o ofllcio de V. Kxc. da collocalos n'um terreno que possue na margem
15 do corrente, como igualmente os exemplares do esquerda do Paran, no lugar denominado Umb,
boielim n. 6 e da proclamago qae V. Exc. dirigi _.-_-__-_-_-_-_____.____-
aos exercitos a a marinha nacional. Pelos men- (*) Cada cuerda, segundo o amigo systema, ti-
cionados boletios soube, com toda a satisfa- nba 9 X oa 50 varas castelhanas; a eada vara 3
gao, os triumphos adquiridos novamente pela nos- ps; e cada p 12 poilegadas.
agora o
desenvolvidamente essa vossa distinegao ?
R. Cora muito gosto. A soberania temporal do
papa nao necessaria de um modo absoluto, isto
quer dizer que o papa nao precisa della para ser
papa, e conservar-se tal ; e assim, se nao fosse so-
berano ou re, sena sempre successor de S. Pedro,
vigario de Jess Christo e cabega de toda a chris-
tandade. E a razo porque Jess Christo nao
quiz que a soberania temporal fosse um dos ele-
mentos constitutivos da essencla da autoridade es-
piritual do pontiflee. D'aqui resulta que aquella
soberania nao necessaria ao papa, como neces-
sario o comer ao homem. O homem sem comer
necessariamente morre, o papa sem a soberania
temporal nao morre, nao deixa de ser papa.
Desse modo se comprehende como poderam os
primeiros pontfices nao ser principes tmpora.s,
como nos lempos modernos Pi VI 3 Po VII pode-
ram por alguns tempos permanecer despojados de
seus principados, e como actualmente Pi IX tenha
sido obrigado a fugir dos seas estados, e esteja hoje
reduzdo a governar urna pequea parte delles.
Todos esses acontecmentos sao em parte per-
raittidos pela Providencia, para os seus santos flns,
sempre dignos de adorago. Ai, porm, daquelles
que sao causa dos males, nao obstare serem per-
miltidos por Deus I
P. Eotendi bem a primeira parte de vossa res-
posta. Explicai-me agora a seguoda ?
R. Disse em segando lagar que a soberana tem-
poral do summo pontiflee necessaria de um modo
relativo, isto quer dizer qae, posto que o papa nao
deixasse de ser papa, ainda quando fosse espoliado
de toda a soberania temporal, todava as actuaes
condigdes da sociedade humana, se assim aconte-
gesse elle nao poderla exercitar livremente po
dos ha-
bitantes e Ihes pediram a vida, o que Ihe foi con-
1 cedido : mesmo se Ihes dea vveres.
Joaquim, desojando fazer-se mil, pedio licenga
para cortar ramos de vimes e comegou a fazer om
liodissimo cesto qae offerecea ao homem na caba-
na do qual se hospedava.
Esta atteogo do rapaz agradou singularmente
ao mouro chefe do lugar que prometteu sua be-
nevolencia e Ihe testemunhou muita bondade.
Porm tratava-se de saber tambem que talento
tinha Eduardo ; perguntou-selhe o qae sabia.
Eduardo vio-se obrigado a confessar com vergo-
nha que nada linha aprendido.
Neste caso, respondeu o chefe mouro, para
nao sustentar um servo intil, servirs de criado a
Joaqaim, irs com elle floresta para trazeres os
ramos de vimes que elle cortar. I
Tirou-lhe logo o capote de pauno fino qae elle
(razia e o deu a Joaquim.
Este quiz escusar-se e nao mudar sua pobre ca-
saca de sarja pelo bello capote do companheiro ;
porm nao conseguio.
Eduardo tornou-se sea criado e reconheceu um
pouco tarde quanto til apreoder alguma cousa
para se nao expor a morrer de fome e a soffrer
com paciencia as reprebengoes justamente mere-
cidas.
Estava pregando um frade sobre a ineffavel sa-
bedoria do Todo Poderoso, e provando que ludo o
qae creoa summamente perfeito.
Nao com essas, que me convences, dixia
consigo oro. carcunda, a cada prova que o frade
E do Sr. Juvinian, Mooteiro esta poesa :
K--'i\| DE ALMUD*.
Elle era um genio : na espagosa froate
Deixava um trago vivo do horisoata
O sol da inspirago que ah passava
Seolindo o borbolhar de um valco...
No seio p'ra virtude noria om'ara.
Por cada idea grande se abrasara
Sea noore corago.
Se abra os labios derramara ao valo
Nobre e sincero o uno sentlmenlo I
Sem pensar oo futuro alegre na...
A quaota gente a vida ao sodoat
E elle vibrara rindo a poesa...
A ave do co, cantando 5e enebria
De perfumes e luz.
Darte adorava o magestoso vulto;
as horas do prazer dava-lbe coito;
Se era triste, abragado a sua iroagea
Sabia os soffn memos arrostar...
Virgen), trajando mystica roopagea.
Elle a soohava oo rahir da arage.m,
E dava-lbe um altar.
Inda menino... a lampada fugace
Do genio Ibe rogou paluda a face,
Ura beijo ou ferro em brasa ento qoe
Meigo anjo na fronte Ihe depoz :
Da-lne um'aza de luz da branca
Cinge-lhe a fronte de gentil ghi
Era um aojo e sao
Elle busca os applaosos das plateas,
P'ra fronte qoe subliman) mil ideas
Quer disputar dos Taimas a verbena,
Quer perfumes, amores e laora...
Corai O a fronte lmpida e sereaa,
E o lonco eothosiasmo ao v-lo ea scena
Vem prostrar-se a seas ps.
Nao presente o porvir da gloria o aoiro :
Palhda c'roa de funreo goivo
Cioge-lbe a fronte um dia a desposada :
Poeta, genio, o qu'alma le sedoz,
< Ao porte do soffrer aqoi alada T
i Deixa a trra de trevas adornada,
Fajamos para a luz.
Quando a mele p'r'os cos te arrebatara
< Alma, que adora a luz, ai I era escrara
c Da dor, do anhelo, do peiar, do erro...
Via a ver dade por delrax de om veo.
c Quebra co'as uanas a pnso de ferro,
Soa a ultima hora do desterro,
Fojamo para o co.
A naorte rooba a venda do futuro.
Torna claro o porvir tnstonho, escoro-..
Abre as azas. cndor, e os olhos techa..
< Veras o termo dos anhelos leas :
Despede-te do mundo ama endecha,
Deixa os amigos, os prenles deixa,
Fujamos para Deus.
Abragados flearam,bella imagem I
Arabos pendidos do infinito margem,
Um saudoso do too, outro da trra I
O genio, ja' dos cos no liraioar,
Co'avisia lurva pelo espago erra,
Os trios labios atinal descerra,
E canta a solocar.
Era um canto de dor, de despedida,
Ultimo beijo de quem deixa a vida,
Do sol na nuvem tinta da escarale,
Ou de espumas da vagajao escarcen t
Extremo harpejo de saadoso vale.
Solemne, como o cedro aue se abale,
Sospirou a morreo.
Nao raorreu, nao, adormecen apena r
A' lardinba no bergo seu de peajia&
O sabia esquece as melodas...
Elle quedou, bem como o sabia,
Suas doces, sin^-ellas harmonas ,
E no co disperto co'Alvaras, Da,
Abren, Franco de Sa'.
Quo depressa passoa cantando e hado f
Qual n uve ni branca qoe n'um dia hado
Roga apenas o dorso da moolanna....
Almaperfuma dos jasmins dos cos.
Aqoi vaga perdida em ierra eslraaba,
Disco de elberaa luz, ora tamanba.
De frente encara Deas.
O Dr. Axenfeld, nm dos mais distlaetoa
francezes, picoo-sa n'uin dado ao dHseaar o
ver de um cholenco.
Esta em perigo de vida.
E' preciso, porm, observar que o
tem nada com asta desgraga.
Sabe-se que qualquer picadeila
escapello qae tocoo om cadver
mortal.
Trata-se em Pars da pablieacao da i
clopedia do secuto XIX, sos aa aaaaMai
qoeiro Pereire a a dreccao do Sr. I
A casa Pereire concorre coa MuMt ira.
esta empreza, a qoal sero tajada* aa priM
PERNAMBUCO- TYP. DE M. f. DI F. 4
mu
i
>
->"v_


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ENHSHT43N_IEAZH7 INGEST_TIME 2013-08-28T01:45:54Z PACKAGE AA00011611_10841
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES