Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10840


This item is only available as the following downloads:


Full Text
iijiju muo m
Ptr qnartel pago dentn de 10 das do \, mez ;,.i i
dem depois dos 1.0< 10 das do comeos dentro 4o qnarlel. .
Porte ao eorreio por tres mezes ...,...,.,,,!
SEGUNDA FEIRA D DEZEMBfiO DE 1861
19|00l
|j 000
ENCARREGADOS DA SUBSCR1PCAO DO NORTE
Parahyha, o Sr. Antonio AIx?ndrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Margues da Silva ; Aracaty, o
Sr. A. do Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Olivoira Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SUL.
Alagons, o Sr. Claodioo Falco DiaS; Baha, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Riheiro Gasparioho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacos da via frrea at
Agoa Preta, lodos os das.
Iguarass e Goyanna as segundas a sextas reirs.
Santo Antio, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruard,
Altinho, Garanhnns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacaral, as tercas
fe i ras.
Pod'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqoeira
ogazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio e Ex, as qnartas
feiras.
Sennhem, Rio Forraoso.Tamandar, Una, Bar-
reros, Agua Preta Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do comraercio : segundas e quintas.
Heladio : tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas as 10 horas.
Jnlzo docommercio: segundas as 11 horas.
I Dito de orpbos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira Yara do cite!: tqrsas sextas ao meio
dia.
Segunda, vara do civel: q cartas e sabbadaj a 1
hora da larde.
EPHEMEHIDES D MI
n-.
2 La eneia as 4 h., 24
9 Quarto ming. as 9 h., o!
18 La nova as 2 h., lo m.
24 Quarto cresc. as 10 h., i
e 46 s. da t
m. e 28 s. da t.
i 34 s. da m.
1 m. e 2 s. da m.
PARTE FFICIAL
MINISTERIO DA FAZEXD.V
DECRETO N. 3,517 DE 23 DE
evoga o artigo 26 do decreto n.
dezembro de 1863.
Vi.-to o ariigo 172 do reg lamento das alfande-
-gas de 19 de setembro de 1860, hei por bem-de-
cretar o seguiote :
AU 1 Achando-se differenca para menos entre
a nota e as mereadorias postas a despacho, soraen-
te sero cobrados direitos do que realmente se ve-
rificar, quando os da differeoca oo exoederera de
1004 ; excedendo, porm, a parte pagara' os di
reitos correspondentes a qoantidade declarada na
nota.
Paragrapho nico. Dndose clrcumslancias
que revelem fraudem oo subtraco de mereadorias
ou se pelo manifest se reconhecer o seu desea-
minho, proceder-se-ha nos termos do art. 558 do
regulamento de 19 de setembro de 1860, qualquer
que seja a dilferenga dos direitos que te pretender
subtrahir.
Ari. 2o Fica revogado o art. 2b do decreto n.
3,217 de 31 de dezembro de 1863.
Jos Pedro Oas de Carvalho, do meu conselho,
senador do imperio, ministro e secretario dos ne-
gocios da fazeoda e presidente do tribunal do Ihe-
souro nacional, assira o tenha entendido e faca ex-
ecutar.
Palacio do Rio de Janein, em 25 de novembro
de 1865,41* da independencia e do imperio.
Com rubrica de S. M. o Imperador. Jos Pedro \
Utas de Carcalho.
Ninguem ignora que o Sr. Barroso tinha urna I pelo do general Melgarejo, presidente provisorio da
reputacao feita de bravura e pericia quando veio Repblica.
ao Rio da Prata,e nao sao os lacios de Riachuelo, | Por outra parte, quando se verifica que os exer
Mercedes e Cuevas que Ih'a podem ter empanado : | tilos de ura e da oulro partido
que significa ento essa descoriez, seoo estpida '
, inferiondade em que o qaerem colloear relativa-
novembro de 18bo. mente ao Sr Muratore t
3,217 de 31 de Significa rauta* cousas que ocioso trazlas eu
por emquanto a terreiro...
Em honra da verdade devo dizer que o Pueblo,
de Montevideo, respondeu no dia seguinle, mos-
trando ao mestno lempo a injustiga das censuras
boliviano constam
de 1 a 2,000 borneas mal armados e pessimamente
equipados, e v-se que alguem receiou a allianga
desse paiz com o nosso iuimigo, nao se pl^dei-
xar de rirl Todo o poder que a Bolivia raarmasse
ao Paraguay, atravs de duzentas leguas de/fleser-
to, seria halllo por dous ou tres batalhes-'do ai-
liados. Eis ludo I...
Do Chile ha noticias, porm nao ha novida-
MM. Imperiaes, a collaeao
Z DE DEZEMBRO.
DAS DA SEMANA.
H. Segunda. S. Dmaso p. m.; S. Francisco c.
1*. Terca. & Sereno; S. Epimacho m.
13. Quarta. S. Luzia v. m.; S. Euslracio m.
14. Quinta. S.. Agnello ab. m.; S. Matroniano m.
15. Sexta. S. Albina m.; S. Cecili no m.
16. Sal'bado. Ss Ananias, Mizael e Azarias mm.
17. Domingo. S. Flonano ra.; S. Colanico m.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 10-horas e 54 m. da manhli.
Segunda as ft horas e 18 mnalos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEmOS.
Para o snl at Ala ata a Granja a 7 e 22 Je cada, mez; para Fernan-
do nos dia. 11 dos mezes da' Janeiro, marco, malo,
julho, seiemhro e noverabra
assigna-se
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figneiroa^da
Faria & Filho.
do grao de d^utr em
I lanha da Gama, do
Alfredo dos Sanios Ri-
liodoro Jos da Silva,
d.i Silva Braga, de Mi-
Silva Vianaa, do Cea-
es de Busiamante, de
esquadra e a indlscripco das ideas emittidas pelo i Jes. Contina com vigor o bloque dos prraupaes
Siglo sobre a allianga. Prlos cmleaos, como Val parauo, Coquimbo, Tome,
Nem s a esquadra victima das Insinuagoes Tajcahuano, ote.
anlibrasileiras. As carias do Sr. Candido Busta-
mante, escripias do campo do general Flores,
acham sempre mo alguin gracejo sobre o ele-
mento brasileiro na allianga. Por exemplo, era a
raais rcenle satyrisa a formago do exercito do
Sr. baro de Porto Alegre, ameuisando seu chisto
so escriplo cora palavras portuguezas
O corpo consular fazia tentativas para restabele-
cer ao statu quo ante bellum as relacoes entre ns
dous paizes; mais uada indica que podesse alean-
'.m um resultado qualquer.
Resia-me dar algumas noticias internas da
Confederago Argentina.
Trabalha se as eleigoes, e o partido proviacialis-!
Estas cousas lo wqnemwu nao as devia eu tal-1 ta de Buenos-Ayres acha se so era campo. Importa
r H.r ,n ,;, m.I & wnaiMitA me elle sai- isso urna ameaca a continuacao da capital da re-
vez dizer ao paiz, mas conveniente que elle sai
ba tudo. Se sempre tivosse acontecido o mesmo,
quantos sacrificios inuteis nao tena elle poupado I
Do exercito do baro da Porto-Alegre nao se
tero ultimament noticias: quando as houvesse
provavel qje nada adiantassem, por isso que as
proporcoes de sua coadjuvaeao na guerra, alera de afasiada, pa-
rece mal definida.
Direi aqu que essas tropas tra recebldo a rou-
pa contratada e remeitida pelo cnsul do imperio
o Sr. Pireira Pinto.
ameaca a' coulinuacao da cap
publica aqui, porm em geral acredita-se que tar-
de ou nunca chegara' o momento de a expellir,
porque a isso se oppde muitas especies de oleres
ses. Por ora oada mais direi.
Presurae-se que esto de alguma maneira es
treraecidas as relacoes entre o governo argentino
e a l<-gacao da Italia. O motivo urna ou mais de
urna reclamago de subditos italianos por prejuizos
recebidos em poca anterior. E' de esperar, toda-
va, que essa ra disposico nao tome maior corpo.
Com os representantes do imperio, especial
medicina aos Srs. di>uloran lo: Aialiba Lopes de
Gomeusoro, natural de P irnambuco; Joaquim
Marques da Cruz Jnior, il > Rio de Janeiro; Ma-
noel IVreira da -silva Contin booo, do Rio de Ja
neiro; Sebastio Jos da
Ro de Janeiro; Ezequiel
beiro, de Mloas-Gerae; II
do Espirito Santo; Ernesto
as Geraes; J > Antonio ds|
ra. Antonio Jusiiniano For
Mtnas-Geraes; J(xs Pereira >|a Costa Molta, do Rio-
Grande do Sal; Elias Antonio de Moraes, do Rio
de Janeiro; Feiippe Pereira Caldas, do Rio-Gran-
de do Sul; Fraocisco Firmo da Fonceca Reis, do
Rio de Jmeiro; Guilhernv Antonio da Silva, do
Rio de Janeiro; Luiz da Silva Flores Filho, do Rio-
Grande do Sul; Tnom Mara Cavalcante do Rio
Grande do Norte; Antonio lo* de Lima uastello-
Br.noco, do Maranhao ; Joi Pinto do Reg '. s.-ir
Jnior, do Rio Grande do Sal; Fraocisco de Paula
Costa Jnior, do Rio de Janeiro ; Alexrandrino
Freir do Amaral, do Rio de!Janeiro; Eugenio Ro-
drigues de Moura, do Rio he Janeiro; Theotonio
Wenceslao da Silveira, de Mina< Geraes ; Jos Luiz
Pereira Jnior, do Rio de Janeiro.
EXTERIOR.
Bueuos-Ayres, 19 de novembro de 1865.
Someoto para de todo nao desaproveilar a oc-
casio de um vapor, S Romn, que parle hoje para
o Rio de Janeiro, escrevo esta quatro dias depois
da partida do Carmel, e quando aada de novo tem
occorrldo nem noticias de alguma cousideracao
lein vindo do theatro da guerra.
As que temos do quartel-general do exercito al-
liado alcaogi s al 10.
A passagem do rio Corrientes pelo exercito ar-
geutino verilicou se nos dias 5,6 e 7, pelo passo de
Lucero, a do exercito imperial devia ter lugar no
da 10 pelo passo Novo, seguudo o logo o do ge
neral Fores.
Calculava-se que no dia 13 todas as forcas allia
Para Corrientes subirara j das nigentas os mente com a missao extraordinaria, e que todos os
i transnortes Leopoldina, Princeza e Apa, levando agentes diplomticos das nagoes europeas e amen-
1 os 2,500 homens de iufantana que la esiavam. De canas conservara a raais benvolas e obsequiosas
Montevideo devem ter partido os outros dous // relagfies, quer dm Buenos-Ayres quer era Montevi-
afi-aifor e Imperatriz, levando a tropa que trouxe- .deo. e mullo inesperada seria qualquer emergencia
rao a seu bordo, e o mesmo far o Galgo. I no sentido de erabaragar a aegao do Brasil contra
Com esles diversos contingentes nao fica muito'o Paraguay no sentido que elle a quiten* desen-
quem de 1,000 homens a forga que vai subindo o volver, sob a base de garanta a independencia da-;
*ar;ui i quella repblica.
Seus'a-ranjos de traosporte, foroecimenios, etc.,' Partera esta tarde para Montevideo, a bordo
ludo fui disposto e ajustado peto Sr. vice-almirao- do vapor Recife, o Sr. cooselheiro Octaviano e o
t", sem que en possa emittir juno a tal respeito Sr. vice-almiranle Tamandare.
por ignorar o systeraa que elle adoptou. ', O primeiro parece que vai conferenciar cora o
Bora que em lodo o caso o numero das for- novo ministro brasileiro na Repblica Oriental, o
gas brasileiras no iheatro das operagoes va eres- Sr. Brito, e lalvez enteuder-se com o governo da
cendo, de modo a apreseotar superiondade s dos repblica sobre algumas pequeoas occarrencias do
outros alliados e poderem tambera operar livres de momento. Pelos joroaes de Montevideo v-se que
qualquer dependencia dellas. Ja la en esperado o Sr. OcUviano.
Dizem-me agora mesmo que a ultima correspon- O Sr. vice-almirante vai providenciar sobre a
dencia do coronel Palleja, dirigida ao Pue&w de parlida para Corrientes dos transportes que chega-
Montevideo, prescindmdo, por corteiia, de com- rara com tropa a Montevideo, e sobre outros objec
tos. posio que conste que o Sr. Taraaudar de re-
gresso a Buenos-Ayres, que ser d'aqui a tres dia?,
nao demorar a sua partida para o Paran.
Vou encerrar esta correspondencia dizendo
que no S. Romao seguera uns selenta doentes do
exercilo e alguns da marrana, cuja continuagao
nos hospilaes devia ser demorada.
No mesmo vapor vai o Dr. Matheus de Andrade,
parar em qualidade as forgas argentinas e brasi-
leiras do exercito alliado, considera o numero nu-
da achar-se-hiara sobre a margem do pequeo rio; terial destai ainda inferior ao d'aquellas.
Vatel.'jue seria vadeado sem uraude dilBculdade. j Parece inverosmil semelhanle proposigao, pois
Tramoslo esse rio, opinio geral que o exer-; da Concordia marchou um numero duplo de Bra-
cito alliado dirigir-se-hia para o nnco de Soto, j s|eiros que das tropas argentinas, mas achanto-nos
que excelleute para acamparem tropas, pela; na mpossibilidade de contestar a as abundancia de paslagens, de lenhae d'agua. j oorar a forga exacla de um e oulro exercito.
Bate rinco tica ramio prximo da cidade de E-possivel que o coronel Palleja calcule com o o qual larabem se acha bastante enfermo, de in-
Goya, e lera se tirado dalu a illago de que a ar-! exercito entre-riano, dondo Ihe 6 ou 7,000 ho- commodos que conlrahio nos acampamentos mili-
tilhana, as bagageos e mesmo grande parte das | meo.*, e neste caso o erro de sua apreciagao estara, tares, e que exigera raaores cuidados.
forcas de infamara seriao embarcadas, subiodo a vista.
por esse modo at a capital de Corrientes. Xo s se verifica que o general Urquiza nao -
As correspondencias de Goya fallara neste seuli i nna reunido esses alardeados un,nares de ho-
do, e corre que o general Mure pedio que Ihe en- mens, porm contiuiia a afflrmai-.o que os poucos
ou mtiitos reuuidos esto se dissolvendo a toda a
pressa.
Ha quem negu o faeto, mas as corresponden-
cias de Entre-Ros para a Nacan Argentina,
jornal serai offlcial, sao precisamente as que o cer-
vla-sein para aquele post lodos os vapores que
houvesse disponiveis.
Do exercito iio tudo o que ha de mais recen-
te : algumas eorrespoudeaeas, porra, de dalas
anteriores, que apparecem publicadas nos jornaes
de Montevidj, particularuienle o diario do coro
nel Palleja, do detalhes de bastante ioleresse so-
bre o estado das (ropas alliadas.
E' grande o numero le doenies que ellas coutam
e tem uavido das de 60 bitos.
E Cc-rto que Dguram como elemento principal
esse algarismo os prisioueiros paraguayos, incor-
porados aos bataibes argenlra >s e oneuiaes ;
todava n.lj pequeoo o numero dodoeules uas
tropas que origiuariaiu-nie pertencem as tres na-
goes adiadas. Era relago ao exercilo do geneaal
sorio diz o coronel Palleja o seguate :
Ouviraosda boca de ura ch>-fi do exercito do
general sorio que o pessoal dos curpos vera mul-
lo dizimado pelas doengas : faz-se subir as baixas
experimentadas nesse corpo dexercito desde a sua
saluda de Montevideo ao algansmo de 5,000 entre
morios, e doenles remeltidos para Moutevido e
Bueujs-Ayres, nao obstante achar-se regularmente
orgausada a repartigo de saude.
Na actualidade, coiiiq a esiago mais branda,
e as tropas brasileiras enlao em clima mait ana-
logo aos das provincias do noite do imperio, ali-
mentamos alesperauga dejque ellas nao sollrara tan-' "car
to, e po-ventura muito meos que as onentaes e aa|,
argentinas, para quera os climas iropieaet sao no-
vos e sua influencia um tanto desfavoravel.
A outros re.>peiios lainliein o diario do coronel
Palleja MI alguos pormeuores desagradaveis. O
exercito alliado vai mal de bois para os iraosportes,
tilicam.
O ponto era que Urquiza havia reunido suas di-
viso !s chamase Tuled >, e provavel que elle ad-
ijuira tanta celebridade como Bassualdo.
Us que menos admilt-m o fact da dssolugao das
E' sensivel no exercito a falta desse distincto ,
operador, mas lalvez nao seja longa, pois vai com i
auirao de vollarlogo que se uver restahelecido.
OS. Romao leva tambera o i* teneute Coim- '
bra, commandaute da Iguatemy, ferido em um p
no combate de Riachuelo, e que ainda.vai soffrendo !
desse feriraeuto, a poalo de andar com moletas, i
Recomraeoda-lo contideragao dos Fluraenses j
um dever. I
- 21
Chegaram noticias dos exercitos alliados. No dia
lo o general Oiono eslava acabando de passar o
seu exercito no rio Corrientes, isio as bagageiis,
pois as forgas achavam-se j na margem direita
da IG,
forcas Mitre-rianas concordara era que havia nel- desse rio.
las'uoi a desergao cmsi lera vel. chegando j amis A marcha para a trente lena lugar no
de 1,001 homens, sendo 3 a 6,000 os que davara a encammhando-se para o no Vatel, onde ja se acha-
Urquiza vara as forgas oneuiaes e argentinas. E que el-
Ora, ninguem contestar qu* semelhanle deser- las P'ssaram em corp* gentil, deixando suas baga-
gao provara que essas forgas esto profundamente gen a' retaguarda, que anda no da lo esiavam
ilesmorallsadas, e sendo assim a dissoluco de lo- passando.
das ellas negocio de dias. i. general Flores, que eslava acampado
Os que alflrnara terse j realisado a dissolugao ; leguas do general Osorio, pretenda,
dizera que Urquiza, teraendo alguma violencia con- P*ra a esqnerda, buscar a approxirr
a duas
inclinando-se i
mago do geue-
ha-se refugiado a iofantaria',"e rol t^astro', alim'de que elle ihe fornecesse alguns
que a esta forga se limitara o contingenta de En- cavallos e bois, dos tomados aos Paraguayos em :
tre-Rios ao exercito alliado. Mistoes.
O maior inconveniente da dlssolugodas milicias A zoua em que esla boje o exercito nao apre-
entre rianas nao de certo a falta que podem azer senta nesse sentido o menor recurso, e teme-seque
para as opera. Ses da guerra : ha rauito que com \ as mesmas tropas brasileiras soflram grandes tro-
peos na sua marcha.
Grandes privagoes no sustento vo soflrendo ja,
segundo pessoa que de la' chega. As muitas contra
os fornecedores fervem, mais quid indi?
Do dia 20 a 22 deve ler chegado ao rio Corrien-
tes a forga de 5,000 que da Uruguayana pastou
esse elemento nao se conta mais. O inconvenien-
te acha-se no estado quasi anarchlgo em que vai
a provincia de Entre-Rios e a araeaga que
se deprehende contra o socego do Estado-
Oriental, e lalvez urna parle da fronteira rio grao-
dense.
E-, porm, de crer que o governo de Montevideo para a Hesiauragao. Vai sem meios de mobilidade,
tome providencias de seguranga, e fallase era que em fardaraento, e com sete mezes de divida no
o bravo general Caraballo, in lo para o norte do sidos. Garanto a ongem deslas ultimas informa
e anida peior de cvanos; a murlaadade oestes RiooNegro, dlspora os meios de accio para coolra- Coes-
amnaes crescida, e a sua magreza geral.
Islo juslilica nao s a demora cora que o exer-
cilo alnado vai raarchaudo, mas as cstages que
tizar at a margeos do Paraua, e talvez a espera
de djus ou tres mezes era Cjrrienles, ou por la
perto, ante de invadir o Paraguayo.
As noticias que lemos da es raadra sao apenas de
10 do correte ; de lioje at amanha chegara o
mais modernas ; porera uo e esperam graodes
novidades.
A esquadra cootiauava fuu leada oo porto de
Corrieuie, e, ao menos dos Paraguayos virem de
novo leuiar forluoa com a sua frota, a nossa nao
pode azer operagao alguma por em i|uaoto.
E;la pleuameuie justificada a iinuiobilidade da
esquadra por um lado uao pode subir o rio Para-
guayo acuna, e por ouiro nao pode penetrar no
Paranainirun por causa da baixa das aguas e es-
h-eileza do canai. Se tal lizesse, nao podeudo vi-
rar, canain o* navios encamotados, e provavel-
meutesujeias a seren fulminados, pelas baldas
restar qualquer desordem por aqullo lado. Tambera o geueral Osono queixa-se de nao ter
Xa provincia do Rio Grande ha elementos sobe- o vestuario de verao, que pedio ao governo.
jos oara custodiar a fronteira do Quaraira a baixo j Todos se queixam, quando todos erran.
Uruguay, de molo que s pela mais deploravel ira-1 Da esquadra temos noticias ate 17 do crreme,
prevideocia poderia ser ella victima de qualquer Eis um extracto das que vierara :
vexame. Corrientes, 17 de novembro. -No da "J do
E' boin, todava, que o goveno alongue suas vis- corrente chegou a esia cidade o capioLuiz Costa,
las para o que por l se fuer. periencente a' brigada ligeira do general .^eito,
que faz a vanguarda do exercito, em busca da es-
Parvee que tratando da guerra e suas refe- quadra. Entendeu-se com o cnefe Barroso, fez-lhe
reacias alguma cousa devia eu dizer, por civilidade as communicagoes de que eslava incumbido, e de-
ao menos, dos inimigos; mas que dizer t i clarou que no ilia 3 do correule, por diversos pas-
Refugiados em seu paiz, nao deixam de l sahir j M$t as forcas alliadas frauqueavara o no Cor-
a quera quer que for; coma saber o que fazem ou rientes.
plauejam? < No dia 13 pelas 7 horas da manha subimos
O que se v que aera por agua nem por trra pela quarta vez al as bateras do Passo da Patria,
movera um s hornera ao encontr das forcas allia- Os navios que corapuzerara a exped>go forara a
das, mostrando assim Lpez que se limitara a de-
fender-so dentro de casa.
Esta defeza poderia ser tenaz, porque o paiz tan-
Belmonle, a Aruguary, a Mearan, a Vbjaky, a va-
hy e o vapor argentino Libertad. Desla vez o pro-
prio Barroso commaadou a divisan, estabelecendo-
to se presta, e at certo ponto es( isso na ndole ; se na manha do referido da 13 a bordo da Bel-
paraguayas a 30 bragas do distancia. Pois bem, do povo paraguayo, faoatico pela sua trra, e ce- monte, seodo acompanhado pelo coronel Bruce,
apezar de lo ju-tiitcada Inacgo, coniinuam as gamente obediente as ordens de quera o governa, j Jjo encontramos os vapores niraigos, nem d:-
cen-uras .banaes, e at injuriosas, da imprensa bora ou mo. I visamos moviraeoio de tropas as margens; junto
destes panes conira a esquadra. Occorre, sera embargo, urna duvida : se Lpez a- guarda do Cerrito estavara tres soldados de ca-
Aute-houlera mesmo liase no Siglo, que alias quer fazer urna defeza heroica, d'oode partem os I vallara, que desappareceram a lodo o galope quan
se pretende o jornal raais circumspeclo de Moule-
vido.ura artigo sob o titulo Esquadra UrasUeira,
assignado por um sr. Ferreira (lillio do ex-Brasi-
leiro Dr. Firraino Ferreira), em que se acensa a
esquadra de vergonhosa irainobilidade, e trazera-
se ao mesmo lempo msiuuagoes pouco lisoogeiras
sobre a allianga imperial republicana.
I Aiuda o Brasil nao retirou a
boatos de paz que por ahi circulam 1
Dos alliados d.i pois na duas margens do
Prata e sem duvida no Brasil, anda a ninguem
occorreu que a paz, deixando a Lpez no poder,
fosse possivel. Logo, do lato que parte; e de
lisoogeiras certo se seus adherentes era Montevideo e Entre-
Rios que tal idea leem espalhado.

torio I
\ioda agora cammham os alliados contra o
immigo commum e o elemento brasileiro na con
lenda torpemente calumniado I
Nio exagero, e a prova ei-la as segrales pa-
lavras texiuMB do Siglo, e que formara como o
resumo de suas ideas :
i Ak I m Muratore tivesse quatorie barcos de,
'"Mu'rilo're um amigo capitn de barco mercan- aqui."de?em sempri formar ocrdo de Lpez hoje;
,e que toraou"erv?go?na esquadra argn- na, me- elle, que invada ao mesmo lampo tres teminos
recendo por sua deJicago e valor que Ih dessem ioimigos era seis :es,
o coramando dos qaatro oa cinco peqaeWN vapo-
res que a compo-1.
Porra Muratore nada raais do que uso, e se
Lo que vi de oyer hoy
Ayei maravilla fu,
Hoy sombra de ayer no soy.
Esses versos amigos, mas sempre populares por
achar-se hia reduiido a
tremer dentro do seu paiz, e a levantar as mos
pediodo misericordia. Se nao elle que o faz, seus
amigos fazem-o per elle, a para a apreciagao mo-
do a esquadra se approximava.
t Dos Correnlinos traidores que acompanharam
os vndalos na ultima retirada conseguirn) eva-
dirse alguns; e fizeram a seguinle declarago :
Ha cadeias passadas das baleras de Humayla' pa-
ra a margem opposta; ba urna machina infernal
pouco abaixo das baleras; a esquadra paraguaya
esta' para cima de todas as suas obras; a canho-
neira italiana Principe Oldem esta' detida, e o ty-
ranno, recejando a invaso de seus dominios por
ditlereotes pontos, espalha a guarnigo do seu cas-
tello forte por diflareotes lugares no Alto Paran',
onde presume a passagem dos diversos corpo do
exercilo alliado.
Dizem que o coasul francez requisitou a sua
retirada da Assompgo, por terse lomado all in-
supportavel a residencia pela deficiencia dos gene-
ros alimenticios.
A Decide subi hontem.
INTERIOR.
^CS.'ffSsii's: Sriss r"- sr*. *-.
RIO DE JANEIRO
Si de noTrnbro de IStVi.
Teve lugar hontem, na augusta presenga Pelo ministerio dos negocios da agricultura,
coromercio e obras publicas, passou-se o litlo de
engenheiro agrimensor ao -'r. Francisco Cardoso
de Paiva, por ter saiisfeito o determinado as ins-
truegoes approvadas pelo decreto n. 3,193 de 16
de dezembro de 1863.
-26 -
Por cartas iraperiaes de 22 desle mez foram na-
turalisados cidados brasileiros os subditos portu-
gueses Am-nio Jos Leouardo da Silva, Antonio
Jos imane Coimbra e Pedro Gongalves Das.
Relago dos oJflctaes, .ios qnaes, por aviso desla
data, se maiidou abonar etapa de 1000 diarios,
nos termos do decreto n. 1,254 de 8 de julho e im-
perial resolugo de 26 de ouiubro, ludo deste
anno :
Marechal de campo reformado Manoel Moniz Ta-
vares.
Brigadeiros reformados Zetlrino Pimentel Mo-
reira Freir, Luiz Antonio Favilla, Feliciano Jos
Naves Ginzaga, Antonio Joaquim da Silva Freitas,
Joo Nepomuceoo Casirioto, -vero Lunada Costa
Labareda Prates, Frederco Leopoldo Csar Bur-
lamaque.
Coronis otfectivos Autonio Joo Fernandes Pi-
zarro Gabiso e Galdioo Justmiano da Silva Pimen-
tel.
Coronis reformados Francisco Manoel de Mo-
raes, Joao Caetano Espinho, Jos Claudio de Mello,
Jos da Cosa Barros Fonseca e Antonio Pedro de
Sa Barrlo.
Taneutes-coroneis reformados Francisco de Almei-
da Varella, Jos da Silva Mafra e Joo Nunes Ra-
uiallio.
Major effectivo Autonio Joaquim Coelho dos San-
tos. '
Maj' ii e reformados Raymuudo Jos dos Santos,
Luciano Alves da Silva, Francisco de Castro do
Canto e Mello, Flordoardo Eloy de Medeiros, Her- j
colano Antonio Pereira da ilunlia, Joaquim. Jih
de Karla Neves e Sebalio Xavier'da Souz.' '
Capiles reformados Joo Rodrigues Senal, Jos
Casimiro da Costa, Sebastio Riogel da Silva, Jos
Joaquim Ferreira, las Mara de Menezes Corroa
de Castro, Alios > de Noronha Fortes e Antonio
Ribeiro de Escobar.
Cirurgies-inres reformados Thomaz Silveira
de Souza e Manuel Joaquim de Menezes.
Tenentes reformados Candido Garmano Padilha,
Antonio Moniz Alves Branco, Jos Fernandes de
Araujo, Hygino da Silva Costa Freir, Jo- Gongal-
ves de Amorim, Jos Bonifacio Caldeira de Andra-
de, J) Alves da Silva, Apngi Sibino da Fonce'-a
Galvo, Acardo J Pereira e Lino Jusiiniano de
Alraeida Pires.
Seguudolenente reformado Jos Thomaz de Aqui-
no.
Alferes reformados Antonio Jos Pereira Guima-
raes e Simplicio da Silva Reis J rge Gomes.
Apresentou-se auie-houiem Antonio Ferreira
Maia a descontar no banco do Bras I urna letra do
valor da 1:8505, sacada por Hachado j[ Redondo,
da praga de Santo*, sobre Fonceca Bastos J C., e
a favpr de Machado & Redondo, ambos da corle.
Na occasiao da fizer M.ii auropota, ponderou-
be o Sr. secretario do banco quo a letra s podia
ser apresentada a descont pelos proprios donos ou
por ura corrector de praga; nao agradando a Maia
esta observago, pedio que Ihe fosse devolvida a
letra, ao que uo aonuio o Sr. secretario, insistin-
do na presenga dos donos da letra, -aho Maia,
vollando duas horas depois com um bilhele, assig-
nado com o nome de Machad, p -.lindo a restitu-
gao da letra, visto haver ditUculdade no seu des-
cont. Entretanto, foi ura empregado do banco
chamar algura dos socios das firmas Machado &
Redondo e Fonceca Bastos 4 C, que chegando ao
banco declararan) ser falsa a letra. Maia, vendo o
caso mil parado, quiz retirar se em qu ralo se man-
da va chamar os negociantes, mas o Sr. secretario
conseguio que eile se demorase at a chegada
daquelles, e depois a de um inspector de quartei-
rao e dous officiaes de justiga, qne o conduzram
polica alim de ser processado.
Antes de ir ao banco do Brasil, j Maia havia
apresentado a letra a descont no London and
Brasilia, que recusou negocia-la.
Foi nomeado director da fabrica da plvora da
Estrella o Sr. major de arlilharia Amonio de Castro
Vianna, que eomraandava o corpo de arlilharia da
corle; sendo noraeido para commandar interina-
mente este corpo o Sr. capito Manoel Maia Cami- j
sao.
- 27
Da ordera do da expedida pela repartigo do i
ajudanle general em 25 de novembro, sob n. 484,
extrahimos o segrate :
S. Exc. o Sr. cooselheiro ministro e secretario
de estado dos negocios da guerra, ; Uendendo ao ,
prejuizo que soffre o servigo dos corpos arregimen-
lados do etemiio com a falla dos officiaes inferio-
res que tem sido nomeados officiaes em commis-
sao, determina que esses inferiores sejam conside-
rados aggregados aos corpos a que pe-tencerem,
para que possara os respectivos seohores coraman-
dantes promover outros para o preencbimenio das
vagas por elle dexadas; o que fago publico de or-
dera do mesmo Exra. Sr., bem como as mais dispo-
siges e oceurrencas que seguem, aflm de que che-.
guem ao coohecimento do exercito e teoham a de-
vida execugo.
Nomeages.Do Exm. Sr. brgadeiro conselhei-
ro Heorique de Beaurepaire d Roban, para com-
mandante do corpo de estado maior de 2' classe. j
Em 23 do corrente.
Dos Srs. : coronel Francisco Xavier Torres, te-
nerte coronel Pedro Maria Xavier de Oliveira Mei-
relles, e majores Jos Maria Pereira Caldas e Jos
Mana da Costa Araujo, todos do corpo de estado
maior de 2' classe, para servirem no exercito em
operagoes fra do imperio.Na mesraadata.
Coronel do corpo de estado maior de 2* classe
Anlonra Gomes Leal, para commandanle da guar-
nigo da cidade do S. Gabriel, provincia do Rio
Grande do Sul Aviso de 16 do correte.
Major graduado Urabelino Alberto de Campo
Lirapo, que commanda interinamente a raesraa
guarnigo, e capito Francisco Antonio Pmeota
Bueno, que nella serve, ambos pertencentes ao cor-
po de estado maior dell,' classe para servirem no
etereito de operagoes na provincia do Rio Grande
do Sul.Aviso de 16 do correte.
Major do dito corpo Joaquim Jeronymo Barro,
para continuar a servir no arsenal de guerra desta
rrte, s ordens da respectiva directora.Em 15
do correle.
Tenenie coronel do corpo de eslado maior de 2'
classe Cjtpriano da Rocha Lima, para director inte-
rino do arsenal de guerra da Baha.
Major do corpo de estado maior de arlilharia An-
tonio de Castro Vianna, para director interino da
fabrica da plvora da Estrella.Em 23 do cr-
reme.
Teneote eorooel Manoel Verissimo da Silva, para
encarregado do deposito de artigos bellicos da cida-
de do Rio Grande do Sul.
Cirurgio tenente da guarda nacional da provin-
cia de Pernambuco Joo Pedro Maduro da Fonceca
para Io cirurgio de comravsso do corpo de saude
do exercito.Em 15 do correte.
Alferes do corpo de estado maior de 2' classe
Jos Joaquim Pinto de Azevedo, para servir oo
exercito em operagoes ao sul do imperio.Em 11
do corrente.
Foram approvadas as njmeagoes feita pelo cora-
mando em chefe do exercito era operagoes ao sul
do imperio, dos seguintes senhores officiaes de
commissao para os corpos do exercito abaixo de-
clarados.
1* regiment de arlilharia a cavallo.Para ma-
jor fiscal o Sr. capitn do 1* batalho de arlilharia
a p Severiano Martins da Fonceca.
IIo batalho de infamarla.Para major fiscal, c
Sr. capito do mesmo batalho Bernardo Joaquim
Pereira ; para alferes, o sargento quarlel me>lre do
mesmo batalho Joo Ferreira Bastos.
6.a batalho de infamara.Para alferes, o 1
sargento do exiincto 17* batalho da mesma ar-
ma Olegario Antonio de Sampain.
4* batalho de infamara.Para alferes, o Sr. I*
cadete 2 sargento do mesmo batalho Francisco
Soares Neyva.
i* batalho de infamara.Para alferes, o Sr. 1*
cadete do mesmo batalho Candido Affonso Montei-
ro de Lima.
Tambera foram approvadas as commlsses con-
feridas pela presidencia da provincia de S. Paulo
ao Sr. capito do corpo de guarnigo da mesma
provincia Manoel Geraldo do Carino Barros, de
major do 12 corpo de voluntarios da patria em or-
ganisago na mesma provincia, e ao Sr. lente da
guarda nacional Antonio Joaquim Martins da Cu-
nta, de capiio do referido corpo.
Demsso do servigo do exercito.Por decreto de
22 do corrente foi concedida ao Sr. capello alferes
da repartigo ecclesiastica padre Bento Pereira do
Reg, por have-lo pedido.
Foram dispensados dos postos de commissao que
tinham co exercito, os senhores.
i" cirurgio do corpo da saude Dr. Prxedes Go-
mes de Souza 'itanga, da commissao de cirurgio
mor de brigada.
Major graduado coraraandante da 4" companhia
do 5' corpo de voluntarios da palria Rodrigo de
Lamare Kce;ller.
Alferes do dito 5 corpo de voluntarios da patria
Jo Eugenio Cavalcanli, como pedio.Aviso de 28
de setembro ultimo.
Dito ao corpo policial de Pernambuco Amador
de Aranjo Pessoa, que veio da provincia do Rio
Grande do sul com licenga'para tratar de saude.
Em 22 do corrente.
Dito qoartel mestre do contingente de^ volunta-
rios vindo ltimamente da provincia do Cear, An-
tonio Joaquim de Araujo, como requereu. Em 21
do corrente.
Reforma.Por decrecto de 22 do corrente mez
foi concedida a reforma que requeren o Exm. Sr.
tenente general baro de Suruhy, conselheiro de
guerra, em consequenca de sua avangada idade,
continuando, porm, no exercicio de raembro do
conselho supremo militar.
Por decreto da mesma data tatnbem foi conce-
dida aos senhores :
Cipites Diogo Pinto llomem e Manoel Joaquim
da Costa, este do corpo de guarnigo do Amazo-
nas, e aquella do de estado maior de 2' classe : te-
nente de-te corpo Antonio Eleuterio dos Guima-
raes ; alferes qnartel mestre do 16 batalho de in-
faniaria Baimundo de Alenla Sampalo, e capello
lenle da repartigo eccleia>tica padre Antonio
da Cunha Figueiredo por se acharem comprehendi
dos as disposiges do 1 do art. 9." da le n. 648
de 18 de agosto de 1852, visto soffrerem todos mo-
lestias incuraveisque os lornam incapazes de con-
tinuar no servigo.
Numerago de corpos.O corpo de voluntario
da patria, vindo da provincia da Baha cora a deno
minago Princeza Imperial, lomou o n. 43, e o de
guardas nacionaes vindo da de Pernambuco, o
o. 44.
Lcengas concedidas.Aos Srs. : alferes do 35
corpo de voluntarios da patria Cato Bonifacio Lo-
pes, tres mezes, para tratar de negocios de seu in-
leresse.Em 2 do corrente.
Alferes do 7 batalho do infanlaria Joaquim Pe-
dro do R go Bajros, tres mezes para iratar de sua
saude nesta corte.
Anliguidade servigo militar.Ao Sr. tenente do
corpo de estado maior de i" classe Eduardo Jos
Barbosa se mandou contar como tempo de servigo
militar, na forma da proviso de 24 de abril de 1844
0 tempo decorrido de 12 de margo de 1836 a li de
margo de 1857, em que estudou como paisano oa
aotiga escola militar.
Fallecimentos.Dos Srs. tenente coronel refor-
mado Jos Lzaro de Carvalho, em 17 do correte,
nesla corte.
Major de commissao do 11" batalho de infanta-
ra Bernardo Joaquim Pereira, em 5 de oulubro
Ando na villa da Uruguayana.
Major graduado reformado Bernardo da Silva e
Almeida, em 22 do corrente, nesta corte.
Capilo do 15 batalho de infamara Chllderico
Cicero de Alencar Aranpe, em 22 de setembro ul-
timo, na villa da Uruguayana.
Alferes do dito batalho Domingos da Costa AI-
vareega, em 27 do referido mez, ua mesma villa.
! cirurgio da corpo de saude Dr. Jos Augusto
de Souza Ptanga, em 8 de oulubro lindo na mes
ma villa.
Capello alferes da repartigo ecclesiaslica padre
Francisco Rodrigues Ramalho, em 26 de outubro
udo, no acampamento do exercito era operagoes
no sal do imperio.
Capito do 8 batalho de infanlaria Joo Carlos
Galhardo, em 19 de oulubro lindo, no acampamen-
to do mesmo exercito.
Tenente do 16* batalho de infamara Antonio
Flix de Figueiredo, em 20 de oulubro Bndo, no
hospital brasileiro na villa do Salto.
Teoente do 12* corpo de voluntarlos da patria
Antonio Pacheco de Carvalho, em 11 de junho ul-
timo, no combate naval de Riachuelo.
Alferes do 2 regiment de i-avallara ligeira Ro-
gerio Pedro de Alcntara, era 18 de outubro Godo,
oo acampamedto do exercito em operagSes ao sul
do imperio.
Reclificaco.O verdadeiro nome do sargento-
ajudabte aggregado ao 5* batalho de infamarla.
nomeado alferes de commissao para o 3* corpo de
volntanos da paUia em ordem do dia n. 6, do ga-
binete do ministerio da gaerra na provincia do Rio
Grande do Snl, transcripta na de n. 477 desta se-
cretaria de eslado, Angelo Carlos de Abreu e nao
Angelo Carlos Salazar, como se publieou oa mes-
' ma ordem do dia.
Requerimento despachado.-Do Sr.alferes alum-
no do exercito Joo Pedro Xavier da Cmara, pe-
diodo conlirmaciio do posto na arma de InfantarVa,
Em tempo sera' altendido.
Por decreto de 30 de setembro n.Himg te
conce-

deu a Antonio Luiz Pereira da Cunha a demisso
qne pedio de 2 oflicial da secretaria de eslado dos
negocios da agricultura, comraercio e obras publi-
cas, e toi nomeado para o referido lugar o bacha-
rel Leopoldo Augusto Castrioto.
- 28
Na augusta presenga de Suas Mageslades e Alte-
zas Imperiaes, verilicou-se, a 2a do corrente, o sa-
rao Iliterario e artstico com qae a Arcadia Flu-
minense, solemnisando as glorias patrias, resolver
dar publico testeraunho de jubilo pelo feliz regres-
so de S. M. o Imperador.
EHecUiou-se o sarao oo Club Fluminense, que se
achava Iluminado brillantemente e adornado com
esmero.
Na sala principal via-se, no centro, sob um do-
cel de velludo verde franjado de ouro, as cadeiras
para a familia imperial, collocadas sobre um es-
trado tapetado; em frente a tribuna destinada aos
ledores, junto a esta o logar reservado a directora
da sociedade, e aos lados alas de cadeiras para os
convidados.
Onze medalhes, seis symholi-ando as bellas-ar-
tes, e cinco as bellas letras, lendo-se nesles os no-
mes dos poetas Gargo, Quita e Bocage, como re-
presentantes das Arcadias portuguezas, e os dos
poetas brasileiros. tambera do seoulo passado, Ba-
silio da Gama e -anta Rita Duro, ornavam a sala,
que eslava guarnecida de bellos espelhos e de cor-
tinas braucas, dentre as quaes sa destaca va, collo-
cado sobre o lugar reservado directora da Ar-
cadia, ura quadrilongo com este verso de Victor
Hugo na introduego das Voix interieurs :
La pense en rvanl soulple des natwns.
Na sala lateral, onde se achava a galera artstica,
graciosamente dsposta pelo Sr. Insley Pacheco, lia-
se lambem este dstico do theatro de la Reoaissan-
ce:
L art n'a jamis assiz de temples dans le monde
l faut tendr la mam a la mam qui les fonde.
Para completar esta succinta descripcao, aceres-
ceotaremos que a entrada do club esiavam, singela
mas pittorecaraeoie, grupados arbustos e flores, e
que oa freote do edificio bnlhavam as armas impe-
riaes llu ainadas a gaz.
A's 7 ){ chegaram SS. AA. Imperiaes, que foram
recebidas por urna commissao de 15 socios.
Emquanto S. A. a priuceta imperial repousava
alguns instantes, na sala reservada para a familia
imperial, S. A. o Sr. conde d'Eu examinou com at-
iento e esclarecido ioleresse a galena artstica, na
qual figura vara os segrales valiosos trabalhos :
Duas paisagens a gouaehe, pelo Sr. Hagedorn.
Um desenho a peooa, milago de gravara, pelo
Sr. L. Heck.
Dous quadros a oleo, pelo Sr. R. Fragoso.
Um dito, pelo Sr. Mafra.
Um retrato pelo Sr. Lobo.
Um dito a oleo e um desenho de espada de hon-
ra, pelo Sr. Victor M. de Lima.
Um medalho e urna esculptura, pelo Sr. L. Giu-
dice.
Duas paisagens a oleo, pelo Sr. C. Linde.
Duas ditas a oleo, duas a uankin e ura pastel,
peloSr. Vinel.
Tre> miniaturas em marlim, pelo Sr. Costa Gui-
inaraes.
Nove paisagens a oleo, vate e urna a gouaehe,
duas a lapis e urna marinha a pastel, pelo Sr. Ins-
ley Pacheco.
A's 8 horas chegaram Suas Magestads Impe-
riaes, e foram recebidas por urna ommiss^o de 25
socios, tocando nessa occasio o hymnennacional
urna banda de msica, que se achava postada a'
enfada do edificio.
Aps alfana momentos, Suas Mageslades e Alte-
zas Imperiaes dignaram se de apparecer na sala
destinada ao sarao.
Rompeu eolio festiva a Cantata da Arcadia Flu-
minense, letra do Sr Machado de Assis, msica do
Sr. D. Jos Ainat, alluiva ao glorioso feto de Uru-
guayana.
O Sr. Amat, to contiendo como professor de
canto pelas suas bellas e suaves melodas, foi fe-
lizmente inspirado no ta importante coraposigo.
Eslylo elevado, variedade no ryihrao dos diffe-
reutes motivos; ora bnlhantes enmono coro da in-
troduego.
Hosana, ave re,
ora graciosos gomo nos duelllnon cora coros
Cheto de nova gloria
e
Chegaste, e das fileiras.
Ou oobremeote marcial, como nos Tutu
Bem hajasu que foste, etc.
e
Alegra te, e coroa-te, etc.
A loslrumeotago, sobria, colorida e animada fa-
zia aloda sobresahir o bem combinado das vozes,
cujo effeilo foi dos mais agradaveis.
Foi esta cantata mu bem iolerpelrada pelas Sras.
0. Seohorioha Mello, D. Emilia de Tavora, D. Ju-
lia Vieira, D. Francisca ttedondo, D. Ersila Palha,
D. Rachel de Almeida, D. Henriquela Soares Pinto,
D. Feliciana de Castilho, D. Sabina Moraes, a se-
nhorado Sr. Pedro Paulino da Fonseca, 0. Elmira,
D. Adelade, D. Maria e D. Umbelioa Alvim, netas
do Sr. cooselheiro Alvim, duas filhas do Sr. Salda-
nha da Gama e duas Olhas do Sr. Rivra, e por di-
versos cavalheiros acompanhados por uaia nume-
rosa orchestra composia igualmente de dtslioctos
amadores.
Durante a cantata, SS. MM. e AA. Imperiaes, por
um acto de extrema delicadeza, conservaran!-se
de p.
Fiada a cantata, subi a tribuoa o Sr. cooselheiro
Paraohos, e o'um eloqueole discurso agradeceu a
SS MM. e AA. Iraperiaes, na qualidade de presi-
dente da commissao organis^dora do sarao deste
mez, a a ensigoe honra que se havjam dignado de
outorgar sociedade, abrilhantando cora sua au-
gusta presenga ama reunio em que as letras e ar-
tes confraiernisadas prestavam, modestas mas fer-
vorosas, urna justa homenagem ao excelleole mo-
oarcha brasileiro.
Seguio se a leitara pelos Srs. commendador Ber-
nardino Jos Borges, Paula Barros e Dr. Joaquim
Jos Teixeira de poes'as consagradas a S. M. o Im-
perador, e pelo Sr. Dr. Antonio Jos de Araujo a
de urna composlco mtrica intitulada Uruguayana.
Era seguida cantou-se o hyrnoo Deus salve o Im-
perador, cabeodo as primeiras parles a Sra. D.
Emilia tavora e commendador Soler.
Sobre motivos deste bymno, que pela primeira
vez cavia, improvisou ao piano algumas lindas va-
riagSes o Sr. Jes Pinto de Serqoeira, alumno pre-
miado do imperial instituto dos cgos.
Em seguida oceupou a tribuoa o Sr. conselheiro
Castilho para lr ama poesaSafr o Imperador
escripia expressamente para este sarao pelo Sr.
Bruno Seabra, qne Uvera de partir para a provin-
cia do Paran, em desempeoho do cargue, que all
exorce de secretario do governo.
Fioda a letura desta poesa, cujo aulographo o
Sr. conselheiro Castilho depoz as augustas mos
de S. M o Imperador, soblo a inbaoi o Sr. Zaluar-,
e lea inteiro o seu poemeto Vrugnayana, cujo pri-
meiro canto fra ouvido oo sarao anterior no, mera,
de justos applausos dos quaes nao sr\q menOjS rig>
nos os versos que o completan,.
O Sr. Zaluar tye a honra d,e, {uT-
Magestades e Altezas loipe.rW"J' cer as Suas
sos da sua prodcela. templares impres-
Qbtida a venia <* ,
oor um ov*' "e S- M. o Imperador encerron se
De"' u0 a Pr'me,ra parle do sar*o.
? ^os de um inlervallo de pouco mais de mela
ora, dorante o qnai foi servido o cha, SS. MM. e
AA. Imperiaes dirlgiram-se outra vez a sala prio-
Icipal, demorando-se antes algum tempo a percorrer
>





.,. ...
filarlo de Pernasabuco Segueda tetra li de Dczcmbro de |8Cft.
a galera artstica, a'cerca da qaai S. H. Impera-,
dor dipnouoe [azi r diversas perguntas.
Tendo SS. MA1. e.AA. imperial volUdo aos seus
lugares no salo, comeyou a segunda parte do sa-
ra'o por um hiilharrte tninno', letra* do Sr. Bruno
Seabra, msica do Sr. Mariinez.
formulado o hyrono, o Sr. Joaquim Nabuco
leu urna poesia A l'ruguaj/ana, e o Sr. conselheiro
Piulo re Serqueia um irabalho mi prosa Triloga
dos ltimos monarchas do Brasil, -
O Sr. G. Bellegarde, como secretario da Arca
dia, depoi> de atpumas breves palavras, leu um
officio do Sr. Dr. Pedro de Calasans, manifestando
o desejo de recitar nesie sara'o a can (ata que com
purera para os alumnos do Institltfo dos cegos por
occasio do f.-Iiz regresso de Sua Magestade ; visto
seren idnticos os sens seotimenlos era relacao
aos fjctis em cuja solemnis<.yo se empenhava a
Arcadia.
Fiuda a Irilura rio cilicio o Sr. Dr.P. de Ca-
lazaus subi a tribuna leu a cantla de sua cui-
posiyo.
Fez-se ento rmvir o Sr. Reichert, tocando na
llanta um Andsnte pastoral offerecido a S. M. o Im-
perador.
Tornando a suhir a tribuna o Sr. conselheiro
Caslilho, reterio-se ao Sr. LacerJa Couiiu&o, cojo
poeraeto sob o lilulo Greenhateh, passou a reler.
A seguuda audico deste escriplo veio justificar
os applausos rom que fura saudada a auspiciosa
estra do joven poeta.
O Sr. conselheiro Castilho, linda a leitura, decla-
rou que. na.i devendo a Arcadia abusar da bonda-
de do SS. SU!, e AA. Imponaos, flcaVam reserva-
dos para ulteriores sesses os trabaltios com que
se haviam inscripto os Srs. eommendador Montoro,
Goilherme B-dlegarde, Jos Ferreira Nobre, Dr.
Ana-uci o Lu/, do Uomsuccesso, R. Cunha e Anto-
nio J. Altes. E, obtida a permiso de S. M. 0
Impea'lor, fu declarado fiodo o sarao, tocando a
orchesira o hymno nacional.
SS. MM. e \. Impenaes dignaram se de aceitar
nm copo d'agua, e pouco depois retiraram-se aeom-
panlial-is por ludas os socios presentes e.io som do
hymn i nacional i icade pela baola de msica.
No momelo .le iransporeai limiar do edificio,
lev.iui ira,n-su vivas a S. M. o Imperador c a Fami-
dia Imperial, qu-feram calorosamente correspon-
didos.
Assim tennioou urna esta Iliteraria e artstica,
Sendo pouco irais, de meia ooile. o Sr. empresa-
rio do Uldfi emenden, e ntendeu bein, qae ainda
poda proporcionar are api .id v, I passatempo as
pessoas prsenles.
Para isso fez collocar a banda de msica na sa-
la da gale.n i artstica, e all daosou-e al S'ho-
ras di 111 i i i 11 com gran.lo ammaeoe alegria
sendo p loso depois servida urna lauta ceia.
A coucurrencla ao s.irao da Arcadia foi extraor-
dinaria ; calcla se em cerca de 200 senhoras e
mais de iOOcavaiheiros.
29
S. M. o Imperador e Sua Alteza o Sr. conde
d'Eu, acompanhados dos seus semanarios e dos
Srs. generaos Caxias, Cahral, chefe do 1." dislricto
naval e encarr-gado do qua'rlelgeoeral, embarca-
ran! no arseual de marinha honiem as 8 J/i horas
O capilo 1"5o"Baptisla Corra de Miranda, ca-
pital quartel mes'.re do dito commando sui^-
0T. ____ ____
Itelaco dos offlces aos quaes, por avise de'ta
data, se manda abonar etapa de 15000 diarios,
nos termos do decreto n. 1,251 de 8 de julho e
imperial resoluco de 26 de oulubro, ludo deste
anno.
Brlgadeiro graduado Patricio AotDnie de Sepul- provincia da Parabyba
veda Ewerard. Francisco do Pama Nobrea, dos
Brgadeiro reformado Manoel Estanislao de Cas- MMo do publico, jndirial e notas,
Luiz Manuel Rodrigues Valeooa, de oHcio d
partidor do termo da capital do protruOia Op Pw--
namhuco;
Eduardo Bessoni de Almeida, dos ofBeios .de
partidor e remador do termo rfc Hataf eth, a
mesma provincia;
Ion cencio Jos de Caryajho, dos offlcios de
tabelliao do publico, Judicial anotas, e escrfvao
la, para c swviyo do respectivo hospital de cari
dade-,
Fel exonerado o Dr. Joao Antonio de Soma Ri
beiro do csgo de secretario do governo da provin
ca do riio de Janeiro ;
orant-poueedidas aos hachareis Augusto Cesar
de Padua/leury e Jos de Utionde.Teixeira Gui-
maraes ffexnueracoes que pediram, o 1 do cargo
Antonio Manas
Souza Coussefro,
do publico, judicial a notas do tamo de Lavras, da Antonio ('..-.linun du l'm t AUueiJa c Miguel Qui-
mn du Pih Alenla, fillios Legitimo do finado
ridilgo tvatteiro teneittacordnel Manoel Bernardo
Calmon du l'm e Almeida
tro Cruz.
Tencnte-coronel elfectivo Antonio Joaqoim de
Magalhaes Castro.
Teooaiescoroneis reformados,
da Cosw, Joaquim Castao de
Manoel Joaquim de Olivera.
Major elrdivo Jos Mari da ..(Sosia Aranjo.
Majores reformados Francisco Jos dos Rei< niesrha provincia .
Alpoim, Carlos Aiigust i Tauwv, JOao Jos *j Al- Abel Marcellino de Souza dosofJlcios de tahetllae
buquerque da Cmara, Framisco Jo- do Rosario' do poMino, judicial notas, e escrivao das exeru-
o FranefcOO Goocalves da Cunha.
Cai'itao effeclivo Francisco do Reg Barros Fal-
cao.
Capitiio reformado Jos Antonio de Calazans Ro-
drigues.
Cirurgio-mr reformada Dr. Claudio Luiz da
Costa.
Tenentes reformados Joo Flix Pereira Campas,
Pedro Alexaudnno de Barros Cavalcanti de Lacer-
da, Felisberto Comes de Argolo Ferro e Francis-
co de Paula Lobo.
2 o tenente reformado Iunacio Dias Lerae.
Alteres reformados Remando Jos, Joaquim Pe-
reira Xavier de Oliveira e Manoel d3 Freitas Sam-
paio.
de oruhos e ousenwo do tormo de Bananeiraa, na de oeorojorio do governo da provincia do Rio
: Grande-A Sul, e o 2. da da proMncu de Miuas-
offlcios dota- Gerae~;
e escrivao do Fora.orneados o bacharol loooioaqatm Peca-
na dita peo- nha Povoto, secretarios do governo da provincia do
Rio Grande do Sul, e o Dr. Ilenriqe.e Celar Mualo
secretario do da de Minas-oraes-,
Fui cotetdida o fui o de meco dalp i com exer-
cicio ntfir|ierial casa a Jo wrWel Calmen de-
Alraeida, Manoel Bernardo Calmon de Almeida,
civel e crime do termo de Inga,
vmcia;
Miguel Joaquim Fernando Barros, dos oficios
> 2* tatellto do publico,(odieni e notas o tormo
de Bomril, na provincia ojear;
ot A y res de Souza Pinto, doollicio de tatiellio
Por decreto n. ;t,531 de 22 do correte, foi marca-
do o ordenado annual de 120$ ao carcereiro da
cada da villa doTeixeira, na provincia da Parahy-
ba do Norte.
da manha e dinpiram-se ao quartel da annacao,
em Niiheruliv, onde passaram revist as pracas algomas informacdes coja exacn
nelle alojada. exercito coirentino a s ordi
A's K Lj horas regressaram Suas Magestade e
Alleza ciiii a sua comitiva, e, desembarcando no
mesmo arsenal, retiraram-se logo.
Por decretos de 18, 20 e 22 do correte :
Foi removido ojote municipal Paulino Ferreira
da Silva, dos Iproono do Principe e Acary, na pro-
vincia do Rio Grande do Norte, para o de Caruar,
na d l'eiliaiiibuco.
Foram di>pensados do servico por lempo inde-
terminado :
O teiieute-roronel chefe do estado-maior do com-
mando superior da guarda nacional dos municipios
de Campia Crande e lupa na provincia da Para-
hylia, Eufrasio de Arruda Cmara.
O coroue! commandante superior da guarda na-
cional dos municipios do Jateos e S. Raymundo
Nanalo, da provucia do Piaohy, Benedicto Ferrei
ra d. Cu vaiiiu.
Foi i! uiiliido o major Antonio Manoel Cirra de
Miranda, do commando da seoeao do batalhao de
nfaiii.-.na n. 2 do servico activo da guarda
Dacn n .i di provincia do Para.
Fura ni reformados :
I; nardo J >> da Cmara, tenentecoronel da
iniipa guarda nacional da provincia de Pernaiu-
Le. i] i j ,i-io de coronel
Thomaz Cav.ilcanti da Silveira Lins, tenente-co-
rouel da antiga guarda nacional da provucia de
I unbuco, Uu lo- -11.o posto.
i. Mi ii-j. .i J ..i,. ilrrfianJifio de Vasroncrlosi
'-o i./.,. i ,r ,(,, % ii.iioiiian da puarda naci-;
nal da provmeia de i ernamboco, passagem no mes- esquadra hespanhola, esforcan lo-so dobalde o cor-
Fez exame hontem na faculdade de medicina, e
foi apiirovado simplesmente, o cirurgio dentista
Joao Augusto Slcard.
- 30
Entrou hontem do Rio da l'rata o vapor S. Ro
man com datas de Buenos-Ayres at 21 e Monte
video 23 do correte.
At 15 tinha o exercito adiado pascado o rio
Corrientes e orcupava a margem do Batel a urnas
50 leguas fridade de Corrientes. (onstava, po-
rm, que elle dalli marchara para o Rincn do
Soto, as immediacos de Goy, onde provavel-
mente embarcara a arlilharia, bagagens e talvez
pin da infamara, para subir o Paran'. Os nos-
sos diversos contingentes de tropas de torra qno do
Rio da Prata tinliam tomado aquella va fluvia
em direccaoa l'orrienles orcavara ja' por 5.000
homens.
Continnava a ser problemtica a reunio dai
forcas entrenanas de Urquiza, entre as quaes ha-
via grande desofeio.
Da B03S9 fronleira do Rio Glande tinham mar-
chado a incorporar-se ao exercito do general Oso-
rio algumas tropas, a respeito de cujo estado o
nos-o correspondente de Buenos-Ayres, como se
vera' da sna caria em outro lugar publicada, da
idno aliaoca.
ens do general Ca
ceres acampava a duas leguas da capital. O gover-
nador da provincia pedia ao governo geral lieenca
para licenciar ao monos parte da guarda nacional,
' ja' por ter esta de concorrer s eleicoes provin-
I claes, ja* por ser urgente, acudir a reparar os es-
tragos que f.-z no paiz a invasao paraguaya.
I O general Hornos licava a qualro leguas do Em-
pedrado, e pouco Oais abalxo o general Paunero
, com o primetro rorpo do exercilo.
De Corrientes chegam-nns algumas noticias do
inimigo, obtidas, segundo se diz, de alguns presos
fgidos de Humaila, alravs do Chaco. Segundo
1 estas infonnacoes ha naquHla foria eza una guar-
; nicao de 8,(XI0 a 10,000 homens. Dalli se jaw-
| ram |ira o lado do Chaco tres grossas cadeas for-
mando tima, que fechamo rio.- Descansa esta ca-
deia em cinco emharcco'.s, e no centro ha duas
canoas grandes, no meiodas qtaes esta' una hom-
1 ha enorme carregada de mtiitos projentis c.-m duas
1 mechas e guias para duas escunas, urna de. cada
] lado do rio, com seus competentes guardas e vi-
gas. Accrescentam as iuformaces que em Itapi-
r tem os Paraguayos urnas GO pecas em batera
! e que esta' alli lambam o Okoretto "que se relirou
de Garrite*, com mais alenns regimenlos de ca-
vallaria, ao todo uns 30,000 homens.
A OOSsa es.juadra (cava no porto de Corrientes,
donde destcav frei|uentemenie expedico-s explo-
doras, que subiam al s Tres Boceas" e mesmo
al ao l'asso da Patria.
lio Pacifico li.-ivia I -i ro i.. ; 11 a l; ninas n dicias no
/lio cu is civis e crios, e capellas e residuos do termo
de S. Vicente Ferrer, na provincia do Maranhao.
I I. U I......---------------
Reiaco dos offlciaes reformados aos quaes, por
aviso desla dat (9 de novembro de 1865) se mn-
,a
cr
abonar eiapa de {-diarios, oes termos do de
Foi uomeado cavalleiro da ordem de S. Bento de
Aviz o i* lenle da armada Francisco Antonio Sa
lom Pereira.
Foram apresentados:
O padre Alexandre Pires de Carvalho, na igreja
parochial de Nossa Senhora da Conceico de Pa
eto
n. 1,254 de 8 de jolho e imperial resoluco 'lue(iuer, da diocese e provincia do Rio de Ja-
de 26 de outohro deste nno.
O padre Antonio Sm5es de Moura, na Igreja pa-
rochial de .Nossa Senhora da Conceico da Manga,
da diocese e provucia do Maranhao';
Coronel, Bernardo Jos Correa dos Santo.
Majores, Tele.sphoro Semio Pereira do Lago,
Fehppe uarte Pereira, e Jorge Castnoto.
Major graduado, Alfonso de Albuquerquo Mello.' u?,Padr Jos Manoel de Frenas, na igreja paro-
Capitaos, Manoel Joaquina Xavier, e Francisco chial de Saot M;,na da Anajatuba, da mesma dio-
Jose Lopes. i ^ e Provincia ;
Cirurgio-mr, Jos Ferreira Lisboa. Padre Luciudo Apngio de Sanl'Anoa, na igre-
Segundo tenente, Joaquim Francisco de Souza J parochial de S. Flix da Pacatuba, do arcebispa-
?lavarro. ,du da "ania provincia de Sergipe.
Alferes, Anlonio Barbosa de Oliveira e Jos Fi fei,a a merc da medaTh'a humanitaria de !
Bernardes de Brilo. classe ao 2o sargento do 26" corpo de voluntarios
' da patria Francisco Pedro dos Sanios, por ha ver
salvado ao cabo de esquadra do mesmo corpo Ma
Reunirn) se bontein no salo da praca do com- noel Saryro de Castro, i|ue cahindo ao rio, de bordo
mercio os correctores desta praga afim de elege- do vapor Uruguay, uuasi se afogou.
rem os membros para a ouva juuia. Obliverara i -'" ----------
mainria de votos os 1201 de 13 de
maio do auno passsdo, guardas marinha os alum-
nos externos da respectiva escola que concluiram
os tres primeiros annos do curss Flix Jos da Su-
va Jnior, Jof Antonio de Uliveira Frenas, e Jos
Marques Mancebo, e aspirante a guarda marinha
lose Ferreira Gondolpho, que repelindo o primetro
auno, como alumno externo, foi approvado plena-
mente.
Por aviso de honiem
Deocieciano Bruce, Henrique Ilarper, e Frederico i s *?s rtigos i e 5 da lei de n.
Griusiwiir, de fundo9.
Ant.nio Marques Ferruira, de mercadorias.
AJrieu David, de navios.
Em circular do ministerio da fazenda, datada
de 16 do passado. foi coinmuuieado as thecouranas
de la/'-nJa, aiiin de fazer constar as in*pei'lorias
das ai,tud"pas, que o algodo em rama deve ser
considerado enlre os obyectos mencionados na ta-
bella n. li de regulamenio das alfandegas.
Aos consignatarios ou donos dos vapores Lelit
Bell e Agnes Arklts :oBedtHi-se permissao para
p iderem receber a bordo dos iiesmos vapores com
desliuo a cidade de Sautus, os geoeros cousiaoles
das tabellas u. 10 e 11 doreguiamenlo das alfan-
degas, fcaudo incluida oesla ultima o algodu em i
rama, e bein assim transportar nos referidos vapo
res para aquella cidade dentro do praso de seis
mezes, mercadorias ja despachadas para con-
sumo.
DIARIO SE PERNAMBUCO.
Recebemos jornaes do Rio de Janeiro at 2 e da
Bahia at 6 do correte, pelo vapor americano
North America, ciiegado sabbado.
Kio de JaNeuio. Alm do que darnos, sob a
rubricas Parle Official, Exterior e Interior, apenas
encontramos mais o sguinte, que iranscrevemos
do Correio Mercantil, por suas datas :
. 26 de novembro
Foi posta a disposicao da presidencia da pro-
vincia do Rio-Grande do Sul, a qnanlia de 20:0005
Antonio Quin.l.ano de Castro e Silva, | Pa" ao,xilio das familias ^ S' Borja, Haqo. e Urn-
' guayana, que em consequeocia da mvas.lo para-
guaya, fiearam em estado de penuria.
Por aviso do ministeiio da marinha em data de
hoje foram promovidos a guardas marinhas os
aspirantes
Amonio Jos Leile Lobo, Joaijuim^Marques Baplis-
la de Leao, Luiz de Pnula Masearenbas. Joao Ma-
ria da Silva Coulinhu, Hermn Ludwich Cade, Ma-
noel Pereira Piolo Bravo, Henrique Ellery, Adolpho
Paulo Galliardo, e Joao Candido Brasil.
Por ordem do governo imperial acaba de ser
Communirou o ministerio da fazenda s the-
sourarias que o prazj para a substituicao das no-
tas de 55 da 4* eslampa, de que trata a circular n.
55 de 22 le dez-mbro do anno passado, deve ter-
minar em 30 de abril de 1866, principiando de i"
impresso um Repertorio das leis decisoet do go-: Jo maio era diaDlrt 0 descont progressivo de 10
verno concernentes a 2* directora da secrelarta de o/q na forma da lei
estado dos negocios di agricultura commrrcio e Pe,0 I)aar,| genera| da marioha foi contrata-
obras publicas desde 1808 organ.sado pelo Sr. Dr. d0 o Sr. Dr.. Ernesto Benedicto Ottoo. propnsto
Luiz rrancisco da Veiga. Para saber as materias
ue este repertorio abrange coovm recordar que
Perguutado se connece o paraguayo Joao Sa-
berlo-que coro He ri-p..ndeote chega'ra nesta ci-
dade hontem ? Hespondeu qe conhece.-o desde
lo discurso
tinha de ser feilo.
Por este motivo fra suspensa a solemnidade pe-
lo Sr. conselheie Ramalho, presidente do acto.
No dia seguinte reunira-se a congregacSo da fa
cuidado para deliberar a respeito daquella oceur-
rencia, tendo comparecido todos os lentes, a' excep-
Cao do Sr. conselheiro Chrispioiano.
Depois de longa discussn, de que o teojus
conhecimenio, diz o Diario de S. Paulo, consta-nos
ijue a congregarlo accordou o seguinte :
Instaurar processo contra c Sr. bacharel Gou-
calo de Lagos Fe mandes Bastos, pelo fado de ter
na solemuidade proiesiado contra a omisso dos
discursos.
t Parece que se traa do c'rime de injuria coni
sisteme no-faoto de dizer o dito Sr. uaclurel, refe
rindo se ao Sr. couseineiro Ramalho, que se fuer*,
urna violencia.
Neste processo sao tambem complicados aquel-
les senhores que acompantiaram o Sr. bacharel em
seu protesto.
O processo feilo no furo privativo da facul-
dade. '
A pena de um a dous aunos de saspensao
de carta.
Em consequencia licaram desde ja suspen-
sas as cartas at ulterior deliberacao sobre o pro-
cesso.
Minas Geijaes. Fra votada, setn discussao e
por unanimi'dade, a felicitaQao proposta na Bssera-
bla provincial para Sua Magestade o Imperador,
pelo seu feliz regresso do Bio Grande do Sul.
Jlaviam noticias da brigada mineira em ex
pedigao para Matto-Gros.-o, que ainda permaneca
no Bio dos Bois.
Matto-Ghosso.Os dous documentos juntos coa-
lm o que ha de importante desta provincia :
Auto de perguntas feitas ao paraguayo Joao
Roberto.
Aos ) dias do mez de outubro do anoo de
865, nesta cidade de Cu yaba' e se
licia, onde se achava o respectivo ch
Dr. Firmo Jos de Mallos, prseme o paraguayo,
Jo5o Roberto, marioheiro de bordo do vapor!
Anhambahy, pelo dito chefe Ihe foram feitas as per-
guntas seguintes :
Perguntado onde se achava quando foi preso
por forja brasjleira, e quando ? Hespond-'u que se
achava no lugar denominado Salinas, e tendo de
seriado de bordo do dTBJ vapor onde era rnuito mal-
tratado pela falta de. alimentos, fflra preso por for-
m brasileira a' sete das mais ou menos, por des-
confiar se que fosse esp o.
Perguntado que forja existe na frontera ?
Respondeu que no Amolar exi-te urna guarnico
de 100 homens de infamada e o vapor Anhambahg
com duas artilharias de calibre 32 ; em Curumba
outra de 1,000 homens das armas de arlilhara, ca-
vallaria e infantana, com cinco arliliiarias de cam-
iranha e o vap(r Sallo de Guaira, com quatro arti-
lharias, cujo calibre Iguora : e em Coimbra a de
300 homens e o vapor Rio Apa, armado com tres
artilharias.
Perguntado se ern Albuquerque nao existia
tambera guarnico alguma? Respondeu que iguo-
rava.
Perguntado qaetn o commandinie das for-
bordo do vapor Anhambahy, -de o dito Roberto
servia de foguisl^cowo elle itosoondenle.
t^Brguuiad*^ual o inoiropori|ue desertaram
porque nao mrtqueFiaoi esljr a bordo do dito va-
por, e que o ftaeram quando aerara occasio de
ir ew ittora para Imeetr.
WloiaiJo quen se leoAfw priraeiro de de-
Miar.Hrapoodoa que foi om Roberto.
Bcguotdo se sabia quaes n< kcHS 4o com-
mantlante da forca paraguaya. Respondeu que ig-
oorava iporqoe na/la re dina" a tal tvspeito.
Perguolado o que era hito dos prlsioneros
brasileiros une existiarn em Corumba", e se tinha
se maiado algum ? Respondeu que a maior parte
Melles itnha seguido para A-sumpcao, e que [mu-
cos existiarn em Corumba'. nao me cousiando que
se tivesse matado algum desses e sim dous, pal e
Bino, cujos nomes ignora, no Mangabal, por occa-
sio em que ltimamente ellos alaiiaram esse ponto
para carnear.
Perguntado o que sabia a respeilo de commu-
nicaco dos paraguayos rom a Boiivia ? Respondeu
que sabia baver em Corumba'urna esir-ida que em
oito dias de viagem ia ter a Bobvla, por onde ja'
Unliam-seguido alguns paraguayos e por onde
tambem ja' tiuham viudo a Corumba' alguns boli-
vianos, Sodo um delles ofOcial que trazia offlcio
para o commaodanle. isse mai que consta va que
os bolivianos preteudiam comprar esse pouto dos
Paraguayos.
Perpuntado o que era ferio dos ootros escra-
vos do major Metello, que com elle respndeme ha-
viam fgido para o iuimigo 1 Respondeu que fo-
ram mandados todos para a repblica do Paraguay
pelo eommandaute do ponto de Corumba'.
Perguntado se as familia* prisioneirs ersm
seretaria da po i0U Da0 de rhefe'de oolicia que a Priocll'K> foram pela lorja iavasora, por. tp.
.. ,?n?r ^'lue Presentemente nao sao. Disse ais que por
na -i para o 2." batalbo de infamara da pro-
vine de Santa Calharioa.
I un il is goa l is :
U c ipiio do l. batalbo de infantria do servi-
co activo o.i guarda nacional da provincia das
Alago,,-. Antonio Piolo de Amorim, para servir o
logar de major d. dito batalbo.
O capitn do -l. batalhao da guarda nacional
do hervido activo da provincia das Alagoas, Jo-c
Pereira de Andrade, para servir de major oo mes-
mo batalbo.
O capio .lo baralho de infaniana n.12 do ser-
vico activo da guarda nacional da dita provincia,
Augusto Eloy de Barros Pimenlel, para servir no
lugar de major do dito batalhao.
O e-u '.o-inaior do commando superior da capi-
tal da provincia do Maranhao, para ser a elle ag-
gregadu o capilo Jos Mana dis Chagas Feroandes
d- Brilo.
(i l. batalbio de infantaria da guarda nacional
da dita provincia, para ser a elle aggregado o
teneute-roroael commandante do batalhao n. 19
da referida guarda, Raymundo Jansen Serra
Lima.
II -i lo-maior do commando superior da puar-
da nacional de Pi-rnamboco, paca sur a elle ag-
gregado o ntajor ajudaoto de ordens do comman-
do superioi da guarda nacional da comarcada
Palma, na provincia de Gflyaz, Joaquim da Cunha
Filil- He,lil.
u e-u,o maior do commando superior da co-
man- i de Vianna, da provincia do Maranhao, para
ser a elle aggregado o tenentecoronel da guarda
nacional da mesma provincia, Jos Antonio de Oli-
veira.
F iram nnni-ados :
J iflo de Agoiar Boto de Barros, teuente-coro-
ncl Commandante do batalhao de infantaria n. 8
da goarda nacional da provincia de "-erpyie.
O tenente-coronel Pedro Vieira Jnior, coronel
comm indante mpe ior da guarda nacional dos mu-
nieipi da Mala Grande e annexos da provincia
da- Ai.ip tas.
O major bacharel Jo- Cordoso de Queiroz Pon-
seca, t-nente-coronel do 9. batalhao de infantaria
da guarda nacional da provincia de Pernam-
boco.
Igaaoio dos Sanios Fonseca, major commandan-
te da scelo de batalhao da reserva n. 2 da guarda
Baefonal da dita provincia.
O CApo Antonio Francisco Aras, major aju-
dante de ordens do commando suf^rior da guarda
aeloul dos mMicipios da capital e annexos da
provincia do Rio Grande do Norte,
'i ai-feres Firmino Bevilaqua, rapito cirnrgiSo-
mr do commando superior da guarda oacional
da provincia do Piauhy.
O c:ip:tao Agoslinho Valente de Figueiredo, ma-
jor ajudaote de ordens do commando superior da
guara nacional do municipio deS. Raymundo No-
nato da mesma provincia.
O capitn Joaquim de Lima Castro, major com-
mamiatite do 5. esquadrao avulso da guarda na-
cional da dita provincia.
O capiao Autenio Jos ic Araujo Bacetlar, ma-
jor ajudaote de ordens do commando superior
vincia.
Jos Carlos Pereira de CaUro, tenente-coronel
di. 3.* batalbo de infantaria do servico activo da
guarda oacional da provincia do Maranhao.
G tenente Francisco da Co-da Rodrigues, capitao
quaricl-mestre do commando superior da guarda
nacional das municipios da capital e aooexos da
dita provincia.
O capio Joaquim Francisco de Araujo l)a-
nira, leante-coronel comuiandaole do i. batalhao
de arlilhana da guarda uaciunal da provincia do
Para.
Julio Ces.r de Araujo Danim, tenente coronel do
2." batall i de iufantaria da guarda nacional da
dita provincia. .
O lenle Jo Roberto da Cosa Pimental, ma-
jor cooimandaiite da scelo de batalhao de infan-
taria n. 2 do -ervico activo da guarda nacional da
dita provincia.
Francisco Jos Correa de Miranda e Fiel de
Sygmsnnga Honorio Pereira Lima, majores aju-
dantes de ordens do commando superior da guar-
da naciooal do municipio de Igarap mirim da dita
provincia.
O alferes .Miguel Peona de Moraes, capito se-
cretario geral do raesrao commando superior.
po diplomtico estrangeiro no empuho de trazer a
algum acord es dous contendores.
Na Bolivia o general Melgarejo derrotou a 5 de
setembro nos S-rros de Cantara as forcas de Fio
res Agreda, Acha e Saojioez. Melgarejo licava em
Potosi organisando o seu exciio para abrir a cam
panha do norte.
No S. Ruinan vieram para esta corte os Orientaes
prisin-iros da Uruguayana D. Juan Pedro Salva-
nac, I). Jusliniano Salvanao e D. Pedro Zi(pitria.
Vierain lamben 132 doentes do exerctoe armada,
dos quaes falleeeram em viagem o Io cadete Jos
Bonifacio do Andrade e Silva no da 25 e um vo
luntario do Maranhao no da 28.
Por decretos de 25 deste mez foram apresen
lados :
O padre Tiburtiuo Alvos Miinardes, na igreja pa-
rochial de Nossa Senhora do Rosario do Riacho de
Santa Anua, do aicehispado e provincia da Babia.
O padre Jos dos Beis Villa-verde, na Igreja pa-
rochial de S. Francisco Xavier de Engeuho Velho
desta coi te.
(J padre Jos Sebastin Moreira Maria, na igreja
parochial de Nossa Senhora da Conceico das Duas
Barra-, da diocese e proviocia do Rio de Janeiro.
Fui noraeado cavalleiro da ordem de S. Bento de
Aviz o capilo do corpo de ai lilices da corle Mauoel
Maria Camiso.
Foram naluralisados cidados brasileiros os sub-
ditos portugueses Eliziirio Jos Hiolades e Manoel
Alvesde Araujo, e o subdito francez Francisco Ma-
na Guenuoc.
Relacao dos offlciaes aos quaes por aviso desla
dala se manda abonar etapa de 13 diarios, nos ter
mos do decreto n. 1,251 de 8 de julho e imperial
resoluco de 26 de outubro deste anno :
Marechal de campo reformado, Ernesto Augusto
Cesar Eduardo de Miranda.
Bripa leiro graduado reformado, Jos Pedro de
Alcntara.
Coronel reformado Francisco Jos da Rocha.
Teuente coronel eectivo, Joao Francisco Bar-
reto.
Tenente coronel reformado, Manoel Ignacio da
Silva.
Major retormado, Francisco Antonio de Mello
Pita.
Capitaes reformados, Jos Joaquim de Lima e
Silva Soarinho e Jos Venancio Caatalice.
a referida directora lem a seu cargo os negocios
relativos a uavegaco fluvial, aos paquetes, estra-
das de ferro, de rodagens e quaesquer ouiras, tele
graphos, e obras publicas, illuminaco da corte e
companhias de bombeiros.
Ja se v que. sao servicos importantes, e qno
valioso o irabalbo de um repertorio com auxilio
do qual podemos de momento achar todas as dis-
posiedes <]ue Ins sao relMivas.
Sobre o systema que adopiou adverte-nos o
autor:
E-te repertorio abrange. o espaea de t-'mpo
i|ue medeia enlre a era de 1808 e a data de 11 de
outubro de 1865
Seguimos a ordem ehronologk-a, insenndo
enlretanio em primeiro lugar (em peral) os actos
legislativos do auno, fin seguida os ducrelos do
poder executivo, e floaimenle os avisos e por-
tarlas.
Quando assim nto Otemos foi porque nesse
caso inuilo prejudicada (icaria a verdade histrica
com IhI systema.
Motivemos lempo de aperfeicoara forma do
nosso Irabalho, o fondo porm supimmolo uiata-
cavel.
Observa tambem :
i O titulo deste livro e o ndice das materias
nelle coniilas palenleam a sua iuconlestavel utili-
dade.
Aqu esta escripia em ngnag-m Official a
Historia guasi completa da civiltsac&O mitertal do
Impe'io, desde a memoravel data de 1808 em que
nos puzemos em contacto cora o inundo civilisado,
e em que foi uodada enlre mitras insliluicoes be-
nemerilas a real junta do commerehr, agricultura,
fabrica e navegaran do estado do Brasil.
O Sr. Dr. Luiz Francisco da Veiga um moyo
que ao uatural talento reuue muita appllcaco a
e.-tudo.
Nao este o primeiro irabalho de letlrts que o
paiz Ihe deve, e o queja tem prestado penbor do
muito que prestara ainda.
__ 2 __
E-lamos autorisados a declarar que nonhum
fundamento lein o boato que se espalhou de es-
lar-se S. M. o Imperador preparando para outra
viagem a provincia do Rio-Grande do Sul.
Por decreto de 29 de novembro foram transferi-
dos na qnalidade de secretarios de legaco, u Sr.
Ignacio de Avellar Barbosa da Silva, da legaco
brasileira de Washington para a de Londres; o
Sr. Henrique Cavancanti de Albuquerque, da de
Montevideo para a de Washington; e nomeado
secretario da legacao de Montevideo o addido de
primelra classe Sr. Julio Henrique de Melle
Alvim.
a commisso da praca para
Foi honiem eleita
186-.
Receberam-se 199 cdulas, sendo eleitos os se-
guintes senhores, pelo numero de vetos ao p
declarados.
Brasileiros: Jos Joaquim de Lima e Silva So-
brioho 187, e Caetano Furqoim de. Almeida 187;
porloguez : Vicente Cvrillo Rodrigues de Castro
I9i; ingle/es : Alfredo Mac Kmnell 190, e Jos L.
Monleflore 184; francezes: Augusto Lehericy 19i;
hespanhol: Antonio de Aranaga 185: allemo:
Fernando Schmidt 181; americano : Guilherme
von W. Lidgerwood 120.
o I I i !
Por aviso do ministerio da marinha em data de
hontem foram nomeados guardas-marinhas, os
alumnos externos seguintes, que concluiram os
primeiros tres annos do curse da escola: Flix
Jos da Silva Jnior, Jos Antonio de Oliveira
Por aviso do commando em chefe das foryas
navaes no Bio da Prata, datado de C do correte,
foi nomeado commandante da corveta a vapor
Ypynmaa o primeiro teneute Francisco Jos de
Frilas,
Publicou-se o 2 tomo da collecco completa dos
tratados do Brasil com diversas potencias, que o
Sr. Dr. Antonio Pereira Piolo est impriraiudo sob
o modesto lilulo de Apontamentos para o direUo Freitas, e Jos Marques Mancebo.
uUeriianuii'il. Neste 2 lomo, que abrange os tra-1 ..^-,_-
lados celebrados do 182 a 1838, seguio o autor o
metbodo do 1% fazendo preceder cada convenyao
de urna noticia bistorica e documentada, era que
nao smente expoe os antecedentes da mesma
convenyao, mas tambem o que se Ihe tem segaido
al hoje, os actos otficiaes qae lem provocado, as
inierpretaeesque lem tido, e em summa qnanto
com n-fen-uRia a eia se tem oassado. Aioda urna
vez o dizemus, urna obra inleressanie e que me-
rece a attenyao de quanios por dever ou por gosto
se oceupaen das cousae patrias.
1." de dezembro.
Por decreto de 9 do correle, foram aceitas as
desi-lencias que Ilzeram:
Justino Candido Vieira. dos officios de tabelliao
do publico, judicial e notas e escrivao de orpbos,
residuos u capellas do termo de Cururupii, na pro-
vincia do Maranbo.
Foram declarados vagos:
Os ofews de partidor e distribuidor do termo
da Capella, na provincia de Sergipe, por nao ter
Antonio da. Silva Lemos, srvenlo -rio nomeado
para os ditos officios, tirado o respectivo titulo no
praso legal.
Ti vera ra merc da serventa vitalicia ;
Manoel Antonio de Carvalho, do offlcio de escri-
vao privativo do juizo dos eiios da fazenda provin-
cia das A aguas;
Jos Vicente da Costa Jutub, dos Quicios da 2a
tabelliao do puMico, judicial e notas e escrivao das
execuyoes civis
dita provincia;
Hontem de mantisa um vapor de reboque tinha
de levar para tora da barra os brigiies poitopnez
Mentor, Inglez Kanagma e a galera fraoceza Ala-
fi/d>. Tendo ja tomado a reboque os dous pri-
meiros navios, foi navegando o vapor al ao lugar
em que eslava fondeada a galera. Na occasio em
que este navio suspenda o ferro, ou pela muila
arreira que levava o vopor, ou por erro da mano-
bra, foi o brigue Mentor sobre a galera Mathiide,
havendt grandes avarias no gnrups do primeiro
e na popa do segundo.
Estas duas embarcayes deixaram de segoir
viagem eoi consequeocia das avarias que eof-
freram.
Por cartas imperiaes de 29 de novembro prxi-
mo Ando foram naluralisados jdados brasilei-
ros :
0 conde de Debban, consol do Brasil em Ale-
xandria; Joao Luiz Germano Brohus, natoral de
Lubeck ; Joaquim Jos de Almeida, subdito porlo-
guez, e Manuel Leile Vieira Guiraares dito.
Por decretos da mesma dala :
Foi autonsada a sociedade denominada indus-
trial de Beneficencia a eoniinuar aexereer as oas
fuoccSes, sendo approrados os respectivos estatu-
to -;
Foi concedida ilrenya a eventvel ordem tereei-
ra de S. Francisco da Penitenia da cidade de 6.
e cmes do temo de Aaadia; na Francisco, na provincia de Santa Catharlna, para
] comprar urna casa e um terreno ao lado dej-
yas existentes na frouteira e onde eslava ? Res-
pondeu que o coronel Rasjuin, que lem o seu
quarul em Corumba'.
Perguntado se ha pretenyoes de bater-se esta
capital com as foryas existentes na front-ira, ou se
espera-se mais forya para este lim ? Respondeu
que nao ha pretenyo de se bater esta capital e
uem disso se trata, porm que, por occasio da in-
vasao prelendiase chegar tambem ate esta capital,
tendo naquella dala o commandante da expedico,
o coronel Barrios, reqnisitado ao presidente Lpez
mais forya e a esquadra para com ella por em pra-
(tca o que pretenda, ao que respondeu-ihe Lpez,
que nao mais era necessario ca vir, e que ordena-
va-lhe que sepuisse a Assumpyo afim de prose-
guir oas operayoes pela provucia do Rio Grande
do Sul.
Perguntado o que se falla, na fronleira, dos
acontecunentos que tem havido as optrayo-s que
se tem feto pea provincia do Rio Grande ? Res-
pondeu que nada sabe por nao ter lido o Semana-
rio, e que s Ihe consta o ataque que leve a es
quadra paraguaya com a brasileira, na qual per-
Jen a paraguaya qualro vapores, sendo u Para-
janry, Jejuhy, Salto Oriental e Mrquez de Oltnda,
icha em poder do poder do
Perguntado se ha desanimo na forca para-
guaya, e se llie consta que ontro tanto succede as
foryas en-lt-nlea em AssumpcAo It-.-p.-udeu que
nao ha desanimo algum as'forya- existentes na
Ironteira, e que nao sabe se outro tanto saccede s
que eslo em Assumpyo.
Perpuntado que numero de homens mais ou
1 existir em armas para defender
a repblica ? Respondeu que ignora o uumero, po-
rm que salie existir em armas lodos os homens da
repblica, inclusive os menores de 10 anuos e os
reinos de 60 e 70 e para mais annos.
Perguntado onde con-ia Ine exi-iir 0 presiden-
te Lpez e com que forya f Respondeu que esta em
Humana e com muit-j grande forya.
Perguntado que destino tem-se dado aos pri-
sioneros braSilelros que existiarn na fronleira ?
Respondeu que os homens foram todos mandados
para Assumpy.io, e que as molheres toi concedida
a hberdade de os acompanharem, so quizessein, e
no caso contrario deviam licir em Corumba com a
torya paraguaya.
Perguntado se se tem matado nlgum brasileira
prisioneiru t Respondeu que nao, ten lo-se dado
duas mortes smenle no Mangabal por occasio
>-m que fora esse ponto batido pela forya para-
guaya.
Perguntado se sabia quaes as pe.-soas que fo-
ram mol las uesse ponto / Respondeu que uo co-
nheceu.
Perguntado se se tem dado mais deseryoes na
forya que existe na fronleira ? Respondeu que se
lem dado rnuita na foiya existente em Corumba,
leudo sido degolados de 12 a li, que tendo deser-
tado, foram pegados as proximidades do dito [ion-
io, por ahi exislirem em razo de nao saberem o
eamiaho que vem ter a esta cidale onde preleu-
di^m vir iiomisiar-se.
t Perguntado de que consta a alimentacSo das
foryas paraguayas? Respondeu que de carne s
mente, por uu haver mais milho. Responden mais
que havia chegado ordem do presidente Lpez
para que nao se degolasse mais os soldados, que
tendo desertado era capturados, porque noceSsl
tava-se de forya, aos quaes devia-se conservar
presos.
Perguntado em queseempregava a forya exis-
tente no Aino.'ar ? Respondeu em rondas, viudo
era lanchas al o lugar de nome Oracara, tendoe
mais urna guarda de 12 horaeus no cume do mor-
ro do Amolar, a qual rendida de lera li
huras.
Pergnnlado como liava aqu ebegado com o
preio escravo de Autonio Thom Ribeiro, de nome
Pedro ? Respondeu, que sendo o dito preto foguis-
Foi nomeado presidentj do Instituto Agrcola ,a do vapr /1/l/i(l6,1%i eUe rtspUUdente, icndo vou-
Flumraense, o conselheiro Luiz Pedreira do Couto: tade dt desertar, o couvidou pora isso, ao que an-
t'trraz' i nuiudo, pozeram era pratica o que inloulavam, dc-
p-___, ____,___. .. _. clarando mais o respndeme,que esse preto havia-
r,/H i Sff.retna ? preSlden,e,a d0 R!-! apresentado ao commandante da expedigao, que
GraBde do Sol, o Dr. Jos Joaquina de Peyanha ; rM iva-j, lendo sempre servido de pratico as
ordens do mesmo..
E como nada mais dissesse e nem Ihe fosse
perguntado, deu-se por findo esie auto de pergun
tas que por nao saber escrever o respndeme, as-
pelo cirurgiao-mr da armada, para servir nohos
pital da marinha da corte, na quilidade de 2 ci
rurgio d- coramissSo.
No paquete americano North America vieram
para o governo imperial duas bateras completa
das novas peyas de repeliy.o, inventadas pelo co-
ronel Lount.
A este respeito diz o New-York Herald:
' E' este o primeiro carreg imento que de taes
peyas se faz duraule a guerra, porque sua expor-
layo fra expresamente prohib la pelo governo.
t Cada urna de-tas peyas despede nma bala pou-
co maior que a de Mini, na razo de 100 por mi-
nuto, e aleanya at a distancia de 1,0 0 jardas. JequUmlionha, que se acha
O coronel Lount liliio da escola de West presidente da lepublica
Point, e servio 16 annos no exercito regular.
c As suas pecas vo de certo producir urna revo-
lue.o na arte da guerra no Brasil.
30 -
L se na Nacin Argentina :
Foi nomeado commandante da corveta encou-
rayada Brasil o capilo de fragata Vctor Santiago
Subr, por haver sido chamado ao Rio de Janeiro, menos con alim de ser encarregado de urna nova commisso,
o actual commandante u capito-tenente H-nrique
Antonio Bapllsta. >
Foi posto pelo Sr. visconde de Tamandar
disposiyo do cnsul hra.-ileiro em Montevideo o
vapor de guerra Paraense, qjje o tem de couduzir
ao Rio de Janeiro.
Parece que muito delicado o estado de sade
deste cavalleiro, que vai ver se pode recobrar na
provincia do seu nascimeulo as foryas que perdeu.
Foi nomeado para commandar o Paraense o 1*
tenente Jos Manoel da Costa.
t Com destino ao Bio da Prta, embarcaram
hontem, no arseual de marinha, os balalhoes 42" e
13* de voluularios de S. Paulo, o primeiro compos
lo de 413 prayas e o ultimo de 334, ao todo 717
prayas.
S. M. o Imperador e suas altezas os Srs. con-
de d'Eu e duque de Saxe estiveram presentes ao
embarque, ao qual assistiram tambem os -rs. mi-
nistro da guerra, visconde de Camam e ajudanie-
peneral Polydoro.
c Con-inzem esta tropa os vapores Presidente e
Suzan Burnett, os quaes lo'iaro em Santa Catha-
rina. >
L-se em urna folha de Montevideo :
Esta canhoneira (a Parwihyba), que sabbado
passado chegou a Buenos Ayres. procedeule do
Uruguay, recebeu ordem de seguir viagem para o
Tigre, afim de fazer alguns reparos.
Em frente, porm, a Bilgrano, o navio varou,
e a 20 ainda alli permaneca.
Noticia tambem a Nacin Argentina que no
banco dos Dos Haitianos achavase encalhado o
transporte brasileiro Princeza.
A' p mea experiencia do pratico, accrescenla
aquella folha, devia-se esse incedenle. i
Esperava-se que primeira enchente o vapor
seguira.
Io de dezembro
Consta-nos que oSr. Dr. Martlm FraociscoRi-
beiro de Andrada nao acceitou a presidencia da
provincia da Parahyba do Norte, para a qual fra
ltimamente nomeado. >
que por
occasio que alacaram ltimamente o Mangaba!, a
forya que alacou leve ordem para matar os ho-
rneas ahi existentes e couduzir com todo o cuida-
do para Corumba' as mulheres, porque tabiara que
ollas eram de hora proceder.
Perguutado qual tem sido a aliraeolacos dos
Paraguayos e dos prwioneiros t Respoodeu que
lem sido smenle carne por nao haver mais milho
nem farinha.
E como nada mais dissesse nem Ihe fosse per-
guutado, deu-se por lindo e.-te auto das prgulas
que vai rubricado pelo Dr. chefe de polica e as-
signado a rogo do respndeme o cidado Joao Ma-
ra de Souza.
Eu Jos Jacmtho de Carvalho, serveotnario que
oescrevi.Firmino Jos de Mattos.-Joo Maria de
bouza.Conforme, Jos Jacinlho de Carvalho.
Baha.O rio Paragua.-s leve urna enchente
pequea.
Achava-se no porto da capital, a crvela de
guerra Jumara, que viera substituir o brigue Ma-
ranhao.
Ptlo 3o ditricto foram elcilos deputados pro-
viociaes : Drs. Filgueiras Sobrioho, Manoel Melga-
yo, Francisco Jos da S. e Almeida, Costa e Silva,
Thomaz Montenegro, Romualdo Seixas, Virgilio
Damazio e Gonyalo Bulco, e o padre Amonio X.
de Moraes.
O cambio regulara : sobre Londres 26 3|4,
26 7| e 27 d. ; sobre Paris 352 rs ; sobre Hambur-
go 705 rs., e sobre Portugal 100 103 0|0.
Ficava a carga para Pereambuco, o brigue
Santa Cruz
L-se no Jornal :
Honiem (29) foi conferido o grao de doutor
em medicina aos Srs. :
Ramiro Affonso Monleiroi Francisco Sidrono
Bandeira Chapas, Mililo Barbosa Lisboa, Pvaneis-
co Rumano de Souza, Francisco de Lima Nobre,
Augusto Jo- da Silva Reis, I'ossidonio de Melio
Couiinho, Egas Carlos Muuiz Sudr d'Arago, Jos
Olympio d'Azevedo. Alexandre Aflooso de Carva-
lho, Emilio Teixeira dos Santos Imba>sahv, Ger-
mano Rodrigues Vaz, Odorico Carlos Bacelar An-
lunes, Jos Comes Moncorvo de Carvalho.
O acto esteve solemne, como de cosiume, e foi
muito concurrido Unto de cavalheiros como de se-
nliuras. Estiveram prsenles Ss. Excs os Srs. ar-
cebispo, presidente da [provincia, chefe de polica
e commeudante das armas.
A cerimouia tioiliseu com os discursos do Sr.
Conselheiro director e de um dos laureados por
parle ue seus collegas. Este foi o Sr. Dr. Jos Go-
mes Moncorvo de Carvalho.
Ambos os discursos foram dignos da solemni-
dade, e por isso ouvidos com todo o acatainent >.
Deixaram de tornar o grao por nao terem
prestado os ex unes era sustentado as Rieses os
senhores :
lysses Leonesio Puntes, Jayme Soares Serva.
Izidoro Antonio Nery, Pedro Alfonso de Carvalho,'
Augusto Cesar Torres Brrense.
Estes acriam-se no sul do imperio, fazendo
parte do corpo de saude do exercilo. *
Honiem (30) eucerram-se os trabalhos da fa-
culdade de medicina.
a U Sr. Dr. Antonio J inuario de Faria apresen-
tou o segoiote:
Proponlio que a congregayo da faculdade de
medicina da Baha oomeie de seu seio una com-
misso, da qual fara' parle iodispensavel o Dr. ins-
pector da saude publica, alim de apresentar al-
gum trabalho relativo a medidas hygientas le-
denles a preveuir a inva-o do cholera morbus
antro n<, ou i minorar Ihe a inteusidadee a duia-
oio se infelizmente tal llagello fizer exploso em
nossa [iroviac.la.
Approvada a proposta, foi eleiu a commisso,
composia dos Srs. :
i Conselheiro Antonio Ladislao Aranha Danlas.
t Dr. Antonio Januario de Fana, Dr. Jo.- de
Goes Siqueira.
Fui nomeado para escrever a memoria hist-
rica dosaeontecimentos uotavels do anuo lindo o
Sr. Dr. Jerunymo budr Pereira.
Povoas.
S. Paulo.O Correio Paulistano diz :
Hontem, 21, realisou se no palacio da presi
dencia a reunio para o lim de trazer a S. Paulo a
abundante emipracao americana, que deve acom- Signou a seu rogo Joao Jos Rodrigues Xavier e
paohar o Sr. general Wood. rubriCoU Dr. chefe de ,icl K ^ j ,
k Compareceram a ella os Fxms. Srs. Dr. presi- (le Carvalho, secretario que o escr-vi.-Firmo ES
denle da provmca, barao de ,V Joao do Rio Claro, de Maiios.-Joo Jos Rodrigues Xavier.-Coufor-
barao de Antoo.na, barao de Iguape, Drs. Bernar-' ,ne._Jos Jac.utho de Carvalho.
do Gaviao, Martinho Prado h.denc.o Prates Pinto I _. Aul0 de pergenias hites a Pedro, escravo
Jnior os Exms. eommendador Vicente Queiroz, I do cidado Autuu.o Thom Ribeiro.
Souza Barros Srs. Thomaz Lu.z Alvares, Silverioj Aui 10 das do mez de outubro do anno de
Jordao e Joao Ribe.ro dos Santos Camargo. l86s Desla cidaile dt Cuiab e ^w^
,Jn?Jf- gTraa Wood-lle,P as Pe.s?oas P""- i licia onde se achava o respectivo chefe Dr. Firmo
Kc!^5/' semel laBte ren,ao- e sol,c'|o Jos de Mallos, prsenle Pedro, escravo do cidado
^LUrSlde l'A7 para 'e ar a.effe" S seus de- Aotonil Tlw"> Ribeiro, de 30 anuos mais ou me-
graos, depois do que pedio l.cenya para ret- nos de ulade. pelo mesmo chefe Ihe foram feis
Em vista daexposiyo e pedido do Sr. gene PerKotas su""3 '
ral, fuodou-se urna associayflo que recebeu o titulo
de Auxiliadora da emigrayo para 8. Paulo.
Foi nomeada urna direcyo que licou assim
cowpoeia :
t Presidente, o Exm. Sr. barao de Iguape, vice-
presidente, o Exm. Sr. Vicente Queiroz.
E para a commisso que tem de organisar os
respectivos estWW, os Srs.: Or. Bernardo Ga- da, porque constava-he que o dilo
vio, Dr. Pinto Jnior, e eommendador Vicente
Queiroz.
Para a leitura e approrayodos estatutos ficou
marcada urna aova reunio para sabbado 25 do
corrente, ao leio-dia.
t A associayo ompor-se-ba dos cavalheiros
presentes, e dos Exm-. Srs. bario de Ilapetiainga,
baro de Tiet e Dr. eoaego Joaquim, qae nieeun
correram a esta por dTeriites motivos.
Perguntado qual o motivo porque deixara o
sitia de seu senhor e se adiara cornos paraguayos
a quem servir de pralie.o sempre por occasio da
invasao ? Respondeu, qae achando-se na fazenda
de seu senhor no lugar denominado Poeira all
soube de pessoas couhecidas, que seu senhor o ti-
nha vendido a Joao de Souza Canavarros, com quem
noquerendo servir, resolveu fugii da dila fazeu
Canavarros ia
sua procura, o assim prooedendo linlu feilo propo-
sito de ir-6e apresentar s foryas paraguaya que
faziam a invasao, quando foi preso no lugar pouco
abaixo do Sara a que desde essa occasio servio
de pratico a bordo do vapor Anhambahy, por ser a
isso foryado pelos patajuayos, a quem um cama
rada do Sara ieformara, que elle respndeme era
conhecedor de todos esses tugares da fronleira,
t Perguntado que forya existe no Amolar, era
So dia 27 do passado, leve Jugar a collacei Corumba, e em Coimbra ? ResBoaJeu que nao 'sabe
A's 6 horas da larde de sabbado chegou proce-
deule dos portes do norte do imperio, o transpor-
te Oj/apock, sendo portador de jornaes do Amazo-
nas ate I (i e do Para al 30 do passado, do Mar-
uhao, at 2, do Oara at 5, do Rio Graude al 7 e
da Parabyba at 8 do corrente.
amazonas.Nada occorreo que mereya mea-
pah. No dia 29 do passado lomou posse do
com mando das armas o Exm. Sr. marechal Lopo
de Almeida Henrique Bo,ulho e Mello.
S. Exea. Hvma. seguio. i. madrugada de 15-
para o centro da provincia, bordo do vapor Inca
em visita pastoral.
Foi muito festejada a volta de S. M. o Impe-
rador, h.ivendo um Te Deiim, que esleve bastante-
mente coucorrido.
A alfandega rendeu, no mez de novembro,
125:0004.
MAiiNiiAo.Os empregados da thesouraria de fa-
zenda mandaram celebrar um Te-Deum, em ac-
yo de grayas pela volta de S. M. o Imperador.
Proceda se a eleiyo de um deputado a' as-
sembla geral, sendo mais vetado o Sr. Dr. Jos--
Joaqnim Ferreira Vale. <**"
Appareceram as costas da Praia pequea
alguns restos da galera americana Duncan Vum-
bar, que ultiiuamente |>erdeu-se nos baixos de Fer-
uando.
L-se no Publicador :
Eotrou honiem, pelas ti horas da tarde, o vapor
inglez UttkHailie, de 2i6 toneladas, forya de 27o
eavallos, 31 pessoas de irlpolayo, vindo em lastro
deGlasgow.com escala por Bermudas, Nassa'o,
Havaoa e San'-Tbomaz e Irazendo desle ullimo
porto at o nosso i dias de viapein.
Crvela americana Powhatom.Aoha-se essa
corveta fundeada ao N. do pharol de Sanl'Anoa, e
deve entrar amauha.
O commandante, de nome Ridgels, veio hon-
tem a ierra e vollou levando o pratico Jos Joao de
Castro.
A corveta tem 400 pessoas de tripolacio e 40
olliciaes. Saino de S. i'bomas em 29 do rae* lindo,
e destina-se a' California. Ocommaudanie Informa
que dous das depois de sua partida deviam largar
de S. Thomaz a fragata Vanderlt e urna esqea-
dnlha qae acompaaha o monitor eocouraoado Mo-
nadnock. Toda a esquadra vai reuotr-se na tthii
para d'ahi seguirem para a California.
O Monadnock, dix o mesmo carorBandaote.
una grande fortaleza fluctuante ; mas navenjKr-
eiuuieuie, lendo quasi lauta velocidade como os
vapores que o acoinpauham.
Perdeu-se cemplelamenle, nos baixos da Pu-
caua, o brigue iuglez Lian, oom carregamento de
carvao, para e.-ta provincias
Corpo de guardas naoionaes do Pianby^O
vapor Qmmhhm eutrado hontem, Iroiuo da Parna-
hybi, o 1 batalhao de guardas nacionaes expedi-
cionarios do Piauhy.
Vemos da Imprensa da Theresina que esse
corpo composto de 500 homens e coramaodado
pelo Sr. teuenle-coronel Pacifico da Silva Casiello-
/


/
niari 4# Wwnamhnc* t nnd.i Icfr f f de fflcrcmhr-o A; I s*
Branco. a repeUo deste assio^se exprime o mes-
mu jornal :
commandante e bstanle (Mohecido na pro-
vincia. Merobro dtstrincto de urna familia impor-
11 Dt o mesmo tempo un fea toscos fazendei-
_____MMMmciaos.____
Langando os olfios por casualidade sobre o Dia-
rio de Pdrnambuco de 17 do prximo fiado mez de
OMJLEltCIO.
provincia.
Ckar.Foi marcado o Io domingo de fevereiro
prximo, para se proceder a eleigo de depuladoir
provlnciaes.
Ro Giundr e Cbak.Nada occorren, aps a
sahida dos vapores costeios ebegados no da
8 e9.
ttw
PERNAlftRUCO.
-M
UV1STA DIAftU.
A 1 (Wdbrrenle fui pelo Sr. delegado do termo
de luujuca dirigido nm tel*gi-amma ao Sr. Dr. che
fa le poiwia, solicitando a presauQa aiii do mesrno i poiiclaes; smpre andou muito de publico; e fre-
senhor, era consequencia de negocios de importan-1 gaez antigo e constante do proprio Sr. Barroso,
ca que subreviohain cora relajo a urna execugao | a.|ne loda semana comprar urna carga de aguar-1
de serttenga em pendencia sobre o engenho Ara- dentej raesmo depois que elle foi nomeado e assu-
tang! aguaita entre os Srs. lenmnes-coroneis Joao' mi0 0 ejercicio da delegada.
de Sa' e Gaspar Cavalcaoli,; e effeeliyameoie para | Qizer, pois. que o desertor eslava homisiado
aUi partindo o Sr. Dr. Piudahyba. de Matos aeroide- ( no engenho Agua Branca, propriedade do I. sup-
len, s recolheii-sea esta cidade no da 7 p,la pientr ,/ subdelegada de N. S. do O', > e que m
tarde, depois de liaver dado as providencias .pie o subdelegado tatiez ignoraste que fosse elle deser- >
ca^ exiga em garanta do direito, que aquellas tor, faitar a verdade com descaro, para ter o
FRAC* DO RECIFE.
Coinf in offleiaes.
9 de flr-zembro.
Assucar masr-.iMrde CHiralAS030 por arroba.
Assucar mascavado purgado especial 25800 por
arroba.
Algodo de Macei 16,5800 por arroba posto a
bordo.
Cambie- sobre Londres 90 d/vista 28 W d. por
mil ri..
unbourcq Jnior,
Presidente.
Gnimaraes,
Secretario.
Noto baac de Peruaia-
v buco.
O Novo Banco descoma letras a 12 por cento
ao anno, toma dinheiro a praso flxo on em conta
idigoa suspeita sobre o 1. supplente da subdela
gacia da N. S. do O', Feliciano Cavalcaole do Re-
g Vasconcellos; e como nunea tarde para ra-
tificar os erros eom que a maledicencia, para al-
tingir seus fins, alteraba verdade, pedimos ao Sr.
redactor que no faca o obsequio de dar publielda-
de s seguioles linhas, qoe serviro ao raesmo
tempo de additamento e de errata ao coramunicado
a que allodimos :
E' verdade que o delegado Barroso prendeu,
ltalo de desertor um pobre homem, que resida,
ha um anno, no engenho Agua Branca; mas esse
individuo sendo morador na comarca de Gnyanna,
ha oito anuos, ao vu e su de todos, em tempo al- i
gum se di-se, era suspeilouse, que elle fosse 'corrente pelo premio e eondicSes qoe se conven-
desertor : nunca elle occultou-se das autoridades
Swansea-S2 das, Urea inflen Corea, de 308 to- caiga de aigodo azuf, camisas de brim branco,
nelatas, capilau Slrtskland, equipagein II, carga frdente da panno jrzul, fardas dt brim branco,
BifaTV;l ? Wll>c" & netl- gravaas de couro de lustre, polainas fle pana
hio de Janeiro 22 das, barca portugueza Dexpi- prto a sap-ades fetos no patt' ,
7Ut', de. 380 toneladas, capilo Faustino Jos Contrata o consellio >ob as eondiegoes do eslylo-
Carvalho. eqeipagem 13, carga caf eoutros e a vista de propostas em cartas fechadas recebi-
gneros ; a Fwrreira & Lmireirc.
Rio de Janeiro-18 diaN patacho brasileiro Valen-
le, de 203 toneladas, capilo Joaqun) S. G. Pan-
fla, equioagem 10. carga H),000 arrobas de car-
ne ; a Marque* Uarros de C.
Liverpoot-31 dias, barca io^leza Miranda, de 314
toneladas, i-apilao Congdn, equipagem 14, carga
fazeudas ; a ilills Latham S C.
Rlu de Janeiro 21 dias, escuna iogleza Ilannl
Cordner, de 258 toneladas, capilo R. lillis, equf
gem 7, Mi lastro ; a Thomaz Jefferies & C
Rio de Jan-iro pla Rabia6 dias, vapor america-
no North America, commandante Temmer-
man.
Navios sahidot. no mesmo dia.
das no referido dia 11 do corrente roer at as 11
huras da manh.
Sala do conselho da coinoras navaesj o de de-
zembro de 18G3.
O secretario,
Ale.eandre Rodrigues dos Anjos.
Srs. teneotes-eoroneis proeuravam> sustentar.
Uando js.-iu) de medo perfuHClorio eU noticia,
comprumettemo-nos a ihteirar o publico da todos
os incidentesoccorridos e prov.denciados pelo Sr.
Dr. Pinitahylia e Hatos em face do san relaiorio ao
g'iverno da proviaia, para que a opinio publica
sobre tao ponderosa emergencia se firme em seus!
verJadeiros fundamentos, e nao se forme disvir-
toada pela ignorancia dos mesraos incidentes em
loda a stacudo em que teuham elles sido produ-
zidis.
cionar. e saca sobre a praca da Rabia
Caixa filial dobinco do Brasil em
Perpambuci.
A caixa descoma as letras de seu aceite pela
taixa de 9 0(0 ao anno.
Oguarda-livros
Ignacio IN'unes Correia.
Brasil
Seguio sabbado para a corte o 3o corpo de
voluuunos da patria, sol) o cominando do Sr. coro-
nel Lobo, com cerca de 300 pragas.
H 'uveram sumpiuosos festejos, por todas as mas
por onde foo trajelo. Com mais vagar daremos
minuciosa descripcao.
A' bordo do Oyapock seguem para curte,
vindas das provincias do uoile, cerca de COL) pra
ras, entra as quaas um bello corpo de guarda na-
cional do Piauhv, ao mando do distinctu lente-
coronel Pacifico da.&lva Castello Branco. prsSg demoralisa a mtonddde, em cujo
>>esue igualmente, nesse vapor, o Exm. Sr.. engenho se acha elle; respondemos Ihe desafian-
Dr. Tavares Bastos, de volta de sua excursao a'' do-o que nomeei a pessoa ou pe provincia do Amazonas. I solleitano, por e.-cripto ou verbalmente, sob pre-
O vapor nacional Paran devia sabir do Rio texto ou sem pretexto, do delegado Barroso, a sol-
lorpe irazt-r de manchar com urna iufame suspeita
un carcter nobre e di>liucto, qual o do Sr. Feli-
ciano Cavalcanle do Reg Vasconcellos.
f Qaem haga aplicaciones >
Cum su pan.se lo coma.
Ao delegado Barroso, muito zelnso e deligente,
mas somente no interesse do> seus arrufas" e des-
1 peitos, estava reservada a gloria de descobrir e
; prender aquello desertor !
Fique, pois, elle com a grosa de pomposos epi-
1 thetos com que o mimoseou o commuoicante da
R-vista Diaria : nao Ihe invejamos, nem Ihe con-
testamos um s; mas fique timbera inleirado o!
publico, que o Sr. Feteiano Cavalcanta do Kego
1 Vasconcellos, mogo probo, caracler distincto lo-;
dos os respeitos, subdelegado que tem desempenha-,
docomomaior zelo e dignidade as funecoes de
seu cargo, muito incapaz de ter homisiado um i
! desertor em seu engenho.
Quanto a dizer o communicante c que se lem
procurado a soltura do desertor, sob pretexto de
BaltimoreBrigue americano Chatanooga, capilo
J. Fry, carga assucar
New-York e porto* intermedios Vaoor imerlca-
no North America, cummandaote Teramer-
man.
SSITA2S.
Conselho de compras navacs
Octmselho manda fazer publico que nao tendo se
contralado hoje o fernecimento d carne verde aos'
navios da armada e ostahelecimentos de marinha,
duraule o Irimestro prximo de Janeiro a margo,
ficou por isso transferido para 11 do corrente mez,
avista de propostas que se recebara ats 11 horas
da manha.
Sala 4o conselho do compras navaes, o dezembro
de 18t5.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
No dia 12 do correle mez de dezembro, e
u depois da audiencia do Illm. Sr. f)r. |dtz d. orphaos,
j vai a praca por venda a casa e sitio da Boa-Viagern I
aonunciada para o dia o do correle, avahada oor
2:0005, e lem de ser po>u eui praga coa o abati-
da lei; cuja preprredade pertence ao casal do falle-
cido Dioi Antonio Farraira Marques, a v*i a praga
para pagamento da credbra Humbelma Candida
.N'unes da Mello.
O Dr. Trislo de Alencar Aranpe, official da im-
perial ordem da Rosa, juiz de di re lo especial do
counnercio desla cidade do Recife de Pernam-
bueo e seu termo por Sua Magestade Imperial e
Coostilucional o Senhor D. Pedro H que Deus -" dia *- do corrente, dep is da audiencia
guarde etc. "<> Sr. juiz de paz da Santo Antonio, tem de ir em
Fagu saber pelo presente que Monteiro Lopes & P/aga os b.-nsjnoveis que forana penhorados a Joao
Caixa filial do banco do
em Pemambuco.
Tendo-se desencaminhado da massa fallida de
S?!SaaSro2S\L: "t SS{^^0^^ri^.-ge 5^. dc^^;^dr^
pertencentes a Guilherme Frederico d.- Souza Car-
valho, socio daquella firma, a directora faz publi-
co a quem interessar possa, que por parte de Jus-
tino Jos de Souza Campo-, adminlsirador da re-
ferida massa, se vai proceder a transferencia de
ditas acedes para a Sra. D. Ueoriqueta da Silva,
actual possuidora das inesmas, visto as ter etn-has-
(a publica comprado, como ludo provam com do-
cumentos que licam archivados nesla caixa.
Caixa filial do banco do Brasil 30 de novembro
de 1863.
O guarda-iivros,
Ignacio Nunes Correia.
ALFANDEGA.
Reudimento do dia 1 a 7.......
dem do dii 9.................
157:1115819
m. Sr. Dr. juiz do commercio.Dizem Montei-
ro L'ipes C, commercianies nesta praga que
C'audiano de Ollvejra, qne foi estabelecido com lo-
ja de fazanda na ra da Cideia do Recife, deve-
dor da quantia de 6.G485758,saldo das letras ac-
caitas pelo supplicado e por coola das quaes rece
brram dos supplicantes, o que Ihes rouba nos di-
videndos da massa fallida do mesmo.E porque o
supplicado se acha ausente, era logar incerto e
au sabido, os suplicante* requeren) a V. S., se
sirva de mandir p?ssar carta de edilos, depois de
justificada a ausencia, aflm da ser o supplicado ci-
tado para a primuira deste juizo, ver assignarse-
Ihe os 10 das da le, dentro dos quaes dever pa-
gar ou allegar e provar os embargos, que o rale-
^WiO
180:4665359
norte, no dia 7 ; e o lora do pretendido desertor.
Se nao fizer islo, Sr. communicante, ficar pro
vada.a falsidadeda sua asseverago.
Al mais logo, Sr. delegado Barroso.
Goyanna 2 de dezembro de 1863.
Al-Gazel.
de Janeiro, para -s purtos do
ioriez Uouro, no dia 9.
Sahlram desse porto para o de Pernambuco, j
no da 29 do pastado, o brigue Uenrtqut a o pata- i
cno Cyro.
Do Jornal do Commercio V Rio de Janeiro,;
em dala de t ,;do corrente, transcrevemos as se !
'uini"s noticias eorilnieffas:
No m-rcado de caf notou se algnma anima-1
cfio, subnto o9 pregos das |oalidadas supenore-
i de 100 rs. por arroba. .
Depois da shi >ara os Estados-finidos 20,000 saccas.
Para o Cual e porte da Europa 17,800
Para o BedTterrneo 6,900
- Tnom Narciso Pereira de Almeida Coutioiio de
Somma. -44,700 capello, e nornean lo iutarioanienta para substi-
--------- '. luir o Rnvm. frei Egydio.
Para m>lhor conipnraco dos prec.is publica-1 Tendo S. Exe. Revma. obrado justica, e pralica-
m )s rom as feotacoes aciones das qualidades as que do um acto todo coroado de Inuro, para com aqnel-
vigoravam saluda do paquete tiii^nuc.
Noveinbr.) 23. Dezembro
MOV MENT DA ALFADEGA.
Volumes entrados com fazendas____ 317
c com geueros..... 563
Volumes sabidos erm fazendas.....
com gneros..
------- 880
51
344
- 393
nado no principal, juros e cusas. Pedem a
V. S. differimenio e esperam receber m'erc.
Costa Ribeiro.
E nesla petigo dei o despacho do theor se-
guate :
Justifique no dia 7 do crrenle mez, as II horas
da nianha.
Rec.fe, 24 de nov?mbro de 1863.AleocarjAra-
rjpe.
Relagao das ranas seguras vindas do sul e das
existentes na administragao du correio desta ci-
dade para os sanliores abaixo declarados :
l Cornmendador Antonio Gomes Netto.
Antonio Pires Ferreira.
Domervilie de Oliveira Mello, a
| Franeisco de Paula da Alhuquerqne Maranhao.
| Ignacio Vieira de Mello Filho.
' Joaquim de Assumpcao Queiroz.
Joaqolm Francisco Pae- Brrelo (2).
Joaqoioi Pedro dos Santos Bezerra.
| Joaquim Ribeiro da Gama.
Tenante Joao Bautista de Souza.
Joao Canelo Prospero Montanh.
Joao I i ; mi da Costa I.eite.
Joao Pureira Lagos Jnior.
Jo< Alfredo de Carvalho.
Jos Fransisco Soares (Bonito).
Jos Moreira" da Silva.
Jjs Buarqna Lisboa.
Lula Amaral Dubourque Jnior.
Manoel Aires Guerra.
WfANJUA fERXAHBULAXA
ole
Vaveg^cao emteira por vapor.
Para Fern.iniio.
Segu no dia 14 do corrente, as
9 boras da maiWiia, o vapor na-
cional Mainangunpe, commandan-
te Ralis.
Recebe ea;ga, encommendas,
passageiros e dinheiro a freles al o dia 13 s 5
horas da tarde.
Esi-ripturio m Forte do Millo- n. 1.
(;ni|iaulii:i fe ni a ni bit can a
DE
.\avega9a0 cotteira por vapor,
fon
Parahiba, Natal, Marao, Aracaty e Cear
segu noia It do corrente as 3 horas da larde
o vapor nacional Persin*i\ga, commandante Bel-
miro.
Recebe carga at o dia 12. Encommendas. pas-
sageiros e dinheiro a frete, at as 3 Ir iras da tarde
do da da sabida.
E'Criptorio rio Forte do Mallos n. !._______
Compauhiads Ueusageries Im-
periales.
Al o dia 14
do corrente mez
e>pera-se da Eu-
ropa o vapor
francez Estrema-
dure, o qual de-
piis da demora
do costume se-
guir para Rahia
e Rio de Janeiro.
Pera condiegoes, fretes e passagens tratase na
agencia ra d Trapiche u 9.
Pan o PorfoT
Deve sahir cora bevraade o brigue portuguez
Esperanza por ter a maior parte de sen carrega-
mouto ja' tratado : para o resto e passageiros tra-
I la-se coui Cunta. Inn.ios & C, na ra da Madre
, de Dos n. 3, ou cem o capillo a bordo
Ilha'de S- Miguel"
O patacho portuguez JORGENCE. segua com
multa brevidade por ter a maior parte du ..cu car-
regamento prompto, para o resto da carga e pas-
sageiros trata-se com o consignatario Joao do Re-
g Lima, ra do Apollo o. 4.
Para o Rio de Janeiro
Segu hoje a barca hrasileira BQauica; recebe
carga e escravos a frete : /a tratar 00 escriptorio
d'Amonm Irmos, rua^-*r Cruz n. 3, cu cun o
capitao Francisco Luiz de Sunza Juuiur, pa praga
do Commercio.
Descarregam boje li:ladazBOibro.
Vapor InglezAmnzonmercadorias.
-Barca ingleza Cora-bacalho.
Patacho lglez-WVn/ bek~bacalho.
Birca_wgeza-/suGeu-ctrvo de pedra.
Barra ingesaDolfimcarvw de pedta/
Bseooa iogleza- nnscliuf'ano de pedra.
Barca ingiera,lmi Sofl-aa-^idem.
a bera do recolhimento de ossa Senhora do ii PawcboiogbM-.Vw-machinas ergaz.-
Bom Conseibo desta fregu zia deu o Exm. e Revm.; arca |wriugueia-Ai-i.ta-dtversos gneros.
,du o celebra padre ''Ucl,0 ''-triaco-/^ranSa-genebra e vejas.
Barca nacionalhUilum<;han|4ie.
Brigue portuguezmproyist idem.
Patacho oorltiguezFarroidem.
Patacho oriental San!o Aqostinhniaem.
RECEBEDORIA Dli RENDAS INTERNAS
lRSESPONDENCIAS
*" i.!. (l,
Srnliores redactares.Lendo- o Daro de Per
mmbiico de 8 do corrente deparei com o expelien-
te do governo do bispado e via ju>la providencia SfJ^L
aae, a im.n do nu-tMmantn rt a. s,K,, .1.., Paiacho ingl,ez-C/o-machinas e gaz.
Sr. vigano capitular di'inittinii
&S %& *$l% KnMRio Formoso,
Thomaz Jefferies Esqrs.
1.
Lavado 75800 a 85400 6560(1 a 85000
' 75300 a 75400 75400 a 75300
Superior 75100 .1 75iM) 75200 a 75300
l ir,i t;-5Xiii) a flgJDO 65RQ0 a 65200
I regular 65000 a 60160 650(10 a 6*200
: rdmaria HSUM a "i5"00 8*200 a KI300
1 457OO a 4580- 45706 a 45<0i>
> ordinaria 4-3300 a 45600 15500 a 45600
Opitania 35300 35300 a 35400,
As vendas de algodo, depois da sabida de
ut, f.Tam muito limitadas e cnn>tam apenas
i 300 fardos do de S. Paulo, de 20-5000 a 215000
; 1 arroba.
i 1) mercado flea fronxo as seguales coligues:
a S. Paulo SOS a 2053OO
le estabelecimonto devn tambem estander sua
bemfizeja mo sobra toda a freguezia, a rredando
della o mesmo padre d coi!jin,t..r; pois se ella
era prejudicia ao reeolhiniento, como verbilmeote
tiz ver a S. Exc. Revma. o aiuda mais em tal
emprego; porqne persegue com o seu nefando
modo de proceder nao s a seos innaos sacerdo-
les, come geralmente aos pacficos e honrados ci-
dadaos, a ponto de o povj desta freguezia almejar
sua au-encia.
Eacarregado, como >e acha da administragao do
Saerani-nio do matrimonio, tem teito dezesperar a
todos que querem receber este Sacramento, que
se nao fosse a guerra dn Paraguay, que tem obri-
gado aos soltetros cazarem-se, tiha deizado de
haver admini.-lrago : 1 a factos, e documentos a
rpcnftitn n .,.... iiaim-n^ de_.meili
RAES DE PEHNAMBUt;0.
Kendimenio do dia 1 a 7.......
Idem do dia 9.................
GE-
5:1455747
83554t8
buidor respectivo esta por forga de meo despacho,
fez a dpstnbuigo ao esenvo deste raau jolzo Ma-
noel d..' Carvalho P.ies dejAndrade,
lpaw do'que produzmdo o supplicanle snas
testemnnhas qua depuiorain cunvenienlemente
acerca da ausencia, du supplicado, o luesmo escrl-
vao fazendo sellar a prauarar os autos me os fez
coiu:lu.-os, os quaes .ciwwina eutragues ualles dei
a sentenga do Iheor.segnwite :
H.'i por jusliliada a ausencia do supplicado, que
se inostra achar-se eiu lu^ar mearlo, a mando que
seja Citado por edilos de 30 .lias, para o Um re-
querido a fulhas 2 ..agas as costa- es-causa.
Recife, 4 de dezemb.o de 1863.Trislo de
Alenear Araripai
Segundo o que se continha em dita senteoca em
oli?^iv.incia da qual o respectivo es.rivo, fez pas-
sar o pre.-ente, pelo qual e seu theor chamo, cito e
hai por ciladu ao referido au-enle supplicado Clan-
di .110 de Oliveira, para que dentro do praso de 30
SF
TU
m^
5-9815165 d'1** C0ll,ll"rega anta este juiz allegando por si ou
___'_____ 1 por seu procurador e provando o que fr n bem
CONSULAOO PROVINCIAL.
Hndimeuto do da 1 a 7........ 36.183*634
Idem do dia 9................ 5:6815405
41.8645039
PRAQA DO RECIFE
Minas 185 a 19*. P01" a calva do referido padre Thom .\
Rio de Janeiro e outras procedencias 18J5C0 a reir de Almeida Coutuiho ao s
l, por agr, por
esperar, e confiar no Exm. e Revm. sr. vigano
capitular, que o manda retirar logo e logo, a bera
da afilela populago de-ta freguezia Sou Srs. re-
dactores de V. S. constante asignante
Thom Joaquim do Naschnenlo.
Villa do Bom Conselho, 29 de novembio de 1865.
195000.
. Picara em ser 1,200 fardos.
O- fretes eslo mais firmes e os navios menos
abundantes ; lodavia se os entrados forem nume-
provavelmeoia nao se cooservaro as cota-
actoaes. Paraos Estados Unidos echaram-se
_uini-s fretamentos no periodoafejma : para
NeW-York barca ingleza L'nnofa_>^0[ ; brigue in-
Kauagona, limitado a 3,300 saccas, a 40| bri-
;ua Dorueguense Bjarne a 42|6 pira Mobile ou
a-Orleans, escuna saeca Etrs a57|6; brigue
e-cuna oldemburgnez Anuchen a ">2|6.
Leilio, para hoje ll do correnteJ01 transfa
rilo o leilo de reloglos por interveogo do agente
Pial), ni ra da Cadeia, armazem n. 8.
O escrivao dos protestos da leiras, AI ves de
rito, i->ta' de semana. Ra do Imperador u. 40,
pi uneiro andar.
"~_ Depois d'amanha se extranira' a 7* parte da
olera em favor das familias dos voluntarios da pa-
tna (41*>, pelo plano de quarenta contos de res,
sendo o maior premio doze cootos.
Rei'aiuicao da polica.
Extraen das partes dos dias 8 e 9 de dezembro
de 1865.
Forana recolhidos a' casa de detengo no dia 7
do corrente:
A' or.lem do Ulm. Sr. Dr. chefede polica, Fran-
cisco Izldoro do Nascimento, por ser desertor, Joao
Sevenno de Oliveira e Manoel Gomes da Silva, co
rao senienciido.
A' urdem do subdelegado do Recife, Francisco
Xavier de Mello, para correego.
A" ordem do da Boa-Vista, Francisco Antonio Sa-
I trido, para correcg3o.
8
A' ordem do da Boa-Vista, Jus Vctor Ramos,
por ser disertor e commetter o crime de resisten-
cia e uso de armas prohibidas.
O chafe da 2" secgao,
J. G. de Mesguita.
Casa nu F.TENQO.
Movitneuto da casa de detenco no dia 7 de de-
zembro de 1865:
BlMlMJ 350, eotraram 13, sahiram 5; exisiem y f esquadroes cerrados,
358, a saber: nacionaes 2ol, mulheres 4; asirn-1 M...s,-----., A ZLu ....11..H,
o; escravos 63, escravas
PWliiSA60E8 PEDIDO
Ao natalicio de S. .. I. pelo professor do melhndo
Caslilho Francisco de Freilas Uamboa.
Ave immortal Pedro II
Que de Tito imitando a piedade
t'm exempln deste ao novo mundo
P'ra salvar a brasilica cidade,
Reprimindo o arrojo furibundo
Dos que hiam punir a crueldad?,
Pois cerlo no valor da sua tropa,
A bem do povo seu o migo poupa. (*)
Exulta pois, Brasil, ufano exulta,
Que as' hordas que pizaram o teu solo,
Cimpostas da feroz gentalha estulta
Jamis levantarlo vip'rino eolio.
Nos muros de Humayta, a nagao culta
Cuja fama hir d'um a outro polo,
Mostrar que o Brasil manso cordeiro,
A furia toma do leo guerrelro.
Nos muros de llumayt teu estandarte
iH Euros e Aqudes agoite ufano
Mostrando ao audaz e vil tyranoo
Que a derrota o persegue a uda a parte.
I .mais encontrar um baluarte
I Que o possa abrigar da guerra ao damno,
I Que Ihe possa servir d'escudo forte,
Contra os bravos liis, leoes do norte.
A' frente de teus bravos, desleraidos,
BrasilicQs ledas guerra dados.
Os veris vencedores, nao vencidos
Dessas hosles crueis de vis malvados;
IE em breve n'Assumpgo os teus luzdos,
Reros 31, mulheres 5; escravos 63, escravas 4
total 358.
Alimentados a' custa cofres dos pblicos 165.
Movimento da .enfermara no dia 8 de dezem-
bro de 1865.
Tiveram baixa :
Antonio Jos Rodrigues, indigesto.
Mu 1-I Antoni dem.
BeaedicM Soares Perevra, rhenmatismo.
Luiz, escravo, seolenciado, esestozes.
Quintlliano Antonio da Costa, sarampo.
" Tiveram alta :
Lzaro, escravo de Luiz Antonio de Siquetra.
tu |ue, escravo de Joao iNepomuceno.
Passageiros do vapor americauo North Ame-
1 ico, vindo dos portos do sul s
ua airas, Robert L. Brown, Manoel M. Domiognes,
Suaano Geovanni, Samuel Brook*, C. D. Lemos,
X .Huid Maillant.
Passageiros do vapor nacional dfamanouapc,
viudo do Acaraeu' e porlos intermedios :
Mauoel Joaquim da Souza, Joao J. Ladislao, Ma-
nual da Foaseca e Silva, Francisco de Oliveira Ca-
bral, Jos M. de Bessa, Manoel Saturnino dos San-
tos Naves, Joao da Silva Neves, Francisco D. das
Noves, D. Juan Bessooe e i escravo a entregar.
Ceuitebio pcblico, obituario do da 7 DE
Dv.zp.MBno de 1865.
Mara Joaquina da Conceigao, Pernambuco, 35 an-
nos, solteira, Boa-Vista, de repente.
Manoel Valono do Espirito Sanio, Pernambuco, 48
annos, Boa-Vista, hydropesia.
Luiza, Pernambuco, 8 das, Santo Antonio, es-
pasmo.
Manoel, Pernambuco, 12 raezes, Recifv, desen-
leria.
8 -
Amelia,Pernambuco,2 raezes,Recife, hepatitechro-
uioa.
Auna, Pernamboco, 14 annos, Santo Antonio, ptby-
slca pulmonar.
Claudio, Pernambuco, 12 anuos, Boa-Vista, es-
pasmo.
Simplicio, Peraambaeo, 33 annos, escravo, Boa-
Visia, tubrculos' pulmonares.
Joanira, Pemambuco, 6 metes, escrava, Boa-Visti,
espasmo.
Mostrarlo qual mais excedente
Se ser do mundo rei, se de tal gente.
Monte-Pio Portuguez.
A directora provisoria do Monte-Pio Porluguez
pretende recolher at ao dia 15 do corrente as lis-
las, de cuja cobranca ainda nao chegon o resultado
ao seu c nheciment 1, e por isso solicita de todas
as pessoas a quem diz respeito a enunciagao deste
desejo, que nesse sentido se sirvam envidar os seus
esforgos. A boa vontade dos cavalheiros que ben-
volamente se incumbirn) desta missSo, junta
boa voatade dos signatarios das mencionadas lis-
tas, necessariamente produzir o effeito que tanto
para desejar, facilitando assim os segundos aos
pnmeiros o desempenho de urna tarefa, que deon-
ira surte se tornara enfadonha.
Passando a Joia a 255000 a contar do 1 de Ja-
neiro prximo, conforme preceila o art. 70 dos
estatutos, de interesse de lodos os signatarios de
listas realisarem o pagamento da sua joia quanto
antes, nao deixando expirar o corrente mez e anno
seo) o haverem feit >, mesmo porque, guardando-se
a maior parte para esse lempo, nao ser possivel
ter lugar ento o pagamento, j por deverem reco-
Iher-se as listas e recibos nao pagos al ao dia 15
deste mez, j por nao se poder depois mandar
receber de todos a um tempo.
A directora lembra igualmente a todos os inte-
ressados, que ainda de sua conveniencia o im-
mediato pagamento da joia, pois que s seis mezes
depois de o fazerem, e de estarem em vigor os es-
tatutos (o que sera epportunamente annnnciado)
tero direito a receber soccorros e beneficios, como
dispoem o 3 do art. II e o art. 78 ; e ser Ibes-
ha cerlamente grato, vindo a venflear-se urna hy-
pothese desagradavel, encontrar na sociedade be-
neticente Monle-Pio Portuguez o amparo e prolec-
co, de que eventualmenle possara vir a carecer.
Secretaria no Mele Pi Portuguez em Pernam-
buco, 6 de dezembro de 1865.
Jos da Silva Loyo,
Presidente.
Joaquim Gerardo de Bastos,
2* secretario.
n SK IEZK vIlHO i: lttB5.
A'STRES llOR.AS DA TARDE.
mil! l Sl'IUiiuuii
Cambios........Sacou-se sobre Londres de 28 '(
a 28 '.;.!. por 15000, sobra Pa-
rs de 335 a 340 rs. por fr.
Algodo......... O de Pernambuco vendeu-se a
165200 por arroba, o de Macei,
posto a burdo, a 165800 a dita.!
Assucar......... O mascavado purgado venden se !
de 25450 a 25600 por anoba. e
o bruto a 25050.
Couros ........Os seceos e salgados venderam-1
se a 155 rs. por libra, nominal.
Arroi..........Vendeu-se o pilado da India de ;
25400 a 25600 por arroba, e o |
do Maranhu a 25500 a dita.
Azeitedce...... Vendeu-se o de Lisboa a 25600 bla
o galo, haveudo falla do do Es-
trello.
Bacalho.......Ein atacado vendeu-se a 155000
a barrica, e a retalho de 155000
a 165
Batatas.........Venderam-se a 15000 a arroba.
Bolachinhas..... dem a 35500 a barriquinha.
Caf........... Vendeu-se de 55800 a 65500 a
arroba.
Cha............ dem de 15800 a 25100 a libra.
Carne secca.....A do Rio-Grande do Sul vendeu-
se de 25600 a 45000 a arroba,
licando em deposito 120.000 ar-
do O que
de en direito e justiga sob pena de se proceder a
sua re^e.'ia'.
Pnanlo toda e qualquer pessoa, prente, ami-
go ou eouhecidu do referido su .plie.ado, poder-lhe-
lia fuer scianle da tudu o expendido.
E para que chegue as conhenmento de todos,
man lei Tazar o presenta edital que ser afiliado
nos lugares do coslurae e publicado pela irapreoca.
Dado a passado nesta cidade do Recife de Per-
] nambuco, aos 6 de dezembro d 1865.
Kn, Manoel de Carvalho Paes de Andrade, es-
Iristao de Alencar Aranpe.
C0.V1PANHIA
DO
Nao se tendo reunido numero legal dos
seniinres necionista para ler lugar a assem-
geral extraordinaria annunciadt para
hoje, sao novamente convidados os mesmos
senhores a se reunirem no dia II do cor-
rente mez ao meio dia no escriptorio da
nv-sma, ra do Uabug n. 16, afim de se
deliberar sobre as pretences dos empreza-
rios dos trilhos de ferro, e de Claudio l)u-
beux, propietario da liaba de mnibus em
que pedem, este passar com os mnibus
poto aterro privativo da companhia; e a-
assentar os ditos trilhos por ater-
quelles a
robas, e a do Rio da"'PraV'd'e ros pertetcenles a mesma companhia. Fre-
35000 a 45200, licando em de-; veninilo-se que na conformidade do artigo
psito 30,000 arrobas. |Q jos St llulos a reUnio ser considerada
CerveJa........aVednuS'de trS? completa e fuitccionar com o numero de
Fannha de trigo. Reulhon-MToo fDOO a 235 a accionistas que comparecerem oeste dia.
barrica da de Phiiadeiphia e Escriplorio da Companhia do Bebenbe
New-York, de 2i5000_ a 225000 G de je^mbro de 18G5.
O secretario,
Dr, Joao Jos Pinto Jnior.
Louga.
a 2251100
a de Baltimore, de 215000 a 235
a de Trieste, de 85 a 95 o sacco
cora 100 libras da do Chile ; li-
cando em deposito 3,800 barri-
cas da primeira, 3,000 da segun-
da, 5,500 da terceira, 2,600 da
quarla e 2,600 saceos da ultima.
A ingleza ordinaria vendeu-se
com 310 por cento de premio so-
bre a factura.
Manleiga.......Vendeu-se a ingleza de 800 a1
840 rs. a libra,
800 rs. a dita.
Massas.........Venderam-se a 65000 a caixa.
Oleo de linhaga.. Vendeu-se a 15700 o galo.
Passas.........dem a 65800 a caixa.
Presuntos.......Venderam-se a 165000 por ar-
roba.
Queijos........Os flamengos venderam-se de
15800 a 25000 cada um.
Sabao.......... O inglez vendeu-se a 140 rs. a
libra, e o do Mediterrneo a 240
rs. a dita.
Toucinho.......Vendeu-se o de Lisboa de 125500
a 135OOO. e o do Rio Grande do
Sul a 105 a arroba.
Vinagre........O de Portugal vendeu-se de 905
a 1005000 a pipa
Arsenal de guerra.
O conselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o seguinte :
Para provimenlo do Almoxarifado.
450 kilogrammas de plvora tiua de marca P. N.
ou Diamante H.
Quem quizer vender ditos artigos apresentem
a i suas propostas na sala do conselho, as 11 horas do
dia 13 do corrente.
Sala do conselho de compras do arsenal de guer-
ra 7 de dezembro de 1865.
O encarregado da escripturaco
Manoel Jos de Azavedo Santos. _
No-da 12 do~corrente mez, as 11 horas da
manhaa, vai ser arrematada no caes da Lingueta,
em presenga do juiz de paz da freguezia de S. Frei
Pedro Gongalves do Recife, a metade de um bote
que foi pinhorado a Antonio Ignacio de Oliveira,
por execogo que contra o mesmo encarainha Jos
Mara Vasques.
Consulado-de Portugal em
remarabuco.
Sao chamados os senhores credores, dos finados
Vinhos.........Venderam-se os de Lisboa de' subditos porluguezes Gaspar Pereira da Silva, e
1805 1905 a pipa, e os de ou- Custodio Luiz Gomes, a virera receber, o que Ibes
tros paixei de 1505000 a 160J loeou em rateio na liquidagao de seus espolios.
a* dita. Recife, 7 dt dezembro de 1868.
Velas..........As de composigao venderam-se1 -------r-------r;-----7---------------------------------
a 600 rs. por pacote de seis ve- I CODSelhO de COIIipraS IIUVUCS.
las. O conseibo contrata no dia 11 do corrente mez a
Descontos.......O rebate de letras regulou de lavagem de roupa dos estabelecimeotos de ruar!
10 a 12 por cento ao anno.
Fretes..........Para Liverpool 20-5 /. pelo as-
sucar, o pelo algodo 1 "/sem
priraagem.
MOTIMENTO DO PORTO
Navios entrados no dia 9.
Acaracti e portos intermedio 8 dias e do ulti-
mo porto 12 horas, vaper brasileiro Mawangu+-
pe, de 337 toneladas, commandante Ratis, equi-
pagem 21, oarga algodo.
Porlos do norte8 dias, vapor brasileiro Oyapoct,
da 1,080 toneladas, commandante o apiu l-
ente Castro e Costa.
Cardiff-37 dias. barca Ingleza Marcelios, de 274
toneladas, caplo Wbyte, eqnipagen 11, carga
cafvio ; a ordem.
nha, e o fornoelmento dos objectos abaixo declara-
dos, por tempo de tres mezes al margo do auno
prximo vindouro.
OBJECTOS.
Para aprendizes artfices.
Bonets do uniforme, benets para o servigo, blu-
zas de brim branco, bluzas de algodo azul, caigas
de algodo azul, caigas de brim branco, caigas de
panno azul, camigas de algodozinho, cobertores
de las, colchas de algodo,colchSes de liohocheios
de pal ha, f ron lias de algodozinho, frdelas de
panno azul, lengos de seda preta para grvalas,
lenges de algodozinho, sapaides feilos no paiz,
saceos de guardar roupa e travisseiros de linbo
cheios de palha.
Para impehaes marlnheiros e aprendizes ditos.
Bonets d panno azul, camisas de brim branco,
caigas de algodo azul, caigas de brim branco, cal-
gas de panno azul, camisas de algodo azul, fr-
delas de panno 'azul, lencos de seda preta para
grvalas, sapates fetos no palz e saceos de iona
() Allusivo
guayanna.
tomada incruenta de Uro-
Terra Nova29 dias, barca Ingleza imogene, de(B.-
311 toneladas, capitao W. Smitlu equipagera 13, de managem.
carga 3,840 barricas com baealWto ? a iohnsion Para foilleiros navaes.
Patee & a i Bonete do topa e palta, caigas. Ja bru branco,
wfn
Ultimo cspeclaeiih) iliriilido em 3 partes.
A.UA.NIlU
Terca-feira 12 de dezembro 'de 1865.
Lindo e variado diverlimanlo em benelicio de
FiUMISCO UBAMO CUS
(Regenteda oaiesitado theatro.)
Comegara o espectculo peloQuadro histrico
22 4ir:.;i2i.vai|i:i2
DE
Pedro Alvares Cabral.
Composigao do Sr. Henriqtio Fleiu-s, redactor
da Semana luttrda, versos do Sr. r. Pinheiro
Guiraaracs.
O quadro vivo sera execulaii oor aigons senho-
Os versossero recitados pelo r. Pedro Joaquim.
A pintura do Sr. Cabral.
Segue-se pelo beneficiado, urna
niRTiSU DE FLUA,
sobre motivos da operaTraviata.
SEGUNDA PARTE.
Scena dramtica, composigao do actor Vasques,
representada pela Sra. Adelaido Amaral, inti-
tulada
A ORPllI.1-
Phanlasia de flauta sobre motivos da opera So-
nmbula, executada pelo jov.-n pernambucano o
Sr. Laodidu, du..ipulo de aperfsigoamento do Sr.
Colas.
A orche na da opera Puliuto, a grande orcbeslra, com
coro de vozes.
TERCEIRA PARTE.
Monologo da tragedia de ScluUer, representado
pela Sra. Adelaida Anural, traduego do Sr.
Dr. Pinheiro Guiraares, iutitulado
SOAM9M D'ARC
A orchestra executara' era scena aberta a nova
polka
im$i.
LELAO
De terrenos fojreiros j.efteiioeiilesao espo-
lio do tinado subdito |Onkigucz Manoel
Luiz dos Hi.'if.
HOJE
Por ordem do consulado de fortiifal o agente
Pestaa far leri&o pir conta e risco de q ; m per-
tencer dos terrenos foreiros pertencentes a espo-
lio do finado subdito piriugnez Manoel Luiz dos
ltei^era coo terrenos se aoban silua las as casas
na ra do Cala bongo ns. 8, 10, 12, 14, 16, 18 e 20,
e na traversa do Calabooco n. 2 aoadeexiste n ca-a
dos expo>tos, o leilu lera* luyjr segunda-feira 11
do crrenle a porta da Associago Comm icial.
c*" Feifa semanal
De trastes avtilsos, grande quanlidade de
objectos de'ouro, prata e brilhanles,
crystacs e outros m;itos ar ig. s.
*-ai mi
SeijiniAa-fcira 11 do rorrenle as 11 beras.
NO GRANDE ARMAZEM DE LE.LES
DO AGENTE
Leilo
ACTRIZ HEBREA
composta, offarecida e dedicada a Sra. D. Adelaide
Amaral, pelo beneficiado.
Pela Sra. D. Adelaide Amaral, urna linda poezia
que sera' annunciada uo da do espectculo.
Comegara' as 8 horas.
irnos martimos.
tara o Rio de Janeiro
Vai sahir com brevidade o brigue Adelaide
por ter a maior parte de seu carregaraento trata-
do ; e para o qua Ihe falta, trata se com o consig-
natario Joaquim los Gongalves Beltro : na ra
do Vigano n. 17, Io andar.
COMPANHIA BAASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos portos do sul,
at o dia 14 do corrente, o vapor ,
Paran, commandante o capilo
de fragata Antonio Joaquim e
Santa Barbara, o qual depois da
demora do coslurae seguir' para os portos do
sol.
Desdej recebem se passageiros e eogaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida as
9 horas : agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo A C^________
COMPANHIA PERNAMBUGANA
M
Navegaco casteira por vapor.
Aracaj e escalas.
Segu no da 14 as 5 horas da | do do Illm. Sr. Dr. juiz de orphaos
tarde o vapor Parahyba, com- terrea de taipa coberta de telha,
mandante Mariins. Recebe carga
al o da 13. Encommendas, pas-1 e janellade frente, 2* 1|2 palmos de
horas da tar
Forte do Matos
sageiros e dinheiro a frete at 2
do dia da sabida : escriptorio no
n. 1.
De um sitio na Capunga na das Crioulas n. 13,
perlencente ao e-polio do tkiado subdito puilu-
guez Manoel Jos Soares Gaunaraes.
Segunda-feira 11 do corren e ao meio dia.
agente Pestaa levara novamente a leilo por
ordem do consolado de Portugal servindo de base
a maior dlerta de 2:100 o sitio em -liaos pro-
prios na Capunga ra dz> Crioulas n. 13,' boas ac-
comniodagoes para familia, quintal murado, cacim-
ba Com bomba etc., perteiicente an espolio do B-
nado Manoel Jo^ Soares Guimaraes : segunda-
feira 11 do corrente pelas 12 huras da raanha na
porta da Associago Commerciul.________
LEILAC
De faztri'las com defeito
A II do crranle.
O agente Oliveira fara leil.io de porcSeS de fa-
zendas ingiezas consislindo em roadapolSes, algo-
does de listas, bramantes, liabas de cures em car-
retis, e princezas cum deleito, assim co no algo-
d5es de listas, chitas, madapoloes. algodioziohos e
outras em bom estado, tudo para fechar coutas no
fin do anno.
HOJE
as 11 horas da manha em pumo, no armazem do
finado Henry Gibson, ra da Cadeia.
IEIIA
De diffjrentes fazendas, roupa feita, miudezas,
e outros objectos pertencentes a massa fallida
de Manoel do Amparo Caj, com avaria d\ gua
salgada na sua vinda da Parahiba para esta
proviucia, os quaes objectos podero ser exami-
nado no armazem da rna da Cadeia n. 8, no
dia
ME
Segnnda-feira 8 de dezombro as 11
horas em poHlo.
O agente Pinto fara' leil.io a reqoerimento do
curador fiscal da massa fallida de Manoel do Ara-
I paro Caj e por mandado do llm. Sr. Dr juiz es-
| pecial do commercio, das mercaduras cima inen-
cionadas que fazem parle dos bens da referida
massa, as 11 horas do da cima dito no armazem
da ra da Cadeia n. 8. ________
LEILAO
De relogios de o uro
Hoje 11 do corrente.
Por interveogo do agente finio na ra da Ca-
deia armazem n. 8. I
Eelao
DeumacHsa terrea no Barro fregoezia
dos Afogadus,
'Segunda-feira 11 de dezembro.
O agente Pinto fara leiHto a reqoerimento de An-
tonio Moreira Res inventarame dos bens da fi-
nada Joanna Francisca de Menezes, e por manda-
de urna casa
sem numero, no
lugar do Barro freguezia des Afogados, com porla
vo, 40 1|2
de fundo com graode quintal
fructos e em chaos foreiros, as
cima dito no armazem da roa
Rio de Janeiro.
Pretende seguir com minia brevidade o brigue
nacional Amelia, para a resto da carga e passagei-
ros qoe ihe falta tratase com os seus consignata-
rios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, ra
da Cruz n. 1.
Tem bens commodos para passageiros e es-
cravos.
40
cem arvores de
10 horas do dia
da Cadeia n. 8.
LEILAO
Para a Ilhade S.Miguel.
Do Rio de Janeiro esperado o patacho porlu-
guez Fernando, o qual lera' nesta ponca demora,
por lar metade de seu carregaraento prompto :
para o resto que Ihe falta trata-se cora os seus con-
signatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo <& C,
.ao sea escripiorlo a da Cruz n. i.
De movis, obras de ouro e praia, livros, roupa e
muitos outros objectos que eslaro paleles ao
exame dos concorrentes no armazem da ra da
Cadeia o. 8, no dia
Terca-feira 12 de dezembro as 10
horas cu ponto.
A requeriraento de Joo Luiz Ferreira Ribeiro
inventarame dos bens deiados pelo Uado Joa-
quim Francisco do* Santos e por mandado do Illm.
Sr. Dr. jniz de orphos, o agente Pinto fara" leilao
dos objectos cima mencionados pertencentes ao
mesmo finado, as 10 horas do dia cima dito no
armazem da ra da Cadeia o.

I


diario r. frtaBhiK inunda leira 44 te Ur/rmbr* 4c tli-
IjEILAO
De ama taberna em Oliuda dos Quatro
Cttttg.
Mauoel da Silva N*ves Coiitinlio ar* (eile por
iBlerveogo do agente-Cordeiro Simoev des gene
ro<, armario e mais uienciU >s de sua liberna, co-
jo balango se acha era poder do mesmo ageate,
9to
Terga feira 12 do correte
as 40 hora na mesraa'taberoa.__________________
Leilao
De tim piano forte, time ntobilia de Jacaranda na-
va, urna dita de faia, 5 quadros de Jacaranda
cora finas gravuras, cadeiras americanas, ditas
de balango, 1 sanctuaro, alguma louca e moi-
tos outros objectos que estarlo patentes no ar-
mazem da ra da Cadeia n. 8.
Terca-feira 11 'le deiembro.
Por interveneo do agent-. Pinto.
GK FEIR4
De chapeos de massa fina de differentes
feitios para liomem, ditos de palha de
varios gostos e do okjti.
Terca-feira 12 do corrente ao meio
da.
NO GRANDE ARMAZEM DO AGENTE
OLYMPIO
3G-KA DA CADEtA DO RECIPE-36
LOTERA
De .grandes premia* t excellente
plano.
Aos ltOOdOJO. 3:660^000,
e 500fl*30.
Ctunre depois d aruauhaa.
BILHETES A' 105000, MEIOS A' 5#KW
E QUINTOS A 2)000.
Acbam-se venda na thesouraria ra
do Crespo n. 15, os bilhetes da 7*,parte
da lotera das familias dos voluntarios da
patria, cuja extracto ser quarta-feira 13
de dezeibro corrente e pelo acetente
plano abaiio publicado.
Os premios de 12:0005000 at 205000
ero pagos urna hora depois da extreccSo
at as 4 horas da tarde, e os outros depois
da distribuido das listas.
Os bilhetes encommendados s oerao
conservados at a vespera da extraeca.
0 thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Boto.
PLANO
Para as extraccoes
Ama para casa
Precisa-se alGgar ama ama para tod-6ervico de
ama casa : oa becco das Bolas d. 2, jiimeiru
andar. _____________________________
N. O. Bieber A C, ucesseres, sa
90Q5C00 cam sobre o Rio de Janeiro a vista oh a pra-
zo conforme se oonvencionar.
DE
CAVALLO
Precisa-se de uina ama para aodar com un me-
nino e faaer mais alguin servigo em casa de fami-
lia: na ra do Queimado n. 39, luja.
Ouro e prata.
Em obras velhas : contra-te na praca.
dependencio n. 22, toja de lilhetes.
da la
Alugam-se as casas da roa do Progresso os.
H e 13 : a tratar pama do Sebo o. 54.
Aioda estao para alugar daas casas na ilha
do Retiro, (em comroedos para familia, estro pinta-
das e tem banho oa paita : a tratar com'Luiz Ma-
ooel R. Valenca, podendo o pretenderte etamina-
las no mesmo lugar._____________________________
Aluga-se ou vende-se orna casa de um andar
com qnatru salasj G buarlos, cozinha ra, quintal
morado coa cacimba e boa agua, em rbi.es pro-
prios, noeteellente lugar da roa da. Espera oca do
bairro da Boa-Vista; por onde tem de pastar bre-
vemente a liona frrea do Recife a Aplpucos :
quera a quizer comprar oo alogar dirija-so a roa
do Trapiche o. 12.
Ama.
Leilo
Do nmescravo moco e sali.
Terca-feira 12 de dezembro
Por intervenco do agente Pinto, no armazem
da ra da Cadeia n. 8, onde haver leilao de mo-
vefe.
LElliAo
De 20 barricas com alpista e iflO cai-
\is com eaho.
Quarta-feira 13 io dezembro.
Por intervengo do agente Pinto e por eoota e
risco de quem pertencer no irraazem do Sr. Ao-
nes em frente a alfandega._______
Le Icio
Deeercadc 80Ocai\"s com sab> ia-
Ipz hrant'o e amareilo em um ou -
iiiais lotes a voutade d,scompradores gjg gjjjjf;
Quarta-feira 13 de dezembro.
O agente Pinto levaia a leilo por conta e risco
da quem pertenc-r. eerca de 800 caixas com sa-
bao inglez (oqol tem tido milita aeeiugao nesla
praca pela sua bi qiuhdade) as 11 horas d
, lito no armazem do Sr. Armes
alfandega.
LEIIAO
De 19 caixas com latas DE
PERNAIYIBUCO.
Para ser applicado quando conveniencias
especiaes venda dos bilhetes o
aeoiiselharem.
Approvado pelo Evrn. Si*, presidente
4000 mneles a 10*000............40:0005000
Beneficio, selftr e comraissao 24 0|0.. 9:6005000
Liquido......30:4005000
Preclsa-sa de ama ama para casa de ana es-1
traogeiro, que -saiba cozinhar e lavar : na cua No-
va n. 21.___________________________________ i
Precisa-e de orna ai i forra ou captiva para
casa de pouca familia, paga-fe bem : a tratar oa
roa do Pires n. ^4.
Preeisa-se alogar urna ama de meia idade e'
de coodocu regoiar, para o servigo interno de orna
casa estraogeira de pooca familia : quem estiver
oestas circumstaocias dirija-se a ra do Trapiche .
n.^2.________________________________
Precisa se de um trabalhador, na padaria em
Santo Amaro, atraz da fundlcao do Sr. Starr. j
Na ra do Livramento o. 19, ha para alugar
ama boa escrava.
Pede-se aos credores do Sr. capillo Antonio
Joaquim de Mello, a virem a roa do Livramento
n. 38, para recebeiem o ultimo dividendo, fleando
cerlos de que oao recebeodo at au nm do corrente
mez, ser saas importancias recolhidas ao deposito
geral.
1
1
1
1
1
8 Ditos de
23 Ditos de
49 Ditos de
925 Ditos de
Premio de........
Dito de..........
Dito de...........
Dito de..........
Dito de..........
1005000
iO^SOOO
205000
12:0005000
3:0005000
9005000
5005000
2005000
8005000
9205000
9805000
125000 11:1005000
-----------------30:4005000
Na noile de 18 para 19 do correte urtou-sc um
cavado mellado caxito, da estraba ia do seu dono,
comseHim.inglez qoasi novo; cojo cavallo tem
clioas e rauda pretas. as cimas sao (trossas e ca-
hem sobre ambos os lados do pescoco, e tem urna
ferida pequea na mo direita ; esla acostumado a
andar em cabr-iolet e bem couhecido nesti praga:
quem delle der noticias certas ou lvalo a' Estan-
cia, .-'obrado de dous andares n. 2, era gratificado
Grande Bazar
f.arneiro Viaaia.
E' cliegado a este estabelecimento os sepuintes
objectos : ca tango, bergos outros mullosptigos destes geoeros ; pede se aos
seDhores qe>- encommendaram alguns objectos
destes, o favor de vir escolher logo os qoe preteo-
dem querer.
Objectos de metal das seguintes qualldades, or-
nas para cha, okaleiras para fazer-se cha', nppare-
Ihos de almogo, dito de jantar e todos os mais ar-
ligos que se podem desejar deste metal por prego
muilo commodo, que a lodos deve agradar.
E-pelhos de idas as qualidades para ornamen-
to de sala, tapetes, alcatif-. e outros muilos art'gos
que por gosto ,< pode visitar o grande Bazar, o
qual se arha anecio desde 6 horas da manha at
s 9 da n- ne, na ra Nova n. 20 e 22.
mmmm mmmmm mmmm
M Companbia fidelidade de seguros
Sj martimos e terrestres -m
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PEHNAUBCCO
AuIuho Luiz de Olifeira Azevedu A. C. jj(
competentemente autorisados pela direc- M
toria da companhia de segaros Fidelida- g
de,tomam seguros de navios, mercado- B
rias e predios no seo escriptorio ra da %s
Cruz o. 1. m
Precisa-se alugar um escravo para
1 servico interno e externo de urna casa de
familia : na ra do Queimado n. 39.
Precisa-se alugar um moleque oo orna escra
va : na ra do Livramento n. 11, 2o andar.
Precisase fallar ao Sr. Luiz Francisco Pereira
Braga, nesta typographia.
Na ra
A tugase
orna grande easa terrea com sitio oa ra de Joao
Fernaodes Vieira : a tratar oo sitio
ledes oa mesma ra, das 6 horas as 8
e das 4 da tarde em diante.
Mppa-mindi-plnisplierica.
Na roa do Livrameoto n. 19 cumpra se um raap-
pa-plaoispherico.
Compra-se carosso semete7de~algodo : no
armazem de algodao de Saunders Brothers & C,
dos quatro \ oo caes de Apollo.
da manhaa1 _____________
AVI^O
Pedro Gongalves da Rocha, como tutor dos
orpbos, lilhos de um finado seu irmo Augusto
GoogaJves da Bocha, declara para os fios conve-
nientes que nao contiuua com o arreodameDlo do
engeoho llha-Graode, da freguezia d'Agua-Preta,
oo qual eslava aquelle seu fallecido irmo, e apenas
tira a presente safra, por ja ter achado o eagenho
em comeco de viagem.
Assira protesta oao pagar as letras que assigoou
dito seu irmo pelos outros annos de arrendamen-
lo que esto por vencerse, o que tudo faz publico
paza constar aos interessados e em tempo nao se
poder allegar falta de aviso.
Ama de leite
i'm frente a
)SC0Ut'S
oles a vontaie dos com-
4000 Bilhetes.
N. B. Us premios que estao sugeitos a descont
sao os de 8001000 e !l 05000 ao de 5 por cento, e
os de 3:0005000 e 12:0(K)5000 ao de 17 por ceoto,
sendo 5 por cento da le proviocial e 12 por ceoto
da ii'i geral.
Tnesouraria das loteras de Pernambuco, 22 de
uovembro de 1865.
Olhescureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
surtidos fm
pradores,
Quarta-feira 13 de dezembro no armazem
" do Sr. Annes em frente da alfandega.
Suuthall Mellar & C fario leilao por intervenco
do agente Piulo, e por conta e risco de quem per-
teneer de 19 caixas com latas de blscootos Surtidos
em lotes a vooude dos compradores, as 11 horas
do dia cima dito no armazem do Sr. Aunes era
Irent-' da alfandega.
GASA DA PORTN

AVISOS DIYEES
'ir.
GARKAX DE LAILHACAR & C.
BRfliRIE FBANCAISE
Un I respo ii .
LIVROS NAC10NAES E BSTR&NGEIROS
tura Snrncias f artrs.
Papelaria, objectos para escriptorio.
para admirar!
Aosl:0005000
3:000000
9000000
5005000
Bilhetes garantidos.
A' RA DO CRESPO N. 23 E GASAS DO COSTUME
, O abaixoassignadovendeu nos seus muitofeli-
zes bilhetes garantidos da lotera que se ac bou
de extrahir, a beneficio da Santa Casa de Mise-
ricordia, os segniotes premios :
l"ni meio o. -J66S cora a sorte de 6:0005.
Um inteiro n. 1200 rom a sorte de 1:2005
um iuteiro n. 1127 com a sorte J 3005000.
Um meio u. :I.I7 com a sarta de 2005000.
B outras muitas sones de 100,5, 405, t 205.
Ospossuidoies podem virreceoer seus respec-
tivos premios sein os descontos das leis na Casa
da Fortuna a ra do Crespo n. 23.
\as M&hiflh 'ua-1 .?uMer.is
extrahir quarta-feira 13 de
bom leite e aeostumada a este servigo de iraur de
meninos : na ra da Penha n. 9, sobrado de um
s andar. _________^^
Precisa-se de ama ama para casa de poaco
familia : na ra Direita o. 43 segundo andar.
Precisa-se de dous amansadores para irera
para urna padaria fora da cidade : a tratar na ra
dos Quarteis n. 22, jumo a loja de funileiro.
Pre pra e cosinha, em um sitio perto da cidade; a
tratar na ra do Impejador o. 17 segundo andar.
Precisa-se de urna ama para casa de pouea
familia: a tratar na ra Nova sobrado n. 26.
Yenerave ordem terceira de S. Fran-
C8CO do Recife.
Pelo presente se convida aos peritos d'arte para
examinaren) o sobrado da ra do Livramento o. ,
do doas andares pertencente ao patriminio da
mesma ordem, o qual tem de ser reedificado, a I
apresentarem seus orgamenlos em carta fechada ao
nosso irmo procurador geral Antonio Jos Silva
do Brasil, '.ravessa da Madre de Dos d. 23.
da Aurora, casa n. 70, segundo an-
dar, precisa-se alugar um escravo que lenha mui-
lo boa conducta as demais n-cessanas habilita*
g5es para o servigo interno e externo de una casa
de pouca familia : quem a tiver aonuncie ou diri-
ja-se a' referida casa.
COfPNHIl PERNAltiCAF
agente Olyrpio em seu armazem a ra
o. 3, compra apolices da compaahia
O
da Cailela
Pernambucana.
_t^
AMA
1*1 I d UCUCIK
da patria,
dezembro.
qu.

i
S-r. i i--iwl e mesmo acreditavel que teod
ido na mais de dous aooos e meio Joaqoioa
Cavalcanli de Albaqaerque, e saas duas manas
i ocUca Luziade Aibuqoerqae e Aogeliea Cao-;
dida de Albuquerque, todas u < eUdo de silteiras '
e m ira I iras ue sitio, que foi do tinado padre Fe-''
lix na fre.ju -z'.i d > Afogad >, drizan I e.-cravos e
al i presente oao se teoham feic us inventarios
i -. e -nv.i-, caasaod i-e deste modo graves preiai-
T.>i;n irphos e m*i< herdeiros it ressados ? I i
T,i 11 st i luf; i/.:n ule verda le, que cora pezar
coBessa
O impassivel.
PRECO.
Bilhetes .... 125000
Meios......65000
Quintos.....25400
Par as pessoas que corapraretn de 100-5000
para cima.
Bilhetes.....115000
Meios......55300
Quintos.....25200
Manoel Martins Piuca.
Para banlios do mar.
Aluga-?e urna casa terrea na praia de S. Fran-
cisco, com sala e quarto na frente, 3 qorlos no
loterior. sala a traz e cosfnha fra, a qual fica
Preeisa->e de um caixriro para taberna que
lenha pratica da mesma e que d fiador a sua
conducta : a tratar oa Soledade laberna n. 30.
Precisa-se de urna ama lorra ou escrava que
saiba bem cosiohar e engommar : a tratar na
ra da Penha sobrado o. 23, primeiro andar.
AMA
Precisa-se de orna ama preferiodo se captiva e
que seja fiel, para comprar e coziohar : na ra do
Queiir.ado n. 40, loja de fazendas.
E u&l do sobrado n. 44 a ra da Aurora : quem
'.:':":!frt os Quizer dirlja-se a" ra Nova to Sr. Joo
i^i.54 B. do Reg, em seu armazem de fazendas
n. 24.__________________________________
Preci-a-se deumaaina para lavar, engommar
cozinhar e para fazer compras: na travessa da ra
das Cruzes n. 14, 1" andar.__________________
Precisa-se de um raixeico para padaria, tendo
pratica de taberna tambem serve, dando conheci-
ment de sua conducta : na ra Direita dos Afoga-
dos o. 66 A.________________________________
Ah se o terceiro audar da casa n. 88 da
stretadolraftf1? llOH^'fia7u?ora,n.not!,(h etrada do Ar"
Precisao.
YENDAS.
Na roa da Croa, armazem o. 63, precisa-se ala-
gar urna mulher capaz, de boa conduela, que saiba
coziohar, comprar e fazer lodo o mais servigo de
ama casa de familia (meos cooduzir aguas quer
limpas quer servidas), prefere-se escrava, que seja
fiel. Garntese pagarse bem e com promptidao.
Antonio Jos Rodrigues de Souza, na ra do
Crespo n. 15, aluga sua casa e sitio no Monteiro Direito Publico
em frente ao oit" da igreja, tendo o sillo porto (yo e das Gentes
de ferro, cacimba com boa agua, estribara e co- -
cheira, e a casa 4 salas, 7 quartos, e ^to, a qual
muito fresca e esta de novo bem caiada, concer-
tada e pintada : para ver, as chaves esto em a
casa do Sr Nicolao Machado oa mesma povoaga.
de
IMIll 1866.
Acabam de sahir luz as folhinhas de
algibeira e de porta para o anno de 1866, o
mais correctas possivel tanto no calculodas
las e eclipses, como as diversas festas
que a igreja celebra; vendem-se nicamen-
te na livraria da praca da Independencia,
160 ris as de porta e 320 ris as de algi-
beira.
Manual do Cidadao
Vende-se o Manual do Ciddo em um
Governo Representativo 00 principios de
Constitucional Administra-
por Silvestre Pinheiro
Ferreira, em 3 volumes broxurados por 3
cada obra : na livraria n. 8 da praca da
Independencia.
r, --------;-----;----------------------------7-----',--------..... > ""* "" c '"-un. ma, a iiu.ii uca
- Fogw no da 1 do cumule a mulata de no-, confronte a capellinha existente na mesma praia, e
uania, idade 28 auoos, alta, chela do corpo,' muilo commoda para o passamento da festa : na
r
r bsllis corridos, olhos pequenjs. deoles inteiros,
rosto disearnado, um jiouco corcun-la, na mo
r-ij: r 11 i.-ni um 1 >s dedos com defeito de no
i/:n ahur, e n3 direita tem enlieo polegar
i i miro um calo proveniente do tratnlho de eu-
x i i, le a i- pera i- p >uc i arqueadas e p-5- gro*
Boterraa, levou vestido hraoco e chales
la mesma cor can piUia- encarnlas, fui com-
i ida ha p me > das a Eleuterio Dornellas de Al-
boqu-rqoe Mello, morador no Pilar, provincia da Precisa se de urna ama forra ou captiva para
Parabyba; roga-sc as autoridades policiaes ea cozinhar e comprar para casa de rapaz solteiro :
: della tivet conheeimento, que a a[iprehen- na ra do Queimado o. 7.
di ni ea londuzam a' ra da Mangueira n. II, na
para o passamento
casa de faces junto a ponte do Varadooro, acha
ra c :m quem tr;.tar, ou no segundo andar do so-
brado o. 47 ra da Praia onde mora o Sr. Gimi-
niano llano de Oliveira e Mello.
Aluga-se o terceiro andar e soto do sobrado
da ra da Imperalriz n. 34. tem commodos para
grande familia : a tratar na tpja do mesmo so-
brad i.
H i-Vista, qoe se Ihe agradecer' seu locommodo. |
Ach sh ju-u e contratada a taberna sita na '
la Casa F-jrte, pertencente ao Sr. Francisco,
Kwiiiii l-> le F.ina. armago e caixilhos, por pre-
g i !< 1305000, sujeita a mencionada no debito de
ai id i de ran e imposto* da faze:ida ; quem so
j ligar coa direio a VA* compra, apreseaie-se no
pi i-o le tre du< a' taberna de Manoel Caboclo,
do contrario perder' o direito.
Precisa-se alugar urna preta que saiba cozi-
nhar : ni ra da Soledade n 46.
Para
COMPANHIA
de machinas
Precisa-se de urna ama para casa de urna s
pessoa : na Boa Vista Becco das Barreiras n. 3.
Aluga-se o terceiro andar da casa da ra da
Cadea n. 4 : a tratar no armazem da raesraa.
Medico e operador.
O Dr. Joao Baymunao Pereira da Silva, chegao-
do ltimamente de Paris, onde frequentoa os mais
notaveis hospitaes, pode ser procurado para o
exercirlo de sua profisso na ra da Cruz n 40
segundo andar. D consultas todos os das das 7
as 10 horas da manha. Especialidades, molestias
de olhos, partos e vias-urinarias.
Aliigam-se
as.casas da.rjia dos P/azeres do b^rro da Boa.
mensaes cada urna : a tratar na ra
Rosario n. 28.
Manoel Foniecova e Paz, subdito hespanhol
retirase para Buenos-Ayres.
Pncisa-sealugar urna prela quitandei-
ra, pa^a-se bem: a tratar na ra da Cruz
n. i primeiro andar.
Precisase de um criado para compraWser-
vigo interno de casa : na ra do Imperador n. 17,'
segunao andar.
Do segundo andar do sobrado da ra do Im-'
perador n. 16 prozimo i o beco do Ouvidor, fugio a
um papagaio com direcgo ao flm da mesma ra: i l
quem o pegar dirjase ao dito sobrado que ser '.t,re navios e seus carregamenlOS, e contra
gratificado. f.igo em edificios, mercaduras e mobilias:
na ra do Vigaro n. 4, pavimento terreo.
MARTIMOS
contra' fogo.
A companbia Indemnisadora, estabeleci-
la nesla praca, toma seguros martimos so-
Na pia^a da Independencia n. 33, loja
ourives, compra-re ouro, prata, e podras preciosas,
e tambera se faz qualquer obra de encommenda, e
todo e qualquer concert.
Precisa-se de urna engommadeira :
na ra do Imperador n. 17, segnndo andar.
Precisa-se de um pequeo dos ltimos che-
gados com pratica ou sem ella p&ra caixeiro de
taberna a tratar: na ra do Principe n. 32.
Na loja n. i da ra do Queimado existe urna
carta para o Blm. Sr. Francisco Pedro da Costa
Moreira, estudante de preparatorios.
Ama de leilc.
Quem precisar de urna ama de leite dirija-se ao
pateo de s. Pedro n 24.
o din 2 de dezembro de 6 I|2 para 7 horas
da ooile fuilaram da portada loja de fazendas do
Sr. Julio Cesar Pinto de Oliveira, sita a ra dalm-
peratriz, um cavallo melado com dinas e cauda
branca, sujo, nm pouco magro, pequeo e ja ve-
Ibo, anda bem, eslava sellado e enfreado com ar-
rotos usados e nao linha redeas na picadeira, cu-
jo cavallo muito contiendo no segando distrteto
de Afogados, por ter pertencido a Francisco Jos
de Paiva morador defroaleda igreja de N. S. dos
Bemedios e hoje a Francisco Avila Mendonga mo-
rador no mesmo lugar : rogase portanto as auto-
ridades policiaes qoe delle tiverem noticia a
apprehenso do mosmo, e a qualquer pessoa que
queira ser generosamente recompensada com a
quantia de 255 levando o a seu dono.
Precisase de urna ama para iodo
de urna casa de tres pessoas de familia
do Hospicio n. 62.
o servigo
na ra
Precisa-se de um amassador de padaria
ra do Bangel n 9.
na
ftitA Deposito de pao e de cestas
j\iua uo inte Ra larga do Roario u. 3.
Precisase de urna ama que tenha bom leite, para p... u.,- r i
ir urna enanca de nii. "ne,aoso Mariins Gimes muilo grato a honda-
raado n ,7 secundo andar ? COm 5? seu* Dume,0;os *<*** ^knm
I oas suas obras de vime, de palha e de gesta com
que sempre se acha prvido o estabelecimenlo
acabar de amameutar
zes : na ra do Quei
Na ra Direita n. 78
urna ama para cosiohar.
Protesto ao publico.
Tendo chegado as raaos do abaixo assiqnado um
memorial escriplo pelo Sr. Antonio Marques de
Amoiim aos seus amigos, em o qual arreda de si a
responsabilidade, do que se passou sobre o infeliz
negocio da commandila Amorim Fragozo Saotos &
C. desvirtuando os factos que all se deram. e
descrevendo-os com cores, que nao sao as verda-
deiras, e uu quereudo o abaixo assignado carr<-
gar com a censura de haver-lhe aggravado a sor-
te, quando ainda se acha ella pendente dos tribu-
naes : prclesla responder em lempo opportuno a
esse memorial do Sr. Amorim, levando a evidencia
loda a wrdade dos sicnn""**""" AannM* les.
veumiauaassociagao. Becife 9 de dezembro de
1865.
Joo B. Fragozo.
Irmand.ide de iNossi Sciiliora Mi dos
Uomensna igreja da Madre de
D os.
Tendo-se deixado de proceder a eleigo da nova
mesa regedora da irmandade aaima referida por
falta de uuinero legal nas sesses ltimamente pa-
ra isso convocadas, mivainente sao convidados to-
dos os Irmios a reunirem-se terca-feira 12 do cor-
rente peUs o l|2 oras da tarde no consistorio da
mesma igreja afim de se elegerem os novos func-
Clnanos que t em de reger a dita irmandade no
fuluro anuo admiuitrativo de 186o a 186o. Beci-'
fe 9 de dezembro de 1865.
O escrivSo interino,-
A(leu?o
Vende-se relogios de prau dourada |Kr muito
barato prego ; na praga da Independencia n. 18
e 20.
Aos tabaquistas
Vende se as ap-eciaveis caixas para tabaco, bem
feitas, obra fabricada no Aracaty. pormoito barato
prego, para acabar; na roa da Cadeia (Recife) n.
7,loja.
"Mcfio
Vende-se um baleao de amarello que ainda nao
foi servido, obra multo bem feita, sendo dito bal-
cao com volta, propria para loja ououtro qualquer
esiabelecimento, por mdico valor; na ra do Vi-
gano n. 26 ou ca'es de Apollo no depo;ito de sabo.
24 -- CAES 22 E r\VT!BR0~-^24~
Paulo Jos Gomes de Mayer.
Esto-se acabando as taboas que temos annun-
ciado portanto as pessoas que aioda lem vontade
de fazerem casas de madelra para moradia, ditas
para banho, quartos para agazalho de pelos;
aproveitarem, pois na realidade baralissimo, ta-
boas de 22 palmos de comprimento, 6 pollegadas
de largura, e I de grossura a 75-00 a duzia, e de
forro 45300. Travs, enchams, e calbros de pi-
nho, tambem por prego que agradara aos compra-
Na ra Direita n. 84, ha
constantemente para ven-
derse cylindros americanos
chegadosde Pbiladelphia o
mez passado
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descarogay
algodao : na ra da Senzala nova n. 42.
Penrias de ema de muilo superior qualidade':
vende-r na ra do Vigario n. 2i, 1 andaj, es-
criptorio-
CE VEJA M MIWM.
Na loja do rha' vende-se superior cerveja da Ba-
biera, urna caixa com duas duzias de garrafas por
105, e a reaiho a 800 r$. a garrafa.
Vendem-se nhames da i;o.-ia e jerimuns da
mellicr qualidade : na ra da Moeda n. 31.
.4 fencam
Vende-se o sitio de Francisco de Assis Pereira
Freir no lugar da Capunga (porto do Lasserre) :
a tratar com Augusto Cenuino de Figueiredo pro-
curador do mesmo Sr. Freir.
Fa relio.
Vende-se superior farello de Lisboa
Jiaquim Francisco da Silva Jnior. Ie,li allianea, rna do Imperador n. 37.
no arma-
! 400 ris
refinago, precisase de
Precisa-se alugar urna preta para o service
de ama casa de pouca familia : a tratar na roa
da Cadeia do Becife o. 19, primeiro andar.
Prectsaw4e2005 a premio; quem quizer
da-los aonuncie para ser procurado.
conslrucco
DE
VLiti:itTSUV E UOUGLASS
New Loudon, Cormectieur, Esta-
dos Cuidos
Solicitam pedidos de descargadores de algodao,
adoptados ao aluodo sul-ameriano. Ho-se de-
Aluga-se a casa da Una do tt-tiro, a primei-1 dicdo a es:e negocio durante"25 annos" eattende-
t-m cupiar a beira do no : a tratar com rao immediatamente a correspondencia aue e Ihes
dirigir.
Sociedade de seguros mu-
tuos sobre a vida
irrm
H ou n rafioacioda S*n?aa Nova o. 4.
Hecommenilamos mufla
ilwffa.
Fugio no dia 3 la correte, do engenho Malto
Gro-M, fregu zia de Saioto Amaro de Jajjoato, o
iv,. J i-, enmiiii, de idade 30 annos, estatura
res i r, leec i, aas tinas, bastante beigudo, |
soflire 1- eraros iim ps e mios, levou camisa e '
lia de aigod.ziotio da Baha, caiga dec;.se-
rinri preta ja' e-tngada e chapeo de sap, suppSe-
se ir -.. nd o para a Victoria por ter sido escravo ,,
d; Sr. Amonio Ferreira de M-llo, morador oas su soc'eadedebaixo de sua immediata vigilancia |
rn i lefiea daqueiu cidade ; roga-se as antori- .f. responabll,dade> 'acilitou a creagSo de capitaes,
d i y jtctaea a ipnrohinjiiiti do dito escravo ; os les> raBdas. pensSes, isengoes do servigo das ar-
llar M e capiiaes de campo que o apprehen-; e,c-' Dor meio de suhscripgoes nicas ou an
i l.rijam nmili se gr -----------------------------.--------------------- |ma os jurosseraestraes quedellas se orem ven-
rVlTIft (le leite ,ceodo, ficam por um cerlo numero de annos em
*iri.r i t. I0 deposito, at que, 6nd9 o praso estipulado, sao
"""" n- <8-_____________ restituidas aos socios cora os Interesses amontoa-
lira as arles a 25000 i do.?. '|e.in como as que perlencerem aos associados
BOTICA E DROGARA
DE
II. i", de Woiiza A .
lina larga do Rosario n. 31
Remedios de Raduvay
Prompto alivio.
Pilulas reguladoras.
R z lutivo.
Remedios de Kemp
Anacahuita.
Salsa de Brislol.
Pilulas assucaradas.
Agua florida.
Pastilhas vermifogas vegetaes.
Chegados pelo ultimo navio viodo da america.
O banco Atlianqa do Porto tendo estabelecido
Tendo a irmandade do Divino Espirito-Santo
da igreja do Collegio, resolvido em sessao de mesa
conjunta, mandar fazer de marmore brauco fino a
capella-n.r de sua igreja-, convido de ordem da
mesa regedora aquellas ppssoas que se acharem
habilitadas a mandar Mentar semelhaote obra,
a examiuarem a planta que se acha exposta na sua
sacrista, e a apresentarem as suas proposias no
pra da irmandade, em 10 de novembro de 1865.
O escrivao.
_________Francisco Belarmino dos Santos Frritas
Chile a 15280 cada
Lava-se chapeos do
ara: na ra Velha n. 12.
BaMM-ae o desenlio
il i-- : a ti atar na iaa da Roda o,
18.
Pede se a pes*.* a quera p-rteocer 300 har-
ria eta p ilvjra e 45 volumes ata a marca RBP
vii I., dn Luvrpoil iu barca iogleza Ann Hay,
a inra por oli-.ejuio dirigir-se a ra do Trapiche
R j aos s>us consignatarios Patoo, Nash k C.
mm-m mmmmmmmm*
fallecidos, visto que destes
vitentes.
sao herdeiros os sobre-
Ama de, leite.
Precisa-se de orna ama de leite : na ra do Im-
perador n. 42, terceiro aodar.
Alugam-se tres casas na povoacao do
Monteiro a margem do rio, com muitos
bons commodos e em muito bom estado
de limpeza : a tratar na rna do Crespo n.
cima indicado, vera de novo lembrar e repetir que
s neste estabeleclmento aonde se encontra um
completo sortiuiento de ditas obras para todos os
misleres de casas de familia, a seguranza das obras
e os mellioramenlos mais modernos no seu forma-
to a par dos pregos o mais favoravd que possivel
cdelas, esta ultima adiego mh tora feiio e faz
merecer a protecgo e prelerencia dos meus ami-
gos, assim desde J os convido a virem a este esta-
belecimenlo muoirem-se de bereinhos finos para
deitar o menino Deus nos presepes, cestinhase
maracas cobertos de palha para as pastoras, ba-
laras finos para meninas de escola ; bergos volan-
tes de palha para recem-nascidos, balaio- para
criangas aprenderem a andar, cadeiras de vime
branco, cestas de arco para compras, bandeijas de
vime para roupa eogoramada, balaios para deposi-
to de roupa suja, ditos para deposito de papel ras-
gado, ditos para arromar roupas de passar os das
da festa no campo, ditos para conduzir jamares,
agafates de p para ter as frutas sobre a mesa, ba-
laios de tampa e sem ella para costura grossa, tor-
nos de condegas e de agafates brancos e de cores,
condessiohas de cores para doces seceos, ninhos
para canarios do imperio, gigos de vime grosso pa-
ra padaria, outras muitas ornas aqu existen mas
seria por demais massante apreciar o tiin a que el-
las podem ser applicadas. Aqui se acham sempre
ueste tempo os bous abacaxis do Monteiro a 500
r*. e mi lancias das Curcuranas a 15, garante-se a
boa qualidaae.
Alberto Locher vai a nropa.
Alberto Locher retirando-se para a Europa pede
a todas as pessoas, que se julgarera seus credores
de apresentarem as suas comas na ra da Cruz
o. 42, o mais larde at o dia 12 do corrente mez :
depois deste praso ninguem poder ser mais atten-
dido
I'ieci-a-se de um ineniuo paia caixeiro de,
laberna na Varzea : a tratar no pateo da Penha
n. 12. i A botija de tinta preta superior, para esrrever
' O cap.to do 3 orpo de voluntarios da pa-' !LP>'rM da raa da< Cruz*s -A-porta
tria Jos Joaquim Lopes d.; Almeida.uo tendo Ihe
sido possivel despedir se pessoalmente de. lodos os j
seus aiingos, em virtude d >- seus grandes afazeres,'
pede-lhes de-culpa por II i rave falta e Ihes olfe-'
larga.
rece todo s n presumo em
ventura a so t-j 6 colloque.
uilquer parte que por
cu, m, (i4z.
Pela engenhosacombioago econmica adoptada 20> esquina, CUJO preCO de alugnel ra-
nos clculos desta sociedade, v-se que, coro urna : zojye1,_______________________________
entrada annual de 505000, por exemplo. obtem-se j Em casa de Ttieod Chrisliansen, raa do Tra"
e"l ^'VC^450*000.^53^000' *m ,0 1:3>5000 piche-novo n. 16, nico agente no norte do Brasil,
ir?0fflk '"".n^ii^*000 2 *:*W>. em de Brandenburg frres, Bordeaux, encontrase ef-
8:0005000 a 10:0005000, em 25 18.0005000 a fectivamenle deposito dos artigos seguintes :
>:
gico.
Rata da laperatrlz o. 36.
O Dr Me Marta Seve, m-dico fartei-
roe operad ir mudoa a sua residencia
r ,'ura a ra da loperalriz sobrado o. 36,
'de pode ser procurado para o exercicio
de -o profisso al as 10 horas da ma-
niia e das 4 da larde em diaole.
- i 25:0005000, conforme a idade do individuo sobre!
-**uitumcte medico-cirur-ai'qaem feito seure' pis i** < referidos cai-
'a>: jjriculos conta-secom a malor oo menor probabinda
-" de de durago de vida.
EsU sociedade sobretodo vaotajosa aos chefes
de familia, visto que liles facilita seu sacrificio a
fundago de um capital ou dote para seas Sitios oa
ftlhas, segurando-os quando nascera ou em quanto
sao criangas
*
mmmmmmmmmmmmmm
Precisa-se de dous atnassadores e um
imcipa na padaria da ra larga do Rosa-
rio n. 40.
Quem, p-is, mais circumstaneiadas loforraages
desejar sobre tal sociedade, ou se quizer iiiserever
como socio della, dirijj-se a rea da Madre de
Deus n. 28, on le se pider entender com Joo
Carlos Coelho da Silva, que para isso se acha en-
carregado.
- mcisa se de um fitor para olaria, que en-: Antonio Centeio Lopes deixou de ser caixeiro dos
lenda desta trafico, qoe seja solteiro. preferiodo se mesmos. Recife 30 de npvembro de 1865.
estrangeiro: ra q> Larga doRosario n. 16. 1
St. Jolien.
8t. Pierre.
Larose.
Chateau Loville.
Chaieau Margaox.
Grand vin Chateau Lafltte 1858.
Chaieau Lafitle.
Haut Sauternes.
Chateao Saateroes.
Chateau Lataur Blaocbe.
Chaieau Yquera.
Cognac em tres qualidades.
Azeile doce. Pregos de Bordeaux.
Os abaixo assignados declarara ao publico
e com especialidade ao carpo do cammerch que
SITIO.
Jos Joaqui'ii Lojies de Almeida capilo do
3'corpo de. volu alarios da patria, scienlifica que
deixa por seu bstanle procurador nesla cidade
durante sua ausencia no theatro da guerra, o Sr.
Joaquim Carduzo de Almeida, para tratar de lodos
os eos negocios quer geraes, quer pariieulares.
Becife 9 de dezembro de 1863.
A i uga m se duas casas terreas sitas na pro-
priedade de Sant'Anna, que foi do finado Belm,
as quaes so acham diadas explotadas, conteudo a
maior 4 saletas, 5 qu.rtof, cosinha fora, quintal
murado rom seu competente porto, e a ootra 2 sa-
las, 2 qu ai i s, cosinha fora e quintal tambem mu-
rado com seu porio: quem as pretender dirjase
a mesma propriedade qae achara cora quem tratar.
i mmm^mmmmmmmm
S DEPOSITO DE GALLEO ;
FABRICADO NA CASA DE DETENGO M
Ra \(:i n, (SI. ^|
Ah se encontrarao obras Je di- aac (
versas qualidades, e por preco mui '
diminutos, a retalho e em porcoes. I
S se vende a dinheiro. ?4
Gaz em latas o melhor que tem vindo ao mer-
cado, vende-se por prego barato no armazem de
Mauoel Pernandes da Costa C, na ra do Amo-
rim n. 41, e na rna da Cruz do Becife n. 37 junto
a loja de Pinheiro, esiabelecimento de Joaquim
Feraandts da Costa.
Loja
Imperalriz
halango de doas bo-
e brancas a 35
Aluga-se o sitio no Rosarinho n. 2 junto a capel-
la, com bastantes arvoredos de fructo, casa, co-
ebeira, boa agua, por prego muito commodo : tra-
ta se ua ra Nova n. 55, ou Hecife na ra da Ca-
dea n. 3.
Casas
Alugam-se duas casas novas na freguezia da
Boa-Vi-ta, ra do Principe os. 4 e 8, com 3 quar-
tos, 2 salas, cozinha fra, quintal bom e murado,
cacimba, sao moito sadias : a tratar na ra Nova
numero 3.
Alves A Lopes.
mmm
tten#o
Precisa-se de urna ama que sai-
ba muito bem cosinbar o que faca
compras: na ra da Cadeia do Re-
cife n. 38, primeiro andar. *,
*
1
FOGO DO AH.
No armazem da bola amarelia no oilo da secre-
-aria d polica recebe:n-.-e cncommendas de fogo
a dor para dentro e fra da prouincia.
mmm mmmm mmmmmm
O Dr. Carollno Francisco de Lima San-
tos continua a morar na roa do Impera-
. dor o. 17, segundo andar, tendo alias seu
gabinete de consultas medicas, logo ao
entrar, no primeiro.
O mesmo doutor, que se tem dado ao
esludo tanto das operagdes como das mo-
lestias internas, presta se a qualquer cha-
mado, quer para dentro quer para fra
da cidade.
para
Convida-se ao Sr. sacerdote que quizer oo
tratar-se para celebrar as roissas de natal no Rio
Farinoso, engenho Sorra d'Agua : a dirigir-se-a
roa da Madre de Dos a. Z, escriptoria de Cunta
Irma & C.
COMPRAS.
Sil vino Goilherme de Barros compra e ven-
de effeciivamenie escravos de ambos os setos : i
ra do Imperador n. 79, terceiro andar.
Compra-se um baleao que leuha 2J a 2 pal-
mos de comprldo e 3 de largura, estando em bom
estado; a pesoa que tiver dirija-se a ra do Li-
vraraeotj n. 2t, taberna.
Compra-se ouro, prau e pedras preciosas,
em obras velhas : na roa da Cadela do Recife,
{ja de ourives no arco da Conceigo.
da boa f na rna da
n. 4.
Vendem-se colheres de melal principe para cha'
a 25 a duzia.
Ditas para sopa a ijjOOO.
Facas a garlo* de cabo de
toes a 655U0 a duzia.
Dilas de um boto a 55500.
Ditas de cabos cravados, pretas
a duzia.
Caixa com 50 nvelos de linha de gaz a 700 rs.
Tesouras finas para costura a 300 a 500 rs., e a
Resma de papel almago a 25600
Dte greve moito bom a 35200.
BaraihD de cartas fraocazas para voltarete a 240
e 280 rs.
Jogo de vispora a 500 e 800 rs.
Enfeites para cabega o mais moderno qae ha a
25000.
Penles muilo finos com costa de metal
peniear.
Meias cruas para hemem muito encorpadas a
240 rs.
Abotoadara de crystal para rollete a 500 e 15.
filas de coz com 10 varas, de um dedo e meio
de largura a 440 rs. a pega.
Liga para atar meias a 100 rs. o par.
Pares de suspensorios a 160 e 240 rs.
Grtalas de seda preas e. de cores a 500 rs.
Ricas gnliiihas com punhos para entrara a <5.
Luvas de lio de Escocia, de cores, para hornero
a 320 rs. o par.
Carreteis de linha de Alexandre de n. 80 a 200
a 100 rs.
Gaita de borraena para brioqoedo de nieuiuo a
10o rs.
Caixas com clcheles muito boos a 40 e 60 rs.
Ditas com lamparioas para mezes a 40 rs.
Ditas cora obreias muilo boas a 40 rs.
Fivelas graodes para cintos de diversas qualida-
des, litas para cintos, ditas de velludo, trancas de
cores lisas o de caracol, blcos e rendas, voltas de
aljofares, ditas pretas a bailo, e nm completo sor-
lmenlo de miudezas que ee esla' liquidando a di-
nhefro.
Vende-se por o dono se ter de retirar desta
provincia a muilo afregneada taberna sita n rna
Formosa n. 9, com muilo pomos fund hvre e
desembaragada ; quem a pretender dinja-se a
mesma.
Vende se um novilbo crioulo oiauso de carro
e proprra para carroga e multo gordo ; na Estrada
Nova do Caxang sitio da viuva Vina-seca,


IH i lo de *rr4Hi*iuo Yeguada Iclra tf ue Dezctabro e ISA*.
Rival sem segundo
lia 4a QieiaUaU s. 49 e 55, loja de
ifaV-Us e tres prtas, esl quei-
a luda bn e barat., qucn qui-
ta- er,e aaairar venhan i laja da
liaba.
Grande loja e armazem do
Pavao.
Caitas 4e papel aruizade, e sem ella liso e pautado
""laa.
ae botSes de looca pra toados faienda mo-
aietn.
i *e pean de ac faienda boa a 40 rs.
Peras ae traaca de lia Usas e de todas corea a
46i*.
Estovas finsimas para limpar denles a 240 e
aaui*.
Feas de iu de eos estrellas eom 10 varas a
Mrs.
Canas cea caicaeles fraacezes, superiores quali-
aa4MS)rs.
TiBietro de barra, eom superior Unta a 100 rs.
Peca* fie curdio para vestidos, faienda boa a
aaaaaas aano toos para Tolurete a 200 e
Latas coa superior baaka a 200 rs.
Frascos de macaca perala mono tino a 200 rs.
Frascos e farranahas eom agua de Colunia a
'fS.
ros superior agoa de Colonia a
la.
Cairas cea 12 frascos de ebeiros mailo finos a
perneos de bolla a 240 rs. e grandes a
r'iwni peqoeaos eom ebeiro a 700 rs.
aVastca soperior qnalidade a 800 rs.
i coa soperior p de arroz a 800 rs.
ros de ulteriores esseaeias santal e outros a
jaaam
rYaacas coas esseaeias para tirar noduas de roupa
a 389 rs.
Fravt~. rom cheiros de todos os precos a 160, 200,
2M e 320.
Pravos boanes eom cheiros finos a 500 rs.
bata de saetas mono finas para sentara a
uaaft.
-i 4iha- moito finas para wolwra a 200 rs.
Cata* eom soldadas de ebumbo para meninos a
na re.
stja* de Cu a> ta para debrnm de vestido, eom
l" varas a 600 rs.
Da* *e latas saperiores, para acabar a 600 e
aare.
Podras de loas* para meninos a 160 rs.
BaaiiH de choro e panno a ICO rs.
Caas cam honras estampas para rap a 100 rs.
Capachos comandos, boa faienda a 300 rs.
mam de acates pequeos pretos para calca a
!<*' T~.
ara> de cralo de espartilho a 20 rs.
I : .- frjm-<-,-es eom tu jardas :t 0 rs.
Pecas de res tiorda las a 640.
Daas de meras rrnas mud* fortes e saprTfryrps a
OiTLs *
Craadr per h lacha.
No ros da Imiieratriz n. 52 parla torga de Pare-
v-Li rhali de merino e-lampados a
2* e 2?9M e fae* 5a. estio se acabando.
Ra da Imperatriz n. 60. de Gama cv Silva.
Tendo os propietarios d'tsle estabelecimento de
liquidaren) urna giaude porcao de snas fazendas,
al ao lim do crreme anno, aflm de fecharen) ton-
tas e apurar dinheiro, resolvern) vender todas as
fazeniias rom grande abatimento em precos, lauto
era porco come a retalho, e por isso previnem a
lodos os seus fieguezes, e ao le-peilavel publico, e
as pessoas que negociis em pequea escalla eom
faiendas, que ne.-ie estabele rmenlo encontrarao
um grande soriunenio que muito Ihes bao de agra-
dar tanto em precos como em qualidade; as?jm
como mandam pelos seus caixeiros levar as fazen-
das e amostras uas casas das familias que nao po-
derem vir a loja, ou do as amostras deixando U-
car penhor.
Caniuiaias lisas a 36000, la leja do
i iava.
Vendem-se peras de cambraia lisa branca e
transparentes, teodo oito e meia vara cada peca, I
pelo barato preco de 3*500, ditas muito finas, por |
45500,5*, c* at 10*, sendo lapadas e transpa- se adiar bem sortido como todos sabem,
rentes assim romo cortes de cambiaia eom saipi- hoje mais que nunca. n3o s pelo que rece-
cos a 2*500: isto s ua loja e armazem do Pavao, be i nrnnria ennta rrm tamhpm nplo
na ra da Imperatnz n. 60 de Gama & Silva. ue ue su* ProPr'a copia, mas tamem peio
As camisiohag do Pavo. Mendem se as mais modernas cami'sinhas borda- Iduvida que deve offerecer grandes vanta-
dasrom manguitos, para seoboras, sendo as mais gens para 0 respeitavel publico tanto em
modernas que tem viodo ao mercado a 4*500, di-nrecos COmo na escolha dos obiedOS, e C0-
\1 rom S&SfftSfVtKr aC3^ ^ Ch6gar grande remeS8a Pe'
los e golinbas pretas a i*, linissimas golinhas de vapor Douro e 0 navio Solferino de
cambraia branca bordada a 500 rs., calcinhas para diversos objectOS de gOStO e proprios do
menina a 640 rs. romeiras de fil e cambraia | ienip0 dos quaes Se mencionaro alguns,
branca bordada a 15600 : na Ua do Pavao, ra s ] A
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva. P0r na. ser posstvel mencionar todos. 0
Novidades do Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Este estabelecimento apezar de sempre
AGUiA B4i\G\
Ra do ueiniado d. 8.
A loja da aguia branca acaba de recebe* um
novo e grande sortimento de differentes objectos
de gosto o ultima moda, seudo :
Bonitos enfeltes para senhonis gostos iuleira-
menle novos.
Ditos ditos Je graile eom routat grandes.
Lindas fivelas priinK-.i para cintos eom moldes
agradveis e diversas qiialidades, madreperola,
tartaruga, ac e douradas.
Boas e bonitas filas arliarualotadas para ditas.
Dites de dita de (rosdenaples lisas e lavradas
eom novos e agradavus desenos.
Trancas pretas de seda eom vidrllbos moldes
novos e de gosio.
Bicos braaus e pelos de seda eom vidrilhos e
de diferentes largNia> o hOOflcs desenhos.
Cascarrilha.- de seda rom diver>as cores e lar-
guras, formas inteiraineute novas a imilaciio de
pato, babadioho e oulra eom urna transmita no
centro e que Ihes d muita graca.
Grande liquidado
Charra a lojt de Paredes Porto, na da larpera-
tra-Si, a soriioieDio de camina has, goHmtias,
-Mp-hK, r-c:fira' e Motos, *> rairihraia ranra,
peMnrato ar*r.. d W0O, 3?00 e 4t, gambas
r- a stMi e siato* a 800 rs. grande
anisdie fie ntremelos a 600 e 800 rs. a peca,
- ;-atnd'i.
\LGMI\d 114 BAHA
Na Uadc Andrale & Refo, ra d<> Crepo n. 8,
esaaan da ra d imp-rador, rootora a vender-
le sapericr aicudioa Babia por menos preco que
esaanm quatqs-r pene.
\".A>^- um seravo rabra esruro, -a.atelrj
ao cllegio da Conci-ira > oes
12 '" :...-!))' rull^jii se alug-i UH)
: aun Irurta, aaaha, etc., na7a-
-
l\Z
Um
\*z+m 4x : n do tapante n. r,
I ir. c. wm i*ar* \vnder-se
,Uar gK fStflea't- i. inrcadt.
ou no
o ir.e-
O Poiioral de Ccre.JA,
DO DR. AYEK?
K CKC-
TA U 1- d.;- OlVTL.l* -: JK-itO
dapariM.'!.!. j.i--< -. BMafya^Get,
- .:. 'fllIV'"4, p< til
.._'il!;!. H. : 11 laT;|.
j i- <}. t>. ilf.raj i resul-
)> >\k estudo
tfioa ait {.<>>- Jm
.\ .-.., Kurt?, V 'ijiperi
< nri;i- li -ni* .'.-:t< n maftar; yttaiu|io>nr-d:->- iii.m- - \i<.: v pan'-uii ; ir MM < 4%M '"- toda
' :Il^li4'tC^i utii tTh i ilif;tl-
tf*r*\ j < amiaarv****. i" ;i- iMaTtt, Mata
. -- iiisui :trr*t usiomi r m : -_-. jtor
- 'J$mm?Wer JfstHI tU ,/Uuitf-r ilh'iU
ao !<* m POsatoJ** itaV < i.apsnliadti de dirr**f .- iuinu*i*-.i^ :
iH'ti... t. r*>,'|Rs>is (UaUofT raod-
.a fm ^rttano-vaLao* |Mat. ifetaV :. f*auia. a -oa. .oaipo-ico,
anpMhaV'-M- f 'ni- n p , imIMhBi x. 1:1..... taata
rjhKs- 4|kK TliU" J-fH, a-lo Ir u-k>- M -kV -iraj m ia>li< alwT.ir i-om o iiv. do
fVitorai de Orrjia.
. .'.lis- -Ir b_ all'HuXIlf, /Or >!' fl l'.il't,
fjmQHmmmm* Usra /;/-
' ritw. ntr taana poac mmiIii u |dr i.-lo. Nfio ilrx-uwlc^ A' mi:i losse
aai aaaa BaaaHaMa una mmm
-irwrif a o iiidu/. a ibnuacuo Je
1 i wrc
t^-wimuii ili taalia arve our sem ani frao<.
\MT'fi ai u.uo ; |ah .<**.-' :..*- ixi;uio tk> Coyivliii'lit; ou
,4 st ^o- <*to -ujoas u.s Tonf^, n" 'lia
M^*4r MBar tim ntedim. im-i.. ~4e -)- ah ia imameiiiaUuiiclik -- ]r o liMt 4fiM;ri -a. -a b, fn.
A- ai iTibu -^tm vto ao ilnlxT da* \irtDdi-* rus^fiva?
a fK/rmM4i o: OmmWfA
I>eflaxaa. Toaawa. am. Kaqmrx-iucia, Bronrhtte.
Coqoc4nche. Voaae ferina on oonrulaira.
Boqadao, TVdaa aa moleatiaa 4o peito
carraota CoDaomprao doa Pul-
jofi on Tsica pulmonar.
Acfca-ar ra toda a- BoOea' Drogara* do laprrio.
Chales de merino a 2000.
Vendem-se os mais modeiuos chales de merino
'estampados a 25000cada um, havendo tambem um
grande sortimeuio (\& mesmos matizados que se
veudem a 64, 7{, e. 8000 : na loja e armazem do
Pavao, ra da Imperalnz n. 60, de Gama & Silva.
Os cintos do Pavao.
Vendem-se rlqoissimos sintos de fitas de diver-
sas cores e dourados rom 6vela larga e doorada,
assim como eofeilrs para cabeca dos melhores e
mais modernos que tem vlndo ao aereado ludo
islo se vende por um preco razoavel que muito
lies lio de agradar islo s na luja e armazem
do pava na ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
As saias do Pavo.
Vendem-se as mais finas saias bordadas asagu-
Iha brancas sendo da melhor fazenda que tem viu-
do note genero, tendo muia roda, pelo baralissi-
mo pieco de IO5OOO; ditas bordadas a croch a
6*100 e 8Ouo, ditas eom babadinfios a 9*000, na
loja e armazem do Pavao, na ra da Imperatnz n.
60, de Gama A Silva.
Notos vestidos do Pavo a .0.->0C0.
Chafaran para loja do Pavao os mais ricos cor-
tes le vestidos de cambraia transparente cornos
tiris delirado*, bordados de difiYieules cores a pon-
to de agulba, sendo n'este genero a maior novida-
4b que lem vindo ao mercado, garanlindo-se o te-
rem malta fazeoda e enfeites sufflcientes para o
eorpo e maDgas, e vendem-se peb barato preco de
10*0(0 cada um, na loja d<> Pavao, na ra da Im-
peralrtz n. 60, de Gama & Silva.
Os espartilbos do Pavo.
Vendem-se un grande e variado sortimento de
espariillios os mais bemfeilos quetern vtndo ao
mrrcads, sendo de lodos os lmannos pelo barat-
simo prreo de 4*, *, e 6*000, por baver graude
sortimento, na leja do Pavo, ua ra da emperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
RetORdas pretas a 12.MKI0,
a loja do pavao.
Cliegaram pelo ultimo vapor as mais ricas re-
tonita?. de renda pretas, sendo das mais compridas
que tem vindo ao mercado, e vendein->e por preco
mutlo em coala : na loja e arti-azem do Pavao, ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cartee de casintra, pichincha,
A 2800, rt;i toja do vovao.
Vendeavse bonitas cortos de casimira de core.,
toado dars e escaras, e Traadem se pelo baratis-
slo i'rero de 2*800 o corto, ot: vende-se a mes-
ma lateada a 1*600 o tovado, leudo 6 palmos 3
largura : isto na loja e armazem do Pavao, roa ti
Imperatriz n 60, de Gama & Silva.
'.h .Orles de casimira fio PavtWr
Ven* i.-se superiores cortes de casimira, sendo
basaos ::uio fina, pelo bara'.ifslmo preco de fj.5
rada <;..i : na luja armazem do Pavao, ra da
Imperalnz n. 60, de Gama & S'lva.
#s calas do pavo a 10O0.
Veodem-se cintos d<; fila eom fi velas pelo bara-
nsHOM prero de 1*000: na loja do Pavao. roa da
uaparatriz n. 60, de Gama i S:iva.
Chales prclos de rcmla a S.sOOO, ia
I tija a l'avo.
Ciie^ram para a loja o Pavao oSvaarSTrOOS
Baatos de renda pretos, de 4 pontos e mudo grao-
des, veadeodo-se peto-harMis-tmo preco de =8paS0
cada vva para acallar: na tejada Pavao, rua-a
toaperalrlz n. 60, d<- Gama c\ Silva.
VestiJo.s ni'liano:; a B<$00(l, 11a (oje
do .paila.
VeaSem-se os mais bOBKOS cortes de vestidos
aatocos, sendo esia faaenda transparente e. imterrn- SS, loja-aa porto larga
meaie ova no mercado, rMetdo entre eiles mantos
fortes r luto; e vendem-se pelo barstissimo |ireco 4e4a*
cada .um psra acabar : na loja do Pavao, ruc-da
lui|eas:tkz n. 60, de Gwn.-. & Silva.
dono deste estabelecimento espera a pro
tecf5o de todos.
Riquissimas caixiohas ornadas e eom
msica propria para um delicado mimo.
Caixinhas de msica tanto de veio como
de corda.
Ricos porta joias e necessarios.
Riquissimos est jos a feitio de um bausi-
nho ou chapeuzinho.
Ditos em casca de noz e de outros gostos.
Leques de madeperola de sndalo e de
faia e madeira.
Chaposinhos e touquinhas de muito
gosto para criancas.
Meias e sapatinhos de seda para as mes-
mas.
Meias de seda para senhoras.
Capellas e grinaldas de florespropiias
para casamento.
Enfeites e apellas de mtiilo gosto para
seuliora.
Riquissinws porta boquels.
Boquet de flores eom urna borrachinha
eom clieiro. o
Lavas verdadeiras de Jovin.
Ditas de seda e de Escocia,
Riquissimas plumas e gaarnicoes para
enfettar chapeos.
Goras e lubos de ac branco, que ba
muiose desejava jwra eiiPeites.
Bri-ncos, fivellas e crez^ de cryslal.
'Eivellas e cruzes de tartaruga, madripe-
rola e dourados.
1 Seleiros e correaros
De fazendas e roupas feTtas na loja e armazem PECHINCHO
da Arara ra da Imperatriz n. 56, de LourenjG Sola de lastre em perfeiio estado,
Pereira Meudes Guimares. meio 20JSP.f)ft
Corles de chita a 22O
Vndese corles de chita de cores fixas a t*00,
ditos de dita franceza a 3*, coitos de rambaia de
cores a 3*, ditos de Jila eom barras a 3* e 35l0,
a ra da Imperan 11 n, 06. loja da Arara.
Chales de iu<; i:t a 2-)0(JO.
Vende-se chales de merino a 2.>, 3*, 4*, ti,", e :
8*. riscados esculos a iu ; 280 o covado, a ra !
da imperatriz loja da Arar., n. 06.
Roupas filias para liquidar.
Vende-se palilots <- biiuidi c > a "2* t 3*, oit de meia casimira a &*, o* e *, d lo> de panuo
lino e de casimira a {<, \0, 12o e li, cairas de |
brim pardo e de cor a e 2*500, anas de diio Nesie estabelecimentu anrontrar o respeavel
brauco a 35-0O e 4*, paiils de alpaca pela de publico um variado scrllmento de fazendas franre-
cores e branca a 4*500, 4 e 3*, ramizas france- : las, inglezas, suissas e allemaes, que se venderao
zas finas a 2* e 2*500, ditas mglezas de pregas por prego commodo.
largas a 3* e 3*5(0, eeroolas fiancezas a 1*600,1 Paredrs Porto
I 2* e 2*500, colennbos liuos a 600 a duzia, calcas Vende chales de renda de coros que ?e vende-
Outras eslrei-as e largas guarntcidas de bico I rfe casimira a 4*, 6* e 8*, a ra da Imperalnz loja ram a 18 est vendendo por 6*. ditcs pretos ia-
. n^ila nka>K al ^____-a. ._ i4 Amr -i ''. \ 1_____ na* na* ,.n '
ENCICLOPDICA
** Ra da Iiuperafriz aiiatazein
da porta larga &?.
Inulo a paJarla fradecza de
l*arces l'orto.
de seda obra de muito gosto.
Uutras de cambraia de cores.
Botoes de seda, velludo e aro para enfeites de
vestidos.
Trancas de seda estrellas e largas brancas e de
cores para enfeiles de vestidos.
Flores finas
CAPELLAS PARA MENINAS E NOIVaS.
A agota branca a ra do Queimado n. 8, rece
beu para vender :
Delicadas capellas brancas para noivas.
Ditas ditas para meninas.
Ditas ditas de caixos de flor de laraoja.
Ditas ditas de rosas camelias e outras.
Ditas ditas ou ramos de trigo.
Diversos ramos de flores finas para peito de
vestidos, enfeites de rbapos etc., ele.
Preparos para flores.
Na ra do Queimado n. 8, loja da aguia bran-
ca vende-se :
Papel de cores para rosas.
Dito verde para folhas.
Dito dito e pardo para cobrir os talos das ditas.
Musgo em rama.
Folbas para rosas.
Agulhas e linhas para crochet.
da Arara n. 56. zenda nova, 5*, 6*, 8* a 20*, um sortimento corn-
Lencos de seda a t 10. j p[eto de manteletes, capas e soutamban]Ues 14* a
Vende-se lencos linos de sude a 640, 800, t*600 i 25*. Roa da Imperatriz n 4i, junto a padarla fran-
e I*, ditos ditos de linho a 4*500, 5* e 6*, a dita
ra da Imperalnz n. 56, loja da Arara.
Cbilas de cores lixas a 220 o covado.
Vende-se cbilas dt cores fizas a 230 e 240 o
covado, dilas linas francezas a 320, 360 e 400 o co-
vado, percalas lina a 440 e 500 o covado, alpaca
decores para vestidos de senhora e roupa para
meninas a 360 o covado, a ra da Imperalriz n. 5C,
loja da Amara.
Cassa frauc za a 320 o rovado.
Cassa franceza se vende a 520 e 360 o covado,
organdis Unos a 360 e 400 o rovado, pecas de cam-
braia lisa fina a 3*, 3*500, i*. 5* e 6*, a ra da
Imperatriz loja da Araia n. "ti.
Baloes a 20C0.
Vende se baloes de SO, 25 e 30 arcos pelo barato
preea de 2*. 2*500 e 3*500 e 4*, salas boldadas
para senhora a 6*500 e 7, ricos vestidos a Mai ia
Pia eom lidas barras a 13*, II* e !8*,Slilo- de
cambraia boldados a 13a '.da a 8*. P* e 10*,
laasinha para covado pe i barato preco de200,240,
320 e 400, lilas de quadro* de seda a 560 u
j covado.
Todas estas fazendas se vende por barato preco,
Vendem-se na ra do Que"imado n. 8 loja da far* >'|uidar at o fim do correuto nez, a ruada
aguia branca, assim como agulhas para tranalhar- lwPel,tl '"Kaa Arara n. 56.
se em la.
Papel de sobrecaliente para os
phosphoros hygienieos ou de
seguranca.
A vista do grande tamanho das caixinhas
phosphoros hygienieos ou
pouco o papel que vem e
dos
de seguranca, tornava-se
\n dilas caixinhas, e para
remediar essa falta a agu a branca mandou vir e
acaba de reeeber esse esiecial papel, qnal so
dar de sobrecellente a
phosphoros e se vender
quem comprar de taes
ndislinctamente a quem
delle precisar. O preco d cada caixinha de pbos
phoro continua a ser 160
do Queimado n. 8, loja d;
Seda froncha
Rosetas de dito e cruzes.
rs., e vendem-se na ra
aguia branca.
para bordar.
Ontros objectos.
Vindos tambem para a amiga loja de
miudezas ra do Queimado n. 16.
Sapatinhos de setirn branco bordados pa-
ra baptisados.
Outros de merino tambem bordados e
igualmente bonitos.
ceza, armazem da porta larga.
Paredes Porto
Receben um completo soitimenlo de laasinhas a
240, i 280 rs. covados, i ara acabar, can hraias de
cor a 240 rs. o covado, risrado esrossez pira au-
pa de menino, fuslo de liuho a 420, 400 e 500 :s.
Ra da Imperalriz n. 52 joolo a padarta Branceza.
armazem da furia larga.
Paredes Psrlo
R'cteu para cortinados para rama franreza a
II* a pera cambraia lisa fina a 3* 4* ate 10 a
peca, cortes de larlalai.ade bonitosgvsto a 3*500
e 4*, cambraia eom ilor de seda, gostos ioleira-
uieiiU- i o\os a CO e 5(0 rs. o rovado. no armazem
da perla larga n. 52, ma da Imperalri junio a ta-
daria franceza.
Paredes Porto
Recebeu | elo ulliu.o paquete um soflimenlti ele
cruzes rom pedral para opescoco, bonitos caxibei:
de laa para pesclo de senhora. Ra da Iropew.ri:
n. 52, ai o,,.2. tii da porta larga.
Paredes Porto
Vende corles degorguran pelo para vistidc loH
51 rovados cada um 35*000, grsdeiiaple prf.i ?.
1*600, 1*800 e 2* o covado, las lizas linas a .'C
rs. o covado, laasde quadrinhopara vestido, enles-
tada, a 320 rs. o covado. Ra da Imperalriz n. 2.
armazem da pon.-, larga.
Pandes Porlo
Tem para vender pin puco commodo, pi de
esguio de linho n m 10 varas a 7*, 8*. panno de
linho para lences a 610 e 700 rs. a vara, braman-
la de linho de 4 larguras a 2*00 e 25C0 a va: a
Paredes Porlo
Vende rortes de cambraia bordada? de ri os
ii j %rnut: tur es ut- uau.uidia uinududs uc i. es
Meias de seda, correspondente no lama-. gosl(lS, 10 e ,2i8) nros ,estuanos para memna
Vende-se na roa do i ueimade loja da aguia
branca n. 8.
Obras dk cryslal.
Brincos de diversos moldes.
Outros tambem de crys
Outros de aljofares bra
Aderecos de cryslal ob
nho dos sapatinhos.
Outras mu Anas de o da Escossia e
brancas listradas.
Luvas finas de fo da Escossia brancas e
de cores.
Ditasxle seda para senhoras.
Ligas de dita para senhoras e meninas.
e meniio, ricos corles de cambraia Mara Pia a
10* 20*. larlatana Inanca e de ri a 640 e "0
: rs. avaia. Ra a Imp rairiz armazem da pona.
larga q. 52.
ftonpa feita
Ra da Imperalriz n. 52 armazem da porta lar
[ ga junto a padaria frar.ceza, encontrase neste es-
tabelecinenio um r(iiii(ililo soilimeulo de pal
la I de cores.
icos e outras cores.
a de gosto.
Roldes de dito, branco?
Dilo de dito tambem bi
e de cores para collete.
ancos e de cores para
jualidade?.
Alfineles pata grvalas.
Botes eom croas para punhos.
Gravatinhaseniarttiiias de muito gosto, Punho-s-
tanto para homem como para senhora. .Vollas de ** f.n,ras -
Riquissimos aderecos pretos, assim como Leques de duermas (Utilidades
caixinhas eom a teles pretos. Ve-J
Bengallas de caima eom cabo de marfim. agu,r
Ditas delwleia, borracha e de nutras
muilas quaiidades, assim como chicotinhos.
Hiquissimos penlcs de tartaruga-do ulti-
mo gosto; assim como de arregazo para
menina, >ois neste artigo ha um completo
sortimento de todas as qualidades.
Puntes de UrtTaga uiui fortes para des-! 5ac,'us"brecasacos, de ludas as ooalidadi
cas. colleies, ceroulas, camisas, grvalas, mi is.
ehapos deso, ditos fisnrezes para cabera or
preyos rommedos, roupa para menino eV-mras
muiias fazendas por precos commodos, armazem
aa p ta larga.
>'u mismo e-lab'.'lerirr.enlo encontrar o n -
tavtl publico, sempre um completo sorlimenti de
ronpas hilas de todas as qualidades, como 'o
pakls de alpaca preta c de ror,ditos sobreea'sa-
euitiaracar.
Canileis corn retroz preto e outras cores.
Carteiras eom agulhas.
Agulhas francezas, as afanadas.
Caixinhas cum allinetes blancos e pretos.
llaspas de baleia para vestidos.
Fitas de linho
- roprias para ditos.
Caixas eom lindas de novellos grandes, %?JJ*, % d""s d, .,,',ro "'ri" ,*800- e
r.. ,r/1M.nic 3#5C0, ditos finos a 4* ditos metas cazeu.tra a
; 3*500, 4* e 5*, di los caamira s reo. ;. i'i. 7 '
ptetO, redondo, e 10*, ditos sobrec.asaens a 10 e 12*, ditos o* i
para crochets.
Trancellim de bonaciia
.ranea n. 8.
Qrumacome para Ungir ca
bellos.
A a;.*:;ia branca avi?a ao ronsiar.tes freguezes
uiadeiiK-ts para cab(-(;a do ullimo gosto. dessa exrellente tintura, que ella acaba de rece-
ftqu8SmaS filas lavradas e lizas ^er umanova remessade cromacome, coloricome
TrarKvs nreras-fom vidrilhn p Ao pii esabao branco, necessano para lavar os cabellos.
Puiin ..!.; portanto podem dihgir-se a dita loja na ra do
Pulsen-.is tanto para senhora C(mo para Queimado n. 8.
meIlm,as-i Abridores keluvas.
Ligas <,e seda-e de algodSo Vendem-se na ra doLueimado loja da aguia
Suspensorios de seda e de algodao e mu- branca n. 8.
tos outros objectos que se nao .podem an- por! Iluminis
Dnciar por tilo Se lomar enfadonho. de bonitos moldes, dourados e cabo de madrepero-
S ItC Gallo Vigilante na do Crespo n. 7. >a : arham-se a venda na roa 'do Queimado loja
_ 1------- da aputa branca n. 8.
Luyas ae Jouvm.
grar
-ra Iu..
.:-:
L
"--
KJnla8 CathartcM do Dr. Ayer
curIo
CHStHlrat,. JtK-U-
IHr a> ral*rH, A \errml-
MZ afcaV Vmuibritrmm. Kif/tfp-
Taoa* m laairfjii aa pnrm do aa f-zeeMlvo dr
0 mdbor purgante at hoje conhecido.
fZM*H p'imtat naaanaiiM^iii mun pnramrtiU twjitars.
Pateo i twticao m auciikio.
IfoaarU- do Iiapario.
Vestidos a 4<$
Veaaaav-se cortes de vesUaos a Maria Pia c >m
barras b..nladas, pelo baralissimo preco de **d30
para acabar : na loja e armazem do Pavao, ra da
lmpeia*i j n. b, de Gama -Silva.
liauyuilos e olss.a bOO rs.
Verkiec-se manguitos rom pelo baratissimo preco de 50C rs., islo 6 para k-
<|iiidar : na loja do Pavo, ra da Imperatr-n.
60, de liaca Silva.
Cortes de chita ik) Pavo
Vendem-ss cortes de chita franceza muitO'boa
eom 10 cavados a 2*400, ditis eom 11 covados a
2*000, uoe eom 12 covados a 2*800, istos
para acabar:, na loja do Pavao, ra da Imperalrk:
o. 60, de Gama & Silva.
Chales de reata a 10A. I, W. m e 2, nc
loja do Pave.
Vendem-se ohales de renda preta muito finos t
(0* e 12*, ditos de linho a 15*, ditos de seda d.
Modo dos melhures que ha em chales de renda a
20 e 25*, ditos bancos de tres ponas a 6a, isto
s aa loja e armazem do Pavo, ra da Imperalriz
o. VJ, de Gama te Silva.
I\ovidade
a toja de miudezas na roa do (Jueima-
do n. *G. resebeu-as por este ultimo vapor,
SfvMae.
Chegar.-un es bonitos chales e retondas de guipu-
re braaoss, e vendem-se na ra da Imperatriz n.
de Paredes Porto.
Aeha-se
venoV. ca livraria acadmica, na roa do Impera-
dor; na do Sr. Nogueira, junto ao arco de Santo
Antonio.; e na lype>fr*pha imparcial, na ra es-
ireiiu dodtesario a CompilacSo de toda a legislarlo
tendete. administraco, arreeadaoSo e fiscali-
sacao dos dtobeiros de orphos defumos e ausen-
tes, tteraucas lcenles, legados, etc., contendo nao
s o regtmirsto de cusas e a lei geral das execu-
coes, como tambem todas as ordens e avisos do
governo. oae a ludo tem explicado, -tatito a respei-
to das ob.-ga$oes inhereotes ao cargo dos difieren-
tes empreados de justica e fazenda, como dos dl-
reiios nactonaes e emoluBenio'! que ao devidos.
Bonitas (ouquinlias
de (Ti-j de linho, cambraia e selim todas mui bem
enfeiladas: vendem-se na roa do Queimado n. 8,
loja da agola branca.
Carretas eom retroz.
Na ra no Queimado n.8, loja da aguia branca.
Sen eusto 10*000 por cada exemplar em dou.
omos.
H. M. IsAMM, Boa Direito So. 15,
Hio de Janeiro.
Vende-se eos Pernambuco:
na
JPHARMACIE francaise
IdeP.MAURER&C1!
i RA NOVA N.
PARA A FESTA
Popelinas a 400 rs.
Paplinus a 100 re,
Pepajias a 100 rs.
Chegaram para a loja do pavo as mais lindas
popelinas, (afeada propria para vestidos de seobo-
ra, sendo muite IcansparenUv e bruteantes rom as
mais lindas cores /jue lem viado, as quaes faeili-
tam fazer-se um vestido eom moila phanlazia por
pouco dinheiro, e vendem-se, sendo de quadrinhos
a 400 rs. o covado, e as de orna s cor a 500 rs. :
aa loja do pavo, roa da imperatriz a, 60.
A 3S0OO o corte,
Vendem-se superiores cortes de cassa, endo fa-
zenda muito Tina e de cores lizas, pelo baralissimo
preco de 3*000, e ditas indianas, fazendas nans-
parentw, de moila phanlasia, pelo baratissimo pre-
e.o tambam de 3*, para aeabar: na luja do Paveo,
ra da imperalriz o. 60, de Gama & Silva.
Vestidos zuavos.
Chegaram a' loja do Pavao os mais lindos corles
de vestidos eom o competente zuavo e cinto, vindo
ludo em um carlio, sendo maior novidade que
tem vindo para a fesla : vendem-se por barato
preco na loja do Pavo, ra da Imperalriz n. 60,
de Gama & Silva.
Novidade para a fesla,
Vestidos de sed*.
Chegaram para a loja do Pavo os mais ricos
corles de seda para-vestidos, sendo em qnalidade
o melhor qoe lem vindo ao orercado; e padres os
mais modernos por serem quasi todos listados eom
cores mui delicadas, aiiancando-se ser oeste gene-
Iro o melhor que exisie: vendem-se por precos
muito razoaveis, na loja do Pavo, ra da Impera-
triz n. 60, de Gama & Silva.
Senbores e samaras*
06 propietarios da nova loja e armazem de fa-
zendas e roupas f. tas na ra da Imperatriz n. 72
de Guimares & Irmao, acabam de reduzir os
precos de suas fazend->s menos 20 por cento do
que tm cuta qualquer parte,|Mm de apurar di-
nheiro, assim como seja laazinbas de quadrinhos
sendo escuras a 200 r 220. dilas mais finas a 360 e
4(0-rs dilas transparentes rom listas de seda a
32.r-s.
razruilas proprias para a festa.
Vendem-se as mais bonilas fcareges de lila e so-
Este litro canteado mais de 700 peinas em ntida !a s"Bdo f S'ocezas as mai* ".oderoas que tem vin-
impressao e bom papel, eprestaudo-se a utilidad* d0 aoM fflerci,-' Ppl" baralissimo preco de 5P0 o
de dlfferenies classes. torna-se recoromendavel. aovado, cassas fr.nceas de urna > cr a 320 e
JW o wvado, dilas eom palmas soltas sendo mi-
das e raudas pelo baratissimo nn ro de 280, 360
e 400 rs. o rovado : isto na loja e armazem de fa-
zendas na ra da Imperatriz n. 72, de Guimares
& Irrnao.
Saias bordadas.
Vendes-se as mais bonitas salas bordadas sen-
do bastante largas e muito bem bordadas pelo ba-
ralissimo j-reco de 6*500 e 7}.
Vestidos de larlatana muito flna sendo brancos
eom barras de cores bordadas de la e seda sendo
os mais modernos que tem vuido ao mercado e
vendem-se pelo baralo preco de 9*, 9*500 e 10*.
Manas de seda para homrm.
Vendem-se as mais lindas mantas de seda para
homem tendo de todas as cores peto baraUssimo
preco de 1*300, f*i00 e 1*500 : isto iu. nova lo-
ja de fazendas na roa da Imperatriz n. 75, de
Guimares Iraiio.
Colariohes da linho para homem.
Vendem-se colrmeos de bobo para homem
sendo os mais modernos e melhores que ha no
,500 e6* a
duzia.
Machinas de descaro^ar al-
godo.
No caes '.Apollo, armazem de Tasso Innios.
Vendem-se superiores prsenlos de'We*lpha-
lia, chegados no Drflaao vapor: na roa do Irapi-
.che n. 9, _______
Breu em barricas nequetas.
Cera em velas de lodos o tamanhos.
logias.
Kercorio.
;Na ra do v igario o. 19, primeiro andar.
VENDE-SE BARATO
Junio da tv|>ofrapbii das Cruzes i. 42
ra
Mameiga ingleza fina a I* e 15280 a libra, dKa .
franceza a 900, queijospralo a 800 a llbra.ditos do nier.Mdo Pel baratissimo preco de 5*o00 e
reino do ultimo vapor a 2*600, ditos frescaes a "" .
2*200, vinh.. Figoelra aS60, dlio Lisboa a 480, dilo tbales de mermo estampados a 20.
Estrello a 440, caf 1* snrte 280 a libra dito 2" a Vendem se bonitos chales de merino estampa-
240 a libra, amendoas a 280 a libra marmelada a dos pe, baratissimo preco de 2*, ditos lizos de
IO a libra, cha da fndia a 2*800, dito Ison a loia* as Cres a f#W0 i, dilo finos sendo es-
n. 16, recebeu um bonito sortimento .
fivellas grandes para cintos, sendo de ac, E&^a?f *!?** ,M[eia,sde..'l2,3p' di,85
A,___. i y linho, ditas de bramante a 3a p 2*;>(Ki, r.-irrm.-''de
douradas, madreperola e tai taruga, as quaes ,,god'io de ,IDh0 franff2as ,,e u^o : i*.
i'Stao sendo vendidas em dita lojd por pie- de ectiincha neste genero, grvalas de tod ts
Cos commodos ; assim como boas e botlas
fitas degorgorao achamalotado, proprias pa-
ra dilas fivellas.
Ocalos de pendra e de entras
qnalidades, para qisetu soffre
da vista
A' loja de miudezas roa do Queimado
v. 10, tambem recebeu ocolos de peneira
eom vidro.i claros e escoros, para quem sof-
fre da vista, assim como ootros de anna{So
de ac, sonidos em graos.
Coreas e ter A antiga loja de miudezas a' ra do
Queimadi' n Ifi, receben mui bonilas co-
roas e tercos deornalma, os quaes esto
a disposico dos bous ebristaos que os qui-,
zerera comprar em dila loja: na ra do
Queimado,n. 4(j
Esponjas fluss grandes e pe-
queas.
Vende-se na ra do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
A ntiga loja le mimlezas na ra do
(Queimado i*, IG, acaba de receber :
Novas e bonilas gnarncdes prelas para vestidos e
soutembarques.
Bicos de seda bi ancos e pretos eom vidrilhos, e
differentes larguras.
Trancas prelas cum vidrilhos.
Cascarrilhas de seda de diversas cores e moldes
novos ; oulr-s enfeiladas eom bicos de seda.
Babadinhos de seda.
Trancas branca., de seda para enfeites.
Bonitas filas brancas lisas e lavradas ; outras de
cores tambero lisas e lavradas; outras achamalo-
ladas para cintos, largas.
Fivelas grandes de ac, douradas, madreperola e
tartaruga.
Bonitas ligas de seda para senhoras.
Leques de saudalo o outras finalidades.
Lindos o delicados enfeilcs para bai-' JgSVZ SSSXmVSntZ
|CS C paSSeOS nhora e homem a Ir, ricos cortes de cambraia
A amiga loja de miudezas na roa do Queimado SS5.3 ?,' rZ %Z!T* ?% ,"" k'
n. 16, recebeu novos e lindos enfeites para bailes m^Sar^raJ. da Imperatnz n. o:' ,:n-
e passeios, todos de moito gosto e ioteiramente no- l0 a pauaria iranuza.________^_______
vos, variando o preco de! les ronfome a superiori-1
dade : os pretendenies os acharao em dila loja, na
ra do Qoeimado o. 16.
Pinas capelln para noivas e
meninas.
qualidadi-s e brancas pra cas,':
time iio de meias para senhi ras, ui
a 3*. superiores a :i*ii( 0 e 4*.
Um completo sortimento de cbapt
alpaca a ."!*, ditos de seda a a*, "*, 1 .
ditos fratcezes pata rabea, grande s a 6*.
I'echineka a imiravel.
Grande sortimento de chambres a 1*600
lences de cambraia para himein a a duzi.,
tos de linho a h& e o*.
Grande soilmenlo de roQpa para meninos e en-
tras n nias qualidades que seria enfadonho mto-
ctona-las.
Fazendas.
Vende-se superior merino preto proprio para ca-
pas de senhora e vestidos k *. luslrim da '.tuja
a i800 o covado. Ra da Imperalriz, p'Tia larga
Paredes Porto.
Vende em seu estabelecimento litas e entr rr,eos
bordados, grande soriintento de corplnhos ra-
mente bordados a 35, 4* e 3*. S o Paredes or-
to, roa da Imperatriz no 62; parla.larga un a
padaria france2a.
Paredes Porto
Recebeu pelo ultimo paquete fran ce z rica
granadinas eom flores de seda s 400 e 300 r;. c
covado, eslao acabando-se, cambraia preta para
lulo. Porta larga junio a padaria franceza. f. -aa
da Imperatriz n. 52.
Paredes Porto
Vende um completo sorlimenio de fazenda:
brancas, como sejam madarolo a 4*300, o*, 6* e
10?, pecas de algodao par barato preco, chita Izan-
ceza a 240, 280. 320. 360 rs. o rovado, pr i
muito linas a 360, 400 rs. o covad, chita h za
a 200 e 240 rs. o covado. Ra da Impera;: ; c.
52, junto a padaria francesa.
Paredes Potto
Vende gangas de rr propria pata roupa de me-
ninos a 320 rs. o covado, riscaJo francez 3j a
320 rs. o covado. Ra da Imperatriz n. 32, ote
a padaria franceza, p< ra larga.
Paredes Porto
3*000 a libra.
Vende-se um molatinbo, bonita figura, de 7
aoauts de idade; para ver e tratar, a roa do No-
goeira o. 43.___________
Vende-se urna mol lia de ama relio ja usada:
ua ma estrofa do Rosario n. 17, 2* andor.
lampados a 6*500, 7*, 7*300 e 8*.
'Canibraias brancas.
Vendam-ce pecas de cambalas brancas a 3*,
3*300, 4*. 4*300 e 5*, diia muito finas tendo
urna vara de largura a y* e 10*: isto s na nova
loja de fazendas t. roa da Imgeratriz n. 72 de
Guimares <& Irmo.
Biscadns eseoccezes.
Vendem-se os mais bonitos riscados escoceze
para vestidos de senhora e .proprios para roupas
Atten#lo
Chegou a nova loja de miudezas a' ra da Impe
ratriz n. 78, de Manoel Joaquim Dias & Cum de menioosa zMe 2\ehiias"TanVezas" escuras
completo sortimento de fivelas e filas propriamenle e claras a 240, 260, 28o, 300 e 320 dilas percales
para sintos, assim con o uro e vanado soriimeoto muito finas a 360, 400 e 4Q o covado: Isto na
de brincos, cryslal oppaes, lodo* estes afcjectos va- nova loja e armazem de fazendas na ra da' Im-
rundo em difTerentes goslo.% par-"r dos ltimos peratrit n. 72, da Guimares & Irmao.
chegados da Europa, e e vendem por menos do Camisas francezos
que em ootra qualquer parte, para assim aggtome- Veridem-se camisas traucos a
Acham-te venda na ra do Queimado. loja de
miudezas n. 16.
BniiitaS loiHjIliiiliiiv
de fil e eamhraia, bordadas e enfeiudas : ven-
dem-se na ros do Queimado, loja de miudezas nu-
mero 16.
Loncios de dous fiaras eom aro de ayo, bfalo
e lar I anti|;.
A loja de miudezas, ra do Queimado
n. 16. recebeu um bello sortimento de lo-
netos e oculos de vidros cum armacan fina de
ac, bfalo e tartaruga, e os est vendendo
por presos razoaveis: os pret ndentes diri-
jam-seaestalcja na ra do Queimado n. 16.

ene^
i
rarmos um maior numero de fregoetit.
Milho
a i^SOO e 5d*000
a saeca e em cuia a 2i0irs., frlo novo a 4*000 a
saces; no armazem da Esin-i largo do Paraizo
*a___,_____- .....
Cal de Lisboa
Algodao trancado
da fabrica de Fernao Velho : no eseriptorio de
Manoel Ignacio de Oliveira & Fuho, largo do Coj-
po Saulo n. 10.
- 1*500, 1*800,
z#. z*ou e 3*, ditas eom peito de cor a 2} e
2*300 : islo s na loja de Guimares & Irmo.
Chales de renda
- Pareces Porto, aa raada Imperalriz n. *, porta ?, -*f?
larga, vende chales de rendadle core eom peone-, ?&,. '-
lone de mofo, a 3*800 e 4*. fazenda de 10
Vende se urna negnnha de idade de 10 an-
nos ; a tratar na ma da Imperatri/ o. 20,
4rPECIIVCHi!!
53Ra Direita-53
o*
Vende-se a fabrica de charutos e cigarros
1.Vende-se a 5* o barril : na ra do Brum n. 66, da ra do Aragao n. 32, bem afregpada ; a Ira-
armazem de assucar. lar na ra dos Coelhos n. *|
Salitre refinado moito fino 5*500 em barrica,
lona moito larga propria para encerado de barca-
Ca e camas o> vento i* a vara, camas de vento a
3*, e de enrommenda lona do reino eom lazas de
cobre a 7*300, espincardas dous canos mullo finas
a 2**, 35*. 43* e 60*. facas garfa' cabo de viado
3*109, balancas unas 3*. pentes e enfeites para
senhoras ludo de bom gostj modernos, bandejas
finas, indo pelo baralo prejo que s eom a visU se
podera ver.
Saldo a' Iu?. cm Patis, e vende-se em Pernairbu-
co, na livraria de Jos Barbosa de Mello, ma da
Cruz n. 32 :
Formulario cu guia medica por P. L. N. Cner-
noviz, 7' edlco augm. nlada cora medicampr.*
novos, e acompanhada de 194 figuras, 1 volnme
em 12 ene, preco 6*000.
Na mesma livraria se vendem as obras settiin-
les do mesmo autor Chernoviz :
Diccionario de medecina popuiar, 3' edinao,
muito augmentada e acjmnannada de 231 figuras
3 vols. em 8o ene, preco 20*.
Historia natural para meninos e meninas. vol.
em 8o ene, prtco 4*000.
Modo de conhecer a idade do cavallo, do berro,
das beslas muars, do boi. do carnelro, da cabra
e^do porco bruchura, en 8*, p eco i*.
Na praca do eomraerclu n. 4, oscriploric de
Jos Maria Palmeira, vende-se :
Cerveja Bass, verdadeira em bolijas, che;ada
recentemente nn navio Inglez Ann"- Kay.i
Hiscouto inglez muito aoa
Bolachinha bambnrgn^a ueva cuja aoa'idade
ja aqui sao vem ha tal vez 2 asnos.
Vinhos finos.
Superior vinho do Porto das marcasPedro V e
rainha de Portugalem garrafas solas por ler
dado o cupim as caixas, e por isso se vende por
baralo preco.
Ha tambem as mesmas marras em caixinhas de
duzia, bem como barriltnhos de '/io &e ptimo vi-
nho tambem do Porto, e Indo se vende por pr?fo
commodo para acabar.
No armazem de Perreira & Malhers, ra da
Cadeia do Recife n. 62.______
- Vende-se um mulaliuho de 16 a 17 annos,
proprio para pagem por ser muito bonito e dr boa
con-iucta : na ra do Imperador n. 45. lercciio
andar.
'-""


Diarlo, e PeraamfcB *rgtnr N. 11Ra do QueimadoN. 11
A' casa de Augusto Porto chegaram pelo vapor francez ricos cortes de
vestidos de seda de cores dos mais bellos gostos, proprios para bailes,
partidas oo casamentos.
('lales de Guipure pretos e brancos.
Bouets de palna da Italia para senhoras.
os branco e preto.
Bonita seda para vestidos,
Ga remiras de quadros.
Epeiras da India para salas.
Mdnpoloes fraucezes a 400 e 500 rs, a vara,
Lias para vestidos de diversas qualidades, e
gostos diffreentes,
Q que ludo se vende pelos mais commodos presos.

CORTES DE SEDA
iram p*lo paquete ioglez riqusimos cortes de more;iut>jue de cores, e seda lavrada pa-
MkHMti novos.
Seda de quadros por 1$000 o covado
5 RA DO CRESPO -5
Grrgorlo Pac* do Amaral &: Companhia.
DIPUTE ABlEIBAV


'^Zr^zS1
GOsTO
*

Para vestidos de senhora.
- le seda de cor de bom gosto e superior qualitlade.
ami de qua-Jrinhos.
- mremtioaM de ores.
. uaptes da toda as cores.
- til I ',vre fazonda assetinada de inleira d jvidade.
i, lezas asselinadas fazenda inteiramentenova.
s pona linea de teda o que tem rindo de mais novo.
iirm te nriedade 'i lias le cures usas e de lpicos.
Krs e ca as de muito bom fasto.
as com grande variedad*.
tlde con todos os pertences cada um em seucar-
r Mate motos.
i ham timbv.n inteiramente no vos eoutras muitas
quesera enfadonho mencionar.
" ira hombros de senhora
1 cha ,;. boornoox, retondes e algeriennes do fil
16, 10, W, i'i- 00 at 800.
pies de seda de superior qualidade.
- le se b de cor pretos e de cachemira.
i oca b irdida com mnito gosto.
\ i cachimlra de cor e outros muitos artigos
. i
Par eda e de crina de muito bom gosto a im-

e de,
dcH
us palha, de s
i Ita i grande variedade.
: Italia, Imperafriz, Canutier, Clotilde
' Paris].....uliiinu vapor.
, enfeil s de troco e de llores pata casamento.
s siidos Je 1j i le, e de mjireantiqae branc is.
mi es periores sedas brancas.
branco bordados.
: i* anal is de W mde e boas capeUas.
Horda dos.
: i le de ntremelos borda Io> transparente e tapados.
otes e tapadas, babados bordados, saias bordadas e
jOJTA DAS COLU.HAAS
|E \T l
- -
?

I
tSiTIMA
Rlt DO CRESPO 1

EP1EACA U3ICAMESTE POR
LAMA* k KEIP,
NOVA YORK.
i de substancias, gozando das
: les eminentemente depurativas ;
"las juntase academias de me-
IJMC m lucipaes hospitaes,ci-
res t- da marinha as .ntimas e
i.te amerit ano ; receitada pelos
. >- is mais disnclos do imperio do
a America hespanhol
CURA RADICALMENTE
rh'-umatismo, escorbuto, en-
- venreas emercuriaes, chagas
;.. |d;ea e todas as molestias pro-
MmwaAeatTaan estado vicioso do sangue.
: '.......-'m varias imilacoM e
-.< preciso a maior cautela para
engaos,
A '7ttma salsa o> Bristol vende-se per
CAORS RARBOZA
LO DA C. BRAVO & C.
Joao da C. Bravo & C.
feral em Pernamboco roa da
..ti es casa de Caro? Rarboza
LOJA DO BEUA FLOR
Na na do Queimado n. 63.
Nesla lija por todos os vapores se recebe luvas de
1 pellica brancas e decores, tanto para horaem como
para senhora.
fritas, 6i uzes e brincos.
Chegou no ultimo vapor um grande sortimento
de voltas e cruzes, imitando cornalinas brancas,
' assim como brincos da mesma e de crystal do mais
apurado gosto jue se pode desejar, fui s quem
I recebea : na loja do b-ij.i-il >r, ra do Queimado
| n. 63.
Enfeites para coqae.
Assim como recebeu enfeites para coque e au-
na- muitas :|inli.l.i l .-, que se vendem maii barato
do que em oulra qualquer parle.
Bonecas que rliaiii.nn iiianiai e papai.
Teodo receido um grande sortimento de bone-
cas que chamam papai e mamai e movem com os
olhns, muito bem vestidas, com cabelleiras, o
que pode haver de gosto neste genero, e vende se
mais barato do que em outra qualquer parte.
Balaios.
A?sim como um bonito sortimento de balaios para
menina de escola, tambem ha muito bous pentes
para desembarazar, guarnecidos de metal.
Bichas de Hamburgo
flS todos os paquetes da Europa se recete
JES destas amigas do sangue humano e se,
B vendem a troco de penco lucro s afim
^ de ter sempre cousa nova : a loja de bar-
>L beiro ra e^treita do Rosario n. .'!, ao p
da igreja.
- '. f
avadado.
Fnmtxi barria 3*000
F'rUm dex S^oOO
Ea pw-ffno esuo:
Frase i barrica 1*5000
P.rUand dem 12*000
. -..rmaxem 4e Tasa Iroios caes doIApoilo
gnaln
- VrMe-ae i
,"m t haaaMales
e
na roa
10 annos, com
da Aurora n.
COIares Rover oh colares aao-
dlnos
para facilitar a dencao das rrianjas e preserva-
las das convulsSes.
O feliz resultado obtido immen*as vezes pela
prodigiosa for?a magntica dos colares Royer, nos
casos de convulsdes, e denticao das criangas, tem
altamente elevado o sen bem merecido prestigio,
e hoje j se pode direr que estao geralmente con-
ceituados, e estimados de innnmeraveis pas de
familias : de nns porque do uso desses Mistares
colares virara salvas do perigo seus charos fllbi-
nho-, e de outros porque colheram daqnelles tio
proficuo exemplo para igualmente preservar os
seos. Assim, pols, a aguia branca, tendo em vis-
las a ntilidade e prove i-- desses prodigiosos cola,
res anodinos ou Royer, mandin vir o nevo sorti-
mento que agora recebeu, e continuar a recbe-
los para que em tt>mpo algum a falta delles possa '
ser funesta ao pas de familia, os quaes Bcaro I
certos de os acharconstantemente na ra do Quei-
mado, l'^a d'agnia branca n. 8.
Vendem-se duas escravas recolhidas, de ida-'
de 23 a 24 annos, excelleote conducta, engommam
perfeilamente e fazem lodo o servigo de hh oasa :.
na travessa do Carmo n. 1.
Veode-se um sitio era BemQca a' margen do
rio Capiharbe, com bastantes commodos para urna
grande familia : tratase na ra Nova n. 24, das 9
horas as 4 da tarde.
Vendem-se quatro burras mulo mansas, boas
de carga e de seila, por preco commodo : a lar
i no hotel de Franja.
i
0
DO CUBE PERNM
Gregorio Paes do Amaral & Gompanhia;
AO RESPEITAVEL PUBLICO
i
A tabella abaixo publicada serve de base de precos,
tanto deste arniazeuL como do armazm progressivo pa-
teo do Carmo n. 9, principal armazeqi ra do Impera-
dor n. 40.
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
jenhos, lavradores e mais pessoas do centro, que para mais facilitar snas compras deli-
oeraram os proprietarios dos tros grandes armazens, reunii| todos os seus estabeleci-
mentos em um s anuncio, pelo qual o preco de um ser de todos, promette-
aios que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicada, aonunciar os gneros
por um preco, e na occasiiJo da compra quererem por outre, como socede constante-
mente em outras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar isto
iinda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
ajjto tam!>em servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela qual se ver os precos tal qual annunciarmos, o que seno arrepeoder pessoa
aiguma que fizer sua despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
MAXTEICA
Manteiga i gleza perfeitamente flor che-
gada ltimamente de 1,00oa l.too rs. a li-
bra, e em barril ter abatimento.
Manteiga franceza da safra nova a 8G0 rs.
a libra e em barril ter abatimento.
BANHA
Banha refinada superior a 6io rs. e em
barril ter abatimento.
311
Cha uxim de primeira e superior qualida-
Serveja
Superior serveja Ba?s dos melhores fa-
bricantes, como sejam: Shlers & Bell. T. F.
Ashe a 7,5oo e 7,ooo rs. a iuzia e a 7oors.
a garrafa. Tambem ha de outras marcas
como seja: Victoria e Alcope a 0,000 rs. a du-
zia e a 5oo rs. a garrafa.
Vinagre
Superior vinagre de Lisboa a %000 rs. a
caada e 280 rs. a garmfa. Tambem ha
mais baixo para 2oo rs. a garrafa e !,ioors.
de a 2,800 rs. a caada.
dem byssen o melhor neste genero a | A ^Pltf d0C6
2,6oo rs., e sendo em porclio ter abatimen-
to, tambem
9 h
ha proprio para negocio de 2 a Superior azeite doce de Lisboa a 61o rs. a
) rs. 1 libra. garrafa e a 5,000 rs; a caada.
dem preto superior de 1,80o a 2,5oo rs. Massas
a libra. MacarrSo e taliet im a 360 rs. a libra c a
Biacoutos i 5,000 rs. a caixa.
Latas com superior biscouto inglez de di- j Passas
versas marcas a t,2oo rs. a lata. Superiores passas a 3,000 o quarto e
Bolaehiuhas '< 12,5oo rs. a caixa de arroba hespanhola e a
Latas com bolachinlus da acreditada fa-|5oors. a libra,
brica do beato Antonio, pioprias para dar a
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata.
dem com quatro libras de bolachinha de'
soda a 2,ooo rs. a lata.
Queijos
Queijos flamencos ches^dos no ultimo
Genebra de laranja verdadeira a 10,000 a
, du/.ia e l.ooo rs. ao frasco.
Genebra de Hollanda verdadeira a 6,000
rs. aftasqueira e a 060 rs. o frasco.
Idom de Hollanda em botija- a 4oo rs. ca-
Offerecem a todos os convidados, do explendido baile do Club Pernambucano o
seu bello eescolbido sortimento defazendas deplnntasia, chegadas pelo Guienne, que
consta das seguinles especialidades.
Vestidos (esiilua
Linda e nova fazeuda de l-brilliant, transparente, com listas e flores de seda,
padres do ultimo gosto.
: t wmA
Em cortes padies novos. escuros e claros.
Em pecas moireantiquo liso ondeado e lavrado.
dem eslampado com listas e flores.
Tarlatana.
Resta nma diminuta porcao de cortes de tarlatana branca, enfeitados caprichosa-
mente a cores. Todos os amadores de partidas e soirs, bao comprado para suas fami-
lias estes vestidos, j pelo diminuto preco, ja pelo bonito gosto.
EXFEITES
A tmperatriz Eugenia e a rainha Victoria que adaptam com muita elegancia
ao kok. /
Jouvin k C.
Besentia-se o nosso mercado da falta absoluta das verdadeiras luvas de Jmivin.
Temos a satisfaco de poder annuncia-las a nossos freguezes pelo preco de 30000 p par.
E grande a economa vista da flexibil dade e bom acabado, que Ibes d cjupla
duracao sobre as falsificadas. i
Trfnta diversos objeetos \
Proprios para o complemento dos enfeites de vestido como berthes, costageo,
suspensorios, etc., gostos os mais phantasticos em dentelle preto e branco, tafet jte.
Mandam-se amostras-.
I> 'ademas e pentes de tartaruga. (
E a primeira vez que vem esta fazenda ao mercado. A pequea porcao qoe res
a convida as Exmas. senhoras a urna breve compra.
CINTOS
Com fivellas de madreperola gravadas, tartaruga, rectal, etc.
Chales de Al de eres.
Nova remessa. desles chales e retondes a duas e mais cores em xadrez Nada se
pode julgar do magnifico effeilo destes chales, sem experimentar ; as pessoas que os de-
sejarem mandaremos amostras.
E urna infinilade de fazendas de gosto, como sejam:
Chales de fil preto de 105000.
Os mais ricos vestidos para menino de 3 a 6 annos.
Colxas de croeg e pannos de labyrintho.
Tifo branco e fil de seda.
Superiores baloes de clina, recommendaveis pela longa duracao e bom talbo.
Tudo a
5 RA DO CRESPO 5
o
o
vapor a 2,5oo rs., tambem ha do vapor pas- a ums.
sado a 2,3oo rs. Garrafoes com 24 garrafas de genebra de
CHOCOLATE Hollanda a 8,000 rs. o garrjfao. Tambem;
Chocolate hespanbol a l.ooo e I,2oo rs.! Ba garrafoes com 5 e 14 garrafas de 3,2oo a!
a libra, francez e suisso a l.ooo rs. a libra' g 000 rS- cada Um.
e portuguez a 800 rs. a libra, em porcao
ter abatimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Velho Secco, Lagrimas do
Douro, Maria Pia, D. Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcus a 1,000 a garra-
fa e 9.000 a 12 000 rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3,000,
3,5oo e 4,000 rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 64o
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
anceretas de 8 e 9 caadas a 2i,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
Caixas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa e
"00 rs. agarrafa.
CAF2
Caf do Rio de 1.* e 2,* qualidade de
6,800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
SABIO
Sabo maca de primeira qualidade de 18o
a 22o rs. a libra e de 16o a 21o rs. sendo
em caix5o.
VELAS
Velas de spermacete a 61o rs. a libra,
dem de carnauba de lo a 12,ooors a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
PEIXE
Peixe em latas j preparado de l.ooo a
l,2oors. a lata
ALPISTA E PAINC0
Alpista e painco muito novo de 3,8oo a
4,000 rs. a arroba e de 14o e 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mais acreditados fabrican-
tes, como sejam: Joiio Furtado da Serrias,
Manoel Peixoto da Silva Netto, Castanho &
Filho e Brando e de outros muitos, os
quaes vendemos pelo mdico prego de I.600,
2, 2,8oo, 3,5oo, 4,5oo, e 5,ooo rs. a caixa.
lilcores
Licores francezes e portuguezes a l.ooo e
l,4oors. agarrafa ou frasco.
Doces
Doce da casca da goiaba e caixes pe-
queos a 7oo rs. e de 5o caixoes para cima
a 64o rs. o caix5o.
Frats
Frutas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pera, pecego, ameixa rainha Claudia, al
perche e outras frutas a 00 ti, a lata.
Tambera ha latas grandes para l,2oo rs. a
lata.
DE
. AZEVEDO FLORES
Ra da Cadeia do Recite, esquina da Madre de Deus.
Grande sorliraenlo de fazendas por atacado e a retalho, e uro completo sorm
menlo de rtipa fcita, decasemia edelrim, tudo por meuos qae e
outra qualquer parte: quem duvidar Tula ver.
CAICAS
de lindas e finissimas casemiras escuras e claras, de superior casemira preta, de finos
brins brancos e bom brim pardo.
Paletos
de superiores casemiras escuras e claras, de fina alpaka branca, de superior alpaka pre-
ta e de brim pardo.
Golletes
de boas casemiras pretas e de cores e de fino brim branco.
CAMISAS
Superiores camisas francezas de 2$ at " Cero illas.
Ceroulas de superior bramante de lino linho.
B.iles.
Superiores bales de arcos para meninas de 2 at 12 annos.
dem superiores para senhora.
lira va tas e mantas.
Superiores mantas para pescoco de bomem, as mais modernas do mercado.
.Hadapolo.
Madapolo bom a 8$, 9& 100 e 125.
Chapos de sol.
Superiores chapeos de sol de seda balito a 100.
Fraques de casemira.
Fraques de casemiras, preta, escura e de cores claras, e nao havendo que sirva
ao freguez manda-se fazer por medida e com muita promplido.
Todas estas fazendas por precos insignificantissimos, pois o fito do Balo ad-
quirir freguezes.
LOJA DO BALAO
DE
AZEVEDO tfc FLORES.

ARMAZEM E FAZENDAS
* .
DE
CUSTODIO CARVAIIIO
27 RA DO QUEIMADO N. 27
Madapolo francez muito fino, tendo pouco mofo, cada peca com 27 varas por
100000.
La de d-res a 300 rs. o covado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos orgaodis a preco de 800 rs a vara.
Lencos brancos para algibeira a 20' 00 a duzia.
Fin isperclaras a preco de 400, 440 a 560 rs. o covado.
Ricos cortes de la de barra de 103 a 300000.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.
Uvas pelo ultimo vapor.
Peras pelo ultimo vapor.
Macaas pelo ultimo vapor
Ameixas pelo nltimo vapor.
Passas pelo ultimo vapor.
Figos pelo ultimo vapor.
Fructas seccas pelo ultimo vapor.
Fructas em calda pelo ultimo vapor.
Nozes pelo ultimo vapor.
de ca-
que os
Queijos londrinos pelo ultimo vapor.
Queijos flamengos frescos pelo ultimo vapor.
Presunto fiambre pelo ullimo vapor.
Tudo se vende barato nos seguintes armazens:

2 Una do Imperador n. O, Verdadeiro Principal.
3fe Ra do Queimado n 7. l'niiio e Commerclo.
^ Largo do Carmo n. 9, Progressivo.
fc -?. vSflcr TSP' lielr W- ue^ lissu Cd?T ^3B^tS3r w Gr c^? ^ocT
RA DO RREH A. 38.
Atteodendo as numerosas occasioea em que tem suceedido aos sonlwres
genho o perderem grande parte de snas safras por infelicidaies imprevistas
deixam sem meio de completar as suas moagens; como raortes de animaes de roda, ar-
rmbamelos de acudes, levadas et;., o proprietu-io desta fabrica lembra aos ditos se-
nho'es a conveniencia, uestes casos, de fazer collocar urna machina de vapor, por isso
nao s aproveitando a safra existente e providenciando contra a reincidencia de taes
aconteciraentos, mas tambem introduzindo na sua industria um reconhecido melhora-
mento.
Portante annuncia que est prompto a garantir o assentamento das snas espe-
ciaos e mui acreditadas machinas de vapor, em estado de funocioaarem urna semana de-
pois da chegada das peca-; no engenbo. Estas machinas podem ser applicadas a moen-
das e meia-moendas j existentes ou pode se mandar com ellas moendas novas a vontade
do comprador. Ellas tem tanques oo depsitos d'agua e boeiros, todos de ferro, e n5o
pre:isam para sew ssentamenti do obra alguma, quer de carapina, quer ile alvenaria.
Estas machinas do tapor3o construidas especialmente para facilitar a conduc-
co, em prova de qu j se achatn assentadas em lugaTe OboJ se Jtgoa at entSo difli-
cilimo ou impossivel faza-Ias carregar.
Nocaso dedesmiQtelarem-se as rodas d'agua, Bf; serapre proanpto, rodas do
ferro qoe se assentam no mnimo tempo. J M
Nesta fabrica se acha todo e qualquer objeclo
v

\
m

mQ* ah


telarlo de pcrnniufcuco -Segunda fe!?a 11 de Dczcmbro de &$*.
0
OB
ESTABELEC1D0 A RA NOVA N. 60
vim & mm& w summum
AO
RESPEITAVEL lll!.5().
& aremelo dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
da Liga estaheieci jtaatm sna mih parte mandados vir directimente do estrangt iro"podem ser
i4<* por prefns asss rastra veis.
~m* fatuidad* de querer que este no\o e interessante estabelecimento seja o
e arnaco coa sea genero, pde-se porm Gancar, com toda a seguranca de qoe
o acedera no restricto camprimento das seguintes promessas :
1." Delicadeza no trato.
Fidelidade no peso.
3." Sinceridade nos presos.
A* pessoas foe por sua posico social gozara de certo tratamento, achnro nesta
aaalavaw qoetjos lonricos, cerveja, viudos fjnissimos mauteiga e cb sempre de
n juaikJadt. etc., etc.
MJtldu.
Af riles qoe sao pooco favorecidos da sorle farao mensalmente urna economa de
afregueiando-e nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man-
, etc., te de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao pen
!
Os eobces de (ora da cidade, dos arrebaldes oo centro, que comprara para ne-
fwar, deven vir, r*!o seo proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rn! 4a 4jnaaV> ae pede vender barato.
Pira as eafaar.-s que cooapram para tornar a vender existe um sortimento i spe-
caL.t9sti rwtrpeasoa entendida que certamen le muito deve agr Jar aos senhores
Nao se lean
poapado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agr-
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DLVIIEIRO A VISTA:
ALPrSTA a lftrs. a libra.
Ideaa e paea t oito libras para cima a
ftr&
de *0 rs.it libra a .......
mks, case'aulle, a 280 rs. a libra.
arcULa* a 2*0 rs. a libra.
la*- -.- traucezss em latas de ledo os ta-
a a rs. o aaolbo.
t 2JKK- a garrafa.
- do Beato Antao em latas
:
i 4 Principe Alberto a l NOO a lata, e
e caco rra rio a I *7<*).
tas*
Saaaaa de purao reamada.
e
mnr. 'LATE frabora a 00 rs. a libra.
*msm il|i libra,
de ijj a MMi a libra.
-. aaml<- novas a mk.i rs. a libra.
C*t 21" e Mi rs. a Hbra, e em por<>
arfar abaaMoaV*.
Uea de anean qtaalioade a 7.WO0 a r-
lala.
k eai frascos a 320 ra. cada um,
** nuat
Ghaixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
urna.

KIRSCH de Wasser a H a garrafa.
L
LATAS com grttxa a 80 rs. cada urna.
Letkia a 400 rs. a libra.

, MANTEIGA ktgleza e franceza de pnmeira
n-nes de todos os tamanhos. qualidade a 1-3, a libra.
bacetas de todos os tama- Mahvei.ada dos mais acreditados fabricantes.
IIacakui; e TAiHAitiMa 320 rs. a libra.
dem eaa Irascos de todos os tama- Massa de tomate a licO rs. a lata.
Mostabda iogleza a 800 rs. o frasco.
t priaaeira quaKdaic a 560 rs. Molho ingub de todas as qualidades.
Makhasouiso verdadeiro de Zara a.....
Mansas fiuas para sopa branca e amarella a
GO rs. a iibra, em caixas com 9 libras a
3*500.
Miliio psmeo e alpista, sendo mais de 8 li-
bras 100 rs.

NQZES a 120 rs. a libra.
' Nabos ern latas a 800 rs.
Utm .. em latas grandes z 2->000 e ft
^dd!SfJLi!*,*0G' ,-.. mmm aflatas e americanas.
ascorr.ff tagfcae? de todas a; qualidades a b p
Si i ~ IpMHffi em posta, latas Brandes, a lt00, de
tanncez ea caiiiLas s 00 rs. cada i e ,
todas as qualidades, como sejam savcl,
joras, corvina, pargo, stlmo, pescado e
ptactdioba, linguado, sardinha. etc., etc.,
I'kkas em latas, excellente prepaiago.
I Pajuna para denles a 120 rs. o maco muito
grande.
Pames em <\ arto a 15'tOO.
i dem muito novas a 400 rs. n libra.
I Pana a muito nova a 80 rs. a dazia.
afe
IQl'EUOS Jamengos.
lilern prado a 800 rs. a libra.
Mem suissos a OO rs. a libra.
Qcart:.nhas ou hounqoes a
R
RAPE' Meuron a 15 a libra.
Id;in Prioceza do Rio a 1-5200 a libra.
Mem francez a 25500 a libra.
m
vmntem
rrha'.i. et*-, 'te.
Cmc a !$**iadii7.is.
CoKvsik da aaBriaraarca Tenente a 5 a, eea d:izia se fai grana-
n.
'- ita h 11 c i" aam mmhk.
da? aaij. a-redidas marras, H>
dlLnaiia. t\si;5. ,
, inicias, Gua

Mn
us
. Ka. pardos, a 80 rs. o mac-
COM
SABAO masa a 460 rs. a libra, em caixa se
fiz aiatimento.
Sai. raftadoMl frascos a 500 rs.
Salame de Len a Vt>.
Sahdixka-s de Nantes de tod06 os fabricantes.
, Hetait. Miisi^ites, 't'em '^ Setubal em latas muito grandes a
tantas, rinN "2r,rs.
^^ Stkamna a lOOrs. o maco.
e Je iodos os 8*8* MMM novo a 400 rs.
alj'lar, {reto, e
ele, etc., a 23000,' TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
'**-'- | Tomis em latas a 600 rs.
iotas us MManbos de 120 ijXMtt azul e preta para escre^r.
de todas os taaaohos j du- V
aMt^*id^We5. VINHOSIM
de tUm s tananbos.
a I? i-1J300 rs. a garrafa. Principe Alberto, de 1831, a 3(5000 a gar-
rafa ; d vida aos velbos.
Veltio secco a t& a garrafa.
Lagrimas do bouro a 1^500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 2d a garrafa.
Ifcique aloe 15500.
Uiamisso a Id, 1*200 e 44500 a garrafa,
b. Luiz a id a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Selubal a 2d a gar-
rafa.
Carcavelos a 4d.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico Ti-
nto que se pode beber por dSo ter eoni-
posico alfloraa.
LanU'rne a 800 rs. a garrafa.
Bordeanx Medoc a 800 rs. a garrafa,
dem S. Julieo a 600, 800 e 15 agarrafa.
Absyntbo a 2d a garrafa.
Kirsch i 25 a garrafa.
Wermouth a 2-5, e a caixa a 185.
Bttter Maorer a Id a garrafa,
aajn mi deposito de 500 a Vinho figueira em ancoreta a 205.
k : .^- a? qaal e de todos us procos. canda.
brasileiros,
traacezes, etc. etc.
a 120 rs. a libra.
r*-a idara.
it%% Baj par?. Amj -4 io
Itan t> arartna a 1. M. 500 e 800 rs.
deeanare a rs. a libra.
4e mi latas a rs.
tama? aas *Mrs.
Mn4aaa3rMrs. alara.
alatasaldJMA
ITTK1CAO
* t> %v Cararo i Caaha'
n. r m fra
ftitMii t *cn* Orra
aJM. e iaaaibo
Canliraias.
Parea Porto vende cambraias lisas finas, pran-
4e -riMOio, a 3 al fid, ditas Victoria muilo
finas, com 10 varas a 64. 64500 e 74 : na roa da
aperaim n. 52, junto a padaria fanceza.
Fnrinh* 3^''''
Chp;ien aos eorpinhos de cambraia
Vendem-se corpiohos de cambraia com entre-
meim a 14 e 54, esli sn acabando : na Inja de
Paredes Forto. roa da Imderatric n. 52, poria lar-
ga, joa.0 a padaria franceza.
kQ PUBLICO
Hem o menor constran.
glmento se entregar o
Importe do genero que
nao agradar.
"!tl

#a preven da at^uintc
tabella para todo&, pc-
dendo asolm servir de h.-
e para o ajuste de cotia*
com os portadores.
IJBirlL'il
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o arco da Concele&o)
PARA BEM DE TODOS;
Senhore? ?nhoras, o aceio qne presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que todo a nrom f t-
M>eon que aero tratvix, mvida a urna visita ao mesmo, cortos de que sem duvida me darao a protecro'e nrefe & m'Pl
rra dos gneros que precsdrd.fl e quando no possam vir poderao mandar seus portadores, ainda que estes loian n n3 C-m"
i^ois serSo tifo bem servidos como se viessem pessoalmente, bavendo para com estes toda recommendacao afim dn ^oneoJPra^em'
Ira p?iie.
Manteiga ngleza especialmente escc Iluda a
l.ooo e 800 rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha liyssQ/i de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercadt a
2,8oo rs. a libra.
dem liysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e-2 li-
bras a l.Goors.
dem pretoo que se pode desejarneste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguigas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. i libra, serve
para temperar panella on paro fiambre.
Queijos do reino chegadoe neste ultimo-va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vettt a
i,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de soperior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato? 8oo rs. a libra, e mteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
FeijSo verde muito soperior a 640 rs. a lata.
Alelria, macarrao e talharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,ooo a caixa.
Massa para sopa : eslrelinha, pevide e rodi-
nha branca ou amarella a 64o rs.a libra e
3,5oo a caina com8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de 9 caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, ioo e 5oo rs. agarrafa, e em Canad
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente- Quali-
dade a 4oo e 5oors. a garrafa e em casa-
da a 3,000 e 3,5oo.
Vinlio branco pera missa em caixas de 1 da-
zia a 8,ooo e G8o rs. garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
lilVAL
StMll
Ra du tfctttaiado us. & e aa.
Conllna a vender todas as miuii!7;^ que ibaixc
declara por pregos adoiiraveis.
IfassM de palitos lixada para Benles a 100 rs.
EtfpenxM deiiioldurasooui:j~; ; |. ;;u g ,.;u.r-
lioiieis de uliadu pananaansa Iu0.
. Ditos dt couru .--uperiur fazeuda a \
frasca com suptiior lila rocha a rio rs.
Heiadas de Imiia ioxa iaia burdadi a 20 60
Caixas com 100 eavelopes, fallida (im a fiOO rs.
|Groia8 de peooi8 [Givcm de boies maMeaardJa itr.os a
e 640 rs.
Caixas com 50 novellos de lirl a >
Caixa? com superiores lretas ct i
Pe?aa de tila Lranca .la>lira n f I
Varaste ir;.iija de |a para mleii
4o r>.
Iiaralhos dourados superiores qoa
Novellos de linft'a com fOO jardas ;. ROrs
/.tos para ascaios de np hvBoa a fOOrs.
Parado bUoe> jai;, punto, rawnta rifM ISO ra
lesouras para cottuias tupo;. :
400 e l>.
Caixa? de pennas de cal!cir,(l :, f -, c.-: ) ,.
I I 000.
M-ssos rc-m soperk ret trarntos a 30 rs.
Pares de sjalos (fi Iranja t (apele a 510.
Caixas cfm superiores .-j-Ull.:-- 240 i>.
Libras de 13a surtidas de tenfias enti a 7000.
Caixas com soperiores>obreias "t- n assa a 40 rs.
hudinha> eomalOaetei iraDiiie. n cito superiem
a 20 rs.
ci POfin., u r He>rras de papel almaco i Z4C0 i : -"-; 0 r.
aai rennaao em frascos de vidro com tan a Escovas j ara ronpa, raieoda lea a 7E0 e 1J.
00 mesmo, a fioo rs. Donas t!e tesouras ?erveja branca das marcas mais acreditadas ,,600 r!' ,
que vem ao mercado i S2 K, I ? rT't bT (3,k" de caLo '"M -'uOC
a rorrf "ie'taa a >oo, 56o e (jo Iail.re.- muito fluf para criaiica a 240 rs.
b r
:II "r:
le ves lid
a 01
Ditas" e voilas para serhora a BO.
Frascos di'Agua Florida mdadeira a l289.
i rasco? rom superior baol a a 240 e SCO it.
dem de superior oleo babosa a 820 r>.
C:,ixa- com larrjarrrs rara .1 nie?s a 40rs.
Varas de babado (ti 1 'olo a 80 > 14' rs.
Caltas de allioeles fianeeiea a 100 rs.
liros Delicioe > i". "-^"""".' *"~ I Qoad,'rn, s dl' Papel eflni no a 20 rs.
a 11 n a 4j000' 4'5o' 8.000,Grvalas de cflres.fsiendasuierior, a 5Wr
i'a|iei> rip afc-ulhas, rondo dontode. a 60.
Cevadinha de Franca muionova, a 2oors.
cnarutos do aflamado fabricante Jos Forta-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposicao Normal de llevara, Imperiaes,
Londrinos, 6oaDalrapeg;Parisienses, Sus-
6,ooo e 7,00o a caixa ou em n ei
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flfii do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intei valles,Vencedores
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5co e
3,ooo a caixa.
12,ooo e lo.ooo a caixa com 1 duzia e9oo,
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinbo Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo r&. os quartos e
64o rs. as metes latas.
Bolacbinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinbas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartoes com bolo francez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Copos lapidados para agua a o.ooo e 5,oo jPassas muito novas em caixinhas enfeitadas
rs. a duzia. para mimo a 3,ooo rs.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.; Passas de carnada a 8,ooo a caixa e loo rs.
a duzia. a libra.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo, Figos de comadre a 24o rs. a libra.
l,ooo e l,2oo rs. a libra. ; Amendoas de casca mole a 4oo rs. a ibra.
Espermacete superior a Goo e 64o rs. a li- Milo de amendoas a 5oo rs.
bra e em caixa se faz abatimento. Bolaehinhn d'agua e sal, da fabrica de Joao
Peixe em posta em latas hermticamente la- de Brito.no Beato Antonio, em'ata de 6 li-
cradas e das melhores qualidades de pei-' bras por 2,5oo rs.
xe a 8no, l,ooo e l,2oo rs. Ameixas francez s em f:asco de Viflro com
Vinho Bordeanx das marcas mais acredita- lampa do mesmo, a 1#5oo.
das que vem ao nosso mercado a T.ooo e Ameixas franc zas em caixinhas de diversos
S,ooo a caixa e 64o e 7oo ris a gar- tamanhos com bonitas estn pas na ca-
do Dotiro, Duque do Porto, Rainha de Por- 0;nac ingle/ das melJ.oie* marras a Kooe
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1,'Madei- ij2oo a garrafa
raSecca, Mahazia fina a 16,ooo, !5,ooo, Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
Baaajaanajai >;
mu mm
Attencao.
Ausenlou-se na ocote de domingo 3 d
rente miz, a escrava Rosana, crioula,. idade l
amos, pouco mais ou rienos, tro, o* figna*se-
euinies: bastante baiza, abeUos eabralbad
lem os denles da frente aliados e h un> arruina-
dos, fei^oes miudas, ps pequen com os d
prande afa-iados dos ouirns, levdu restido de la
de quadros de varias cores, rbaiea encarnado ue
barra bstanle usaiio: suspeil^ -. ;. o ude iuupa>
na roa, muilo conhecida por vender tang
nalural de Cabaceira, sospeita-s* p-tar acollada
por alguem : roga-.-e portanto as aud ridades :oii-
ciaes e eapilaea de campe cu ooira qoalquer
pessoa que a apreender leve a ra d- Sao la llilla
n. 72, que ser bem recompensado; ^-sim tumo
protesia-se contra qoem a liveroccu I ...
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte.excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cenlo e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa mnito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a (-"o rs. a libra.
Bolacbinlia Alberto, a melhore aue nrP.i,ernipdeO|">'1a,o mole(|ue :e none Viente,
sentementetem vindo ao mercada X&lffl*^SF^f
a lata.
Farinha do Maranho muitc alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,Soo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muilo proprias para
mimo, a i,6oo, 2,6oo e 3,oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portugoez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 6oo e 8oors. a garrafa.
Acha-se fgido de eofenbo Puroo ti.; r.a
tai-
cor
enos.
roga-se as autoridades pohfiaes, cap'tSes de cam-
po cu qui-m o pepar leva-lu no indicado en&nhc
cima ou na Ponte de cho, niio do tallecido
Henn Gibsuneno Becifooa ra da Cadeia o. 24,
que si r reccrnpi usado.
tm. ^ 180
JS a ,, n a ,o k. I xa ,esterior.a Lo-., l,6oo, 1,8oo e 2,ooo: AzeitonVs pVtuguwas'a 5oo rs. a carrafa e
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de cada urna. [ 5oo da urna ancoreta
Azeitedocerefinado,hespanho,0uporuguez champagne damelbor quaidade que vem
ao mercado, a 2,oon e 3,5oo a garrafa, e
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa.
e 64o rs. o frasco. I Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo
Genebra de laranja verdadeira em frascos o gigo com 3 grandes a l.ooo e 11,ooors. a frasqueira. Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. a li- 8,5oo a duzia.
bra e S.rioo rs. a arroba. Vassouras de escova para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li- 4oo rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. Notes muito novas a iGo rs. a libra.
Arroz do Maranho rs. a libra e 2,8oo a arroba. j do mesmo, a IGo rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a-Mostarda ngleza dos melhores fabricantes,
arroba. I a 8oo rs. o frasco,
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
Painco'e alpista a 14o rs. a libra e l,oooa LenufhsVrancSas', excellente legume Mnl^^fto^iw^VciMS **"*
arr*a; VAA .. L sPa' a -00,rs; a ,ihra- Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs a
Massa -le tomates^ superior qualidade a 64o Marrasqnao de Zara propnamente dito a e640rs agarrafa
rs. a lata de urna libra c 56o rs. a reta- 10 ;, garrafa o i! ,ooo a duzia.
Iho. :Palitos de dente a lo rs. o maco.
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos em sextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs. a du/.ia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confortadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8o
rs.
l"upio no dia 4 do roirenie ntez de dezembre
a.- 6 lioras <& maolia, o ttraxo J< ao, ei
eslura baix;i, ro preta um lamo fula, pouea baria
mais espesa na ptnia du qi eixo, i' i i luir.a
(usa de pedreiro; esteesVMrvo, fi i d' fan :!i:! de
Sr. Crdeal da ra da l'i&ia. foi TtBdidu | ai a um
iiipeulio de onde voJtuU para l-sia : .: : f u < li: c
(upar leve a roa da Courordia u. 8 ;-!.:.<_. qi!
se (ratifliar rom ginfrisidade.

\U

A
Vinagre branco j engarrafado
garrafa.
caada
a 5oo rs. a
a>3-a3 = oo-i '-: o c o=
liS.||foi
(O

.1
14CHMASDEPA1EN1
*le trafoafhar a nro psr
descarolar algodSro
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C9
OLDll
SKT

Estas machina:
,, rfct^^ podemdescaroga:
'" -r^^ic?.-qaalquer especit

Tasso Irmaofi
Vendes no sen arnazem rna 4o
Amorim n. 35,
Licor fino Curasao em botijas e meias botijas.
Licores Onoe sonidos em garrafas com rolbasde
vidro e em lindos fraseos.
Vinhos Cieres.
Saoleroes.
Chambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatei.
Remo.
Bordeanx.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagaiol.
O castello d^ Grasville.
Tradude de franeei por A. J. C. a Crac.
ii.de algodao sen:
j estragar o fio
"" sendo basianif
_^ duaspessoaspari
otrabaiho; pod<
desea rocar ums
arroba de algo-
dao em earoct
em 40 minutos,
ou 18 arroba*
por dia ou 5 ar-
robas de algodc
limpo.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que deacarogam 8 arrobas de algodat,
limpo, por dia; e motores para mover nina dua<
euires dessas machinas.
Os mesmos tem para vender am bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machina
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a viiem ver e examina-lo, no arma-
rem de algodao, ao largo da ponte aova b.47.
SaunJers Brolhers i C.
IV. II, prava RECIFE.
Os u?icos agentes neste paiz.
ira
Pede-se a todas as autoridades pollciaes, on ..
qnem quer que o encentre,apprehendirim c ;;ito
escravo simia) que se 3(ha bqiidvde.-deo dia 27
do passadt, sendo os sene signaesis fepninbs :
estatura regular, n.agio, cabellos eni ai&pu haoS t
curtos, falla de denles n frente, e alguma cousa
gago, eoslamand usar jaqoela i arda \ o de
feltro. E>se prelo esteve per muito iem aliaga
dono armazem commercial dos Si, enrker iv
Barrozo,a roa da Cruz n. G2. II m ofaiicasde
une diio e&cravose terrha refugiado para ^. cidade
de Olinda ou Af'gados. Protesta-se conira quem
bonver acontado d'iio escravo. A pesM a iue o ap-
prehender leven ra da C deia i asa \u ;.', u a
casa ie delencio, caudj u'is.-o aviso n'aquela pri
nicira casa.
Ilecife. I..le dezembro de 1863.
en

um cabriole! americano dequairo rodas para duas
pessoas, um nutro para quatro pessoas, ambos
com arreios, oovos e elegantes, por pr$o cmico
do : na rna da Punie Velha n. 8.
Vndese um cylindro, urna masseira, urna
balanca grande e urna dita pequea, com lodos os
pesos e mais ulencilis de padaria : a tralar na
roa Direita n. 24.
Hom e barato
Manleiga ingleza flor a \> a libra, franceza a
840, arroz do MaranhSo a 160 rs., painco a ISO,
i amendoas a 240, caf do Rio bom a 240, vinho da
Vende-se este bello romance em quatr I Figueira a 400 rs. a garrafa, e 33 a caada, Lis-
tomos pelo baratissimo prego de 30OX boa a 3B0 a garrafa, e 556OO a caada, azeite doce
na tirar* da In/lenendenria. livraria na a 60ts. a garrafa, vinagre de Lisboa a 20 w. a
Framcisco Jos Germano
RA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de ocnlos, luneros, binculos, do ul-
timo emais apurado goslo da Europa e ocu-
los de alcance para ibservaces e para os
martimos.
No armazem de tazendas
baratas de Santos Coelho
Ra do Qurlmado 11. 19.
Vende-se o seguinte :
Cobertas de ehita fina a 2^800.
Ditas de dita a 2400.
Lenc es de panno de lindo a 2200.
Ditos de dito de linho a i'o.
Ditos de bramante de linho de um so panno
33J00.
Panno de linho fino com 9 l|2 palmes de largu-
ra pelo barato preco de 25400 a vara.
Bramante de linho fino com 10 palmos de lar-
gura a 25300 a vara.
Pecas de cambraia com salpico brancos
cores com 8 l|2 varas a 15500.
Pecas de eambraia adamascada propria
cortinado de cama com 20 vasas a I i-3.
Balee-- da arcos a 2a00,35. 35300 e h$.
Lencos de cambraia fina a 2j600 a duzia.
Ditos de dita a 25 a duzia.
Atboalhado de lleno fino a 25800 a vara,
Dito de algodao a 25 a vara.
Algodao entestado com 7 L2 palmos de largura
a 15200 a vara.
Pi cas de breanha de rolo com 10 varas propria
para sa,a a 35300.
Fil de linbo liso fino a 800 r?. a vara.
Dito de dito com salpicos a 15 a vara.
Cambraia de linho fina a 45500, 6*500 e 95'a
vara.
Cortee de laazinha de lindos gostos com 18 co
vados a 55.
Pede se a ledas autoridades policii c: 1 o |Ci :..
quer que o encontr pprebendafl 1 j 10 r-s< rai
lenlo,que se acba fgidodesd odia 23 1
sado,sendo 6S seus signaes egoinles
regular,secco, desdcciado, no anda camlaJei.
um pouco c< m as pcrnis, tem una man .. d a m-
ma amiga no rostj e oolra em cima ai homb
nss costas e ras D3de;;s tem marcas de
lambem antigs, c de naeao, represtnla ici 10 an
nos de idade, fuma cigarro c vive sembr I ciado,
traja camisa de eslopa ja rota, um tundo de cha-
ceo de palha um panno dentro que strve de rodi-
ili?, nsa de gai bar na ra e despejo de barril, ;in
da m ra publicamenie dizendo que e.-i pagando
seniana, a pessoa que apprelitnder leve-o no jnn-
cipio da la do Corredor do Bispo, na sexia casa
nova dn Amoiim, que- seta bim recompensado.
e de
para
Esciava iigida.
No dia 20 de novembro fogio a crioula Vieencia
comprada aos Srs. Ges & Bastos, cuja preta era
do Sr. Manoel Salvador dos Anjos, da comarca do
Bonito, porm a eserava dizia que era de Barrei-
ros ; reprsenla vinte e tantos annes de idade, sita.
feia, rosto redondo, testa curta, ps grandes, per-
nas tinas, um pouco umbiguda, -nariz Brollo mal
felo. levou roupo de chita cor t niel e chale pe-
queo, ludo ja usado : roga-se as autoridades po-
liciaes de Bonito ou Bezerros a captuia da ria es-
crava, ou por onde fer encontrada, assimc.mc
prolestase contra quem a tiver oceultado. Grati-
ficare bem a quem a irouser a' ra Direita nu
mero 45.
GratificCo de 5UJ.
Ausentou'se da casa 39 da roa do tmpen lof
(outr'ora Collegio) no sabbado 16 do rorrente mex
de setembrode 1865, o escravo pardo de neme Joa-
quim, com os signaes seguintes : estatura regular,
idade 18 a 20 annos, sem barba, ps largos, olhos'
grandes, cabello corrido, com una cicatriz grande
e bem visivel na testa, parle dos denles da freut6
arruinados, e com falta de alguns dos lados, sahio
com calca de brlth pardo e paletot curio de parinc,
mas levou mais roopa branca e de efir, muitc
astucioso, costoma intitular-se forro e andar cal-
cado ; fol escravo do Sr. Guilherme Frederico de
Souza Carvalho.igenrodo finado Sr commendador
Mano-I Goncalves da Silva : rogase a sua capior?
a todas as autoridades pollciaes e a qoalquer ca-
aitao de campo on outra pessoa particular que o
apprehender se gralifirar com 805, alm das des-
pezas de conduccao, eniregando-o a seu .-enhor
Miguel Jos Alves, na casa aclm, ou no seu 'es-
Pe{as d madapolao finissimo pelo baratissimo "iptorio na_rna da Crui casa n. 19._________
preco de 85, 95,105 e i l&. N0 dia 20 de selembro prximo passade fo-
Hanella branca fina a 600 rs. o cova'do. gio do engenbo Terra-prea, doabaixo a>ignado, o
Dita de ocres lina a 880 n. o covado. escravo Juliu, crioulo, de altura regular, grosso.
Balees de musselina para minina a 35, 35500 de 30anuos de idade,poura barba, tem os des hem
aa praca da Independencia, livraria ns.
6e6.
Vende-se um sobrado de dous andaras no
Iairrode Santo Antonio, o qaal rende para mais
de 1.-1005, e urna casa terrea no batrro da Bo
garrafa, e 15500 a caada, queijos do ultimo vapor
a 2a300 : na ra das Cruzes n. 24, esquiua 4a
travessa do Oovidor.
e45
Cambraia de forro a 35 a peca.
Dita fina a 45300, 65 e 7t a pe,ca.
Guardanapos de linho a 35800 a duzia.
Toalhasde algodao felpudas duzia a \%.
Esleir da India propria para forro de sala
4, S e 6 palmos de largura por menes preco
Em casa de Phipns Brothers & C, rna do
Vigario n. >, vendem-se cofres de ferr, freva qe que em ourra qualquef parte!
Vista : a tratar com ageate Olympfo era MR arm I fogo, dos afamado' abricaotes Milcer & Son, de! Neste armazem tarobem se encontra om crande comnen'sa'dfT
zem na roa da Cadeia do Recife n. 34. Liverpool. j sortimento de roupa eita e por medida. 1
feitos e pernas, muito fallante, at se faz rouco,
tem o dedo polegar de urna mao cabido para den-
1 tro, anda com orna carta fechada.-do lente coto-
i nel Amaro Gomes da Cunha, apadrinhanoV -o, noa-
, ca foi surrado'esle escravo, foi ha multo cempradu
de a Rocha Lima e Guimares : quem o pegar levo ao
do mesmo engenbo ou no Recife a' ra da Roda a*
Alexandre Correia da C. Jnior, qne sera bem te-

Alexandre Correia de Castro.


i.. _^n__r


Diarlo de rernambueo Segunda felfa 11 de Dezembro de !..
tEaAiai.
tu Min ra 4* burro
iujreiaiii fie 4oa i
ijt Marte.
. aaaoe rniaii ni si l'ii'H '.
C I aBABBBT *e5 < le aa
. iajm r ti r:~- --( -f *"=-
Jar- .-?* ItaaeAa efetna MMMH,
% mane*, aan r-.--vr r-.i- l'i" <
a rm>-< matara y "* l ***<.*% e r-*-p>-
T # eme* pata**. .taTam H
c --a- i*r* Aa praam, ae knu b-aia os
t% > aaaai* ei e*i*a rc~4i4o a reco-
rme. e mm a aaat* ktvii -< o a>ea*a-
i mi a >* m Canta*, aurariduia e raer!
U grtutmt Ae ea ** a sam.iii ca>
*..* m piar, mi has jaau a mi*, auavez
*. gnest tan topmti.** imu> fal-
-. :
\ *ae raaa* harta awtiao a toz naacoei:
; e>!:
\v ie as*aM?- erjei-me 4a campa Wh
D.;ei-o, suiidoesluar da> nones.
Que o lago abrilhaotoo desses amores
Das auras ao passar,
E vos, oh madre-silvas resrendeotes,
A' M:i>iua desse amar-----
Durmamos, sonhadores desla vida I
Alera as phamasiasquaudo a morte
S m |uem ira o veo___
Durmamos que esta vida cioia, nada,
j- suinos Ja meule nao atliugem,
aaaner o mh-m tol...
a Pcaiu.
Batoja o meu crce de imagens ternas
Pela estrada aul da morle em ancii,
E os snhos ronce bem-a (anegando
Glida a virgem mora de constancia.
Li vai ramnih.j alora <>>a esperanza
Ue un Mjiiho !! macc.-Uo ao sol da vida
A' sesta Jos. amores-----
Nao choreto que da infamia desiigou-se,
Soitou se as vis cadas que a preadiam
!>. uus entes de pallres I...
Ueixem na levar a morte aos devaneos
Do; Mjuiiai.-. da campa--alia era um anjo
E um anjo de Ueus
Foi livre scsi-irarviva aos lcs
Dos capricho.- ferreiilios du egosmo
Do mundo. .. ah I nao, dos seus I..
.o *ias pela ara Sigamos nunlia musa aquellas sombras,
acampanhjJo desias c.nt inos a canco desses amores
SMrtMi mb ce-matara. ute I Levemos meo corcel a patria della,
......... l>a norte amortecida a? tristes flores.
ea via !
: porque peregnoas as-
aea cfc-e a, m be .a sab's quan-
..-uaa eaa reaWaees as alais aaa porejam
,..n f*Ues o angue as cioalnze^
o aio caraia la ligeiraiae .te i\ dar, fue nao
, le: ae aao se esrae ao peito, em
, j -auJ* le, que as dilacera o intimo de
ai m fie se aao togrou Portanio, esquiva
tneea 4ar-le4e publico os one> do per-onagein
rautei> la* ootros que c >o;uro.
E aan sombra dsenbada feNa ka miar iraa-
aaaaaajk, ous sombra de um anjo, que tremen na
r m um rrlampago ni co nebuloso de
Doote Je inverao....
<.-a hi<:-ra de<*a ingenua creatnra, qu
iusv>ron a primaira saudade > ao Lamarii-
i..- SsaMH dt leitura os >eus amores 1 Nao rao
' as peonas aquella innorfii.-n angeliral ?
lia iarm tu anuos e as Ja vmu.J de sua al
in* enternecida e pura, ao sopro do veuto das pai
na Ktsan de urna vidaa vida sobre o leilo
e n leilo o g io eterno ?....
A shia foi a mesma da viso, qne animo ao so-
Ha comrado um suspirar menos conforme
Esperantos.
Un namo-nos da vida I tudo mente
(A. DV. AZEVSDO.)
l'm lago era essa vida, a flor o barco
ai sopr) dos amores, sola a vella,
As aguas deslisava
0 lerae era a paixo, cerleiro rumo
Ao polo de urna estrella ia, corra,
O pomo demandava.
Scismava ella lalve<, a virgnn sania,
A popa do batel, na luz Ja aurora,
Ao sonho eseandeiida
Erguera alguna vez., quera sabe, a fronte
E crente da ventura o co filara
De amor emlievecida.
Collada I nem pensava a lyrannia
Daquelies vis pirata?, caprichosos,
Que o barco acompanhavain
Nem via de ioBOcencia o trama infame,
Das selvticas gentes, raais distante,
Que a preza se ensaiavam I
ni Joer mus palpitante, horrite(' por noite de luar passava a frota
me<1au no peit i 1esta, e e o que suloca a idea san. |):)s amorosos sdnhos da dmzela,
n um balsamo, o ether a" as- |-m vento os transportava ameno e doce
neta a' -audata, que e?torceu-se a patria onde morreo, de amor a Eslella.
rvjirio do ;iu pello de donzella, Jo mestre e
li:n]te E la i.esse proscenio ao leito antigo
............. Os sonho, iam, delta, reponsar,
,; 'lie chamoi-o as- f>o veo, se revo>tirem. dessa morte
mefhor fllw/.. rnai- a rfado Intitu- ^ c,5rp0 (je:,?e ;m;or ja |uz, tornar.
r##t(b i b ttlMho. V v -- (Talpirarfam -m vl"P'il angelical pureza d'alma,
-ftnmeiMBfe. HWttironrul. hfltffcrN fa: ( |uelle suspirar terno e n)nKoado.
I'.......l" H Kram Je seU peit .--:no e>forco
-, nene*, 'fc.^^^wWIWr'eTBIlfflBHo l
v -ir-, * IgMfe -;> y.v,.,.. ,,ri..,.,., .. ,,.rn.
^B*a^ra'varalTTe "^tSN TflNSJSIfc, V ,.
... ^ ^%o
yi*o "H>>*"JW^tS. tUfr >! f*r>, *J|MnN*JPT4* j
^^^W^^ ^^B^^ ^*a^^Sp ^^ff?ai^aY^>
.ae a. aav^ac-v a*e- ea^wa,
**;*? 4av^aa* > \aja\*>v
I
Mi.
v ,>oa *?,>.-*
deca,
n
i-* > e aaa
4 *> t.Wv,
V- f'^i-*irY
r"*:' *A;Trnry;''pirnr?.
/ajaa>*> %'. ^W^WstW^
aaaag-* '< >: aaa, %,^ tBb^i
Vijrtia*. .?
aHavmaV i- \anBmhy
laara^.va, aa* *****>'?**'
auna v *? aaaa h\s *r a-^
.^ mae aaa% WIHH% *> lu hru a-v i miau >a
E k plaVaMs.aaaaj
1.
-
awa^aflaj ao mysasva) "f*s saMavross
s >- aaaaale i ~
I> eaeicsai
IV viijiaa carnean;
C iaao cata I malii o e*o ^acilK,
a aa a aa caana laNaajmwii
< abras o aaaw^i tos ajwr?s
T- -h >ss* lat aammiti 7
,<* ian\- >T%aaBa,
HwiKai.w. a a* ^ xiM^aa
*<** aaaaao % r- ai a^ai
K aaa aa aviaar a* Kan-.- M
Assaa weae *** 1 K* I fniaa
l>* saaf< 'najH*iai> t a*ei awfi.
! aaairaajas ?aa waajaaaa
A ;-rtaaa.-*a> hraei(aa> aww.
nrme iris*- a ..aaHkle an sea Ma.
. i es>raaa, aa ew uraa
Sn alma a> paT *aa> *>
> a> *iaas ami aaan aaa sm*4a
I
aliaiiiaiaaiiill
Amar I aaa a>sa>v a^aem t. saa,
Vjaa ^rw a> asf*nmcN araa 4-t-rti.
Oaaiaa-<>ai'>ereaa>a)Te .bssaa eaer*
*m rafao a* ahstaaa aV> uVa fwrfe*.
as^ aa wH>* mea*H|a,
fv rM> a> t*bb^s ^aameasi,
a? am>si \ aMi laatatai > a. aa pastal 1
A eaa, *aaajajaj||m, a "M*- *iaa Wl sai* aie aaaa *ap faa^ai
taamai^ a %*m*> u ra*maerrav'
tvaawa. <** assa av% -a* ama
wiwtsnia>aawi>


atajaa a *tta*
a> ajaaa aiaattr
% ajmap\, i
1 am. m saima,. < a \
aaataw
14NVHf%, wWW^ ^W
.a<
E qaanas orarie* amvum
Pariirio ease saaato me i
ai anatas aa
as,aeroB,
Jaaaaaai
iaMaf.41
f Morrer do desengao em flor anda 1
1 Eu, pobre sonhadora de enturas,
De auroras e luar,
! Morrer quando a ternura, em luz inunda,
! Expande a claridade as altaras
Do cu de meo amar !
E quando, em mioha mente, um doce enleio
Palpita, de minh'alma, as sensac5es,
E o cn desta vida inda se tinge
Das nveos dos enlevos as canches I
Esperanzas do rea porque fagistes
Meus sonhares febris da mocidade I...
E siulo que nao boia a tantas magoas
Nem mais urna amorosa auciedade !...
Vedaram-lhe.a passagem qoando, ardente,
Em ancias de ebegar ao termo sanio,
Abria, livre, a brisa dos amores.
A vella do batel de seu encanto.
Eslreito era o canal, as aguas bafxas,
Por onde ia o batel sulcando a flor,
O da era j liado, a noite ergueu-se
E nem a loa veioao seo clamor t
Quebrou-se pelo espago um som strideota
Instantes j depois do sol morrer,
O batel n'um rochedo abalroara,
Do egosmo na encosta foi bater.
Ouvio-se algoos gemidos sonorosos,
Com o genio da noite, em solido,
Saodosos como a brisa, em seus adejos,
Bebendo esse exbalar, q'as flores do.
Seutio-se de repente urna plbagem
Nos murmurios lentos ao batel...
Por noite de pavor corra a scena,
Da infammante crueidade, no tropel.
Era a virgem que dpse contorca
De partirem de si as esperanzas,
Aos arrechos fataes da mo do inferno,
Da Insidia e perverso dessas provancas.
Forraram na a descer, pelas escadas,
Ao fundo no poro do seu batel,
L derara-lhe urna essencia envenenada,
Qoe inunda de amargor, do seio, o mel.
Vedaram-lhe o painel da natoreza,
Armaram sobre o leito urna toldinha,
Em trapos de mizeria a descansaram,
Suffocaram-lhe a alma innocentinba.
Escutem-na no leito almas, vazias
De um tomo de luz,
Escutem-na no leito, aos devaneos,
De envolta co'a croz.
E vos que dardejais pela espessora
Dos sonlios virginaes,
Mirai-vos nestas aguas de temara,
Ao val dos laranjaes !...
IV
no r.Kiro.
Adeus, amores, adeus
A. ile Azevedo.
Unze horas I da noite o cu torvo...
Paluda, convulsa, e as mos unidas
Ao arqoejante seio, os olhos, langues,
Quebrados dainsomnia, os labios trmulos,
V. ao cu do eolio solas as madeixas,
L nr is, ao desalraho das roopagens ,
Comtnd.i a sanctuano. ao ''u da mente
P*arece inda animar-i- um ryrio eterno '
A'qu ir mig 'a'l e lento,
a-,,v.. a>, 1,
a nam %mm i^- aaNM* alMap
A ata aa aia4 aaaaaaa ataia
""* Wi^" wm *^^( law MbW W^tP>*,
a MK H| f|S W* pf %Vi'
fvnv m* f>. m ai aa a*t
luaVo
-*wa.ima
^l ^^^^A Mr^^Wi' rWI^I
Wfc ^IWW VftMM Mala^Wa,
^^^r^aj^aa^ a** ^^^W t^^Vij^^^.
* wfc wPaW^ MH^P a^TW,
<^a #>aaa maaa a ama n
Ma Mal \ *> a
aaamrava*a>a-
?^B pkWFPa, WB Mv WP*
.*,.
T*^ ^J aPj VPPVV MaMrB*.
"*C
...........-
De noiva urna capella a fronte adornem
Da virgem dos pallres.
- Nao qoero, sobre a louza, ama saudade
Desfolhem meu> algozes,
' Nem o silencio do leito me perturbe
0 treno dessas voxes.
Deixem-me dormir, tranquilla e paluda,
O somno da innocencia,
Eobora ao leito fro dos amores
Deposta em podre essencia t
Nem lagrimas de irmaa por mim ou prece
Sussurrem u'amplido,
So quero aquelle pranto ensaoguentado
0 delie, e a cancao.
Deixem-no ebegar-se ao p do leito,
Ao meaos nesse instante,
Por Deus t o veo de morte Ihe suspendam
Da ooiva e inste amante.
E eu serei feliz sentindo um beijo
A morte acarinhar,
Voando ao co depois, esperancosa,
Por elle a Dos rogar.
E qoando a aurora vinha despontaodo,
E as nevoas do co se affugentavam
Dos raios do horisouie espavoridas,
E do occidente as auras se largando
Saudades murmuraren) pareca,
Aos cos, por toda parte, ao mar, a trra,
Ao bosque, ao prado, a relva, as espessuras
E a tudo em tiraa Deus e ao mundo,
O leito, em que soohara a bella, em ida,
1 As fiares mais olentes da existencia.
Era um vacuo silente e sem sentido,
Nem raals aquella sombra all se va
Da triste creatura I
1
Depois bobrava um sino e nessa igreja
IA eca levantada ao seio august,
O povo, que as exequias assislia,
Saudoso murmurava ao mudo espaco :
Morreu de muito amor, por ser constante ;
Urna alma semelhante a Deus pertence t
Mundo sem razo, poema infame,
De infinitas miserias collorido 1
Essa onda de p, que em ti rebrame,
Que praia beijar nesse aliando 1
Ser essa em que vive o genio aereo
Da descrenca infernal no que ha roais santo,
Ou nessa em que adormece, ao sol da vida,
0 alheu das tradicoes sem f no pranto ?
So resta agora a' lousa esta inscripcao :
Aqoi jaz..., 1 virgem que oasceu
I Aos......... e oa assencao,
Aos...........dos sonbos falleceu,
E na desolafo
Deixando on coracao
l'm spuro onocente cerno o seu !...
Pede-se oraco !
Lycurgo Jote letifiques de Paira.
11 porjr.i) 08 tcdo.
Apenas Pi IX tornou a achar-se no raeio dos
seus subditos, depois dasua enjigracao para Gaet,
se dediom a sanar os males que a sua ausencia ti-
nha occasimado. ._ ^^^^^A
Concedeu-se a toda a igreja urna indulgencia
pleoaria em forma de juliil. u ; a tuda a igreja uni-
versal que o tinha sustenta lo ora as jsuas cons-
tante- oraces no raeio las amarguras Jo desterro.
Igualmente conceJeu u na amnista to ampia
com 1 o permittiam a- eir 1 epoea, a
idos.. |^BBj*m)J
liorna urna 'nis3 ^ '
nvj
< Mu bera tendes feito de esperar em Deus. El-
le nao abandona nanea a piedade filial; tambera
tendes obrado bera em esperar era Pi IX, elle vela
sobre vos e vossa mi, e nao raorrereis de fome.
Intil sera advenir que isto nao foi ama promes-
sa va; o mysterioso agente que tinha levado a
carta se deixoa ver de quando em qoando, e sem-
pre deixava como reeorJacio da sua visita o soccor-
ro da caridade do venerando Po IX.
V
A gratido tem sido urna das virtudes mais no-
ta veis de Po IX.
Sendo joven missIona-ionoGhil, voltava de Val-
paraso para Lima, quando foi sorprendido por
Dina tormenta t.r-nanha, qoe de ce rio teria feito
naufragar o navio, a nao ter passado por all, nos
momentos de maior perigo, urna barca dirigida por
cerlo preto mui praiico, chamado Bak, o qual co-
nhecendo o perigo do navio, abirdou a elle e podo,
nao sem grande irabalho pd lo no pequeo porto de
Anca.
No dia seguinte Po IX, ento o missionario Mas-
tai, se apreseniou ua ..Cabana de Bako, e Ihe deu
como prova do seu agradecimento urna bolea com
400 piastras.
Sendo papa, lembrouse do seu liemfeitor ; e en-
viuu ao pobre negro Biko urna somma igual a pri-
meira, juntamente com o seu retrato.
Felizmente, o preto tioha sabido empregar bem
as primeiras 400 piastras, e tinha chegado a ser
rico, de mu lo que quando receben as segundas fez
construir urna capella, perlo do sitio era que tinha
salvado a vida ao agraJecido pontfice, e nelia col-
locou o seu retrato.
Poderamos anda a estes factos juntar outros,
que raostram a bondade da alma do papa, qne os
revolucionarios incansavelmente perseguera.
SLECIA
Este disenrso foi o proferido pelo rei Carlos XV,
na occasio da abertura da dieta sueca:
Grave? iuteresses e deveres qne impSem urna al-
ta resposabiliJade, vos chamara a esta sesso. Pos-
sao Todo Poderoso, cuja divina proteceao acaba-
mos de implorar no templo, presidir aos vossos tra-
balhos, e fazer com que etles resultem no bem da
patria.
Nao podemos deixar de reconhecer com grati-
do a fortuna de que tem continuado a gosar, sem
inlerrupcao, a casa real e o povo sueco.
A unio de meu irraao, o duque de Dalecarlie,
com a priucezi dauobre casa de Saxe-Alterabourg,
e o nascimenlo do meu sobrinho o duque de N'eri-
cia, constitoem um augmento feliz da familia real.
No meio das diversas phases, e sempre assasta-
dora d'estes ul'imis auuos, tem nos constante
mente regosijado dos beneficios da paz, e as rainhas
relac3es cora todas as potencias estrangeiras con-
servara o carcter de amisade e de confianza.
A saiisfag.io publica que distinguiu a cehbrago
da festa semi-circular da uniao da Suecia e da No
ruega, eslendendo-se aos dois lados dos montes.
prova que as ligacoes que uera os povos innos,
se apenara cada vei mais; a coramissao de suecos
e norueguezes noraeada por mira para conhecer
dos raeios de inlroduzir melhoraraentos no pacto
da uoiio, emprehendeu ja os seus trabaihos.
Aosso priraeiro dever sera' prononciarvos defi-
nitivaraeuie, depois de un cousciencioso exame,
acerca dt adopcao da raiulia proposta para orna re-
forma da representago nacional.
Pedir a urna represeotaco existente, que renun-
cia, cora plena liberJade de aeco e Je vontade,aos
seus di re tos, para allribuir a outros a gloriosa ta-
refa de serra os manJitariis do paiz, depositar
urna giande conflanga no sju patriotismo. Faco
pjis una elevada idea Jos -enliraentos de que as
(aes au mados, enunciando a esperanca que leuho
de que aceitareis ess | era cuja adopcao
ima nova .^rantia Jo progresso social.
Em consequ-ncia das ri-sulncues lomadas
estados gep p n occasiio Ja sua ultima reuma ,
. .a!, i inarilim
Esta obra de futuro engrandece todos os das,
tanto era importancia como em extenco.
O numero dos discpulos das escolas superiores
tem qoasi duplicado no decurso dos ltimos an-
uos ; temse Intruduzido melhoraraentos tantos
n'este ponto, como no metbodo de eosino.
Uoi-os meas exforcos aos vossos para realisar
cada vez mais a grande idea da iastrucco prima-
ria geral.
Tenho a peitoespalhar entre os povos urna edu-
cacao solida e intelligente, e ampliar estes benefi-
cios at as classes meos felizes.
Instituices aperleicoadas forneceram tambera
memores ineos de desenvolvimento para a indus-
tria 11 icioual, collocandoa era base mais equitati-
va e mais conforme cora os interesses da socieda-
de, o que uao poderla acontecer cora leis restricti-
vas, e cora um systeraa de restriccao oneroso.
Com a maior contlanca cont cora a vossa coo-
peracao para que as nossas industrias indgenas
sejam animadas; e com o propo-ito de prefazer o
conhecimento d'estes progres-os a todos os ramos,
resolv que no prximo vero haja urna exposico
geral dos producios d'arle, da Industria da Sue-
cia, e dos paizes visinhos, devendo verificar-se na
capital.
Aj peias que desde pocas remotas existan) en-
tre dos na circulagao, tem successivamente cessa-
do, por meio de multiplicados trabaihos que ten-
dera a facilitar, em lodos os sentidos, as communi-
cacoes entre as ditlerentes parles do paiz.
Os nossos caminhos de ferro teera tomado nraa
extenco, que, em presenca da populaco da Sue-
cia edos seus recursos fioaoeeiros, podem compa-
rarse aes que se lera executa do nos paizes mais
neos e mais populosos.
Depois de haver operado a junecao dos dois ma-
res, e de nos aproximarmos do grande conliraente
europeo, pens que convem concentrar as nossas
forras na ultima.vio das vas frreas que teera por
lim reunir as capilaes dos dois reinos unidos afim
de aproximar arada mais os povos i raaos.
Na couforraidade das disposices da lei funda-
mental, declaro aberta a presente sesso, assegu-
rando-vos, senhores, a mtnha real benevolencia.
Leraos em nma revista de Paris que era ama das
ultimas noites entrou orna pobre muiher cora urna
cnanemha nos bracos na Maison Dort e se cne-
gou para urna mesa onde estavam varios paluscos
a devorar os mais saborosos manjares.
lima esmola peio amor de Deas, disse a iu-
feliz, dirigiado-se a ara dos elegantes gastrnomos.
Tenha paciencia, respondeu elle; s tenho
coraigo moedas de 100 frs. Se voc tem troco...
E fazendo esta declaraco, olhava sornndo para
a pobre muiher, quando um sojeito que estava em
urna mesa immediata se levantou, deu a pobre tres
luizes e disse-lhe :
Agora pode dar troco quelle senhor.
O elegante para nao se arriscar a apupos, nio
te/e outro remedio se nao dar a pobre outro luiz
sem pedir troco.
A pobre reurou-se, portauto, com 80 francos, ou
28J800, gragas a pelulaucia de um homem e ca-
ridade de outro.
O Tribuno Popular, de Coimbra, nota o seguinte
que transcripto pelo Correio Paulistitno .
Era paiz alguiu se tazem por menos prego que
era o nosso as publicar-Oes nos jornaes, diz o Dia-
rio dt Hotieias, por sso as eraprezas jornalsticas
tao pouco prosperara.
Exibtremoa algnns exemplos :
U Xord, de llnuellas, leva por cada liana de
anauncio 1,'Ois.- cada liona de recommenda
io0 rs. cada liaba de noticias de coasas de iote-
parcular 700 rs.
A InJependance lxle : annuocios por llnh.
rs,; notii
pan Ilotas o ;'
liuha Je auuoi ^ -

X2TM
H



- Hawai a, ama
a*ffi a m a

_____
- aaaaa. 4NNa, ,*'!
BBBJ
*mmm*~> **++*** m^mBm* + m
pm ****** m ttadta. aaa,
mmmm*\-
^m*m*wmmmm


pmaa^aaya, araama-, ^
*ym*mmmm*immmmmmm
t m ptmmm f Ma aa>>iaaam ma aaammj Ummjamj mrrrrr--- aarn aaa a^Mai
a.amjaatanmaammm%T tmmm Ma fT mmm~mmBmSSSmmm
^ajj^lmw 4am^|^Bh tjffaW l|^aajaiamaaaa>aa>
*+9^mmm*p*mmm+pmEmmtl m i t^.^^ !
+ %mm ...aaa aamam^aaadatat, aa m^aa m
atfaaa ISmm >
at^fjftMWh. tmm m tmmJCmlm. mm + mimm*
am.aa.am
?*aa mata
aaa aa> aa aa. ma* a aa
ajamaApaaja^AaVMaX >

*>
mmjf ^^^^^ aaam maaa *.a> am> *m ava
^ fafJaB^Ba Ma^ftfJBpJjBj Af. fjaflaxB VLta VkM IMaW t^HxS I ^ataaajka- jaMmmj m\ JBte ^aaamaajBkaiama. _
aaaaa mm^mm. f i^*m f. amm > mm. 1 ama ama a aa? mmaam.
Ama. aAAAaaaa 9M aamjaBaa aav a. aaa Aaxtatata. aa am aami aa)am>aa>xta aaab aaa .. ^ ^_
a\aajMa ai ra ra aaaaaia axaiaanBaai aa mf**i,W**>l**mwtmBimMmtmmw mm taaaaa. a> aaaat aAbaa-

a
lula.'
ss^sse.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EWOW76M9N_I4EPHL INGEST_TIME 2013-08-27T22:12:32Z PACKAGE AA00011611_10840
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES