Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10839


This item is only available as the following downloads:


Full Text

amo m muo m
Por qoartel pago dentro de iOdiasdo 4. mei ; t i 5|000
dem depoia dos i.0110 das docomecoe dentro do qnartel. # 6)000
Pore ao eorreio por tres ne/es ,*........ i 7>0

ENGARREGADOS DA SUBSCRIPQAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alex?odrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva ; Araraty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; l'ar. os Srs. Geraldo Antonio Al ves fi
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claodino Falco Das; Bahia, o
Sr. Jos Martins Al ves; liio de Jaueiro, 9 Sr. Jos
Riheiro Gasparinho.
SBBADO 9 D DEZEHBRO DE ME.
Por ano pago dentro deludas do l. mez ,,,.,, 19$00l
Porte ao eorreio por uib auno ..,.,,..,...,, 3009
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Gabo, Escada e estacos da via frrea at
Agoa Treta, todos os das.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Grvala, Hezsrros, Bonito, Garuar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Beuto, Rom
Gonselho. Aguas Reliase iacaral, as lergas
feiras.
Pao d'Alho, N'azareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Gabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio e Ext, as quartas
feiras.
Serinbem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta Plmenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENGIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal rio commercio : segundas e quintas.
Relacao: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas as II horas.
Dito de orphos : tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tergas sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a 1
hura da tarde.
EPHEMER1DES DO MEZ DE DEZEMBRO.
2 La ebeia as 4 h., 24 m. e 45 s. da t
9 Quarto ming. as 9 h., 53 m. e 28 s. da t.
18 La nova as 2 b_lo m. e 34 s. da m.
24 Quarto cresc. as 10 h., 11 m. a 22 s. da m.
DAS DA SEMANA.
4. Segunda. Barbara v. m.; S. Osmnndo.
5. Terca. S. Pedro Chrysnli.go b.; S. Geraido are
6. Quarta. S. Nicolao b.; S. Leoncia m.
7. Quinta. S. Ambn sio b. doot. da egr.
8. Sexta, cja A Immai'iilada ConcelcSo de Mara.
9. Sabbado. S. Leocadia v. m.; s. Gorgooia v.
10. Domingo. S. Melehiades p. m. ; S. Gemello m.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 9 horas e 18 m. da manhaa.
Segunda as 9 boras e 42 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o ral at Alagoas a 14 e 30; para o
ata a Granja a 7 e 23 de cada mez; para Fernan-
do nos das 14 dos nezes de Janeiro, marco, mi,
jolho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
noRecife, nalivraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Hanoel Pigaeiroa de
Faria & Filho.
Os Srs. assignantes desle Diaria, que
se acham era debito das respectivas assig-
tiattiras, queiram mandar realisar o paga-
mento deltas; e aquellos que moram fura
tiesta cidade, tenliam a bondade de dar avi-
so de quaes sejam aqu os seus correspon-
dentes, afimde ser solicitado e_-se pagamen-
to dos mesraos, a quem dao ordein para
isto, visto como alguns pretextan! a falta
$
ARTE 9FFKAL
C01IAND0 DAS ARIAS.
Quarlel general do eorainauilo das armas 'le Per-
naniliuco ua cidade do lecife, 7 de dezcinbnr
de 186a.
Ordem do da n. 169.
O marechal de campo commandante das armas,
faz certo a guarnigo pira que i-nha devido effei-
to, os sagulutes actos da presidencia :
I." Por portara de i do currante nomeou para
servirem em comraissfto no lerceiro corpo de vo-
luntnos da patria, o Srs. offlciaes constantes d.i
relacao transcripta. ( Vide Mario nuuicK 281.)
2.u mandou na data de hontem eliminar do se-
gundo batalho destacado para o servios da guer-
r.i, conforme requereu o Sr. alferes Marcelino Jos
Ribeiro ; e dispensar do mesmo servico o Sr. alfe-
res do batalho n. 36 do municipio do Brelo, Jlo
Gongalves d'Araujo, que sobre ser viuvo, verea-
dor da cmara municipal d'aquede municipio.
3.' ManJou por offlcio de do correle, que pe-
lo quarlel general se lizesse significar ao Sr. co-
ronel commandante do referido lerceiro corpo de
voluntarios da patria e a sua oflcialidade, a satis-
facao que teve de presenciar o luzunento e garbo
militar com que o mesmo eorpo se apresentou na
parada do dia 2 deste m-z, por occasio do anni-
versario natalicio de Sua Magestade o Impera
dur.
O mesmo marechal de campo cumprin lo esta
deliberago da presidencia, manifesla pela sua par-
te ao referido Sr. coronel igual satisface', pi-rque
esta convencido que ao sen ?lo c decidido inters
se que toma pela disciplina e bon arranjo do cor-
po cojo nominando Ihe foi confiado, se deve o esta-
do lisongeiro que foi presenciado, e aproveita a
oppertunidade para declarar que a guarda nacio-
nal que arrumou u'aquelle dia, se louve pelo seu
asseio e galhardia, de modo a deixar satisfeita a
expectativa do commandante das armas, i|ue aos
Srs. coronel commandante snperi r interino, com-
mandantes de corpos, otliciaes, e em geral a todas
as pracas tributa os devidos louvjres.
(Assignado.) Francisco Sergio d'OHjeira.
Esta conforme.Antonio Francisco Uarte, 2.
ieneute-ajudante de ordens interino eucarregado
do detalhe.
8
Ordem do dia n. 170.
Em execucao as ordens da presidencia, embar-
cam no dia 9 do corrate para a corle o 3o corpo
de voluntarios da patria organisado ecommaudado
pelo Sr. coronel Francisco Joaquim Pereira L>bo,
e a elle addiJa a i' companhia do 2 batalho da
guarda nacional destacada para o servico d guer
ra que anda se acha em organlsago nesta pro-
vincia.
Se aos voluntarios do 3o corpo nao coube a honra
e a gloria de coneorrr para que fosse expedido
do solo da patria em Uroguayana, o audaz estran
geiro, que o poiluio, se lambem nao cooperaram
para o fazer evacuar uo u-ta lo argentino em Cor-
rientes, reservada Ihes esta a trela nao menos
gloriosa, iju-; hi de procura-l i no seu proprio terri-
torio, bate-lo e castiga lo em desaffronta a honra e
dignidade nacional ulfeu lid;i~.
A provincia, de Pernamiuco enviando esta por-
?ao de seus ios para a guerra, satisfaz um dever
sagrado, e tjm o dlretto de esperar que eiles nao
olvidarao as obrisaeoes que exponianeameote con-
trahiram, tornando-se pelos seus actos na campa-
nha, dignos em los de s-ms ante-passados, e da-
quelies de seus cjmpalriotas tus no presente tem
j conquistado por seos feuos de brivura e huma-
nidade, um lugar deslindo nos annaes da patria.
E' para o marechal de campo commandante das
armas grato declarar, que o 3* corpo de volunta-
ri >s aqu organisado, procedeu de modo satisfacto-
rio, que o seu digno commandante e briosa offlria-
lidade, se esforcaram por inculir-lhe a disciplina
e ordem que o destingue, e qu i sao o mais seguro
penhordos importantes servicos que tem a prestar
no theatro da guerra.
Sigam, pois, para o seu destino, e aceitem as
saudosis despedidas do mesmo marechal, que a
toaos deseja prospera viagem.
fAssigna lo).Francisco Sergio d'Olieeira.
Esta conforme. Antonio Francisco Duar/, 2*
tenenle ajudanle de ordens interino eucarregado
do detalhe.
.
EXTERIOR.
C031HKS3)\IKA1I AS 10 A
RIO E PEBS.13IIJCO
LISBOA.
13 de novembro de ibGo.
O Corriere Italiano de Flor-mea, diz o segua-
te a respello ilos reaes viajantes, lie 26 de ootubro:
Pojemos afflrmar que o principe Napoleo e sua
esposa partirlo para a Suissa, sem vlrem a Fio-
renca.
t'o rei e a raiuha d Portugal nao iro a Flo-
rela aulesde 20 de novembro; nao assistiroa
abertura das cmaras.
O jornal intitulado A'/u, publicou a seguiote pro-
lamacaodo syn-licode Torio:
t UoBCidadaos, hoje a nossa cidade regosijar-se-
ha com presenca de SS. MM. D. Luiz e D. Mara
l'ia de Portugal, que ho de apear-se na e?tac.io de
Porta Noova, as qualro horas da larde, para >n di-
rigirn ao palacio real.
a A guarda nacional e as tropas de linha forma-
rao alas ua prac,a Garlo Felice, ao longo da ra
Nuova e na prai;a Casiello, por onde ha de pasear
o cortejo real. A cmara municipal, ira receber o
chefe desse povo com o qual no glorificamos de
tera mesma origem. o mesmo culto da librdade e
o mesmo affecto pelo solo natal, e saudara nov.i-
inente cora jubilo aquella que, ja ha Ires anuos, faz
bnlhar as virtudes da casa dos seus anlepassados
sobre o llirono da Lusitania. Concidadaos, uni-vos
tambera aos representantes de-ie municipio, e dai
um puolico testeraunho de. respeito aos augustos
hospedes que pertencem a ]um povo amigo e que
eslo unidos pelos vnculos do sangue quelle que
recebe da uaco italiana o supremo tributo de res-
peito e obediencia.O syndico.Boro.
A Gazea del Poplo annunciava nos seguinles
termos a chegada a Turim de SS. MM. D. Luiz e
D. Maria Pa:
< Desde a estaco do camiuho deJ>rro de Porta
Nuova al ao palacio real, as ras t. :*m em-
bandeirads e ornadas as janellas com pann is de
damasc s de cores variegada. Na praja Ca-iello
erguiam se mastros, no cimo dos quaes tremulavam
bandeiras nacionaes.
c A guarda nacional tinha sido chaqjada s ar-
mas, s dnas horas da tarde; e posto que este ap-
pello fosse inesperado, ella accorn-u em crescido
numero e tomou posicio na praija ("arlo Felice,
Gorso del R, ra :\zza at a gare. Meando urna
parte junto ao palacio real.
As tropas da gnarnicio lormavam alas ao lon-
go do raminho que o cortejo devia seguir. Na pra-
ca Casteilo formava os bersaglieri, e lodo o regi-
ment de cavad ira Saluzzo. Na ra Noova, os re-
gimentos de infamara 63 e 66;|unto a Porta Nuo-
va os regimeotos 17 e 18, o 2o de artilharia, os ca-
rabineros e os alumnos militares.
A's quatro in ponto, um liro de pega annun-
cou a chegada do comboyo real.
Achavam-se na estaco o principo Humberto,
com um numeroso e lirados e-tado-raaior, o pre-
feito, a cmara muuicipal, e muitos'outros perso-
nagensde distiocco.
O aeolhimento fui esplendido e cordeal._
t Gomo ja se linha anuunciad a recepgao fez-
se com grande gala. Para se dirigirrm a palacio os
soberanos de Portugal subiram n'u.o coche de
| grande gal, que n'outros tampos figaroa em oc
casioes extraordinarias, e particularmente (se bem
nos lembra) no> dias de gala antes de 18t.
A ranina Maria Pa oceupava o luaar de hon-
1 ra e tiuha nos bragos o seu joven filho. O rei esta-
; va assentado sua esrjuerda. O principe Humber-
to tomava assento em frente de SS. Mil. O coche
real, precedido segundo o costme pelos batedores
e por outro coche de gala, era seguido pelo nume
i roso estado malor do principe Humberto, por um
numeroso e sumptuoso sequilo de carruagens da
corte, do municipio, etc. ele.
Fechava o coi tejo um esqoadro de cavallaria.
t .Na passagem do cortejo, as bandas mames
tocaram a marcha real e o hymno portuguez, fa-
zeudo coro a populaco com vivas e palmas.
Junto ao palacio, as honras da recepcao foiam
feitas pelo principe Napoleo e princeza Clotilde ;
e em seguida, na presenca destes augustos perso-
nagens reunidos na grande pineda le saccada, teve
lugar a passagem em continencia de urna parte da
: guarda nacional e das tropas da guaroicao.
A' noite, gracas aos cuidados da cmara mu-
nicipal, illuminaram se varios pontos da cidade, e
especialmente a praea Gastello e Via Nuova.
Em honra de SS. MM. Lusitanas, no domingo
29 de oulubro, represeniar-se-ha no theatro Rigo-
leto.
No dia 26, teve lugar no pago em Turra, um
esplendido jeotar, ao qual assisllram, alm de toda
a familia real, com o seu numeroso squito de da-
mas e ravalleiros, as autoridades civis e militares.
Todos os aposentos do real palacio estavam Ilu-
minados giorno.
L se no Corriere MertantiU de Genova de 6 de
oulubro:
Esta manha, s 10 h ira, parlio para Turin
S. A. R. o principe O ldme, para as.-istir rec-p-
go 'ios soberanos de Portugal do principe Napo-
leo e da princeza Clotilde.
Diz o Nonl de Bruxellas que a viagem dos so-
beranos porluguezes sera" menos longa do que se
suppoe, que punco se demoraro em Paris, e que
em Londres nao se demoraro mais de tima se-
mana; e que ahandonaram a idea de urna viagem
a' Au.-lria e a Roma.
Assevera-se que o consdlv de ministros que
houve no dia 30 do passado lora por causa da
discussi das bases do novo trtalo de commercio
com a Hespanha. Asseveram outros que o assomp-
to versava sobre negocios com a curia. Nao admi-
ra que esta ultima versu seja conforme com a ver-
dade, pois nossos ministros ern Londres e Roma, duque de
Sil lauha e conde de bavradio e Sr. cardeal patnar-
cna. O carcter dos personagens chamados a dis-
cutir indicara que o negocio internacional e rea-
tivamenle a negocios com liorna.
As Ilustres lamas que formam parle da as-
sociacao escolar de D. Pedro resolvern! decom-
mnm aceordo apresenlar-se nos actos da associa-
tao com vestuario preto e gravatiuhas. E' este um
meio digno de ser imitado pelas damas, e assim
segoirera o exemplo daqnellas que la' forateem le-
vntalo e cimentado o principio da singeleza no
facto e a completa ausencia dos adornos. As damas
da associago escolar D. Pedro V do um bello
exemplo a's classes menos abastadas.
Chegou no dia 31 de oulubro do Rio de Ja-
neiro de passagem a bordo do vapor inglez lerschel,
S. A. o duque de Heocoo, lilho prim genito do du-
que de Nemours e da princeza Victoria de Saxe
Gobourg Gotha.
8. A. hospedou-se no hotel de Rrastanga; e, se-
cundo consta, tencioua demorar-se algum (empo
em Portugal.
Na iioite de 31 de oulubro umi selecta e es-
colinda sociedade se reuni as salas do gremio
popular, solemnizando as-ira o anniversario da fu-
dacAo desta til iustituigo.
Dpois de se terem distribuido os premios aos
alumnos da escola primaria, lomaran) a palavra o
Sr. Silva e Albuquerque, llibeiro Gongalves, Re-
bello da Silva Trrelo.
Ao acia comparecern sele alumnos vestidos a
expensas do gremio.
A sessao esteve concorriila tanto de senhoras co-
mo do cavad iros. Na factura dos actoS muito
cooc.orreu para elles se poderem levar, a ellelto, o
Sr. Marcos de Souza Azeveda, que se prestou gra-
luilameute a tal servigo.
Foram uomeado: socios de meiilo da acade-
mia real de bellas artes, S. A. o Sr. infante D. Se-
bastio, os Srs. lUmbois e Cinnati, Antonio F. da
Fonseca e Jo- Rodrigues.
Falla-se vagamente em alguraas reformas tri-
bufaras : Diz se que sera' extincto o real d'ayua
e sua importancia addieionada a' cootribuigo pre-
dial. Gom elfeilo, houra seja feita aogovernoque
acaba coin um tal veame, que em Lisboa nao se
aprecia, mas que nis provincias immenso.
Uiz-se lambem que se restabelecera' o imposto
do con>umo sobre o sal, e lambem que o imposto
do pescado seria abolido. Todas estas reformas se-
ro de certo bem recebidas, por vantajosas.
No dia 1 do correte, arribou a Brdeos a
corveta de vapor S da Bandeira, com avada.
Ilavia saludo do dia 27 de oulubro, mas nao po-
de vencer a bahia de Riscaia, onde lem reinado
muito raa'u lempo.
No da 21 do mez passado, pelas 11 horas da
manhaa, chegou a Angra o vapor Leal, levando a
seu bordo o general commandante da decima di
viso militar, o Sr. Duarle Jos Fava, que logo des-
embarcou, e juntamente oulros olllciaes :
O batalho de cagaderos 10 achava-se postado no
pateo da alfandega para fazer a continencia mili-
tar. O Cdsledo de S. Joo Baptista salvou, segundo
o cosiume, e depois das formalidades devidas, S.
Exc dirig) se ao (|uartel general, junto ao local
de sua re?ldencia.
O banco Lusitano comecou a funecionar no
da 15 do crreme mez:
Esta' estabelecido em Lisboa, no seu edificio da
ra Nova de El-rei n. 8o, e a caixa filial do Porto
na ra de Bellomonle n. 32.
a direegao convidou os accionistas a fazer urna
eutrada de 20 por cento, que deve realisar-se at o
dia 30 desle mez.
O ministro americano general YVebb chegou
a Lisboa no vapor Oneida.
Um acontecimento deploravel perturbou as
religiosas alegras da festa de Todos os Santos na
villa de Casteilo de Vide, na provincia do Alem-
tejo.
.Va manhaa do da l* do crreme, appareceu s
portas d *Uia,ura terrivel inimigo, que encheu
de pavor a popfacjlo.
O digno administrador do concedi mandou logo
tocar rebatsw sino da cmara; e lodosos habi-
tantes saturara lar o assnltante.
Era este um enorme lobo esfaimado, e damnado
que j navia mordido graado numero de rracio-
naes, e diversas pessoas.
O animal, perseguido, fugio para os campos, de
onde viera, e nao foi posslvel por muito tempo ai-
canearan no os tiros e as pedras que sobre elle se
dirigiam I
Um valoroso lavrador que em companliia de ou-
tros andava trabalhaiWo, correu sobre a be.-ta fera,
e a rasgou as navalhadas I
No hospital estavam seis pessoas mordidas, e em
perigo de vida, e fra delle se curarara alguraas
outras, cujos ferimenlos eram de menor gravi-
dade.
Chegou depois um cabreiro moilo ferido, e havia
noticia de outras pessoas que foram mordidas nos
campos.
Nao ha memoria de um caso assim naquella
povoaco.
Ha anuos appareceu all um lobo damnado mas
uao fez laes estragos.
Se nao fosse ovlente lavrador que prat.cou um
acto de verdadero herosmo, maiores seriam os
estragos, e as degragas I
Vai eslabelecer-se urna carreira a vapor de
Goa para Itombaim todas as quartas-feiras, e para
Cochim todos os domingos.
O prego da passagem de 43 rupias na primeira
classe e 8 na terceira.
O Sr. Lisboa de Aragao (India) acabou de
construir urna espagosa capella no bairroSoc.ul
Iwad-d daquella freguezia, e quer olferec-la aos
moradores do bairro, com todos os vassos agrados
e paramentos necessarios.
Publicou-se em Margiio (India) um almanach
lilterario para 1866, de que autor o Sr. A. J. Pre-
derico Gongalves de Figueiredo, e a comediaO
doits seductores logrados, do Sr. Garlos Pedro
Rarahono da Cosa.
Em Pouna (India) comegou a publicar-se um
peridico intituladoO Patriota, que se destina
a advogar os interesses porluguezes na ludia
logleza.
E' escripto parle em portuguez, e porm quanto
sai hebdomadariamente.
Publicou-se urna portara pelo ministerio das
obras publicas recommendando aos engenheiro* do
lango da estrada comprehendido entre Breliandes
e Lamego e ao da estrada directa de S Pedro do
Sul, por Lamego, ao uouro, em frente da Regoa,
que enviem cora a possivel brevidade quelle mi-
nisterio os estudos de que eslo encarregados,
para serem examinados, e proceder-se con?truc-
go das ditas estradas.
Foi concedido por lempo Ilimitado a Antonio
Martins Henriques, a propriedade da mina de anti
monlo de Monle-Alto, freguezia do Govello, conce-
Iho de Gondomar, districto do Porto.
Abrio-se subscripeo para um numero limi-
tado de accSes da companhia de minerago de
esUnho na nossa provincia de Froz os Montes.
Todas as informagoes que ha sobre esta irapreza
sao as mais favoraveis, e inleressantes; e as con-
digoes do terreno, as mais satisfatorias e prove-
tosas.
Ha agua em prximas ribeiras para a lavagem,
e abunda o combustivel, com a circomstancia de
que sendo as minas na raa de Hespanha, com boa
estrada macadamisa la para o prximo carainbo de
f-rro de Samora, pode a exportaco ser barata
pelos portos daqnelle palz,em quanto nao livermos
a communicacSo daquella provincia, como a lleve-
mos ler.
No dia 30 do mez passado, as 2 horas e
nieia da larde, celebrou-se m groja parochial da
Encarnagao o consorcio do visconde de Balsemo
com a lidia dos inan|ne-s de Penalva.
Assistiram ao acto itperosisslmos convidados,
pan-mes e amigos das familias dos nobentes.
Casamento, no Chiado, e a tal hora, reuni na
igreja muitos curiosos, como era de esperar.
Depois da ceremonia oupciai houve lunch em
casa do pai da noiva, partindo depois os noivos
para a Uoa-Tagein, lugar prximo a Belm.
O Sr. Frederico Perry Vidal, auctor da me-
llior planta geographica de Portugal, que se conhe-
ce, acaba de publicar urna segunda edigao da sua
planta topographica da cidade do Porto, correcta e
augmentada, j com o palacio de crystal, e di-
versos melhoramentos posteriores a 18'i.
O Sr. Perry Vidal, tera mostrado a competencia
que possae na especialidade.
Xo dia 9 do mez passado, attrahiram a
attenco o publico, em S. Joo da Foz, as expe-
riencias de liro, e de remo, ordenadas pela com-
misao administrativa do estibeleciment de salva
vidas, debaixo da direegao do ajuJaute do inten-
dente de mariuha, o Ia lente Crespo.
Estiveram presentes o overuador civil, presi-
dente da comrolsso; e os vegaes os Srs. Eduardo
Mosir, e Jos d'Amortm Braga.
As primeiras experiencias foram com a pequea
peca de bronze, que arremessou o pelouro, com o
respectivo cabo, a urna distancia de 100 a 110
metros.
Collocou-se depois entre o Cabedelloe o hospital
unidos barcos salva-vidas para servir de balisa.
Fizeram-se enlaodiversos tiros cornos fogueloes,
que deram rosultados satisfactorios tanto em rea
cao a ponlaria, como a sua elevaco, percorrendo
urna distancia de 180 a 200 metros, que se eu-
saiarara.
Depois foram feitos tiros com dotis obuzes, que
deram resultados pe- feitos, era lodos os sentidos,
levando os cabos a grandes distancias, e boa di-
reega).
Nao se perdeu um nico projelil, e conheceu se
a grande utilidad dos meos que all exbtem para
se eslabelecer um cabo de vae-vem, para algum
navio que naufrague.
Os dous salva-vidas, que j pela manhaa 3 ha-
viam felo ao largo, tornarara a investir com o
mar, que eslava bastante picado; notando se so
pouca uniformidade no remar do barco maior.
O Valente indo de encontr a arrebentagao do
mar prximo de Felgueiras, pareca que se sub-
mergia no vade de montanhas d'agus, e surga
outra vez, sem o menor cusi d'enlre as serras.
O bafeo maior nao menos valente, mas seus
tripulantes pareciam menos andares, lalvez porque
anda nao conhegam bem suas ptimas quali-
dades.
A continuago das experiencias, que judiciosa-
meole resolveu a coramissao que fossem feilas
peridicamente na estago propria, Ihes dar a
conlianga de que anda carecem.
Acabaram as 3 horas, com geral satsfago dos
circunstantes, que davam louvores aos raembros
da commisso que to zelosos compriara seus de-
veres.
Diz-se que a cmara mani,,ipal de Lisboa vai
fazer um grande cano de despejo desde o Beato
Antonio at Pedrougos, onde desembocar, evitan-
do assim que os.ctuaes canos que vo desembocar
no rio em lodos os pontos da cidade.
In-talou-se a grande commisso que deve
promover a remessa dos producios portugus para
a exposico universal de Pariz de 1867.
Ha poucos das o sarg-nto de infamara n. 7
de guarda a casa da moeda, suicidou se destechan-
do contra si a espingarda.
A carga fez voar em pedaeos o crneo do pobre
militar.
Tinha 23 annos de idade e chamava-se Thomaz
Peres.
O governo lem celebrado conferencias para a
elaborado c cgnclU'J de um tral ido entre Pofla-
Hl e a Hespanha sobre commnnicacoes fluviaes, e
pelos canutillos de ferro.
Tem este tratado por fim conceder o transito
livre e sent dedireitos pelos dous paizes as mer-
cadorias de qoalqoer precedencia.
Trata-se tambera de celebrar um trstado de
commercio entre Portugal e a Franca, sendo o en-
carroado das negiciagoes ovi>conde de Paiva.
Consta que o governo vai apresentar as cama-
ras uma convencilo lelegraplnca pela qual se dimi-
nuem consderavelmente em diversas oacoes as
clara que considera um grande perigo p*ra a liber-
daile, e para o imperio austraco, o movimento de
ideas que recentemente se tem manifestado ua Hun-
gra.
Os jornaes hngaros dizem com a maior energa
que a Hungra pactuou com a Austria, mas nao se
submetten a esta potencia. Diz-se que o partido
moderado na Hungra esta reselvido a exigir ani-
meacao de um ministro e uma adminislragao inde-
pendente.
O governo austraco que para sua seguranca de-
1 gumento civil. E.-ta carta dirigida ao ministro do
: reino, produzra sencacao.
i A familia real conservava-se em Italia. O rei-
nante passava sem novidade em Lisboa.
tazas telegr.piucas redozindoas a uma laxa com- posiura tanta conlianga na Hungra, comeca j a
j mam, lando por unidade o franco. ver surgir d'aquella parle do imperio nwas com-
yaCTii.M.i.M,, ......|,...........mu,M plicagdes, promovidas pelo espirito qe sempre tem
, : manti'lo aquedes povos.
DIARIO DE PERNAMBUCO. LzSShITfrt^TMn^a'-
__________________________________________ i le recon>tiimdo. o conde Frys de Frysemburgo
i foi o encarregado de formar o novo gabinete. Os
Pelo vapor inglez Amazon, chegado sabbado de j homens que compde o novo gabinete nao tm um
. Liverpool, recebemos cartas e jornaes de Lisboa grande carcter poltico : pertencem quasi todos ao
at 16 do passado. uelies colhemos o que segu : partido dos proprietarios ruraes. O conde de Frys
O mini-ieno iuglez anda se nao acha completa-, tem grande influencia oeste partido pelas vastas
. mente organisado, apezsr de se acharem preenchi- propriedades .|ue possue na Juihandia, com quanto
dos todos os cargos do governo. modo como Mr. | nao tenha tmalo uma parte aciiva as lulas par
Gladstone se prouunciou ha penco tempo a respeito lamentares e polticas por que tem passado quelle
da reforma eleitoral nao agr..dou o partido libe- paiz.
ral ; Mr. Gladstone deu a entender que os povos i Os jornaes nao dizem ensa alsuma a respeito
nao e>lo sulBcieniemente preparados para que : do programma do novo gabinete ; mas pre^ume-se
nelles se deposite eonflanca. Esias palavras des- que as suas ideas gao meio democrticos do que as
animaran) completamente os reformadores. Lord do ministeiio anterior.
Johu Russell prolerio em Gnidhall em um banque- A sua asistencia soppSe-se que ser muito dlfJB
le um discurso que indica o seu programma eleilo- cil, e pan-ce que se mostrar jnais dedicado aos in-
; o primeiro ministro pronuncindose pela teresses Aa propriedade rural, do que aos do par-
reforma eieiloral, declarou que nao julgava a occa
sio opporiuna, e que se devia addi.r essa re-
forma.
Entretanto a opioio publica preoecupa-se ex-
cessivamenle, e em todos os jornaes inglezes se en-
contrara repetidos coimn jutarios a respeito da li-
nha de conduela que se propoe seguir o gabinete para urna nova phase, di
presidido por lord J,im Russell. ros da imprenta liberal
Parece que o ministerio Russell sen' pouco du-
rador, pelo menos com a actual organisaco.
Chegon a Liverpool, 0 famosc corsario ron-
federado Slienand'iali, que se rendeu s autorida-
des inglezas. U capiAo deste vapor alfirma queao
principio nao dra crdito a noticia da queda da
conle ler.igodo sul, e que tomara e-la noticia como
um boato e>palhado pelos federaes para os seus
navio*, e que ?'uando se convenceu daquelles
fados havia desarmado, tomando aresolugo de se
entregar a' Inglaterra.
Fallase em urna carta dirigida por quelle oIB-
cial a lord Rossel, e que por este fora transmittida
ao represenunle americano em Londres.
O governo inglez nfi) se oppoe a entrega do
Sliemjnduah ao goveroo dos Estados-Unidos, mas
recusa se a entregar a equipagem. Diz-se que
existe uma longa correspondencia entre a legacao
I americana e o ministerio dos negocios estrangeiros
em Londres. Diz-se ijue o gabinete de Washington
apoia a sua reclamago, mostrand >que aquello na-
| vio e>la" tripolado por piratas, e que o gabinete
britannico declara que sendo elle inp-ilado por pi-
ratas, estes sao considerados como iniraigos de to-
I das as oagoes, e que ueste caso perlence a' poten-
cia i-m poder do qual cjITo, julgar e punir a Iripo-
lagao.
Entre a imprensa ingleza nota-se grande diver-
gencia a este respeito; oMormngStar pede que o
capilloe a equipagem sejam enforcados, mas quasi
todos os outros jornaes clamara contra este expe-
diente ; o Dnily-.Wws nota que quelle corsario
perrorra livremeute todos os mares, mas sem nun-
. ca ser apprehendido pela inarinha americana, e
j que seos navios da Uniio o podiam apprehender
e nao o fieram, era ji' com a idea de reclamar da
Inglaterra a ind-mnisacao dos prejuizos que elle
confere. A imprensa ingleza em aeral nilo admit-
i esta hypolhese sustentada pelo Day-News, mas
todos os lornaes dexam prever novas complicares
com os Estados-Unidos da America.
Gomo ja sabido os Tenanos na America e!e-
geram um presdeme, e formaran) um congresso e
um governo. Este congre go da sociedade. Secundo t-ste cdigo o presi-
dente residir' por em quanto em Nova-York, au-
xiliado nos seus trabadlos por um conselho com-
posto de quinze membros ; o presidente e o conse-
llto rstaro era eommunicago permanente cora o
governo provisorio da Irlanda.
No dia 20 de oulubro comegou nos Estados-Uni-
dos uma subscripeo, que se elevou logo a um mi-
Ibo de duros entre os delegados presentes a essa
reunio.
Os fenanos j adquiriram um grande vapor, e
diz-se que no invern invadirn o Ganada.
Diz-se que a assemlila dos fenanos discutio a
ttltima allocuco do sanio padre contra as socieda-
des secretas, e coneordoo que os anatheraas s
eram dirigidos magonana, sep) de
comirehender o femanismo.
Chegou a Inglaterra um ajudante do govema-
dor da Jamaica com despachos para o governo,
muuo importantes em relacao ao moviraento revo-
lucionario que rebenlou naquella ilha. As noti-
tido que predomina na capital.
Um ulegramroa de Genebra annuncia que
os radicaes perderam as eleigoes para o conselho
de esta'lo ; sendo eleitos os candidatos indepen-
denles.
- A questo romana sem se encaminhar anda
margem aos commenta
e ultramontana. O Mon-
de, que tem sempre cuudemnaJo as di-posigoes do
convenio de I de setembro, ja se nao moslra to
irritado, pareceodo recear o acc-rdo estabelecido
entre a Franca e a Italia ; esta transformag.T) do
orgao dos partidarios da corte do Roma, moslra
que elles prinripiam a comprehender a situago
creada por quelle convenio.
Os jornaes clericaes querem dar ao convenio
franco-italiano uma ioterpretacao forca.la,e usando
a qual o rei Vctor Emmanuel, depois da saluda
das tropas francesas, garante a seguranga dos es-
tados que (team perlencendo a igreja e rlamam
que Vctor Emmanuel cooirahio umi divida m
mensa; infelfz d'elle se os negocios nao correm
bem! Quanio mesmo abdique noconseguir salvar
o seu reino I
Segundo o convenio a obrigagao da Italia sim-
plesmente impedir os alfaques que se possam diri-
gir conira o territorio pontificio ; e o governo ro-
mano deve contar un camente com as torcas pro-
prias para a seguranga interna dos seus estados ;
pode manter e augmentar o seu exercito, com tan-
to que essa forea se nao converta n'um receio de
attaque contra o governo italiano.
A liada moslrou conhecer a responsabilidade que
Ihe impde a sltnaclo das cri-as, chamando ao par-
lamento urna maioria liberal ; os Italianos nao pre-
lendem oppor-se a um aceordo com a corte de Ro-
ma, mas nao querem, nem ja mais consentir que
esse aceordo leudo a tur em risco a compleiS
emancipagilo de todi o reino.
O mini-tro italiano Sella, n'um banquete que Ihe
foi dado pelos seus eleiDres, pronnnciou um dis-
curso, que se pode considerar como um program-
ma do ministerio ; oeste discurso tratou Ja ques-
to linancera e da questo romina.
Qu auto a primeira mostroo que o dficit que em
1833 se elevava a mais de 300 milboes, apesar dos |
seos esforgos, aogmeuhria em 1863 e 1866 mais
trezentos roilhSes por anno;qoe esta situago I
perigosa, e que >e torna necessario reduzr o'dcfi-
cit, recorrendo ao imposto.
Nao hesiten em d- clarar que persistira em pedir
o restabelecimento do direito de menagem, julgan- '
do que es-e imposto, nao tera mais inconvenientes j
do que a elevago do imposto do sal operado o. an-
no passado ; failou tambem na possibilidade do res-
tabeleciineto de oulros imnostOS.
Qnauto a quesio romana o Sr. Sella comegou por
eslabelecer a necesssidade da religio debaixo do
ponto de vista poltico e mesmo lioanceiro, e de-
clarou que na Italia nao havia religio possivel se
uo a religio catholica ; disse mais que se se nao
tratou com o papa, por que o papa moslrou exi-
gencias inadmis-iveis; e se se nao trata j por
que se torna necessario resolver, primeiro que tu-'
do a questo dos bens eccloiasticos.
O papa, dis.se o Sr. Sella, nao pode sanecionar se
nao factos consumados; porlauto preciso verili-
modo algum ca-los autes de negociar com elle.
O ministro italiano declarou que o governo esla-
va muito decidido a executar a onvenco conclu-
da com a Franca, e a nao permiltir invso alguna
armar-se no territorio pontificio.
O ministro Sella referio-se lambem a Veneza ma- i
cias sao de tal gravidada que desde logo se resol-: nifestando a esperanga de que a Italia poderia che-'
veu reunir um conselho extraordinario. gar a oliter Veneza por meio de negociagrs pacifi- \
As noticias que correm sao por ora muito vagas,' cas, logo que nvesse restab.-lecido as suas Unan- i
mas parece poder-se atinboir aquello movimento a j gas, de maneira que o seu fuliro nao ficasse com-:
tres causas pr'incipaes : a 1", a ndisposigo que! promeaido tiesta questo.
moslraram os negros em conseqnencia de ler sido \ A opposigao mostra-se hostil a opinio manifes-1
um dos seus cantaradas maltratado pelo capitao de lada pelo Sr. Sella nesia questo, pois pretende que
um navio mercante ; a i', o descontentamento qoe
lavrava entre os mesraos negros por Ihes nao se-
rem ministrados sofDcientes mantimenlos, em pre-
senga da escassez que se senda na ilha ; a 3", os
manejos secretos das sociedades organizadas esjie-
cialmente em New-York e em Boston para susten-
tar os direiios da raga de cor.
O Tunes parece dar maior crdito a esta ultima
versan, declaraudo que a Inglaterra jamis consen-
tir que as Anilinas se firme uma repblica como
agora existe no Haili. Outros jornaes mostrara
nao dar grande crdito a tsles boatos, mas dizem
que a miseria geral entre aquedes povos a unir
causa do movimento. Os partidarios da escravido
sostenan) que a miseria devida a emancipa'go
dos negros ; accrescentam outros que a eroancipa-
gao sempre produz do principio estes resultados,
mas que era breve se devem ver as suas vanlagens
uraa vez que aquella medida seja acompanhada de
outras providencias administrativas que possam
garantir a independencia do orna classe que at
agora tem estado subjugada por um poder que se
julga mais forte.
O governo inglez parece estar resolvido a man-
dar tropas para aquella ilha, e que para esse fim
j eslo em armamento em PortsmoutH duas fraga-
las a vapor. A Jamaica est dividida em tres dis-
tricto ; por em quanto a revolta apenas se mani-
festou em um s, mais receia-se que se pronuncie
nos outros dous.
A populagao negra nos dous dislrictos nao in
as finangas italianas, se devia reslabelecer no mo
ment em que o governo sania do caminho da in-
certeza em que tem vivido.
Espera se com anciedade a reunio do novo par-
lamento, mas desde ja' se prev a poltica que o
actual gabinete expora' perante aquella assembla.
Fallase nos Srs. Ralazzi e Lanza para a presiden-
ca da nova cmara. A opposigao quer propr o,
Sr. Bordini.
A brochura do Sr. Boggo .tem sido muito com-
mentada, mas depois do discurso do ministro Sella
da'-se-lhe maior valor, por qoe sendo idnticas as
ideas, parece que o proprio papa reconhece que,
deve esperar pelas medidas que o governo italiano'
prepara.
O governo americano trata de preparar uma
esqaadra composia de cinco naos enconragadas
entre as melbores de sua mariuha. Esta esquadra
sob o cominando de ura vice-almiranle e tendo a
seu bordo alguus oflieiaes superiores commissiona-
dos pelo governo deve visitar na prxima primave-
ra os portos de Gherburgo, Breet, foulon onde ter
logar urna festa naval.
Assegura se que uraa esquadra franceza, exclo-
si vainenia composta de navios eouragados visitara' |
depois o porto de New York no qual a marrana |
americana celebrara' pomposas feslas no arsenal
' de Broolkyn.
Dizem os jornaes de New York que o ex-presl-
dente dos Estados-Confederados JelTerson Dawis
sera' definitivamente julgado pelocrime detraigo;
feror a 350 mil homens em quanto a forga branca mas anda nao consta mal sera' o tribunal que o
nao compreheode mais de 50 mil.
O governo francez decretou a reduego do
seu exercito, que ser aproximadamente de i,800
offlciaes e 42,000 soldados. As economas logo que
taes reduegoes se verifiquen) chegaro a 50 mi-
Ihdes.
O rei da Blgica acha se de novo gravemente
doente.
O imperador d'Austria vai abrir pessoalmen-
te as sesses da dieta da Hungra. Em Pnlb e ou-
lros pontos da Hungra esto se preparando arcos
triuraphaes para receber aquello soberano.
Entretanto raantem se a mais grave polmica
entro os jernaes honraros e austracos.
A Presse de Vieona que anda ha pouco procu-
r-ava mostrar um espirito altamente conciliador, de-
julgue. Pelo discurso pronunciado pelo presiden-1
le Johnson, parece que no caso de condemnago
se usara' de clemencia em sea favor.
Apesar destas noticias continuam a chegar a
Washington de todas as parles pedidos a favor da
liberdade de Mr. Dawis. *
A commisso sanitaria de Madrid preceJida pelo
corregedor, decidi que-se poa cantar prxima-
mente um Te Deum em acgo de gragas por haver
terminado a epidemia do cholVra-morbus.
Em Portugal tiuha cessado o cholera era El-
vas; manifesUva-se cm Argamenle (Algarve). Er&
ja' de* 9 o numero dos casos as penltima- 2,'t Ufe-
ras. Tinbara fallecido era Lisboa o cp^de. F Mello,
o censul inglez Smith e o actor Sargadas. (Jrc'i-
lava uma carta do dnqne de Saldanfi*, corjua r, j-
REVISTA )M\k.
Reunise na quiuta-feira o Instituto Archeologi-
. co e Geographico Pernambiicano, sob a presiden-
cia do Ex.m. moasenhor Mumz Tavares e com as-
sstencia dos Srs. Drs. Nascimente Feitosa, Joa-
Iquira Poriella, Witrovio Pinto Bandeira, Soares de
Azevedo, Serfico e Amaro Joaquim, padre-mestre
, Lino e major Salvador Hennqtte.
O Sr. secretario perpetuo da conta do seguinte
expediente :
i Um olDcio do Sr. conego l)r. Manoel Thomaz de
, Oliveira communicando sua aceltago cora agrade-
I cimento da escolha para socio correspondente do
Io-titut!.Inteirado.
I Varios nmeros do Diario de Pernnmbuco, of-
feriados pelo consocio commendador Manoel Fi-
guelia de Faria. Recebidos cora agrado, man-
dam-se archivar.
Uma brochura sobre a Esclavatura no Brasil
pelo Dr. F. A. Brandan Juuior ; ouira sobre o Ac-
eordo de 20 ile Fevereiro ; varios nmeros de jor-
naes e a Corographin do Imperio pelo Sr. Manoel
Martins Pereira, offerecidos todos es-es volumes
pelos Sr. Manoel Soares de Avelar Jnior.Rece-
bidos com agrado, manda-se archivar.
O major Salvador faz a seguinte proposla, que
approvada sem debate :
Propouho que se remellara os nmeros j pu-
blicados da Revista Trim-tnsal desle Inhumo, aos
Institutos Historie do Rio de Janeiro e da Bahia,
| e ao Gaoiiiete Portuguez de Leitnra desla cidade.
j ^ Sala das sessoes, 7 de dezembro de l8o.
Salvador H. de Aibujuerque.
Em seguida vera a mesa e' faz-se a leitura desta
indicago, cuja urgenra sendo requerida pelo au-
tor, ella votada.
L-odo noexpediente do governo da provincia na*
hijeado no Diario de Perivimhuco, uma ordem para o
director do arsenal de guerra manjar apresentar ao
inspector do de mariuha as duas pegas de bronze
tomadas aos hollandezes em 160V, e que all exis-
t., m, alim de serera reraellidas para o moso mili-
lar da corte, de conformidade com o que a este
respeito ordenara o Exm. ministro da guerra ; e
considerando que, eram apenas estes os nicos des-
pojos que pos-uimos e que de.viam continuar a
existir tiesta provincia, iheatio de nossos gloriosos
trophos contra quelle invasor inmigo, Ja que in-
felizmente o que nos resta de 41 bandeiras e ura
estandarte general tomados as famosas batidlas
dos Guararapes,2i9 pegas, 38,000 balas, 5,200 es-
pingardas, 830 espadas 127 pistolas, e outros mul-
los objectos bellicos, que foram remetlidos por or-
dem do governo portuguez para diversos pontos do
seu dominio ; o considerando mais que, este acto
do governo geral, aiuda que bem intencionado,
tem por lira privar a provincia destes symbolos do
seu brasio, ao que nao deve ser ndilferente o Ins-
tituto ; radico que, convenientemente se represente
ao mesmo goveruo para ceder que liquem no ar-
senal de guerra, onde se achara aquellas pegas;
sendo eollocadas de modo e em logar que poss-m
ser vistas por todas as pessoas que procuraren) v-
las ; rogndose entretanto ao Exm. Sr. rionselhei-
ro presidente da provincia, que baja de transferir
a remessa das mencionadas pegas para depois
que, o governo geral, der a sua deciso relaii/a-
mente a esle assumpto.
Sala das ses.-ojs do Instituto Arcneologieo e
Geographico Pernambucano, 7 de dezembro de
1863Salvador Henrique de Albuquerque.
O Sr. secretario perpetuo, pela ordem, declara,
que adiantando se materia da indicago apresen-
tada pelo nobre con-ocio Sr. major Salvador Hen-
rique, entende'a-se com o Exm. Sr. presidente,
para que se dignasse S. Exc. de mandar sobr'es-
lar na remessa para a corte das pegas em questo ;
mas que o Exm. conselheiro Paranagu loe disse-
ra uo poder faze-lo, em vista das ordens instantes
que tem a respeito da parte do governo imperial.
Submtttida a dlscusso a indteago, vem a mesa
os segrales requerimentos; os quaes, discutidos
conjuntamente, sao approvados cum a mesma n-
dicago.
ttequero que na representago, que se dirigir
ao governo imperial se diga, que quando nao con-
ceda ambas as pegas esta provincia, permita ao
menos que fique uma.
7 de dezembro de 186o.Portella.
< Requeiro que em todo o caso a commisso de
trabalhos historeos e archeologicos, dirigiodo-se
ao lug^r onde se acham as duas pegas, d acerca
dellas um relatorio mais completo que possa ser,
afira de que, quando nao se possa obter que li-
quen! ellas na provincia, ao menos as nossas actas
consignem uma noticia exacta a respeito ; e bem
assim examine se existen) outras alm das duas
referidas.
7 de dezembro de 1865.Feitosa.
O Sr. secretario perpetuo scientifica ao Insti-
tuto, que o Sr. thesoureiro havia recolhdo em
conta crreme ao Novo Banco de Pernambuco o
beneficio da primeira parle da lotera concedida
era favor do mesmo lustituto.
Nao haveodo mais nada a tratar, encerra-se a
sessao.
A igreja pernambucana cobrio-se hontem de
gala para solemnisar a festa da Excelsa Soberana
do Mundo, uada poupando para que tivesse grande
brilhantismo e porapa, o que conseguio.
Houveram (estas solemnes na matriz de S. Jos,
na Gonceico dos Militares, no Arco da Ponie e no
seminario em Olinda, estando cada um desses tem-
plos elegantemente ornado e repleclo de fiis, que
buscavamouvir a palavra sagrada.
Durante todo o d igrejas, e em suas proximidades, que prendern) a
alt-uco publica.
A fortaleza do Bruna salvou 1 hora da larde ;
e a brigada, coraposta de batalhoes da ;uarda na-
cional, que fez as honras do estylo na igreja dos
Militares, deu tres salvas de mosquetaria ao lindar
a festa.
Realisou-se hontem a Irasladaco das imagens
da igreja do Terna para a matriz de S Jos, por
causa das obras que se fazera naquelle templo.
Na quinta-feira noite levantou se a bandei-
ra de S Gongaio, que se festeja na igreja do Pilar,
sendo levada por cerca de ciocoenla meninas ira-
jan Jo de branco, al o maslro em que f. i erguida.
Gousta-no que os devotos pretenden) solemnisar
esle anno com muita porapa o seo paire no.
O vapor Parahyba, viudo de Maceii, nao foi
portador de noticia de importancia.
O vapor Persinunga, vindo dos portos do nor-
te al o Cear, trouxe jornaes desla prcvtocia ale
37 do passado e da Parahyba al 7 do correte.
Segundo ura offlcio dirigido pelo presidente da
provincia do Cear ao ministerio do Imperio, en-
vin a provincia 1V'9) P/'*?*5 Para theatro da
guerra eolre vojuutarios, recrulas e guarda nacio-
nal, durante os mejs. de agosto a novembro ul-
A corjKiracao musical da capital mandou cele-
bra/, no di;v 26 um Te-Deum em acgo de graga?
pela feljA volla de S. M. o Imperador; assisiudo a
%' lodo o mundo offlcial e cressldj numero d.^
pessoas gradas. .'-.***, -'"''
\
a r\



_
-r--TMrTI "
Diarlo de rernatabuco -.. Sabbado O de ttezembre e f 8ft.
Dorante a semana de 13 a 18 n rassad.-> entra Lim Jos Rodrigues rte Suiza e Rodrigues & Ri-
ram, na tuspecco do algodao, 1079 suecas desse belro.Adiado na uliima sessao.Adiado a pedido
genero. ; do outro senlior debutado.
Voltara da sua viagem ao centro da provincia o
Exm. diocesano, sendo recebido na capital com
toda a solcmuidade.
A alfaudega da Parahyba renden., durante o rnez
de novmibro ultimo, 18:4224414.
('orre que havendo suspetus de que alquero
se arr.iga ao ejercicio da profiss&o medir Mira la-
dos oo proximidades de Pedras de Fugo, fura isto
mandado verittear pela polica, a reqaerimento da
auioridade competente.
E' nina providencia de alcance ; pnis a vida da
populayao nao deve tslar a meicde especularles,
sendo ao iiiesnio lempo necessaria por propria tllB-
nidadu dapes.-oa sobre quem recahero taes saspn- depuiados.
las, sefli que dahi Ihe possa provir desar alga,
uiim m qae se inosire Tevidaaiente habilitado para
curar.
Clamamos a aitoocao doSr. Bscal da U
lia de santo Antonio para a maneira poneo e< ove-
Diente porqae proeede cerlj morador d n se-
gando anoar da ra do Imperador, laocaade sobre
Appellantes, D. Jo-epha Justina de lesas Gon-
calves e outros; appellados, Isaac Curio & C.
Ordenou-se urna diligencia.
Appeilaote, D. Caroliua Josepha de Almeida ;
appellados, a viuva e herdeiros de Jos Hygino de
Miranda.Adiados a pedido de um dos Srs. depu-
tados.
Appellanie.-, os administradores da massa fallida
de Amoriin, Fragoso, Santos & C.; appellados,
Mello & Irmo.I) sprezaram-se os embargos.
Api'i-ilante, Virginio Barbosa da S.lva-, appella-
do, Alexandrc Jos da Rosa.
Adiado o juramento a pedido de um dos Srs.
PA8SAC8KS.
Do Sr. desemliargador Silva Guimaraes ao Sr.
desembargador Accioli :
Appeilaote, I). Anna Delflna Paes Brrelo ; ap-
peilado, Hanoel de onza I', reir.
lo Sr. desembargador Res o Silva ao Sr. des-
embargador Accioli :
o tedia io da casa terrea contigua lod> as aguas Appellantes, os administradores da massa fall
servidas e lizo de sua casa, eom grave ocomrao- da do Amorim, Fragoso, Santos & Compauliia ;
do e prejuizo do seu raquilino, e verdadeira iufrac- appeilado, Ernesto ( tucalves Pereira Lima,
gao das posturas muulcipaes. Appellantes, os administradores da massa .iMi-
Cominnnleam-nos o seguate : da de Amorim, Fragoso, sanios ^ Compauliia ;
Tendo o Sr. I)r. juiz muiiicipal de'Santo An-
io remelllo para esta capital, alim de seren en-
tregues ao Sr. Ur. juiz municipal da primeira vara
de-ia cid ide, 10 presos, sendo 8 criminosos e 2
desertores, escoltados por 14 pravas ao mando do
2o sargento do baialhSo n, 23 da mesma comarca
loo de lfar ros Cavalcauli; e chegaudo na povoa-
(u de Santo Amaro de Jaboatoesta escolta e pre-
sos as 6 horas da tarde do da 6, all demoraran- da de Amorim, fragoso,
se para descancar por seacbar bastaute incommo- appeilado, Jos Ribeiro G
appella.lo, Custodio Jo.- Yianna.
Appellantes os administradores da predila mas-
sa fllela ; appellados. Marques Gomes C.
Do Sr. desembarga lor Accioli ao Sr. desembar-
gador Silva Guimaraes :
Appellante, Lniz P.mseca de Medeiros e outro;
appeilado, Antonio J iaqulm Salgado.
Appellantes, os administradores da massa falli-
Ia Amorim Pilonen Santos i\- Companhia ',
ioi iraes Sobrmho.
OTSTRIBUICOKS.
Ao Sr. desembargador Silva Guimaraes :
Appellantes, Joaqun de Suuza Moa & C.
pellado, Pedro Goncalves Pereira Ca.-eao.
Ao Sr. desembargador Accioli
ap-
l'EKV UO EiK'H'.
0 DE DEZEMBHU de 1865.
PBBSIDGKCIA DO Sil. Dl(. .MA.NoEL JOS DA S1LAA
NEIVaS
Prom ilor publico o Sr. r. Francisco de Car-
vallio Sones Branlao.
Advogado o Sr. Dr. Celso Tertuliano Fernan-
des Quiutella.
Esonvo Joaquira Francisco de Paula Eeteves
Clemente.
Reo Leureoco Justiniano Nery, aecusado por
crime de furio.
Folla a chmala pelas dez horas di mauhaa
acharam-sfl presentes 43 Srs. jurados.
Foram multados ein mais 20,5000 cada um dos
jnrados \\ multados nos anteriores das da sessao
e a cada um dos seguales Srs. :
Alf m.-o do liego Barros.
Dr. Anlouio Uos santos de Siqueira Ovalcanti.
Dpeasados de servirem na presente ses-o a
bem do servido publico os seguate Srs. :
Joo Athanazio II .leilio.
Joo de a' Leii&o'
Francisco de L ni >s Duarte.
dado o referid') sargento.
Este entregou tinao os presos ao cabo que o
acompanhava, oqual quereodobot^r os crimluosos
do trunco, disseram-lbe que nao era 1 os-ivel por ser
o mesmo pequeo ; em vista do qoedeiitou-os ello
deniro do da 7 cvaunam-se (JS criminosos Antonio Calos
Po>soa, condemoado a t asnos e 9 inezes de pri-
sio pelo crime de fino e cavallos, e Manuel da
Roeiia Oliveara conlemnado lambem a 4 annos e
6 mezes pelo mesmo crime.
Auitios estes criminosos sao condecidos na co-
marca d Sanio Ani.io caioo criadores de gado ca-
vaiiar sem Ibes cuitar esta industria o emprego de
um real. >
Nos pedida a seguate pablicaco :
OSr.coronel Francisco Jjaquim Pereira Lobo,
embarcando-se boje para o sul a frenle do Corpo
de seu commaudo, nao pdJe em razio da presteza
desua viagem despedr-se dos seus amigw, anda
nesmo daquelles de quem ultimamenta receben
piovas de ama dedicaco que o ubrigam ao mas
profundo reconheciinenl De ser esta quebra de
deveres motiva ia pelas causas que muilo .se ronlie-
cem, quaes sao o trabalbu fadigoso d" um expe-
diente multiplicado, a qeces>idade de estar presen-
te a revistas 0o batalho e mullos outio- afaceres
que nos ltimos das Ihe tein absurvido a aiti ngio,
espera o mesmo coronel que se Ihe desculpe esta
involuntaria falta, que nao desmeute a sua gratidio
pelas provas de affeutuosa amzado, de que se con-
fessa devedor, ollereceudu no emtantu aos seus
amigos, na corle do imperio uu ouJe o chame o
dever, o seu prestalo.
Rbpartiqao da polica.
Exiracto ua parle do da 7 de d.zembro de
18o.
Foram reculhidos a' casa de deteoc.ao no dia 6
do crrente:
A'ordemdo Exm. Sr. Dr. chefe de polica. Va-
lentn UsSeUCiu Uispo, para recruli.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Francisco
Xavier do Carolo, como indiciado em crime de
estellionato.
A' ordem do subdelegado do Rtcife, Abdlas Fran-
cisco de Salles, para oorreceo.
O chefe da 2-1 seccao,
J. G. de Mesqua.
l'assageiros do vapor brasileiro Persinunga,
viudo do Acarac e potos intermedios Di. Ji
Mana Oe A. Mello, sua SPDhura,8fllhos e 3esci ;<\>i<,
M.noe; Vicente Da?- FernandeS, .-ua senhoraeS
criadas, Hanoel de Mello Cordeiro Monten gro,
Aniuuio Francisco Braga, Bayniuudo Ferreira da
Cimba, Augu-to Cesai de Magali aes, Lino de Ka-.
na, J" Acii.-to Gtrrgel do Amaral, Dr. Gnslavo
Luiz (jiiii:, rn Francisco dr Oliveira Cabral, Bo-
l a J da F< ni Ferraz, J> Das Piuienla Ja-
d i'i. J '.oii Germano Bamos, Cypriano Jo-
V 1 mi, Jo-e Justiuo oe Uliveira Pinto, J'- Pedro
d (Aisla e I escravn, Juaquun Ribeiro Dantas, An-
seinm J> se Barbosa Tinoco, Francisco Jo.- da V. is-
la e Silva, Ji'-,' Paulino de Ca.-tro Medeiros. Jo.-
Cas.-euiiro da Silva Machado, A meneo Vespociodu
Amaral e criado, Silviuu Aureiiano deFigueire
do, Jos Francisco de Laeerda e I criado, Joaquim
da Suva Saldaaba, Joo Carlos da Cunba.
Passagelros do vapor nacin vindo d- MacAo e portos intermedios :
li.- jj.it Mana da Coocelcao, Evaristo Piol 1 da
Costa, Joajana Rodrigues Piulo, Gullherme Bap*
li-lt do- Santo-, J is Nones Trigueiro, Pedro da
Sllv Regu e Sirou J 1 -.
CeilITBRKI II III.ICo, OBITUARIO DO DIA O DE
DEZEMBIIO DE l8.
Floriauua, l'ernambuco, 11 mezes, S. Jo.-; febre
1 '. Lj!?m ni 1. u 1 tono loi desenvolvendo a aecusaeo e defeza; e
h?v ,, n 1 1 j o > postas a> quesldes de facto oue foram lidas em
Balbina, Prnambnco, 4 dias, Sanio Antonio; es-^ voZ jufy de seotenca, e retirndose
Candiil.itnra provincial.
RECIFE, 6 DEEZBUUtlO DE 1968.
Ao dnjno corpo electoral do l* districto.
Se a experiencia dos negocios; se o eonhecimeo-
tu dos h'imens e das cous do patz; e sobre tudo
se a independencia e integridade; se o amor a
esta trra do Peraambuco, provado por constantes
exforcos era pie de sua dignidade e de seus foros,
sao malos querecoinmendetn a preteneo a repre-
sentante do povo ; posso condado apresenlar-meao
digno corpo eleitoral do 1 districto de.-i*a proviacia
para soliciiar-llie nm asseuto na fts&emblea legisla-,
tiva provincial paraaqu.l vao ser eieitos de-1
pinados no dia 8 de Janeiro do prximo auno de
1866. |
A melindosa sitoaeio d> paiz aconselhar certa-!
mente aos dignos senderes eleitores a oscolha de ci-' A directora provisoria do Monte Pi Ponuguez
nadaos, que vio pugnar poitanto liel cnniprimento pretende recolher at ao dia 15 do corrate as lis- sul
a constituico do estado donde deriva a manuten- tas, de cuja cobranca aiuda uo Bhgou o resultado i l'l fardos pannos de algodao da Babia ; a' or-
sao dos direitos e a estabilidade da ordem, sem cu- ao sea c nheciment e por isso solicita de indas dem.
jas condiedes nao possivel o progresso moral e as pessoas a qaem'diz respeito a AunciacSo desle ]
material do palz. desejo, que nesse -entido se sirvam envidar os seus
Posso garaatir que me baverel a contento de lo- e.-forcos. A boa vootade 'ios cavalbeiros que bene-
os bmnens de bem ; >e faltar a meas deveres, volamente se incumbiram de.-ta missSo, unta
aronipanhou um exeiopiar da obra NocGes do Barca ngleza-/M/?;i>-carvao de pedra.
sy-iema mtrico decimal com que V. Esc. se Harca ngbza Arme fiounnidem.
dignou obsequiar a dita eommlsso. Eila, pois, Escuna ingleza- MiseMiefcarvao de dedra.
muito agradece a V. Exc. este obsequio, e liga a Barca portuguezaArmm./a-diversos gneros,
tao bom trabalho o mereiimeuto e estima devldo rigue portugiiez tirita Figuerense-pedras.
Deus gnarde a V. Exc. Maranhao, 14 de*utubro Barca nacioual7(/'//i'n-ciiarque.
de 1865. Illm. e Exm. Sr. Jo> Antonio* Gomes Brigue portuguezImprovisodem.
JniorAntonio Joaquim d Lima, Io secretario. Patacho noriuguezFurtotdpm.
Os poucos exemplares que resto de dita obra Patacho orieuial-Sum*o A>sm7io-idem.
Nocoes do sysiema mtrico decimal vend m se
a liOOO, na ra do Imperador, bvrarias, Univer-
sal, Acadmica e Franceza, e ao arco de Santo
Antonio ivrana Econmica.
Monte-Pio Portiuuez.
liupoi'ta^ao
Patacho inslez Cito, entrado de N w York, con
signado
guite :
1:500 caitas kerosene, 230 ditas machinas para
agricultura, 1 dita cofre, 39 ditas typos; aos mes
mos.
Vapor nacional Parakyba, entrado dos portes do
COMPANHIft
DO
NSo se tendo reunido numero legal dos
sepiiores accionista para ler lugar a assem-
dos
, junta
o periodo de dous auno e mu curto pode ser ap- boa volitado dos signatarios das mencionadas lis-
plieado em pouco lempo, nao havendo para o pa- las, necessariaraenie produzir o enVito que lano
riota maior pena do que o retirameuto da coulian- para de.-ej-r, facilitando a-sim os segundos aos
ca do poder eleiloral.
Minha conhecida lealdade meu garante; se for
honrado com o voto de nieu^s compairiolas, minha
gratido so empenhar em raosirar-me diguo de tao
alto favor.
Dr. Antonio Borges da Foiiseca.
.tgaa le Fiorhl i 1c Htirray &:
-numan.
A introdcelo desle saudavel e delicadissimo
perfume ineviiavelmenle de fazer, com que essas
mil e urna aguas e espiritos de cheiro, compostos
principalmente de leos essenciaes fortes e de orna
qualidarje impura, se transjrmem n'uma ver.ia-
dera droga nos mercados. A' vinle annos a esta
parle, ella tomou o lugar de tolos os extractos e
Appellant-s, os administradores da massa fall- essencias europeas nos mercados tanto da America
da de Amorim, Fragoso, Santos Si Companhia ;Jdo Sol como as Antilhas, sopprimindo todas as
appeHaJos, Mello, Lobo & Companhia. IdilTereotes qualidades dessas cbamadasEau de
Nada mai. haveu lo a tratar, o Exm. Sr. pre-1 Cologn.
sidente eacerrou a sessio urna hora e ineia Osea deleitavel aroma tem ama approximaeao
da tarde. mus estrena e anloga a resjiiraQao delicada das
verdideiras flores do que aquello de nenbum outro
artigo em uso para a mesa do toucador. Usada
como urna livagem nu enxagoamento da bocea,
ella igualmente neut alisa e faz desapparecer o mo
gosio e hlito cantado pe. fumo do charuto, e me-
morando a condigno e estados dos denles gen-
givas.
(Visto existirem por toda a parte imitacdes frau-
dulentas, as quaes de forma alguma n issnem estas i
qualldades, p,-.-ciso pois s-' faz que haja toda a ca- j
le la na sua compra, lomaado se sentido que os Do-
mes deMurray e Laomaose aetiem inscriptos
sob cada envoltorio. lelr>iro ou garrafa, pois que
na falta dos mesmos nenhnma verdadeira.)
Vende-se as pharmactas de J. C. Bravo Ce
Caors Barbosa & C.
pnmeiros o desempentio -le una tarefa, que deou
tra sorle se tornara enfadonha.
Passando a jota a 235U0 a contar do Io de Ja-
neiro prximo, conforme preceila o ari. 70 dos
estatutos, de iuteresse do todos os signatarios de
listas realisarem o pagamento da sua joia quarilo
antes, nao deixando expirar o crreme mez e auno
sem o ha ver ra feit mesmo purqne, guardndose
a maior parle para esse lempo, no ser possivel
ler lugar ento o pagamento, ja por deverem reco-
Iher-.-e as listas e recibos nao |iagos al ao di 1 lo
desle mez, ja por nao se poder depois mandar
receber de lodos a um tempo.
A directora lembra igualmente a todos os inte-
ressados, iiue aiuda de sua conveniencia o im-
tnediato pagamento da joia, pois que s seis meZeS
depois de o fazerem, e de eslarein em vigor us es-
tatutos (o que sera apportanamente anuuiiriadn)
teran direito a receber soceorros e Mmeicios, como
dispoera o 3o do ari. l e o art. 78 ; e ser-Ibes-
ha certamenie grato, vindo a verificar se urna hy
pothe.-e desagradavel, encontrar na sociedade be
oeQcente Monte-Pio Ponuguez o amparo e protec-
go, de qae evenlualmeiito possam vir a carecer.
Secretaria no M nte Pi Portuguez em Peruani-
buco, 6 de dezembro de 1865.
Jos da Silva Loyo,
Presdeme.
Joaquim G-rardo de Bastos,
2o secretario.
a Henry Forster & C maufesiou o se bla geral extra .rdinuria annjticiada para
hoje, s5j novan ente coavidadus os metuos
senderes a se reunirem no da 11 do cr-
reme mez ao raeip dia no escriptorio da
m sma, ru do Gtaf n. 16, atu de se
deliberar .-obre as preteacoes dos empreza-
rios ilos trlhos de ferro, e de Claudio Du-
Hiate nacional Amelia, entrado de Penedo, coa- betix, pi> >e em, este jiassar com os omn.us
tos arroz, '^i
preperi; a Chaves & Vianpa.
signado a Jo- Bodrigue- Piaheiro, manife-ioii
que
quelles a assentir os dilos trilbus por ater-
.! saceos arroz, :i ditos milho, 200 gariraoDs, l ros |ertc ircnles a mesma c-impantiia. Pre-
l|2 a'gueire de fejao, 300 lahames; a Jon Nagoo. v.!iiimlo-se oue na conformidade do ariii'o
KsTismn^' alxo com iOduzasda ^t tutos a reuniao ser considerada
chap.,; d Miro e 7 duzias de ditos paia senlwra, comp'eta e lunccionara com o numero de
1 caiiao candieiros de gaz; a' ordem. I accionistas que comparecerem oestedia.
,m ? De Villa Nova: | Escriptorio da Companhia do Beberibo
200 pedras de amollar; a Antonio Jj-o Rodu- ( (J(, d(Jzembro de 18G:;
,1 juriibrba.
As virludes llierapeuticas da jurnbrba sao desde
muito condecidas Tino s no Brasil, pois que dolas
Iratou Pisn em sua excellente obraHistoria na-
turatts et medica Iviia occidmUilix. senao as
Anlilhas, onde o sueco das Mhas e tractos como
aqu, muito estimado e appbcado contra as ohs-
----------- m_ju <& jfjj.i __ truecoes abdoariraes, princi|iaimente do fisado e
Sob a denominacao deXocoes do sv.-tema em *?J* e St 'jdos os facultativos desia provincia o
trico decimal acaba de ser impressn com toda D? PMl'cam com freqnencia, isto se nao deve a
a nitidez na tvpographia Universal urna pequea D? reconhecerem elles es^as virtudes, mas slm a
bruenura de i paginas, (ue um primor de. pa-
nao serem encontradas com facilidade e e.m todas
Dr. Luiz Saliazar Moscozo da Veiga Pessa.
Abena a sesso procedeu-se o sorleio do jury de acloaes medidas de
sentenca, ao qual fui deferi 1j o juramento dos com as do syslema
Santos Evangelho-, interrogado 0 leo foi Ido todo
o processo ua loi macao da culpa, o desenvolvida a Me calculadas, que o guarda
aecusaco e def. za, e depois da replica foram pro-
po-ts as questes de Lelo ao jury Oe sentenca, e
retirndose este para a sala s< crea das couferen-
cas pela I hora da larde, aoode voltou a I 3|4
com suas re.-pu.-i.is, que foram lidas em alta voz
ciencia de seu auior e um recurso manual de ca- as Mtecfias do auno os frucios des-a plauta, e a re-
da instante para as nossas casas de eommercio e Pugnancia, que aires.-ntam os doentes pm fazer
aulas primarias da provincia. Sob o titulo, pois, usod >U(-',' desses fructos, em consequencia de
que acuna se l publica oSr. Jos Antonio Coins ser extremamente amargo.
Jnior, onze importantes laboas comparativas das Ajnn-bcba nao dcsrouhecida dos botanistas :
peso.^e capacidade e esleneo esU ll,anIa pTteoce a familia das solanoas, e tem
mtrico francez, ja mandado ? ^"""nacao de SOMMmin pamculatum, que 1!
adoptar pel goveroo em tolo o imperio, rte tal
ivros, o caixeuo,
011 anda o empregado ^e qualquer SeccSo a fa-
zenda, nao tein mais do que procurar na respecti-
va taboa o caso que se Ihe otTerece, e por na ope-
raeo simplissima achara desde logo a reduccao
que pretende de libras a kilogramiiias de varas e
pelo presidente do dito jury desenteogas, em vista ^cavados a metro?, e de almudes e caadas a litros,
de cuja decisao o Sr. Dr. juiz d.' direito absolvec o, at as ultimas fraccoes o*, cada nnidade, precedi-
r.i qoe foi posto em llberdade. das semeliianles laboas de explicacoe- indispensa-
Levauou se a ses-o, addiando-a para o dia se veis para os que ,-e uo acham iniciados no syste-
guiuie idas 10 horas da mauhaa. em que tem de, ma decimal, e de variados exemplos de reduecao,
ser julgado o reo Joo, escravo do lii: 1 11 Joaquim de medida a medida, e do valor em ris, para
Antonio dos Santos, aecusado por crime (tu morie
em seu dito seuhor.
7 -
PRESIDENCIA DO Slt. UU. MA.N0EI. JOS DA SILVA
fol dada por Lyneo.
Parecendo-nos conveniente facililar o uso do
sueco dos fructos da jurubeba, que o mais em-
pregado, nos proponemos e conseguimos preparo
com elle nao s um extracto alcoolico que pode sei
applicado em pilulas, mas larnhern um vinho, nm
sarape, e um emplastro que pode substituir, era
certos casos, o de Vigo ; e oslamos persuadidos que
com isto prestamos um servico humanidade e
h teraputica.
l'isou, tratando da hydropesia, prescreve a de-
cocoio oas raizes da juiubrba, e Mrai e Doleos,
em sen Diccionario de materia medica
gues Pniiieir
100 ditas Patacho inglez Uary Hell. entrado de Terra No
va, consigna toa J. I'ater & C, mainfe-io'i :
I89 barricas, iti metas ditas o 60 oaisas baca-
linio ; aos mesmos.
Barca ingleza linnald, entrada de Liverpool.
cousiuoada a Saunders Itrotbers iV C.. man festn :
130 caixas a(a, 230 barricas cerveja, 100 tone-
ladas carvao, 2 fardos encerados, 10 vulumes fer-.
ragens, o ditos fazendas de linbo, 270 gigus louca, j
10 barris oleo de linha^a, 60 ditos sahlre, 30 paco-
les saceos vasios, 1000 canas sabio ; aos con-ig-1
nata ros.
290 barricas cerveja ; a' ordem.
4
O secretario,
Dr. Jlo Jos Pinto Jnior.
4 barricas canos 184 barras, 200 feiies de arcos; a' ordem. le las, colchas de algodo,colchos de'lin
7 vulumes fazeodas de linho; a S. P. John-lon. de palha, fronhas de algodaizioho, fan
o iluos dito dito; a J. Pater & C.
6 ditos dito dito ; a Adaimou II. & C.
41 gigos louca; a" ord-m.
32 ditos dita ; a T. I!. t\ I'.oIk rts.
11 ditos dita ; a Paln Na.-h \ C.
ao volnmes objectos para a et Irada de ferio; ao
agente da mesma.
l)o toneladas pedra para ralcamento: a J. Pal. r
CNSUL AIMJ l'liOVI.NClAL.'
Hendimento do da
dem do da 7___
1 a 6.
31.0145382 :
4560042
30:1795634
REGEBEDORIA r>K RENDAS INTERNAS GE-
RAES UR PERNAMBUCO.
iteudimento do da 1 a 5....... 4:2015763
dem do da 6................. 'Ji:i98i
3:lio57i7
c therapeu-
Braja tempo de ser adoptado eulr.....s^ys- ''Ci, dizem que as Ao'ilbas se faz uso rio sueco
tema mtrico, boje umfonn imeote accedo por to- dos Imites maduros dessa planta contra o calar-
dos os paizes da Europa e da America, fallava-nos rbo vesical; e a autoridade dos nomes desses me-
apenas quem o tornasse facihmo na pratica, para aicos> merec lamente celebres, nos leva a crer em
os individuos menos versados em opeiaeoes ari- suas l'alavras, e por isto cuidaremos de ler em
iherceticas. nusso estabelecimento essas raizes, para que possam
O Sr. Gomes Jnior, que j havia dotado a nos- ser experimentadas.
sa (iraca com as suas aonolacdes aos principaes A repmacao da jurubeba tal, e os resallados
artigos do cdigo eommeceial Brasileiro e com as therapeuticos obtidos 1 Itimamente sao tao impor
lames, que nos parece inulil dizer mais do qa(
isto, que fica escripto.
Leposilo : pharmacia de
Joaquim de Almeida Pinto.
NEIVA.
Promotor publico o -r. Dr. Francisco de Carva-
Ibo Soaies Bramido.
Advocado o Sr. Dr. Americo Xelto da Meo-;
doea.
_ EscnvSo Jjaquim Francisco de Paula Esteves !
Cleuiente.
Reo*Joo,escravo do Qnadu Joaqaira Antonio dos
Sanios.
l-'eita a chamada as 10 horas da mauhaa, esta-*
vain presentes io Srs. jurados.
Foram multados em mais 205000 cada um dos
Srs. jurados ja multados nos anteriores dias de
ses-o e mus a cada um dos seguintes Srs. :
Aff ou;o do Reg Barros.
Jos J ii (Oim o Cosa. Nao davidamos portante q le, dentro
Aliena ., sesao procedu-se o sorteio do jury de se veja o Sr. Gome- Jnoior, 1 brigado a tentar urna aro^^'nhdasle'engo^giUmenVVle atzado'e'bM
sentenca, o qaal foi deferido o juramento dos Sao- segimda edifao das suas excellentes nocoes do EMa ,,,,n sd0 applicads com inconteslavel proveii
tos EvdOgelhus, foi o reo luterrogado c lido o projsV>tema
Cessu da formacao da culpa e o ultimo interroga
F
12 mezes, Boa-Vista; coa-
1 a-mo.
Francisca, Pernambuco,
valsos.
Therez.i Joaquina Umbelina de Miranda, Pernam-
bueo, 29 anuo.', solteira, S. Jos; gastro in-
tente.
CIlUOMCl IMCIAKU
t miau xa Si im 3an.TiieV!:
ACIA DA SESSAO ADMINISTRATIVA Dli 7 Dl
UEZEMHO HE 186o.
PHESIDENCIA DO BXM. SU. DBSBMBABGAOOB
ANSELMO PBANC1SCO 1'KKTTI.
As ID horas da 111 anha, estando reunidos os Srs.
depuia.los Rosa, C. Alcoforado, Basto e Miraudi
Leal, e presente o Sr. aesembargador Bscal, o
Exm. Sr. presdeme declaran aberta a sessao.
Lula, foi approvada a acta da sessao antece- j
dente.
BXPBDUIHTB.
Aos senhores depuiados foram distribuid is os
seguioles livros :Diario e Copiador de Monteiro
& Guimaraes; Diario, do comroerciante Joo Evan-
gelista de Sa e Copiador do commerriaute Jos
Francisco de Sa Leitsu
DESPACHOS.
Reqoerimenlo de Eduardo l'i-uton, pedindo que>
se maude a junta de corretores ceriilicar qual o
Co.-lume do porto em relaco a marca entre o peso
do assucar e algodo para -1 regular o Inte entre
esses g-ueros, i-io qoantas arrobas de algodao
equivalem a 70 00 assucar^A junta i>-rtilique.
Iiem de Mala & Espirito Sanii-, para que fosse
teinbro de 186o.
Illm. Sr.A cmara municipal desta cidade re-
cebeu com agrado o ofltcio !e V. 5. datado de 0
do crreme, acompanhado de um exemplar da
obra que fez publicar denominadaNocdes dosys-
senieii"a, em vista de cuja decisao o S'. Dr.'juiz! '""ma mtrico decimalcujo exemplar muilo agra-
de direito condemuou o rAo a pena de morte. deceaV. S. Deus guarde a V. S-Illm. Sr. Jos
Levaotou-se a sessao addiando-a para o dia se- Antonio (ornes Jnior.Luiz Jo> Pereira Sim5>s
gumte pelas 10 horas da inanha, em que tem de, lro presidente-Francisco Canuto da Boaviagem
ser julgado o r 1 Thiago Ai ves Ribeiro acedado
suas oe escrituraran mercantil por paitlas do
bradas, que Ihe vaieram as mais hsoogeiras apre-
ciaco.js dos tnbanaes e bomens competentes, vem
agora acudir a esta necessidade popular, prestan-
do assiin um verdadeira servico a todo o Brasil,
com as suas tao comnjodas e tao claras tabeas
comparativas, que hao de sem dovida achar lugar
em todos os escriplorios, era todas as bancas e era ; A Jurubei)a urna das substancias medica mea
todas as casas de negocio, como mu pequeo e |osa ao remo ve(,Ia, e ,.ri.-nre a classe
utilissimo pomptoano de operaces. ^ ldos tonicos c desohstruentes, sendo era prega
?0'aa rom vantagem contra as febres intermitentes
1.
..ipiicada com inconteslavel proveitc
,'"',"'". .... n. contra a anemia ou clilorosi-, e hydropesia, catar
(D* fotuta Diana, sob n 19id-. Dmno de rbo da bexiga e mesmo para cwubaieTa menstrua.
PeriMwlmco de >., de agosto de 1HPjo.} yao d.flicil, resultante da mesma anemia ou chic
Paco da cmara municipal do Recite, 9 de se-
para a sala secreta das cool
da larde, u'oude voltou coiu
rain lidas em alta v.,z p-lo
este
relelas as '.i 1|2 horas
suas respostas que fo-
pre.-idente do jury de
por crime de moite.
... ... -r .--.,.' .-
POlUOigES PIEIBO
E-la aprazado o da de h >je para o embarque do
3 corpo de voluntarios da patria, ao mando do iu-
teligenle e bravo coronel Francisco Joaquim Pe
i rena Lobo.
Alvoreceu no hortsonte o dia memoravcl em que
I esse punbado de valeules deve lanzar Pernam-
buco o adeus fervorase de urna despedida, que
para amitos sera lalvez a derradeira. Aqueiles nao
foram suidos a- agonas da patria ; correram a
defende la, desde que se abri um aovo ncleo de
verdadeiros voluntarios, voluntarios de corpo e
alma.
No 3o corpo todas as classes vao representadas;
; o eommercio, as leliras, a agricultura e as artes.
O quadro dessa esforcada phalange deixa sobresa-
hir hmeos do eominercio, joveos condecorados
com tilulo acadmico, ouiros que se coiiduzern com
louvor na carreira das lellras, unccionarios pbli-
cos, numerosos artistas e um sera numero de agri-
cultore:
secretario.
Rio de Janeiro, '0 de setembro de I80*.
Illm. Sr. Jos Antonio Gomes Jnior.Acensan- i
do recebida a cana de V. S. do Io do corrente,
muilo ihe agradece a oflrla que se digna fazer-me;
de lliuex-ii:|ilar a obra que fe/, publicarNoyes i
do .-\-tema mtrico decimal. "Reitero os protestos
de estima e consideracao com qu- sou. De V. S.
amigo venerador. *- J. T. Xabuco de Aranjo.
rose.
Extrato alcoolico de jurubeba.
Emplastro dem.
Oleo idem-.
Tintura idem de idem.
Xarope idem.
Vinho dem de idi-m.
Pillas oe ext. idem.
Deposito, pharmacia de Pinto, ra larga do
sano n. 10.
KS*io.
MOniESI ?0MO
Navios entrados no da 7.
Rio de Janeiro 20 das, polaca brasileira .Wari-
Ar, de 261 toneladas, capitn AuIonio Jo.- do
Santo- Pereira, equipagem i2, carga ditlereutes
gneros ; a Amorim Innao.
Hamborgo88 das, patacho austraco Esperanga,
de 139 toneladas, capito Brandt, equipagem 8,
carga diOerentes gneros ; a ltabe Schamettau
cv C.
Alloa3S dias, brigue inglez Par, de 248 lorela-
das, capito Alexandre, equipagem 10, carga
carvao; a Thom, Briikinyonng & Bolerto.
Rio de Janeiro 18 das, "galera ingleza Satelhle,
de 1,0x0 toneladas, capito J. Forselhy, equipa-
gem 20, em la-tro.
New York39 das, patacho Inglez Cito, de lio
toneladas, capito \V. B^nson, equipagem 0, car-
ga van is generas; a llenry Fotster \ C.
Macao e portos intermedios20 Poras, vapor bra-
sileiro Parahyba, de 404 toneladas, commandan
te J. J. Martuis, eqmpaoeiii iO.
Liverpool por Lisboa23 dias do primeiro porto e
17 do segundo, vapor nicle? Amazonas, de 52i
toneladas, capito R. Williamson, equipagem 23,
carga fazendas ; a Sanuders Brothers t\ C.
Nanos saludos nn mesmo dia.
Rio Grand.-. do Sul Palbabote nacional Atoio
Malo, capito Jo- Joaquim Soares, carga assu-
car e outros generas.
Liverpool pela Parahyba Barca portugueza /' guetedo /lio Guinde do Su!, capito A. J.L. ile
Sobral, carpa assocar.
Philadelphi linca ingleza Union, capito W.
Ileard, carga as-uear.
Liverpool polo Ceara' Barca ingleza finir de
Maurtce, capito Gallicliam, em lastro.
Navios entrados 110 dia 8.
Montevideo32 das, p. laca hespanhola Antilla.
de loii toneladas, capito Joan Maristany, equi-
pagem 11, carga 2,900 qnintaes hfspanhdes c
carne'; a ordem. Fnndeou no lamarao.
Acarac a ponos intermedios13 da- e do ultirii"
porto 24 horas, vapor brasileirn Persinunga, ile
422 toneladas, con mandante Belmiro Baptiza
de Souza, equipagem 24, carga algodo.
ObsertarSo.
Nao bouveram sabidas.
Conseilio O cooselbo contrata no da II do corrente mez a
lavagera de ronpa dos estabelecimentos de man-
nha, e o firnoeimeato dos objectos abjlixo declara-
do-, por tempo de tres mezes ate marco do a;.no
prximo viuJouro.
OBJECTOS.
Para apnradizes artfices.
Bonels do uniforme, bonete para o serviy, blo-
zas de brlm branco, biazas de algodao azul, calcas
de algodo azul, calcas de brim branco, calyas'de
Obertores
nho cheios
goda 'zinho. frdelas de
panno azni, lencos de seda preta para grvala,
lenyes de algodaozlnh), sapaioes feitos no paiz,
sacros de gnaidar roupa e travisseiros de linho
cheios ue palha.
Para imperiaes marinheiro- e ai.rendizes ditos.
Booels d panno azul, camisas de brim branco,
caigas de algodo azai, calcas de brim bramo, cal-
cas de panno azul, camisas de algodao azul, lr-
delas de panno 'azul, lencos de seda preta para
ravatas, sapatej feitos no paiz e saceos de lona
Je managem.
Para fuzleiros navaes.
Boa< ts de chapa e palla, ciiyas de brim branco,
cateas de algodo azul, camisas de brim bramo,
frdelas de panno azul, fardas de brim branco,
grvalas de couro de lustre, polainas de pac,:;
pn-to e sapaioes feitos no paiz
Contrata o conselho sob as condiccoes do estylo
e a vista de propostas em cartas fechadas recebi-
das no referido dia II do corrente mez at as 11
horas da mantia.
Sala do conselho de compras navaes, o de de-
zembro de 1865.
O secretario,
________________Alexandre Rodrigues dos Xnjos.
Arsenal de guerra.
O conselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o seguate :
Para provimecito do Almoxarifado.
4o0 kiiogrammas de plvora lina de marca P. N.
ou Diamante H.
Quem quizer vender ditos arligos apresentera
-uas propostas na sala do conselho, as II horas do
dia 13 do Corrente.
Sala do conselho de compras do arsenal de guer-
ra 7 de dezembro de 1865.
rjenearregado da esrripturaco
Hanoel Jo.- de Azvedo Santos.
No da 12 do corrente mez, as II horas da
manha, val ser arrematada no caes da Linguea,
em preseiica do juiz de paz da freguezia de S. Fre
Pedro Goncalves do Recite, a meiade de um bote
que foi pluhorado a Antonio Ignacio de Oliveira,
por exeemo que contra o mesmo encaminha Jo
Mara V'asqoes.
Con.s3il;t feritatubuco.
So chamados ns senhorxs eredores, eos finados
subditos porioguezes Gaspar Pereira da Silva, e
Custodio Lu/. Ganes, a virem receber, o que ibes
locoo em raleio na hquldacao de seus espolios.
llecife, 7 de dcembio Ue 18'iJ.
rot^anm!
-^f',-na-jo. f ,*<. .y- '.<-1lt4MllB
PRAGA DO ItECIFE.
Coavcsi oShiues.
7 de dezembro.
Ilirn. Sr. Acensando a recepcao do oficio de Algodao primeira surte I062o0 por arroba.
V_ S. que acompaiihoa um exemplar das No
Cues do systema mtrico decimal por V. -. or-
ganisado, e ao qual se dignou offererer a este tri-
bunal, cabe-roe agradecer emanme do tribunal a
sua olferia, e dizer-lhe que 0 meSfflO tribunal de
opiuiu que seu trabaIho facilita a todos a eom-
prehensao do systema mtrico francez que tem de
ser admittido no paiz ; que traz vantageos ae eom-
mercio, e ulil ao publico em geral, nao s por
quepoupa a uns o trabaltio, e a oulros fa-ilita as
operayoes com as laboas de comparaco que nelle
se 1 acoolram, e cojos clculos esto ex ctos.
Deus guarde a V. S. Secretaria do tribunal do
eommercio de Pernambuco, II de setembro de
1863.Illm. Sr. Jo- Antonio Ganes Jnior. O
seeretario, Jos Marcellmo da Rosa.
Illm. Sr. Jos Antonio Gomes Junirr.-Recebi o
Algodao segunda sorle14:800 por arroba.
Cambio sobre Londres90 |) d/visla 28 ;, d. por
mil ris.
uuliourrq Jnior,
Kresidente,
arles,
Secretario.
----1
Sovo bauco i!e Peroasu-
buco.
O Novo Banco desconta,' letras a 12 por rento
ao anno, toma dinheiru a pTaso lixo oa em conta
corrmte pelo premio e coniiydes que se conven-
cionar. e saca sobre a prapa da Bahia
trioti-mo ; este lodo o seu elogio.
Os bros de Pernambuco no estavam morridos;
'eram apenas adormentados por essas mil variadas
causas ijue o lempo tein accumuiado. No momento
\ extremo em que o governo do paiz faz um appello
i a todos os Biasileiros, eis que Peruarobucn manda
; gnerra milbelros de cooperadores, balalhoes uns
laposouiros, voluutarios da patria, voluntarios da
I guarda nacional, voluntarios do corpo de polica.
L'm dos ltimos a orgaoisar-se, incontestadamen-
te a lodos sob'excede o 3, pela disciplina que o
colloca a' par de um corpo de buha bem exerciiado.
Temlo visiouas varias formaturas, firme comoum
s valente ao mando do seu experimentado cnefe,
registrada urna coma, que juutam.Como reque
rel. da despedida.- Val all muito sacrificio, rauta de
dem de Barbosa & Vasconcelos e Joaquim Jos Vl,';'va P Pal"a, milita abnegado, muito phre-
da Suva, sobre dar-se baixa no registro do contrato S8^0^'?^... ?S??- -'!Ur;'-S lraslados dt Pa
social sob a lirraa de Sacavem Barbosa & C.Sa-
tlsfacam o parecer Hscal.
Xola mais havendo a tratar, o Exm. Sr. presi-
dente eacerrou a aessau as i 1 horas e meia da
mauhaa.
SESSAO JI'DICIARIA EM 7 DE DEZEMBRO
DE 186o.
PUESIUE.NCIA DO EXM. Sil. DESE.VUAItGADOR
A. F. PEIIETT!.
Secretario, Julio Guimaraes.
As onze horas e meia da manha o Exm. Sr. pre-
sidente declarou aberla a sessao, estando reunidos
n- Sr-. te.-embargadores Silva Guimaraes,Gitirana,
l! 1- e Silva e Accioli, eOs Srs. depulados Rosa,
Candido Alcoforado, Bastos e Miranda Leal.
Lida, foi approvada a acta da precedente ses-
sao.
Assignaram-se os acorraos proferidos na ultima
eesso uos f Appellame, Virginio Baibosa da Silva ; appel-
lados, Cardse & Souza.
Appellante, Jo- Pereira de Araujo ; appeilado,
Jos Alvos de Paria.
Appellante, Francisco Santiago Ramos ; appel-
do, Joaquim Elvira Alves da Silva.
Appellantes, D. Mara Ra da Cruz Neves eoutros;
appellada, a directora do Novo Banco dePernam-
buc .
Appelisotes, Julio Colombier e outro; appellada,
Mane Augustioe Leonie Cals.
1CLGAMENTOS.
B-corrente, D. Anua Luiza de Mello Barreto ;
recoma, a commi-sao administradora da massa
fallida de G'ines & Fiihos.Adiado as sessSes de
23, 27 e 30 do m-z prximo passado.Julgou-se
procedeute a reclamado, aflra d considerarse a
recoi rente coran cradora previlegiada.
Appellantes, os administradores da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Santos & C.; appeilado,
Saudemo-los, Pernambucanos, na hora extrema ejemplar da obra-Nngoes do systema mtrico
decimalque V. S. leve a boodade de. off-ier-me.
A cana desconta as le
tatxa de 9 OpO ao anno.
O
Calxa filial do b
cm Pero
a
Agradece a i.fiTerta de V. S. rujo trai alho torna-se
apieciavel e de grande utilidaoe, j pela exaciulao
dos clculos, e j pelas tabellas comparativas, (ue
poupam enfadonhas oqeracoes, a que leamos da
recorrer no uso de nossas transacroesquondianas.
Suri com e-lima. De V. S. muito atiento venera-
dor. -T. le Alencar Aranpe. Sua casa lo de se-
tembro de 186o.
O conselho dos professores da Escola Normal
abaixo as.-ignados examinando com escrpulo as
Nocoes do systema mtrico decimal publicadas
por Jos Antonio Gomes Jnior, e por elle suj-itas
ao juizo desta escola ; e de opiniao qoe este bre-
ve trabalho, destinado a auxiliar as operaces do
eommercio e os clculos as repariicoes d faz-n-1 ferida massa, se vai proceder
das, satisfaz as necessidades e preeoeneas lacunas ditas acedes para a Sra. D. H
Caixa filial do brico do Brasil em
Pernambuco.
n 1 7^
1 M'i
O rapilao Lniz Osario do liego, juiz de paz mais
volado da freguezia do Santissimo Sacramento do
bairro de Santo Antonio da cidade do Rec fe, em
vii lude da l< i, etc.
Faco saher que, em virtud.> da lei repulamentar
das eleicoes e mais disposifSes em vigor, convoc
os eleitores e opplentes desta parochia, que vao
abaixo designados por seos nomes, para (ue coro-
pareQam na terceira dominga do mez de |aneiro
prximo futuro ( dia 21 ) no corpo da igreja matriz
desta freguezia pelas 9 horas da mauhaa, alim de
orgai.i.-ar se a junta qaaliOcadora, que tem de re-
ver a qoaliflcacao do anno antecedente dos cidadSos
qoe tem direito de volar as eleices de eleitores,
Juizes de paz e vareadoras da cmara municipal,
tirando -cenles os referidos eleitoies 8 sopplenles
abaixo declarados, que soffreraoa mulla de 40500!
a 604000 se nao comparecerem, ou tendo compa-
recido, deixarem de assfgnar a respectiva acta.
Eleitores.
Os Srs. :
Dendnro Ulpiano Coelho Catanho. Joaquim di
ras de seu aceite pela ; Aquino Foneera, Francisco de Aranjo Barros, An
Ionio Augusto da Foneera, Franci-co de Paula i
juarda-livros
Ignacio Nunes Correia.
anco a 111 buco.
prompto e rpido uas evolocdes, ade.-irato nos rao-
rmenlos, passivo na obdiencia, e j aprendido em
tudo quauto faz o timbre do verdadeira soldado.
Parabens, Peruambucanos I O 3* corpo dir bem
as planicies do sul do vosso valor e da vossa de-
que al aqu se davam nos tratados e opsculos
sobre a mater a, escripto antes para os mancebos
iniciados na sciencia, do que para a classe labo-
riosa do eommercio, que desejameios praticos
de fazer os seu* clculos com a maior brevidade.
dicagao I Gom effeito o trabalho do Sr. Jos Antonio Go-
Deus o conduzae forlaleca por entre os mil dif- mes Jnior, que o conselho tem em raaos er.ooo-
flceis receiros da guerra ; Deas o ampare e sas- misa o tempo que cada individuo gastara de oa
tente dunte do ioimigo au Jacissirao que ousou ma- lro mdo a reduzir os amigos pesos e medidas ao
cularo solo da patria. sysirma que a lei adopiou ; pois que por urna
Ide, bravos voluotarios I Um lugar de honra vos S'jnple operario de arilhraelica se acha a conven
espera junio aos vossos companheiros de armas, sao desejada em kilogrammo*, liiros e metros.
os intrpidos de Pavsand e Riachuelo 1 E'por tanto o cnseiho de parecer que aquello
Ide, valenie..! Um quinbo de gloria vos est tra|alno 1U,! supplicante offerece, de soa com-
reservado dlanle dos muros de Assumpjo I Fazei Posi?ao'd de-grande uillidade pratica para todos
tremolar sobre as amias dessa infeliz" cidade da
America livre o pavilhio auri-verde do imperio
mais livre da Amerita I
Soestes os votos de era grande partido nacional
que nao sfejie na pro.-chu?o descurar o decoro e
a diguidade da patria, de yma grande e perdura-
vel opimo que vai brilhaotemeate represeuiada no
i' corpo de voluntarios da patria 1
Ue um conservador.
ageites iodividuos que sao obngados a calcular
pelas novas medidas de exlenso, eapaeldade e
pe-o, e sob este ponto de vista admissivet as es-
colas elementares da provincia. Sala das confe-
rencias da Escola Normal de Peroarohnco, 2 de
oiitubro de 1863. Francisco Ri*hael P. B. de
Medeiros. Maximiano Lopes Machado. Jorge
Dornellas Pessoa. Mignel Archanjo Micdeo.
Illm. Sr. A commisso da praga do ecmmer-
cio jiesta cidade, tem a honra de acensar reoudo
o oJBcw de V. Exc. de 31 de agosto passado, gw
Tendo-se deseocaminhjdo da massa fallida de
Guilherme, Carvalbo & Cl o recibo de 15 argo-s
das locahsadas nesta caixa, ob ns. 2787 a 2801,
pertenceutes a Guilherme Frederico dr Souza Car-
valbo, socio daqoelia Orma, a directora faz publi-
co a quem interessar possa, que por pane de Jos-
lino Jos de Souza Campo-, admmisirador da re-
a transferencia de
acedes para a Sra. Henriqueta da Silva,
actual possuidora das mesmas, visto as ter em has-
la publica comprado, ct mo tudo provam cora do-
cumentos que licam archiv.-.dos nesta caixa.
Caixa lial do banco do Brasil 30 de novembro
de 1865.
O guarda-livros,
Ignacio Nunes Correia.
Silva, Manoei Antonio V*fas.-Jo- Francisco Car-
neiro, Francisco Xavier Pereira de Brito, Lui .Jos
Penira Simoes, M noel Antonio de Jesns Jumor,
Drasil Innocencio R drlgues de Miranda. Antonio Bangl
de Torres Baodelra, Mannel Antonio Perea, Jo-
Joaqaim de Maraes Saimenio, Silvino Guilherme
de Barros, Antonio Jos Alves Ferreira, Sev nano
Jos de Moura, Francisco de Soaza Reg Monteiro,
Flix Antonio Alves Mascarenhas, J .- Francisco
de Paula, Jo da Foneera e Silva, Jo- Flix de
Brito Macedo, Flix Francisco de Souza Hagalhles,
Claudino do liego Lima, Juao da Cuuhi Soares
Guimaraes, Jo.- Franci.-.:o do Reg. Caeano Silve-
no da Silva, Luiz de Fringa Sonto, Miguel Candido
de Medelras Pinto, Hanoel Raimundo Penaforle,
Ju.-tino Pereira deFana.
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 1 a 6....... 133.0835903
Idem de dia 7................ 24:323*916
157:41148 ll)
MOVIMENTO DA ALFADEGa!
13
712
5
1,218
--------1,273
Volumes entrados cpm fazendas.
t com gneros...
Volumes sahidos cem fazendas____
i com generas...
Descarrasram hoje 9 de dezembro
Barca ingleaJ?onafdmercadonas.
Patacho inglezCitomachinas e gaz.
Pataehe portuguezGeorgense diversos gneros.
Barca iDgleza-Juoeifa- Supplenles.
Os Srs. :
Joo Francisco Teixeira, Luiz Cesario do Reg,
Angelo Hennque da Silva, Aulunm Jos da dista
Ribeiro, Manuel Camello Pessoa, Francisco Antonio
da Bnto, Francisco Antonio Pereira de Brito, Jos
Mara de Asnear, Luiz Clemenlino Carnefro de
Lyia, Joaquim Gregorio dos R-is,Ladi-lao JsFer-
reira, Manoel Antonio de Alcntara, Joo Baptista
da Silva Prachedes, Casimiro dos Res Gomes e
Silva, Joo Luiz de Carvalbo, Joaqum Olynlo Bas-
= tos, Florencio Baptisla de O iveira, Joaquim da Sil-
va Regn, Flix Venancio de Cantalice, Jos da Cn-
nha Teixeira, Claudiu Benicio Machado, Enie-iu
de Aquiao Foneera, Jaciuiho Antonio de Mello, Mi-
7*o pnei js de Almeida Pernambuco, Manoel Jo- da
Silva iViva, Franci-co Uomiogaes da Silva, Firmi-
no Francisco de Bnto. *
E para constar mandei fazer o presente edllal,
afflxado nos lugares mais pblicos rLma freguezia,
e publicalo pela unpren.-a. :z
Recife, 7 de dezembro de 18B5.
Eu Joaquim da Silva Reg, escrivao que o escri-
vi.0 juiz de paz, Luiz Cesario do Reg.
Tribunal d> rommemo.
Pela secretaria do tribunal do eommercio de
Pernambuco .-e faz publico que ne-ta data lica ins-
cripto no livro da matricula dos c.uinmeiranles o
Sr. Jaciolno J >- Nunes Leite, cidadao portuguez,
ile 8 anuos Je ida de, e-labelecido na oldade do
Macei.com negocio de gneros seceos e niolhados,
por grossn e a rala Iho.
Secretaria do tribunal do eommercio de Pernam-
buco 6 de dezembro de 1863.
O official-maior,
Jolio Guimaraes.
Pela mesma secretar ase faz igualmente publico
que nesta data foi admitilo a registro o distrato
a sociedade de Manoel Aritouio Vieira e Narciso
Jo Xetto, que ne.-ta praca girava sob a firma
-le Vieira ^ elto, em vinule do qual est este
desonerado de toda responsabiiidade eaquelle en-
ea rreeado da liqnlda(So da exmela Sociedade e
responsavel Neito, pela quautia de 13:OI72IO,
conforme o balando a que |iroceileram.
Secretaria do tribunal do eommercio da provin-
cia de Pernambuco 6 de dezembro de 1865.
O offlcial-maior
______ ___ Julio Guimaraes.
Consulado provlncl.il.
Pela mesa do o asolado provincial se faz publico
qae os 30 oas litis marcados para a cobranca a
bucea do cofre do Io semestre do anno Onanceiro
le 1863 a 1866 do imposto da decima urbana das
freguezias desta cidade e dos Afogaios, e da parle
da.da Boa-Vista < du Poco da Pauella, que eri ar-
recaoada pela eollectoria de Olinda, se principiara
a contar do dia i de dezembro vindouro.
Meca do consolado provincial de PernambucOj
30 de novembro de 1863.
Antonio Carneiro Machado Ros,
Administrador.
Goapuhk de seguros uiariiimos Ulilidade
Publica.
Adirectoria. paga o 12a dividendo a razao de
155000 por accao, no e-cnplorio da dita companhia
na ra Ja Cadeia n 42, nos das uteis das 10 as
horas da larde.
Becife 2 de dezembro 1863.
Os directores.
Feliciano Jos Gomes.
Dominaos Rodrigues de AmDade.
o administrador da recebedona de rendas
internas gemas, avisa aos conlribuintes dos impos-
tes segrales, do exereieio de 1864 1865 : ren-
da dos prnpnos nacinnaes, foros do terrenos na-
ciiiriaes, dcima addic.ional de mao morta, impo-to
de 20 por cento sobre tojas, dito especial sobre ca-
sas de movis, roupa, calcado fabricados em paiz
estrangeiro, de cnfeitaria e perfumaria, e laxa
le e-cravos, que no corrente mez de dezem-
bro, que se lioda o prazo da cobranca no do-
micilio dos conlrihuinies, e qae os que os nao
oagarem no referido mez, serao coagidos a faze lo
execntivamente.
Outro sim, que no snpraditn mez deverao vir pa-
gar na recebedoria, iivre da muUa de 3 por cento,
o l. semestre do exercicio de 1863 1866 da de-
cima de nio morta, do imposto de 20 por cento, e
do impo-to especial.
Recebedoria de Pernambuco, 5 de dezembro de
1865.
Manoel Carneiro de Souza Lacerd.
No da 13. 16 e 17 do crreme mez 9e
dezembro, pelas 4 horas da tarde, se arremataran
de renda as matias da propriedade Apipucos por
lempo de nm aono, a contar do Io de Janeiro de
I8t6, cuja arrematarlo ter logar em casa do
respectivo administrador. CondocSes e mais dis-
po-icoes relativas ao arrendamento que por exten-
cas deixam-se de publicar sero fraoqneadas aos
interessados que para esse dm se nodero dirigir
a casa do mesmo administrador em Apiparos.
Os licitantes Japresentaro suas {propostas era
carta fec^-J** virolo aompaohados de seos fiado-
res, que4evem ser pessoas idneas, afim de asslg-
narym o termo de arrematado quaodo ella se
realise.
A arrematacao ser as 4 horas da larde nos dias
cima indicados.
Apipucos, 1 de dezembro de 1865.
O administrador,
Joo Francisco do Reg Maia.


.


misfto de Pernarat>racbn Conselho de compras navacs
Oconselpo manda aaer publico que nao tendo se
contratado h >je o fomecimento de carne verde aos
navios da armada e estabeleeiroenlos de mariuha,
durante o trimestre prximo de Janeiro a margo,
ficnu por isso transferido para H do correte Ble*,
avista de proposlasquo se recebara ateas 11 horas
da ni iiih i.
Sala do conselho de compras n.tvae?, o dezembro
de 1865.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
No dia 12 do correte mez de dezembro, e
depois da audiencia do lllm. Sr. Dr. juiz dorpha?,
vai a praca por venda a casa e sitio da Boa-Yiagem
annnnciad* para o dia 5 do correte, avallada uor
2:0005, e tem de ser posta em praca ro o abat-
da le; cuja propriedade pertence, aocasal do falle-
cido Diniz Antonio Ferreira Marques, e val a praca
para pagamento da credora D. Humbtlina Candida
Aunes de Mello.
CORBO CEiT
Pela administraco do correio desia ciade se far.
publico qne de eooformidade com o decrete n. 178
de 13 de maio de 18l e respectivas instrncgoes,
teve bola lugar o processo da abertura das cartas
atrasarlas perteBCjntes ao mez de novemnro de
1864, condenadas a coosnromo palo art 138 do re
gnlarmeulo dos correios de 21 de dezembro de
1863, aasistiodo a estes procesad o commercianto
Aluno da Silva Leal, desta aberturaresoilouacbar-
se nina caria de Joaqoim Facundo C. Delgado (le
Macei,) para francisco Jos da Pinho Castro Del-
gado com urna sedula de 205 que lica descrita em
livro para esta fim destinado. Por ultimo prece-
den se ao queima de todas as mais cartas, de que
se lavrou o respectivo termo qne o qnegsegue.
Correio de Pernambuco o dezembro de 1863.
O administrador e thesoureiro
Domingas dos Passos Miranda.
Termo de consumo das cartas em ser do mez de
novembro de 1864.
Aos 4 dias do mez de dezembro de 1865. na sala
da administracSo do correio itesta eldade, adiando-
s presentes os Srs. administrador e thesourei-
ro Domingos dos Passos Miranda e mais empre- j
% galos procedea-se em vlrtode do art. 138 do
regulamento dos correios do 21 do dezembro de
1844 o consumo de 230 cartas sendo 104
sel idas s 126 nao sellados, na importancia de
I8J309, como da factura abaixo declarada, coja
importancia flca tiesta data flescarregada ao mes-
mo Sr. administrador e thesoureiro.
K para constar se lavrou o presente termo em
q u assignaram o referido Sr. administrador c
mais em pregados abaixo declarados.
E i Eduardo Firmino da Silva, ajudante e con-
tador o escrevi.
O adminisioador
Domingos dos Passos Miranda.
Offieae* papelistas
Luiz de Franca de Olivelra Lima.
Ismael Amavel Gomes da Silva.
Vicente Ferreira da Porciuncula.
Pralicante
Agnello Ileiaeho deA. Pernambuco <
Porteiro.
Manoel ManohoSoaza Pimentel.
Pela administraco do correio desta cidade. se:
faz publico que em virtud da eonveocao postal j
wlelir. la pelos goveroos brasileiro e francez, sero
espe lidas malas para Europa no da 13' do corren-
: pe vapor Inglez Dauro.
As cartas sero reeebidas at as 2 horas antes
da que for marcada para a saluda do vapor, e os
joro es at tres oras ante-. I
A Irr.inistragSn do Cirreio de Pernambuco 8 de
i de 1863.
O administrador,
Domingo.- dos Passos Miranda.
Para o Rio de Janeiro
Segu boje*a barca brasileira Boassica; recebe
carga e escravos a frele : a tratar no escriplorio
d'Amonm Irmaos, ra da Cruz n. 3, cu com o
capilo Francisco Luiz de Scuza Jnior, na prega
do Commercio.
LEUDES.
LEILAO '
De urna esa ierre* uo Barro fregoeiia
dos ^fugados,
no je
O agente Pintofara leII > a requerioiento de An-
tonio Horeira Han Ioventarlante dos bens da ti-
nada Joanua Francisca de Meoezes, e por manda-
do do Iilm. Sr. Dr. juiz de orphioa de urna casa
terrea de taipa coberta de telhi, sem numero, no
lugar do Barro freguezia dos Afogados, com porta
e janellade frente, 24 1|2 pililos de vo, 40 1|2
de fundo com grande quintal rom arvores de
fructas e em chaos foreiros, as 10 horas do dia
acuna dito no armazem da tua da Cadeian. 8.
De reoslos de oiiro patente iu-
glezes novo iberio.* c ilcs-
cabertos para humeas e se-
uhoras e traoseilos de onro.
no je
NA BA OA CADBIA AF.MAZKM N. 20.
Southall Mellor & C. faro leilo por inlerven-
gfio do agente Pinto, e por coma e risco de quem
pertencer do dilf rentes reloglos e trancelins de
ouro, os qnaes serao vendidos para fechar factu-
ras, as ti horas em ponto do dia cima dito no
armazem da ra da Cadeia n. 8._______________
Tleilao
De orna escrava ni ca de 20 jnnos.
O agente Martina fara lellio p,r mandado do
lllm. Sr. Dr. )uiz de direito da primeira vara cri-
me e substituto do da lateada de u a escrava de
20 anuos de dade, bonita figura sabendo alguma
cousa de costura, cosinlia e ensaboa.
a-a-" ara
No armazem da ra d.t Cadeia do llecife n. 8
as 11 horas.
Leilfu
ao
Do umescrao moco e sali.
Terca-feira 12 de dezembro
Por iotervengo do agente Pinto,
da ra da Cadeia o. 8, onde havera
veis.
ao armazem
eilo de mo-
P pafesta de Njiaia Sanhoia das IVeves
padiwira dconvento de S. Frail-
is o da cidade __# v^- m. M-M JL^ J- .JO. E' a ordem do dia I Acabar com os Par-e
De grandes premios c expeliente gtuyos a bayoneta, a mini, a revolver;
planii. fubnina-los com os encouracados armados
Aos 42:000^0JO, 3:00^000, 00?000 de esporSes, armstrongs e raiadas de 80
e 30>$000
55000
O guardia i do convento do Nossa Senhora
das Neves de Olinla. faz scieDte aos devotos da BILIIETES A' 10f>0l)0, MEIOS A'
Yirgera Senhora das Neves, que a festividade da QUINTOS A 2 000.
SS^r:8" DOa,d0 Acham-se venda na thesoararia ra
No sabbado 9 do correte, ao meio dia. diversas do Crespo n. lo, OS blllietes da 1 parte
girndolas de fugo lununanio aos devotos da Au- da lotera das familias dos voluntarios da
3
Ihao da goard nda. *"">***
Ni domingo 10, as II horas da manh.ia, ter piano abatxo publicado,
principio a fesia, u-ando no Evangelbo o bem eo- Os premios de 12:000^000 al 20OOO
Leilo
De cerca de 80Ocaix s com sabia ia-
gll raneo e araarello em um ou
mais lotes a vontade d.iscompradoies
Ouarta-feira 13 de dezembro. gusta Virgem, o festivo dia 10, tocando n.staocca- patria, cuja extraccio ser quarta-feira i'
O agenle Pinto levai a lellio por cota e risco & "% *tJ5 ,&fjfw, do 9 bjla- de deembro corrente c pelo CXCClleriK
de quem pertoncr, cerca de 800 caixas com sa-
bao inglez (o qu*l tem tido muila aciuico uesta '
praga pela sua boa qualldade) as 11 horas do da
cima dito no armazem do Sr. Annes em frente a
alfandega. ____________________
LEILAO
, ." &j .
Segne ira a liba de Fernando de Neronba
:,;'< ma \0 oo corrrente m-z o hiale Sergtpawt :
i i| lizer c^rregar ou ir pas-agein. dirija se
a ra ii i Vigarii n. 2, com Jordo Jos de Oiive-
ra, i o com o capillo i bordo._____
hira o Rio de Janeiro
Vii sabir com brevidade o brigue Adelaida
p ir i r a maior parte de s-u carregameolo trata
do ; e | ara o qu.i lie falla, trata se com o consjg-
nauno Joaquim Jos Gongalves D^ltro : na ra
do Vigrio n. 17, i" andar.
G0MP1NHI1 BUSILEIRi
DE
TES A VAPOR.
De terrenos foreiros pe tencentes ao espo-
lio do linado subdito portuguez Manoel
Luiz dos Heis.
Secunda leira 11 do corrente*
Por ordem do consulado de Portugal o agente
Pestaa fara leiliio por conla e risco de quem per-
tencer dos terrenos foreiros pertencentes ao espo
lio do finad i subdito portuguez Man tel Luiz do*
liis em cujos terrenos se acham situadas a< casas
na ra do Calaboocons. 8, 10, 12 14, IG, 18 e 20,
e na travessa do CalabouQu n. 2 aonde existe a casa
dos expo-tos, o leilo lera' lugar segunda feira 11
do corrente a porta da Assocacao Commercal.
G*~ Feira semanal
De trastes avulsos, grande qoantidade de
objectos de ouro, prata e brilhafites,
crysiaes e outros m'iitos ar ig"S.
SiM|iin\a feira 11 do correnle as H horas.
NO GRANDE ARMAZEM DE LE LOES
UO AfiENTR
OLYMPIO
3(511.34 la a esa o llccie
Leilo
De um sitio na Capuoga roa das Crioalas n. lo,
pertencent ao espolio do Hoado subdita portu
pue/. Manoel Jos Soares Guunaraes.
Se0run(la-f;ira li do corren e ao meio dia.
O Bxente Pestaa levara eramente a leilio por
ordem do consulado de Portugal serviodo de base
a maior offerude 2:100*o sitio em 'liaos pro-
ortos na Ca muga ra d w Cnoulas n. 13, boas ac-
eommodacfies para familia, quintal mralo, cacnn
ba cora bomba etc., iterteocente ao espolio do o-
nado Mainel Jo- Soares Giimares: segunda-
feira II do corrente pelas 12 li iras da manh.ia na
porta da Assocacao Commercal.______________
LEILAO
E' esperado dos partos do snl,
at o da 14 do corrente, o vapor
'aran, eomiiiandante o capilao
_ de fragata Antonio Joaquun de
:{?J5P Santa Barbara, o qual depois da
' mi ra do costme seguir' para os portos do
il.
Desdej recebem se passagelros e engaja-se a
que o vapor poder conduzir, a qual dever
ibarcada no da de sua ebegada, encom-
e dinheiro a frele at o dia da sabida a
21 ras ; agencia ra da Cruz n. 1, escriptono de
AntO' l.uizde Oliveira Azevedo & C.__________
COMfAIDA PER.\'AM.iUC.Y.\'A
DK
Kave^ela easteira por vapor.
"Para Fernando.
Segu no da 11 do corrente, s
9 horas da inanbaa, o vapor na-
Conal Mawawjuap?, commaudan-
te Etatis.
Recebe caga, encommendas,
geiros e dinheiro a fretes al o dia 13 s 3
l. larde.
E-eriptorio na Forte do Mattos n. I.
Campanilla Peryambacaia
DE
.\ ivegafte co.tcira por vapor.
I'ARA
Par hiba, Natal, Maco, Aracaty e Gear
ao lia 1! do corrente s 3 horas da larde
i>r nacional Persinitaga, cimmandaute Bdl-
miro.
i; be carga at o dia 12. Eucommendas. pas-
sageu is e dinheiro a frele, al as :i loras da tarde
do i da sahida.
E-criptorio no Forte do Mallos n. 1.
Co rp.inhJmdus Weasagerle Im-
periales.
At o dia 14
do corrente mez
espera-se da Eu-
ropa o vapor
" |.^X^flBRP"^^^^, 'rancez Extrema
_'_ii> {i pois da demora
do costume se-
guir para Baha
e Rio de Janeiro
Pera eoodieg&w, fretes e passagens tratase na
agencia la da Trapiche n 9.
De fazm A 11 do corrente.
O agente Olivejra fara Idilio de porco'S de fa
zeudas Ingiezas consistindo em madapoio:s. algo-
des de listas, bramantes, nnhas de cores em car-
r.'teis, e princesas com defeito, assim co no algo-
does de listas, chitas, madauowes, algodoziobos e
outras em bom estado, ludo para fechar coulas no
fim do anno.
Segunda-feira 11 do corrente
as II h'iras di uiiiiliaa em pinto, no armazem do
finado Henry Glbson, ra da Cadeia.
De difieren tes fazendas, roupa feita, miudezas,
e outros objectos perin^enie< a massa fallida
de Ifaooel do Amparo Caj, com averia d'agua
salgada na sua vinda da Parabiba para esta
provincia, os quaes objectos podero ser exami-
nados uo armazem da roa da Cadeia n. 8, no
dia
Segouda-feira 8 de dezembro as 11
lloras cm ponto,
O agente Pinto fara' leilo a reqoerimanlO do
curador fiscal da massa fallida de Manoel do Am-
paro Caj e por man lado do Ha. Sr. Dr juiz es-
pecial do commercio, das mercadorias cima men-
cionadas que fazem parte dos bens da referida
massa, as 11 horas do da cima dito no armazem
da ra da Cadeia 8.
P; ra a IUia de S. Miguel.
I) I; i de Janeiro esperado o patacho porta-
ffwt Fernando, o qual lea' ne-ta pouca demora,
por ter meude de seo carresramento prompto :
p ir.i i resto que Ihe falta (rata-se com os seus coa-
Signatai ios Antonio Luiz de (Jhveira Azevedo & C,
n j cnptorio, ra da Cruz n. 1.
Rio de Janeiro.
Pretende seguir com mona brevidade o brigue
aeiitBil Amelia, para o re-to da carga e passaeei-
ros ] liw falta tr tase com os Beusconsignata-
rios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, ra
da Cruz o 1.
T. io bons commodos para passageiros e es-
C/4TOS.
Leilao
De um piano forte, urna m ilulia de Jacaranda nn-
va, urna dita de fau, 3 quadros de Jacaranda
com linas gravaras, cadeiras americanas, ditas
de bala neo, 1 sanctuario, alguma louca e mui-
los outros objectos que estaro pal ules uo ar-
mazem da roa da Cadeia n. 8.
Terca feu-a 12 <'c de;enturo.
Por intervengo do agente Pinto.
b vWllh FEIR
De chapeos de massa lina de differentes
feitios para bomem, ditos de pallia de
varios gostos e do chylt.
Teit;i-lena 12 do correnle ao meio
da.
NO GRANDE ARMAZEM DO AGENTE
OLYMPIO
36-IU'A DA CADEiA U KE.IFE-od
LlilLA
Para o Porto.
Deve sabir rom brevidade o brigue portuguez
.awr'i*i por ter a maior parte de seu carrega-
meiito ; i' tratado : para o resto e passageiros ira-
;i-' c en Cunha. Irmaos i C., na "ra da Madre
Illia de S Miguel
O patacho portuguez JlltGKNCE. segu com
muita hrevMade por ter a maio parte do seu car-
regamente promjRO, para o resto da carga e pas-
sageiros trata-se com o consignatario Joao do Re-
g Lima, ra do Apello n. 4.
De movis, obras de ouro e prata, livros, roupa e
muitos oulros objectos que estaro patentes ao
exame do* concurrentes uo armazem da ra da
Cadeia n. 8, no dia
Terca-leira 12 de dezembro as 10
huras em ponto.
A requerimento d- Joao Luiz Ferreira Rlbeiro
inventarame dos beos deixados pelo Uado Joa-
quun Francisco do< Santos e por mandado do lllm.
Sr. Dr. juiz de oruMhH, O agente Pullo fara' leilao
dos objectos cima mencionados perlencenles ao
mestnii tinado, as 10 horas do da a:ima dito na
armazem da ra da Cadeia n.
LElLtO
De 19 caimas com latas le biscootos
surtidos em lotesa vontade dos com-
pradores.
Quarta-feira 13 de dezembro no armazem
do Sr. Annes em frente da alfandega.
Southall Mellor & C. faro leilo por nterveneo
do agente Pinto, e por conta e risco de quem per- i
tencer de 19 calzas com latas de biscoutos surtidos
em lotes a vontade dos compradores, as 11 horas
do dia cima dito no armazem do Sr. Annes em
frente da alfandega.
lS0S BTOjflg.
O coronel Francisco Joaqnim Pereira Lobo
deixa por seus bastantes procuradores, premunidos
dos mal ampios poderes, ao seu eslimadissimo
filho o bacharel Francisco Lnopoldino de Guraaio
Lobo e a seu caro irmo o commeudador Joo Bap-
tista Pereira Lobo.
O capilo Antonio Gracindo de Gusmo Lobo,
retirndose para o sul do imperio com o corpo de
que faz'fiarte, despede se por este meio dos seus
collegas e amigos, aos quaes offerece os seus ser-
viro-, onde, qner que o chame o dever militar. _
GARltAUX. DE LAILHACAR & C.
LIBoAIRIE FBANQA1SE
Rua lo crespo u. 9.
LIVROS NACIONAES E ESTKANGEIROS
Rclitjio Pliilosephia Jtiris|iruilencia Liliera-
tura -Sciencias e artes.
Papelaria, objectos para cscriptorio.
Joaqnim Lopes Horeira, subdito purtugue?,
vai a Portugal para tratar de sua saude.
Jos Campns y Rarros, subdito hespanhol,
retira se para Buenos-Ayres.________________
A o publ'CO
Tendo sido publicado hje no Jornal do Htctf a
chapa dos candidatos a eleigo provincial efloreci-
da pelo directorio do partido ligueiroou progressis-
ta e vendo oella a Incclnsio do meu nome pelo
t-rceiro dislricto eleitoral da provincia, sou torea-
do a declarar que nenhum compromisso ten'.io pa-
ra com esse partido e multo menos que huuvesse
en c mtribuido, mesmo indirectamente, para que
fosse contemplado pelo mesmo directorio. Nie
oh-tante agradeoo tsordialmente a quem quer qu^
fosse o autor dessa lembraoca, assim como a tole-
rancia da parte dos Srs. do directoiu a respeito
lo mea obscuro nome.
Becife 7 de dezembro de 18(53.
Manoel NettoCarneirode SouzaBanleira.
Deposito de pao e de cestas
filiiii l.irgKlo tlosarlo is. S.
Fructuoso Marlius G -mes inulto grato a bonda-
de cooi que seus numero-os freguezes o preferein
as suas obras de rime, de palha u de go-to co o
nUfl sempie se acba prvido o e-lab .eeiniento
.icma indicado, vem de novoiembrar e repetir que
s neste esiabeleciinenio aonde se. enconira um
completo sorlioieiilo de ditas obras para todos os
inisieres de i-asas de familia, a sega ranea das obras
e os ineliiorameiilos mais modernos no seu frma-
lo a par dos preces o mais fatora ve I que posivnl
ced las, ota ultima adiceSo m- tem feio c faz
merecer a proteccao e preferencl i dos meus ami-
gos, assim desde ja os c mvido a virem a este -ia-
helecuneiito muuirem-se de bercnhos fin >s para
rteiur o menino Deus nos presepes, cestinhase
maracas eobertos de palha para as pastoras, ba-
Iaios linos para meninas de e-cola bercos volan-
tes de palha para recem-naseldos, balaios para
eriancas aprenderem a andar, cateiras de vlmel
branco, Cestas de arco para comers, bandeijas de ,
vime para roupa engoinmada, balaios para deposi-
to de roupa suja, ditos para deposito de papel ras-
gado, ditos pra arrumar roupas de passar os das
da fesla uo campo, ditos para conduzir jamares,
actales de, p para :er as frutas sobre a me-a, ba-
laios de lampa e sem ella para co-tura grossa, ler-
uos de condecas e de actales brancos e de cores,
i-onile-sinbas de rre- para doces seceos, mullos
para canarios do imperio, gigos de vime grosso pa-
ra padaria, nutras mullas ooras aqui exislem mas
seria por demais massanle apreciar o lim a .)ue el-
las podein ser applieadas. Aqui se acham sempre
ne-te lempo os bons abacaxis do Monteiro a S00
rs., e melancias das Cuicuraoas a 1, garntese a
boa qualidade._______________________________
O abaixo assignado em resposu ao anouncio
publicado por seu enabado Vicente Ferreira Nones
de Paula, m Diario de Pernambuco n. 2^0, decla-
ra ao respeitavel publico c a quem interesse tiver,
que Igualmente ratifica a existencia do debito do
mesmo Vicente, e appella para os Iribunaes do
paz, para a deci-o de negocio tilo seno, que alf-c-
ta a reputacao de arabos: e tal a lUsliga de sua
causa, que o mesmo seu cunhado ha de ser o pri-
meiro a recoulvcer o erro em que labora, erro
esse, que ja levou a alDnnar -to publico, j' ter da-
do principio a urna acgo de falsidade, em data de
30 de uovembro, qnando o abaixo assignado, hnje
6 de de/emhro, nao teve. oulra sciencia seno pelo
seu anuuncio ; o primeiro engauo ou erro, assim
sero os mais. Emqoanto a observagao do refe
rulo annuncio (alias Ca nalura), o abaixo assignado declara que nao foi
proposito, e sim engao typographico, e qaera
delle se qnizer certificar, diil|a-se a typograpnia e
o exija, a vista do qual convencer-se ha de que o
abaixo assignado era e incapaz de mudar o seu
sobrenome, appellido, oucomo queiram deuominar.
O abaixo assignado declara que a ultima respo-la
qne pelos jornaes dar' ao seu cunhado Vicente
Ferreira Nones de Paula, e appella para os tribu-
naes do paz, como ja' disse, Gcando tranquillo em
sua ronsciencia
Olinda, 6 de dezembro de 1863.
Manoel da Silva Neves Coutinho.
Atteu^ao.
Ansenlou-se na n ote de domingo 3 do cor-
rente mez, a escrava Rosana, crioula, iaade 18
annos, pouco mais ou menos, tem os signaes se-
grales : ba>tant- baixa, cabellos a cabralhado,
tem os dente* da frente abroados e algOUs arruina-
! dos, feiroes miudas, pa pequeos cora os dedos
grande afastados dos oulros, levou vestido de la
de quadros de vanas cores, chales encarnado de
barra bstanle usa lo; suspeila se que mude roupa
na na, muilo conheeida por vender cangica,
natural de t'.abaceira, su-peita-s estar acollada
por alauem : roga-se porlanto as autoridades poli-
ciaes e capites de campo ou outra^ quahiuer
peSita que a apreeoder leve a ra d-i Santa Ritta
n. 72, que. sera b-m recompnsalo; assun como
protesta se, contra quem a liver oci-uuada.
AMA
Precisase de, urna ama prefermdo se captiva e
que seja fiel, para comprar e c.ozrahar : na ra do
Queimado D. 40, toja de fazendas.
Esta para aloear-se o Io andar e lojas
dn sobrado n. 44 a ra da Aurora : quem
os quizer dirija-se a" ra Nova >o Sr. JoO
B. do Reg, era seu armazem de fajeadas
nhecido padre mestre Antonio Mam>ei de Assump- seriio paaos una hora tleiiois da extraeco
cao, a mus ca rarmilitana exeruiara a bella rai-sa i,nrao ,t., tirJp p nc nntrn rlpnni
de Pinto, e a nonle o gran le Te Ueum de Luna. *le .> j lar'ie> e 0:> oulros eP0ls
As horas da tarde, subir ao ar um balo, da illStnbuiCaO das listas.
Os bilhetes encoinmendados s sero
conservados at a respeta da extraeco.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
PLANO
Para as exracedes
DE
cando ne.-ta niesma occasi> a msica militar as
melbores pecas de seu r-ferlori .
As 7 horas da n-ule, tomegar o Te-Deum
orando o Rv. Sehaslio de Audrala Vieira, dando
fim a toda a festividade cotn a subida de oulro
balo.
O guardiao, para maior brilhantismo espera a
concurrencia de lodos os liis devotos, em lodos os
actos cima menciooados.
Antes da fesla lera tambem lugar a hencao dos
quadros do Hora l'aator e de Nossa Senhora Mil
dos Bornea*.
Tera tambera no dia II, a festa religiosa do Glo-
rioso S. liento, havendo missa solemne e Le Deum
a noute.
Do segundo andar do sobrado da ma dn Im-
perador n. 16 prximo o ero do Ouvidor, fogio
um papagaio com direcfo ao fim da mesma ra :
quera o pegar dinja-se ao dito sobrado que ser
gratificado.

\;>.

DE
PERNAMBUCO.
Para ser applicado quando conveniencias
especiaos venda dos bilbetes o
aconselharem.
Precisase de um fetor para olaria, que en- lnn,.ftV.|ft n|ft Btm 6. ,w.0s !,,|a
deste trafico, .pie seja solte.ro, prefermdo se PPIO>O pCIO bU. I. pil.SI itlIlL
4000 bilhetes a 105000............10:0005000
Beneficio, sello e coramissao 2i 0|0.. J:OU5000
Liquido......30:4005000
tenia
estrangeiro : ra do Larga d>R osario n. 16.
Aluga-se o lerceiro andar e soto do sobrado
da ra da Imperatriz n. \. tem commodos para
grande familia : a tratar na loja do mesmo so-
brado.
Precisa-se de um amassador de padaria : na
ra do Rragel n 9._____________
Veneravel or cisco do llecife.
Pelo presente se convida aos peritos d'arte para
examinarem u sobrado da rui do Livramento n. a,
dudos andires pertenrente ao patrimmio da
mesma ordem, o qual tem de ser reedificado, a
apresentarem seus orgameotos era carta fechada ao
nosso irmo procurador geral Antonio Jos Silva
do Brasil, travessa da Matre de Dos 23.
Aloga-se o primeiro andar do sobrado n. ti
da ra das Crntes, pmprio para pequea familia
1 Premio de........ 12:0005000
1 Dito de.......... 3:OiiO5H00
1 Dito de........... 9005000
1 Dito de.......... 5005000
1 Dito de.......... 2004000
8 Dilos de 1005000 8005000
23 Ditos de 405000 920*000
49 Ditos de 205000 980*000
92o Ditos de 125000 11:1005000
----- -------------30:5005000
1010 Premios.
2990 Drancos.
4000 Bilhetes.
N. B. Os premios que estao sogeitos a descinto
sao os de 5005000 e 9 i()5000 ao de 5 por cenlo, c
ou para hornera solleiro : trata se do seu aluguel os e 3:00u500d e 12.0005000 ao de 17 por cenm,
no segundo andar. sendo 5 por cenlo da lei provincial e 12 por cenlo
da lei geral.
* Tnesouraria das loteras de Pernambuco, 22 de
novembro de 18G >'.
O thescureiro,
Antonio Jo.- Rodrigues de Souza.
P
\MA
Precisa se de nina ama para casa de urna s
pessoa : na Roa Vista Becco das Rarreiras n. 3.
Alnga se o terceiro andar da casa da ra da
Cadeia n. 4 : a tralar ni armazn da mesma.
Precisa-se de um eaixeiro de 12 a 14 anuos |
no pateo da R.beira de S. Jos n. 23. ________
Trasladarn dasimageas da igrejadei
flnssi Si'iiliora dii Terco, panan-
va matriz de S. Jos.
A mesa regadora da irmaodade de Nossa Senhot-
120; cxtermina-los cm suninia a espada, a
fa o e a punbal de que se trata; maj
ninguem se b-mbrou anda de esmagar os
Paraguayos con as armas que Dosnos con-
ceden ; acabar com elles a tapio e a ponta
ps, para o que necessario encourayar esta
parte do nosso corpo cura os unnidaveis
rompe-ferro, esmaga c- bra, arranca t eos.
quelira marmore e outros que se veodem
-Bl'.\ *vflB5B5IT.\45
Dorseguins Bordeaos........ 8-^000
patricios......... o$000
para senhoras, en-
feitados....... 55500
com laco c fivella .. 4^soO
Sapates encouracados....... 50C0
B-irseguins para meninas bom
eiasl eo................. 3;500O
Sapatos de lona, sola elas-lica. 25O0O
avelludados......... 1<5G0U
de, tranya..........'. lfiOO
com salto de lustre.. 2,-5240
Um comp'elo sonimei to de calcado da
trra para botnens. senboras e meninas;
assim eterno bezerro francez, cooro de lus-
tre, marroquins, taixas de todas as quali-
dades, fitas para sapateiro, muito sortidas,
sola e coaros que tudo visto necessariamen-
tc faz coliica au comp ador pela barateza.
a ma pura caso.
Precisa-se alugar urna ama jiara lodo servico de
una casa : na becco das Biias u. 2; primeiro
andar.
N. O. Bieber 4 C, sucessores, sa-
cara sobre o Rio de Janeiro a vista ou a pra-
zo confoime se convencionar.
Mugara s,- as rasai da ra do Progresso ns.
II e 13 : a tratar na ra do Sebo n. o.
Anda estn para aloyar dua's casas na ilha
do Retiro, tem commodos para lamilla,estn (unta-
das e tem hanho na polla : a tratar com Luiz Ma-
noel R. Vainica, pudendo o preleodente examna-
las no niesnii "luyar.________________^__^^__
No armazem
de drogas e tintas na praca da Roa vista n. 21 pre-
cisare de um eaixeiro que lenha pi tica, e affiaa-
(andn sua conducta.
Aluga-se 00 vndese urna casa de um andar
com qnaiio salas' 6 buarlos, coiinha fra. quintal
murado com cacimba e boa agua, em chaos pro-"
prios, no excellente lugar da roa da Esperancado
Lamo da Boa-Vista; por onde tem de passar bre-
vemente a linha frrea di Recite a Aploucos:
quem a quizer comprar ou alugar dinja-se a ra
do Trapiche n. 12.
DA FORT
Aosl:O0050O
3:0005000
OOODOO
SdOJOOO
BiiJ-ifcs sf.tutSios.
A" RA DO CltESPO N. 23 K CASAS DO COSTUMt
O abanoassinadi'veudeu nos seus inuofeli-
ra do Terco,#iendo de coulinuar com as obras de Zt.3 oilht*tes garantidos da lotent
sua igivja, e como nao leona um lugar apnqiriado jfi extrahir a
Ama.
benelicio da "-anta Casa de
ricordia, os seguales premios
para collocar suas santas unagens, resolveu tra.-la
dar ellas para a nova matriz de S. Jo-. a qual le-
ra' lagar Cora toda a solemnidade sexti-feira 8, dia
da inmaculada Coaeeico, pelas 10 horas da ma-
nhaa, e ah permanecern at concluso de su i
A mesa regedora pede a lodos os irmaos o seu
compareci! uto pelas 8 horas da manha, para
acompanharmos nossa excelca padroeira e suas da Fortuna a ra d. Crespo n. 23.
santas imagens. _____________| \eham-se a venda os da 7 parte, da
Mise-
l'm meio o. 2ijtS cora a sorta de 6:000S.
Um inieiro n. 1200 -on a sorte de 1:2002
um iuteiro n. 27 com a sirle dj 500000.
Um meio a. 3317 com asarte de 2utiooo.
B outras umitas surtes de 1004, 40,.t i0$.
Ospossuidores podem vir recener seus respec-
tivos premios sera o.-, deseclos das leis na Ca-a
lotera
Alosaseansitio. j*1') bene"ci"
Alagas- onismo.iil'a-agen da Magdalena, a JJJ qUe M
inargem do rio CapibariOe, com excedente casa
com lerraco, duis salas, 8 quarios, cozmha fora,
quario para escravo, estribarae arvoredos : aira-
lar na ra da Cadei n. i-
das familias dos voluntarios
exlrabira quaru-f-ira 13 de
Bilhetes.
Meios.
Para
PRECO.
. 12 5000
. C3000
Quintos.....25400
as pessoas que compraren! delOO^OOC
para cima.
.... 115000
.... 54300
.... 2-5200
Manoel Martins Pn za.
Bilhetes.
Meios. .
uiulos.
HOSPITAL P.iUTGUEZ
DE
BENEFICENCIA EM PEIl.\.sVM-
BI7CO.
Nao se, tenlo reunido nu u ro legal dos Srs. so-
cios para constituirse asseinbla geral, alim de
pruceder-se a eleico da junta administrativa que
tem de reger o hospital no auno prximo futuro
conf >rine -e havia aoooociado para o domingo
passado : de novo convoca se a dita assembla pa-
ra o prximo domingo 10 do correte pelas 10 no
ras da manha, esperando se dos Srs. socios alten-
cao ao convite qne ora se Ibes faz.
(viciara do Hospital Portuguez de Beneficen-
cia em Pernamboco o Je dezembro de 1863.
O secretario
Joao Pereira Hibello Braga.
Medico e operador.
O Dr. Joao Raymnodo Pereira da Silva, rhegan- dotes, rendas, pjns5"S, isengoes do'sorvico das ar
: do ltimamente de Paiis, onde fr^quentou os mais maSi e^ por meio de sobscrlpcSes nicas ou an
nota veis hospitaes, pode ser procurado para o nuaes, as quaes convert tas em in^ripcoes da
Iexerciclo de sua proflssjo na ra da Cruz n 40 divida publica, de renda nacional, e da mes.ua fr-
I Segando andar. D coosn'tas todos osdusdas7 ma os juros semestraes que deltas se forera ven-
as 10 lloras da inanna. Especialidades, molestias cendo, Gcara por um cerlo numero de annos era
Sociedade de seguros mu-
tuos sobre a vida
O banco Atlianca di Porto tendo estabelecido
esta sociedade debaixo de saa immediata vigilancia
e responsabilidade, facilitou a creaeio de capites,
de oihos, partos e vas urinarias.
Lniza, cabocla, de idade 22 anuos, esialura
regular, falta de denles e cabello aparado, fugio
I de, casa de seu senhor no da 28 do mez passado e
tem sido encontrada no bairro de S Amonio e
Recite : qu-on a levar a ra d*Apollo n. 30, sera
bem gratilicadj.___________________
Ama.
Preci-a sede urna ama forra ou captiva
da IVnha 1* andar n. 21.
na ra
deposito, at que, fiodi o praso estipulado, sai
restituidas aos socios com os nteresses am rabia-
dos, bem como as que perteneerem aos associados
falleeides, visto que destes sao herdeiros os sobre-
viventes.
Pela engenhosa combioacao econmica adoptada
nos clculos desta""sociedade, v-se que, com urna
entrada anninl de 505000, por exemplo. obtem-se
em 5 anuos ioOOOD a 5oi>5"00, em 10 1:5005000
a 2:00o5000. era la 3:o005'00 a 4:o0(l*'00, era
20 8:0005000 a 10.0005000, era 25 18 0005000 a
25:0005000, conforme a idale do individuo sobre
Precisase de um criado ; na botica na praga ; quera feti o segure, pois que nos referidos cal-
da Boa-vista n. 32, dando liad r a sua condocta. ]culos conta-se con a maior ou menor probabilda
---------------------rij------ "" ; de de duracao de vida.
AHl:un-.se Esta sociedade sobretudo vantajosa aos chefes
ascasasdaruadosPrazere.de bairro da BM- ^ ranoilis, visto qae Ihes facilita seu sacrificio a
Vista n. 1 Ae o. 1 B. ambas novas e por IG5 fum^cao de ura capital ou doteoara seus (ilhos ou
rnen-aes cada urna : a tratar na ra estreila do fiin;li segurando-os quaBdo nascem ou em quanto
Rosario n. 28__________________________Sg enancas.
AttnniS > Quhio, pis, mais circnmstanciaas informagSes
.lLoll|,' Precisa se de ura eaixeiro que nao precise de como socio delta, dirjase a ra da Madre de
Deus n. 28, onde se poder entender com Joao
Carlos Coelho da Silva, aue para isso se acha en-
ferrao as; Ciuro Ponas n. 93.
Precisa-se de ura eaixeiro que lenha pratica
de motilados : na ma do Imperador a. 81.
Mi noel Fonlecova e Paz, subdiio bespaubol
retirase para Buenos-Ayres.
carregado.
AVI 0
Lava-se chapeos do
um: na ra Velha n. 12.
Chile a 15280 cada
CotlPWHU
Pedro Gongalves da Bocha, como tntor dos
orphos, lhos de um tinado seu irmo Augusto
Gonealves da Rocha, d-clara para os fins conve-
! mentes que nao contina cora o arrendamenlo do
; engeabo llha-Grande, da fieituezia d'Agiia-Preta,
: no qual estava aqueile sen fallecido irmo, e apeuas
lira a prsenle safra, por ja ter achado o eageoho adaptados ao algodao sul-ameri.ano.
' era cometo de viagem.
Assim protesta nao pagar a< letras que assignou
| dito seu irmao pelos outros annos de arrendainen-
to que esto por vencer se, o que tudo faz publico
paza constar aos mt-ressados e era lempo nao se
poder allegar falla de aviso.
n.2i.
Alberto Locner vai a Europa.
Albero LocobT reiirando-se para a Europa pede
a todas as pessoas, que se julgarera seus credores
de apresentarem as suas cuntas ua ra da Cruz casa do 4 faces junto a ponte do Varadouro, acha
Pai a a constru cao de machinas
DE
ALBEIITSO* : IM>l'I.VSIi
New London, Cormectieur, Esta-
dos-Uoldos
Solicilam pedidos de descarogadores de algodo,
gptados ao aluodao sul-ameri.ano. Ho-se de-
dicado a es.e negocio durante 2' annos, e atteode-
rao imraediatamente a correspoudeucia que se Ibes
dirigir.
Para banlios do m tr.
Alua-se urna casa terrea na praia de S. Fran-
cisco, com sala e quarto na frente, 3 quartos no
interior, saU a traz e cosinha fra, a qual fica
confronte a oanellioha exMenle na mesma praia, e
muilo commoda para o passamento da fesla : ua
Precisa-sa de urna ama para c:i trangeiro, que saiba cozinhar e lavar : na ru.i No-
va n. 21. __
Ensina-se a desenh i para as a res a 2; meu-
saes : a tratar na roa .la Ro la u. 19.
Grava-se e duura se era marmore letras a 100
rs. cada nina : a tratar na ra da Roda 18.
Alosa-se dua ca^as no Caxanca, sen i i uuia
' m (i quartos, salas, cosioha tora, ci xeira ;-ara
receber i cavallos, tendo junto uma outm mis
pequea, com 4 quartos, 2 salas, cosinha fra : e
Irata-se no lugar cima, cora o Sr. Pacheco.
Deseja-se uma pe-soa habilitada que lenlia
bastante pratica, de commercio de estiva, para
tomar coma por h.lauc\ de um eslabelecimimlo
de motilados; oa que tenna habiluacos para asso-
ciarse: quem liver consciencia di saa f. nducta e
os requisitos para tal Bra, deixe caria techad i nesta
typograpnia, cora as lettras Y. Y. Y. para ser prc-
enrado.
.No Diario de l'ei nambnco n. 27'.' oe 5 do
corrente me/., Ii um annuncio do Sr. Manoel >a Sil-
va .Neves C'Utm'o) (alias Cavalcante seguirlo sua
a signa tara) no qual responde um nutro une liz
publicar no mesrao Diario e acerca de um suppoS-
to debito meu para com o mesmo onhor! A res-
peito nada mais teubo a dizer senSo, qne rartifico
quanto disse uo meu aimumio cima citado; e
(icranie os trbunaes sera esclarecida a verdad,
visto como para inun um misterio a existencia
de tal divida.
Becife, 5 de d-z-mbrn de I8G5.
Vicente ferreira Simes de Paula.
Aluga-se a casa Terrea da ma de Sania Rila
n. fi1.), junio a igreja, tendo bons c imm idos, quin-
tal e cacimba, e reedificada de pouco : a tratar ua
ra do Imperador u. 81. ________ _____
Aluga-.-e urna ca-a comcoamodcs par.i gran-
de familia, com bom qumlai, cacimba e sulao, na
ra dos Marlyrios : a tratar na ra Direiia nume-
ro 47. ______________________________
Precisase de urna ama forra ou captiva para
casa de pouca familia, paga-se bera : a tratar na
ruado Pires o. 24.
Precisa-se alugar una ama de raeia idade e
de conducta regular, para o servido interno de uma
casa eslrangeira de punca familia : quem estiver
nestas circumstancias dirjase a ra do Trapiche
n.12.____________ __________
Precisa se de ubi Irabalhador, na padaria em
Sanio Amaro, alraz da fundico do Sr. Siarr.
Na ra do Livramento n. 19, ha para alugar
uma boa escrava.
De 20 barricas com ^Ipista e i 00 cai-
\is com salta.
Quarta-feira 13 do dezembro.
Por iuiervencao do agenie Pinto e por conla e
risco de quem pertencer so armazem do Sr. An-
nes em frente a alfandega..
Preci-a-se de uma ama para lavar, enguaralar
cozinhar e para fazer Comoras : na travessa da ra
das Crnzes.n. 14, I* andar.________________
i Precisa-se de ura eaixeiro para padaria, teado
pratica de taberna tambem serve, dando coaheci-
raenio de sua conducta : na ra Direita dos. Afoga-
dos n. 66 A^________________________________
I'reci-a -e de una ama forra ou captiva para
cozinhar e comprar para casa de rapaz solleiro :
aa ra do Queimado n. 7.
n. 42, o mais tardo al o da 12 do corrente mez :
denota deste praso nraguein p >dera ser mais atleu-
dldo ___________ _________
Precisa-se alugar tima preta quitan let-
ra. pajtn-86 bem: a trotar na ra da Cruz
n. i primeiro andar.______________
Preclsa-se de um criado para compras e ser-
vico interno d casa : na ra do Imperador n. 17,
segun-io andar.
C ravida-se ao Sr. sacerdote qne qnizer con
tratar-se para celebrar as missas oe natal no Rio
ra c ra quem tratar, ou oo segundo andar do so-
brado n. 47 ra da Praia onde mora o Sr. Gimi-
niaoo liarlo de Oliveira e Mello.______________
O esenvo da irmandade de Nossa
Senlioa da Cunceitjao da igreja da Gongre-
iAvS, para cumprir o qud determina o art.
48 do compromisso da mesma irmandad-),
avisa a todos os seus carissimos innSos, pa-
ra r-untretu-se no consistorio da mesma
iureja. no domingo 10 do corrente me* as
9 Imras da manliaa, para em mesa geral
Precisa-se de urna ama para o servico do uma
s pessoa : na ra do Caldeireiro n. 70
Offerecese uma ama portugueza para casa
de pouca familia ; quem pretender dirija-se a ra
de S. Francisco n. 70.
Pede-se aos credores do Sr. capilo Antonio
Joaqnim de M-llo, a virem a ra do Livramento
o. 38, para reeeberem o ultimo dividendo, Osando
certos de que nao recebendo at ao fim do crrente
mez, ser suas importancias recomidas ao deposito
geral.
j| O Dr. Cosme de S Pereira conti- __]
I na a residir na ra da Cruz u. 53, ||
i i e 2o andar, onde pode ser procu-
M rado para o exercicio de sua profis- S
, sao medica, e com especialidade J
sobre y seguinte
Io molestias de olhos;
2o de peito:
3o dos orgaosgeni- |
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doenies se-
ro examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pe-
los doentes de olbos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manha, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
Cao que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.

Irmaos & CL
i nar no futuro anno de 1806.
Ama do leite
Uma preta escrava parida de Ojancos d>as, com
bom leite e acostumada a este servico de tralar de
meninos: na ra da Penha n. 9, sobrado de um
s andar._______________________
Precisa^stTde uma ama para casa de pouco
familia : na ra Direita n. 43 segundo andar.
Precisa-se de dona amassadores para irem
para uma padaria fora da cidade : a tratar na ra
dos Q*arteis n. 22, junto a loja de fumleiro. ___
Precisarse-um criado, para o servico de com-
pra e cosinha, em ura sitio perlo da cidade : a
tralar na roa do Impejador n. 17 segundo andar.
Precisa-se de uma ama para casa de pouca
familia: a iratar na roa Nova sobrado n. 36.

-i.
**
.


Diario d r.*mai
sabbado 9 e Dezctvbro de S*.
CONSULTORIO MED1C0-CIRLRGIC0
DO
DR. PEDRO DE 1TTAHYDE LOBO BOSCOSO,
HEDICO, IMIlli-HO K OPGU.tUeR.
3 Rua da Gloria, casa do Fundiie 3
O Dr. Lobo Moscoso d oensultas gratuitos aos pobres todos os das das 7 s 1-1
ooras da maahao, e das 6 e meia as 8 horas da noite, excepto des dias santificados.
Pharmacia especial hornea pal lea
No sesmo consultorio ha sempre o tois appropriado sortimento de carteiras
tubos avuisos, assim cerno tinturas de varias dyinnatnisacoes c pelos precos seguintes.
Carteiras de 12 tubos grandes. 12^060
de 24 tubos grandes. 184000
de JO tubos grandes. 245000
de 48 tudos grandes. 30000
de 60 tubos gran Jes. 33)5000
Prepara-se qualquer ca teira conforme o pedido que se flzer, e com os remedios
que se pedir.
Ura tubo a\ulso ou fraseo de tintura de ir.eia onca 1000.
Sendo para cima de <2 custarao os preces estabelecidos par as carteiras.
Ha tubos mais pequeos ceda urna 500 veis.
A mellior obrada bomeopathia, o .Manual de Medicina Homeepalhico do
dous grandes voluntes com diccionario .'...........
Medicina domestica do l)r. Hering...........
Repertorio do Dr. Mel Moraes ...........
Diccionario de termos de medicina...........
Os remedios deste estibelecimento sao por demais conhecidos e dispensam por
tanto de seren novamente recommendados as pessoas que qui/.erem usar de remedios
verdadeiros, enrgicos e duradores: ha tudo do mellior que se pode desejar, globos de
rerdadeiro assucar de leite, nolaveis pela sua boa conservacao, tintura dos mais acredi-'
tados estabeleciraentos europeos, a mais exacta e acurada preparacao, v portanto a maior
energa e certeza em seit eleitos.
Casa de saude para escravos
D i ," ,. u Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer prompta a collar-seno lugar. f *8nw-se
operaco, p.rao que o aniiiir.cianie julga-se sulcientemente habilitado.
O Iratimento o mellior possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
unecionando a casa ha mais de quatro annos, ha molas pessoas de cujo coaceito se nao
pode duvidar, que podem ser consultados por aquelles que desejarein mandar seus
doenles.
Paga-se 25 por dia durante (O dias e d'ahi era diante 1->oOO.
Asoperacoes serio previamente ajustadas, se nao se quizerem sujear aos precos
razoaveis que costuma pedir o annunciante.
FABRICA A VAPOR
99 RA DO MONDEG 99
fieposio na na Aova n. .>> Ioja de relojoeiro.
Dr. Jahr esta montada com as melhores machinas que existem na Europa,, c que pode fabricar
205000 Cm melh"r perfeico possivel. Todo o chocolate dcsla fabrica est garantido, e puro
105000 aue na0 se pode encontrar naquelle que vem de fura, c que se vende por preco baixo'
G5000 visto os producios serem do paiz. Na cliq.eta tem sempre urna aguia.
Ama de leite.
Ouro e prata.
Em obras velhas : compra-se na praga da lo
dependencio n. 22, luja de bilhetes.'
Comprase o engenho de espremer cajas que
fi do fallecido Vicente Ferreira Gomes, oa faz-se
ootro qualquer negocio : do segundo andar da,
casa n 2 da ra Augusta.
Mappa-iuundi-phinispherico.
Na ra du Livramenio u. 19 compra se um map-
pa-planispherico.
Comprase carosso (sement) de algodao : no
armazem de algodao de Sauuders Brothers & C,
no caes de Apollo.
VE IDAS..
35000
PRECO.
Meia libra.......... 400
Urna libra......... gqo
Urna arroba........ 19500O
DE
Precisa-se de urna ama que t-nha bom leite, para
acabar de amamentar urna crianza de oito me-
zes: d ra do Queimado n. 17 segundo andar.
Na ra ireita n. 78, rerinagao, precisase de
ama ama para rosiohar.
Precisa-se alugar urna preU para o servico
de urna casa de pouca familia : a tratar na ra
da Cadeia do Recite n. 19, primeiro andar.
BOTICA E DROGARA
DE
B. r. de Meaza & C.
Itua lanja do Rosario n. 34
Remedios de Raduvay
Prompto alivio.
I'ilulas reguladoras.
lUzdutivo.
Remedios de Kemp
Anacahuita.
Salsa de Brislol.
Pilulas assucaradas.
Agua florida.
Pastilhas vermifogas vegetaes.
Chegados pelo ultimo navio vindo da america.
Tendo a irmandade do Divino Espirito-Santo
da igreja do Collegio, resolvido em sessao de mesa
conjunta, mandar fazer de marmore branco lino a
capella-n.or de sua igreja; convido de ordem da mais correctas possivel tanto no calculodac
mesa regedora aquellas pessoas qoe seacbarem las e eclipses, como as diversas festas
habilitadas a mandar execular seme hanle obra, nn o i,r;,jiirn. ,-nA,~ .
a examinaren! a planta que se a.-ha exposla na sua ?UC a'8 J- ce'ebra' ^dom-SC uiucamen-
sacnstia, e a apreseutarem as suas propostas no ie na "vraria da praca da Independencia,
pra-o de 40 dias contados desta data. Consistorio ICO ris as de porta e 320 ris as de lgi-
da irmandade, em 10 de novembro de 1863. beira.
O esenvo.------------ .
_____Francisco ielurmino dos Santos Freilas
Aluga.se o terceiro andar da casa n. 88 da
ra da Imperatni, e. o sitio n. 1 da errada do Ar-
raial : no roa da Aurora n. .'Ifi,
MINIAS
PARA 1886.
Acabam de sabir luz as folhinhas de
algibeira e de poita para o anuo de lati, o
IUWO FRTICO
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama de leite : na ra do
perador n. (2, terceiro audar.
i
Im-
eds
DE
-
DE
J. YIGNES.
.". 55. IllTA BO BMIi:5SADOR K. 55.
0* pianosdesta antiga fabrica sao huje asss conhecidos para que seja nocessano insistir sobre a
sua superioridad.', vanlugense garantas qneofferecem aos compradores, qnalidades estas iucontesta-
veis que ellos tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; pos-
suindo um teclado e machinismo que obedecem to las as vontades e caprichos das pianistas, sera
cunea falhar, por serem fabricad s de proposito, e ler-se teito ltimamente melhoramentos importan-
dssimos para o clima deste paiz ; quanto s vozes, sao melodiosas e flautadas e por uso muito agrada-
reis aos quvidos dos apreciadores.
Faiein-se confoime as ene iramendas, tanto nesta fabrica coaio na do Sr. Blondel, de Paris, socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as eiposicSes.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um esplendido n variado sortimento de msicas do;
melhores autores da Europa, assim como
oreos commodose razoaveis.
COEIIIO s FREITA
Rua da Cruz u. 1G.
Continua a haver diariamente um sortimento de pastis, podios, bolos itHezes
empadas etc., ele. Os donos deste estabelecimento, acham-se as melhores condices
de poder sattsfazer encommendas concernentes sua arle, em consequencia do socio
Frettas ter sido administrador chefe dealgumas das princi aes fabricas na corte, sendo
urna a do Sr. Joao Goncahes Guimares (confeitaria do Lefio) amiga casa de Carceller
Todos os trabadlos sao differenles dos que se fazem em casas particulares.
Os propriclanos desle estabelecimento nao se tem poupado a despezas ncm se
poupan... se houver concorrencia como esperan*; tendo continuadamente bom sorli-
mento de doces para cha: presuntos e ditos em liambre, tambem se recebem para se-
rem preparados; assim como doce de caj novo superior, secco e crystalisado; dito em
calda em latas hermticamente fechadas, podendo durar annos em perfeito estado
Para jamares e partidas recbem-se tncommendas dos seguintes objeclos': ban-
e caprichos das pianistas, sera deijas ricamente cnfciladns sem armaco pecas de amendoas (nogaces), ditas di
de ovos, pes de l enfeitados com disticos anlogos a
kecbs simples e ct-.feiiados com frtelas inj.
chese, tortas de fructa, massa folhada ;
de differentes especies.
Tambem lemum complclo sortimento de \i.1I10s engarrafados, como seiam
harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
tmaras
i> qualquer lira; ditos montados,
eza ; gatheaux de la reine, ditos de le du-
ditas de peixe e carne; cremes e doces de ovos
visti
>ende.se esta excellente obra as Drincioaes li-
Alugam-se tres casas na povoacan do vrarias desta cidade, a 35 cada exemplar.
Montciro a margem do rio, com nimios 7-------------~.-------.------.,. p-----
bons commodos e em muilo bom estado' Lfiailllttl (10 LlUdaO
,de limpeza : a tratar na rita do Crespn.) Vende-seo Manual do Cididao em um
120, esquina, cujo preco de alugnel e ra- Governo Representativo ou principios de
izoavel-_______________________________Direito Publico Constitucional Administra-
Em casa de Tneo Cbristiausen, rua do Ira' tivo e das Gentes, por Silvestre Pinbeil'O
piche-novo n. 1G nico agente no norte do Brasil, Ecrrt'ira, em 3 Volumes bfOXUradS por 34
de Brandenburg freres, ilordeaux, encontra se ef- r...\~ ,,i.r n. 1!_.._:. Q /
caua oi)i,i na ii\raria n. 8 da prat;a da
Independencia.
AMcnfo
Vende-se relogios de prata dourada por muito
barato preco ; na praca da Independencia u. i''
e .
vr-
Joao da Silva Hamos, me no
peia universida le de ioimbra, d
: consaltas em sua casa das !i as
j liberas da manba, o das i as n
i da larde. Visita os doentes cm su
Prociso.
do Porlo superior, Figneira, Madeira, Lisboa, Clierez, Bordcaux, Champagne fino ser-
veja, licores, charopes e conservas. Para testas: bonitas caixinhas com amendoas con-
reitose maisenfeites. Mullos destes objectos mencionados podem-se perfeitamente ac-
casas regularmente as horas para
$ issn designadas, salvo os casos ur-
>* gentes, que serio soccorridos em
m qualquer occasiio. D consultas aos
.Sr pobres que o procurarem no hos-
g| pital Pedro II, aonde encontrado
* diariamente das 6 s 8 horas da
manba,
Tem aia casa de sade regular-
mente montada para reeeher qnal-
do -ule, .onda mesmo os alie-
3, para o que lem commodos
aproj riados e nella pratica qualquer
opperacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe. .35000 diarios.
,-:*
Na roa da Cruz, armazem n. 63, precisa-se alu-'
gar una mu her capaz, de boa conducta, qoesaiba
cozinhar, comprar e fazer todo o mais servico de :
orna casa de familia (menos conduzir aguas qaer
limp.is qaer servidas), prefere-se escrava, que seja
fiel. C-,r,.nk' se pagarse bem e com pn m(didao.
Antonio Jos Rodrigues de Soaza, na rua do
Crespn. lo, aluga sua casa e sitio no Mouie.ro
em frenle.ao oiiS" da igreja, tendo o sitio poriao
d ferro, cacimba com boa agua, estribara e eo-
cheira, a casa 1 salas, 7 qoartos, e uto, a qual
muii-- fresca e > sla de n ivo bem caiada, concer-
tada e pintada : para ver, as chaves eslo cm a
casa do Sr. Nicolao Machado na mesma
condicionar tanto para a provincia, como tiara fura.
povoacaj.
Precisa-se de um caixeiro de 12 a I i


Segunda dita..
..3*500
Terceira dita .2*000
Esie estabelecimento j bem
acreditado pelos bons servicos que
tem prestado.
O proprietario espera que elle
continu a merecer aconfianca de
pie sempre lem gozado.
a 1111 os
para caixeiro de taberna e que lenna alguma pra-
tica da mesma, prefere se Portuguez : a tratar na
rua da Moeda 11. 29.
Na [iraca da Independencia n. 33, Ioja de
onrives, compra-se ouro; prata, e pudras preciosas,
' em se faz qualquer obra de encommenda, e
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SUFFOCgAO NERVOSA E OPPRESSlO
1^ r""'(l0 efficaz !,ara, combattir estas molestias, acalmar um altaque d^asma e impedir a
2TE rflmHn"? de Succino ('"''araioarello) do D' Danet. Sescoberia inteTramenie
!S VZZSgfiStt|,ropagado com cxtrema rapidez gravas aos admira-s resul-
h3X2 e,ado,ci;r,.,o'SVeaUd- r4' r"a d C0merd0> Pa--Grene.le, e em todas
as
>iuer concert.
1- lam
todo e qua
O abaixo assignado declara a quem inicies
.-ar, que nao tem e nunca teve iolervenco algoma
com a photographia Cruzeiro do Norte*.
J. liouncfond.
fertivamente deposito dos artigos seguintes :
St. Julien.
St. Pierre.
La rose.
Chaleau Loville.
Chateau MargaUZ.
Grand vin Chateau Lafitte 1838.
Chateau Latine.
Haut Sauternes.
Chatean Sauternes;
Chateau Lataur lanche.
Chaleau Yquem.
Cognac em tres qualidades.
Azeite doce. Precos de Bordcaux.
Os abaixo assignados deelaram ao publico
e com especialidadeao carpo do commercio que
Antonio Centeio Lopes deixou de ser caixeiro dos
mesmos. Recife 30 de uiivembro de 18(i3.
Alves & Lopes.
FOCO DO AU.
No armazem da bola amarrlla no oilao da secre-
aria d polica recehem-se encommendas de fogo
a dor para deutro e fura da prouincia.
IUT
CAVALLO
Precisa se de nma ama para andar com um me-
nino fazer mais alguin servico em casa de fami-
lia: na rua do Queimado o. 39, Ioja.
Ni refinaria da Passagem da Magdalena pre
cisase de dous batedores de assucar qoe sejam
perfeitos em sua prolisso, quem se julgar habilita-
do dirija se a mesma relinaria, ou ao trapiche da
Companhla, na praca doCorpo Saolo. Tambem
precisa se de um homem que saina |cr e queira
oecupar-se em entregar pao e assucar aos fregu-
' zcs em urna carrosa.
Olferece se urna senhora portngueza capaz
para cozinhar com lodo o asseio, em casa nacional
ou eslrangeira, desde as G horas da manba as 7
da noite; quem precisar pode dirigir-se a roa do
irisiJikiii
llartholoineu n. i'J qoe ai
com qui'iii tratar.
Pedimos a lllm.- cmara municipal da cidade de
Olinda, que tenha a bondad-- de lancar suas co- fo da mesma firma.
vistas no primeiro districio da freguezia de
Maranguape, que os esiabelecimeatos pblicos
que pagam os direitos acham-se quasi privados de
seus negocios, pelas casa* particulares de nego-
cios pois que ditas casas vendem todo e qualquer
gi ti ro a lempos, sem licencas e sem afencoes,
sem que em dito lugar baja iiscahsaco.
- Nos abaixo asMgnados fazemos sciente ao
respeitavel corpo do ccmmtrcio, e a quem mais
possa interessar; que no da de novembro dis-
solveu amigavelmenle a sociedade qu- tinhamos
nos armasens da roa da i'raia p. i:j e l' eonheci
da sob a razio llamos de Oliveira (\ C. fu-ando a
cargo do socio llamos de Oliveira toda a liquida-
Recife, 6 de dezembro de 18G-">.
Jos dos Santos llamos de Oliveira.
Antonio Vasco Cabial.
A luga-se
Precisa-se de urna engommadeira :
na rua do Imperador n. 17, segnndo andar.
Precisa se alugar um moleque acostumadoa
servio do campo : a tratar no armazem da rua da
Cadeia do Hecife n. 36.
Precisa-se de ura pequeo dos ultiraos-che-
O Alcoholado de Guaco de Pascal urna nova prcpanicao da qual
basta mencionar suas propriedades para appreciar sua importancia
Em primeiro lugar um preservativo inalivel do conraoto venerio (ver
folneto para o modo de o impregar).
2o Tem a vantagem de ser o remedio mais certo e mais agradavel para
as molestias syphilicas de toda a especie, ulceracOos primitivas e secun-
darias, ce.
3o Empregado em njeccSes, o mellior tratamento dos corrimentoi,
recentes ou ckronicos as pessoas dos dous sexos e da leucorrhea uas
mulheres.
4o Emfim como antidoto dos virus, soberano na cura das chagas e fe-
rilas de m natureza, chagas gangrenosas, dartros, ulceras das pernos,
ophtalmia purulenta, ou blenhorragica-, mordeduras e picadas de ani-
maes venenosos, ce.
Este especifico vegetal, izento de toda a accSo mortfera, foi experimen-
tado nos hospitaes de Paris, Lyon, Marcclha, ec, e recebeu a approvacao
dos distinctos doutores Ricord, Bauchet, A. Richard, Calvo, Diday,
Melchior Robert, Costilhes, Berenger, ec.
Deposito geral em Paris, botica de CHEVRIER, 21, ru du Faubourg-
Montmartre. Gasa de expedicSo, PASCAL e C, 33, rua Monsieur-le-
Priiice. Paris.
Na noite de 18 para 19 do correte furtou se um
cavado mellado caxito, da estrabaria do seu d no,
comsellim ingl-z quasi novo; cojo cavado lem
cimas e cauda pretas. as olma- sao grossas c C i-
hi-m sobre ambos OS lados do pescocp, e lem nina
ferida pequea na maodireita ; esta" acosiumado a
andar em cabriolel e bem conhecido nesU praca:
quem delle der noticias certas ou leva-lo a' Estan-
cia, sobrado de di us andares n. 2, ser gratilicado
Grande Bazar-
Carneiro Viaiua.
E' chegado a este estal eleciinento oa seguintes
objectos : cadeira de palha para enanca com ba-
lance, bereps de novo modelo lamb m do palha. e
outros mullos artigos d 'ses gneros ; pede se aos
seuhores que encommeddaram alguns objeclos
de-tes, o favor de vir escolher logo os que preten-
den] querer.
Objectos de metal das seguintes qualidades, ur-
nas para cha, chaleiras para fazer-se cha'-, appare-
Ibos de almofo, dito de jamar e todos os mais ar-
tigos que se podem desejar deste metal por pr 'CO
mnilo commodo, qoe a led.is deve agradar.
Aos tabaquistas
Vende se as apieciaveis caixas para tabaco, bem
felas, obra fabricada no Aracaty. por muito barato
preco, para acabar ; na rua da Cadeia fttecife) n.
7, Ioja.
Baldo
Vende-se um balcao de amarello que anda nao
foi servido, obra mullo bem feita, sendo dito bal-
cao ci m volla, propria para Ioja ououtro qualquer
estabelecimento, por mdico valor ; na rua do Vi-
gario n. 26 ou ca'es de Apoll no deposito de sabao.
24-CAES 22 DE YVElBR0~-~24"
Panlo Jos (iomes & Mayer.
Estao-se acabando as taboas qu-< temos annun-
ciado; portanto as pessoas que a i oda tem vuutade
de fazerera casas de madeira para moradia, ditas
para banho, quarlos para agazalho de prelos;
aproveitarem, pois na realidade baratis.-imo, la-
boas de ii palmos de comprimento, 6 pollegadas
de largura, e 1 de grossura i 75i00 a duzia,' e de
forro 15500. Travs, eocbams, e calbros de p-
nho, tambem por precc- que agradam aos compra-
dores.
Na rua Direita n. 8, ha
constanlemenie para ven-
der-se eyllndros americanos
chegados de Philadelphia c
me? passado.
Vende-se
a taberna do pateo do Carmo n. 5: a tratir oa da
Camp"S rua e.-treii.i .i,, Rosario u. \1.
A Henead
* m
Vende-se o sitio de Francisco de Assis Pereira
E-pclhos de todas as qual'dades para ornamen- Freir ni lugar'da Sp'oga'portod'o LasserreJ :
s, alcatif. e outros mullos artigos a tratar com Augusto Genuino de Piso
to de sala, tpele
que por gosio se pd
qual se acba aborto d
as 9 da n-ite. na rua
Deposito geral em Pernambuco rua da Cruz n. 22 em casa de Caros & Barbosa.
visitar o grande llazar, o
de t! horas da manhaa al
mmm
Hf Companhia idelidade de seguros *-
martimos e terrestres
>i< estabelecida no Itio de Janeiro. ^
^W ADEN ES EM PERNAMBUCO
j#$ Aulonio Luiz de Oliveira iuTeda i C, i
M competentemenic autorisados pela direc- -a'
5 toria da companhia de seguros Fidelida- ^B
fi de, tomam seguros de navios, mercado- jB(
rias e predios no seu escriptorio rua da !^!
Cru: n. I. M
gueiredo pro-
mmmmmmmmm^
., 77.
g DEPOSITO DE GAL 1E0 B
IM
urna grande casa terrea com siti) na rua de Joao
Fernandes Vieira : a tratar no sitio dos quatro gados com pratica ou sem ella para caixeiro de
leoes na mesma rua, das 6 horas as 8
e das da tarde em diante.
da manhaa ', taberna a tratar : na rua do Principe n. 32.
Precisase de dous trabalhadores para pada-
ria : na rua Direita n. 'i.
mnmum mmmm mom
Dentista de Pernambuco.
Rua estreila do Resari* n. 3,
ao p da igreja
^FRANCISCO PINTO OZORIOg
! Colloca denles artlflelaei "*
pelo.* yttemas aiai* uio- c.sj
I liemos
QB Flrnprega todos os meio.. -cienlificos para [gt
r,-^; -.n-.-rvitr ... n.iiiraes. (-'de ser procura- {3
81 do em seu gabinete dae 9 horas da ma- K
H| i,i.,a .,- 5 d.i tarde. m
Na Ioja n. 1 da rua do Queimado existe urna
carta para o lilm. Sr. Francisco Pedro da Costa
Moreira, estudante de preparatorios.
Acha se fgido do engenho Forno da Cal,
termo de Olinda, o moleque de nome Vicente, bai-
xo, cheio do corpo, cabellos pouco estirados, cor
fulla,date l a 13 anaos pouco mais ou menos,
rogase as autoridades pohciaes, capit.es de cam-
po ou quem o pegar lvalo no indicado engenho
acuna ou na Ponte de L'choa, sitio do fallecido
Henry Gibson e no Recife na rua da Cadeia o. 21,
que sera recompensado.
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
Urna tanca em dinheiro, depositado nos cofres do estado, garante a boa ad-
ministraco da companhia.
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O Raneo de IKespanha
FABRICADO NA CASA DE DETENCAO
IIna .\ova n. ttl.
Ahi se encontrarlo obras de di-
versas qualidades, e por preco niui
diminutos, a retalho e em porgues.
S se vende a dinheiro.

m
n
m
Mi
Precisa-se alugar um cscravo para
servico interno e externo de urna casa de
familia : na rua do Oueimadon. 29.
Precisa-se alugar um moleque ou urna escra"
va : na rua do Livrameoto n. II, 2o andar.
Precisase fallar ao Sr. Luiz Francisco Pereira
Braga, nesla lypographia.
curador do mesmo Sr. Freir.
Vinhos fino?.
Superior vioho do Porlo das marcasPedro V e
raiuha de Portugalem garrafas solas por ter
dado o cupira as caixas, e por isso se vende por
barato pre^o.
Ha tambem as mesmas marcas em caixinhas de
duzia, bem como barrilinhos de '/, de ptimo vi-
nho tambem do Porto, e tudo se vende por prtgo
commodo para acabar.
No armazem de Ferreira cv Malheus, rua da
Cadeia do Itecife n. 62.
7T PEClivJCA!!"
53Rua Direita53
Salitre refinado muilo fino ; ;>5-j00 em barrica,
lona moito larga propria para encerado de barca-
fa e camas de vento 15 a vara, camas de vento a
55, e de encommenda lona do reino com laxas de
cobre a "5o(io, espingardas dous canos muilo finas
a 235, 33Ji WI e 605. facas e garfo- cabo de viado
3oOO, balancas linas 35, pentes e enfeites para
senhoras tudo de bom gosto modernos, bandejas
fina?, ludo pelo baralo preco que s com a vista se
podera ver.
I enea o.
DIRECgAO GERAL
Madrid : Rua do Prado n. 19
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de supervivencia dos segu- ?5es para serviC interno e externo de urna casa
sobre a vida. de pouca familia : quem a liver aonuncie ou diri-
Ja-se a' referida casa.
Na rua da Aurora, casa n. 70, segundo an-
dar, precisa-se alugar urna escrava que tenha mui-
to boa conducta e as demais necessanas habilita-
GUROS
MARTIMOS
contra' fogo.
A companhia Indemnisadora, estabeleci-
da nesla praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamenlos, econira
fogo em edificios, mercaduras e mobilias :
amuel Power Jolinstou k Companhia
Rua da yenzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fiindieao de Low Moor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendase meias moendas para -engenho.; na rua do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Tajde ferro eoado e batido para enge- gBi M10i Wilil
^___ J| O Dr. Carolloo Francisco de Lima San- W
. mt tos contina a morar na rua do Impera- S
Arreos d carro para um e dous cavallos. g dor n. 17, segundo andar, teode alias seu SR
Relogios de o ro patele inglez. JR gabinete de consultas medicas, logo ao M
Arados americanos. I M eD'rar' no pnmeiro.
Ma hias para ,lescaroCar algodo. mesmo dou"'r' f|ae se ,era dado ao
Motores para ditos.
Machinas de costura.
IOS
Nella pode se lazer a subscripcao de maneira que em nenhum caso mesmo por morte do
segurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
mi So t0 suljreneadentes s resultados que produzem as sociedades da ndole deA NACIO-
| NAL,que anda mesmo diminuindo urna lerca parle do interesse produzido em recentes liquida-
coesecombinaado-ocom a morlalidade da tabella de Depareieux que adoptada pela companhia
2ar.anSus c"lca,os t '"li'datoes, em segurados de idade de 3 al9 annos, urna imposico annua.
de 1005 produz em erfectivo metlico:
No fim de 5 annos.......1:1195300
de 10 .......3:9425600
de 13........11:2085200
de 20........30:2565000
de 25 .......80:3315000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais'considera veis.
Prospecta e mais inforraagoes sero prestadas pelo sub-direclor nesta provincia.
Joaquim Fiuza de Oliveira, rua da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista rua da Imperatriz n. 12, estabeleci-
mento dos Srs. Raymtindo, Carlos.Leite & Irmo.
SITIO.
Aluga se o sitio no Rosarioho n. 2 junto a capel-
la, com bastantes arvoredos de fructo, casa, co-
cheira, boa agua, por preco muito commodo : tra-
ta se na rua Nova n. 55, ou ilecife na rua da Ca-
deia n. 3.
rrecisa-se alugar urna preta que siiba eozi-
nhar : oa rua da Soledade o, 46.
( esludo tanto das operacOes como das mo-
ujg lefias internas, presta se a qualquer cha-
fiw mado, quer para deulro quer para fra
B da cidade.
mmmm mmmm mmmm
Casas
Al:igam-se duas casas novas na freguezia da
Boa-Vista, ma do Principe ns. 4 e 8, com 3 quar-
los, 2 salas, cozmha fra, quinial bom e murado,
cacimba, sao muito radias : a tratar na rua Nova
numero 3.
mmmmm.
ttencilo
Precisa-se de urna ama que sai- M
j( ba muito bem cosinhar e que faca
$; compras : na rua da Cadeia do He-
& cife n. 38, primeiro andar. B
." j.' -a.' .'.:"* *"*'
sni
Precisa-se saber de Antonio Fernandes da
Silva, ou de seus herdeiros residentes nesle impe-
rio, uegoo de seu interesse sobre urna heranca
que te/n sai ftatafctl. rua do Queimado n. 32,
Ioja..
C0MPAKIII4 PEHNAIIBUCANA
O agente Oiympio em seu armazem a rua
da Cadeia n. 36, compra apulices da companhia
Pernamburana.
Precisa->e de um caixeiro para taberna que
tenha pratica da mesma e que de fi>dor a sua
conducta : a tratar na Soledade taberna n. 30.
Precisa-se de urna ama forra ou escrava que
saiba bem cosinhar e engommar : a tratar na
rua da Penha sobrado n. 23, primeiro andar.
Aluga-se a casa assobradada n. 36 i rua da
Alegra propria para familia e exudantes : a tra-
tar a rua do Mondego otaria n. 13.
Saino a' luz em Paris, e vende-se em Pernambu-
co, na livraria de Jos Barbosa de Mello, rua da
Cruz n. 32 :
Formulario ou guia medica por P. L. N. Cher-
novi7, 7* tdicao augmentada com medicamentos
nov.s, e acompanhadade li'4 figuras, 1 voltme
em 12 ene, prego 65000.
Na mema livraria se vendem as obras seguin-
les do mesmo autor Chernoviz :
Diccionario de medecina popuiar, 3* edrcao,
muito augmentada e ac m; aunada de 231 figuras,
3 vols. em 8o ene. preco 205.
Historia natural para meuinos e meninas, 1 vol.
em 8 ene, prego 45000.
Modo de conhecer a idade do cavallo, do burro,
das bestas muars, do boi. do carneiro, da cabra
e do porro bruchura, cm 8o, prego 15.
Na praga do commercio n. 4, escriptorio de
Jos Maria Palmeira, vende-se :
Cerveja Bass, verdadeira em bon'jas. chegada
recentemeiite no navio inglez aAnne Kay.
Riscoulo inglez muito fino.
Bolachmha hamburgueza nova cuja qnalidade
ja aqui nao vem ha lalvez 2 annos.
Vendem-se
G0MPR1S.
Compra-se
um cavallo, habituado a andar em cabrio-
let: na livraria da praca da Independencia
se dir.
Silvino Guilherme de Barros compra e ven-
de effectivamenle escravos de ambos os sexos :
rua do Imperador n. 79, terceiro andar.
Compra-se ouro, prata e pedras preciosas,
em obras velhas : na rua da Cadeia do Recife,
cja de onrives no jrco da Conceigao.
machinas americanas de serrote para descantear
algodao : na rua da Senzala Aova n. 42.
Peonas de ema de milito superior qualidadef:
vende-se na rua do Vigario n. 24, Io andaj, es-
criptorio-
CEHVEJA DA BAERA.
Na loj do cha' vende-se superior cerveja da Ba-
biera, urna caixa com duas duzias de garrafas por
105, e a reaiho a 800 rs. a garrafa.___________
Vendem-se inhames da Costa e jerimuns da
mi-Un-r qnalidade : na rua da Moeda n. 31.
Vende se urna negrinha de 10 annos, com
principio de habilidades : na roa da Aurora n.
50.
{
l *


Diario de Per Bambuco abluido 9 de Dezcmbro de 18**.
Rival sem segundo
Roa do Qaeimado ns. 49 e 55, loja de
miudezas de tres portas, est qoei*
mando ludo boro e barato, quero qui-
zer ver.e admirar venhan loja do
Bigodinho.
Caixas de papel-amzadc, e sem ella liso e pautado
a 600 rs.
Groras de botoes de louga prateados fazenda mo-
derna a 160 rs.
Duzias de penna de ago fazenda boa a 40 rs.
Pecas de tranca de la lisas e de todas cores a
40 rs.
Escovas Qnissimas para limpar denles a 240 e
320 rs.
Pecas de fita de cs estreilas com 10 varas a
320 rs.
Caixas com clcheles franceses, superiores quali-
dades a 20 rs.
Tinteiros de barro, com superior tiuta a 100 rs.
Pecas de cordo para vestidos, fazenda boa a
20 rs.
Baralhos muito finos para voltarete a 200 a
240 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos de macar perula muito Uno a 200 rs.
Frascos e garrafinhas cora agua de Colonia a
00 rs.
Frascos grandes com superior agua de Colonia a
640 rs.
Caizas com 12 frascos de ctieiros muito finos a
l*OG.
Sabonetas pequeos de bcila a 240 rs. e grandes a
320 rs.
Uuza de saboneles pequeos com theiro a 700 rs.
Agua dentifice superior qualidadea 800 rs.
Caias com superior p de arroz a 800 rs.
Frascos de superiores essencias santal t outros a
1*M0.
bascos com essencias para tirar noduas de roupa
a SOOrs.
Frascos com dwiros de todos os precos a 160,200,
240 e 329.
Frascos bonitos com cherros finos a 500 rs.
Duzia de meias muito finas para sentara a
4*300.
Golliohas muito finas para senhora a 200 rs.
Cairas cos soldados de chumbo para meninos a
Ots.
Pecas de lita de la'para debrcm de vestido, com
tO varas a 600 rs.
fritas da bicos superiores, para acabar a 600 e
800-rs.
jPedras de lousa pava menicos a 160 rs.
'Bunecos de choro e panno 160 rs.
Caires com bonitas estampas pararr.p a 100 rs.
Capachos compridos, boa azenda a 300 rs.
'Grosas de botoes pequeos pretos para catea a
100 rs.
varas de cordao de espartilho a 40 rs.
Ncvellos fraBcezes com 20l jaras a 40 rs.
Pecas de tires bordadas a 610.
Duzias de meias cruas muife fortes e superiores a
35500.______________________________
CHILES
^Grande pcchlncha.
No rea da Imperairiz n. 52 porta larga de'Pare-
des Porto, vndese chales de merino estampados a
2* e tjbwe finos 3*, esir.o se acabando.
Bordados.
Chegoua loja de Paredes Porto, rua da Impera-
triz n. 0*2,401 sortimento de camizinhns, gollinhss,
corpinhns, romeiras e sintos, de cambraia branca,
pelofearato prego de 251*00, 3?500 e 45, gollmkas
500 rs., romeiras a 800 e sinlos a 800 rs, grar.d
quaEtidade de ntremelos a 600 e $00 rs. a .peca,
estao -se acabando.
ALG Na loja de Andrade A Reg, roa do Crespo'n. 8,
esquina da rua do Imperador, contina a vender-
se superior alpodaoda Bahia por menos prego-que
em outra qualquer parte.
'Vende-se um aeeravo cabra escuro, sa;-.i:eiro
e coziniro. barato : no collegio Ceelhesc 12. No mosmo -coHpgio se alega um
grande sitio cjui amKa fructa, uuho, etc., na Ta-
marine* P.
a\L
:\c arn.azem da ra do Imperador n. 3 -oc no
Caes de Pedro II n.-, tem para vender-se o me-
bcr gaz existente nc mercado.
O I*citor5il de Ccreju,
DO >R. AYER,
l'M' I I :.\ RA I B-
T i* I aa mol stlas -, cito
< Br ndii iraa, dcflnxos, roqul=
v^tv dio.Co pieloetie,angina, lUpthcrla.
l.-.r ::ro,.- peltOnl C O JVSlll-
tailo de toagoi aanof de emdo
^ior um dpw prlmclroa BradCM ila
America do Norte, e riic:is iu:uti'jos:i* nos jirin. Ipaefl
hOfpHaM .u mando; wi lado i" !.. m diooa mab4bttaetoa
deste aculo .:. ii clnica particular, paatanto ilisuo ih. toda
eoDflaaea, l?,p 'tert&cat, iflcancando-acat urna certeza (afal-
Irel o Manato na moletlia arrancraila me .-i* rafae, .i-.-im
dandoaw nHafleetadoajoma aceo actaral e b:Svjot
n r fama tloaarpHomala ociolaai p peatn de qxtalq-er 4dade
mi .-... aa haaaem robusto icrlanea^amalatearaldade,
eadafiaao >.-mi. aeeompaaakndd de dhicaatemmuchuan:
.{", e nlii. por neo ter km n nctto $eontat *oU lualquer mod
ico "vi plaratawirticn pide Mor a formula di. ana coiopORico,
irlgindo-M penoalmente OBOoreartaaoneentegoral, II. M.
lSK,a ru DiMlta >'o. 15. Kiu.kJ.innP>.
Mnitoa BMM i|"v' tinbo embado de tadoa os recursos
i\v- ciencia tem si(i-> ciliados ji.ucaliiienIe.tom o uso do
Pcitoral de Cereja.
A* peaaoas atacadas -le (asar, ilffluxos, D6r '" garganta,
Breafnfc. asma, ria MBarnente fazein 1)01100 caso do son padccimcnto nl
que ejarfarde para <-uia-io. Nao /]>>cuideis ii' .una ios.se
porque agtra parece de ponca iinpaxtancia; uan toase
descuidada ebega -or oicoiiiea c in-luz a formacao de
itfafrca&Bi nal miIimoc.
Ncnliitiim c asa ilc tam'iha deve rauo- sem un fiasco
iilate xarope mi; pois nos ataqaaa rapentinei de
Ai'/'"''. de Ctonp, e nos imwxismos do ''<-iwlm-he; ou
ampriie t que esto Mijeitas as eriancaA nao ha
ti,ii,(oilc iliaimu um medico, em de tattt rtfttodioa,
esti aarope alivia inuucdialunK e jie o jH:o querido
silo c 6tro, lora de pergo-
A n.uc'tia- que e-wlrt no alcaaea das virtudes curativas
oo JPJirOJtAZ. DE CBBJEfA ao
Defluxoa, Toases, A*a, Esquinencia, Broschite,
CoqueWche, Toase ferina ou convulsiva.
Roquido, Todas m molestias do peito
e Karfcanta. Conatampco dos Pul-
mw ou Tiaiea pulmonar.
Acha-sc- esa todas a Boticas e Drogaras do Imperio.
PJulas Oatharticas do Dr. Ayer
CTJBA
Prlzo a> vetUrr, Jtaltaattf, Constipado, Itheu-
mallunut, nnmmorrhotdas, Iir de caliera, A Xerral-
ata> mal do stanuujn, T.nxaqut.-a, mal do finado,
fastrttr, Pebre yastro-hepattra, Jjonibriaas. JCrysIp-
* Un, JlydropsSn, Incremento do h'//v.
Todas as roolet'las que prorra do uso excessivo de
Quinino.
0 mlhor purgante at hoje conhecido.
Estas pitillas auucaradus sao puramente vfgltaes.
PuTtGO E PTTBiriCO SEM MEECTTEIO.
A venda em todas as Botica3 c Drogaras do Imperio.
Aiii:\Ti: t;i:u.ii,
H. M. IiAIB, Kua Diretto No. 16,
Bio de Janeiro.
Vende-se em Pernambuco:
na
PHARMACIE FRANCAISEp
deRMAURER&C!
. RA NOVA Nd
Grande loja e armazem o
Patfto.
Ra da Imperatriz n. 60. de Gama & Silva.
Tendo os proprielarios d'esle eslabelecimenlo de
liquidarem urna grande por^So de suas fazendas,
al ao Dm do crreme anno, afim defecliarem con-
las e apurar dinhtiro, resolveram vender todas as
fazendas com grande abalimento em presos, tanto
em porgo como a relalho, e por isso previnem a
todos os seus freguezes, e ao respeilavel publico, e
as pessoas que negociis em pequeua escalla com
fazendas, que oeste esiabelccimeuto enconirarao
um grande sorlimenlo que muito Ihes ho de agra-
dar tanto em presos como em qualidadt;; as>im
como mandam pelos seus caixeirus levar as fazen-
das e amostras oas casas das familias que nao po-
derem vir a loja, ou dao as amostras deixando Q-
car penhor.
Caiubraias lisas a 3S00O, la leja do
Pa>o.
Vendem-se pe^as de cambraia lisa branca e
transparentes, tendo oito e meta vara cada pe^a,
pelo barato pre^o de 3*>00, ditas muito Tinas, por
Novidades do Vigilante
RA DO CRESPO N, 7.
Este estabelecimento apezar de sempre
45000,55, 6^ at 105, sendo tapadas e transpa-1 se adiar bem sortido como todos sabem,
rentes, assim como cortes de cambraia com salp- j hoje mais que nunca, nao s pelo que rece-
isto s na loja e armazem. do Pavao, be de sua pr0fJ|.ja cont3j mag tambem pc|0
na ra da Imperainz n. 60 de Gama |V Silva.
As camisiHhas do Pari. fc. *;ccebe d,e consignares ; parece sem
Mendem se as mais modernas camismhasborda--llovida que deve oflerecer grandes Yanta-
das com manguitos, para senhoras, sendo as mais; gens para o respeilavel publico tanto em
modernas tas com manguitos, para acabar, a 1,1; ditas pre- mo acai,a ,ip rhprai- erandp rpmt^sa ripio
tas com manguitos para lulo a 1*600 rs., mangui- "" d ,v e cne6ai K^anue remessa pe o
tos e g^linhas prelas a i*, finissimas golinhas de: wPor Douro e O navio Solferino de
cambraia branca bordada a 500 rs., calcinhas para diversos objectOS de gosto e proprios do
menina a 640 rs., romeiras de fil e cambraia! lempo dos quae'S se mencionarao alguns,
por nao ser possivel mencionar todos. O
dono dcste estabelecimento espera a pro-
teccjfo de todos.
Riquissinws caixinhas ornadas e com
msica profiiia para um delicado mimo.
; branca bordada a 15600 : na loja do Pavao, ra
i Ca Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cbales de inrriu a :>0U0.
Vendem-se os mais modernos diales de merino
I estampados a SiOOOcada um, havendo lambeln um
grande sortimento dos mesnios matizados que se
vendem a 6, 7 e 8*000 : na loja e armazem do
Pavao, ra da hiperalriz n- 60, de Gama & Silva.
Os cintos ik Pavo.
Vendem-se riquissimos j-intos de filas de diver-
sas cores e dourados com Gvela larga e dourada,
assim como enfeilts para cabera dos melhores e
mais modernos que tem vindo ao rrercado ludo
ilo se vende por um prego razoavel que moito
Itics bao de agradar : slo s na loja e armazem
do pavo na roa dr. Impt ratriz n. 60, de Gama &
As saias do Pavao.
Vrndem-se as mnis finas satas bordadas asgu-
Iha (irancas sendo da melhor fazeuda 'que tem viu-
do nesle genero, tendo mu a roda, pelo baratissi-
'mo preco de lOjMOO; ditas bordadas a croch a
olOO e 8|000, ditas com babadinhos a 9*P00, na
ioja e armazem do Pavao, na ra 60, de Gama A Silva.
Novo vestidos do Pavao a 10f>000.
Chegaram para loja do Pavfie os mais ricos cor-
les de vestidos de cambraia transparente com os
mais delicados bordados de d.Terentes cures r. pon-
to de agullia, sendo n'este geuero a ineior novida-
de que lem vindo ao mercado, garantindo-se o te-
rem muita fazenda e eneites sufficienles para o
corpo e mangas, e vendem-se pelo barato prego de
10*010 cada um, na loja do Pavao, na ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
s cspartilhos do Patio.
Vendem-se um grande e variado sortirsento de
espariiihos os mais bemfeitos que'lem'viodo ao
mercad, sendo de todos os lainaehos pele baratls-
simo prego de 4*, 5*, e 0*000, por haver grande
sorlimenlo, na loja do P*vao, na ra da Imperatriz
n. 00, de Gama & Silva.
RclODdas prclas a 12^000,
Na loja do pavao.
Q>egaram pelo ultimo vaper as mat ricas re-
tondas de renda pelas, sendo das irais oompridas
que tem vindo ao mercado, e vendem-se por preco
muito em renta : na loja e armazem de PavSo, ri
da imperatriz n. G, de Gama & Silva.
Grtes de casimira, c pechincha,
A 800, na loja do pavBo.
Veniem-se bomt<-s cuites de casimira de cor-=,
tendo claras e escuras, e viindem se pelo bratts-
>iirifi preco de 2*806o erip, on vende-fM a mes-
ma fizeiida a JOUO o covado, leudo 6 palmos e
largura : isio na loja e armaum def?avao, ra da
toperatriz n 60, do Gama & silva.
Os cortes de casimira d Pavc
Veadem-se supericres corles de casimira, sei.10
f..z.-.!n!a muilo fin, pelo baralisslmo prego de i*
cada um : na loja e armazem do. Pavo, ra Imperatriz n. GO, de Gama & Silva.
Os ciatos do pavo a t()00.
Vendem-se cintos rte fila com Ovalas pelo bata-
lismo prego de. f*00 : na loja do Pavo, ruada
Im;>era;riz n. 60, Chales pretos de renda a S.sOO, oa
ioja do |no.
Gia-ram par;i a !"a do Pavao os m;.\> rica
chaies de renda freios., de 4 ponas e muilo gran-
des, venltindii-se pelo.iaralisMmopreco de 8*000
cada una para acabar: na luja do Cavo, roa da
Imperatriz n. (0, ck: Gama & Silva.
Vestidos nulJanos a "UIMI, na loja
de pava*.
AGUA BIIA\C\
Ra do Queimado d. 8.
A loja da aguia biauca acaba de receber um
novo e grande sortimento de differentes objectos
degosio e nltima moda, sendo :
Bonitos eufeites para senhoras goslos inleira-
mente novos.
Ditos ditos Je grade com conias grandes.
Lindas fivelas grandes para cinios com moldes
agradaveis e diversas qualidades, madreperola,
I tartaruga, ago e douradas.
Boas e bonitas tilas acharnalotadas para ditas.
Dites de dita de grosdenapies li.-as e lavradas
j com novos e agradaveis desenhos.
Trangas pretas de seda com vidillnos moldes
I novos e de gosto.
| Bicos brancos e pretos de spda com vidrilhos e
i de diilereutes larguras e bonitos desenhos.
Cascarrilhas de seda com diversas cores e lar-
guras, formas inteiramente novas a imllagao de
pafo, babadinho eoulra com urna iransinha no
centro o que Ibes d muita graga.
Oulras estrei-as e largas guarnecidas de bico
de seda obra de muito gusto.
Uutras de camDraia de cores.
Botoes de seda, velludo e ago para enfeites de
vestidos.
Trangas de seda estreilas e largas brancas e de
cores para enfeites de vestidos.
Flores finas
CAPELLAS PARA MENINAS E NOIVaS.
A aguia branca a ra do Queimado n. 8, rece-
beu para vender :
Delicadas capellas brancas para noivas.
Ditas ditas para meninas.
Dilas ditas de caixos de flor de laranja.
Ditas ditas de rosas camelias e oulras.
Ditas ditas ou ramos de trigo.
Diversos ramos de flores finas para peito de
vestidos, enfeites de chapeos ele, etc
de corda.
Micos porta joias c necessarios.
Riquissimos est jos a feitio de um bausi-
nho ou chapeuzinho
Ditos em casca de noz e de outros goslos.
Leques de madeperola de sndalo e de
faia e madeira.
Cnaposinhos e touquinhas de muito
gesto para criancas.
Meias e sapatinhos de seda para as mes-
illas.
Meias de seda para senhoras.
Capellas e grinaldas de flores proprias
para casamento.
Enfeites e capellas de muite gosto para
senhora.
Riquissimos porta Loquis.
Boquet de llores com urna borrachm'ha
com obeiro.
I.uvas verdadetras de Jovin.
-Dilas de seda e de Escocia.
Riquissimas plumas e guarnigoes para |
enfeitar chapeos.
Grande liquidacilo
De fazendas e roupas feilas na loja e arn.azem
da Arara a ra da Imperatriz n. 06, de Lourengo
Pereira Mendes Gdimare*.
Corles de chita a 2200.
Vende-se corles de chita de cores xas a 2*200,
ditos de dila franceza a .'!*, cuites de cambaia de
cores a 3*, ditos de dita cora barras a 3* e 3*3(0,
a ra da Imperatriz n. 36, loja da Arara.
Chales de merino a 20.
Vndese chales de merino a -'*, 3*, 4*, 6*, e
8*, riscados escuros a 240 e 180 o covado, a ra
dalmperairiz loja da Arara 0. 36.
Iloupas feilas para liquidar.
Vende-se palitols d< bfinidecur a i'*e 35, til s
de meia casimira a -i. S* 6 0*, d lus de puuo
lino e de casimira a 8*, 10*, l3 e 14*. caigas de
bnm pardo e de cor a e *300, ditas de dito
branco a 3*300 e 4*, paii> de alpaca preta de
cores e branca a 4*3('0, 4* e 3*, carnizas trnce-
las linas a 2* e 2*300, ditas iuglezas de pregas
largas a 3* e 3*3(0, ceroulas francezas a 1*600,
2* e 2*300, colerinlios liucs a 600 a duzia, caigas
de casimira a 4*, 6* e 8*, a ra da Imperatriz loja
da Arara n. 56.
Leugos de seda a 640.
Vende-se lengos linos de tde a 640, 800, 1*600
e 1*, ditos ditos de lindo a 4*300, 3* e 6*, a dita
ra da Imperatriz 11. 36, loja da Arara.
Chitas de cores xas a 20 o covado.
Vende-se chitas dt cores lixas a 230 e 240 o
covado, ditas linas francezas a 320, 360 e 400 o ca-
vado, percalas tina> a ii e 300 o covado, alpaca
de cores para vestidos de senhora e roupa para
meninas a 360 o covado, a ra da Imperatriz n. 36,
loja da Amara.
Cassa frauerza a 30 o covado.
Seleiros e correaros
PECH1NCH0
Sola de lustre em perfeiiu estado,
. meio............20000
''i ma Direllaio
Preparas para flores.
Na ra do Queimado n. 8, loja da aguia bran-
Caixinnas de msica tanto de veto como ca vende-se:
Papel de cores para rosas.
Dito verde para folhas.
Dito dito e pardo para cobrir os talos das ditas.
Musgo em rama.
Folhas para rosas.
Agulhas e linhas para crochet.
Vendem-so na ra do Queimado n. 8 loja da
aguia branca, assim como agulhas para tranalhar
se em la.
ENCICLOPDICA
i2 Ra da Imperatriz aiiuazeiu
da porta larga &"
Jimio a padui-ia radceza de
Parches Porto.
Nesle e.-labelecimeuio encontrar o rospei'svei
publico um "aiiado sortimento de fazendas france-
zas, ingleas, suissas e alleniaes, que se vendeiSO
por piego commodo.
Paredes Porto
Vende cbales de renda de cores que se vende-
rn) a 18-3 esl vendeudo por ti*, dito; pretos, fa-
zenda nova, 5*, 0*, 8* a 20*, um soi lmenlo com-
pleto de manteletes, rapas e soutambarques 14* a
23*. Ra da Imperatriz n 42, junto a padarla fnu-
ceza, armazem da porta larga.
Paredes Porto
Reciben um completo sortimento de laasinhas a
; iO, e :80 rs. covados, para acabar, eambrafas de
' cor a 240 rs. o rovadi', riscado (?>(>!. 1: r> 11-
' pa de menino, fustiio de. tinbo a 420, '.(0 e El 0 r
P.ua da Imperatriz n. 32 juuto a padana frane i
irmazeni da porta larga.
Paredes Porlo
Receben para cortinados p:.ra cania franceza a
Gassa franceza se vende l'siol 3fl6'n covado,! ** a Pea cambraia lisa Ana a 3* i* al JO* a
organdis linos a 360 e '.OU o covado, pecas decam-! Pe:a. corl ^ larlalanade b. mtosg t
braia lisa Boa a 3*. 3*3(10. 4*. 3* e 05. a ra da *. cambraia com flor de seda, goslos nli ra-
1 ieiiie 1 ovos a ico e jOO rs. o covado.no ai :n<.zera
! da 1 orla larga n. 32, ra da Imperatriz junto r. >. a-
lisa lina a 3*, 3*300, 4*. 3* e 05, a ra da
Imperatriz loja da Araia 11. 36.
Ilaloes a 20(H).
Vendc-se baldes de 20, 23 e 30 arcos pelo barato
prega de 2*, 2*300 e 3*300 e 45, saias boldadas
para>vnhora a 6*30(J e 7*, ricos vestidos a Maiia
Piaom lindas 'jarras a 13*, 14* e 18*, ditos de
cambraia boldades a 19a 1 ida a 8*, '.'* e 10*,
lasinha para covado pelo barato prego de200. 240,
320 e 400, ditas de quaros de seda a 360 o
covado.
Todas estas fazendas se vende por barato prego,
para liquidar al o lim ta correute nez, a ra da
Imperatrr: tojada Arara n. 36.
Outros objectos.
Vindos tambem para a amiga loja de
Papel de sobrvcellcnte para as
phosphorvs hyaienieos oue ,? ra do (jueimado n. 10.
Sapatinhos desettm branco bordados pa-
ra baptisados.
Outros de merino tambem bordados e
igualmente bonitos.
Meias de seda, correspondente no tama-
nto) dos sapatinhos.
Outras mui tinas de o da Escossia e
brancas listradas.
Luvas finas de o da Escossia brancas e
de cores.
Ditas de seda para senhoras.
Litjas de dita para senhoras
veguran-ga.
A vista do grande (amacho das caixinhas dos
phosphoros hygieoicos ou de seguranga, lorcava-se
pouco o papel que vem em dilas caixinhas, e para
remediar essa falta a aguia branca roandoa vir e
-aetba de receber esse especial papel, tqual so
dar de sobrecellenle a quem comprar de taes
phosphoros e se vender indistinciamenle a quem
i delle precisar. O prego de cada caixinha de phos-
! phoro continua a ser 160 rs., e vendem-se na ma
'do Queimado n. 8, loja da aguia branca.
Seda froucha para bordar.
Vende-se ca ra do Queimado loja da aguia
branca n.^L
Cotilas e tubos de ac branco, que ha
muilo se desejava para enfeites.
Brincos, fivellas o cruzes de crystal.
Rvellas e cruzes de tartaruga, mao'ri.pe-
rola e dourados.
Alfinetes para gravatas.
Bot5es com croas para punhos.
Gravatinlias e roantintras de muito gosto,
tanto para homem como para senhora.
Riqusimos aderecos pietos, assim como,
caixinhas com a Teles pretos.
Bengallas de canoa com cabo de mnrfim.
Ditas de bateia, borracha c le nutras
muitas qualidades, assim como chicotinhop.
Riquissimos penles de tartaruga do uRi-
mo gosto; assim como de arregago para
menina, pois nesle artigo ha um 'tripleto'
sortimento de todas as qualidades.
Diademas para cabeca d-o ultimo gosto.
Biquissimae fitas lavradas e lizas.
Obras Briacos de diversos moldes.
OutroS'lambem de crystal de cores.
Outra- de aljofares 'orancos e oulras cores.
Aderegos de crystal obra de gosto.
Rosetas de dito e cruzes.
Botoes de dito, brancos e de cores para collete.
Di(o de dito tambem brancos e de cores para !
punhos.
Volias de dito e oulras qualidades.
leques de diversas qualidades
Vendem-se na ruado Queimado n. 8, loja
agui: -ranea.
,spas forte para baldo
e mennas.
Pentes de tartaruga mui fortes para des-(,: ,
daria fraueeza.
Paredes Parta
Receben felo ultimo paquete um soro
crozes ct-m pedraspara optscogo. b Ditos e \ineis
de 13a para pescogo de senhora. llua da'mperatriz
n. 32, armazem da porta larga.
Paredes Porto
Vende coiies degorgorao prelo para ve":'. com
'21 covados cada um 33*000, grsdenaple 1:
1*600, 1*800 e2* o r vado, laas lizas Unas 100
rs. o covado, laas du qoadrinho para v .-: ....
i tada. a 320 rs. o covado. Ra da Imperatriz : -'
' armazem da porta laica.
Paredes Porto
Tim (ara vender por prego commodo, ptgi
esgoiao de linho c< 111 l<> varas a 7,5, ^.">, \ anno di
linho para lenges a Ce e "OH rs. a vara. Ir: man-
le de hubo de i larguras a 5t*OO e 2*i ra
Paredes Parto
Vende cortes de cambraia bordadas de riros
.. si a li)3 e 12*, ricos vestuarios 1 m 1
e menino, ricos cortes de cambraia ilaa
10* e 20*, tarlatana branca e de coi '-:
rs. avara, ua" a Imperairiz armazem ta pona
larga n. 32.
Roupa fcila
Ra da Imperatriz n. 32 armazem Ja rt. lar-
ga jonto a padarla franceza, encuntra-se n >
; iii ento um n .. : lo soilimenl 1
ce
Vemiem-se na ra do Queimado loja da aguia
branca n. 8.
esabaracar.
Carriteis com retroz preto e outras cores.
Carteiras com agulhas.
Agulhas francezas. as afamadas.
Caixinhas com allinetes braceos e pretos.
Haspasde baleia para vestidos.
Fitas de linho proprias para ditos.
Caixas com linhas de novelos grandes
para crochets.
Trancellim de bonaeha pelo, redondo.
da Bonitas fivellas gi'uudes de ac,
douradas, madreporola e tar-
taruga.
Trangas pretos comvidfilho e decores.
Pulseiras tanto para enhora amo para Queiioadon.'-s.'
motiinas. ... Abridores de luvas.
Ligas de seoa 6 de aigodao. Vendem-se na ra do Lueimado loja da
MlspeDS0r4Qfi ae seda e de algodao e mili- branca n. 8.
A loja de miudezas roa do Qoeim
|n, 16, recebeu um bonito sortimento de
Oromaoome para Ungir oa fl-Mllas grandes para cintos, sendo ce ago,
bellos. douradas, madreperola e lai taruga, asquaes
A agnia branca avisa aos constantes freguezes; <'6l5o sendo vendidas em dita loja por pre-
des^a eioellenle linlura, que ella acabado rece- eos COmmodos ; assim Como boas u bonilaS
ber urna nova remessa de cromacome, coloricome
esabo branco, necessano para lavar os cabellos,
portante podem dirigir-se a dila loja na ra do
acota
I iilros objectos que se nao podem an-
wiRciar por nio se tornar enfadonfao.
S. no Gallo Vigilante ruc do Crespo n.'7.
Luvas a loja de miudezas na ra do Queima-
do 11 10, re.-ebe-j-as por esle ultimo vapor,
'Suvidade.
Clie(;.vram os bonitos chales eiratondas de guipa-
Vettftem-SA os mais !,onit"S cortes de veslid-s braceos, e vewtem-sc na roa da Imperatriz n.
indianos, aeodoesta fazenda transparente e interna-
mente nova DomereadOj'Q leudo eoire- tiles 11 uitus
corles F0M5 proprios.psra senhoras,que e.-io ie
lulo; e eadem-se pelo baratlssimo prego de 3*
cada um ,>cfa acabar : na loja do Pavjo, ra da
Imperatriz a. 60, de Gaaia.iS; Silva.
Vestidos.a h#
Vendem-se cortes de vestidos a Mara Pia om
barras btrdadfs, pelo baratsimo prego de 4*000
para acabar : na loja e armstem do.Pavo, ra da
Jnipeatrz n. 60, de Gama Silva.
Matiijilos e gia.a.*>00 rs.
Vendem-se manguitos com golas de r-smbraia
pelo baralissimo prego de 306 .rs., islo para Ir-
ifuidar : na loja do Pavao, raa da Imperatriz n.
v, de Cama 6 Silva.
Certes-de chita do favo
Vendem-se cortes de chita fr-nceza mcio boa
com 10 covados a -5'00, ditos enm 11 covados a
ditoe com 12 covados a 2*800, krto s
32, kgV.da portr iarga, de Pareds, Porto.
Acha-se
i vend aa livraria acadmica, na ra do Impera-
dor; n-do Sr. Noguira, junio ao arco de Santo
Antonio; na typographia imparcisl, na ra es-
trella di-; Resario a eompf.gao de toca a legislagao
tendente a administrago, a arrecadgiio e fiscali-
sago dos Lheiros de orjiliaos defuntos e ausen-
tes, beraacas jacentes, legados, etc., contendo nao
ii o regimcn3 de cusas e a tei gcral das execu-
cues, como la.'tbem todas as ordens e avisos do
g&rerno, que a ludo tem exn&'ado, tanto a respei-
to das obrigaoes inherentes ao cargo doc differen-
tes <.m prega dos de justiga e fazenda, como dos di-
rei;o naciooaes.3 emolumentos que sao devidos.
Por! Jroii(|iie!s
de bonitos moldes, dourados ecabo de madrepero-
la : achani-se a venda na ra :do Queimado loja
da aguia branca n. 8.
Bonitas touquinlias
de fil de lindo, cambraia e selim todas mui bem
enfeit3das : vendem-se na ra do Queimado a. 8,
loja da aguia branca.
Car retis.com retroz.
Na ra no Qaeimado n.8, loja da aguia branca.
Senderes e senhoras-
-0S propietarios da nova loja e armazem de fa-1
zendas e roupas fritas na ra da Imperatriz n. 72 miudezas n. lo.
filas de gorgorao acltamalotado, proprias pa-
ra ditas fivellas.
OculoK de peueira e de ontras
qnaffdades, |ara qtieni soffre
d vista.
A'loja de miudezas ra do Queimado
o, 6, tambem recebeu cculos de peneira
com wdros claros e escuros, para quem sof-
fre da vista, assim como outros dearmago
de seo, sonidos em graos.
Coroas e tercos de cornalina.
A amiga ioja de miudezas a' ra do
Queimadi' n. US, recebeu mui bonitas co-
roas e tercos de'cjrnalina, os quacs cslao
a disposjcSo dos bons chrislos que os qui-
zerem comprar em dita loja: na ra do
i Queimado n. 1G.
lspoujas unas graudcs e pe-
queas.
Vende-se na ra do Queimado, loja de
:
' I: '
camisi -. f\ i :
cha| s de sol, ditos francties para 1 ;oi
, i.. .- commi do.-, ri U| para n i 11
ii:U :. fa: ;. las por prtjos con m > tn
ca 1 i la larga.
o me.-mo estabelecimento encontrar o :> -.
tavel publico, sempre um completo toilin
rooi s feilas de todas as qualidades, ci m
pat de al| ac preta 1 de cor, <
. eos a i* : '-i-}, dilos d I tira ;rJ >
3*0*1 0, 'nos linos a i*, ditos meias r .: ;
3*3t.t', i3 e 3*, dito-la-eioirasccoj o* i *
e r -*. ditos sobrecasan a 10 e 12*. ..
uo saceos a 6*, 8* e 10*, dilos si.1,:-. ;'-
". ditos de merino reto a 6*, 7*
g i ; im de diversas qnalidad
ditos brancos a 2*300 "' 0, 1 ';-.
6* e / ". dilos pr I-sai 5, '. >
metas cazimirasa 3* i*, c' ;.- de
', ei r < 1MI :> >- !! '7 i' :: 30, '!.' fil.
ilnbo, ditasde bramante a
algodao de linho francezas de 2*500 e rae
'.'!' l i nesle g ro, gr; vaia: as
. -. i;
: -
- dt
";.
: '

de Guimares & Icoiao, acabam de reduzir os
prego* de suas fazendas menos 20 por cenlo do
que>jm outra ipualque^ parle, afim de .apurar di-
nbeiro. assim como seja lazinhas de quadnohos
sendo escuras a 200 e20, ditas mais finas a 360 e
4CO rs., dilas transparentes com lisias de eda a
320 rs.
fazendas proprias para a fesla.
Vendem-se as mais bonilas bareges de lita e se-
Esic iivro contendo mais de 700 paginas era jnitida 2a 5e^ ficJ0CeM,s as ma,s modernas que tem vra-
imprwsao e bom papel, e prestndose a otilidade do a mereao Pe, ^rattssimo preco de oTO o
de dM-erenles ciasses, tornase recommcndavel. covado, cassas frjocezas de urna so cor a 320 e
Seu.Giwlo 10*%a por cada eiemplar em dous l0 covado' d,las com f'aliras 60llas seBdo miu*
oraos.
das e graudas pelo baralissimo prego de 280, 360
*W0, ditos com 12 covados a 2*800 uto e so ; '"^-----------------------------------------------------e 400 rs. o covado : isto na loja e armazem de fa-
TmX^"&Z! avao,ru lrapera,nz!laebjnas de descaro^ar al- r*ruadalmperatrlzD* 7>de Guimaraes
ialcide reiia a 10\ i%$, IU, 20 5 e 2*0, na
loja de I'avo.
Vendem-se chales de cenda preta muito finos a
10* e i^". om>.- de linho a 13*, dilos de seda de
linho dos Ecllmrc-j que ha em chales de reuda a
20 e 235, ditos trancos de res ponas a C* isin
s na loja e armazem do l'av.j, rua da Imperairiz
n. 60, de Gama A Silva.
I\ovitlade
3*
PARA A FESTA
Popelinas a i00 rs.
Popelinus a iOO rs,
Popelinas a WO rs.
Chegaram para a loja do pavo as mais lindas
popelinas, fazenda propria para vestidos de senho-
ra, sendo muilo transparentes e brilhantes com as
mais lindas cores qne tem viudo, as quacs facili-
tan fazer-se um vestido com muita plianta7ia por
pouco dinheiro, e vendem-se, sendo de quadrinhos
a 400 rs. o covado, e as de urna s cor a 300 rs. :
na loja do pavo, rua da Imperatriz n. 60.
A 3*000 o corte,
Vendem-se superiores cortes de cassa, sendo fa-
zenda muito fina e de cores fizas, pelo baralissimo
prego de 3*000, e dilas indianas, fazendas trans-
parentes, de muila phantasia, pelo baralissimo pre-
go tambem de .)*, para acabar : na loja do Pavao,
rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Vestidos zuavos.
Chegaram a' loja do Pavo ts mais lindos corles
de vestidos com n competente zuavo e cinto, vindo
tudo em um carlo, sendo a maior novidade que
tem vindo para a fesla : vendem-se por barato
prego na loja do Pavao, rua da Jmperaltiz o. 6U
de Gama & Silva.
.\(nidailo. para a fesla,
Vestidos de seda.
Chegaram para a loja do Pavao os mais ricos
cortes de seda para vestidos, sendo em qualidade
o melhor que tem vindo ao rrercado; e padres os
mais modernos por serem quasi todos lisiados com
cores mui delicadas, afiangando-se ser nesle gene-
ro o melhor que eziste : vendem-se por pregos
muilo razoaveis, na loja do Pavo, rua da Impera-
iriz n. 60, de Gama & Silva,
goho.
So .caes "Apollo, armazem de Tasso Irmao;.
Vosdas-se superiores presuntos de Wesipha-
ha, cfcenados no ultimo vapor: na rua do Trapi-
che n. 3.,
fireu.emil/rricas pequetas.
Cera em velas .de lodos os lamaobos.
Bogas
fercuno.
a rua do *garw a. 19, primeiro andar._____
VHHI-UIATI
J-o da l\i)oiii-i|iiia do Dirio, rua
das Cruzes n 42
Mij-.j-n ingleza fina a i* e 1*280 a libra, dita .
rraaee 5 900, toeijopfate a 800 a libra.ditos do mf,, P baral.ssimo prego de o*500 e
reino .. ltimo vapor a 2*6 2*200, ti.'m-' Fijueira a360, diio Lisboa a 480, dito
EMreilo a O, caf. 1" sor le a 280 a libra dilo 2' a
240 a libra, aznendoas a 280 a libra marmelada a
640 a libra, fi da India a 2*800, dito Ison a
3*000 a libra.____________________________
Vende-se um molaTinho, bonita figura, de 7
anncr de idade; para ver e tratar, a rua do No-
gucira n. 43.
Vende-se urna mobllia de amarello ja usada:
na rua estreifa do Rosario n. 17^ f andor._____
Attencao
Chcgou a nova leja de miudezas a' rua da Impe-
rairiz n. 78. de Manoel Joaquim Dias & C. um
Saias bordadas.
Vendem-se as mais bonilas saias bordadas sen-
do bstanle largas e muilo bem bordadas pelo ba-
ralissimo prego de 6*300 e 7;.
Vestidos de tarlatana muito fina sendo brancos
eom barras de cores bordadas de la e seda sendo
os mais modernos que tem vindo ao mercado e
vendem-se pelo barato prego de !*, 9*300 e 10*.
Maulas de seda para bouiein.
Vendem-se as mais lindas manas de seda para
homem lendo de todas as cores pelo baratlssimo
prego de 1*300, 1*400 e 1*300 : islo na nova Io-
ja de fazendas na rua da Imperairiz n. 72, de
, Guimares & Irmo.
Colariuhos da linho para homem.
Vendem-se colarinhos de linho para homem
sendo os mais modernos e melhores que ha no
e6* a
duzia.
Chales de merino estampados a 25.
Vendem se bonitos chales de merino estampa-
dos pelo baralissimo prego de 2*, dilos lizos de
todas as cores a 3,5800 e 4, ditos finos sendo es-
tampados a 6*300, 7*, 7*300 e 8*.
Cambraias arincas.
Vendem-se pegas de cambraias brancas a 3*,
3*300, 4*, 4*300 e 5*, dilas muilo finas tendo
urna vara de largura a 9* e 10* : islo s na nova
loja de fazendas Ka rua da Imgeralriz n. 72 de
Guimares & Irmo.
Riscados cscocceze8.
Vendem.se os mais bonitos riscados escoceze
para vestidos de senhora e proprios para roupas
de meninos a 260 e 280, chitas francezas escuras
4 ailiga-loja de miadezas oa rua do
Queimado n. 10, acaba de recelier :
Novas e bonilas guaruiges pretas para vestidos e
sootembarques. \
Bicos de seda brancos e pretos com vidrilhos, e
difecules larguras.
Trangas pretas com vidrilhos.
Casearrilhas de seda de diverjas cores e moldes
novos; ouins enfeiladas com bicos de seda.
Babadinhos de seda.
Trangas branca., de seda para enfeites.
Bonitas fitas brancas lisas e lavradas ; nutras de
cores tambem lisas e lavradas; oulras achntalo-
ladas para cintos, largas.
Fivelas grandes de ago, douradas, madreperola e
tartaruga.
Bonitas ligas de seda para senhoras.
Leques de sndalo o outras qualidades.
qui lad i bram as para ca:
limenl I me. s pan nhi ras, .
a 3*, sui rn.res a 3*o( l e k*.
l'm c mi 'lo soi lie tito de chai
alpaca a '!-', ditos de seda a '*. 7,
iito fratce: | : ca :a,
ai:.
Pechificlia admirare!.
Gr; ndi sortimento .! i hair, r
raa para hoi tm a 2* a '!;.-,
;. s de iiliu a i* e 3*.
Grand< n 'ido de n 'ipa
tras .i uil..- p ilid des |ue seria ufr-d
eiona-las.
Fazendas.
Vende-se seperier mtrlnprep proprio | ra ca-
pa de senhora e vestidos a 2*, luslrim la na
a 1*800 o covado. Ilua da Imperairiz, potta I, rga
Paredes Porto.
Vende emseu estabelecimento tiras e entren
bordados, grande soriimenio de rorplnhos rica-
mente bordados a 3-5.41 e 5*. s o Pan des Por-
to, roa da Imperatriz no 52 perla larga jneso?
padaria fianceza.
Paredes Porto
Receben pelo ultimo paquea francez i
granadinas com llores de seda a ICO < -: i
covado, esli acabando-se, cambraia preta
lulo. Porta larga junto a padaria frano
da Imperatriz n. 32.
Paredes Porto
Vende um compiti sorlimenlo de f.t? I;
brancas, como sejam madatoloa 4*S0O, o*, f>* e
10?, pg-i* de algodo por barato prego,chits fran-
ceza a 240, 280, 320. 360 rs. o covaK pre
muilo linas a 360, 400 rs. o covado, chita i:.. Ii ?n
a2O0e240rs. o covado. ftua da Impera:'.i n.
32, junto a padaria franceza.
Paredes Poito
Vende angas de cor propria para roupa di i
nios a 320 rs. o covado, riscado francez fino i
320 rs. o covado. Rut da Imperairiz n. 32,
a padaria franceza, perla larga.
Paredes Porto
isa?

rara
)UI
Receben pelo ultimo paquete espaitiihos
LlIlUoS 0 dClICadOS ClfClICS para bal- IOcom por 3, sao bons. lengos de
les e jiasseios.
completo forlimenlo de fivelas e flus propriamenle e claras a 240, 260, 280, 300 e 320, dilas percales
para sinlos, assim como um e variado 6orlimento muilo finas a 360, 400 e 440 o covado: isto s na
de biincos, crystal opp-.'es, todos estes objectos va-
riando em difierentes gofios, por ser dos ltimos
chegados da Europa, e se vendem por menos do
que em outra qualquer parte, para assim agglome-
rarmos um maior uumero de Iregezia.
Milho
nova loja e armazem de fazendas na rua da Im-
perairiz n. 72, de Guimares & Irmo.
Camisas francezos.
Vendem-se camisas francezas a 1*300, 1*800,
2*, 2*300 e 35, ditas com peito de cor a 2 e
1*500: isto s na loja de Guimarae Irmo.
Chales de renda
Paredes Porto, na rua da Imperatriz n. 5, porta
no armazem da Esirel?, largo do Paraizo larga, vende chales de renda de cores com peque-
no (oniie do .Tiofo, a 3*300 e 4*, fazenda de 10*
Uai Ce J_JSU0a \ vende-se a fabrica de charutos e cigarros
1 Vende-se a o* o barril : na rua do Brum P, 66, da rua do Arago n. 32, bem afregnezada a tra-
armazem de assucar. tar na rua dos Coelhos n. 2|
a &TO e 5,5000
a sacca e em cuia a 240 rs., fareto novo a 4*000 a
sacca;
n. 14.
A amiga loja de miudezas na rua do Queimado
n. 16, recebeu novos e lindos enfeites para bailes
e passeios, todos de muito gosio e inleiramente no-
vos, variando o prego delles confeme a superiori-
dade : os pretendenles os acharo em dila loja, na
rua do Queimado n. 16.
Finas capellas para 'nonas e
menims.
Acham-e venda na rua do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
Bonitas touquinlias
de fil e cambraia, bordadas e enfeiladas : ven-
dem-se na rua do Queimado, loja de miudezas nu-
mero 16.
Lmelos de dous vidros com aro de aro, bfalo
e (arlariii]a.
A loja de miudezas, rua do Queimado
n. 16. recebeu um bello sortimento de lo-
relos e culos de vidros com armacSo fina de
ac, bfalo e tartaruga, e os esl vendendo
por preg*os razoaveis: os pret ndentes diri-
jam-seaeslalcja na rua do Queimado n. 16.
Algodo trancado
da fabrica de Ferno Velho : no escriplorio de
Mnnoel Ignacio de Oliveira & Fiho, largo do Coj-
po Santo n. 19.
Vende-se um mulalinho de 10 a 17 annos,
proprio para p.-.gem por ser muilo bonito e de boa
con-lucla : na rua do Imperador n. 43, terceiro
andar.
Na rua Oierita n. lo, loja, tem para vender-se
ricos bouquels para enfeitar bandejas de bolos e
pao de l, cpelas de flores para meninas e senho-
ras, rozas e arcos para santos, ludo de mullo gosto
e commodo prego.
A' 400 ris
A botija de tinta prela superior, para escrever,
na taberna (1? rua da* Cruzes n. 4I-Aporla
larga.
Vene se urna negrinha de idade de 10 an
nos: a tratar na rua da Imperatriz o. 20,
i fre-
r. PF-
nhora e homem a la, ricos cortes de cami
bordados de l a 7?, por ler um Irque d* mi U .
esto se acabando, na rua da Imperairiz n. 52 un-
to a padaria franceza.
(rande armazem de tintas.
Hl'A DO IMPERADOR N. 22.
O armazem de tintas um grande deposito de
productos cbimicos utensiseos mais empregados
e usados napharmacia.pintura, photographja. Un-
tarara, pyrotecbiniai.fogos de artificio) eem iu;: s
industrias.
Monlado em grande escala, e snpprindo-se di-
reclamentenas prinnpaes drogaras di Pars, Lon-
dres, Ilamburgo, Anvers e Lisboa, pode oflereceer
productos de plena contiauga e satlsfazer qnalquor
encommenda a grosso trato e a relallto, porpre is
razoaveis.
Prvidos de machinas appropriadas satisfar
com prompildao qualquer pedido de tintas moidas
a oleo,cuja qualidadee pureza de seus ingreiien-
les poder ser examinada pelo cou.siniidor, .
nao fcil fazer com aquellas que sao Importadas,
e que se rnconlram no mercado em latas (echadas
Tem grande collergao de vidros do dic n .:
frmalos, desde urna oilava al deieseis ong s de
capacidade ; de vidros para vidracas e diami mes
para corta-Ios; depinceispara fingir madeira com
rtopriedade e oulros; de papis dourados e ni .-
peados e folhas de gelatina para ornamento: de
papel grande e pequeo frmalo de van..: cores
para embrulho, para forro de casa, pata esenho
com fundo j feilo; de papel albumnado I,e Brisi i
verdadeiro san para phctograpLia e para Hilrar,
e oulros ; vernizes de essencia para qnadroe, de
espirito para madeira, copal para o inienor e es-
le ior ; oleo graso, oleo seccativo, oleo de linhaea
clarificado, oleo de miele, secativo de Harlirr. uro
verdadeiro em p ; praia, euro, e esta uno era fo-
lhas de varias cores; tintas vegetaes, noffeost-
vas proprias para confeitarias ; la de coi e.-,-
olhos de vidros para imagens; tintas em tul* a
telas para retratos ; tintas em pastis e em pd pa-
ra aquarella ; essencia de rosa superfina, da ne-
roly, jasmim, bergamota, aspice, patehouly, mbar,
bouquetjmao, alcaraiva, melissa, ortelai:: esta,
louro, cereja, alfazema, juinpero, Portugal, lima,
anis da Russin. canda, cravo e muilos outros ob-
jectos que SCOOQ a vista poderao ser mostr.-.dos.
Jo-io P: o das Nevcs,
Gerente.

.


Diarlo de Pernambuco sabbado O de Remembro de iSft.
r ..,,v -^
flosomu.
N. 11Ra do QueiinadoN. 11
A' casa de Augusto Porto chegaram pelo vapor rancez ricos cortes de
vestidos de seda decores dos mais beljos gostos, proprios para bailes,
partidas ou casamenlos.
Guales de Guipure pretos e brancos.
jtaets de palha da Italia para senhoras.
Moir branco e preto.
Bonita seda para vestidos,
Casemiras de quadi'os.
Epeiras da ludia para salas.
Madapotes fraucezes a 400 e 500 rs, a vara,
Lius para vestidos de diversas qualidades, e
gostos diffreentes,
Q que lulo se vende pelos mais commodos preros.
CORTES DE SEDA
Cheraram pelo paquete ngkz riijuissimos cortes de moreamiqae de cores, e seda lavrada
IrG inteiraraeote novos.
Seda de quadros por 1$000 o covado
5-RA Di CRESPO~5
Gregorio Pacs do A mam I & Companhla.


^P
m
^2^5^/^
^DUAUTE ilMEIDA
0
* >
BAILE 1)0 CLUBE PERNtMBMO
Gregorio Paes do Amaral & Companhia.
j
/

Para vestidos de senhora.
Curtes de seda de cor de bom gosto e superior qualidade.
Lindas sedas de quadrinhos. \
Bnns raoireantiques de cores. I
Grosdenapls d.i todas- as cores.
is poil d chevre fazenda asselinada de inteira nnidade. ;
Lindas duquezas assetinadas fazenda inteiramente nova.
Modernos grenadines de seda o que tem vindo de mais novo. {
Grande variedade de Mas de cures lisas e de salpicos.
Ursa lys o ca sas de muitn bom gosto. i
Pe i mo lernas com grande variedad. *
Lin s es de la Clotilde com todos os perteness cada ura em seucar-
,,, li s o les de laa a Uc
{'.'' r mente novos.
B nscj les Je '"a-si coa
birra tvnbmi inteiraraente no vos -c outras muitas ^
'' iegosto quesera enf.idonln mencionar;
" Para hombros de senho a
le ri l le di chales, bonrnoire, retoodes.,e algeriennes de fil e c
a 10, 16, 20, 30, 10, 00 al 800.
- lutembit [ii seda de superior qualidade.
bertes de seda de c6r pretos e de cachemira.
le ca obrah branca bordada com m;rto gosto.
Sautembarques ebournoux de cacuimira do cor e outros muitos arligos

Pa ra cabera de sen h o ra f
iperiores chape-linas de palha, de seda e de crina de muito bom. gosto aim-^|
i| is de palha da Italia grande variedade. Jal
- gorros e bnnets <'.?. palha de Italia, Imperatriz, :' Canotier, Clot'ide
i!rt, chegados de Pai < peo ultimo vapor.
variedade de enfeites de firoco e de llores para ca >ai lento.
-; iperiores vestidos de blondo, e de moireantique brancos.
.. a in mtiq es orme >s e b iperiores sedas brancas.
;, is vestidos 4 taratana branco bordados.
i', i- mantas de blonde e boas apellas.
Bordadas.
Grande variedade de ntremelos bordados transparente e tapados. (
Tas bordadatransparentes e tapadas, babados bardados, saias-bordadas-.
m litos artigos. <
)J 31 AS COMJJMfAS i
NTONIO r.ORRElA lE VASCONCELLOS & C.
Rli DO CRESPO If. 13 \
DE
'
. a -y-, ''-. -.-.
>
x -S&lgS
-
/ *
lyjES
'
RAY k LANMAN
JA FLOR
Na ru do Queimado n. 63.
Nesta Inja por tolos os vapores se. recebe luvas de
pellica brancas e decores, lauto para hornera como
para ssnhura. "
Voitas, cuzes e brincos.
Chegou no ultimo vapor ura grane sortimento
de voltas e cruzes, imitando cornalinas brancas,
assim como brincos da mesmae dccrystal do mais
apurado gosto que se pode desejar, foi s-quem
receben : na toja do baija-ibr, ra do Queimado
n. 63.
Enfeites para coqae.
Assim como recebeu enfeites para coque e eu-
tras muitas qualidades, que se vendern mais barato
do aue em outra qualijuer parte.
linnecas que chai mi maini e p-ipai.
Tendo recebido um grande sortimento de bone-
cas que chamam papai e mami e movem com os
olhos, muito bem vestidas, com cabelleiras, o
que pode haver de gosto nesle genero, e vende se
mais barato do que em .mira qualquer parte.
Bala ios.
Asim comoom bonito sortimento de balaios para
menina de escola, tambara ha muito bons pentes
para desembarazar, guarnecidos de metal.
1S Bichas de Hamburgo 1
0% todos os paquetes da Europa se recebe 3ff
,:." deslas amigas do. sangue humano e se SjK
vendem a troco de psuco lucro s afim
de ter sempre cousa nova : a loja de bar
m
m
agua florida de Murray & Lanman
la c imo um artigo de perfume, nao
i lido ser igualada pelas preparacoes
mais costosas: conserva seu aroma, co-
I iiia-.-e parte da prenda a que ella
se appltca
S: i i'flicacia to delicada, comoelegan-
tes i seus multiplicados usos, qur seja
a-la como artigo de toucador, qur
do banlio, ou como suavisador da
! lerw i- que se tenha feito a barba;
j para I impar as gengivas ou aromatisaro
ha I- .
la suavidade, brilho e elasticidade as
. depoisdese haver lavado; al-
J:\ii a initacao det-rupcoesordinarias; faz
,' recer o acsa)radavel aspecto dos
ios, das sardas, do rosto, rugas e toda a
le bullones, e d vigor e frescura a
; onde quer que se appiiqoe. Sua effi-
a e ehiganSa sao igualmente mfalli- Sft3w2ttSB
veis nos casos em que seja preciso applica-
la d mo estimulante e antisptico, nos con-
(u sos e assembtas numerosas, as loca-
lida les infeccionadas, na alcova de um en-
fermo, assim como iim antidoto excellen-
te para os desmaios causados por cansac.o
ou suffocacSo. Preparada nicamente por
Lanman S Kemp, Nova-York, e a venda por
Gaors & Barbosa.
Joo da C. Bravo & C.
Deposito feral em Pernambuco ra ds
Gn '. a.tl em casa de Caros & Barboza
ava ndo
Frncez barrica {
Porlland dem bfiS
Em perfeit" Miado:
Fr-.ncez barrica 105000
Portland dem 12,5000
No armizein de Tasso Irm&os caes doiApoHo.
beiro ra estreita do Rosario n. 3, ao p ^
da igreja. 9R
9ii mmm mwsmm
colares Royer on colares ano-
dioos
para facilitar a denticao das crianzas e preserva-
las das convulsoes.
O feliz resultado obtido immensas vezes pela
colares Royer, nos
nticao das crianra-, tem
altamente elevado o sen bem merecido prestigio,
e hoje ja se pode diier que esto geralmente con-
ceituados, e estimados de innumeraveis pas de
familias : de uns porque do uso d-.-ses salutares
colares viiam salvus do perigo seus charos tilii-
nhos, e de outros porque colheram daquelles tao
proficuo exemplo para igualmeme preservar os
seus. Assim, pols, a aguia branca, tendo em vis-
tas a uiilidade e pnveit- desses prodigiosos cola-
res anodinos ou Royer, mandau vir o novo sorli-
meoto que agora recebeu, e continuar a recbe-
los para que em lempo algum a falla delles possa
ser funesta ao pas de familia, os quaes ficaro
certos de os achar constantemente na roa do Quei-
mado, l.ja d'aguia branca n. 8.
Vendem-se duas escravas recolhidas, de ida-
de 23 a 24 annos, exeellente conducta, engommara
perfi-itamente e fazem lodo o servico de urna casa :
na travessa do Carmo n. 1.
Vende-se um sitio em Bemflca a' margem do
rio Capiharibe, com bastantes commodos para urna
grande familia : trata-te na ra Nova o. 24, das 9
horas as 4 da tarde.
Venden se quatro bnrras mnto mansas, boas
de carga e de seila, por preco coramodo : a tratar
i oo hotel de Franca.
AO RESPEITAVEL PUBLICO
A tabella abaixo publicada serve de base de pregos,
tanto deste armazeni como do armazem progressivo pa-
teo do Carmo n. 9, principal armazem ra do Impera-
dor n. 40.
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com espcc-alidade aos senheres de en-
henaos, lavradores e mais pessoas do centro, que para mais facilitar ssas compras deli-
oeraram os proprietarios dos tres grandes ai mazens, reunir todos os seus estatoeleci-
mentos em um s annuncio, pelo qual o prego de um sr de todos, promette-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, aununeiar os gneros
por um preco, e na occasiao da compra qoererem por outro, como socede cot>stante-
mente em outras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar islo
ainda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandsir seus fmulos que
serao tam'em servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas;. para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna coma
pela qual se ver os precos tal qual annunciarmos, o que senao arrepender pessoa
aiguma que 6zer sua despenda em nossos estabeletiffientos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
Offerecem a todos os convidados, do explendido baile do Club Pernambucano o
seu bello e escolhido sortimento de fazend is de phantasia, chegadas pelo Guienne, que
consta das seguinles especialidades.
Vestidos Cesarlna.
Linda e nova fazenda- de la-brilliant, transparente, com listas e flores de seda,
padres do ultimo gosto.
. x SKDAS
Em cortes padroes novo?, escuros e claros.
Em pecas moireantique liso ondeado e lavrado.
dem estampado com listas c flores.
Tarlaana.
Resta urna diminuta porco de cortes de larlatana branca, enfeitados caprichosa-
mente a cores. Todos os amadores de partidas e soirs, ho comprado para suas fami-
lias estes vestidos, j pelo diminuto preco, ja pelo bonito gosto.
ENFEITES
A imperatriz Eugenia e a rainlia Victoria que adaptam com muila elegancia
ao kok.
Jouvin & C.
Resentia-se o nosso mercado da falta absoluta das verdadeiras Urnas de Jouvin.
Temos a satisfaco de poder annuncia-las a nossos freguezes pelo preco de 3^000 o par.
E grande a economa vista da flexibil dade e bom acabado, que Ibes d dupla
duracao sobre as falsiicadas.
Trinta diversos ohjeetns
Proprios para o complemento dos enfeites de vesiido como berthes, costageo,
suspensorios, etc., gostos os mais pbantasticos em dentelle preto e branco, tafet etc.
Mandam-se amostras.
D.'ademas e pentes de tartaruga.
E a primeira vez que vem esla fazenda ao mercado. A pequea porco que res-
a convida as Exmas. senhoras a urna breve compra.
CINTOS
Com fivellas de madrcperola gravada, tartaruga, metal, etc.
Chales de Al de coros.
Nova remessa, deste.' cbales e rctondes a dur.s e mais cores em xadrez Nada se
pode julgar do magnifico effeito destes cbales, sem experimentar; as pessoas que os de-
sejarem mandaremos amostras.
E urna infini lade de fazendas de gosto, como sejam:
Chales de fil preto de 105000.
Os mais ricos vestidos para menino de 3 a 6 annos.
Colxas de croeg e pannos de labyrintbo.
Tif branco e fil de seda.
Superiores balocs de clina, recommendaveis pela longa duraco e bom talbo.
Tudo a
5
r.
i.
5
jff.tUrTEIGA
Manteiga i igleza perfettamente flor che1
gada ltimamente de l,oooa l.loo rs. a li-
bra, e em barril lera abatimento.
Manteiga franceza da safra nova a-86o rs.
a libra e em barril ter abatimento.
BANIA.
Banba refinada superior a 64o rs. e em
barril ter abatimento.
C3I
Cha uxim de primeira e superior qualida-
de a ,8oo rs.
dem hysssn o melhor neste genero a
2,6oo rs., e sendo em porgao ter abatimen- >
lo, tiiil)i:iu lid |i,i;|-iio [Max IltyuclO i: a
Serveja
Saperior serveja Bass dos melboras fa-
bricantes, como sejam: Shlers & Bell. T. F.
Ashe a 7,ooo e 7,ooo rs. a uzia e a 7oo rs.
a garrafa, Tarabem ha de outras marcas
como seja: Victoria e Alcope a Sjooo rs. a du-
sia e a 5co rs. a gr.rrafa.
Vinagre
Superior vinagre de Lisboa a 2,ooo rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem lia
mais biixo para 2oo rs. a garrafti e l,4oor3.
a caada.
Azeite doce
Suportor coito dooo K3EBBk
o
o
yfssss^
i
garrafa e a 5,coo rs. a caada.
Massas
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de l,-8oo a 2,5:o rs.
a libra. Msearro e talaerim a 360 rs. a libra e a
Blscoiitos i u.ooo rs. a cai~a.
Latas com superior biscouto inglez ds-di- Passas
versas marcas a i.2oo rs. a lata. i Superiores passas a 3,ono o quarto e
Bolaehinbas l.ooo rs. a ca:xa de arroba hespnbola e a
Latas com bolaeli'mlus da acreditad:. fa-: -Joo n. a libra,
brica do beato Antcnio, propas para dar a j *-<^-vt
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata. QEN EBRA
dem com quatro libras 3 bolachinha de'' Genebra de laranja verdadeira a lo,5oo a
soda a 2,ooo rs. a lata. I du/.ia e 1 ,ooo rs. ao frasco.
OaftnAA Genebra de Hollanda verdadeira a 6,000
VZaulJuo 'rs. aftasqueira e a 56o r3. o frasco.
Queijos flamengos chegaaos no uljmo Wom ^ Hollanda em botijas a too rs.ca- le boas casemiras pretas e de cores e de fino bim branco.
vapor a 2,ooo rs., tambem na do vapor pas- fja urriS. j
sado a 2,3oo rs. Garrafies cora 24 garrafas de g3nebra del
CHOCOLATE Hollanda a 8,ooo rs. o garr-fao. Tambem'
Chocolate bespanbol a l.ooo e i,2oo rs. (\n ^arrafoes com 5 e I i garrafas fie 3,2oo a
a libra, francez e suisso a 1,ooo rs. a libra g ooors. cadaum.
e portuguez a 800 rs. a libra, em percao! VELAS
ter abatimento. Vetos de spermacete a 64o rs. a libra.
O
^3
DE
AZEVEDO FLORES
Ra da Oadeia do Recite, esquina da Madre de Deus.
Grande sortimeole de fazendas por atcalo c a rtala*, e um completo sorro
metilo de roupa feita, decasemira edebi-im, ludo por menos qHe e
oatra qualquer parle: quem duvi CAICAS
de lindas e finissimas casemiras escuras e claras, de superior casemira preta, de finos
orin s brancos e bom brim pardo.
Paletos
de s upenores casemiras escuras e claras, de lina alpaka branca, de superior alpaka pre-
ta e de brim pardo.
Colletes
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Velho Secco, Lagrimas do
Douro, Mara Pia, D. Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a l,ooo a garra-
fa e>.ooo a li ooors. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das naelhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3,ooo,
3,5oo e 4.000 rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 64o
rs. agarrafa ea 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
ancuretas de 3 e 9 caadas a 24,ooo rs. a an-
coreta.
Superior finbo branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs a garrafa e 3,2ooaj
3,5oo a caada.
i Yixas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeoux a 7,ooo rs. a caixa e
7oo rs. agarrafa.
CAF
" Caf do Rio de I.* e 2,* qualidadd de
6.800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o i
rs. a libra.
NARO
Sabo maca de primeira qualidade de 18o
a 22o rs. a libra e de i60
em caixao.
dem de carnauba de lo a 12,ooo rs a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
PEIX.E
Pcixe em latas j preparado ie l,ooo a
l,2oo rs. a lata
ALPISTA E PAINCO-
Alpista e paingo muito novo de 3,800 a
4,oco rs. a arroba e de 14o e 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS
Charutos- dos mais acreditados fabrican-
tes, como sejam: Joao Furtado da Serrias,
Manoel Peixoto da Silva Netto, Castanho &
Filho e Brando e de outros muitos, os
quaes vendemos pelo mdico preco de I.600,
2, 2,8oo, 3,5oo, 4,5oo, e 5,.ooo rs. a caixa.
Licores
Licores franceses e purtoguezes a l,.ooo e
l,4oo rs. agarrafa ou fraseo.
Daces
Doce da casca da goiaba e caixles pe-
queoos a 7oo rs. e de 5o caixoes para cima
a 6io rs. o caixao.
Frats
Frutas em calda em latas fechadas lier-
meticaraeate, muito bem enfeitadas, conten-
do pera,pecego, ameixa rainlia Claudia, al
perene e outras frutas a o> is. a lata,
alo rs. sendo Tamben ba latas grandes para l,2oo rs. a
1 lata.
Uvas pelo ultimo vapor.
Peras pelo ultimo vapor.
Macaas pelo ultimo vapor
Ameixas pelo ultimo vapor.
Passas pelo ultimo vapor.
Figos pelo ultimo vapor.
Fruitas seccas pelo ultimo vapor.
Fructas em calda pelo ultimo vapor.
Nozes pelo ultimo vapor.
^
CAMISAS
Superiores camisas francezas de 2$ at 55.
Cero 11 las.
Ceroulas de superior bramante de tino linho.
Balos.
Superiores baloes de arcos para meninas de 2 at 12 annos.
dem superiores para senhora.
Ciravatas e mantas.
Superiores mantas para pescoco de homem, as mais modernas do mercado.
Madapolo.
Madapolao bom a 85>, 9$, 1<# e 12.
Chapeos de sol.
Superiores chapeos de sol de seda balo a 10,$.
Fraques de casemira.
Fraques de casemiras, preta, escura e de cores claras, e nao havendo que sirva
ao freguez manda-se fazer por medida e cora muita promptidao.
Todas estas fazendas por precos insigniiicantissimos, pois 3 fito do Balao ad-
quirir freguezes.
LOJA DO BALAO
DE
AZEVEDO Al &MA2 FAZ EUDAS
* c.
DE
CUSTODIO CARVALIIO
27 RA DO QUE'MADO N. 27
Madapolao francez muito fino, tendo pouco mofo, cada peca com 27 varas por
105000. V
Laa de c res a 300 rs. o covado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a preco de 800 rs a vara.
Lencos braceos para algibeira a 25 00 a duzii.
Fin sperclaras a preco de 400, 440 a 560 rs. o covado.
Ricos cortes de laa de barra de 105 a 3i5000.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.
DO
Queijos londrinos pelo ultimo vapor.
Queijos flamengos frescos pe'o ultimo vapor.
Presunto fiambre pelo ultimo vapor.
Tudo se vende barato nos seguinles armazens:
Ra do Imperador n. JO. Verdadelro Principal.
Ra do Qneimado n 9, Unlo e Commercio.
Largo do Carmo n. O, Progressivo.
RA DO RRim I. 38.
Altendeado as numerosas occasies em que tem succedido aos senhores de en-
genho o perderem grande parte de s"as safras por infe'ici la les imprevistas que os
deixam sem meio de comp etar as suas moigeos; como montes ne animaes de roda, ar-
rombamentos de acudjs, levadas et;, o priprietrio destt ftbrica lembra aos ditos se-
nho es a conveniencia, nestes casos de fazer collocar urna machina de vapor, por isso
nao s aprovcitao to a safra existente e providenciando contra a reincide cia de taes
aconteciment s, mas tambem introduzindo na sua mlustria ura reconhecido melhora-
mento.
Portanto annnncia que est prompto a garantir o assentamento das suas espe-
ciaes e mui acreditadas machinas de vapor, em estado de funecio larein urna semana de-
poisda chegada das peca- no eng--nho. Esta< mtchinas podem ser applicadas a moen-
das e mei )-mnondas j existentes ou pode s* mae.dar com ellas moendas novas a vontade.
do c'mpndor. Ellas tem tanques ou depsitos d'agua e boeiros, todos de fero, e nao
pre.isam p ra seu as-entanent d-iobra alguna, quer de carabina, quer <\e alvenaria.
Estas michinas de vapr sao construidas especialmente p elo, em provadeqti j se achm assentadasem lugares onde se julgju at ent3o diffi-
cilimo ou impossivel fa/e-las carregar.
No caso de desraiQtelarem-se as rodas d'agua, ha sempre prompto, rodas de
ferro que se assntam no mnimo lempo.
Nesta fabrica se acha todo e qualquer objectod qae possa precisar- um engenho
i
/
'


*>
___/


Diarlo de pernambuco Jambado 9 Je Dezembro de I*#5.
GERENT
Sem o menor constran.
gimcnto se entregar o
importe do genero que
nao agradar.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
vim a m&aiM di as Man Ma
AO
ItESPEITATEE. FURMCO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
em da Liga estabelecido ra Nova n. (50 um magnifico sortimento |de molhados,
que sendo em sua niax m parte mandados vir directamente do estrangtiro"podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este dovo e nteressante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm .ffiancar, com toda a seguranza de que
neahum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas :
1/ Delicadeza no trato.
2.j Fidelidade no peso.
3.' Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sna posicao social gozam de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primsira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condic5o do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte faro mensalmente urna economa de
mnitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se Ihes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassuar, etc., etc. de boa qualidade pelo prego que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os seuhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhons que comprara para tornar a vender existe um sortimento cial, escolbido por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhores
compradores.
Nao se tera poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DIMIIEIRO A VSTA:
A (Graixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
ALPISTA a 120 rs. a libra. urna,
dem e painco de oito libras para cima a b*
100 rs. KIRSCH de Wasser a H a garrafa.
Arroz de 90 rs. a libra a........ i,
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra. LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Avellas a 2i0 rs. a libra. |Letma a 400 rs. a libra.
TEMLO
presos da *e&um,(t
tabella 6 para todos, pu-
dendo asslm servir de b-
ae para o ajuste de ccb-.-
com o portadores;
Senhore
eza com que ser5o trat
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o arco da Conceicao)
PARA BEM DE TODOS;
Wihoras, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tndo a nromniid^n 'n
atrios* nvida a nma visita ao mesmo, certos de que sem dnvida me daro a protecro e nrefprenria 'n
RU.IL
Hu to iueimadu uf>. 4.9 e t*.
Lounna a veiitr joftas as mlodezas que 'tsrxo
declara por presos admiravt-is.
hassos de palitos lixados para acotes a 100 rs.
ttspelhos de moldura donadas & [>, 140 t 320j>.
licuis de oliado para menino-
Ditos de couio superior (aleuda a '>io0.
,Fiascos con superior una rocha 240 s.
Meladas de Milia Iro>a para boidi di a 20 e GO
Caixas rom 100 eovelope, fazenda i i i 600 rs.
Grozas de peonas de ajo, fazem. : goon.
Grozas de botoes maueper. a 500
e 040 rs.
. Caixas com 50 coucs c'e lii I a di >.,; ;; 760 r*.
Caicas com superites; obris: et}t-*Q t Vb n.
Pecas de flla branca elstica ct n 9 ,-, ::-i s.
. Varas de franja-de la para enleUes i v Idos
4o rs.
Baralhos dourados superiores qualUiar: a a4C0n,
I Novellos de linha rom 400 jardas a I i-
*ros para assmlos de n upa sv a a 100 rs.
Pares de boides para punto, fnn ,.(,:, i^c ts.
Tesooras para costura fDpei:,;ff cuihiitaa
I 400 t \>.
| Caixas de pecnas de calligraibia, .,rea loa a
10(JO.
; Mansos rom sopcriori s gram| o 30 rs.
Pans de sapatos de tranca i] ;
Caixas ii
fn dos seeros que pnoiti i e qnando nlo possam vir poderjo mandar seus portadores, anda' ^'^iTpovm SS S -S'^ i Tr-
f^ois serSo t5o bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacio, afim de queni5ov3oem Rud,has com ^s frurttei muito sopeiuti
Manteiga ingleza especialmente escclhida a Aletria, macarro e talliarim a 4oo rs. a li- sl rufinad* om ... ... _:,_. I1^"3' d< fsfel alm?? 3
Ameixas francezas em latas de todos os ta-'
manhos.
fdem idem era potes de todos os tamnnhos.
Cdem dem em bocetas de todos os tama-
nbos.
dem idem em frascos de todos os tama-
ohos.
11
MANTEIGA ingleza e franceza de piimeira
qualidade a 15, a libra.
Marski.ada dos mais acreditados fabricantes.
Mac.muio e TALHAtiiM a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 600 rs. a lata.
\ Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Azeite doce de primeira qualidade a 5G0 rs.Mot.no inglez de todas as qualidades.
a garrafa.
Alhos a 200 rs. o molho.
Absyntho a 20O0 a garrafa.
B
BOLACHIXIAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas,
dem do Principe Alberto a ltSSOO a lata, e
de cinco para cima a 1(5700.
dem de so la em latas grandes a 2,?000 e
Marrasquino verdadeiro de Zara a
Massas finas para sopa branca e amarella a
60 rs. a ljra, em caixas com 9 libras a
3(?500.
Mn.uo painco < alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
N
NOZES a 120 rs. a libra.
Sabos em latas a 800 rs.
O
de cinco para cima a 13800. :0siRAS ,3Z american2S.
Biscoitos mglezes de todas as qualidades a
13200, 16250 e I-33UO. PEIXE em posta, latas granas, a 13C00, de
todas as qualidades, como sejam save!,
goras, corvina, pargo, sa'mo, pescado e
rs. a libra.
urna.
Batatas inglezas.
Bamia de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 600
Idera suisso a 13 a libra.
dem de musgo a 13500 a libra.
Chouricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a'240 e 260 rs. a libra, e em porcao
se far abatimento.
dem de primeira qualidade e 7)5000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orehata, etc., etc.
Chicaras e pires a 13800 a doria.
Cekveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
tmente.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
pescadinha, linguado, sardinha. etc., etc.,
; Peras em latas, excellente preparado,
i Palitos para dentes a 120 rs. o mago muito
grande.
Passas em quarto a 13100.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
U
QUEDOS flamsngos.
dem pralo a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
Quamtiniias ou MoiiiNQUES a
R
RAPE' Mearon a 14 a libra,
dem Princesa do Rio a 3200 a libra.
Mem francez a 23500 a libra.
S
SABAO massa a 160 rs. a libra, em caixc ta
faz ab.ilimento.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-l^- refinado em frascos a 500 rs.
uto sejam : Normas d'Havana, Exposico, ALAM deJLe!,,n 9: v .. .
Flor do Brasil, Parisienses, elicias, Gua- ^rdixhas de Naates de todos os fabricantes.
nabaras, Trovadores, hegaiia, Hississipes, IJltm ^ s,;lljbal em latas muit0 gr5ades a
Panetcllos, Apraziv'is, Varetas, Brasitei- /t) rs- _.
ros. Americanos, Fluminenses. mkarinas a 600rs. omago.
Cha de todas as qualidades e de todos os' Sa muit0 novo a
precos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 23000,
262''0,235(50 6 23800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 23S00, 33500, 43 e 53.
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior a 13 e 13500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinbos.
D
DOCES de todas as qualidades: brasileiros,
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc.
E
GRVILHAS seceas a 120 rs. a libra.
ikvadoce a 400 rs. a libra.
T
TOUCINIIO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e prela para escrever.
V
VINHOS
m
Principe Alberto, de 1831, a 53000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 23 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 13500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 23 a garrafa.
Duque a 13 e 1,5500.
Chamisso a 13, 13200 e 13500 a garrafa.
I). Luiz a 1)5 a garrafa.
! Moscatel verdadeiro de Setubal a 23 a gar-
rafa.
Carcavelos a 1$.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posicao alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
i Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa,
dem S. Julien a 600, 800 e 1(5 a garrafa.
' Absyntho a 2$ a garrafa.
: Kirsch a 23 a garrafa,
i Wermouth a 23, e a caixa a 18^.
Bitter Maurer a 1)5 a garrafa,
Farello ha sempre em deposito de 500 a|vinho figueira em ancoreta a 20(5.
800 saceos, de todas as qualidades, de to-! dem Figueira e Lisboa em pipa a 2)5500 a
dos os tamaahos e de todos os precos. caada.
ATTEHCAO | Cambraias.
Vende-se as otarias de Jo Caroeiro da Canha' Parede Porto vende cambraias lisas Anas, gran-
en freno? ao hospital Pedro II, e na roa dos Pra- de sortnentn, a 34 at 64, ditas Victoria moito
zeres n. 38, teiha superior de barro de agua doce a finas, eom 10 varas a 64, 648<>0 e 74 : na ra da
304 o milneiro, al venara batida a 30}, e ladrilbo imperalrtz n. Si, junto a padaria fanceza.
a 264000. I______
FARINHA SS S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de aramia a 320, 400, 500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
Feijo verde era latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 10.500
Frr--------qtf- Chegaem aos carpiano* de eanbraia
rdT\nhd O, 0$^',,^ Vendem-se eorpinhos de cambraa com entre-
Ventfe-se farinha de mandioca, taceos grandes : meios a 44 e 54, eslao s acabaudo : na loja de
no armazeo dos Srs. Tasto Irrnaoi, na ponte nova' Paredes Porto, ra da Imderatriz n, 52, pora lar-
pelo preco acicna mencionadys. |a; jun.o a padaria franceza.
l,ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra,
dem hysson muito superior em latas de 15 32o, ioo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
libras muito proprio para negocio a 2,ooo a 2,8oo, 3,ooo e 3,8oo.
rs. a libra. ; Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
Idem hysson nacional em latas de 1 e 2 li- i dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
bras a l,6oo rs. da a 3,ooo e 3,5oo.
dem preto o que se pode desejar neste ge- Vinho branco para missa em caixas de 1 da-
ero a i:,ooo e 2,2oo rs. a libra. zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em Vinho do Porto das melhores marcas que
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costellelas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre, j
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
b i rucn "r-" ue [isjei aiiii;:^i
sai rennauo em frascos devidrocom tamj a Bwow jora roupa, fanda boa a ;.i- e 4.
O mesmo, a 5oo rs. ,Dunas de lesonias com toque de fetrncena
600
bra e 6,000 a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ou amarella a 64o rs.a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para| zia. Ditas e voias para stnhera
engarrafar, em ancoretas de 9 caadas a Cevadinha de Franca mniln nava ,An ^fo de Agoa Florida vadaoeira a
VraK^
TLl t mercatJ' a 5o. ^0 e 64o Talheres moito fino para criantas a 240 r
d ^arrala, e o,boo. 6,000 e 6,5oo a do-' Pn'setras para meninas a 32(> rs
Zia. i Ditas e voltas para ?i rhora a U 0.
I
SCO i>.
Fsii'llo.
Vfnde-se superior farello de L I 1a
lem allicnca, ra do Imperador 1: 37.
w uc oiuids, uasspguinies qualidades: ^'a* com lamjarmas par 3nu s
Lxpesico Normal de Ibvana Imneiiaes rM' il*o do Pono a80 e I4( r.<.
piros Delicias, a 4,000, 4,Boo, 5,0OOJGrvalas de odres, foVnda soierkr, *5C0rs.
6,000 e 7,000 a caixa ou em n eias. Papis de agnlhas, fundo doo.rado, a 80.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
rtinas de Havana, intervallos,Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a2,ooo,2,5oo e
3,ooo a caixa.
opnac inglez das ujelhores marcas, a 800 e
l,2oo a garrafa.
no arma-
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
ra Secca, Malvazia fina a 16,000,15,ooo, I Doce da casca de goiaba a 2,000 a lata com
12,ooo e 10,000 a caixa com 1 duzia e 9oo, 1 4 libras.
I 1,000 e i,5oo rs. a garrafa. .Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
Vinho Cherex de superior qualidade a 16,000 bra.
a duziae l,5oo rs. a garrafa. Matte,excellente cha pora os navegantes, a
qualidade a 800 rs. a libra. Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e | 200 rs.
dem pi ato a 800 rs. a libra, e inleiro se faz 64o rs. as meias latas. (Sebollas de Franca muito grandes e novas
abatimento. Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a j a l,8oo o cento e 1,2oo soltas.
dem suisso o mais superior que tem viudo | barrica e 320 rs. a libra. Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.'
*ao mercado a 64o rs. a libra. Bolachinhas de soda era latas de diversas Toucinho de Lisboa muito nov a 32o rs. a
Ervilhas e favas portnguezas j preparadas qualidades a l,3oors. libra e 8,5oo a arroba.
em latas hermticamente lacradas a 64o. (Cartes com bolo francezmuito propriospa- Banha de poico refinada a 65o rs. a
Feijo verde muito superior a 640 rs. a lata.' ra mimo a 64o rs.
Copos lapidados para agua a 5,000 e 5,5oo Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
rs. a duzia. para mimo a 3,000 rs.
Idemid^m para vinho a24ors.,e2,4oo rs. Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.
a duzia. a libra.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo, Figos de comadre a 24o rs. a libra.
l,ooo e l,2oo rs. a libra. Amendoas de casca mole a 4oo fs. a ibra.
Espermacete superior a 600 e64ors. a li- Milo de amendoas a 5oo rs.
bra e em caixa se faz abatimento. Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joo
Peise em posta em latas hermticamente la- de Rrito no Beato Antonio, emlata de 6 li-
cradas e das melhores qualidades de pei- bras por 2,5oo rs.
ESCEiVOS FR
xe a 00, l.ooo e l,2oo rs.
Vhho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso morcado a 7,000 e
8,000 a caixa e 64o e 7oo ris a gar-
rafa.
Ginebra de o'.landa a 48o rs. a botija de
contacerta.
Frasqueirasde ?anebra de Ilolianda a 6,8oe
e liio rs. o frasco.
ibra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranliao muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,000 e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portugoez, em
Fupio no dia 6 do cornnie. o preto treonlo
de nome Raymundo, esrravo do Si. dnardo Can-
diiio de Oliveira, morador em pi me ollrhoa, orm-
prado ao Sr. Ildefonso Alves V'iamta, n 1 lador im
r.aniuiDss, por sea bastante 1 ri rnradi r Luiz Jos
E>ievis no mez de agosto <->h "ano, i- \ tiros
dias foi preso em Sanio Amaro e Jaloaiao ,elo
subdelegado desse logar por estar fgido eveio
rimeiiido a ca^a de deienfao it-- -i tidi de do Ke-
cife a ordein do Dr. rhefe de pulira, elle se iu-
luiandu por forro agora eMava em casa do correc-
tor para ^e vender, d'onde (ornara a fogir : o ts-
cravo lem oa sfgnaes segoinies, rOi fula, eslaiora
refutar, um tanto che io do rorpo, resto rompndo,
bocea grande e lem lodos os denles da (rente, itls
e tn.ii s secras e anda um tan'." diado para a
frente, moito ladino, levi u ralea \e li un | a:do
grt'Sso, ramisa de alpodo americano, lodo U;Dito
sujo, cha[o de palha prela. Ii- ga-se i> animida-
des pollclaes 'e ca ites decampo a capturado
mesmo e levanm-no a Pr{a (' rii\u Santo00
escnplorin do Dr. Angosto de Olivi ra en em*en
sirio em Pnnre d'l'choa, que sna r'compensado.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a l.ooo e 11,00ors. a frasqueira. Conservas inglezas a
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. ali-1 8,000 a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras de escova para esfregar casa a
Ameixas francezas em fiasco de vidro conr barris pequeos o a reta'lho, a vista se
lampa do mesmo,_a l^fioo. far o prego.
Ameixas franc zas em csixinbas de diversos Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
tamanhos com bonitas estn pas na ca-1 8 garrafas por 600 t 800 rs. a garrafa.
xa exterior, a 1,4o, l,6oo, l,8ooe 2,000: Azeitonas portnguezas a 000 rs. a garrafa e
cada urna. v l,5oo cada urna nrc< reta.
Azeite doce refinadollespanholouportuguez champagne da melhor qualidade que vem
a Ooo rs. a garrafa el 0:000 a caixa. j ao mercado, a 2,noo e 3,5oo a garrafa, e
Batatas muio novas a 86 rs. a libra e2,5oo i 24,000 e 26,obo o gigo.
o Rigo cem 3R libra-. Gomma de engomma'r muito alva a 12o rs.
75o rs. o frasco e | ) libra.
Figos em sextinhas a 80 rs, cada urna e 72o
Caf do Ccara muito superior a 24o rs. li-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
Arroz do Maranhao de Ia qualidade a 4oo
rs. a libra e 2,800 a arroba. '--------
dem da India a loo rs. a libra e2,&x> a
arroba.
dem de Java a 80 rs. a .bra e 2,4oo a ar-
roba.
4oo rs.
Nozes maito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
do mesmo, a If.o rs.
Mostarda ingleza des melhores fabricantes,
a 8no rs. o frasco.
Mostarda franceza cm potes j preparada a
ioo rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra ei.oooa Leotilhas francezas, excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massade tomatesde superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propiamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta- |> ?. garrafae l!,000 a dnzia.
Iho.
Palitos de dente ?. I io rs. o maco.
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,000 a resma.
Balaios para roupa saja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadns a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a I ,4oo e 2.000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a- 4,800 rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
1
*MM*
Fngio no dia 4 do corron'.e n-e?. fi" d< ?* 1 I ro
a 6 l.uras da maoba, o escravo Jco, ern U; c'e
rsruia baixa, (or prela un. tanto fula, puuca I tila
mais espesa na pona do queixo, eclen'ie al urna
oeusa de pedreiro; este escravo, I i da I.n 1 ia do
Sr. Cardeal da ra da I'riia. fii '.i 1 ido para cm
eogenho de onde voltoo para etia 1 r-'.a : qui 111 o
pegar leve a roa da Concordia 11. 8 i :n icio, ;ue
.-c p'iatilii.'.i rom generosidade.
Pede-se a lodas as anloridades policiaes, 00 a
qnem qiur que o 1 nr( ntre, api rdieui! rrm o prtlo
escravo simiaJ que se ada fogidodesdeo flh 7
do passado, ^endo os seus Biguaes es segmous :
estatura regular, magro, cabellos em iiu a
cortos, falta de denles na frente.e algn gago, ro>inn ando osarjaqoea parda p i Laico de
feiro. Bsse preio esleve 1 or ni 110 T.-n> a Inga-
do oo arma7em rommercial do< Si. Dm k>r &
Barroco, a ra da Cruz n. 62. Ha desconQancaii no
que dito escravo se tenha refugia lo para a culade
de Olinda 00 Afogados. Pr. te-t:i-. e contra houver acoutado diio escravo. A pessoa que o ap-
prehender leveo a n a da Cadeia 1 asa n. j, uu a
casa de deleur/10, dando d'iSiO aviso u'aqnejla pri-
meira casa.
Reoifo. I.0 de de7pmhro d.> 1865.
2 ? e; = = o ~t-< "00;*
7 a -.. ->. cj o -1 x is
j 3 a) a 2.3 3
-5 g a. v. w o
co n? 3 tr a> ,
ti
C5 U
~ c 3 = -o g-^ ^ S5 2 ~ o
S 2 3i S3 ro f ^ %
S=-?2.o.ft S Si g
?IAui
9
5.B
03 o.
o 3
a>
3 o o
/.
O t
en a*
S-ii
T^ rr> f>
o
i

F-
O
09
Cu
3
i
I
O
^iKP.FP^'i
iillrilJ Li /lllti
de tral>abr ibo
descroear aEgodo
FAORICADAS '
Por Plant Brothers & Os
OLDAS
Estas machina
^ podem descar05&-
S qualquer espet
j^de tlgodao sen
l 'estragar o fio
sendo bastanu
duas pessoas pan
otrabalho; pdt
descarocar urna
arroba de algc-
do em earocx
em 46 minutos,
on 18 arrobas
por diaou 3 ar-
robas de algodac
limpo.
Tasso Irmos
Venden no sea armazcm roa do
Amoiim n. 35.
Licor fino Curac^o em alijas e meias botijas.
Licores Anos surtidos em garrafas com rolbas da
vidro e em lindos frascos.
Vnoosliberes.
Santernes.
Chamberlin.
Hermitage.
Borgoohe.
Champagne.
scate I.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od fon.
PAezei lagniol.
Assim como machinas para sarem movidas por I
animaes, que descirocam 18 arrobas dealgodc
limpo, por dia; e motores para mever urna, duas, |
eutr;s dessas machinas.
Os mesmostem para vemer um bellissimo va-
por que poda fazer mover seis destas maokioa>
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
{ agricultores a virem ver e examina-lo, no artaa- 8"ra a 3ft5O0 a vara,
rem de algodo, no largo da ponte nova n.47.
Saunicrs Brothers &C.
N. II, praca do Corpo Santo
RECIFE:
Os uvicos agentes neste pai?.
Framsco Jos Germano
RA NOVA N. 22,
acaba de receber om lindo e magnifico sor-
limento de ralos, lonetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado jioslo da Europa e ocu-
los de alcance para < bservatoes e para os
maritimos.
No armazem de tazendas
baratas de dantos Coelho
Ra do Que niado u. 19.
Vende-se o seguinte :
Cobertas de chira Fina a 2800.
Dilas de dita a i no.
Lengies de panuo de linho a 200.
filitos de dilo.de linho a --:}.
Ditos de bramante de linho de um so panno
3#M0.
Paono de linho fino com 9 1|2 palmes de largu-
ra 1 do barato prec.o de 2 00 a vara.
Bramanre de linho fino cen 10 palmos de lar-
0 castello de Grasville.
Traduzido da francez por A. J. C. da Cruz.
Vende-se este bello romance em quati
tomos pelo barati6simo preco de 300(
oa praca da Independencia, livraria ns
6 e8.
Vende-se um sobrado de dous andaras no
hairro dp Suato Antonio, o qual rende para mal
um pessoas, um oulro para quatro pessoas, ambos
com arelos, novos e elegantes, por preco commo-
do : na na da Ponte Velha n. 8._____
Vndese um cylindro, urna masseira, urna
balanca grande e urna dita pequea, com todos os
pesos e mais utencillos de padaria : a tratar na
ra Dirpita n. 24.
hom e barato
Manteiga iogleza flor a 1 a libra, franceza a
840, arroz do Maranhao a 100 rs., painco a 120,
amendoas a 240, caf do Rio bom a 240, vinho da
Kigueira a 400 rs. a garrafa, e 35 a caada, Lis-
boa a 360 a garrafa, e 2u00 a caada, azeite doce
a 600 rs. a garrafa, vinagre de Lisboa a 209 rs. a
garrafa, e lo00 a caada, queijos do ul'imo vapor
a 2c3O0 : oa ra das Crnzes n. 24, esquina da
travesea do Ouvidor.
Peca6 de camliraia com salpieos brancos Je de
cores com 8 1|2 varas a tyoQO.
Pegas de cambraa adamascada propria para
cortinado de cama com 20 varas a 11.
Balees da anos a 25500,35, 35300 e 45.
I.i uro- de cambraia fioa a 2-;OO a duzia.
Ditos de dita a 25 a duzia.
Alboalhado de linho fino a 25800 a vara,
Oito de algodao a 25 a vara.
Algodo entestado com 7 1|2 palmos de largura
a 152OO a vara.
Pecas de bferanha de rolo com 10 varas propria
para sa,a a 35500.
Fil de linho liso fino a 800 rs. a vara.
Dito de dito com salpieos a 15 a vara.
Cambraa de linho fina a 45500, 65500 e 95'a
vara.
Cortes de lazinha de lindos gostos com 15 co-
vadosa .
Pecas de madapoln finissimo pelo baralissimoi

Pede-se a iojV autoridades poli n ti qnem
quer que o encontic api rt 1er til I : cravO
liento, qoe se aeba fgido desde odia -! do .;s-
sado,sendo (S seus signaes seguinio : --Mura
reputar, serco, disJruiado. no a r n'laleia
um 1 cuco o n> as pernis, it-m un :. marra do g a-
ma antiga no ro>lj e ootra em cima ao !.. nlrn,
dos costas o as nadegas tem marcas de nlho
tambem antigs, de nacao, repres ola' ler 40 ra-
nos de idade, fuma cigarro e vive sempre bebado,
traja camisa de estopa ja rota, om fundo de cha-
peo de palha um panno dentro que serve de rodi-
iba, usa de gauhar na ra e destejo de barril, tri-
da Ea ra publicamente dizendo que e.-ia piando
semana, a pessoa que atprehender leve-o no 1 rin-
cipio da ra do Coi redor 00 Bi.-|o, na sexia casa
nova dn Amnnm, que ser bem recompensado.
Escrava fgida.
No dia 50 de noveinbro fugio a riioula Vic-.ocia
comprada aos .ts. Ges & Bastos, cuja [Tela era
do Sr. Manoel Salvador dos Anjo-, da con ana do
Bonno, porm a esrrava dizia que era de Barrei-
ros ; representa vinie e tant> s autios de idade, alta,
feia, rosto redondo, testa curta, | s graneles, per-
nas Unas, um pouco umbiguda, nariz mimo mal
feto. levou roopio de chila cor dr mel e chale pe-
queo, ludo ja usado : roga-se as anloridades po-
liciaes de Bonito ou Bezerns a eattora da dia es-
crava, ou por onde fer encontrad, assim cholo
protestase contra quem a tiver occollado. Grali-
fica-se bem a quem a trouxer a' ra Direita nu-
mero 45.
(iialilir.rao de 5UJJ.
Ausentou[se da casa 59 da ra do Imperador
(outr'ora CoUegio) no sabbado 16 do crreme mex
de setembrode 1865, o escravo pardo demni? loa-
quim, com os signaos seguintes : estalara regular,
idade 18 a 20 annos, sem barba, ps largos, olhos
glandes, cabello corrido, com urna cirainz giande
e bem visivel na lesta, [.arte dos denles da frente
arruinados, e com falta de alguns dos lados, sabio
com calca de brim pardo e palelut (uno oV panno,
mas levou mais roupa branca e de cor, muilo
asturioso, cosloma inlilular-se forro e andar cal-
cado ; f i escravo do Sr. Guilherme Frederico de
Souza Carvalho, genro do tinado Sr commendador
Manoel Goncalves da Silva : roga-se a sua captura
a (odas as autoridades policiaes e a (inalqoer ca-
pitn de campo ou outra pessoa particular qoe o
appreheoder sp gratificar com 50, altn das des-
pezas de condiiocao, entregando-o a seu senhor
Miguel Jos Alves. na casa cima, ou no seu es-
criptorio na rin da Cruz casa n. 19.
m ea>a de Phfpps Brothers & C, roa do
de 1:2005, e urna casa terrea no bxirr da Boa- Vigario n. S, vendem se cofres de ferro, prova de
Vista a tratar com agpnte Olympio em sea arma- j f"go, dos afamados fabricantes Miluer 4 Son, de
1 im na ra da Cadeia do Recre n. 34. Liverpool.
pre(o de 85, 95,105 e 115.
Flanella branca fioa a 600 rs. o cavado.
Dita de cores lina a 880 rs. o covado.
BalSes de musselina para minina a 35,
e 45.
Camhrala de forro a 35 a peca.
Dita fina a 45500, 65 e 7,- a peca.
Guardanapos de linho a 35800 a duzia.
Toalhas de algodo felpudas duzia a 12j|.
Esleir da India propria para forro de sala de
4,5 e 6 palmos de largura per menos preco do
que em outra* qualquer parte.
Neste armazem lambem se encontra um grande
soitimenlo de roupa feila e por medida.
No dia 20 de selembro prximo passado fn-
gio do engenho Terra-prela, doabaixo assipnado, o
escravo Julio, crioulo, de altura cgular, grosso,
35500 de 30 annos de idade, puura barba, lem os ps bem
feitos e pernas, muito fallante, al se faz rouco,
tem o dedo polegar de urna man calido para den-
tro, -rula erm urna carta fechada, do lenle coro-
! nel Amaro Gomes da Cunha, apadrinhando-u, nun-
ca foi sorrado este esrravo, foi ha multo comprada
a Focha Lima e Guimaraes : qu> m o pegar leve ao
mesmo engeoboou no Berife a' roa da Boda a,"
Alexandre Correia da C. Jnior, que sera bem re-
compensado.
Alexaodre Correia de Castro,


Diarlo de reroambnco Mabbado O de Dezeipbro de !**.
V
LITfERTDRA.
LE\Oi
SGENAS DA VIU.V IKUNDEZA,
HUA IOVA ICillEJA.
(Coulmuagao.)
dizei me, dizei-me que a differenga era nossa f j |ho somente ara dia, eu a desculparia aos olhos de
mais eslabelecer difleren^a em nossoamor; que todos, aflm de que nenhuma alma fosse langada
continuareis a ser u liiho amante e fiel como sem fra do irilho do dever e da razao por caasa do que
pie fostes. Dizei-me isto, Joao, dizei-m'o aqui. : nos havia dito o ministro.
Eutao o ministro a^onluti cora o dedo o gran- t"a poz-se immediatamente em p, e quando
de banco da frente que elle chama altar, e disse-' vio a cada Pre,a 1ue eu linna passado em tor-
Ihe
tus
Vp ;i- despontava a aurora, j o velho Diniz; Julg
, camlnhava iraniuilaraeuu para a casa esta
ut I',.'! i o amigo de Cecili'.
ra oiivir missa o eonfessar s.
i uramh s estavam tamcenlos e escorrega-
dios, poi Isso tropeijava aca'da passo.
no do seu pescogo, parecen surprehendida. O mi-
nistro disse eato que aquillo era om encanto;
porm neguei com todas as minhas torgas e com
juramento, que Deus m'o perdoe. Auxiliado pela
senhora fi-lo comprehender o que aquillo era. En-
lao elle tomou um ar alegre e zombetero,offereceu
9 seu brago sua mi ao raesrao lempo que mur-
murava alguma palavra extremamente doce ao seu
.Minha m, sembr sonhei de vos ver ahi.
va que era ahi que encontrarieis esta paz.
hlegria do corado de que necessitaes ha tan-
uuos. Sabia que linheis necessldade d'uma
KDto fez descer sobre ella a bencSo apostlica.
i PRECISO PASSaIr A MOCIDADE.
Mas em que? Em commeiter loucuras, penca-
dos? Era perder sua alma, sua honra, saa sade,
seu dinbeirtfcora liberlino|s? Era fazer o que Deus
prohibe ?
Els cortamente ama estilanha moral
de que parte do Evangelho
Sim, preci-o passar
la, como toda a vida,
tencao do mal
na
mi daetn vos conduzsse e susteutasse. Pelas mi
uli.u palavras nesse santuario, como liumildemen
E nao sei
ella tirada I
mocidade; mas passa-
u se u"ura vellvo banco^de pedra qae est.i- : le eispero, por meu exemplo eu traballiarei por in-
round' um simi-crculo. n^iar em vosso corago verdadoiros segmentos
' olho ttrraado .travs o denso newe.ro, ap- reijJiosos. Ao mmo' vossa prteD5a a.|ui
tficava lentamente o ouvido procuarando disn- eicfUrttmeaM|oarefof('
ouvido. E ella olhou para o co e exclamou:
Meu Deus, eu vos agradego! Depois elle me
disse : I'eler, guardaremos a consagrado da
igreja al que eu tenha urna cougregago que con-
Dev-
Quando os sinos das igrejas e dos conventos to-
cavam s Ave Maria via-se a roais alta nobreza
reodendo homenagera ao Supremo Ser, horneas de
todas as classes descobrindose aquelle slgnal, fa-
zendo osignal da cruz, e dirigindo a Deus aquella
breve, mas sublime e tocante oracao.
A natureza e os sentim-ntosdo coragao estavam
ainda preservados em nobre preeminencia raesmo
entre as pompas das cortes e triumphos da ma-
bratica do bem, na abs-j gestado imperial ; se descerna anda o hornera
no cumprii lento dos deveres. I com quanto tivesse mesmo a coroa e o sceptr.
A nica differenga entn ella e a velhice, que Temos urna magnifica descripgao das solemnes
a mocidade tem mais viveia e forcas, e que assim ceremonias quotiveram lugar em Aixda Chapelle,
deve pralicar o bem eonj mais zelo, mais ardor, 'I"and0 Maximiliano foi oroad.i imperador,
raals dedicago. Havendo sido conduzdo perante o altar pelos
Sim, preciso que a mocidade se passe deste arcebispos de Colonia e de Mainz, e dito a sua ora-
modo, para que seja hcnrosa diante de Deus e cao, lomando ao throno, o arcebispo de Col. na
diante dos homens; para
velhice respeitavel e al
-.:: )- de vozes e passos. I"Tf" ,,' "JJ'"'"'T' "'" PT^ "-'? ;sinla espontneamente em frequen:a-la.
, ; qoasi perdido pebs erro, do papismo. Minha mal, i... M. A ,, r-------- -
b.a mu opranos entregados na cons- v m, Cmtrana
;ao da nova igreja devino passar por all, e de- fo| cal|gado d.U(na M. Colvert. E certo que somente com pequeas i ,ner no dia de sua parljJa no |iminar da etern
- "\eV"ar enC0Dlr- Joao, disse a ma.. necessario que no* com- mod,flcaC5e,3 e!>,a ranJa *** ^mr-se urna Un- dade.
- Dos sabe, suspirn elle, que precipitar-me- p,ei.eudamos. Deus .-abe quanto temi esta expli- i \ V-S maSm' com um poaC Nada ha ,n,i encantadkr no mundo do que urna
hia esp m meara -nte n'agua ou uo rugo para uo cacao. |jM f6i fa,|ata.nie de um moJ Iivre et mais de esludo e a berj?ao de Deus, podereis ser m0Cidade santa e pura.
naisveresses traidores, eases perliJos, que por mesmo iucrasiderado; fallar-vos-hei por miuha! Um excellente Padre, e mesmo um bispo, porque: Nada ha mais bello, ma
ara- puntudo de otro, e por menos mesmo, trabalno vez, (ranea e livremeote. A f que juraste odiar
em edificar um templo protestante ueste paiz. Oh I mi!ia fafni,ia a lt,n conservadj e eueraJo desdt!
Prai |u onitas accOes ms amigamente, porm muitos seculos. Muitos de meus antepassados sof-
toda as riquezas de Saloma nao rae poderiamar-(frerame morreram por amordelia, e nenhum, ex-
rastai a collar um tijolose quer ueste edelioio Que ce.tuaodo vossa desgranada m,ii, d'eixou, sob q'ual-
Ddos guarda aquello qne dea urdan para e levan- qaerpretoxto.de a professar. Meu irmo, que
i il tal templo Alas que digo eu ? .Nao morto Deus sempre o abengue, um zeloso observador da
ss | *re hornera ? dontriaa dos nossos pas, e se vos Joao, chegardes
..-..;.-' elle mellior d> qae eu o crirae que a tratar-me com indilferengi e despreso, irei abri-
itteu tranformando esta capella, consagra- g;>r me a sombra da sua proleccao eamisade-
| --. em urna aa de negocio ? Aii! ah abandonare! a minha casa pela sua. Nao, nao me
Squi Calveri, que daneib vos pra mudar de interrompais, a primeira vez que fallamos sobre
com o velho D.u.z ? Que naj dane.s vos este objecto, e ser tal vez a ultima ; desejo pois ser
implo da vossa luvengao e ouv.da e comprehendida. E'-rae impossivel asso-
casa de ciarme a vossos esforgos para desarraigar dos nos-
I sos camponezes o dom precioso da f. Elles todos
sao lilhos da Irlanda ; ete fado uuico deverla en-
sinar-vos quanto sao mos e iouteis os ensaios que
empregais para os perverter. Nao, elles ficarao
s que traba ouvido chegaram e pararara no Brmes e constaules a de5peil0 da vossa3 omes.
,;.i: ::,.u oonde na pouco elle est.vera. sa, e meqif A|gUQi u)wi repreienlem os
- Verdaderamente, nao vos disse ja que ouvi pocnla.s. ula> mercC, de DliUS sera mui miUdo
i n os meus propios ouvidos o vi com o^ meas 0 maero, e veris que a raaior.a daque-Ues que
-oios, que estoutao certo do que sepas. ,eudes seduz.do abandonar-vos-ha, logo qus tiver
me do [acto de esUrem esUs dua3 tesouras expirado o prazo dos seas alislamentos como ope-
crui las urna sobre a eutra. Pois a senhora esta- rarlos.
va atraz do jovem ministro, e eraquauto elle mos-
irava a jaoella ma.or no lira da igreja, ella tirava "" Affll8e-rae '-obremaneira, minha mai, disse o
Je seu peno urna cruz de o.ro que abracad, ipaSlor, dt vos eia'" esta pe,,a' ",as PO:i0 V3 a3"
i ,..,. ,. .. segurar que todos os irlaude/es, excepeo do ve-
Estas palavras foram acolladas com raanifesta-
raocidade se passe deste
nr i-a diante de Deus e
ser o preludio de urna
encoada de Deus : para
. H em ;eu lugar urna
Deas i
d repente um ruido de vozes aliraliiu a sua at-
lei..
Lvantou-se e pozsa por de traz da cerca.
is tocante, mais aroavel,
ouvii dizer que iris um grande sabio. do que um mogo casto, nodesto, laborioso, Bel
Nao estava na minha natureza ser lao franco, seus deveres
mas a senhora se apoiava sobre o meu brago da
mesma maneira que sobre o do seu filho, e o con-
tacto da sua mao dava congno meu coragao, e
eu fallei c^rno vos acabo de dizer. O ministro to-
mou um ar sombro, mas nada rae respondeu, e
nos levamos a seohora para o seu sof. Eotodis-
pedime, porm ella me deteve, obrigou-me a dei-
xar a santa reliquia que estava em rodor do seu
pescogo, e passou ligeiro para a miaba mao estes
cinco guineos de ouro que sao a prova da veraci-
dade da minha historia.
O velho Diniz langou seus bracis ao pescogo do
seu camaraaa, e o abragon de maneira quasi a eompanh'ras":
suflocalo. < Hoje o- esposo aelestial dos admittir em
Conny Sullivan puchou seo chapeo sobrff a testa, suas nuPeu.s > de lua Houco prego sao os sacrifi-
eaelaraou: e a pobre M.ke Crowley 1..,
Mike Crowley ser reintegrada em sua' vi
vinda, disse o velho Dioiz. Assim, avante meus nupcias.
Oh I Se os jovens christgos soubessem o que el-
les sao; por nada no mundo quereriam perder
sua gloria I
lima vez perdida, nao pode ella mars tornar.
O arrependimento tem seus encantos; porm
nao mais a innocencia I
Se a mocidade scubesse I
Se a velhice podesse (j
UM PACTO DA HB*OUr0AO FIUN'CJCZA.
Rosala Bes, em religio cobhecida pelo nome de | remonia canCasse a stima
Pelagia, na idade de J annos foi condemn-aJa
morte cora rauitas outrias freirs. Logo que foi
pronunciada a sentenga, ella exclamou as suas
queridas irms, ao encoutro do Cbrdeiro celestial
- que nos convida ; este por cerro o dia das nsssas
amigos, e como muitos de enlre nos nao oovem de^prEo^dU T* ,0e ?eCebera D ia
missa na algoas mezes, vamos tsOss casa de M. Este o pnbor da proraewa que nos Tez, e
Lacy agradecer a Deus as boas noticias que ac- ; agora vai ser cumprida.1 Vinde minhas irmas,
bamos de ter.
(Confmvsarseha.)
foes Ue mcredulidade. jiaqaautoque o velbo Uiuiz
se endireilava, deixava escapar um profundo sus-
piro, e se inclina va para diaute aflm de ouvir me-
Ibor.
I'eler, disse urna voz commodiva, se a ver-
ladi pora o que dizeis, eai nmne de todos os saa-
t^s do paraso nao mais traballiarei naedifleacao
desta Igreja.
Ah I I'atsy, relrucou a primeira voz por
amor .! cea nao jareis, mas acreditai o que vos
disse E quande acabar de fallar traballiarei com
mai- ard ir ainda
C lOUOuai, Peler Cullen, disse aa oulra vos.
Pallai ano. mas uu busq els engaarme. Paras-
tes o occ istao em que a senhora cahia. supplican-
'j e ojurando o Pastor de snstar a construccao.
Eu tinba pois meas oitios xj; s. muito raioha vontade por detraz da tnbuua do
E no a Igreja esttvesse to silenciosa
: um tmulo, pude consequentemente nilodei-
\ n escapar urna s palavra trocada por elies. O
luo Diniz, o carpinteiro, me promelteram que bao
de frequeotar a minha igreja. Prometti-lhe sim-
plesmente, em compensagio da obra regular, nao
I s a remissao dos seus arrendamentos, como tam-
il n liz-lhes persuadir, para os animar, que vos
, assistineis aos ofiScios divinos. Disse-lhes que vos
, n'io terieis mais um memoro da igreja romana.como
t eu acreditava, pois que tiuheis abandonado as suas
' praticas e renegado seus dogmas. Oh I Nada vos
ple dar urna idea do grito que resoou em todo o
edificio. Parece-me ouvi-lo ainda I Jamis deixa-
l POUGO DE TUDO.
L-se na Estrella d& 8*1 o que segua
CMA JUDIOS* KRPREHENS.V9i
vamos ao mesmo altar, e possa e cosso sangue
apagar as nossas iofedilidades passadas, mistura-
do ao sangue da oossa victima adVravel, e abrir-
nos a entrada dos tabernculos eternos.
Depois abragou as suas queridas irmas em reli-
gio ; e Ufara todas cradundas exesugao.
Sror Hagdalena Dorolhea de Justamou, da or-
dem de Sania Urgula, sabio ao carro fatal com as
outras victimas, e disse aos seus guardas; que a
nao poderam ouvir sem emogao : Gomo sao
r de resoar era meus ouvidos dia e noute. Que! tantas maravMbas-.
Deus me efeuda! E ao mesmo lempo que este Foi ver parUeaiarmenl*- 3: Pambo, celebre n'a-
borrivel'grito resoou, os relmpagos duplicaram quelles sitios-
com tanto furor, qae toda a praga pareca em fogo,: Como foi te#;emunha de sua pobres*, dec-lhe de
seinelhaote a urna prisao de tormentos onde lutava \ presente urna Aaixella de prata no valor de trezen-
urna pobre alma i tas libras romanas
Que Deus nos proteja a todos f exclamou um
d)s operario*; mas se eu tivesse esse ministre
Fagamos o bem, e procuremos occu.Ha-lo aos no-; bons aquelles que nos coodemoaram raorle t Os
mens, para que elle nao-perca o mereoimento aos "ossos Pais 00i dera,n a'na vida CUf,a echeia
olhos de Deas- i oe miserias,, e^ nossos juizes ordenaram para nos
c u "'. em cambio urna vida eterna, Iivre de-Migas, e
santa Melania era as damas romanas a mais dores, e abuedaote em deleites,
nobre : neta de MarceUino, que foi cnsul cora ^^^^^^^
Probin, era 34! foi aiDda- atm Ilustra- por sua J ""
piedade. comwersau de l h.j. i- i ^ous antigos religiosos, waiandu de Esa na Ci-
Achando se hvre pela morte de sen marido, te- c*a para t!uto, foram briganos' pela caima do
ve vontade de ir ao Egyr*)-para visitar os santos d, a eutrar em urna estalagera, onde acharara
solitarios de ^tria, dos ouae* tlnha ouvido contar lres "i" acebos com urna prostituta emsuacom-
panbia.
U* dous reii^iosos chegando senlarara-se reti-
rados em um canto ; e quando um dellss tomou
os Santos Evangeltios e comocou a ler, amulher
deixou os seiiitcompanheiro>," e foi assentar-se ao
seu lado para ouvi lo.
Oaervo de Deus, aflm
de afasta-la ds si, per-
diante de mim, eu...
Silencij, Morria disse Peter ; deixai a vin-
! iven ministro fechou a porta e qaando lancoa as panca a j)eus. Foi urna cousa boa que veioa tenv
par'a o interior do lagar, abatse a cabera po para oos mostrar que q ministro menUa qaando
lar me Inteiramente. Ei!e tomou nos disse que sua mi tinha mudado...
de soa mi cjm um sorriso e u n oihar cheio
E, interrompeu Connysullivan, ser urna boa
noticia para a senhora quando Ihe dissermos
que nenhum de nos pora o p neste templo desde
o da em que elle d por acabado al o da dos-
ru icio.
Eutao elle pregar.; a>s bancos vasios, escla-
e a de nossas familia-, nao restar uinguem da
sua congregago.
Bsqaecei-vos dos fmulos da casa edjs pro-
de conviego c Ihe disse :
Minha mi, minha igreja est qnasi acabada;
deixai me crer itu-1- se fostes reservada e silenciosa
durante a soa consiruegS >, agora ao menos abeo-
arei9 a soa inangorago.
a cjndtia para a granie jlOlla s foi ali'
que ella abracoa urna pequea cruz como ja vol mou '
diss',.
Coolinuai, Petsr, exclamiram unas piucas
Je '. 16S.
; - ara a frente, deitoa se mais para o lado Crowley, respondeu Peter.
da erra, sopltando a respiraco para ouvir. O velho Diniz Driscoll tinha raaao, meas
Poi bem contra amintit vontade que ouvi amigos, disse Connysallivan. Nunca acreditou
-' inversaca i. Qu id i) os trovoes e os relaai- ama s palavra de tudo isto desde o coisego. Nao
ir-aram, eu estava juntando a minha ferra-. nos repeli muila* vetes que o ministrnos lngara
n para icompanhar-vos para urna pequea ara nos olhos para aos fazer cahir no precipicio
.. fra dessa igreja de protestautes. Porm que elle nos cavava ? Por minha f I Diniz foi
qa.ndo onvi a porta qae d para oeaslellose abrir, delicado para comuosco, e eu sempre peasei que
ni ;ei qae firga me det-ve ahi. 'elle se faria um grande advogado. O velho Diniz
Vamos, nao fajis pausas, Peter, disse Gen- nao tinha forga bastante para resistir a estes lou-
as Sulvan. vores; tambera, patinhando na lama e atravea o
Ni momelo em que ella abrag iva a sua cruz nevoeiro, langouse no meio do circulo que um
om relmpago pprcorreu toda a igreja com um momento antes evitava. Grandes exclamagSes de
abalo e um tremor horrivel qae me fez perder to- alegra e sorpreza o acolheram, e urna duza de
da a re.-piracao, e collocar-me na impossibilidade mos eslenderam-se para elle a fin de tocar
de gritar : Acudao ao fogo I como eu qui-.a sua.
zera. Feliz encontr, Diniz, exclamou Peter; va-
A mhora tinha-se tornado paluda de susto, e ">os, tocai as nossas mos, meu camarada, e per
Da verdade o-, relmpagos tmhara urna forca so-: doa-nos o passado. Verdadeirameute tioheis razo,
bn natural. Ella tomou urna cadeira e nella se nos eramos os que vivamos errados.
apoiou. Pobre senhora o joven ministro pissou-
he eolio o brago em torno, e raurraurou alguma
Desejo que Peter continuo agora a sua histo-
ria, disse o velho Dioiz, perqu tenho conhecimen-
cousa de suave e terao a esta pobre mai, mas o 110 de cada urna das palavras que elle pronunciou
cantou a missa ; ao floalisar-se o canto da epstola,
o Imperador, bavendo-so prostrado por trra, foi
abengoado e ungido pelo arcebispo.
Relirou-se depois com as raaos juntas, e teodo
revestido a alva de Carlos Magno, voltou ao altar
com real pompa para receber a espada, o diadema
e a coroa.
Neste momento era que os olhares de toda aquel-
la Ilustre assembli estavam dirigidos sobre Ma
ximrliano, elle desaten em (iranio.
Quando Alfonso rei de Arago, foi armado ea-
valleiro antes de saa coroag.io, a fesla nao leve
comeco at Sabbado Santo pela maimia.
O signal pelo qual, qaakfaer pessoa deva des-
pojarle do lulo pelo fallecido rei, era o alegre ap-
parecimento da Alleluia oas grejas.
All a magestade da trra era ebrigada a espe-
rar pela do co.
Era cosame que o imperador em manto de ce-
igo as malinas do
natal.
Isto linhj relago cora um costurae que extsa
na igreja desde o tempo de Constantino.
Na Hespanha era cosiume universal em cada
casa, ao cahir da noule, 'juanJo os pagens trazeu
do htzes, erara introJuzidos dos sales pelo senes-
cal, dizer este em alta voz-
Louvado seja o SS. Sfiramento
E tsda a coni;ianhia responda :
Para sempre.
Quo sublime era este habito de anticipar o
exercicio das regras da sociedade por nm momen-
to de reconh-rcimento do dominio suprerac sobre
os cliri>li>os I
, ~ .-, u.ix*, que adan por quatreoeutos e guotou-lhe como poda ser lio impudente a ponto
cocoenta masos. de vir collocar-se junto a elies-f
n.uMni. t..k.ik. ...... E' verdade,.replicou ella. soU'urna miseravel
O santo eslava tnbalbw a um tec.de de folha peccadora por-jm ass.m como o nos,o Deas e Sal-
iie palmeira, a sem levantar mao da obra,.disse vador Jess Ch.isto nao proMb que urna inulher
em voz alta. peccadora se chegasse a elle, porque me rspellireis
i Deus vos d a paga,. vos '
n,,,,:.. j,,,, A mulher qne se chegixj ao nosso Sv.lvador,
Depo., voltaudo-se par o-seu adm.nunrr.dcf, to- repli0U 0 sanio- religioso, recunciou ao seo. depra!
mai esla ptata, Ihe disse elle, e repani-?.. por to- vado-modo de mda.e deixou de ser dalli era diante
dos os nossos-irraos que- stio na Lydir.. e as urna prostituta.
'Ihas, pois :odos e=tes necstetros esto bemneces-
sitados.
Melaoia estava em p esperando que o santo Ihe
L-se no Boudor o seguinte :
OMEZ-DE AGOSTO.
f crante a hislori-a.
I
Origem da deuominagao.
Era o nosso priraeiro artigo do numero 77 tra-
tando da aM-iga historia do mez dfjulho, disseraos
que aquelle mez fora o Sr. Quinliln dos romanos
por ser o quinto mez do auno, quando este ituha
s' dez ratzes-.
Dissemos lambem que- o raesmo mez de jumio
deven-a sua crisma a Julio Cesar, o-grande refor-
raitdor do caleudano romano.
Vejamos agora o que a verdica e severa historia
nos rz acerca do mez de AGOSTO.
agosto foi ua .-na juveulude o ssxto mez do &n-
do de ItomuUt, e era efuio coosagiado a Cevss
deusa da agricultura, por ser aeste mez que em
mais abuuo.viia e com uiaior prazer se colheiD e
pauam os saijorosos tractos da ierra taes como,
as-melauc.as de branle, os melOCS-de Carvoefa,]
es pecegos das Caldas, o bastardo do Lavradiot e
culras umitas Lucias que os-leiiores, a troco de
muito diaheiro, pdera comprar Da praga da Ki-
gneira.
Al ha ii.ii.i menos de l'.iJ.-> anuos, isto al
i aano 43 anles da sra chrislaa, chamavam. ao
mez de agobio, Scx./w,. pela raaao ja dita de ser
o sexto mez do anuo ; mas, segundo refere o- ve-
ihoie e muilo erudito historiador Macrobio, teodo
desse a beoeo, ou pelo menos loe dissesso alguma
palavra de louvor por lan.tamaoho preseae..
E.eu, disse ella, tenho f em Jess Christo,
que, desde este monculo, por sua divina greca,
deixare esta vida peccaoora, e nunca icais- serei
criminosa de senielhaues peccados.
F.rrae em sua-resoiugoi iminediataraeute dei- 'nperador romano Laio Julio.Cesar Octav.ano
xou o mundo ludo que possuia e fci para um \ Augusto, entrado no seu primeiro consulado ueste
Porm como visse qu.! elle se calara cisse-lhe ^0DVeul .dt frsi"s P*"" a-Ea para oude os mez, e no mesmo celebrado tres inumphos v.rece-
......* u""^"m dous anclaos a recoinmeudaram.
Meu pa;k advirto-lhe jue essa prata lea-de peso
tresentos arralis.
Elle, sam fazer gesto algn, era roesiro olhar
para o e^lo;o da baixaiia, respondeu :
Minha .itia, aquell-por amor do qual vos a des-
te, nao. precisa que he-digaes a quanlidade della;
pesa na sua balany* colunas e montanras. Se m'a
desseis a mira, icieis razo de me dizer quanto
ella pe-sava; mas so olfereceis a Deus, que n.io
despresa o bolo do pobre, calai vos.
S. t'arabo mozrau aos seteola aonos de idade
estando a fazer un cesto que dexou a Pallade,
seu discpulo, aao. teado outra cousa que Ihe del-
xar.
Santa Melania cou viuva aos viole e dous au-
nes de idade e senhora de grande fortuna ; desde
ento deixou o mundo e todas as suas pompas.
Que exempl de abnegago I
Que desapego do mundo I
No mesmo auoo perdeu sau marido e dous de
seus filhos.
Eu a vi aJIi, diz o auli>r em que isto leraos,
sendo ja uraa mulher idosa e de ^:ju : prudencia
e de sua propsia. bocea soube estes dotalbes.
MUS. ADOfJ.V -t PUNAS OjCB. SE.VTI.VSOS NO SEU
SEiivTa;o.
Ura zeloso missionano, no decurso-de suas rjis-
8*4 s, leve a elicidade de fazor voliar para Deas.
un mancebo que at eotao andava ramio no man-
do.
A sua cenversao foi sincera e- lao solida, que,
nicamente oceupado lia sua salvago, eatreaea
urna ordera uiuit.ssiino recoraiaendavel per suas
virtudes.
Depois de muitos annos indo o missionario ero
vagem, e lendo de passar porto do sitio onde es-
tava o seu convertido quiz ter a consoiago de o
ver.
Logo que se recoahecerara, abragaram se cwn a
maor alegra, e o raissionario pe'gtjaloa aoseu
Acceitou t idas estas provagdes e desgost: s com discpulo se estava comente... se o jugo do Se-
a maor submisso ventad* de Deus; que predi- nnor Ihe parecia suave... e flnalaente como se
gio de resignaco I acha na sua nova vida. O nosso religioso res-
Recebeu um aviso salatar, bastante affiiclivo pondeu :
lalvez, escutou o cora maor atlengo e deferencia ; lNao P0*1* ser peior ; sileBOI. a abstinencia,
que modelo de huraanidade I ;as vi8llias> 'udo me custa tanto, com no primeiro
bidosob-asua protsego e commaudo as legjoes
que liaba tirado a Janico ; subjeilado o Eg^to ao
dominio dos romanos ; posto-termo as guerras ci-
vis; e outras cousiuhas mais-do arca da vslha,
decrelau o senado,, que de eulo em diau:e esle
mez se charaasse Angustia a'ludindo ao neme do
imperador.
Ora, acerca tiesta crisira de Sextilis era. Augus-
tus, ha urna outra iradicgo que difiere ura pju-
co da que acabamos de mencionar e por. isso aqu
as e-t impam.w ambas para nao serme chamados
palmatoria por algura. leilor nimiamente escru-
puloso.
Diz a este mesmo respeito certo bistoriador, que
VV. Eics. nao coneceram era eu tambem, que,
logo depois da queda do triunvirato que succe-
deu q'^elle presidio pelo celebre capuo Julio Ce-
sar de que cima tratamos,o- mencionado Octa-
vian, por seu mota p roprio se fez proclamar im-
perador de Roma sob o nome de Aitijaslus. Feilo
isto os inceusadores do .-eu lempo (jauaquella po-
ca os baviaI.,..) levaram a sua adulaco ao ponto
de fazerem com que este soberano tivesse taialem>
do calendario, um m z quo lie fosse especialmen-
te consagrado.
Para salisfazerem o seu goslinbo dedicaran)-Ihe
o me- de agosto, que mais larde se deuominou
. Impedin-me de ouvir.
Ella volveu os olhos em roda
! desde que esiaes aqui, graga ao commodo banco
de si, e tanto se gue eu rlz no me0 ,jas ra0U[as.
assu'lou c treraeu que por minha vez trem tam-
bem ao v la. Quando ergueu seu triste rosto to' evras> Diniz' disse Peler> farieis raal em
Nao nos contentemos era admirar os santos, pro- d,a; f'* *"a P"a ^raa pr.sao non- Q ^ ^
iremos imita los, segundo nossa posigSo. ca de 'a **> Pa-"a o coro ou para ou.ra parte, ^ araram\llMla ^Z a, Culumo!iai
T...,l,n..,n __:___.. -. ma HIA Clnl'l ilmn ,. > .. i>\r>inmiA> i ...-., ,. i- I
ouvir assim.
e eomecon a fallar, eu sent o coragao subir-
me agargantae por pouco estrangularme. Grossas!- Nada de mais ju>lo, Peter, retrucou o velho
grimas corrlarn_jl seus olhos, e por cada urna Diniz, e ninguera mellior do que vos pode compre-
mi: Ha derramara, derramei euiuas. hender e apreciar esla astucia. Porm conti-
Hasta, basta, nao dsserterao=. nuai.
I'ois bem, u'io locarei mais nislo. Porra, Depois deste grito e esta successo de relam-
que doce voz, Joo, disse ella ; vosso pai arrancou- pagos, vi que a senhora estava cabida sobre o pa-
rn a promessa de uuoca fallar a meu filho em re-; vimenlo como urna trmula folha, pobre seuhora I
ligio. Se fazendo esla promessa pequei, Deus rae o ministro eslava inclinado sobre ella. Elle esta-
Tenhaiuos principalmente cuidado de nao fazer 1ue uao siola uma nova repugnancia e um novo
eofado.
Q missionario esculava-o cora tristeza e nao sa-
bia o que havia respou.br, quaado, veado a reli-
gioso a sua dore seu emtiarago, langa se nos bra-
cos de seu raestre, aperla-o ternament9, e diz-lhe
todo banhado um lagrimas.
coolas com Deus; sejaraos generosos; basta que
saibaraos que ello registra ludo no livro da vida.
Temamos o amor proprio e a vaidade que tiram
todo o merecimento.
PI IX E A KSCRAVA.
Em principios do anno de 1836, uma familia
americana de Nova-Orleans chegeu dalia, acom- Porm, mea charo pai, meu verdadeiro pai
panhada por dous escravos, homem e mulher. era Jess Gnristo, como tudo isto em que acabei de
Aquelle era Florenga prevaleceu-se do privilegio de fallar-vos, se torna leve e consalador quaado
do solo europeu, e reclaraou a sua liberdade. pens que cora estas peuas, evitare as do iuferno
A escrava, ainda moga, acompanhou a familia e que Deus leudo compaixo de mira, receber-me-
Roma, onde recebeu o Sacramento da confirma- ha no seio da eterna bemaventuranga I Quando i velhas ^radicc5,J5 decidir qual destas duas se-
pararara aiuaa a jui a-; cuutumoAS e reve-
rencias.
Como, segundo- o antigo calendario, 711//10 que
havia sido consagrado a Julio Cesar, tiuha 31 das
e agosto s eontava 30,quiz-sa- que o presente
offerecido a Actaviano Augusto nao fosse inferior
ao mimo alienado a Julio Cesar, e para sso junta-
ran) ao mez de agosto mau ura dia,- o qual foram
subtrar (vulgo furlar) ao pobre mez de fevereiro,
sem alma nem conscienoia de o deixareo alada
mais pequeo e infesadinho do que ja eslava I....
Deixemos ao leilor amaine da investigago das
perdoe. Mas eu a tenho fielmente guardado, nao
verdade, meu filho ?
Cara mi, nao haveis faltado a ella.
E agora, disse a senhora, vos me persegus
para que a nao cumpra.
Por certo, disse o ministro, meu pai nao exi.
gio o cumprimento desta promessa, mesmo alera
va abatido pela d-r e tremia tanto, que causava *. o|. .._...., fc-il. M assim P9DS0 lud se me toraa SUlVfl e consolador ;
dovelo. Porque elle ama a saa mal; por infeli- !J llf T T M8' todos os das bem digo o nosso Salvador pela mi-
cidade o orgulho da protestante rauda inteiraraen- ^L****?.**.?* '' 6 P3d,d a "J nhasorlB e ^ miha felcldade-
te a sua razo Ha nouco a havia censurado amar- P lugir coavdD,ente Para M lhe assim a coragem inspirada pelo pensamenlo
te a sua razao. Ha pouco a havia censurado amar fosse permiUid0 estacionar em algura lugar publi- das eternas verdades quaudo se esta dellas bem
gamente ; quando porera vio-a esteod.da sera sen- co por onde papj nouve_se de passar DeDeliado
tidos,sua boa razo reappareceu, ajoelhou-se jun-1 .,___. .* ..
to della, colln seu ouvido contra seus labios, poi' J 2 d" %*" esserf d,a' um draa0 ea* adoa ,udo Pr s"a "* a3 cousas mais integrante da historia deste mez.
moulado deixou no convento onde parava a nossa penosas lornam-se cou>oladoras pela causa porque
ja a mais verdadaira e passemos a ouiru assumpto.
II
Historia dos caniculares e aVi cadellmha Mera sua
origen.
Succedeannualmente em agosto um facto astro-
nmico, que deve aqui ser mencionado como pane
da sua morte. De mais, passe, a idade era que a mao sobre seu c iracao e clamoa ccrro, escrava uma cirto de adni4Sa0 a ama audiencia nOs as sotlreraos, e offereceinos ao Senhor
elle tenia que meu espirito podase ser inQueaca- por amor de Deus, soccorro I Pec.pKe.-me privada. dirigida a Miss. L.-a escrava de que tra- Aquelles que nos lamentara no nosso e
do por lalsos raciocinios e tnvencoes sobrenaturaes. imraed.atamen.e e aprsente, d.ante do joven ra- 1 J
o ....i........m;. rnm.. m___ i;, a, .,! nstro. ana sem nercuntar-me coma me achava a h ..j ____.. r ____________ ou uernarD0> yeem OT espanos e nao ve
Se leude-, cara mi, sempre f nesta igreja de que j Distr(>> 1ue sem perguntarme como me achava ali, A- hora marcada, Margarida L.appresentou-se
estado,
eem as
elle era niroigo incarnigado, e contra a qual eu
mesmo solemnemente protesto, ento eu sinto tor-
vos conduzdo aqu e feito confessar esta f que me
to odiosa, quanto falsa perante Deus.
Oh I o olhar que a senhora langou sobre seu fi-
lho ja mais se extiuguir da minha memoria. Ella
trema como uma folha quaudo relirou sua mao
do brago que a sustentava.
Joao, disse ella cora uma voz que nao parecia
ser se nao um gemido, porra que nao foi menos
clara para mira, Joo, ea vos amei at a adorago,
eu vos araei, ah mais que ao meu Deus. Agora
ides me odiar I Por que odiar deste modo a mi-
nha f, ah I Joo, me odiar tambem. Eu nao tive
alegra, esperanga, repouso se Bao em vos, meu
aro filho. Por vos lutei contra o co, por vos se-
parei-me de todos os qne me araavam. O' Joo 1
me disse : trazel agua, correi a buscar e chamar Do Vaticaoo, e foi conduzida a sala de audiencia,
os criados. Enlre as pessoas j all reunidas estavam os
Mas eu tirei do pescogo a reliquia benta, sem a membros da familia que tinhara sido seas padri-
qual oo durmo, e disse ao ministro : | nhos de couflrraago, cuja surpresa por tilo ioes-
Nao toquis nella com agua fria, mas eolio- perado encontr, e em tal lugar, nao se pode fa-
cai era redor do pescogo eta santa reliquia, ecom cilinente conceber. Porm ainda mais cresceu a
rosas.
ANTIGOS C0STUMES PELIGI0S0S.
o auxilio de Dens ser melhor do que quanta agua
fra ha no mundo. A afQicgo o tornava quasi
lonco, e, como nraa creanga, fez tudo que Ihe
disse. A senhora abri os seus bellos olhos, e ex-
halou ura doloroso e longo suspiro. Nos a trans-
portamos em nma cadeira de encost ; eu abr ama
janella para Ihe dar om pouco de ar; ella sorrio-
se e me esteodeu a mo que toqufi e a beijei, e a
abengoei com o meu verdadeiro coragao de irlan-
dez- Eoto Ihe disse qae tinha ouvido todo, que
Deus me perdoe, e qae comqaanto fosse mais ve-
admiragao delles quando o camarista de servigo
chamou em voz alta pelo nome de Margarida L.
A pubre escrava levantou-se, e, abrindose a
porta, achou se era pessoa na presenga do vigario
de Jess Christo; o qual estendendo-lhe os bragos
a levantou de seas ps, dizendo:
Viode, vinde, minha (liba. Eu quiz que prece- sempre descer do seu palanquim ou cavallo qu.n-
desseis todas essas grandes senhoras que espe- do enconirava uma cruz, e logo punha os joelhos
ram na ante cmara, porque, se sois pequea aos em ierra; nunca passava adianto sera uma pro-
olhos do mundo, lalvet que sejaes muito grande fUIlda, nclinagao, sem dififerenca de tempo qo,
na presenga de Deus: 1 lagar
Este facto a annual viuda dos caniculares os
quaes comegara a 24 de julhoe lindara a 31 de
agosto.
Diga-se, pois, para orgulho da raeiguissima raga
caniDa, que os caniculares liveram por sua origem
uma graciosa cadellmha chamada Mera.
Cosiuma-se dar o oorae de canculas is pernas
Os reis de Inglaterra costamavam vestir-se da magras e ossudas de qualquer cidado, mas esta
branco na vespera de sua coroagao, para significar denominago, para tal objecto, erro reprovado pe
a pureza que se quer em um throno christo. | |0S melhores autores... magrissimos.
Os antigos historiadores do rarechal de Bouci- Cancula nada mais e nada menos do que o
caut mencionara que elles erara nolaveis pela mag- lermo |alino dimiautivo de cani, o cao, e em as-
nificeucia de seus vestidos e de todo o seu cortejo ; ,roooraia sg0jaca a roai0r e a mais brilhante de
porra que sempre as sextas feras appareciara lodas as estrellas, a qual faz parle da constellago
siraplesmente trajados do preto em memoria da do cao> d-cnde se ihe originou o nome.
paixo do nosso Salvador. Tambera se denominou cancula a porta da an-
D. Joao de Castro, vice-rei da India, costuraava
tlga Roma, onde se sacnticava annualmente ura
cao vermelho a' cancula, para desviar dos habi-
tantes do globo a mi influencia do tal olympico
animalejo.
Ntese qae naqaella poca ja havia zeladores
municipaes que davam cabo da infeliz canzoada
vermelha I...
Dias caniculares sao aquelies derante os quaes
esl a cancula sobre o horisente, para as nossas
regioes boreaes.
Os caniculares contam-se desde 54 de julho ata
23 de agosto segundo a opini de nos, e al 31
deste mesmo mez, segundo a pinio de outros au-
tores. Taes dias sao ordinariamente os mais quen-
les do anno.
Quadra canicular diz-se daqaella que traz gran-
de calores e causa febres ardentes. Tambem se
usa desie lermo em sentido figurado quaado ha
revoluoes, mollas, aesordens, sublevagoes, etc.
Depois de darmos a scientillca explicago da ca-
ncula e dos caniculares convm mencionar aqui
a historia fabulosa e a razao de ser de tudo quan-
to acabamos de referir com relag.10 a esle capi-
tulo.
Eis o caso :
Houv, na poca dos deuses mvihologicos, um
certo caro ou icario que v.veu reguladamente era
Alhenas onde casou e foi pai de ama linda menina
a quera seus padrinhos (% qne os teve) pozeram
o nome de Erigone. Icaro danda a beber muito e
bom vioho (talvez do Cartaxoj a certos campone--
zes, que desconheciam os perigosos effeitos do su-
blime licor, os embriagou a ponto de perderem o
siso. Os companheiros dsstes campoaezes, suppon-
do-os envenenados, saltaram em Icaro e tiraram-
me a vida. Logo que lew foi morto, as mulheres
dos camponezes assassinos endoudeceran deveras;
e assim, se transportaran a um furor tal que as
obr?gava a corarneiierera os raaiores desarinos. As
pobres mulheres s conseguiram lomar a razo e
sahir do Rilhafolles do seu lempo, quando o Ora
culo ordenou que se celebrassem festas em honra
de Icario. De laes restes sao oriundos os joges- ica-
rios, que nos lodos applau limos tanto no circo do
rotundo e brilaanico Price, quando all foram exe-
culados pelas familias Delevantl e Sterezb3ck, e
por todas as ouiras familias que all temos visto
andar de ps para o ar e passeando oobre uraa cor-
da como nos por nossai casas.
Mas os primitivos jogot Icarios eonsisliam en
am simples brinquedo, muito usado pelas criarlas
do scalo em que vivemos;isto eonsisliam em
fazer bataneo on balouco em cima dt- uma cordtt:
presa a duas arvores, e assentados nesta corda-
barabolearera-se, no que se exercitava, era especial:.
a gente moga I..... Ora na verdade I era mesmo
uma conscieucia p*r lao simples, ingenuas e pou-
co dispendiosas festangas, ctfarem as taes-pobres
mulheres dos camponezes pi>oireiro>, mottidas em
Itllliafijlles commettendo toda a casta de desati-
nos!?...
Mas onde liea a historia da cadella Mera e da
cancula t Tudo quanto araba de dizsr-nos foi
necessario para a origem dos oanioulare K..
Perdi, leitcras. O que aaabo de escrever foi
apenas uma vanan:e explicativa acerca dc-Sr. ca-
to e de mademoiseUe Erigone. Passemos sem de-
mora a dizer quera era a loto Herat depcis can-
cula.
Vejamos-:
Mera, oadella de taroj taoto jroourou, tanto fa-
rejou depois da morle de seu dono,, at que descu-
bri e iodlcou a Erigute, a sepultura daquolle h-
roe da fbula.
Erigonc\ogo que soube da morte de seu pai leve
tal desesperaeao, qus alando urn>corda a uma ar-
vore nella se enforcen para todo o sempre I
A historia nao das mais alegres por que j d
coma de um assassinato e um suicidio: mas nao.
merece a penna eberarem, minhas queridas-leito-
ras, porcue o caso Monteceu ha muilo tempo, e
aguas passadas nao moem moinhos.
Jpiter, deus dos deuses, para atenuar at-certo>
ponto lacios males, metamorphoseou oaro>emias-
tro, (que se er ser o Bootes 00 Botiro); Erigone
om urna conslellac, a que dominou Virga-aa- Ktr-
gem ; e a cadella Mera meiamorphoseou a tamben
na constellago condecida actualraenie pelo norae-
de canilla.
Ora aqpi est a simples historia da cadelinha Ob-
ra, que deu origem aos canicuUures, os quaes sio
anuualoienle causa, de ranila genle passar. dfisa
para melhor vida com ama boa carnada de ms
seses 1
Se V. Ex<\, miaba amavel leitora, fr pres&Dtea-
da durante este-mez, com alguma linda eadetlinba
de caiello alvissimo cahinlo graciosamente em
aneladas madeiaas, e de olhiabos terne* e lacrimo-
sos, qpeira ler a boodade de Ihe por 1 aome de
Mera, em houra da escaldante cadelia de Icaro,,'
para vermos sa cora laes homenagens prestadas L-
sna ni. posif:o planetar etla se digna abrandar o.
rigores destes grandes calores que aa cabega aoj.
causara lautas dores.
i
Fes tus yaguas.
A Roma paga, to prodiga em festangas, &igueU
ras e baiiiques, celebrava durante o mez d agos-
to, um grande numero deltas dentre as quaes de-
vemos mencionar por mais noUveis as ojie se -
ziano. do dia 18 deste- mez. para comme.morai o sjp-
to das Sabinas, episodio da historia primiva da
repblica, bem eonhecidcs o qual nao relatamos
por ser bstanlo longo e por conter em si um facto
pouco moral, praiicado por ura certo magano cha-
mado Humille.
Tambem oram multo para vr-sa as lestas que
enlo se fazLun a 23 de agosto era feonra do feissi-
mo Vulcano- e que se deoomioavara vulcanaes^
Estas bizarras solemnidades eonsisliam, alm de
outras cousas, em se langarem animaes vivos 30
meio de graudes fogueiras o serero, os pobres bi-
charocos, Intos ao sora das valas a vozerias dar-
paliada e populaga I... E sabem que lira liaba ea-
la barbara coslumeira ?... Era como um requori-
nwoto pedindo a Vulcano que os livrasse dos in-
cendios I... Nisto ja. bavia uma certa pradestina-
go para o systheina nomeopathico, pois. que cura-
vam o mal com aquillo capaz de o produzir.
Tambem usavam queimar em taes fogueiras s
armas ultiraaraenle lomadas aos iniraigos.
No citado dia 3, os Albeuienses celebravam uraa
fesla muilo simples, mas pouco graciosa, era honra
do dito deus Vulcano.
Consista ella era passar de mo em mo (syste-
ma de desembarcar melues a foranga) um grande
facho al que elle se apagasse.
Os mesmos Athonienses linham no dia 15 da
agosto a sua fesla oommemorativa da assengo da
deusa Astrea ao Ulympo.
Aslrea, dJl a fbula, que era fill.a de Jpiter e
que depois de subir ao cu foi all collocar-se no
signo zodiacal, no lugar era que hoja esta o signo
coBhecldo pelo nome de Virgo.
Nota-se uraa coincidencia chronologica bem ad-
miravel entre o que acabamos de referir e a Ascen-
go de Maria Santissima ao reino dos cus I Estas
e outras semelhanles coincidencias entre a historia
curista e a paga mostrara nos que muitos dos
mythos, os mais obscuros, do ceg paganismo, pa-
rece ser imagens prefiguradas das verdades rea-
usadas na historia do christianismo.
Sera nos delermos mais lempo em relatar as fes-
tas amigas e modernas, e os nolaveis aeontecimen-
tos deste mez, terminamos aqui o no-so artigo com
medo de que VV. Excs. nos charaem custicos e
massadores. Mas diga-se sempre, para descargo de
nossa consciencia, que a historia prodiga era nos
relatar fados acontecidos no mez de agosto, que,
para os referir todos, seria necessario escrever
muitos volumes e depois paciencia de .Job para
os ler. ___^^_
PERNA.MBUCO- Tlt. DE FT PE F; 4 FHJHQ
A

lalp


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ECKRSXA62_VZ102K INGEST_TIME 2013-08-28T01:39:02Z PACKAGE AA00011611_10839
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES