Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10835


This item is only available as the following downloads:


Full Text
IHiHHMI^VHHn

V .
AUNO XU BDMEBO 27
Ver qnartel pago deotr de 10 das do i." mez '. t .
dem depo/s dos l." 10 das do coaiecoe dentro do qaartel. .
Porte ao eorreio por tres mezes ,......, i
SfOOO
61000
750
SEGMDA FEIRA 4 DE EEZEIBR0 DE 1X65.
4
Por anno pago dentro de ludias do 1. mez 19f00t
Porte ao eorreio por om anno.........., .
SfOOO
ENCARKEGADOS DA SUBSCR1PCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alex?odrrao de Lima;
Natal, o Sr. Amonio Marines da Silva ; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos da
Oliveira ; Maranho, o Sr. Joaqnim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos; Amazonas, a Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Clandino Falco Uias; Babia, o
8r. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, 9 Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacSes da via frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buijue, S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Taearat, as tergas
feiras.
Pod'Alho, Nazarelh, Limoeiro, Brejo, Pesqoeira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio e Ex, as quarlas
feiras.
Serrahem, Rio Pormoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relago: tergas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos : tercas e sextas s 10 horas.
Primeira rara do civel: tercas sextas ao meio
da.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a 1
hora da larde.
EPHEMER1DES DO MEZ DE DEZEMBRO.
2 La ebeia as 4 h., 24 m. e 45 s. da t
9 Quarto m:ng. as 'J h., 53 m. e 28 s. da t.
18 La nova as 2 h., 15 m. e 34 s. da m.
24 Quarto cresc. as 10 h., 11 m. & 22 s. da m.
DAS DA SEMANA.
4. Segunda. S. Barbara v. m.; S. O^mundo.
5 Terca. S. Pedro Chrysolrigo b-; S. Geraido are
6. Qonrta. S. Nicolao b.; S Leoncia m.
7. Quinta. S. Ambrosio b. dout. da egr.
8. Sexta. ij A Immarulada CoMPieSo de Maria.
9. Sabbado. S. Leocadia v. m.; S. Grgnuia v.
10. Domingo. S. Melchiades p. m. ; S. Gemello m.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira 9 5 horas e 18 m. da manha.
Segunda as 5 horas e 42 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do uos dias 14 dos mezes de Janeiro, marco, malo,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
noRecife, nalivraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa,d
Faria & Filho.
guerra, aos Srs. capito do 4o hatalhao da guarda
nacional d<-ste municipio Jos Tnoraaz Cavalcanlt
Pesan e alferes do de o. 49 do municipio de Se-
rlnhem Antonio Jos Lopes dos Saoto*.
O mesmo marechal de campo, competentemen-
Os Srs. assignanles desle Diario, que
se acham em debito d respectivas assig-
natnras, queiram mandar realisar o paga-
mento dellas: e aquellos que moram fora
A i, p luda tanham i hrmdidp do .1 ir avi- te obnMdo pela presidencia determina que> puse
debta ciJade, tenliam a Donuaae ue uar a\i | c,mm.indar 2, (,)mp,nhia do deposito o Sr. ca-
so de quaes SCjam aqu OS seus correspon- ( pilo rerorinado Hnrique Eduardo da Costa Gama
denles, aQlde ser solicitado e^se pagamen- e a servir de quarlel -mostr o Sr. lente
to dos mesmos, a quem darO ordeiu para' madoda guarda nacional Tnoraaz Autora.
islo, visto como
dessa ordem.
alguns pretextan! a falta
PARTE 0FFICIAL
CiOVERKO DO HlttP.tIMD.
Dispensas matrimemiaes.
Exislindo anda algumas petigoes de dispensas,
concedidas pelo Exm. e Rm. Sr. internuncio apos-
tlico em diversas datas, de novo publico os nomes
dos contrahentes, alim de que ditas peticSes pos-
sam fura facilidade ser procuradas na cmara ec-
lesistica, onde ficam todas reculhidas.
Cidade de Olinda, 27 de novembro 1865.
Conego Jaaquim Ferreira dos Santos,
Secretario do bispado.
Dispensas concedidas em data de 14 de setembro de
1861.
Francisco Gongalves de Mello e Delmira Faustina
do Nascwnento
Severino Gomes da Silva, e
Conceico.
Francisco Bezerra de Vasconcellos e Josepha
Maria. '
Francisco Ignacio Nunes e Francisca Xavier de
Haeedo.
Jo- Vicente Targino e Florencia Petronilla.
Joo Paulo de Albuquerque e Anna Tliereza de
Jess.
Manoel Martins de Barros Reg e Isabel Mana da
Conceigo.
Antonio Manoel dos Santos e Bovinda Maria da
Conceico.
Amonio Nones da Silva e Antonia Mara da
Cenceico.
Diouizio loares Pereira e Antonia Maria da
Cenceico.
Joan Pereira da Cruz e Anna Maria da Concei-
co.
Jos de Mello da Silva e Magdalena Maria da
Conceico.
Antonio Martins Leite e Maria Thereza de Je-
ss.
Clandino Correa da Silveira e Maria Francisca
Correa de Oliveira.
Concedidas em 27 de outnbro de 1864.
Joo Rioeiro da Costa e Manuha Jos de santa
Anna.
Joo Jos Neporauceno e Lourenca Maria da Con-
ceico.
Nicustracto Pereira de Mello e Maria Dornellas i mesa de
de Albuquerqne. [quisitos
Concedidas em 30 de novembro de 1864.
Jos Joaquim Victoria e Francisca Casemlra de
Jess.
Jos Cosme da Silva e Francelina Maria da Con-
ceico.
Manoel da Costa Jnior e Eufroz'raa Maria de
Jeso*.
Francisco Carneiro de Araujo e Anna Mara da
Conceico.
Manoel Francisco de Brilo e Maria Januaria da
Conc-ico.
Jos Carlos de Freitas e Anna Maria da Con-
refor-
Maciel
Monteiro em suhstiluigo ao Sr. tenente refirma-
do Francisco de Paula Sa Peixoto, que com o Sr.
alferes do 2 batalho da guarda nacional desle
municipio Norberto Moniz feixeira Guimares,
serm entregados as compannias do sobredito
deposito, pelo modo que mais conveniente for ao
servigo.
(A-signado.) Francisco Sergio SOrnara.
Est conforme.Antonio Francisco Duarte, 2.
tenente-ajudaote de ordens interino encarregado
do delalhe.
PERNAMRUCO.
Passageiro entrado do Aracaty no hiate na-
cional Dons Irmaos :
Flix Monteiro de Castro.
REPARTigAO D POLICA.
Extracto das partes do da 1 de dezembro
de 1865.
Foram recolhidos a' casa de delencao no da 30
do crreme:
A' ordem do Dr. delegado da capital, Joaqnim e
Mi noel, eacra vos, este de Antonio Augusto Ferreira
Lima, como indiciado em crime de ferimentos gra- [
ves, e aquelle de Manoel Firmino de Mello, para
correceo.
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, JoSo t
Pedro Nepomoeeno, para correceo e Vicente,
escravo do padre Po, por Infracgo
muoiclpaes.
A' ordem do da Boa Vista, Johquim de Almeida,
para correceo.
A' ordem do da Vanea, Jos Paulo de Souza,
por crime de roubo.
O chefe da 2* seccao,
J. G. de Mesquita.
Movimenlo do hospital portuguez no mez de
novembro, a cargo do Sr. Dr. Pitanga :
Existiain............ 27
Enturara............ 26
Sahiram............. 20
Fallecern)........... 3
Existen)
cante ; appellado, Joaquim Salvador Pessoa de Si-
queira Cavalcante.
DISTMBl'igAO.
Ao Sr. desembargador Silva Guimares :
Appellantes,os administradores da massa fallida
de Amoriin, Fragoso, Santos & C.
Amonio J >! Candido de S miz i.
Nada mais havendo a traiar, o Exm. Sr. pre-
sidente encerrou a sesso urna hora da tarde.
72
Ihe dirigi a cmara em 8 do correte sob o.
qus Oca assim respondido.Inteirada.
Outro da cmara municipal do Ouricury, com
munican'o ficar scienie de haver o Etna. Sr. con-
selheiru Joo Lustosa da Cunta Paranagu pres-
appellado, tad ) juramento e tomado posse do cargo de pre-
sidente desta provincia no dia 2 de a^ojt) ultimo.' Perda total do patacho
Acaso, apolice n. 2787.
Atara grossa do patacho
Nora Lima, apulices n.
2,785.................
Mera da barca franceza
Amelia sobre apiilic; n.
2,846..
Inleirada.
Outro do Sr. vereadnr tenente-coronel Luiz
Francisco de Barros Reg, communicando que
contina a soflrer em sua saude, e por islo nao
| pode anda comparecer as sessdes, o que far logo
qu2 se ache restablecido.Iuteirada.
Outro do mesmo, communic indo que, no da 31
de outuhro ultimo, falleceu o administrador do ce-
5 desembargaioreTsanlTago,' Gitirana, Lourenco San- mllerio publico da freeuezia de S. Lonrengo, Pedro
1 tiago, Almeida Albuquerque, Molla, Assis, Doria, Cavalcante de Albuquerque L'.us.-Inteirada.
Tltlltl V \l. Ill RELAClO.
SESSAO DE 1 DE DEZEMBRO DE 1865.
1:398*784
lOO'iofl
8:4I55<'00
As
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSELHEIRO
SOUZA.
10 horas da manha, presentes os senhores
11:413*840
GASTOS GEHAES.
Commissao aos
directores.. 1:471*659
SaLros e des-
pezas......3:974*076 5:443*735 16:839*575
Fica.
23
30
Dos fallecidos foram : pulmona, nra; anemia,
un; asciie, um.
Casa de detenqao.
Movimento da casa de detenco no da Io de de-
RBVISTA DIARIA.
O anniversario natalicio de S. M. o Imperador
foi no sabbado devidamente solemnisado nesla ca-
pital, cujos habitantes se mo3travam jubilosos por
um festejo nacional, que traduza ento a expresso
de um vulo intimo e por aquelle que acaba de dar
em amor pelo Brasil a prova mais prilhante, cons-
tituwdo-se assim explicadamente o prmeiro Brasi- M*. Jg3 tPam hiram H
dCWT^2tSa^ra&^ mueres ; escravos 61, escra.
coocorrido de modo notavel pelo fuccionalisrao e '
por cidados conspicuos; e a noute houve repre-
sentado no Santa Isabel ond o enthu-iasmo popu-
lar expandise era ferventes manifestagoes
amor ao mooarcha.
existem
estran-
de
Alimeniados a' custa cofres dos pblicos 172.
Movimento da enfermara m da 30 de novem-
bro de 1865.
Tiveram baixa
Domingues da Silva e Barros Vasconcellos, fal-
tando os Srs. deseinbargadores Ucha Cavalcan-
t. e Guerra procurador da cora, abrio-se a ses-
so.
Passados os feilos, deram-se os segrales
UTGAMENTOS.
Habeas-corpns.
Concedeuse soltura a Jos Nicolao Bezerra, An-
tonio Luiz da Silva, e Mara Francisca da Concei-
co.
DILIGENCIA CRIME.
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
justica
As appellacoes crimes.
Appellante, o juizo ; appellado, Vicente de Sou-
za Ferraz.
Appellante, Clemente Crrela Jardim ; appella-
da, a justica.
Appellaule, Jos Felippe Bezerra Cavalcante ;
ap,"'liada, a JU.-tica.
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel Mar-
ques de Souza.
DILIGENCIA CIVEL.
6:398*113
No correr do dia est.veram embanderados os' Fran isco Alves de Athayde defluxo.
os estabelecimentos publi- Francisco Rodrigues deSenna, amenia.
navios surtos no porto,
eos e as fortalezas, dando a do Bruin as salvas do
estylo as horas competentes.
Deu-se no sabbado o baile, com que festejou
o Club Pernambucano o seguudo anniversario de
sua installaco; e a funocao foi com efNto urna
festa digna de urna souiedade da naiureza delle.
A ordem systemalica e a profuso luxuosa resal-
lavam de tudo.
Os saloes eslavam adornados com apurado gosto
e ao mesmo tempo com urna simplicidade exquLi
ta, queagradava; e vivia-se ah n'uina atmosphe-
ra tepida e odorosa, que enervava os sentidos era
um bem estar, que se nao pode descrever.
Os salos deslumbravam pelas presentas de
urnas cem senhons, que em fulgor de belleza,
gracas e amabilidade illumioavam a toda a festa.
O servico foi abundante e variado.
Alm de nevados offerecidos por mais de urna
vez, alm do cha e chocolate, servu-se urna lauta
Falleceu, Goncalves Carneiro.
CHKOMCi JU0IGIAKIA
redo.
ap
Tlll HIVVI. DO COnnKIUiO
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 30 DE Appellante, rsulino Le.te de Arrouxellas
NntriruRHn nc tkRK pellado. Jos Mana U>rlez.
presidencia0 do^ex^srMSmbargador Appellante, bacharel Manoel 1F.rraino de Mello ;
anselmo francisco PERETT.. appellado, Francisco JosiBNfam.
s 10 horas da manha, estando reunidos os Srs. .k. 'i ,';,', ,c, tomiur
deputados Rosa, C Alcoforado, Basto e Miranda ^lJ^^^JMrUaM8t'9ma>M^
Leal, o Exm. Sr. presidente declarou aberta a ses- > I* Lourenco San .ago
-_ A rt|'(ix*iid^au civel.
' Lida, foi approvada a acta da sesso antece- ***** a ^^ aPPe,lado' Manoel d*
denle Sllva -ranhos-
expediente. Ao Sr- desembargador Molla
Oflkio dadireceo da Associago "Commercial A apueilaco civel Pr.n.K_
. Beneticen.e, de 28 do expirante, dirigido ao Exm. Appellante a fazenda ; appellado, Joao Francls
manjares diversa, fructas e v.nhos ex- ^^^^2 SSX' "oK^^rgador.ouren.o Santiago ao Sr.
i e duendo que con. brevidade dara as informacoes | desembargador Almeida Albuquerqu
pedidas em vrtude do aviso do ministerio da jus-
tica de 28 de oulubro ultimo. -Ao archivo.
Aos Srs. deputados foram distribuidos os seguin-
I es linos :
Diano da casa cnmmercial de Rosa & Irmao.
Dito de Gama & Silva.
"despachos.
Pelico de Mills Lalhant & C, pedindo que se.
i admita a registro a procurarlo bacante que jun-
Com vista ao Dr. curador geral
A appellaco civel. | tido se informasse a presidencia.
Appellante, a escrava Maria : appellado, Ignacio Outro do contador, dizeodo nada ter que oppor a
de Moraes Sarment. [eerlido de cusas apresentada pelo Dr juiz de di-
designacao de da. 'eito da 1* vara, Joo Antonio de Araujo Freitas
Assignou-se dia para* julgaraento das seguin-Henriques.Que se ouvisse ao advogado.
les : Outro do fiscal da freguezia do Recife, commu-
Appellagoes civeis. nicando que o inspector do arsenal de maria man-
Appellante, Francisco Antonio Alves Mascare- ; dar fazer urna escavago nolarto do mesmo ar-
nhas: appellado, Jos Antonio Ferro de Figuei- seal, para um acresslmo ao estaleiro de construc
Outro do advogado, dizendo que dos papis que Dividendo a favor, se for
acompanharam a petico de Luiz los da Gr.ta de vossa approv^co 15
Amorim, consta que fora deposilad4 o laudemio 0|0 do capital reilisado
que se pagou pela arrematar) da casa no inven-1 ou 15,000 por aeco..
tario do foreiro Antonio Marques da Costa Soares,
e recolhido a thesouraria o que se pagou pela ven- [ Desla conta passa para
da que da metade da mesma casa, fez Bento Jos fundo accuraulado.
Meudes, ao dito Amorim.
Feito o aforaraento cabe o laudemio a cmara, e
por isso convam que mande exlrahir as respecti-
vas notas para que se requeira a entrega dista
quaulia como de direito.
Posto em discussao, 4eliberou-se que neste sen-
tido se oIBciasse ao procurador.
Outro do engeuheiro corleador, informando so-
bre a prelenco da Companhia Brasileira de Pa-
qoeies a Vapor ao aforaraento do terreno de ma-
rraba qne ella allude era seu requerimiento a
presidencia, diz, que por parte desta cmara nada
acha que se possa oppor a dita prelenco, urna vez
que o aforaraento se limite no terreno oceupado
pelo deposito d- carvo da mesma companhia, e
nao seestenda ao que Ihe fica vizinho para o sul, Na forma do artigo 4o dos estatutos passa para
que esta destinado a uina prac> Que ueste sen- fundo accuraulado a quantia cima de oito contos
vmie e tres mil qmiroceotos noventa e duis ris,
que reunido ao capital do n >-s > anterier balando
prefaz a quantia de 99:915*277 prximo a ser
completado os cem cootos de ris determinado
por nossos estatutos, para em seguida e no proxi-
Desconton-se em letras
327:00*206, qu a di-
versos premios renden.
Abatimentn em duas le-
tras n. 940 e 972; que
na adminisiraco de
1860 foram compradas
por nosos antecessores.
Saldo da conta cima...
6:000*000
398*113
8:770*95
1:145*57*
7:625*379
398*113
8:023*492
Dansou se at qnatro horas da manha ao som
da bnlhaule orchestra regida pelo Sr. Colas.
Acha se interinamente exenendo o lugar de
promotor publico desta capital o Sr. Dr. FrancL-co
de Carvalho Soares Brando.
A nomeaeo do Sr. Dr. juiz de direilo da 2*
vara Manoel Jos da Silva Neivas, que leve por
cerlo feliz iuspiraco pelas qualidades do no-
meadu.
cao.Que se representas-e a presidencia.
Outro do fiscal supylente em exercicio da fre-
guezia de Santo Antonio, participando que em ses-
so de 30 de agosto ultimo fora nomeado Gustavo
Adolpho da Silveira, guarda da mesma freguezia,
e ha vendo passada maii de dous mezes, e nao ten
do elle se apresenlado, pede que fique sem efT-ilo
a nomeaeo, e propo* para subsluui-lo a Manoel
Ignacio Gomes de Farias. Foi approvada a pro-
posta, Vando por consegumte dispensado o guar-
da Gustavo, e neste senlido se mandou fazer as
comraunicacd"S necessarias.
Outro do Osi-al da freguotia ta Bua-Vista, parti-
cipando ter apodrecido urna trave da poniezinba
do Rosarraho, e como seja necssana ouira para
substituida, roga a cmara que providencie.Man-
doo-s" ordem ao fiscal para mandar enllocar ou-
A appellaco crime. I Ira. e commuoicar ao procurador e contador.
Appellante, Manoel Domiogues dos Reis; appel- Outro do fiscal da freguezia de S. Lourenco, tra-
tada, a justica. | zeodo ao conhecimento da cmara que o largo da
Do Sr. desembargador Almeida e Albuquerque ao povoacu da mesma freguezia se acha todo coberto
Sr.desembargador Molla de mallo, que diffkulia o transito publico, pede
As appellacoes civeis. autorisago para mandar limpar, cuja despeza nao
Appellante, D. Anna Josepha Pereira dos San- podera exceder de 12*000Autons .use mandati-
- Por nosso intermedio pedido da ra Ve.ha I "g>* ^SSS 'e Joaquim Jos
a uns mocos, que nella moram, mais recalo quan- '" & ^ c'
do se pozeiem a refiescar; pois quem quer estar a' "lva. P-
em tradas de camisa, tem as portas fechadas, e ,
ceicao.
Luiz Francisco Ramos e Tliereza Maria da Con-
ceico.
Concedidas em 23 de Janeiro de 1865.
Joaquim Jos dos Res e Antonia Jovina da Sol-
dade.
Antonio Ferreira e Umbelina Maria da Concei
gao.
Conccdiifas em 10 de maicode 1863.
Nicolao Alves da Costa e Pastora Mana da Exal-
lafio.
Jos de Barros e ^ilva e Antonia Mana da Con-
ceigo. .
Martioiano Jos dos Santos e Vicencia Mana da
Conceiro.
J.iao Francisco e Antonia Thereza.
Candido Marques das Virgeos e Anna Luzia do
Nasa ment.
Concedidas em 19 de ubril de I8ba.
Antonio Jos da Silva e Francisca Xavier da
Silva.
Joo Francisco da Silva e Maria Fraucisca fo
Conceico.
Antonio Lobo dos Santos e Antonia Veneranda
*J*i Ferreira Ribeiro e Mana da Conceico do justo que se louvem aquellas, que no cumpri-
Ainor Divino. i roento de ieus deveres, se fazem credoras da esli-
Conredida em 17 de maio de 1865. ma publica.
Feliz Jua Iitoacio de Lima e Felimina Franceli-, Nestas circumslancias
na de Carvallo I da Cosa Monteiro, que, durante o lempo que exer-
Conredlas em 19 de jnnho de 1865. ceu a suppleucia da subJelegacia da rreguezia do
Jos Seratim de Souza e Joaquina Maria da Con-. Poco, couseguio captar a coosideraco de todas as
'..a,, pe?soas honestas do lugar, que por multas vezes
Francisca Antonio de Maria e Bernarda Maria da uos tem anonado o proceder regular e moderado
Silva d0 Sr- CoMa Muuttir. 1ual conunuaria a prestar
Manoel Felicio da Silva e Francisca Maria da! bous semeos, se iuteresses de outra ordem nao
Conceico I apressassein talvez a sua subsuluigao.
Francolino de Souza Vieira e Maria da Gloria de E' de esperar que o Sr. Dr. cnef de polica estoja
iulus de sobreaviso a respeilo das cousas diqullafre-
Vicente da Rocha Freir e Maria Nicacia do as guezia, onde, seguudo se nos diz, sao toleradas ca-
cirnento. ; sa ae 1UK ue '"olagem.
Mauoel Nogueira da Silva e Aguida Maria de q escrivo dos prolestos Jos Mariano, est de
nao as escaocaras, escaudalisando as familias cora
exposigoes nao eucoiiiineudadas.
Por nossa vez o mesmo pedido fazemos, e esta-
mos cortos que os referidos mogos se ab>tero de
continuar u'uma pratica indecente e impropria da
educago, que devem ter recebido.
A' 18 do passado foi encontrado na lat. N. 6o
24" e long. O. 24 15" o bngue francez Woloijda,
trazendo ja 21 das de Cadix para Montevideo.
Reraellem-nos o seguinte :
< A assembla em sua ultima sesso volou urna
quantia para o concert da estrada de Santa Anna;
mas como aluda nada se Otease, queira dtzer algu-
ma cousa para ao menos ver se aproveila-se agora
o bum lempo, e meite-se mu a obra.
t E>ia de minia necessidade.
t Aquelle ponto da estrada um constante im-
pedimento aotran.-ito; e de invern quasi que
este lica inlerceptido.
N'um tempo em que tantos clamores se le-
vautam coulra desvos e excessos das autoridades,
acha-se o Sr. Joo Lucio
Candido
ses-
Concedidae em 21 de julho de 1865.
Flix H. uriques da Silva e Mana Francisca da
Silva. I
Jos Romualdo de Lima e Mana Joaquina de
Jm.-US. .
Vicente Ferreira Naziazeno Bezerra e Josepha
Maria da Conc-igo.
Aiexandre Jos dos Santos Sobnnho e Francisca
Mana da Con-eigo
Comedidas em 19 de agosto de 186o.
JooFiaucisco da Silva e Anna Francisca da
AU va
Manoel Alves de Siqueira e Honorina Maria de
^Aotonio Joaquim Bezerra e Joanna Francisca da
Conceigo.
Concedidas em 4 de setembro de IWra.
e Delliua Mana de
semana.
No edital publicado hontem 2 de dezembro,
do juiz de paz da freguezia de S. Jos, deixou por
engao de ser declarado o nome do escrivo que o
escreveu, Jos Gongalves de Sa.
Numerago dos bilhetes da lotera 41*, offere-
cidos p--lo tbesoureirodas loteras, para auxilio das
despezas da guerra:
Bonetes ns. 467, 1.884, 2 286 3,220.
Metosjn. 676, 1.SU8, 1.534, 2.135, 2 662, 3.179,
3.370, 31.888. I
QuiuiU ns. 717,1.488, 1.615, 1.926,2.378,2.519,
2.840, 3443, 3,775, 3 912.
Os bi|heles das loteras 11" a 40*, produziram
1:61
Peas 2 horas da manha do dia 2 do corrente
falb-ceoj, na enfermara da casa de detengo, de
Agostiuho Lourengo Dias
Joaquim Carlos de Mello e Simiana
Santos. ., rt, ri,nppi. Timbaiiba, liho de Jos Anacleto
Feliz Jos Bezerra e Mana Thereza da Concei- Ju. d^N.'lSt.imemn ; recolhido a
Vioir dos' nia aiieroa complicada, o preso Antonio Gmgal-
.. .J...!. 4.^kni casado, natural de
ves i arjneiro, de cor branca,
da Silva e Maria
mesma casa no
{ao
Belizo Jos da Silva e Maria Pastora.
da 6 de setembro do cadente anno, vrado do Li-
| moeiro,; como criminoso de morte no termo de
COMANDO DAS ARDAS.
Quartel general de enmuanile das armas de Per-
Bambuco na cidade do Retire, Io de deiembro
de 1SB5.
Ordem do da n. 165.
O marechal de campo coramandante das armas,
faz cerlo a guarnign para seu conhecimento e de-
bido iff-mo, que a presidencia resolveu por offlcio
que fosse incluido na
Goianna.
Procpdeo o exame de identidade de pessoa o
Sr. subdelegado da freguezia do Recife.
No sabbado noule chegou o vapor ioglez
Agns Arkle, procedente oa Baha, fretado pelo
governo para o transporte de tropa. Nao foi por-
i tador de noticia de importancia.
Seguiram, no mesmo dia, para o Rio de Ja-
neiro ds vapores americaoos Tyjuca e H. S. Hogar,
a sereW vendidos.
Bassagelros sahidos para o Aracaty no hiate
de 29 de novembro ultimo, *|u ,-, --------------
3* companhia ou era outra'qualquer doJP baulhio bras.lntJSSTl LeitJo Joo Agos.inho de
porurias de igual data dispensou do servlgo de Jos da Cunha.,
balxa no regi>tru do con-
tracto social qne exist > entre o segundo petino
uario e Sacavem e Barbosa (a quem representan,
hoje os pnmeiros peticionarios), em urna distdagao
de agurdeme, visto terera por mutuo accordo dis
solvioo essa sociedade.Vista aoSr. desembarga-
dor fi.-cal.
tem de Mala & Espirito Santo, pedindo que se
maude registrar a letra que juniam. Registre-se.
Nada mais havendo a tratar, o Exm. Sr. presi-
dente encerrou a sesso as 11 horas e meia da
manha.
SESSAO JCDICIARIA EM 23 DE NOVEMBRO
DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
A. F. PERETTI.
Secretario, Julio Gmmaraes.
As onze horas e meia da manha o Exm. Sr. pre-
sidente declarou aberta a sesso, estando reunidos
os Srs. desembargadores Silva Guimares, Reis
Silva e Acciidi, eos Srs. deputados Rosa,
Alcoforado, Bastos e Miranda Leal.
Lida, foi approvada a acta da precedente
sao.
Assignaram-se os acordaos proferidos na ultima
sesso nos feilos enire parles :
Appeilanles, os administradores da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Santos & Companhia ;
appeliaoo, Antonio Alves de Moraes.
Appellantes, Manoel Antonio Nogueira e sua
mulher; appellado, Joo Pereira Castello Branco
Appellante, Manoel Joaquim Baptisla ; appella-
do, Joo de Almeida Lima.
O Exm. Sr. presidente apresentou em mesa a
duvida proposta pelo escrivo Alves de Brito :
que, tendo-lhe sido distribuido o feito entre partes
Jo.- Anioni i de Almeida Guimares e Joaquim de
Azevedo Maia no qual funecionou como juiz um
seu couhado, se pode elle ofBViar como escrivo
em ditos aulos. E declarou o tribunal que em vis
ta da lei nao ha motivo de suspego.
julgahentos.
Appellante, Luiz Amonio de Souza Ribeiro ; ap-
pellado, Manoel Joaquim Rodrigues de Souza.
Adiado as sesaStt de 23 e 27 do correte.
Foi confirmada a sentenga appellada.
Recrreme, D. Anna Luiza de Mello Brrelo ;
recorrida, a commissio administradora da massa
fallida de Gomes & Fhos.-Adiado as sessOeS de
23 e 27 do presente mez.Adiado a pedido do ter-
celro juiz sorteado.
Appeliante, Joaquim de Azevedo Maia ; appel-
lado, Antonio Jo- de Figueiredo. Adiado na
sesso passada.Foi reformada a sentenga appel-
lada.
Appellante, Franci-co Santiago Ramos; appel-
do, Joaquim Elviro Alves da Silva.
Adiado na ultima sesso. Adiou se de novo a
pedido do ootro Sr. deputado.
Appellantes, D Mara Rila da Cruz Neves eoutros;
appellada, a directora do Novo Banco de Pernam-
boc .Adiado na precedente sesso.Adiado a
pedido do ootro senhor deputado.
Appellante, Virginio Barbosa da Silva ; appel-
lados, Cardoso & Souza.Adiado na uliima sesso.
Adiado a pedido de outro seniior deputado.
Appellante, Jos Pereira de Araujo ; appellado,
Jos Alves de Faria.Adiado na sesso passada.
Adiou se a pedido do oulro Sr. depulado.
passagens.
Do Sr. desembargador Mlva Guimares ao Sr.
desembargador Res e Silva:
Appellante, D. Maria Tneodora da Costa Alves
Ferreira ; appellado, Joo de Castro Guimares.
Do Sr. desembargador Res e Silva ao Sr. des-
embargador Accioli :
Appellante, Joo Piolo de L*mos Jnior
pellado, Antonio Peregrino
los ; appellado, Domingos da Silva Campos
Appellanie, Antonio Flix de M-nezes; appella-
do, Manoel Dutra de Souza.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. desembar-
gador Uehoa Cavalcante
A appellago civel.
do-se fazer as neces.-anas comiuunicagdes.
Oulro do fiscal da freguezia de Jaboato, dizen-
do que em cousequencia de graves encomraodos de
sade, que o impossibilitam de continuar a exer-
cer as fonegoes de fiscal da mesma freguezia, pede
a cmara Ihe conceda a exoneiago do diio cargo.
Appel 'ante, Francisco Jrge de Souza; appella- Concedeu se.
do, Francisco Mannho de Albuquerque Mello. O Sr. presidente propoz para substituir aquelle
Do Sr. desembargador Barros Vasconcellos ao flseal a Manoel Joaquim Idelonso Bezerra. Foi
! Sr. desembargador Santiago approvado.
A appellaco civel. Tambera propoz a Jos Antonio Pinto de Medei-
Apneliante, a fazenda appellado, Aiexandre Jo- ros. para supplenls do fiscal da rreguezia da Boa-
s Malheiros.
A' 1 hora encerare ve a sesso.
C4XAR. aiiXIl-'AL ftEClFE
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS 13 DE NO-
VEMBRO DE 1865.
Presidencia do Sr. Pereira Simes.
Presemes os Sis. Tliomaz d'Aquino, Gustavo do
Reg, Saotos, Dr. Villas Boas e Pinto, abre-se a
sesso, e lida e approvada a acia da antecedente.
Leu-se o seguinte
expediente :
Um offlcio do Exm. pre-idente da provincia de
9 do crreme, recoinmendando a cmara que ten-
do-se desenvolvido actualmente era alguns paizes
da Europa o cnolera morbos, e convindo quanto
autes tomarem-se as medidas preventivas a seme-
Ihaute respeilo, alientas as relages commerciaes
que existem entre aquelles paizes e esta provincia,
turne a mesma cmara, este assumpto na mais se-
ria aitengo, e procure cora a maior soheitude pro-
videnciar sobre o assetu da cidade.fazendo remover
ludo quanto dessa concorrer para a sua insalubri-
dade, empregando para isto lodos os meios ao seu
alcance, ou solicitando as medidas que depende-
rera da presidencia, lembra ainda sobre o foco de
inmundicias que exi-te .prximo ao Hospital Pedro
II, acerca do qual de novo pedio providencias o
desembargailor provedor da Sapla Casa de Mise-
ricordia, sendo que nao so naquella locahdade,
como em quasi todos os caes qie circundara esta
cidade, onde coolina a pratica abusiva desefa-
zerem os despejos, existem monges de lixo-, que
alera de depama contra o noss estado de civilisa-
go, sao outros tantos fcos de |nfecge que devem
ser removidos.
Posto em discussao, mando i-se responder a S.
Vista. -Foi igualm-nte approvado.
Mandou-se remelter a commissao de edificares
I um requenmento do Dr. Joo Baptisla Casanova.
; replicando do despacho que Ihe fora dado era ses-
'< sao de 18 de oulubro passado, acerca da reedifica-
| cao de urna casa na esquina do becco da matriz de
Saulo Antonio.
O Sr. Santos encarregado das obras domatadou-
ro publico, represenlou que fora retirada a praca
que estacionava diariamente naquelle eslabeleci-
mento, o qual uao podia dispensar a mesma praga
para garantir o respectivo admioi-trador no exer-
cicio de suas fuoecoes.Que se olliciasse de novo
a presidencia.
Estiveram em praga as rendas das casinhas ns.
15, 18 e 19 da nbeira da freguezia de S. Jos, e
nao appareceram licuantes, e apenas Jos Francis-
co Ramos, inquilino de outras da mesma nbeira,
requereu offereceudo a quantia de 96*000 de atu-
guel por cada urna, prego porque se mandou bo-
tar nuvamenle em praga para o dia 22 do cor-
rente.
Despacharam-se as pelig5es de Domingos Rodri-
gues da Costa, Emilia Carolina Madelra Ferreira,
Emilio Antonio Gongalves Lima, Francisco Candi-
do da Silva, Faustino Crrela Jnior, Jos Dorara-
gues Codeceira, Jo> Norberto Castello Branco,
Jo Soares Pinto Corma, Jos Bento Gongalves,
Joo Antonio Carpinteiro da Silva, Jo Antonio
Ferro de Figueiredo (2), Jos Gongalves Ferreira
da Costa, Jos Antonio da Silva, Luiz Joi- da Cos-
a Amorim, Launano Manuel dos Santos, Fr. Sera-
phhn de Calania, e levantou se a sesso.
Eu Francisco Canuto da Bjaviagera, secretario
a subscrevi.Pereira SimSes pro presidenteDr.
T. Villas Boas. -Santos.-Piulo Reg.Silva do
Brasil.Fouceca.
ni anno, serem to bem divididos os lucros ob-
tidos em disconlo de letras.
Pende anida em juizo a aeco recisoria da es-
cuna Emilia, da qual vos damos scieocia no nosso
anterior rotatorio, tendo acompanhia obtido pou-
co sentenga a favor no juiz do commercio passada
pelo dislincto magistrado o Illm. Sr. Dr. Araripe.
A parte appellou da senlenga.
Cinscios de termos cumprido nossos deveres,
resta a uomeago, que deveis preceder para a
commissao de exame de coolas, conforme o artigo
41 do; e>tatutos e que devera emrtlir sua opiniao
a respeilo.
Pernambuco, 15 de novembro de 1865.
Os directores,
Feliciano Jos Gomes.
Domingos Rodrigues de Andrude.
Balaaco da companhia de seguros martimos Utili-
dade Publica, em 31 de oulubro it 1865.
de VE
Capital............. 400:000*000
Fuido accumulado at 1864. 51:891*783
Descont de letras neste anno. 7:6*5*379
Premios de seguro ueste mno. 92:540*275
Recebido de couta, de letras que
em outros annos passaram a ga-
nrios e perdas.........
Dividendo a pagar a massa fallida
de Mesquita & Dutra. .....
Rs. .
ttV-ER.
Accionista-...........
Fundo efleelivo. V>:OO0j000
Dito acu mnado al hoje 59:913*277
Sioistros pagos..........
Res-guros pagos........
Retornos de seguros.......
Gastos geraes..........
Dividendo que falla pagar do 9. .
Dcimo segundo dividendo a pagar.
1:419*870
95*100
481:582*309
360:000*000
99 915*277
11:4133840
477*437
2535000
5:445*735
754000.
6:0003000
Rs. 483:582*109
Pernambuco, 31 de oulubro de 1863.
Os directores,
Feliciano Jos Gomes.
Domingos Rodrigues de Andrude.
Demonslrarao dt eitado da companhia de seguros
Ulilidade Publica, em 31 de oulubro de 1865.
activo.
Accionistas............ 360: Letras a recebe......... 'SHSS
Caixa, draheiro no cofre........ 5: ,'*Jx?
Movis -............ 41*790
Rs
465 990*277
todos os esforgus ao seu alcanc para fazer remo
ver os eutulnos, e quaes quer c Jiros focos de in-
teegaoexi-lentes as roas e [ragas desta cmade,
bem como nos caes, tudo tem sido sem resultado,
Exc. que com quauto a camai tenha empregalo. Compaollia de SegllT S IliaritlIllllS Lll-
porque os habilanles da raesra
dara, forgoso c nfessar, cot correr para a con
tinuago do abuso at agora se uido, de fazerem os gerencia no prseme anno Rodo em 31 de outu-
despejos em qualquer parle
caes, pelo que muilo intluem
bhca, os quaes s se poderla i
se diariamente e noule era
gares senlinellas rondantes.
Que nao com os traeos re< ursos
pde a cmara ; perquanto a I
mcipal vigente apenas auto
com a limpeza das ras a qi;
que pode ella conservar serap
cidade, nao duvi-
lidade Publica.
Srs. Accionistas.Cumpnndo a direegao do arl.
41 dos estatutos, iem a honra de, por mais esta
vez em assemb'a geral prestar vos comas das
transaeges, que tiveram lugar durante a uossa
i ras, pragas e bro prximo passado.
a salubridades pu-1 Do balango que est presente e dos Uvros da
mar, conservando- companbia, e mais documeutes correspondenles a
:ada um desses lu- este rotatoria que juntamente vos ^presentamos
podereis coohecer da voracidade da quanto vamos
de que dis- expender,
i do orgamento mu- Era seguros de mercado-
isa a despender se, ras, e navios a prasos
ola de 3:000*000,! flxo< tomamos a risco
e limpa e no estado, i :928:22O*o0O sobre
PASS1VO.
capital............. 400:000*000
Fuudo accumulado.......... 59.915*277
Dividendos : de 5 aegoes do 9o di-
videndo........... 7:,i0\?!
12 dividendo de 15* por aego. .. 6:000*000
Rs.. 465 990*277
N. B.Ha mais a favor da com-
panhia a seguinte importancia que
o auno pas.-ado ficou para liquidar
de letras que em outra poca pas-
saram a coma de gaubos e perdas 9:472*586
Importancia recebida neste anno. 1:449*870
Fica para liquidar fra do activo. 8:022*7jfi,
Recife, 31 de oulubro de 1865.
O guarda livros,
Pedro Rorterlo Le-sa>.
Demonstraco da conta de gakos e perdas du, com-
panhia Utilidude Publai, tvn 31 de oabubrode
1863.
DEBITO.
Sioistros pagos...........
Commissao aos directores, salarios
e mais despezas........
12 dividendo de 15* por aego a
pagar.............
Para saldar esta conta passa a do
fundo accumulado....... ..
w

Rs
(1:4,13*840)
5:443*735
6:000*000
398*113
13:257*688
urnaI ci'cjide como esta, cujo! cu|a quaulia obtiveraos.
e premio de.......,v<
Deduziado reseguros, e
retornos.......,,....
lax o desembargador
senenrdia, sobre o
te prximo ao H >s-
desconhece a razo
Cavalcaoti de
ap-
Albu-
querque.
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-
gador Reis e Silva : '
Appellante, Maijoel Ignacio de Siqueira Caval-
que para desejar,
litoral immeuso.
Quanto a reclaraago que
provedor da Santa Casa da &
foco de inmundicias que exi:
pilal Pedro II, a cmara nao
que ihe assiste para assim pr ceder, mas all oo
existe outro lugar mais con\ miente para os des-
pejos pblicos.
como deva ser caraprid i a recommandago
de S. Exc. a cmara Ihe pedk qoe se digne habi-
litada com meios para levir a eBeiio a mesma
recommendacao, mandando Ihe dar pelos cofres Pagoa-se de sioistros as
22:540*275
732*457
Resulta. ,......
Recebido por coola de
letras Uvadas conta
de (eros e perdas, em
nutra poca.......,,.
CBK.0m.O-
Recebido por conta de letras, que em
outra poca passara.ua essa conta 1:449*870
Premios de seguros >a ddduzidos os
reseguros e relujaos.. v 31:807*818
Rs 23.257*688
Somma.
pblicos, lodependente da iu leraoisaco, a quan
lia de 16:000^000.
Oulro do raesrao de 13 do corrente, declarando
que opportunarjQente seria su imetiido ao co'jneci-
mento do ministro do im^riu a representa'-a,,, qUe
para ter e^se destino, cgni WftA o offlcio que
seguiutes quanlias. Me-
tade do valor do biate
Aracaty abandonado
por perda toul, e so.
guro por nossa apoliee
n. 3,385..... j.'ir
l:500*0QQ
31:807*818
Recife, ai de oatubro de 1865.
O guarda livros,
1:449*870 Pedro Roberto Ussa,
______.! Illms. Srs. accionistas.A commissao de exame
23:357*888 v conlas, que vos, em cniforinidade com o art. 41
dos estatutos desia companhia^ elegesies em as-
sembla geral, de 15 do crreme, vem euraorir
este mandato, e tem a satisfagao d vos apreseniar
o resultado do seu ex.a'ft'*. declaran'to-vos que pro-
cedendo ao exame nos livros de sua escnpiuragao,
os achou regularmente escriturados e de coufor-
midade com Q relalorip fejtg pela directora, baiaii-
f

1


Diarlo de Pfernambnco Segunda fe ira 4 de Dezembro de |8ft.
50 e contas demonstralivas que a mesma vos apee-
sentou c* m aquelle relatoho.
Dos ttulos dos pagamentos dos sioistros occor-
rldo- ueste anuo, que a companhia pagou, se v,
que foraro guardadas as regras de direiio e condi-
edes exaradas as apoces.
Examinamos os fundes da companhia existentes
em letras e dinheiro, verificando em letras a ven-
cer, a quantia de 99:957o499, cuja solvabilidade
nos, por Ihes faltar o requisito 2 do 3 do artigo Antonio Gomes Junior.-Luiz Jo> Per
8 dos nossos est,tutos, pelo qu* obrou V. S. com -pro-pret,ideule-Frauetl:o Canuto da
gHfo psra evitar qno urna causa perniciosa conti-
ne a produzr os effeilos inais desastrados, come-
eemos, quando um dia nos fr isso tamoem acul- muito discernirneuto uo recebeudo e
tado, pela reorma do ensino pnblico, que em lo-' conforme bem Jexpressamenle lem recorameudado
da a parte, onde se acha mal organisado, a fonte esta directora a todos os cava.heiros, que por so-
de todos os males, que opprimera a sociedade.: licitacaosua, e a bem da socada Je, beoev'olamnte
Proclamemos entao bem alto a sua liberdade como se prestaran] a receber as Joias dos cidados por
a garanta de lodos os progressos e como a salva- tugeles, que se teem inscripto como ocios do
guarda do direilo em tocias as mil variedades que Moote-Pio.
Longe, bem longe de ter esia directora
desculpar p r, segundo
julganios sem duvida : ronn.u-se em dinheiro em Ihe imprime a vida mltipla do povo. L,onge, bem longe de ter esia directora
cofre a quantia de 5:0905988, e ajuntando a estas Abracemos neste ponto o exeraplo, que nos olle- j desculpar p r, segundo sua modesta exoresso
parcellas a de 941*790, importancia dos movis,' recem quasi todos, seno todos os estados da Alie- melhor nao haver V. S. curaprido os seus deveres'
prefaz a quantia de 105:99 *77, que o activo manha, oude ao espirito se tem dado toda a gran ella so tem a tecer Ihe os mais bem merecidos lou'
da coinpauhia suj>'Uo a pagar o dividendo proposto deza de sua iostinctiva liberdade. vorespelo crilerioje dedicacaoqiie V S desenvolveu
pela direccao 6:075*000, resulta ser o capital effee- E" preciso que ca no Brasil acabe-se de urna vez satisfazendo pela melhor forma a nova incumben-
livi 99:9155277, demonstrado pela dirccloiia no rom o privilegio da sciencia e com a tutella, que cia ao seu telo confiada ; e, pois, poda V S acre-
seu relatoro.
Este estado nos parece ser bastante lisongeiro
para esta associafao, e dem nstra o zelo e cuidado
com que ella tem sido dirigida pelos Srs. directo-
res, e que sao dignos de um voto de gratido e
agradec meato.
E' pois o nosso parecer, que sejam por vos ap-
pnmdas as contas appresentadase ordenado o pa-
gamento do dividendo que a directora propoz.
Reeife, 20 de novembro de 4865.
Chrystovo Gmlhenue Breckeofeld.
Luiz Antonio Vieira.
Miguel Joaquim da Costa.
degrada o pensamento. dilar no sincero reconhecimeoto da directora pro
Pelo que diz respeilo ao lado material do pro- visoria, que prximamente, era assembla geral
gress., sirva-nos de estimulo qualquer das grandes dos associados, levara' ao conhecimeuto delles os
nacoes da Europa e os Estados-Unidos da Ame- nomes dos seus prestrnosos eonsoclos, que tanto a
rica- leem auxiliado na consecuco dos fins, que sao o
a nossa sociedade, que tem passado por tantas alvo dos nossos esforcos.
phases complicadas e didiceis, e que tem chegado, I Dos guarde a V. S.
pela geral apathia dos espintos e pela descrenga Secretaria do Monte-po Portuguez em Pernam
que inspirara o> homens e os destinos da naco, a buco, 2 de dezembro de 1865.
um grau tremendo de aspiracoes reaccionarias a
nossa sociedad
NOVO BANCO DE PEB.V4MB0C0.
Balanco do Xoto Banco de Pernambuco, em
de novemliro de 186o.
30
Apolu
ACTIVO
es da divida publica........ 870:6725481
Estrada de ferro ds Baha........
Deposito.........
Joias depositadas......
Ttulos depositados......
Letras depositadas......
Letras caucionadas.....
Letras descontadas.....
Letras receber......
Letras protestadas.....
Banco da Babia N/C ....
Bauc.i Mercantil Prtense........
Francisco de Figueiredo & C, do
Hio de Janeiro................
Alugue de casa.....
Fonieciruenlo......
Juros.............................
Premios de saques e remessas. .
Despe.is geraes .................
Caixa..........................
Reis....
131:074*706
80:000,5000
5:7:155280
60:98859:10
8:0975^70
Illra. Sr. Francisco Moreira Pinto Barbosa, mu
em cujo animo fermenta umacer- digno socio do mesmoMonte-pio.
Jos da Silva Loyo.
Presidente.
Joaquim Gerardo de Bastos.
2." Secretario.
0 Sr. Arantes, no Diario
n. 277.
A honradez ousizudtz nao 6 cousa que, diz o Sr.
ta indisposicao tacita, que n'outros palzestem pre-
cedido a grandes revolucoes, espera pelo auxilio e
pelo apoio da mocidade, que surge agou das es-
colas com o espirito eheio de energa, e%edusido
pela grandeza do por vi r. J
Cornprehen-lamos a importancia, da missao,
que somos chamados,-e^iualquer/qlie seja o carc-
ter de que nos venharaos_jeveslr, procuremos
manter a elevaco da nossa dignidade pessoal na
vida publica, sem que nos possam desviar desse
proposito exemplos de quem quer que nao tenha a^?"ZZ~T,^-*?m '""' W* '.' *"
iiihidn f.trev nuim tanin Arante.-, possa ter tantas siguificacoes quan os o
os rsstt&ss&ztzt"^"m^**
11:6595280 do larnbem o destruidor implacavel de urna coin-
I97:5'.in516:i munho arraigada pelo habito de todos osd-as,
162:8715124 pela ideotidade de aspiracoes, de costumes e sen-
7505000 j lmenlos, pelo lago intimo das nossas estrenas re-
j lacoes de convivencia. Seja purera esta a oc-
325:388*169 [ casiao de nos dirigirmos o ultimo amplexo de ir-
1:31255001 maos, que se separara, e nelle um protesto sioce-
5:0005000 ro de que em qualquer das relaeoes da vida 80-
4:55252':i i cial, a que sejamos chamados e era qualquer pon-
666*>67 to, em que nos acheraos depois, levemos sempre
2 35259*9! gravada no fuudo d'alma urna lembrauca saudosa
168:48 i633 : da nossa vida de collegas.
Ierra.
Iguiis nesta
Um parrudo.
CURA
Espanta e Admiravel
DE UMA CHAGA
PASS1V0.
Capital.........2,000:0005000
!Em circula-
cao..... 173:3005
Era caixa.. 18:7005
3,108:6235018! A' vos, Srs. doutores, quem os estatutos desta
-------------------- Faculdade me impSe o dever indeclinavel de dirigir-
I ro em nome dos atevt collegas um voto de agr le-
cimento pelo gran que acabaes de conferir-nos,
em ame da le, obligado.
RtCife, 1. de dezembro de 1865.
Luiz Antonio Ferreua Souto Jnior.
CANCROSA ROEDORA
OD
PLIPO NO NARIZ.
Depsitos da direccao ....
Letias por dinheiro recebido a
juros ..........................
Coutas correles com juros .
Cunos i-orien|eiai|>le..........
Fundo de reserva......
Ttulos era cjuqjo.....
Banco d Baha S/C .
Knowles & Foster, (.le Loo Ore*. I
Letras a pagar................
Massas fallidas a cargo do Banco.
Dividendos........
Juros o* garanta da emisso.
Premios e comrassoes..........
Descoo ios........................
192:0005000
80:0005000
eir Simoes LFANDEGA DE PERNAMBUGO. n.nno, ^ A-
Boaviagem pauta dos pbbqos dos obreros sujeitos a dirbitos UePoslto diversas ongens.....
Un .. V?;~ a- u ,,. DE KXPORTACAO.SEMANA DE 4 9 DO HEZ DE DE-
h m J f A ,0 ? "temb" de 186?" SEMBR A 2 DEZRMBRO DE 1865. I
lm. Sr. io6 Antonio Gomes Junior.-Accusan- Mercadonas. Unidades. Valores.
15500
525103
derecebida a carta de V. S. do 1 do crreme, Abanos...... .~~MD
muito Ihe agradeco a offerta que se digna fazer-me Asuardente de cana panada
de um exrraplar da obra que fez publicar-Nucoes SCrSda OudS rAn .
do systema mtrico decimal. Reitero os protestos Jem raxara '
de estima e consideragao com que sou. De V. S. Idera .^hra*......
amigo venerador J_T.Naboco.de Araujo, BeSffiolS espirito de ajToal
iiim. &r. Accusando a recepcao do offlcio de ardenfn .
x i1 aco'"Pa"h" om exemplar das No- Alcodao eni caroco
coes do systema mtrico decimal por V. -. or- fd m mf ol em^
ganisado, e ao qual se dignou offerecer a esie tri- rZ nm ,^f,a
bunal cbeme agradecer engome do tribunal a Mm ^cascado" 01
suaolTena.e dizer-lhe qu o raesmo tribunal de Asm^clvado
opiniao que seu trabalho facilita a todos a rom- ,^ZT^&v,aao
prehenso do systema ruelrlco francez que tem de
ser admittido no paiz ; que traz vantagens ao com-
inercio, e til ao publleo em geral, nao s por
que poupa a nns o tribalbo, e a outros fa Hita as
operagoes com as taboas de comparagAo que nelle
se encontrara, e cujos clculos esiao ex ctos.
Deus guarde a V. S. Secretaria do tribunal do
eommereio de Pernambico,
1865.Illm. Sr. Jos Antonio
arroba
Ris. 3,108:6235018
Estado da caixa.
Em euro amoedado.....
Em notas do thesouro de 105000
Em lllld manles o>- 105
Em ditas da caixa filial do Ban-
co do Brasil.......
Era ilii.i.- oo novo
R.in ", SHiijn
56 de 2005 11:2005
57 d 1005 5:7005
36 d- 505 i:80U5
Ei i rata e cobre.
H6:405000
3505000
4725000
31:5105000
18:700-5000
1 0085633
Ris. 168:1805633
517 notas
636
500
Demonstracao da emisso.
valor de

2OO5OOO
1005000
505000
R*is 192:00050^0
O guarda livros
Francisco Joaquim Patita Pinto.
mmmmlmm
Discurso, que devia ser recilado por occasiao da
recepcis de gru de bacharel ua Faculdade de
Bueno. (*)
Honrado, e lao altamente elevado por urna dis
lincea i, que veio penhorar os meus n.ais ntimos
8eotiuieiitos de gratido, seja rae permitlida nestn
ntojneolo solemne una precedencia, que resulla
d8 un, dever de Coosrieocia.
Quan lo .-ralo, como agora, todas as facul lad*s
do espirito lao foriemenie, impressionadas por urna
honra, que tanto excede o alcance de minhas aspi-
racoes, e imperioso, irresisilvel, e, se fosse possi-
vel dize-lo, iasuoctivocomeear por nm voto de
eterno reeonbecUoeato aquelle.*, que soobtram 11-
rar il"^ etCessos da .-ua generosidadfi um nobrne
liberal lueentivo para elevar rae e distioguir-me
na (niniia obscuridade.
Collegas. O futuro abre-nos hoje as mil portas
das sua.- grandezas sem temios.
Eieveino-nos a altara d >ssa persoecliva seducto-
ra; e mais i|ue ludo preparerao-nos hoje para que
o da d'amannaaa nsso primeiro da da vida
real, esse dia, cuja Mea nos preoe.cnpou sempre
era lodas as vicissiludes da villa passada, e que
nos tem aeompanhado era todos os nossos sonhos
rdanles de mocosnao nos veona sorprender,
quer cora o esplendor roagoNteo de uraa realldade
uiaraviihisa, quer cora a tremenda desilloso >ias
no->as lao charas esperanzas, dessas asperancasi,
que poderam por si -^ amenisar-nos um periodo
lao longo de esforcos. de dedieaedes, de sacrificios,
e de amargas decepcSes.
cu.-ei infatigavel do lemno dexou atraz a ex-
tenso que no- pareceu inierminavel do lir cuno
da nos-a educago intelectual, e invade cora o
me-ino afn os plainos imuiensos do futuro. E
n- iremos de rojo na velocidad* de sua carreira.
Mas ante* fixeinos aqu as bises do nos-o pro-
graraina de romagem, plantemos aqu um marco
no oos-o ponto de parirla para que na vertigein e
no torveliuho dessa (ornada grandiosa nao venlia-
mos aetiar-oos sem o rumo seguro de solidos prin
eipios e de ideas cardeaes e directoras da vida po-
sitiva, e rrincjpalmeute sera o germen fecundo de
uraa nova propaganda redeinplra.
Antes de nos lancarmos na torrente des aconte-
cimeniosa vir, concentrmonos para pensar qoe a
noma rais-o Hitar com o- preeoneeitos caduco-,
que no> restara anda do pausado. Combnenlo- o
Dusso plano de ataque, forlinquemos a eonseieq
cia na verdade e na justiga da nossa causa, e de-
mono- as mo- para loetar.
Urna divergencia, qoe diz re*natto raenl a
oieos e formulas, impede talvez a -olidanedade d
todas as cooviegoes, que se ai>groparu a>iui. Mas
Do que diz respeilo a e.-sencia e pureza da- eren-
as e da- aspiragoes, que nos animan, nm lago
uiiiro prende todas os oossos coraeSee. Todos no*
visamos o'aqui a pei-pecXiva radiante de ura fulu-
ro feliz; todos nos sontiauos a remora de *lrnvu<
um da a prestar a et-ia tena da patria todos o
empenhos da nossa dedwago, anda nao experi-
mentad. ; lodos queremos vmtrib^ir um dia par..
O eograMdeciraeoto e para o progresso quer moral,
quer material do Br-zil.
No cor cao da inoeidade ludo Isso mais do
que um projecto, mais do que um estimulo;-
um dever, que me foi inoculado por um 1 certa ate
ti ac o in definida, que a arrasta para ludo que tem
em si o cunti da elevacao e da sublimidade.
Comegaudo pelo lado moral d progressos so-
Ciaes, nao nos intunidem a gravidade. e operigo de
lana- quantas reformas a razao e a experiencia
pelo e-tudo e pela retexo nos indicarem preci-
sas einii-pen-aveis para que a n -sa sociedade
nao se transvie na rola immeosa da perfecijbiiida-
de, nein possa mais imbuir se de prejuizos erro-
neos dos lempos menos civilizado-. E' orineipal-
mente para esse lado une devenios encaminhar io-l
dos os nossog esfurgos; e, por ura raciocinio .-e-
Illra. eExm. Sr. presidente da provincia.Os
abaixo assignado. propnetarios e moradores desla
<-vJui -c- i cld,"Jt vend charadas no Jornal do liecife n. 26b
'"".,., .'.,? I t'e desle mez de novembro as novas bases sog
.fa^SS as Qiaes Cario* Luiz Gambronne pretende alterar
7'U) < n\ StUcoutrato l,ara limpeza, e esgoto da mesma ci-
In -i-1 dade' aPresSam-se em virperanla V. Exc. reclamar
139:t.t-)S/.l contra ,-eiuelhante pretengao, fundados no direilo
lo5270 de petigao que Ibes confere o 30 do art. 179 da
2_3:00'5000' Consntuigo poltica do imperio.
3:6815281 Os abaixo assignados por falta de lempo, e por se
4:6615000 charem luminosaraenie desenvolvidas naquelle
2:00*5000 jorual (documento d. 1) os graves inronvenienie das
3135638 .novas bases oDerecidas pela emprezariu Gambronne,
81:2875ol2j Julgani-se dispensados de entrar ua apreciacao do
novo systema da empreza, e s teera por ui pro-
var que elle jamis pode .-er obrigatorio.
Io Porque nem a le provincial n. 413 de 2 de ju-
nlio de 1858, nem o contracto celebrado em 25 de
Miembro do raesmo anuo, conlm disposigo algu-
ma que obrgue os proprielarios. ou moraoutes dos
predios desla cidade a usarem do systema contra
suas vontades, e antes deixam o seu livre uso
quelles que se quizeretn delle aprovear.'
2o Porque a lei n. 552 de 20 de al ril de 1863
acha-se revocada por lei do auno passado, que nao
foi sauccionada verdade, mas por i--o mesmo es-
t o negocio afTecio a assembla legislativa provin-
cial, e nao pode sobre elle deliberar se antes que o
poder competente resol va o que julgar mais con-
veniente pelos tramites que as lei- tem marcado,
art. 15 do acto addieelonal a constituigao de 12 de
Janeiro de 1831.
3o Por que a propala cara ra municipal ja rtco-
nbeeen a exorbitancia, e iniquidade da le 552 de
20 de abril de 1863, e certa da -ua inexiqoibillda-
de deliberon ero sua maioria pedir a -ua revugagao
cunio se v do documento n. 2.
4o Porque a as-emlila provincial em sua sesso
do correule (1865) ja principiou a tomar conheci-
ment do as.-umpto de que se trata, e apezar das
qoatro prorogacoes, qoe se deram na mesma ses-
so, nada licou vencido, e esta por consecrante pen-
dente do poder legislativo a execugao da empreza
na liarle que loma o systema obrigario pan com
os proprietarios e moradores de-ta cidade.
>" Porqoe ?s bases oflerecidas para o novo con-
trato sejam aiu la mais onerosas que as do primiti-
vo tanto para os abaixo a-signados, como para a
provincia qoe tem de coneorrer rom o subsidio de
cincoenia e sete contos de ris annuaes em favor
da empreza.
6 As modillcagoes offerecidas atl-ctando, e mal-
lo directamente uo > propriedades dos abaixo as-
signados, como lambem os interesses da provincia,
nao podem ser rrceidas art. 179 da ConsiilaiCo
2 e 22, o evera merecer a mais seria attengo
de-la presidencia a quera incumb velar no bem es-
l >r dos seus governados e da proviucia que admi-
nistra.
Em vista do exposto, e e-tando o negocio offedo
a a-->'inbla legislativa provincial, e pendeute de
deliberagao desse pdder, e-peram os abaixo as.-ig-
nados que V. Exc. acolhendo benignamente a sua
ropresehtacao, subraeitera a ine-ma assembla as
referidos modicacdes, contra coja execugao desde
ja formalmente protestara pelas valiosas razoes que
licam declaradas.
Federa a Exc. deferimento.E. R. M.
liecife, lo oe novembro de 1865.
(Segueiu 101 asignaturas.)
103:1005000
63:6005000
25:2005000
Eli'ic por devoeao das pessoas que lein de fes-
lejarcm o S Mitjucl Archanjo na malriz do San-
lissiuio S.icrameulo da frryuezia da lioa-Visla
110 anuo de IMS,
Juiz.
O Illm. Sr. Francisco Ignacio Picto.
Julia.
A Exraa. Sra. Georgiana Tasso.
Escrivo.
O Illm. Sr. Haooel Antonio Teixeira.
Escriva.
A Exraa. Sra. I). Rosa de MirandaGuimaraes, liilia
do Illra. Sr. Amonio Alves Mirauda. Guimares.
Mordoraos.
_ Os Iilras. Srs. :
Capilao Luiz Pereira de Farias.
Geliciano Roliigues dos Passos.
Jo.- Francisco Xavier de Mello.
Vlauoel Autonio Vieigas Juuicr.
loo Marims do Rio Jnior.
Manuel Jos dos Santos.
Tiioinaz Garueiro da Cuoha.
Olympio Ferreira da "viva.
Padre Tliesmiscoie Romn Pereira dos Santos.
Valeriano Maneto da Costa Res.
Jos Victo da Silva Pimentel.
Dr. Joo da Cunta Teixeira.
Montanas.
A Exmas. D. Mana Isabel Veiga Pessoa;
I). Mara Ca roela Rihelro de Brto.
O. Emilia Salazar Paula Bai.tisla.
. Marta Thomazia de Azevedo Vtllaronco.
11. Mara da Coneeieao Silva Pupe.
I. lu-lodia de Carvalno Poggi.
I) Maria Guilhermiiia das Merces Pestaa,
. Joaquina Balbina Fialho Ferraz.
D. (bel Garoiiua Jacome Peres da Veiga.
I). Mana Pacheco de Medeiros.
D M-ria da C ncrigo de Muir Sechefra.
O Auna Joaquina de Gouveia Mua.
Consistorio da inrandade das Almas erecta na
matri do sanil.-simo Sacramento da Boa-Vista, 8
de outuhro de 1865.u vigario, Manoel Joaquim
Xavier Sobreira.
Urna creada de servir residente em Pernam-
buco e pertencente Ex'?." Ser! Viscondessa
DZ Goianna, foi attacada d'uma terrivel cha
ga cancrosa e roedoraou Polypo no Nariz.
A mesma involvia e tomara todo a parte in-
ferior do nariz, amoa^ando j diatruir tanto a
parte cartilaginosa como o mesmo oso ; Come-
90U primeiro por apparecer sob o beico supe-
rior e parte da face, extendendo-se por tal
forma e com tal rapidez, que em pouco amea-
cara transformar todo o rosto n'uma enorme
charga vira e asquerosa. Durante todo este
terrivel estado, todos oa recursos medicnaes
que em taes cazos se uxSo forao abundante-
mente empregado, sem que de leve fizesse
parar a marcha lenta e distruidora de to hor-
rivel enferraidade, e todos os meios e esforcos
forao baldados, e no em tanto o mal crosca eis
que por milagrosa fortuna da infeliz estando
as couzas neste ponto, se experinientou pela
vez primeira a
SAISAPARRILHA
DE BRISTOL.
O effeito produzido, quasi que instanUneo
por este inestimarel remedio foi rerdadeira-
mente mararilho60 e sem igual; este grande
purificador do sangue e dos humores do srs
tema, immedial ament pz um termo a mar-
cha disastroza e fatal da molestia, derramndo-
se e infiltrando-se atraros dos tecidos os mai
delicados do corpo, expellindo at a ultima
propriedade ou restigio virulento da molestia,
e dentro d'um curto esparo de tempo produzio
urna
CURA
Completa e Radical.
Este feliz quao admiravel resultado foi obti
do apenas com o simples uso
D'iiina so imica Garrafal
d'este incorapararel e inapredavel depuratorio,
reeommendamos portanto todos os Doentes
que procurem obter com o maior cuidado a
umica e verdadeira Salsaparrilha de Briatol,
nicamente preparada por
LANMAN & KEMP,
De NOVA YORK,
na certeza de que, todas as mais preparacee
imitativas nao ralem para couza algnma
Vende-se as boticas deGaorsA Barbosa
e C. Bravo C.
secretario, Jos Martellina da Bosa.
Illm. Sr. Jos Antonio Gomes Jnior. Becebi o
exemplar da obraNugoes do syslema meirico
decimalque V. S. leve a bondade de offerer-me.
Agradeco a offerta de V. S. cujo irar.alho torna-se
apreciavel e de grande ulilidade, j pela exaciido
dos clculos, e j pelas tabellas comparativas, que
poupam enfadonhas oqeragoes, a que leriamos da
recorrer no uso de nossas transaccoes quotidianas.
Sou com estima. De V. S- muito "ltenlo venere-
dor.-T. de Aleucar Aranpe. Sua casa lo de se-
lerabro de 1863.
O conselho dos professores da Escola Normal
abaixo as.-igoados examinando com escrpulo as
Noyes do syslema mtrico decimal publicadas
por Jos Antonio Gomes Jnior, e por elle suj. itas
ao juizo desta escola ;e de opinio que er-ie bre-
ve trabalho, destinado a auxiliar as operacoes do
eommereio e os calclos as repartigo-s de faz-n
das, satisfaz as neeessdades e preenene as lacunas
que al aqu se davam nos tratados e opsculos
sobre a raatena, eseriptos antes para os mancebos
iniciados na sciencia, do que para a classe labo-
riosa do eommereio, que desejameios praticos
de fazer os seus clculos corn a maior brevidade.
Com elTeilo o trabalho do Sr. Jos Antonio Go-
mes Jnior, que o couselbo tem em mos ecouo
misa o lempo que. cada mdividuo gastara de ou-
tro modo a reduzir os anligos pesos e medidas ao
ystema que a lei adoptu ; pois que por urna
simples operacao de arilhmetica se acha a coover-
sodesejada em kilograrmos, li ros e metros.
E' por tanto o BoOSelhl de'parecer que aquelle
trabalho que o supplicante oflerece, de sua com-
pi sico, de grande ulilidade pralica para lodos
aquellos individuos que >o obngadts a calcular
pelas novas medidas de extenso, capaeldade e
peso, esob esle poulo de vista admissivel as es-
colas elementares da provincia. Sala das confe-
rencias da Escola Normal de Pernambuco, 2 de
outuhro de 1863. Francisco B< chael P. B.de
Medeiros. Maximiano Lopes Machado. Jorge
Dornellas Pessoa. Miguel Archanjo Mindello.
Illm. Sr. A comraissao da praga do eommer-
eio desla cidade, tem a honra de aecusar recebido
o offlcio de V. Exc. de 31 de agosto passado, que
acompanhou um exemplar da obra Nocoes do
syslema mtrico decimal com que V. Exc. se
dinnou ob.-equiar a dita commisso. "Ella, pois,
muito agradece a V. Exc. esle obsequio, e liga a
lao bom trabalho o merecimeuto e eslima devido
Deus guarde a V. Exc. Maranho, 14 de ontubro
de 1865. Illm. e Exm. >r. Jo.- Antonio Gomes
JniorAntonio Joaquim de Lima, Io secretario.
Os poneos exemplares que resto de dita obra
Nogfles do systema mtrico decimal veodem se
a 15000, na ra do Imperador, hvrarias, Univer-
sal, Acadmica e Fianceza, e ao arco de Santo
Anionio iivrana Econmica.
dem refinado......
Azeitc de amendoim ou mendo-
bim ........
dem de coco......
dem de mamona ....
Batatas alimenticias ....
14 de setembro" de I Bolacha o diara, propria para
Gomes Jnior.-O ..embarque
caada
arroba
dem tina
Caf bom .....
dem esrolha ou restolho.
dem torrado ....
Caibros......
Cal........
dem branca ....
Carne secca (xarque)
Garneiros .......um
>
libra
um
arroba

arrooa
urna
libra
cento
libra
t
Garvao vegetal
Cavernas de sienpira .
Cera de carnauba om bruto.
|dem idem em velas .
Cha ........
Charutos ......
Cevados (porcos).....um
Cocos (seceos)......cento
Colla.......
Gouros de boi, salgados 4. .
dem idem seceos espichados
dem idem verdes .
dem idem cabra cortidos .
dem idem de onga .... >
Doces seceos ......jjbra
Idem em gela ou massa
Idem em calda ..... >
Espanadores grandes .' .
Idem pequeos......
Esteiras para forro de estivas
de navio........ cento
Estopa nacional .....arroba
800
800
380.
800
9001
I
w;
15,5000
U500
2*600
21100
3,8800
3*900
2*000
1*600
1*000
1*200
3*000
7*000
6*1100
6*000
440
360
280
580
3*200
4*000
Uimo
3*000
300
300
1*500
2*500
15*000
4*000
600
150
210
_ t 30:633*086
Kecebedona de Pernambuco, 30 de novembro
de 1865
0 escrivSo,
Manoel Antonio Simes do Amaral.
PRAGA DO RECIFE
DE IIEZi: WBKO i; f 5.
A'S TBES HOHAS A TABDE.
Revista seuaaaal.
Cambios........Sarna-se sutore Londres a 28 X
d. por 1*060, sobre Pars a 315
rs. por fr. nominal; montando os
saqurs efectuados nesta semana
em 30,000.
Al6d5......... 0 de Pernambuco vendeu-se de
15*300 a 16*000 por arroba, o
de Macei, posto a bordo, de
16*500 a 17*300 e o da Parahy-
ba, tambem posto a bordo, a
17*200.
Assucar......... 0 mascavado brulo vendeu-se a
2* por anoba.
Ato*.......... Vendeu-se o pilado da ludia da
2*100 a 25500 por arroba, e o
do Maranho a 25500 a dita.
.Azeitedoce...... Vendeu-se o de Lisboa a 2*600
o galo, havendo falla do do Es-
treno.
Baealno.......Era atacado vendeu-se a 14*000
a barrica, e aretalbo de 145000
a 16*.
Ba''as......... Venderam-se a 1*000 a arroba.
Boiachinhas..... Idera a 3*800 a barriqumha.
Gafe........... Vendeu-se de 3*800 a t*500 a
arroba.
Idera de 1*800 a 2*300 a libra.
A do Bm-Grande do Sul vendeu-
se de 2*600 a 4*800 a arroba,
tirando em deposito 108,000 ar-
roba-, e a do Rio da Prata de
2*300 a 4*000, iicaudo em de-
posito 27,000 arrobas.
Cha.........
Carnesecca..
um
um
350
105000
1*000
320
500
4*000
2*000
100 Farinha de trigo. Realhou-'se de 22*000 a 23* a
Farinha de de mandioca
dem de araruta ....
Feijao de qualquer qudlidade
Frechaes .
alqueire
arroba
c
um
arroba
A jurubeba.
As virtudes therapeuticas da jurubeba sao desde
muilo coohecidas nao s no Bra.-il, pois que dellas
Iratou Pisn em sua excedente obra Historia na-
turalis el medica India occidenlahs, seno na-
; Antilhas, onde o sueco das folhas e fructos como
;aqui, muito estimado e apphcado contra as obs-
, traccoes abdominaes, principalmente do ligado e
, bacj ; e se Udos os facultativos desta provincia o
nao applicam com frequencia, islo se nao deve a
nao reconhecerem elles essas virtudes, mas slm a
nao seren encontradas com facildade e .ni todas
: as eslages do anuo os fructos dessa planta, e a re-
pugnancia, que a presentan) os doentes em fazer
uso do sueco desses fructos, em consequencia de
ser extremamente amargo.
A jurubeba nao desconhecida dos botanistas :
esta planta pertence a familia das sotaneas, e tem
a denomnaco de sotanvm pamculatum, que Ihe
foi dada por Lyneo.
Parecendo-nos conveniente facilitar o uso do
sueco dos fructos da jurubeba, que o mais era
pregado, nos propozemos e conseguimos preparar
com elle nao s um extracto alcoolico que pode ser
applcado era pilulas, mas tambem ura vinho, um
xarope, e um emplastro que pode substituir, era
cerios casos, o de Vigo ; e estamos persuadidos qut
com isto prestamos um servico humanidade e a
hiera peo dea.
: Pisn, tratando da hydropesia, prescreve a de-
COCCo das raizes da jurubeba, e Mrat e Delens,
, era seu Diccionario de materia medica e therapeu-
, /ico, dizem que as Au'ilhas se faz uso do sucCu
! dos fructos maduros dessa planta contra o catar
rbo vesical ; e a autoi idade dos nomes desses rae-
: dicos, merecidamente celebres, nos leva a crer em
suas palavras, e por isto cuidaremos de ter em
i nosso estabeleciraeuto essas raizes,para que possam
ser experimentadas.
A repulaco da jurubeba tal, e os resultado.'
[ therapeuticos obtidos ltimamente sao tan impor
tontos, que nos parece intil dizer mais do qut
isto, que Oca aserilo.
Deposito: pharmacla de
Joaquim de Almeida Pinto.
Fumo em tolha, bom .
Idem ordinario ou restolho
dem em rolo bom ....
dem ordinario ou restolho. .
Galiinhas ......
Gomina.......
Ipecacuanha (raiz) ....
Lenha em achas.....cento
Toros......... >
Linhas e esteios......um
Mel ou melaco......caada
M'lo.........arroba
urna
arroba
barrica da de Pluiadi-lphia e
New-York, de 21*000 a 22*000
a de Baltimore, de 22*000 a 23*
a de Trieste, a 8*000 o sacco cura
100 libras da do Chile -, Bcando
em deposito, Inclusive ires car-
regamentos chegado* ne.ta se-
mana, 4,000 barricas da primei-
ra, 3 000 da segunda, 6,000 da
terceira, 3,000 da quarta e 3,500
saceos da ultima.
L,ou5a..........A ingleza ordinaria vendeu-se
com 310 por cento de premio so-
. w bre a factura.
115000 Manteiga....... Vendeu-se a ingleza de 760 a
85000 800 rs. a libra, e a franceza de
8*000 700 a 750 rs. a dita.
5*000 Majsas......... Venderam-se a 6*000 a caixa.
600 leode linhaga.. Vendea-se a 1*700 o galo.
25500 Passas......... dem a 7*000 a caixa.
255000 Presuntos....... Venderam-se a 16*000 por ar-
25000 roba. '
11*000 Queijos........ Os flamengos venderam-se de
155000
15600
1*800
45000
25800
55000
Papagaios
Pao Brasil.......
dem de jangada......
I'edras de amolar ....
dem de filtrar .....
Idem de rebolo .....
Piassava ........
Ponas, ou chifres de vaccas ou
novilhos.......
Pranches de amarello de dous
costados .......
Idera de louro......
Kap.........
Sabo .......
Sal..........,
Salsa parrilha.......arrooa
Sebo era rama...... .
Idera era velas...... ,
Sola em vaqueta......urna
Taboas de amarello.....duzia
diversas ..... >
um
quintal
um
urna
c

IIlolllO
cento
um

libra
alqueire
arroba
quintal
urna
ceuto
ranada
6*( HX>
320
1*500
35000
55000
5*000
800
400
15000
120
35o00
205000
10*000
15000
120
400
255000
55000
75000
25000
1405000
875000
35000
25000
650'0
200
10*000
8*000
65000
500
15700 a 2*000 cada um.
Sabao.......... O inglez vendeu-se a 140 rs. a
libra, e o do Mediterrneo a 220
rs. a dita.
Touc'nho.......Vendeu-se o de Lisboa de 12*500
a 13*000. e o do Rio Grande do
Sul a 10* a arroba.
'uagre........ O de Portugal vendeu-se de 90*
a 103*000 a pipa.
Vinhos......... Venderam-se os de Lisboa de
180* a 190* a pipa, e os de ou-
tros paizes de 130*000 a 160$
a dita.
*e'as..........As de composigao venderam-se
a 600 rs. por pacote de seis ve-
las.
Descontos.......O rebate de letras regulou a
12 por cento ao anno.
MOTIHESl'U M MtO
Navios entrados no dia 2.
Paysaod44 das, polaca argentina Sao Martin,
de 150 tonelada-, capito Andr Bravo, equipa-
gera 8, carga 2.374 quiniaes hespanhes de car-
ne ; a Pereira Garneiro & C.
Biltimore58 das, bn-ue americano Chatonoo-
ga, de 193 tonelada, capillo Jobo H. Kry, equi-
pagera 10. carga 1,832 barricas com farinha de
trigo ; a Tlion B. & Roberto.
i." de dezembro de Babia2 dia-, vapor inglez Agnes Arkle, de 445
toneladas, conimandaote Garle equipagem 38,
em lastro; a Pbipiis Brothers 4 C.
Navios sbulos no mesmo dia.
Bio de Jauiro -vapor americano H. S. Hagar,
comraandante E. U. Wad.-warth, em lastro.
Bio de Janeiro vapor americano Tijuca, com-
mandaute I. Codman.
Arac^ty-hiaie bra.-iteiro Sobralense, espilla An-
tonio Gomes Pereira carga differentes (eneros.
Barcelonabrigue hespanhl Corma, capito Joo
Torres, carga alg >do.
Nuvios mirados no da 3.
VlHClal eill lodo 0 mez e MVeiBDfD Aracaty.-IO da-, hiate brasileiro Novo Invencive!,
Tapiocas.
Tatajuba.......
Travs........
Un has de boi .....
Vassouras de de piassava .
Ditas de timb.....
Ditas de carnauba ....
Vinagre........
Allandega de Pernamuco,
1863.
(Assignados):
0 1." confeiente, Francisco de Paula Goucalves
da Silva.
O 2. conferente, Jos Baptista de Castro e Silva.
Approvo. Alfandcga de Pernambuco 1." de no-
vembro de 1865.A. Eulalto.
Conforme. O 4." escriturario, Jouo A. Perei
ra Rocha.
Re ud i me oto da mesa do consulado pro- i
JURUBEBA.
A jurubeba urna das substancias medicamen
tosas, ao reino vegetal, e penence classe
dos tnicos e desobstraentes, sendo em prega
Sob a deuominaran deNocSes do systema me- oa co,n vautagem contra as febres intermilente.-
trico decimal acaba de ser impresso com toda a''on'pauhadas de engorgitarnentode ligado e bago.
a nitidez na typographia Uuiversal urna pequea : Ella lem sido applicada com incontestavel proveitc
brociiura de 24 paginas, que e um primor de pa- c"atri a anemia ou rhlorose, e hydropesia, catar
ciencia de seu aulor e um recurso manual de ca- rL' da h,,*'S e mesmo para combater a menstrua-
da instante para as nossas casas de eommereio e 5a0 dlfflci1. resultante da mesma anemia ou chlC'
aulas primarias da iimaimua da provincia. Sob o titulo, pois,
que acuna te le publica o Sr. Jos Antonio Gomes ,
jnior, onze importantes taboas comparativas das i
actuaes medidas de peso, de capaeldade e eslengo 1
com as do syslema mtrico francez, j maudado
adoptar pelo governo em lo lo o imperio, de tal
sorie calculadas, que o guarda livros, o caixeiro,
ou aiuda o empregado le qualquer seceto la fa-
Zenda, uo ten; mais do que procurar na re-pecti-'
va taboa o caso que se Ihe offerece, e por na ope-
rago simplsima achara desde Ioko a tedurgo
que pretende de libras a kilogramraas, de varas u
covados a metros, e de almudes e Caadas a litros,
al as ultimas fraeeSaa de cada noidade, precedi-
das semelliantes taboas de explicaces indi-pensa-
veis liara o- que e uo achara iniciados no syste-
ma decimal, e de variados exemplos de redocoo,
de medida a medida, e do valor era ris, para
Era j lempo de ser adoptado entre nos o sy-
tema mtrico, hoja uniformemente acceilo por lo-
I do- os paizes da Europa e da Amrica, falla va-nos
apenas quem o tornassn
Ex trato alcoolico de jurubeba.
Emplastro idem.
Oleo idem.
Tintura idem de idem.
Xarope id-m.
Vinho idem de dem.
Piiulas de ext. idem.
Deposito, pharmacia de Pinto, ra larga do
sano n. 10.
OUMMEino.
Caixa filial do banco do Brasil
em Pernambuco.
Tendo-se deseocamiuhado da massa fallida de
Guilherme, Carvalno 4 C. o recibo de 15 acedes
das locah-adas ne.-ta caixa, sob ns. 2787 a 2801
facihmo na pralica, para I periencentes a Goilherme Frederico de Souza Gar-
de 1860
Direilo de (10 rs. por arroba de assu-
car exportado..........
dem de 20 rs. por caada de agua-
denle .............
dem de 30 rs. por caada de alcool .
dem de 5 por ceuto sobre o algodSo.
Idera de 7 por cento sobre o mel .
Idem de 8 por ceuto sobie os couros.
Idera de 5 por cento sobre os mais
gneros ............
D. cima urbana..........
Meia ci>a de eseravos.......
10 por cento de novos e vethos d-
rcitos.............
1 por cento sobre o producto de cada
leilo.............
5 por cento sobre as loteras ....
100* sof re milpa feita-......
Itesniuicots e reposues.......
4 por ceuto sobre Qiversos eslabele-
ciraenlos............
Emolumentos de polica......
10 por ceuto sobre os sellos de he-
rangas e legados........
50* por escravo exportado.....
1005 por cada agente de leiles. .
6* por carros e carrogas......
Matricula da e.-cola normal.....
20 por ceuto sobre diversos estabele-
cimentos............
5 por Cento sobre os bens de mao
mora.............
20 por ceuto do consumo de agua-ar-
denie.............
5 por cento sobre a veuda do ca-
pim..............
10* por cada escravo ganhador. .
8 por reuto sobre consultorios, etc. .
400* por companhias anooyinas .
50 rs. por alqueires de sal.....
Mullas..........
17:316*147
1:2115310
19540
47:8815015
285611
1:041*200
1:141*317
3:695*510.
2.370*000 :
457*933 j
5135629 i
1:5204000 j
1011*000
163j36t
de 45 toueladas, capilao Joaquim Anlouio de Fi-
gueiredo, equipagem 6, carga algodao, sola e
outros genero.-; a Silva A Alves.
Aracaiy8 das, hiale nacional Dous limaos, de
5i toueladas, capilao Vicente Ferreira da Costa,
equpan-m 7. carga algodo e outros gneros;a
Tasso 4 Inno.
Sw.mea44 da-, escuna ingleza Meschiof, de
170 toneladas, capito G. Baker, equipagem 9,
carga carvao; Wllsun & Wett.
ObsertacSo,
Nao houveram sahidas.
1M.SLJ
35*140
4*800
COMPANHIA
DO
1:162*930
5005000
1005000
26*tlOO
450*000
Sao convidados os sensores accionistas
desta companhia 3 se reunireui em assem-
bla geral extra ordinaria no da do cr-
reme taez ao meio dia no escriptorio da
nusma, roa do Caliug n. 46, afina de se
deliberar sobre as pretencoes dos empreza-
90)*60 rios ios trilitos oe ferro, e de Claudio Du-
.. : beox, prnprietaiio da linha de mnibus era
* que peiiein, esle passar com os mnibus
155*000 P l" aterro privativo qnelles a asseutar os ditos trilhus pora ter-
3 ros perteiicentes a u.esma cooipanhia.
Escripiorio da Companhia ao beberibe
i de dezembro de 1865.
0 secretario,
Dr. Joao Jos Pinto Jnior.
120*000
72IHIO
lOO* illl)
100*000
4 5*745
81:471*774
Mesa do consulado provincial, 30 de novembro
de 1865.
RENDIMENTO DA RECF.BEDORIA DR REMlAS
INTERNAS GERvES UE PEnVAMBUCO DO
MEZ DE .NOVEMBRO, A SABER
os mdividuos meuos versados era operares *ari-1 valho, socio daquelta Urina, a directora faz publi-
Ihemeiicas. I co a quem mleressar possa, qu por parle de Jos-
O Sr. Gomes Jnior, que j havia dotado a nos- 'ioo Jos de Souza Campo-, adminisirador da re-
Si prayacoin as suas annoiacoes aos principaes, 'er'da massa. se vai proceder a transferencia de i Renda da lypographia nac'onal
artigo d codiKO cornmercial Brasileiro e com as ditas aegoes para a Sra. D. Heoriqueta da Silva I Dita dos propr os nadonaes
suas ae esenpluracao mercaniil por partidas do a,"'ual possuidora das mesmas, visio as ter em has' Foros de terreno* e de marrana
bradas, que Ihe vaiaram as mais hongeira apr- publica comprado, como tudo provam com do- rLaudemios.
ciacoes dos inbunaes e homens competentes, vem curoenios que cam archivados nesta caixa. Siza dos bens de raiz '
anora acudir a esta mces.-idade popular, prestan- i C*1 lial do bauco do Brasil 30 de novembro Dcima addicional das "
do assira um verdadeiro servico a lodo u Brasil de 1863.
x O guarda-livros
Ignacio Nunes Crrela.
Ouisulailii de Portugal.
Pelo presente sao hamados todos os senhores
credores do tinado subdito portuguez Joaquim da
iti n P12*^scr,P,urar'o, Costa Vieira, de apresentarera suas contas dentro
Ulysses Lochles Cavalcanti de Mello, do praso de 15 das, no consulado portuguez, para
serem conferidas.
Conaulado de Portugal em Pernambuco aos 30
de novemiir6 de 1865.
Moute-Pio Portu^ue>j.
(Correspondencia.)
Illm. 6r.A e-ta directora provisoria foi entre-1 (Oa fevista Diana,
Xoto banco de Peroam-
buco.
0 Novo Banco descoma letras a 12 por cento
() Teodo sido embargada a reciucto desle dis-
curs. pela censura previa, apenas recitei o perio
do lioal, que vai em itlico.
com as suas lao eoramodas e l claras taboas
comparativas, que nao de sera dnvida achar lugar
em todos os escnpionos, em tolas as baucas e em
todas ** casas de negocio, como ura pequeo e
utilissimo poraptuano de operages.
Nao duvidamos portanto que, dentro em pouco,
se veja o Sr. Gomes Jnior, obrgado a tentar urna
segunda edie|p das suas excellentes ooedes do ao auoo, loma dinheiro aprase flxo 00 era" coii'b
correte pelo premio e con licoes que se conveu-
, soh n. 19J do Diario de clonar, o saca sobre a prae* da Baha "
gne o offlem de.V. S., em que se serve commum Perwtmbnco de 25 de agosto da 1865.) __
car-lhe estar de1 poe o Sr. ihesoureiro interino da Paco da cmara municipal do R.-cife, 9 de se- i Taita filial Ha h.n..A rl U,.., I
uoaniia de 180*000 valor das joias de 17 socios do lembro de 1865. Lilia Illldl 00 MMt <1 brasil en
i Monte-Plo Portugue;., incluindo oesse numero a V, lllio. *r.A camars municipal deta cidade re-1 FernaillliUCO.
'Ve d,"?"U s"hs,'r,'ver com a imporuncia de ceb-u ton agrado o offleio de V. S. datado de 6 A cana descoota as letras
zoaiiii ; leudo nutro sim devolvido varios recibos do corrente. acorapaotiado de um exemplar da taixa de 9 0i0 ao anno
de alguna signatarios, dos quaes um fallecen, dous obra que fez publicar denominadaNocesjlosys- 'Oeoarda-livros
acham-se auentes em Poriugal, e os outros nao' lema meirlcVdeelinal cojo exemplar muito agr-! Ienacio Nnnes Crreia
esiao actualmente em cirenmstancias de ser so-1 dece a V. S. Deus guarde a V. S.-Iilm. Sr. Jos I ____. WJrreia-
de seu aceite pela
corpora-
c;es de mo mora.............
Din-iio novos e velhos e de
chancella ria....................
Ditos de panules dosofliciaes da
guarda nacional................
Dii.ima|de chancellarla...........
Hulla por iiifracces do regula-
raenio.........................
Sello do papel lixo................
Illto do proporcional.............
Premios dos depsitos pblicos...
E 1 olnioeiilo.-..................
Imposto sobre lujas e casas de
descontos ..... ......
Dito sobre casas de movis, rou-
pus, etc. fabricados em pau es-
trangeiro..........
taxa os eseravos......\
Cobranc, da divida activa ." '
lndemnisa;es. ,........
da
324*725 Onselh de compras navaes
i^foi cons,,|ho contrata no da 5 de dexembro do
c mi corrente aono por lempo de iras mezes, Bndos era
b.jui^ibo maico do anno prximo vmdonro, o forn^ciraento
I dos uh|ectos ahaixo d. clarados para os oavios
* armada e estabelecimentos de marraba.
47* n* i Objecios.
vn*MII9 Arroi do Maranho, assucar branco grosso
i-fi Rii* az""le infenor> assuiar branco rednado, aletria
ol-(*lbl araruta, bacalhao, bolacha, bolachioha americana'
jBfi.nnt caf em Kr' C4,uauba m velas, cevadmlia, cUa!
5-b- f-leo car"e v''rde- earBe se,:ca *> Ri0 Graude do Sul,
jft^i^SS f,,,Jao, fanona de mandioca da ierra, gahohas, le-
i'ut 1 "Ila' ,naDle'>'a ''anexa, dita ingleza, malte, pao,
; f-nn 'aDa. ,a|. l"U|-'nho de Lisboa, tapioca, lijlo de
417*800 alvenana gro sa, velas stearioas, e vinho de Lis-
boa. Coulrata o conselho son as cndilo s do es-
tyio e a' vista de propostas em cartas fechadas re-
cebidas 00 referido dia 5 de dezembro ata as 11
horas da manha.
S??^ Sa,a do confino de compras navaes 30 de 00-
264*000 veojbro de 1865.
?o1?rS O secretario,
?^oo [ Alexandre Rodrigues dos Aojos.
1:098*9(0
.
1
li

t

^

v
I
V


Otario de Pem*axhnc Segunda >lra i *e Dezembro di- i *
j
Tribunal do commercio
Existem parados na secretaria do trlbuual di
commercio de Pernamhuco, por falta do respectivo
lnuocencio Barbo-a de Siqueira.
Ignacio Vieira da Silva Coqueiro.
Justina Mara do Espirito Santo.
Jacintho fehmnlo Esmeralda,
preparo, os segintes fetos : Joaquim Jos Mana de Mello.
Appellante, Domingos Jos da Costa Amorim ; Joo Joaquim da Costa Leite.
appellados, os administradores da massa fallida de Joao Manoel Pereira de Abren.
Amorira, Fragnso, Santos & C. | Jo Pamphillno Cavalcante (2)
Appellante, D. Therez* ae Jesns d Souza Le.o; Jos Alfredo de Carvalho.
appellado, o bacharet Aogelo Henriques da Silva, Jos Cecilio Alves Meodonca.
como cessionarlo d) bacharel Aotonlo BofjgM Jo- E. de Azevedo.
" L'-3'- Jos Marcolino de Souza.
Appellante, Jos Macones dos Santo Aguiar, Jos Pedro Celestino de Meodonca.
llquidjlario das (IrmasJos Goncalves Mdveira Jos Rodrigues de Oliveira Lima,
e Ji- Marques dos Sanios Agmr 4 C.;appella- D. Luiza de franca Zumba,
dus, Domingos Francisco Raraalho e Pedro Jos de D. Mana dos Aojos Lima.
Mello. D. Maria Francisca dos Santos.
Ap;>ellanle*, os administradores da mas>a fallida O. Maria Francisca da Conceico.
de Amorim, Fragoso, Santos & C.: appellados, D. Mana Joaquina.
James Crabtiee & C. ; D. Mara Senhorinha da Silva Leite.
Appellanies, es administradores da massa fallida D. Maria Virginia,
de Amorim, Fragoso, Santos & C.; appellada a
junta administrativa do hospital portuguez oesta
cldade.
Appeilanles, os administradores da massa fallida
de Amorim, Fragoso, Santos & C.; appellados,
Jobnston Pater & C.
Appellante, os mesmos appellados, Mello Lobo
& C.
Appellante, Francisco Antonio das Chaga*, caixa
e procurador da sociedade arrematante de ojpos- Cypriana Maria do Rosario,
tos de gado; appellados, Claudio Dubeox. Thereza Emilia de Medeiros Jacome,
Aupellante, Henrique Luiz de Rarros Wanderley Z-ferino Carueiro de Almeida.
Lins; appellado, Gabnei Amonio. pe,a M^rT da MmaTmunlcipaJ desta
Appellantes. os herde.ro* de Joao Tavares Cor- cidade se fai puD|IC nue a raesma nmm prinr.
iral | appellado, Joaqu.m pia a 4. sessi orinaria desle ann0 00 dia C de
dezembro prximo vindouro e nos que se se-
guirem.
Secretaria da cmara municipal do Recife 29 de
novembro de 1865.
Marcolino da Gusta Bello.
Maooel Beuto de Oliveira Braga.
Manuel Caldas Brrelo.
Manuel Jos do* Santos.
Manoel Malaquias de Camargo.
Manuel Simplicio Correia Leal (i)
Polycarpo Jos de Campos.
D Petrona Loureoca M Kelly.
Pedro Uly-si-s Porto.
Rio de Janeiro.
Pretende seguir com muda brevidade o bi igue |
nacional Amelia, para o resto da carga e passagei- i
ros que Ihe falta tr.lase com os *ous cnosignata-
rios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo 4 C ra
da Cruz n. 1.
Tem bons commodos para pa*sngeiros e es-
cravos.
Para o Porto,
Deve sahir com brevidade o hrigue portuguez
Esperanca por ter a malor parte de seu rarrega-
meuto Ja tratado : para o resto 6 passageiros tra-
ta-se cora Cunha. Irma & C, na ra da Madre
de Dos n. 3, ou com o capito a bordo
Barca portngueza cRecreii.
Vende-se este superior navio que earrega 16,000
arrobas em 14 i\i palmos, prupnu para o Rio
Grande do Sul. ferrada de metal aovo : tratas-
com o consignatario J >ao Francisco da S. Novaes,!
travessa da Madre de Dos n 5.
GARRAUX I>E LALrTACAR & R
libmirie mnws
lii; 1 Crespo a. O.
I.IVROS NACIO.VAES E ESTRANGEIROS
Reli|ioPhHsepliiflJuris.rudencia-Liltcra- Aos i2:OOOj3OO,
tnra Scieucias e artes.
Papclaria, onjettw para escriptorio.
. Precisase de dons trabalbadores para pada-
na roa larga d-i Rosario o. 16.
LOTRR t 4 WPABAGD.'iMi
E' a ordeiH do dia I Acabar com os Par-e
guayos a bayoneta, a mini, a revolver;
fultuina-los com os encouracados armados
9000000 de esporSes, armstrongs e raiadas de 80
120; extermina-los em sumraa a espada, a
A' 55OOO fa 3o e a put.hal de que se trata; ma3
De grandes premios e expeliente
plan*).
3:0000000,
e 500,; 000
BILHETES A' 100000, .MEIOS
na
E QUINTOS A 2000.
Acham-se venda na tbesouraria ra
do Crespo n. 15, os bilhetes da 7* parte
da lotera das familias dos voluntarios da
patria, cuja extraeco ser quarta-feira 13
niDguem se l-rabrou anda de esmagar os
Paraguayos co 11 as armas que Deus nos con-
cedeu; acabar com elles a taco e a ponta
ps, para o que necessario encouracar esta
parte do nosso corpo com os furmidaveis
ESTRADA DE FERRO
DO
Recife a Sao Francisco.
Pela superintendencia desta companlua sao con
Para O RIO WMde do Mili vidados os Srs. accioni-las a receber o 4o dividen-
pretende seguir com muita brevidade o br igue na-; do de suas arco-s, concernenta ao semestre Ando
ciooal Amelia ; para carga trata-so com os seus em 30 de junho do crreme auno.
de dezembro corrente e pelo cxcellente rompe-ferro, esmaga c bra, arranca tocos,
plano abaixo publicado. quetira marmore e outros que se vendem
Os premios de 12:000,0000 at 205000 ** RA < IHIITt-45
os herdeiro* de Joo Tavares
deiro e o
Pinheiro Jacome.
Appellante, Jo de Paiva Farreira Jnior, cura-
dor de Antonio Casimiro de G uiveia; appellado,
Ant mi Per reir Leal.
Appellante, Antonio Jos Cmrado; appellados,;
Antonio Francisco da* Neves e ontros.
Francisco Canuto da Boaviagem.
Secretario.
Appellante. Joao Antonio Goncalves; appellados, 1 _
administradores da mas.-a lallida de Antonio So da o do crtente mez, depois da audien
consignatarios Antonio Luiz
<& C, ra da Cruz n. 1.
Segu para a Ilha de Fernando de Naronba
ateo dia 10 do corrrente inez o hiate Sergipano :
quem quizer carregar ou ir de passagetn, ilinja se
a ra do Vigario o. 2, com Jordo Jos de Olivei-
ra, ou com o capito a bordo.
de Oliveira Azevedo Escriptorio da companhia na estaco de Cinco
Ponas 30 do ouverabro de 1863.
G. O. Mann,
Superintendnte e thesoureiro.
serao pagos una bora depois da extrajo Borseguins Bordeaux......
at as i horas da tarde,-e os outros depois patricios.....
da distribuicao das listas. para senhoras,
Os bilhetes encommendados so serao feitados ...
conservados at a vespera da extraeco.
O ihesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Soua.
en-
com laco e fivella ..
-^Sapatoes encouracados.......
^Birseguins para meninas bom
86000
50000
5,5500
4SU0
5,51000
LEILOES.
os
Ca iieiro Pinto.
Appellantes, Correa & Irm.ios; appellado, Fran-
cisco V'irissimo do Reg Barros.
Apiiellante, D. Maria Tneodora da Costa Alves
Ferreira. por *i e como lutora de seus lilhus; ap-
pellados, London Brasiliaa Bank.
Appel ante, Joto Nicolao de Lira Cavalcante;
apji llad-i, Manoel da Silva Gndo.
Appellante, o Dr. BstevSo Cavalcante de Albu-
qU'ique ; appellados, os admini-tradoies da massa
fallidJ d- Rostron Rjok--r & C.
Anpellant-, Manoel Rodrigues Veras; appellado
Pedro
cia do lllm. Sr. Dr. juiz de orphaos vai a praca
por venda urna grande casa terrea com solSo, brm
construida, com grande sitio em aborto, no lugar
da liia-Vi.-iL.vni pertn da p avhalo por 2:0005 no inventario que se proce
di.-u por iluviiii -1 j 1 de Diniz Antonio Ferreira
Marques, e val a pr,ca para pagamento da credo-
ra r nii-lina i/iii'l 11 Nunes de Hallo, os licitantes
pod--rao comparecerein na sala das audiencias no
dia acuna tudicado as 11 \\i horas, pudendo ver o
enripio em poder do porleiro.
StDKIfiKSO) elr
LEILAO
Defazenlas, miudezase roupa feitaj sendo
com avana 'agua salgada.
Terea feira 5 de dezembro,
O ag por mandado do lllm.
: Sr. Dr. juiz e.ipecial do coinmerciu em virtude do
i que requereu o curador fiscal da massa fallida de
Manoel do Amparo Caj, de diversas
iciudezas e roupa feila perlencenles
massa e viudos da Parabiba.
Alugam-se
as casas da ra dos Prazeres do bairro da Boa-
Vista n. i A e n. 1 R. ambas novas e por lu
men>aes cada urna : a tratar na ra estreila do
Rosario n. 28.
''ara
PLANO
as ex racede
Casas
eiasi-co
Sapatos de lona.
sola elstica.
35000
20000
10600
i)C00
Alugam-se duas casas novas na freguezia da
Boa-Vista, ra do Principe o*. 4 e 8, com 3 quar-
tos. 2 alas, roznha fra, quintal bom e murado,
cacimba, sao muito sadlas : a tratar na ra Nova
numero 3.
DE
avelludados.........
de (ranga...........
econmicos para se-
nhoras........... 0500
om salto de lustre.. 20240
I Chineloes do Por o.......... 10600
Um comp.eto sordmento de calcado da
trra para homens. senhoras e meninas;
Para ser applicado quando conveniencias a,sim cmo bezerro francez, couro de lus-
espedaes venda dos bilhetes o lre' marroquins, tai xas de todas as quali-
Aliia-.%c 11111 sitio- aconselharem. dades, fitas para aapateiro, muito sortidas,
Alugase um sitiona Pas*agHin da Magiai^na, a Approvado pelo ElM. Sr. pi'esi lente Sula e curos que tudo visto necessariamen-
marnem do rioCapib.nbe, com excedente casa, 4000 bilhetes a 10000............40:0005000 te faz cobifa ao comp ador pela barate/a.
com tnrraco, 2 salas, 8 quartos, cosinha Tora, Beneficio, sello e commissao 2i 0|0.. 9:6OO000 Hit rf^llMMlf
PERNAMBUCO.
fazenlas.j quarto-ara escravos e estrioana e arvoredos : a
a mesma traur na ra da Cjtfea n 4.
B irro-o Valente Vera*.
Appellante Jos Marques dos Stntos Aguiar, R.-ia^^sT-rtasTegu^s exsteolel^dniin8 -
iiquidalano da firma de Jos Marques dos amos ,r^5 ., ,,,, iH.,Ju nl c Src ,hoi_
Aguiar JiG; appellado Dcm.ngos Francisco Ra-
malho.
Appellante, D. Maria Margarida de Mello; ap-
pellaili>, Jos Alves da -ilva Guimaraes.
Ai-peilaote, o major Caetaoo Francisco di Barros
W.nilerley e Henrique Luiz de B. Wanderley
Lu-; appellados, Manoel Joaquim Ramos e Silva
<.\- Gfoms.
Appellante, Francisco do Prado; appellado Joa-
quun Amaro da -ilva Passos.
Appellante, Joao Augusto de Vasconcellos Lei-
tao; appellado, Manoel Aotoniu Supardo.
Appellaote, Pedro Cavalcante le Alhuquerque
Uchoa : appellado, Manoel Alves Ferreira.
AppeHantP, o a>ogado Jos Narciso Camello;
appelladiis ns administradores da massa fallida dn
Si-ve, Pidos A C.
A p-llante, Joiquim Rodrigues Tavares de M.-llo ;
appell di Mano-'l Ferreira Garrido.
Appellante, Bernardo Ant uno de Miranda; ap-
pellado, o padre, Jos dos Smtos Fragoso.
A ipellante, Francisco Ant<>niu deBrito; appella-
do Giidiao Tmoslocles Cabral d Vasconcellos
Ap Jlante, Miguel Jo- da Abren; appellado,
H01 acio Tiburcio da Cruz Muniz.
A ; liante, Antonio Joaquira de Vasconcellos;
app-llado, Jos'> Joaquim Lopes de Almeida.
Api. -Ilaiitis, Uaniel Guimare* t C.; appellados,
o presidente e directores da caixa filial do banco
do Itr.i-il nesta cidade
A pellante, Augustinho Rodrgaos dos Santos ;
appellado, Manoel Paulo de Alhuquerque.
A|" liante, Manoel AotonioRibeiro; appeliados,
Joa J1 y mes Martin* Chaves e outros.
Appi liantes, n* administradores da ma^sa fallida
de Guimaraes i\; I ni aos ; appellado, o bacharel
Juan Francisco Teixefra.
AppcIlanle.Theoionio da Silva Vieira; appellado
m El viro Alv.-s da >ilva.
Appellante, Miguel Ferreira de Mello e Urania
?! iri 1 :1- Virgens, corno tatora de sua (llha; ap-
pella 11 l'rannsco Ferreira de M-llo.
Ai'Oellaotes, os curador-* fi*cae.s da massa (all
da de Marnnliu de Oveira R-irges e Bento Jos
iiam is de Oliveira; appellado Francisco Ferreira
B 11 t *
Appellante, Franci*ce Antonio de Brito; appel-
la lo, Ant uno Jos de Castro.
Appellante, Manoel Jo- Leite; appellado, Jos
Fian *i'.) do Beg i Birnis Jnior.
Ap liante, Jo* Rodrigues da Silva Rocha; ap-
1 li. 1. Mano l Rodrigue* d< Costa Magalhes.
Appellantes, Brito, Queirz & C.: appellados,
Mal' is Auslin & C.
A;i ellante, Mauo-1 Jos Martins da C rredeira ;
app liad >. Antonio Pacifico SimdftS do Amaral.
A I lame, Pedro P.111I0 do* Santos; appellados
o- : ii u-tradores da massa fallida de Amorim,
Fr Santos & C.
liantes, administradores da rna*sa fallida
inlii de Oliveira Borge*, e Bento Jos Ra*
111.1- de Oliveira; appelladi, Francisco Ferreira
i
A: lellante, Silvero Joaqoim Martins dos San-
t s: appellado, o cou*ul portuguez.
i mi % Antonio Ann-s Jacom Pires: appel-
la lo, tenent-corooel Joao de Sa Cavalcante de
Aliei pKTque.
A .11 uiii', Jo* Francisco d 1 Reg Barros; ap-
p ll.il 1, O"!kviann d Souza Franc-.
int Jos Frjncisco de Barros Reg; ap-
. Octavian*) de Souza Franca.
dlante, Felippe da Silva l'imentel; appella-
uradores fiscaes di ma.-sa filuda de Faria
tracao do correio desta cidade para os Srs. abai
xo declarados ;
Augusto Coelho Leite.
Antonio Jos de Castro Azevedo.
Antonio de Souza iNola.
Ferreira & Loureiro.
Carlos Fraucisco Soares de Brito.
Ignacio Vieira de Mello Fdlio.
Dr. J laquim Jos de Campos.
Joao Augusto de Carvalho Moreira (Macei).
Jos Alfredo de Carvalho.
Jos Gmciives Beltr&o.
J i- Jaciniho de Souza Filho.
Jos de Villa Flor.
Jo- Weingislrur.
Loi/. AmaveJ Dunourcq Jnior.
I) Tnooiazia Maria Rosa.
A 5
LEILAO
do corente
EMPREZA-OOIMBRA
Scpii.la-fera4le deze.iibn de 286!).
I liiiim i'sp.-i-iant o desta c.nproza
BENEi-lCiO O AcTK TEIXEIR\.
Drama em 4 acto*
NOSSA SENHjM
DA
Finalisara c m a linda poez'a recitaita, pela Sr.a
D. Adelaide, em nh-epiio ao beoeflelado.
AVI%M\l3-:illl.
Coiuevara' as 8 horas.
A
GtlMIU BR4SILEIRA
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos p irlo* do norte
at o da 7 de dezembro o vapor
Oyapork, commandante o carntao
Vnhos do Porto.
Ferreira do agente Oliveira, de bello e apelecivel sortimen-
to de vnhos do Porto genuino*, tinos e superlati-
vos em barris, ancon-tas e em eaitas de urna e
duas diizia* engarrafados, e p ir isso mais facis
de couduce* e proprios |iara nn.i.-j,* ua
PRXIMA FESTA
podendo o* entendedores escolher a vonlade e em
maior eu menor porcio segundo os preco* a razio
de li a .163 por doria ou pelo que der
Terca-feira 5 do crreme
ao meio dia em ponto, no seu armazem de fazi-n-
ds ruajla Cadfia n. 62
e movis e outros artig** de gosto.
Cordeiro Wimes
por coma e risco de ijuein pertencer, fara' leilao
de. mobilias de Jacaranda' e amarello, guardas
roupas, guardas vestidos e oulros muitos artigos de
marcineiria no vos e usados, como tambem appa-
rellius de almoco e jantar, calix, copos, jarrafas,
candieir.is a yaz. e outros objectos de gosto
rerga-feira i do corrente, s 11 horas, no
armazem da ra da Cruz n. ;>7.
LEILAO
e tima casa de pedia e cal nova e bem
consiranla na povoacSo de Nossa enhn-
a do O' de Ip ijuca e junto a igreja,
rom 40 piIrnos de frente e Gi
mais du menos de fundo, tendo 2
de salas, 4 quartos e cosinha tora, ca-
cimba de pedia e cal. quintal com 84
palmos de largura e (Jo d' fundo, tendo
estribara e i expeliente jardim du lado e
um terraco sob caanlas d^ pedra e cal.
Cerdeiro ttioioes
competentemente autorisado fura
cima descripto, O quai i>ff'rece grandes vanta
gens as pessoas a'li resid otes, tem muitos com
modo* e um dos mehoie,-. predio* que ah tem
se edificado : CUJO leilao ser effecinalo
Qu.ii la f'irti(ledc/em:ioas II h iras
No armazem a ra da Cruz n. 57.
Liquido...... 30:4005000
Premio de...
Dito de.....
Dito de......
Dito de.....
Dito de.
Para a censlruvco de uiaciiioas
DE
A LRERTSOX E DOUGL.4SS
Ne\v Loudon, Corraectieur, Esta-
.-tos-Unidos
Solicitam pedidos de desrarocadores de algodo,
adoptados ao aluodo sul-ameri,ano. Hao se de-
dica lo a es e negocio durante 23 annos, e atiende- 1010 Premios,
rao imraediataraente a correspondencia que se Ihes 29!)0 Brancos.
dirigir. ___
Precisa-se de urna ama
Lobato n. 3, primeiro andar.
Precisa se de alugar urna preta que saiba
cusiobar; na ra da Soledade n. 46.
8 Ditos de
23 Dito* de
49 Ditos de
92o Ditos de
. 12:000000
........ 3:01103000
........ 9003000
........ 5003000
........ 2OO30O0
100,5000 8003000
403000 9203000
203000 9803000
123000 11:1003000
-------------30:4003000
no becco do
Precisa-se
Alugar urna preta para o ser-ico de urna casa
de pouea familia : a tratar na ra de Cadeia do
Recife n. 19 primeiro andar.
Assignatnra M. Pinheiro da carta que man-
dei publicar no Uiann de hoje, nao se deve ler
Maciel Pinheiro. Faro esta dectaiaco a pedido
re pesso i que tem este nome ; e de quem nao a
referida carta;
Preci^a-se de dous meninos para caneiro de
taberna, do* ultimo* chegados do Porto; na ra do
Nogneira n. 29.
Precisa-e de u n preto robusto para masca-
t- ar : a tratar na ra di Liviauo-iiti n. 26.
Aloga-se a casi d ra de Agua-Verdes n. 102
com commodos para familia : a tratar na ra Di-
reit.t n. 106.
4000 Bilhetes.
N. B. Os premios que estio sugeitos a descont
sao os de 5003000 e 9 i05000 ao de 5 por cento, e
os de 3:00113000 e 12:0003000 ao de 17 por cerno,
sendo Sporeento da lei provincial e 12 por cento
da lei geral.
Tnesouraria das loteras de I'ernatnbuco, 22 de
novembro de 1863.
Othesiureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
CASA D FORT,

lloleqsie.
Preciaa-se alugar ura moieque de idade de 18
pout.O ^ anuos puncos mais ou men >s : na ra do Queima-
?ran- don. 12 primeiro andar.
Aos 12:0000000
3:0000000
9004000
5i O^oOO
Uihetes garautidos.
A" RA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTUME
O a.baixoassii:nadovendeu nos seus muito feli-
zes bilhetes garantidos da (olera que se acaboc
deextratur, a beneficio da >anla Casa de Mise-
ricordia, os seguinies premios :
Um meio n. 26Gs com a sorte de 6:0003.
Um inteiro n. 1100 com a surte de 1:2003
um iuteiro u. 1427 com a sorte dd 5003000.
Um meio n. 3317 com a sorte d- 2U3000.
E outras multas sortes de 1003. 403, e 203.
te
'
Precisa-se de tuna ama : u
n. 12 primeiro audar.
lioub.
Os possuidores podem vir receber seus respec-
tivos premios sernos desconios das leis na Casa
ra do Queimado da Fortuna a ra do Crespo n. 23.
1 Acham-se a venda os da 7* parte da lotera
------------------- (41a; beneficio da* familias dos voluntarios
da patria, que se e\!rahira qoarta-feira 13 de
dezembro.
PREGO.
Bilhete-s .... 123000
Meios......63000
Quintos.....23400
as pessoas que compraren! de I0000(J
Para
Api
pe1-I
Api
dos, os
& '-
A;ioel!.nie, Francisco Ant mi de Brito; appella-
dos. padre e di ectores da caixa filial do banco
do I! .-I nesta cidade.
A ante, Joao Hypolito de Meira Lima; appella-
do, Cunsanto Cario N >hre de Almeida
Aii.i-lanie, Jos Martins Alves; appellado, Jos
Ant "110 '< ncalves Pires.
Api 1 -ilaoies, Jos Viri*sfmo dos Anjos e o padre
Juvi -i 1 Vinssimo dos Aujos; ai-pellados, Moreira
& lluai te.
Ai-,.-liante, Francisco Antonio de Brito; appella-
do. Davil Wliam Bowmao.
Atipellante, Jos Pereira de Lemos; appellados,
Moras& C.
Ap,liante*, os administradores da ma*sa fal'ida
de Am aim. Fragoso, Santos 4 C.; appellado Hen-
rique J Alves Ferreira.
Se 1 etaria do tribunal do commercio de Pernara-
buco '0 de novembro de 1865.
O offlcial-maior,
Julio Guimaraes.
ti-imia mu ir-ipal ou Hecife.
M.VTAOOURO PUBLICO DESTA CIDADE.
M 111ra u -e para oc m*nm 1 desta cnlade no mez
de riu.'embro do corrente anno 2,556 rezes, a
saber :
Libanm Candido Ribeiro & C............
Virguii 1 Horario de Frenas.............
los Lucio Lm*.......................
Joiu Ciirysostamo de Albuquerque.......
Wen -|j) Machado Freir Pereira da
Silva...............................
Man le Francisco de Souza Lima........
M i'i I J laqQir de Souza Tavares.......
Franei-i- < Can tido da Paz...............
Jaii-r-l Paulo de Albuquerque...........
ai: .-! -le Souza "Tavares...............
Bella: .111110 Alve* Arocha...............
Gemmiano Jos de Alhuquerque.........
jBrnestu (>=leslino de Mendonca..........
LEILAO
De M caixas com latas de biscoulos sori-
dos em lotes a vuntt ie dos compradores.
Qiia ta-feira (i de de/emluo
Southall Meiior A C. faro lei no pir interven-
ten-ute Castro Co*t,o qualdepoi* I CSo ,,u ;'?'J|IIe inl0"8 l,ur Clinli ri*' l,e 9"em
da O,mora do co.-lurae seguir' pertencer de li caixa* com latas de biscoutos
para os porios do sul. sonidos em am ou mais lote* e a vonlade dos cora-
Desde ja recebem-se passageiros e engaia-se a Pradiires, as 10 hora* do da cima dito uo arma-
carga que o vapor poder conduzir a qml dever ze,n do Sr- Aunes em frente a alfandega.____
ser embarcada no dia de sua chegada, eni-.ommea-
das e dinheiroa frete .1 t o da da anida as 2 ho-
ras : agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de An-
Furlarara do abaixo assiguado nm pequeo co-
leilao do predio frede dentro de um liah, no qual se achava a
qnautia de cerca ie WO/JI em notas, entre ellas ha-
via una de 5i3, inoedas de aura hra-ileira* e es-
terlina* e praia, alofl de 4 letras de diversos valo
res, urna da quanua de 520000,outia de 1723-300,
oatra de 5i>3000 e > una mais de 543000, assim
como una clareza ou recibo de gaz; sendo porm Bilhetes.
as letras d<* 5205, a -te 505, e a de 345 Mimadas Meios. .
pelo abaixo assiKiado com sarcador, e a de Quintos.
1723300 firmada pelo Sr. Antonio Cyunano da Sil-
va Fragoso como saccador: quem poder dar noli- r A A
cia certa da lugar em que se arhe laes objectos, oOClGQtlClG
sera recompeusado com generosidade, na ra de
Santa Hila 11. 1.
Elias Vieira de Mello.
para cima.
.... 113000
.... 53500
.... 23200
Manoel Martins Fiuza.
seguros
mu-
nio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
O* frete* de dinheiro para Parahiba, Rio Gran-
de do Norte, Ceara e Macei, ficam reluzdos a
Dinheiro papel. 1|4 |,
Ouro......1|4 |
_____Prata......3|4 |
tnra o Rio de Janeiro
Vai sahir com brevidade o hrivtue Adelaide I
por ter a maior parte de seu carregamento trata-
do ; e para o qua Ihe falta, trata se com o consig-
natario Joaquim los Concalves Beltro : na ra
do Vigario u. 17, Io audar.
De trastes avulsos, obj-ctos de ou^o e prata, crys-
taes e oulros muitos artigos.
Quarta-eira 6 do coi rente, s 11 horas,
NO GRANDE ARMAZEM DE LE LOES
l0 AGENTR
OLYMPIO
36 Una da .ulen >o itcciie
Leilao
Quinta-feira 7 do correute
(l.Ripanhia de paqiiet'S i vapor entre Pelo agente Euzebio.
o C i 1 I i n t 'i De urna casa terrea na BiaVisia ra do Man-
OS CiSiaaOS miUOS e O nrasil. j dego n. 83, bem construida, bons commodos e bom
At o da 8 do correte espera-se dos portos do quintal com cacimba em chaos proprios, a chave
America, comman-iesta na nlaria junto a mesma.
Urna dita na Capnnga Ni va ra dis Pernam-
- Na ra jo Llvramento a. 10 ha para alugar;
uma boa e.scr iva.
Antonio Jos Alves de Brito, escrivao do tri-
bunal do commercio, mudou se para a ra do Im-
perador n. 46. i. ni lar.
Ama tle leit',
Precisa-se de nina ama que lenha bom leite, pa-
ra acahar de amamentar urna crianca de oito me-
les : na ra do Queimado n. 17 segundo audar.
Precisa-se (aliar ao Sr. Luiz Florencio Perei-
ra Braga; ne>ta lypographia.
Xa ra Direita n. 78, refinayo, precisa-se
de urna ama para counhar.
Na ra da Maliiz da R6a-Vista, ha para alu '
16 ..ir um p imeiro amiar da casa n. 28, com mullos
commodos e bem repartida.
Haveudo sido extraviado em roaos do Sr.
Domingos de Barros Muteiro o titulo de posse dos
terrenos de marinha do caes d i Capibaribe ns. 40
e 40 A, o abiito assiguado, a quem eile foi confe-
rido, protesta coulra qualquer uso que do mesmo
tnul" possa algu^m faier. Recife, Io de dezembro
sui o vapor americann North
dante Timmermann, o qual, depois da demora do
costme, seguir para New York tocando em S.
Tiiomas. Para fretes, pa*sag-iros, etc., traia-se
com os agedles Henry Forster & C, ra do Trapi-
che n. 8.
753
340
COMPANHIA BiASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
E' esperado dos portos do sul,
at o dia 14 do crtente, o vapor
Paran, commandante o capito
de fragata Antonio Joaquim de
Santa Barbara, o qual depois da
demora do costume seguir' para os porios do
sul.
Desdej recebera se passageiros e engaja-se a
de 1865.
Luiz Ferreira Maciel Pinheiro.
esto para alugar duas casas na
,;fi i carga que o vapor poder conduiir, a qual dever
^ ser embarcada no dia de sua chegada, encom-
mendas e dinheiro a frete at o da da sahida as
2 horas : agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
173
153
153
1.35
H3I
72 |
67
46
23
2,556
Contadoria 1 de dezembro de 1865.
O contador,
Caetano Sdveriu da Silva.
COItEHHEHtL
Relaca i das cart s do etercitu viudas do snl pelos I
Vapores nacional e Iraocez para os seuhores |
abano declarados:
D. Auna Lotea do Nascimento.
Am 'i. i Joaquim de Souza.
Antonio Policarpo Rodrigue* de Salles.
Dom rvilte de Oliveira Mello T.
D. Feli-mina.
Flix G- inuiano H. Lumachi.
Felino Jo- Vaz de Oliveira.
Feoelou da Silva Monte.
Praoci*co Cavaleante de Albuquerque Lins (2)
Francisca <1- Piula Cirrea de Araujo.
Hermenegildo Eluardo do Reg Monteiro.
D. Isabel Maria do Carmo.
COMPANHIA PEKNAMBUUANA
DE
Nave$aco costeira por vapor.
Para Parahiba, Natal, Maco, Aracaly e
Cear.
Segu no dia 7 do corrente, s
5 huras da tarde, o vapor naci
nal Persinunya, commandante Bel-
miro.
Recebe carga al o dia 6. Encamnenlas, pas-
sageiros e dinheiro a frete at o da da sahida, as
3 hora* da larde.
Escriptorio no Forte do Mattos n. 1.
COMPANHIA PERNAMBUUNA
DE
Naveg ciwcHstftira por vapor.
Para Femando.
Segu no da 14 do corrente, s
9 horas da inanna, o vapor na-
cional Mattanguape, commandan-
te Ruis.
Kecebe ca.-ga, encommendas,
passageiros e dinheiro a freles at o dia 13 s 5
horas da tarde.
Escriptorio uo Forte do Mattos n. 1.
Ainda esto para alugar duas casas na ilha
do Retiro, tem eominodos para familia, estao pinta-
das e tem banho na poit : a tratar cum Luiz Ma-
noel B. Va lenca, podendo o pretndeme examiua-
la* no ra-*'no lugar.
Prensa re comprar ti ni escravo de meia ida-
de, que na i t-nha vicios uem achaques : na ra
do Cahuga n. 3, segundo an i ir.
Na ra da Praia n. 10, despjase fallar com
Manoel Jos de Mnauda, chegado hontem na barca
portuguesa Arnnda, ou saber onde a sua assis-
teucia. _______ ___
Na i.r..ea da Independencia n. 33, loja de
ourives. compra-.-e our.i, prata, e pedras preciosas,
e lambein se faz qualquer obra de eocommenda, e
todo e qualquer concert.
PrGciso.
bucanas cutre o theatro e as casa* do Sr. Bnrthu-
lomeu LourenQO, com bons commodos, grande
quintal lodo murado e com arvoredos, rende 2005
por anno e com algumas pe puma* bemfeitunas
pode render 3002, chaos fureiros.
AYiSOS DIYEUfci.
Companhia de seguros marilimos Utilidade
Publica.
Adirec.toria. paga o 12 dividendo a razo de
152000 por aeco, no e*cnptoro da dita companhia
na ra da Cadeia n 42, nos das uleis das 10 as 4
hora* da tarde.
Recife 2 de dezembro 1865.
O* directores.
Feliciano Jos Gomes.
Domingos Rodrigue* de And'ade.
Aviso ao publico.
O abaixo as*ignado commerciante d---ta praga,
avisa ao publico ter entregue no dia 10 de outu
hro do crreme, ao Sr. Roberto Lignib> de seu saque, sendo duas de 4:00i'000 rada uma,
e orna de 3:0842040, prefazendo lulas 11:0842040,
do aceite dos Srs. Ignacio Bento de Albuquerque
Mello e Joo Alvares Triguelro, vencidas em 3 de
junho do corrente anno, para receber dos meamos
senhores em Guarabira na provincia da Parahiba
do Norte, aonde lodos sao moradores, que o mes-
mo Sr. Roherio perdeu duas letras all : e corno os
diio* meu* rlevednres ainda me devera por saldo
7:8742540 e joros vencido*, sou obngado a fa*er
sabedor aos mesmos devedores e ao publico, qu
ditas letras nao tero valor algura, uma vez que
*e perderam, e que nao estao Bragadas as co-ias.
Avisa mais que tem em seu poder publicas formas lSySle.nil
de taes letra*, tiradas no cartorlo do Sr. Porioca -1 .'^ JL
das de summa perfeiqao. A agulha direita e cose
! pi-rpendicuiaruiente, com o ponto de. lacada, que se
reiro, e alera lino pretende provar a perca da* le
ira* em juizo competente, para que em lempo al-
gum apnareQa a meuor duvida. Recife, 2 de de-
zembro de 1865.
Jos Gomes Villar.
Na ra da Croz, armazem n. 63, precisa-se alu-
gar uma mulher capaz, de boa conlucla, que saiba
coznhar, comprar e bter todo o mais servigo de
urna casa de familia (menos conduzir aguas quer
lunpa* quer servidas), prefere-se escrava, que seja
del. Garautese pagarse bem e com promptidao.
Precisa-se de una ama forra ou captiva para
casa de pooca familia, pagase bem : a tratar na
ra do Pire* n. 24.
Precisa se de urna ama que saiha engom-
mar tiara casa de opon (amilia : na travessa oos
Quartei* n. 34, sobrado, ouir'ora ra de S. Bom
Jess das Criuulas.
(fraudes mclhcras
as mji iiiitas imperiaes ser-
Armazein n. SJB Broail-Way NewVork.
Estas machinas sao construidas
com muilas e importantes raelhoras, e
examinadas por habis peritos foram julga-
O banco Allianr.a do Porto tendo estabelecido
esta sociedudedriaixo de sua immediata vigilaucia
e respoasabriioade, ficiliiou a creaca i de capilaes,
dotes, rendas, pen--s, iseiico'.* do servigo das ar-
ma*, etc., por meio de suhsenpgoe* nicas ou an
nuaes, as quae* convertidas em uscripgOes da
divida publica, de renda nacional, e da mesma for-
ma os juros semestraes que dellas se forem ven-
cendo, ficam por um eerto numero de annos em
deposito, at que, lindo o praso e*tipulado, sao
restituidas aos socios com os intere**es amoutoa-
ds, bem como as que oertencerem aos associados
fallecidas, visto que destes sao herdeiros os sohre-
viventes.
Pela engenho-a cmnhinago econmica adoptada
nos clculos desta snciedade, v-se que, com uma
entrada aunual de 5020 em 5 annos 4505000 a 55H*"00, em i0 1:5002000
a 2:00i'2000. em 15 3:5002'00 a 4:50u2i'O0, em
20 8:0002000 a 10:0'(02000, em 25 18 0002000 a
25:1(002000, conforme a i-iale do individuo sobre
quera felo o seguro, pois que nos referidos cal-
culo.* conta-se cum a maior ou menor probabilida-
de de durago de vida.
E-ta socie.dade sobretodo vantajosa aos chefes
de familia, visto que Ihes facilita seu sacrificio a
fundago de um capital ou dote oara seus filhos ou
ninas, segurando-os quando nascem ou em quanlo
sao criangas.
Quera,"puis, mais circumstancialas mformag5es
desejar sobre tal sociedade. ou se quizer inserever
como socio della, dirjase a ra da Madre de
Deus n. 28, onde se poder entender com Joo
Carlos C.elho da Silva, que para isso se acha en-
carregado.________________
Joo da Silva Hamos, medico 191
pela universida le de oimbra, d 'M
consultas em sua casa das 9 ns sS
i 1 horas da maDbaa, e das 4 as U :'m
da tarde. Visita os doentes em Mias'lSl
casas regularmente as horas para |8
isso designadas, salvo os casos ur- H
} gentes, que serao soccorridos em B
9 qualijuer necasiao. D consultas acs |
B P':,res (lue procurarem no los- !
| pital Pedro li, aonde encontrado H
g^ diariauente das 6 s 8 horas da ^j
i manha,
^ Tem sua casa de sade regular- sm
^ mente montada para receber qual- ^
M quer doente, anula mesmn os ah- S
% nadies, para o que tem commodos \.'?
:M apropriadus e nella pratica qualquer .;
^| opperaco cirurgica.
Para a casa de sade. ^
Primeira classe. .33000 diarios.
J Segunda dila....33500 M
Terceira Hita .25000
Este estabeiecimento j bem
f acreditad pelos bous servicos que
tem prestado.
O proprielario espera que elle
M coniinue a merecer a cunliatica de
j^que sempre tem gozado.
riada
Precisase de una criada para enzinhar e com-
prar para casa de homem solteiro : na ra do
Queimado n. 11, luja.
Precisa-.-e saber de Antonio Feroandes da
Silva, ou deseos herdeiros residentes note impe-
rio, a negocio de seu mteresse sobre uma beranga
que tem em Perlugal.
a mu! Powei- Jobnston & Companhia
Ra da enzala Nova n. 4.
ACENCIA DA
Fundid ele Low H
Machinas a vapor de 4 e 6 cavados.
Muendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios d carro para um e dous cavallos.
Relogios de o ro patente inglez.
Arados americanos.
Ma hias para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
ni mmmm mm mmmmm
<3| O Dr. Cosme de S Pereira conii-
g na a residir na ra da Cruz n. 53,
i Io e 2o andar, onde pode ser procu-
I rado para o exercicio de sua prois-1
j sao medica, e com especialidae *
sobre e seguinte
Io molestias de olhos ;
2o de peito : |
dos o/gaos geni- b
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doeniesse- g
rao examinados na ordem de suas i
entradas comecando o traballio pe- a
los doentes de olhos.
Dar consultas lodos os dias das &j
6 as 10 da manha, menos nos do- a
mingos. |
Praticar toda e qualquer opera- 1
cao que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
H
r
Pan caixeiro.
OlTerece-se um moco de 18 annos para
caixeiro de algum armazem de molhados do
que tem bastante pratica ou para caixeiro
da loj-i de fa/.en la dando 3 mezes d pra-
tica e i fiador a sua conducta;
cisar annuncie p >r esta fultia.
N. O. Bieber 4 C, sucessores, sa
cam sobre o Rio de Janeiro a vista ou a pra- j|| gabinet
CONTKA FOGO.
A companhia Indemnisadora, estabeleci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus ca regamenlos, O Coaira
fogn em edificios, mercaduras e mobilias:
na ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.
.pre- mmm mmmmm ******
jPl O Dr. Carolino Francisco de Lima San- j$j|
Wt tos contina a morar na ra do Impera- sa
dor o. 17, segundo andar, tendo alias sea *
e de consultas medicas, logo ao mk
zo confoime se conveocionar.
A ma
Precisa-se de uma ama para o servigo de uma
su pessoa : na ra do Caldeire Alugam se as casas da ra do Progresso ns-
11 e 13 : a tratar na ra do Sebo n. 54.
Precisa-se de um caixeiro que tenha pratica
de molhados na ra du Imp-rador n. 83.
Precisa-se de um caixeiro de 12 a 14 annos
para caixeiro de taberna e que tenha alguma pra-
tica da mesma, prefere-se Portuguez : a tratar na
ua da Moeda n. 29.
entrar, no primeiro.
O mesmo doulor, que se tem dado ao "
ijf! estudo lano das operacoes como das mo- H
lesnas internas, presta se a qualquer cha- ge
mado, quer para dentro quer para fra
W da cidade.
^**mk mmmmwM mwm
Atteucilo.
Prerisase de um forneiro e dous amasadores
na padaria da ra do Amparo de Onda.
lu^a-se
As casas da ra (jos Prazeres dn bairro da Boa
Vi*ta, n, 1Ae n. 1B ambas nova* e por
163 raensaes cada urna : a tratar na ra Estrella
do Rosario n. 28.
nao desmancha nem embaraca e que igual de
ambos o lados ; faz costuras perfeia* em toda a
qualidade de lecidos, desde o couro at a mais Una. ainado Antonio Cyrillo Dultra
camhraia, leudo flus de algodo, de seda ou de li-; por esenpto, sol penna de nao
nho, desde e mais grnsso ai o mai* delgado. 12o-'
O a'i iiX'i assiguado nao tendo em lempo al-
gu tido Iransarg.io de qualquer natureza cum o
Sr. Manuel da Silva Neves Coutmho, pelas qnaes
Aluga se para pasear a (esta uma casa na Ihe Dcasse devendn qualquer ImpnrUneia e nem
Varzea a qual tem c-mmodos para grande fami tendo-lhe aceito titulo algum de divida consta Ihe
lia : a tratar na ra Direita n 43, segundo andar* quo o referid1 Goulinho apre-enta hnje uma letra
de valor de mais de t:0OOjOO0 do aceite do abal-
lo assignado em favor delle Cmiinho, fax publico
que e*se titulo se existe falso, e para o que ja'
den principio a acg.io la faUilade : por i-lo sobro
O abaixo assignado previne a seus conheci-
dos e amigos que nada leem ou empresten) a seu
sem ordem sua
lerem direito a
r- un ir > ri|i iiit' 'I n .! -i
qualquer indtranUacao. Recife 30 de novembro u' ''^VT^'V^h ,rAI'"gaJ ,,g"" a'
mo nao tem rodas dentadas, por aa ter evitado a 0t 1865 Fi. Joo BapiMa do Espirito Santo. Kacl,e i0 f D'iv/m''r>> rte l*-
menor atrito possivel, irabalh con f-acilldade e -1 n .- ________Vicente Ferreira Nunes de Paula.
sm contradico-UMA MACHIMA QUE NAO FAZ > Pfecisa-se de uma engommadeira : Precisase failar ao *r. Joa,', Gomes da Cruz
RUIDO ALGUM. I na ra do Imperador n. 17, segnudo MKkr. na livraria n. 8 da praga da Independencia.

1

<
V



.



Diario de l'ernawbuco Segunda ler 4 de Dezcmbro de iStt*.
\
D'IODURETO DUPLO
de FERROeQUININA
MEDICAMENTOS FRANCEZES AFAMADOS
A VEIDA EM PEIIYUIIUO
Em cisi des Srs. Caors e Barboza, rua da Cruz n.
22.
Os elementos que "ompocm esta preparado, o
[erro, o iodo e a quina, a collocao no primeiro
grao das preparares ferruginosas. Basta attestai
seus resultados obtidos pelos Mdicos dos hospi-
laes. e os relatorios dos piticos mais eminentes
que confirmrao sua poderosa eflicacia as se
guintes affccges:
Mina* no Mngae,
Frnqiirza,
Anemia.
Chlarom- ou Ictericia,
Mt-nntruo,
Affoccot-* do tero,
SupprrnHoeH dmi re-
*r e ile-or.len
menHtruaeao,
Aftercao pulmonar e
pbihlnlea,
Nnlentlaad'ealdmago,
GaatralKlaa,
l'erda d'appelltr,etc.,
Convaleaceneadclon
gaa moleatiaa,
Kolentlaa eacroralo-
Pnpelra,
ol.-iriiei-io daa glnn-
dulan,
llumorrN frloa,
Tumore braneoa,
llaeliltiii'.in.
AITeefp cancerosa
e ypbllItleaH,
Pebix-4 typlioldea,
Beilgaa, etc., etc.
Vejos: os bulletins de therapeutica medica
e cirurgica de 30 de novembre 1 860; a Gazeta
dos hospilaes de 28 de julho 186, etc., etc.
Alm daspilulas de todureto duplo de ferro e de
quinina de ftebillon, os Mdicos aconselhao
igualmente o Xarope d'iodureto duplo de
ferro de quinina do mesmo aullior para as
pessoas que nao gosio de medicamentos sob for-
ma pilular e os meninos. Este xarope nao tcm
como o xaroped'ioduretode ferro, o inconveniente
de alterar-se e de se nao poder conservar.
Peea-se o folhcto que se d de graca em casa
dos pharmaceuticos depositarios.
Para se evitaron falsificacSes, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito geral em Paris, pliarmacia Rebillon,
142, ru du Bac, e em todas as boas pharmacias
de Franca e as dos paizes strangeiros, etc.
PASTILHAS G
IGESTIYAsIfflfflM
D WASMAN'
DOENGAS
BOsMEtflNOS
As pastilhas digestivas Cum a^eptinaie
Wasman, emprego se com successo ha j
alguns armos pelas celebridades medicaes de
Paris. Londres. Vienna, etc., em todas as in-
commodidades em as quacsadigesto dilficil,
penosa, imperfeila ou mesmo impossivcl: eis
o melhor remedio para cural as.
Di un-iieas e a ronl-
puriio pro'luzlilaa
pela elnboraroea
defe I Iiiokum doftall-
meutoM.
Gaslral^laa,
UlHpepHiaa,
Ciiihiirj:eo.H j^iKtrlcoa
A Baatrlte,
AB llffeceOca or;;illl-
rns do tulliwn,
Sua accao vivifica o sangne e os rgaos de
tal sorte (pie, atli as pessoas que sem soflK-r
as nffccgdes gstricas cima mencionadas sao
nicamente Iracas ou d'um temperamento um
pouco dbil, e nccessiio substancial alimento
para foriitir.r-se, achilo no cm prego das pusiil-
has de pepsina de Wasinan, um poderoso mcio
para a isso cliegar.
Aviso importante.Osucccssodas pastilhas
a pepsina de Wasman dea causa a se fazerem
falsilicacoes eimitagoesd'esse producto que os
mulos se qiicrem elesfazer. Pois por falla
d'uma boa preparacao o pepsina que n'ella
entr.i, jaz alterada. Seremos ao abrigo d'este
inconveniente, exigindo os compradores que as
pastilhas lonhao as iniciaos 8. P. e saiao da
pharmacia Chevrier.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
21, Faubourg-Monlmartre, e em todas as boas
pharmacias de Franca e dos paizes eslrangeiros.
CURADAS PELOS
XAROPES DO DOUTOR DANET
N* 1. Centra aa CLICAS DOS MENINOS antea
e durantr a denlleo
(Xarope de rynoglosse e de acido succinido)
V 3. Contra
TOSSE CONVULSA
NERVOSA
e a tosse
(Xarope de rynoglosse e de leo voltil de succino;
N* 3. Contra aa COWI I.GES DOS MENINOS
A CHOREA ,___-
(Xarope de cynoglosse e de acido voltil de succino)
Estes novos productos preconizados na Aca-
demia imperial de Medicina de Paris sSo em-
preados com grandissimo successo pelos mdicos
de Franca para o tratamento das molestias do
meninos cima indicadas, e vicrao encher um
vacuo importante na therapeutica, no que loca as
affeceoes da infancia, para as quaes, athe hoje.
anda se nao pode indicar tratamento racionnal-
nem infallivel.
(Pcca-sc o prospecto em casa dos pharmaccu,
ticos depositarios.)
Prego do frasco em Paris, 3 fr.
Para se evitaron as falsificacoes, exija o com-
prador que cada frasco tenha sobre os rtulos a
assignatura Chanteaud.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chan-
teaud. c em todas as boas pharmacias de Franc?
e dos paizes cstrangeiros.
GRANULOS
de BISMUTH
DE CHEVRIER
Os granulos de bismuth de Chevrier em supe-
riores a todas as outras preparagoes de bismuth
empregadas antes com o maior successo pelos m-
dicos de todos os paizes, para prevenir e curar as
Molcnllua de ligudo,
A Ictericia,
Palpltacao do coraeao
Drea noa rlna,
Mu dlgeatoea,
Gaatrltea,
Gastralgias, etc.,
Dlarrheaa ebroulcaa,
DyaaenterlaS,
Dores Ii-hIuiiiko,
Dyapepalaa,
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
irritacoea de beziga e e em todas as pharmacias ae Franca e dos paizes
da matrla, ele. eslrangeiros.
Oppreneo,
Drea de eabrea,
Pelas commisse em grosso, dirigirse aot S" WILLAERT e BERGER, comisarios em drogara, 11, rua Saint-Lazare, Paris.
MASSA e XAROPE
DE CODENA
DB
BERTH
As experiencias clnicas e comparativas
dos Snrs Hagendie, Barbier d'Amicns, Wil-
liams Gregor, Martin Soln, Aran, Viga,
C. Dumonl, etc., membros do Instituto de
Franca, mdicos dos hospilaes de Paris. tem
provado que a Massa e Xarope de Berth i
o remedio o mais seguro contra todas as
dores nervosas e tem o a propriedade de
calmarcom admiravel rapidez as losses rebel-
des c extremamente fatigantes da grippe (ca-
larrho epidmico detluxo, coqueluche ou
tosse convulsa, bronchte e tsica pulmonar.
A Massa e Xarope de Berth, se
achao em todas as boticas.
Para evitar qualquer
falsificado,exigir em
cada produto o nome
e a Grua Berth.
Deposito geral em Pars, em casa de HENIER,
Rua SU-Croix-de-la-Brctinnerie.
ASTHME
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SuToccco nervosa e Opprcsso
nico remedio efficaz para combatier estas mo-
lestias, acalmar um aunque d'asma e impedir a
volla o Xarope aromtico de Succino (mbar
amarello) do Dr Danet. Descoberta inleiramente
rcenle, este novo producto se tem propagado
com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
tados que tcm sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54,
rua do Commercio, Paris-Grenclle, e em todas as
plicas de Franca e do estrangeiro.
Ama
Precisa se de orna ama para cozinhar, forra ou
escrava para easa de familia : na rua larga do
Rosario b. 21, fabrica de cigarros.
Precisa-se alugar urna prela para o service
de tima casa de pouca familia : a tratar aa rua
da Cadeia do Recife n. 19, primeiro andar.
Aluga se a casa terrea n. 39, roa da
Unido: quem pretende-la dinja-se ao Sr.
Joao Bernardo do Reg, em sen armazem
de faieodas a rua Nova a. 24.
BOTICA E DROGARA
DB
B. i\ de Souza A C.
Rua larga do Rosario n. M
Remedios de Raduvay
Prompto alivio.
Pilulas reguladoras.
I i v lutivo.
Remedios de Kemp
Anaraholta.
Salsa de Brislol.
Pilulas assuearadas.
Agua florida.
Pastilhas vermifngas vegetaes.
Chegados pelo ultimo navio vindo da america.
Tendo a irmandade do Divino Espirito-Santo
da greja do Collegio, resolvido em sessao de mesa
conjunta, mandar fazer de marmure brauco fino a
capelln r de sua igreja; convido de ordem da
mesa regedora aquellas pessoas que se acharem
habilitadas a mandar eiecutar semelhante obra,
a examinaren) a planta que se aeha exposta na sua
sacrista, e a apresentarem as suas pr praso de 40 das contados desta data. Consistorio
da irmandade, em 10 de novembro de 1865.
O esenvao.
____ __Francisco Belarmino dos Santos Freila
Aluga.se o terceiro andar da casa n. 88 da
rua da Imperaim, c o sitio o. 1 da eIrada do Ar-
raial : no rua da Aurora n. 36,
Ama lie. Icite.
Precisa-se de urna ama de Itite : na rua do Im-
perador n. 42, terceiro audar.
Alogam-se tres casas na povoaco do
Monleiro a margem do rio, com muitos
I bf.ns commodos e em muilo bum eslado
, de limp-jza : a tratar na na do Crespo n.
. 20, esquina, cujo preco de alugnel ra-
zoavel. __ ______________
Em casa de Theod Christiansen, rua do Tra"
piche-novo n. 16, nico agente no norte do Brasil
Ama para casa.
Precisa-se alugar urna ama para todo servico de
becco das Bolas n. 2, primeiro
urna casa
andar.
na
CMPB1S.
Silvino Guilherme de Barros compra e ven-
de effectivamenie escravos de ambos os sexos":
rua do Imperador n. 79, terceiro andar.
Comprase ouro, prata e pedras preciosas,
em obras velhas : na rua da Cadeia do Recife,
cja_de onrives no i reo da CoDceico.
Compra se carosso (sement) de algodao : no
armazem de algodao de Saunders Brothers A C...
no caes de A pullo.
Ouro e prata.
Em obras velhas : coopra-se na praca
dependencio n. 22, luja de bilhetes.
da ln -
tteucao.
No pateo da Penha n. 6, fabrica de cigarros,
compram-se Diarios a 4J500 a anuba.
Comprase o engeuho de espremer~cajs que
foi do fallecido Vicenta Ferreira G3mes, ou faz-se
onlro qualquer negocio : no segundo andar da
casa n 2 da rua Augusta.
Mappa-rauDdi-jliinispherico.
Na rua do Llvramento n. 19 compra se um map-
pa-planispherico.
VENDAS.
CURSO PRATICO
DE
edaff
principaes li-
Vende.se esta excellenie obra as
vrarias desia cidade, a ">& cada exemplar.
Manual, do Cidado
Vende-se o Manual do Cidado era um
Governo Representativo ou principios de
Direito Publico Constitucional Administra-
CO.VSILTOBI UEICO-CIULKGICO
Du
DR. PEDRO DE 1TT VIIYDE LOBO \10SC(S0,
medico, i-va 11;uto i: operador.
3 Kua da Gloria, casa do Fundao 3
0 Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos osdias das 7 s li
Horas da manlio, e das G e meia s 8 horas da noite, excepeo dos das santificados.
Pharmacia especial komeopathica
No mesmo consultorio lia sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tobos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisacoes e pelos precos seguintes.
12000
WOOO
245000
30iU0
35,5000
Prepara-se qualquer carteira conform o pedido que se fker, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo a\ulso ou frasco de tintura de meia onca 1 000.
Sendo para cima de M cuslarao os precos establecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LMVItO*
ggLATgg ggro
Carteiras de l tubos grandes.
de 24 tubos giandes.
> de 36 tubos grandes.
de 4 tudos grandes.
de 60 tubos gran les.
?#
de Brandenluir frres, Borleanx, encontrase ef-1 |V0 e (ias renios ._ c;ivflsiPI, p,i,.,jrA
feciivauente deposito dos artigos seguintes : pl" v P ^ll%Cslre Pinlleiro
Si.jnen. penetra, em 3 vulumes broxurados por 3^
1 A VAPOR
99 RUA 00 MONDEGO 99
Deposito na rua Xo.a n. 50 "Ja de i Iojoeiro.
0 dono desie estabelecimento partecipa ao respeiUvel publico que sua fabrica
St. Pierre.
Larose.
Cbaleau Loville.
Chateau Hargaox. ,
Graud vin Chateau Lafitte 1858.
Chateau Lalitte.
Haut Saulerues.
Chatean Sauernes.
Chateau Latanr Blanehe.
Chateau Yijuem.
Cognac em tres qualidades.
Azeite doce. Precos de Bordeaux.
Os abaixo assigoados declaram ao publico
e rom especialidad*1 ao carpo do commercio (\ae
Antonio Cenleio L"pes neixu de ser caixeiro dos
mesmos. Recite 30 de npvemhro de 1863.
Alves & Lopes.
Precisa-se de um caixeiro para taberna, que
i tenha pratica de balco e u dador a sua conduc-
' ta : quein pretender du ija-se a rua do Livramen-
' 11 n. M.___________________________________
Ama de leite.
Na rua do Imperador n. 81, sgundo andar,
prec sa-se de urna ama de leiie que seja saiia.
FOGO no AII."
No armazem da bola aniarella no ollao da secre-
-aria da polica recebe u-se enciimmendas de fogo
a dor para dentro e fra da prouincia.
cada obra : na livraria n.
Independencia.
8 da praga da
A melhor obrada homeopathia, o Manual de Medicina Homeoptico do Dr. Jab esli montada com as melliorrs machinas que cxistem na Europa, e q e pode ahiicar
doas grandes volamos com diccionario............ 20;>000 c"m melbnr perfeicao possivel. Todo o choc.la te desta fabrica est garantido, e puro,
Medicina domestica do Dr. Hering........... 10O'iO .^ue n5 se pode encontrar naquelle que vera de fra, e que se vende por preco baixo,'
Repertorio do Dr. Meh Moraes............ G-5000 vist0 os producios serem do [aiz. Na eliq ota tem Sempre urna aguia.
Diccionario de termos de medicina........... 3;jOOO PREQO.
Os remedios deste estibelecimeuto sao por demais conhecidos e dispensam por Meia liora.....' 4<0
tanto de serem novamente recommendados as pessoas que qui/erem usar de remedios Una libra......... 800
venladeiros, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de Urna arroba........19^000
veniadeiro assucar de Icite, nolaveis pela sua boa conservaejo, tintura des mais acredi- ---------------------------------------
tadi s estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparacao, e portante a maior i Na mesma fab ica acaba de se montar urna nticina com senaria a vapor para
eoeigia certeza em seus effettos. obras de marcineiria propria para ed ficio, para o que encarreg -se de fazer portas, ja-
fa.Sfl P ^Ciiuh* Mnv/l />e/Vl/ve nellas, assoalhos (parqu francez como se usa na Europa,) e armacoes, tudo com brvi-
u.nv.,,/ ," ^c,utJU* dade e perfei.;o. Toma-se qualquer euco.nmenda para fra da cidade, cntregando-se
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer prompta a coilar-se no lugar
operarais p ra o que o annunciante jnlga-se sulficientemente habilitado.
0 iral-irnente o melhor possivel, lanto na parte alimentar, como na medica, e
funccionando a casa ha mais de quatro annns, ha mui as pe.-soas de cujo conceito se nao
pode duvidar. qje podera ser consultados por aquelles que deseiarem mandar seus
doentes.
Paga-se25 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante t5500.
Asoperacoes serj previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
razoaveis que costuma pedir o annunc ante.
COEIiHO Rua da Cruz u. 16.
Continua a liaver diariamente um sortimento de pastis, podins, bolos inglezes,
empadas et ., etc. Os donos de.-te e&labelecimento, acham-se as melliores condigoes
de poder salisfazer encommendas concernenles sua arle, em consequencia do socio
Freitas ter Sido administrador chefe de aigumas das princi aes fabricas na corte, sendo
urna a do Sr. Joao G'-ncabes Guirnaies c-nfeitaria do LeOo) antiga casa de Canceller.
Todos os trabadlos sao dilTerentes dos que se fazem etu casas particulares.
Os propnetarios desle estabelecimento nn se tem poupado a de.spezas, nem se
A NACIONAL
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
lima Banca em dinkeir*, depositado nos cofres do estado, garante a boa ad- PParSose heuver concorrencia como operam ; tendo continuadamente hom sorii-^h.^dTaimoco011
rainisti-Co da companhia. raent0 lle doces para.ch; Presunl(lS e ditus em fiambre, tambem se recebem para se- i t.gos que se pod
BANQUEIROS DA COMPANHIA" DIRECCAO GERAL Ft!m PrePara(,0S > assim crtmo d,,,-'e de caj novo .-uperior, Secco e cryslalisado, dito em!niuitoeommodo,
WWhT
DE
(AVALLO
Vndese urna negnnha de dade de 10 an
nos : a tratar na rua da Imperatrii n. 20,
Farinha a 3$5' o
Vndese fariuha de mandioca, .saceos graudes :
no armazem dos Srs Tasso Irmos, na ponte nova'
pelo preQO cima mencionados.
Yeinle-se inhames muilo bons : na rua do
Imperador n H'J armazem Trombeta da Fama
Commercial, e no caes do liamos barcassa.
Vende se um carnudo americano d quatro
roda, sem c iberia, em hnm estado : quem quizer
dirija--e a praga do capim, eoehelra de Tbomaz
f Lius Caldas, que aedara' com i|uem tratar.
Fariaka de mandioca.
Excellenie faiinha de mandioca de Santa Calha-
: ria, a bordo do bugne dinmar.|uez lleiiwlal, an-
corado defronte do trapiede do Cunda : vemle-se
na rua da (.ruz n. 23, Io andar.
Em casa de Pdipps Brotders C, rua do
, Vigario n. 2, vendem se cofres de ferro, prova de
; fogo, dos afamados fabricantes Milner 4 Son, de
Liverpool.
F? relio.
Vende-se superior farello de Lisboa : no arma-
zem allianca, rua ln-u em barricas pequeLa.
Cera em velas de todos os tamandos.
Bojiias.
Mercurio.
Na rua.do viganon. 19, primeiro andar.
CEhVEJ\ d^ bahera.
Na noilede 18 para 19 do Crrenle furtou se um i
cavallo mellado caxito, da entrabara do seu dono, I >a lola a0 c^ vende-se superior c-rveja da Ba-
com sellim mi-lez quasi novo ; cujo cavallo tem : b'era' u,na caixa '-"'" duas du,ias de garrafas pir
cimas e cauda pretas. as cimas sao grossas e ea-
dem sobre ambos os lados .lo pescoen, e tem urna
ferida pequea na mSodireita ; esia coslomado a
andar em cab iolet e bem coudecido ne.-t? praca:
queui delle der noticias certas ou leva-lo a' E.-ian-
cia, sobrado de di us andares n. 2, ser gratilicao
se
105, e a reaido a 800 rs. a garrafa.
*
enea?
um silio na Pssagem na Magdalena, a marri*m
do rio Capibaribe, junio ao do Sr. commendador
'.Manoel Ignacio de Oliveira, tem boa casa com sala
de vi-itis e gabinetes estucados e esteirados, i
i|uarios, sala de janlar e de espera, cozioda e des-
pensa, quarto para pretns, um soio com saletas,
estribara e ca.-a para feibir, urna baixa de capirn
para su arvondos rueiiferos : a tra lar no Recife, ruado
Brum n. 66, armazem de assecar.
O Banco de Uespanha
Madrid : Rua de Prado n. 19
Grande Bazar
Carneiro Yianna.
E' edegado a este estabelecimento os seguintes
objeiios : cadeira de palh.i para enanca com ba-
anQo, berros de novo modelo tambem de palta. e
oiilros muitos arligos destes gneros ; pede se aos
seodores que eucommendaram alguns objectos
destes, o favor de vir e^'older logo os que pretn-
delo querer.
Objectos de metal das seguintes qualidades, ur-
nas para eda, cdaleiras para fazer-se eda', appare-
dito de j em desejar deste metal por preco
\ae a lodos deve agradar.
E-|i' i!., s de todas as qualidades para ornamen
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as conibinacoes de supervivencia dos sega-
ros sobre a vida.
Nella pode se lazer a subscripcao de maneira que em nenhum caso mesmo por morte do
segurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao tao suprehendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole deA NACIO-
NAL,que ainda mesmo diminuindo urna ter^a parte do interesse produzido em rcenles liquida-
ces ecombinanio-o com a mortahdade da tabella de Depareieux que adoptada pela companhia
para ensi-.aleulose liquirlacoes, em segurados de idade de 3 al9 annos, umaimposicoannua.
de IOO5 produz em effectivo metlico:
No fim de 5 annos.......1:1195300
de 10 .......3:9425600
de 15 .......11:2085200
de 20 .......30:2565000
de 25........ 80:3315000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospectis e mais informales serao prestadas pelo sub-direclor nesta provincia.
Joaquira Fmza de Oliveira, rua da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista rua da Imperatriz n. 12, estabeleci-
mento dos Srs. Raymundo, Carlos.Leite & Irmo.
calda em latas hermticamente fechadas, pudendo durar anuos em perfe.to eslado.
deijas ricamente enfeitadas sem arnucao pecas de amendoas (nogace-), ditas de tmaras qual se aeda abert desde 6 doras da manda at
deov.is, pes de 10 entenados com distilos nalogos a qualquer fim; ditos montados,
ke. hs simples e ei-feitados com finetas ingleza; gatheaux ne la reine, ditos de le d-
chese, tortas de fructa, massa folhada ; ditas de peixe e carne; cremes e doces de ovos
de dTerentes especies
Tambem tem um completo sortimento de \inhos engarrafados, como sejam : vinho
do Pono superior, Fkueira, Madeira, Lisboa, Ctierez, Bnrdeaux, Champagne fino, ser-
veja, licores, ciiaropes e conservas. Para testas: bonitas caixinhas com amendoas, con-
feitose mais enfeites. Muitos destes objecti s mencinanos podem-se perfeitamente ac-j
condicionar tanto para a provincia, como para fra.
s 9 da nite, na rua Nova n. 20 e 22.
Ama de leite
Sahio a' luz em Pars, e Vende-se em Pernambu-
co, na livraria de Jo.- Barbosa de Muilo, rua di
Cruz n. 32:
Formulario ou guia medica por P. L. ff. Cher-
noviz, 7' edlcio augmentada com medicamenios
' novo, e acompanbada de 194 liguras, 1 volume
em 12 ene, preco 65000.
Xa mesilla livraria se vendem as obras seguin-
tes do mesmo autor Cdernoviz :
Diccionario de meiecina popuiar, 3a edicto,
muilo .lugmenlada e acjmiiantada de 231 figuras,
3 vol. em 8o ene. preco 205.
Historia natural para meninos e meninas, 1 vel.
em 8o ene, preco 15000.
Modo de condecer a idade do cavallo, do dnrro,
das bestas muars, do boi do carneiro, da cabra
e do porco bruedura, em 8o, p efo 15-
Na praga do commercio o. 4, ecriplorio de
Jos Maria Paimt-ira, vende-se :
Ceiv-ja Bass, verdadera em boinas, cliegada
receniemeute no navio inglez a Aune Ka y.
Biscouto inglez muito do.
Bolaclunda damburgueza nova cuja qualidade
ja aqu nao vem da lalvez 2 annos.
INJECCAO BROW.
Remedio infallivel as agnorrheas antigs
e recentes, un:co deposito na pliarmacia
franceza, rua da Cru n. 22 e ao preco de
3Q00. ____________
Plumas brancas
para gorras : na praca da lodeprndencia nume-
ro 31.
Dstillacao.
PSITO ni PIANOS
SITIO
*J* 1 '" Estando prximo a retirarse para fra do im-
Aluga-se o sitio no Kosanndo n. 2 junto a capel- perio a pessoa encarregada da desiillacao da rua
la, com bastantes arvoredos de fructo, casa, co- do Bru n. 21, vende-se o dito estabelecimento
cheira, boa agua, por prego muito commodo : tra- em um so lote, ou em separado qualquer dos se-
ta se ua rua Nova o. 55, ou necife Da rua da Ca-,' guinies obiectos :
dc;a n. 3.______________________^_^^___ I ala'"biquH pelo systema Egrot, que destilla
l*recisa-.se alugar urna preta que saiba cuzi- *^2 canadas por da.
nhar : na rua da Sol dade n. 16.
Francisco de Paula Crrela de Araujo decla-
ra que douve eDgano no edilal ao juizo dos feitos
da fazenda, em que manda por empiagaos a fu-
guis da casa da rua do Hopicio n. 'i, para pa-
gamento de dcima*, qu.mio as me-mas ja acharo-
hste estapeiecimeolo acaba de receber um rico sortimento de pianos forles ex- se recomidas ao consolado provincial, conforme
dos Afogadns
mais de quatro
e sem eslar
aiugada.
Na loja n. 1 da rua do Queimado existe urna
carta para o Iilm. Sr. Francisco Pedro da Costa
Moreira, etudaute de preparatorios.
25 RUA NOVA N. 25
nenio acaba de receber um rico sortimeni
pressamenie fabricados para o clima deste paiz, dos mais afamados fabricantes da Euro- c"n>la d0 eoohedroeoto; e qanto a i
lid^i^dS'ferZ'lanos *"** reSpe,lavel pub,IC0 para virem apreciar as ^ua" ^mJS&mSfmtmTi
Cuntinua-se sempre com esmero e promptidao fazf r-se qualquer reparo nns ditos
instrumentos. Afinam-se os pianos debaixo do melhor systhema ltimamente adoptado
na Europa.
Attenco
Antonio Jos Rodrigues de Souza, na rua do
No pateo do Paraizo n. 26" precisa-se de um ope-) Sf^nt 5 JP ^ "" '
rano de enla.hador qae leuda boa conducta ; tam- d "frVo cacimba c"mb,
bem se compra um banco de torno : quem liver cheira e a'Zl E, 7
ursiar de,le'pde dirigirse ao n,esmo m-WA, ae ifS ,
b
e
acuna declarada.
No primeiro andar do sobrado n. 30 na rua
de Auna- Verdes, desejase fallar com o Sr. Ma-
tbeus Autouin de Miranda a negocio que Jhe diz
re>pej|o.
na iereja, tendo o sillo portao
a agua, estribara e co-
qua-tos, e i I lo, a qual
novo bem eaiada. concer-
tada e pintada : para ver, as chaves estao em a
casa do Sr. Nicolao Machado na mese povoaga.
Precisa se de urna pessoa habilitad para
por urna escripia em dia e continuar a e^criotorar
em partidas dobradas : na raa do Auioem n. %&
\
".'jtU '- i.
/I ti ene o
O en/eiteiro Zacaras, residente na roa de S-
Fraucisco n. 42, ahi esta' sempre preparado a
aprontar .qualquer quaniidaiic de bolos, bandei-
jas para baile* e partidas, cuino arma las pelo me-
lhor (rosln que o- prelemenles quizerem ; bem co-
mo que (abrir tada e qualquer purgan de doce, e
das qualidades que tes forom encommendadas, o |
que tudo faz fiam a ou*nr presteza e aceio.

Tanques grandes, cubas e tinas de madeira para
garapa.
Bombas de japy.
Smfuns de cobre.
Toneis uraodes, e quartolas inglezas para de-
posito d'aguardeute.
liarrintios de mao.
Baldes americanos.
1 Guinxode ferro e carreteis.
Grande porgo de barrls de }{, }( e % para
mel.
Pipas vasias para agurdente.
Rodas d'aicos de pao para pipas.
Bitoques.
Llagas de vimes.
A tratar no mesmo estabelecimento entrado pelo
largo do portao.
Quem perden um relngio na estrada da Vic-
toria, dirija- a Francisco Bezerra da Palma, ad-
ministrador do engeuho Bulhdes, na freguezia de
Santo Amaro de Jahoato, que Ihe eulregara', dan-
do se Me os signaes.
Precisase de urna ama de leite, paga-se bem :
na rua nova de Santa Rita n. 17 ou 35, primeiro
audar.
**." "s Rl'" itW 9f*!SRJst'
Companhia fidelidade de seguros 3
maritiraos e terrestres m
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PEIINAMBUCO
Antonio Luiz de Olive ira he vedo Jt C, j
competentemente autonsados peladirec- ^j
loria da companiiia de seguros Fidelida- jg
de,tomam seguros de navios, mercado- j|
ras e predios no seu escriptorio rua da 2
Cruz n. 1. \ j||
Mmmmmn mkh wmmm
HPCM0 II fililO g
M lAIlItICAIl.NACAS.tllF. BEIL.NtAO JR
S| Rua \ova n. i.
mk Ahi se enconlraro obras de di-
[ versas qualidades, e por preco mui
Wj diminutos, a retalho e em porgues.
9f S se vende a dinheiro.
m*m**mmmmmm
m
m
n
No dia 1." de de-embro prximo vindouro as
11 horas da manhaa, floda a audiencia do Iilm. Sr.
Dr. juiz de orphaos, sera' vendido em praga publi-
ca o sobrado da rua Nova n. 43, peitencenle aos
orphaos filhus do finado capio Hemelerio Maciel
da Silva, rujo escripto se acba em poder do por-
leiro do mesmo juizo.
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descarogar
algodao : na rua da Senzala jNova n. 42.
Pennas de ema de muilo superior qualidade':
vende-se na rua do Viga rio n. 24, Io andaj, e-
eriptorio*
Vende-se urna arraag.io de amarello propria
para qualquer negocio: na rua da Imperatriz n.
77.
Cal de Lisboa
^Vende-se a 35 o barril : na rua do Brum n. 66,
armazem de assucar.
A 3-<000 o corte,
Vendem-se superiores cortes de cas>a, seodo fa-
zenda muito fina e de cores fixas, pelo baraiissimo
prego de 35(100, e ditas indianas, fazendas tans-
parentes, de niiiila phaniasia, pelo baratsimo pre-
go tambem de 35, para acabar: na bija do Pavao,
rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Vestidos zuavos.
Chegaram a' loja do Pavao os mais lindos corles
Ama.
Precisa-se de urna ama firra ou captiva para
lozihar e eowp'ar, para casa de pouca familia :
na ru.9 da Coarandla o. 34, sobrado do umueea
ido sol.
Precisa-se alugar um moleqne on urna escra-
va : na rua do Livramento n. 11, 2 andar.
Precisa-Se alugar um escravo para de veidos com competente zuavo e cmto, vndoi
servico interno e externo de urna casa de tudo em um carian, sendo a maior novidade que
familia : na rua do Queimadon. 9. !lem viI"10 Para a fes'a: vendem-se por barato
preco na loja do Pavao, rua da Imperatriz o. 6o,
de Gama & Silva.
.Nouiliiilo para a fesla,
Vestidos de seda.
Chegaram para loja do Pavao os mais ricos
cortes de seda para vestidos, sendo em qualidade
o melhor que lem vindo ao nrercado; e padroes os
mais modernos por serem quasi todos listados enm
cores mui delicadas, aflangando-se ser neste gene-
Ama
Precisa-se na rua de S. Francisco n. 48, de urna
ama, para casa de pouca familia.
= Aluga se urna grande casa com bstanles
commodos e um grande soto, propria para nassar
a festa. b-nhi muito perto, no lugar deSant'Anna ro o melhor que existe": vendem-se por pregos
de dentro, propriedade de Joao Venancio Jichado muilo razoaveis, na loja do Pavao, rua da Impera-
da Paz : a tratar com o mesmo. triz n. 60, de Gama & Silva.
ic



i



Diarlo de Pcrnambaco segunda Celia 4 de Deztmbro de 4se*.
Grande loja e armazem o
Pavao.
Ra da Imperalrii d. 60. de Gama & Silva.
Tendo os proprietarios d'esle estabelecimento de
liquidaren) uma fraude porcao de suas fazendas,
al ao fim do correule anuo, alim de fecharen) ron-
tas e apurar dinheiro, resolveram vender todas as
fazeudas coro grande abalimento ero precos, tanto
ero porcao como a relallio, e por isso previnem a
todos os seus ficguezes, e ao respeitavel publico, e
as pessoas que negocian* em pequeua escalla coro
fazendas, que Diste eslabel cimento encontraro
uro grande sortimento que muilo Ihes tifio de agra-
dar tanto em precos como ero qualidade ; asnin
como mandam pelos sens eaixt iros levar as fazen-
das e amostras oas casas das familias que nao po-
derem vir a loja, ou ao as amostras deixando Q-
car penhor.
Caoibraias lisas a 3fcOQ, la leja do
Pa>o.
Vendem-se percas de eambraia lisa branca e ]
transparentes, leudo oito e meia vara cada peca, j
pelo barato preco de 3500, ditas muilo linas, ;r
Rival sem segundo
Rif, do Queimad* ds. 49 e55, loja de
miudezas de tres portas, est quei-
niaiiilo ludo lioiu e barato, quem qui-
zo r verae admirar >enliani loja do
Bigttfmt,
Caixas de papel amizade, e sem ella liso e pautado
a 600 rs.
Grozas fe bo'.oes de louca prateados azenda mo-
derna a 160 rs.
Duzias de penna de ac fazenda boa a 40 rs.
Pegas de tranca de laa lisas e de todas cores a
Wrs.
Estovas finissmas para limpar dentes a 240 e
3iO rs.
Pecas de fita de eos estrellas com 10 varas a
320 rs.
'Caixas com clcheles franceies, superiores quali-
dades a 20 rs.
Tinteiros de barro, com superior tinta a 100 rs.
Pecas de cordo para vestidos, fazenda boa a
Baralhos muito finos para voltarete a 200
240 rs.
Latas com superior barcia a 200 rs.
Frascos de macaca perula muilo tino a 200 rs.
Frascos e garrafinhas com agua de Colonia a
100 rs.
Frascos grandes com superior agua de Colonia a
640 rs.
Caixas com 12 fr&scos de cheiros muilo finos a
15400.
Sabooetes pequeas de bolla a tkO rs.e grandes a
326 rs.
Dozra de sabooetes pequeos com cheire a 700 rs.
Afina dentiOce superior qualidade a 806 rs.
Caixas com superior p de arroz a 800 ts.
Frascos de superiores essencias santal e outros a
1,5200.
"Frascos coro essencias para tirar noaas de roup
a 500 rs.
'Frascos com cheiros de todos os precos a 160, 200,
Frseos bonos com cheiros finos e 500 rs. Pavo' rua da j^ua n. 60, de Gama & Silva. |
Duzia de meias muKo finas para seDhora a! Os cintos Jo Pavao.
45800. I Vendem-se rlquissimos sintos de filas de diver-
Golliohas muito finas para senlwa a 200 rs. I-8** tcs e dourados com vela larga e dourada,
Caixas coro soldados de chumbe para meninos a;'! 'mo eneites para cabera dos melhores e
160 rs. i i mais modernos que. tem viodo ao nercado ludo
Pecas de Ma de laa para debrura de vestido, com; is"l se vende por uro pre.;o razoavel que muilo
10 varas a 600 rs. j Ibes nao de agradar isto so na loja e armazem
Ditas de bicos superiores, para acabar a 000 -e
800 rs. I
Novidades do Vigilante
RA DO CRESPO N. 7.
Este jslabeleeimeiito apezar Je sempre
Rua do ueimado p. 8.
A loja da aguia branca acaba de receber um
novo e grande sortimento de riifTerentes objectos
degosio e ultima muda, sendo .
Bouitos eofeites para senhoras gostos inteira-
menie novos.
Ditos ditos de grade coro cooias grandes.
Lindas fivelas grandes para cintos coro moldes
agradavtis e diversas qualidades, madreperola,
tartaruga, ac e douradas.
Boas e bonitas lilas arharoaloladas para dilas.
Llites de dita de grosdenapks li.-as e lavradas
[ com novos e agradayeis desenlies.
Trancas prelas d seda coro vidiilnos moldes
! novos e de gusto.
Ri<'os bramos e pretos de seda com vidrilhos e
de dilTereotes largiiiiis e bonitos desenos.
Cascar^lha^ de seda com diversas cures e lar-
guras, formas inttirameule novas a liiiiUfSo de
; palo, babadinho e oujtra com urna uaiiMi.li. no
Liquidacao geral.
J Sdeirus e correaros
Lourenco Pereira Mendes Guimariie, rua da Im- PE< IJI.NCHAO
pdrairiz o. 56, loja e arroaz.m da Arara, propriela- ola de lUStre Ull pt lleno estado,
meio............205(00
45-uiia UreNa-45
.......-- n>">i |ji-y ri48oo rs m\wtul- m0 acaba de cne8ar ^>le remessa pelo Aagu
lissimasgolinhasdo vaPor Dourot e o navio < Solferino de.be" gn
CAPELLAS PA l MENINAS E NOIVaS.
uia branca a ua do Queimado n. 8, rece-
ra vender ;
adas capeilasl brancas para noivas
Ditas ditas para a eninas.
Ditas ditas de cai: os de flor de laranja.
Ditas dilas de ros s camelias e oulras.
Ditas ditas ou ran os de trigo.
Pedras te lousa para menino? a 160 rs.
Bunecos de choro e panno a f yO rs.
Caixas rom bonitas estampas para rap a 100 rs.
Capachos comitndes, boa farrnda a 500 rs.
Gros-as de DotSes pequeos pretos para cr.ja a
varas de cordaede espamlho a 20 rs.
Noveltos franceees com 20* jardas a 40 rs.
Peeas de liras bordadas a'0.
nzias de meias ras nwie fortes e superiores a
35300._________________
ciuiEs
Grande pech*ncha.
'No rua da Inuieratriz ti. 52 uona larpa de Pare-
des Porto, vndese chales de merino pftatnpad3S a
3 e 2j500 e :ao= 55, csiao se acabando.
Bordados.
Chogou a 4uja de Paredes Porto, roa da mpera-
Iriz r.. 5, uro soriim>-0;o de camizintw<, pollinfcas,
corpi.nhos, reiteiras e-sintfw, de ratwfecaia branca,
pelo barato pre$o de SSdOO, 3>o0 h 4, gollrottas
500 rs., ronmras a 800 e sintos a 800 rs, grande
quaotidade de entrecralos a 600 e 00 rs. a pega,
estao se acabando.
ALGiDfl 1)4 BAHA
Na loja de AndradeA Bego, rua do Grespo n. 8,
esquina da pa do Imperador, contina a vender-
se superior i.lgodao da fjahia por menos preco *ae
em otra qusilquT parle.
Vende-se m-oseravo cabra escoro, sa-aeiro
e rztRheiro, barate.: -na collegio da Coaceicaofies
Coelh"s n. 12.' N ms'mo colletro se *lnga im
graaaV. -uio cum snuia ructa, baaba, e:f..; na Ta-
marin.ira.
centro o que Ibes da ti.uita grat;a.
I Oulras estrei-as e largas guarnecidas de bico
45500,55, 65 al 105, sendo tapadas e transpa-, se aohar bem SOrlido como todos Sabem, de seda obra de mui o guato.
reoles, assimromo cortes de eambraia coro salp- hoje iaS que nunca, Ilfio S pelo que rece-1 uu"as de cambra a de cores.
eos a 25500 :Taio s na loja e armazem do Povo, I be ^ t tambem pelo > w?*f de seda> v'lluJo e a Para eufeiles de
na rua da Imneratnz n. 60 de Gama 5i bilva. I.____.* .^ ___vestidos.
As amisiohas do PavSo ^m retebe de consignatoes ; parece sera | Trancas de seda e treilas e largas brancas e de
Mendem se as mai-s modernas camismhas borda- imd3 que deve offerecer grandes vanla- cores para enfeites i e vestidos,
das com manguitos, para senhoras, sendo asmis gens para O respeitavel publico tanto em F(T$ fHQS
modernas que tem viodo ao mercado a 45500, di- precos como na escolha dos objectos, e co-
tas com manguitos, para acabar, a 15 ; ditas pre
tas com manguikjs para lulo a '"
tos e golinhas prelas a 15. fin...
eambraia branca bordada a 500 rs., calcinhas para diversos objectos de gosto e proprios do
meuioa a 640 rs., roneras de lil e cambras tempo dos uaes se mencionarao alguns,
branca bordada a 15600 : na loja do Pavao, roa D0- ngo S(T nn<.svpi mpn..;nn,r ffltiflS n
da lroperathz n. 60, de Gama & Sirva. !' i Pos=lvei mencionar ItiUOS. U ,
Chales de merino a 000. don deste jsiabelecimento espera a pro-
Vendem-se ns mais modernos chales de merino teCCao de todos. veslj0(! eefeites delhapos etc., ele
estampatos a 25000cada um, havendo tambera um | Kiquissimas CKXitihas ornadas ecom;
grande sortmienio dos mesroos matizados que se msica proptia para um delicado mimo,
venden, a 65. 75 85000 : na loja e armazem do | Caixnnas de musica ta ,0 ^ V de erda.
Ricos porta joias e necessarios.
Riquissimos est jos a foit-io de um bausi-
ho ou chap< Dilos em casca de noz de outros gostos.
Leques do madeperda de sanalo e de
aia e madeia.
Cnaposinhos e touquinhas de muito
gosto para crianzas.
Meias c iapatiuhos de seda para as mes-
rio do grande armazem de fazeudas e roupas feitas,
lem resulvido fazer unta nova liquidacao dt tolas
as qnalidades de fazendas que (Xisti-m no seo ar-
mazem, que veiiilrra nula por cinto menos do que
em oulra parle, allm de se apurar dinheiro e fe-
char contas, por isso pede ao respeitavel publico de
aprovntar a oecasiao, a sab-r.
Lazintias ehianis lie qiiailrinlins
Vende-se lasiiras linas a 200 e 220 o eovado, jN UluLU tXJDl A
din com palmas 320 e 360, cassas do urna s r6r ._ Bmju .......rf-t-, .*-.<, vrm
a 320 e 36(1 o eovado, daa de almas a 280 :io. ** Rua da Biitpe <>s, Iz ai mazrn
360 e 400 o eovado rua da [mperalrit n. 56, Meu- da |Oj i:i larga A .
de Gnimaraes. .imtlo a pad.tria tsadeei de
Fazendiis de |Mte Paredes Porto.
Vende se. as mais mod-rnas bareges de laa e se- Neste e>tabclecnneuio encontrara o reaiieltabl
da, suido fazenda de gi.slo pelo baralissimo prsco publico um variado sortimento ae fazenda- trance-
de 560 o eovado. zas, inglezas, suissas e allemes, que se vendis
Saias bordadas por pre$o commodo.
Vende-se saias borbadas pi-io barato preco de Paredes Porto
65500 e 75, liras bordadas a l, ntremelos 800 e Vende chales de r.uda de cores que srwmle-
15 cada tira. I rara a 18j) esta veudeodo por 5, ditos pretos, fa-
llios cortes brancos bordados zenda nova, 55,65, 85a 205, uro soitimenioc:.m-
Recebeu se bonitos coites bordados e de cores, pleto de manteletes, capas e SOOtambarqnef 145
de laa e seda, que *e vende a 85, 95 e 105 rada 255. Kua da Imperairiz n 42, junio a padarla f:an-
corte. ceza, armazem da porta larga.
Chales de nrerin Paredes Perlo
A pechlncha esla se acabando, chales de merino Recebeu um completo sortimento de 3asinba a
jjj, 340, e 280 rs. eovado.-, para acabar, cambalas de
Hincados tsrecezes efir a 340 rs. o corado, rlseado pstos>m para no-
Veudc-s rlscatfos eseoeeies, a 240 e 260 o co- P de menino, rasiao de liuho a 420 410 < 500 rs.
vado ; -*Jo Arara Rua da 'mperatriz o. o2 junto a padana tranceza.
1 do pavao na rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
As luaIbas de inho do iav; .>.
Vendem-se superiores toabas de lioho das me-
lhores que tem virido ao mercado pelo baralissimo
priende 93000a duzia, ou 800 rs. cada uma, na
Percalas linas
VewJe-se. percales multo finas, sendo de muilo
bom gosto, e leudo ile bonitos desenhos coro liMras
a palmas solas,sendo f...vnda inleiramente de gos-
to, se vende a 400 e 5ii0 o covaio, chitas e-curas
Diversos ramos dp flores finas para peito de a claras, a 200, SiO, 280, 320 e 360 o eovado, bre-
tanha de liuho de duas larcuras. a 15 a vara, len-
cos de caiubrra branco, a 25400, 25 e 35 a duzia,
dnos de linth?, a 440,5i0 e 600 cada um : M> ndes
Guimares.
Ciiberli.ies de, alyoilao
Frepart
Na rua do Queim do n. 8, loja da aguia.
ca vene-se
s f>ara flores.
trun-
Papel de cores par i rosas.
Dito verde para fu has.
Dito dito e pardo i ira cubrir os talos, das
Musgo em rama.
folhas para ro>as.
Agulhase lir\
irroazcm da porta larga.
Paredes Porto
Receben para cortinados pnra cama franfeza a
115 a peca carolr*ia li peca, coi les de larlatana de bonitos g ;iw a 3
a 45, eambraia coro flor de seda, p lo* intt na-
nete ovos a 100 e.500 rs. o eovado,no armazem
ja porta larga u. 52, ma a In- er>uiz junto a a-
daria ranreza.
-Paredes Pono
Receben telo ultimo paquete uro sortimenio de
itas.
ide-wi cobertores de algodo, a 800 e ip001 uzes toro, pedras para op*scrco,b mo- -^"f.
um/g.tos escarales de'laa, a 55 : rua da Im-, de laa para pesero de seuhoia. Kua da Imp i;liu
riz-n. 56. n. o2, atmazem da poilalaiga.
has para, crochet.
mas.
Meias de seda para senhoras.
CapeHas e gnoaldas de flotesproprias
para casameiito.
Eofeites e eapellas de m
seuliora.
Riquissimos porta boquets.
loja e armazem do Pavo, na rua da linperalrlz n.
60, de Gama & Silva.
As sairs do Pavo.
Vendem-se as mais finas saias bordadas asaga-
Iha brancas sendo da melhor fazenda que lem vio-
do oeste genero, tendo n.ui a roda, pelo baratsi-
mo prefo de 105000.; ditas bordadas a croch a
65< 00 e 850HO, dnas com babadiobos a 95000, na
loja e armazem do Pavao, na rua da lmperatni n.
60, de Gama & Silva.
Novos vestidos do Pavo a iO^OOO.
Chcgaram para loja do Pavao os mais ricos ror-
{tes de vestidos de eambraia Iransj'arente eem os
mais delicados bordados de dffiereotes cores s pon-
to de agulha, sendo n'esle genero a maior oovida-
de qae lem vindo ac mercado, garanlindo-se o te-
rem muita fazenda e enfeiles *uflicientes para o
corpoe mangas e vendem-se pelo barato proco de !,au110 se aOSOjava para enleites.
Vende-
cada
peratr
Camisas fraucfzas
Vende-se camisas trncelas a 15600 e 15800,
prpgas largas a 25, i\82iO e -550., finas a 25800
Vendem-se na rua do Queimado. n. '8 loja da e 35, biiro de liuho de cores, se. vende a Ij280 e
MDla branca, assim orno aguihas para tranalhar- 15 a vara, coi es de biim de cor, a i280. 15400,
se em laa. 15630, 15800 e 25, de brim pardo a 610, 700 e 800
Papel efe sob'ecellente para os\rs-a vara-
"Grande sortimento de rounas feitas. calcas de
phosphorobhyuiemevs ou de
seguranca
A vista do grande tsmanho das caixinhas dos
phos(ihoros hygienicc(S ou de sepuranga, tornava-se
tan pouf0 pa|,el (,ue V0F vm ditas <>a!l"lha!. e Para
*ia remediar essa falu a aguia braaca mandou vir e
! acaba de receber esa especial papel, iqoal se
| dar de sobrecellenty a quem eemprar de taes
caz.
N'o aimazem d rua da Imperador 3
Caes-de Pedro II a. % tora para vender -se
ihor gaz existente uo mercado.
O iPcios--15
oc -t-o
0 OH-
u le Cerejn,
DO DE. AYER,
lOOi-O cada um, na loja do Pavxo, na rua peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Os esparlillios do Pavo.
Veodem-se um grande e vanado sortim*nto de
esparii'ihos os mais bemfeitaB que lem indo ao
merca.ls, sendo de todos os tamanhos feto baralis-
simo preco de 45, 55, e 65000, por ha ver grande
Boque! de llores Com uma borrachisdia Phosphoros e se vender iodistiwlamenie a quem
COK! cheil'O. delle-precisar. O pncode cada eaixmha de phos-
',,,., i- phoro contiuua a sen 150 rs., e vendem-se na roa
Lrtivas \enladeiras de Jovin. d0 Queimado a. 8, tula da aguia branca.
jutas de seda e de Escocia. c
R.qu.ss.mas plumas e guarntcoes para i V;-ade-se'na rua do Queimad, loja da apria
eofeitar chapeos. braDca n. 8. \
Obras i de crystal.
Brincos de diverso* moldes.
Outros tambera de crystal de cores.
Outros de aljofares brancos c oulras cores.
Aderecos de crysial obra de gosto.
Rosetas de dito e ciruzes.
Bnides de dito, brabeos e de cores para ceKete.
Dito de dito lambem brancos e de cores para
Paredes Porlo
Vende corles de gi rgorao prel :'>'". v sti*!* n m
21 c.vad'>s cada nm355000,gi>denaple (,iUia
15IKI0, 15800 o 5 o eovado, las lizas linas > 'mO
rs. o covade, laade quadnnhopaia m.-i. Ii lu --
tada, a 320 rs. o eovado. Kua da liii.- rfcliu n. 52,
armazi m da pon., taiga.
Pandes Perla
Tem '3ra vpnder por preco ren mofle, pecas de.
esguin e hubo ct-m iO varas a 7 j. 8fi, liar lio de
lioho aia Un^.sa 640 e 700 r^ nai 11 ;>u-
de, castmira le de ''Ubo de" i lar guras a 200 t 2iO vara
Paredes Porlo
Contas e tobos de aro branco, que lia
brincos, livclias e eruzes de crystal.
Fuellas e cruzes de tartaruga, madripe-
f.-la e dourad^s.
Alftnetes f ira grvalas.
Botoes com croas para punhos.
Gravalijias e manlin-jas de muito gosto, penhos.
sorlimenfo, na loja do Pavo, be rua da Itnperatrte [tanto para homem como para SCntlCra Voliasde dito e oukras qualidades.
Riqu.ssimos aderecos pretos, assim como i eques de diversas quididades
^aixinhag comaineles pelos. Tend*m*earoafo Queimado n. 8, loja da
Hi'ton -as pre las a 12000,
Bengallas de canna com cabo de mar fim. *v "u<,a-
argn : i-lo na ..ja e armaieiu do. Pavo, rua da
Imperatris n 60, AeIaTia & Silva.
0 orles 4e casimira d Pavao'
Veodero-se superiores cortes dea:imira, ser.dn
fazenda maito tina, pelo baratissfano prego de S
cada uoi : na loja e armazem do iavo, rua da
Imperatriz o. (10, deGama & Silva.
Lauinhaa a 2SO e -> r-s.
Vendem-se laozioaae de quadnnhos a' imitacSo
das sediobas de quadroe.peto barato frr;o de 280
rs. o covadi'; ditas garlbalduias com es mais lia
i-dos padrees a .'(0 rv., |K-ehine|ia: na loja do
[Pavp, rua i Imperatnz n.09. de Gama & Silva.
Osdstos do paxt 14060.
Vendem-se cinlos de fila com fivelas ido bara-
tisiimo preco .'i 15000: jia loja do.Pavao, rua da
Imperalrizn.60, de Gaiua & Silva.
loja (lo favo.
Ghegaram para a loja do PavSo os mais ricos
chales de renda pretos, de 4 ponas e muito gran-
des. vendend>se pelo baratsimo prefo de 85000
cada um para acabar: ua loja. do Pavo, rua da
Imperatriz n. 60, de.Gama & Silva.
Vestidos m-u'.tts a 3O0O, na loja
de pavo.
Vendem-M os mais bonitos costes de vestidos
indianos, sendo esia fazenda traropatenle e iotetta-
\- i--'iis. tu. iui;.- de *. deflnxos, D4r '' gtugwta,, mete nova ao mercado, e leudo enlie elles mullos
/, '.,'<, iMKa,4Ce., e ouira? symptomM4B lltea prima-1 cortes rozos proprios para senhoras que e.-lo de
<;.i .r;dnH-nir li-zMii ponce aso i!o sou juleriiiH-nto at luto.: e veudero-se pelo baralissimo prego de 35
wm seja tarde pora -nr.i-lo. Nao deseuides d' msa losse' <= m psra acabar : .na loja do Pavao, rua da
*npe agora ,,,r,-.( de pot importad ; Uma to-sc In'peratriz n.frO, de Gams & S.lva.
lodn chcgi a ser chrwtiea e induz a fiwmaolo de
Na loja do pavao.
Ciiej^aram pelo intimo vapor as mais ricas pe* i
tondas -de renda pretas, sendo es mais compridas | I,llds de;La!eia, borracha e de oulras
que tera vmdo ao mere.Jo, e vendem >e por pro^o muitas qualidades, assim como chicotiali.'- .
muito n contH : na loja e armazem do Pavao, raa RiqaisSlBOS pcntes de laitaruga do Uli-
da toperau-iz n. Ou, de Gama d Suva. :mo gcst0 assim CQBJO ,,e arr6ga<;0 para
torio le istmira, e pttiiniclia, menina, pois ueste artigo ha um completo
v .i ^i^f?.' fJ Hd0l?UI0,' r n.w= 0rlimto de todas as qualidades. A apuia busaca avisa as constantes fregoezes
simo {.re^o de 25*10 c .orle, < ndese a mes- RiqUISSimas litas lavradas e lizas. ^r uma nova re roes sa be ervmacoroe, cotoneme
Trancas prttas com vidnlho e de cures. gSafla ESSlEft do
rtilseuas !aiiio para senhora-como para Queimado o; 8.
Abridores de luvas.
tspas forlqt para bala
VeSdera-se na rua do Queimado loja da aguia
ranea n. 8.
Gmjtn&Gome para Ungir ca
1 bufo*.
Itoiipas fritas
sortimento de roupas feitas, calcas
brim branco a 25, de linho a :)2(!0 e 35500 cada
uma camisa 35 a ->53C0. finas a 05 75500, paii-
tots de brim a 25. 24900, ;S(> e o
35300, 45. Si, 65, 7c, 85, 5S00 e 105, sobreca-
saros a 125,145 lOf pretos e de cores, cale s de Vpi c:t- r n traa '' 5
brim e de cores, a 15280, 15440, l.;l00, i'5S00, gostos a 105 e 125, rices vestuarios para menina
25,25500 e 35; s Loureuco Pereira Mondes Gui- e menino, ricos corles de cambala Mana Pi a
maraes, rua da Imperatnz n. 56. 105 e 2o5. larlatana biauca e dt cor a 640 e '-9
Arara o. 56. lleudes Guimares. rs. a vara. Rua da Imperairia armazem Ja poita
---------- ---------i lan:a n. 32.
Outros objectos. \ noupa feita
Vindos tambem para a anliga loja de- Roa da Iroperatriz n. 32 armazem da porta lar-
' miudezas rua do Queimado n. 10. ga juuto a padarla trncete, encomia .-e u^ :-tr es-
Sapatitihos de setim branco bordados pa- abelecimento um completo sortimento de 11, tf-
h-nict(i i sac<-os e sobrecasacos, Uo ti das as uumi lado, ral-
vT" t ^ i fas, colletes, ceroula-.-., camisas, aravaiis, xna,
Outros de mermo t3mhcm bordados e chapeos de sol, ditos francezes para catn : r
igualmente tionitvS. precos rommudos, ronpa para nu-nlBO airas
Meias de seda, correspondente no tama- mimas fazendas por precos commodos, -arv/izem
. da oorta larpa.
. Ko liiismo e-labelecimenlo encontr' o-i pe-
ESCOSSia e iaVt.| pu|,|co, sen .re um completo sorumw.:. de
' romas eitas de todas as qoalidades, cn.ro ;^m
brancas e paKtos de alpaca preta ede eor.diics sfme.- sa-
co- a 5 e ;5, dilos de brim pardo a 25800, -5 e
I 35300, ditos linos a 45. ditos meia.- raze* na a
! 35300, 45 e 55, dito- cazemirasacros a Bj, ',..; >5
e meninas. e 105, daos sobrecasacos a 10 e l. dio s i.e ..u-
Pentes de lartaraca mui fortes para des-' no saceos a (5, 85 e 105, ditos sobr. pafao a :-5
,h,wr 1 a 235. d"it"s de merino (Teto a 65, 75 e *''5. rj|-
Ligas de seda e de-agodao.
I''.- v A < rr-.i y. un(, K< Klv
7/. .! Lulas a- ujv. l.-.-ti;1.- do pi'itc
" da '::cj;ml:i bfl. B, CO:jfffMQ3e8,
J-:- ll 'lll.\'i-, roqul
dQ, ( .rlllcl!...:...:-/!.'!. I>.1llll0ra.
1:1 i aro|ie |<-rjl < rcsul-
i2. por tu 5rt* prlmcbofl mvttcos da
Aanerka do >forl de txperi-
-:c*c:a> ':ri.!ir..>as M>i- |.;iu.*iacs
hosailaea do mtm >; reeeltade peM mdicos raain distinclos
oolonaan clnica potlieuliu porUulolgood* toda
coufiaiiea, I .,.-.- re ..:. >> onauinaef4caaalaI-
vol !. -lia ... ....I.. I!i< a- j-jzcs, ,--im
lectadoanasaAeoe aataral c -i:2>,por .< q /i/ia
,,..,,,/.-,,"'/'-)"' ""'/"'i'"'''- t-iiiies preos uc rena a o.suwu,
om ... homen robusto 00 rianja^lamalalaaraadaTe,
cada "]. 1 -. ada aecompanliado Je dlrraeeSca miniiaaMM:
:i, tulti.. ,.. n8e>Mr "ni .- mnl: .-..-./;.o- i|iiali|ncrme6V
i......a pbftrn acentleo 1 -'l<- obter 1 fianoala da ^"i oompoaloio,
ilirigin...... moaliaa rt "" |Hirc-itia ao .'.: ate geral, H. l.
I.asi:. ru Dlrcita S... 15. Uio de Jancno.
Afnitot nasos f. ttliSo zninbado dc-tad '- oa nrnrsoa
da scJcncjarteiB sklo nados ntdicalincnte. .vni o uso do
Suspensorios de seda e de algOlc e mui- branca n. 8.
tos outros objectos que se nao nodem an-
Idiuncar por i5o se tortwsr enfadonho.
S no liac Vigilaue-.na do Crespo 0.7.
Vendem-se oa rua do Lueirnado loja da aguia
Pcitoraf de Cereja.
Porl hnntjiils
dr iodios moirJes, dou^ados ecabo de madreporo-
la : aeharo-se a venda na rua do Queimado loja
da iguia blanca n. 8.
Bonitas (ouquL'tluis
de.';t de linho, eambraia e selim lodas mui tem
enfocadas : veadero-se na rua ds ioj. a apuia braaca.
Curretis com r-etroz.
Xa rua no Queksado n. 8, luja da atenta bracea.
5*
nho dos sap:itinhos.
Outras mui linas de fio da
brancas listradas.
Luvas finas de ao da Escossia
de cores.
Ditas de seda para senhoras.
Ligas de dita para senhoras
embaracar.
Carrieis com retroz preto e outras cores.
Carteiras com agulbas.
Aguhas francesas, ae afamadas.
Caixinhas com allinetes brancos e prelos.
Haspasde baleia para vestidos.
Fitas de liaho proprias para ditos.
ca- de brim de diversas qualidades a 1581 D 5-5,
Sitos brancos a 253i0 e 6500, ditos i a>en ira ?>i,
65 e. 75, dilos pittos a -:'5, 5, ("5 tOf, Hilos
mtias cazemiras a .'5 e i5, coicies de dc.rsas
qualidades, seroulas francezasde alscso, ditas de
linho, ditasds bramante a 5 e -3-'A'o, rami?as
algodo de linho franelas de 2530o e &i an-
da pecbinrba nene genero, grvalas de t das ae
Caixas com linlias de aovellos grandes calidades e brancas para casrc-t.-ito, g;
para crochets. n^ents dt meias para^nhrra.., .,ra i cus
\m
Scobx-res e senhoras*
Os prqjrielarios da nova loja e armazem de fa-
N'vi.'iiinia casa de famfba dearc catar sem um ftwco
:,-.;.. : niaoj |.-.i nos ataques repentinos .de
AatfMi te <.-"//>. c nos |/.o-..v...i.-)- 'lo Coquduche;*n
tam ..... ..A; a que cutio mjeftai s eriancaa, no ha
trinj^j de t-liamar um in.-tl'-o. uflT: .Je laxcr rciflfMIlOS, c
este tarop alivia hamediatamente e fue o fllho qoerido
so c alvo, da de perigo.
As nwlstiiu <|iip esto ao nlniu-.- iij< .virtuilis i-umtroa
do fElTOitAl, I>1 CJEMBJA fo
Defluzoa, Toares, Asma, Esquinencia, B.-onchitt,
Coquetuebe, Tosse ferina ou con-ruls.!ra.
Eoquid.io, Todas as molestias do peito
e ufcata. Conaumpcao dos Pul-
moe ou Tsica pulmonar.
, .-lia se en tod. as Butcas a Drogaras do Imperio.
Pilulas Cathartcas do Dr. Ayer
cuitAo
Pristi ,/Kili.imo, JItmtnorrhoidns, J>r jln, nal to tulomaijo, F.iuraqiifra, mal ilo J'rjado,
Guutrlte, I'elire ijastm-lirpaltca. T.oinltii'jan. Kryalp-
clta, ffydrnpsia, Incremento do baco.
Todas a< molcs'ias.
Quinino.
que provra do uso *\tcc38vo dr
0 mlhor purgante at hoje conhecido.
Eatoa puja tusucaradai tu prarntitU trgitaa.
PURGAO E PEIFICO 8EM MEBCUBIO.
A v. H.Ja ta todas as Boticas e I'rogarlas do Imperio.
AOEXTE OEB1L,
H. M. LAE, Ba Direito No. 15.
Ilio de Janeiro.
Vende-se em Pernaubuco:
na
Vestidos a !>
Vendi-se cortes de vesidos a Mara fia ciih
barras bordadas, pelo baratsimo prego de 4000
para acabar : ua .lca e aririazcoi do Pavao, rua da
Imperairiz a. 60, de Gama & ilva.
Lazkilias a lG6rs,
Vendem-se superiores laazirrtas transparentes
om bonitos pairoes, sendo lisai t de quadros, pelo
iarali.-.-imo pre^o de ICO rs. o eovado, isto para
acabar: na loja do Pavao, rua dalicperatriz n. 60,
de .Cama & Silva.
Hauguos gofas a 500 rs.
Veodem-se manguitos com golas de eambraia
pelo Baralissimo prego de 500 rs., i-to para li-
quidar : Da loja do Pavao, rua da Imperatnz n.
UO, deitma & Silva.
Cortes de coila de Pavao
Vendenvce cortes de chita fraoceza muo boa
com 10 covados a 2*400, ditos com H covados a
25600, dnos com 12 covados a 2fl800, islo s
para acabar : na loja do Pavao, rua da Imperalriz
n. 60, He Gama & Silva.
.Iiji'-allios para caliera de senhoras.
Vendem-se superiores agasalhos para cabeca de
senhora on caclnns, >eudo fazenda mais moderna
/|ue lem viodo nesle (enero ao mercado, pelo ba-
fatis.-iinoipreco de 3& cada um : na loja e arma-
zem do Pano, rua da Imperalriz n. 60, de Gama
& Silva.
Chale* de renda a 10& \l$, Vi&, 20 loja do Pavo.
Vendem-se chales de renda prela muito Anos a
10 e ii. dilos de linho a IS5, ditos de seda de
linho ros melhores que ha em diales de renda a
20 e 2o, ditos brancos de tres ponas a 69, isto
s na loja e armazem do Pavao, rua da Imperalriz
n 60, de Gama & Silva.
IMovidade
IVs? toja de .loaquim rie r;uia Machado
IKna alo - DBFfONTE O 1UVAL SE.M SEGUNDO.
Ns^te acredilJo.sstabelecimento encontrari os
compradores um oompleto sorUmento de boas fa- zendas e roupas f. itas na rua'da Imperalriz n. 72
zendas, que se vodero muito baratas, atim de de-Guimares & Irnuo, acabam de reduzir os
susieaur sempre o mesRio crdito que at ao pro- presos de-.-uas fazendis minos 20 por cenlo do
sent is.ti merend aos seus numero* tregeles. Eotre as n ma- fazODdas ha as se_juinles : Bheiro, assim como seja lazinhas de quadnnhos
Laaclnbas enfestadas de 4 palmos de largura, fa- ndo escuras a 200 e220. lilas mais finas a 360 e
zenda ou'.r'ora de 60, pele iiiminulc prego de 3tili SCO rs ditas lrao>parent<'P com listas de seda a
rs. o eovado. .320 ts.
Corles de laazinbaf, padrfles novos,.com loco- Fzcto'as proprias iara a fesla.
vados, a 4 j(lO. Vendem se as ni-is bonitas bareges de laa e ee-
(.ores Ce eambraia cosaiCsres bordadas, fazen- da sendo .scocetas as mais modernas que lem vin-
da moderna, pe|0 diminuto preco de 75- do ao mercado pelo harati-simo preco de o^O o
I ercalles m-jito linas, de licd .s desenhoo, eovado eovado, cassas fr.ocezas de mu s cor a 320 e
-oOOrs. 36o o ovado, dita* com palnae solas sendo miu-
Lambraia oagandys, muilo oa, vara k rs. dase fraudas peloiaratissimo preco de.280 360
Ijrlauna verde, iur de rosa, azul e branca, vara e 400 rs. o eovado : sto na loja e rmazern de la-
^ rs-. zeodas ru xua da Imperalriz n. 72, de Guimares
orosdenaple prelo muito eoeorpado, covade 2 & Irmao..
CaaleS de renda (.reos muilo modernos, a 0&. ^rj, ,.= ^ l
Raiondas d- rendapreU da uli.ma m.l', a 1 Vendenvae as mais bonitas saias
bordadas sen-
do bastante larpas e muilo bem bordadas pelo ba-
ralissimo preso de 65500 e 7.
3!'
PHARMACIE FRANCAISE
deP.MAURER&C1.6
, RUA NOVAN" kH
os mais modernos que Um vmdo ao mercado e
vendem-se pelo barato preco de 9, 9500 e I0JL
Manas de seda para lisinem.
fendem-se as mais luidas maulas de seda para
bomtim tendo de todas as cores peto baralissimo
San* bordadas core i pannos, a \$>!)Q.
Ditas bordad,.?, com5 pannos inoito iioas, a 9*V
Baioe de arcos, a $, 2,1500 e 3.
Madapolio fraucez ui^lo eucorpado para saias,
vara a 440 rs.
Pecas de eambraia lisa iGua, a 43. 4o00 e a&.
Dilas de dita para forro, a 25800.
^igoJo anestedo com -9 primos de largura, va-
ra US.
Gardanapos de linho adamascados, duzia 31500. prt5 de '**W, 1,5400 e l'00 : i.-to na nova Io-
Lece;o de. cartbraia branca, para algibeira, du- J de fazendas na rua da Imperalriz n. 72, de
zia liouO e 25. Guimares & Ira.ao.
Coberias de rhKa fram>? fina, a 2oOO. Colariuhos da linho para hornea!.
Lences de bramante alvo, de um* panno, a 35. Vendem-se colarinhos de linho para homem
finos de algodo de um panno s. a 25. sendo os mais modernos e melhores aue ha no
Orcos de eambraia* de buho muito tino, duzia mercado pelo baralissimo preco de 55500 e 65 a
55000. duzia.
Ha tambem um < mp.- 11 sortimento de roupa
Trancellitn de bonacha preto, redondo.
iluuititfc ivi'las raade de :h-
donradas, madreperola e lar-
taruga. |
A oja de miudezas rua do Queimado
n. ir, recebeu am bouilo sortimento de'
Ovellas grandes para cintos, sendo le ac,
douradas, madieperoia e laitarug.i, ae quaes
'Stao eendo pendidas em dita loja por pre-
cos (omtiodos ; assim como boas e bonn.as
lilas degorgone4diama!otado,,pr('jirias pa-
ra dUaefixellas. ^^*
Ociilos de pteui'fi \ e de ntras
qualldade.*., para quem soffre I
da vlnii\. |
A' loja de miudezas rua do Queimado
u. 16, lambem receben oculos de peneira
com vidros claros e oscuros, para quem sof-
fre da vista, asim como outros de armaco
de ac, sonidos em graos.
C'oroas e tercos de cornalioa.
A anliga loja de miudezas a* rua do
Queimado n. i6, receben mui bonitas co-
roas e tercos dec malina, os quaes estao
a disposigao dos bous ebristios que os qui-
zerem comprar em dita loja : na rua do
Queimado n. 16.
EspoDjas Anas grandes e pe-
queas.
Vende-se na rua do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
4 lilia loja de mHilizas na rua do
Queimado i, 10, aclia de receber:
a :>.-\ ?up< ores a 35500 e 55.'
lu completo sortimento de chape | de
alpaca a ;5, dilos de seda a 5-5, 7-3. i',$)
dilos francezes para rabea, grande soiimicw
a C.
f'eciilcli (inhavel.
Grande fotimeiH.) da ehamlre a S5f.C0 e 5.*
lerice- de eambraia para hon:em a 25 a dnzia, di-
los de linho a 45 e 55.
Uiai.d.- soi lmenlo de re opa para menines e re-
irs ii.ur.s cualidades que seria eafadii,|;o m-n-
c;ona-las.
Fazendas.
Vende f snperii i merino po lo j.roprio para ca-
pa.- de senhora e vestidos a 23. lostiim da China
a iSi0o eovado. ltua da Imp rali z, porta larga.
Paredes Furto.
Vende em seu istabehcimento liras e enlr-rreios
bordados, prande sortimento re rorpinhos rica-
mente bordados a 35, 'i3 I^L s o Paredes Por-
to, rna da Imperalriz no 52; perla iarga jnnloa
padaria franeeza.
v-\ Paredes Poi o
Recebeu pelo nllimo paquete francez n>a-- \5s
granadinas com llores de seda a 410 e 500 r.-. o
eovado, esli acabando-se, eambraia prea para
luto. Pona larga junio a padaria franeeza, a rua
da Imperalriz n. 53.
Paredes Porto
Verde um completo sortimento de fazendas
brancas, como sej;.m madafolao a 45500, 55, 65 o
10, pegas de lpodan por barato pr.co, rh'ia fr;,r.-
ceza a 240, 280. 320. 360 rs. o eovado, precalias
mono linas a 360, 400 rs. o corado, rhia ingleza
a200e240rs. o eovado. Rua da Imperalriz o.
52, junio a padaria franeeza.
Paredes Poito
Vende pangas de cor propria para ronpa df me-
ninos a 320 rs. o eovado, riscado francs One a
0 rs. ocuvado. P.ua da Impeuiriz n. 32. junio
Novas e bonitas guarnicoes pretas para vestidos e i a padar,a francc"- P' ra "a/M-
ontembarqnes.
Bicos de seda brancos e prelos com vidrilhos, e
dilTeicutes larguras.
Trancas prelas com vidrilhos.
Vestidos de larlatana muito Bna sendo trancos Cascarrinas de seda de diversas cores e moldes
com barras de cores bordadas de laa e seda sendo
novos; ouir: s enfeitadas com bicos de seda.
Babadinhos de seda. '
Trancas branca.* de seda para enfeiles. V
Bonitas filas bramas li.-as e lavradas ; outras de j
cores lambem lisas e lavradas; outras achamalo- i
tadas para cinto?, largas.
Fivelas prandes de ac/>, douradas, madreperola e
tartaruga.
Bonitas ligas de seda para senhoras.
Leques de sndalo o oulras qualidades.
Lindos o delicados enfeiles para bai-
les c patscios.
A amiga loja de miudezas na rua do Queimado
Paredes Porto
Recebeu pelo uliimo paquete espartilhos a r-re-
gnicoso por 33, sao bons, lengos de seda a-a se-
nbora e hom. m a I?, ricos corees de eambraia
bordados de 18g a 7?, por ti r um trque de mofo,
esto se acallando, na rua da Imperalriz n. 52, un-
to a :-..ii.-iiu francesa.
lampados a 65500, 75, 7551.0 e 85.
Cambalas blancas.
Vendem-se pegas de cambralas brancas a 35,
35500, 45, 45500 e 35, ditas muilo finas tendo
uma vara de largura a 95 e 105: isto s na nova
loja dr fazendas Ka roa da Imgeratnz n. 72 de

PARA A FESTA
Popelinas 'a 400 rs.
Poprlinus a 400 rs,
Popelinas a 00 rs.
Chegaram para a loja do pavo as mais lindas
popelinas, fazenda propria para vestidos de senho-
i ra, sendo muilo transparentes e brilhantes com as
jfQ mais lindas cores que tem vindo, as quaes facili
Rji tam fazer-se nm vestido cora mna phantazia p .r
M pouco dinheiro, e vendem-se, sendo de quadrinhos
y a 400 rs. o eovado, e as de uma s cor 1 500 rs. :
pa loja do pavo, rua da Imperalriz n. 60.
feiu e por medida, para o que tem sempre boas
easemlrax moderna, brim, .-ic.
Luvas de Jouviii.
a loja de miudezas na rua do Queima-
do n. 16. resebeu-as por este uliimo vapor,
Non'dade.
Chegaram os bonitos chales e retondat de gnipu
re trancos, e vendem-se na rua da Imperatnz a Guimares & Irmao.
52, loja da pon." larga, de Paredes Pone. Riscsdos fscoecczfs.
------------------------------. .. j Vendem-se os mais bonitos nscados escoceze
AfliQ-fiA para vestidos de seniiora e proprios para roupas
JXVUarao de meninos a 260 e 280, chitas francezas escuras
venda na hvrarla acadmica, na rua do Impera- e claras a 240. 260, 280, 300 e 320, ditas percales
dor; na do Sr. Nogueira, junto ao arco de Santo multo linas a 360, 400 e 440 o covdo: isto s na
Antonio ; e oa typographia imparcial, na rua es- nova loja e armazem de fazendas ua rua da Ira-
treita do Rosario a compilaco de toda a legislacao peratriz n. 72, de Guimares A Irmao.
tendente administrago, arrecadacao e Bscali- Camisas fraucezos
saSo dos dinheiros de orphaos defuntos e aosen- Vendemse camisas fraucezas a 15500, U800
tes, herancas Jacenles, legados etc., contendo nao 25. 25500 e 35, ditas com peito de cor a 2
s o regiment de cusas e a le geral das execu- -
ces, como tambem lodas as ordens e avisos do
governo. que a ludo tem explicado, lanto a respei-
lo das obrigaces inherentes ao cargo dos difieren-
tes emprepados de justica e fazenda, como dos di- Paredes P>,rto. na ruada Imperalriz o. 52, porta
reilos nacionaes e emolumentos que sao devdos. Iar,ra' vende cnales de renda de corH8 "O peque-
Este livro contando mais de 700 paginas em ntida D0Ti^ de mofo' a 3^300 e ^' faieDda de Wi
impresso e bom papel, e prestndose a ulilidade e 1*5000.______________________________
de dlfferenies classe, tornase recommepdavel. Vende-se a fabrica de charutos e cigarros
Seu cusi 105000 por cada ejemplar em dous da rua do Arapao n. 3J,bem afregpezada : a Ira-
oms- ur oa rua dos Cvelhos n. 2]
f hales ir iiht imigM.i.. i o/i i "' ,6, ^cebeu novos e lindos eofeites para bailes
tbalcs a> mermo eslampados tfi. e passeios, lodo* de muito gosto e inieiram. nte no-
Vendem se bonitos chales de mermo estampa-'vos, variando o preco de les ninfo me a superior!
dos pelo baralissimo preco de 23, ditos lizos de'dade: os preiendenles os acharo
todas as cores a 3WiOe 4?, dilos finos sendo es- ruado Queimado 0. 16.
rias capeja* para noivas e
em dila loja, na
25500 : isto s oa loja de Guimares ti Irmao.
Chales de renda
meniuis.
Acham-se venda na rua do Queimado. loja de
miudezas n. 16.
Rnnibs touquinhas
de fil e eambraia, bordadas e enfeitadas : ven-
dem-se na roa do Queimado, loja de miudezas nu-
mero 16.
Lorelos de dous vidros com aro de ac, bfalo
e tartaruga.
A loja de miudezas, rua do Queimado
n. 16, recebeu um bello sortimento de lo-
netas e oculos de vidros com armacao fina de
ac, bfalo e tartaruga, e os esl vendendo
por prefos razoaveis: os pret ndentes diri-
jam-se a esta leja na rua do Queimado n. 46
Algodo trangado
da fabrica dj FVmo Velho : no escriptoro de
Minoel Ignacio de Oliveira & Fuho, largo do Coj
po Sanio n. 19.
Vende-se um mulatinho de 16 a 17 annos,
proprlo para pagem por ser muilo bonito e de boa
cooJucia; na. rua do Imperador d, 43, terceiro
andar.
(ira 11 de armazem du tintas.
RUA DO IMPERADOR N. 22.
O armazem de tintas nm grande deposito de
productos anmicos utensis e os mus emprepados
e usados na pharmacia,pintura, i'hotryrapbia. tin-
turara, pyiotechinia,fogos de ariiticio) eem oulras
industrias.
Monladoem grande escala, e suppriiido-se -di-
rectamente as principaesdrogarasd< Pars, ma-
dres, Mamburgo, Anvors e Lisboa, 1 d effereceer
productos de (llena confianza e saii-ia^er qnalqupr
encommenda a grosso trato e a retallio, por precos
razoaveis.
Prvidos de machinas appropriadas satisfar
com promplldo qualqu^r pedido de linfas amidas
a oleo, cuja qualidadce pureza de sens Ingredien-
tes poder* ser examinada pelo consumidor, o qoe
nao fcil fazer com aquellas que sao Importadas,
e que se enconlram no mercado em latas fi 1 !:;tdai.
Tem grande coIIccqo de vidros de dlffereutec
formatos, desde uma oitava at de?c.-eis ticas tie
capacidade ; de vidros para vtdracas e diamanlec
para corta-Ios; de pinceis para fingir madeira cora
rinpnedade e outros; de papis doorados e pra-
peados e folhas de gelatina (..ara 1 mmenlo: do
papel grande e pequeo frmalo de vanas coree
para einbrulho, para forro de casa, para desenlio
com fuudo j feilo;de papel albun.iuado 1, Brisw
verdadeiro saxe para photograpliia p para lirtrar,
e outros ; vernizes de essencia para qnadros, da
espirito para madeira, copal para o iniTior e ex-
teiior ; oleo graxo, oleo sceativo, oleo de linhaea
clarificado, oleo de toiele, secativo de Ilarlim, .iuro
verdadeiro em p ; prata, euro, e estanto em fe-
Ihas de varias cores; tintas vegelaes, inofensi-
vas proprias para confeitarias; lia de coree,*
olhos de vidros para imagens; lilas em tubos e
telas para retratos ; tintas em pasieis e em p pa-
ra aquarella ; essencia de rosa superlua, de ne-
roly.jasmim, bergamota, aspice, patcnnoly, sobar,
bouquel.limao, alcaraiva, melissa, orteJaa pownta,
louro, cereja, alfazema, juinpero, Portugal, lima,
anis da Russia, canella, cravo e muitos outros ob-
jectos que s com a vista podero ser mostrados.
Mo Pedro das Xecet,
Gerente.





-*v^
II
ef ^Nl% #a^-
a


Diarlo de Pernamfeuco Segunda clr 4 .Je Dezembro de !(*?..
N. 11Ra do QueiniadoN. 11
A' casa de Augusto Porto chegaram pelo vapor francez ricos cortes de
vestidos de seda de cores dos mais bellos gostos, proprios para bailes,
partidas ou casamentos.
Cuales de Guipure pretos e blancos,
Bonets de paltia da Italia para senhoras.
Moir branco e preto.
Bonita seda para vestidos,
Casemiras de quadros.
Esteiras da India para salas.
S Madapoles francezes a 400 e 500 rs, a vara,
Laas para vestidos de diversas qualidades, e
gostos diffreentes,
Q que ludo se vende pelos mais commodos procos.
Vv*
CORTES *ME EI
Chegaram pelo paquete uglez riquissimo* cortes de moreaaiique de cores, e seda lavrada pa-
cres uteiramente novos.
Seda de quadros por 1$000 o covado
5RA U) CRESPO-5
Gregorio Paes do Amaral A Companhia.
Piiiu^0
DITAKTE ALMEIDAr

i
:>

ll

Para vestidos de senhora.
("orles de seda de cor de bom gosto e superior qualidade.
Lindas sedas de quadrinhos.
Bnns moireanliques de cores.
Crosdenaples da todas as cores.
Lindos poil d chevre fazenda assetinada de inteira n ividade.
Lindas duqaezas assetinadas fazenda inleiramente nova.
Moderos granadinos de seda oque tem vindo de mais novo.
Grande rariedade de laas de cores li^as e de salpicos.
Organdyse ea sas deniuito bom go?tn.
Perealias modernas com grande variedade.
Linios corles de la Clotilde com todos os pertenees cada um em seu car-
ian inteir mente novos.
Bmsc >rtes de casa com barra tambim inleiramente novos e outras muitas
fazendas de gosto quesera enf.idonho mencionar.
Para homaros de senho-a
Grande variedade de chales, boarnoox, retondes e algeriennes de fil e de
guipare a 40, IG, 20, 30, 40, 60 at 805-
Modernos soutembarqaes de seda de superior qualidade.
L ndos bertes de seda de cor pretos e de cachemira.
;i de eaubraia branca bordada com muito gosto.
Sautembarqoes ebournoux de cacbimira de cor e outros mullos artigos dedj
'bom gosto. 8
Para cabera de senhora t
Superiores chapelinas de palha, de seda e de crina de muito bom gosto a im-^
p rali iz. j
Chapeos de p Iba da Italia grande variedade. i
. ndos gorros e bonets de palha de Italia, Imperatiiz, Canotier, Clotilde *
e a tirante, ebegados de Paris-peo ultimo vapor. |
Grande variedade de en fe i tes defroco e do llores pa casamento.
.-. iperi nos vestidos de blondo, e de mdreantique brancos. j
Bons m reantiques brancas e superiores sedas brancas.
mis vestidos dd tarlataoa branco bordados. a
Lindas mantas de blonde e boas capeas. k
Bordados. "1
Grande variedade de entremeios bordados transparente e tapados. J
Ti as bordada; transparentes e tapadas, babados bordados, salas bordadas e $
outros amitos artigos.
LOJTt II.% CJWLUMMAS
l)!i tNTONIO .OltREI* lE VAS ONCFLLOS & C.
RA DO CRESPO V. 13
LOJA DO BhUA FLOR
Na na do Quciuiado n. 63.
Nesta luja por todos os vaporas se recebe luvas de
pellica brancas e decores, tanto para hornera como
para seuhora.
Votas, c- uzes e brincos.
Chegou no ultimo vapor ura grande sorlimento
de voltas e crozas, imitando cornalinas brancas,
assim como brincos da m^sma e de crysUl do mais
apurado gosto que se pode desejar, fui s quem
rec.eheu : na loja do bjiu-llor, ra do Queiuiado
n. 63.
K11IV les par; coque.
Assim como receheu enfeits para coque e G-
iras multas qualidades, que se vendera mai'< barato
do aue em oulra qualquer parte.
nonecas que cluuii Tundo recebido um grande sortimento de bone-
cas i|'ie chamam papai e mami e movem cora os
! olhos, muito bem vestidas, com cabelleiras, o
que pode haver de gosto nesle genero, e vende se
mais barato do que em Jotra qualquer parte.
Btlaios.
Assim comoum bonito sortimento de balaios para
menina de escola, tambara ha muito bons pentes
para desembarazar, guarnecidos de natal.
AO RESPEITAVEL PUBLICO
A tabella abaixo publicada serve de base de precos,
tanto deste armazem como do armazem progressivo pa-
teo do Carino n. 9, principal armazem ra do impera-
dor n. 40.
Fazera sciente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
henos, lavradores e mais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
oeraram os proprietarios dos tres grandes a.mnzens, reunir todos os seus estabeleci-
mentos em um s annuncio, pelo qual o preco de um ser de todos, proraette-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os gneros
por om preco, e na occasio da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em outras muitas casas, porm nos qossos estabelecimentos nao se dar islo
anda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
sero tam em servidos como viessem pessoalmenle fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
v,ela qual se ver os precos tal qual annunciarmos, o que sanio arrepender pessoa
guma que fizer sua despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.


JltWElCl
Manteiga i gleza peritamente flor che-
gada ltimamente de i.oooa l.loo rs. a li-
bra, e em barril ter abatimento.
Manteiga franceza da safra nova a 8Go rs.
a libra em barril ter abatimento.
BANHA
Banha refinada superior a 64o rs. e em
barril ter abatimento.
Cfll.i
Cha uxim de primeira e superior qualida-
de a 2,8oo rs.
dem hysssn o mellior neste genero a
2,6oo rs., e sendo em porco ter abatimen-
to, tambem ha proprio para negocio de 2 a
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de l,8oo a 2,000 rs. i
a libra.
Serveja
Superior serveja Bass dos melliores fa-
bricantes, como sc-jam: Shlers & Bell. T. F.
Asbe a 7,5oo e 7,ouo rs. a mzia e a 7oo rs.
a garrafa. Tambem ba de outras marcas
como seja: Victoria e Alcope a 5,ooo rs. a du-
zia e a 5oo rs. a garrafa.
Vinagre
Superior vinagre de L'.sboa a 2,000 rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ha
mais baixo para 2oo rs. a/garrafa e l,4oors.
a caada.
A zeite doce
Superior azeitc doce de Lisboa a 61o rs. a
garrafa e a 5,ooo rs. a caada.
Massas
Macarro e talaerim a 360 rs. a libra e a
m CUBE PEIMBI
Gregorio Paes do Amaral & Companhia.
Offerecem a todos os convidados, do explendido baile do Club Pernambucano o
seu bello e escolhido sorlimento de fazendas de phanlasia, chegadas pelo Gueme, que
consta das seguintes especialidades.
Vertidos Cesarlna.
Linda e nova fazenda de la-brilliant, transparente, com listas e flores de seda,
padroes do ultimo gosto.
. SEDAS
Em cortes padroes novos. escuros e claros.
Em pegas moireantique liso ondeado e lavrado.
dem estampado com listas e flores.
Tarlatana.
Rosta urna diminuta porcito de cortes de tarlatana branca, enfeitados caprichosa-
mente a cores. Todos os amadores de partidas e soirs, ho comprado para suas fami-
lias estes vestidos, j pelo diminuto preco, ja pelo bonito gosto.
EUFEITES
imperatriz Eugenia e a rainha Victoria que adaptam com muita elegancia
Jouvin & C.
Reseptia-se o nosso mercado da falta absoluta das verdadeiras luvas de Jouvin.
lemos a satisfacao de poder annuncia-las a nossos freguezes pelo preco de 3)5000 o par.
E grande a economa vista da flexibil dade e bom acabado, que Ibes d dupla
duracao sobre as falsificadas.
Trini 1 diversos ohjeetos
Proprios para o complemento dos enfeites de vestido como berthes, costageo,
suspensorios, etc., gostos os mais phantasticos em dentelle preto e branco, tafel etc.
Mandam-se amostras.
1'afirmas e pentes de tartaruga.
E a primeira vez que vem esla fazenda ao mercado. A pequea porco que res-
a convida as Exmas. senhoras a urna breve compra.
r r ,. CINTOS
Lom mellas de madreperola gravada-, tartaruga, metal, etc.
Chales de fll de cores.
Nova remessa, deste< chales e retondes a duas e mais cores em xadrez. Nada se
pode julgar do magnifico effeilo (lestes chales, sem experimentar; as pessoas que os de-
sejarem mandaremos amostras.
E urna infinUade de fazendas de gosto, como sejam:
Chales de fil preto e I0SOOO.
Os mais ricos vestidos para menino de 3 a 6 annos.
Colxas de croeg e pannos de labyrintho.
Tif branco e fil de seda.
Superiores baloes de clina, recommendaveis pela longa duracao e bom talbo.
Tudo a 1 s v

5
b
D
0 5
-

o
"^
10,000 rs. a caixa.
lez de di-! Passas
Superiores passas a 3,000 o quarto e
112,;ioo rs. a ca xa de arroba hespauhola e a



Biscoutos
Latas com superior biscouto in
versas marcas a t,2oo rs a lata.
Bolaehinhas
Latas com nolachinlns da acreditada fa-|5oors. a libra,
brica do heito Antonio, proprias para dar a I
doentes de 2,000 a 3,ooo rs. a lata. j GENEJBK JL
dem com quatro libras de bolachinha de' Genebra de laranja Verdadeira a Io,5oo a
soda a 2,ooo rs. a lata. i du/ia e 1,00o rs. ao franco.
OiiPiioQ Genebra de Hollante verdadeira a 6,000
UUOJjuo 'rs. afrasqueirae a 56brs. ofrasco.
Queqos flamengos cheg^dos no ultimo ldom de Hollanda ek botijas a ioo rs. ca- A .
vapor a 2,5oo rs., tambem ha do vapor pas- ,]a ums. |ae Doas
sado a 2,3oo rs. Garrafoes com 24 garrafas de genebra de!
CHOCOLATE Hollanda a S,ooo rs. d garr..fao. Tambem
Chocolate hespanhol a 1,000 e I,2oo rs. \n garrafoes com Sed'
a libra, francez e suisso a 1,ooo rs. a libra 6,000 rs. cada um.
VELAS
Velas de spermacete
dem de carnauba
arroba e de 36o a iio rs. a libra.
MZBB
DE
AZEVEDO FLORES
Ra da Cadeia do Recite, esquina da Madre de Deus.
das por iilaca-lo c a retalho. e um completo sor
por menos qae e
rrt
IRADA UIICAMEiTE POR
-* i.iXSAX k EEIP,
NOVA YOHK.
C>mposta de substancias, gozando das
I' >:i; lides eminentemente depurativas;
.<. i i.1 pelas juntase academias de me-
dicina; osadajnosprincipaes hospitaes.ci-
i iditates e da marinha nasAntilhase
n continente americano; receitada pelos
iltativosos mais distinctos do imperio do
Brasil e da America hespanhol
CURA RADICALMENTE
gftsftphulas, rhetimatismo, escorbuto, en-
les venreas emfercuriaes, cbagas
-. moiphea e todas as molestiaspro-
v i i.. lesd'um estado vicioso do sangue.
Em pianto existen varias imitaces e
icacSos. preciso a maior cautela para
Btar os engaos,
\ legitima salsa de Bristol vende-se por
CAORS & RARBOZA
J0A0 DA C. BRAVO & C.
Joao da C. 3ra vu & C.
(psito geral em Pernanirmco rna >
CroJ ti.42 em casa de Caros A Rarboza
R
:?:
fS
fl
a vn ra do.
Francez barrica ;ooo
fortlaod dem 8^500
Ros perfeito stado:
Franceriarrica tOJOOO
Pnrtland dem 12*000
No arioueo deXasm Irmosraes dn'A;r.t',
Vende-se non m i!iia de amarello a usada:
na raa etreifa do Rosario n. 17, aodor.
1 Bichas de Hamburgo
fe todus os pa(|uetes da Europa se recebe
destas amigas do sangue humano e se
vendem a troco de penco lucro s aBm
de ler sempre cousa nova : a loja de bar- J
beiro ra estrtita du Rosario n. 3, ao p ^
da igreja. j
colares Royer on colares
daos
para facilitar a denticiu das enancas e preserva-
la> das convulsoes.
O feliz resultado obtido iitmien^as vezes pela
prodigiosa forca mignetii-a dn< colares Royer, nos
casos de convulsSes, e denlirao das criascas, tem
altamente elevado o seu bem merecido prestigio,
ehoje j se pode riiier que esto geralmente con-
ceituados, e estimados de innumeraveis pais de
familias : de un- iiorque do uso dnsses salulares
colares viram salvus do perige seus charos fllhi-
nhos, e de outros porque colheram daquelles tao
proficuo exemplo para icualoienie preservar os
seus. Assim, pols, a aguia branca, tendo em vis-
tas a utilidade eproveil desdes prodigiosos cola-
res anodinos ou Royer, mand m vir o aovo sorti-
mento que agora receheu, c continuar a recbe-
los para que em tempoalgnrn a falla delles possa
ser funesta aospais de familia, os quaes ficaro
certos de os adiar constantemente na ra do Quei-
maao, loja d'aguia branca n. 8.
Veodem-se 'Iuh- eacravoa recoihidas, de ida-
de 23 a 21 annos, excellente conducta, engommam
perfeitameole e fazem todo o servigo de urna casa :
na travessa do Carino n. 1.
Vende-se um sitio em BrmGca a' margem do
rio Capiharibe, com bastante* commodos para urna
grande familia : tratase na ra Nova n. 24, das 9
doras as 4 da tarde.
Vendem-se quatro burras mulo mansas, boas
de carga e de seda, por prego cotnmodo : a tratar
1 no hotel de Franca.
e portuguez a 8u0 rs. a libra, em porco
ter abatimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Velho Secco, Lagrimas do
Douro. Maria Pia, D Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a I ,ooo a garra-
fa e 9.000 a l ooo rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3,ooo,
3,5oo e i.ooo rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 64o
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
ancaretas de 8 e 9 caadas a 24,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para rais-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,200 a
3,5oo a caada.
''aixas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa e
7oo rs. agarrafa.
CAFS
Caf do Rio de l.1 e 2,* qualidade de
6.800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
fc.tlIf
4 garrafas de 3,2oo a
a 64o rs. a libra,
ce lo a 12,ooo rs
ano- em caixo.
Peixe em latas j preparado de l,ooo a
l,2oo rs. a lata
ALPISTA E PAIN'CO
Alpista e painco muito novo de 3,800 a
4,000 rs. a arroba e de 14o e 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mais acreditados fabrican-
tes, como sejam: Joao Furtado da Serrias,
Manoel Peixoto da Silva Nelto, Castanho &
Filho e Brando e de outros mijitos, os
quaes vendemos pelomodjico preco de I.600,
2, 2,8oo, 3,5oo, 4,5oo, e 5,ooo rs. a caixa.
Licores
Licores francezes e porluguezes a l,ooo e
l,4oo rs. agarrafa ou franco.
Doees
Doce da casca da goiaba e caixoes pe-
queos a 7oo rs. e de 5o caixoes para cima
a 64o rs. o caixo.
Frutas
Frutas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pera, pecego, ameixa rainha Claudia, al
Sabo maca de primeira qualidade de 18o; perene e outras frutas aoi s. a lata.
a22ors. a libra e de 16o a 21o rs. sendo;Tambera ha latas grandes para l,2oo rs. a
Grande sortimento de taita
ment de milpa leita, dceasemira edeb'im, tudo
outra qualquer parte: quem duvilar vcuha >er.
CAICAS
de lindas e finissimas casemiras escuras e claras, de superior casemira preta de finos
brins brancos e bom brim pardo.
Paletos
de superiores casemiras escuras e claras, de fina alpaka branca, de superior alpaka pre-
ta e de brim pardo.
l'olletes
casemiras pretas e de cores e de lino Ir im branco.
CAMISAS
Superiores Cmisas francezas de 25 at ~>3.
Cero nas.
Ceroulas de superior bramante de lino linho.
u.'les.
Superiores baloes de arcos para meninas de 2 at 12 annos.
dem superiores para senhora.
Cravatas e maulas.
Superiores mantas para pescoco de hometn, as mais modernas do mercado.
.Uadapolo.
Madapolo bom a 83, 9#, 1# e I2.
Chapeos de sol.
Superiores chapeos de sol de seda bal iio a 103.
Fraques de casemira.
Fraques de casemiras, preta, escura e de cores claras, e nao havendo que sirva
ao fregnez manda-se fazer por medida e C'>m muita promptidao.
Todas estas fazendas por preces insignilicanlissimos, pois o Oto do Balo ad-
quirir freguezes.
LOJA DO BALAO
DE
AZEVEDO

lata.
10
Uvas pelo ultimo vapor.
Peras pelo ultimo vapor.
Mantas pelo ultimo vapor
Ameixas pelo nltimo vapor.
Passas pelo ultimo vapor.
Fwos pelo ultimo vapor.
Fru tas seccas pelo ultimo vapor.
Fructas em calda pelo ultimo vapor.
Nozcs pelo ultimo vapor.
Queijos londrinos pelo nltimo vapor.
Queijos flamengos frescos pelo ultimo vapor.
Presunto fiambre pelo ul.imo vapor.
Tudo se vende barato nt>8 seguintes armazens:
Ra do Imperador n. 40. Verdadelro Principal!
Ra do Queimado n 9, Uoio e Commerelo.
Largo do (armo n. 9, Progressivo.
ARJJIAZE.]?! DE FAZENDAS
DE
103000
CUSTODIO CARVALHO C.
27 RA DO QUEMADO Ff. 27
Madapolo francez muito fino, tendo pouco mofo, cada pega com 27 varas por

La de c res a 300 rs. o covado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a preco de 800 rs a vara.
Lencos brancos para algibeira a 23 00 a duzia.
Fin sperclaras a preco de 400, 440 a 560 rs. o covado.
Ricos co;tes de la de barra de 103 a so^ono.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.
^W&%
DE
DE
J. Y1GNES.
\. 55. Ull DO IMPERADOR V 55.
Os piaoosdesta amiga fabrica sao hoje ass* (Mohecido.* Dar que seja Decassaro insistir sobre a
iaa superioridade, vantuifpnse garantas que nff^rfcra aos compradores, qualnlades estas incontt-sta-
Teis que elles tem deUnilivament" couqnMado sohre todos os que tem appar<*cido nesta praca ; pos-
snindo um teclado e machinismo que ohedecem todas as vontads e caprichos das pianistas, sem
nanea falhar, por serem fabricados de proposito, e terse frito ltimamente melhoramentos importan-
tissimos para o clima deste palz ; quanto s vozes, sao melodiosas o flautadas, e por isso muito agrada-
eis aos ouvidos do apreciadores.
Fazcm-se conforme as encomrnendas, tanto nesta fabrica como na dn Sr. Blondel, de ParW, socio
iorresoondente de J. Vign^s, em cuja capital foram snmpro premiados em todas as eaposiedes.
No mesmo estabeleciraento se achara sempre um esplendido e variado sortiipento de msicas dos
melhores autores da Europa, assim como harmnicos pianos harmnico, sendo tudo vendido por
precos commodos e razoavels.


Diarlo de pernambnco Segunda leira 4 de Dezembro de !&.
A PUbCU
fllem o menor constran.
gimen to se entregar o
Importe do genere que
nao agradar.
ATTEIQAG
# prevea da seguinu
tabella para todo, p< -
tiendo aslm Hervir de ti-
e para o ajaste de coi f at
con os portadores:
ESTABELEOIDO A RA NOVA N. 60
fl'JSM i\ UiUlTM Di Sil* ^IM'J&Uia
AO
KESPEI'JMVEfj PUBLICO.
A. apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
ien da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento |de molhados,
que sendo em sua maxim i parte mandados vir directamente do estrangtiro"'podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro' e nico em seu genero, pde-se porm fliancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
L" Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3/ Sinceridade nos presos.
As pessoas que por sua psito social gozara de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condicSo do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte faro mensalmente urna economa de
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se Ihes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassuar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
aem ou nao querem vender.
Os sennores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, elo seu proprio inieresse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhors que compram para tornar a vender existe nm sortimento cial, escolhido por pessoa entendida que certameote muito deve agradar aos senhores
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DIMHEIRO A VISTA:
A Graixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
ALPISTA a 120 rs. a libra. urna,
dem e painco de oito libras para cima a K
100 rs. KIRSCH de Wasser a 20 a garrafa.
Arroz de 90 rs. a libra a........ I,
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra. LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Avellas a 2i0 rs. a libra. iLetria a 400 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os ta-1 n
manhos. j MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
dem idem em potes de todos os tamanhos. i qualidade a 1$, a libra,
dem idem em bocetas de todos os tama- Makmklada dos uiais acreditados fabricantes.
nhos. j Macahhao e talharim a 320 rs. a libra,
dem idem em frascos de todos os tama-, Massa de tomate a 600 rs. a lata.
nhos. IMostabda ingleza a 800 rs. o frasco.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs. Mome ingles de todas as qualdades.
a garrafa.
Alhos a 200 rs. o moho.
Absyntho a 2#009 a garrafa.
B
BOLACIIINHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a 15800 a lata, e
de cinco para cima a 15700.
dem de so la em litas grandes a 25000 e
de cinco para cima a 15S00.
Bsennos inglezes de todas as-qualidades a
15200, 15250 6 15300.
Bolo francez em caixinhas a 400 rs. cada
urna
Batatas inglezas.
Banha de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 600 rs. a libra.
dem suisso a 15 a libra.
dem de musgo a tjSGO a libra.
CintCRiCAs muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a*2tf> e 260 rs. a libra, e em porfao
se far abatunento.
dem de primeira qualidade a 75000 a ar-
roba.
Conservas em ff ascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charuto de grosella, orchaia, etc., etc.
Chicaras e pires a 15800 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'Havana, ExposicSb,
Flor do Brasd, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Uegalia, Mtssissipes,
Paneiellos. tprstyiveis, Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualdades e de todos os
precos, hysson, buxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 25000,
252*O, 25560 e25800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 25500, 35500, 45 e 55.
Cauces de lodos os tamanhos.
Cognac superior a 15 e 15500 rs. a garrafa.
Cigarros do Bio, pardos, a 80 rs. o mac<
de cinco macinos.
Marrasquino verdadeiro de Zara a
Massas Boas para sopa branca e amarella a
SO rs. a libra, em caixas com 9 libras a
35500.
Miluo painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
N
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Ostras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a 151-00, de
todas as qualdades, como sejam savel,
goras, corvina, pargo, salmo, pescado e
pescadioha, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparaco.
Palitos para denies a 120 rs. o mago muito
grande.
Passas em q-iarto a 15400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
41
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 80o rs. a libra.
QUARTl.NHAS OU ORINQUES a
n
RAPE* Meuron a 15 a libra.
dem Princesa do Bio a 15200 a libra.
dem francez a 25300 a libra.
m
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz aiatiraento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 225.
Sajuhnhas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o mago.
Sag muito novo a -IU0 rs.
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em laias a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
V
VINHOS!!!
I
DOCES de todas as qualdades: brasileiros,
portuguezes, inglezes, fraucezes, etc. etc.
E
EBVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
srvadoce a 400 rs. a libra.
Principe Alberto, de 1831, a 55000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Vellio secco a 25 a garrafa.
Lagrimas do Donro a 15500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 25 a garrafa.
Duque a 15 e 15500.
Chamisso a 15, 15200 e 15500 a garrafa.
. Luiz a 15 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 25 a gar-
rafa.
Carca velos a 15.
Colares a 900 rs. a garrafa; u' nico vi-
nbo que se pode beber por nao ter com-
posicao alguma.
S90 400 noo e 800 rs : Laoter,,t a 800 rs. a garrafa.
" Bordeaux Meduc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 1'5 a garrafa.
Absyntho a 25 a garrafa.
Kirsch a 25 a garrafa.
Wermoutb a 25, e a caixa a 185.
Bitter Maurer a 15 a garrafa,
Vinho figueira em ancoreta a 205.
FAHINHA SSS de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a
Figos de comadre a rs. a libra.
Feuo verde em latas a 600 rs.
FAVAsem latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs a libra,
dem americano em latas a 15-500
Farello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualdades, de to-, dem Figueira e Lisboa em pipa a 25300 a
dos os tamanhos e de todos os precos. caada.
ATT BMC A O
Vendp-se as otarias de Jo Carneiroda Conha'
em frente ao hospital Pedro II, e na roa dos Pra-
zeres n. 38, leiha superi de barro de agua dore a
30* o milneiro, alveuaria batida a 30#, e ladnlho
a 16*060.
Pennas de a$o.
Vendem-se superiores peonas de ago, bico de
langa, pelo diminuto prec/> de 330 rs. a groza : na
ra do Queimado o. 40, loja de fazendas.
Cambraias.
Parede Porto vende eambraias lisas Anas, frau-
de s..rti.nenio, a 35 al 64. dita Victoria muito
finas, nnm 10 aras a 64, 63o1 i e 74 : na ra da
iroperatriz o. 52, junto a padaria fanceza.
Chcigoem aos enrpiohos d cambraia
Vendem-se enrptoh de can hraia enm ntre-
melos a 44 e 54, esto la acahaudo : na luja de
Paredes Porto, ra da Imderalnz n, 52, poria lar-
ga, jua.u a padaria franceza.
RIV1L
Kua do ueisnuto us. 49 e i.
Contlua a vender lodas as miuuczas declara por presos admiraveiz.
Massos de palitos lixados para denles a 100 rs.
Espeilios deoioiuura* acuradas a JOO, iit e iU.rs.
Buuels de oliado para idvddos a l|W)0.
Ditos dr touro superior lazenaa a i,,V. ;i.
Frasco com suptrior Una rocha a 240 rs.
Meiadas de hDlia Iroxa jaia bordid'j <. -0 e 60
Caixas com 100 envelopesjazenda di a a 608 rs.
Grozas de pennas deago, (axenoa i penoi SOOrs.
Grozas de botes niaarepen-ia liccs a
| e 640 rs.
Caixas com SO novellos de linl a di t*f a 70 r.
Caixas com superares obrtia^ Ce ci i KOrs.
| Pecas de fita branca tlasltra c( di i1 \ zW) rs.
Varas de franja de la jara enleilca oe v, .,,os a
4o rs.
Baralhos douradrs superiores i; :.u rs.
i Kovellos de linlia enm 400 jaroas; M i-
iLiuos para assentos de rcupa lav:da a KOrs.
; Pares Ue botoes para punlio, (a?eiic i. ;,., 120 rs.
iTesouras para costuras soperieres quahdadesa
400 e i>.
Caixas de peonas de calligrait.ia, fanuaLoaa
11000.
M.-ssos rom sureriores grampos a 30 rs.
Pares de sapato.- de trasea etapel a o,u
nvida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvda me darlo a nrotecc'oVnKrpf^^U;r^T,er P,ixas T?i.m'H*fn*t*n: --" '
rra dos eneros que precisara a e quan-lo nao possam vir poderao mandar seus portadores, anda' qe estestJfftSSl SSS ^ Z?S&*g .%
PoisserSo to bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, afim de quen5ov5opm Rod,nha> -omaifL.te frs.ncize.- d.uu tuperietM
tr? parte.
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passaado areo da Concefc&o)
PARA BEM DE TODOS;
Senbore* "nhoras, o aceio qne presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que todo a DromotidiSn a --
ezacom que serSo tratid^0 n'iAn """' :o:" n "o-," -1 *""lA--------*-
Manteiga ingleza especialcente esetIluda a
l,ooo e 8oo rs. a libra e em Larri se taz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a 1,6oo rs.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a ,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Aletra, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ou amarella a 64o rs. a libra e
3,5oo a caisa^pm 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de 9 caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, ioo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3.000 e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
a 20 rs.
al rofi, i p Resmas do papel almajo a #400 i S800 rs.
sai reunaao em Irascos de vidrocom lampa Bw*aa para roopa, rabuda loa a 7S0 e i.
do mesmo, a 5oo rs. Duzas de leaooias com loque e* errugtma
^TSnsmn m,arcas ?ais acrediiadas' "*-*f ^ *"'<* *i"
que vem ao mercado, a 5oo, 56o e 64o Talbetes muito fino para rriauca
* garraia, e 5,8oo, 6,ooo e 6,5oo a du- Puiseiras para Boeninac a :m< rs
Zia. Ditas e voltas para senhera a WL.
Cevadinha de Franca muito nova a nors ^af('osde Agua Florida mdadeirs a l!PO.
do
to a 32000.
a 240 rs.
mo.
p, ""* munuuuya, a zuuis. Kra'cos ro
Charutos do aflamado fabricante Jos Furta- dem de superior oleo t.abosa a &0 .s.
LDgoicas muito novas a 8oo rs.a libra e em. Vinho do Porto das melhores marcas que
a 4,000, 4,5oo, 5,000, Grvalas de cores, fornida suier< r, a 5(.0 rs.
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra,
dem prato a 8oo rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezasj preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24o rs.,e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez-hespanhol e suisso a 9oo,
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Kainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,ooo e 1 o,ooo a caixa com 1 duzia e9oo,
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a I
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualdades a l,3oors.
Cartes com bolo francezmuito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a ibra.
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em n eias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
cubas de Havana, intervallos. Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac ingle/ das mtlbores marcas, a 800e
l,2oo a garrafa.
Doce da cafca de goiaba a 2,000 a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Malte,excellente oh para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
l.oooel,2oo rs. a libra.
Espermacete superior a 600 e 64o rs. a li- Milo de amendoas a 5oo rs.
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualdades de pei-
xe a 800, l,ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
I Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinhode Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,000 a arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinba Alberto, as melhores que pre-
sentemenletem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranbo muito alva e cherosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualdades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
Bolachinha d agua e sal, da fabrica deJooj versos tamanhos, muito proprias para
de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li- mimo, a 1,60o, 2,600 e 3,5oo cada urna,
hras por2,5oo rs. Ruibos, excellente peixe portugnez, em
Ameixas francesas em Tasco de vidro com, barris pequeos ou a retalho, a vista se
lampa do mesmo, a 15500. far o proco,
das que vem ao nosso mercarlo a 7,ooo e Ameixas franc zas em caixinhas de diversos Azeitonas de Rivasera ancoretas grandes de
8,000 a caixa e 64o e 7oo res agar-' tamanhos com bonitas estn pas na ca- 8 garrafas por 600 e 800 rs. a garrafa
rafa. xa exterior, a l,4o<>, l,6oo, l,8ooe 2,ooo Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
Genebra de Hollanda a 48o rs.a botija de cada una. 1,50o cada urna ancoreta.
coma certa. Azeite doce refinado hespanholouportuguez Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,000 e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Frasqueirasde aenebra de Hollanda a 6,800 a floo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa.
e H4o rs. o frasco. I Batatas muito novas a 80 rs. a libra e2,5oo
Genebra de laranja verdadeira era frascos | o ggo com 36 libra-.
randes a 1,000 ell,000rs. a frasqueira. Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
Caf do Bio de 1* qnalidade a 28o rs. a li-' 8.5oo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras de escova para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li-! 4oo rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranhao de Ia qualidade a loojMolho inglz em garrafa de vdro com rolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba, do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza los melhores fabricantes,
arroba. a 800 rs. o frasco,
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,ioo a ar-1 Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. ioo rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra ei,oooa|Lentlhas francezas, excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesde superior qnalidade a 6 io Marrasquino de Zara propiamente dito a
rs. a lata de urna
Iho.
libra e56o rs. a rota-
Id a garrafa c
Palitos de ilente
1 i .noo a duzia.
14o rs. o maco.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figosemsextinhas a 80 rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas enm fruclas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28n rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2.000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,800 rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs.
garrafa.
Papei de apulhas, fundo dourario. a 80.
PEE-SE TODA
nc
Liqoidacao do fazei ;

s
Custodio Jos Alvos Guiniarars o Maooel M>.otei-
ro da t.'unha participa ao respeilavc rol ui> o acs
seus freguezes e amigos, qne leuda arreiratedo a
loja de fazendas da ra rio Quein ado delroaie do
boceo do Peixe Frito n. o, e ci djo pretenden f^zer
obras na mesma, esiao resolvdrs a renr'er tedas
as fazendas por presos baratissirii<<., ijue a vista
dos frepuezes se far todo o negocio: islo na
ra do Queimado n. 5.
L--!L-!_1L- "" .... ._.IJi.
sscuros ruuws.
iiiillr. (io de '%.
Ausentcii.se da casa n. i'J da ra do Imperaor
(outr'ora Cuilegio) no sabbado 16 do cerrente aiei
de setembrode 1865,0 escravopardo derume Jua-
quim, com os signaos seguintes : estatura regular,
idate 18 a anuos, sem barba, ps largos, clhos
grandes, cabello corrido, coro urna ricsUl! giande
e bem vi-ivol ra testa, parto des amet da frenle
arruinados, e com falta do algn* i'i lado?, sahio
com calca de brim pardo o p.ilelol < urlo ce panno,
mas levou mais roupa branca o de .r, muito
astucioso, cosic.n a Intitular-se forro e andar cal-
cario ; f- i escravo do Sr. Guilhi rn e Frederiro de
Soaia Carvaiho, genro (o Hniio Sr n mn eudador
Main>el Goricalvos da Silva : icgn-.-o .-na capluia
a todas as auloidados policiaes a i nal.|ier ca-
pitio de fan.po ou outia i e>.-o;- iaiiinar que o
api itlnnjer se gratificar rom ;<-,*, alm das des*
jiezas de conduegao, entregando-1 a seo senbor
Miguel Jos Alvos, na casa cima, oa no stu es-
criplorin na ro da Cruz caa n. 19.
as rt 03 a
5 K '5 o- -
H4GH1N4S HEP4TEN'!
Se (rabaEhar a aro ft
irs s;
s S
3
II-3 li i:|is
"> g 3" 2.
"2 "i 2 8
S "S
LTBi
i-2s
a
SS.S
O ti *
en o
a.
3
!
B

s
2.
rao
>do
ii
S g
y S O O- e
09
Tasso Irmaos
Ven de ni no seo armazem roa do
Amoi-im o. 35,
Licor fino CaracAo em botijas e meias botijas.
Licores finos sortidos em garrafas com rolbas d
vidro e em lindos frascos.
ViuhosCberes.
Santernes.
Chaiubertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscaiei.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Too.
PAerei lagniol.
(rabaEhar a
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C
DLDAI
Kstas machina:
podem descarocar
^qaalqaer especit
5, de algodao tan
j estragar o fio.
"" seado bastanu
duas pessoas para
o irabalho; pode
descarocar urna
arroba de algo-
dio em earoco
em 40 minutos,
ou 18 arrobas,
por dia on 8 ar-
robas de algodc
limpo. \
Framcisco Jos Germano
RA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de orillos, lunetos, binculos, do ul-
timo emais apurado gesto da Europa e ocu-
los de alcance para observacoes e para os
martimos.
No armazem. de lazendas
baratas de Santos Coelho
Ra do Que imado u. 19.
VeDde-se o seguinte :
Cobertas de chita fina a 25800.
Ditas de dita a :'5 no.
Assim como machinas para serem movidas por Lene.* es de panuo de iinho a ifiOO.
animaes, que descarocam 18 arrobas de algodc """'" ^e ll|l(l ,le 'mno a -*>
limpo, por dia; e motores para mover urna, duas i Ditos de bramante de linho de um so panno
entras dessas machinas. 1330O.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-1 Panno de linho fino com 9 1|2 palmes de largu-
por que pode fazer mover seis destas machinas I ra t*' barato preco de 2140O a vara,
mencionadas; para o que convida-se.aos Srs.' Bramante de linho fino coro 10 palmos de lar-
agricultores a virem ver e examma-lo, no arma- Bura a 23o00 a vara,
xem de algodao, no largo da ponte nova b.47.
Sauuders Brothers k C.
N. II, prava do Corpo Santo
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
Desappareceu orn viageni liin m-l-nce dey
oome Agnslioo, idade, ponro mal i:i ajenos, m
annos. ctm os signaes seguintes : baizo do corpo,
bastante preto, nariz chato, belfos grosso, e sobra
urna das si brancelhas uina rostora de lalko, fot
vestido de calca e camisa de algodao brinco, e
chapeo de couro : quem o pegar entregar/ tm
Carnar, ao abaixo assignado, nesta Cidade DI b ja
do fazond; s na ra do Livramento n. 14, e recel-e-
ra' a graliticacao de V&. Recito 30 de r.t v. mhro
de i865. J-s Victoriano deVasconc los Liberal.
Fugiu un da 2'J do crrente o escravo de
nome Benedicto, do afio, de idade lie O a 36'
ann'rs, alto, secco, cor bi-m |int3 le lu us i s pa-
ihetodos, tem osdent' d; fronte lim>dos, em
cada cotuvello um caro;o, levou ve^ud ivljae
caniisa de algodaozmho brando, i leo "113 io do
mareineiro : roga-se a apprehensao do oito escra-
vo, e levar a ra estrella do Rosari ;.. ".'. atma-
zem. que ser recon;pensado.
Escravtt fgido
Ausentca-s da casa de seu senhor um iiretn de
nacao por neme Manoel, representa irr 40 ai.nos,
poucu mais ou m<-nos, cor fula, altura regular, a
lem seis dedos em cada mo : quem o p-gar le-
ve-o a ra do Trapiche n. 36, segundo andar, ou
na ra do Prrm n. 70, armazem, qne sera' lira
recompensado.
.\'u oia 20 de >eiembio i roxio u i as; ario fu-
gio do engenhb Terra-prea, do^bi'ixo as-ignadOj o
escravo Juio, crionlo, de altura regular, groaste
de 30annos de idade. pnira barba, li ID os | s bm
fetos e | ornas, limito fallante, ai so faz n uco,
lem o dedo pulegar de urna mo cal Ido para dea-
tro, nda nm urna carta fichada-. d<> tlenle coro-
nel Amaro Gomes da Conha, apadiin! aiidi o, nun-
ca foi surradn este escravo, fui ha n Dito o n prado.
a Pocha Lima o GoiDiaiaes : qutm o repar leve 00
mesmo engenbo ou no Recife a' ra da Roda a*
Alexandre Correia da C. Jnior, que sera htm re-
compensado.
Alexandre Correia de Castro.
O castello de Grasville.
Traduzide do franrez per A. J. C. da Crii.
Vende-se este bello romance em quati
tomos pelo baratissimo preco de 3(MX
aa praca da Independencia, livraria ns
Sel
Vende-se um sobrado de dous andaras no
i airrod Sanro Antonio, o qual rende para mais
d 1:2004. eurna casa terrea no b'irro da Boa-'
I1IJU k.
nm cabriole! americano de quatro rodas para duas
pessoas, um outro para quatro pessoas, ambos
com arreios, novos e elegantes, por preco coturno-
do : na ra da Ponte Velha n. 8.
Vende-se um cyliodro, urna masseira, orna
balanca grande e urna dita peqnena, com todos os
pesos e mais (liencillos de padaria : a tratar na
ra Direita n. 24.
hom e barato
Manteiga ingleza flor a 14 a libra, franceza a
840, arroz do Maranhao a IOO rs., painco a 120,
ameBdoas a 24", Caf do Rio bom a 240, vinho da
Kigueira a 400 rs. a garrafa, a 34 a caada, Lis-
boa a 3t0 a garrafa, e 2fi a 600 rs. a irarrafa, vinaere de Lisboa a 200 rs. a
garrafa, e 14500 a caada, queijos do ulimo vapor
a 2300 : na ra das Crnzes n. 24, esquiua da
travessa do Ouvidor.
Vndese urna escrava cnoula, com urna cria
de um mez, com abundante leite, perfeila engom-
e de
para
Petas de cambraia com salpicos brancos
cores rom 8 1|2 varas a 44500.
Pecas de cambraia adamascada propria
cortinado de cama cora 20 varas a 114.
Balees da arres a 24500,34, 34500 e 44.
Lengos de cambraia tina a 2$60O a duzia.
Ditos de dita a 24 a duzia.
Atboalhado de linho fino a 24800 a vara,
Dito de algodo a 24 a ara.
Algodo entestado com 7 1|2 palmos de largura
a 14200 a vara.
Pec*s de breanha de rolo cem 10 varas propria
para sa,a a 34500.
Fil de linho liso fino a 800 rs. a vara.
Dito de dito com salpicos a 14 a vara.
Cambraia de lintio fina a 44500, 64500 e 94>
vara.
Cortes de laazinha de lindos gostos com 15 co-
vadosa 54-
Pecas de madapolo finissimo pelo baratissimo
prego de 84, 94,104 e 114-
Flanella branca fina a 600 rs.o cavado.
Dita de cores lina a 880 rs. o eovado.
Fugio ou da 4 du currenie um rnoleque de
nome Cosme, de idade 13 annos, cor bem prrta,
rabeca comprida, magro e bem regrisia : quem o
pepar o poder levar a Sanio Amaro, junio a ta-
bprna do Sr. Antonio do Reg, que se graliBcart
generosamente.
Escravo fgido
Fugio do poder do abaixo assiguado o seo escra-
vo Amaro, crionlo, cor avermelhaiia, altura rega-
lar, e de idade, pouco mais ou monos, ,10 annos,
costuma andar bem vestido de camisa de (lela de
cor e chapeo de chile, tem o beifo superior bastan-
te grosso f dobrado : roga-se a appre ensao de
dito escravo e sua captura quesera generosamente
recompensado.
Escravo fgido
Fugio no dia 27 do correte mez pelas 8 horas
da nuite, o escravo Isidro, cabra de estaiora regu-
lar, cheio do corpo, representando ter 25 annos de
idade, tendo no pescoco, que curto e grosso, l
cesuras anda novas, provenientes do bixs, e bem
assim urna cicatriz em nm dos lados, levava ^v.-ii-
da caiga e camisa de algodo azul e un hom t de
palla. Este escravo foi comprado no da 6 du cr-
rente mez a a Luiz Vairarer da R' cha Pilla, proca-
radur bastante de Manoel da Silva Borges, mora-
dor em S. Jos de Santa Anca (provinei do Rio-
Grande do Nort-v. d'onde natural, e fiara onde
supp5e-se ter ido. Pede-se s autoridades \ liciaes
e capites de campo a sua apprehensao. Qu>mo
apprehender e levar a la do Pilar n. 118, relio.
gao, ou ao abaixo assignado sera rerompensada
Luiz Antonio Goncaiv> s Penna.
Visti -. a tratar com agente Olympi em sea arma-] ma ieira, lavaijetra e quitaodeira ojuem prettn-
zem ua roa da Cadeia do Recife n. 34. der annoncie.
J
Attenvao.
Pede-se a tolas as autoridades policiaes ou %
quero qner que o encuntre aprehendam o preta
i e-eravii Simia., que se aclis (ututo desde o dia
. 27 do passado, sendo os sens ignaes os seguinus:
I estatura regular, magra, cabellos encarapinhados
Baldes de musselina para menina a 34, 34500 e curtos, falta de denles na frente, e alguma cusa
e 44- gago, C'.-iumando usar jaquela parda e rhapo de
Cambraia de forro a 34 a peca. i fellro. Es>e preto estove por muito ten po aluga-
Dita fina a 44500,64 e 7a a peca. rio no armazem rnmmerctal dos Srs. Dero'ker <&
Guardanapos de linho a .'<4S00 a duzia. Barroso, a ra da Cruz n. 62, ha desconbaocas df
Toalbas de algodo felpudas duzia a 124- que dito escravo se tenha refugiado pia a colada
Esleir da India propria para forro de sala de de Olinda ou Afogados: pr desta-se contra quem
4,5 e 6 palmos de largura per menos preco do hoover acoutado dito esrravo, a p>-ssoa oue 9
que em ontra qualquer parle. aprehender leve o ra da Cadeia cata n. 3 ou a
Neste armazem tamhem se encontra um grande rasa de detengo, dando disso aviso u'aquella pr-
sortimento de roupa feila e por medida. Imeiracasa.


-i_
1



9
Diario de Pcrnarabnoo Spaosla felra 4 de Dezembro de f **
LlTfEUM.
TBEATRO DA GUERRA.
O Corroe Mercantil escreve o seguite sobre
OS COSTOS, HBIS M1I.1TAUES E DESPOTISMO DE
L-PEZ.
pelo exercilo vencedor em Y!ay, e na Uruguayain-
Purera parece que os operarios do arsenal empre-
garase especialmente na fuodigao de pegas de arli-
Iharla.
Como sabido, ha em Assumpgao um acam-
pamento, que dorainam o hospital. E' elle destina-
do especialmente aos recratas, que m mlam para
ahi fazer ex.-rcicio. Huje poder' ter 3,300 h mens
A Bjenos-Ayres chegou recentera ate, de regres- que se destiuam a guarnigo da eaplul. Sobre a
a-> un Paraguay, e depois de seis metes de demora qualidade dessas tropas bastara' repetir que no hos
ni Asumpcao e era Uumayl, um viajaul ilalia pital ha smente recrutas.
Bu,humera de tolelligeocia e crteru,-efundo a t O acampamento do C-rro-Leao esta' Impo de
idade que Ule leconhece a imprensa argrn gente. Todas as torgas que oceupavara sahiram ha
lempo em varias direeg s, de forma que hoje nao
lia all um nico soldado.
Tornera nota desta circumstancia os que pen-
sara que no Paraguay existe anda um exercilo que
uem o de Xerxes, destinado a formar a reserva e
a supprir as faltas que o de operag>)s tenha sof-
trido.
< Quasi todos os dias sahiam tropas de Assump-
gao mas estes movimenlos praticavam se sempre
de noite, por forma que nao se podia saber ao cer-
to 0 que ellas faziara.
c Essas continuas saliid i- de soldados, que na i
se sabe para onde vo, era onde apparacem no nu-
mero que de"iam ter, da' lugar a pensar que L-
pez talvez fara' cora files o que se faz cora os com-
parsas no Ihealro, isto sahem por um lado e lor-
nam a entrar por o:itro, para tornar a sahir e de
novo a entrar, simulando assim grandes exereitos
cora niela duzia de horaens.
o C mtirma-se que no Paraguay Lpez tinha tor-
nadu popular um plano de operares, grandioso
por cei io: consista era apossar-se da repblica Ar-
gentina, em seguida do Estado-Oriental, logo do
Brasii e era Tira da Europa I
t Lpez capaz de crer que p le conquistar o
mundo, e o povo acredla-o tito positivamente, que
apenas um paraguayo, sabendo que o Sr. Seraflno
era italiano, e dando como infallivel a conquista da
Italia, perguntava se bavia estrada de ferro do
Brasil at la I
i.
Fui'necea elle a un dos principara jornaes de
Bu iuos Ayres dados muitos iuleressantes sobre o
qu ua sua peregrinago tinha observado, e as
BoS j, ressamas a fazer Uelles um extracto.
Comecaremos copiaudo da Nucion Argentina o
ule :
< No Ultimo domiugo ebegou a Buenos-Ayres a
escuna cuta baudeira italiaua, que uuha subido o
P^iana at lluiayt, rebocada pela cauhoneira
VctuCC Ct ni u menlo de Irazer os subditos italianus
t as familias, que quizesseiu saln do leinioriu oc-
CU| ido petos Paraguayos.
c Entre os passageinx dessa escuna acha-se o
Sr. -eijno, que tinha ido al a Assumpgao em
c a, n.liid do Sr. Tiuanza.
O ar. Seratiuo, cuja inielligencia, circumspec-
{ao e boa f sao notorias, coinmunica nos os mais
iui ressaules d> laliies sobre o que observou na sua
viajje i ; e, acreditando us que nao pode deixar
de le importancia para o publico o cuuiiecnneuio
u que aejuieee no territorio iuimigo, cora o qual
alias tus adiamos em incommunieago quasi ab-o
lula, a>i .-.-..uno-nos a recopilar essas dados, para
Os inuef au cuuheciincnto de aossos leitores, asse-
(eraudo-lbes que pudem couliar na veracidade da
p ssOa que os leui oruecido.
t U vapor Salto, a cujo bordo ia o Sr. Serafl-
no, Cbegou a capital do Paraguay no da 2'J de
mareo.
t Diversas opinies circulavam sobre a sorte
Vsae navio, acreduando-se anual que linlia sido
einbirgaJu pelo presidente Lpez.
c facto o capito Mesa, que faza as vezes de
ali iiralo, e taliecea ba poucu das fendas que re-
i a u / combate de Riachuelo, fui a burdu do
Sal no da 18 de nuio, tomou posse delle em uo
ui; J. governu paraguayo e igou a bandeira dessa
lepuul ca.
> luda a tripolaco e os passageiros desceram
tinmeJiatamenie a ierra, tendo deixado a bordo di-
veisjs objecios da sua bagagem, era eonsequeuea
da pressa cun que se Ibes fez cumplir a orden) de
desembarque. >
Em seguida a Nacin comega a narragao do q'e
O Sr. Seaiiuo leve occasio de observar, e nos o
ae impaubaremos, principiando por alguns costu-
nie religiosos e sociaei, que do cabal idi do im-
m-nsu atrazo em que se acha o misero povo Para-
guayo.
Diz assim a narragao :
s As tosas da s-mana santa realizavam se na
Assuinpe-j cun a maior pompa possivel, e dize
mospossivelporque essas festas lnnitavam-se a
Cullocar na praga ama efli ni do Chritto, em frente
da qual bavia una especie de ealradu, serarlhaudu
pulpito, onde um plegador diriga a palavra ao po-
vo al reunido.
c lltvia ui sermio algurna cirenmstancia digna
d reparo.
.jepois da exposico e perorago do cnstume, o
prega lor del, rmmava a ceremonia, cujo eff-ito fura
de aniemo executado.
< Ordenava com voz solemne que tirassem o
Llni-to a corda de espinhos. Peito isto, mandava
que ilie lirassein o- cravo*, e enili u que o baixas-
s -m da cruz, figurando assim a scena do descend-
Ul'lllO.
E-ta- cer-monias erara execatadas no mel da
gritara das mulheres, que as acompauhavam em
escala oniforme e crescente.
Supprimimos por brevtdade alguns detalhes, mas
daremos nuda os segninles :
u A funecu religiosa deyia ser de perto seguida
por uuiia que fuimava com ella um singular con-
Irasle Au prauto ia sneceder o riso, as oracSes o
esii'iido ua urga.
Pe-tejava se o da de S. Francisco Solano.
A parlep mcipal da festa era a famosa galopa
ou antes gaiope, dansada ua praga publica por or-
il' ni a* aulondade I
A lal galopa urna verdadeira bachanal em
que o> dausanies se entregara aos mais torpes ex
CcSsO
t As muLe-res reparlem-se no Paraguay emtres
Citbego'ias. aaristocraciaos peint-s dourados
e as china-. Os Detules douradus sao o deini-
monde, as demi-vertus da corte de Solano Lj-
pez.
i A galopa nao outra cousa mais do que urna
tilii.ia vi rtigiitosaem que os pares vo succeden
d i s mi- aos outros, a' medida que os priraeirus
ncaui prostrados de fadigas.
t lirpuis reliram-se aos sitios prximos, onde
t-in lugar as scenas mais vergonhosas, que nin-
gtieiii pensa estorvar.
O dos velnos foi outro costume que chamou
a aitencao do.- viajantes.
O vlorios, que s.io praticados era todo o Para-
gu->, it i lugar a episodios muno curiosos.
O moiio col locado em itm quailo principal da
ra-a tu rawho, esta' cercado de velas. Todos os
pareuies e amigos vao Ihe fazer urna visita; po-
r'ii, talvez para Combater a tristeza, a conversa-
ba i a:iiiua -e lojjo, os pares pom-se de p, e co-
iii-ga uma dansa, cujo fim o mesmo que o da ga-
lopa.
Aq vi a -cena converte-se sempre em nma ver-
dadera or^ia e os concurrentes fazem gala de se
di vertir.n com historias escandalosas para se ale-
arar o ri.-fwtn. Quanlomais indecorosa aphra-
se de que u^iti, e mais torpe o facto referido, me-
lhr o xito do narrador.
Quasi tatos os ranchas (cabants) lem ama cruz
n.> suas vpinhangas; provra Isto de que pouca*
Tetes morro alguera na sua cama. Quando am
diente e.-ta' em agonia liram-o para fra, atJm de
que morra ao ar livre e no Ingar em que espirara
ti'.-ni urna cruz para memoria I
i L 'gii que aigum passageiro chega a assnmp
Cao interrogado minuciosamente pela polica,
iu.v-tigam Cum prolixidale sens antecedentes eon-
|eeiu de sua viagem, e terminara fazendo-lbes mui-
las preveuges.
Os malsins da polica pergontavara aos viajantes
q i Ih^s ptreci ira os macacos, e se erara am % os
d-Hes; rtcpols pnxanlo pelas facas faziam o slpnal
de as pas-ar pelo pescogo, dlzeudo .assim vamos
fu er ans macucos.
Asse'erevam que iam vencer seas Iniraigos, e
q >e se ne n esien uvessem boos oarios, haviam de
o- lomar a aboxlagem. Mesta mesraa cruoga esta
Va riiibebido todo o Paraguay
E <, porra a parte da narrago que mais pode
lal res-ar no imperio, pos trata dos melos milita
r s de que Solano Lpez dispde, e eom os quas
sera Iiivi.Ij papera afTrontar o p-der daallianga
que Ihe bate s portas.
Em materia de elementos militare?, apenas ha
a nntar-ae em Assumpglo o arsenal de guerra.
Ah trahalna toda a carroaria (talabartera) para-
guaya, cujas amostras furam offerecidas ao publico
t A proposito de estrada de ferr cabe aqu dizer
que a do Paraguay tem 17 lega*-, c ntadas da As-
sumpgio Paraguary. E' cerlo porra que ha
dnas vugens por semana.
Sobre Huoiiyta es os dados fornecidos pelo
viajante Italiano, e verse-ha que elles rectificara as
discnpgoes muito hyperbolicas, que at agora tem
circulado.
a Hnmayl nao uma fortaleza. E' uma ex-
tensa colina (loma ) coroada de pegas de artilbaria.
a descoberto, em uma extensao de meia legua. As
pegas que ah existen) anlara por duzentas e tan-
tas, de diversos calibres, sendo o maior numero pe.
quenas.
Os navios lera de passar tiro d rewolver
dessa extensa batera, por que o canal navegavel
approxma-se muito da cosa.
Entre essas baleras uma s de pegas de grosso
calibre, est casamatada. Por n essa raesma cons
truegao nao de aboboda, e sint de frgil vigamen-
to (lirantillo ) coberta de tyjollo, de modo que uma
bomba ou dous ou tres tiros de pega dariam coota
della, por que cora muita facilidade fariam vir
baix i o teclo.
i As bateras de Humayt ptdera ser bombar-
deadas desde o Chaco, margem opposta do rio, com
pegas de maior alcance, e mesmo do rio, fra da
distancia da artilbaria que as guarnece.
A defeza de Humayta pelo lado de trra con-
siste em uma (brtifleacau de ngulos salientes, que
pode le uma legua de extensao em toda a sua
curva. E-l circula 1a de um fosso com 15 varas
de profundidade sobre 8 de largura.
Nao p. deriain essas bateras resistir a am ata
que bera dirigido pelo lado de ierra.
Lpez chegou a Humayt no da 8 de junho,
precisamente as 8 horas da noite, era que o sino
toca va s almas. Se Lipez fosse romano, bem
pjdena ver oessa circumstancia um agouro fu-
nesto.
Quairr/dias depois e qual se agouro prinei-
piasse logo a realisar se ehegavara a Humayta'
completamente desmantelados os navios que ba
viam conseguido escapar do combate de II de ju-
nho.
Logo aps a chegada desses vasos, euviram-se
a bordo qnalro descargas.
t Erara quatro ariilheiros espingardeados. De
tres ignorava-se o motivo : do quarto foi por ler
felo fugo cun outra pega que a sua, quaodo esta
se achou inulilisada.
Eo HumiyU' foi festejada a victoria do dia
II ; eaiada fez se mais ; para que em Assumpgao
nao se verilleasse o descalabro dos navios, pinta-
ram-os por fra, e assim os fizeram seguir para a
capital, que, setn duvida, seria lograda.
0 Taquary no entan o leve de encalhar na
praia.
c O Paraguary investio tres vezes para poder
siiini o ponto era que esto collocadas as corren-
tes.
Segundo os dadus culhidos, Lipes nao lem mais
esquadra.
O r. Seraflno assegura que, se nao hi a'guns
vasos, invisiveis por encantamento, ou a menos de
exisurem em Corumba', o que 6 crivet, por cons-
tar que este poni fui recobrado pelos brasileiros,
a esquadra paraguaya nao ten n>vius era em nu-
mero iiera na qualidade, que a alarma Ibes lem at-
ribuido.
Reduzem-se hoje aosseguiotes :
O 25 de Uuio.
O Guatcguay.
O Taquary.
O Pirnpeb.
O uurey.
O Parngutry.
Talvez mais algum.eujo nome se nao recorda.
Os mesmos que ticam uoraeados nao sao navios
de guerra.
O Gualeguay nao passa de um lanchao grande.
Os outros esto completamente destn>gtdo.s; e bas
tara' d zer que os considerados melhores hoje sao
o Igurey e o 2o argentina, cujo casco e cal lena tem ha multo
lempo os ps para a cova, segundo a Nacin se
exprime.
Tomando a fallar do Humayi.', e do que por la.
acontece, deu o Sr. Seraliuo as infurmagoes segura'
les :
Nao ba em Humayta' mais de 3,000 a 4,000 lio-
mens, isto mesmo elevando muito o calculo.
Dd facto, o viajante a quem nos referimos confe-
sa nao ter podido chegar ao acampamento das for
gas por ser isso protnoido, mas tambem diz que
nao vio se nao urna forga corao de l oraeoscarnea
nem havendo alti grandes qaarteis, ou quebradas
onde pudessem occultar se, nao haviajeomo tornar-
se invisivel ura exercilo de 8,000 a 10,000 bomens
como se tem as-ever i-io que la' existe.
Tamhem nao ha em Humayta' deposito de vive-
res ou de mumedes; e s nente agora esto cons-
trualo uma casa para a plvora, pois toda que pre-
cisavara vinha de Assumpgao.
Como sabido, Lpez nao permute o matrimo
nio, sem liceng.a t-speciat dada por elle mesmo ; e
tendo dissolvnlo no Paraguay os lagos de familia,
remelle ao H tmayta, como aos mais campos mili-
tares carregamentos de mnlhrres (I)
E' por de mais dizer que uo se trata das fami-
lias dos soldados.
Depois de certo terapo o c carregamento re-
tirado, e substituido por outro.De resto as a mer-
caduras que os formam, sao de nfima quali-
dade.
Era Humayta' morre muita gente de fome, e de
peste -, os soldados tem de rago uma espiga de mi
Iho, e alguraa vez ura pequeo pedago de carne.
E' tanta a pobreza que os soldados pedera esmola
como mendigos, a todas as pessoas que se appro-
xiraam, e que por vezes nao sao mais fartas de re-
cursos que elles proprios, pois os viajantes que la
estiverara chegaram a passar dias sera comer, jul-
gaodo-se felizes quando podiam cagar algumas
pomhas do mallo.
O sarampo desenvolven-3e em Humayta'por urna
forma assustadora ; o mesmo Lpez chegou a at"
terrorisar se, e dizia-se qne ia sahir para se livrar
do contagio.
Ootra peste nojenta que fiagella o exercito para-
guayo, por causa do desasseio e falta de roopa, a
sarna.
Quasi todos os paraguayos que havia em Humay-
ta' e mesmo em Corrientes, estavam sarnento, a.
presentando quando iam banhar se a repulsiva ca-
misa de Job.
O bispo permanece em Humayta'.
Elle enlende que preenche snas altas funegoes
eplscopaes beazendo bandeiras, e pregindo que os
Paraguayos monos em combate vao ressuscilar ua
Assumpgao.
Es agora alguns factos que carcter i sam o des-
potismo do grande c civilisador e equilibrista da
America.
Sabe-se que, com quanto vencida e destrocada no
combate de Riachuelo, a esquadra paraguaya havia
combatido com encaroigamento, e que quasi lodos
seus cheles e officiaes Acarara cobertos de feridas,
ou raorreram com as armas na mo. Pois bem I
els o que o Sr. Seraflno conla :
t O capito Mesa, que era o almirante, morreu
era Humayta', tendo cheg.do ah mortalmente fe
ndo. Manifestando antes de expirar desejo de fal-
lar com Lpez, este respoadeu :
Vo dizer ao Mesa que morra de uma vez, e
que < agradega a raorte o ler viudo visita-lo.
A zanga de Lpez era pirque, sendo elle pro-
prio autor do plano do combate naval, quera que
este se realizasse ao araanhecer o da, para apa-
ndar os Bi asileiros dormindo, e tendo-se descon-
certado a machina de um dos vapores. Mesa nao
quz abando na-lo, e o ataque veio a realisar-se as
9 horas da manha. Por isto dizia Lpez que se
esse chefe nao tivesse morrido, elle o teria mandado
espiogardear.
Porra, eis outro facto ai oda de maior ferocida-
de e iugratidao.
Logo que o segundo chefe de esquadra chegou a
Humayta', puzerara-lhe ferros aos ps, e desde en-
toachvse a t campo raso, dormindo no chao,
sem nenhuraa especie de cama e com a cabega
descoberta > a chuva e aos ralos do sol abrasa"
dor. O desgragado acha-se solado, em sitio ermo,
como se fosse ura leproso. Ninguem se atreve a
chegar-se a elle, so na j as sentinellas que o guar-
dara, e o misero s espera a raorte para o remir de
lo cruel supplicio.
Sobre o dominio dos Paraguayos na provincia e
cidade de Corrientes deu ainda o Sr. Sjrafino mui-
tos detalhes, mas omittindo-os por brevidade, dir
mos apenas que a guarnigo daquella cidade nao
passa de oilocenios homens, mal armados, e tam-
bem faraintos e empestados.
Nos nao faremos sobre a noticia que precede, ou
sobre Lpez e seu governo, commentarios de nen-
huma especie. A opinio de nacionaes e estran-
getros ha de julgar essas cousas, e decidir se
um inimigo semelhante merece odio, mais do iue
o asco.
Sm-Bte observamos que Lpez, obrigando os
tres palzes civilizados desta parte da America a le-
var-lhe a guerra, deve ter obedecido a um destino
providencial ; a nago Paraguaya desde o fundo da
sua abjecgo e infortunio devia ser ouvida por
Deus, e para a remir que l chegam agora mes-
mo as armas adiadas.
Lpez est em Humayt ?
Ainda bem : a hyena sera' exterminada era seu
covil.
O Brasil e o Paraguay.
(Carlas ao tenrnlc do 3o corpo de voluntarios da
patria Pedro Baplista de Uoraes Reg.)
I
< A nobreza, a generosidade,
i a distiucgo, o cavalheirismo
< dos individuos no lera a ua
o origf ni uapo.-igo elevada que
i se oecupa na sociedade ; vera
< da alma, vera do coragao,lem
t a sua fonle na pratica de boas
aeges.
F. 1. de Miranda, Retratos a lapis.
t Res... quague suo ritu procedit ; el omnes
t Fosdere natura; certo discrimina srrvant. >
Lucrecio, v. 921.
O Brasil e o Paraguay 11
Que dilTereDga existe entre estes dous estados ?
Qual a linha que os divide?
E-tudando os seres que habitan) o universo, ob
servando a natureza de lodos os aoimaes, nao se
pode encentrar grande distancia de bruto a bruto
como a que se contempla de humera a homem. Em
verdade, uma linha divisoria existe entre os ho-
mens ; um abysmo parece separar a bumanidade,
impossibllitando a existencia de completa harmona
no centro desta grande associago, desta inimensa
corporago que se chama genero humano. A
alma deongem divina ; nasceu desse hlito puro
que Deus bafejou nos labios da sua mais perfeita
'creatura; vai buscar a sua razo de ser u'uraa
f -ni.; ory-t.iiiua, na vontade do Omnipotente. Sea
alma quera da vida ao corpo, se arabos (materia
e espirito) sao partes componentes do ser humano,
rao me possivel encontrar o motivo que me for-
ga a afrmar que ha differenga enlie os horaen.-;
quando confesso que lodos sao iguaes, qne todos
teem a mesma origem, que todos sao fihos de
Deus.
Nao por este lado que devo encarar a questao.
Retir.i-ine nicamente as qualntades internas do
homem. O movel de nossas aeges pode aconsp-
lltar o bem a uns e pode impellir os outros a pra-
tica de mos actos, corrupgo do corpo e a per-
digo da alma. era todos teem as suas farulda
des intellectuaes bastante desenvolvidas, oem todos
di-poem da mesmt somma d^cunhecimettlos, nem
todos se guiara pelos dictantes fornecidos pela ra
ziio, nem todos, finalmente, ouvera os brados da
consciencia humana.
Assim, sirvamo tos ue um exernplu, o Brasil
respeita o rein-do da jusjiga, o imperio da equida
de e o Paraguay, essa repblica vil e despresivel,
baixa e mesquiuha, corrupta e ajenla, modela a-
suas aeges pelos lucros que ellas t>odem fornocer
e o nico movel dos seus actos o irjteresse I
Por mais desejos que tenha de hombrear un
Brasileiro com um Paraguayo nao me possivel
coiisegui-lo... Seria ulvuder a propria ualureza.
sera almejar a pratica de um impossivel abso-
luto I
Ura Paraguayo, nemse quermerece ser equi-
parado aos aniones irracionaes, porque ha muito*
brutos que, nao obstante serem dominad >s pela
lerrivi-l le da fatalidade, tem qualidade- que os
tornara superiores a esses entes pervertidos, essa
raga maldita I O cao fiel ao seu sent ir; o bol
se entrega ao trabatho ao menor movimento do ho-'
mera que o dirige; o corsel, muita- vezes, esporea-;
do pelo cavalleiro, cava a trra, corre veloz e co-
bre se de nobre poeira, corao muito bera diz Boi-
leau, imitando Juvenal ; todos os seres irracionaes,
Analmente, a par do materialismo que os domina,
teem o seu lado nobre, teem o seu sublime I
M is, dir se-ha n'um instante de irreflexao, se o
Paraguay compe-se de entes to de-favorecidos da t
natureza que os creou, como o Brasil se acha em
Iota com elle ? I O mannheiro, snlrando as ondas
e:n noite de medonlia tempesta le, Iota brago a
brago com os elementos; o cagador oceultando-se
no mais espesso das florestas, se conslitue o ioimi-1
go dos aoimaes bravios que, no seu correr licen-
cioso, Ihe impedera a passagem; o pescador, t per-
seguido pelas lamentagoes dos seus innocentes li-
lliiubos que Ihe supplicam pao para malar a fome
que os domiua e atormenta, se dirige s aguas .-
arranca a vida ao pobre peixe. Nao admira, por-
lanto, que o Brasil esmague a cabega da hydra
que pretende feri lo no coragao e calque aos ps
esse puohado de vboras nojentas e asquerosas que
deseja arraucar-lhe a existencia, aniquilando Ihe o
que possue de mais caro, os seus Drios, a sua dig-
nidade, a sua honra 1
O Brasil, conseguintemente, o indio gigante,
asseutado s margeos do magesloso Prata, contem-
plando a ygara que fende as aguas ; o Brasil o
progresso, a civilisagao,o sustentculo da liberdade
e o Paraguay e o Salauaz de Milln, admirando o
Edn e dizeudo comsigo: atal s o meu bem!
Fatalidade, s a miaba Providencia a serpele
esverdeada, vomitando os seus venenos nos ouvido
da pnmeira mulher adormecida I Lucifer, cal
cando aos ps a gloria, lomaudo a forma de um
reptil asqueroso, enroscando-se na arvore do bem
e do mal, aconselliando a desobediencia, dando
origem ao crime e destiuindo a obra sublime do
Senhor I
Aqui, manda-se e se obedece, dicta se leis e res-
peita-se as suas santas disposiges; la, existen)
res e subditos, grandes e paqueaos, seubures e es-
cravos, uaciouaes e estrangeirus quando se traa de
distribuir peuas ou recompensas I Aqu todos sao
iguaes, todos levara a me-ma vida, todos respirara
o mesmo ar, senlein os mesmos prazeres, fe uem
as raesraas delicias e soffrem as mesraas dores :
i l, ha ricos e pobres, mendigos e abastados, fldal-
i gose pastores, grand-zas e miserias; ha quem
offerega tantos banquetes, ha quem mendigue mi
galhas de negro pao ; ha quera perturbe o silencio
nocturno com oestruiido de gargalhadas lgubres
e ha quem derrame copiosas lagrimas no segredo
das suas orages 1 Aqu, respeita-se a Deus, cren-
do-se as verdades que emanara d'Elle ; l, tme-
se a vontade humaoa, o rancor dos homens, sendo-
se coagido a crer que a virtude nasce do vicio, que
o erro quem da' origem a' verdade, que a ven-
tura lera a sua fonle na desgraga ; Uualinenle que
o bera vera do mal I
N'uma palavra, o Brasil a gloria e o Paraguay
a ignominia I
Entre elles existe o espago immenso que separa
o hornera da eteruidade I
Recife, Io de dezemDro de 1865.
Flortano Jos de Miranda.
Sua alma, sua palma.
Ella ahi vai :
Para o comboio e ouve-se gritar o conductor.
Viole minutos de demora!
A frescura da manha, diz o narrador, agugou-
rae o apetite, e fui direilo ao hotel, cuja meza e-ta-
va convenientemente servida.
Tinha minha direila um dos meus companhei-
ros de jomada que compensava a iramobilidade
em que Uvera sempre a sua lingua fazendo obrar
com vigor as suas mandbulas e os seus djntes.
O eomilao era um descendente de Proles, o ph-
ceo, que fugia a bom fugir ttnlo de Marselha como fa?er rJiliireQCia
| quebramento de corpo maior ou menor, cora oa
sem clicas, em dyarrhea esbranquigada, cora ou
sera falla ae appetite ; a lingua faz se esbranqui-
gada.
E' preciso tomar cuidado cora a dyarrhea que
Duoca, por assim dizer, falta. Sem tratamento ter-
minara por ura ataquo de cholera ; tratada a lem-
po, fcilmente euravel. Este resultado confir-
mado por experiencias exactas fetas era Framja e
Inglaterra. Os remedios sao facis :
Deixar de comer, descangar, deitar-se tomar be-
bidas qoentes e aromticas, tilia ou cha da India i
pan suar ; se fr necessario, to-
mar mesinhas de cosimeolo de dormideiras, beber
agua de arroz, etc.
Se apesar oVstes meios a doenca se declarar, so-
do raonstro asitico que a devastava.
Guarnecido o esphago, tomou cada um o seu
lugar.
Oprovencal, sufficienlemente abarrotado, e tao ^^ (
abarrotado qu- devia pagar por duas pessoas, en- ro,Ddar.se ehim Q me,, conPrvando 0 doonle
tendeu que a mellior cuusa que puda fazer era na ^ q g ^
embrulhar-sd bem embrulhado e pedir distracgoes; \, ,
oncnmnn "ara combater a dyarrhea recoramenda o D".
30 somno. i
Mas apenas Morpheu (resnja a mvthologia I) ac-! ^a lom"1 ou 5 d" la,1,,'1n0 ****> de
ba de abrir sobre elle as suas benficas papoilas,; syJeQhara de duas era d"as horas al a dyarrhea
parar.
Alnnmas patarras aecrca da representar)) do dra-
ma Dama das Cameliasna noite de 30 de
Dovembro.
Ainda uma vez no theatro de Sania Isabel retum
baram osenos doloridos da voz de Margarida I
Foi a quarta represen! Camelias em beneficio do distincto actor, Pedru
Joaqulm Araaral.
Este primor da echla roalista, essa lagrima d<
coragao, um drama to couhecido, e lo amado,
que seria ocioso fazer a sua apologa.
Como todus sabem coube a principal parte do
drama a Exraa. Sr. D. Adelaide Amaral que cir
cumJ.tda dessa hrilhaute athinuspbera, desse cir-
culo luminoso, aspianlo esse ambiente celestial,
cujts '-Uiuvios, espargiudo-so a esmo pela mullido
que corre a admira-la, prende e subjuga todas as
almas e lodos os eorages, fes ressu-citar por al
guias horas a celebre e infeliz Margarida Gau
thier I
Mudos e absortos nessa ocesiao perguotavamos
a nos mesmos, se aqmlio seria uma illuso ou uma
verdade I se seria uma reali lade ou uma fioeo I
se nao sena um soDho plaotastico e deliroso I
Ou se por ventura nao nos trabamos remontado
por um desses effeitos mgicos e mysterosos a es-
sa poca passada, e se nao estaramos assi m assis-
tindoa acgo viva do drama iulimo e real desses
personagens de nos conhecidos apenas pela tradi
cao f I
E' impossivel dizer como a Sra. D. Ade'nide Ama
ral, ajudada pelo sympathico, artista, Lnis Carlos
A ni i: lo, traduzia as emogdes I.. .
O sen porte, o seu olhar, o seu gesto, tudo expri-
ma de uma maneira espantosa o senlimtnto, a
importancia de uma situago I
A Sra. D. Adelaide com um gesto, ou com um
oihar, diz mais, mu lio mais, do que qualquer outra
eom uma longa e bella falla.
No lerceiro e no quart i acto do drama o trabalho
iraportaottsmo e extraordi lario ; nesie sobre tu
do, quando Arrnana promette perdear a Margarida,
com a coudicgo, porra, de ella o acompanhar, e
que ella responde Ihe, que impossivel, porque es-
la presa por um jurautetito ; e quando ja' extena
da, e nao pudendo resistir, ella langa rao do meio
extremo, dizeudo Ihe tSim, Armand, eu amo...
o Si. de Varvilie.
Parece que o seu coragao vai se despedagar com
aquelle e-forgo inaudito I V-se o arquejar, ouve-
se u palpitar daqut-lle peito magoado 1
Quem v a Sra. D. Adeaide em laes lances pen
sa em Deus, porque Contempla ura dos seus prodi-
gios !|
Ha crealuras predestinadas por Dos para oeste
mundo atiestaiein a sua omnipotencia. Ha seres,
cuja vida uma continua successo de coaquislas
gloriosas.
Estas crealuras, estes seres, sao os geoios, pos-
suidores da nica realeza, contra a qual nao ten
foi gas os elementos das revoluges souaes ; umea
que uo pode ser desihroaisada.
Em sua marcha o genio passa deixando apoz si
ura rasiitho de luz. que vai brilhar na posteridades
atravvssatido os seus umbraes. e illuraraando o al-
tar da celebridade.
Dizer ifie a Sra. D. Adelaide um genio, seria
repetir, o que ja' disseraoe, e dizer o que todos sa-
bem.
Recife, 1* de dezerabro de 1863.
Barros Crmpillo.
quando o irem para, e se ouve a voz do serrafreio
que grilava ao lomio de todo o irem.
Colerac I Colerac I Colerac 1
Foi como se cabisse um rao ao p do Marse-
Ihez.
Desembrulhoa-se u'am abrir e fechar de olhos,
correu portiohola, e desatoa a grilar.
Cum raio I quero sahir I e ja' 1 Ora esta 1
pois eu fojo da ra de Saint Ferreol para escapar
ao cholera, e anouncia-se a sua chegada a esta
ierra I Conductor, ponha-me fra d'aqui; quero
voltar a Tolosa.
Debalde se quiz provar ao assustadigo passagei-
ro que o seu temor era sem fuudameoto ; que o
erro provinha de um nome.
Nao houve Dada que o socegasse.
Foi preciso abrir-ihe a portiohola, e elle sallou
via, e nao larduu que o visseraos com a sua mala
nos bracos arripiando carainho para Tolosa.
Coma uma correspondencia de Pars que ha dias
se reuni a academia de medicina para discutir os
iuoumeraveis systemas curativos que Ihe teem sido
propo-tos pelos luminares da sciencia europea.
A sesso devia ser muito fecunda e Pars epe-
rava com anciedale a relagao dos descubrimentos
que necessariamente deviam publicar-se.
No dia seguinie nao houve ninguera que nao
comprasse um peridico para saber o que se tinha
decidido.
Mas, oh terrivel desengao I
O Dr. Velpeau, tomandt a palavra, tinha dito :
O que verdade, senhures, que todos le*
raosp-rasado muito, mas que sabemos muito pouco.
Esta franca declarago produzio grandes garga-
lhadas oo auditorio, ap-sar de uo ser muito para
rir o assumpto de que se tratava.
Um amigo de ura facultativo de Pars pergun-
lou-lhe :
Quando eu sentir os priineiros symptomas do
mal, que ttei de fazer '.'
Urna cousa muito simples, respoadeu o dou
lor; procure a Umao Medica de 17 de abril de
i>''.' e lea u o longo artigo que publiquei oessa
toitia, em que indique! os meios de combater os
sympljinas da eufermidade.
E' um reme lio mais diilicil do que parece.
luiagiue o leu jr que a meia uoile tmna necessi-
dade de cousultar o artigo e nao tinha em casa a
p riodico.
Sena preciso que estivessem abertas de noite as
bibliothecas publicas.
Um ageDte ua bolsa de Pars, a forga de pensar
aos preservativos e ao mesmo terapo oas sus ope-
rages fazendaras, |tera se reduzido a lastimoso es-
lado.
Quasi todos os dias redige as suas notas por este
modo :
Euiprestimo de 1864 ; 3 pur cenlo. Uma co-
iher de caf de hora em hora.
Crdito mobiliario ; obngagoes reembolsaveis
depois de acabada a epidemia, com quatro ou cioco
gotas de ludano. Fi iegoe.- enrgicas com bilhetes
lo thesouro e fumigagoes continuas. >
Todos os das manda perguotar qual o bairro
menos fligellado e vai passear nelle.
Se v ura caso de cholera, corre a fechar-se em
casa, onde faz em si applicago de serias fumiga
ges.
Em Lisboa oa anterior epidemia dea excelleates
resultados, para combater a dyarrhea, tomar duas
vezes cem interva'lo de uma hora uma onga de
agua de hortelaa piraenta com 6 gottas de lau
dao.
Este remed i foi empregado por um particular
em um dos sitios da c la le, onde a molestia ata-
cou com forea.
Nao consta que falhasse nma s vez sendo ap-
pilcado a lempo, e tal fama adquiri que chegou a
vir gente de fra de Lisboa buscar o remedio para
o cholera. Kram necessarios grandes discursos
para persuadir aquella boa gente que nao era aquil-
lo remedio para o cholera, mas meio efficaz de
combater adyarrha.
Convra notar que o ludano om veneno, que
nanea, em caso nenhum, sem ordem expressa do
medico, devera ser excedidas as poiges radicadas.
Ao passo que ha quem acredita que predispe
para o cholera o trasnoutar, e tomar o relento e o
fro da noite e o utau cheiro de certos lugares, urna
futba de Midnd aprsenla como lesiemunho con-
trario, os segrales dados:
Em Madrid ha 235 serenos do municipio, cora
180 suprauumerarios; 171 serenos do commercio
com um supranumerano; 11 iuspeelores de sere-
nos, ura visitador geral e alguns lenles visitado-
res; grande numero de zeladores de polica urba-
na, que fazem o servigo de thealros e nao se reco-
Ihem seno a hora muito avangada da noule: 180
varredores com 14 ou l capatazes e uus 30 mi-
oeiros que deix'.m a meia nuite acama para ir pa-
ra os seus trabamos; varios guardas do maiadou-
ro e outros sinos igualmente odorferos ; final-
mente muitas unirs pessoas, que por causa das
suas oceupagoes, se veera obrigadas a trasnou-
tar.
No entretanlo pois, cousa notavel, entre tao eres-
cldo numero de individuos, nao houve seno um
caso de cholera n'um sereno supranutnerano que
uo eslava em exeroiclo ao ser ailactdo.
O Monitor Universal de 24 de outubro descreve
do segrate modo a visita que a imperalriz dos
fraocezes fez aos hospitaes de cholencos de Pa-
rz :
A imperatrfl coosagrou hoje o da a visita dos
dueules do cholera.
Apezar de sollrer d'um defluxo violento ha dias,
sua uiagestade esquecendo o seu propno estado
para se oceupar dos soffrimeolos dos outros. uin-
gio-se successivameule aos huspitaes de Beaujon
La Riboisiere e Sauo Antonio.
Visitn as sallas oceupadas pelos cholericos, a-
proximon se do leilo de todos os doenies, ralerro-
gou os e exhortou-os rom a sollicitude e a dedica-
gao d'uma irma de candade.
A' sahiua de cada um dos tres hospitaes, nma
mullido numerosa acclamou a imperainz e ex-
primi, pelus testeinuiihos mais calorosos, a emo-
go que Ihe Inspirava a dedicago de sua mages-
lade.
A iraperatriz era acora^anhada da viscondessa
Aguado, dama do pago, da menina Bouvet, sua le-
lora, do marquez de Lagrauge, seu escudeiro, e do
>>>>
III POLCO DE TODO.
A proporto do cholera collegimos as segrales
ancdotas esparsas com jornaes estraogeiros :
Passase a hi-tona em um camioho de ferro en-
tre Tolosa e Burdeus ; mas para que nao pensem
que a pomos louge porque a iuveniaraos, declara-
mos ja que nos cootado pelo nosso correpouden-
te de Paris.
Se mente, por alma Ihe preste.
111 das entrou era ura salo, vio que em um d-s Sr- Uop-Tr, offleial de urdenanga do imperador,
magotes do convidados havia quatro ou ciuco dos
mais famosos mdicos de Paris e disse comsigo :
De certo e-lo a fallar da epidemia... Quan-
to nao dara eu por ouvi-los 1
Cora religioso silencio acercou-se dos doutores,
fazendo diligencias por nao ser vista para nao dis-
irahir os sabios.
Eslava fallando o Dr. Trousseau, que dizia :
E' verdade, encantadora; mas tambera ja
cantou ua Opera Cmica.
Lsle desengauo foi cruel.
Fallar de caniores era lempos de calamidade I
E' iraperdoavel, principalmente quando sao os mal
afamad js mdicos que se oceupara com essas ui-
ii nanas.
Diz a Correspondencia de Htspanha que o Sr.
Ui jrdano, ti.no de ura celebre medico italiano, di-
rigi ao governo hespauliol urna carta em que se
olTerece para apreseular-se nos pontos luvadidos
pelo cnolera para erapregir ura irataraenio utuito
simples, que lera dado seguros e maravilhosos re-
sultados.
Diz elle que se subinelle ao mais severo castigo
se os resultados uo forera completamente satisfac-
torios.
Os meios de curativo empregados pelo Sr. Gior
dao, e de que elle uo faz mysterio, redugem-se a
dar ao doeule cinco Colneres pequeaas de urna be-
bida preparada com urna ouga de alho pisado era
ura aluiufariz e misturado depois cora quatro oncas
de bom vinagre.
O dooute de ordiaario vomita a priraeira colher
mas nao se deixa por isso de Ihe dar as ouiras qua-
tro com intervallos de um minuto.
Depois deixa-se em repouso por quatro horas
sem se Ihe dar nada de comer nem de beber.
Isto uo compltame le novo.
Raspail emprega ha raais de trinta anaos o alho
oo tratamento do cholera como no de outras mo-
lestias.
O Moniteui du Soir, alm de varios preceitos hy-
gienicos que lemhra para prevenir o cholera, diz :
Uma excedente precauco coasiste era lomar de
manha antes de sahir, especialmente quando o
teropo est fresco oa hmido, una infaso quente
aromtica, de caraomilla, de tilia, ou cha fraco ou
arada melhor caf sem leite.
O ultimo m-to, acooselhado principalmente peles
nossos cirurgies militares prestou grandes -ervj-
gos em Argel e na Crimea, e todos os dias os esta
prestando aos guardas da alian lega das nossas cos-
tas. E' excellenle e nao podemos recomeneuda-lo
demais.
O Moniteur coodeinaa o abuso de bebidas alcoo-
licas, de ma aguardeule e especialmente de absyn-
tho. Mas recouiranda que se beba a comida quao-
tidade razoavel de bom viaho.
Diz depois :
E' grandissimo erro crer que o oolera se man-
festa de repente. Pelo coutrariu sempre ba symp-
mas preliminares ura, dous e at 8 das antes do
ataque.
Esses symptomas consisten), era geral, era ura
Acaba de fallecer era Fuligoo, pequea cidade
das Marcas, Italia, uma joven donzella que era a
perola daquelle districto : charaavam-na a bella
Marchesaoa.
As muiheres daquelle paiz conservara ainda hoje
esse typo de severa furmosura que caraciensava as
matrona- romanas.
Tambem berdaram os altivos seotimentos e as
paixes das Lucrecias e Vitgiuias.
Annuuei.ia era o seu nome.
A' bella Marche-ana nao faltavam adoradores
roas a- Romanas sao exclusivas; apenas correspon-
den) aos ualanieios de um namorado, por vez.
Annunciata fizeia a sua escolha, que recahira,
como de ordinario snreede, sobre a firma mais des-
acreditada daquella ierra, Francisco X...
O namorado pedio nma entrevista para um do-
mingo, oo bosque mais prximo; foi Ihe concedida.
AnnuDciata foi a primeira que chegou ao local
designado.
Francisco tardava ; ella psperav impaciente.
Durante a longa espera de uma hora, o amor
propno offi-udido, arada mais do que o ciume. a en-
fureo-rain; Hualmeute, irritada, furiosa, com ura
olhar ardeute, o seio palpitante, correo ao sitio on-
de se reuue ordinariamente a raocida le de Pohgao.
Francisco eslava pticamente jogaudo a bisca
cora dous dos seus amigos, e o joguraho lite Gzera
esquecer de todo a entrevista por elle sollicitada e
obtida.
Annunciata oHVndeu-se mais ao ver Francisco
entregarse a este innocente passatempo, do que se
o tivesse visto nos Dragos de uma rival; ella, a bel-
la Hanhi sana, sacrificada a um miseravel jogo de
carias.
eitar as mos a Francisco, enchelo das mais
violentas Invectivas, tirar do seio um punhal, feri-
lo no rosta e era um brago, tudo isto foi obra de um
instante.
Infelizmente, Francisco tambem era Marchesano.
A' vista do sangue embnagoa-o, armou-se com
a faca, que jamis abandona o habitante daquelle
paiz, e cravoua-a no peito da desveoturada Auouo
cala, que expirou momelos depois.
Diz-se que, aotes de morrer, a pobre Annunciata
fitou era Fiancisco um olhar tolo cheio de amor
e perdi, e que teve aioda lempo para dizer :
t Sou b-m feliz I Se elle me deu a morte por-
que aioda me araava I >
Eis-aqui corao se eomprehende o amor as Mar-
cas oo auno de Nosso Senhor 186o.
Franci>co, escotado diz-lo, est preso; a jos-
liga insiaurou-lhe um processo.
Toda a populagao do Foligno acompanhou ao la-
gar do eterno repouso a bella Marchesana, victima
das suas paixes fogosas e da selvtica eaergia que
careclerisa o seu paiz.

PERMAMBUCO TYP, DE M. F DE F. 4 FILHO
v
f


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EI8TSUET3_4YIHV2 INGEST_TIME 2013-08-28T02:51:46Z PACKAGE AA00011611_10835
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES