Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10831


This item is only available as the following downloads:


Full Text

AMO IU. jUjfEjj 274
?or quarte! pago dentro de 40 das do 1. mez ,..! i ,
dem depo/s dos i.'* 1 Ud/as do comecoe dentro do qaartel. .
Porte ao corre/o por tres nejes..........,
51000
61000
7*0
OOiRTA FEIRA 29 DE jjjjTHjjj) DE 1865.
Por anoo pago dentro de 10 das do 1. mez ,,,.,.. 491009
Porte ao comi por am anno.......... 11009
ESCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alex?ndrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cer, o Sr. J. Jos de
Olivi'ira ; Maraoho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves
Filhos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
EXCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SUL.
Alago.is, o Sr. Claudino Falco Das; Bahia, o
Sr. Jos Martina Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Rihi'iro Gasparinho. I
Olioda,
Agoaj
Ignarassti
Santo A
Alim
11
feiras
Pod'A
Ingazi
ta,
feiras
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Cabo, Escada e estacoes da via frrea at
Preia, todos os das.
e Goyanna as segundas e sextas feiras.
ntao, Gravat, Bezsrros, Bonito, Caruar,
o, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom
Constjlho. Aguas Bellas e Tacarat, as tergas
Sennbem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preu Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBNAES DA CAPITAL.
ho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqneira
ira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
Ouricury, Salgueiio eEx, as quartas
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relagao: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas as i i horas.
Dito de orphos : tergas e sextas s 10 horas.
Primeira Tara do civel:
dia.
Segunda vara do civel:
hora da larde.
ten as sextas ao meio
rtas e sabbades a
qa;
EPHEMER1DES DO MEZ
DE NOVEMBRO.
3 La cheia as 5 h., 43 m. el 28 s. da m
10 Quarto ming. a 3 h., 25 m. e 52 s. da in.
18 La nova as 8 h., 4Dm. e 32 s. da m.
26 Quarto cresc. aos 38 m. e i 9 s. da m.
DAS DA SEMANA.
27. Segond. S. Margarida de Saboya y.
28. Terca. S. Jacob da Marca f.; S. Sosthenes b.
29. Quarta. S. Saturnino ro.; S Illuminata v.
30. Quima. S. Andrc ap.; S. Trovano b.
1. Sexta. 8. Nahum prof.; S. Castrinano b.
2. Sal.bado. S Bibiana v. m.; S. Ponciano m.
3. Domingo. S. Sophonias prof.; S. Magina m.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 1 horas e 18 m. da tarde.
Segunda as 1 horas e 42 minutos da manhaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o snl at Alabas a 14 e 30; para o
ata a Granja a 7 e 32 de cada mez; para Penan-
do uos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, malo,
jalao, setembro e noverabro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8; dos propietarios Manoel Figueiroa d
Faria & Fillio.
Dilo acl conselho de compras navaes.Pode o mandando que a imagen) do glorioso martyr S.
j conselho de compras navaes promover a acqui I .cao dos objecios constantes do seu offlcio de 23 do invocacao do mesmo Saoto, continu a conservar-
corri'iiie visto serem precisas para provimento do se no almoxarifado do arsenal de raarinha. | po, sotTreodo as profanagoes e as irreverencias
Poriaria.O presidente da provincia tendo em dos que transitam pela estrada.
vista a proposta apresenttda pelo tanenie-coronel, A iuspecgao de qualquer templo, urna vez que
0 do lindes sejam aqu Os seus currc[)on- c,,mmandaote do batalhao n. o de infantaria da este noo seja legal mente isento da jurlsdicgao na-
dotiles, afim de ser solicitado e.-se pagamctl-: guarda nacional do municipio do Es acerca da rochial pertence ao parocho da freguezla, a qual
to dos mesmos, a quem ilario ordem para qual loformou o respectivo commandante superior responde por qualquer allerago ou mudanga que
islo visto COmo alKUns pretextam a falta em da,a d l0 de Iuono ultimo resolve nomeiar ah se flzer, e tem por conseguinte de sanar qual
para ofliciaes do referido batalbo os cidados se- quer abuso que se queira introduzir.
Os Srs. assignanles deste Diario, que |
se acham cm debito das respectivas assig- \
naturas, queiratn mandar realisar o paga-;
ment deltas; e aquellos que moram tora
desta cidade, tenham a bondade de dar avi-
dessa ordem.
PARTE OFFiCIAL
G0VBKN0 DA PitOVWGU.
expediente do lia 25 de nTembro de 186o.
Offlcio ao general commandante das armas.-Quei
ra V. Exc. iuformar-me oerca do que pede no in-
cluso requernnento Manoel Antonio doCarmo.
Dito au mesmo.Sirvase V. Exc. de informar
acerca do que pede no incluso requerimento o
ornel do 5" corno de voluntarios da patria Theles-
phore Eduardo Gongalves Lima.
J)iio ao mesmo.Queira V. Exc. informar sobre
o que pede a rai do remita Braz Rodrigues Ba-
rartio.no jncluso requerimento que vsi coberlo com
iofurmago do Dr. chi-fe de polica.
Dito ao mesmo.-Queira V. Exc. informar-me
sobre o que pede no incluso requerimento o guar-
da nacional Jos Fraec seo de Souza.
Dito ao mesmo.Em offlcio de 25 de outubro I Expediente do secretario do governo
uliuno, declarou rae o delegado de polica do termo de DOvembro de 186o.
do Ouricury, que se Ibe aposentara no dia 20 do offlcio ao inspect. r da thesouraria
msino mez, afim de gosar do indulto concedido
pelo decreto de 31 de maio deste anno.
guinles : Coiara Pia.
1* compaohia. De ordem do Exm. e Rvro. vigario capitular
Tenente Antonio Silverio de Alencar, ficando da aiocese, publico a conta total da caixa pa no
privado deste posto Raymundo de Si'Brrelo por trimestre de agosto a outubro do correte anno
nao ler solicitado patente no praso legal e se ha-! apresentada pelo Rvm. chantre reitor Jos Joaquim crystal, a exposigao' supple'men ar de a
ver mudaJo da proviucia. Camello d'Andrade, a cujo cargo est a moma plantas que eslava destinada para o dia 5 do cor
3* rompanhia. ":* *"----------T- *- -
das fra da Europa, 03 quaes sero orgaoisados
por partos.
O projectado caminho de ferro do Porto Regoa,
de que temos filiado algumas vezes, e segundo os
estados taitas sao a direcgo o engenheiro o Sr.
Souza Brando, seguir proximA margem direita
do rio Douro, n'uma extenso de 94 kilmetros,
sendo a estaeao desta cidade err Valbom, e as ou-
tras principaes em Melres, entrb ambos os rios e
Pala.
O desenvolvimento do caminho em 9i kilmetros,
raeuor qan o de 106 que tem 4 estrada ordinaria
Deveri haver quatro tunis, n&o excedend o ne-
nnum a 400 metros de extensar
metro esta orgado em 6.5 conlos
lnauurou-se hoje ao meio
O custo do kilo-
de ris.
dia no palacio de
Tonenle JoioJos da Costa Agr, fleando priva-
do deste posto Candido Baplista de Araujo pela
razo cima declarada.
6" compaohia.
Tenente Deodato neroniano Rocha, fleando pri-
vado deste posto Ignacio los lian letra por nao
ter solicitado patente no praso da lei.
Alferes Cesarlo de Souza Leo, licaodo privado
deste posto Solero Rodrigues de Carvaiho Jnior,
por nao ter solicitado patente no praso legal.
Dita. O presidente da provincia altendendo ao
que reiaereu o alferes do 3* batalhao da guarda esmolas avulsas com todo consta
nacional destioadoao servigo a guerra Jes Iri- i respectivos, a quantia de 6:0025500.
ram se entre o povo o os soldados alguns dilos de-
sagradaveis dos quaes resultarara algumas peque-
as contusoes. -
Explica se lio extraordinaria concurrencia por
ser esla a segunda vez qne o reo hia ser migado,
em consequencia do tnbunal superior ter annula-
do o pnmeiro processo, cuja sentenga era de U>
anuos de degredo e correr a voz publica que elle
seria absolvido era attengio aos altos empeohos pa-
ra cora os Jurados e aos diaheiros que seus amigos
haviam distribuido, porque Andre dos Sanios Pi-
nheiro, e seno rio, pelo menos na phrasa vul-
gar, lavrador remediado.
Foram presas e authoadas tres testtnunhas da
aecusagao p tos cora os que achavam escriptos no processo.
A maioria do povo que se achira no tribunal
era do Valloogo e suas cercauias. Quando as H
is ila noite o reo recolhia para as cadeias da
rente e licra transferida para lo dia 12. Presidio
a esta solemnidade o Sr. governd&r civil
tncio, estando presente a camarfi mi
autoridades civis e militares, e [fflnitOS
considerados. | fantaria e ierialoe^'eacTltaTa." "" V"* U "" "f0:
Ksta exposicao que podena ser mu luzida a nao Ti vemos duraute a auinzeoa os anniversarin-! mengao do correjuuurnte um preito
) cholera que infelizmente natalicios do Senhor D. Luiz I, de el-rei o Senhor i?C5a 8,'?erosa do Sr- Coimbra, que o/este terreno
r civil do dis- relagao grande numero de pessoas que o segiam aqu le eslabHecimento, associando nisto as
unicipal, vanas levanta vara gritos demorra o assawno- e de a eeqerosas, como a sua; e sempre tem lido
itos cavalleiros; ceno Ihe daara a monea nao ser a torca de in- a s.allsaao de n* seus sforgos coreados eom
i fmi......* .. _,__ .. v xito, i
existem com fuoladas'razoes, jdlgamo-la, pela r-
pida visita que a ella vimos de1 fazer, pouco infe-
rior que inaugurou nesta cidadie e naqu.-lle mes-
neo da Silva
de licenga.
Sanios resolve conceder-lhe 8 dias
do dia 2o
. o soldado
desertor n. 30 da 2* companhia q> 7 bniiihao ae
infantaria, Delrairo Alves da Luz, o qual fra man-
dado addir pelo mesmo delegado ao destacamento
de guardas oacionaes daquella villa, al que possa
seguir para esta capital na primeira opportuni-
dade.
O que communico a V. Exc. para seu conhecl-
menio.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.To
mando era consideragSo o que exiiz e chefe da
reparticao das obras publicas em ofllcio de hon
tem, sob n. 379, recommsndo a V. 5., que mande
por em hasia publica a obra de urna bomba que
deve ser construida ua e>l'rada dos AlBictos, afira
de dar escoamento as aguas, entre a Cruz das Al-
mas e a estrada da P nt: de Uctia, servindo de
base a essa arrematado o orgamenlo e clausulas
juntas por copia, e devendo essa despeza correr
por coma da verba cousignada no an. 45 da le do
orgamenlo vigente, conforme indica aquello che-
fe.- Ciminumcou-se ao chefe da repartigo das
obras publicas.
Dito ao mesmo.-Recommeod aV. S. que, eitr
vista do parecer da contadoria da thesouraria de
fazenda, laogado no incluso requerimento, e a que
se refere a informago do respectivo inspector
datado de hontem, e sob n. 858, mande pagar a
Mannel Jos de Almeida, a quantia de 54460, que,
se Ihe est a dever, proveniente do fornecimento
d'agua e luz para o quarlel do destacamento de
guardas nacionaes existeules na oovoagao da Ca-
punga, a conlar de 16 de julho at 31 de agosto
deste anno.
Dilo ao commandante superior da guarda nacio-
nal da Boa-Vista.Remeta me V. S. a relagao
nominal dos offlcues e pragis de rada batalhao da
guarda nacional sob seu commaudo superior que
eTucluamenle marcharo para a campanha, que
deixou de acompanhar o 3 dos mappas exigidos
por circulares de lo de setembro e de 20 de outu-
lro ltimos, e m informe se o corpo de cavallaria,
e o batalhao o. 47, deram pragas para a imsma
campanha, como concia do raappa junto ao seu
citado ofllcio.
de fazenda.
O Sr. Joao Gonzaga Bareellar, juiz municipal e
de orphos do termo do Cabo assumio em 16 do
correte o ejercicio do cargo de juiz de direito in-
terino da comarca do mesmo nome por ter o eff-c-
tivo Dr. Manoel Clementino Carneiro da Cuoha,
entrado no goso de urna licenga de 3 meses : o
que a V. S. communico de ordem de S. Exc. o
Sr. presidente da provincia.
Olmda, 18 de novembro de 1865.
Chantre Jos Jaaqutm Camello a~Andrade,
encarrilado da caixa pa.
COMANDO DAS AR1US.
D. Fernando, e do Sr. Infante D. Augusto O pri- f exPaosivo au P"> d decurar at de seus in-
meiro corapletou 27 annos no dia 31 de outubro, o lere"s .___
segundo 49, no dta 29 do dilo mez, e o terceiro 18 ~vapor frinc^1 Nar">- V* aaui V***
no da 4 do co rente. Era todos os tres auniver T ran5lt0 par,aa Europa a M d) Proximo.passa-
Foi en'.regue a commisso do conselho geral das sarios houve as demonsiraces de resosiio do eos t0CU em Llsboa a li do correD,e. f"eodo a
alfan legas, encarrega la de estudar a actual expo- turne. uu *"* | viagem mais rpida que at hoje se conta.
O Sr. Francisco Jos Resende, distincto pintor I ~ hffS^Z^S^il .*" !?*/* ''
portueose conclu.o um quadro representando as;'ria <40''a brtnefic, da SanU La'a de M,ser'-
ausgustas guras do myteno da irindade n anal
destinado para o altar
denles ua cidade
que os portuguezes resi-
de Jacarehy da provincia de S-
Paulo engiram em memoria do bondoso Senhor D.
Pedro V.
Camello d'Andrade, a cojo cargo est a mema
caixa pa, por determinado do Exm. Sr. vigario
capitular.
Olinda, 24 de novembro de 1865
Conego Joaquim Ferreira dos Santos,
Secretario do bispado.
Total da despeza da caixa pia no trimestre de agos-
to a outubro findo,
A caixa pia despendeu neste trimestre cora os
subsidios dados aos recolhimentos do Recife, de
Olinda, Iguarass, Goyanna c Papacaga, com os
seminaristas pobres, com o subsidio dando mensnl- mo local em 1861, el rei o Seohcir D. Pedro V.
mente aos pobres do Recife e Olinda, e com as
dos assentos
sigo internacional com relagao i pauta, o parecer
da commisso nomeada pelos proprietarios de fa-
bricas de tecidos desta cidade a re.peito das neces
sidades que actuara sobre a industria fabril.
Liraita-se o dito parecer a Indicar as materias
primas de que limito carece a industria de tecela-
gem, pediudopara ellas urna dimlnuigo de direito:
para que se possara obter pjr pregos que permit-
Quartel general do eommando das armas le Per- Um 0 fabrica las, mas hem entendido, sera que a
nambueo na cidade do Recife, 28 de noverabro : pedida dimiaucao affecte a nece^saria proteegao
de 186o. j industria de Hiedes nacionaes; p a>sim entende a
Ordem do da n. 163. i corami3ao qu devem ser alliviaijos o mais que fr
!. O raarechal de campo commandante das armas P0"""'' nos direitos que actualmente pagara o al- ganisago foi to chela"dVperipecias7e7ivadas"das
. faz ceno a guarnigo para seu conhecimento e de 6 lorclo chamado linha de lustro, em branco dissideucias entre os seus subscriptores comegou
; vido effeilo que a presidencia em portara datada **** e em t,osi0i numer..s i o algodao torc-1a fuocciooar no dia lo do crreme, e estabeleceu
de honte.n nomeou para servir en} commissio o ao,_cro "> desde o n. 40inelasife pan Cima; nesta cidade urna caixa filial. Adireeeao pedio
posto de capitoda7companhiado3*corpo devo- crua, branqneada ou tinta, fio simples ou tor- -
lunarios da patria accidado Francisco Bautista Cor- i,Hl0 0 20 P',ra c,,n, a la' Chamada estambre
ri Cabtieira, e que por outra portara de 25 deste e esc!a- 'lie so importa da Inglaterra e Allema-
mez concedeu oilo das de licenga ao Sr. alferes do u"a' Por!lu, SB B" n> m Pjrtugil, todos os nume-. u tribunal do commercio do Porto, durante a
2- batalhao da guarda nacional destacado para o ro,s e'n '", "J"Ple, torcido, em dru e em cores ; e quinzena declarou era esiado de quebra o coraroer-
Continuicao do expediente do da 21 de UOTeabro servigo da guerra Jos Irineo da Silva Santos, a 0.llDlll) era ". cru ou branqueaMo do o. 20 para ciaote de vinhos, estabelecido em campanha, o Sr.
de i80. y contar de hontem em que se deu sciencla ao res- jClma- jpa de Souza Brito, e os Srs. Carlos Luiz Gbiam
Ofllcio ao vigario da Escada. Foi-rae grata a peclivo corpo. Fundamenta a commisso o seu pedido, pelo que F'lho Ce Manoel Joo da Silva, commerciantes
noticia que V. Rvma. me d no seu offlcio de 13 (A^signado.) FVareo Sergio d'Olioeira. \ respeila aos algodSes, dizendo qjie o fio de algo- Id es|a praga.
do corrente, de, ajudado pelos dignos delegado e Esi conforme.Antonio Francisco Duarte, 2. do, denominado liona de lustroi e importantissi-1 O estado de saude publica nesta cidade e norte
subdelegado desta freguezia, Joao Flix dos San- leoeoteajudante de ordens interino encarregado m<> porque tem applicag o para variadas manufac- ido reino continua a ser excelleote, apesar de se
tos e Joso Sancho Bezerra Cav. Icante, conseguir do detalhe. turas, lano no largo c uno era lilas; e que os al- haverem dado na ra de Liceiras, no 29 do mez
que fossem recolhidas as Biblias e mais livrinhos i 28 goi!5es torcidos finos teem inuitas, applicagoes para passado, uos quatro casos su^peitos do cholera,
de propaganda protestante que os emissarios do. Ordem addicional a do dia n. 163. diversos tecidos e por isso se consomem bastantes, jAs^^ autoridades empregaram logo tolas as provi
tem para all seguio, sendo tambem portador de
I 300 mil libras esierlinas para o thesouro. E' ar-
le do empreslimo, que levantamos na praga de
! Londres.
| Eie vapor conduzio igualmente para a corle o
i Sr. Eicbmann, ministro prussiano residente junto
ao nosso governo.
Da correspondencia desta provincia para o
Jornal de Lisboa era Portugal, extrahimos este
trecho, que esla incluido na carta de 16 de outubro
prximo passado :
O digno emprezario do thealro de Santa Isabel
deu um bello espectculo, no da 9, em favor do
hospital portuguez de beneficencia; o qual nao
pode deixar menos de l:500OO0 lquidos para o
eslabelecimento.
J nao este o primeiro soccorro que o Sr.
Antonio Jos Duarte Coimbra presta aos necessita-
dos d'aquelle eslabelecimento, associaodo nisto as
cordia, sendo o maior premio 6:0004000.
Fizeram acto, no dia 28 de novembro, os se-
nhores :
5* anno.
Brunno Jansem Pereira, simplesmente.
francisco Xavier de Mallos Tetles de Menezes,
na ra de Sanio Antonio, e segundo os entendedo-
res, mais um florara para ornar a corda do artis-
ta insigne do Sr. Rezende.
O banco lusitano, fundado em Lisboa, e cuja or-
T~.--~-
COVKHXO 199 IBIKPADO
PIHliHBUCO.
SElK VRAME.
DE
aos aconisus urna entrada de 20 por ceoios sobre
o nominal das aeces que devera' electuar se al
ao da 30 do corrente.
i O tribunal do
Mmplesmeuie.
Fizeram exame de latina no da 25 :
i.* lurma.
Plenamente. 3
Simplesmente 4
Reprovado ... 5
12
2.* turma de lalim no mesmo dia.
Plenamente. 4
Simplesmente 3
Reprovado ... 4
11
erro por atrttinham espalhado
Agradga V. Rvma. da mioha parte s autori
dadea pohciaes desse lugar, que, comprehendendo
a sua verdadeira raisso, e o dever era que eslo
nao so de vel^r pela seguraaga publica, como de
proteger a Religo do Estado, de bom grado se
preslarara a secundar os esforcos de V. Rvma e
fazer que a obra de Satanaz n") progredis.-e en-
tre as ovelhas confiadas ao i-.. solicilude de,
V. Rvma.
Todava cumprenos estar alerta, e trazer sem-
pre os fiis de sobreaviso, para que passado algum
lempo nao volter esses propagadores de livros
Ipocriphos e de Biblias falsifica las. Quando os'
povus virem lano afn e lano-zelo religioso em '
e>trangeiros aventureiros, acaulelein se desde logo
porque de ordinario anda ah um interesse sala- i
meo, que. mais celo ou mais tarde se descobre,
porn ja depoisde felto o mal.
Dito ao vigario da Luz. C>m o seu ofllcio de !
21 do prximo pausado me foi entregue o impe-
dimento opposto ao cabimento de Marlioiano Gallo
- 28
Ordem addicional a do dia n. 163.
O marechai de campo commandante das armas e em mais escala os Ij augmeotaodo se I dencias para isolar compleameule a casa infecciu-
determina que na manhaa do da l* do vindouro o fabrico pela diminuir* do pregq. Nenhura destes j Dada. azendo-a desoecupar e iuuiilisando ou b-ne-
mex de dezembro se passe revista de mostra era pos de aigodo se preparam as fabrica* de fiago ciaiido todos os objecios susceptiveis de nene-
seus respectivos quinis aos corpos segrales
As 6 l/ horas a companhia de arlifices e za
vos : as 6 3/4 a de cavallaria ; as 7 ao 6* corpo ;
as 7 1/2 ao 3 corpo ambos de voluntarios da pa-
tria ; as 6 3/4 ao 2 batalhao da guerda nacional
destacado; e as 8 ao deposito de recrutas.
(Assignado).Francisco Sergio d'Oliveira.
E<14 conforme. Antonio Francisco Duarte, i'
lenente-ajudanto de ordens interinj encarregado
do detalhe.
EXTERIOR.
Dito ao commandante superior da guarda naci- cora EL Mara de Luna, cujos proclamas ah se es-
nal dos municipios de Barreiros e Agua Prela.Oi lavam correndo. Fica o irapedimealo recolhido
mappa do batalhao n. 46 de infamara junto ao seu cmara acclesiaslica.
ofllcio de 13 do corrente, nao satisfaz; e por isso I 22
convem que cora loda a urgencia e de conforraida- Offlcio ao vigario do Poxra.Accuso recebldo
decora o incluso modelo, V. S. me envi um map- o ofllcio de 13 do prximo passado, em que V.
pa de toda a forga daquelle batalhao, outro, da : Rvma. diz q,ie nao se aproveitou da licenga que
forga de reserva cora dsclaragao da que se achalobteve era dala de 23 de julho, visto querer adian-
ardada e nao fardada, outro de lodo o arraamen-' ta a obra da igreja de Nossa Seohora da Concei-
to, outro da forga destacada em cada um dos mu- j gao do Cururpe, cuja administrago Ihe foi con-
nicipios com declaraga .> do batalhao a que penen-' liada.
cen, servigo e lugar em que se acham; e final- Louvo o seu zelo, e muio me regozjo todas as
mente, um outro dos ofliciaes e
heuv
COKKESPOSTSkElVCIJLS O DIA
BIX 1E PKH.\ Allill O
POHTO.
12 de novembro de I Mi.
Torna a recorrer a velmssima qu-sto da liber-
dade de commercio de vinhos do Douro pela pro-
posta de le apresentada pelo respectivo ministerio,
na sesso da cmara electiva de 8 do correte, de
clarando livre a barra do Douro para a exponago
de todos os vinhos produzidos no reino.
Um be ni elaborado relaiorio precede a dila pro-
I posta de lei. Os argumentos nelle produzidos sao a
em repetigidosqueera outras occasiSes se lera dito
uhrase difireme. Tornase porra nolavel pe a
franqueza verdade cora que trata a quesllo, como
Ocio.
Das provincias nada ha de nolavel.
Ressumem-se as noticias a trabalhos preparato-
rios para a eleigao das novas cmaras municpaes,
e a medidas hygienicas para o caso do cholera
invadir as diflerenles localidades.
Falleceu na sua casa de Santa Marlha de Pena-
guo o Sr. Aotooio de Souza Sampaio, irrao do
ja' tinado general realista, visconde de Santa
i Marlha, que commandava a divisa militar do Por-
1 to quando em 1832 desemharcou o exercilo liber-
tador as praias do Mindello.
O telegrapbo da estago central do Porto reodeu
no mez de outubro ultimo 78i,3W.>, proveniente
de 1,4SI despachos nacionaes e inl-rnacionae.
iNa alfandega do Porto despachnu-se para ex-
portagao, n mez de outubro; 42.7505 em moeda
de ouro, e 8:9005 em moeda de prata, Os direitos
foram 5025350.
O rendiraento da dita casa fiscal, no mez de
ouiubr.i, elevou-e a 185:3635.198.
A laxa nos bancos desta cidade 7 a 9 o/.
Cambios. Sjnre Loudres a 90 d. d. 53 3/i e 90
d. v. 53 3/8, sobre Pars 542 por 3 fr. a 90 d.
to pouco se ple fabricar cora eMaVqando se es-1 JStt2^ fS i "m 3 .d .a,ub
.. ....:. ..:_. .t .,,-, ., narra nrense, para o Rio Grande do bul ; era 4,
portuguexas, e apenas se torcera era tornos nme-
ros muito baixos.
Era quanlo ao linho, que urna materia prima
muito importante, que ple e dve substituiros
mullos teares de algodo.que forzosamente se teem
de reduzir em visla da crise terrivel com que se
est hilan 11 motivada pela caresta do algodao, ha
apenas urna fabrica de fiago, a qual nao fornece
lindos senao manufacturados, e por isso tem os in-
dnstriaes de recorrer ao linho estrangero, que Ihe
tica muito caro por motivos dos direitos.
Fallando em lia, que lambe n urna materia
prima de grande valor e interesse para a industria,
! pela variedade de artefactos em que pode entrar,
i tanto em tecidos de lia estrme, como nos mixtos,
j diz a commisso que os iu Instilaos teera apenas no
mercado olrama n. 18 e o maxiui) 20, mas nao
i todas as cores, porque aquellas Coin que as fabri-
| cas de fiago fabricara Certas obras, dessas nao a
I vendem, como lambem nao vendem urdidura, por-
\ que tola para consumirem nos seus tecidos. As
j las chamadasestambre e meslaque se irapor-
| tam, a maior parte ja tintas de Inglaterra e Alle-
manha, porque se nao fabricara no paiz, licam to
caras cora os sbitos direitos que pagam, que mal-
ta materia prima chegasse era boas coodigoes da
prego s mos dos induslriaes, poderiam elles alar
gar muito a raa de seus eslabelecimentos ou pelo
menos raelhora-los, fabricando productos de bom
gesto e por pregos razoaveis para o consumidor e
crdito para a industria nacional.
Termina o parecer da commis-o pedindo que se
a barca Novo Tentador, para o Rio de Janeiro.
Nao entrou erabarcago alguraa dos portes do
Brasil.
Sahiram :em 2 de novembro a galera frica,
para o Rio de Janeiro ; e o patacho foco Lima,
para o> Rio Grande ; em 3, a barca Adetaide, para
o Para'; era o, a barca Arminla, para Pernara-
i pragas de cada ; vezes que vejo um ministro de Chrisio aniepor o se v ,|,, seteainie extracto
! ripe, posto que este lugar se,a distante I. matriz, |^SS^SSiZ St? i?riaa,^cma:'Jp"a^raXc^oT^ecnauSs I .. ^
aperleigoados, pirque do deseovolvimento de.lla es
Nao fagamos par mais tempo a excepgo a es.
Dito ao commandante superior da guarda naci-, contanto que junto a esta assista o coadjuctor ou I *&Z^&Tm^tSX '
r.es lizer. m. i_________.._._ _. __ -
I
ta regra.
nal do Brejo. -Tendo vmdo incompletas as infor-. quem suas vezes Hzer.
mages ministradas por V. S. e aim ofllcios de 31' Dito ao mesmo. Nao julgo conveniente por
de setembro ultimo e 6 do correte recommeod- agora a pretengao que V. Rvma. me expo-i no sea
ibe que me enve com a maior presteza possvel' offlcio de 8 do correte ; por quinto estando os re-1 aeunores :-Todos os meus predecessores qne
Din mappa de loda a forja do batanio n. 38(de in-! hgtosos capuchiuhos espalhados por diversos Iu-1 'eem encelado esta vereda de reforma teem pro
fantaria, e das secgoes de batalhiol de reserva ns. i gares oceupados na gran le obra das misso-s e posto algumas garantas para o Uouro, para que a
8 e 9 cora declarago do que su ach fardada, e nao1 existindo apenas dois uo H ispicio da Penha, nao transgose Ihe torne
fardadas assim como o mappa de tddo e armainen-' possvel que algum delles se dirija a essa fre-' acceitavel.
to e o dos ofliciaes e pragas de cada, botalho, que guezia para o lira que V. Rvma. tem era vista^ Eu entendo porm que
tlfeetivameute, houverem marchado para acam-j Aguardando pois melhor occasio, creio que nao
a cam-,
pauna. i sera costoso acceder aos pos desejos de V. Rvma.
Dito ao commandante superior da guarda naci-' e dos seus pamchianos, para o que poder dirigir-
na do Limoeiro.Cumrauuicando-me V. S. em da-' se directamente ao Rvm. padre prefeito, partid-
la de II do correte que a demora da remessa dos' paolo-me na occasio era que o flzer, afira de que
mappas exigidos por cicular de 15 de setembro eu reforc o seu pedido,
ultimo leni sido devida a um dos Commandantcs 23
de corpos, a quem f-z effecUVa a pean da lei, cum-; Offlcio ao coadjuctor proparocho de S. Loaren-
pre que me declare o nome do commandante a que go de Tijucupapo Itera avisado andou V. Rvma.
allude, como a pena quelheapplicou. em nao esperar que Ihe chegasse olflcialraente a
Uitu ao coramandaute superior da guarda nado- molia circular de 19 do prximo passado, e ser-
nal de Garanhuns.Aocapito secretario geral des' vir-se mesmo do Diario para a publicar, como V.
se coinuiaudo superiorMigualReinaut Duarte, que' Rvma. refere no seu ofllcio de 11 do corrente, a
allegou ler mudado de residencia para a proviucia que respondo.
das Alagoas, manoe V. S. passar cotne pedio em Alm de que, como j tenho declarado, qaalquer
seu requenmenio, aguia de que trata'o arlij;o 45 offlcio publicado no expediente do bispado deve
do decieto n. 1130 de 12 de marco de 1833 nao ha | considerar-se como recebi lo, aereara de mais que
vendo incouvemeuie. ; oa referida circular (hem como em todas) recom-
Dito ao director do arsenal de guerra.Era vis- raeodei eu que a executassem logo que a recebes
ta dos paraceres de medico encarregado da enfor- sera ou vissem impressa em qualquer jornal da
mana desse arsenal annexos as iiiformaces de V.: diocese.
S. de 24 do crreme sob ns. 463 e 466, dadas cora As Biblias e oragoes que acompanharam o sen
refereucu aos requerlmenlos de Mauoei da Silva offlcio -o elleito das apocnphas e alteradas, que
Ca valno e Luna Mara de Albuquerque, autori- eu mandei queiraar. Contioue pois V. Rvma. a
so-o a mandar entregar aos suppiicante os menores escalrecer esses povos, empregue todo o zelo para
da Compauhia desse estabelecimeuto Francisco desfazer o que o demonio urdi as trevas, e os
Luiz de Frauca e Benedicto Antonio deOlireira, seus esforgos sero coroados com os melhores re-
aijuelie lidio do primeiro dos peticionario se este sudados e a sua recompensa sera grande uos
da ultima visto solTrerem elles molestias incura-. cos.
veis. Diio ao inspector da thesouraria provincial.
Dito ao inspector do arsenal de raarinha.-An- Recebi o offlcio que V. S. me dirigi em data de
numdo ao que solicilou o inspector da alfandega 14 do correte mez, e tomando na devida consi-
dera capital em offlcio de hoje sob o. 865, recora- derago, o que nelle me diz, lenho a declarar a
meulo a V. que mande fzer as offlemas desse V. -. que ja dei as necessanas providencias, para
que Ihe sejam remettidas as coatas de que trata o
dilo offlcio.
Dilo ao padre Jos Gregorio da Silva Carv.lho.
| Cora o sea offluo de 11 do prximo passado, re-
cebi a estalislica da freguezia de Cimbres, que V.
Rvma. regeu na qualidade de vigario encoramen-
) mais proficua, mais j.
a maior garanta a
arsenal os concertos de que precisa a bomba de
apagar fogo, pertencente aquella reparlico remet-
iendo a necessaria roula para ser indemnsada.
Communicou-se ao inspector da alfandega.
Diio ao Dr. jun de direito do Rio Formoso.
lnteirado do conteudo do offlcio desse juizo de 23
de outubro pruxi no falo, tenho a dizer-lhe em dado, bem como um mappa topographico da mes
resposuque a falla de escrivo do jury deve ser ma freguezia, e a relagao circunstanciada do esta-
supprida nos termos do decreto n. 817 de 30 de do em que se acham aquellas localidades,
agosto de 1851 e do aviso o, 443 de 9 de dezem- Sendo este ura dos trabalhos minuciosos que
faro de 1857. neste- genero tenho recebldo, cabe-me louvar o
Dito ao presideole e membros da sociedade hu-, zelo cora que V. Rvma. desempenhou a commisso
mamtaria Conciliaco. Cabe-me a salsfaco de de que o incumb pela ratnra circular de i de
declarar a sociedade humaaiiaria Coocilago que : abril do corrente anno.
o beinziraento da bandeira pela raesraa sociedade i 2t
ofiferecida ao 3 Corpo de voluntarios da patria le- Offlcio ao vigario de Iguarass.. Em resposta
ra' lugar amaona 26 do correte pelas 10 horas ao ofllcio de V. Rvma. datado de SO do corrente
do da na igreja do Espirito Santo |eqt| a que melhor segurar o pleno goso da liberdade do
commercio.
Tudo o que estorvir o estado natural, looge de
ser til ser altamente necivo, e pode at crear es-
perangas de ura relrocesso, comprometiendo o
prseme e o futuro.
Ma o governo quer, como os que mais o de-
sejam, favorecer o Douro com todos os melhora-
mentos maienaes que fr possvel, e elles fariara
parte desta lei se nao fossera aqu deslocados.
la' pendente o progresso da industria de tecidos
de sedo.
Se o nosso governo, diz a commisso, qae to
^ boas disposiedes mostra a respeito das industrias,
empregasse um meio que desse um resultado o
tirar esta val isissima industria do estado de aba-
raento e depreciago ei^ que se acha. faria a in-
! dustria s-neola ura grande bera e industria de
lecidos de seda prestava-ihe um valiosissiino ele-
mento de progresso, e finalmente ao paiz um dos
matorea servigos que Ihe poda prestar.
As timas que se empregam na tinturara, como
as La Fonch.-ine e outras sao muito vaotajosas pa-
ra industria, pela belleza de suas cores; mas como
seu cusi ba-tanie elevado, convem muito que
nao sejam sobrecarregado com direitos pesados.
A commisso indusiaial subsldiana pelo governo
para esiudar a exposigo inurnacional portugueza
i|ue chegou a esla cidade no dia
O governo er que elevando a praga do Porlo ',"',
i rtoc n.im.i,..a. i?..________!1 ii_______. leudo concluido os seus trabalhos regressou a cap
a esla cidade no dia 29 do passado,
a urna das piimeiras da Europa, como Ihe compete, fffSS S^V ,rabalno\T~
e promovendo a fcil extraeco dos producios vioi- *' "'^ Pcipios desla semana. Era presidida pe
colas, lera fe.to um grande beneficio ao Douro. zL&iV22 '? 5"*2 Presldeute da "'
. Falta para a primeira cond.go um porto de f*P**?~* ^nominada centro promotor
abrigo, que felizmente ja se acha estudado e julg.- 0*.m*,n2Sameo,os dasclasses laboriosas e cora
do praiicavel pela sc.encia nos rochedos de Lei- P'^la d > homens techn.cos de diflerenles artes,
xoes. Falla para a segunda um caminho de ferro ^ J*em*e escreve $*&*, e"pec'af8 que nao *
al a Barca de Alva, que tambera se acha estuda-!"'en,re*aa? ao S Vleira da Silva, para este
do, e, na maior parte da sua exiensao, approvado e, *?r,n,ttr f- dar coata da wa commisso ao
pelo conselho de obras publicas. n,,m'8"'pectivo.
. Mas se estas medidas nao podem IW no>4 "M*^* ^**>"2?'M.-0K,5a:
anigos desta lei, ne.n por isso o governo fica me-1 "a',Pd8Ubilca oesta cidade, o jalgamento dorio
nos comproinrtt.do a nao largar mi deltas. k "(1flrrtQ^'re!rt,d0S SanU) P"Jro aecusado de
A discusso porque lera de passar esta proposta! ^ver assass.nado no lugar do Sobrado, concelho
de lei em ambas as cmaras deve de ser renh.da.' de a longo, em abril de 1862, a Joao Marques de
Os defensores da velha legislagito do commercio de 5*r2*, na occaMao em 1ue esle cor,lva uma P00'
vinhos do Douro, que lera assenlo no parlamento, fa de raina' ra terreno pertencente aquelle, ava
hao de ceno combaler com energa a nova inicia- l,adu ua S,B* 5 ',s '. .
tiva do Sr. ministro das obras publicas, commercio Accusava o delegado do ministerio publico e de-
e industria tenda o reo o jlenlos advogado o Sr. Alexaodre
Pelo ministerio da fazenda se acaba de tomar ,Bra8a- Depois do interrogatorio das tesierauahas e
uma providencia desde ha muito reclamada pelo rui'oioloa os denates oraes o juiz formulou os
interesse do commercio. E'a poriaria ordenando ques'io que entregoo ao presidenta do jury e reco-
que os mappas geraes eslatisticos do commercio de ,h,d'; esle *"* SUSS decisSes> v.dl,U- duas"?
Portugal cora as suas possessSes ultramarinas e a i '* de{")1 dando Por Pr,vad0 enme de homici-
naeoes esirangeiras a cargo da direcgao geral das d, plumario de que o reo era acousado.
alfaodegas e que at agora teera sido publicados Era conformidade com a resposta do jury o em
cora dous ou ires annos de atrazo, pols que os res- attengo ao bom comportamento do reo al oc-
peitaotes ao anno de 1861 foram impressos em i casio em que commetlera o crime porque era jul-
1864 e distribuidos j no corrente anno, se faga an- \ gado, o juiz conde.nnou-o a 5 annos de degredo,
nualmente a publicago de (aes mappas e por ao- O tribunal esteva durante aauiieocia apiohado
nos econmicos, principiando no actual de 1865 a. de espectadores, e como era pequeo para acora-
1866, de maneira que os mappas de um anno eco-' modar laoto povo que atQuio, eslava multa gente
nomino, possam ser distribuidos no principio do se-
gundo semestre do anno seguate.
o se
guinte
Alhos 1,073 canaslras, archotes 20 pacotes e 2
caixes, azeile 5 quintos e 8 oilavos, azeitooas 700
incoretas, caixas de pinho 50, capachos 8 fardos,
carne de porco 64 voluraes, cestos 6 dilos, doce i
caixo, fareHos 30 saceos, fei|oes 290 ditos, ferra-
gens 51 volumes, figuras e vasos de louga 10 cai-
xes, imagens de barro II dilos, linha 7 ditos, dita
de barquinha, 2 pacotes, merin 3 fardos, nozes 27
barricas, obras de lato 1 caixo, ditas de palheta
2 dilos, dilas de prata 2 ditos, louza 531 pedras,
ditas para calgamento 3,220, pene salgado 3 bar-
rscenles 3 caues, pomada de sebo 172 cunhe
les, retroz 1 dito, rodas de arcos de pao 250, se-
mentes l caixo, meios de sola 1 volume, trra
amarelia 6 barricas, tremogos 5 saceos e 4 barri-
cas, vassouras 2J voluraes, velas de sebo 10 c-
ndeles, vimes 1,00'J hagas, vinho 4 raeas pipas,
38 quarlos, 45 quintos, 8 oitivos, 31 decimos, 2
barris e 1,003 caUes de duzias de garrafas, 3
caixoes com impressos,2 volumes de papel e vanos
artigos 5 volumes.
I ..... *
PERNAMBUCO.
Os mappas relativos importagao, exportago,-
reexportago e transito, sero orgaoisad is por oa
goes, exceptundose os que disserem respeilq ao
1 nos corredores que por forga pretenda entrar na
sala da audiencia, dizendo que n'ella bavia muito
logar vago.
O juiz requisitou ento urna guarda de cagadores
n. 9, para o interior do tribunal, e um piquete de
commercio entre Portugal e as suas possassoes ul-! cavallaria de 12 soldados da guarda mtjqicipal foi
tramarinas, entre Portugal e o imperio da Brasil, e' posVido a' porta exterior para impedir o ingresso
eptre Portugal e as possess5es sr3ggairas sima- d mais gote no tribunal, e como rjatural troca-
nmvt DiAiu.
De Roma nos escrevera m 4 do corrente :
t S. Exea. Revraa. o Sr. D. Manoel do Reg Me-
deiros, bispo desta provincia, preconisado no ul-
timo coosistono, acaba de por as mos do Santo
Padre uma carta accomnanhada de 5441 frs. e 50
cntimos (cerca de 2:0005000), enviada da dioce-
se que vai dirigir, cora desuno ao dmheiro di S.
Pedro.
O novo ministro da guerra, general Hermann
lanrler, oasceu a 28 de margo de 1822. En-
trando para o servigo da Sania S em 1845, foi no-
meado alferes em 1847, tenente e capilo em 1849,
raajor em 1854, tenenie-coronel em 1855, coronel
era 1859, general de brigada e inspector eeral da
infantaria era 1860.
S. Santidade visilou no dia 28 do passado os
trabalhos do tmulo de Po VIII, na baslica de S.
Pedro, depois de ter feito orago oa baslica do
Vaticano. D'ani foi ao hospital civil do Es. iru>
Santo, onde, percorrendo todas as enfermara-,
cooversou e aniraou cada um dos enfermos, di-
rigmdo-lbe* palavras consoladoras e dando esmo
las aos mais necesitados, que Ihe xpunham suas
miserias.
Aps isso S. Saotidade visitou o asylo das me-
ninas expostas, exhortando-as pratica das virtu-
des christas, e o hospital militar.
t No dia 31 S. Santidade entoou as vespepas da
festa de todos os Santos, na capel la Sixtlna. *
Tendo o governo imperial mandado comprar
na Europa 8 mil libras de prata era barra para
cuoha la em moeda, veio est eacomraeoda em
direcgao a curte, ib^rdo do Dowv, que antebon-
Tendo-nos sido transmitidas as seguales l-
nhas a respeito do espectculo de sabbado, dado
em beneficio da Sra. D. Adelaide Amaral, aqui
as olTerecemos aos nossos leitores :
Sendo pequeaa a arca do peito para conler
o justo enthusiasmo que nos causn o espectculo
festival com que a insigue actriz Adelaide Ama-
ral brindou o pnhttco Pernambueano no dia 25
do corrtmte, em seu beneficio, tenamos desafogar
0( corago venendo para o papel o transumpto
d'essas deliciosas eraogoe?, na irapossitulidade de
o fazermos no seu complemento ; e se baldados
forera nossos intentas, culpe-se-oos a deficieacia
de engenho, auaca a de vontade propria.
O gemo orna ceotelha da luz celeste,
que raro se comraunica s crealuras terrestres,
e por isso, quando dado a ura mortal possui la,
e aos seus seraelhantes conterapla-la, parece que
a ierra, perdendo essa qualidade contingente e fi-
nita, a que foi condemnada, se transforma n'uma
nova manso, onde seus habitantes, arroubados
n'essa poesa divina, que s o eo transmute,
vivemos por momentos como extticos e esque-
cidos de que a vida toda transitoria e comesi-
nha, e como que nos julgamos irop--reciveis,
pela comraunicago iransraittida pelo genio, que
iraz a si annexa a immortalidade.
Assim, na noute de 25 do corrente, descerra-
da a scena do nosso thealro, para u'ella surgir,
circulada de uma aureola raagestosa, a fronte lm-
pida e inspirada da graciosa artista dramtica,
cuja festa Ihe era consagrada, um publico sobera-
namente apaixonado do bello e o sublime, es-
treraeceu e exultou ante essa figura predestinada
que vinha, como que por favor, conceder-lhe al-
guns instaues de um prazer indefinivel ao con-
tacto suavissimo de seu genio, manifestado exube-
rantemente em cada nota soltada de seus labios,
em cada gesto expressado em seu semblante, em
cada faisca chispada de seus olhos de fogo, em
cada movimento, em cada passo que Judith, a
potica hebrea, manifestava s vistas deslumhra-
das de centenares de espectadores, ebrios de en-
Ihusiasrao, frenticos at o delirio por v-la, con-
templada, admrala I
t Nova sacerdotisa da arta, a que vocago, gos-
to e tlenlo a conduzram, Adelaide Amaral, a
quem eslas toscas frases iro ferir em sua modes-
tia, foi de tal forma arrebatadora e grandiosa no
difflcil e bello papel que to carcter desempe-
nhou, que todas as ovag5es a ella dirigidas, gran-
des, sinceras, espontaneas, foram poucas, insigni-
ficantes, inexpressivas para recompensa la da su-
bjirnidade com que to perfeiumente trabalhou
n'essa noute grata e de terna reeordago, princi-
palmente para ella que sera duvida reconherra
quo as demonsiragoes da aprego e considerago
sua pessoa eao seu genio, com quanto deficientes
para o que ella merece, tinham todas o ruoho da
mais pronunciada verdade, tanto significavam esse
beijo de donzella que receben, esses aperlos de
mos de distincias damas, esses primorosos rama-
lhel>-s, essas fl ires que de todos os lados cahiam
rvscendeoles a' seus vs, esses acenos de lengos
agitados nos camarotes, esses bravos, essas pal-
mas que por um auditorio immeoso e arrebatado
Ihe eram tributadas, como feudo e ligitima bome-
nagem as disiimtas qnalidades que possue aquella
que tambera sabe ajustar sua formosa cabega
a respUnlente cora de artista e o puro diadema
de esposa.
Se nos concedido avangarraos a uma propo-
sito, filha de profunda conviego, diremos que ho
genero sentimental, na alta comedia, talvez no pal-
co pernambueano anda nao pisasse uma actriz das
proporges talentosas de Adelaide Amaral.
< Costamos de applaudir e apreciar o artista, em
qualqder especialidade que seja, quando esle, inii-
mmenle compenetrado de sua misso, eleva e di-
viusa a arta a ponto de nos captivar de tal manei-
ra os sentidos e o espirito, que semethe centena-
res de creaturas resumidas era uma s pela pode-
rosa influencia do genio, bnlhando oa sua soberba
magestade. A arte, levada at a mais augusta su-
bhmidade, dulcifica as almas mais rebeldes, e ins-
pira aquellas que se deixam inflaramar por ella ; e
fallera por nos esses lampejos poticos, com que
vates inspirados Iluminaran) toda a sala, e cujo bri-
liin foi no scenario misturar-se e confundirse com
os raios resplandeoentes de asiro que dalli vivifi-
cara ludo ; falena por nos esses accenlus de repas-
sada poesia e suave inspirago, que pela bocea do
actor Lisboa Ihe foram enviados ao entregar-lhe
uma mimosa cora artificial, que os seus bondosos
colieg*s ihe oflertaram ; falle tudo Isso mystica-
ineuir. que a linguagem humana nio tem expes-
so condigna com a immuoidade que pecorre a
creatura radada para grandes commettimentos, e
guiada pelo dedo invisivel da Providencia,
t Recife, 26 de novembro de 1865. C >
Coraraunicam-nos o segrate :
Ante-hornera, 27 do correte, em leeaia ex-
traordinaria do cooselho deliberativo do. Gabinete
Portuguez de Leitura, foi anecia,do, o p/ocesso que
contra o socio effeciivo, y Sr. joaquim Gerardo de
Bastos, ha via instaurado a directora que fuoccionou
no anno administrativa de 1864 a 1865 : o proces-


Diario de rernnfflfraea Quarfa felfa 20 dr Xovombro de S*.
so, elvado de nullidades deplorareis, foi por una-, AppeRante, o juizo ; appellado, Candido Hera-
uimi lade declarado irrito 8 nullo, e a aocusago dio Constantino.
improeed-nte embodas as suas parles, se.ud) reiu-;
legrado a dito socio no pleno goso de lodos os seas j
direitos"
t Honra e louvor ao n >bre conselho deliberan-
vo, que ,depols de ter maduramente
questo, esulveu-a por fim de aerrdo eom os di-
tames da ju>lica e respeitando a lei por que se re-1
ge a soeiedade I EmquaDto os destino desta se -
acharen) conflados a cavalheiros, que cima de tai
do presam a dignidie propn, e caphcham era :
bem merecer o epithelo de rectos e juslieeiros,boa
salvaguarda teem osdireilosWos socios, epode-se
contar que'no mais se reuroduzirao seenas desa-
gradavete, que o bora seoso, a moderado e a pru-
dencia teriam fcilmente evitado.
Tendo de ansentar-se por aleum lempo para
fra da capital u Sr. r. Frank n Tavnra, para tra-
tar Je sna sande. a redacgo da Bmliotheca Lute-
rana (da i]ual elle merobro) pede-nos para que
declaremos suspensa a puhlicacSo daquella empre-
sa, al que volte o Sr. Ur. Tavora.
Assim o faremos para cnohecimeoto dos respec-
tivos .signante., e do publico em geraL
Hoje effec.ttia o agente Pinto o leilo de fazeu-
das avahadas salvadas de um navio naufragado,
conforme se acha annuaciado, no arraazera da ra
da Cadeia n. 29.
Amanfca, 30 do corrente. efTertuara o mesmo
de ouro,
DILluKSCIA CIVEL.
Com vista ao Dr. curador geral
A appella^o civel.
Appellante, o preto Jos ; appellado, padre Joo
esludado a | Gomes de Oliveira.
DESlGNAgAO DE DA.
Assigoou-se dia para julgaraento das segoin-
tes :
Appellaces crimes.
Appellante, Amonio de Souza Lopes; appellada,
a justica.
Appellaces elveis.
Appellante, Manoel Lobo de Miranda Henriques;
appellado, Manoel tilias de Moura.
Appellante, Manoei Monteiro de Macedo ; appel-
lado, Borges & Millo.
Appellante, a faeenda ; appellado, Manoel Fi-
gueiroa de Faria.
PASSAfiBNS.
Do Sr. desembargador Santiago ao Sr. desembar-
gador Gitirana
As appellaces crimes.
Appellante, o juizo; appellado, SebasiioRibei-
ro de Mello.
Appellante, Manoel Domingues dos Reis; appel-
lada, a jusliga.
A appellacao civel.
Appellanie, Manoel Francisco de Amorim ; ap-
pellado, Audrc Ferreira da Silva.
Do Sr. desembargador Gitirana ao Sr. desembar-
ap-
ngenie o leilao de relogius HOTOS, obras
brilhanles, praia, um cabriolet e escravos, no mes- ^^^
cinh Pereira doRe!?- wndo^omeido, por M Manoel Teixeira Peqoene e outro.
^.'^o^adoMisSrda SSL geral, durante a j Ao Sr. desem^rga^r^ouren^Sanliago
T^bMli comarca de Flores de | Appdlaute, o juizo ; appellado, Luiz Antonio do
? tSKSKET a,,SUd05 n *"' COrP I Do Sr desembargadorLourengo Santiago ao Sr.
armaztm sito a Ra da Cadeta do Rerife n. do, oe ,
diversos traste* avulsos, charutos da Havana e
Babia, chapeos do Chily, caixas com cerveja, mul-
los objerios (le ouro, pega de franja e cascarrllnas,;
ama i arroga i:om boi o ootros muitos ohiertos
Pa*saeiros vindos do Aracaiy, no hiale bra-
silero Graciosa: /
Manoel Lmz Carneiro, Severino Jjs de Sant An
na, Venceslao Machado de Siqueira e Silva e Jos
Leocadio da Suveira.
Casa de detenqo.
Movimeoto d* casa d detenga) no dia 26 de no-
vembro de 1863:
EiMiam 328, entraran) 5,sahio 1; existem 332,
asal.er: oacionaes 226, mnlheres 6; estraogei-
ros 27, mulheres a; escravos 63, escravas 5:
total 332.
Alimentados a' costa cofres dos pblicos ib%.
Mnvimenlo da enfermara no dia 27 de novem-
bro de ISlio.
Tiveram baixa :
Bernardo Perora Machado; diarrha.
Genuino DiasFava: ophialmia,
Jos Francisco dos Prazeres ; defluxo.
Roque, e-cravo de Joo Nepomuceno de Mello
defloxo.
Teve alta :
Jos, escravo do maj >r Livramento.____________
S3! i o ji i a >
w 1 5 1 5 a.- *
y 1 : 1 1 3 ; i 1 3 > O O
| . *
: | : : >
: 1 i
. . OS
1 Al HSC li 110. i 2
i n
C 1 i 1-S * c*3 r$
Feminino.
z
>
n

s
Masculino.
Feminino.
t!
Masculino. I
Feminino.
9)
OB
H
O
H
n
>
<
o
3
S
A appellacao cnine.
Appellante, Maaoel Flix Barbosa
jusiica.
Do Sr. desembargador Assis aoSr.desembarga-
dor Doria
A appellacao civel.
Appel ante, Frauciso JiTgo de Souza ; appella-
do, Francisco Marinho de Aibuquerque Mello.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembar-
gador Assis
As appellaces crimes.
Appellante. o juizo ; appellado, Joo Severo Mar-
ques.
Appellante, o juizo ; appellado, Malhias da Silva
de Mina.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. desembar-
gador Ucha Cavalcante
As appellaces civeis.
Appellanl, Joaquim Carneiro Machado Rios;
appellado, Francisco Xavier Torres.
Appellante, Domingos Jos da Silva
Benedicto Marques da Silva.
Do Sr. desembargador Barros Vasconcellos ao
Sr. desembargador Santiago
A appellacao civel.
Appellante, Manoel Goucalves de Souza ; appel-
lado, padre J.is Barbosa Rendes da Rocha.
A' 2 horas encer"-u 9 a sesso.
posa do film. Sr. capitao de mar e roerra Her- tencia : fcm o amparo e proteccao de seu pai, sua
edecagio flcou conliada nicamente as soliciiudns
e disvellos de sua mi.
Seu pai ferido mortalnunte e j bem prximo a
dar os ltimos suspiros da vida, nao se esqueceu-
do que deitava urna viirva e filhos em teora ida-
de, querendo salva-Ios da indigencia lembrou-se de
um amigo em quem conflava e suppunha Hel e de-
dicado ; fez-lhe urna venda licticia de qnatorze es-
cravos para serem entregues a vitan, alim de be-
nelii-lar sus (ilhos, o que muito usual na vida do
hornero, qoando se acha atrapalhado com diversos
negocios. Porm o amigo a quem elle conflava na
. hora extrema da morte, aquello deposito a bem de
seus filhos, loDge de cumprir a ultima vontade e
pedidos de seu arquame c moribundo amigo, al-
liou-se com outro em ludo igual a elle, e deixarara
a infeliz viuva a bracos com a mizeria, tendo por
berauga ticamente o luto, a dor, as lagrimas e
orphandade de seus fillio*.
" Vendo se expoliada de seus bens eo ensenho
presa dos vndalos, rodeada dos assassinos de seu
marido, recelando a cada passo ser tambera victi-
ma como elle; determinou deixar o lugar da sua
habitacao que Ihe tioha sido tao fatal, o chegando
ao perto do emharque fol-lbe obstado a sabida por
um piquete, mandado pelos inimigos que a perse-
guan) : cnsegutndo eutao sabir as occullas, aflra
de melhor segurar a sua existencia.
Veio para Olioda tratar da educaco de seus fi-
Ihos, empreganJo parai ao seu alcance, alim de ser esta decente ede accor-
do com os recursos que Ihe restavain.
Da exposicSo que flzemos v->e qu>- ao entrar no
mundo a Exma Sra. D. Joanna ; os prlmelros das
de sua vida foram cercados dos influas de una
ma estrella, que os envolveu em um manto de in-
felicidades e desventuras.
Chegando a idade juvenil foi desposada pelo Sr.
teneute Manoel Diooizio Gonvs do Reg, a 22 de
agosto de 1857. Bem pouco tempo duroueslaunio
sagrada I
Sua brandura, sua mansidao anglica, suas vir-
tudes exemplares, seus costumes honestos e reli-
giosos e sua resigoacao promelliam um longo vjver.
A 2a de junho de'l8a8, nasceu o primeiro fru-
to de sua unio, que teve o nome de Julio, desde
ento a Exma. Sra. I). Joanna s viva pira seu II-
menegildo Antonio Barbosa de Aimeida.
Juizes protectores.
Os Illms. Srs. :
Dr. Manoel Francisco Teixeira.
Rviii. padre Candido Ferreira da Cuaba.
Fr. Jorge de Sant'Anna Lucio.
Manoel Coelho Pinheiro.
Manoel Azevedo da Cruz.
Juizas protectoras.
As Exmas. Sras.:
D Annunciada Camilla Alves da Silva.
D. Emilia Candida de Mello Luna, esposa de Illm.
Sr. Antocio Ruflno de Audrade Luna.-
D. Rosa Francisca de Salles Costa, lilha de Illm. Sr.
Joaqun) Jos da Cesta.
D. Constancia Perpetua de Machado |e do Illm. Sr. Antonio Gongalves Beliro.
D. Panla Joanna de Mirauda Piuho, esposa do Illm.
Sr. Antonio Jos de Pinho.
Juizes por devocao.
Os Illms. >rs. :
Amonio Juaquim de Vasconcellos.
1* lente Ernesto Ignacio Cardim.
Jco Marques (orra.
Ji)> da Silva Loyo Jnior.
Antonio Gomes de Miranda LeaL
Juizas por devogo.
As Exmas. Sras.:
D. Feli.-mina Alexandrina Gomes de Araujo, espo-
sa do Illm. Sr. Francisco Augusto de Araujo.
D. Thereza de Jess Horeira,
D. Mana da Conceicao Flores.
I). Antonia, esposa do Illm. Sr. Manoel Jos de S
Araujo.
D. Julia de Halliday Garca, esposa do Illm. Sr.
Alfredo Heon nw Garcia.
Escrives por devocao.
Os Illms. Srs.:
Jos Goucalves BelUao.
Leonel de Lacerda Machado.
Franci.veo Goncalves de Souza Teixeira.
Manoel Francisco G.iines.
appellada, a Ulysses Pernarnbucano de Mello.
Escnvaas por devucao.
As Exmas. Sras. :
D. Emilia Maria da Silva, filha do Illm. Sr. Firml-
no Antonio da Silva.
D. Benvenuta TheophiU de Oliveira, filha do Illra. |niJj esmerava-se enra axcesso extremoso em cria-
appellado, i A Exma.
Costa.
Sr. Joo Gomes de Oliveira.
D. Floroda Eulalia Siqueira.
D. Flora Jesuma Rodrigues, filha
quim Antonio Rodrigues.
D. Guioniar Rodrigues dos l'razeres.
Juiz por eleigo.
O Illm. Sr. Candido AlTo.-o M n-ira.
Juiza por eleico.
A Exma. Sra. D.Maria, lillia do Exm.
vramento.
Escrivo por eleicao.
O Illm. ^r. Francisco Salles de Andrade Luna.
Escrivaa por eleicao.
Sra. D. AlexanJrina de Siqueira Res
do Illm. Sr. Joa-
fi*
baro do Li-
Thesoureiro.
O Illm. Sr. Flrmino Antonio da Silva.
Procurador geral.
O Illm. Sr. Francisco Severino da Costa.
Procuradores.
Os Illms. Srs.:
Basilio Manoel de Jess.
I Antonio Rufino Leiie.
Fraucisco Gomes de Figueiredo.
, Pedro Jos de Siqueira.
Joo Nepomuceno Coelho da Silva.
! Manuel Vendes da Cruz Guimares.
Francisco Bapn-ta dos Santos.
i-
o
o
TUBtlj\AL !>0 C'JIlfflERCIO
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 27 DE
NOVEMBRO DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
ANSELMO FRANCISCO PERBTTI.
s 10 horas da manha, estando reunidos os Srs. Aolllio Raymuodo de Oliveira e S.
deputados Rosa, C Alcuforado, Basto e Miranda }^0 prer da Silva.
Leal, o Exm. Sr. presidente dec.larou aberta a ses- DuiI1Mll{us Gomed de Faria.
sa9-., Jeronvmo Ferreira ds Santos.
Lida, foi approvada a acta da sessao antece- Aulmo Ja Crui jot dos Reis.
dnte- Mesarios.
EXPEDIENTE. 0s [|||n.. SrS.
Oflicio da junta dos corretores, acompanhado da J> Jen,nYra0 Bustoi 1T.
Rtacao dos precos orrenies da praca dusante a MP L. Busiurff.
semana prxima linda.Archive-se. ; j0. xiial^s de Mello.
ur.sPACHos. VSstevao Jorge Bapllsta.
Requenmento de Manoel Jacques da Silva, pe-
diodo que se mande registrar o seu lrtita de cai-
, xeiro despchame da casa comraercial de Tiiomaz
Jeflenes.Como reqoor.
tem de Manoel Antonio Vieira e Narciso Jos
Nelto, que tendo
ciedade mercantil
de louca, silo na ra da Cadea do Recite.n. 29, j^ Mariins Pinheiro.
.>/rtSCM0.
s
pi
O O
ir. rs
1 1 - . - i _ Feminino. : O Vi o 1 i 3 -i o
1 .1 81 . . - 1 w Masculino. fn
| 2 . a s Feminino. 30 es
1 i SI 1 l -t SI TOTAL.
sob a razo social de Vieira \ Netlo precisam que
seja admettido a registro o distrato que junlam.
Vista ao Sr. desembargador fiscal. '
tem de Eduardo Marques de Oliveira e Joo'
Luiz Ferreira Ribeiro, para que se admita re-
gistro o contracto de dissoluco da soeiedade com-
mercial que linham as tabernas da ra da Sania
Cruz n. 2 e 4, que gyrava sob a firma de Eduardo
Marques de Oliveira & C Regisire-se.
i Nada mais houve.
ADVERTENCIA.
Na totalidade dosdoentesexistem 17a, sendo 100
bomens e 75 mulheres.
Foram visitadas as enfermaras estes das :
As 6, 6 1|i. 6, 6 l|f, 7, 6,pelo Dr. llamos.
As 9, 8 3|i, 8 l|i, 8, 6 l|i, pelo Dr. Sar-
ment.
Reparticao da polica.
Ext acto das partes do dia 28 de novembro
de 1865.
Foram recolhidos a' casa de delenco no da 27
do correte:
A' uidcrn do subdelegado do Itecife, Paulo Bap-
lista de Medeiros, Lmz e Francisco, Africanos li
Tres, para eofreeco.
A' orden do de S. Jos. Antonio e Joaqnim,
escravos, este de Jos Luiz d'Azevedo e aquelle de
Jos Antonio, lamneni para correoso.
A' ordem do da Boa V'sta, Ignacio G >mes da
Foiiseca. igualmente para corrern ; e Raymuodo,
escravo de J.* Matheos Ferreira, a requerimeuto
d'e-lH.
A' ordem do do Peres, Joo ou Jos de Oliveira,
por su-peito de ser desertor ; e Joanna, escrava
de Mana de tal, por lugida.
A' oidem do do Poco, Anlonia Maria da Concei-
Cro, para correceo.
O chele da 2" seceo,
J. G. de Mesqnila.
SESSAO JUDICIARIA EM 23 DE NOVEMBRO
DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
A. F. PEI1ETTI.
Secretario, Julio Gmmares.
As onze horas e meia Ja manha o Exm. Sr. pre-
sidente declaroo aberta a sessao, estando reunidos
os Srs. desembargadoies Silva Guimares, Res e
Silva e Acciob, eos Srs. depulados Rosa, Caudido
Alcuforado, Bastos e Miranda Leal.
Lida, foi approvada a acta da precedente ses^ j
sao.
Assignou-se o aecordo proferido na ultima ses-
sao no fet.i entre parles :
Appellantes, os administradores da massa fallida
de Amorim, Fragoso, Sanios & C ; appellado,
Samuel Halliday.
JULGAMENTOS.
Appellautes, Manoel Antonio Nogueira e sua
raullier; appellado, Joo Pereira Casteilo Branco.
Adiado as sessoes de 20 e 23 do correute.
Nao se lomou conbecimeoto da appellacio.
Appellante, Luiz Amonio de Souza Ribeiro ; ap-
pellado, Manoel J isquim Rodrigues de Souza.
Adiado na ullima sessao. Adiousede novo a
pedido do outro Sr. depolado.
Appellanie, Mauoel Joaquim Baplista ; appella-
do, Joo de Almeida Lima.Adiado na precedente
sessao. Retirando se da sala das conferencias o
Exm. Sr. presidente, assumio a presidencia o Sr.
de>einliargador Reis e Silva, smente para o pr-
senle jolgamento, e receberam-se os en bargos era
parle e em parle na i.
t lo, seu corago tra>bordava do prazer ao contem-
I piar esle filho ; purera a ma' estrella que parece
ter presidido os piimeiros das desuaiufancia, nao
cessava ainda de perseguir, esse filho querido que
ella lano preiava foi arrebatado pela morte a 22
de abril de 1854.
A morte delle foi um golpe mortal que ella sof-
freu, foi urna sella pungente que Ihe traspassou o
mavioso coraeo. Nao houve nada que a podesse
consolar Da sua dr, era oulra Raquel chorando a
morte de lilho sea querer consolar-se.
A 5 de ontubro de 1859, nasceu outro filho de
nome Manoel, com o nasciinento delle pareceu es-
quecera lembranca do primejro, ja nao fallava lo
aroiudo nelle, porm pouro durou esta MlisfaQSo :
a 10 de novembro de 1860, tendo amanhecidu seu
meigo filho, bora e alegre com essa alegra pro-
pna das ciianoas, pelas II horas da manha, foi
accornmetiido de urna forte horrivel convulsa ,
e as 3 da tarde desse mesmo dia ja nao exista.
Outra perda sensivel para cita, ontra setta aguda c
penetmnie Ihe abre o corago maternal, anida nao
cicatrisado pela morle do primeiro. Quantn mo
soffreu aquelle terno e corapassivo corago que
dores nao o amargurararo.
Ainda teve mais dous filhos, urna nascida a 18
de jullio de 1861, e fallecida a 30 do mesmo mez e
auDo, e o outro nascido a 3 de setembro de 1*S62 e
tambem fallecido a 10 de outubro do mesipo mez
e auno.
Assim vio ella todos os frutos de seu cohsorco
serem arrebatados pela morte um aps outro, era
um viverja sera alegra, erara lagrimas quintes e
sempre continuas que verliam de seus olhos ; ra-
da lilho que Ihe morria era um pouco de vida que
Ihefugia. A Providencia Divina tendo de a levar
para >, uilhe tiraudo pnmeiro os filhos que ella
lano os amava.
A 7 de outubro de 1863, nasceu o quinto fi-
lho que recebeu o nome de Augusto, ella desvel
lon-se extremosamente em cralo, todos os mimos
e cuidados foram distribuidos com elle, qualquer
pequeo incommodo que elle soffria, tcava logo
sobresallada, pensando ja que acoutecia o mesmo
que aos oulros.
Tudo issoeram presagios que ella previa soflrer.
A 2 de ao-to do crrenle auno, vio e.-le nlho uni-
i co, esta querida joa de sua alma, essa prenda ido-
latrada de seu oraeSo, esse mimoso penhor de seu
consorcio, ser atcalo de convulsoesdo mesmo mo-
do, que foi o segundo, vendo-o sem falla e quasi
morto, estorcendo as borriveis roovulsoes ; ella
desanimou, sollren um abalo terrivel era soasan
di-, nao se reluou mais do leito deseo fllbQ, foi
urna tonga ooite de vigilia, de angustias afB'CcS-s
e solfnmenlo.- para aquelle coraco lo penalizado
de dores e scutimentos.
As lagrimas seccaramlhe dos oihos, que se tor-
naran) lo vermrlhos que pareciara brasas vivas, a
dor concenlrou-se toda em seu macerado corago,
no da segrate ella eslava to doento ou mais aiu-
Uiti ramo de cypreste sobre a da do que seu inuo:enie uiho.
Celina da Exma. Sr. I. Joan- Sua snde ja um pouco alterada desde o da 2!)
t >., .....,r. no,,,, .. de julbo prximo passado em que foi assistir co-
na Afra de minao Reg, --u- II),inadn,;ilia a ; ,asaiuelUu ^ leve uIia 60B9.
I her do Hv. teoente nanoei np^g-jo que desenvolveo-se depois em sezoes a
Dionisio Gomes do RegO. i mortificaran) bastante, utnd) e-ta- a estado de
gravidez ein que eslava, foi mandada pelo medico
Eirdescubri nella mais agr- gUB a ,rataVa para o Recife, alim de mudar dear ;
e dos do que em todas as oniras on(je depois das conferencias que se lizera.m de
doncellas. Porque a-sim como e temiinaram que fosse para a Varzea com o fim de
o lyri. entre os espmhis assim melhorar ; alm dussulTriraentos que padeca ti-
a ininha amada era a mais bella
Joa i Januano Pinto de Azevedo,
Belmiro Gomes de Oliveira.
Juo Antonio Baptista.
Auostiuhu Pramdseo Gomes.
Maaoel da Silva Mend.mga Vianna.
dssoivido amigavelmente a so- G .,, j,i> lla Sllva Forte.
que tinham no estab-iecimen o pra*cisco ()I1,es rte oliveira.
Antonio Manoel d'Assumpeo,
Pro-parocho.
entre as outras mulheres.
Eu linsquei de noite no meu
leito aquella aquem ama a mi-
nha alma: busque-a e nao ache.
Cntico dos Cnticos cap. 2 t. 2 e cap. 3 r. 1.
Que silencio que solldo I que vizo I que fal-
la I nao sent aquella que ama quando penle a
ch.ra esposa I a eofflpanheira de seus das e de
seus prazeres 1 que saudades, nao Ihe repassam o
corago I ao lemhrar-se daqui-lla com qu>-m viva
em doce umo I em toda a parle se figura ver a
imag-m della aquem arnava I parece mesmo que
Ihe ouve a voz, aquella voz que Ihe era tan agra-
davi-l onvr, e que tantas yetes Ihe amenisava a
aridez da vida com as suas amavei e consolantes
reflexo-s : quantas vezes qur escutar e-la voz
T.lllll'WL 1>.V REIiACAO.
SESSAO DE 25 E NOVEMBRO DE 1865.
PRESIDENCIA DC EXM. SR. CO.NSELIIEIRO
SOUZA.
s 10 horas da manna, presentes os senhores
dese.rnbargadores Santiago, Gilirana, Guerra pro-
curador da cora, Lourengo-Sanliago, Molla, Assis,
Doria, Dcboa Cavalcanii, Domingues da Silva e
Ra rus Vasconcellos, fallando o Sr. desembarga-
dor Alineida Albiiquerque, abrio-se a sessao.
Pa-ssados os feitos, deram-se os seguinles
JULGAUeKTOS.
Revista .civel.
Recurrente, Bernardu Rib'-iru Nunes ; recorrido,
5oo Bernardo Nugueira d- Souza. Sorleadus os
Srs. di Nernbargadures Domiojiuesda Silva e ltarro6
Vabcoucellos..Julgaram a favor do recurrente.
Da de appartzer.
Amellado, Felippe Mena (Jalado da Fouseca ; ap-
pelunte, D. Rita Francisca de Carvalho Paes de
Amirade.DeserU a appellago.
Appellado, Joaquim Luiz ieira: appellante,
Jos Francisco
gao.
AppeUacoes crimes.
Apuellaate, Antouio todrigues da Silva ; appel-
lada, Francisca Pauliua de S. Oi.A novo jury.
Appellanie, Manoel litmes de Mattos ; appella-
a jostica.lmrocedenie.
Appellaeoft civeis.
Appellaoles, a viuva e nws de Luiz Gomes For-
ren a ; appellada, a fazeoda. Reformada a sen-
^^S^^%^.l^ Eleicao dos devotos e devotas
formada a seoienga.
Aiu-ilames, os herdeiros de Francisco Ferreira
de Barros Campello; appellados, os herdeiros de
Caetano de Barros Wanderley. Reformada a
sent^nga.
menlam as saudade> I nesla solaco o nico ali-
vio que Ihe resta orar a Deus por ella, ullima
Appellaoles, D. Maria Rita da Cruz Nevese ootros; le jnlga soar-lhe dos ouv.do.. ou WMV Ima-
appellada, a directora do Novo Banco de Perna.n- gem que suppoe ver d.an.e ^^""^
boc .-Adiado a pedido de un. dos senhores depu- '!""H":") "J,s rtl? W* ," enam' d^ '"^"L"l '
lad0l r anda mais Ihe aviva a lembranga, e mais Ihe aug-
Rec.orrenle, D. Anna Luiza de Mello Rarrelo ;
recorrida, a commissao admiuisiradura da massa
fallida de Gomes & Filhos.Adiado na sessao pas-
eada. Adiado a pedido de outro senhor depu-
rado.
Appellante, Joaquim de Azevedo Maia ; appel-
lado, Antonio J;- de Figueiredo. Adiado a pe-
dido de um dos senhores depulados.
Appellante, Francisco Santiago Ramos; apiiel-
do, Joaquim Elvno Alves da Silva. Adiado a
pedido de um dos senhore depulad s.
Appellaoles, os administradores da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Sanios & Corapanhia ;
appellado, Amonio Alves de Moraes.Foi confir-
mada a >enleuga appellada.
Appellante, Virginio Barbosa da Silva ; appel-
lados, Carioso <& Souza.
Appellanie, Jos Pereira de Araujo ; appellado,
Jos Alves de Faria.
Adiados a pedido dos Srs. depulados.
PASSAGENS.
Do Sr. desembargador Silva Guimaies ao Sr.
; desembargador Accioli :
Appellanie, Virginio Barbosa da S.lva ; appella-
' dos, Cardoso A Souza.
Do Sr. desembargador ilva Guimarei ao Sr.
Dba de mais a mais um grande fastio que nao Ihe
consenta tomar alimentos de qualidade nenhum,
e que acompauhou-a cm todo o decurso e sua
molestia.
Todos os recursos da sciencia foram emprega-
dos iielo medico assi.-teule, afim de a poder salvar,
porm o Omnipoteule que ja a liuha reservado pa-
ra seu seio, nao foi servido que elle consegutsse
por-la boa : foi ainda oulra vez para o Recife, oo
de falleceu na graga do S'iilior a 19 do andante
mez depois de ler receblo os sacramentos da
igreja com a devocao o coutriegao de urna alma
cheia de esignago e embuida em iodos os priu
ripios da religido chrisla. Assim acabou os seus
das na flor dos anuos a Exma. Sra D. Joanna
Aira de Gusmo Reg, alma cartdosa, bemfazejae
esposa digna de todo o merecimento por seus eos-
lomes honestos e virtuosos ; liuha um genio obelo
de dogura, alfabilidade e mansKu ; era urna fillia
obedieiile, bairmaa e carioliosa mai, deixa um
lindo filho de leura idade e coberto de luto, qu-
era os encantos e meiguices de seus dias no qual
lica estampado o seu semblante.
Eda era de estatura regular, tinh a-cr alva,
consolago das almas religiosas que se vem cheias os cabellos louros e abundantes, a testa larga, as
de angustias e afflioeSes. sobrancelhas arqueadas o bem cheias os olhos
A mnlher um canuco elerno de Deus : urna grandes, pretos e de um vivo hrilhante, o nariz de-
ba rmonia dos anjos, a nica saudade que o homem licado, as faces e beigos rusado-, a bocea pequ na,
leva para o tmulo ; ou finalmente um lyrio celes- os denles de crvstal, curtos e iguaes.
le que o sopro da vida faz pender para ocu. Ao Fioalili>emos eslas linh-is com os seguintes ver-
entrar-nos na vida, e ella qnera nos recebe nos sos tirados da sequencia da mlssa de finados :
bracos, quem nos emballa no seu clo, quem nos
alimenta no seu seio, quem nos enxuga o primei-;
ro pranto, quem nos rodea de seu* cuidados o ber-1
godeno- da velhice: sem ella nada seriamos neste mundo.
Como nao se v solitario aquelle que perdeu a coo-
sorle a quem se uni pelos sagrados lagos do ma-
trimonio I que auzencia nao senle elle I
C-m os olhos ainda hnmi lecidos de lagrimace
o corago tranzido de dr I varaos desfolhar algu- gua de Florida dft HorraV C !- Illliail.
Entre os vossos escolbidos
Sua alma d-p-.-ii.u ;
Para sempre aparlai
Dos que forem excluidos.
Olinda, 25 de novembro de 1865.
A jn rabeo.
As virludes IheraPeilticas da jurubeba sto desde
muao conhecidas nao sn*o Brasil, pois que deltas
Iralou Pisn em sua excellente obra Historia na-
turalis et medica Indios occtdentalts, seno as
Anlilhas, onde o sueco das folhas e fructos como
aqu, muito estimado e appbcade contra as obs-
truccoes abdominaes, principalmente do ligado e
bac-i ; e se todos os-facultativos desta provincia o
n.io applicam com frequencia, isto se nao devea
oo reconhecerem elles essas virtudes, mas slm a
nao serem encontradas com facilidade e era todas
as rstagrjes do anno os fructos dessa planta, e a re-
puguancia, que apresntam os deenles em fazer
oso do sueco desses froctos, em consequencia de
ser extremamente amargo.
A jurubeba nao descotmecida dos botanistas :
esta planta pertence familia das solaneas, e lem
a denominagao de solanum pamculatum, que Ihe
foi dada por Lyneo.
Parecendo-uos conveniente facilitar o nso do
sueco dos fructos da jurubeba, que o mais em-
pregado, nos propozemos e conseguimos preparar
com elle nao s um extracto alcoolico que pode ser
pplieado em pilulas, mas tambem um vinho, um j
xarope, e um emplastro que pode substituir, em
certus casos, o de Vigo ; e estamos persuadidos que (
com isto prestamos um servigo humanidade e
hterapeuiica.
Pisn, tratando da hydroppsia, prescreve a de-
cocgo das raizes da jnrnbeba, e Moral e Delens,
em seu Diccionario de materia medica e therapeu- i
fica, dizeoj que has An'ilhas se faz uso do sueco I
dos fructos maduros dessa planta contra o catar-
rho vesical ; e a autoridade dos nomes desses me-'
dicos, merecidamente celebres, nos leva a crer em
9uas palavras, e por isto cuidaremos de ter em
nosso estahelecimento essas raizes, para que possam
>er experimentadas.
A r>ppoiago da jurubeba tal, e os resultados
therapeuticos oblidos ltimamente sao lo imp'or
lames, que nos parece intil dizer mais do que
isto, que flea escriplo.
Deposito: pharmacia de
Joaquim de Almeida Pinto.
Bit:ancoui t. Deserta a appella- i desembargador Re.is e Silva .
App<-Hanle, D. Candida de Mello Lins; appeiia-
i da, D. Z-ferina Mana de Jess.
Nada mais bavendo a tratar, o Exm. Sr. pre-
sdeme enoarrou a sessao urna hora da tarde.
PUlUElyOES i PEBIBS
DILIGENCIA CRINE.
vista ao Sr. desembargador promotor da
Com
justica
Ac appellagdes crimes.
Appellante, Maaoel do Reg Trigoeiro ; appel-
lado, Rufino Lopes da Paz.
Appellante, o promotor; appellado, Alvaro Er-
nesto de Carvalho Granja.
Apiiellanle, Antonio Ferreira Pinto ; appella-
da, a justica,
que tem de festejar o Glo-
rioso Martyr S. Sebastifto
erecto na igreja de N. 8.
do Pilar, no anno de 1865
a 1866.
0 Illm. e Rrm.
sumpgao.
Jniz perpetuo.
Sr. padre Antonio
Juiza perpetua.
Manoel d'As-
maN pealas de rosas e saudades sobre a campa da
Exma. Sra. D. Joanna Afra de Gusmo Reg, que
voou a manso dos anjos no da 19 do correle, o
Todo o Poderoso atenha em sua bemaveoturanca.
Esleve bem longe de nossos presentimentos que
leamos de registar a" anglicas virtudes, distinc
las e sublimes qualidades que adornavam a pes^a
da saudusa fallecida I Quando pensaramos que
tanta mocidade se devia acabar to ced e em to
pouco lempo I
A vida della foi eogw a fl >r que abnu ao ama-
onecer do da e cabio antes de murcttar. O que
a vida, um euigma, que a morte vem decifrar. A
morte e.-la rredora inexoravel e cruel que a nin-
guem excepitfa ; ella pi
lo-o palacio dos reis, e a humilde cabana do po-
bre. Nem as honras, as riquezas, ouorazeres, nem
o vicio valente da mocidade, nem a belleza e deli-
cadeza do sexo, ou a forca alhletica do homem ro
busto, podem resistir a to impiacavel inimigo na
saa mis-So horrivel. Oh morte quao amargosa e
a tua bmbraoca.
A ti de maio de 1836 veio a luz do mondo na
cidadn do Recife a Exma. Sr. D. Joanna Afra de
Gusmo Reg, filha legitima de pas (Ilustres e de
alguma aha Os primeiros diac de sua infancia foram logo en-
voltos no crep pela morle de seu pai que soc
rumhio vietima de um pellouro do sicario oo sen
enge.nho Maogulnho em Barreiros.
Perdendo sea pal em ISo tenra Idade, nesta ida-
de era que as enancas pooeo ou nada sabem ava
JURUBEBA.
A jurubeba urna das substancias medicameu
tosa, ao reino vegetal, e pertence elasse
dos tnicos e desobstruentes, sendo em prega
aa com vantagem contra a.- febres intermitentes,
a.-ompaohadas de engjrgitamenlode ligado e bago.'
Ella tem sido appliradl com incontestavel proveilc j
cuutra a anemia ou chlorose, e hydropesia, catar
rho da bexiga e mesmo para combater a menstrua
gao difiicil, resultante da mesma anemia ou chic
rose.
Extrato alcoolico de jurubeba.
Emplastro idem.
Oleo idem.
Tintura idem de idem.
Xarope idem.
Vinho Idem de idem.
Punas de ext. idem.
Deposito, pharmicia de Pinto, ra larga do
sano o. 10.
do bairro de Santo Antonio, a presidente inte-
rino do collegio desta cidade, em viitude da
le, etc.
Fago saber qne, pela cmara municipal desto
municipio, me fui remedido o offlcio do theor se-
grate :
Pago da cmara municipal de Recife,23 de agos-
to de 1863.
Illm. Sr.Ilavendo o Exm. presidente da pro-
vincia por portara de 16 do crreme, convocado a
nova assembla legislativa provincial para a pr-
xima legislatura, que tem de foncrionur nos an-
uos de 1866 a 1867, desigoade o dia 7 de Janeiro
prximo futuro, para a eleico dos membros da
mesma assumbla, assim eommuoico a V. S.
para sua intelligenna, e a flu deque convoque os
eretlores desta fregoeria para o da indicado, de-
vendo V. S. ler em considerago o que dispSe o
an. 2. do decreto n. 2033 do 1. de setembro de
1860. J^-
Deus guarde V. S. Illm. Sr. capilo Luiz Ce-
sario do Reg, juiz de paz mais volado da fregaezia
de Sanio Antonio.Luiz Jos Pereira Simoes, pre-
sidente. Francisco Canuto da Boaviagem.
Em cumprimeiito do que, e como presidente in-
terino do collegio, convoco aos eleitores das fre-
guezias de S. Frei Pedro Goocalves, de Santo An-
Anlonlo, de S. Jos, dos Affog'ados, da Varzea, de
Sanio Amaro Jaboalo, de Moriheca, de S. Loa-
rengo da Malta, do Pogo da Paorlla, e da 1i.,a-
Vista, que conslilue o referido collegio, afim de
que comparegam na igreja matriz de Santo Anto-
nio no dia 7 de Janeiro prximo vmdonro pelas 9
horas da manha, para que procedan) a urgani.-a-
Co da mesa, e mais actos relativos a eleigo dos
membros assembla provincial, conforme deter-
minan) as leis resperlivas.
E para que rhegue ao conhecimenlo de todos,
maudei fazer o presente edital, que ser afRxdo
nos lugares mais pblicos desta freguezia, e pu-
blicado fel inqirensa.
Recife, em a freguezia de Santo Antonio, 25 de
novembro de 1865.
Eu Joaquim da Silva Reg, escrivo que o es-
crevi.
Luiz Cetario do Reg, .
Juiz de paz.
a
OMMEiOIO.
pra;a do recife.
Cotacrs offlciaes.
28 de novembro.
Algodo primeira sorte165, 16200 e 160500
jior arroba.
Cambio sobre Londres 00 d/vista 27 3|4 d. 28 e
28 1/i por 1>000.
Dubourcq Jnior^
: Presideute.
Guimares,
Secretario.
Hoto banco de Pernam-
buco.
0 Novo Banco descoma letras a 12 por cento
ao auno, e toma dinheiro a prase fixo ou em coo-
la correute pelo premio e conaigoes que se con-
vencional
Caia filial do banco do Brasil em
i ernaiutiuco.
A cana descoma as letras de seu aceite pela
tai xa de 9 0|0 ao auno.
Oguarda-livros
Ignacio Nunes Cjrreia.
alpandega.
Rendimenlo do dia 1 a 27...... -571:3l5A"i5
dem do dia 28............... 2h:312520o
599:6270950
MOVIME.VTO DA ALFBEGA.
Volumes entrados com fazeudas,.
t t com gneros...
Volumes sahidos cem fazendas
c t cora gneros....
19
342
------- 536
103
392
-------496
As senhoras que esto acosluraadas usar poz
de arroz, que s faz inturaecer o rosto, leando
os poros da pelle, privando a evaporago da su-
perficie: obrariam com jnizo em pOr inteiramente
de parte semelhante ingrediente, substituindo em
seu lugar este puro cosmtico floral; o qual nao
s perfuma a pelle com urna fragrancia tito fres-
ca e deleitavel como o respiro e cheiro das flores
meias abenas; mas sim tambem faz remover to-
das as maculas que deslean) a formosura das
feigSes, dando aos vasos superficiaes um aspecto
saudavel e vigoroso, restiiuiudo s feigSes a pri-
mitiva cor rubicunda e inacia, dando-Ibes urna pu-
ra e linda transparencia e ela.it>cidade.
Todas essas aguas adstringentes, pos e pomma-
das, etc., do dia, nao fazem mais- do que arrumar
a pelle e estragar a. formosura contaminando mais
tarde ou mais cedo a propria sade; em quanto
que a tendencia desta agua saudavel e aromtica,
inteiramente opposta.
Quaado mixturada n'um pouco d'agua, torna-se
nm excellente e exquisito mel de lavagem, para
os denles e gengives, dando a bocea e ao paladar
um delicioso gosto aromtico. (Em consequencia
das muitas imitae<5es que por ani exislem, recom-
mendamos as pessoas qne compraren) esta excel-
lente agua, teaham o cuidado de ver e examinar
que os nomes de Uurray & Lanman se achem
devidameote inseriptoe sob cada envoltorio, letrei-
ro, e at mesmo gravado no vidro das proprias
garrafas, e na falta dos meemos, claro est que lo-
Descarresam hoje 29 do crreme.
Galera franceza Solferinamercadonas.
Barca ingle/.a Union farinha de trigo e bola-
cbiuba.
Brigue ioglez Carne M. L carvo de pedra.
Birca inglezaAcea-idem.
Barca ingbzaAnne Hay idem.
Patacho uorluguez Furtocharque.
Barca nacionalhialina idem.
Brigue porluguez /*pro(so -idem.
Importaeo.
Barca ingleza L'bioh, enlianla de Philadelphia,
consignada a Matheus Au-tin & C, manifeston o
seguidle :
2,000 barricas arinha de trigo, 300 barriqninhas
bolachinha, li volumes machinas para padaria, 1
fogo e 1 volume obras de prala ; aos consigna-
tarios.
fliate brasiieiro Graciosa, entrado do Aracaty,
consignado a Barlhoiuineu Lourenco, manifestou o
seirniute :
18 saceos com 68 arrobas e 10 libras de algo-
do ; a Alfredo & M.ilheus.
16 saceos goinma, 65 arrobas e 3 libras, 6 cou-
ros salgados, 122 ceunutius cortidos; a Luiz de
Farias.
95 saceos com 5ii arrobas e 7 libras de algodao;
a Prente Viauua & C.
100 caixas com 100 arrobas de velas ; a viuva
Horeira & Filhos.
660 meios de sola. 150 saceos cora 614 arrobas
e 2 libras de algodo; a Francisco Amonio Go-
mes de Mallos.
20 saceos com 80 arribas e 21 libras de algodo;
a G-meato Jos Affon>o.
122 saceos com 530 arrobas e 21 libras de al-
godo, 50 meios de sola ; a Jos de ba Leilo J-
nior.
Brigue nacional Tigre, entrado do Rio Grande do
Sul, consiguado a Bailar & Oliveira, manifestou o
segrale :
7,9i2 arrobas de charque, 60 couros vaceuns,
200 chifres de uovilhe-s ; a ordem dos mesmos.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBCO.
Rendimenlo do dia 1 a 27...... 26:1035359
dem do dia 28................ 1:333*231
27:436590
(.CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimeuto do da la 27....... 7.">:7I99I6
idem do da 28............... 3:4io589
79:1655305
Liar as perdas qne soffrera por maiores que sejam ; da a mais e falsa e para nada serve,)
tic.'i privada dos zelos e cuidados daqraelie que Veode-se Das pnarmacias de Caors de Barbosa e
A Eima. Sra. D. Vi.-g^nia Dorolbea de Almeida, es- meltwpoda guiaros primejrospasso de uaexis- i. C. Braro & C.
MOVIMESTU gg FWO
A'arios entrados no da 28.
Aracaty25 das hiate nacional Graciosa, de 90
toneladas capitao Cosme Rodrigues da Costa,
equipagem 8, carga algodo e oulros gneros; a
Bartholomeu Lourenco.
Montevideo 21 dias, barca nacional Sania Maria,
de 226 toneladas, capitao Francisco de Assit
Gongalves Penna, equipagem 13, carga 2,056 quiu-
taes hespanhoes de, came ; a Amorim Irmo.
Philadelphia49 dias, barca ingleza L'ni'on de 183
tonelads capitao Heard, equipagem 10, carg
2.000 barricas com farinha de trigo ; a Malbeus
Auslin & C.
Navios sahidos no mesmo dio,
Rio-Grande do NorteBrigue ingl< z TktrmxUis, ca-
pillo Wiiliam Johnson, em lastro.
IDIT1SS.
O capillo Luiz Cesirio do Reg, jniz de paz mais
volado da freguezia 4o Santissimo Sacramento
Sina Casi i Misericordia do Kctif.
A Illm.* junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife manda fazer publico que
no da 30 do crreme pelas 4 horas da tarde as
salas de suassessoes tem de ir a praca as rends
das casas abalxo declaradas por lempo de 1 a 3
anuos a contar do 1 de julho do correle anuo por
dame.
Ra Direita.
N. 8publico e 3 particular.. 1.0675000
Ra do fadre Floriano.
N. 49 publico e 5 particular. 186,5000
N. 47 publico e 6 particular. 186J000
N. 45 publico e 7 particular.
N. 43 publico e 8 particular. 169^000
Ra do F gundes.
N. 34 publico e 12 particular. 145,8000
Rna dos Pesradores.
N. 11 publico e 16 particular. 216,5000
Ra das Calcadas.
N. 38 publico c 22 particular. 157^000
Rna das Cinco Ponas.
N. 108 publico e 24 particular. 2315000
Ra de Sania Thereza.
N. 7 publico e 31 pariicnlar. 1985000
Ra da Imperatriz.
N. 68 publico e 47 particular. 3005000
Ra da Senzala Velha.
N. 21 publico e 71 particular. 1465000
Ra Direita.
N. o pob'ico e 82 particular para
lojadolado da P.mtta..... 1685C0O
N. 7 publico e 33 particular segun-
do andar......... 1005000
Ra do Apollo.
N. 94 publico e 91 particular. 1:4005000
Ra Velha.
N. 27 publico e 96 particular. 965000
Ruado Rosario.
N. 26 a 34 loja o. ID. .. ~. 4785000
Os pretendeutes comparegam no mencionado dia
com os seus fiadores uu com carta dos mesmos.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife 25 de novembro de 1865.
O offlcial,
___________. Mauoel Antonio Viegas.
Santa Casa da Misericordia do Recife
De ordem da nota admnistrativa da Santa La-
sa de Mis- ricoroia do Recife convido as pessoas
que quiz-rem arrendar as casas abaixo declaradas
fatendo os congeries a sua custa para serem des-
contados dos alu>;ueis a comparecerem nesia se-
cretaria a* 4 horas da tarde do dia 23 e 30 do cor-
rente mez, sendo ditas casas perlencenles aos es-
tabelecimentos de candade.
Ra Direita.
N. 33 pubiieo e 4 particular.
Ra do Azeile de Peixe. ,
N. 1 publico e 53 paiticular.
lina dos Rurgos.
N. 2 publico e 57 p rtirular.
N. 13 publico e 58 particular.
Ra do Pilar.
N. 72 publico e 59 particular.
Roa do Pharol.
N. 72 publico e 60 particular.
Secretaria da Sania Casa de Misericordia do
Recife 21 de Doveatbro de 1865. ,
O offlcial,
____________Manoel Antonio Viegas.
Santa Gasa de Misericordia
do lecife.
A illusirissima junta administrativa da Santa
Casa de Misericordia do Recife, maoda convidar
aos prente* ou intereSSados das orphas abaixo
declaradas comparecerem sem perda de tem(.o,
na secretaria da mesma Santa Casa, alim de assi-
narem o termo de responsabilidade pan o effeito
da di posigao do | 3." do artigo 66 da lei proviu-
cial n. 596 de 13 de maio do auno passado
Isabel, lilha de Arenrmela Bernardina.
Antonia, lha de Diogo Soares de Albuquerque.
Rosa, pupilla de Jos Alves Barbosa.
Cosaria, enttada de Mana Januana da Conceigo.
Goilbermina, dem.
Firraina, filha de Francisca Silvina de Barros.
Emiba, afilhada do Dr. Francisco Jos Fernandes
Geliraoa.
Henriqueta, Glha de Manoela Maria do Espirito
Santo.
Emilitaua, Alba de Francetina Maria B rges.
Maria, lilha de AlexanJrina Pereira de Soasa.
Poilomena, dem.
Antonia, tilha de Marcelina Francisca Guimares.
Honoria, filha de Leandra Thereza de Jess Barrus.
Adelaide, filha de Maria da Luz.
Secretaria da Sauta Casa de Misericordia do Re-
cife 25 de novembro de 1865.O offlcial, Mauoel
Antonio Viegas.
Juizo dos feit"s a fazcuda,
Quinta fera 30 do crreme, na sala das audien-
cias, erante o Illm. Sr. Dr. juiz des feitos da fa-
zenda ira' a praga por venda, a' quem mais dr, o
segrale:
A casa terrea na povoago do Barro, com 17
palmos de frente, 45 de funlo, 2 salas, 2 quartos,
quintal em aberto, por 455, penhorada a Francis-
co de Barro*.
dem na ra de S. Miguel n. 118, freguezia dos
Afogados, com 20 palmos de frente, 54 de fundo, 2
salas, 2 quartos, cozraha dentro e quintal em aber-
to, em ma'o estado, por 605, penhorada a Fraucis-
co de Paula porrea de Araujo, por Joaquim de Car-
valho Paes de Andrade.
Idem idem n. 62, era completo desmoronamenlo,.
avahada a vlsia do materiaes era 2005, penhora-
da a Manoel das Virgens Ramos.
dem de tahoas em Santo Amaro n. 17, freeoe-
zia da Boa vista, com 22 palmos de frente, 45 de
fundo, 2 salas, 2 quartos, cozloha fra e quintal-
era aberto, por 405. penhorada a Francisco Elias.
A casa lerrea sia no Arraial n. 31,-eom 29 pal-
mos de frente, 41 de fundo, 2 salas, 2 qoarto, co-
zraha e copiar, avallada por 605, penhorada a An-
tomo de Luna Castro.
dem na ra do Boui-flm (Olinda) n. 22, com ii
palmos de frente, 61 de fumo, 2 salas, t qoartis,
sem portas, e bastante arruinada, por t'5, panno
rada a Manuel Sirtioes.
dem na ra da Roa-hora o. 21, com 20 palmo'.
de frente, 4( de fundo, 2 salas, i quarto, cozraha
dentro, quintal em abeiio, bastante arruinada, por
255, penhorada a Irmandade de S. Benedicto.
dem de taipa na ra dos Pegos, Afogados. o. 8,.
em Bia'u estado, por 155, penhorada a Joanna
Maria dos Prazeres.
E por arrendamento o segrate :
A reuda anunal da melade do sobrado de um
andar na ra do Hospicio o. 14, pela quantia do
3005, penhorada a Francisco de Paula Correa da
Araujo.
--------.
j*.



ff'iro de Pemsambseo uaia Icira 39 le \overobro de i
Rio de Janeir.
A barca Jerm Palmra, de 1" classe, segas rom !
Tdem da nasa terrea sita na ra do Pilado. 81,
com 2 salas, 3 quaitos, quiuul coin porti\ avalia-
!h j.4K p*nlorlda a iruiandade de Nossa Se-; brevidade, e recebe alguma carga frea': iral*
nin i ?- a K.a c i se cora o consignalan. Jola Francisco a Silvt
Meen da casa ierren nos Arrorabados n. 6, ava- -
liada, a vista los comino los qus t-m, ero I20j, pe-
nhnrada aD. Marlaoa Grates doRourio Torres.
Mem da casa terrea na Capunga n. 22, *avaliada
LE LA
Novaes, travessar di Madre de eos d. 5.
tara o Kio de Janeiro
Vai sabir com hrewdade o brigoe -Adeiaide
por ter a maior parle de sea carregamenlo trata-
do ; e para o qi Ihe falta, trata M com o eonsig-
em 15000, penh .rada a Fraocisco Xavier de
Lima.
Id-ra no lugar denominado Chacn, n. 12, na
estrada de Saula Aun i, pela quaalia de 2004, pe- "naUrl a nhorada ao Dr. Joaquim Francisco de M-Ho Cava I- i do vigario n. 17, 1 andar. ____________
anti, por M;>noel Antonio dos Pasos e Silva. P.irn a P "vrn
dem da casa terrea na Casa F..rte, n. 9, pela j Xdla U L\)l IV,
nnanlla de 96$, penhorada a Jos Joaquim Kabollo j Deve sahir com brevidade o brigue portuguez
cu Ribeiro. ; Esperanza por ter a maior parte de seu rarrega-
dem das duas casas terreas na Campia da meato ja' tratado : para o resto e passageiros tra- i
roesma Casa Forte, n. 16 e 17, avahadas, a da pri-' ta-se com Cunha, Irmos C, na ra da Madre !
De ma eanO.vab-.ria, 9 arrobas .le velas de car-
nauba, 20 polacos de tahuas un balean, ana
relegto douru, imd corten*', um tranceln,
un, Hnello, um boto -de abertura e um dito de
ponfo
Quinta-feira 30 do crreme..
O agente Martins fara leilo por eonta e risco
de quem pertencer do- objeetos uim existentes
do caes do (tamos armazem n. 24, as 11 horas do
dia.
LLAT
De um estravo
Monte-Pi Portuguez.
A dif*e:>ria prooria communica a todos os in-
feres sado, qw acabara de sahir do prelo os esta-
utos da soeiedade, e rriie vai inmediatamente pro-
eadar-se a respectiva disiribuicao.
Sendo de toda a convrniencia a maior presteza
no recebiniemo d.is quanas subscripta*, a direc-
tora provisoria roga insumemente a todos os
dignos consocios qae obsequiosam- ule se pre
ram a coadjuvada ueste s-rvico, que inda nao o
ultimaran), toda a poftstval actividad*) no diiu re-
cebmeoto, alhn de que quanto antes se possatn por
em vigor os estatuios, e, slidamente consumida e
organisada a sociedad., mais cedo venba ella a fa-
zer sentir aos associados o seu benfico influxo.
A'quelles a quem poder interessar o aviso, ulga
m P1RAGU 4YOS
E' a ordena lo dia Acabar com os Para-
guayos a bayonela, a mini, a revolver;
fulmina-los com os encouracados armados
A'RUA DOCRESPON. $ te casas DO OOSTUMS de esporftes, armsliongs e raiadas de 80
a
mas
CASA DA FORTOu
Aos 6:000^000.
flilhete* atarantados.
tirec- Oabaixoassigna8oveudeui.os.seus muitofeii- 120; extermina-los r.m summa a esoada.
s seus es bilhetes garautidos da lotera que se acabot i r .. .. n, i,..i' a au lia ... ,, '
iresia- de exlrahr, a benelieio das familiasdos volunta- ''! i0 e d PU lhdl, e M.." >e traa ; m
funguen) se I mbrou anda de esuiagar os
Paraguayos co n as armas que Deus nos con-
| cedeti; acabar com elles a tacao e a pi nta
rios da patria, o< segukues premios :
Um inteiro n. 1120 com a sorte de 6:000j.
Dous quintos n. 2893 com a sorte de 1:200,8
Um meio n. 3389 com a sorte d.< S00A00O.
E outras muitas sortes de loo*, 40*. o* e I**' Va lue e f-ecessano encouracar esU
lOOOO. parte do nosso corpo c<>m os foiaiidaveis
Ospossuidores podem vir receber sens respec-1 rompe-ferro, esmaga e^ bra, arranca t< eos.

LEUDES.
rseira .ni 'i8. e a segundi em 3G5, penhoradas a de Oeos n. 1, ou com o capilo a
J aquim J (' de Santa Anaa
dem das casas terreas uos Arrombados, es. lo
e 16, ambas em mo estado, avahadas a de n. lo !
em 605, e a de n. 16 em 48$, penhora las ditas'
rendas a Joaquim da Silva Castro por Antonio Lo-
pes de Albuquerque.
Mem da casa terrea no largo do Remedio n. 3A,
avahada em 72J, penhorada aos hurdeiros deuae-
tana Maria Magdalena.
dem da casa terrea no P.t?o da Panella, ra da
Ca
nhorach a' viuva de Antonio Jo-e Cabral. I de
Recife, 27 de novembro de 1863.
O solicitador,
Joio Firmino Correia de Araujo.
bofdo
Quinta-feira 30 de novembro.
O agente Pinto levara' novamente a leilo
querim^nto de Filippe Meuna Callado da Fonseca nao muu ue iua; pelo que convira apressar-se| Acbam-se a venda os da 4" parte >
inveniariant e tutor de seus netos menores, e por cada um em saii-fa/.cr a r-siectiva joia, devendo i tena (40') benelicio da Santa Casa da Misen-! Borsegtlins Bordeaux......
anda convenible a ur.-, loria recordar qoe -da l'tivos premios sernos desecutu das leisuaCasa ntieiira marmore e rfitios una a re- *;oiniro 18o6 em diante a joia ser de 254, e. da Fortuna ra do Crespo n. 23. j (J"e"" maf B. .-*. 1 ^nfem
ase(.a nao mais de IOS; pelo ijne convira apressar-se | Acham-se a venda os da 4' parte da 5" lo-' lJ A llltll M-4a
Leilo
e 50 barricas com bolachioha
IIOJE.
O agente Pestaa fara' leilo por eonta e risco
luem nerleucer de 50 barricas com excedente
despacho doIllm. Sr. Dr ;ui7 d orphos. de iim oa nit-sina occasio reetber um exemplr d;s es-
escravo cabra de nome Mioo-I,servmdo de base o tatutos.
maior preco obtido no ltISo ant-rior, ao meio dia Secretaria do Moote-Pio forlugnez era Pernam-
do dia cima dito, no aromen) da ra da Cadeia buco, 22 de Loveiubro de 1865.
numero 29.______________________________^^ jS da Silva Loyo,
" Klf | ffc. i Presidente.
li 3^ li ; m. 5 r Joaquim Geiardo de Bastos,
De um crbriolet inglez de 4 ro las cora as-' retario.
bolachinha americana desembarcada ltimamente
a qual ser vendida em lotes a vontade dos com-
pradores : quana f-im 29 do correte pelas 10 Qumla-feira 30 de aovembro a 1 har e
GORREIO GERAL
Pila admimsiracao do correia desta cidade se
fai iKiblieo para flns convetentes, que era vfMode
do dispostano art. 138 do regularaento geral dos ;
crrelos de 21 de dezembro dj 18ii. e art. 9 do
decreto n. 785 de 15 de raaio de 1851, se proce- .
dei a o cousumo das cartas oxisfonles na adminis-
traen d corr io,pertencentes ao mea de oovmbro
de i861, no da 2 de deiembro prximo, as II
horas da manha, na porta do mesmo correio ; o
a respectiva lista se acha desde j exposta aos
interessados.
Adounisiracjio do correio de Perr.ambuco 24 de
novembro de 1865.
O administrador
Domingos dos Passos Miranda.
horas da manhaa no armaiem do Sr.
defronte da escadinha da aifandega.
Azevedo
sentos para duas a quatro pessoas em S0Ce(lade de SCTUrOS
perfeito estado e juntamente um cavailo
proprio para o mesmo.
ponto
mu-
Por interveneo do ager-} Pruo, em
armazem n. 29 da ra da Cadeia
De mobilias completas, trastes avulso*, obectos de
nuro e prata, candieiros a gaz, pian.is de mesa
e de armario, sinctoanos, commudas, marque-
zas, camas, sofas, e outros minios artigos.
a a| Quat t i-feira 29 do correut as 11 hoias.
OLYMPIO
30uua da adela lo eclfe3i
LEILO
tuos sobre a vida
mwm (f,\l
LtiLAO
De relogios de uuro patente ingle/, novos, coberlos
e descobertsa para horneas e senhuras, e tran-
celins de ouro para os mesmo*.
Quiuta-IViiii 30 -c novembro,
Hua da Cadeia aru.azem a. 29.
Southall Meilor & C. faro leilo por interven-
jao do agente Pinto e por c.!)nta e risco de quem
periencer de irTereutPS relogio< e trancelins de
ouro, os cpia-s sero vendidos para fechar factu-
ras, ao malo dia em ponto de dia cima menciona-
do no aruiazem da ra da Cadeia u. 29.
a cordia, que se eitrahra quiuta leira 30 do cor-
rente.
PRECO.
Rilhetes .... 63009
Meios......3000
Quintos.....1200
Para
patricio:-
para senhoras, en-
feiiH'los.......
com laco e fivella ..
; Sapatoes encouraeados.
as
pessoas que eoraprarem de 100(5000 | B -rseguins para meninas bom
e'ast co.................
Sapatos de lona, sola elstica.
8*000
b5O0O
5,5500
4^SOO
5^000
para cuna.
Bilhetes.....5*500
Meios......2.&750
Quintos.....13IO0
Manoel Martins Fiuza.
II
MARTIMOS
35' )0O
iO'OuO
IrtGOi
uoo
para se-
5500
3U0
E
O banco Atlianca do Porto tendoestabelecido es-
ta nocledade etwtico de sna immediata viilancia
e responsalnda.le, facilitnu a creaco de capitana,
diites, rendas, pensfies, iseneoes do servido das ar-
mas ele, por meio de suoseripcoe* nicas ou an-
nuaps, as onaet convertidas em inscripgoVs da di-
vida publica, de renda nacional, e da mesnia forma
os juros semeslraes que d'ellas se forera ronceado,
ficara por um certo numero de annos em deposito,
at que. Ando o prato estipulado, sao reslilui'las
aos sucios eom os inieresses amoiitoados, bem co-
mo as que periencerem aos associanos fallecidos, na ra do Vigario i). 4, pavimento terreo,
visto qoe d'estes sao berdeiros os sobreviventes.
CONTRA FOGO.
A comp;mhia Indemnisadora. estabeleci-
da nesla praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregame los, e contra
" fogo em edificios, mercadoriase mobilias:
avflluda/los
de lranea..
econmicos
nhoras..........T
com salto de lustre..
Cliineloes do Por o..........
Um comp'eio sor ime lo de calcado da
trra para booaeos. senlioras e meninas;
a>siin como be/erro francez, couro de lus-
tre, mairoquins, taifas de todas as quali-
dades, fitas para sap sola e couros que tudo visto ne-essariamen-
te faz cobica ao comp ador fela barateza.
Pela administracao do correio oesta cidade se Dt> Sdbiado C UIU ladar dil I'ia e S.
faz publico que em virlude da ronvengo postal
talebrada aeltts ovemos bcaaileiro e francez, serao
te un1/, pelo vapor francez Guuenne.
.As cartas sero recebidas at as 2 horas antes
da qae B*r marcada para a samda do vapor, e os
jornaes at tres horas ante5.
A Iminlstraeio doorreio de Pernambuco 2i de
novembro de 1865.
O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
OllMS DU'IlCilS.
Pe* repartic.i) das obras publicas se faz publi-
co para c-inheciraantd das pessoas a qoein possa
inlere-sar, i|iie nao sera permitido o transito de
vehculos e animaos entre a roa Nova e a ra do
Cali ij, nos das 30 de nov-^nbro e t" dj deiem-
bro. pira se coaclnir o ealeameotn uesse lugar.
Francisco u. 72.
O agente Martins fara' leilo legalmente aotori-
sado do sobrado de um ailar da ra de S Fran-
cisco n. 72, coohecido p-lo palacete onde ouir'ora
iiiuniu o Sr. Dr. Sabino, cora gran es salas,
qoartos, quintal e niuil brra collocado.
HO9S2.
As II horas na porta da Asoeiacao Commerrial
os pretendenles podem examinar o referido so-
brado.
imM
HOIE
Pelo fgenlc Ensebio.
De urna grande propniedade de n. 33 sita na ra
do Hospicio, contendo gran Jes accommodacoes,
Pela engenhosa combinicao econmica adoptada
De mOVeis, pianOS, loiICU e OttU'O* P- aos ealen'w desU sociedade, v se que, com urna
\. enkraila anmW Je 305000, por exemplo, olitem se!
IlgS Ue | Cerdelr Nintes a^OOaaHM), e. 15 :i::h 1030011 a 4:500*000, em!
por e> nta e risco de quem pertracer far leilo 8*KW**I0 lfMAKift.00. e 23 18:0003000 a
de movis novos e Usadjs, um piano de me.-a, 25:0U0S0-i0, fotTfbr-niu a idado tdivi-tao sobre
Inuca e ontros ohjectOS de gosto. lata 'I'101" f'"11 aegore, pon que nos referidos cal
Quinta-feira 30 do cor rento as
No armazem a ra da Cruz n. 57.
nvnro
L V
SLI1J.I iTAJl
Contrata-se mais 3,500 dormentes de
lileiif
I
madeiras de qualidades para o cammho de
11 toas.^u,"*|^?c?,n8ma,orou8,Hwr pwbabilida-;ferro de Apipuc-is: quem pretender com-
________; Esu^e^Vsouretu lo vanidosa aos chefes Pa^a a ra do Imperador n. 55, segundo
de fa. ilia, vi-t.i que Ibes facilita sein sacrificio a
fundago de um capital nn dote para sews Qlnos ou
Leillo
De cadeias deotiro, correntoes, relogios de Jas/asgcrdeea*guando oascen ou emqnanto
ouro Dplex, cruzes com brllhantes e
andar,
A ma
Secretar a da repartir) das obras publicas 28 lendo de frente 7 portas at para se faier
de noveaabro de 1865.
No Impedimento do secretario
Rodopiano F. C. Caluroby.
dous
sobrados independeates, por quanto tem os repar-
limentos que se. prestarn e terreno alm lodo 11111
rado com grande cacimba de boa a>ua, casa de
lunho, arvoretos e plantas proprias de jardim,
I bello rcreio e oulras vaotageus, que s a v.ta
podem iroelhor apreciar os Sis. predentes, para o
que >o.desde ja convidados ao previo exame, alim
do fazerem urna compra magnifica.
L
L2
smpreza-ooimbra
de 1805.
BENEFICIO DO ACTOR
Vire .liiaqmm da Silva Amaral
Represeotar-fe-ha o omito aoplaudido drama,
divid lo em 5 actos, de Duinas Flho
DAS CAMELIAS.
N 1 liui do drama o actor Araoedo, em scna
1 recitara' em obsequio, a inuilo applaudida
scen 1 dratuatica.
A cerraciio no mar.
Comecar as 8 horas.
Pelo agente Euzebio.
De 3 casas terreas de os. 1, 3 e 5 sitas na ra
do Hispicio, chao foieiro, rende cala urna 3003
Uiimta-eira .30 de uovembro nBua:________ ____
LEILA
de fazendas avariadas.
Boje 29 de navciiibra.
i\'a ra da Cadeia amana n. 29.
Soutliail Mellor Je C farao leilo por iotervescio
do agente Pinto, e por o >nta ri-co de quem per-
tencer de-madapoloe-', hamliorgos, cassas de qua-
dro-, paite dos fardos avanados a bordo da escu-
na ingleza CLARA, as 11 horas em ponto no ar-
mazem o. 29, da ra da Cadeia.
perolas
Cordeiro Kimes
por eonta e rb-cti de quem p-rleneer lar leilo dos
objectus cima mencionados, i>to
Amanhaa as 11 horas,
No armazem a ra da Cruz n. 57.
LEILO
urna armaed de toja
De
O agente Martins far leilo da arniac/io exis-
time ua loja da ra larga do Rosario n. 35, pro-
pria para qualqner qj" seja o negocio.
Sexta-feita I* de dezembro
as 11 horas da manbaa na indicada loja.
WWJ.O'.. MUTM
' t- i'< f< 'i 1*4.'
i.'-
l'osapauhiadas Heasageries Ieu-
perlalcs.
N-i dia 30 do;
.a*> ?* corrente inez es- ]
% ^k^ pera-se dos por-
~ ".._ '^^^ ls do sul o va ;
Y |t^^*jPjfcjs l'"r h*wel ("'
~^^?J^:*^8tiiSir^rMr """' fi0l"m;,n-
- dante Aubry de
la No, o qual,
depois da domo-
ti doco-ium- seguir para Rjrdeaux tocando em
S. Vicente e Lisboa.
Em S. Vicente ha um vapor em corresponden-
cia com Gore.
Para coodicede*. rretes e passagens trata-se na
t iica ra d i Trapichen. 9.
amlm BIIASILEIIIA
DE
PAQUETES A VAPOR.
K' esperado do. porto* do norte
- n ^\, al o da 7 de dezembro o vapor
Ja
Leilo
De lOOchnpcos do Cliili enformadis, ^om
fitis e forros, promptos para se deitar
na cabega.
Hije as II hora.
NO GRANDE ARMAZEM DL LE LOES
DO AGENTE
Do botequim ecasa de pasto na ra do Tra-
piche n. 28.
Sexla-fcira V de dczmibro.
Jos Rodrinoes de An.liade autoibado por seus
credoies fara leilo por Inlervencao dn agento
Pestaa de sea e>Ubelecimento de casa d>' pas'o,
botequim e armazem, eoasIsUnd em c rveia ern
garrafas, roiiie, hrond, ano, cidra etc., pipas va
lia, espanadares, mesas, I mea de cosioba e do
mesa, moliiiia de ca a e. mais ob|ectos e uteocilios
P'ilenceiit-- ao me-ino e que ge achara < p.it ntes
aos compradores piraj-erem vendidos a vontade :
sexti f-'ira Io de dezembro as 10 horas da unnliaa
na ra do Trapiche n. 2S, armazem e andares.
Leilo
De um bo oto cavado andador de baixo e
meio, co'ii seluo ems pertences.
Sexla-feira Io de detunbro as II or..s
SO GRANDE ARMAZEM DO AGENTE
SaQnem??i.s, mais crco.nsianciad s informages | J^f^r*''?^ 'T "a"? en0,nmar :
desf.jar sotoMa) soriwMe, ou se qu.zer inscrew ; u rua d" Tra,,,rhe D" 3h- 2 an1i,r-
eorno socio d'ella. dirija se a rua da Madre de : Quem precisar de um caixeiro de idade de
Deus n. 28, onde sepodera entender rom JuuCar- ''l annos com pratica de tabema, dirija se a rua
los Uoelbo da Silva, que para isso se acha encar-1 de S. Francisco n. 70_________________________
re" "______.____________. .... l'reci-a se de una ami para cozmliar : na
Fabrica de chapeos" de sol de 5. rua hrrA do Rosario n. ti.
Fi.lqup, raa di Crespo ii -4.
Nf-ti' animo e acreditado estabelecimeuto adia-
se semine um completo e vanado sortimenl. de
chapeos de sol de lo las as qnaiidades e oreos,
tanto de seda e alpaca, copio pao de todas as 'co-
res, ara bomens, se inoras c meninos. Quanto aos
procos sao os mai- razoaveis posslveis, tambem ha
um grande ortl cito de nagas de seda, alpaca e
pao para as peasnas que quizerem encoramendar
cha|ieos de sol e mandar cubrir armagoes servidas,
conc-rlam-se os m-smos, sendo todo e^e trabaiho
feito com toda a p-rfeico, presteza o conimodo
preco : ua rua do Crespo n. 4.
GAR8AUX DE LAILHACAR C.
Oh*erece-se urna ama |iara o scrvico inlerno de
casa e eozmhar : na rua das Trincheiras n. i.
PBDIOr"
Pede-se a nessoa que maudou pedir um scllim
emprestado ao Sr. .Manoel abel'o de Anuda com
cocheira na rua do Sol, o favor de Ihe mandar eu-
iregar.
l'recisa-se de um menino para caix iro
arinazem de louca do pateo do Trro n. 139.
no
!B!E FRANCAISE
Claa do crespo u v>.
LIVROS NACfOXAES E ESTIUNGE
Ja ser falsa, e nao papar,
'mro de 1665.
Jos Lniz da Cunta Ra-tos
nos
Roubaram no dia 23 do corrrnte, do armazem
Reli|iPiiiiOM)|)!iia Jinis.ruilcticia Littera- da rua da Cruz n. 57, 16 chapeos do'chile nm pon-
OLYMPIO,
36iti i da -a.lfj i ao n.-.iic .lo'
Leilao
De 7 barris com linguicas
HOJfJ"
0 asente Pesian a fara'i-iio por eonta e risco
de quem pertencer de 7 barris com excellentes
lingnicas, a qual sera ven llda em lotes a vontade
dos comprad jres : boj" 29 do corrente pelas 10
horas da manhaa no armazem do Sr. Azevedo de-
fronte da escadinha da aifandega.
36-RUA DA
KE'.IKE-o6
'>,'*
sa

CURSO ESPECIAL
DE
Oynpork, rnimandaule o capitao
De nm
numero 15.
O apente Martins far leilo competrnt-mente
tenente Castro Costa.o qual depois authonsado de um sobrado de um andar sito na
da demora do costume seguir'. rua da Concordia n. 15, com 2 salas, 5 qutitns,
cosinha fera, tendo no andar terreo os mesmos
rommodos, com tres qninlaes e cacimba e todo
elle muitu bem tratado, pois as salas esto forra-
das de papel (chao foreiro rende annualmente
As 11 horas na porta da Asso-iaco Commercial.
LEULAO
De fazendas avariatlas a saber*
14 caixas com castores e fazendas de alffodan ava
riadas a bordo do navio br.-sileiro ERNESTINA,
naufragado na barra do Acarac.
IIOJE
Na rua da Cadeia armazem numero n. 29.
O ageule Pinto fara leilo a requerimento de
,AE ^P-"rto dos portos do sul > Fetix Snuva-.-e A ti, por autorisaco do Sr. cnsul
al o da .10 do corrente um dos de Fran(.a ,. pur Cunla risco da pertencer
vapores da companhia, o qual de til caixas marca AFAC, com fazendaj de al-
depois da demora do cosame se- g^u (-asures), avanadas a bordo do navio ora-
itnira para os portos do norte. iiwiro ER.neSIINa. naufraga lo no Acarac.
ni-:1>.:a recenem se passageirs e engaja-se a, u leilo sera ellectuado as 10 horas do da aci-
car;;. me o vapor poder condttzir a qual devera \ raa dil0 no armazem da rua da Cadeia n. 29 em
PREPARATORIOS
para o* cstiidantes que devena
fazer aclo ca marco.
Jos Soares de Azcedo, ptofessor de
lingufl e litteratura nacional no Gytnnasio
Provincial do Recife, tem aberlo em sua ca-
h^h sa, rua Bella n 37, um curso especial dos
,, seguintes preparatorios, para aquelles e.stu-
sobr.-.do na roa da Loncordia '
em;
tura Scieiicias e arles.
Papelaria. objeetos para cscriplorio.
Em resposta de um protest foto u> Ju/noZ
.do Herifr, por Amonio Jj'aq.um di \'.im'oih-iIIos
sobre a venda da c-a e sitio no Pog i da Panella,
lson foicad a declarar todo quanlu diz respeilu.
Diz Antonio Joaquim de Vasconcellos qae com-
prou ao Dr. Manoel Innocencio Pires de F.gueire-
do Camargo una parte da mesan casa e sitio e a
de Vicente Tbomaz Pires de Fig leiredo Camargo
1 adjudicada pelo Jaita do cummerci.i, considerando
eu que os mesmos Srs nao podan) vender ditas par-
tese uem adjudicar, em raza > daparteqaeperteuca
ao Dr. Manoel liinnrenci > estar suieita ao sdl > de
beranca e na quii) parte daquantia de 3:096^,
que a lina 11 sua mam ttcon devendo como consta
'dos autos do inventario, assm coma a Vicente
; Tliomaz na o s sujeita a> tne-mas dividas como
i tambem por ter urna parte penh irada pela lazenda
i e julgaodo me eu senhor de tres partes da dita
casa e. i-redor da quanlia de 2:7005por IStO veollO
! peranie ao puljlico protestar contra a dita venda e
I adjudieaco, porquo ludo M^foi filo com lodo s-
; lencio o sein os outri s liefwlros tercio o menor
: conhecimento. Com mais vagar voltarei para dar
os c-clareciinenios necessarios. Recife 27 de se-
tembro de 1865.
co grossos e de diversos tainanhos, e 5 chapeos de
mass\ pardos: pede-se a quem for offerecido ditos
objeetos de os apprehender e dar setnela no re-
ferido armazem, i|ue ser recompensado.
i.
* :t
i
... ^
hc;m
Urna pessoa bem hbil na eseripiurac.ao commer-
cial, e que e-ta anda arromada, ma< que deseja
sahir por motivos justos, offerece-se para qualpier
loja de fazenda, ferragem, ou nutras casas, dando
girante ao bo-ii desempenho e a sua conducta :
quem qaizer anaoncie.
".. :.-
para os portos do sul.
Desde j recehem-se passageiros e enaja-se a
carga qoe o vapor poder condozir a quil dever
ser emiiarcada no dia de sua chegada, cncommen-
das e dinbeiroa frete at o dia da sahida as 2 ho-
raa : agencia rua da Cruz n. 1, escriplorio de An-
nio Lniz deOliveira Azevedo & (i.
o. freies de dinheiro para l'arahiba, liio Grao-
de do Norte, Cear e Macei, licam reduzidos a
Dinheiro papel. 1|4 |.
Ouro......lti "lo
Prata. ,__. 3i> ',________
CDMPANHIA BASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
dantes que tiverem de fazer eiame
margo prximo :
liiagua Franceza
Cicographla e Historia
Philosophla
Kbetorlea c Potica
As pessoas que se quizerem utilisar desta
vantagem, podem duigir-se indicada re-
isidencia, de manhiat as 9 horas, e de
tarde a qudquer hora.
TWTWEJl
003000,1:2
e 5000000.
PIJ1HO
Da barca iilii'leza Mira e Celia
21 -Caos 22 de novetuiro21.
Paulo Jos Gomes Mayer, por verem a ulili-
dade (jue podiam tir.r os proprietarios de a-
guns t"rrcnos devolutos, qne po' falla de meios pe-
cuniarios, t>m deizado de edidear, resolveram-
se arrematar parte de nrregamento de made-
r da barca ingleza Mira &. CeUa, arribada neste
porto.
A vantagem que offerece esta madeira, ser de
Antonio Itezerra Cavaicaolide Albuqnerque. urna s hitla, tanto em ro.-sura, comprimento e
largura, tendo I pollegada de grossura, o a 6 de
lariiura e 22 palmos de compriraenlo, e a duzacus-
tar 75- Portante pode-se fazer urna casa com pou-
CO diuheiro, e usufruir sh lucros niensaes, que at
ento n;io se percebia, por faltar este recuso. Mul-
tas casas nos suburbios da cidade, fetasde palhas
de coqueiro, muio melhor sera' agora, seus pro-
SiO'iii'AG ]VrtTtirriAe ITfli/la prletarios subslitai-la* por madeira, porque terao
flf PlllllOfl darem cmisi intrnente reformando-as. Os inqni-
^^ -*- *a.a>lJS3Hi |IQ0S fje;lr0 nmis tranquillos, porque os malditos
A directora para ezecugao da 2* parte do art. eros, nao atacaran fogo com tamanha facilidade,
41 e do arts. 2? a 27 e 42 dos estatutos, convida e por de. ta'aquella palha as sobreditas casas. Mui
aos s-nliores acaranleaa a se reunirem no ese.np- tas outras obras se podnro fazer com esta madei-.
lorio de-ta companhia, roa da liadeia n. 42, no dia ra, que sendo para eslarem ezpostas ao sol e a
30 do corrente ao meio da. ; ebuva, nao sao atacadas pelo cupiro, como temos
O alaixo assignado lendo no Diario de segunda-
fera, 27 do corrente. um annoiicio, m ijflal a viu-
va do Sr. Miguel A rebanjo R-isa Luna, marcineiro,
que trah.ilhou semure sob a sua inspecy.i como
:>en nffl ial, declara pertencer d ora em diaute a
ollcina da rua do Aragiu n. I ao uie-un>, pelo
qual sedeixa ver que era a dita uttniua oo loja
(i-.omo iliz no aununcio) prnprleda'te d> finido, de-
clara, |iara evitar duvilas e ibuaniann de quem
interessar possa, que a mesnM olli na s^inpre Ihe
perienceu. como pro Vara, se fu- n>'cessario, e nao
ao finalo Rosa Cima, que apenas |g irabalbava co-
mo quali|n-r ollici.il mi artista em oum ofinna.
Pranrisc > Actonm de Henexes.
O abaizo asslun i le i*i soient- Oo publico
que nenhuma letra nrmou, ou caiti de ordem dru
a pessoa alguma, e qualqner que aimarec.i protes-
ta ser-falsa e nao payar. Hntcns 17 de novembro
de 1863.
Jos Cuiz da Cunha B.-t s.
Preeisa-se dar sociedade a non -peoa qns
tenha liO e lenha planea de taberna : qu-ni e*-
tiver nestas circum-lan ias dirijt-se a rua da Au-
rora n. ', que se diii quem precisa.
Pa
m
ga-se
Pre isa-se alocar quatro erra*os para o serveo
de campo, aiem do b >m tratamento, paitase 30
por mez : na rua da C< lea do R-cif- n. 6i.
O abanto assignado fa? sciense ao publico
qoe nenhuma letra flrnioo,oo caita de ordem dea
a pe-soa alguma, e m qaer qua appareQa proles-
Muiuns 17 de uoem-
O abanto assignadn tem ju-io e contratado
cun o Sr. Jos Manuel PeTeira Mendanha a com-
pra de sua taberna 'lia no paleo da Ribeira n. 13,
livre e desembarazada de qualqner responsabilida-
de, ps aljiuem se achar com direito a mesma, ap-
parees no praso de tres das na mesma taberna.
Recife 28 de novembro de 180.*
J io Gomas di Cruz.
Brecisa-se de urna ama para comprar p cos-
nhar : no Corredor do Rispo, casa nova junto a
do oortode ferro.
a rua das Larangeiras n. 18, segundo an-
dar, precisa-sede un pessoa para comprar e co-
zlnhar.
Precisa-se d^ tres a quatro pessoas qne le-
nh un pratica de servico de olaria. send i de fra
da-se casa para dormida : a tratar eom J i Car-
neiro de Paria Lins, no sitio que foi do f.illi-cido
Roma, confronte ao Monteiro.

Perdeu-se desde a rua Relia at a do Ho orna coIIpccSo de om peridico social e moral de-
nominado-O Cidadao : a pessoa que a livr
adiado e quizer restituir, pode enlre.-ar na esqui-
na do Mundo Novo, no fondo do sobrado onde mo-
ra o Sr Dr. Jos Soares de Azevedo, que ser re-
compensado.
Precisa-se de nm criado forro ou captivo que
entenda um pouco de cosinha : na rua da Impe-
ratriz n. 4o, segundo andar.
COfll'i.lliA
DE
Recife 27 de uovembro de 185.
Os directores
Feliciano Jos Gomes.
Domtnogs Rodrigues de Andrado.
O major Antonio d Silva Gusmo faz scien-
te a quem convier que elle senhor e possuidor
visto, casas e cercas durarem anuos sem s^rem vi-
Mtadas por e-tes malditos Paraguayos. Constante-
mente vao para Montevideo carregamenlo de ma-
deiras desta qualidade, e nos para verraos a ex-
tracto que ten nesla cidade, compramos esla, e no
caso de ter, compraremos a-sim como compramos
ser embarcada no da de sua chegada, encom-
mendas e dinheiro a frete at o da da sabida as
9. horas : agencia rua da Cruz n. I, escriplorio de
Antonio l.niz de Oliveira Azevedo & C.
n- re4es de dinheiro para Parahiba, Rio Gran-
de d i K jrie, Ceara e Macei licam reduzidos a
Dinheiro papel. Iii "|0
Ouro......1|4 |
Prata......3|4 i._______
COM KA NHlTPErTAMitUC A N A
DR
'Xave^cn eftsleira por va>p.
"Macei e esealas.
Sejiue no dia 30 do crtente as
5 huras da larde o vapor Pa
rahyba, commandanle Mariins.
Recebe carga at o dia 29. bn-
commenrias, passageiros e di-
nheiro a frete at o da da sahida as 3 horas da
tarde : e.-criptorio no Forte do Matos n. 1.
Har Ustoa
sahira' eom brevidade o brinoe p*.rUn[uez Cons-
tante II i, recebe carga a frete e passageiros, para
os qna-s iem expelientes commodos : trata se coa
Manuel Ignacio de Oliveira Filho, no largo do Cor-
po Santo u. 19, escriplorio. ____________
Para o Rio de Janeiro segu em poucos dias
o patacho oacional F por ter parte de sea
cargamento prompto ; para o resto trata-se com
cea cuosiinatario Domingos Alves Malheus, roa
do Vigario n. 14.
frente ao becco largo.
LEILAO
De obras de ouro com brilhantes prata
e escravos.
Como sejam :
2 aneis cora brilhantes, 2 pares do arg'las, I
i bracelete de coralina, 2 sioctes ochaves para re
logio, 1 lina de coral, 1 tranceln) de cabellos, i
salva, 1 ponteiro, 5 colberes, 1 palileire, 1 ralo e
prata velha.
Um escravo de nac,ao de nome Jos.
Urna escrava mulata de nome Albina.
Quinta-feira 30 de novembro.
No armazem da rua da Cadeia numero 29.
O ageule Pium fara' leilao a requerimento de
Henrique Jorge e por despacho do Illm. Sr. Dr.
juiz de orphos, dos objeetos cima mencionados
deuomiuadas Torre, em Puur, provincia da Pa-
| rahib.i, cujas trras hmiiam com o no, que as se-
para das do Sr. Jos Jacume Tasso ; fazendo lal
advertencia, tem s por flm prevenir de qualquer
duvida a alguem que isso ignore, e desde ja' pro-
testa contra qualqner acto de oztorsao praticado
AOS 6:0003000,1:200$000 ;eind'l;ssuasl
.AAiinAn A p>ssoa que annuncou pelo Oano de sex-
| la-feira 24 da crreme mez de novembro dar a ju-
'ros 1:000* a 4:000* com hyi.olhera em predio,
QlLHhlLbA 5*000, MLIOS A 2(5500 L quereudo em propiiedade ru-lica e de subido va-
Corre amanba. lor, annuncie aonde deve ser procurado para tra-
Acham-se venda na respectiva thesou-'tar-se dl'sse negocio. ________________________
raria rua do Crespo n. 15, os bilhetes, 83i power Jotanstoii A lumauhia
meios e quiotoa da 4 parte da 5 lotera Rua da .enza|a Nova 4-
(40a) a beneficio da Santa Casa oa Misen-! agbncia da
Fuadleo de Lor Moor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos,
Mnendas e meias moendas para engenbo.
Taixas de ferro coado e balido para enge-
nbo.
das ierras denominadas Cachoeira, e ue outras carregamenlos da outra, que tem extrarcao nesla
cidade e que se ac.ham a venda em uossos arma
zens. Temos tambem grande quantidade de bar-
rotes de dilferenles grossuras e comprimentos que
vieram juntameule com esta madeira.
Aluga se a casa terrea n. 39, ruada
Uniao: quem pretende-la dinja-se ao Sr.
Joio Bernardo do Reg, em seu armazem
de faiendas a rua Nova n. 24.
mi
m
*""*w**.B* -^mmwmvmnava ^w%i
Casa de bauhos
Largo do Carino n. 2G.
mm
m
88
O dad o
A pessoa que ti ver e quizer vender a Colleccio
de um peridico social e moral denominadoO
cidado, publicado nesta provincia no anuo de
1853, annuncie por este Diario para ser procu-
rado.
cordia, cuja extraeco ser no dia cima
pulilicado, e no lugar e bora do costume.
Os premios de 0:0000000 at tO3OO0
sero pagos una hora depois da extracto
at as 4 horas da tarde, e os outros depois
da dislritunean das listas.
As encommendas ser3o guardadas somen-
te at a noite da vespera da extract;5o.
O tbesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Sonta.
Imita (ios corretoces
No dia 30 do crreme mez pelas 3 horas da
tarde se proceder'na casa da Associaco Com-
mercial Benerlcente a' eleicSo da junta qne deve
iuii. mv vi poBv.'. w* vi/ii' f'-* i' uno tiii-ii' i'iui'ini." i
pertenceot-s a fallecida Herminda Adela.de dos servir no anno prximo futuro, o que lera lago-
Sanios Campos, as 10 horas em ponto do d.a aci- e, compnmenlo do art. 2 cap. do reg Jen o
ma dito no armazem da rua da Cadeia o- 29, em
frente ao Becco Largo.
Leilao
De um rico adereco de ouro com cerca de
60 brilhantes alguna dos quaes bem
grandes
Qu nta-feira 30 de norenbro.
Por intentenco do agente Pinto, no araae-m da
rua da Cadeia n. S9.
interno.
Secretaria da junta dos corretores da praja do
Recife 23 de novembro de 1865.
!" rede rico I>uimaraes.
Secretario.
Notas do banco do Brasil e das calzas (liaos
descontam-se na travessa das Cruzes n. 8.
Atteiicao.
Precisa se de um caixeiro para boteauira : as
Cinco Ponas n. 93.
m
m
Arreios d carro para um e dous cavallos.
Relogios de o ro patente inglez.
Arados americanos.
Ma hias para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.________
-r D. Senhorinha Germana do Espirito Santo
aluga por preco eoinmodu, e durante o lempo da
festa. o seu si lio na estrada de Beberibe : a tratar
na rua do Sol, sobrado novo em que morou o te-
nente-corouel Sebastin Lopes.
l'recisa-se de urna engommadeira :
na rua do imperador n 17, seinnilo and r.
Casas
m
m
Este estahelec.imento lo bem montado .
na sua origem achava se de ha multo em ^<
quasi cmplelo adandono pelo pouco in- ^8
teresse de sua administrarlo. ^j|
Hoje que o novo proprielario empregou ^
todos os meios para reslabeler a grande WK
utilldade deste eslabelecimento, pode as- |
segurar ao publico que qualqner que seja >,
R o numero dos concurrentes acharo des R
fi de ja promptido e aceio nos bachos fnos, ^|
v^ moros ou mediciones, a casa dos Da- r*
m nhos se achara' abena todos os das das /fe
6 hoias da manhaa as II da noile. Sflf
Precos.
Banhode choque......... 300
jf Dito (rio ou iino no........ 500
Dito de farello...........1^000
uno medicinal sera' segn- 9R
^ do sua qualidade. 0
Assignatura. \
Por mez hanlw trio ou morno. 10 *R
25 cario.s para banho fri, ijK
morno ou de chuvisco..... 105
12 candes para os mesmos... 5& SU
12 ditos para bmho de farello. 10J> &j
m
Antonio Jos Rodrigues de Souza, na rua do
Crespo n. 15, aluga sua casa e sitio no Monte ro
em frente ao olti" da isrreja, tendo o sillo porto
Alngam-se duas casas novas na freguezia da de trro, cacimba enm boa agua, estribara e co-
Boa-Vista, rua do Principe ns. 4 e 8, com 3 quar- eneira, e a casa 4 salas, 7 qua'tos, e oto, a qual
tos, 2 salas, coznba fra, quinial bom e murado, | e muito Iresca e esla de novo bem caiada, concer-
cacimba, sao muito sadias : a tratar na rua. Nova i lada e pintada : para ver, as chaves esto em a
numero3. [sisa do.Sr. Nicolao Machado na mesma povoacaa.
Enerovo fgido
Fugio do poder do abaixo assignado o s^n esrra-
vo Amaro, crionlo, cor avermeibada, altura rega-
lar, e de idade, pouco m ns ou menos, 30 am, s,
costuma andar bem vestido de camisa d* flan>-la de
cor e chapeo de chile, tem obeco snperlor bastan-
te gros^o c dobrado : roga-sa a appreiiens*) de
dito escravo e sua captura que ser generosamente
recompensado.
Luvas de Juvin.
A lofa da Aurora na na larga do Rosario n. 38,
receceu luvas de Jotivio branca? e de cores para
borneas e senhoras, as quaes sao mullo frese is,
chegadas pelo vapor inglez, poissao minio propnas
para o baile que temos no da de dezenioio no
Club Pernambncano, i s senhores soeios e convida-
dos que ti verem de ir a esle baille queiram man-
dar com as luvas nesta loja da Aurora, rua larga
do Rozario n. 38.
-i o publico.
Antonio Leite da Costa declara que desta data
em dianle nao lera' valor urna letra de 80,1000,
aceita por Manoel Fernandos de Panas, qne dWn-
caminhou-se no dia 26 de novembro de 1865, e
nem pode rao faser negocio algum eom a dita letra.
Recife 28 de novembro de 1865.
Na rua do Imperador n. 28, defroote da re-
lacn, vende-see afuga-se em pequeas e grandes
porgues superiores bichas de Hamburgo
Aluga-se urna escrava qae. saib coziohar :
a tratar na Soledade d. 46.
O abaiio assignado faz scienle ao publico
que nenhuma letra lirmou ou caria de ordem deu
a pessoa alguma, e qualquer que appareca protes-
ta ser falsa e na i pagar. Mutuos 27 de novem-
bro de 1865.
Jos Lutz da Cunha Baslos.
Precisao.
Na rua da Cruz, armazem n. 63, pakeisase alu-
gar urna mulher capaz, de boa conducta, que saiha
cozinhar, comprar e fazer todo o mais servigo de
urna casa de familia (menos conduzir aguas qner
limpas quer servidas), prefere-se escrava, qoe seja
fiel. Garntese pagar se beme com pmmptidao.
AUvco
Per nao se saher onde reside actualmente, ro-
ga-se ao Sr. Ernesto Botelho de Andrade qne mau-
de pagar a sua letra ja' vencida de 271,1. puden-
do dirigirse para esse flm ao quartel do Hospicio.
Precisa-se alngarnm moleqae ou urna escra-
va : na raa do Ltvramento n. Ii, 2* andar.
1


Diario da Pernaariraeo Quaita Icira ale \ovenibro de !*.
DE
DE
J. VIGNES.
X. 55. RA DO IMPERADOR N. 55.
Os piases desla antiga fabrica sao hoja asss conhecidos para que seja necessario i otisUr sobre a
ina superieridade, vantugens e garantas qae oftV recera aos compradores, qualidades es-ta-s flcentesta-
veis que elles teni deflultivamente conquistado sobre iodos os que tem apparecido aeeta praga ; pos-
cundo um teclado e machinismo que obedecen) todas as vontades e caprichos das pianistas, sem
nunca falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoraraeotos Importan-
dssimos para o clima (leste paz ; quanto as vozes, sao melodiosas e flautadas, e por isso muMo agrada-
reis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazemse conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Bloodel, de Pars, socio
correspondeate de J. Vignes, em cuja capital furam sempre premiados em todas as eiposiges.
No mesmo eslabelecimento se acbar sempre um esplendido e variado sortimento de msicas dos
melbores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
preoos conim'odose razoaveis.
CONSULTORIO iHELMO-CllUJRG.CO
DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
HEDICO, PiKTEIRO E OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundo 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os das das 7 i 14
oras da manhao, e das 6 e meia s 8 horas da noit, excepcao dos dias santificados.
Pharmacia especial iwmeopathica
No mesmo consultorio lia sempre o mais appropriado sortimento de carteirafi
tobos avulsos, assim como tinturas de varias dymnsjnisages e pelos precos seguales:
Carteiras de 12 tubos grandes. 125000
de 24 tubos grandes. 185000
de 36 tubos grandes. 245000
de 48 tudos grandes. 305000
de 60 tubos granies. 355000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se G/.er, e com os remedio*
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 15000.
Sendo para cima de 12 cuslaro os precos eslabeieeidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
JLI1HOS.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr
dous grandes volumes com diccionario............ 205000
Medicina domestica do Dr. Hering........... 10OOO
Repertorio do Dr. Melt Moraes............ 66000
Diccionario de termos de medicina........... 35000
Os remedios deste estibeleotmento sao por demais conhecidos e dispensam por
tanto de serem novamente recommendados as pessoas que qui/.erem usar de remedios
verdadeiros, enrgicos e (Juradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de
verdadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservado, tintura des mais acredi-
lados eslabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparagao, e portanto a maior
energa e cerieza em seus eifeitos.
Casa de satide para eneraros.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operaco, pira o que o annunciante jnlga-se sufficienteroente habilitado.
O irahmento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa ha mais de quatro annns, ha muras pessoas de cujo conceito se nao
pode duvidar, qje podem ser consultados por aquclles que desejarem mandar seus
doenles.
Paga-se 25 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 15500.
Asoperacoes serio previamente ajustadas, se nao se quizerera sujeitar aos precos
razoaveis que costuma pedir o annunciante.
UMA GRANDE DESCOBERTA
OLEO
deFIGADOdeBACALHAU
k DESINFECTADO
MEDALHA
OE
HONRA
DE BACALHAU
DOTEGTDO FERRUGINEO
As propiedades medcaos do oleo de figado de bacsluo fer3o unni-
memente reconhecidas. Mas seo cheiro e seo sabor tio deeagradveis
tornio o uso d'elle msilas vezes impossivel, mesmo aos estmagos
os mais robustos e aos mais con deseen tes.
Por tsso a dcscobonta do Snr. C.hkvkirr que Uie permettio de
desinfectar inleiramenteo oleo de figado de bacalhao sem alterar suas
propriedades tem sido um dos mais felizes problemas resollidos pela
therapeuea moderna.
O oleo defigado-defcacalhao desinfectado de Chevrier.
com um cheiro agradavel c um sabor assucarado, o unioo que nao
tem nem gosto netn clieire depeixe.
Objccto de numerosos pclatorios scientificos elle goza em Franca
de urna fama bem merecida, e reccitado por todos os mdicos em
lugar do Oleo de figado de bacalhao ordinario. Tendo as mesmas
propiedades do oleo de ligado de bacalhau ordinario, osa se d'elle
nos mesmos casos isto as i
Molestias eserafulasaa,
Rarultisma,
Obstrui-rao das glandes,
Tsica |iulnio:iar,
Molestias da <-llr.
Consiliuiro Ijrmphatlea,
Anemia, d>MII M.jrm.
Pobrrxa do ngur.
Esfairamenta por rur.u de
tranalho ou de prameres,
Molestias dos Inndalos recen-
tes ou cliroalraa,
Toases perllnaaes,
Gastrites. gaslmlglaa,
O Oteo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chevrier oonstitue o melhor meio de administrar o ferro. O
ioduro de ferro reunido com o oleo de figado de bacalhau,
augmenta a accSo t5o efficaz d'este ultimo, se dissolve mais
fcilmente nos lquidos das vias digestivas, se assimila muito
mais bem do que quando tomado sob a forma de pilulas,
xaropes, etc., enfim perde suas propriedades irritantes e nao
provoca a constipacao.
As pessoas as mais delicadas que nao podem supportar as
preparaedes ferruginosas ordinarias, asquaes, principalmente
nos paizes quentes, tem muitas vezes grandes inconvenientes,
podero com a nova descoberta do Snr. Chevrier, usar do ferro,
um dos mais poderosos agentes therapeuticos, tomando-o unido
ao oleo de figado de bacalhau.
O oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chevrier, se em prega em todos os casos que o ferro acon-
selhado; julgamos intil de os enumerar.
Dores de estomas*.
Elle convem a todas as completes e a todas as idades, e tomada
fcilmente pelas pessoas as mais delicadas. Elle um poderoso socorro
para a alimemaco das enancas fraeas e doentes
Um folleto accompanha cada vidro contem as observaces medcaos.
Deposito em Parta, na pharmacia de Chevrier, e em todas as boas pharmacias de Franca e do estrangeiro.
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caros & Barbosa.
goj, atde JggYg^
Companhia geral kespaiihola de seguros mutuos
sobre a vida
AUT0R1SADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
Urna laica em diikeira, depositada nos cofres do estado, garante a boa ad-
ministi'aco da companhia.
BANQUEIROS DA COMPANHIA" DIRECCO GERAL
O Banco de EIcspanba Madrid : Rna do Prado n. 19
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinagoes de supervivencia dos segu-
ros sobre a vida.
Nella pode se tazer a subscripgo de maneira que em nenbura caso mesmo por morte do
segurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao to supreheodeules os resultados que produzera as sociedades da ndole deA NACIO-
NAL,pie linla mesmo liinlnuindo urna terca parte do interesse produzido em rcenles liquida-
ces eco ii'iiihiI i-j eom i roortalidade di tabella de Depareieux. que adoptada pela companhia
para seos clcalos liqaiaefos, em segurados de idade de3al9annos, urna imposicaoannua.
ae 1005 produz en) effectivo metlico:
No fim de 5 annos.......1:1195300
. de 10........3:9424600
de 15........11:2085200
i de 20 .......30:2565000
de 25 ....... 80:33i|000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospectis e mais informacoes serio prestadas pelo suli-direclor nesta provincia.
Joaquim Fiuza de Oliveira, ruadaCadpia n. 52, ou a Boa-Vista ra da Imperatriz n. 12, estabe.'eci-
[ment dos Srs. Raymtindo, Carlos,Leite & Irmao.
2^-
FABR1A A VAPOR
99 RA DO MON'DEGO 99
Deposito na ra Nora n. loja de relojoeiro.
0 dono deste estabelecimenio partecipa ao respeitavel publico que sua fabrica
est montada com as melhores machinas que existem na Europa, e que pode fabricar
com melhor perfeico possivel. Todo o chocolate desta fabrica es-t garantido, e puro,
o que nao se pode encontrar naquelle que vem de fura, e que se vende por prego baixo,
visto os productos serem do paiz. Na etiq* eta tem sempre urna aguia.
PRECO.
Meia libra......... 400
Urna libra......... 800
Urna arroba........19^000
-----a_________________________________
Na mesma fab ica acaba de se montar urna ofcina com serrara a vapor para
obras de marcineiria propria para edificio, para o que encarreg -se de fazer portas, ja-
nellas, assoalhos (parqu francez como se usa na Europa,) e armaces, ludo com brevi-
dade e perfeico. Toma-se qualquer encommenda para fra da cidade, entregando-se
prompta a collar-se no lugar.
IFillTO
DE
G1VALL0
Na noitede 18 para 19 do crrenle furlou se um
cavallo mellado caxito, da estrabaria do seo dono,1 a rJisposic5o dos bons chri'stOS que OS qui-
comsell.m.ngle quasi novo; cujo cavallo lera ,,,;,;,. om A#. Irt;, Mno ^J^n
cimas e cauda pretas. as cimas
Ontros objectos.
Vindos tarubem para a antiga loja de
miudezas ra do Queimado n. 16.
Sapatinhos de setim branco bordados p a-
ra baptisados.
Outros de merino tambem bordados e
igualmente bonitos.
Meias de seda, correspondente no tama-
nho dos sapntinhos.
Outras mu finas do fio da Escossia e
brancas listradas.
Luvas finas de' fio da Escossia brancas e
de cores.
Ditas de seda para senhor'as.
Ligas de dita para eenhoras e meninas.
Pentes de tai Lruga mui fortes para des-
embarace.
Carriteis com retroz preto e outras cores,
Carteiras com agulhas.
Agulhas francezas, as afamadas.
Caixinlias com alfinetes brancos e pretos.
Haspas de baleia para vestidos.
Fitas de linho proprias para ditos.
Caixas com linbas de novellos grandes
para crochets.
Trancellim de borracha preto," redondo.
Bonitas fivellas grandes de aeo,
donradas, madreperola e tar-
taruga.
A loja de miudezas ra do Queimado
n. 16, recebu um bonito sortimento de
fivellas grandes para cintos, sendo de ac,
domadas, madreperola e tartaruga, as quaes
cstao sendo vendidas em dita loja por pre-
cos commodos ; assim como boas e bonitas
fitas de gorgorao achamalotado, proprias pa-
ra ditas fivellas.
Ocnlos de penetra e de outras
qualldades, para quem soffre
da vista.
A' loja de miudezas ra do Queimado
n. 16, tambem recebeu oculos de penetra
com vidros claros e escuros, para quem sof-
fre da vista, assim como outros de armagao
de ago, sonidos em graos.
Coroas e tereos de cornalina.
A antiga loja de miudezas a' ra do
Queimado n. 16, recebeu mui bonitas co-
roas e tergos decjrnalina, os quaes esto
sao grossas e ca-
bem sobre ambos os lados do pescoco, e tem urna
ferida pequea na mo direita ; esta acostumado a
andar em cabriolet e bem conhecido nesta praga:
quem dtlle der noticias certas ou leva-lo a' Estan-
cia, sobrado de dous andares n. 2, ser gratificado.
am sitio na Passagcm da M.igdalena, a margem
do rio Capibaribp, junto ao do Sr. coramendador
Manoel Ignacio de Oliveira, tem boa casa com sala
de vi.-itas e gabinetes estucados e e>teirados, 4
quarlos, sala de jantar e de espera, cozinha e des-
pensa, quarto para pretos, um soio com 2 saletas,
estribara e cata para feitor, urna baixa de capim
para sustentar tres cavallos todo o anno, alguns
arvoredos fructferos : a tratar no Recife, ra do
Brum n. 66, armazem de assucar.
Grande Bazar
zerem comprar em dita loja: na ra do
Queimado o. 16.
Esponjas Unas grandes e pe-
quenas.
Vende-se na ra do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
A iniiua loja de mimiezas na ra do
Queimado ti. 16, acaba de receber:
! Novas e bonitas guarniedes pretas para vestidos e
soulemtiarques.
Bicos de seda brancos e pretos cora vidrilhos, e
dffereules larguras.
' Trancas pretas com vidrilhos.
: Cascarrilhas de seda de diversas cores e moldes
novos; outr; s enfeitadas com bicos de seda.
1 Babadiohos de seda.
Trancas brancas de seda para enfeiles.
: Bonitas fitas bramas lisas e lavradas ; outras de
cores tambem lisas e lavradas; outras achamalo-
tadas para cintos, largas.
Fivelas grandes de ago, douradas, madreperola e
tartaruga.
Bonitas ligas de seda para senhoras.
Leques de .'ndalo o outras qualidades.
Carneiro Vianna.
E' chegado a este eslabelecimento os seguiotes
objectos : cadeira de palha para enanca com ba- LindS 0 (lrlicadiis (MllVilos para bai-
les e passeos.
DEPOSITO M CALADO H
m FABRICADO NI CASA DE DEfENCO
i*; Ra Xova n. SI.
^ Ahi se eucontraro obr^s de d-
5 versas qualnlades, e por prego mui
-c diminutos, a retalho e em porgoes.
s^ S se vende a dinheiro.
m
m
5

iM mmm-mm
O bacbarel
Francisco Augusto da Costa
"ri
^m
m
A Henead\
Aluga-se um sitio no lugar d.* nomgi, com gran-
de cas* de vvenla, redicada de novo, com estn
baria, boa agua de betier, trinta e tantos ps de
coqueiros, muitas larangeiras, manguiras, e ou-
tros muitos arvoredos, boa baixa para capim, e
milita trra para plantagoes : a tratar na ra Im-
perial n. 51, padaria.
Tendo a irmandade do Divino Espirito-Santo
da igreja do Collfgio, resolvido em sesso de mesa!
conjunta, mandar fazer de marmore branca uo a
capellnr de sua igreja; convido deordem da
mesa regedora qutllas pessoas que se acharem
habilitadas a mandar exeaitar seinelhaote obra,
a examinarem a planta que se acha exposta na sua
sacrista, e a apresenlarem as suas propostas no
praao de 40 da- contados desla data. Consistorio
da irmandade, em 10 de novembro de 1865.
O escrivo.
Francisco Belarmino dos Santos Freita
->t*
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
8na a residir na ra da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
8rado para o exercicio de sua profis-
so medica, e com especialidade
sobre e seguinte
1 molestias de olhos;
2o de peito:
a 3* dos org5os geni-
ti urinarios.
M Em seu escriptorio os doentes se-
rao examinados na ordem de suas
entradas comegando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
I gao que*julgar conveniente para o
lj| prompto restabelecimento dos seus ]
doentes.
mmmmmmmmmm k se
BOTICA E DROGARA
DI
B. F. de Nuaza fc C.
Rui larga do Rosario n. 3i
. Remedios de Raduvay
Prompto alivio,
l'ilulas reguladoras.
Rcztlutivo.
Remedios de Kemp
Anacahuita.
Salsa de Brislol.
Pilulas assiicaradas.
Agua florida.
Pastilhas vermfugas vegetaes.
Chegados pelo ultimo navio viodo da america.
Aluga-se nina grande casa terrea com sitio,
na ra de Joo Fernandos Vieira n. M : a tratar
no sitio dos quatro lefies, na roesma ra, das 6 ho-
ras as 8 da manhaa, e das 4 da urde em diante.
gj Joao da Silva Ramos, medico
i pela universidale de '.oimbra, d
* consultas em sua casa das 9 as !
* 11 horas da manhaa, e das 4 as 6 i
1 da tarde. Visita os doentes em suas!
casas regularmente as horas para j
. isso designadas, salvo os casos ur- ]
gentes, que ser5o soccorridos em
qualquer occasi5o. D consultas aos
, pobres que o procurarem no hos-
pital Pedro II, aonde encontrado
H diariamente das 6 s 8 horas da
? manba,
^1 Tem sua casa de sade regular-
^ mente montada para receber qual-
m, quer doente, anda mesmo os alie-
R nados, para o que tem commodos
f' aprofriadosenellapraticaqualquer
1 opperago cirurgica.
;^i Para a casa de sade.
I Prmeira classe. .35000 diarios.
Wi Segunda dita____3^500
Terceira oita .25000
m Este eslabelecimento j bem
8 acreditado pelos bons servioos que
tem prestado.
^ O propnetario espera que elle
continu a merecer a confiaoca de
jf[que sempre tem gozado.
iavMHBtti
AMA
Precisa se de urna aun |i*rita coiinheira e en-
gommadeira -, na rua.do Queimado n. 28, loja.
Associaco (Jommercial Be-
neficente de Pernambuco.
Achando-se prompta a planta e o orcajneato
para a decoragao de predio comprado para a mes-
ma associago, convida se a todas as pessoas que
se quizerem eocarrecar das obras de pedreiro a
comparecer) a ra do Trapiche n. 44, segundo
andar, aonde, no praso de oilo das, deixaro flear
as suas propostas em carta fechada.
Associago Commercial Bnneflcente de Pernam-
buco 23 de novembro de 1865.
O secretario,
Candido 0. G. Alcoforado. -
Aula deinglez
Das 6 as 9 oras da ooite; na ra da Matriz o.
33, 2* andar.
Ama para casa
Precisa-se alugar urna ama para todo servigo de
urna casa : na bfBp das Boias n. 2, primeiro
andar. ^
Na praga da Independencia n. 33, loja de
onrives. compra-.'e ouro, prata, e pedras preciosas,
e tambem se faz qualquer obra de encommenda, e
todo e qualquer concert.
Ama.
Precsase de urna ama fjrra ou captiva para
cozinhar e eomprr, para casa de pouca familia :
na ra da Concordia n. 34, sobrado do armazem
do sol.
Precisa-se fallar com oSr. Francisco de Pau-
| la Borge* Uchna, que oi escrivo na Torre ; na
ra Nova n. 59.
O abaixo assignado pede ao Sr. Joaquim Ma-
noel do Reg Barreta (conhecido por Barra Gran-
de) que declare qual a letra falsificada, pela qual
! esta endo executado, como tem dito a diversas
! pessoas, se o nao tizer passar por um infame e vil
calumniador.
j Manoel Jos da Costa. ;
Fugio no dia 4 da corrente um moleqae de
, nome Cosme, de idade 13 annos, cor bem preta,
cabega comprida, magro e bem regrista : quem o
pegar o poder levar a Santo Amaro, junto a ta-
i b-rna do Sr. Antonio do Reg, que se gratificar
' generosamente. _______
O collegio dos orphos tem precisao de ser-
vente : a entender-se com o director do mesmo.
" ------------------ yT,
ADVeGADO i#.
jjj Ra do Imperador numero 69. W
mmmm mmm mmmmww.
Aluga.se o terceiro andar da casa n. 88 da
ra da Imperatriz, e o sitio n. 1 da errada do Ar-
raial : no ra da Aurora n. 36,
A ma de, leite.
Precisa-se de urna ama de leite : na ra do Im-
perador n. 42, terceiro audar.
Alugam-se tres casas na povoago do
Monteiro a margem do rio, com muitos
bons commodos e em muito bom estado
de limpza : a tratar na rna do Crespo n.
20, esquina, cujo prego de alugnel ra-
zoavel.
Precisa-se de urna ama para o servico interno
de urna casa de pouca familia : a tratar na praca
do orpo Santo o. 17.
mmm mmmmm mmm'Mm
|H O Dr. Carolino Francisco de Lima San- j
P< tos contina a morar na ra do Impera- ;gg
* dur n. 17, segundo andar, tendo alias seu 5
H gabinete de consultas medicas, logo ao if|
B entrar, no primeiro.
g O mesmo doutor, que se tem dado ao Sw
gj estudo tanto das operagSes como das mo- X&
t lestias internas, presta se a qualquer cha- y
JW mado, quer para dentro quer para fra ^R
)$ da cidade. ^
ra 4jjx *.ysjya*vs*\setmi >s^y'Xt.^'
Per da
Perdeu-se da ra do Livramento at a ra do
Prerlsa-sede um menino para eaixeiro de Trapiche urna carteirioha de lembrangas, cuja car
um deposito
na ra das Cinco Ponas n. 48.
t
Una escrava.
Preclsa-se alugar urna escrava que saiba cozi-
nhar, paga se bem : na rna da Imperatriz n. 47,
segundo andar.
Aluga-se a casa da ra Imperial n. 201, pro-
pria para reoago ou outro qualquer eslabeleci-
mento, por ter muitos cou modos, quintal grande
murado e portJo para fra : a tratar na rna Diret-
ta n. 84, ou na mesma roa n.21l.
Precisa-se
Bella n. 35.
de ama ama de leite : na ra
lachorel Antonio Atines Jacome
Pires reside .ra do Imperad
81, onde pode ser procurado.
mmwmmwMmmm
Na rna do Hospicio o. 3& precisa-se alugar
ama preta captwa para o servic.ds .ra.
teirioha tem nao s a capa dourada como tambem
as fulhas : quem a livpr achado e queira restituir,
recebera de gralificaco o valor da mesma : na
ra do Trapiche n. 38, escriptorio.
Em casa de Theoi Christiaosen, ra do Tra*
piche-novo n. 16, nico agente no norte do liras.I.
de Brandenburg frres, Bordeaox, encontra se ef-
fecivacuente deposito dos artigos seguiotes :
Si. Julieo.
St. Pierre.
Laruse.
Chateau Loville.
Cha tea u Mar^aux.
Graud vin Chateau Lafitte 1858.
Chateau Ltate.
Haut Saultrues.
Chatean Sauternes.
Cnateau Lataur Blanche.
Chateau Yquem.
Cognac em tres qnalidades.
Azeite doce. Precos de Bordeaux.
mmwm mmmmm mm?m
Companhia fdelidade de seguros MK
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PBHNAMBUCO
luioaio Luiz de Oliveira Axevedo k C, H|
competentemente autorisados pela direc- sR
toria da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado- *J|
rias e predios no sea escriptorio ra da SkS
Crui n. i. fm
M "J 'sl js W aW ssK'K sis 1bS,?"''"Jb i
Precisa-se alugar um escravo para
10 .-eervico interno e externo de urna casa de
-familia : na rpa do Queimado u. 28.
iPrecisa-se de urna ama para todo o servigo
de rASA.de pouca familia : a tratar na ruado Brum
jd. XI, tt^rna.
lango, bergos de novo modelo tambem de palha. e
outros mullos artigos destes gneros; pede se aos
senhores qae eocommendaram alguns objectos
destes, o favor de vir escolher logo os que preten-
den! querer.
Objectos de metal das seguiotes qualidades, or-
nas para cha, clialeiras para fazer-se cha', appare-
Ihos de almoco, dito de jiotar e (dos os mais ar-
tigos que se podem desejar deste metal por prego
muito commodo, que a todos deve agradar.
E^pelhos de todas as qualidades para ornamen-
to de sala, tapetes, alraiif e outros muitos arl'gos
que por gosto se pode vi-dtar o grande Bazar, o
qual se acha aberlu d* sde 6 horas da manhaa at
s 9 da Onite, na ra Nova n. i) e 22.
Aluga-se urna boa casa com muito bons com-
modos e quintal com cacimba, na na do Tambi,
freguezia da Boa-Vista : a tratar com o capilo
Teixeira, na ra do Arago o. 12, 2 andar.
.......mm^
Um mogo com pratica de cobrangas amigaveis
ou judiciaes, prop5e-se a fazer algumas as proxi-
midades desta capital com urna porceniagem ra-
zoavel : a quem coovier deixe nesta offljina carta
as iniciaes J. M. V.
Precisa-se alagar urna escrava para todo o
sprvico de urna casa de pequeaa familia : na ra
da ConceicSo o. 44.
GOMpais.
Silvino Guilherme de Barros compra e ven-
de effectivairiente escravos de ambos os sexos :
ra do Imperador n. 79, terceiro andar.
Comprase ouro, prata e pedras preciosas,
em obras Tenas : na ra da Cadea do Recife,
cja de ourives no 3reo da CrmrecSo.
Compra se carosso (senit ule) de algodao : no
armazem de algodo de Saunders Brothers & C,
no caes de Apollo.
Os ve c prata.
Em obras velhas : compra-se na praga da In
dependencio n. 22, luja de bilhetes.
Formas para fazer velas
Compra-se porgo de formas para fazer velas de
carnauba ; quem tiver e quizer vender, dirjase a
ra do Destino na Boa-Vista n. 14.
Algodo.
Joaquim Marinho Cavrlranti de Albuquerque
compra algodn armazenado oa embarcado, em
visia dos conliecimentos : trata em sua casa na
ra da Vigario n. 21, 1 andar, na praga do Com-
mercio e Forte do Mallos.
Dentista de Pernambuco.
I Ra estrella do Rosario n. 3,
ao p da igreja
[francisco pinto ozorioI
[ Col loca deates aKlflclaes
pelos ystemas mais uiu-
I deraos
Emprega todos os meios scientifieos para
[ cooservar os naturaes. Pode ser procura-
[ do em seu gabinete das 0 horas da ia-
[ nbaa as 5 da tarde.
FUGO IIO AR.
No armazem da bola amarella no ertao da secre-
FENDiS.
A amiga loja de miudezas na rna do Queimado
n. 16, recebeu novos e lindos enfeiles para bailes
e passeios, todos de muito gosto e ioteiramente no-
vos, variando o prpgo deiles roofome a superior-
dade : os pretendentes os acharo em dita Itfja, oa
ra do Queimado n. 16.
linas capelln para noivase
raeninis.
Acliam-f e venda na ra do Queimado, loja de-
miudezas n. 16.
BoaiUs touquinlias
de fil e carnbraia, bordadas e enfeitadas : vea-
dem-se na roa do Queimado, ioj de miudezas nu-
mero 16.
I.i,iicios de dous vidros com aro de ago, bfalo
e tartaruya.
A loja de miudezas, ra do Queimado
n. 16, recebeu um bello sortimenio de lo-
netos e oculos de vidros com armagao lina de
ago, bfalo e tartaruga, e os esta vendendo
por pregos razoaveis : os pret mientes diri-
jam-se a esta leja na ra do Queimado n. 16.
AljHio trancado da Rahia
Chegou urna pequea porgao da fabrica de Fer-
no Velho.para ser vendido a 560 rs. a vara : na
ra da Cidela do Becife n. 4.______________
'Algodo trancado
da fabrica de Ferno Velho : no escriptorio de
Manoel Ignacio de Oliveira i Fnho, largo do Car-
po Santo u. 19.___________-
Vende-se um taita de cobre e urna porta de
pinho em bom estado: quem pretender dirija-se
a Capunga, roa das Criuulas n. 23, que achara
com quem tratar.
Vende-se urna negrinha de idade de 10 an
nos : a tratar na ra da Imperatriz n. 20,
Vende se urna escrava a melhor engemma-
deira, urna dita de 20 annos, boa cozinheira, um
escravo perfeito carapina e mareineiro, um dilo
bom czinheiro do diario : na travessa do .Carino
numero 1.
- Na ra Direita n. 24, ha para vender
todos os utencilios de padaria, que se ven-
demjuntos ou separado. ^__^
Vende-se ama mobilia de amarello ja usada:
na ra estreifa do Bosario o. 17, 2" audor.
Manual do Cidado
Vende-se o Manual do Cidado em um
Governo Representativo ou principios de
Dir-io Publico Constitucional Adminstra-
te u das Gentes, por Silvestre Pinheiro
Ferrara, em 3 volumes broxurados por 30
cada obra : na livraria n. 8 da praga da
Independ ncia.________________________
Vende-se a padaria da ra atraz da matriz
ou alaga se, esta bem afregnezada : a tratar na
padaria da ra larga do II sai o a. 46.
or para dentro e fra da prouitina.
Af reoda-se a propriedade Santa Cruz, comar-
ca do*Cabo, meia legoa da estacao da liba, com
boas rmrtas e trra para plantagoes : a tratar.na
praca da (Ca Vista n. 8.
Vende-se urna escrava parda de i lude 22 an-
nos, sabendo engommar perfeiiamenl9 qualquer
roupa, lano de senhora como de homem, coznnar
e lavar com perfeigo, e tambero cose muilo bem,
nao tem vicios nem achaques de qualidade algu-
ma, prefermdose comprador, para fra da provin-
cia : ua ra da Cadeia a. 40, primeiro andar, se
dir quem a vende._________________________
Pennas de ac.,
Vendem-se superiores pennas de ac, bieo de
langa, pelo diminuto prego de 320 rs. a groza : na
ra do Queimado o. 40, loja de fazendas.
Vende-se urna escrava cnou!a, com urna cria
de um mez, com abundante leite, perfeita engom-
madeira, lavadeira e quitandeira : quem preten-
der annuncie.
IKACEM
Lenda do Ceara,
Par I. OE ALENCAR.Esla venda oa*Lvra-
ria Caiwri.i, ra do Imperador o. 54.
FAZENDAS BIiUS
Va loja de Joaquim de Paria Machado
Rna do DEFRONTE DO RIVAL SEM SEGUNDO.
Neste acreditado eslabelecimento encomiar os
compradores um completo sorlimento de boas fa-
zendas, que se vendero muito baratas, afim de
su-teut..r sempre o mesmo crdito que at ao pre-
sente tem merecida aos seus nmeros freguezes.
Entre as muitas fazendas ha as seguintes :
Laznhas entestadas de 4 palmos de largura, fa-
zeoda oulr'ora de 610, pelo diminuto prego de 360
rs. o covado.
C res de lazinhas, padres novos, com 15 co-
vados, a 45O0.
Corles de. carnbraia com flores bordadas, fazen-
da moderna, pelo diminuto prego de 7.
Percalles muito Anas, de lindos desenlio-, covado
560 rs.
Carnbraia organdys, muito fina, vara 600 rs.
Tarlatana verde, cr de rosa, azul e branca, vara
800 rs.
Grosdenaple preto muilo encorpado, covado 22
e I** 0.
Chales de renda pretos muito moderno*, a 10.
Keioadas de renda preta da ultima moda, a 12.
Sals bardadas com 4 pannos, a 4V300.
Ditas ordad is, com 5 pannos muito linas, a 92.
Baldes de arcos a 25, 25300 e 35
Madapolo trancez muito encorpado para salas,
Tara a 440 rs,
Pegas de cmbraia lisa fina, a 45. 45",00 e 55.
Dras de dita para forro, a 25800.
Algodao entestado com 9 palmos de largura, va-
ra I*.
Guardanapos de linho adannad >?, duzia 355*00.
Lecos de carnbraia branca, para algibeira, du-
zia 15600 e 25.
Cober as de iluta franeeza fina, a 25500.
Lenges de bramante alvo, de um s panno, a 35.
Ditos de algodo de um panoo s, a 25-
Lencos de cambraias de linho muito tia>, duzia
54000.
Hi tambem um coraplet) sorlimento de roupa
feita e por medida, para o que tem sempre boas
casernira modernas, brim, etc.
_


Diario de **e mam buco tuarta legra tt de \ovim!tro de iStt*.
SM PARMLHi M AYER Grattde loj^ftoarmazem do
PARA A CURA RADICAL
AGUA BRANCA*
lhas, bronchecele, papo ou papeira, a syphilis, enfermidades venerias ou mer- <*s e apurar dinbeiro, resolveram vender todas as
CUriaes fazendas eoiu grande abaiimento ero pregos, lauto
i em porgo como a retalho, e por isso previnem a
a a TkK\w norri o t\ a n tttt TrnTiTiD it0(,os S SeUS f"'iuens, e ao respeiiavel publico, e
AS MULESllAN DAS JVllJLrlLnriS j as petsoas que negociara empequeua escalla cora
retencao menstro doloroso, ulceracoes do ulero, ores branca* etc., ulcera-mg^^^ Sff$
c5o, debilidade, expoliacao dos ossos, a nevralgia e couvulsoes epilpticas; dar lauto em pregos como en. quaiidade; Htim
cumo oiaudam pelos seus caixeiros levar as fuyen-
das e arocstras as casas das familias que nao po-
derem vir a luja, ou do as amostras deixando fl-
car penhor.
Caoibraias lisas a 35(10O, la leja do
Pavo.
Vendem-e pecas de cambraia lisa branca e
transparentes, leudo oito e meia vara cada pt >;a,
quando causidas pela escrfula.
ERYSIPELSERPES; ETC.
Enfermidades cutneas, ernpco, borbulhas, pstulas,
nascldas, ele.
O extracto composto de salsa parrllha, con'eccionado pelo Dr. Ayer, uma
combioac5o dos melhores depurativos e alterantes conhecidos medicina; infeccio-
nado segundo as regras da sciencia, approvado e receitado pelos priaeiios mdicos dos Pel barato prego de 33500, ditas muito finas, por
Estados-Unidos da America do Sul e Central da. Ant.lhas, do Mxico e das indias e ^\*&M^Z$!^
muttas outras partes do mundo : e o resultado de estudos apurados e minuciosos, e de Cos a 255110: isto s na loja e armazem do Pavo,
experiencias feitas pessoalmente pelo Dr. Ayer, por muitos annos, nos principies hos- na ra da imperatriz n. 60 de Gama & Silva,
pitaes e enfermaras da America ; tcm sido approvado pelas academias de medicina e As camisiubas do Pavo.
juntas de hygienne das principaes capitaes da America do Norte; para prova disto vede Mendem-se as mais modernas camisrahas borda-
os attestados autl.enticos no Almanak e Manual de Saude do Dr. Ayer, os quaes se di BKJJfiMB wESdo a'lAf'd"
tnbuem gratuitamente nos lugares onde se vende o remedio. Us com roaDguiios, para acabar, a 15; ditas pre-
A CAICA DAQIIUA fl C AYCD las com manguitos para luto a 15800 rs., mangui-
O^LOH rAnlLlM UL HlLll los goliuhas pretas a 15, finissimas golinhas de
Especialmente efQcaz na cura das molestias que tem sua orlgem camtiraia branca bordada a 500 re., caicinbas para
na rsti 0I11I 1 na lnf< - na escro,,,,a> na mifccao Tcnerea, no uso braDca bordadaa l&m na loja d0 Pava0 rua
excesslTO do merca lo ou qnal A molestia ou infeceo peculiar, condecida pelo nome de escrfula, um dos ma- Chales de merino a 20000.
les mais prevalecentes e universaes que lia em toda a ex;ensa lista das enfermidades que Vendem-se os mais modernos chales de merino
atacam a nossa raca; disse um celebre cscriptor da medicina que mais de urna trra estampados a 25000cada um.havendo tambem um
parte de todos aquelles que morcantes da velhice sao victimas, ou directa ou indirec- Sm Tffisr0. tUTSVSSSS 2
tamenie de escroula: por isso so nao e lao destrucva, porem e a principal causa de Pavao, rua da Imperara n. 60, de Gama & Silva,
muitas outras enfermidades que nao Ihe sao geralmente altrit uidas. Os cintos do Pavo.
urna causa directa da tsica pulmonar, das molestias do ligado, do estomago! Vendem-se riquissimos siniosde Otas de diver-
o affeccoes do cerebro; entre seus numerosos symptomas acbam-se os seguintes: falta sas cores e lourados com Ovea larga e dourada,
de appetite o semblante plido e anchado; as rea de urna alvura transparente e outras STJBaS!S ES"'SFJZSSTU
vezes cora !o e araarellento irregul.r, fraqueza e moPeza nos msculos ao redor da boc- isto se vende por um prego raioave que muito'
ca; digesto fraca e appettite, falta de energa; ventre enchado e evacuacao irregular; ihes ho de agradar :istos na loja e armazem
quando o mal tem seu assento sobre os pulmes tima cor azulada mostra-se em roda dos do ^svio D;l rua da imperatriz n. 60, de Gama &
olbos; quando ataca os orgaos d'gestivos, os olhos tornam-se avermelhados; o hali-: .. As loallias de linno do Pav5-
to ftido a lin.ua carregada; dores decabeca. tpnteiras etc. Ka.ipcssoas de disposi- ^"BK SSftfiSm
c5o escrofulosa apparecem frequenlemente erupcoes na pelle da cabega e oulras parles pn co de 95000 a dula, eu 800 rs!.cada uma, na
do corpo ; sao predispostas s alTecccs dos pulmes, do figado, d s rins, dos orgos l0Ja e armaiem do Pavao, na rua da Imperairiz n.
digestivos e uterinos. Portante nao sao smente aquelles que padecer das formas ul- 60, de Gama Silva\
cerosas e tuberculosas da escrfula que necesitara. d proteegao contra os seus estragos- *s $a'as ^ P*t5*
todos aquelles e? cujo sangue existe o virus latente deste terrivel flagello (e as vezes S^JttStiSJtttt
hereditario), estao expostos tambem asoffrer das enfermidades que ele causa, que sao: do Deste genero, tendo mola roda, pelo baratissi-
A tsica, ulceracoes de figado, do estomago c dos rins; erupcoes e enfermidades moprecode foJOOO; ditas bordadas a croch a
eruptivas da cutis, rosa ou erynpela, borbulhas, pstulas, nascidas, tumores, rlieuma P^c00 e WOO, diascom babadmhos a 9*000, na
carbnculos, ulceras e chagas, rheumatsmo, dores nos ossos, as costas e na cabecai j$" S/SS?* Sl? a r"3 da lmperalnz D-
debilidades femninas, flores brancas causadas pela ulceracao interior, e enfermidades
uterinas, hydropesia, indigesto, enfraquecimento e debilidade geral
Offereccmos a estas pessoas um abrigo seguro e um antidolo efficaz contra esta
molestia e suas consequencias na
SALSA PARRILHA DE AYER
que opera directamente sobre o sangue, purificando-o e txpulsando delie a rorrupcao e o
veneno da molestia; penetra todas as partes e todos os orgai s do corpo humano, livran-
do-os da sua accao viciada e nspirando-lhes novo vigor. K um alterante poderossimo
para a renovacao do sangue, e d ao corpo j cnfrdquecido pela docnca, forcas e ener-
gas renovadas como as da joventude.
E tirabera o melhor anty-syphilitico conkecido
cura permanenteaiente as pf ores formas de syphilis e as suas consequencias. Pouca
necessidade ha de informar o publico do inestimavel valor de um remedio que, como
este, iivra o sangue dest< orrupeo e arrebata a victima das garras de uma mor te lenta
e igoomii.iosa, porm inevitavel, se o mal nao logo combatido com energa.
um poderosissimo alterante para a renovacao do sangue e para dar nova for-
r;a ao corpo j enfraquecido pela doinca.
Sendo composto de productos \egetaes, es e medicamento innocente e ao mis-
mo lempo cfflcaz, um facto de immensa importancia para aquelles que o toniam ; poi-
que amitos dos remedios alterantes oterecidos ao publico tem por base o mercurio ou o
arsnico; e sendo assm, beai ques vezes podem elT-ctuar curas, comtudo dcixam suas
victimas carregadas de tima onga serie de males, militas vezes peinr do quo o mal ori-
ginal. A nica cousa necessara para obter uma cura radical seguir com juizo e coos-
tacoia as d'ueccoes que acompanham cada frasco.
Nao pretendemos promulgar, nem queremos que se infira que esta composico e
um remedio infaUvel para a cura de todos os padecimentos humanos; infelizmeota a
es'-rofula e a syphilis sao enfermidades lao suiis as suas natnrezas, e arreigam se to
firmemente no esterna, que maitas vezes evadem e resistem aos remedios mais pode-
rosos que a scciicm humana pode inventar para combate las: o que diztmos que o
Extracto composto de salsa pamlha de Ayer ,
6 a melhor preparadlo at boje descoberla para estas e outras molestias anlogas, que 6
urna combinar; io dos alterantes mais efficazes conbeci los, e que esta ombinacio tem sido
regulada por longas e laboriosas experiencia
Rua da Iroeratri n. 60. de Gama & Silva. lllfl, QO UlieiIDadO D. O.
Tendo os proprietarios d'este eslabelecimeoto de A loja da aguia branca acaba de reetber um
liquidartm urna grande porcao de suas faiendas, novo e grande sortimeuto de differenles objeclos
de escrfulas e molestias escrofulosas, tumores, Ulceras, chagas, feridas ve- at ao lim do crreme anuo, adm de fecharen con- de gosio e uli|ma moda, sendo:
Bonitos enijeiies para seuhoras gostos inteira-
meuie novos.
Diios ditos ie grade cum cuD'as grandes.
Lindas uve as graiidts pera cintos com moldes
agradaveis e diversas qualidades, madreperola,
tartaruga, acc e douradas.
Boas e boni as tilas achanalotadas para ditas.
Hites de din de grosdeuaplcs li.-as e lavradas
com oovos e agradavris desi-nhos.
Trancas pr las de seda com vidlinos moldes
novos e de go 'to.
Biros branos epn-los de seda cora vidrilhos e
de difTerentes argas e lonilos dcsentios.
Cascarrilhs l de seda com diversas cores e lar-
guras, formaslinleiramenle novas a imitQo de
pafo, babadinljo e onlra com uma transinha no
centro o que Ins d muita graca.
Oulras estnji-as e largas guaintcidas de bico
de seda obra re muito gusto.
(luirs de cimnraia de cores.
Boides de se la, velludo e aro para enfeites de
vestidos.
Trancas de i eda estreitas e largas brancas e de
cores para enfeites de vestidos.
\Flores finas
CAPELLN PARA MENINAS E NOIVaS.
A aguia branca a rua do Queimado n. 8, rece-
ben para vendilr :
Delicadas cabellas brancas para noivas.
Ditas ditas para meninas.
Ditas ditas d caixos de flor de laranja.
Dilas ditas de rosas camellas e oulras.
Ditas ditas oq ramos de trigo.
Diversos ramos de flores tinas para peito de
veslidos, enfeites de chapeos etc., etc.
Prcphros para flores.
Na rua do Q je i ruado n. 8, loja da aguia bran-
ca vende-se: '
Papel de cores para rosas.
Dito verde pal-a folhas.
Seleiros c correeiros
PECHINCHO
Sola de lustre em perfeiio estado,
meio............0^000
4o-ma I>ls*eita45
galit canta e
(juehnandom
est
com superiores
Nuvos vestidos do Pavo a 10OCO.
Chegaram para loja do Pavo os mais ricos cor-
tes de vestidos de cambraia transparente com os
mais delicados bordados de differenles cores a pon-
to de agullia, srnio nVste genero a maior novida-
de que tem vindo ao mercado, garantindo-se o te-
nni muita fazenda e enfeites sufDcientes para o
corpo e maii(as, e vendem-se |ielo barato preco de
I00 0 cada um, na loja do Pavao, na rua da Im-
peatriz n. 00, de Gama & Silva.
Os f.sjiartilhos do Pavao.
Vendem-se um grande e vanado sorlirr.t-nto de
espartilhos os mais bemfeilos que tt-m vindo ao
mercads, sendo de lodos os Unannos pelo baralis-
simo preco de 4, 55, e 65000, por haver grande
soriimenio, na loja do Pavo, na rua daimperalriz
n. G0, de Gama Silva.
Retadas tretas a 12^000,
Na loja do pavao.
Chegaram pelo ultimo vapor as mais ricas re-
tondas de renda pretas, sendo das n ais compridas
que tem vindo ao mercado, e vendt-m^e por pre<-
moilo em conla : na loja e armazem do Pavao, tua
da Imperatriz n. 0, de Gama & Silva.
Cortes A 28G0, na loja do pavao.
Vendem-se bonitas cortes de casimira de cores,
tendo claras e escuras, e vemdem so pelo bari-.lis-
simo preco. de 25800 o corte, ou vende-se a mes-
ura fazenda a lC00 o covado, tendo 6 palmos de
largura: isto na loja e armazem do Pavo, rua da
Imperatriz n Os corles de ca>imna do Pavo-
Vendem-se superiores corles de casimira, sendo
fazenda rnuilo tina, pelo baratisslmo prego de 55
cada um : na loja e armazem do Pavao, rua da
Imperatriz n. l>0, de Gama & Silva.
Laiiziiihas a 280 e 320 rs.
Wndem-se laiizinhas de quadnnhos a' imilacao
Bom e baratissimo.
lina do Crespo n. 2.
Collares.
Collares anodinos el-ctro magnticas Rcier para
as chancas nao morrerein de convulsoes pelo ba-
rato prtco de 45.
Navidades.
Riquissimas pnlseira- 011 braceletes pa senho-
ra e para meninas a 15, 25 e 35, assi m orno lin-
das voltas para poscoco a 35-
Enfeites.
Riquissimos enfeites pata cabega cousa de mui-
to g.sto a 15500, 25, 35. 45. 5'5, 05 e 75.
Fivelas.
Riquissimas ftvelas de madreperola e de tarta-
ruga, arsim como pretas.
Cruzes.
Riqu ssimas cruzes dentadas porm o melhor
gosto que se pode desojar.
Cascarrilhas.
Bonitas cascarrilhas com biquinhos de seda e
aljfar cousa inteiamen'.e nova para enfeites de
Dito dito e pardo para cobrir os talos das ditas, vestidos.
Musgo em raiha. Binculos.
Folhas para rusas. Bonilo SOrlimento de binculos .
A QUlhaS e inhaS para Crochet, vidros para os amantes do thatro.
Vendem-se na! rua do Queimado n. 8 loja da i Assim amo uns pequininos
aguia branca, assim como agulhas para tranalhar- fle serve para enfeile de relcgio mais com excel-
leiilB vidro.
Sestinhas.
Riquissimas cestiuhas com prepares para me-
ninas de escola trazer do braco, assim como de
vidro enfeitadas proprias para'raimo.
Pentes.
Ripnissimos penies de borracha com aro bran-
co de metal para ni nina .-urar o cabello pelo
barato prego de 500 rs., e dozia P5, assim como
grande sonimento de todas as quahdades para de-
sembarazar.
Escovas.
Grande sortimento de. escovas rara ra; a e pa-
ra cabello, para unhas e para denles.
Lmelas e oculos,
Finlssimos lunetos de um e dous excellentes vi-
dros e aro de bfalo e de tartaruga, assim coreo
oculos com rame dos lados proprio para quera
sollre dos oculos.
Tooqninhas.
Riquissimas toaquinhas de li de linho, de se-
da e de la para criangas.
Para o cabello.
A superior agua para attingir os cabelles, as
barbas brancas e fazer conserva-Ios, os frascos
acompanha um rotulo que ensina a forma como
se deve applicar.
Para caspa.
Superior banba sem gordura com um frasco
com agua propria para limpar a cabega, os frascos
acompanha um folhelo que erjsiua o modo como
se deve applicar, assim como agua balsavica,
opiata e poz para limpar denles.
Banhas.
Grande sortimento de banhas om copo?, f m la-
tas de folha e em frascos de todos os lmannos por
pregos menos do queem outra garle, assim como
muitos outros objeclos quo nao se poie mencionar
por hoje : s no gallo vigilante rua do Crespo uu-
mero 7.
se em la.
Papel de sobrecellente para os
phosphoros hyyienieos ou de
seguranca.
A vista do grande tamaito das caixinhas dos
phosphoros hygi*nicos ou de seguranga, tornava-se
pouco o papel que vem em ditas caixinhas, e para
remediar essi fa|ta a aguia branca mandn vir e
acaba de receber esse especial papel, 1 iiial so
dar de sobrecellente a quem comprar de taes
phosphoros e se yender indistinctamente a quem
delle precisar. O prtgode cada caixinha de pbos-
phoro continua a ser 180 rs., e vendem-se na rua
do Queimado b. 8, loja da aguia branca.
Seda froucha para bordar.
Vende-se na roa do Queimada loja da aguia
branca n. 8.
Obras de crystal.
Brincos de diversos moldes.
Outros tambem de crystal de cores.
Outros de aljofares braceos e outras cores.
Aderegos de crvstal obra de goslo.
Bosetas de ditole cruzes.
Botoes de dito, trancos e de cores para collete.
Dito de dito laabem brancos e de cores para
puchos.
Voltas de dito e outras qualidades.
Leques de diversas quolidades
Ven^m-se na rua do Queimado n. 8, loja da
agu-' rauca. I
.ispas fortef para bala)
Vendem-se na roa do Queimado loja da aguia
uranca n. 8.
Car retis com retroz.
Na rua no Queinjado n.8, loja da aguia branca.
Cromacomc para Ungir ca
bellos.
A aguia branca avisa aos constantes freguezes .
desa excellenle tintura, que ella acaba de rece-1 Para'riz n. ob, loja e armaz,-m da Arara, proprleta-
ber uma nov
e sabo brauco.
portanto podem dirigir-se a dita loj
Queimado n. 8.
a bridares de luvas.
Liquidagao geral.
Lourenge Pereira Mende Gnimare, rua da In.-
enie tintura, que ena acaoa ae rece- ^.""-""""'"J" """"'-"" u" """*''"*"
ra remetsa de cromacemo, coloricome ri do Brande armazem de fazendas e roupas feitas,
ico, necissano para lavar os cabellos. Item Volvido fazer uma nova liqoidagao de todas
lem dirigir-se a dita loja na rua do as nalldades de faiendas que exi.-lern no seu ar-
Vendem-se na rua do Lueimado loja da aguia
branca n. 8.
Port banquete
as, e fnalmeule que temos consciencia deof- das sediobas de tjuadros pelo barato pnco de 280 de bonitos moldes, dourados o cabo de madrepero-
ferecer ao publico o melhor resultado que possivel produ/.ir, da inteligencia e pericia "" r?\ado; di-!^ **rib!,diis1 T 0 m?is '" b'.bt1!" ff rua :a Qutiraado loJa
medica das nossos lempos. Ud e I'u,Ud dos padroes a J20 rs., o ppeli.ncha: na loja do da a, o.abranca n.8.
Este remedia deve ser tomado com sysiem e re,'u!a;idade, e nao com abandono,
pois um remedio e nao bebida.
CJuando as mole.-lias do figado nao lem sua ori;,'em na escrfulas, o remedio
mais proprio as pululas catharticas de Ajee, que sao efficazes na cui'a da molestia, que j nnperatri n. 00, de Gama & Silva.
tem per causa um dasarraojo dos orgaos digestivos. Pedi a salsa parrilna de A ver e Chales prelos de renda a 8.sOOO,
nao aceitai outra preparaco.
Pavao, rua da Imperatriz n. 60. do Gama & Silva, j Otilias l(lll(UlllllS
S CilltOS (lo pavao a I ;t()0(J. de Ot de linho, cambraia e selim todas mu bem
Vendem-se cintos de fita com fivelas pelo bara- enft-itadas: vendeip-se na rua do Queimado n. 8,
li.-iimo prego de 15000: na loja do Pavo, rua da loja da aiMiia hranct.______________________
ID33
MURRAT & LAi
A agua florida de Murray Lanmas
olhada como um artigo de perfume, nao
,tem podido ser igualada pels piqjaraces
as mais custosafi: conserva seu aroma, co-
mo se formasse parte da prenda a que ella
ge applica.
Sua eflicacia to delicada, como elegan-
tes sao seus multiplicados usos, qur seja
embregada como artigo de toucador. qur
no uso do banlio, ou como suavisador da
pelle. depois que se teidia feito a Lara;
j para limpar as gengivas ou aromatisaro
balito.
D suavidade, brilho e etasticidade as
compleioes, depois dse liavtr lavado; al-
livia a irritara o de orupces ordinarias; faz
desapparecer o desagradare! afpecto dos
pannos, das sardas, do rosto, rugas e toda a
casta de ebulicoes, e d vigor e frescura a
parle onde quer que se applique. Sua effi-
iencia e elegancia sao igualmente infalli-
weis nos casos em que seja preciso applica-
(a como estimulante e antisptico, nos eon-
cuisos e assemblas numerosas, as loca-
lidades infeccionadas, na alcova de um en-
fermo, assim como um antidoto exceden-
te para os desmaios causados por cansaco
ou suffocac5o. preparada nnicamente por
Lanman 4 Kemp, Nova-York, e a venda por
Caors & Barbosa.
Joo drt. Bravo & C.
Deposito geral em Pernambuco rua di
Cruz n.22 em casa de Caros Rarbora
Vende-se um cylindro, roa raa^seira, uma
balanza grande e uma dita pequea, rom todos os
pesos e mais uteocillos de paitarla : a tratar na
rua Dtreiu n. 84,______________________
Colla da Babia superior
Tem para vender Aotonio Lniz de Alfivedo &
C, no mu escriptono rua da Cruz n- 1.
na
WiStiCA
iVjfcj;
Rival sem segundo
iKi do Queimado & A\) e 55, loja de
iiiiudezas de tres poetas, est quei-
manilo ludo bom e barato, quem qui-
iv vere adaiirar vetliam loja do
BJ^odiuho.
Caixa de papel amicade, e sem ella liso e pautado
a GOO rs.
Grozas de botoes de iauga ^raleados fazenda mo-
derna a 100 rs.
Duzias Pegas da tranga de lia Usas de todas cores a
40 rs.
Escovas iflnissimas para limpar denles a 240 e
320 rs.
Pegas de -fita de eos eslroitas com iO varas a
320 rs. I
Caixas cora clcheles francezes, superiores quali-
dades a 2 : rs.
Tinieiros de iarro, com superior itioa a 100 rs.
Pegas de eardo para vestidos, aioDda boa a
20 rs.
Baralhos muo finos para voMarele a 200 e
240 rs.
Latas com snperiar banba a 200 rs.
Frascos de macaca perula muito fino a 300 rs.
Frascos e garrafiabas com agua de Colonia a
OOrs.
Frascos grandes eom superior agua de Colonia a
640 rs.
Gaitas com
ilion.
leja do pavo.
Chegaram para aloja do Pavao os mais ricos 1 Senlmres e seuhoras
chales de renda prelos, de 4 ponas e muito gran- Os propietarios da nova loja e armazem de fo-
des. vvndend-se pelo baralis-imo prego de 8*000 zendas e roupas iritis na rua da Imperatriz n. 72
(.ara acabar: na loja do Pavao, ruada de Guimares & IrtnSo, acabara de reduzir os
cada um para acatar
Imperatriz o.tiO, do Gama & Silva.
Vestidos indianos a 3oOU<:, na loja
Vendem-se os mais bonitas corles de vestidos
indianos, sendo eia fazenda transparente e ioteira- 330 rg.
mente nova no mercada, e tendo entre elles muitos
cortes roaos proprlos ,para senboras que esto de
lulo; e vendein-se pelo iaratisfimo prego de
pregos de suas fazendis mi-nos 20 por cenlo do
que em outra i|oalqber parle, a lim de apurar di-
nheiro, assim como seja lazinhas de quadnnhos
sendo escuras a 200 c 220, ditas mais finas a 360 e
4(0 rs, dilas trasparentes com listas de seda a
Faztndas proprias para a festa.
Vendem-se as mais bonitas bareges de laa e se-
cada um psra acabar: na loja do PavaJ, rua da & J*CeU? \s raa,i-s n'oderDas 1e leniKftV|n-
Imoeratrizu 60 de Gama A-Silva do ao merca-'o pelo baratsimo prego de oM) o
imperatriz n. ou, ae uama A son. C0VJld0) ^^ {r0fn fle oma s cr 320 e
360 o covado, ditas com palnras solas sendo min
das e graudas pelo baratissimo pn go de 280, 360
12 frascos de cheiros muilo faos a
Sabooetes pequeos de bolla a 240 rs. e grasdes a
320 rs.
Dozia de sabooeles peqoeoos com choiro a 700 rs.
Agua deotifice superior ajealidadea 800 rs.
CaisMcoai superior p d arroz a 800 rs.
Vestidos 4
Vendem,se corles de vestidos a Maria Pia r, e m fs covado |g|0 na |oja p mmm d{ ^
zendas n.
para acabar : na loja e armazem do Pavao, rua da urniu.
toiperatriz d. 60. de Gama & Silva. "
Lazii:has a -I (11 rs,
Vendem-se superiores laazwrias transparentes
c:n bonitos padroes, sendo lisas e dequadros, pelo
baratissimo prego de 160 rs. o covado. isto para
acatar: u.i loja do Pavo, rua da Imperatriz n. 60,
de Oma & Silva.
ilanguitos e golas a 00 rs.
Vendern-se manguitos com golas de cambraia
pelo haralissimo prego de SOO rs., Isto para li-
Salas beldadas.
Vttidem-se as mais bonitas saias bordadas sen-
do bastante largas e muito bem bordadas pelo ba-
ratissimo prego de 65O0 c 79.
Vestidos de tarlafana muilo fina sendo brancos
com barras do cores bordadas de la e soda sondo
os mais modernos que tcm vindo ao mercado e
vendem-se pelo barato prego de 9, 9o00 e 10$.
Masas de seda para liotnrin.
Vendem-se as mus lindas mantas de
i(lw n bj..jn la da ImnoralriT n "" MIS HM UMBIHWe Seda para
2 *A7%?,Pmo' ""* to lmPera,r,zn- hornera tendo de todas as cores polo barallssimo
rta. rhit d. Pi. Pr de -S300- ^P e ,*500 : ist0 Dova Io"
torios ae mmmrt/m jadefazendas na la da Imperatriz n. 7, de
\ endev-se cortes de chita franceza muito boa Guimares & Ira-So
com Wovados a 2^400, ditos com II covados a Colarinb*. ,1a linho para homom.
Vendem-se colaribhos de linho para hornera
sendo os mais modo (nos e melhores que ha do
morcado pelo baratissimo prego de 5500 e 6$ a
duzia.
Chales de nir'rii estampados a 2S.
Vendem se bonitos! diales de merino cstampa-
2*600, ditos com 12 covados a 2*800. isto so
para acabar : na loja do Pavao, rua da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Agasalfas para caliera de seuaoras.
Vendem-ee superiores agasalhos para cabega de
senhora ou cadvms, sendo fazenda mais moderna
Fraude superiores- esseodassan outros a 11^0?^^? om ?Stt USA SSSSfaTJ9^ .*" ^ '"
f.M paralar noduas de roupa ^M -taP* ^ *- &tt1WttU%*a'<^ *
FraS^m^irosde todos os ^ a ,60,2(K), j0"" dC ^**&*' ** **" Vendem-ce pS ^JSSttr^u, a 3*,.
h,fl,JH P"8' 3,8500,0,4|80S e 58, ditas muilo finas lend
Vendem-se chales de renda preta muito finos a uma vara de largura 1 9J1 e (05 : isto s na nova
IO e 12, ditos de linho a 15*, ditos de seda de |0ja do fazendas n ru
linho dos melhores que ha cm chales de renda a Gumares & Irmo.
20 e 25*, ditos brancos de Ires ponas a 6$, isio
s na loja e armazem do Pavo, rua da Imperatriz
n 60, de Gama & Silva.
240 e 320.
Frascos bonitos cm cheiros finos a 500 rs.
Duzia de meias muito finas para senhora a
45800.
Gollinhas moito finas para senhora a 200 rs.
Caixas rom soldados de chumbo para meninos a
160 rs.
Pegas de fita de laa para debrum de vestido, com
10 varas a 600 rs.
Ditas de bicos superiores, para acabar a 600 e
"i rs.
Podras de lousa para meninos a 160 rs.
Dunoeos de choro e panno a 160 rs. ,
Caijias eora bonitas estampas para rap a 100 rs.
Capachos eompridos, boa fazenda a 500 rs.
Grosas de botes pequeos prelos para caiga a
100 rs. v v
varas de cordita de espartho a 20 rs.
Novellos franrozes, cora 2(K jardas a 40 rs.
Pegas de tiras bordadas a 640.
Duzias de meias cruas mui'e fortes e superiores a
35500.
Vende-se um escravo de 15 annos, multo bo-
nita figura, sem vicio nem achaques; do Corre-
dor do Bupc n. 15.
/
da Imgeralriz n. 72 de
Novidude
PARA A FESTA
Popelinas a 400 rs.
Pti|ii'liius a 400 rs,
Popelinas a 400 rs.
Chegaram para a loja do pavo as mais lindas
popelioas, fazenda propria para vestidos de senho
Kisc: Vendem-se os mais. bonitos riscados
para vestidos de senhora e prophos para roupas
de meninos a 260 e 280, dulas francozas escuras
, e claras a 240. 260, r 0, 300 e 320, ditas percales |
. muito finas a 360, 400 e 440 e covado: isto s na
, nova loja e armazem ce fazendas na rua da Im-
peratriz n. 72, de Guirrares & Irmo.
Camisas fraacezos.
Vendem-se camisas Iraucezas a 15500, 15800,
25, 255OO e 35, ditas :om peito de cor a 29 e
25500 : isto s na loja de Guiraares cv Irmo.
Luvas de Jouvin.
A loja de miudezas na roa do Queima-
La:icehdlmal!,ran?parenle- bri,h,ntf,s y." do n. t6, resebeu-a por este ultimo vapor,
mais lindas cores que lem vindo, as quaes facili-,-----------:---------------L!-.------------------_'
tara fazor-se ora vestido com mu i la ptiaotazia por, Naiwide.
rhaleg e retundas de guipu
pooco dinheiro, e vendem-se, sendo de quadrinhos Chegaram os bonitos
a 400 rs. o covado, e as d ama s cor a 500 rs. : re brancos, e rendem-fc
na loja do pavo, rua da Imperatriz n. 60. 52, loja da port? larga,
ILEGVEL

matero, que vender irinia por cenlo menos do que
em outra par?, alim de se apurar dinheiro e fe-
char contas, por isso pede ao respeilavel publico de
aprovtitar a oeeasito, a sabor.
Lazinhas c'iiitms de quadrinhos
Vende-se laasinr is finas a 200 e i-20 o eovado,
difa cum palmas 3 e 300, cassas de lima s rOr
a 320 e 360 o covado, dilas de palmas a 280 320,
360 e 400 o covado : rua da Imperatriz 0. 56, Hien-
des Guimaracs.
Pateadas do gusto
Vende-se as mais modernas bareges de laa e se-
da, sendo fazenda de gosto pelo baratissimo prego
de 560 o covado.
Sajas burdadas
Vende-se saias hornadas pelo barato prego de
65800 e 75, tiras bordadas a \, eutremeios 800 e
15 cada tira.
lucos corles lira neos bordados
Recebeu se bonitos cortes bordados e de coros,
de laa e seda, que se vende a 85, 95 e '"5 cada
corte.
Chales de Buril
A pechlncha esta se acabando, chales de merino
a 25.
Riscados oscocezes
Vende-se riscados escocezes, a 240 e 260 o co-
vado : s o Arara.
Percalas finas
Vende-se .percales muito linas, seno de moito
bom posto, e tendo de bonitos desenhos com lislras
a palmas solas, sendo fazenda inteiramentede .os-
lo, se vende a 460 e 500 o covaio, chitas escuras
e claras, a 206, 240, 280, 320 e 300 o covado, bre-
tanha de linho de duas larguras, a 15 a vara, len-
cos de cambraia branco, a 25400,25 e 35 a duzia,
ditos de linho, a 440,500 e 600 cada um : Mandes
Guimaraes. *
Cobcrlores de alyodo
Vende-se cobertores de algodo, a 800 e 15500
cada um, ditos escarales de la, a 55 : rua daim-
peralriz n. 56.
Camisas francozas
Vende-se camisas francezas a 15600 e 15800,
pregas largas a 25, 25240 e 5501, finas a 25800
e 35, brim de linho de cores, se vende a 1280 e
15 a vara, cortes de brim de cor, a 15280, 15400.
15600,15800 e 25, de brim pardo a 640, 700 e 80
rs. a vara.
Koupas feitas
Grande sortimento de roupas feitas, caigas de
brim branco a 25, de linJio a 35200 e 35500 cada
uma camisa 35 e 35500. finas a 65 e 75500, pali-
tots d.- brim a 25. 25500. 258OO e 35 do, casemira
35500,45. 55. 65, 'S, 85, H3U0 e 105, sobreca-
sacos a 125,145 < 16, prelos e de coros, caigas de
brim e de cores, a 15280, 15140, IjCOO, 15800,
'5, 25500 e 35; s Loureugo Pereira Mendes Gui-
maraes, roa da Imperatriz n. 56.
_____Arara u. 06. Metidos Guimaraes.
Farinha de mandioca.
Tem para vender Antonio Luiz da Oliveira Aze-
vedo & C, no seu escripiorio rua da Cruz n. I.
Em ca.a de Pblpps Brothers & C, rua do
Vigario n. 2, vendem se cofres de ferro, prova de
fogo, dos afamados fabricantes Milner & Son, de
Liverpool.
Vende-se um mulalinho de 16 a 17 4k>s,
proprio para pagem por ser muilo bonito o de boa
con'lucia : na rua do Imperador n. 43, terceiro
andar. ___^_^
Vende-se a fabrica de charutos e cigarros
da rua do Aragao n. 32, bem afregi'ezada : a tra
lar na rua dos Coelhos n. 2
Chales de renda
Paredes Pulo, na ruada Imperatriz n. 52, porta
larga, vende chales de renda de cores com peque-
no toijoe de mofo, a 35500 e 45, fazenda de 10J
e 1*5000.
ENCICLOPDICA
b2 Hnada Inipertiriz ariuazcia
da porta larga &.
11111(0 a padttria fradeeza de
Paredes Porto.
Xeste estabelecimenlo encontrara o respeilavel
publico um 'arlado scrlimealo de fazenda.- iraoce-
zas, inglezas, suissas e allemes, que se venderlo
por prego commodo.
Paredes Poilo
Vtnde chales de renda de cores que se vende*
rain a I8{) est vendeiido |ior 05, ditos prelos,fa-
:tnda nova, 55,65, 85 a 05, um sortimento n m-
plt-to de manteletes, rapas e soalambarqnes li-5 a
255- Hua da Imperatriz n 42, juuio a padarla fran-
ceza, armazem da puta larga.
Paredes Pulo
Roci-beu um completo sortimento de asinhas a
JO, e 280 i, covados, para acabar, eambrafas do
cor a 240 rs. n covado, riscado 'srns-e? para r< u-
pa de menino, fusiao de linbo a 420, 400 e 500 rs.
Rua da Imperalrii n. 52 juuto a padana franca.-,
irmazem da porta larga.
Paredes Parla
Rrcebou para colimados para cama franceza a
115 a pega cambraia lisa fina a 35 45 al* < > a
peca, cortes de larlalanade bonitosg slos a 35tOO
45, cambraia eom Ob> de .-oda, gestos inu Ira-
mente 1 ovos a 500 e oii is. o covado.no armaiem
Ja porta larga n. 52, rua da Imperatriz junio a na-
dara franceza.
Paredes Porta
Rcrt-heu rolo Diurno paqut te um snrlimoulo de
cruzes rom pedraspara oposcogo, benitos raxii os
de laa para jiescogo de senhora Rua da Imperatriz
n. 52, armaztm da porta larga.
Paredes l'orlo
Vende corles de gorguiao preto para vest Jo com
21 covados cada um 355OO, gi.-diiiaple pi'Da
15600, 15800 e >5 o covado, las lizas linas a 0
rs. o covado, laas de quadriuho para vi slido, 1 nti
tada, a :..() rs. o covado. Rua da Imperatriz 0. 52,
arn.azem da poita larga.
Paredes Porto
Tem para vender por prego rom mi do, r>cis de
esgniao de linho com 10 varas a 75. 85. paruNt^de
linbo para longes a 640 e 70O r.;. a \aia. brainan-
te de linho de 4 larguras B 25200 e 25$00 a vara.
Paredes Peito
Vende corles d.' cambraia bordada* de lieos
gostos a 105 e 125, ricos vestuarios para 11 -m'h:
e menino, ricos cotes de cambraia Maria i^ a
K'5 e 205, tarlataua branca c de cor a 640 p 720
rs. a vara. Rua t'a [mptrairiz armazem da poita
larga n. 52.
lioijia fcita
Roa da Imperatriz n. 52 armazem da porta lar-
ga junto a padaria franceza, ene. 1,ira se 10 Mi 1 --
labteeimenio um compiti sortimento de 1:1,1
sacros e sobrecasacos, de t'.o.:s u quali ; es. ral-
eas, cohetes, cuoulas, camisas, grvala*, imias,
chapeos deso, dilos francozes para cab>ga, [cr
pregos rommedos, roana para menino e mi
monas fazendas por pngos commodos, aimazeffl
da porta larga.
o mesmo estabelecfmenlo encontrar o re pel-
tavtl publico, sempre um completo sortimoi m de
roopas feitas de todas as qualidades, r> rr.u >']. m
paUls de alpaca preta eue cor,dilos sobrecasa-
cos a 45 e 55, dilos de I riro pardo a 25800, 35 0.
35500, dilos finos a 45, ditos meias razn r a
35500, 45 e 55, ditos catemira s;erp> a 1'*, 3 I S
e 105. nos sobrecasacos a !0 e 125- 1! ; de 1 au-
no saceos a 65, ^> p 105, lites sobi- rasaecs ?. 2
e 255, ditos de merino preto v 6>-, 7-3 1 '--*. a -
cas de brim de diversas qnalidades a 15800 a \i(
dilos truncos a 9,8500 o 6-500, dilo= : omita '.'.
65 e 75, dilos pretos a ?5,65, 85 o 105, '''tos
rnnas' cazemirae a 35 o 45, coletea de dimsas
qualidades, soroolas francezas de algodo, ,!.
linio, dilas de bramante a Sj 85500, r miza* <;
algodo de linho ftanerzas o 25300 e ?j. Grao-
de pecbincha neste genero, grvalas de r!as -s
qualidades e brancas para ras. ca: wr-
tin.enio de moias par.-, si nhoras, o "
a 33, superiores a 35500 o 43.
l'm completo sortimento de chap
ra Int: 1 us
s, 1 fie
liitunto
alpaca a I5, dilos de seda a 35: 75,
ditos francezes para cab ca, grande
a 05-
Pecbincha a mirare!.
Grande rorlimento de chrnt>re: 1 ijGCO 1
lencos de cambraia para hotttm a 3 a '!: i,
tos de linbo a 45 o 85-
Grande sol tmenlo de renta para n ei lu se in-
tras n uitas (ualidadcsquc suia rtifadcnl.O rr u-
cona-las.
Fazeaidaa.
Vende-se superior merino preto proprio f ?r^ ca-
pa> do senhora e vestidos a 25, iustiim da China
a 15800 o covado. Rua da linperalriz, porta larga.
Paredes Porto.
Vende omseu i-stabeb cimento liras e entnmeios
bardados, grande sortimento de corplnhos rifa-
rxenie burilados a 35, 43 e 5-j. S o Pande' Por-
to, rua da Imperatriz no 52; porta larga junio a
padaria franceza.
Paredes Pirio
Receben pelo ultimo paquete fnmroz rica" laa 1
granadinas com flores de seda a i 0 o 500 rs. o
covado, esiao acabando-so, cambraia preta [aia
lulo. Pona larga junio a padaria franceza, a ma
da Imperatriz n. 52.
Paredes Porto
Vende um completo sortimento de fazendas
brancas, como sejMn madarolao a 45500, 55, 65 o
10?, pegas de algodo por barato prego,chua f, u-
ceza a 240, 280. 320. 360 rs. o covado, prwi
muito linas a360, 400 rs. o covado, chita i li
a200e240rs. o cuvado. Rua da Imperatriz u.
52, junto a padaria franceza.
Paredes Poito
Vende gangas de cor propria para ronpa df m-"
nios a 320 rs. o covado, rkscado fraocox i
320 rs. o covado. Rua da Imperatriz n. 52, junio
a padaria frauceza, Derla larga.
Paredes Porto
Recebeu pelo ullimo paquete espartilhos a fre-
{tricoso por 3}, sao bons, lengos de seda 1 ara se-
nhora e hornera a lj, ricos edites do carr! 1 ia
bordados de 18S a 7, por ttr um tupio de mofo,
eslo se acabando, na roa da Imperatriz n. 52, jim-
io a padarla franceza.
&HM&8

Da
avariado
Francez barrica 55000
Portland dem 85500
Em perfeilo estado:
Francez barrica 105C00
Portland dem 125000
NTo armazem de Tasso Irmaos co' do" ApoHo.
Vende-se a casa terrea sita a ma Ss P-i-
nambucanas, na Capunga Nova, mire a tl.e.iir e
as casas do Sr. Bartholomeu [ftarengo, lem h ns
commodos para pequea familia e um extenso
quintal com diversos arvorodos : a tratar na rua
do Imperador n. 81. "
Na rua do Raogel n 9 vendem-se saceos va-
stos que foram de farinha de trigo.
.\'oa pabllea^So.
Tabella do veocimento mensal o diario da cora-
panhia dos guardas das alfandegas do imperio, se-
guida de taboas do calculo pelos dias do mez :
na roa da Imperatriz" n I venda na livraria universal, rua do Imperador no-
ie Paredes Porte. mero 54.
Vendem-se palmeiras iropenao, m e.-iaco
de serem transplaoladas: no sitio morado a es-
querda, depois,do becca do Espicheiro, n, A-
Qictos
Rom e ban< to
Maoteiga iogleza flor a 15 a libra, francez* a
840, arroz do Maranha-) a 100 r*, p ir.go a ISO,
amendoas a 240, caf do Rio bom a 2i0, rnh da
l'lgueira a 400 rs. a garrafa, e 35 a ^aoaca, Lis-
boa a 360 a garrafa, e 25600 a caada azule d ce
a 600 rs. a garrafa, vinagre de Lifb > a 200 rs. a
garrafa, e 15300 a caada, qneijjs d ul Inr.o v ip ir
a2j300: na roa das Cruzes n. 24, esquina rfa
travtssa do Ouvidor.
Vende-s^e um escravo cabra escoro, s.x-- teir-j
e cozinheiro, barato : no collegiu d 1 C mcelgS > Trrr
Coelhos n. U. No mesmo cullegio so aluga um
grande sitio com moita fructa, bando, tic, na Ta-
Tarineira.
Vendem se saceos com milho novo
do Ramos n. 4.
no caes
Na rua Direita n. 24, tem para ve>
der utn cylindro com tambores de pao.


'


'


marta de Pernambaeo Qnarta :eir* 99 de .V'ovembr de : *
R

u uvlllDJ Dili U
N. 11Ra do Queimao]J. 11
4& A' casa de Augusto Porto chegnram pelo vapor rancez ricos cortes de
* vestidos de seda de cores dos mais bellos gostos, proprios para bailes,
syb partidas ou casamentos.
('lales de Guipure pretos e brancos.
Bonets de paltia da Italia para senhoras.
Moir branco e preto.
Bonita seda pira vestidos,
aseniiras de quadros.
Esteiras da India para salas.
Sadapoloes francezes a 400 e 500 rs, a vara,
lilas para vestidos de diversas qualidades, e
gostos diffreentes,
Q que tii'lo se vende pelos mais commodos precos.

CORTES 1E SEDA
r.hraram palo paquete toglez riijuissimos cortes de moreaatiqae de cores, e seda lavrada
Mto inteiramente dovos.
Seda de quadros por 1J000 o covado
5-RA DO CRESPO-5
Companhla.
Gregorio Pae? do A mural
&

WMM
Para vestidos de senhora.
Cortes de seda de cor de bom gosto e superior qualidade.
Lindas sedas de quadrinhos.
Bous mnireantiques de cores.
Grosdenaples d.i todas as cores.
Lindos poil d chevre fazeoda assetinada de inieira nnidade.
Lindas duquezas assetinadas fazenda inleiramente nova.
Mudemos gremdinesde seda oque tem vindo de mais novo.
Gr m e variedade de 13a-* de cores li?as e de salpicos.
Oraandyseca sas de muito bom goto.
Percalias modernas com grande variedade.
Lin los orles de lila Clotilde com todos os pertenccs cada um em sen car- 5
^tito inleiramente novos. %m
R msc-Srtes de casi co u barra tambMD inleiramente novos e outras murtas'jP
adas de gosto que seria enfjdonho mencionar. ?&
Rara hombros de $enhnra v
Grande nriedade dcclia'es, boarnoox, retondes e algeriennes de fil e de jjk
guip-ire a 10. IG, 20. 30, 40, 60 at M> $g
Modernos sontembarqnes de seda de superior quilidade.
[ i. n 1>< bertes de seda de cor pretos c de cachemira.
dem de camhrait branca b mi ida com mnito gosto.
Saal mbarqoes ebourn mx de cac'nmira de cor e outros mnitos artigos de
AO RESPEITAVEL PUBLICO
0 BULE M CLUBE PERNBMANO
Gregorio Paes do Amaral & Companhia.
Offerecem a todos os convidados, do explendido baile do Club Pernambucano o
seu bello eescolhido sortimento de fazcndi de pbantasia, chegadas pelo Gueme, que
consta das seguintes especialidades.
Vestidos Cesarlna.
Linda e nova fazenda de l-brilliant, transparente, com listas e flores de seda,
padrees do ultimo gosto.
. SEDAS
Em cortes padroes novos. escuros e claros.
Em pecas moireantique liso ondeado e lavrado.
dem eslampado com listas e flores.
TarJaana.
Resta urna diminuta porco de cortes de larlatana branca, enfeitados caprichosa-
mente a cores. Todos os amadores de partidas e soirs, lio comprado para suas fami-
as estes vestidos, j pelo diminuto preco, ja pelo bonito gosto.
ENFEITES
A imperatriz Eugenia e a rainlia Victoria que adaptam com muila elegancia
kok.
Jouvin & C.
Resenlia-se o nosso mercado da falta absoluta das verdadeiras uvas de Jouvin.
Temos a^satisfaco de poder annuncia-las a nossos freguezes pelo prego de 3$O00 o par.
E grande a economa vista da flexibil dade e bom acabado, que Ibes d dupla
duraco sobre as falsificadas.
Trlnta diversos objeetog
Proprios para o complemento dos enfeites de vestido como bertbes, costageo,
suspensorios, etc gostos os mais pliantasticos em dentelle preto e branco, tafet etc.
Mandam-se amostras.
D:adcmas e pon ios de tartaruga.
E a primeira vez que vem osla fazenda ao mercado.
a convida as L'xmas. senhoras a urna breve compra.
. CIXTOS
Com fivellas de madreperola gravada*, tartaruga, metal, etc.
Chales de fllO de edres.
Nova remessa, desles chales e retoodes a dur.s e mais cores em xadrez Nada se
A pequea porco que res-
Ai-ii l, ll*i ii i ... """" '"^oo, uwim uiijica u iciij'iues a uus c mais cores eiu acuna mud se
tabella abaiXO publicada Serve dbase de pre(?OS, 'pMejolgar do ma^nifi. o effeitodostes chales, scie experimentar as pessoas que os de-
tonto deste armazem como do armazemprogramo pa- *TM&.Mtmlm**.*
t
hora gosto.
Para cabeca de senhora i
Superiors chapclinas depalba, de seda e de crina de muito bom gosto a m-
p ratri/..
Chapeos de pillia da lidia grande variedade.
Lmdns gorros e bonets de palha de Italia, Imperatriz, Canutier, Clotilde'
i a Crante, chegadnsde Pars pe'o ultimo vapor. :
., Grande vario lado d enfeites de firoco e de llores pira casamento. *
S iperiores vi stidos de blon le. e de m lireantiq-ie brancos.
Bons moireantiq'ies branos es iperiores se las brancas. I
R i is vestidos (\' tarlatana branco bordados.
I.indas mantas de bl >nde e boas capellas. ;
BBnrdtdos. <
Grande variedade de ntremelos bordados transparente e tapados.
Ti as bordada^ transparentes e tapadas, babados bordados, satas bordadas eljj
tros mu i tos arlaos. r





.
outn
- i
.
DE NT'N1
HAS COIiUHMAS
rORRRl* lE VAS'ONCELLOS & C.
RA 0 CRISPO V. 13
,&
da

Xoja da boi f oa ra
Imperatriz n, 74.
V -i i i) ?e ricos nf'-ites pira cabera a S$^0O.
l'-'i! pn m para alisar a 240.
I los com chapa ilr- noetal branco a 300.
I Bn is para deotes a t0. 2iO e 500
uras linas pira costura a 300,500 e l "
Meias muil. linas para senh ra a 300 o 400 o
f
i'...ixa ciT ,')0 novplos de linha do g a 700.
i: ii-, i < soo envalopes a 800.
Ci'X com papel pautado a 700
II isma de papel almajo grev* a 3200.
Tinta preta para esererer bnioa lio.
i cas e garios d balan-;) a oSoOO e G5!>:K).
M i is (-ras para horaria a 200 210 o par.
...liioies de todos os lmanlos a 100 a carta.
!' tadii linno pega 30 e 120.
C irdo para vestido a 30 rs. a pe?a.
J.io imprial pega 40 rs.
Guitas i un brelas multo boas a 40 rs.
tiaralho de cartas linas a 240.
ilroza de bati de lonca para camisa a 120.
Ditos de madreperola muito fios a 640.
I'lita de crtete muito bons a 40 rs.
liaran de cometes muito broa a 60 rs.
ttrvutas de se la preta e de cores a 500.
J igo de Wispora a 800 e 500
r.aixas maitoOnas para rap a !$
E u a completo sor.imento de nuudezas que
vendem por m^n is do que em oulra qualqoer par
. n apurar dinhciro. ________
-Jfer
m
se
Acha-sc
a venda na hvraria acadmica, na roa do Impera-
dor ; na do Sr. .Nogueira, junto ao arco de Santi
Ai it^io ; e na typographia imparcial, na ra es-
ii, i do Rosarlo a compilacao de toda a legislaca
tendente administrado, arrecadagao e fiscali-
sacS d ie iiuh-iros de orph.los defuntos e ausen-
tes, h.-ran;as Jacentes, legados, etc., contendo nao
* o regiment de cnstas e a lei geral das execo
(des, eomo tamiiem todas as ordens e avisos de
povero, que a tudo lera explicado, tanto a respei-
i.< ('as oiuipacoes inherentes ao cargo dos differen-
te mpr igados de pj'stlca e fazenda, como dosdt-
refloi oaciooaM e emolumentos que sao devidos
Ele vro contendo mais de 700 paginas em nitidj
Hi presSo o bom papel, e prestndole a utilidad^
r!" dlfTreotes rasses, torna-se recommendavel.
eu 'listo lOOOW por cada exemplar em don?
omns.
ilhlES
Grande prchlnchn.
fo roa da Imperatriz n. 52 POTU lirca de Pare-
.+< t'.rt, vende-se chiles de merino estampados a
'_'.; i.-oiiO : finos 55, esiao se acabando.
Rord.ido.
Cli-oi) a P'ja de Paredes P >rto, na da impera-
iT'i !i o, ora soriimento de rarpizinlias, golhnhas,
eeri inhos, rouieiras e sintus, de camhraia branca.
pelo barato prego de 25300, 39300 e 45, gullinha
600 rs., romeirs a 800 e sinlos a 800 r?, grande
quanlidade de ntremelos a 600 e 800 rs. a pega,
e^.i i se acabando.
"iNJECCAO BROW.
Remedio infallivel as agnorrheas antigs
e recentes, nico deposito na pharmacia
fra'ceza, roa da Cruz n. 22 e no preco de
S^QOO.
r, b^
LOJA DO BEUA FLOR
Na ra do Qucimado n. 63.
Nesta bija por tolo-; os vapores se recebe lavas de
pellica brancas e decores, tanto para bomem como
para senhora.
V tas, c nzes t brincos.
Chegou no ultimo vapor um grande sortimento
de voltas e ernzes, imitando cornalinas brancas,
assim como brincos da mesmae decrystal do mais
apurado gosto que se pode desejar, foi s quem
receheu : Da loja do b'ija-flor, ra do Qneimado
n. 63.
Enfeites para coque.
Assim como receheu enfeites para coque e en-
tras maitas qualidades, que se vendera mai'. barato
do aue em outra qoalquer parle.
BiHiecas que cham >m ntiimi e papai.
Tend i recetado um grande sortimento de bone-
cas que chamam papai e mamai e movem com os
olhos, muito bem vestidas, com cabrlleiras, o
que p le haver de gosto neste genero, e vende se
mais barato do que em outra quilquer parte.
B laos.
A^sim como um bonito sortimenlo de balaios para
menina de escola, lambem ha mu i lo bons pentes
para desembarazar, guarnecidos de metal.
m Bichas de Haraburgo
S todos os paquetes da Europa se recebe jf|
4i,* destas amigas do sangue humano e se Wt
S vendem a troco de ponco lucro s aQm S
t de ler sempre cousa nova : a loja de bar- ||
lis ')e'ro roa estreita do Rosario n. 3, ao pe ^
M da igreja. p|
ymmm mmm mmmm
colares Royer ou colares ano-
dinos
para facilitar a dentigo das criangas e preserva-
las das convulsSes.
O feliz resoltado oblido immen-as vezes pela
prodigiosa turca magntica dos colares Royer, nos
casos de convalsoes, e dentigao das criangas, tem
altamente elevado o seu bem merecido prestigio,
e boje j* se pode di;er que estao geralmente con-
ceitnados, e estimados de innumeraveis pais de
amilias : de uns porque do uso desses salutares
rolares viram salvos ao perigo seus charos filhi-
oho, e de oulros porque colheram daqnelles tao
proficuo exemplo para igualmente preservar os
seus. Assim, pols, a aguia branca, tendo em vis-
Mntllidade e proveit^ desses prodigiosos cola-
nodinos ou Royer, mandn vir o novo sorti-
meoto que agora receben, e continuar a recbe-
los para que em lempo a'gum a falta delles possa
ser funesta ao* pas de familia, os quaes flearao
certos de os achar constantemente na roa do Quei-
nado, loja d'agia branca n. 8.
Vinho do Porto superior em caixa de duzia,
tem para vender Antonio Lniz deOliveira Azeve-
do c C, no sen esenptorio rna da Cruz n. 1.
Vendem-se (filas escravas recocidas, de ida-
de 23 a 24 annos, excellente conducta, engommam
perfeitamente e fazem lodo o servigo de urna casa :
na travessa do Carato n. 1.___________________
Vende-se um sitio em Bemfica a' margem do
rio Caaibaribe, com bastantes commodos par lima
grande familia : tratase na roa Nova n. 14, das 9
horas as 4 da tarde.
teo do Carme n. 9, principal .armazem ra do Impera-
dor n. 40.
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especiaiidade aos senhores de en-
genhos, lavradorese mais pessoas do centro, que paramis facilitar suas compras deli-
oeraram os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir todoi os seus estabeled-
mentos em um s annuncio, pe > qual o prego de um ser de todos, promette-
oaes que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os gneros
por um prego, e na oecasio da compra quererein por outro, como socede onstante-
mente em outras muitas casas, porm nos oossos estabelecimentos nao se jdar isto
anda mesmo com prejuizo nosso, qualqoer pessoa poder mandar seus faniulos que
*erao tam .em servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos ukna conia
^ela qual se ver os precos tal qual annuuciarmos, o que senao arrepender pessoa
guma que 6zer soa despenga em nossos estabelecimentos; pdis poupar mais de
5 por cent j na sua despeza diaria.
MAOTEICM
Manteiga i gleza perfeitanittnte flor che-
gada ltimamente de l.oooa l,loo rs. a li-
bra, e em barril ter abatimento.
Manteiga franceza da safra nova a 86o rs.
a libra e em barril ter abatimento.
BANIU
Banba refinada superior a 6io rs. e em
barril ter abatimento.
CHA
Cha uxim de primeira e superior qualida-
de a ,8oo rs.
dem hysson o mellior neste genero a!
2,6oo rs., e sendo em porgo ter abatimen-
to, tambem lia proprio para negocio de i. a |
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de 1,800 a 2,000 rs.!
a libra.
Serveja
Superior serveja Bass dos melhores fa-
bricantes, como sejam: Shlers & Bell. T. F.
Asbe a 7,8oo e 7,ooo rs. a uzia e i 7oors.
a girrafa. Tambem ha de outras' marcas
como seja: Victoria c Alcope a 0,000 rs. a du-
zia e a 5oo rs. a garrafa.
Vinagre
Superior vinagre de Lisboa a 2,obo rs. a
cnida e 280 rs. a garrafa. Tamiiem ha
mais baixo para 2oo rs. a garrafa e llioors.
a caada.
Azee doce
Snperio'azeitc doce de Lisboa a 64o rs. a
garrafa e a 5,000 rs. a caada.
Massas
Macarrao e talierim a 360 rs. a libra e a
Chales de fil preto de 105000.
Os mais ricos vestidos para menino de 3 a 6 annos.
Colxas de croeg e pannos de labyrintho.
Tif branco e fil de seda.
Superiores balos de clina, recommendaveis pela longa durago e bom talbo.
Tudo a
5
DO CRESPO 5
--i
o
c
Risco-utos 15,000 rs. a caixa.
Latas com superior bisconto inglez de di-' Passas
versas marcas a 1,2oo rs a lata. i Superiores passas a 3,ooo o quarto e
Ralaeliiohas 12,5oo rs. acaxa de arroba hespanhola e a
Latas com nolachinhis da acreditada fa-!5oo rs. a libra,
brica do heito Antonio, proprias para dar a
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lat. GE^EBRA
dem com qualro libras de bolachinha de Genebra de laranja verdadeira a 10,800 a
soda a 2,ooo rs a lata. i du'ia e i ,00o rs. ao frasco.
OilPiins Genebra de Hollania verdadeira a 6,000
UU."IJvK5 T& a fiasqueira e a 56o rs. o frasco.
Quetios flamengos chegidos no ultimo Mom de Hollanda em botijas a 4oors. ca- ,. .
vapor a 2,oors., tambem lia do vapor pas- da ums. I
sado a 2,3oo rs. Garrafes com 24 garrafas de genebra de
GHOCOLATE Hollanda a 8,000 rs. o garr.-fao. Tambem
Chocolate hespanhol a 1,000 e i,2oo rs.; h, garrafes com o e 14 garrafas de 3,2oo al
ibra, francez e suisso a 1,ooo rs. a libra g 000 rs. cadaum.
libra, em porgo VELAS
Velas de spermacele a 64o rs. a libra,
dem de carnauba de lo a 12,ooo rs
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
"1
fifi
DE
AZEVEDO Eua da Cadeia do Reeife, esquina da Madre de Deus.
Grande sorlimenlo de fazendas por aiaram c a relalho. e um completo sorm
melo de r*upa feila, decasemira e de briol, lulo por menos que e
e portuguez a 800 rs. a
ter abatimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Vellio Secco, Lagrimas do
Douro. Mana Pia, D Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a 1,000 a garra-
fa e 9,ooo a 12 000 rs'. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e Soo rs. a garrafa, e a 3,ooo,
3*8*0 e 4.000 rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 64o-|
rs. agarrafa ea 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
ancwetas de 8 e 9 caadas a 2i,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para rais-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
PEIXE
Peixe em latas j preparado de 1,000 a
l,2oo rs. a lata
ALPISTA E PAIXCO
Alpista e painco muito novo de 3,800 a
4,000 rs. a arroba e de 14o e 160 rs. a li-
bra.
CHABUTOS
Charutos dos mais acreditados fabrican-
tes, como sejam: Joo Furtado da Serrias,
Manoel Peixoto da Silva Netto, Castanho &
Filho e Brando e de outros muitos, os
quaes vendemos pelo mdico prego de 1.600,
2, 2,8oo, 3,5oo, 4,5oo, e 5,ooo rs. a caixa.
Licores
Licores francezes e portuguezes a 1,00o e
... 1.4oo rs. a garrafa ou frasco.
< aixas com urna duzia de garrafas de su- b Doces
perior vinho Bordeaux a 7,000 rs. a caixa e
7oo rs a garrafa.
C1F
Caf do Bio de 1.a e 2,' qualidade de
6.800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
S.tBlO
Sahao maga de primeira qualidade de 18o
Doce da casca da goiaba e caixes pe-
queos a 7oo rs. e de 5o caixoes para cima
a 64o rs. o caixo.
Frats
Frutas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pera, pecego, ameixa rainha Claudia, al
perche e outras frutas a o> ;s. a lata.
ontra qualquer parle: qurm lnvMar venlia ve?
CAICAS
de lindas e finissimas casemiras escuras e claras, de superior casemira preta de finos
brins brancos e bom brim pardo.
Paletos
de superiores casemiras escuras e claras, de lina alpaka branca, de superior alpaka pre-
ta e de brim pardo.
rolletes
casemiras pretas e de cores e de fino b-im branco.
CAMISAS
Superiores cimisas francezas de 23 at 55.
Cero tilas.
Ceroulas de superior bramante de lino linho.
BSil oes.
Superiores baloes de arcos para meninas de 2 at 12 annos.
dem superiores para senhora.
Grvalas e mantas.
Superiores mantas para pescogo de homem, as mais modernas do mercado.
Madapolo.
Madapolao bom a 8$, 9$, l''i5 e 12.
Chapeos de sol.
Superiores chapeos de sol de seda balo a 105.
Fraques de casemira.
Fraques de casemiras, preta, escura e de cores claras, e nao havendo que sirva
ao freguez manda-se fazer por medida e com muita promplidao.
Todas estas fazendas por pregis insignificantissimos, pois o fitodo Balao ad-
quirir freguezes.
LOJA DO BALAO
DE
AZEVEDO c FLORES.
-

ARM1ZEM BE FAKEH'IIAS

DE
a22ors. a libra e de 16o a 21o rs. sendo Tambtm ha latas grandes para l,2oo rs. a
em cabrio. 'lata.
10,5000
CUSTODIO CARVALHO C.
27 BA DO QUEMADO N. 27
Madapoln francez muito fino, tendo pouco mofo, cada pega com 27 varas por
La de c res a 300 rs. o covado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a prego de 800 rs a vara.
Lengos brancos para algibeira a 25 00 a duzia.
Fin s perclaras a prego de 400, 440 a 560 rs. o covado.
Bicos cortes de la de barra de 105 a 305000.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.
Uvas pelo ultimo vapor.
Peras pelo ultimo vapor.
Maguas pelo ultimo vapor
Ameixas pelo ultimo vapor.
Passas pelo ultimo vapor.
Figos pelo ultimo vapor.
Fruftas seccas pelo ultimo vapor.
Fructas em calda pelo ultimo vapor.
Nozes pelo ultimo vapor.
Queijos londrinos pelo ultimo vapor.
Queijos flamengos frescos pe'o ultimo vapor.
Presunto fiambre pelo uiiimo vapor.
Tudo se.vende barato n"S seguintes armazens:
Rna do Imperador n. 40. verdadclro Principal.
Ba do Hucimillo n 9, 1 ai:1o e Commrrelo.
Largo do Car ni o n. 9, Progresslvo.
ULTIMA
Paredes Porto recebeu pelo oltimo paqaete nm 'completo soriimeto do eapas e
honrnos de cores ricamente enfoiud.is a J, loe 204 : na ra da Imperatriz n. 81,
loja da porta larga junto a padarla franceza.
,1
(
6>Z.
No armazem da rna do Imperador n. 3
Caes de Pedro II n. 2, tem para venderse
Ihor gaz existente no mercado.
ou no
o me-
FaHnha a 3$5 >h
Vende-se farinha de mandioca, saceos grandes :
no armazem dos Srs. Tasso IrroSos, na ponte nova'
pelo preco cima mencionados.
Vendem-se
machina* americanas de serrote para descarocar
algodo : na rna da Senzala nova n. 42.
CAMBRAIA.
f.mt>rala de forro rom 8 \\1 vara* a peca a !3,
est-M acabando : na toja da porta larga da ra 4a
Imperatriz n. 53, de Paredes Porto.____________
Peonas de enaa e muito superior quahdadej:
vende-se n toa. do V>gario n. 14, 1' axdaa, es-
criploriav
i
J


i^^^H^H^ff^H^VH^BV^HBHM^H^^PHH
HIMWHBVP
Triarlo de pcrnambaco Qnarta elra 89 Je Xovenabro de l^
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
aam & boom di ais sitiMam
AO
RESPEITAVEIi PUBLICO
K apreciacTdos habitantes dato heroica provincia existe no grande arma-
sen da Liga estabelecido rus Nova n. 60 am magnifico -
sortimento [de molbados,
do estrang* iro""podem ser
PUBLICO
Nem o menor constran.
glmento se entregara
Importe do genero que
nao agradar.
ATTEN^AO
# prev'O da egulnt
tabella para todo, pu-
liendo asslua servir de bu-
ce para o ajuste de cenia*
cosn os portadores.
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando arco da fonceioo)
PARA BEM DE TODOS;
Senhore* renhoras, o aceio qne presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que todo a promptida'o e inte"
que sendo era sua max m < parte mandados vir directamente
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
orimeiro e nico em seu genero, pde-se porm tancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimeoto das seguintes promessas:
i; Delicadeza no trato.
2.; Fidelidade no peso.
3.: Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sua posico social gozara de certo tratamento, acharao nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cb sempre de
primeira qualidade. etc., etc. .
Qualquer que seja a cndilo do freguez, elle deve contar que sera sempre mul-
to bem servido. .
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa ae
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se Ihes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas parles nao po-
dfim ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compran para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem d quanto se pode vender barato.
Para os senhons que compram para lomar.a vender existe um sortimento ispe-
cial, escollado por,pessoa entendida que certameote muito deve agradar aos senhores
compradores.
Nao se tera poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos. -
PELOS SEG1NTES PRECOS S SE VENDE
A DMHEIRO A VISTA:
A j Graixa em latas, muilo nova, a 80 rs. cada
ALPISTA a 120 rs. a libra. urna.
dem e painco de oito libras para cima a U.
100 rs. KIRSCH de Wasser a 2| a garrafa.
Arroz de 90 rs. a.libra a........
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra.
Avellas a 9140 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os ta-
mantios.
dem idem em potes de todos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem era frascos de todos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Amos a 200 rs. o molho.
Absyntho a 25OO0 a garrafa.
B
BOLACHINHAS do Beato Antonio em lata
grandes e pequeas,
dem do Principe Alberto a 15800 a lata, e
de cinco para cima a 16700.
dem de sola em latas grandes a 2a000 e
de cinco para cima a IStSOO.
Bisamos inglezes de todas as qualidades a
1-3200, 15250 e 13300.
Bolo francez em caixiuas a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Banua de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a GOO rs. a libra,
dem suisso a 15 a libra,
dem de musgo a 1$500 a libra.
Chooricas muito novas a 800 rs. a libra.
Cak a"2't0 e 260 rs. a libra, e em porco
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 70000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muilo novas
eza com que sero trat*40* ;,nvida a urna visita ao mesmo, cerlos de que sem duvida me daro a proteccSo e preferencia na com- ti rra dos seeros que precisara a e quando nao possam vir podero mandar seus portadores, ainda que esfps sejam pouco nraticr,! Calxas ccm "iWiortB ofo*w de n as.-a a
p0is serJIn to bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommen-lacao, afim de que nao vo eiri **^^ *m .**>
RIVAL
SEM && (J3IIO
Ra do toulina a vender ludas as miudezas ijc.e Lus
declara por precos adoiirave^.
Massos de palitos lixados para denles a i00 rs.
K.-|.ellius demoiuuras domadas a 200,240 e iO.rs.
bonels de oliado para intuiros a I.'iijO.
Ditos de touio superior lazi-nda a it.
Frascos com suptiiur imia lorb* a *40 t.
Meladas de lidia lie xa i ai a Li I dado : :.< '
Caixas com 100 ravelope, faxends tira a too rs.
Crozas de peiiuas ol-h,-, nzeirtta sb| i rwi a K U r.:
iozas de bolees u ait uro.a Unos a oO s
e 040 rs.
Caixas corn 20 no^ellos de Jit-l a di .a/ a TO rs.
Caixascom superuits obitias Pegas e lila brama elstica etn '. laiat a '.;
Varas de franja e lia paia en.tilo i vttlidoaa
I 40 rs.
liaralhos douradissuptrioies qoalidides a 4t'J rs.
Novelloe de lu I a ron 400 jareas a tibrt
Linos para turnios de riuia lavada a Idus.
Parts e bolees paia pODbo.laicbda rira a i^Ors.
Tesouras para costuras tupeiit/its utalidadesa
400 e I...
Caixas de pencas de call'grairiia, faienda boa a
1 100U.
Maso8 cirn snptrlore? (irampos a 30 r?.
Pars de sapatOl de liai,ea e Uffal i ,.5(0.
Caixas ci m superures agalhas 20 rs.
:;<(x).
40 rs.
optritres
I LATAS cora graixa a 80 rs. cada urna.
Letria a iOO rs. a libra.
M
MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 1$, a libra.
Mar.melad a dos mais acreditados fabricantes.
Macarro e TALiiARi.M a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 600 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas Anas para sopa branca e amarella a
60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
35500.
Miliio painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
N
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos era latas a 800 rs.
O
Osiras inglezas e americanas.
P
PE1XE em posta, latas grandes, a 10100, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargo, salmao, pescado e
pescadinha, linguado, sardinha. etc., etc.,
Peras em latas, excelente preparaeo.
Palitos para dentes a 120 rs. o mago muito
grande.
Passas em quarto a 1?$400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
tra f.-r1e.
Aletria, macarro e talliarim a 4oo rs. a li-
bra e 6,ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
uha branca ou amarella a 64o rs.a libra e
3,5oo a caisa com 8 libras.
Viuho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de S caadas a
35,ooo rs.
Vinho era pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, ioo e ooo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinhoibraiico de Lisboa de excelente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das memores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Bainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
ra Secca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
l2,ooo e I o,ooo a caixa com l duzia e9oo,
1 ,ooo e 1,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duzia e l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Mantos a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartes com bolo francez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo I Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
rs. a duzia. para mimo a 3,ooo rs.
dem idem para vinho a24ors.,e2,4oo rs. Passas de carnada a 8,ooo acaixae4oo rs.
a duzia. a libra.
Chocolate francez hespanhol e suisso a Ooo,, Figos de comadre a 24o rs. a libra.
- a--------- ,:i-~ Amendoas de casca mole a 4oo rs.
Manteiga ingleza especialiLenie escclliida a
l.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento. ,-
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra,
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra,
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a 1,6oo rs.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
ChouriQas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. libra, serve
para temperar panella oopara fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oors. a libra,
dem pratoa 8oo rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e tovas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o. i
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata.
Bal refinado em frascos de vidrocom tam| a
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que vem ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,5oo a du-
zia.
Resmas de papel a'.naro a fJlOO e !*H0 rs.
Estovas para roopa, (amula lia a 7S(J t ;.
Duzas de tesmias um toque de teiiogima
(500 rs.
Duzia? de facas e garios de cato pri lo a ?C(0.
Taltu res muilo (do para enancas a 240 's.
Pulseiras para n eninas a 35" rs
Lilas e vi.lias para sti:l.( la a c(0.
Frascos de Aeua Florida uidadria a i0.
Levainha de tranca muito nova, a 2oo rs. Fraseos am supirior banha a 240 e 600 rs.
Charutos do aflamado fabricante Jos Furia- dem de superior oleo babosa a 3--0 rs.
do de Simas, das sejiuintes Qualidades: biwi hm mtja 40rs.
Fnnuifn Nv.rn.i a,: u ..... i_ varas de laladn do luto a O < J4i rs.
Lxposica Normal de lloara, Impenaes, c,m,d, alnIi(I(s fl.BCtte, ,f0 |8
Lonunnos, (jlianatiaias. Parisienses, Sus- Quadirnrs de papel pe(;uno a SO is.
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5or, 5,ooo, 6raatas de reres, fattnda ss[Nor, a 500 rs.
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em n eias. F**is de ", ^"^ **. &0-
1 ,ooo e 1,2oo rs. a libra.
Espermacele superior a 6oo e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 8oo, 1 ,ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,ooo a caixa e 64o e 7oo r.is agar-'
rafa.
Genebra de Holb.nda a 48o rs. a botija de
a ibra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica deJooj
de Brito no Beato Antonio, emlata de 6 li-
bras por2,5oors.
Ameixas francezas em frasee de vidro com
Charutos finos de diversas marcas e fabri-'Jn
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma- -,
nilhasde Havana, intei valles, Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5co e
3,ooo a caixa.
ognac inpley. das mellares maieas, a 800e
I,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,000 a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matle,excelente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8ooo cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinhode Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 600 rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemente lem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos corn fructas ern calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l8oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l.Coo, 2,600 e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excelente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
aimazem de tazendS
baratas de Saatos l* cilio
Una do Ihimatfo c. ES?.
Veode-se o wawnte :
Coberlas de chita fina a -'.-i <<.
Pilas de dila a ~ ;i 0.
LeDC' es de panno de Unto a 2-C0.
O r-SDDO
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
CiiAitoPE de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e ires a 10800 a duzia.
Ckbveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e era duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'llavana, Exposico,
Flor do Brasil, Par sienses, elicias, Gua-
oabaras, Trovadores, Kegalia, Mississipes,
Panetellos, Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros, Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
precos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 25000,
2&2"0, 25560e25800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 2*500, 35500, 45 e 55.
Cauces de todos os tamanhos.
Cognac superior a 15 e 15500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinhos.
m
DOCES de todas as qualidades : brasileiros,
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc.
E
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
ervadoce a 400 rs. a libra.
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra.
Mera suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QUARTINHAS OU M0R1NQUES a
R
RAPE' Meuron a 15 a libra,
dem Princeza do Rio a !;>20 a libra,
dem francez a 25>00 a libra,
s
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 29.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o mago.
Sag muito novo a iO rs.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
V
VINHOSI
Principe Alberto, de 1831, a 55000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 20 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 15500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 20 a garrafa.
Duque a 10 e 10500.
Chamisso a 10, 10200 e 10500 a garrafa.
D. Luiz a 10 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 20 a gar-
rafa.
Carcavelos a 10.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posico flguma.
v r. Lanterne a 800 rs. a garrafa.
' Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 10 a garrafa.
Absyntho a 20 a garrafa.
Kirsch a 20 a garrafa.
Wermouth a 20, e a caixa a 180.
Bitter Maurer a 10 a garrafa,
conlacerta.
Frasqueirasde enebra de Hollanda a 6,800 a Ooo rs. a garrafa e 10:000 a caixa.
e 640 rs. o frasco. Batatas muito novas a 80 rs. a libra ei.aoo
Genebra de laranja verdadeira em frascos o (jigo com 36 libra-.
grandes a 1,000 e 11,000rs. a frasqneira.: Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. ali-1 8,000 a duzia.
hra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras de escova para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. ali-| 4oo rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. ; Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranho de Ia qualidade a loo! Molho inglez ern garrafa de vidro comrolha
rs. a libra e 2,800 a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. a 800 rs. o frasco,
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,ioo a ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. loo rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e 4,ooo a Lentilhas france.zas, excelente egume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesde superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
a lata de urna libra e56o rs. a reta-; 15 a garrafae M.ooo a duzia.
lampa do mesmo, a 15oo. far o proco
Ameixas franc zas em caixinhas de diversos'Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
tamanhos com bonitas OtUui pas na ca-1 8 garrafas por 600 e 800 rs. a garrafa.
xa exterior, a l,4oo, l,6oo, l,8oo e 2,ooo Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
cada urna. l,5oo cada urna ancorla.
Azeite doce refinado hespanholou portuguez Champagne da melhor qualidade que vem
rs.
Iho.
Palitos de, dente a I io rs. o maco.
ao mercado, a 2,000 e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engomrnar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos emsextinhas a 80 rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,000 a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a 1,4oo e 2.000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,800 rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
Diles de diio de liho a 25.
Ditos de tramante de tobo de um
SCO.
Panno de linhb fino fern 9 l\i r>alm*S de i: gu-
ra pelo haralo prrfo de }400 a vaia.
. Hrarrarne de linho filio iim 10 jarnis e lar-
gura a 2U) a vara.
Pti.as de can.liraia com saipicos braceos e da
cores rom 81|2 varas a iJSCO.
Pcc/S de taonbiaia adamascada propiia tara
cortinado de cama ci m SO varas a i '.*
Balies o arces a ?5P0, 3,5. 3U0 e 'i&.
LtDtos de eambraia fina a 2{6(i a du?ia.
Diios de dila ; "& a duna.
Aihoalhaiio de linho Um- a 2FC0 a vara,
Dito de alpo'o a a \; .
Algcdo eafisisdo com 7 l| palmos de lai^uri
a 152C0 a vara.
Pe^as de breanha de rolo com iO varas piorra
para sa,a a 3350O.
Fil de linbo liso fino 8C0 rs\ a vara.
Hilo de dito com salpicn a l a *r*.
Cambraia de linho fina a 4E0O, MO e j
vara.
Coi les de laazii ha de lindos jostos ccm 15 co-
s dos a o.
Picas de madapilao RnlssiBO pelo baiaiissitcc
pi.i.o de fl, 5, U' e M5.
Planella I ranea fina a 6(0 rs.o rovado.
lina de erres tina a 880 r?. o roVado.
Baloes de mnsselina para mcrira a 3v, 3S0C
e45.
Cambraia de forro a 35 a peja.
Dila lina a 44800, C& e 7.:.- a pi ca
Gnardanapo.- de linho a '8C0 a duria.
Toaihas de algodo felpudas di ria a 15-
Esleir da Itdia propria para forr de stla
4,3 e 6 palmos d<- largura [ir mems prejo
que >m ouira qoalqoai parle.
Neste atmazem tan itm se eocoDlia cm graada
sortimento de roopa feia e por medida.__ _
PEDE-8E TODA
uiar.^^-x^-s- > n g; = ? h 2
? 3 ^, ai l
JO _
- -3 S =; 3 a
- i s-
j i 2.
'' a- ^ = qS
3 S.3 "3 a
8 3 W"2 =
5. 3 5 .-" s
% I..5 -a> =
o, o o -
rro
2
~ o
^. _
a _
O ca
_ M
c^3 => =
lili
ci -- a
. --
v
a
es
3
* &.ST
0> -.ffl,
ilfix
de
i,.
as
a,
-i ts.
O
9
g.3
i
ofi
CO 03
a, u
a, o
3 i s r c s ?t
T J a Z7> ^* "f '
3 a> 3
rj.
ce
<
3 I.
C"|
M
3 S
.-
M
o
as
-i
39
u'
"1
Q.
3
S


'Sil
23
o
o
03
2- -
O as
-t
ots o
as
a, co
o
a>
2
o.
o
5
a>
ntxmtfIir41X
rab.ilbar a nao
descaro^ar alged
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C
f
par
;'^; ;. .estragar
-'--^ send0
'IjI! duaspes

Estas machina^
podern descarocai
quali|0er espe'cii
de algodao seo
o fie
bastante
pessoas par.-
o trabalho; pd<
descarocar umf
arroba de algc-
do em earoc
em 40 minutos
ou 18 arroba;
por dia ou o ar
robas de algodc
limpo.
FARINH4 S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta
Figos de comadre a rs. a libra.
Feuo Terde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs a libra.
dem americano em latas a 40.500
Farello ha sempre em deposito de 500 a | vinho figoeira em ancorela a 20
800 saceos, de todas as qnalidades, de to-jidem Figueira e Lisboa em pipa a
dos os tamanhos e de todos oe precoe. l caada.
25500 a
Ombraias.
ATT BMC AO
Vende-se as olurias de Jos Caroeiro da Conha'; Parede Porto vende cambraias lisas Anas, gran-
ero frente ao hospital Pedro II, e na roa dos Pra- de orli;nento, a 3 al 6*. ditas Victoria muito
zeres n. 38, telba superior de barro de agua doce a fiojg, cora 10 'aras a 6J, MHW e 74 : na roa da
304 milneiro, alvenari* batida a 309, e ladrilho (mperatrii n. 52, junio a padaria faiceu.
Farello novo a
sacca de 92 libras tem moita gotaaia, da-se ba- .
ral oor ter porcio : s no axmazea da estrella Paredes Porto, roa da Iiderainz n, 52, pona lar-
l^r^o 4o Paraito n. li P. Jun-o P^rta franceza.
Cbemeii aos carpianos de cambraia
Vendem-se eorpinhos de cambraia om eBtre-
meios a 4* e 5*. estao s acahaudoi_: na loja de
Tasso Irmaos
Yeudem no seu aiBiuzem roa de
imotiiii n. 35?
Licor fino Curai;Ao embotijas e meias botijas.
Licores flons surtidos em garrafas com rolbas da
vidro e em lindos frascos.
VinhosCheres.
Sanleroes.
Chamberlin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniol.
Assim como machinas para serem movidas por
animaos, que descaro^am 18 arrobas de algodat
limpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
eulns dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machina
mencionadas ; para o que convida-se aos Sfs,
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma*
zem de algodo, no largo da ponte nova n.47.
Sauntlers Brothers &C.
N. II, prava do Corpo Santo
RECIFE.
Os nicos agentes oeste paiz.
mes* m wmmm
Testamentos em verso.
Continan) a estar venda, na ty ogra-
pliia dr ra do mperador n 15, defronte
i de S. Francnco :os teslamentos da Gali-
jnha, do Gallo, do Porto, do Leo, do Gato,
do Pei. do Carneiro, da nca Tigre, do
Cao, da Hyena, do Rato, do Orangutanco.
do Macaco, do Huno e do Vigario ; a Feleja
da Alma com o Disto, a 160 rs. cada um,
e a 100 rs, a quem comprar urna cem leta ou 2o; cartas de A B C, taboadas,
catbccismos, economa da vida humana,
cartilhas, Siman de Naiitua, Bit-lia da in-
fancia., manoscriptos, traslados, pautas, pro-
curacoes, apjiidautas, leltras, cont ecimentos
paraembar.ue de escravos, despachos para
a alfandega, papel almaco pautado e pinta-
do de diversos formatos, sendo o pequeo a
30 rs. a folha, o immediato a 40 rs., o me-
dio a 50 rs. e o muilo grande a frO rs.;
j papel marroquinadoe lustroso grande e pe-
queo ; papel para impresso de una s
cor grande e pequeo; Virgilio, Horacio.
Salustio, Magnum Lexicn, prosodia, dic-
cionarioa francez-portupuez e \ce-versa,
selecta franceza, e otilrosmucs livros, bem
como m hranro de tod >* os tamanhos.
de
.o
Altei

c
Liquidacao de fazen !;s
Custodio Jos Aiv"s Goimaraes e Manoel Moclri-
ro da Cunha participa ao respeitavel publico e aos
seus fregoezes e amigos, que tendo ar rema lado a
loja de fazeudas da roa do Qoelmadi deln ote do
berco do l'iixp I-rito d. 3, e ci no preleodem fazcf
obras na mesma, esiao resoltidos a rreder Mas
as fazendas por precos baratlssimos, qur a vista
dos fregoezes se fai todo o negocio : isto :6 na
roa dci Qu'imadn n. 3. _
Fa relio.
V zem allianca, ra do Iniperadoi n._57._________
Vende-se na ra de S. Itenlf, un Olioda, 9
sobrado n. 3 frot teiro a S. redro Velbo ; de um
ailar e soiao, tem bom quiutal e rcuitos cimmo-
dos, e alein disto esta" piulado e rudificado de
novo, pelo nue quem o comprar concert? e despe-
7as ner.
casa n. 67 da ra do Pilar, cm Fora
pelo que quem o comprar concert? e de;
nhuma tt-m a fajer. Vende-se taonbein a
de Pulas
cjuem pretende- dirija-se ao escriptorio de Claudio
ubeux. na ra do Imperador n. 43, para
tratar.
VEMIE-SE
s
O eastello de Grasville.
Traduzido do francez por A. J. C. da Cruz.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 300C
na praca da Independencia, livraria ns.
6e8.
Vende-se om obrado de doos aadaras no
lairrode Saoto Aotoolo, oqoal rende para mais
de 1:2004, e urna casa terrea no b*irro da Boa-
Visto-T ratar com agente Olympio em seu arma- de carga e ffe seila, por preco commodo a tratar
.. ^_,.,. "i. o..V, o i nn hnte do Franca.
IKP-0 VILLAR
Com loja 4 roa do Crespo n. 17.
Recebeu de Pars sedas em corles mui-
to superiores e bellissimos padroes, e
I cbales de renda pretos para 10.
Este importante estabelecimento torna-
se recommendavel ao bello sexo pela va-
I riedade de fazeudas superiores e bellos
^j goslos
proteja o bello s \o ao Villar
e vero todos a prosperidade.
itBPBiBsnse
ALtB\0 l)\ BAHA
Na luja de Aodra.de de Reg, ra dn Crespo o. 8,
esquina da ra do Imperador, contina a vender-
se superior algodo da Baha por menos preco que
em ouira qoalquer parte.
Vendem-se quatro burras mulo mansas, boas
zem na ra da Catea do Bacilo n. 3i.
1 no hotel de Franca.
Framcisco Jos Germano
BA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de orulos, I une tos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gusto da Europa e ocu-
los de alcance para observaces e para os
martimos. ____ ______ .
um cabrlolet americano de quatro rodas para doas
pessoas, um outro para qnatro pessoas, an bos
rom arreios, novo? e elegantes, por preco comino-
do: na roa da Ponte Velha n. 8.____________
Vende-se urna escrava de 25 annos, com ha-
bilidades, e que engomma perfeilamenle : na ra
do Imperador n. 40, das 9 da maohaa al 1 hora
da larde.
" ~v7nl^e~liroarmaco propria para qual-
quer negocio, envernisada e tnvidracada, e
molhs de palha de carnauba
da Roda n. 18.
na taberna da ra
Vende-se urna morada de casa (erren com
bons commodos, no becco do Pocioho n. 20: quem
pretender dinfa-se a mesma que que achara com
quem tratar a qualquer hora do da.
------------------------------------------.....-".,-.
i
Mar
Vende-se rUcadinho francez a 200 rs. o covado,
por ter grande quamidade, esla-se acabando : na
rna da Imperatriz n. 52, loja da porta larga, de
Paredes Porta___________________________
Breo em barricas pequea.
Cera em velas de todos os tamanhos.
Bogias.
Mercurio.
Na ra do vigario n. 19, primeiro andar. 1
jscbaws mises.
Gratifcvco de 50$.
Ausenlou'se da casa n. 59 da la do Imperador
(outr'ora Collegio) no sabbado 16 do correle mea
ne setembro de 1865, o eseravo pardo de D( me joa-
qoim, com os signaos seguintes: estatura regular,
idade 18 a 20 anuos, sem barba, pea largos, olhos
grandes, cabello corrido, com urna cic?lnz grande
e bem visivel na testa, parte dos dtote? da (rente
arruinados, e rom falta de alguns dos lados, sabio
com caiga de brim pardo e paleto! curto de panno,
mas levou mais roupa branca e de cor, minio
astucioso, cosiuma inlitular-se forro e andar cal-
os f i eseravo do Sr. Guilherme Frederieo do
za Carvalho. genro do finado Sr cummeudador
noel Gongalves da Silva : roga-sc sua captura
a todas as autoridades policiaes e a qualquer ca-
pilao de campo ou ouira pessoa parcular qoe
apprehen Jer se gratificar com 60$, alm das des-
pezas de condueyao, eniregando-o a seo senher
Miguel Jos Alves. na casa cima, ou no seu es-
criptorio na rna da Cruz casa n. 19._________
No dia 20 de setembro prximo paseado fa-
gio do engpnho Terra-preta, dosbaixo assignado,
eseravo Joliao, crioulo, de aliara recular, rosso,
de 30 annos de idade, poura barba, tem os ps he
feitos e pernai, muito fallante, al se faz rouco,
tem o dedo polegar de urna mo cabido para den-
tro, anda com urna carta fechada, do tenente coro-
nel Amaro Gomes da Cunha, apadrinhandi-o, noo-
ca foisorrado esle eseravo, foi ba muito comprada
a Rocba Lima e Guimaraes : qurm o pegar leve
mesmo engenho ou no Rerife a' ra da Roda a
Alexandre Correia da C. lonior, que sera bem pe-
compensado. ." ,
Alexandre Correia de Castro.





liarlo de Pernambaco guara fe ra 19 de Vorembro de *.
LITfEaAfHl
l'I POLCO DE TUDO.
Km vista de um documento offlcial presentado
r- (emente no parUmeMo nglez, a populacho da
G ii-Bretanha era era 1863 de almas 23,477,642;
re- j'iiva d'aqai ama c.intribaigo direcia.de 2 li-
hras, .'> shilliDS t 7 peooys por cabegn.
libras s. d.
Em MJOO a proporgao foi de 3 5 11
1817 4 11 9
1863 2 13 1
1863 a povoagao da Irlanda foi avahada em
5,781,626 almas, e a ccniribuigo individual
Rogamos a V. Exc. que faga laitura dest doro-
ment ao primeiro hargi-mastre, deixando Ihe
copia, se assim o desejar, para que possa fazer
della um uso confidencial.
Recebei, etc.
foi do
Em 1800 foi de
> 1817
1822
. 1841
. 1863 .
libras s.
1 2
0 14
0 17
0 14
0 10
1 3
d.
6
1
8
10
E' doSr. Dr. Frankhn favora esta poesa :
mnima
Nao entres no mato. Debnxo di reir
S esconden) espinhos e serpas crueis;
E.ii cima das folhas, cabidas la selva,
iNJo pises, que molhas teas tenidos p?.
As gotlas do orvalho
Do m sensacao
Aos ps, que as encontrara
Xas folhas do chao.
O vento Ja noite, quebrando dos galbos
Gs sceos garranchos e as pintas de pao,
q J>'gouas as vollas dus curios atalhos,
Turnando o camioho difficil e mo.
Menina, que fd7.es
Assim de maullan,
No luuco delirio
De estol i J" afn ?
ti Timf de Londres chama a altengo de todos!
I re o surprehendente incremento das ordens re-;
lij tosas ua Gra-Bretanlia, que o seguinte : ao i
je.*-,, que em 1811 exista s ura convento de fra- habiste de casa, mrrendo, insensata,
di -, dezeseis de freirs, e. oove seminarios, cunta- E entrante no bosque, sallando veloz;
vau-se em 1861 dzesele conventos dos primeiros, Nao corras, que as Teles soccede na mata
e a ola e tres das segn las e dez seminarios; e Cihir se emb'ragado por entre os cipos.
era 186o existem cincoenla e oito conventos de
Procuras perfumes
E luzes tambem?
As matas nao cheiram,
i E sombras s lera.
f ides e rento oltenta e nove de religiosas, sem '
cuitar es que lia na Escocia.
E:n tejas as mas de Barcelona preparamse Vesliste corpinho e a saia de seda,
gran les festejos per ter desapparecido a cholera. Calcaste as botinas de fiuo setim ;
L'.n peridico humorisco daqneUa capital publi- Nau vi 1ae isl ludo> no cha'J da vereda
e ii .. seguinte epitaphlo para o tmulo do terrivej!S estraga> se 5UJa> que fea ruim ?
habitate Jo Ganges:
Hic Jacet
Moibus Asiticas,
Infiitigabilis auctor viuvorum
rpkanorutnqur,
A medias el apoticaribus ignotus,
Amohtnosns sicut asini musca,
Temerarius quam
Aragonrnsis,
nter omnes morbos crudelissimus,
Despopulavit civitates,
Cimilerios populavit
fapavil, innegrfvit et occidit
Ricos et Pauperoi
Obiit se melipso
S. P. Q. B.
faciunl ei figam usque ad
alteram voltam.
Hbefoa a Milo, nao sabemos quando, urna prima
d .m coui o pseudnimo de, Perola do ilississipi,
pretendend ser escripturada para o grande
tu' -tro.
0 ti irezarin, raui co \scieocioso (raraavis!) e
descoaOiaco u:a poseo do mrito desla celebrida
de americana, ditigio-a ao grande maestro pora
' ie este emiuis-e a sna opioiao.
Canlou em casa de Rossini.
O qu- pretendis, niinha bella?
Deseja que me digaes se a minha voz [Je
s-rvir para o theatro da Scala.
O grande maestro, depois de medida cora os
c,i ios, cora certa gravidade e solemnidad Ihe
dis'e:
Signara, por il teatro delta Scala, non mi
pare, m i per la Scala del teatro... forse.
N.-u do gabinete austraco ao sepado de
F u forl :
8 de uutubro de 186o.
A; d-liberarnos do congresso de deputados alle-
i i -, verificad) s no Io de outubro, s tmale
; f ira servido para justificar a falta de solidez
>i'-t< aova tentativa de agltaco, e desenvulvimeo-
to los part los polticos oa Allemanha.
O ra iu a& lilimente das suas differenles demons-
"i'.o s, as*im como a natuial indifferenca do pa
h ico, devem ter mostrado ainda mesmos aos pro
; >ore< di;< aj ilemon;tra?oe.:, a falla de senso, e
i| anlo sao inuteis os seus esforz?, applicando a
Ma critica arr.iganti as decisoes das primeiras
p tocias alleniaas.
Mis aindi que os discursos esperados, assim
'mi asresofucSes tontadas por aquella a^em-
iia, t -nliain merecido urna justa reprovacao pelas
s 11> Inconveniencias, e pelo ponto de vista seroj
r-volu 'tonarin em que se collocaram o* seus auto-
t>", fst- resaludo de favoravd nao Ihe destruio o
sen carcter mordaz; e as difamacoes e injurias
rtingidi' ao governo d'Austria e Prussia (injurias
e difemaedes que lodos os dias enchem as nolum-
ri* dis jornaes democrticos) f o rain repetidas
n'ama tribuna publica, era Francfort, a vista da
diel i. e oa presenca das tropas de ambas as Do-
lencias.
Convm nao esquecer que a commisso dos 36,
qae canvocoa o congresso dos deputados, acaba de
ser renovada, que esta commisso, com qoanto a
sia rmssio nao seja mais do que velar pela direc
510 d>)> n-goei s esperar como orgo declarado do
partida revolucionario allemao, urna occasiao favo-
rvel para conseguir oa seus rins.
Os govemos da Allemanha ho de convir com-
noscu -m que a existenclp da commisso dos 36,
ilieftai e anlicoastitarionaL
O senado de Francfort, particularmente pelos
seus seiMinvnt s de fldelidade a dieta, nao pode
deix^r de coofessar que a cidade federal, a que
p.f'.i se devia prestar a servir de ponto de parti-
do para se provocaron agitaco.;s contrarias as
I->. .Wut-o tempo, era consequencia do con
gresso os denotados verilicado em 21 de dezembro
de Sil. o qoal pruduzio oestabelecimento de urna
eooiftaissio p-rmaoente paraexecutir a vontade do
povo e di imprensa progresista, tambem nao dei-
xamos, de aceordo com a Prussia, de fazer graves
drmirns,.rai1-s contra a tolerancia qae se Ihe con
oeMa na propria sede da dieta.
A^ frequent :s manifestages que depois se succe
deram em Francfort, provam evidentemente o
punco caso com que foram acolhidas por parte do
pfimriro burgomestre, as obseivagSes cooQden-
tus fetas pelos representantes de ambas as
Por este motivo, e convencidos de que una
arcao la o usurpadora, como a da commisso, e
do roiigre.-so dos deputados, nao pode por mais
lempo tolerarse, a nao qaerermos que a
so.v-da um grave mal, os gabinetes de Vienna 1
d.- B- lin jnlgara-se obngadis a chamar de novo
tuda a att-ngo do senado sobre o assumpto de
que se trata, e acerca da posico em que se acha
a ridade HteraL
GomprazemiHMS em acreditar, no so que ama
lula la. 1 p onuariada contra as potencias federaos,
Dio encontrar abrigo de Francfort, mas tambem
qu o senado se oppor, d'aqui por dlante a rea
nao de novas assemblas convocadas pela coro-
ni'.-so do* 36.
Ai-reditamog igualmente qae a autoridade do
tenada, a qm-m particularmente nos dirigimos, nos
evitara o idcoohmo de pensar em novas manifes-
ii'; s, que tendam a affastar da diela ei\sas tenia
livs illrgat.*.
Embora se seja
Gentil cortezan,
No campo se anda
Com chita, ou... cora lan.
De mais, a deshoras ctauveu as barreiras
Dos ros, dos montes, que vas perluslrar;
O barro escorrega as alias ladeiras,
E a gente correndo bsm pdfl rolar.
Nao corras, contem-le,
Demonio infantil 1
Cuidado I Cautela !
Caramba sublil 1
Debaixo da copa da verde espesura
Passeiam phaotasmas, medonhas vises ;
Sao palhdas sombras de m catadura
Das almas ou genios de taes soiidoes.
E nao te amedroulara
Lmures falaes,
Vagando sosinha
Por sob os rainaes ?
Nao vs esses troncos, nascidos a bruto
as chaos e qiieimadas, ergu1 Jos, de p,
A modo de ura hoinem, um negro, um matulo f
E sabes, meuina, lu sabes o qu' ?
Queimados, esguios
Sera folhas, uem flor.
Nos erraos soturnjs
au causara horror ?
Sao cautos demonios, raatreiros; ostentara
Silencio uo porte de grave inaccio;
Mas vendo as creaucas, que a elles os tenlam,
Demonios tentados o que nu fdro?
Atiram-se e correm
Atraz e atrae,
E pegara e comem
Com sauha voraz.
No leito sereno das friis uiscentes
Ha serapre me d'agua, que espreita e seduz
Aquellos meninos gems, mnocentes,
Que pas.-am a beira das agua: azues.
Cantando ama loa,
Que doce e fallaz,
Ao fundo os arrasta
Dus puros crystaes.
Nao saias de casa, que u -sses retiros
Dos montes e campus flo.esias e chans,
Ha negros fgido.*, demonios, vampiros.
Por uuiles, pur lames e al por mauhans.
Nao saias de casa,
Nao saias, a sos;
Caulela, miu aojo;
Depois... ao... .!,,.i ...
iluitas vezes se tem fallado da existencia de um
mar, nao gelado, as regies polares, e muitas ve-
zes tambera se tem corabitido a opinio de que el-
le exista.
Com efifeito. sorprende a primeira vista que n'a-
quellas regies oude pirece que nao pode c"iegar
o sopro da vida, a julgar pela natureza que cerca
o homem aos seteuta graos de laiitude, exista mais
ao norte ura clima suave e delicioso, com brisas
doces e apraziveis.
Sorprende, verdade; mas alguns dos indivi-
duos que acompanhavam o Dr. Kane na sna famo-
sa expedido ao polo, asseguram que virara esse
mar alera do paralieio de 80 grao*. *
Esta quesio esta' preuceupaodo a associago
briannica, segundo urna memoria que sobre ex-
plorares rcticas leu o ;t. C. Markham.
Assegura-se nVlla que llaves, companheiro de
Kane, e que depoi* da raorte prematura d'este li-
nda partido de novo para o polo norle, pode con-
vencerse da verdade deste fado, porque encontrou
o referido mar.
Lord John Bussell dirigi em 5 de outubro a mr.
Stantoo, cnsul geral de Inglaterra em Alexandria,
um offlcio relaiivo a siluacao de Mr. Caraeron, cn-
sul de sua magestade briannica na Abyssinia, re-
tido prisloneiro pelo imperador Theodoros.
N'este offli'io, o ministro aoouncia que encarre-
gou um agente hbil. Mr. Rossam, de dar explica-
ces satisfactorias ao suberaoo da Abyssinia, e qae
espera que essas explicacoes daro lagar a que
Mr. Cameron seja posto em liberdade.
Um offlcio de Aden, de 12 de outubro, posterior
mJjjy Por cooseguinte ao uflkio de lord John Russell, an-
lodfJi nuncla que Mr. Rassara nao traba conseguido ver
o imperador, e que Tneodoros declarara que ama
vez que a Inglaterra se iut-ressava por Mr. Came-
ron, elle o conservara preso a titulo de refem al
a soluco definitiva das difflculdades sobrevindas
dirigi ao sen encarregado de negocios em Lon-1 A S9, s quatro horas da madrugada, foi Bar-
dres a seguinte nota : rios couduzido ao supplicio por urna escolta de sol-
Paris, 30 de outubro de 1865. Senhor. O dados-
imperador e o seu governo nao podiara, sem um Lea S9'lne de noTO a senten5a. e o bispo fez-lhe
profundo senliraeolo de peSar, vr desapparecer da as ora?5es d,) eslv|o- Barrios despedase de al-
sceua poltica o hornera eminente que a Inglaterra *ans ami80S> Ia-' nio linham qaerido abandona-lo,
deplora actualmente. A sua morte comraoveu do- e encarre8u o general Gonzales de tratar da sua
lorosaraente a opinio publica no paiz, que elle sePul,ura- Ptdlu ao seu confessor que sera a rae-
servio durante longos anoos, |com tanta distineco. nor pomDa lhe (lisse3se urna missa por sua alma,
Este fado ba de fazer um grande eco em ioda a e depois "'"""odou o fogo com o maiur saogue
parte onde o nome ioglez for conhecido.
fro.
t Pelo que oos diz respeito, senhor. livemos, em Segundo a sua ultima vonlade, o seu corpo f.i
muilas circunstancias, occasiao de apreciar as al- eolt,rrado Da 'l!rt,Ja du Calvario.
tas qualidades de que lord Palmer.-lon era dotado,
e estimamos, lembrar-vos quanto elle contri, uio
para o eslabelecimento das relagSes de coutianc
e d'amizade, que desde o comecu do segundo im-
perio (em existido entre a Franca e a Inglaterra.
O governo da repblica fez annuncar que a re
b -llio liuha terminado, cessando de estar em vi
gor a le marcial.
I-oram lavrar essa trra, al ento tso dcil e es-
pontanea ; foram regi-la com o suor da fronte, ex-
postos as intemperies das estacos, aos raios ar
Divindade, ou antel seremos nos mesmos os cul-
pados era nSo sermos altendidos T
Teremos feito nossas petiedes oas condi?5es das
den.es do sol, a velania fria que Ihes acoilava pa,avras do Evangelho_, era nome de Jesug Chrg.
os memoro*.
m oa raucamente sappondo-nos dignos de ser-
Oh I tmham saudades lao intensas, lo profun- mos allendidos, porque nos julgaraos justos I
das d'essas raanhas purisslmas, em que desperta- Teremos feito nossas peticSes com um sincero
vara ao som melodiosa das aves que Ibes raurmu- arrependime*o das effensas commettidas por nos
ravam aos ouvidos canucos de amor ; recordavam- conlra a divloa m3geslie de D0SSO DeUSi tio m.
se com dr d'essas noites lio serenas e to limpi.
das, d'essas-horas de paz e de silencio, qae alli go-
savam, sem temores, sem inquletaco e sem cui-
dados.
II
Loogos annos se haviara passado, e prximo es
lava o primeiro hornera a ouvir soarlhe a derra-
deira hora.
Em Londres e em Paris, as ras principaes que
. Lord Palmerston foi o primeiro, em dezembro corlam os bairros indu*tnaes e comraerciaes sao
de 1851, a recoobecer o carcter das corajosas re- a ceilas horas do da, obstruidas por carros e car-
soluSes, que as siloacoes lospiraram a' S. M. retas carregados de loda a casta de objectos; a
Acceitou lealraeole as coosequencias, collocando se circulago torna-se all quasi irapossivel, e essas
superior aos resenlimentos do passa lo com urna li- vias sao to iocoraraodas para os que as percor-
berdade de julgaraentos lano mais digna de elo- rem como para os que nellas morara,
gios.quauto que o principio da sua carreira linha _
estado envolvido nas antigs lucias; usou da sua E ie D*fl at a(ui nsiliuido por outro mais
iuflueocia para fazer comprehender aos seus con- ade<,aad0..'yslem1a ^'a..,ra,nsp',,.te das mercai>- cara, urna prece de a
cidados os servicos prestados a' causa da ordem
altnbuir a de leixo ou incuria municipal.
Os Inglezes acabam de fazer, para este louvavel
intento, mais urna tentativa de invenco mui cu
riosa. Conslruiram e abriram, ha pouco
malte DespatchRailway. Va isge a Se,h) peJtj ao archanjo dfl es.
E um caminbo de ferro subterrneo; em logar pada chamiDej,nU,. ,,ue me conCl!da ver ma vei
de vapor, a forca motriz a pressao do ar no va- os de ]e ba, 1ome jU;(i d c0
cuo.
serlcurdioso para coranosco, e com um firme pro-
posito de perseveranca na fiel observancia da sua
le ?
Teremos feito nossas petices, segundo melbor
convier salvacao de nossa alma, que certamen-
te deve ser collocada em primeiro lugar ?....
Pois pedir em nome de Jess Christo pedir
nestas condicSes; e assim concebidas nossas peti-
Seni.a-o elle ; aquello corpo tao robusto e tao c5es sero altenJlda4i e ,udo mais se |ne acrescen.
ag.l penda agora curvado para o chao ; urna a lara ainda mesQI0 prosperidades d(J mund
urna Ihe um desapparecenio atorca, ; raros .he se C0DVer a ossa M|? s fiieaQ
alvejavam os cabellos sobre a fronte; tremia-lhe cooveolente oso dellas. segundo o Evangelho, em-
eofraqueclo a voz, e a passos largos se approxi- pregand0.as 00 servi0 de Deus> ern alliv.o dos ne-
' ".i* '.r !" cessitados, mais redundera em gloria e louvores a
Mas antes de morrer qaeria anda ver, urna vez D0SS0 DeuJ
s, esses lugares testeraunhas de sua innocencia e Al(|1 j,^ podcmos r nQS des
de sua felicidade ; quena murmurar alli, onde pee- A|tjS5JIOg a
na Europa pelos acontecimentos consuramados em
Franga.
t Poucos annos depois encontramos em lord Pa -
raerston o- mais decidido e seguro concurso, quan-
do ascomplicacoes quesobrevierara no oriente, cha-
marara as duas nagoes a unir os seus esforcos, e
as levaram a cootrahir essa allianca, nao menos
notavel pelo intim) e leal aceordo dos gabinetes,
doque pela nobre eraulaco das armas.
c Tambera nao poderemos esquecer a parte que
pertence a lord Palmerston as negociaces do Ira
tado de commercio, concluido ha cinco annos.
< Como primeiro ministro da ramua, approvoa
o peasamento de consolidar as relaces da Ingla-
terra comnosco, dando-ltie por base urna solidarie-
dade mais intima das relacSe? matenaes. Secun-
dou com todas as suas torcas a inauguradlo desse
systema liberal de futuro consagrado pela expe
riencia, e adoptado hoje pela maior parte dos esta-
dos do continente.
nosso respeito. para logo nao sorfrer-
' sonar um grito de dr e'deixar"cah.r\raa unraa^s7^v7 a reMgna{5 *""* W males qae n0S
dos olhos j embaciados e turvos.
Oh I se Ihe fosse dado ter essa suprema couso-
A via subterrnea formada por um tubo de
ferro fundido, que tem quatro ps e seis pollega-
das de dimetro. Esie iudo comeca na eslayo
principal de Holborn, na City passa por debaixo
dos bairros mais populosos e mohecidos por sua
actividade commercial, Oxford-street, Tultterham-
Court-Ruad, etc.; tem 4 kilmetros de exleoso-
Ha poucos dias, o presidente do conselho da
coropanhia, o duque de Buckioghara, e os directo-
res fizerara a primeira viagera de experiencia ues-
te conduelo melallico e subterrneo. N'um ins-
tante o pequeo vehculo que os transportava foj
E Setb parti.
III
Estes actos pertencem a' historia dos dous pai. laDcado- pela pres>ao d0 ar sobre vacu. com la"
es. O nome de lord Palmerston Acara' ligado a maaha rapldeZ' 1ue aPena3 tinbara enlrado no lu"
elles, e jamis se abastar1 de nos a lerabranca da bo aauell,:S cavalheiros acharam-se na extremida- fljr6s variadas que esmaltavam os prados Corno
posico que elle oceupou em coojun:turas de lo c,8de"e- lindos os pomos cor do ouro que peodiam das ar-
grande interesse para as relaces da Franca e da trae" seguida a circulaco das mercado- vores ,
Inglaterra. Curaprimos o dever de ligar o leste- nas- u,n ,rera de ous wa8ns carregados. a mais, Doce serja vida passada sombra daj ar.
raunbo das nossas sympaihias a's honras que a Dao Pder> Darl,u da elacao Principal de Holborn, | vores e ao raurraari0 suava da |ympna flue cor.
naco briannica presta, com tanta jusiica a' sua
memoria,
t Pego-vos que sejais junto de lord Russell o in-
terprete dos sentimenios do imperador e do gover-
no de S. M. Dignai-vos tambera entregar urna
copia deste despacho ao principal secretario de es-
lado da ra 11 ha.
Recebei, etc.Drouyn Lluys.
na
e transpoz no espaco de cinco minutos o corapri-
; ment tolal do conduelo subterrneo : cerca de
urna legua.
Finalmeute, o tubo encerra tambera os arames ja ierr"a"Volta"ra
de um telegrapho elctrico, por meio do qual cora
muoicara entre si as diversas estagdes.
Asahda de Roma das tropas fraacezas, alm de
ser um fado que combina com os principios que
se achara inscriptos na conslituico fraoceza ; alm
de ser o recoohecimealo do direito que as naces
lem de se governarem na sua casa ; alm de ser o
cumplimento dos tratado* internacionaes c a respos-
ra, e cora valor as lentacoes 7
Nao se dignou Nosso Senhor Jess Christo en-
nobrecer todos js padecimeotos at a cruel morte
oPnel! ?a ?- Pc 6 ? m0rrer'a ,benoaDl a :da cruz, dizendo-nos : -. se alguem qu.zer vir a
raun lomea sua cruz, e siga-me ? ,
E' assim que provaremos a Nossa Senhor jess
Christo o oosso amor para com Elle se propoe a
ser nosso medianeiro para cora seu Eterno Pai.
Os Evaeg-lhos contm toda esta doutrma por
meio de parbolas e figuras, mas Nosso Senhor
Jess Christo, quando ainda visivelmente no mun-
do, durante os quarenla dias que mediarara entre
sua triumphante resurreico e gloriosa ascengo,
quiz nos consolar nas nossas afJliccdes e animar-
nos ua nossa fraqueza, fazen lo-nos explicitameote
esta proraessa na pessoa dos seas apostlos.
E que temos nos, que nao tenn.mos recebido ;
pois que todo o bera procede do>Deus ? E se temos
recebido, como nao esperarmos Nelle com a mais
viva f, excitando era nosso coracao, pela prece,
cada vez mais o nosso amor para com Nosso Se-
nhor Jess Christo em os doces colloquios, que cada
vez mais nos inspirar os efjvios de sua Divina
Graga ?
E ainda Jess Christo quera no presente Evan-
gelho aos diz aas pessoas de seus apostlos : tQue
seu Eterno Pai nos amara, desde que a Elle amas-
sernos. E nao o amamos seoo quando temos Nel-
le a mais viva f ; cumpriraos cuidadosa e pun-
tualmente a sua le, e recorremos a Elle com mais
firme esperanga.
Invoquemos, pois, dia e noite o seu Santo Nome;
porra com a humildade de um pobre a quem ludo
Ihe falla, como faziara os santas desde a mais re-
mota autiguidade, que prostrados com o rosto em
trra, oravara dizendo :* Senhor, eu sou ura pu-
pi I lo, um orpho a quera falta assistencia e conso-
lagao ; eu invoco e pego o vosso soccorro, confes-
sando ince.wut-menie a rainha Iraqueza. >
E s assim veremos a serenidade substituir
nossa tristeza, a conflanga perturbagao de nos;a
alma, a calma ao desespero era que serapre vive-
mos nesle tenebroso valle de lagrinas e tempes-
tuoso mar de iribulagoes.
Ouvio-o o archanjo e nos labios pairou-lhe um
sorriso de compaixo e de piedade.
Nao ; respondeu; ve la-1 a justica do Eterno ;
era teu pai, nem tu, nem nenhum dos descendeu-
entrareis no paraizo terrestre, consolai-vos, porm,
por que depuis que o Filho do Homem houver
tnuraphadu da morte e do peccado, ser-vos-ho
franqueadas as portas do co.
Em quanto o archanjo failava langava Seth os
olhos para esse lugar de felicidade e de delicias
que seus pas haviam habitado.
Como era alli ludo bello I Cora) suaves as au
ras que agitavam as tullas I Como perfumados as
Ouve, continuou o archanjo, em breve soa-
r para teu pai a derradeira hora ; aquillo que foi
para ella... aqui eslo tres se-
mentes da arvore da sciencia, cujos fruclos Ihe ve
dra o Eterno provar; e apenas o espirito se des
Foi completamente satisfactorio o xito desla prender da materia, e birlo inanimado Ihe cahir o
1 curiosa tentativa, e trata-se ja de estabelecer vias, corp0i deposita Ihe estas semenles sob a lingos e se
subterrneas, segundo o mesmo system, nos bar- j pojfjn, cora e||as.
I ros principaes, atina de desembaragar as grandes ,v
arterias, onde a obstmego se torna intoleravel. Blm tempi) navia que Ado voltar a trra de
Ha vas de grande cireulayao, como Cheapside e ( qJh ,,avja samdo
Londoo Bridge. que se achara de dia bloqueadas ESelnfUerH 0 (,ue ,he orden4ra 0 arcnanjo.
durante horas consecutivas. ... .
No lugar era que dorma o primeiro hornera o
Segundo os reguiamenlos municipaes da Cily, e derradeiro somno, tres arvores surgiram.
por cansa desses pejamentos, quaesquer fardos 00! Cresceram e loroaram-se frondosas, pendendo-
la tarda, mas explcita aos non possumus da corte cafxas com fazendas ou gneros, devera estar re- Ibes dos ramos os mais formosos fructos.
de Roma.que desprezou todos os conselhos e deseo- eolhido* antes das nove horas da manha. Logo' Nada era to bello, tao agradavel a vistacomo
nheceu as intenges do governo francez, e oppoz a que estiverem construidas as vias subterrneas, a aquella cor -que se assimeihava as nuvens do co
raais altiva arrogancia a' mais paciente longanirai- expedigo das fazendas ou dos gneros poder ter em meio de franja* de ouro e de rosa, entretanto
se o viajante colhia-os, se faminto levavaos aos la-
bios, s enconlrava podridaoe vermes.
E as tres ai vores cresciam, e os fruclos lhe pen
diam formosos dos ramos, mas ninguera os colina-
que s linham podrido e vermes.
Passaram-se os seculos ; formaran) se os reinos,
ediGcaram-se cidades, desmoronarara-se imperios,
e as tres arvoresque surgiram do tmulo de
Ado, cresciam frondosas e dos ramos Ibe pendan)
os frucios.
E Jemsalem fra edificada justamente a urna
railha do lugar em que cresciam as tres arvores,
dade; a sahida de Roma de treze mil bomeus de logar a qualquer hora sem difllculdade.
infamara e dos mil e duzeoto* horneas de cavalla- ________
ra que a Franga manlmha oos Estados-Pontificios,
produzira' nas Hnangas urna economa notavel, ao,
mesmo tempo que restituir' a' Franga soldados,'
cuja acgo esteva paralysada ou era mull para os
seus verdadeiros interesses. .
L se na Patrie:
c Um despacho particular, chegado por via de
Suez, annuncia que Abdallah-pach acaba de al-
cancar urna grande victoria sobre os insurgentes
I no Yemen. Fez grande numero de prisioneiros,
A Paira decomp5e da seguinte forma as despe- que foram mandados para Meca.
zas que occaslonava o exerclto de oceupaco : Esperava um reforgo de mil homens, para per
Para os estados raaiores e intendencia 200:000 seguir os revoltosos, que depois da derrota, se ti-
fancos; para a Gendermeria, 45:000 francos \ pa- Dham refugiado do lado do norte. Estes reforgos
ra o sold de infantera, 113:000 francos ; para o mandado pelo vice-rei do Egypto, parliam a l
no
da cavallana, 20:000 francos; para o da artilha- de outubro
ria, sapadores, etc., 10:000 francos; para vveres, ojeddah.
lenha e forragens, francos 1.698:571; para os hos-1 .,,m
pitaes. 104:000 francos; para o servigo dos trans-
porte, ioeloiodo o servigo dos vapores, I80:n00 Gladstone, o eminente fazendisU, membro do ac-
francos; para, o fardamento e acampamento, pes,tual gabine'e mglez, fez ltimamente tres dscur-
soal e material, 9000 francos: para o servigo dos sos 1ue> D0S 8rai>des diarios de Londres oceupam
correios, ele, 25:000 francos; para a jusiiga mili- nada menos da uue sete columnas era typo miudo
ur, 13:000 francos. Se addiccionarmos a e*tes ;e composigao compacta.
algansmos 20:000 francos para os arsenaes, 20:000 Esses d,scursos foram transmittidos de Glasgow
francos para fonifleages, 12.000 francos para des-1a Londres Pe'o telegrapho, e erara onze horas da
pezas evenluaes, teremos urna lotaldade de noite quando acabou de pronunciar o terceiro.
transpone a Vapor Ibrahtm poj!era um sl,io <>a9 se cnamava Gj|8ot0a-
2.520:000 francos ou ris 453:6095.
L-se no Times que ltimamente Sir C. G.
Young, principal rei n'armas da Jarreteira, auxi-
liado por ura ceno numero dos seus empregados,
collocon os estandartes e as armas dos cavalleiros
novameote creados da Jarreteira, nos lugares que
Ihes estavara destinados no coro da capella de S.
Jorge, era Windsor.
O capacete, a espada, a faxa e o estandarte de
S. M. el-rei Christiano IX da Dinamarca, pal de
S. A. R. a princeza de Galles, foram collocados no
lugar que compete aos principes, que o lado do
norte do coro, ao passo qae os de S. M. el-rei D. Luiz,
de Portugal, e de Luiz III, gro-duque de Hesse,
foram collocados por cima dos respectivos nichos,
na parle sul uu lugar dos soberanos.
E como convinha aquello lugar para supplicio
dos malfeilores, raandou Aristobulo que fossem
corladas as tres arvores seculares, cujos troncos
foram collocados em torno das muraibas da cidade
de David.
No dia, pois, em que a morle foi conderanado o
Christo, mandaran) os principes da Synagoga que
fossera desbastados aquelles tres troncos, e que
com elles se formassem o instrumento do sup-
plicio.
E a Cruz era que expirou Aquello que vnba
resgatar a humanidade do criine de Ado Li for-
mada da arvore cujo fructo trouxera o peccado a
Ierra, e a obra da regeuerago realisou-se no lu-
gar era que repousavara as crazas do primeiro pec-
cador.
Sobre o Evangelho de S. Joo, cap. XVI v. XXIil
O ex presidente dos estados confederados ameri Se alguma cousa pedirdes a meu Pai em meu no-
canos ser denilivamente julgado por crime Ao. me, Elle vo-la conceder escreve o Cruzeiro do
Ora as folhas da capital que se impriman) as
qualro horas da manha do dia seguinte, j os le.
vavam por Inteiro ao conhecimento dos seus le-
tores.
No curto espago de cinco horas realmente ex-
traordinario.
Um des condemoados como cumplice de Booth
no assassimo do presidente Lincoln o Dr. Mudd
enviado a Dvy-Toriugas teolou escapar-se desla
i Ira do modo seguinte.
Conseguiu introdazir se a bordo do steamer
Tomas Scotl e urna vez all, se escondeu no paiol
do carvo, cobrrado lodo o corpo cora carvo ex-
cepto a cara.
Fez-se a bordo urna miouciosa busca e quando
iam para se retirar sera nada ter descoberto ura
dos officiaes teve a idea de enterrar a espada no
carvo.
No mesmo oslante um agudo grito trahiu a pre-
senca de um individuo all escondido, e viu-se sa-
bir o Dr. Mudd cora a face atravessada pela e.-pa
da do offlcial.
Foi couduzido para a priso e posto a ferros.
traiga.); mas ainda nao se sabe que tribunal o jul
gara.
Alguns discursos do actual presidente
nao permitiera que se duvide de que, no caso de
condemnago, usura o presidente do sea direito de
cleraeocia.
Coolinuam a chegar a Washington de varios pon-
tos da confederago do sul requerimentos em favor
de Jefferson Davjs.
Dix ura jornal francez que mal ura sitio ataca-
do cora vehemencia pela cbulera os pardaes desap
parecen) delle e nu lomara a vollar all seoo
quando a molestia, entra no periodo decrescente.
Uiz que islo est comprovado pelas observagdes
Em virtude instrueges emanadas de autoridade
superior, os agentes de polica poder de ora
avante destruir as publicages devidaraente prohi-
bidas, inclusive as peridicas, onde quer que as en-
contrem, e sem trataren) de saber se o propieta-
rio as tem divulgado ou nao e se est no caso de
ser punido.
A lomadia judicial ou a sua ratiQcago deixar
de ser necessaria.
A intervenga.) da justiga nao ser invocada se
nSo quando baja motivo para processar ao mesmo
tempo o individuo em cuja casa tenha sido achado
o impresso.
Para onde ir a Prussia n'este andar ?
que se teem feito dorante as tres epidemias que
entre elle e o governo egypcio, accrescentaodo que teeQ1 precedido a actual
a Inglaterra, que era poderosa em Alexandria, po-
da influir no espirito do vice-rei do Egypto, ao
qual ella havia ouir'u a inspirado conselhos hostis
a Aby-aiuia.
Du qae precede, v se que o incidente relativo a
Mr. Caraeron entrou n'ama nova phase, e qae o
offlcio de lord Jobo Russell nao tinba previsto este
lado da qoesto.
Podera a sciencia explicar i&to ?
Urna correspondencia de New-York, annuociou
a ezecugo du general Barrios em S. Salvador. Em
seguida publicamos aiguns pormenores.
No dia 28 de agosto, mela noite, aanuociou-
se a Barrio*, que s lhe restavam seis horas para
E' do reverendo Sr. Francisco Beroardino de
Souza.
A A11V0I1E DA CRUZ.
( Lenda. )
I
Em puoigo desobediencia s ordens do Eterno,
haviam sido o primeiro hornera e a primeira mu-
llier expulsos do paraizo.
Ouvtndo os conselhos da serpente, comer Eva
do fructo da arvore da scieocia e logo aps arras.
'ara o esposo a desobedecer o Eterno.
E o Senhor ordenara que o archanjo de espada
flaramejinte expulsasse-osa'aquelle lugar to chelos
de delicias era que os havja coliocadu.
Cora a dr a esraagar-lhes o coragao, com o re
morsu a devorar-lhes a alma, cora os olhos em la-
grimas e o rosto pendido para o chao, abi foram
elles banidos para serapre d'essns lugares amenos,
do meio diessas flores resceodentes de perfumes,
d'essas arvores copadas, d'esses arroios crystall-
viver. Foi logo depois couduzido para a capella
da pnso, onde o bispo Saldano lhe presten os au-1 nos, d'essa felicidade inarleravel, que o Senhor Ihes
O ministro dos negocios estrangeiros de Franca xilios da rellgio; depois fez o sen testamento. j ba via concedida
Brasil o seguiule
Nada mais consolador para os desgragados Albos
Johnson de Ado, do que as palavras comidas no presente
Evangelho.
O peccado do nosso primeiro pai aitrahio sobre
a sua descendencia loda a sorte de males, sendo
o principal delles a nossa excluso da patria ce-
lestial.
Deus, na sua infinita misericordia, se dignou
promeiie-nos logo ura salvador que, merecendo 111
finitamente, aplacara a sua justiga irritada contra
nos, e offereceudo-se a Elle como vicliraa de pro-
piciagu, nos rehabilitara para alcangarmos a be-
ranga, da qual tinba nos desherdado a culpa.
De facto operou-se a nossa redempgo pelo sa-
crificio do Calvario, e, segundo as nossas obras
pela f, tomos rehabilitados pelos infinitos merecl-
raentos de Nosso Senhor Jess Christo.
Mas devendo nos merecer essa cora de gloria
pela observancia da le e pela caridade em Jess
Christo, o que seria de nos em urna lula to des-
igual com o (errivel immigo da nossa salvago, to
troca e miseravel como a humana natureza ?
O que podenamos esperar de nos, se nao* fosse
esta explcita promessa do nosso Divido Salvador,
comida oas palmas do presente Evangelho 1
< Se alguma cou.-a pedirdes a meu Pai em nome,
Elle vola conceder. Ped, pois, e recebereis para
ser completo vosso prazer. >
Pedir, pois, mas pedir era nome de Jesas Chris-
to, a coudigo nica para promplamenle serem
atteo.liJas nossas supplieas I
Quo misericordioso para nos o nosso Deus 1
Quaota consolago contera para nos esta solemne
proraessa do nosso Divino Salvador I ,-*
Esiribarmo-oos em nos mesmos seria a mais re-
matada loucura. CooUar uesia solemne promessa
pondo em Deus ioda a nossa esperanga, faxendo-nos
dignos de sua divina graga pela pratica das virtu-
des christas, e envidando nossos esforcos para
vencermos as lenlages do mundo, do diabo e da
caroe, o meio comido naquellas esperangosas pa-
lavras t pedirdes a meu Pai 9m raen nome.
Entreunto fazemos frequenies petigdes a Deas
sem que os nossos soffrimentos se minoren) ; sem
que alguma modificago apparega em tantos males
que nos affigem I....
Em 13 do corrente dea am jaalar um direcloi
de urna olha de Paris, e succedeu que se ajunta-
ram a mesa treze pessoas.
Treze pessoas no dia 13 era tempo de cholera 1
Era urna cousa grave.
Ura dos convidados que e-tava em ancias desde
o principio do banquete, nao esperou pelo meio
para se despedir precipitadamente de todos os
mais, tomado de um susto supersticioso.
Logo que eotrou em casa, melleu-se em cama; a
imagioago fez-lhe tomar mais medicamentos em
24 horas do que tioha lomado em 50 annos que j
conlava; e se nao suecumbio, nao foi por falta de
boa vontade.
Tambera rauto para rir oque conta urna folba
franceza de ura banqueiro que ha dias foi a Paris
para iratar de negocios serios.
Um amigo fallou-lhe do cholera e arripiaram-se
logo as carnes ao pobre hornera.
Corre lugo a urna dozia de boticas, compra ex-
tracto de hortela pimenta, extracto de Riclis, espi-
rito de camphora, raais urna cousa, mais outra, e
parece-lhe serapre que tem comprado poaco.
Tambem lhe parece que nao lem flm o dia que
ha de passar na capital, e imagina que novo Josu
fez parar segunda vez o so!. Est ancieso por par-
tir para Amiens onde 'chamado por graves inte-
resses.
Afinal raette-se em um carro da praga para ir
ao caminho de ferro e fugir a athmosphera mephi-
lica da capital ; mas logo que entra no carro, lera-
bra-se de lhe ter dito o seu amigo que o flagello es-
lava mais violento em Mootmarlre e nas Batignol-
les e a eslago do Norte ficava muilo prxima da-
quelias localidades.
Treme, e da' logo erdem ao cocheiro para tornar
para traz e leva-lo a eslago de Montparnasse, on-
de a toda a pressa tirou bilhete para Caen.
Nao s em Franga que as muiheres procurara
os meios pralicos de melhorarem a suacoodl-
gao.
Cora esse fira vai reunirse um congresso em Lei-
pzig, e nimias das pessoas que ho de formar ja'
tiverara urna sesso preparatoria, em que urna mu-
Iher, no dizer de correspondencias ailemas, fez
um discurso de muito acert e clareza.
Como nao se trata de debater Iheses de phanla-
sia nem de revindicar direitos, parece-nos qae nao
havera' animo liberal que possa negar sympalblas
a tentativas deste lote.
Ja* la' vai o lempo era que as muiheres nao po-
dan) fallar era modiges na sua siluago sera pro-
vocarem gargalnadas, e em que um graude cmico
arraucava as plateas estrepitosos applausos fazendo
dizer a um actor que urna raulher ja' sabia de so-
bejo quando a capacidade do seu engenho Ibe
dava qae podesse estreraar ara gibao de uns cal-
gSes.
E preciso saber qae o tal actor represenlava
um burgaex qae vi via commodameoie, sem que
sua mulber carrecesse de trabalhar; e infelizmen-
te na classe operara, e mesmo em grande parle da
classe burguesa, muito poucas sao as muiheres
que eslo em to boas condigoes de existencia.
A malor parte dos trabalhos qae convirlam ao
sea sex > teem sido agamharcados pelos bomeos e o
resto quasi sempre mal retribuido, nao Ihes da' os
recursos suficientes para occorrer a todas as ne-
cessidades,
Ah esta" de certo ama quesio econmica de mu
difficil resolugo.
Compre animar as muiheres a porfiaren) em es-
forgos qae tendam a melhorar a sua condign ma-
terial e a assegurar desse modo a verdadeira Inde-
pendencia e a dignidade da sua vida.
Ser, porm, devido jSW a Injqstiga da parle da I pERBAMBUCO TYP. OF5 M. F DE F. 4 I-1LHQ.
!
<
r


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2PWC3C9U_3WEN9N INGEST_TIME 2013-08-27T22:03:58Z PACKAGE AA00011611_10831
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES