Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10830


This item is only available as the following downloads:


Full Text
kMU III. MERO 273
?or qnartel pago dentre de 10 das do 1, mei '. i .
dem lepis des l." 10 das do comecoe dentro do qnartel. .
Porte ao correio por tres nezes ,........i
5|000
61000
750
TERCA FEIRA 28 DE MEMBBO DE 1865.
Por anao pujo dentro de lo das do t. mez ,,,.... 19$Mt
Porte ao correio por iim anoo.........., l|0#t
ENCARREGADOS DA SBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba. o Sr. Antonio Alex?odrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de l.emos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaquina Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Pilhos; Amazonas, o Sr. Jeronymn da Costa.
ENCARREGADOS DA SBSCRIPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claodino Falco Uias; Baha, o
Sr. Jos Marlins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparioho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacos da via frrea at
Agoa Preta, todos os das.
Iguarass e Govanna as segundas e sextas feras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinhn, Garanhnns, lluijue, S. Rento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacaratu, uas tergas
feiras.
Pod'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqoelra
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio e Ex, as quarlas
feiras.
Serinhem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reros, Agua Preta Pimenteiras, as quintas
feras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relagao: tergas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Julzo do commercio: segundas as i i horas.
Dito de orphos : tergas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tergas sextas ao meio
dia.
Segunda vara do'civel: quartas e sabbades a I
hora da tarde.
EPHEMER1DES DO MEZ DE NOVEMBRO.
3 La ebeia as 5 h., 43 m. e 28 s. da m
10 Quarto ming. a 3 h., 25 m. e 52 s. da m.
18 La nova as 8 h.,40m. e 22 s.da m.
26 Qoarto cresc. aos- 38- m. e 22 s. da m.
DAS DA SEMANA.
27. Segunda. S. Margarida de Sahnva v.
28. Trrga. S. Jhcnh da Marca f.; 8. Snslhenfs b.
29. Qnarla. 8. Saturnino m.; S Illuminala v.
30. Quinta. S. Andr np.; S. Tmyano b.
1. Sexta. S. Nahum pro'.; S. Cailriciano b.
2. Salbado. S Bibiana v. ni.; S. Policiano m.
3. Domingo. S. &>| nenias pruf.; S. Magina m.
PRRAMAR DE HOJE.
Primeira as 11 horas e 4:2 m. da manhaa.
Segunda as 12 horas e 6 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEJROS.
Para o snl at Mnjaai a M e 30; para
ala a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Per
do uos dms I'i '!i>> mezes de Janeiro, margo, malo,
jtilno, seien.hro e naaembre
ASSIGNA-SR
no Recite, na UlMnl da praga da Indervmdeaels
jos. 6 e 8, dos proprietanos Manuel Kizneiroa de
Paria & Puno.
Ditoao confu dos EstadovUai-1 >s. P.-la r.-im-
muoicagilo dtala de 22 do corrente, liquei Intel-
rado de haver o Sr. Thomaz Adamson Jnior-, cn-
sul dos Esl-i I i- Uui I is da America, reassumldo
Boa Vista. n'aquelle dia as respectivas funeges consula-
n o lu. lU/m'fl mio pone, acereseenoo qm> eiias nao mbaragam por
- Os Srs. assignanies dcste Da, w, que J 0'lransll0 pllb|jc'0 como ludo iHforma 0 10Spec.
-se acham em debito das respectivas assig- ,or d arsenai j marinha em seu offlcio de 22 do
atoras, queiram mandar realisar o paga- crreme, sob n. 1,023.
mnnin ,l.iiln- p anrwllp* nuft moram fora Dito a cmara municipal da villa da
mentO UelUs., e dqatlltsique '"" ,u _t.C|ar a cmara municipal da villa da Boa- res.
fiesta cnlade, tenhain a Doniiaue SO de quaes sejam aqui OS seus Correspon- U|tm0i,|ue vo ser opporlunamente submellidos a Sr. cnsul a seguranga de minha perfeita eslima e
denles alimde ser solicitado e-se pgame".-, approvago da assembla legislativa provincial os disiinct conslderagao. Fizeramse as necessarus
Ana'nomuM a ntipm liarlo ordcm. Dar artigo.* de posturas que acompanharam o seu cita-, commuolcages.
,o do mesmos, quem uji .iu ui m-i F"1^ dounmcjo H H Circular aos commandantes superiores da uar
Dito ao Dr. Antonio Buarque de Lima, juiz de da nacional.Sendo para estranhar que apezar das
direiioda comarca da Boa-Vista.Devolvoa Vmc. reiteradas orden* expedidas nao
as lactosas folhas que vieram annexas ao seu offl-
ci de 16 de setembro ultimo, e relativas aos ven-
cimientos do alteres Thomaz Pedro de Aquioo,
cGinmandanle do destacamento de guardas naci-
naes existente na villa do uricury, a contarde 20
de margo a 20 de agosto deste anuo, a fin de que
sejam reformados de modo a virem em duplcala e
islo, visto como
essa ordem.
i i > 11 .---- ^
alguns pretextara a falta
PABtK 8FFCIAL
G0VBRN0 DA PROVIISU.
se tenha ai na
completado o numero de 2424, guardas nacionaes,
com que esta provincia tem de concorrer para a
guerra, por nao terem chegado os contingento; dos
to miritimn de D-al Hound (2i) para o Para ; e
de eal Fgaro (27) para Pernambnco.
Do Brasil chegaram : da Baha Annie Grant (27)
a Liverpool : de Peroambuco Ammon (27) a Li-
verpool ; e da Baha ZfiiHh (25) a Talmouth.
As nossas estradas de ferro acham-se peis se-
guintes : Acgoes do Recife de 13 a 14 ;
ditas d < Rah.i io Ja Si 15 ; e as de Sao Paulo
estio a 17 1|2 e 18 por cada una.
V-se, pois, que essa* nossas emprezas continuam
em grande desfavor e rtepreciagao.
Sua mag-stade regreston di Escossia a Wind-
sor uo da 29 do prximo passado, e all se conser-1 fraeges
vara duranie algum lempo. ltimamente a ra-'
nha, FaBttipaohada pela-* princezas reaes, foi visi-
uua wriS.?' ? re""h'1 a"S **"*" ar"d?i i 1 Pars e Brn^llas 7, de Londres
que vao acharse representados e em campo aberto i j;| Q correnlu
na cmara dos depola ios.
O partido clerical qun parece figurar com 19 in-
dividuos, na reafidaM nao enmara rnais de 9 ou 10
e lodos a excepgao de Cintu sao homeos quasi co-
nhecidos e laoto mais secundario ser o seu papel
quanto certo nao terem solo reeleit s o~ que na
ultima sessao gn mostraran) favorave a um aeeor-
do com a santa s.
Qianio a malaria antiga sabido que dep is da
morte do conde de Cavour se dividi em muitas
a mais poderosa dantas, denominada
I coosorterla, que governou mais de tres annos com
: os ministros Ricas ol. Mingli-i e Peruzzi, acha se
8 e de Li W>a
tar a capella do cardeal Wolsey, que vai ser con- compieameute doi miada; aiobura foswm reeiciioa
diversos corpos da guarda nacional, cumpre que; vertida em monumento a memoria do principe Al- aquelles seu- ires gea ^raes, o esta lo maior es
Coutinnario do eipedieote do dia 23 de novembre asignados pelo commandante do
lU-lSC" iperiencer o predito alteres, como
Offlco ao raarechal commandante das armas.
Queira V. Exc. mandar dar baixa aos voluntarios
da patria, que se acham alistados no 3" corpo Joa-
qunn Jos deSanl'Acna, Mauoel Komo do Nas-
ciinenlo, Francisco de Salles Cavalcante e Joa iuim
de Torres Galludo, visto terem sido considerados
iocapazes do servigo militar em inspecgo de sau-
de, segundo consta do termo annexo ao offlcio de
V. Exc. o. 2200 de 22 do correle.
Dito ao mesiDo.Sirva-se V. Exc. de informar-
me acerca do conteudo do incluso offlcio do direc-
tor do arsenal de guerra.
Dito ao mesmo.Concedo a autorsagSo, que V.
Exc. solicita em offlcio de 22 do corrente, sob n.
2206, para empregar no servigo do deposito oca-
pilo reformado Henriqoe Eduardo da Costa Ga-
ma em suhstiiuigo do lente reformado Luiz Je-
roiiymo Ignacio dos Santos, que tora nomeado ca
pitao fiscal em commisso do 2* balalhao da guar-
da nacional destacado.
Dito ao mesmo. -Respondo ao offlcio de V. Exc.
de 22 do corrente sob n. 2209, autonsando-o a
despensar o alteres reformado Jos Mana Benja-
mn de Assis, do srvigo da instrucgSo dos volun-
tarias da p.Ira do 6* corpo, conforme pedio elle
no requerimenlo que devolvo, e que veio annexo
ao citado ulD i<>.
Dito ao xm. conselheiro presidente da relagao.
lor da thesouraria de fazenda
corrente, sub o. 826.
Portara.O presidente
dispensar do servico da guerra, para o qual fra
designado por portara de 27 de oulubro ultimo; o
leoeule do balalhao n. 36 de infamara do munici-
pio do Brej i Beato Moreira de Albuquerque, visto
ler sido jolgado incapaz d mrsmo servigu em ins-
psego 'e satide como consta do la*am anoexo ao
offlcio do general commandante das armas, sob n.
2,211 de 22 do corrente.
Dita.O presidente da provincia resolve dispen-
sar do servigo da guerra, para o qual eslava de-
siguado por portara de 27 Me oulubro ultimo, o
V- S. faga marchar sem perda de lempo para esta
capitai, os que aos balalh5es sob seu commaudo
superior coube dar para aquelle fin.
batalbfo a que I Offlcio ao commandante superior da guarda na
olicila j Inspee-1 cional de Olinda e Iguarass. -Para que na thesou
em offlcio de 15 do! raria de fazenda se possa effectuar o pagamento
1 dos vencimentos a contar de 16 de oulubro ultimo
da provincia, resolve at 15 do corrente mez, das pragas da guarda na-
boje t "i I-, perdido a
acha-se violeutaraenie
cional destacadas na fortaleza de Itamaraca', e cu
jos prels vieram annexos ao offlcio de V. S. de 17
deste mez, faz-se preciso, conforme indica o res-
pectivo inspector em offlcio de hoje, sob n. 857, com 100 libras esterlinas.
que seja remeltida aquella thesouraria urna rea
gao nomioal de taes pragas: o que declaro a V. S.
para seu conhecimento e flm conveniente.
Dito ao commandanie superior interino da guar-
da nacional de Gjanna.Em deferimeoto ao que
requereu o tenenie do balalhao n. 13 de ofantana
da guarda nacional deste municipio, Manoel Bar
de
de
berio. Sua magestade demorou-se na capella cer- ra de combale, e mutilada
ca de meia hora. : maior parte dos caudlhos
O principe e a prioceza de Galle-, que tem esta i langada na opposig.io.
do de visita na casa de campo de lord Derby jun-1 O ceulro esquerdo vai evidentemente formar
to de Liverpool, pariiram no dia 4 d'alli para a sua maoria na cmara, e sabendo organisar >e e disci-
resdencia de SandriR-.un onde serao visitados pelo! plioar-se ficar senhor da siluigan. Constada
principe e pela prineeza do Hesse. quasi to^lidade dos deputados do Piemonte das
Vai levantar se urna estatua memoria de Ri- antigs proviacias, que o convenio de lo de se-
cardo Cobden, em South Wales. Os operarios das tembro lancou na opposfci-i: o de lodosos depu-
visinhangas de Swansea foram os que tomaram a udos perieueentes a esta, eleilos no restante da
iniciativa deste monumento, subscrevendo logo I Italia.
O parlamento iDflez nao se abrir ao prxo
marcado em cco-equenria da morie d- lord Pal-
merston, e di reconstnipgao mo -terial qtw foi
coutiada a lord Kassell; parece que a*H reroa-
truego anda nao esta terminada, e qu-* a aVsiri-
huigo dos cargos mioislenaes sera feu d -efnin-
le modo; que lord John Kussell tieara cofa a pre-
sidencia do aMaaaaa, que lord Qar^wloa M
nomeado ministro dos negocke esir>nyrraa, aejaa
sir Rolieri Peel -fue pruvi-orum^nie .n-op o lo-
gar de secretario di Irlmdi, con'nuara eot ai-
rerc.-io aastl difhVi4 p.sla |>i- o r-.mte Rosll aao
ou>a ms actuaes nri-um-tannas faier D>4n^a
Tt'* ?Vra esle ,:1j'8u- A maior parte d mentaro du
El re de Portugal anda esperado aqu antes
de regressar a Lisboa. Su magestade Hdelssima
acha-se em l-'lorenga, em companhia da rainha e do
principe D. Carlos.
No dia 27 do prximo passalo tiveram lugar as
exe (illas do visconde de_Palmerslon, sendo deposi-
tado o cadver do (Ilustre estadista na Abbadia de
Westmnister ao lado d i grande Pitt, como fora or-
denado por sua maijtestade a rainha. Lord Pal-
mers on determinara por testamento que seus res-
I tos mortaes basan depositados em Romsey, perto
' Brea II-md.*, onde mandara construir urna simples
capito do batalb.10 n 16 de infamara do munici- i boza Cordeiro, mande V. S. passar Ihoi a guia
po do Pao d'Alho Jos Januario Alves Ferreira,! que trata o arl. 45 do decreto n. 1130 de 11
por ter sido considerado incapaz do mesmo servigo I margo de 1853, visto ler txado a sua residencia no
em iuspecgaode sade como consta do termo an- disiriclo do balalhao o. 12 do mesmo municipio,
nexo ao offlcio do marechal de campo commao- [ como consta da informagao de V. S. de 19 de outu
daute das armas de n. 2,210 de 22 do corrente. bro prximo findo.
Dita.O presidente da provincia, altendendo a
nue o altere do 7* baUlblo de infamara desie arrematagao que fez a cmara municipal
muniem o Tagalo Jo* Themoteo provou ser o un.- -. secundo me comraunicou em seu ulBcio de 22 dev.a aquelle illa -tr cadver urna d.v.da de hoo-
eo arrimo de seu pai ceg e velho e de t-es filhos do corrate sob d. 77, dos aludieres das casiahas ra. Fo. ass.m que um decreto real ve.o ordenar
menores, e tetido em vista a informagao do res- da Ribeira de S. Jos, a-. 15, 18 e 19, por espago | c
oectivo commandante superior de 21 do corrente,' de um tiieonio e pela qaantia aiu.
sob n. 446 resolve dispensa-lo do servigo da guer- ^ por cada urna, devendo a mesma cmara remet.er- *T^Z^J^2*+S2. lft
ra tiara me lora de*i,-aado I me copia do respectivo termo de contrato. O prestito fnebre Millo naquelle da pelas 10
tittSEXflo**, altendendo ao! Dito ao Dr. juiz de direilo da primera vara des- horas da manhaa de Cambridge Hou*e, palacio da
-Transmuto a V. Exc parsuconhecmeuio e que epresemou o Jresideule da cmara municipal ta cidade. Designo a Vmc para servir de relator' ***+*~^* SSL >
.fm* convenien.es copia E aviso circular do mi Cano em offlcio de do corre, Uf> ^---- *gP I ; | ^^^^^^ ^^^^
E*l.' partido o nico que p le eonpor minisle
rio com os >>rs. Lanza, Deprelis, Sarraco e conde
deSau Mariiuo, e anda uus vinto da mesma op
nio, Mr. Crisp, que se ap.iriou da extrema es-
querda, podara tilvez tazar parle do novo liabi-
nele.
Resta o partido de aegao. Cumpre nao confundir
o partido de argo com o partido mazzinano; aquel-
le a extrema esquerda, o partido iiaribaldioo. A
extrema esquerda ganhou perto de 40 volus na c-
mara, e contara lalvex 120 memhros.
Com esses elementos pois que ser necessario
compor o miuislerio e governar. As individuali-
dades que erara mett d*s a casa haver seis mates
aliiuma : Mr. Raiazzi, se-
'linisteno Paluier-'on arha-si Lmdres a e-
repgao de lord Grandville qn *e rh *> "aj-
nente e que era all esperad >: pilfa-se ipie lao
que a rainha Victoria ehegoe a Win-l-.-r, loril Hos-
sell ibe peder submeller a lisia de sea av mi-
nist-rio ; cujo ps*ual poocas aliara^oV- *"0>era'-
Diz se que lord Rossll lennoaa formar aafv
hinele de transicao e que deoms da reosaan ao
parlamento, tratara' de se fortalecer i-ihb) a esa-
meiitos da cmara dos continuas que jo litar eua-
veniente?.
O conde Russell ja* r.ooio o -en pnnvim < a
seibo de gabinete e recehen dos *en- mlt^pn *
Conlirmacii de todas a* prornes-a* de p..x ym
Ibe liniam Sido feilas quantO rorwina > om-o
que a -ainha Ihe confiara de o.o-ntuir a aitanaas-
tragao publica.
O Morning Pos? aprecian lo t% arluae* nrrnms-
tancias poltica- da Inglaterra, diz qo- I r* -Mm
'< Russell forgado a suti-uiuir i nioi-iro raat* t*Mia>-
; lar da Inglaterra, -e enc-ntra em r a-ngie-s ilea-
j vantajosas; mas que ha Je ir o apota en e eor-
i deal do* sen< cotlegis, e que dirigir' ama raaas-
deravel m^i-ria no novo parlaaM.wio, e ra" ajstafa as tueco-, que pela *>%nada vex
| Ibe sao confiadas.
restos mortaes de lord Palmersion fossem
annual de 96AI0 ; depositado* no Pathe-in da Patria, onde como ja
i* convenientes copia do aviso
nisleriodajustiga de 28 de oulubro prximo findo,
sobre costas da fazenda Igual ao Exm. desem-
bargador presidente do tribunal do commercio.
Dito ao or. chefe de polica. Declaro a V. S.
para seu ccnhecimenlo e aflu de que o faga cons-
tar a quem competir, que da qnantla de 204&200
em que, segundo a conta annexa ao seu offlcio de
6 de setembro ultimo, sub n. 1318, importaran)
as despezas feilas com o sustento dos presos po-
bres da cadeia do termo de Flores, a contar de
29 de Janeiro at 10 de junho, ludo desle anno,
mandei processar para serem pagos quando a as-
sembla legislativa proviucial marcar a necessa-
na quoia somente 1045800 por pertoncerem ao
exercico ja' encerrado de 1864 a 1865, e visto ter '
de deduzrse da prediia conta a somma de 99,5400
correspondente aos preso* Rufino Leite. da Silva,
Raymundo Ribeiro da Silva. Yenceslao da Cosa
Moreira, Nicolao dos Santos Laurenlno e Joo Pe-
reir dos Santos, que nao vieram contemplados na
relagao ministrada pelo delegado daquelle termo,
segundo consia do parecer da contadura da ihe-
sonraria provincial a que se/refere o officio do
respectivo inspector datado de 21 do correnle n.
468.
Avista pois do que venbo de exper julgo con-
veniente cuan ar a al'eogao de V. S. para essa oc
currencia, procurando saber a razao porque fo-
ram aquellas indvidous incluidos na mencionada
conta n'io se achando piles presos.
Diio ao inspector da thesouraria de fazenda.
Expedndo ordens nesla dala par> cumprimenlo
do aviso circular do ministerio da jusliga de 28
de oulubro prximo findo, junto por copia : assim
o declaro a V. S. para sua inielligencia
Dito ao mesmo. -Mande V. S. pagar ao emprei-
tciio do caes entre a ponte da Una-vista o a casa
de detengan, como pede no incluso requerimenlo
a qnantia a que tiver direno por haver concluido
aquella obra.
Dno ao mesmo.Transmuto a V. S. para seu
eMiuecimenlo e execugao ua parte que Ibe toca,
ponsar do servigo da guerra, para que lora desig-
nado o alteres do balalhao n. 39 da guarda nacio-
nal do referido municipio Jos Genuino Ferreira,
visto estar elle servindo o lugar de fiscal daquella
villa.
24 -
Offlcio ao general commandante das armas.
voluoia-
Sirva-se V. Exc. de mandar dar baixa ao
rio da patria que se acha alistado no 5 corpo, Apo- Portara. O presidente da provincia,
Ionio Ferreira da silva, visto que segundo consta conceder 6 das de licenca ao lente do seguudo
do offlcio de V. Exc. desla data sob n. 2,233, foi batal iao da guarda nacional destinado ao servigo
considerado incapaz do servigo militar. da guerra, Joaquim Cavalcamti de albuquerque.
Dito ao mesmo.Srvase V. Exc. de informar- Communicou-se ao genera
sepultura no cemiierw daquella aldea ; mas a so-
Dito a cmara municipal do Recite.Approvo a berana da lira-Rretanha determioou qoe essa ulli- ja nao lem importancia
do Reri-: ma vmtade nao osse cumprida, pois que a nagao
do convenio de 15 de setembro lem lo pntica tor-
ga e lana ineapacidade como o bario Ricasoli,
Mmgtieiti e Feruzzi, para formarem um minis-
terio.
Haver na cmara um centenar de depntados
novos, e este numero a incogoi'a da siiuago ;
porm, como ua maior se Iriu.upliaram Ua por
merc de influencias loflaat, pansa M que nao tno-
dificaro senslvelmente a pbysionomia dos par-
tidos.
1335 de 18 de fevereiro de 1854, e em grao de ap-! numeroso concurso vido de presenciar o cortejo ; Se o centro esquerdo, islo o partido piemonlez
pellago lem de julgar o alteres Manoel Romao fuoerarjo do Ilustre cadver, que durante urna i nao conseguir formar ministerio e este nao poder
Correia de Araujo Jnior, e remelto-lhe o respec longa vida soubera realgar tanto o noJie britnico. resiourar as (mangas, ser preciso antes de seis
tivo processo e mais papis Inclusos, aflu de que Graole numero de casas apreseutavam signaes de mezes dissolver a cmara dos depuiados. Os ho-
comparega oeste palacio pelas 10 horas do da 6 de lulo, e o embante dos espectadores manifestava mens das antigs adiiiinistragoVs assim o pensam;
dezembro vlndouro. -Communicou-se ao comman-, um recolhimento trisie que indicava a dor que os mas os de opiniiu iudepeute crcein o conlra-
dante superior do Uecife. possuia. rio.
da provincia, resolve | 0 prestito fui acompanhado por um forga de vo- \ Das noticias recebidas de NewYo.k, a respeilo, M ^^ ^
luntanus irlandezes, de que lord Palmersion era do_s fenians, se deprehende que esta> assnciagan po- aispn,t0, a roadjuvar lorl ohn lto*-eil; qv-aa
melhores amigos de Mr. Gladslone aao ten. es-
parado de seus amigos amigos por seu vol a favor' Coniiniia o rilado j..rnal duendo q.v o romee
Russell e um hornero velho, was qr aao eu tao
velho que nao pi**a approveiur da espiritara
que adquirir duranie os o I timos quiace anaaa:
que os rnesmos erres que lem conimeinl.. aa *a-
r.i-i improductivos; que a *uhsituicao .1- svaa
ministro querido da nigo por um pniaer saMks>
tro mais joven, nuis viuoroso, trazia romsifo a
necessida le de ama completa reforma du mim ri', e urna mudanca de admim-traga.
Os muros candidatos a | erara lord Grandvitle, loro C'areaaaai, a aV. GMs-
tooe ; diz o Morning-Pott qoe a elevarn a> aaa
dos dous pnmeiros candidatos ao cargo da anmet-
ro ministro nao llvrai i a admim-iracao pr i.l; 1
por qualquer delles do- perlg > ameagam i
gabinete presidido p->r Prd RumHI. ma- ojiv na-
iitium delle teria conseguido as-eftarar-e da rno-
perago dos principies membrns do actual fver-
commandante das ar-
me acerca do que pedem nos inclusos requenmen- J mas.
tos Eusebio Manoel do Espirito Santo, Jos Marques, uu _0 prefiden,e da provincia, resolve que fl
Alves de Almeida, Joauuira Jos de saot Anua e sem pffeJl0 a portini d< t6 d8 OQtbro proxi-
Manoel Francisco dos Santos^ mo fin(,0 na parte que suspendeu do exercicio do
Dito ao mesmo.-QueirVV. Exc. mandar inspee- e mandou subniPtter a conselho de disciplina
ciouar os soldados Isidoro Joaquim de Sant Anna e Q a j(o Antonio de sv pa Antonio Francisco das Chagas, de que tralam es gervj da guPrrai vj5t0 coni,ar de offlcio do mes-
inclusos requenmenlos mo de 16 (1 mei arirlia referido, ler elle aquarie-
Uito ao mesmo. -Queira V. Exc. informar acer-' |3(j0 clesde 25 de setembro ultimo, aim de seguir
ca do que pede no incluso requerimeulo lgnacia f para es(a capital, onde acab i de chegar; e manda
Maria da Conceigao. \ que neste sentido se fagam as necessarias commu-
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de informar Djcagoes. Fez-se o necessario expedieute a este
sobre o que pondera o iuspector da thesouraria de I respeilo.
fazenda no incluso offlcio. Dita. O presidente da provtocia,
coronel, alm de um graude numero de carruagens mica vai inquietar mais a Inglaterra do que a prin-
perlencentes nobreza e. ao fuoccionalismo da cipio se suppoz, quando foram adoptadas na Irlan-
Gra-BretauOa. Chegado a Weslmnlsler, foi o ca- da as providencias necessarias para a represso
daver do illustre estadista depositado em urna rica daquelle movlmento.
ega na capella capitular dos cavalleiros da ordem i.;.,H associago acaba de organisar-se forlemen-
do Bah, unta o clero anglicano leu as oragoes fl- ie uaquella cidade, lendo em vista aggredir as eo*
naes na presenga do principe de Galles, do duque lonias inglezas prximas dos Estados-Unidos. Se
de Cambridge, do principe Eduando de Saxe-Wei | os fenians conseguirem invadir o Canad, o fenia-
nar, do miuislerio e de nanitas oulras pessoas de oismo assumira' proporgo-s gravissimas para a In
distincgo que liaviam concorrido all para_ honra- glaterra. Seja como f'r, aqu tem ciusado grande
rem a derradeira morada do illu.-tre cidado, que a : lospressio a noticia do que se pa-sa em Nova-Tojk
naoid chora.
Nesse mesmo dia sua magestade a rainha dirigi
a Lady Paln.erston urna carta, em que Ihe manifes-
tou a sua real sympathia pela morie daquelle esta-
dista, recoobeceoJo os valio.-os e relevantes servi-
em vista do ?05 (|U,; esle presira a sua patria.
A rcc.oostituigao ministerial nao parece aehar-si
JQ
e o governo nao deixara' de corresponder a es
impressao por meio de medidas enrgicas.
Na Iriauda nada tem occoirido de novo acerca
do fenianismo.
A dlreceao do Irish Peope promoveu entretanto
um processo c mira o governo com o lundainenlo
de que II Strong-', magistrado da capual, lizera
Jos Jardes de Souza Araujo.
Manuel Cassiano da Silva.
Dionisio Francisco das Chagas.
2 batalhio destacado.
Nicacio Diniz oo Nascimeoto.
copia do aviso da reparligao da guerra de 24 de Jo Francisco do Carmo.
outiinro ultimo determinando que o crdito d'a
quelle ministerio seja indemnisado nao *6 da im
porianeia dos objeclos tornenlos pelu arsenal de
guerra constantes da ola aqui juma por copia,
mis tamhem de quaesquer nutro* fnrneeimentos
feitos a repartiges nao psrlncente ao referido
ministerio no exercicio aberto de 1864 a 186-5.
Dito ao inspector da thesouraria provincial. -
Restituo a V. S. a conta que vei i annexa ao seu
offlcio de 21 do corrente sob n. 46S, da de*pexa
f.|ia, na importancia de 20i,*i00 rom o snslento
dos presos pobres da cadeia do termo de Flores a
contar de 29 de Janeiro a 10 de junho tud i desle
anuo, afim de que de conformidade com o pare-
cer da conladoria dessa tbe*ourarla a que se refe-
re o sen citado offlcio, mande proce*sar para ser
paga quando a assembla legislativa provincial
marcar a necessaria quota, por pertencer ao exer-
cicio j encerrado de 1H64 a 1865, somente a quan-
tia de 104^800, visto ler deduzir-se da menciona-
da conta a de 995100 correspondente aos presos
Rufino Leite da Silva, Raymundo Ribeiro da Sil
va, Venceslao da Costa Moreira, Nicolao dos San
to* Laurentino e Joao Partir dos Santo* que nao
vieram contemplados na relagao ministrada pelo
delegado d'aquelle termo.
Dito ao mesm .Providencie V S. para que es-
tando em termos os prels juntos em duolicata se-
jatn pago* os vencimentos a contar de 16 de oulu-
bro al 15 do correte, do destacamento de guar
das nacionaes exl*tenle no termo de Ipojuca, visto
assim o haver solicitado o commandante superior
da comarca do Cabo em offlcio de 21 deste mez
sob n. 166.
Dito ao director do arsenal de guerra.Em
cumprimenlo do aviso do ministerio da guerra de
Dito ao mesmo.Pode V. Exc. mandaar elimt
nar do 2* balalhao destacado os guardas nacionaes
con-tantes da relagao Inclusa, os quaes foram con-
sideradOS incapazes do servigo em inspecgo de
saude, segundo se v dos olflcios de V. Exc. de 23
do corrente sob ns. 2,215 e 2,216.
Relagao a que se refere o offlcio desla data.
Jos Francisco da Silva.
Manoel Mauricio da Patxo.
Jos Harcello de Barros.
Joo Baptisia Leite.
Manoel Joaquim Nones.
Joa i Antonio da Silva.
Francisco Jos de Araujo.
Manoel Baplisla do Nascunento.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Estando em termos os prels juulos em duplcala
que vieram annexos ao ifflcio do commandante su-
perior deste municipio, datado de houlem, e sob n.
447, mande V. S. pagar os vencimentos relativos a
primeira qumzeua desle mez das pragas do Io ba-1
talliao de artilharia da guarda nacional desla ca-
pital destacadas ua fortaleza do Brum.
Ditoao mesmo.D V. S. as necessarias provi-
dencias para que nos devido* lempos seja paga, co-1
mo pede uo incluso requerimenlo o lente quar-
tel-mesire do 3o corpo de voluntarios desla provin-
cia, Joo Antonio da Silva Peana, a consigoago
mensal que de seu sold pretende elle deixar a seu
procurador nesla capital.
Dito ao me.-mo.Declaioa V.S., em addilamen-
lo ao meo offlcio de 25 de oulubro ultimo, que o
capito do corpo de guarnigao do Amazonas Ma-
noel Joaquim da Costa, oo esteve recolhido a en-
fermara militar, conforme se declarou no cilado
.O presidente da pr
ceder a demisso que pedio o alteres em commis-
so do 3 corpo de voluntarios da patria, Pedro da
Cunha Beltro de Araujo Pereira.
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernambu-
eana, mande por a disposigo do Dr. Jo c Joaqu m
Ribeiro Campos, duas passagens de estado, sendo
urna a r e outra de proa no ptimeiro vapor que
seguir para a provincia de Sergipe.
de Somerset que se demiitio de pnmeiro lord do commandante do onegal fot a do: do do Shenan-
almirantado. doah, declarou-lhe o coininandaiite desle que se nao
A i-nprensa ingleza continu a discutir as pro- houve*se terminado a guerra do* Estado*-Unidis
habilidades de durago do novo gabinete, pela for- lera e||B lngado a pique 37 navios federaos,
ma por que se acha agora constituida Em peral pur noliaias da Jamaica consta nesla capital que
attribue-se-lhe duas causas de 'raqueta ; urna re- os negro* pegaram em armas e alacaram os bran-
sulta do tacto de que a* principis pastas eslila C)1!) pr()Ue receberam
EXTERIOR.
t oatHi:sro\okm a vs ict MA
lilO 1E PERX.IJIBLJO '
LOMIKKS.
8 de dezembro de 18fio
cargo de ministros memhros da cmara dos lords,
o que d a esla assembla urna influencia prepon-
derante que perlence de direilo Je por iradigo a
cmara dos commuus.
E' verdade que perteneem a eslas os Srs. Glads
tone, Mihser-Gibson. Grey, Woo I, Fortescue e o
marqnez de Hariington ; porm un* sao w.ngs pu-
ros, com os quaes o Cerner nao est em perfeito
accorJo, e outros uo sao anda se nao persona -i j0vernador
gen* secundarios. O proprio Vender ou chefe do dem_
partido ministerial, mais familiarisa lo com as ques- (
loes econmicas do que com a* da poltica _geral,'
.! e mais especialmente da poltica exterior, nao po
Pelo vapor Onetda entrado em Southampton a 3 | dera eXercer em prVeito d i gabiuete a mesma in-
24 de oulubro ultimo, de que remello copia, deve offlcio em visla de coinmunicago que por engao
.>.... j;....:.^ ..... ........ \ ....ti...... i. I ni., n4c nr-nis i'
V. S. remellar directamente a 4' directora gera
d'aquella secretara do estado, como dispoe a cir-
cular de 5 de julho de 1861, a conta dos objecto*
fornecidos a repartrges pertencentes a outros mi-
nisterio* no mez de dezembro do anno pastado,
assim como a dos mencionados na Inclusa nota, e
em geral as de quaesquer outros fornecimentos
taita* no exercicio aberio de 1864 a 1865.
O que declaro a V. S. para seu conhecimento e
dirigime o general commandante das armas e
que acaba de ser sanada pelo seu offlcio sob n.
2.140, junto por copia, que vai cobrindo o incluso
requerimenlo do mesan capito.
Dito ao mesmo.-Altendendo ao que expoz no
incluso requerimenlo Jeronymo Cesar de Vascon-
celos, recomm'endo a V. S. que se nao houver in-
conveniente, mande pagar-lbe os vencimentos que
deixou de perceber, a contar do 1 a 9 do corrente
mez como lente da 5* companhia do balalhao de
Dito ao presidente da Associago Commercal guardas nacionae* que com destino a guerra mar-
Beneficente.-Trao*milto por copia a V. S. para chou desla provincia para a corte, onde obleve o
conhecimento dessa Associago o aviso de 28 de suplicante escusa do servigo.
oulubro ultimo, em qoe o Kxm. Sr. ministro da Oilo ao mesmo.-Respondendo ao seu offlcio de
fazenda declara haver S M. o Imperador por sua 23 do corrente sob n 806, tenho a dizer que ao
im.nediata resolugo de 20 d'aquelle mez manda- cadete sargento almoxarife do forte do Buraco
do indeferir .. requerimenlo em que a mesma As Francisco Larneiro da Silva, mande V. 8. ad.anlar
sociago peda que as notas do Banco do Brasil o saldo e etapa que Ihe competirem correspooden-
emitt.das pela respectiva caixa central se|am rece- tes uoao Beld novembro crrente, cpmodeca-
bidas em todas as estages publicas desla provn- rei em meu offlcio de hontem, e sim ao de dezem-
-j. bro oroximo vindouro.
Dito a cmara municipal do Recife.-Respon- Dito ao inspector da thesoanria Prov?c,Qa.-
dendo ao offlcio que me dirigi a cmara munici- Mande V. 3. pdr em hasla pul.,lica^a obra de 9 800
pal do Recite em 15 do correte, sobo. 74, leuho metros quadrados de reboco ^u s^ "!mr S^
a dizer Ihe que as eseavagoes a que ello se refere no interior do Gymnasio Provincial, servindo de
lizeram por ser preciso a consiruegao do transpor- base a essa arrematagio o orgamento e clausulas
te de guerra, determinado pelo governo imperial, juntas por copia e a qae.se refere o offlcio do che-
e sendo as mesmas escavagSes provisorias tero de fe da reparligao das obras publicas, datado je.
ser ioulilisadas logo qoo se copciu o referido iraos- hontem,
do correte, recebemos a agradavd noticia da to
mada de Uruguayaua pelas tropas alliadas, o qae
causou aqu favoravel impressao a bem dos nossos
fundos colados uo Stock-Exi hange.
Hoje repula-se nesla praga que a nossa lula e.-t
simplificada, esperndose que o Brasil continu
em suas ja successivas victorias.
As folhas desla capital tem proclamado a manei-
ra generosa e at caridosa cora que Sua Magestade
o Imperador Molnau os prisioneires daquella pra-
ga ; sendo certo que o nome do Brasil tem aqui si-
do elevado pela euergia, valor e humaudade, com
que temos sustentado urna guerra cujas proporgoes
fluencia que lord Palmersloo.
Finalmente o que anda torna a sus posigo mais
dfflcil o achar-se em presenga de urna cmara
joven, indisciplinada ; sendo que os anlgos ele
raemos que puderiain coidjuva lo para ah consoli-
dar a auloridade do governo nao Ihe sao tao dedi-
cados como o era a amiga maoria a lord Palmers-
loo.
Parece que no ultimo conselho de minislros lord
Russell declarou aos seus collegas que a rainha ap-
provara completamente a combinago ministerial
que acaba de ler lugar.
Em Pars a opinio geral que esta combinago
limado ve lo elevar lo prematuramente a om ta-
lo que de futuro vira a necupar legtimamente, o
que duvida multo que Mr. Glad*tae qoue- ar-
riscar as snas futuras probabilidades > rortn. oe-
ctipando o logar qoe baria vagado pela arte de
lord Palmersloo.
A imprensa ingleza receben bem a aomea^o da
lord Russell, e todos se acham aa expectativa da
futura poltica do amigo ministro dos e^traatatna
da Inglaterra.
O parlamento francez abrir *e-na a 15 1*
Janeiro.
A Inglaterra, a Rossia, a Italia, a H-aaaba. a
Turqua, a Austria, a P:u*sii, a II aVata, a Bl-
gica, Roma, e a Dinamarca, ja adherirn a refe-
rencia sanitaria que Frang propot qoe *
reunissc em Con-lanlinopla.
Na Frang o co.iieri di era c aaal el l-il-i-
cia, e na II *paoha tamoem te diminu lo coo*i-
deravelmenle.
O imperador Napol-i. part para a Bcetaniu,
para visitar a pnnceza Baeci>--h.
A situacio piditica da Italia pireai 1-vr
mudar completamente ro-n a sanida d %r. BbmA
do miuislerio de Roma, e com a* eleiee* da
Italia.
Cora a sahida de Mr Mer.de rabio apolHira da
resistencia, e cora as eleico iriuropb.o a poltica
de coociliago que a Frang a a Italia inaugura-
ra m rom o couvenio de M de seiemaro de
1861.
Parece que brevemente rim-raro de a-.. as
urna negativa da auloridade ; nP?0Cja,.5es enlre os garn^,p, de R na e de Fto-
maior auxilio do que ella renca_
A nomeago do gener.,1 Kaniri-r para miaira
da guerra em substitu ; i de Mr. Merixte agradot
mullo na Italia.
Mr. Kanlzler veo como general d-- bngtia *ob
as ordens de l^monirire desale '96 lea
sido inspector de infamara, no etercit anniiA-
cio; pelos seus antecedentes nao se p-le fazer
urna idea exacta do qoe vira a ser como ministro.
mas parece que foi escolhid pe > card-al Ant-.aelli.
pela sua aplido administrativa.
A poltica do cordeal Ani- neili parere querer
tornarse mais c.mciha'Wa; parece que a sacro
collegio predomina urna grande maoria da rar-
deaes italianos e esirangeiros, qoe vem clrame*
te a ndole da nova epora qae aciualesaate aa
inaugura, e que o santo padre, que sempre foi
conhecido pelas suas Ideas liberaes, se libertar da
pressio que ha anno* supp->rtala pelo g vemo
poHtiflcio e oo i>ora estorvos a nenhom 4>t* aeoo-
lecimenlos.
qundo pedirara a esta maior auxilio do qu
poda dar-lhes.
O governo britannico tomou ja' providencias
enrgica* para restabeleeer a ordem de modo que
nao se recea aqu ronsequencias grave desle in-
cidente.
Varios navios de guerra seguiram para aquelle
ponto, com nslrucgoes positivas para apoiarem o
a bem do restabelecimenlo da or-
so avultadas : as mesmas folhas annunciam que ser de {,ur[a duraco- por |SS0 as relagSes entre
Sua Magestade regressaria brevemente a capital,; 0<_ dons gab,Qeles sao agora por assim dlzer um
detxaudoo coinaando doexercito a seu genro S.. pouco reservadas, nao querendo a Franga compro-
A. real ocooied'Eu. metler-se com um poder cuja poltica aluda ou
Urna correspondencia do Rio commumea para fl ser incer,a
aqu que Mr. Thornton partir para o Rio Grande. A In(.|attrra a |UH, a Hespanha. a RussU, Tur-
aflu de apresentar se ao imperador : eus queira Ausiria, Prussia, Hollanda, Blgica. Roma,
que em breve Sua Magestade Imperial mande pa- Por,u .,, e Dinamarca, adheriram ja a proposla de
ra Londres a sua legagao.por que o publico Inglez umJ c,nrerencla sanitaria era Conslanlinopla. Esle
esta ja caneado de esperar pelo restabelecimeulo ece S(Jr re8Ul|tdo do aeSpacho em que Mr.
das relagSes polticas enlre os dous paltos. Druu,u de L'huys, ministro e secretario de estado
Nesle mercado os uos-os principaes gneros 0-
cam pelos seguinles pregos: algodo do Pernam-
buco e do Maranhao de 23 d. ti a 24 d. por libra,
e dito da Baha a 22 d. ;, ; v se perianto que os
pregos se couservam com pequea declioago em
relagao a colgao da ultima quiozena.
Cacao do Brasil Me 37 a 60 s. por cewl.
Pao Brasil a 70 s. por tonelada. Deus queira que os trabalhos dessa conferencia ,.,_,--.
Assucar branco de Pernambac.o e diParahyba venham a langar urna luz proveitosa sobre as cau-!
de 18 s. 6 d. a 23 s. por cewt; dito mascavado a
18 s. por cewiou 112 arralis inglezes. menie a humanidade sem que
dos negocios estrangelros da Franga, eonvidou as
potencias occideniaes a estudarera as causas que
lem determinado ou parecem determinar o terrivel
flaiiello do cholera-morbus, e sobre as quaes Mr.
Behic apresentuu ha pouco um importante rela-
torio.
Do Mxico sabe se que Jurez abandonen o ler-
rtorio Mexicano sem amigos, sem recursos e sera
esperangas. A paciricacao completa parece pois
ser um faci, que alias coincide com os pandes
raelhoramenlos que vo realisar-se no imperio. O
imperador deu ordem para se erigrem lies monu-
mentos : um independencia, outro ao imperador
Iturbide cujos netos acaba de declarar principes
da familia imperial, e o terceiro a Morelos. Alm
dislo, fundou urna escola polytechnica, um qnar-
tel de invlidos e promulgou o tratado teilo em Pa-
rs, oo da 4 de Janeiro ultimo, para o eslabeleci-
ment do Banco do Mxico. Durante O mez de
oulubro o imperador devia visitar as cidades de
Puebla, Orizaba, Veracruz, Tampico e Monierey.
O governo do Mxico declarara offlcialmente que
nao recebera nos portes d'aquelle imperio os na-
vios que nao eslejam munidos dos documentos le-
gaes, assmnados pelos consales que o imperador
tem accreditado perante os goveroos das differen-
les nacoes.
Toda a i ni prensa dos Estados-Unidos lece os
maiores elogios ao presidente Johnson pelos actos
poi elle praiicados ltimamente. Ha pouco couce-
deu a liberdade aos Srs. Iiephens, Campbell e ou-
tros; e agora suspendeu uo Keniuchy a le mili
lar, resiabelec.endo a le civil.
As folhas demcratas acolheram sem reserva es-
ta delerminagao, que um verdadeiro acto de re-
oarago para com o Keniuchy, estado que nunca
se separou da Uuio, e que nem por isso deixou
de soffrer lodos os horrores da lei marcial. Ksta
excedente providencia deve ser completada pelo
restatielecimeulo do i Habeas-corpus om lodo o
norte e depois no sul. O governo j nao tem a
o paiz, e depende delle,
da lei civil.
sardeumma,''qe'a'l"hoje tem perseguido cruel- i rollando a dopgo pu-a esimples
humanidade sem que haja sido possivel I consolidar a sua forga e colloca-la aoabngod
Caf do Rio de 1* qualidade de 70 a 83 s. por
cewt.
Couros seceos do Rio 8 d. H por libra ; ditos
salgados do Rio-Grande de 5 d. a 5d. Vi Por libra.
Os consolidados inglezes fleam a 89 1|2. Renda
descobrir um remedio para combater lo terrivel
enlermidade.
Em Soupihamton nao tornou a apparecer caso
algum do cholera, e em Swansea desappa/eceu
completamente a febre amareila que havla sido
fraoceza 3 Oir> a 67 francos 85 c. Brasiletros aoti : all importada por um navio proveniente de Cuba:
gos de 5 Oto 97. Ditos 4 1|2 Oo 69 a 72 ; e o novo mas em Pars e em Madrid aquelle terrivel flagello
emprestimoseachaa premio de JE 2 7|8a3: as cha-i continua a fazer estragos, se bem que a epidemia
madas deste vo-se realisando regularoente, e os; se ache actualmente no seu periodo de declina-
Srs. Rolhschild lem j remettido algum-s sommas i gao
qualquer suspeila.
Urna esqaadra eocouragada dos Estados-Unido-
ia partir d'ali p ra fazer im>a viaitem de ioslrucgo
pelos priocipaes porios da Europa.
Mr. Seward proclamara um discurso, era que
declarou prever o restabeleciraento do systema re
publicano em toda a America : Islo flzera sensa-
go em relagao ao Mxico. O ooro fleava a 145, e
o cambio a 158.
para o nosso thesouro. Fundos poTluguezes de 3
Oo fleam a 45 l|2 e 46 ex dividendo. Hespanhes
As eleicSes para a nova cmara dos depulados
italiana terminaran!, e pois nao deixam de mere
3'dio a 47 l|l Mexicanos 3 0|o 25 lil "Gregos cer attenco as seguinles conslderagoes expostas
5 Qio lile 23. Hllanos 50|o a 63; e turcos 4 Ojo n'uma carta datada as vesperas do apuramento
garantidos a 100 e 101. I do escrotinio e que se v ser escripU por rjessoa
Na ultima quinzena houve o seguiqta qjqviraen- bem intruid,^ j|e toda as circumsta.qQa.
O cor-
DIARIO DE PEBN1MBC0.
Pelo vapor inglez Douro, recebemos cartas e
joroaes da Europa com datas; de Hamburgo 5,
Urna correspondencia de Vienna dix qoe n rar-
deal Anlonelli dirigir urna correspoa-learta aa
raioistro italiano Mr. Vi^ezzi. declarando i|neo
alaque contra o goveroo italiano eootid no formal
de Homa, linha sido inspirado directamente por
Mr. Merode, a que o papa depl >rava esta invecti-
va ; e que em visla desla declaracao el-rei Vctor
Emraaouel dirigir urna carta ao summo poonnee.
com o lim de renovar as negoeiagoe- inierronv
pidas.
Afflrma-se tamhem que Fraacisco II da apases.
mandara perguolar na governo au>triaco. se n
conveniente procurar um a*ylo na Au-tr a.
centando que era obrigado a mudar de rem
por motivo das aclnaes rireum*taneias.
Ja chegaram a Civiia-Vecehia duas fragau*. fran-
cezas a Salvador e Goavz e vo parlir r Toolua
as fragatas Mojador e Eldoraio, para i.jegaram
a transportar as tropas trncelas da oceu^agu da
Roma; deve embarcar agora a pr metra arma-
da ; retirando-se a segunda tingado, aa proxjma,
primavera; e pouco depois o roU aaa trapa*
francezas.
Os jornaes italianos mo*tram se mnlio cual
com os resultados das ateigoes pean
que o movimento progressisla aa no*a -
ser mais acecnluado jue aa uiuu*a, airm <|8M a
moderago perca o seu imperio.
As cmara- belgas >vura reuau-sa a II da
novembro; parece qae nao naver nana rae* de)
abertura em eoosequencia do estado da ra Leo-
poldo.
A questo da annexacao dos datados i
a preoccopar a Allemaoha.
A i ni prensa prussiaoa sustenU a i
todas as suas torcas; o duque de Ai _
que tem sido uonosiaculo a propaganda prawaaa
aoaba de ser Injimado enaroenle peto Oazdsai
Cmx, que Ibe diz qoe elle oo lem dlreia emmsa
conservar nocn/ados, qoe apaas aHi nwnnfora-
do, e que a om* base para os to**0 **""
daquelle p*U coosiste nos direilos de peeae, m ai
i


rilarlo de reraamlmc* rerca fe Va,2S de lYorcnibro de S*.
o tratado de Vieooa investa a Austria e a
Profeta.
Os gabinetes de Munich*, Dtesde, e de Darnsladt,
dispoem se a appresentar dieta germnica urna
no carpo ie voluntarios aostrians em consequen-
ca dH faliecimenlos, aprisinamenos, etc., polo-
riam faz?r se novos aiisUmeulos ua Austria, com
a clausura porm, de que o numero de homens alis-
proposia convidando a Austria e a Prussia a convo-1 lados nao passanam de 2.000 ; a conservado, ar
careo ornis breve possivel, por meio de eleigoes
livre?, a representago do Holstein para que esta
concurra para a suluco deniliva da questo dos
ducados do Elba, ainda pendente, e em segundo
mmenlo e todas as mais despezas relativas a este
corpo, ficaro a cargo do Mxico, Como nos ante-
riores alislarneotos.
Uepois dos francezes lerera entrado em Chihua-
lugar, para que a dieta trate de fazer com que o hua, Jurez licenciou as suas tropas; em seguida
Schleswig faja parte da coofederago. i passou a fronleira no Peco, dingindo se at Santa
Uiz-se que os gabinetes de Vienna e de Berlin j r. Esta noticia causou bstanle sensacao aos
eslao de accordo para repellir esta proposla. juaristas. Sonora esta inteiramenie submellida.
A dieta germnica ainda nao resolveu sobre esta Urna proclamado do imperador Maximiliano de-
proposta, clarou que ceasava a repblica mexicana por von-
Diz so que a Austria trata de vender a Prussia lade nacional, em consequencia de ter expirado o
os direitos que conserva sobre o Holsteio. aceres- prazo da presidencia de Jurez,
centando se que a casa de Rotschild de Francfort Annuociam de Melbouroe tr-se a guerra na
ja e't eocarregada de verificar o pagamento da Australia e tendido costa oriental da Nova Ze-
somma ajustada. landia. Urna das posicSes dos indgenas foi oec.u-
A cmara de Francfort enviou aos gabinetes de pada por urna expedigo mandada para operar
Berln e de Vienna resposta as notas que estes contra ellos. Proclamo.u se aili o estado de sino.
gabinetes Ihe tinharn dirigido prohibindo reu-
nios de liberaes.
A resposta era idntica s das nagoes, e o gabi-
nete austraco vio refutareir-lhe expressoes que
nao empregara
O gabinete de Vienna tomou o caso a peilo e
No parlamento austraco foi regeilada urna mo
cSo.que linba por llm separar a Nova Zjlaodia da
colonias da Australia.
A' proporgoquo se aproxima em Hespa-
nha a poca das eleigoes augmenta a actividade dos
partidos. No da 6 leve lugar a reunio democra
encarregou o seu agente em Francfort de declarar tica para se noraear a commisso que deve traba-
ao burgo-meslre. em exercicio que o governo aus- Ihar em Madrid.
tnaco nao poda aceilar a nota da cmara de 21, A reunio celebrou-se no theatro do circo, e foi
como resposta ao despacho austraco de 8, visto eleila a commisso por numerosa concurrencia,
que esta nota atlribue ao governo imperial pensa- No dia 5 reunio-seem Barcelona o partido d-
menlos e mesmo exeress5es que de modo algum "mocrala, mas parece que estando este partido all
sao do d nde. M-usdorff. dividido em socialistas e individualistas, logo no
O burgo mesire tomou nota desta communcagao comego da discussu foi o campo abandonado pelos
prometiendo appresenta-la a cmara. individualistas, sendo a commisso eleila pelos so-
Esta occupnu .-o desle negocio mas ainda se nao embotas.
sabe a sua esolugo. No dia 7 reuni so o partido progressista em
Assegnra-se que pela sua parte o gabinete de Valledund, sendo a concurrencia numerosissima ;
Berlin, lamben) replicara directamente ao senado, tendo o presidente declarado que o ohj-cto da reu-
cou>iderando o seu procedimento como um acto de nio era consultar o partido se itevia continuar na
cumplicidade a respeilo das tendencias que derarn absteugo poltica, ou s llie convinlia tomar par-
lugar ao procediiuento das duas grandes poten- te na prxima lula eleiloral, decidio-se pela con-
cias, linuaco da absteoeo.
iSo deixa do se ligar um grandu a'cance a A uuio liberal depois de algumas canferencias
ameaga da Prussia i|uando piornttle recorrer ainda uo conseguio constituir a commisso central
medidas ma's eflkazes. directora, sera' em breve organisada para entrar
Parece poretn, que as duas potencias se proto<*m em exercicio.
recorrer a dieta para oblerein modiicagdjs as, O partido moderado constituio a sua commisso
leis federaes que regem a liberdade da iin- em casa do duque de Valencia, que foi proclamado
prensa. presidente. Foi eleila a commisso eleitoral.
O direilo de associagao propoudo ao mesmo lempo O gobern lein mostrado a maior imparciali-
a reforma da ConsUtUicSo federal. dade neste movimenl o, e lem manlido a completa
No da 2i Jo o rubro venllciu se a abertura liberdade ne.-las reur.ies.
da diela sueca. U discurso do re Carlos XV, dis-1 Diz se que o governo tenciona anresenlar a's
tingue se pelas a.-pii ages que revela ein relaco corles uiri projeclo de le sobre reunioes publicas,
ao progresso social. O re falla da reforma de re A tmprensa ministerial, diz que o governo obser-
presentacao nacional, da reoiganisagao do exereito vando a constituigo e leis do paiz, e sem deixar
e da mariulia ; concede industria uina liberdade de ser tolerante, procurara' evitar que existam po-
quasi llllmflada, rcuuari>ado as leis restrictivas e deres lliegaes a" sombra do poder legitimo.
ao systema de proteceo; declara linaluieute que a
instrucgau publica tem sido e lia de sr o assomp-
to incestante da solicitude do governo.
Esta obra do futuro, diz o re da Suecia, ad
A rainha I). Isabel II esta' ligeramente indispos-
ta ; a corte ira' residir no Prado, ou vollara' para
Madrid.
As noticias a respeito do cholrano podem
quire todos os dias maior importancia e extenso. ser mais traoquillisadoras. No dia 7 s morren
numero dos alumnos das escolas superiores tem era Madrid nina pessoa victima desta enfermidade.
duplicado no decurso dos aunos aulenores tern-se Diz um jornal inglez que o medo do cholera allas-
inirodu/ido melnoramenlos lauto na legislago des- tava daquella capital rnaisde Irinta mil pessoas.
sas eseolas, como no melhodo adoptado no eusino. Em Portugal leve lugar, no da 6, a sesso
Ttnho uuido os meus esfoTgos aos vossos, com o real para o juramento de sua magestade el-rei D.
propo>iio de realisar a grande idea da instruego Fernando, como gerente do peino duraole a ausen-
publica. \ cia de seu tilno. Sua magestade pronunciou a se-
Tenciono espalh.r entre os povos uina educa guinte allocugo :
cao S'lida e iuielligente, estendendo d.sie modo os| Dignos pares e senhores deputidos da naco
beneficios da instruego as classes menos favore-'porlugueza. Tendo el rei, o Sr. D. Luiz, meu so-
cidas. bre todo; muuo amado e presado filho, sahido do
E-tas medidas annunoiadas pelo rei Carlos XV, reino, com autorisaco das cortes, alim de visitar
proiuzlram o inlhor elTeilo entre o.- povos, aug-, alguns soberanos da Europa e co:npeliadome a
atenuado as alTeieoes que dedicam ao seu nu- ( regencia duraute a ausencia de sua magesiade,
nareba. pre-tei, assumiodo-a, o juramento prescripto na lei
Noticias de Bryronth dizem que a luta entre fundamental do estado.
os melulis e os marointas, que, para fugirem ao Este juramento, que acabo de reiterar peran-
cbolera, se nulia refugiado as ruoulanhas do or- te a representado nacional, ser por miro fielmen-
te do di-tnct) de S. Joo d'Acre, eslava apazigua- te observado, como o tem sido, e conforme o devo
da. O consulado de Frauga interveio inmediata- a religio da promessa, ao re ausente, e a um povo
mente, aflm de evitar a elTuso de sangue, a Me- de quom me glorio de ter recebido eon*t.ntes pro-
bernet-Rocbdi-Pacha', governador geral da Syria, vas de affecto e de conlianga. Procurarei provr,
coiupareivndi no lugar da lula, f la a paz, nao quanlo em mim couber, a bom rgimen do esiaio
tendo at as ultimas datas recomecado. Os maro- na curta ausencia do seu chele. A constitoicio
Ditas uveram quatro borneos morios e nove feri- da monarchia, ser por mim lielment" respeitada e
dos. e os metuali excediaui muito e-les nmeros, mantida ;eo bem estar e prosueridade dVste paiz,
Dli-se de Tuues que o governo decielara a que me ligam os mais estreilos vnculos, serao
una amnista geral para os iunviduos compro- sempre o objecto dos meus incestantes disvelos.
metlidos no uuvimento do anno passado, e que o < Terminada que seja, pelo feliz regresso de
Khasmadar propozera ao bey outras medidas de sm magestade, a grave missao, que as leis me con-
clemencia o progresso. Barant, euiregarei u reino a meu augusto filho ; e,
Rebentou iiovamente urna insurreicao em ajudado das luzes e. do patriotismo dos represen-
Argel, que os joruaes francezes preleudem fazer tes da naco, espero cm a prolecgo divina, enlre-
eonsiderar como insignificante. gar ih'ii tranquillo a prospero.
luz !-o que Si-Lula, Si-rJarneJ-ben llamza, e Sidi- Depois de lida a allocugo, o presidente disse:
Muli.imni I louley Kerzaz, a frente de Cincuenta caheudo-liie a honra de n'esie inomenlo ser o orgo
mil horneas ocuipai am toda a falda das inoutaulias dos representantes da nagao, assegurava a sua rua-
do Tril, de Sebdon, em Frend.i ; acre>cenla-se. que ge^uiie que lodos ouviram com re-p:ito-a aUeacao
bou ve sangue derramado em Sebdon, cin El G>r, as promessas de su i magestade por occasiSo de rei-
nas origens de Isser, as de Mekerra, em Dobaya, terar os seus juramentos, e confiava como orgo
e em Hacberou, priuieiimenle entre as tribus ti.-u dos reiTesentantes da nagao, que anda mais esta
a' bauleira francezae os baudos iusurgentes, e de j vez a regencia de sua magestade ha de ser dictada
pii= entre a tropas francezas, e a vanguarda da pelS justiga, prudeucia e sabeJoria proprias de to
columna dos insurgentes. Aflirma se que a pro \ iliust o oioriarcha.
d preferencia a oulro qurlquer, o drama do S.--
Dr. Pnheiro GuimaresA Mirria- de umamog
rica ; do qual a Sra. D. Adelaida faz o papel de
Amelia com a comprehens) cib.nl das diflerentes
pbases, que Ihe imprimi o respectivo autor.
Deve ser e>ta urna reeila assas ermeornda, pois
as svmpathias de que goza o Sr. Coimbra, as al-
tenedes que ao publico merece a sua emp.eza, ga-
raolem isto.
Fixeram acto, do dia 2i da noveiobro, os se-
nbores :
3* a o no.
Joaquirn Morera da Silva, plenamente.
Luiz Ayres de Almeida Frenas, dem.
Autonio Silveno Barbosa da Silva, i lem.
Antonio Vieira Cameiro da Kocba, dem.
Dia 25
5* anno.
Jo Alfredo de Oliveira, pleuamenie.
Jos Alves da Silva Pereira, dem.
Frederico Marinho de Araujo, dem.
Joaquirn Bibeiro de Souza Fres, dem.
Fizeram exane de geometra n> dia 21 :
Plenamente. 1
Simplesmente 5
Bepi ovados. 6
12
Fizeram exatne de latim no dia 21 :
Plenamente. i
Simplesmente 6
Beprovados. 4
12
Fizeram exame de latim no dia 22 :
Plenamente. 4
Simplesmente 6
Keprovado ... 1
Levantou se. 1
12
Fizeram exame de geometra no dia 22 :
Plenamente. 6
Simplesmente 4
Heprovado ... 2
12
O escrivo dos protestos de letras Alves de
Brito, esta da seman.
Casa de DETB.Ng.vo.
Movrnenlo da casa de detengo no dia 23 de no-
rembro de 1865":
Existiam 32!), eotraram 2, sahiram 3; existem
328, a saber: nacionaes 223, mulheres o ; estran-
geiros 27, mulheres a; escravos 63, escravas o :
tolal 328.
Alimentados a' custa cofres dos pblicos 162.
- Da 27
5 *. anno.
Joo Othon do Amaral Henriques, plenamente.
Francisco (Joncalves da Justa, dem.
Joaquirn Pereira da Silva Guimares, dem.
Jos Francisco de Barros Rege Juuior, dem.
Fizeram exame de lattim no da 24 :
1.a turma.
Plenamente. 0
Simplesmente 6
Reprovad ... 5
Levantou se. 1
12
2.a turma no mesmo dia.
Plenamente. 4
Simplesmente 1
Reprovado ... 1
vieta de Oran fura atacada uo dia 17, e que sO 5
das depois poderam as tribus afilados, ser auxi-
liadas pelas tropas francezas do (litoral.
AlDiiiia-se tarabea) que desembarcara na corle
de MarrocoS grande quautidade de armas e muni-
ges compradas em Gibraltar por conla dos rasar
gules, e que vieran) no navio Clara, capillo Ge-
naro que navegan com bandeira logieza. As ca
ravaoas receberam estas mancSes pira as trans-
portaren) ao Sallara ; a livre passagem destas ca
- Fallecer o general conde de Torres Novas,
ministro da guerra, com anuos de idade, no
dia il.
Suas magostados reaes achavam-se em Tu-
rra, no dia 24, sendo am recebiJos com grande
pompa e rego.sif).
Nosso correspondente diz-nos a ultima hora:
t Foi hontem (13) sagrado hispo, o hispo eleito
de Cabo-Verde Joo Alves Feij, pelo nuncio apos-
tlico de sua santidad.?. A solemnidad leve lu-
rav.iua- indica um perfeilo accordo i-nire os nsur- gar no vasto e apparaloso templo de S. D imingos.
gentes e as tribus cujo territorio as caravanas de- Assistirm o hispo eleito do Macao o resignatario
viam atravessar. de Angola
Dizi-rn de I'aris que o ebefe dos insurgentes Si- O cholera morbos est extinelo em Elvas. O
Lala appareeera a 13 de outubro pela parte dj sul estallo sanitario de Portugal pdese considerar re-
com 2,000 cavallos e 14,000 infantes, mas que ape- guiar e o proprio da estagao.
uas as tropas francezas se reunirn) e temaran) al- No domingo o de novemiii'o effectuaram-?e as
guiuas posl(es o inimigo baiera em retirada, fu- eleicoes muiucpaes, que se fizeram no meio da
giiuo em direcg) ao sul, sendo perseguido pelos mais profunda indiltereiiga ; a eleig.ao foi muto
geOrrae; Sacrelell; e Goniu, qno no dia 27 se apo- pouco coocorrd*), e al em muias assemblas se
deraram de muilos gados que estavam em poder uiio poude con muir a mesa por bita do numero.
dos kauans, que ltimamente se haviam suble-
vado.
O governo hespanhol recelando que a insnr-
reigo da Jamaica teulu raoiificacSes as Antilhas:
lioptinholas tomou providencias para que se vigi
o lilioral de Cuba e Porto Rico.
Os negros eommeltem grandes crueldades na
Jamaica. No Cariada' orgaoisaram-se quareota mil
liumuu.-. para guardar a> fronlairas.
O governador da Jamaica pedia ao da Nova Es-
co.>>ia refore>s martimos e militares para reprimir
a insurreicao manifestada na parte occidental da-
queiu liba. U almirante llooe parti logo com al-
gn? navios para all, e parece que a insurreigao
tem um carcter bastante grave.
Dizem de .Nova-York a 26, que se cele-brou
&KVISTA MU\L
O Sr. capito do 3 corpo de voluntarios da pa-
tria, de quein fizemos honrosa mengao pelos hons
servigos, que prestou no incendio da ra da Lapa,
chamase Joo Bapti>ta Piuheiro ("orle Real. Roi-
gamos registrar aqu o noine desse joven oflicial,
o pruneiro acadmico que deu exemplo de abue-
gago patiiolica cjid alistarse entre os defensores
. do imperio.
O Sr. coronel Francisco Joaquirn Pereira
um cougresso dos fenuoos, em que se organ.sou o Lobo receben da associagao Segredo e Amor da
fcinanismo sob a forma de repblica americana.; Ordem, de .|Ue socio honorario, o presente de
com o Beu presidente, conselho de ministros, sena-, uma agenda de ouro de lavor custoso, que Ihe foi
do p ciirigresso. A sede do governo sera em Nova-: eulregue pur uma importante commisso de sete
York. O coronel Jolin Mahouey oi eleito presiden- j associado?, proferindo o relator un breve e aoalo-
te. O presidente declarou que numerosos corsarios g0 discurso em que exprimi os sinceros votos da
estaran] eui breve armados. | associagao pela v0lu do me.-mo Sr. coronel aos la-
tn correspondente de Herald assigura que os res da patria e coberto de louros e das bengaos da
feuianos iuva-Jiram o Canad. ; patria.
Diz-seque o geueralisMmo Grant propoz que o; a rnedalha de forma circular, segundo o gracio-
exercito regular se augmente al 7o mil borneas.' go modelo adoptado para o 3o corpo de voluntarios
O meetiug democrtico de Nova-Yoik appro- da patria, tem sobrepesla uma cora naci.nal.e 6
vou poltica de Johnson, e censura o projecto de irabalhada com primor em ambas as faces. Na pos-
conceder a todos os negros o direito dosu(Tragi>, ierior, e eutrelagadas por folhas nacionaes, esto
e reeaanneoda sobretodo a observancia da doutri- era relevo as duas leti, as-V. P., em cujos da-
a oe Jlanroe. A convengan da Carolina do Norle ros se l a insenpeo .-Voluntarios da patria.
prohibi o pagamento da divida confederada. Na parle ante anterior, v-se no verso pulido da
Mr stefeus amigo viee-presrdeuie confederado C 0il 0 symbolo da Provideucia, que o sigoal ca-
declarou que sustentara a poltica do presidente racteristico daquella associagao O no ceulro da
Jotiu-un rnedalha em um pequeo quadro de relevo as se-
Mr. Seward ministro dos negoetos estrangeiros guimes palavras : -A sociedade humanitaria Se-
disse en, um discurso que o pre-idente Johnson gredo e Amor da Ordem, em Pernambuco, ao seu
conduzna as negociago-s e reHamaces estrangei- respeilavel memhro honorario, o coroael Francis-
ras sem eomprometter a dignidade e a honra na- co Joaquirn Pereira Lobo, commandante do 3 cor-
nonal : e que os Estados-Unidos recoiirariam a)D- p0 de voluntarios da patria.
fluencia que tmha antes da guerra vil especial- Do mel do desenho que'borda o eirculo, desta-
mente dos estados do continente americano. Ca-se no reverso da insignia a data do offereciraen-
Graode numero de francezes que resirtiam no ,0 :_jg l)e ,10veinbro de 1865.
sul na poca em croe esUlloo a rebelliao folre-am o trabalho artstico faz honra ourivesaria da
perda coDsideraveis com a guerra e que alguos provincia,
dingiam por rale; medio dos cnsules, ou do mi-
in.-iro da Franga em Washiogloo reclama^oes ao
governo americano.
Continua a haver coalisfies entre os brancos e
os negsos oa Carolina do Sul. Em Baltimore iiouve
um seno conflicto entre as tropas braocas e ne-
gras.
Noticias do Chile dizem que o general Pare-
ja acaba de chegar com a esquadra hespanhola.
pedindo salisfagrjes por causa dos successos dados
do Per a 48 de setembro. Montero continua as
linas Chinchas com a esquadra,
Tem havido grandes desntelhgencias entre Cao-
seco O os .outros ebefes insurgnute.
A Gateta Auitriaca nega a existencia de ama
cDveoco entre a Austria e o Mxico, em virtude
da qual a Austria se havla comprometido a f >r-
necer dous mil hom*>ns por anno ao imperador
Maximiliano. O governo austraco promettea so
Foi no sabbado a Sra. D. Adelaide Amaral
ap dan iida em seu beneficio de um modo assas l-
sougeiro, tem que merecido, p-lo nos.-o publico ;
que assiin ainda mais uma vez deu copia do quan-
lo Ihe merece o talento artstico, com que dotada
esta senhora.
Taes demonstragdes foram ao ponto de ser a
mesma senhora acompanhada a* sua residencia
por grande numero de pessoas, que ainda a victo-
ria va ni.
S-us companheiros d'arle offereceram-lhe urna
corda de Mores arlifieiaes; e por oeeasio de apre-
seotar-lb'a, recitou o ir. Lisboa uma poesa, tendo
sido reeiudts outras mais por arias pessoas no
correr do espectculo, uma das quaes damos hoje
na 8* pagina.
Hi hoje logar uma representaciio no Santa
Isabel em beneficio do Sr. Coimbra, que para cor-
mente que para jjresocjje/ as ladinas que exlstiam responder satisfactoria qs seus amigos escolheo,
Fizeram exame de geometra na dia2t :
Plenamente. 4
Simplesmente 6
Reprovados. 2
12
Depois d'amanha se extrahira' a 4a parte da
$ lotera (O'), a beneficio da Santa Casa da Mi-
sericordia, sendo o maior premio 6.00U.
Hoj9 o agente Cordeiro Simoes fara* leilo
de movis e outros objectos, em seu armazem a
ra da Cruz n. o7 as 11 horas.
O vapor ioglex Dnuro trouxe da Europa 194
passageiros, dos quaes 46 para o oosso porto e 148
era transito para os do sul.
Devia ^aliir, tiara o oosso porto, do de Lis-
boa, no oa 17 do correla, o vapor inglez Ama-
ro, da linha de Liverpool.
Eis as noticias coinmerciaes, trazidas pelo
vapor Uouro, da Europa :
lia(iiiiur;;o, 6 da novembro.
Apezar da falta de dinheiro, o mercado con-
tina linne.
O a>sucar teve uma alia de 12 a'. 10 sebil por
100 hb ; ha falta de enero
Nada se f. z em algodo, por nenhum haver a
vender.
0-< couros seceos salgados vendem se de 51|4
oa' 6 Siilul.
t O cacao do Para' vende-se a' 7 schil. por hb.
Sabio para Pernambuco, o navio Ida & Char-
lotte ; tica a carga, para esse porto, o navio amina-
nuel.
Havre, 4 de novembro.
t U algodn rolado de frs. 230 a' 29750 ; o
cacao a' trs. 90 os 40 kilo ; os couios salgados sec-
eos a' frs. 65. Em assucar ut-nhuma transaego
se fez.
Porto, II de novembro.
t O assucar branco vende se de 2^000 a' 2.io0.
o gmenos de 1^750 a' 14900 e o mascavado de
l-3'i00 a' I560J rs. por lib.
Lisboa, 12 de novembro.
Regula 420 rs. por anatel o algodo de Per
Bambuco ; o assucar branca de 15800 a' 2J300 e
o mascavado de iJ>300 14600 ; o arroz do Ma-
raniio e Para' de .'4000 a' 64000 por quintal ; o
cacao de 44030 a' 44100 por arroba ; is euros de
70 a' 123 por arraiel e os salgados de 90 a' 125
dito
Ficam a' carga : para Pernambuco os brlgues
Relmpago, Soberano, Flonnda, Lua l e barca
ConstanteII j oara o Mirauho barca Mana L"i-
za ; e para o Para' barca Linda o biigues Lujeiro
lile Feliz Ventura.
Recebemos noticias de Buique com a dala de
21 do crrente, e de urna caria que temos sob as
vistas, extraamos o eguinte :
t Parece que o leneute-coronel Manoel Camello
Pes.-oa Cavalcanii, desiste da erapreza de organi-
sar o contingeuie de voluutarios da patria a que
se propoz.
A despeito das ultimas ordens da presidncia,
as pers-guigoes e recrutamenlo coutinuam, sendo
aquellas rdeos desaileudidas. O leaenle-corouel
Aqunio diz aqu alto e bom som, que trouxe dessa
cidade carta branca para fazer o que quizer.
O recrutamenlo eito de modo brutal, e s
entre a gente que o lente coronel Camell > pode
reunir boom voluntaiio. At a propriedade daquel-
le tenente-coronel- foi iavadida pela malta recruta-
dora, como meio de de.-raoralisa lo. Um mogo de
familia, que por seu pai fora dado ao referido le-
nenle-corouel para o servigo de voluntario esta
recruiado e poalu no tronco I
t Todos estes desalios e persegugoes feitas
com o ii:n de neutralisar os reforgos e ahafar o
prestigio e influencia do distincio tenente-coronel,
o eouveiieeu de que era meio prudente recolher
se a sua casa, poupando assim o sacrificio dos seus
amigos e do povo que o acompanha.
< E-la' provado que aos adversarios do governo
riem se deixa o direilo de correr a defeza da pa-
tria I
c Parece, pois, que o leme-coronel Camello,
desisiindo da empreza a que se avenlurou, pora*
a dispusigo da presidencia a sua pessoa e de seu
filho, para o servigo da guerra, fazendo ao publio
a Mpaicio dos factos occor'ridos.
t E' isto o que dizem.
Passageiros do vapor nglez Douro, vindo de
Southamoton e portos intermedios.
Joaquirn Felippe da Costa, Charles Lowis Ph-
hppe Roeck, John Helderoheim, Fredemk Lenk,
Elisa Bowman, Lmrengo Pereira Mendes Guima-
raes, Ji.;V' Jos da Silva Guimares, Mano-i Jos
da Silva Filgueiras. Antonio Jos Crrela, Jos Go
mes da Fonseca, Antonio Jos Lopes Texeira,
Martins Hoyer, Jos Francisco de Andrade Jnior,
Manoel Roque da Silva, Maooel Cnelho Praheiro,
sua senhora e i lilha,Joo Jo- Ribeiro Guimares,
Domingos Jos Ferreira Jnior, Joaquirn Ferreira
de Araujo Guimares, Manoel Jos Guedes de Ma-
galhes, Antonio Lopes Braga, D. Loolpodina Ca-
rolina Meodonea Soares, Theotonm FeliK de Mello,
D. Francisca Luiz* de Mello, D. Emilia Rosa
Gornfw. D. Isabel Mara de Mello, D. Amelia Al-
ves Ferreira, Lniz Jo G mgaives da Costa, Manoel
Ribeiro de Carvalho, sua senhora, 4 filhos e i cria-
da, Manol Jos Dantas, sua senhora e i criado,
Manoel da Silva Guiroaries, Antonio de Alineida
Brandan, Pranelseo Manoel Fernandez Jos Go-
me* Vga, Ramiro da Costo Liborio, Daniel Ta-
vares Coetbo, Gniseppe Bernabo.
RBPAnTIQAO DA POLICA.
Extracto das partes dos dias 26 e 27 de novembro
de 1865.
Foram recolhidos a' casa- de deteogao no dia 2o
do crrante :
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Au-
aeliano Francisco Correia da Oliveira, como Indi
riado em ctime de moho.
Dia 26
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, Jos
escravo de Antonio Jacinth Borges, a requerimen-
to d'este.
A' ordem do de S. Jos, Joanna Umhelna, e
Joao Francisco Nepomuceno, por disturbios; e
Landelino.-escravo de Mathildes da Silva Medeiros,
por brlga.
O chefe da 2* secgo,
J. G. de Mesqua.
CEIHTMO PUBLICO, OBITUARIO DO DIA 23 DB
NOVEMBRO DB 1865.
Jos, Bergica, euconirada morto do caes da Lla-
gela, Recife.
Dia tS
Justo Cewr de Almeida, Peraambuco, 22 aunos,
solteiro, Boa-Vista -, febre.
Olyrn|iia, Pernambuco, 11 mezes, Boa Vista.
Antonio, Pernambuco, 18 mezes, Santo Antonio ;
espasmo.
Sebastianas, Pernambuco, 44 aunos, escrava, San-
to Antonio; peretonite.
Dia 26
Nao houveram enterramenlos.
GMMNIJADOS.
Sabem tolos a quanlo se aventura quem val
bolir em uma casa de maribondoi ? Um dos ex-
coramuugados do Jornal (B Commercio do Rio de
Janeiro, transcripto no Diario de Pernambuco n.
270 de sexia-feira 24 de uevemhro, disto uma
amostra ao Exm. e Revm. Sr. Dr. Joaquirn Fran
cisco de Faria, vigario capitular desta diocese.
S. Exc. que teve a infellcidade de descubrir na circu-
lar dirigida aos parocho-', que oa capital do imperio
existe o centro da propaganda protestante, que
pelo Brasil faz derramar essa alluvio de Biblias
falsilicadas,que com rnos largas se destnbuem pelo
povo brasileiro, e foi isso um pencado irremissivel
para os nossos methodistas aveniurciros, que a
litulo de religio especulam no commercio de Bi-
blias falsas
Sustentara elles, (e dSo h-o de sustentar ?!) que
sao verdadeiras as suas Biblias, e trazern como
prova esses bellos volumes impressos em Pjris,
veudidos oa luja de Garnier, em exacta conformi-
dade com as suas Pruneiro que ludo cumpria
provar que esses exemplares de Pars nao sao os
mesmos que os de Loudres, uma esperteza de
ralo des propagandistas inglezes. Qupm nao sabe
que a Franga esta ingada de protestantes, em suas
cmaras, em seus tnbunaes, em seu ministerio for-
migam elles; eram outras tantas casas de inaribon-
dos? O Sr. Guisot n) nos deixaria mentir, e o
tribunal de Persigneux acaba de dar-nos um mag-
nifuo espcimen desta verdade.
Nao couteotes com isto os excommungados do
Jornal do Commercio j tem a audacia de propalar
que a Constituigo do imperio abre a porta li-
berdade religiosa a mais ampia, que se possa
desejar, e arrasiram era apoio de semeihante asser-
3o o Diario Oficial. Se tal avancou o Diario fi
cial, isso a prova mai; valente da verdade do
que diz o Exm. vjgaro capitular a respeito da
existencia do centro da propaganda protestante na
capital do imperio.
A Constituigo brasileira s concede a tole-
rancia religiosa dos differentes cultos, em casas
particulares sem forma alguma exteriorMe tem
po, o que differe muto da liberdade transa, qoi
a cunha, e a malho nosquerem os propagandistas
rneller na cabega, e not>tn os leiliires a affimdade
que tem isto com a diffaso das Biblias metnodis-
tas, a favor das quaes se assanha o formigueiro
contra o Exm. vigario capitular. Basta que ellas
suppnraain, como fazem, em suas Biblias mudas
passageus, e livros da sagrada Bibll apjirovadj e
reconhecida pela igreja cMholica, para que sejam
essas Biblias regeitadas, pois ah desapparecem as
provas das verdades, e dogmas cathoiicoj, e de
alguns dos nossos Sacramentos, que os protestau
tes nao querem admittir.
Chamam-nos jesutas, porque regeitamos os cr-
ros dos proteslau'.es I Quere.m fazer hoje com os
braslleiros o que outr'ora fizeram com os pobres
jesutas, hoje recoohecidos como victimas innocen-
tes das intrigas dos protestantes, que ento se
couteuUvam com a simples tolerancia, e boje se
juigam bastantes fortes para preteuderem impor-
nos a liberdade absoluta em materia de religio I
Bem os conheceram os jesutas, e bem os cuuhe-
cemos nos tambera, e por isso somos jesuitas.
A. historia desapaixonadasabe que OS Jesutas do
Paraguay foram victimas das iutrigas e cavilacdes
dos maguatas e>panhes, : aquellos padres im-
pediam de fa/erem ..li com os pobres indios o que
faziam ern toda parte.
Finalmente o excoinmungado do Jornal do Com-
mercio acolhe-se ao desejo de algumas familias,
norte-americanas a virem eslabelecerse no Brasil
para provar que a sua Biblia verdadeira, dand i
a enteuder que >eriam meros ninhos de pardaes
virem cootostar-te cora a simples tolerancia reli-
giosa, que Ihes concede a Constituigo do imperio,
que elles comparan) com palhas! I Pois preguein-
llies issim, que essas lamillas, que os acreditaren),
deixem-se liear no seu paiz, que nos apezar do
milito, que estimaramos a sua viuda, iremos como
at agora passaudo sem ellas, se caso negado ellas
exigirem a derosago da justa preferencia,que loca
a religio do povo brasileiro.
Mas, senhores, a qjesio muilos simples. Est
ou nu falsificada a vossa Biblia 1 Um vigario das Ala-,
gos mostrou-vos muilos pontos de inexaclido:
mostrai o contrario disto, e esta acabada a questo,
sera ser preciso trazer o Diario Official que nada
pode provar, aera contra a Constituigo do impe-
rio, netn a favor da Biblia melhodista.
Tinha eu concluido aqu o meu tosco corarauni-'
cado, quando me veto as inos o numero imrue-
dialo do Diario, e nelle oulro excoinmungado, ou
seguuda edlcao do primero, e vejara os leitores
como se aprsenla de mascara levantada a propa-
ganda protestante I Gragas ao Exm. Sr. Dr. Joa-
quirn Fraucisco de Paria, vigario capitular de Per-
nambuco, que corajosamente tocou na casa de
maribondos, e fez aoparecer o fiirmigueiro; foi um
grande servigo, poco importa que soffressealumas
picadas. Nao ha duvida esto descobertos, esto
ein campo aberlo, e os fiis calbocos devem ves-
tir suas couragas da f, que nos deixou Jess
Christo unir as pretongoes dos inimigos da igreja
caiiiolica, e reflctam nisto.
A paiavra Papismo nao infecciona hoje os
labios das pessoas cultas, e bem educadas em In-
glaterra, e a vo-isa propaganda, para nao nomear
a gente limpa assentou de su.-tituir a paiavra
Romauismo.
Pobres gentes I Nao vem que o xarojie em-
tico, ou a ipeca o.'tnia produzem.o mesmo efTeito 11
As veueraveis irmas de candade, de envolla com
os jesuilas continuara a ser o cbjecto de furores
desabridos da propaganda : e o que tem ellas de
commuin cora as Biblias methodistas? E' que
esta evidentsima a afiinidade dussas Biblias com
os projectos desse ceulro conspirador contra a re-
ligio do estado.
E quem sera' esse excoinmungado (tSo digno.de
ser), do Jarnal do Commercio 1 Deus me perdoe,
se taco juizo temeiario. Mas que importa saber
quera elle ? ou quemellesu? Exfruclibuseorum
cognoscelis eos.
Correu por aqu, (w. quanlo phegou ao Rio de
Janeiro o primero bitalho de voluntarios de Per
uainbuco, avista do enlhusiasmoj com que foi re-
cebido, lernbrarain-.se os dessesi antros lenebro-os
desenvolver, suas doutrioas em cerlos projectos de
represeotagoao goveroo, ou ao Imperador directa-
mente : uo respondo pela verajcidade do facto,
porm certo, que esse rumor p r ahi gyrou. Teu-to
porm mentido a espoleta (sao sempre assim) espe-
culara agora rom essas tantas ou quantas familias,
que dos Estados-Unidos pretendan) emigrar para o
Brasil, para desenvolverem em pj-etengoes que ellas
uo lera. Ellas para aqu rnauaam examinar nao
qual a exienso da nossa tolerancia religiosa de
que jatem ellas perfeilo eonheci^ieoto, mas a capa-
cidadedos terrenos,e as facilidades de os obter. E'
uma trica da propaganda, mas estou na firme con-
vicco de que ainda desta vez ljie ha de mentir a
espoleta.
B riencia em seu paiz procurara n[ socego e tranqui-
lidade a ombra da nossa eonstitiico e das nossas
leis, que elles preferern ao Mexlcp seu visinho, por
que e-ia a um golpe de ao do seu governo, uo !
Ihes off-rec, mo por Isso nenaama garanta de*
tranquillidade e socego, e se nioivierem ao Brasil
sera nao por falta de garanta* religiosas, porm
pelo receio das turbulencias, que parecem prepara-
rem os projectos sinistrosdo centro propagandista,
e oo quererem servir de cunh sob o malho es-
magador dos falsos bibliotheeaHos methodistas e
seus coristas do Rio de Janeiro. Venham pois 4e-
sojamos que venham esses emigrantes eonformns
e eonientes com a nossa tolerancia religiosa, que
elles bem conhecem, e sabem que nos ama-'
mos mats a rehgiao de nossos pas, a religio ca-
boJjca apoelojica romana do que os estnbuxos o
cnnvulsoes dos iremedores methodistas, quaesquer
que sejam as riquezas que nos elles tragara. Nao
escanddlise isto aos emigrantes : ea sei que os
methodistas nao vem cora elles.
0 Sr, depata io geral e vigario de Ba-
tuiii ante a opinio publica..
O grao de civilisago e moralidade de qnalqner
individuo ou de qualquer povo, se aquilata pelo
respeito s instituigoes juradas, e mxime pelo res-
peiio a propriedade Individual e publica.
,A moralidade civil ainda mais Bresco de ponto, e
civilisa um povo, quando ama religio augusta e
santa, estrritando-se as leis sabias e prudentes do
legisladores verdaderamente posudos do bem pu
blicorse adapta a urna philosopnia judiciosa ea
co-tumes altamente leuvaveis e puristas.
Foi assim que os legisladores do Brasil ndepoo
dente entendern) e praticaram, quando coofe-chi-
nando o parto fundamental da nag;io,a coostitui-
co poltica do imperio,inscreveram nelle o dr-
reito de propriedade e o reconhecimento da religio
calholica apostlica romana, como religio do esta-
do; aquelle, como o io mais poderoso para o en-
grandecimenlo material do imperio: e esta como
lo mais poderoso do seu engrandecimento moral.
Essas verdades, porm, umversalmente reconhe-
cldas, soffrera obstinada irapngnago pur parle de
um deputado assecnbla geral, e ao mesmo tem-
p> vigario da villa de Balurit, provincia do Ceara,
em face do procedimento Ilgico, Ilegal e inteira-
menie censuravel qoe acaba de ter dito padre em
Christo era relago a propriedade do abaixo asig-
nado.
Sim ; porque de oulro modo se oo pode expli-
car o procedimento do Sr. respeilabihssimo viga-
rio de Batunt, deputado geral pela provincia do
Cear, porquanto tendo fgido um escravo de no-
rae Jos do dominio e pos.se do abaixo assiguado, e
Sr. vigario de Batunt chama-se a posse d) mes-
mo ; mas logo que Ihe foram apreseuiados os ttu-
los de propriedade do abaixo assignado, o Sr. pa-
dre vigario recooheceu que, de facto, o escravo
Jos Ihe uo pertencia.
Ainda mais : vindo dito escravo a presenga d i
rauito diguo e iotelligente Sr. chefe de polica do
Cear, Dr. Antonio Joaquirn Buarque de Nazarelh,
e procedido o competente interrogatorio perante o
proprio irmo do Sr. vigario de Batuiil, in-pector
da thesouraria da provincia, Jos Severiano Ribei
ro, e o hjnrado proprietario Joaquirn Jos liarbosa.
declarou o escravo Jos, que leudo fgido do poder
i'.e seu senhor com um individuo de nomo Manoel
Bezerra, esle o negociara com o Sr. vigario al-
guns aunos; mas que seu legitimo senhor era de
fado o abaixo assign.ido.
Versava ainda assim uma duvida, a era a respei-
to da identidad? do dito escravo ; mas lendo o abai-
xo assignado prodnzido coiu todas as formalidade
legaes uma ju>til\ic/to perante juizo comp-tente
Da cidade do Recife, foi esta euviada ao Ceara,
pelo que teve o abaixo assignado a seu favor : I
um titulo legal de dominio e posse do escravo ; 2
declarago da verdade pelo mesmo escravo ; 3
prova legal de idenlidade do mesmo. Anda assim,
coinquauto reconhecesse o Sr. vigario de Balurit
os direitos do abaixo assignado ao dominio e posse
do escravo Jos, declarou que o uo enlregava a
sen legitimo senhor III
Um facto de>la ordem, pralicado por um repre-
sentante da naci, e ao mesmo lempo ministro da
ri-hp.no apostlica romana, nao encentra por certo
defesa na lgica, na religio e as leis do paiz.
E' verdade que, rii/ein-nos, ser o Sr. vigario de
Balurit um aborto de inteiligeucia, e como os ge-
nios tenham o privilegio de fazer descoberlas es-
tupendas, talvez que o irmo do Sr. inspector da
Ihesouraria do Ceara, vigario de Balurit e depu-
tado geral, descohrisse algum novo ramo de dre
to descoahecido as '> parles d i mundo, on algum
privilegio de deputado geral que o autorise a nao
abrir mj do escravo Jos do dominio e posse do
abaixo assignado.:
Erabora : o aiaixo assignado confiado no seu
hora direilo, as instituigoes que regem o paiz, e
na digna magistratura a quera compete a obser-
vancia das leis, protesta desde j envidar esforoos
alim de reivindicar a sua propriedade, bem como
as perdas e datnaos que, com a demora, Ihe lem
occa'ionado omoito intelligeote, lgico e perspicaz
Sr vigario de Balurit com a obstioaco manifes-
tada em nao entregar ao abaixo assiguado o que de
direilo Ihe penence.
Voltaremos amia a iinprensa, alio) de, com al-
guns documentos fazer coohecido do publico o ho-
nesto proceder do representante da nago vigario
de Btanle, padre Riymuudo Francisco Ribeiro.
Recife, 25 de novemnro de 186-5.
FiC'7i/e COBRESPQyggCIAj
Srs. redactores.(*) Tendo-me sido por algumas
pessoas perguniado si son o autor de uma perino-
la feila por um anonymn a respeito de um mein
bro do magisterio publico, aneciado de gota, com-
pre nie protestar contra qualquer imputagu me-
nos honrosa que me seja dirigida.
Nao costo mo fazer invectivas, nem injurias por
peior que seja a pessoa. Si alguma cousa tenho
escripto sotire lentes da Faculdade de Direilo es
lygmatisaado actos de revoltante Injoslica, e si
mnila cousa tenho deixado de esrrever porque,
como Vmc. sabem, a imprensa entre nos nem
II vre como parece, nem se presta a dizer todas as
verdades.
Para que portant> ninguem piss< atlribuir-me
urna represaha-inha, a mim que nao poderla por
outros meiaS mais serios chegar a um resultado
mais grave e mais importante, pego a Vmc. que se
diunem de declarar si teobo alguma parte na tal
Pergnnla.
Entretanto sempre sera' hom qoe eu faga saber
a quem quer que lenl.a nis.-o iuteresse que eu nao
co-tuirio escreverquando nao posso assigoar como
agora.
Luiz Ferreira Maciel Pinheiro.
Caiu filial iMi 4* Brasil ea
i ernatniuc.
A caixa descoota as letras de sea aceite pela
taixa de 9 o0 ao anoo.
Ogaarda-lvros
Ignacio Nuoes Correia.
a.FaNDEGa.
Reudimeato do dia 1 a 23...... 5\* :W9i'-''iQ
dem do dia 27............... 2S:4U*4t(2.>
57l:3l.-47i'>
MOVIMB-tTO DA ALTADEGA
Volume entrado era fazea^ao____ 217
Col!) griiuros..... 3i
------- 511
volume saludos cem fazewlas..... H*
* con gneros..... 612
-------6<>o
Descarreiam boj- 28 lo.;.rrenle.
(.alera rraoceza-Solferinaimream*.
Brigue inglez Hila tiruce ierro e earvo 1-
pedra.
Bina inglezaAcea-uiem.
Barca inglezaAnne Hay mercadorias.
Brigne inglezCarne ,vf. L,earvo de pedra.
PalacUo porttiguezF'irtoenarque.
Barca nacionalIdaliiu-ulem.
Brigne poriuguez-/ip-on'jo -idem.
laaj>ir Vapor nacional Parahyba, entrado dos porros
dos intermedios do sul da provincia, manifestou o
segniale:
De Penedo.
3 sacros milho o arroz com ca:ca ; Remar!)
M. C. Doria.
58 sacras algodo ; a Joaquirn Jos Gongalv.s
Beltr&o.
29 ditas dita ; Andrad' A Reg.
200 taos de sola, IH aacSM milhn, i t*fM fa-
milia, 60 eiteiras de perperv.e 48 sacras aiguda
a Caelano C. da Costa Momra.
4 saceos milho e arroz; a Francisco Ferreira
de Andrade.
1 sacca algodo ; a Jos Gongalves Torres.
2 couros espichados, 2 sacras algodo ; a Ar.:>-
lomo de Mello Rodrigues h ureiro.
De Macei.
60 fardos com 600 pegas de algodo, 1 sacres, 6
arros e i libras de fio de dlo; a ordem.
KECEBEDORIA DE RENDAS INTI-.RNAS i. -
RAES DE PERNAMiiUCu.
flendimento do dia I a 25. ... S3:.1IJJI
dem do dia 27...........7.... 72*21
CONSULAOO PROVINCIAL.
Itendimeuto do da I a 25....... 66:7:p"J6nfl
dem do dia 27............... 8:'jHIJ-i.s
J3-.7MM

3tI?4C8ES i PEDIDO
AO PIMIC
A fn-isla Diaria de 2i do crreme referi o fac
lo de urna representago dada ao Sr. Dr. chefe de
polica p r Manoel Barbera Camello contra o dele-
gado de polica do torro de Pao d'Alho, qoe dei
xou de respmde-la por se adiar bastante mele in
comino lado de um pauaricio.
Sendo eu actualmente que occopo aquelle lugar,
entendo conveniente declarar, que nao tiveato
presente scii-nela daqueila representaco, e assim
que ella nao me foi anda remettida olflcialmenie
para responder.
Rogo, pois, a publicago destas linhas abem da
,'erdade, e como protesto ao facto de que se trata
om referencia a mim.
Pao d'Alho 2o de novembro de 1861 -O delega-
do de polica, Fraucisco de Paula Cavalcaoti de
Albuquerque.
Pastllhas vermfugas de Kemp.
Crianzas atormentatlas por vermes podem
ser alliviailas com urna s fise-, de pastilhas
vermifogas de Kemp, que sao inotaotus
em appareucia, e deliciosas demais no seu
goslo para serem regeitadas Estas pastilhas
sao muito procuradas por quatro moti-os :
nao conlm mineraes ; t.o precisam depois
de purga te ; elTectuam o que se deseja sem
causar dor ; as criancas estto promptas a
tomar maior dse d que a marca ia na re-
ceita. Nenhuma mai que j as tenlta expe-
rimentado uma vez quer oulro vermifugo na
sua casa.
A* venda por todos os primeiros dro-
guistas no imperio, e em Pernambuco por
Caors & Barbosa e J. da C. Bravo dr C.
c.
GY1MENTG M ?OBiO
Navios entrados no da 26.
Sonthampton e portos intermedios18 dia=, vapor
inglez Douro, de 2,020 toneladas, comm-ndante
1. A. Be vis, equipagem 123, carga azeatlas o
outros gneros.
Rio Chande do Sul49 dias, brigoe brasileiro Ti-
gre, de IG3 toneladas, capito Manoel Vieira das
Noves, equipagem 11, carga 9,800 arrobas de
carne ; a Balthar & Oliveira.
. Navios sabidos no nusmo da.
Rio Grande do Sul Patacho nacional Bom Jes"<.
capito Joo Gongalves dos Res, carga assurar.
Rio de Janeiro e BahaVapor inglez Douro, cora-
mandante Bevs.
Observaroes.
Suspenden do lamaro pa'ra a Parahiba o brigr.e
inglez Rosario, capito J. Ramilln, Com o mesmo
laslro que trouxe do Rio de Janeiro.
BDIfiES.
CO
El^in
Mov'o banco de B*ernaiu-
huco.
J^ Novo Banco desconta letras de praso at qna-
tro mezes a H por cento ao anno, e at seis mezes
a li por cenia, e toma dinh-iro a praso fixo ou
ora coala oorrente pelo premio e condigoes que
se canvenotosar.
O Nao recebemos do
perguntas de que trata.
Sr. Maciel Pinheiro as
A Redaccao.
O capito Luiz Cesario do llego, jnii de paz mr.is
volado da fre<:uezia ilo Sanlissimo Sarrameiiij
do bairro de Sanio Antonio, e presidente inte-
rino do colleglo de.-U cidade, em virtode da
le, etc.
Fago saber que, pela' cmara municipal drste
municipio, me foi remedido o cilicio do tbeor *
guiute :
Pago da cmara municipal de Recife.23 de agos-
to de 186o.
Illm. Sr.Havendo o Exm. presidente da prc-
viucia por portara de 16 do corrente, ronvecadu a
nova assembla legislativa provincial para a rro-
xima legislatura, que tem de fnnccioiiar MI an-
uos de 1866 a 1867, designado o da 7 de Janeiro
prximo futuro, para a eleigo dos awotfevoa >:a
mesma assembla, assim o cummunico a V. S.
para sua lulelhgencia, e a rim deque CMVaojM N
eleitores desta fregut/.ia para o da indicado. En-
vendo V. S. ter em considerago o que di-| e c
an. 2." do decreto n. 2633 do i. de setembro de
1860.
Deus guarde V. S. Illm. Sr. capito Luiz Ce-
sario do Reg, juiz de paz mais volado da freguezia
de Santo Antonio. Luiz Jos Pereira Sinioes, pre-
sidente. Francisco canuto da Boaviagem.
Em cumprimenio do que, e romo presidente in-
terino do collegio, eonvoeo aos eleilore- Mfie-
gu--zias de S. Prei Pedro Gotualves, de Suiti An-
Antonio, de S. Jos, dos Alfogados, da Varzea, de
Santo Amaio Jaboalo, de Murir>eca, de S. L> u-
rengo da Malla, do Pogo da Panella, e da B a-
Vista, que conslitue o referido odlegio, alim de
i|ue comparegara ua igreja matriz de Santo Anlo-
m no iiia 7 de Janeiro prximo vind.niro possa T
liO'as da manha, p*ra que pnwcdMI a i.ry.nii-:.-
g.io da mesa, e mais actos relativos a elrigao d'.s
uiemhros assembla provincial, eoafsfSM tator*
minara as leis respectivas.
E para que chegue ao conherimento de lodi -,
mandei fazer o prenle edii.it, que sera aflfi.v. io
nos lgales mais paMIcos desia freguezia. u pu-
blicado pela iinprensa.
lo-i-ife, em a freguezia de Santo Antonio, 25 de
novembro de 1865.
Eu Joaquirn da Silva Reg, escrivao que o e--
crevi.
Luiz Cesario do Reg,
Juiz de paz.
O Dr. TriMo de Aleocar Araripe, ofDcial da im-
perial ordem da Rosa, juiz de direito especial do
commercio desta rutado do Recife de PeraaSB-
buco e sen termo, pr S. M. I. e C. o Sr. D. Pe-
dro II, a quem Ueiis guarde etc.
Fago saber pelo prsenle que Joo Pereira Ra-
bello Braga, como liquidalario da firma de Braga
\ Aotunes, me dirigi a peligo do tbeor se-
cnuiie :
Illm. Sr. Dr. juiz do commercio.Diz Joao Pe-
reira Rabello Braga, socio liqaidatario da extracta
lirma de Braga & Amane*, que quer interior pro-
le.to para inlerromper a prescripgo na forma do
\ 3o do arL 453 do cdigo do romroercin, contra
Antonio Pedro de Barros Cavalcantl Calonh. eu
devedor de urna letra da quantia de :30ii|839,
saciada pela dita exmela firma em II de margo
de 1860, a 8 mezes de prazo, e vencida em 12 .le
novembro do momo anno, e porque o soppliratfo
se aehe ausente em lugar ignorado, reqivr a V. S.
o admita a justificar a ausencia, e sendo quanto
baste a julgue por senteafa, mandando psate car-
ta de editos por 30 dias, afim de ser por ella inti-
mado o protesto. Pede a V. S. deferlmenlo. E.
R. M.0 procurador, Jcaquim de Albuquerque
Melle.
E nessa peligo que me fo apresentada, dei o
de-pacho do tbeor seguiote :
Justifique no dia 13 do correte mez, depois da
audienciaa.Recife, 10 de novembro de 1865.
Alencar Araripe.
E sendo a mesma peligo apresentada ao distri-
buidor do juizo, por esle fora feila a distribuir.;
ao escriiodesie meu juizo, Manoel de Carvalho
Paes de Andrade ; depois do que produzindo o
supphraoie suas le-ieinuiiiias, que drpozeram con-
venientemente acerca da ausencia do suppiirado
Antonio Pedro de Barros Cvaleanlt Calonh : o
respectivo escrivao fazendo sellar e preparar os
autos; m'os fez conclusos,n dos quaes dei a senten-
ga da forma e Iheor seguate :
Hei por justificada a ausencia do sappiicado,
que sera' citado por editos de 30 dios, p*as a*
cusas ex-rausa.Recife, SO de novembro oe 1863.
TrMao de Alencar Araripe.
Segundo o que se roolioba a dita seolenea, e-
em observancia da qual o respectivo escrivao fez
passar o prsenle edilal, pelo qual e seo tbeor,
chamo, cito e hei por citado ao referido justificado-
ausente Antonio Pedro de Barros Cavalranli Ca-
lonh, para que dentro do referido praso de 30
dias, compareca por si on por seo proearador ante
este juizo, allegando e provando o qu* He a bem
do seu direilo e justica, sob peoa de revelia : por-
tado, toda e qualquer pessoa, prenle, amigo oa


liarlo de Perr-ambaco fferfa felra S de \ovrmhro e ?n*
..
conhecido do referido ausenta, poder-lhe-ha fazer 32 palmo? de largura e 95 de fundo, fechado pela
sudle de todo o expendido, i freute, e em lado eom urna poria, e pane do coo-
E para que chegue ao ceahectment de lodo?, vento do formo, por oatro com o oitao da casa
maodei fuer o presenil edltai, que sera' afiliad n 2, e pelo fundo cora um muro, o qoal terreno
nos lugares do costume e publicado* pela im- foreiro aodiro convenio, fot avallado em 3005,
prensa.
Dadoe pascado nesU cidaoe do Recife de Per-
namhucu, aos 25 de novembro do 1863.
Eu Man H d i Carvaih > Paes de Audrade, escri-
vao, o subscrevi.
Trislao de Alentar Araripe.
O Dr. Trisiai de Apencar Araripe, ofBcial da impe-
rial ordem da Rosa e juiz de direito especial do
commercio desla cidade Jo Recife de Pern-tmbu-
oo e seu termo, p-ir Sua Mageslade Imperial e
Constitucional o Senhor D. Pedro II a quern
Dos guarde etc.-
Fago sab'r aos que o presente edilal virem e
por ex"cuc.o que move Antonio Jos Vieira con-
tra Manoi'l Joaquim da Silva Ribeiro escrivao
Santos.
Juizo dos feitos da fazeuda,
Quinta fera 30 do correte, na sala das audien-
cias, erante o Illm. Sr. Dr. juii des feitos da fa-
ltada ira' a praca por venia, a' quem mala dr, o
segointe:
A casa terrea na povoaco do Barro, com 17
1 palmos de frente, 43 de fundo, 2 salas, 2 quartos,
| quinial em abarlo, por i'3, penboraila a Fraueis-
! co de Barro*,
delie noticia ti verana, que por este juizo especial do | dem na ra de S. Miguel n. 118. froguezia dos
comneercie pendem nns autos de execucao de sen- Afogados, com 20 palmos de frente, 5 de fundo, 2
tenga de Francisco Xavier de Oliveira contra os salas, 2 quartos, eozioha dentro e quintal em aber-
a ministradores da massa fallida de Seve Fimos & lo, em ma'o estado, por 603, penliorada a Fraueis-
C, e tendo se feito penhora em dinhcro do liqoido co de Paula C>rra de Araujo,por Joaquim de Car-
p oducti dos bens particulares do socio Manoel Joa- valho Paes de Andrade.
qoim Seve, fora pelo solicitador Ignacio Barroso de i dem idem n. (52, em completo dsmorooaraenlo,
Mello, procurador do exequeote, feito o requer- avahada a vi*.ta do- materiaes em 2003, pentiora-
menio do seguinte termo : Aos 13 de novemoro de da a Manoel das Virgen* R unos.
!8oo, Mi pubiiea audiencia, que aos feitos e partes dem de laboas en Sanio Amaro n. 17, freeue-
dava o Or. joiz especial do commercio Trito de ia da Boa vista, com 22 palmas de frente, 43 de
Alencar Araripe, pelo solicitador Ignacio Barroso fundo, 2 salas, 2 quartos, c izinba fra e quintal
de Mello, procurador do exequente, aecusou a pe- em aborto, por 403 peuhor ida a Francisco Elias,
n'i'a feita em dinheiro perieuceole ao ex-cutado, A casa terrea sita no Arraial o. 3!, com 29 pal-
e requereu que se Ihe llcassem assigoados o seis mos de frente, 41 de fondo, 2 salas, 2 quartos, co-
das da le 10 aos credores lacertos, passando se zmha e copiar, avahada por 603, penhorada a An-
os respectivos ouitaes, o que ouvido pelo juiz houvc tonio de Luna Castro.
r. penhora por feita e areu-aria, e os seis dus da dem na ra do Bom-fJm (Olinda) n. 22, com 24
le e 10 por assiguados na trina requerida, do que palmos de freute, til de fuoao, 2 salas, 2 quartos,
manh, 2 harris oro vinho de caj, e mais ou-
tros ohjectos que foram peohorades t Jo* Antonio
de Oliveira por execucao de Andr fia-boza Soa-
ret. i r -
' l 1 ._.U._.U 1. A ..'1-11.1
TIEfU1fflfc$

lili
EMPREZA--COIMBEA
Terga-feira29 de novembro
de 1865.
Da armaco e seus pertences, laxas, panel-
las, lata.s barricas e gneros da refina-
cao da ra do Rangiel n 43.
O agente Martins fara leilo por aulhorisacao
do lllm. Sr. Dr. Claudiooi de Aranjo Goimares,
coasul portuguez, da anhago e seus periences,
taxas, panellas, latas, barrica-, calida?, pircfio ile
assucar, caf, papel de embrulho, lenha em toros e
achas, um rooinho e m ai gneros existentes na
dita re ti na cao, tudo perteilcenle ao espolio de Joa-
quim da Costa Vieira.
IIOJK.
As 11 horas da inanbaa1 em dita reflnaeo.
eres
CURSO ESPECIAL
DR
PREPARATORIOS
para os cstumitc que devena
f.izer acto em :si itvo.
Jos Soares. de Azevedo, pi ofensor de
lingua e lilteratura nacioaal do Gymuasio
I Provincial do ftffe, lera alierlo em sua a-
MOnte-PlO lOrtUglieZ. 'sa, ruaBellan l, um curso especial dos
A directora proviwria eoinmoni-a a iodos os in- j segantes preparatorios, para anuelles aato-
essados, que acabam de salnr do prelo os e*ta- r '
Juala das ctrrretoes
No dia 30 do crreme roer, fwlas 3.iras da
tarde se proceder'na oi-a da A^soeiago CtHR-
mercial Beneliceuio a' rtHco da junt* qoe devo
servir no auno proxinMi fo'.uio, o que lera' lugar
em cumpriuienlo do art. 2* cap. 1" do regia en o
interno.
Secretaria da juma dos correlores da praca do
Recife 2o de novembro de 1865.
Frederieu Guimares.
Secretario.
IEIEi^O
fiz o presente exlrahidu do protocolo das audien-
cias a que ju'iiei o mandado e termo de penhora
que segueta : eu Seruodin Eliodoro da Cunha,
escrevente juramentado o escrevi.
sera portas, e bastante arruinada, por 603, penho-
rada a Manoel SimSef.
dem na ra da Boa hora n. 21, com 20 palmos
de frente, 4.' de fun 1', 2 salas. 1 quarto, coznha
En Manoel Mara Rodigues do Nascimento, es- dentro, quintal em aborto, bastante arruinada, por
crivao o sub>crevi '2o>, penhorada a Irman.lade te S. Benedicto.
Por forea do mru despacho o refer do escrivao dem de taipa na ra dos Pocos. Afogados. n. 8,
fz >asar o presente, pelo qual chamo, cito e hei em ma'u estado, por 133, peuhorada a Joanoa
por entunados os credores iocerlos do dito execu-, Maria dos Prazeres.
tari, para que c. mnarecan ueste juizo dentro di E por arreadamente o seguiote :
indicado praso, munidos de sens documentos, alira A renda annual di mtade di sobrado de um
de allegarem o que for de joslica. 'and^r na ra do Hospicio n. 14, oda quantia de
E liara que ehegue ao coohecimento de todos, 3003, penhorada a Francisco de Paula Correa -i
maudei passar o preseot-*, une sera publicado pela Ara ojo.
impreosa e affixalo nos lugares do costme. dem da casa terrea sita na ra do Pilar n. 81,
It-cie, 15 de novembro de 1863. com 2 salas. 3 quartos, quintal com portan, avaha-
Eu Manoel Mara Rodrigues do >iascimpnto, da por 1445, penhorada a iruiandade de Nossa Se-
Recila era fovor do actor
Antonio Jos Duarte Colmbra.
Representar-se-ha o milito celebrado drama di-
vidido em 4 acpjs, urigioal t)rasileiro do Sr. Dr.
Francisco Pinheiro Guimares, autor daPuni-
$aointitulado
Symprionia da opera Os Marlyres, msica do
maestro Donizetti.
A HISTORIA !
DE MA MOCA RICA.
Amelia....................... D. Adelaida
Baroueza de Periripe.......... I). Joanna.
D Mina....................- D. Jesuioa.
Emilia, menina de 8 annos----- N.
Rosinba.................... Jesuina.
Joanninha.................. D. Leopoldina.
D. Camilla.
Pedro Joaquim.
Pinto.
Porto.
Santa Rosa.
Amoedo.
Borges.
Lislioa.
Guimares.
Teixeira.
Auausto.
chaos proprios, per-
do finado subdito
os Soares Guima-
escrivao o snhscrevi.
\rislao de Alentar Araripe.
DSGLAIICOE
Santa Casi da Misericordia do Recife.
A lilm.* junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia de Recife manda (az-r publico que'
110 da 30 do crreme pela* 4 horas da tarde as
salas de suasses-o-s lem Je ir a pra(-a as rendas
das usas aKjixo declaradas por lempo de 1 a 3
aunvs a luutar o Io de julho do cor-oute auno per ,
diaule.
Roa DireHa.
N.8publico e 3 particular.. .
Ra do 1 adre Floriano.
\. !t publico e 5 particular.
N. 47 publico e6 particular. .
N. 13 pnblice e 7 particular. .
N. i3 publico e 8 particular. .
Ra do F pon les.
N. 3i publico e l particular. .
It ua dos Pescadoras.
N. II publico e 16 particular. .
Roa das Calcadas.
I.03730OO
18631-00
185(K>0
3
1693OJ0
' 38 poblico e 22 particular. .
Ba das Cinco Ponas.
N. 108 publico e 24 particular.
1453000
SI6JS0O0
1573000
2315000
1983000
300.JOOO
liua le Sania Tiiereza.
N. 7 publico e 31 particular. .
Ra Oa linpt-ratriz.
X. C3 publico e 47 particular. .
Ra da Seuzaia Velba.
N. 21 publico e 71 particular. .
Ra Direita.
N, S publico e 82 particular para
jojai <: 1 lado da l'^uha.....
K. 7 publico 33 particular segn-
:l 1 ?ndar.........
Ra do Apollo.
K. 94 publico e 91 particular.
liua Velba.
N. 27 publico e 96 particular. .
Itua do Rosario.
N. 26a 34 lujan. ID. -
Uj pretendentes comparetjam no mencionado dia
com ijs mus li.idore< <>u com caita do- iriesmos.
S(r.'taria da Santa Ca-a de Misericordia do;
Recre 25 de novembro de 1865.
O ofBcial,
Manoel Antonio Vieas.
nbora do Ron Tarto.
dem da <-a*a ierrea no* Arromhalos n. 6, ava-
llada, a vista dos commo los que tm, -m I20, pe-
nhorada a D. Mariana Gjmes do Rozarlo Torres.
Mem da rasa terrea na Capunga n. 22, "avahada
em 1505000. penhorada a Francisco Xavier de
Lima.
Id>m no logar denominado Chacn, n. 12, na
estrada de Santa Auna, pela qnautia de 20i>5. pe-
nhorada ao Dr. Joaquim Francisco de Mello Caval-
canii, por Manoel Antonio dos Pasos e Silva.
dem da casa terrea na Casa Forte, i). 9, pela
quantia do 963, penhorada a Jos Joaquim Raboll
0U Itilieiro.
dem das duas casas terreas na Campia da
mesma Casa Forte, 11. 16 e 17, a va I indas, a da pri-
meira em 483- e a segunda em 365, penhuradas a
J laquira Jos de Santa Auna
litein lias casas terreas nos Arrumbados, fis. 15
e 16. ambasom niao e-lado, avalladas a de u. 15
em 603, e a de n. 16 ein 485, penhoradas ditas
rendas a Joaquim da Silva Castro por Antonio Lo-
1 pes de Albuquerque.
dem da casa terrea no largo do Remedio n. 3A,
avahada em 723, peuhorada aos hordeiros decae-
tana Maria Magdalena.
dem da casa terrea no Poco da Panella, ra da
Casa Forte n. 61, avahada dita renda em 60$, pe-
nborada a' viuva de Antonio Jo> Cabra!.
Recife, 27 de novembro de t8fi.'.
O solicitador,
Joao Firmioo Corris de Araujo.
Braolia, mulata, escrava......
Dr.'Robcrto, medico...........
Vieira, negociante e capitalista.
Magalhaes.................
Antuoes, amigo procurador-----
Arlhur, moco elegante.........
Henrique, guarda livros.......
Frederico....................
Alberto......................
Alfredo, esiudante de medicina
LeOjioldo, dem.........,
Um Pierrot, idem............. Santos.
Um criado................... Augusto.
Joo, mulato oscravo........... Saulos.
Convidados e mascarados.
Sendo este u n drama n 1 qul a Sr.' 1). Adelai-
de reprodoz duranie os qoairo actos quatro mu
Hieres inteiramente dilT-renles e um d'aquelles
em que a mesma aciriz rtcebeo do publico e jor-
nalismo fluminense os maiores encomios, o em
prezano escolheu-o, persuadido que o generoso
publico pernambucano approvara' a sua esculla
de preferencia para este espectculo que da' em
sen proveilo era face dos graves pre]oizos que ba
tido durante este lerceixo annj de sua empresa
Hiealral, porque se assim nao fosse nao buscarla
aciaalaaie astoaneto, banque houe.-n, para u.i-
uorar de algum modo semelhan'e siluaQao
Terminado o drami a r." 0 Adelaida recitara'
urna do suas lindas
De tima casa terrea r
Crioulas n. lo, em
tencente ao espolio
porttiguez Manoel
r3es.
iio^ii;
Terca-feira 28 do crrente ao iuei> dii
Por ordem do Illm. Sr. jeonsul de Portugal o*
agente Pestaa fara' leilo |pir eonta e risco de
quem pertencer de um i cata terrea edificada era
chaos proprios, con 4 quartos, 2 salas, copiar, co-
stana, cacimba, quintal ipurado e plantado, a
qual perlencente ao espolio do finado subdito
poriuguez Manoel Jos Sobres Guimares e sera
vendida terc felra 28 d > crrente pelas 12 horas
damanhaana pona da KsociaQo Commercial,'
as infrmateles que os pretendeutes exigirem o
agente as dar. I _________
De movis, louca a loutros artigas de
gesio
Cordeiro Miuies
por conta e risco de queral pert-nc.e.r fara' leilao
de mobdias completas do ^imrelio e Jacaranda',
santuarios, mesas, ead-*ra|, marquezas e uutros
objeetos de marcineiri i, calidie.iros. garrafas, ap-
parelhos de almoi; > e jantal- etc, etc.,
f BU* U-C
Tera feira 28 d) corfente as 11 horas.
No arma'e n a ra da (>(u n. 57.
utos da sociedade, e que v,.i ioimediatamente pro- danles que itverem de fazer exame i
ceder-se respectiva disiribuicao.
Sendo de toda a conveniencia a malor presteza
a Capunga na das no recebimento das (luanas subscriptas, a dwee-
toria provisoria roga instan temante a lodos os seus
dignos consocios que obsequiosamente se presta
ram a coadjuva la e.ste serwcp, e que anda nao o
ultimaram, toda a possivel activi lade no diu re-;
cebimenlo, alim de que quanto ant^s se possam i or |
em vigor os estatutos, e, slidamente constituida < |
organisada a sociedade, mais cedo venha ella a fa- \
margo prximo :
a.lnsua Frasaccza
C^cographia Historia
PhiloMoptiia
Slbetorlci e l"oet;ca
As pessoas qte se quin^m utilisar >':csta
zer sentir aos associados o s.-u benfico inOuxo. vantagem, poem diriir-s indicada re-
A'quelles a quem poder inleressar o aviso, jnlga ... ._ ,,
anda conveniente a oireeioria recordar que-do Io Silencia, de manila alJ as 9 lloras, e U6
de Janeiro de r866 em dimite, a jota ser de 253, i tai de a qudiner hora.
nao nvs de 103; pelo que convir apressar-se ,
cada um em saisfa*er a respectiva joia, d vendo
na mesma occasio receber um exeroplar djs es-
tatutos.
Secretaria do Monle-Pio i/orluguez em Pernam-
bueo, 22 de lovembro de HK5.
los da Silva Logo,
Presidente.
Joaquim Geiardo de Baslos,
2o secretario.
Sociedade de seguros mu-
tuos sobre a vida
Leilao
lie oO caixns con cerv-ja branca
-ta n. :" m^2
O agente Pestaa vndela' por cinta e risco de
quem ptrift-ucer 50 ciixas com cerraja branca em
lotes a vontade ou er um f lote. terca-feira 28
do crrante pelas 10 horas da mauba no arma-
zem do Sr. Azevedo defro'ite da escadiuha da al-
fandega.
LOTali 4
AOS 6:000*000,1:200^0)0
e 50000.
glLIlETES A' dOOO, MEIOS A' 25500 E
Coi'i*ede|ois d*ama^ha.
Acam-se venda ni ropecttva itiesou-
raria ra do Crespo n. 15, os liilhetes,
meto' e qamtos da 4a parte da 5* lotera
40a) a beneficio da Sania Casa cordia, cuja exliaci/m ser no !rt aiima
| publicado, e no lugar e hora do custutrie.
Os premios de (i.-ooDjjo.m at !U:>cOO
indoestabelecidjes-|serSo,a808 Ullla !i'Jia '^l"-"5 d'' fctSo
amediata vigilancia al as 4 horas da lardo, e os ouUos dej'ois
a dislriui^u das lisUs.
\s 'iicomineridns ser rtiardada* somon-
0 ili isoureint,
AutonioJos lio Irwuei dj ama.
^ %k m
Leiluo
POEZIVS.
Comejara as 8 horas
risos an

Sania Casa da .Misericordia do Recife.
h-1 nlnm 0,1 (nota administrativa dd Santa ua-
sa de Mis riconiia do Recife eonvido as pessoas
; lizerera arrendar as casas abaixo declaradas
fjZfii lo os concertos a sua costa para screm des-
contados dos alugueis a comiiarecere.m nesta se-
crel.na as 4 horas da tarde do dia 21 e 30 do Cor-
rente mex, sendo ditas casas pertencentes aos es- 2700 toldes grandes de meial.
labolectnrentos de candade.
ua Direita.
N :!:! publico e 4 particular.
l.ia do Azeiie de Peixe.
. I publico e 53 particular.
Ai'soiikI de goarra.
O conselho de compras do arsenal de
,./...fin precisa comprar o seguinte :
i lupww pafa Q fi0 h lU,ha0 da T0|nnuri0Si
11 li-ros de 200 f.-llias.
12 tilos de 100 ditas.
8 ditos de ,'0 ditas.
1 dito de 20 ditas
I bandeira imperial com haste lance e porte.
1 rapa de oleado.
1 d la de briOI.
17 cornetas.
17 conloes de 19a para as mesmas.
300 boneis redondos.
30 duos a Cavanhaque.
','> o mantas de la.
2ti bandas de dita.
20 cordoes de dita para inferiores.
2 espadas para saigeul > ijudante e qu..rtel-
mestre.
2 lahns para os niesmos.
900 metros de panno azul para fardas.
138;1 ditos para capotes.
693 ditos de bai-ia verde.
6(10 ditos de algodaosinho.
l-j ditos de auiagem.
49'iO ditos de brini branco.
2475 ditos de algodosmho.
IG85000
1003000
1:4003000
93000.
4783000
Coupanhiadiis MeasagrHes loa-
pe rales.
No dia 30 do
. ?* rorrete niez es-
pera-se dos por-
los do su I o va
por francez Gui
enne, comman-
dante Aubry de
la iVo, o qual
depois da demo-
ra do costuro- seguir para Birdtaux tocando em
S. Vicente e Lisboa.
Em S. Vicente ha um vap^ofeha jwrrespondcn-
cia com Gore.
Para condieeoes. Treles epassagens tratare, na
gencia ra do Trapiche n. 9.
guerra
96 duzias de latas com graja.
3 barricas eom prate*.
3 barris com liuguas. |
20 eaixas com sal refinado.
Tudo sera' vendido par fechar r.ontas por coa-
la e risco de qoem perMifer peloageoU l'eMana:
terca-feira 28 do crrente lelas 10 1|2 horas no
armazein do Sr. Azevedo :d-frouie da escadioha
da al tandera.
*-x
TIMOS
ei
teiiao
i o I a chin lia
GAVAm.1 !i$\SILEI!?\
D
DE
QUETES A VAP03.
D* .hiamiI.1 .1-,.. i.elii/ A*. i,.i
i)c O liariicas com
Qttarta-feira 29 do correnlc.
O apente Potan bra' jellao por c rota e risco
de quem pertencer de 50 bar/feas com excellente
bolachinha americana desembarcada ltimamente
a qual ser ve.niiida em lijes a vontade dos com-
prad .res : iuarta f-ira 2!) do correal; pelas 10
horas da raaobaa no arnaiem do Sr. Azevedo
defronte da escadinlia da plfandega.
LCIIiAii
O banco Allianca do Porto I
ta sociedade dehaixo de sua immediata vigi
e ri-sponsabilida le, facilll u a crt-ag.io de capilaes,
dotes, rendas, pensSes, isen^des do >ervQo das ar-
mas etc., por meio de suhscripgSos nicas ou an- .. .. ...._ ... v|r....ri,.
nuaes^s uuaes convertid ,& era uscripcaes da di- w rtlt
vida publica, de renda nacional, < da mesma forma
os joros semestraes que d'elias se forein vuncando,
ficam por uro cerlo numero de anuos em deposito,.
at que. rindo o |>razo e.-tipnlado, sao restuidasl
aos socios com os interesaos amonloados, beui co-
mo as que pertenceram aos assecianos fallecidos, i
visti que d'esles sao herdeiros os sobreviventes.
Pela encenhosa combinaban econ tmica adoptada ;
nos clculos deslt sociedade, vese que, rmn urna
entrada annn-il de 503000, por ejemplo, obtem se
em 5 annos 4503000 > 000500.. em 10 1:5003000
a 2:000iioo, em 13 3:5003000 a 4:5003<>00. em
20 8:0003000 a iO:00O3n00, em 25 18:0003000 a
S5:0()0j0ii0, conforme a idade do individuo sobre \
quem c feito o segiiro, pois que n..s referidos ral ]
culos conta-se com a malor ou
de d^ doracao de vida.
Esta sociedade e sobretodo vantaj isa aos rhefes
de fa i-ilia, vi^to que Ihes facilita seui sacrificio a
fandaco de um capital ou dote para seus Qhios ou
filhas, segurando os qu.indo oascem ou emquauto
sao cn-ncas.
Quem, pois, mais circmnstanciad>s InformaeSes
de-ejar sobre tal sociedade; ou se qutzer inscrever
como socio d'ella. dirija se a ra da Madre de
Deus n. 28, onde sepodera euteuder com Joo Car-
los Coelbo da Silva, que para sso se aeba eucar-
regado,
Fabrica de chapeos de sol !c <3
F.iqaie, rua lo Crespo sj 4.
Neste anngo e acreditado estabeleeimento acha ; pa^a a rua do Imperador n. .>o, tegUtWO
: se sempre um completo e vanado sortinient-j dejan-lar,
chapeos de sol de todas as qnalidades e
CONTHA FOG?.
a companhta Indemaiaadora, estabcleci-
menor prubabihda-1 (ja nc.-ia piara, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregame.tos, econira
f",'o em edificios, mercaderas e ni<>l>ilias:
na rm do Vigario n. i, pavimento terreo.
Contrala-se mais 3,500 dormentes madeiras ile quali lados para o eaminbo de
ferro de Ap pito is : quem preteoder cinn-
Kua dos Burgos.
N. 2 publico c 57 p ilicnlar.
N. l-' publico e 58 particular.
Itua do Pilar.
S. 72 publico e 59 particular.
- i;.a do Charol.
N. 72 publico e 00 particular.
S .retina da Santa Casa de Misericordia do
Recife 21 de nove.i.bro de 1865.
0 official,
Manoel Antonio Viegas.
Santa Casa de Misericordia
do Kecife.
A illnstrissiraa junta administrativa da Santa
Casa de Misericordia do Recife, manda convidar
aos ; rentes oo interesados das orphaas abaixo
declaradas a comparecerem sem perda de tenvo,
1.1 s< cretaria da mesma Santa Casa, alim de assig-
narem o termo de responsabilidade para o effeiio
da di posicao do 3." do aitigo t da lei proviu
cial n. o'.b de 13 de maio do anno paseado
lsdii-l, lilha de Archangela Bernardina.
Ant ihw, hltia de Diono Soares de, Albuquerque.
I! -i. popiiia de Jos Alves Barbosa.
Osara, eniiada de Mana Jinuaria da Concei^o.
Cuiloeriiiina, dem.
Firoiina, lilha de Francisca SiWiua de Birros.
Emilia, alilhada do Dr. Francisco Jos Fernandes
G-tirana.
Benri<|neta, lilha de Manoela Maria do Espirito
Silln.
Emilitana, fllha de Prancelina Maria B rges.
Marit, lidia de Alexaodrioa Ivn-ira de Souza.
Poii-ioifiia. dem.
Aiit'oii.i, lilha de Marcelina l-'i-.-m-isea Guimares.
H mi na, lilha de Leandra Tbereza de Jess Barros.
A-lel lide, lilha de Maria Ua Luz.
S. cretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife 25 de novembro de 1860.-O official, Manoel
Antonio Viegas.
2100 ditos pequeos de dito.
As pessoas que qnizerem vender ditos artigos
apresentein suas propostas com as competentes
amostras, na sala do conselho de compras, as 11
horas da roanbSa do da 28,du correi.te.
Sala das sessoes do conselho de compras do ar-
senal de guerra 24 de novembro de 165.
O encarresado da escripluracao,
Manoel iosf de Azevedo Santos.
de guerra.
COMPAMIlA
DO
Nao se tendo reunido numero legal dos
Srs. accionistas para ter lugar a assembla
getal annunciada para hoj sao novamente
convidados os mesmos seubores a se reu-
aiircn no dia 8 do corren te mez ao meif>
dia mi escri|4orio da m^sina comparrlsia,
alim de exarainirem as coritas do semestre
Godo, approvar o orcamento do semestre
vintlotir. e de retar o pagament) do 35
dividendo, previnindo-se que na conformi-
dade il 1 artigo 16 dns estatutos, a reuniSo
sera' considerada completa e fnnccionar
com o numero de accionistas que compare-
ce ram neste dia.
Escripiorio di Companhia do Bebcribe
25 de novembro de i865.
O secretario,
r. Joao Jos Pinto Jnior,
Toi transferida para terga-feira, 28 do cor-
Tente, depois da audiencia do Sr. Dr. juiz munici-
pal da vara, a arrematado do terreno em fren-
te a travessa da rua da Palma desta cidade, eom
Irseaa
0 conselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar osiguime :
Para o 2 hatalho de guarda nacioual
destinado ao sul.
8 livros de 150 folhas.
4 ditos de 100 ditas.
1 bandeira Imperial com haste e porte, e lanca.
1 capa de oleado.
1 dita de brim.
17 cornetas de loque.
17 cordoes de lia para as mesmas.
400 benels a Cavanhaque.
400 mantas de laa.
27 baudas;
2 espadas para sargento apilante e quartel-
mestre.
2 telins para as mesmas.
26 rordo-s de la 1 para canudos de Inferiores.
1,650 metros de brim branco.
820 ditos de algodiozinho.
Quem qui'.rr vender ditos artigos apresentein
suas propostas na sata do conselho, as II horas do
I dia 28 do crreme.
Sala do concilio de. compras do arsenal de guer-
ra 24 de uovembro de 1865.
Oencarrejjado da escrptnrae.ao
Manuel Jo? de Azdvedo Saulos.
"GORREIO GERAL
Pela adminisiracao do crrelo desta cidade se
' faz publico para fins convenientes, que em virtude
ido dispusio no art. 138 do regulamento geral dos
correros de 21 de dezembro d* 1844. e art. 9 do
decreto n. 783 de 15 de maio de 1831, se proce-
der o consumo das cartas existentes na adminis-
tracao do corr^io.pertencentes ao mez de novembro
de 1864, no dia 2 de dezembro prximo, as 11
horas da manha, na porta do raesmo correio ; e
a respectiva lista se acha desde j exposta aos
interessados.
Administraban do crrelo de Perr.arabuco 24 de
novembro de 1865.
O administrador
Domingos dos Passos Miranda.
"fiRREHI GE\L
Pela administraeo do correio desta cidade se
faz publico que em virtude da convenci postal
..delirada elo ;iovern"> brasilero e fraucez, serao
expedidas malas para Borona no dia 30 do corren-
te mez pelo vapor fra.icez Gai/enne.
As cartas serio recehidas al a< 2 horas antes
I da que for marcada para a sanida do vapor, e os
jornaes at tres horas antes.
Administracao do c irreio de Pornambuco 24 de
novembro de 1X65.
O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Na le rea- (eir, 28 do crrenle, na sala das
audiencias, linda a doldm. Sr. Dr. juiz munirip.il
da !* vara, se ho de arrematar tres moradas M
casas terreas na rna de Motocolomb da freguezta
dos Afogados, sendo urna em i-ho praprio, eduas
em foreiro. as quaes vao a' pra^a por execuco a
Joaquim Josjroes de Souza, contra Praaekco
Jos de Oliveira e sua mulher ; escrivao Baptisia.
Pelo }uiz de paz da freguezia de & Fre Pe
dro 6on$alves da cidade do Recife vai a' praca do
nesmo juiz, no dia 28 do correte as Ift bocas da
E' esperado dos portos do norte
at o da 7 de dezembro o vapor
Ogapork, commandante o capitao
leiirole Castro Costa.o qoal depois
da demora do costume seyuira'
para os peos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir a qoal dever
ser enibarcada no dia de sua ehegada, eneommen-
das e dinheiro a freie at o dia da sabida as 2 ho-
ras : agencia rua da Cruz n. 1. escriplorio de An-
nio Luiz de Oliveira Azevedo & C
Os fretes de dinheiro para Parahiba, lito Gran-
de do Norte, Cerrr e Ulacei, Heam reduiidos a
Dinheiro papel. 1|4 |0
Ouro......1|4 |0
___Prata...... 3|4 \,
COMPANHIA BSILEIfiA
DE
PAQUETES k VA*ORe
IT esperad-dos porlos do sul
- v,' ^4\ al o di.> 33 do correte um dos
''V^./"^: vapores da companhia, o qual
' "S$ ,ll'l""> ^a a'roora do costume sc-
Sflp gira' (tara os porto- do norte.
Desdeja receoem so passae.irs e engaja-se a
carga que o vapor poder condozir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua ehegada, encom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sabida as
2 horas : agencia rua da Cruz n. 1, escriplorio de
Antouio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Os fretes de dinheiro para Parahiba, Rio Gran-
de do Norte, Ceara e Macei ficam redozdos a
Dinheiro papel. 1|4 #(o
Outo......1|4 |o
_______Prata. .___. 3|4 i._______
COMi'ANHA PEIlNAMIJCAA
DE
Naveg'Caocosteira por vapor.
'.Macei e esealas.
Sjue no dia 30 do conente as
5 horas da tarde o vapor P.i-
rahyba, commandante Manins.
Recebe carga ate 0 dia 29. En-
contmendas, passageiros e di-
nheiro a frete at o dia da sahida as 3 horas da
larde : escriplorio no Forte do Malos o. 1.
Rara Lisboa
sahira' com brevidade o brigue portuguez tCons-
tante II, recebe carga a frete e passageiros, para
os quaes tem excellentes commodos: trata se com
Manoel Ignacio de Oliveira Filbo. do largo do Cor-
po Santo n. 19, escriplorio.
Ilio de Janeiro.
A barca Jovem Palmita, de 1" classe, segu com
brevidade, e recebe alguroa carga a frete : trata-
se com o consignatario Joao Francisco da Silva
Novaes, travessa da Madre de Dos n. 5.
Para o Rio de Janeiro segu em poucos das
o patacho nacional F por ler pafte de seu
carregamento prompl; para o resto tratase com
seu consignatario Domingos Alves Matheus, rua
do Vigario n. 14.
tara o Rio de Janeiro
Vai sahir com brevidade o brigue Adelaide
por ter a maior parte de seu carregamento trata
do ; e para o qua Ihe falu, trata se com o consig-
natario Joaquim los Gongalves Beltro : oa rua
do Vigario n. 17, Io andar. ________________
Para o Porto.
Deve sahir com brevidade o brigue portuguez
Esperanza por ler a malor parte de seu carreua-
meuto ja' tratado : para o resto e passageiros ira-
ta-se com Cunha, Irinaos & C, na roa da Madre
de Dos n. 1, ou com o capitao a bordo
De mobias completas, tristes avul>os, ob.'erlos de
ouro e prla, candieiros a gaz, pian s de mesa
e de iii'ioario. S'Rctoai*, commodas, marque-
zas, v-:iii -,s, Mif s, e uniros mmtos artigos.
Quaiti-frira l) do cirreot-i as 11 hotas.
Si) rin W-K \!Mi7,'.nt I-> *GI?\'TR
OLYNIPIO
precos,
tanto de seda e alpaca,como pao de todas as co-
res, para hmeos, se.horas e meninos, (joanto aos
precos sao os mai- razoaveis possiveis, tambem ha
om grande sorll. eoto de pegas de seda, alpaca e
parm para as pessoas que quizerem enenromendar
chapeos de sol e mandar cobrir armaco.s servidas,
cooe rtam-se os mesmos, sendo todo este traba bu
feilo com toda a perfeicao, presteza e commodo
preco : na rna do Crespo n. 4
" GARliAUX DE LAILHAGB & C.

30-
-K..ad.i.,aci;,i>KeC.fe-ari LIBHAIRIE FRANQA1SE
LEILAO
Oe sobrado de um andar da rea de S.
PraBffefl* u. 72.
O agenij Marlins fara'ileilo Irgalmente aolori-
sado do sobrado de um andar da rua de S Fran-
cisco n. 72, couhecido ptk> palacete oude outr'ora
morn o Sr. lir. SaUjo, couw grandes salas,
quartos, nuintal e milito benwollorado.
Quarla-eira 29 do corrente
As II horas na p irla dn A-sociago Commercial
os pretendeotes podem *xauHnar o referido so-
brado.
Rua do Crespo wi 91.
LIVROS NACIN'AES E ESTRANGEIROS
Rcligio Pbilosephia Jitrisira:lcncia Linera
tura Scieacias e artes.
Papelaria, olijeclos para escriplorio.
A actriz Adelaide Amara! vivamenie penho-1 l'-na i40"J a
rada pea manifestacio a mais honrosa e disiincta 'cordia
gasa da Ymm
Aos 6:0000000.
asilhetcs garanlidos.
A' RUA DO CRESPO .Y 23 E CASAS DO COSTUME
0 abaxoassignadurenden nos seos muitofeh-
i~> bilbetes garantidos da lotens que seankoa
Je extrahir, a benetteio il^s familias dos vultwla-
rios da p itria, os seguintes |tremios:
Um inteiro n. 1120 com a sorle de ( 0003.
Dous i|uintos n. 2S93 coa a sorle de 1:2003
Um meio n. 3389 c un a sorte d 50ll*OOJ.
E outras muitas sortes de looj, iilf, 203 a
IQfOOO.
Ospossuidores podem vir receber seus respec-
ti vos premios sernos descontos das i ei na Casa
I di Portnna a rua do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 4" parte da "> lo-
beneticio da Sania t;asa da Misen-
do eor-
kilAo
%i ria-fwa 2!) Ip. aovembro.
Pdo agente Eumdo.
De urna grande-proprirdade de u. 33 sita na rua
do Hospicio, contendo grandes accommodagoes,
tendo de frente 7 portas at para se fazer dons
sobrados indepen lestes, por quanto tem os repar-
limenlos que se prestara e terreno alin todo mu-
rado rem grande cacimba de boa agua, casa de
banho, arvoredos e plantas prpilas de jardim.
bello rt-creio e nutras vaitagens, que s a vista
podem aroelhor apreciaros Srs. predentes, para o
que siVdesde ja conviditdos ao previo exame, alira
flefazerem urna compra magnilica.
LEILAO
Quarla-feira 29 de. novciubro
Pelo agente Euzebio.
Be 3 casas terreas de ns. i, 3 e o sitas na rna
do Hospicio, chiio foreiro, rende cada urna 3003
anuuaes. ______^^ _______
iii2|i*\d
De un sobrado na rua da Concordia
numero 13.
O agente Martins farS leilo competentemente
' anihorisado de um sobrado de um andar sito na
; rua da Concordia D. lo, com 1 sala*, 5 quartos,
| cosinlia foru, lendo oo andar terreo os mesmos
' commodos, com tres quintaes e cacimba e todo
; elle muito bem tratado, pois as alas esli forra-
idas de papel (chao foreiro rende annualmente
6003.;
Quarla-feira 29 do corrente.
As II horas na porta da Assoe.iacao Commercial.
LDIii40
De fazrnJas avariadas a saber*
14 eaixas com castores e fazendas d^ algodo ava
riadas a bordo do nato brasilefre ERNESTINA,
naufragado na barra do Acarac.
Qoaria-feira 29 de nnveinhro.
Na rua da Cadeia armazem numero n. 29.
O agente Pinto fara leilai a requerimenlo de
Flix Sauvajie t C, por autorisaco do Sr. cnsul
de Franca e por coma o rMeo de quem pextencer
de 141 caltas marca AF&C, com fazendaj de al-
goda (a-lores), avariadas a bordo do navio bra-
silero ERNESTINA, naufragado fino Acarac.
U leilao sera etlectua lo a.-. 10 horas do da ci-
ma dito no armazem da rua da Cadeia n. 29, era
frente ao becco largo.
cm que f..i brindada pelo generoso publico ^per-
nambucano, na iioite do seu beoofleio era 25 do
corrente. vem por este meio agradecer do intimo
d'alma aos distnu-tos eav-ilheiros que tao brilban-
temenle a sandaram eom suas poezas, as donosas
e bellas pernambocaoas que dos seus camarotes
grario-anvnie agitavam seus lencinbos, as ilius-
tres redaccSes desta capital, a seus traaos d'arte,
i e Dnalraente ao difino emprezano do Iheairo An-
tonio Jos Ruarte Coimbra seu innao d'arte tam-
! bem di qual tem recebldo as mais sinceras pro-
', vas de considerado e amizade.
rente.
jue se extrabira qoinla feira 30
PRECO.
Em res. osla de um protesto feito no iornal
do Recife. por Antonio Joaquim de Vasconcellos
sobre a venda da osa e sitio no Poco da Panella,
i sou forcadj a declarar ludo quauto diz respeiio.
Diz Antonio Joaquim de Vasconcellos que coro
prou ao Dr. Manoel Innocencto Pires de Figueire-
do CamargO n na parte da raesma casa e sitio e a
de'Vicente Tliomaz Pires de Figieiredo Camargo
adjudicada pido Jauto do commercio, c,on>ideraudo
en que os mesmos Srs nao podiam vender ditas par- na rua do Trapiche n. 36, 2o an lar.
tese nem adjudicar, em raza i da parte que pertenee Qoen precisar de um raixeiro de idade de
ao Dr. Manoel [nnocenelo estar suieila ao srll > de | |j annos com pratica de taberna, dirija se a rua
heraoca e oa quinta parte da quantia de 3:09*3, | de S. Francisco n. 70.
aue a tina! i sua mina fi.-oii devendo como consta ... ? .
dos autos do inventario, assim como a V.cente T^^TJ^TJT *"*
Tbomaz nao si sujeiU as me-mas dividas como | rua larga do Kosario n. 14.____________________
Bilhetes 6500
Meios......33000
Quistos.....13200
Para as pessoas que compraren! drlOO^OOO
para cima.
Itilhetes.....53500
Meios......23750
Quintos.....I3I'H)
Manoel Martins Kmza.
Oub PeruamUuCfiiio-
0 baile do anniversario de su instalh-
cSo ter lu^ar em a noite do 1. de dezem-
bro prximo futuro. ___
A mo
Precisa-se de urna ama que saina enyommar :
tambem por t^r urna parle penh .rada pela lazenda Precisa-se alagar un negro par 1 servir, >
e julgando me eu senhor de tres parles da dita de retinagao : na rua lo N igu-ura n. 2'i, segninio
casa e i-redor da quamia de 2:7O03por isjo venho andar.
perante ao publico protestar contra a dita venda e j A|U)a.se m sepun^0 azular na rna de Aguas
adjudlcacSo, porqno tudo isto foi feito com lodo si- Verdes 86 a ,ralar Da rua das Cruie* n. 9,
lencio e sem os outrts herdeiros lerein o menor ; pninejro an(|ar.
i conhecimento. Com mais vagar voltarei para dar F .
os esclarecimentos necessarios. Recife 27 de se-1 rua da Cadeia do rWnV n. SO deseja >e
I jemDr0 de |86o. jallar com o subdito francez Matlieus Lamoro.
Antonio Bexerra Cavalcanti de Alhnqnerqne.
Precisa-se de um criado forro ou captivo que
: enteoda um poneo de easinha : na rua da Impe-
ratriz n. 45, segundo andar.__________________
"'C0MPUI1IA
.DE
\^^\<
de Publica
Offerece-se urna ama para o servico lolenK de
casa e coznhar : na rna das Trinchelras n. 40.
PEDIDO.
Pede-se a pessoa qoe mandn pedir um ellim
j 'emprestado ao Sr. Manoel t abePo de Arroda rom
beglirOS lUaritllJlOS U tlll(ia- coebeira na rua do Sol, o favor de Ihe mandar en-
tregar.
frecisase de om menino para caix-iro : no
A directora para execugao da 2' parte do art. armazem de louga do paleo do Terco n. 139.
41 e dos arts. 25 a 27 e 42 dos estatutos, convida
aos senhores accionistas a se reunirem no escrip-
torio desta companhia, rua da Oadeia n. 42, no dia
30 do corrente ao meio dia.
Recife 27 de novembro de 18tio.
Os directores
Feliciano Jos Gomes.
Dominogs Rodrigues de Andradn.
o ubo
Roubaram no dia 23 do corrente, do irmam
da rua da Crnz n. 57, 16 chapeos do chile um pitu-
co grossos e de diversos lmannos, e 5 chapeos de
Aluga-se urna grande casa ierrea com sitio, n,a.sl piird(>s. ^t^e a quero for offereri*i dl.
na rna de Joao Fernandos Vieir n. 52 : a tratar j of,je(.IOS e os apprehender e dar scienria no re-
LEILAO
IEILES.
Transferencia de leilao
O leilo das IV eaixas de castores avariadas an-
nunciado para boje por intervengan do aeente Pia-
lo, fica transfierido paa terca-feira 28 do corrate,
a Diaria de segunda-tetra, esigntr o lugar.
De ma cani ab-rta, 9 arrobas de velas de car-
nauba, 20 pedamos dj laboas, um balco, um
relogio de ouro, omi corrente, uro tranceln!,
uro anelilo, un bola > de abertura e um dito de
punhn.
Quinta-feira ?0 do corrente.
O agente Marlins far lealj por cunta e risco
1 de quem pertencer dos objectos adro existentes
no caes do Ramos armazem n. 24, as 11 horas a\>
dia.
AVISO* DIYEMSiA,
Precisa-se- alagar um roolejo* o urna escra-
va : na ruad tivraawnto n. l\ 2o aadar.
no sillo dos quatro Ie5es, na mesma rua, das 6 ho-
ras as 8 da manhaa, e das 4 da larde ero diante.
O major Amonio d* Silva Gusino faz scien-
te a quem convier que elle senhor e possuidor
das trras denominadas Caehoeira, e oe outras
denominadas -Torre, em Pianr, provincia da Pa-
rahiba, cujas trras limitara c >m o no, que as se-
para das do Sr. Jos Jacome Tasso; fazendo tal
advertencia, tem s por :n prevenir de .pi.l |uer
duvida a alguem que isso ignore, e desde ja' pro-
testa contra qualquer acto de extorsao praticado
era ditas suas ierras.
^mmmmm,^__ i.
A pe-sua que annuocou pelo Diario de sex-
ta-feira 24 d > corrente roez de. novembro dar a ju-
ros 1:0003 a 4:0003 com hjpotheen em predio,
querendo m propiiedade rustica e de subido va-
lor, aonuncie aonde deve ser procurado para ira-
tar-se desse negocio._______________
Creme*
Sorvete de reme hojo ao roci dia : na rua do
Trapico* n. Uk
ferido armazem, que ser reeompen*nVt.
Alagase urna grande casa terrea na Poato
de Ucha, a beira do Rio : a iraur na rua doA-
monm 11. 54.
i i
.i
n
Urna pessoa bem hbil na eseriptoraeao ronMter-
cial, e qoe est anda arrumada, mas qoe deseja
sahir por motivos ju>Ios, offerere-se para qualqner
loja de faienda, ferragem, nn ootras rata, dando
garante no boro deempenho e a soa cundacta:
quem ipiizer annuncie.
Arrenda-s^apropriedadeSanta Croz, comar-
ca do Cabo, meia legoa da eta?o da Fin, eom
boas malas e ierra para plaoucd.-s : a tratar aa
praga da Boa Vista n. 8.______________________
Precisa-se alugar urna ama para lodo o ser-
vico de casa ; na rna larga do Rosario a. 33, pn-
meiro andar.



Diario de Fernasabaem aere* lelra 8 e \ovembro de a .
na
I
3

*v 3 cr
c
ra
s
> 1 C
e a
53 o
H 3
P3
X
8 a
3"
fi9 -5 3
se
o
OS
ce
LllrJrJrJrJrJrJ-JrJrJrJrJrJrJr3Hia3
_ "1 S- < i:?efl". Hraraa^aSSSSIBISSSSmBramSDHBHSBrara m
l5
5
l
s
s
SI
s
5
g
aik^iiliftlil
|sip|||i|&!iBf&e
2 I *' I S o. I
C^artatt*, it Cailljacar ct Cu
(prespo rsr. Q
iwto
DE
C4VALL0
(la 4 encjidernado.)
VARELL4 VOZBS DA ANERICi
(la d eucaderpado.)
Na noile de 18 p.ra Hfd, correa** formo s
cavado mellado rasiVi, da e tr.ba'ia 4o o 4
com sellim logta qn-i r*>vo ; cojo vallo
dinas e caada preta*. as chin* sao grama ea-
hem sobre amb > o- lama do pese era t lera n
ferida pequea na rain raiM ; e-la aeoslaraad a
andar em cal iolei e bei mli -rulo ntst> i-ra queui delle der noticias certa* oti lev-lo a" Batra-
cia, sobrada de dous andares a. 2, sera graticaa.
Alug

se
I'O^I!,
Ama.
Precisa-sede urna ama fjrra ou captiva para
cotinhar e eomp'r, para casa de piuca familia :
na ra da Concordia n. 3i, sobrado do arinazem
do sol.
$3 O hachares1
t! Francisca \Uj!,usto da Cosa
X
AOVoOADO
Ra do Imperador numero 69.
Mi
Precisa-se fallar cora oSr. Prand*f de Pau-
la Borges Dcnoa, que foi esenvo tu Toi re ; na
roa Nova n. 59.
O abaixo a*signado pode ao Sr. Joaquim Ma-
noel do Reg Brrelo (ronhecdo por Barra Gran-
de) que declare qual a letra falsilicada, pela qual I
esta endo executado, com tem dito a diversas
pessoas, se o nao lir passara por un. infame e vil ^^ ,, UBM am, d |pj|e
calumnudor. ^^ ^ ^ ^^ w> terceiro ^
RBSt
Alupa.se o tereeiro andar da casa n. 88 da
ra da Imperairiz, e sitio n. i da estrada do Ar-
raial : no ra da Auioia n. 36,
A ma iie Icite.
Pues de Andrade (M. (1) Flores Paludas, in 4 broch.
> > > Flores Siugellas, in 4 en-
caderoado.
Virtra de SdSaudades, in 8 broch.
Pimo Colliu Trovas Mineiras, In Sftroch.
A Assumprao Poema, m 8 encadenado.
Burros (os) -Poema, in 32 ene.
Cantospor Goncalves Das, in 8 ene.
CarnmurPoema pico, in 8 ene.
Marilia de Duceu Poema, 2 in 8 ene.
Mndez LealCnticos, 1 in 4 ene.
Miniis Inspirarles poesas, A. M. dos Kels, i in
4 ene.
Novas Poesas de Francisco Xavier deSovaos, in
4 ene.
Olirasde M. A. Alvares de Azevedo, 3 in & euc
Obras de Filalo Elysio, i I in 4 ene.
Obras de Gil Vicente,'i in 12 ene.
Obras de M. I. da Silva Alvarenga, 2 in 8 ene.
Pacoliilia potica, in 8 ene.
Parnaso Brasdeiro, "2 in 8 ene.
Pai aso Lusitano, 6 in 12 ene.
Poesas de Amerko Elyseo, i in 8 ene.
Poesas e Cantos de A. Gama, 1 in 4 ene.
obra Divuits.is. OBJECTOS PAR4 ESCRIPTORIO.
A Constituale petante a historia, por F. J. M. II. de P<*nas, canelas, apis, hnta,elc.
Mello. : Prensas para copiar com todos os pertenec.
fl(i/-6-Curso Eleweutaride Pilosophia, Paris 1863,' Iiwo em bronco, etc.
2iu8.
BoacliarUat -Manuel de fnatire medcale, 2 iu 8.
Formulaire magistral, in 8.
Clierni,viz ['.-riiioiaii i, in 8.
n. in 4 br.
rature grecque, 2 in 4,
Vemltot le Guopcr (tali
Mutlerhi.-loire de la lii
1863, etc., elf
OBtltiCTO* ilELICJIOSOS.
Etttmpa* religiosas em f tmo e coloridas.
Flummarion h-s monde: I oaginaires. in 4, 1863.
ufuuMtliode o'obser 'alion, in 4, 1866.
Imagens de Santos colo.'i
Collecco Me e*tampas vu sacha.
I poesias Completas de B. J. da Silva Guwuuaes, 1 Estojas de malltematiga
I tinte i'i.imiii.' iirt'ln m ti
na ra do Im-
- Fugio no da 4 do crreme um moieque da I Alugam-se tres casas na povoago do
nome Cosme, de idade 13 annos, cor bem preta. Monteif O a margem do rio, COpJ muitOS
cabeca comprida, magro e b. m ri'gri>la : quemo^;. coiliiiiuduS e em mullo bum estado
de limpdza : a tratar na na do Crespo n.
in 4 ene.
Obras dos principaes poetas brasileiros, portugue-
zes, franceses, etc., etc., etc.
o-, dourad
os, etc\
Rosarios e Crucifixos de
Manuaes de Missa rieanM
(iu, velludo, ele, etc.
OBYECTOS IMKA I O.
Papis de. lonas as qualirailes.
Caixusde tintas finas -f
martim lavrado, ect.
otcencadernados de mar-
ineis.
cor.
pegar o poderr. b-var a Sanio Amaro, junio a ta-1
roa do Sr. Antonio do llego, que se gratificar
generosamente.
O collegio dos orph >s lera precis.io de sr-
venle : a eutender-se coin o director do niesmo.
Prerlsa-se de um menino para caixnrode
ura deposito : u.i ra das Cuco PouU u. 48.
lilla escrava.
PKIHElRAW LUTR1I.
C. Adler's -Norma para esciipia.
Carstatrs e Butteiworlhviemi>\os de escripia in
gleza.
20, esquina, cujo preco de alugnel e ra- Gaivo-Syiiabario Ponuguei.
Preclsa-se alugar urna .-erava que ralba co?i- \ deia Velha.
nhar, paga se bem : na na da lmperiiri n. 47,
seguudo andar.
Aluga se urna rasa na Bna-Viagem, rooito
fresca e eommoda, e perto do banh salaado : quem
precisar dirija-se a ra de Apollo n. 32, ou ao es-
criptono do Dr. Fon*eca.
zoa re.
"" Caa em OSInda
Aligase um .-oiiradn ha pouro reedificado na
I ra i|o Amparo da cidade oe O inda : a iralar na
i loja do .-obrado ju-.l >, com o Sr, Guilherme Jos
! dos Sanio-:, o:\ no llecifc. lija n. 43 da ma da Ca-
Novo methodo de ensinar a ler e escrevee por A.
Freir da Silva, etc., etc.
Lapis, cratons preto e de
Estampas colorvlas, etc.
PAPELAKIA
Papel de peso, alinasso, grl-ve, fl irrite, etc.
Popis de cor e l.rancos |de marca grande e pe-
quena
Enteloppes de todas as quididades.
CarlorS de visita.
Ditos tiara participarlo dtl casamento.
Envetoppes de renda para jos ditos, etc.
MAPPAS GEOGBAPHICOS.
Gtobos terrestres, ele.
KTKRi-:0C'OIOM.
Vistas para os mesmos.
Collecr^Ses de photogra|ihias, etc.
TATI'AH i: BRO.IZE.
Tinlelros de btonze.
Pesos para papis.
E-tojos d' toilette.
Pastas, etc
l-U no : l>l \o.
Com estampas finas e ricas encadrna^oes, pro-
prins para presentes.
RETRATOS DOS ACADMICOS VOLUN-
TARIOS DV PATRIA.
Assiguaturas para jornaes di Europa.
> Jornal das Familias.
> Revista Jurdica.
t Archivo Luterano,etc.
FOLHINHAS PARA O ANNO DE 1806.
ALMANAK LUSO-RRASILEIRO PARA O
ANNO DE 1806.
Livros dclembranc s para o anuo
de 1866
RALOES LANTERNAS DE PAPEL DE COR
! PARA ILLUMiNACOES.
um sitio na Passagem na Magdaira
do rio Capibaribe, junto ao do Sr.
Manoel Ignacio de O.ivnra, ten. U,i casa cara sala
de fistol e gabinetes estucados t esleir**. 4
quarios, sala de jamar e de espera, rnisraa des-
pensa, quarto para preM, um ralis cora *ra*m*v
estribara e asa para fet.r, urna baiaa de eara'*
para sustentar tres cavados lodo o arara, atajaras
arvoredos fracturara : a tratar n-> Rerife, raada
Brurn n. 66, armazem de assecar.
Grande B;izr
Jr^Zf Zs>jt
Preclsa-se de urna ama para o servido interno
de nina casa de pouca familia : a tratar na praca
do Corpa Santo u. 17.
Aluga-se a casa da ra Imperial n. 201, pro- J Hi|lelr0 Qalvao fazem scienle a., publico e
aria para refinago ou otilro qnalquer eslabeleci-, 0 ,.ur do c^mejoo ,|Ue dissi Iv. ram amlgavei
memo, por ler mimos coi modos, qolntat grande roeole a ..ri^iade oue nnham na taberna da roa
murado e portJo para fra : a iralar na ma Dire
ta n. 84. ou na mesma ra n. 211.
Precisa-so comprar urna ou duas casas ter-
reas que lenham boas commodos, na fnguezia de
S. Jos ou Santo Antonio : quem as liver dirija-se
a' ma Bella n 12.
Precisa-se
Bella n. 33.
de nina ama deleite: na ra
n
elitista de PemambucoJj
Hua estrella do Rosario n. 3,
ao p FR4WCISC0 PfflT
Colioca deutes artiQciars
pelos ysteiuas ucals iu>-
tltrnos
Bmprega todos os meios scieniificos para
conservar os naturaes. Porte ser procura-
do em ieu gabioete das 9 horas da ma-
nhaa as 3 da tarde.
|t
Direila n. 93, ncando iodo o activo e passivo a car-
go do -ocio jeronymo Ribeiro de Soua, e isto
desde o da 18 do crreme.
^K 0 Dr. Carollno Francisco de Lima San- H
x tos contina a morar na ra do Impera- iiSj
2 dor n. 17, segundo andar, tendo alias seu w
j| gabinete de consultas medicas, logo ao ^
^t entrar, no primeiro. ra
SB* 0 mesmo doutor, que se tem dado ao JP
H esludo tanto das operacoes como das mo- ^
Kleslias internas, presta se a qualquer cha- y^g
mado, quer para dentro quer para fra .:?<
^H da cidade. Jila
m&
ASTHMA ASTHMA! ASTHMA
SUFFOCQO NERVOSA E OPPRESSAO
nico remedio efficaz para eombatlir estas moleslias, acalmar um attaque d asma e impedir a
volta o Xarpe aromtico de Succino (mbar amarello) do Dr Danet. Deseo cria inleiramente
recente, este novo producto se tem propagado com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzido.
rieposilo geral, na botica Chauveaud, Si, ra do Comercio, Paris-urenc le, e em todas as
biicas de Franca e do estrangeiro.
ALCOHOLADO de GUAGO

39^9
No arma/.em da bola amarella no oiiao i!a secre-
taria da polica recebes-so encomm^ndas de fogo
a dor para demroe fra da prouincia.
A tlenga.
Aluga-se um sitio no lugar dd Uomgi, com gran-
de casa da vivenda, redificada de novo, com estri
baria, bol agua de bener, tiinla e lanos ps de
coqueiros, militas laraugeiras, maugueiras, e ou-
tros muilos arvoredos, boa baixa para eapim, e
muita (erra p perial n. 31, padaria.
0 Sr. Dr. Guilherme Cordeiro Coelho Ciutra,
que por roes lia sida chamado p-la Ord m pa-
gar a assignalura da mesma, nada (leve dessa as-
signatura, fisto como acabo de ler sciencia que
alguem abusara de sen nome para constituir se as-
signante da mesma Ordem, sem sciencia daqiielle
senhor, a quem Servir a presente declaraban de
satisfa^o, qde por tal engao Ihe d.
Ignacio Beoto de Loyola.
Teooo a irmandade do Divino Espirito-Santo
da igreja do Collegio, resolvido era sessio de mesa
conjunta, mandar hier de marmore braoco Qn eapeila-mor de sua igreja; convido de ordem da
niH>a regedora qurllas pessoas que se acharem
habilitadas a mandar esecular semeloaule obra,
a examinarem a planta que. se aeha exposta na sua
sacrista, e a apre-enlarem a- >ms proBn|as n i
pra da irmaudade, em IU de iivi-mliKi iie |8o. .' *, ,'.' .
O esenvo A,"nni" '",* Rodrigues de Sooza, na ra do
Francisco Belarmmo dos Santos Freitas 1 Cre? 15'" sm ri,sa e pilio no. Montero
: em frente ao oita" na igreja, tendo o sitio poriao
As^APi'iP-ln PiAiTimavAial lia *" ferro'cacm"a c0, boa agua, estribarme eo-
.SM)liiav t erria
i
Perdi-ti-se da tua do Livramenlo t a ra do
Trapiche urna rarterinha de lembran^as, cuja car-
leirinha lem Dio s a capa doorada como lambem
las folh.'is : quema livr achado p qneira restiiinr,
recbela de gratilicco o valor da mesilla : na
ra do Trapiche n. 38, esoriptorio.
A viuva de Miguel An banjo de llosa Lima
faz scienle ao respeitavel publico que a leja d- i
I marcineiria da ra do Aragiio n. 1, de>de odia
! IU de ouiobro prximo passado, fleoo pertencendo
i ao Sr Francisco Antonio de Mtnezes.
Eoi casa de Tneod (hrisiian-iu, rna do Tra-
piche-novo n. Ifi, nico agente ou norte do Brasil,
de Brar.Jenburg i ere-, Bor-leaus, enconlra sef-!
feclivac ente deposito dos arligos segrales :
Si. Julieo.
Si. Pierre.
La rose.
Coatean Loville.
Chateau Marga01.
iiiai.il vin Cha lea ii Lafile 1838.
Chales a Latine.
Haut Saulerues.
(^hatean Saoiernes.
Ghalean Lataor Bianche.
Chaleau Yquero.
Cognac.em tres qnalidades.
Azeite doce. Precos de Bordeaux.
Companhia Gdelidade de seguros *^
mariiimus e terrestres &
ostabelecida no Rio de Janeiro. ^
AGBNTBS EM I'KIINAMIH'OO W
Amonio Luiz de Oliveira Azevedo k G, ^
competentemente autorisados pela direc- ^g
loria da companhia de seguros Pidelida- ffl
de, tomam seguros de navios, mercado-
rias e predios no seu escriptorio ru? da ?
Crm n. I. gS
*yi!'-ia. S
m
H
m
neficente de Peruambuco.
Achando-.-e prompla a pi.u.t i e o ornamento
para a decoraQo de predio comoiado para a mes-
ma associacao, convida se a tortas as pessoas que
se qmzerem enrarrecar das obras de pedreiioa
comparecerem a ra do Trapiche n. 41, segundo
andar, ainie, no praso de oito das, deixaro licar
as soas proposia* em carta fechada.
Associaco Commereial Bmeficeote de Pernam-
buco 23 de novembro de 1863.
0 secretario,
Candido >'.. G. Alcoforado.
Aula deingiez
Das 6 as 9 horas da noile; na ra da Matriz n.
&ymtm mmmm mam
^ Rae i..rel Antonio aunes Jacome if>
S Pires eside ruado Imperador n.
S 81, onde pode ser procurado.
Precisare de nm menino porluguez nara cai-
xeiro di- taberna, qn- tenha bastaute pradea, sendo
que d fiador de sua onducta : appare^a na ra
Direiia n. 93.
Y*'
O Alcoholado de Guaco de Pascal urna nova preparacte da qual
basta mencionar suas propriedades para appreciar sua importapcia.
Em primeiro lugar um preservativo iulalivel do contagio vpncrio (ver
folheto para o modo de o impregar).
2" Tem a vantagem du ser o remedio mais certo e mais agradavel para
as molestias syphilitieas de toda a especie, ulceracOes primitivas e secun-
darias, ec.
3" Empregado em iojeccOes, o melhor tratamento dos corrimentos
recentes ou chronicos uus pessoas dos dous sexos e da leucorrhea as
mulheres.
4 Einfim como antidoto dos virus, soberauo ns^cra das chagas e f-
tidas de. m natureza, chagas gangrenosas, dartros, ulceras das pernos,
ophtalmia purulenta, ou blenhorragica, mordeduras e picadas de ani-
maes venenosos, ec.
Este especifico vegetal, izento de toda a accSo mortfera, foi experimen-
tado nos hospitaes de Paris, Lyon, Marcelha, ec., e recebeu a abprovac3o
dos distinctos doutores Ricord, Bauchet, A. Richard, Calvjo, Diday,
Melchiob Robert, Costilhes, Berenger, ec.
Deposito geral em Paris, botica de CHEVRIER, 21, me du ^aubourg-
Moutmartre.Casa de expedicao, PASCAL e C, 33, ra Mojnsieur-le-
Prince. Paris.
fJoao da Silva Ramos, me tico
pela universida le de coimbra, d
5 consullas em sua casa das 9 as
'i., i 1 horas da manhaa, e das 4 as
3 da tarde. Visita os doentes em suas'J
casas regularmente as horas para fl
isso designadas, salvo os casos ur- j^
gentes, que serao soccorridos em gg
qualquer oceasio. L) consultas aos jj
pobres que o proenrarem no los- &
H pital Pedro II, aonde encontrado M
if diariamente das 6 s 8 horas da gg
.-' manlia, .[.
Tem sua casa de sade regular- s
^ mente montada para receber qual- fl
~z- quer doente, ainiJa mesmo os alie- ^
M nados, para o que lem commodos i4
^ apropriados e nella pratica qualquer (S*
; '^ opperac5o cirurgica. ?^
-. Para a casa de sade.
I'rimeira classe. .350DO diarios, -f
Segunda dita... 36500 H
fTerceira dita .25t'0'J
Este esiabe'ecimenlo j bem v
;: acreditad) pelos bons servicos que
^ tem prestado.
^ proprielario espera que elle S
W: continu a merecer a cunfiaoca de >
^que sempre tem gozado.
OlTerece-se urna ama para cozinhar e
comprar: no becco da Carvalha n 7.
Precisase de um escrav.
sado de um hotel e um creado
ra do Trapiche n. 5.
tararira Viasma.
E' chegado a este rsulielecnnenlo i.s JuawHs
objectos : cadeira de palha para enanca cura ba-
lanco, hercos de novo mjelo lambrin de aaUW.
oulros mullos anio* destes gneros ; peoV e a
senhores qn- eocommendaraos algoso aarai m
destes, o favor de vir ecolher logo os qoe pretrm-
dem querer.
Objectos de metal das segnnles qnalidades, or-
na- para cha, chaleiras para Caler-se rha', apyare-
IbOS de alniogo, dito de juntar e lados *. mx ar-
ligos que se podem desejar desle welal p..r ir-ro
multo commodo, que a lodo- deve agr^ilr.
Espelhos de todas as quahdades \>t oraantea-
to de sala, lceles, alcalif. e outros moilos arl fo*
que por gosto se pode sWrafl o grande B*ar,
qual se acha aberto drsde 6 horas da maafca ara
s 9 da n-ile. na ra Nova n. i) e ti.
Aluga-se urna boa >JN com osmio b>ras ro-n-
mortos e quintal com cacimba, na roa do Tami.ia,
fregnezi* da Boa-Vista : a Iralar com cap:'io'
Teneira, na rna do Aragao n. 1J, i asmar.
AHF
Precisa-se de ama ama perita cotiobrira en-
gouimadeira ; na ruado Queimado n. -JH, luja.
GOtSVWS
Lm moco com pratica de eohranea* am'gT^i
ou ludinaes, propd>->e a fazer algomas aa> ,.r..n-
midades desia capital com orna porceniacem r
zoarel : a qnera coovier deiie ne>t oDliaa raiU
as inieiaes J. M. V.
AtlK'Cdo
Per nao se saber onde re gase ao Sr. Erne-to Botelho .1^ arasnrai qne man-
de pagar a >ua lelra ja' vencida de i7l. podtra-
do dirigir-se para rara lim ao qimriel do Bosiri<>.
Precisfio.
Na roa da Crnz, armazem n. ra\ pre*sa-se am-
! gar urna mulher capaz, de boa ron IiKta, ifi> -aiha
cozinhar, comprar e nMf srah mais ama casa de familia (m-n sasraM gns raras*
Innpas qner servida), pr. fere-s^ e-rrava. qai *jz
fiel. Garanie-se pagar se bem e com pnmptio
I
para o servido pe-
no hotel Itiliano'
Deposito geral em PernaniDuco ra da Cruz n. 22 em casa
s & Barbosa.
FABKIOJ* A VAPOR
mono fresca e esia de novo bem calada, oncer- 99 RA 00 MONEGO 99
tarta e pintada : para ver, as chaves esli em a fcm,s#. .,.. -..^ mi.,.-.. .. ,u ._
cama povoacaa. n cpo*Ito narua Noia U. SO luja de 1 1 lojoeh o
*j .. 1 ,,';, "u""~ia-------. 0 dono desie eslabelecimenio partecipa ao respeiUvel publico que sua fabrica
Notas do banco do llra>il e das caixas flliaes .. .. ,.l r r ,. r ^ ...
descontam se na irav^sa das Crmes n. esla montada com as melbor^s machinas que existem na Europa, e que pode fabricar
^'gwiiat "fljfliflflS^ -'" '*%$ com ,ue!t"r pcifeii.o possivel. Todo o choc- late desla fabrica est garantido, e puro,
ra< >sraa A rara a a *2: ('u,i "* se P^e eiic0"l,ar naquelle que vem de fra, e que se vende por pieco baixo,
*B DEPOSITO Df BALADO W i v'slu S productos ser. do paiz. Na eliq eta tem sempre urna auiai
m
m

i*
Grandes melhcras
as machinas iui|ipriae$ te Cuscr-
Arnazem n S:IG Broad-Way NewVork.
Estas machinas sao construidas p-r um novo
sysiema, com muitas e ipinwrtantes melhoras, e
sendo examinadas por habis peritos forain julga-
das de suriana perfeicao. A agulba direita e cose
perpendicularnienle, com o poni rt logada, qoe se
nao desmancha n-m rmharaca e que igual de
ambos os lados ; faz cortaras perfeias em toda a
qualidade de tecidos desde o couro al a mais tina
camhraia, tendo IIos de algodo, de seda ou de h-
nho, desde e mais grosso al o mais delgado. Co
mo nao tem rodas dentadas, por se ler evitado a
meimr atrito possivel, trabalhs com facilidad* e -
sem conlradigo-UMA MACHINA QUE NAO FAZ
RUIDO ALGUM.
FABRICADO NA CASA DE DETENCAO
Ra Vova u. I.
Ahi se eucontraro obr&s de di-
versas qualnlades, e por prego mui
diminutos, a retalho e em porcoes.
-4 S se vende a dinheiro.
mmm*mm*mmmwmm.
Ama para casa
Precisa-se alugar urna ama para lodo servigo de
urna casa : na becco das Bolas n. i, primeiro
andar.
Na praca da Independencia n. 33, I0J1 de
ourives. compra-e ouro, prala, e pudras preciosas,
- tambein se faz qualquer obra de eucommenda, e
lodo e qualquer concert.
Precisa-se d.-. urna ama para todo o servico
de casa de pouca Uiniba : a tratar na ra do Brum
u. 47, taberna.
PRI'CO.
Meia libra......... 4' 0
Una libra......... 800
Urna arroba........ 19,5000
PEUMO
Da barca indeza Mira e Celia
21Caes 22 de nuvemliro21.
Paulo Jos Gomes & Mayer, por verem a ulili-
dade que podiam tirar os proprielarios de al-
guns terrenos devolulos, qu? por falla de meios pe-
cuniarios, le.m deizao de edificar, resulveram-
sa arrematar parte do cirrcganienlo de madei-
ra da barca ingleza Mira 5c Ceia, arribada neste
porto. '
A vantagem que offerece esla madeira, ser de
urna m bilnla, lauto em gro>sura, comprimenlo e
largura, leudo I pollegada de grossura, a 6 de
largura e 22 palmos de comprimento, e a duzia cus-
lar 75. Portanto pdese fazer urna casa com pon-
I co dinheiro, e usofruirse lacros mensaes, que at
I eno nao se percebia, por faltar este recuso. Min-
ias casas nos suburbios da cidade, fetas de palhas
de coqueiro, muilo melhor sera' agora, seus pro-
pietarios substiiui-la- por madeira, porque ler3o
casa de melhor gosto, duracao, sejn ser preciso an-
darera constanleineute reforiuando-as. Os aqui-
linos fiearao mais tranquillos, porque os malditos
eros, nao atacarao fogo com tamaita fadUdade,
e por deca' aijuella patha as sobreditascasas. Mu
tas outras obras >e pode.-o faier com esla madei-
ra, que sent para eslarem expostas ao sol e a
chova, nao sao atacadas pelo eapim, como lemos
visto, casas e eercas duraiem annos sem seren vi-
sitadas por estes malditos Paraguayos. Contante-
meule vao para Montevideo carregamento de ma-
deiras desta qualidade, t nos para vermos a ex-
iracyoque lem nesla cidade, compramos esla, e no
caso de ter, compraremos a-sun como compramos
carregamniios da outra, que lem exiracfo nesta
cidade e que se acham a venda em uossos arma-
zens. T'-mos lamhem grande, quantidade de bar-
rles de difb-reiites grossuras e comprimentos que
vieram juulamenie cora esla madeira.
Alaga se a casa terrea n. 39, ra da
l'niao : quem pretende-la dinja-se ao Sr.
Joo Bernardo do llego, em seu armazem
.le fa.endas a ra Nova n. 24.
____COMPIaAi.
Silvino Gnilberme de Barros rurapra e ves-
ie elTectivanienie e.-i-ravus d- an :. raasa :
ra do Imperadnr n. 79, sraretru andar.
Comprase, ouro, prala e pe.iras preciosas,
em obras vtihas : na ra da Cadeta do Recite.
cja de ourives no ireu da (a.ncei.-jo.
Compra se earraaa fraarara>) de aajnraa: ao
armazem de algodao de Saunlers raMBBraj m '1,
uo can dn Arxillo.
Ourm c prala.
Em obras veihas : con pr->- na praca da la
dependeucio n. 22, luja de raranra,
Comara-M um gioho fpmjntte ?rr*>>
que e-t'j.i in b un u-.o na ra N .1 n. $5, *t-
gundo andar.
Form Compra-se porc.io ile ramera pan f,z-r m)
carnauba ; quem tiver ^ .piifr v-o'W. d.nj -- j
ra do Desliuo na I1m-Vi-u n. li.
?EMB4S
Manual do CimJtt
Vende-se o Manual do CuMfio pm um
Governo Representativo oa priiu-ipi.ei de
Direito Pui.lico Constitucional Administra-
tivo e das Cenes, por Silvestre Pinh^ir..
Ferreira, em A vulumes broxurad .s p
cada obra : na livraria n. 8 da pra^a .?,-
Independ ncia.
~PAST!LHS
Na mesma fab ica acaba de se monlar urna oficina com serrara a vapor para
obras de marcineiria propria para edificio, para o que encarreg -se de fazer portas, ja-
nellas, assoalhos (parqu fiancez como se usa na Europa,) e armacoes, ludo com brevi-
dae e perfeicio. Toma-se qualquer eucommenda para fra da cidade, entregando-se
prompta a collar-se no lugar. *
Samuel Power Johnstiiu & Companhia
Ruada ^enzataNova n. 4.
AGENCIA DA
Fundleao de Lo Moor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cava I los.
Moendas e ineias moendas para engenbo.
Taixas de ferro coado e balido para enge-
nbo.
Offerece se um muco de 18 anuos para caixeiro
de armaim de molbados, do que tem basianle
pralica. ou para caixeiro de loja de fazendas, dan- I
do iies oi-zes de praiica, e da lUnor e soa enduc Arreos d carro para nm e dous cavallos.
la : ipiein precisar annuncie por e>ta folha.
Relogios de o-ro patente inglez.
Arados americanos.
Precia-se alusar um preto escravo que seja
fiel para o servieo de urna casa, paga-s bm : a Ma hias para descarocar algodo.
fallar na ra da Cruz n. 9, no armazem que flea
para o lad 1 do mar.
Precisa-se contratar nm sacerdote para cele-
brar mi--as todos os domingos e das sauliflrados,
na capelia de S. Panlaliao no Monleiro :
na ra do Imperador n. 46, armazem.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Precisa-se alujjar um escravo para
servico interno e externo de urna casa de
familia : na ru-i do Queimadou. 28.
D. Senhorinba Germaoa do Espirito Santo
a tratar a'uK* I11" preco commodo, e duranle o lempo da
festa, o seu sino na estrada de Beberibe : a tratar
na ra do Sol, sobrado novo em que raorou o le-
nenle-coroocl Sebaslio Lopes.
BOTICA E DROGARA
DE
B. F. de Munza A C.
Rus larga do Rosario n. 31
Remedios de Raduvay
Promplo alivio.
Pillas reguladoras.
R zdutivo.
Remedios de Kemp
Anacabnlia.
Salsa de Brislol.
Pilulas assucaradas.
Agua florida.
Pastilhas vermifngas vegetaes.
Chegados pelo nltirno navi^ vindo da amerlca.
Piv.:isa-se de um engommadeira :
na ra do Imperador n Precisa se de um rapaz forro on escravo para
criado : na ra do Cabug, loja n. II
|flf*lf~*7
>*2l>
mmmmfmm
m Casa de baulios
'>*
m
&* I^argo do Canto 11. 26.
ijr, Este rstalielecimeiito tan bem montado ^
K^ na sua oiigeui acbava se de ha muito e'ii >
iv quasi c.mplelo adanlono pflo pouco in- ^R
*& lernsse de sua adminislracao. ^v,
Hoje que o novo proprieiari) empregon w
lodos os meios para reslabeler a grande ms
& utilidade desle eslabeleciu.enlo, pode as- jg
segurar ao publico que qualquer que seja ~
SR o numero dos concurreoles acharo des- jw
& de j promptido e celo nos sainos fros, $jg
S momos ou mt-dicinaes, a casa dos ba- flj
B nhos se achara' aberla lodos os das das fS
ajC 6 horas da inaubaa as 11 da noile. j
Prefof.
Banho de choque......... 500
Yf' Dito (rio ou momo........ 500
Dito defarello............1*000
Uno medicinal sera' segn-
~-M do sua quadade.
"T Assignalura. m|
3fe Por mez banho fri ou momo. 103
M 2o candes para banho fro, 2|g
Z momo on de chavisco..... 104
li candes para os mesmos... 54 Wi\
m 12 ditos para b.nho de farello. 10* tf
mmmmm-m mm mmmmmm
Casas
Alngam-se doas casas novas na freguezia da
Boa-Vista, ra do Principe ns. 4 e 8, com 3 qnar-;
DE KEMP,
AOVA YORK.
DE COR CIICIIIO E SABOR AGRADAVE
liiiinitanienie mais eflicazes do que IkIoj
os mais remedios p*rig(M>* ei-avst-at umirs
que existem para a expuiso daslraibr iga$-
o causam dores e prnduzeat sea eft> lo
sem precisar logo depois de pm panle ne-
nhtim e tuincitaiites etnapparenrme deu-
dosas em gosto, que as rri; nras est
promptasa tomar mais do que marca re-
ceita.
Uteis como um excellenie meto de fazer
remoler as obsu uives do centre. Msate
no caso de nao existirem verme alpuai. as
PASTILHASVF.BMIFl'CAS DE KI.MPS sao pr( nt(-
tas t'itifallivcis na suaoperafo e portadw
os respeitos dignas deci-ufianca e approva-
(,Tio de todos os paes de familias. Prepa-
radas nicamente por Lanman & d,
Nova York.
Deposito geral em Pernanbiiro rita la
Cruz n.22 em casa de Caros barbota
Algodo trancado 4a Baai
Chegoo urna pequeaa p-iica 4a faOrici de Frr-
to Velho.para ser vendido a SoO n. vara : aa
ra da Cadela do Recite a. 4.______________
Algodo trancarlo
Na ra do Hospicio n. 36, precisa-se alugar
urna preta captiva para o servido de roa.
Precisa-se de um caixeiro qne tenha bom ta- tos, 2 salas, corintia fra, quintal bom e murado,
Iho de lelra e que d fiador a sua conducta : ao cacimba, sao muito sadias : a iralar na roa Nova
ai mazerji da ra da Cruz D. 57- sumero 3.
da fabrica de Pernio Tellw : ao
Manoel Ignielo de Oliveira & Puno, ter* >
pu Santo o. <. _________________________
Veade-* a pinho em bom estado: quem prHefsder rartia ra
a Capunga, roa das bralas a SI, ejw
com (joem Iralar.


Di. rio de A'ernambuco Terca eira 98 de Xov.mbro de -Stto.
S4LSA PARUILHA DE AYEK. |
TiuNSCHKVE.Mos aqui alguns
dos amitos aitestados que temos
recebido das virtudes da salsa
fparrilha do Dr. Ayer.
Hheumatismo.
DE JOO JOS DOS SANTOS.
Ouro Preto.
Sofri rheuraatismo porimii-
Olidos objectos.
Yiodos tambern para a anliga loja de
miudezas ra do Queimado n. i 6.
Sapatiiibos deselim brauco bordados pa-
ra baptisados.
Outros de merm lambem bordados e
igualmente bonitos.
Meias de seda, correspondente do tama-
nbo dos sapatinbos.
Outras mui linas de o da Escossia e
brancas listradas.
Luvas finas de fio da Escossia brancas e
vezes, e vendo anunciado de cores,
um jornal d'esta cidade a Ditas de seda para senhoras.
Salsa par rilha de Dr. Ayer, re-
solvi-me a comprar um frasco e fazer uso
d'ella ; e ames de concluir o primeiro fras-
co, achei-me forte e sem sentir a mais leve
dr nos joelhos ; a parte do corpo que es-
lava almelada d'esse terrivel encommodo
que roubou-me tantas noites de somno.
Empcdes, borbulhas piistViat,
ulceras, e todas as molestas
da pello. I
DO SU. JOAO PAULA DE ABREU E SOUZA.
Ra de S. Pedro.Ato de Janeiro.
Soffria mais de dous atinos de urna I
erupcao syphilitica em todo o corpo, mosSj
trando-se sempre com mais violencia na ca-1
ra, prove muitos medicamentos econsultei
Grande loja e arnizem do
Puvo.
Ra da Iinperairit o. 00. do Gama & Silva.
Tendo os proprielarios d'esle esiabelecimeulo de
liquidarem una grande porc) de suas fazendas,
al ao flm do correle anuo, afim de fecharen) cou-
las e apurar dinbeiro, resolvern) vender lodas as
falcadas com glande nballmenio eni precos, lauto
em porcia como a relalho, e por isso pievinem a
lodos o* scus (legete?, e ao espeilavel publico, e
AGUA MIAMA
Ra do Queimado u. 8.
A loja da aguia hiauca acaba de receber um
novo e graude sortimeulo de difTirentes objecloi
degsio e uiiima moda, sendo :
Bonitos tnfeiies para senhoras gostus iuteira-
mente novo?.
Kilos ditos de grade com con'.as grandes.
Lindas livelas fundes para cintos com moldes
agradavtis e diversas qualidades, madreperola,
as pessuas que negocian* em pequea escalla com
fazendas, que nesle eslabeh cimento encontrai oj tartaruga, ac e douradas.
um graude sol lmenlo que mullo Ihes bao de aga- finas c bonitas rilas adiamantadas para ditas.
dar tanto em precos como em quaiidade; as.-im
como (iiaudam pelos seus calieiros levar as (aira-
das o amostras as casas das familias que oo po-
derem vir a loja, ou do as amostras deixando Q-
car peubor.
Cambraias lisas a 30OU, la loja do
l'a\ao.
Vendem-se pecas de cambraia lisa branca e
transparentes, tendo pito e meta vaia cada pe^a,
Ligas de dita pata senburas e meninas.
Pentes de tart iruga mui fortes para des-
embarazar.
Carrileis com retroz preto e outras cores.
Carteiras com agulhas.
Agulbas francezas, as afamadas.
Caixinhas com al (instes brariCOS e pretOS. I*1'0 *'*raio pre^-o de 35500, dias muito Tinas," por"
Haspas de baleia para vestidos. 4l55,()'S> 0& al l*- &t'udil lBP.as e f"*r*'
Pii.,0 ,1a i;..i, ^ j-. ; rentes, assim como corles de cambala com salir-
ritas de Iinbu pmpnas para dltOS. eos a 25500 : islo s na loja e armazem do Pavao,
taixas com liabas de novellos grand% oa ra da Imperatru n. 60 de Gama & Silva,
para crochets. As camihiubas do Pavo.
Traocellim de binacha preto, redondo. Mendem-se as mais modernas camismbas borda-
Bonita Ove-I tu grandes de ac, as,C'" maD8uiIos. Pa senhoras, sendo as mais
j___. r v^ modernas que lem vindo ao mercado a 4Ao00, di-
dourada*, madrepcrola e tar- ; Us C0U) manguitos, para acabar, a 15; ditas pre-
taruga. las com manguitos para lulo a 15800 rs., mangui-
A loja do miudezas ra do Queimado lus e soUuhas pelas a 15, Boissimas goiinha* de
cambraia branca bordada a 500 rs., calciuhas para
muUosroed.cos.e eslava quasi desanimadoJJ.recebeu nm bonito sorUmento pK'SWStt'S'SU cambraia
quanie vi os annuncios da Salsa parrilha aellas grandes para cintos, sondo de ac, brama bordada a 15600 : na ioj* do Pavo, ra
aba e mal desapparecido completamente de
todo o corpo.
Doctor Don Jos Valdes Herrera, PROHbV
sor de medicina y cihcujia, subdelegado
tricto.Ha baa.
Certifico que he usado la zarzapair-
ia del Dr. Ayei, y como depurativo lie ob-
tenido de ella los mas felices resultados en
les casos de ulcera crnica, asi mismo au-
4or y las considero como um porgante, cuya
accin ademas de ser segura, ha sido muy
eficaz en el traiamorto d las enfermiddes
que exsigeu el uso de los porgantes, y on
vacilo en recomendar estas preparaciones
Y para los fines que -puedan convenir doy
la presente en Regla a 7 de setembpe de
1860.
Dr. os y. IIi;riu;ba.
Kserophiila.
.ATTESTADO DO ll.I.M. SR, FRANCIS00 dos santos. Ouro Preto.
Me acho ha quasi dous annos affectado
graude sorlimenio dos mesmos matizados que se
venden) a C "i e. 8^000: oa loja e. armazem do
les de merino
fius de gorgora achamalotado' promias'pa-1 esUniPad0i,a 2*)00cada um, havendo tambem ura
... p,, 'l'"r r" u [ ^i 111 i, si.iliim-iii.i fine muenme mUinAM mi ca
ra ditas fi\ellas.
Ociilos de penetra e de (ras
qualidudes, para quem soffre
da vista.
A'loja de miudezas rua do Queimado
u. 16, lambem recebeu oculos de peneira
Ditts de dila de grosdenaples li.-as e lavradas
com novus e auiadaveis dt sentios.
Trancas pretas de seda cun vidillnos moldes
novos e de gosio.
BUjog braucu e prrtos de seda com vidiilhos e
de il.II,-rentes larguraa e bonitos desenlio?.
Cascamlha de seda com diversas cures e lar-
guras, formas inteirameule novas a imltacao de
pafu, babadinho eoulra com urna transiuha no
cenlro o que Ibes da muila graca.
Outras estrei-as e largas guaimcidas de bico
de seda obra de muito gusto.
Uuiras de camnraia de cores.
BoiSes de seda, velludo e ac para eneiles de
vestidos.
Trangas de seda estrellas e largas brancas e de
cores para enfeiles de vestidos.
Fiares finas
CAPELLAS PARA MENINAS E NOIVaS.
A aguia branca a ra do Queimado u. 8, rece-
! beu para vender :
Delicadas capellas brancas para noivas.
Ditas ditas para tnenioas.
Duas ditas de caixos de flor de larauja.
Ditas ditas de rosas camellas e outras.
Ditas ditas ou ramos de trigo.
Diversos ramos de flores Unas para peito de
vestidos, eneiles de chapeos etc., etc.
treparos para flores.
Seleiros e correnrot
nami
So'a de lustre em prrfcu es
meio.
45 una Dirclta-
- HAXt
O gallo cania e est
a ue mando %
Bu in e baratissimo.
Hua do Crespo n. 9.
Collares.
Collares anodinos el-ctro magnticas Roier para
as criancas nao monereiu de cunvulsoes pelo ba-
rato pn co de 45.
Novidades.
Riqoissimas pul.-eia- 011 braceletes |a senh>
ra e para meninas a 15. .3 e 3, a-si 1.. orno lin-
das volias para peCi>(0 a :<3.
Eiifeiles.
Riquissimos enfeiles pata cabe(;a cousa de mui-
to g.sto a 15500, 2, :i, \l. b>; 6| e 7fi.
Fivelas.
Riquissimas livelas de madieperola e de tarta-
ruga, arsim como preas.
Crazcs.
com vidros claros e escuros, para quero, sof-
fre da vista, assimeomo outros de armacao
de ac, sorlidos em graos.
oa*oas e tereos de ornalioa.
A anliga loja de miudezas a' na do
Queimadn n. 16, recebeu mui bonitas co-
roase tercos decjrnalina, os quaes estio
a disposicao dos bons christaes que os qui-
zereni comprar em dita Icrja: na ra do
Queimado n. 16.
Esponjas flaas grandes e pe-
queas.
Vende-se na ra do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
A anliga loja de miodecas na ra do
Queimado 11.16, acaba de receber
Pavo, ra da Iniperalriz o.00, de Gama & Silva, ca vende-se:
Os ciatos do Pavo. Papel de cores para rosas.
Vendem-se riquissimos muios de Otas de diver- Dito verde parafolhas.
sas cores e dourados com fivela larga e dourada. Dito dito pardo para cobrir os talos das ditas,
assim como enfeites para cabeca dos melhores e Musyo-em rama.
mais modernos que lem viudo ao aereado ludo Futras para rosas.
telo se vende por um preco razuavel que muito 1 AqulhlS e HllhaA para CKHihet. vidros paa os amantes do th.-airo.
e armazem ,,._ r i,.,;m -_._-__:
Riqu Mimas cruzes douradas porm o meihor
Na ra do Queimado n.'S, loja da aguia bran- gosio que se pode dse jar.
Cascan ilhas.
Ronilas cascanilha> cun biqumbos de seda e
aljfar cousa inleiiarnen e nova para eofeiiei de
vestidos.
Binculos.
Ronito sorlimeolo de binuctilos com superiores
Ihes bao de agradar iso s na loja e
du pavo na ra da Intptratriz n. CO, de Gama &
As loalhas de linlio do Pavao.
Vendem-se superiores toaihas de linho das me- i
lhores phosphoros hyyienieos vu de
seguranca.
A vista do grande tamanho das caix-inhas dos
phosphoros hygienicos ou de seguranca, tornava-se
pouco o papel que vem em ditas caixinhas, e para
Vendem-se na ra do Queimado n. 8 loja da
, aguia branca, assim como agulhas para tranalhar-
i se emJa.
0"e escrfulas, e tendo SOfl'mdo tanto que al-Novas e bonitas guaroicoes pretas para vestidos e
gumas vezes quasi que chego a ie6-aiiiiarL.,00,Smb,flu'*-
da vida e maldizer da minhl infefesorte;;BlakeufesUrgruT.S Pret03corav,dr,,hos- e
tenho sido tratado por muites medios d'es-' Trancas pretas com -ridrilho.
ta cidade, e nenhum pode vencer a tenac-,Cascarrillias de seda de diversas cores e moldes
dade de minha melestia, eslava ,em espe-'R 0VS; ou'r;s nfeitadas com-bicos de seda,
rangas de recobrar a minhaaude ; quando TranciS bra^adeWd.para reites.
ltimamente resol, fazer io da alsa par- Bonitas fitas brancas lisas e lacadas nutras de
rilha do Dr. Agir. Completa n-se iKtje, cores tambem lisas e lavradas ; eutras achamalo-
trinta e sele diasque comecei com este L.ta!ri,s p31"3/'"^, largas,
santo remedio, e tantas mellaras tenbo ] ^r" ><' ^ madreperola e
sentido que-teuho COnviccO de em breve Bonitas ligas de seda para senhoras.
recobrara minha aude, perdida ha tanto !-Lequs desndalo o outras qnaiidades.
tempo.
Mjphiils e uioiestias iucii ui-Saes.
Do Iixm. Sii. Da. Jackso:-.
Medico mnito conhecido vas provincias do
sul do Brasil.
Tenho receitado a Salsa pa--rilha do
Dr. Ayer nos casos mais inveterados de
Syphilts consliiiicUiHi e sempre com os
mais felizes resultados; o melhoi alteran-
te que conbeco.
Leucorrha eflores bramcas.
Temos cartas em que nos coniam casos
inveterados que foram radicalmente curados
com um ou dous frascos d'esta Salsa par-
rilha.
O espaco nao nos permilte Irauscrever
iodos os atlestados que possuimos Ja vir-
tudes d'este extracto imposto ae Salsa
pai-rillia do Dr. Ayer. Hasta declarar ao
publico que tem sido entregado ha mais
do vinte anuos pela profisso med .a taoto
das Americas como da Europa, seui nuaca
desmentir a sua alta reptitaeao.
Para a cura radical de escrfulas e iffeecee
essrofulos, syphilis e moleslius syphi-
Limlos o delicados enfeites para bai-
les e passeios.
A antlpa loja de miudezas na nu do Quoimado
d. 16, reeebei novus e lindos enfeites para halles
e passeios, todos de moflo posto e inicuamente no-
vos, variando o pr-'Co de les confo me a >uperiori-
dado : os prptendenti-s os aeharo esn dita laja, na
ua do Queimado n. 16.
inascapeUa* para noivase
meninas
loja e armazem do Pavo, na ra da Imperalriz u.
60, de Gama A Silva.
As salas do Pavo.
Vendem-se as mais finas saias bordadas asagu-
Iha brancas sendo da meihor fazendi que tem vin-
do ueste genero, tendo mui a roda, pelo baratissi-
mo preco de 1U000; ditas bordadas a croch a
65(00 e BfOuO, ditas coro babadint.os a 9QW, na
loja e armazem do Pavo, na ra da Imperalriz n.
60, de Gama & Silva.
Novos vestidos 4o Pavo a 10:>(ill0.
G'.iegaram para luja do Pavo os mais ricos cor-
tes de vestidos de cambraia transparente cornos
man delicados bnrdadus de dilleienles cresa pon-
i de agarba, sendo nVsie genero a maior novida-
de que lem viudo ao mercado, "aranliudo-se o te-
rera muita fazenda e enfeites suflicleutes para o
coree e mangas, e vendem-se pelo barato prego de
I0-0 cada um, na leja do Paiao, na ra da lm-
peratril u. 60, de Gama i Silva.
Os espai-tiUios do Pavo.
Vendem-se um grande e variado sortime.nto de
espaMilhos os mais bemfeilos que lem vindo ao
mercada, sendo de iodos us tamaitos pelo baratis-
simo .preco de 4, 55, e 65000, por haver graude
softimeoto, na loja do Pavo, na roa da Imperalriz
u. ou, de Gama & Silva.
ilelon-ns pelas a I2MI0O,
Na loja-do pavao.
Chegaram pelo ultimo v^por as mais ricas re-
mudas que lem viudo ao mercado, e vend-m se por pro-
muito wn cunta : na foja e.armazem do Patio, r
da loiBeratriz n. 60, de Garna & Silva.
Carlea de casimira, im chincha,
A 2dS00, na loja rio pavo.
Vendem-se bonitos corlea de casimira de cores,
leudo i'
Assim como uns pequimnos
que serve paru enfeite de relcgio mais com eicel-
lente vidro.
Seslinhas.
Riquissimas cestinhas com prepares para me-
ninas de escola Irazer no braco, assim como de
vidro enfeitadas proprias para"mimo.
Pentes.
Ripuissimos nenies de borracha com aro bran-
co de metal para menina segurar o cabello pelo
barato preco de 800 rs., e dnzia ?5, as~im c-.mo
e pa-
remediar essa falla a aguia branca roaudou vir e grande sortimento de todas as qualidaes i ara de-
acaba de receber esse especial papel, t ual so
dar de si brecellente a quem eumprar de taes
phosphoros e se vender iudisiinclamenle a quem
delle precisar. O prego de cada caixinha de phos-
pnoro continua a ser 150 rs., e vendem-se na ra
do Queimado n. 8, loja da aguia branca.
Seda froucha para bardar.
Vende-se na ra do Queimado loja da aguia
branca n. 8.
Obras de crystai.
Brincos de diversos moldes.
Outros tambem de crystai de cores.
Outros de aljofares brancos e outras eores.
Aderemos de crystai obra de goslo.
Rselas-de dito e cruzes.
Botoes de diio, brancos e de cores para collele.
aras e escuras, e veiu-iern se pelo baratis-
&S7 jr* o"*""* *de! tesa sss o Sodore-oDde
Dito de dito tambem brancos e de cores para Ise eve PPl,c*r,
punhos.
Voltas de dito e outras qualidades.
I.eques de di< ersas quididades
Venf,-"i-te na ra do Queimado n. 8, loja da
agu- i .oca.
1 speus forte? para bala >
Vendem-se na ra do Queimado loja da aguia
branca n. 8.
Carretas com retroz.
Na ra no Queimado n.8, loja da aguia branca.
Cromaeome para Ungirea
bellos.
sembaracar.
Escovas.
Grande sortimento de escovas oara reupa
ra cabello, para unhas e para denles.
Lunetas e oculos,
Finissimos lmelos de. um e dous excellenle vi-
j drus e ai u de bfalo e de lartaruga, assim coico
oculos com rame dos lados proprio para quem
sollie dos oculos.
Touquinhas.
Riquissimas tooquiulias de fcl de lelo, de se-
da e de la para criancas.
Para o cabello.
A superior agua para atiingir t> cabellos, as
barbas brancas e fazer cnnserva-los, es frascos
acompauba um rotulo que tusina ;: firma como
mi
Bonitas touquinhas
de fil e cambraia, bordadas e entalladas : ven-
dem-se na ra do Queimado, loja de miudezas nu-
mero 16.
Looelos de dous vidros com aro deart. bfalo
e tartaruya.
A loja de miodezas, ra do Queimado
n. i\ recebeu um bello sortimento de lo-
netas e ocolos de vidros com armacao (ana de
ac, bfalo e tartaruga, e os esta vendondo
largura : Imperalriz 0 CU, de Gama & Silva.
Os caries de ca mu ira ta Pavo'
Vendem-se superiores corles de casimira, sendo
fazenda nurto tina, pelo baralisaDO prego de 55
cada um : na loja e armazem do Pavao, ra da
Imperan iz u. 60. iieGama Silva.
Lanzii^as a 280 e :<20rs.
Vendem-se. lauzMihas de quadrmnos a' imitafo
das sedinhas de cuadros pelo barato priQo de 280
rs. ocovado; ditas garilialdina> com os mais lin-
A aguia branca avisa aos constantes freguezes
e dessa excellente tintura, que ella acaba de rece-
Para caspa.
Superior banha sem gordura com um frasco
com agua propria para limpar t cabera, frascos
acompauba um folheto que eosina o modo como
se deve appiicar, assim como agua baUaiiica,
opiata e poz para limpar denles.
Ba Lilias.
Grande sortimento de banhas em copos, tm la-
tas de folha e em frascos de todos os lmannos por
precos menos do queem outra garle, assim como
muiios ouiros objclosque use poie mencionar
por luje : s no gallo vigilante ra do Crespo nu-
mero 7.
Liquid
ral
ilus padrdes a 30 rs., peehincha : na loja do
por precos razoaveis : os pret ndentes din- \ ''avo, ra da Imperalriz u. 60. de Gama i Silva,
jam-seaesta leja na iua do Queimado u. 16. j Os cintos --------------------------------------___________Vendem-se cintos de tila com livelas peto bara-
nilfll SPJ1) KPCltlwln i li'i"11" P'^C0 de 15000: na loja do Pavo, ra da loja da avuia branca.
J.U V di OOUl C^ U1JUU t Imperalriz o. 60, de Gama & Silva.
tucas, ulceras, feidas, chacas, jgia do Queiiuado ns. 49 e 55, loja de Cicles pretos de reada a 8$U00, oa
miudezas de (res portas, estaquea loja da |'a\o.
lil.ilnio lli*:'; .(.ib t barato, (lUem qui- Chegaram para a luja do Pavo os mais rico6
7i. vpi-'V -itlmii-up vmkm\ Ia-^ .ia eiil*KS de renda ^,r,'los de 4 ''of,las e muit0 *-
zei vefge .loniiiar lenMn d loja do 4*. vendendVse pelo barati>-m.o pre?.. de 85000
Bigodiibo.
acno g
Lourenco Pereira Mendes Guimariea, rus da Im-
paralriz n. 36, loja e armazem da Arara, proprtota-
rio do grande armazem de fazendas eroupas feitas,
lem resolvido fazer uuia nova liquidarn de lodas
as qualidades de fazendas que existem no seu ar-
mazem, que vender liinia porcento menos do que
em outra paite, afim de se apurar dluheirn e fe-
char coolas, por isso pede aorespeilavel publico de
apiovtitar a occasito, a sabt-r.
Laziuhas cliinezas de quailrinLcs
Vende-se I5d.-iur.as filias a 200 e 220 o tovado,
de lucilos moldes, delirados rabo de madrepero- '!a cul" l alnias a '-l e 3I0, cassas de urna ? cor
la : aciam-se a venda na ra do Queimado Iota fj? ? 3W ** ditas de palmas a so 30,
roa da Imperalriz ti. 56, Meu-
ber urna nova remessa de cromaeome, coloricome
esabao brauco, necessano para lavar os cabellos,
paranlo podem dingir-se a dita luja ua ra do
Queimado n. 8.
'. bridores de luvas.
Vendem-se ua ra do Luennado loja da aguia
bracea n. 8.
LOJA
ENCICLOPDICA
a nua da Inaperat* iz a.; ^aa
d;i prla larsa .**
Junto a padaria Iradccza e
*arr<*s Por(<.
Nesle eslabeii ciimiilo enrostrara .. r ;
publico um ariaibi serlimi-i.io l..?.n! >- r
:as, ingletas, nissas p allrme*. que se i -r. por preco commodo.
Paredes Parla
Vende chales de r-nda de core >pr --
ram a 183 esta vende, do por 6#, ttt ^ > :-
renda nova, 55, G5. 85 a 205, um jui
pMo de manteletes, rapas e wm> (a
-55- Ra da Imperalriz n 42. jum-. pad r :r-
ceza, armazem da pnrla Uiga.
Paredes Parta
Rrri-ben nm rompleto soriimenlo d i .-mkM a
-40. e 280 r. covados, paia arabar .. aV
cor 2i0 rs. 11 rotado, risralo i 1 r'n-
pa de menino, foslo ile linho < 4-11 t r\.
to da Imperalriz n. 32 junt> a aaOMM frasr.z.i.
.imazem da porta larga.
Paredrs Parla
Ricebeu para nrt.nados para raw franrraa a
(15 a peca cambraia |M lina a 35 t5 *'< 105 a
oeca, corles de larhiana de huaitc t -i a : ;. n
. 45, cambraia con. flor di >*da. t -n aMMaa>
mei.Ie 1 ovos a lOlle 500 rs. a rov^do, > arni^rna
na [orla larga n. 52, ua da liii|eratn/ juato a pa-
daria Iram i-n.
POMiaa Pnrln
.Receben f f-lo nltimo pa.jnetp or -1 rVT.-nio #e
cruzes rosa aedraspara a>M*n l ait' raaMi
de la (aia pesclo le stafeata Ra Umyr.U*
d.02, armaztm da pulla larga.
Paredes Parla
Vende rorte de porgurn pre para tp>i.ic rtim:
21 rovado cada um :i.*i5U0o. aadjadMBBfda a'
15600, 1580 < >& o evado, lias lina- :,.. ,t>a
rs. o cuvhiIi l.is de quadrinho p.tra ei -:. .-, (tr-
iada, a .'120 rs. o lawaOa, Roa da In.prraini a i
armazem da polla larg>.
Parrdra Paria
T m para vcadrl i>r Bftfa raaaakadeaj {?*- aV
esguio (le linho r. lo varas a 75. S5. r ana<- *r
linho tara hncesa 6lli e 70 r. a ... htaaaaa-
te de linho de 4 largura a 25.00 1 gn ...a
h rrdrs Parta
Vende corles d- ra:; draia hortai;- i
gosiis a 105 e 125, ro- vestuario :.uu.
e nu nio, ticos tottn raaabfi
105 205. larlatoaa branca e > ri> 1 1 > .J>
rs. a vara. Ra da faaavfaiffel arrn -:
larga n. ot.
Klip frita
Rua da Imperalriz 1. Si aman a
ga junto a nadarla IraMeca, aacaatra
labeieciaento um rwni m parta 1
sacros e sohrecasac..-, de ti das s- (bmm
cas, colleles, ceroolas, ramiaa, plata
chapeos de sol, dito- Iraartaas ;
precos riimiiii dos, roui pata n r. ...
mu:! is fazendas i->r tecos em n. .. -m
da p' ila larga.
Xn nu sino e-iah-ler;ment) rr.coi;!i
tavel piiblico, sen 1 r ;m r rpirP
roo|as l itas de 1 :.. ibj id i
palitos de alpaca pnla t de cor,di
eos a -15 e 35, dlius di- liirn par i.
353(0, ditos lino- a 45, ditos nra% r, .
35000, 45 e 35, 'lo- caaeaaara > r.
e 105, ditos sobrc asa.-- a 10 a 115
no sacros a 65, 85 e 105, ditos ot 1 \*X
e 235, ditos de merino (reto a 65, 7-5 105.
Cas de brim de diveis.s qualii.ai:-.- I;-u-
dttos brancos a 2/500 G5< ".
t>5 e 75, ditos pniis i '5,65, I :
mtias razrnutas a 35 45, 1
qualidades, seroulas fraarnan > ilj M
linho, dila.- de br.-.manie a 25." algolao de lir.ho franeias : 2C-''''
de perhinchn. nesle gearro, gr das i
qualidades e brancas para ra-; atac I
timcnlo dr metas para : n'i ras, u
a 3. superiores 1 .'-3-'. I 45.
Um completo sorlinwbtoda rl.a.-r.-
alpaca a 35. dil de i :.: a 35. t\ I- :5
ditos frai ct-zes para cabra, pjvaad .
5
. as
- de
I'OI'I illUI|!.PlS
da agu.-a branca n. 8.
Bonitas touquinias
de fil de liulio, cambraia e setim todas mu bem
enfeiiadas: veudem-se na rua do Queimado n. 8,
erupcoes cutneas e todo e
qualquer in.conin.odo quej
provm 'um estado
imporo d sangue,
j&tmnm
TOMEM A
WAE.VA CA Illtll.gfl A DE Al'Ii R. Caixas de papel ami&de, e sem ella liso e paulado
A' vend na rua Direita, ns. 12 26 e 76;
rua da Quinda n. 51 ; praca tuicao, n. jO e Hospicio, n. 40. E na-; Duzas de peana de ac fazenda boa a 40 rs.
pi'incipaes piannacias e drogaras do m- PfcCas de iranya de la lisas e de todas core
_ r>___,:'. Grozm deho'.oes de louca prateados azenda mo-
perio.
Vende-se em Pernambuco:
na

I
PHARMflCIE FRANCAISE
BERMAURER&C'f
RUA NOVA N I
para limpar denles a 240 e
cs esteeilas com 10 varas a
40 rs.
Escovas flnissimas
320 rs.
Pecas de lita de
320 rs.
Caizas com clcheles francezes, superiores quali-
dades a 20 rs.
Tinleiros de barro, com superior tinla a 100 rs.
Pecas de cordo paia vestidos, fazenda boa a
20 rs.
Baralhos muito finos para vollarete a 200 e
240 rs.
Laias eom superior banha a 200 rs.
grinba de hiade de 10 an Frascos de marac perula muito fino a 200 rs.
Frascos e garrafinhas com agua de Colonia a
400 rs.
Fran-os grandes com superior agua de Colonia a
640 rs.
Caitas com 12 frascos de cheiros muito finos a
15*00.
Sabonetes pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
Na rua Direita n. 21, tem para ven- 320 rs.
der um cylindl'O COm tambores de pao. iva de .abneles pequeos com cheiro a 700 rs.
___ va n nimia n 24 ha nari tender r"."8 rte,,"fice ^'"r qualidade a 800 rs.
a rua uireiia d. zj, na para \enaer Caixas com superior p de arroz a 800 rs.
todos os utencilios de padaria, que se ven- Frascos de superiores essencias sanial e outros a
dem juntas ou separado. i200-
7 Krfs^'f1,,om seoetos para tirar noduas de roupa
ua loja
Vende-se uina n
g> a tratar na rua da Imperalriz n. O,
Vende-se urna escrava a meihor elig mma-
detra, urna dita de 20 anuos, boa coznil.eiia, um
seravo p-rfeiio carapina e mamni-iro. um dilo
bom cozinheiro do diario : na travessa do Carino
numero i.
cada um paia acabar
Inijierairiz n. 60, de Gama & Silva.
U'feiidM ui'lKtiitts a ;\iA){\
do pa>u.
Veodenvse os mais bonitos cortes de vestidos
indiano.-, sendo esta fazenda iran-parenie e inletra-
inente uova no mercado, e leudo entre clles n mos
cortes rozos proprlos para senhoras que etao de
lulo; e vendem-se pelo baratissimo prego de 35
Srclinres e senhoras*
Os proprietarios da uova loja e armazem de fa-
zendas e roupas f-it.s ua rua da Imperalriz n. 72
ao.ruada de Guimares & Irmlo, acahain de redozir os
precos de anas fazendis menos 20 por rento do
que em (una qoalqoer parte, alim de apurar di-
nheiro, assim como seja laziuhas de quadrinhos
sendo escuras a 200 o 120, ditas mais finas a 360 e
afO rs, ditas transparentes com listas de seda a
320 rs.
Kazfiidi's proprias para siesta.
Vendem-se as mais bonitas bareges de laa e se-
iuiii, cada um psra aeabar : na loja do Pavao, rua da SeDd tsc"cwais M modernas que lem vm-
Imperati.zn. 60, de Gama & Silva.
360 e 400 o covado
des Guianaraes.
Fazendas de jnsto
Vende-se as mais modernas nareges de laa e se-
da, sendo fazenda de gesto pelo baratissimo nrreo
de 360 o covado.
Saias bordadas
Vende-se saias turbadas pelo barato preco de
65800 e 75, tiras bordadas a 15, ntremelos 800 e
15 cada tira.
Ricos corles brancos bordados
Recebeu se bonitos cortes bordados e de cores,;
de laa e seda, que se vende a 85, 95 e 105 cada
corte. 1
Chilles de merino
A pechlocha e.-ia se acabando, chales de merm
a 25.
Kiscados cscucezes
Vende-se riscadus escoCezes, a 2i0 e 00 o co-
vado : s o Arara.
Percalas linas
Vende-se percales muilo linas, sen o de muito
Vestidos a 45
Vendem-se corles de vestidos a Maria Pia on
barras bordadas, pelo baratissimo preco de 45000
do ao merca Jo pelo baratissimo preco de 06O o bom goslo, e leudo de bonitos desenos rom li
covado, cassas fr..nenas de urna so cor a 320 e i a palmas solas,sendo fazenda inieiraineme de gos-
JbO o covado, ditas com palnas solas sendo miu-1 to, se vende a 460 e 500 o covaio, chitas escaras
das e graudas pelo baratissimo preco de 280, 360 e claras, a 200, 240, 280, 320 e 360 u cavado bre-
rs. o covado : isto na loja e armazem de fa- tanda de linho de duas laaras, a 15 a vaia, len-
cos de cambraia braneo, a 25400,25 e 35 a duzia,
para acabar : n loja e armazem do Pavo, rua da Jen.das.Dd rua da Imperalriz n. 72, de Guimares
Imperan iz n. 60, de Gama & Silva. a lrmao- -
Vende-se um escravo de 15 anuos, muito
nita figura, sem vicio nem achaques : no Corre-
dor do Rispo n. 15.
Vendem-se saec.es com milho novo : no eaes Frascos bonilos com cheiros finos a 500 rs.
a 500 rs.
Frascos com cheiros de lodos os precos a 160,200,
Z4U 6 UiZ.
meias muito finas para senhora a
Duzia de
45800.
Gollinhas muito finas para senhora a 200 rs.
Caisas com soldados de chumbo para meninos a
160 rs.
Pecas de fila de la para debrum de vestido, com
10 varas a 600 rs.
Ditas de bicos superiores, para acabar a 600 e
800 rs.
Pedras de lousa para meninos a 160 rs.
Bunecos de choro e panno a 160 rs.
Caixas com bonit?s estampas para rap a 100 rs.
Capachos compridos, boa fazenda a 500 rs.
Grnsas de boies pequeos pretos para caiga a
100 r?.
varas de cordo de espartilho a 20 rs.
Novellos francezes com 20' jardas a 40 rs.
Pecas de tiras bordadas a 640.
nm cabrlolel americano de qoairo rodas para duas ,"ias de meias cruas mnie fortes e superiores a
pessoas, um outro para quatro pe:-suas, ambos 35300. ____________
CAm *"*,?,' Tv e. e'*m"!' Tr pretu C0U"B0' '- Vende-se um cyllndro, urna ma^e.ra, orna
do: na roa da Ponte Velha n. $. __________ ba|an?a graniie e Dm,' dlU peqof Ba> com ^^ ^
Vende-se uina escrava de 25 anuo-, com ha- pisos e mais ulencllios de padaria : a tratar na
bilidades, e que engorama perfeilannuie : na rua rua Diieila n. 24.
do Ramos n. 4.
Vende-se nma morada de casa terrea com
bons cormnodos, 00 becco do Pocinho o. 20: quem
pretender dinfa-se a mesma que que achara com
queiu tratar a qualquer hora do dia.
Vende-se na rua de S. Rento, em Olinda, o
sobrado o. 3 froiieiro a S. redro Velho ; de um
andar e solo, tem bom qninlal e minios commo-
dos, e alem disto esta' pintado e reedificado de
novo, pelo que quem o comprar concert* e despe-
zas neohnma tem a fuer. Vende se tamhem a
casa n. 67 da rua do Pilar, em Fra de Punas :
quera pretende- dirija-se ao esrriptorio de Claudio
Dubeux, na rua do Imperador o. 43, para tratar
do Imperador o. 40, das
da tarde:
9 da mauha al 1 hora
- Vende-se urna armacao propria para qual-
quer negocio, envernisada e tnvidracada, e 800
molhos de palha de carnauba : m taberna da rua
da Roda n. 18.
Vende-se urna mohilia de amarello ja usada:
na rua eslreifa do Rosario n. 17, 2a andor.
Colla da Babia superior
Tem para vender Antonio Luiz de Atevedo &
C, no *eu escriptono rua da Cruz n. i.
Lazithas a 160 rs,
Vendem-se superiores liaxinhas Iraasparentes
com bonilos padres, sendo .-a- e dequadros, pelo
baratissimo preco de ICO rs. o covado, islo para
acabar : ua loja do Pavo, rua da Inperatriz n. 60,
de Cama & Silva.
Manguitos e golas a 500 rs.
Vendem-se manguitos com goUs de cambraia
pelo baratissimo preco de 500 rs., isto para li-
quidar : na loja do Pavo, rua da Imperalriz n.
60, de Gama & Silva.
Cortes de chita do Pavo
Vendern-se cortes de chita fiaoceza muito boa
com 10 covados a 25400, ditos com 11 covados a
25600, ditos cornil covados a 280O, islo so
para acabar : na Iftja do Pavo, rua da Imperalriz
n. 60, de Gama & Silva.
Agasalhos para caliera dr senhoras.
Vendem-se superiores agasalhos para cabeca de
senhora on rarhins, sendo faiends, mais moderna
que tem viodo nesle peero ao mercado, pelo ba-
ratissimo preco de 35 cada um : na loja e arma-
zem do Pavao, rua da Imperalriz n. 60, de Gama
A Silva.
Cales de renda a 10$, i20, IW, 20(J e 2oA, na
loja do Pavo.
Vendem-se chales de renda prela muito finos a
105 e 125, ditos de linho a 155, ditos de seda de
linho dos melhores qoe ha em chales de renda a
20 e 235, ditos brancos de tres ponas a 6, isto
s na loja e armazem do Pavo, rua da Imperalriz
n. 60, de Gama & Silva.
i\ovid de
PARA A FESTA
Pepcliuas a 400 rs.
Paprliuus a 400 ra,
Popelinas a 400 rs.
Chegaram para a loja do pavao as mais lindas
popelinas, fazenda propria para vestidos de senho-
ra, sendo muito transparentes e brilhanles com as
mais lindas cores que tem viudo, as quaes facili-
tan) fazer-se nm vestido eom muila pbantazia por
pouco dinheiro, e vendem-se, sendo de quadrinhos
a 400 rs. o covado, e as de urna s cor a 500 rs. :
aa loja do pavo, rua da Imperalriz n. 60.
Saias bordadas.
Vendem-se as mais bouitas satas bordadas sen-
do bastante largas e muito bem bordadas pelo ba-
ratissimo preco de 655C0 e 7j.
Vestidos de tarlatana muito fina senda brancos
com barras de cores bordadas de la e seda seudo
os mais modernos que tem vindo ao mercado e
; vendem-se pelo barato preco de 95, 95500 e 105.
Manas de seda para homein.
Vendem-se as mais lindas mantas de seda para
homem leudo de lodas as cores pelo harailssimo
prtco de 15300, 15400 e 15500 : islo na nova lo-
ja de fazendas na rua da Imperalriz n. 72, de
Guimares <& Icno.
Colariubos da Hubo para biinirm.
Vendem-se colanuhos de linho para homem
sendo os mais modernos e melhore* que ha no
ditos de linho, a 440, 5'o e 600 cada um
Gtiimares.
M-ndts
Cobertores de alyodo
Vende-se cobertores de algodo, a 800 e 15500
cada um, ditos escarales de la, a 55 rua da Im-
peralriz n. 56.
Camisas francezas
Vende-se camisas francezas a 15600 e 15800,
prenas largas a 25, 5240 e 2550., finas a 25800
e 35, biun de linho de cores, se vende a 1$280 e
15 a vara, cortes de brim de cor. a 15280. 15400.
15600, 15800 e 25, de brim pardo a 640, 700 e 800
rs. a vara.
Roupas feitas
Grande sortimento de roupas ft-ita?, caigas de
brim braneo a i, de linho a 35200 e 35:,00 cada
urna camisa 35 e 35500. finas
a 65 e 7500, pali-
tols de brim a 25. 25500. 25800 e 35 de, casemira
mercado pelo baratissimo preco de 55500 e 65 a 35500, 45. 55. 65, 7* 85, K5600 e 105, sohreca-
du2i!- i sacos a 125, 145 e' 16, preos e de cores,' calcas de
limes de merino estampados a 2(J. brim e de cores, a 15280, 15440, 1;(00, 15800,
Vendem se bonitos chales de merino eslampa- %> 25500 e 35; s Loureuco Pereira Mendes Gui-
dos pelo baratissimo preco de 25, ditos lizos de maraes, rua da Imperalriz n. 56.
Pttlnrb a *iia\r-l.
Gramil'siiiimt rio i'.r- r-- .. .Jtfi) e\a
enees de ramhraia para atan a Sf a OaOa, Jt-
n s de linho a 45 l -"3.
Grande sjilirren'o de ranea para BtaBM c eO
ira5 ti nilas qualidades que eria ra'adoM 1 .n-n-
uona-las.
Fazrndna.
Vndese superior m. iln 1 reto pr< n 1 aas
pas de seihora a traOJsi a 25. lasara Ja Caaaa
a 158C0 o eovad. Rua da lat)
l'arodoj Mi
Vende em seu tslabrlirimentuliras e mirenMMa
nordados. prande nriirr.entn dp r
aienie bordado* a 35. 4-3 5-3. M afai \'n-
to, rua da Imperalriz no 52; porra n< a
padaria franceza.
Paredes Porto
Receben pelo ultimo piquete Oaarai rtn< 3
granadinascom flores de seria iV|l M r
i covado. esiao .icabando-se, rarr.hran aasfl ir-
; lulo. I'orla larga junto .1 padaria I ra
: da Imperalriz n. 52.
Paredes Porto
Vende um eoaaplMS sortimento rt fa? -
I brancas, remo si jam mad*(olo a 5H 55. "^ ,
I 10?, pecas de aieoln jor barab{nr 1.-h 'a fraav
I ceza a 240, 284'. 320. 360 r* o rasaOi, ateeaR*
minio linas a 360 400 rs. o rotad -, i-lua ,1
a 200 e 240 rs. o covado. Rua da lroperatr< o
52, jurlo a padaria fr.inreza.
Paredes Potto
Vende pangas de cor propria pata rnopa I m#
nios a 320 r- n covr.d rliSOfa fr r.-ez |
9M r. nervado. Rua da Imperalriz n. 52 ,
a padaria franceza, p ra lariia.
Paredes Porto
Reciben pelo ultimo paquete rparifeos 1 rre-
gncoSQ por .i;, .-ao ln 1.-, Iracas de -ed p .
nhora e homem a Ir, rara* corle* de ran 11
bordados de 18$ a 7j, por ttr nm l'-ijne d-
palio m aeabaad >. na roa da in(er,ntriz n. 5 tj -
lo a padaria fraaawsa.


<*
3rs
ata; uido
Francez harrir? 55001-
Porlland dem 85500
Em perfeito estado:
Francez barrica 105000
Portland dem i?5iw.n
No armazem de Tasso Irmos eaes 4a'Ao*>K.-.
todas as coi es a 3A8CU p'j, ditos finos sendo es-
lampados a 65500, 75, 75510 e 85.
* Cambraias brancas.
Vendem-ce pecas de cambraias brancas 35,
3550O, 45, 45500 e 55, ditas muito finas tendo
urna vara de laigura a 95 e 105 : islo s na nova
loja de fazendas i-a rua da Imgeralriz n. 72 de
Guimaraes Iimo.
llisfdtis tsror.cezes.
i Vendem-se os mais bonitos nscados escoceze
para vestidos de senhora e proprioa para roupas
, de meninos a 2(0 e 280, chuas fiancezas escuras
e claras a 240. 260. 28o, 300 e 320, ditas percales
; muilo finas a 360, 400 e 440 o covado : isto s na
nova loja e armazem de fazendas ua rua da Im-
peralriz n. 72, de Guiftares & Irroo.
Camisas fralenos.
Vendem se camisas fraOzezas a 15500, 15800,
25. 25500 e 35, ditas com peito de cor a 25 e
25500 -isto s na loja de Guimaraes & Irmo.
Luvas de Jouvin.
a loja de miudezas na rua do Queima-
do n. 16, resebeuas por este ultimo vapor,
Novidaie]
Chegaram os bonilos chales e retondas de guipa-
re brancos, e vendem-se na roa da Imperalriz n.
52, loja da port? larga, de Paredes Pono.
Arara n. i>6. Mendes Uuiuiares.
Farinba - Tem fiara veuder Antonio Luiz de Ohveira Aze-
vedo ( C, ho seu escripiorio rua da Cruz n. 1.
Em ra-a de Phipps Oroihers C, rua do
Vigario o. 2, vriidem se cofres de ferio, prova de
figo, dos afamados fabricantes Milner 4 Son, de
Liverpool.
Vende-se um mulatiuho de 16 a 17 annos,
proprio para p.-.p^m por ser muilo bonito e de boa
conduela : na rua do Imperador n. 45, terceiro
andar.
Vende-se a fabrica de charutos e cigarros
da rua do AragSo n. 32, bem afregnezada : a tra-
tar na rua dos Cuelhos o. 1\
Chales <\e renda"
Paredes Porto, na rua da Imperalriz n. 5i, poru
larga, vende chales de renda de cores com peque-
no toque de mofo, a 35500 e 45, fazenda de 10J
e 125000.____________
Sova publicarlo.
Tabella do vencimento mensal o diario da com-
panhia dos guardas das alfandegas do imperio, se-
guida de la boas do calculo pelos das do mez : i
venda na livraria universal, rua do Imperador nu-
mero 54.
1; m m bexigi.
Vende-se graixa em bezigas de snperior |uaJi-
dade, largo da Assemt.la armaiem de asnrar.
Vende se a casa l.rrea siU na na das F.r-
nambucanas, na 'lapunga Nova, -i :re a Uiea'r> e
as casas do Sr. Raitholomen Lonrrnc". lea twm
commodos para pequea familia um ex
quintal com diversos arvorr-dos : a iraiar aa 111.1
do Imperador n. 81.
Na rua do R.ingel n 9 vender: e sarc av
sios que foram de farinba le iriaju.______
Vendem-se palmeiras imprriars, en raaadi
de serem transplantadas : no shkt rror*> a ea-
querda, deools .do becr.i do Kspmheiro, nos ar-
didos
Rom e barato
Manleiga ingleza flor a 15 a libra, trwn a
840, arroz do Maranho 100 rs.. nanace t JO,
amendoas a 240, caf do Rio bom a 240, vial 4*
Kigueira a 400 rs. a garrafa, e -15 v raaa*.
boa a 3n0 a garrafa, e 25*00 a raaa 1 z-n- Vaa
a 600 rs. a tarrafa, vinagre de l,i-n >a a 20H
garrafa, e 15500 a caada, qoeijx d > ni i-m *ap>^
a 2s300 : na rua das Cruzes a. 24, es saina 4*
travessa do Ouvidor.
Vende-se nm escravo cabra escuro, -a-
e cozinheiro, barato : no collegio da Cacear aas
Coelhos n. 12. No mesmo collegio aa aloya na
grande sitio com muita fru la, babo, efcr, sala-
marineira.
111 rrii\/Fi


Diario de Pernambnco Terca esr* de ovcmbro de i &
N. ll--B.ua do QueimadoN. 11
A' casa de Augusto Porto chegaram pelo vapor rancez ricos cortes de
vestidos de seda de cores dos mais bellos gostos, proprios para bailes,
partidas ou casamentos.
Chales de Guipure pretos e brancos.
Bonete de paltia da Italia para senhoras.
Molr branco e preto.
Bonita seda para vestidos,
Casemiras de quadros.
Epeiras da ludia para salas.
...dapoloes raucezes a 400 eoOOrs, a vara,
lilas para vestidos de diversas qualidades, e
gostos diffreentes,
Q que tudo se vende pelos mais commodos precos.
CORTES I*E SEDA
C!ipara pelo paquete inglez riqusimos cortes Je moreantique de cores, e seda lavrada pa-
droes wtemmente novos. -, wrw/-.rv i
Seda de quadros por 1#000 o covado
5-RUfl DO CRESPO-5
Gregorio Paes1 do Amaral fe Companula.

I
tm
Para vestidos de senhora.
Cortes de seda de cor de bom gosto e superior qualidade.
Un ; i8 sedas de quadrinlios.
R<.n.s moireantiques de cores.
Grosdenaples do todas as cores.
Lin los poil d chevre fazenda asscnada de inleira nwidatle.
Lindas duquezas assetinadas fazenda inteiramentc nova.
rnos greaadinesde seda oque tem vindo de mais novo.
Gran ievariedade de lias de cores Usase de salpiccs.
i irgandys e ca sas de muito bom go>to.
Pen' ilias modernas com grande variedade.
Lndiis rtcs de 13a Clotilde com todos os pertences cada um em seu car-
. ln inleiraraente novos. ,4
R ir cortea deca;m inteir.mnnte novos coutras muitas -
fazeudas de gosto quesera enfadonho mencionar.
Para hombros de senho*a
Grande wriedade de diales, booraoot, retondes c algeriennes de fil e
uipnre a 10, IG, 20, 30, 40, 60 ate 805-
Mnd rnos sooiembarqoes de seda de superior qualidade.
L-nd ti bertes de seda de cor pretos e de cachemira,
de ca ahraia branca bordada com muito gosto.
Sauterabarques e bournoux de eacbimira de cor e outros muitos artigos de
V : oui gosto.
Para cabera de senhora
?np ri ires rhapclinas depalha, de*seda e de crina de muito bom gosto a im-'
ratriz. ,
Chapeos de pilha da Italia grande varicdade.
Lindos gorros e honets de palha de Italia, Imperatnz, a Canutier, a Clotilde J
e rite, chegados de Pars pe'o oltimo vapor. ^
Gra i le variedade de enfeites de froco e de flores pira casamento. r%
S iperiores wstidos de Monde, e de moireantiqae brancos.
B :i- ;n lireantiqnes branos e superiores sedas brancas. ,! ii s vsii;!o-s dd tarlatana branco bordados.
Lindas mantas de blinde c boas capellas.
Horda dos.
Grande wriedade de entremetas bordados transparente e tapados.
T as bordada* transparentes e tapadas babados bordados, satas borladas e
. outros maitos artigos.
i
'

5;
AO RESPEITAVEL PUBLICO
A tabella abaixo publicada serve de base de precos,
tanto deste armazem como do armazem progressivo pa-
teo do Cirmo n. 9, principal armazem ra do Impera-
dor n. 40.
Fazem sciente ao' respeitavel publico, e com especiaiidade aos senhores de en-
genhos, lavradures e mais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
beraran! os propietarios dos tres grandes armazens, reunir todos os seus estabeleci-
mentos em am s annuncio, pelo qual o preco de um ser de lodos, proraette-
mos que n3o infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os gneros
por om preco, e na occasiao da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em outras muitas casas, porm nos nossos estabeleeimentos nao se dar islo
ainda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
erao tam'.em servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela qual so ver os precos tal qual annunciarmos, o que seno arrepender pessoa
aiguma que fizer sua despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
0 BULE m CLIBE MiilBlCAM
Gregorio Paes* do Amaral & Companhia.
Offerecem a todos os convidados, do explendido baile do Club Ptrmmbaeano o
seu bello eescolhido sortimento defazendis dephantosia, chegadas pelo Gmemt, que
consta das seguinles especialidades.
Vestidos Cesarlna.
Linda e nova azenda de l-brilliant, transparente, com listas e flores de seda,
padres do ultimo gosto.
SUDAS
Em cortes padres novos, escuros e claros.
Em pecas moireantique liso ondeado e lavraJo.
dem eslampado com listas e flores.
Tarlatana.
Hesta urna diminuta porciio de cortes de tarlatana branca, enfeitados caprichosa-
mente a cores. Todos os amadores de partidas e soirs, bao comprado para snas (_i-
lias estes vestidos, j pelo diminuto preco, ja pelo bonito gosto.
ENFEITES
A' imperattiz Eugenia e a rainlia Victoria que adaptam com mnila elegancia
ao kok.
Jovin & C.
Resentia-se onosso mercado da falta absoluta das verdadeiras han de Jtmti*.
; Temos a satisfago de poder annunria-las a nossos freguezes pelo preco de 300O o par.
grande a economa vista da flexibil dade e bom acabado, que Ibes da dupla
duracao sobre as falsificadas.
Trlntn diversos ofojectos
Proprios para o complemento dos enfeites de vesiido como berthes, cnstagen,
suspensorios, etc., gostos os mais pliantasticos em dentelle preto e branco. tarta etc.
Mandara-se amostras.
D ademas e pentes de tartaruga.
a primeira vez que vem esta fazenda ao mercado. A pequea porro qoe res-
a convida as Exmas. senhoras a urna breve compra.
CIATOS
Com fuellas de madreperola gravada, tartaruga, rretal, ele.
Chales de fll de edres.
Nova remessa, deste diales e retondes a dur.s e mais cores em sadrez Nada se
pile julgar do magnifi o effeito destes chales, sera experimentar; as pessoas qoe os de-
sejarem mand iremos amostras.
E urna infini lade de fazendas de gosto, como sejam:
Chales do fil preto de IO3O0O.
Os mais i icos vestidos para menino de 3 a 6 annos.
Colxas de croeg e pannos de labyrintho.
Tif branco e fil de seda.
Superiores bales de clina, recommendaveis pela loriga duraco e bom talbo.
Tudo a
5
I
DO CRESPO 5
91 AtfT ElCi.l.
Manteiga i gleza perfeitarnente flor che-
gada ltimamente de l.oooa I,too rs. a li-
bra, e em barril lera abatimiento.
Manteiga franceza da safra nova a 86o rs.
a libra e ern barril ter abatimento.
BANHA
Banlia refinada superior a 64o rs. e era
barril ter abatimento.
114
Cha uxim de primeira e superior qualida-
de a 2,8oo rs.
dem bysson o melhor neste genero a
2,6oo rs., e sendo em porcao ter abatimen-
Serveja
Superior serveja Basa dos melhores fa-
bricantes, como sejam: Slilers & Bell. T. F.
Ashe a 7,Soo e 7,ooo rs. a -luzia e a 7oo rs.
a garrafa. Tambem ha de outras marcas
como seja: Victoria e Alcope a 5,ooo rs. a du-
zia e a 5oo rs. a garrafa.
Vinagre
Superior vinagre de Lisboa a 2,ooo rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ha
mais biixo para 2oo rs. a garrafa e l,4oors.
a caada.
Aceite doce
"
-; j
.-'
DE
iffToNl" CORREI* lB VASr.ONCELLOS & C.
RA WO CRESPO IV. t
Lojii da boi f na ra da
Laperatriz n. 74.
Ven I*m -c i icos eoWtas para caneca a 21300.
I1 ::< i-1 -i is pira alisar a 210.
- c mi Qapa >1e metal branco a 500.
J mi i.s linas pirarostura a 300, son e 15.
\ ias rnditc linas para sech.ra a 3J'J e 400 o
par.
Caixa coa 50 nvelos de linha do giz a 700.
Caita c "H (Xi envelnos a 800.
C i :-:< com papel pautado a 700
Itesma de papel almago greve a 3J200.
Tinta .'reta para escrewr bnao a 110.
:' cas e garlos de batane i a 55501) e |3i0.
\! I n eraaa para homem a 200 e '210 o par.
In tte* ili todos os tamangos a 100 a caria.
Pitad" Imito pee* 50 e i0.
('. rt-oio para vesiido a :0 rs. a peca.
Diiu imperial peija M) rs.
Cal .;.- rom obreias mnilo boas a 40 rs.
Uaralho Jo cartas finas a 240.
Grua le bmao de louca para camisa a 120.
Dito* d ina lreperola muito finos a 640.
r. iiv i de corxeie muito bons a 4_ rs.
Ca lo de curalas minio bns a O rs.
(Jravatas de se la prela e de cores a 500.
Jogo de wi-pora a 800 e 500.
i i* moituOoas para rap a 15-
E mn completo sor.imaBlo da mludeas q'ie ?c
vi.! i por menos do que em oulra qualquer par-
Vi [iira apurar dinbeiro.
Acha-so
ven'Ia na hvraria acadmica, na roa do Impera-
dor ; na do Si. Nogueira, junte ao arco de Sautc
Antonio ; e ua typngraphia imparcial, na roa e-
ir i do lt '^i.rio a compilago de toda a legistao*
lendentn a administracao, arrecada?5o e Gscali-
saeo flos ioboisna de orphaos defuntos e ausen-
tes tirran^as (acentes, legados, etc., contendo nac.
s o regiment de cusase a lei geral das execo
c& como lambem todas as ordens e avisos de
governo, que a todo tera explicado, tanto a respe!-
10 das obrigacOes inherentes ao cargo dos difieren-
les eropregados de justic.a e fazenda, como dos di-
relio- nacionaes e emolumentos que sao devidos.
E^ii- vro eonti-ndo mais de 700 paginas em nitid
impressao e bom papel, e prestando-se a utilidad,
de. diferentes classes, torna-se recommendavel
gen ooiMn4 105009 por rada exemplar era dous
om.-.___________________
' ClhlKS
CSrnniJe peehlacha.
fo rna -la Imperatriz n. 52 porta larga de Pare-
d-, lorto, vende-se chales de merino estampados a
5 e 2c500 a finos 55, esio se acabando.
Bardados.
Chogna a leja de Paredes P-rto. rna da Impcra-
triz n. 52, nm surlimento de camiiinhas, gollmhas,
corpih.is, romeiras e sinto-, de rainbraia branca.
l>fl.. b;.raio ir.code 2.5500, 3aa(l0 < 4, g"llmhas
601) rs., rnBMTM a 800 e sintos a 800 rs, grande
quaniidadti de ntremeios a 600 e 800 rs. a peca,
esta i se acabando.
INECCAO BROW.
Remedio infallivel as agnorrlieas antigs
e recentes, nico deposito na pliarmacia
fra reza, ra da Cruz n. 22 e ao preco de
3(5000.
LOJA DO BEIJA FLOR
Na ra do Qucimaflo n. 63.
Nesta toja por todos os vapores se recebe luvas de
pellica brancas 3 decores, lauto para hornera como
para seuhora.
VoUas, cozese brincos.
Chegou no ultimo vapor um grande sorlimento
de voltas e cruzes, imitando cornalinas brancas,
assim como brincos da mesma e d* crystal do mais
apurado gosto que se pode desejar, foi s qoem
recebeu : na toja do beija-Qar, ra do Queimado
n. 63.
Enfeites para coqne.
Assim como recebeu enfeites para coque e en-
tras muitas qualidades, que se vendem mai barato
do ijue em oulra qualquer parle.
Ltaneeas que chamam mamai e papai.
Tendo recebido um grande sortimeoto de bone-
cas que chamam papai e mamai e movem com os
olhos, muito bem vestidas, cora cabelleiras, o
que ple haver de gosto nesle genero, e vende se
mais barat do que em oulra qualquer parte.
Biiaios.
Assim como um bonito sorlimento de balaios para
menina de escola, tambem ha muito bons pentes
para desembarazar, guarnecidos de metal.
^Wrtf *******
K Bichas de Hamburgo I
M todos os paquetes da Europa se recebe fl
^igp desias amigas do sangue humano e sel
vendem a troco de pouco lucro s afim S
de ler sempre cousa nova : a toja de bar- JH
beiro ra estreita do Rosario n. 3, ao pe ^
da igreja.
I
m
colares llover ou colares ano-
daos
para facilitar a dentico das crianzas e preserva-
las das convulsSes.
O feliz resollado oblido immenas veies pela
prodigiosa forca magntica dos colares Royer, nos
casos de eonvuises, e deolicao das criaagas, tem
altamente elevado o seu bem merecido prestigio,
e hoje ja se pode diier que estao geralmente con-
ceiiuados, e estimados de mnumeraveis paU de
iamilias : de uns porque do uso dasses untares
colares viram salvos do perigo seus charos Blhi-
oboe, e de outros porque colheram daquelles to
proficuo cxeraplo para goaJmeoie preservar os
seus. Assim, pol*, a aguia branca, tendo em vis-
tas a nlllidade eproveit" desses prodigiosos cola-
res anodinos ou Royer, mandou vir o novo sorli-
mec-lo que agora recebeu, e continuar a recbe-
los para que era lempo algom a falla delles possa
ser funesta aos pas de familia, os quaes flearao
cerina de os achar constantemente na ra do Quei-
maao, loj% d'aguia branca n. 8.
Vmhodo Porto superior em caixa de duzia,
tem para vender Antonio Loiz de Oliveira Azeve-
4o A C no sen esrriptorio ra da Cruz n. 1.
2,4oo rs. a libra. 8arrald e a 5,00 [) a candaa-
dem preto superior de I,8oo a 2,5oo rs. Jiassas
a libra. MacarrSo e taherim a 360 rs. a libra e a
Riscontos ; 5,ooo rs. a caixa.
Latas com superior biscouto inglez de di-! I*assas
versas marcas a 1,2oo rs a lata. Superiores possas a 3.ono o qtiarto e
Rol rlilaas 12;5oo rs. a casa de arroba hespantiola e a
Latas com bolachinlns da acreditada fa-'5oo rs. a libra.
CiEVEBRi
Genebra de laranja verdadeira a lo,5oo a
, duzia e i.ooo rs. ao frasco.
Genebra de Hnrtan la verdadeira a 6/>oo
'rs. aftasqueira e a 56o rs o frasco.
Idom de Hollarxh em botijas a loo rs. ea-
brica do beato Antonio, proprias para dar a
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lat.
idem com quatro libras de bolachmba de
soda a 2,ooo rs. a lata.
Quei jos
Qoeijos flamcngos chegados no ultimo
vapor a 2,5oors., tambem ha do.vapor pas- fa uras.
H
O
1
sado a 2,3oo rs.
CHOCOLATE
Garrafes com 24 garrafas de genebra de
Hollanda a S.ooo rs. o garr..fo. Tambem
Chocolate hespanlwl a l,ooo e l,2oo rs. ha garrafes com 5 e 14 garrafas de 3,_uo a
a libra, francez e suisso a l.ooo rs. a fibra g,ooo rs. cada um.
e portuguez a 800 rs: a libra, em porco
ter abatimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Velho Secco, Lagrimas do
Douro, Maria Pia, D. Loiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a l.ooo a garra-
fa e9ooo a 12 ooors. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3.ooo,
3,5oo e i.ooo rs. a caada.
Superior vinho cbamisso em barril a 6io
rs. agarrafa ea 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
ancoretas de 8 e 9 caadas a 2i,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
raizas com urna duzia de garrafas de su
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa e
7oors. agarrafa.
IMFE
Caf do Rio de 1.a e 2," qualidade de
6.800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
S.lltAO
VELAS
Velas de spermacete a 64o rs. a libra,
dem de carnauba de lo a 12,ooors a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
PEIXE
Peixe em 'atas j preparado de i,099 a
i,2oo rs. a lata
ALPISTA E PAINCO
Alpista e painco muito novo de 3,800 a
4,000 rs. a arroba e de 14o e 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mais acreditados fabrican-
tes, como sejam: Joo Furlado da Serrias,
Manoel Peixoto da Silva Nelto, Castanho &
Filho e Brantto e de outros muitos, os
quaes vendemos pelo mdico preco de 1.600,
2, 2,8oo, 3,5o> 4,5oo, e S.ooo rs. a caixa.
Licores
Licores francezes e purtuguezes a l.ooo e
l,4oo rs. a garrafa ou frasco.
Doces
Doce da casca da gdiaba e caixoes pe-
queos a Too rs. e de 5o caixoes para cima
a 64o rs. o caixo.
Frats
Frutas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pera, pecego. ameixa rainha Claudia, al
Vemlein-se tfQM escravas recolhidas, de ida-
de ?.'! a 'i annos, excellenle conducta, engommam
perfeitamenle e faiem lodo o servipo de urna casa :
na travessa do Carmo n. 1.
Vende-se um sKio em Henifica a' margem do
rio Capibaribe, com bastentes comraodos para urna
grande familia : traase na ra Nova n. 24, das 9
lloras as 4 da tarde.
Sabio maca de primeira qualidade de 18o ] perche e outras frutas a o rs, j lata
a22o, rs. a libra e de 16o a 21o rs. sendojTambtm ha latas grandes para l,2oo rs. a
em caixao. ,ala-
Uvas pelo ultimo vapor.
Peras pelo ultimo vapor.
Macas pelo ultimo vapor
Ameixas pelo ultimo vapor.
Passas pelo ultimo vapor.
Figos pelo ultimo vapor.
Frudas seccas pelo ultimo vapor.
Fructas m calda pelo ultimo vapor.
Nozes pelo ultimo vapo>\
Queijos londrinos pelo uldmo vapor.
Queijos flamengos frescos pe'o ultimo vapor.
Pregunto fiambre pelo uliimo vapor.
Tudo se vende barato nos seguinles armaens:
Rna do Imperador o. 4Q, Verdadelro Principal
Ra do incluado n 1, L'uio e Commerelo.
Largo do C'aruio n. 9. Progressivo.
DE
AZEVEDO FLORES
Ra da Cadeia do Recife, esquina da Madre de Den?.
fu-ande snrtimcnlo de fazenlas pnr atcalo o a retilhi). e am cisapleU sari
menlo de ronua feita, de casomira e de 1 im, toda por in im e
outra qualquer parle: quera duvHar venha ver.
CAICAS
de lindas e finissimas casemiras escuras e claras, de superior casemira preta, de
brins brancos e bom brim pardo.
Paletos
de superiores casemiras escuras e claras, de lina alpaka branca, de superior aipaLa pre-
ta e de brim pardo.
Col leles
de boas casemiras prelas e de cores e de lino bim branco.
CAMISAS
Superiores cimisas francezas de 2rJ at otf.
Ce re nas.
Ceroulas de superior bramante de lino linho.
IB tildes.
Superiores bales de arcos para meninas de 2 at 12 annos.
dem superiores para senhora.
Ciravatas e manas.
Superiores mantas para pescoco de hnmem, as mass modernas do aereado.
.Uadapole.
Madapolao bom a 8, 9$, |f# e m.
Chapeos de sol.
Superiores chapeos de sol de seda balito a 40.
Fraques de casemira.
Fraques de casemiras, prela. escura e de cores claras, e nao havend qoe slro
ao freguez manda-se fazer por medida e cm muita promplido.
Todas estas fazendas por precis insignificantissimos, pois o filo do Rilo ad-
quirir freguezes. K
LOJA DO BALAO
DE
AKETEDO & PliURKS.
AUMAZWM 1IE FAK1 *_>%*
DE
r.
C r.STOIllO CARVAl.HO
27 RA DO QUE (NADO N. 27
MadapolSo francez muito fino, tendo pouco mofo, cada per;a com 27
10)5000.
Laa de c res a 300 rs. o covado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a preco de 800 rs a vara.
Lencos braceos para algibeira a 25' 00 a duzia.
Fimsperclaras a preco de 400, 440 a 560 rs. o covado.
Ricos cortes de laa de barra de I O a 30*000.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.
*
MODA.
Paredes Porto recebeu pelo uliimo paquete nm "completo sortimcn'0 e tapas t
Bonrnus de cores ricamente enteiMos a 12}, 13* e 29* : na ra da \mymm a. m,
toja da porta larga junto a padaria franceza.
No armaiem da ru do Imperador n. 3
Cae de Pedro 11 n. 2, tem para vender-fe
Ihor gai existente oo mercado.
ou no
o me-
FaHnha a 3$5'i
Vende-se farinha de mandioca, saceos grandes :
no armaierp dos Srs. Tasso Irmaos, na ponte nova'
pelo prego cima mencionados.
Vendem-*e
machinas wsricanas imtott pi
algodio : na ra da Sanla non a. 4S.
CAMBRAIA. '
^ Carahrala de tarto eotn 8 l|t am a atfa a 11,
e Impcrairii o. M, de Paredes Fama.___________
Peoaas de raa de moiio i
i vende-se na ra d/j Y*garn % H* I*
I criplor'w1


raMaaMMBH
tmmmmmmmmmm^mm
MBMHMMIBHH^VHBmi^BHM
i
Diario de pertsambuco Ter?a felfa 89 Je Xovembro de 1&8&.
\
' i
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
AO
HESPEITAVEL PUBLICO.
A apreciaco dos habitantes desta heroica provincia existe do grande arma-
ten da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento [de molhados,
que sendo em sua maxim i parte mandados vir directamente do estrangtinTpodem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porin iffiancar, com toda a seguranza de qne
nenhum outro o exceder no restricto ctfmprimento das seguintes promessas:
i; Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3." Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sua posicao social gozam de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos Qnissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condicao do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquelles que sao pooco favorecidos da sorte farao meDsalmente urna economa de
mnitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrbaldes ou centro, que compran para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhores que compram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certameute muito deve agr lar aos senhore>
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DINHEIRO A* VISTA:
Graixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
A
ALPISTAa 120 rs. a libra.
dem e painoo de oito libras
100 rs.
Arroz de 90 rs. a libra a........
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra.
AvellAas a 2i0 rs. a libra.
Ameixas franoezas em latas de todos os ta-
manhos.
dem dem em potes de todos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de todos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Alhos a 200 rs. o molho.
Absy.ytho a 20O0 a garrafa.
urna.
BOLACHINHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a I 5800 a lata, c
de cinco para cima a 10700.
dem de so la em latas grandes a 2#000 o
de cinco para cima a 1-5800.
Biscoitos inglezes de todas as qualidades a
i#200, 1 250 el 300.
Bolo francez em caixinhas a 400 "rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Banha de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 600 rs. a libra.
dem suisso a 15 a libra.
dem de musgo a 15300 a libra.
Choricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 240 e 260 rs. a libra, e em porcao
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 70000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, ordiaia, etc., etc.
Chicaras e pires a 1*5860 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'Havana, Exposico,
Flor do Brasil, Par sienses. Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Kegalia, Mississipes,
Paoetellos. \praziveis. Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
precos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 20000,
2d2'0, 205150 e 20800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 20500, 30500, 40 e 50.
Cauces de iodos os tamanhos.
Cognac superior a 10 e 10500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 60 rs. o maco
de Cinco macinhos.
D
DOCES de todas as qualidades: brasileiros,
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc.
E
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
irvadoce a 400 rs. a libra.
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400,500 e 800 rs.
Figos de enmadre a rs. a libra.
FeuAo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 10.500
Fabello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
para cuna a i*
KIRSCH de Wasser a 20 a garrafa.
i ^
LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Letria a 400 rs. a libra.

MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 10, a libra.
Marmelada dos mais acreditados fabricantes.
Macarho e talhahim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 6c 0 rs. a lata.
Mostabda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho ingi.ez de todas as qualidades.
MarrasojCi.no verdadciro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
60 rs. a libra, em cacas com 9 libras a
30500.
Miliio painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
m
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Ostras ingleas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a 10COO, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargo, saimo, pescado e
pescadinlia, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparaco.
Palitos para denles a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em qnarto a 10400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
<*
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QARTINHAS OU MOR1.NQCES a
K
RAPE' Meuron a 10 a libra,
dem Princeza do Rio a 10200 a libra,
dem francez a 20500 a libra.
S
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 2J9.
Sardi.nhas de Nantes de todos os fabricantes.
Idem de Setubal em latas muito granaos a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco,
a -100 rs.
T
Sag muito novo
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
v
VINHOS
!l
Principe Alberto, de 1831, a 50000 a gar-
rafa ; d vida aos velhns.
Velho secco a 20 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 10500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 20 a garrafa.
Duque a 10 e 10500.
Chamisso a 10, 10200 e 10500 a garrafa.
D. Luiz a 10 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 20 a gar-
rafa.
Carcavelos a 10.
Colares a 900 rs. a garrafa ; "o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posicao alguma.
Lanteroe a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julieo a 600, 800 e 10 a garrafa.
Absyntho a 20 a garrafa.
Kirsch a 20 a garrafa.
Wermouth a 20, e a caixa a 180.
Bit ter Maurer a 10 a garrafa,
Vinho figueira am ancoreta a 200.
dem Figueira e Lisboa em pipa a 20500 a
caada.
AO PUBLICO
Jera o uieuer coistran.
glmento se entregar
Importe do genero qne
nao agradar.
ATTENCAO
* preco d egulnt<
tabella 6 para todo, pt.
tiendo ansian servir de fc; -
e para o ajuste de centat-
com os portadores:
Senhore*
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o areo da Concele9)
PARA BEM DE TODOS,
<-?nhoras, o aceio que presidio
em
zia.
Cevadinha de Franca muito nova a^nors < EI! d# *** '"1? *** '-'<
r.harninc .! n< .-
Uiarutos do aflamado fabricte JosFnrta- idin. de mpmtVoieo attata
aosarranjos destenovo estabelecimento, e mais que tndo a nromntiriJn m .-
ezacom que sero tratil^ :nvida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me dao a proteccao e Drefr
rra dos gneros que precisar a e quando nao possam vir poderao mandar seus portadores, ainda qne estes sei.im n"1'" na ^rn-
^ois ser5o to bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendaco afim de Pouc1 praticos.
Ira rrle. ^"^ naovao
Manteiga ingleza especialmente escclliida a
l.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2.6UU
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oors.
dem preto o que se pode desejar ueste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Choricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs.libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato a 8oo rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
o mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijao verde muito superior s 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
duzia.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ou amarella a 64o rs. a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de 9 caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como spjam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainba de Por-
tugal, Duque genuino, I). Luiz 1, Madei-
IftlVAI,
Ra do Uneintado u#. *%* e*.*.
Contina a veailrr ioda> as i
declara por presos afcifw
Massos de palitos lixadus par- >- UHn.
E>pellius deii.tldra4dtuia(J*> > : ., mm
liuiieis de oliado para nu hn> s :<
Unos de couro >up-nor tu**
Fraseen com aptrn* uno wsu
lleiadas de liulia lioia iaia t' i 51,
Caixas com 100 tSfMip,lM 1 > r.
(rezas du pennas deacc, Mi 1 .<. i V&n.
Grozas de bolcs o>aaieper<-:t i.u a #M
e CiU rs.
Caixas coro 30 noellos Ce. lirt. r; r* x\.
Caixas com toperioret oLr-is.-1
t*e{Mi de lila brama frlanra e*a utn.
Varas de raiija de Ha lila c*m .m a
: 40 r.-.
Uarallios douradis soperiMi: ,. .,: n
: Novellos de liLlia nm 400 jare- ^ i> ,
Liros para taamw dt nui? ;.i,i, iti r.
Pares de Lulo..- paia pool..., 1.. : .
Tesouras para coaiBiaa ti 111 ..
: 400 e l.
Caixas de peonas de callipajl .'i;.rc
I 000.
MaCCOS K Ot SUfeluIt- Jirin.Il: -..
Pares de sapatos de u asta 1 u
Caixas cdi, Mi|ni(r<> (.i. -.
Libras de Ia .unidas de l(ius-
Caixas cero superiores .lua.- c-
Rodinhas com aibtii les fr^i.i 12c- u <
a 20 rs.
ci rofino 1 Kesrras de papal aln tro a S*W 1 11 ..
sai lennauo em frascos devidrocom lampa B***" i" loupa, auLda loa. ;a :.
so mesmo, a 5oo rs. .Dnstoa gequtvemaoamalmHrCaS ["^s acreditadas'dS^ ,sri, gsrf05 de ,. -^
que vera ao mercado, a 5oo, 56o e 64o Taih.res n.u.io bm para rriai r
d fcarraia, e 5,8oo, 6,000 e 6,5oo a dn- P"'*** |>ra eiaaa 3rs
Ditas e Tollas para^inlxia a '* >
-i.: t- *
r.-.
i.
pifia

piros Delicias, a 4,000, 4,600, 5,oor>,
6,000 e 7,ooo a caixa ou em n eias. "
Charutos finos de diversas marcas e fabri-!\TA
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-'
Grtalas de rres, Meada rciti tr_ r --
Papis d aguihas, fund, doutsdi. a M,
aiiuizeni de ;4/i.ii
Sf*!!!?^/"'^ baratas de Satr- li-flhi)
ISna du QurlKbdt, m. !.
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5co
3,ooo a caixa.
opnac ingle?, das melbom'narca, a 800e
l,2oo a garrafa.
raSecca, Malvazia fina a 16 ooo, 15,ooo, Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
12,ooo e 10,000 a caixa com 1 duzia e9oo,
l.ooo e l,5oo rs. a garrafe.
Vinho Cberexde superior qualidade a 16,ooo
a duzia e l,5oo rs. a garrafa.
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira
libra.
a 32o rs. a
Sardinhas de Nantes a 4oq rs. os quartos e I 2oo rs.
i'ift i*C qc mnic l : Malte,excellente cha para os navegantes, a
64o rs. as mcias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartes com bolo francez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooors.
a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
rs. a
dem idem para vinho a 24o rs.,e 2,4oo rs. 'Passas de carnada
a duzia. a libra.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,' Figos de comadre a 24o rs. a libra,
l.ooo e l,2oo rs. a libra. I Amendoas de casca mole a, 4oo rs. a
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li- Milo de amendoas a 5oo rs.
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 8oo, l,ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
ibra.
Sebollas de Franca muito grandese novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinhode Lisboa milito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemenletem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e ebeirosa
"a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
a caixa e 64o e 7oo ris a gar-
a 48o rs. a botija de
8,000
rala.
Genebra de Hollanda
conta certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a
e <4o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira era frascos
grandes a l,ooo e ll.ooors. a frasqueira.
Caf do Rio de 1* qnalidado a 28o rs. a li-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
Bolachinha d agua e sal, da fabrica deJo5o' versos tamanhos, muito proprias para
deBntonoBeato Antomq, emlatade6 h-, mimo.a l,6oo,2,6ooe3,5oo cada urna.
bras por 2,5oo rs. I Huidos, excellente peixe portuguez, em
Ameixas francezas em frasco de vidro com barris pequeos ou a retalho, a vista se
lampa do mesmo, a 1415oo. far o preco.
Ameixas franc zas em caixinhas de diversos; Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 6oo e 8oo rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancorea.
m
e
tamanhos com bonitas estar
xa exterior, a l,4oo, l,6f)o, l,8ooe 2,ooo
cada urna.
Azeite doce refinado hespariholou portuguez | Champagne da melhor qualidade que e
,8oo a 9oo rs. a garrafa e loiooo a caixa. ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa"
Batatas muito novasa 8o rs. a libra e2,5oo
o gigo com 36 libra-.
Conservas inglezas a 75o! rs. o frasco e
8,000 a duzia.
Vassouras de escova paral esfregar casa a
Caf do Ccar muito superior a 24o rs. ali-1 4oo rs.
bra e 7,5no rs. a arroba. j Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranho de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa d vidro comrolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo z 'Mostarda ingleza -los melhores fabricantes,
arroba. | a 8oo rs. o frasco,
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. too rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e 4,ooo a, Lentilhas francezas. excellente legume para
arroba. SOpa, a 2oo rs. a libra.1
Massa de tomatesdesuperiorqnalidadea 64o Marrasquino de Zara propiamente dito a
r6. a lata de urna libra c56o rs. a rea- i a garrafae 11,ooo a1 dozia.
too. : Palitos de dente a 14o rs., o maco.
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos emsextinhas a 8o rs,cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2.000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
Vende-se o sayaui
Coberlas de < bita lina a 2.M,t
Ditas de dila a 2 t.o.
Lentes de panuo de liiil
Ditos de dito de liLho a i.
Dilos de Llamante de linl.o iV i r- ;6 : ato
300.
l'atno de Uabu ii.o ets* f 1,2 p r|B-
ra pelo barato prero de iH i i
Uranarip de liihu tn<> un. 1'
gura a 2>C0 a ara.
Peras de raniliaia cum >alpn triares t de
coies rom 81|2 aias a iJL.'i i .
I' cortinado de can a n n, ;0 varal a i
Balee- da aicrs a SfftCO.SaV '."'' 9.( '*.
Lentos decamlraia lina a 2{t'u aaaaa.
Dilos de dila ;. : a duna.
Alhoalbado de linhc- tino a .'S'; a aan,
Dito de alponao a ti a xi.
Alpcdo eoftttado con 7 l|2 pan ..< lars^ra
a l2C0 a vara.
Pi cas de bretanha de r.lo rom M vaaaa [: fr
I ara sa,a a ''a o.
Fil de linho liso MI 800 r- "i.
DiIk de dito rom salpico a M i ma
Can.braia de linho lina a 4.'i t 'i*
vara.
Coi tes de lazinba de iicdi.s ; > m io t%-
vi dos a a.
Peia> de madapi lao lii:i.--m.i ri i aaral .-lar--
preco de, ':}, i( e U.
Flatella btaaea la* a 199, r-.
Lna de cores lina a M(| r-. b
lialoes de musselma para m i. ., :i, "W*
e4.
Cambraia de forn a "i a pi
Dila fina a 4o)(', 6 e T
Guardanapo> de iinb. a ?J8C0
Toalhas de alHli> felpuda^ > i i "
Esleir da ludia pe apila para I n- de
4,5 e 6 palmos de largura par n :.- ii'C que m oulra ijualiiinr parle.
Nesle ai inazem lan I > -. i> r. ^raade
sorlimeBlodo roopa Mr* e pe i
PEDE-S"f()[i.\
09
O35

a

. 2 g
c 3.3 2
es-
_ c
S M
o. w =;
e5- e
a
g
r.
Q.
5
s-g.
o-""
3^
C6 S?
LTB
3 s --*
I" 3aa
a =73 3
.3 ai a
a- t> s *-.s .aro am
g-i-SS o w
' g 8
O. &< O ? P
STcoS 3- g
sa.S'S 3 8*
S 3 3 3 3^
ciq o 2 o -i
So-
Attrne
A
Li(|Di!acao d fszr<
Cnsii'dio losd Alves Guimar.ie-
ro da Cunha participa au rispen. ,
seus freguezes e amigos ')ue if
leja de fazendas da ra d (ju>
lierco do Peixe Frito n. o, e BMM ,
obran na mesroa, esi3'> raaoMda* a
as fazendas por presos baraii--'o
dos reguezes se far todo o Begi-ci
rna do Qneimadn n. 5.
-
i a
rttm
vio a
v.do
f-Zer
. i.-
i-'. so aa
Ha re lo.
Vende-se supeiior fareilo de Lo! .*
zem al Nanea, ra do Imperadoi o. -'/.
aran
h
;ri
i?
UCH.;
de tfabalhar uso
dcscarocar algoclo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & Cb
OLDAM
05
23
^ = 0
3
8
c <
O.'
*o*
a
en
O
m
" -M sr 3
5 a, S. o-
2.
O
03
a s;
Si?
ii. a>
as
t
a.
3

B
o
a.
s

o
u
O
<^
a>

Estas machinai
poden descarla;
qaalquer espeeii
de algodao sen
estragar o fie
sendo bastanP
^ duas pessoas pan
o trabalho; pdi
descarocar umj
arroba de algo
do em earoc
em 40 minutos
ou 18 arroba?
por diaou S ar
Vende-se as oUrias de Jo CarneirodaConha'
em frente ao hospital Pedro II, e na roa dos Pra-
zeres n. 38, tena superior de barro de agua doce a
305 n mllneiro, akenaria batida a 30, e ladrilho
a 86*000. I
Gambraias.
Parede Porto vende eambraias lisas finas, gran-
de sortiinento, a 3 at C>&, ditas Victoria muito
finas, com 10 varas a 6J, 65"0 e 7f : na ra da
Imperatriz o. 52, junto a padaria f.inceza.
Fareilo novo a
a sacca de 92 libras tem moila gamma, dase ba-
rato por ter porcao : s 00 a/aaem da estrella
/argo do Paraizo n, li
Cbegoem aos corpinhos de cambraia
Vendem-se corpinhos de cambraia com ntre-
melos a 4J e 5J, esli se acabando : na loja de
Paredes Porto, ra da Imderatril D. 92, poria lar-
ga, j'uo.0 a padaria franceza.
Tasso Irmaos
Vesdem lio sea armazem roa do
Amorim o. 35,
Licor fino Curaco embotijas e meias botijas.
Licores finos sortidos em garrafas com rolhas de
vidru e em lindos fraseos.
Vi06Uaeres. ,
Santernes.
Chambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Mu6catel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Toa.
PAezei lagniol.
O castello de Grasville.
Traduzido do francez par A. J. C. da Cr.
Vende-se este bello romanee em qoati
tomos pelo baratsimo preco de 3400C
aa praca da Independencia, livraria ns.
6 e8.
Vende-se um sobrado de dous andaras no
bairrode Santo Aotoolo, o qoal rende para mais
de 1:2004, euma casa terrea no bairro da Boa-
Vista
zem na
Assim como machinas para iserem movidas por
animaes, que descarocam ifi| arrobas de algodc
liropo, por dia; e motores par|i mover urna, duas
eutr-s dessas machinas.
Os mesmos tera para vende um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis dess machina
mencionadas ; para o que,' oonvida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e ejdamina-lo, no arma-
zem de algodao, no largo da fonte nova n.47.
Sauutiers Brothers &C
X, II, prava do Crpo Manto
RECIFE.
Os uisicos agentes ueste paiz.
Testamfiios em verso.
Conlinuam a estar venda, ra tyiogra-
pliia dr ra do imperador n 15. defronte
de S. Francisco :os testamentos da Gali-
nha, do Gallo, do Porto, do Leao, do Gito,
do Pet. do Carneiro, da Onca Titre, do
Cao, da Hyena, do Rato, do Orarigulanyo.
do Macaco, do Burro e do Vigario; a Peleja
da Alma com o Di-bo, a 160 rs. cada um,
e a 100 rs, a quem comprar urna olleccSo
cem| leta ou 25; cartas de A B C, taboadas,
cathecismos, eeoDomia da vida humana,
cartilhas, Siman de Nantua, Bit lia da in-
fancia, manuscritos, traslados, pautas, pro-
curagoes, apudautas, leltras, cont ecimentos
p^ra embar. ue de escravos, despachos para
a alfandega, papel almaco pautado e pinta-
do de diversos formatos, sendo o pequeo a
30 rs. a folha, o immediato a 40 rs., o me-
dio a 50 rs. e o muilo grande a>0 rs.;
robas de algodc papel marroquinadoe luslroso grande e pe-
I queno; papel para impressao de urna s
'cor grande e pequeo; Virgilio, Horacio.
Salustio, Magnum Lexicn, prosodia, dic-
cionarioa francez-portuguez e \ice-versa,
selecta franceza, e outros muiies livros, bem
como em branco de tod < os tamanhos.
s
ILLAR
Con leja roa do Crespo n. 17.
Recebeu de Paris sedas ero corles mui-
to superiores e bellisslmos padr5es, e
chales de renda pretos para IO*.
Este importante estabelecimento torna-
se reeoromendavel ao bi lio sexo pela va-
riedad* de fazeudas superiores bellos
gostos 1
Proteja o bello si \o ao Villar
"proteja o bello sf 10 ao Villar I
e vero todos a prospehdade.
BHK-MM
ALGUDAO l)A BAHA
Na loja de Andrade & Rejgo, ra do Crespo n. 8,
esquina da ra do Imperadfr, contina a vender-
se superior algodao da Bah'a por menos preco qne
em eutra qualquer parle.
Vendem-se quatro burras molo mansas, boas
- a tratar com agente Olympio em seu arma-1 de carga e de seila, por preco commodo : a tratar
a roa da Cadeia do Recife n. 34. oo boiel de Franca.
Framcisco Jos Germano
RA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gosto da Europa e ocu-1Pessoa de Albuquerqne, a'ra i Apila o. 3t~
a i filio caro* rnnnmnanttiln
r^km ni
Gralificio de 50$.
Ansentou.se da casa n. 59 da n: i li; >4o
(ooir'ora Coilrgio) no sal bario 16 i 11.
oe seten.biode 1865, o escravopaio ''ei- 11 !ca-
uoim, rcm os signses segedle.- : >' i. 'Miar.
idade 18 a 20 annos, sem bar;, i tae
glandes, ralello corrido, com omr m>i u r-. n*|
e bim vhvH na testa, paite dos dr da Ttmle
arruinados, e com falta de algun> d. i. .o-, -,^io
com caira de l.rim rar^o c paleto! ir.ru c- i r no.
mas lev n mais n opa branca e de rdf, r oo
astucioso, rofloma intilular-se f eado -, f i esrravo do Sr. Guiibern t Wnntn de
Sou?a Carvalho, genro rio finado Si n n>!..:
Manoel Gonralvp.- da Silva : roga-se a i-na raaam
a todas as autoridades policiaes a Mlaa*f ca-
l'ito rie ramio ou eutra tesso; partircfai tymt
apprehender se gialifirar roni Si." i ov ita-;je-
|ie;as de condnerao, entregando-^ ;: srfl MV
Miguel Jos Alves, na cas cima. M m s rripiorio na ru^ da 'rui caa n. !!'.
No dia 20 de seterobro ,rov-i ia**ad (-
gio do engenho Terra-prea, do al- lie i.-'gi.ado, a
escravo Julio, rrioulo, de altura i -:l..., t-ioa*,
de 30 annos rie idade, poura barba. t< m m i /- bem
fetos e perna-, muito fllame, aip fi i. i-ro,
tem o dedo p tro, anda o m urna carta fechada. d-< it.,en.c coro-
nel Amaro Gomes da Cucha, apa'i u'. '- i, i on-
ca fot surrado este escravo, fui ha n u roa ai da
a Pocha Lima e Guimaiaes : qu< i u |i : e e-
mesmo rngeuho ou no Rerife a" ro .< I -!a a'
'Alexandre Correia da C. Jonior, au i-i l. m re-
compensado.
____________ Alexandre Corr-m < Caira.
Fucio no da II de noven e- o. .in-nlo
Monte-Alegre, na comarca de N;-7ai. i. *faa*a.
Wenceslao, cabra, de idade de 25 m s, r laluia
regular, cheio do corno, pouca harl ra.-1 -1 ra-
rapinhos, ps reforjados, com indic> le ruchos :
sahio montado em urna bes la caiant.- r.ini>, di-
zeodo que desta vez ira para o Paramay : rifa-
se as autoridades particulares e capnias da campo
a appiesenlacao do referido escravo evanrto-o ro
dito engenho a seu senhor e nesta pnea Arm-nlo
los de alcance
martimos.
para observacoes epara os
CRANDI
Cllil!
cha
Venda-se riscadinho francei a 200 rs. o eovado,
por ler grande quantidade, esu-se acabando : na
ra da Imperatriz n. 52, loja da porta larga, de
Paredes Porto.
Bren embarricas pequea.
Cero, em velas de todos os tamanhos.
Bogias.
Mercurio.
Na ra do vigario d. 19, primeiro andar.
que sera' recompensado.
Fuglo de casa de s=u senhr i> aarrava Anla-
nio, crioulo, trajaIhador de padar a, cu| rs. ravo
tem os signaes seguintes : baixo, gios-. *a rorpo,
ps apalhetados, e bastante feio, levaaiio Tr-nda
palitot de casimira e calca da mesma 'arenda Ja
usada,gratifcase com generosidade nuen. n mb-
xer a padaria n. 146 defronte da estacao da> C.oro-
. Ponas.
Desapparecen do sitio de D. MsruTardiaa
Ferreira de Carvalho, nos Afflirtos, u iknUio claro,
cabellos cachiados, eslalora regniar, idadp de 16
a 18 anuos, d nome Izidoro, vindo ha iH>aeo da
Paje, o qoal levou ve-tido camia i^ flr.nada
, cor e caiga branca, j velbas, e ebapAi i*e plh> :
qoem o apprebender on deile der n- tifia w sido
aeima, sera' generosamente gratificado. Pn testa-
se palos dias de ser vico contra quem o livor acal-
JlLEGVELl


Diarlo de rcrnambnoo rrrca tetra 18 de Noiembro de !**>.
liba
C
Gl POCCO DE TODO.
Extractamos o que segu do Daro de S
Paulo :
Sane o compadre como aos eotreliuhamos
noite f
Cjtn o solo ?
C i;n u tal solo, coio o inassantissimo solo.
O Sr. Maraghaao percebeu uue eu era pichte
eot u n la! dentista, que me parecen dono da nos-
p:ijiii, furarain-me lotos os bolos.
Hopea.) ram-me.
Log que fcheguei, veio visitar-iue o meu amigo
estu taule o Sr. Ulp, aquello par quem mandei vir
os amendoins.
Disse me que deu se rauito bem com elles, e
agradeca me oora urna Versada, que compoz para
me 3 ir ufferecida, visto ser eu um grande jogador
d solo, na opinio do Sr. Maragliano.
Que paularla II
Emfln, seja l como for, ahi vai a versara, e
m -'.re ao vigario, que gosla de puchar a orelha da
SOI'.
E, nra que eu nao fl-jae em divida com o Sr.
e luanle Ulp, manie-me um pote de melado, e
in-io ilqueire de mangaritos, que urna rica so-
hro-'n-sa deesludante, principalmente em lempo
do .-apozas.
Eis a versara
O JOGADOR DO SOLO
Silencio, pichles Iouvi meu cantar :
Do solu na guerra ja mais eu trem,
Ja mus rccuei ao grito desolo,
Silencia, pichles Iineus cantos ouvi I
D.i s i!o na guerra quem ba como eu sou T
Q.i ra ha destemido que gritesolel ?
.\ i j>;o d ) solo nao lemo nioguem,
A IoJjs eu vengo, no solo sou rei I
S! as vezas sem jogo nao posso solar,
E passo meu lento, gritandopassei,
dta-io d'aquelle que pensa ganhar
E vai mullo ufano gritandosolei !
Eiiii suas vasas por mira sao tortadas,
E Uio o tlente seu solo perder,
E iranlia mero lentos e mais ouiros lautos
Que p*rie o pichte, Picando a dever.
E jogo sem medo, de todos me rindo,
I) iu iu J os pidiles na mesa espiche Jos,
Bjogo lito bem que todos por tim
Ele pagara, mas como -comigo zaogldos
Aliro ans azessen nunca perJ-loj,
toando a mamita de todo engaada,
E quandoella vera, larde, Ihe digo,
E corlo com Iranio a tal pichotada.
A; cartas que sahem me flcam na mente
(',raigo ni solo ninguem podara,
Niogaea, eu solando, nn grite-prefiro.
Por que o contrario n mesa estar !
N > j >go il) solo quem ha como eu sou T
0'j-:n ha dest-imdo que grite :solei
Nj jogo do solo nao lemo ninguem,
Huinilheui se todos, no solo sou rei !
At vetes eu bolo -com rei em lerceiro,
E lutos esperara meu bolo (arar,
R 11 los rae dizem que hei do perder,
Mas deixam collados, o furo passar I
Al rom dous furos um da bolei
t lod is c.iuteotes julgavam ganhar.
Purera, lo pichles, perderam seu jogo,
eando os furtnkot bem iivres pa?sar.
Assim c qu<* eu sou no jopo do solo
Assim que a todos eu sempre venci,
Do solu na guerra nao temo a ninguem.
Silencio, pichles Imeus cantos ouvi I
No j igo do sulo quem ha como eu sou ?
Que ii ha de-temido que grite :solei 1
Q iota ha jogador que grite sem medo :
Nao temo ninguem, no solo sou rei ?l
Sou cu, soueu s, que posso gritar
Que sempre no solo serei vencedor ;
Sou eu, sou eu s, que corro sem medo
P'ra guerra do solo com lodo fervor I
Amantes do solo I ouvi meo cantar :
Quem ha como eu sou, no solo feliz ?...
Ninguem me responde ?... No solo son rei
O vosso silencio s quera m'o diz I
O Jornal dos Debates publica urna correspon-
dencia de Copenhague verdadeiramenle extraordinaria.
Se ha exemplos que possam faier crer na phre-
nologia, o que vamos copiar daquelle jornal lde
certo um dos mais envinantes.
A bossa da deslruclwidaie talvez em nenhuma
cabega lera lido um desenvolvlmento tal, como se
deveria achar no crneo de Mara Z... una das
notabilidades femins da capital da Dinamarca.
Os leitores melhor ajuzaro do seu carcter pela
narrativa que, sem mais refhxoes, passamos a fa-
zer :
No mez de agosto ultimo desappareceu da Cope-
nhague a ranina dos uailes pblicos desla cidade.
Foi grande a sensago que causou esta fuga em
certa roda.
Logo depols alguns adelos foram declarar a' po-
lica que ^sta joven, autes da sua partida, tirara
de seu domicilio diversos movis de grande prego,
' que lite linham alugado.
Constiluiudo esta aeco um delicio que as nos-
sas leis puera severamente, o director da polica
I fez lodas as iuvesligages, s soube que ella se ha-
va dirigido para Oseue (ilha de Fionia), d'onde
era natural.
fez trabalhar o lelegrapho elctrico, e ao rabo
de 36 horas era esla joven conduzda debaixo de
pri Confessou ler vendido os movis, mas indemni
sou largamente os adelos, e estes desistirn) a
queixa. Com ludo a joven linha ainda a regular
as suas coulas com a justiga, por Mr fraudulenta-
mente disposlo de cousas que Ihe nao pertenciaoe ;
solcilou que a pozessem em liberdada provisoria-
mente, mas o director da polica nao julgou a pro-
posito couceder-lhe o que pedia, sem lomar exacto
ojohecimento de seu- antecedentes.
Fizeram-se indagacoes minuciosas, e os resulta-
dos uestas investigares, combinados coro os factos
por ella declarados, revelaran! que esla joven com-
ineiira urna sene de crimes horrorosos.
i M. /.-----tem apenas 23 anuos de Idade, nao
c donzella, comodixia, mas viuva de tres maridos.
Aos 14 anuos fji para os Esiados-Unidos, onde
desposou successivamente dous homens, que am-
bos, segundo disse Mara, linham morrido de re-
peule.
Tendo voltado a Dinamarca, casou ah com um
marcineiro de quem leve um Ulho.
Este homem foi aecommetli lo de urna molestia
grave e entrou no hospital geral de Copenhague,
onde osteve perto de tres meze.
Durante esle lempo, Mara leve relacoes intimas
com um Joven negociante, M. X., e deste commer-
cio adultero nasceu oulro Olho.
ffetis duas criabgas, das quaes a ultima linha
seis semanas, foram assassinadas por Mara, fazen-
do beticr a' primeira urna porgo de mercurio, e
a' outra urna dse mu forte de espirito de cara-
uhora.
O Si. X uniia proraetiido casar com Mara
no caso de morrer o marciueiro.
Esla partido convinha a' Mua.
Seu marido, teudo-se restabelecldo, voltoo para
o domicilio conjugal, u una manhaa Mara, era
quanlo elle dorma, pegou n'uma corda, passou-
Ih'a em volts do pescogo, aperlou-lh'a depois forte-
mente, e cou>ervod-o nesie estado por espago de
um quarto de hora.
Quando presumi que este desgragado leria ees-
sado de vi ver, levou- o corpo da victima para um
sof, assentou o all, e atou as duas extremidades
da corda a um prego, que metiera na parede por
traz do sof, depols abri com violencia urna ja-
nella que dava sobre a ra, e comegou a gritar
com toda a forga dos pulmoes, que linha encontra
do seu marido enforcado.
Maria representou de tal modo o papel que des-
viou de si todas as suspeitas.
No mesmo dia corren a* casa de X..., coniou-
Ihe o flra deploravel de seu marido, e exigi que
elle cumprisse a promessa que Ihe llzera de casa
meato.
O Sr. X. responden-lhe qne era imposslvel
um casamento entre elles, porque sens pais nunca
Ihe daara o conseniimento.
Mana, furiosa, disse ao tal Sr. X... que fora
ella que matara seu mando, e que, se Ihe nao ds-
se immediatamenie 100 escudos, ira denunciar-se
e declarara que elle X... a ajudra a enforca lo
X..., ainda que Innocente, recelando que a de-
nuncia de Maria, visto ler relagdes iutimas com
ella, podesse tomar alguma apparencia de verdade,
eairegou a sorama pedida.
Maria, animada por este successo, fez por mui
tas vezes novos pedidos de diuheiro a X...., e
serapre com as mesinas ame .gas
R..., aondA islo se passo i, receheu de am notario
de QubeArna carta na qual Ihe annnnciava, que
uro tal M. Ploreslan P...L fllho d'aqqjella commu
na e negociante de pelles no Gnala, havia morri-
do aera succ-ssao e legado nma fortuna de 300.000
francos, (48:000*000 ri<
notario canadiauo enviavs
urna pnblica forma do les
aproximadamente).
Segnindo as ultimas disposigdes do fallecido, o
ao magistrado de R...
amento do seu clieote e
Ihe pedia que nzesse leitura d'elle e-lando presen-
tes os diversos membros que exisiisse.n da familia
do testador.
Ora M. Florostan P... era tio de MM. Estanis-
lau e Julio P... os quaes ja' os leitores conhe-
0 Sr. X... conceda Ihe o que ella exiga; mas' cera,
por m, cangado das importunages desla mulher, o mai>< da povogo fez jaber o acontecido aos
offereceu Ihe de urna vez para sempre urna soiLraa | sobrinnos do uegociaue cJnadiano, e esles julgan-
basiauto grande, com a condigao de que ella deixa-' ,j0.s'e os uuiCOs coin'direiloj heranga, combiuavara
ra para sempre Copenhague para mais nao vollar,! ja> eDlre sj 0 ^yj,, d0 a j,^jir, e apressados cor-
declarando- he lambern que, se nao parllsse dentro I reram a assisiir a' abertura! do testamento que foi
de tres dias, seria elle que Ina aecusa la a' jostiga | [eia esUndo amhos presentes,
como matadora de seu mando. n30 se pode descrever qilal foi o desapontamen-
Maria acceitou o dinheiro e prometleu Ir para t0 jt MM. Estanislau e Jul|o P... quaudo virara
um paiz estrangeiro. que o codicilio de seu tio e-itava conceDido nestes
Mas nao o fez, e urna manhaa, ao romper do dia,' termos :
entrou em casa de X..., da qual tinha conservado | a vida avenlureira e errfnle, que hei seguido
orna chave, nlroduzio-se, p ante pe, no seu quar- desde que salu de Franca, n|unca me premelio dar
lo de dormir, lirn urna navalha de barba de urna noticias minhas a mmha boaj mi, da qual me se-
gaveta e corton-lhe o pescogo. parei sendo anda muitomogiu ea quem jamis ler-
Commelleu este crime a 26 de jullio ultimo. nei a ver I... mas Deus les,linuulia de que nem
Immediatamenie depois vendeu os movis de um s momelo a lenho olvidado,
prego que linha alugado e parti para a Fionia, Para reparar quanlo rr pis.-ivel a minha negli-
corao cima dissemos. 8encia'lhe leeo loda a mloha fortuna, que monta a
Confessou tambera ler coramettido diversos rou- 300:00 bos, um dos quaes com arrorabament e ler fabri- *te querida mal ja' nao eislir, mmha voula-
cado em sen favor nm attestado de boa conducta "e que esla heranga seja entregue a' pessoa que
com a assigoatura falsa de nra bnrgoraestre.
Cahe da custis earmim o mais corado,
Como a ol do caqneiro ao caiador;
Cahe o corpo na cama de cansado,
Qual calhandra na caga ao cagador 1
Cahe o cardo crestado as campias ;
Cahe na campa curvada a caduquez ;
O calor cahe no cume das colimas ;
No cabide o colele, e cache-oez I
Cahe de cassa a camisa sobre as costas
Da mais candida, casia creatura;
Caliera comas na coifa bem coroposlas ;
Cahe a c'ra na cabega do meu cura I
Cahe o carino ; o cao ca; cal o cambaio ;
Cahe a crusta do callo coraichoso ;
Cahe a casa; o castello ; eu ca' naocaio -
Porque a cal cara, o caiar custoso I I
Maria foi entregue ao tribuoal criminal de pri-
meira instancia era Copenhague.
velou por ella al aos ltimos
vida.
momeulos da sua
PEUGUNTAS INNOCENTES
Qual a razo porque um deputado qu^lquer
sempre nosso av ?
Por ser pai ila patria e nos fllhos da mesraa.
Como se chama a llainha cujo nome anda
rouilo pelas boceas do inunde ?
Uainha Claudia.
Qual c ierra de Portugal que esta mais d-
reiliuha ?
A liegoa.
laide Araaral, na noite do sen beneficio, pelo Sr.
Bernardino Salazar.
Nao veoho, actriz, n'um venal ihuribulo,
queimar-ie o incens da lisonja vil ;
ao genio-rendo preilo ; o meu dolo
um ranlo venho dar, mas nao servil.
A li me curvo, actriz, por qu's um genio,
porque d u le o Senhor mago condo :
cinglo le o crneo de fulgor edenio,
cora qu'arrastas captiva a multido I
QuandoGautier os olhos hmidos
erguen ao co n'um exiasis d'amor,
choramos lambem.... e os seios Inmidos,
palpitam d'emocao, tremem de dr.
Quando joven e desventuradaJulia ;
qaeixas da surte aos cos fazes subir,
que poeta na mais sublime dalia.
pode, actriz, o leu genio traduzir I T
Quando envolta era luluosa tnica,
revelas da Poloniaas mullas dores,
nao ha um so ente, urna voz nnica,
que nao vol rancor aos oppressores I
Estrella rutilante dos proscenios I
E' a delirado Senhor quem te conlnz.. .
Aclriz sublime I E's um daquelles genios,
I que, de seculu em seculo, Deus produz !
! Sim, < genio I as mnllides exlaclicas,
| li'.ain das arles a brilhante luz;
i as turbas applaudem-le e fanticas,
adorara u leu briiho que seduz I
Sob o titulo de Erratum, o Jornal de Roma pu-
blica a seguinlu ancdota :
O nosso collega eocarregado de colligir o bole-
lim do esiado civil, commetteu recentemente um j...................
erro, lomando o nome de urna leslemunha pelo de ia- ,m___....
I Eis os meus versos humildes, sem resabios
urna pessoa fallecida, e por esse motivo demos no Je |js00ja> e meDtira, ou fiego ;
noticia da morte da Sra. Mana
-....--.- ifc'^UV.-.-"
Do Boudoir transcrevemos o que segu
HERANGA INESPERADA.
1
A caridosa criada, cuja conduca para com a
decrepita indigente senhora bavia sido puramen-
te desinteressada, licou surprehendida quando lhe
deram a noticia desla heranga inesperada, e os
dois raos P..., que durante a viagem haviam
armado grandes caslellos no ar, voltarara para Pa-
Em um jornal litherario francez encontramos o hs, vexados e com o verdadeiro remorso da condu-
seguinie cunto, que o seu autor nos diz ser a sim- la que linham tido para com sua respeitavel
pies narrativa de um caso acontecido em urna das *v.
provincias de Franga e cuja traduego hoje offere-1 ----------"mf"m
cemos aos leitores deste semanario.
Apresenta-se-nos no que val ler-se, mais um
exemplo de que a legitima e desinteressada canda- j
de, exercida sem esperanga de recompensa pro-
xima ou remota a nica qne tem valor peraole ,
Deus, e por isso raesmo aqoella que o Supremo
Factor do Universo pela sua justiga equititiva nuo-
ca deixa sera recompensa.
Eis o conlo.
A LAGRIMA
A lagrima, ia n'aragem
(Fugindo talvez a' dor,)
E na doce linguagem
Repeta a cada flor ;
FOLHETIM.
AS PR07A50ES DE AILEEN.
S.NAS A VIDA MLAMkZA.
mM. Esunislau e Julio P.., fllhos de um pequeo
proprielario de provincia e empregados ambos em
urna casa de cemraercio de Pars, perderam succes-
sivamente seu pai e raii, e por morte desta ultima,
occorrida em 1844, herdarara elles os bans de seus
prenles.
E>ta heranga foi repartid igualmente entre os
dois irmos e cada um se apreson em tomar pos-
se do que lhe pertencia.
Coocluida a parlha, flcou s na casa paterna,
e sem meios de subsisencia a av dos herdeiros,
pobre e infeliz senhora, bastante avangada em an-
nos; doenle, que a morte pareca ler esquecido,
e a quem seu fllho havia sempre rodeado de respei-
los o atlenges.
Mas os dois legatarios longe de considerarem es-
ta boa senhora como urna veneranda reliquia, nao
virara u'ella mais do que um fardo pesadsimo do
qual se quenam livrar por todos os meios possi-
veis. Para isso fizeram altas diligencias aftm de
que sua av entrasse n'am hospicio instituido para
a velhice decrepita.
Caridosos e benemritos cidadaos eram elles,
que eniregavam conta da caridade publica urna
divida que elles se recusavam a pagar I 1
Felizmente, foi urna anliga criada do defunto,
casada moradora u'aquella provioca, que indig-
nada com a conduta dos fllhos do seu antigo araoi
recolheu a infeliz senhora, qual, al ao ultimo
ramenlo de seu existencia, prodigalisou lodos os
cuidados e solliscitudes devidas miseria e
doenga I I....
II
Abre-me o caln da magoa
A triste fllha son en,
E serei a gola d'agua
Que upplicas ao cu I
E a lagrima ouvia afilela
Cada flor dizendo :Vae ;
Es a fllha da desdia
Cumtigo a cor me cahe I
E vendo a' praia os llmitles
E la ao mar logo a dizer :
No (eu seio nao permutes
Que em m me possa esconder ?
Nao te quero 1 Do universo
A lagrima tambora sou :
Eu sou o pranto disperso
Da lormeoia que passou 1
Bis me em fim I (diz no decerto,
E ao solo ardeote sorri I)
m abrigo, um seio aberto
A final encentro aqui l
Eu sou vulcao crepitante
De centelhas tnfernaes I
Avante, lagrima, avante ;
Que ateias o fogo mais I
E ella exclama ao cu : -completa
O meu roarlyrio Senhor 1
Desee a mira ("diz o poela)
Mimoo- lilha do amor I
domingo a falsa
Collet.
Ne da seguale pela manhaa recebemos a visita
do Sr. Collet.
O senhor, disse-me elle, fez morrer minha
mulher I..
Nao possivel. Sou jornajisla, nao sou me-
dico-----
Precisamenle por ser jornalisla que o se-
nhor a matou no seu jornal.
B nao verdade que sua mulher tenha mor-
rido ?
Nao certameote, pois que esta' viva e pas-
sa s mil maravilhas t
Pois bem, dou-lhe os meus parabens.
Nao isso de que se trata : o senhor deve-
me urna iodemmsagc.
Como I inderanisago porque a sua mulher
uo morreu ?
Sim, senhor, isto pode causar-me prejuizo.
Ab I.. E quanto quer o seuhor ?
Pelo menos dez sidos.
Dez sidos de iodemnisago por ler feito morrer
sua mulher I
Realmente nao cousa exhorbitanle, mas enten-
demos dever recusar esla cousolago ao iofeliz nao
viuvo, para nao crear importunos precedeotes.
NAO CAIO.
Cahe da candida camelia a enrolla;
Cahe do eolio o collar a' costurera ;
Cahe em cacos quebrada a cassarola ;
Em flns do anuo de 1846 o mair do burgo de Caneo caio d3 cara a- C0SDhera I
Os habitantes de Stultgard aodam pasmados com
urna serie de inslrucges que ltimamente foram
dadas ao exercito, e que merecen) mengo.
Assim, o rei t-m observado com sentimeoio que,
quando apparece no theatro, nao se levaniam ao
mesmo lempo todos os offlciaes qne est prsenles;
dora ero dame os offlciaes sandaro cada um por
sua vez o rei e a rainha quando suas magestades
apparecerem no camarote real.
As seotinellas nao apresentam a mas com pres.
teza quando o soberano passa ; por isso o cora-
mandanie de cada guarda Acara' pessoalmeate res-
ponsavel pela repetigao de casos desla nalnreza.
Para que os soldados nao possam allegar que nao
conhecem o re, sero comprados retratos photo-
graphicos custa do regiment e expostos nos
quarleis.
Tambem nao ser admitlido como desculpa que
os soldados nao conheceram a rainha por ir em
carro fechado ; os soldados forao a lodos os carros
fechados da corte as honras prescriptas como o
metbor raeio de evitar qnestoes com as autoridades
militares.___________________
Esla poesa foi recitada a' eximia actriz U. Ade-
pobre a offerta, sim ; mas os meus labios,
dizem mal o que >tme o corago.
A France da a seguinie noticia:
V-se actualmente em Pars, no boolevard Saint
Martn, o cadver, e nao o esqueleto, do famoso Car-
touche, morto em 1791. Eis a que concurso de
circumsiaucias devido estaren) perfeltamenle
intactos os restos deste grande malvado.
A pedido do confessor de Carlouche, que quera
poupar-lhe as terriveis torturas da roda, um dos
archeiros doexecutor consenlio, mediante urna boa
somm, em passar a volta do pescogo do paciente
nma corda una de seda com a qual o eslraognlon
em segredo.
Esta versao nao conforme com a tradigao ofi-
cial, que quer que Carlouche morresse rodado
mas deduz-se de um conjunto de pravas histricas
e medicas, que seria longo enumerar.
Morto Carlouche, foi entregue logo o seu cada-
ver ao errado do carrasco, para o mandar enterrar
immediatamenie; mas o criado julgou conveniente
nao cumprir esla ordera; levou o cadver para a
sua casa, po-lo em exposigo medanle um si Ido
por cabega, e auferio grossas sommas.
Para dissimular o odioso desla especulagao, asse-
gurava que o pr-ducio desta collecta era destina-
do a comprar om caixao para o suppliciado, que
bem linha merecido pelos bons senlimenlos qne
linha mostrado nos seus ltimos momentos.
Quando o corpo comegou a corromperse o espe
culador vendeu o ao celebre cirurgio de Saint
Come, que o embalsamou, ajudado pelo Dr. La-
mare.
Depois ambos, lo ponco escrupulosos como o
criado do carrasco, expozeram-no ao puolico, e
auferiram lambem cora isso grossas sommas.
O cadver passou depois para as mos do pro-
fessor Brallouet, que fez prsenle delle ao Alheen
real.
Em 1793 foi roubado do Alheeu.
Era 1848 foi exposto pela terceira vez a curiosi-
dade publica.
Comprado depois por ura anliquario da ra da
Escola do Medicina, foi vendido por esle ultimo
pela quanlia de 2:800$ quelle que o explora
hoje.
Decididamente o commercio dos morios oao
lao mu como se julga.
(Com lusa o.)
Xll
Urna carta d Ilobart Town.
E llick ODonoi-l, fallaremos nelle ?
Que contraste as existencias dos dous despo-
sados de Louh-Gorrib, que sonharam oulr'ora
urna vpm socegada e juntamente feliz Urna era
de presente esposa do Salvador, s a elle amando,
s viveodo para elle, de urna vi Ja mais sania e
mais irauquilla qne o amor terrestre mais puro
Dito pode achar; e o oulro era um toreado das
galo- infamado, ura criminoso com ferros aos ps
en un paiz lougioquo I Mas ella nao linha pe-
zares 1 iNo se lembrava mais delle ?
A prnneira pergunta nao precisa de resposta.
O mysteru sagrado das vicaeoes a applictgo
do que chamado oseasibilidade para aquelles
que a iuz da l oao Ilumina c que o amor de
Deus ao anima. Os pozares podem tomar lugar
na anua a que o Esposo divino se uni ? Ura en
canto nuniau j pJe altrahir os olhos que esiao
lito> uo Deus de tola a belleza, ou um amor ter-
restre ser o senlur Jo coragao que ouve a voz do
seu Ujus, lerua, omnipotente como o som de
muitas aguas. Mas a irma Maria Evangelista
tinha pensamentos por Ulick, posto que nao fos
sem u? iiiuuos de Ai eeu O'Donnel. Ella nao
fatia ouvir mais este grito apaiXouado : Ulick,
se eu pudesse seguir-vos I porm eslava cheia
du um desej profnudo, mmenso, cima de toda
a expres.ao, pela saivagao da sua alma. Ella di-
rinia sem ce-sar a Dus as mais fervorosas ora-
goes ; sua propria vida nao era seno urna orago,
urna ollreuda por elle : Eu vos consagro tu-
do, ui.-u Salvador ; minha saud--, meu descaogo,
miuha vida ; toraai ludo, enviai-me o soflrimento
e as dores, mas sai va i a >ua alma. >
O padre Mahoney, depois da desapparigo de
Moyoa, vio que nao havia mais razo de oceulur
por irais wuipo a historia de Aileen, e o bora do
sacerdote foi feliz por poder deixar aquelles que
tintura coouecido e amado o lirio do Valle Escu-
ro, reozijarem-se com elle no conhecimenlo da
verdade Elle sempre linha sido informado- de
lodas as suas aeges e movimeotos, porque ella
jamis cessara de esperar que um dia on oulro se
receberiara aovas de Ulick, que seriara enviadas
ao Valle-Escuro. Cada vez que mudava de habi-
tago, dava aviso ao padre. Ella apressoo-se em
lhe fazej conhec-r o accidente de Moyoa e o seu
encontr providencial com ella e Anty.
Pelo espago de ramios dias Moyna O'Donnel es-
tove entre a vida e a morte. A irma Mary Evan-
geliza contnuou a velar com a mesraa dedcago.
A superiora que va em cada visita a joven irraa
mais pallula e mais magra, I be perguntoo am dia
te esle servigo nao era muito penoso para ella.
t Oh I nao estou fatigada minka irma-t, mas
sabis raelnir do que eu o que devu fazer
Urna crise ua febre de Moyna devia provavel-
menie ter lugar no dia seguinie ; se a doente vies-
se a recobrar a razan, seria necessano separar a
Aileen, por |ue tola a agilagao toruar-se-hia perl-
gosa ; se o delirio coulinua a sua razo nao voltasse mais ; en ambos os ca-
sos, os mdicos nao davarn nenhuma esperanga de
c i a ; mas se a febre cedesse, ella penara ainda
algum lempo. Por lano coinbiuou-se que at o
momento da crise a irmaa Mary Evangelista con-
tinuasse em sua guarda.
Mais affecluosamente do que nunca, se possi-
vel, a irmaa de caridade meiieu mos obra esta
larde. R' talvez pila ultima vez, disse ella,
mas uo fundo do seu corago nao o cria. Sua f
e sua esperanga eram fortes, esperava mesmo cora
certeza que Moyna recobrarla a razo e se arre-
penderia ; e via-se chamada em breve a seu posto
para ouvir palavras de affeigao e perdio. Ella
coraprazia-se em entreter-se com o pensamento de
que Moyoa lhe perduaria.
A culpa nao era sua ; mas quando considerava
no iramrnso pezar desla pobre mi a respeilo de
seu Blho idoltralo, nao poda deixar de lembrar-
se de que Moyna tinha aljtuma cousa a perdoar-lhe.
A colera da mi para o Ulho urna prova suffi-
cienle da sua propria sem razo.
Depois urna outra noile passou e aurora
comegou a apparecer. Era um dia resplan-
decente de selembro, e quando a irma Mary E-
vangelista desviou seus olhos do co Iluminado
qae se descobria da janella do hospital, para ta-
los no rosto da doente, vio que os olhos desla es-
lavam fechados e que seus labios nao moviara-se
mais. Moyna dorma. Era o paimeiro somno na-
tural, e Aileen coraprehendeu qne o momento cri-
tico linha chegado. Por ordem da superiora ella
leve de retirarse no ioleresse da enferma e para
lomar um pouco de descanso.
A irma Evangelista dormio um somno longo e
e profundo : quando despertou, o silencio e a obs-
cunda le reinavam por toda a parte ; mas sobre a
mesa juuto de sua cama urna grtela tinha sido
posta. Nao ha duvda, era a mesraa mo que a li-
lil i aquecido, cobriodo a com estas cobertas no-
vas, que tambem all botara essa fraca luz. Ella
levantou-se e escutou, mas, ao silencio lo profun-
do que reinava, pensou que a noile eslava muito
adiaotada. Ajoelhou-se nm Instante para dizer
suas orag5es da noite e lenlou rezande por Moyna
acalmar o ardente desejo que tinha de ir de novo
para junto della. Depois velo essa oragao qne j
mais perder um s grao da sua forga, da saa in-
tensidade, a oragao pelo pobre forgado das gales
as Ierras do sul Ella levantou-se aflaal, depois
de um ultimo sgoal da cruz e de ter beijado o
crociflxo pendente do sen rosario, que poz era ci-
ma da mesa.
Porqne estremeceu assim e porque ainda treme T
Qae seatimento agita iodo o sea corpo ao passo
que ella torna a cabir de joelhos, tendo em saa
mo um objecto alvo que poe sobre a mesa ? Nao,
ella nao oeacara segunda vez, um nico golpe de
vista sufflcieote ; mas apenando entre os seus
dedos este papel precioso, derrama ama torrele
de lagrimas aos ps do grande Consolador, este
medico de IoJjs as molestias.
Chegou eralira o vosso lempo, o Senhor I
eoviastes a cousolago. Oh I quanto a esperanga
parece curta quando o desejo afinal satsfeito.
E approximaodo se da fraca luz abri a car-
ta, Quem pode exprimir as diversas cammoges
que a agitaran) entao ? A primeira carta de Ulick!
Mas nao se enganava ? A principio nao duvidara,
porm examinando vio que, ainda que a carta
viesse ie Hobart Town, era de mo estranha : nao
eras as garatujas lo conhecidas do pobre Ulick.
Ella era dirigida ao padre Mahoney. Aileen abri
primeiroaquella que este bora paire lhe eodere-
gara ao mesmo lempo, para ahi procurar a expli
cago desojada. A carta do padre s continha al-
guinae boas palavras palarnaes que lhe diziara
quea de HjborlTowa lhe fura enviada pelo ca-
pello dos forgados.
Ella vos iraz boas novas, aovas abengoa-
das I E' assim que deveis senli-lo, minha cara
irma, minha muilo querida fllha. So deveis der-
ramar lagrimas de aeges de gragas por taes no
licias. Acabaram-se todas as vossas anciedades
acerca do amado fllho.
Elle esla presentemente em seguranga no lugar
pandeante do purgatorio oode espera o dia glorio-
so cuja vinda as oragoes e santas missas apressa-
rao, esse da em que elle se levantara' e ira' pa-
ra seu Pai para gozar das delicia abundantes da
babitago de ueus. E' portanto a alegra que vos
envi, queridissima fllha : t justo regozijar-se,
porque teuirmo morrera eesta' vivo; eslava per-
dido e foi acbado. Depois vioha a carta em que
o capello descrevia em linguagem simples e to-
cante o arrependiraenlode Ulick O'Donnel e a mor-
te humilde e cheia de esperangas que seguiose aos
longos sofTriraenlos causados por urna febre lenta
que cousumio pouco a pouco as suas forgas. Mas
se uo queremos insistir acerca disto, como ousa-
riamos fallar nos diversos senlimenlos que anima-
ran' a irma de caridade, a' raedidVque ella der-
ramava lagrimas de reconhecimento, amor e ado-
rago ?
Na manhaa segolnte acharam n'a de joelhos jun-
to de sua cama ; ella eslava adormecida, via-se o
sorriso em seus labios, e sua face ainda raolhada
de lagrimas repousava sobre essa carta preciosa
onde fazia-sea piedosa narragSo que tornara feli-
zes os santos aojos do cu antes de trazer a paz
e a consolago ao corapo paciente e constaote des-
te oulro aojo da Ierra.
Suas provagdes, seus pezares linham qnasi pas-
sado ; sua grande provago, ao menos cessara. Os
desgoslos nesle mundo duram, sabemo-lo, toda a
vida ; mis o que pode ser chamado a provago
a grande afQicgo de nma existencia, nao vem se-
nio nma vez. Para Aileen ella viera e a esta bora
liaba desapparecido,
XIII
A PAZ.
Desde quando estou aqui ? pergunlou
Moyna com voz fraca, oilo das depois da recepgo
da abengoada carta vinha do paiz de Van Die'
raen >
Ha ires semanas; mas a primeira vez que
vos vi nao pensei que podeneis viver por tanto
lempo.
Antes a vossa previso se realisasse, foi a
surda e lacnica resposta.
Nao digis isto. Deus bom restiluindo-
vos a razo, poderieis ter morrido nesle estado de
delirio.
Pois bem I o quesurcederia? Quando ago-
ra mesmo s me falta morrer ? >
Sim, disse a irma Benigna, tendes de
morrer, porm de um oulro modo. Deus vos resti-
tuio a rasan aflm de q ue possais fazer pazes com
Elle e ter um lira piedosoe bom.
a Nao ha paz para mim, replicou Moyna sus-
pirando. Toda a rainha vida tenho sido um objec-
to de fJBsgosios para aquelles c m quem viv, para
vos ltimamente, e pens que quaulo mais cedo eu
morrer, melhor sera'.
Nao deveis fallar assim. Sao me leudes
cansado o menor desgoslo ; mas de prsenle se-
melhante linguagem desesperada me faz flear bem
pezarosa. E o que ainda peior, que affligis a
Nosso Senhor e offendeis a Deus omnipotente.
Moyna voltou o roslo sem responder, mas a ir-
ma esperou, porque julgou ver que lagrimas lhe
vinham aos olhos. Era um momento de anciedade
e provago. Desde que Moyoa sahindo do seu pro-
fundo somno recobrara a razo, a Irmaa Benigoa
tentara muitas vezes e sempre debalde obriga la a
fazer pazes com Deus. A fllha de S. Vicente rezou
com mais fervor e tralou com redobrada temara
a pobre mulher.
No dia seguinie. ella vio a superiora, pergnotou-
lhe se nao seria bom trazer o sacerdote para jun-
to da eoferma sera preveoi la. A superiora disse-
Ihe que esperasse at a manhaa seguinie, dia em
que se acabara urna novena. Ella esperava poder
por enlo junio de Moyna e irma Evangelista.
Era perlo da meia noite. A luz da pequea alam-
pada acceza junto da cama de Moyna O'Donnel era
lo fraca como a faisca de vida que agitava o cor-
po da moribunda. Suas feiges estavam paludas e
sua raspirago era custosa e convulsa ; mas o fogo
I dis seus olhos pretos era to brilhante como nun-
ca, posto que tivessera perdido a sua sombra e
violenta expresso. A graga linha afinal obrado e
Moyoa se reconciliara com Deus. A irma Benig-
na eslava ajoelhada a seu lado, murmurando nma
oragao ao ouvido da moribunda, que pouco a pou-
co turnou-se mais socegada e adormecen. A sua
eofermeira levaalon se sem raido e dirigise para
o oulro lado da sala.
< Ella dorme agora, querida irmaa, queris
arriscar a tentativa e vir T *
T-eve ella alguma lembranga de mim ? per-
gunlou a irma Mary Evangelista. >
Nao, mas falla sempre lo pouco que nesta
occasio pao,admira a sua reserva. O padre Mac
Mahan tlcon contente com a sua conflsso, e nao
ha duvda de que sera' para ella um consolo ver-
vos e pedir-vos perdo de todo o raal que vos lem
feito.
A mao qne *a irma Benigna apertava, trema
n..s suas.
Oh I oao fallis em aggravos ou perdo,
querida irmaa. Lemhro-me soraentede que ella me
servio de mi quando fi |Uci orpha, e desejo, oh I
ni desejo seno urna palavra de alfeigo da sua
parte e a alegra e a paz pafa ella. Substiluirvos-
bel. Ao seu despertar Dens me indicara' o que
devo fazer.
As horas corrern), e quaudo o dia comegou a
aponiar, Moyna vollou-se sobre o seu travesseiro.
Oh I quem poderia descrever a commogo que seu-
to o corago da affavel eofermeira ouviodo as pa-
lavras que prouuncioa Moyna antes de estar de to-
do acordada.
Aileeo, querida filha, dorm mulo tarde ho-
je, ajudai-me, minha fllha, a levantar-me porque
estou muito fraca.
Sem hesitar a irmaa Mary Evangelista respou-
deu :
< Esperai ura pouco, querida inai, estis ain-
da muito douule. E ajoelliando-se ao p da cama
loinou a mo de Moyna e beijou-a, depois pondo
sua propiia mo sobre a fronte da moribunda, col-
iocou-se defronte della e fltou-a com olhos de cari-
nho e dogura.
O rubor subi aos olhos de Moyna, seus labios
iremerara, e ella murmurou com voz agitada :
Aileen 1 E' um sonho 7 E' a voz de Ai-
leen, sao seus olbos. Mas, senhor I... Nao, nao
Aileeo, nao pode ser ella.
E' Aileen, mal, vossa Aileen, vossa filha,
boa mai; a lilha que Deus vos reslitue ames de
raorerdes. Oh I deixai me comvosco, nao rae des-
pegis, dizei que rae amis.
Ella ouvio por toda resposta urna bengo fervo-
rosa e una oragao de acgo de gragas para com
I Deus no seu dialecto irlaodez. depois urna ardente
I Invocago de perdo a' qual Aileen correspondeu
' com toda a alfeigo de que eslava cheio o seu cora-
1 gao, e precipitando-se nos bragos de Moyna oode
' permaneceu era loogo e leroo abrago.
O medico achou sua doente proslrada por causa
da scena que acabava de darse; mas elle nao fez
nenhuma observago: Moyoa eslava morinbunda;
seu oiiur tranquillo o attestava.
Me parece que sofrels menos, disse elle
com bondade. Vejo que enconlrastes amigos que
nao espera veis ver, acrescentou voltaoJo-se par a
joveu irma que como tnfermeira, linha um mnito
alto lugar na sua estima.
Esta o chamou a ama outra sala.
Vivera ella... Peosaes,senhor, que minha
mi ainda viva todo o dia?
Vossa mil? disse Mr. Moirisoo, compa-
raudo interiormente a expresso suave e toda ce-
leste do semblante da irmaa com as feiges lo se-
veras e speras de Moyna.
A nica mai quecooheci, respoaJeu ella.
Devo-vos a verdade, minha irma. Talvez
anda viva por hoje, mas ao o creio. Smeoie ao
solfrer raais e lera' urna morte socegada.
L'ra biombo foi posto ao redor da cama de Moy-
na, aflra de isola-la e sua filha comoella a chamava
do resto dos denotes. Estas ultimas horas foram
doces e consoladoras. A pobre mulher eslava aoi-
rtiada, ao mesmo lempo, o> f simples e eoostante:
o de sincera conincgao. Ella eooservou-se tranquil-
la e em oragao quando receben os ltimos sacra-
mentos da reja.
Ailleeo, nao vos incommoda qne eu vos
chame Aileen durante algumas horas que ainda
lenho a viver T
c Nao pjjleis siner, mi, quanlo me agra-
davel ouvir-vos fallar assim.
Eu vos ahengo, querida filha, vos caja pre-
senga me regosijon nesle hento vestuario com esse
nome lo lindo que loraastes; sraente, o antlgo
nome me parece mais natural. Mas, Aileeo, o que
quero vos dizer vos parecer estraoho, e comalo
me aprat muito pensar que nao haver ninguem
que possa reconhecer-me quando eu e -tiver no pur-
gatorio. Eu uo estimara tomar a ver o meu po-
bre Deoois se nao urna vez purificada e em estado
de apparecer na presenca de Deus e de ua santa
Mi; ceno que elle esta no cu, ha rauilojerapo;
porque muitas oragoes e missas foram olTerecidas
pelo repouso da sua alma; elle leve urna vida san-
ia e morreu como bora cbrislo. E Gracia, a queri-
da, ella foi, cortamente, direnlo ao cu. Mas, Ail-
leu, ha um que eu querena tornar a ver l......
Ulick, meu infeliz linio, de quem qaasi qae fui a
ruiua. Aileeo, oh I dizei-rae quando que en lor-
narei a ver meu flltw?
Esla noite, mai, respondeu ella cora voz
trmula. On 1 Deus bora e clemente cima de to-
da a expresso I elle foi adiante de vos, mai; mas
como vos, gragas a Deus, para o lugar santo, e
quanto as vossas penas vos parecero doces per
que cada urna vos approxiraara, a ambos, de Deus
e do cu I
Aileen, filha querida, sao voseas oragoes que
o salvaran).
Quando, muitos aonos depols, a irmaa Mary
Evangelista achou-se ella propria estendida sobre
o seu leilo de morte, nada entre lodas as consola-
ges de que foi cercada nao Ibe foi mala agradavel
do que a lembranga dj^toyua agradeceodo-lhe ler
salvo a alma de UiicxT
I agora a historia das provagdes de Aileen est
concluida ; o resto da sua vida foi o de urna santa
irmaa de caridade.
Ella jamis Uvera outra esperanga, oulro desejo
que nao fosse seguir os passos sagrados do sea sal-
vador.
PERNAMBUCO TVP, DE M. F DE F. 4 FILBO
V
*
4
\


\
nmm*
':


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGV8JYSPB_UVY2VZ INGEST_TIME 2013-08-28T02:59:20Z PACKAGE AA00011611_10830
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES