Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10829


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO IL1, MIMEBO 272
Por qnartel page dentra de lOdiasdo 1. mez ...ti.
Idem deaois dos J.M Odias do comecoe dentro do qnartel. .
Porte ao etrreio por tres nezes............j
5|000
61000
780
SEGUNDA FEIRA 27 D MEMBRO DE 1865.
Por amo pago dentro de 40 das do 1. mei
Porte ao correio por um auuo.......
. 1
SIOH
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alex?odrino de Lima;
Natal, o Sr. Amonio Marques da Silva ; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
"Oliveira ; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPgAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. CUodino Falro Uias; Baha, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estafes da via frrea at
Agoa 'reta, todos os dias.
Iguarassii e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pod'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salguen o e Ex, as quartas
feiras.
Sermhem, Rio Formoso,Tamandar, Una, Bar-
reros, Agua Preta Pimecteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relago: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quietas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphaos : tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Sogunda vara do civel: quartas e sabbade3 a- {
hora da larde.
EPHEMERIDKS DO MEZ DE NOVEMBRO.
, 3 La che a as > h., 43 m. e 28 s. da m.
10 Quarto ming. a 3 h., 23 m. e 52 s. da ra.
Ift La nova as 8 h., 40 m. e 22 s. da m.
26 Quarto cresc. aos 38 m. e 22 s. da m.
DAS DA SEMANA.
27. Segunda. S. Marparrh de Sabova v.
28. Terca. S. Jacob da Marca f.; S. Soslhenes b.
29. Quarta. S. .Saturnino m.; S. Illuminata v.
30. Quinta. S. Andr ap.; S. Troyano b.
1. Sexta. S. Nahum pro.; S. Castriciano b.
2. Satibado. S Bibiana v. m.; S. Ponciano m.
3. Domingo. S. Sophonias prof.; S. Magina m.
PRF.AMAR DE HOJE.
Primeira as 11 horas e 4-2 m. da manhia.
Segunda as 12 horas e 6 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o Mil at Abroas a 14 e 30; para
ata a Granja a 7 e 22 de cada mu; para Peraaa-
do no.- das 14 dos metes de Janeiro, marro, a.'),
julho, Sv-tembro e novembro.
ASSIGNA-SB
ao Recife, na livraria da praca da li
ns. 6 e 8, dos proprietario> Manoei Figeeiroa 4a
Faria 4 Filbo.
Os Srs. assignantes deste Diario, que
se acham em debito das respectivas assig-
natnras, queiram mandar realisar o paga-
mento deltas; e aquelles que moram fora I
desta cidade, tenham a bondade de dar avi-
so de quaes sejam aqui os seus correspon-i
lentes, afimde ser solicitado e.-se pagamen-i
to dos raesmos, a quem dario ordem para
isto, visto como alguns pretextam a falta
dessa ordem.
PAUTE 9FFICIAL
CO.MWIMI DAS ARMAS.
Quariel general do eomrnaado das armas <1e Per-
narabuco na cidade do Recife, 21 de novembro
de 1865.
Ordem do da n. 161.
O marechal de campo commandante das armas
faz ceito para sciencia da guarnigao e convenien-
tes lili-.
1." Que a presidencia era portara de hontem
datada, nomeou para servlrem era coramisso no I
4o corpo de voluntarios da patria, os senhores
ofeiaes abaixo mencionados.
2. Que resolveu na mesma dala, dispensar do i
nhado de immensa multido, tomou posigao con-
veniente direila do templo.
Celebrada a missa votiva, cora acompanhamento
de grande orchestra, e darausica Unido Com-
mercial, que generosamente se prestara to-
mar parte na festa patritica, procedeu se beo-
go do estandarte que foi entregue em marcha
iriumphal, e no meio das harmonas que derra-
ma vam as varias bandas de msica, ao brioso >
corpo.
Foi ministro offlciante o Sr. monsenhor Pin-
to de Campos, servlndo de testemunhas do arlo
os Exms. Srs. visconde de camaragibe e barao
de Vera-Cruz.
N'este en servigo da guerra, para que foi designado por por-1 qUe voadiante, pelo Exm. ministro offleiante,
GOVBMO DA PR0VIHIU.
Continuarlo do expediente do dia 22 de novembre
de l$6o.
Portara.O presidente da provincia, tendo em
vista o offlcio do commandante superior da guarda
nacional dos municipios de Garanhuns e Buique,
de 30 de outubro prximo lindo, sob n. 1*23, d i
(jual consta que o capito do batalho n. 29 de in-
famara do primero d'aquelles municipios, Miguel
Alves Havalcanli, j como membro do conselho de
designago de guardas naciooaes para o servigo da
guerra, e ja' como commaodante interino do refe-
rido balalhao, uao s deixou de cumprir as ordens
de seus superiores, como tambem oppz erabaraco
a acra > da auloridade competente sobre os mesmos
guardas, e por ultimo declarou que nao raais se
Importara com as obrgagoes inherentes ao seu
posto, resolve suspende-lo o exercicio do raesmo
posto, e determina que seja elle submettido a con-
selho de disciplina como ocurso as disposigoes do
% i" do art. 97, combinado com o art. 98 da lei n.
602 de 19 de setembro de 1850.
- 23 -
Offlcio ao general commandante das armas.
Para que a thesouraria de fazenda possa melhor
fiscalisar o pagamento do que e devnlo a Caors &
Barboza, proveniente de medicamentos por elles
foruecidos ae conselho de compras do arsenal de
guerra, com destioo a enfermara militar desta ca-
pital, convem que V. Exc. mande satisfazer as exi-
gencias felas pelo respectivo inspector no incluso
offlcio, que me sera' devolvido com a conta qu< o
acoinpanha, datado de 17 do correle, sub n.
833.
Dito ao mesmo. Queira V. Exc. informar-me
sobre o que pede no incluso reqaerimento Antonio
Jo de Souza, que val coberto com inormago do
commandante da fortaleza de Tamandar.
Dito ao mesmo.-Mande V. Exc. inspeccionar o
alferes do batalho n. 27 de tabulara da guarda
nacional do muuicipo de Caruar, Antonio Lopes
Muniz, de que trata o incluso requer ment.
Dito ao raesmo. No caso de que se nao ache
anda no arsenal de niarinha, a oagagem da forra
que ltimamente seguio no vapor Paran, d V.
Exc. soas ordens para que seja ella para all re-
meitida quanto antes, atim de nao haver a menor
demora na sua conducho para bordo do paquete
inglez que a deve transportar a corte.
Dito ao mesmo. Queira V. Exc. informarme
acerca do que no incluso requerimento pede o le-
nenie-coronel commandante do 6o corpo de volun-
tarios da patria.
Dito ao mesmo. Pelo cabo Antonio Manoei do
Naseiraeoto, fago apreseniar a V. Exc. o guarda
designado do balalhao n. 44 do municipio do Rio
Formoso, Mauoel dos Santos, que se apresenlou pa-
ra o servio da guerra, como coasta de offlcio do
commandante interino do mesmo balalhao de 22
deste mez.
Dita ao inspector da thesourana de fazenda.
Mande V. 3. adiantar ao cadele primero sargento
alinoxarife do forte do Buraco, Francisco Carueiro
da Silva, o sold e etapa que he compelirem uo
crreme mez.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Recife.Em solucAo a consulla do lenenle-
corooel commandante do balalhao n. 3 de infama-
ra deste municipio, junta ao offlcio de V. S. u.
aquelle commandante o offenoido, e uo podeudo
ser juiz e parle ao raesmo lempo deve considerar-
se empedido para nomear o conselho de disciplina,
a que val ser submellido o alferes Adriano da Sil-
va Paria, passaodo essa ailnbuigao ao ufflcal a
quem por lei competir substitu lo em seus impedi-
mentos.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Cabo.Em somgau a consulta feita por V.
S. em offlcio n. 165 de 15 deste mez, declarando
que -ciido o leueuie-curouel commaudaule do bala-
lhao n. 39 de infamara da guarda nacional sob
seu cominando superior o offendido, e nio podendo
ser juiz e parte ao mesmo tempo deve considerar-
se impedido para nomear o coosellio de desciplina
a que val ser subinelldo o capilo da seguuda
companhia do raesmo baUlbo, passandj essa al-;
trlbuigo ao olfi\ tal a quem por lei competir subs-!
tilui-lo em seus impedimentos. |
Dito ao direcior das obras militares. PJe V.
S. contratar por mais 5OJO0O alera da quaniia em
que foram orgadosos coucerlos da ponte da forta-
leza do Brum, z substituigo de 9 paos do estiva-
ment da mesma ponte, que somenie na execugo
de laes coucerlos, pJe conhecer-se eslarera elles
arruinados pelo coplm, a que dera lugar, a nao ser
essa despeza incluida no orgamenio u'aquella
o.>ra. Fica assnn respondido o seu olllcio desta
data.
Dito ao mesmo. Approvo o contracto que se-
gundo comuiunica-me em seu offlcio de 18 do cr-
reme, sob n. 76, fez V. S. com Jos Pereira de Al-
cntara do 0', pela quantia de 190, para a cala-
dura e pintura do quariel da companbia de caval-
laria.
Dito ao director do arsenal de guerra.Mande
V. S. fornerer ao sexto corpo de voluntarios da pa-
Ira, os oi-jectos constantes do incluso pedido.
Dito a cmara municipal de Nazareih.Para po-
der resolver acerca do cooleiido do offlcio que me
dirigi a cmara municipal de Nazareth, em 17 do
correte, declare-me mesma cmara, porque
quaulia lein ido a praga o fornecimento d'agua e
luz para a cadeia aessa cidade.
Portara. O presidente da provincia res' Ive no-
mear para servirera em commisso no 4o corpo de
voluntarios da patria, os offlciaes seguintes:
Estado manir.
Tenente quariel mesire Joaquim Jos do Nascimen-
lo Waoderley.
l'companhia.
Capito bacharel Joo Baplista do Amaral e Mello.
Alferes Jos Antonio de ouxa Paes.
2*companhia
Capio o capito da guarda nacional Benedicto
Ortencio de Siqueira Campos.
3a companhia.
Capilo o tenente da guarda nacional Jovino Alhay-
de de Siqueira.
Tenente o alferes da guarda nacional Jos da Cos-
a Borges,
Dito Urbano Ferreira de Siqueira Cmara.
4a companhia.
Capilo Samuel de Sa' Monte-Negro.
Tenente Jnlio Cezar Goncalves Lima.
Fizeram-se as necesarias communicag&es.
taria de 27 de outubro ultimo, o tenente capito
do batalho n. 16 do municipio do Pao d'Alho, Ja-
nuario Alvares Ferreira, por incapacidade phisca
comprovada em nspecgo de sade.
!. companhia
Capito bacharel Joio Baptista do Amaral e Mello.
Alferes Jos Antonio de Souza Paes.
2.a companhia
Capito o capito da guarda nacional Benedicto
Ortencio de Sequeira Campos.
3.* compauhla
Capito o tente da guarda nacional Jcvno de
Athayde Sequeira.
Tenente o alferes da guarda nacional Manoei Jos
da Co Alferes Urbano Ferreira de Sequeira Cmara.
4." companhia
Capito Samuel de S Monte-Negro.
Tenente Julio Cesar Gongalves Lima.
(Assignado.) Francisco Sergio d'Oliueira.
Est conforme.Anlomo Francisco Duarle, 2."
teneote-ajudante de ordens interino encarregado
do delalhe.
PERNAMRUCO.
RBflSTA DIARIA.
O Eira. Sr. conselhelro presidente reuolo sabba-
do pela manhaa em palacio aos Srs. Drs. Sarmen-
t, Sa' Pereira, Ferreira, Pereira do Carmo e Fir-
mo Xavier, afim de assentar-se sobre medidas pre-
ventivas do cholera.
pelo Sr. Dr. Tristo de Alencar Araripe e pelo Sr. i
coronel Pereira Lobo, sendo todas rematadas por i
enthii-iascos vivas, frenticamente applaudos. I
S. Exc. o Sr. presidente da provincia, ao depo- i
sitar esse syrabolo augusto as mos d'essa bri-
Ihante cohorte de bravos, proferio palavras rapas-!
sadas de uneco patritica, conclundo-as por vivas, i
que foram correspondidos cora fervoroso applauso.
A bandeira, graciosamente offerecida pela pa-
tritica associago, de lavor apri morado e de
prego subido. E' digna dos ofTerentes e de quera
a recebeu como precioso depo-ito.
A commisso encarregada da decoraco do tem-
plo sobreexcedeu a expectativa dos propros as-
sonados, nao se forrando fadigas e despezas.
Ue muito nao assistiraos a urna festa que mus
tocasse ao coraco.
O Sr. coronel Lobo trazia ao brago esquerdo
urna custosa legenda de ouro, que Ihe foi offer-
tada por uraa outra associago que tera o distinc-
livo de : segrbdo e amor da ordrm.
A disciplina, o garbo e o aceio com que mar-
chou o 3 corpo, o coliocam ao par de um bata-
lho bem exercitado de primeira linha. As varias
evolugoes executou-as com destreza e pericia que
deixaram locada a multido de sorprendente im-
presso.
O Divino Parclito abengoe o sagrado symbolo,
e o ampare e sustente em meio do fumo dos com-
bates.
Sao estes os nossos votos.
Eis a orago do Sr. monsenhor Pinto de Cam-
i pos :
Srs. Voluntarios do 3o 6 , ga desta locante ceremonia, em que se invocam as
El urna providencia realmente aconselhada, so-1 misericordias do Deus da paz sobre os estandartes
bre tudo pe.a posico geographica desta nossa ci- do Senhor Deus dos Exercitos, nao sei o que mais
dad*, primeiro ponto em que tocara os navios pro- desafie a minha admirago e ternura, sea vossa
cdanles de lugares infectados por aquelle horri- pjedade, ou se o vosso patriotismo I
ve I mal. < Filhos di crenga, que avigorou o esforgo e
dom a pratica, pois, das medidas phophylatcas enobreeeu o nome dos vossos antepassados, cujas
acojiselhadas pela sciencia, poderemos com o au-: faginas gloriosas como que anda sao ah repet-
xilio da Providencia Divina ser sentos da nvasojas Pelos chos dos montes epelo murmurar sali-
do cholera, ou qoando o sejamos, nao lenhamos oso do n0SS(> Palr' r|0. corresles ao templo do
deiloffier o seu agote seno brandamente pelas Deus VIV0 P*" receberdes e.n suas beogaos aquel-
cautelas previas. ,a 'ortaleza da alma, que opera prodigios nos cam-
bio posto, convm que a nossa populago, sera Ps da batalha, que desperla generosos impulsos
alarmar-se, seja dcil s prescripgoes da sciencia, nos nimos dos valentes, e priscreve as barbaros
bem como que trate por si de arredar todas as cau-. usa?as que era lempos menos allumiados consti-
sas que possam concorrer para o desenvolvimenlo lu,am os limbres e benemerencias do hornera de
da epidemia, importando muilo o asseio de suas! 8uerra-
habitagoes, e tudo o mais que seja susceplivel de
originar miasmas deleterios.
t Se como filho desta religio sublime, que ado
ga os instinctos e exalta o sentimento no amor da
patria,viestes curvar a fronte dante do Arbitro Su
premo dos destinos dos povos, como filhos da com-
muohao brasilera vos ergue.'tes para voardes ga-
Ihardos e cavalleiros ao grande theatro, nde pele
- Ardeu quasi toda na sexta-feira a noite a fa-1M" um lado' a vilisago, de ontro lado, a bar-
brica de velas de carnauba que hava na roa da Lapa, | ( pjca(Jos no vos.Q orgu|ho de mancebo?> que
devoram na audacia do pensamento todos os obs-
I taculos e perigos, nao hesitastes em sacrificar vos-
sos alTectos de familia, vossos apegos de amisade, e
mil ouiro encantos, que prenden o corago ao lar
domestico, ao grande empenho de vingar a honra
da pairia.
Nos transportes do vosso illibado patriotismo,
tivestes por melhor e por mais decoroso ir raorrer
fogo e derribada pela locallsaco do incendio. na Z"*"3' do 1UB teslemunhar impa*sivei!UW des -
Salvaram.se 134 saccas de algodo da prensa ra?a dos nos deLourenco de Albuquerque Mello, esforg adere malo genis <**
^ Bem diversos dos mancebos Alhenienses, que
Sabbado ultimo flzeram acto dous alumnos
do segundo anoo do Curso Commereial, e arabos
foram approvados plenamente.
perlenceDte ao portuguez conhecdo por Joo Velho,
o qual suppoe casual o incendio, sendo que o fogo
comecou por urna porgo de algodo existente a
granel no soto d casa.
Os esforgos empregados para abafar este incen-
iio serviram de evitar que o fogo se propagasse i
pela communicago aos predios contiguos, e prn- i
cipaimente uina prensa de algodo prxima.
A casa lie 'ii sera coberta, que foi destruida pelo
tregamos, um symbolo df honra do roldado e
tambem urna demoustrago de civismo.
Se o soldado cumpre sagrado empenho, levan- i
do a espada ao combate, o cidado, que permane-
na no lar patrio, abrigado pbr esse mesmo soWa i
do, nao satisfaz menor encargo conlribuindo por ',
outros meios para oservigo do paiz.
t o cumprimenio do deve agrande alavanea
da causa publica.
i O Imperador ja' deu o ejemplo desse campri-
mento: imitemos todos o seq patritico zelo.
c De grandes rocha: o miudos granitos eom-
p5era-se os empinados monfes, que allroniam as
nossas vistas.
Prestemos, pois, iodos jo nosso concurso, de
iniiia ou de pequea vali.-i : assim a patria se
exaltara', e o ousado dctadr do Paraguay, viola-
dor da paz nacional, recebena' severo castigo.
Para effecluar prodigios em Trafalgar, o genio ;
dos mares s exigi dos feus marinheiros, que ca-.
da um cumprsse o seu de ver. Cada um assim o;
fez ; a pequea esquadra de Nelson vencen as es- \
quadras de .las formidav^is nagdes, e a supre-;
raacia da Inglaterra firmou-se sobre as vagas do
ocano.
< Se ento o marinheiro ioglez fallasse ao m-
nimo movimeuto do lerae d sua nao, verla o mun-
do realisar-se a ameaga dq conquistador francez,
que, para anniquiliar o porerio britannlco, s pe-
dia as suas esquadras a pesse livre por 12 horas
do esireito canal da Manct a.
c Tal a espantosa foi ca do cumprimento do
dever I
t Sejamos cidados; e ao Brasil sobrara' vigor
e gloria.
< A solemnidade, a que assistimos, a santifica-
gao do patriotismo, que a religio fortifica.
Voluntarios do 3o corno I Pernambuce espera
de vos a nunca desmentid! glorificago do nome
pernambucano.
t ble em nome dos grai des principios da lber
dade dos povos americano ; e a benco, que sagra
0 vosso estandarte pelas lalavras de um egregio
sacerdote, acompanhara o vossos passos.
A sociedade Conciliar, io vos ada, desejando -
vos perpetuos louros. .
Eis o do Sr. coronel Lopo :
Cantaradas IOestaidarte que acabo de re-
ceber das mos do Exm.! conselheiro presiden
te da provincia, vos o sabiis, o venerando syra-
bolo da patria ; a honra o valor e a gloria do
soldado brasilero.
GeBerosa offerla de u na sociedade humani-
j taria, como urna distraen traduego de applauso
; ao vosso patriotismo, elle j era antes da consa-
| grago religiosa que nestt momento acaba de re-
1 ceber, o mais bello e I onorifk-o documento de
I vossa benemerencia, a m lii lisongeira o brilhante
prova da verdadeira le ddade de vossos sent ,
melos.
_ Agora, porm, que ios confiado como bra-
tio e insigoa de nossa i acionalidade, sob a ex-
celsa mediago do Deus los exercilos, elle rene
em um lago mystico ludo quanto ha de nobre, de
magestoso e de sublime para os nossos coragdes.
Meus cama radas I Afflrmo e proclamo, aqo i
mesmo, face deste Aug sto Tabernculo, que este
I estandarte veio encontrar no 3o corpo de Volun-
tarios da Patria, urna col orle de bravos que era ;
sua deten sao capazei de dar exemplos admira-
| veis de esforgo e de cor. geni. Camaradas I no-
biliiai-o, engrandecei-o ; provai posterdade e a
historia que os Pernamb icanos nasceram para a
gloria dos combates Eis-aqui o mais alto, o
mais forte, o mais elevad) estimulo ao vosso he-
rosmo.
Viva S. M. o Imperai or.
c Viva a Familia Imperial.
< Viva a Integridade di Imperio.
Viva o Exercito AlliaJo.
c Viva o Exm. Conseltn|iro Presidente da Pro-
vincia,
c Viva o Exm. Commindante das Armas.
Vivo os Bravos Voluntarios da Patria.
< Viva a Briosa Guarda Nacional desta pro-
vincia.
Nao porque summamente immoral e altamente
burlesco.
B. V. JL
:xjat
CASO HOSRIVEL
D'L'.MA
Molestia Ulcerosa
Curada.
juravam an!e os altares de suas falsas divindades, _
e de pessoas que o aiudaram cora boa vontade.
Foram retiradas peno de 50 saccas cora carna- J" au; us a',Lar" ][JI^a"1"ZZZZ
55a*~*=* 6 ^UaS tJOi S UtenS,10Setrens^icesmr fL" ms.Uui^
e creocas mal delimiladas e sera o saluiar fermen-
lo do direito christo, regra mmutavel das rea-
goes de povos a povosvos jurasles pelo verdade-
ro Deus assellarcom o vosso sangue a sustentagao
de inelhores crengas e de inslituigoes nao conquis-
tadas pelo di re io da torga, mas estabelecidas e ar-1
rafeadas pela forga do direito.
No da 30 ter lugar, na AssociacCto Com-
mereial, a eleigo da junta de correctores, que de-
ve funecionar no anno prximo.
existentes na mesma.
O I-no da casa si perdeu alguns utensilios de
p ura importancia, porgo de velas e 10 arrobas
de algodo.
Comparecern) ao lugar o Exm. Sr. presidente
o Sr. Dr. cnefe de polica (q9foi a primeira aulo-
ridade que all compareceu, pois andava rondando
e passava a ponte Sete de Setembro, quando de-
rain os sinos signaos de incendio, o Sr. Dr. delega-
O juramento de fidelidade, que prestastes a
iciin os sinos siimaes ue luceuuio, u or. ut. uoicko-__,. -.,, ,, ___i. ,.m..,..i i
do, subdelegado^, crescido nu.nero de inspectores ^ ^^ Z I
de quarteiro ; bem como o Sr. tenente-coronel di
responsabilidade aosolhos do Deus f^rte e lerrivel,
Remetiera-nos a seg
< Mora nesta ra da lu
ro andar, um individuo ja
lem por coslume chegar al
camisa, e at as vezes mfr
se diz vulgarmente.
o Nao sera' possivel tra
propros do senso commurr
< Diga alguma cousa
urna vez que nos vizinhos
molas. >
inte communicago :
leratriz, em um primei-
de alguma id ule, que
varanda em fraldas de
rao em camisao, como
-lo a' pratica de actos
7
obre isto, Sr. redactor,
nao queremos ver mar-
rector do arsenal de guerra, os Srs. ajQdanles do 1ue asjim como M*** com o escudo da sua ora-
arsenal de marinha e das ordens do Exm. Sr. cora- "'Potencia os que zelam a honra do seu MfMn,
derruba e anniquilla com as sellas da sua vingan-
pres^ntes os engenheiros ca,os 1ue nenoscabam a invocacao solemne da sua
indivisivel Trindade.
Felizmente nao foi ao aceno da lyrannia, mas
mandante das armas.
E-tiveram igualmente
director das obras publicas e fiscal da estrada de
ferro ; assim como tres bombas, culo servigo s ,
lermraou pelas 2 horas da madrugada, quando foi contra a lyrannia de um despota anachron.co, qi
dado por extinctoo incendio.
Como succede en? lodos os incendios aprsenla-,,
ram-se cidados que procede de um modo digno de 'alar c,dadt!i. ou reproduxir essas scenas barbares-
mallo louvor, e entre ouiros portaram-se com ab- ^'P0^^ 5he naon estraguido os novas hunos e
negago os Srs. Drs. Buarque de Macedo e Jacobi- alanos do sombr' Paraguay. Nao m.iis alio^po-
na, o capilo do 3 de voluoiarios Corte Real, An- zesles a mira de ? ambigoes.
dr de Abreu Porto e
deiros, o que folgamos de
Esteve presente urna forga
nfantara da guarda nacional, que foi a primeira a
vos armastes voluntarios da patria, era to pouco
vos arrastou o fro ioslinctode ir dessolar campos,
mlintarios Corte Real An- zesles a mira ae vosas amoigoes. uobiuduii c
S&mSTMH. Me- ^ebe.lar o soberbo Maban, pgui* Jo-
de consignar aqu. derna- 'oaimn o progresso das luzes e da fra
i forca do balalhao de in- tern.dade entre os povos, todo o objecto do vos-
sos annelos. se coube Theseu esraagar o Mi-
noiauro de Creta, cabera' sem duvlda vos e aos
nossos ainados a gloria de esmagar o Minotauro da
Assumpgo.
t Nao venho excitar o vosso patriotismo, porque
esle superabunda em vossos corag5es; e quando
Chegou sabbado da Bahia por Macei, com 9 necessario me parecesse, nao farla outra cousa, se
dias de vugem, a canhoneira franceza de guerra nao recordar-vos a pagina, ainda nao esenpta, mas
La Mothe Piquet, que vera em commisso do seu j es'ereotypada as laminas do tempo, deste ulti-
governo proceder a' estudos hydrographicos no | mo periodo da vida do vosso Imperador,
nosso porto.
apparecer no local; outra do 2o dito, outra do 3o
dito, outra do 3o corpo de voluniario*, outra do 6o
di io, e outra finalmente do 2" da guarda nacional
destinada ao servigo da guerra.
| ouvireis, nao a eloquenca de quarenta seculos tro-
vejando do alto de musgosas pyramides, mas a ta
Procedeu-se hontem, com a maxiraa pompa,! quencia dealguosdias de sacrificio, mas de alguns
ao benzimento solemne da bandeira olTertada ao dias que valem seculos, pelos ensinos que encer-
3 corpo de Voluntarios da Patria sob o comman- rara e pelos fados que resumen),
do do benemrito Sr. coron-d Francisco Joaquim Nao quero, nem devo entrar na apreciago in-
Pereira Lobo pela associago humanitaria, que dividuada do que fez o Imperador. Fallo do que
funcciona nesta cidade sob o titulo distinctlvo 1 resolveu fazer. Fallo do seo_esforgo, da sua cons
conciliaqXo, a que pertence o digno comman
daule.
O acto leve lugar na sumptuosa igreja do Espi-
rito Samo que, artsticamente decorada de cores
nacionaes, offerecia o mais risonho e agradavel
espectculo. Grande copia de estandartes brasi
leiros pendiara das varias tribunas do templo no
interior e no exterior, e davam realce essa festa
nacional em que os sent mentos religioso e pa-
tritico se davam as mos era amistoso lago.
Immenso foi o concarso de povo de todas as
clases que apinhava o recinto do templo, e o
ampio larg que dante se desdobra. Sobresahiam
d'essa ardente muilido veneraveis caracteres da
nossa sociedade quaes entre outros, o Exm. Sr. pre-
sidente da provincia, o Sr. Dr. chefe de policia, vis-
condes de Suassuna e Camaragibe, baro de Vera-
Cruz, o coronel Jos Mara, o monsenhor Pinto de
Campos, membros disiincios da magistratura de
primeira e segunda instancias, a offlcialidade do 1*
batalho da guarda nacional, as contrarias do
Carmo, S. Francisco e Penha, mdicos, advogados
e numerosos funecionarios pblicos.
A' hora ajustada, desfilando com garbo e lou-
vavel pericia o 3* corpo de Ko/unfarioi da Patrta
pelas ruaS prlnclpaes da cidade, sempre acompa-
tancia e da sua dedcago. Fallo do impeto arden-
te com que vooii s raas do imperio a oppor a sua
propria peseoa torrente da invaso barbara.
Quem mais fliesse, pode ter havid ; quem me-
lhor o desejasse nao encontr na historia I To as-
signalado exemplo le amor aos seus deveres pode
ter muiios admiradores ; imitadores, poucos I Se-
jamos ju-tos. Por isto raesmo que raras vezes se
faz jusiiga aos principes, nao recusemos ao nosso a
que incontestavelraente Ihe cabe. Nao antecipa-
raos, porm, o juizo da historia.
E, pois, meus charos compatriotas, terminare
aqui esta brevissima allocugo paraphraseando as
palavras do here bblico : Eia, filhos, entrai re-
solutos e denodados no desempenho da vossa im-
portante misso : sede verdadeiros teladores da
le, symbolisada nesta bandeira que vos entrego,
cuja mvlolabilidade cont que sustentareis cusa
da vossa propria vida.
Eis a do Sr. Dr. Araripe :
c A sociedade humanitaria Conciliacao ouvio o
brado da patria; acudi ao seu reclamo,e fez oque
pode.
c Assim faeam todos.
i O estandarte que aqui vemos, e qqa a socieda-
de offerece aos bravos voluntarios, quem o en-
A narrag) desta pratic; abusiva s por si ca-
racierisa-a sem dependenc ide mais palavras, que
Ihe acrescentemos. Mas forga admirar, que se
ja o prologonista de urna scena to repugnante
com os principios da conve lenea social urna pes-
soa, a quem os annos deveijara ter tornado corda-
to, amadurecendo um jui o que mais parece ie
um criangola que de um honem.
Repahticao oa polici ,.
Extracto da parte do dia 26 de novembro
Foram recolhidos a' casa de detengo no dia 24
do correte:
A' ordem do Dr. juiz especial do commercio,
Joaquim da Silva Boa-Vista por se achar compre-
hendido na disposigo do irt. 824 do cdigo com
mercial.
A' ordem do Dr. delegadp da capital, Domingos
da Silva Miara, cuino alienado.
A' ordem do subdelegado do Recife, Rila, escra-
va de Antonio Ribeiro Pessoa de Lacerda, por f-
gida, Henry J. Para, para dorreego.
A' ordem do de S. Jos, 'Sevenno David Bilten
court, por furto.
O chefe da 2" secgio,
J. G. de Mesquita.
Passageiros do vapor Parahyba, viudo dos
portos do sul :
Paulo J. Telles Jnior A. de Torres Bandei-
ra, Angelo Custodio dos Prazeres, Francisco de
Vasconcellos Mondonga, Pierre Vannsul, Flix
Pereira d- Souza, Jo* Feroandes de Barros, An-
tonio Teixeira de Araujo, Vctor Waoderley, Jor
ge Davis, Jos de Faria Lobo, Antonio Teixeira
Pinto, Francisco de Oiiveira Coelho, Adriano da
Silva Correa de Almeida, Jos Barreto Paes de
Mello, Alberto Asclioll. alferes Polycarpo Jorge de
Campos, 16 pragis do corpo de guarnicao desta
proviucla, 18 mulheres, mae, irmas e filhos das
mesnus pragas, Francisco Baptista Correa Cba-
ceira, 35 voluntarios da patria, 3 mulheres e 2 fl-
Ibos dos mesmos, Joaquim Pedro da Co>la Moreira,
Antonio de Mello Rodrigues Loureiro, Joaquim Pe-
reira de Almeida, 1 escravo, 1 criminoso e 2 pra-
g-s que o escoltam.
Todos aquelles que se achilo suic'itoe sof-
frer molestias scrofulosas, ulcerosas, ou syplii-
liticas, ainda mesmo as reputadas de poior
natureza, apenas necpsritao do lr o seguinte
caso maravilhoso, para que se sintilo inteira-
mente convencidos quo a sua propria cura,
nao s meraiuentu possivel mas sim absolu-
tamente certa.
Joao Josfc Feriieika Baruoz>, residente
na Cidade de Maranhiio, tinlia todo o seu
corpo coberto de chagas ulcerosas, e durante
algunos annos se achava debaixo do tratamento
de mdicos os mais afamados, tendo usado
durante todo este tempo quasi toda a especie
de medecinas quo em taes casos empregada
pela faculdade medica, porcm debalde sem
obter o menor beneficio ou alivio: achando-ss
pois em tat-s apuros elle finalmente resolveo-
se, depois de repetidos e baldados esforcosa
fazer uso da]
Salsaparrilha
DE BRISTOL.
No todo elle apena chegou a tomar Cine
Qarrafs de Salsaparrilha < quatro frascos das
Pilulas Vegetaes Attuearadat, e o resultado
foi elle obter una completa e perfeita cura.
Os Sers. Fkuiikika & Cia., Droguistas de
Maranho, forao quem supprirSo os medica-
mentos, e ach3o-se perfeitampnte ao facto
d'este caso, e os mesmos Senhores,->iiSo s se
acbao promptoe confirmar o mesmo, como
tambem em l'ornecer o actual adresso do Ser.
Baiuioza, toda e qualquer pessoa que por
ventura se desej informar da vi-rdade.
Recommendase mui particularmente aos
Doentes que tenhao o maior cuidado na escolha
deste excellente remedio, nao usandn outro
nao ser a Oenuina Salsaparrilha do Bristol,
a qual exclusivamente preparada por
LANMAN & KEMP,
De \<>\ \ YORK,
pois que todas as mais sao inefficazee e de nen
bum pretimo
Vende-se ras boticas de Caors A Barbosa
e C. Bravo 4 C.
j S I
A jurnbeba.
As virtudes therapeuticas da jurubeba sao desde
muito coohecidas nao s no Brasil, pois que dellas
Iratou Pisn em sua excellente obraHistoria na-
turalis et medica India; ocridentalis, seno as
Antilhas, onde o sueco das folhas e fructos como
aqui, rauito estimado e appheade contra as obs-
trueges abdominaes, principalmente do flgado e
bag); e se todos os facultativos desta provincia o
nao applicam cora frequenria, isto se nao deve a
nao recoohecerem elles essas virtudes, mas slm a
nao serem encontradas com facilidade e em todas
as estages do anno os fructos dessa planta, e a re-
pugnancia, que apresenlam os deentcs pm faier
uso do sueco desses fructos, em consequencia de
ser extremamente amargo.
A jurnbeba nao desconheeida dos botanistas :
esta planta pertence familia das solaneas, e tem
a denominago de solanum paniculatum, que Ihe
foi dada por Lyneo.
Pareeendo-nos conveniente facilitar o uso do
sueco dos fructos da jurubeba, que o mais em-
pregado, nos propozemos e conseguimos preparar
com elle nao s um extracto alcoolico que pode ser
applicado em pilulas, mas tambem um vinho, um
xarope, e um emplastro que pode substituir, em
certos casos, o de Vigo ; e estamos persuadidos que
com isto prestamos um servigo humanidade e a
hiera peu tica.
Pisn, tratando da hydropesia, prescreve a de-
cocgo das raizes da jurubeba, e Moral e Delens,
em seu Diccionario de materia medica e therapeu-
tica, dizem que as Au'lhas se faz uso do sueco
dos fructos maduros dessa planta contra o catar-
rho vesical -, e a autoridade dos nomes desses m-
dicos, merecidamente celebres, nos leva a crer em
suas palavras, e por isto cuidaremos de ter em
nosso estabelecimento essas raizes,para que possam
ser experimentadas.
A reputago da jurubeba tal, e os resultados
therapeuticos obtidos ltimamente sio lao impor
taotes, que nos parece inntil dizer mais do que
isto, que (lea escripto.
Deposito: pharmacia de
Joaquim de Almeida Pinto.
Oleo idem.
Tintura idem de idem.
Xarope dem.
Vinho idem de dem.
I'ilas de ext. idem.
Deposito, pharmacia de Pinto, roa larga 4
sano n. i.
VARIEDADES
Scleacia e nrdirli
L-se na Union Medcale de Pars:
Os jornaes de medicina fallaran por va-
rias vezes de urna descoberta importaste
para a ttierapeulica, que consista na deas
fi'irii do oleo de ligado de baralho sen
Ihe tirar nenhuma das suas propriedaites.
Temos o prazer de annonciar boje aa-
nossos lei lores, que esse resultado fui afelio
do de modo o mais completo por un hbil
pliarmaceutico de l'aris, o Sr. Chevner, qae
conseguio desinfectar o oleo d ligado de
bacaIho com o alcatrao e o balsano de
Toln. As experiencias feilas por minios de
nossos pratioselcc ebres, nos bsp tes e so-
bre seus doentes particulares, a-* anaiyses e
ensaios de cbimic<>s competente'!, nao det-
xam nenlinma duvida a este respeto.
Relatamos aqui as proprias palavras dt
um juiz muilo eminente e competente o Sr.
Dr. E. Mumbert, laureado da academia im-
perial de medicina, e professor de Clnica.
< Submeiti a analyse, diz esle distineto
professor, o oleo de ligado de bacalho na-
lural desinfectado pelo processo do Sr. Che-
vner, e posso certificar que esse prmMelo
nao perdeu nenhum dos seus principios
medicamentosos nem cbimicos. que se
acham no oleo de ligado de bacalhio ordi-
nario. A fraca proporco das sunslaiKias
estranhas que e pem no oleo natural para
dissimular o cheiro e o sabor desagradareis,
nao pode de nenhum modo alterar soas
propriedades medicaes e s a torna de un
I uso fcil e mesmo agradavel.
Em resumo, o oleo de /gado de bmrm-
Iho desinfectado pelo processo Ckevrer
goza de propriedades idnticas ao oleo de
! ligad) de bacalho ordinario, qoe elle repre-
senta exactamente.
! Elle muito bean tolerado pelos doentes.
os quaes elle nao anoja e i lomado pelas
pessoas cujo gosto e olalo sao dos mais sas-
cej't.veis.
Hoje que o oleo de ligado de bacaMn
tem-s tornado um dos agentes os nais in-
' portantes e preciosos da therapeutn a. quen
, descobrio o meio de tornar de um aso U-
[ cil para todos, prestoa um verdadero sr-
* ico arle de curar e aos praticos.
Por isso nio podemos concluir menor
do que felicitando o Sr. Chevrier por soa
rica e til descoberta que merece de ser
propagada, e dizer com meu collega o Sr.
Dr. Richelal os t rabal los que cunduzen as
descobertas d'esta especie devera ser pro-
| tegidos pelos mdicos.
Os importantes irabalhos do Sr. Chevrier
sobre o oleo de ligado de I acalho Ihe fi-
zeram obler um resultado nao menos -
portante. o qual consiste em ter associado o
ferro ao oleo de ligado de bacalho. O-dea-
de figado de baralho ferriginoso de Che-
vrier constitue talvez o melhor meio de dar-
se o ferro. Pois o iodnro de ferro onulo
\ deste modo com o oleo de ligado de baea-
Iho se dissolve ma>s facilnente nos lqui-
dos das vias digestivas e por eoMentencia
se asstmila muilo mais !>em do que s*'d> a
forma de pilulas ou xarope. F.inlim elle
i perde assim suas propriedades irrilan'es. e
I nao provoca a constipacao. E" **sim qoe
! os doentes, cujo estomago nao pode siippor-
\ lar nenhi.ma preparaco marcial, lonan b-
cmente o oleo de //jado de bacalho ferrm-
ginoso de Chevrier.
Os senhores Maurrer & C. acaban de re-
ceber um grande sortimenio ds celebres
azeitcs desinftclado de Checner t ferrtyt-
nvso de Chevri'er.
Vende-se na pharmacia de Pedro Maorer
V C. ra Nova n. 18.
FWUjjAjjjg A PEDIDO
PergnnCa InnocenCe.
Puder exercer o magisterio um hornera que
sollro de gota, e que ja tera sido atacado d'ella em
acto solemne?
Resposta.
Nao porque est em contacto cora os seus colle-
gas, e porque bebe agqa as mesrnas quartinhas,
o que fax com qqe, fujam 'el|e como o diabo da
crui,
JURUBEBA.
A jurubeba urna das substancias medicamen
tosas, ao reino vegetal, e perience classe
dos tnicos e desobstruenles, sendo em prega
da com vantagem contra as febres intermitente
acompanhadas de engorgitamento de ngado e bago.
Ella lem sido applicada com iocontesuvel proveilc
contra a anemia ou cblorose, e hydropesia, catar
rho da bexiga e mesmo para combaler a menstrua.-.
gSo difflcil, resultante da mesma anemia oa ite-
rse.
Extrato alcoolico de jurubeba.
Emplastro Idem.
Monte-Pio Portu^niez.
A directora provisoria rotnmosica a letoe m m-
lercssados, que acabam de sabir do prto w esta-
tutos da sociedade, e que *i imiaediiliaiati 09-
I ceder-se respeciiva disirihaieo.
Sen Jo de toda a conrDiocia a maior pernera
no recebiiuento das quaniias subscripta*, a Vee-
| loria provisoria roga insiaoienvnle a IuAm os *
! dignos consocios que obsequio>anraie s ferjto
: ram a coadjuvala nesle servido, e qo- ai-la mam m
ultimaran), toda a poivel aciividade ao mtrn rm-
cebimenlo, anm de que qaanlo ani-s se pmsaa por
em vigor os estatuios, e, slidamente roasirtn** t
organisada a sociedade, roais cedo vesha ella a fa-
zer sentir aos associados o seo benelW-o iaflasii.
A'gurlles a quem poder ileres*ar o aw, mtf
anda conveniente a oirecioria recordar ttam- r*
de Janeiro de 1866 em dante a jom ser ie ZSf, e
nao mais de 104: pelo qoe eonvira apre-r-.
cada um em salisfazer a respectiva jnia, mtfmm
na mesma occasio receber na ejemplar *:s es-
tatutos.
Secretaria do Moote-Hio roriogoex em Persea-
buco, 11 de Loverabro de 1865.
Jos da Stfaa Lmm,
HnMnni
Joaqmm Geimr.' 4* Bmstom,
J^seer i-rnv
C0MME1CI0.
Caia flial Brasil
Peraanhtea.
A caixa deseoau as letras m u
tana de 8 0| ao anao.
O goara-livree
Ignacio Xoats Ctrrata.
Nava Baaca 4e Peraaabw*
O Novo Banco p-jga o dcimo
devindo na razio de W por accio-

m.


filar* de rernarabnco Secunda leia 4e Novembro de i Sft.
\ovo banco de Pero
buco.
0 Novo Banco descoma letras de praso al qua-
tro mezes a II por cento ao anno, e at seis mezes
a 12 por cento, e toma dioheiro a praso lixo ou
era conta correDte pelo premio e conaicoes que
se convencfonar. ,
a,FaNOBGa.
Rendimenlo do da 1 a l*......
dem do da 25...............
527:682*737
21:227*183
548:909*920
lfc4o em depn*iio 111,399 ar-
. robas, e a do Rio da Prata de
2*400 a 3*800, Ucando em de-
posito 22 375" arrobas.
Caf...........Vendea-se de 5*800 a #490 a
arroba.
Cha............ dem de 1*800 a2*308 a libra.
Cerveja........idem de 4*500 a 6*080 a duzia
de garrafas.
Louca.......... A ingiera ordinaria vendeu-se
com 310 por cento de premio so-
bre a factura.
Manteiga.......
Dr. Tristao de Alencar Ararj>e ofBVial da impe-
rial ordem da Rosa, juiz de direito especial do
conunercio desta cidade de hecife de l'ernaav
buco, si'ii termo por Sua Magestade Imperial
e Constitucional o Sr. D. Pedro II a quem Den
guarde etc.
Faco saber nos que o presente edital virem e
delle noticia tlverem, que no dia 18 de dezembro
do correte anno se ha de arrematar por venda a
quem mais der, em praga publica deste jnizo. o
seyume:
lloi sitio no lugar do Monteiro, fregueria do
Vendeu-se a ingleza a 760 rs. a ; Poco da Panella, tendo 420 palmos de frente, com
libra, e a franceza a 750 rs. a muro e porlo de farro, com os funds al a es
dita. trada denominadaCaldereiro. com 320 palmos
***"......... Venderam-se a 6*000 a eaixa. de largo, e om portan de madeira, lendo 870 pal
Oleo de linhaea.. Vendeu->c a 1*700 o galo. mos de cumprimeolo de um lado' do sitio, divide
"****.........dem 6*800 -a caixa. cm Jo> Camello e o Dr. Alcoforado, e do lado do
Presuntos.......Venderam-se a 16*000 por ar- norte com a travessa que vai ao rio, lendo no cen-
.. roba. Uro orna casa terrea com una porta e janella, nos
Qucijos........Os (lamengos venderam-se de oitoes duas anellas, com salas e quartos com ja-
1*81X1 a 1*91)0 carta um. nellas em tida roda di casa, com um solio, com
sabao.......... O iBglez vendeu-se a 140 rs. a seis quartos, cacimba com bomba, e tanque para
libra, e o do Mediterrneo a 220 lianho, quartos para pretos, estribara e arvoredos
ferro rs. a dita. de fructos, avallado em 7:000* : o qual fora pe-
Bngtttmglei-Mn Bruce mercador.as, ierro e ToBCinho.......Vendeu-se o de Lisboa a 12*30 nhorado por execuco de Ignacio Luiz de Brito
672
MOVIMENTO A ALFADKiiA.
Volamos entrados com fazenda*.... 177
t com gneros..... 495
Volumes sabidos ccm fazendas..... 69
con gneros..... 572
------- 6il
Descarregau] hoje 27 do crreme.
Barca ingHela Annt 'Cay mercadorias, ferro e
carvo"
arvn.
Briga ingezCarne M. ,carvo de pedra.
Barra inglezaAvma idem. ,
Galera francezaSolferinamercadorias.
Patacho oorluguez/-Viriocharque.
Barca nacional Malina idem.
Brtgue portuguezImproviso idem.
LFAXDEGA DE PERNAMBUCO.
UTA DOS l'IIKCOS UOS ENEROS SIJJEITOS A DIRECTOS
DB EXPORTACAO. SEMANA DK 27 DO MEZ DEJM-
VEMBHO a|2 vezemhro DE 1865.
Mercadorias. Unidades. Valores.
Abanos.........ceHto 1*500
Agurdente de cana .... Canad 800
dem restilada ou do reino 800
dem caxaca....... 380
dem gencira...... 800
dem alcool ou espirito de agua- 900
ardente.......
Algodo em caroco .... arreba 45250
dem em rama ou em laa 17*000
Arroz com casca...... 1*500
dem descascado ou pilado 2*600
Assucar mascavado..... 2*450
dem branco........ 3*800
dem refinado...... 5*120
Azeite de amendoim ou mendo-
bim ........caRada 2*000
dem de coco...... 1*600
dem de mamona .... 1*000
Batatas alimenticias .... arroba 1*200
Bolacha ot diara, propria para
embarque .......
-dem lina........
Caf bom........
dem escolha ou restolho.
dem torrado......libra
a arroba.
Vinagre........O de Portugal vendeu-se de 90*
a 100*000 a pipa.
Vinhos......... Venderam-se os de Lisboa de
180*a 190* a pipa, e os de ou-
tros paizesa 160 i a dita.
Velas.
Tabonla, contra Jorge Vctor Ferreira Lopes.
E nao tiavendo lancadur que cubra o preco da
avahaco ser a arremtacao feita pelo prego da
adjudicacao, na forma da lei.
E pTa que chrgue ao conheciroento de todos,
ni.ni i-, i fazer o presente edilal, que ser afilxado
As de composiciw venderam-se nos tasaras do costume e. publicado pela imprensa
a (00 rs. por pacote de seis ve Dado e passado nesta cidade do R- cife do Per-
las.
Descontos...,... O rebate de letras regulou de
11 a 12 por cento ao anuo.
Fretes..........Para o Canal icglez nominal;
para Liverpool carregando aqu
1 d. sem pnmagem cairelan-
do na Parahyba "Va d. *5 %
namtiuro, aos 20 de novembro de 1865.
lu, Mano-l Mara Rodrigues do Nascimento, es-
crivo o subscrevi.
Tristao de Menear Araripe.
Caibros
Cal..........
dem branca ....
Carne secca (xarque) .
Carneiros .......
Carvo vegetal .....
Cavernas de sicupira .
Cera de carnauba em bruto. .
jdem idem em velas .
Cha .........
Charutos .......
Cevados (poicos).....
Cocos (seceos)......
Colla........
Couros de boi, salgados. .
dem dem seceos espichados .
dem idem verdes ....
dem idem cabra cortidos .
dem idem de onca ....
Doces seceos ......
dem em gela ou massa .
dem em calda .....
Espanadores grandes .
dem pequeos......
Esteiras para forro de estivas
de navio........
Estopa nacional .....
Familia de de mandioca .
dem de afarola ....
Feijao de qualquer qudlidade .
Frecliaes .......
Fumo em tolha, bom .
dem ordinario ou restolho
dem en) rulo bom.....
dem ordinario ou restolho. .
Gallinhas .......
Goiiiuia........
Ipecacuanlia (raz).....
Lenba em adas.....
Toros.........
.Linlias o esleas......um
m
arroba
um
arroba
una
libra
i
>
cont
um
cento
libra
<

>
um
libra
3*000
7*000
6*000
6*000
440
360
280
580
3*200
45000
1*000
3*000
300
300
1*500
2*500
15*000
4*000
600
155
240
100
350
105000
1*000
320
500
4*000
2*000
I011BST0 DO POETO
Navios entrados no da 25.
Havre37 das, galera franceza Solferino, de 376
toneladas, capilo Cunti, equipagem 16, carga
mercadorias ; a Tisset Freres.
Baha par Macei6 das do primero porto e 24
horas do seguudo, canhoneira franceza a vapor
La Molhe Piqnet, commanJaote o capitao de fra- (
gata Monchez.
Navios sahidos no mesmo dia.
Liverpool pelo Ceara'-barca Ingleza Belle Ponte,
capitao Jonathon Cargder, carga algodo.
Ceara'escuna iotleza Btenk Bonny, capitao E.
Baddeley, em lastro.
Navio entrado no dia 26.
Ass e porlis inl-rmedins5 das, vapor brasilei-
ro Parahyba, de 104 toneladas, commandasle I.
1. Martins.
Observaeao.
Nao houveram sabidas.
Mims.
Jlel ou uelaco
Miiio....... ;
Papagaios .......
Pao Brasil.......
dem de jangada......
Pedias de amolar ....
.dem de filtrar .....
dem de rebolo .....
Piassava........
Ponas, ou i-lufres de vaccasou
novilhos.......
PranciiOes de amarello de dous
costados .......iim.
dem de louro...... ,
Rap.........libra
Sabo.........
*{ ....... al(|ueire
balsa parnlha....... arroba
Sebo em rama...... ,
dem em velas...... ,
Sola em va.piela...... uma
caada
arroba
um
quintal
um
uma
molho
cento
Tabua> de amarello.
diversas ....
Tapiocas.......
Taiajuba......
Travs.......
Unnas de boi ....
Vassouras de de piassava
Duas de timb ....
Ditas de carnauba .
Vinagre.........ranada
Ailaudega de Pernamuco, 25 de uovembro de
1865.
(Assignados):
O 1." conferente, Florencio Dmingues ta Silva-
O 2. i-onfeieDie, Francisco Alfonso Ferreira.
Apuro va Alfandega de Pernambuco 25 de no-
vembro de 1865.A. Eulalio.
Conforme. O 4. efcri|iiurano, Joo de Assis
Per eir Hoclia.
AU.Ctl)OMA. DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimeuto do dia 1 a 24...... 24:954*754
dem do da 25................ 366*311
25:321*065
- CCONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do da i a 24........ 63:942*832
dem do dia 25............... 2:795*776
PRAgA DO RECIFE
*5
!>K KOFEnBHO l: 1965.
A'STHKS HORAS DA TARDE.
Blcvisu semanal.
- Cambios........Sai-nu se soiire Luatcm de 27 }{
a 28 d. p.,r 1*000, sobre Pars
a 346rs. por (r. uuminal, e sobre
Ll.-boa a 100 por canto de iire-
mio ; montando os saque.- effec-
tuados nesta semana ;-m 130
mil.
Algodo......... O de Pernambuco vendeu-se de
18*000 a 19*000 por arcoba, o
de Mai-ei, posto a burdo, de
18*500 a 13*000 e o da Parahy
La, lainbem i>> -to a bordo, de
20*200 a 20*500.
Assucar........ Veodeu-se o tranco de 4*400 a
5*000 por arroba, o s> mm de
3*200 a 3*3dO, o mawavado
porgado de z**00 a 2*900 e o
bruto de 9*450 a 2*650.
Agurdente.....Vendeu-se de 72 a 75J000 a
_ P'pa-
Couros........Os seceos e salgados venderam
se a 155 rs. por libra.
Arroz....,,..... Vendeu-se o filado da India da
2*200 a 2*400 por arroba, e o
do Maraoho a 2*500 a dita.
Azeite doce...... Vendeu-se o de Lisboa a 2*600
o galio, baveodo filia do do Es-
treno.
Batatas.........Venderam se de 1*000 a 1*200
a arroba.
Bolacbmhas..... dem a 4*800 a barriqumha.
O capitao Luiz Cesario d) Reg, juiz de. paz mais
volado da freguezia do Saoiissiuto Sacramento
do balrro de Santo Antonio, e presidente inte-
rino do colleglo desia cidade, em virtude da
le, etc.
Faco saber que, pela cmara municipal deste
municipio, me Coi remettido o nfficio do Iheor se-
guidle :
Paco da cmara municipal de Recife,23 de agos-
to de. 1865.
Illin. Sr.Havendo o Enm. presidente da pro-
vincia por portara de 16 do corrente, convocado a
nova assemhla legislativa provincial para a pr-
xima legislatura, que lem de funecionar nos an-
uos de 1866 a 1867. designado o da 7 de jaueiro
prximo futuro, i>ara a eleicao dos inembros da
um *f! mesma assemlla, assim o commuitico a V. S.
2*000 para sua inielligenna, e a fi.n de que convoque os
Oledores desta freguezia para o dia in lie.ido, de-
cent 15*000 vendo V. S. ler em eonsideracio o que dispde o
arrolta 1*600 an. i.- do decreto n. 2633 do 1.a de miembro de
alqueire 1*800 1860.
arroba 4*000 Deus guarde V. S. Illm. Sr. capitao Luiz Ce-
2*800 sario do Reg, juiz de paz mais volado da freguezia
um 5*000 de Sanio Antonio.Luiz Jos Pereira Simoes, pre-
arrolia 14*000 Bidente. Francisco Canuto da Boaiagem.
85000 Em cumprimento do que, e como presidente n-
850^0 termo lo collegio, convoco aos eleilore< das fre-
5*000 gnesiaa de S. Fre Pedro Goncalves, de Santo An-
uma 600 Antonio, de S. los, dos AIT arroba 2*500 Sanio Amaio Jaboato, de Muribeca, de S. Lou-I
25*000 renco da Malta, do Poco da Panella, e da Boa-!
cento 25000 Visia, que coitstilue o referido Collegio, afim de
115000 que comparecam na igreja matriz de Santo Auto-
6*000 ni > no dia 7 de'janeiro prximo vindouro pelas 9
240 liO'a- da njanh.ia, para i|ue procedam a organisa-
1*500 gao da mesa, e mais actos relativos eleigo dos!
3*000 inembros assemhla provincial, conforme deter-
55000 minan as leis respectivas.
5*000 E para que cliegue ao ennhecimento de todos,
800 mandei fazer o presente edital, que sera affixado
400 nos logares mais pblicos de^a freguezia.- e pu-
1*000 blicado pela imprensa.
120 Recife, em a freguezia de Santo Antonio, 25 de
novembro de 1865.
3*500 Eu Joaquim da Silva Reg, e?crivao que o es-
ere vi.
Luiz Cesario do Reg,
Juiz de paz.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, offleial da im-
perial ordem da Rosa, e juiz especial do com-
mercio oesia cidade do Recife de Pernambuco
por S. M. I. ele.
Faco saber aos que o presente edital vlrem e
delle noticia ttverem, que no da 18 dezembro do
corrente anno se ha de arremaiar por venda a
quem mais der em praca publica deste juizo o
seguiite :
Um sobrado de um andar silo na ra da Laran-
geira com o n. 2. com doa> janellas e varanda de
pao, com uma sala na frente, dous quartos e ama
sala rio fundo, no ailar lerreo com 3 portas, o
qual lem solfio que serve de coznha, com peque-
no quintal o qual saaeba em man estado, avahada
por 2:5005000. Urna casa terrea sita na ra das
Trinclieira> com o n 1, com 3 portas d- frente,
urna sala, e dous quartos e uma pequea sala no
fundo, a qua lem solao com urna sala e um quar-
toe quintal murado avahada por 2.500*000. As
quae> f.irant penhoradas por excogito do Lond-u
ABrasilian Banck contra a viuva e berd^iros do
Dr. Josa Mamede Alves Ferreira.
E nao havendo lancadur que cubra o prego da
avahacao a arremaiagao sera feita pelo prego da
adjudiccao Da forma da le.
E pa.a que chegue ao cunh< cnnemo de todos
mandi-i pas>ar o presente que ser publicado pela
imprensa e afflxado> nos lugares do cofturae.
Recife, 20 de uovembro di- 1865.
Eu Manuel Mara Rodrigues do Nascimento es-
crivu o subscrevi.
Tosido de Alencar Araripe.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, offleial da impe-
rial ordem da Ro-a e juiz de direito especial do
coramercio desta cidade do Recife de Pernambu-
co e i-ru termo, puf Sua Magesiade Imperial e
Constitucional o Senhor D. Pedro II a quera
Deus guarde etc.
Fa5o>ab;r aos que o presente edital vrem e.
delle noticia tiverem, que pi-r este juizo especial do
coimoercn pendem uns autos de execugo de seo-
tenca de Franci-co Xavier de Oliveira contra os
admini-tradores da massa fallida de Seve Fhhos i
C, e lendo se fnto peubora am dinheiro do liquido
producto dos bens particulares do socio Manoel Joa-
quim Seve, fra pelo solicitador Ignacio Barroso de
Mello, procurador do exeqif-nh', feito o requer-
meniu do sfgujole termo : Aos 13 de noventn d
1865, em pubiiea audiencia, que aos feito* e partes
dava o Dr. juiz especial uo commercio Tri Alencar Araripe, palo solicitador Ignacio Barroso
de Mello, procurador do exequente, aecusou a pe-
nho'a feita em dinheiro perieuceule ao ex^cutado,
e requereu que se lb fcassem assignados o seis
das da le e 10 aos eredores incertos, passando se
os respectivos eoiiaes, o que ouvjdo pelo juiz houve
Sania Casi da Misericordia do ttecife.
A Illm.* junta admirvrslrativa da Sania Casa de
Misericordia do Recife manda fazer publico que
no da 30 do crreme polas 4 horas da larde as
salas de suas ses>oes tem de ir a praca as rendas
das casas abaixo declaradas por lempo de 1 a 3
aunos a contar do 1 de julbo do correte anuo por
diarite.
Rita Direila.
.V Mpublico e 3 particular.. .
Ra do i adre Floriano.
N. 49 publico e 5 particular. .
N. 47 publico e6 particular. .
N. 45 publico e 7 panlcular. .
N. 43 publico e 8 particular. .
Ra do F gundes.
N. 34 publico e 12 particular. .
Kua dos Pescadores.
N. 11 publico e 16 particular. .
Ra das Calcadas.
N. 38 publico e 22 particular. .
Ra das Cinco Ponas.
N. 108 publico e 24 particular. .
Ra de Santa Tbereza.
N. 7 publico e 31 particular. .
Ra da lmp<-ralriz.
N. 68 publico e 47 particular. .
Ra da Senzala Velha.
N. 21 publico e 71 particular. .
Ra Direita.
N. 5 pub'ico e 82 particular para
|oja do lado da Hi-nha.....
N. 7 publico e 33 particular segun-
do audar. ......
Ra do Apollo.
N. 94 publico e 91 particular. .
Ra Velha.
N. 27 publico e 96 particular. .
Ra do Rosario.
N. 26 a 34 luja u. ID.. .
Os pretndeme.* comparegam no menciouado dia
com os sens fiadores ou com carta do mesmos,
Secrelaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife 25 de novembro de 1865.
O offleial,
_____ Manoel Antonio Viegas.
Santa Casa da Misericordia ci Recife.
De ordem da junta administrativa da Sauta ta-
sa de Mis. ricordia do Recife convido as pessoas
1 capa de oleado.
1 dita de brim.
17 cornetas.
17 cordoes de isa para as mesmas.
300 bouels redondos.
300 ditos Cavaohaque.
300 mantas de la.
26 bandas de dita.
26 cordSes de dita para inferiores.
2 espadas para sargento ajudante e quartel-
roestre.
2 latios para os mesmos.
990 metros de panno azul para (ardas.
1386 ditos para capotes.
693 ditos de baeta verde.
660 ditos de algodusinho.
165 ditos de aoiagem.
4950 ditos de brim branco.
2475 ditos de algodosiobo.
2700 hotSes grandes de metal.
2100 dilos pequeos de dito.
As pessoas que quizerem vender ditos artigos
apresentem suas propostas com as competentes
amostra-i, na sala do conselho de compras, as 11
horas da rnaohaa do da 28,do corrente. |
Sala das sesses do couselho de compras do ar-
senal de guerra 24 de novembro de 1863.
O eocarregado da escripluracSo,
Manoel los de Azevedo Santos.
Pelo juiz de paz da freguezia de S. Frei Pe-
dro Goncalves da cidade do Recife vai a' praga do
mesmo juiz, no dia 28 do corrente as 10 horas da
inanhaa, 2 barris com vinho de caj, e mais ou-
tros objecios que foram penhorados a Joe Aniouio earga que t^ni^e7cotMlnzJr, a qi
de livetra por execuco de Andr Barbota Soa- ser embarcada no dia de
res.
CoMPAMIi.l BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E esperado dos portos do norte
al o dia 7 de dezembro o vapor
Oyapock, commandante o capitao
lente Castro Costa.o qualdepois
da demora do costume seguir'
para os portos do sul.
Desde ja recebem-se passageiros e eogaja-se a
carga que o vapor poder conduzir a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada. eocommen-
das e dinheiro a frele al o dia da sabida as 2 ho-
ras : agencia roa da Cruz o. I. escriptorio de A li-
nio Luiz deOliveira Azevedo & C.
Os fretes de dinheiro para Parahiha,
de do Norte, Cear e Macei, tieam reduzdos a
Dinheiro papel. I i |.
Ouro......I|4 %
Prata......3|4 |
%isco o. 72, coohecido palo palacete oa*
morou o Sr. Dr. Sabino, ema graavica
quartos, quintal a muito hera eollora*.
Quaria-eira S9 do correle
As II horas na porta da V>soeiaco Comercial
os prelendenles podem examinar o tekrto aa-
brado.
LEILAO
Quarta-ffira 29 de tveabrt.
COMPANHIA BUSILEIRA
1.067*000
186*000
186*000
*
169*000
145*000
216*000
157*000
231*000
198*000
300*000
146*000
168*1.00
100*000
1:400*000
96*000
478*000
Na terca-feira, 28 do corrente, na sala das
audiencias, linda a do Illm. Sr. Dr. juiz municipal
da i* vara, se ho de arrematar tres moradas de
casas terreas na ra de Motocolomb da freguezia
dos Alogados, sendo uma em ho propno, e duas
em foreiro. as qnaes vao a' praca por execuco de
Joaquim Jos Gomes de Souza, coutra Fraucisco
Jos de Oliveira e sua muitier ; escrivo Baptista.
Arsenal de guerra.
0 conselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o seguate :
Har o 2 balalho de guarda nacional
destioado ao sol.
8 livros de 150 folhas.
4 ditos de 100 ditas.
1 baodeira Imperial com haste e porte, e lanca.
1 capa de oleado.
1 dita de brim.
17 cornetas de loque.
17 cordoes de la para as mesmas.
400 bonets a Cavanhaque.
400 mantas de laa.
27 bandas:
2 espadas para sargento ajudante e quartel-
rnesire.
2 telins para as mesmas.
26 cordoes de la para canudos de Inferiores.
1,650 metros de brim branco.
820 ditos de algodozinho.
Quem quizer vender ditos artigos apresentem
suas propostas na sala do couselho, as 11 horas do
dia 28 do correte.
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos portos do sul
at o dia 39 do correte om dos
vapores da companhia, o qual
depois da demora do costume se-
guir' para us purlos do norte.
Desdeja recenem se passagelrs e engaja-se a
dever
sua chegada, encom-,
mendas e dinheiro a frele at o dia da sahida as
1 horas : agencia ra da Cruz n. I, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo 4 C.
Os fretes de dinheiro para Parahiba, Rio Gran-
de do Norte, Ceara e Macei fleam reduzdos a
Dinheiro papel. I,i |0
Ouro......1|4 |
_______Prala......3|4 i.
COMfANHIA PERNAMBCaA
DR
Xavegxcao csteira por vapor.
Macei e esealas.
Segu no dia 30 do corrente as
5 horas da tarde o vapor Pa
rahyba, commandanle Martina.
Recebe carga al o dia 29. i-.n
commendas, passageiros e di-
uheiri) a frele at o dia da sahida as 3 horas da
tarde : escriptorio no Forte do Matos n. i.
Para Lisboa
sahira' com brevtdade o brigue portuguez tCons-
tante II, recebe carga a frete e passageiros, para
os quaes lem excellenie* commodos : irala se con'
Manoel Ignacio de Oliveira Filbo. uo largo do Cor-
po Santo n. 19, escriptorio.
Rio de Janeiro.
A barca Jovem Palmua, de 1" classe, segu com
brevdade, e recebe alguma carga a frete : trata
se com o consignatario Joo Francisco da Silva
Novaes, travessa da Madre de Dos n. 5.
Para o Rio d. Janeiro segu em poucos das
Pelo agente Ensebio.
De urna graude pr>(>rirda4a 4- n. .13
do Hipu-io, coniendo gnate aci
leudo de frente 7 Dorias al a*ra se rier
Rio Gran- s"bra,,us independeate-, pa | tanio Ira o* rraaw-
linentos que se prrstatn e terreno al lodo aaav
rado rom grande cacimba de boa afoa, ra*a 4a
banho, arvuredos e plaas prjj-nas 6 prtmt.
bello rerreio e unirs vaniagens, que s a tata
podem roelhor apreciar os Srs. preaVaac, para
que soldesde ja convidado ao previo eiaaae, ataa
de fazerem uma compra magnifica.
LEIaLAd
Quarla-feira 29 de a>e*bra
Pelo agente Euzebio.
De 3 casas terrea-.je m. |. 3 c 5 sita< aa ra
do Hospicio, chao foreiro, rende cada orna 3'*
aouuaes.
De
liaGlIi.tO
un solu-ado na na i* (e*r4ia
n u ni ero 1i.
O agente Mariins lar.i leilao eoaapelenieiaa
aulborl>ado de um sobrado de om and ir sgjja aa
ra da Concordia n. 15, com 2 sala, 5 inaiw*,
cosioha fura, lendo no andar terreo o w niaa
commodos, com tres qumiae* e caemtta t II.
elle muito bem tratado. [.,i ga das de papel (chao foreiro rende lanuilm ala
60o,J.>
Quaru-feira 29 do eorresMe.
As 11 horas na porta da A-.xiac>OKnmereal.
Sala do conselho de compras do arsenal de guer- patacho nacional t F por ter parte de seu
ra 24 de novembro de 1865.
O eocarregado da escripturaco
Manoel Jos de Azevedo Santos.
duzia

arroba
quintal
uma
ceuto
>
205000
105000
15000
120
400
255000
55000
75000
25000
1405000
875000
35000
25000
650 0
200
105000
85000
65000
500
que quizerem arrendar as casas abaixo declaradas
Hiendo os concerios a sua eusta para serem des-
contados dos alugueis a Comparecerem nesta se-
cretaria as 4 horas da tarde do dia 23 e 30 do cor-
rele mez, sendo ditas casas perlencenies aos es-
labelecuuentos de candade.
Hua Direil.
N. 33 publico e 4 particular.
Roa do Azeite de Peixo.
N. 1 publico e 53 particular.
Hua dos Burgos.
N. 2 publico e 57 p rleular.
N. 13 publico t 58 particular.
Ra do Pilar.
N. 72 publico e 59 particular.
Ra doPharol.
N. 72 publico e 60 particular.
Secretaria da Sama C^a de Misericordia do
Recife 21 de Dove.nbro de 1865.
O offleial,
_____________ Manoel Antonio Viegas.
Sauta Casa de Misericordia
do .Recife.
da Santa
GORREIO GERAL
Peda adminisiracao do crrelo desla cidade se
faz publico para fias convenientes, que em virtude
do dtsposlo 110 arl. 138 do regulamento geral dos
crrelos de 21 de dezembro de 1844. e art. 9 do
decreto d. 785 de 15 de maio de 1851, se proce-
der o consumo das cartas existentes na admiois-
traco do correio.pertencentes ao mez de novembro
de 1864, no dia 2 de dezembro prximo, as 11
horas da manhaa, na porta do mesmo correio ; e
a respecliva lista se acha desde j exposta aos
interessados.
Administrarlo do correio de Pernambuco 24 de
novembro de 1865.
O administrador
Domingos dos Passos Miranda.
carregament.) prompto ; para o resto trata-se com
seu consignatario Domingos Alves Matheus, ra
do Vigario o. 14.
tara o Rio de Janeiro"
Vai sahir com brevdade o brgue Adelaide-
por ter a maior parte de seu carregamento trata
do ; e para o qua lite falta, irata aa com o consig
Datarlo Joaquim fos Goncalves Reltro : na ra
do Vigario u. 17, 1 andar.
Para o Porto.
Deve sahir com brevdade o brigue poriugnez
Esoeranca por ler a maior parte de seu carreg
ment ja' tratado : para o resto e passageiros ira
ta-se com Cunha, Irmos & C, na ra da Madre
de Dos n. 1, oucom o capitao a bordo
LS1L5SI.
n iliu (iE4L
Pela administraeo do correio desta cidade se
faz publico que em virtude da convenco postal
-."lebrada pelos governos brasileiro e francez, sero nunf 'ad Dlra M11 Pr intervaneio do avena Pin
Transferencia de leilao
0 leilao das 14 caixas de castores avahadas an-
oxpt-didas malas para Europa no dia 30 do corren
te mez pelo vapor francez Guyenne.
As carias serio receidas at as 2 horas antes
da que for marcada para a sahida do vapor, e os
jornaes at tres horas ante--.
Administraeo doorreio de Pernambuco 24 de
novembro de 1865.
O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
rrai
to, Mea transferido pa a terca-feira 28 do corrente,
o Diario de segunda-feira designar o lu*;ar.
LEILAT
Da armac5o e seus pertences, taxas, panel-
las, latas, barricas e gneros da refina-
Cao da ra do Rangel n 43.
O agente Martins fora leilao por aulhoriaaeao
do Illm. Sr. Dr. Claudino de Aranjo Guimares,
cnsul porluuuez, da armacao e seui pertences
laxas, panella, latas, barrica-, caixoe<, piri;o de
assucar, caf, papel de einlu ulho, lenba em toros e
; achas, um moinbo e mais gneros existentes na
i dita refinacao, ludo periencente ao espolio de Joa-
quim da Cosa Vieira.
Terca-feira 28 do correnlP.
As II horas da inanhaa em diia refinacao.
EMPREZA--OOIMBRA
de 1865.
Recita em fovor do ador
Antonio Jos Du irte Colnibra.
Represeniar-se-ha o mullo celebrado drama di-
vidido em 4 aet.is, original brasileiro do Sr. Dr.
Francisco Pmheiro Guimaraes, autor daPuni-
goiuttulado
\ IIISTOtIV
DK UMA MOCA RICA.
A llustrissima junta administrativa ^m
Casa de Misericordia do Recife, manda convidar I ftrOrl-Trtir;l 29 (lft IlllVPTTlhrA
aos prenles uu internados das orph.ias abaixo LmVA 1C111,1 J?l ,VCi
declaradas a comparecerem sem perda de lem^o,
na stcreiaria da iiiestna Santa Casa, alim de aig-.
uare.m o termo de responsabilidade para o eir-uo
da di-posicao do 3." do ailigo 66 da lei provio
cial n. 59b de 13 ile maio do anuo passado
Isab-I, lilha de Archangela Bern^rdiua.
Antonia, nina de Diogo Soares de Albuquerque.
Rosa, pupilla'de Jo- Alves Barbosa.
Cesarla, eniiada de Mana Jiuuaria da Conceigo.
Guillieruuoa, dem.
Firinitia, lilha de Fia .'Cisca Silvma de Rarros.
Emilia, aliihada do Dr. Francisco Jos Fernandes
Getirana.
Heuippiea, filha de Manoela Maria do
Sanio.
Emilitana, lilha de Praneelina Maria R rges.
Maria, lidia de Alexiudiiua Pereira de Souza.
P.iilomeua, dem.
Espirito
Amelia....................... d. Adelaide.
1 Ifai u'ie.i de Perrpe.......... D. Joanna.
D M.na.....................
i Emilia, menina du 8 aonos___
Aniunia, Inha de Marcelina Francisca Guimaraes.' Rosm|ia
Houoria, lilha de Leaodra Th^reza de Jess Barros. Ijoaooinoa ..................
A!S!?LS M.'rr 'la VUZV a d B,aulia. Mran.'.'..".'.'.
Secretaria da >anla Casa de Mi-enc.ordia do Re-: nr |ihVri0 medien
Almo^e'g'a::,Dbr0 e 'm-0oai^ ^5*5?3fiS"'i^MMt'.
66:738608
Foi iransferid 1 para terca-feira, 28 do cor-
rente, depois da audieucia do Sr. Dr. juiz munici-
pal da vara, a arremaiacao do terreno em fren-
te a trave.-sa da ra da l'..luu desla cidade, com
32 palmos oe larguta e 95 de fuudo, fechado pela
frente, e em lado com uma porta, e parte do con-
vento do Carino, por oulro com o oiiao da casa
n 2, e pelo fuudo com uui muro, o qual terreno
COMPANHIA
DO
D. Jesuina.
N.
D. Jsuina.
D. Leopoldina.
D. Camilla.
Pedro Joaquim.
Pinto.
Porto.
Santa Rosa.
Amo-do.
Borges.
Lisboa.
Guimaraes.
Teixeira.
Augusto.
Santos.
Augusto.
Santos.
a penhoraj por feita aecu-ada, e os seis dus da dividendo, previnin'lo-jse que na corformi-
lei e 10 p>r assignados na lnna requerida, do que dade do artlj proo.coio das audien wra cHisioerada compieta e fnnccionar
Magalhes...................
Autunes, amigo procurador-----
Arihur, mofo elegante.........
Heuriqne, guarda livros.......
Frederico....................
Alberto.....................
Alfredo, estudante de medicina.
Leopoldo, dem...............
I'.il Pi- rrul, idem.............
foreiro aodilo convento, fol av'alad em 3005, Um criado...................
por ex-cuco que move Antonio Jos Vieira con- Jo mulato escravo...........
l'a Mauoel Joaquim da Suva Ribeiro escrivo Convidados e m.tscarados.
Santos. Sendo este, un drama nuquil a Sr.* D. Adelai-
de reproduz duranie os quatro actos qualro mu
Iheres inlei'amenie diff-rentes e um d'aquelles
em ijue a mesma actriz recebo do publico e jor-
nalismo Quinioense os maiores encomios, o em-
prezano escolbeu-o persuailidq que o generoso
publico periiniiiliHcan 1 approvara' a sua escolha
o 1 de preferencia para esi espectculo que da' em
MO SH t-ndO reininlo numero legal dos seu proveiio em race dos graves: prejuizos que lia
Srs. accionistas pan ier lugar a assembla tido durante este terceiro anno. de sua erapreza
geial annunciaiia para boj-, sao novamente lhf*,'"1lr*JO*8in ao tase nao buscara
cot.wd.do,.0mesmos chores a se t~\5SrtZJ&JSS SS^""1*
niruni no da B do COrrenle mez ao meM,' Terminado o drama a -r.-D Adelaide recitara
da 00 e>cri|/torii da mesma com anhia, uma de suas liadas
afim de examiii- rem as cuntas do semestre
fiido. a^pruvar o ireamento do semestre
vindouro O de retar o p.gament) do 35
EiElIitO
De uma casa terrea na Capunga ra das
Grioulas n. 15, em chaos pioprios, per
tencente ao espolio do finido subdito
portugus Manoel Jos Soares Uuioa
raes.
Terca-feita 28 do corrente ao tuein a
Por ordem do lilm. Sr. cnsul de Portugal o
ageste Pestaa fara' leilao p ir conta e naso de
quem perlencer d- um i ca-a terrea edificada em
I chaos propria. eo'w kflqartos, i salas, cooiar, &>
sinha, caci-nha, qu^al muyalo e plantado, ..
qual pertenente ao e-polio di liuado subdito
poriuguez Manoel J is Soares Guimaraes e sera
vendida terc fera 28 di corrent pelas 12 hora-
da manhaa na porta da Assoeiaco Coinuiercial,
as itiformacoes que os pretendeules ex'girem o
agenie as dar.
LEILAO
De movis, louca e outros artigos de
goslo
Cordero .iimes
por conta e risco de que n perlencer fara' leilao
de raobihas competas de amireilo e Jacaranda',
santuarios, mesas, cid--iras, mtrquezas e outros
; obj parelhos de almoc i e jaotar ele, etc,
Tere i frra 28 do corrale as 11 horas.
No arma/em a ra la Cru'. n. 57.
Leilao
De 50 aixas coto cerveja branca
Terca-feira 2S do corrente,
O agente Pecana vender' por conta e risco de
quem pertenrer 50 Caitas com cerveja branca em
lotes a vontade ou tci um s lote : terca-feira 28
do corrente pelas 10 horas da inanhaa uo arma-
zem do Sr. Azevedo defronte da escadmlia da al-
fandega.
AVISOS MfgMi S.____
Tendo-se publicado por este Diario, ao da
quinta feira 9 de fea'10 de I8W. av *nuch>
abaixo tran>cripto, loma o abaixo asigaa4. aw-u
data, a bem de .-eu direito remet lo pela brota -e-
i; II i rile :
O abaixo assignado, assim como seus irsaans, a
qualidade de lierdeiros e rei>rrs>-afaaie-> i\~ s^o ti-
nado pai Miguel Pranrtaaa Oatirai, advenraa ao
respeilavel publico, que ningoem ronapre, peranie.
ou faca transaceo alguma rana a arofrtaHa* ife-
nominada S. Jos da Cora Grande, Ma comar-
ca do Rio Formos-) ; coja venda f.u p.^ p.a>
illegitimas annunciada n<> hurto de 2Hae jaa^-irj
do dito anno de 1843: pi r que e>u nv-aaa pro-
priedade fui hypolhei-a-ia ao p, do iinunruai'. e
anda hoje se acha com esi naos, por ecrn lura
celebrad no carioho do amigo labribau Var->ia.
por divida que eoni ahio sen originario a*>*MieW o
padre Antonio de Carvalho l>al; e romo a annnn-
cianle e os outros roherdeiros preiecdem r.aii-
nuar a arcao que seu fallecido pai liaba lesnado,
para fazer effecliva a ubngacao resalla*!* 4a bj-
puheca, por is>o desde ja previne, escbreeea^o o
o.i-lai-ulo, que sobre menrioaada propri^d*de fea;
mas se na i obstante, algu^ni c.>m pernaaria a
negociar, tonlra elle se prote.-U eacaaManar o re-
medio outorgado na le.
Antonio Jonmmio Cabral.
.nina dos currelwre
No da 30 do rorrele mez pela.-* 3 h ra- da
larde se proceder' na ei-a da A-s-wineao daa-
inen ial Renelic.e ite a' eleicao da piala ifwr a>e
-ervir no anno prximo fmuro. o que lera' lagar
em cumprimento do ari. 2 cap. I* do refi.eaj
inierno.
Secrelaria da junta Ao* c -rreiores da praca do
Recife 25 de novembro de ISttR.
Fredenro Guimaraes,
Secretar lo.
CURSO ESPECIAL
DR
PREPARATORIOS
para o; esludiaiea ajane rrem
fazer aeto ea* Mareo.
Jos Soares de Azevedo, pioiV.-sjr i!e
lingua e litteratura naciunal iw Gtmiiumio
Provincial do Recife, tem aberto eaa mu ca-
sa, ra Bella n 37, um curso especial d seguintes preparatorios, para aquelles e^tu-
dantes que uverein de fa/er exame em
margo prximo :
Lingua l'r.i aceza
Cieographia e lliolo.'ia
Phiiosophla
Rhetorlea-e Poetiea
As pessoas qu- se (uizereiB ulilbar esta
varitagem, podem dirii sidencia, le miihi at as 9 horas, e de
tarde a qu Iquer hora.
Sociedade de seguros mu-
tuos sobre a vida
Leilao
Orneiecca.....A do Rui-Grande doSul venden- escrivo o
se de um a ^000 a arroba,
/
flz o presAnie ettrahido do pru'ocolo das
cas a qui juniei u mandado e t>-rmo de penhora
que segutm : eu Secundinu Eliodoro da Cunha,
e*crevenl* jiirariieotado o escrevi.
Bu Marnel Maria Rodrigues do Nascimento, es-
crivo o subscrevi
Por Torda do meu despacho o referido escrivo
fez pasi-ar o prsenle, pelo qual chamo, ello e hei
por eiiti/n dos os cred res incertos do dito execu-
lado, para que c mparecam note juizo dentro do
indicado praso, munidos'de seus documentos, alim
de allegaran) o que for de jusiica.
E para que chegue ao conbecimenlo de lodos,
mandei pausar o presente, nue ser publicado pela
imprensa e aluzado nos lugares do costume.
Recife, l|5 de novembro de 4865
Eu Manoel Mara Rodrigues do Nascimento,
subscrevi.
Jrifao de Alencar Araripe.
compiela e
com o Daero de accionistas que compare-
ceram nest dia.
Escriptorio da Comnanhia do Reberibe
25 de novembro de 1865.
O secretario,
Dr Joo Jos Pinto Jnior,
Arsenal de guerra.
O conselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o ei/uinte :
Para o 6 balalho de voluntarios.
11 li ros de 200 folhas.
12 din- de 100 ditas.
8 ditos de 50 ditas.
1 dito de 2ii ditas
1 bandeira imperial com haste lance e porte.
POEZIASa
Cotnecar i as 8 horas.
AflSuS IMITIMOS,
Terca-feira i.8 do correte.
DE
96 duzias de latas com graxa. ,
3 barricas com presuntos.
3 barris rom linguas.
20 caixas com sal refinado.
Tudo sera' vendido para fechar conias por con
ta e risco de quem perlencer pelo agenie Palana:
; ierra-ir. i a 28 do crrenle pelas 10 l|2 horas no
j armazem do Sr. Azevedo defronle da escadioba
! da alfandega.
Coapanhiadas Hen.^agerles Im-
periales
No dia 30 do
corrente mez es-
pera-se dos por-
tos do sul o va
por francez Gui
enne, comman-
danle Auhry de
la No, o qual
depois da demo-
ra dneotum-> seguir para Bord ;aux tocando em
& Vicente e Lisboa.
Em S. Vieeuia ha um vapor ilm corresponden
ca com Gore.
Para condiccSes. rreles e passa rens trata-se na
agencia ra do Trapiche n. 9.
I I II.Ai
De mobilias completas, trastes avulsos, obfectos de
ouro e prata, candieiros a gaz, pianos de mva
e de armario, s-nciuarios, comnuidas, marque-
zas, camas, snfas, e uniros minios arligos.
Quarta-feira 29 do corre-di as 11 hrjias.
VilHlV R MM i7.-'M \,'.F\Tlf.
OLYMPIO-
3tiHHa da Oa.leU lo Wrcie3r>
LEILAO
De sobrada de um andar da ra de S.
Fra Brisco o. 72.
O agente Martins fara' leilao legaimente sotori.
sado do sobrado de um andar da ra de S Fran-
O banco Allianra do I irt > P-ud > <-.t;,|,-|ecido
ta sociedade dehaixo de na immedtata vimUnria
e. resiionsabilidale, f.cihlni a rr-a^.io de aagdl
Iotas, renda*, penados, im-ftai servij > da ar-
nas etc., por meio de -uiri-cnpciV, imieas na aa-
nuaes. as uuaes cnvertidis -m in-wripcA-4 4 di-
vida publica, de renda nacional, t da uv-ma forma
os juros semeslraes i|ue d'ellas se f..rem Ttarcwd i,
ficam por um certa numero de anuo* em if^a>iif,
at qu-, lindo u prazo e.-tipnla-to, sao remiid:is
aos sociis com os ioteree> aovHMoados. heni c>-
visl) que d'esles ate h-rdeiro* OS M>bre*i*^aleH.
Pela engenhosa rombinicao ei-ononira aduda
nos clculos de-i. sociedade, s qoe, rom ama
entra la annml 4<- 5021)00, por >-xei|lo, oMe.n .
em 5 anno. 4503000 a 55O&O0O. em 10 I 5flrtXiaj|)
a 2:000o00, em 15 3:9nuj||B| a 1:5011mo ena
20 8:000iMK) a Iii.IXH)* Oi>, em 25 I8:U00JMJ0 a
:0ii0 '.0oO, conforme a Had- do iadiviiu., ..,re
queui feilo o segur, pois que n.<* referido* ral-
culos a-inla ai com a maior ou menor prubabilida-
de de din aca.i de vida.
Ela sociedade sobretodo vaatajosa aos rteles
de fa i iba, vi-io que Ihe* laeiMa se n *arrifi,:io a
fuudacao de um capital on dote para sr SIium 03
lilha-, segurando os quando naseeaa ou eroqnaolo
-ao raaoaa,
Quern, p.ns, mais circninsiancia.|-s inf,>mrVs
de*ejar sobre tal aortedade, uu se ipiizrr in.-^re*er
como socio d'elia. dirija se a ra da Sadr de
Deus n. 28, onde se podera entender com JoaoCar-
los Oelho da Silva, que para isso se acha eacar-
regado.
Fabrlra de chape* de A
F 1 que. r 114 du Crespa j
Nele diili|ii< e a-ivdit.nl 1 e-Ubelerimvoa
sesempre um c-mpleto r variado samaaeas- da-
chapeos de sol da badas as qoaudade* e arfan,
lauto de seda e alpaca, cnio pao de bdW asi co-
res, para homens, se hora* e meaioos. v|Mao* aos
precos sao os mai- raxnaoaai po--ivcis, lamacm na
um grande soril ento de ,-eca* de seda, ilpari a
pao para as poaauW que 40 terem eaeotanvmlir
chapeos de sol e mandar rvtthr arraaca-s imiMa-,
cinc- riain-*e os loamos, **ndo lod m*u irati >J
feito com toda a perfeaao, eresteza raaaaaada
preco : na na do Cre-po a. V
" GARKAUX DE LAILHACAR 4 C. "
LIBnAIRIE FAMQAISE
Ra da 1 respa .
LIVR11S Nai.IOVAES E BSTRXGEIROS
Religue -Plji^^tai, Jam-radetoa -ucra-
tnra Scieaciaa e arica.
Papelaria, objectus para escrii


Olrla de Perrambat?*, ganda fefra t i Sotentlu-o e f *?
4&-RIM DIREITA45
T*OTR'R 14osparaguayos
-*- v^ X JL^ JLtjt JL /\M E' a ordena do dia Acabar com os Para-
AOS 6:000#00O, 1:2000000 W ,a bayoneta'a mini'/ """"T1
KAA /AAA | fulmina-los com os encouracados armados
6 OUU$Ul)0. de espores, armstiongs e raiadas de 80 ]
fllLHETES A' 5<5OOO, MEIOS A' 25500 EI20; extermma-los cm surama a espada, a:
forre quinta-fe Ira 30. fa 5o e a punhal de que se trata; mas
Acham-se venda na respe. Uva thesou- ninguem se lembrou ainda de esruagar os
raria ra do Crespo n. 15, os bilhetes,! Paraguayos com as armas que Deus nos con-
Hiio> e quintos da 4a parte da 51 lotera cedeu; acabar com elles a tacSu e a punta
(40a) a beneficio' da Santa Casa na Miseri-, ps, para o que necessano encouracar esta
ordia, cuja eilraccao ser no dia cima parte do nosso corpo fotn os formidaveis
publicado, e no lugar e hora do costume. rompe-ferro, esmaga c< bra, arranca tocos,
Os premios de (5:0000000 at i000001quebra^ marmore eootlt^qoese vendem
serao pagos una hora depois da extracco j
at as i horas da tarde, e os outros depois
da distribuido das listas.
As encommendas serao guardadas somen-
te at a noite da vespera da extracco.
0 thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Soiua.
CASA DA FORTOil *
Aos 6:000^000.
Bilhetes garantidos.
A' UUA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTUME
O abaixoassignadovendeu nos seus muitofeh-
zes oilhetes garantidos da lotera que se acabo
de extrahir, a beneficio das familias dos volunta-
ria-da p.tria, os segnintes premios:
l'iii inteiro ii. ti o com a surte de 6:0003.
Dm< quintos n. 2893 rom a sorte de 1:2003
Um meio o. :t:i89 cun a surto de 5001000.
E miras muitas sones de i003, 40, 203 t
10*000.
Osaeasaideres podem vir receber seus respec-
en-
Borseguins Bordeaux.....
patricios......
para senhoras,
feilados.......
com laco e fivella ..
Sapates encouracados.......
B >rseguins para meninas bom
elast co.................
Sapatos de lona, sola elstica.
85000
50000
50500!
4800
50000
30000
200 0
1060 i [
10600
ave Ildalos.........
de tranca...........
econmicos pa-a se-
nhoras............ 0500
com salto de lustre.. 20240;
Chineloes do Por o.......... 106001
Um completo sor;ime to de calcado da
trra para borneas, senhoras e meninas;
assim como bezerro francez, couro de lus-
tre, marroquins, taifas de todas as quali-
dades, fitas para sapateiro, muito sortidas,
UvosVrraios sernos descontosdas leis na Casa j sola e couros que tudo visto necessariamen-
da Fortuna a ra do Crespo n. 23. te faz cobica ao comp ador pela barateza.
Acham-se a venda os di 4" parle da o* lo-
tera (40*) beneficio da Sania Casa da Miseri
cor lia, que se extrahir quarta ierra 2'J do cor-
reate.
Quinla-feira 30 do correte.
PREGO.
Bilhetes.....63000
Meios......33000
Quintos.....13200
Par as pessoas que comprarem de 1OO0OOI
para cima.
.... 53300
.... 23T30
.... 13100
Manoel Martins Futa.
Aluga se a casa terrea n. 39, ruada
Uniao: qnem pretende-la dinja-se ao Sr.
Joo Hermrdo do Reg, em seu armazetn
ile fajeadas a ra Nova n. 24.
Bilhetes.
Meios. .
Quintos.
Club Pernambucano.
O bailu do anniversario de sin installa-
c3o ter iuar em a noite do I. de de/em-
bro prximo futuro.
- Precisa-se de 2:2
praso, dndose para garanta cinco
valor : ijuoin os quzer dar auc-uucie para
procurado.
Precisa-?) alugar ou mpsmo comprar urna
prett de meia idade, que seja boa qmiaodeira : a
tratar na ru> dr Cruz da Recite n. 42, primero
andar.
Pata a censtroi-co de machinas
DE
.\I.Ri:KTK\ K WOUGLASS
.NeW Loudon, Coi mcctieur, Esia-
dos-Unidos
Solirilam pedidos de descarncadores de algodao,
adoptados ao alcodao sul-ameruano. llao-se de-
dicado a es:e negocio durante 2o anuos, e atlende-
ro immediaiamente a correspondencia que se Ibes
dirigir. _____________________
Ama.
a piros e por pequeo eDg0llime, pra casa
escravos de 1 ,, h* rr
Precisa-se de urna ama que compre, cozinhe e
do ditas pessoas : a tratar na
ra da Cruz, armazem n. 57.
(k** ccate staoMU-
m wm
Casa de bankos M
Ama
Precisa-se de urna ama que saiba engommar :
o a ra do Trapiche n. 36,. 2 aniar.
Aluga-se urna casa terrea no paleo da ma-
trix de S tolo Antonio n 10, e um segund andar
na ra do Rosario da Boa-Vista n. 33 : a tratar
na ra das Cruzes n. 9, Io andar. ___________ j
tiuilanca de nome
Januario J.kc Barbosa, morador no pateo de S. i
J is, teudoach.rto outro de igual no ne, para evi-
t .r equvocos, d'ora em diaiile chamar-se-ha Ja-'
Duano Jos de Barros Barbosa.
0 Sr. Dr. Gailherme Cordeiro Coelh'o Cintra,
que por vezes na sido chamado pela Ord m a pa-
gar a assigoatura da mesma, nada deve dessa a<-
signalora, vi-to como acabo de iw sriencia que |
ai(;u m abusara de sen nome para constituirse as-
sipnante da mesma Ordem, sem sciencia daquelle
senhor, a quera servir a prsenle deelaracio de ,
sali-facao, que por lal engao liie da.
Ignacio Benio de Loyola.
Tendo a irmandade do Divino Espirito-Santo I
da greja do Collgio, resolvid) em sesso de mesa;
conjunta, mandar fazer de marmore branco lino a
capella>mr de sua inreja; convido de ordem da
mesa regedora qu-llas pessoas que se ai-harem
habilitadas a mandar execour semelhaole obra,
a examinarem a planta que se arha exposta na sua
sacrista, e a apre pra-o de 40 das contados desti dala. Consistorio
da irinandade, era 10 de novembro de 18o.
O esenvao.
Francisco Belnrmino dos Santos Freitas

I^argo do Cai'iuo 11. 26.
E>le eslabelecimento tao bem montado
na sua origem aehava se de ha muito em
quasi c mpleto adanlnno pelo pouco in-
teresse de sua adiiiinisiracao.
Hoje que o novopronrietarla empregou
todos os meios para restabeler a grande
otilidade deste estabeleciu ento, pode as-
segurar ao publico que qoalqoer que seja
"i o numero do- concurrentes acharao des-
& de ja promptido e acejuuusbanbos fros,
momos ou mediciiiaes, a casa dos ba-
k nhos se achara' abena todos os dias das
G doras da manhaa as 11 da noite.
Precos.
Ranho de choque......... 300
Dito (rio ou morno........ 500
Dito de farello...........13000
Dito medicinal sera' segn-
V do sua quadade.
5B A.-signatura. ^
Jf Por mez banhv fri ou morno. 103 BS
^ 23 carioes para banho fri, f
^ morno 00 de cliuvisco..... 105
JSH 12 carioes para os mismos... 53 w;
12 ditos para b-nho de. farello. 103 j8|
w
ife
m
m
m
m
%ty-
m
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A companliia Imlemoisadora, estabeleci-
vil'sw^ii^^i s -? sti a companiiia Indemnisadora, estaDeieci-
S DEPOSITOS CALIDO ^!da ne>la .IraCa toma seguros maritimos so-
m
m
m
F.1BK1C.4D0XA CASA t)E DETEXCAO
Rita Xora n. 1.
Ahi se encontrarao obras de di-
versas cjualidarles, e por pr.eco mui
diminutos, a retalho e em porpes.
^ S se vende a dinbeiro.
Ama para casa
Precisarse alugar urna ama para todo servico de
ama casa : na becco das Boias n. 2, primeiro
andar.
.Na praca da Independencia n. 33, loja de
ourives. compra-te uro, prata, e pedras preciosas,
e lambem se faz qualquer obra de encoinmenda, e
todo e qualquer concert.
A higa se
o sitio que foi da fallecida D. Seraphina, na estra-
da do Monteiro, pelo lempo de festa : a fallarse
com o herdeiro invenlariante Ciaudino da Silva
Ferreira, na casa de sen pairan, na ra do Viga rio,
ou na casa de >oa residencia, na ra da hatera-
tri?. I" andar, ao p da Sra. madama Leconte. ,A
casa 1-111 8 qnarlo*, 2 salas. | gabineU, 1 copiar,
azinin fra, gran le cacimba com agua de b^ber e
bomba, muitos ps de diversos arvoredos, etc etc
Precisa-se de urna ama para lodo o servico
de Brta de piuca familia : a tratar na ra do Brum
-d. V7, liberna^______________________________
I'recisa-se aluzar urna esrrava ou moleqoe
para a servco externo dj urna casa, que seja Bel :
na roa di. Livramento n. 11, 2 andar.
m -mam mmm mmmmv
Dentista de Peraambuco.g
52 ".ua estrella do Rosario n. 3,
ao p da igi-eji
"" FRANCISCO PINTO OZORIOj
i olloea deote artificiaos 9
pelos yatei-as mais mu- H
il; rnos It
Emprega todos os meios scienlificos para tti
conservar os natoraes. Pode ser procura- g
rio em -eu gabinete das 9 horas da ma-
iiii.i.i as S da tarde. fl
bre navios e seus cairegame >los, e contra
fogo -em edificios, mercadorias e mobilias :
na ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.
s
s
1
Contrata-se mais 3,500
*|
: qoV
pai-ecaa rtia do Imperador h. 55, segundo
andar,______________________________
Precisa se iie urna auid que sama cozmbare
comprar para casa de pouca familia : a tratar na
ra do Pires n. 24.
A
dormentes de
madeiras de quali lafiei para o caminho de
ferro de Apipucus : qum pretender com-
" f
/i
DE
C4VALL0
P'fODRFTn DUPIQ
-ce FERROequinina
MEDICAMENTOS FRANCEZES AFAMADOS
\ TKNIIA Elff PER1AI?III!J0
Sm cisa ds Stp. C.!M q p Barboza, ra da Cruz n. 22.
Os elementos que compoem esta preparago o
ferro, o todo e a quina, a collocao no primeiro
grao das preparacoes ferruginosas. Basta attcslar
seus resultados obtidos pelos Mdicos dos hospi-
taes e os relatnos dos prticos mais eminentes
que confirmarlo sua poderosa eflcacia as se
guinles afieegoes:
MIiik<> no hu.iKiir,
Fraqufsa,
Ani-mlu,
ChlaroMi- ou Ictericia,
Mcnntraa,
AfTrcfom do utrro,
Supprctfnocn don re-
grao e deMOrileno na
menMtruHCao,
Artrrrao pialmonar e
nalblatea,
Moleatlao il rlm,
GaotralKlan,
Terda d'a|>pcllte,etc.
Convalecencadelon
ri.h niolrotlao,
Holeotlao eocrofnlo-
oao,
Papelra,
OhMiriirro dao gln-
dulas,
Hunioreo frloo,
Tnmoreo broncos,
nai-liltlsino,
Arrereoes cancerosas
e sjpbllltlcas,
Fehreo t^pholdes,
Bealgas, etc., etc.
PASTILHAS
IGESTlVAS
DEPEPSl
SMAN
tplarrhras e a conotl-
pitcao pro'lnzldas
pcl.iM olnbni-ociics
dcrrllHONasdosall-
mrntos.
Vejaos: os buetint de tkerapeutica medica
e cirurgica de 30 de novembre 1860; a Cazeta
dos hospitaes de 28 dejulho 186", etc., etc.
Alem das plalas de todureto duplo de ferro e de
quinina de Rebillon, os Mdicos aconselho
igualmente o Xarope d'iodureto duplo de
ferro de quinina do mesmo author para as
pessoas que nao gostao de medicamentos sob for-
ma (ulular c os meninos. F.stc xarope nSo tcm
como o xarope d'iodureto de ferro, o inconveniente
de alterar-sc e de se nao poder conservar.
Peca-se o folheto que se d de graca em casa
dos pharmaceulicos depositarios.
Para se evitarcm falsificaces, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito geral em Paris. pharmacia Rebillon,
142. ruedn Bac, e em todas as boas pharmacias
de Franca e as dos paizes rstrangeiros, etc.
As paslilhas diyestirap com a icpsinu de
Wturnan, empregao se1 com successo h j
alguns anuos pelas celebridades medicaes de
Paris. Londres. Vienna, |etc., em todas as in-
commodidades em s quEjcsadigcstao 6 dificil,
penosa, imperfeita ou n esmo impossivel: eis
o inclhor remedio para (jural as.
Gcntriilglas,
DlMpopsias,
EmhnrarOM(;strlr09
A gnwfrltr,
A uff.-ccors orannl-
cas do etttm.iKO,
Sua accao vivifica o pangue e os rgSos de
tal sorte que, alh as pessoas que sem sofftvr
as affcc(6es gstricas cima mencionadas sao
nicamente iracas ou d'um icinpcramenlo um
pouco dbil, e ncccssilq substancial alimento
para fortificar-se, acbnO rio emprego das pasi-
has d( pepsina de Wasmn, um poderoso meio
para a isso chegar.
Atiso importante.0 succc-so das pastilkas
pepsina de \Vasman den causa a se fazercm
falsiicacoes e imitagoes .J'esse producto que os
mulos se querem desfazer. Pois por falta
d'uma boa preparacSoo pepsina que n'ella
entr.., jaz alterada. Seremos ao abrigo (Peste
inconveniente, exigindo os compradores que as
paslhas icnho as iniciaes B. P. c saio da
pharmacia Chevrier.!
Depsito geral cm Parjs, pharmacia Chevrier,
21, Kaubourg-Montmartre, e cm todas as boas
pharmacias de Franca e dos paizes estrangeiros.
DO EN
ds MENINOS
CURADAS PELO*
XAROPES DO DOUTOR DANET
N* 1. Contra as CLICAS DOS MENINOS antes
e durante a dentleo
(Xarope de cynoglosse e de acido succinido)
N* t. Contra a
TOSSE CONVULSA
NERVOSA
a a tosse
(Xarope de cynoglosse e de leo voltil de succino
H" 3. Casrtra as CONVULCOES DOS MENINOS
CONVULCOES
A CHOREA
(Xarope de cynoglosse e de acido voltil de succino)
Estes novos productos preconizados na Aca-
demia imperial de Medicina de Paris sao cm-
pregados com grandissimo successo pelos mdicos
de Franca para o tralamento das molestias do-
meninos cima indicadas, e viero cncher um
vacuo importante na therapeulica, no que toca as
affeccoes da infancia, para as quaes, alh boje,
ainda se nao pode indicar tratamento racionnal-
nem infallivcl.
(Peca-sc o prospecto em casa dos pharmaceu,
ticos depositarios.)
Prcco do frasco cm Paris, 3 fr.
Para se evitarcm as falsificaces, exija o com-
prador que cada frasco tenha sobre os rtulos a
assignatura Chanteaud.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chan-
teaud c cm todas as boas pharmacias de Franc,
e dos paizes estrangeiros.
11ASSA e XAROPE
DE CODENA
BERTH
As experiencias clnicas e comparativa-
dos Snrs Magendie, Barbier d'Amietu, Wil-
liams Grcgor, Martin Soln. Aran, Viga,
C. Dumont, etc., membros do Instituto de
Franca, mdicos dos hospitaes de Pars, lena
provado que a Hasta e Xarope de tertki i
o remedio o mais seguro contra todas as
dores nervosas e leudo a praariedade de
calmar com admiravel rapidez as lossesrebet-
des e extremamente fatigantes da grppe ca-
tarrho epidmico dellnxo. coqueluche o*
tosse convulsa, bronchite e lisica pulmonar.
A Massa e Xarope de Berth, se
achao em todas as boticas.
Para evitar qualquer
falsificaban,exigir em
cada produto o nome
a firma Berth.
Deposito geral em Paris, em rasa d
la Ste-Croix-de-la-llreti*nerit-
RANULOB
BISMTHJ
Os granulos de bismulh de Chevrier cm supe-
riores a todas as outras prepararles de bmuth
emprendas antes com o maior successo pelos m-
dicos de todos os paizes, para prevenir e curar as
DE CHEVRIER
Mas dlaestoea,
Gastrltes,
Gastralgias, etc.,
Moli-Ntia* de ligudo,
A Ictericia,
Palplt.ico do coruc-ao
Dores nos rlns,
nlarrhcas chronlcas,
DyssenterlaS,
Dores d'eKtomago,
Djnpopnlas,
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
irritareH de besi|(* e c em todas as pharmacias ae Franca e dos paizes
da mu! i/, ete. estrangeiros.
0|>pi't-HCO-Ht
Dores ile cabrea,
ASTHME
ASTHMA ASTHMA ASTHBIA
SulTorcco nervosa e OaarrMiaa
nico remedio efficaz para combatter estas mo-
lestias, acalmar um attaque d'asma e impedir a
volta o Xarope aromtico de Succino (mbar
amarello) do 1)' Danet. Ilescoberu inteiraanen
recente, este novo producto se tem propsfad*
com extrema rapidez gratas aos admira vea resol-
tados que tem sempre prodmido.
eposito geral, na botica Chauveaud. 54,
ra do Commercio, Paris-Grenelle, e em todas as
boticas de Franca e do estrangeiro.
Pelas commissSes em grosso, dirigir aos S'" WILLAERT e BERGER, comisarios em drogara, 11, na Saint-Lazare, Pars.
UMA GRANDE DESC0BERTA

CtLv
MEDALHA
de;
HOSRl
As propiedades medicaes do oleo de /gado de bacalao forSo unni-
memente reconhecidas. Mas seo c.heiro e seo sabor 13o desagradaveis
tornao o uso d'clle militas vezes impossivel, mesmo aos estmagos
os mais robuslos e aos mais condescentes.
Por is^o a dcscoberta do Snr. Chkvrier que lhe permettio de
desinfectar inteirameute o oleo de figado de bacaao sem alterar suas
propriedades tem sido um dos mais felizes problemas resolvidos pela
therapeulica moderna.
O oleo degado debacalhao desinfectado de Chevrier,
com um c.heiro agraduvel e um sabor assucarado, 6 o nico que nao
tem nem gasto nem cheiro de peixe.
Objecto de numerosos relatnos scienlificos elle goza em Preas
de urna fama bem merecida, e 6 reccitado por todos os medlena pn>
lugar do Oleo de figado de bacalhao ordinario. Tcndo as inesmas
propriedades do oleo de figado de bacalhau ordinario, usa se d'elle
nos mesmos casos isto as :
Molestias escrofulosas,
nuchitls'i-o,
Obs'rtirro das glandes,
Tsica pulmonar.
Molestias da pelte,
Coiistltuiro I? Hipntica,
Anemia, debllldade, Iraquers,
Magma,
Fobrexa do >sn|iir,
Esfalfainrnlo por excesso de
tralialho ou dr praxeres.
Molestias dos branrhlas recen-
tes ou chronieas,
Tosses pertliiar.es,
Gastrltes. (rastrllalas,
Dores de estomago.
Elle convem a todas as compleicSes e a todas as idades, e tomada
fcilmente pelas pessoas as mais delicadas. Elle um poderoso socorro
para a alimentacati das crianzas tracas e doentes
Um folleto accompanha cada vidro contem as observaedes medicaes.
Deposito em Parit, na pharmacia de Ctoevrier, e em toda as boas pharmacias de Franca e do estrangeiro.
ATTENCA.
Ili-iii y Fors'cf C, na n ftapiria" n. *
tem para vender :
Pri itfn i-ara enfardar alptrlln
Marhma.1 tte rorjv ;!,< ::a
60serrotes, o uwiiurt's. i-> m i>-
rs fin* senil > par.i rfmiqi t en r BaM
n achina'ir li'J t*rrMrt cominin pi luna a
mi ii. : projirh para a wtem.
0 Oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chevrier constitue o melhor nteio de administrar o ferro. O
oduro de ferro reunido com o oleo de figado de bacalhau,
augmenta a acolo tao efficaz d'este ultimo, se dissolve mais
fcilmente nos lquidos das vias digestivas, se assimila muito
mais bem do que quando tomado sob a forma de pilulas,
xaropes, etc., enfim perde suas propriedades irritantes e n5o
provoca a constipado.
As pessoas as mais delicadas que nao podem supportar as
areparacoes ferruginosas ordinarias, as quaes, principalmente
hos paizes quentes, tem militas vezes grandes inconvenientes,
oderao com a nova descoberta do Snr. Chevrier, usar do ferro,
m dos mais poderosos agentes therapeuticos, tomando-o unido
o oleo de figado de bacalhau.
O oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
T.HBVRiBR, se emprega em todos os casos que o ferro acon-
feelhado; julgamos intil de os enumerar.
PSWfllO
Da barca iu^leza Mra e Celia
21 Caes 22 ile navein.r-^2i.
Paulo Jos Gomes dade que podam r*f os propridtarins t at-
guns terrenos devolutos, que por falla de meio* pe-
cuniarios, Um deixado de ediiicar, resnlvcram-
se arrematar pule do carrecaineolo do inadei-
ra da barca Inglesa Mira (c Ce-ia, arribada neste
porto.
A vantaj?em que offerece e*ta madeira, ser de
una ? hitla, tanto em grovsor, eompriroento e
largura, tendo 1 pollegada de grossara, oa 6 de
largura e 22 palmos de comprimento, e a dnzia cus-
tar 75- Porianto ptese fazer urna casa com pou
co diuheiro, e ufruir-se Mfoj mensaes, qoe at
A^socicao Po
iimercial 15e-
noficente de fernanibuco.
fflRtnton*) prompia a: plauta e o orcuncnlo
pafa ileciirnja > rtn pr"f*4c enmurado para a mes-
ma as-iiiac*', Convida s*. a Iotas as pescas que
waiiiiiTrm euc.afrerar fias obras de pcdreuoa
comiiarecerem a ruado Trapiche n. 4i, segn io
andar, aonde, no praso deleito das, deixaro licar
as snis prV>po Ass.ieiario Otmuieriialilt-iirlicente de Pernam-
buco )de Bovembro de JS65.
0 secretario,
Candido ). G. Alcoforado.
Jos de Pinho Boiges dissolveu amigavel-
dMHfl a soriedade qti, sqli a firma social Borges
4 Skwres, tnha co Grande nrmazcB RA DO IMPERADOR N. 22.
O armazem de tintas nm rande deposito d
producios ciiimicos ul'iisi e os mais empregado:
e usados na pharmacia, pintora, | holn^raphia. tin-
turara, pyrntechinia(fogos deartiticio) em outrat
industrias.
Mutilado em grande escala, e suppundo-sp di-
reciamenie oas prlaeipaesdropanasdi Pars, Lon-
dres, riamburgo, rVnwrs e I Isboa, pode ofivrereer
producios de plenaeonSanca esatlsfazrr qualquei
encoinmenda a grosso trato e a retalho, por preeof
razoave>s.
Prvidos de machinas appropriadas satisfar
corii promplldao qualquer pedido de tintas muidas
a oleo, cuja qoalidadee pureza de seos ingredien-
tes poder i ser examinaila pelo consumidor, o que
nao fcil fazer com aquellas que sao importadas,

enlo nao se percebia, por faltar este recuso. Mm- [ tira r*h na prae da Boa-JYirta n. 24," comprando e que se encnnlram no mercado em laias fechadas.
Na noite de 18 p^ra 19 do corrente furtou se um
cavallo mellado caxito, da estribara do sea dono,
comsellim inilez quasi novo; cujo cavallo tem
cimas e cauda pretas. as cimas sio grossas e ca-
hem sobre ambos o* lad >s do pese >co, e tem urna
ferida pequen* na mi direita ; esla aeosiumado a
andar em cabriole! e bem couhec.ido neU praca:
queiu delta der noticias certas ou leva-lo a' Estan-
cia, sobrado de dous aodares n. 2, ser gratificado.
\
liga-se
m
um sitio na Passageai na Magdalena, a margem
do rio Catiibaribe, junto ao do Sr. commendador
Manoel Ignacio de Onveira, tem boa casa com sala
de "bitas e gabinetes estucados e esleirados, 4
quarios, sala de jamar e de espera, cozinha e des-
penda, qoarto para prelns, um soio com 2 saletas,
estribara e casa para feit >r, urna baixa de capim
para su^tenlar tres cavallis todo o anno, aiguns
arvoredos fruciiferos : a tratar no Recite, roa do
Brum n. 66, armazem de assucar.
tas casas nos suburbios da cidade, feitas de palhas
de coqueiro, muito melhor sera' agora, seiis *
prlelari's substitm-la- por madeira, porqne terlio
casa de melhor gosto, durteao, sem ser preciso an-
darem constantemente reformando-as. Os inqni-
linos licaro mais tranquillos, porque os malditos
eros, nao atacarn fogo c un tamaita facilidad*',
e por deca' aquella pal ha as sobreditas casas. Moi
tas outras obras se podero fazer com esta madei-
ra, que sendo para estarem expostas ao sol e a
chova, nao sao atacada* pelo eapim, como temos
Vista, casas e cercas uurarem annos sem seren vi-
sitadas por estas malditos Paraguayos. Constante-
mente vao para Moutevldo carregamento de ma-
deiras desla qu.'ilidade, r nos para vermos a ex-
traego que tem nesta culade, compramos e-ta, e ni)
caso de ler, compraremos a-sim como compramos
carregamenlos da outra, (|ue tem extracco ne>la
cidade e que se achain a venda em OOSSOS arma-
zens. Tetaos lambem grande quanndad-. de bar-
roles de dilTerentes gros>uras e c.oinprimentos que
vieram juntamente com e.-la madeira.
Francisco Antonio Cona Carden faz hojeo
quarto pagamento a seus credores, de confjrmida
de com a sua concrdala.
Precisase comprar urna ou doas casas ter-
reas, que tenham bous commodos, na freguezia de
S. Jos ou Santo Antonio : quem as liver dirija-se
a ra Bella n 12.
Offerece se um BMs}a d-! 18 anuos para iwiaeiro
de armazem de moldados, do que tem bstame
pratica. ou para caixeiro de loja de lateadas, dan
do tres m-zes de pratica, e da fiador e sua coiiduc
ta : quem precisar annuncie u'>r esta follia.
Precisa-se Mugar nm preto escravo que seja
. fiel para o servhjo de urna casi, paga -e bem : a
fallar na ra da Cruz n. 9, no armazem que tica
a rttaiacio deste, e ficandq encarregadn da liquida- tem grande cullecco de vidros de dlllerente>
eo do "activo a passivo flo dito estabeleciinento, frmalos, desde tima oita va at dezeseis ongas de
qae de buje em diaata lhe fia pertencendo.
Preaiae-M as nm eMasan q,,. aaaa>i n"s
Ihn de leira e pi-. M I I I d >
arm?z-,m da roa '-. Cruz n. 57.
Aluga-se urna grande casa terrea na Punte
de Udia, a beira do llini a tratar na ra do A-
mofrrr? rt. 4.
Aula deiiuglez
Das f> as 9 horas da nojte; na
33, 2 andar.
capacidadr ; de vidros para vidracas e diamantef
para eorta-los; depinceispara fingir madeira com
rtopriedade e outros i de papis douradosepra
peados e follias de gelatina para ornamento; de
papel glande e pequeo formato dr varias crtn
para embTnlho, para forro de casa, para desenlu
rom fundo ja feito; de papel alhuniinadn i.e Brisio
0 .m piei-.sar d .. six- r> 1 .i
l-i anus i-,,: asaajai oe lili ri. .!iriHse a :
de S. Fnn'.-i n. 7n
I'recisa se de nuil aini
ra larga do Ho-ari' n. V
laaaan
Altfcu
Precis:i-.e i. 12 o ii
de reijacio : ni r n I> .X
ma da Matriz n verdadeiro saxe para phutographia e para hltrar, anJdr
ra ua airn u. @ ^^ wriules d,. essencia para quadrns, d.
------------------- 'espirito para madeira. copal para o interior e ex
! tenor ; oleo graxo, oleo seccalivo, oleo de linhaca
1 clarificado, oleo de tuiele, secalivo de Harlim, urc
Bjp 1t l
r i. *
i. '-.i*
Qualquer pe*soa que que.ra -IMr-ae como vo- TerdadHir0* ,., ,,0 ,irato; (ir0i e Pstanho em fo
luotario ua patria em uml d..s haialnoes que se (. ,|Illa(, vegela,,s 1DolTens.
esto nreanisando ne-ia enfade, pote dirigirse a
ra do Imperador n. 73, Ja, que ahi se lhe fara'
urna boa vautagem.
Casas
Aluijam-se dua-i casas novas na freguezia da
Boa-Vi-ta. ra do Principe a. 4 e 8, om 3 quar-
!os. 2 ?aias, cozinha fra, quintal bom e muado,
eaeiwba, sai multo sadias : a tratar na ra Nova
numero 2. _______
Dinheiro
Emprestase de I:0u08 i 4:000> a jurns sobre
hypote.a de casa* ou outra quai juer boa garan-
ta : flanm precisar anuncie para ser procurado.
'reci-a-se de um i ama para andar com urna
menina e tratar de sua roupa, sendo hm a e sa-
dia : na ma uova de Sania Rita n. 5o, segundo
^ndar, junto ao deposito de carvo_
FIGO l4l AH.
No armazem da bola amarella nn oit da secre-
taria da (idlicl recebe u-se encommendas de fogo
a dor para denUo e fra da prouincia.
Grande Bazar-
Carneiro Vianna.
E' chegado a este estabeleciinento os seguidles
jonjeaos : cadeira de palln para enanca com ba-
lanc >. bercos de novo modelo tambein de palha. e
| outros mallos amana aVn gneros ; pede se aos
senhores qu-- encommendaram alguns objecios
desles, o favor de vir e-collier logo os que preten-
den! querer.
Obj.ctos ue metal das seguintes qnalidades, ur-
nas yara cha, chaleira* para fazer-s- cna', apnare-
Ihos de almoco, dito de jsafar e todos os mais ar-
tigo* que se podem de*rjar deste metal por preco
milito ommodi^ que a todos deve agradar p,^,,^ de UIia .Ami de lt>ite na ru1
E-peibos de todas as qualidades para ornamen- _
to de sala, tapete., alcatifa e outros muitos arugos
que pur gosto se pode visitar o grande Bazar, o
qual se ada aborto desde 6 horas da manhaa at
as 9 la n-ite, na na Nova n. > e 12.
precis-se de dous amassadores: na ra
Imperta! n. 33, padaria.
para o lad i domar.
Preci brar mi-sas t.idos os domingos h dias santillcadns)
na capeha de S. Pantalio no Monteiro : a tratar
oa ra do Imperador n- 46, armazem.
Precisa-so de uina ama para o servico de
urna casa de ponca familia : na ra eslreila do R >
sano n. 25, loja.
Na ra do Vigario n. 19. primeiro andar-
existem cartas para as Sras. Giomar Kerreira rta
Cruz, Balbina Eugrnia da PurlHca'co e Mana R isf,
vndas do Porto.
__Aluga-se urna boa casa com uiuito bons com-
modos e quintal com cacimba, na ma do Tambia,
fregnn'i da Ria-Vlsta : a tratar com o capitao
Teixeira, na roa do Arag.io n. 12, 2* andar.
A vmv de Miguel Archanjo de Rosa Luna
faz Miente ao respeilav! publico que a luja d
marcmeiria da ra do Arago o. 1, desde o di
10 de nombro prximo passado, fleoa pertencejtdo
ao Sr fiancisco Antonio de Heneies.
(..1BI\ETE
POlTUtEZ iiEUUllH BM PtK-
\4HBlCO.
De ordem do Ulm. Sr. p-esidenie, substituto,
convido todos os membros ;du conselho deliberati-
vo para se reunlrem ein sesso extraordinaria .-e-
gundafeira 7 do corrente, as 6 huras da tarde,
na sala ds respecva* ses.-iles.
Secretaria do conselho deliberativo do Gabinete
Portueuez de Leitura em P^rnambuco 24 de no
vavembro de 1865.
Jos R beiro da Fonseca
2 secretario.
M llac-i re Antonio Atines Jacotue fc
S Pites eside ru^i B9, onde pode ser p:ocurado. S
lha- de varias cores .
vas propnas para confeiurias; la de cores, t
oinos de vidros para imagt-ns ; tintas em tubos t
telas para retralos ; tinUs em pastis e em p pa-
i ra aquarella ; essencia de rosa superfina, de ne-
i rolv.jasmim, bergamota, aspire, patchuuly, mbar.
bou'quet.limo, alcaraiva, melissa, ortela pimenta,
llouro, cereja, alfazema, iuinpero, Portugal, lima,
j ans da Russia, canella, cravo e ranitos outros oh
jectos que s com a vista podero ser mostrados.
Joo Pedro das Neves,
Gerente.

um di-i't 11 r i>ir i
: na ru i llir'iu a.
Pnvisa-se de
prefere se portuguez
gnndu andar.
Na ra do ll.-;>ici > n. :'.i'.. asg|*a saasWBJta
nina prria captiva pira srrvir; fc; roa.
Grandes melhnis
O Sr. A. J. Das Pereira
ra do Mondrgo. olarn n. 13,
ign
as raarRins laVarriac *r r ser-
Arnairm a M I5rii|-lai Valefa.
Esias machinas aaV r n-lrnid^ p-rusaaM
sysiema, rm imiilns e iini.ilanle< nv- h..ra..
sendo examinadas onr ntHi |wrii.a -r*ja*j
das de sannaM prrfrirn. A gmlia r ilir-iU *
1 perpHiidiciilar:uenl-, iion .1 p-.a/.i 4e Wtr i>l*.
queira dirigir sp a nin drsmimUa M (m/wr.M.i e q. r igaal
a negocio i|Ue nao ambos os leen* : taz c lu-a- i^rlrHa ea fcs* a
iiora. ou declarar a sua morada por este Diario, quahdade de lec.l,... rsoVa r un. *
, --------------------. camliraia, lendo lii.s de-algi~l:in. le e^a
- Alonase um segando andar na na de Aguas ^^ % mj< fnmm ^ in:(i, ^u
rdes u. 86 : a tratar na ma das t.ruzes n. 9, __'.,- ,., Hw ,, ,, ,
p* r tnM ata
Ma ea as* a
a* a asa ffaal
bafea : taz rn-lira-
2H> a av*iS
y
ata
Verdes u. 86: a tratar na ra das Cruzes n. 9, ? |e radas .1.1.1 psW, paraFtW
primeiro andar. i m,.nr ainto p >iv.-i. naisitn rasa f^ri-t.fa a r-
Na na da Cadeia do Recife n. 20 deseja se ?-m c.mli..dic: .1l'M.i .M.\i'.iH.> A QVE NAO FZ
jallar com o subdito francez Maibeus Camota. RUIDO Al GM
\y%i\ai
T. J Me. ARTIll'R & C, f^ieonlrs r
tartos na casa >nprn.
Offerece-se urna ama para o ervlco interno de
c.i/inhar : na roa das Trinrheiras u. 40.
Precisare de nm menino portuguez para cai-
xeiro de taberna, qi>e tenha bastante pratica, sendo
que d fiador de sua conducta : appareca na ra
Direita n. 95.
iHM PSCiaVH.
Precisarse alugar urna eatfM que saiba enz '
nliai, paga.se bem : na rna d Imperatriz n. 47,
segundo aixar.
Alutfa se urna casa na Bna-Viageni, mnilo
fresca commoda, eperto do hanho saleado : quem
precisar dirija-se a roa de Apollo n. 32, ou ao es-
crit>"">i> di> Dr. Punseea.______
Aluga-se a casa da rna Imperial n. 201. pro-
pria tiara refinaco on nutro qualquer estabeleci-
m.-iiii, por ter muitos coi modos, qulitai grande
meradu e portan para fra : a tratar a roa Diret-
'u n. 81} oa ua mesma raa h.211.
PEDIDO.
Pede-se a i>pssoa que maiiO.iii pedir um sellm
emprestado ao Sr. Manoel abel'o de Arroda com
cocheira oa ra do sol, o favor de lhe mandar en-
| tregar.
Wniin mi de um menino para caix-iro : no
arnuiem de louca do paleo do Ter50 u. 139.
Ronbaram no di 23 do corrale, do armazem
da rna da C'iiz D. 57, IS i-tiapeos do .'hile nm pon-
en grossos e de diversos uwaohns, e 5 chapeos de
massi pardo: pHtese a. ouem for offerecido ditos
objectos de o- airprelvreirer e dar sciencia no re-
terido arraazem, quasera recoaspensado.
SIPIIIMH
em tintas as sua!. torna, :<9>m n n:>
o mal ijue piovini do mo ^xraiivo rta>
MKItU HM
I IcfrsfS* I sai
e em Miniiua iodos os mak-s i|iie lem m
o'rigeni na
impureza do 9umm
um .iltoiantr* p hitosi para a
RER( VACAO DO SAftGCI
e paia dar r.ova forc e ^ifc'or ao corpa jfe
eiifiaquecitlo pela iWirfa.
Vemle-se 1 a pnaritiacta franeaza daba
rer dr C, ra Nova n. IH.
ACK.N l\ CKNTRAL
ir Rafa Mrrlfa 1*
HIO DE IAXIIM.
sai


alario de yarwbaw Menuda lelra 1 de X*vci*lro de ISO*.
J
DE
DE
J. VIGNES.
IV. 55. RUA DO IMPERADOS M. 55.
Os piaees desta aatiga fabrica sao hoje asss conhecidos para que saja necessario insistir sobre a
tu superioridade, vantugense garantas que offereceno aos ompradores, oualidades estas iucooteela-
veis que el les lera definitivamente conquistado sobre todos es que tem apparecido nesta praca ; pos-
toiodo um nanea falhat, por serem fabricados de proposito, e ler-se feito ltimamente melhoramenlos importau-
tissimos para o clima deste paiz ; quanto is vozes, sao melodiosas e flautadas, e por sso muito agraaa-
veis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as eucommendas, tanto nesta abrtca como na do-Sr. Blondel, de Paris, soeio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados env todas as exposicoes.
Komesrao estabeleeimento se achar sempre um exp'leadtdoo variado-sedimento de msicas dos
melhores autores da Europa, assim come harmnicos e pianos harmnicos, 'sendo tudo vendido pe?
a focos coniraodos e razoavels.
CONSULTORIO .VEIIIGO-CIKURGICO
D
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LORO MOSCOSO,
HEDICO, l'AHTKIKO E OPERAB6R.
3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os das das 7 s 14
oras da aiatiliu, edas 6 e meia s 8 Loras da noite^ excepyo dos das santificados.
Pharmacia especial komeopathica
No raesmo consultorio lia sempre o mais approjmado sortimeato de carteiras
'.nbos avulsos, a*sm como tinturas de varias dymiiamdsa^es e pelos jwecos seguintes;
Carteiras de 12 tubos grandes. 120000
de 24 tubos gi andes. 180OQO
de 36 tubos grandes. 245000
de 48 tudos grandes. 300000
de 60 tubos gran les. 350000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que &e fizer, e coas os remedios
$ee se pedir.
Um tubo avuiso ou frasco de tintura de meia onca 10OO.
Sendo para cima de 12 custaro os precos estabelecidos para as cartea-as.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LIVKON.
A mellior obra da homeopatbia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jabr
doas grandes volumes com diccionario............ 200000
Medicina domestica Repertorio do Dr. Meh Moraes............ 65000
Diccionario de termas de medicina........... 30000
Os remedios deste estibelecimento sao por demais conhecidos e dispensara por
tanto de serem noyamente reeommendados as pessoas que qui/.erem usar de remedios
verdadeires, enrgicos e (Juradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de
verdadeiro assucar de leite, nota veis pela sua boa coneervaco, tintura dos mais acredi-
tados estabeecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparaco, e portantoa mawr
anergia e certeza em seus effeitos.
Casa de saude para, escravos
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operaco, p rao que o annunciante julga-se suficientemente habilitado.
0 Irahmeoto o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica; e
funccionando a casa ha mais de quatro annos, ha muas pessoas de ctijo conceilo se nao
pode duvidar, qje podem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se 25 por dia durante GO dias e d'ahi em diante 10500.
Ac operaces serj previamente ajustadas, se nao se quizerera sujeitar aos precos
razoaveis que eostuma pedir o annunciante.
#arran*, >e fmiijacar ti (Eif
PHITMS
(la 4 eneadernado )
VABELLA-VOZES DA AMERIC1
(n -i eneadernado.)
POESA.
Pues de Andrade (M. C.) Flores PalHdae,.in1 broch.
Flores Singellas, Ja 4 en-
cade ruado.
Vtetra de So-Saudades, in 8 brooh.
Pinto Collio Trovas Mineiras, In 8brooh.
A Assumpco Poema, in 8 encadenado.
Burros (os)-Poema, in 32 ene.
Cantos por Goncalves Dias, in.8 ene
CaramurPoema pico, in 8 ene.
larilia deDirceu Poema, 2 411 8 ene.
tiendes LealCnticos, i in 4 ene.
Kinhas Inspiraroes -poesas, A. M. dos Ro.'s, I in
4 ene.
Nocas Poesas de Francisco Xavier de Novaos, in
4 ene.
Obras de M. A. Alvares de Azeveio, 3 in S ene
Obras de FUmlo Elysio, II in 4 ene.
Obras de Gil Vicente,^ in 12 ene.
Obras de M. I. da Silva Alvarenga, 2 in 8 ene.
Pacolilha potica, in 8 ene.
Parnaso Bras'.leiro, i in 8 ene.
! Parnaso Lusitano, 6 in 12 ene.
Poesas de Americo Elyseo, 1 in 8 ene.
Poesims e Cantos de A. Gama, 1 in 4 ene.
Poesas Completas de B. J. da Silva Gutnutrau, 1
in 4 ene.
Obras des prinapaes poetas brasileiros, potingue-
zes, francezes, etc., etc., etc.
PRIMEIRAS LETRAS.
C. Adler's- Norma para escripia.
Carstatrs e Bullerworthviemplos de escripia i-
gleza.
GalvoSyllabario Porlu>uez.
Novo methodo de entinar a ler e escrever por A.
Freir da Silva, etc., etc.
OBRAS DIVERSAS.
A ConstituateperasUe a /iwfonu.por F. J. M. H. de
Mello.
BarbeCurso Elementar de >Pilosophia, Pars 1865,
2 lo 8.
Bouchardat Manuel de mattre medcale, 2 in 8.
Formulaire magistral, in 8.
ChernovizFormulario, in.8.
Flammartoules mondes I naginaires. in 4, 1865.
DufauMthode o'ubservatioo, in 4, 1866.
Veuitlot le Gupier (laliH), in 4 Itr.
Alullerhisloire de la tillralure grecque, 2 in 4,
1865, etc., etc.
OB4ECTOS RELIGIOSOS.
Estampa* religiosas em umo e coloridas.
lmagens de Santos coloridos, douradus, etc.
Collecco de estampas va sacha.
Rosarios e Cruafixot de marlkn lavrado, ect.
Manuaes de Missa ricamente eaeadernados de mar-
flm, velludo, etc., etc.
OBYECTOS PARA DSE VIH
Papis de todas as qualidades.
Caixas de tintas finaspinceu.
Estajos de matltemalica.
jipis, craiions pelo ede cor.
Eslampas coloridas, etc.
PAPELARIA-
Papel de peso, almasso, grrve, II iretie, etc.
Papis de cvr e lirancos de marca grande e pe-
quena.
Enveloppes de todas as qualidades.
Cartors de visita.
Uilo* para participado de casamento.
Enveloppes de reuda para os ditos, etc.
OBJECTOS PARA ESCRIPTORIO.
Pennas, canelas, apis, tinta, etc.
Prensas para copiar com todos os perlences.
Litros em bronco, etc.
MAPPAS GEOGRAPHICOS.
Globos terrestres, ele.
STEREOSCOPOS.
Vistas para os mesmos.
Colleoc.o> de photographias, etc.
ESTATUAS DE ItltOWi;
Tintelros de bronze.
Pfeos para papis.
E-iojos de toilette.
Pastas, etc
LlVROS DE
Com estampas linas e ricas
prios para presentes.
RETRATOS DOS ACADMICOS
TAUlOS DV PATRIA.
Assignaluras par jornaes di Europa.
Jornal das Familias.
Revista Jurdica.
Archivo Luterano,etc.
FOLIIINHAS PARA O ANNO DE 1806.
ALMANAK. LUSO-BRASILEIRO PARA 0
ANNO DE 1866.
Livros de lembranc^s para o auno
de 18*66
BALOES LANTERNAS DE PAPF.L DE COR
PARA ILLUMINACOES.
Manual do Cidado
Vende-se o Manual do Cklado em am
Governo Representa livo oo piimipiw tfe
Direito Publico (institucional
tivo e das Gentes, por SilTestre
Ferreira, em 3 voluntes broxuradOB por 3#
cada obra : na livraria n. 8 da praca a
Independencia.
Vende-se urna prela que fwia*a7"law" e-
gomma a razio da ven i se dir* a*
no caes do Hamos o. 32 casa das
pintar.
LIVII.
encaderuacoes, pro-
VOLUN-
A NACIONAL
Companliia geral iiespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUT0R1SADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
lata flanea em dinheiro, depositado nos cofres do estado, garante a boa ad-
minisiiiicao na compaiihia.
DIRECCO GERAL
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O Banco de Hespaaha
ASTHME
ASTHMAI! ASTHMA ASTHMA
SUFFOCgiO NERVOSA E OPPRESSO
i
nico remedio efficaz para combattir estas molestias, acalmar um attaque d'asma e impedir a
volta o Xarpe aromtico de Succino (mbar ainarello) do Dr Danet. Oeecoberta inteiramente
recente, esle novo producto se tem propagado com extrema rapidez grabas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54, ra do Comercio, Paris-Grenclle, e em todas as
boticas de Franca e do rstrangoirn.
lladrid : Rua do Pradon. 19
Estacompanhia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de supervivencia dos segu-
ros sobre a vida.
Nella pode se lazer a subscripcao de raaneira que em nenhum caso mesmo por morle do
segurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao to suprehendenles os resultados que produzem as sociedades da ndole deA NACIO-
NAL,que anda mesmo dirainuindo urna ter^a parte do interesse produzido em rcenles liquida-
coes e combinan loo com \ mortali JiJe da tabella de Depareieux que adoptada pela companhia
2ar.aSusca'culos t liquidacoes, em segurados de idade de 3 ai9 annos, ama imposicaoannua.
de 100} produz em elTectivo metlico:
No flm de S annos.......i:ti95300
de 10........3:9425600
de iS .......11:2085200
' de 20........30:2365000
de 25........80:3315000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospectis e mais informacoes serao prestadas pelo sub-direclor nesta provincia.
Joaquim Fiuza de Oliveira, ruadaCadeia n. 52, ou a Bna-Vista rua da Imperatriz n. 12, estabeleci-
Iment dos Srs. Raymundo, Carlos.Leite & trmao.
s
s
8
s
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na rua da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
so medica, e com especialidade
sobre e seguinte
Io molestias de olhos;
2o de peito :
3o dos orgaos geni-
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rao examinados na ordena de suas
entradas comeando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
mingos. \
Praticar toda e qualquer opera- i
cao que julgar conveniente para o j
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
& O bacharcl
Francisco Augusto da Costa
ADVeGADO
gg Rua do Imperador numero 69.
*
Aluga(se o lercero andar da casa n. 88 da
rua da Imperatriz, e o sitio n. i da estrada do Ar-
raial : uo rua da Aurora o. 36,
Ama de leite.
Preclsa-se de urna ama de leiie : na rua do Im-
perador n. 42, terceiro audar.
Alugam-se tres casas na povoaco do
Monteiro a margem do rio, com muitos
bous commodos e em muito bom estado
de limpza : a tratar na rua do Crespo n.
20, esquina, cujo prego de alugnel ra-
zoavel.
I ALCOHOLADO de GUACO
II DE Ni ^c.r,*T -
O Alcoholado de Guaco de Pascal urna nova prepararle da qual
basta mencionar suas propriedades para appreciar sua importancia.
Em primeiro lugar um preservativo iufalivel do contagio vencrio (ver
folheto para o modo de o impregar).
2e Tem a vantagem de ser o remedio mais certo e mais agradavcl para
as molestias syphiliticas de toda a especie, ulceraedes primitivas e secun-
darias, ec.
3o Empregado em injeccOes, o melhor Iratamento dos corrimenlos
recentes ou chronicos as pessoas dos dous sexos e da leucorrhea as
muleres.
4o Emfim como antidoto dos virus, soberano na cura das cha gas e fe-
rilas de m natureza, chagas gangrenosas, dartros, ulceras das pernos,
ophtalmia purulenta, ou blenhorragica, mordeduras e picadas de ani-
rnaes venenosos, ec.
Este especifico vegetal, izento de toda aacco mortfera, foi experimen-
tado nos hospitaes de Paris, Lyon, Marcelha, ec, e recebeu a approvac5o
dos distinctos doutores Ricord, Bauchet, A. Richard, Calvo, Diday,
Melchior Robert, Costilhes, Berenger, ec.
Deposito geral em Pars, botica de CHEVRIER, 21, ru du Faubourg-
Montmartre. Casa de expedicSo, PASCAL e C, 33, rua Monsieur-le-
Prince. Paris.
. Joo da Silva Ramos, me Jico i
pela universidale de i.oimbra, d I
consultas em sua casa das 9 as t
11 horas da manhaa, e das 4 as 6 I
da tarde. Visita os doentes em suasj
casas regularmente as horas para I
isso designadas, salvo os casos ur- |
genles, que serao soccorridos em
qualquer occasiao. Da consultas aos n
pobres que o procurarem no los-
pital Pedro II, aonde encontrado i]
diariamente das 6 s 8 horas da i
manhaa,
Tem sua casa de sade regular- 1
mente montada para receber qual- ^
quer doente, anda mesmo os alie- .-
nados, para o que tem commodos ]
apropriados e nella pratica qualquer \
opperaco cirurgica. I
Para a casa de sade.
Primeira classe. .15000 diarios.
i Segunda dita... 3500 >
Terceira rtita .25000
Este esiabelecimento j bem 3
acreditado pelos bons servicos que a
I tem prestado.
j 0 proprielario espera que elle !
| continu a merecer a confianza de j
[que sempre tem gozado.
Ka luja de Joaqiia de Faria laeiafe,
rua dw Qseinada n. 4a.
Nt'Me acreditado e-ubeleeimrnin eanatrara*
os compradores um romp, lo orlimralo 4e ban-
das baratas, bem cunto roouas feia epor kM
a vonlade dos freguezes, para o ijue ka kws rasc-
miras, brios, etc.
Entre as muiUs qualidades de fazeata ka a>
se^'uinies :
Madapolo Iraocez rnuilo encornado e largo para
saia, vara 410.
Saias bordadas com 4 pannos a 443M).
Ditas bordada.-, muito Anas rom 5 vanos a 9J.
Bales de arcos, modernos a Si, -"iji e3
Ditos de mursulina para meninas miraniuj >
bico a :t*.
ilramante de linbo alvo, com 9 palatas t torga a
2J2IMI a vara.
Lences de bramante de linho alvo om f aaaao
a i-
Oitos de panao de linho a 2*\
Cobertas de chita fran cza soperior a SaViOO.
Guardinapos de linho adamascados, duna .1J50f>.
Lencos de cambraia branca para aljribetra duna
i6O0 e 5*600. ^^
Ditos de dita i!.- linho, dnzia 5*.
Algodo eu feslado com U palaxs largo, rara
lM/UU.
Gambraia para forro, amito larga, p*ea 2*800.
Diu muito Tina, peca 4*. 4500 e 5*.
Dita adaaa-cada para (ortmados, peca e 10 va-
ras 11*.
Cortes de lazinhas, padres aovos com 15 corad
a 4*500.
Ditos de dita com barra, moderaos, a 7*.
Gambraia organdjs, mullo lina, ara 600 r*.
Tarlatana verde, car de rosa, atol e kraaca. vara
800 rs. ^^
Grosdenaples prelo muito superior, covaao 1*6)
e ZvOuo.
Chales de renda prelos de bonitos gosios aj"*
Rotondas de renda prela, da uiuuw m<>da a II*
Corles de cambraia branca e de rr aa fl M
bordadas e modernas, a 7*000.
Pen-alles mullo lijas, de lindas de.-eDkos covado a
560.
Grvalas de cores e prelas a 300, 640 e MI r<.
Manteletes de grus preto* e tafeiudo* ac rr a li*
Vende-se
a casa terrea n. l, sila na rua do Calah .oro a,
tratar na rua do llangel n. 58, 3* andr. '
A LEGITIMA
ALSAPA1ILH1
Deposito geral em Pernambuco rua da Cruz n. 22 em casa de Caros & Barbosa.
Em casa de Toeo Ghristiaoen, rua do Tra-
piche-novo n. 16, nico agente no norte do Brasil,
de Brandenburg frres, Bjrdeaux, encontra se ef-
eciivauenie deposito dos artigos seguintes :
St. Julien.
St. Fierre.
La rose.
Chateau Loville.
Chateau Margaux.
Graud vin Chateau Laftte 1838.
Chateau Lahtte.
H.iul Sau-rncs.
Ghatean Saulernes.
Chateau Lataur Blanche.
Chateau Yquem.
Cognac em tres qualidades.
Azeile doce. Pre;os de Bordeaux.
mmmm mkmmmm mmmm
gf Companhia fidelidade de seguros fM
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGKNTES EM PERNAMBUCO
Anlonio Luir de Oliveira Azevedo k C, Bj
competentemente autorisados peladirec- Xi
toria da companhia ae seguros Pidelida- g
de, tomam seguros de navios, mercado-!
ras e predios no seu escriptorio rua da
Cruz n. i.
camr imx***?* mStSSU
Casaem Olioda
Aluga se om Morado ha pouco reedificado na
rua do Amparo da eidade de O inda : a iralar na
DE 3RST0L
PREPARADA NICaMEITE POR
LAMAN A IIIP,
NOVA YORK.
Composta de substancias, p nmU m
propriedades eniiicriten.eMi .:i 11 r. iivss ;
approvada pelas juntatt arsii 111I1 me-
dicina; usada.nos principaes In >pi:;s. a-
vis militares e da marinha nasAnlhasa
no con ti
ltativosos mais distinctos do imperio do
Brasil e da America hespanbol
CUBA RADICALMENTE
escrophnlas, rlieumatismo, g*gi rl.uto, eo-
Da.-e bolos de vendagem as lOhorasdo fermidades .venreas e merriinaes. chagas
dia, e paga-se a tustao por pataca : na bolica do antigs, morphea e todas as molestia! pro-
; venientesd'um estado vicioso do sangne.
Emquanto existem varias inlac'"'
Furlaram da estrada de Joio de Barros dous ca-
vallos castanhus, sendo urn castrado, com o ca^co
de um dos ps traseiros rachado, cujo cavallo foi
do esquadro de cavallaria ; o oulro inleiro, tem
um p aberlo, e urna [imta branca no lugar da
sella : quem os apprehender e levar ao armazem
da bula amarella, no oito da secretaria de polica,
sera' generosamente rerompen ~Offerece-se urna ama para cozinlTe ui|;.nenle a
comprar : no bfiCCO da Carvalha n 7.
Precisa-se de um escravo para o servico pe-
sado de um hotel e um creado : no hotel Itiliano'
rua do Trapiche n. 5.
pateo do Carmo se tlir.
FABRICA VAPOR
99 RUA DO MONOEGO 99
Ueposito na na Xova n. 50 luja de relojoeiro.
0 dono deste estabeleeimento partecipa ao respeitavel publico que sua fabrica
loja do sobrado iunto, com o Sr. Guilher.nV Jo^ S liXVS-S TZ? 'tS^JS SXT.'tfi"^ *" ***"
oos Santos, ou do Becife. loia n. 45 da rua da Ca-1 m meLh(' pe!ff"-J0 P""* lodo o chocolate desla fabrica esta garantido, e puro,
deia Veiha. o que nao se pode encontrar naquelle que vem de fra, e que se vende por preco baixo
visto os productos serem do paiz. Na eliq eta tem sempre urna aguia.
PRECO.
Meia libra......... 400
Una libra......... goo
Urna arroba........19^000
Precisa se alugar um primeiro andar no
bairro de Sanio Antonio at 23* mensaes : a tra-
tar na rua de Santa Bita, casa aonexa a igreja.
GOMABAS.
Silvino Guilherme de Barros compra e ven-
de effectivamenle escravos de ambos os sexos :
ruado Imperador n. 79, terceiro andar.
Gompra-se ouro, prata e pedras preciosas,
em obras velhas: na rua da Cadea do Recife,
cja de ourives no >rco da Concei^ao.
falsiicacoos. preciso a maior cautela para
evitar os engaos,
A legitima salsa e Rristol vende-se por
CAORS A RARBOZA
JOO DA C. BRAVO C.
Joo da C. Bravo & C
Deposito geral em Pernambuco rua da
Cruz n.22 em casa de Caros A Barboza
Vende-se urna morada de casa terrea SSS1
bons commodos, no becco do Horinho n. : lyi'm
pretender dirifa-se a mesma que que achara
Comprase carosso (sement) de algodo : no 11uem 'ralar qualquer hora do da.
armazem de algodo de Saunders
no caes de Apollo.
Brothers & C,
Ouro e prata.
Em obras velhas : cotrpra-se na praca da ln
dependencio n. 22, loja de bilhetes.
Compra-se urn globo geographico, lerrestre,
que esteja em bom u^o : na rua Nova n. 65, se-
gundo andar.
Aviso.
Clara Maria da Conceicjio Silva, parleira exa-
minada, mudou sedo paleo de S. Pedro n. 8 para
a rua de lionas, sobrado n. 130.
Antonio Jos Rodrigues de Souza, na rua do
Crespo n. 15, aluga sua casa e sitio no Monte ro
em frente ao oHS da igreja, teodo o sillo porlao
de ferr, cacimba com boa agua, estribara e co-
cheira, e a casa 4 salas, 7 quartos, e otfio, a qual
muito fresca e esta de novo bem caiada, concer-
tada e pintada : para ver. as chaves eslo
Preclsa-se de urna ama para o servico interno
de urna casa de pouca familia : a tratar na prac,a
do Gorpo Santo n. 17.
Ribeiro & Galvao fazem sciente ao publico e
ao corpo do commercio que dissolveram amigavel-
menle a soriedade que tioham na taberna da rua
Direita n. 93, fleaodotodo o activo e passivo a car-
go do socio Jeronymo Ribeiro de Souza, e isto
desde o dia 18 do corrente.
mmm mwmwm mmmmmm
O Dr. Carolino Fraucisco de Lima San-
mt tos contina a morar na rua do Impera-
dor n. 17, segundo andar, leodo alias seu
fff gabinete de consullas medicas, logo ao
entrar, no primeiro.
O mesmo doutor, que se tem dado ao
H estudo tanto das operaedes como das mo-
*leslias internas, presta se a qualquer cha-
mado, quer para dentro quer para fra
W da cidade.
para
Na mesma fab ica acaba de se montar urna olTicina com senaria a vapor
obras de marcineiria propria para edificio, para o que encarreg -se de fazer portas, ja-
nellas, assoalhos (parqu fiancez como se usa na Europa,) earmacoes, ludo com brevi-
dade e perfeic3o. Toma-se cjualquer encommenda para fra da cidade, entregando-se
prompta a collar-se no lugar.
Samuel Power Jolinslon & Companhia
Rua da Senzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fuudlcao de i.ow Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engehho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho.
ummm mmmmmm mmmm
Perda
Perdeu-se da rua do Livramento at a rua do
em a' '"ra'"cne uma ^arteirioha de lembrancas, cuja car-
0 na mesma povoaca. I eirfi?.,e,n n5 ?,a caPahdJurai,a como larabe(I'
quema tiver achado e queira resntuir,
Motas do banco do Brasil e das caixas filiaes
dcscontam-se na travessa das Cruzei a. 8.
as folhas
receber de gratificacao o valor da mesma : na
rua do Trapiche n. 38, escriptorio.
Arreios d carro para um e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
D. Senhorinha Germana do Espirito Santo
aluga por preco commodo, e durante o lempo da
festa, o eu sitio na estrada de Beberibe : a tratar
na rua da Sol, sobrado novo em que morou o le-
nente-eorooeJ Sebastio Lopes.
Quera ethrer habilitado a ser feilor de wo
engenho, falle aa rua larga do Rosario n. 27.
BOTICA E DBOGABIA
DI
B. F. de Matiza A C.
Rua larga do Rosario n. 34
Remedios de Raduvay
Prompto alivio.
Pilulas reguladoras.
R-zdulivo.
Remedios de Kemp
Anacahuita.
Salsa de Brislol.
Pilulas assucaradas.
Agua florida.
Paslilhas vermifngas vegetaes.
Chega Compra-se uma escrava de 12 a 16 annos de
idade, cor mulata ou mesmo cnoulaque tenha al-
gunas habilidades : quem tiver dirija-se rua do
Livramento n. 4, que arhar com quem tratar.
VENDAS.
Vende-se um escravo de 15 annos, muito bo
nita figura, sem vicio nem achaques : no Corre-
dor do Bispo n. 15.
Veodem se saceos com inilho novo : no caes
do Bamos n. 4.
A Heneadm
Alugase um sitio no lugar d. Homgi, com gran-
de cas de vivenda, redinVada de novo, com estri
baria, boa agua de beber, trinta e tantos ps de
coquelros, muias larangeiras, mangueiras, e ou-
tros muitos arvoredos, boa baiza para capim, e
muita ierra para phnlacoes : a tratar na rua Im-
perial n. 51, padaria.
Ha relio.
Vende-se superior farello de Lisboa
xem allianca, rua do Imperador n. 57.
no arma-
A anlia loja de imlezas aa ru te
({lipidiado a. !(>, acaba de receber:
j Novas e bonitas guamicoes preus para veMidoa *
soutemharques.
Bicos de seda brancos e prelos com vidrilhos. *
differeutes larguras.
Trancas prelas com vidrilhos.
Cascarrilhas de seda de diversas cores e av>ides
novos; mi ir.- s enfeiladas com bieos de seda.
Babadmho* de seda.
Trancas brancas de seda para enfeite?.
Bonitas lilas brancas lisas e lavradas ; pairas de
cores lambem lisas e lavradas ; outras aebaauio-
ladas para cintos, larga*.
Fivelas grandes de ac, doaradas, madreperola a
tartaruga.
Bonitas ligas de seda para senhora*.
Leques de sndalo o outras qualidades.
Lindos o delicados eafeiles para bai-
les e passeios.
A amiga loja de miudezas na roa do Qoeimada
n. 16, receben novos e lindos enfeites para bolles
e passeios, iodos de muito goslo e loletranvafc* no-
vos. variando o pr-'co de les roofo om a -ui^rwri-
dade : os pretndeme.* os acharao em dita i-*ja, na
rua do Qoeimado o. 16.
finas capella* para noivase
meninas
Acham- miudezas n. 16.
Bonitas touquinhas
de fil e cambraia, bordada* e enfeiladas v^n-
dem-se na raa do (jueimado, loja de miudezas ad-
inero 16.
PEDE-SE TODA
Precisa-se fallar com o Sr. Luiz de Souza
Bandeira qie morou ni rua Augusta n. 88, no pri-
raeiro andar da casa da rua Nova n. 59.
Precisa-se de urna engommadeira :
na rua do Imperador n 17, segnndo aud^r.
Criado
PrGtii3.se de om rapaz forro ou escravo para
citado; ca na do Cabug, loja o. II.
Vende-se uma escrava a melhor engomma-
deira, uma dita de 20 annos, boa cozinheira, um
escravo perfeilo carapma e marcineiro, um |dito
bom cozinheiro do diario : na travessa do Carmo
numero 1.
Atteiico
Liqaidaco de fazea las
Custodio Jos Alves Guimarae* e MaaH Moari-
ro da Gunha participa ao respeitavel pobliro asa
seus freguezes e amigos, que leodo arremata* a
loja de fazendas da roa do Queiiaado
becco do Peixe Frito n. 5, e coom
Na rua Direita ri. 24, ha para vender j obr?s na me80M. resolvido a
tolos osutenciliosde padaria, que se ven-{VSS^mWJmTTVX
demjuntos ou separado. |r0a do Que.raado n. 5
Na rua Direita n. 2 i, tem para ven-
der um cylindro com tambores de pao.


DI; rio de rcrnaaulnuo Kcgtikida 'eir 19 de .\ovtuibio de 6.
SALSA PARRILHA DE AYER. I Onfroa objectoa.
Transcbevemos aqu alcuns' Viudos tambera para a amiga loja de
dos muitos attestados que temos m,"dezfs Ka ru? do Qocmado n. 16.
recebido das virtudes da salsa' SaPa!'"hos desetim branco bordados pa-
ra baptisados.
I Oulros de merino tambem bordados e
igualmente bonitos.
i Meias de seda, correspondente do tama-
nho dos sapatinhos.
I Outras mui finas de fio da Escossia e
brancas listradas.
Soffri rheumatismo por mui- j Luvas finas de fio da Escossia brancas e
tas vezes, e vendo annunciado | de cores,
em um jornal d'esta cidade a Ditas de seda para senhoras.
Grande loja e armazem o
Pavao.
parrilha do Dr. Ayer.
Rheumatismo.
DE JOAO JOS DOS SANTOS.
Ouro Preto.
AGUA BRANCA
Ra do Queimado d. 8.
Salsa parrilha de Dfi:. Ayer, re
solvi-me a comprar um frasco e fazer uso
d ella ; aanies de concluir o primeiro fras-
co, achei-me forte e sem sentir a mais leve
dr nos joelhos ; a parte do corpo que es-
tava aflfectada d'esse terrivel encommodo
que roubou-me tantas noites de somno.
Ernpees, borbnlhas pstulas,
ulceras, e todas as molestias
Ligas de dita para senhoras e meninas.
Pentes de tartaruga mui fortes para des-
embarazar.
Carriteis com retroz preto e outras cores.
Carteiras com agulhas.
Agulbas franeezas, as afamadas.
Caixinhas com allinetes brancos e prelos.
Haspas de baleia para vestidos.
Fitas de linho proprias para ditos.
Caixas com iinhas de novellos grandes
Ra da Imperalriz d. 60. de Gama Silva.
TeDdo os proprielarios d'este eslabelecimento de
liquidaren) urna grande porfi de suas fazendas,
al ao fim do crreme anDO, am de fecharen) con-
las e apurar dinheiro, resolveram vender todas as,
fazendas com grande abalimenio em presos, lano mente novo?
em porgo come a retalho, e por isso previoera a Ditos diios de grade com rooi&s grandes,
lodos os seus fieguezes, e ao respeilavcl publico, e i Lindas fivelas fraudes para cintos com moldes
as pessoas que negociis em pequea escalla com agradaveis e diversas quali'J*des, madreperola,
lazeodas, que nesle estabebeimenlo enconlraro tartaruga, ago e douradas.
um grande soriimenlo que muilo Ihes bao de agr- Boas e bonitas filas achamalotadas para dilas.
lano em precos como em qualidad* ; as>im i Dites de dita de grosdenaples lisas e lavradas
A loja da aguia bianca acaba de receber um
novo e grande soriimenlo de differenlcs objectos
de gosio e ultima moda, sendo :
Bonitos eofeiles para senhoras goslos inleira-
, e
da pelle.
DO SR. JOAO PAULA DE ABREU K SOUZA.-, P3 Cr0chelS-
Ra de S. Pedro.fio de Janeiro. i Trancellim de bonacha preto, redondo.
Soffria mais de dous annos de ama "Itas Ovellas grandes de ac,
erupcao syptlitica em todo o corpo, moss douradas, madreperola e tar-,
trando-se sempre com mais violencia na ca-; taruga.
ra, prove muitos medicamentos e consulte A loJa de miudeas ra do Queimado
muitos mdicos, e estava quasi desanimado JJ- ,6> recebeu um bonito sortimento de
quando vi os annuncios da Salsa parriia fivellas grandes para cintos, sendo de ac,
do Dr. Ayer: comecei fazer uso d'efla e douradas, madreperola e tartaruga, as quaes
nos primeiros dias a untpco aggrawu-se, eslao sendo vendidas em dita loja por pre-
porm antes de acabar o segundo frasco ti- 9s comnQodos ; assim como boas e bonnas
aba o mal desapareado completamente de tlas de gorgorito achamalotado, proprias pa-
todo o corpo. ra dilas Bvellas.
Doctor Don Jos Vxldes Herrera-, profet c"Is le peneira e de outras
SOR DE MEDICINA Y CIRURJIA, SUBDELEGADO IHadatlcS, par ||iei. SOfrC
EM AMBAS AS FAWLTADES DEL SESTO DIS-' "* ^Ista.
como mandam pelos seus caixtiros levar as talu-
das e amostras oas casas das familias que nao po-
derem vir a loja, ou dao as amostras deizando fi-
car penhor.
Can lira ias lisas a 30000, la leja do
Pauto.
Vendem-se pecas de cambraia lisa branca e I pato, babadin'hoToutra com
transparentes, lendo oilo e mela vara cada pega, centro o que Ibes da Bolla graga.
Kw!aS 5r.e de 3*S00' dilas mui,e nDas' por' 0ulras estreas e largas guarnecidas de
4*000, 5$, G at 105, sendo tapadas e transpa- de seda obra de muito grato.
rentes, assim como corles de cambraia com salp- Ouiras de camnraia de cores.
eos a 25500 : isto s na loja e armazem do Pavao, | Boi5es de seda, velludo e ago para enfeiles
tricto.Habana.
A' loja de miudezas ra do Queimado
ui,i u.na vana. ** 'j "uc iud uo yucimaLu
Certifico fM he usado la zaza potril- D- 16' tambem recebeu oculos de peneira
la del Dr. Ayer-, y como depurativo he ob- ?m vidros claros e escuros, para qnem sof-
tenin Ho lio :i, ,., *j~~.u.a~~ fre da vista, assim como outros de armaco
de ac, sonidos em graos.
toro** e tercos de cornalina.
amiga loja de miudezas a' ra
eficaz en el tr-atamento de las enfermidades
na ra da Imperainz n. 60 de Gama & Silva.
As camisiuhas do Pavo.
Mendemse as mais modernas camisiobas borda-
das com raanguilos, para senhoras, sendo as mais
modernas que tem vindo ao mercado a 45500, di-
tas com manguitos, para acabar, a 15 ; dilas pre-
tas com manguitos para lulo a 15800 rs., mangui-
tos e goliuhas pretas a 15, finissimas golinhas de
cambraia branca bordada a SOO rs., calcinhas pare
meuina a 640 rs., romeiras de fil e cambraia
branca bordada a 15600 : na loja do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chales de merino a 20000.
Vendem-se os mais modernos chales de merino
estampados a 25000 cada um, havendo tambem um
grande soriimenlo dos mesmos matizados que se
vendem a 65, 75 e 85O00 : na loja e armazem do
Pavao, ra da Imperalriz n. 60, de Gama & Silva.
Os cintos do Pavo.
Vendem-se rlquissimos sintos de Das de diver-
sas cores e dourados cora Qvela larga e donrada,
assim como enfettfs para caneca dos melhores e
mais modernos que tem viudo ao mercado ludo
com novos e agradaveis desenos.
Trancas preas de seda com vidrllhos moldes
novos e de gosto.
Bicos brancos epritos de seda com vidrilhos e
de differenles larguras e bonitos desenlies.
Cascarrilha* de seda com diversas cores e lar-
guras, formas inteiramenle novas a imitaco de
transinha no
bico
de
vestidos.
Trancas de seda estrellas e largas brancas e de
cores para enfeites de vestidos.
Plora finas
CAPELLAS PARA MENINAS E NOIVaS.
A aguia branca a ra do Queimado n. 8, rece-
beu para vender :
Delicadas capellas brancas para noivas.
Ditas dilas para meninas.
Dilas dilas de caixos de Aot de laranja.
Ditas ditas de rosas camelias e outras.
Ditas ditas ou ramos de trigo.
Diversos ramos de flores finas para peilo de
vestidos, enfeiles de chapeos ele, etc.
Preparos para flores.
Na ra do Queimado n. 8, loja da aguia bran-
ca vende-se :
Papel de cores para rosas.
Dito verde para folhas.
Dito dito e pardo para cubrir os talos das ditas.
Musgo em rama
gallo canta e
que mando u
Bom e baratissimo.
Ra do Crespo n.
Collares.
est
7.
_ ..--------------------- "O |-M| ''I .111 l II. i>.
tronares anodinos electro magnticas Roier para amaten da pi ra larga
c.rmn'its n:m mnrrartn H ... r.v.*;. r,...- ,.r.i.. k* ..
NOVA LOJA
ENCICLOPDICA
' Ra da Imperatriz armazem
da porta larga *.
Junto a padarla fradeeza de
Paredes Porto.
Nesle e>laliel>Tiinenlu encontrara o rftuvel
publico nm variado sortimento o> kawiM 'jnn-
zas, inglezas, atol e allrn.ae.-, qtt H xtvicrau
por prego commodo.
Paitdr* Parlo
Vende chales de renda de ctir^s UU M .-
ram a 18 r*M vendei.do por 65, il m jiteu* ta-
zeada nova, 55,65, 85 a 205, m KtiiWlB rim-
plelo de manleleies, rapas e souiaml^r.|i.- lija
o5- Ra da Imperatriz n 4i, junto a taatarta ir .0
ceza, armazem da pon larga.
Paredes Porlo
Recebeu um completo soriimenlo de AmMm a
240, e 280 rs. covados, para acabar, ramtraias je
cor a 240 rs. o covado, riscado mw.' ?
pa de menino, fuslo de linho a 420, 4(0 r V) 1*.
P.ua da Imieratriz n. 52 junio a padaria franeza.
as criangas nao morrerem de convulsoes pelo' ba-
rato prtgo de 45.
Novidades.
Riquissimas pulseiras ou braceletes pa senho-
ra e para meninas a 15. 25 e 35, assi m orno lin-
das voltas para pescogo a 35.
Enffites.
Riqoissimos enfeiles para cabera cousa de mui-
to gjsto a 15500, 25, 35. 15. 55, 65 e 75.
Fivelas.
Riquissimas (velas de madreperola e de tarta-
ruga, arsim como pretas.
Cruzes.
Riqu .simas cruzes douradas porm o melhor
gosto que se pode desejar.
Cascan ilhas.
Bonitas cascarrilhas com biquinhos de seda e
aljfar cousa inteiramenre nova para enfeiles de
vestidos.
Binculos.
Bonito soriimenlo de binculos com superiores
tenklo de ella los mas felices resultados en
les casos de tiioera crnica, asi mismo au-
or y las considero como um porgante, cuya
accin ademes de ser >eguP8, ha sido my' A am'#a l('Ja de m'dzas a' ru do
eficaz en el tr-atamento de las enfermidades vueiwado n. 16, recebeu mui bonitas co-
reas e tercos de ornalina, os quaes esli
esis
u.ais moaernos que tem vino ao mercado ludo Folhas para rosas. ^ j( sor,jn.en(0 .lin.ri,,n ,
\SLtfiUSJ? BVTEL que "^-Agulhaselinhas para crochet. ^T^,T&%
do pavao na d/lmpmtriz n. 6 de toS* IJ*** na rna do +gg* ,8 lo|? da nnp As$im Pequininos | SK^~ =e7"m .M % ToS Z
As Milus do Ha, do Pavo. Jass,m como a"Qlhas Para ,raDalhar-1 ?eUneteS,vrideropara eDfe,te de relc810 ma,s cora "**' >e de lho de \ larguras 25200 3m
que exsigeu d uso de los porgantes, y on
a arsposigao Qos bons christaos que es qui-
na ra do
vacilo en recomendar estes preparaciones. totv-'wbii
Y para los fines que puedan convenir doy *ePcm comPrar em dita loja :
la presente en Regla a 7 de selembro de e"S?ado 16-
1860. Esponjas Anas grandes c pe-
Dr. ios.V. Herkeba. ,r quenas.
Vende-se na ra do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
I Diversos objeetos.
Me acho ha quasi dous annosTaffeCtads k, anliSa ,0Ja de miudezas ra do Quci-
de escrfulas, e tende soffrido tauo que al- mado ^ 16'i,caba de receber (muitos e di-
gumas veces quasi que diego a desrmmar ^l?08 obJectos fl06 fazem completar o seu
da vida-e maldizer de minha infeliz *o*e; Del'^rtimento,^endo:
tenho ido tratado por muitosmedit-ys-fTes- r8 de sarja ma,s slreita (lue
ta cidade, e nenhum pode vencer j teRaci- Da.3lt.a mais larga, todas derivas e agrada-
Eseropnuia.
ATTKSITWD6 DO 1LLM. SR, FRANCISCO VKRRAZ
Des santos.Ouro Pelo
dade de minha mo+estia, estava &em espe-
rangasde recobrar* minlia saue ; quando
ultiniars?ente resolv'fazer uso n-aha par-
rilha -do Dr. Ayer. Completii'n-se hoje
triiite e se te dias que conieoei com este
santo remedio, e tantas raelticras tenho
sentida que tenho conviccao recobrara miara saude. perdida-ka tanto
tempo.
*y{itilis e molestias meiwriaes
Do Iixm. Su. Dr. Jackso:
veis cores.
dem tambem de sarja Lvrcda, de bonitos
e nevos desenhos
Gompleta'tt-se hoje A -^m id?m br80Cas- lisas e lavradas, pa-
f/IBWWi .rnB1 acla a' dem de gorgurao de seda achamalotadg,
eoriuio encerpadas, para cinto de fiveUas
grandes.
dem deseds preta e de outras cores pa-
,'ra-debruar ves'jidos, collees, palitos, etc.
*idem deta ^ualrnente-sortidas emeones
JfMtoo muito wiAecidonmprvmas do ^^a os m^fros fir.s.
dem de aigodao brancas e diversas-ou-
md do Brasil.
Tenho receitado a Salsa pwrilha Dr. Ayer nos casos mais inveterados de
Sypk-is con&itcional e sempipe com os
mais'felizesresultados; o raeUier alteran-
te que conheeo..
Eieicorrha e flores iiraneas.
Temos cartafi em que tw*s ooF.tam casos VJI 'ss a
,u^-iao .,.__-j:-..i___t......j.. ^ves e mu boor-os.
ieveterados qweforam radicalmente curados
com. un ou dous frascos d'esta Salsa par-
rilha.
O espaco oaa nos permute -traiiscrever
todos es attesaios que possuia?:js las vir-
todas d'este .stracto composte ae Salsa;
parrilha do Dr. Ayer, liasta ledarar ao
tras cores para vestidos de chita.
idem de borracha tamas e pretasijara
houtemharqces. vestidos pretos, etc.
Novas e lidas puamiftes para enfilar
eootemljar<}ees, vestidos pretos, martinetes,
ele., obras de muito goste e moderiissima.
Tranca de-seda com vidrlios, moldes no-
pullicc que tem sido emptiegado ha mais i^^
de mnlf. anime iwk oAufa^il -OOS Idmanil^b..
de vinte annos.pela profissao -00! a tanto
das Americas orno da Europa, -ceui nunca
desmntir a sua alta reputacao.
Para a-eoraiadisal de escrfulas.? iffecces
idem idem de cores taaibem de xitos
nwldes e grsaveis cores.
Botoes para os mesmos fins, sendo.-Me-
tes de seda aiores e meaores, eneaclos
eom vidrilec e pendentec e outros de -di-
versas cores.
idem pretoc .i8ttlos de w vidros MR de ac, i>o5o
-e larlnrnjc.
A loja de wzdezas, ;i' wrofulos, sypbise moteas syphi- fJA !2^T5^!^ t
liaui iirerac miAu, rh** fletas e ncL,|os <* v"ros cooi-irmacao tina de
ZSS^cuu' a odgo e ^ 6ufal e **-W. *** vendmJ
Tffier^nSo^HuJ Pw*reaWeis: os pre^ndentes r-
4r^^mS^JSjf^^1fmfm do limado n. *
impuro de sangue, 1 KlVal Sem Segando
IIALt4rm^MlDE*t|-BIL|M*Q,el* "S' ******** *
A' venda na,n Direita, ns. 12 J e 76; *>Kiezas de lies portan, est quet-
rua da Quitanda n. l ; praca taConsli- maB tuigo, a. 30 e Hospicio, n. AO. na-' ^ei'^fe admirar ven han loja id
principaef ,phaimacias e drogaras id im-j Bigoitinho.
As Iwlhas de Niko do Pavo.
Vendem-se superiores toalhas de linho das me-
lhores que 1n vindo ao mercado pelo baralissimo
pr loja e armaeem do Pavao, na roa da Imperalriz n.
60, de Gama & Silva.
As saias do Pavo.
Venfiem-se as mais finas saias bordadas asagu-
Iha urticas sendo da melhor faienda que lem vin-
do ne?ie gftiero, lendo mui a roda, peto baralissi-
mo pre 6fGW e 8*000, diras com babadinhos a 000, na
loja'e armazem do-Pavao, na ra da Imperalriz o.
60, de Gama & Sf'va.
Novos vestidos do Pavo a 'iMKili.
'Ghegaram para loja do Pavao os mais ricos cor-
le, de vestidos de cambraia transparente cornos
mais delirados bordados de di(T-eates cores a pon-
la de agulha,-?t rie que lem viedo ao mercado, 4;aTantindo-se o te-
rem muila azenda e enfeites sutDcientes para
corno e maniras, e vendem-se pelo barato preco de
10*01 Ocadflum, na loja do "Pavao, na ra da Im-
peralriz n. <0, de Gama k Silva.
-s esparlilhos do ."Pavo.
Vendem-se um grande e variado sonimfnto de
esparlillios os mais bemfeilos que tem vindo ao
mercatis, endo de todos os'tamaohus pelo baratis-
simo prego de 4, 5*, e 6*900, por haver grande
sorlimeMa, na loja do Pavo, na ra da Imperalriz
n. O, Gama & Silva.
Uetondas pretas a 120OQ,
Na loja do pavao.
Chefaram pelo ultimo por as mais rioas re-
ind*s que (:n vindo ao nereaio, c vendem se por pref"
muilo em con la : na loja e armazem do PavT.o, ra
da k?eratriz n. 60, de Gama & Silva.
frtcs de casimira, pechinefea,
A 20800, na>toja do pavao.
Vaadem-se bonitas-ceres de casimira de cores,
tetdc claras e escuras, e verndem se pelo'bar&lis-j
siroopreco de 2*800 o ewrte, ou vende-se a mes-
ma azenda a 1*600 o-eevado, leudo 6 pajmos de
largura : isto na loja i-arwiaiem do Pavi; ra da
latparatrii n 60, de Gama & Silva. /
Os corles letiimira do V*r%
Vendem-se superwres rateada muito fra, pelo baratissimo preeo de 5*
c* um : na leja e.-armazern do Pavo, fu da
Impratriz n. 0, de "Garas & Silva.
Lanaife^s < 280 e 320 rs.
^'ndem-se laoziihas de- quadrinhos a' imitaco
das-;edinhas de qucdiw pelo barato precc de 280
rs. .0 cuvado; ditas garaldinas com smais lin-
do? ^adrdes a 336 rs., ppehincha: na loja do
9>ma, ra da Imperatriz o. 60. de Gama, y rSilva.
Os cintos ttVfnao a i 1*001).
se em la.
Papel de sobrecellente para os
phosphoros hygienieos ou de
segurancar.
A vista do grande tamanho das caixinhas dos
phosphoros hygienieos on de seguranca, lornava-se
pouco o papel que vem em dilas caixinhas, e para
remediar essa talla a aguia branca mandou vir e
aeafca de receber esse especial papel, 1 inal se
dar de sobrecellente a quem comprar de taes
phosphoros e se vender indisiinclamente a quem
delle precisar. O precode cada caixinha de phos-
ptioro continua a ser 150 rs., e vendem-se na ra
do Queimado n. 8, loja da aguia branca.
Seda jroncha para bordar.
Vende-se na roa do Queimada loja da aguia
branca n. 8.
Obras de crystal.
Brincos de diversos moldes.
Ontros tambem de crystal de cores.
Oulros de aljofares brancos e outras cores.
Aderecos de crystal obra de gosto.
Rosetas de dilo e cruzes.
Boldes de dito, brancos e de cores para collete.
Dilo de dito lambem brancos e de cores para
punhos.
Vollas de dilo e outras qualidades.
Leques de diversas qwilidades
Veorl-m-se na ra do Queimado n. 8, loja da
agun i..jca.
l spas forte para bala
Vendem-se oa ra do Queimado loja da aguia
branca -n. H.
Car retis com retroz
Na ra no Queimado n.8, loja da aguia branca, por hoje
Cromacome para tingir oa
lente vidro.
Sestinhas.
Riquissimas cesliuhas com prepares para me-
ninas de escola trazer no braco, assim como de
vidro entenadas proprias para"mimo.
Pentes.
Ripnissimos pentes de borracha com aro bran-
co de metal para menina segurar o cabello pelo
barato preco de 800 rs., e dnzia 5*, assim como
grande soriimenlo de todas as qualidades para de-
sembarazar.
Escovas.
Grande soriimenlo de escovas oara reupa e pa-
ra cabello, paraunhas e para denles.
Lunelase oculos,
Finlssimos lunetus de um e dous excellentes vi-
. dros e aro de bfalo e de tartaruga, assim como
oculos com rame dos lados proprio tara quem
sollre dos oculos.
Touqninhas.
Riquissimas louquinhas de t-t de linho, de se-
da e de la para criancas.
Pura o cabello.
A superior agua para aliinpir os cabellos, as
barbas brancas e fazer conserva-Ios, os frascos
acompaoha um rotulo que ensina a furnia como
se deve applicar.
Para caspa.
Superior banha sem pordura com um frasco
com agua propria para hmpar a rabees, os frascos
acompanha um follielo que ensina o modo como
se deve applicar, assim como agua balsmica,
opiala e poz para limoar denles.
Banhas.
Grande soriimenlo de banhas em copos, em la-
las de fulha e em frascos de todos os lamanhos por
precos menos do queem oulra garle, assim como
uitos oulros objeclosque nao se pode mencionar
s no gallo vigilante ra do Crespo nu-
rw
ral-
bellos.
A aguia branca avisa aos constantes freguezes
desa eaeellenle tintura, que ella acaba de rece-
ber umanova remessade croroacome, coloricome
esabo brauco.necessano para laivar os cabellos,
portantopodem dirigir-se a dila loja na ra do
Queimade n. s.
Abridores de luvas.
Vendem-se na ruado Lueimado loja da aguia
brama*.*}.
Porl -bouquels
de remites -moldes, dourados e cabo de madrepero-
la : adiMPiM a veoda-oa ra do fiueimado loja
da agot branca n. 8.
Bonitas looquinhas
de fil de-liiho, cambrcia e selim todas mui bem
ffiEi^O
.Peri0, Cacasde, papel amizade ,e sem ellatiso e paulado
a4t0.ps.
Grozas de-beides de lowic praleados -azenda mo-
derna a 160 rs.
Duzias de penna de ac;o {a:endaiboa a 40 rs.
Pecas de tranca de la licas e de loas cores a
40 r*.
=^g! Escovas finissimas para Jia^par dentec a 240 e
Kfi : 320 rs.
gw j Pecas de .fila de cs estoicas coro W varas a
g* J 320 re
a i Caixas com cololieles francezee, superior-e? quali-
dades -20.rs.
I Tinleiros de barrq. com superior tola a 106 rs.
Maoleiga iogleza floral* a libra, fran-eza a 'PeS?r e eot S4, arroz do Alaraaliao a J00 rs., paiueo a 120 n.i.s' =
aaendoas a 2i0, caf do Bi bom a A(\, Who dil BtS^ a"0 iBk)s Para wilafele a e
Fig.atira a 400 rs. a garrafa, e 3* araada. Liv m .7.7 J.' ...
boa a 388 a garrafa, e 2*,we a caada, azeil. doce K" "T Rtt*erim' :tonl?a a 20 .
a 600 rs. a garrafa,'vinagre de Lisboa a 200 rs. a S?^! dpe "?" K mU" V S2&S
garrafa, e 1*500 a caada, qujos do ultimo vapor mS* arfafinnas cora aBu Colon a
a 2a300 : ua ua das Cruzes a. 24. esquiua da --Z^...... .
travessa do Gavidor. 'Rrascos grandes com superior agua de Colonia a
------------------------. 640 rs.
Farello novo a 4$ ^ShT
Vmde-se em Pernambuco:
PHARMACiE FRANCAISE|
deRMARER&C'.e "
RA NOVAN? I
hom e barato
Vendem-se cintos de ta com fivelas peto^ara- entit*das : vendem-se a ra do Queimado n.
smo preco de 1,^000: .na loja do Pavo, raa da loja A aguia branca.
j Imfterairiz n. *iO, de Gama & Silva.
Ch*es pretos de tanda a 8.?0OQ. na
loja d |>avo.
Cbagaram para a loja do Pavo os raaisrricos j Senhores ,c senhoras-
\ v ;': i(ls indinaos a odUUH, aa OJ que em dtt Pavio inheiro, assim.oomo seja lacinhas de quadrinhos
; mente.sova no mercado,-e tendo entre elles mmtos F.tf*a mnnr mm ro.
cortes reos proprlos para^enhoras que.esto de, Vo H *KaM Ppnas para a fesU.
!ulo;e endem-se pelo baratissimo preco do 2& h. *** as,!n;,,s bonas.bareges de laa^ se-
kada um psra acabar : ,na loia do Pavo. cu.da '2 socQza as mais modernas que tem-vi n-
|.do ao mercado pelo baratissimo prego de 560 o
.covado, cseas rocezas de orna s cor a 3flO e
:360 o covado, ditas com palirat; solas sendo io-
; das e graudas pelojaratissimo preco de 280, 360
e 400 rs. o covado.-: .ic-to na loja e armazem de fa-
zendas na ra da Imperatriz n. 72, de Guimares
Luuanio.
fiaios Aonladas.
Vondem-se as mais,bernias salas ordadas sen-
do.basunte largas e muko bem bordadas pelo ba-
ratissimo preco de 65508* 7.
Vestidos de tarlataoa muito lina seade brancos
com barras de cores bordadas de la e seda sendo
os malsimodernos que tm indo ao mercado e
IQJL
Liquidado geral
Lourenco Pereira Mendes Guimaraes, ra da Im-
paralriz n. 56, loja e armazem da Arara, proprieta-
rio do grande armazem de fazendas e roupas feitas,
tem resolvido fazer urna nova liquidacao de todas
as qualidades de fzendas que exi.-letn no seu ar-
mazem, que vender trinia por cento menos do que
em outra parle, afim de se apurar dinheiro e fe-
char contas, por isso pede aorespeitavel publico de
aprovniar a occasiao, a Baber.
Lazinhas cliine/.as de qiiailrinhos
Vende-se liasinnas finas a 200 e 20 o covado,
dila com palmas a 320 e 3G0, cassas do nina s cr
a 320 e 3(50 o covado, dilas de palmas 280 320,
360 e 400 o covado : ra da Imperalriz o. 56, Men-
I des Guimaraes.
l-'azrmlas de gnsto
Vende se as mais modernas bareges de laa e se-
' da, sendo fazenda de gnslo pelo baralissimo prfeo
: de 560 o covado.
Saias bordadas
Vende-se saias borbadas pelo barato preco de
l'GHm e 7$, tiras bordadas a 15. ntremelos 800 e
Kicos corles lirancos bordados
Jtecebeu-se bonitos cortes bordados e de cores,
de la e seda, que se vende a 8,5, !5 e I0 cada
cof!e.
Chales de uterino
A pechlncha esta se acabando, chales de merino
a-
Iti.-cados escocezes
Vonde-se riscados escocezes, a 240 e 260 o co-
vado:: s o Arara.
Percalas linas
Vede-se percales muilo linas, sendo de muito
bom #osto, e lendo de bonitos desenhos com lislras
a.palmas solas,sendo fazenda inieiranieote de gos-
to, se ende a 460 e 500 o cova'io, chitas escuras
e claras, a 200, 240, 280, 320 e 3C0 .. covado, bre-
tanha de linho de duas larcuras. a 15 a vara, len-
cos de csajbraia braoco, a 25400, 25 e 35 a duzia,
| dnos de'tobo, a 440,500 e 000 cada um : M-ndes
Guimaraec
Cobertores ir. aigodo .
V'ende-s cobertores de aigodo, a 800 e IfSOQ
ea4a um, ditos escarales de la, a 55 : ra da lm-
peratriz a. .A
Camisas fraorezas
12 frascos de cheiros muito finos a
a sacca de 91 libras tem muila gomroa, dase ba- *abooeleg pequeo* de -l.oLH a 240 rs. e grandesa
ntn nnr ir nru-oon s no armazem da eslrella 32 rs.
Dnzia 4e saboneles pequeos com cheiro a 700 rs.
rato por ler porcao.
arb'Q do Paratto a, 14.
ATTEI\CAO
Vende-se as olarias de Jos Carueii.. da Cunha'
e /rente ao hospital Pedro II, e na ra dos Pra-
zar.es n. 38, telha superijr de barro de agua doce a
305 o rollneiro, alveoaria batida a 30j, e ladrilho pJUZ2L -fc-< a .a
a 865000. "222PJS.ebe,ros de lodo ospre&s a 160, 200,
Agua deotiOce superior qualidsde a 800 rs.
Caixas om superior p Ae MHM a 800 rs.
Frascos Ai superiores eseeacias santal e outros a
15200.
Frascos coa essencias para tirar soduas de ronpa
aSOOrs.
Veode-se urna negrinha de idade de 10 a n
no : i tratar na ra da Imperatriz n. 20,
correciros
240 e 320.
Frascos bonitos com cheiros finos a S00 rs.
Duzia de meias muilo finas para senhora a
45800.
Gollinhas moito finas para senhora a 200 r.
Caixas com soldados de chumbo para meninos a
160 rs.
Seleiros e
PECHINCH
Sola de lustre em perfeiio estado, *"
meio............20000 s de fita de ISa Dara debrnm de vestido, com
** .... nu.w. iec 10 varas a 600 rs.
*3-Bina 'rf- Dilas de bicos superioree, para acabar a 600 e
mM.MJMM.JMm Pedra6 de lousa para meninos a 160 rs.
Vende-se urna pilha elctrica para galvanismo, Bunecoe de choro e panno a 160 rs.
por commodo preco; na ra de Santa Rita o. IB. Caixas com boniu>s estampas para rap a 100 rs.
- Veode-se a fabrica de charutos e cigarros aPach8 ""Pridos, boa fazenda a 600'rs.
da ra do Aragao n. 32, be.m afregi.ezada : a ira- Gr.^s de boUtes Pe(Juenos pretos para calca a
tar Da ra dos Coelhos n. 2] luu S ..
---------------------------------* ------------------ varas de cordao de esparlilho a 20 rs.
\o\a pablicaeio. Novellos francezes com 20 jardas a 40 rs.
Tabella do veocimenlo mensal o diario da com- Fecas de tiras bordadas a 640.
panhia dos guardas das alfandegas do imperio, se- Uzias de meias cruas mui'e fortes e superiores a
guida de taboas do clenlo pelos dias do mez : i 35500.
venda na livraria univerul, roa do Imperador nu- *-----trfr-.---------------p---------^-------------------
mero 34. vndese um cylindro, urna masseira, nma
"--------------------------1------------------------- balanca grande e urna dita pequea, com todos os
Vende-se urna roobilia deamarello ja usada: pesos e mais nleocillos de padarla : a tratar na
na roa estrella do Rosario 0.17, 2 aodor. ra Direita n. 24.
mperatriL 60, de Gama & -Silva.
UmU
!>ecbich
iflrtuna loja A Pavo.
Xaziuhas a 32l>
LSaziohas a 3io
Laazinfcas A 33f. .-- nmi.- ni>n vecoe e ma.s .boctas laaziofeas matizadas com os mais aulas de seda ara bomtiii
iodos dueabos, sendo /azenda que mi cinco tus- Veodem-se as mais lindas anlas d seta oara
&TSSf!? pe''J **ra,,ssim<> t-?0 de urna horoem lendo de todas as coreT pe o, ba* imo
pataca o cavado por ser tima grande poneao desta preco de 15300, 15400 e lS -isto na aava Io
Vestidos a 4 ;> Colaj-joios da linfas para homem.
Vendem-se cortes de vestidos a Maria Pia om Vendem-se colarinhos de linho para home#i
^arras bordadas, pelo baratissimo preco de &m sendo os mais moiernos e melhores que ha no,
para acabar : oa toja e armazem do Pavo, ra da mercado pelo baratsimo preco de 55500 e 65 a i
Imperatriz n. 60, de fiama & Silva. duzia. ^^
Lazinla a Un, Chales de aierii eslampados a |f.
yendem-se superiores Jaazinhas transparentes Vendem se bonitos chales de merino estampa-' % 2'00 e 35; s Loureuco"Pereira Medes"Gui
com bonitos padroes, ?endo lisas e dequadros, pelo dos pelo baratissimo preco de 25, ditos lizos de ; maries, ra da Imperatriz n, 56.
baratissimo prego de 160 rs, o covado. isto para todas as cores a 35800 e 4, ditos finos sendo es-
acabar : na loja do Pavo, ra da Imperatriz b. 60, lampados a 65500, 75, 75800 e 85
de Cama & Silva Cartraiw .raneas.'
Manguitos e golas a MO rs. Vendem-se pecas de cambralas brancas a 35
Vendem-se manguitos com golas de cambraia 35500, 45, 45500 e 55, ditas muilo linas lendo
pelo baratissimo prego de 500 rs., isio para li- urna vara de largura a 9i e 105 : isto s na nova
ra da Imperatriz n. loja de lazendas xa ra da Imgeratriz n 72 de
Guimaraes Irmo.
Riscados fseoeeezes.
Vendem-se os mais bonitos riscados escoceze
para vestidos de 6enhora e proprios para roupas
de meninos a 260 e 280, chitas francezas escuras
Paredes Porla
li'cebeu para corimados para cama franena a
115 a |eca cambraia lisa fina 3-5 i ale |5 a
pega, corle.-, de larlalana de bonito, g MM a :i5Mt>
t 45, cambraia coni flor de seda. aoMoa irviri-
ienie wos a tOO e 500 rs. o covado. no armazeai
la 1 orla larga n. 52, ra da Imperalriz juniu a-
aii.'i franceza.
Paredes Parla
Recebeu relo nlnmo patinete um rniroeoto >
emtea com pedmpm opscogo. 1, mti- raxiaea
de la para pescog, de senhora. Ra da haaaruira
n.52, armazem da pona larga.
Paredes Perla
Vt nde corles de gorgnri. preto para vestidr rom
21 r. vados cada um 355 15600. I|800 eio evado, las li/a bm a ;ia>
rs. o covadr, las de quadrinio para vest: ni -
lada, a 30 rs. o covado. Ra da Imperalriz i 'ri,
armazem da porta larga.
Pal ede Parla
Tem para vender par prego rommoilo. arpa te
esguio de linho rom 10 varas a 75. 85. fMM linho para lengesa 610 e 700 r-. a Tar.'lramir-
vara.
Paredes Parle
Vende corles de cambraia bordada* de riroe
gestos a 105 e 125, ruis aataanaa aara aaai
i e menino, ricos aorlpa de ttmbnu Marta Ni a
j 105 e 2('5, tari; Una branca e de ata I vi (
I rs. a vara. Ilua da Imperalriz armazem 0a |
larga n. 52.
Raupa frita
Rr.a da Imperatriz n. 7> arrr.aztn, !. ,
ga junio a padarla franceza, enconfra
labelecimenio nm romp-10 aaraaaaaaa !> i
saceos e sobrecasaros, de todas as quali Ma.
gas, colleles, ceroulas, camisas, pravaias, 1
t chapjs de sol, ditos (raamaa ^ n.r
precos rommedos, roaaa para menino e 1 aaraa
minias fazendas por pregos con.n. .dos. araaaz-ra
da porta larga.
o mesmoe-labelerin.ento encoutrar o maai
tavel publico, sempre um completo -urtimer lo t
I roui as feitas de todas as finalidades, r, o >..
paletos de alpaca preta at rr,di'. rabti
eos a 45 e 55, dilos de I um parJ. .. .>->
35"' 0, diios linos a 45 ditos n ia ral
35500, 45 e 55, ditos can-mira s*eri I". "!,*&
e 105. ditos sobrecasa.ns a 10 e 11-j Bt
no aseos a 65, 85 a 105. ditos srl '25
e 255, ditos de merino 1 reto a 65, I' 5, al-
gas de tu im de diversas qualidades ij.
dilos brancos a 25500 t 0500, rtii.
65 i 75. diios prtio.- a ?5, 65, >.> I
mias oazemiras a 35 e 45. ruin.- nt ai
qualidades, seroulas fraaeetase alai lo, r > o>
linho, dilas de bramante a 25 e llSO. rsaaira* aV
aigodo de linho franroas de 25-"'("' e '',',. ','-
de peiiiineha nesle genero, grvala- de | da> a
qualidades e brancas para la-aimn:*. gi r
lmenlo de meias para s. nl-i ras, diu.- paja !. u 1 es
a 35. superiores a 35500 e 45-
l'm comideto soriimenlo de chai i>e
alpaca a 35, dilos de seda a 55, 75- 1' v ''-*
ditos fraect-zes para cab ga, grande aattMawaa
a 65-
Pecbincha aflat; ; l.
Grande soriimenlo de chambre; I -..
lences de rambiaia para homem a L'o .. 4*-
tos de linho a 45 a 55.
Grande soilimeniu de ronpa para rata ea*>
tras iiiuilas qualidade.- que seria rab< :.- aata>
eiona-las.
Fnza?ndaii.
Vende si"-snperiir mermi'ein pri 1 ri r.
pa> de aeobora e vestidos a 2. iit-r,.: :< a 15800 o covado. Ra da Inq lah iz, pi lia .rea.
Paredes Porto.
Vende emseu estabeb cimento nr.i- a entrmelos
bordados, grande soriimenlo de aamaaaaa rir-
menle bordados a 35. 45 e 55. S o Par.il-- I' r
10, ra da Imperalriz no 52; porta larga faaaaj a
padaria franceza.
P.iredes Porto
Recebeu peluyii'nmo paquete Iraarn ri<*a- la*
granadinas com ikees de seda a tot a BM '-. o
covado. esio acahando-se, raaMaraa preta |
loto. I'oria larga junio a padaria franceza, ?. 10a
da Imperalriz n. 52.
Paredes Parto
Vende um completo aoniesenlo :
bra
10
ncas, como stjam mada|olo a 15500, i | 15 1
-_^, pegas de aigodo por barato parco, efe u Iraa-
ceza a 24(1, 280. 320. 360 rs. o n.vad -. ; r. ha-
muiln lina< a 360, 400 r?. o covado, Han i> ^lera
a200e2i0rs. o covado. Ra da Luperain: a
52, Jauto a padaria frsnreza.
Paredes Porto
Vende ganga> de cor propria para ronpa de me-
ninos a 320 rs. o novado, n.-cado francez nao a
320 rs. o covado. Ra da Imperalriz n. 52. jua*
a padaria Iranceza, porta larga.
Paredes Porlo
Recebeu pelo ultimo paquete aaaarttHaa a aa*"
guigoso por 3J. sao bons, lengos d seda paaa -e-
nbora a homem a I,*, ritos corles de rm bvata
bordados de I8 I 7?, por 'jh um t ajM d^ a
eslo se acabando, na ra da Imperalriz n. -2. (au-
to a padarla franceza.
l\ t|uidar : na loja "do Pavo,
60, de Gama & Silva.
Caries de ebita do Pavo
Vendem-se crte6 de chila franceza muito boa
com 10 covados a 25400, ditos com 11 covados a
!5600, ditos com 12 covados a 25800, Islo s
-., -..^ w, > u.o,,,,:. a oiu, iw so c iiii-iuiiu. a ivu e zriu, cnuas trancezas escuras
para acabar : na loja do Pavo, ra da Imperalriz e claras a 240. 260. 280. 300 e 320, dilas percales
0. OO. de Gama A Silva. minio linic tfn /ia en______j. ... .,
Veade-se .eamisas francezas a 15fi00 e 15800,
pregas largas a 25, 5240 e i&SO.. finas a 25800
e 35, brim de laho de cores, se vende a Jj>280 e
15 a vara, curtes de brim de cor, a 15280. 15100.
5600,15800* 25, de brim pardo a 640, 700 e 800
rs. a vara.
Xatipas feitas
Grande sortimeato de roupas feitas, caigas de
brim branco a 25, o> linho a 35200 e 35500 cada '
urna camisa 35 e 35S00. finas a 65 e 75560, pali-
tols de brim a 25. 25500, 25800 e 35 de, casemira
,35o00, 45. 55. 6$, 7, .85, 85500 e 105, sohreca-
6acos a 125,145 e i6, pretos e de cores, caigas de
br.m e de coros, a 15280, 15440. U600, 15800,
Araran. 56. Heudes (uinares.
Familia ne mandioca.
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo_(& C, no teu escriplorio ra da Cruz n. 1.
Vndese urna cadeirinlia de bragos, "nova
com os coropeteuuis correames : na ra 00 Impe-
rador b 45,3 andar.
Corles de dura com barras a' laa raaria t.^.
na. fazenda superior, a 45 cada um. nao- ,.!*,
francez muilo encorpsdo proprio para ,i, -,'.
misas a 105300 a pegs, ou a'iOO a va a >
ing ez con.i24 jardas a 45 a p^-a. raiaae. rm
saluda de bail.-a 25500, algodi. z.nl. iarg. r ..
i 20 jardas a 4.5200 a pega, bramante melado >
linho para lencoes a 25200 a vara. hilas fraaW
25o00, cambraias lisas muilo fina- com 8 |,f *a.
ras e com mais de urna vara de largura a Mi
boica. f M ra d,> 0oeimado 7- ao p aa
n. 60, de Gama & Silv
4 gasa I hos para cabera de'senhoras.
Vendem-se superiores agasalhos para cabega de
senhora 00 cachins, sendo fazenda mais moderna
que lem vindo nesle genero ao mercado, pelo ba-
ralisfimo prego de 35 cada um : na loja e arma-
zem do Pavao, ra da Imperatriz n. 00, de Gama
& Silva.
Chales de renda a 10/1,12& 18& 200 e 2S, na
linho dos melhores que ha tm chales de reoda a' Novidade
?-.*^' d5S bra0C i* lreS p0DS,a **> ,8t0 Chear>> os bonitos chales e retondaa de guipu
?? h r.m?'j.Ti avS' rUa d3 aiPera,riz braDC0>- vendem-se na roa da Imperatrir a
0 60, de Gama & Silva. w, loja da porta larga, de Paredes Porto
r-r.111 rn\/Fi i--------
muilo finas a 360, 400 e 440 o covado: isto s na
i nova loja e armazem de fazendas na ra da Im-
peralriz n. 72, de Guimaraes & Irmo.
Camisas francezes.
Vendem se camisas fraucezas a 15500, 1#800,
25, 25500 e 35, dilas com peito de cor a 2$ e
25500 : isto s na loja de Guimaraes & Irmo.
Luvas de Jouvin.
a loja de miudezas na roa do Queima-
1JE\AS JE A
Vendem-se superiores penas d'ago bico de lan-
ga pelo barato prego de 320 rs. a gr^za : na ra
doQueimado n. 40, loja de fazendas.
Em casa de Phipps Orothers"f C, roa do
Vigario o. 2, vendem se cofres do ferro, prova de
fogo, dos afamados abricanles Milner 4 Son, de
Liverpool.
Vende-se um mulalinho de 16 a 17 annos,
proprio para pagem por ser muilo bonito e de boa
conducta: na ra do Imperador n. 45, terceiro
andar.
ava riada
Fraocez barrica 5500v
Portland idem 85500
Em perfeiio estado:
Francez barrica 1*5000
Portland idem 125000
No armazem de Tassn Irmaos cae do'AaaHn
fillAXA EM BE\H\.
Vende-se grana em begas de .-uperior auaa-
dade, largo da Assembla armazem de a,a.ar.
Vende-se um eseravo cabra e*mro, ai-aieir-
e cozmheiro, barato : no collegio d.. Ceic*. nm
Coelhos n, 12. No mesmo collegio se haaa m
grande sitio com multa fructo, baoho ele aa T^
marineira. m9 '
Colla da Baha superior
Tem para vender Antonio Luiz de Azevedo &
C., no seo escrlptorio ra da Cruz n. i.
Cera de carnauba^
Vende se auperior cera de carnauba por barato
preco ; na ra do vigario n. 26.
Vende-se a casa terrea sita na raa as P^r
narobucanas, na Capunga Nova, entre a RVa
as casas do Sr. Barlholomeu L-.nrrneo, |f n nr,,,
commodos para pequea familia a oro exteaa
quintal com diversos arvoredos : a tratar na roa
do Imperador n. 81.
Na roa do Raogel a 9 vendem-se sace** t.
?'"s que foram de farinha de trigo.
Vendem-se palmeiras impenaes, em rMaeto
de serem iransplantadas : no aillo murad av
querda, depois. do becco do Espiabeiro. aos Af-
Dictoi


Diarlo de Peraarabuc Segunda|

N. 11Ra do QueimadoN. 11
A' casa de Augusto Porto chegnram pelo vapor francez ricos cortes de
ves!i partidas ou casamenlos.
Chatos de Guipure pretos e brancos.
BoBets de paltia da Italia para senboras.
Moir branco e preto.
Bolita seda pira vestidos,
Oasemiras de quadros.
Epeiras da India para salas.
Madapotes francezes .a 400 e500rs, a vara
Lftas para vestidos de diversas qualidades, e
gostos diffreentes,
Q que tu lo se vende pelos mais commodos procos.
'tsar
es integramente novos.
CORTES DE SEOI
legaron pelo paquete iuglez riqusimos cortes de raoreantique de cores, e seda lavrada pa-
;nt novos. .
Seda de quadros por 1#000 o covado
5RA DO CRESPO-5
Gregorio Wme* do Amaral & Companhla.
^e^^sa^axg^asgu. <^ a
*Wo'
Para vestidos de senhora.
4 fiies de seda de cor de bom gosto e superior qualidade.
; Lindas sedas de quadrinhos.
i.,,': B< ns moireanliques de cores.
inisdenaples da todas as cores. j
L'ndos poil d chevre fazenda asselinada de inteira nnidade.
Lindas duquezas assetinadas frzenda inteiramente nova.
{ Mdernos grenadines de seda o que lera vindo de mais novo. }
Gr-1 Je variedade de litas de cores li>ase de salpicos.
f > i Ir ra idys e ca sas de muilo bora go.-to. ,
l: J PercaUas modernas com grande varifjdade.
f),.. Linios 'orles de 15a Clotilde com ibdos os pertences cada um era seacar-
b ij\., :,! ramete novos. ^ B cortes deca-sa coa birra lam -m nleir.im.rate novos eoutras mu
Minias de gosto quesera enf.idonh) mencionar.
f! Para hom^rhs de snhora
Grande rariedade de diales, bo'irnoik retondes e algeriennes de fil
uipiKfl a 10, IG, 20, 30, 40, 60 alif 05
Modernos soutembar.jues de seda dej superior quihdade.
i' 1. nd -- bertes de seda de cor pretos de cacheraira.
'' I! >oi de cambraia branca b ird-da COIB milito gosto.
-.nii.-;nbarqncs e hournoux de cacbtnira de cor e outn
:' ;- ,st0, ~ ,
Para cabera de senhora
e de
ded
Superiores chapelinas de palha, de eda e de crina de muito bom gosto a im-
p ratri. ,
,' Cl.r.pos de pdlia da Italia grande variedade. *
Lindos gorros e bonete de palha de Italia, Iraperatriz, Canutier, a Clotilde
e ;i tirante, chegados de Parispeo ultimo vapor. j
Gratule variedade deeofeites defroco e de llores para casamento.
i S iperiores vestidos de Won le, e de m dreantqae brancos.
J Bous moireantiqies brancas e s iperiores sedas brancas. <
: 's vestidos dd tarlatana branco bordados. .
Lindas mantas de blinde e boas capellas. i
Bordados.
Grande variedade de ntremelos bordados transparente e tapados. (
i ; bordadas transparentes e lapadas, babados bordados, saias bordadle
outros indios ariigos.
BiOJ^ :%S COIjUJIMAS
DE *NTiNl< r.OBRRI* > VAS ONCKLLOS & C.
RA CRESPO Iff. 13

>;
da
Loja da boa f na ra
ImperatrLs n. 74.
Vend to ;e ,ico> enfeil&s para cab*c,a a 2^500.
! al ,. -lis para alisar a 210.
b Wa c>n mapa de metal branco a 500.
..- :i,:is para denlas a 120, 2io e 500.
..:,,< pira costura a300,800 e 15.
H i = m iil i uas para seijh.ra a 3J e 409 o
par.
C. xa coj 50 nvelos de linha do gaz a 700.
r n,i i iai 100 envelles a 800.
Ciix- coin papal pautado a 700
i! uiaa le papel almago greve a 33200.
Tinti prrta 'iara escrev^r bnaia 110.
I' cas < garlos de balan;.) a oioOO e 05-5 >0.
. ei as para nomnii a 200 e 2S0 o pm
Alfiu*!^ le lodos os lamamos a 100 a carta.
V la i- llnho pega 50 e 120.
(* ifdao nara vestido a 30 rs. a pega.
Dilu imperial pega 40 rs.
Cala rom obrejas muilo boas a 40 rs.
Baralbo d cartas finas a 240.
6r -i .1^ bcSo de louga para camisa a 120.
Hit )s d m ilrpperola muito finos a 640.
Ciia eorxate muito bons a 40_ rs.
Caria da curele* muito b ns a GO rs.
Grvalas (le >ela prega e de cores a 500.
Jopo le w i pora a 800 e 500.
Ca xas muitBoas para rap a lj5-
E ii > apleto sor lenlo de miudezas que se
v, i,J. ni ! j.i par. Hpurar dinheno.
Acha-se
ven-ia na uvraria acadmica, na roa do Impera-
dor ; .a do Sr. Nogueira, junio ao arco de Saotc
Anluiio ; e ua typograpbia imparcial, na ra e-
iri 11 R isario a compilago de toda a legi?!aca<
teudenH ; -uimnistrago, arrecartagao e fiscali-
t i d ... diu.i. iros de orpbaos detuntos e ausen-
tes, braficas (acuntes, legados, ele, contendo nac
s o nvmiMila de cusas e a lei geral das eiecu
co s Como lainbem todas as ordens e avisos do
i,:-",. ipip a ludo tem explicado, lano a respai-
lo das obrigac8 inherentes ao cargo dos difTereo-
l, 5 mpi ido de justiga e fazenda, cuno dos di
reo< naeiooaei e emolumentos que sao devidos.
Bste livro contando mais de 700 paginas em ntido
i" presxS o bom papel, e prestndose a utilidad'
de dieren!.'* "-lasses, loma-se recommpodawi
8:'.i rusto 10500 por cada exemplar em doas
oin W_______^
IIULES
Grande pech'nrln.
M ria >la imueretrfl n. 5 pona lirga d. P^re-
de* i'.ni.. veode-sa ahelea de merino eslampados a
25 e 2;5U0 e linos 55, eslo se acabando.
Bordados.
Clwnn a l.ja Paredes P.Tto, ra da Impera-
Iriz n. 52, uiiiTWlimcolo de caniizinhas, gollinhas,
coi'linli'is, roiulras e sint>, de cambraia branca,
i,.i.,io prxfr.de 25500, 3*500 45. lolhnhas
500 rs., rorin iras a 800 e suil..s a 800 rs, grande
guambiada de -ntremeios a 600 e 800 rs, a p->ga,
e-1.11 se acabando.
"JNCCAO-imdW.
Remediu infallivel as agoorrbeas antigs
era-entis, utreo deposito na pliarmacia
fra ceza. ra da Cruz n. 22 e ao preco de
30000.
LOJA DO BE1JA FLOR
Na ni -i do Queimado d. <>3.
Nesta loja por todos os vapores se recebe luvas de
pellica braocas e de cores, tanto para hornera como
para senhora.
Votas, Chegou no ultimo vapor ura grande sorliraento
do voltas e cruzes, imitando cornalinas brancas,
assim como brincos da moaam e d* crystal do mais
apurado goslo que se pode desejar, fui s6 qoem
recebeu : na loja do b3ija-llor, ra do Queimado
n. 63.
Eiifeites para coque.
Assim como recebeu enfeils para coque e eu-
tras muitas qualidades, que se vendem mais barato
do oue em outra qualquer parte.
lioneras que cliam m mami e papai.
Teodo recebido ura grande sorlirnento de bone-
cas que charaam papai e inamai e raovem eom os
olhos, muilo bem vestidas, cora cabelleiras, o
que p le haver de gosto neste genero, e veade se
mais barato do que em outra qualquer parle.
Batata.
Asim como um bonito sortimento de balaios para
menina de escola, tambara ha muilo bons penles
para desembaragar, guarnecidos de metal.
Bichas de Hamburgo i
*0 todos os paquetes da Europa se recebe f
'" deslas amigas dn sangue humano e se |B
B vendem a troco de ponco lucro s afim ^
Jg| de ter sempre cousa nova : a loja de bar- MR
.', beiro ra estreita do Rosario n. 3, ao pe ^
daireja.---------------------WWI^J
\jmm
ano-
0
BAILfe 1)0 CUBE
Gregorio Paes do Amaral & Companhia.
AO RESPEITAVEL PUBLICO
i
A tabella abaixo publicada serve dej base de presos,
tanto deste armazem como do armazemprogressivo pa-
teo do Crmo n. 9, principal armazem ra do Impera-
dor n. 40.
Fazetn scienie ao respeitavel publico, e cora especialidade aos senhores de en-
yenhos, lavradores e mais pessoas rio centro, que para raais facilitar suas compras deli-
OfJerecem a lodos os convidados, do exp'errdMo baile do Club Pe
seu bello e escolliido sortimento de fazendas de plnntasia, chegadas pelo Gmewmt, qk
consta das seguintes especialidades.
Tetitldos Cesarlas.
Linda e nova fazenda de l-lnilliant, transparente, eos listas e flores de seda,
padres do ultimo gosto.
Em cortes padi oes novo?, escuros e claros.
Em pecis moireanlique liso ondendo e lavrado.
dem eslampado com listas e flores.
Ti ra lana.
Hesta urna diminuta porciio de c'ntes de tarlatana branca, enfeitados capric
menle a cores. Todos os amadores de partidas e soirs, bao comprado para soas
ias estes vestidos, j pelo, diminuto preco, ja pelo bonito gosto.
BWFEIfni
A' imperat'iz Eugenia e a rainba Victoria que adaptara com moila ei
ao kok.
Jouvin k C.
Resenlia-se o nosso mercado da falta absoluta das verdadeiras hM *aas.
Temos a satisfagao de poder annuncia-las a nossos fregoezes pelo preco de 3QQO o par.
grande a economa vista da flexibil dade e bom acabado, que Ibes da rispia
durafo sobre as falsificadas.
Trlnta diversos ohjeelts
Proprios para o complemento dos enfeites de vestido como bertbes, eostagss,
suspensorios, etc., gostos os mais pliantusticos em dentelle preto e braoco. tafeo ele.
Mandam-se amostras.
D 'ademas e penles de tsrtfsrags.
E a primeira vez que vem esta fazenda ao mercado. A pequea porcao que res-
a convida as Exmas. senhora a urna breve compra.
CIATOS
Com fi\ellas de madreperolagravaua, tartaruga, metal, etc.
Chales de fll de co^es.
Nova remessa, destes chales c rcto.-.dcs a duas e mais cores em xadrez Hada se
pode julgar do mas:nfi :o effeilo destds chales, em experimentar; as pessoas que os de-
sejarem mandaremos amostras.
E urna infini laMe de fazendas de gosto, como sejam:
Chales de fil pelo de 103000.
Os mais ricos vestidos para menino de 3 a B annos.
Colxas de croeg e pannos de labyrintho.
Tif branco e fil de seda.
Superiores baloes de clina, recommendaveis pela longa duraco e bom talbo.
Tudo a
Deraram os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir t
aenlos em um s aonuncio, pelo qual o preco de um ser de iodos, promette-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicad)
por um prego, e na occasio da compra quererem por outro.
mente em outras muitas casas, porra nos nossos estabeleciraentos nao se dar isto
xidar seus fmulos que
favor de mandar seus
metiendo nos urna conla
(eoao arrepender pessoa
pois poupar mais de
jdoi os seos estabeleci-
0, annunciar os geueros
como socede* constante-
atada mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder m
serSo tam em servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, r<
pela qual se ver os preces tal qual annunciarmos, o que
aiguma que 6zer sua despenca em nossos estabelecimentos
5 por ceuto na sua despeza diaria.
Manteiga i gleza perfettamente flor che-
gada ltimamente de 1,00oa I,loo rs. a li-
bra, eem barril ter abatimento.
Manteiga franceza da safra nova a 860 rs.
a libra e em barril ter abatimento.
BANHV
Banha refinada superior a 6io rs. e em
barril ter abatimento.
Cha uxim de primeira e superior qualida-
de a 2,8oo rs.
dem hysssn o melhor neste genero a
2,6oo rs., e sendo em porcoter abatimen-
to, lambem ha proprio para egocio de 2 a
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de l,8oo a 2,5oo rs.
a libra.
Bisconlos
s
Superior servej
arveja
Bass dos melhores fa-
bricantes, como sejjam: Shlers & Bell. T. F.
Ashe a 7,5oo e 7,
100 rs. a ozia e a 7oors.
como seja: Victori
zia e a 5oo rs. a
1
Superior vinag
caada e 280 rs.
a garrafa. Tambem ha de outras marcas
1 e Alcope a 5,ooo rs. a du-
jarrafa.
inagre
de L'sboa a 2,ooo rs. a
a garrafa. Tambem ha
mais baixo para 2bo rs. a garrafa el,4oors.
a caada.
A zvite doce
Superior azeite doce de Lisboa a &4o rs. a
garrafa e a 5,000 rs. a eanada.
iassas
Macarro e takjerim a 360 rs. a libra e a
1^,000 rs. a caiM'.'
Latas com superior biscouto infllez de di-! pPassas
versas marcas a l,2oo rs a lata. Superiores paisas a 3\ooo o quarto e
Bolaeblnhas > I2',5oo rs. a ca sal de arroba hespanhola e a
Latas-com bolachinhis da acreditada fa-|5oors. a libra,
brica do beato Antonio, proprias para dar a. rWwi'RH A
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata. j ?*, t 1 i ^
dem eom quatro libras de bolachinha de' Genebra de lartanja verdadeira a lo,5oo a
soda a 2,000 rs a lata. i ** e 1,00o rs ao frasco.
Oiimnc Genebra de lo lana verdadeira a 6j0oo
UucIjOa !rs. afiasqueira e 1 56o rs. o frasco.
Queijos flamengos cheg'dos no ultimo i(]om de llollanda em botijas a ioo rs.ca-
vapor a 2,5oors., tambem ha do vapor pas- fo ums.
w
Q&I5
sado a 2,3oo rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespanhol a 1,000 e-1,200 rs.
a libra, francez e suisso a l,ooo rs. a libra
e portuguez a 800 rs. a libra, em porc3o
ter abatimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madsa Secca,
Duque do Porto, Velho Secco, Lagrimas do
Douro. Maria Pia, l> Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces eoutras raarGas a I,oso a garra-
fa e 9.000 a ti 000 rs. a duzia.
Vinho Fgueira e Lisboa das- melhores
marcas a too e 5oo rs. a garrafa, e a 3.000,
3,5oo e i.000 rs. a caada.
Superior vinho chainisso em barril a 64o
rs. a garrafe e a 4,5oo rs a caada.
Superior vinho da Lisboa e Fgueira em.
anewretasde 8e0caadas a 2V,ooo rs. a an-
cor eta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambera ha mais bai-
xo para 4oe, 5oo rs. a garrafa e 3,2o a
3,5oo a caada.
Caizas com urna duzia de-garrafas de-su-
perior vinho Bordeaux a 7,000 rs. a cauta e
7oo rs. a garrafa.
C1FE
Caf do Rio de 1. o 2. quaUdada de
6.800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
Minio
Garrafes com. 2j& garrafas- de genebra de
HDlIanda a S.ooa- ra. o garr.ifao. Tambem
ha jjarrafes com-Sie 14 garrafas de 3,2oo a
feooo rs. cada unii
Velas
Velas de sperraactete a 64e rs. a libra,
dem de carnauba de lo a 12,ooors- a
arroba e de 36oa<4&o rs. a libra.
PflXE
Peixe em latas- j; preparado de l,coo a
5,2oo rs. a lata
ALPISTAl E PAHfG
Alpista e painco puito novo de 3,8oo a
4,000 rs. a arroba eide 14o e 160 rs^.a li-
bra.
CHARUTOS.
Charutos doa-mais acreditados fabrican-
es, como sejasa: J0S0 Furtado da Serrias,
Manoel Peixoto. da Silva Nalti), Casanho &
Filho e Brandfio e (Je oairos mios, os
quaes vendemfts pelo modisa preco de 1.600,
2, 2,8oo, 3,3eo, 4,000, e SOOOts. a cai&a.
Ucores
Licores fraacezes e irtiiguezes a l.ooo e
l,4oo rs. a gwrrafa ou frasco.
Doces
Doce da casca da goiaba e eaixes pe-
queoos a Ico rs. ede Socaixoes para cima
a 64o rs. caixo.
Frats
Frotas em calda e era latas fechadas ber-
meticamaate, muito hera, enfeitadas, conten-
do pera, yece^o, ameisa rainaa Claudia, al
colares Royer on colares
dinos
para facilitar a denllgSo das eriaogas e preserva-
las das convuls5es.
O Miz resollado obtido immen prodigiosa forca magnelit-a do" colares Roypr, dos
casos de convulsoes, e dentir^ao das criaB^as, lem
altamente elevado o sen bem merecido prestigio,
e hoje jA se pode diier que estao geralmente con-
CfiMiados, e estimados de innumeraveis pais de
familias : de uns porque do uso dsses salutares
ciliares viram salvos do perigo seus charos fllhi-
ohos e d outros porque colheram d^qoelles to
proficuo exemplo para jgualmonie preservar os
leos. Assim, pols, a aguia branca, tendo em vis-
tas a uilli lade proveit desses prodigiosos cola-
res anodinos ou R'yer-, raaod )U vir o novo sorti-
mento que agora recebeu, e continuar a recbe-
los para que em lempo algum a falta delles possa
ser funesta an< pas de familia, os quaes ficaro
serlos de os adiar constantemente na ra do Quei-
uiaao, luja d'aguia branca n. 8.
Vioho do Porto superior em caixa de duzia,
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
1o Venilein-se duas escravas rer.olbidas, de ida-
de 23 a2t ann is, excellente c.'ndurta, engommam
perfeitameolp e fazem todo o servido de urna casa :
na travessa o Carmo n. k
Vde-pe um sitio em emfica a' margem do
rio Capiharibe, com bastantes commodos para urna
grande familia : trata-se na ra Nova D. 14, das 9
i oras as 4 da larde.
Sabo maca de primeira qualidade de 18o' perche e outras frotas ao> s. a tela.
a22ors. a libra eds 46o a alora, sendo Jambm bahas graades para l,2oors. a
em caix3o.
lata.

Uvas pelo ultimo vapor.
Peras pelo ultimo vapor.
Macas pelo ultimo vapor
Ameixas pelo oltimo vapor.
Passas pelo ultimo vapor.
Fios pelo ultimo vapor.
Frats seccas pelo ultimo vapor.
Fructas era calda pelo ul'.imo vapor.
Nozes pelo ultimo vapor.
Queijos londrinos pelo uhimo vapor.
Queijos flamengos frescos pe'o ultimo vapor.
Presunto fiambre pelo ul'inio vapor.
Tudo se vende barato << seguintes a.ma/.ens:
Ra do Imperador a. 40, verd.-idelro 9'rlacipal.
Ra do Q^ielmado a 9, i'olo e Comntrrelo.
Largo do Carmo n. O, Progresslvo.
ILEGVELl
5
DO CRESPO 5
o
DE
AZEVEDO FLORES
Ra da Cadera do Recite, esquina da Madre de Dcns.
{ji-aiioV sortimeolo de ftttfl! pnr alara o c a raala e um caalels ssr
melo de rpa fcita, decasemira edeb'im, ta4o ssr ajajaj a^| es
oalra qualqutr parle: quem i lar vealia ver.
de lindas e finissimas casemiras escutas e claras, de superior casemira preta, de Ins
brins brancos e bom brim pardo.
Paletos
de superiores casemirasescuras e claras, de liad alpaka branca, de superior alpaka pre-
ta e de brim pardo.
Colletes
de beafr casemiras pretae e de coras e de lino Ir im branco.
i'A.'vtl^.VS
Superiores cimsas franceza6 de 2$ at :>$.
Ce ron las.
Geroulas de superior bramante de Ras linbo.
II i loe.
Superiores balesde arcos para meninas de 2 at 12 annos.
dem superiores para seuliora.
Grvalas e mantas.
Superiores mantas para pescoco de hornera, as mais esodernas do mercado.
Uadapolo.
Madapolo boro a 8, 9|, tf>4 e 12d.
Chapeas de sol.
Superiores chapeos de sol oe seda balao a 103.
Fraques de easemlra.
Fraques de casemiras, preta, escura e de cores claras, e nao haneodo que sirva
ao Asgan manda-se &zer por me>lida e Cinimuita promptidao.
Todas estas fazendas por precis insi^nilicautissimos, pois o filo do Balao ad-
quirir freguezes.
LOJA DO BALAO
AZEVEDO & FTiORt:.
ARMAZEM IIE F\TAXf>\H
DE
c.
10^000
CUSTODIO (AKVAIJIO
27 RA DO QUE MADO N. 27
Madapolio francez muito fino, tendo pouco mofo, cada peca com 27 taras por
.
Ua de c res a 300 rs. o covado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a prec<> de 800 rs a vara.
Lenco* bra eos para algibeira a 25 00 a duzi.
Fin sperclaras a preco de 400, 440 a 560 rs. o covado.
Ricos co'tes de la de barra de 10,? a 3jon.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.

MODA.
Paredes Porto recebeu pelo ultimo paquete om 'romplelo 5ortimeo o SSSSS
bonrnos d* core ricamente OlrtMSxfcM a Mi, 15* e 28* : oa ra da Impwalru n. SI,
loja da porta larga junto a padaria francea.
GZ.
No armar.em da na do Imperador n. 3
Caes de Pedro II n. 2, tem nara venderse-
Ibor gaz existente no marcado.
on no
o me-
Fanha a 3#5 "
Vndese farinh'a de mandioca, saceos grandes :
no armatem dos Srs Tas pelo preco cima mencionados.
Vendem-se
machinas americanas de serr* para
algodo : na roa da Senxala Nova a. 41.
CAMBRAIA.
Camhrala de forro con 8 l|S vara* a a*t a to,
e*t- lmpci atril n. 52, de Paredes Porto,___________
roanas de ema de m ti i lo ja pana
vnd>.se na roa do Vgarii 14, t*
pieria-


Diarlo de peroambuco Segundafelra 9 9 Je XoTembro de !.
i.
I
0
AO PUBLICO
ein o menor constran
glmento se entregar
Importe do genero que
nao agradar.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
i su ;pini;t ana
AO
RESPEITAVEL PUBLICO.
A apreciadlo dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
da Liga estabelecido rus Nova n. 60 um magnifico sortimento [de molhados,
que sendo em sua maxmi parte mandados vir directamente do estrangeiro'*podem ser
rendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm ffiancar, com toda a seguranca de qne
neahum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
1/ Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3/ Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sua posicao social gozam de certo tratamento, acharSo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condic5o do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte faro meDsalmente urna economa de
moitas patacas, afreguezaodo-se nesta casa, onde se Ihes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
den ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, qne compran para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhor.s que coiapram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhores
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DINHEIRO A VISTA:
\, i Graixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
ALPISTA a 120 rs. a libra. Uma.
dem e painco de oito libras para cima a
100 rs.
Arroz de 90 rs. a libra a........
Amendoas, casca raolle, a 280 rs. a libra.
Avellas a 210 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os ta-
annos.
dem idem em potes de todos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de todos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Alhos a 200 rs. o molho.
Absyntho a 20G0 a garrafa.
B
BOLACHINtlAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas,
dem do Principe Alberto a 15800 a lata, e
de cinco para cima a 15700.
dem de so la em latas grandes a 2,5000 e
de cinco para cima a lf$800.
Biscoitos inglezes de todas as qualidades a
15200, l$2oUe 15300.
Bolo francez em caixinhas a 400 rs. cada
uma.
Batatas inglesas.
Bamia de poreo refinada.
C
CHOCOLATE francez a .600 rs. a libra,
dem suisso a 15 a libra,
dem de muego a 15300 a libra.
Chockicas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 210 e 260 rs. a libra, e em porco
se far a bat ment.
dem de primeira qualidade a 7O00 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
i'hampagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 15S00a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, o em duzia so faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'llavana, Exposico,
Flor do Brasil, Par sienses, elicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Hegalia, Mississipes,
Panetellos. Aprazivuis, Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qnalidades e de todos os
precos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto powta branca, etc., etc., a 25000,
252-0,255KO e23800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
(dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 25500, 35300, 45 e 55.
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior a 15 e 15500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rk>, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinhos.
9
DOCES de todas as qualidades: brasileiros,
portuguezes, ingezes, francezes, etc. etc.
B
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
RVAOooe a 400 rs. a libra.
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra.
dem de araruta a 320, 400, 500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
Feijao verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 300 rs. a libra.
dem americano em latas a 15.500
Farello ba sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
i KIRSCH de Wasser a 25 a garrafa.
L
! LATAS com graixa a 80 rs. cada uma.
Letria a 400 rs. a libra.

MANTEIGA ingleza e franceza de pi imeira
qualidade a 15, a libra.
Marmelada dos mais acreditados fabricantes.
Macarro e talharlm a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 6(10 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
35500.
Miliio painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
NOZES a 120 rs. a libra.
ISabos em latas a 800 rs.
O
Ostras ingle/.as e americanas.
P
PEIXE en) posta, latas grandes, a 15100, de
todas a qualidades, como sejam savel,
goras, cjorvina, pargo, salmo, pescado e
pescadijba, linguado, sardinha. etc., etc.,
Peras emjlalas, excellente preparacao.
Palitos para demes a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas en qnarto a 15400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada mjiito nova a 280 rs. a duzia.
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suiss0s a 600 rs. a libra,
dem londriinos a 800 rs. a libra.
Qartinha ou morinques a
I
RAPE' Mearon a 15 a libra.
dem Princjeza do Rio a 15200 a libra,
dem francez a 25300 a libra.

SABO massa a 160 rs. a libra, em caia se
faz abatimiento.
Sal retinadlo em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 25.
Sardinkas Je Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
Sag muito novo a -100 rs.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate eai la las a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
V
VINHOS!!!
Principe Alberto, de 1831, a 55000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 25 a garrafa.
Lagrimas drrOooro a 15500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 25 a garrafa
| Duque a 15 e 15500.
Chamisso a 15, 15200 e 15500 a garrafa.
D. Luiz a 15 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 25 a gar-
rafa.
Carcavelos a 15.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posico alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 80 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 15 a garrafa.
Absyntho a 25 a garrafa.
Kirsch a 25 a garrafa.
Wermouth a 25, e a caixa a 185.
Bitter Maurer a 15 a garrafa,
Vinbo figueira em ancoreta a 205.
dem Figueira e Lisboa em pipa a 25500 a
eanada.
. ATTENCAQ
a presos da eguiL.
tabella e pa** todo, pc.
leudo asalin servir de hi-
te para o ajaste de coca*
com os portadores;
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o arco da Coucelcao)
PARA BEM DE TODOS;
ra dos gneros que precisarn e quando nao possam vir poderao mandar seus portadores, anda one e^cci;, na com- ""^ *"*""'"*'
n0,s sera-o to bem servidos como se viessem pessoalmente, brando para com estes toda recmmendS fimT JSiS"* ?ot5ffi&
Ira p?rte. ut) '/uenaovaoem a 20 rs.
Manteiga ingleza especialmente esctlhida a
l.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oors.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,000 e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato a 8oo rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilbas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4op rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
l,ooo e l,2oo rs. a libra.
Aletria, macarro e talliarim a loo rs. a li-
bra e 6,ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ou amtirella a 64o rs. a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de 9 caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, loo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excelleDte quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
daDouro, Duquedo Porto, Rainba de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
ra Secca, Malvazia fina a l6,ooo, 15,ooo,
12,ooo e 1 o,ooo a caixa com 1 duzia e 9oo,
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo
Sal refinado em frascos devidrocom lamia
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
RIVAL
SEJ9I SECt^fiO
Ra do fcuclmado bu. 49 e **.
Conlina a vender todas as roiuutia-. no., abano
declara por presos admiraveis.
Massos de palitos lixadoe para denie* a 100 rs.
E>pelbos demoldurasdouradasa Un, j(; t ;.20r.
Donis de oliado para menteos a !,> DO.
Uiius de couro superior lazei.da ;; bJMM .
Frascos-com superior lima re cha a 14* rs.
Meiadas de liniia froxa iaia hwdeO u v o
tasxas com 100 envelope>, fa-ic, if.a a 00 r>.
Gro2as de peonas deae.o, laiu, >u, n
Gro;as de botes maore| I e 640 rs.
Caixas com 30 novellos de lirha m a? a rf.fi r..
Cantas com superiores brelas r> ., ,|,. s,. rs.
Pfcas de fila branca elstica n ni \: :.~ tH' r.
Varas de franja de la paia culi m (, > :||cs a
40 rs.
Baralhos douradts superiores (t.,, .~ r'.d'rs.
j Novellos de linba com 4C0 jarras s M r
Litros para ass.nios de nu|a bv;lrt i itltrs.
Pares de bolOes pata punlio, bnw i ia a 420 rs.
Tesooras para cwluras scperin-s rMlMsa
400 e 1.
Caixas de peonas de calligrarrf.1, 'sitnda ia a
1 000.
Mesos com sfipi rieres prairpcs i 30 r?.
de Irsiica et>fe?t "<0.
peni res tfv : r '"> rs.
lidaste 11 ritas i',.- .-. 7f(iO.
rieres tl.in.v- te a > 4 r..
t.(ire.- i i u .-i.ptiires
Resmas de papel almaco a ?f f o r f.'Sfo ra.
Estovas para roupa, fa7entla boa a }S# ij.
tescuias com loque te fctiapaa
Duzias de
600 rs.
. Duzias de facas e prfos de rabo \ n h. s 3/CCO.
Ir r merCad0> a 500, 56o e 64o Talheres muito fino para eriaofM a MI rS*
d garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,5oo a du-,PulFe'ras Para ffnipasa ISb rs.
zia. : Dilas e vollas para 51 r.b< ra a l( 0.
Cevadinha de Franca -^**-------- a : ^'3>fcs Ce ^foa norria ? i^spo.
CharntoQ Hn air. 1 r? D0Va' a 2o rS* Fr,fC0S f(m i0i""' ^^ ?'( W rs.
a f? affamado fabricante Jos Furia- ldm de niper.troleo babosa a feti r.
4,000, 4,5oo, 5,000, Grvalas de cores, fatmda Pterlf r
rB. os quartos e
a 5,ooo a
64o rs. as meias latas.
Rolachinhas inglezas muito novas
barrica e 320 rs. a libra.
! Rolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
'Cartes com bolo francezmuitp propriospa-
ra mimo a 64o rs.
Passasmuito novas emcaixirhas enfeitadas
para mimo a 3,000 rs.
Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.'
a libra.
Figos de comadre a' 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4J00 rs. a ibra.
Espermacete superior a 600 e 64o rs. a li-! Milo de amendoas a 5oo rs. '
bra e em caixa se.faz abatimento. Rolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joo
Peixe em posta em latas hermticamente la-' de Rrito no Reato Antonio, iem lata de 6 li-
cradas e das melhores qualidades de pei-1 bras por 2,5oo rs.
xe a 800, l.ooo e l,2oo rs. Ameixas francezas em frasco de vidro com
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-1 tampa do mesmo, a i5o.
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e; Ameixas franc zas em calimbas de diversos AzeltonasTe Nvasem ancoretas grandesde
8,000 a caixa e 64o e 7oo res a gar- tamanhos com Lonitas e ta. pas na ca.- 8 garrafas por 600 e 800 rs. a garrafa
xa exterior, a l,4oo, l,6o(, 1,800 e 2,00o1 Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a carrafa e
rs. a botija de cada urna. .], | l,5oo cada urna ancheta. 8
Azeite doce refinado hespanholouportuguez, champagne da melhor qualidade eme v->m
a 9oo rs. a garrafa e iorc.oo a caixa.
6,000 e 7,000 a caixa ou em n
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilnasde Havana, intervallos. Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
0,000 a caixa.
oenac inglez das memores marcas, a 800 e
1,200 a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sehollas de Franca muito grandes e novas
a 1,80o o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinhode Lisboa muilo novo-a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra. I
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muko proprias para
mimo, a l,6oo, 2,600 e 3,5oo cada uma.
I Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
de agulhas, fuDdo d< uitd<.
300 rs.
SO.
efe
[ara
a 48o
rafa.
Genebra de Hollanda
conta certa.
Frasqoeirasde genebra de Hollanda a 6,800
a libra e2,5oo
|rs. o frasco e
e 4o rs. o frasco. Batatas muito novas a 80 rs.
Genebra de laranja verdadeira em frascos o gigo com 36 libran
grandes a l.ooo e 11,000rs. a frasqueira.; Conservas inglezas a 75o
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. ali- 8,5oo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras de escova para sfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. ali- 400 rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. Nozes muito novas a 16o rs
Arrozdo Maranho de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa de
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhor|es fabricantes,
arr0')a- l a 800 rs. o frasco,
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,4oo a ar- j Mostarda franceza em potes
r0Da- 4oo rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e 4,ooo a ; Lentilhas francezas. excellen
rroba. | sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesd-e superior qualidade a filo Marrasquino de Zara propri ament dito
rs. a lata de uma libra e56o rs. a reta-1 | a garrafae 1 l.ooo a duzia.
lh0- Palitos de denle a lio rs. o
a libra,
idro com rolha
preparada a
e legume para

~3

9 = -
co-
a
3-o
CD
9
Ba
a- _
v *~ ce ?E
^ 3 S
9
S.3
CD
co a- 01 2 o n -< m o c o ?
"tu*tlffltf
a. =M
c?9- a.
I Al w ^- -
2 w 3.5' S S o 9
ain3 ^c
"g Z. o 1
ce a
o
.
a.'- 3 =
CO O. 1 S '"
a. S? 3 3
=3
naco.
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos em sexlinhas a 80 rs, cada uma e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grades e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego.
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a 1 ,ioo e 2.000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,800 rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
Pape
No aniazeni de zewiu
baratas de Santo* Odho
lua do 4|ii( lanado n. 19.
Veode-se o seeuir.v :
Cocerlas de cbita fina a 2800.
ias de dila a 2 t c.
Leng es de panno ae lint o a 3_tiO.
Ditos dednode ln ho a 20.
Ditos de bramante de IilIio de t,m .' tinto
3?00. '
Panno de liolio fino rtm O tfi |.;.;n-*s >- larda-
ra pelo barato prc.o de ? U*3 ; v,
Ilran-aoic de liiho fino (ini 1 ir tris de lar-
gura a 3tO a vara.
Pecas de cambraia com salpico- branco*
cores com 8 1|2 viras a i/.'.l'i'.
Peess de rairbiaia adimascadA m la
cortinado de cana c< m SO raras a i 4
Balee", da arcos a 2ilO. 3*. :<."i O p i*.
Lencos de caml r^.ia liua a 2{t'H) a ocna.
Dilos de dila ; ti a Hurta.
Alboalhado de linho lim. a 28CO a ara.
Dito de alporo a 24 a vara.
Algcdo enfestado com 7 \\l palmos oe iaraora
a I42C0 a vara.
Pecas de breanha de rilo com ') varas pp -ra
para sa,a a 34300.
Fil de linho liso fino a 800 r. ;. vara.
Hilo de dito com salpiro* a II ?. >, ra.
Cambraia de lioho lina a 44500, t '' o ^
vara.
Cortes de lazinha de lindes cn-i. r i
v-t dos a :&.
Pecas de madap' lao finlssinco [! Is..i ?!#o
preco de 84, !'4, M> e 114.
Fiaoella branca fina a fiOO rs. o r,\
Dita de ce res fina a 880 r?. o n \. at
lialoes de mosselioa para m-nra a '', "isfil
e 44.
Canibraia de forr<> a M a p
Dita fina a 443t>0, 64 e 7- a 11...
(!nardan;.po> de linlm a 7JPM
Veaihas de alpe T-ti ira da India propria para Ur a -1c
4, o e 6 palmos de largura paf n>r.. > prr'> do
que em outra qualqmr parte.
Nestf armaremiarrbim tt nmi c-_t4e
sorlinenlcile roapa f^na >> m$ wu 'i-ta.
Ji5 B-
smavg* m
w
-
w
ir
I
pa
M
en
^ fij
a
i*
03
o o
SS.O
O CD
SI
su
2. CD
M
S.2.S:

s *
a.
3
B
o

!
o.
o t o
CK5 O
09
O
a
o
rs
09
O.
o
Cambraias.
Atteu^lo.
Heory Forsler & (/, a roa do Imperador n. 3 ou' Parede Porlo vende cambraias lisas finas, gran-
caesdnRamoso.2, leem para vender o tnelfcor gaz de sortimento, a 34 at 64, ditas Victoria muito
e pelo preco mais barato do fioas, com 10 varas a 64, 64500 e 74 : oa roa da
existente do mercado
que en outra qualquer parte.
(mperalnr o. 52, junto a padaria fanceza.
Chales de renda
Paredes Pirta, oa ra da Imperatriz a. Si, porta
larga, veode chalet de renda da cores com peque-
o toque de mofo, a *4500 e 4, fajeada le 104
124000. --"
Chegnem aos carpiano* d> ramhraia
Veodem-se imrpinhos de cambraia com entre-
metoc a 44 e 54, estao sh acabaudo : Da luja de
Paredes Porto, roa da inderairiz n, 52, poria lar-
ga, juQ.o a padaria franceza.
Tasso Irmaos
Venden no sen armazem ra do
Amorim n. 35,
Licor fino Curasao embotijas e meias botijas.
Licores fios sortidos em garrafas com rolbas da
vidro e em lindos frascos.
VinhosUteres.
Saoteroes.
Chambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordea ui.
Cognac.
Od Too.
PAezei lagniol.
HACBIN4SDEPJ,
de triihalbar a mo
descarocar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C(
OLDAI
Estas machina-
p jdem descarla'
qQalquer especi
d algodao ser-
estragar o flt
sitado bastaDb
dkas pessoas par*
otrabalho; pdi
dijscarocar ddk
airoba de algo-
dao em earoc
40 minuto's
18 arroba.-
a on 5 ar
)bas de algoda
limpo.
uiu e
eita 40
o l
Wt dis
Assim como machioas para ser o movidas por
ammaes, que descarocam 18 ambas de algodr
limpo, oor dia; e motores para mo eatr3s dessas machioas.
Os mesmos tem para veoder un: bellissimo va-
por que pode fazer mover seis < estas machina?
menciooadas ; para e que coov da-se aos Srs,
agricultores a virem vr e examio; -lo, do arma-
zem de algodao, no largo da ponte ova n.47-
Saunders Brothers A G.
X. II, prava do Corp o Santo
BECIFE.
Os uniros agentes neste paiz.
Testamentos em verso.
Ce nlinuam a estar venda, ra tyi ogra-
pliia dr iua do imperador n 15, defnmte
de S. Francico :os testamentos da Gali-
Rha, do Gallo, do Porto, do Leo, do Gato,
do Pei. do Carnciro, da Onca Tigre, do
Cao, da Hyena, do Rato, do Orangutanto.
do Macaco, do Burro e do Vigario; a Peleja
da Alma com o Diobo, a 160 rs. cada um,
e a 100 rs, a quem comprar uma 'olleccao
cern leU ou 23; carias de A B C, taboadas.
cathedsmos, ecunomia da vida humara',
cartilhas, Simao de Nantua, Biblia da in-
fancia, manuscritos, traslados, paulas, pro-
curagoes, apudautas, leltras, con! ecimentos
p; ra embar. ue de escravos, despachos para
a alfandega, papel almaco pautado e pinta-
do de diversos forim-tos, sendo o pequeo a
30 rs. a folha, o immediato a 40 rs., o me-
dio a 50 rs. e o muito grande a 'O rs.;
papel marroquinadoe lustroso grande e pe-
queo ; papel para impressao de urna s
cor grande e pequeo ; Virgilio, Horacio.
Salustio, Magnum Lexicn, prosodia, dic-
cionarioa francez-portuguez e \ice-versa,
selecta franceza, e outrosmuiles livros, bem
como pm branco de tod > os tamanhos.
(iralitio rao de N$.
AdmdIao'w ''a casa n. .'.'9 i* ia i -u r.ect
(ooir'ora CollefieJ no nhbt > < nmMrM
ce setPti.biode 1865,0 r-ifrwa i i < rr.e fra-
fjnirp,con os Mgnaes wpMNw : <' 'i.a i0fi *r.
idade 18 a id anitc-, s. n. barba. | *ffit4tm
glandes, cal eiln corrido, com un i n .: >%
e bem tisivd na le-la, parte di i i .... frma
arruinadas, e com falla de algn.- i MU
i'i m calca di- brim f'an.'u e p*Mi i 11 ra e- taiM,
mas levou mais roopa branca e d*' r4r, cilio
aviucioso, cusiuma InMular-re f i; >mw at-
oado ; f i escravo do Pr. GaHferraa FrrtfrvtM 4t
Soiua Carvaho, genro do liiii'n -i i i inoi r
Manoel Goncalves da Silva : rrga c a .-a r;prn
a todas as autoridades policiaes i Hl^oaf ca-
pilo de Cn.po ou entra |esoa nMm qw
apprehenJer se gratificara com <-l, alm Cas P'-ras de rondurca", entrigsndi-" i >tt --r.iir
Miguel Jcs Alves, na rasa Mtao. i M seo es-
criptorio na ra da fru casa n. 19.
No dia 20deselembro irun MNMfe (-
gio do enfirnhip Tetra-pri-ia. do^b'.'" -fMi^ o
escravo Juliao, crictilo, de .iliuia ruinr, u*..
de 30 arnos de idade, prnica barba. I rB
fetos e pernas, muito falu'ntf, m hCfHO
lem o dedo polegar de una na. fro-
irn, anda rtm uma carta fechada, ri'- Wni MO
nel Amaro Gimes da Cunha, aparlrirmar.* ,., ras-
ca foi surradn e^le eseiavo, fui ba o u... n a prada
a Focha Lima e Guinaraes: qo*m t n.: r I M .
mesmo engerido ou no Rerife a' roa <* h J" a'
Alexandre Correia da C. Jooior, qoe *< ra li*o rt- ^s
rompensado.
Alejandre Corrpii \
0 Cfistello de Grasville.
Tradudo do fraoeei por A. J. C. da Crni.
Vende-ge este bello romance em quatr I
tomos pelo baratissimo preco
praa da Independencia.
oa
6 e8.
de 3r500(
livraria os.
3 Vende.se om sobrado de dous andaras oo
ba'erod Sanm Anilo, o qnal rende para mais
de 1:2004. e tima rasa torrea no birro da Boa-
Vi-t-i a tratar com agente Olympio en seo arma-' de carga e de seil, por pre;o commodo : a tratar
zem oa ru da Cadea do Recife d. 34. no hotel de Franca.
IrOH) VILLAR S
Coa leja i rna do Crespo ii. 17.
Reeebeu de Paris sedas em cortes mu- 5
lo superiores e bellissirxos padrdes, e 1
chales de reoda pretos para 10f.
Este importante estabHecimppto toroa- 2
se recommeodavel ao bello sexq pela va-
riedade de fazeudas superiores bellos tt
gostos
Proteja o bello sexo ao Villar i
_ e vero todos a prosoerldade.
IIIHIIIIIIUI
ALlii'DAO DA BAHA
Na1 loja de Aodrade & Reg, ra do Crespo n. 8,
esquina da ra do Imperador, contina a vender-
te superior algodao da Babia por menos preco que
em outra qualquer parle.
Venden-se quatre borras mulo mansas, boas
3
Framcisco Jos Germano
RA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de mulos, lunetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gosto da Europa e ocu-
los de alcance para observares e para os
martimos.
Pumo DO da II de DVrml>ri> egrate
Monte-A legre, na comarca de Nar^rri", 1 r.cra*
Wenceslao, cabra, de idade de i 1 >. MM ra
regular, rheio do corpu, pouca l,W,i. ratrtfca ra-
rapitthos, ps reforcados, nminnm m I rio :
sabio montado em uma nota ra-r-iii. nM( #.
zendo que de^a vez iria para o P.r n.j : r-gav
se as autoridades particulares e ooaaW ii*- nmfrn
a apptesentacao do referido Mtim t-v^ndo-o re
dito engenho a seu senhor e nesta P**CI Aimirro
Pessoa de Albuquerqoe, a' roa A. A1..II0 a. 39,
que sera' recompensado.
Fugio de casa de seu MOJM rvi Aoto-
nio, crioulo, Iraialhador de pada a. mi rsrrav
lem os signaes segumies : bailo, c-~ < i-rrpa,
I's apalhelados, e bastante tote, Ix<* vr.1,4
palitol de casimira e calca d OOBM fa;Mla
usada, gralilica-se com generosida>> iir. ir u-
xer a padaria d. 146 defroote da er teaQoao
Ponas.
Desappareceo do sitio de D. M'< >* 'Tar. lin
Ferreira &> Carvalho, no* Affln-io.-. n vi m riar,
carelios raihiados, estatura refn.'ai. ;.h-*. If
a 18 aonos, de nome hidoro, tu, 'o 1.. i.orn m
Paje, o qnal levou vendo camisa d. Un a *
cor e calca branca, j velhas, e rhsi u. pp* ;
quem o apprehender ou deile de Bwonw m> -1U0
cima, sera' generosamente gratn .do Pn tr>u-
se pelos das de semeo contra quem uer
lado.
I
Pe chin cha
Vende-se riscadinho francez a 200 rs. o covado,
por ter grande qoaniidade, esu-se acabando : na
ra da Imperatriz n. 52, loja da porta larga, de
Paredes Porto.
Breo em barricas pequea*
Cena em velas de todos os tamanhos.
Bogias.
Mercurio.
Na rna do vigario d. 19, primeiro andar.
aos eapitftes de campo e
polica
200sl)00 tt *ra.iflrei itr tmU
Desappareceo em principio do n-rt dr rwt
prximo passado, de bordo do palii! e 11 unI
Arroto Malo, dous escravos V o n- h I-ik ,
appellido Macelo, e Miguel, o de m*e 4 ai
pouco mas ou mente, em ulo. o>r fn',
baixa barba cerrada, nm ponro lorio rt>
e com algons caballos hranros, P>nt har* ce-
rno na eabeca ; o 9* alto, ebeio do lorpo. ca to-
ba, falla grossa, representa ter de 25 -10 aaao* ;
cojos escravos desconfa se anclaren, pri arrateA-
des desta cidade : quem oe ayprete-sdrr, ox
I levar a roa do Trapicha n. 4, om a barde do
navio.

11 rr^wr-i I


Diarlo de rernambnco Segunda letra 91 de \overabro de 18*-
V
LITTERATRA.
ios.
Ha seguramente doze aonos que nao tenho valo
a Jos, mas o seu retrato firou-me gravado na me-
moria ein tragos ndeleveis. Eu prorurava utn
criado, e eile se me apresenton. Seu ro>to era
chupado e amarillo, seus olhos mais coinpridos do
que largos; seu nariz alongado e curvo pareca
queier-lhe entrar pela bocea, sempre aljeria. Fu-
ra moldado sete anuo?, o que me fez esperar que | voou |
adiara uelle hbitos do ordom, respeito e ubeditn-
ca.
Que sabis faier ? Irte perguntei. Elle apr-
senlos, armas, eom a cabega levantad.-*, os hom-
A presenca de Jos nos fe tanto mais rir qnan- teropo depois de mim, e para nao confessar aos me dlzem lodos, devo fallar ? |No a vejo I esta- Entretanto os Seraphins, admiravara-se vend-
lo a sna physionomia eslava perteilamente em has criados o qoe tinha-se passado, tmaginon dizer-Ihe: mos sos I os alimentar eom o vosso leite o pao dos aojos;
monia cora o ohjecto eom que elle acabava de or j Madama veio assim para fazer ver qne ca- A Providencia livrou-me de Jos. Voio-lhe nm cobrir coro modestas faxas a luz eterna,
entreter. paz de conduiir mnitos cavallos. dia a'lerobranga casarse. Perguntou-me se isto Cortamente a vida desta augusta familia, que se
Se Jos tinha, como bom servo, tomado parte Ah I se Jos nao tivesse dito em Tertre seno is- nao me penalizara? Respoodi-lhe que me dava chamou a trindade da trra, nao chegou Inteira-
no prazer qoe me devia causar a vinda da per, to, ea daria gragas ao cu, mas depols do almoco, muito prazer I Voltou para a sua aldea, e como fol mente ao conhecimento dos homens o curso da
elle sentlu logo, como oom companheiro, a cons- a su figura amarella appareceu porta da sala do soldado, criado grave e coeheiro, passa por ura no- agua perdida entre as hervas: o santo dos san-
ternago da cozinheira que veiu, vcrmelha e esba- bilhar, onde os donos da casa e os convidados es- mem inslruidissimo, membro do conselho muni- tos eom sua nuvem de perfumes e seu duplo
forida, annunciar-lhe que o per fugira. A po-. lavam reunidos, e eom sua voz fanhosa accentaoa cipal, e refere nos seres a' noiie agradaveis fac.vo.
bro rapariga, toda commovida, gagueijava. Ella estas terriveis palavras: '_ to? acerca dos seus servicos militares e civis.
lhe disse: A senhora condessa tinha-me dito que dsse Conuessa de Mirabrau.
Eu a mata lo e po-lo no espeto, elle correu, veia a su cavallo, mas no castello de Tertre uo (Trad. por A. de Memlonra.)
te, j a magestades to santas, lio
Como Bao dependeremos de be a
dous poderes io elevados, qoe lea por
n.esrao objecto momento misterio para a
de seu poder ?
O' grandeza de Mana I
Vos sois mai daqueile de quena o Espirito
nao pai.
Vos sois mi da quelle de quem o pai
Todava estudando-se minuciosamente a tradi eDtre as pessoas divinas pai : eo pai ter)
Jos precipitou-se de novo no saino, mas desta
vez sus feigoes estavam perturbadas.
Senhora I exclamou elle, o per que eslava
no espeft, voou!
brus esquivados e os bracos na posicio regulamen- Apezar da desagradare! lacuna que a partida
precipitada do per dexava em meu jantar, nao
pude deixar de rtr-me. Meas convidados, que nio
tar, e me respoudeu :
Sei fazer exerclcio, montar guarda, alimpar
c i o uto, os sapatos e os uniformes do meu offle
cial; bruir una espada, branquear urnas luvas
com giz^e Ungir de amarello eom oca os canhoes
de panno.
A- hab.lilacoes de Jos nao me ullereriam mu-
tos recursos, mas tinba o ar to modesto, que me
decid a toma-lo tal qual era, e a eucarregar-m-
da ,-ua educago.
Elle vesliu a libr do seu predecessor; ella llie
asseotava bem, e urna certa tesura militar de que
era dutado, poda pausar pela aidlude aprumada e
pichosa que deve ter todo o criado de boa casa.
Uuia uuica cousa o desfeava, era sua barba que
nao linha sido feia, ha muitos dias. Recommen-
dei lhe >|ue se barbeasse todas as maahaas, c que
depois se Ihe mostrara o que devia fazer.
No da seguinte desci muito cedo ao salo. Jos
eslava su. Fazia a barba defronte de um espelho
coll.itrado entre Juasj>nellas ; botara as navalhas
sobre um movel, e deluira o sabo em um copi-
uI.j de poruelaua da China.
Estou acabando, me disse elle voltando se
muito fresco e mostrndome sua cara cubera de
espuma que parecia-se com o fucinho de um gato
lambuzado ~de nata.
Snppuzera que o salao era um terreno neutro
perlencente a todo o mundo, e onde cada um po-
da inslaiiar se a seu bel prazer, uem mais nem
menos do que uu rancho.
Jos urna no regiment : Meu tenente, meu ca-
pililo, meu coronel 1 Por conseguiule, eharaoU-ine
minha condessa I E fui preciso muito lempo e mui-
las deraonslragoes para Ihe fazer abandonar o sea
prouome possessivo.
Elle marchava a passo militar, e batia no assoa-
Ihad com os salios do seu sapaio -tiio fortemente,
que pudia se suppr que um balalho iuteiro pas-
aeava na casa. Quando tinha pressa, alravessava
os corredores a passo gymnaslicu. En suas maos
urna vaasoura tomava o ar de urna arma uffensiva.
Elle a conduza sobre o hombro como urna espin-
garda.
Servia a mesa porco rrendo a compasso a casa
de Jantar Je um cauto ao outro; julgar-se-hia que
motava guarda; puotu-se atraz de mira na raes-
iii j poaigo que ao lado de urna guarna.
Um da elle lioha derramado em meu copo vi-
illio que eu nao qusria beber, estendi-lhe o copo
para que me desse outro. Elle o tornou, beDee.
de um guie lodo o violto, e poz diante de miin o
copo dizendo me :
Muito obligado 1 a vossa sade, madama I
E Dddvia era sobrio, porque eisaqui o que elle
fez de urna uutra vez : tinha se encelado urna gar-
rafa Je um viuhu inuilo velho e precioso-. S ha-
via um esiranho a jantar e smente se derrama-
ran! dous <>u tres copos. Na manha da da se-
guale vi a Jos que despejava a garrafa pela ja-
nena da cosioha; elle me disse .
Hstes senhores andam a caga, madama nao
gosta Je vinho, vou lavar a garrafa.
Elle nao liuna tido a idea de bebe-la nm do?,
mus amigos achuu este rasgo to bello, que anda
hoje procura um Jos como o meu.
O meu supradito Jos tinha o coturae de accres-
eenlar a todas as suas phrases o nome da pessoa a
quem fallava. Elle responda : Sim, Mr. de Cha-
vannes I Sun, madama de Ranville I Sim, mada
mozella de Saint-Servan I
Eu Ihe tiuha repelido vinte vezes, que nao era
osle o uso, e perdia o m-u lempo. Finalmente,
um da, mais impacientada que de ordinario, Ihe
disse :
O que facis, Jos, urna petulancia e urna de
SObedleocia, e vos previno que se cuntinuaes a re-
petir assun o nome das pessoas que veem iniuha
casa, nao vos conservarei em meu serrleo.
Depois darte pequeo speecli, sahi a carro e le-
vei todo o da fra de casa. Jos achava se me-
Ihor em muiha companhia do que no regiment, e
melhor sobreludo d. que nao estara na habitar .
paterna, elle desejava couservar o seu logar, e o
que cu acaliava de diier-Ihe obrigou-o a fazer pro-
funjas retlrxes.
Eis o resultado dellas :
AlRumas horas depoh da minha partida, um vi-
sin'.io du campo veio visitar-me. Jos Ihe respon-
deu :
Madama sahiu.
Muito me custara Ihe ensinar estas duas pala-
vras, elle se e.-lendia ordinariamente a lodos os
d.talhes, e dizia com quem eu tinha saludo, aon-
eram gloto.^, li.'eram outro tanto.
Jos continuou :
Nao por culpa da Marianna, elle chegou
adormecido, ella nao poda crer que acordara to
depressa, deixou-o confidencialmente na cozinha, e
depois els senao quando parti sem tambores nem
cornetas.
Um dos metis visinhos rae disse graciosamente :
Que importa um assado, madama? Farels co-
mo madama Scarron, nos referiris urna historia
e cada um abeueoara a ausencia do per.
Jos, immovel ao p da porta, esperava ordens.
Pois bem, disse eu, nao ha nada a fazer, ser
preciso contar urna historia em logar do per. Ide,
Jos I
Servido o jantar, vi com prazer os raeus convi-
dados inalarem a fome com o adjutorio de quatro
ceberlas. Jos tinha collocado no meio da mesa um
comprldo esquentador coberlo com urna campana
de vi-Jr que infelizmente nada cobria. Approxi-
raava-se o momento critico. Quando Jos tirou as
quatro cobertas, que substiluio por legumes, e pe-
lo prato-do-meio, avaucou com o prato na mo e o
guardanapo debaixo do braco, e comecou cora voz
cantantee fauhosa um cont de quartel que elle sa-
bia de cor.
Suppuzera que era elle quem devia conlar a his-
toria pedida.
Fui convidada um da para almoctr n'um cas-
tello visinho. Achava-me s em casa, e o coheiro
que tambera exercia as funecoes de picador, tinha
ido a caga. Para ir a carro a esse castello, era pre-
ciso fazer urna viagem de qualro leguas, ao passo
que alravessando os bosquus e as charnecas, ape-
nas tinha-se metade da distancia a percorrer.
Pensei que me sera melhor ir a cavallo, fazen-
do-rae acompanhar de Jos a p. mas elle sentio-se
muito humilhado a esta proposigao, e me observon
que se eu Ihe permittisse seguir mntalo, chegaria
mais depressa.
E' verdade, Ihe disse eu.mas nao sabis mon-
tar a cavallo.
Aprenderei. madama; ja sei polir o assoalha-
do e fizer todas as surtes Je bonitas cousas que
au sabia fazer quando cheguei aqui.
E' mais diUlcil montar a cavallo do que polir
assoalhados, principalmente mais perigoso, e nao
queru que quebris a cabega.
.Nao ha riscu I Demais madama sempre diz
que Uniiij a cabega dura;, ella nao se quebrar
com to pouca cousa I
Vossa cabega dura, cunvenho nislo, mas
poderia eucoutrar podras mais duras du que ella.
Oh madama, eu vos pego, deixai-me acom-
panhar-vos a cavallo; tomaret a grande jumenta
russa, ella e tau mansa 1
Puis bem, tomai ja que nao tendes medo.
Medul Nao lenho medo de nada. Fui soldado,
vi os rabes muitas vezes, estou prompto a seguir
madama ao fugo 1
Jos sahio radioso. Foi vestirse no quarto de
Pedro. Tomou urna vesta e um barrete redondo
de caga, urna pantaiona de gamo, botas moles, e
scolheu as esporas mais compridas e aliadas que
pode achar. Elle appareceu sobre o poyal vestido
de tal maneira, que me pareceu um mascara. is-
se-lhe que se vestisse com a sua roupa usual, e
principalmente que tirasse as esporas.
Ms se nao teoho esporas, disse elle, o que fa-
r caminhar a Russa.
Socegal, ella caminhara s, oceupai-vos s-
menta de caminhar vos proprios ao mesmo lempo
que ella.
se d aveia aos animaes udos estranhos
Quando part tarde, Jos me segua melanc-
licamente a p, eu caminhei a passo tanto quanto
fui vista do castello, depois pensei que a noite nao
encontrara oinguem as charnecas e que nao fal-
tara ao decoro parlindo sem acompanhamento.
Portanto caminhei a ealopc, deixando Jos atraz
de mim. Nao me dei mesmo ao trabalho de preve-
ni-lo, tanto eslava de mo humor contra elle, pelas
loucuras que commellera durante o da.
O pobre rapaz suppoz que era do seu dever se
guir-rae a lodo o transe e chegou casa em me
nos de urna hora, esbaforido e prestes a cahlr. Foi
preciso maoda-lo deitar o dar-lhe vinho quente.
Encarreguei um da a Jos de ir convidar para
jantar a um joven medico que tnorava na minha
parochia, e de dizer Ihe que era um jantar de fa-
milia. Accrescentei dingindo-me a urna de mi-
nbas primas : se elle pensasse achar convidados,
viria do casaca preta e grvala branca.
Jos nao achou o joven em questo, e nao quz
UM PODCO DE TODO.
No Misstonarto Catholtco l-sjp
DA GLORIA DE MARA, COMPARADA',
gao, examinando-se um por um e por todas as fa-
ces os factos evanglicos; isto que se sabe, faz ad-
\ vinhar at certo ponto aquillo que se ignora, e a
I vida publica de Jess Christo, langa alguns refie-
I xos briihaotes sobre sua vida oceulta e sobre a
Santa Vlrgem.
Nos trataremos de eocher esta lacuna com toda a
los, o maior numero dellas se nos ppresentam com
ttulos equivalentes e se algumas'se desligam do
perder urna occasi de fazer ver que elle sabia grupo geral e dominam urnas as cjatras, a nenhu-
COM A UULHER.
Nao s o hornera que tero d^ixado seu nome serva, toda a applicaco conscienc.osa que um tao
na historia, um grande numero e malheres tem ra.ve assump"> .ge.
, r Jess, em quem estavam oceultos lodos os the-
escapado ao esquecimento dos sdalos. .
.___..i:jh ...u i s.uros, da sabedona e da sciencia nao tinha neces-
Umas nao devem a sua immortalidade senao a '
, I -.,j o,,,,' sidaJe alguma do ser eosiuaJo pe os homens, tara-
s raesraas, isto as suas propnaj virtudes, a seus ....
, ____, ,L im~. a,JU bem toda a suppusigau contraria positivamente
talentos, a seu genio, a sua coragen, alguma-. vezes | .
a seus chines e as suas raquezask outras nao pos-1 prvida pela igreja
suero para assiro d.zer, senao uJa mroortalidade I. f ^ao. e"> seu Evangelho nos ens.na que os
accidental, isto ,que seus paes.seutrmos, seus B- Judeus wotemporaneos de Jess Ur.slo.o encarara
hos oa maridos, occasionando-lhel mais ou menos' ^m0 Ul" sen estados, e u espanto dos
desgragas ou glorias, foraro o pr ncipio da fama Nazarenos, vendo lao profundamente versado as
queasteemeondusido at ufe, eLora se enea-; ,e"ras saDlas- *****?* 1 n. co-
t. .a ........ a;.: nhecimenlo de que El o fosse como Pedro, edu-
rem debaixo destes pontos de vista os seus direi.: '
eado por uva roestre.
j ose poz -se muito le-lamenle sobre a sella; o
jardmeiro, que se segurava os cavallos, tomn a
lberdade de dar-lhe aiguns couselhos que elle re-
cebeu com profundo desdem. Desci a alameda e a
oucusta a passo.
Jus maichava mageslosamente atraz do mira.
Quando chegou a um terreno plano, part a trote.
Jjs poz-se a meu lado.
Desculpai-me, madama, nao sou eu, ella
me disse elle, que quz vir aqui.
Fica a meu lado, chegando a Tertre, entra-
rei a passo, e temareis a lomar o vosso lugar
atraz.
Pensei conciliar assim a etiqueta e a prudencia,
e evitar dest'arte urna lula entro a Russa o Jos.
Mas em breve a Russa me pasou, Jos perdeu o
equilibrio; estava mcliuado para diante, agairado
as dinas, seus ps, fora dos estribos, peodiam co-
mo dous pndulos, cujos movimenos nao eram
ceos nem regulares. A Russa galupou e o meu
eterever, portanto tragou as seguintes palavras
n um dos meus candes, de que tinha-se munido
para este Qm :
Siuh Hed man con Vdado avir jala nu
cas Tello cem casaca e cem zereraoaia, ah Sinti
meo na karro.
Este senhor a quem eu nanea escrevera, ficou
no primeiro momento muilo sorprendido do estylo
e da orthographia do convite.
Os eslouvamentos do Jos se multiplicavam de
tal sorte, que lomei a resologao de despedi-lo. Elle
leslemunhou-me um pezar lao profundo, que me
enternecen I
Sou besta, mullo bem o sei, disse elle, mas
s lenho este dofeito. Sou bom a ponto de nao fa-
zer mal a urna mosca; nao teoho preguiga, nunca
bebo, madama achara um criado que lenha mais
espirito do que eu, porm nao lera', estou certo
disto, melhores intenges, porque nao lenho senao
nm desejo, contentar meus araos -r qoai>do me suc-
cede fazer urna asneira, nao durmo, tanto me in-
commoda o contrariar madama r
Ainda quando Jos livesse eocarregado a Ber-
ryer de defeode-lo, o celebre advogado nao teria
melhor do que elle tocado o meu eoragao. Eu dis-
se-lhe que nao seria despedido. Elle-nao achou pa-
lavras para exprimir a sua alegra, precipilou-se
para mim e abragou o mea batato de costura.
No dia seguate me disse :
Achei um meto de iic.r com madama, e de
nao aborrece-la mais. Nao fago mais- asneiras, s-
mente as digo, ao que parece ; Pedro vai .casar-se,
e se eu o subsliiuisse no -lugar de soebeiro, nao
me seria mais preciso fallar, eu cuidara dos meus
cavallos sem dizer cousa alguma.
A lembranga do meu passeio a Tertre nao me
anlroava a consentir com o pedido de Jus ; mas elle
fot procurar o amo, e (anto rogou e de tao boa ma-
neira, que de casa passuu para a estribara. Pedro
Ihe ensinou a cuidar dos cavallos; eUe era exacto
e cuidadoso, e sahia-se bem. Aprendeu depois a
montar e a couduzir a carruajera, ueviamos em
seguida, pelo exemplo e pela pratiea, aperfeigoar
esta ultima parte da sua educagao.
Pedio depois de l-lo deixado per s- as bestas
na carruagera, Ihe disse um dia:
isto nao est bom, preciso um. pouco de chic
para arraojar os arreios.
Jos fui a casa do um droguista, pedir-lhe cAic,
para botar nos arreios.
Eu i a carro cora um dos nossos amigos, ex-
cellente nomem, mas muito susceplivel; elle quiz
lomar as redeas para me pouijar o trabalho de
cunduzir os cavallos, que ainda nao contiava a Jo-
s ; agradoci-lue o seu uffereciuutnio, ello insisti,
ento Jos julgou que devia iniervir.
Nao por ceremonia q,ue madama recusa,
disse elle, que meu amo Ihe- recommendou que
vusdeixasse dirigir os cava*los> ja porque sao as
sumados, e ja porque a nossa joven criada vai en-
trar na carruagom.
u senhor, que uo tinha muilo espirito, nao me
perdouu a frauqutssima coatisso de Jos
Alravessaudo una aldea, um pobre corvo veio
iangar-se saltando sob os ps dos cavallos. Jos
oxeicia o seu lalenlu nascenlo, tinha as rodeas, re-
cummendei-lhe o obstculo, e elle parou iunned:a-
lameule.
Os Taulmudistas e os actores judeus dos Tuldos
aoeuntrario susteuiaram que Kabbinu celebro ini-
ciar Jess us mysterioi* da sciencia o a magia :
mas absirahiudo da segunda parte da assergao que
absurda, e nao consideraado a causa seno de-
baixo do ponto de vista poramenle humano, como
lazem os racionalistas, isto por duas razoes evi
deiiieineuie falso. Primeiramenle Jess uo era
raa colocamos em primeiro lagar.
Este primeiro lugar pertence i ncrcaraente
Mara.
Da mesraa sorte que Jess Ctirito, foi o nico
enire os homens, assim, foi Mana entre as mu-
iheres.
... I __ ,, nem zelador nem tradiccioDario e por toda a parte
Poi a nica filha de Eva que nao parlicrpou da ____....._ ____.......ou*.........." u
Iragilidade que destingue sua mi ie suas irniaas;
orle era urna carne traca, perseverante em uina
natureza inconslante, victoriosa coi lodos os altn
butos do deffeito, ella nao- parece ter descendido do da Synagofa. Era segundo lugar Rabbi Josna Pa-
genero humano, seno para ser dtlle o rallare e rachia 0Ut ^ iribue como seu preceptor anda
encunira-se no Evangeliio que Elle reprovara alta-
mente as eoncepgoes limitadas, as dislioeges ca-
piciusas e ae mesquinbas subulezas dus duuiores
um luzeiro de unlagres.
Ella leve, livre e pur. do- menor contagio, todas
as virtudes do seu sexo ; a innocencia sem man-
cha, a bondado sem fraqueza> atirraezasein limites,
a dogufa sem desigualdade, a simplicidaJe sem es-
tado, a prudencia sera Hgeiresa, a f sem desfalls-
cimeutu,. urna piedade sempre a mesma e ar-
de nle.
nao tinha saseido, pois que s llo.-esceu cem annos
mais tarde.
Co; locar Jess entre os Rabbiaos na qualidade
de discpulo, seria to pouco logleo, como querer
escorar ura cartucho, cercando-o de canigos.
Elle nao ensiaava como aquelles, diz um evan-
gelista, e isto coocebe-se visto que Silo tirara a sua
sabedona de si mesmo, e suas doulrinas sempre
debaixo do pontode vista natural, parecen) ema-
vos excede ero urna eteroidade aa prodaego 4t
seu tiiho, nao vos excede uro momento no exeretcie
de sua autoridide sobre elle.
E em vos e em VSHO ventre comega assia a
primeiro poder sobre urna lio digna aos, e o
mais alto, o mais digno, o mais inrevofavet poder
que o pai eterno j mais lera, que A o poder so-
bre seu llih i enramado ; por que, coaiiou* o ato-
quente e pie-loso cardeal, elle nao entrn no goan
deste poder se nao por meio deste divino
terfo.
Myslerio pelo qual Deas, qae ni i ple
decer-se oro si mes.no, engrandcese en sna oora,
que o torna D-'- para sempre daqaelle deqaeai
pal para todo o sempre.
Myslerio que, por este meio, exalta a eofraodote
cora urna dignidade infinita a cora do pai eterao,
por que, nao imperando sobre as creatur*, atas
sobro urna causa to digna, ^oe eUe se toros wi
nito em sua digni lade, que Deus em sua omu-
reza, que iilno nico de Deas aa sao possoo ;
cousa digna do propno Deas I seu poder e sea
mando nao podem subir mais olio e seo dooiioin
est inteiramenle ebeio de toda a griodcn a dif
nidade que Ihe podem perteneer.
O' randeza I abysroo I baoJade do poi, ipe
nao quer guardar para si s esto aovo podar, o
que o pariiiha com esto virgem sootay polo H|
elle adqutre o.
E espritus fraeos e pooco eooheeedtore dh ors-
terios de Deus, no quereo entrar pora a esera-
vido daquella com a qual o pai eterno parees com-
partir sua qualidade, sea poder e sao inundaik
sobre seu lil!M> I *
Deixemos que estes espiriiw fraeos prnijlaai em
suas errneas ideas....
E a nao leve nem o amor por seus encantos nem
, ., nar de urna alma'muito grande, muilo pura, mui-
vadade cor sua ongem real, nem impaciencia Je' r __
. ,L j to recta e de unv espirito lao vaslo e loo uniforme-
sua condJcg.ao obscura e nem orgulho de sua ele-
vaco.
mente judicioso que asseguram que Itl.e nunca ti-
nha claudicado as questoes da escola.
Tal foi sua humildade, que o-mundo nao sabe
ria por ella, da encarnago do filbo de Deus em seu
.i _s. -. i ___m.j sciencia da poca '.enam sido impotentes para for-
ventre, se o propno ceo nao livesie todo o cuidado
Mrauss, concoraaque toda a sabedoria e toda a
de revelar esto prodigio, e Jess de o conlirmar de-
pois por sua aeges e por suas palavras.
Em urna- palavra tal foi este salador entre os
lilhos do homens, tal foi a divina. Maria entre as
tilhas de nossa mi commum : ella- uo tem nem
mulos nem rivaes ; seu lugar no meio dellas
deslindo, sua superioridade exclusiva.
Um diaPun>anjo, um archaojo, um dos sete es"
piritos que velo constantemente em roda do todo
poderoso deseo sobre ella.
Eu vos ssdo, Ihe disse, uheia de graga, o
Senhor con*osco, vos sois abeogoada entre lodas
as mulhepesv
Ora, quem a colocou assim entra- tudas as com-
panheiras- 9
mar um homem, tal'como Jess Chfisto.
f Quando Jess,, livesse esgotadoj.diz' elle, lodas
as mananciaes de instruegao de seuterapo, nao
menos verdade que nenhum destes elementos bas-
itna, mesmo de lunge para fazer urna revolugo
no mundo, e o fermento necesario para to grande
obra Elle nao o urca seno dos recnditos de sua
alma.
Sua eloquencia sstava em relaojo com a sua
moral.
Nao eram as esaggerages emphaticas dos Rate-
amos, nem a diejao magestosa, sorprehendente e
violenta dos amigos propbetas; raasoomo elle mes-
mo dizia, a fonte de agua vivilicaado em seu curso
as aves do co, as raesses e as Rbres dos campos.
E' do Sr. S. 1-. Jnior esta poesa dedil
ta D. Seraphina Arroda Cmara, pelo pa
de seu iilhu o acadmico Jos Francisco do Arrodo.
Cmara.
Joven ainda abandonando o mondo.
Voou seu ili i as ivgioes do empno
Em su'alma, de um- turoul_> no fundo
Plaolou a rourle perennal martyrie I
Como a luz a brilhar em noiles friaa.
Que rpida se apaga nos espaeos.....
Elle viveu... sumo... por breves dios,
Eapagou a existencia nos seos
Viajante em principio da jornada
as estradas da vida iropegoa t
Ea-fronte juvenil, desanimada,
Na lago do se^ulchro repoosoo !
Sulugaa triste mi .. que o pranto
E' quem mitiga os fortes desengaos '
No mar da vida tormentoso e largo
Saodosos, leuius vao correr-lhs os
Nao foi um homem, foi o proprio-Dens pela boc- Eta eloquencia, embora simples tocava o amago
cade seu. nelesle enviado, das cousas e naturalmente al.ava-se aos grandes
E Deus que tinha multas vezes se derigido a ou- ensarnemos,
tras sanias raulheres, por meio de seus anjos, nun- j Gada palavra era um precise-germen de virtu-
ca Ihe havia imperado semelhante- palavras. des, cada doutrina projeclava dos mysleriosos p-
Maria-a primeira e nica que ouvio estas pa- ramos do futuro urna longa eslsira de luz que de-
lavras. viainsensivelmenle crescer e 8slenderse, at lor-
Nenhuma mulher pode coraparar-se cum vosco,' aar-se um sol de regenerago para o mundo,
e vos sois a abengoada entre lodas ellas I Aquelles mesmos que audaciosamente negaram.
E etes louvores previlegados- o- extraordinorios seus milagres, nao poderaro deixar de soofeesar
foram, mesmo desde sua vida, recebidos com amor que as suas palavras eram as de um Den*.,
aquella* do seupovo e propagada tambero por ellas- Jesos, era dotado de urna alma grande e medita-
do tinha ido, o que ia fazer, e eraflm se sahira a pore Jos rolou pola charneca. Levantou-se e poz-
p, a cavallo uu a carro. jse a correr apa o sea animal que parou pouca
Meu vi mho disse a Jos : l i distancia; elle uaJasulfiora, e as suas primeiras
E-taes a pouco lempo aqui, {no parece, nao pa|aVras foram estas :
me BOOhecels ? Madama bem v que Ho lenho medo, mas o
Nao, senhor I daD0 da besia ia to depressa, que nao pude acora-
Chamo-me o baro de Vaudreuil, nao esque- pauha-la I
cereis meu nome ? Turnou a montar-se, e resolvime a nao trotar
Na-., senhor I mai, porm a Russa liona expeiimenlado a Jos,
Diris, pois, senhora condessa, logo que e||a faDia ,jUe nUha de ser obedecida, poz-se a sal-
ella vollar, que o baro de Vaudreul aqu veio tr e deserabaragou se delle segunda voz.
pa-a ter a honra de v-la. Ordenei a Jo- que a cooduzsse para a esiriba-
Ah I quanto a isto, nao, senhor, nao o di- rU. ella na0 ,1UIZ se deixar conduzir por Jos que
rei, porque a Sra. condessa me prevena de que a a puxaVa desastradamente pelo focinho, e cujo con-
primeira vez que eu livesse o desafuro de repetir tcl0 pareCia-lhe ser muito desagradavel. Eslava
O nome das pessoas que veem a sua casa, me des- acuaaa
ped.ria I E o senhor deve saber que eu nao dse-1 Al)Droxlraava.se nora do alraoco> e eu ainda
jo perder o meu logar. Sou bem alimentado e
Vos sois abengoada eulre todas as raulheres,
Ihe disse Santa Isabel,quandoa vio entrar em sua.
ha bita gao.
Felizes as enlranhas que vos geraram dizia
ainda a humilde Israelita no meio da alegra, a
quem a palavra do Salvador o mundo linha trans-
portado e arrebatado suas raagntticencia iuQamado
Uva que necessitava de grande espago para esten-
der-se e adstriclo durante o dia, a um, trabalho
manuai qua-absorvia lodos os-seus momentos, Eile
resarca denoile suas fadigas obscuras, tornndo-
se legislador e propheta em preseuga. do-cdo estre-
lado.
Em p, no alto lerrago, d'onde descobria as iaoo
O corvo me langou, pens eu, um olhar r3conhe-
cido e eutruu em uina casa.
h' manso, um corvo domestico I diss urna
das minhas amigas.
Jos que uuiia-se post> em marcha, paroa uutra
vez e respoudeu :
Perdoai-me, madama, conhego as pessoas que
habitara esta casa, ellas cnaram este corvo, mas
nao eu domestico.
Jos polia uina voz a sua carruagera no pateo de
urna albergara.
Um criado do hotel que se diverta em olhar
para as armas no repusleiro, leu a divisa, e per-
guntuu-ihe :
Que quer dizer Juval pelas ?
Istu quer dizer oin latiui, respoudeu afouta-
raenle Jus, que a canuagam pertence ao Sr.
conde I
Eu tinha carregado a Jos que levasse quatro
perdizes a urna solteirona do meu conhecimeulo,
sabia que ella goslava muito dellas o disse adianto
do meu mensageiro :
Esta sorpresa Ihe causara' prazer I
Jos se inlroduzio clandestinamente no quarto de
dormir da minha velha amiga, e escoodeu as per
dizes em seu armario de roupa branca. Eu a en-
contrei pouco depuis; ella nao me disse urna pa-
lavra acerca da minha remessa, mas me referi
mais larde que linha acontecido em sua casa urna
de seas incomparaveis mritos, e qoe os sanios- ^^Us e as maltas da torra de Caaaao, Elle- abri
nao tiveram seno ama voz para exalta-la. sua alma peronie o Aulor da Natureza, de- %uem
era o ManoaO, o pino e o lonn.
- O' Maria, exclama Santo Izidro, vos sois a ^^ pralcas a ^j cora Deus, no silencio da
primeira das raulheres, eapnt femenarum -r vos D01le> do aeStrt0 e do pensaraento foram ara do-
sois dellas a hoora, diz S. Thomaz, honoratirrj mu- hbitos de Jess Cristo, no Evaogelho acham-se
lieritm; a reparadora, publica S. Agostinho, Resr oul,os rauitusexemplos.
laarulio femmiarum ; vos sois a vida do vosso se- I
xo, acrescenla o grande blspo-veclus sezus m& O homem modelo, o arrbo encarnaaV.. qoeria por
E' preciso fallar do seu nascimento, urna me- sem duvida ensinar os seus a separar oouro puro
nina divina, infans divina, diz S. Nicolao de sua da prece, da liga, monstruosa da osteoiagao e da
mocidade, urna donzella toda innocente, lo- bypocrisia que os phariseos desea lempo costuma-
da agradavel para Deus, paella innotmtmma> Vr ar-
Seus suspiros subindo-ao campo etaeryo
Junto ao til lio adorado vio pairar (
E.ia, dos anjos oo di-vino imperio,
Elle a cenleoipla paliida a chorar.
Era elle na Ierra os seus amores.
Ero, dos sonnos seus a gloria inteira '.
Lhe ollertaudo o destino eternas dores,
Roubou-lhe essa esperanga derradeira 1
Ah I dea adeas ao mundo inda cnaora,
Quando o porvir, deurava Ihe a al torada
Peodeu na tumba.. immorehwhta so-a
Su'alma para o co, e o corpo ao oado. I
Qual cysne errante, deste agreste slo
F.rguendo o veo, hi oo co poasar !
Deus arraocou-o do materno eolio,
S Ueus tambem a. pode consolar' I
O corpo consular fraoeet araba-do a*
com um exemplo de aarnavova ttuprn.
Ao passo que as autoridades toreas e o i
estrangeiros fujiram de Alepo, por no da roo-
lera, o cnsul de Franga, o Sr. Boriraod, acara no
seu posto, abra de par as portas da sao coso, rere-
bia lodos os doeotes qoe ella podto eooocr, prodf-
galisava a ledos consolagdes o soeeorros.
Este nobre procedimenlo prodozo a mais vira e
feliz impresto-
Deo gratissima, S. Amedro de Laosame ; urna vir-
gem digna de toda a venerago, eleita e escolhida
entre todas, pwlla veneranda et electa proclama
S. Bernado.
illustre mnibus expectanda
berto.
A Virgem que nunca fra importuna e exigente
nao se oppondo de maneira alguma a este isola-
mento, sabia que Jess lngara enlo a sonda no
fundo do ahysmo incommensuravel qne se entre-
abra sob os pa*sos da raga humana, e que a re-
E' para ella qae todos devemos olhar, orrsona o mundo seria 0 fr0l.,0 de SGas medta-
accrescenta S. Ful- K\.
gnes silenciosas.
Rexpeiando o trabalho desse espirito poderosc-
N'Ella. Ado de Pereoigno, admira o ornamento qne se dubrava sobre si mesmo e olhando para o
das mais edas vrgeds, ornanenlum malrum et futuro de gloria que a cada momento se approxi
virginnm, S. Pedro Damio a espusa sem mancha mava Mara vi ja o co aberto, a morte vencida e
peranle si mesma e peranle seu esposo ; S. Rober- o Messias mirando lodos os povos do globo debaixo
to a raihha das virtudes regina virtutum, S. do seu estandarte...
Ephrem, a ranha da natureza humana, regina hu-1 Mas de repente a prophecia do ancio do templo
mana natura ; S. Ildefonso, a imagem do proprio aposentara se como tmulo, no flm desta prespec-
Deus, forma ei; por isso.todasasidades hoje pros- |va encantadora. *
tam-se a seus ps, o menino a donsella adolescente, jjm irem,>r se apoderara, da pobre Maria, e seo
aesposa, a mi, a viuva, Iodos, lem obrigago de tan&o, onde o amor para com Jess tinha to
render-lhe homenagens, de so cobrir cora seu man- fT;inae parte, se fundara em suas angustias infi-
to lomar parle suas assuciagoes,
seguem o a honrara.
todos era lira a
SANTA INFANCIA DE JESS.
billas.
Urna voz secreta lhe diz
E' preciso urna expiage por meio de san"
gue I E' preciso que Chrislo morra I
Enio ella abandonando o humilde trabalho, a
a a* Tr.r in m.er.a deixar Jos me- i Miniaturas da idade media nos represeulam o p sua n,ijRP(,cia a condemnara. a filha de David,
nearse s com uro animal, que nao obedecia-o, to- |seu quart0j que ia falBr demol|r um repri.men- Um ,,de apreseQU Duia
4 mel a Russa pela raau, e disse a seu desastrado ,0 para proCUrar ralos morios, quando foram acha-1 nadu u ma|S bl |lftrfllf o Divic
cavalleiro
mas cuino muito moga, convera esperar
lempo acabe com islo.
Urna quinta feira, chegaram me de improviso Quana0 chegardes a Tertre, pediris ao co-! em decomposico cuja presenga ero seuielhanle lu-
aniigos, e por infelicidado muilos. No campo cas-
ta muito a.>asalhar-se os hospedes que escolhem
esle ilia para virem surpreoder seus visinhos. As
provisVs esio acabadas, e lomase preciso fazer
cheiro que conduza esta jumenta, e durante esse gar nenhum dus seus criados soubera explicar
rosa de um eocar
no Menino a desfo.
das no meio da sua, roupa bfaoca^ quatro perdizes | com Uffl grac|0(0 ^^ a V|fgem 0 can(em.
pa com um sentimento me.-dadu de felicidade e
Mandei chamar a Jus e inierrugueio-o.
Cortamente, disse elle, ful eu quero as linha
razzia no gallrahelro. Portanto mandei matar
frangos e patos, e colher os mais bellos legumes
lempo cuidareis do meu cavallo, dar-lhe-heis aveia,
e meia hora depois o fareis beber.
Eu estava muito vexada de chegar a Tertre, com posto all, e liz isto por me parecer melhor; a Sra
uro animal pela mo, e ainda mais, quando, ouvin- condessa dissera que a sorpreza causara prazer a
ss;. do um rincho alegre, voltei-rae e descobri o poldro mademoasella de la Meilleeraye e seeu fosse dar
j Jiguo de ser ufforecito aos meus hospedes, fcu da Russa que vraha em procura de sua mi. Guia- lhe tolameote as perdizes, nao havena urna sor-
eslava muilo embaragada defronte da minha cozi- do pelo amor filial, elle tinha seguido seus rasto, preza I
nheira, que para mim era o ministro do interior, logo qae podra escapullr-se. la me esquecendu de duas anedoctas de Jos em
Veiolhe urna idea. A Russa era urna jumenta grande, pesada, es- sua estrea.
_ Se so manJasse procurar um per, disse el- guia, e magra como o cavallo do Apocalypse; seu | Um amigo que passara alguns dias em minha
4a, ha s na herdade de Froane, Pedro pode ir a poldro oo era mais bonito do que ella. Eotrei em casa, ao retirar-se, Iti
cavallo, voliar lugo, urna fcgua. Ser um Un- Tertre entre a mi e o lliho, coolrariada, como o
do assado, eu o trufare com castanhas I somos aos vinte annos, com essas pequeas humi-
Fni em busca dos meus hospedes, eslava com o Ihages de amor proprio. Mais tarde ellas resva-
espirito socegado. laro pela superficie, e se perguota com admirago
Urna hora depois, Jos entrou no salo e me du- por que o que nos seria to indifferente hoje, nos
se com ar triurophante : agitava unto bontem.
Madama, o per chegou I Jos, que caminhava depressa, chegou pouco
v loe aperta-lo contra sen seio, pois era abi que
elle vi vera sempre
Com a sna presenga, Jess haixara os olhos, qne
pensativo contemplara os astros; sua joven fronte
trompada, por um pensamento vaslo como o mnn
do, loroava a ser a fronte lisa e paliida de nm me-
nino.
Entilo Maria recalcando em seu corneta sen*
pensamenios sinistros presaria o repouso depois de
longa vigilia. Era preciso encontrar torgas per
rouxe dizendo
Pensei que elle rae dava isto para pagar as
despezas que fez na casa.
Nunca se pode eosinar-lhe a fallar na tercelra
de tristeza.
Cada foiha que se desprenda da purpurea flor,
sob delicadas dedos de Jess, recorda a sua Mi o
sangue que deve um dia correr em jorros de suas
rasgadas inus.
Multas vezes de larde, no meio do silencio da
natoreza, a Virgem encantara os sonhus de Deus,
adormecido com accenios de sua voz fresca e pora, manhaa, o caminho seria fatigante e o trabalho pe-
Os radiantes astros do Oriente, paraiain para ou- sadn...
vi-la, diz um poeta ioglez do seculo XIV- O liiho de Deas segua em silencio sua mi
O' minha lyra, saboras os cantos da Rainha das mortal, porque elle a amava e lhe era submel-
Virgens, esta meloda que prende os ouvioos do lido.
corago, osles accenlos que adormeciam a Divin- O' grandeza deste humilde nascimento do filho
dade em uui corpo mortal que lhe fazia esquecer. de Deus I exclama o cardeal de Berolle ; socie-
as miserias e a fraqueta na lotancia ? dade honrosa da virgem a do Padre Etero >, no
O' Mi de alegria, se elle chegara a chutar, vos ponto de vista de sua autoridade sob Jess I
O pinto; francez Guillemat, qu*
para o Oriente com o lim do putar aigoo
para os -convenios gregos, foi coactado a
linopla para retratar o soitaO.
Isto- demonstra a influencia qoe vao
na Turqua as Ideas modernas, pon
aos turcos Ibes era prohibido reproduzr a
bucaaua por meio das artes.
copo
Cerlo lavrador foi ler eom o cora
qoe dissesse uina missa por aloia da i
raetlendo-ihe cinco lostes.
O cura qoe eslava a almoear, oSeracaai
de vinho ao lavrador dizend-ln :
Ande, prove dessa pinga qoa me don i
freguex.
E' vinno do purgatorio, como Hw etmmo o
sacnsiao, por eu usar dello oaa oussaa. Qtt*
parece ?
Excelleole !... E oslo violto de
rio?... .'Seise caso... Notso caso... o
dinheiro na algibeira.
Qoe isso ? pergnoloo o cora.
Se minha mulher bebe lio bom vioaooopmr-
gatorio, seria eu um maroto so leottsae Ura ka da
la. Que beba I que beba I
E o lavrador foi para a uberoo
pessoa. Elle apenas sabia afumas phrases.como os o tranquillisareis sobre o seio virginal: ora vos o orno nao respeitaremos dous poderes to Iden-
papagalos. Ura dia, voltou-se, me perguntando : I apresentareis fruclos deliciosos : ora offereceis as tico* T
Aonde esta' essa terceira pessoa com a qual,' Qore da ierra a esta flor perfumada dos cos, Como nao serviremos, posto que dTereqiernen.
Segundo diz o Corredos Kitiooi Ui
co sacerdotes caiholicos foram rcaos ao
por nao terem querido prestar joYaoManO
coosiiluigo do dito Estado.
Esta constuugo, inspirada pelo
byteraoo prescieve urna formla d
o arcebyspo calhotiaode S. Loia
i cunsiituigo dos Eslados-Uudoe o i
consciencia.
Se esta formula nao so moditcar,
perseguigo ao clero eaibolieo qae ja'
O governo sueco esia' esiodaado om pro>ila 4
erganisaco do exercito, o qoal sera
algarismo de 70.-000 soldado*.
Tambem prnjeota coolrnir farim?ajina,
plmenle oa frooteira oneoial.
Segondo afnrraa om jornal fraocot, o
de S. Petorsburgo apoia eom i Hernia i
edes do governo dinamarqmn' non mm loo najo
esuioido ama parte do Scbtosing oso leo ao
Joorie-
PREAMBUCO -HP. DBILPDSr. r%&
-
-r


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJNMLH0QK_VOW2WG INGEST_TIME 2013-08-27T22:33:26Z PACKAGE AA00011611_10829
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES