Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10828


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO ILI. HOMERO 271
Fr (jnartel pago dentro de 10 das do 1. mes ...ti
dem depois dos I.0110 das do comecoe dentro do qoartel. .
Porte ao etrreit pr irts nezes ...,...,,,,,:
SABBADO 25 DE NOVEMBRO DE 1865.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alv>x?ndrino de Lima!
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva ; Aracaty, o
Sr. A. de Lentos Braga; Cear, o Sr. J. Jos da
'Oliveira ; Maranhao, o .Sr. Joaquim Marques Ro-
drigue? ; Para, os Srs. Gfraido Antonio Alves &
-Filhos ; Amazonas, o Sr. Jeronyino da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claodino Falco Uias; Bahia, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, 0 Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacSes da va frrea at
Agoa Preta, todos os das.
Iguarass e Goyauna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Rento, Bom
Conselho. Aguas Bel'as e Tacarat, naslergas
feiras.
Pod'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio eEx, as quartas
feiras.
Serinhem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agoa Preta Pimeoteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relago: tergas e sbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Julzo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos : tercas e sextas s 10 boras.
Primeira rara do civel: tergas sextas ao meio
dia.
Segunda vara da civel: quartas sabbade a 1
hora da larde.
EPHEMERIDES DO MEZ DE NOVEMBRO.
3 La cheia a-s 5 h., 43 m. e 28 s. da m
10 Quarto ming. a 3 h., 25 m. e 52 s. da ni.
18 La nova as 8 h., 40 m. e 22 s. da m.
26 Quarto cresc. aos 38 m. e 2 s. di m.
DAS DA SEMANA.
20. Segunda. S. Flix de Vallols fund. dos trinos.
21. Ter^*. s- Celso m. ;.S. Honorio m.
22. Qnaita. S. Cecilia v. m.; S. Filemon ni.
23. Quinia. S. Clemente p. m.tS. Cesino,
24. Seila. S. Chrysogno m.; S. Firmiua v. m.
2o. Sahhado. S. Catharina v. m.; S. Jucunda v.
26. Domingo. Ss. BeUno e Filas bb. mm.
PRRAMAR DE HOJE.
Primeira as 10 horas e 6 m. da manhaa.
Segunda as 10 horas e 30 minutos da larde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTHBOS.
Para o =111 at Alagoas a 14 e 30; pan
ala a Granja a 7 o 22 de cada tnez; pan Pl
do nos das 14 dos mezes de Janeiro, marco,
julhu, seteml.ro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da I
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Fi
Faria & Fillio.
alo
ilo ao lenente-cor.mel Jos Francisco de Fa-1 Dito ao mesmo.Em vista de sua informagao
w .s. ooo.6..iu.vo u-.w ~~....., f rjas Sa||es _S(,.undo infrraa.rae o general com- de 21 do correte, sob n. 469 antoriso V.S a man-
se achara em debito das respectivas assig- mandanle na armas, era offleio u. 2170 e data de dar registrar no competente livro o titulo d remo-
Os Srs. assignanles desle Diario, que'
naturas, queiratn mandar realisar o paga- is do correte esto com praga no 3* corpo os vo-
mento dellas; e aquelles que moram fora luntarios da patria a que allude V. S. emseuoffl-
desta cidade, tenham a bondade de dar avi- eD ^"..r 2mA?3
o de quaes sejam aqu os seus currespon- V|0 a v S- 0 l0Cls0 re,|ller,eQto documentado
dentes, aGmde sec solicitado .-se pagamen- do furriel da 5" companhia do corpo sob seu com-
to dos mesmoCa quem daro rdem para mando Jos Sopicino de Frenas aiim de que atten-
-..- ..:~____~ .',.,. iviim o r.iii da ao suppiicante concedendo Ihe o uso das insig-
.isto, visto como
dessa ordem.
alguns prelextam a falta
PARTS FFOiAL
G07ERN0 DA PBOVNfJA.
Expediente do dia 21 denavembro de 1865.
Offleio ao marechal de campo commandanle das
gao du professor de inslruego primaria da cadeira
de Nazareth, Jos Francisco de Souza.
Dito ao mesmo.-Tomando em consideragao o
que expoz o chefe da reparligao das obras publi-
cas em oflDcio de 20 do corrente, sob o. 371, aca-
bo de approvar o augmento de despeza na impor-
tancia de 453, feilo cora os no vos reparos de que
precisa a casioha d'agua frrea no Caxanga', se-
gundo consta do predito offleio : o que declaro a
V. S. para seu conhecimento, e Ora conveniente.
Coraraunicou-se ao chefe da reparligao das obras
publicas.
Dito ao commandanle superior da guarda nacio-
nal do Recife.Srvase v. S. de expedir suas or
Tem camarotes para 34 passageiros, podendo
conduzir 1,000 pracas de tropa.
Veio tomar mantimento e carvao, e segu para
Rio de Janeiro.
A represoniagao da Ftlha do Lacrador, que
leve lugar quinla-feira, foi mais urna produego
magnifica do talento da Sra. D. Adelaide, cojo tra-
Jjalbo foi urna verdadeira creago do typo de
ioanna pelo primoroso e pela naturalidade, com
que foi o papel desempenhado, chegando urna e
Otra dostas qualidades al ao ponto do iocommo-
iar no lina I do 4* acto.
Hoje teremos de apreeiar de novo esta dislincta
actriz em seu beneficio. ,
Guilhermina,
pasmo.
Pernambuco, 10 dias, S. Jos ; es-
De Goyanna nos escrevem o segurte :
Celebrou se com a devida pompa inicio pro-
nias de 2 cajete al que prove o seu direito.
Dito ao mesmo.-Uefei iodo o requerimiento do
soldado do corpo sob seu commando Manoel Paes
Cavalcante aul- riso V. S. a dar-lhe baixa aceitan-
do em seu lugar o substituto offerecido Jovino No-
nes Pereira, que para isso foi jaleado apto em ios-, -
peeco de saude como conto do seu offleio 11. 1084 dens para ser postada em frente da igreja de Nossa eessiona, da Senhoka 00 Amparo que, seguida de
desta dala Seohora do Livramento nesta cidade, urna guarda : numerosissimo acompanhamento, percorreu varias
Do ao inspector do arsenal de marinha.Em de honra de um dos balalhSes da guarda nacional ras da cuiade. Esteve magnifcente,
vista das ponderayoes fetas por V. S. era seu olfl- sob seu commando superior, aflm de assislir a fes | ** honras militares foram prestada
ci de hontem daudo sob n 1022 aulorisoo a no- t e Te-Deum que all se tem de celebrar no dia
26 do correnle.
mear a Jos Francisco da Fonceca Galvo para o j
armas. -Sirva-se V. Eie. de informarme acerca [ |Ugar jt collborador da escriputuragao das obras I
do que pedem nos Inclusos requerimenti s, os desse arsenal vencendo rail e seis ceios ris dia-
guardas nacionaes do balalhao n. 43 do municipio | r|OS#
de Serinhem, Pedro Jos da Rocha e Anlouio Va-! Dito ao mesmo.-Mande V. S. alistar na compa-1
lentim. nhia de aprendises marinheiros o menor de nome
Dito ao mesmo.Tendo resolvido que o tenente Manoel dos Sautos.
do quinto corpo, Thomaz Pereiri. Pinto, tique en-1 Uiloao director geral da inslrucgo publica. :
arregado da bagagem do refen.lo corpo, a qual gm solucgo a consulta que V. S. faz em seu olfl-
deve seguir com o mesmo tenente no prinieiro va- j 0j0 ,jt 20 j0 correnta soo u. 307 tenho a dizer-lhe
por inglez, visto Do haver lempo de embarca-la 1 cjae p0dem entrar no concurso a que se vai proce-
no Paran, assim o coramuoico a V. Exc. para os, der para preenchiraento das cadeiras vagas de ras-
ns convenientes. trugo primaria do sexo masculino os alumnos que 17 do corrente, sob n. 366, empreitar com o arre-
Dito ao mesmo. Sirva-se V. Ezc. de informar len(0 completado o curso .da escola normal, tive- j matante do empedramento de 280 bragas na es-
acorca do que no incluso requerimiento pr.de o pri-! retn a maioridade legal exigida no artigo 13 1* ""ada da Victoria, Feliciano Rodrigues da Silva,
raeiro sargendo do segundo balaih) de guardas: ja \,, a 359 ,je 44 ,)e ma0 de 1835. sob as mesmas condlg5es do seu contrato, o empe-
naciouaes destinado ao servigo da guerra, Joo de I nto ao Dr. juiz de direilo de Sanio Anto.Pe- I dramenio de 36 bragas correles daquella estrada
Aqumo Lira. j |0 seu offleio n. 29 de 11 do correle fl|uei intei-' ao chegar a Morenos, sendo novo trabalho avalia
Dito ao inspector do arsenal do marinha.Man-
de V. S. alistar na companhia de aprendizes arti-
ficies desse arsenal o menor de nome Donaciano,
de rjiie trata o incluso attestado.
Dito ao capilao Luiz de Frang Mello Jnior-
Mande Vmc. apresentar ao marechal commandanle
das armas, para ter inspeccionado de saude, co-
mo pedio, o soldado Jos Lopes da Fonseca, da
companhia sob seu commando.
Dito ao cnefe da repartigo das obras publicas.
Pode Vmc, conforme indica era seu offleio de
(]J!Ki\ICA_JlOICIAKIA
Tni iis'.yal io o mi mu 10
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 23 DE
NOVEMBRO DE 1865.
PRESIDENCIA DO KXM. SR. DESEMBAROADOR
ANSELMO FRANCISCO PERETTI.
As 10 horas da manhaa, estando reunidos os Srs.
deputados Rosa, C. Alcuforado, Basto e Miranda
Leal, e tambera o Sr. deseinbargador fiscal, o Exin.
Sr. presidente declarou abena asessao.
Lida, fui approvada a acta da sessao antece-
dente.
DESPACHOS.
Bequerimeato do agente de leiloes Aureliano
As- honras militares foram prestadas por um : *OSIO de Oliveira, pedindo que se Ihe mande
balalhao da guarda nacional, cuja uumerago nao ar RU,a l'.ara ser PsKa na competente repartigo a
divisamos, roas que pouco deve invejar aos melho- imP"riancia do imposto do seu offleio, relativa ao
re e mais disciplinados dessa capital. O Goyan- ,r"et nodo.Como reqtier.
oeuse 11 asee soldado; era de verse o garbo com T hesolucao.
que marchava a guarda de unir, e at a discipli-; lendo^sido designado pelo Exm. Sr. presidente
na com queexeculava as evolngoe^. em. sessao d.e 20 du correte, o dia de hoje para
< Est ainda a funccionr o tribunal do jury
sob a presidente do Sr. Dr. Gmcalves da Rocha,
e nos seus raros impedimeuios pelo integerrimo
juiz municipal oSr. Dr. Benrique Pereira de Lu
cena. De maito nao assistimos aqu a urna sessao
to frecuentada e esclarecida, assim nos debates,
como em julgaineiitos.
< A concurrencia de advogados, e nolavelmente
a presenga do lufatigavel Sr. Dr. F. L. de Gusmao
Lobo, que ni 1 se lem poupado a' defesa de reos
pobres, accedendo sempre de boaraente aos convi-
les do presidente do tribunal, prodnziram este bom
resultado, de que a ju uno ao mesmo. Queira V. Exc. ioformar-me I rado de ler Vmc autonsaJo o juiz municipal do i do em 3883733, e para cuja conclusio flca marca-1 tribuna do jury lem ido occupida com verdadeiro
-acerca do que pedem nos inclusos requenmenios,! termo da Encada a presidir a reviso da respectiva do o prazo de um roez, alem do estipulado no pri- talento pelos Srs. Drs. Gusmao Lobo, ^oaquim Ta-
julgamento dos summanos instaurados contra o
Exrn. viseonde de Sua-suna, Denlo Jos da Cosa"
Jnior b J o Pereira Rabello Braga, proprietano
e admiui>iradores dos Irapiches alfandegados Pe-
louriuho, Forte do Mallos e Ramos, o tribunal re
solfea absolv los da raulia em que tinbam incur-
rido.
Nada mais houve.
SESSAO JUDICIARIA EM 23 DE NOVEMBRO
DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESF.MBARCADOR
A. F. PERETTI.
Ignez Maiia daTiindade, Jos Ferreira das Cliagas |sta dos jurados por ter V.uc. de presidir a 2" ses-' mltivo contrato, com V. S. prop5e no seu preci-
e Joaquim Jos de Mello.
Dito ao Dr. chefe de polici.Sendo
, sao do ju'rv do termo de Santo ntao couvocado, lado offleio, que fica assim "respondido.Coramu- 8* da defesa.
os reparos j para 0 dia "13 deste mez. nicou s Secretario, Julio Ginmaraes.
As onze horas e meia da manhaa o Exm. Sr. pre-
vares e Honorio, que repartirn) entre si as fadi- sidente declarou abena a sessao, estando reunidos
Dito a cmara municipal d- Giiauna. Para po
dr resolver a cerca do que exp3 a cmara mu-
nicipal de Goiaoua em offleio de 13 do corrente
misier que a cmara me declare se sera' mais con-
veniente arrecadar por admlnistrago os impostos
de que trata o seu citado offleio os quaes deixaram
de ser arrematados ou ir outra vez era praga cora
um novo abate.
-de que precisa a cadea da villa de Flores de pou-
co dispendio, como consta de offleio do respectivo
delegado, junto por copia ao de V. S. n. 1798, de
15 deste mez, e nao depeodendo de conhecimeuios
-especiaos de engenharia, como opinou o chefe da
reparligao das obras publicas, autorlse o referido
delegado a mandar fazer sob sua inmediata ius-
pecgo os que forera absolutameoie iudispensaveis
para $egurat.-ga da priso e couservago do edificio
e pelo menor prego que lr possivel.
Dilo ao inspector da ttiesouraria de fazenda.
Mande V. S. pagar uos devidos lempos, a Joaquim
lguacio de Barros Lima, procurador do major em
coiniiiissao do quinto corpo de voluntarios, Julio
Pompcu de Barros Lima, a consgoago mensal de
300O0 al prefazer a quaolia de 150OUO que elle
conslgoa do seu sold.
Dito ao mesmo. Annuindo ao que sollcitou o
commandanle superior da comarca de Olinda, em
offleio de 17 do corrente, recommendo a V. S. que
estaudo em termos os inclusos preta em duplcala,
.naiide paitar os venc renlos dos destacamentos
de guardas nacionaes exilenles as fortalezas de
liamaraca' e Pao Amarelio, seudo os do primeiro
a contar de 16 de oulubro ultimo al 15 dse mez,
e os do seguudo realivu a primeira quinzeua do
corrente mez, bein como os dos cornetas do 9 ha-
lalnao de infantana, correspoudeules ao citado mez
de uutubro.
Dito ao mesmo.Estaudo em termos as ioclusas
-comas era duplicata, mande V. S. pagar ao encar- cioafdViacad pai o servmo"da"gu~errT
regado da gerencia da coaipaohia Peroambucaiia, Dita.-O presidente da proviucia attondendo
; os Srs. desembargadores Silva Guimaraes, Reis e
os Srs. Drs. Floripes e L'iiz Silva o Accioli, e os Srs. deputados Rosa, Candido
ses-
PortanaO presidente da proviocia attendendo fantaria da guarda nacional do municipio de lgua
Dilo ao Ihesoureiro das loteras.Approvando Gongalves nao poderam compartir por encommodos Aicoforado, Bastos e Miranda Leal,
nest data o plano que Vmc. rae apresentou com o de saiide desses desinieressados tra alhos. Lida, foi approvada a acta da precedente
seu offleio de 21 do corrente, para a extracgJo das De sua parle, se tem distinguido os juizes de sao.
parles das lolerias desta provincia; assim Ih'o facto por extrema sevendade nos julgameotos.sem ro apresentado ao Exm. Sr. presidente o offleio
communico para seu conhecimento, remetiendo- Ihe copia do referido plano. solvigao em factos graves. Em regra, tem sido o i "es de Bnto, commuoicando haver recebido 44500
Ponaria. O presidente da provincia em vista julgameulos mol jurados pelas normas da josliga. de custas pertencentes ao fallecido e-crivo M. Pe-
do que allegou o capilo do balalhao n. 11 de in- \ Honra, pois, ao jury I reir ; e pedindo a S. Exc. que se digne dar suas
Procedeu-se perante
aoque requereu o professor interino da cadeira de rass Manoel Brasilioo de Arruda Cmara, resolve xame de samdade nos fenmenlos perpetrados, ha: outras que por ventura venha
instruego primarla de Santo Amaro das Salinas dispensa-lo do servigo de destacamento para que das, por dous escravos de Itapirema na pessoa de cenes ao mesmo fallecido. ]
Jos Francisco Ribeiro de Souza e tendo em vista a fora designado por portara de 27 de outubro ul- um criado de servir do Sr. Luiz Cavalcante de La- denle deu suas determinago-s
timo. cerda, e venficou-s^ a leveza das mesmas offensas.
D.ta.-0 presidente da provincia attendendo ao *? d urna vez o recrutamento por parte
que requereu o juiz municipal e de orphaos do do ur. jo.z muoic.pal. Teodo allengao a ultima
termo de Nazareth bacharel Joaquim j/ de Oli-1 recoraitendagao do guverno imperial, resolveu e*
^rz?zsz?.L^
para vir a
menagem ao patriotismo da heroica Goyanna, o lu-
gar da p.ovmcia que mais lilhos tem mandado ao
theatro da guerra.
mformago do director geral da io*lrucgo publica
de 18 do corrente sob n. 305 resolve conceder-lhe
15 dias de licenga cora o vencimiento da respectiva
gralicagao para tratar de sua saude.Coramuni-
uou-se ao director geral.
Dita.O presidente da provincia resolve noraear cenga com ordenado na forma da le
o aiferes Joo Neponuceno Alves Macil para ser- esta capital tratar de sua saude.
vir em coraraisso o posto de tenente da i" cora-1 Dita.O presidente da provincia leudo em vista
panbia do 5* corpo de voluntarios da patria sendo' a proposia da commandanle interino o bau-
preenchida a vaga de alteres deixada por este na iho n. 42 de infantana da guarda nacional do
7* companhia por Manoel do Nasr.unento Pon les municipio de Serinhem, acerca da qual informou
Jnior Hcando assim sern elTeito admisso conced- o respectivo commandanle superior em dala de 19 n. 1I, extrctanos o seguiuto trecho :
da a este ultimo por portara de iwutein lizeram-se do corrente, resolve nomear para o referido bala- j < E' ver Jade mea pai qu< o coronel Leal ain-
as necessanas eommunicages. Iho os offlciaes segrales : da o mesmo amigo dos Pernambucanos, nao ha um
Dita.O presidente da provincia resolve nomear Estado maior. ; so soldado ou effl ;ial do nosso balalhao que nao
o lenenie reformado do exercllo Luiz Jeronyno : Atieres porta-handeira, o guarda Joo Silveira Car- ihe seja devedor de mil favores os soldados apon-
Ignacio dos Santos para servir era coramiso o- neiro da Cunha. tam-no como o pai do b lalno, no dia em que o
posto de capilo liscil do 2o batalho da guarda na-1 1 Companhia. coronel paSM encommodado um alarido no bata-
Tenente, o alferes da 6*, Flix Jos de Mello. Iho, porque todos desejara sab r noticias delle,
2' Companhia. como lodos os meus companheiros j devem ter
o tenente Jos Cavalcanli de Albuquerqun maudado dizer o mesrao a suas familias, porque
todos o estimam.
reir
o Dr. juiz municipal a | ordeos sobre o desuno que deve ter essa quantia, e
a rereber, penen-
E o Exm. Sr. presi-
a este respeiio.
JULGAMENTOS.
Appellanles Manoel Antonio Nogueira e sua
mullier; appellado, Joao Pereira Castalio Branco.
Adiado na ultima sessao, adiouse de novo a
rte um enti eripii\ da campanna pein i*
cadete Jos Tavares Pes de Jos Tavares Dornellas morador ra Direiia
ca e uiariuha.
Dito ao mesmo.Respondendo ao offleio que V.
S me oirigiu hunleui sob u. 8i2, tenho a dizer que
considere de ueuliumi elTeilo o meu da mesma da-
5* Companhia.
tenente Joo Bapti.>la Accioli Lins.
armas de 20 do correnle sob n, 2190 resolve des- t* Companhia.
peusa lo do servigo da guerra para que eslava de-; Alferes, o guarda Francisco Luiz Pae? Rarreto.
signado. C>minunicou-se ao respectivo coraraandante so
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernambu-1 perior.
De Boslon chegou hontem o pequeo vapor
Ttjuca, de 400 toneladas, uutr'ora da marinha de
guerra dos estados do sul, que destinado ser
i vendido no Rio de Janeiro,para onde segu. Sabio
de Roston no dia I.* do corr*nte, mas os jornaes
ta, pelo qual mandci adiaotar os vencimientos re- caoa'mande~dV"ma"passag^^^ da provincia attendendo a ; que trouxe Dada adiantam.
alivos a segunda quiuz.-oa .leste mez, a quareuia e; 0 Ara,.aly no vapor que Sf.uir paro 0 One no' que o tenente do batalho n. 43 de Serinhem Mar- N rt p bra|
^-ff^...^^-.^.^?'hiy-^.g.B'-r^' "^ mez de dezembro v^douro a Benvindo Gurguel do | Uuho Rodrigues da Silva Costa, provou estar im-: Q0 u goRJ Augusto FraTklS Moreira
ciouaes desiiuado ao servio da guerra, pois que Amara| ( p0ssibiliiado para o servigo da guerra, e tendo em d <,, Sllh-chanirp da S de Olinda tem elle
SElfSmTUE^^ Dita-S SrS" ageDle$ da cmPanhia.Bra5"e,ra i v,s,a a j^nmigao do respectivo coramandante su- dporsLeVdoLs slU.es o Revra Jos Joaquim
l"^.^^.^!^By^.^.^^.a..C^^', 9W*** focara transportar para a corte no va-, per-or de 14 de ou.ubro ull.mo, resolve d.spensa-lo g An,1ra,,e,chantre da calhedral de Olio
a^LafvS^^SSmfiSo dT-ta por ''aran^ conta do ministerio da guerra os daquelle servigo para que fon designado. d reiIor (lo semioario da mesma cuUde, 0
vas despezas a quautia de 8.UU0*UUU, pode ene recru,as apurados nesla provincia Francisco Daniel ... n,.'vm pr Antonio de s Ramilla de I ellis lenU de
com essa uuaulia occorrer ao iiairiiueniu de Ues ..____,...",?____:.... ....V..-... ^. o .-.. n^m io 'X". l!j "..' BSBB ------------L.USJ j Leiiis, lem* t
PERNAMRUCO.
com essa quaulia occorrer ao pagamento de laes
veiicimeuios.
Dilo ao mesmo. Recommendo a V, S. a expe-
digau de suas ordeos, para que eu os devidos lem-
pos S> jam pagas as eonsigoagoes que do suido de
suas paleules preleudeiu deixar meusalinenle nes-
ta proviucia a seus procuradores indicados uos in-
clusos requerimieulos, os offlciaes do quiulo corpo
de voiuuunos da patria, constantes da relago
tambera inclusa, assignada pelo secretario do go
verno.
Relago a que se refere ao offleio supra.
Tenenie-corouel Joo Paulo Ferreira.
Capilo Aulonio de Paula Cavalcanli de Al-
incida.
Capilo Hygino Firmo das Chagas.
Tenente l-ilippe Borges Leal.
Dilo Antonio Gregorio Leile.
Dilo Thomaz Pereira Pinto.
Alferes Framisco Xavier Alves Quintal.
Dito Pedro de Alcntara Perrier.
Dito Heiinque Flix de Dacia.
Dito Ju-e Ferreira da Silva.
Dilo Gamillo Machado Freir.
lu J.j.-e Pedro Celestiue de Mendooca Jnior.
Dilo ao Inspector da llie.-ouraria provincial.
Trausmiilo a V. S. o prd junto em duplcala, atina
citou o cominaudaote superior da comarca de Pal-
mares, em offleio de 16 do correte, os vencimen-
los a c otar de 17 de outubro ultimo, al o rilado
da 16 do de-iacaiueiito de guardas nacionaes exis-
tentes na villa de Agua-Prea.
Uno ao mesmo. Annuindo ao que solicilou o
commandanle superior da comarca de Olinda, em
offleio de 17 do correle, recommendo a V. ., que
eslando em termos oa luclusos prels em duplcala, |
mande pagar os vencin eiitos a contar de 16 de ou-
tubro ultimo at 15 desle mez, dos destacamentos
de guardas nacionaes existentes n'aquella cidade e
na villa de Iguarass.
Diio ao mesmo. Seno houver inconveniente,,
mande V. S. pagar os vtncimentos relativos a pri
metra quinztna deste mez, do destacamento de;
guardas naciooaes existente na freguezia de S.
Lourengo da Mana, como se v do pret junto era
duplcala, a que se refere o offleio do comman-
danle superior desie municipio datado de hoje, e
sob o. 445.
Dito ao coramandante superior da guarda nacio-
nal do Recife.Deferrado o requerimiento do guar-
da da qiola companhia do batalho n. 6 de infan-
tina da guarda nacional deste muuicipio, Pedro
Celestino dos Santos, acerca do qual informou V.
S. em offleio o. 442 de 18 do corrente, teuho a di-
Secundiuo, Francisco Simoes da Cosa, Romo Joso
de Camino, Francisco Jos de Araujo, e bem as
sim do Rio Grande do Norte Manoel Antonio da
Silva, Joaquim Severiauo Alves, Seralim Manoel
de Souza, Francisco Cordeiro, e Manoel Jos de
Frenas, do Piauhy Joaquim Ferreira, do Para Ma-
noel da Rocha VaUnie.
22
Offleio ao Exm. desembargador provedor da
Santa Casa de Misericordia.Autoriso V. Exc. a j
mandar admlttir no collegio das orphas, como i
pendonista, e nos termos de sua iuformag-io de 10
do corrente, sob n. 538, a menor Josepha, iilha da .
Florencio Jo* Mana da Silva.
Dito ao general commandanle das armas.Sir-1
va-se V. Exc. de inlormar-me acerca do que pedem
nos inclusos requerimeutos Mana da Pureza da
Couceigo e Virtuosa Mara da Couceigo.
Dito ao mesmo.Queira V. Exc. mandar ins-
peccionar o guarda uacional do batalho n. 26 do
municipio do Bonito, Jos Valenno de Araujo, de
que trata o incluso requerimiento.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de expedir
suas ordena para que os corpos de voluntarios da
patria e d
m\m mam.
francez do mesrao seminario, e gnardlo do con-
vento de S. Francisco d'aquella cidade ; e por se-
culares assislenles, os Srs. coronel Jos Mana Il-
defonso Jacome de Ve(ga Pessoa de Mello, Dr. Joo
Antonio de Araup Freitas Henriques, e o negocian-
te Salvador de Siqueira Cavalcante.
Assisiiro o arto, segundo nos informam c
Comegaram hontera os actos do Curso Coramer-
cial, e foram examinados tres alumnos do 2* anuo, Exms. Srs. vigario capitular,conselheiro presidente
sendo approvados plenamente daus, e un simples- da provincia, e marechal coramandante das armas ;
: mele. secretario do bispado, e outras pessoas gradas.
Amanhaa lem lugar a bengo da bandeira; a Sociedade Mqnte-Pio Popular Pernambu-
imperial, olTerecida ao 3* corpo de voluntarios da cano solemnisou, domingo ultimo, o nono anniver-
patria, pela sociedade Conciliago. As 10 horas da sino de sua fundagoj com urna ntissa cantada,
em hunra de sUa padi ira a Sanlissima Trindade,
Appellantes, os adminlslradores da massa fallida
de Araorim, Fragoso, Sanios & C.; appellado,
Samuel Halliday.D sprezaram-se os embargos.
Almenantes, os administradores da massa falli-
de AinuM-n Fragoso. Santos A. r...---
Rolrii
manhaa em ponto principiara a missa cantada,
linda a qual lera lugar o acto da bengo.
Nao se lera poupado esforgos e despetas para
que esta (esta religiosa e ao mesmo i- up patriti-
ca, seja fe'ita com toda a solemuidade .- .lompa: pa j
rece por lauto que nioguem peidera si lempo em
ir assisti la.
O templo escolhido para a festividade a mages-
tosa igreja dos jesutas, hoje a cargo da irmanda-
de do Espirito-Santo, que milito se ha pre.-lado
tarado e um parque de artilharia, reu- [ para tornar mais brilhante a uucgo.
nidos aos da guarda nacional desle municipio, e
sobo commando do offlcial a quem por lei compe-
tir, formera em parada no Campo das Priocezas s
5 horas da larde do dia 2 de dezembro prximo
futuro, a tira de selemnisar o anniversario natalicio
de S M. o Imperador, e assislir ao cortejo que se
tem de fazer nesle palacio a' efflgie do mesmo au-
gusto senhor
Ao commandanle superior offleio nesla data re-
commendando Ihe que ponha a disposigo de V.
Exc. os corpos da guarda nacional sob seu com-
mando e providencie para que a guarnlca-) na-
quelle dia seja feita pelas pragas da mesma guarda
nacional que nao arrumaren).Offlciou-se ao com-
mandanle superior do Recife.
Dilo ao mosmo.DA V. Exc. suas ordens para
que o 6* corpo de voluntarios da patria possa alo
jar-se no quartel das Cinco Pootas, que se acha
de-oecupado.
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. Inspeccionar
de saude o soldado destinado ao corpo provisorio
de policia, Jos Lopes da Fooseca, como pede no
inclu o requenmento, que me sera' devolvido com
o resultado da inspeego.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Expega V. S. a* suas ordens para que nos devido*
lempos sejam pagas as eonsigoagoes do sold de
suas patentes, que pretendem deixar nesta capital
a seus procuradores, constantes dos 4 inclusos re-
tjoeriinentos, o capilo do 5* corpo de voluntarios
na igreja da Senhora
pois seso magna e
e.ssSes.
Todos estes actos f>
do-se que noute cilescido
foi a bnlhanlar com
ciedade, que se achada
Iluminada. Nos ael.
locou a msica da so
convidada a compa
ah se achou unifo
jlo Livramento, havendo de-
noule ladaiuha na .casa das
informa- Pela constancia e d
bros trabaiham em t<
ram mui concorridos, notan-
numero de senhoras
uas presengas a casa da so-
elegantemente decorada e
da missa e se-so magna
idade Bella Unio, a qual,
ecer a esses mesmos aclos,
misada, e concorreu grande-
brilhantismo dessa festa po-
A Sociedade Montt Po Popular Pernarobucano,
bla geral, a posse i
Rkpuiiii;vi da oi.icia.
dicago com que seus mera-
rna-la digna dos nobres os
ce todo o aprego e consde-
lugar, era sessao da assem-
nova adminisirago.
Extracto da parte di
Foram recolhidos
dia 24 de novembro
casa de detengo no dia 23
O digno Sr. Dr. chefe de pilicia em atteacio
ao que foi publicado por commuuicagi> nesta Re- m80ie para maior
vista no Diario de 8 do correnle, com relago a '
povoago de S. Jos d'Abreu, raandou ouvir ao
respectivo subdelegado; e deste houve a
cao que re-umiraos nos seguinies termos .
Que neniiuma m vontade nutre para com a ? se ProPe- mer
aquelle povoad-, onde apenas nao tolera e*s-1 raY Si.,, ,,r
lela de criminosos, a quem pursegue pelos meios
legaes -. e que por dar-se as feiras bebedoras e
apparecerera individuos armados, ladrdes de ca
vatios, e outros raalversores, que de ordem do
respectivo delegado tem apparecido mellas com .
soldados, j por si, j por meio do nKpeclor local, Ac.orr"I'61
para policia-las, resultando desta medida proveito p A raena
para o servigo publico pela prevengan e represso *2. a .?,?. r
do crimes, a ponto de haverem sido presos alguns '
criminosos, como Jo3o Baptista da Cruz, e alguns
ratoneiros que alli se acoulavam praiicando furto
e roubos.
A isto addiciona o mesmo subdelegado, que
vagando pelo povoado um desertor da armada de
nome Antonio Mauricio, cuja vida era pilhagem e
bravatas, ordenara o delegado a priso delle, a
qual foi incumbida a Francisco de Moraes, por ser tieres 8- > ;anAn n nnim nnar a* pffw.t.ia-1 i-nrnn reali- >* ***' nacin. s 1JB. vulneres esirao
geiros 29, mulheres 5; escravos 64, escravas 5
total 349.
appellado, Manoel" Rodrigues dos Santos. Moura.
Foi confirmada a sentenga appellada.
Appellantes, os administradores da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Santos & f ; appellado,
Manoel Pereira Caldas.Foi couflrmada a senten-
ga appellada.
Recrreme, D. Anna Luiza de Mello Brrelo ;
recorrida, a copimissao administradora da massa
fallida de Gomes & Filhos.
Appellanie, Manoel Joaquim Riplista ; appella-
do, Joo de Almeida Lima.
Appellanie, Luiz Antonio de Souza Ribeiro ; ap-
pellado, Manoel Joaquim Rodrigues de Souza.
Adiados a pedido dos Srs. deputados.
desiixai;ao de da.
Appellantes, D. Mara Rila da Cruz Nvese outros;
appellada, a directora do Novo Banco de Pernam-
buco, como adimnislradora da massa lallida de
Mesquia & Duira.
Appellanie, Francisco Santiago Ramos; appel-
do, Joaquim Elviro Alves da Silva.
Appellanie, Joaquim de Azevedo Maia ; appel-
lado, Ani iiiin Jos de Figueiredo.
Primeiro da mil.
PASSAGKNS.
Do Sr. desembargador Silva Guimaraes ao Sr.
desembargador Accioli :
Appellantes, os administradores da massa falli-
da de \m>riin. Fragoso, Santos t C ; appellado,
Luiz Jos Rodrigues de Souza e Rodrigues di Ri-
beiro.
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-
fl igador Silva Guimaraes :
Appellantes, os administradores da massa falli-
da de Araorim, Fragoso, Sanios & Companhia ;
appellado, Amonio Alves de Moraes.
DISTRIBUICAO.
Ao Sr. desembargador Accioli :
Recrreme, Carlos Colleraan ; recorrido, o Dr.
Carlos Frederico Taylor.
ACORA VOS 1NTERP0ST0S DO JUIZO ESPECIAL
DO COMMERCIO.
Aggravanles, ^outhall Hellors & C. e outros
aggravados, os admimstcad >res da massa fallida
de Seve, Filhos \ C.
Aggravante, Francisco Gomes da Silva Saraiva ;
aggravados, Antonio Luiz- de Oliveira Azevedo
&C.
O Exm. Sr. presidente deu provimento.
AGGRAVO INTERPOSTO DO IU1I0 MUNICIPAL E DO
COMMERCIO DA VILLA DO CAUO.
Aggravante, I). Anna Mara dos Prazeres ; ag-
gravado, Eo.-taquio Antonio Gomes.
O Exm. Sr. presidente deu provimento.
Nada mais havendo a tralar, o Exm. Sr. pre-
sidente encerrou a se.-so urna hora da larde.
zer-lhe, que teodo o referido guarda sido julgado pesia proviocia, Vicenta Silva, os lenles Carlos
incapaz do servigo activo em inspecgao de sade,i^uguto de Barres Lima, Isidoroi ineodulo de Mal-
deve ser cooltmplado na lisia do reserva em r Jo disposto no arl. 12 j da lei n. 602 de 19 de I Jnior.
seterabro de 1850, cumpriodo qui> seja elle dispen- Bilp ao nspertor da thesouraria provincial.--
sado d'aquelle servigo al a primeira reunlio do Declaro** V. S. parneeu conhecimento e direegao,
Pereira, para correcgi
Casa dk detb.n(
Movimenlo da casa
vembro de 186o:
Existiam 349, enlriram
respectivo conselho de qualilicago.
Dilo ao commandanle superior da guarda nacio-
nal de Goianna.Expega V. S. as suas ordens am
que aiiendendo ao que no requenmento, sobre que
informou o chefe di renartigio das obras publicas,
m-offleio de 2 do oorrente, n. 352, expoz o arre-
de que Theodoro Alves de Vasconcelos seja'como ijialante da recuustrucgo da bomba da Varzea do
solicitou o Dr. chefe de polica, despensado do ser- Paohsta, Jos Henriques Machado, resolv proro-
vigo da guarda naciooil ero quanto esliver exer-
cendo o cargo de inspector de quarteiro.
resolv
jar por un mez, a contar do 1* do correnle, o pr-
So marcado para a conclusio daquellas obra,;:
reputado o nico oapaz de edectua-la, como reali
sou-a por lira, send > no entretanto verdade que
Moraes, fra em 1849 processado por crime de
morte perpetrada em Sencoia, de cuja aecusago
fra livre no jury por justificar o delicio, prauca-
do em legtima delTesa por occasio de resistencia
de Sencoia, que ferira gravemente ao Inspector a
quera acompanhara Moraes naquella diligencia.
O vapor americano H, S. Hagnr, chegado
aote-hontem de New York, um bello vaso, seme-
ntante ao Jos S. lioimio; e construido na mesma
carrelra, (futido este oahio ao mar, ua cidade de
Re imood, no correnle anoo.
E' de 202 pe* de cotnprimeolo sobre 63 de lar*
gura ; ola 17 ps d'agua carregado, e tem ama
raaonina hlice da torga de cerca de 9Q0 caval-
Iw, deitando det milhas por hora
ordem do sub elegado de Santo Antonio,
ca Joaquim Manoel de Mira
nento deste.
A' ordeiu do delega lo de Jaboalo, Joaquim Jos
o.
O chefe da 2" secgo,
J. G. de Mesquia.
o.
le detengo no dia 21 de no-
5, sahiram 5 ; existem
OOBRESFONDENCIAS
Srs. redactores.Pasmei com o molivo que se
deu hoje pelo Diarto de nao poder o Sr. Luiz Can-
dido Carneiro d* Cunha responder aos tpicos da
denuncia contra elle dada, por se arhar de pana
ricio no dedo, quando pode naturalmente escrever
ao Sr. chefe de policia, dando Ine esta desculpa I
Supponhamos, porm, que assim seja; mas por-
veniura o Sr. Luiz Candido nao poderla dictar a
sua resposta, quando a nao podesse tstnM I
Urna tal explicago, depois de quasi com dias de
demora, faz rir. se nao Indignar a c-la a gente I
Mas que fazer t Eogulir calado a pulula do Sr.
Luiz Caudido ou de alguem por elle.
O Pao itAthense.
3LiGAgfls i mm
Que razo ha de aceusa-los de orna Uo leia
traigo T
A razo de actos e eis deiles orna aiaostra.
Primeiro fado.No da 27 do mez prximo pau-
sado chegou a Maceio um vendedor de livros e ao
mesmo da tirou liceoga de os vender. No dia M
o vigario e outros padres aceusaram os irrrvt >U
infames e indignos de sere.n lido* ; di.s*-ran* qn
o vendedor era um enviado de Saunai, e oeliram
polica |u tomasse conhecimeoin delle.
Vendo que a iiolicia nao qnix inlr<>metter-s>. o
vigario ua missa conventual do I* desle mez, pro-
hibi a tritara uso dos ditos litros sob pew% 4*
excommiuiUao maior (Jornal do Commercio est*
corle, de 14 de>ie mez)
Segundo faci.No da tatt MM d) san
prximo passa lo oulro vendedor d. livro ^-ta
empregado em seu negocio, quando f .i ini-rr m-
pido pelo vigario de urna fr-gaezia nao mu L'ror-
d) Recife. O vigario afflrroou que os livros -ram
falsos, o povo alierou-se, e o veadedor cerrado de
muita gente que o linna por oa ladro on petor.
foi conduzido a casa do dito vigario para s* confe-
rirem seus livros com um ejemplar que o vigan .
liona.
Este nao pode achar, nem mosir'.o erro, MI
falsidade alguma -, mas leimou oa soa acensar'*.,
e guardou um txemplar do livro (-en in-io pag >),
que mandou ao seu capitular.
Indo o vendedor a casa dele no dia 3 do preva-
le mez, para buscar o inquir do s*a livro, o ca-
pitular perguntou-lhe se nao sabia que estira es-
commungado aqnelte que tenda e aqwlle que Im
esses litros.
Terceiro facto.No dia 14 desle mes um veae-
dor de livros chegou a urna nd .de a* proviaria
do Rio de Janeiro, e no da 16 o subdelegado veto
pedir-lhe que os deixas*e ver. D.-rlaroo logo que
eram falsos, e o vigario e oulr padre qoe o vi-
rara, o afflrmaram, e disserara qoe dtviam ser
pemados.
Ento lomaram o nome do vendedor *V livros
pum, como disseram, excommunga-lo no duOHOgo
segrate, Isto no da 22 desle mez.
Nessa cidade o delegado de policia lomeo o par-
tido dos ecclesiasticos, e prohibi ao ved*** *
fazer seu negocio alli. Elle e.-crveo n > passaporte
do vriidedor (que se pode apreseotar sendo preci-
so) que o prohibi porque os seus litros ermm com
trivios religio do estado.
Ora, estes fados simultneos, em ato paii to
livre, lem alguma signieago. e o vitarlo de Ma-
celo (como con-u oo Jornal) MMjaM dootse
emauam. Declarou que aquil'o que fatia era so-
GL'NOO AS ORDMS SI. PF.ItIOHES E PASTO AS 9h 1H9.ni,.
Para poder apreciar e>tes factos pr-cis.. saber
que qualidade de arma esta da exrommssmko
maior, com que os devotos vo joganlo lano a m
vontade. Sabemos que nos seclos Ae ir.- e fa-
natismo, produzo elf.-iio- fnoesUs.-ia^s, mas pedi-
mos aos leilores do Jornal, que 'abena ssetaor mm
nos, que nos digara, se verdade oo oo q/aa pea
excommunho maior, prohbese a loo o noe
reconhecem a auloridade do papa de roovers.tr
cora o excommungado; de soec^r lo com ooal-
uuer aiimoni. ^...^^ !.,....*'> oTe^4e morrend.i a
lome ; de pagar-lhe aqnillo que Ihe devem : e le
tratar de qualquer negocio com elle.Pergur.ti-
mos, se os nao obriga de irala-lo coa ia?aitu*. es-
carneo, odio e al de castiga lo cum a pesa de
morte.
Talvez algum ilicaOra boje no Brasil a escom-
munho maior nada e oada oa v-nlade para
os que nao fazem caso da auloridade do clero, .ti-
lla para os que nao creera que os vigario*, bt-
pos, arcebispos, cardeaes e papas, ionio oo epara-
damente, p issam influir na seotenca que o grande
juiz dar no dia linal ; mas para os que reem ;
aquella gente pode deixa-los a inorrer perdl9
pelo negar-lhes a absolvigao, sao I M O ven-
dedor de livros em Macei nao a-h.>o 'ioe era
nada, quando o povo exaltado pe padre qin qii-i-
inou os livros, e veio chmalo ladrao, malva-I >.
anlichrlslo, etc., ele.
Ilavemos de erahrar Dmlm que b>U a ea-U
de jesutas, irmias de caridade, lazaristas.en*.. es-
tn trabalhando para fazer esta arma mai* pode-
rosa do que as pegas raladas ; que o-> laes ja go-
zara de privilegios que oo sao cooredidos a>s n\*\~
prios ridados brasileiros, e que sua inloeacia
cresce rpidamente de dia em da.
Quando os jesutas tiverem en seo poder as
couscieocias das autoridades eivis, como parecer
ter a do film. Sr. P..., delegad.) de polica oa dade do A.... na provincia do Rio de Jaoeir>. e
excominunho maior nao sera brioea.Jeira.
Mas para apreciar os fados citado*, e ver romo
lem de iniluir as 30,000 familias, preciso "
var mais um. cousa.
O liro prohibido como opp >sto reiigUn do <-
lado, a biblia sagra Ii, tra muda da vu'gala r
um padre da igreja romana. E' urna eJi.; la i-
bia do padre Autonio Pereira de Figoeir*&>, o
qual nao ha um i so sentenga, que vi *< araV ijaM
H'i frifi/i'i de Lisboa, e ni io Sr. Garnier. >io m
acha uella urna s sentenga que na hM a,.pro-
vada pelas autoridades eccl-siastic s da 're|a I >
eiado. Sun. As mesmas palavras, ^oe furaq as-
sim approvadas, esto agura segundo a* ordens su-
periores e pastoraes da igreja, exeominungatlJi o
lodos os que as leam, ou veodam !
O que sera dos 2.">O,000 cidauos da Amenea do
Norte, se vierem e trouxerem suas Biblias, iradu-
zidas do original grego e hebraico, por homent
mais sabios, mais sinceros e meos prevoslo* me
os jesutas ? Querero vir para er nlirajad-t r,t-
mo eicommiiiigad .- pelo clero do Brall t Virato
para ser tratados (ou seus filhos) cum lana m|us-
liga e desprezo por causa da oa religi ?
Emendemos que a; orden* -uperlore- epa raes da igreja, obedecidas Mmolianeameote em lo-
los lugares, sao um av so oi igido pelos >v.it.H a*
50,000 familias para qae al) vanham a e-ie pan;
pois os devotos sabem que qnasi kOiM ella o
protestantes, amigas da lber a le, e.meo.-Hta
que, i nde nao tu liberdade religiosa, a ovil esto
prestes a expirar e que por is*> haviam de ppor-
se ao progresso do sanio uffl mo.
Mas, senhores, sera poivel que eidado* kraN-
leiros se opponnam assim aos mi-r-s- maienaes
da patriaT Urna grande parle d.< jesuta*> v
sil sao forasteiros ; e os p.dres. n" seod ra>adn.
nao lem patria. Quando o partid i j hiico liver
Brasil, como as mlssoes tiveram o Paragoay, lar
conta a elles, ainda que o Brasil iqoe a me>m
p como o Paraguay, e conven aoo ootto* ( *
quaes nao far>a coi> ) ilh-r os jeoiis. de ov
neira que elles nao lolnain a colonia;Ji .
Quanlo a mim, seudo um nomem jd- le.. fcxSiH
os dias nos livros excommungado*. me *. eoo
todos os meus correligionarios, por m-amtUtnac,
pelos insultos desses devotos ceg* e
ExcoMMungmm.
Alimentados a' custi do cofres pblicos 170.
Mivimenio da mfermaria do dia 22.
Tiveram alta :
Vicente Ferreira de Paula.
Antonio da Costa Bar! albo.
CEM1TBRI0 PUBLl )Q, OBITUARIO DO DIA 13 DR
NOVEMBRO DE 18W.
Manoel Galdido da Cosa Reg Moura, Pernam-
buco, 98 anuos, silteiro, Sanio Antonio; con-
gesto cerebral. I
Feliciana Mara das Dores, Pernambuco, soltelra.
25 anuos, Boa Vista i tubrculos pulmonares.
Igoacia Josepha de Jess, Pernambuco, 92 an-
uos, S. Jos; cooges^ao cerebral.
JoSo, AJajoas, 10 anoos, Boa-Vis siriropo.
As oO.OOQ familias dos Estados-Unidos.
Nossa grande (alta aqu de bragos.
Apreseula-so agora urna, lAo boa como rara, oc-
casio de acrescentar nossa povoago perlo de
250,000 pessoa*, e estas nao das Ignorantes tiradas
das prlses da Europa. Sao pessoas cuja educagao.
sceocia, costumes e aciivida'ie as lornariam de um
valor immeoso ao Brasil,
Ha, porosa; em altas posgoes, uns devotos do
remanlsracj, queja teem publicado sua conviegode
que E" meVior ido ter colonos doque ter colonos
protestante 5 e parece que querem obstar a vio-
U desses 230,000 cididos araericaoos as ogjsa;
praias.
Monte-Pio Portuj?i\ez.
A directora provisoria rommunira a lodos os M-
I leressados, que acabara de sahir do relo os esta-
tutos da sociedade, e que vai immeiluiameote pro*
ceder-se respectiva di.-.iniungo.
Sendo de toda a ccjivenienoa a maior preste?
no rccebimeolo rjas" quaniia* subscriptas, a dsr
tona provisoria roga in
dignos consocios que obaeqoiosamenle so
ram a ooadjuva-la oesite servieo. e que alada oo o
ultimaran), toda a possivel aelividade oo dUo t*-
cebiraenio, afjrq do orae qoanto antease psooaso per
em vigor os estatuios, e, soHdameiit rmMaawa o
orgsoisada a sociedade, mais eed oti
. *er senlir aos associados o sor '
ir i .i i .. .-.
i- hn orn


V
Diario de **exnat>neo -- Sabbado tS de \ovcinbro de *
~~_
Acuelles a quem poder Inlcressar o avise, h"R
anda conveniente a airecloria recordar <;w\ -do i
tie antiro de i8t6 diante a joit ser d aoj, <
nao mais de 102;.pelo que convir apresser-se
caila ura em saii-fazef a respectiva Joia, devendo
na mesnia oecasi.0 receber um exemplar d,s es-
tatuios
Secretaria do Moni.-Po Portuguez em Pernam-
buco, 22 de Lovemhro de 1865.
iuif. da Silva Loyo,
Presi tente.
Joaquim Gourdo de Bastos,
2-> secretario.
Agua de Florida de Morray e Irona.
Nao i dificultoso distinguir se a senhora de de-
iicad > e relina-lo g -sto, pela qoalilaJL- dos perfu
mes de que (feralmente usa. Tanto a- senhora* di
moda nirriii as m-iiIi- mas da America Centra! ei
Sul, lio una idJisi>r:iavnl preleroneia aAgua do
Florida de Murray-a L'nnnn -em lugar de qual-
aferrado ao mesmo p.ra mais de Tinte annes a es-
ta parte, a casta lo i nieto e completo abandono do
extracto de Lnl.iM, assim como de muit-s outros
perfumes e es?( ocias europeas, mais ou menos
agradaveis, mas em neuliu'-n caso tai aromticos
de propiedades lia suaeis e refriperaates.
As poseas proprias beldades, sao boje as primi-
a justificar a ajanada sentenca passada pelo publi-
co da America do Sul, em favor dessa ri-iuis>ima
essencia floral, a qual vegeta o se propaga pelo
mundo inteiro altiva e sem rival, adquirindo con-
tinuadamente noves trinmphos.
(Paia que nogaem seja engaado na esttolha e
aquisicao deste Inestimada! perfume ; hora ser
examinarse e ver i|iie os nomes ile Mnrray eLm-
man se aeham inscriptos e gravados sol cada en,
voltorio. lelreiro e garrafa, e na falla dos mesmos-
faor! suppor a falsidade da inesma.l
Arha-se a veuda na pharmacia oe J. da C. Bra-
vo & C.
se ti ferio. Pos w ldiiro de ferro unido]
.loste modo com o oleo de fijado de baca-
lho se dissoive ma'S fcilmente nos liqui-
'dos das vas digestivas e por consequncia
se assimiia muilo mais bem do que so o a
forma de iiilulas ou xarope. fiaifm elle
{lerde assim suas propriedades irritan'es, e
nfio provoca a conslipaco. E' assim que
\ os doenles, cujo estomago nao pode sujipor-
lar nenlii ma preparacao marcial, lomam fa-
' cmente o oleo de figado de bacalho ferru-
ginoso de Chevrier.
Os senliores Maurrer & C. acabam de re-
ceber um grande sorlmiento dos celebres
azeiles desinftetado de Chevrier e ferrugi-
noso de Chevrier.
Vende-sn na pharmacia de Pedro Maurer
V C. rua Nova n. 18.
^MMEB^iG.
Santa Casa da Misencor-itt dd Recife.
De ordem da juuU ;.dn uisiraiiva da Santa ca-
sa de Misericordia do Recife convido as pessoas
que quierera arrendar as casas abUxo declaradas
hiendo os concertos" a sua cusa para seres dea-
contados dos alugueis a comparecerem nesta se-
cretaria as 4 huras da tarde do da 23 e 30 do cor-
rente iik'z, sendo ditas casas pertenceutes aos es-
tabelccinn-nlos de candade.
Una Direila.
N. 33 publico e 4 particular.
Roa do Azeiie de Peixe.
N. i publico e 53 particular.
Kua dos Burgos.
N. 2 publico e 37 particular.
N. 13 publico e 58 particular.
Roa do Pilar.
N. 72 publico e 59 particular.
Roa do Pharol.
N. 72 publico e 60 particular.
Secretaria da Santa Gasa de Misericordia
Recife 21 de nove.iibro de 1865.
O ofieial,
Manoel Anlouio Viegas.
COHEIO G\L
ITvi
Pela admini-irafiu do corlreto aesla cidade se
faz publico que em virtude na convenci posta
lebrada pelos goveroos braslleiro e fraecez, serao
expedidas malas para Euronalno da 30 do corre-
te met pelo vapor fraacez Gufienne.
As cartas serSo recebidasf at as 2 horas ante*
da que for marcada para a -anida do vapor, e os
joroaes at tres huras antes.
Adminlstragao doorreio d
novembro de 1X65.
Oadj
Domingos d
e Pernambnco 24 de
ninistrador,
os Passos Miranda.
COMPANHU
DO
CID
\ jiariibrfoa.
As virtudes tharaneutleas da /iwatftefta io esde
muilo conhecidas nao s no Brasil, pois que dellas
Iratou Pisn em sna excellenle obra Historia na-
turatis et mrdica Indim aUWaVulaiaf. sen;io as
Antillias, onde o sueco das f.illias e fructos como
aqu, muilo estimad i e appl cada contra as obs-
* trueces abdominae.s, principalmente do ligado e
bac>"; e se tedas os facultativos desta provincia o
nao appttcan com frequemla, islo se nao rieve a
nao reconhererem elles essas virtudes, mas slm a
nao seren encontradas com facilidad? e em todas
as eetaedes do anno os frui-ios dessa planta, e a re-
pugnancia, pie a presan tam os deentes em fazer
us ser extremamente amargo.
A jiiriihttm nSo descenheeida dos botanistas f
esta planta pertenev a familia da sulaneas, e lem
a denominacao de sofaauMl jiaturvlatum, (ue l!:e
fo dada por Lyneo.
Parecendo-ros conveniente facilitar o uso do
sueco do- fruelos da jtirubfbi, que 0 mais ern-
pregado, nos propozemos e conseguimos preparar
com elle nao s um extracto alcooiicoqne pode ser
applirado em ptalas, mas tamliem um vinho, mn
xarope, e nm emplastm que |i certus casos, o de Vigo ; e estamos persuadidos qoe
Caila liiil dobiineo d Brasi
Pernamiiuco.
A caixa deseonUl as letras de seu aceite pela
taixa de 8 0(0 ao anno.
Oguarda-livros
Ignacio N'unes Correia.
Vovo Banco de Pernambaco
O Novo Banco p-tga o dcimo quinto di-
devindona razao de 85 por aeco.
.Vovo banco bnco.
O Novo Banco descoma letras de praso at qua-
tro metes a II por cento ao anno, e at seis mezes
a 12 por cento, e toma dinheiro a praso^fixoou
em coala crtente pelo premio e conjigoes que
se couvencionar.
Caixa filial do banco do Brasil em
1'enia mltuco.
Sao convidados pea ultima "ez i-s credores da
nassa fallida de Joaquim Franci.-co de Mello San-
tos a a presen tarem no praso de tres dias seus ti-
iu 68. alim de seren verificados e ler lugar o divi
deudo,
ALPANDBftA.
Rendimento do dia 1 a 23...... 5Ci9:400567i
dem do dii 24............... 18.2825065
Sao convidados os Srs. accioni-tas
companhia a retioirem-se em assembla ge-
ral no dia 25 du corre le me/, ao meio da,
EMPREZA-OOIMBRA
BENEFICIO DA ACTRIZ
ADELAIDE AMARU.
Sabbado 25 de uovembro
de 1865.
ltepresentar-se-ha o muito apidaudido drama em
n- escriptorio da mesma companhia ar-a'3 actos, do famoso escriptor italiano Joao de Fonte
1 raduzdo pelo poeta por.uguez brancisco>
es Braga
ACTRIZ HEBREA.
hebrea, c desempe-
527:682737
MOVIME.NTO DA ALFAE'A.
Volumes entrados con fazendas..,
c < cun gneros...
Volumes sahidos cem fazendas-----
t com gneros-----
187
327
83
782
514
------- 865
Descarregam boje 25 do crrente.
com islo prestamos um servieo a humanidade e flarca ingleza.4-(ie fcV,f/-meicadorias.
b teraputica.
Pisn, tratando da hydropesia, preserwe a de-
coccao das railes da iwntbmt, e M.rat e Delons,
em seo Diirimtiirio dr mnterta medica e thernpru-
tira, dizetu qa nis An'ilhas se faz uso do sueco
dos fru-tos maduros dessa planta contra o catar*
rho vesical : r a aulonoade dos nomes tlesses m-
dicos, merecidamente celebres, nos leva a crer em
suas ia!avras, e por isto cuidaremos de ter ero
nosso eslaliel''cimento e.--as raizes,pina que possam
ser ei|ierimentadas.
A reiniiacao da jurubeba tal, e os result':
therapeuticii> obtidoa ulumamenie sao to imimr
tantes, que nos parece intu I dizer mais do qu<
islo, pie (tea escupi.
Deposito: pharmacia de
Joanuim de Almri'lu Pinto.
Brigue inglet-//n llruce- mercadoias.
Bseaoa inglezaC/nrocarv;ode pedra.
Ilcigue muiezCarneM. L,dem.
Biroa inglezaAreno idem.
Barra iiiui-'zaFletar de ,Vaitncf=idem.
I'.it.etioiiorlognez Falto enarque.
Barca nacionalhialina dem.
Brigue portuguezImproviso -dem.
KECEBBDOKIA DE HUNDAS INTERNAS
RAES DE PERNAMIHICO.
Rendiincnio do dia I a 23...... 14:3694804
iuuiu do da 24................ 5844930
GR-
UONSOLAUO PROVINCIAI
hendiraento de na I a 23.......
dem do dia 24...............
A jurubeba una das substancias medicameu
tosa>, ao reino vegetal, e penenee a ciaste
dos micos desobstrueotes, sendo em prega
oa com vantagein contra as febres Intermitentet
a iompanhadas de eagprgtiamejiio de fijado e baca
d;.. h .ii .ntu appiu-aaa cofn incuntestave provt-lu.
contra a anemia ou chlorose, e hidropesa, catar
rho da li siga e mesmo para coitibaler a menstrua-
Cao difll.-i, ic-:!laQle da mesma anemia ou chic
ros>\
Extrato alcoolico de jurubeba.
Emplastro dem.
Oleo idero.
Tintura dem de dem.
Xarope id;m.
Vinho dem de id m.
Punas de ext. dem.
Deposito, pharmacia de Pinta, ra larga
sano o. 10.
. \-t.-<
21:954574
5J.loS513t
4:7844701
63:9424832
S0TIMEBT0 W PCBTO
Nivios en'ralos no da 23.
em cutnprimento dos seus estatu-is delibe-
rar sobre as contas do semestre lindo, ap-
provar o orcamenlo vinJouro e decretar o
35 dividendo.
Escriptorio da Companhia do 15eberibe
22 de novembro de 1865.
0 secretario,
Dr. Joo Jos Pinto Jnior,
Subdelegada di Boa-Vista
Pela snhdelegacia do t districto da freguozia da
Boa-Vista so faz publico que se acba depusilado um
cavado e urna cangalha : quem se julgar cora di-
i reito, provando, Itie sero entregues.
Subdelegada de polica do t- districto da fregu-
zia da roa-Vista 20 de novembro de 1865.O sub-
delegado sapotela em exercicio,
P. F. Marlins hihriro._____
l'elo juiz de paz da freguezia de S. Prei Pe-
' dro Guneatves da cidade do Recife vai a' praca do
mesino juiz, no dia 28 do corrente as 10 horas da
mauhaa, 2 barrie eom vinho de. caj, e mais ou-
tros objeetoa que foram penhorados a Joae Antonio
de. liveira por execucao de Aodr Barboza Soa-
res. ^^ ________
Faculdade de direito
De ordem do Exm. Sr. director se faz publico
que o concurso de latim come^ara' no dia 27 do
corrente, as 10 horas da manhaa.
Seorelaria ila faculdade de direito do Recife 24
de novembro de 1865.
Jos Hoaorio Bezerra de Menezes.
Secretario. "_______
Na terga-feira, 28 do corrente, na sala das
audiencias, linla a dolllm. Sr. Dr. juiz municipal
da I* vara, se ho de arremaUr tres moradas oe
casas terreas na ra do Motocolomb da freguezia
dos A logados, sendo urna em bao proprio, e duas
em foreiro. as qnaes vo a' praca por exerucu de
Joaquim Joc Gimes de Souza, inlra Francisco
Jos de Oliveira e sua multar ; escrivo Baplistt.
Tribunal do eommercio
Pela secretaria do tribunal do eommercio de
Fernambucj se faz publico, que Manoel Januano
de A'ruda deixou de fazer parle da sociedade que
celebrara com Fran:ehno Xavier d Ponseca e
Joaquun Geminiano de Arruda, desde 31 de agos-
to do corrente anno, e que a mesma sociedade con-
tina a vigorar para estes, sob a firma de Ponseca
(S Arrud.i, que adopUro no contrato regi-trado
uesta secretaria em 10 de dezembro do anno pr-
ximo pas-ado.
Secretaria do tribunal do eommercio de l'ernam-
' buco 21 de novembro de 1865.
O offlcial-maior, -
Julio Guunaraes.
O papel de Judith a actriz
nhado pela beneliciada.
No lim do drama a beneficiada
scena aberta a celebre poezia do insigne litterato
portuguez o Sr. Palmeinm.
LVIZ HE -4H0ES.
A actriz Adelaide aproveita o ensejo para agra-
decer ao hospitaleiro publico peruarobucano as
provas de apreso que Ihe ha demonstrado em to-
das as noiles que lem reprezeniado e anda nesta
com significativa gralidar).
Comegar as 8 horas.
Flix Souvage & C, por autorsar^ao do cnsul de
Frauca e por couta e rrSco de quem pertencer de
14 caixas marca AF&C, com fazendas de algodo
i-astoresl avariadas a bordo do navio brastleiro
iltNESTINA, naufragado na barra do Acarac.
Transferencia de leilfio
O leilo das 14 caixas de castores avariadas an-
nunciado para hoje por inlervenca do ajenie Pin-
to, lica transferido pa a terga-feira 28 do corrento,
o Diario de segnoda-feira designar e lu*ar.
aLBI7AO~
Da armacao e seos pertences, laxas, panel-
las, latas, barricas e gneros da rena-
c5o da ra d-) Rangel n 43.
0 agente Hastias fara tedio por anlhorisagao
do lllm. Sr. Dr. Claudino de Araujo Guimaraes,
cnsul poituguez, da armac > e seui p-nnces.
| taxas, panellas, latas, barrica-, eaitoes, p -rgfio de
I assucar, caf, papel de embrub->, leulia em toros e
achas, um mofaba e mais gneros existentes na
dita relinacao, todo pertencenle ao espolio de Joa-
quim da Cosa Vieira.
Terca-feira 28 do corrente.
As 11 horas da manhaa em dita refloaco.
LE1LA
De siibiado de uiuauhr da na de S
Francisco u. 72.
O agente Martlns fara' leilo legalmente antori-
' sado do sobrado de um andar da ra de S. Fran-
Francisco cisco n. 72, contiendo pelo palacete onde outr'ora
morou o Sr. Dr. Sabino, com eraudes salas,
quarlos, quintal e muito bem col locado.
Quarta-feira 29 do crrente
As It horas na porta da Ass-iciagao Commercial
i os pretendentes podetn examinar o referido so-
reciiara' em bradu.
ISuS
( 4ra*ail do, guerra.
O conselho de compras do arsenal de guerra
New tork-M da*, vapor americano H S. Bagar, ar |Bto .
de inj tun ladas commanoaote Wadsu rlh, l'.,ra o 6" Iwtalhao de
do
ei|uipagern 27, -m lastr ; a Heory Postar c C.
Rio -le Janeiro27 dits, brigue hespanbol Morali-
dad; de 312 toneladas, capitn Jernimo, eqo-
pagem 12, em lastro; a M-iury Roraaguero li-
jo & (J.
Navios entrados no dia 24.
Rio de Janeiro25 dias, brigue inglez Rosario, ca-
pitn JamesHanHiom,equipagem 10, em lastro;
a J ibnstou Patei A. C.
Boston 24 das, vapir americano Tijnco.de 400
toneladas, com-nan lame Codraao, eijuipagetn 22,
em lastro ; a rlenry Foster & C.
Yimo saludo no mesmo dia.
ificei -patacho americano John Christol, capit
J. Baune, em lastro.
Observadlo.
Siisp-n leu do tmara para a Pirahiba a barca
Canee Dais, capitn Ba<'k, cun o mesmo lastro
que trouxe do.llio de Janeiro.
VARIEDADES
tteicnci-.s c nueilicina.
L-se na Union Medien le de Parts:
Os joroaes de medicina fallaram por va-
rias vezes ile urna descoberta importante
para a tierapeulica, que co.-sislia na de- in-
ferno do ule-1 de libado de bacallio sem
Ihe tirar nenhuma das suas |iro|irierlades.
Temos o |,razer de annuniiar boj; as-
noss-is leitores. que esse rmjtedo f.,i obtioL0ciaado Ml00e| Nunps de M,.ll0) juiz de paz d0
(lo (IC BlotO O matS Completo por um babll; segando ann->, na freguezia -le S. Pedro Marlyr
pbarmaceuttco de l'aris, o Sr. chevrier, que da cidade de Oiinda, -m virtude da lei, etc.
conseitiito desinfectar o oeo delicado del Fa *****ao?0u virwn presenteedittl,qne
\ a arrematado dos b-ms de Andreza Mana da (,on-
EDITAES.
e voluntarios.
11 I i ros -I- 200 folhas.
12 ditos de lili ditas.
8 ditos de 50 ditas.
1 dito de 20 ditas
1 banoeira imperial com haste lance e porte.
1 capa de oleado.
1 d la de briol.
17 cornetas.
17 corddes de la para as mesmas.
300 Ponis redondos.
3>'0 ditos a avanhaque.
300 mantas de laa.
26 bandas de (Jila.
2t corones de dita para inferiores.
2 espa-ias para sargento ajudante e quartel-
mestre..
2 lalins para os mesmos.
990 metros de panno azul para fardas.
1388 ditos para capotes.
093 dit-is de ba-la verde.
600 ditos do algodosiaho.
10o ditos de aniagem.
49'io ditos de briin branco.
2475 -lit'is de algodosino.
27(i0 liotdes grandes de m-lal.
2100 ditos pequeos de dito.
As pessoas que rjtnzerem vender ditos arligos
a presen i" i o suas propo>tas cora as competentes
amostra-, na sala do conselho de compras, as H
horas da maulia do da 28,do corrente.
Sala das sesses do conselho de compras do ar-
C0MPAMI1A IIIUSILEI.
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos porios do norte
al o dia 7 de dezembro o vapor
Oyapock, commandante o capilao
tenente Castro Cosla.o ipialdepois
da demora do costume seguir'
para os porios do sul.
Desde j recebem-se passageiros e eDgaja-se a
carga que o vapor poder conduzir a quil dever
ser embarcada no dia de sua chegada, enc.ommen-
das e dinheiro a frete al o dia da sahida as 2 ho-
ras : agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de An-
nio Luiz deOliveira Azevedo & C.
Os fretes de dinheiro para Paradina, Rio Gran-
de do Norte, Cear e Macei, fleam reduzidos a
Diuheiro papel. t|4 |.
Ouro......1|4 |o
Prata......3|4 |._________
COMPANHIA BiASILEIBA
DE
PAQUETES A VAPOR.
ET esperado dos portos do sul
"-'-v "'tX'-'V^K. vaPres ^a c-)mpanhia, o qual
'V->*"l-ffcfl& depois da demora do costume se-
;,;.:isSaaaP gira' para os portos du norte.
Desdeja recenem se passageirs e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da saluda ai
2 horas : agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio dt
4otonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Os fr
de do Norte
LEILAII
Qaarla-feira 29 >\o. venbrt.
Pelo agente Euzebio.
De urna grande propriedade de o. 33 sita na roa
do Hospicio, contendo grandes accommodar.o's,
leudo de frente 7 portas at para se fazer doii-
sobrados iodependeates, por qoanto tem os repar-
lmenlos que se prestara e terreno alera todo mu-
rado com grande cacimba de boa agua, casa de
banho, arvoredos e plantas proprias de jardim.
bello recreioe-miras vantagens, qoe s a vista
podero raelhor apreciar os Srs. predentes, para o
que sao desde ja convidados ao previo exame, alim
de fazerem urna compra magnilica.
LEIL10
Quarla-feira 29 de noveiohro
Pelo agente Euzebio.
De 3 casas terreas d-' ns. 1, 3 e o sitas na roa
do H ispicio, chao foreiro, reiide cada urna 3S),3
annuaes._____________________________
jliESIIi&
De um sobrade na roa da Concordia
numero 15.
O agente Martins far. leil.io competentemente
atilhorisado de um sobrado de 11:11 andar sito na
ra da Concordia n. 15, com 2 salas, 5 quirtos,
cosinha fora, tendo no andar terreo os mesmos
commndos, com ires qumtaes e cacimba e todo
elle muito hem tratado, pon as alas esto forra-
das de papel (chao foreiro rende animalmente
OOOfi.;
Quarta-feira 29 do corrente.
As 11 horas na porta da A-s>ciacao Commercial

C.ABVETE
POKTlOltZ lifc Lf.HUH El PER-
EUMQal
De ordem do lllm. Sr. p'esioVntr snb*ir
convido lodos os membr-is do conselh 1 deiili
vo para >e reunirein era s.-sso eairaordiaaria se-
gunda-feira 17 do c .rrenle, as 6 oras da larde,
na sala das rjpectiva< >s-6>*.
Secretaria do conseibo deiiberativ > do Gabiava
Portuiinez do L-itnra em Pernimbuo 24 e iv-
vsvembro da 1863.
Jos Rbafcni da F.msera
2* sacreiarm.
I). I.m..j, >i fti|: It is Iti-lm f. .Sllva, rr-
-lnliu.'iile agrder ais s-*nlf>res qo t
narain .is-isiir a aconp innir seu ntai pre-
sado mai ido Setastio J s da Silva a -en
ultimo jaii, de divo ->s rmvin para a
missa do stimo dia -pie tem l-ijrar signada
feira 27 da corrente pelas 7 horas da ata-
nhia im cpini-rio public.i.
saM^^B^aBBBHi^B^BBHiiHBBaaaiHaBnBMBaaaaai
I'ergu'iia-sa ao Sr. -uiel-l-gilo 4- ''MiikU so
pablieoo para coobecnn-nii do pun 10 ilaaaaa
or-lem prohibinlo o tomar M banho na roqiiiniia
depois das t() horas oa n>it" em dia<>. se poi.a-
cou lenha a hondada de nos citar o litai ou jir-
nai era que foi publiealo, se asa, caai aaa Jirei(.>
ou despolis 1.0 manda prender aqueiles que IB
dirigpm pira aquella lim, e a ti ra- em qse njd>>
e>ta em silencio, seria melhor -|ue S. 8. irasa-
de prender e punir a grande qnanlidade > 1
neiros que trazem constantemente a poaala-.-ao
oliudense em sobresalto.
O ospecior da biqakfa*.
mwmm ^m* *&*m
adfi llac Mrel Antonio a mies Jaronm ~-*>
j Piros reside ra 1)0 Imperador n. W
N, onde pode ser procurado.
A pessoa ijue annunrmu querer roMBatav ni
piano de armario era b-ira estado, qaeira appare-
cer na ra Augusta n. 114.
No dia 31 do oa-sad > fuir>i a escrav 1;.
tina, parla, alia e magn, q ie prienc-n ao Sr.
A-naral, empregado na repartida > aa mD ; es'a
escrava foi no da I" d-i correle quei at-aO ao Sr.
Dr. delegado por ler sido castigada : qaem a 11
gar e entregar na ra da C-nleia n. 62, sera beaa
recompensad-i.
Desapparecei) do sitio ite D. Mana ijir-lioa
Ferreira de Carvalho, nos Atni<*lo, o nnUlo rl^r
cabellos cachiad-is, esiaiora refalar, idale aV 16
a 18 aanos, de nome lzii-ro, vimlo ha iumvo a>
Paj>, o ipial levou vendo camisa oV flan-Hada
cor e c.al(a branca, j velhas, e chap > oV pal* :
quem o api>rehender on deile der noticia* aa
cima, sera' generosamente gratin>adi>. Pr teta-
se pelos das do servieo contra quea o tiver arai-
ta-lo.
DK
POATA.
As pessoas que tcem c >commenda-
do fulInnlias d purta para o;nuo "c
etesde dinheiro para Paradina, Rio Gran-! I8H6, qili'irolll *F tlUSCa-lS, lia livra-
iorle, Ceara e Macei ficam re luztdos a 1 di IniWuiPndeni'i-i na'u
Dinheiro papel. l|i |o liaUd DMCd 03 iniiepenU Iltld, pOls
que acabatn de sahir do piel.
Ouro.
Prata.
TI
3,4
i......li. .. ., i ., u.i. 1 a arieiiiaiaeuo nos u-'ns oe AU-irea .una na 1.011-
join. Ah experiencias tena.-, por muilo!. ae J o Baptista d Hiced e Antonio da Croa Ltdo 6 n eiicarre.do da ecriuiuracao
DOSS0S praOSe.lCC eliri'S, us b->sp tes e SO- f'i transferida para o dia 27 do corrate, pelas 10
h'-ras da manhaa.
bre seas doentes particulares, asanalyses-e
ensaios de cliimics competente?, nao" dei-
xam iienlinnia duvida a este respeito.
Relaiamos aqu as proprias palavras de
um juiz muilo eminente e n ump le ote o Sr
Dr. E. Hambert, laureado da academia im-
perial de medicina, e piofessor de Chimica
Submeiti a analyse, diz este distincto
professor, o oleo defijzado de Ivicalho na-
tural desinfectado pelo processo do Sr. t.lie-
vrier, e posso certificar que esse producto
nao pe den neulium dos seos principios
medicamentosos nem cliimicos, que se
acham no oleo de ligado de b eallio ordi-
nario. A fraca proporcSo das snbsUi.cias
eslranhas (pie e pdem nn oleo lamral para
dissimular o clier^) e o sabor desagradaveis,
dSo pode de neririum modo allerai suas
prop edades medicaes e s a torna de um
uso fa i I e mesmo agradavel.
Km resumo o oleo de fijndo de baca-
lho desinfectorio pelo prucfsso C/ierrin
goza de propiedades idnticas ao oleo de
ligad 1 de bacaliio ordinario, que elle repre-
senta exactamente.
Elle muilo be u tolerado pelos doentes,
os quaes "-He nao anoja e turnado peas
pessoas cujo gesto e olalo sin dos mais sue-
e t veis.
Hoje que o oleo de ligado de bacal bao
tem-s tomado um dos agentes os mais im-
portanles.e preciosos da therap<-utica, quem
descobijo oflieio de tornar de um uso f-
cil para lodo, prestou um verdadero ser-
uco arle de curar e aos pralicos.
Por isso nao podemos concluir melhor
do que feiiiando o Sr. Chevrier por sua
rica e til descoberta que merece de ser
propagada, e di/^r com meo collega o Sr.
Dr. Kicbelat os Irabalhos que mriduzem as
descoberias d'esta especie devem ser pro-
tegidos pelos mdicos.
Os importantes trabadlos 4n Sr. Chevrier
sobre o -leo de ligado de acal ho Ihe fl-
zeram obter um resultado nao menos im-
portante, o qual consiste em ter a.-sociaiJ.ia
ferro ao oleo de ligado de bacalho. 6Lw%|
de figado de bacalho ferriginoso de Che
vrier constitue taivez o melhor meio de dar
Manoel ios de Azevedo Santos.
Dado e passad-- nesta ci.lade d- Olmda, sob mea ii-scnil i!e "'ir'i'i-i
siitnal e sello oe te julio, valha sem sello ex causa, .. *'sc,,t" wc u,','"' .
aos 23 de novembro de 1865. >oselho de compras do arsenal de guerra
En Theotonio Joaqaim d'Oliveira Rosellls, escr-, Prec,sa. ,:oin^r.ar. 0.8r*u,nl.e :
vao de paz, o escrevl.
Manoel Nunes de Mello.
DCUEAOIS.
1,0675000
1862000
1864000
a
1692000
Sania asi da Misericordia do Hecife.
1
A lllm.* junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife manda faz-T publico uue
no da.. Uo cunvnu' pelas 4 horas da tarde as
salas de suasses.-oes tem de ir a praca. as reodas
oas casas abalxo declaradas por teuitio de 1 a 3
annoa a cuutar do 1 de julto do corrente auno por
diante.
Ra Direila.
N.8pubkco e 3 particular.. .
Ra iio adre Floriano.
N. 4!) publico e 5 i-articular. .
N. 47 publico e 6 particular. .
N. 45 pnl-lieo e 7 paiocular. .
N. 43 publico e 8 particular. .
Ra do F fundes.
N. 34 publico e 12 particular. .
Hua dus Pescadores.
N. 11 publico e 16 pa>Ocular. .
Ra .das Calcadas.
N. 38 publico e 22 i-anicular. .
Ra d> Cinco Ponas.
X. 108 publico e 24 particular. .
Itua oe Santa Thereza.
N. 7 publico e 31 particular. .
Ra da Imp- ratriz.
J. 68 publico e 47 particular. .
Kua do Afeite de Peixe.
N. I publico < 53 i -articular. .
Ra da Senzala Velha.
S. l publico e 71 particular. .
Ra Direita.
X. 5 publico e 82 particular para
luja do lado da Penda.....
X. 7 publico e 33 particular segun-
do andar. ......
Ra do Apollo.
N. 94 publico e 91 particular. .
Ra Velha.
N. 27 publico e 96 particular. .
Ra do Rosario.
X. 26 a 34 luja n. i D.
1452000
2162000
1572000
rara o 1 balaiiiao de guarda nacional
desiiuado ao sul.
8 liaros d-i 150 follas.
4 Olios de 100 ditas.
1 banoeira Imperial com haste e porte, e langa.
1 capa de oleado.
1 dita de brim.
17 cornetas de toque.
17 cordes de la para as rnesmas.
400 iionets a Cavanhaque-
400 mantas de la. .
27 bandas:
2 e-padas para sargento ajudaule e quartel-
mestre.
2 (elins para as mesmas.
26 conloes de la para canudos de Inferiores.
1,650 metros de brim branco.
810 ditos de algod<>inho.
Quem (|uizer vender ditos artigos apresentem
suas propostas na sala do conselho, as II horas do
dia 28 do corrente.
Sala do conselho d compras do arsenal de guer-
ra 24 de novembro de 1865.
O encarregado da escripturacao
Manoel Jos de Azvedo Santos.
Companhia das Uensagerles Im-
periales.
No dia 30 do
corrente inez es-
pera-s dos por-
tos do sul o va-
por francez Gui
enne, comman-
dante Aubry de
la No, o qual
depois da demo-
ra do costum- seguir para Birdeaux tocando em
S. Vicente e Lisboa.
Em S. Vicente ha um vapor era corresponden-
cia com G-re.
Para con liccoes. frr'es e passagens tratase na
agencia ra do Trapiche n. 9.
Para Lisboa
sahira' com brevidade o brigue portuguez Cons-
tante II, recebe carpa a (rel e passageiros, par;
os quaes lem encllenles commodos : traa se corr>
Mano>-l Ignacio de Oliveira Filho, no largo do Cor-
po Santo n. 19, escriptorio.
Rio de Janeiro.
A barca Jovem Palmira, de 1* classe, segu com
brevidade, e recebe alguna carga a frete : traa-
se com o c-insignatario Juo Francisco da Silva
Novaes, travessa da Madre de Dos n. 5.
Para e Rio d.- Janeiro segu em poucos dias
o patacho nacional t F por ter parte de seu
carregament-i prompto ; para o resto trata-se com
seu cu'isienatario Doining -s Alves Matheus, ra
do Vigario n. 14.
tara o Rio de Janeiro"
Vai sahir com brevidade o brigue Adelaide
por ter a maior parte de seu carregamento Iraia-
do ; e para o qua Ihe falla, trata se com o consig-
natario Joaquim los Goncalves ReRro : na ra
do Vigario u. 17, Io andar.
Para o Porto.
Deve sahir com brevidade o brigue portuguez
Esveranca por ter a maior parte de seu carrega-
mento ja' tratado : para o resto e passageiros tra-
ta-se com Cunha, Irmos & C, na ra da Madre
de Dos n. 1, oucom o capilao a bordo
LEILOES.
aLEIliAO
De ama casa com sitio no Poco da
fanella.
HOJE
Sabbado 25 de novembro as 11 horas.
O agente Piulo fara' leilo a requer ment de
Antooio 0. Qnvalcanli de Albu-iuerque, .adminis-
trador de sna raulher Erminda H. Pires de Figuei-
redo Camargo, e Isabel A. Pires de Kigueiredo
Camargo, e por mandado do lllm. Sr. Dr.
juiz dos feitos da fazenda, da ca a lerrea co 1 si-
lio no I' 1;' da Pauella, que pertenceu a fallecido
Subdelegada da freguezia do Poco da
Pauella.
Pela subdelegacia da freguezia do l'co da Pa-
9liinoo Delia fe fi,z uuol":u 1UB de-de dia 3 ,l0 c,,r'"*'B'e D. Virginia Candida d FTgueu-edo Camargo, para
H*w mez se aiharecolhido a casa de detem;ao um pre-; pagamento na exe,:ugo promovida pela tazend
lo que declarou chamar-se i-rancisco e ser escra-; provincial pelo sello de heraoca da dita casa : o
vo de Antonio Loureogo, morador na Laga-secca, leilo sera' eflectuado no escriptorio do mesmo
districto de Nazareth. i agente la da Cruz n. 38, sabbado 25 do corrente.
>ubdeiegcia de polica da freguezia do Poco daj------------------- ------r~.*r---------------------
Panella 20-de novembro de 165.U subdelegado IV i \(i
suppleole, n MJLillstWJ
Joo Lucio da Costa Monteiro. Ue 00) escrava moya de 20 annos.
0 agente Martins fara' leilo por mandado do
PflRRFin Rr-Kfll lllm. Sr. Dr. joiz le direito (la primeira vara do
di a UUnnciU Utnai. enme e substituto do da aienda de urna escrava
Pela adm.n.s.raco do correo desta cidade se de SO anuos do idade bonita figura sabendo algu-
faz publico para fios conven entes, que em vlrtude m CuUad() CS,ur C(H|ll,a eusaboado.
do diuosto no art. 138 do regiilameolo geral dos WW** aiars
eurrcius de 21 de dezetiibro da 1844. e art. 9 do
982O0O
3002000
2
1162000
1682000
1002000
1:4002000
PreeiM-e de um BMaaa* p-iriogoez para rai-
xeiro d- tat.erna, que tenoa l>a*tante priiiea, s*fc
que d liad >r de sua c-n lucia : appare^a na roa
Direila n. !).*.
l'ma nerara.
Precisa-so a'lnsar tima escrava qo aiha nrf
nhar, paga se bem : na roa da Iiaperatrii a. 47,
i-'gundo andar.
Alii^ra se ama casa na Bna-Viaifm, aaoito
fresca e rommoda, eperp> do Innho salgad-: quem
precisar diria-e a rna de Apollo n. 3i, on) aa r-
en plnri do Dr. Ponseca.
Aliiga-aa a eaao da rna Imperial a. SOI. nrn-
pria |>ara reflnago mi nutro -pialquer pslabol^ci-
mento. por ter mudos aa mu*, ipiiniai ra*'
murado e poriao tiara fra : a tratar 01 rna Direi-
la n. 84. 011 na mesma ra n. 211.
O Sr. A J. Das Pereira queira dirigir # a
ra di Mond-C'i. olana n. 13, a a-g-1*10.^0" a->
ignora, 011 declarar a -11a mirada por este Diario.
on e.srravo
L II.
pan
Criat
Precisa se de am rapaz f--rro
cria-lo : na rna do C-ibum, loja 1
l*er^iin(a Inaoeeale
Podera fazer parle -le um e-ulei. c-iai^n"> pr.-
hlico ni homem -jue s>-iTre de (ta, e queja' leal
sido atacado della em art >s solemne- |
~ lF.SpOSTA~~
Nao, porque esta em e-iaiartn com o* m-i em-
pr-gados, baba apn as ine Nao, porque s-i-uinamenie inmor il. A--m )
pens 1, salvo melhor juizo.
B .V. M.
Ni na da t'adeu do R-cif- n. i ^i s*
fallar com o subdito francez Matheus Camin.
Fraaci-co Antonio Correa Cardz>> ht an|p o
qnarlo pagaiuenio a u? credores, de c >nf irnuda-
de com a sua conc-rdata.
Precisase eaaanfav urna on duas ra*a* ter-
reas, i|u- innliam li n- c-oiko mos, n aVapaaaJi de
S. J )- 011 Sanio Ant nio : quem as tiver dirija e
a rna Relia n 12.
')lfer'-ce >e um m -gi d IX IM -- ;- M mn'o
de armazem de mopiados, do uue- tem l^aasaata
UTaliea, ou para eaneiro de I >ja de Uim 11-,
di Ires m es da pr.tie,), e -la fia-lor e sua con luc-
ia : quem precisar anouncie pi-r e.-U foioa.
Pruauase ahajar um areai aaanva iftv ?ja
ti I pira o serviyo de urna raaa, paita-e b-i : a
Miar na roa da Cruz n. 9, n-i rmate a qoe nVa
para o i a-i da atar.
Preci*a-.-e contratar nm s. -rdote pira r
orar missu todos o* iooanaj >s -lias *aa*M>-.
na eapulhi de S. PantiliS n > M -11 ir : a iraiir
na rtii Imp-;rador n. 16, armasriai.
Aluga-aa o-n seg-in I > aa lr na rila 1 i^in
Ventas n. Hfi : a tratar na roa das Cr.i e- n. '.'.
primeiro audar.
Tirande armn/rm da tintos.
IU'A no IXPEKABOI N. i.
O armazem de tintas um grande depo-iio de
productos C.'lilllicos lltensi e us mai> empre
usados napnarmacia.pintura, ph<>tivraph>a.'
turara, pymlechiniafo^os de artiocioj ees oatraa
indiistnas.
Montado em grande escala, e sapprind>-sa di-
rectamente nas priiicipacs-lronariasd- Pan-, L>n-
lics. Ilainliiirgo, Anvcrs o l.bbia, pd> onVrevr
prodarlos de plena roataaei e najtanasaf -lualquer
-iicominenda a grosso trato e a relalbo, purpraaa*
razoaveis.
Prvidos de machinas appropriadas satisfar
com pronipll-lo qtial-pier pedido de hnUs mataaBU
a oleo, cuja quadadee j.ure/a it seos ingrruieti-
les poder ser exaniiiiada pelo consumidor, o qaa
Dga Sr. Mello, se o Sr. nao fez embarcar inlru-! n3 faci1 faMr com 'f'"" 'l,ie naporUaV,
zamenie a obra do altar sem ser o competente ?j e 1,,fi se eiir-mlram no mercado emlaias lertaaaaa.
nao lembra se que quem poda fazer embargos o I Tem prande colle.-cou de vidroa de diaVreasas
Sr Dr. provedur cou.o chefe das capellas, e que os! 'rmalos, desde urna oiiava ale lieieMis oaeas da
embargos sao feilos judicialmente, Sr. Mello por capacidade ; de vi.lros para v.dracas a dui
que Vine, nao impoi uos rosarios que era de mais P,ra corta-Ios; de pmceis para Ungir madera
preciso, pois a obra vai mu bem. u altar foi julga-! rtopriedade e outros; de papis dourados a
do por um artista entalha.lor e julgou eapaz a obra,' Piados e r.-ihas de gelatina para ornaaa-aaa; aa>
e que nao deviatnos ir pelo altar do Sr. li.nn J >us P3!""1 Prnde e pequeo frmalo d> varia rres
da Ciuz,que as pecas do outro eslava mal de-e-, para embriilbo. para forro de rasa, para desbabo
uhado, e que desde seu principio a eutalha nunca com fl,l,do Ia fe,t0; rte P*!*1 a'bun.iaad e Bn-^. -
.II a etnltagao do outro, jslu nao sao provas Sr. verdadeiro saxe para photogiaphia para lirar.
Mello, as provas que queremos o rosario da Se- e oulros i v,iriiizes de essenria para .|nadr.. d-
uliora, esperamos pelu bom re-uliado das ditas espirito para madeira. copal para o lai-ri.* a at-
joias, Tistu o Sr. dar pra>o., e acho .m licarmos '',""" oIho Kraan, oleo secraiivo. ol?o de iiaaa^a
ahi.se nao havernos conliuuar com mais cousas, clanllcad, oleo de loieb-, secalivo ar HarUm, *
os zeila-lores nao aeuteiti o publicado como diz o
Para o lllm. Sr. 0\ provedur ver e o
poltico apreciar.
Senh(-res, leudo us bdo no 01a 17 do cdrrenle,
a resposta que nos dirigi o Sr. Jo SilTBstre ib-
Mello, uo achaodo o mesm-i urna resposta fon la
da, com o que se trata acerca da represanlagau,
venho de novo fazer-lhe sentir (|ue ajaiandu do
nosso carcter como o de Vmc, 11.1 verdade seri.i-
mos muiti cobarde no pugnar o direito qoe nos
assi.-le na qoalidade de irma-)s que somos, e esle-
s vivera de suas artes como coubecido pelo res
peitavel publico.
sr. Dr. juiz provedor de capellas e residuos, n->
sei como poda o cz-ibesuoreiru ticar respunsavel
quaudo no invi-ni.no consta que nao entrarain 0-
dous ro-ari-is de ussa Senhora, visto ser chama-
do para fiz-r entrega das alfaias, e como anda
considerado eomo eTeciivo deRaidor como consta
na pauta daqaelle auno, nao sei cumoeata mesa que
assumio os poderes, nao parlicipou logo immedia-
lamente a V. S. o desfalcameuto jue exisUa dos
dous rosarios de Nossa Senbora, cuitada de .\ osa
Senhora ; estou, senliores, que laiiibem nao derain
lim do pescosso da mesma Senbora p r nao ser de
ouro, se fusse (icaria a Virgem s com o corpo, se-
nliores, piuva lauto que derain anda um jiras
,-em dar sati>fayoes ao mesmo Dr. provedor como
auloridade competente.
Logo assim esta claro que houve rombinac,oes en-
tro etles. M go nao se bote tanto.de fra e netn se
ciiame a ignorancia, oh I Senliores, isto que fa-
zer patrnn iota do que nao seo, subore.-, Nossa
Senliora esta soffrendu, e muito : e valnido-.-e Utn-
bem em dizer a razo por que u deixaram reelegei
para juiz ; pur que nao participaran! em regra
como aulorisa o compr-iim-so, autor'sa a seus ir I
mos e ao juiz assiuj proceder. Ilesponda, e se fe-1
parlicipaco ao ex juiz < aos outros que tem dire- j
to as pariicipag5es, eis a razao de Qcar reelelki por
Iheconvir assim para sea inlees-e, o mesmo para |
nao solTrer opposicoes, julgo lainbein que a accu '
sag.io que s-ITre o Sr. Juo Silvestre Francisco de
Mello, pelas alfaias -le Nossa Senliora e mais..
que como juiz eucobrir esta falla, e uo fez partici-
par a auioridade competente para o ex ih-soureiro
ser capturado, nao procurar defe-a, -pie isto par
le por causa do aliar de S. Benedicto erecto nesta
igreja.
Sr., por que temos vergouha, porm basta de suf
fier; portaiito rogamos ao u.ui digno Sr. Dr. pro-
vedor maudar urna administrado para a-piella
Igreja acudir a NuSSS Seubuia do llosarlo da lioa-
Visla. que ja pede jusiiga, e eiames nos hvros :
e mais faCMM qu-- se, lem dado e estn anda dan-
do-se com a mesina Seuhora,
Quereuius o meliiorameulo oa casa, nao obstan-
te a m eleigo cunta a ledo compromiso que
lizeiam, e eleigo esta de amicos. Esperamos o
mu digno despacho do Sr. Dr i-rovedor.
Heuife, 24 de novembro de 1865.
Manoel lo Nascimenl-i Rosa.
Joo Duarte de Fanas Tiba.
Canuto Itasctano llamos.
decreto n. 785 de 15 de maio de 1851, 6e proce-
der o consumo das carias existentes na adrainis-
962000 trago do eorr.-io.pertencentes ao mez de novembro
de 1864, no da 2 de dezembro prximo, as 11
4782000 horas da manhaa, na porta do mesmo correio ; e
Os pretendeutes comparecam no mencionado iit a respectiva, lista se acha desde j exposta aos
com as .eus fiadores ou com carta dos mesmos. interessados.
Secretaria da Santa Ca-a de Misericordia do .AdminisiragSo do crrelo de Percambuco 24 de
rstitt 21 de novembro de 1865.
O fflcial,
Maooel Aatoolo Viegai.
B0**cibr de W65.
0 administrador
Domingos dos Passos Miranda.
IIO.II.
As II horas unto a Associac/io Commercial.
Le Uo
De 44caixas com castores e fa/.endas de
algodo avariadas a bordo do navio bra-
bjleiro Ernestina, naufragado oa barra
do Acarac.
IIOJI.
0 afeot* Pinto fara leilo a requerimeolo de
THEATRO
Pedimos ao digno e-nprezario do thealro de San-
ta Isabei, para qua, aproveiiaudo a estada da ex-
cedente artista a Exm* Sr.* D. A-lolai le do Ama-
ral, no nosso iheatro, leva a scena a oella coaipo-
sigode UHave F-ul-l -AR AVmpgo qua tantas
vetes foi 00 Gyraaasio da curta.
Um que vio.
Precisase rontratir um senhor religioo qne
quelr? exercer o sen sagrad, ministerio na capel-
la da Vara la IrrgUezia de Iniiazeira, comarca de
pajeu' de Flores, offerecen lo se vaotajosas condi
edes : na roa do Crespo n. 18, loja.
verda-le 1 ro em p ; prata, ouro, e slanb ra fo-
lhas de varias cores ; tintas vegelaes, inonVa!-
vas proprias para confeiiaria ; la de core,
olbos de vidros para iaaaaaaa ; lelas ea tabaa
telas para retratos ; unas em pactis e em p6 pa-
ra aquarella ; esseneja de rosa saperbaa, aV ae-
roly,jasinim, bergamota, aspire, P44cUajlv,;
liouqili-tjimo, alcaraiva, melissa, ork-Ua |
louro, cereja, alfazeina, juinpero, Poruagal,
ans da Hussia, canella, rravo e roniios oatraa at
jeclos que s com a vista poderosar atootradna.
Mo Peer o atas Iftma
ereatM
Graudes melhcras
nas machinas iapi-riaes 4 r,ser-
Arnaiea n K Braad-1'aj Hewfark.
Estas machinas sao cn-tmids
sysiema, rom innitas e importas
sendo examinadas por habra puilau farsa i*
das de rumiaa perfrirdo. A aeiiiha dlarta -
perpendicniaroienie, rum Mata aV laraaV, aa e
nao desmancha nena raaSurara a qor araf *
ambos os lados ; fas co-inras aertvia* ea aaaa a
quahdade de lecido-, desden o raro ate a tala Aaa
cambraia, leudo Ros de algnriio, de seda aa h-
oho, de.de h mais groaso al o anis 4> tga>. Ca
mn nio tem rodas deataaaa, par ler eviaaia a
m-n-ir atrito posMvW, iraiulira eaaa aVMaaaaa -
s-01 couiradico-UMA MACHI.1A QCB UO WZ
RUIDO ALGUM.
PMms
------
<-


Alario de Pe+imtinv Safckado i4 v* WeibrO .fr f Mr.

1
CURSO ESPECIAL LOTERA
' AOS 6:0004000,1:2004000
PAEPAR4TOMOS
para o estndaates que deve_
fazer acto eiu mareo. "
J- ._ aILHETES A' 5f50UO, MEIOS A' 20300 E
lose S.ares de Azevedo, professor de Corre qataa-Ielra 30.
lingua e lateral ura nacional no Gymnaso Achain-se veuda na respectiva thesou-
Provincial do Recite, lem aberto eui sua ca- raria ra do Crespo n. 15, os billietes,
sa, ra Helia n 37, uro curso especial dos ">* e quirrtus da 4 parte da 5a lotera
(40a) a beneficio da Sania Casa na .Misen-
segnutes preparatorios para aquelles esto- \.J]a C(jja ^.^ ser n0 da acima
que tiverem de fazer eiame em publicado, e no lugar e hora do coslume.
Os premios de (3:000,5000 at lOjOOO
serao pagos una hora ilepoia da extracc5o
at as 4 horas da tarde, e os outros depois
da distribuido das listas.
As encominendas ser) guardadas somen-
dantes que tiverem de fazer eiame em
margo prximo :
Liuffua Fraoceza
Cieographia e Historia
Phllosophla
Hbetoi-lca e Potica
As pessoas qai se quizerena utilisar desta
vantagem, podem dirigir-se indicada re-
sidencia, de mailtti i at as 9 horas, e de
tarde a qualquer hora.
te at a noitc da vespera da extraegao.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Sou'.a.
Sociedade de seguros mu-
tuos sobre a vida
A puvintYra
O banco AUtanca iln l'orto indlabplecid.) es-
ta sociedade deh -: sua imniediala lOgiaMiM
e responsahilidade, huilitou a creadlo de rapitaer-,
dotes, rendas, penses, iseneoes do >ervico das ar-
mas etc., por meio de sunseripcos unirs ou an-
DOSW, a* qoaes convertidas em iaseripefles di di-
vi l,i publica, de renda nacional, e da mesma forma
os juros sentpstrt'es que d'ellas se forern vencendo,
fie i n por uin certo numero do annos em deposito,
at que, lindo o prazo estipulado, sao restituidas
aos socios coro os interesses emontoados, hmn co-
mo as que pertencerein aos associanos fallecidos,
ri>t: que. d'estes sao Iwrdeiros os sobrevtventes.
Pela engeoliosa comido icao ecoooiutea adoptada
DOS clculos desti sociedade, v-se que, com orna
entra.1 anninl de S03000, por exornlo, ohtem se
em 8 annos 450J000 a .-011.51100. em 10 1:300*000
a SiOOTJfetKM), em 15 3:500*000 a 4:3005000. em
20 S.ooo000 a 10:000*100, em lo 18:0005000 a
23:000 SO. iO, eoofonoa a idade do indivUu > sobre
quo-n feito o sejur', pois que nos referidos cal-
clo*, o,nita-se eon a maior ou menor prubabihda-
de de dnraeio de vida.
gal* sociedade sobretodo vantajosa aos ehefes
de fa 1 ilia, vi-to que Ities facilita so.11 sacrificio a
fundacao de um capital 00 dote ara seas tibios ou
liiiias, segurndoosquaodo aascem ou emtjuauto
s<> enancas.
Qoem, pul, mais circo mstanefad s informaeo-s
desejar pobre tal sociedade, ou se qnner tnserever
com 1 socio dVlla. dirija s a roa da Madre de
0-0
los pielbo da Silva, que para isso se acha eocar-
Club Peruanibucao-
0 baile do anniversario de su 1 installa-
cao lera lugar em a noite do i." de deem-
bro prximo futuro.
- Precisa-se de 2:2003 a joros e por pequeo
praso, dndose para garanta cinco escravos de
valor : quem os ijuizer dar ancuncie para ser
procurado.
- Precisa-se alugar ou mesmo comprar urna
preta de meia idade, que seja boa quitandeira : a
tratar na un dr Cruz da Recua 11. 42, primeiro
andar. __________
- O teslamenleiro da tinada Anglica Joaquina
da Conceieo, pede as autoridades pohciaes e ca-
pilles de campo que apprehen cisco, perlenceute a massa laqueha Qnada qun se
acha ausento, e o leve a ra estrella do Uosario n.
17, prim-iro andar, oo recolha a' casa de deten-
can. O referido preto bem coohecido nos arra-
bales desia ridade, onde vive de. atrepar coquei-
ros, eqoando embriagase faz grande alarido.
GASA DA FORT i
tlliietth garauti^lM.
A" RA DOCH3PO-N. 3 S CASAS O 'C03TUI8
Oabauoa.ssinpadoveid(inmsseuii iituilofcli-
iies ollhetes irartutirjo.-da lotera qne seca1)on
Jeexirahir, a benelico-ilas laiiuia.-, dos vuiuou-
rios da patria, os segrales premios :
IIm inteiro n. 1120 com a sorte do 6:0003.
Djtts guilos n. 2893 com a sorte de 1:2003
Um meio O. 3389 com u sjrle te 5003000.
I ultras militas -orles de 1003, 403, 203 e
lOaooo.
Ospossuidores podem vir receber.seus respec-
tivos premios sernos desconlos das leisnaGasa
da Portuna a ra do Crespo n. 23.
Acbam-se a venda os da 4' parte da 5' lo-
tera (40*) benebeio da Santa Casa da Miseri-
cordia, que se extrahira-i|uaru fera 29 do cor-
rente.
Quintafeira 30 do correnle.
PHECO.
Bilhetes .... 63000
Meios......33OOO
4dt*All AGUAYOS
E' a orde.-a to dia f Acabar com os Para-
guayos a bay fulmina-los com os encouragados armados
de esporoes, armstiongs e raiadas de 80
120; extermina-los ,m suiuina atipada, a
fa ao e a puohal de que se trata; mas
ninguera se irmtrmu anda de esmagar os
Paraguayos cp u as armas que Deus nos con-1
cedeu ; acallar com ellcs a tacan e a punta
ps, para o que neoessario encouracar esta'
parte do nosso corpo cm os form ida veis
rompe-ferro, esmaga c bra, arranca tocos,
quelira rrirmore e outros que se vender i
4& RA wIKHBT.l 5
Borseguins Uordeaux.
- patrjcio>......
para senhoras,
feilados.....
com lago e ivella
Sapaloes encouragados.....
en-
Quintos.....13200 B .rseguins para
Pira as pessoas que comprarein de 100^000 eiastco.
meninas bom
8.000
biOu
85500
4d-<00!
500
para cima.
Bilhetes.....53500
Meios......23750
Quintos.....13100
Manoel Martins Piuza.
Sapatos de lona, sola elstica.
,4 ma
Precisa-se de urna ama que saiba engommar :
na ra do Trapiche n. 36, 2 au lar.
Aluga-se urna casa terrea no pat|p da ma-
triz de Stnto Antonio n 10, e um segund andar
na roa do Rosario da'Boa-vista n. 53: a tratar
na ra das Crutes n. 9, Io andar.
Muilanca Januario Jos Barbosa, morador no pateo de S.
Jas, leudoachido outro de igual none, para evi-
tar equvocos, d'ora em litante cliamar-se-ha Ja-
nuario Jo.- de Barros Barbosa.
O Sr. Ur. Guillvnne Cordeiro Coelh
i|U'' por vezes ha sido chamado peta
ar a assignatura da tnesma, nata
Cmtra,
Oril m a pa-
deve dssa as-
signatura, vi-to corno acabo de 1er sciencia que
alguem abusara de sen noine para coostituir-se as-
sifoante da ine.-ma Ordem, simo sciencia daquelle
seuhnr, a quem servir a presente declaracao de
a entender con. JooCar-. sai,[a5o, que por tal engao Ibc da.
. Ignacio Beoio de Loyola.
regado,
F:i!riff5i de ch-pcos le sol de el.
S N--ste ant'go e acreditado e^tabelecfmeoto acha-
pe -emiire um completo e variado sortiment de
chapas de sol de to las as qoalidades piceos,
tan' 1 de seda e alpaca, como p mo d tod is as co-
res, para homens, se horas e m-niiins. ijuanto aos
pr-cos sao os tnai- raioveis pos.-iveis, lambein na
um grande sortl ento de o^cas de seda, aH>aca e
pan 1 para as pwwias que quuerem eneo*nm>>ndar
Chapeas de sol e mandar cobrir armaco-s serv las,
conc rtam-se os mesmos, sendo todo este traba no
fu 1 con toda a perfoicao, presteza e commodo
preeo : na roa do Crespo n. i
fendo a irmandade do Divino Bspirito-Santo
da greta do Coliegio, resolvid 1 em se-sao de mesa
conjunta, mandar fazer de marmnre Inanco uno a
capi'ila-o r de sua i^reja-, convido de ordem da
mesa reged.ira aquellas pessoas que se acharem
babilitadaa mandar eiecular semetbaote obra,
a exaintnarera a planta que se acha eiposta na sua
sacrisua, e a apre=eniarem a< sms pr<'p*tas no
praso de 40 da- contados de-n data. ConMsiorio
da irmandade, em 10 de novembro de 1865.
O escrivo.
Francisco BeUxrmino dos Santos Preilat
N 1 rmazeni da b da amarilla no oitlin da secre-
tin 1 da polica recebe o-*e cncornm-n las d.- fogo
a dor para dentro > lora da proiiiiicia.
GABBAUX BE LAILQAGAB & C.~
13MIR1E FaMQUlSE
Ra do crespo n f.
I.IVRijS NACION'AKS K B-STB*NGEIB03
Religue l'hosophia Jiiris.d-iiilciteia Litiera-
lura -Scicucias c artes.
Papelaria, objeetos para escrplorio.
- > i ni i di Vigario n. III, primeiro andar,
eKi-i-m i-artas para as Sra-. (iioniar Per reir da
Cru*. Balbin Eugenia da Furili acao e Uan It a,
viudas d Poto.
* DEP3SIT0 M QitlTH)
r'.llUICtDD.Yl CASI III- DKTENtlO
Risa \ov a. I.
Ah se eocofitraro obras de di-
versas quaii iaiJt->, c por proco ail
rtiminutos, n retalho e em porgues.
S se vende a- dinbeiro.


m
m
k

'u
4V|
AssociaQlp (Joiiimercial i>e-' ;;jf;!-;,l
ueficeute de Peraambuco.
Aehan lo-se prompta a planta eo org miento
paia a decoracao '1- predio cu morado para a m>-s-
na a--ociacao, convida se a tolas a pes se ipiz-rem enc.arrecar das obras de pe.lreiroa;
oro parecerem a roa do Trapiche n. 4, segonio 1
andar, aonde, no praso de oilo das, deixarao licar |
as snas proposia em carta fechada.
Associacao Commerclal Reoefleente de Pernam-
buco 23 de novembro de 1865.
O secretario,
Candido C. G. Alcoforado.
A ambos os sexos
Urna pessaa habilitada offerere se para ensillar
prima-iras letras a ambos os sexos em casas part-
colares (de dia ou de noite.) pira mais commodo
daquelles que se- qui'.erem utilisar : a tratar na
travewa dama Helia n. (i._________________
Aviso ao publico.
O preto Bufino, b ilieiro, creado que foi do Sr.
.J.i-' ce Vforaes floro-sFerreira, bem eonheddo en-
tri- os do seu nlDcio, e de vari is genitores n^sla ci-
dad- e fra delta, tend> ido para o matto para tra-
tar se da saude, ten tardado a dar noticias snas
PRilGIUNM
Da festioidade da glo-
riosa virgem martyr
SANTA CECILIA
Venerada na igreja do iMn-a-
mento.
A mesa tegedora da irmandade desta gloriosa
virgera tendo a honra de annunciar a celebragao
no da 26 da festa de sua padroeira, calende de seu
dever ex por o progrmala da me.-10a fe.-ta para
sciencia dos Meis, cuja concurrencia solicita.
No dia 25, ao meio da, sera manifestado a toda
esta ci'lade o acto festivo do da seguinte por gi-
rndolas de fugeles, que tubirao ao os sous da banda de msica marcial to 1 batalho
da guarda nacional ; e a nuite havera vesperas.
Na festa havera mtssa solemne, celebrando o
santo sacrificio da mise pela primeira vez o Itevd.
Sr. padre Augu.-to Pranklin, e orando o lie 'd. pa-
dre mostr Antonio Manoel ao Evangelho.
A orchestra regula pelo hbil maestro Sr. Cola.*,
director e regente daquelladotheatio de Santa Isa-
bel, executaraa grande orehestra ama nova missa,
do maestro Settimio Bataglia. Serio cantados s
solos Lawtatnus peto Sr. Tobas; Gratias pelo Sr.
Sabino; Domine. Deus pelo artista dramtico Sr.
A. T. de C. l.i-boi ; Qni tulls pelo Sr. Trajano, e
Qmnimn pelo Sr. Helem.
Ao etitoar o celbrame o Gloria m excclsis Ueo,
urna banda de msica marcial tocara no corpo do
templo urna marcha brilhanle.seguindo se o Gloria
pela orehestra e cauto. Apos isto, a mesma orches-
lia execuiara a symphonia religiosa co;n coro de
vozes Os martijres, coja msica do maestro Do-
nitelli.
A' noite cantar-se-ha oTeeum Laudamos, com-
posteu musical do maestro Colas, que o escreven
especialmente para esta festa com a denominac&o
de TeUeum de Santa Cecilia. Nest acto ora o
Revmd. Sr. n lie Aiuoiih) d'Albai|u/que Mello ; e
lindo elle, differeotes baiVs serio lancados ao es-
paco, bem como queimar-se-ha um lindo fogo de
artificio, feito expensas dos moradores do paleo
do Ijivramenlo.
Fechando esta exposicao, adianta a mea rege-
dora os seus agradecimentoi as bandas de msica,
s socie.ilades (larticnlares e a lodos que concorre-
rem para a maior solemoidade da testa dessa ir-
mandade, a lodos os Irmaos da qual convida a mes-
illa mega regadora a compratenos nos actos que
lem ella de c.i lelvar.
G1TALL0
Na noilede 18 pira 19 d i c .rreote f trtoi se um
cavallo mellado caxito, da e-trabaria do sea dono,
comsellim inglez quasi novo-, cujo cavallo tem
cimas e cauda pretas. as eitoa-t sao grossas e ca-
hem sobre ambos os jad >s do pesc-Hjo, e tem urna
fenda pequea na mo direita ; esta aco-tomado a
andar em cabriolet e bem couhecido nesU praca:
ipii'.u delle der noticias certas uo lova-lo a* Estan-
cia, sobrado de dous andares 11. 2, sera graticado.
3,5000
20i"0
IdO"
idcoo
avt-lludados.
de traoga...........
econmicos para se-
nlioras........... 1500
- com salto de lustre-. 2^240
Chineldes do Por o.......... I|(j0
Um compelo sor ime to de calcado da
trra para homens. senhoras e meninas; i
assitn como liezerro francez, couro de los-1
F ABLUID V.iPOB
99 itA 00 MO.MiE'.O 99
Deposito na rita MNva u. 30 ja de r< ij*rir.
O dono desie esUbelecimenlo partecip^ mi iv.-|>.it.w'l puUrn jmt ~ux (abrir
est montada com as melhorcs machinas ipio exi.-ti-in na Europa, e q 1 idi Mriar
com melbi r perfeigao possivel. Todo sclioc lalc>dwia bbricn ..t.i;,. r-it..In. puro,
o que nao se pode euconlra; naqtielle ffiie vein os fia, que. se >r*MM j.ni pitru twiv>,
visto os producios seren do paz. Nj etitj eta lem s mprv usa s,na.
l'IW-;i;o
Meta libra.....' i 11
Urna fibra......... sim
Urna anolia........|l m un
lie, mairoquins, tauas de tolas as quali-
dades etas para Piro, rwiilo sottidas,
ol e cooros que todo visto necessar.amen- obras e mnr,ri(ieiri;1 propi-i:, ,,-,,,, ,.,, ficilJ. pa;a ,,,. ,., -,,
te faz colnca ao comi ador pela barate/.a.
Na mesma fab ica acaba de te montar un.a u
ig,
um sitio na Passagca na Magdalena,
se
A quem interessar possa previne pelo presente
um dos Interessados, que o lello annunciado pelo
agente Pinto para o da 25 do carrete, de urna
casa terrea com siii 1 111 l'ocn da Panella, perlen-
ceute ao- h rdeiros de D. Virginia Candida de Fi-
gifiredo, nao pode eompreheuder loda a proprie-
dade, por iiianlo tratand i-se de eXeCUcSo para pa-
gam-nio do sello nacional, na imp-Ktancia de
nara o qu fui dada a Hypol'lo da Silva,
10 para seu quiohao e cu-tas de invenia-
no, orna parle em diw predio, Da importancia de um sitio na Passageai na Magdalena, a margem
' 3:86553'io, sofflciente o ir a praca, para tsso' a ,j0 rj0 rjapibarib, junio ao do Sr. commendador
parte dada a.....Rsno Hypohto, e nesse sentido ; x|anoel Ignacio de Qiiveira, tem boa casa com sala .
. pende reclainicao ante opiizo da fazenda de visitas e'gabmete> estucados e esterados,
' \ I quarios, sala de jamar e de espera, cozinha e des- j
,4 ilitl p(l l'll CUb'l j pensa, qaarto para pretos, um soto Com -i saletas, 1
Proci.-a-se alugar nina ama para todo servirlo de estribara e ca>a para feit ir, urna baixa de capn
aiguns'
ra do
urna casa : na DeCCO das Boias n. 2, primeiro
indar.
Perd-u se em a noite do 21 para 22 do cor-
rente, desde a na da AssunTpcM a,c a ra da Ira-
peratriz, un embrniho cooteudo tri-s rosarios, sen-
do un de roolas de ac e ditas enroas pequeas,
tendo urna de marliui : qoem ac.hou, nde levar
a ra do- ACooguinhos n. 9, que sedara recora-
pen-a ou entao anuncie para ser procurado.
para sustentar tres cavallos todo o auno,
arvoredos froeliferos : a traiar no Becife,
Brum n. 66, armazem de assr.car.
Ut
4

Por nao se saber onde reside actualmente, roga-
; se ao Sr. Ernesto Botelho de Aod^ade. que mande
pagar a sua letra ja v-ncida de 27IA. pudendo di-
; ngir se para este lim ao quartel do H i-pieio.
Na praca da Independencia n. 33, loja de
ahaixo a-signada qoem d<-ll' ourives. compraba onro. prala, e podras preciosas,
e por i-so r iga a
SOIlber 1
ca
o. 'i.'i, o |ne muito agradecer'
'llteodora Francisca do espirito Santo.
i'recisa-se de urna ama: na ra de
Atraas Verdes n. 92.
Da barca iu^leza Mira e Celia
2i -Caes 22 de ooveniiro2i.
Paulo Jos Gomes (St Mayer, por verem a ulili-
|dade que podiam tirar os proprietarios de al-
'guns terrenos devolulos, que por falta de meios pe-
1 cmanos, t?m deixado de educar, resolveram-
se arrematar parle d r.irregamenlo de madei-
| ra da barca ingleza Jftra t Ceio, arribada nesie
porto.
A vanlagem que oBereee esla madeira, ser de
urna so hilla, tanto em grossura, comprnHWito e
; largura, tendo I pollegada de grossura, 5 a de
largura e 22 palmos de comprmeme, e a dnzia Bas-
tar 75- Porianto p le-se fazer tuna caa c.'iu pou-
co duiheiro, e usi.fruir se lucros mensaes, que at
nber e onde nieta, de fazer o favor de avisar no e tambem se. faz qnalquer obra de encommeuda, e en[|| n-o M perWDa> ,,,- f;1ilar eslM reeuso> Mni-
n .rio do tabei|i,,Sa, a ra E-treita do Bosano todo e qualquer concert.____________________ tas atM nos suburbios da ctdade, fritas de palhas
Amonio Jos Rodrigues de Soasa, na roa do rje noqueiro, muito melhor sera' agora, seus pro-
Crespo n. 15, alaga sua casa e sitio no Montero prietanos substllai-la- por madeira, porque terSo
em frente ao oita a igrej, tendo o sino portao casa de nielbor gosto, durscao, sprn .-er preciso an-
de ferro, cacimba com boa agua, estribara e co- darem Constantemente refrmando-as. Os inqni-
ebetra, e a casa 4 salas, 7 qua'los, e otan, a qual linos licarao mais tranquillos, porque os malditos
muito fresca cesta de novo bem catada, rooeer- eros, noatararaa fogo com tam.ii.ha facilidade,
tada e pintada : tiara ver, as chaves esli em a e por de ta' aijuella palba as sobreditascasas. Mu-
casa do Sr. Nicolao Machado na mesma povoaca. tas oulras obras se poderao fazer com esta madei
"" I ra, que senoo para estarem existas ao solea
i f'UQfl St chova, nao sao atacadas pelo cupim, como temos
I^NMNfffl
Dentista de Pemambuco.S
D. 3,
Jtg tina estrella do Rosario
ao p da ijs'cja
feUNCISCO PINTO 0Z0RI0
i ?.'<:>: oca leales artiQciaes '
pelos ij'slemas uials nao- j
tiernos
I^tnprega lodos os meios seientificos para I
conservar os naturaes. Pode ser procura-
do em seu gabinete das 9 horas da ma- 1
nbaa as 5 da tarde.
t
Casas
Aluins^. dun casis novas na
(BoaVi-ti. ra do Principe n-. i e 8,
t.is, i -.nas, CO'.lolia f'a,
cacimba, sao mullo sadia>
iiMimio 3.
fregnezia da
cjni 3 qiiar-
qumial ii 1 n o morado,
: a traiar ua ra Nova

\i
laimpanhia delidade de seguros
martimos e terrestres
cstaeelecida no Itio de Jaueiro.
AGBNTES EM PEKNAMBUCO
11. ;:;iio Luii de Oliveira lirvcdo & C,
competentemente autorisados pela direc-
baria da companhia de seguros Fidelida-
d.-. tomam seguros de navios, mercadu-
ras e predios uo seu escriptorio ra da
Crin n. 1.
jo sitio qne foi da fallecida D. Seraphina, na estra-
j da do Monleiro, pelo lempo de fe-da : a fallarse
, com o herdeiro invenlariante Claudino da Silva
i Ferreira, na casa de sen pairan, na ma do Vigario,
ou na ca-a de sua re-id-ncia, na ra da Impera-
I triz, Io andar, ao p da Sra. madama Leconle. A
I casa tem 8 qoarlo, 2 salas, I gabinoU, i copiar,
: cozinha fra, gran le cacimba com agua de beber e
I bomba, mullos ps de diversos arvoredos, etc. etc.
Aula de iuglez
Das 6 as 9 horas da naife; na ra da Matriz n.
33, 2o andar. __ ___________
- Precisa-se de urna ama para lodo o servico
de casa de pouca familia : a tratar na ra do Brum
o. 47, taberna.___________________________________
Precisa-se alugar uina nscrava 011
para o servido externo d* nina casa, que
na ra do Livramento n. VI, 2" andar.
Dinheipo
Empresta se le 1:0)0,5 a i:l)0'5 a jnros s.)hre
hypolheca de ca-as ou oolra qUM>iner boa garan-
ta : quem precisar anuncie nara ser procurado.
na
do
Itihe.iro.4 Galva fizam sciente ao publico e
ao c irp 1 11 commercio que dissolveram amlgav-l
m-nte a so-iedale que tiiham na taberna da fu
Direiti \. 95, aeaod 1 l>l > o act|o e pasivo a car-
g)i|)S)i"io Jeronymo Ribeiro de Sooza, e isto
desde o dia 18 do correnle.
Aloga-se um qua-lo para muco s""*,,r^fc
ra do Kangel n. 6 : a tratar no tn-smn onr
Precia-se de urna ama para andar com urna
menina e tratar de sua roupa, sendo Jim a e sa-
dia : na ra nova do mu Rita ti. 55,
andar, junto ao deposito de carvao.
vi-to, casas e cercas durarem anuos sem seren vi-
sitadas por e*tes malditos Paraguayos. Coo-tante-
mente vo para Montevideo orregamento de ma-
deiras desta qualidade, o nos por vermos a ex-
tracto que tem nesta cidade, compramos esta, e no
caso de ler, compraremos a sim como compramos
carregameutos da outra, que tem extraccao ne*ta
cidade e que se aeham a venda em oosws arma-
aens. Temos tambem grande qtianudade de bar-
rotes de differentes grossuras e comprimentos que
vieran) juntamente com esta madeira. __
Grande Bazar
Carneire Vianna.
E' chegado a este eslabeleciui-'nto os seguinle.s
objeclos : cadeira de palhi para crianza com ba-
taneo, bercos de novo modelo lambein de palha. e
outros mullos artigo* desles gneros ; pede se aos
senliores qu-f encommendaram alguns Objertos
desles, o favor de vr escolber logo os que preten-
dem querer.
Objeitos iie metal das segnintes qualidade.s, ur-
nas para cha, chaleira< (iara fazer-se c.na', appare-
Ihos de alm.'co, aillo de j ni ir e loios o mais ar-
ligos que Sfl podem desejr deste metal por preco
muilo commodo, que a lodos deve agradar.
E-pelhos de todas as quahdades para ornamen-
to de sala, tapetes, alcalif- e otilros muitos att'gos
que por gosto se pode vixlar o grande ll qual se acha. aborto desde 6 horas da manha at
,10 as 9 da n-ite, na ra Nova n. 2 J e 22.
Jos de Pinho Borges dissolveu amigavel-
1 mente a sociedade ipie, sol) a Qrma social Borges
I & Soares, liuha com Agosiinho Jos Soarcs ua bo
ando
Kia-
molequa
seja lie I :
Attenca
Qnalquer pessoa que queira a'istar-se como vo- tica sita na .praca da B>a-Vista n. 24, compra
luntario da palna em um dos batalhdes que se a meiacao deste, e licando eoc.arregado da liqu
estaoorganisando ne-ta cidade, pode dirigir-se a cao do activa -patio do dito estabeJecimeato,
ra do Imperador n. 73,1 Ja, que ahi se Ihe fara' que de boje em dianle ih^ lia pertencendo.
urna boa vanlagem.
Precis-se de dous
Imperial n. 33, padaria.
Aluga-se urna grande casa terrea na Ponte
amassadores : na roa de Uchoa, a beira do Rio : a traiar na roa do A-
mors a. 54.
hu
EtMKiRfl LE RO
de .sit\oiu;r, Docleur-ildeciii
le de Seine, 51, PAP.IS.
,11 -. 11..11.1 .1 \ ..r mm
I -- in l r I "r!a. p.
aellas, assoalhos (parqu Francez romo su osa na fciruna.) eaima r* .1! kroja>
dade eperfeicSo. Toroa-se qualquer eiicoiiuueBda pora Kw* ii:i ni.i .. r-,u>-r.i-..\.^,.
piumpta a cotlar-seno lutiar..
o papel
I'ii caita prrafo, tal, ntica ir.
[]'ii' Irva n nim s lu-le, uui udiiln Unpt sso fin aina-
rilo r- 111 o SF.I.1.1' )HI ERIAL no bOVGRNO FKAhCI Z.|
N. I'.. rilir 'i-ii.'d-m- ii.ii.i 1,-tli.i C SOD Ir.Oir.ib
Iri-i' : s iirri'.i-. 1; .1 < > itr visl. au mximo,
j l>i| -il..|i-i
'1 legitinii) I.
ri /.-
alinUiiii 1 to i
mijial
x rtoj
lio 1 :i/:i Co Mossn
ii i-.1 igi^ite prta
! azil a S\ :. \ kto-
,m 1'iim: : itr I.A-
ckiuia 11 RaIiN c
iid-T ilcsroiiti).
Com
ns LIMAS
CFJiriCAS EE
P. MOURTHE, fomo
redor da Caza Imperial do Exercilo
francez, garanle-se que qualquer
pessoa pollera sem dor nem |>erigo
livrar se de seos callos. Ksta inven-
Coo : privilegiada em varios paires.
reconhecida offirialmente efficaz
por 15 naci's, premiada com me-
dalhas de 1" c 2' elasse cappro\nda
por diversas neademins e pelo Ex
Presidenle da Junta de Hygiene da
corte. Por ord;m do Ministro da
Guerra fez -se em Paria experiencias
sobre mais de 2000 soldados que
ftcirao livres de seos callos; gutl
resultado foi oblido un guarnieo
do Rio de Janeiro. M-iisdc 3000
pessoas ja se tem curado rom estas
Limas. As provaa do que sp diz aci-
ma e os altestados achara-se no
prospectu, que se da no deposito,
('.asa principal em Pariz, R Prime
Iiii(ne,i8, Agente paran Brazil,
o S* M. O. A lili ASCIIES, ra
da Alfandega, K 10 nn Corle.
Leso no lUnniteur de ta Pharmacie.
A clcclricidadp boje einpregada por lodos os
mediros afamados, para o tratamento de mudas
molestias, mesmo para as que resisten) asoutras
medicacoes.
A elerlridadc proriiuida pola friccao tem urna
snpmnridade inconteslavel, e a ranlugem de nao
iIji abalo*, c de poder ser graduada pelo doente.
A cansa a mais ncrpirnte das molestias a
estaglWCM do sangueou dos ouiros lquidos ti-
llaos. Ileslablccendo se a circulafa no orga-
nisino, enracao-se as nif|leslias.
.Onando se sent alituma dr em quelquer
paite do corpo logo, e inslinclivamenle, scorfrega
o lu-ar endo'iMido com p ma, c is'o ailivia. Isto
explica o resultado inrofileslavel que deve pro-
dmir 11111 apparclho cictrico. Por isso temos
prn/crein annunciar ao l)uhlico quio Sur II u i--un
de liivil.ii rs res dnile.l boulevarl du Prino
K.uptne, 18, em Parir, dntou a medicina de um
apparelbo EIcctroMapineticy, sob a forma de
una cscova, com u qual os flocules se podera
ciliarsem nelinma oulra niedicaca. Os mdicos
qne a lem experimentado, niteslara que a
Escova lec 1 ao Magmeiica eilicazpara
curar: osHhe>imatsmbs,aParatysia, Gotta,
F1 nqueza dos membrbs c d Columna vrr-
tehral d> bilidade gpral, Nrvrulglas, etc.
Estamos certos que brove cada faini ia |>ossuira
esta escova que prestara iandes servicos.
A pedido de omitas dessoas, o autor decidi-te
a esl. blecer um deposito de seos appareihos no
Itio de Janeiro, em cala do Sn llau.n lluiiif,
Mili tioiu do Oubtaor,'n* 33.
Pernanibnc
infria iraiiceza de
P. MAURER C.
Pernamhu o, pita
Maure & U., roa Nnv
dcP.
ra da
a > Sr.
do do |Rego, em seu armazem
a ra' Nova n. it.
raaeta traoceza
1 n. 18.
Aluga se a casa 'terrea n. 39,
UniBo: quem prebende la dinji-se
J ;Vi Bern
ie fa.enda.
Alngase ama escraw.-i para comprar e coii
nhar em casi de ponea farniha no tlomem soliein.
ijueo preei-ar dirija w ei|i Santo Amarii, obrado
junio ao cemiteriii Ingle
Pata 1 conslimcao ilc laaihinns
ssm^-x-fiwfxx
m
m
Gasa de Imu-Iion
ABinr,iiTM\ ik jriiA
w Lofiduii. l".oi mecileur, f5sta-
s BilWos
Solieitam pedidos de dekarogadores de algodao,
ad.ipliidiis ao ak'odao siii-;jrneri, alio. Ho-se de-
dieitd 1 a es e nejfneio dorante 23 a*nnos, e attende-
r.i immediatamente moWbHOuouVnrn que se Ibes
dirgir.
CONTBA FOGO. ^
A companhia IHitemiisadora, esiabeleoi-1 ^
da ne>ta praca, tmna pe/tnro martimos so- H
bre navios e seos ca regame los, eflootraijp
fugo em eililieios, meccadurias e mi-bilias:
na ra do Vigario n. i, pavimento terreo.
i
Ama.
n/m.iiu. a a_k/i
Contrta-se mais 3,500 dormentes de
madeiras de tjuali lades para o cmiiiiho de
ferro de Apip'ucos : quem pretendor cutn-
Precisa-se de nma ama m compre, cmWieo pa^a a ruado Imperador n. 55, segundo,
eogoinme, pra casa do iiums pes>i.as : 4 uuap na. andar,
ra da Ore, armaadm n. 57. __________^______________________|
Preelsa se de nina ama que saiba cambar e
Precisa se de uibi oPRci-il d.*> cahellei-
reiro: na ra Nova tv >\
--.
1
ILEGVELt
7S prijBsif0/ auar,
comprar pan casa de pouca familia
r 11 acto Pww D..H.
3 tratar na
l,:i-S I C.-iriar ai. S.
K-le >-Uh-lerunrlllil !* I.'lll ?a-Hl.,.,.1
na stl;i 1 li^iiil .iihvi -f de I1.1 R'.uali: !
qosi i- o iil.iii m n .-i [. .o-" in-
P-re p de sin ad!binrs're .
H"|e ipie ii n-iviipri ib-tori 'mvre# Iiii1i.> -.|,-l-r a |tr.,wt*
lltllllild.- 0>.'l :l'-lt"i-I I l'l.l.l, p* **-
M'tliuar an 1 iiIihc qilr- |iMk|rr lt s*|i
11 iiiuner.' dir- emirurr r|n ^rhr.>' 4V>-
lle )A priill lld.ln e xr.f. n feOtM l'< *.
111..1 iii.s iii m--du-iiir, .i r ** hm-
nbiij se acfcra' >i" ru 1 !.* n tHm itas
ti Poras da ni*nh:ii a* 11 M4M
l'n-C-.
I'.anii. .! i-lii..| i.-'.......
D1I0 Irin 011 inrno........ "4W
Hito -le jr.ll............II; t>
1I11 me urinal rt' yjun
do na quahdadr.
A .-.t^naiur.
l'nr nO*i banh'i trio 11 momo.
23 rari6-s para Isanhn fri",
m in.o 111 de
12 rarles para n* na-MH ...
12 ditus para tuoM V fcrrrH*
mmmmM-mmm
Quem esver hahilHaOo a **r leHor V
eogenbo, falle na roa larga do Rosario a. V.
m
i
n
m
t
1
m
lOi
m
i


filarlo de s'crnaMbuc ttabbido ti 4 Xovcmbro de t **.
^%*m
DE
J. V1GNES.
V 55. RA DO IMPERADOR M. 55.
0$ pianos destaaotiga fabrica lio hoje asss coohecidos para que-teja necessario insistir sobre a
ioa superioridade, vantugense garantas que offerecem aos compradores, qualidades estas incontesU-1
veis que elles ietn definitivamente conquistado sobre todos os que tein apparecido nesla praca ; pos-
snindo um teclado e machinisflio que obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas, cara
nunca falliar, por sereno fabricados de proposito, e ler-se feito ukimamente melhoramentos importen-
n'ssioios para o clima deste paii ; quanto s vozes, sao melodiosas e flautadas, e por sso muito agrada-
reis aos ouvidos do apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Rlondel, de Paris, socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre. premiados em todas as exposicoes.
o mesmo esta heleri meato se achara sempre um esplendido o variado sortimento de msicas dos
tnelhores autores da Europa, assim como harmnicos o pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
precos commodose cazoavels.
CONSULTORIO HEIHCO-CIRLKGIGO
DO
DR PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO.
YIKeMCO, PARTEIR E PBK.IOK.
3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo MWcoso d consultas gratuitas aos pobres todos osdias das 7 s4t
oras da manhao, e dasV^-meia s 8 horas da noile, excepto dos das santificados.
jHharmaeia especial bmneopathica
No mesmo consultorio lia sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisaces e pelos precos seguinte*.
Carteiras de 12 tubos grandes. 12,5000
de 24 tubos g. andes. 180000
de 36 tubos grandes. 24,5000
de 48 tudos grandes. 300000
de O tubos gran Jes. 35,5000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca I 5000.
Sendo para cima de i cusante os precos establecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
A melhor obra da homeopata, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jalu
dous grandes volumes com diccionario '.......... 20,5000
Medicina domestica do Dr. Hering........... 10(50''0
Repertorio do Dr. Mel Moraes............ G5000
Diccionario de termos e medicina........... 30000
Os remedios deste estiblecimento slo por demais conheeidos e dispensam por
tanto de serem novamentc recommendados as pessoas que qmt&rom usar de remedios
verdadeiros, enrgicos e doradores: ha tudo do melhor que se pude desejar, globos de
rerdadeiro assucar de leile, notaveis pela sua boa eonservacao, tintara des mais acredi-
tados estabelecimenlos europeos, a mais exacta e acurada preparacao, e portante a ruaior
energa e certeza em seus effeitos.
Casa de saudv para, eneraros
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operaco, p ra o que o annunciante julga-se sulBcientemente habilitado.
0 rat ment o melhor possive, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funceionando a casa lia mais de quatro annos, ha muas pessoas de cujo conceito se nao
pode duvidar, q .e podea ser consultados por aquellos que dse]arem mandar seos
doentes.
Paga-se 25 por dia durante fio das e d'ah em diante 10500.

IRIEF
Rua do Crespo
(lo 4 encadernado.)
VARELLA VOZES U AI1EK1C
(In 4 encadernado.)
i
mn
Furtaram da estrada de Joo d Barro* deas ea-
Tallos catanh .s.-"ndo nm rastrado, eomora-eo
de um *h fu'- trasteros racludo, cajo ea-aH-> (j
do e~ntiai]rSo de cavallari.i ; o outro inteiro, utm
om p aberio, e ama piou braara ao lagar 4a
sella : quem o- apprefcaaaVr e levar ao ariaaaasa
da bola amarella. no oii.o da MflM de polica,
sera' gen*roameni.. parwaaaaBnA^
poesa.
Pues de Andrade {K. C) Flores Paludas, in 4 broch.
> > Flores Singellas, In 4 en-
cadernado.
Vmra de S Saudades, in 8 hruch.
Pinto Cvllio -Trovas Mioeiras, in 8 broch.
A Assnmpcdo Poema, in 8 encadernado.
Burros (os) Poema, in 32 ene.
Cantosi'or tonjalves Dias, in 8 ene.
CaramvrPoema pico, in 8 ene.
Maritta deDirceu Poema, 2 in 8 euc.
Menes LealCnticos, 1 in 4 ene
Minlias lnspiracts poesas, A. M. dos Res, 1 in
4 ene.
Novas Poesas de Francisco Xavier de .Novaos, in
4 ene.
Obras de M. A. Atoara de Azevedo, 3 in 8 euc.
Obras de Fittnlo .Elt/sio, II in 4 ene.
Obras de Gil Vicente, 3 in 12 ene.
Obras de M. I. da Silva Alvaremja, 2 in 8 ene.
Pacotilha potica, in 8 ene.
Parnaso tras-.letro, in 8 ene.
Parnaso Lusitano. 0 in 12 ene.
Poesas de Americo Elyseo, i iu 8 ene.
Poesas e Canlosde A. Gama, 1 m i ene.
Poesas Completas de t. J. da Silva Guimares, 1
ni 4 ene.
Obras dos principaes poetas braseiros, portugue-
zes, francezes, etc., etc., etc.
PRIHEIR.tM l,ETR.4S.
C. Adier's- Norma para escripia.
Carstairs e ButttncortU exemplos de escripia in-
flen.
GalraoSjrllabario Portuguez.
Novo metliodo de entinar a ler e aereter por A.
Freir da Sttca, etc., etc.
OBRA DIVERSAS.
A -Constituate perante a historia, por F. J. M. ll.de
Mello.
BarbeCurso Elementar de Pilosopliia, Pars 18C5,
2 iu 8.
jouchardat Manuel d : malire medcale, 2 in 8.
Formulaire magistral, in 8.
CliemovizFormulario, in 8.
FlammanonIrs mondes I naginaires. in 4, 1865.
BufanMtliode o'oliservaton, in 4, I86G.
Veiuliot Ir- Gupitr Italicn. in 4 br.
iiullerhiloire de la liltrature grecque, 2 in 'i,
1865, etc., etc.
QHtIKCTO* R1SLIC.IOSOS.
Estampa* rettgwsat em fumo e coloridas.
Imaijens de Santos coloi Ido*, Adorador, etc.
Collecco de e>tampas va sacua.
Basarlos e (ruci/ixos de martim lavrado, ect.
Jlanuaes de Missa ricamente encadernados de mar-
tim, Vrlludo, etc., etc.
oiftiEi-TOw i'tu.i ei<:si-:%ii.->.
Papis de Indas as qualidades.
Cmixas de tintas finas -pilleis.
EslojdS de mathematica.
Lapis, entums pelo e de cor.
Estampas rotondas, etc.
PAPiEIiAKIA-
Papel de peso, almasso, gree, II .relie, etc.
Papis de cor e brancas de marca grande e pe-
quena.
EnvetOppes de todas as qualidades.
Cario") s de visita.
Ditos para parllcipaco de casamento.
Ence'.oppes oe renda para os dito?, etc.
OBJICTOS HU ESCHIPTORIO.
Peanas, ranetas, lapis, tinta, etc.
Prensas para copiar com tudos os pertenecs.
Litros em bronco, etc.
MAPPAS GEOGRAPHICOS.
Globos terrestres, etc.
STKRKO COPOS.
Vistas para os meemos.
Colle. ci-s de pliotographias, etc.
ESTATUS li; BROVXE.
Tinteiros de brome.
Pesos para papis.
Enojos de toilette.
Pastas, etc.
IJYIIOS in: LIXO.
' Com eslampas linas e ricas encadernacoes, pro-
I prios para presentes.
HETRATOS DOS ACADMICOS VOLUN-
TARIOS LH PATRIA.
Assigiiatui-as para joma s da EHropa.
Jornal das familias.
i Revota Jurdica.
Archivo Luterano,etc.
FOLBINHAS PARA 0 ANNO DE 1806.
ALMANAK LUS0-BRASILE1R0 PARA O
ANNO DE 1806.
Livros de leuiliianc s para o anuo
de ISGti
BALDES LINTERNAS DE PAPEL DE COR
PARA ILLUMINACES.
OlTerece-se urna ama jan emialnr *
comprar : no becco da tiarvallu n 7.
OIT.;rece-se urna ama de bon< r.j.-tome- para
cozinhar e eneoinmar : na roa Aufii-ra a. I"0.
O Sr. Antonio Man ^1 de Soasa e iMi**n
queira apparerer na livraria eejnoie, roa 4
Crespo o. 2, para negocio de seo inleresse.
Aluna s um >iti.> na e>lrad hOo *> r-
ro, sen 4 amffj, .e-pf asa, eoiiaaa fara, e>tri>
baria, e muitas aores de Irocto : a tratar na roa
ireita n. 3, I' andar.________________________
Precisase alugar orna ama para roiialtar
I engommar para urna eaaa ' familia : a tr.lar na ra Nova o ". toja.
| Precisase de om eseravo para o erve pe-
sado de um hotel e nm creado : no hotel It.luao'
ra do Trapiche n. 5._
Ama
Precisa-se de urna ama para r.mprar e easi-
nhar : na ra do Imperador n. 57._____________
A RV-sa refedora da irmaudad- > .Vsa
Senhora do Terreo ronvi.la a su- irmaos es janes,
6X Secretarios ex th-.-ourero para eoatpar-ee-
rem em nosso consistorio domingo JN> do corrale,
pelas i I horas da manha, afim oe baver asesa co-
junla._____________________________
frecisa-se de urna ama no conab* para ra-
sa de pequea familia : na ra d Quenaado a. 17
segundo andar.
Precisa-se de nm amassador, na padaria esa
Santo Amaro, airai da londn3o do Sr. Starr.
Kllerece-se urna seobora pata ama > rasa
de penca familia para o servido inlerao oV amx
eau : quem pr- ci-ar dirija se ao aereo da Caas-
boa do Carme o. 2.
40 (ilMMrl 8. }|\t!llt;iO.
Processos aperfei^oados para tingir, lira par e lustrar a vapor
29, ra 7 de setenta, 29, defronie a ra Rova do Ouvidor
erzserjb
Os proprietarios d'este eslabelecimento, o primeiro no seu genero no Brasil, por trahalhnr com as machinas mais aperfeicoadas para
Asoiieracoes sero previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos procos i Hopir e lastrar de qoe se fax oso na Europa, e ajodados, por alguns dos melhores officiaes de Pars e Lyao, podem assegorar seus
nina perfeicSo de tra^allin a qual senao pode chi-gar pelos processos ordinarios.
TiDgem, lavam, limpam e demufam com a maior perfeicao e brevidade, qualquer qualidade de fazendas, tiram nodoas e limpam a secco,
sem molhar, as s&ias e as vestimentas de sentioras e de homens.
razoaveis que costuma pedir o annunciante.
Companhia geral hespaaliola de seguros mutuos ^
sobre a vida
..../.i ii.i.w ..i/'.;. 1/l.i
dF,
1859
l'ira H!ic em dialieiro, 'ieposilado nos eofres do estado, garaale a ba ad-
mDistraco da eoiBBanhia.
Atteocao
Preclsa-se'de un eaneara para note^nioi eaaa
dito para taberna : as Qaro Pi>aias n. 9X
O abano as.ignaio nao podendo de*ped r
pessoainent' de seus amibos pela brevidade da
sua vtageta o faz pelo presceds na o* 4 aqjoti
desta praca como do centro. Recife SI de aa-
vesabro de 186o.
Ilygin> Firmo das Cbagas.
Da-e bolos de venlaym as 10 hora* do
dia, e paga -se a tosto por pataca : na botica do
paleo do Carino se dir.
Precisa se alugar nm prim>-ro andar ao
bairro de Santo Antonio al 5 rcensaes : a tra-
tar na ra de Santa Hila, casa ann xa a igreja.
SSi^^^
COMPEAS.
BANQl:EIKOS DA COMPANHIA
O Raneo de fi&cspn^ha
DIHECr.AO GERAL
llmlrle}: 2?.sa do Serado n. H
supervivencia dos segu-
Estacompanhia liga pelo systema mutuo todas as combinaedes de
ros sobre a vida.
Nella podo se lazer a subscribo de maneira que em nenhum caso mesmo por morte do
segurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao lio suprhendntes o^ resultados iuo pro-iuzera as sociedades da ndole deA NACI-
NAL,que anda mesmo dimlnaindo ama terca parte lio interesse produzdo em recentes liqoida-
coes e.:o niiiuinl i-i.-. j'ii a murtalidade da tabella de Uepareieux que adoptada pela compauhia
para seus calclos e. liqaida^es, em segurados de idade de 3 a!9 annos, umaimposicaoaDnua.
de tOO produz em effectivo metlico:
No fim de Sanaos.......i:1193300
de 10........3:9423600
de 15 .......11:2083200
i de SO .......30:256*000
de 2o .......80:3313000
as ida les menores de 3 anuos e maiores de 30, os producto.- sao mais considerareis.
Pro-pee s e mais infnrmacSes serSo prestadas pelo snb-direclor nesta provincia.
Joaquim Piaxa de Oliveira, ruadaCade.ia n. 32, ou Oa-Vista ra da Imperatriz u. 12, estal.e'eci-
iment) dos Sis. Ilaymundo, Carlos.Leite 4 lrraao.
Silvino GoilberaM de Baatas compra even-
de eflectivameiiie esetavs* de asada s os sexos :
ruado Imperador a. 79. hniaiwj andar.
Cumpra-se oiiro, praia e pedras preetoea,
em obras ruinas : na ra da Cadea do rieeile.
cja de oiinves no reo da Cooeeiro.
Compra se eatasao (-emeoic)de alendan: ao
armasen de alfadas de Saunders Broibers 4 Cr
no eje* it.- Apollo.
Ostro e prala.
Em obras velhas : roa pra-se na praca da lo
depend ncio n. 22, loja de bilheles.
Compram e efTectivamente U.tijas e garra-
as vaias, paga-se a 50 rs. : na ra da Anrora a.
fi, taberna.
Compra se nm piano de armario, n-ado :
quem o tiver anniiacie.
Coinpra-se um ryndro rom os tamb-ires dc-
po. estando em bom estado : SjaMS o tiv^r aaaoa-
cie por e.-sa folln.
C) n;ira--rt un :
que esteja em bom u o
gando anclar.
pi g ite/latMc
: n\ roa Njva
i. tari
n. 65, -

A\i! lTt \\.x
Compra-se urna e-crava de 12 Id amv>s d-
idade, cor mulata ou m-sm i cnonla i teoln al-
gumas halitlilades: anoni tiv^r ilirjji--^ a rua do
Livrameiilo n. 1, new Beban easj j i.-m tratar.
RUA DO liltlJ.H[ ] 38.
Aitonden'lo as nanerosas oc asies etri que ietn succedido aos senhores de en
geoho o perderem grande parte de sas saf m por iofeici'la les imprevistas que os
deixam sem meio l comp ciar as suas m mgKtil; como mortes ie ani oaes de roda, ar-
r mbamentoi deagad^s,levadas et;, o pnpriekirin desti fbrica lembra aos ditos se-
nhfi es a conveniencia, nestes casos de fazer coilocar ama machina de vapor, por isso
na' s aprovettao lo a safra mustente e providenciando contra a re nene cia de taps
aconieciment s, mas tambem introdozindo ni sua industria um reconhecido melliora-
in.: rito.
Portante annincia que est prompto a garantir o assentamento d.-is suas espe-
ciaes e mu acre litadas machims de vapor, em estado de funecio latem umt semana de-
poisda cliegada das peca; no eng.-nho Estas miebinas podem ser applicadas a moen
das e meia-moeodasj exisientr-s ou pode s-. mandar com ellas moendas novas a vonta le :
do c impridor. Ellas tein tanques ou depo-itot d'agoa e boeiros, todos de fe pre isatn p ra seu as-entnenlo di obra algama, quer de c;raina, quer !e alvenaria.
Estas miebinas da vapor sao construidas especialmente p cao, em provadeqa ja se achn assentadas em logares onde se jnlgoa at entao difi- i
ciiimo ou. impns.-ivd fa/e-las carregar.
No caso da desm ntelarem-se as rodas d'agua, lia sempre prompto, rodas de:
ferro que se ass^ntam ni minino tempo.
Nesta fabrica se aciia todoe qualquer objeclo de que possa precisar um engenho.
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SFFOCQAO NERVOSA. E OPPRESSlO
nico remedio eflicaz para eombatlir estas molestias, acalmar um atlaque d'asma e impedir a
volta e o Xarpe aromtico de Succino [mbar atnarello) do U' Danet. liescoberta inteiraniente
recente, este novo producto sr tem propagado com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
lados que tem sempre |)roduzido.
'i*
sito geral, na botica Chauveaud, 54, na do Comercio, Paris-Grcnclle, e em lodas
boticas 'le Franca e do csirangeiro.
z<-
Silva Hamos, me iico
-,-. .- ..: ^ ,- '.' AMA
Precisa-se o nina ama para cozuliar e comprar
para casa de ^ouca familia : nS rua da (Concordia
o. 34, sobrado do armasera do sol.
Jjs
O bacbarel
Francisco A adusto da Costa
ADVrtfiADO
Kua do Imperador numero 69.
Precisase da quantia de 3003 por epaco
ii 3 m.'z s da-se por garanta em urna casa : a
pessoa que queira dar annuncie para ser procu-
rada.
m$ wmm
O Alcoholado de Guaco de Pascal urna nova preparacao d;t qual
basta mencionar suas propriedades pura appreriar sua importancia.
Em primeiro lugar um preservativo infalivel do contagio veneno (ver
tolheto para o modo de o impregar).
2' Tem a vautagem de ser o remedio mais certo e mais agradavel para
as molestias sypliititicas de toda a especie, ulcerarles primitivas e secun-
darias, ec.
3o Empregado em injec?5es, o melhor tratamento dos cor rmenlas
recentes ou chronicos as pessoas dos dous sexos e da leucorrhea as
inuiheres.
4 Emfim como antidoto dos virus, soberano na cura das chagas e f-
tidas de m natureza, chagas gangrenosas, darlros, ulceras das pernos.
nphtalmia purulenta, ou blenhorragica, mordeduras e picadas de ani-
maes venenosos, ec.
Este especifico vegetal, izento de toda aacco mortfera, foi experimcii
lado nos hospitaes de Paris, Lyon, Marcelha, ec, e recebeu a approvacao
dos distinctos doutores Ricord, Bachet, A. Richard, Calvo, Diday,
Melchiok Robert, Costilhes, Berenger, ec.
Deposito geral em Paris, botica de CHEVRIER, 21, ru du Faubourg-
Montmartre. Gasa de expedicSo, PASCAL e C, 33, rua Monsieur-le-
Prince. Paris.
Notas do banco do Bra.-il e das eaixas flliaes
deseoBtam-se na travessa das Cruzes n. 8.
mmmm,
f| O Dr. Carolioo Francisco de Lima San- ^f
w tos couiiniia a morar na rua do Impera- vg<
* dor n. 17, segundo andar, tendo alias seu wB
jfe gabinete de consultas medicas, logo ao Wt
MWM M'&M ifill^i'il^ 4? en,rar- "" pniiM-iro. 2
^ O mesmo doutor, que se tem dado ao
Deposito geral em Pernainbuco rua da Cruz n. 22 em casa de Caros & Barbosa.
Aluga.se o terceiro andar da ca*a o. 88 da
rua da Imperatriz, e o sitio n. 1 da errada do Ar
raial : no rua da Aurora n. 36,
A mu (ir, leile.
Precisa-se de urna ama de leite : na rua do Im-
peradur n. 42, terceiro andar.
- Alugam-se tras casas na povoafo do
Monteiro a mar^em do rio, com muitos
bons commodds e em muio bom estado
de limpaza : a tratar na rua do Crespo n.
20. esquina, cujo preco de alugnel ra-
zoavel.
esludo tanto Jas operares como das mo-
lestias internas, presta se a qualquer cha-
mado, quer para dentro quer para Tora
da cidade.
Cozinheiro
Precisa-se de um bom cozinheiro e um copeiro,
no hotel Trovador, rua larga do Rosario n. 4i
paga se bem;_____________________________* ^
Precisa-se de dous irabalhidores para pada-
ria : na rua larga do Rosario n. 16.
Jt'i'i
SS $9\ V* *H* XFk >1
E'n casa de Tneo Christiaagen, rua di Tra-
piclie-uovo n. 16, nico aicenle no norte do Brasil,
de Branderiburs frres, Bor<'eanx, encontra se ef-
feciua nente deposito dos artigos seguintes:
St. Jhplieo.
St. Pirrre
La rose.
Cbalean Lnville.
Chatean Mrgaos.
Gratad vin Chateau Lafltte 1858.
Chal-au Lalilte.
Hiut Sal-mes.
Chotean Sanjeroes.
Bsd>ateau Lataur Blanche.
Chatean Yquem.
Cognac em tres qualidades.
Azette doce. Precos de Bordeaux.
\m
[ 0 Dr. Cosme de S Pereira conti-
[ na a residir na rua da Cruz n. 53, m
i e 2o andar, onde pode ser procu- i
i rado para o exercicio de sua profis- !
i sao medica, e com especialidade B
i sobre y seguinte
i" molestias de olhos;
2o de peito:
3 dos orgSos geni- m
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-1
rao examinados na orden* de shas Bal
entradas comecando o trabalho pe- |
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das |
i) as 40 da manhaa, menos nos do- j
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
c5o que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
I Samue! Power Jiilinstoii k Companhia
Ruada vnzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fandlco de i.ow iioor.
Machinas a vapor de 4 e 6j cava I los.
t Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e tjalido para enge-
nho,
_____ l
Arreios d carro para om le dous cavallos.
Relogios de ouro patente ipglez.
Arados americanos.
Ma hias para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
JoFio da
B& pela universidale de coimbra, d
ffi consolas em sua casa das 9 as fl
'M M horas da m^nhla, e das 4 as 0 H
H da larde. Vistt os doentes em suas
l casas regularmente as horas pata -i*
|^ isso designadas, salvo us casos nr- |
gentes, que ser5o soccorridos em Hj
qualquer occasi3o. D consultas aos H
pobres que o procurarem no los- M
pital Pedro II, aonde encontrado ]
diariamente das G s 8 horas da g|
m iilia,
Tem sua casa de sade regular-
mente miniada para receberqual-
quer doente, aitida mesmo os alie-
>-; nados, para o que Irm commodos
II aproi nados e nella pratica qualquer
;4 opperaco cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe. .35000 diarios.
Segunda dita... 3500
Terceira cita .2(i00
Esle esrahe'ecimento j bem
m acreditado pelos bous servicos que 5^
,? tein prestado. M
*)\f 0_ proprietario espera que elle -1-
f"A; continu a merecer a conhanca de B
que sempre tem gozado.
Casaem OMnda
Aluga se um sobrado ha ponen reedificado na
roa do Amparo da cidade de Omia : a tratar na
loja do sobrado junto, com o Sr. Goilherme Jos
dos Santos, ou DO Becife. loja n. 45 da rua da Ca-
deia Velha.
D. Senhoririha Germana do Espirito Santo
alOBS por preco eommodo, e durante o lempo da
festa. o seu sitio na estrada d ll.b-rihe : a tratar
na na do Sol. sobrado novo em que morou o le-
nente-coronel Sebastian Lopes.
ev&'-o.- .-;*...- ~... -. CAm v
:
S;TiS.
Uj
*-
-
m
i
Ht
I

&

i,
Aviso.
Preclsa-se de urna ama par; o servigo Interno
de urna casa de pouca familia
do Corpo Sanio n. 17.
a tratar na pra;a
Caixeirol
' Precisase de ura'menino brsifileiro para eaixei-
ro de taberna, sendo que d fiador a sua conduc-
ta, appare;a na rua da Senzalauova o. 39.
Clara Mara da Conceic/i i Silva, parteira exn-
minada, mudoii sedo pateo di- S. Pedro n. 8 para
a ma de Hortas, sobrado n. 130.
~"BofCA~E DROGARA
DE
K. r. de Ht liza dk C.
Kua larga do osario n. .i i
Remedios de Raduvay
Prompto alivio.
Pillas reguladoras.
RrZI lUlVO.
Remedios de Kemp
Anacahuila.
isa de Brislol.
ulas assucaradas.
Agua fl.-irda.
Paslilhas vermifogas vegetaes.
Chegados pelo ultimo navio vindo da amerca.
CORBEIi)
Os Srs. Ant nio Sabin do Monte e Manoel Fer
naudes de Ara|o Jorge qiieirm dirigir se a re-
partlyao do correio afim de receber carta recom-
mendada.
Precisa-se fallar com o Sr. Lnix de souza
Bandeira que morou na rua Augusta n. 88, no pri-
meiro andar da rasa da rua Nova o. 59.
Precisa-se de urna engommadeira :
na rua do Imperador n. 17, segnndo and Manual rfo fAmo
Vende-se o Manual do Cid. liio em um
Governo Representativo ou principios de
Direito Puiilico Constitucional Adminisira-
i o e das lenles, por Sdvastrc Pinheiro
Ferrera, em 3 volumes broxura.los por 3-5
Cada obra : na livraria n. 8 da praca da
Independtncia.
ittaRATA
Ka loja de .loaquii de Faiia ImMK
rtii in i .eiiiiadon. 4o.
Xe.-le acreditarlo e.-l^belecimenlo encoalraro
os compradores um coirql-to sorlimenio de fazen-
das baratas, bem c >rno roupas fe'as e por medi a ronlade dos fregoatea, para o ashj ha boas rase-
1 miras, brins, ele.
Entre as multa qualidades de fazendas ha as
seguintes :
Madapolao fraocez muilo encorpado e largo para
saia, vara 440.
Saias bordadas com 4 pannos a 4500.
Ditas bordada moito linas com .5 paasm a 9.
Baldes de arcos, modernos a H, i:>oo e3*V
Hitos de morwHaa para meninas guarnecidos do
biru a 3*V
lii.iii.-.'iii' 2\5uO a vara.
I.encoes de bramante de Imho alvo nm s panno
a '-3.
Ditos de panno de Imho a .
Cobrrtas Oe chita fiaueeza -uperior a 2500.
Guard^napos de Iiuho adainascadiis, duna 34500.
Lencos de cambraia branca para algibeira, dozia
1-5600 e fiOOO.
Diti s de dita de linho, duzia .'>.
Algoio entelado com 9 palmes de largo, rara
JWfi.
CaniOrala para forro, mono larga, p. ca ifHOO.
Dita mullo lina, peea %, |SW e 5.
Dita ad-n a-cada para lortiuados, p^ca de 20 ra-
ras II-*.
Cortes de l.iazinhas, padroes no vos com 15 corados
a 44500.
Ditos de dita com barra, modrate, a 74.
Cainbraa orgaodys, mullo fiua, rara 601) rs.
Tarlatana verde, i r de rosa, azul e branca, rara
800 rs.
Grosdenaples preto muilo superior, corado 14600
e 24000.
Chales de renda trelos de bonitos goslos a] 104.
Rotondas de renda preta, da ulmiu mola a 124.
Cortes de ran.di .ii.i luanes e de cor cosa Bores
bordadas e in..derna*, a '4000.
Percalles iluIo lijas, de lindus deieoaos corado a
560.
Grvalas de cores e pretal a 500, 6t0 e 800 r.
Manteletes de gres preos e afeitados Je cor a 124,
Rom e ham (o
Manteiga iugleza fl r a 14 a libra, raneeia a
840, arroz du lUranBaO 100 rs., pam^ a l>,
amendoas a lio, c.f do R i lm a 240, tete da
Klgueira a 400 rs. a garrafa, e 34 a ramda. Las-
boa a 3> a garrafa, e 24K00 a cenada, azmi- dice
a 600 rs. a nrrala, rinacre > L'-boa a 109 rs. a
garrafa, e l5">o:| a can ol, queijis do nl'iino vaj.ir
a 2#300 : na ru. das Croa* n. 54, es-iaisja da
lravessa d > Ouvidor.
Farell) novo a g
a sacca de 92 libras lem muia gomasa, dase ba-
rato por ler porcio': s no armazem da estrella
largo do Paraizo o. 14.


ai. rio de iraatabuco Sabbado 5 dz \0vtu1br4 de 4 0 9
I
PILULAS
VEETAE9
DO
de o da Escossia e
brancas e
i Ondos objeeiog.
I Vindos taoibem para a ant ga loja de
rw IIVC miudezas ra do Queimado n. 16.
UK. A I til. I Sn^atinhos desetii branco bordados pa-
N3o ha necessidade mais em ra baptisados. >
ral em todos os paizes do que a Ou""s de merino tambem bordados e
de um purgante que seja ao igualmente bonitos.
mesmo lempo innocente, efficaz Meias de seda, correspondente no tama-
e digno de toda a confianca. ,nh<> dos sapatinhos.
As pilulas que ora offerece- Outras mu finas
mos ao publico preencliem estas brancas listradas.
condicoes; pois pdem ser to-! Luvas finas de bo da Escossia
madas pelas pessoas mais fracas de cores,
sem perico algum, nao tendo em ,D,tas <* fcda para senhoras.
Ligas de dita para senhoras e meninas.
Pentes de tartaruga mui fortes para des-
embarazar.
Carriteis com retroz preto e outras cores.
Carteiras com apuluas.
Aguihas francezas, as afamadas.
Caixinhas com allinetes brancos e pretos.
Haspas de baleia para vestidos!
Fitas de linho proprias para ditos.
Caixas com linhas de novellos grandes
para crochets.
Trancellim de bonacha preto, redondo.
Bonitas Qvelias grandes de ac,
douradas, madreperola e lar-
Grande loja e armazem do
Pav^o.
sua composicao mercurio nem
outro ingrediente nocivo sau-
de, mas sendo composto de a-
gentes vegetaes mui fortes, sao bastante
eficientes e activas para purificar os corpos
mais robustos.
Estas pilulas exploram e purificam toda
a extensao do canal alimenticio, e dao vigor
a todas as parles do organismo, corrigindo
sua aceito viciada e fazendo recuperar sua
vitalidade. I
Um remedio inestimavel contra dr de
cabera nervosa, enxaqueca, priso do ven-

AGUA BKAM A
Ra do Queirado d. 8.
Ra da luiperairiz d. 60. de Gama & Silva.
Tendo o pmprielarios d'esle estabelecimento de
liquidaren! un grande porgo de mas lazendas,
al ao lini do correle auno, aim de feeharem < oti-
las e apurar diuheiro, resolveram vender lodas as
fazendas com grande abalimento em pregos, tanto mente novos.
em porgo como a relalho, e por isso prevuem a | Di tus ditos Je grade com con
lodos os seus fregones, e ao respeitavel publico, e Lindas Ovelas grandes para c
as pessoas que negoriam em pequea escalla com [ agradaveis e diversas qualid.'
fa/.i mas, que nesie esiabeU cimento encontrarao tartaruga, ac e douradas.
um grande soriimenio que mullo Ihes bao de agr-; Boas e bonitas rilas acharnaloi
dar lano tm presos como em qunlidade : assira j Dites de dila de grosdenap'es
romo maudam polos seus calxeiros levar as az.n- com novos e agrsdaveis desenlns.
das e amostras as casas das familias que nao po- Trancas pretas de seda com' vidrllbos moldes
derem vr a luja, ou do as amostras deixando fi- novos e de gosto.
car penhor. Bicos brancas e pretos de sedal com vjdrilhos e
Cauuraias lisas a 301)0'. Ja leja do dei**2ST '^"T tl0D,il0S^se^0?- ,
n tascarrtlha-.de seda com diversas cores e lar-
la>ao. guras, formas inteiramente novas a imilago de
Veodem-se pegas de cambraia lisa branca ei palo, babadioho eoulra com urna transiuha no
transparentes, leudo oito e mela vara cada pega, I centro o que Ibes da muila gragja.
pelo barato prego de 35500, ditas muito linas, porI Outras estret-as e largas guarnecidas de bico
A loja da aguia branca acalla de receber um
novo b grande sorlimenlo d diOerentcs objectos
de gosto e ultima moda, sendo
Bonitos enfeites para senlioias goslos inteira-
as grandes,
nlos com moldes
pVs, madreperola,
das para ditas,
las e lavradas
tre, hemorrhoidas, molestias do figadot fe- taruga
bre gastro-liepatica, e todas as otemos,] A loja de miudezas ra do Queimado
biliosas que teem sua origem no entorpec- n. i ti, recebeu um bonito sortimento.de
ment do figado que causa a escassez da flvellas grandes para cintos, sendo de ac,
bilis na inflammaco d'este orgao que pro- douradas, madreperola e tartaruga, as quaes
duz derramamento da bilis no estomago ou^sto sendo vendidas em dila loja por pre-
em um desarranjo geral dos orgaos diges- eos commodos ; assim como boas e bonitas
tivos. i fitas de gorgorao achamalotado, proprias pa-
A Ictericia Ira ditas fhellas.
produzida pela absorpeo da bilis no Oculos de pendra e de ontras
sangue, dando pelle e aos olhos urna cor qualidades, para quena soffre
amarellenta ; nao smenle dolorosa por
si, pormeonduz aos mais serios soffrimen-
tos.
Para cura-la toma-se de 1 5 pilulas lo-
das as manhas, isto bastante para mover-
o ventre smenle at que se recupere a ac-
eito saa do systema.
Mal do figado, obre gastro-hepatica,
dianhen biliosa, itidigesto, a nevralgia
oh tic dnulcureux, sao todas molestias que
tem seu comeco n'um desarranjo da bilis.
A observaco dos ductos da bilis faz esta
vol er ao sangue, com que circula dtpois
vem todo o corpo e causa estragos desas-j
trosos saude e produz urna serie innu-
meravel 'le males.
Todos estes incommodos sao curados com
as pilulas do Dr. Ayer.
Direccoes minuciosas acompanham cada
f rasco.
Vende-se em Pernarabuco:
na
da vista.
A' loja de miudezas ra do Queimado
n. I t, tambem recebeu oculos de penetra
com vidros claros e escuros, para qnem sof-
fre da vista, assim como outros de armaco
de ac, sonidos em graos.
Coroas e tercos de corualio%
A antiga loja de miudezas a' ra oor
Queimado n. 10, recebeu mui bonitas co-i
roas e tercos decjrnalina, os quaes eftiio
a disposicau dos bons christos que os qui-
zerem comprar em dita loja : na ra do
Queimado n. tt.
Esponjas Anas grandes e pe-
queas.
Vende-se na ra do Queimado, loja de
45500, 55, 65 at 105, sendo tapadas e transpa
rentes, assim como corles de cambraia com salp-
cos a 25500 : ino >6 na loja e armazem do Pavao,
Da ra da Imperatnz n. 60 de Gama & Silva.
As camisiuhas do Pavo.
Mendem-se as mais modernas camisinhas borda-
das com manguitos, para senhoras, sendo as mais
modernas que tem vindo ao mercado a 4500, di-
las com manguitos, para acabar, a ii ; ditas pre-
las com manguitos para luto a 15800 rs., mangui-
tos e golinhas pr. tas a \>, finissimas golinha de
cambraia branca bordada a 500 rs., calciohas para
menina a 640 rs., romeiras de fil e cambraia
branca bordada a i600 : na loja do Pavao, ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chales de uterino a 2000.
Vendem-se os mais modernos chales de merino
estampados a 2000cada um, ha vendo tambem um
grande sorbmeolo dos mesmos matizados que se
vendem a 65. 7i e 8,^000 : na loja e armazem do
Pavo, ra da Imperatnz n. 60, de Gama & Silva.
Os ciatos do Pavo.
Vendem-se riquissimos siutos de filas de diver-
sas cores e dourados com (vela larga e doorada,
assim como eofeiles para cabera dos melhores e
mais modernos que tem vindo ao mercado todo
para enfeites de f
de >eda obra de muito g..sto.
Outras de, camnraia de cores.
Botes de seda, velludo e ac
vestidos.
Trangas de seda eslreilas e largas brancas e de
cores para enfeites de vestidos. \
flores finas
CAPELLAS PARA MENINAS E NOIVaS.
A aguia branca a roa do Queimado u. -8, rece-
beu para vender :
Delicadas capellas brancas para noivas.
Ditas ditas para meninas.
Ditas ditas de caixos de flor de laranja.
Dias ditas de rosas camelias e outras.
Ditas ditas ou ramos de trigo.1
Diversos ramos de flores finas para peito
vestidos, enfeites de chapeos etc., ele.
O galbi cania e
quemando t
Bom e baralissimo.
Ra do Crespo n. '
Collares.
NOVA LOJA
ENCICLOPDICA
52 Ruada Imperatriz at mrticns
da porta larga Z.
Junto a padaria fradecza de
Paredes Porto.
Nesle fMaliel.i-,ii..-ut.) eiuonlrira o repeilav, I
publico um ariado s.rlimento t-, laten 11 U mr-
:as, Ingleas, susms e allei...'<--, j. [*>
por prego cemmod".
ratein Porie
Vende chales de mr.i'.a de rnr.s qne se vr.de
! ram a 18o j zeBda nova, 5, j, 8a 205, mu H'WnTiWu MB-
plrlo de mantelcle, rapas c HKMMlbM p t li". fe
offt't 5,S" Kua "olll, eea, armazem da porta l.ig i.
Parrdrs l'crto
Receta um completo wninurta U ImMm a
i40. e 280 rs. covado-, tanacaku !
cor a 240 rs. o covaoV, riscailo e.( ? \. ? v ri-
la de menino, fu>tu de iu.hu a ISD, v ;; BU n.
I'.ua i!a Imperatriz n. ii jtiiili a padaria bttWto,
Collares anodinos el-ctro magnticas Rofer para rmazem da ptrla larga.
as criangas nao morren tu de coDTUIsdes pelo ba- i Paredes Pcrlo
de
rato pnru de4.
Novidades.
Riquissimas pnleira-i,u brcelfctes ra senhi-
ra e para meninas a 15. i; e 'J5, assi ni orno lin-
das voltas para peseugu a .'!5.
Enfeites.
Riquissimos enlejes para cabega cousa de mui-
to g .sio a 1300, tfi, 3. 45, 35, 05 e 75.
Fivelas.
Riqoisslmaa Hveiss de madieper da e de tarta-
ruga, arsim como [netas.
Cruzes.
Riqu nimas cruzes douradas porm o melhcr
Preparas para fiares.
Na ra do Queimado n. 8, loja da aguia bran- gosto que se pode desejar.
ca vende-se : Cascarrilhas.
Papel de cores para rosas. Bonitas easearrilhas com biqaiohos de seda e
Dito verde para folhas. aljfar cousa inteiramene nova para enfeites de
Dito dito e pardo para cubrir os talos das ditas, vestidos.
Musgo em rama. HinoculoS.
1 rosa5- Bonito sorlimenlo de binculos rom superii res
sto se vende por nm prego razoavel que maWo'.AqulhaS e UnJiaS para Crochet, vidros para os amantes do llvatro.
bes bao de agradar ; .sto s na loja e armazem yendem-se na roa do QueVmado n. 8 loja da Assim amo uns pequini
do pavao na ra da Imperatriz n. 60 de Gama & ia branca assim comoUagulha, para tranalhar
As loalhas de linbo do Pavao. I Sg era !Sa '
Vendem-se superiores toa.has de buho das me-, p^ ^ SOOreceUente para os

HARMACIE FRANCAISE
DEP.MAURER&C'f
RA NOVA NEI
I
r^$
T>-Ei
MURRAY & LAMAN
A
agua florida
de Murray A Lanman
ciliada wmo um artigo de perfume, no
tutu podido ser igualada petes preparages
as mais custoses : conserva seu aroma, co-
mo se formaste 'arle da prenda a que ella
se applica.
Sua effieacia tio delicada, como elegan-
tes sao seus multiplicados usos, qur seja
empregada como arligo le toucador, qur
no uso do banlio, ou romo suavisador da
pelle, depois que re tejilia feito a barba;
j para limpar as gengivas ou aromatisar o
balito.
L'- soavidade, brillio e elasticidade as
complcigei, depois dse baver lavado; al-
livia a irritaco de erupgoes ordinarias ; faz
de.sapparecer o oesagradavel aspecto dos
pannos, das sardas, do rosto, rugas e toda a
casta de i buligoes, e d vigor e frescura a
parte onde quer que se applique. Sua efB-
ciencia e elegancia sao igualmente infalli-
veis nos casos em que seja preciso applica-
la como estimulante e antisptico, nos con-
cuisos e assemblas numerosas, as loca-
lidades infeccionadas, na alcova de um en-
fermo, assim como um antidoto excellen-
te para os desmaios causados por cansaco
ou sullocacao. Preparada tnicamente por
Lanman A Kemp, Nova York, e a venda por
Caors & Barbosa.
Joo da C. Bravo & C.
beposito geral em Hernsmtim c rna d;
Cruz a.t'i em casa de Caros & Rarhoza
308 o milneiro
a 265000.
Vende-se urna negrnha de idade de
nos : a tratar na ra da Imperatriz n. 20,
miudezas n. 16.
l>iversos otjeetos.
A antiga loja de miudezas ra do Quei-
mado n. 10, acaba de receber muitos e di-
versos objectos que fazem completar o seu
bello sortimeoto, sendo:
F las finas de sarja da mais estreita que
ha at a mais larga, todas de vivas e agrada-
reis core.
dem tambem de sarja Lvrada, de bonitos
e novos desenhos
dem idem brancas, lisas e lavradas, pa-
drees igualmente novos e bonitos.
dem de gorgoreo de seda acbamalolada,
e muitu encorpadas, para cinto de bvellas |
grandes.
dem de seda preta e de outras coi es pa-
ra debruar vestidos, colleles, palitos, etc.
dem de laa igualmente sorlidas em cores
e para os mesmos ins.
dem de algodSo brancas e diversas ou-
tras cores para vestidos de chita.
dem de borracha raneas e pretas para
soutemharques vestidos preto?, ele.
Novas e lindas guarnieres para enfeilar
soutembarques, vestidos pretos, manteletes,
ele, obras do muito gosto e modernsima.
Tranca ele seda com vidrilhos, moldes no-
vos e mui bonitos.
Mem idem de cores tambem de bonitos
moldes e agradaveis cores.
Botoes para os mesmos ins, sendo pre-
tos de seda maiores e menores, enlejiados
com vidrilhos e pendentes e outros de di-
versas cores.
dem pretos de velludo tambem desorii-l
dos tamanhos.
Lonets de dmis vidros com aro ic aro, bu falo
e tartaruga.
A loja de miudezas, ra do Queimado
n. 10, recebeu um bello sorlimenlo de lo*
netos e oculos de vidros com armacSo fina de
ago, bfalo e tartaruga, e os est vendendo
jjor precos razoaveis: os pret ndentes diri-
|am-se a esta leja na ra do Queimado n. 10.
Rival sem segundo
Rna do Queimtido ns. 49 e 55, loja de
miudezas niaiitlo ludo Iioid ebant, quero qui-
zer vere adnirar vealian loj d
Bigoitinho.
Caizas de papel amizade, e sem ella liso e pautado
a 600 rs.
Grozas de bo'.oes de louca praleados fazenda mo-
derna a 160 rs.
Duzias de peana de ac fazenda boa a 40 rs.
Pecas de tranca de laa lisas e de lodas cores a
40 rs.
Escovas flnissimas para limpar dentes a 240 e
320 rs.
Pegas de fita de cs eslreitas com 10 varas a
320 rs.
Caixas com clcheles francezes, superiores quali-
dad.-s a 20 rs.
Tinteiros e barro, com superior tinta a 100 rs.
A fJTT iii% j ^%O 1(t''s de C0T* l,ara W'dos> fazenda boa a
Vende-se Das ohrias de Jos Cameiroda Conha' Baralhos muito finos para voltarete a 200 e
em frente ao hospital I'eJro II, e na na dos Pra-1 jju rs
ares n. 38, teiha superhr de barro de agua doce a ijas'eom superior hanha a 200 rs.
alvcoana batida a 30J, e ladnlho Frascos de macag perula muito uno a 200 rs.
Frascos e garrafinhas com agua de Colonia a
10 an 400 rs.
i Fra-i-os grandes com superior agua de Colonia a
-y, --. ----------i 640 rs.
eleirOS e COrreCirOS Caizas com 12 frascos de cheiros muito finos a
PECHINCH I iSOO.
Sola de lastre em perfeiio estado, Sa"?ne,es Pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
Ihores que tem viudo ao mercado pelo baralissimo
prego de 9,5000a duzia, ou 800 rs. cada urna, na
loja e armazem do Pavo, na ra da Imperatriz n.
60, de Gama i\ Silva.
As saias do Pavo.
Vendem-se as mais finas snias bordadas asagu-
Iha brancas sendo da melhor fazendi que tem vin-
do neste genero, tendo mui a roda, pelo baralissi-
mo prego de fOJMHX); ditas bordadas a croch a
6,5'00 e 82000, diascom babadinhos a 9,5000, na
loja e armazem do Pavo, na ra da Imperatriz o.
60, de Gama & Silva.
Novos vestidos do Pavo a 10-Sl'OO.
Chegaram para loja do Pavao os mais ricos cor-
tes de vestidos de cambraia transparente com os
mais delirados bordados de differentes cores a pon-
to de Sgoiha, >emlo n'este genero a maior novida-!
de que tem vindo ao mercado, garanlindo-se o le-
rem muita fazenda e enlejes indicenles para o
corpo e maogas, e vendem-se pelo barato prego de |
I00i 0 cada um, na loja do Pavao, na ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
lis es|iartilhos do Pavo.
Vendem-se un grande e variado sortimtnto de
esparlilhos os mais bemfeilos que tt m vindo ao
pequirunns
que serve para enfeile de reLgio mais com encl-
lenle vidro.
Seslinhas.
Riquissimas cestinhas rom prepares para me-
ninas de esrola trazer m> braco, asjim como de
vidro enfeitadas proprias para mimo.
Pentes.
Ripaissimos pentes de borracha com aro bran-
co de metal para menina segurar o cabello pelo
pouco o papel que vem em ditas caixinhas, e para| barato prego de 800 rs., e dozia '$, ;:>-im como
remediar essa falta a aguia branca maudou vir e grande sorlimenlo de tudas as qoalidades para de-
acaba de receber esse especial papel, mal so sembaracar.
phosphoros hygienievs ou de
xeguranca.
A vista do grande tamanho das caixinhas dos
phosphoros hygienicos on de seguranga, toroava-se
dar de sobrecellente a quem comprar de laes
phosphoros e se vender indistinctamente a qnem
delle precisar. O prego de cada caixinha de pbos-
phoro continua a ser l'JO rs., e veodem-se na rna
do Queimado e. 8, loja da aguia branca.
Seda froucha para bordar.
Vende-se na ra do Queimado loja da aguia
branca n. 8.
Obras de crystal.
Bnncos.de diversos molde?.
Outros tambem de crystal de cores.
Outros de aljofares brancos e outras cores.
Adereces de crystal obra de gosto.
Rosetas de dito e cruzes.
Escovas.
Grande sortimento de escovas w-ra reopa e pa-
ra cabello, paraunhas e para denles.
Lmelas e ocu'os,
Finlssimos lelos de. um e dous excellenles vi-
dros e aro de bfalo e de tartaruga, assim coreo
oculos com rame dos lados proprio tara quem
sollie dos oculos.
Touqoiubas.
Riquissimas louquinhas de M de tinto, de se-
da e de la para crianca?.
Para o cabello.
A superior agua jiara sllingir os cabellos, as
barbas brancas c fazer ronserta-los, os Irascos
pa
Dito de dito tambem brancos e de cores para
mercads, sendo do todos os tamanhos pelo liaratls-
simo prego de 'i. 5.3, e 6000, por haver grande punhos.
sorlimenlo, na loja do Pavo, na ra da imperatriz Voltas de dito e outras qualidades.
jama & Silva. Leque.s de di< ersas qualidades
Vend rn-se na ra do Queimado n. 8, loja da
Kclonias prelas a 1 2000,
Na loja do pavao.
Chegaram pelo ultimo vapor as mais ricas ro-
tondas de renda pretas, sendo das n ab cr-mpridas
que tem vindo ao mercado, e vendem se por prer
muito em nonta : na loj e armazem do Pavao, u..
ila Imperatriz n. Oo, de Gama & Silva.
(itcs de casimira, p.chincha,
A 2800, na loja do pavo.
Vendem-se bonitos coitos de casimira de. core?,!
tendo claras e escuras, e vi-m tem se pelo barlis*
simo prego d- 25800 o corte, oq vndese a mes-
ma fazenda a t6(i0 o covado, tendo 6 palmos de
Botoes de dito, branco? e de cores para collete.! M9nPaBh "' rotulo pe ensina a forma como
se deve applicar.
Para caspa.
Superior nanita sem gordura ccr. um (rasco
com agua propria para limpar a cabeca, us irasco*
acompanha um folheto que ensina o mtdo con o
se deve applirar, assim como agua balsavica,
opiata e poz para limpar dente?.
BanbaS.
agu : i ;.ca.
.lapas )"ortos para bal>
.ondem-se na ra do Queimado loja da aguia
.ranea n. 8.
Carreteis com retroz.
Na ra no Queimado n.8, loja da aguia branca.
Cromacoine pora Ungir ca
bellos.
A aguia branca avisa aos cousiantes freguezes
dessa excedente tintura, que ella acaba de rece-
Brande sortimento do banhas em ropos, (m !a-
F! re Seo para rotunadve para ram* '< t >
j il a pega cambraia lisa Im a :t.', i- ',fi a
! peca, corle de Mrlalana de b- nlli ( .- .. .' I (i
I t >, cambraia rom flor de .-!.. ^l -: >i
j xen:- i.ovi.N ;i 100 e 500 rs. o ravaO.! i MM
da | orla larga n. 2, ma da itDferajril (MM :> i
naria franceza.
Paredes Pgo
Recebeu reloiiliiiro [ a>ci te iini .-i rt.BtaaNa de
rozes i-i ni pedrea para npsrnf. *. r. ; rutoeti
Je l.'a (ara pe.'rugi. de arttBM*. Ra la !o[ luira
n. 52, armazim da pona larga.
Piradas Porto
\*t ndc crie- de gragrin preto para ve.'lidofras
21 ci-vadus cada um 35(>0o, t!iii-oenat!' ftetBM
IJttOO, I|fl00 e > o estado, las lizas fina? i IM
rs. o cuv.ujr, lias de quadrinhoparn vest lo, m --
ada, a 320 rs. o covado. Ra da Irtpetai.'i' :; '*.
ai inaze..:"da pulla larga.
Paredes Porte
Tem tara vender por prego t estniio de linho rota 10 varas a 7, >'j, i M de
linho rara lencAesa 640 e 700 r-'. ;i ia i. bram-
te de linho de 4 larguras a 200 i 'i&'-AM j vatx
Paredes Perl
Vende cortes de cambraia bordada) fortN
gottr-s a 105 e 123, rn-ts veslnartas para r. -.:o>
a menino, ricos rites de cambraia Harli Pl
105 e 20. larlalaoa branca e de ro a t iu i h rs. a vara. Roa ta Imptrairiz armazem da i ila
larga n. 32.
f*im. -i fe i!:
Roa da Imperatriz n. 52 armaz-m d rarta lar-
ga junto a pa>!aria Iranfeza, enr otra tt n : ;--
tabelerimelo um coinpliio sorttaaeMn :-,
sacres e sunreeacarus, de ledas a- ;.;!. -
gas, colleles, erruula, raatku, pravaia*, ...
chapi de sol, ditos IraBdrtta paran
preces rommcdo, roopa paia mrwtmo '
muitas lazendas por precos cesmoos, amatan
da porla iarpa.
Ko mesmoe-labeiccimenlo rcconirai. s*
tavti poMieo, sea>pr nm cosapli to rtm i
1 rru;'.s felai de lodas ^t qoalWadr*, i
pal.tos de alpaca prets ede c6r,dit < I raso
cu- :\ 4j e '-. dilos de |.r>ni parJo < 3j
3i5( 0, diios finos a 4, ditos meiai ,:.i.\ .i a
: )'.''. '-!; e 55. dilos ci.'tmira s re.- a 03, 3
e 105, ditos sobreci sa a 10 e IS| II
no fien a (!$. 85 K'-'-. dMes robn "
e 2."'?., dio t de merino i reto a 65. "-' e \f '
gas oe hnm dediverss nnalidad s a I" -.:
; Silos brancos a S^SOO H500, r.ito- rei ka "-5,
65 75, ditos pr, ti.- a .*'5, t;5, 8 e N 3.
mea. ca;.tn lias a i(5 < 45, Cleles i-
qoalidades, seroolas fiar.rezas de alp ..lio, d:t it
linho, ditas de bramante a 25 < ffSOO, raot
algodao de linbo Iranrtzasde SfdG (V f'ra
I d^ pechmchs neste peoero, grvala: it kdas aa
i qnalidadt- e brencas para rasan nm r-
ra^, drl s;ra I : ir<
tas de fulhae tm frases de todos os tamanhos por' Umenio de meias paras ni iras
precos menos do queem ootra garle, assim como a 35, superiores a 3300e 45.
minios ouiros objerios que n9o se po le mencionar Cin completo sorlimenlo de chap > '
por boje : s no gallo vigilante rea do Cuspo on- alpaca i 35, : los d .-> la a 55, 7J, I
mero 7. ditos Irateetcs para rabea, gran
Liquid; cao geral,
Loarengo Pereira Mendes Guimaraes, rus da Iir.-
..
largara : isto na loja e armazem do Pavao, ra da ber UBM nova remessade^romacome, coloricome
Imperatriz n 60, de Gama de Silva. e sabao branco, necesario para lavar os cabellos.
Os Cl'lCS d Ca>IUra do l*a\t0; ponanlo podem dingir-se a dita luja ua ra do
Vendem-se superiores rrtes de casimira, sendo Queimado n. 8.^
fazenda moilo lina, pelo baralissimo prego de 55 : brdoreS til' luVOS
cada um : na loja e armazem do Pavo, ra da vnH,m.co rn, ,, olh,a,lr. ,uja da aguia apr0vt,iar a occasiao,
Vendem-se na ra do I.ueimado
ditos fratcetes para rabea, y:
65.
ictliicita a p... I.
Granri'' sorlimenlo de rnambre.* 0
paratnz n". 56, loja e armazem da Arara, proprieta-! lenc s de cambraia para bomesa a*.
rio do giande armazem de lazendas e roopas feilas, i tos'e linlio a 'i5 i 55-
[tem resulvido fazer orna nova liqoidago de todas Giand'sjil-ny-nio opa para n
; as qualidades de fzendas que (Xi-:,;i! no si u ar- iras n>nit: ) i: ... B
; mazem, que vender irinta poreento menos do que eiona-las.
I em ootra parte, aflm de se aparar diuheiro e fe-
| cliar conlas, por isso pede ao respeitavel publico de
branca n. 8.
Lazinlias chiac/.as ilr quaili iuims *
Vende-se l3asior-as fiuas a 200 e 220 o covado,
dita com palmas a 320 "fio, cassas ma sror
: a 320 e 360 o rovado, ditas t\* palo,- ;. 280 320,
meio.
i -un Dlrclta45
^0 IfM ^ r-
u^uva uzla r Sahoneles pequeos
com cheiro a 700 rs.
I'IJLHA.
Vende se urna pilha elctrica
por commodo prego -, na ra de
Agua denliflce superior qualidadea 800 rs.
Caixas com superior p de arroz a 800 rs.
Frascos de superiores essencias santal e outros a
15200.
da ra do Arago n. 32, bem
tar na ra dos Coelhos n. 2]
\ov:i publicado.
Tabella do v-ncimenlo meosal o diario da cora-
panhia dos guardas da- alfandegas do imperio, se-
guida de taboas do calculo pelo; das d venda nn livr.iria univcTs*!, ra dj Imperador nu-
mero 5 i.
para galvanismo, _
Sania Rita o t5 rrasros com essencias para tirar noduas de roupa
a 500 rs.
- Vende-se a fabrica de charutos e cigarros prascos Pom fheiros de todos ospregos a 160,200
afregoezada : a Ira- 240 e 320.
______________ Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
Duzia de meias muito linas para senhora a
45800.
Gollinhas moito finas para senhora a 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo para meninos a
160 rs.
Pecas de fila de. la para debrum de vesiido, com
10 varas a 600 rs.
Ditas de hicos superiores, para acabar a 600 e
800 rs.
Pedras de lousa para mf nios a 160 rs.
Muecos de choro e panno a 160 rs.
Caixas com honrs eslampas para rap a 100 rs.
Capachos compridos, boa fazenda a 500 rs.
Grosas de boioes pequeos prelos para caiga a
100 rs.
varas de cordo de esparlilho a 20 rs.
Novellos francezes com 20 jardas a 40 rs.
Pegas de liras bordadas a 640.
Duzia? de meias croas muito fortes e superiores a
..;*5500.
Vende-se
a casa terrea n. 12, sila na ra do Calahougo : a
tratar na ra do Rangcl n. 58, 2* andar.
Vendem-se palin*iras impenaes, em estado
de serem iransplantadas : no sitio murado es-
querda, depois do becco do Espinheiro, nos Af-
flictos_______________
Vende-se orna eserava moga e com habili-
dades : no roa do Imperador n. 27.______________
Vende-se urna mutulla de amarello ja usada:
na roa estrella do Ro-irio o. 17, 2o andor.
Vende-se urna preta que cosinha, lava e en-
gomma a razii da venda se dir ao comprador :
no eaes do Ramos n. 32 casa das rotulas por
pialar.
Vende se um cylindro, urna masseira, orna
bitanga grande e urna dita peqnena, com todos os
pesos e mais ulencilios de padaria : a tratar n
roa Direila d. 24.
Imperatnz n. 60, de Gama & Silva.
Lanzinlias a 280 e :'.20 rs.
Vendem-se lanzinhas de quadnnhos a'lmitagao' "ri "UCjiCIS
das sedinhas de quadros pelo barato pr ,s. ocuvado;d,tas garihaldinas con osUs lip- la: .;..- a veno^ na ra oo Queimado loja ^ J-J ^^'rSadV mpera.riz o.K, Me^
dos padroes a 320 rs., pechineha : na luja do a aguia oratua n. o. ^ ^ Guimaraes
Pavao, ma da Imperatriz u. 60. de Gama & Silva. BuilS lo'.llitllia.s
S ClitOS dt) pHVO 9 1 j)ll. de fil de linho, cambraia e seliin todas mui bem
Vendem-se cintos de lila com (velas pelo bara- enlejiadas : veudem-se, na ra do Queimado n. 8,
lisiimo prego de 15000: na loja do Pavao, ra da loja da amna branea.
tinperairiz "n. 60, de Gama & Silva.
tli>lcs pelos de renda a 85OO, na
luja do pavao.
Chegaram para a loja do Pavo os mais ricos
chai' s de renda pretos, de 4 ponas e muito gran-

Faxendas de gosto
Vende-se as mais modernas hareges de la e se-
da, sendo fazonda de gosto pelo baralissimo prece-
de 560 o covado.
Saias bardadas
Vende-se saias borbadas pelo barato preco de
63500 e 75, liras bordadas a 15, entremet '800 e
15 cada tira.
Hicos coi les luancos bordados
Receben so bonitos cuites bordados e de cores,
Senliores e senhoras
Os propietarios da nova loja e armazem de fa-
de. v.-ndend-se pelo baratis-imo prrg.i de 85000 zendas e roupas Titas na ra da Imperadiz n. 72 ,
cada um para acabar: na luja d,. Pavo, ra da de Guimaraes & lrmo, araban) de rcduzir I O la e seda, que se vende a 8
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva. ^ pregos de suas fazendis menos 20 por cento do
Vesli illtiiattes ;< 3^!:, lia loja queemiutia qualqucr paite, afim de apurar di-
i nheiro, assim como seja lazinhas de quadnnhos
UO | A\ d. ; sen(i0 escuras a 200 e. 220, ditas mais finas a 360 e
Vendem-se os mais bonitos corles de vestidos 4C0 rs, ditas transparentes com lisias Je seda a
indianos, sendo esta fazenda transparente e inieira- 320 rs.
mente nova no mercado, e leudo entre elles mullos Fazendas proprias para a fesla.
corles rozos proprlos para senhoras que e>tao de Vendem.se as mais bonitas hareges de laa e se-
lulo; e vendem-se pelo baralissimo preco de J da sendo .scocezas as mais modernas que tem vin-
cada um para acabar : M foja do Pavao, ra da do ao mweao ,o b;iraIi.slni0 pn,C0H de m 0
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva. covad[lj eas?as friDfeias ae uma ,%r a 320 e
GRAMDE
corte.
Chales de ntera
A pechincha esta se acabildo, chales de merino
a 25.
Macadas eseacrua
Vende-se riscados escoeezes, a 240 e 260 o co-
vado : s o Arara.
eciiiii
chi
a 3O rs. na loja do Pavo.
Laaziiilias a 320
Lazinhas a 32o
Lazinlias a 320.
360 o covado, ditas com palmas soltas sendo miu-
das e graudas pelo baralissimo prego de. 280, 360
e 400 rs. o covado : isto na loja e armazem de ta-
zeodas na ra da Imperatriz n. 72, de Guimaraes
& Irmo.
Saias bordadas.
Vendem-se as mais bonitas saias bordadas sen-
do bastante largas e muito bem bordadas pelo ba-
ralissimo prego de 65500 e 7&
Vestidos de tarlataua muito fina sendo brancos
; com barras de cores bordadas de la e seda sendo
Percalas iiiifs
Vende-se percales muilo linas, sendo d?. muito
bom gosto, e tendo de bonitos desenos rom luirs
a palmas solas, sendo tazeoda inteiramente de pos-
to, se vende a 460 e 500 o covado, chitas escuras
e claras, a 200, 240, 280, 320 e 300 0 cavado, t.re-
tanha de. linho de duas Unturas, a 15 a vara, len-
cos de cambraia branco, a 25400,25 e 35 a duzia,
ditos de linho, a 440, SoO e 600 cada um : itVfldes
Guimaraes.
Cobertores de alijodo
Vende-se cobertores de algodio, a 800 e 15500
cada um, ditos escarales de la, a 55 : ra da Im-
peratriz n. 56.
Camisas francezas
Vende-se camisas francezas a 15600 e 15800,
pregas largas a 25, 5240 e '2530., fin?s a 25800
e 35, brim de linbo de cores, se vende a ijim) e
15 a vara, cortes de brim de cor, a 15280. 15400,
os mais modernos que ttm vindo ao mercado e
Vende-se um grande sorlimenlo das mais finas vendem-se pelo barato prego de 95, 95500 e 105-
e mais bonitas laziuhas matizadas com os mais Mantas de seda para lioiuem.
lindos desenhos, sendo fazenda que val cinco tus- Vendem-se as mais lindas mantas de seda para
loes, e vende-.-e pelo baralissimo prego de uma homem lendo de todas as cores peto .baralissimo 15600, 15800e 25, de brim pardo a 640, 700 e80
paiaca o covado por ser uma grande porglo desla prego de 15300, 15400 e 15500 : isto uj nova lo- rs. a vara,
linda fazenda : na loja do Pavo, na ra da Impe- ja de lazendas na ra da Imperatriz n. 72, de
ratriz n. 60, de Gama 4 Silva. Guimaraes & Irmo.
Vestidos a 4t> Celariuhes da linho para hornero.
Vendem-se corles de vestidos a Mara Pia e.im Vendem-se colannhos de linho para homem uma camisa 35 35500 finas a 65 e 75500, pali-
barras bordadas, pelo baralissimo prego de 45000 sendo os mais modernos e melhores que ha no tols de hnm a 5. 25500. 25800 e 35 de, rasemira
para acabar: na loja e armazem do Pavo, ra da mercado pelo baralissimo prego de 55500 e 65 a; 35500, 45. 55. 65, 7-j, 85, Nf.500 e 105, sohreca-
sacos a 125,145 e 16, pretos e de cores, caigas de
brim e de cores, a 15280, 15440. ISOTO, 15800,
25,25500 c 35; s Loureugo Pereira Mendes Gui-
maraes, ra dj imperatriz n. 56.
Arara n. lili. Memles Guimaraes.
PazcEEtfas.
\Vnde so soperi< r m rini' loproprii parara
pas de seoh rae vestido* a 25, ti m '
a J58OO u cuva I'. Ra da Imperalrn, pona .\*.
Paredes Porto.
Ve ; eslabelrcmealo; r 1 1 ali n
oordados, grande sortimento de c.-irni.us ii.-
aieote I- i'i.o is a 35, 45 c 55- "' u ..r-i !'-
to, roa da imperairii no 52; porta l*f*ga jooija
I laiia fianceza.
Paredes Porto
Recelen pe!" niumo paquete france? rii*- l.'a?
granadinas rcm ftires de sida a 4<0 e 500 n> a
covado, est> ccabando-se, rasBftraia preta frra
lulo. Porta larga junio a padaria tracera, a :t
da Imperatriz n. 52.
Paredes Porto
Vende um eomplelo sorUCBeBlo de tazenas
brancas, como sej.ira mada[olao a (500, '
IO9, pecas de algodao por barak preco, 1
reza a HA, 2). 320. 300 rs. o c< vad t, \
muito tinas a 360, 100 rs. o covado, rltla -.' o
aSOOeSiOrs. o covado. Roa i hoaoratru 1
52, junto a padaria traoceza.
Paredes Poito
Vende cangas de rr propria pata ronpa f me
nini-s a 320 rs. o covado, n;::a;io IraOCM loo a
320 r-, o covado. Mua da (niperalriz n. 52, jjetf 1
a padaria franceza, \>< ra larga.
Paredes Porto
R-cebeu pelo ullim paquete e>pariilhos a rr
guicos'i por 3j. sao boos, lengos de seda para -
nhora e homem a 1% ricos cortes de can.! 1 I
bordados de !S^ a 7?, po> ttr nm Inooe de R '
estao se acabando, na ra da imperatriz n. 52. un-
to a padaria fraocea.
ttuupas fritas
Grande sorlimenlo de roopas feilas, raigas de
brim branco a 25, de linho a 35200 e 35500 cada
Farinlia <'e mandioca,
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo & C, no seu escripiorio ra da Cruz n. i.
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva. dozia.
Lazinhas a 100 rs, Chales de merino eslampados a 2$.
Vendem-se superiores lazinhas transparentes Vendem se bonitos chales de merino estampa-
com bonitos padres, sendo lisa( e de quadros, pelo dos pelo baralissimo prego de 25, dilos lizos de
baralissimo prego de 160 rs. o covado, isto para (odas as cores a .'lt*>( o 49, ditos finos sendo es-
acabar : na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, lampados a 65500, 75, 755(0 e 85.
de Cama & Suva. Cambraias brancas.
llangiiitos e golas a SOO rs. Vendem-ce pegas de cambraias brancas a 35,
Vendem-se mangudos com golas de cambraia 35500, 45, 45500 e 55, ditas muito finas leudo
pelo baralissimo prego de 500 rs., i*to para li- urna vara de largura a 95 e 105 : islo s na nova Vende se orna cadeirinha do breos, nova
quidar : na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. loja de fazendas a ra da Imgeratriz n. 72 de com os compelenlu? correamos : na ra oo Impe-
60, de Gama j Silva. Guimaraes S Irmo. rador a 45, 3" andar.
Cortes de chita do Pavo lisearjaa rscoccezes. I 'a^^'t\~'~~lir* aT#^#a\
Vendem-se cortes de chita fraoceza muito boa Vendem-se os mais bonitos riscados esccete Jr*ll/Oi* P9 Li'^ A\>^F
com iOcovadcsa 2500. ditos com II covados a para vestidos de senhora e proprics para roupas Ven,im m wmrriure* mna d'aco hiende 1 ,n
25600, ditos com: ..*.*. a ,2*800, isto s do meninos a WO e SW, chnas fiaurezu esenru L ^2fl"d2, "Kalfl^ Tr- ---"
para acabar : na loja do i.\u>, ra da Imperatriz a claras a 2it tfA ?v. r>^n 320, ditas percales fn ff, "."Jrf'"n"'.?" '" V r
n. 6%de Gama & Silva. i multo finas a 360, 4to e4i .ovado: isto s na do Q** n- w. '"i* *J'[
Ayasalhos para cahcea de senhoras. oova loja e armazem de bzendas na ra da Im
Veodem-se superiores agasalhos para cabega de peratriz-n. 72, de Guimaraes & Irmo.
Camisas frascezos.
Vendem se camisas Ira acezas a 15500, 158OO,
25, 25500 e 35, dias com peito de cor a 2J> e
25500 : isto s na loja de Guimaraes A Irmo.
Luvas de Jouvd.
a toja de miudezas pa ra do Queima-
do ti. IG, resebeu-as por este ultimo vapor,
Nevidade.
Chegaram os bonitos chales e rotondas de guipo-
s na loja e armazem do Pavo, ra da Imperairiz re brancos, e vendem-se na ra da Imperatriz n.
n 60, de Gama & Silva. 52, loja da port? larga, de Paredes Porto.
senhora on cacinos, sendo fazenda mais moderna
que tem vindo neste genero ao mercado, pelo ba-
ralissimo prego de 35 cada um : ua loja e arma-
zem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Chales de reada a t0?, 12& 1S& 205 e 2o, na
loja do Pavo.
Vendem-se chales de renda prea muilOtAoos a
105 e 125, dilos de linho a i55, ditos dgseda de
linho dos melhores que ha em chales de renda a
20 e 255, ditos brancos de tres ponas a 6, isto
Em casa de Pbipps Brothers i C, ra do
Vrgario n. 2, vendem se cofres de ferro, prova de
fugo, dos afamados fabricantes Milu-r Son, de
Liverpool.
Vende-se um moialinho de 16 a 17 snnos,
proprio para pagem per ser muito bonito u de boa
coo'lucla : na ra do Imperador u. 45, terceiro
andar.
C, no seu escripiorio ra da Cruz n. i
Cera de carnauba.
Vende-se superior cera de carnauba por barato
prego ; na roa do vigario n. 26.
Cortes de chira r ni barras a' Imperatriz Euge-
nia, faxtmda superior, a 45 cada nm. mandan l 1
francs nimio enrurpado proprio para sai? e r*
misas irr;."'ii .1 |.i;.i, ou a 400 rs. a vara. o
ioglez rom 24 farda* a 45 a pega, razines ptx>
sabida de baile a 25500, algodaVzinh larg r, ~,
20 jardas a -iftOO a peca, bramante twkitaa da
linho para lenges a 25200 a vaia, i-hilas f' re
zas a 240 o covado. baldes de arcos superiores a
25500, cambraias lisas moilo finas com 8 J;2 va-
ras e em mais de uma vira de largara a 8-5 .1
pega : s ua ra do Queimado n. 17, ao p d;
botica.________^___________^____
(variado
Francoi barrica 55000
Portland idem 85500
Em perfeito estado:
Franrez barrica 105000
Portland idem 1250C0
No armazem doTasso Irmioa caes do Ap
GnA\4 m mm.
Vende-se iraixa em bexigas de superior qoa'i-
dade, largo da Assombla arrrszrm de assncar.
.4 6'OC
o jopo de pejras para moinhos: vende se ca rna
do Vigario n. 14.
Vende-se Om escravo cabra socoro,
ecozinheiro, barato : no callelo di Cooerte > n -
Ojelhos n. II. No mesmo collegio se alug.i um
grande sitio com multa fructi, la: ho, etc., na Ti
marineira.________________________________
Vende-se a casa lerrea sila na rn das P>-r-
nambucauas, na C ipnnga Nova, entre a ihcarr. n
as easas'da Sr. Barlholome.ii Lonrenco, lem tiorr
Colla da Baha superior
Tem para vender Antonio Luiz de Azevedo & j-immdltf para" pequea "familia l m e\
quintal com diversos arvoredos : a traur na ra
do Imperador n* 81.____________________
Na roa do Rangei a 9 vendem-se sacejs va-
sios que foram do farioba de trigo.
.-
II
nt\tc i \r


Diario de Pernamfouco -- ftabhado 23 tic JoTembro de s **
i

OS ffi I SEDA
N. 11Ra do ueimadoN. 11
A' casa de Augusto Porto chegaram pelo, vapor francez ricos cortes de
vestidos de seda decores dos mais| bellos gostos, proprios para bailes,
partidas ou casamentos.
Ulules de Guipure pretjos e traucos.
Boiiets de palna da Italia para senhoras.
Moir branco e pi eto. I
itonita seda para vestidos,
Casemiras de quadros. [
E -teiras da ludia para salas.
MadapoBes fraucezes a
litas para vestidos de
gostos diffreentes,
Q (jue tuJo se vende pelos mais
400 e 500 rs, a vara,
diversas qualidades, e
commodos procos.
CORTES DE SEIl.t
Crisparan) pelo paquete nglez riquissInKM cortes de raoreautique de cores, e seda lavrada pa-
dr5es iD!airameDte dovos.
Seda de quadros por 1$000 o covado
5-RA Dj CRESPO- 5
Gregorio Paes> do A ni;ral fc Conipanlila.
- ^ s re
Querva^
^ARTE i\MEI DA?
0^r^^
0
M CLIBE rtlMBMNO
Gregorio Paes do Amaral & Companhia.
Para vestidos de senhora.
Cortes de seda de cor de bom gosto e superior qualidade.
Lindas sedas de quadrfohos.
Bi>bs moireanliques de cores.
Grosdenaptos dj todas as cores.
Lindos poil d chevre fazenda assetinada de inteira n >vidade.
! ind n duquesas assetinadas fazenda nteiramente nova.
lernos greaadines de seda oque tem vindo de mais novo.
Grande variedade de laas de cores li.-as e de salpicos.
i r: lys e ca sas de omito bom go>ta.
IVrcalias modernas com grande variedade.
:. i.lns
orles de 13a Clotilde com todos os pertences cada um em seu car-
. i inl til mente novos. <3
B s ;') tes de ca-st co. birra tambmi nteiramente novos c outras murtas Je
.. fazendas e gosto que seria enf.idonho mencionar. $|
Para homf>r<>s de senh')-a %
Grande variedade dechados, boarnoox, retundes e algerienn.es de fd e de
guii..... a 10, IG, 20, 30, 40, (5o al 0$.
Mod rnos soatembarqnes de seda de superior qualidade.
L ud -. bertes de seda de cor pretos e de cachemira.
i de cambraia branca b ird da com mnito nos!-.
Saufembarques ebournoux de cacliimira de cor e outros muitos artigos de*s
; ..II 0510. Para enhena de senhora ft
Superiores chapenas depalha, de sedae de crina de muito bom gosto a im-^
p '> i ,-h.
Capeos depalba da Italia grande variedade. M
L-ndis rorros o bonete de palba de Italia, Imperalriz, Canotier, Clotilde '
d e r i. inte, ebegados de Parispeo ultimo vapor.
$: Grande variedade do enfeites de fcoco e de lores para casamento.
i

|i riorea vestidos de blon le, e de moireanqae brancos.
B >n n lireantiqnes brancos e s iperiores sodas brancas.
B-i -tilos drt tarlatana branco bordados.
Lindas mantas de Id mde e boas capillas.
Bordadas.
Gr 11 .i,"1, variedade de ntremelos bordados transparente c tapados.
T as bordada transparentes e tapadas, babados bordados, saias bordadas c
r
outros muitos arligos.
Ki

i
DE NTi'NI > fORREla lR VAS'. ONCELLOS & C.
RIJA 1>0 CRESPO A. 13
Loja da ho.i f na ra da
Imperatrk n. 74.
'i' m r'e lifcps enfeites para cabeca a 2300.
,i i is para a-ar a 'iO.
i. .i- c < 'napa Je metal branca a ."00.
> > lina* para denles a IfO, SU) e 500.
i ui .- iiM.-. pira'rostara a 300,8U0 e 13-
>.: i ni I < liua? para seuh ra a 'J'io e 400 o
par.
C ix.i ) -)0 nvelos de linha do giz a 700.
i": i\, un lOOeavalopes a 800.
i., x. (.'!) i.>|itl pactado a 700
U :-iu de papel almayo greve a 113200.
Tmu i>ia pra escrewr bii5) a liO.
p n. h garus e balanf) a 55500 p t>53'|0.
M;.- Toas para homein a 200 e 20 o [>ar.
A.lim >' ia Indo* os lamamos a tOl) a carta.
: i i Imho pee 50 8 l0.
.; iroau uara vesii-to a 30 rs. a peca.
').> imix nal pega 40 rs.
i;.na- i .mi 'ibreias multo boas a 40rs.
Baralh'J de carias finas a 240.
iJr 'a i- luilflo de lonca para -camisa a
Ditos df ui:iJrepfrola moito finos a 640.
,n a coi\ete muito boas a 40 rs.
! artsjn de rorxelM raulo bms a 00 rs.
(jrav.itas de >ela preta o de cores a 500.
I igo !' wi-pora a 800 b 500.
('.:?. > ii t: finas para rap a 15-
K i f ,1 ipli to sor.monto fendi : ; or menos do que em outra quajner par-
j j,r -. -. apurar dinheiro.
120.
LOJA DO BEUA FLOR
Na rea do Qucimado n. 63,
Xesta loja por lo los os vapores se recebe luvas de
pellica brancas e decores, tanto para hornera como
para senhora.
Vo tas, c uzes p. brincos.
Cnefrou no ultimo vapor um gran-le sortimento
de rollas e erozes, imitaado cornalinas brancas,
assim como brincos da m>-sma e de crystal do mais
apurado gosto que se pode desejar, foi s quem
recebeti : na loja do b^ja-fljr, ra do Queimado
n. 63.
Eiifcites para coque.
Assim camo reoebeo enfeit^s para coqne e en-
tras multas qnahdaJes, q le se vendem mu.', barato
do que em outra qualquer partf.
Buecas que ci;iihiu mami e papai.
Tendo recehido nm grande sortimento de bone-
cas que chamam papai e mamai e inovem com os
olhos, muito bem vestid-k, rom cabr'lleiras, o
que ple haver de gosp) neste genero, e vende se
mais barato do que em outra qualquer parte.
B>laius.
A^sim comonm bonito sortimento de balaios para
menina de escola, tamben] ha muito bons pentes
para desembarazar, guarnecidos de metal.
Acha-se
venda na hvraria acadmica, na ra do Impera-
dor ; na do rSr. Nogoeira, junto ao arco de Santo
Antonio : na lypographia imparcial, na ra es-
ir d-i '< ario a compilaco de loda a legislaca
ten l mu* a .dminislraqo, iirrecada:ao e Qscali-
sajo lo- dinb-iros de orphaos defontos e ansen-
tes, h. notas Jacentes, legados, etc., cootendo nac
o o regiment de cushs e a lei geral das eiecu
,. -, cu ii' tanifiem tudas as ordens e avisos de
governo, q a ludo tem explicado, tanto a respei-
lo da i :*:: ;o>> inherentes ao cargo dos dilTeren
te; -mi ig i lo* de jnstica e fazenda, enmo dos di
n;"- ti^.-i ,iae- e emolumentos que sao devidos
E1p !.v,., (Mfit.-ndo mais dn 700 paginas em nitida
i: .::;-}., n l,im papel, e prestando-se a utilidad-
rl dlffereni classes, torn-se recomraendave
Sed rosto o:ii s

Bichas de Hauburgo
todos os paquetes da Europa se recebe
destas amigas do ssngue humano e se
vendem a troco de punco lucro s afim
de wt sempre boDSI nova : a loja de bar-
be! ro ra estreita do Rosario n. 3, ao pe
*;?< da igreja.
o, du |'r ^
CHILES
(iianJe pechlneh.
No ra 11 l.nueratriz n. 52 noria Urjra de Pare-
d.'- i*, m i. vndese chales de merino estampados a
23 e SjSoO : finos 53, es'So se acabando.
Rord.-idoa.
l'.li -m'.i ,\ I. i de Paredes Por, roa da Impera-
triz i 'i-', um siriimento de eamizinhas, gollinhas,
Ciir;.ii! -. r-Mueir** e sintm, de camhraia branca.
Di lo baraln i pende 23500, 39.100 r 43, g''llmhas
(0 i -., r.nieos a 800 e smlos a 800 rs, grande
(j:i.,i;l.ii le ntremelos a G00 e 800 rs. a pega,
esl i .- ai iliAtidi\__________^^_^_^^_^^____
fNJECCAO BROW.
R-mniio infallivel as agnorrlieas antigs
er.-reni-s. muco ?deposito na plarma.-ia
fra CP7.-A, ra da Ornt n. 22 e aopreco de
3f50OO.
colares Rojer oh colares ano-
dinos
para facilitar a dentigao das crianzas e preserva-
las das eonvul.-Ses.
O Miz resaltado oblido immenas vezes pela
prodigiosa forija magntica dd< colares Royer.-nos
casos ile convulses, e denti^ao das crianzas, tem
altamente elevado o seu bem merecido prestigio,
e hoje ja se pode dizer que estao geralmente con-
ceimailos, e estimados de mnumeraveis pas de
familias : de uns porque do uso desses salntares
colares viran) salvos do perigo seus charos filhi-
nhos, e de outros porque colheram daqnelles tao
proficuo exemplo para ignalmenie preservar os
seus. As*im, pols, a aguia branca, lendo em vis-
tas a nilliilade e pruveit desMS prodigiosos cola-
res anodinos on R->yi*r, mandau vir o novo sorti-
metto que agora receben, e continuar a recbe-
los para que em lempo aigum a falla de-lles possa
ser funesta an< pas de familia, os quaes Acarno
ceil's de os adiar constantemente na ra do Qaei-
maao, I ja d'aguia branca n. 8.
Vinho do Porto superior em caixa de duzia,
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
1o \ C, no sen esenptorio roa da Cruz n. I.
Vendem-se duas esc.ravas recoltiidas, de Ida-
de 23 a 24 annt, excellente enndneta, engommam
perfeiiamente e fazem ludo o servio de urna casa :
na travessa do Carino n. I.______.
Veode-?e um sitio em Bemlca a' margena o
rio Capibaribe, com bastantes comrnodos para urna
grande familia : traa se na ra Nova n. 84, das 9
i Doras as 4 da tarde.
AO RESPEITAVEL PUBLICO
A tabella abaixo publicada serve dtf base de precos,
tanto deste armazem como do armazemj progressivo pa-
teo do Ormo n. 9, principal armazem ra do Impera-
n.
40.
Fazetn sciente ao respeitavel publico, e cora especialidades aos senhores de en-
genbos, lavradores e mais pessoas do con tro, que paramis fat}i I itar suas compras del i-
oeraram os propnetarios dos tres grandes rmaseos, reunir todo i os seus estabele-
tnentos em um s annuncio, pelo qual o prego de um ser de todos, promette-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os gneros
por um preco, e na occasio da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em outras mudas casas, porm nos nossos cstabelecitrientos n3o se dar isto
anda mesmo com prejuizo nosso, quajqner pessoa poder mandar seus fmulos que
serSo tam em servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos \> favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
k-elaqual'se ver os pregos tal qual aimunciarmos, o que sifnao arrepender pessoa
uguma que 6zer soa despenda em nossos estabelecimentos j pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
Manteiga i gleza perfeitamente flor ebe-
gada ltimamente de I.oooa i,loo rs. a li-
bra, e em barril tora abatimento.
Manteiga franceza da safra nova a 8Go rs.
a libra e em barril ter abatimento.
BANHA
Banha refinada superior a 6io rs. e em
birril ter abatimento.
CHA
Cha uxim de primeira e superior qualida-
de a 2,8oo rs.
dem hysson o melhor neste genero a {
2,6oo rs., e sendo em porcto ter abatimen-
to, tambem lia profiri para negocio de a
2, ion rs. a libra.
.dem preto superior de l,8oo a 2,.joo rs.
a libra.
Offerecem a todos os convidados, do esplendido baile do Club Pemamboeaoo o
seu bello eescolhido sortimejito de fazendas depbanlasia, chegadas pelo Guiante, que
consta das segtiinles especialidades.
Vestidos cessirltaa.
Linda e nova fazenda c!e l-brillianl, transparente, com listas e flores de seda,
padrees do ultimo gosto.
smts
Em cortes padres novos, escuros e claros.
Em pecas moireantiqfie liso ondeado c lavraJo.
dem esumpado com listas e flores.
Tarlatana.
Resta urna diminuta porco de cortes de tarlatana branca, enfeilados caprichosa-
mente a cores. Todos os limadores de partidas e soirs. lio comprado para suas fami-
lias estes vestidos, j pelo diminuto prero, ja pelo bonito gosto.
EMFEITES
A' imperatiiz Eugenia e a rainlia Victoria que adaptam com raoila elegancia
ao kok.
Jouvin & C.
Resenlia-se o nosso mercado da falta absoluta das verdadeiras lutns de Joutin.
Temos a satisfaco de poder annuncia-las a nossos freguezes pelo prego de 34000 o par.
grande a economia vista da flexibil dade e bom acabado, qne Ibes d dupla
duracao sobre as falsificadas.
Trfnt diversos objectos
Proprios para o complemento dos enfeites de vesiido como bertbes, eostageo,
suspensorios, etc., gostos os mais phantsticos em dentelle preto e braoco, Ufet ele.
Mandam-se amostras.
D ademas e pentes de tartaruga.
E a primeira vez que vena esta fazenda no mercado. A pequea porco qoe res-
a convida as Exmas. senhoras a urna breve compra.
CIATOS
Com fivellas demadreperolagravaiia-, tartaruga, iretal, etc.
Chales de fil de reres.
Nova remessa, destes chales e retobes a duas e mais cores em xadrez Nada se
pode julgsr do magnifico effeiio (lestes chales, sem experimentar; as pessoas que os de-
sejarem mandaremos amostras.
E urna inini-lade de fazendas de gosto, como sejam:
Chales.de fil preto ue 1O50OO.
Os mais ricos vestidos para menino de 3 a 6 annos.
Collas de croege e pannos de labyrintho.
Tif branco e fil de seda.
Superiores ba!5es de clina, recommendaveis pela longa durago e bom talbo.
Tudo a
v
5 SUS DO CRESPO 5
~*-H
Serveja
Superior.serveja Ba^s dos melhores fa-
bricantes, como sejajm: Shlers A Bell. T. F.
Ashe a 7,uoo e 7,orJo rs. a uzia e a 7oo rs.
a garrafa. Tambem ha de outras marcas
como seja: Victoria Alcope a 0,000 rs. a du-
zia e a 5oo rs. a garrafa.
Vinagre
Superior vinagre de Lisboa a 2,ooo rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ha
mais biixo para 2oolrs. a garrafa e I.ioors.
a caada.
Azeiie doce
Snperio-azeite flojee de Lisboa a Oio rs. a
garrafa e a 0,000 ra.M caada.
Mansas
Macarrao e talaerim a 360 rs. a libra e a
Itlscoiitos 15,000 rs. a caixa.
Latas com superior biscouto inglez de di-! Passas
versas marcas a l,2oo rs. a lata. Superiores passasj a 3.000 o qnarto e
BS laehinhas 12.000 rs. a ca xa de arroba hespanliola e a
Latas com holachinlm da acreditada fa- 5oo rs. a libra.
brica do beato Antonio, proprias para dar a | r^a?^r^Haa a
doentes de 2,000 a 3,ooo rs. a lata. | twliAlliBItm.
dem com quatro libras de bolachinha de Gencbra de laranja verdadeira a io,5oo a
soda a 2,000 rs a lata. du'ia e 1,000 rs. ao frasco.
fiiipiK Genebra de Hollanla verdadeira a 6,000
yilclJOo rs> a fiasqueira e a 06o rs-, o fiasco.
Queijos flamengos cheg'dos no ultimo uom de Hollanda em botijas a ioo rs. ca-
vapor a 2,5oors., tambem ha do vapor pas- rja Ums.
sado a 2,3oo rs. Garrafoes com 2i garrafas de genebra de
CHOCOLATE Hollanda a 8,000 rs, o garr-.fao. Tambem
Chocolate hespanhol a 1,00o e I,2oo rs. n, arrafoes com o e I i garrafas de 3,2oo a
a libra, francez e suisso a 1,ooo rs. a libra
*'
o
o
1
DE
AZEVEDO *
I,ooo a
e portuguez a 8U0 rs. a libra, em porco
ter abatimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Vellio Secco, Lagrimas do
Douro, Maria Pia, D. Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a 1,000 a garra-
fa e 9.000 a 2 000 rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3,ooo,
3,5oo e i.000 rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 64o
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
ancwretas de 8 e 9 caadas a 2i,ooo rs. a an-
^^ "" .... quaes vendemos oeloihudico preco del.600,
Superior vinho branco proprio para mis- 2 8 3 5 4 -Qj e 5 rs a caixa.
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai- Ucdres
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a ycores francezes e p .rtuguezes a t.ooo e
duzia de garrafas de su- naires
6,000 rs. cada um.
VXAS
Velas de spermace^e a 6'o rs. a libra.
dem de carnauba, de io a 12,ooors
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
PEIXE
Peixe em latas j preparado de
l,2oo rs. a lata
ALPISTA E PA1NCO
Alpiita e painco muito novo de 3,800 a
4,000 rs. a arroba e ue lio e 160 rs. a li-
bra. >
CHARUTOS
Clinrutos dos mais! acreditados fabrican-
tes, como sejam: Jojo Furtado da Serrias,
Manuel Peixoto da Sjlva Nelto, Castanho &
Filho e Brando e de outros muitos, os
3,5oo a caada.
aixas com urna
perior vinho Bordeaux a 7,000 rs. a caixa e
7oo rs. agarrafa.
CtFE
Caf do Rio de 1.* e 2," qualidade' de
6.800 a 8,oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
Si RAO
Sabo maga de primeira qualidade de 18o
a 22o rs. a libra
em caixSo.
Doce da casca dagoiaba e caixes pe-
queos a 7oo rs. e de 5o caixes para cima
a 64o rs. o caixo.
Frutas
Frutas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pera.pecego, ameijxa rainha Claudia, al
perche e outras frutas a 0) is. a lata,
ede 6o"a2lors* sendo Tambim ha latas grandes para l,2oo rs. a
lata.
Uvas pelo ultimo vapor.
Peras pelo ultimo vapor.
Macaas pelo ultimo vapor
Ameixas pelo oltimo vapor.
Passas pelo ultimo vapor. !.
Fieos pelo ultimo vapor
Fruttas seccas pelo ultimo vapor.
Fructas em calda pelo ukimo vapor.
Noes pelo ultimo vapor.
f Queijos loiidrioos pelo uldmo vapor.
Queijos flamengos frescos pe'o ultimo vapjor.
Presunto fiambre pelo til imovapoi.
Tudo se vende barato n< s seguintes armaen$:
15' Rna do Imperador n. ^IK Una do <|uelinado n Unlo e Commerelo.
^ Largo do Carmo n. 9, Progressivo.
FLORES
Ra da Cadeia do Recite, esquina da Madre de Deas.
Grande sortimeolo de fafcwhf. por atactdt c rataHM, e um cambeto ar
ment de r outra qualquer parle: quem riutHar veuba ver.
CAICAS
de lindas e finissimas casemiras escuras e chras, de superior casemira preta, de flnoi
brins brancos e bom brim pardo.
Paletos
de superiores casemiras escuras e dars, de lina alpaka branca, de superior alpaka pre-
ta e de brim pardo.
rolletes
de boas casemiras pretas e de cores e de lino bim branco.
CAMISAS
Superiores camisas francezas d.' 2-5 at .
Ce ron las.
Ceroulas de superior bramante de litm linho.
Baldes.
Superiores bales de arcos para meninas de 2 at 12 annos.
dem superiores para senhora.
Ciravatas c mantas.
Superiores mantas para pesclo delu-mem, as mais modernas do mercado.
Hadapola.
Madapolao bom a 8*5, 9^, 1' & e ll.
Chapeos de sol.
Superiores chapos de sol de seda balo a lOd.
Fraques de casemlra.
Fraques de casemiras, preta, escura e de cures claras, e nao havendo qoe sirva
ao freguez maoda-se fazer por medida e c m muda pr mplidio.
Todns estas fazendas por prec>s insignilicantissimos, pois o filo do Balo ad-
quirir freguezes.
LOJA DO BALA
Dt
AKEYEIIO tfc FliOIIKH.
A1IM1ZEM HE FA%tL\IKi
DE
CUSTODIO CARVAIIIO
27 RA DO QUEMADO N. 27
c.
10*000
Madapoln francez muilo fino, tendo pou''o mofo, cada peca com 27
La de c res a 30 rs. o covado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a preco de 8(^0 rs a vara.
Lenco bra- eos para algiheira a t6 Ol a duzii.
Fin s perclaras a preco de iOO, 440 a 560 rs. o covado.
Ricos coates de la de barra de IO5 a 3f'.-)000.
Chales de fil preto e outras militas fazendas.
ULTIMA MODA.
Paredes Porto rerebeu pelo ultimo paquete um 'romplelo ,-nriimeii!o d n$ti
honrniis de cores rtexmeota enfeiU4i4 a 13$, t'3 e 295 o* ra da lmprairii d. SS,
lujada porta larga junto a padaria francea.
|g3><
G^Z.
No armazem da ra do Imperador n. 3
Caes d Pedro II n. 2, tera para Tenderse
Ihor gaz existente do mercado.
oo no
o me-
Fannha a 3#5 "
l# Vende-io farinha de mandioe, saceos grandes ;
I no armiem dos Srs. Tassn IrmSos, na ponte nova'
I pelo preco cima mencionados.
Vendem-se
machinas americanas d serrle para
atgodo : na ra da Semala nova a. tt.
CAMBRAIA.
Cmbrala de forro cota 8 l|l
ee arakandn : na loja di aorta larga tf
Impctatriz n. 5S, de Paredes Purta.
Peonas de ema de mallo wptur
vndese na rna do V>gari>> a.Ji, l
criptorio-
.ILEGVEL L
_


Diarlo de pernanibnco wabhado 95 de Xovcnibro de ta.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
f3UI A IHUlTUa IDi 8 M'AlLt filia
AO
RESPEITAVEIi PUBLICO.
A apreciado dos babitantes desta heroica provincia existe no grande arnia-
tem da Liga estabeleci'do ra Nova d. 60 um magnifico sortimento |de molhados,
qae sendo em sua maxm > parte mandados vir directamente do estrangt iro"podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em sen genero, pde-se porm .ffiancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
1/ Delicadeza no trato.
2.; Fidelidade no peso.
3.: Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sua posicSo social gozam de certo tratamento, acharo nesta
casa os melbores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cb sempre de
pnmeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a cndilo do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se Ibes vender o arroz, o caf, a man-
teiga o assucar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem ou nao qnerem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que comprara para ne-
gociar, devem vir, pelo sea proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhons que compram para tornar a vender existe um sortimento cial, escolnido por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhores
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DIMHEIRO A VISTA:
A Giiaixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
ALPISTA a lOrs. a libra. | urna,
dem e paiuco de oito libras para cima a u
100 rs. j KIRSCH de Wasser a 2& a garrafa.
Ahroz de 90 rs. a libra a........I ,
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra. LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
AO PUBLICO
Hem o menor constraa
glmento se entregar
Importe do genero que
nao agradar.
ATTEKCAO
tabella para todo, pt-
dendo assim servir de bi-
se para o ajuste de coma*-
com os portadores.
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o areo da Coneele^o)
PARA BEM DE TODOS;
rival
NEM *TE4l ^tfO
Hua do tlueimado ne. a e *.
(.oiiiiua a veudi-r SSMmdiuumj oa ji-tiat
acolara por precos adunrau.-.
' Massos de palitos lutados para deati i pjOrs.
Ei-pvlhos deniiidura> dcurad:- a Jfrs.
Bor.els de oliado para nimim* ;.
Dilos de cour" superior fettaae -. <.
I'ranos ci suptntr un;, rocha i <' rs.
Meladas de liaba (ma pata Un Itfr fb
CetlM roa 100 envelopes,la2erc; *(r.
Grozas de amai de ac, lazei.i.a d| iu>f ,.
[Grozat de botes uiaurei/tn. .jy
e 40 rs.
tainas com 30 no\ellos de lint. i r ,
Caixa.- ciiiii Mipi ncris obreas i
l't vas de lila branca t iasina ti: "vtrs.
Yaias de lianja de l.i pata rail |
4u rs.
Baialhoi doarados supirion rejM n : n.
Nowlltt de liria ron 400 N W ;
Luios para assu.ios de raspa i\ r.
Parea de Letn para acabe, l./ Tesouras para restaras e|.eii 400 e ij.
Caixa* de pcEnas de ra.grai I i-. I rada Na a
1(K'0.
Maesas rom soperlore praasr/ot ; r-
l.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
Idemfrancezaa maisnova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha bysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a I.Ooors.
dem preto o que se pode descjar ne*ste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
bra e 6,ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ou amarella a 64o rs. a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, era ancoretas de 9 caadas a
3o,ooo rs.
Vinho em pipa: Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de i du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
. |: B a
-.......-de vidro com tamja .
QO mesmo, a 5oo rs. .Dunas de testaras t-tn uqut i-
geuepJavPmT d3S "fC3S maS aCredila(las' ftSS f>ra, e fprfo. Ce n\ y l .
que \em ao mercado, a 5oo, 56o e 64o lalberea motto nno para crtecM i. .
a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,5oo a du- '^i^tiras ymn n raioaa a "S<-1
Zia. Ditas e ollas pata sirlma a 1

Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em \ Vinho do Porto das melhores marcas que
Avellas a 210 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os l-
mannos.
dem dem em potes de todos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de lodos os tama-
nhos.
Azora doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Alhos a 200 rs. o molho.
Absyntho a 200a a garrafa.

Letria a 400 rs. a libra

MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 1^, a libra.
Mammei.ada dos mas acreditados fabricantes.
Macahro e TALHAHi.M a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 600 rs. a lata.
Mostauda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho inglkz de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
3$o00
. Mii.no painco e alpista, sendo mais de 8 li-
BOLACHINHAS do Beato Antonio em latas bras'a lu0 rs> r
m
POZES a 120 rs. a libra.
Nabos em la las a 800 rs.
grandes e pequeas,
dem do Principe Alberto a 15800 a lata, e
de cinco para cima a 15700.
dem de so la em latas grandes a 25000 e
de cinco para cima a 15^00.
Btscoiros iiilezes de todas as qualidades a
02OO, 15250 e15300.
Bolo francez em caixinhas a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Banha de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 600 rs. a libra.
dem suisso a 15 a libra.
dem de musgo a 155U0 a libra.
Chouricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a'240 e 260 rs. a libra, e em porcao
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 75OO0 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs, cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charpb de grosella, orchaia, etc., etc.
Chicaras e pires a i 5*00 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, c em duzia se faz grande aba-
tiintiiio.
dem Victoria Bas tres X e de ouiras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejain : Normas d'llavana, Exposc3o,
Flor do Brasd, Par siense-*, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, hegalia, Mississipes,
Panetellos. ^prazivnis. Varetas, Brasilei
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
presos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto potita branca, etc., etc., a 25000,
252'-0,25560 e 25800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs,
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 25500, 3(5500, 45 e 55.
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior a 15 e 15500 rs. a garrafa.
Cigarros do Kio, pardos, a 80 rs. o MOj
de cinco macinhos.

O
Ostras ingle/.as e americanas.
PEIXE em posta, latas grandes, a 15(00, de
todas as qualidades, como sejam savel,
guras, corvina, pargo, salmo, pescado e
pescadinha, linguado, sardinha. etc., etc.,
Peras em latas, excellente preparacao.
Palitos para denles a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em q'tarto a 15400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
Q
QUEIJOS Damengos.
dem prato a 800 rs. a libra.
Idem saissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QUARTINHAS OU MORINQUES a
II
RAPE' Meuron a 15 a libra.
dem Princeza do Rio a 15200 a libra.
dem francez a 25500 a libra.
H
SABO massa a 160 rs. a'libra, em caixa se
faz ahatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 23>.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes.
Idem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a (00 rs. o maco.
Sag muito novo a -100 rs.
T
TOCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 60o rs.
Tinta azul e preta para escrever.
V
VINH0S1
Principe Alberto, de 1831, a 55000 a gar-
rafa ; d vida aos veluos.
Velho secco a 25 a garrafa.
Lagrimas do ouro a 15500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 25 a garrafa.
DOCES de todas as qualidades: brastleiros, DuJue a 1 e ,50o
portuguezes, inglezes, fraocezes, etc. etc. cliaHmisS0 iy {mh
ERVICHAS seccas a 120 rs. a libra.
irvadoce a 400 rs. a libra.
FARINHA SSS de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400, 500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
Feijo verde em latas a 600 rs.
FAVAsem latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 15.500
5200 e 15500 a garrafa.
D. Luiz a 15 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 25 a gar-
rafa.
Carca velos a lj.
Colares a 900 rs. a garrafa ; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posicao alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
iJorde.aux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. .1 iilien a 600, 800 e 15 a garrafa.
Absyntho a 25 a garrafa.
Kirsch a 25 a garrafa.
Wermouth a 25, e a caixa a 185.
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. j libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra,
dem prato a 8oo rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata.
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duquedo Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,ooo e I o,ooo a caixa com I duzia e 9oo,
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolacbinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartes com bolo francez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Cevadinha Ha EYan ,,;i,. r> FihMcs o /{.na Fliirtf v.idio .: : IJ.'f
[CEilrP mnilo nova, a 2oo rs.! Fraseos rtmop.rki barl a Noi ....
uiaruios do aflamado fabricante Jos Furta- ld< n de raperwr oleo taima ;. fcOu
do de Simas, das seguintes qualidades: Ca"?n>l!rrliiaai*raIm
. Exposicao Normal de lloara, Imneiiaes ?"" ^ [ftt "'I"1"a H,', M ,v"
4 nnlrln.ic r,,i r V., i Lanas de allii f li s fiar rtin- U .' .
-Londr.no.s, Gt.anabaras, Pansimses, Sus- QoaoVroo* di-apel peewM a M
piros Delicias, a 4,ooo, 4,8oo, '
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em
para mimo a 3,noo rs.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
rs. a duzia.
dem jdem para vinho a 24ors.,e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo, Figos de comadre a 24o rs. a libra.
l,oooe l,2oo rs. a libra. Amendoas de casca mole a 4oo rs. a ibra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li- Milo de amendoas a 5oo rs.
bra e em caixa se faz abatimento. : Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Jo5o
Peixe em posta em latas hermticamente la-! de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
5,ooo,
- n eias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos. Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5co e
3,ooo a caixa.
oenac inglez das memores icreas, a 8ooe
l,2oo a garrpfa.
Doce da casca de goiaba a 2,oco a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebojlas de Franca muilo grandes e novas
a l,8ooo cento e l,2oo soltas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinhode Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetcm vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranhao muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a lihra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6on, 2,6oo e 3,8oo cada urna.
eradas e das melhores qualidades de pei- j bras por2,5oors. IRuibos, excellente peixe porluguez, em
xe a 8oo, 1,060 e l,2oo rs. I Ameixas francez*s em fiasco de vidro comj barris pequeos ou a retalho, a vista se
Vinho Bordeaos das marcas mais acredita- lampa do mesmo, a 155oo. far o preco.
das que vem ao nosso mercado a 7,000 e Ameixas franc zas em caixinhas de diversos Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
75o rs. o frasco e
8,ooo a caixa e 64o e 7oo ris a gar-
rafa.
Genebra de Ilollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueirasde genebra de Ilollanda a 6,8oo
e 14o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a l.oooe H.ooors. a frasqueira. Conservas inglezas a
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. a li-i 8,5oo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras de escova para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. ali-! 4oo rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranhao de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. a 8oo rs. o frasco,
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar- j Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4oo rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e 4,ooo a Lentilhas francezas. excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesde superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra e 56o rs. a reta | -$ a garrafa e 11 ,ooo a dnzia.
Iho. Palitos de dente a 14o rs. o maco.
tamanhos com bonitas eatan pas na ca- 8 garrafas por 6oo e 8oo rs. a garrafa.
xa exterior, a 1,4o, l,6oo, l,8ooe 2,ooo Azeitonas portuguezas a oo rs. a garrafa e
cada urna. l,5oocada urna ancoreta.
Azeitedocerefinadohespanholouportuguez Champagne da melhor qualidade que vem
a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa. i ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo | 24 ooo e 26,ooo o gigo.
o gigo com 36 libra;. / Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figosemsextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 6io rs. a lihra.
Latas com fructas em calda: pera, perego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a 1,4oo e 2.ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a A,8oo rs. a esnada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
Grvalas de eores,-lairaia fO|erfc
Papis de aeulhas, fundo di une-.
'T rs
l'.
e I ai..
No aimuzem do tazen&s
baratas de 8anto> ( < Ibc
Rua do (Incinrads a. l%.
Vendf-se o aefaiblc
Coherlas de rbia lina a 28t;(i.
Diias de dita :> 3,8400.
LeDr;. ps de panno ae llnho I i'v. 0.
Dilos de dilo de liiho a 2.
L'ilos de LiaraaiJlt'de IilIio df on :0 r.-.iinc
'5.00.
l'aono de linli- fino rt* 9 I,-, i .ite-
ra i-elo I ralo pin;o de S-lt a i
lirananip de liblio Bao nio 10 11 u di i i i
pura a ?o(0 a vara.
Pec,as de can hiia rom salpica Iranros
coips com 8 l|2 varas a IJMO.
Per;-s de cairitona ad^n^^rada r -
cortinado de cana n n> O varal ; ll
Baie- ds ateos a ->:n>, :t4. u:t o. '.
Lencos de can I ra lira SjCdO Ittm.
Hilos de (la t i.ia.
Alhnalhaoo de linho lim- a ?J5f O ; ar.
Uilo de alpcflo a H a vara.
Aipcdo epfi siado com 7 l|2 pajinos ce l:.racra
a l.'.Hi a vara.
Pifas de hreanlia de rolo com .0 vt;.- ;
para sa,a a 13300.
Fil de Itabo liso fino a ffl-O TI nn.
Dito de dito eos aalptre* a l
Camhraia de linho tioa a 4,i' I ':&*
vara.
Corles de liatinba de lindos pose i eeaa'fl
vados a SS.
Peta de marlapi lao finissimo icio i rataMni
prefo de p. !', l('5 e \l.
Flanella branra lina a (Ihj rs.'. n de.
Dita >le cores lina a 880 r. o ri i .'
I!.-.IH'> i!e musselina para n-t r> ->-3
Cambrala de forr" a .'! a i. \
Dila lina a 4-."IH, 6fi e 7; a \>
Guardaoapo de imliii a :*48i'0
Tialhas lie alpodio fe.pinia
E-ii ira da India propria pas i i
4,S e ti palmos de largura pal o-r
que >n. OOtra i)iiali|iur parle.
iNiste ai rriarem larntuio ao CMOi r_..'de
sorlio enlode roupa fula e por n v I a.
':;

!:
: 1
do
35
J" r 3 i "-< as O C o> Q
3 S a 3 S. a. a. S =: oC->>*
n>- 5 o.,
ai
O w
O.T
a,
* 2 S 3 S.-
S.B U S-3 2.a, |,S.S!
o- K C_J
Buter Maurer a iS agarrafa,
Fabello ha sempre em deposito de 500 a j Vinho figueFa em ancoreta a 20 800saceos, de todas as qualidades, de to-,Idem Figueira e Lisboa em pipa a 2)5500 a
dos os tamanhos e de todos os precos. caada.
Atiendo.
Henry Forster & U*, a roa do Imperador n. 3 on
caes dnBamos n. i, teem para vender o uielhor gaz
existente no mercado e pelo preco mais barato do
qae em ouira qoalqaer parte.
Cambra i as.
Chales de renda
Paredes Porto, na roa da Imperatriz o. Si. porta
larga, vBda chales de renda de corea com peque-
o toque de mufo, a 3J5W e 4 Cateada de 10*
fi 12JO0O. '
Parede Porto vende cambraias lisas finas, gran-
de sorli.nento, a 30 al 61, ditas Victoria muito
finas, com 10 varas a 64, fifiSoO e 74 : na rua da
Imperairir n. S?, junto a padaria Cancera.
GhfTjem aos corpinhos d# ramhnia
Vendemse orpiobos de cambrala mdi ntre-
melos a 44 e 54, esiao s acabando : na luja de
Paredes Porto, ru 4a Imderatrii n. Si, poria lar-
ga, juu.o a padaria franceza.
Tasso Irmos
Vendem no sen armazem rna do
Ainoiim n. 35,
Licor fino Caracho embotijas e meias botijas.
Licores finos sortldos em garrafas com rolhas da
vidro e em lindos frascos.
Vinhos liberes.
Santernes.
Chamberlin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Moscatel.
Beino.
Bordean.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniol.
/lo
trabalhar nto
desca-ovas aigodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAM
Estas machina;
fcj^ podera descaroca-
' "gi": qualquer especi'
j_ide algodao sev
[ estragar o fio
sendo bastanu
duas pessoas pan.
o trabalho; pdt
descarocar umi
arroba de algo
do em r.aroci
em 40 minntoi
on 18 arroba;
por da ou 5 ar
robas de algoda
limpo.
Assim como machinas para serena movidas por
animaes, que descarocam 18 arrobas de algoda<
limpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
eulns dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machina)
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examma-lo, no arma-
zem de algodao, no largo da ponte nova n .47.
Sannders Brothers k C.
M. II, praca do Corno Manto
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
Testamentos em
verso.
Conliiiiiam a c^tar venda, ia ty ogra-
phia dr rea do mi'eradi.r n !5. defronte
de S. Franci.co :os testamentos da (iali-
nha, do Gallo, do Port", do Leo. do Gato,
do Per, do Carneiro, f a nca Tigre, do
Cao, da Hyenn, do Bato, do Orangulanyo.
do Macaco, do Burro e doVigario; a Peleja
da Alma com o Di bo, a 160 rs. cada un',
e a 10(i rs, a quem comprar urna cern Iota ou 25; carias de A B C, tabeada*,
catherismos, economa da vida humana,
car til has, Siman de Nantna, Bi lia da in-
fancia, maonscriptos, tiaslados, [aulas, pro
curaces, apudatilas, ledras, rom ecimntos
p;>ra embar tie de escravos, despachos para
a alAindega, papel almago pautado e pinta-
do de diversos formlos, sendo o pequeo a
30 rs. a folha, o immediato a O rs., o me-
dio a 50 rs. e o muilo grande a r^ rs. ;
papel marroquinadoe lusiroso grande e pe-
queo ; papel para impresso de una s
cor grandi' e pequeo ; Virgilio, Horacio.
Salustio, Magnum Lexicn, prosodia, dic-
cionanoa francez-poitu^uez e *ice-versa,
selecta franceza, e outros mui es livros, Lem
cr-mr pm hnrro dfi tod os tamanhos.
s
O castello de Grasville.
Tradaiide de francez por A. J. C. daT.rez.
Ven de-se este bello romance em quati
tomos pelo baratissimo preco de 30OOC
oa praca da Independencia, livraria ns.
BeH.
m^H VILLAR S
Com loja rna do Crespo n. 17.
Becebeu de Paris sedas em corles mul-
to superiores e bellissiroos padrSes, e
chales de renda pretos para 104.
Este importante estabelecimento torna-
se recomniendavel ao bello sexo pela va-
riedade de fazeudas superiores e bellos
gostos
proteja o bello sexo ao Villar
e verao todos a prosperidade.
Alfil l)\0 II\ BAIIU
Vende-se om sobrado de dona arJdaras no
l airro d Samo Antonio, o qnal rende para mais
de 1:5004. e uma caa trre o b>irro da Boa-
Vista a tratar com agente Olympio em sea arma-1 de carga e de scila, per preco commodo : a tratar
zem na roa da Cadea do Beata n. 34. 'no batel de Franca.
Na luja de Andrade & Bego, rna do Crespo n. 8,
esquina da roa do Imperador, continua a vender-
se superior algod* da Babia por menos preco que
ero outra qualquer parte.
Vondem-se quatro borras mulo mansas, boas
Framcisco Jos Germano
BA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo emais apurado goslo fia Eu-opa e ocu-
los de alcance para observacoes
maritimos.
mum m. .
Gl'Hlifit'M-iM i'f '. I
Ansenlno se da casa n. .")9 da n> kri r r
(miir'i 'x (^oilegi(i) no sal.liano !> ti mmt
re setemtiiode I8C8,o esriavo| r
qnini. coni os >ijna-s se; ii'hic.-: '
idade IX a O anros. si ai bafea, i. .'-. o'koa
glandes, ratiello ciiimo, cen M : C*
e hem vi>ivci pa leste, |aitc di* t.
arrutnados, e n ni falla de algn- -
ivni calca d brim |irdo e aah i I i i
as levoo mais n>nia branca t de >
astucioso, rovinrra ratifutar-se I n. -rn-r ca-
cado ; f i escravo de Sr. Goilbrin e ff rtrrne a>
Sonta Carv;i i,ii. p;-riio do teadi tr a n Msd r
Manoel Goncaivi^ d* Silva : naja < -i ,
a Inda* as autoridades |!irj;-.ts nnUfttt ra-
pitio de eampo on cnira pww eart <' r ,ue o
ai 111 henli r se fialiliraia rees SI -* : .-i
|i-?as de ci-nducci., entrgand' ,. i i
Miguel Jos Altee, na casa atina, fi* M s>t. es-
crii'iorio na rm da Croa rasa n. !"
No dia 20 de seteaafcfo ns- ,- .. n-
gio di. ensMihn Terra |.reta, do; l i< (..', u
escravo Jiiiio. criiul", de aluna i .- t,
di' 30anuos de idade,ptiuca barba, le i-a
feiwe i'-rua-, n.iiiio fali.nte, ata .- '...its.
lem o dedu pnlegai de un a m r-: i i*ri di -
tro, ?pda ern nina caita fichada, d" in>
nel Amaro Gimes da Cnnna, apadvtafca I ; .a
ca fot suiradn esle esnavo, fui ha r. mi" n r. ft '
a I ocha Urna Guimait-s : qun< i epai
mesmo engenbooa d<> Recife a' na <*a H a"
Alexandre Ci.rreia da C. Jonior, .\w sera l re
comiensado.
Alfxandre Ccrrt.-
!tr C-'-'r,v
Fumo no da II dennv.ir.ii nwean>n\e
Monte-A legre, na nmarca d. NararMh, i nttwtm
Wenceslao, obra, de idade de 25 r> >. laMra
regular, ilieio do corpo, punca bar?, rab'di ca-
rapinhi^, res reforjados, com inrtin i -.rlm :
>ahio nionlado em uma be-la aaalaaaa rattea, da-
tenia que iiesta vez in para o Pa.-' n.iv : i,.fa-
se as auiornindes particulares e r ;' .li rn^ipo
appresenia(o do eferido escr^' It-van-to i .
'tilo engeiiho a seu senhor e nesu [) Aia i w
Pessoa de Alhuquenioe, a' roa d< Aim-i* o. 30,
que sera' recompensado.___________________.
Fngio de eaea d-- s-n senhoi i., r*V" Anto-
nio, crioulo, iraiaihador de par'ari coj eajwn
lem os signaes seguinies : baii-, \t m4* rpo.
ps apalhelados, e bastarle feio, levr.nilo '>-i.l.)
painel de casillera e caiea d Man karsdb ]
usada, graiilica-se enea tesreeaade i i -r. u-
xer a padaria n. 146 defronte da nejfea daj fntra-
Poaiat.
No dia 20 do crreme fogio uim crenla de
nome Vicencia, reprsenla .TH MMat a'ia. fot,
roslo redondo, nariz muito mal fei". arana n>a>io
finas, o ps grandes ; mj* prel I i! ri>i d
Bererros, e foi comprada ao Sr. Ges royase as
auloridad'-s de fra da cidade qm acprebendan e
levem a rua Direita n. V?, sobrado.
Escravo fgido
Ausenton-se da casa d seo senhor nm i reto da
naco por borne Manoei, reproeM. ter aO ao,
I pouco mais ou menos, cor fula, a'laia re:iiir,
e para os ,ein ses fo0t, rm a^t mj0 q,i,.|,.
ve-o a rua do Trapiche n. 36, segund
rua do Brum n. 70, armazem, que n
compensado.________________
Rogase as autoridades polica.'
de (mpo, lauto desia piaca coui'- o-
apprehenso da e-crava Benedicta, que e-ta infi-
da desde o diar 27 de setenraro, eoi i *>eae ee-
i guiles : cor fula, rosto comprido e inaiio an,
Vende-se riscadioho francez a 200 rs. o covado, testa larga, pomo cabello e nulo negado qne ras
por ter grande quantidado, esta-se acabando : na abertas pelo casco, alta, oadfas Ha im.i. h-co
rna da Impera iris n. 62, loja da porta larga, de moito preto que parece ser calor de ig-do.
Paredes Porto. duas largas, levoo vestido d* chtla rota
^ha\iii:
Pecliincha
o pegsr le-
anrt-r. n a
r beaa ra-
e eapities
a a>e'n. a
Bren em barricas pequeca
Cera era velas de todos os tamanhos.
Bogias
Mercurio.
a na do Yigario n. 10, primeiro andar.
camisa de aliiodoiiobo, chales V in.r.nA
de suppr que j* tenha mudado de r.xir,
i muito cachimbo, ronito bebenoaa, eaeaaaai
i d'T apna por esta cidade : qoeaj a e*er r
passeki publico, loja o. 6, qne sera

JILEGVEL


Diario de Pcrnumbnco 4n libado & de Xorembrn de i >*>
UFERTuU
L'M POUCO DI TUDO.
L-so na Semana Ilustrada o seguate :
10 DE .SKTEM8R0 A 10 DE OUTUBRO DE 1861.
triste accidente, que felizmente fieou limitado a
pouco.
O arcebispo do Mxico, voltava de ama visita
pastoral a Sao ngel, na companhia de dons ec
um foco de ignorancia, e que smente to a illas-
trago, quando esses berdeiros do Senhor pintea-
ran) a sua nobre missio e seo telo.
Sabemos que os povos tero >erapre marchado
| clesiast.cos, quando urna inundado sbita fez vi- $ombr, da ,qf que tem vindo do ceolro docnrislia.
rar a carrungem era um barranco onde flcou por Dism0 marcnan, a0 so| da ferdld e ^ a8
llft IMAM SriT.IV rirtl nnm itmn,BkA J. .UR1 rtA^_j._^_ _____. ____ _L_#. .._'_..___.___
a carruagem
um pouco amprrada por urna sebe de aloes, o que
ih: AVwina.-Quera s, paluda sombra ? E o deu lugar a que todos sahissem pela porlinbula do
que iiaeres de mim T |ado oppbsto.
Sumbra.-Sa o crdito, redolido a esta miseria Ma, m ^^ fr q
p .. algaoi etpeculudom, que se serviram de ama fui inUQda,la e Parfegai,a de areias>
para Uta l.r a todas as elasses da soded.de I Fes- m bairros de majnr e,mmrt as mercado.
ledo o mea anulversario junta cura a miaba amiga ras nue nUnn ;m rej ()o ch-0 so(Treram g
Chuca Ue k-dras, que eslragoo as casas pupadas pr-juzos
com a miaba queda'
0 PINTASILGO.
RECOKDACS DOS 0BJECT0S PARA O ASILO DOS INYA- '
lidos. E' Coeiko (jotes ricago).-V. Exc. disse que este poe-'a-
ramo de Moteta* custa 2$300, nao 7 Aqu est um
billete de 30,5000; rafa o favur de dar-me o troco. Que sorle, que sitia I
J)am (pn gando o ramo uo pa'etot do visitante). Quo doro meu fado !
L' rernade, casta 2J300 o ramo; mas, pregar -Viver separado
no pa.eiot 20,5000; um aloete 7 tro. Nao quer ver ootros objectos ?
GLI ANIMAL! PAltl.ANTI.
Pamba. Sabe d'aqui, velho galleta) I
Deixa-me livre adejar.
Caronchoso gavio
Nao pode poninas amar I
Gaviio. Ola se pode, vaidosa !
De velha rasa, quando arde,
Ou nunca .-o extingue o fugo,
Ou se apaga muito larde !
SXPC-sicKo B venda dk varios objectos para, o asy-
L0 DOS INVLIDOS.
Sr. d >utor, V. S. ter a boodade de actuar
este ran.O de flores?
Com tudo o goslo, miuha seohora. V. Exc.
mal i me iiuura e penhora, pois bem sabe que ua
actoalidate nao lia quem n> gosle de Florej.
AVKNTOAA6 DE UM ALAO NA VILLA DE PAQUITA.
i
leu Deus, oslou presa com o meo novo ba-
.io Que ser de mim I
II
Ja ha duas horas, que estou DfcStt irisie posi-
ro sem poder mover-me.
III
Grabas Ueus, eis chega quem me livre.
stou bem aviada; o maldito faz de meu bslo
guarda chtiva.
Qiii' vale a bel losa
Da verde campia?
Da flor purpurina
Que importa o seu mel ?
Paire. Meu amigo, sempre bebado I Porque
nao trbalas 1 O trabalho fax a vida doce...
Beberrao.-Sr. padre, um verdadiiro beberra..
Dio gosta de doce. Amarga, deve ser a cachaga
como a mesma vida.
Jess meu Deus, meu Deus I
O que ten?, moleque? Para que esta grita-
ra?
Por causa do milagre que eMou vendo. Um
tronco la o velho cheio anda de rosas.
Eslava um homem a tomar banho na praia de
Santa Luzia.
Aproxima-se um laraplo, e lira-lhe a roupa, que
se arhava na praia.
O mubado qnit reclamar, mas o ladrfio gritava
mais alto do que elle, e dizia :
- Consrvese na agua, olhe que vou chamar
a polieia, que ha de prende-lo por andar de um
mudo tao indecente.
**"" -
Dr. Semana.A senhora far-me-ha o obsequio
de dir a quem tenho a honra de fallar?
Muir, na.Sou a Assembla Provincial, que ac-
Jjo de aDrlra minha loja, e creio que brevemente
alnir-i tambem fallencia por falta de freguezes; o
que aUribno a nao haver numero legal na miaha
pjlU. E' bem triste, Sr. doutor, no assim ?
loleque. Tristissimo, e muito mais para quem
Ihe empresto^ dinlieiro afim de abrir loja.
as maltas me embrenho
Carilindo os meo males;
Nos muuies, nos valles
Esvoaco Infeliz!
Perguuto f.uitinlia
Noticias da ainada,
E a foole ralada I
Se o sabe nao diz I
La pende do arbusto
S'um galho meu ninho,
Gelado e ssiuho
Sem ella e sem mim I
Ai I... quinto trabalho
Me deu seu fabrico,
Tiendo c'o bico
Peonuge'e capim I
Nao siulo perfumes
as llores, que vejo;
Nem tenho desejo
Ue um canto soltar;
Ninguem me responde
Se canto saudade ;
Meu canto saudade ..
S devo chorar I
t Se margem do rio
Cbegava eu primeiro
No verde inga.-eiro
l'uusava a cantar,
Ao longe, saudoso,
Um cauto se ouvia,
Que ao meu responda
Soando no ir!
t Chegava tao meiga
No me.-mo raminho,
Brincava ; e o biquinho
Me .lava a beijar;
Depois as penninhas
Do peilo agitado
Com lano cuidado
Me ounha a catar.
ondas da graca. que sea chefe faz descer atravez
do* seculps por meio de seu coracao e de sua po-
derosa palavra.
A' vista disto, deixamos o ti i lio desnaturado des-
pedacar o seio da mal, que vellou sobre seu bergo,
e ria-se dos cabellos braucos de um pai encanecido
em sustentar sua mocidade, e contemplemos a gro-
ja, indo airavez do lempo para a elernidade.econ-
duzndo em sua solicilude a humanldade e seu
Boa.
Ella marcha na frente com a cruz.
Ora se eleva para o co para nos mostrar o ca-
E' Jess Christo, Analmente, em quem a nossa
vida 3e deve concentrar, porque Elle a fonte de
todas as grabas e o uoico Iriutnpho do nosso en-
grandecimento.
nua-la, quando o mando, que Ihe tinha verdadeira
sympathia, Ihe dlsse:
Deveis dar um passeio a Allemanha, para
visitar o nosso paiz, que muito pittoresco, nossa
cidade que contera bellos monumentos, e minha
fabrica que magnifica e curlossima. Possuo
parte de minhas offleinas urna linda habitacio;
estimar! muito hospedar-vis nella; minha raulher
vos far as honras da casa. Teremps urna socie-
O Sr. Eugenio Gaimaraes publica :
ME rVSIOnPHOSE DE UM DANDT
Ha poucos anuos o Sr. Antonio de X., um dos
elegantes de Paris, desapparnceu da esphera de dade escoihida de prenles e amigos, e procurare-
que era um dos mais maravilhosos ornamento-. j mos faz^r com que passels agradatelmente lodo o
Viram-o partir, segundo seu costurae, nos bellos lempo que vos dignardes conceder-nos.
das do vero, oa quadra dosbanhos; ninguem1 Que excellente hornera I pensou odandy;
porra o vio voltar. | v'-'n em ,neu auxilio, torna-se meu cmplice no
Eslava arruinado; isto era sabido : sua posicao : projecto que medito contra elle I IViderei abusar
tornara-se mui difflcil; esperava-se que tomara sem remorsos de tao rara honlmmia?
alguma grande resolucao para dar que fallar de
sua retirada.
O my.-terio que envolva sua desappargao cau-
uma especie
minho jora se inclina sobre nossas cabecas para i sou ^ de coatrarieda-le mesdada de
deiiar correr a graca e apenar o in.migo de nossa. | snceras saudades. poj. realineD[e era pena que a
almas- sociedade elegante perdesse um mogo tao amavel,
Dirige-se aos nossos coragoes fatigados para ani-, cheio da altrago e de graga, um dos seos conduc-
ma-los; falla a nossos esplritos perturbados para res, um dos seus meslres.
aconselhalos, e mostra sobre o horisonle a estrada [ Muitas mogas bonitas mostraran) se ioconsola
veis.
Porra pouco depois ninguem mais se lembrou
del le.
E* esla a sorte de todos esses hroes; sua no-
meada exlingue-se tao fcilmente como um fogo
depalha; o esquecimenti para com elles urna
queslao de lempo, sempre prompta a resolver-se.
Mas eis se nao quando reappareceu de repente.
que deve seguir.
O homem procura viver, porque nessa vida s
julga encontrar o que ha ae mais bello para si, po~
rm a morte que tudo anniquilla Ihe prediz a sua
desolago.
A vida, eis o bem que elle procura para todas as
aspragoes de seu dever.
Perguoia ao passado, interrogando a historia ;
persegue no prsenle para que seu nome seja ele
vado, e corre at ao fundo do futuro para que se-
jam coroadas as obras de sua immortalidade.
Porm sta vida nao a uoiea, porque nao ver-
dadeira.
Ha duas vidas : a do corpo e a d'alma.
A do corpo a d'alma, e a d'alma Deus. fluencia do tempo, alcangados p"la gravidade da
O corpo sem a alma um cadver, da mesma idade, mudaram de posigao e de estado. Casa-
sorte a alma sem Deu; aspirando nos a vida do ram-se, herdaram; uns cahiram, oulros eleva-
0 il.ui.iy parisiense apertou a mo do marido
alle.no, e respoudeu com voz enternecida:
Aceito Parlo comvosco.
Parti com effeito, e pois jera hospede do ma-
nufacturero, que nada julgou mais urgente do que
faz-lo visitar sua fabrica, ponto por ponto.
Esse magnifico estabelecimenlo exiga um exame
bem loogo ; era mister ver e rever ludo, afim de
apreciar no seu justo valor, e admirar como cum-
pria esses processos de fabricago engenhosos e
complicados.
O desventurado mogo era ohrigado a representar
seu papel de complceme e de sofirer sem pesia-
nejar essas provages reiteradas ; devia fazer boa
cara, testemunhar o raaior inioresse por esses ob-
Os. operarios da fabrica o eoasideraraa coa
respeite que sempre tribualo a u
nenie.
Creoa fama e receben de tolas aa partes
e provas de estima.
Como o industrial allemo Ihe pradljacra aa a.
legridade de BM lm senso, tuOMM gaata aet* aova
vida ; a ella se h/ou pelos tacos do aiaor
lisoogeado, e, quando o manufactur-ir > ia-i
para ime assign sse o contrato q beoelicios da industria, aceito i.
Di^ain jj em ab >.io da verd.i4e -ine
nosa es.>eranga u\; levo pirie aljumt era -oa e-
terminai-a.i.
aeatttetM seu projecto de setueg >.
A belii allenija iim lizera enapreitfmler qat a
rigidez de seus principios a solidez de soa virtj-
de nao-se curvanam ante os atiraeuvi do m&f
nem ante a gloria do Inventor.
De mais, elle acnou oa familia Ji seo toek> ama
pal
moga encanta lora e bem ilota U, qoe Ihe
seniuiienlos lcitos e coa que ca-ou.
Agora Pars toroou a v^r, em soa
se, o aoligo da ly, o gentil, o elegante
X., e os seus amigos de oulr'ora ja
riam reconbecer se nao Ibes dissesse qjacaa >
E' aclaalraeole um dos horneas otau seriea, i
graves da Allem tuha, um horae o de nnu iib.mm--
lancia consideravel, ama ao.atMliiade ftm*mntra.
um grande maaufaelureiro, iwn Jisposto, aaaa, a
Jeitos, Ungirse muito aliento de" orelha e de espi- 'e',Z-
rito as longas e doutas explicag^s que o industrial
com a exposgao universal, esse amigo danly era,-4 coraprazia em dar-lbe e que elle pouco ou nada
quem ninguem mais pensava. comprehendia.
Durante os aunos que decorreram depois de sua
partida, notaveis mudangas se opsraram na socie
dade parisiense.
Um da porm que o aliemao Ihe explicava com
duplicado zelo e oloqjeucia urna machina aioda
| mais complicada do que as outras, o dandy, obri-
gado a ouvir e a comprehender, aveniurou michi-
Sua vjcago rerelou-se e deseavoivea se eonw
tambem Ihe predis-era seu jalieioso soao; i-a-
tou ova proce-sos de fabricago, e ntalUpiieoa a
provas de sua capaciJaJe, des -obrlo-lo bhmio* v -
gredos engenhoso<, econmicos e produciivis
Toroou-se urna das illostr.i.-iies da ladmavta ;
membro de diversas academias, a
Muilos de seas antigos amigos, soffrendo a in- nalinente e por raera civilidade a segaiute obser- urna muludo de ondecoracie>, iegittaaaa di
corpo, a.piramos a da alma.
O primeiro homem a procurava no da que es-
tendia a mo afim de destacar um fructo mysierio-
so, porra se eoganou, esta arvore toroou-se para
elle como a prancha do naufrago, que devia diri
ram-se; mas nenhura passou por urna metamor-
phose iflais completa e mais imprevista do que a
sua.
Na poca da sua desapparigo, que tanto deu
que fallar sociedade elegante, o Sr. Antonio de
vagao :
Nao se obleriam os mesmos effeitos substi-
tuido todas estas rodas por urna simples e pe-
quena paleta ?...
Como assim pergontou o in iustnal.
O dandy tounu a seu turno a palavra, des.
envolveu a idea que ihe sobreviera casualmente, e
plii.ou seu molo de peosar acerca, da collocaco
gilo para outras regles, as quaesjsendo desgraga. x- era ura mo? de |eviade eucanladora.de um TT funcCoes do nico agente que devia azer as vetes
das, seus descendentes, durante quarenla seculos, estovamento adoravel, de urna frivol.dade arroba-
se agitaram em vo para tomar acbar a vida, mas ,adura-
nao as poderara alcangar por causa das fotes da! Todos os que o conheciara eram concordes em
morle pensar que nada de serio se devia esperar delle
Cubriram-se dos objectos que os cercavam, eren- O Sr. Antonio de X. tioha essa pnilosophia que
do terouvido sahir de seu seio o sopro da vida, \ d a incuria, e fazcom que as vezes os mais hitis
inclinaram-se para a materia, e acharara smente a! caracteres se conduzam como as almas da mais
morte. fr,e tempere.
G genero humano nao era mais do que um ca-
dver, com a ebegada de Jess Christo.
Tinha ido as aguas de Badn, porque a moda
assim exiga, e ahi se devertia sera se inquietar do
de urna multido de rodas.
O industrial, estupefacto, encantado, maravilla-
do, exclamou :
E' sublime I
Zumbis de mira, replicou o dandy sor-
rindo.
Ah I meu amigo 1 zjmbir de vos I Admire-
vos, venero-vos. Sois um grande horacn..
Ora, vamos 1
Sim, tivestes um rasgo de genio I
U aliemao eslava de boa f, e o seu eothusiasrao
Seraelhante aos ossos ridos que alvejam na pa-1 futuro. I liaba razo.
oicie, e que esperara a ordera de Deus para revi-! k A ru,Da de sua fo"una }* ,,Dha posf0.e O daudy Uvera por acaso urna inspiraco excei-
ver; assim os horaens susp.ravara pela viuda de W* ^ ^ homam meos lahanianto ^
. A ,. ., organisado ter se-hia amargamente preoecupado.
Christo. que devia dar Ihes a vida. i _.
...... c- ; Mas. afugenlando os peo-amentos importuoo>,
Uraa mulher de Suzano junto da qual Elizeu _"" "
acbou hospitalidade, leve um lilho, o qual morreu
e a mal afllicla langouse aos ps do prophela.
O homem de Deus deu seu basto a Giesi seu
, .da estacao para reatar o curso da sua briinante
discipu o, eeste correndo f-lo descangar na face [_ .,.,... m,,,n,dMtmiii(.
carreira e coolinua-la tanto quanto ine permittis-
ua idea, excessivaraente simples, como a maior
parte das graudes ideas, era um verdadeiro acba-
du lo nolavel quanto fecundo.
Um rasgo digeuio, repito, contlnuou o in-
do minino, e a vida reappareceu-lhe.
Urna correspondencia do Mxico refere que a ci-
dade e o valle do Mxico soffreram, especialmente
nos das 28 e 31 de agosto, urna terrivel innunda-
cjio causada por chuvas, de cuja abundancia nao
ha conbecimento seno debaio dos trpicos.
Lagos e nos tudo se levauton de urna maneira
espautosa, e os eanaes de esco, aasim como todas
as obras de resguardo, nao poderam salvar as al-
.-ias v a capital.
O no de Churubusco, que sahiu do seu leilo,
nao i'de ser domado seno pela agglomeraco da
dous mil trabalhadores hbilmente oirigidos as
pratas pelo sub-preeilo de Tlalpam.
E-us chuvas esliveram para ser causa de um
t Assim nossa vida
Cercada de flores
De puros amores,
A orle mudou.
Ao triste que resta,
Que vale e.-la vida
So a esposa querida
Tao cedo liudou ? I
E o pranto corra
Dos temos ullilnhos;
La ':i entre esplnhos
E o peilo rasgen ;
Debrogs, na relva
Cahit sem alent;
Seu fado cruento
Cu'a morle lindou.
-^ FOLHETIM.
AS PR3VA?5ES DE AILEEN.
SttiVAS DA VIDA IRLANDtZA.
(Conlinuago.)
XI
1RMAA MAHV EVANGELISTA.
Longe da colima, lon^e dos pantanos e desfila-
djiros e da selvagem desolago de Cmnemara, se
eievam o tumnito e o movimento de
No Missionario Catholirolose:
O COIIAQAO DE JESS CHHISTJ.
Quando vemos nossa sociedade decrepita levan-
tarle do leito da agona, onde a dor do corpo e a
fome d'alma, a tem anniquillado, para insultar a
igreja, que a consoa e a sustenta, nao podemos del-
xar de Sentir a indigngao descer ao corago, e
lagrimas ardeutes subir aos olhos para maldizer
sua ingratidao, e chorar sua cegueira.
Sabemos que o mundo quaulo a elle ebegaram
es doze pescadores da Galilea, nao era mais do que
na ehegar, eu vola enviirei cora a irmaa Mary
Evangelista.
O semblante da irmaa Marlha alegrouse. t Es-
tiu conleuie, MMan irmia, i foi ludo quanto ella
disse.
Na verdadn, parecis feliz, e assim sero
os doeotes que ella tratar. Anda uo posso t-la
junto de mim, ella osta l como se estivesse aqu I
Como rpidamente furmouse I
-. sem seu crdito e bea estrella.
Deus, enviando a Moyss para curar a homani-1 fr0 entanto ia gosando o mais que podia de
dade, desceu sobre elle, afim de dar-lhe todos os todos os praseres que offerece a sociedade dos
beneficios, e seu filho Jess Christo faz repousar o banhos.
seu corago sobre o nosso, e se confunde nos mais | Era assiduo era fazer a corte as raaravilhosas
venrenles affeclos porque o coragao e o orgo da qUe ornavam a reuolao, e, horboletando assim,
vida, onde se inocula todo seu ser. ; flcou namorado de urna joven sonhora allema,
Epercorrendo o universo, annuncia aos povos nmilo bella, e magoilicamente loora.
os cuidados de seu Eterno Pai, e seus discpulos Alguna mogos, recom.nendave.s pelo seu memo
partlndo da Juda, atravessam os mares, tocara era
exterior, haviam ^presentado em vo suas homena-
ce iuflueuilia recebiam todas as virtudes, e serae-
lhante a ejte espelho da aotiguidade, que reuna os
fogos da alobala celeste, e esuargia seus raios por
todas as partes, o corago do Diviuo Mostr faz sa-
nao fazia nenhum projecto para restabelecer seus
negocios ou reformar seu modo de viver, e e lava
peritamente decidido a regressar P^ >0 *" j dusiria|; uraa .ovengo que produz.r resultados
incalculaveis, que nos proporcionara uraa imuiensa
economa de lempo, de vapor, e de carvo e de
mo d'obra.
Estimo muito que da minha leinbranga vos
resulte algum lucro.
Algum lucro I dizei beneficios enormes ; e os
compartilliareis ; vosso direito de ioveolor. Des
de ja leales um interesse em miuha casa ; ficareis
qui, seris meu socio.
Quem ? eu ? reuuaciar Paris, meus amiga,
o club, a miera, o sport ? Qoe diriam ? E o po-
derla eu ? Fazer-m allemo nao est em meu ca.
racier ; lomar rae mauuficiureiro mullo hon-
roso, sem duvida, mas sou profundamente incapaz
disso.
Ora 1 ora I urna idea como a que tivesles pro-
va urna aplido real, ura i vocagao prompla a ma-
n fc-lar-.-e. Espero que taris por lis iinsino a
applicago do vosso systema. Poude raaos a obra,
e veris como tomareis gusto por esla nova vida.
Heflecii bem, traia-se de obterdes urna fortuna cer-
ta e era pouco tempo ; estis era ciraioho de tor-
nar-vos millionario.
Aoouvir estas palavras odandy reflectio pela
primeira vez em aa vida.
O embanco de sua posico, as dfflculdades qu
o esperavam em Paris Ihe ai>parccerain era lodo
seu rigor. Por outro lado a nova existencia que
se Ihe offerecia tinha para eile o encanto da singu-
laridade.
Que arriscava em experimenta-lo ?
Picoa.
Sua idea, posta immediatamente em cxecu
foi admiravelraimle bem succedida : e produzio to-
do o eiTeito que se esperava.
Roma e fallam no Fornm que os Romanos deviam Bens a bella allemaa.
procurar a vida em Jess Christo, porque a vida A gloria de Iriumphar era uraa empreza em
delles era subir ao capitolio Da gloria de um triura- que oulros tinhara naufragado, decidi o dandy a
pho e applaudir uo circo o gladiador que combata dedcar-se especialmente a essa conquista.
e morra. i Segulndo o velbo cosiurae, que ainda est em
Provaram-lhes que eslavam engaados, e que s uso e ser pralicado eternamente, o seductor Ira-
a vida exista no herosmo da f e na santidade vou amisade com o marido, honrada e digna crea-
das mximas do cbmliaoismo. tura. rico manufactureiro, iiab.l.ss.mo em sua
industria, mas pouco conhecedor dos hoinens, mu-
O caragao de Jess Christo tendo sido collocado (o fraQc0j candldl)> ceg0. um Cn,p|el uiar,do.
no ceniro do mundo, como oulr'ora a arvore da ^ uffl vef todos> ,a|Ud na AUeBWDlia
vida se elelvava uo meio d'Edeo, e todos aquelles,
que se appYoximavam para se submeller a sua do-
dizia o dandy, contando cora a
como era Pars
victoria.
Porm a bella allema, com quanto se lison-
geasse de seus desvellos, o se deleilasse cora sua
araavel conversago, era por isso Ihe dava a rae
nir do seio sagrado as ctiainmas do seu amor e. or animagao.
abraza as timas que se prostravam em sua pre- A fatuidade do galn resista; mas a estago
senga. eslava a findar; a senhora preparava-sa para
E' pois em Jess Christo que devemos buscar a' partir, e o dandy via cora despeito escapar-lhe a
vida d'alma, afim de conservarmos a nossa f em preza por falta do lempo.
todo seu verdor, e alcangarmos o caminho da sal- Essa espocie de jogo o amofinava, nao quera
vago. | entregar a partida, escogitava um meio de conli-
< S-mh duvida, mtiik i irmaa, respondeu a
I irmaa Marina, que .Nosso Senhor a instrua, ha
muito tempo ; ella parece ler passado pela escola
urna grande da d0r e dos sffrimentos. .
cidade, solido para mutos, masafinal cheia de vi- ....,.-,
. ... ,,.,.,. Teudes razao, el a ja tinha feto o seu tiro
da e aniuiaeao Nao pararemos as mas atufadas : ......
. ... ... ii___ OwO. Pobre menina I u jfm.'ia irmaa atravessou
de Dublin, noui dame de suas pracas, regulares e I _._, jo..
_ i... _.,__ Pati;0 que separava a casa de um edificio de ma-
qiairadas, mas entraremos ramediatamente em
tna Mary Evangelista, lera-se respondido per- para onde qoizerdes, meu padre, e ser-vos-hei re-
guma que termina o ultimo capitulo. Sabe-se pre-' conhecida ; mas nao posso flear tranquilla neste
senlemenie aoode esta Aileeu. lugar ; at me impossivel pensar nislo. Peza me
Ha ires annos, o padre Mahouey voltava para a muito ser deste modo para vos um objecto de in-
sua habitago era urna fra noile de invern. Elle quietago ; mas, eu o sinto, excede s minhas for-
acabava de visitar um doente a alguma distaucia gas o ticar aqui por mais tempo.
O padre Mahney" regozijou se-por ella e com
ella ;elle traba sempre noticias suas, mas nenhu
ma oulra pessoa no Valle-Escuro sabia que Aileen
deixara o mundo e vivia feliz. Era o temor de
Moyna, o qual ella conservava, que Ihe fazia dse
jar que o seu destino ficasse incgnito, ao naaaM
sobro a collina. Eslava ja perto da sua porta, quan- i Ella fui conduzida para o convento das queridas lan|0 qtianl0 a ve|na n50 rnudil5se ^ seotimentos;
do julgou ouvir ura fraco grito de dr, mas tao fra- Ursulinas, e na grave molestia de que foi logo ata-'
co, lo baixo, que sera o grande silencio que rei- cada, cercaram-n'a cuidados affectuosos e delica-
nava era toda parle, jamis poderia lelo ouvido.
Efle seguio a direcgo u'onde pariio a queixa, e lo-
go encootrou-se cora um corpo estendido no raeio
da estrada. Era uraa raulher friae quasi inanima-
da, e sem o grito que ella acaban de dar, elle a
julgaria morta, e al mesrao agora eslava na duvi-
da de se este gemido seria seu ultimo suspiro. O
caros e familiares rostos que a cirenndavam. Pou-
co pouco se reslabeleceu, e a medida que seu
corpo recobrava torgas, sua alma se fortilicava. A
graga de Deus livre e as vezes basla-lbe um cur-
to espago i\ lempo para obrar.
Aileen tinha sempre seguido com paciencia oca-
padre Mahoney precipitou se para a sua porta, e minho spero e penoso que seu divino pai Ihe Ira-
dos seas grandes hospues para onde muitO J-1'" construido quando as meninas tornaram-se : pe,a pr,meira vez nao ra,h0u com a velha Norah cara, e presentemente, que elle aaltnhe para si,
victimas de mu" nuiDtfrosas lara 4 Pe-llenos quartos da su* por | |o eS[)enio lSo larde. porque era feliz'por ella ti prestes a segui-lo. Elle bate aportado
casa incommoda. Ura sussurro de vozes juveois i pode. e||j ajuda.|Q tmef infe|1 creatura para seu cora5a0> e ella levaniase para abri-la. A
rava-se com impaciencia a v.s.u do cimrgiao, por- eg"* ale T* "f1 B-98S0 'gu m "a Urou junto do fogo da coz.nha. J suave e omnipotenie voz do Bom Paslor a chama
por seu nome, e ella Ihe responde porque reconhe-
ce semelhante voz. Erafiro, elle a toma pela mo
enJos acabara de ser transportado
um terrivel accidente na estrada de ferro.
qaeerahorr, vel de ouvir os gritos e as f*t|Bli4eljrlm-i4, a mo para ordenar s.len-
dos lafollfes feriios, e as enferraeiras dirigidas por
Elles puzerara-na sobre o assoalhado a alguraa
ci, foi ao eucoulro da supenora. Seu semblante distancia do fogo, aflra de que o calor nao a altin
. .... uio, ioi au eucjuiro ua supenora. aeu seicuianie =!." s". -i- ---..... _,..,. _,; nt..rnmonto
u-irmaidecar^ espose.era I r ndiIttB{Jfl ,PJaFUw pallldM, al gisse seno pouco a pouco; depois Norah ,iro,.be **"*2r^JlL?lS7
os dientes, olhavam cora anciedade para h porta
me>rao sob a al va touca irazida pelas innas de ca- o manto todo molhado e enrolou a sua cabega com
mais exclusivamente, visto que ainda Uo o fez
cada vez que abriara-na. Bmflm Mr Morrisson P" 'ndade ; oVeu ro'sio Vra"lTraanvnhosaore"for-' pauno de linho enxuto para servr-lhe de "travs- al a1ui
raoso pela regulandade de fegoes e delicadeza do seiro; seus longos cabellos louros cahlrara enlo As Ursulinas esperaran!, tornando a ver sua an-
comornos coaiopela pureza da expresso. Ames de para atraz, deixando a descoberto o seu rosto; o tia diCiplina, que ella nao as deixarla mais el*
Logo que tenninou o exarae dos fendos, o crur-
gio appr'ixiraou-se da irmaa de canda-le :tVo
haver rodos das, irraa Marlha, para os mdicos e
enfenneiras, e pnucipalinente para estes pobres, t
E a carga ja era grande anles deste aceres,
cim >, nao aeooor ? disse a irmaa cora a expres-
so de urna alegra tranquilla. >
Sus felas para ludas estas cousas, disse o
cirurgiu sornodo-se, estaes habituadas a respon-
der ao menor chamado em tempes como esie. Nao
poderieis fazer vir, pelo espago de urna semana,
urna ou duas innas, para m> ajudarera ? >
nular a perfeigj da physioaomia, era-se ferido pe- sacerdote estremecen : O' santa mai de Deus I
la tranquilidade do seu olhar, traoquillidade em exclamou elle, Alien O'Donnel I
que se senta o fructo de longos pezares. Na ver-; A pobre menina recobrou logo os sentidos; o
dade, ondas de pezares iiuhara passado por sua al-' seu primeiro pensamento levou-a para a sceoa ter
ma, punflcaiJo-a em aguas amargas raais proprias rivel que acabava de passar-se; ura calefrio per-
de cuiar ; depois o sopro do espirito de paz pousa- correu lodos os seus membro-, e ella disse com voz
ra sobre as aguas e a voz de Deus acalmara seus alterada :
moviraenlos impetuosos, < enlo sobreviera a coon-mel
na pai a sempre parle da sua communidade. Mas
a irmaa Mara Agostiuha que tioha sido^a enfer-
meira e companheira d'Aileen durante a sua mo-
lestia, sabia que nao seria assim. Antes mesmo
da sua cura, a donzella deixara ver para onde a
chamava a sua vocagao ; no seu delirio, fallava
Oh I deixai-me partir. Ella amaldi- frequeniemente nos anjos deste mundo de dores,
que s teem as vezes o por convenio a casa dos
grande calma. O padre Mahoney poz a mao sobre a cabega da doenles ou a sala da escola, por celia um quarlo
! donzella :-t A maldigo sem causa milla, Aileen; alugado, por capella a igreja prochial e por claus
Este raeigo e sanio semblante, Iluminado por na0 p?a,es nisso, minha pobre menina. Tomai tro as mas publicas ou o hospital ; cuja obedieo-
e o padre Mahonev tambera era do mesmo pare-
cer. Mas chegou om da em que a sorte da pro-
pra Moyna tornou-se anda mais roysteriosa do
que a de Aileen. Urna manha, algum lempo de-
pois da morle da pequea Gracia, achou-se a sua
cabana abena e vasia ; Moyna desapparecera e An-
ty com ella. Ninguem su-peiiara o seu projecto ;
seus passos nao poderara ser descobertos, mas mui
to tempo depois os habitantes do valle, quando
passavam por diante da cabana deserta, apressa-
vara o andar no temor vago de que Moyna nao ti-
vesse voliado e de que seus pretos e ferozes olhos
nao se fila.-sera nelles. Mas Moyna jamis reappa-
receu.
Deixamos a supenora dando as suas instrucgSes
irma Mary Evangelista. Ellas se entendan)
acerca das medidas a tomar, quando a porta se
abri cora arrebatamento e ama velha enlrou con-
duzmdo urna menina que chorava amargamente
< Nao quero ir comvosco, dizia a menina gritan-
do. Quero ir com minha av, agora que ella esla
din-nte. > Minha irmaa atmhio a menina a si pa-
ra consola-la, e voltando se para a mulher pedio-
Ihe urna expiieago.
c A meuioa, responden esta, eslava com sua
av meodigando ou vendendo mechas, quando na
volia de uraa ra, a av foi d-rnbada por uraa car-
ruagem e muito gravernenW ferida : ella foi con-
duzida ao ho.-piial e a pequea flcou abandonada,
s e toda era lagrimas. Euto p>-nsei em vos ira-
zer a pobre creaturinha, porque ella nao tem ne-
nhum coahecimenlo em Dublin. >
c Puestos bem, respoodeu a irmaa ; depois,
disse a menina : est> rima que vedes, deve ir lo-
go ao hospital, ella tratara' vossa av e amantiAa
t Ha muiias molestias em toda a parte, e quasi doUs grandes olhos azues e temos, recordava a su- agora um pouco de &Hmento, e dormi esla nolte cia serve de clausura, o temor de Deus de grades
todas as innas e^to oceupadas, mas eraflm isto perflcie de um lindo lago visto ao claro da la-, Com Norah, araanha me diris tudo quanto ten- e sua modestia de vu... Soccorrer o doente. o
me parece mais urgente ; tereis o que pedis. Devo saDe se vendo-a que elle tem tido suas tempestades, des a dIer.me. afflicto e o indigente tinha sempre sido, poderia-
ir procunr minha irmaa (A superiora das filhas posto qUe ludo agjra parega socegado, tporque el- Sabe-se o que tioha acontecido i Aileen, e pon- mos dizer, a paixo dominante de Aileen ; e quem Ireis cin|go Par sabermos noticias suas.
de S. Vicente assim chamada.) |e mUdou a tempestade era branda brisa e as ondas cas palavras explicarlo o resto. Ella flcou por mui- pode (Jara um tal espirito ser ura molhor guia do A menina lilou por nm ou dois minutos seas
t lie, irraia Marlha, e arraojai isto o mais toraaram se maquillas. Quanto joven irmia, el- to lempo aturdida ; a crueldad de Moyna tinha que S. Viceute de Paula t o aojo do pobre, a som- grandes olhos aberios e espantados na religiosa que
cedo posslvel. Ha ura caso muito grave entre as |a se regisijava na serenidade da sua alma, porque felo trasbordar o seu calu de amargura. Apezar bra de Deus sobre o enfermo ? devia Iraur sua av, mas ella vio os olhos desla
muineres fehdas e eu estimarla antas ter uraa de Deus a tinha conducido ao porlo. Sun, mesmo nes- da sua dogura* submisso habituaes, nao podia Era urna verdadeira vocagao, e por Islo que cheios de lagrimas, e eniao suas mos iremeram
vos para dirigir os cuidados a dar deste lado. : le mundo, o porto de recuso pode alcancar-se por contar a ua Impaciencia de deixar o Valle-Escn- Jileen O'Donnel velo a ser Irmaa Evangelista. To- posto que ero se raovesse nem hitase. A menina
A irmaa parti e foi ler so cora a superiora. qe e 0 8agrali corago de Deus. e elie chama a ro e as sceoas da sua vida pasada. do o mundo ac,hon qae este nome Ihe asseniava
Tomai alguraas Innas da escola, respondeu este repouso d'alma todos aquelles que trabalbam Ob I nao deixeis ninguem ver-me, nao fal- porque a presenga do seu rosto tao tranquillo de-
esta. Nao vejo outro recurso. A irraa rsula vol- e qae *e fatigara, que atlaal' nao recusara ouvir a leis em mim a ninguem. Pelo amor de Deus, dei- via trazar a boa nova a lodos aquelles que m
tara comvosco e esta noile, quando a irmaa Benig- f0z do Divino Consolador. E agora que sa vio a ir- xal-rae partir ; em toda a parle excepto 'qui. Irei Ihe approximavara.
approximou se mais laucando sobre a irmaa Evan-
gelista um olhar supplicante ; esla segarou com
suas pobres niuziuba sujas o vestido pardo da ir-
maa escoodendo 0 rosta Um instante depois ten..
-bae-
goes que Ihe abnlhaalam ama fortoaa eoasidra-
vel.
Drsejamos a mesma sorle e iual ia a aatfue
dandys parisienses que por desastrosas prodiga-
lidades se precpitam das espfteras da vida ote-
gante.
Ld-se o seguale era ura joraal protestante das
Estados Unidos, o Knkkerboqwer Jtagamar:
Ura correspondente de Albaay iraasaCM aea
una uarrago tocante.
M. S., diz-nos elle, coja babitagao peno a
minha, tioha ura lilao de seis asaos, e sa uau da
mesma idade.
As duas chancas araavsm-se tasto, qoe, se sao
fossem as ordeas de seus pas, sao se separaran!
aera de da, aera de noule.
Ha um niez, poaco mais oa aseso-*, o sseaiso
foi atacado de escarlatina, e morrea pasee de-
pois.
No dia seguioie pegoei em Passy, qoe rase iva
amargamente, para a levar a coatatsptar as rtsaas
do seu amigo.
Nunna vi agona semeinante, imsresso ao rwlo
de urna criaaga de tao lesra idade; at ase as,
depois de ler contemplado em trisas Mteaeis as
feicoes do defunto, voliou-se para saa asat, e, ea-
tre soiugos, perguniou-ibe, se Ihe seria peraasM
orar pelo pobre Gailherme.
Mas, sem esperar resposta, ajoelhou cosa as ira
saataa, e o rosto virado para o co, recilaso Pa-
dre-Nusso.
Estavamos presenta doze pessoas, asas aeaaas
cora os olhos enxotos.
Como esla criaaga amada f
Mas apezar de lodo o amor de seos psis, sao
creio que seja amada na larra, eoeao o ao
co.
Os anjos a gaardem t
Assim o corago de ama criaaga es-iaa-tae aaa-
linclivamenle,qae bom rar sel-* mortn*. tas
pas enternecidos j nao saben onde esli es isas
argumente? de hereje* para falsificar a isdote "Wii
de sua lilha.
Admiram nma idea de piedade, sem lea saas-
rera porque, e a seosibilidade fa los estaaecsr o
sea rgido protestantismo, al ebegaresa s podar
aos aojos, que velera pela soa filas, seseo qae,
segundo a sua seia, idolatra avocar ootreai
que nao seja LVo.
O acto contado por aqoelle pai BgaMa san
seria adrairavel da parle de nasa criaara eatao-
lica.
E' qoe o proiestanli-mo irabataa por smrsr a
alma, condemnando a a mais asV-fira andrt.
Mas desde que a alma so Ore e se reculas esa st
mesma o verdadeiro dogma ehxuto aprusae -
Ihe luvoluuianameme ao corago como ahaaeslo e
consolago.
.

lio-se carjegada, aperlada por bracos canas so* s
coberla de' beijos; e quando atina! a aaaia isi
completamente lirada pela voz lio tersa qae las
dizia :
i Aoiy, querida ; > a ose sisa pastea mos
bragos com affecio ao redor do eolio as saa prima
e as lagrimas vieram aos olhos de ssissa trwmm
quaudo ouvio os acceolos faliiiados da psisassa :
Ol Aileen, dizei-o aisda, sois vs, real-
mente vos ? Oh Aileen I >
Portanto Aniy ficou no liospieio de 3. Vw-rsle c
logo arcommodoa-se com as istsa* a irsviss; a
Aileen foi assonlar-se na caheerira da casas la ve*
Iba Moyna : enfermeira branda, aftecloosa a is'.n.
gavel.
Toda a soa alma se elev^a em lervnriisa* arrees
de gragas para Deus, cuja ssiserieordM ISeesTiao
esta oceupagio, e em orages para qo* a loa xa
razo e da f fosse concedida a esla pobre alan
enferma.
E' o caminho qus lieos esentseo para os
conduzir a elle, pensava ella eonasigo. E* para xas
tim abengoado que elle vos envioo lodos mtn pe-
zares e soffrimentos, minha pobre mai I I saet-
non se para abragar a mi esffriliaaa
fra da cama e qoe ama dor viva,
no sorono, tinha aguado cusvalslvasaeaa. Assiia
passou se essa tonga noile; e qnaado aaasaaeesa,
o estado de Moyna nao tioha modado. EX* sfis
cessava de fallar oa de mormurar catre as acates
quando nao eslava sob a infloeaeia os aseio. \*
palavras que pronunciara, aflbgiraa mana* asea
a' Alleea, porque expnmiam ama grande ssssrga-
ra e revolta de coragao Oulr'ora o tea petar pss-
vinha de ama ontra cansa. Moyas a figarava
ser a feliz mi dos lempos pss'aso., ceresas 4V.
seas tres fllhos. saa alegra e sea orgnlho: Larry
e Canth, morios na tonilo lempo, e Glsrk ramst qaa
inorlo, izia o muodo ; nu
sim. Ella agradeca a Deas s
arrependimenio, e a vergooha e aa
que deviam servir para a ponfieacaa a ataam.
Ab I ei la erofim, a /Ma eersts f *
A irmaa Mary Evangelista atoa as lats s i
poder sobre ti mesma pera costar i
ouviodo sen amigo a chata
um accento lio terso peta bocea ajos, a i
qoe iba tinha fallado, so Iba
edes amargas e crois maldigdes.
(Ctalinmmr-m kmj
phknambucu -nr. pg,r m t. nuao

-J


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9F7RYBM0_QUK85Z INGEST_TIME 2013-08-27T20:35:10Z PACKAGE AA00011611_10828
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES