Diario de Pernambuco

de'outra VeZ tft ^ P"a'3 "T'It S r**B3m Z\QS SSSt
tt^X** de ProvarV e I^.J* te.nnode- sempre mui.o mal.quando nao marrh.ma S5
aaeaosxelo-
trepidaro eta ouaeM-
n* com a calumnia quando assim o exige a desa-
gao e parcialidade cora que proceda
processo contra Manoel Pereira Vanna
espancara, e que apesar de reo era o acessor do
mesmo subdelegado, at no proprlo processo.
Represenlava-me tambera contra o primeiro,
e os indicados supplentes, Manoel Lourengo, e
oulros de Gravat, por abusos e violencias que
praticarara.
Mandei a primeira representago ao chefe de
polica, para que ouvlsse ao aecusado e o dele-
gado, e a segunda ao juiz de direito da comarca
em 16 de maio, para que ouvindo a cada um,
reraettesse snas resposlas, ioforraasse com o que
por outros meios Ihe constasse, o que anda nao
fez.
chinos SPaVBrft f C0" d-sd^7cX=c^T^ I
Rernardino Clemente de Azevedo, Pernambuco, 33 Lfflo au \,o^e sin, ntU-na* ^"^-^ sos d' r<*"'U
n^^r^i i^i.^fg-... .co, i nossaJn, polica, e osf.ffiu'
eis o motivo da
lio esl de lacho
acceso para nos queixar, e at dando communica-
goes falsas contra mim.)
Continuando diz, o mesmo relatoro:
No entretanto, informando o delegado em 9 de
maio, o que Ihe foi remetiido, declarou tassim
11
bafo de paixGiS vix e peqoeoioas.
Ja v. Srs. redactores, o motivo que tiva da alr
aos seus prelos, foi tao smente defender a ratafca
reputago lo vilmente calumniada e alagartada
pelo Sr. Dr. juiz de direilo da comarca do Buatio
que nao Ihe tremen a mao e n-m Ihe doen a alav-
?etelrlP a. Qh HUVi' 8 V- SU5' m wnscienci era manchar a mioha repotac^
, nlllX T e?T d'rlg,d?- Pr VlaDna' 6 DiIl> in 0miM o Sr. Dr. Julio azer-me esta
que aquellas autoridades so se dingiam por vin-; lJCa aue nunca lome cha' mm s s ,
i fSS naZutde Par,d' eSPeCUUC50> '**\^5?S?*3*\i Dr.Jal
(O juizP de pa/que o Sr. Antonio Jos Pereira, f gj $S?- L^m'fiLSSS
, mandou que Ioforraasse, e o >r. Jos Soares d ue f ZnJLl*TSrdTwSEZEZlZ
Oliveira^rande, que.es.ava servindo in.rusamente | %SS72?m rSt* VS
deaMi
^gJM!** Sr-.Peira nao mandoul '^i^SmS'im TraSizWto ada'TiS
S f caPCC,Usad2S COrao e de le,'ae he 01 ?rJe": JaKo, eriar mal de fogo e saogue, e coaira rites
I V\ J l0JCJ"?S V'ng0U"8e d 5-suPP'enle forg.ca ludo : alm disio o Sr. Julio se arittiadav
o Sr. Soares d"Alaeida, por ter este deposto como DOSftl(l eom nm r.nd. -- lTSt
ni-! testemunha em nm nm/p..,, m M Sr nn.pir, ree
Sr. Sr.
i Juo contra mim, termine processo para tirar des-
RrriS*Su Correa de Miranda quando o (forra de raim o \ix >r desaper-
5 2?Jr*."e! ?".,UIZ d8 Pal d-S-a fr;gf' eet>da a commuaicago do Sr. Julio eoaira
zia, pois interessa-se lanto na perseguigao do Sr.
Vianua, como poda interessar-se pela sua salvago,
lo smente porque o Sr. Vanna, nao jeuuino
como o Sr. Oliveira Grande, felizmente o Sr. Oli-
i veira Grande, bem conhecido nesta comarca, elle
e o seu amigo Antonio de Lemos *
uuveira brande, que eslava servindo intrusamente ,j,,s esles ,euhorps 0 n. i..,m r,-.^., .
1 te^B1\adSe0aS UC0T0- 6 qUan'10 SP-' *2Z? de raTaS
, I ereira maodou que elle raforraasse ja contava t0i das ou m?I(,, POm tren.-5,. en>,in
uor. ouira a Aia-eida, por ler este deposto como ,,.. pnm nm ..*. nmor.. h *a*a*.
' \ 3SJnPraernoUn ff^2 7 ^ ^'^ coar" e^rainhaTInq^s'rfT
mo *a-! 2Er SL'f ielnCr!me *** ,caao' Por res, talvez se ho de desenvolver as iras 4o
io sa- qo.ii. dada ao br. Dr. juiz de direito pelo o seu | Jo, 0 conlra m_ ..._..,, Dro,._ .__ r
mira,
mas paciencia, o Sr. Dr. Julio nao jle ans ser
raen juiz, porque declaroa-se mea ioimigo, a por
isso talvez o diabo Ihe alele para ser aten jais em
instaurar me prucesso, cnto Vmcs. lenham pa-
ciencia coinii'o que vollarei aos seos prelos e ran-
Srs. Redactores. O modo calumnioso porque i como jenuinos exaliados.eu e os meus amigos temos
o Litera/ de 2 do correte, sob a epigraphe-Fruc-! deraiiudos sera serros ouvidos, as reclamagoes
ios da Ligatrata o digno subdelegado deste dis- cnlra nSf cousa nuuca vgU ,,,, feiizruenie o Sr.
trido, aitribuindo-lhe lacios deshonrosos no des- Oliveira Grande, nao disse aue eu e os meu ami-
empeuho do seu cargo, obriga me a vir boje occu-! gos demiltidos, eramos ladroes e assassinos. pois o
par espago em suas columnas, afim do dizer duas | Sr. Oliveira Grande, c.paz de ludo, e se paanr
ha autoridade policial que
os seus inimlgos polticos forgicara
12
Fizeram exame de rhetorica no dia 18 :
Plenami-nte. 4
Simplesmente 3
Reprovados ... 5
~12
Fizeram exame de rhetorica no dia 18 :
Plenamente. 6
Simplesmente 4
Reprovados. 2
12
Fizeram exame de latim no dia 20 :
Plenamente. 9
Simplesmente 3
12
Fizeram exame de Geometra no dia 20 :
Plenamente. 4
Simplesmente 1
Reprovados. 7
~12
Passageiros do vapor nacional Paran, sahido
para os porlos do sul :Evaristo Hyppolito de As i
sis Oliveira e sua senhora, Izidoro Jos Caparica,
Haooel Jos Caparica, Antonio Carneiro Antunes :
Guimares, commendador Manoel Gamillo P. Fal-
cao, Salvador Bargas de Barros e um escravo, Dr.
Francisco O. da Silveira, Anna Joaquina de Jess, j
Alexandre Gruber, Manoel do Nascimento Teixei-
ra, Augusto Pedro Gomes da Silva, Dr. Eduardo
Meireles A. Moreira, Joaqnim Newton de Carvalho,!
Jos Eas da Rosa Cilheiros, Armio Evangelista
de Araujo, Jos Furtado Sardenba, sua senhora e 3
filhos, Amonio A. Monteiro, Jos Leopoldioo de
Queiroz e um criado, Jos Miranda Curio. Antonio
Jos de Araujo Lima Jnior, Jo* Mercez da Silva,
Jo> A. Gomes e un escravo, Jos BernardoSerra
Belfort e um escravo, Domingos Rodrigues Guima-
res, Lourengo Gomes de Araujo Silva e ura cria-
do, Antonio Ges, Clanrindo Pessoa de Albuquer-'
que, Dr. Domingos Jos Rodrigues, Evaristo Pinto
da Costa, os aprendizos marinheiros Antonio Perei-
ra dos Santos, Joaquim Pedro Alves e Jos Alves
da Silva, Rvd. Mauricio Lobo, padre Alexandre F.
Cerblon Verdeixa, 4 recrutas de Marinha, 8 pri-
muiros marinheiros 9 grurnraetes para a armada,
5 escravos de Felisbella Wilson, Joaquim SimSes
Daltro Silva, Antonio Francisco de Castro Lourei-
ro, Ju- Garcia da Silveira Juoior, Joaquim Alves
da Silva e um escravo, Joo Justiniano Lopes, John
James L. Eogland, Augusto Gu maraes. Amobl
Pereira de Araujo, bacharel Manoel T. Barboza
Freir, Antonio Mana da Annunuiago, Pelippe da
Silva Porto, seu sobnoho Reinaldo, um escravo de
Jos Caetano Pioheiro, 9 pragas para o exercito, 28
ditas para a marinha, 1S guardas nacionaes, 1 vo-
luntario da patria, Ignacio de Olieira Arruda, Jo-
s Vaz da Fonseca Lordella, Lecindo Alfredo da
Silva, ura escravo de Jos Joaquira da Silva Go-
mes 4 C.\ Mara Joaquina de Albuquerque Mar- >
nhao, Joo C. Pereira Paiva, Manoel F. de Araujo!
George, Dr. Julio Alfredo Ribas e um escravo, Ga-
millo Corre i Dantas, major Julio Poraoeo D. Lima,
sua senhora e 3 filhos, Clemente de Oliveira Men-
des e um escravo, alteres da guarda nacional Vi-
cente Ferreira Alves Juuior, Ociavano Cutrin, Joao
C. Borges, Gongalo Paes de A. Faro, a ala direita
de polica e o 5* corpo de voluntarios da patria,
Antonio Pereira de Abreu Janior.
palavras que tornem patenta o malvolo intento i este procedente r
do detractor do sundel-gado a que rae reflro. | ,jrva porque
Felizmente o Sr. Joo Francisco Cavalcanli Uma reclaraagao, e a aecusa"de fados imaginarios,
bem conhecido no termo do Bouito, pelos relevan- e arranjam quatro ou cinco de seus espoletas de
les servigos, que no desempenho de seu cargo, tem ; sua parcialidade, e mandara assignar a rogo driles,
prestado a causa publica ; e a sua repulagao esta e por esta forma esla a autoridade demitlida, por
de tal modo consolidada que nao sera a calumnia! qUe nao a mandara ouvir.)
alirada por quem talvez deseje o lugar que elle
oceupa, para aproveilar a crise, que o tara des-
merecer do bou) conceilo que delle azeiu seus
superiores e o publico em geral.
E' falso que tenha esse digno subdelegado oc-
cupado em suas lavras, individuos que ihe traba-
Ihem de graga, com a condigo de beala-loa do
recrulmeuio e que sob a raesina proraessa obli-
gue ouiros a Ihe promelterem o vol para as futu-
ras eleiges.
Coulra a primeira destas imoutagoes, ergue
se o fado geralmeote sabido neste dislricto
de ser o Sr. Joo Francisco ajudado em seus tra-
balbos d'agncultura por seus dignos cunbados
Juo Szerra de Vasconcellos Torres e Jos Be-
sao conhecidos ,arei 0 Sr Dr/ jU|i() ein proia e Tefw> e -wu
couza que esta' oa lama do Bonito, o respertavei
publie ha de licar mlf irado, e nao nada desai-
roso a tima autoridade que se dit a primara da co-
marca.
Sou, Srs redactores, de Vmcs. criado e obri-
gado.
Joao Capislrano Torres Galimm.
Grvala' 20 de outubro de 186o.
Anda contina o relatoro :
O 3 supplenie Torres Gallindo eslava sendo
processado pelo juiz de direito, segundo este me
< commuoicou em consequcncia de uma represen-
tago do juiz municipal supplenie Antonio Jo;
c Pereira, e por ler delapidado as rendas do patn-
i mono da matriz, como pelos livros verificou o
juiz de direilo em correigao.
(A comrauoicago do Sr. Pereira, felta contra
mira ao Sr. juiz de direito enexata e consiste em
elle dizer que eu me oppuz a um mandado do Sr.
Pereira, como juiz municipal supplenie, mandando
que Francisco Xavier, se apresentasse na villa do
Bonito,
Acabo de saber que ara dos eorrepooiJeates
'esla cidade para o Jornal do Cimmneio, da curte,
sseverara era ama das suas ultimas cartas, que
se nao fora o coatingent-* avallado com que eairei
para o corpo de guarda naci mal, roja orgaai*ago
est a cargo do teoente Coronel Minaano Xavier
Carneiro da Cunha, este ni la faria.
Como nao gosio de tirar aos outros a flora, qoa
Ihes pertence, apresso me a declarar ao referido
correspondente, que n> fu bem informado. Dede
muito tend resotvido marenar para a coerra,
aproveile o ensejo da organisagao do corpo da-
quelle ten-nte-coronel, m-a amigo, a me ear-irpc-
rei a elle preslando-lhe toda a eiadjovago a mt%
alcance, empenho este em qne fui auxiliad) pelos
meus amigos; roas isto nao lira qoe o referido l-
ente coronel tenha por si teito raoit >, a
zerra de Vascoucellos Torres, os quaes sempre fel[os por Guiherme Paotalio Dantas, cujo exa-
que se faz necessano mandam escravos seus para rae f0i requerido em boom de Guiherme, a quem
irabainarem nos rogados do Sr. Joa> Francisco : 0 Sr. delegado, e juiz municipal supplenie protege,
e quando emprega e>le em seu servico bragos li-; e como Francisco Xavier, eslava cora as cicatrizes
para se proceder exame de sanidade no _
mesmoCorri, pelos feriraentos graves que soffreu, contingente muito mais valioso do qoe qoe
prestado.
Nao me offereci para a guerra
vres, sao elles pagos pelo mesm prego porque o
sao quaudo trabeiho a outra qualquer pesoa. Eu
quizera que o vil calumniador aponlasse um s
individuo que leuha trabalnado de graga em ro-
gados do Sr. Joo Francisco.
abenas e nao podia fazer uma viagem forgada a
10 leguas, expondo-se aos rigores do lempo e a sua
vida corra pengo, e elle meu morador, nnaginou
o Sr. Antonio Jo.- Pereira, que pelo facto de ser
elle meu morador, fui eu quem o aconselbei, que
Para dirruir a segunda imputagao, basta deca-1 a0 fosse ao Bonito, e por isto lira-se dos seus c'ui
rar que a parcialidade poltica a que pertence o dados, representa contra mira ao Sr. Dr. juiz de
br. Joao fraocisco, lem sempre perdido eleigoes,ed,reito, este senhore que tem vootade de mor-
que os contrarios nunca sequeixaram de violeo der me, lmmediatamete mandou ouvir-me sobre
cas praticadas por elle, quer durante o processo a ta| representago, o que o flz dentro do praso da
eleitoral, quer depois. Por ventura entre esses i ,ei> e ale hoje fleou. a lal imaginada represeotago
que teeiu concurrido as urnas e que nellas leem sl0i quanl0 a commuoicago felta pelo Sr. \)r.
depositado votos prejudicaes ao partido a que per- jU|0i juiz de direi[0 ao Eim. predente da pro-
tence o Sr. Joao Francisco, nao existiram alguns a Vinciai em dizer que elle eslava processando-me
quera elle possa fazer sentir o seu ressentimento Y: por ter eu delapidado as rendas do patrimooio, Isto
Existera : porm nenhum anda se queixou de ; e uraa calumnia do Sr. Dr. Julio conlra mim, pois
ter sollndo vexagoes por parte da polica desle com 0 documento seguinte prova que tal processo
dislricto, porque se o Sr. Joo Francisco, como nunca existi, e s existi na imaginago do Sr.
oulru qualquer cidadao, lera ideas polticas, nao Dr. Julio, que moslra ma vonlade contra mim e
procura e nem deseja ve las triumphar a cu.-ta do: desejo de rae perseguir, e verme separado da
cargo que oceupa e pood, em risco os principios m,otia numerosa familia, cumprindo alguma sen-
de jusliga que tanto o distinguen!.
Se elle procurasse obt-r proraessas de votos a
troco de Iseng.io do recrularaento, o autor da no-
ticia de que me oceupo, seria o primeiro a apoolar
aquelles de quem taes promessas (ossem exigidas.!
E' verdade que o Sr. Joo Francisco pobre,'
porm o pouco que possue porporciona-lhe os
meios de viver decentemente, sera que ponha em.
jogo o cargo que exerce, como sem duvida o faria!
o seu miseravel detractor.
Os criminosos e recrutas que san recolhidos a
prisa), e que nao tem os meios necessarios para
subM.-iir, sao soccorridos pelo Sr. Joo Francisco,
sera que os hab tara-es desta povoago se privem
de parte de seu alimento para nao ve-Ios entregues
aos horrores da fume.
Convengi-se, pois o autor da noticia a que res- \
pondo, de que o Sr. Joo Francisco Cavalcanli
esta muito cima das calumniosas iraputagdes que
Ihe sao feitas, e que nao ser a vil arma da io-1
triga manejada comra elle, que ha de obscurecer '
os linmensos servigos prestados por esse digno sub-
delegado, servigos alias reconhecidos e proclama-
dos por todos os delegados com quem tem elle
servido.
Bezerros, 16 de novembro de 1865.
S.C.
Comarca do Bonito.
Senhore redactore$.Li os seus Diartos de Per-
nambuco de 20 e 23 de setembro do mez prximo
lindo, e nelles vinha publicada a coniinuago do
relatoro com que o Exm. Sr. Dr. Castello-Branco,
passou a administragaa desta provincia, ao Exm. Sr.
tenga dada por elle injustamente.
Acho do documento:
c Illm. Sr. Dr. juiz de direito. -Diz o capito
Joo Capistraoo Torres Gallindo, que a bem sen
precisa que V. S. mande o escrivo, por cerlido
o segu ote: o dia, mez e anno, em que fora
instaurado ura processo contra o supplenie, por
crime de delapidago de dinheiros do patrimonio
da igreja de Santa Anna de Gravata; 2* quaes
as testemunhas que juraram em dito processo -,
3* se o supplenie fora ouvido; 4a Analmente, se
c existe resposta do supplente ou recibo para
c resposta.
< Nestes termos, pede defer memo de justga, e
recebera merc. >
Despacho
Como requer.-Villa do Bonito, 19 de outubro
t do 1865.Jos de Vasconcellos.
Certido.
Luiz Monteiro de Farias, escrivo interino do jury
e execogoes do termo do Bonilo, em virtude
da lei ele.
< Certifico que revendo o mea carlorio, nelle
< nao encontr! o processo que faz mengo o
c peticionario supra do que dou.l.
Villa do Bonilo, 19 de oulubro de 1865.
Eu Luiz Monteiro de Farias, escrivo que es-
crevi.
Esta' sellado e recoohecido.
A' v-ia desta cerlido, nao est provado que o
Sr. Julio Barboza de Vasconcellos, juiz de direito
desta comarca, co'umniou-me e intermou ao Sr.
Castello Branco inexactido, e podera' o Exm. Sr.
conselheiro Paranagua', presidente desta provincia
ou outro qualquer presidente, acreditar em com-
romo qoera
captar louvores ; lamben) nao foi este o motiva |
anmagodaiuelle tr-neule orooel, amaos soapa-
nhamot nao fazer mais qan cumprir am dever, a
a conciencia disto nos sati-faria.
Smenle agora me dado escrever estas Hadas,
o que antes deixei de fazer por morar ao antJu, a
nao ter conhecimento s-no tarde da eorre*poa-
dencia, a que fago alluso.
Recite, 14 de novembro de 1865.
Jos Cacalcintt de Albaqtertjne Uekea.
PttlCAgM 1 PIMPO
Tendo chegado ao meu conhecimeato, que alga-
mas pessoas tem rensur.ido a com:msa > qoa ame
termo promoveu a subsrripeo para eom o Mpor-
te della se mandar faier a bandeira que em aoaw
dos Serlnhenses se devia ufferecer ao baulhi)
sob o commando do teneote-eorooel Mariaaaa Xa-
vier, sendo ditas censuras pela nao publieaco 4a
subscripgo pela impreo**, e em dizerem qae sa
tem propalado que a ella s soenereveram
do partido vermelrn, e que isto tem sido dilo
mesma commisso ; de mea rigoroso de ver, I
sido eu, quem, com o meu amigo Dr. Gaspar da
Menezes flzemos parte della, declarar qoe sao a
exactos semelhames boatos, vist i qoe para a ases
ma subscripgo nao s concorreram pessoa* da
todos os credos polticos deste termo, a propneta-
rios agricultores, mas tambera pessoo* da lelas as
classes sem distincgo, cada orna conforme aaas
possesse*, como sa vera' da lista, qoe garai
zer com que aquelle meo amigo a asaada
visto achar-se ella em seo poder, declaraado a
desde j que a pessoa qoe matar quantia jaa tri-
veu loi o Sr. Hyppolilo Franco da Silveira L>as,
senhor do engenho Floresta, qne dea ram mU rd,
assim como que dita subscripgo moatoa a atarte
mais de am coato de rls.
Engenho Jassiru' em Seriohem, 18 da
bro de 1865.
Francisco Manoel de Souza Olittw*.
Monte-Pio Portugaez.
(Correspondencia.)
Illm. Sr.E" com sincero prax-r qa ada*at>aila
provisoria desta sociedade sa dirige a V 3. para
Ihe agradecer as pro vas de dedicacan, qoe laa av
bido exhibir como sea pre-timoso wjmbra Ma-
venJo V. S. primeramente ootido 13
para o Monte Po, nao se dan lo asiai par :
lo, recen'.emenle augraentou-as eom mais i
fazendo o naraero de 22, e desia, eslaada p41
Usadas 15, diz-nos o Sr. thesoureiro


Diario de feraanbaeo Quiuta fe' recebido de V. S. 1004, *** equivalentes, fal-
lando rea.-ara importancia das uim de W p*-
sms, que se comprometiera a pagar c,l,n '"''' al'
guma demora aquillo que livremente assignaram.
Fazendo votos pura que o louvavel proeelmenlo
de V. S. tenha numerosos imitadores, a directora
provisoria comprarse ra Ihe teslemnnhar o seu
reconheeimer.lo pela manifesla boa vuudade, com
que V. S. se protn a auxilia la.
Deas guarde a V. S. Secretaria do MuOte Pi
Portuguez em Pernambuco, 24 de novembro de
1865.
Illm. Sr. J'>ao Lut Goncalves, muilo digno socio
do mesmo Moa te Pi.
los da Silva Luyo,
Piesirienic.
loaquim Gerardo de Bastos,
i secretario.
Illm Sr.Por derlaracao do Sr. thesoureiro in-
terino desta sociedade, leve, coiiheciiheuto a direc-
tora provisoria do Ihe aver V. S. entregado a
quanlia de I0J,5, sendo 205 di jaia cotn que V. S.
eootribuiu, e 8v de oito so> ios cujas asignaturas
V. S. soliciten.
Cabalmente, satisf. ita a mis-So qoe por esta di-
rectora Ihe tinlia siJo conliada, ella Ih'o agradece
com a maior coidiahd.ide, tanto mais que V. S.,
altn de conseguir o reabimeuto das quaulias an-
tes sub.-cripias, fez que mais tres de no-sos trilas eatrasSfOi para o gremio do Monte-Po Por-
tuguez, rom o que demoustrou V. S que verdadei-
rainente por elle se lotere&sa, sendo muilo para
apreciar lio boin exemplo.
Deus guarde a V. S. Secretarla do Monte-Po
Portuguez un Pernambuco, 22 de novembro de
1865.
Illm. Sr. Lirio de Souza e Silva, muilo digno so-
cio do mesmo lluata Pi.
Jos da Silva hoyo,
l'rt'.-i .tente.
Juaquim Gerardo de Bastos,
i secretario.
Monte-Pio Portuguez.
A directora provisoria eomtmiiiir.i a todos os in-
teressados, ipie acaliam de satur do prelo os c;ti-
tutos da si.cicdade, e que vi immediaiameiiu.' pro-
ceder-se a respeeliva disiribuie,ao.
Sendo de toda a conveniencia a maior presteza
no reecbimento das quantias subscripta?, a direc-
tora provisoria ropa instan:em> nte a todos os seu>
dignos consocius que obseqniosamtnto >e presta-
ram a eoadjuva la oeste servido, e que anda nao o
ultiroaram, toda a pxsivol activtdade no dito re-
cebimento, alim de que quinto anb sse possam por
em vigor os estatutos, e, slidamente constituida e
organizada a sociedade, tnas cedo veuha ella a la-
zer sentir aos associados o seu benfico influxo.
A'queHes a quem poder iirtercs-ar o aviso, julga
anda conveniente a directora recordar quedoA
de Janeiro de 18(36 em diante a join Sfi de 254, 9
nao mais de '05; pelo qoe convir apre.-sar-.-e
cada uin em sati-fazer a respectiva Jola, devendo
na mesma oecasto receber uin exemplar d.s es
tatuto-.
Secretaria do Monte-Pio Poriuguez em Pernam-
buco, 22 de Loveinbro de 1805.
los da Silva joxjo,
Presidente.
loaquim Gemido de Bastos,
t secretario.
coccSo das raizes da jurubeba, e Mrat e Delens,
em sen Diccionario de materia mlica e therapeu-
tica, iiizeni que as Au'illias se faz uso do sueco
dos fructos maduros dessa planta contra o catar-
rho vesical; e a auturidade dos nomes desses m-
dicos, merecidamente celebres, nos leva a crer em
suas palavras, e por islo cuidaremos de ter em
aosso estabelecimento essas raizes,para que possam
ser experimentadas.
A reputaco da jurubeba tal, e os resultado;
therapeulieos obtidos ltimamente sao lao impor
tantes, que nos parece inulil dizer mais do que
isto, que Ora escupi.
Deposito : pharmacla de
loaquim de Altneida Pinto.
MOVIMENTO DA ALFA&B.A.
Volumes entrados com eazendas.. *. 87
com gneros..... 157
Volumes sabidos cem eazendas.
JURUBEBA.
A jurubeba uuia das substancias medicameu
tosas, ao reino vegetal, e perience classe
dos tnicos e desobstruentes, sendo em prega
oa com vantagem contra as febres intermitentes
aeompanhailas de engorglamento de ligado e bago.
Ella ten .-ido appJicada rom incontesiavel proveitc
contra a anemia ou chlorose, e hydropesia, catar
rho da bexiga e mesmo jara combater a menstrua-
cao dilBcil, resultante da mesma anemia ou chic*
rose.
Extrato alcoolico de jurubeba.
Emplastro dem..
Oleo dem.
Tintura dem de dem.
Xarope idjm.
Vinho dem de idem.
Pilulas de ext. dem.
Deposito, pharmaeia de Pinto, ra larga do
sano n. 10.
com gneros..... .W6"
-
Descarregam boje 23 do correte.
Brigue inglez-(7 Brucemercaduras.
Patacbo inglez fiuzy=bacalho.
Brigue ing.ez Thermuthiscarvao de pedra.
Crigue inglezCarrte U. L,idem.
Barca Ingleza Fteur de Maurice=*\a*m.
\ Barca inglfztAnne Kaymercaduras.
Barca portuguezaCorsadiversos gneros.
Barca inglezaOlindabacalho.
Escuna raglezaCtera^pedras e carvao.
Brigoe nacionalAmeliadiversos gneros.
Patacho portuguezFartocharque.
Barca nacionalhialina idem.
Unidades. Valores.
eento
caada
ECXJ3MC
D'l'3
Molestia Ulcerosa
Todos aquellos que so achilo suVitos sof-
frer molestias scrofuloso, ulcerosas, ou syphi-
Hticas, anda mesmo a reputadas de peior
natttreza, apenas aeeessitao de lcroseguinte
caso maravillan, jara quo se sinto inteira-
Aiont'- ronyencidos que a sna propria cura
nSo b meramente ponivol mas sim absolu-
tamente certa,
Joao Josis Feiheiiia Bakhoza, r'-sidente
na Cidade de Maranliiio. tinha todo o sen
Cor|H) coberto de cliajras ulcerosas, c durante
algunos anuos so achavn debaiso do tratamonto
de mdicos es neis afamados, tciido usado
durante todo este tempo quasi toda a .-specie
de mortecinas que em laos casos empreada
pela faculdaile medica, ponm debaldo sem
obter o menor beneficio ou alivio: achando-se
po>.3 em taes apuros elle finalmente resolveu-
se, depois de repetidos e baldados esforcos
fazor uso da
No todo elle apenas chogou a tomar Cinco
Garrafas de SahvtparriViii e quatro frascos das
PUuh'H Vegetae* Astuecradtu, e o resultado
foi elle obter una completa e perfeita cura.
Os Sers. FebBIRA & CSa., Droguistas de
Maranlifio. foro quem supprirCio os medica-
montos, e ncbao-se peritamente ao facto
d'este caso, o oa meamos Senliores, nao s se
acbao promptos a confirmar o nie.smo, como
tambern em forneccr o actual adresso do S.er.
BARBOZA, toda e qualquer pessSa quo por
ventura so deseje informar Bocommi-nda-so mu jiarticularmente aos
Doentes que tenbao o maior cuidado na cscollia
deste excellente remedio, r.ao usando ontro
nao ser a Genuina Salsaparrilha de Bristol,
a qnal e' exclusivamente preparada por
LANM AN & KEMP,
De NOVA YORK,
pois que todas as mais sao inetEcazes e de nen
ham pr-istimo
Vendc-e ras boticas de Caors & Barbosa
e C. Bravo & C.
?0-4&-
A jurubeba.
As virtudes therapenticas da jurubeba sao desde
muito corihecldn nao s no Brasil, pois que dellas
Iratou Pisn em sua excedente obra Historia na-
turalis et medica Inite orriilentnlis. Renn na>
Anlilhas, onde o sueco das follas e fructos corno
aqui, muito estimado e appheado contra as obs-
trueyes abdominaes, principalmente do figado e
bacj; e se indos os facultativos desia provincia o
nao appliitm com frequencla, islo se u5o devea
nao rec'inhecerem elles essas virtudes, mas sim a
nao serem encontradas com facilidade e em todas
as estacoes do atino os fructos dessa planta, e a re-
pugnancia, que apreS' ntam os doentes em fazer
uso do sueco desses fructos, em consequencia de
ser extremamente amargo.
A jurubeba nao descotlhecida dos botanistas :
esta planta pertence familia da sotaneas, e tem
a denominaco de iofantim pamculattim, que Ihe
fol dada por Lyneo.
Parecendo-nos conveniente facilitar o nso do
sueco dos eructo* da jurubeba, que o mais em-
pregado, nos propozemos e conseguimos preparar
com elle nao s um extracto alcoolico que pode ser
applicado em pilulas, mas tambera um vinho, um
xarope, e um emplastro que pode substituir, em
certos casos, o de Vigo ; e estamos persuadidos que
com isto prestamos um servlco humanidade e
nte rapen Sea.
Pisn, tratando da hydropesia, prescreve a de-
VARIEDADES
Scicncias e medicina.
L-se na Union Medcale de Pars:
Osjornacs do medicina fallarnm por va-
rias vezes de urna descoberta importante
para a therspeutica, que consista na de.sin-
fecco dn oleo de libado de baeatbfto sem
llie tirar nenbuma das suas propriedades.
Temos o prazer de annunciar iioje as-
nossos leitores, que esse resultado foi obtio
do de mudo o mais completo por um habi!
pliarmaceutieo de Pars, oSr. Clievrier, que
consegtno desinfectar o oleo de figado de
bacalho c>m o alcairao e o balsamo de
Tolu. As experiencias fritas por muitos de
dossos pratioselec ebres, nos hnsp t-ies e so-
bre seus doentes particulares, as analyses e
ensaios de cliimic<>s competentes, nao dei
xam nenhnma duvida a este respeito.
Belatamos aqui as proprias palavras de
um juiz muito eminente e competente o Sr
L)r. li. Ilumbeit, laureado da academia im-
perial de medicina, e professor de Chimica.
" Submeiti a analyse, diz este distincto
professor, o oleo de figado de bacalho na-
tural desinfectado pelo processo do Sr. Che-
vrier, e posso certificar que esse producto
nao petdeu nenhum dos seus principios
medicamentosos ncm cliimicos, que se
aclum-no oleo de ligado de bacalho ordi-
nario. A fraca proporgao das substancias
eslranhas que e poem no oleo natural para
dissimnlar o cheiro e o sabor desagradareis,
nao pode de nenluim modo alterar suas
prop edades medicaes e s a torna de um
uso fcil e mesmo agradavel.
Km resumo o oleo de figado de baca-
lho desinfectado pelo processo Chevrier
goza de propriedades idnticas ao oleo de
ligado de bacalho ordinario, que elle repre-
senta exactamente.
Elle muilo ben tolerado pelos doentes,
os quaes i-lle nao anoja e tomado peas
pessoas ctijo gosto e olfato sao dos mais sus-
ce, tveis.
Hoje que o oleo de figado de bacalho
lem-s tornado um dos agentes os mais im-
portantes e preciosos da theraptutica, quem
descobrio o meo de tornar de um uso f-
cil para lodos, prestou um verdadero ser-
ico arle de curar e aos praticos.
Por isso nao podemos concluir melhor
do que felicitando o Sr. Chevrier por sua
rica e til descoberta que merece de ser
propagada, e di/.er com met collega o Sr.
l)r. Bichelal os trahalhos que conduzcm as
descobertas d'esta especie devem ser pro-
tegidos pelos mdicos.
Os importantes trahalhos do Sr. Chevrier
sobre o oleo de ligado de 1 acalho Ihe fi-
zeram obter um resultado nao menos im-
pelante, o ipial consiste em ter associado *
ferro ao oleo de figado de bacalho. O oleo
de. figado de bacalho Jerriginoso de Che
vrier constitue lalvez o melhor meio dedar-
t-e o ferro. Pois o iod.ro de ferro unido
leste modo tom o oleo de ligado de baca-
lho se dissolve ma dos das vas digestivas e por consequencia
se assindla muilo mais hem do que sb a
furma de pilulas ou xarope. Emlim elle
pe de assim suas piopriedades irritantes, e
nao provoca a constipac&o. E' assim que
os doentes, cujo estomago nao pode suppor-
lar nenlii ma preparacSo marcial, lomam f-
cilmente o otro de figado de bacalho ferru-
ginoso de Chevrier.
Os senhores Maurrer & C. acabam de re-
ceber um grande sortimento dos celebres
azeiles desinftelado de Chevrier e ferrugi-
noso de Chevrier.
Venue-se na pharmacia de Pedro Maurer
V C. rua Nova n. 18.
caada
arroba
libra
um
arroba
i
>
um
arroba
urna
libra
>
i
cento
um
cento
libra
<
>

um

libra
>
um
cento
arroba
alqueire
arroba

um
arroba
s
15500
800
800
380
800
900
45300
185000
15300
25600
25400
15700
55120
25000
15000
15000
15200
35000
75000
65000
G5000
440
360
280
580
35200
45000
15000
35000
300
300
15500
25500
155000
LFANDEGA DE PERNAMBUCO.
PAUTA DOS PREQOS DOS GNEROS SUJEITOS A DIRE1TOS
DE EXPORTACAO.SEMANA DE 20 A 25 DO MEZ DE
NOVEMBRO DE 1865.
Mercadorias.
Abanos.......
Agurdente de cana .
dem restiAda ou do reino
dem caxaca......U
dem genebra......
dem alcool ou espirito de agua-
ardente.......
Algodao em caroco .... arroba
dem em rama ou em laa <
Arroz com casca.....
dem descascado ou pilado I. t
Assucar mascavado
dem branco.......
dem refinado.....I.
Azeite de amendoim ou mendo-
l.ini ......
dem de coco ....
dem de mamona
Batatas alimenticias .
Bolacha o diara, propria para
embarque.....
dem fina......
Caf bom .....
dem escolha ou restolho.
dem torrado ....
Caibros......
Cal........
dem branca ....
Carne secca (xarque)
Canieiros .....
Carvao vegetal .
Cavernas de sicupira
Cera de carnauba em bruto,
|dem idem em velas
Cha ......
Charutos .....
Cevados (porcos) /. .
Cocos (seceos) ..../..
Colla......, .
Couros de boi, salga dos v .
Idem idem seceos espichados .
dem idem verdes J .
dem idem cabra cortidoS .
dem idem de onca i .
Doces seceos ......
dem em gela ou massa .
dem em calda 7]. .
Espanadores grandes .
dem pequeos ,1 .
Esleirs para forro de estivas
de navio. j .
Estopa nacional J ,
Farinha de de mandioa .
dem de araruta I ,
Feijao de qualquer qudlidade .
Frechaes .......
Fumo em tolha, bom | .
dem ordinario ou restolho
dem em rolo bom.....
dem ordinario ou restolho. .
Gallinhas ........
Gonima ....'.... arroba
Ipecaruanlia (raiz)......
Lenha em adas.....cento
Toros.......... >
Linhas e esteios......um
Mel ou melaco......caada
Milito.........arroba
Papagaios ........ um
Pao lirasil ...'.... quintal
dem de jangada......um
Podras de amolar .... urna
dem de filtrar ......
Idem de rebolo .....
Piassava ......
Puntas, ou chifres de vaccas ou
novnos.......
Prancliocs de aniarello de dous
costados .......
Idem de louro......
Rap.........
Sal lito.........
Sal...........
Salsa parrilha.......
sebo em rama......
dem em velas......
Sola em vaqueta......urna
Taboas de amarello.....duzia
diversas .......
Tapiocas.........arroba
Taiajuba........quintal
Travs.........urna
l'niias de boi ......cento 200
Vassouras de de piassava 105000
Ditas de timb...... 85<)0
Di las de carnauba..... 65000
Vinagre.........caada 500
Alfandoga de Pernamuco, 18 de novembro de
1863.
urna
roandti patsar o presento que ser publicado pela
imiirens e aHlsado; nos lugares do costutne.
Recife. 20 de novembro de 1865.
2441 En Maooel Mara Rodrigues do Nascimento es-
crtoio o subscrevi.
1>-isiao de Alenr.ar Arartpe.
S O cidado Haoei Nunes de Mello, juiz de pan do
2" anoo da fregueiia de S. Pedro Martyr da ei-
dade de Olinda, em vlrtode da le, etc.
Faco saber aos que o preseule edital virem, que
lindos diva aprazados da lei, se ha de arrematar
por venda em praga publica deste juioisbens se-
grales :
Urna commoda de aniarello por 145; urna ar-;
ma cao por 504 i um caixo com casulos por 205 ;
urna marqneu de faia bastante velha p >r 45 ;
urna pipa vasta por 45 ; sete garrafdes vasios ser-I
vido de azeite por 25 ; um barril vasio que serve
para azeite de carrapato por 15 ', urna biizornia
por 15 ; 135 tipellas de barro por 35400; 49 pires
pintados por 25940 ; 152 lijellas pintadas para co-
mer por 125160; urna eaixa deamaiello velha
para guardar farinha por 5 ; urna eseada velha
por 800 rs. ; um banco velho por 240 rs. ; urna
bacia de rosio a qual de lloco por 80 r>.; urna
reama de papel de embrulho por 80 rs.; quairj
massos de abano por 15 ; 20 pegas de corda por
400 rs. ; 8 cocos de pao por 160 rs.; 23 cipo paos
pM 160 rs.; dous canecos de folha para beber
agua por 16U rs.; 100 garrafas vanas por 15; 50,
caximi.os por 100 rs. ; dous balaios de palha por
40o rs.; um par de cacambas por 800 rs. : cujos
bens vo a praca por exccucio de Joo Baptista ds
Macedo como credor de Andreza Mara da Con-
ceico.
E para que chegue ao conhecimento de todos
mandei passar o preseote que ser allUado no lu-
yar do costume. e publicado pelo jornal.
Dado e passadj nesU cidade de Olinda, sob meu
sigmil e sello deste julio valha sera sello es-causa'
aos 10 de novembro de 1865.
Eu Theotono Jezuino de Oliveira Rotetltti escri-
vao de paz ("u escrever e subscre.v.Mannel Nu
nes de MHIo.Ao sello 300 rs. valha sem sello es-
causa.Nunes de Mello.
O cidado Manoel Nunes de Mello, juiz de paz do
2 anno da freguezia de S. Pedro Mailyr da ci-
dade de Olinda, em vrlude da lei, ele.
Fago saber aos que o presf nte edital virem que
lindos os das e praca da lei se ha de arrematar
por venda em praca publica desle juizd os bensse-
guiotts :
Urna balanga e peso de 1/4 a 1 arroba'por 55 ;
8 medidas 25 ; 4 corredores de folha por 240 rs. ; um copo!
pequeo por80rs.; um* qnarta de sal por 160 rs.;:
16 barricas vasias por 45 ; 2 canger*<, sendo um
de folha e outro de louca este quebrado sem valor
6 aquflle por 300 rs.; urna quartola por 35 ; um |
candieirode faz sem vidro por 320 rs.; 2 barricas
cem sal por 15280 ; 4 paos que serve para nafitel
ros por 25 : cujos bens vio a praca por execucao
de Antronio da Cruz Ledo como credor de Anlreza
Maria da Coucelc-'.
E para que chegue ao conhecimento de todo?,
mandei passar o presente que ser aflixado no lu-1
gar do costme e panucado pelo jornal.
Dado e passado nesta cidada de Olioda, sob o
meu signal e sello deste juizo valha sem sello es-
causa, aos 10 de novembro de 1865.
Eu Theotonio Jesuino de Oliveira Bosellis, eseri-
vaode paz liz escrever e sobscrevi. Manoel Nu-
nes de Mello.Ao sello 300 rs. valha sem sello es-
causa. -Nunes de Mello.
O Dr. Trislao de Alencar Araripp, offlcial da impe-
rial ordem da Ro-a e juiz de direito especial do
commercio desta cidade do Reiife de Petnamliu-
co e sen lermo, pi-r Sua Magestade Imperial e
Constitucional o Senhor D. Pedro Raquera
Deus guarde etc.
Face saber aos que o presente edital virem e
delle noticia tiverem, que por este juizo especial do
I commercio pendem uns autos de exeeuco de sen-
oannal ,t,Dfa de l|'aDC'*C0 Xavier de Oliveira costra os
85000 a'immi-tradores da massa fallida de Seve Flihos (S
-ano ki e leudo se leito peuhora em dinheiro do liquido
2?\l l'r|)ducto dos bens parliculares do socio Manoel Joa-
quim Seve, fra pelo solicitador Ignacio Barroso de
Mello, procurador do exequente, feito o requer-
ment do seguinle termo : Aos 13 de uovemaro de
1865, em publica audiencia, que aos feito- e parles
da va o Ur. juiz especial do commercio Tri-lio de
Alencar Araripe, pelo solicitador Ignacio Barroso
de Mello, procurador do exequente, aecusou a pe-,
13300 nliora feila era dinheiro perteuceote ao executado,
35000 e iequereu que se Ihe licassem assignados os seis
550OO das ila le e 10 aos credores incertos, pa-sando se
55000, os respectivos eoitae-, o que ouvido pelo juiz liouve
S001 a peuhora por feila e acensada, e os seis di 400: iei e 10 por assigoados ua forma requerida, d > que
150001 (z o presente extrahido do protocolo das audien-
120 jcias a que juntei o mandado e termo de penhora
que seguem : eu Seruodino Eiiodoro da Cutiha,
escrevenle juramentado o eserevi.
Eu Manoel Mana Rodrigues do Nascimenlo, es-
criv.io o snbsrrevi
Por eorca do meu despacho o referido escrivo
150001 fez passar o prsenle, pelo qual chamo, cito e hei
1201 por entunados os credores iucertos do dito execu-
400 tado, para que c mparecan ne>te jnizo dentro do
235000 indicado praso, munidos* de seus documentos, alim '
55000 de allegarem o que fr de jusilla.
E para que chegue ao eetiheeimento de todos,'
mandei passar o presente, oue sera pmhlica'Jo pt-la
imprensa e aflixado nos lugares do costume.
Recife, 15 iie novembro de 1865.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento,
escrivao o subscrevi.
Iristao de Alencar Araripe.
600
150
240
100
350
105000
15OOO
320
500
45000
25000
155000
15G00
15800
45000
25000
55000
N. 7 publico e 33 particular segun-
do andar......... 100#000
Roa do Apollo.
N. 94 publico e 91 particular. 1:4005000
Ra Velha.
N. 27 publico e 96 particular. 9G5000
Ruado Rosario.
N. 26 a 34 leja n. ID..... 4785000
Os prelendeules comparecam no mencionado da
com os seus fiadores ou com carta dos mesases.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Hecife 21 de novembro de 1865.
O offlcial,
Manoel Antouu Viegas.
Santa Casa da Misericordia d Recife.
De ordem da junta administrativa da Santa La-
sa de Misfricordia do Recife convido as pessoas
que quizerem arrendar as casas abaixo declaradas
eazendo os conferios a sua costa para serem des-
contados dos alugueis a comparecerem nesta se-
cretaria as 4 horas da larde do da 23 e 30 do cor-
rente mez, sendo dilas casas perteucenies aos es-
tabelecimenlos de candade.
Ba Direila.
N. 33 publico e 4 particular.
Ra do Azeite de Peixe.
N. 1 publico e 53 particular.
Roa dos Burgos.
N. 2 publico e 57 p rlicular.
N. 13 publico e 38 particular.
Ra do Pilar.
N. 72 publico e 59 particular.
Roa doPharol.
N. 72 publico e 60 particular.
Secretaria da Sauta Ca-a de Mi.-ericordia do
Recile 21 de novej.bro de 1865.
O offlcial,
______________Manoel Antonio Viegas.
Subdelegada da freguezia do Fcn da
Panella.
Pela subdelegada da freguezia do Poco da Pa-
ncha se faz publico que d,-..-Je o da 3 do crreme
mez se acha recolliido a casa de delencao um are-
le que derlarou chamar-se Francisco e ser escra-
vo de Antonio Louieoco, morador na Lag.i-secca,
distrcto de Nazareth.
f-utidelegacu de polica da freguezia do Puco da
Panella 20 de novembro do 1863. U subdelegado
supplenle,
Joo Lucio da Costa Monleiro.
COJdPAXIIIA
600
25500
255000
25000
115000
65000
240
molho
cento
um
libra

alqueire
arrooa
1
35300
205000'
105000;
Sao convidados os Srs. accioni-las desta
cotnpanhia a reuiiiiem-se em assemnla ge-
ral no dia 5 do corre te me ao meio da,
n-> escriptorio da mesma companlna para
em cuiHpnmento dos seus estatuis delibe-
rar sobre as conlas do semestre finio, ap-
prov.tr o orcamento vinJouro e decretar o
35 dividendo.
Escriptorio da Companbia do Beberibe
2 de novembro de 1863.
0 secretario,
Dr. Jo5o Jos Pinto Jnior,
Subdelegada da Boa-Vista
Pela snbdelegacia d> Io districto da freguezia da
Boa-Vista se faz publico que se aeba depusilado um
cavallo e urna cangalha : quem se juigar com di-
reiio, provaudo, Ihe serio entregues.
Subdelegaea de polica do I" di>tncto da fregue-
zia da .ioa-Vi>ta 20 de noveinbro de 1865.O sub-
delegado sapotete >m eserefelo,
F. F. Marlios i.beiro.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria de la-
zenda dota pn vincia manda fazer publico a todos
os habitantes da mesma provincia, que em virtu-
de da circular do tribunal do thesouro n. 42 de 4
de outubro Ultimo, arha-r-e aberta na me-ma the-
souraria a subsutuicao das noias de 5JOO0 di 5*
estampa e que em lempo conveniente se annun-
ciar o da em que deve principiar o de.-couto
inen-ai de 10 0|0 do valor d s notas que a en-
lao nao liverem sido substituidas.
SecMana da ihe buco 13 de novembro de l8o5.Servindo de offl-
cial-maior,
Manoel Jos Pinto._______
Subdelegada da Ba-VIa
Pela sobselegacia do Io dlsiricto da freguezia da
Boa-Vi^ta se faz publico que desde o da 12 do
correte mez se acha recolliido a casa de delencao
um prelo que derlarou chamar-'e Francisco, e ser
escravo de Joao Cavalcaotl, senhor do eugenho
llonjopo, do termo de Iguaras^.
Subdelegaea do Io districto da freguezia da Boa-
Vista 16 de novembro de 1863,. O subdelegado
supplenle em exercicio.
F. F. Martins Ribeiro.
1IIL5IS.
Leilo
De movis, escracos, louca, vi"
dros e nutras artiyos de y oslo
Cordelro *iaae>c
por conla e risco de qnem p-riearer fara' ktilo
de mobilias de Jacaranda'e amarrtlo, bstsm ebs-
licas, camas francesas, marquesa!, radriras, ap-
parelhos para almoco e jaatar, garrafas, caaos,
clices etc, na mesma orrasiao vroitera' ama
muala de idade 16 a 18aono, cote, cosmha, hva>
e vende na ra e com mais algomas h* tul idade,
isto
IIOJE.
as II horas no seu armazem a roa da Cr Baste-
ro 57.
De raiudejas, peifumanas, ferrareis,
cuteierias e rhapts.
HOJE.
Mello, Lobo & C. larao laMie por inlernrao agente Peslana e por ronia e risco de ipi.-m -r-
tencer de nm completo sonimenlo Ar mimV;^,
perfnmarias, ferragens cutelenas e atsntaa : B*la*
II horas da manhaa em sen armaim., aa ra
da Cruz n. 63.
LEI0
De 20 barricas rom salitre reinar!.
O agente Mariins ear |eiis<, Wt conU e ri-<-o>
de quem pertencer de 20 barricas com salitre re-
finado de i arrobas co"a uina.
IIOJE
As II horas do dia ua porta do armazn do
Aunes.
Leilfto
De ditas escravas.
Cordelre ^imr
por cont* e risco de qnein pertencer fara' leilo /i
urna escravade idide 40 annos em tassai ha 1-
dades, propria para caa de famiia, I dita de ila-
de 25 annos com habilidades, isto
Qointa-eeira 23 do No armazem a ra da Cruz o. 37.
75000
25000
1405000
875000
35000
25000
C500O
(Assigoados):
O i." conferente, Manoel Peregrino aa Silva. do correte anno ,e ha 1
O 2." confereute, loaquvn Ignacio de Carvalho qem mais der, em prar.
Mtudonca. s^uime :
Approvo. Alfamlcga de Pernambuco 18 de no-
O Dr. Trislao de Alencar Araripe nllli-ial da impe-
rial ordem da Rosa, juiz de direito especial do j
commercio desta cidade do Recife de Pernam-
buco, seu termo por Sua Magestade Imperial
e Constitucional o Se. D. Pedro II a quera Deus
guarde etc.
Fago saber aos que o \ presente edital virem e
delle oolicia tlverem, qu uo da 18 de dezembro
Atteu#io.
No dia 24 dj correte, sexta-feira, ao meio dia,
na sala das audiencias, limla a du II m. Sr. Dr.
juiz municipal da Ia vara, se ha de arrematar por
venda una casa de pedra e cal assobradada, sita
na ra Bial da freguezia da Boa-Visla, com gran-
de sino e arvores de fructo, avallada por 20:0005-
IMi 1 e arremt.
1 publica
vembro de I8G5.A. Eulalio.
Conforme. O 4." escnpiurario,
Pereira Rocha.
UCEBKDOR1A DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendlmflnto do dia 1 a 21...... 23:20250*>j
dem do da 22................ 5745963
Joao de Assis muro e poriao de ferro,
trada denominadaCal
de taran, e um porto dt
mos de cumprimento de |u
r por
desle
venda a
juizo. o
Monleiro, freguezia rio
EMPREZA-COIMBRA
Pogo da Panella, leudo i !0 palmos de frente, cum ,
oin os fundos al a es-
reiro. com 320 palmos
madeira, ttndo 870 pal
m lado do sitio, divide
23:8675018
com los Camello e o rl Aleof.irado, e do lado do
norte com a Iravessa quel va i ao rio, leudo nocen-!
tro una casa terrea com urna porta e janelia, nos
CONSUMA no PROVINCIAL.
Bendimeuto do da la 2i.......
dem do dia 22...............
oitSes duas i niel las, com
nellas em lida roda da c;
seis quartos, cacimba coi
banho, quaitos para prel
c
IBIO.
PP.AgA 1)0 RECIFE.
Coluces ofQciaes.
22 de novembro.
Algodao primeira sorle 185000 por arroba.
Cambio sobre Londres90 d/visla 27 3|4 d. por
1?000.
Dubourcq Jnior,
Presidente.
Guimaraes,
Secretario.
Gaixa lial dol neo do Brasil em
Perita 111 tinco.
A ca xa desconta as letras de seu aceite pela
taixa de 8 0|0 ao anno.
Oguarda-livros
Ignacio Nunes Correia.
Novo il'Mini de IVniHRiliueo
O Novo Banco piga o dcimo quinto di-
devindo na razan de 85 por aego.
Xttvo banco de Pernam-
buco.
0 Novo Banco descoma letras de praso at qua-
tro metes a 11 por cento ao anno, e at seis mezes
a 12 por cento, e loma dinheiro a praso fixo ou
em conta correte pelo premio e condicoes que
se convencionar.
Caixa filial do banco do Brasil em
Periiambnco.
Sao convidados pela ultima Tei os credores da
massa fallida de Joaquim Francisco de Mello San-
tos a apresenlarem no praso de tres dias seus t-
tulos, alim de serem verificados e ter lugar o divi-
dendo,
mIMEST 0 POMO
Navios entrados no da 22.
Babia12 dias, brigue nacional Amelia, de 228
toneladas, capitao Joaquim Antonio do Soccorro,
equipagem 12, carga farinha de trigo e ouiros I ,~r' 0'aDscr"e"vi.
\ ? 1 __
52:7905496
3:1705013 de fructos, avahado em 7
_______ nhorado por execoeio d
55:9605509 Taborda, contra Jorge V
E nao havendo lancad*
^r-?=,'-- I avaliaco ser a arrema
adjudicaciio, na forma d^
E para que chegn; a
mandei fater o prese.nl
nos locares do costume
Dado e passado nesta
nambuco, aos 20 de n >v
Eu, Maosel Maria Re
gneros.; a Amonio Luiz de Oliveira Azevedo
&C.
A'ouioi saludos no mesmo dia.
Portos do Norte Vapor brasileiro Uamanguape,
commandante Ralis, carga differentes gneros.
Balumore Patacho americano Redwing, capitao
Heferam, carga assucar.
Ceara'Lugre inglez Englishman, capitaoThomaz Sania Casi da
Sullork, em lastro.
Tristo
fe Alencar Araripe.
OEOli
A Illm.' junta admini:
Misericordia do Recife
no dia... do crreme p
salas de suas sessoVs ter de ir a
das casas abaixo derlar;
ALFANDEGA.
Rendimento do dia i a 21......
dem do dia 22...............
462:8055258
15.5005349
478:3055607
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, offlcial da im-
perial ordem da Rosa, e juiz especial do com-
mercio nesta cidade do Recite de Pernambuco
por S. M. I. ele.
Faco saber aos que o presente edital virem e
delle noticia liverem, que no dia 18 dezembro do
correte anno se ha de arrematar por venda a
qit' m mais der em praca publica desle juizo o
seguate :
Um sobrado de um andar sito na ra da Laran-
g' ira com o n. 2. com duas janellas e varanda de
pao, com urna sala na frente, dous quartos e urna
sala no fundo, no andar terreo com 3 portas, o
qual tem soto qoe serve de cozmha, com ppque-
no quintal o qual se acha em mao estado, avahada
por 2:5005000. Urna casa terrea' sita na ra das
Triocheiras com n. 1, com 3 portas de frente,
urna sala, e dous quartos e urna pequea sala no
fundo, a quai tem soto com urna sala e um quar-
10 e quintal murado avahada por 2.5005000. As
quaes oram,penhoradas por wcecucau do Lond<>o
ABrasilian Banck contra a viova e.ber.deiros do
Dr. Jos Mamede Alves Ferreira.
E nao havendo lancador que cubra o preco~da
avaliaco a arrematado sera feila pelo preco da
adjudicico na'forma da lef.
E para que.chegue ao conhecimeaio de.todos
salas e quartos, com ja-
sa, com um solo, com
^1 bomba, e tanque para
eslribaria e arvoredos
0005 o qual lora pe-
Iguacio Luiz de Brilo
ctor Ferreira Lopes,
r qoe cubra o preco da
seao feila pelo preco da
lei.
canheci.uenlo de todos,
edital, que ser afflxado
publicado pela imprensa
idade do R-cIfe do Per-
mbro de 1865.
riguesdo Nascimento, es-
Quintu-feira 23 de 1865.
Achanlo-se restabelecila da grave enfermida-
de de que fra accommettida a actriz a Sra. D.
Adelaide Amaral, e sendo pooco o numero de es-
pectculos que tem de dar-se al o dia 4. a em-
preza acelera-os, lancando mao de um dr-ma no
qual a mesma actriz aprsenla urna de suas me-
Ihores creacoes.
Subir' a seena o magnifico drama dividido em
5 actos, dos bem conhecidfn escrlptores fraocexs
Anicet Bourypols e Adolpho d'Ennery, e legante-
mente traduzido pelo r. Dr. Achules Varejao.
A FILHA DO LfiVRAQOR.
O papel de Joan na Chumplona desempenhado
pela Sra. D. Adela) te, Amaral. o de Champloux la-
vador pelo sr. Pedro Joaquim.
Comecar as 8 horas.
[k
istricordia do rtecife.
traliva da Santa Casa de
nanda fazer publico que
las 4 horas da tarde as
praca as rendas
das por lempo de 1 a 3
tww gaUmjjB,
Para Lisboa
sahira' com brevidade o brigue portuguez Cons-
tante II, reoehe carga a frete e passageiros, para
os quaes tem eicellenle* commodos: trata se com
Manuel Ignacio je Oliveira Fuho, no largo do Cor-
po Saoto n. 19, escriptorio.
aunos a contar do 1 de ilho do correte anuo por
dianle.
Rus
N. 8 publico e 3 part
Ra do *
N. 49 publico e 5 part
N. 47 publico e6 parti
N. 45 publico e 7 pan
N. 43 publico e 8 par
iirelta.
ular.. .
re Floriano.
Irular. .
;ular. .
cular. .
Icular. .
Ra do li gundes
A 14 -I,,.!.,.
N. 34 publico e 12 pa
Ra dus P
N. 11 publico e 16 pa
Ra das Ca
ucular.
sradores.
Ocular,
cadas.
N. 38 pblico e 22 pai neniar. .
Ra das Cin ;o Pontas.
N. 108 publico e 24 patRcuUr. .
Ra de Sant 1 Thereza.
N. 7 publico e 31 particular. .
Ra da Imperatriz.
N. 68 publico e 47 particular. .
Ra do Azeiio de Peixe.
N. 1 publico e 53 particular. .
Ra da Seuxala Velha.
N. 21 publico e 71 particular. .
Ra Direila.
N. 5 pabeo e 82 particular para
leja do lado da Kenha. ....
1.0675000
1865000
1865(XK)
5
1695000
1455000
2165000
I575OOO
2315000
1985000
3005000
5
1465000
Rio de Janeiro.
A barca lovem Palmira, de 1* classe, segu com
brevidade, e recebe alguna carga a frete : trata-
se com o consignatario Joio Francisco da Silva
Novaes, travessa da Madre de Dos n. 5.
Para o Rio d.- Janeiro segu em poucos dias
o patacho nacional F > por 1er parte de seu
carregamento promplo ; para o resto irata-se com
seu cunslunatario l)oini(\: >s Alves Maiheus, ra
do Vigario n. 14.
tara o Rio de Janeiro
Vai sahir com brevidade o hrigue AoYIai ie
por ter a maior parle de seu carregamento traa-
do ; e para o qua lite falta, traa se com o consig-
natario Joaquim los Goncalves Beltro : oa ra
do Vigario n. 17, 1 andar.
Para o Porto,
Deve sahir com brevidade o brigue portuguez
Esteranga por ter a maior parte de seu carrega-
mento ja tratado : para o resto e passageiros tra-
ta-so *om Cunta, Innaos C, na ra da Madre
1685000 de Dos a. 1, ou com o cajjixao a Jjordo.
LEI LAO
)e 46caixascora rerveja snpe w.
O agente Mariins fara' lauta por coma r n- o
de qu-mperiencer de 36 caixas de superior err-
veja allema.
Ha" oB T T>^w m-a
As II horas na porta do armazem do Annes >-
froolc da alfandega.
IEI%0
O agente Pestaa fara leilo de farinha di trigo
desembarcada a dous dias, de superior m.in-a La
Piala, hoje 23, no caes do Aooll, eos freute do-
armazem dos Srs. Tasso Irmo.
LEffl.lO
Affltk&&
Hoje '3 de currrile.
Angosto C.de Abreu f>ra' leilao por interven-
cao do agente Pinto, de diversas faz en i 1- n:| zas,
francezas e suissas : boje 23 do correte as 10)
horas da manhaa em seu armazem rna da CaaStu^
LB A
Sexta-feir.i 24 de novrmhr.
A"'i ra Nora armazem numero 58.
Pelo agente tuzebio.
Da urna armaijo, hieiro, halco e mai perlen-
n-^, todo sera' ven-lulo ao eofTSff do marleilo, sor
que para entregar as chaves.
LLKMliAfT
De urna casa cu sili no Ptro da
Panella
Sabbatlo 25 de iPivembru II li-r;^.
O agente Pi.no fara' l-ilo a requenmenlo de
Antoaio B. C valcanli de Albnquer.ju"*, tlHiiai*-
trador de sua inulher Ernioda II. Pires de Fisuei-
redo Caourgo, e Isaltel A. Pires de Mgoeirelo
Camargo, e por rumiado do Illm. Sr. Dr.
jui/. dos fetos da fazen la, da ca terrea 0M -i-
lio no Pbft] da Panella, a p-ri nren a f.l.
D. Virginia Candida da FigoeWaala CBMfpi 'ara
pagameota da aseafaa promovida pela lazeada
provincial pelo sello de heranca, da dila ras : o
ieii.io sera' i fieiioadj no efCMftSfta do ai^mo
sgeote ma da Crol n. 38, sal l)udo 25 do corrate,
~i,i:ai,\o
De trastos avolao*, m "billas o npleta, candieiros
a (taz, piaoos de mesa e de armario, santuario*
de Jacaranda, aderec s de our-'.rel'ifn 5, culeras
para os ditos, esleir para forra de sala, guarda
roupas, carairas, app camas, marquetas e outros o.uit s nu/o*.
Sexla-feira 24 o orreate as i\
lunas.
VOGRiViF! ill "I >Z"M 110 4GFNTK
OLYMPIO
3UKna la -dri.i lo tceesfe:! >
La /ao
De Hcaix'S com castores e fa'.inl.is de
algodSo avada las a borlo i* BXM br,;-
sileiro lEraettioa, r.aufragdo na baria
do Acara c.
Salihado 2ii ile itovear.
O agente Pinlo fara Lilao a requerimento
Flix Sotivage & I".., por aulon^acao de raSMri le
Franca e por conla e risco de qoem perteut-er de
I4caixas marca AF^C, com fazrDiJas de aig
(castores) avariadas a bordo do navio brasileiro
ERNESTINA, naulragado na barra do Acerata.
LEILAO
Qu;rta-ffira 29 V nnvfiabro.
Pelo agente Euzebio.
De urna grande propriedade d^ o. 33 do Hospicio, conteni grandes accommodace?,
lendo de frente 7 portas al para se fzer oo*
>obradas indepeudentes, por qoanlo lem os repar-
limeutos que se prestara c terreno alm todo sag-
rado cem grande cacimba de boa agua, ca*a le
banho, arvoredos e planta* praprias dV jardim.
helio rxreioe oulras vautageos, qoe s a vista
podero melhor a|ireciar os Srs. predent.-. para o>
que sao desde ja convidados ao previo exasae, ahVs
de fazerem urna compra raagnilica.
AVISOS PITEMOS.
Instituto Arclieoiogiea e Ui-ajriabirs Prraaaa-
bnraaa.
llavera sesso ordinaria quinta feira23 do cor-
re ac. as 11 horas da manhaa.
Ordem do dia.
Pareceres, relatorios e m.is trabamos de coas-
mis-des.
Secretaria do Instituto 21 de novembro de IM5.
J. Soares de Azevedo,
_______________ Secretario perpetuo
FOJLIH\H \N
DE
PORTA.
As pessoas qne lee e^ramiiei do folliiiihas.de purti para t
1866, qiieiram ir bise-hsr aa libra-
ra da praca 4a ladepeadficia, ftw
qn**. acabam de sahir dn prla.
Aula de inglez
Das 6 as 9 boras da nole; nk coa da Matris su
33, 2-aadar.
I


Diario de Perraxnrgci <{uiaa .:.- 3 Je
CUUSO ESPECIAL
DE
PAEPARATORIOS
para os estudaates que deveiu
fazcr acto em marco.
Jos S taces de Azevedo, professor de
lingua e liiteraiura nacional no Gymnasio
Provinci.il do Recife, lem aberto eui sua ca-
sa, ra Helia n 37, tira curso especial dos
seguintes preparatorios, para aquelles exu-
dantes que tiverea de fazer exame em
margo prximo :
Lingua Franceza
4cographa e Historia
Philosophla
Rhetorica e Potica
As pessoas que se quizerea utilisar desta
vantagem, podem dirigir-se indicada re-
sidencia, de mnhi at as 9 horas, e de
larde a qudquer hora.
Sociedade de seguros mu-
tuos sobre a vida
LOTERA
AOS 6:000*000,1:200*000
e 500*000.
! aILHETES A'50OOO, MEIOS A' 2*500 E
I Corre quinta-fcira 30.
Achara-se venda na res-pediva thesou-
1 raria ra do Crespo n. t5, os bilhetes,
meio; e quintos da 4a parte da 5* lotera
(40a) a btneti&o da ; cordia, cuja extraccjio ser no dia cima
publicado, ello lugar e hora do costume.
Os premios de 0:0O0,5OUO at IO0OOO
serao pagos una hora depois da extracto
at as 4 horas da tarde, e os outros depois
da distribuicaodas listas.
As encommendas serio guardadas somen-
te at a noite da vespera da extracto.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Sou/.a.
Club Pemambucano-
O baile do anniversario de su i installa-
co ter lugar em a noite do 1. de detem-
bro prximo futuro.______________________
.fala
DE

\
D'lODUftKlO Uml

C4VLL0
O t>AfiRO Alli'inr.i do Fort > lendo estabelecid o es-
ta > oeie.dade debaixo do sua inmediata vigilancia
e responsabilidad*, facllilou a creac/m de eapitae*,
dotes, rendas peases, iseneoes di) servie.) das ar-
anaes, as quads convertidas em ioscripcSes da di-1
vi.la publica, de renda nacional, e da mesma forma ,
os joros serm-sin-es que d"ellas se forem veneendo,
(team por um cerlo numero da annos em deposito,
al que, fin Jo o prazo estipulado, sao restituidas'
tos s-.id js coin os inieresses amontoados, hem co- j
nvi as i;e perteneerern aos as30Cad08 fallecidos,
vi>t i que d'estes sao h'rdeiros os sohreviventes.
Pela ongeohnsa, combioacao econmica adoptada :
as calrulos de-t sndale, vfise que, coin urna!
entrada anninl de 50DO'>, par exemplo, ohtem se |
em 3 .vino. 1501000 .i SSOfnoO, em 10 l:80Of00O
a :0'.)0jtMM>, em lo 3:00#000 a 4:300 JOOO. em
20 8:ii003000 a 10:O005U00, em 23 18:0005000 a
25:0O^O.i, conformo a idadd do individuo sobre
qoe .i fiit 1 o seguro, pota que n is referidos cal-
culos eonta-so com maior ou menor probabihda-
cV d- dnracao de vida.
Esta soeiedade sobretudo vaatajosa aos cheles I
de fa ia, v-to qu-i Ihes facilita se.11 sacrificio a ;
fon -laca o de um capital ou dote para seas tinos ou :
filhas, seguran Ju-os quando na^cem ou eaaqoanlol
sa.' cmncas.
Quem, pois, mais circumstaiiciaJ s informaeo-s !
dc.*ej.ir >> ; 111 1 SOCIO ifella. dirija se a na da Madre del
Deus n. 8, uode sepuier entender eom Joo-Car- j
los C'cilu da Silva, que para isso se acha cucar-
regado,_________________________________
Fabrica c chapeos le stl de *I.
2-V-. Ique, raa do Crespo ti 4.
N stu autigo e acreditado e se senprc um completo e ranada sorltment de
chapaos de sol de tolas .as qnaiidides e precos,
tant 1 d seda e alpaca, como p ino de todas as co-!
res, para horneas, se ih ras a meninos. Ujuanto aos
pr-cos sao os mai> raioaveis po-.-iveis, tamhem lia
um grande surt ente de u*c4W de seda, alpaca e
pau cara as p.'ssias que quizerem eneommendar
chapeos de s I e mandar cohrir armacSes serv las,
con.: rtim-se os mesmos, sendo tolo esle traba ho ;
feito e mi toda a p*rfeicao, presteza e eommodo
preco : na ra do Crespo n. i.
FOGO DO IB.
No n ina/em da bola amarella no oitao da secre-
taria i.'a polica recebea-se encommendas de fogo.
a i'.o" paia dentroe (ora da prooinria.
GABUAUX DE LAILHACAR & C~
LIBRaIRIE FnlNCAlSE
R11 do trespo u. 9.
LIVROS NACIONAES li ESTRANGEIROS
fieligiaoI'hosopbia JnrispraJeatia Liucrs-
tura Scieocias e arles.
I'apelaria, ol)jecios para escriptorio.
- PrecUa-se de urna ama que eoiinne eennom-
me para casa !. nonc familia : a iralar na ra
do '._) icimado n. 51, hija.
Anioiiio Jos Mailin> Luna, inorad-T na villa
do Cabo, lem para vender dona sevados : quem
preci>ar dirija-se a mesma villa.
Precisa-se de um rapaz porlognei ai a Ma-
ri de 0 anuos i-ara caixeiro de urna taberna na
l'..i-.i.ybi : ipiem quier dirija-se ao cstabeleci-
menlo de Barros & Silva, na ra da Madre de Dos.
Na praca da Independencia n. 33, loja de
ourlves. con -ira-e ouro, piata, e pedras preciosas,
: lambem su faz qualquer obra de encommenda, e
lodo e qnalqner concert.
Precisa-se de um cafteiro : no armazem de
ica di fabrica de BarbalboJ no pateo do Tei^o
un mero 39.
Na noite de 18 pira 19 do correte f irlou se um
cavallo mellado calilo, da e-tr,ibaria do seu dono,
eom sellim inilez quasi novo; cujo cavallo tem
cimas e cauda pretas. as clinis sao grossas e ca-
h-m sobre amboa os lai >s do pese ico, e tem urna
frula pequen 1 na maodireita; esta ac.ostumado a
andar em cabriole! e bem conhecido nests praca:
qneui delle der noticias sertas ou leva-lo a' Estan-
cia, sobrado de d ns andares n. 2, ser gratificado.
Candida Balbina da Paixio Rocha, professo-
ra particular de InstroecSo primaria do sexo fe-
menino, participa aos pas de suas alumuas que
mndou provisoriamente sua aula da ra do Rau-
gel p. 53 para a de Santa Rila n. 10, onde conti-
na em seu magisterio
se
Aiuga-se urna grande casa terrea na Ponte
de Ucha, a beira do Rio : a tratar na ra do A-
inorim 11. 34. ________________________
Anda est para alugar-se um sitio na Tor-
re, eom muitos commodos para grande familia,
c multo fresco, e tambero se vende por barato pre-
co : a tratar na padaria do mesmo lugar.____
Com comida e sugeigao
(i;ir\nU'-sft lsl6 |ior dia.
Alnga-se esenvos que lenbara oilicio de sapa*
teiio. :-sim como toma-se moleques para aprende-
rem 11 mesmo ofB"io na loja de sapatos da ra do
; rio o. 22, junto a de fiinileiro.______________
Ama
Prrcisase de. ama ama, preferindo-se escrava :
ias (joco Pootas, loja de inareineiro n. 27.________
"_ Antonio Jos Rodrigues de. ouza, na ra do
Cre-po n. 15, alnga sua ca.-a e sitio no Monte ro
um frente ao oito da igreja, tendo o sitio portao
de f -iro, cacimba com boa agua, estribara e co-
cheira, e a casa 4 salas, 7 quartos, e otao, a qual
miiii 1 fresca e esla de novo bem caiada, concer-
tada e pintada : para ver, as chaves eto em a
casa do Sr. Nicolao Machado na mesma povoac.j.
ti DEPOSITO DS CALADO fe
um sitio na P;ssaem oa Magdalena, a mnrgnn
do rio Capibaribe, junto ao do Sr. commendador
Manoel Ignacio de Obveira, tem boa casa com sala
de visitas e gabinetes estucados e esteirados, 4
quartos, sala de jamar e de espera, cozinba e des-
penda, qoarto para pretos, um sodio com 2 saletas,
estribarla e ca?a para feit-ir, um baiaa de capim
para sustentar tres cavallos lodj o anno, aiguns
arvoredos fructferos : a traiar no Recife, ra do
lirum o. 06, armazem de as.-r.car.
Precisa-sede um mernuo de 14a 16 annos,;
com algoma pralica de taberna, para caixeiro nal
villa do t/ibo : qnem precisar dirija se a ra Di- |
rea n. 32. que achara com qoem tratar.
Da barca in^leza Mira e Celia
21Caes 22 de nuvora:io24.
Paulo Jos Gomes & Mayer, por verem < utiii-
dade (jue podiam tirar os proprietarios de al-
guos terrenos jevolotos, que po falta de meio> pe-
cuniarios, t,jm deixado de edificar, resolveram-
se arrematar pai-le. de cirregarnelo de madi-i-
ra da barca iagleu Mira & Ce-vi, arribada neste
porto.
A vantagem que ol-rece e>ta madeira, ser de
urna so bitola, lauto em grossura, coniprifnejto e
largura, tendo 1 pollegada de grossura, 5 a C de
largura e 22 palmus de comprmeme, e a duzacus-
lar 7,3- Porianto ptese fazer urna casa com pou
co dinheiro, e usufrnlr se lucios mensaes, que al
eolio nao se rerceiiia, por fallar esle recuso. Mili-
tas casas mis suburbios da cidade, fetas de palhas
de roqueiro, multo melhor sera' agora, seus pro-
prietarios subslitni-la- por madeira, porque ter 1
casa iij inelhor gosto, dur&^o, kib &er preciso an-
darem constantemente reformando-as. Os inqui-
Imos Qcarao mais tranquillos, porque os malditos
eros, nao atacarao fogo com tamanha facilidade,
e por deca' aquella palba < sobreditascasa-. Min-
ias ontras obras se poderio fazer com esla madei-
ra, qoe sen 10 para estar. 111 expostas ao solea
i-bov.i, nao sao atacada- pelo cuidm, como temos
visto, casas e cerca- duraren! annos sem seren vi-
sitadas norestes malditos Paraguayos. (",on?tante-
mente vio para Montevideo carregameoto de ma-
deiras desta qualldadc, c us por venos a ex
iraecoque lem nesla cidade, compramos esla, e no
ca-o de ii-r, compraremos a miti como compramos
carregaineotosda ootra, qoe tom extrargo ne.-ta
cidade e que se actiain a venda em uossos arma-
lens. Temos lambe.1, grande quantidads de bar-
rotes de diferentes grossnras e comprimentos que
vieram juntameute com esta madeira.
- Precisa-se de 2:2005 a juros e por pequeo
praso, daudu-se para garanta cinco escravos de
valor : quem os quizer dar annuncie para ser
procurado.
- Precisa-se alagar ou mesmo comprar urna
preta de meia idade, que_seja boa quiiandeira : a
Os elementos que compoem esta prepararlo o
(erro, o iodo e a outna, a colloco no primeirc
grao das preparacoes ferruginosas. Basta altesiar
seus resultados obtidos pelos Mdicos dos bospi-
taes. e os rclatorios dos prlicos mais' eminentes
que confirmro sua poderosa efiieacia as se
guintes affecces:
Hlnuna no .'un*uc,
FraquMa,
Alien.lo
Clilorone ou Ictericia,
Meimlrne.
Allccfo. do ulero,
8up|.rctio>4 ern c dcnnnlens na
ncnntrtiocao,
Arfocoo ]>iili:::>n.ir e
phlbldlca,
Molt-HllaM d'enImnso,
(;nlral; le.-.
I'rril.i i!.ip|iolilo,c-tr.,
Convale- renf nlc Ion
U:s niotcsllaa,
Mnie-iiii.-. caciofnls-
11a,
Papolrn,
OhHtruceo da glan-
i! nas,
llomoii Irlos,
Tumores lirsncoi,
Racbltlaana,
AHcecoe* inci-roin
c Myphllitleas,
FeJirc lyjiliolUes,
Uf. If.ii, etc., ele.
Vejo-s: os bulletins de tlierapeutica medir
e cirurgica de 30 de novembre 1860; a Gaxela
dos hospilaes de 28 de julho 186'', etc., etc.
A Yin das pilulas de wdureto duplo de ferro e de
quinina de Itebillon, os Mdicos aconselbo
igualmente o Xarope d'iodureto duplo ds
ferro de quinina do mesmo autlior para as
pessoas que nao gosio de medicamentos sob l'or
ma pilular e os meninos. Fste xarope nao tem
como o xarope d' iodureto de ferro, o incon venien le
de alterar-se e de se no poder conservar.
Peca-se o folbeto qoe se d de graca em casa
dos pharmaceulieos depositarios.
Para se evitarem falsificares, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito geral em Paris, pharmacia Rebillon,
Hi, ru du Bac, e em todas as boas pharmacias
de Franca e as dos paizes rstrangeiro, etc.
-
Xovembro de .?*

MEDICAMENTOS FRANCEZES AFAMADOS

A TBMDA EM PERWAUIBlJrO
Em casn d s Sr?. Gaos e Barboza, ra da Cruz n. 22.
Dlurrliras e n consll-
puro protluuldns
pefafl elulxiraroes
flofrltuosns ilosall-
ui-nlos.
As f(U((//iujs diyestivas com a pepstna de
Wasman, omprcgilo se com successo lia j
algnns annos pelas celebridades medicacs de
Paris, l.ondr a. Vienna, etc., em todas as in-
commodidadi s cm as quaesadig^cslao dificil,
penosa, impe -fcita ou mesmo impossivel: eis
o melhor re ludio para coral as.
Gaalrslctas
UlHpepsiaM,
Biubararesi Nlricoa
A castre, "
\H ftiei-;'",'.,"| --sA"'.
cus do MdUaliklW, '
Sua areno; vivifica o sangue c os i'gaoK de
tal sorle que alii as pessoas que sem sofbvr
as affccyes (asi-icas cima munciouades s3o
nicamente I 'fas oa clom temperamento um
pouco dbil, c neecssilo substancial alimento
para forliiicar-se, achAO no emprgo das pastil-
hus di.rcpsiiui de iras/Han, um poderoso meio
para B4SSO cliegar.
A vito i/nptrlante.O successo das pastilhas
pepsina del iVasmun den cansa a se fazPrem
lalsitic.iciseintaeced'esse prodHcteque os
mulos se querem ilesl'azcr. Pois por falta
d'uma boa prepara^ao a pepsina que n'ella
entra, jaz alterada. Seremos ao abrigo d'este
inconveniente, cxigiiuto os eaaipradoresqocas
puslithas icnbo as iniciaes C P. e caiao da
pharmacia Chevrier.
Depsito geral cm Paris, phannacia Chevrier,
2I, Faubourg-Monlmartrc, e cm todas as boas
pharmacias de Franca e dos paizes eslrangros.
CURADAS PELOS
XAROPES DO DOUTOR DANET
X* 1. Contra as CLICAS DOS MENINOS anc.
e durante a denllrao
(Xarope de cynoglosse e de acido succinido)
V 2. Contra
TOSSE CONVULSA
NERVOSA
a TOSSE
(Xarope de cynoglosse e de leo voltil de succino)
N' 8. Contra aa CONVULCGES DOS MENINO
A CHOREA
(Xarope de cynoglosse e de anido voltil de succino)
Estes novos productos preconizados na Aca-
demia imperial de Medicina de Paris sao em-
preados com grandissimo successo pelos mdicos
de Franca para o tralamcnto das molestias do-
meninos aciina indicadas, e vicrao encher um
vdeuo importante na tlierapeutica, no que loca as
afl'ecc-es da infancia, para as quaes, atli boje,
ainda se nao pode iudiear iratamcmo racionnal-
nem infallivcl.
(Peca-se o prospecto em casa dos pharmaceu,
ticos depositarios.)
Prcco do frasco cm Paris, 3 fr.
Para se evilarem as falsific.ae.oes. exija o com-
prador que cada frasco lenlia sobre os rtulos a
assignalura Chanteaud.
Depsito geral cm Paris, pharmacia Chan-
teaud. c em todas as boas pharmacias de Franc?
c dos paizes cstrangeiros.
JE CHEVRIER
Molestia* de liudo,
A ictericia,
PnlpItHcno do rornco
luir- no* rlaa,
Oiiproseo, a,
Ddres le cabrea,
Irrltuces de linlas
da ni a Ir Ir. ele.
Pelas commissSes em grosso, dirigirse aos S" WILLAERT
Os granulos de (Vismu/iceChevriercrn supe-
riores a todas as outras preparacoes de bismuth
empregadas antes com o maior successo pelos m-
dicos de lodos os paizes, para prevenir e curar as
Dlarrbeas rbronleaa, Mus dlgestea,
Dyssenterlas, Gastrltea,
odres d'esloniAga, Gastralgia*, etc.,
Dyspcpslus,
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
e e em todas as pharmacias e Franca e dos paizes
estrangeiros.
e BERGER. comisarios em drogara, 11, na Saint-Lazare, Paria.
MASSA e VAI.OPE
DK CODEiNA

BERTH
As experiencias clnicas e comparativas
dos Snrs Magendie, Barbier d'Amiens, Wil-
liams Gregor, Martin Soln, Aran. Viga.
C. Dumoni, etc., membros do Instituto de
Franca, mdicos dos hospilaes de Paris. lem
provado que a Massa e Xarope de Bertkd
o remedio o mais seguro contra todas as
dores nervosas e tetid? a propne^ie de
calmar com admiravel rapidez as toases rebel-
des e extremamente fatigantes da grippe ea-
larrho epidmico defluxo. coqueluche oa
tosse convulsa, bronchite e lisiea pulmonar.
A Massa e Xarope da Berth, se
acbao em lodas as boucas.
Pura evitar quaqutr
falsificaran, exigir em.
cada produlo o nome
e a tii ma licrth.
Deposito geral em Pars, en casa a* I
Uva Ste-Croij dt-la-BrttuMtrie.
ftSTHME
ASTHMA ASTHMA ASTHHA
SafTaecc arrvasa c >ppi mil
nico remedio effiraz para eombatier estas mo-
leslias, acalmar nm attaqne d'asma e impedir a
volia o Xarope aromtico d Smeem antbar
amarello) do Dr Danet. Ueseoberta inteirameaat
recente, esle novo producto se leu propagad
com extrema rapidez gratas aos adaravea resal-
lados que tem sempre produzide.
Deposito geral, na boina Chaavaaatd 'l.
ra do Commercio, Paris-Crenelle, e a
boticas de Franca e do esirangetro.
ASTHJYIA!! ASTHPilA ASTHWA!!
SFFOCgAO NEBVOSA E 0PPRESS0
nico remedio eficaz pura uombatur estas molestias, acalmar um aliaque d'asma e impedir a
volta o Xarupe arormoMca de Succino (anibar amarello) do i' Danet. Heicnberta inteiramente
recente, este novo producto6C tem propagado com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
lados que tem sempre produiidu.
Ileposito jcial, na botica Cl^auveaud, 54, ra do Comercio, Paris-fircnelle, e em todas as
boticas le Franca e do estrangeire.
Juaoda Silva Hamos, medico,me- *J
oinilit ;i, .
das !).s .
das 4 as -
i^ rfico pela universida ;C de
* d consultas em sua ca>a
iralar na nn dr Cruz
andar.
lecife n. 4, primeiro
M
m
.
i
FABillCADXA CASA DE DETENgAO
Ra \(va a. i.
Ah se cuconlraro obras Je di-
versas qualtlades, e por preco mui
iliminutos, a retalho e em porpes.
Si se vende a dinheiro.
Ama para casa.
Prf.ri-a-se alugar urna ama para todo servico de
ma ra : oa becco das Bulas n. 2, primeiro
au Jar.
m
0 Sr. Dr. uillierine Calen CohHhi Ciulra,
que por vezes ha sid i chamado pela Ord m a pa
tT a asignatura fia mesma, nada lleve il^ssa n<-
Bignaiara, ia4o como acabo de ier sr-ieoeia que
algUHin abosara de >eu nome para consumirse as-
signante da mesma Ordem, sern scienc.ia daquelle
seuhor, a quem servir presente deelaraoBO de
tatlfaco, que por til engae Ihe da.
no d. lucio Precisa-se urna casa n. fia. d- urna de tres ama pira pessoas : 0 na serv ra c/i nter-do H js
- waCA- u,r iirr,is-vii.---'.
O Alcoholado DB Goaco de Pascal tima nova pieparac5o da qtw
basta niftirioiiar suas propriedade paranppreciar sua importancia.
Em primeiro lugar um preservativo itilalivel do contagio veneno (ver
folbeto para o modo de o impregar).
2' Tem a vantagem de ser o remedio mais certo e mais agradavel para
as molestias syirftiliticas de toda a especie, ulcerafOos primitivas e secun-
darias, ec.
3o Em pregado em injoccSes, o melhor tratamento dos corrimenlos
rerenles ou citronicos as pessoas dos dous sexos e da leucorrhea na: |
mulheres.
- Emfim como antidoto dos virus, soberano na cura das chagua eJe-
ridas de m natureza, chagas gangrenosas, dartros, ulceras das peritas,
ophtalmia purulenta, ou blenhorragica, mordeduras e picadas de ani-
ntae.s venenosos, ce.
Este especifico vegetal, izento de toda a accao mortfera, foi experimen-
tado nos bospitaes de Paris, Lyon, Marcelha, ec, e recebeu a approvacao
dos distinetos doutores Ricord, Bauchet, A. Richard, Calvo, Diday,
Mklchioh Kobeut, Costilhes, Berenger, ec.
Deposito geral em Paris, botica de CHEVRIER, 21, ru du Faubourg-
Moiitmartre. Casa de expedigSo, PASCAL e C*, 33, ra Monsieur-le-
Priuce. Paris.
& 11 horas da mniihai. e
w da tarde. Visita os doenles era >ujs
caas regularmente as horas para
isso designada?, salvo os casos nr- .?*
i gentes, (pie serao soicorridos em ;>;
H quali|iitr occasiii. Da consultas aos *
> pobre-; t]ue o procuraren) no hos-
pital Pedro i, aonde encontrado
;|| diariamente das G s 8 horas da -
manlia,
B Tem sua casa de saode regular-
JJ mente montada para receberqual-
^j quer do.-nte, ainda mesmo os alie-
iKiiIns, para o que lera commodos
'j-% aproj nados e nella pratica qualquer
t opperacSo cirurgica.
wj Para a casa de sade.
Primeira classe..350DOdiarios.
Segunda dita... lO
Terceira dita .26(00
Este esiabelecimento ja bem ;;
;- acreditado peos bous servidos que
: ttin prestado.
0 propnetario espera que elle
fej coniinue a merecer aconQaoca de .
^que sempre tem gozado.
SRn Wi "' U
Dorinentes
Contrata-se mais 3,500 dormentes de
madeiras de quali lades para o camiulio de
BuTCA E l;lti.i.\KlA
B. B'. de W 117 > Ri! i !arja de P
'em I Nr j
Pr inpl' ^li i".
Pilulas regsiaaotae.
It 7. IlltlVr.
Remedios di Kemp
Aaanboila.
Sa'vi i! il'-t I
Piltl':- --li r i!--.
Aaf*i ti i i'i.'.
Pa!ilbi- VMrmifi ;.>' ve.-: .
Otorgados pelo ol i i n 'i vi- rxi.
O; Sr~. A-'t ni > S-'-- i >l M t "<>-i F-r
n I ..' .'. J -' -|> ir -ni >r -
parilca du rorrei > atiio d ttfrlrt *''.'. recosa-
icen tada.
Preeisa-M f- !:r -.-.i o Sr. l.-i i *^*$m
liii 1-ir i qu .u i n un Imi '. n *. r > irri-
ta ir.i and ir i.i ras i da i u N >* n. "''.
' Hi.r.irn.
,'. i-i neiioi hci-il "r., > ira ,- \ -
i t r .
i' i< i n i a
:;.
Precisa <
ro de tilvriia, --ad npv
la, apparaca na roa da
~ I) Sr. Ant >i i> Mii : Si
qii-'ir.i appa-ee-r na livraria >. rat a>>
Cr spo n. i, pira u h le -en
Alas Din ili na >--tra I I i > K r-
rn<, cun i 'iniri >. ie-p-n*a. i- tri-
bu i> a atuta* an >r. < i- fruei : .i : r m risa
Dirnii* n. S. I aaar.
i) aii ix i a--'.'nal-. ad*'Sjril> a>. IVt-i aVfH
Ci i,i.|.\ I. ii'ln n i Di un > 11.* riij- a i-i i.-a
geiros que rafoirasn m aagr Osuaurt para su
l ir| i- 11 u ii i -par m en I i .1 Br. La-
i ;i i Perelra da Silva, e por i-- ; -1 '.'
Ferro de Apipuo'is: quem pretender cim- clarar <|oi aao > abatwMt*ti n
que v,. ir.i a. qoe r.miin* r.-i. Iir a
.10,
segando
OS
'lFt
Pricia-se deofllclaes de maruneiro ; na ra de
Ap.Hl" n. 47. Na mesma rasa se precisa de urna
ama da porta para dentro, paga-se conforme o
ajuste. ^_________________
N i Mrica de charutos e. cigarros ila ra de
Hortas n. I compram-se jornae.s; e na mesma tem
para v-n.ler fumo harletieke e perola de Minas,
em bitas de 1 l|2 libra.
Grande Bizur
Carneiro Vianoa.
K' chegado a esle estabeleaoiento os seguintes
objectos : cadeira de palto* para enanca coin ba-
lando, li-rr.i- de ii'iv i moiielo lamben) de ualOJL e
outros mullos artisos distes seeros ; pede se aos
s-mhortfs qu; encoimnemUram algnns objeetos
(lestes, o favur de vir e^col^le^ logo os que prelett-
lem querer.
Objectos re metal das seguiotes qnalidades, or-
nas para cha, chaletras para fcer-se cha', apnare-
Ihos de almnco, dito d^ juntar e lodos os mais ar-
ligos que se podem desejar deste metal por preco
milito commo lo, qu* a todos deve agradar.
Espetos de (odas as qualidades para ornamen-
to de sala, tpeles, ab-atif e outros miiilo- artigos
que por gosta s* p'le visitar o graude B izar, o
qu.'U se, acha aborto desde 6 horas da iiunbaa al
js 9ida n>ite, na ra N iva n. 2) e 22.
TrabalhadoreK.
Na ra imperial n. 1, precisa-.-e de alguos tra-
bajadores porioguezes.
OflVreee-s um mnqo porluguez para caixeiro
de qualquer istabi-lecimeutp, ou para caixeiro de
eobranoas, e da fiadores a sua conducta : qnem
pretenaer dirija se a ra Imperial n. 33 padaria.
Os ahaixo assigoaJos, fazem publico que, no
dia 31 de ontubro prximo pasudo, a i igavelmeu-
te dissolveram a sociedade que al eni.iogyrou nes-
ta praca sob a lirma de Vicira Nelto, licandn a
cargo do primeiro abaixo asshmado, a nqnidacao
do aclivo e passivo da referida nrui i exmela, -
bem assim, por sua ciiiIh aSMOte as Iratuarodes
mrcanos que liveretn lugar da referida data em
diantc.
liceife, 20 de novmi.hro de 180o.
Mann;l Antonio Vivir.
Narcisj j,-e .Wiii.
Aos 0:000/5000.
BStaetcti garantidu*.
A' RA DO CRESPO N. 23 E CASAS O COSTUME
O ahaixoissiiniado venden, nos seus mallo feb-
les bilhetes garautidos da lotera que se acabou
do etlrahir, a beuecio das familias dos volunta-
rios da pitria, o* se^iiintus premios:
Um tiiteiro ii. II2ti com a surte, de 6:0003.
Dous quintos n. 2891 eom a sorle de 1:2005
Um meio n. 3389 com a aarte de tK)000.
E ultras maltas aortas de 1U0, 403, 203 e
13000.
Ospossuiiores podem vir roceber seus respec-
tivos premios sernos descontos tas leis na Casa
da Fortuna a ra da Crespo n. 23.
Achani-se a venda os da 41 parte da 5a l>)-
tert^ (40') beneficie da Sania Casa da Miseri
cordia, que se exlrahir qdarta teira 29 do cr-
reme.
Qoinla-feira 30 do correte.
PRECO.
siillietes .... 63000
Aletos......33000
Ouintos.....15200
Para as pessoas (tic comprareui de 100,-5001'
para cima.
Bilhetes.....53500
Meios......23T50
(turnios.....15100
Manoel Martins Fiza.
Precisa-se de urna ama livre ou captiva para
casa de familia : na ra do l 1:1 -; -! n. R, depusilo.
Na fabrica de charutos e cigarros da ra de
Horlas n. 1, precisa-se de nm menino para cai-
xeiro
Antonio Frami-co Njo mudon seu estabele
cimento de deposito da ra das Cinco Pootas n.
j'J para a mesma ra n. 48.
Alujra se a excellente casa terrea n. 20 sita
oa ra.da Floreniiua, com bous commodos para
grande familia por ler 2 salas e.-paco tos, grande cosinha fora, um ptimo lerracd, gran-
' de quintal com parreiral, e excelienle agua para
gasio : qu-m a pretender procure entender se com
1 o propriatano na roa do H ispieio n. 50.
Ignacio Perrina Mattn-, subdito porluxuez,
1 re Ira-se para a Europa, ali.n de tratar de >u;i
' saude.
Alujase una casa na Bja-viagem, muito
frese i e commoda, e perlo do banho salgado : quem
precisar dirija sea ra de Apollo n. 32, ou ao es-
criplurio do Dr. fonseca.
E' a ordem do ia Acabar com os Pafa-
gu-.yos a bayoneta, a mini, a revolver;
fulmina-ls com 9a eocouracados armados
de esporOes, armstrongs e raiadas de 80
120; extermma-lo's era summa a espada, a
la po o a punhal de que se trata; mas
;uiD,'uem se binhiou ainda de esmagar os
* Paiguayos co m as armas que Deus nos con-
; eedeu ; acabar com elles a tacto e a ponta
ps, para o que necessario eocooracar esta
jarte do nosso corpo com os fnrmidaveis
j rompe-ferro, esmaga c^bra, arrauca ti eos,
quehra marmore e oirtros que se vendem
4j Rl'A *i.IHUITA45
pateca a ra do Imperador n.
andar,
Precisi se de um olcial do cabellei-
reiro: oa rni Nova u. ;)7 primeiro anlir.
39, ra da
dir-ji-se ai Sr.
etn sao armazem
no exerdrio de
vemhro de 1863.
n.
Alnga se a casa le rea
nni3o: quem prelen te-I
j,,j\ 1 Ifernsrdj di K-|
,1.,' fa:endas a ra N iva n. Vi.
Aluga-se om< escrava para comprar e coz-
nharem ca sua praaaam aVnfa 2 du *
J..- I.idi*' Mi P- '- Iva.
til) li 11 O d 1 1->rr i fas! I mi ... 1
nome Vieencia, n*i 1 ta ; .n 1,- un. li'.
rosi 1 redondo, nan;. lauai mi > i*aai
Boas, ps gran -le < ; Cll)i ir-ti ^ Mu !-
Ilezerro-. e In e imiira li a S". !>-.
lulpridadna de lora .11 t la i.- q i- a ,.' ik-.iJaas a
teVMB a un Diii-ili n. i.', asa* . II. Seiibiiinba C-iniaia li I".-. rit> Sosa*
Largo
m
Borseguins Bordeaux........ 85000
patricio*......... b^OOO
para senhoras, en-
lejiados ....... 55500
com laeo e ivella .. tfkt0
Sil atoes encourafados....... 5^000
B rseguins para meninas bom
easteo................. 35000
Sapatos de lona, sola elstica. 2(50 0
avtlludados.j........ Ifi60"
delranca........... t600
a econmicos para se-
nhoras........... 5500
com salto de lustre.. 40
Chineles do Por 0.. i........ l5b*00
Um completo sor'me; to de calcado da
trra para homens. senhoras e meninas;
assim como bezerro francez, couro de lus-
tre, marroquins, taifas de todas as qnali-
dades, fitas para sapa'teiro, muilo sortidas,
sola e couros que tudo visto necessai-iamen-
te faz cobija ao corap ador pela barateza.
M
do Oirina 11. 26.
E.te esiab lecimeiito lio bem moni 1 lo
na sua origem achava se de ha muilo em
quasi c mpleto adjn lono pelo pouco in-
t-Ti'-se de sua administradlo.
Hoje i;ue o novopro-iii'tario empregon
lodos os meios para reslabeler a gratule
utilidade de.-te eslabeleciu enlo, pode as-
segurar ao publico que qualqui-r que seja
o numen' dos concurrentes acbaro des- R
de ja promplido e aceiu OOStMObos fras, ^
moros 00 medieinaes, a casa dos ba- p..*
nh is >h achara' abrrta indos os das das *<
6 horas da manhaa as 11 da noiie. j^
Precos. S
Banho de choque......... 500 JB?
Dito Irio ou rnorno........ i00 &j|
Dito defarello....^......1*000 S
Utlo medicinal sera' segn- H
do sua qualidade.
Assignatura.
l'or mez banh* fri iu morno.
2o cartoes para banho fri,
morno ou de rhuvi-co.....
12 rancies para os m.sinos...
12 ditos para b,inho de farello.
M
noRommar para un ea*a ^siraag" <
familia : a tr.lar 111 raa I fn 1 I '.
i
l
Preeis 1 ,, i- 11 m -..-r.. , pan . r% > \f*-
sad. de um h 4a e mu rr-a 11 : 11 M Ir kano'
ra do Tr. .11 ha n. 0.
I
S Quem precisar da o a rrteAi .1 mi 1 *-
5 nheiro para n parnaa di .n d u n < aW : li i| 1-
Ama.
Precisase de urna ama que compre, cozinhe e
engomuie, p>ra casa do doas pessoas : a tratar oa
ra da Cruz, armazem n. 57.
Alaga se
o sitio que foi da fallecida I). Semphina, na estra-
da do Monleiro, pelo lempo de fe*ta : a fallarse
coin o ItfPMlPO invenlariante Claudino da Silva
Ferreka, na casa de sen patro, na ra do Viajarlo,
ou na casa de sua residencia, na ra da Impera-
iriz, Io andar, ao p da Sra. madama Leconte. A
casa tem 8 quarlos, 2 salas, 1 gabfoeta, 1 copiar,
-cozinha tra, grande cacimba com agua de beber e
Aombi. muitos ps de diversjs arvoredos, etc. etc
asa*
Tendo a irmandale do Divino Espirito-Santo
da igreja do Colb'gio, resolvido em sessao de mesa
conjunta, mamiar faz^r de marmore branro fon a
capella-iiir de sua ireja; convido de ordem da
mesa regedora aqu-llas pessoas que se ai-harem
habilitadas a mandar executar semelhanle obra,
a examinaron a (danta que se aeba exposta na sua
saeristia, e a apresenlar-m a* suas pn-postas no
pra-o de 40 da- contados desla dala. Consistorio
da irmandade, em 10 de nov mbro de 1863.
O escrivii.
Francisco Delarmino dos Santos Freitas
Precisa t d4 um caixe>ro para lomar coma
de urna taberna por b .lane da-se bom ordenado
ou inieresse : a tratar na ra de S. Francisco nu-
mero 30.
I0
103
Si
10,5
MMal
CMP\MI!\
se a ra di Coiieorlu ;i. '.!
A A MIJOS US m v
Uma pB** a lulelllala idf-r^.- : ir 1 .-:.
prisneirasletras a amb.i- o> y\'- > r.v > i-mi-
rulares (i" .li I O 4a <) l>i n a 1 i
daquelles que s-> q:ii'e;em uili-ar : .1 iralkf aa
invaSM da roa llelii n. 6. ________________
PagO no da II di- n -'r I > i-ag-aftai
II ii'.te-Alejtre, na <.marca de N .0 rmi**n
Wence.-la-i, v.l.n, denli.le t i> MI I -. "a] ri
regular, ihei.i do rorp, pni.i in'b.i. -.!>-11.? r-
rapinhos, |.s rrforead.is, ajaaftaJksjt :
sahio mo'it id 1 .111 iV.ii be-ii i-..-iaoha raptl
zendo qo<" ile^li vez ira para Part* : n>pai-
se as autorilad-s [isrlirolares e tapaaV ti r*nnK>
a appresaniacio do raWMa e>crav-, i^di>- m
dito eiigeiiv a su aaaJUf e n-.-la pn > I ArasHa*
l'essoa de AKaiquerque, a rui do A^iato a. W
que sera' recompensado.
Aiisenii.il se da ra-a doabov a--ignad.i aa
1 moleque rliimalo Victoriano, paraBaaaaaa a Sra.
D. Isa'ea Mina de arro- Cim|-i.". m rad>ra
(
AVI o
A qnem interessar possa previne pelo presente
umos mleressados, que o leila 1 aununciado pelo
agente Pinto pira o da 2o do con ente, de urna
casa lerrea com sili ni Poco da Panella, perlen-
eente ao* herdeiros do D. Virginia Candida de Fi-
gueiredo, nao pode couprehender toda a proprie-
dade, por quanto iralin I i-se de aSaOOfaO pa-a pa-
gamento do sello nacinil, na importancia do
897J49, para o qu- foialada a HjpoMlo da Silva,
bem como tiara seo quuih.io e cu-tas de invent 1-
rio, urna parle em dito predio, pa importancia de
3:8654343, sufQeiente o ir a prac/i, para isso a
parte dada ao mesmo Hypobto, e nesse sentido
pende reclatnacao ante o juizo da fazeoda
Aluga-se uma casa em bom estado e para
pouca familia, na roa do Jasmnn na Ba&-Vista n.
4 : a tratar na ra da Viracao n. 39.
MARTIMOS
CONTliA FOGO.
A companhia lmlemnisadora, estableci-
da nesta praga, tomi seguros martimos so-
bre navios e seus c 11 legarnelos, e conira
digo em edificios, lercadorias e mobilias:
na ra do Vigario 1. 4, pavimento terreo'.
O lestamenteiru t 1 finada Aug-uc Joaquina
da Oonceieao, pede as otoridades pobciaes e ca-
i-iies de campo que 1 iprehend^ra o pretj Fian-
cisco, pertencente a musa daqu-ba finida qu-i se
acha ausente, e o leve roa estrena do Rosario o.
17, primeiro aodar, 00 recolh.i a' cm de deten-
cao. O refertdo preto 1 beor conhecido nos arra-
baldes desia cidade, on le vive de airepar coquei-
ros, e quando embrtig -se taz grande alarido.
ilLEGVFL V
Fura a constrarcao de machinas
DE
Aiiiiitrxov 1: dovglalss
New London, Cormeciieur, Esta-
dos-Unidos
Solicitam pedidos de desrarogadores de algodao,
adoptados ao aluodao snlaineri ano. Hao-se de-
dicado a es e negocio durante 25 anuos, e atiende-,
rao immediatameute a correspondencia que se Ibes \
dirigir.______________________________
Da e bolos de vendagem as 10
dia, e paga se a tostao por pataca : ua botica 1
paleo do Carino se dir.
mmm mmmsm mnMK
S Companhia Gdelidade de seguros ^g
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGKNTES EM PKIlNAMBUCO
^ Antouio Luiz de Oliveira Azcvcdo & C,
tfC competenlementeautortsados peladirec-
S loria da companhia de seguros Fidelida-
B de, tomam seguros de navios, mercado-
3 rias e predios no seu escriptorio ra da
Crui n. I.
no engenh 1 llenes dl* lp^"f r"l' ^ 'i-^in* "^o1
ua Mgnaes Mfoiiiles : altura reauUr. V
corpo, tendo as pwna< 11 laat> a -ainheta***.
representa tera lala de 16 a 18 > :
delle noticia liter e leva-lo a ma da Cu
8, sera' ueneros.iu.' n'i* ratificado
J.is GarH C daCaaiaV
Goxiuheiro
Precisa-se de om ) n cozinheir > > nna ropm.
Do hotel Trovador, ra larga do i'. aWfcl O. *a,
horas do I pasa se hem.________________________
Ama
Precisase de--traa ami para cuoprar
nhar : na rua do Imperador n 57.
A mesa rege Jora da irman-t a-I- le 5i : Senhora do Taren cnnvi la a -u- irn*H -
ex-secrelari'S e ex ihesoureinw para r
rem em nosso cniis'-l'-rio d-oning H> .lo rreale,
pelas II horas da inanhaa, afiai4e barr n*saeaa>
| junta.
frerisa-se rte uma ama que aasMfea para ca-
' i sa de ne Hiena lamilla : oa rila do O .ajad a. 1^
Perd-m se em a noite de 21 para 22 do cor-
rente, desde a rua da Assumpc.ao at a rua da Im
peratriz, um embrulho erntendo tres rosarios, sen-
do um de contas de ac e duis coroas pequea*,
sendo uma de marfim : quem achou, pode levar
a rua dos Agouguinhos n. 9, que se dar recom-
pensa, ou eutio annumie para ser procurado.
,-jj sa de pequea lamilla : na rua do ij mu
>jg segundo aodar.
Precisase de um amansad >r. na paaano esa
Santo Amaro, airat da fundir do 5r. Srarr.
ni
Pr-i isa-se 'le d.m< lr..talhad>re para
na ru larga d.i HoMna a. Pa.
Olferece->e umi seah-ira par ama n
de pouca familia para o serv-ji alera > >
casa : quem preci-ar dirija a)*Ml G
boa do Carmo n. 1
i


Diario de Vernambuco Quinta felra 13 Me .Vwvcnibro de Hfli
DE
J. VIGNES.
fl. 55. RA DO IMPERADOR M. 55.
O pianos desta amiga fabrica s.o hoje asss conhecidos para que seja neeessario insistir sobre a
na superioridade, vautugense garantas que offerecem aos compradores, qualidades estas incontesla-
eis que elle* tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; pos"
inindo tim teclado e macbmismo que obedecem todas as vonlades e caprichos das pianistas, sem
nunca falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos Importan*
O'ssimos para o clima deste paiz ; quanto s voz.es, sao melodiosas e flautadas, e por isso mnito agrada-
veis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se confonne as eocommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
correspondente de J Vigues, era cuja capital foram sempre premiados em todas as exposiedes.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um explendido e varia-lo sortimento de msicas dos
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
precos commodos e razoaveis.
CONSULTORIO rcO-CIRURGIC
DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MEDICO, PiRTEIRO E OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundfio 3
O Dr. Lobo iMoscoso d consultas gratuitas aos pobres todos osdias das 7 s 11
oras da manho, e das C e meia s 8 horas da noite, excepto dos dias santificados.
'harmacia especial homeopathica
n
CA VALLO.
Quem aonnncioa querr comprar om ravallc
coMumado a eahri->i, dinja-se a roa *, Rastel u.
17, das 6 as 9 luir lia manhi
Aluga-se a casa n. 6 da ro os Prairr.
nos Loelhos, em bom estadj de coBeertc e aceto
a tratar na ra do Raogel o. 36, setnaato asear.
Precisa-se alugar orna preta captiva o> aas-
gada condurta, que nft boa cozinheira, eaeiii-
ba fazer compras : na ra do Pilar a. t irida
encarnado.
(la 4 eneaqernado)
VARELLA-VOZES DA .MERICi
(in 4 encaderuado.)
COMPliS.
POESA.
Paes de Andrade (M. C.) Flores Paludas, in 4 broch.
flores Singellas, in 4 en-
cadernado.
Viena de S-Saudades, in 8 broch.
Pinto ColhoTrovas Mineiras, in 8 broch.
A Asju/npfo -Poema, in 8 eucadernado.
Burros (os) Poema, in 32 ene.
Cantospor Goncalves Oas, in 8 ene.
CaramurPoema pico, in 8 ene.
Morda de Dirceu Poema, 2 m 8 ene.
Aleudes LealCanucos, i in 4 ene.
Minhas nspiraces-poesas, A. M. dos Res, 1 in
4 ene.
No raesmo consultorio lia sempre o mais appropriado sortimento de carteiras! Novas Poesas de Francisco Xavier de Nones, in
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisacoes e pelos precos seguintes:
Carteiras de i 2 tubos grandes. 120000
de 24 tubos g. andes. 18(5000
de 36 tubos grandes. 240000
de 48 tudos grandes. 300000
de 00 tubos gran Jes. 350000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo a\ulso ou frasco de tintura de meia onca 10000.
Sendo para cima de 12 custaro os precos establecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr
doas grandes volumes com diccionario............ 200000
Medicina domestica do Dr. Hering........... IO0OOO
Repertorio do Dr. Mel Moraes ............ tOOO
Diccionario de termos de medicina........... 30000
Os remedios deste estibelecimento sao por deraais conhecidos e dispensam por
tanto de serem novamente recommendados as pessoas que quuerem usar de remedios
verdadeiros, enrgicos e duradores: ha tudo do melborque se pode desejar, globos de
verdadeiro assucar de leite, nolaveis pela sua boa conservacao, tintura dos mais acredi-
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparagao, e portaoto a maior
energa e certeza em seus effeitos.
Casa de saudeSjnira eseravos
Recebe-se eseravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operado, p ra o que o annunciante julga-se suficientemente habilitado.
O Iratimeoto o methor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
fuDCcionando a casa ha mais de quatro annos, ha muhas pe>soas de cujo conceito se nao
pode duvidar, qje podem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se M por da durante 00 dias e d'ahi em diante 10500.
obras diversas. OBJECTOS PARA ESCHIPTORIO.
A Constitmnepeante a historia,por F. J. M. II. de Pennas, caetas, lapis, tinta,etc.
Mello. Prensas para copiar com todos os pertenecs.
fiaroeCorso Elementar dej Pilosophia, Pars 1863, Lnros em bronco, etc.
Silvino Guilhenne de Barros compra e -
de efieotivamenie eseravos de ambos os sexo* a
ra do Imperador n. 79, l.rreiro andar.
Comprase ouro, pTa e pedas prenotas,
em obras veihas : na ra da Cadna do Recifel
I cja de onnves no arco da Cooreiro.
Compra >e carosso f.emente) de ai*odao~ a
armazero de algodao de Sauoders ftrotkers C
no caes de Apolla
4 ene.
Obras de M. A. Atoares de Azevedo, 3 in 8 ene.
Obras de Filinlo Elysio, 11 in 4 ene.
Oliras de Gil Vicente, 3 in 12 ene.
Obras de M. J. da Silva Alvarenga, 2 in 8 ene.
Pacolitha potica, in 8 ene.
Parnaso Brasileiro, l in 8 ene.
Pai naso Lusitano, 6 in 12 ene.
Poesiasde Amaneo Elyseo, 1 in 8 ene.
Poesas e Cantos de A. Gama, 1 in 4 ene.
Poesas Completas de B. J. da Silva Guimares, 1
in 4 ene.
Obras dos principaes poetas braseiros, portugue-
zcs, francezes, etc., etc., etc.
PRIIIEIRAS LETRAS.
C. Adter's Norma para escripia.
Carstaus e Bulteiworthexemplos de escripia in-
gleza.
GallitoSyllabario Portuguez.
Novo methodo de ensinar a ler e aereo por A. Ditos para participaco de iasamento.
Freir da Silva, etc., etc. Enveloppes de renda para os dilos, etc.
lia 8.
Bouchardat -Manuel de makire medcale, 2 ia 8.
Kormulaire n fistol, in 8.
ChernovizFormulario, in 8.
Flammartonles mondes I naginaires. in 4, 1855.
DufauMtbode o'observaiion, in 4, 1866.
Veuillot le Gupier Iiali< n! iu 4 br.
Mutlerhistoire de la liitralure grecque, 2 in 4,
186, etc., etc.
OBJECTOS RELIGIOSOS.
Estampa* religiosas em fun o e coloridas.
Imagens de Santos coloi Ido:, douradus, etc.
I Collecco de estampas va acua.
Rosarios e Cructfixos de martim lavrado, ecf.
Manuaes de Missa ricamentp encadernados de mar-
fin, velludo, etc., etc.
OBJECTOS PARA DESEA'IIO.
Papis de todas as qualirtafies.
Caucas de tintas finas-pin :eis.
Estojas de malliemalica.
Lapis, crayons prelo e de c( r.
Estampas coloridas, etc.
PAPELERA.
Papel de peso, almasso, greve, fl irtrtte, ele.
Papis de cor e brancos d marca graude e pe-
quena.
Enveloppes de todas as quajidades.
Cartors de visita.
MAPPAS GEOGEAPHICOS.
Globos terrestres, etc.
STEBEOHCOPOS.
Vistas para os mesinos.
Cllercoes de photograjibias, ele.
ESTATUAS DE ItllOWl'.
Tinlelros de bronze.
Pesos para papis.
E-tojos d toilette.
Pastas, etc
MVROS DE Ll'XO.
Com estampas linas e ricas eocadrnacoes, pro-
prios para presentes.
RETRATOS DOS ACADMICOS VOLUN-
TADOS DV PATRIA.
Assignaturas para jarates di Europa.
Jornal das Familias.
Revista Jurdica.
> Archivo Lillerario,etc.
FOLHINHAS PARA 0 ANNO DE 18G6.
ALMANAK. LUS0-BRAS1LEIR PARA 0
ANNO DE 18G6.
Livros de leuiliiaiii'-s para o anuo
de isiii
BALOES L4NTERNAS DE PAPEL DE COR
PARA 1LLUMINACOES.
Ouro e prala.
Em obras veihas : eoR>pra-*e na
dependeorio n. 22, bja de bilhetes.
iraca da I
Compram re efleriivament* botijas e aarra-
fas vastas, paga-se a 50 rs. : m roa da Aurxa a
74, taberna.
Compra-te
Um sobrado de nm andar, qoe seja na frfgo-z;a
de Santo Antonio e em boa roa; na livraria er.o-
mica se dir quem preeiza.
Comprase diarios para embrnlnos a 4*mo
a arroba ; na ra da ImperalrU o. 38, lja > ral-
jado.
Compra se um jogo de pedras pSS para
moer milho, por aiafona : na roa do G)iovelio n
2o, ou aonuncie.
Compra se om piano de armario, o.-ado
quem o tiver annuncie.
(>)inpra-se um rylindro com os tamnores de
pao, estando em bono otado : .juera o Uver aaoun-
cie por essa folha.
TINTU
RA
Al) GRANDE S. }\\.IIIIO.
Processos aperfeicoados para tingir, limpar e lustrar a vapor
29, ra 7 de selemlire, 29, defrtite a ra Nova do Ouvidor
Os propietarios d'este estabelecimento, o primeiro no seu
Asoperagoes serao previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos' tiogir e iu-trar de que se faz uso na Europa, e ajudados, por algans
genera no Brasil, por trabalhnr com as
dos n^elhorts officiaes de Paris e Lyiio,
razoaveis que costuma pedir o annunciante.
machinas mais aperfeicoadas para
podem assegurar seus freguezes
Compaiihia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUT0R1SADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
l'na anca em tlinticiro, iepositado nos cofres do estado, gara Ble a boa ad-
ministra cao da compasla.
BANQUEIROS DA COMPANHI" DIREC^O GERAL
O Banco Estacompanhia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de supervivencia dos sega-
ros sobre a vida.
Xella pode se lazer a subscripto de maneira que em nenhum caso mesmo por morte do
segurado se pt>rca o capital ncm os juros correspondentes a estes.
Sao t;o suprehendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole deA NACIO-
NAL,que ai oda mesmo diminuindo urna terca parte do interesse produzido em recentes liquida-
coe eeoiubiQao'lo-o com raortalilada da tabella de Depareieux que adoptada pela companhia
para seas clcalos e liquidares, em segurados de idade de 3 a!9 annos, urna imposicaoannua.
de lOOf produz em effectivo "metlico:
No fun de o annos.......1:1195300
de 10........3:9425600
i de 15 .......11:2085200
de 20 ....... 30:2565000
de 25 .......80:3315000
Xas idadeg menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospecta e mais informacoes s.-rao prestadas pelo sub-director nesta provincia.
Joaquim Fiuza de Oliveira, raadaCadeia n. 52, ou a Una-Vista rua da Imperatriz n. 12, estabe'eci-
|ment dos Srs. Raymundo, Carlos.Leite & Irniao.
urna peif^i^ao de trabalho qual senSo pode chegar pelos processos ordinarios.
Tmgem, lavam, limpam e demofam com a maior perfei(o e hrevi^ade, qualquer qualidade de fazendas, tiram nodoas e limpam a secco,
sem molhar, as sedas e as vestimentas de senhoras e de homens.
s
RUA DO
Altendendo as numerosas occasioes em que tem sucoedido aos senliores de en
peaho o perderem gratule parte de si^as safras por iofelicida es imprevistas que os
deixam sem meio de comp etar as suas moagens; como tnortes de ani^naes de roda, ar-
rombamentos de acodas, lavadas etj., o propriettrio destt fibrila lembra aos dit se-
ndo es a conveniencia, nestes casos de fazer collocar urna machina de vapor, por isso
nao s aprowiian lo a safra existente e providenciando contra a reincile ca de taes
aconteciment.s, mas tambdm introduzindo na sua industria um reconliecido melhora-
mento.
Porlanlo ano.meia que est prompto a garantir o assenlamento das suas espe-
ciaes e mui acreditadas machinas de vapor, em estado de fu necio uarem umi semana de-
poisda cliegada das peca; no engenho. Estas mtchinas podem ser applicadas a moen
dase meia-moeodasj existentes ou podes^ mandar corn ellas moendas novas a vontade
do c mpndor. E las tem tanques ou depsitos d'agua e boeiros, todas de ferro, e oio
pre isam p ra seu as-enta:iiento d^obra alguoia, quer de carapioa, quer '!e alvenaria.
Estas michinas dt vapor sao construidas especialmente p^ra facilitar a condc-
elo, em p/ovadequ j se achia assentadasem lugares onde se jalgou at entao difXi-
ciiimo ou impussivel faze-las carregar.
No casj dj desmiatelarem-se as rodas d'agua, ha sempre prompto, rodas dej
ferro que se asse.ntam no mnimo tempo.
Nesta fabiica se acha todo e qualquer objecto de que possa precisar um engenho.
UMA GRANDE DESCOBERTA
MEDALHA
DE
HONRA

As propiedades medcaos
fiyado de bacalao foro unni-
memente reconliecidas. Mas seo cliriro e seo sabor tao dcsagradaveis
tornlo o uso d'elle muilas vezes impossivcl, mesmo aos estmagos
os mais robustos e aos mais comlesccntcs.
Por isso a descoberta do Sur. ChevriER que lhe permettio de
desinfectar inteiramente o oleo de figado de bacalhao sem alterar suas
propriedades tem sido um dos mais eiizes problemas resolvidos pela
therapeutica moderna.
O oleo de figado de bacalhao desinfectado de Chevrier,
com um cheiro agradavel e um sabor assucarado, o nico que nao
tem nem gosto nem cheiro de peixe.
Objecto de numerosos relatnos scicntificos elle goza em Franca
de urna fama bem merecida, e receitado por todos os mdicos em
lugar do Oleo de figado de bacalhao ordinario. Tendo as mosmas
propriedades do oleo de figado de bacalhau ordinario, usa se d'elle
nos mesmos casos isto as :
Pobreza rfo naitf;ue,
Eafalanirut* uor cicefU de
traltallis ou de praseren,
Molentias dos bronebioa recen-
ten ou clironicaa,
Toaaeo perlinasea,
Gastritea. gaatralKiaa,
llore de eaCoinafjO.
NoleKliaa eaerofulosaa,
narhillaiito,
Oba Tiatra pulmonar,
Moleatlaa da pelle,
Conatllulrao lyrapbatlea,
Anemia, debllldade, frtqiir.
Maajreaa,
Elle convem a todas as com pleitees e a todas as idades, e tomada
fcilmente pelas pessoas as mais delicadas. Elle um poderoso socorro
para a alimentaco das enancas fracas e doentes
Um folleto accompanha cada vidro e conten as observacoes medicaes.
Deposito em Par, na pharmacia de Chevrier, e em todas as boas pharmacias de Franca e do estrangeiro
0 Oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chevrier constitue o melhor meio de administrar o ferro. O
iodytro de ferro reunido cora o oleo de figado de bacalhau,
augmenta a accSo to efficaz d'este ultimo, se dissolve mais
fcilmente nos lquidos das vias digestivas, se assimila muito
mais bem do que quando tomado sob a forma de pilulas,
xaiiopes, etc., enfira perde suas propriedades irritantes e nao
provoca a constipaco.
As pessoas as mais delicadas que nao podem supportar as
pr^paracoes ferruginosas ordinarias, asquaes, principalmente
no paizes quentes, tem muitas vezes grandes inconvenientes,
podero cora a nova descoberta do Snr. Chevrier, usar do ferro,
um dos mais poderosos agentes therapeunros, tomando-o unido
ao oleo de figado de bacalhau.
O oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Cbevribr, se emprega em todos os casos que o ferro acon-
selhado; julgamos intil de os enumerar.
.Mar
Dentista de PeraambucoJ
S Roa eslieila do Rosario i. 3, !
ao p da ii rja
^FRANCISCO PINTO OZOEIOj
Colloca flcnlr artiflriir* f
pelos syf.trmas sai m- S
Qi deroos
J Emprega todos os meios seienlicos para I
S conservar os natoraes. Pode ser procura-
do em (a Kabinete das 9 horas da ma-
SB nh.ia as 5 da tarde.
mmmmmmmmmm
Atteu^ao
Precisa-sejde um CMMaTi para htlm/m e un
dito para taberna : as Cinco PMM I:
YE g DAS.
31 anual do Cimo
Vende-se o Manual do QM era um
Governo Kepresentativo ou prim- pos de
Direito Publico Constitucional Administra-
tivo e das Gentes, por Silvestre Pinhciro
Ferreira, em 3 volumes broxurad** p.r -s
cada obra : na livraria n. 8 da prara 4a
Independ ncia.________________
Vendem-se palmeira.'- i[np<-nae>, rm r-ixV
de serem transplaotadas : no sitio mora querda, depois.do beceo do Espioheiro, aos Ar-
didos
Vende-e urna Menta m.H;a e tvn 11
dades : i > rua do liu>.'.. r n. 7.
Vender ama nuMn VMnrril.i >;-
na rua estrella do Beoario n. 17, i" h i
A LEGTIMA
m
Deposito geral em Pernambuco rua da Cruz n. 22 em casa de Caros & Barbosa.
AMA
Precisa-se o urna ama para cozinhar e comprar
pira casa de pouca familia : n'< rua da Concordia
n. .11, cobrado do armazein do sol.
Precisase da quantia de 3004 por espaco
de 3 metes d-se por garanta em urna casa : a
pessoa que queira dar annuncie para ser procu-
rada.
O bacharel
Francisco Angosto da Costa
ADVOCADO
Rua do Imperador numero 69.
mmm iniiii m
Aluga.se o lerceiro andar da casa n. 88 da 1
rua da Imperaln/., e o sino o. 1 da estrada do Ar-
raial : no rua da Aurora o. 36,
Ama de, leite.
Precisa-se de orna ama de leite : na rua do Im-
perador n. 42, terceiro audar.
Alugam-se tres casas na povoacao do
Monteiro a margem do rio, com muitos
boos commodus e em muito bom estado
de limpia : a tratar na rua do Crespo n.
20, esquina, cujo preco de alognel ra-
zoavel.
Aluga-se a casa da roa Imperial o. 201, pro-
pria para relinacao ou ouiro qualquer estabeleci-
mento, por ter muitos rommodos e quintal grande
murado e portao para fra : a tratar na rua Di
reila n. 84 ofl na mesma rua n. 211.
a rua do Imperador n. 46, armazein, preci-
sa se de urna ama para cotinhar e engommar.'
Wotas do banco do Brasil e das caixas Oliaes
descontam-se na travessa das Cruzes n. 8.
j^ O Dr. Carolino Francisco de Lima San- Wjt
| tos contina a morar na rua do Impera- %
H dor n. 17, segundo andar, tendo alias seu S
| gabinete de consultas medicas, logo ao ||I
entrar, no primeiro.
O mesmo doutor, que se tem dado ao 3
estudo tanto das operares como das mo- Wk
lestias internas, presta se a qualquer cha- yk
mado, quer para dentro quer para fra
da cidade.
y --%t\p.\ *jte.yt'
r
Em casa de Theo Chrisliansen, rua do Tra-
piche-Dovo n. 16, nico ascente no norte do Brasil,
de Braodenburj freres, Borcieaux, encontrase ef-
fectivamenle deposito dos artigos seguintes :
Si. Julien.
St. Pierre.
La rose.
Chateau Loville.
Chaleau Margaux.
Grand vin Chateau Lafilte 18^.
i'.ii.ii. ni Latine.
Haut .Sauti-riii'>.
Chatean Saut'Tnes.
Chaleau Lataur Blanche.
Chateau Yquem.
Cognac em tres qualidades.
Azeite doce. Precos de Bordeaux.
| 0 Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na rua da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profls-
so medica, e com especialidade
sobre e seguinte
i molestias de olhos;
2o de peito:
3o dos orgaos geni-
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rao examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
' mingos.
j* Praticar toda e qualquer opera-
cao que julgar conveniente para o
|| prompto restabelecimento dos seus
doentes.
Samuel Power Jotinstoo & Uompanliia
Rua da en zal Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fundido de Low Moor.
\f achinas a vapor de 4 e 6 cava I los.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho.
Arreios d carro para um e dous cavallos.
Relogios de oiiro patente inglez.
Arados americanos.
Ma binas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Aviso.
Clara Maria da Conceico Silva, partelra exa-
minada, mudou sedo pateo de S. Pedro n. 8 para
a rua de Hortas, sobrado o. 130.
Precisa-se de um coiinheiro, prefere se es-
cravo: na rua da Cruz n. 7.
FABRICA A VAPOR
99 RUA DO MONDEGO 99
Deposito na na Nova n. .O lo ja de relojoeiro.
0 dono deste estabelecimenio parlecipa ao respeitavel publico que sua fabrica
est montada com as ipelhores machinas que existem na Europa, e que pode fabricar
com melhur perfeicao possivel. Todo o chocolate desla fabrica est garantido, e puro,
o que nao se pode encontrar naquelle que.vem de fra, e que se vende por preco baixo,
visto os productos serem do paiz. Na etiq- eta tem sempre urna aguia.
PKEgO.
Meia libra......... 400
Una libra......... 800
Urna arroba........I9;?000
PREPARADA RICAMEKTE POR
LAMAN ft HIT,
NOVA YORK.
Composta de substainis. gc/ando tu-
propriedades eminenhntil UpuaeM ;
approvada pelas junta&c WtliiM ai '* if-
dicina; usada nos pnniipae.* konii0,e>
vis militares e da marinba ras Antilbas e
no continente americano ; n-ceilada pelos
facultativosos mais distinclos do imperio do
Brasil e da America liespanlm!
CUBA RADICALMENTE
escrophulas, rheumatismo, OKOtftolO, fn-
fermidades venreas e mercuriaes. rbagas
antigs, motphea e todas as molestias pro-
venientesd'um estado vicioso do sangoe.
Emquanto existem varias imiiafc e
falsificarnos, preciso a maior cautela para
evitar os engaos,
A legitima salsa de Rristol vrr.de-se por
CAORS A BARBOZA
JOAO DA C. BRAVO A C.
Joo da C. Bravo C
Deposito geral em Hercan im o roa i
Cruz n.22 em casa de Caros 6 Barboza
ATTR^CAO
Vende-se as oferta d* Jo Carnrirxlat^inha*
em frente a. ho-ial l'elroll, na ni., .1 >- Pr
zeres n. 38, Mha sopt-ri >r de barro de agua Ve a
.103 o milneiro, alveaaria batida a 309, e ladnliw
a 26JW00.
Vende-se orna armaci de araareilo enw-rm-
sada, mnito proiiria p.ra qmlqoer n soi-i-i p-x ler
a ra-a onde na mesm i aeha e eomrnoli la I- , familia e ser frrala : trati-se na rua d< lipera-
iriz n. TL_______________________________
Vende se um negnaha de d.id* nos : a tratar na roa da Imperatriz n. 20,
eleiros e correaros
PECHINCHO
Sola de Instre em perfeiio estado,
Na mesma fab ica acaba de se montar urna oBcina com serrara a vapor para
obras de marcineiria propria para edificio, para o que encirreg -se de fazer portas, ja-
nellas, assoalhos (parqu francez como se usa na Europa,) tudo com brevidade e per-
feicao. Toma-se qualquer encommenda para fra da cidade, entregando-se prompta a
colar-seno lugar.
Precisa-se de urna ama para o servico Interno
de urna cas/t de pouca familia : a tratar na praca
do Corpo Santo n. 17.
CaaemOlloda
Aluga se um sobrado ha pouco reedificado na
rua do Amparo da cidade de Olinda : a tratar na
loja do sobrado junto, com o Sr. Guilherme Jos
dos Santos, ou no Recife, loja n. 43 da rua da Ca-
deia Velha.
meio.
45-Rna Dlreita-4
20-3000
Penas d'act
Vendem-se superiores penas d'aeo bieo >
ca iiei barato piecu de 320 rs. a grua : n
do Queimado n. 40, loja de fazeaiias.
rea
I1II1A.
Veode-se urna pilha el-rtnra para yarraoiseao,
por commolo preco; na roa de Santa Rila a. If.

-----------,------


Di? rio de rcrnaubuco Quinta Iclra 18 de Xovtmbro de A molestia ou infeccSo peca-; oros objectos.
lial conhecida pelo norne de s- Vindos tambem para a anliga loja de
crofula um dos males mais miudezas ra do Queimado n. 16.
prevalientes e universaes que! Sapatinhos dsselim branco bordados pa-
Grande loja e armazem do
Pavao.
ha em toda a extensa lista das ra baptisados.
enfermidades de que soffre o|. Oulros de merino tambem
genero humano : disse um cel<.;'gemente bonitos.
bre escriptor da medicina que
t mais de urna terca parte de mo os sapatinhos.
todos aquelles que morrem antes) Oulras mu finas
da velhicc sao victimas, ou dir- brancas listradas.
ta ou indirectamente da Escrofu-
a i:por si n5o tao des-
tiva, porm a principal causa de muilas
outras enfermidades que nao lhe sao geral-
mente attribuidas.
E' urna causa directa da phtkysica pul-
monar, das molestias do figado, do estoma-
go t ajfeccdes do cerebro : Entre os seus
numerosos symptomas acham-se os seguin-
tes : falta de appetite ; o semblante pal-
udo e s vezes inchado, s vezes de uim
toara transparente e oulras corado -e a-
marellenlo ao redor da bocea ; fraquem e
molleza nos msculos: disgesto fraca e
wppetite irregular; falta de energa, venlre
inchado e evacuaco irregular ; qnando o
mal tem seu assento sobre os nulmoes. ume
cor azulada mostra-se em roda dos olhos:
-quando ataca os orgos digestivos, os olhos n. 6,'recebeu um
bordados e
Escossia
brancas
Ra da Emperatriz d. 60. de Gama & Silva.
Tendo os proprielarios d'esle estabelecimenlo de
liquidaren) urna graude porco de suas fazendas,
at ao lim do correla auno, aflm de fecharan ton-
tas e apurar dinheiro, resolveram vender todas as
Meias de seda, correspondente DO tama- azendas coro gr.-.mte abatimento em pregos, tanto
ero porcao como e relalho, e por isso previoero a
lodos os seus fregm-zes, e ao respeiiavel publico, e
as pessoas que negociam em pequea escalla com
fazendas, que nesle csiabelecimerito encotitraro
uro grande sortimento que rouito Ibes ho de agta-
dar tanto em presos como ero quaiidade; ISsin
Luvas finas de o da Escossia
de cores.
Ditas de seda para senhoras. \
Ligas de dita para senhoras e meninas.
Peotes de tartaruga mui fortes para des-, car peotwr.
como maudam pelos seus caixeires levar as Jaztn
das e amostras uas casas das familias que nao po-
derem vir a luja, ou do as amostras deixando ti-
AGUA BRANCA'
Ra do ueimado d. 8.
A loja da aguia biauca acaba de receber um
novo e grande sortimento de dilTerentes objeclos
de gosto e ultima moda, sendo :
Bonitos enfeites para seuhoras gostos inteira-
meoie novos.
Ditos ditos de grade rom ron'.as grandes.
Lindas fivelas grandes para cintos com moldes
agradaveis e diversas qualidades, madreperola,
tartaruga, ac e douradas.
Doas e bonitas titas achansal'tadas para ditas.
Dites de dita de grosdeoaples lisas e lavradas
embarazar.
Carriteis com retroz preto e outras cores.
Carteiras com agulhas.
Agulhas francezas, as afamadas.
Caixinhas com allinetes brancos e pretos,
Haspas de baleia para vestidos.
Fitas de linho proprias para ditos.
Caixas com linbas de novellos
para crochets.
Trancellim de bonacha preto, redondo.
Bonitas QveJIas grandes de ac,
twlii-aias
Vendem-se
lisas a 30000, la leja do
Pavo.
pecas de cambraia lisa branca e
: com novos e agradaveis desenhos.
Trancas pretas de seda con vid tinos moldes
! novos e de goslo.
Bicos brancos e prttos de sfda com vidrilhos e
t de dilTereutes larguras e bonitos desenhos.
Cascarrilha, de seda com diversas cores e lar-
I guras, formas inteiraraenle novas a imit^eo de
pafo, babadinho e outra com urna transinha do
transparentes, leudo oilo e meia vara cada peca, centro o que Ibes d rnuita graga
pelo barato prego de 35300, ditas muito finas, por
45500, 55, G5 at 105, sendo tapadas e transpa-
rentes, assiro como cortes de cambraia com salpi-
, eos a 25500 : isto s Da loja e armazem do Pavo,
grandes na ra da lroperatnz n. 60 de Gama & Silva.
As ramisiulias do l'avo.
Mendem-se as mais modernas camisinhas borda-
das com manguitos, para senhoras, sendo as mais
modernas que tem vindo ao mercado a 45500, di-
tas com manguitos, para acabar, a 15 ; ditas pre
douradas, madreperola e tar-
taruga, tas com manguitos'para luto a 1*800 rs., mangul- Dea arTveYder''-
A loja de miudezas ra do Qoeimado e goiiohas pretas a 15, Muta** goliohas de, De^ da ,
.6,'recebeu um bonito sortimento de S^SnmS^VTtSS
tornam-se avermelhados:o hlito feudo, fuellas grandes para cintos, sendo de ac, branca bordada a 1*600 : na loja do Pavao, ra
a lingua carregada, dores de cabeca, ton-, douradas, madreperola e lartaruga, asquaes da lroperatnz n.60, ? Gama & Silva.
teiras etc. I esli sendo vendidas em dita loja por pre- i Chales de uierin a 20OOO.
as pessoas de dsposc50 escrofulosa ap- eos commodos ; assim como boas e boniias; Vendera-se os mais modernos chales de merino
parecem frequenteroente erupcoes na pelle fitas de gorgoroacbamalotado, proprias pa- ^fStJS^^SSS'ASS^X
da cabeca e outras partes do corpo, sao pre- ra ditas ivellas. vendem a 6*, 7* e 85000: na loja a armazem do
Oulras estrei-as e largas guarnecidas de bico
de seda obra de muito gosto.
Unirs de rami.raia de cores.
Boides de seda, velludo e ac para enfeites de
vestidos.
Trangas de seda estreitas e largas brancas e de
cores para enfeites de vestidos.
Flores finas
CAPELLAS PARA MENINAS E NOIVaS.
A aguia branca a ra do Queiroado d. 8, rece-
Ni
o
gallo cania e
que mando,
(apellas brancas para noivas.
Ditas ditas para meninas.
Ditas ditas de caixos de flor de laranja.
Ditas ditas de rosas camellas e outras.
Ditas ditas ou ramos de trigo.
Diversos ramos de flores finas para peito de
vestidos, enfeites de chapeos ele, etc.
Preparos para flores.
Na ra do Queimado n. 8, loja da aguia bran-
do, dos rins e dos orgos digestivos e ute-
rinos. Portante, nao smente, aquelles
que padecem das formas vkerosas e tuber-
culosas da escrfula que necessitam de pro-
Os ciatos de Pavo.
Veodem-se rlquissimos sinlos de filas de diver-
sas cores e domados com (ivela larga e dourada,
assim como enfeites para cabeca dos melhores e
mais modernos que tem vindo ao aereado ludo
izoavel q
na loja e armazem
do pavao na ra da Imperalriz n. 60, de Gama &
Papel de cores para rosas.
Dito verde para ful has.
Dito dito e pardo para cubrir os talos das ditas, ve'stidos.
Musgo em rama.
Folhas para rosas.
Buui e baratissimo.
IIta do Crespo n. 5.
Collares.
Collares anodioos el ctro magnticas Rcier para
as crianzas nao morrerem de convulses pelo ba-
rato pr< go de 45.
Novidades.
Riquissimas pnlseiras ou braceletes ra senio-
ra e para meninas a 15. 25 e ;5, assi m orno lin-
das voltas para Descoco a ;i*.
Enfeites.
Riqoissimos enfeites para cabrea cousa de mui-
to g.sto a 153OO, 25, .15. 45, i&, 65 e 7.
Fivelas.
Riquissimas rivelas de madreperola e de tarta-
ruga, arsim como pretas.
Cruzes.
Riqn ssimas cruzes douradas porm o melhor
gosto que se pode desejar.
Cascarrillias.
Bonitas cascarrilbas coro biquinhns de seda e
aljfar cousa Inteirameute nova para enfeites de
dispostas as affectcs dos pnlmdes, do figa-'^Oculos de pondr e de Olltras Pavo, ra da lroperatnz n. 60, de Gama & Silva. | cajende-se :
qnalidades, para da vista.
A'loja de miudezas ra do Queimado
o. H5, lambem recebeu octios de penetra .
teccao contra os seus estragos; todos as com vidros claros e escuros, para quem sof- isto se vende por um prec/> razoave que muito Aulhas e litlhas para Crochet, vidros para os amantes do ihatro.
quelles em CUJO sangue existe O virus laten-; fre da vista, assim como Odios de armago ** M de agradar isto s na loja e armazem vendem-se oa ra do Queimado n. 8 loja da' Asim como uns pequininos
te d'este terrivel flafiello (e s vezes heri- de aro, sortidos em graos. 1 ^ pavao a [ua..da '"'Pf ra'ni n- *^* 0ama aguia branca, assim como agulhas para tranalhar- que serve para eDfeiie de rekgio mais cora excel-
As toalhas 4e linlio do Pavao. s| em la leote vidro.
Binculos.
Bonito sortimento de binculos
com superiores
Vendem-se superiores toaihas de linho das me-
flagello (e s vezes e her- j de aro, sortidos em graos,
ditario) esli exposlos tambem a solTrer das coroas e tercos de cornalina.
enfermidades que elle causa, que sao: A anliga loja de miodezas a' ra do
A phthgsica-, Icerac9es do figado, do es- Queimado n. 16, recebeu mui bonitas co- preco de 95000 a duzia, ou 800 rs! cada .uma, na
tomago e dos rins: erupedes e enfermida- roas e tercos deCDrnalina, os quaes esto Na e armazem do Pavo, na ra da Imperalriz n.
des eruptivas da culis ; rosa ou erysipelaj.a fsposicao dos bons diristaos que os qut-| ' borbulhas. pstulas nascidas, tumores, rA-;zerem comprar em dita loja: na ra do1
cumacarimneulos, ulceras e chagas, rheu- Queimado n. 16.
matismo, dores nos ossos, as costas e na
cabeca, debilidades femininas, lores bran-
cas causada pela nlceraco interior, e -en-
fermidades uterinas, hydropesia, mdiges-
tdo, enfraquecimento e debilidade g-eral.
Aos pulmes a escrfula produz tubrcu-
los e Analmente consumpeo pulmonar :
Ksponjas Anas grandes e pe-
quemas.
Vende-se na ra do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
Diversos ob jeetos.
A antiga loja de miudezas ra do Quei-
mado n. 16, acaba de receber mui tos di-
nas glanulas ella produz inchaces e teman- versos objectos que tazem completar o seu
se ulceras: nos orgaos digestivos causa btlo sortimento, sendo:
desarranjos que -produzem indigesto, dis-j F tas finas de sarja da mais estreita que
pepsia, molestias do figado e nos rins : ba at a mais larga, todas de vivas e agrada-
na pelle produz erapcoes e affeceyes cuta- veis cores,
neas. dem tambem de sarja Lvrada, de bonitos
Todos estes males tendo a mesma ori- e novos desenhos
gem, orecem do mesmo remedio: asa- dem idem brancas, lisas e lavradas, pa-
ber: purificar e fortalecer o sangue. droes igualmente novos e bonitos.
A salsa parrilha de Ayer
composta dos antdotos mais eflicazes que e muito encorpadas,
a sciencia medica tem podido descobrir, .grandes.
para ecta m.lestia assoladora e para a curaj dem de seda preta e de oulras cores pa-
de todos os males provenientes d^ella quera debruar vestidos, colletesl palitos, etc.
conlic vii tudes verdadeiramente extraordi- dem de laa igualmente sortidas em-cores
narias provado incontestavelmente pelas !e para os mesmos fins.
curas Eolaveis e bem conhecidas que tem| dem de algodao brancas ,e diversas ou-
feito de tumores, erufces cutneas, erysi- tras ^res para vestidos de chita.
dem de gorguro de seda acbamalotada,
para cinto de fivellas
pelas, berbulhas, ntucidas, chagas antigs,
ulceras, rheuma, sama, parchas, hydrope-
sia, tos&e quando causada por depsitos tu-
berculosos nos pulmes. Debilidade ge-
ral: Indigesto, Syphis constitucional e
molestias mercuriacs, molestias das mulhe-
res, ulceracoes do tero, a nevralgia e con-1 vos c mui bonitos.
vuk;oes epilpticas e em summa. toda serie Mera idem decores tambem de bonitos
de enfermidades que rwscem da impureza: moldes e agradaveis cores.
do sangue. Vede as certides no Alma-1 Botes para os mesaios fins, sendo pre-
nack e Manual de saide do Dr. A ver que tos de seda maiores e menores, enfeilados
se distribuc gratuitamente nos
se vendem os remedios.
Esle remedio o fructo de langas e labo-
riosas experiencias, e ha abundantes provas dos tamanlios.
das suas virtudes: posto que oflereddoj Lonetos de ous ifch-os cont ar de ac, bfalo
ao publico sob o nome de Saisaparril/ia, elaiiar.uga.
composio Je diversas plantas, algumas das1 A loja de miudezas, :i ra do Queimado
qaaes sao superiores a melhor salsa parri- n- 16. recebeu um bello sortimento de lo-
lha 110 seu poder alterante. \ netos e oculos de vidros com umaco hna de
PEI'iAL DE CEItEJA b AVER. jaco, bfalo e tai taruga, e o; est vendendo
Cura promptamenle a asllima, bronehite. por precos razoaveis: os prtt mientes diri-
tosse, (lefluxo, angina, coqueluche, jam-se a esta leja na ra.do Queimado n. 16.
phthysiea primaria, tubrculos
pulmonares, e todas asi
molesl
Allivia os etbicos declarados.
Todas as molestias da garganta, do peito;
e dos pulmes pdem ser curadas em pou-
co lempo pelo 'eitohal de ceheja do bbJ
ayeu.
A' venda as principaes boticas e droga-
ras do imperio, e aa agencia central do
Rio de Janeiro ra liireita n- 1C.
Vendj-se em Pernambuco:
na
PHaRMACIE FRANQAISE
kP.MAIIRER&G'f
RA NOVA N
Venlem-se os estabeiecunenius, euiu veuda
ea?a de pasto, sitos a' ra do Trapiche d. 28 : a
tratar nos mesmos estabelecimentos.______
Vende-se uma casa terrea sita na ra do
Naeeate, freguezia da S. Jos n. 31, chaos proprios
* bastaues commodos : na ra da Praia I andar
n.47.
Vende-se uma casa terrea sita na ra da Glo-
ria o. 81, freguezia da Boa-Vista, chaos proprios,
com eommodo para uma pequea familia : ca ra
da Praia 1.* andar n. 47.__________________
Vende-se a fabrica de charutos e cigarros
da ra do Aragao n. 32, becn afrcgi>ezada : a tra-
tar na ra dos Coelhos d. i\
Vende-se um mulatiuho de iG a 17 anoos,
proprio para pagem por ser muito bonito e de boa
conducta : na ra do Imperador n. lo, terctiro
andar.________________________________
Cera de carnauba.
Vende-se superior cera de carnauba por barato
preco ; na ru 1 do vigario n. 20.
Colla da Baha soperior
Tem para vender Antonio Luiz de Azevedo &
C, no seu escriptono ra da Cruz n. 1._______
TfcOOO
o j-'go de pedras para nioinhos : vende-se na ra
do Vigario n. 14.
Novidadc.
Chegarara M bonitos chales e retondas de guipa-
re brancos, e vendem-se na ra da Imperalriz n.
52, loja da port? larga, de Paredes Porto. _____
Wnde-e a uberoa da ra Dirita dos Afo-
gados n. 22, com poucos fundos, e bons comino-
dos al para morar familia, ou a dinheiro ou a
prasocom boa Arma : a tratar na mesma casa, ou
na ra do Raogel n. 61.
saias
Vendem-se as mais finas saias bordadas asagu-
Iha brancas sendo da melhor fazenda que tem vin-
do nesle genero, tendo mui a roda, pelo baratissi-
mo preo de lOjjOOO; ditas bordadas a croch a
65100 e 85000, ditas com babadinhos a 95000, na
luja e armazem do Pavo, Da ra da Imperalriz d.
60, de Gama & Silva.
Noves vestidos do Pavo a t0f500.
Chegaram para loja do Pavo os mais ricos cor-
tes de vestidos de cambraia transparente com os
mais delicados bordados de differentes cores a pon-
to de agullia, sendo n'este genero a maior oovida-
de que tem vindo ao mercado, garantindo-se o te-
rem milita azenda e enfeites suflicientes para o
corpo e mangas, e vendem-se pelo barato preco de
1050'. 0 cada um, na loja do Pavao, na ra da Im-
peralriz n. 60, de Gama & Silva.
Os s-partilbos do Pavo.
Vendem-se um grande e-variado sortimtnto de
espartilhos os mais bemfeitos que tem vindo ao
mercads, sendo de lodos os tamanhos pelo baratis-
simo prego de 45, 55, e 65000, por haver grande
sortimento, na loja do Pavo, na ra da Imperalriz
n. 60, de Gama c Silva.
lietODdas pretas a \ 2000,
Na loja do pavao.
Chegaram pelo ultimo vapor as mais ricas re-
londas de renda pretas, sendo das ir.ais compridas
que tem vindo ao mercado, e vendem se por prec
muito em conta : na loj <* armazem do Pavao, ru.i
da Imperalriz n. 60, de Gama & Silva.
Cortes A 2-5800, na loja do pavao.
Vendem-se l>orut -s cortes de casimira de cores,
tendo claras e escuras, e veindern se pelo baratis-
simo preco de 25800 o corle, ou vende-se a mes-
ma fazenda a 15600 o covado, tendo 6 palmos de
largura : isla na luja e armazem do Pavo, ra da
Imperalriz n -60, de Gama & Silva.
Os corles le casimira lo Pava:
Vendem-se superiores rrles de casimira, sendo
fazenda muito fina, pelo baratissimo prego de 5'5
cada um : na loja e armazem do Pavo, ra da
Imperalriz n. 00, de fiama & Silva.
Laiiziiilias a 2.S0 fi 320 rs.
Wndem-se lan'inh.is de qnadrinhos a'imilaeo
dem pretos de velludo tambem de corti-1das sedinllf *?.*"*? 'T!'-' L,i,ra, pre?0 d,! S?
rs. o covado; ditas ganlialdinas com os cnais fin-
! dos padroes a 320 rs., 0 peehineba : na loja do
l'avo, ra da Imperalriz u. 60. de Gama & Silva.
Os cintos lo pavao a 10OU.
Vendem-se cintos de fia com fivelas pelo bara-
lisillDO preco de 15000 : na loja do Pavo, ra da
Imperalriz n. 60, de Gama & Silva.
Chales pelos ile cerna a S.sOOO, na
loja do l'avo.
Chegaram para a loja do Pavo os mais ricos
chales de renda pretos, de. 4 ponas e muito grao-
de, vendendi-se pelo baratis-nno prego de 85000
cada uro para acabar: na loja do Pavo, ra da
mperatrizn. 60, de Gama A. Silva.
Vestidos iii'lioiios r 3>0U!, ua loja
do l'ino.
Vendem-se os mais bonitos corles de vestidos
Adanos, sendo esia fazenda transparente e inleira-
mente nova no mercado, e tendo enlre elles 11 uitos
cortes roxos proprios para senhoras que esto de
luto; e vendem-se pelo baratissimo prego de 35
cada MD psra acabar : na loja do Pavo, ra da
Imperalriz n. 60, de Gama \ Silva.
dem de borracha I rancTJs e pretas para
soutembarques. vestidos presos, etc.
Novas e lindas guarnieres para enfeitar
soutembarques, vestidos preios, manteletes,
ele, obras do muito gosto e'modernissitna.
Tranca de seda coai vidrilhos, moldes no-
ugares onde,com vidrilhos e pendentes e outros de di-
versas cores.
Rival sein* segundo
las ~p"mo-' fcaa do Queimado ns. 49e55, loja de
nares. miudezas de tresnarlas, est quei-
maudo tudo bom ebarat /quem qiii-
zer vei-|C admirar veniiam loja do
iso e pautado
fazenda rao-
HiiiO'linlio.
Caixas de papel amizade, e sem ella I
a 600 rs.
Grozas de botos de louga pratea|dos
derna a 160 rs.
Duzias de peona de ago fazenda boa a 40 rs.
Pegas de tranga de la lisas a de lodas cores a
40 rs.
Eseovas rmissimas para limpar denles a 240 e
320 rs.
Pecas de fita de cs estreitas com 10 varas a
320 rs.
Caixas com clcheles francezes, superiores quali-
dades a 20 rs.
Tinteiros de barro, ecm superior tinta a 100 rs.
Pegas de cordo para vestidos, fazenda boa a
20 rs.
Baralhos muito finos para voltarele a 200 e
240 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos de macag perula muitq fino a 200 rs.
Frascos e garrafinhas com agua de Colonia a
400 rs.
Frascos grandes com superior agua de Colonia a
640 rs. i
Caixas com 12 frascos de ebeiros muito finos a
15400.
Sabonetes pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
320 rs.
Duzia de sabonetes pequeos com cheiro a 700 rs.
Agua dentifice superior qualidadea 800 rs.
Caixas com superior p de arroz a 800 rs.
Frascos de superiores essencias santal e outros a
15200.
Frascos com essencias para tirar noduas de roupa
a 500 rs.
Frascos com ebeiros de todos os precos a 160, 200,
240 e 320.
Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
Duzia de meias muito finas para senhora a
45800.
Gollinhas muito finas para senhora a 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo para meninos a
160 rs.
Pegas de fita dn la para debrura de vestido, com
10 varas a 600 rs.
Ditas de bicos superiores, para acabar a 600 e
800 rs.
Pedras de lousa para meninos a 160 rs.
Bunecos do choro e panno a 160 rs.
Caixas com bonius eslampas paia rap a 100 rs.
Capachos compridos, boa fazenda a 500 rs.
Grosas de boioes pequeos pretos para caiga a
100 rs.
varas de cordo de espartilho a 20 rs.
Novellos francezes com 20 jardas a 40 r.
Pegas de liras bordadas a 640.
Duzias de meias cruas muio for es e superiores a
35500.
Inores que lem vindo ao mercado pelo baratissimo I "apel de SOOreCelleUie para OS
phosphoros hygienieos ou de
seguranca.
A vista do grande tamanho das caixinhas dos
phosphoros hygienieos on de seguranga, tornava-se
pouco o papel que vero em dias caixinhas, e para
remediar essa falta a aguia branca mandou vir e
acaba de receber esse especial papel, 1 mal so
dar de sobrecellente a quem comprar de taes
phosphoros e se vender indisiinctamente a quem
delle precisar. O prego de cada caixinha de phos-
phoro continua a ser 160 rs., e vendem-se na ra
do Queimado n. 8, loja da aguia branca.
Seda jroncha para bordar.
Vende-se na rna do Queimad-a loja da aguia
branca n. 8.
Obras de crystal.
Brincos de diversos moldes.
Outros tambem de crystal de coros.
Outros de aljofares brancos < outras cores.
Aderegos de crystal obra de goslo.
Rosetas de dito e cruzes.
BotSes de dito, brancos e de cores para collete.
Dito de dito lambem brancos e de cores para
punhos.
Volias de dito e outras qualidades.
Leques de di* ersas qualidades
Vencb agu: 1: .iica.
Aspas forte para baldt.
Vendem-se na ra do Queimado loja da aguia
uranca n. 8.
Carreteis com retroz.
Na ra no Queimado n.8, loja da aguia branca.
Cromacome para. Ungir ca
bellos.
A aguia branca avisa aos constantes freguezes
desa excellenle tintura, que ella acaba de rece-
ber urna nova remessa de cromacome, coloricome
esabo brauco, necessano para lavar os cabellos,
portanto podem dirigir-se a dila loja na ra do
Queimado n. 8.
a bridores de luvas.
Vendem-se na ra da Lueimado loja da aguia
branca n. 8.
Porl bouqnets
de bonitos moldes, dou^ados e cabo de madrepero-
la : acham-se a venda na ra uo Queimado loja
da aguia branca n. 8.
Bonitas touquiihas
de fil de linho, cambraia e setim tolas mui bem
enfeitadas : vendem-se na ra do Queimado n. 8,
loja da agola branca. ___
ech i n ch
a 330 rs. na loja do Pavo.
Laziubas a 320
Lazinbas a 32o
Lazinlias a 320.
Vende-se um graude sortimenio das mais finas
e mais bonitas lazinhas matizadas com os mats
bndos desenhos, sendo fazenda que val cinco lus-
tes, e vende-se pelo baratissimo prego de uma
pataca o covado por ser uma grande porgo desla
Senhorts e senhoras*
Os propietarios da nova loja e armazem de fa-
zendas e roupas f las na ra da Imperalriz n. 72
de Guimares & Irmao, acabam de reduzir os
pregos de suas fazeudas menos 20 por cento do
que em cutra qualquer parte, afirn de apurar di-
nheiro, assim como seja lazinhas de quadnnhos
sendo escuras a 200 c220, ditas mais finas a 360 e
4f 0 rs ditas tranfpareutes com b>tas de seda a
320 rs.
Fazendas proprias para a festa.
Vendem-se as mais bonitas bareges de laa e se-
da sendo escocezas as mais modernas que tem vin-
do ao merca-Jo pelo baratsimo prego de 5t>0 o
covado, cassas fnncezas de uma s cer a 320 e
360 o covado, ditas com palmas solas sendo miu-
das e graudas pelo baratissimo prego de 280, 360 e claras, a 200, 240, 280, 320 e 360 o covado, bro-
: e 400 rs. o covadd : isto na loja e armazem de fa- tacha de linho de duas larcuras, a 15 a vara, len-
zeodas na ra da Imperalriz n. 72, de Guimares eos de cambraia branco, a 25400,25 e 35 a duzia,
1 ditos de linho, a 440, BOO e 600 cada um : M-ndes
Guimares.
Seslinbas.
Riquissimas ceslinhas com prepares para me-
ninas de escola trazer no braco, assim como de
vidro enfeitadas proprias para'raimo.
Pentes.
Ripnissimos penles de borracha com aro bran-
co de metal para menina segurar o cabello pelo
barato prego de 500 rs., o. duzia .'5, a;.sm como
grande sortimento de tedas as qualidades para de-
sembaragar.
Eseovas.
Grande sortimento de eseovas oara roupa e pa-
ra cabello, para unhas e para denles.
Lunetas e oculos,
Finlssimos lunetos de um e dous excellenles vi-
dros e aro de bfalo e de tartaruga, assim como
oculos com rame dos lados propntj^para quero
sollre dos oculos.
Touquirihas.
Riquissimas toaquinhas de tl Ce llnlft, de se
da e de la para criangas.
Para o cabello.
A superior agua para attingir os cabellos, as
barbas brancas e fazer conserva-Ios, es frascos
acompanha um rotulo que ensina a forma como
se deve applicar.
Para caspa.
Superior banha sem cordura com um frasco
com agua propria para limpar a cabeca, os frascos
acompanha um folhelo que ensina o'modo como
se deve applicar, assim como agua ba>aiiica.
Opiata e poz para limpar (lentes.
Banbas.
Grande sortimento de hanhas em copes, em la-
las de folha e em frascos de lodos os tamanhos por
pregos menos do queem outra garle, assim como
muitos cutros (bjectos cpie nao se poJe mencionar
por boje : s no galio vigilante ra do Crespo nu-
mero 7.
Liquida co geraL
Lourenge Pereira tiendes GuimarSe, ra da Im-
paralriz n. 56, loja e armazem da Arara, proprieta-
rio do grande armazem de fazendas e roupas feitas,
tem resulvjdo fazer urna nova Ikjoidagao de todas
as qualidades de fazendas que txi.-tem no seu ar-
mazem, que vender trinta por cento menos do que
em outra paite, afim de se apurar diuheiro e fe-
char contas, por isso pede aorespeitave! publico de
aprovtitar a occasiao, a saber.
Laziu'ias cliinez.as de ijiiailriulips
Vende-se laasinnas linas a 200 e !*20 o covado,
dila cun palmas a 320 e 3C0, cassas (> nina scr
a 320 e 360 o corado, dilas de palmas a 280 320,
360 o 400 o covado : ra da Imperalriz n. ii, Meu-
des Guimares.
Fazendas de gnslo
Vende-se as mais modernas bareges de la e se-
da, sendo fazenda de g-'Sto pelo barr-tissimo preco
de 560 o covado.
Saias beldadas
Vende-se saias borbadas pelo barato preco de
65500 e 75, liras bordadas a 15, ntremeos 800 e
15 cada lira.
Ricos corles brancos bordados
Recebeu se bonitos cortes bordados e de cores,
de la e seda, que se vende a 85, "5 e 105 cada
corte.
Chales do merino
A pechlncha esta se acabando, chales de merino
a 25.
Riscados escoerzes
Vende-se riscados escocezes, a 240 e 260 o co-
vado : s o Arara.
Percalas Cuas
Vende-se percales muito linas, sendo de mnilo
bom gosto, e tendo de botutos desenhos coro listras
a palmas solas, sendo fazenda inteiramentede gos-
to, se vende a 460 e 500 o covaio, chitas escuras
l Irmao.
Saias bordadas.
Vendem-se as mais bonitas saias bordadas sen-
do bstanle largas e muito bem bordadas pelo ba-
ratissimo prego de 65500 c 7?.
Vestidos de tarlataua muito fina sendo brancos peratriz b. 56.
, com barras de cores bordadas de la e seda sendo
os mais m"demos que tem vindo ao mercado e
vendem-se pelo barato prego de 95,95500 e 105-
.Maulas de seda para bometn.
Vendem-se as mais lindas mantas de seda para
hornem tendo de P'das as cores pelo baratissimo
prego de 15300, 15400 e 15500 : isto na nova lo-
Cobertores de algodo
Vende-se cobertores de algodo, a 800 e 5500
cada um, ditos escarales de la, a 5.5 : ra dalm-
OVA LOJA
ENCICLOPDICA
S2 Ruada Imperalriz nrnazcas
da porta larga *>*.
Junio a padarla fradecza 4*
Paredes Porta.
Xe.-tH estabtleciineiilo encontrara o r
publico uro variad .vrtirnen! Je fazendas 'rare-
zas, piezas, suiss:,s e allf es, que se vend.-M
per piego eommodo.
Patean Par:*
Vende chales de renda de cer-'s -
ram a 189 est teadwado par 65, d.' ; r -. U-
UBda nova, 55, 65, 85 a 205, uro scrtimrn!" a ..-
pltlo de manielites. rapas Mar<|:. liii
55- Ra ta Imperalriz o 42, janlj a nadara frio-
ceza, armazem da p.ri.i larga.
Paredes Pirt
Receben, um completo sortimento de .a-rha* a
S40, e 280 rs. covados, rara acabar, rn Ihj 4*
r a 240 rs. o covado, risrado ,1 r o
?a de menino, fusto de linho a 420, O m r.
Ki:a da !mi eratriz n. 52 juut) a padana ira*-;
ro.aicm da porta larga.
Preles Pr(a
P. cir.eu [ara cortinados p^ra raa f,.,-.,/.. .
115 a pea cambraia lisa fina a 35 i-> atf !"-5
peca, corles de tarlatana de b'nitisg ran a IflH
e 45, cambraia com flor d seda. aaMM >r- i'
mente r ovos a iOO e 300 r?. o covado, nj arinizem
daria frsnceza.
Prese Porta
Recelen relouln o [aqrele um criimeamda
-ruzes ce in pedras pira cp*scogp. tk,ait.* raiieets
ce la para pescogo d sebbi r.. Haa laajaaaMi
n. 52, arroaz-m da parla larga.
I*.redes Porte
Vende cortes do gi rpnio artai para vt-tlo c.
21 covados cada um 355OOO. priK-draapi* prrtoa
15600, 15*00 e25 a revado, lias zas fin:.- I VA
rs. o covado, las de qnadrinbo pz*a ve-tido, 1
laca, a 320 rs. o covado. Ra da la.;*rairu l. i-x,
armazem da poi la Urp...
Paredes Pr:e
Tem para vender por prego nn-.modo, pra a
HgBO de linho rom 10 varas a 75, 85, ri.-M-.aw da
linho jara lencesa 60 e 700 r- a \ai .
te de hubo de '4 larguras a 25-'Cl e aVM 1 var.
Paredes Parta
Vende cr.rles de rau.braia Ble ri
gosfos a 105 e 125, neai vestuarios aavs a
e menino, ricos Curtes de caabrao M
105 e 2('5. larlitana brinca e d cor a 4'> T.i
rs. a vara. Ra da Imp-rairiz arauzeai l.i |
larga n. 52.
Reiipa feita
Ra da Imperalriz n. 52 arrr.an rr I
ga junto a paitara hraaren, ene nira -
tabelv.-imentn oro roatalrla sortiu.irit 1
aeeos e sobrecasaro, de a das ,< qmk
gas, rlleles, cerollas, camisas, paaaaaar, asHi
chapeos de sol, ditos francezes para tal .ir
pregos commedos, roapa para n raiaa a
muilas fazerdas por pregos con ir. Jos, araizm
da porta larga.
o mi seno e-lal':!ecirreoto er.<. .'ra.i 1
tavtl publico, sen pre um completo soitiat'M roupas futas de h las as qua.id..ii. -, i n
palt !s de. alpaca 1 r. ta e ne cor, o:. -' *-
COK I 5 e 55, diins de I irr par '> a i&hi (' *5 :
355<'6, ditos Unos a 45- ditos satias tazen ira a
35'".,;", 45 e 55, dito-- cazemira s- trm a 'i-S. 73. *
e 105. lilas lobreeaaacrM a 10 e li"
no sacros a C-5, 85 > l('.*. daM aair< -
e 25-5. di!< de merino relo a 65, 75 M**, 'a'-
cas de bnm de diversas qnaiaadi : : I
dito.- brancos a 2500 r 5500, Mas raarl
65 e 75. ditos pretos a ^S, 65, M $ M
mtias razemiras a 35 45. '>
qualidades,'eronlas Iramezasd'- o- V
iinho, dilas de bramante a 25 e 2-'^>. 1
aigodo de linho franetzaj de 25500 1 i.
do perbinrba bcsIc licito, gnrvab i
qualidades o brancas para rarael r
tmenlo de meias para s- n'.,. ra^. d. 1
.1 35, IBpeni res a ifBB e 45-
L'in comi.let 1 sortmiefito de
alpaca a 35, difcM de seda a I I
ditos franeeies para cab ga, graae
a C5-
Tech 11; (lia a!n.. ?.
Grand" senisarato de eftaai 1
leng ie cambraia ara brmem a u +
ti e !e linho a 45 e '
Granel- sotllB enln de r. "ja para
tras moitas qnali. trrli 1
eioaa-htf.
Faseaaaaaaf.
V. ndese soperii r ntrtad H aran
pas de senhora e vrsiidJM a i. ... 1... di
i 158OO o covado. Roa da lu: ..ir
l'ar.'il- Par i.
Vende em sen ettobi i>
bordados, grande sorlioento d. run-ial
mente bordados a :'.-j. i j 1 :<~,. t t M
to, ra da Imperalriz uo 52 ; par) larg .
pdaria franceza.
I'.ireiles Purto
Recelen pflo i. limo paqnel^ fr'
granadinas ron flores de seda a inte Hl
covado. esi-i ac;.iau. canbr-.ia prera r
luto. Porta larga hilo a aaaaria braa z., iu.
da Imperalriz n. 52.
Paredes Porto
Vende un compl. 10 aaraMOrata de I
brancas, romo sejam niaaraslB a Italt,
10?, peras Je al.-id.,) por barato ,|
ceza a 140, 280. 320. 360 rs. o .- vad
muito finas a 360, 400 rs. o c .
a 200 e 240 rs. o ovado. Ra da liop-r;; z u
52, junio a padaria franceza.
Paredes Potto
Vende gaogas de cor propria gara mopa de se
r.inos a 320 rs. o covado, ruraio fr.u.-. z
320 rs. o covado. Ra da bnaaralrtl n. 52,
a padaria franceza, aorta larga.
Paredes Porto
Receben pelo ullim-' paquete e gojeoso por 3-3, sao bons, lengos de seda para -
nhora e honn-m a la, raras crlrs de nr
bordados do 18^ a 7c, ;or ter um 1 ajaa i
esli se acabando, na roa da Imperalriz a. '-.i, jnt-
lo a padaria fra;i ta.

linda fazenda : na loja do Pavo, na roa'da Impe- ja de fazendas na "ra da imperalriz n. 72, de
ralriz n. 60, de Gama & Silva. Guimares Vestidos a i-) Colarinhos da linho para homem.
Vendem-se corles de vestidos a Mara Pa cim *Vendem-se colarinhos de linho para homem
barras bordadas, pelo baratissimo prego de 45000 sendo os mais modernos e melhores que ba no
para acabar : na loja e armazem do Pavo, ra da mercado pelo baratissimo prego de 55500 e 65 a
Imperalriz n. 60, de Gama & Silva. duzia.
Lazinhas a 160 rs, Chales de merino estampados a 25.
Vendem-se superiores lazinhas transparentes Vendem se bonitos chales de merino estampa
Camisas francezas
Vende-se camisas francezas a 15600 e 15800,
pregas largas a 25, -J&iW e 2550., finas a 25800
e 35, brim de linbo de cores, se vende a I .---o e
15 a vara, corles de brim de cor, a 15280, 15400,
15600,15800 e 25, de brim pardo a 640, 700 e 800
rs. a vara.
Roupas feitas
Grande sortimento de roupas b-itas, caigas de
brim branco a 25, de lioho a 35200 e 35500 cada
uma camisa 35 e 35500. finas a 65 e 75500, pali-
tots de brim a'25. 25500, 2580o e 35 de, casemira
35500, 45. 55. 65, 7, 85. *>500 e 105, sobreca-
sacos a 125,145 e 16, pretos e de cores, caigas de
brim e de cores, a 15280, 15440, 1*600, 15800,
25,25500 e 35; s Loureugo Pereira Aleudes Gui-
l\t)V<|: tlC
Vende-ss orna morada da casa terrea com Vende-se um cylndro, uma masseira, uma
bons commodos, nobecco do Pocloho n. 20 : quero balanga grande e orna dita pequea, com lodos os
pretender dir ja se a mesma quo achara com quem pesos e mais otencillos de padaria : a (ralar na
tratar, a qual.juer hora do dia. roa Direita n. 34.
com bonitos padres, sendo li.as e dequadros, pelo dos pelo baratissimo prego de 25, ditos lizos de maraes, ra da Imperalriz n. 56.
baralissimo prego de 160 rs. o covado. isto para lodas as cores a 358(0 e 4# ditos finos sendo es-
acabar : na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, lampados a 65500, 75, 755(0 e 85.
de Cama & Silva.
Mamjuilos e golas a 500 rs.
Vendem-se manguitos com golas de cambraia
pelo baratissimo prego de 500 rs., isto para li-
quidar : na loja do Pavo, ra da Imperalriz n.
60, de Gama & Silva.
Corles de chita do Pavo
Vendem-se cortes de chita franceza muito boa
com 10 covados a 25400, ditos com 11 covados a
25600, ditos coro 12 covados a 25800, isto so
para acabar : na loja do Pavo, ra da Imperalriz
n. 60, de Gama & Silva.
Cambraias brancas.
Vendem-te pegas de cambraias brancas a 35,
35500, 45, 45500 e 55, ditas muito finas tendo
uma vara de largura a 95 el05 isto s na nova
loja de fazendas sa ra da Imgeratriz n. 72 de
Guimares & Irmo.
Nscalos pseemos.
Vendem-se os mais bonitos riscados escoceze
para vestidos de senhora e proprios para roupas
de meninos a 260 e 280, rima- fraucezas escuras
e claras a 240. 260, 280, 300 e 320, ditas percales
muilo finas a 360, 400 e 440 o covado: isto s na
Agasalhos para cabeca de seuhoras. nova loJ* e^rmazem de fazendas na ra da Ira
Vendem-se superiores agasalhos para cabega de P"4"-'1 D- 72.de Guimares & Irmo.
senhora ou cachines, sendo fazenda mais moderna
que tero vindo nesle genero ao mercado, pelo ba-
ratissimo prego de 35 cada um : na loja e arma-
zem do Pavo, ra da Imperalriz n. 60, de Gama
& Silva.
Chales de renda a 10f>, 5, loo, 200 e 2ofr, na
loja do Pavo.
Vendem-se chales de renda preta muito finos a
105 e 125, ditos de linho a 155, ditos de seda de
linho dos melhores que ba ero chales de renda a ljUVilS (16 OUVIQ.
20 e 255, di los brancos de (res ponas a 69, isto ,___. ..
s na loja e armazem do Pavo, ra da Imperatriz A l0Ja de mudezas na ra do (Jueima-1
n 60, de Gama & Silva.
Camisas francezes.
Vendem se camisas fraucezas a 15500, 15800,
25. 25500 e 35, ditas com peito de cor a 29 e
25500 : isto s na loja de Guimares & Irmo.
" Vende-se uma taberna com poucos fot dos,
livre e desembaragada, na ra da Casa Forte junto
ao agougue, propria para qualquer principiante :
a tratar na ra do Imperador n. 46, armazem.
Arara n. 56. Meudes Guimares.
No armazem do Mills Lalham s G., na ra da
Cruz n. 38, vendem-se os seguintes objectos :
Manteiga ingleza.
Cerneja branca e preta.
L-uga.
Uiscoulos inglczes.
Oleo de liuliaga.
Folha de flandres.
Saceos feitos.
Silttdes. _____________________________
Farinha de mandioca.
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo & C, no seu escritorio ra da Cruz n. 1.
Vende se uma escrava perita engommadaira
e faz todo o servigo de uma casa, nm escravo bom
cozioheiro do diario, um dito meslre marcinelro e
caraploa, uma negrinba muito linda de 12 annos :
na iravessa do Carrao n. 1.
Vende-se uma preta de meia idade
da Imperalriz n. 23.
a
Cortes de chira con barras a" Inp.Tatrii Fi-g.
nia, fazenda superior, a 45 cada m
francez muilo encornada prontas parasaaM
misas a l()500 a i*ca, oc a ilM r- .. .
inglez com 24 jardas a 45 a pee:, raanor- .
sabida do bule a 25500, alfodViinh 1 !arg
20 jardas a 432OO a peca, bramante r,f I
linho para lee res a 25200 a vara. .ti-
zas a 240 o covado, baldea de are*> sui-rn.
25500, cambraias lisas moito finas rom % Ijl
ras e com mais de orna vara de larenra a "*
pega : s oa ra do Qneimado n. 17. a ,
botica.
averiado
Francez barrica 55ttM>
Portland idem 85-500
Em perfeito eslado:
Francez barrica 1*1000
Portland idem I25CCO
No armazem de Tasso Irtros raes do'AprP'*
Vende-se uma cadeirinha de bragus, nova
com os competeotus eorreames : na ra ao impe-
do n. IG, resebeu-as por este ultimo vapor,' rador n. 45,3 andar.
Na ra da Imperalriz n. 26. fab ka de rharer*
de sol, ha para vender um sortifrenlo et aira* d.-
ouro, como sejam, aderegrs rotri-lefos rom
meios ditos, alflneles, rotelas, brtocos, rari
para rclogio, cagoletas, ernzes, hulees para pa-
nnos, dilos para abertura, e coiros cbjWv a>
ouro de diversas qualidades e grsios, qoe nada a
vende barato para acatar.
GHAXO.tI BEXIG4.
1 Vcnde-se graia rm bexigas de superior anuii
dada, largo da Assembla armazem a> amatar.
Vende se uma rarroga para favl|, en n-
lo bom eslado : a tratar nc Can: i uno N -j, v* lea-
da de lerreiro.,


111 mx/iTi I


Diarlo de l'ernamtuco -- Quinta ir Ir a 93 de .\ovcmbro de *
me
Wi$ lUiilll) Vil 13
N. 11Ra do Queimado N. 11
A' casa de Augusto Porto chegaram pelo vapor rancez ricos cortes de
vestidos de Seda decores dos raais bellos gostos., proprios para bailes,
pai lidas ou casamentos.
Ciules de Guipure pretos e brancos.
Bonete de paltu da Italia para senhoras,
Moir branco e preto. ^
Bonita seda pira vestidos,
Casemiras de quadros.
Epeiras da India para salas.
Madapoloes feaucezes a 400 e 500 rs, a vara,
Lilas para vestidos de diversas qualidades, e
gostos diffreentes,
Q que tuJo se vende pelos niais commodos procos.
CORTES DE SEA
Cheearara pelo paquete inglez riqusimos corte* de moreautique de cores, e seda lavrada pa-
drees lateiramente novos.
Seda de quadros por 1$000 o covado
RA D) CRESPO 5
Pace do Amaral & Coinpanbia.
5
Gresorio

r. i
<: .

0
BAkL M GLUBE Mi
Gregorio Paes do Amaral & Companbia.
Offerecem a lodos os convidados, do esplendido baile do Club Pt rnatabaeano
seu bello eescolhido sortimento defazend.s dcplianlasia, chegadas pelo Guame, mn
consta das seguintes especialidades.
Vertidos a Ccsariaa.
Linda e nova fazenda de 13-brillianl, transparente, com listos e flores de seda,
padroes do ultimo gosto.
t SEDAS
Em cortes padroes novo5, escuros e claros.
Em pecas moireantique liso ondeado e lavrado.
dem.estampado com listas e llores.
Tarlatana.
Resta tima diminuta porgao de curtes de larlatana branca, enfeitados caprichosa-
mente a cores. Todos os amadores de partidas e soirs, lo comprado para soas hau-
l:as estes vestidos, ja pelo diminuto prego, ja pelo bonito gosto.
KMFEITES
A imperattiz Eugenia e a rainha Victoria que adaplam com muila etegaoria
kok.
Jouvin & C.
Rescntia-se o nosso mercado da falta absoluta das verdadeirrs lats de Mmiu
lemos a satisfacao de poder annunria-las a nossos freguezes pejo prego de .t-3000 o par.
E grande a economa vista da flexibil dade e bom acabado, que Ibes da dupla
duracao sobre as falsificadas. ""'""
Trini* diversos objectos
Proprios para o complemento dos enfeites de vestido como berthes, eostageo,
suspensorios, etc gostos os mais phantasticos em dentelle preto e braoco, tafeta etc.
Mandam-se amostras.
. ademas e penies de tartaruga.
E a primeira ve?, q ie vem esta la/enda ;io mercado. A pequea porro qoe res-
convida as Exmas. senhoras a urna breve compra.
a CIATOS
Lom ivellas de raadreperola gravada, tai taruga, rtetal, etc.
Chai m de Alo de e-es.
A Nova remessa. desle chales c reto: des a duss e mais cores em xadrez Hada
jaoella aDaiXO pUDllCaaa Serve Ce base de pre^OS, t^^r^raaBai-oeBtiUimukmjB. tm experimentar; as pessoas qoe os de-
AO RESPEITAVEL PUBLICO
Para vestidos de senhofa.
Cortes de seda de cor de bom gosto c superior qualklade.
Lindas sedas de qnadriobos.
B ros moireanliipies de cores.
Grosdenaples do todas as cores.
l/ii los poil d' chevre fazenda asselinada de inteira n ividade.
Lindas duquezas assetinadas Fazenda inteiramente nova.
.Vi lernos greaadines de seda oque tem vindo de mais novo.
Grande variedade de la> de cores lisas e de salpicos.
. ii-.ni-dys c ca sasdemuio bom go.-to.
Percalias modernas com ciando variedade.
1 indos 'tes de lia Clotilde com todos os pertences tada um em seu car- }
: inteiramente novos. <&
i: rscVtesdeca-sa con barra lamb?m inteiramente novos eoutras muihs W
6
ffi

/i
t i
'
fazendas de gosto quesera enfadonho mencionar.
Para hombros desenhn-a
nde variedade de chales, bonrooot, retondes c algeriennes de fil e dej
pui m re a 10, 16, 20, 30, 10, 60 at.80^t.
Modernos soutembarjucs de seda le superior qudidade.
!. nd is bertes de seda -e cor preJ >s e do cachemira.
I em de cambrah branca b >rd idacom rotulo gosto.
Saufembarques ebonmoux do cachimira de cor e outros mnitos artigos c$
" gosto. $3
Para cabega de seTihora sit
Superiores chapelinss de palha, de seda e de crina do muito bom gosto a im-W
''' .%..
'. lapos do pllia da Italia grande variedade.
I indos gorros e bonets de palha de Italia, Imperatriz, ,' Canotier, Clotilde Y
e 'iranu, chegadns de Pars pe o ultimo vapor. jmB
Grande variedade de enfeil de froco e do llores para casamento. *%p
l fieriores vestidos de blon le, e de miireantique brancos.
-: i! inoi lireantiques branc is e siperiores sedas brancas. oh
Bo:s vestidos dd tarlatana branco bordados. 3fi
Lindas mantas de blinde e boas capelln. f-0
StOTiVi los. Sp
Grande variedade de ntremelos bordados transparente e tapados. r T as bordada.- transparentes e tapadas, babados bordados, saiasbordadaseS
outros muitos artigos.
tanto deste armazem como do armazein progressivo pa-
teo do Carmo u. 9, principal armazein ra do Impera-
dor n. 40.
Fazcm sciente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
genhos, lavrad(/res e mais pessoas do centro, que paramis facilitar snas compras deli-
beraran! os propietarios dos tres grao les armazens, reunir todo i os seos estabeleoi-
uientos em um s anuuncio, pelo qual o preco de um ser de lodos, proraette-
mos que nao infringiremus a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os geaeros
por um prego, e na occastao da compra quererem por outro, cuno socede constante-
mente em outras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar islo
anda mesrao com prejuizo nosso, qualqoer pessoa poder mandar seus fmulos que
sero tam'.em servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualqoer engaos, remetiendo nos urna conla
tela qual se ver os ^regos tal qual annunciarmos, o que seno arrepender pessoa
aiguma que fuer sua despenga em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
sejarem mandiremos amustias.
E urna infini la le de fazendas de gosto, como sejam :
Chales de tilo pelo de 105000.
Os mais i icos vestidos paia menino de 3 a fi amos.
Colxas de croeg e pannos do labyiintlu.
Tif branco c fil de seda.
Superiores balos de cima, recommendaveis pela loan durarlo e bom tatbo.
Tudo a io-
5 RA DO CRESPO 5
Manteiga i gleza perfeitamnte flor che-
gada ltimamente de l.oooa l.loo rs. a li-
bra, e em barril ter abatimento.
Manteiga franceza da safra nova a 8Go rs.
a libra e em barril ter abatimento.
BANIU
Banlia refinada superior a 6io rs. e em
barril ten abatimento.
CH
Cha uxim de primeira e superior qualida-
de a ,8oo rs.
dem bysssn o melhor nesto genero a
2,6oo rs., e sendo em porgao ter abatimen-j
to, tambem lia proprio para negocio de a!
Serveja
Superior serveja Bass dos melliores fa-
bricantes, como sejam: Sblers & Bell. T. F.
Asho a 7,5oo e 7,ooo rs. a uzia e a 7oors.
a garrafa. Tambera ha de outras marcas
como seja: Victoria c Alcope a 5,ooo rs. a du-
zia (3 a 5oo rs. a garrafa.
vinagre
Superior vinagre de L'sboa a 2,ooo rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ha
mais biixo para 2oo rs. a garrafa e l,4oors.
a caada.
Azeie doce
Superio -azeitc doce de Lisboa a Gio rs. a
^S
":
DE NT>N1' rORRKl* lE VAS ONCELLOS RLA S>3 CRESPO I. 13
'

2.^&>,

. .. -y r> :.'
foja da 1.01 f na raa da LOJA 00 BEiJA FLO
Iii peratri
na
n
-.
i -e neo* pofeites para cab?;a a 'JiilO.
i :<-I is (i;.;-; alisar a 240.
II : i- c p ,ii.i|ia j rot'ial branco 500.
i ... sparadeotesa 120, SU>u900.
'I'-*" ira.- linas pira rostara a 300, 6n0 e 15.
.\ ;- i.ii i aas para seUi ra a ')J a iOJ o
par.
Clisa o.. SO nvelos (ie inha d,> giz a 700.
i i un 100 novelones a 00.
nxt c .ni papel pautado a 700
lit>>ma i pipel alma<;o greve a 3S200.
r^ta para escrev-er lina) a lio.
i i- n garios de batane) a 54300 > ti-">- 0.
as ci un para homt m a 200 e iO o par.
\ lia .-i.-, di todos os la-.nan'ios a 100 a t-arta.
:' 11 !.- linho pefa 50 e 120.
''. iroo [tara vestido a HO rs. a pega.
1> lo imnerial pega 40 rs.
f!iia '"'n obrejas muito boas a 40rs.
Uaralho jo ranas liuas a 240.
i;-- >a de buiq da 10115a para camisa a 120.
!)ii >s de madi#pcrola multo linos a 610.
Caita '.' coete moito bous a 40 n.
Carian de crteles minio b os a 00 r>.
Grvalas de teda preta c de cores a 500.
: igo de Wisporj a 800 e 500.
<". xas moitofloas tiara rap a 1,5.
I! 1 o e< u.|.l.-to or.imcnto de nuudezas qa
v ndem pornieDM rio que emoatra qualqoer par
1 -- apurar ilinheiro.
se
Acua-so
a venda ns livraria acadmica, na ra do Impera
0 i : oa do Si. Nogoera. junio ao arco de Sanu
Antonia i r t.a typcgraphia impareial, na ra es-
1 sita do Rosario a compilado de toda a legisla^ai
b idenift .olministracao, i arreeadaco e Oseali-
Raca los dinhi'iros deorpblos defunins e aiien-
t. :, iii randas Jacente?, legados, etc., tuoteodoita*
... o regiment de costase a lei peral das execu
C'. 'S.''> ii > lambem todas asrdeos e avisos do
goveroo, qoe a tudo tem explicado, tanto a respei-
i las obrigafdes in!:erenles ao cargo dos di(Ti!reo-
1 egados de Justina e fazenda, cuno dos h
re n. n iciooaes e emolumenios que f 1 devidos
T- livro tonteado rnais de 700 paginas em nitid;
1 >! dllTerents rlaase, teroa-ee recommendave!
Sen cusi 105000 por cada exemplar em dou.-
om
Oande pecbuch.
No roa da [mperatril n. 52 pona Urga de Pare-
des l'urt'i, v;nde-se chiles do merino estampados a
2> e 25500 e lios Sfi. esiao se acabando.
HovAailoft.
f.)-;:n a I ja de Paredes l'.tto, roa da Impera-
l'7 i! 52, u;i sortimento de cammnhas, gollinhas,
eorpinli i, romeiras e iotos, do canibraia branca,
p i barato pr-co de 25500, 3i00 > 45, polliQlias
.'. '. rom-iras a 80o e sini..-aS0i rs, rnele
qu nlMade de entremeics a G00 e 800 r.<|| a&*,
I\a ras doQoeimtdo n. (>3.
Nesta loja por to' >s os vapores se recebe luvas de
pellica brancas e decores, lauto para homem como
para saohnra.
Votas, t* ozese brincas.
Coegou no ultimo vapor um grande sorlimento
de voltas e cruz'S, imitando cornaliaas brancas,
as.-im como brincos da mesma e dj erystal do mais
apurado gosto qoe se p le desojar, foi s quem
receben : na loja do baija-flor, ra do Queimado
n. 63.
Eufeifes para coque.
Assim como receben enfeit>'S para coque e ou-
tras muiUs qualidades, qae se vendera mais barato
do qoe em ouira qoalqoer parte.
Boaecus (1 ch.iitnia m;imai e papai.
Teodo recetado um grande sortimento de bone-
cas que ehamaifl papal e mamai e movem com os
olhos, moito h'm vestidas, com cah-lleiras, o
que polo haver de gosto neste genero, e vende se
mais barato do que em outra qualquer parle.
Balars.
Assim comoum bmiio sorlimento de balaiospara
menina de escola, tambem ha milito bons penles
para desembarazar, guarnecidos de metal.
aai
e a
2,4oo rs. a libra. j garrafa e a 5,000 rs. a caada.
dem preto superior de l,8oo a 2,3oo rs.! taSSS
a libra. { Mncarrao e taherim a 300 rs. a libra
Biscoaitos i 3,000 rs. a caixa.
Latas com superior biscooto inlez de di-! B*assa
versas marcas a l,2oo rs a lata. i Superiores passas a 3,ooo o quarto e
Btlaehlnhas 12,000 rs. a ca xa de arroba bospaoliola e a
Latas com bolacbinhis da acreditada fa-; 5oo rs. a libra,
brica do beito Antonio, proprias para dar a;
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lat. i GE^BUBRA
dem com qualro libras de boacliinha de Ginebra de laranja verdadeira a lo,Soo a
soda a 2,000 rs a lata. du/.ia e i,00o rs. ao frasco.
OnPios; Genebra de Molanla verdadeira a G,ooo
.. >*llwJua rs. aftasqueirao a 56o rs. o frasco.
Idom de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca- de boa
DE
AZEVEDO FLORES
Kua di! Cadeia do Redfe, esquina da Main de Dens*
Graude, sortimenlo de f.izen S's pin- ilaei lo c a rrtilbt. e un c*pleto
melo de raspa feta, ti casimira ftdebim, tido po- mmi
outra qoalqocr parle: otra dtni'iar vonha ^e*
CAMjQAB
de lindas e Gnissimas casemiras escuras e claras, de superior casetnira preta de too
brins brancos e bom brim pardo.
Paletea
Sl-r
vapor a 2,5oors., lambem lia do vapor pas- ja urns>
sado a 2,3oo rs. Garrafoes com 24 garrafas de genebra del
, UlULULA L Hollanda a S.ooo rs. o garr-Ho. Tambem?
Chocolate bcspanbol a I 000 e I,2oo rs. n:, arrafoes com S e 14 garrafas de 3,2oo a
a libra, francez e suisso a 1,000 rs. a libra 000 rs cadaum.
e portuguez a 8u0 rs. a libra, em porgao! VELAS
Velas de spermacete a 64o rs. a libra.
0,1.1
acabando.
1N1ECCAO BKOW.
Rr.ii:-diu infllivfl as agnorrb^s amigas
crecentes, urnco deposito na"pliarmrela
fr;i reza, ra da Ctuz n. 22 e aopreco de
3^000.
M Bichas de Hamburgo m
W todos os paquetes da Europa se recebe :jf?
W dpslas amibas do sangue humano c
95 vendem a treco de pouco lucro s aBm ^
>!?< de ter sempre cousa nova : a loja de bar- Jj(
..', beiro ra estreita do Rosario n. 3, ao p ^
& da igreja. K
colares Royer 011 colares ano-
dinos
para facilitar a dentico das crianzas e preserva-
las das convulsSes.
O feliz resoltado obtido immenjas veres pela
prodigiosa forea magnettea dos colares Royer, nos
casos de convulsfjes, e dentieao das criancas, tem
altamente elevado o seu bem mereciilo prestigio,
e hoje j* se pode di;er que estao geralmente con-
ceituados, e esliina:los de rniiumeravris pais de
familias : de uns porque do uso d-^sses salutares
colares viram salvos do perlgo seus charos filhi-
ohos, e de oolros p rqua colheram daquelles lao
proficuo exemplo para igualmenm preservar os
eos. Assim, pols, a aguia branca, lendo em vis-
tas a oillidade e prove! dessea prodigiosos cola-
res anodinos ou 15 >yer, mand>u vir o novo sorti-
naeoto que agora recebeu, e continuara a recbe-
los para qne em ljmpoalgnm a falla delles possa
ser funesta ao* pas de familia, os quaes ficaro
certos de ns adiar constantemente jia ra do Quei-
mado, I ja d'agui.i branca o. 8.
Vioho do Porto superior em caixa de duzia,
tem para veoder Antonio Lniz de Oliveira Azeve-
1o A C, no seo esrnptoho ra da Cruz n. 1.
Venovrn-se. tinas escravas recomidas, de da-
do 2:J a i't annos, exeellente conducta, engommam
perfeilameote e fzem lodo o servico de urna casa :
na travesea do Carino n. 1.
Vende-se um sitio em Bemflca a' margem do
rio Capiharlhe, com bastantes commodos para urna
grande familia : traa ?e na roa Nova o. 2i, das 9
horas as 4 da tarde.
ter abatimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Velho Secco, Lagrimas do
Douro, Mara Pia, D Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a 1,000 a garra-
fa e 9.000 a 12 000 rs. a duzia.
Vinlio Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3,000,
3,5oo e 4.000 rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 04o
rs. a garrafa e a 4,Soo rs a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
ancretas de 8 e 9 caadas a 2 i,000 rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 040 rs. a garrafa, tambem ha mais baj-
o para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
'aixas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,000 rs. a caixa e
7oors agarrafa.
Caf do Rio de 1.a e 2,a qualidade de
0.8oo a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o |
rs. a libra.
SABIO
dem de carnauba de lo a 12,ooors a
arroba e de 30oa 44o rs. a libra.
PEIXE
Peixe em 'atas j preparado de 1,000 a
l,2oors. a lata
ALPISTA E PAINCO
Alpista e painco muito novo de 3,800 a
4,000 rs. a arroba e de 14o e 100 rs. a li-
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mais acreditados fabrican-
tes, como sejam: Jo3o Furtado da Serrias,
Manoel Peixoto da Silva Netto, Castanho &
Filho e Brandao e de outros muitos. os
quaes vendemos pelo mdico preco de l.Ooo,
2, 2,8oo, 3,5oo, 4,5oo, e 5,ooo rs. a caixa.
Licores
Licores francezes epirtoguezes a l.ooo e
l,4oors. agarrafa ou frasco.
^-. Doces
Doce da casca da goiaba e caixoes pe-
queos a 7oo rs. e de 5o caixoes para cima
a 04o rs. o caix5o.
Frutas
Frutas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pera, pecego, ameixa raintia Claudia, al
Sabo maca de primeira qualidade de 18o [ perche e outras frutas a o> is. a lata.
a22ors. a libra e de 10o a 21o rs.ofendo'Tambtm ha latas grandes para l,2oo rs. a
de superiores casemiras escuras e claras, de lina dpaka branca, de superior arala re-
a e de brim pardo. *^
Golletes
s casemiras pretas e de cores e de lino him branco.
CAMISAS
Superiores emisas francezas de 2-> al nVf.
Ce Mi illas.
Ceroulas de superior bramante de lino linho.
IB ti des.
Superiores baloes de arcos para meninas de 2 at 12 annos.
. dem superiores para seohora.
Ciinv.ttos c ns.infns.
Superiores mantas para pescoco de Ixunem, as mais modernas do m-rcado.
XBadapulo.
Madapolao bom a 8, 9$, 1' & e I2.
Chpeos de sol.
Superiores chapeos de sol de seda balio a 105.
Fraques de easemlra.
Fraques de casemiras, preta. escura e de cores claras, e nao iiavendo que sirva
ao freguez manda-se fazer por medida e*c m muita pn mptido.
Tods estas fazendas por prefis iosigoillcanlissimos, pois o Oto do Balo arl-
quinrfreguezes.

LOJA DO BALAO
DE
A%EVEIIO & FfiOUi;/#
ARMitEEl HE FAZEffilAB
DE
em caixo.
lata.
CUSTODIO C AK^ AI.IIO
27 RA DO QUE'MADO N. 27
*.
10,5000
Madapolao francez muito fino, tendo pouco mofo, cada pega com 27
Uvas pelo ultimo vapor.
Peras pelo ultimo vapor.
Macaas pelo ultimo vapor
Ameixas pelo oltimo vapor.
Passas pelo ultimo vapor.
figos pelo uliimo vapor.
Frmtas seccas pelo ultimo vapor.
Fructas em.calda pelo uliimo vapor.
No?es pelo ultimo vapor.
v.
Uta de c res a 300 rs. o covado.
Cambraia franceza a 200 rs. o covado.
Finos organdis a preco de 800 rs a vara.
Lencos bra Fm sperclaras a preco de 400, 440a 500 rs. o covado.
Ricos cortes de la de barra de 105 a 30f$000.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.
Queijos loodrinos pelo ultimo vapor.
Queijos flamengos frescos pe'o ultimo vapor.
Presunto fiambre pelouliraovapor.
Tudo se vende barato nos seguimos a.mazens:
Ra do Imperador n. 40, Verdadelro Principal.
Ra do Uudundo n 9, Unio e Commercio.
I^argo do Carme n. Progressivo.
MODA.
Paredes Porto recebeu pelo ultimo paquete nm 'completo foriimmto aV
bonrnus decores ricamente enfdti1o< a 12}, 155e 295 : na ra da Impertira
loja da porta larga junto a padaria franceza.
i
GiZ.
No armarem da na do Imperador n. 3
Caes de Pedro II n. 2, tem [-ara venderse
Ibor gaz existente no marcado.
ou no
o me-
Fanha a 3#5 <>
Vende-se farinha de mandioca-, saceos graude? :
no armaiem dos Srs Tasso Irmaos, na ponte nova'
pelo prejo cima mencionados.
Vcndem-se
machinas americanas de ierro*'
algodao : na ra da Seoxala ova a. 43.
CAMBRAIA.
Cmbrala de forro coro 8 l|1 aras i^utl,
e:(a-^e acabando : na loja da porta larca da m fe
Impciatriz n. 52, de Paredes Purle.
Pennas de ema de moito jaaina
vender oa rna do V'garii a. 14, !
criptorio*
ILEGVELl


Diarlo de pernamfcuco Qulua I?Ira 83 Je !orembro de lftft.
.
0
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
QUID A II1HM ID! 81 D8BIK1H
AO
RKSPEITAVEIi PiTEBjLICOa
A apreciarlo dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
cea da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento |de molhados,
que sendo em sua raaxm -\ parte mandados vir directamente do estrangtiro"podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
trmetro e nico em seu genero, pde-se porm (Sanear, com toda a seguranza de que
nenhnm outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas :
V Delicadeza no trato.
2.; Fidelidade no peso.
3.' Sinceridade nos presos.
As pessoas que por sua posicao social gozara de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos linissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condicSo do freguez, elle deve contar que ser sempre mul-
to bem servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte farao mensaliiente urna economa de
muitas patacas, afreguezando-se tiesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassuar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, celo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
ren! do quanto se pode vender barato.
Para os senhores que compram para lomar a vender existe um sortimento i spe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamen te muito deve agr lar aos senhores
compradores.
Nao se tein poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DINHEIRO A VISTA:
A Graixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
ALPISTA a 120 rs. a libra. j urna,
dem e painco de oito libras para cima a M
100 rs.. KIRSCH de Wasser a H a garrafa.
Arroz de 90 rs. a libra a........i L
Amendoas, casca mulle, a 280 rs. a libra. LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
. AO PUBLICO
em o menor constran.
glineulo se entregar o
Importe do genero qae
nao agradar.
ATTENIaO .
# preco da egulnt<
tabella para todo, pu-
dendo asstm servir de bi-
se para o ajuste de coma*
com os portadores.
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando areo da Concelc&o)
PARA BIM DE TODOS,
Aletria, macarro
Sentaore* mtiMrMj o aceio que presidio aosarranj
ezacom que sero trat*493| envida a urna visita ao raesmo, c
rra dos poneros qne precisar-i a e qtiando nao possam vir po
^os sero to bem servidos como se viessem pessoalmente, hav
trp r?iip.
Manteiga ingleza especialmente escullida a
l,ooo e 800 rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs-.eni barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l.Ooors.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,000 e 2,2oo rs. a libra.
is destenovo estabelecimento, e mais qne tudo a promptido e infa-
rtos de que sem duvida me daro -
RIVAL
SEM SEU l a IM>
Riia do luelntado bu. -* e **.
Contina a vender lodaaja iii.i:>?
declara por precos adnaaV :-.
Mansos de palitos hxadus para rala* ? ICOrs.
BcpelDM dnoMBreaoareSaa: > .< -o.nt
Lki.els de olla do para mmitm i i
Dilos de rouru sopcriur lazu; a <
' Frascos com u|miht una n-riia -
Mciat'as de Luna Iioxa |aia Cft
; la;xas rom 100 envelopt?,lawir;. M i
Giozas de peonas den i;.m i ir?.
Crozas de buioes Oaoiept-n m m- a 5c*
e 640 rs.
1 CailM rom 50 novellts de Ir I M n.
Caixas ron rapi num >treia> i i r.
Peca de tita branca rtaaUra (ti ; ;.
Vaia. ! 40 rs.
' liaiailioi doiiradt* superiois ;;. i rs.
Nuvellos de liafca roa 4lt) jamr.- I
Linos para astiMuad ru.|a !*>'a a Ufitv
Pares de boln s pan puni, i*>. r.. i i-. :.l r*.
i Tesouras tara CttMua tafea ni >.i *****
400 e l.
Caixas de peonas de callicrail ra
i#ooa
Masaos rata WMflwn rrsnis *
Pares de sar-atoi de tranca ? Mf< II '.
Caixas n rii Mipftn re tftH tu
Libras de Ia m mda> de li r n.-- i

r -rts
a proleccao e preferencia na rom-
erao mandar seus portadores, anda que estn sej.-im pooeo nraticr.s (:,iX!,! nm >t*rwin. biest c> r
ndo para com estes toda recommendac?fl, afim de quenJfnvSoeni Rudll,ha> '*' nas*
, Besvas de papel almajo a 9J4CO' /f#r*
bal refinado em frascos devidrocom lamia BarM tara roap, fa">r? lia : a 14.
do mesmo, a 5oo rs. iPmm de krim tcqte zm*
gerveja branca das marcas mais acreditadas DoMr bew e arta de ri* ,-i. a W<*.
que vem ao mercado, a ooo, 56o e 4o "
e talharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,ooo a caia.
Massa para sopa : e trelinha, pevide e rodi-
nba branca ou an arella a 64o rs.a libra e
3,500 a caixa coi i 8 libias.
Vinho do Porto n uito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de 6 caadas a
3o,ooo rs.
Vinho em pipa : Pcrto, Figueira e Lisboa a
. a garrafa, e em caada
3,8oo.
boa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3.000 e 3,5op.
Vinho branco para missa em caixas de ^ du-
zia a 8,ooo e 68o|rs. a garrafa.
32o,loo e 5oo n
a 2,5oo, 3,ooo e
Vinho branco de Lis
Linguicas muito novas a 8oo rs.a libra eem Vinho do Porto das i melhores marcas que
Avellas a 2*0 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os ta-
manhos.
dem idem em potes de todos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de todos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Alhos a 200 rs. o molho.
Absyntho a 2^000 a garrafa.
R
B0LACI11NI1AS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a 15800 a lata, e
de cinco para cima a 11700.
dem de so la em latas grandes a 2#000 e
de cinco para cima a I#SO0.
Biscoitos inglezes de todas as qualidades a
1,3200, 10250 e 15300.
Bolo francez em caixinhas a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Baniia de porco refinada.
c
CHOCOLATE francez a GOO rs. a libra.
dem suisso a I;? a libra.
dem de musgo a 15500 a libra.
Chociucas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a" 240 e 260 rs. a libra, e em purcao
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 7000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orchaia, etc., etc.
Chicaras e pires a 15800 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Viotoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejara : Normas d'llavana, Exposico,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Kegalia, Mississipes,
Panetellos, Apraziwis, Varetas, Brasilei
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha do todas as qualidades e de todos os
precos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto pota branca, etc., etc., a 25000,
252"0,255ti0 e 25800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 25500, 35500, 45 e 55.
Clices de lodos os tamanhos.
Cognac superior a 15 c 15500 rs. a garrafa.
Cigarros da Rio, pardos, a 80 rs. o mac
de cinco macinlios.
O
DOCES de todas as qualidades: brasileiros, |
portuguezes, inglezes, fraaeezes, etc. etc.

ERVTLHAS seccas a 120 rs. a libra.
srvadoce a 400 rs. a libra.
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra.
dem de ararais a 320, 400, 500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
FeuAo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 15.500
Fabello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
do! os tamanhos e de todos os precos.
Letria a 400 rs. a libra.
H
MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 15, a libra.
Mahmelada dos mais acreditados fabricantes.
Macarro e talharim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 60 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho ingi.ez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas tinas para sepa branca e amarella a
60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
35500
Miliio painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
N
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em hilas a 800 rs.
O
Ostras inglezas e americanas.
1
PEIXE em posta, latas grandes, a 15i00, de
todas as qualidades, como sejam savel,
guras, corvina, pargo, salmo, pescado e
pescadinha, linguado, sardinha. etc., etc.,
Peras em latas, excellente preparado.
Palitos para dentes a 120 rs. o mago muito
grande.
Passas em qi-arto a 15400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
a'
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem sussos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
Quartinmas ou moiunques a
R
RAPE' Meurona 15 a libra.
Idem Princesa do Rio a 15200 a libra,
dem francez a 25500 a libra.
SABAO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 2.
Sarimias de Nantes de todos os fabricantes.
Idem de Setubal em latas muito grandes 3
720 rs.
Stearlws a 600 rs. o maco.
Sag muito novo a 100 rs.
T
T0CINI10 de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
V
VINHOS
!
Principe Alberto, de 1831, a 55000 a gar-
rafa ; d vida aos velbos.
Velho secco a 25 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 15500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 25 a garrafa
Duque a 15 e 15500.
Chamisso a 15, 15200 e 15500 a garrafa.
D. Luiz a 15 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 25 a gar-
rafa.
Carcavelos a 15.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por oo ter com-
posicao alguma.
Lanterue a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 15 a garrafa.
Absyntho a 25 a garrafa.
Kirsch a 25 a garrafa.
Wermouth a 25, e a caixa a 185.
Bitter Maurer a 15 a garrafa,
Vinho figueira em ancoreta a 205.
dem Figueira e Lisboa em pipa a 25500 a
caada.
Attencao.
Heary Forster & C, a ra do Imperador n. 3 ou
Cu ni lira i as.
Parede Porto vende cambraias lisas finas, gran-
ces do Ramoso. 2, teem para vender o tnelhorgaz de sorli;nento, a 3 al 64, ditas Victoria muito
existente no mercado e pelo prego mais barato do finas, com 10 aras a 6, 65 que em oulra qua'quer parte. (mperairn o. 5, junto a padaria fanceza.
Chales de renda Chenem aos coppinho o> cambraia
Paredes Porto, na ruada Imperatriz n. 52, porta' Vendem-se enrpinhos de cambraia com entre-
larga, vende chales de renda de core com peque- meios a 44 e 5J, estao se acabando : na loja de
no toque de mofo, a 3J5O0 4, fazenda de 10* Paredes Porto, ra da Imderatrii n. 52, pona lar-
e 12000. Sa> 0D- a padaria franceza.
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a (34o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra,
dem prato a 8oo rs. a libra, e inteiro se faz
abatimejito.
dem suisso o mais superior que tem viudo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
FeijSo verde muito superior a 640 rs. a lata.
vem ao mercado pomo sejam : Lagrimas
do Douro, Duqnedo Porto, Rainlia de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
ra Secca, Malvazia ifina a 16,ooo,I5,ooo,
12,ooo e 1 o,oooa caixa com I duzia e9oo,
1 ,ooo e 1,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duziae l,5oo rs.ja garrafa.
Sardinhas de Nantes la loo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas piuito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a
Bolachinhas de soda
ibra.
em latas
de diversas
qualidades a l,3oois.
Cartoes com bolo fran'ez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo; Passas muito novas epi caixinhas enfeitadas
rs. a duzia. para mimo a 3,ooo rs.
dem idem para vinho a 24o rs.,e2,4oo rs. passas de carnada a ff,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca niole a ioo rs. a
ibra.
a duzia.
Chocolate francez espanhol e suisso a Ooo,
l.ooo e l,2oo rs. a libra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li- Milo de amendoas a ooo rs.
bra e em caixa se faz abatimento. Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joao
Peixe em posta em latas hermticamente la-! de Brito no Beato Ajntonio, em lata de 6 li-
cradas e das melhores qualidades de pei- bras por2,5oors. I
xe a 8oo, i ,ooo e l,2oo rs. | Ameixas francez;.s ein f' a?co de vidro com
a garrafa, e o,8oo, 6,000 e'6,5oo a du-
zia.
Cevadinha de Franca muito nova, a2oors.
Charutos do aflamado fabricante Jos Enria-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposico Normal de Havacs, Imperiaes,
Londrinos, Guasbaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, o.ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em h eias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam : Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos, Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
oj:riac iuglez das melbcres nafres, a Booe
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,000 a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a 1,8oo o cento e 1,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grasa.
Toucinhode Lisboa ffinito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de poico refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que "pre-
sentementetem vindoao mercado, a 2,000
a lata.
Farinha do Maranhao muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,ooo e l,5oo o frasco.
Caixinhas rom fructas em doce secco de di-
versos tamaiihos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada una.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita- lampa do mesmo, a 1>5oo. far o preco.
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e Ameixas franc zas eni raixinl as de diversos Azeitonas de Rivas em ancoretas grandes de
8,ooo a caixa e 64o e 7oo ris a gar- tamanhos com bonitas estai pas na cai-j 8 garrafas por 6oo e8oors. a garrafa.
rala. xa exterior, a 1,4oj>, 1,6oo, l,8oo e 2,ooo Azeitonas portuguezas- a 5oo rs. a garrafa e
Genebra de Ilollanda a 48o rs. a botija de, cada urna. l,5oo cada urna anc reta.
coniacerta. Azeite doce refinado bespanholou portuguez Champagne da mellior qualidade que vem
Frasqneirasde genebra de Ilollanda a 6,8oo' a 9oo rs. a garrafa e lorooo a caixa. ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
e t'4o rs. o frasco. I Batatas muito novase 8o rs. a libra e2,5oo:
Genebra de laranja verdadeira em frascos | o gigo com 36 lib
grandes a l.ooo e ll,ooors. a frasqueira. Conservas inglezas
Caf do Rio de l1 qualidade a 28o rs. a li- j 8,5oo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
i 75o rs. o frasco e
Vassouras de escovp para esfregar casa a
4on rs.
Nozes mnito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranhao de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8ooa Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. a 8oo rs. o frascof
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar-: Mostarda franceza ejm potes j preparada a
roba. ioo rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra ei.oooa Lentilhas francezas.,excellente legume para
arroba. i sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesde superior qualidade a Oto Marrasquino de Zarja propriamente dito a
rs. a lata de urna bra e56o rs. a reta- 15 a garrafae 1 i
lho. Palitos d> ilene a I
ooo a duzia.
io rs. o maco
24,ooo e 26,ooo o gigo.
iGomma deengommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figosem sextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a 1,4no e 2.000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a i.^oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a Soors. a
garrafa.

c _
18 a
* 'S-&*" i." 5 ~ "' OT e. a
^ u w b j o ^ a" q U3
i % = -. M 'P P b- a. =,'
3 as
J.
as es
a
58
as


^S^fl M 1-2,3 fffC3

itliiiiiJlllLI Al-Llil
de a*.'i!!hsfr

trr:
3 o
g c'-a es. .
n-r 3 o w Q>
o
sao
tf escarcear agodto
FABRICADAS
Por Plant Ifrothers & 0.
odas
sil i
2"B i

o.
2 o

CK1
B
39
a.
'S-
cu ,
i

o.
3
CS.
s

ii
o
s
Estas machina:
I r^e- P0^em deicaroga-
.J.3e;-"-~v qualijaer especi-
fi;,\Y i-de algodao sen
1 estragar o li.
sendo bastann
duaspessaspar^
o trabalho; pdi
descarocar um
arroba de algo-
dao em earoc
em 40 minutos
ou 18 arroba-
por diaou o ar
robas de algodt
limpo.
Assim como machn
animaes, que desear
Tasso Irmos
Vendem no sen armazem ra do
Amorim n. 35.
Licor flno Curac^o em itotijas e meias botijas.
Licores finos sortidos em garrafas com rolhas dt
vidro e em lindos frascos.
VinhosCheres.
Santernes.
Chambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscaiel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
PAeiei lagniol.
O castell de Grasville.
Traduzido do franeftz por A. J. C. da Crai.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratsimo prego de 300C
oa praca da Independencia, livraria ns.
6 e8.
las para serem movidas por
)$am i8 arrobas de algodo
limpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
eutr?s dessas machnis.
Osjpesmos tem par vender um bellissimo va-
por ^b pode fazer mover seis destas machina
mencionadas ; para jo que convida-se aos Srs.
agricultores a virem vir e examina-lo, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n.i7.
Saunders Brothers A C.
N. II, praca do Corpo Sanio
Hecife.
Os nicos agentes neste paiz.
VILLAR
Testamentos em verso.
Ccnlinnam a estar venda, r a tyi ogra-
phia dr roa do -mperador n 15, defranti
de S. Franci.'co :os lestamentos da Gali-
nha, dn Gallo, do Porto, do Lefio, do Gtto,
do Pe do C;rnciro, da Onca Tigre, de
(ao, da Hycna, do Rato, do Orangulani-o.
do Macaco, do Burro e do VJgsrio ; d Peleja
da Alma com o Di. bo, a 160 rs. cadi um,
e a 10o rs, a quem comprar urna olleccu
cem lela ou 23; cartas de A B C, taboda>,
cathecisnus, ecuiiomia da vida humaiia,
carlilhas, Simao de Nantua, Bit lia da in-
fancia, mamiscriptos, traslados, pautas, pro-
curaces, apudriutas, leitras, coDtecneotos
para embar ,ue de escravos, despachos para
a alfandega, papel almaco paulado e pinta-
do de diversos frmalos, sendo o pequeo a
30 rs. a folha, o immediato a 40 rs., o me-
dio a 50 rs. e o muito grande a t O rs.;
papel marroquinadoe lustroso grande e pe-
queo ; papel para impressao de urna so
cor grande e pequeo; Virgilio, Horacio.
Salustio, Magnum Lexicoo, prosodia, dic-
cionarioa francez-poituguez e Mce-versa,
selecta franceza, eoulrosmui'cs livros, bem
ramo pin hnnen de tod >< os tamanhos.
Talbfre ibDitii lino |r* crirt> M *s
t'ulsciras |; ri n (ni ts 311 ?*.
Lila> e vi4Uf par* mi I< ra ill).
I'i:-u > i'i- Apta Fli i i; ntfM
Fraros nm oium takka a !',' i l >.
Itiic

hatcfi ;.i r..
T.tixas ( ni bni siii :-i ?ia 3 n
Varas d i Iht di i i ii<. iNi r.
Cari** de Iti Ir.- Iniro.- 111 -
Qp;UU riifs de i ftf rI pnjurm a
Grvalas df rote, f>z r'l i- (!t- ; - .\o dia 1 d<' de-tniNrn pri lin
H h"rasi!a ii'sp' iia, ftmla > mi M Sr.
Dr. juiz de nr|ih5os, ern' waMa i ;
ra o si br*4o <'a ra Nova i. i7.
irpliifs ii i. s di finado rafii !:
da Silva, rojo psrnplo se arla -n.
ii-iin do mesmo juizo.
No armazem de f <;
baratas de Santo i t -ho
Ra do Qurlntsd<; US.
Vende-se o :
Coliertas de hila fina a 800.
Dltai de diia a 2i(.
Lentes de panno up lir.r.o a if.-.'. o.
Dilos de dito de lioho a So-
Ditos de bramatite de liLho de nn >i> \**u>
:iOO.
Panno de linh lac ctm 9 l(S i
ra lelo barato prro di i&\\4) a j'a
tiran.ame de libro ftftt rom lo 11 r.. & lar-
gura a 2."to .1 vara.
Pecas de caii.liraia com sa'pirc- !:-:" < '
roie.- cun 8 1|2 varas a kftSCO.
PecMP de cambraia ail^ma-iaiii p pan
corlinailo de rama ti m SO wm a i !
Balfe-: da arces a &MV, M. UUOt :
Lenco de canbr: < tina :. .-n
Dilos de riila ;. 5.3 a ouzw.
Aihoalhado de linli'! li a i-{ ura,
Milu de alpi'-au a -2i vara.
Al!!(ii.i!i e;f.f!ado eMB 7 l| paii. i-lij
a 1.52' O a vara.
Pica> de breiinha#d( r> !o cen o. .*
par? s.i.:i a -'lidO.
Pilo de liado liso fino a 800 rs. a nm.
Dito de dil n ni Mt| .'''.'
Can.hraia de linhu fii.a a fcJSW f( \
varn.
('orles de laazinha de iindes goal
vatfM a b&.
pee.ns de madnp ISo ilMill i... i
pr.ro de ^'j, '5, H'5 i 115-
Fiamlla branca la* i I' B i -.
Lila e cores lina a f-80 i 111... i.
Baldes de moMelina para n.rna '
e45.
Oiiibraia de forr" a :t a p- _
Dila fina a i.i(K<, G e 7{ :i |
Guardanapot de liako a
Toalbas de algodo ItfA
E-leira da tedia pro| na para Mi >
4,5 e 6 palmos de Rwywa i r i n
que m entra ijnalqu r parle
Neste armazem lambern ~e ene i
soiliir,enl''de roupa Mi I pal BX !.
Em cata de Paipai BrealMM i\ *m
Viganu n. S, vriid. u> se rofi s ,.
fono, o > aiaiiiadus bartnMn I *
Liverpool.
EiAlO FUI

Con loja a na do Crespo n. 17.
Becebeu de Pars sedas em corles mni-
to superiores e bellissimos padrSes, e
chales de rendajpretos para 10.
Este importante estabelecimento torna-
se recommendaVel ao bello sexo pela va-
riedade de fazcudas superiores e bellos
gostos
Proteja o bello sexo ao Villar
e vero todos a'prosperidade.
ALGfiDAO D.\ BAHA
Vende-se um sobrado de dons andaras no
hairro de Santo Antonio, o qoal rende para mais
de 1:2004, e urna casa terrea no bairro da Boa-
Vista a tratar com agente Olyrapio em sea arma-1 de carga e de sella, por preco commodo : a tratar
,m r, .n iii r-n\a Na loja de Andrade & Reg, ra do Crespo n. 8,
esquina da ra do Imperador, conlioa a vender-
se superior algodao ds Baha por menos prego que
em outra qualqaer parte.
Vendem-se quatr a borras mulo mansas, boas
zem na ra da Cadeia do Recite n. 34.
1 no botel de Franca.
Gralifim-o c SOS.
Aoceatoo'se da ias n. 39 da n. 'i
(onir'ora CeilegM*) aa saataia M m
te selembiode 1865, o escravt'pn #i m !-
ijnim. rom os sipnessefiunie: h
id.:ile 18 a :( i naos, tn l>.> 11, i
grandi -. bello n ralo, ca* aa >m
e bem vi>ive! na ma, par1- naa
arruinr-rli. e ri m falla de ofetai *Mi
rom calca de Irire |ardo r,
mas ievi u mH ri opa kcaan i
asturlosii. rosloaaa iatitalai t-.:
.jado ; f i esrravo de Sr. Gal bcia i < Am
mota Carra i", gran do la*a 4 -
Manoel Goa^alve da Silva : Na- a
a tuda.' ai antoridadr paciasi a (aKaai;
pilan de can| o on i'iilra i e apprehender se pralifirara com 5'. tt4m
pezas de condor^io, rntrrpado-i> i r
Migoel >(' Alves, na casa cima, i n aa -a a-
crtplorio oa mi da Trm caa a. I'.'.
No di.i 20 de setembro pronn <> i !< tt-
gio do fii^eiilui Teira preta, doaluiM --
esrravo Juliao, frk ulo, de aliora r-
de 30aonos de idade.p>u,,a barba, ai |- f^aa
feitos e perna.-, u.uitn bllantr, aie '. m,
lem o de.lo p I. car de uno m. ti *
tro, anda nm una rarla futiada. t le n : cn-
iii I Amaro Goniesda Cimba, apadr i La-
ca (W sorra di i-|i rscravo. f i la i
a Pocha Lima e Ginmaraes : qon > aa*i Ma y*
mesmo age! ho on no Kecife a' nm da F da a'
Alexandre Gomia da C. Jonior, qu ira Um re-
compensado.
Aleandre Orre^ rt.- ri-ir...
u da :il d>< panal i (ngio a -ct r, "-:u
tina, parda, alia enriara, que latVacB aaflK
Amaral, empregado na repartirn 11 *" \ esti
escrava fui no dia do rorrpnie ir r.
Dr. de'.gado por ter sido rx*iig*l? : ,.m *-
gar e enireear na ra di Cadtia n. ti -i, a
recompensado.
Excravo fgido
Dos fins de ooinbro prximo pausado aara a
principio de novenibro correnie, fnpi i a nrtaai
Joaquina, rom os signae* se|uinte> : M fci'. ts-
laiura regular, ps largos, narix rh in, W$M ruta
cicatriz no beico encostado ao nan.. .r.t.ieie
de um talho. loma (abaco, secca dn > p< |
idosa, levou ditlerenies roo pas : ri a .- a. auto-
ridades policiaes e capites de caat ni* -> pra>
hendam e levetn nesta praca a Manoe i- d M-
va Ollveira, roa do lnraniamenio n. L. u aa
engenho Bom |Successo, freuoezu 4* F-rft. a
Claudina Mana da Paixo, onde lavradVr e B*a>
radura, qoo un qualqoer um dos lugaris srrl bas
recompensado.
Framcisco Jos Germano
RA NOVA N. 22,
acaba de receher um lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lunetas, binculos, do ul-
timo e mais apurado posto da Europa e ocu-
los de alcance para observacoes e para os
martimos.___________________
*Vm m l^rw^E1 ~ Desapparecen do> Affflictos, tilio de D.
tM.IL*ai^ IJPIj Carolina Fer reir de Car va lho, o molai tmn da
f-r 0 nome Isidoro, vindo ha ponco le Pap-o, idado da
^ t. f*\ i i a gtfx M-% $Tw\ '6* 18 annos, cabeilos cacheado, famaafa rnrar
B B m 0m 'ar' I1"1' ,evoa ve81'1'0 can"*a do o.i'a >'- nr
^- ^-^ aa. 9-t* V/sllU e cal^a tambein branca, velha., e rhp*o V Irliro;
luem o apprehender on delle dr nnlina a sit-a
Vende-se riscadinho francez a 200 rs. o covado, cima, sera generosamente recompensa*
por ter grande quamidade, esta-se acabando : na
ra da Imperatriz n. 52, loja da porta larga, de i
Paredes Porto.
Breu em barricas pequea*
Cera em velas de todos os tamanhos.
Bogias.
Mercurio.
Na ra do vigario n. 19, primeiro andar.
Fuglo de casa de sea senhor o escrava A ma-
ni, cnoulo, ira lalhador de palana, mj e*-r*f
tem os slgnaes seguintes : baiir, i'*-' *' rrpo
ps apalhetado*. e bastante feio, l-a* *r-a#a
palltol de casimira e caica da BM^ata faaeaaa j
usada, graliflea-se com genero>idade ijnem
xer a padaria n. 146 defronte da esiasao da i
Puntas.
ilLEGVELL


Diarlo de rernambneo Qnlitia fe ira 23 de Vovrnibro de S.
LITTEftATRL
1 POCCO DS TODO.
A Estrella do Norte puMca :
A ARVORE K CRUZ.
(Lenda.)
I
edjflcaram-se cidades, desmoronaram-se imperios, diam olha-la. Da cabellos cacheados, com seuca-
e as tres arvores que surgirn) do tmulo de bego arrendado, bera lavado e engommado, su*
Ado, cresclam frondosas e dos ramos Ihes pen
diam os frucios.
E Jerusalem fora editieada jastaraente a ama
milba do lugar em que cresciam as (res arvores,
em um sitio que sa chamava o G'ilgotha.
E como conviaha aquella lugar para supplicio
E n punioao desobediencia s ordens do ter- dos malfeores, mandn* Aristobulo que fossem I
haviam siJo a primuro hornera e a primeira corladas as tres arvores seculares, cujos troncos
foram collocados era torno das muralhas da cidade
de David.'
No da, pois, era que a' morle foi condemnado o
Ghristo, mandaram os principes da synagoga que
fossem desbatados aquellas tres troncos e que com
elles se formassa o instrumento do supplicio.
E a cruz em que expirou Aquelle que vinha res
gatar a hurtanidada do crime de Ado, foi formada
da arvore cujo fructo irouxera o peccado a' trra,
e a obra da regenorago realisou-se no logar em
que repousavam as cinzas do primeiro peccador.
no,
mi li-T expulsos do paraizo.
Gaviado os coaselhos da serpete, comer Eva
do fruela da arvore da scienua, e logo aps arras-
tira o espora desobedecer o Eterno.
E o Senhor ordenara que o Archaajo de espada
flimmejanieexpulsasse-asdaqucllt lugar lo de de-
licias era que os havia collocado.
Cora a dr a esraagar-lties o corago, com o re
marso a davorar-lbas a alma, com os olbos em la-
crimas e o rosto pendido para o chao, ah foram
ellas banidos pan serapra do raeio dessas flores
r.;cendenles de perfumes, desses lugares amenos,
dessas arvoras copadas, desdes arflos crystalraos,
dessa felicidade nalteiavel, que o Senhor Ihes ha-
via concedido.
Foram lavrar essa trra, at eniao to dcil e
espontanea; foram rega-la com o suor da fronte,
expostos as intemperies das estacSes, aos raios ar-
dentesdo sol, a' ventana friaque Ihes ag-iitava
os membros.
Obi tiohara saudades lio intensas, to profun-
das dessas manhaas purissimas, em que desperta-
vam ao som melodioso das aves que Ihes murmu-
r.ivam aos ouvidos caticos de amor; recordavam-
sa com dr dessas- noiies ta serenas e tao lmpi-
das, dessas horas de paz e de silencio, que all go-
za'vam sem temores, sem inquietago e sem cui
dados.
II
Longos annos se haviam passado, e prximo es-
lava o primeiro hornera a ouvir soar-lhe a derra-
d:ira hora.
Seolia-o elle; aquelle corpa tao robusto e to
.tgrlpenda agora curvado para o chao; urna a
Daosoo que era um gosto af-la.
saia corta de chita azul de salpiquinhos encarna- Fez cada leltra no baiano que a gente fleava de
dos, sen leocinho branco no pescoco, quem a vlsse bocea aberta.
por fina torga bavia de gostar della. Que moga Aqoillo ja' nao era raais diosa, eu mesmo uem
gltosa I diziam os rapazes. E ella passava seria, sei dizer o que era.
sem se importar, nao dava cooflaoca a ninguem, Assira qoe ella acabou eslava botando alma pela
nao aizia lenas, e, se buliam com ella, marchava bocea.
seu cammho direito botando co'a fanga. Man Vieira, e Joo Tbom enQaram cantando
Se o oo sei que diga nao tivesse metlido em ca-
Nunca tinha visto ella assira e estava admirado, do vleram me;dizer-me que Nanlnha eslava espl
Transcrevemos o seguate :
MAXINHA
( Cotilo popular. )
I
Boa noite, meu vellio.
Boa noite, vosmimt!.
Eusinemevcaminho que vai ter ao Cula-
minjuba.
V por ahi sempre em direitura, quando che-
gar juuto da um jjaseiro daspenque-se a esquerda
v seguindo al encontrar um corredor, enfle o'elle,
l adiante quebr a direita que vosrainc vai cahir
em riba do Culuminjuua.
Ainda mu longe ?
Senbor, uo, all.
A que distancia ?
Tees leguas mas tres leguas bem puchadas
das que a velha medio. '
Dasapontai.
Caminhar anda tres l-guas n'ura cvallo j can-
gado E o velho a dizer rae alli estendando
una Ihe lara desapparecendo as torgas; raros Ihe 0 D,Q0 inferior como sa fora a dous passos I
alvejavam os cabellos sobre a fronte; tremia-lhe -
enflaquecida a voz, e a passos largos se approxl-
tnava a' morte.
se aqu a noite ?
Nao ha duvida, meu patro.
cbar-se.
Pode arran-
Smha Mara, d c urna rede.
Mas antes de morrer queria anda ver, urna vez
so, esses lugares lestimunbas de sua Innocencia
o de sua felicidade ; queria murmurar alli, onde
peccara, urna prece da arrependtmento e de per-
dio; soltar um grito de dr e deixar cahir urna
lagrima dos olhos ja' embaciados e turvos.
Oh 1 e Ihe fosss dado ter essa suprema conso-
lado... e o pobre velho morrena abencoando a
misericordia inaia do Eterno.
t Vai, dissa a selh; e pede ao Archanjo de
espada chammejanle, que me conceda ver urna vez
os lugares de onde banio-rae a justiga do co.
E Seth parti.
l
Ouvio-o o Archanjo e nos labios pairou-ihe um
sorriso da compaixo e de piedade.
Nao; responden; veda-o a justiga do Eter-
no ; era teu pai, nem tu, nem nenhum dos teus
descendentes entrareis no paraizo terrestre; conso-
lai-vos, porm, porque, depois que o Filho do Ho-
metn houvar iriuraphado da morte e do peccado,
ser-vos-ho franqueadas as portas do co.
Em quanto o Archanjo falla-langa va Seth os'ernz que encontrara a borda do caminbo junto da
olhos para esse lugar da felicidade e de delicias casa.
Erada desanimar.
Estou rnuito enfadado, nao poderei chegar
hoje ao Culuminjuba, o senbor d licenga que pas- ra I S eu tfOMO sTnher'sabe as agoTas porque
bega da comadre vir se socar aqui oestes coolns,
se fosse la! para o Forte, Naoinha seria urna se-
nhora dona, porque aquillo tanto tioha de bonita,
como de trabalhadeira ; trabalhava como mouro.
Era summa disto, se visse ella n'ura samba, en-
tao sim. Decidir n'um baiano s alli. Tinba at
fama nestas redoodezas. Caotava mesrao summa-
mente relando mandioca, ou debulhando railbo de
noite no terreiro.
Alada me alembra de urna canliguinha della que
dizia assira :
Barravos palavreado
Da flor da macambira,
Menina segura o velho
Seuo a cangalba vira.
Mas vige, um dia quando a gente nao imagina,
vai se nao quando cahe a'casa, ou a cangalha vira
como se diz ca' pelos manos.
Foi o qce succedeu.
Deu na pobre da rapariga um trangolamango e
fol-se.
Como ?
Espere um poucacbinho que Ihe cont ludo.
Tomando urna pitada da caco, como para avivar
recordares, o velbo pouco depois continuou.
III
No tempo da impidemia, alguos dias antes de S.
Joo, indo a casa da comadre vender-lbe um roga-
do de cinco cera passos, achei a Naninba mu vi-
rada, eslava triste coitadmba que mettia pena. As-
sim que ella entrou para dentro disseme a co-
madre.
Ora compadre, que nao sei o que faga com
esta rapariga.
Aqu anda cousa, sinha comadre. Quem sa-
be se nao bolaram-lhe feitigo ?
Credo I compadre, nem por graga diga isso.
Olhe que Naninba nunca foi de qoindins, mas ago
tenho passado. Creio que ja' estou at com mo-
lestia por dentro. Passo noites, e nao ca' urna
Este pereraca mesrao nao o bota l. Vi- j nem duas, que nao tenho um tico de somno, nao
gie esta em temo de varar-se com urna aguiha. prego os olhos pensando em moha filha.
Nanioha estava magra, acabada. Antes ella fal"
Alguns minutos depois estava eu n'uma rede ar- ,ava 1ue era am Piquito, fallava at pelos cotove-
mada no alpendre, o cavallo n'uma capoeira, eoi'08. Agora nao dizia nada, eslava sempre calada
velho o'um baoqninh), de pernas crusadas, caxim-;la' Para seu canl- Se perguntava-se o que tinha
bo no queixo, pedia-me noticias do Forte, do pega, \dizia lue-nada-nada desta vida.
das guerras etc.
Meu hospede leria quando muito cincoenta an-
nos.
Suas feigSes tnhara certa expresso de bondade
que conquistavam sympatbia.
Era alto, magro e crestado pelo lidar do matto.
Seu traje era simples o traje de nossos lavra.
dores; ceroula de panno grosso ; camisa por cima
da ceroula.
Nada mais.
A camisa entreaberta deixava ver um rosario no
pescogo.
Havia cerca de meia hora que conversamos,
quando, nao me lembro como, vira a fallar n'uma
que seus pas haviam habitado.
Como era all todo bello I Como suaves as auras
que agitivara as Mitas I Como perfumadas as flo-
res varalas que esmaltavam os prados I Carao
linios os pomos cor de ouro que peniam das ar-
vores I
Doce seria a vida all passada a' sombra das ar-
vores a ao murmurio suave da lympha que corra I
Ouve, conlinuou o Archanjo, era breve
soara' para teu pai a denadelra hora ; aquillo que
f ji da torra voltara para ella... aqui ejto tres se-
Indcava essa cruz algura assassinatoT per-
guotei ao vdho.
Senhor nao, all foi onde se enterrou a Na-
ninba.
Que Nanmha ?
A filha da comadre Chica Fareira.
Cada vez enlendo menos.
Tera toda a razio. Vusmioc, nao c da
trra. Nao conheceu Nanmha. Pois peoa. Era,
bem como digamos, comparando mal, um oginho
aquella cunhzinha. Se ainda nao val pegar no
Eu ja' seio o que ella tem, dizia-me depois a
filha de Braz.
O que T
Esta' com a bola virada por causa de algura
rapaz ; eis aqui esta' o que .
Qual I logo nao vs, linguaruda 1...
Ora, ora to certocomo Deus esta' no co.
E por quera ?
Agora la' isto que eu nao seio, mas o Mi-
guel anda faztndo-lhe seu p de roda.
Aquella nariz de funil ? Ora pois credo 1
Quem que faz coala daquelle deseogoogado ?
Emlim, para encunar ra?oe?, nioguemsabia por-
que Nanmha andava virada
IV
Chegou o S. Joo.
A comadre Chica Pereira sempre festejan S.
Joo.
Era o nome de seu home.
Eram dous pardavascos de li nha, nao se Ihes le-
vava ventagem assiin cum dua rezdes, e fallando
cortezraenta cada qual era ma s damoisco.
Quando o Man acaba va o Joo enliava e na mes-
raa letra assira :
Minha mi deu-mt urna surra
Com sipo de gitirana,;
Porque achou-me deiijado
No eolio da Mariana.
No eolio da Mariana
Esta' lodo o meu praner
Quando a vejo, ai Jess 1
Smto-me quasi morrer.
f
Si oto me quasi morrer.
E sem ter consolago,
Quando vejo pstas mula'as
Na noite de S. Joo.
E iam por ah fra qual dtf cima qual debaixo.
Por flra de conta o Man eslava um pouco tocado
e o Joo, da meia noite para o dia, comegaram a
descompor-se :
Caboclo man Vieira
Vose tome tenencia,
Coobece ronco de hbmem
Se cutucar-me a paciencia.
Secutucar-lhe a paciencia,
Que faz seu Joo Tfiuiin- ?
Vose nao p5e as vientas,
Onde esto aqui p5e o p.
Quando a gente cuidou que nao o Man arreme-
teu como um novilho braboi
S vi foi a tapona cantar e tiro e queda o Joo
I.
Ninguem fazia fogueira mas bonita, nem alo maiCreada ?.""'"'"'"
estava esparradioho da silv
Assim que se alevantou
e arrenit-teu gritando:
Meita-se em pao cabri I
Separemos a briga, e fue ios assar milho, e pas
sar a fogueira.
Desta vez nao houve mi
nha comadre.
Nunca em das de mo
fluido.
V
Logo de meoha as mog 3 corrern) todas pra o
quintal.
Fallava fazer a advinhag
viam a cabega n'agua que
Todas queriam ver ao o
vam-se, gritavam, era um lii que ninguem se en-
tenda.
Alio la', sinhas gasg
grilei eu.
Eu primeiro, (i > l'edrb, dizia a Joaquina.
Voss nao; eu litio, g
Aquieta I Aquieta gei
E agarrando na baca fui
por sua vez.
Todas sahiam contentes
cada urna :
Eu vi, eu vi micha
morro. >
Fallava a Naninha.
Cade a Naoinha? ca, ellaT onde s
cou?
Naninha recostada na pofVta olhava tristemente
i para suas cantaradas.
Chega para diante, m
como as outras.
Deixe estar, tilio, na uero, nao
Nanioha, venba, dizia a Chiquinha.
Ma deixe... nao pos, nao quero oo.|
Ora tib I eiclaraou ou ra. Gentes vosss nao
veem ? esta Naoinha tem lu ios.
Naninha que islo? di ta a comadre,
minha Giba.
Ora mame...
Va', ja' Ihe disse.
Nao quero, mame.
Euio nao ouve o que lie digo, grandissiraa
e, agarrou n'um ccete
lata que nao fosse mi-
da vida vi-me to in-
o da bacia; iam vr se
tinha fleado no sereno,
esmo lempo, empurra-
nas, de urna em urna,
rilava a Chiquinha.
le.
chamando cada nma
e satisfeitas, gritando
babega. Este anno nao
nha filha. Vera ver
Va',
mentes da arvore da sciencia, cujos fructos Ihe somno, cont Ihe urna historia interessanle.
vedara o Eterno provar; e apenas o espiritosa
desprender da materia, o hrto e inanimado Ihe
cahir o corpo, deposita-lhe estas sementes sob a
iiugua a sepulia-o com ellas.
IV
Bem tempo havia qne Ado voltra a' trra de
onde havia saludo.
E Selh fuera o que Iho orden Ira o Archanjo.
N< lugar em que dorma o primeiro homem o
derradeiro somno, lies arvores surgirn).
Gr seeram e tornaran) se frondosas, pendendo-
Ihes dos ramos os mais forra ,sos fructos.
Estou promplo a ouvi-lo.
O velho encostou o cachimbo junto de urna al-
mofada de fazer renda ; lirou de um buraco na
parede um pequeo cornimboque e oflerecendo me
urna pitada de caco :
Nao gasta ?
Obrigado. Vamos a historia.
Levantou-se.
Deitou na fogueira defronte do alpendro alguns
grvelos.
Pachn o banco para junto de minha rede.
mais gosloso. Desta vez havia um festo em casa
da comadre. De lodo esie mundo de meu Deus,
daquelles ps de serra, de toda a parte vinha
gente.
Era povo como trra. A casa estava atupetada.
Urna fogueira, que era mesmo que urna coivara,
arda era frente da casa, de quando em vez era tiro
de bacaroarle, de espingarda e de rouqueira.
Alo e giribita havia que era urna machina.
As sele horas fez-se urna grande roda no terrei-
ro ; as mogas sentaram-se defronte da porta e os
Naninha obedeceu.
Aaianiouse para diante, mi* parou como se Ihe
tivesse dado urna cousa. Ao depois chegou-se qua-
si arrastando ao mocho em queestava a bacia, agar-
rou-as cora ambas e duas mo> que treman) como
varas verdes.
Abaixouse, olhou, deu ura glrito a cahio.
Naninha nao tinha visto a c bega.
VI
Este dia foi um dia de juizo
dra.
em casa da coma-
Levei a Naninha pra urna r|
Fez-se urna barafunda de me
Je.
zinhas at que era-
chorava como urna
Nada era to bello, laoagradavel a' vista-como
aquella corque se assemelnava as nuvens do eco
se o viajante colhia-os, se faminto levava os aos
labio-, s encontrava podridlo e vermes.
E as tres arvores cresciam, e os fructos Ihe pen-
diam formosos dos ramo, mas ninguem os colhia,
que s lioham podrido e vermes.
home, uos de cocas, oulros em p, outros sentados I tm ella deu accordo de si.
no chao. Mestre Ignacio sentouse, e deu princi-l A comadre, collada I essa
po na viola. "Efii a a -
_ ., Quando sahia de deiunto da Iha, era para ir ao
Rola o samba, minha gente, gntou a comadre, e \ oratorio.
enfiou o baiano. Levon assim quasi urna semai a, nao dorma, nao
coma, fazia pena v-la. <
Era mi e tinha medo de pe-der o nico bem
Eslava em fem de perder o
rando.
Corr al a casa da comadre.
Quando fui chegando ja' ouvla o choro. En-
tre!. "
Urna molher de joelhos snstentava ama luz
accesa as mos da Naninba, ajudando-a a mor-
rer.
A mi cabida pra um canto, pareca que tinha
endoudecido.
Era de partir eerago aquillo.
Assim que me vio agarrou-se comraigo gri-
tando :
Minha filha I Minha lilhal salve a minha fi-
lha I
N'esse momento a mulher chamou-a.
Foi pra botar a bengo a lilha, receber-lhe o ul-
timo suspiro.
Nao foi possive arrancar-lhe a defuocta dos bra-
gos, seoo depois de muito trabalho.
VIH
O velho calou-se enchugando com a manga da
camisa as lagrimas que Ihe corriam pelas fa-
ces.
Ao depois conlinuou.
No outro dia, no lugar em que vosmnr vio
a cruzinha cavel a cova da Naoinha. Ful en com
estes bracos que bolei-a denlro, que flz a cruz e
enflnquei-a.
Alli vou resar urna vez por outra.
|* E sua comadre?
Passado um mez desappareceu e nunca mais
tive d'ella novas nem mandados.
Dizendo isso e velho levantou se. Desejou-me
ooa noite e deixou-me s.
Transcrevemos do Mtssionario Catholico o se-
grate :
OS TRES KSPELHOS.
Urna menina elucada nos mais piedosos senti-
mentos escreveu a sua mi a segrale carta:
Minha mi, eu desejava possuir um espelho,
porque um objecto para mira ladispensavel. Eu
cont ser sei vida e o espero com Impaciencia.
No dia seguiote a menina recebeu de sua boa
mi esta resposta:
Minha Giba, nao somonte te envlarel c espe-
lho que tu me pedes, mas era lugar de um s que
me sollicitas, tu recebers tres.
Tres I disse ella enterrompendo a leitnra.
Que significa I
E prosiguindo vio estas linhas.
No primeiro tu vers o que s, no segundo o
que tu sers e no terceiro o que tu deves ser.
E dando um livre curso as suas conjecturas, nao
pode descubrir nada que podesse salisfazer-lhe, c
anciosa, esperava pelo momento em que dsviam
chegar os espelhos.
Passados tres dias, recebeu um grande erabru
Iho, e abrindo com precaugao, vio nm modesto
mais Sel espelho, que segundo a promessa de sua
mi, Ihe mostrou o que era, sua mocidade, e os
encantas da primavera da vida; abrindo o segun-
do descubri urna caveira, outro espelho nao me-
nos fiel do que seria um dia.
A vista de um tal objecto a joven comegou a
cornprehender a ligo que Ihe dava sua mi.
Abri o terceiro, e recelosa de encontrar cousa
que podesse ioeommoda-la, um grito de alegra
escapou-lhe dos labios, porque achou urna deliciosa
estatua represeotando Mara Iraraaculada.
Els o que devo ser, exclama ella 1
Maria com effeito o espelho da justiga no qaa|
a alma christa deve se mirar a toda a hora do
dia.
Eis como nos devanaos observar Maria, nao para
estabelecer ura parallelo entre sua divina belleza e
nada humano, mas para aprender em que consiste
o verdadeiro ideal d'alma.
E a joven levando os olhos constantemente para
o terceiro espelho fez nelle a sua esperanga e a
sua alegra.
O goveroo aostriaeo esta
d'Amsterdam, om emprestioso
florins.
Venderam-se no dia 11 de
sortes, que proJuzrara 12J0M
asflts,:
as cascara*
Sentou-se e principiou assim .
remedio, devia dansar por orga. Salte!
H que foi ver buraco. Vendo me gingando
Nunca, com estes olhos que a trra ha de' tatiocando, a rapasiada gritava :
r!-.?8:J!!,!?!! COmer' vi caa*^ &* engragada do que a Na-1 Bravo, tio Pedro 1
oiiitia, filha de minha comadre Chica Pereira. Era !
couzinha mesmo de se ver. Bonileza s alli, e nao
era la' dessas raparigas espriladas que se andam
derrengando por da' ca' aquella palha, nao senhor.!
Quando passava nos dias de festa toda na fina
J fazia*muito tempo que eu nao dansava ; mas
a arrem-gada da Joaquina da Conceigo, tirou-se de \ que Deus Ihe deu.
seus cuidados e veio atlrar em mira. Nao havia juizo.
na roda' A pobre da Nanlnha cada vz peiorava mas.
Promessas a S. Francisco de '".amul, tergos a
o corpo, jfossa Senhora, velas a Santo Antonio, era mesmo
que nada.
A pohresinha estava morro, nao morre.
Passaram-se os seculos, formarara-se os reinos, j para ir a casa das rabeadas, olhos maos nao po-
To Pedro lornou-se mogo.
Viva o lio Pedro I
Fui alirar na Naninha ; ella sahio.
Estava que nao pareca a mesraa, bonita, rosada.
Todo o da andar em casa como um corropio,
pra aqui, pra acula, pareca um cuusa douda.
Quando poda fallar era ella
mi.
Teve assim urna melhorasint
pouco, tornou a cahir pra nun
tar.
VII
Um dia de tarde eslava eu
quem consolava a
a, mas isso durou
pa mais se alevan-
iio rogad onda ti-
nha feito um adjunto pra fazejr urna lirapa quan-'que ura tmulo vazio.
Em S. Diniz, sepulchro dos reis de Franga, esto
a terminar grandes trabalhos de muilos annos.
Os tmulos sao restaurados, e junto do mauso-
eu fchalo dos Bourboo?, abre-se o novo mau-
soleu imperial, construido por ordem de apo
leo III.
Tem urna s entrada, coberta com quatro pedras
de grandes dimenses.
E' muito vasto ; as abobadas sao sustentadas por
pilares redondos e mascissos, e assemelha-se muito
a urna crypta de igreja do estylo romano.
A parte-mais larga destinada para os impera-
dores.
No fuudo. era um ponto que corresponde ao al-
tar da igreja superior, ti -a o lugar da honra des-
tinado para Napoleo I, comofunlador da dy-
nastia.
O seu ataude ser, collocado sobre orna pedra
elevada, do alto da quil ficar sobraocairo aos ou-
tros.
A direita e a (esquerda ha galeras destinadas
para os outros memoro da familia Bonaparte.
Reuoir-se uo os morios das duas familias que
repousara em diffarentes sitios, a vira um dia em
que, talvez, o raagoiGco tmulo do Imperador nos
Invlidos, entrada do qual tioham sid., collocados
dous neis servidores de Napoleo, nao ser mais do
O joras! El Mercurio, de Valparafaa, dis .
qnella cidade fallecer om hoosess, i
ramsima idade de i~> anuos, i
suas faculdades e senlidos, i excepgio as savias,
que comegava a enfraqoecer.
O macrobio era orinado di Ussaaaaa rasan
va se Vicente Castra Cbegoa a Vatparaiao ao an-
uo de 1793, cooiando eolio S% aaaos.
Era Franga assisllo ao soppitae as Laiz XTI, a
foi taslemunha das principies trsaai da graaas ra-
volugo de 1789.
Um jornal americano coala o seguate :
Segando aftlrraa o iatereinaSs aarraOieo ua-
naes do cornm >rco exterior asovimeaa eaav
mercial dos Esta Jos-Uoi Jos, cojo valor era eaw Mtt
de 762,000.000 da duros, e em IM3 as 5*1 ai-
Ihdes, soffreu em qoatro aoios un
200 minio', de dores.
Apenas se ea^ntroo aos esta Jos do sal i
Iho de balas da algodo dos dous OMlhoes i
se contiva.
A colh ita de tabaco quasi aila, a a
safra da algo to, cora o trbalas livrr,
bira 400:000 balas era lugar da 4,000:0001
recoihiam d'anles annaalraent*.
Na noile de 10 do correte Itoave aos gnvfs-
sim aconteciraento no camrah) de farro de San-
tander. Abaleu parle do tnel das Diosas, lala
enterrados onze operarios e ana capataz.
A orga de grao les ira tollos foi possival iirar
das ruinas doas mortos, loas feridos e cinco eon-
tasos.
O engenheiro da linha e grande aansero de ope-
rarios trabalhavam com grande artivida4e alan 4a
encontrar os que faluvam a desimpadir a via.
O respectivo ministro logo que son! feate *t"
sastre ordeoou que dos fundos de calamidades pa-
blicas se tirassera 6:000 reala* com applieaeas *
familias dos operarios morios e aos feridos que ca-
regam de recursos para se tratarera.
Os estados qne eorapo) hoje o reino da Italia en-
viaran) ao parlamento de Floreaea o aaiasara sa*
guite de deputados :SarJanba 72, Maa as Sar-
denha 11; Lorabardia 61; Parias a Modaaa SI;
Roraanias 20; Mareas 18 ; Umbra 10 ; Teanan
37 ; Sicilia 18 ; a pales 141. Total 443.
O re noraeou ultiraaraen'e 37 aovos senadores
cora os quaes sobe a 167 o oamero de
que formara a cmara alta italiana.
Sua alteza real o principe Osear da Su*cia i
veu ura drama histrico que devia sar posto ana
sceoa no da 16 do corrate.
Ura velho sentado a mesa da om caf, l
certa voluptuosidade o seu jornal. Aproa
Ihe resinosamente ura descoahecido, qae sem
rimonia seassenla aoseu lado e Ihe diz
xinho :
Senhor, p le fazer-me o favor de
tar 10 tosidas ?
Como ? sera o conhecer f...
E' justamente por me oo conhecer qas
dirijo a V. S.; por que lodos os qae me e
nao me emprestariam nem am real.
O conde de Monialerabert vai brevi-
de Franga para Hespanba, onde permanecer' alga-
mas semanas.
A sua excurso ao reino visinho tem por anisa
lim fazer algumas averigoacoes areneologicas pata
poder concluir a sua obra intitulada Hk
raooges do Occidente.
FOLHETIM.
S PROVACOES DE AILEEN.
suenas m vida iiilandzZI.
(Continnagao.)
X
TRES AN.NOS DEPOIS.
reda que conduz a um logar cercado de um muro Mahoney fallando era seu marido, e Deus tem sido| [o0ge disto; mas
aZ^TJ^Z ?'n-PeJrlS imontoitis "beral para comnosco muito alera dos nossos dse- m nillUo ^ comego. Poucrt a pouco cnsenle-
jos. Pauso e orno a pausar sempre no que tera se era dar ao cochino o gozo di um estabeleclmen-
podido nos acontecer, porque Mark tambera estava j to a' parte, posto que acerca desta ponto lord D.
complicado nesse negocio como o pobre Ulick O' tenha muitos prejuizos a combster..
Donnel. Quanto Deus b sin para nos 1 >
as outras, e conservaudo entre ellas
urna carnada de relva onde crescerara o felo e ou-
tras plantas qua Qxarara e ligaran os materiaes
entre si. Ao se Ihe approximar, urna voz fresca e
clara cantando alegres estrlbilhos se faz ouvir, de- ]
pois a propria cautora torna se aflaal vlsvel: urna
Nao inteiramente assim que se deveria
fallar, Peggy; primeiro que ludo, menina, agr*
boniia e graciosa mulherzinha de venido curto e
Tres annos dopois! Quem pode olhar para alraz maulo azul, assentada sobre um banquinho de decei a beas ler Preierva,lj Vysso marl Per" J,"J"'" *"
n'um tal espago de lempo e nao ver e sentir mu- Pao e mungmdo o leite sua vacca. Ella apresen- mmi0 que pecCilJ t0Si0 tao somente Por PeQ- r ai
dangas por toda a parte ? E estas mudangas sao I,a um linJo quadro, quanlo o sol Ilumina seu ri- sanQ,!at0; *
quasi sempre anles tristes do que alegres. Tras sonho rosto o seus caballos castanbos. Ja outr'ora' ~ Sira' reveren(llssimo disse Peggy, com as
annos nao parecen um longo espago de lempo | viinos esia rapariga, a linda e seductora Peggy- riraas nosolnos> leBdes raIao- 2" accrescen-
mesrao nesta vi.la lo curta, mas sao sufflcentes i Schan,Peggy Delaoy deveraos dizer agora
para arrefecer a araizade, destruir o amor, ou,
co.no se costuraava a dizer, mrebar e abaler-se
urna existencia. Mas ludo seria bom se houvesse
urna mudanca, se o pisar e a contncao de corago
livessem feito aquillo que estavam destinados a fa-
tou : o
jor elevando a alraa cima da trra e das cousas
mundanas ; se o lago quebrado, o amor perdido
se livessem mudado em ama unio intima com
Deus. unio indissoluvel; nesse amor do Salvador
qu? ama desde toda a eternidade,
Nao esquegamos o nosso objecto : presentemente
s tmos da nos oceupar com o Valle-Escuro onde
as mudangas teera sido Importantes, depois dessa
fra noite de invern era que Aileen O'Donnel foi
banida da sua habitagao e flcoa sozraba e abando-
nada nesta mundo.
Era por urna bella a clara rnanha de primavera,
e o Valle-Escoro tiana revestido o sea mais lindo
aspado, o que talvez nao quer dizer grande cousa,
mas emda a erva estava mais verde e vicosa, gra-
gas aos effeltos da alguns raios de sol eagoaceiros
berafazejos. O co, de um bello azul, era semaa-
do de pequeas navens alvas e lanosas que passa-
vara lig-iro a cada momelo pela superficie do sol,
occasionando assira essas vivas alternativas de luz
e sombra que derramara a vida e a belleza no lo-
gar mais selvagem.
Varaos langar um golpe de vista sobre as dille-
rentes sceoas que se passam no Valle-Escuro ou
nos seus arrebaldes. Primeiro nos preciso dei-
xar a estrada principal e ganoar urna estreila ve-
desi'arte deixar de parte o ssu autigo titulo de doo-; ~ No posso Jeixar de pensar neSa noile em lher t0da en la8rimas' e 1a*n^ lh8 perguotei a
zella, porque nao obstante os seus vinte annos el- que a pobre Aileen 0i 0UVIU C0QSPirar juntamen-. usa do seu desgosto, disseme :-0 joven amo
la esposa e rnai, e esta cnancinha posta a seus ,e' *eaio uue- pdr assl,n *"* foi um "dadeiro'. Dera encllente I que Deus b proteja I Smenie
ps, cor de rosa e roliga com olhos pardos como relance uue "DPtidiu 1ue ,odos elles ficassera Cl#: MU "baQa me parece vasia e'fri do Datural sem I mais'a cabega; extinguise ramio si
ella, cnamma a mami. O cntaro de leila esta Promeltidos. Oh I na verdade, isto foi obra da Po" animal. Mas, vos o sabis, o habito uraa euamt sua av(J lra|0M com extrema t9roura
meu ~
algumas o s|o, e em muitas ha mente collocado Moyna O'Donnel, mas talos os
esforcos para decidi-la foram ioaleis. D.raois da
desapparigo de Aileen a velha tornarasa cada
vez mais rabugenta. Havia nella urna violencia que
com custo repremia e que della fazia fugir todo o
mundo, eicepto o padre Mahoney.
Este tenlou com paciencia e inaudita perseve-
rancia abrandar essa natureza feroz e indomavel,
apezar do pouco respeilo e al mesmo insolencia que
ella Iha mostrava algumas vezes,pooqussimas,
deve-se dize-lo porque, gragas a Deus, o respeito
ao sacerdote, a ultima cousa que abandonan) os
pobres Irlandezes. Mas nada a tocava era podia
converle-la. A pequea Gracia tinha deixado as
trevas e os desgostos desta vida pelo repouso e fe-
licidade em Deus. Ella sempre era iraca e deli-
cada, e desde a partida de Aileen nao levantara
t Nao posso ainda crr qua elles achem
prazar em viver com estes anijnaes, dizia elle ad-
mirado um dia ao padre Mahopey, nao possivel;
depois da ter'ecebido os agraijecimentos da viuva
causa da ura chiquero que Ihe manda-
ra fazer, agradaclinentos que s|e resentiam de des-
gostos pela perda do seu amigo corapanheiro.
i Julgo que ura verdaieiro prazer, re^pon-
deu o sacerdote; encontr! esta rnanha a boa mu-
O Diario de S. Paulo pnblira :
ATTEINJAa I
JJa peosem qae roorri sob o vapor
Do camiuho de (erro lo fallado ;
Eslava oos meus livros agarrado
Reveodo cerlos pootos com fervor I
Mas, oh I de-epeo Ijigo com dr :
i)a urna nao tere poeto esladado
E vi-me desta vez alrapalhado
Cora soraoo, quatro pontos, e cldr I
Dj meu silencio pois,eis a razio :
Agora ja' tiz acto e livre estou
Dos curros, dos bedeis, da amoiaeao !
Meu lempo de martyno ja findoa ;
Uraco annos soffri,mas boje
Da liberdade o dia qoe raiou I
agora cheio, Peggy o poa sobre a cabega e com o misericordia de Deus e nao efJeiio do acaso. E segunda natureza, meu carf. lord, e Judy nao mas a Teh()a,9nCa da sua afft.,sao era Ima op.
lhopelaniodinga-saparaacasiabaeraqueva- PSt0 1ue Pobre Mark sa arrependesse depois |tardara em reconciliarse com o seu chiqueiro. presso para a branda natureza da pequea Gra
raos segui-la. Nao era urna lida chcara; entre Pr mait0 lempo, nao me possivel esquecer que '. A cultura de batatas era enlo geral. Lord D. a
os Irlandezes, raro acba-las. Nao se v em ne- Poco fallou P*ra que eu nao solresse os mesmos animara de todus os modos, ohuma parta a madresilva e a rosa sabinde ao Ion- desgastes que atacaran) Aileen, esta pobre arai- gao sua o povo a cullivava as-ira como a aveia.
go das punas e das jaaellas. Porlanto nao posso 8a ta0 semelhante pela bondade aos anjes do eo. O padre Mahoney nao se euganara dizeado a
fallar como na cousa raais bonita desta mundo co- Jileen tinba sido sempre o ideal de Peugy, esla Aileen que o joven lord nao eia mo homem eque
nao a chcara ingleza. Se assim fosse, eu mos- tinna seraP',e visto o c Lirio do Valle-Escuro era daquelles que precisara ver por si mesmos.
irar-vos-hia Peggy passaudo entre jardms cultiva- C0H1 uma especie de admiragic, de culto, e quan- Ella tinna visto e obrado,e na vardade neste mun-
dos e ornados da llores da toda a especie. Mas na do M Pezares vieram ajuntar a este sentlraento a' do mesmo leve a recompeusa.' Quando estava au-
(ionnemara quasi que nao se eonhecem as flores, P'edade e a ternura, sua affeigao e seu respeito sent seus negocios erara dirigidos por ura agenta I antes de raorrer, ella disse ao paire Mahoney :
pois cora olhos irlandezes que preciso ver aba- Pr ella ,ri>aram-se mais profundos; e posto que, da carcter mullo diderente aqnelle do infeliz! Quando tornardes a ver Aileeo, dizei-lhe
biugo de Mark Delaoy e apreciar como for possi- 'a se ,iV8Sseoa passado tres annos depois que Ai Pearce. Era um homem de maneiras rusticas, que estou contente da ir-me para o bora Deus.
ca, que por seus sentmentos temos e elevados re-
cordava a' Aileen. Ella prefera antes ter Peggy
Delaoy junto de si, e esta era reconhecida e feliz
quando Muyna cora sua voz rabugenta e dosagra-
davel Ihe dizia :
Vinde, a pequea vos espera com Impa-
ciencia.
Gracia nao o pedio por multo tempo. Um pouco
vel os ricos cauteiros de batatas, o chiqueiro e o le6n deiiara Valle-E>curo, Peggy jamis podia
monto de turfa, avista dosquaas Peggy levantara allar nel,a sem derramar lagrimas.
as mos como em extase, quando Mark a conda- Mas deveraos continuar a nossa marcha para o'lord D.); mas mostrava-se jasticeiro e Impar-
zindo para a sua nova habitago, ella exclamou : va,le 0Qde as cabana tornam-se cada vez mais cal; era na verdade ura hcraem do seu posto,
approximadas a mesmo teera uraa certa apparen- nao tolerando a preguiga, era o roubo, elle tinha
Oh 1 querido Mark, na verdade, tudo isto cfa de casas, e onde a aotiga e arruinada taverna
multo elegante I i desappareceu, senda substituida por uma estala-
Se seguirmos Paggy casa, veramos que o gem de exterior mais decente. Era toda a parte
verdade, e que nao procurava atirahir sympathias, I E presentemente, no ceraitero reparado e con'-
nterior corresponde ao exterior, e qua a loalba
estendida para o almoco alva e limpa. Sobre a
mesa servido o leite e outras muitas cousas; evi-
dentemente a abasiaoea reina era casa de Mark e
Peggy.
Elle bom e honrado, dizia ella aapadre
ba signaes evidentes de melhoramentos. O via-
aem popuiandade (achava que isto pertencia a
severo e recto que convra aos Irlan-
o carcter
dezes.
Acompanosos lord D. e o sacerdote em seu
pasieio. Elles passam neste momento por diaote de
,,,..... m ..,...._.. ____...L.-__ ..j__ ._ ...
jante vizltando pela priraeira vez a Connemara po- urna ra de pequeas constrqcgoe todas exacta-
dia duviJar destes melboramenlos, mas para' mente guaes, a ultima flea unto a- capella e pres
aqoelle que ceoheceu o paiz, os progreisos sao vi-
siveis. Todas as chcaras, na verdade, nao sao
to aceiadas como a de Mark Delany, eslo multo
bylerio. Sao as delicias do lord. Sao casas de ca-
ridade, edificadas e ornadas p r elle, onde instal-
lou sua velha ama de leite e onde (aria volantaria-
cooservado, no lugar reservado s craucas, onde
o sol parece deter-se por mais tempo com compla-
cencia, debaixo da ama pequea elevago de tr-
ra, sobre a qual existe uma cruz de pao, repousa
a preferida de Aileen.
Junta da habitago dos morios eleva-sejima ca-
zinha limpa e cooforiavel, a' pona da qual o sacer-
dote e o joven lord parara alguns instantes antes
de se s -pararen). E' o presbylerlo. A igreja esla'
ao lado ; todo ahi simples e ru-lico ; mas a or-
den) e os desvelos se noiam em toda a parte; a
aquelle que conheceu a dr do bora sacerdote de
nao ler por morada do (an Deus seoo am msera-
vel lugar parecido an es com ama graaja as ajaa
com uma igreja, e as lagrimas de reparaco a ea-
piago que ella derramoa fr|MMMMH a* p
dasse altar lo pobre, to arraia*** en aas aV
viuo Salvador moros por Unto lampo a i
paciencia ; comprenendera* as acedes a*
que o padre Mahoney readea a Daos, a
missas ella deveria offereeer diante da sea i
altar pelo joven lidalgo que nzera estas
Nao admira, deve-se pensar, qoe os
lico oceupe-se cora os seas vassalo* e a i
Mas qua se dir' quando se soober qtu Ur O. aap
calliolico ? Nao, mas om homem integro a
berafazejo. Elle coraprehen-le qua deve ir*ar da
caotponezes catholicos, qae deve soccorre asi a Sar
cuidado debes; lainbein comprebenasa ajanan
era absurdo e injust i dar oiioceotas libras a vaja-
no aogiicaoo por ura discurso por i
do a uos trinta protestantes, ao paseo
doie caioolico luiava costra a miseria e o i
mo na sua pobre parochia sem soccorro. fraca a
Deus que houvesse mais sent oro* rimo lord D.
Quanlo aos sacerdotes, ba manos como i
Manoney. O joven sen mr appiicava a' ana i
todo o zelo possivel; muitas vetes fecha va se aa-
rante loogas horas com o sacerdote para i
jumamente o que bavia de nsaiaar a fazer
do com franqueza a oaviado respetti
iavras de sabedoria e experiencia
pew velho. Assim pde-se esperar a erar as a
rumores que se aspaibarara ao Valla-Cseaia san
fundados, o qua o don da fe sera' eoseedido a asm
hornera lo conscieneioso e tao zeloso. O paara Ma-
noney sempre era recebido an castalio, n i
os camponezes corre o ruido de que a
nao lardara' a Ihes ser dada da
para raga dos Sullivaos, Inandezes
at a medula dos osos, a eolio, aeresesata-a. ais
se passara' muito lempo sem qoe vejamos s jos*
senhor acompaoha-la a' missa; ais na
dos pobres qae aurabiram su iraca.
E durante todo este lempo aoade aatava
(fJaisfmaarar-aa)
PHENAMBUCO TTTP. M M. F Di f. fl


MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10826


This item is only available as the following downloads:


Full Text

I...... _____.
AMO ILI. TOMEBO 269
Por qnartcl pago dentro de 10 das do i, nex ...::.
dem depo/s dos 1.' 10 das do comcco e dentro do qnartel. .
Porte ao eorreio aor tres Mezes.......,.,,,:
5|000
61000
750
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba. o Sr. Antonio Alexodrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty,o
Sr. A. de Lemos Braga; Ceara, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranhio, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Clandino Falco Das; Baha, o
Sr. Jos Marlins Alves;
Ribeiro Gasparinho.
Rio de Janeiro, e Sr. Jos
PARTIDA DOS ESTAPETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estafes da via frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhnns, Buique, S. Bento, Hora
Conselho. Aguas Bellas e Tacaralt, as tercas
feiras.
Pod'Alho, Nazarelh, Lirooeiro, Brejo, Pesqoeira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio e Ei, as quartas
feiras.
QUINTA FEIRA 23 DE W0YEMBB0 DE 1865.
Por anno pago dentro del lidias do 1. mez 19|M#
Porte ao correio por am anno............. SfOH
Serintaiem, Rio Pormoso.Tamandar, Una, Bar-
reros, Agua Preta Pimeuteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relago: tercas e sbados s 10 horas.
Pazenda : quintas s tO horas.
Julzo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tergas sextas ao meio
da.
Segunda vara do civel: qnartas e sabbades a 1
hora da larde.
EPHEMER1DES DO MEZ DE NOVEMBRO.
DAS DA SEMANA.
3 Loa cdeia as 5 h., 43 m. e 28 s. da m
10 Qoarto ming. a 3 h., 25 m. e 52 s. da m.
18 La nova as 8 h., 40 m. e 22 s. da m.
|26 Quarto cresc. aos 38 m. e 22 s. da m.
20. Segunda. S. Flix de Vallois fund. dos trino".
21. Terga. S. Celso ro.; S. Honorio m.
22. Quarta. S. Cecilia v. m.; S. Filemon ra.
23. Quinta. S. Clemente p. m.; S. Cezino.
24. Sexta. S. Chrysogno ni.; S. Firmina v. m.
25. Sabbado. S. Calharina v. m.; S. Jucunda v
26. Domingo. Ss. Belino e Filas bb. mm.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 8 horas e 30 m. da manhla.
Segunda as 8 horas e 54 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTOML
Para o ni at Abroas a 14 e 30; para a
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Para
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, m
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recite, na livraria da praca da I
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel P
Faria & Filho.
Os Srs. assignanles desle Diarto, que
se achara em debito das respectivas assig-
oaturas, queiram mandar realisar o paga-
mento deltas; e aquelles que moram fora
desta cidade, tenham a bondade de dar avi-
so de quaes sejam aqui os seus correspon-
dentes, afim de ser solicitado e.-se pagamen-
to dos mesmos, a quem daro ordem para
isto, visto como alguns pretextara, a falta
dessa ordem.
PARTE FFCIAL
G0YERN0 DA PROVINCIA.
Expediente do dia 48 de novembro de 186!).
Offlcio ao Exm. visconde de Camaragibe, direc-
tor da Faculdade de Direito.Corornunico a V.
Exc. para sen conhecimento e direcgo que aesta
data nomeei o conselheiro Dr. Lourengo Trigo de
Lourero para compor a commiso julgadora de
que trata o ollieio de V. Exc. de 17 do correte a
<]ue respondo.Communicou-se ao nomeado.
Dito ao general commandante aas armas.De-
\olvo o incluso prel nominal das pragas que Oca-
ram nesta capital pertencentes ao 1" batalho des-
tacad, alim de que V. Exc. se sirva de informar
acerca das ponderagoes feitas pelo inspector da
hesouraria de (azenda no cilicio, sob n. 835, que
vai cobrindo o mesmo pret.
Dito ao mesmo.Urna vez que, segundo os ter-
mos de nspecgao annexos ao seu olficio, sob n.
2,142, foram considralos incapazes do servigo da
guerra os quinze guardas nacionacs designados e
voluntarios constantes da inclusa relago, sirva-se
V. Exc. de mandar eiiminalos do 2 balalhilo des-
ocado.
Dito ao mesmo.QueiraV. Exc. informar acer-
ca do incluso requenmento do alferes do batalho
d. 39 do municipio do Cabo Silverio Jos Fiatano
do llego, que se oftereceu para o servigo da guer-
ra, declarando-lhe que por ofllio de 17 de outu-
bro ultimo, offlciei ao tenente coronel Mariano Xa-
vier Carneiro da Cunha, apresentando-o para fazer
parte do batalho de que elle commandante.
Dito ao mesmo.Restituindo o processo de in-
veslgago fetj acerca da evaso de cinco recrutas
com o seu offlcio de 16 do corren te, sob n. 2,138,
tenho adizer-lhe que em vista do aviso n. 300 de
9 de outubro de 1855, pode o conselho de guerra
impor pen;.s civis aos delinquemos, visto que para
o seu crime nenhuma pena decretaram as leis mi
litares.
Dito ao mesmo.Srvase V. Exc.de permittir
ao voluntario da patria do6*corpo Casimiro Jos
de Moraes Sarment o uso das insignias de cad<-te
t que elle justifique o seu direito a essa classifi
cacao.
Dito ao mesmo.Queira V. Exc. informar-m
acerca do que pedem nos inclusos requerimenios
os soldados Antonio liiz da Silva e Geraldo Gi-
mes.
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. inspeccionar o
voluotario da patria do 3 corpo Jos Laurentino
dos Santos de.que trata o incluso requerimento.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de mandar
inspeccionar o alferes do batalho n. 39 de iofan-
taria da guarda nacional do municipio do Cabo !
Pedro Fernaodes da Silva de que trata o incluso
requerimento.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.!
Em vista do que solicita o tenante coronel Jos Lu-,
cas Soares Rapozo da ('.amara no ufllcio incluso por
copia a que se refere o do general commandante
das armas de 14 do correte, sob n. 2,120, d V.
S. as suas ordens, alim de que sejam pagos pela
collectoria de Flores o prel dos vencimentos dos
tres desertores que se acham dtenlos naquelle
termo, segundo declara o citado offlcio.Coromu-
Dicou-se ao predito tenenle-corunel.
Dito ao mesmo.Respondendo ao offlcio que V.
S. me dirigi em 19 de agosto ultimo, sob n. 610,'
tenho a dizer que pie mandar pagar sob minha
responsabilidide nos termos dodecreto n. 2,884 do
4 de f ivereiro de 1862, visto nao haver crdito
para este fira a quantiade 114520 rs. proveniente
das diarias abonadas pelo delegado de polica de
polica do lerm de Villa Bella ao recruta Izidoro
Ferreira da Silva, o qual segundo consta de infor-
mago do marechal commandante das armas de 31
do citado mez de ago-to n. 1,161, seguio para a
corle com destino ao servigo do exercito, devendo'
porm essa quantia ser entregue a urna das pes-
soas para isso-tndicadas era meu offlcio de 26 de
julho desle anno.
Dito ao mesmo.R>-commendo a V. S., que es-
tando em termos a conta junta em duplcala, qnc
me remetteu o commandante das armas com offl-
cio de 14 do correle, sob n. 2,113, e nao haven-
do inconveniente, mande pagar ao 2 lenle Hen-
rique Domingues de Menezes Doria, commandan-
te da companhia de artfices a quanlia de I856O0
rs. por elle despendida durante o mez de outubro
ultimo, com o expediente da de zuavos que tam-
bem commandou.Communicou-se ao marechal
commandaute das armas.
Dito ao mesmo.Imeirado do contando do offlcio
de 16 do crreme, sob n. 830, era que V. S. me de-
clara nao poder effectuar o pagamento que no dia
antecedente havia eu mandado fazer dos venci-
mentos relativos ao mez de oulubro ultimo, do cor-
po de guardas nacionaes, que sob o commando do
teueote coronel Mariano Xavier Carneiro da Cu-
nha se destina ao servigo da guerra, visto achar-se
esgoiado o crdito de 20:0003000 reis, aberto para
esse lim sob mioha responsabilidade, tenho a dizer
era raspala aoseo citado offlcio que mande V. S.
pagar nos termos da ordem do thesouro nacional
por copia ditaiia de 21 de juoho ultimo nao sessa
despeza, mas tambem a que se for fazendo com
aquelle corpo e com os conliugentes que forem
chegando.
Dito ao inspector da ihesouraria provincial.
Manue V. S. f irnecer ao director da escola nornal
os objectos constantes do offlc) incluso por copia.
Communicou-se ao mesmo director.
Ditoao director do arsenal de guerra. Havendo
na repartigo das obras militares, deficiencia de
engenheiros, s-gundo declara o respectivo director,
em offlcio de 17 do correte, sob o. 75, a quem se
commetta a fiscalisago dos concertos que se vo
fazer nesse arsenal, tenho designado a V. S. para
incu nbir-se desse trabalho.
U que Ihe declaro para seu conhecimento e di
reego.Communicou-se ao director das obras mi-
litares.
Dito ao commandante superior do Recite.Sir-
va-se V. S. de expedir suas ordens pa-a que seja
poetada em frente da igreja do convento do Carmo
desta cidade urna guarda de honra de um dos bal i-
Ihoes da guarda nacional sob seu commando su-
perior afim de assistir a (esta de Santa Cilicia, que
alii se tem de celebrar no dia 2i do corrente.
Dito ao commandante do corpo de polica.D
V. S. as suas ordens para que araanha as 2 horas
da larde se apresentera na capitana do porto 6
pragas do corpo sob seu commando, aflra de escol-
taren] da fortaleza do Bruin para bordo do vapor
Paran os recrutas de inarnha, que seguem para
a corte.Coramunicju-se ao capito do porto.
Dito ao mesmo.-Autoriso V. S. a fazer engajar
para o servigo do corno sob eu commando, os pai-
sanos que para isso forara julgados aptos, como
consta do seu offlcio n. 1076 de 17 do corrente, de
' nomes Joaquina Pedro de Lyr i, Jos Claudioo Lan-
| dlm e Antonio Jos Francisco de Carvalho.
Dito ao Dr. juiz de direito da segunda vara des-
ta capital.Pelo seu offlcio desta dala, Qquei intei-
rado de ter V. S. convocado para o da 1. de de-
zerabro prximo vindouro, a sexta seso ordinaria
do tribunal do jury desta capital, preterindo assim
i esse servigo ao da correigao, atiento o numero de
36 precessos que existera era estado de serem jul-
gado*.
Dilo aos agentes da companhia Brasileira de pa-
' quetes a vapor.Prestem Vmcs. as Informages
! que para dar cumprimento ao avis i da repartigo
da agricultura, commercio e obras publicas do i.*
de julho ultimo, Ihe foram exigidas em offlcio aesta
presidencia de 17 daquelle mez.
Dilo ao mesmo.Podera Vmcs. fazer seguir para
os porlos do sul o vapor Paran, amanha a hora
indicada em seu offlcio de hoje.
Dilo ao gerente da companhia Pernarabucana.
De conformidade cora o aviso do ministerio da
agricultura, commercio e obras publicas de 12 de
agosto ultimo, sob n. 558, recommendo aVmc. que
as viageos dos seus vapores devem ser feitas com
a maior regulandade, e s por circunstancias ex-
traordinarias pdenlo ser alteradas.
Dilo ao mesmo.Preste Vmc. as informagoes
I constantes do aviso circular incluso por copia, ex-
, pedido pelo ministerio da agricultura, commercio e
j obras publicas em 26 de agosto ultimo.
Portaria.O presidente da provincia resolve cor-
rigir a portaria de 16 do setembro do corrente an-
, no, declarando que o oome do offlcial promovido
, ao posto de tenente quarlel-mestre do batalho n.
28 de Infantaria da guarda nacional do municipio
de Garanhuos, Mauricio L^pes Lima e nao Ma-
noel Lopes Lima, como por equivo all se escre-
i veu.
Dita.O presidente da provincia attendendo a
que os alteres Peregrino de Souza Magalhes e Ma-
noel Antonio da Costa, aquelle do batalho n. 27
I de Caruar e este do de n. 45 de Barreiros, foram .
! considerados incapazes em inspeegao de saude se-
i gundo se v dos termos annexos aos offlcios do ge-
i ueral commandante das armas de hontem datado,
! sob ns. 2157 e 2158, resolve dispensa-Ios do ser-
vigo da guerra para que foram designados. Fize-
i ram-se as necessarias communicagoes.
Dita.O presidente da provincia attendendo a
: que o lente do batalho n. 14 do municipio de
Guiann i Manoel Rodrigues Ventura, est visivel-
menteimpossibililado para o servico da guerra por
soffrer de cataratas, o que faz certo com os docu-
mentos annexos ao seu requerimento, resolve dis-
pensado daquelle servigo para que fora designado.
Fizeram-se as necessarias communicagoes.
Dita.Os Srs. agentes da companh a Brasileira
de paquetes, fagam transportar qara a corte no va-
por Paran por conta do ministerio da marinha os
recrutas Gongalo Fraocisco da Silva, Lucrado Al-
ves de Oliveira, Martiniano Jos da Silva e Ma-
noel Rodrigues da Costa.Communicou-se ao ca-
p tao do porto.
Dita.Aos Srs. agentes da C)mpanhia Brasi-
leira de Paquetes, facara transportar para a corte j
no vapor Paran por conta dos ministerios da
guerra e marinha as pragas da guarda nacional,
voluntarios da patria e recruta* do exercito e ma- !
rinhaque se achavam em depo*il) nesta provincia
fiados das do norte constantes das duas inclusas ;
relagoes juntas por cooia. Fizeram-se as neces-
sarias communicagoes.
Dita.Os Srs. agentes da Companhia Brasileira
de Paquetes, mandein dar urna passagem era lu-
gar de proa destinado a passageiro de estado no
vapor Paran at o Rio de Janeiro a Antonia Mara!
da Annunciacao, que consta ser desvalida.
Dita.Os Srs. agentes da Companhia Brasileira
de Pametes, mandein dar passagem de estado at;
Macei em lugar de proa no vapor Paran a .Mi-
na Bslmira da Craceigao.
Dita.-Os Srs. ageotes da Companhia Brasileira
de Paquetes a Vapor mandera dar passagem de
proa por conta do ministerio da marinha para a
corte no vapor Paran ao aprendiz mannhelro
Jos Alves da Silva que se vai recolher ao quartel
geral do corpo de imperiaes inarinheiros. Com-
municou-se ao inspector do arsenal de Marinha.
Dita. Os Srs. agentes da Companhia Brasileira
de Paquetes fagam transportar para a corte no
vapor Paran por conta do ministerio da goeraa
os recrutas constantes da relagaiUuota por copia.
Dita.Os Srs. agentes da Coinphbia Brasileira
do Paquetes a vapor mandera dar passagem para
a corte no vapor Paran aos marinheiros e gru-
metes engajados para o servigo da armada cons-
tantes da inclusa relago.
em seu armazem a' ra da Cruz n 57, as 11 horas
em ponto
Fizeram actos no dia 20 de novembro de
1865:
2 anno.
Venancio de Oliveira Ayres, plenamente.
Joaquira Antonio da Silveira Juoior, dem.
Aristides Augusto Milln, dem.
3* anno.
Clemente de Oliveira Mendes, plenamente.
Lino Cassiano Lima, dem.
Antonio Joaquira Ribas Junior,Lidem.
Reinaldo Gomes de Oliveira, dem.
5 anno.
Manoel deS e Souza Filho, plenamente.
Francisco Theotonlo Car /albo, idem.
Manoel Barata de Oliveira, idem.
Luiz Antonio Ferreira Souto Jnior, simplesmente.
21 -
2* anno.
Jos Jorge de Siqaeira Flbo, plenamente.
Aleixo Marinho de Fuigueiredo, idem.
Arseoio Simes da Silva Attu, idem.
5* anno.
Mathias Nunes Bandeira de Mello, plenamente.
Maximiano Jos de Iuojosa Varejo, idem.
Aluno Rodrigues Pira-na, idem.
Jos Gomes Ferreira, simplesmente.
22
2 anno.
Joo Mara Lisboa Jnior, plenamente.
Candido Xavier Rebello, idem.
Vicente de Souza Queiroz Filho, dem.
Luiz Caetano Pereira Guimares, idem.
5' anno.
Joaquim Francisco de Arruda, plenamente.
Antonio Das de Pina Jnior, idem.
Augusto de Araujo Santos, idem.
Mathas da Velga Ornellas, idem.
Fizeram exame de geographia no dia 13 de
novembro de 1865.
Plenamente. 1
Simplesmente 9
Reprovado ... 8
18
Fizeram exame de rhetorica no dia 14
Plenamente. 5
Simplesmente 6
Reprovado ... 1
-
Fizeram exame de rhetorica na dia lo :
Plenamente. 5
Simplesmente 5
Reprovado ... 2
_12
Fizeram exame de inglez no dia 15 :
Plenamente. 6
Simplesmente 4
Reprovado ... 2
~i7
Fizeram exame de inglez no dia 17 :
Plenamente... 6
Reprovados... 6
~~12 .
Fizeram exame de inglez no dia 17 :
Plenamente. 6
Simplesmente 6
12
Fizeram exame de rhetorica no dia 17
Plenamente. 9
Simplesmente 3
12
Fizeram exarae de Inglez no da 18 :
Plenamente. 12
Fizeram exame de inglez no dia 18 :
Plenamente. I
Simplesmente 3
Reprovado ... i
Levantou se. 1
Rni'MlTICAO da polica.
Extracto da parte do dia 22 de novembro de 1865.
Foram recolhidos a' casa de delengo no da 18
do corrente:
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chete de polica, Ma-
noel Carneiro do Nascimento, por insultos.
A' ordem do subdelegado do Recite, Manoel
Francisco do Nascimento e Agostinho da Conceigo
Saraiva, para] corrergo ; Manoel Ignacio e Joo
Francisco de Salles, a requisigo do capito do
porto'.
O chete da 2* secgo,
J. G. de Mesquita.
CUBTKRIO PUBUCO, OBITUARIO DO DIA 18 DE
.NOVEMBRO DE 1865.
Francisco Jos Franco, Pernambnco, 53 anuos, viu-
vo, S. Jos ; anemia.
Jos Pereira da Cosa, Pernambnco, 25 anuos, sol-
teiro; Boa-vista.
Marcelina Mana de Paula, Pernambuco, 30 annos,
casado, Santo; phlysica.
Marcoliaa Filicia da Fonseca, Pernambuco, 35 an
nos, solteiro, Boa-vista ; phtysica pulmonar.
Apomanoo, Pernambuco, 9 mezes, Boa-vista; con-
vuisSes.
Mana, Pernambuco, 1 anno, SantoAntonio ; con-
vulsoes.
Acassio, Pernambuco, 11 mezes, Recite ; convul-
s5es.
Jos, P> rnambuco, 1 anno, S. Jos ; convulsoes.
Mara Pernambuco, 4 annos, Pogo da Panella;
bronchite.
Cassiano, Pernambuco, 8 annos, S. Jos; tubrcu-
los pulmonares.
Diogo, frica, 45 annos, solteiro, escravo, Santo
Antonio ; phtysica pulmonar.
19 -
Amelia, Pernambuco, Boa-vista ; tosse convulsa.
Luiza, frica, 85 anuos ; S. Jos.
- 20
baro do Rio-Formoso, e no mesmo relatoro Ira-1 miinir,.Sja An c. n. ..
lando o raesino Exm. Castello-Branco, sobre as au-^"DJ?5?oSr Dr- iaUo >a,t <"". M
Inririadua nnlioi-i,,.- n,i r. ,,,.,..,., ...k.. j____..:_ I ai* 0 Tllao aOlIRO. Hile 0 Cesleiro Hile fai nm i
a da Costa, Joao Capistraoo Torres I ,,!" .7. "-' ,'" n,,,T tyrmot *
loe! Soares d'Almeida.de subdele- ,, J i"V P*lo..enroe.d r*** *>""
l,2.,3-e5'suPp,emes do raes- "^!An^'^teifrjf!^".far?~J"
em ura
que o
PERNAMBUCO.
ISYISTA dm\k.
Hoje pelas dez e meia horas da manha celebra
o Exm. Sr. vigario capitular, na igreja cathedral
de Olioda, um Te-Deum solemne, com assistenca
dos respectivos capitulares, em accio de gragas ao
Altissimo pelo feliz regresso de S,"M. o Imperador
a corie.depois de haver logrado expedir do solo
patrio o estraogeiro, que com inaudita insania ba-
via-o iovadio.
Tiram ponto hoje os alumnos do Curso Com-
mercial, cujos acios devem cumegar amanha.
Para servir em commisso o posto de major
de 2o corpo de guarda njconal destinado para o
servigo da guerra, foi nomeado oSr. tenente refor-
mado Luiz Jeronymo Ignacio dos Santos.
Ha espectculo hoje n > Sania Isabel indo
scena a Filha do L'ivrador, queja conhecida do
nos -o publico om vantageo di producglo.
A Sra. D. Adelaide, que acaba de melhorar dos
incommodos que Ihe sobrevieram, e a alongaran)
da scena nestes ltimos dias, toma parte neste es-
pectculo, incumbindo-se do papel de Joanna, cujo
desempenho constilue urna de suas melhores crea-
gdes, como meihor o apreciar o publico em pre-
senga da respectiva execugo.
Do poder da escolta, que da villa do Bonito
con Hua a esta cidade, composta de 14 pragas,
evadirn) su os criminosos Joo Soares da Silva.
Luiz de Frauga e Silva, Jos Igaacio de Oliveira e
Manoel Soares, e quatro pragas qui faziam senti-
nella a ditos criminosos,
Essa fuga foi realisada no lugar Volta do Caran-
guejtf, freguezia de Santo Amaro de Jaboato, pelas
2 horas da madrugada de 21 do corrente, e sup-
pde se ter sido resultado de ajuste entre os crimi-
nosos e as pragas que se evadiram.
No sabbado 25 do corrente mez, s 7 horas
da manha, na matriz da Boa-Vista, se ha de cele-
brar urna missa pelo descango eterno do coronel
Ernesto Emiliano de Medoiros, fallecido na cidade
de Algrete, provincia do Rio Grande do Sul.
O vapor costeiro Mamanguape, da companhia
Pernambucana, conduzio homem para os porlos do
norte 148:399^810 rs. perfcmceoies a' particulares,
sendo : para a Parahyba 26:0004000, para o Na-
tal 56:0005000, para o Aracaty 19:00 '000 e para
o Ceara" 47:399**10.
A remessa de quantia to avultada por nm do<
vapores desta cidade, p5i bsm em evidencia o grao
de conflanga que merece ella, e dispensa qualquer
outra obtervago.
Hoje o agente Cordeiro Simpes effectuara' 0
leilo de movis, escravas e outros artigos de gost0
Domingos Birreiras, Portugal, 55 annos, casado,
Boa-vista anazarca.
Manoel Joaquim da Encarnagao, Pernambuco, 38
annos, casado, Aogados; constipago.
Lourengo, Pernambuco, 12 annos, Re>-ife; vanlas.
Angina Manoela dos Prazeres, Pernambuco 37 an-
nos, viuva, Santo Antonio ; tubrculos pulmona-
res.
Joanna Afra de Gusmo Reg, Pernambuco, 32 an-
nos, casada, Santo Antonio; anemia.
Mariana Venancia Mooteiro, Pernambuco, 30 an-
nos, solteira, S. Jos; tubrculos pulmonares.
Mara, frica, 70 annos, solteira, Santo Antonio ;
velhice.
Seraphim, Pernambuco, 3 annos, Boa-vista ; pneu-
mona.
Ricardo, Pernambuco, 2 mezes, Santo Antonio ;
tosse convulsa.
Manoel, Pernambuco, i dia, Santo Antonio; es-
pasmo.
Joio, Pernambuco;'20 mezes, Boa-vista;
s5es.
Mara, Pernambuco, 12 mezes, Santo Antonio
rampo.
Romo, Pernambnco, 24 horas, Boa-vista, escravo ;
espasmo
Gallindo, e Mane
gado de Grvala, _
mo, contra o primeiro rae foi dirigida urna re- P1'"**6 raelhanie crime eslava o bm Mto
preseniago pelo professor Joaquira Manoel de 5"', ?,D0 um P0^5' dunodata alfada*
Oliveira e silva; aecusaodo o, da procrastina- ^iterando contra mira como fox, e canaia -
carregasse o sen golpe, mandara me para a l!ha
de Fernando, cumprir a soa injusta stMeaga. nao
sabe o Sr. Dr. juiz de direito informar ao Ex. Sr.
presidente, que eslava processando oseo arasro J>-
se Soares de Oliveira Grande, por quena dada mm
meu orneado Flix JuMioo Cavrira de Miraala, pe-
lo crime de prevaricago praiicado quasd.) juix de
paz desta Ireguezia, e o Sr. Dr. Jolio para o prote-
ger o pronanciou e depois c aborvea, ao o 4es-
pronunciou, porque se va na dura irmiia'ida de
appeilar ex officio para a relago do distriri-i, u
egregio inbunal vera boas cosas nesie anw
so processo, mas o anno sabio bisexio ao Sr. Julio
ao sea protegido diziara que o meo eoteado nao ap-
pellava porque nao linha dioheiro para pagar as
ic\ r Rp i..i _i. :_t T cusas do processo, e com todo o sarriocio o mea
Jril P Ull0, ?a- inforraou immediatamente, enteado appellou aria' esta caj*a na ntacTi
fonTdatSLTi qaT aconselhou au Sr' An" escrivo do Sr. Julio cobro" ZT5mZmmm
reoresfniacln p naf S' P"a prmVer 22 a, de flanas como Pro' com*ama carta dod.io
darSyfrJLZZ. ,nformar> era P,reciso man- escrivo dirigida a meu enteado couia contra a H,
o!n.! l a"usados. e estes que estavam inno e e.-ie negocio de ouira vez ea o porei mais aalea-
^m^m.nii'r?^ ,peran,e 2 Sh- prf ,e ao pul,'ic'-e P*ra El'n- sr pS.m d!5I
te5 '*,fj",",leleh' pois Sr *? de d,,reito vincia ver o que se pral.ca na villa do BjoiIo pelo
nao os ouvio como Ihe ordeoou o Sr. presidente, 0 Sr. Dr. Julio, juiz de d.reio.
a^alnhahpl'Tr,!?.530, "f* urah bomens E'por cerlo doloroso vermo-oos facilmeMe de-
anaipnaoetos e matulos que de nada sabem para trahtdoa neranie n -.m
Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZ1GMEJ7S_S6MJN0 INGEST_TIME 2013-08-27T21:35:16Z PACKAGE AA00011611_10826
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES