Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10824


This item is only available as the following downloads:


Full Text


4M0 XU AMERO 267
Por qnarte pago dentro de 10 das do 1, mei ,.t t ,
Mem depois dos 1.* 10 das do comecoe dentro do quartel. .
Parte ao carreio por tres nezes ...',,...... 1
5J000
61000
750
TEBCA FEIRA 21 DE NOVEMBRO DE 1865.
Por anno pago dentro deludas do 1. mez
Porte ao correio por un anno.......

19J00I
S|00
BNCARREGADOS DA SUBSCRIPgAO DO NORTE
Parahyba. o Sr. Antonio Alax?odnno de Lima;
fetal, o Sr. Antonio Marques da Silva ; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira-, Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Har, os Srs. Gemido Antonio Alves <&
Eilhos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPgAO DO SL.
Alagoas, o Sr. Claodino Falciio Das; Bahia, o
Sr. Jos Martina Alves; Rio de Janeiro, a Sr. Jos
Riheiro Gaspariobo.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacos da via frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as sopandas e sextas feiras.
Santo Antiio, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaru,
Altinho, Garanhans, Buique, S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tergas
feiras.
Pod'Alho, Nazareth. Limoeiro, Brejo, Pesqneira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio eEx, as quarlas
feiras.
Serinhem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agna Preta Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TBIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
itelago: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos : tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: turcas sextas ao meio
da.
Segunda vara do civel: (luanas e sabbades a 1
hora da tarde.
EPHEMEUIDES DO M
3 La cheia as "> h., 43 r
10 Quarto ming. a 3 h., 2i
18 La nova as 8 h., 40 m
26 Quarto cresc. aos 38 m e 22 s. da m.
IZ DE NOVEMBRO.
i. e 28 s. da m
m. e 52 s. da m.
e 22 s. da m.
DAS DA SEMANA.
20. Segunda. S. Flix de Vallois fund. dos trinos.
Si. Terga. S. Celso m.; S. Honorio m.
22. Quarta. S. Cecilia v. m.; S. Filemon m.
23. Quinta. S. Clemente p. m.; S. Cezino.
2i. Sexta. S. Chrysogno ni.; S. Firmina v. m.
25. Sabbado. S. Catharina v. m.; S. Jucunda v.
26. DomiDgo. Ss. Belino e Filas bb. mm.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 6 horas e 54 m. da manhaa.
Segunda as" horas e 18 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTE1ROS.
Para o ni at Alasroas a 14 e 30; para o *
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Feman-
do uos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, raalo,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
noBecife, na livraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel F'igueiroa de
Faria & Filho.
n .___, ,iia /ii'nn'n mo ministro de uhristo, qumio se trata do bem dos
- Os Srs. asignante* desle Diai o, que e ^ d^s ^^
se acham em d'ibito (Jas respecmas assig- Dito ao vigario da Misericordia.-Com dala de
naturas queiram manjar realisar O paga- 20 de setembro reeebi a eslatistica dessa freguezia,
monto dellas- e quelles que moram lora bem como urna planta da mesma, tragada com in-
dS ci!S 'tSnam a bondade de tlar avi- J-" i** -nhecmento das diversas .o-
so de quaes sejatn aqu os seus correspon-i A^radecendo pois o exacto cumprimento dacir-
denles,' afimde ser solicitado e.-se pagamen- eolar de 22 de abril do correte anno, nao pono
to dos mesmos, a quem darito ordem para
jeto, visto como
dessa ordem.
alguns pretextan! a falta
PAUTE 0FFIGIAL
MINISTERIO lsO IMPKRIO.
5." secgflo.Rio de Jamuro. Ministerio dos
negocios do Imperio, em 3 de novembro de
Foi ouvida a secco dos negocios do Imperio do do ultimo coocurso; porm deve ser esse mais um
con
a il
deixar de iouvar o zelo e cuidado com que V.
Revma, satisfazendo o meu pedido, foi altn do
que eu txigi.
14
Offlcio ao coadjutor pro parocho de AgoaPreta.
A oracao impressa <|ue acompanhou o ten offl-
cio de 6 do correte das que eu mandei declarar
apocriphas na minha circular de 19 do prximo
pascado, por tauto multo bem obrou V. Revma
em aprehender e quelmar quantas encontrou.escla-
receudo os seus Darochunos sobre esse ponto. Sin-
to profundamente que os emissarios do erro te-
nham ja percorrido essa freguezia no lempo em
que V. Revma. se achava na capital, por occasio
Um aoonymo.
500
83*000
COMANDO DAS ARMAS.
Qnarlel general do eliminando das armas de Per-
nambuco ni cidade do liecife, 20 de novembro
de 1865.
Ordem do da n. 136.
Tendo a presidencia por portara de 18 do cor-
rente dispensado do servigo de guerra, para qoe
foram designados, os Srs.: lente do batalho n.
14 de Goianna, Manoel Rodrigues Ventura e alfe-
res Peregrino de *ouza Magainaes e Manoel Anto-
nio, aquelle do n. 2" de Caruar, e este do de n.
43 de Birreros, ao rimeiro por se achar visivel-
mente impossibilitado do servigo por soffrer de ca
O governo de Jurez lipha apresenlado no mer-
cado de Nova York um ernprestimo de 30 milhSes
de dollars. Havta procur|a
prestimo, que, segundo o
sido recebldo com a maior
Constava que Jurez se
no da 26 de setembro, o
do imperador que declarar
a causa republicana e sah
dos ttulos desse em-
New York Cerald, tinha
sympathia.
chava alada em El Paro
pie refuta a proclamaco
i ter aquelle. abandonado
do do Mxico.
PERNARIRUCQ.
POI OUVIua a SeCCaO uos negocios uu nuireiw uu ...... ^uv.o, K-.. _.__-. _------------_-_
nselho de eslado sobre as segulotes duvidas, que | incentivo para que V. Revma. trabalhe com mor
l.rectona do Monte-Po dos servidores do estado assiduidade e mais vigor, continuando a arrancar
submetteu adeciso do governo imperial em offlcio
de 17 de jonho do corrente anno.
I. S; as tl'.has e filhos menores doscontribuinies
fallecidos teem tambein direito a reversio dos dons
tercos das penses percebidas pelas viuvas dos
mesmos contribuidles, quaudo ellas forem suas
madrastas e nao mes;
2J Se no caso de casar segunda vez a vi uva de
das tn3os dos incautos essas Biblias falsificadas e
esses livriohos perniciosos. Eu ludo espero do ze-
lo e dedicagao de V. Revma. para neutralizar o
mal e converle-lo em outros lanos frucls de ben-
Cao pelas constantes exhorlagoes e pela pregago
assidua que agora principalmente se torna necessa-
ria no meio desses liis. Espero que se apressara
era participarme se vai desvanecendo-se a m-
um contribuiule e fallecer deixando filhos do se-: pressao ma que causou apassgem desses^homeos,
gunlo matrimonio, tero esses fllhos direitos a
revr-rso da pensio que percebia su mai;
E Sua Mageslade o Imperador, conforinando-se,
por sua imraediata resolugao de 2 do mez pausado,
com o parecer da mesma secgiio, surada em
consulta de 2 de agosto ultimo, Iwuve por bem
mandar declarar:
Quanto a l duvidaque a filhas e filhos meno-
res dos contribuintes fallecidos teem direito a re-
e se o povo cora docilidade abraga a saa doulrina,
e enlrega os maos livros que comprou na sua sim-
plicidade e boa f.
Dito ao vigario aa Palmeira dos Indios.Com
data de 7 de agosto recehi a pouco a estatistica
dessa freguezia, na confecgo da qual V. Revma.
se houve com esmero e acurado trabalho.
Aproveito a occasio para Iouvar o zelo com que
V. Revma. erigiu a capella de que falla na mesma
R8YIST*
Por ordem do minis'erio da
enviada para esta provit
for organisando as do
ta7atas"'eordos^^ a c'ir,e na Primeira gj
nados de sade e julgados incapazes, o marechal \ opportunidade.
de campo commaudante das armas assim o faz pu- j ||on(em jS g hora:
buco para conhecimento da guarnigo e devido ef-. presidenta da provincia
fe'10- .. .. _____ aos 3., 5." e 6. corpos d
O mesmo marechal de campo, faz igualmente | da naciona| no camp0 &
publico que approvou o engaiamento que a 16 do -jqq pracas.
da manhaa S- Exc. o Sr.
passoo revista de mostra
voluntarios e 2." da guar-
s Princezas, com cerca de
versaodos dous tergos daspeosoes percibidas pelas estatistica, situada no' centro do quadro onde se
viuvas dos mesmos coniribuiotes, anda quando sepultaran! os cadveres dos deis, jhe morreram
elUs forem suas madrastas e nao maes; as duas nvazoes do cholera. De bom grado con-
Quanto a 21que os filhos e ulnas da.-v viuvas cedo a aulorisago que pede para nessa capella
dos contribiiintes, mas nodesies, nao tem direito collocar a imauem do Senhor Bom Jess da Boa
.alum a reverso dos dous tergos das pensoes que tforie, e proceder bengo e inauguragao desse
iuas miies percebiara. novo templo.
O que communico a Vrac. para conhecimento da I 15
-directora. i Offlcio ao t)r. delegado de polica da cidade do
Deus guarde a Vmc-Mrquez de Olinda.-Sr. Recife.Attendendo ao offlcio que V. S. me diri-
secretario da direcloria do Monte-Po dos servido- KM1 ein data de 13 0 correte, concedo permissSo
res <* eslado. ao Revd. vigario de Santo Amaro de Jaboatao, Ma-
" *- 3 ino*' Espiridiao Muniz, para depr no processo
!?IIVISTERIO VA JUSTINA crime que se instaura centra F..., para o que sir-
Mioisterio dos negocios da JusligaRio de Janeiro, vase V. S. de mandar apresentar este offlcio ao
m 7 de novembro de 1863. > mesmo Revd. vigark, afim de ficar elle sciente da
Illm.eEim.Sr.-Soa Magestade o Imperador permisso que Ihe concedo,
ha por bem que a secge de justigado conselho de Dito ao vigario de Iguarass.-Pode V Revma.
eslado, sendo V. Exc. relator, consulte sobre o in langar no livro competente os assentos de iiptisa-
cluso projecio, relativo ao juizo arbitral e fundado dos e casamentes que Ihe tem chegado a> maos,
oas seguales coostderagoes, sobre as quaes o mesmo: Jeitos no lempo em que era vigario dessa fregu-
augusto senhor chama atlengo da secgo : 1 zia o Revd. Jenuino Gomes Perelra, e dos quaes
I." Que o juizo arbitral necessano, instituido pelo trata V. Revma. no seu offlcio de 4 do corrente,
art. 20 do titulo nico do cdigo do commercio, oo' qoe Oca assim respondido.
me a consltuigao do Imperio, a qual Dilo ao vigario de S. Jos de P
parece conforme
partes esla jurisdiego
a eslabelece como urna
'iranhas.Atten-
dendo ao estado enfermo em que V. Revma. diz
I achar-se, s reiteradas sollcitagor-s que me tem di-
rigido, e ltimamente a exposigao que me faz em
data de 18 do prximo passado, concedo-lhe a exo-
neragao que pede de vigario eucoinmendado da
freguezia de S. Jos dePiranhas, e nomeio para
exercer esse lugar o Revd. Juvencio Ignacio Car-
dozo a quera j provisionei no referido lugar.
Aproveito a occasio para agradecer a V.
Revma. o zelo com que desempenhou as funegoes
parochiaes durante o lempo em que regeu essa
freguezia.
- 16-
Offlco ao vigario da Luz.-Rcolvendo os tres
quesitos que V. Revma. me prepo no seu offlcio
de 13 de setembro, a que respondo, direi quanto
ao primniro, que, se o malerial reunido para a
0/ Que o juizo arbitral nao p.le convr senao tonfecgo do cemiterio se extrava, d logo princi
instituido pela vonlade das partes, e sendo urna i p0 a obra; ou nao podendo comega-la j, mande
jursdi'-go de equdade, um meio de conciliagio guardar o material, nao devendo por hora dar Ihe
ou traosaegao. ] deslino differeule d'aquelle que tiveram em vista
6.' Que como meio de administragao da jusliga, os fiis quando o conduzram.
Quanto ao segundo quesilo, nao permiltido
no art. 160 nao impe as
excepcional, mas smenle
faculdade.
Palavras:
tPoderSo as partes namear juizes arbitros.*
2.a Que o juizo arbitral -necessariorecente-se
entre us, como notorio, dos mesmos defeitos, de
que elle aecusado nos outros paizes, que anda o
tem, isto os proeessos se eternisam pelas esqui-
vaogas ou impedimentos dos arbitros que aceitara
este encargo oaoso juizes senao procuradores das
partes que as nomeam.
3." Que assim os cdigos modernos teem pros-
cripto este modo vicioso de julgamento.
4.* Que a Franga de onle traduzimos esta insli-
tuigao, j a derogou pela le de 17 de julho de
1836.
e adstriclos os arbitros, como quer o art. 21, titulo
nico do cdigo do commercio, as regras e formas
do direiio, o juizo arbitral lica degenerado, e nao
pode preencher o lim da sua instituigao, sendo que
falta aos arbitros a prolisso que necessaria para
applicacao das leis.
O prjecto no admilte juizo arbitral senao pela
vonlade das paites, eda-lhes loda a liberdade quan-
to aos poderes dos seus arbitros, podendo ellas all-
ozar da luz de gaz para alumiar o Santissimo Sa
cramenlo, embra esta luz seja mais clara e mais
segura romo V. Revma. diz. O Santissimo Sacra
ment deve ser constantemenle tllumiado com
aceite de oliveira : assim o determinam muitas de
cizoes da sagrada congregagao dos ritos, e com el-
las deve conformar-se.
Ao terceiro quesilo respondo, que creio que V.
tnsalos para julgarem independenlemente das Revma. se engaa quando diz que o Exm. prelado
crreme contralou para servir por mais seis anuos
nos termos da le o. f220, de 20 de julho do anno
prximo passado, o segundo sargento da compa-
nhia de avallara d'esia provincia, Joo Antonio
Muoieiro, conforme participou o respectivo Sr. l-
enle commandante interino em offlcio 11. 94.
Assignado.) Francisco Sergio d'OUueira. '
!si conforme.Antonio Francisco Duarte, 2."
lente-ajudanle de ordens interino encarregado
do letalhe.
DIARIO DE PERNAMBUGO.
Dos jornaes que recebemos ante-hontem dos Es-
tados-Unidos pelo vapor Borth America colhemos
mais as seguintes noticias.
Em addicionaTienlo ao que hontem dissemes a
respeito do julgamento do ex-presidente dos Esta-
dos Confederados traduzimos o seguinte artigo do
Nevo York Herald de 27 de ootubro, sobre esse
assumpto :
< Um dos nossos correspondentes d Washington
1 nos communica que as autoridades teem feilo as
c disposigoes necessarias para o julgamento de
c Jelterson Davis peranie o tribunal supremo.
c Est uomeado o advogado para a aecusacao, e
< ludo esl dsposto para que a julgamento toha
lugar logo depois do processo de Wiriz.
E' obvio que o presidente, com aquella firme-
t za que seopre o-caraclensou, ao mesmo lempo
c que trata benignamente as massas de rebeldes,
esl resplvido a fazer exteutar a le contra os
1 chefes da revolta, e assim cumpre a sua pro-
messa, de tornar a tracao odiosa.
< Em quanto elle perdoa diariamente a essas
< multldoes perdidas e levadas ao bysmo, escolhe
< d'entre > s chefes aquelles que representara as
phases mais curainosas da reolla, e, fazendo
c depeuder as suas vidas do resultado de ura pro
1 cesso, aproveito a opportunidade para ex por a
Apenas a forca formot
palacio da presidencia, o
liz volta de S. M. o Impe
forgas paraguayas no ter
partida para o theatro d;
que o ouvia, concluindo
rador, a coostiiuigo de
exercito adiado e a provi
das estas saudagoes pan
carnete correspondidas
marechal commandante
ao Exm. Sr. presidente
tambem correspondido c
O vapor Paran si
sul do Imperio, levando
po de meu commaudo, destacado para a guerra ; e
a raterpellagoGjUe rae dirige o segundo correspon-
dente exigindo a iodicagao dos nomes dos que rae
auxiliaran) na leva de voluntarios com aquelle des-
tino, me forgam a romper o sil-ncio que desejava
guardar.
t Entre os nomes dos que me coadjuvaram 00
erapeoho que tomei mira, e que acredito ser de
todo o brasileiro amanle de seu paz, senil nao ver
contemplados pelo primeiro correspondente os no-
mes dos Srs. lenle Joo Baptista Accioli Lins e
Henrique Luiz de Barros Vvanderley, que com mui-
lo nobre devogo expozarara a mesma causa que
segu, tendo o primeiro sidocompauheiro meu des-
de o da de minha apresentago.
Nao posso nem devo entrar em mais larga in-
dividuago.
1 toda a tropa que se Outros muilos me auxilaram.e pode felizmen-
0 Grande do Nortee Pa- te este concurso fazer diverso, etrazer compensa-
gao aos dissabores creados por alguns que suppu-
m, que a triste conjunctura porque alravessa-
mos era occasio azada para alferir iiuestoes de
amor proprio, medindo a altura d'esle pela das im-
raunidades aos seus moradores e apaniguados.
Lameotei ento, e anda contino a deplorar hoje,
lo fatal tendencia.
Quanto a suoscrlpcao para a bandeira do ba-
em quadrado era tu te to|h|^ uo fu a(jen|e JgJ^ fei que se col|ocou a
frente da mesma o Sr. Dr. Gaspar de Menezes Vas-
concellos de Drummond, do qual poderam ser ob-
lidos os esclarecimenlos que solliciia o segundo
correspoodeote.
Em semelhante -ubscnpg) o nico peccado
que commelti, foi ter adherido a opioio dos que
BlABI.
guerra deve ser
Exm. Sr. conselheiro Pa-
ranagu fez-I he urna all tengo annunciaudo a fe-
ador a coocentrago das
itorio dessa repblica e a
guerra de parle da tropa
fcom vivas a S. M o Impe-
i: n pe rio, a arcada e ao
llcia de Pernambuco. To-
ioticas foram enthusasi-
e em seguida o Exm. Sr.
lias armas entoou um viva
da provincia, o qual foi
m enthusiasmo.
Passageiros do vapor brasileiro Oyapock, vio-
do do sul :
Dr. Cyprano Fenehn Guedes Alcoforado, rapl-
lio Antonio V. de Mello, Dr. Symphronio >ar
Coutinho, Joao Iidoro Inojosa Varej.io, Vicente A.
do .Nascimenlo Fetosa, Jeronymo Cesar de Vas-
concellos, Estevo Jos* Ferraz, Joo Alves da Ca-
nha, Jos G. de Pmho, Jos P. de Freilas Jnior,
Benjamn Aristides F. Bandeira, Dornio?os Alves
de Cerqueira Lima, Anisio de Torres Bandeira,
Albert Vctor Granfeld, A. W. Remalh e soa se-
nhora, Manoel do Cal, Ludovico C. de Oliveira, Dr.
Francisco Manoel Raposo de Almeida, Herrulano
G. de Souza Magalhes, M. L. Rodrifties esoa fa-
milia, Thomaz de Aquino Oliveira, Jos Calazancio
de Souza e sua familia, Jos Barroso de Araojo,
Eugenio Jos Noves de Andrade, capito Fraacisco
A. de Sa Padilha, Feliciano Primo Marques, Joa-
quim de Souza Pereira, Joo ll de. Carvalho, Cu-
perlino G. Bastos, Joseph Klein, Jacob Solio, Jacob
Sillusburg, Manoel, Laurio Domniqu; e 1 escravo
a entregar.
Seguem para o norte :
Conselheiro Tiburcio Valeriano da Silva Tavares
e sua familia, marechal de campo l.opo de Almeida
Henrique Botelho e Mello, 18 offlciaes dispensados
do exercito, 04 ex-pragas, 16 escravos que acim-
panham seus senhores.
RKIVUtTig.VJ da polica.
Extracto das partes dos dias 19 e 20 de n >verobro
de 1865.
F ram recolhidos a' casa de delem. Jo no da 18
do correle:
A' ordem do subdelegado do Recife, l- nif n-i
queriara fosse a bandeiraollera tanto da pesada Jos Gomes, por ferimeotos.
bolga dos ricos, como do leve obulo dos pobres. A'ordem do de Santo Aotonio. Elias, escravo de
Cheguei a acreditar, como anda hoje acredito, que Joaquim Ferreira dos Sanios Coimbra Gomes, par
uos e outros podiam ter corago, e sentir se inspi- correego.
rados dos mesmos sentiraentos de patriotismo, ape- a' ordera do de S. Jos, Aolooio, es.ravo de Jo-
zar da desgualdade du fortunas. s Antonio Gingalves, a requenmen o de-t-*.
Presumo nao ter errado. A offerla feila em \' ordem do da Boa-Vista, Anlomo, CMIM k
eue hoie para os portos do nome^e l0l,0S em Hma causa que era de todos, pare- Jo Marques Vianna. por fgido.
a seu bordo o 8 corpo de ceu me ma's e"a e acceilavel que o dora solitario a' ordem do da Capunga, ISozendo Rodrigues da
voluntarios da patria, do eommando do lente co- de um Individuo.
ronel Joao Paulo FerreirJ, e o corpo de polica sob laes expl.cagoes, porque nao stoloem
o eommando do Sr. tenedle coronel Alexandre de. ntraha consciencia motivo algum para fazer mysu-
Barros Albuquerqoe, o p meiro cora cerca de 360 goes, nem do meu peosamento, nem dos rae.os
pragas e o segundo com 234.
Por falta de capacidad
tir igualmente o 3.* corp
tem de seguir impreieriv
portunidade.
Os djus corpos supra
do vapor, deixa de par-
b de voluntarios; o qual
Imenle na primeira op-t
referidos devem as duas
mostrar de
quem a patria n.io um n une yao,
Hoje o espectculo
(icio do autor Santa Rosa
volenca do uosso publico,
o acolho qoe sempre Ihe lu mererido.
O espectculo pela escolha do drama e
riedade das pegas que o c<
correncia dos nossos amao
* execragao da humanidade as horrlvei* atrocida-' dores do sempre applaudid
uosso dislinclo poeta e rom meista Dr. Joaquim Ma-
noel de Macedo.
Segu hoie para o Rk
tilo de engenhero, Dr. D01
que all val eslar per pouco
Apreciador de suas
Veio do norte em seu;
tincta actriz portugueza D.
regras e formas do direito, como os amigaveis
compositores na Franga, laglaterra, Hespanha e
outros paizes.
Deus guarde a V. ExcJos Thomaz Xabuco ;
de Araujo.Sr. conselheiro Jos Aotonio Pimenla
Bueuo.
Projecto de lei
Art. l. Fica derogado o juizo arbitral ne-
cessano.
l. O juzd arbitral ser sempre voluntario
mediante o compromisso das partes.
2. Podem as partes autorisar os seus arbitros
para julnarerr, por equdade, independenlemente
das regras e formas de direito.
Art. 2." Ogovernodaroregulamento necessario
para a execugao desta lei.Jos Thomaz Nibuco
de Araojo.
------ w.......
fallecido periiltia a alguns parochos levar pela
adminisiracao do baptsmo mais do que manda a
tabella que rege os direitos parochiaes neste blspa-
do. A especie de que V. Revma. falla se acha es-
clarecida na mesma tabella, quando diz que os pa-
rochos continuarlo a perceber a cera que antes re-
cehiam-por cada baptizado.
E' isto o que a tabella dispoe, eu nao posso alte-
ra-la, e espero do seu zelo e abnegago evanglica
que contine a observa-la a bem dos povos.
17 -
fMXISTERIO DA FAZKXIDA
EXPEDIENTE UO DU 30 DE OOTOMtO DE 183.
Offlcio ao padre Jos Thomaz de Albuquerrjue.
Agradego a V. Rvma. a carta topographica das fre-
gnezias de Cajazeiras, S. Joo e S. Jos de Pra-
nhas, que V. Rvma. em dala de 19 do prximo
passado me cffereceu para servir de esclarec men-
t estatistica dessas freguezias. E tanto mais
aprecio esse trabalho, quanto nao occorria a V.
Rvma. obrigagao alguma de se entregar a elle, vls-
Ministeriodcsnegocios da fazendaRiodeJaneiro, to nao estar a seu cargo parochia alguma. Se to-
em 30 de oulubro de 1865. dos os sacerdotes assim cooperassem para o tra-
Jos Pedro Das de Carvalho, presidente do tribu- balho que tenho em vistas, por certo que teriamos
nal do ihesouro nacional, lomando em consideragao com facilidade urna estatistica circumstanciada e
o que Ihe represenlou Jos Ribero Gasparinho, exacta de todo o bispado.
consignatario da barca portugueza Corsa, e alten- Aproveito a occasio para significar a eslima e .marjnha federal e lende tomado urna parle impor
dendo a necessidade de promover a exportagao de con-iderago que consagro V. Rvma,a quem Deus
productos nacionaes, a qual se elleclua em algu guarde.
mas proviucias do Imperio nos envoltorios de mer- Dito ao vigario de Caraubas.Com o seu ofnelo
cadorias esirangei-as despachadas para consumo, de 10 do prxima passado reeebi a quantla de
declara aos senhores inspectores das ihesourarias 835000 com que o* seus parochianos concorreram
de fazenda, para que o faga ni constar aos das alfan- para o collegio de raissionarios calholicos e estabe-
degas, que devem considerar comprehenddas na ido em Londres,
tabella n. 11 a regulamiolo de 19 de setembro de 1860. para os
fins convenientes, as pipas vizias destinadas ao
acondicionamento de aguardeule de uns para
outros portos do Imperio.Jos Pedro Uia* de
Carvalho.Communicou.se a alfandega da corte.
DE
Lista das pessoas que na freguezia de Caraubas
concorreram para o collegio do Sagrado Coracao
de Jess, estabelecido em landres, qual se refe-
re o o/ficio cima.
Vigario l'edro Soares de Freitas...... 205000
i Dr Amonio Manoel de Oliveira...... 205000
Tenente-coronel Antonio Francisco de
Oliveira.........................
i Candido Gorgel do A mar I..........
1 Commandante superior Luiz Manoel
Fernandes ......................
Joaquim Fernandes Alegre
105000
55000
OVEREO DO DISIPADO
i;r\ AMDUCO
SEDE VACANTE.
Expediente du da 13 de asreabro de 1865.
Offlcio ao vigario de Agoas-Bellas.-tm resposta Francisca Alejandrina Larn
ao seu offlcio de 2 do corrente coocedo que V.,Carlos da .mIva Pereira....
Revma. possa sabir do bispado, seguir o sea desll-: Jos Patricio _I)uarle.......
00 e exercer as suas ordens as provioeias do : Aderaldo Jos de Mojra....
su ou lora do imperio, gozando de todas as facul-, Crescendo liezerra Mago ..
dades concedidas oesta diocese aos confessores ap- Manoel Ant ni o Bezerra....
orovados Joaqairn Gurgel de Oliveira
Oito a padre Juvenclo Ignacio Cardozo.-Todo' Tenente-coronel Benvenuto Prxedes
o Revd. Manoel Lios de Albuquerque me pedido do Oliveira........... }*<
demissao de vigario eocommendado da reguezia Cap.tao Benlo Antonio de Oliveira....
de S. Jos de Piranhas, nesta data mando passar Tenente Manoel Lucio Fernandes.....
provisao de vigario da mesma freguezia a favor de Marcos Rosendo de Anaraae.........
V. Revma., o qual emprego espero qae doserape-1 Um devoto.........^.....tt........
nhar coni o zelo e dedicaco que deve ter todo o I Mauricio Fernandes Piraenia.........
55000
55000
55000
55000
251KX)
15000
15000
15000
15000
15"00
15000
15OOO
15000
600
des que seus criraes produziram.
Ojulgameulo dos que coospiraram raostrou a
natureza vingativa dos traidores.
No processo de Wirtz foram expostas as airo-
t cidades de que eram capases esses chefes dos
t quaes Wirtz era um instrumento, e representan-
t le, e o governo, condemnando Wirtz, teve menos
em vista punir o criminoso de que provar que o prospera viagem e prximo
f governo rebelde era capaz de commetter cruel-' f
dades mais horriveis do que as do Antro negro
1 de Calcutta.
t Juigando Jefferson Davis pelo crime de trai-
gao, o goveruo lera por lim, nao tanto condem-
t nar e enforcar o traidor, como delioir a natureza
do crime, lixar a sua punigao e revelar Ojaaotts
atrocidades esse crime protegeu e produzto.
< Em um ul processo, perante o mais alto
tribunal do paiz, serio sujeilas a um arbitramen-
t lo legal as vossas questes, que, durante quaren-
t ta annos tem agitado as salas de congresso e
ensanguentado os eampos de batalha dos Estados
f Unidos. >
processo a que allude o artigo que cima tra-
duzimos o do capito Wirtz, do exercito do sul,
o qual foi aecusado de ler commettido crueldades
para com os prisioneiros federaes, confiados a sua
guarda.
Embora ainda nao tivesse sido promulgad-i a
senteoga havia razo para crer que Wirtz seria
condemnado a morte, e o seu advogado tinha ja
antecipadamente impetrado a clemencia do presi-
dente Johnson. I Tenente Jos Bonifacio do
Corra em Washington qoe o secretario da ma- 7 comr
rinna tinha dado ordem para serein postos em esta-' Qapitao o lente Caetano
do de navegar lodos os vapores de guerra dispo-
niveis. Nao era sabido o motivo dessa ordem,
sobre a qual se faziam diversas conjecturas.
As convengoes da Carolina do Sul, Florida e
Georgia abnrara as suas sessoes no dia 25 de
outubro.
Texas era o nico dos estados do sul que anda
nao tinha eleilo os membros da sua convenego.
O general Beuuelt que comraanda o districto
de Charestowu revogou a ordem que aulorisava
a organisago de urna milicia composta de negros.
Rocha, para correco.
- 19 -
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe di polica. Clan-
dioo Jos Footes, para recruia.
que empreguei para realisa-lo. A' ordem do Dr. delegado di capital, Mara, es-
< Devo muiio aos meus amigos n'este empenho; crava de Francisco de Mello, por fgida,
mas se esta divida sagrada para o meu cora-, A' ordem do subdelegado do Kecife, Vieeot,\ es-
go ; se ella ennobrece o credor, tambem nao hu- j cravo de Francisco Jos de CssapM Pamplona, por
railha o devedor; e uns e outros lemos um credor I fgido.
superior o nosso patz, que tem d.reito a todas as 1 a" ordem do de Santo Antonio, Beroardiao Jos
nossas devogoes. de Sant'Anna, por oengas physicas-, BtMlj
horas eslar ambos no Cathpo das Princezas, e as 1 Quartel da Soledade, 18 de novembro de 1865. Africano iivre, para corret-gao.
tres marcharo d'ahi pan o arsenal demarraba, Mariano Xavier Carneiro da Cunha. A'ordera do da B >a Vista, Viceale Alves Ferrei-
onde tem de embarcar. 1 ra e Joo dos Res Gomes, por distorbios.
E' mais urna leglSt de | bravos pernambucanos, i Hoje se exlrahira a 6' parle da lotera (Jyj, a A- 0Taem j0 0 Capunga, Emilii Jos Pires de
que marcha para o barato da gloria afim d'ahi beneficio das familias dos voluntarios da patria, Souza para correceo
quanto cap um povo livre, para sendo o maior premio 6:0005000. tf ^ do Jo ^ i-- Marja fc i-(g^
Srs. redactores da Revista Diaria.-Nao tendo para correego.
1 sido Vs. Ss. convenientemente esclarecidos em re- i +------ji^--------
lagao ao fado occorndo em o dia 18 do corrente no
Forte do Matto, de que foi victima meu mano An-
t>>uio Mart;*s do Rio, contra cuja existencia tentou
Ruloo Jos Gomes, dando-lhe urna purihalada so :
bre a columna vertebral em sua uoiao com o sacro, j
es da scena e aprecia-! parece-me acertado rectificar a noticia que deram
Pkantnsma Branco.do Vv. Ss. na Revista Diaria de hoje.
Posso assegurar que nao c exacto haver meu dito I
mano maltratado com palavras e dirigido ameagas
a Rufino Jos Gomes. O contrario disso aconteceu, j
pois que chegando Rufino a' porta da prensa per
tencente a' sociedade sob a firma MarliosiSi Irmo,
firma de que fago parte, e achando meu sobredito
irinao assentado, a elle se dirigi usando de pala-
vras provocadoras, e logo puchando de um puohal
' atirou-se a elle e o teria assassinado, se era lempo
d- nao houvesse meu irmao procurado evitar o golpe
segurando em Rufino, que, todava pode dar-lhe
urna so punhalada, deixando Je proseguir era seu
em Santa Isabel a bene
o qual recorre a bene.
esperando d'elle receber'
ClllillMLi JUMClAKh
pela va-
nstituem convida a con-
o Sr. capi '
Rodrigues'
de Janeiro
ningos Jos
len.po.
quididades, desejamos-lhe
regresso ao seio ue sua
amigos.
uimento ao
femilia das Neves.
datadas de hontem o-
po de guarnigo desta
da cosa Lene, para
lo de capito fiscal do
batria, em organisago
s do Quintal.
Foram por portaran
meados o Sr. alferes do cor
provincia, Jos Longuinhc
servir em commsso o po
3" corpo de voluntarios da
nesta capital.
Para o 5o corpo foraiji nomeados os seguin
tes senhores :
2* eomp;
Capito o lente Vicente d
Alferes Jos Pedro Celestioi
Dito Francisco Xavier Alv :
4* compjinhia.
Tenente o alferes Izidoro Theodulo de Mattos Fer-
reira.
5* companhia.
Tenente o alferes da guar a nacional Arcellno Jos
de Almeida Peroambuc >.
6" comjanhia.
Santos Mergulhao.
anhia.
Finio de Veras.
Tenente Carlos Augusto di Barro; Lima.
8J com.
Capitn o tenente Custodia
TillItlVAL DA RELAClO.
SESSAO DE 18 DE NOVEMBRO DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. ;o>rEI.HEIRO
SOCZA.
As 10 horas da manhaa, presentes os senhores
desembargadores Santiago, Guiraoa, Loorengo San-
tiago, Almeida Albuquerque, Molla, Assis, Doria,
Ucna Cavalcauti. Dooiingues da Silva e Barros
Vascoucellos. faltando o Sr. deseinbargador Goer-
ra procurador da corea, abrio-se a sesso.
Passados os feitos, deram-se os seguioles
Jl'LG AMENTOS.
Recursos ritmes.
Recorreute, o juizo ; recurrido, Augosio Joa-
quim de Carvalho., Relator o Sr. desernbargaor
j Santiago. Sorteados os Srs. de?emlMtpBSM Bar-
damnado intento por ler chegado nessa occasio f()S Vasconcellos, Assis e Almeida Albuquerque.
o Sr. Manoel Caetano de Mello, com quem anda |mproce(jeuit.
por algum lempo luto Rufino, que aiaal retirou- \ neeorrtiJle, o juizo ; recorrJo, Salvador Heo-
se perseguido pelo clamor publico. ri,,ue de Albuquerque. Relator Sr. desenAar-
Para que bem se ajuizo do intento de Runno, ga(,or Vasconcellos Sorteados o ir*, desembar-
gadores Motia, Assis e Lourengo Sa itiago.
cedente.
Aggravo de petiaio.
de Itulino, a,jr Vasconcellos Sorteados o irs. deei
convm notar que este, Ta tres mezes, tinha sido | Badores MotUt Assjs e Lourengo Sa iilago.Impro-
despedido por meu mano da referida prensa, onde
trabalhava ; que algum lempo depois de despedido
nhia. foi Itullno a essa prensa procurando Iravar de ra-
Silva. zoes com elle por causa dessa despedida, o que
de Mendnnga Jnior. | evitei fazendo que o mesrao Rufino se retirasse in
Aggravaote, Basilio Alvares de Miranda Vare-
jao ; aKgravalo, o Juizo.-Relator Sr. deseinbar-
i gador Domiogues da Silva.
conlinenti ; que a ludo isso accresce haver quem | mbargadores Doria e Almeida
tenha ouvido a Rufinu dizer, na vespera do da em | $M se (om(JU COnhecimeoio.
que praticou o faci criminoso de que me oceupo, Hecisla cuel.
Sorteados os Sr-. des-
\IOuquer-|Ue.
que acabara com a existencia de meu irmo, por
t-lo despedido em virtude de fallas por elle pra-
licadas.
Esla a verdade dos fados que desejo ver res-
tabelecida, estando, como estou, cerio de que Vv.
Ss. nao se furia rao a isso.
Recife, 20 de novembro de 1865.
Martins & Irmao.____
o "
anhia.
Floro da Silva Fragoso.
Para o 6o corpo foram nomeados :
Capito o Sr. capilo reformado do exercito Joao
Marinho Paes Brrelo.
Tenentes us Srs. : Jos Libanio Ribero, Naval da
Silva Pereira Lucena e (guaci de Albuquerque
Maranho Cavalcanti.
Alferes os Sis. : Francisco'vu Pereira de Lucena
rr g en u &
x 0
/-' "1 -1
B s
B 3
3
:
I
-
o
3*
I

>
O
o
A varios habilanles dessa cidade tinham sido res-
tituidos Imprtanles bens, confiscados pelo governo
quando tomou posse da Caroliua do Sul.
O ministerio da guerra liona promulgado o
perdo de todos os que, tendo sido designados pela
concripgo nao se apresenlaram ao servigo, e por
essA motivo eram considerados desertores. Espera-
se que este acto de geoerosidade da parle do gover-
no acabe cora o exilio voluntario de mullos jovens
que, fugindo ao recrutameoto, se tinham retirado
ao (.ana la' e outros paizes.
Noarseoal de Nova York tioham sido vendi-
dos em hasta publica 27 navios que pertenciam a
tante na ultima guerra. Desses navios, 24 erara va-
pores de dilfereutes classes. A quautia realisada
subi a mais de meio miluo de pesos.
e Joo Joaquim da Cunhli Rabello
Por portara de hontilm conceden o Exm. Sr.
conselheiro presidente da provincia a demsse que
pedlram Simplicio Lins do! Souza Fontes e Manoel
do Nascimento Pontes Jnior, aquelle do posto de
tenente, e este do de alferes, que servam em com-1
missao no 5o corpo de voluntarios da patria.
/
Acha-se entre nos vindo da Baha no ultimo
vapor o Sr. Dr. Francisca Manoel Raposo de Al-
meida.
Dlstinclo ltterato e publicista o Sr. Dr. Raposo
um desses homens que 1 Baten captar a estima e
sympathia de todos que teem a foriuna de commu-
nica-lo. Os que sabem apreciar um talento culti-
vado, urna intelligencia affeita aos certames litle
r. Dr.
ranos, encontraran no
- Os Irlandezes afflliados ao partido denomina-, daaes' e ornarn 0 hohiem de lettras, que distn
fenian tinhara-se reunido era congresso era Phi-1 iQem j apo;jlo|o das verdades
ladelphia,e resolverara emillir apolces de divida ,
publica a 6 por cento ao auno, capital e juros pa- j ^^ raJI; Catholico
gaveis seis mezes depois de reconliecida a indepen- redaclor mostrou, a p'at
dencla da Irlauda. A gravura desses ttulos eslava 1
mas nao sabemos se elles tero ex-
prompta,
traego.
D. Augustin di! I turb Je, filho mais velho do
imperador do Mxico, estava residindo em Nova-
York.
O actual imperador Ihe offerecera honras e pen-
soes, que recusara, dzeodo que se o Mxico volta
truego, consorciando
que em nada sao incom
tres praticanles os Srs
Raposo essas quali-
sla-
scienlilicas e reli-
periodico de que era elle o
do seu taleoto, mula ins-
i scienca com a religlo :
pativeis.como apregoam os j
falsos prophetas da phil isoplua moderna
Coocluose lionteti o concurso que ha dias!
procedase perante a th isouraria de fazenda, para 1
escripturarios da mesi la repartigo, concorrendo I __
: 1 : : 1 : 1 : 1 ca
1 w> 1 1* i 53 1 i SI ^1 Masculino. ] 2. t 0 > H ce
2 *B 1 1 00 i 1 01 Frminino.
51 l 9 ' i -1 5 Masculino. | M i so > ?: CA 2
1 > 1 Feminino.
ca k l V 1 1 1 J Masculino. H Cft i
t . Pj&ho.
-: a 1 1 - l 35 Masculino. !a|'
. M O . 1 1 . . n Masculino. 0 l 1
1 - * i. Feminino. 1 K >
9
Narciso Duperron, Nicolao
va as tostliuicoes impariaes, a elle competa con- Rodrigues da Cunha e oaquim Lucillo de Siquei-
(erir honras e' nao recebe-las. ra Varejo.
Correspondencias de Washington com data Exaramaram os Srs. )r. Augusto Carneiro Mon-1
de 26 de outubro dizem que o ministro mexicano teiro da Silva Sanios em arithmetica e algebra; Dr.
recebeu communlcagoes que do como cerlas a to- Francisco Pinto Pessoa| em inglez e francez ; Dr.
mada de Matamoros aos emperialistas e a reoccu- j Manoel de Figueira Faria em historia e geogra-
pago de lodo o eslado de Tamaulipos pelas forgas pina ; Dr. Wuruvio Pinito Bandeira em escriplura-
do presidente juarez. ,go coinmercial por partidas dobradas com appli-
Corre que o governo americano leve confirma-1 cago ao thesouro ; e Rrancisco Jos de Sales Ba-
I
m I TOTAL.
00 I ____
55
ADVERTENCIA.
Recorreute, o menor Joao ; recorrido*, Francis-
co Mana de Brilo eoutr...-.Sortalos os Srs. des-
embargadores Siliago Ais.Juigou se larosi-
pelente o juizo de orph 1 para ronhecer da qu-
lo de filiago, e proceti mentar o, nueti-unJo
orpho coiiipeteuieineni hainhiadt.
Iftiiii iws
Concedeu-se ordera a Jo.-e Nicol.io Beierra par
o da 25 do corrente. c ao escravo B-raedieto para
a sesso de 21, as II horas d> da.
Appetlamn crime.
Appellanle, o juizo ; ap|-ellado, feln Cyria-- i
Silva.A novo jury.
Appellai;o ctcel.
Appellaule, Malinas Lupas da Com Maia ; ao-
pellada, D. Mara de Jess Cordero. Dopreza-^
ram os embargos.
>ramnnia o w*
Assigoou-se dia para julgamento das segan-
tes :
Appellagoes crime*.
Appellanle, Manoel Bezerra da Paixio ; appella
do, o juizo.
Appellaule, o joizo ; appellado, Jos de Correa
Mello.
Appellanle, o juizo ; appellado, Manoel Goases
da -ilva.
Appellagio civel.
Appellanle, Francisco Botelho di Anlrade ; ap-
pellado, Joo Carlos Bastos de Vas -oncenos.
DILIGENCIA cniHE.
Com vista ao Sr. deseiiibargador prooMor ta,
jusliga
A appellago crim:.
Appellanle, o juizo; appellado, Manoel More-
no da Silva.
PASSAGE.VS.
Do Sr. desembargador S.uiiiaRo ;>o Sr. Vsemhar-
gador Gitirana
As appellagoes civeis.
Appellanle, Paulino da Silva Mi idelk); appeila-
da, a Sania Casa de Misericordia.
Appellanle, o Dr. Joao Jos Palo; appellado,
Joo da (.osla Ribero.
Do Sr. desembargador Gilirana ao Sr. deseaftar-
gador Guerra
As appellagoes cive s.
Appellanle, Joo de Souza Leo appellado, Jua
Mendes Carneiro Rodrigues Camp-llo.
os herdeiros de Chrislovao Dioaiiio
Dr.
gao offlcial dessas noticias.
No dia 19 de outubro Matamoros^ estava de tal
modo cercada que os imperialistas nao se atreviam
a sahir das fortillcagdes da cidade, e todas os suas
coramunlgdes com oolros nonios, do Rio Grande e
com o interior esla vara corladas.
Dizia-se tambem que o general republicano Vega
liara atacado a cidade d* Tarapico.
viera era prattea d repartigo.
tubrculos pulmo-
O digno Sr. tenerJte-corouel Mariano Xavier 1 Aoaa Joaquina Mara do Carmo
Carneiro da Cunha sol(ciu-nos a seguale publi- do a' reuiao renal.
ca5a0 I Antonia Mara da Concigao
c A insergao de duas correspoudeucias de Se-! nares. __ ___
rinhem na co|umoa da Risfa Diaria do sen coa- Laiz Gomes da Silva ; tubrculos pulmonares,
ceigago Jornal em referencia a organisago do cor-! Jos Pereira da Cosa; tubrculos pulmonares.
Appellanle
S' de SiTo BeUrao""10' ^ ^^ **""* *"*"*
Do Sr. desembargador Molla ao Sr.
gador Assis
A appellago crime.
Appellaule, o juizo ; appellado, Maaoel
de Araujo.
A appellago civel.
Appellanle, bacnarel Manoel Finis de
appellado, Francisco Jos Siiveira
Do Sr. desembargador Assw aCSr. deserateriav-
dor Doria
homens e 72 mulheres.
Foram visitadas as enfermaras estes dias:
As 5 1|2, 6 1|2, 6 1|2, 6 3|V, 7, pelo
Ramos.
As 9, 9 3|4, 9 3|i, 8 3|4, 9, 9 3|i, pelo Dr.
Sarment.
Falleceram :
Simo dos Santos; entente chronico-,
abeesso profun
as appellagoes civeis. .
Ap^Vtanle, Joaquim Carro M*
appellado, Francisco Xavier Torres
N,
j-*.
----------


telarlo de rernanbnco Ter?a fotra ti de XoYembr* de >9il<
Appellanle, Manoel Lobo de Miranda Ileoriqaes)
appellado, Mancel Elias de Moura.
Appellale, Domingos Jos da Silva ; appellado,
Benedicto Marc.ues da Silva.
Do Sr. desenibargador Doria ao Sr. desembar-
gador Uchoa C ivalcanie
As appell .tffcs crimes.
Appellanle, o juizo ; appellado, Roroo do Reg
Barros.
Appellante, Joo BapUsta do Santos; appeKada,
a juslica.
As appellaces civeit.
Appellante, D Joanna Mari das Dores -, appel-
lado, Antonio Joaqun) de Helio.
Appellante, a mas.-a de Bastos A Lemos ; ap-
pellado, bcharel Antonio Jos da Costa Ribeiro.
Do Sr. desembargador Domragoes da Silva ao
Sr. desembargador Barros Vasroocellos
A appellaco crime.
"w de ewrm goverm o pmz, por quinto ha gente
que vive constatteoitrale entre lines e derep
cdes ; mas pedmos com instancia que cumpram o
que promettern, istc que lenham na adversidade
a coragem de suas oiniSes, e guarden puras e in-
tactas as snas crencas, nao recusando o seu auxi-
l ioquando for mister combater as aves de rapia,
de estmagos tao vastos, de nppetite tao voraz t pre
vidente, quinlo sao essas que se refere o escrip-
tor do artigo publicado no Jornal do Recife de 18
do corrente, sem se prevalecerem nessa adversi-
date da proteeco dos parentes e amigos, ou de car-
tes semelhantes essa que, ha poucos annos, escre-
ctu para justificarse o joven senador.
nmmQn i pedido
Appellante, Maooel Gomes de Mallos; appella- UcCHO dS devotos que ho de COHCOr-
da^a justica.
A appellaco civel.
Appellanle. Manoel Goucalves de Soma ; appel-
lado, padre Jefe Barbosa Mendes da Rocha.
Do Sr. desembargador Barros Vasconcellos ao
Sr. desembargador Santiago
A revista civel.' 8.
Recrreme, Manoel Jos de Souza; recorrido, |
Luiz de Siqueira llaogel.
As appellaces civeis.
Appellanle. Francisco Severiano Marques Cor-
reia ; appeilada, D. Rosa Mara (la Annuuciacao
Appellante, An'onio Gameiro de Queifoz ; ap-
pellados, os herdeiros de Francisco Bernardo da
Canta*.
Appeilanle, a fazenda ; appellado, Joo Francis-
co do Bego Maia.
A' 1% horas encer'CE ..e asesso.
rer para a festividade da Saulis>ima
Yii'gein do Guadalupe da cidade de
Oliuda, no anuo de 1865 a 1866.
Juiz perpetuo.
M. o Sr. D. Pedro II.
Juiz por eleico.
TaiHIVVI, DO COUTIEIU O
ACTA DASESSAO ADMINISTRATIVA DE 16 DE
NOVEMBRO DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARCADO!
ANSELMO FRANCISCO PERETTI.
s 10 horas da manliaa, estando reunidos os Srs.
depulados Rosa, C. Alcoforado, Basto e Miranda
Leal, o Enn. Sr. presidente declarou aberla a
sesso.
Tcndo comparecido o Sr. desembargador Dscal,
deu-se-lhe o competente assento.
Lida, foi approvada a acta da sesso antece-
dente.
EXPEDIENTE.
O Exm. Sr. marecnal de campo Francisco Sergio
de Oliveira.
Juza.
A Exma. Sra. D. Amanda Pinheiro da Cunha Pa-
ranagua, esposa do EtO. Sr. ronselheiru e sena-
dor JooLiMo.-a da Cuuha Patuuagu, presiden-
te desta provincia.
Juizes protectores.
Os Illms. Srs.:
Dr. Miguel de Figueira Faria.
, O negociante e thesourero das loteras o Sr. Amo-
nio Jos Rodrigues de Souza.
Juizas protectoras.
As Exmas. Sras.:
D. Merenciana, esposa do Sr. tabellio Filippe do
Nascinunto de Faria.
D. Clarinda Bnlhaniina da Silveira Costa.
Escrivo protector.
O Sr. negociante Balihar & Oliveira.
Escrivaa protectora.
A Eima. Sra. D. Maria Senhorinha Vellozo da Sil-
veira.
Consistorio da veneravel irmandade de Nossa
Senhora do Guadalupe da cidade de Olinda, 20 de
outubro de 1865.
Eslava assignada pelo Rvm. conego cura.
Dr. Manoel Thomaz de Oltvetra.
Aviso do mnslerio da justca, de 28 de oulubro;
ultimo; acompanhado da proposta que pretende o p. i wMa~r***Amta~aUP Ipm
governo apre.-eular ao corpo Ilativo em sua ieiCdO d IUesd leedora U,UL UUl ue
prouma futura ses.-an, creando no imperio as so-r servil* na irmandade de Nossa Se-
riedades do responsabilidade limitada.Que se ou-' nilrtl., Aa iriihliim na ;t nuil dft
visse a dlrecco da Associaco Commereal Bene-: HllOld 00 UddlOpe IlOoimo ue
ficente, remelteudo-se-lhe copia alim de dignar-se 18O d i 866.
dar o sen parecer.
D*us oulcios do secrelario do merilissimo tribu-
nal do eommercio da capital do imperio, datados de
3 e ido corrente, o de 3, remetiendo a carta de
registro da barca nacional Marianna que fra
condemnada por innavegavel ; e o de 4, enviando
a relacao dos comTnerciantes all matriculados no
decur.-o do raez de culubro ullimo. Que quanto
ao primeiro se procedesse na forma do estylo, dan-
do-se baixa no registro, e se aecusasse a recepeo;
e quanlo ao segundo que se aecusasse tanibem a
receogo.
Oficio do secrelario do merilissimo tribunal do
commerrio da Baha, de 7 do andante, em que ac-
cusa o recebiu.cnlo do que em 19 do prximo pas-
sado mez I he dirigir o secrelario desle tribunal
enviando a relayo dos commerciantes que foram
matriculados durante o mez de seterabro do cor-
Juz.
Nery
O nssso irinao juiz, alferes Trajano Filippe
de Barros.
Escrivo.
O nosso ex-defindor Thubias de Santa Rosa, Car-
melitano de Barcellos.
Thesoureiro.
O nosso irmao ex-thesoureiro Antonio Luiz Gon-
zaga.
Procurador.
O nosso irmao ex-escrivo Antonio Joaqulm Mo-
rara.
Definidores.
O nosso irmao ex-juiz Joo Nunes da Silva.
t t ex-escrivao Antonio Jos de Lima.
t por quairo vezes, ex-juiz Thomaz da
Cunha Lima Cantuaria.
O nosso irmao Auionio Jos de Pinbo Jnior.
Alexandre Antonio da Paz.
Antonio Estevo da
rente nno.Ao archivo.
Foram di>tribuidos rubrica dos Srs. deputados, > q nosso rma0 eX escrivao
os seguinles hvros : t'urciuncula.
Diario, dos conmercianles Sanios .V Arruda, ao lriJ hh) Bernardo de Souza Leo.
Sr depulado C. Alcoforado. dem Manoel da Silva Simoes.
Copiador, do commercianie Joaquim de Farias ^ Idem Ji)s I Mar-hado, ao mesmo Sr. depulado. ldem j> Francisco do Nascimento.
Diario, dos commerciantes Minoel Luiz dos San- 0 nusso jr|I|ao ex.juz M|(Qe, Arc|iaDj0 de Barros,
tos & C, ao Sr depulado B;.s_to. m \ Irm0 Caelano Frauci.-co Bibeiro.
Ilem, do commercianie Henrique Xavier de';
Araujo Saraiva de Mello, ao mesmo Sr. depu-
lado.
Copiador, do sobredto commercianie, ao Sr. de-
pulado Miranda Leal.
Diario, dos commerciantes Reg & Moura, ao
mesmo Sr. depulado.
DESPACHOS.
Na resposla que deu o agente de le loes Luiz
Amonio Rodrigues de Almeida ao sumraario exof-
licio intentado contra elle.Junte-se ao processod
Bopplicante.
Na pulicj de Thomaz Fernandes da Cunha J-
nior e Silvestre Pereira da Cunha. Saiisfacan o
Juza.
A Exma. Sra. D. Joaquina Candida Sen a.
Escrivaa.
A Exma. Sra. Caelana Symplicia ds Mello Leile.
Eslava assignada pelo Uv'm. conego cura.
Dr. Manoel Thomaz de Oliveira.
Pastilhas vermfugas de Kemp.
Chamam-s a allencao de todas as mas para o
remedio mais agradavel e til que se cophece para
fazer expellir as lombrigas : as pastilhas veumi-
flas de kemp. Em vez de todos es>es inmundos
e Dengosos remedios vermfugos, cemposts de to-
parecer lis.al, jantaudo o pr.me.ropelicionar.o cer- da'acsla de mioeraes, apresentamos um delicio-
v,l-', x- d \t ii so confeilo vegetal, promplo e infallivel na suaope-
Na de Francelino Xavier da Fonseca, Manoel Ja-
nuario de Arruda e Joaqaim Geminiano de Arru-
da, para que fossem registradas ts alieracoes feilas
no seu contracto social ja registrado. Informe o
Sr. offkial maior.
i\a de Manoel Luiz des Sanios & C, para que
fosse registrada urna coma que jumam. Begis-
tre-se.
Na de Guilherrne Vieirada Bocha, pedindo igual
registro.Regs ese.
Na de Paulo Jos Gomes, para igual fim. Re-
gislre-se.
Na de Jos Pereira dos santos, pedindo que se
admiua a' registro o coniracto, que junta, com o
qual comprara a Fonseca & Silva o eslabelecmen-
to de agudezas da ra da Cadea do Recife n. 21,
afim de que a lodo o lempo conste e produza o in-
dicado registro os effeitos legaes.Registre-se.
Nada mais haveudo a tratar, o Exm. Sr. presi- A jurubeba urna das substancias medicamen
dente encerrou asesso as 11 horase meia da tosas, ao reino vegetal, e perience classe
mauha. dos tnicos e desobstruentes, sendo em prega
na com vantagem contra as febres intermitente
; ae.ompanhadas de engorpiiamenlode ligado e bago.
Ella lem sido applicada com iocontestavel proveilc
' conlra a anemia ou chlorose, e hydropesia, catar
| rho da beiiga e mesmo para combater a menstrua-
| gao difficil, resultante da mesma anemia ou chic
. rose.
Extrato alcoolico de jurubeba.
Emplastro dem.
Oleo idem.
Tmlura idem de idem.
Xarope id-m.
Vinno idem de idem.
Plalas de ext. idem.
Deposito, pharmacia de Pinto, ra larga do
lacao, nao causando nauseas nern incommodos de
qualiiade alguma, produzindo pmpre o seu effeito
de urna maneira suave e completa, nao carecen-
do depos a assistencia de qualquer oulro pur-
ginle; til como um excellenie meio de fazer
remover as obstruccoes do venlre, mesmo no
caso de nao exislirem vermes alguns, e final-
mente tornam se ellas digna< por todos os respei-
tos da confianga e approv;eao de todos os pais de
familia, os quaes achara) estas pastilhas elegan-
temente acondicionadas dentro de frasquinhos de
crystal.
' venda as boticas de Caors & Barbosa e de
Joo da C. Bravo & C.
os quaes elle nao anoja e tomado pelas
pessoas cujo gosto e olfato s5o dos mais sus-
ce, tiveis.
Hoje que o oleo de figado de fcaealoo
tem-s tornado um dos agentes os mais im-
portantes e preciosos da therapeutica, quem
descobrio o meio do o tomar de um uso f-
cil para todos, prestou um verdadeiro ser-
ico arte de curar e aos praticos.
Por isso nao podemos concluir melhor
do que felicitando o Sr. Chevrier por sua
rica e til descoberta que merece de ser
propagada, e dizer com meu collega o Sr.
Dr. Richelat os traballios que conduzem as
descobertas d'esta especie devem ser pro-
tegidos pelos mdicos.
Os importantes trabalhos do Sr. Chevrier
sobre o oleo de ligado de 1 acalho Ihe fi-
zeram obter um resultado nao menos im-
portante, o qual consiste em ter associado o
ferro ao oleo de figado de bacallio. O oleo
de figado de bacalho ferriginoso de Che
vrier constitue talvez o melhor meio de dar-
se o ferro. Pois o ioduro de ferro unido
deste modo com o oleo de figado de baca-
lho se dissolve mais fcilmente nos lqui-
dos das vias digestivas e por consequencia
se assimila muilo mais bem do que sb a
forma de pilulas ou xarope. Emfim elle
perde assim suas propriedades irritantes, e
nao provoca a conslipaco. E' assim que
os doentes, cujo estomago nao pode suppor-
lar nenhnma preparacao marcial, lomam f-
cilmente o oleo de figado de bacalho ferru-
ginoso de Chevrier.
Os senhores Maurrer & C. acabam de re-
ceber um grande sortimcnto dos celebres
azeiles desinfectado de Chevrier e ferrugi-
noso de Chevrier.
Vende-se na pharmacia de Pedro Maurer
V C. ra Nova n. i8.
A jurubeba.
As virtudes therapeuticas da jurubeba sao desde
muilo conhecidas nao s no Brasil, pois que dellas
Iralou Pisn em sua excellenie obra Historia na-
turalts et medica ndice ocedentahs, seno as
Anuiras, onde o sueco das folhas e frnctos como
aqu, muilo estimado e applicado contra as obs-
irucces abdominaes, principalmente do figado e
bagj e se todos os facultativos desta provincia o
nao applieam cora requenrla, isto se nao deve a
nao reconhecerem elles essas virtudes, mas slm a
nao serem encontradas com facilidade e em todas
as estacoes do anno os frucios dessa planta, e a re-
pugnancia, que apresenlam os deentes era fazer
uso do sueco desses fructos, em consequencia de
ser extremamente amargo.
A jurubeba nao descouhecida dos botanistas :
esta planta pertence familia das sotaneas, e lem
adenominacao de solanum panteulatum, que lhe
fol dada por Lyneo.
Parecendo-nos conveniente facilitar o uso do
sueco dos fructos da jurubeba, que o mais em-
pregado, nos propozemos e conseguimos preparar
com elle nao s um extracto alcoolico que pode ser
applicado em pilulas, mas tambera um vinho, um
xarope, e um emplastro que pode substituir, em
certos casos, o de Vigo ; e estamos persuadidos qoe
com isto prestamos um servlco a huraanidade e
hlerapeuiica.
Pisn, tratando da hydropesia, prescreve a de-
coccio das raizes da jurubeba, e Mrat e Delens,
era seu Diccionario de materia medica e therapeu-
tica, dizem que as An'ilhas se faz uso do sueco
dos fructos maduros dessa planta conlra o catar-
rho vesical; e a autoridade dos nomes desses m-
dicos, merecidamente celebres, nos leva a crer em
suas palavras, e por isto cuidaremos de ter em
nosso estabelecimento essas raizes,para que possam
ser experimentadas.
A reputacao da jurubeba tal, e os resultados
therapeuticos oblidos ltimamente sao tao impor
lames, que nos parece intil dizer mais do que
isto, que tica escript.
Deposito: pharmacia de
Joaquim de Almeida Pinto.
consignado a Caelano C. da Costa Moreira, man-
festou :
400 pelles de cabra; a Antonio Affonso Moreira.
13 Mecos com 52 arroba de carnauba; a Vian-
na Moreira & Filho.
1 rolo chumbo ; a Sebasciao Jos da Silva.
12 saceos cora 38 arroba;! e 4 libras de algodao;
a Domingos Rodrigues le Andrade.
8 saceos com 33 arrobas e 25 libras de gomma,
2 caixas 53 libras de peor
22 saceos 91 arrobas e
Francisco Gomes de Mello
69 caixas 106 arrobas
carnauba, 28 barricas e 1
gomma, 350 courinhos de cabra;
to de Souza Aguiar.
19 saceo 78 arrobas e |
meios de sola, 102 saceos
as, 3*00 meios de sola, e
\ libras de algodao; a
unior.
e 24 libras de vellas de
: saceos 28 alqueires de
a Antonio Alber-
libras de algodao,
oni 43 1|2 alqueires de
31
e
o; a
libras de gomma. i
212 saceos com 787
ordem.
gomma, e 3:900 counnhes de cabra; a Prente
Vianna & C.
10 saceos 51 arrobas e
pacole peonas 8 1|8 libras,
arrobas e 2 libras de algodJ
Escuna nacional Georgiana, entrada do Rio-
Grande do Norte, consigna' a a Tasso Irmaos, na-
nifestou :
24 pranchoes de praho
mandioca, e 271 ditos cor
PhiladelphiaBarca Inglez Imperador, capillo John
Power, carga assucar e algodao.
Rio de Janeiro e Baha Vapor americano North
America, commandante Temmermao.
Rio Grande do Sul Barca brasilelra Nova Mena-
na, capitao Francisco Jos de Abreo, carga parte
do que irouxe de Lisboa.
Portos do NorteVapor brasileiro Oyapock, cora-
imndanie o capitao tenenie Casiro e Costa.
EDITIS.
450 saceos farinha de
algodao; aos mesmos.
nifestou
eias ditas bacalho; aos
entrado dos portos do
Janeiro.
SESSAO JUDICIARIA EM 16 DE NOVEMBRO
DE 1666.
presidencia do exm. sr. desembargador
a. f. peuetti.
Secretario, Julio Guimaraes.
s 11.'i horas da manbaa o Exm. Sr. presidente:
declarou aberla a sessao, estando reunidos os Srs.
desembargadores Silva Gnimaraes, Res e Silva e.
Aceioli, eos Srs. depulados Rosa, Candido Alcofo-
rado, Bastos e Miranda Leal.
Lida, foi approvada a acta da precedente ses-
sao.
JLLGAMENTOS.
Appellantes appellaes Julio C dombier coratl tu-;
tor dos filhos menores de llyppolito Dumond e sario d. 10.
Joao Cals am ; appellada, Mane Augustiue Leo-
nie Cals.
Adiado o juramento a pedido de um dos Srs.
dezmados.
PASSAGENS.
Do Sr. desembargador Res e Silva ao Sr. des-
sembargador Aceioli:
Recrreme, D. Anua Luiza de Mello Brrelo ;
recorrida, a commi-so administradora da massa
fallida de Gomes i Filaos.
VARIEDADES
Scicnclas e medicina.
L-se na Union Medcale de Pars:
Osjornaes de medicina fallaram por va-
rias vezes de urna descoberta importante
ador SHy?Gtma?a *'' ACC'0l M Sr'desembar" Para a tberapeulica, que cousistia na desin-
8aA0tIpelaVnie,UMane Joaqum Baptsla ; appella- fecca? do oleo de ligado de bacalho sem
do, Joo de Almeida L>ma. lhe tuar nenhuma das suas propriedades.
Appellanie>, Manoel Antonio Nopueira e sua1 Temos o prazer de annunciar hoje as-
muiher; appellado, Joo Pereira Caslello Branco. nossos |eiloreSt que esse resultado foi obtio
Ao Sr. desembaigadjrBSlv3fGuimaraes : do dc modo raais completo por um hbil
Appellanle, D. Mana Theodora da Cosa Alves pharmaceutico de l'aris, O Sr. Chevrier, que
Ferreira ; appellado, Joo de Castro Guimar.ies. consegUlO desinfectar O Oleo de figado de
Appellantes, os adu.inisiradores da massa fall- bacalho Com o alcatrao e O balsamo de
da de Amorim, Fragoso, Santos ev Companhia
appelladu, Manoel Rodritiues dos Sanios Moura.
Ao Sr. desembargador Res e Silva :
Appellantes. os administradores da massa fall- ore seus doentes particulares, as analyses e
: ensaios de chimicos competentes, n3o dei-
VTolo. As experiencias feitas por muitos de
' nossos pratioselec ebres, nos hosp tses e so-
da de Amorim, Fragoso, vantos & Companhia
appellado, Custodio lote Vianna.
Ao Sr. desembargador Aceioli :
Appellale, Manoel Jos Leile; appellado, o con
sul porluguez.
AGGRAVOS INTERPOSTOS DO JU1Z0 ESPECIAL
DO COMMERCIO.
Aggravante?, D. Joanna Maria das Dores .
Fernandes da Cruz ; aggravado, Antonio Luiz dos Submetti a analyse, diz este distincto
Sanios. professor, o oleo de figado de bacalho na-
Aggravame Anlocio Climaco Moreira Tempo- tura, desnfectado pelo processo do Sr. Che-
ral; aggravado, Bemardino de Miranda Alba-: nMen ea*F ano DQCa .,,,.,
xam nenhnma duvida a este respeito.
Relatamos aqui as proprias palavras de
um juiz muilo eminente e competente o Sr
Dr. E. Humbert, laureado da academia im-
Joao Perial de medicina, e professor de Chimica
querque.
O Exm. Sr. presideote negou provimenlo.
Aggravanle, Joo Pereira Bastos; aggravada, D.
Josepha Leopoldira d Mello Mariano.
O Exm. Sr. presdeme deu provmenlo.
Nada mais havende airatar-seo Exm. Sr. presi-
vrier, e posso certificar que esse producto
nao perdeu nenhum dos seus principios
medicamentosos nem chimicos, que se
acham no oleo de figado de bacalho ordi-
nario. A fraca proporco das substancias
meo-dia.
sidnte encerrou asesso a meia hora depois do estranhas que -e pem no oleo natural para
j dissimular o cheiro e o sabor desagradaveis,
n5o pode-de nenhum modo alterar suas
propriedades medicaes e s a torna de um
uso fcil e mesmo agradavel.
Em resumo, o oleo de figado de baca-
lho desinfectado pelo processo Chevrier
goza de propriedades idnticas ao oleo de
COMMUflICADQS.
Partido conservador.
Nao dnvidamos que as andorinhas nunca esli-
Vmcmr,, Rielas, porque nuncaZn/iarSo g0 6 toalhjo Ordioario, que elle repre-
mais m duracao laklpulajs auras, que o ucarf-/ seni?| exactamente.
"tuaimenfej js(p ^tRr'm wo patnotts-' Elle e maito bem tolerado pelos doentes,
ciam *. y "
y
FRACA DO RECIFE.
Cotavdes o'ciaes.
20 de noveiKbro.
Assucar mascavado purgado 25650 por arroba.
Algodao primeira sorle 185500 por arroba.
Cambio sobre Londres90 d/vista 28 3[4 d. por
l;00O.
iiubourcq Jnior,
Presidente.
Gui maraes,
Secretario.
Caixa filial do banco do Brasil em
Pernamliuco.
A caixa descoma as letras de seu aceite pela
taixa de 8 0|0 ao anno.
Oguarda-livros
Ignacio Nanea Correia.
Novo Banco de Pernambnco
O Novo Banco psgao dcimo quinto di-
devindo na razao de 8$ por accao.
.\ovo banco de Pernam-
buco.
0 Novo Banco descoma letras de praso at qua-
tro mezes a 11 por cento ao anno, e at seis mezes
a 12 por cento, e toma d.nheiro a praso flxo on
em conta correnle pelo premio e condicoes que
se cous'enclonar.
ALFANOEGA.
Rendimento do da 1 a 18...... 417:9665680
dem do dii 20............... 2i:9420i2
442:9085722
MOV1ME.NTO DA ALFADEGaT
Volumes entrados cora fazendas____
c c com geaeros..... 144
------- 144
Volumes sabidos cem fazendas..... 45
c c cora geaeros..... 281
-------326
Descarregara hoje 21 do corrente.
Rarca ingleza,Wceo/-=bacalho.
Vapor inglezOlindaidem.
Paiacbo inglez Buzy=iew,
Brigue inglez Ella Brucemercaduras.
Barca portuguezaCorsadiversos gneros.
Barca inglezaBelle /'onie=carvo de pedra.
Brigue ing.ez Thermulhisidem.
Barca ingleza FiViir de Maunce=\em.
Escuna inglezaC/ara=idem-
Patacno porluguezFar/oeharque.
Barca nacionalhialinaidem.
ImportacSo.
Vapor brasileiro Paran, enirado dos portos do
norte, manifestou o seguate :
40 rolos salsa ; a Manoel Ignacio de Oliveira &
Filho.
48 ditss dita ; a Bastos & Irmao.
1 caiiole a J. Guilherrne Guimares.
1 dilo; a Rocha Lemos & C.
1 dito 1 lata e 1 encapado; a Januario K. Go-
mes.
1 encapado ; a Antonio de Azevedo Villa-Roca.
1 dito; a padre Flix Brrelo de Vasconcellos.
1 dito ; a Pedro B. Moraes Reg.
2 fardos e 2 caixas; a Maury R. Filho & C.
1 caixa; a Ferreira & Malbeus.
2 ditas; a Keller k C.
30 cortos, 8 metas barricas; a ordem.
1 caixoto; a Narciso Maria Caroeiro.
1 caxiuna; a lienry Forster & C.
1 enibrulho; a Joo B. de C. e Silva.
1 caixote; a B. F. de Souza.
Brigue porluguez Lusitano, entrado do Rio de
Janeiro, consignado a Marques Barros & C, mani-
festou :
800 saceos farello, 132 volamos barricas vasias,
400 barriquinhas vasias, 30 pipas graxa. 100 bar-
ricas sebo, 24 volumes mobilia usada, 30 jacazes
toucinho, 1248 saceos caf; a' ordem de diversos.
Ilute nacional Sergipano, entrado do Aracaly,
consignado a' ordem, man.festn :
416 courinhos e 29 saceos com 116 arrobas de
carnauba; a Vianna Moreira di Filhos.
184 saceos com 743 arrobas e 13 libras de algo-
dao ; a Jos de S Leilo Jnior.
Hiate nacional Sobralense, entrado do Aracaty,
Brigue inglez Busy, entrido de Terra-Nova, con-
signado a J. Pater & C, m
2:396 uarricas e 299 m
mesmos.
Vapor nacional Oyapocf
sul, manifestou:
Do Bio de
1 caixo livros; a Jos N. de Souza.
1 dito champes; a Joo -la C. Bravo.
1 caixa msicas; a Joao Vignes.#
9 ditas livros em branco,'quadros, ele,; ao Exm.
presidente da provincia.
1 caixote chapeos; a Joo Alves da Cruz.
1 caixo mercadorias; a Antonio Joaqum Pa-
nasco.
bs, 1 caxinba fazendas,
50 lalas fumo; a' ordem
2 caixoes livros impress
1 caixa rap, 442 rolos e
de diversos.
1 caixo charutos; a Jcfe Leopoldo Bourgard^
1 dilo cigarros e fumi
mos e Silva 4 Genros.
50 rolos fumo; a JoslJoaquira de LimaBairao.
Da labia.
3 volumes fazendas de algodao e chales de a;
a Southal Mellors is C.
1 encapado charutos; Schaffter & C.
5 dixascharutos, 20 rolos fumo; a' ordem.

LFANDEGA DF. PERNAMBUCO.
PAUTA DOS PBEgOS DOS GE1IER0S SUJE1T0S A DIREITOS
DE EXPORTAg.O.SEMANA DE 20 A 25 DO MEZ DE
NOVEMBRO DE 1865.
. Unidades. Valores.
. eento i -'no
, caada 800
, soo
... 380
... 800
agua- t 900
45500
185000
15500
25600
25400
35700
Mercadorias.
Abanos......
Agurdente de cana .
dem restilada ou do relnp
dem caxaca .
dem genebra .
dem alcool ou espirito de
arden te ....
Algodao em caroco arroba
dem em rama ou em las
Arroz com casca ...!..
dem descascado ou pilado .
Assucar raascavado T .
dem branco.....! .
dem refinado ....!..
Azeite de amendoim ou mendo-
bira ......|
dem de coco ......
dem de mamona ....
Batatas alimenticias ...]..
Bolacha o diara, propria para
embarque .
dem fina ....
Caf bom .
dem escolha ou reslolhoj
dem torrado .
Caibros ....
Cal......
dem branca .
Carne secca (xarque)
Carneiros .
Carvao vegetal
Cavernas de sicupira
Cera de carnauba em brx to.
|dem idem em velas
Cha .....
Charutos .
Cevados (porcos) .
Cocos (seceos) ......
Colla......j .
Couros de boi, salgados J .
dem idem seceos espichados .
dem dem verdes ,| .
dem idem cabra eortidos [ .
dem idem de onca I -. .
Doces seceos j .
dem em gela ou massa' .
dem em calda .', .
Espanadores grandes .! .
dem pequeos | .
Esleirs para forro de estivas
de navio......|
Estopa nacional .....
Farinha de de mandioca .
dem de araruta 1 .
Feijao de qualquer qudlidade .
Frechaes...... .
Fumo em lolha, bom I .
dem ordinario ou rcstolhjo
dem em rolo bom .....
dem ordinario ou restolhoi. .
Gallinlias .......
Gomma........arroba
Ipecacuanha (raz).....
Lenha em achas.....cento
Toros......... >
Linhas e esteios......um
Mel ou nielaco......caada
Milho.........arroba
Papagaios ....., um
Pao Brasil.......quintal
dem de jangada......um
Pedias de amolar .... urna
dem de filtrar ..... t
dem de rebolo ..... .
Piassava........molho
Ponas, ou chifres de vaccas ou
novilhos.......cento
Pranchoes de amarello de dous
costados.......um
dem dc louro...... >
Rap.........libra
S.il.ao......... i
Sal...........alqueire 400
Salsa parrilha.......arroba 255000
Sebo em rama...... > 55000
dem era velas...... > 75000
Sola em,vaqueta......nma 25000
Taboas de amarello.....duzia 1405000
t diversas....... 875000
Tapiocas.........arroba 35000
Tatajuba........quintal 25000
Travs.........urna 65000
Unhas de boi ......cento i
Vassouras de de piassava 105000
Ditas de timb....... SJ000
Ditas de carnauba..... 65000
Vinagre.........caada 500
Alfandega de Pernamuco, 18 de novembro de
1863.
(Assignados):
0 1.' conferente, Manoel Peregrino da Silva.
O 2. conferente, Joaqum Ignacio de Carvalho
Mcndonca.
Approvo. -Alfandega de Pernambuco 18 de no-
vembro de 1865.A. Eulaho.
Conforme. O 4. escrlpturario, Joo de Assis
Pereira Rocha.
caaada
arroba
>
libra
um
arroba
um
arroba
urna
libra
cento
um
cenlo
libra
um
libra
um
cenlo
arroba
alqueire
arroba
c
um
arroba
urna
25000
15600
15000
15200
35000
75000
65<>00
65000
440
360
280
380
35200
45000
15000
35000
300
300
15300
25500
135000
45000
600
150
240
100
350
105000
15000
320
500
45000
25000
135000
15600
15800
45000
25000
35000
145000
85000
85000
55000
600
25500
235000
25000
115000
65000
240
15300
35000
55000
55OO0
800
400
15000
120
355OO
205000
105000
15000
120
I0VIMEWT0 DO POETO
Navios entrados no da 20.
Rio Grande do Norte 3 das, escuna brasileira
Georgiana, de 149 toneladas, capitao Amonio
Goucalves Torres, equipagem 10, carga algodao
e farinha de mandioca ; a Tasso Irmao.
Buenos-Ayres29 das patacho hollandez Comor-
chia, de 180 toneladas, capitao M. P. Branti,
equipagem 8, em lastro ; a Maury Romagueira
Hijo & C.
Terra Nova29 das, patacho Inglez Buoy, de .170
toneladas, capitao Jotra Bowden, equipagem 4,
carga 2695 barricas com bacalho; a Johnstoo
Pater" & C.
Rio de Janeiro 19 das, brigue porluguez Impo-
liso, de 284 toneladas, capillo Jos G. Lima,
equipagem 12, carga 3000 quintaes de carne
hespaohes ; a Amorim Irmao.
Navios saludos no mesmo dia.
Ro de JaneiroPalhabote qscional Ptedade, capi-
tn Jos Maques Vianna, earga assucar e oulros
gneros.
New-YorkBrigu iuglez. Blacuta, capitao Bow-
den, carga assucar.
0 Hr. Trislo de Alencar Araripe, ofBcial da im-
perial ordem da Rosa, juiz de direilo especial do
commeroo, desia cidade do Recife de Pernam-
buco, seu lermo, por Sua Magestade Imperial e
constitucional o Sr. D. Pedro II, a quem Deus
i guarde etc.
Faco saber pelo presente que Francisco Jos
Germano, por seu advogado me dirigi a pelicao
t do theor seguate :
IHm. Sr. Dr. juiz do commerco.Diz Francisco
I Jos Germano, nogociante estabelecldo nesla prara
i que, sendo credor do Ji o Jos Pereira, da quanlia
de um c mi 1 e seis centos e Irinla qualro rail ris,
constantes das letras juntas, ja vencidas, quer fa-
z-lo citar, para oa primeira audiencia deste juizo
fallar nos lernios da presente accao ordinaria, em
' que Ihes pede a referida quanlia, juros e custas,
protestando desde j levar em conta qualqaer iui-
portancia, que por ventura tenha passado iedbu e
! como o supplicado retirando se furlivameule para
; a Europa, esleja em lugar iocerlo e nao sabido, por
I isso o snpplicaute requer a V. S., que procedendo
1 a justiflcaco para qual marcar dia e hora e jul-
1 gada por sentenca se digne mandar passar carta de
; edilos com os das da le, ficando o supplicado in-
I timado, para lodos os termos do processo al sen-
! tenca, seudo alinal condemnado.
U supplicante funde a sua accao nos lilulos jun-
tos.
Pede a V. S. deferimento.-E. R. M.Tavares
da Silva.
Segundo o que se conuha em lal peticao, na
qual dei o despacho do Iheor segrate.
Justifique a ausencia amanha as 11 horas do
da.
Recife, 17 de de outubro de 1863. Alencar A-
i raripe.
E sendo esta peco apresentada ao destribui-
J dor respectivo, este o flzera distribuir ao escrivao
I desle meu juizo, Manoel de Carvalho Paes de An-
drade, depois do que produzindo o supplicado suas
testemunhas que depozeram convenientemente a-
cerca da ausencia do supplicado. o mencionado es-
crivo fazendo sellar e pjeparar os autos, me os
: fez conclusos, e nos quaes dei e profer a sentenje
do theor seguate:
Hei por justificada a ausencia de Joo Jos Pe-
reira, que se mostrou achar-se ausante era lugar
incerto, pelo qne mando que seja citado por edilos
de 20 das para o fim re tuerido a folhas 2.
j. Recife, gl de outubro de 1863,Trislo de Alen-
car Araripe.
Segando o que se continha em dila sentenca, e
em observancia da qual o respectivo escrivo que
esta subscreveu, e fez passar a presente pelo qual
i seu theor chamo, cito e hei por cilado ao dito au-
! sent Joo Jos Pereira, para que dentro do prazo
: de 30 das compareca ame este juizo, por si ou por
: seu procurador, allegaodo e procuraodo o que for
a bem de seu direilo e juslica, sob pena de se pro-
ceder a sua revela.
Portauto, toda e qualquer pessoa, preseote ami-
go ou conhecido do referido supplicido, poder-lhe-
ha fazer scieute de todo o expeodido.
E para que chegue ao conhecimeoto de todos
maudei fazei*o presente edital que ser atinado
nos lugares do costume e publicados pela im-
prpnsa.
Dado e passado nesla cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 27 de outubro de 1865.
Eu Manoel de Carvalho Paes d'Audrade, escri-
vo o subscrevi.
Trislo de Alencar Araripe,
O Dr. Trislo de Alencar Araripe offlcial da impe-
rial ordem da Rosa, juiz de direilo especial do
commerco desla cidade do Recife de Pernam-
buco, seu termo por Sua Magestade Imperial
e Constitucional o Sr. D. Pedro II a quem Deus
guarde etc.
Fago saber aos que o presente edital virem e
delle noticia tiverem, que no dia 18 de dezembro
do correnle anno se ha de arrematar por venda a
quem mais der, em praca publica desle jnizo. o
Sfguinie :
Um sitio to lugar do Monteiro, freguezia do
Poco da Panella, tendo 420 palmos de frente, com
muro e porto de ferro, com os fundos at a es-
trada denominadaCaldereiro. ora 320 palmos
de largo, e um porta) do uiadeira, tendo 870 pal-
mos de cumprlmento de um lado do sitio, divide
com Jos Camello e o Dr. Alcoforado, e do lado do
norte com a Iravessa que vai ao rio, tendo no cen-
tro urna casa terrea com urna porta e janella, nos
oiloes duas janellas, com salas e quarto-, com ja-
nellas em tida rod 1 da casa, com um solao, com
seis quartos, cacimba cora bomba, e tanque para
banho, quartos para prelos, estribara e arv.iredos
de fructos, avallado em 7.0005 ; o qual lora pe-
nhorado por execuco de Ignacio Luiz de Brto
Taborda, contra Jorge Vctor Ferreira Lopes.
E nao havendo lancador qoe cubra o prego da
avaliaco ser a arremataco feita pelo prego da
adjudicaciio, na forma da lei.
E para que chegue ao conhecimeoto de todos,
maodei fazer o presente edital, que ser affixado
nos lugares do costume e publicado pela imprensa
Dado e passado nesla cidade do Recife dc Per-
nambuco, aos 20 de novembro de 1865.
Eu, Manuel Mara Rodrigues do Nascimento, es-
crivao o subscrevi.
Trislo de Alencar Araripe.
O Dr. Francisco de Araujo Barros, ravallelro da
imperial ordem da Rosa, juiz v unicipal da 2"
vara e preparador dos processos do jur* desta
comarca do Recife, por S. M. o IinperaJor, que
Deus guarde etc.
Faco saber que, pelo Dr. Manoel Jos da Silva
Neiva, juiz de direilo da segunda vara criminal da
comarca, me foi communicado ler designado o dia
Io de dezembro prximo vindouro pelas 10 horas
da manhaa, para abrir a sexia sessao do jury, que
trabalhar era das consecutivos : e havendo hoje
procedido ao sorleio dos 48 jurados que lem ae ser-
vir na mesma sesso, em confonndade do arl. 328
do regulamenlo o. 120 de 31 de Janeiro de 1842,
foram sorteados e designados os cidados seguinles,
Freguezia de S. Fre Pedro Goucalves.
Jos de S Leto Jnior.
Manoel Martins de Araujo Castro.
Ludgero de Salles Oliveira.
Antonio Jos Teixeira Bastos.
Miguel Paulo de Souza Rangel.
Antonio Machado Pereira Vianna.
. Freguezia de Sanio Antonio.
Dr. Pedro Dornellas Pessoa.
Jos Candido Viegas.
Dr. Joo Dioiz Ribeiro da Cunha.
Dr. Estevo Cavalcanli de Albuquerque.
Dr. Antonio Joaqum Ayres do Nascimento.
Claudiano de Oliveira.
Manoel Jos Pinto.
Luiz Ignacio Jerooymo dos Santos.
Joo Manoel de Castro.
Dr. Ignacio Joaqum de Souza Leao.
Mmoel Antonio Viegas Jnior.
Joo Baptista Cesar.
Dr. Rufino Augusto de Almeida.
Antonio Martins de Seabra Lemos.
Augusto Cesar da Cuoha.
Dr. Manoel Figuelra de Faria.
Freguezia de S. Jos.
Jos Xavier Faustoo Ramos.
Aolonio GoDcalves Pereira Lima.
Freguezia da Boa-vista.
Affooso do llego Barros.
Joaquim Juveocio d Silva.
Jos Delinques Machad.
Joo Tiburcio da Silva Guimares.
Dr. Joo Viceute da Silva Cosa.
Dr. Virgilio de Gusmo Coelho.
Conselheiro Lourenco Trigo de Loureiro.
Firmino Heiculano Bautista Bibeiro.
Frederico Augusto de Senna.
Francisco de Senna Duarte.
Dr. Francisco Cordeim da Rocha Campello.
Thomaz Carneiro da Cunha.
Joo Athanasio B Mho.
Joaqum da Costa Ribeiro.
Faustino Jos dos Santos.
Nicolao Tolenlioo de Carvalho.
Dr. Jos Rodrigues do Passo.
Herculaoo Deodolo dos Santos.
Freguezia de Afogados.
Joao de S Leitc.
Manoel Joaqum do Reg e Albuquerque.
Freguezia da Vanea.
Joaquim de Assumpco Queiroz.
Freguezia do P050.
Jesuino Ferreira da Silva.
Freguezia de Jaboalo.
Jos Francisco Pereira da Silva.
Freguezia de. S. Lonrengo.
Antonio Googalves da Silva,
lodos os quies e cada on de per si, I
mo a lodos os rateressados em geral, ae 1
ra comparecen) no primeiro anidar da casa pki
cadeia, na sala do Jury, tamo do referido m e to-
ra, como nos de mais das segrales em qn nfo ta-
rar a sesso, sob as penas da le, se fallare.
E para qae chegue a noticia a lo-ios,
passar o preseote edital, que ser Mo e 1
oos lagares mais poblicose pokkcado pela m
sa, e lambem remeiier iguaes aos rene^ruvoe sefc
I delegados para publica los e aorfarm Caaer as
1 noiulieacOe. oecessarias aos jurados, as eelaae
s testemunhas que se arbarem em seos "istrietos.
' Cidade do Reir, 17 de oownbro de !K3
Eu Joai)iiini{Fraoci-co de Paula Esteres Clee-
te, escrivao dojury o subsertvie.
Francisco de Araujo Barre*. -
DECLiM(l.
Saala Osa da MiscriearMi
do Kerife.
De ordem da junta administrativa da Saeta Casa
de misericordia do Recife eoovido as peteeae 90
quizerem arrendar as casas abaixo derlaradto. fa-
zendo os concertos a sua rusta para serra ttoeeav
lados dos alugueis, a roiuparererreai aesia -
tarll is inoras da larde do da 13 do crrenle
1 iv. si i;!o dilai ca-as perlencentes aos eajele
ndmbUM deraridadi*.
Ra do Azeite do Peixe, casa de doos andares a.
53, particular, e 1 publico.
Ra Direila, casa de um andar o. i parHm.ar,
e 33 pobliro.
Secretaria da Santa CaM da Misericordia do Re-
cife 14 de novembro de 1865.
O oftVia,
_^____^^^^_ Manoel Anionio Vfrga.
Continuara em praca nos das 18, 20 e 23 do
correnle, perante a cmara municipal drtta ei<
os alugueis das casas ns. 15, 18 e 19 da rifc-ir*
da freguezia de S. Jos, na importancia de H ra-
da ca:-a; os prelendeules i arremauc) pue>aa
comparecer no paco da mesma caara avs din
indicados, munidos dc carta de Banca que es habi-
lite para esse fim.
Paco da cmara municipal do Rec fe, 16 de no-
vembro de 1865.Luiz Jo.- Pereira Simt*, pro-
presidente.Francisco Canato da Boaviageveer
lario.
Santa Casa da Miserictnlia
d Hecife.
A junta administrativa da Sama Casa de Miseri-
cordia do Recife leodo Mto e conlinoanoV a razt-r
grandissimas despezas, ja c im o cosieiro. rom >
raelhoramento djs eslahelerimentos pos iff est
a seu cargo, manda avisar aos seos dtvetfcrrs
atraso, e lambem aos fiadores deslrs, qoe arr-
mente far publicar pelo Diario a relacao dessas
dividas, e promover sua cobranca pelos mtu >
judiciaes.
Convido por tanto a todos aqoelles qoe nao .:. -
zerem ser chamados pelo Diario, nem airoptlad s
pela juslica a tralarem quanlo antes de salv;r
seus dbitos.
Secretaria da Sania Casa de Misericordia do t.i
cife 15 de novembro de 1865.
O officiai,
Manoel Antonio Viegas.
0 conselho de compras do arsenal de eoerra pre-
cisa comprar para o presidio de Fernando de N -
ronha, o ."guite :
16 arrobas de assucar.
2 mecas com arros.
8 libras araruta.
1 caixa de abiria.
16 libras cha da lodia.
2 saccas com caf.
2 arrobas doce de goiaba.
6 barricas farioha de trigo SSS.
8 ranadas de vinagre.
36 garrafas vinho do Porto qoalidade.
8 Mitras farinha de tajMora.
4 arrobas toucioho de Lisboa.
2 bacas graodes de ar*me.
4 ditas pequeoas dita.
3 ditas de ferro bando para lavar rosta
50 pralos de folha.
50 ligellas dita.
50 cocos dita.
6 lampeoes de qualro bicos.
1 escrivanhia de lalo.
32 escarradeiras d metal.
3 lavatorios de ferro.
6 copos granaes de vidro.
6 ditos pequeos dilo.
23 orinoes com lampas.
40 caixas de relreila.
6 banquetas.
100 camisolas de brim.
20 camisas de flamella.
100 fronhas de brlro.
200 lences de brlm.
38 loalnas para rosto.
12 lalheres.
50 manas de la.
1,000 papeletas impressas.
500 baixas dila.
500 altas dita.
1,100 mapta- diarios dito.
150 dlos senianaes dilo.
1/8 acido arcemoso.
2 libras dito tartrico.
12 vidrosagoa de flores de laraogeira
12 garrafas de labarreque.
6 ditas agoa de melisa.
8 libras de alcatrao.
40 garrafas alcool de 36.
2 libras amonaco lquido.
2/8 areeoiai > de soda.
4 arrobas assucar cry.-talisado.
2 libr.i< bagas de zirnbro.
2 ditas balsamo da meca.
2 dilas dito de tol.
i arroba banha de porro.
2 libras bicarbonato de soda.
200 caixas para pilulas.
2 libras camphora.
2 dilas canilana.
2 ditas carbonato de potassa.
12 duas cera auiarella.
12 dilas branca em grumo.
4 ditas crem r de laiiaro.
2 tidroa creosote cliloroformisado.
1/0 diascordio.
36 encerados de Le Per,drel o. I, 2 e 3.
i libras enxofre sublimado.
1/0 ergolioa.
1 libra estrato de belladona.
8/0 extrato de fumaria.
8/0 extrato de jurubeba.
2/0 dito de opio.
2 libras llores de frnica.
2 dilas dilas de malvas.
2 dilas dilas de paplas.
2 duas duas de raso,
6 dilas ditas de sabugero.
1 arroba fios de pai no de Iraho.
12 fundas do lado direiD.
4 libras galhas.
2 ditas gengibre.
2 dita< gomma arbica em p.
2 ditas hyssopo.
4 ditas incens.
1 dita iodurelo de potassa.
2 ditas ipecacuauha.
4 dilas jalapa.
2/0 lactucario.
4 arrobas linhaca.
24 libras de maua.
i libra manila.
8/0 Massa de cynoglossa.
8 libras mel de abelha.
2 duas musgo islndico.
4 ditas nitrato de potassa.
20 ditas oleo de amenJoas doces.
16 ditas dito dc ligado de bacalho.
12 vidros ditos de mastruco.
8 galiies oleo de Oliveira.
30 libras oleo de ricino.
I/Oox'do branco de antimonio.
6/0 dilo negro de ferro.
12 vidos pastilnas de Santonioa.
20 ditos pipulas de Blancard.
20 vidros piplas de Valet.
2/0 prolo chlororeto de ferro.
2/0 prolo lodoreto de mercurio.
3 libra pedra urna.
2/0 per-chlorureio de ferro.
8 libras rezma de angico.
800 rolhas de cornea.
2 arrobas salsa parrilha.
12 vidros salsa de Brisiol.
200 sangtiflogas e bamborgo.
12 sondas oooicas de goman elstica ns. I, X,
i e 4.
12 dilas de metal de o. 1 a 11
6 Seringas de metal para canter.
8 libras seone.
8/0 trtaro emtico.
4/0 tintura de carabina.
I
.
MUT
-1


npi
tUrlo de perttrtl *#*_ felfa tlJe novembro de $.

1
/O dita de colchico.
4/0 dita de sjcciuo.
i/0 theriaga.
4/8 valerianato de ilropiDI.
40 garrafas vinho branco generoso.
30 ditas di lo do Porto.
2 rolos visicatorio de Albspare.
6 vidros xarope de Digitoles de Labelonye.
12 ditos dito de naf; d;i Arabia.
6 ditos dito peitoral de Guy.
20 garrafas dito de pontas'de espargo.
1 alambique pequeno de cobre estaahado.
1 apparelho para a*ua< gasosas.
i copo de gradoar Je li ongas.
3 funiz de vidro sendo una tnaior.
4 gral de porcelana.
4 peneiras de cabello
( espaoador.
As pessoas que quizerem vender ditos artigos
apresentem suas propostas na sala do conselho s
11 horas da maaha do dia 22 do corrente.
Sala do conse'ho de compras do arsenal de guer-
ra, 17 de novembro de 1865.
Manoel Jos Azevedo Santos.
Tribunal do eommerclo
Por esta secretaria e de ordem do tribunal se
faz publico que dea nesta dati registrada a escrip-
tura ante nupcial e de do'.e, celebrada entre Joo
Antonio de Araujo, D. Anaa Soares de AmoTim, o
Jos JoSo de Amonan e sua raulher, na qual sao
dotadores o l" e os ultimis, e dotada a 2*, consti-
Miado o dote a quanlia da 20:0905 dado em par-
tes iguaes pelos dotadore Araujo e Amorira, em
dinheiro e acedes do nov > bauco desta provincia,
con a condico de nao entrar o dote em commu- :
nho. na cononniJade do 6 do art. 874 do cdi-
go do commercio.
Secretaria do tribunal do commercio da provin-
cia de Pernambuco 15 de nnvembro de 1865.
O oflicial-maior
Julio Guimaraes.
Pela mesma secretara se fai Igualmente publico
qm nesta data fica registrada a escriptura de dis-
solugo da sociedade que tinham nesia cidade Joa-
qaim* Antera de Oliveira Luso e Antonio Leite de
M.galbes Bastas, sob a lirma de Magalhaes Bas-
to^ & u., cujo estalwleei ment venderam para pa-
gamento do debito social.
Secretaria do tribunal do commercio da provin-
eia di Pernambuco 15 li novembro de 185.
O ofllcial-maior
Julio Guimaraes.
Pela mesma secretaria se faz tambem publico
que fica nesta data registrada a declarado de lar
expirado o preso da durarlo da sociedade de Joo
da Cunha freir 4 Primo, e que licaram liquida-
das todas as eootas sociaes desde o 1" de julho pr-
ximo passalo.
Secretaria 15 de novembro de 1863.
O offlcial maior
Julio Guimaraes.
Tribunal do comniercio
Pela secretarh do tribunal do commercio de
Pernrimhuco se faz publico, que nesta data fica
inscripto no hvro da matricula dos commerciantes
o dr. Antonio Francisco Leite, eidadao brasiieiro,
estabelecido na cidade d^ Macelo, provincia de
Alagoas, cora negocio de fazendas em groso e a
ratalho, e compra e venda de gneros do ptis.
Secretaria do tribunal do commercio de Pernam-
buco li de novembro de 1865.'
O offlcial-maior,
Julio Guimaraes.
Pela mesma secretaria se faz igualmente publi-
co que nesta data fica registrado o contrato de so-
ciedade de Joo Bernardo da Costa Reg Mmteiro
e Jj. rodrigues de Honra, estabelecidos oe;ta
cidade sob a tirina de llego & Honra, da quil s
p i l-ra usar o socio llego, devondo dita sociedade
durar por espago de tres annos, contados do lo de
outubro ultimo com o capital d; 10:0005, para o
qnal entra o socio Reg com 7:000$, e o socio
M tura com 3:000| em dinheiro.
Secretaria 10 de novemliro de 1855.
O olnVial-mator
Julio Guimaraes.
O conselho de compras do arsenal de guer-
ra, em virtnde do aviso da repartigo da guerra, ii.>nrQUe Jorge inventarame dos bens de sua
de 11 de m.irco, e ordem da presidencia de 21 do n)da jj||ia Hjrm, Adilai1e dos Santos Campos
ni"-oi i mez e do corrente anno, precisa comprar o
0PUNT!SM4BR\\C0
Finda a comedia segalr-se ha o jocozo dueto
O meirinfio e a pobre
Cantado pela Sr." D. Eugenia Cmara e o bene-
ficiado.
Terminara' o espectculo a muito applaudida
comedia
E4TIVE NO CLUB,
Os bilhites acham se lesdeja a disposicao do
publico em casa do ben'ficiado na ra de Santa
Isabel n. 13 e no dia do espectculo no escriptorio
do theatro.
Comegar as 8 horas.
AYISQS MARTIMOS.
COMt'ANHIA PERXAHBULANA.
DR
Navegues costeira por vapor.
Parahiba, Natal, Maco, Aracaty, Cear e
Acarac.
Segu no dia 22 do corrente o vapor Mamangua-
r:, commandante Ratis. Hecebe carga at o dia
I. Encommendas passageiros e dinheiro a frete
at 2 horas da tarde do dia d sahida : escriptorio
no Forte do Mates o. 1. _______________________
Coiopanhid Pcrnambucana.
Acarad!.
Os Srs. carregadores de fazendas oo qnaesquer
outros gneros para o Acarac pelo vapor Maman-
guape, sao convidados a manda-Ios embarcar quan-
to antes, por isso, qne sao os ltimos a sahir de
bordo.______________________________
Para I,isl>oa
sahira' com brevidade o bngue portuguez tCons-
tante Q*< recebo carga a frete e passageiros, para
os quaes tem excelleotes commodos: trata se com
Mauoel Ignacio de Oliveira Filho, no largo do Cor-
po Santo n. 19, escriptorio. _____________
Rio de Janeiro.
A barca Jovetn Palmira, de 1* classe, segu com
brevidade, e recebe alguma carga a frete : trata-
se com o consignatario Joo Francisco^ da Silva
Novaes, travessa da Madre de Dos n. o.
Para o Rio d Janeiro segu em poucos dias
o patacho nacional F por ter parte de seu
carregamenlo prompto ; para o resto trata-se com
seu cuosignatario Domingos Alves Matheus, ra
do Vigario n. li.____________
tara o Rio de Janeiro
Vai sahir com brevidade o brigue Adelaide
por ter a maior parte de seu carregamento trata-
do ; e para o qua Ihe falta, tratase com o consig-
natario Joaquim los Gongalves Beltro : na ra
do Vigario n. 17, t andar.________________
Para o Rio de Janeiro
segu em poa-,e* das o palhabote nacional Arroio
Maloi, que receba anda alguma carga e escravos
a frote, bem como passageiros, para o que tem ex-
celleotes aecomraolagoes : trau'se na ra do Tra-
piche n. 4.______________________________
Para o Porto,
Deve sahir com brevidade o brigue portuguez
Esperanra por ter a maior parte de seu carrega-
mento ja'' tratado : para o resto e passageiros tra-
ta-se com Cunha, [raaos & C, na na da Madre
de Dos n. 1, oucom o capito a bordo.
r?
lili
f
u
Leilao
"W tjt eo -33" HF2
Terca-feira 21 de novembro as 10 horas
em ponto.
O agente Pinto fara leilo a requerimento de
segualo:
5i0 metros de panno asul.
(3n0 ditos de algndozlnho.
l'i-'ii) ditos de aniagem.
As pessoas que quizerem vender ditos artigos,
aprsenteos suas projo>tas na sala do cunsellio as
II horas da mauhaa do da 22 do corrente.
Sala do conselrn de compras do arsenal de guer-
ra, '20 de novembro de 1865.
Manoel Jos Azevedo Santos.
" Subdelegad* da Boa-Vissa
Pela subdelegada do Io duaricio da freguezia d
Boa-Vista se faz publico que desde o da 12 do
corrate mez se acha recibido casa de deteugao
um preto que declarou cha(nar-e Francisco, e ser
escravo de Joao Cavalcanti, senhor do engenho
Moiiiop-, do termo de Iguarass.
Suli.lelegacia do Io districo da freguezia da Boa-
Vi.-tt lo' de novembro de 1865.. O subdelegado
suppleute em exercicio.
F. F. Martins Ribeire. _
I* seceo.Secretaria de polica de Pernam-
bom 17 de novembro de 1865.
D; ordem do llim. Sr. Dr. chefe de polica faijo
publico para conhecimeno de quem intere'.sar
possa, (ine a' casa de detenco se acha recolhido
desde 16 do corrente o cabra Antonio, escravo,
que f )i preso como fgido, no termo de Ipojuca, e
de ir iu pertencer a Ignacio Marques de Araujo,
morador no engenho Camali i do Norte.
O secretario,
Eduardo de Barros Falcao de Lacerda.
Attenco.
No dia 2i do corrente, sexta-feira, ao meio dia,
na sala da- audiencias, Huda a do II m. Sr. Dr.
juiz municipal da 1" vara, se ha de arrematar por
venda urna casa de pedra e cal assobradada, sita
na ra Rial da freguezia da Boa-Vista, com gran-
de sitio e arvores de fructo, avahada por aOjOOOff.
Correio.
Pela administraco do correio desta cidade se
faz publico qqe a partida do vapor Paran para os
oorio> do su!, fu lran>fenda para boje (21), le-
en uid) segundas malas para os respectivos porlos
as 3 horas da tarde.
por mandado do lllro. Sr. Dr. juiz de orphos, dos
objectos cima mencionados existentes na casa da
ra do Pocinho, em que morava a mesma Uada,
as 10 horas do da anima dito na referida casa, em
frente da qual se achara' urna taboleta annuncian-
do e leilSo, visto nao ter numero a mencionada
casa.
O leilao das obras de ouro, prata e escravos
pertenceuies a mesma tinada (o qual devera' se
effeciuar no Recife) sera' aonunciado pelos jor-
naes. _____________________________
LEILAO
De duas escravas mocas com habili-
dades."
O agenle Martin* far leilao prer dida a compe-
tente antborisaeo de duas escravas mogas de b o-
uilas figuras e com habilidades.
IEOJE.
As II horas do dia a porta da Associagao Com-
mercial.
LEILAO
De vinko tinto.
Qnarta-feira 22 So corrente 3s \ horas.
Tisset Freres transferio o lello de vinlu liulo,
por interveneflo do agente Pestaa, o qu Se ef-
fectuar quinta-feira 23 do crrente em lo es a
vonlade dos compradores; pMas 11 horas di ma-
nha em ponto no armazem do Sr. Azevej de-
fronte da escadinba da alfandega.
Leilao
De moveiSi escravos, louca, vi-
dros e outris artigos de gosto
Cordelro simos
por conta e risco de qtierh p'?rtericr fra' leilSo
de mobilias de Jacaranda' e amarello, mesas els-
ticas, cama franteas, mafqdez*; c4eiras, ap-
parelhos para almoco e jamar, garrafas, ropis,
clices etc., na mesma occaso vender' urna
mulata deidade 16 a 18 annos, coze, cosnha, lava
e vende na ra e com mais algunas habilidades,
Isto
Quinta-feira 23 do corrente.1
as II horas no sea armazem a ra da Cruz nume-
ro 57.
LEIiAO
De miodeas, perfumaras, ferragens,
eale'eriars e chapis.
Quinta-feira 23 do corrente.
Mello, Lobo Se C faro leilao por intervencao do
agente Pestaa e por conta e risco de quem per-
tencer de nm completo sortimento de miudezas,
feffurnarias, ferrag^ns cutelnas e chepos : pelas
CURSO ESPECIAL
DE
PREPARATORIOS
para os esudanies que deven*
fallir actb m marco.
Jos Stares de Azevedo, professor de
lingftla e Iiit'ertur' nacional no Gytilnasio
Provincial do Recife, tem aberlo etn sua ca-
sa, ra Bella n 37, um cufso especia! dos
seguintes preparatorios, para aquelles estu-
dantes que tiverem de fazer exame em
margo prximo :
Llngua Franceza
Cicographta e Historia
Phllosophla
Rhetorica e Potica
As pessoas que se quizerem utilisar desta I
vantagem, podem dirigir-se iodicada re- j
sidencia, de manh3a at as 9 horas, e de |
tarde a qualquer hora.
II horas da manlia
da Cruz n. 63.
em seu armazem, na ra
AfH9 WTIMOt.
O Sr. pissagero do paqaete chegado
sabbado m pwtos do norte, que trouxe
Orna carta e urna eacomm^nda para o pro-
pietario deste DIARIO, queira annunciar
$ua morada ou a mandar entregar a livra-
ria n. 8 da pra DE
PORTA.
As fimts (Jne eeat eTcommeflda-
lo foliiinlias 4i porlfi par OMitr de
?866, qaeiram vir busca-l*8, a Hra-*
ri que acabas de sahir do pelo.
FABRICA A VAPOR
99 RA 00 MONDEGO 99
Deposito na ra Xova a. so leja de rclojoelr*.
O dono deste eslabelecimento parlecipa ao respeitavel publico qnp h fabrica
est montada com as inelhorrs machinas que existem na Europa, e que ptle fobricar
com melbnr perfeiio possivel. Todo o chocolate desla fabrica est garantido, e poro,
o que nao se pode encontrar naquelle que vem de foro, e que se vende por preso baixo,
visto os producios serem do paiz. Na eliq ela tem Sempra urna a^oia.
FREgO.
Meia libra......... 4'0
Una libra......... 8t)0
Urna arroba........195000
Na mesma fab ica acaba de se montar urna officina com serrara a vapor para
AUb O0(JU$0UU, L'.\)\)fj>\J\J\) obras ae marcineiria propria para edificio, para o que encarreg -se de km portas, ja-
nellas, assoalhos (parqu francez corno se usa na Europa,) ludo com brevidade e per-
, feicao. Toma-se qualquer encotnmenda para fra da cidade, entregando-se i rooii.ia a
BILHETES A'55000, MEIOS A'25500 E couar-se no lagar.
Corre qaarta-felra 49.
Acbam-se venda na respectiva thesoa-!
raria ra do Crespo n. 15, os bilhetes,
meto e quintos da 4a parte da 5* lotera
(40a) beneficio da Sania Casa da Miseri-;
cordia, euja exlracco ser no dia cima
publicado, e no lugar chora do costme.
Os premios do 6:000300O at 105000
serao pagos una hora depois da extraccao:
GARRAUX E LAILHACAR & C.
LIBRAIRIE FRANQA1SE
Ra do Crespo n 9.
LIVROS NACIONAES E ESTRANGEIR05
Religio Philosophia Jurisprudencia Lillera-
tura Sciencias e artes.
Papelaria, objectos para escriptorio.
LOTERA
00$000,1:2
e 5000000.
ACIONAL
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
horas da tarde, e os outros depois | AUT0R!SADA PELO REAL DECRETO D 21 DE DEZEMBRO DE 1859
As^coSndas serf/guard.das somen-' ma flanea em dinheir,, -lejftsitado nos cafres fe staffo, granle a toa ti-
LEILAO
Oe ama escrata moca de 20 annos.
O ageotft Martins fai leilao por mandado do
lllm
crnne
de 20
guma causa de co-tnra, r,o-iiiia e eosaboado.
IIO.li:.
. Sr. Dr. iaz Je direito da primeira vra do coacrrtam-se os msinos,_ sendo
ieesubtitatododafaipnda de urna escrava M* cam toda a pnrlfeieao, pre
!0 annos de idade, binita figura, sabendo al- prego : na ra do Crespo n. i
Sociedade de seguros mu-
tuos sobre a vida
nnriuiiiFvrr
O b;inoo Alltanc.a do Porto tendo estabelecido es-
ta sociedade debaixo de sua imniediala vipilancia
e responsabilidade, foclktoa a creaeo de capitaes,
dotes, rendas, pen^es, isencoes do servigo das ar-
mas etc., por meio de suhscripc5s. nicas ou an-!
nuaes, as quaes convertidas em inscripcoes da di-
vida publica, de, renda nacional, e da mesma forma
os juros semestres que d'ellas se forera vencendo,
ficam por nm cirio numero de annos em deposito,
at qup, lindo o prazo estipulado, sao restituidas
aos socios com os ioteresses amontoidos, bem co-
mo as que pertencerem aos associaios fallecidos,
visto que d'estes gao b^rdeiros os sobreviventes.
Pela engeahosa eombioaeao econmica adoptada
nos clculos desli sociedade, v6-se que, com urna
entrada annml de 503000, por exemnlo, obtem se
em S annos'4503000 a .-505000. em 10 1:5005000
a 2:000^O0, em 15 3:5005000 a 1:5003000. em
20 8:0003000 a 10:0003000, em 25 18:0003000 a
25:00050>tO, confirme a idade do individuo sobro
quem feilo o seguro, pois que nos referidos cal-
culos conl.i-se com a maior ou menor probabilida-
de de duragSo de vida.
Esta sociedade sobrotudo vantajosa aos chefes
de familia, vi fundaeao de um capital ou dote para sens filnos ou
Blhas, segurando os quaodo nascem ou emquanlo
sao cnangas.
Quem, pois, mais cirenmstanciad-s informacoes
desojar sobre tal sociedade, ou se quizer inscrever
'como socio d'ella, dirija se a ra da Madre de
Deus n. 28, onde se poder entender com loio Car-
los Coelho da Silva, que para isso se acha encar-
regado,_____________________
Fabrlea de chapeos de sol de a.
Falque, ra do Crespo u 4.
N-ste autigo e acreditado etabelei;m''nto acha-
se sempre um completo e variado sortiment-.- de
chapeos de sol de tolas as qnalidades e precos,
tanto de seda e alpaca, como pao de todas as co-
res, para horneas, senlioras e meninos, yuanto aos
precos sao os inaN razoaveis possiveis, tambem ha
um grande snrtl i eoto da pegas de seda, alpaca e
patio para as pessoas qne quizerem enrommendar
chapeos de sol e mandar cobrir armacoes servidas,
sendo todo este trabaiho
steza e commodo
te at a noite da vespera da extraccao
O ihesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Sou'.a.
-^"b. Mana Felfppa Sonto scientifle aos Sr.
pas de suas- alomira* e ao respeitavel publico que
acaba de transferir sua aula de. instrucrao prima-
ria do lercciro'aoda1 da casa d. 5 a ra do Viga-
rio para o terceiro andar da ca=a n. 3 contigua
aquella na mesma roa, onde contina bo exercicio
de seu magisterio, e a receberalumnas tanto exter-
nas como internas, pensionistas e meio-pensionls-
ta-, para o que a casa off-recc gr;.ndes e excelleo-
tes Hceommodacoes.
Igualmente scientifica que se encarrega de qual-
quer obra de agulha com promplidao e bemfeito-
ra, as-im como conliii ve*tir arijos para pro-,
cis^5es com asseio e go-to, para o que tem novos
e bonitos vestuarios. Quem, pois, a Ojoizer honrar
com sua conlianga, lenba a bondade de se dirigir
casa indicada, ccrlo de que os pregos sao bstanlo
razoaveis __________^^_^^^__^^___
Club Pernambucano.
O baile do ariniversario de sui installa-
fo lera lugar em a noite do 1. de de/em-
bro prximo futuro.
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O Baaco de fSespamba
ministraco ra companhia.
DIRECCAO GERAL
Kadrid : Ra do Prado a. !
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinagoes de suf'ervitencia d ..- ef-
ros sobre a vida.
Nella pode se tazer a subscripgao de mnneira que em nenhum caso mesmo por oiorle o
segurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sotao suprcheuJuntes os resultados que produzem as sociedades da ndole rteA 2CACIC-
NAL,que ainda mesmo dimluuindo urna terca parte do interesse prodotid* em tretuet li-imilav
edes ecombmanlo-o com i nortali-liJe da tabolla de Depareieux que adoptada pela cutiitanfci
para seuacalclos e liquidactSes, em segurados de idade de3al'Jannos, umaimpusigaoaoaa.
de 1004 produz em effectivo metlico:
No Gm de 5 annos. ....... 1:1192300
, de 10........3:94S*O0
, de 15........11:208*100
de 20........30:S56000
. de 25........80:::tl4000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais considerareis.
Prospecta e mais informacoes serao prestadas pelo sub-direclor nesta pfoviaeia.
Joaquim Fiuza de Oliveira, ruadaCadeia n. 5S, ou a Bua-VfeU rua da Imperalrii n. i2, estabe'ert-
|mento dos Srs. Ravmundo, Carlus.Leile & Irmo.
u
DE
CAVALLO
rim
Aos 6:000^000.
Rilhetes garaaidos.
A beneficio d is i'.nuilias dus volniil-
rios da patria.
A' RUA DO CRESPO N. 53 E CASAS DO OOSTME
O abaixoassigoadovendeu aos seos muitofeli-
Ama
, Precisa se de urna ama de l-te :
vramenle n. iO, segundo andar.
na rua 4o Li-
l'as.samentrg de fexla e
banhos .sal y ador
Aluga-se um sobrado em Oliuda, n> piioripio da
ladeira da Misericordia, na esquina d. r.a lo
Na noite de 18 pji
tavallo mellado catito,
com sellim inglez q
dinas a cauda preia
hem subre ambos ds lad do pescogo, e tem una
fenda pequea na mo direita ; esta acostumad > a
andar em cabrioletie bem conh-cido nest.> prag:
quem delta der noticias certas ou lvalo a' estan-
cia, so'irado de doujs andares n. 2, ser gratificado.
Candida Balblna da Paixo ocha, professo-
Um meio n. 2145 com a sorte de 5005000. [J" : quem o preten
E outras muitas sortes de 1003, 405, 20* e Ttorea a. 50, oo Mkie J^M^te^*
jqjqqq Olimla, na rua de Mathias Ferreira, juato ao
Ospossuidores podem virreceber seus respec- Toncli.
is na Casa
Sr.
ra particular de in
menino, participa a
truego primarii do sexo fe-
os pais de suas alimonas que
mndou provisoriamente sua aula da rua do Ran-
Alafa se a excellente casa terrea n. 20 sita
na rua da Florentina, cora bons commodos para
O leilao lera" lugar na praga do Commercio jun-' grande familia por ter 2 salas espacosas, 6 quar
to a Associago Coramerctal, as 11 horas.
Corren geral.
Relao das carias vindas do exreilo para os se-
nliures abaixo declarados :
D. Auna Frederica Cavalcanti do Reg Barros.
D. Antonia Joaquina da Conceigao.
Antonio Francisco Carneiro Leao.
R'rmrdino Jos da CoMa.
Emiliano Ernesto de Mello T.
Francisco Antonio C. Cardoso.
Francisco Antonio de A-=sis Ges.
Fraaeiseo Aatonio de Sa Barrel".
FraneiMO Ferreira Martins Ribeiro.
1). Isabel R. de Arruda.
Juitiuo Jo- da Suva.
Javino de Souza Rhis.
Joaqium Simes Daltro Silva.
J o rio Alendes Monleiro.
Joan Pam|ihilino Cavalcanti.
Jo- da Costa Rabello.
Lo I s Antunes
D. Mirianna Augusta da Rocha Bastos.
I). M tria Senhennha da Silva Leite.
Man oh I iviniano de Santiago.
Mano-I J i- de Albuquerque Mello.
Pedro Celestino Pereira.
I). Senhorinha Maria do Carmo.
D. S Iveria Miria Joaquina da Conceigao.
D. Tnereza Emilia de Medeiros Jacome.
D. U noelma Amelia de Moraes.
Z-feriiio Carneiro de Almeida (2).
Iluje terca-feira.
E. A. Burle & C.a continuarito por intervengao
do agente Oliveira, o seu leilao de variado sorti-
i ment de fazendas inglezas e francezas, e chapeos,
; comegado hontem 20 do corrente.
LELAO
De movis, louca e crystaes
Como sejam :
Urna mobilia de Jacaranda, 1 relogio de parede,
tos, grande cosinha fora, um ptimo terrago, gran-
i de quintal com parreiral, e excellente agua para
1 gasto : quem a pretender procure entenderse com
o proprietano na rna do Hospicio n. 50.
Oahaixo assignado lendo no Diario de boje
um annuncio variado om toda sua plenitode na
mais requintada m fe e firmado pela annunciante
\ Antonia Mana de Jess, acerca de um sitio deno-
minado Barra no lugar das Curcuranas, vem o
j o esmo abaixo assignado pedir ao respeitavel pu-
blico se digae suspender qualquer juizo deslavo-
ravel at que por documentos prove cabalmente
por este mesmo Diarto c, contrario de tulo quanto
se acha espendido em dito annuncio.
Jos Rodrigues Ferreira.
TIIIE* CitO
DE
S. IS46SL
EMPREZ A.--OOIMBRA.
JIENEFICIO DO ACTOR
SANT*. ROSA.
Terea-feira 2L de uovembro
de 1865.
Tlepreseatar-se-ha a liada comeda ero 3 actos,
ornada de aiusica .
Ignacio Ferreira Mattos, subdito portuguez,
de sua
2 jarros para flores 4 quadros 1 cuarta vestido, i ara a Europa, alien' de tratar
1 guarda louga, 1 mesa de Untar, differenles ca-1 ,""[.* w-i
deiras, 1 commoda, louga, vidros e outros objectos i '______________________________
existentes na casa terrea da travessa do Pocinho
numero.
Sr. Dr. Claudino de Aranjo Guimaraes cnsul por-
tuguez de um escravo possante e urna nreta velha
pertancentes aoe;oolio do fallecido subdito portu-
guez Manoel Jos Freir de Andrade.
Quarta ftira22 do corrente.
As 11 horas do da junto a Associago Commer-
cial.
PtifHO
De nm escravo e uma preta vellia. rvQ i,nT.P1 n^la7fl Mira a flplin
O agente Martins far leilao por ordem do lllm-' V* arCd lllgieZd JIL1I d VJtd
a> 21 -Caes 22 de noem!iro24.
Paulo Jos Gomes & Mayer, por verem a Ulili-
dade que podiam tirar os propietarios de al-
guns terrenos devolutos, que por falta de meios pe-
cuniarios, tam deixado de edificar, resolveram-
se arrematar parte do carregamento de madei-
ra da barca ingleza Mira & Celia, arribada neste
______________________________________________ I porto.
-, m m JS *^ a vantagem que olTerece esta madeira, ser de
Miliil li/mlP ama so bitola, tanto em grossura, comprimento e
De mobilias completas, cadeiras avulsas,! largura, tendo 1 pollegada de grossura, 5 a 6 de
suarda Mrtna anclnarin dp iacjiraml largura e 22 palmos de compnmento, e a dnziacus-
guaraa roupa, sanctuartos ae jicaranua, ,ar 7^ Por,aD,0 P6de-se fazer urna casa com pou-
pianOS re mesa e armario, mesas elasti- co dinheiro, e usofruirse lucros mensaes, que at
cas, sofs, candieiros a gas, relogios, ca- ento nao se percebia, por faltar este recuso. Mui-
deas para OS mesmos, perfumaras e ,'as casas nos suburbios da cidade, feitas de palhas
nnirne mnitne ariiono de coqueiro, multo melhor sera agora, seos pro-
OOtros muttOS artigos | prelarj.js substitui-la- por madeira, porque terSo
Quarta-feira 22 (JO Correle as 11 IlorOS casa de melhor gosto, duragao, sem ser preciso an-
NO GRANDE ARMAZEM DE LE i LOES darem constantemente reformando-as. Os inqni-
l"ifl ATFXTP linos ficaro mais tranquillos, porque o malditos
eros, nao aucarao fogo com tamanha facilidad?,
e por de ca' aquella palha as sobreditas casas. Mui-
tas outras obras se podero fazer com esta madei-
ra, que sendo para estarem expostas ao sol e a
chuva, nao sao atacada' pelo cupim, como temos
visto, casas e cercas durarem annos sem serem vi-
sitadas por estes malditos Paraguayos. Constante-
Atente vo para Montevideo carregamentet de ma-
diras desta qaalldade, c nos por vermes aet-
Iracgo que (em nesta cidade, compramos esta, e no
caso de ter, compraremos a^sim como compramos
earregamentos da outra, que tem extraejao nest
eidade e que se acham a venda em uossos arma-
xens. Temos tambero grande quantidads de bar-
rotes de diferentes grossuraa e compriroentos que
vieram juntamente com esta madeira._________
CORRER
Os Srs. Antonio Sabin i do Moate- e Manoel Fer-
nandas de Araujo Jorge queira dirigir-se a re-
partigo do crrelo afim de receuer caria reeora-
mendada.
OLYMPIO
36Rua da .adela do lleulle -;i
LEILAO
De miudezas e ferro,-
gensm
(Jaarta-feira li de novembro.
Vaz & Leal faro leilao por inleTvengo do agen-
te Pinto, de um completo e variado sortimento de
miudezas e ferragens e maltas outras naercadorias
existentes em sea armazem a' rua da Cadeia o.
19, onde esperam a concurrencia de seus fregue-
zes e amigos as 10 horas em ponto do dia qa-arta-
feira 22 do corrate.
gel o. to para a de
na em seu magisl
Santa Rita o. 10, onde conti-
eno
livos premios sernos descontosdas
da Fortuna rua do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 0' parte da loteria
(39'J beneficio das familias dos voluntarios da
patria, que se extrahir terca-feira 21 do cor-
rente. ,
PRECO.
Bilhetes .... 65000
Meios......35000
Quintos.....1,5200
Para as pessoas que comprarem de 100!000
para rima.
Bilhetes.....55500
Meios......25750
Quintos.....15100
Manoel Martins Fiuza.
enea d
A i
No dia 17 do corente fol a' praga por mandado
do lllm. Sr. Dr. juiz, municipal da l* vara, um ter-
reno na rua d >s Osfos, e urna casa terrea na rua
do Carmo, perlencentes a Manoel Joaquim da Sil-
va Ribeiro, por exequeo que contra o mesmo mo- Tendo a irmandade do Divino E ve Antonio Jos Vi-fr. Ignorando quem fosse o da igreja do Cllegio, resolvido em sessao de mesa
dito Vieira, casualmente soubemos ser um crioulo conjunta, mandar fazer de marmore branco Bao a
pai de familia, que i cusa de militas economas capella-mr de sua igreja; convido de ordem da
pode grangenr a pediieni quantia que tem motiva- mesa regedora qu-llas pessoas que se acbarem
do esta queslao : entretanto aprsenla se agora o habilitadas a man lar executar semelhaote obra,
Sr. Reg promovendo queslao contra o mesmo Ri- a examinarem a planta que se acha exposta na sua
beiro e conta ja'corp urna sentenga favoravel, pa- sacrista, e a apresentarem as suas prf postas no
ra entrar em raleio ifo referido terrele casa: Nao pra*o de 40 dia; contados desta dala. Consistorio
sabendo os direitoslque assistem ao- Sr. Reg, da irmandade, em 10 de novembro de 18bo.
aguardamos a final ;decisao do Ulm. Sr. juiz, a
quem compete dar a sentenga. confiando que d a
Cesar o que de Cejar, e i Deus o que de Deus. precisa-se de 2:2005 a juros e por pequeno
Francisco Belarmino dos Santos Freitas
i
O observador.
-
MSO
O abaixo assignadoi, negociante estabelecido nes-
ta povoago, avi praso, dando se para garanta cinco escravos de
1 valor : quem os quizer dar aocuncie para ser
procurado.__________________
Na rua da Aurora n. 86, primeiro an-!ar, ha
para alugar urna escrava moga qde cozinha e en-
gomla sollrivelmente._________________
Aluga-se
Recife que se dignemiapparecer por si ou por pro- Q caada ai. ,
curadores munidos di) poderes bastantes para se f 33'
pagarem dos beos qu* possue o abaixo assigoado, tralar na rua aa>ruz t-----------------_-------
ou Ihe coicederem urna moratoria, qual mais qui- Aluga-se o terceiro andar do sobrado da rua
zerem. O abaixo assignado tendo tido o infortu da Imperatriz n. 31, com commodos para grande
mo de ralr em conseqaencia de urna especulagao familia : trata se na loja do mesmo sotirado.
de compra de algodao; que emprehendeu, deseja __ para casa ,e pequea familia ou de homem
pele modo declarado oonvencer aos seus genero- sonero offerece-se urna mulher portugueza para
sos credores, que semelhante revez nao nascea de eDg0mmar ecozmnar: trata-se na rua de S. Fran-
culpa sua, e bem INM, que sua intengo pre- C|SC0 D -jq
ludicar o menos po-sivel aquelles que delles se B ___
darara. Alaga do Monleiro 24 de ouiubro de 1865. Venerare! ordem torecira de N. S. do Carmo
Francisco Antonio de Souza. O abaixo assignado, actual mestre dos novigos,
~ ; tendo de instaurar de novo no dia 21 do corrente
I o tergo que se costumava resar cantado na capella
de Sant'Anna desta vencravel ordem, as tergas-
attscAo
Pede-se ao Sr. Dr. ctjee de polica lance a devolas ll mesmo ,
vistas para a rua das Larange.ras, onde, a noite, ,;,, a e5ta to pia devogao, e tambem espe-
urna sucia eolende d* fazer da rua o logar de to ^ seus Jrmaos Qvj seYapre,Cntem na mes
mar fresco, obstruindo o passeio com cadeiras, ma;no snestes dias como tambera as sextas
obr.gando os viandantes a descerem a calgada, fer'as para adorasao do Senhor morto.
como se isso fosse permiitido pelas postaras mu- \ r jos os santos Lopes
nicipaes.
Precisa-se alagar ou mesmo r .i,r ir ama
preta de meia idade, que seja boa qnandeira : a
tratar ua rua dr Cruz da Recife n. 2, primeirj
andar. ____
Aoseiitouse do sobrado n. I i la travesea 4%
matriz de Sanio Antonio, no sabbado 16 do rorn-n-
lOi um moleque d-- nome J r\,, o qual tena 10 oa 12
annos, tem um pequeo ^ign.l d- iiib i no 'io,io.
sabio com camisa e ceroula doalgoi.i"/.m!i.i: 'ju'oa
o pegar leve a' casa supra, fO aera gratilira-Jo.
Precisase d : um caixeir i para lomar roU
de ama taberna por balang. dase Itj o'il--na.iV>
ou int-resse : a tratar na rjj de S. Francisco aua-
tnero 30.________________________________
Precisa-se de urna ama qde eo'.iohe eeiKo-i-
me para casa de pouca familia : a tratar aa n
do Queimado n. 51, loja.
Antonio Jos M.rtins Lima, moraor aa -illa
do Cabo, tem para vender dous sevad-w : que
precisar dirija-se a mesma villa._______________
~Preclsa-se de ura co:inneiru, prefere so s-
cravo : na rua da Cruz n. 7. ___________
Precisa-se de um rapaz portu.nn at a ida-
de de 20 annos (-ara caixeiro de urna taheroi
Parabyba : quem ouizer dirij.vse a i cftahriaaV
menlo de Rarros 4 Silva, na rua da Madre QVtVa.
Precisa-se da quanlia de i"05 a jar, *. ar
prazo de 3 mezes, pagan io-se 1 4' por c_*>;
quem pretender a este negocio pedo dtafpr-wa
apunga, rua das Crioulis o. 23, ou anuuocie pwr
esta folha para ser procurado.
Os abaixo assignados, fax-m publico qir-. na
da 31 de outubro prximo pa-
, aiiffavHaaen-
te dissolveram a sociedade qne at --ntio gyron es-
ta praga sob a firma de Vieira 5etl tca k a
cargo do primeiro abaixo assi.nado, a in|nidaf
do activo e passivo da referid* Orma ntinru,
bem assim, por sua ont smente a* tran*i-cV
mercantis que tiverem lagar da referiJa dau can
diante.
Recife, 20 de novembro de 1865.
Mn _________Narci-o Jo-e Xetiii.
Des^ppareleu >> AlU'Ct*, sii'O >U O. Safta
Carolina Ferreira de Crvaiho, aaiatii dar* do
nome Isidoro, vindo ha pou^o dj P|j, idade de
16 a 18 annos, cabellos eaenead, i M.iPara pojps-
lar, o qaal tevou vestido carniza de fl aella araaxa
e caiga tambem branca, velhas, e rbapo de Mar;
quem o apprehender ou delle dr noticias ao r"
cima, sera generosamente recoropeosado
Precisase de ama ama para o servien i
de ama casa de ponca familia : a tratar aa
do Corpo Santo n. 17J_____________________
Mestre dos bovicos.
" S- I Aluga-se um sitio na matriz da Vanea, a LSCI'aVO UIJluO
i^k I _- _--_, __?_"_ margem do Capibanne, com boa casa de vivenda, D)s fins dermtnbr> prximo i>a**ad para
/-Q__, I \3 "_ "^_ ; caiada e pintada de novo : a tratar no pateo do principio de novembro correle, fugio a e*-rav
i- "a- yjt k_y ~-> Carmo n.4, ou na rua do Raugel n. 30.________ Joaquina, com os signaes segaiote-: cor fula,
CL7 I ---------------~('uZlNHEIRO talara regular, pe largos, nariz cMlo, lea
umsllio na Pssagem da Magdalena, a margem PrFP-... d nma KQa caiheira DrffHre-'e'fi'Mtriz no beigo encostado ao nariz, proveaPeaae
do rio Capibaribe, unto ao do Sr. commendador: J^ J.^umam na7uad'f^ ^n 36 d "-" lalho. toma tabaco, seeca *. e*po, ja
Manoel Ignacio de Oliveira, tem boa casa com sala captiva, e paga se nem na rua no in.picn .^ ^^ d|ffere|1|e r|Kjp -.^.^ M __,_
de visitas e gabinetes estucados e esteirados, 4 i Na praga da Independencia n. 33, loja de ridades policiaes e captes de campo qu'artos, sala de janiar e de espera, cozinha e des- onrives. compra-se ouro, prata, e pedras preciosas, nen,iam e |evem nesta praga a M .noel J-*e da JM-
pensa, (|uarto para pretoi, um soto com 2 saletas, e tambem se faz qualquer obra de encommenda, e' va oliveira, raa do Knraniamento a. IX oa a
estribarla e caa para feitor, urna baixa de capim todo e qualquer concert.______________________ engenho Bom |Saccesso, freguezia da Encada, a
par* sustentar tres caVallos todo O anno, alguns! precisa-se de um caixeiro : no armazem de ; Claadina Maria da Paixo, onde lavradora aao-
arvoredos fractiferos : a tratar no Recife, rua do. |oua jg fabrica de BarbalhoJ no pateo do Tergo radora, quoem qualquer arados logares sert.l
Rruoi n. 66, armazem de assucar.
Precisa-so de um rpemuo de'l4a 16 annos,
com alguma pratica de taberna, para caixeiro na
villa do Cabo
reita n. 32. qne achara om qoem tratar.
uumero 39.
j recompensado.
- Joo Nepomoceno AlvesJ Macil, nao Cr^"_"5" de a(tt n,Mtn' *"
qnem precisar'dirija se a rua Di-' poden.lo despedir-se das pessoas, qm O prtfCia,sa dj atn. ^ _a .____
bonram com sua amizade, pela inesperada ; e mu|her. oa rna Ao|0ai______________
Avici sabida do corpo a que pertence para o Rio: -----------------~----~~~
de Janeiro, o fai pelo presente pediodo C/*^WIt?,
desculpa as mesmas pessoas, a cujas ordens
poe o seu prestirao.
Clara Maria da ConceigSo Silva, parteira exa-
minada, mudou se do pateo de S. Pedra a. 8 para
a, roa de Horlas, sobrado n. 130.
Sorvete de creme boje ao me dia : aa nn
Trapiche n. 18.


I
i^S&k
mu
TO DUPLO
Oe quinina
MEDICAMENTOS FRANCEZES AFAMADOS
A VENDA EM PEItlAJIBITCO
Em casa dos Srs, Oaors e Barboza, ra da Cruz n. 22.
l#i
Os elemenios que oompoem esla prcparacSo. o
ferro, o iodo a quina, a col loca o no primeiro
grao das preparares ferruginosas. Basta attestai
seus resultadas obtidos pel Mdicos (tes hospi-
taes. e os relatnos des prtteos mais eminentes
que eontirmrio sua poderosa eflicacia as se
guintes tffeoodes:
Hln no ;r,
FriM|iirm>.
Anrmla.
Clilonxx- au Ictericia,
Mrnatrnu,
Affeceea a o alera,
SupprruKtcH Kaa re-
leras c ilrMinlrafi na
nirnnlruarao
Afferfia aaluuiaar e
phlfalalra,
Moleallaa fTealaniago,
Gaatralglaa,
Prrda a'a*>pe4 Cnvalficenr*r Ion
cu iiioIcnCIimc,
Matextlaa cacraCulo-
aaa,
Tapclra,
Onatrurruo dita tclan-
ilulaa,
Hiiitiorea frloa,
Tnmore* hrneoa,
KurlllllMiim.
Aff-cr"<-. nnrrnHii
c ayphllUIruH,
Pebre* (yptioidea,
BezIgHM, ctc.t ele.
r.
PASTIUMSE
IGESTIVAS
[DEPEPSlNAj
DE WASMAJf
Vejo-t* os buUetint de therapeutica medica
e cirurgica de 30 de novembre K 860; a Gazetn
dos hotpitaes de 28 dejuihotS6i\elc., etc.
Alm das pilulas de iodureto duplo de ferro e de
quinina de Rebion, os Mdicos aconsclhao
igualmente o Xarope d'iodureto duplo de
ferro de quinina do mesmo autlwr para as
pessoas que nao gosto de medicamentos sob for-
ma pilular e os meninos. Este xarope nao tcm
como o xarope d'iodureto de ferro, o inconveniente
de alterar-se e de se nao poder conservar.
Peca-se o folheto que se d de graca em casa
dos pharmaceulicos depositarios.
Para se evitarem falsificacSes, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito geral em Pars, pharmacia Rebillon,
I 42, ru du Bac, e em todas as boas pharmacias
de Franca e as dos paizes estrangeiros, etc.
As paslilhas digestivas cun a pepsina de
W asman, emprego se com successo h j
alguns annos pelas celebridades medicacs de
Pars, Londres. Vienna, etc., em todas as in-
commodidades em as quacsadi^estao 6 difficil,
penosa, impcrfcia ou mesmo impossivcl: eis
o inclhor remedio para ural as.
(."hlrulxlaa, OIui-i-hciiN n conatl-
DlKpcpNlHH, piM'.-io pruftiiKldna
EmhameofiisiiMlrlra* |i-l. -liiboraroea
A (;nilri(r, fl.fr i l NMH Aa uff.-rrocH nr^Ani- mi-utoa.
rus ilo r*(tli'i|cn,
Sua accao vivifica o sangue e os rgaos de
tal sorle |uc, alh as pessoas que sem soffrvr
as nffcccdcs gstricas cima mencionadas s3o
unicamcnle fracas ou d'um temperamento un
pouco dbil, c necessilo substancial alimento
nara forlilicar-sc, achao no caiprego das pastil-
nas de pepsina tle Wasman, um poderoso meio
para a sso cliegar.
Aviso importante.Osuccessodas pastilhas
jiepsina de Wasmanden causa a se fazerem
alsilicates e mitacdesd'csse producto que os
mulos se qiierem desfazer. Pois por falla
d'uma boa preparacao a pepsina que n'ella
entra, jaz alterada. Seremos ao abrigo d'este
inconveniente, cxigindo os compradores que as
tastilhas tenho as iniciaos B. P. e saiao da
pharmacia Ghevrier.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
211 Faubourg-Montmartre, e em todas as boas
phanuacias de Franca e dos paizes estrangeiros.
DOENGAS
dos MENINOS
CURADAS TELO!
XAROPES DO DOUTOR DANET
ante*
V 1. Con!-a aa CLICAS DOS MBNIN08
e duraur a aenllcao
(Xarope da cynoglosse e de acido succinido)
-V 2. CAntra a TOSS3E CONVULSA e a TOSSE
NERVOSA
(larope de cynoglosse e de leo voltil de succino)
.V 3. Con Ira aa CONVULCOES DOS MENINOS
A CHOREA
(Xarope de cynoglossa e de acido voltil de succino)
Estes novos productos preconizados na Aca-
demia imperial de Medicina de Paris sio em-
preados com grandissimo successo pelos mdicos
de Franca para o tralamento das molestias do-
meninos cima indicadas, e vicrSo encher um
vacuo reportante na therapeutica, no que toca as
affeceoes da infancia, para as quaes, alh hoje.
anda se nao pode indicar tratamenlo racionnal-
nem infallivcl.
(Peca-sc o prospecto em casa dos pharmaceu,
ticos depositarios.)
Preco do frasco em Paris, 3 fr.
Para se evitarem as falsificacSes, exija o com-
prador que cada Irasco tenha sobre os rtulos a
assignatura Chantea.id.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chan-
teaud. c em todas as boas pharmacias de Francy
e dos paizes estrangeiros.
GRANULOS
BISMUTH
DE CHEVRIER
Os granulos de bismuth de Chevrier em supe-
riores a todas as outras preparaefes de bismuth
empregadas antes com o maior successo pelos m-
dicos de todos os paizes, para prevenir e curar as
Msleatlaa de Usado,
A Ictericia,
Palpitara* da coraran
Darca uoa rlna,
nlurrhrua rhronlcaa,
DjaaenterlaS,
Dore d'eatoniago,
Dyapepalaa,
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
Ma digeatoea,
Gaatrltea,
Gastralgia*, etc.,
OpprcMCOrs,
Dores de cabrea,
irritacoea de bnia e e em todas as pharmacias ae Franca e dos paizes
da matriz, etc. estrangeiros.
MASSA e XAROPE
DE CODENA
M
BERTH
As experiencias clnicas e comparativas
dos Snrs Magendie, Barbier d'Amens, Wil-
liams Gregor, Martin Soln, Aran, Viga,
C. Dumont, etc., membros do Instituto de
Franca, mdicos dos hospitaes de Paris, tem
provado que a Massa e Xarope de Berth
O remedio o mais seguro contra todas as
dores nervosas e tendo a propriedade de
calmar com admiravel rapidez as tosses rebel-
des e extremamente fatigantes da grppe (ca-
larrho epidmico, defluxo, coqueluche on
tosse convulsa, bronchite e tsica pulmonar.
A Massa e Xarope de Berth, se
achao em todas as boticas.
Para evitar qualquer
falsificado,exigir em
cada produto o nome
e a firma Berth.
Deposito geral em Paris, em casa de MENIER,
Rua Sle-Croix-de-la-Brelinnerie.
\
Pelas commiisoes em grosio, dirigirsa aos S'" W1XLAERT a BERGER, comiiarioa em drogara, H, roa Saint-Laaare, Paria.
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SaffoeceAo nervosa) e Oppressao
nico remedio efficaz para combatter estas mo-
lestias, acalmar nm attaque d'asma e impedir a
volta o Xarpe aromtico de Succino (mbar
amarcllo) do Dr Danet. Descoberta inleiramente
recente, este novo producto se tem propagado
com extrema rapidez gracas aos admiraves resul-
tados que tem sempre prodnzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54,
ra do C.ommercio, Paris-Grcnelle, e em todas ai
boticas de Franca e do estrangeiro.
OS PARAGUAYOS
E' a ordera do da t Acabar com os Para-
guayos a bayoneta, a mini, a revolver
Alugam-se tres casas na povoae3o do
Monteiro a margen do rio, com mitos
bons commodos e em muilo bow csiailo
^,,...,.., ,, ,,, ,,Ll, a ujiiiic, a iciunu -------------------- ww csia,
fulmina-los com os ecouracados armados,^ limPza 'a tratar na rna do Crespn,
de esporoes, armstrongs e raiadas de 80 \20' es1u|na cujo preeo de alognel ra-
120; extermina-los em summa a espada, a 2
Alupase a ra da ra Imperial *H, f%-
pna para refinara., (. i,iro qoali|oer wiaVIeri-
menlo, por ter umiiok romm..,trM r qamil |i_gj,
murado e pona.> i-nr u> % : i'atar n rn Di
reita o. 8i cu na menina rua m. i\ i.
fa ninguem se (embrdD ainda de esmagar os
Paraguayos com as armas que Deusnos con-
cedeu; acabar com elles a tacao e a ponta
ps, para o que necessario encouracar esta,
I parte do nosso corpo com os formidaveis i Todos os dias de n bWLa. ZZ -a ,u da
rompe-ferro, esmaga ct>bra, arranca ti-cos, Cruz n. 13.
:quebra marmore e outros guese vendemj -OSr BmurdinoJ^ a Siha Braga,
aiwiNleve ,a,,c,na m n,a da 3 S
50U0 Lih ,JueiraKvir f "* lJPugn.pi.tt dn-
oiuuu manchar as objeccoes qoe puz na referida
5J50U esta com ella diz que a tomn no crreme
JJJJj mez e nao com atrazados,
Precisa 8e de um moco t**M
Borseguins Bordeaux........
patricios.........
para senboras, en-
feitados.......
com taco e ivella ..
Sapates encouracados.......
Bjrseguins para meninas bom
elast co.................
Sapatos de lona, sola elstica.
avelludados.........
de tranca...........
econmicos para se-
nhoras...........
com salto de lustre..
Chineloes do Por o.
BlllflJ alg,0n)a Pra"cade tmolhado, entw
J)(AKJ hoa eondncia ; quem ?stiver na nmc&ri
2^000, Pde dliinirse a roa da Croa a. 50,1^
liaO'l i '
I #0001
500
2240
15600
C0MP1AS.
AoZn D0 Goi,herme e Barros compra e --
de ellectivamenie esrraos de ambos oaseso a
rua do Imperador p. 79. terreiro andar.
Comprase ouro,
prata e peers arene,
na rua da Cadm do Rreife.
Um completo sortimei to de calcado da
I trra para homens. senhoras e meninas; em obras veihas : _
i assim como bezerro francez, couro de lus- cja de oamea no arc'da vluee\"""
tre, marroquins, taias de todas as quali-1 Compra ?e caroso l-*MMdal
dades, fitas para sapateiro, muito sortidas, armazem de algodao de Saonders Bruiners C
sola e couros que tudo visto necessariamen-:'
te faz cobica ao comp ador pela barateza.
Aluga se urna grande casa terrea na Ponte
de Ucha, a beira do Rio : a tratar na rua do A-1
no caes de Apollo.
= Comprante libras esterlina*
Cruz n. I,
M roala
rnorim n. 54.
Pailana.
Na rua Direila, padaria n,69, precisa-se de um
amassador.
Shmu! Power Johnstoii & Companhia
Rua da .-enzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fundido de Low Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavados.
Moendas e meias mnendas para engenbo.
Taixas de ferro coado e balido para enge-
nbo,
Arreios d carro para um e dous cavallos
Relogios de onro patente inglez.
Arados americanos.
Ms< hias para descarogar algodao.
Motores para ditos.
M?chinas de costura.________________ :
Notas do banco lio Brasil e das caixas filiaes
dcscontamse na travesa das Cruzes n. 8.
fj O Dr. Carolino Francisco de Lima San- ^
Ktos contina a morar na rua do Impera- jS
dor n. 17, segundo andar, leudo alias seo H
J5 gabinete de consultas medicas, logo ao ^
entrar, no pnmeiro. S D,,,,, ,
0 mesmo doulor, que se tem dado ao W< P"?de And""l>
estudo lanto das operayoes como das mo-
(&>axxanx, it Caill)acar tt if
LIBRA1RIE FRAPSE
Crespo PsT. 9
Rua d.o
(la 4 encadernado )
VaRELLA VOZES HA 4IHERIC i
(lu 4 eucaderuado.)
Ainda est para alugar-se um sitio na Tor-
re, com muilos commodos para grande familia,
e muito fresco, e tambem se vende por barato pre-
co : a tratar na padarla do mesmo lugar._____
Com comida e sugeicjio
Garadle-se 15200 por dia.
Alugase escravos qu1* tenham offlcio de sapa-
teiro, assim como toma-se moleques para aprende-
rem o mesmo offlcio na luja de sapatos da rua do
Rosario n. 22, junto a de fuuileiro.
Ama
Preclsa-se de urna ama, preferindo-se escrava :
as Cinco Pomas, loja de marcineiro n. 27.
Ouro e prata.
Em obras veihas : f..,Pra-s M erara da la
dependencio p. 88, |aj, de bilheles. ^
Compran, te enViivaroenl^boiiiarTtaVra-
SSatP,^t*S-l5SR
Comprase
de Santo Antonio e em ba roa; na imana tw
mica se dir quem precita.
Comprase diarios para emfcrnlt s a Uimm
a arroba ; na roa da Imperatrlz .38, l.>ja *7eaT
jado.
VEIDAS.
Governo
Antonio Jos Rodrigues de Soma, na rua do
Crespo n. lo, aluga sua casa e sitio no Monle'.roi n:r(
em frente ao oitao da igreja, tendo o sitio porlao Lf"e,lu rtiDUCO Constitucional
POSMA.
jdj; lestias internas, presta se a qualquer cha C^
* mado, quer para dentro quer para fra M
B da ciiiade. Sw
Em casi de Theod Christiansen, roa d piche-novo n. 16, nico agente no norte do Brasil,
de Brandenburg frres, Bordeaux, ncontra se ef-
feciivaoienle deposito dos artigos seguinles:
Si. Julien.
St. Pierre.
La rose.
Chaleau Loville.
Chateau Margauz.
Grand vin Chaleau Latine 1858.
Chateau Laftte.
II uit Sauterues.
Chateao Santernes.
Chaleau Laiaur Blanche.
Chaleau Yquem.
Cognac em tres qualldades.
Azette doce. Precos de Bordeaux.
Ama.
Precisa-se de urna ama que compre, cozinhe e
engomme, para casa do duas pessoas : a tratar na
rua da Cruz, armazem n. 57.
SEGURO
M. C.) Flores Paludas, in i broch.
Flores Stngellas, In 4 en-
cadernado.
Vietra de. SSaudades, in 8 Iroch.
Pinto CclhoTrovas Mineiras, in 8 broch.
.4 AssiimpcaoPoema, in 8 encadernado.
Burros (os)-Poema, in 32 ene.
Cantospor Goocalves Dias, in 8 ene.
CaramurPoema pico, in 8 ene.
Marilia de Dtrceu Poema, 2 in 8 ene.
| Meuries Leal Cnticos, 1 in 4 ene.
Jfmaai huptracoet- poesas, A. M. dos Res, 1 o
4 ene.
Novas Poesas de Francisco Xavier de Novaos, in
4 ene.
Obras de M. A. Alvares de Azevedo, 3 in 8 ene.
Obras de Filinto Elysio, II in 4 ene.
Oliras de Gil Vicente, 3 in 12 ene.
Obras de Al. I. da Silva Alcarenga, 2 in 8 ene.
P Parnaso Bras'.leiro, -2 in 8 ene.
Parnaso Lusitano, 6 in 12 ene.
Poesiasde Ameiico Elyseo, I in 8 ene.
Poesas e Cantos de A. Gama, 1 in 4 ene.
Poesas Completas de B. J. da Silva Gutmares, 1
in 4 ene.
Obras dos principaes poetas brasileiros, potingue-
zes, francezes, etc., etc., ele.
PKI.UEIR.4W II 9I(\S
C. Adler's- Norma para escripia.
Carstairs e Butlerwortliezemplos de escripia in-
gleza.
Galvao Syllabaro Porluguei.
OBRAS ii% 1:11 t. OBJE.TOS PIRA ESCRIPT0RI0.
A Constiluiittepeante a lusloia,por F. J. M. H. de \ Pennas, canelas, apis, tinta,etc. '
Mello. i Prensas para copiar com todos os perlences.
HartoCorso Elementar de Pilosophia, Paris 1863. Livros em bronco, etc.
2in8.
Boucliardat -Manuel d; maiire mdicale, 2 in 8.
Formtilaire magistral, in 8.
CliernovizFormulario, in 8.
Ftammarwnles mondes I uagnaires. in 4, 1865.
bufanMlhode a'observalion, in 4, 1866.
Veuillol le Guepier Italit-n, in 4 br.
Mutlerhisloire de la lillralure grtcque, 2 in 4,
1865, etc., ele.
OKJECTOI S1 I H.|iSOV i
Estampa* religiosas em fumo e coloridas.
Imagens de Santos coloridos, dourades, etc.
Coileeco de eslampas va sacha.
Rosarios e Cruafixos de marlim lavrado, ect. |
jfMMoei de Mtssa ricamente encadernados de mar-
lim, velludo, etc., etc.
OBtIEC TOS PARA IH SIVIH
Papis de todas as qualidades.
Caixas de tintas finas -pinctts.
Estojas de matemtica, -
Lapw, crayons pelo e de cor.
Estampas coloridas, etc.
PAPELARIA.
Papel de peso, almasso, greve, lljrelte, elr.
Papas de cor e brancos de marca grande e pe-
quena.
Enveloppes de todas as qualidades.
Cartoes de visita.
Novo methodo de ensinar a ler e escrever por A. Ditos para parlicipaco de casamento.
; Freir da Silva, etc., etc. Enveloppes de renda para os ditos, etc.
MAPPAS GEOGRAPHICOS.
Globos terrestres, ele.
STUREOCOPOS.
Vistas para os mesmos.
Collercoes de photographias, etc.
ESTATUAS DE BRO*ZE.
: Tintelros de bronze.
Pesos para papis.
E-tojos de toilette.
Pastas, ele
LITROS
Com estampas finas e
prios para presentes.
RETRATOS DOS ACADMICOS
TAMOS DA PATRIA..
Assignaturas para jnrnaes di Europa.
> Jornal das Familias.
> Revisto Jurdica.
Archivo Luterano,etc.
F0LHINHAS PARA O ANNO DE 1866.
ALMANAK. LUS0-BRASILE1R0 PARA 0
ANNO DE 1866.
Livros de leinlii-aiics para o anuo
de 18G6
BALDES L.4NTERNAS DE PAPEL DE COR
! PARA ILLUMINACOES.
1E 1.1 \<.
ricas encaderuacoes, pro-
VOLUN-
de ferro, cacimba com boa agua, estribara e co-
cheira, e a casa 4 salas, 7 quartos, e :ot;io, a qual
muito fresca e esla de novo bem caiada, concer-
tada e pintada : para ver, as chaves eslo em a
casa do Sr. Nicolao Machado na mesma povoacj.
m%m#m Mmwmw mmm
M DEPOSITO DE GALADO
Wi FABRICADO NA CASA DE DETENCAO W
^ Rna \ova a. i.
M Ahi se encontraro obras de di-
versas qualidades, e por preco mui
diminutos, a retalbo e ero porgoes.
S se vende a dinbeiro.
Ama para casa.
Precsa-se|alugar urna ama para todo servico de
urna casa : na becco das Boias n. 2, primeiro
andar.
Manual do Cidm/ao
Vende-se o Manual do Cdsdo em na
Representativo oo principios de
Administra-
9m
m
m
m
Precisa-se de urna ama que saiba bem com-
prar e cosiohar para casa de pouca familha : em
Santo Amaro casa do Sr. Antonio do Ci.rreio onde
funeciono a aula publica.
Des.'.ppareceram ou urtaram em a noite de
16 para 17 do correte, dos fundos da serrana de
Paulo Jos Gomes, na rua nova de Santa Rita n.
13, um praucho de amarello com tres taboas de
costados e marca S ; o abaixo ssignado da a
quem o dcscohrir 205, e da mais 50J a quem des-
cobrir o ladrao que o furtou.
___________________Paulo Jos Gomes.
Precisa-sede um eaixeiro de 12 a li anuos
que tenha pral'ca de taberna : a tratar na rua de
S. Francisco n. 70.
MARTIMOS
m\
CONTRA FUGO.
A companhia liulemnisadora, estabeleci-
da nesla praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamenlos, e contra
fugo em edificios, mercaduras e mobilias:;
na rua do Vigario n. 4, pavimento terreo.!
jmmmmmm
Casa de bauhos
Largo do Carmo u. 26.
Este esiabelecimeuto lao bem montado
na sua origern achata se de ha muito em
quasi cmplelo adan teresse de sua administra^o.
Hoje que o novo propietario empregou
todos os meios para re>tabeler a grande
utilidade desle eslabelecroento, pode as-
segurar ao publico que qualquer que seja
o numero lo^ concurrentes acharo des-
de ja prorr.ptidao e aceionosbanhos fros,
momos ou medteinaes, a casa dos ba-
nhos se achara' aberta todos os dias das
6 horas da manha as II da noite.
Precos.
Banho de choque......... 500
Dito fri ou momo........ 500
Dito de farello............IJ000
Dito medicinal sera' seguu-
do sua qualidade.
Assignatura.
Por mez banho fro ou morno. 105
25 cartoes para banho fro,
momo ou de chuvisco..... 105
12 cartoes para os mesmos... 55
12 ditos para banho de farello. 105
TINTURARA
40 GRANDE S. MAURICIO.
Processos aperfeicoados para tigir, limpar e lustrar a vapor
F. %. 1LIIGKE 29, rua 7 de selembro, 29, defronle a rua Aova do Ouvidor
^%^*
Precisa-se de urna ama que saiba lavar, engorn-
mar e cozinhar : na rua da Crut do Recite nume-
ro 16.
Na roa do Livramento n. II, fa*emse espa-
nadores e por menos prego que em outra qualquer
parte.
Precisa-se de um ofllcial
na rua Nova n. 37, i andar.
tivoe das Gentes, p>r Silvestre Pinbeiro
I-erreira, em 3volumes broxurados por 3
cada obra : na livraria n. 8 da prao 4
Indepenthncia.
- Wudem-se palmeiras impena*-., em mm
de seren transplanudas : no sitio morado a e-
querda, depois ,do becea do Espiobeiro, aos Af-
uiClOS
CaTallos.
Vendem-se 4 quanaos proprios para viaan no
carroca: a tratar cum Duarte & C., aa roa *> Im-
perador n. 40.
Vende-se um escravo nv.co e d> N mjmn,
com ofneto de ferreiro : na roa do Qwimado .'
t*. '"JS-_________________
Vndese urna eadeirinha <|h bracos, iTi
com os compr-teritas eorreames : na rua Impe-*
rador n. 45, 3* andar.
Veode-se a taberna no paleo -la Rih-ir n.
I3j_a tratar na rna do Livr*meoto n. 24. ubersa.
Vende-se nma escrava moca e eom habili-
dades : no roa do Imoerador a. 27.
Vende-se nma mohilia de amareli.i a u^i,
na rua estreifa do Rosario n. 17, aMor.
de cabelleireiro
Precisa se de urna engomm forra ou captiva : no collegio do Bom Cooselho,
ruada Aurora n. 50.
Precisa-se
de nm caiseiro que lenha minia pratica de loja
de fatendas. Oque estiver nestas condiccoes c
quier dirjase a roa do Crespn. 17.
Aluga.se o terceiro andar da casa n. 88 da
rua da Imperatrtz, e o sitio n. I da entrada do Ar-
raial : no rua da Aurora n. 36,
Na rua das Trincheiras n. 26 se dir quem
vende dous mulatos de bonitas figuras, sendo um
boleeiro e cozinheiro, e urna negra de meia idade,
boa engommadeira, cozinheira e vendedeira, e tima
negra de bonita figura, de 18 annos, com urna cria
de 6 mezes.
m
I Os propietarios d'este estahelecimento, o primeiro no seu genero uo Brasil, por trabalhar com as machinas mais aperfeicoadas para
lingir e lu.-trar de que se faz uso na Europa, e ajudados, por alguns dos melhores ofUciaes de Paris e Lyao, podem assegurar seus freguezes
; urna perfeico de trakalho a qual seoao pode chegar pelos procesos ordinarios.
Tiogem, lavam, limpam e demofam com a maior perfeico e hrevidade, qualquer qualidade de fazendas, tiram nodoas e limpam a secco,
sem tnolhar, as sedas e as vestimentas de senhoras e de homens.
mmmm mtasmmm mmwm mmm mmmm mm mmm um
Companhia fidelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PBHNAMBUCO
Antonio Luiz de Oliveira Azeveda k C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no seu escripturio rua da
Cruz n. i.
i mmmmmmmmmm mmmm
BOTICA E DROGARA
DE
COHPAMIIA
Para a canstraeco de machinas
DE
% LHI-UITM.% I 1MI C:i-ASS
New London, Cormectieur, Esta-
dos Uo idos
SoliciUm pedidos de descarocadores de algodao,
adoptados ao alcodo snl-ameritano. Ho-se de-
dicado a es:e negocio durante 25 annos, e aitende-
ro inmediatamente a correspondencia qnn ""*
dirigir.
Collegio de St. tloaqnim.
Durante as ferias ha cur-o de lodos os prepara-
torios para a matricula da Facollide de Direito.
As aulas abrem se no dia 22 do correte mez de
novembrii. _________
Da -e bolos de vendagem as 10 horas do
dia, e paga-se a tustao por pataca : na botica do
pateo do Carmo se dir.
R. F. de Souza fr. .
Rna larga do Rosario n. 34
Remedios de Raduvay
Prompto alivio.
Pilulas reguladoras.
R-Z' lutivo.
Remedios de Kemp
Anacahuita.
Salsa de Brislol.
Piiula= assucaradas.
Agoa florida.
F>ililbi< *r',fi'a fr*b".
'. |l I 'S \Al al.Hu'J UaVIJ VlliJO
9i O bacharcl
Francisco Augusto da Costa
ADVOCADO
|K Rua do Imperador numero 69.
**** mmm mm
M m 0 Dr. Cosme de S Pereira conti-
^ i na a residir na rua da Cruz n. 53,
i 4o e 2o andar, onde pode ser procu-
- rado para o exercicio de sua profis-
so medica, e com especialidade
sobre o segunte
Io molestias de olhos;
2o de peito:
3o dos orglos geni-
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rao examinados ua ordem de suas
entradas comecando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 40 da manha, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
8c5o que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus j
I doentes.
Aiuda esto por alugar-se duas casas na ilha
da auierica. !d0 Retir >, na margem esquerda antosda ponte da
: Passagem, tem commodos para familia, moito
; perto aa cidade, logar muito fresco e saudavel ;
alu|ia-se por fei>ta ou por auno : a tratar com L.
M. R. Valenca, sobrado junio a fabrica do gar, la-
do do norte beira do rio.
m
Joo da Silva Ramos, medico, me-
dico pela universtda Je de i.oimbra,
d consultas em sua casa das 9 as
14 horas da manba, e das 4 as 6
da tarde. Visita os doentes em suas!)
casas regularmente as horas para
issoTlesignadas, salvo os casos ur-
gentes, que sero soccorridos em
qualquer occasiSo. D consullas aos
pobres que o procuraren! no hos-
pital Pedro II,! aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da
manba,
Tem sua casa de sade regular-
mente montada para receber qual-
quer doente, anda mesmo os alie-
nados, para o que tem commodos
apropiados e nella pratica qualquer
opperafao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe..84000 diarios.
Segunda dita.... 30500 >
Terceira nita .2k)00
Este esiabelecimento j bem
acreditado pelos bons ser vicos que
tem prestado. (
O proprietaro espera que elle
continu a merecer a confiaoca de
entista de Pernambuco.
Rua estreifa do Rosario n. 3,
ao p da igeja
francisco PINTO OZORIO]
Coiloca dentes artlliciaes |
pelos gytemag inals mo- j
dernos
Emprega todos os meios scienlifros para 1
conservar os naturaes. Porte ser procura- !
do em seu gabiuete das 9 horas da ma- 1
nhaa as 5 da tarde. I
quesempr,e tem gozado.
A pessoa que annunciou precisar de 300 ^'"^"'^"^^^^S^W
por espaco de tres Biezea, pode dirigirse a roa Precisa-se de urna! ama: na roa de Santa
das Calcadas n. 6. Rila o. 15, I" aafcr.
Ama de Lcite.
Precisa-se de urna ama de leite : na rua do Im-
perador n. 42, terceiro andar.
Ama
Precisa-te de urna ama forra para casa de pou-
ca familia, para cozinhar e engommar : na rua do
Rangel n. 10.
mmmmmmm mmm-m%m^
|| Precisa-ie de urna ama que saiba mu- 1
S lo bem cosiohar e faga as compras para S
JJl casa de pouca familia : na rua da Cruz %
m do Recite o. II, segundo andar. m
SK Precisa-se de ofDciaes de alfaiaie para jlg
^ obra miada, pagndose H por cada 1
H calca : na rua da Cadeia do Recfe n. 38,
primeiro andar.
B4KAT.1N
Xa loja de Joaqun de Faria Hachad*,
roa d-i Ultimado *. 4o.
tarta acrediUdo e>labeleeii"enti> eoronirarao
os compradores um compl. to s-.riiu.eai. .Ir laza-
das baratas, bem c mo roopas fcius r. p,r iu*,tti*
a vontade, dos freguezes, para o <|Ue ha boas ra*-
miras, brins, etc.
Entre as muilas qnalida-Jes de RaMRfei ha as
MgUMMei:
Madapolo francez muilo encorpado e larao par
saia, vara UO.
Saias bordada? rom 4 pannos a i^HO.
Ditas bordadas muito linas rom 5 panno* a :>-l
Raloes de arcos, modernos a S#, i."ia 3*.
Ditos de mursuiina para menina* guarnrriJo 4
bico a 3.
Bramante de lioho alvo, rom 9 palmos de tora a
U*)0 a vara.
Leuc>s de bramante de lint alvo o* tm paaa
a 3.
Ditos de panno de lir.hu a 2
Cuberas de rhila fram-eza superior a J50O
(uard.apos de lir:ho adamascado, duna IJMll.
Lencos de cambraia branca para altibeira uuza
t600 e 2*600. ^^
Ditos de dila de lioho, dozia 54.
Algdo entestado com 9 palats 4e iarn vara,
1*000. "^
Cambraia para forro, moilo larga, pvca 2*800.
Dita muito lina, peca 4*, 4*300 3*\
Dita adaoraseada para roriioados. arn 4> SO ra-
ras II*.
Cortes de lazinhas, padrees moto* nm 15 ej*aW
Ditos de dila com barra, motera**, a 7*.
Cambraia nrgandys, mullo fioa, vara 600 r.
Tarlatana verde, < 800 rs.
Grosdenaples prelo moilo superior, eoa4* l*MO
e 2*000.
Ven lem-se os esiabeiecimeaio-, trmmi -m*
e casa de pasto, sitos a' rna do Trape** a. 0: a
tratar nos mesmos >tbeleelmelo-.
Veude-se urna armario de fcarVir .%
raial, p.r preco commoJo : a tratar a* atttm
Vende se orna earrora para raiiti.i, em mm-
to bom estado : a tratar 00 Camal 5uv, % aa-
da de terreiro.
Vende se orna escrava p-riu 1 ag iia ra
e faz todo o serv; de urna rata, mm t-cra* > *
cozinheiro do diario, um dito me-ire MMrrav^nt *
carapina, urna oegrinha muito liada ato l nnn :
na travessa do Carmo n. I.
Vende-se a taberna da na DirriCa 4W Aa>
gados o. 22, com pnaeo* loado*. 01
dos at para nmrar familia, ou a
praso com hoa arma : a tratar M
na rua do Rangel n. 61.
Vende-se urna morada ato rasa
bons commodos. no becco do Portehn m.
pretender dirjase a mesma qoe achara
tratar, a qualquer hora do da.
Cera de eai
Vende se superior cera de rariaut* par
preco ; na roa do vicario o. S6.
Precisa-se da qnanlia de 300* por espaco
de 3 mezes d-se por garanta em urna casa : a
pessoa que queira dar auuancie para ser procu-
rada
AMA
Precisa-se io ama ama para cozinhar e comprar
para casa de pouca familia : na raa da concordia.
n. 34, sobrada do armazem do sol.
Attencao.
Henry Forsler & 1/, a roa ato I
caes do Ramos n. 2, leen para
existente no mercado pelo preeo
que em outra qualquer par'.
B-aa
Na rua d. Vicario o. SI. f
rio veode se um escravo de tt l
do e de boa conducta, moilo sa4w, praaain para
qualquer casa de familia, oo estahet-fiaman, mw
ser muito flel e habilitado a qoalrtarr Irate mt, por
preco razoavel; a tratar coa PraaraK J* a
Cosa Guimarae*.
-

i
aaaaaaiMaa

^


n^P^BVBVKI
1PH snsWnnssnwsn
wmmmmmmmmmm^m^m^mt


i;
BSSSMSSnBSlBBMIHI
1
*:
*<
Diarlo de r eruamluco terca elsa ti de Hoveuibro de Sa>
SALSA PARRILHA DE AYER.
Tuanscrevemos aqui alguns
dos muitos attes"tados que temos
recetado das virtudes da salsa
parrilha do Dr. Ayer.
II lie ii mu ti* ni o.
DE J00 JOS DOS SANTOS.
Ouro Prelo.
t Soffri rheumatismo pormui-
tas vezes, e vendo annunciado
em um jornal d'esta cidade a
Salsa
solvi-me a comprar
Grande ioja e armazem do
Pavao.
Ra da Imperatriz d. 60. o Gama & Silva. Senhores e sentaras'
I Teodo os proprit-tarios d'esle esiabelecimeulo de! Os proprielarios da nova Ioja e armazem de fa-
liquidarero urna grande porrio de suas fazenda*, zondas e roupas relias na ra da Imperatriz n. 7i
' at au tim do crreme anno, atim de fecliarern con- de Guimaraes & IimSo, acabam de reduzir us
las e apurar dinheiro, resol veram vender lodas as precos de suas fazendas menos 20 por cento do
fazendas cora grande abalimenio em precos, tanto que em outra qualquer parlo, afim de apurar d-
[ em porcao corno a relalho, e por isso prevjnem a nheiro, assirn como seja lazinhas de quadnohos
lodos os seus riegeles, e ao respeilavel publico, e sendo escuras a 200 ciO, dita mais finas a 360 e
; as pessoas que negociaiw eu> pequeua escalla com 4C0 rs, ditas transparentes com listas de seda a
fazendas, que ne.ste cslabelecimonlo enconlraro 320 rs.
um grande soriinienio que mullo Ibes bao de agr-, Fazendas proprias para a fesla.
dar lauto em precos como em qualidade assim Vendem-se as ais booitas bareges de laa e se-
am pelos seus ca.xeiros levar as fazen- da sendo escocezas as mais modernas que lem vio-
baralissimo preco de 560 o
ezas de urna s rr a 320 e
com paliras sullas sendo miu-
11 jornal desta cidaae a <- i:u "i'- da sendo escocezas a;
varrilha de Dr Auer re- 2 tE*?*. uas ,:a-i,s das hmi,,as ('"e Dao l'- do ao merca.'o pelo l
parrara ac ur. Ayei, ie derem vira Ioja, ou do as amostras duixaudo fi- covado cansas fr ice
rar um frasco e fazer USO car |ienhor. ; 360 o covado, ditas'c
d, II ------ ------------ ---------- i' 1" a f* \l\ I B w,flll"j Ullrts umil prtlll ti? 5i'lld3 ^IIUU lilil*
ena ; eanies de concluir o primeiro iras-. taiiiraias lisas u odillK, la Ioja do das e graudas pelo baralissimo preco de 80, 360
co, achei-me forte e sem sentir a mais leve'
dr nos joelhos ; a parte do corpo que es-
tava affectada d'esse terrivel encommodo
que roubou-me tantas noites de somno.
Erupces, borbiilhas pstulas,
ulceras, e (odas as molestias
da pello.
DO Sn. JOAO PAULA DE ABREU E SOZA.
Ra de S. PedroRio de Janeiro.
Soffria mais de dous annos de ama
erupcao sypbjlilica em todo o corpo, moss
trando-se sempre com mais violencia na ca-
Pavao.
Vendem-se per;as de cambraia lisa branca e
transparentes, teudo oito e meia vara cada peca,
pelo barato preco de 34500, ditas muilo linas, por
44500, b, G al 10, sendo tapadas e transpa-
rentes, assim como corles de cambraia corn salpi-
cos a 24600: isto s na Ioja o armazem do Pavao,
na ra da loiperairu n. 60 de Gama i Silva.
As c a ui i si ii has do Pavo.
Mendem-se as mais modernas camisinhas borda-
das com manguitos, para seuhoras, sendo as mais
modernas que tem vindo ao mercado a 44500, di-
tas com manguitos, para acabar, a l ; ditas pre-
las cun manguitos para lulo a {800 rs.. mangui-
ta, prove muitos medicamentos e cousultei!l0$ e. r.'i"has Prelas a '*> fioissimas goiinhas de
ffiuitos mediros p pslava nna Hos-mimartn canibrila branca bordada a 5U0 rs., calcinhs para
lava quasi desanimado | meu,na a 640 Ts rmnrm de ih e cambraia
quando vi os annuncios d Salsa parrilha
do Dr. Ayer: comecei a fazer uso d'ella e
nos prinieiros dias a empco aggravou-se,
porm antes de acabar o segundo frasco ti-
nta o mal desapparecido completamente de
todo o corpo.
Doctor Don Josk Valdes Herrera, piiorasr
90 DE MEDICINA Y CIRUIUIA, SUBDELI-X.ADO
KM AMBAS AS FACltTADES DEL SESTO DIS-
tricto.Habana.
Certifico que he usado la zarza parril-
la del Dr. Ayer, y como depurativo he ob-
tenido de ella los mas-felices resellados en
les casos de ulcera crnica, asi mismo au-
er y jas considero como um porgante, cuya
accin ademas de ser segura, ba sido muy
eficaz en el tratametfto de las -enfermidades
que exstgeu el uso de los porgantes, y ob
vacilo en recomendar estas preparaciones.
Y para los fines qse puedae convenir doy
la presente en Regia a 7 -de setembro de
1860,
Dr. ios V. Herhera.
Escrophula.
ATTRSTWBO DO H.I.M. SI, FRANCISCO P0KRA2
dos saktos. 0>uro Prelo.
* Me acho ha quasi dous annos affectado
de esorofulas, e tcndo soffrido tanto q'ue al-
" gumas vezes quasi qoa chego a desf nimar
da vida e maldizer d minha infefesorte;
temho sido tratado por muitos medicas d'es-
ta -cidade, e -nenhum pode vencer tenaci-
dads de mip.ha molestia, estava-bem espe-
ranzas de recobrar a minha saude ; quando
ltimamente resolv .fezer uso da salsa par-
rilha do Br. Ayer, CompleU>n-se hoje
trinla e ete dias-que comecei com este1
santo remedio, e Untas melhoras tenho
sentido que tenho -conviccAo de em breve
recobrar a minha saude, perdida ha tanto
terapo.
*3ypkHs e mdlestlas nm urlaes.
-Da Illm. %\. Dr. Jackso:'.
lledico mutilo eottfwculo as provincias de
suido Brasil.
Tenfeo receitado a Salsa,parrilha de'
Dr. Ayr nos casos mais raeltrados de
:Syphilts constitucional e sempre com oc
mais feJiaes resultados; o me!ho. alterai*- ]
te queconheco. a SSO rs. na Ioja do Pavo.
Leneornh* e flores J>rameas. Laaziuias 320
Temos cartas em que noseonlam casos Laanhas a 3fy
invetena&is que foram radicalmente curadoc-I r laihihas a 320.
om um ou doos frascos d'estc Salsa par- Vende- irilha. e mais *X)B':as laaziolias lazadas e-Dm os oais
a mumi n3n n^o r,nmmrt. lindos UsetJhos, seod.j (azenda que val einco Ws-i
O estaco naomos permute trauscrevet toes, e vndese pelo baralissimo praco de urna i
todos-OS atlestados que possuimos Jas vir- i paiaca o cornado por ser urna grande po'rcSo desa \
tuJos -d"wte extrecto compose ae Salsa i'jn.da.'"^1* .' '.'.a iJa. e 400 rs. o covado : isto na Ioja e armazem de fa-
zendas na ra da Imperatriz n. 72, de Guimaraes
& lrin;io.
Saias bordadas.
Vendem-se as mais bonitas sans bordadas sen-
do bastante largas e muilo bem bordadas pelo ba-
ratsimo pre?o de 6JS0O e 7J.
Vestidos de larlatana muilo fina sends brancos
com barras de cores bordadas de la e seda sendo
os mais modernos que tm vindo ao mercado <
vendem-se pelo barato preco de !>, 9*500 e 10*.
Manas de seda para honein.
Vendem-se as mais lindas mantas de seda para
homem lendo de todas as cores pelo baratlssimo
pr-co de {.100, 1*400 e 1,5300 : isto na nova Io-
ja de lazendas ea ra da Imperalrii n. 11, de
Guimaraes Irmao.
Colarinhos di linho para htinicm.
Vendem-se colarinhos de linho para homem
sendo os mais moderos e mtlhores que ha no
mercado pelo baralissimo pre^o de 5*500 e 6* a
duda.
Chales <1 merino eslampados a 2$.
Vtndem se bonios elwles de merino estampa-
dos pelo baralissimo preco de 2*,
gallo
Bom
esta
y Mimando.
i.
branca bordada a 1*600 : na Ioja do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
(.lales de merino a ;>(ii)(t.
Vendem-se os mais modernos chales d merino
estampados a 2*000cada um, havendo lambem um
grande sortimento dos msenos matizados que gfl
vendem a 6*, 7* *.-. 8*000 : na toja e armazem do
Pavao, ra da hnnerainz n. 60, de Gama & Silva, 'd0? le, baratlssimo prego de 2*, dilos lieos de
Os ciiilos tk Pavo ,das as cor<>s a 3*8(?0 e ** dilns n0S sendo s"
Vendem-se rbtols" mos .intos do' llu. de di ver- "* a 5 7* 8"
sas cores e dourados com fivela larga e dourada,: fcaniiKaias Dtaocas.
assim como-eneiies pera caneca dos rnelhores eL-S5TSS.KS18*oambwlt8 brancas a 3*,
mais modernos que tem viudo a<5 a errado Wdo *^ oO0 e 5*, ditas nrorto linas lendo
isto se vende por um j>reco raioavel que mimo uma.vara de largura a 9*e 10*; isto sa nova
Ihes tiao de agradar reto s na luja e armazem Loja de ?"ndas >a ra da Imgeratrfc n, 72 de
d parlo na ra da bnperalrii n. 60, de Gm* &"191 & Irmao.
As toalhas de linho Vendem-se superiores toalhas de linho das me-! v"dem-se os mais bonitos riscades escocer
ttions que lem vindo ao mercado pelo baraSssimo l'* ve?1"!'S d senhora e proprios para roupas
prego de tt*000 a duzia, ou 800 rs. cada urna na dc 'mei,'no a 2(,n e 280, dulas franeezas escuras
loja e armazem do Pavao, oo. ra da tiiioerslriz n.'e c,aras a 24- 26- 8> 30 e 32. *IM percales
60, de'Gama A Silva.
e baratsimo.
lina do Crespo n.
Collares.
Collares anodino! ebclro magnticas Roier para
as criangas nao moirercm de convulsoes lelo ba-
rato preco de 4*.
Novidades.
Riquissimas pulsearas ou braceletes pa senho-
ra e para meninas a 1*. 2* e 3*, assim orno lin-
das voltas para pesrioco a 3*.
Enfeites.
Riquissimos enlejes para cabega cousa de mni-
to g)sto a 1*500, 2*1 3*. 4*, 5*, C* e 7*.
Fivelas.
Riquissimas livelaslde madreperola e de tarta-
ruga, arsim como pnllas.
Cruzes.
Riqossimas cruzesldouradas porm o melhor
gosto que se pode desojar.
Casdarrilhas.
Ronitas cascarrilhas com biquinhos de seda e
aljfar cousa inteiramtnte nova para enfeites de
vestidos.
Binculos.
Benito sorlimento de binculos com superiores
do theatro.
uns pequininos
excel-
OJA
vidros para os amantes
Assim como
Rniilu-flnas a 360, 400 e 440 o covado : isto s n
nova loja e armazem de fazendas na roa da Im-
peratriz a. 72, de Guimaraes $'Irmao.
Camisas franeeios.
Vendem-se camisas fraucezas e 1*500, 1*800,
2*L2*S00e 3*, ditas com pello de cor a 35 e
isto so na loja de Guimaraes & Irmao.
-2*5 As saias r'o Pavo.
Veodem-se as mais finas saias bordadas asagu-
Iha brancas sendo da rm-Rior fazenda qi:e tem vin-
do nesie genero, leudo o.ui a roda, pee baralissi-
mo prego de 10*000; 'ditas bordadas a croch a
6*M0 e 8*000, diascom babadinbos 9*000, na
loja-o armazem do Pavo, na ra da Imperatriz u.
'60, de Gama & Silva.
Moyos vestidos do Pava* a 10-SOOO.
'Chegaram para luja do Pavao os mais ricos cor-
tes de vestidos de cambraia transparente com os
mais delicados bordados de dilTerentss cores a pon-
to de agulha, sendo n'esle genero a maior novida-
te que lem viudo ao mercado, garantindo-se o 'te-
rem muita fazenda e euleites nucientes para o
corpo e mangas, e vendem-se peto-'jarato preco dej,ow",e oovos.
10*0(0 cada um, na loja do Pavo, na ra da Im-: ')llus dilosde-gradecom contas grandes.
(f eratriz n. 60, de Gama 4 Silva. Lidas livea> grandes para cint-ys coa moldes
Osesparlilhos doPav-se. -agradavers diversas realidades, adreperol*.
\(i! \ mm v
Ra do Queimado d, S.
-sv loja da aguia branca acaba de receber um
no-o e grande sortimento da dilTerenies objeclos
di oslo e iiliima moda, sendo :
Bonitos enfeitos para seuhoras goslos inteira-
fue serve paraeofeite d j reltgto mais com
lente vidro.
Ses inhas.
Riquissimas ceslrnha. com preparos para me-
ninas de escola trazer i io braco, assim como de
vidro enfcitadas prapria; para" mimo.
Pe ates.
Ripuissnmos peines di
co de mrtal paramenin i
barato proco de WO rs..
borracha com are bran-
segorar o cabeHo pelo
Z<$, asymi como
e duzia
e pa-
grandesortimeniG de (olas as qualidades para de-
sembaracar.
Esdovas.
Grande sortimenlo de escovas oaraTeup?.
ra cabello,.peraunhas e para denles.
Luneta > e oculos,
Fjnfssimos loneius de um e dous encllenles v.
drosearo detbufalo e de tartaruga, assim como
oculos com rame dos lados proprio para quera
soflre dos oculos.
Touquiohas.
ENCICLOPDICA
52 Ra da Ini|>ei'ct-iz ai tnazem
da porta larga ?'.
Pinito a paiiacfa fradeeza dc
Paredes Porto.
Neste ealabcleciinento rncontraia o respeitavel
publico um vanado scrliu > nio : rateadas franre-
tas, inglezas, suiss.is e alleme?, qne se venrierao
por preco commodo.
P;ircdcs"l'iM:o
Vende chales de renda de corM que se vinde-
ram a 18 est vendando por ti*, ditos relos, fa-
zenda nova, o*, 6*, 8-3 a C5- um -011111161110 cm-
plelo de manteletes, tapas e toniaibarqnea 14* a
id*. Ra da Inijierairizn 42, junio a padarla fr.'tn
-1.-7:1, armazem da pona larga.
Paredes Porlo
Recebeu um completo sortimenlo de liasinbas a
240, e 280 rs. covados, para acabar, cambraias de
':r a 240 rs. o covado, riscado esro^sez paia rcu-
pa de menino, fostao de linho a 420,400 e 800 rs.
Piua da Imperatriz n. 52 jumo a padana francez.
trmazem da porta arpa.
Paredes Porlo
Recebeu para cortinados para cama franceza a
II* a peca cambraia lisa Ina a 3* 4* al 103 a
pega, corles de tarlatan;- de bonitos goslos a 3*00
e 4*, cambraia com flor de &da, goslos inteira-
menle novos a iOO e 500 rs. o covado, no armazem
da porta larga n. 52, ra da Imperatriz junto a pa-
daria franceza.
Paredes Porlo
Receben pelo ultimo paquete um sortimento de
cruzes com pedras para o Descoca, bunltos caxineis
de laa para pesroco de senhora. Ra da Imperadiz
n.62, armaztm da porta larga.
Paredes Porlo
Vf nde cortes do gorcarSo prelo para vestido com
21 rosados cada um 33*000, grsdenaple prelo a
1*600, 1*8() c^* o covado, lias lizas Tinas a 400
rs. o covado, ilustre quartnnho para vestido, enfi--
tada, a 320 rs. o covado. Itua da Impetatriz o. 52.
armazem da porta larga.
Paredes Pollo
Tem para vender por preco conimodo, pefas de
esguio de trabo com 10 varas a 7*, 8*, panno de
linho para taices a 6S0 e 700 rs. a vara, braman-
te de linho de 4 larguras a 2*00 e 2*500 a vara.
Paredes Porlo
Vende cortes de cambraia bordadas Bricos
goslos a fO* e 12*, ricos vestuarios para menina
e menino, ricos cortes de cambraia Mara Pia a
10* e 205, tarlatana branca e de cor a b40 e 720
rs. a vara. Ra da Imperairiz armazem da porta
larga n. 52.
Ronpa feila
Roa da Imperan i/, n. 52 armazem da porta lar-
ga junto a padaria franceza, encontra se neste es-
ta blec i ment um completo sortimento de paletos-
saceos e sobrecasacos, de todas as qualidades, cal-
cas, colletes, ceroulas, camisas, grvalas, meias,
ch8nos de sol, ditos francezes para cabera, por
precos commedos, roupa para menino e outras
multas fazeudas por oreos com modos, armazem
aV> porta larga.
o mesmo eitabeler.imenlo encontrar o respei-
Wvel publico, sempre um completo sortimento de
roupas fetas de todas as qualidades, como sejam
iRiquissinw.s touquinhas de ht-de linho, de so- paletos de alpaca preta ede cor, ditos sobrecasa-
Vendem-se um grande e variado sorlimento r.
cariaruga, a ospartilhos os mais bemfeitos que tem v.ndo-ac; nn^^.2f^,!!iS!^*i!!lfa1fS'*W"*.,,l2:
mercads, sendo de lodos os tamanios pelo barata- .. T,, "e gros^naples lisas e lavradas
simo preco de-4*, 5*, e 6*000, .por l.aver grande.'"J?" **"d?vws J68!^
sortimento, oa loja do Pavao, na>rua da Imperatrit UM,&* Pre,a:- de seda com ndUnos moldes
n. 60, de Gama & Silva. I ml** e <** *os<0-
a e de laa para enancas.
Para 0 cabello.
A superior agua para atiirigir os cabellos, as
tarbas braceas e fazer conserva-Ios, os frascos
acompanha um rotulo qae ensina a forma como
se deve aaplicar.
Para caspa.
Superior banha sem gordura rom um frasee
Vendem-se superiores metas cruas inglezas pobj "g" e P" ?> vidrilhose ^V^^^l!^ !!L1!^**~
barai.ssimo^reco de 4*100 oo*000 a duzia, difcrs "ftSSS 'ar'!ras e loDllos o**abos.
de todas as qualidades para senhora, meninos o
meninas, na'loja do Pavio, na ra da Impera!
Cascarrilhas de seda com diversas cores e lar-
guras, formas mleiramente novas a imiuclo de
palo, ba*wd+oio e outra com uma trausinlia-ac
centro o q*ie ibes da -muita grac.
Outras esfcei-as e argas gaaroecidas de tti
de seda ol>r-a de mullo gosto.
Uuiras de t-amnraia de cores.
Iloioes de seda, velludo e ac para enfeites de
veslirUis.
acompanha om folheto que ensiaa o modo come
se dev<- .applinar, assim como agua balsa-nica,
opi'- 'si para limpardeoles.
Bubas.
laude sortimenlo de banhasem copos, em te-
las tfe'foRiae em frascos de todos os lamanhos.por
precos monos do que em outra garle, assim come
mu nos ouiros objectosque nao se pode mencionar
por heje : s no gallo vigilante ra do Crespo nu-
mero?.
Trancas de seda, estreitas e largas brancas ede' t- Tj-----;;--------------i-------------
cores liara afeites 6c vestidos. LiqUlaQil geTL
PUtreS AllOS Loureojo PereiraMende Guimaraes, ra da Im-
CACEI.LAS PAUA MEXIXA6.E XOIVaS. P?rairiz.n. 56, loja e arraarem da Arara, proprieta-
Aagniaibrancaafjado Qewado 11. 8, rtflo-! .no do Kr?n.e 1"*"1 de fondas e roupas feitas.
parrilha do Dr. Ayer. Hasta deiarar ac
publico que tem -sido empregado ha mate!
de vinteannos pele prolissao med. ,a tanto
dac Amenicas como da
de*meiilir a sua.aUa reputacSo
Paa a cura radical de escrfulas^ ifTecces
ratriz n. 00, de Gama 4c Silva.
Vestidos a tfj,
Vendem-se corles de vestidos a Maa Pia OM>i
barras bordadas, pelo baratsimo preco de 4*000
beu para v*der::
Deliradas capellas brancas par, ooivas.
Ditas dtils para rneninas.
Ditas ditas de-caaos de flor deliaranja.
Ditas ditas de.rosas camellas e outras.
Ditas ditas ou ramos d>: trigo.
Diversos ratnos de flores linas para peito
vestidos, Mies de chapos ele., etc.
Preparo* para flores.
Na ra do Qneiroado n. 8, ioja-da aguia
tu vender:
eos a 4$ e 5*, ditos de brtm par Jo a 2*800, 3* e
3*500, ditos finos a 4*. dilos meias cazemira a
3*500, 4* e 5*. ditos eatemira S'ceos a (i*, 7*, 8*
o 10*, ditos sobrceasaeos a 10 e 12*, ditos de pan-
no saceos a 6*, 8* e 10*, dilos sobrecasacos a 12*
o 25*, dilos de merino prelo a 6*, 7* e 10*, cal-
cas de bnm de diversas qualidades a 1*800 a 4*,
dilos brancos a 2*500 e 6500, ditos razemira 5*,
6* e 7*, dilos prelos a o*, 6*, 8* e 10*, ditos
meias cazemiras a 3* e 4*, cleles de diveisas
qualidades, seroulas franeezas de algodao, ditas de
linho, ditas de bramante a 2* e 2*500, carnizas de
algodao de linho franetzas de 2*500 e 3*. Gran-
de pechincha neste genero, grvalas de todas as
qualidades e brancas para casamento, grande sor-
timenlo de meias para senhoras, ditas para homens
a 3*, superiores a 3*500 e 4*.
Um completo sortimenlo de chapos de sol de
alpaca a 3*, ditos de seda a 5*, 7*, ll-'* e 14*,
ditos francezes para cab ca, grande sorlimento
a 6*.
Pechiuclia atlmiravel.
Grande sorlimento de enamores a 4*600 e 5:,
lenges de eamhrala para homem a 2* a duzia, di-
tos de linho a 4* e 5*.
Grande sortimenlo de roupa para meninos e ou-
tras muitas qualidades que seria eofadonbo mt-n-
vuli&Ui filudo
Rim lo (]iifci.vJu .>. ',!<
illefM >, Ires |>fl;i-. rftli :**-
manilo lodo lio f l>.i?t % ^oer: ij;:i-
fr ipr e admirar tttlSB a ; rt
Bi0(linlio.
Calas dc papel amizad-, s s< rr. ella liso r |.(4a4u
a 600 rs.
Grozas de hotScs d- --,
dorna a 160 rs.
Dola* de penna de sr. I. a
Pegas de tranca de ia *si> aa rere
i o rs.
Escovas linissimas r...r.i Impar tiilt.- -
320 rs.
Peras de fita de cjs es:rtils f re IV *ai
320 rs.
taixas com clcheles francezes, >0|erares qrjU-
dades a 20 rs.
Tinteiros de harro, eom superior tinta a 110 r.
Prcas de cordo para vestidos, ftzeada ki
20 rs.
Baralhcs muilo linos para voitarete a Ou
240 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos de maraca pernla muilo uno a 200 rs.
Frascos e .;.rra'finhas com agua de Coiwaia a
fOO TS.
Prarr s grandes rom superior agoa > Colonia a
6i0 1?.
Caitas com 12 frascos de tMna moi;o fines a
1*400.
S:i! neles pequeos de bolla a 2iO rs. e granees a
320 rs.
lnzia de sahonetes pequeos foro rr-rirn a 700 f>.
Agua dentlflce superior qnalidadea f0 n.
Caias com superirr p ile arroz 3 ^00 r-.
Frascos de uperiores e-senrias saniat e cutrri a
1*200.
Frascos rom esseiicias para :!rar oodu.". te rc-apa
a 800 rs.
Frascos rom rhetfM d tod<* MfftvCM a I1"''.
240 e 320.
Frascos bonitos rom ehetroii Bno* a SiMr>.
Duzia de meias atotta Boas para 'i* ra 1
1*800.
Gollinhas muito finas para sentn I 2tfl rs.
Caixas rom soldados da chuniU> para snfeaaa a
160 rs.
Pecar, de fita de laa para dcbriim de n MH r-m
10 varas a 600 rs.
Ditas de bicos superiores, para acate* ?
800 rs.
Pedras de lousa p^fa RBiBea a ICO rs.
Bunecos de choro e panno a 160 r-.
Caias com bonifs estampas para raed a IC '.
Capachos conprMos, boa faniati a M i.-.
Grosas dc boles pequeos prelo paia t) sn 1
100 rs.
varas de cordo de espartilho a 20 r*.
Novel los francezes com 20 jardas a 40 rs.
rvc;. de ti brdalas a "40.
Onzias de meias cruas mnilo fortes e sof-ncre 1
35500.
tem resollido fazer urna nova liquidacao de lodas
as qualklades de fazendas que exislern no scu ar-
mazem, qae vender iridia porceoto menos do que ciona-las!
em outra parle, afim dt se apurar dinheiro efe- F'izend'l.s
.SvtSnS occ5Tatbc7S,*',aVel PUblC VMdM" "**" r.n6rrelo pronrio para ca-
aprovt.iar a otcd6'a'', a^saber. dfl ||gfcora e wMof. a ^ |(]s|rjm d> g^
,. L"z!nlla!' Hsfssl dcquadrinlios a j^gOO o covado. Ra da Imperatriz, pona larca.
Vende-se laasiunas fifias a 00 e 20 o eovado, l-uprlp< Pnrf.i
dita com palmas a 3:20 36C, cascas dc nina s cor
Europa, WJUl nunc H>ara acabar:: na loja earmazem do Pmo, ra da Papel de c<
)Ulacao. jamperairte.lL 60, de Ga j a 320 e :m o covado, d las de. patatas a 280 320,
brao- 360 e 400 o covado: ru. da Imperatriz 11. 56, Meo
des Guimaraes.
erupgees cutnea* e todo e
qualquer incomir.do que
provm d'um estado
....,. vendem-se.manguilos non golas de cambraia
*aiigue, ; p^0 baratsH:o prego de 300-ss., i
;pndar : na Joja do Pavao, ra rts
NAIAA PARRILHA DE AlER. <%. A' venda oa ra Direita, ns. 12 2(5 e 76; i Ceaesde 'ita I a>a
ra da Quitanda n. 51 ; praca ^miB&-\tl^'^l^^^J^^^^
tu irn n W) c Ununiein ri u\ ,p na S? ^/""deta 2*400, ditos com 11 covados a
lUtcao, n. .R e Hospicio, n. 40. na- 2*6!, ditos .com 12 covados a tm islc*o
prtncipaes pbarmacias e drogaras e im- para acabar: oa ioja do Patio, ra da Imperatriz
perio.
Vende-se em Pernambaco:
na
Fazendas de y.o.ti,
Vende se.as mals mocleroas bareges de laa e se-
da, sendo,fazenda de go lo peiu-baratiesimo preco
de 560 o cavado.
Saias bordarlas
Vende-se saias barbadas pelo barato preco de
1*, erKroweios 800 e
. verde pacadoina?.
Laazinlias a lfi rs, Dito dito e pardo para cobrir os.talos das ditas.
OSOFOfiJlos l!' -''r""5 C /f1?!8 fyP1*1" r>m bonitos p.idroes, seado lisni e de quadros, pelo Jolhas para rosas.
iicas, Ulceras, rendas, chagas, baralissimo.preco de i0 rs. o covado. istopar. A^lilhtKP /teii na,ra r,fu>hi>t
i acabar: na kja do Pavao, ruada Imperatriz n. 60, A "/l(i6 e **** P'r C' OCfiet.
de Cama & Silva. Aendem-se na roa do Queimado n. 8 loja da :iM0 e 7*i,"nu bordadas a
Maaquitos e mhn a 500 rs agina branca, assim -como aguihas iara trar.alhar- i ** cada tira.
Vendem-se manguitos em golas de cambraia "^ n icos xorles lirancos tordados
impuro ae -fcangue, :pe0 baratsss:o prego de 300-ss., isto para li- rJJt'l C SObrecUlcilte para ()$IA*ea*a? hM"0S cor,(,s bordados e de corea,
TOaiEM A lindar: na Joia do Pavii mi imn",, 1 laa e seda, que se vende a 8*, 9* e 10* cada
pnospriorog Jiyyie-meos ou de C(Ee-
seauranca. wl*
A isia do grande ixmanho das caicinhas dos
phos<*oros hygienicos ou de seguranza, tornava-se
pouco o papel que vem em ditas caixinhas, e para
o. 60, de Gama A Silva "~"-------- remediar essa falla a aguia branca mandou vir e
.-.**" k *-*-. ass res sa; r\,z
Veadom-se supriores agasalhos para eabeca de phospUorcs e se vender indJstinciameBle a ouem veo3e-se perales muilo linas, sendo de mnilo
senhoraou cachioos, sendo fazcoda mais moderna delle prensar. O preco de cada caix.nha de unos-! m,g0St0' e leDd de nilos deStht co"> listraa
" Iphoru continua a ser ISO rs., e vendem-se na ra I toPS^SlMndoJf1ienda iIeiram^' de gos-
do Queimado n. 8, loja da agoia branca. e clarad snVi^o 5*aS f?V*
c.,,7,. r.t-. ~ l j I e C|aras. a 2UU, 240, 280, 320e 360 o covado. bre-
bedL frOUCtia para bordar. tanha de linho de duas largnras, a l* a vara, len-
PHARMACIE FRANCAISE
deP.MAURER&CLe
RA NOVA N
que tei ..viudo neste genero ao mercado, pelo ba
raiissim preco de 3p cada um : aa laja o arma-
zem dotavao, ruada.lmperatriz o. 60, de Gama
& Silva.
I Chales desanda .a M& US, \U, 20#* &&, na
loja v Pavo.
Vendem-o chales de renda preta mwtosinos a
10* e 12*, ditos de linhea 15*, ditos de soda de
^O A7PTT lp ti7PndrJlh0o0.s,l,eKuM:es 1ue'ns! fm chales de ronda a
*U UlIaZClll UC ldZrJUUd5>l40e25*, ditos tu-ancos de tres pomas a 6 n*o
baratas de Santos Coelho iSfitEZSZZ*** *imM*
ede
para
Ra do Inclinado u tu.
Vende-se o seeuiote :
Coberlas de chita fina a 2*800.
Ditas de dita a 2*400.
Leneoes de panno de linho a 2*200. -
Ditos de dito de linho a 2*.
Ditos de bramante de linho de um so panno -
3*200.
Panno de linho fino com 9 1|2 palmes de largu
ra pelo barato preco de 2*400 a vara.
Bramante de linho fino com 10 palmos de lar
gara a 2*500 a vara.
Pegas de cambraia com salpicos brancos
cores com 8 1|2 varas a 4*500.
Pecs de cambraia adamascada propria
cortinado de cama eom 20 varas a II*
Ralees da arcos a 2*500,3*, 3*500 e 4*.
Lencos de cambraia fina a 2.;6O0 a duzia.
Dilos de dita a 2* a duzia.
Alhoalhado de linho ioo a 2*800 a vara,
Dilo de algooiio a 2* a vara.
Aigodc eofestado com 7 i|2 palmos de largura
a 1*200 a vara.
Pecas de bretanha de rolo com 10 varas propria
para sa.a a 3*500.
Fil de linbo liso fino a 800 rs. a vara.
Dito de dito com salpicos a 15 a vara.
Cambraia de linho fina a 4*500, 6*500 e 9*;a
vara.
Corles de lazioha de lindos gostos com 15 co-
vados a 5*.
Pegas de madapolo finissimo pelo baralissimo
prego de 8*, 9*. 10* e II*.
Flanella branca fina a 600 rs. o cavado.
Dita de cores fina a 880 rs. o covado.
Baloes d<; mnsselina para menina a 3*, 3*500
0 4*.
Cambraia de forro a 3* a pega.
Dila fina a 4*500,6* e 73 a pega.
Guardaoapo de linho a :<*800 a duzia.
Toalhas de algodao felpadas dozia a 12*.
Esteira da India propria para forro de sala de
4,5 e 6 palmos de largura per menos prego do
que em ootra qu.ilquer parte.
.Veste armazem .tambero se encontra nm grande
sortimenlo de roupa feila e por medida.
a. 60, de Gama A Si ka.
avariado.
Francez barrica 5*000
Portland idm 8*600
Em perfeito estado:
Francez barriea 16*000
Portland idem 12*000
Mo armazem de Tasso Irmaos caes doJApollo.
Vende em seu estabelecimento liras e ntremelos
bordados, grande sortimento de corpiohos rica-
mente bordados a 3*, 4* e 5*. S o Paredes Por-
lo, ra da Imperatriz no 52 ; porta larga junto a
padaria franceza.
Paredes Porto
Receten pelo uliimo paquete francez ricas laas
granadinascom flores de seda a iOOe 500 rs. o
covado, esli acabando-se, cambraia preta para
luto. Porta larga junto a padaria franceza, a ra
da Imperatriz n. 52.
Paredes Porto
Vende um completo sortimento de fazendas
brancas, como sejam madapoln a 4*500, 5'*, 6* e
10jJ, pegas de algodao por barato prego, chita fran-
: ceza a 240, 280. 320. 360 rs. o covado. preealias
A ne-hin,.h3 t mni,n Apochincha su se acabando, chales de merm ,ja.200 e 240 rs. o covado. Roa da Imperatriz o.
** 52, junto a padaria franceza.
niswdos eseocezes Paredes Poito
vadCM,,seSo /Sf06 t e 260 o ce Vende gangas de cor propria para roupa de me-
p I nios a 320 rs. o covado, riscado francs Ano a
ralalas linas 320 rs. o eovado. Ra da Imperatriz n. 52, junto
vende-se percales muilo linas, sendo de muilo a padaria franceza, porta larga.
Paredes Porto
Recebeu pelo ultimo pagele espartilhos a pre-
guigoso por 38, sao bons, lengos de seda para se-
nhora e homem a I, ricos cortes de cambraia
bordados de !8;> a 7a), por ler um ti que de mofo
Vende-seaarua do Queimad, ioja da aguia | ^ ^^/g^'Jf ?* t.^^! f^^acabndo" ^ raa d Imi;^;^ rT ^'jun-
Na ra da Imperatriz-n. 26. fab ica de chapeos
de sol, ha para vender um sortimenlo de obras de
ouro, como sejam, aderegos completos corn coral,
meios ditos, alfineies, rozetas, brincos, correnies
para relogio, escoletas, cruzes, boloes para pu-
nhos, ditos para abertura, e ooiros objectos de
ouro de diversas qualidades e gostos, que ludo se
vende barato para acabar.
Manual de eontas felfas-
para compra e venda de aisucar : vende-se na II-
vraria econmica ao p do arco de Santo Antonio.
br&uca n. 8.
Obra8 de crystal.
Blancos de diversos molde.
Ouk-os lambem Je crystal de cores.
Outros de aljofares brancos e outras cores.
Aderegos de crystal obra de gosto.
'Rosetis de dilo e cruzes.
Botes de dilo, brancos e de cores para collete.
Dito de dito lambem brancos e de cores para
puohos.
Voltas de dito e outra* qualidades.
ieques de diversas quididades
Veudem-se na ra do Queimado n. 8, loja da
agiua branca.
Aspas fortet para balv
Veodem-se na ra do Queimado loja da aguia
branca n. 8.
Carretas com retroz
' to a padaria franceza.
. M-ndes
Guimaraes.
Cobertores de algodao
Vende-se cobertores de algodao, a 800 e 1*500 :
* cada um, ditos escarales de laa, a 5* : ra da Im-
peratra n. 56. Veude-se graixa em bexigas jle superior quali-
Camisas franc-zas ^ade' larE da Asse'Pbla armazem de assucar.
Vende-se camisas franeezas a 1*600 e 1*800,
pregas largas a 2*, V*240 e '2*50., linas a 2*800
e d*, bnm de linho de cores, se vende a lj>280 e
vtJ*^icortes de brim de cor- a ,*280- '-400-
1*600, 1*800 e 2*. de brim pardo a 640, 700 e 800
rs, a vara.
Itoups frta$
Grande sortimento de roupas Mas, caigas de
bnm branco a 2*, de hu,,, a 3*200 e 3*500 cada
uma eamisa 3* e 3*500] finas a 6* o 7*560, pali-
tots de brim a 2*. 2*500, 2*800 e 3* de, caseinira
3*500, 4*. 5*. 6*, 7j>, 8*, 8*500 e 10*, sobreca-
sacos a 12*, 14* e 16, prelos
a 12#, 14 e ib, prelos e de cores, caigas de
Na ra 00 Queimado n.8, loja da aguia branca. SlmSm.*?^ 2 \&m< iioW' ^COO '800,
/^....,.. ____ **> 2*500 e 3*; so Loureugo Pereira Meodes Goi-
maraes, roa da Imperatriz n. 56.
Arara 0. 1>6. Hrudes ijuiniares.
mu m iiEMi
CEVillA
Vende-se cevada de Lisboa, nova : na ra do
Amorim n. 3, armazem de Joao Macedo do Amaral.
Vende-se a fabrica de charutos e cigarro*
da ra do AragSo n. 32, bem afregpezada : a tra-
tar na ra dos Coelhos n. 2]
A Henead\
Vende se o siiio jonto ao porto do Lasserre na
Capunga, perlencente ao herdeiro de Joo Cancio
Pereire Freir, com commodos para familia, co-
cheira e quarto em separado da casa, os pretn-
denos podero enteoder-se com o procurador do
mesmo herdeiro Augusto Genuino de Pigueiredo.
' Em casa de Phipps Brothers & C-, raa do
Vnjario n. S,. vendem-se cofres de ferro, prova de
fogo, dos afamados fabricantes Milner 4 Son, de
Liverpool.
----- j ~*--- o **
Cwmacomc para Ungir ca
bellos.
A aguia branca avisa aos constantes freguezes
des
ber urna nova remesea de cromacome, coloricome
e sabao branco, necessano para lavar os cabellos,
portanto podem dirigir-se a dila loja na ra do
Queimado n. 8.
A bridares de luvas.
Vendem-se na ra do Lueimado loja da aguia
branca n. 8.
Porl boui|iiels
de bonitos moldes, dourados e cabo de madrepero-
la : aebam.se a venda na ra 'do Queimado loja
da aguia branca n. 8.
Bonitas louqiiinha*
de fil da linho, cambraia e setim todas mu bem
unfeiladas: vendem-se na ra do Queimado n. 8,
loja da aguia branca.
seguiotes objectos
No armazem de Mills ,atham 4 ., na ra da
Cruz n. 38, vendem-se o
Manleiga ingleza.
Cerveja branca e prela
Louga.
Biscoutos inglezes.
Oleo de linhaga.
Folha de Aandres.
Saceos feilos.
Silhes.
Luvas de Jouvin.
a ioja de roiodeas na ra do Queima-
do n. 1G, resebeu-as por este ultimo vapor,
J\ o vid de
Chales (Je renda
Paredes Porto, na ruada Imperatriz n. Si, porta
larga, vende chales de ronda de cores com peque-
o toque de mofo, a 3*500 e 4*, fazenda de 10*
e 12*000.______________________________
Novidade.
Chegaram os bonitos cpales e retondas de guipe-
re brancos, e vendem-se na rna da Imperatriz n
52, loja da porl? larga, de Paredes Porto.
., Vende-se um cyiindro, uma masseira. nma
livre e desembargada, na ra da Casa Forte junto, balanca grande e uma dita pequea, com todos os
ao agougue. propria para qualquer principame :'pesos e mais utoocillos de nadara ; a tratar oa
a iralar na ra do i.x^er.dor n. 46, armazem. I raa Direita n. 21 .
Familia de mandioca.
Tem para vender Antonio Lniz de Ollveira Aze-
vedo & C, no seu escriptorio rna da Cruz n. 1.
Vende-se uma taberna com poneos fundos",
Corles de chira com barras a'Imperatriz Euge-
nia, fazenda superior, a 4* cada um, rr.andapolo
francez muito eucorpado proprio para saias e ca
irosas a 10*500 a pega, ou a 100 rs. a vara, dilo
ingles rom 24 (irdas a 4* a pega, caxines para
sabida de baile a 2*500, algodaozmhn largo com
20 jardas a 4j>200 a pega, bramante enfestado de
linho para lenges a 2*200 a vara, chitas franee-
zas 240 o covado, baloes de arcos superiores a
*.'1' O. cambraias lisas muilo finas corn 8 1|2 va-
ras e om mais de uma vara de largura a 8* a
pega : s na ra do Queimado n. 17. ao p da
botica.
Em casa de Phipps Brothers
& C, a ra do Vigario
numero 2.
Vendem-se cofres de ferro prova de fogo
dos afamados fabricantes Miluer & Son de
Liverpool.
Colla 4a Baha superior
c..Tnomse^"c7onoArd\Sz ti** & am-"sea'estaloja nVroa"^Ooeitnadoa li.
Oulros objecoj.
Viudos tamben para a aniipa I ja dte
miuilezas ra do Queimado n. 16.
Supatinhris de setim branco hMtsssfec
ra b.t[.usados.
Oulros de merino lamben) borda.! s e
igualmente bonitos.
Meias de seda, corresponder te M lam:-
nhn dos sapi'.linhos.
Otilras mui linas de to da Fsmag *
bracead listradat.
Luvas finas do le ila Escossia bi.iritu e
de cures.
bitas de seda para senhora*.
Ligas de dita para senhoras c eH
Pentcs de tartaruga mui furte> p
embaraenr.
Carriteis com retroz preto e tlfjsi o n *.
Carleiras coi agaltiaV
Aguihas franceza, as afrrr.; 4a*.
Caiunbas com alfiaetn brai.ci-s e MttM.
Haspas de baleia para vesiidcs.
Fitas de linho propriaa para rir-s.
Caixas con linhas de ovsos passVs
para crochets.
Trancellim de hnnacha rec- i >>.
Bonitas flv'ilas gransK .'e asf,
doiiradn, iia.(Irepcro* > lar-
a ruga.
A loja de mindezai roa do Qi s u
n. 19, receben um bonito tcniawatii de
fivellas grandes para unios. agnd< dc i s
douradas, madreperola e tartaraga, ,.sip;..-s
islao sendo vendidas em dila loj.-. p< r :.'-
fos (ommodos ; assim como bi as e bi | ;.s
lilas de gorgorSo acbamalotado, propria pa-
ra ditas heilat.
Oculos dc iciLfin e dc onliss
quatiiladcfi, para qut-iu ffrc
d vi.sa.
A'loja de miudezas ra do Qt.eim.Tc'o
n. 16, lambem recaben: ceulos r?e psjMra
com vidros claros e escaros, para anta .*. f-
fre da vista, assim como osaros dc atSBSfio
de ago, sorlidos em graos.
Coroas e I eren de cora lira.
A antiga loja de miudezas >.' iu.i s'n
Queimado n. 16, recebeu mui bsalas o-
roas e tergos deoralina, as sjassa < i.
a disposifo dos bons christos o/m M fjn
zerem comprar em dita loja : na rna 'di
Queimado n. 16
Esponjas finas grandes c pe-
queas.
Vende-se na ra do Queimado, Irj.-r <:e
miudezas n. 16.
Diversos ofcjeefos.
A antiga Ioja de miudezas ra do Q' ri-
mado n. 10, ;c;ib;i de receber nimios e di-
versos objectos que fazem completar o m
bello sortimenlo, sendo:
F las finas de sarja da mais estrena qre
ha al a mais iarga, lodas de lina e agr* a-
veis core*.
dem lambem de sarja L vrada, de tir.iros
e novos deseobos
Jdem idem branca/, lisas e laua!as. pa>
dres ipialmcnle novos e bor itos.
dem de gorgtiro de seda acbABialr.lci'x
[e muito encorpadas, para cinto de li*t"as
grandes.
dem de seda preta e de oulras c es pa-
ra debruar vestidos, rlleles, palitos. stK
dem de laa igualmente soriidas em crey
e para os mesmns fin?.
dem de algodao brancas e diversas r-o-
tras cores para vestidos de cbila.
dem de borracha I raneas e prelas para
soutemhavqnes vestidos pretos. eir.
Novas e lindas gnarniees para eneilsr
soutembarques, vestidos prelos. manti*!?-!-.,
etc., obras do muito gosto e mudernissia a.
Tranca de seda com vidrilhos, molde* r.u-
vos e mui bonitos.
dem idem de cores tambem de btr.i:: -
moldes e agradaveis cores.
Botes para os mesmos fins. sendi' re-
tos de seda maiores e menores, enfria
com vidrilhos e pendentes e outros de di-
versas cores.
dem pelos de velludo tambero de soni-
dos tamaitos.
Lelos de doas vidros con aro de ara, ba Lie
e tarta raja.
A loja de miudezas, i na do Que-ir:.
n. 16. recebeu um bello soimenio re Ir-
netos e oculos de vidros com armario fira do
ac, bfalo e tartaruga, e os est vtdcaoV
por precos razoaveis : os pret ndentes diri-
A 6s000
Vende-se nm mulaiinho de 16 a 17
proprio para pneem por ser muito bonito e !>.>a
ojp de pedras para moinhos: veade-se na ra con-Jucla : na ra do Imperador n. 45, tero toa
do Vigario n. 14. JDClar.

i
III FftlVFI Lt-


r
Diario ie Peruambueo Terca lelra ti de Mor ;mbro de

>*"*
N. 11Roa do QueimadoN. 11
A' casa de Augusto Porto chegaram pelo vapor t'rancez ricos cortes de
vestidos de seda de cores dos mais bellos gostos, proprios para bailes,
partidas ou casamenlos.
ales de Guipure pretos e brancos.
Bonets de palha da Italia para senhoras.
Moir branco e preto.
Bonita seda para vestidos,
Oasemiras de quadros.
Epeiras da India para salas.
:u;idapoloes fraucezes a 400 e 500 rs, a vara,
Laas para vestidos de diversas qualidades, e
gostos diffreentes,
Q que tudo se vende pelos mais commodos precos.
CORTES HE SEDA
Chegaram pelo paquete inglez riquissimos cortes de moreantique de cores, e seda lavrada pa-
4r5es inteiramente novos. HA. -
Seda de quadros por 1#000 o covado
5RA DO CRESPO-5
Gregorio Pac? do Amaral fc Cous panilla.
Piea^
i*
DUAKTEALMEIDA^
^s^g^s^1
0 BAILE M CLIBE FERKVMBUG4K0
Gregorio Paes do Amaral & Companhia.
Offerecem a todos os convidados, do explendido baile do Club Pernambocano o
seu bello e escolhido sorlimento de fazendas de phantsia, chegadas pelo Guenme, que
consta das seguintes especialidades.
Vestidos Cesarlna.
Linda e nova fazenda de 15-brilliant, transparente, com listas e flores de seda,
padroes do ultimo gosto.
SI IMS
Em cortes padroes novos, escuros e claros.
Em pecas moireantique liso ondeado e lavrado.
dem estampado com listas e flores.
Tarlatana.
Resta urna diminuta porco de cortes de tarlatana branca, enfeitados caprichosa-
mente a cores. Todos 01 amadores de partidas e soirs, liao comprado para suas (ami-
bas estes vestidos, j pelo diminuto preco, j pelo bonito gosto.
ENFEITES
A' imperatriz Eugenia e a rainha Victoria que adaptam com muita elegancia
ao kok.
Jouvin A 0.
Resentia-se o nosso mercado da falta absoluta das verdadeiras lutas de Joutin.
Temos a satisfacao de poder annuncia-las a nossos freguezes pelo preco de 35000 o par.
E grande a economa vista da flexibil dade e bom acabado, que Ibes da dupla
i duracao sobre as falsificadas.
Trlnta diversos objeetog
Proprios para o complemento dos enfeites de vestido como berthes, costageo,
suspensorios, etc., gostos os mais phantasticos em dentelle preto e braceo, tafetn etc.
Mandam-se amostras.
Diademas e pentes de tartaruga.
a primeira vez que vem esla fazenda ao mercado. A pequea porco que res-
a convida as Exmas. senhora a urna breve compra.
CINTOS
Com fivellas de madreperola gravada-, tartaruga, metal, etc.
Chales de O lo de core.
Nova remessa, destes chales e retondes a duas e mais cores em xadrez. Nada se
A tabella abaixO DUbCada Serve de bfi.se de BreCOS/Pdejulgar do magm^ooeffliilodestes chales, sem experimentar ; as pessoas que os de-
sejarem mandaremos amostras.
E urna infinidade de fazendas de gosto, como sejam:
AO RESPEITAVEL PUBLCO
Para vestidos de senhora.
Cortes de seda de cor de bom gosto e superior qualdade.
Lindas sedas de quadrinhos.
B-ns moireantiques de cores.
Grosdenapes de todas as cores.
L 11 ios poil d chevre fazenda assetinada de inteira nwidade.
Lindas durezas assetinadas fazenda inteiramente nova.
Mo leroos sjrenadines de seda o que tem vindo de mais novo.
Gn le variedde de laas de cores li>as e de salpicos.
or -:i idys e, ca-sas de muito bnrai goto.
Perradas modernas com grande variedde.
Lindos antes de la ,Clotilde yin todos os pertences cada um em seucar-
151 inteiramente novos.
[1 mscrtes decapa coji barra timban inteiramente
novos e outras muitas .
,: fazndasdegosto quesera enfadonho mencionar. 'M
{: Para homaros desenlio a
Grande variedde de chales, boarnoux, retondes e algeriennes de fil e de,
. guipnre a 10, 10, 20, 30, 40, 60 at 80.
Mudemos soutembarques de seda de superior qualdade.
L ndos bertes de seda de cor pretos c de cachemira.

L ndos
dem de cambraia branca bordada com muito gosto.
Sautembarques e boornoox de cachimira de cor e outros muitos artigos de^
bom gosto.
Pa ra ca beca de sen ho ra
. Superiores chapelinas de palha, de*seda e de crina de muito bom goslo a im-'
Ciianos de ndha da Italia grande variedde. i
Lindos gorros e bonets de palha de Italia, Imperatriz, a Cinutier, a Clotilde
.-. e a Grante, chegados de Pars pe o ultimo vapor.
Grande variedde de enfeites defroco e de flores para casamento.
s p riores vestidos de blondo, e de moireantique brancos.
Bons moireantiques brancos e superiores sedas brancas.
Bous vestidos da tarlatana branco bordados.
Lindas manas de blunde e boas capellas.
asordados.
Grande variedde de entremeios bordados transparente e tapados.
Ti as bordadah transparentes e lapadas, babados bordados, satas bordadas c.
outros muitos arligos.
!)! *NToNU> CORRBU lB VASLONCELLOS & C.
RA O CRESPO 13 II

tanto deste armazem como do armazem prpgressivo pa-
te o do Carmo n. 9, principal armazem rui do Impera-
dor n. 40.
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidade ios senhores de en-
henaos, lavradores e mais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
beraran! os propietarios dos tres grandes artnazens, reunir todoi os sens estabeleci-
mentos em um s annuncio, pelo qual o preco de um ser le todos, promette-
saos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, a munciar os gneros
por um preco, e na occasio da compra quererem por outro, cora) socede constante-
mente em outras muitas casas, porra nos nossos estabeleciinento? nao se dar isto
anda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder manda* seus fmulos que
sero tam;em servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o fvir de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remet indo nos urna conta
pela qual se ver os preeos tal qual annunciarmos, o que seno arrepender pessoa
alguma que fizer sua despenca em nossos estabeleckaentos; pe poupar mais de j
5 por cento na sua despeza diaria.
Chales de fil preto de 103000.
Os mais ricos vestidos para menino de 3 a 6 annos.
Colxas de croeg- e pannos de labyrintho.
Tif branco e fil de seda.
Superiores bales de clina, recommendaveis pela dmga duraco e bom talbo.
Tudo a
5 RA DO CRESPO 5
Manteiga i igleza perfeitamente flor che-
gada ltimamente de l.oooa I,loo rs. a li-
bra, e em barril ter a-batimento.
Manteiga franceza da safra nova a 86o rs.
a libra e era barril ter abatimen-to.
BANHA
Banha refinada superior a 6io rs. e em
barril ter abatimento.
114
Cha uxim de primeira e superior qualda-
de a 2,8oo rs.
dem byssen o melhor neste genero a
2,6oo rs., e sendo em porco ter abatimen-
to, tambem ha proprio para negocio de 2 a
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de 1,800 a 2,i>oo rs.
Serv ja
ss dos memores fa-
Shlers&Bell. T. F.
a iiozia e a 7oors.
de outras marcas
Superior serveja Bas
bricantes, como sejam:
Ashe a 7,5oo e 7,ooo rs
a garrafa. Tambem hl
como seja: Victoria e Alcope a ,000 rs. a du-
zia e a 5oo rs.
Ir
sboa a 2,000 rs. a
rrafa. Tambem ha
garrafa e l,4oors.
a garrafi
Tfang
Superior vinagre de
caada e 280 rs. a ga
mais baixo para 2oo rs.
a caada.
A zeite
Superior azeito doced
garrafa e a 5,000 rs. a ea)
Massas
Macan-lo e talaerim a
doce
^Lisboa a6lo rs.a
nada.
360 rs. a libra e a
a libra.
Blscoiitos 15,000 rs. a caixa.
Latas com superior biscouto inglez de di- Passjs
versas marcas a l,2oo rs. a lata. Superiores passas a'S.ooo o quarto e
Bolaehiuhas !2,5oo rs. a ca xa de anfoba hespanbola e a
o
a
O
t
3
DE
-

Loj da boa f na ra da
Imperatriz nt 74.
V >n li id ?e reos enfciles para caljega a 25300.
Pi :;i,' ii! i is para asar a 240.
I) i.>- uoin chapa de metal braoco a 300.
K-i.-v.,, Unas para denles a 120,140 e 500.
'! :i linas pira ruptura a 300, 500 e 13-
': i il aa paraseoh.ra a 3J0 e 400 o
C isa eon 50 nvelos de linha do gaz a 700.
Cr.xi -.i!. 100 fiiveloaes a 800.
>: >xa com papel paulado a 700.
il ni de papel almaco greve a 35200.
Tinta !>n-la para escrev.?r boiioa 140.
F < ms e garlos de balando a 55500 e 655'I0.
U>laK eraa para borneo] a 200 a 240 o par.
AilVuetea di* toios os tamanrias a 100 a caru.
. la de liona peQ* 50 e 120.
C irdio para vestido a 30 rs. a pega.
te imperial peca 40 rs.
Cjixa* cooj ubreiaa muito boas a iOrs.
Baralb da cartas lioas a 210.
Gr va de haiao de louga para camisa a 120.
Ditos dn. madreperola muito finos a 640.
Clisa de coriet muito bons a 40 rs.
Cario de cureles muito h.rjs a 60 rs.
Bravatas de seda preta e de cores a 500.
Jogo Me wNpora a 800 e 500.
Ca tas muito Unas para rap a 13.
E um completo sor.foaealo de miodesas (ue se
: :: por inmos do que emoutra qualquer par-
lepara apurar dinheiro.___________
cha-se
venda na livraria acadmica, na ra do Impera-
dor ; na do Sj. Xogueira, junio ao arco de Santo
Ati'. inio ; e na typographia imparcial, na rea es-
ire.ta lo -.\ irio a compilago de toda a legislaca
tendente administrado, arrecadacio e Cscali-
-. > itos diuli-iros de orphaos defuntos e ausen-
tes, brraneas Jacentes, legados, etc., contendo ni
cgimenta de cusas e a lei geral das execu
c5es, como lambem todas as ordens e avisos de
gov.rno. qne"a tudo tem explicado, tanto a respei-
to das nbrigacoes inherentes ao cargo dos differen-
tes ai| i egados de Justina e fazenda, como dos di-
reiio- naemnaes e emolumentos que sao devidos
I livro contendo mais de 700 paginas em nitids
impressSu e b-n papel, e prestandu-se a utilidad'-
dK dflrentea elasses, torna-se recommendavel
S-u cusi lO^OOt por cada exemplar em dou.>
o;:i >.v
&&
LOJA DO BEA FLOR
Na rm do Queimado n. 63.
Neata loja por toJos os vapores se recebe luvas de
pellica brancas e decores, tanto para hornera como
para seohnra.
Vo'tas, cozes e brincos.
Chegou no ultimo vapor um grande sorlimento
de voltas e cruzes, imitando cornalinas brancas,
assim como brincos da meseoa e de crystal do mais
1 apurado gosto que so podo desejar, foi s quem
i recebeu : na loja do bjija-lor, ra do Queimado
I n. 63.
Enfeites para coqoe.
Assim como recebeu enfeites para coque e ou-
1 tras muitus qualidades, q-ie se vendem mais barato
I do aue em outra qualquer parte.
Bonecas que cha ni a ni mami e papai.
Tendo recebido um grande sortimento de bone-
cas que chamam papai e mami e movem com os
olhos, muito bem vestidas, com cabelleiras, o
que p le haver de gosto neste genero, e vende se
| mais barato do que em outra qualquer parte.
I Btlaios.
Asim comoum bonito sorlimento de balaios para
menina de escola, tambem ha muito bons pentes
para desembarazar, guarnecidos de metal.
1 Bichas de Hamburgo M
fc todos os paquetes da Europa se recebe 3
S destas amigas do sangue humano e se
ffl vendem a troco de poueo lucro s aflm
Jfe de ler sempre cousa nova : a loja de bar- MI
' beiro ra estnita do Rosario n. 3, ao pe ^
*^ da igreja.
Latas com bolacbinhts da acreditada fa-
brica do beato Antonio, proprias para dar a
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata.
dem com quatro libras de bolachinha de
soda a 2,ooo rs a lata.
Queijos
Queijos flamencos chegados no ultimo
aoo rs. a libra.
vapor a 2,5oors., tambem ha do vapor pas-.(]a ums.
Genebra de laranja verdadeira a Io,Soo a
du/ia e 1 ,ooo rs. ao frasco.
Genebra de Bolkndtj verdadeira a 6,ooo I ^ e ^ria )ar(jc
rs. afiasqueira e a 56o rs. o frasco.
Idom de Hollanda en> botijas a ioo rs. ca
AZEVEDO FLORES
Eua da Cadela do Reeife, esquina da Madre de Dcus.
Grande sortimento- de fazemias por alocado c a rctalho. e um tralela ser
ment de roBpa feita, decasemira edebiim, lado por |H tu
outra qualquc'parle: quem duvilar veuha ver.
CAMjQMM
de lindas e finissimas casemiras escuras e claras, de soperior casemira preta, de finos
brins brancos e bom brim pardo.
Paletos
de superiores casemiras escuras e claras, de tina alpaka branca, de superior alpaka pre-
sado a 2,3oo rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespanhol a l.ooo el,2oo rs.
a libra, francez e suisso a i,000 rs. a libra
ClhIKS
<;rnde pcchlncha.
N' roa da Imperatrfi n. 52 pona larga de Pare-
d>s '"ii", vende-se chales de merino eslampados a
25 e iiflOO e finos 53, esli se acabando.
Ilord^tlos.
t'.Ii jt.n a |oja lr n. 52. dui sorlimento de camizinhas, gollinhas,
& rpinhos, rmneiras e sintos, de cambraia branca,
pe i barato pnjode 23500, 35500 e 43, gollinhas
500 rs., r-rni-ira* a 800-e sintos a'800 rs, grande
quMMidade de entremeios a 600 e 800 rs. a peca,
eatfid se acabando.
Vende s^ urna grar-de casa terrea no lugar
da (apanga esqakM da ra das Deosas, com cha-
fariz ni fi ne, toda murada, cora gran* quintal,
conteni diversos arvoridos, cSttt^a \ tanque
para banho : quem a prtender nffl
e tratar na ra estreita do Rosa'r
wKmummmm
colares Iloyer oh colares ano-
lloos
para facilitar a dontigio das crianzas e preserva-
las das convulses.
O feliz resultado obtido immenas vezes pela
prodigiosa forca magntica dos colares Royer, nos
casos de convulses, e denticao das crianzas, tem
altamente elevado o scu bem merecido prestigio,
e hoje j* se pode dizer qne estao geralmente con-
ceituados, e eslimados de ronumeraveis pais de
familias : de uns porque do nso desses salutares
colares viram salvos ao perijto seus charos fllhi-
nho*, e de oatros porque colheram daquelles tao
proficuo exemplo para igoalmenie preservar os
sens. Assim, pols, a aguia branca, tendo em vis-
tas a Qttlldade eproveit'- desses prodigiosos cola-
res anodinos oo R >yer, mand.xi vir o novo sorli-
rneuto que agora recebeu, n continuar a recbe-
los para que em lempo algum a falla delles possa
ser funesta aos pas do familia, os quaes ficarao
cer-tos de os achar constantemente na ra do Quei-
mado, loja d'aguia branca n. 8.
Vinho do Porto superior em caixa de duzia,
tem para vender Antonio Luiz de Olivelra Azeve-
do A C, no sen escriptorio ra da Cruz n. 1.
Vendein-se duas escravas recolhidas, de ida-
de 23 a 24 annos, excellente conducta, engommam
perfeitamente e fazem lodo o servido do urna casa :
na travessa do Carmo n. 1.
Vende-se um sitio em Henifica a' margem do
rio Capibaribe, com bastantes commodos para urna
grande familia : trata-se na ra Nova n. 21, das 9
i horas as 4 da tarde.
e portuguez a 800 rs. a libra, em porcao
ter abatimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Vellio Secco, Lagrimas do
Douro, Mara Pia, D. Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a 1,000 a garra-
fa e 9ooo a 12 ooo rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3,ooo,
3,Soo e 4.000 rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 6io
rs. agarrafa ea 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
anceretas de 8 e 9 caadas a 24,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
Catatas com urna duzia de garrafas de su
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa e
7oors. agarrafa.
CAFE
Caf do Rio de 1.a e 2,a qualidade de
6.800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
MI RAO
SabSo maca de primeira quabdade de 18o j
a 22o rs. a libra e de 16o
em caixo.
Garrafes com 24 garrafas de genebra de'
Hollanda a 8,000 rs. o garr^fao. Tambem
ha iarrafoes com 5 e 14 garrafas de 3,2oo a
6,000 rs. cada um.
YELAS
Velas de spermacetea 64o rs. a libra.
dem de carnauba de lo a 12,ooors a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
PEIXE
Peixe em latas j preparado de l.ooo a
l,2oors. a lata
ALPISTA PAINCO
Alpista e painfo muito novo de 3,800 a
4,000 rs. a arroba e de 14o e 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mais acreditados fabrican-
tes, como sejam: Joao Furtado da Serrias,
Manoel Pexoto da Silva Nelto, Castanho &
Filho e Brando e de outros muitos. os
quaes vendemos pelotnodico preco del.600,
2, 2,8oo, 3,5oo, 4,5o, e 5,ooo rs. a caixa.
l-iciores
Licores francezes portuguezes a l.ooo e
l,4oo rs. a garrafa oiji frasco.
voces
Doce da casca da goiaba e caixes pe-
queos a 7oo rs. e d 3 5o caixes para cima
a 64o rs. o caixo.
Frats
Frutas em calda e era latas fechadas her-
mticamente, muito bem enfetadas, conten-
do pera, pecego, ameixa rainha Claudia, al
perche e outras frqtas a o) rs. a lata.
Coiletes
de boas casemiras pretas e de cores e de lino brim branco.
CAMISAS
Superiores camisas francesas de 2-5 at 55.
Cerolas.
Ceroulas de superior bramante de fino linho.
ISaldes.
Superiores baloes de arcos para meninas de 2 at 12: annos.
dem superiores para senhora.
Ciravalas e mantas.
Superiores mantas para pescoco de homem, as mais modernas do aaercado.
.Uadapolo.
Madapolao bom a 8, 9,5, Kl e 125.
Cbapos de sol.
Superiores chapeos de sol de seda balo a 105.
Fraques'de casemira.
Fraques de casemiras, preta, escura e de cores claras, e nao havendo que sina
ao freguez manda-se fazer por medida e cora muita promptido.
Todas estas fazendas por precos insignificantissimos, pois o filo do Balo ad-
quirir freguezes.
LOJA DO BALAO
BE
a 21o rs. sendo i Tambem ha latas grandes para l,2oo rs. 1
'lata.
Uvas pelo ultimo vapor.
Peras pelo ultimo vapor.
Macas pelo ultimo v
Ameixas pelo ultimo vapor.
Passas pelo ultimo vapor.
Figos pelo ultimo vapo
Fructas seccas pelo ultimo vapoij
Fructas em calda pelo ultimo vapor
Nozes pelo ultimo vapor.
Queijos londrinos pelo uhimo vapor.
Queijos flamengos frescos pelo ultimo vjroor.
Presunto fiambre pelo ullimo vapor.
Tudo se vende barato nos seguintes armazehs:
Una do Imperador o. -40. Terdadelro Prl aclpal.
Ra do Queimado 11 9, Unio e Commereio
Largo do Carmo n. O, Pn gresslvo
A/EVEDO & FkLOIU S.
AKMAXEIfl E VATENBA8
DE
* .
CUSTODIO (IHVilJIO
27 RA DO QUEIMADO N. 27
Madapolao francez muito fino, tendo pouco mofo, .cada peca com 27 uvas por
105000.
Laa de c res a 300 rs. o covado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a preco de 800 rs a vara.
Lencos brancos para algibeira a 25' OO a duzia.
Fin'sperclaras a preco de 400, 440 a 560 rs. o covado.
Ricos cortes de 15a de barra de 105 a 305000.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.
ULTIMA MODA.
Paredes Porto recebeu pelo ullimo paquete um "completo sorlimento de capas
bournus de cores ricamente enfeitados a 12>, l'*e 20J : na ra da Imperatriz b. 19,
loja da porta larga junto a padaria francea.
f.\Z.
00 no
o me-
No armazem da roa do Imperador n. 3
Caes de Pedro II n. 2, tem para vender-se
Ihor gai existente no mercado.
FaHnha a 3j5
Vndese farinha de mandioca, saceos grandes :
no armazem dos Srs. Tasso Irmaos, na ponte nova'
pelo preco cima mencionados.
Vendem-se
.1
machinas americanas de serrla
algodo : na roa da Senzala non m. 41
CAMBRAIA.
Cambraia de forro com 8 l|2 Taras a pe^a a V.
esl-se acabando : na loja da porta larga 4 na* al
Impci atriz n. 52, da Paredes Porto.___________
Peonas de ema de maito 1
vende-se na roa do Vigarto
criptorio-
-****
~


ILEGIVEL


Diarlo de Pernauboco rei^a letra ti de Xorenibro de ft9.
GERENTE
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
AO
RESPEITAVEL PUBLICO
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma
em da Liga estabelecido ra Nova n. 60 om magnifico sortimento ^de mondos,
que sendo em sua maxim parte mandados vir directamente do estranguroV"".eJi se
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e nteressante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm .ffiancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
1.' Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3.' Sinceridade nos presos.
As pessoas que por sua posicjo social gozam de certo tratamento, achanto nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condicSo do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquelles que sio ponco favorecidos da sorte faro mensalmente urna economa de
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucir, etc., etc. de boa qaalidade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, pelo sea proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhorcs que compram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certameote muito deve agradar aos senhores
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, era se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DIMIIEIRO A VISTA:
A Graixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
ALPISTA a 120 rs. a libra. urna,
dem e paim;o de oito libras para cima a i
100 rs. i KIRSCH de Wasser a 20 a garrafa.
Arroz de 90 rs. a libra a........| ^
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra. LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
AvellAas a 2iO rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os ta-
manhos.
dem idem em potes de todos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de todos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Alhos a 200 rs. o molho.
Absyntho a 23000 a garrafa.
BOLACHINHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a 10800 a lata, e
de cinco para cima a 10700.
dem de soda em latas grandes a 20000 e
de cinco para cima a 10800.
Biscorros inglezes de todas as qualidades a
10200, 10250e 10300.
Bolo francez em caixinhas a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Banha de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 600 rs. a libra.
dem suisso a 10 a libra.
dem de musgo a 10500 a libra.
Choricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 240 e 260 rs. a libra, e em porco
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 70000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muilo novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 10800 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'llavana, Expsito,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Kegalia, Mississipes,
Panelellos, Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
presos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto poiita branca, etc., etc., a 20000,
202"0,20560e20800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 20500, 30500, 40 e 50.
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior a 10 e 10500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, parios, a 80 rs. 0 macu
de cinco macinhos.

DOCES de todas as qualidades: brasileiros,
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc.
B
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
irvadoce a 400 rs. a libra;
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a librar
dem de araruta a 320. 400,500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
Feuo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 10.500
Farello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
Lethia a 400 rs. a libra.
M
MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 10, a libra.
Marmelada dos mais acreditados fabricantes.
Macarro e talharim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 600 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Moliio inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
30500.
Mimo pain^o e alpista, seDdo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
N
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 80O rs.
O
Ostras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a 10100, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, parg, salmo, pescado e
pescadinlia, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excetlente preparado.
Palitos para denles a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em qaarto a 10400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
a
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QARTINHAS OU MOIUNQUES a
II
RAPE' Meuron a 10 a libra.
dem Princeza do Rio a 10200 a libra.
dem francez a 20500 a libra.
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 2$.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes.
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
Sag muito novo a 100 rs.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
V
VINHOS!!!
Principe Alberto, de 1831, a 50000 a gar-
rafa ; di vida aos velhos.
Velho secco a 20 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 10500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 20 a garrafa.
Duque a 10 e 10500.
Chamisso a 10, 10200 e 10500 a garrafa.
D. Luiz a 10 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 20 a gar-
rafa.
Carca velos a 10.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por n5o ter com-
posicao alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 10 a garrafa.
Absyntho a 20 a garrafa.
Kirsch a 20 a garrafa.
Wermouth a 20, e a caixa a 180.
Bitter Maurer a 10 a garrafa,
Vinho figueira em ancoreta a 200.
dem Figueira e Lisboa em pipa a 20500 a
caada.
Cavalle.
Veode-se um magnifico avallo meo-poroto,
muilo gordo, novo e de lodos os passos pode ser
visto na estribara do Sr. Taomaz Payne, na ra
da Stnzalanova.
Velas de composicto
Libras de seis velas por -140 rs.
Durara seis horas.
Arroba ou 192 velas por 12* na roa do Tra-
jche, armazem 0. i i.
Cambra i as.
Parede Porto vende cambraias lisas finas, gran-
de sortirnento, a 35 at 61, ditas Victoria muito
finas, com 10 aras a 65, 6500 e 7$ : na ra da
Imperatrii n. 52, junto a padaria fanceza.
Cbe&nem aos corpinhos de cambraia.
Vendem-te corpinhos de cambraia com entre-
metas a 44 e .')*, estao se acabando : na loja de
Paredes Porto, ra da Imderairii n. 32, poria lar-
ga, jun.o a padaria franceza.
AO PUBLICO
Sem o menor constran.
giincnto se entregar o
Importe do genero que
nao agradar.
ATTENCJO
preeos da egulntt
tabella para todos, pc.
dendo asslm servir de bi-
se para o ajuste de con(a
com os portadores:
*f
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o areo da Concelco)
PARA BEM DE TODOS;
rr-r.horas, o aceio qne presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo a Dromntirln a 1
o tratifo** nvida a urna visita ao mesmo, certos de que senudavida me dar3o a proteccSo e nrpfoiinSa
Senhore
fiza com que serao
rra dos sreneros que precisare e quando nao possam vir podero mandar seus portadores, ainda'que VsTe^sTam^nmTcn "a'-',IT1"
"os serao t5obem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao afim de rntol '
ntel-
com-
tra
RIVAL
Ra do 4|ueiiaadu no. !*>
' Contina a veadtr it.a as mu.d. /. m
, declara por precos admira*ei..
Massos de palitos lixados para den", a 10 rs.
Espelbos deuiolura.s arada a -m :.(, r. fja.
Bunets de oliado [ara mectot i
Dito:, de couru superior Uin.
Frascos com suptnor tinta roete .- uu t.
Heladas de liana Irosa taia Un ,
Caixas com 100 envelopt-,1; en .- rwr r.
Gras de pennas den, M
Grozas de boloes attaYau ti,** ;,. % 349 m-
e 640 rs.
Caixas com 50 novellcs de I.: r a fa :; ;t.9 n.
Caixas com superiores ol r. 1.1
Petas de lila branca rlaMtra r,
Varas de franja de la pa en;- m .-<.4
4o rs.
Baralhus douradr.s wptrfort :
Novellos de Ririta rom 400 jai,..
Liros para assintos de rtia i- ,<* rrfj.
Pares de botes para pncr.o, bwbcj nr ..'.
Tesouras rara costoras stjeri(,.
400 e i&.
Caixas de pennas de nlign|ba. fazcrdalcsa
I eco.
| Maesa rcm sopericres in
Pares de sapalo! de In i
Caixiis ci n
Libras de laa s( nida t. i i -
Caixas ctmsuieriores otttm d* t ;
. Rodil Las ccmailrnlis lian. e, i
i a 20 rs.
' rs.
3
l
Manteiga ingleza especialmente eset linda a
l,ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha bysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de i5
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de i e 2 li-
bras a i,6oors.
dem preto o que se pode desejar oeste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
ngulas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Choricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato a 8oo rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ou amarella a 64o rs. a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de 9 caadas a
35,000 rs.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, loo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excelleDte quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missaem caixas de l du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas qne
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Malvazia fina a I6,ooo, I5,ooo,
I2,ooo e I o,oooa caixa com 1 duzia e9oo,
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
c.i rpfin,4. m ,, Resmas de par el alirarf i :.'.
sai rennauo em frascos de vidrocom tamja Kscovas para trapa, bra Mm .
ao mesmo, a 5oo rs. 'Duzas de amata* cou tu.ut ... ,. r a
Cerveja branca das marcas mais acreditadas' n,1500 t ,
que vem ao mercarle a w I ,"! P,il!,s de ara- e Psrf0? de "|ft i: &*
a f/arrfa Vk ^ o d00'56 e 04 l^'^ fino para crlsrca.
a garraia, e 5,800, 6,ooo e 6,5oo a du i Pslelra para o tnitt a
Zla- i filas e volias para senlvra a cCO.
Cevadinha de Franca muito nova a2oors EL?de gM F^"lt* u,1
Charutos d. affamaSo HbricZlo'Zt I &. S^S K S.'.
6,000 e 7,ooo a caixa ou em n eias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
ntillas de Havana, intervallos, Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5co e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das melhores Barcas, a 8ooe
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
jMatte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
[Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
I Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
,000, 4,000, 5,000, Grvalas de rrf, f^trrds-i
Hapei- de apulha;, fui'rto dftHajV. ;.
ft
r.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duzia e 1,500 rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas Toucinho d Lisboa muito nov a 32o rs. a
qualidades a l,3oors.
Cartes com bolo francezmuilo propriospa-
ra mimo a 64o rs.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
rs. a duzia. para mimo a 3,ooo rs.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.. Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
l,ooo e l,2oo rs. a libra.
Espermacete superior a 6o e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 8oo, l,ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a ibra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolacbinha d'agua e sal, da fabrica de Jo5o
de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
bras por2,5oors.
Ameixas francezns em frasco de vidro com
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 6oo rs. a libra.
Bolacbinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidpdes a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o prego.
PASTILH
VER1
lampa do mesmo, a l)55oo.
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e | Ameixas franc' zas em caixinhas de diversos Azeitonasrde Rivasem ancoretas grandes de
8,ooo a caixa e 64o e 7oo ris a gar- tamanhos com bonitas estn pas na ca- j 8 garrafas por 6oo eSoors. a garrafa,
rafa. xa exterior, a l,4oo, l,6oo, l,8oo e 2,ooo Azeitonas portuguezas a oo rs. a garrafa e
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de; cada urna. | l,5oo cada urna ancoreta.
conta certa. Azeite doce refinado hespanholou portuguez Champagne da melhor qualidade que vem
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa. i ao mercado, a 2,ooo e 3,Soo a garrafa, e
Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo j 24,ooo e 26,ooo'o gigo.'
o gigo com 36 libra*. | Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a l.ooo ell.ooors.a frasqueira. Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. ali-| 8,5oo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras de escova para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li- 4oo rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. j Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranho de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a
arroba. a 8oo rs. o frasco,
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar-1 Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4oo rs. o frasco.
Pain?o e alpista a 14o rs. a libra e i.oooa Lentilhas francezas, excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesde superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra erj6o rs. a reta-1 13 a garrafae U.ooo a duzia.
too. I Palitos de denle a 14o rs. o maco.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
a libra.
Figos emsextinhas a So rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas coofeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a 1,4oo e 2.ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
cfif30>ri2co^Hg
9
"1 _
2-o
Sri S.g.g.3
.- 3 r\* na
MACHINAS
de
IEPAEN1
Tasso Irm&os
Yendem no sen armazem roa de
Amoi'im n. 35.
Licor fino Curarlo em Jwtijas e meias botijas.
Licores Qnos surtidos em garrafas com rolbas d
vidro e em lindos frascos.
VinhosCheres.
Santernes.
Chambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniol.
O castello de Grasville.
Traducido do franre por A. J. C. da Griz.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 3dOOC
aa praga da Independencia, livraria na.
6 e8.
|fl
ra
tfafralhar a mo p*M
descarocar aSgodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & Cs
LDAM
Estas machina;
podem descaroca;
' qualquer especit
de algodao sen
estragar o fio
"-" sendo bastanu
duas pessoas para
otrabalho; pdt
descarogar urna
arroba de algo-
dao em earoct
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou S ar
robas de algodc
limpo.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descarocam 18 arrobas de atgodc
limpo, por dia; e motores'para mover urna, duas,
eutris dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machinaj
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zem de algodao, no largo da ponte nova n.47.
Saunders Brolhers&G.
IV. II, praca do(orpo Santo
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
wwwmwmmmmwmm
Testamentos em verso.
Conlinuam a estar venda, na typogra-
phia dr ra do Imperador n. 15, defronle
de S. Francitco :os testamentos da Gali-
nha, do Gallo, do Porto, do Leao, do Gato,
do Per, do Carneiro, da Onca Tigre, do
Cao, da Hyena, do Rato, do Orangulanpo.
do Macaco, do Burro e do Vigario; a Peleja
da Alma com o Di e a 100 rs, a quem comprar urna (Olleccao
cem[ lela ou 23; cartas de ABC, taboada*,
cathecismos, economa da vida humana,
cartilhas, Simo de Nantua, BiMia da in-
fancia, manu.^criptos, traslados, paulas, pro-
curafoes, apudautas, Icllras, concecimentos
para embargue deescravos, despachos para
a alfandega, papel almaco pautado e pinta-
do de diversos formatos, sendo o pequeo a
30 rs. a folha, o inmediato a 40 rs., o me-
dio a 50 rs. e o muito grande a frO rs.;
papel marroquinadoe luslroso grande e pe-
queo ; papel para impressao de urna s
cor grande e pequeo ; Virgilio, Horacio.
Salustio, Magnum Lexicn, prosodia, dic-
cionarioa francez-porluguez e vice-versa,
selecta franceza, e oulros niucs livros, bem
como em bnneo de totl > os tamanhos.
DE UM,
tfOVA YORK.
DE COR CHEBO E SAMM iimiitil!
lnlinitamenie n>ais ttk : i i
os mais remedios pfrigflfM i u f
que exittem para a 'xpuisT 11: s r-a i aa$-
aocausam dores e pn&mrn ara r* Ht
sem precisar lefodepmdc n 11, ae-
nliuin e taoincitfcntes i ni i '. n ,.
ciosas em gosto, ase asui. r ,< t-*
promptasa lomar mais di ai i aja a re-
ceila.
Ulcis como um exeelteBlc i. .r
rt-mo\cr as (dislrticir,.- (.c -
no caso de nao exislirero m i ti .a*
1'A.STII.IIASVKIIMIUCAS H hl \ I I Bkjr-
las einfalliveis na sua operar e : Um
os respeitoa dignas deeeofai i i .'.-
Cao de todos os paes de hur i.. pa-
radas uiiicamenle por Lanman A I.
Nova York.
Deposito geral em Nnpl tm a
Cruz n.22 em casa de ('arr^ f tari I i
"INJCCAO BLOVi.
Remedio iniailivel as a^m m..,-
e recentes, nico deposito aa paararl
franceza, ra da Cru? n. 22 i ao praa .e
3(9000.
ESC2A\?
Frgio no dia II do rerrcnl < -
tino, com idade de 20 aunos rie W i i baixo, proseo, olhcs preti., ps e-t o
nariz alilado, mos rurtas, e no dia i! aV> n..-**,
ns pretos Luiz, orioul", id ide tt '. i lo
Maraol.ao de 48 annos. levaram '-m
ecal(s de algodao: qn<-m w praai rainal
em Sanio Amaro em casa Ao ara al r Naaaal
Culodio Feixoto Soares, que 'erk :i bfiraaV.
s
m
s
Vende-se nm sobrado de dous andaras no
i airro da Santo Antonio, o qnal rende para mais
de 1:2004, e urna casa terrea no bairro da Boa.
Vista a tratar com agente Olympio em seu arma*
zem na ra da Cadeia do Recite n. 34.
SCobi loja na do Crespo n. 17.
Recebeu de Pars sedas em cortes mul-
lo superiores e bellsimos padroes, e
I chales de renda pretos para 10.
Esle importante estabelecimento torna-
se recommendavel ao bello sexo pela va-
I riedade de fazendas superiores e bellos 1
gostos g
Proteja o bello sexo ao Villar ]
e verao todos a prosperidade.
Biimiiaaiiii
ALGODAO DA BAHA
Na loja d Andrade & Reg, ra do Crespo n. 8,
esquina da ra do Imperador, contioa a vender-
se superior algodao da Baha por menos preco que
em outra qualquer parte.________________
Vcndemse quatro burras mulo mansas, boas
de carga e de sella, por prego commodo ; a tratar
no notel de Franja.

aos capitaes de campo e .
polida
200.SOO it s;ratilkbca ar rada
Dc-apparereu ein principio do me/ ,'. i .', r
prximo passado, de bordo do nalh: l.. -
Arroto Malo, dous escravus de nnioe P. tfiy, per
appellido Macei, e Miguel, o I* de n*e .>;
domo na s ou menos, criuulo, cor fn, e-utur*
haixa barba cerrada, nm poaco lo'i d< rr*aaa
e com alguns cabellus branros, MU n- '. .. >
mo na rabera ; o 2*alto, rheio do
ha. falla grossa, representa ter de i ;ji> aonaa;
cojos escravos desconOa se and..ren ;. m arrabal-
des desta cidade : quem os appreh r, faetM
levar a ra do Trapiche n. i, ou i-uu in .Man
navio.
Framcisco Jos Germano
RA NOVA N. 22,
acaba de recener um lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gosto da Europa e ocu-
los de alcance para observacoes e para os
martimos.
ecbiiicha
Vende-se ri?cadinho francez a 200 rs. o covado,; compensado,
por ter grande quanlidade, esta-se acabando : na I
ra da Imperatriz n. 52, loja da porta larga, de
Paredes Porto.
Gralificaco Aosentou'se da rasa n. 59 da ro: do larf'f^^of
(outr'ora Collegim no sabbado 16 ci rorrete m*-:
e setembro de 1865, o erravo pan!' i. Bt Joa>
i|Uim. rcm os signaes seguintes : rslirra revitar,
idade 18 a 20 annos, sem barba, je- laffji*, ^mb
grandes, rabel lo corrido, com ana rwr ir >z ciaa4i
e bem visivel na testa, parle dos d
arruinados, e com falta de algui,. i jM
com calca de brim pardo e pnlei.-t < urir, ,^mo,
mas levuu mais ronpa branca e dp nlr, t wnitt
aslurloso, rosloma intitular-se (wn tatm rat-
eado ; f. i escravo do Sr. Gailberabe Frtl-nr
Souza Carvalho, genro do finado Sr n iwadaiar
Manotl Goncalves da Silva : rogare era
a todas as autoridades poliriaes a aatasrr ea-
pito de campo ou ootra pessoa a*ftrala* in
apprehender se gratificar com 5, iko- da.- n-
pezas de condnecao, eniregande-o a -en etaaT
Miguel Jos A,ves. na casa cima, aa bu sri ea-
cripiorio na ro da f roz caa o. 19.
No dia 20 de setembro prono o p<* tm-
gio do engenho Terra prela, doabi\-> >itu4o,
escravo Julio, crinlo, de aliara r^sular. ir. *,
de 30 aonos de idade, peora barba, iem os p h*a>
feitos e pernas, muito fallante, at se bt mar*,
tem o dedo polegar de orna man ca isa para dea-
tro, anda com orna carta fechada, do i<*nrie ma-
ne I Amaro Gomes da Cunba, apartriiiOaint. aaa-
ca foi surrado este escravo, foi ba muit <*< irpraaa
a Fnrha Lima e Guimares : qorm n ie>r Irve aa
mesmo engpnho oo do Recite a' roa da Ma a*
Alexandre Correia da C. Joaior, qoe aaa
Aleandre Cnrre *v r*.rn.
Bren em barricas pequea
Cera em velas de todos os tamanhos.
Bogias.
Mercurio.
Na ra do vigario n. 19, primeiro andar.
No da 31 do passado fogio a e-era* Otea-
lina, parda, alta e magra, qoe primera ao Sr.
Amaral, empregado na repartirlo do ello; rsai
escrava foi no dia 1* do corrala qoeuar ao Sr.
Dr. delegado por ter sido castigada : anea* a pa-
gar e entregar na ra da Cadeia n. 62 sai ara
recompensado.
IlLEGVEL
y


Diarlo de rcmambnco Terca fe ira 21 de Vovemhro de rt**
JURISPRUDENCIA
O Foriiui.
Antonio Phildelpho'o'a Rocha, nomeado label-
liaj publico em 1833, cxercia desde esse terapo as
funrgdes de seu cargo, tendo sete .anuos de resi-
dencia na \ilia doCeara-merin*, sem quenemuna
i|u ixa, dfiiuinia oo qualquer procedimento ofll-
cial se iuientasse coulra elle, que mereceu sempre
o biMD concillo do publico, e de magistrados inte-
geiitutos puraule qoMD servio, taes como os Srs-
Dr*. Amonio de Cerqueira Carvalho da Cunha Pin-
to Jnior, Joaqaim Ayres de Almeida Frenas, Clau-
dio Manuel de Castro, Jos Vieira Rodrigues de
Ciivaliio, Bazilio Quaresma Torreo Jnior, Joo
Paulo de Miranda, Chichorro, Herculano Antouio
Peretra da Cunha, Lourengo Jos da Silva Santia-
go, J iio Valentino Dantas Pinag, Francisco Ro-
Irigoes Lima Bastos, Jos Nicolu Rigueira Costa,
Manuel Autonio de Oliveira, aoutro?.
O abaixo assignado a n 32, em que figuram
um padre,dous hachareis,negociantes,propnelarios,
empregados pnbllcos e artistas de Cear-merim,
lamben* um documento que abona muito o proce-
iliioeuto do appellante.
pela Implacavel thescurarla, cujo chefe se achava
indisposto com o appellanle.
Sobre a petigao dste foi ouvlda a reparligao Us-
cal, que louvouse, provavelmente, as palavras do
sen empregado de confianga, constantes da resposia
a fl 7, que, como era tambem natural, nnocenta-
va-o, laceando toda culpa ao appellante.
Tamo a dita petieo como a resposla que ser-
vtrain de bas? a' denuncia dada pela promotoria! da se havia foll quanto ao inventario.
pitad Felippe Bezerra Cavalcanti Rocha, esse mes- por am Inspeelor de quarteirio, quer cercar-lhe a
mo collector recebeu por mo do major Miguel R- casa, faz notiflear soldados, eal chega a determi-
beiro Dantas Jnior, por conta da decjma, a quan- nar em casa do vigario que se passe mandado de
lia de 20OJ00O, cora que foj negociando em algo- priso incommunicavel? Pois lodo esse movimen-
dao (como faz com outros misleres) e assira deixou to: de que o appellante foi avisado por amigos, e
de recolhcr aquella importancia ao cofre provin- que o obrigoa a ir ao presidente, qae deu provi-
eial. Por oecasiao de ir, depois disso. capital res" dencias para tranquillisa-lo, advertindo o delegado,
pondeu ao inspector da thesourariaque nada ain- seria "lno porvenlura do zeio pela juslig e fazen-
publica segundo as ordens do presidente da pro-
vincia, come-audo o processo em 20 de abril de
1864.
Xa sua resposla comega o collector por allegar
que s em novembro ou dezembro leve scienciada
venda do escravo, e tratou logo de averiguar o fac-
i, sem que todava podesse saber o neme do ven-
dedor, nem a data do contracto.
Tendo alias meios facillimos para esmerilhar lu-
do isso, o collector, apezar de todo seu zeto, leve a
pachorra de ir adiando o seu exame al 18 de ja.
neiro, em que, durante sua viagem a capital, soube
do nome do comprador, e foi ento que resol-
da publica ? Quem o acreditara conhecendo os
Conversando a este respeilo com o appellante, o caracteres e os lacios 1
o procurador llscal Francisco Gomes da Silva son- At se faz carga au appellante, porque na pell-
be que o raesmo inventario eslava a feito ha dias.e gao dirigida presidencia nao cita a data da es-
preventoo inspector. E como este manifestasse urna criptura.
certa incredulilade. sobre o faci, cuja narragao Elle achava-se na capital quando recorreu ao
attnbuio indisposigo entre o collector e o appel- governo ; e longe do cartorio, nao era de admirar
lante.obteve este o inventario, que mostrou ao pro- que deixasse de flxar a dala da escriptura, tanto
curador fiscal, o qual por seu turno apresentou-o mais quanlo este ponto nao era essencial para o
ao inspeelor e oulros empregados da reparligao, flm desejado.
donde, entretanto, nos consta que partisse provi- O que diz a promotoria publica contra o appel
deacia alguma. lame funda se nicamente as palavras do collec-
E releva anda notar que no acto de Ihe ser en- tor. Entretanto, como se v a fl. 67 v., ella de-
tregue daquelle dinheiro, passou o collector recibo clara que com quanto pelo depoimento das tes-
veu pedir esclarecrnentos ao inspector da thesou-1ao referld0 ,naJor, sera declarar que fosse quntia lemuohas e mais pegas dos autos, se nao possam
raria. destinada para a fazenda publica; e vendo-o irri- exlrahir provas robustas de criminalidade, todava
tado, instou com elle para aceitar o mesmo recibo se tiram presumpeoes fortes e indicios vehementes
que passajlo de outra maneira seria um corpo de para ser o reo prouuociado nos aris- l9 8" e 170
delicio contra rile proprio cflllector. do cod. erim.. como electvameiite (oi, mas s ues-
No nos ocenpariaraos com este individoo, si te ultimo artigo (despacho a fl. 68;.
nao fosse necessario mostrar quem c aquelle que |
Seguio-se o libello a 0. 70, que ai repetico da
se que o collector era mui soffrego em ze.ar ZTJSS^SS^SZ ^ Z SZ 22 ""^ S S"
os intresses do fisco. \ rada Mavra influir a Lderanagl .S- i TSxaLSIITSfcZ T""! .
Embora tivesse comparecido em sua casa o ta- >*- V V^ primeira vez em sua looga vida Nd con,rlr"teda a ** 7* tIrraouse appellaot.
De volta para o Cear-mirfm ignorava anda si
a compra era apenas um projeclo, ou si j eslava
Ja n'unu idade bem adianladn, carregado de fa- eteilnda, e tratou entao de examinar este facto
milla numerosa, e tendo dado provas do seu zelo e S a 23 de Janeiro que se lembrou de mandar
probidad* em tao longo periodo, leve o appellante Ulzer ao comprador que fesse pagar o imposto. V
a desventara de incorrer uo odio poltico e parti-
CUhr de duus individuos, que tomaran) a peito per-
SCgui-lo, fazendo-o passar pelas torturas de um
------ -- .www iij.'ui ui/iuu CUI t'tl.-a I la- I -j ,.-.. ui iiiivii a t t, ciu JUd 11/llHd V l'J.l ..
liriK.-es.-o. eo que mais eprocurando marear- K.,-,. a~ L-uu. j .,, no preceito do que nenhum presamocito
, H belliao em 2J de Janeiro (resposla a fl. 7 >, ainda' P"""1* cuma de un aecusagao, te*do lldo _J1 .. \.
iiv- a repuugao por meio de una trama, que nos ,.ci_ ,,,. J '***" ...____.. .,,, ,. mais vehemente que seja pode dar
**mm de quahficar d.vidamente, e que se pa-; %* T [ A''" ""^ MW8 ***** m ^ f", QU8 d0CU demnagao.
lnla processo que ora sobo por app^lacacTa 1*1"*!' ^ '"" Ce''eZa depoIi'' MSse ^ ^ C'n "^ U "e ^^
este egregio tribunal. "T *" ; e enlao ?""" "> communicar
Comecomos pela narrag.lo do facto. P"cia' que proced,!U a um aul de **'
mii das Ferreir de Goes comprar o escravo Eleodoro a
DioDizio Soares da Costa e Oliveira,drgio-se ca-:,
quando leve de dirigir se a polica afim de que esta i Agora quanto aos depoimento e interrogalo-
perseguisse o appellante, lomando conhecunento ros.
por
ugar a ron-
gunta.
Em todas as phasea desse negocio, o collector s
| manifetou a sua solieitode, e solictude desusadar peila, do colteclor.
lia vitalicia do seu otDcio.
Vejamos agora si ba
lante.
Documental, s existe a resposla, mais que s-
pvovas contra o appel-
sa do appllaole, afim de lavrar-se a competente
.-i:,iiura : o ijue nao podia ter lugar uaquella
i^easiao por nao estar pago o impjsto da siza, nem
ichar-se presente uina das partes contactantes.
' coma o appellanle tivesse sido anteriormente
convidado pelo eapilo Antonio Jos Gomes para
;i lavrar ooira escripiura, em lugar prximo re-
i leticia de Ges, d.eclarou a este que aproveilana
o ensejo para (azer o instrumento da venda do es-
cravo.
Njdia apraiadOj 25 de junho, e antes de partir,
loi o appellante casa de Antonio Manoel Xavier
Bitleocoart, at entao tido e havido por collector
> logar, e pe.dio-lhe o conhecimenlo da meia siza
ilo escravo.apresenlando para este lim a quanl'a
Je 40:OO5'J0, que Biltenr.ourt nao qoil receber,
iliegaado que ]i tivera sciencia de sua demi>s3o,
embora ihe faltasae anda a communcagaoda the-
sjuraria ; e que o collector nomeado para substi-
iui-Io era Ignacio Maria Alves Bezerra.
Na caria a II 30 Biltencourl confirma ludo isto,
accreseeniaodo que o appellante Ihe apresenlara
qaatre notas de 105000 cada urna ; e que havia
solicitado mulo o novo rollecior.
A este se dirigi [inmediatamente, o appellanle,
jr entregue o conhecimenlo manuscripto, e nao
de lal.Vi impresso, por dizero collector queuao lia-
va anda recebido es iivros de seu antecessor Bil-
tencourl.
Nenhu-'iia duvida leve o appellante, pnis que em
seo poder exstiam muilos conhecimentos assim
pa>sadosem manuscriptopor nm costme se-
guido e tolerado nos lugares do interior, para onde
as vetes larda moito a remessa dos taloes por par-
le da inesooraria, e as partes nao devem soffrer
por es.-a falla o retardamento de seus cintrados, l
S'guindo directamente, nao para o sitio Ca-1
un como diz a promotora, mas para o sitio
Bvra de. Ignacio Ferreira de Ges, visto que
se adiara o projectado negocio e escrip:ura do ca-
p;"! i Amonio Jos Gomes, ahi demorou-se o appel-
lanle. partilo porm nodia segninte para o sitio
Cipim, onde passou a escriptura no dia seguin-
to, 26 de juuli', depois de lr em voz alta o conhe
cini -uto, que le.vava dentro do llvro das notas, e
cuja infpofMncia, adianlada pelo appellanle, foi pa-
g< por Go"3no engenho llorrlnhos, proprieda-
de do ui. Brai CarrilbO do llego Barros, urna das
testemunlias do processo.
Ao lr-se o conhecimenlo, apenas notou o com-
prador Ges que o collector tivesse mudado de
QO!D -
Agora se vai ver como um facto lao simples po-
de originar o> dissabores por quetera passado o ap-
pellanle, que com raz.io os attribue inimizade
(intei rogatorio a II 65 v.J
Em dezembro, solicitando Nicacio Barbosa a c-
l'ii da Bacripttira de venda douscravo Amaro (ve-
ja ^L' a fl 32) e nao podendo o appellante tira-la, of-
fjirceu .e para isso o 2o tabelliodo termo Bartho
lomeu Agredo de Meo, e levou para sua casa o
livio das notas.
Tendo oecasiao de folhea-lo em casa de seu ir-
ma i t amigo intimo (depoimenlos a fl 37, f) 38 e
fl 39 v.) a' procura do conhecirnento, como coofes-
sa, o collector sabtrabjo esse documento, que exis-
tia com .ni. -,e 'i entregou ao delegado de poli-
ca, declarando posteriormente ter apenas achado
a eseriptara do escravo Eleodoro. Algumas destas
cirenm as constara da ju>tificago a fl 35.
E-tav. tanto destruida a prova da fraude do
collector, que delxara de dar em receita a' ihesou-
raiia a importancia da meia siza, e que agora po-
da ailegar sua innocencia, e satisfazer a propria
e aiheia vmganga, laucando ao appellante a pecha
i- falsificador que alOm distse locuplelra com
a qoaatia do i>nposto! quando certo que elle tem
receido oniros muitos conhecimentos, existentes
e.n >e.i cartorio, e por vezes fizera entrega de di-
Bhi iros a' collectoria, e a diversas estacoes lis-
caes.
Vendo a sua responsabilidade resguardada, tra-
tou o collector de propalar pela bocea de seu es-
erivao, que era novembro ou dezembro de 1863
(nem ao menos declara precisamente o rnez) tive-
ra noticia da venda do escravo, e que nao receba-
ra a lii, 11 :i'-ia da meia siza.
Saliendo di-to enlendeu o appellante dever in
lerrogar u collector, que declarou ser esse boato
um eff lo das inenmices do Joca (seu escrivo);
gue nao hacrria duvida, e que apenas se dera urna
falta, que. se tratava de remediar, na escripturaco
dos Ittrot da collectoria.
Apezar di*lo nao se tranquillisou o appellante,
prevenid) pelos precedentes do collector. Foi a'
Capital, e venficou nao se haver recolhido a impor-
tancia do imposto a' thesouraria.
Para vitar manejos occullos do raesmo collec-
tor, e destruir os rumx-es que elle sorrateiramen-
te espalhjva contra o appeUante, julgou este que
devia recorrer a' presidencia da provincia (docu-
mento a fl 5) pedindo-lhe providencias contra o
proced liento daquelle funecionario, e solicitando
expres^alueole : 1.que se procedesse a um eza
me sobre os conhecimentos existentes no cartorio,
jur meio de urna confrontajao deiles com os Iivros
das nula", arim de se verificar si lioovera alguma
le-ao para a fazenda publica: 2*que se instau-
raste processo para esclarecimentoda verdade.
Ora : quem lem consclencia de haver commetli-
do um enme resalvase pt-r outro modo ; e nao vai
a-sun expor-se, de sua livre vontade, a' rigorosa
syndicancia de ama aotoridade superior, auxiliada
indebito de um facto que envolva um crime de
responsabilidade, e eslava por conseguiote na alga
da de outro tribunal.
Trahido pela propria conscietcia, o collector dei"
xa escapar certas conisses que nao sao para des"
prezar-se.
Declara que o appellante fra sua casa em 23
de Janeiro, dzendo ter comas com Ferreira de Gesi
eque Ihe pediraoadiautamenlodo imposto da meia
siza, cuja imponancia, alias, o appellante nao en-
Ueclara-se a B 15, no aulo de- pergontas feitas a
Ignacio Ferreira de Ges, que o eonhecimento nao
saniu do poder do labeilio, que e-leu em voz alta,
mat nao o mostpou a ninguero. E dan preten-
de-se deduzr urna presumpgo de fraude l
B preciso estar-so- rauto prevenido para que se
possa- levar a barra to longe.
Ninguem ignora que um labelliao,. am (anecio-
nano que tem f publica, e est eerte de merecer
As ires lesterosodas apresenlwfes para o jnlga-
mento (de fl. 78 a 82) a saber um amiga do
aecueado, o comprador e o vendedep do escravo nao
proferirn um s dito em desfavor do appellaetfe.
Ao contrario a tercera testemunha eonfirma a civ-
cumsiaoea de haver Dallado sobre o- sscravo Eles-
doro ao collector, que mda dissra sbre o paga-
mento do-Jroposto, nem manifestara suspeita algu-
ma. Accrescenta : qoercom quanto nao incum-
bisse o labeilio de pagar a siza, este pedio os no-
mes para aianiar o traitalho ou tirar o conheci-
menlo : que,, finalmente, passados algcos mezes,
estando em casa do negociante Barroca, appareceu
afti o escrivo-da collectoria-pedindo o pagamento
do imposto.
Sm que se adduzisse urna nova prova para ao
tregra por falta de dinheiro, e pedir um peque- de lariB coino MSe da '"'P0510. os 1n's ?*a por
no prazo : mas apresentou-se no dia 8 de fevereiro r'm le8alisar instromentos pblicos aue mesmo
com um masso de cdulas ; e aoezar de sua instan-1funccioaa'io vai lavrar de sea proprio- uotio, car-
cia, e da declaragao, que fez, de dispensar a en- re8and> exclusivamente com a respensabi&dade
trega do eonhecimento naquella oecasiao, nao pode de quaesquer Taitas cu-irregularidades-que delle
conseguir o recebimento do dinheiro por parte do dePeDde'*'D-
collector, que embora nao tivesse os taloes, que es- Foi o appellante qpem pagou o imposto : po-
tavam em poder do esenvao, n.io duvidaria aceitar dia por descuido, por economa de tempo lmilar-se
o dinheiro, si o appellante enlregasse.a guia : pelo a 'er, como consta dos-depoiraentos, mas sen os-
que accrescentou o collector que o comprador o '' oonhecimeotoj. que nioguesi; Ibe pediu
Ges fosse elTeituar o pagamento, e pftlio logo para ver-
enrgicas providencias thesouraria. O comprador Gesro-que pagou o impostor por
A declaragao de ler o appellante contas ou Irn- conseguiule o mais ioteressado em verilioar, deela-
saeges com Ferreira de Ges, formalmente ra ter ticadoem posigo. de observar o versado
desmentida pelo documento junto, e juramento a papel, isto o lado em branco ; mas ao mesmo
" ** v' 'empo afBrma que se aontentra com adeituri que
Deixemos por tanto de parle esle ponto, e occu- ouein. e nem olhou para-a parte escripia, podendo
pemo-uos com as oulras allegages da resposla. alias faze-lo, si quizesse; Na supposigo, porm,
collector nao nega que o appellante se apre- de 1Qe dev,a reeeDer o- documento, pediu-o,- oo an-
sentasse ein sua casa para pagar o imposto. O que les (corao' oil a %' testemuona a fL. 59 v.;i per-
faz inverter as dalas, dando essa apresentagao BUD,0U s Ihe pertencia o mesmo.documento,
como lena a 8 de fevereiro, e nao no dia anterior ,eudo em resosta que este ia ser inserido na
ao da escriptura. escriptura,. e (icaria em poder do labeilio, anea de
As successivas hesilagoes que confessa o proprio \ser arch,vail|0-
O depoimento da t* testemunha a fl. 56 v., con-
firmado pelo, appellante, nada coutm contra, elle
que apenas faz dua rectilicages: U quaalo ao
gacel. convite para passar a outra escriptura. o qaal (oi
Si a falta de talo nao era essencial, para que! [ellPel(> cai"^ Antonio Jos Gomes, cujo neg-
apresentou-aocotiector como impedimento re- C' ,,nha re^aa cm Jos 1-erreira da.Costa : 2.-
cepgaododiuhe.ro? E por que depois de oppor i7qUe ^^ lt,slBmunha a ao (telegado
essa objeegao, que elle mesmo parece ter afina! K ao na villa as no engenho deste. Jossanan,
para onde o maudarara vir afim de ser inlerroga-
duvnla sobre .. .. e
do por aqmjtl autondade, quti lomou parte mui
a confianga part.cular,. ruoca mostra documentos "**S'reforear V>e*We* indicios, onieo
elementos que a promotoria declarou esisitrem.
collector revelan) ou a ma voutade que elle tmlia
para com o appellanle, ou a iniengo de ver s.
o coustrangia a entrar u'alguma transaego am.
considerado improcedente, suscitou a
gencia de ser feito o pagamento por Ges Y
O que tinha que ver o collector com a legalida*
de do proceder do appcanie Cumpria-lhe rece-
ber a quantia, passando o eonhecimento com a data
da elecliva eutrega della : eu, si laborava em al-
guma dlfficuldade, devla logo representar repar-
tigao fiscal, e nao esperar que o appellante o Dzesse
presidencia, para eulao elle collector reponder
depois de provocado pela thesouraria.
Alm de que : si a escriptura eslava lavrada
com o supposto conhecimenlo falso, alias inserido
activa oo negocio, figurando
como feito naquella villa.
ate- o interrogatorio
As oulras lesiemuohas de 8. 59 v. a fl 65, tam-
bem nem urna carga fazera ao appellante, e antes
as suas declarages coofirmam as aBegagoes do
mesmo.
Si os depoimentos nao broecera prova, nem mes-
mo indicio vehemente do criminalidad, passeraos
apreciar diversos fados a circumslancias em abono
do appellante.
Nao consta dos autos que este tivesse tido rea-
nella com a data por extenso, que se nao podia al- 0es C0'n *>**>/ antes nao podia elle contar
tarar, qae internase ter o appellanle era ioslar; c"> a ^evolenc.a desse funectonario, corao de-
por um eonhecimento de data mui posterior, o quai | mon,slraram successof posteriores
. ,j i a r. u b. porlanto, crive que o appe ante, tendo at
uaj podena re^alva-lo ? E si elle conlentava- _ ... entao servido o seu lugar sera nota, corresse o
com um documento nestas c.rcumstancas, po.s que rjs(;0 de ser desinaScarado por um empregado no-
nao consta, nem por urna palavra ou allusao, ter vo que se mancom.nunava cora o delegado de po
solicitado urna anti-data, como acreditarse que ,icia> Iaimjg0 da meslDa pBrtlaBl, para exercr
sendo o appellante loo pouco escrupuloso, deixasse conlra esle uraa crue, perseguCao ?
de passar a guia, que era delle dependente, e rae- _,, ,
diante a qual diz o collector que receberia o di- E '' o *PP"e. 'ndo passar a esertp-
nheiro e eatregaria o eonhecimento T Como sup- ,Ura em, "^ alhe,a d'a,nto de ,a0,as ,este,nuathas. | P* motivo real de adiantar servigo.
por se que um horaem as circuraslancias do ap. Sa avfuraSe usar de conhecimenlo falso, E certo que ao labeilio nao corre o dever de pa-
pellante, cuja sagaedade os inmigos exagerara nos qUHe e"t tena dt '"f"' S' ex,8,ssem" oue i lraPuslJS- Mas s. elle quem tem de receber
poda ser surprendido em qualquer descuide ; e archivar o conhecimenlo da meia siza, deptis de
Aioda mais : Ignacio Ferreria de Ges, estando transcreve-lo no instrumento, que inconveniente
no lempo do jury cora o collector, e depois de per- j pde haver em que elle proprio mande pagar o im-
gunlar a este por quem era cobrado o dizimo! posto ? Qual a le que o prohibe ? Que interesse
ma-aue s poderiam justificar a pronuncia,
entendeu ojuiz de direito que- havia fundanmtos
bastantes para convencerse autor do crime de lalsidade, e aehando-se ir.enrso
no grao medio do-art. 129 8*,. combinado com a
disposwfio do ari. iO do cod., devia ser condensa
do s penas gravissimas de perda-do emprego,.sero
inhabitidade para outro por :res anuos e kko,
priso por 25 mejes-e 5dia, mulla de 12 por O/o
do valor da meia sa, e cusas.
V so, pois, que a-senleuga apartando se da das-
sificag? (eila pelo Juia da pronuncia julgou que o
reo nc eslava tambem comoreheodido uo art. WO,
que se refere a' subtraego de dnbelros publieus;
mas somonte no art,. 129 8 qu diz respeiloa'
falsidadade inslruiaento publico.
Acomuanhemos agora os fundameulos da sen-
tenga na-ordem emque feram proferidos.
Os documentos apresentados pelo appellante
< sao graciosos, e cada provam. >
Demos-que assim-seja : mas em.eontraposigo a
esses documeulos, nem mu outro apresentou a ins-
tiga publica nem o eoitecior para provarem sua tn-
tengo. O-que ha da parte da aecusagao sao ditos
vagos que nao pede-m sustentar-se por si mesmos,
e anida menos em presenga dos taes- documeaos
produzidos-pelo appellante, e dos quaes nem lodos,
anula apreciados ccm.muito rigor, se podem repu-
tar graciosos, pois que sao authenticos, como ce-de
fl. 32 fll.3ia fl. *7 v. fl. 49 e fl 30
Os- depoimente*, das testemuonas sobre no.se-
rem authenticos^ por nao tere, sido producidos
no juico de direito, com assistencia do promotor,
c tambem nao provam a materia, da defeza. -
Despresada assJm a prova documental, por ser
graciosa, despresada tambera a testemunhal, por-
que nao foi produzida regularmente, isto no.obs-
tou a que o |pli a quo, lundando>se nao sabemos
em ipue provas dos autos, a nao ser resposla. des-
carnada do coector (parle nleressada) jufgasse a
criminalidad provada.
O'appellante nao foi incumbido de pagar o co-
nheciineulo, nem crivel que tivesse adiantado
u pagamento, nem mesmo por obsequio. >
Esta assergo inteirameute gratuita. Nem era
preciso que o appellante tivesse relagees com a
parle couiractante, nem era oecessaria urna incum-
bencia formal, para que elle adianlasse uraa pe-
quena quaniia que conlava receber, ao passo que
cora essa antecipago aproveilava o tempo, e pre-
viuia alguma falla, empate ou embarago, pois que
tinha de ir passar a escriptura fra da villa, em
prazo fizo.
O appellanle pedio o nome do vendedor e do es-
cravo, nao sob pretexto, como diz a sentenga, mas
a entrega do co-
< nhecimento ao appellante.
Incontestavelmente j era collector Alves Bezer-
ra em 25 de junho, data da escriptura, pois que ti-
vera nomeago em 13 de maio. Seu antecessor Bil-
tencourl aCBrina teto mesmo no documento a fl. 30,
e bem se v que se elle tivesse pradoado actos ale
autos, fosse lo simples n'um caso, e to acautelado
n'outro T
E si o collecior, como confessa, affagou a idea
de dar a eonhecimento. cora Unto que recebesse a das rapa(]uras> COQVersou sobr(J Q escravo E|eodorQ ^ pagamenro faca op.
uia, deduz-se necessanaraente-ou que o appel- {M|0 dt) pergun(as a d9po|nie|Uo 56 y) i ialegtllhlJle ,
eaLTn ^lZ^T Z*T1i! resPonendo colleclor 1ue havia *'< -O collector nao tinha entrado em exercicio no
realizar o pagamento,. que o collector, median mes imporlaDCia de SMS de escravos Dani i
u, a guia dependente do appellante, esun dispasto coQc|uJu G-es com mao (|Ue navia sido pag0 0
a aceitar um documento irregular ou pretend.a (Dposlo da veQda de E|eodjro> dQ eoQtrarjo Q
comsuasdifflculdadesincutiromedodaresponsa- coll(Jl,or exjgir(a d(j||e resl,onaenle a respecliva
bil.dade no animo do appellante, pondo-o sob urna lmporlaoci1) laDl0 mais 1)uaill0 confessa que con.
pressao que o obrigasse a transigir ; ou queria sim- versando em outubro com o comprador Ferreira
plesmente prejud.car o appellante, sendo auxiliado de GeSi nada |ne d|ssei e entretanto j eslava era-
oumsiigadoporuminimigodeste. | peohado em Ielaf nesle p0Qt0 inleresse do 130 de junho, nao se an.maria a nega-los contra a
O certo e ( tanto pode a verdade 1 ) que o col- ,,,. 1 ,
t,.i >. n....j,..~ i,._.. 1_____* i prova dos registros e oulras que o desmentirn),
lector, encontrndose com o appellante (segundo ._.-*' ^
, .. ... O colleclor apenas onpoe sua affirraaiiva ao de- attestando seu exercicio.
este refere) manifestou Ihe petar, declarando que ;.,_,.., .... .
.___. .. .... i- t poimenlo de Goes, declarando que fallara com este E portante : oudeu-se a gum qui-pro-quo tnvo-
a propria con.sciencia o affltgia, por saber que o ,-,, *. p \
___.n_.... ,1 somente sobre o imposto das rapaduras. lunlario na certidao a fl. 49 passada na ibesoura-
mesmo appellante era innocente I .,.....- ^ L ..-.,.
O appellante allega a subtraegao do conhecirnen-1 na, cujo inspector infenso ao appellante ; ou entao
lo que eslava dentro do livro das notas. Que este houve all proposito de prejudtear se a este, figu-
se achava em poder do irmo do collector. atiesta rando-se a conliouago do exercicio de Biltencourl
menos contesta positivamente esta allegagao do ap-; K ...
.. o proprio delegado. Si nao se havia passado o co- at 30 de junho. Nem esla supposigo ternera-
1,6Anda mais. No empenho de defender-se a todo nne?men,' Para J00 P'cura-lo como fez aquella ria acerca de urna estago fiscal, que alm de de-
irmao, dzendo que s achara a escriptura ? (de- clarar pjr ceriido mais do que se ptde, mostrando
poiinenios a fl. 37, fl. 42, fl. 45 e fl. 56 v.) com isso prevencm, coufessa que nao constava quo
Note-se que a testemunha a fl. 37 declara, por o novo collector no aclo de sua nomeago se mos-
:rivao"?r "quem'laca ] ^iier "' caPita0 JM*1 JRm5 Seabra de lrasse quile Com a fazenda- Um homm ar8uido
Mello, que o Dr. Braz Urrllho do Reg Barros af- de haver subtrahido dinheiros pblicos como agen-
flrmra a esle lembrarse de ter visto o conheci- te fiscal, readquire a confianga, e nomeado para
ment dentro do licro, quando o tabelliao Rocha am cargo idntico sem mostrar-se quite f
passra com este por sua casa. I Nao tendo o appellante ido a Forto-mirim, ser-
Si o procedimento havido com o appellante nao vio-se deste pretexto para passar a escripiura
era o resultado do despeno, para que esse plano
de oppresso tenaz, urdido e realizado pelo d?lega-
Era sua resposla o collector passa pela subtrae-
gao do documento como gato por brazas: nem ao
transe, nem ao menos resalva seu amigo, o escri-1
vo da collectoria, e antes lemhra, em vez de re",
pellir, a hypoihese de haver connivencia (I) entre o !
em receita os impostas.
Possuido da mais santa indignago o collector
ostentase forte em sua consetencia, e por um pas-
sado sempre honroso. Infelizmente propalam-se
os segralo fados que desoientem to pretenciosa
asseverago, e de que o appellante esta disposto a
tratar.
Kecusa o collector pagar urna leltra de 2O0JO00, do de polica, o collector, o tabelliao Alfredo de
e chamado aos tribunaes. Mello, irmo deste, e o escrivo da collectoria T
pito Jos Ferreira da Costa que tinha de figurar na
escriptura como urna das partes contractantes.
NSo foi porlanto pretexto o projeclo de sahir da
villa, projecto formado antes de tratar-se da escrip-
tura da venda do escravo Eleodoro.
t Apparecendoem casa do comprador, proeedeu
a leitura do conhecimenlo que ninguem mais
leu, e o comprador vio pelo verso, ao passo que
se verdadeiro fosse o documento, te-lo hia dado
a ler o appellante, e nao procedera mj^teriosa-
mente.
Escasamos repetir o que j disemos acerca deste
ponto. Basta accreicentar que a sentenga exagge-
ra o facto, liguraudo um myst.irio que nao houve.
A leilura do conhecimenlo foi feita era casa onde
se achavam diversas pessoas, entre ellas as par-
tes contralanctes. Ninguem procurou ler esse do-
cumento. A omissao que se attribue ao appellan-
le nem ao menos importa um simples descuido. K'
gstame farol, firmado na confianga, nao se melle-
rem pelos olhos taes documentos de tarifa : nem
mesmo os instrumentos em qae elles se transcre-
vem sao mostrados s partes quando estas o nao
pedem,e conlentam se, como sempre acontece, cora
a leilura que faz o tabelliao. Alm de que : pra
tica de serem os conhecimentos trazidos pelo inte-
ressados, que lem assim oecasiao de os ler, habi-
ta o servenluano a prescindir de os mostrar.
O livro das notas em mis se achava o doeu-
menlo sooegado, abo lugar proprio para sear-
chivaren) taes documentos.
Mas no proeedimentu do appellante nao houve
infraego de alguma te? que declare y lugar pnr.
jsno para se guardarem dotamentos desso nalureza
que sem grande peccado podem estar meltidos en-
tre as f ..Ihas Uo livro das nofas, que deve ser guar-
dado com tanta ov maior seguranga que qualquer
outro papel, e no qual se transcrevtm os instrumen-
tos a que os mesmss docuraenirse se referera,
A nica falta do appellante,. si falta houv?, foi
ler confiado o livro a ura seu esmpanheiro para o
exercicio de fonegc-publica.
O finlo pretexto- (da subtraegao I) nao o dN>
' obriga de exhibir o documento,, meio de provar
que fbrgirado.
O appeUante nao desconhece que a falta do co-
ahecimento levanta contra elle urna .tospeita, a qns
se oppoe o facto da subtraegao, muka vezes difll'-
cil de prevenir, anda que haja toda seguranga
como a que linha o appt-Haote uo carcter de seu
companheiro.
v Nao crivel que um empregado eomo o col-
< lector,, merecendo a confianga da tftesourana,
< comraellesse um crime anles de entrar em exer-
ctoio.
Quando nao quizesseme,. sirnplesw3ie, oppor
a esta rusimjfia o carcter e precedenies do col-
lector,baslaria dizerquewororiiWqueamserven-
luariopubllco, como o appeibute, depoisde 31 annos
de servigo,acrilicasse o seii.c.reOiio, o seu soceg",
0 futuro-de 12 ilhos, por amor de urna-miseravel
quantia..quando certo qae por suas mds teem
passado-maiores-valores da inunda, e elle tem com
que vi ver, mu parca mas decentemente.
A qu*rer-se- eslabelecer desprevenido a con-
froutaga das prnumproes swbre o carcter do ap-
pellante 3 do colleclor, a vantagem nao> seria de
certo ero favor deste.
A confune.a- da thesouraria i Pois conderana-se
um servider amigo sob a fde ura faueeionano
ainovivel que lendo merecido a desconfianza da re-
pariigo liical readquirio aigum lempo deuyis a con-
fianga sem-se ter mostrado s. arar (coociue a sentenga) qpe o appel-
lanie saliendo da mudanga do collector aprovei-
1 tasse a oxasio para a fraude, por suppor que
i o novo ooJiecior, lendo noticia do contracto, o at-
1 tribuisse a epocha de sea.antecessor..
E' mais^uma presumpg-io arbitraria.da sentenga
coudemnaloria.
Do exposto se conclue :.
Que toda questo se reduz a sabecsi o conhe-
cmeulo foi falsificado ou.subtr.uudo.
Que sobre ambas as liypotheses nao se allegara
provas, mas someote 'gresumpi'es^ que, por mais
vehementes que sejara, nao aulonsama condemua
gao (ari. 26 do cod. crim.)
Que .presumpco vehemente, (e anda menos a
prova) de falsidade de documente, nao attestada
nem pelos depoimentos das testemuonas, nem pelos
documentos constantes dos autos,, e apenas resulta
da falta de exi.iUj.u do conhtwiment original
trauscripto no instrumento ae vvaila do escravo.
Que entretanto .presumpcao, do que foi subtra-
hido o documento pelo menos igual, si nao maior,
a Oa lalsiiicaro >,.yuique se lauda : 1 no carcter,
e precedentes da colleclor :. I* no f*clo(que ello e o
delegado coufes^am) de ter sido procurado o so-
olvecimeuto no livro das notas, quandu este se acha-
va em poder do irmo do mesmo colleclor : 3.a na
confronlago das dalas, d'onde se v que leudo--- e
passado a escripiura em junho, s em novvmbro
ou dezembro que o collector desperlou, isto
ao lempo em que j se liuha verificado a suitrac
gao do documento que era a salva-guarda, do ap-
pellanle.
Que ojuiz a qua, dando tanto valor s prtaump-
roes', moslrou-s3 demasiadamente prevenido ao pon-
to de desprezar as que induzem a susoeila de sub-
traegao, e s allegar as que podem prejudicar o
appellante; usando, era todos os pontos, das for-
mulasc crivel, naocrivel, de ever, presmese,
pretexta, etc.: o que iodica nao haver da parle
delle a conviego firmada era provas robustas, ni-
cas que podiam justificar a ituposigo da pena, e
pena to grave.
Que entre as presumpcies da sentenga appel lada,
figura a falla de pagamento do sello proporcional
do contracto de venda do escravo.faclo que nem foi
allegado nos autos; senda certa entretanto que o
juiz s deve julgar segundo o allegado e provado,
observando sempre o principio Odiosa restrin-
genda et benigna ampliando.
Que anda no caso de duvida (pois que a pre-
sumpgo nao faz prova) os bons principios e o eos-
turne constante nos julgaraentos favorecem o aecu-
sado, devendo se evitar com menos empenho urna
absolvig&o injusta, do que urna condemnago Ini-
qua, principalmente n'um processo que o proprio
juiz reconhece irregular.
O appellante, que ha tanto tempo se acha sus-
penso, e privado de seus vencimentos, confia que
este Egregio Tribunal, reformando a sentenga ap
pellada, resumir a paz e o socego a um pobre pai
de familia, e dar raais urna prova da sua jusliga e
equidade, nao permitlindo que seja sanceionado o
systema oppressor de se condemnar por meras pre-
sumpgoes.
Era Roma conta se moito, coa o triuapao dea
candidatos neo-cathoiiccs e moderadui para m est-
labolarem de novo as ditas negoeiagdes espernada
assim alcangar nm resultado satisfactorio.
Temos f que anda desta vez bao de Icar desea-
ganados os ultramontanos.
E' indubitavel que o partido verdadeiraawaae ita-
liano ha de iriumphar as prximas eleige* da
Italia, para confundir e descorocaar de todo a par-
tido clerical.
1
O presidente da republicafnegra de Liberta, ana-
dn paiiicipar o governo de Washington, que es-
lava dupeaw a conceder terrenos as margen da
rio Mesurado aos negros que qnizessea aba
a America com as suas familias.
LITfEBATDU
Nao acha ao menos quem se anime a garantir*
Ihe o pequeo debito de 160:000.
Exercendo oulr'ora em Goianoinha o mesmo car-
go que agora desempenha em Cear-mirim, foi de-
mittido por terse ficado era os dinheiros pblicos
No inventario a que se proeedeu por fallecfmen-
to de Antonio Beato Vianaa Filho, sendo juiz o ca-
Por que razio esse delegado, nao contente de lo-
t fra da villa, de modo a uo baver publici-
1 dade. >
Sempre o mesmo empenho em esmerilhar pre- \
textos e razoes especiosas I
O capilo Antonio Jos Gomes no documento
mar a si um negocio pertencente a outro tribunal, juntolettra Adeclara e at esta' proropto para
manda chamar a sen engenho a Ges, e por este jurar que em junho de 1863, teodo fallado ao '
ter dito a verdade, araeag o, e ah procede a um appellante para ir ao sitio que tica alm da resi-
interrogatorio, que figura feito na villa T dencia de Ignacio Ferreira de Ges, afim de lavrar-
for que motivo essa aotoridade apregoava que se a escriptura de venda de nm silio, ficra adiado
levara priso o appellante, manda espreita lo eise negocio por nao poder ento comparecer 9 ca-
DI POUCO DE TlIiO.
O silencio guardado pelo papa na sua ultima al-
tocugao sobre os assumptos particulares das na-
goes catholicas.contrarioa o que geralmente se espe-
rava, a llribui-se s negociagoos que eslo penden*
tes entre es governos francez e pontificio relativa-
mente evacuago de Roma pelas .tropas fran-
cezas.
Assevera-se que o papa nada disse na sua ulti-
ma allocugo sobre as negociagSes que ltimamente
liveram logar coro a Italia por ioterveagao docora-
mendador Vegezzi, porque espera ver o resul'stJu
dM prximas eleiooes na Italia,
Escrevem de PenUcosa /liispaana) fa*Vj-ra*
dance belge o s-gninte :
Ti vemos aqui, em um destes ultimes das asaa
cagada de um uno, que ottereceu atuaerosas a
mui inleressanles peripecias.
O animal assignalava a sua presenga pela devas-
lago que fazia nos rtbanhos espaihadoe
taohas i)ue conduzem a Gabas.
Para o temivd urso nao h.via froaleiraa, 1
tava indinVreulemente as svelhas hispaa'MMs, e a
carneiros francezes. Por fim resolverasa-se es ba-
nhisias de Fssticosa dar-llie *aga, e libertar a leca-
lidade dos estragos qae elle fazia.
Entre os bemhistas cootava-se ama ratrepHn
amazona, a coa-iess: de Arando, a qaal qam taanar
parle uo coniin-Himento, ;endo intil qataaa aV*
iisser.nii, para a ctopersuadir do eatpenha.
A' liora couveneonada toiiiou ella a trente da
beodo, chegando 30 local da cagada, quiz cosavaa
ou'.i'os, tirar a sur'.-- o seu posto de csrabah*. por
i|ue-.'uiuo geraliueute sabido a cafa duasaa*
mulia vezes uuia v-rUadeira balalba.
Haa-ttOBf remedio senao acceder aos ieaa ia
sejus.-
Kui-:ne (avoravel o acaso.
O animal, depois de acostado, devia aecessaria-
menle jMesar ao alcao?*i da sna carabica.
II.ivi uuia hura quo esuvamos na cnieria aa>
ciedade,'uan0u os gritos dos baledores mu adver-
uraui d que se approioava o uonteWo cri-
tico.
Appare-'ju eniliui o ur~o, que era enoraae.
Na corroa rpida que traua acbou em- breve a
primeiro iwruao de cagaderes.
Ouviu-se iMU uro saava bala rasgoe suenas a
pello e as oacoei do crneo do urso, e resvaata em
seguida uo vs.
Kuturecido mvesliu o ani-aal contra 01
0,0 que o (ei ira.
Era um iiMMKebo de dezo-.l* aaoos, bailo e 1
Hind Gascuinv" qual trepou ra^ioantenle pi
roeUedo, e toruuu a carrejar a c^uiD^arda.
0 cuberto e (01 iB*iaoumeaiueiU moflo por s->
bala, que o altravessou pelo evaco de
taata.
'v'-uiu fura tarado pela condensa que scabera
aprovoilar o momento favoravel da jnaur aos saaa-
iroyhous cyneg9ti>s una pelte gaagniaca.
kla.lres das oio se falla em ostra coasa eoP-
11 cuse.
Quanto a' herona, parta para BtarriU, a
se suUiralur a cvagues importcaaa.
l'ia. correspanoiciK'ia de Nova-York da' m i
guales poniea^-es do jusbcaoMSlo do
Barrios, ex-presuleule da repubUca amentar de
S. Salvador :
Em 28 de agosto, a' meia aeite, anauncica>aa a
Barrios-que > Uuba seis hora nara.vivr.
Hoi levado Uwoa c pella daprisiu, onde > btsa*
Saldauo Ihe admuiislrou os soccorros rel-giaMa V
depois fez o seu testamento.
No 1 dia 2'.l.ule meia hcaas da manjaa, ist
Barrios conduzido ao lugar do sappncio y* im.
c-jcolta niiiitar.
l.eu-.-e de novo .1 seutenga e o bispo r ;l jq 1,
tragues do cestume.
Barrios.desnedia-se de algaas amigos fae ao.
iuham abasdonado, encarrsgon do seo snttrr >
geral Gonzlez.
Pediu ao seu confessor iyie dissessa sa
111a pomp-.'juu Balan pelo descanso n.sa.aii
le desos com a mais firme presenga de sptr'a tm
a voz du >go.
O govorno da repblica mandou ifoaoia. unroav
ciar quo deixava de estar, am vigor a. le. MMctal,
visto qua a rebellio chegara ao sea termo.
Se entre os escoceses, a hospitalidad se da e
nunca se vende, na Irlanda costa, as * cara, como se vai ver :
X. voltava para casa com na amigo coa qa
tora ver urna corrida de cava be vm Liaerirk.
Era larde e X... propoz aa sea amigo arte -jt*
sasse a noite em casa.
O amigo aceitou o ollereeimeato. Ora, a pala
pelas corridas de cavados esta* tao arraigado na
Gra-Bretanha, que chega todas as d'jssas. da sc-
ciedade, inclosivamonte os criados.
O criado tU \.. linlu julgado conv/njn;
tambem apostar alguos sbilliugs e deivara a aa
solitaria, mas sem se es]ueeer de levar as 1
Chegando a* porta, X... baten e tornoa a I
e viu se obrigado a quebrar nm viaro e a catrar
era casa por urna janella da casa da sala da aleaa-
go, ao re do cbio.
Deitou o seu amigo em nm campa que eslava
naquella sala e entregaran- se aaaos, ao soaso da
justo.
Pelas duas horas da maaaaa enega o criada
J. hn.
V um vidro queoraao o imagina que os
se metteram em casa de seu amo.
Entra e v logo um vallo que ronca ao
como um trovo.
Aqui esl o ladra); ora deixa estar
te fallo.
N'isto agarrra um aligador e coaega a 1
a turto e a direito o amigo de sea aao.
Faz Ihe pizadnras as pernas, aettalae 1
lefias dentro e quebra Ihe nm braco.
O hornera aoorda e grita como ua be-erro, e a
dono da casa apoarece immediataaeaia.
Que ests la a faier, maldito ?
Pois nao beide dar para baixa f
Qaal dar para baixo t E' am mea i miga
Ento porque o nao disse logo ? Ola* m
eu ia dar cabo delle.
John flcou muito sentido por acoaieeer tai aa>
sa, mas foi-lbe perdoado todo ai
zelo.
O principe Amadeo, tereeiro flltao de Vietar
noel, com cuja visita a eblade invicta j M **~
da no corrate ano), anda viajaado pala
trra.
No dia S6 de setembro chegoa 1
passagem por Ddblin ; era aiuapsnltidi #
qnez de Azeglio e dos onViaes do sw saaai
O principe visitn a cida U a parta aa
dia para Glasgow.
S. A. R. tencioaava demorarse nana ataas as
Escossia, e, de volta a' lagaca ttihaaa, darla aan
serie de jadiares antes de partir para a aj-
neme.
i PRBNAMBCO T?. OK M. F Of P, % W*0
\
f
II
^411 FGVFL L


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EMS4MMLEP_GLIE47 INGEST_TIME 2013-08-27T21:18:41Z PACKAGE AA00011611_10824
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES