Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10823


This item is only available as the following downloads:


Full Text
*
)
AMO ILI. MERO 266
Ptr qiartel pago dentro de 10 das do i," mez ;..t i
dem depois dos i.0' 10 das do cometoc dentro do qaartel. .
Porte ao cerreio por tres Bezes.........., ,
ftfOOO
61000
7S0
SEGUNDA FEIRA 20 DE MEIU0 DE 1865.
Por anno pago dentro de 40 das do i.4 mez ,
Porte ao correio por um auno ,.....
9I0M
IfOOf
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o 3r. Antonio Alex?ndrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Araraty, o
Sr. A. de liemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENGARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Clandino Falco Das; Babia, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estafes da va frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Boro
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
eiras.
Pud'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
(ngaieira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salguen o e Ex, as quarlas
feiras.
Serinhem, Rio Formoso,Tamandar, Una, Bar-
reros, Agua Preta Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relago: tergas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas 10 horas.
Julzo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos : tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a 1
hora da tarde.
EPHEMER1DES DO MEZ DE NOVEMBRO.
I
3 La cheia as 5 h., 43 m. e 28 }. da m.
10 Quarto ming. a 3 h., 2o m. e 52 s. da ni.
18 La nova as 8 h., 40 m. e 22 s. da m.
26 Quarto cresc. aos 38 m. e 22 s. da m.
DAS DA SEMANA.
20. Segunda. S. Flix de Vallols fund. dos trinos.
2!. Terca. S. Celso m.; S. Honorio m.
22. Quarta. S. Cecilia v. m.; S. Filemon m.
23. Quinta. S. Clemente p. m.; S. Cezino.
21. Sexta. S. Chrysogno m.; S. Firmina v. m.
23. Sabbado. S. Camarina v. m.; S. Jucunda v.
26. Demingo. Ss. Belino e Filas bb. mm.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 6 horas e 6 m. da manha.
Segunda as 6 horas e 30 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROO.
Para o snl at Alagoas a 14 e 30; para o
ala a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Feraaav
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, marco, aai).
julho, etembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da 'rnlrrinillp,
ns. 6 e 8, dos proprietarios Maooe Figneiroa it
Faria & Filho.
Os Srs. assignantes dcste Diario, que
se acham em debito das respectivas assig-
natnras, queiram mandar realisar o paga-
mento deltas; e aquelles que moram lora
desta cidade, tealiam a bondade de dar avi-
so de quaes sejam aqiii os seus correspon- j
deotos, aQmde ser solicitado e?se pagamen-
to dos mesmos, a quem ilaro ordcm para I
isto, visto como alguns pretexlam a falta
PAUTE 9FFICIAL
GOVSinO DI PROVINCIA.
Continuico do expediente do dia 13 de uovembro .
de 48G3.
Offlcio ao Dr. chefe de polica. -O governo im-
perial em aviso de 21 de outubro prximo findo,
derlara-rae. que tem no theatro da guerra recursos
sufflcientes para lermina-la com gloria, e que com i
quanto nao possa desde ja' determinar que se pare
com o recruiamento, como unta homenagera ao pa-!
triotismo de que os Brasileiros tem dado provas em
todos os pontos do imperio, porque os corpos de
linha se acham desfalcados, recommenda todava
que as aciuaes circumstancias se altenda cora a
maior jutiga as isengoes legaes dos recrutados ;
considerando deslustrada a aoloridade que se ser-
vir do poder para desconsiderar seus adversarios,
ou consentir que a paixo e os interesses polticos
pertarbem os negocios da guerra.
Compenetrndose do peosamento e dos dosejosI
do govern> imperia faga V. S. as mais terminan-
es recommendag5es as autoridades policiaes en-.
oarregadas do recrutamento. para qu* no desem- j
peuho deste servico procedam sempre com toda a
juslica e moderago sobre tudo naquellas localida-
dades onde o patriotismo tem jfierecido grande nu-
mero de voluntarios, e de guardas nacionaes de-
signados.
as recommendaeSes que acerca des'.e assumpto
expedir as autoridades policiaes, declare-lhes V. |
S. que nao sera' atiendido I jilo e qualquer motivo ,
que alleguem para justificar o recrutamento de I
qualquer cidado que tenh.i por si a isencao da
le.
Circular aos ene arregados do recrutamento. i
De conformidade eom as ordens do governo impe-1
rial recommeodo a Vmc que no servigo do recru- ;
lamento de que se acha encarregado proceda com i
t)da a justiga eprudem-ia, havendo-secom o maior |
escrpulo no exame das iseocoes legaes dos re- !
rutados, e fazendo com qHe o mesmo recrutamen- j
to, se verifique sera atropello e vexame da popula-1
cao sobra tudo naqnellas localidades, onde o pa-1
triotismo ja' tem ollereciilo grande numero de vo-1
luniarios e de guardas nacionaes designados.
Eoearecendo Vmc. esta mioha recommendacao ]
devo accrescentar que o governo nao podera' rel-1
var que qualquer autoridade sirva-se a este res-
peilo do seu poder para desconsiderar os seus ad-
versarlos ou para satisfazer odios polticos.
Conlinuaro do expediente do dia 1'i de novembro
de 186o.
OPJcio ao general commandante das armas.
Transmiti a V. Exc. para ser attendido o incluso
requerimento documentado de Aoniano Jos da
Silva Prata, que se acha alistado no o" corpo de
voluntarios da patria.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de mandar dar
baixa ao voluntario da patria Jos Soares Pinto, i
que se acha alistado no 5o corpo, visto ter provado
ser menor de dezmio anuos.
Dito ao mesmo.Visto que, segundo o termo de
inspeccao annexo ao seu ofllcio de 14 do corrente,
sob n. 2,111, foi considerado incapaz o guarda do
batalbo n. 2o do municipio da E>cada Manoel Jo-
- Taboca por scITrer de tubrculos pulmonares,;
autonso V. Exc. a mandar elimina-lo do servico!
da guerra, para que tora designado.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de mandar
inspeccionar o voluntario da patria do 5 corpo
Walfredo Moreira da Costa.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de informar-
me acerca do que pede no incluso requerimento
Antonio Jos Ferreira.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de in'ormar-1
me acerca do que pede no incluso requerimento
Jos de Lima Calombi.
Dito ao mesmo. -Em vhia do que communicou- i
me o Dr. chefe de pelicia em offlcio n. 1,789 de
14 do corrente junto por copia, queira V. Exc. pro-
videnciar -m ordem a que as nracas do Io batalhao
de artilharia da gnarda naci nal aquarteadas na :
f jrtaleza do Brum nao se di.-traiam do servico em
que esto.-Communicou-se ao Dr. chefe de po-
lica.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Transmiti a V. S. para os fins convenientes os in-
clusos documentos de receita e despeza, mappas e
mais papis pertencentes a enfermara militar do
presidio de Fernando concernentes aos mezes de
agosto e setemhro nltimos.
Dito ao director do arsenal de guerra.Faca V.
S. apresentarao inspector do arsenal de marinha
alim de serem enviados ao muo militar na corte
as duas pegas de branze tomadas aos Hollandezes,
e que existem nesse estabelecimento.Expediram-
se neste sentido as necessarias ordens para o trans-
porte das pegas de que se trata.
Dito ao engenheiro fiscal da estrada de Ferro.
Pelo offi'-io de Vmc. de 10 do corrente, sob n. 19o,
fiqne iRteirado de terem os directores da estrada
dente ihesoureiro da mesma eslraaa accumulando
as funeces que actualmente exerce de engenheiro
em chefe, em sufcslituico do Sr. E. H. Bramah
que exercia aquelles prmeiros cargos.
16
OITlcio ao general commandante das armas.
Sirva-se V. Exc. de mandar eliminar o guarda
nacional do batalhao n. 22 do municipio do Li-
moeiro Jos Exeqmel da Silva, aceitando em =eu '
lugar o su i-imito por elle offerecido o paisano
Theotonio Joaquim Perelra de Castro, que segundo
o termo de iospeceo anoexo ao officio de V. Exc,
de lo do correte sob n. 2126, foi considerado apto
para o servico.
Dito ao mesmo.Queira V. Exc. informar me
sobre o que pede no incluso requerimento, Thereza
Esteves Moreira da Costa.
Dito ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de mandar
inspeccionar o voluntario da patria do 6." corpo
Antonio Marcelllno Archanjo, de que trata o in-
cluso requerimento.
Dito ao mesmoFago apresentar i V. Exc. para
serem conservados em deposito al que e Ihes d
o conveniente destino os gu.'irdas designados do
batalhao n. 19 do municipio do Nazarelh Joo Bap-
tiza Leile Tota e Bernardo Lopes de Barros, os
quaes me foraro apresentados pelo Dr. chefe de
polica, cora offlcio de 15 do corrente, sob n.
1799.
Dito ao mesmo. De conforraidade com a soa
Infonnagao n. 2129, e data de 15 do corrente, au-
toriso V. Exc. a mandar dar baixa do servigo do
exercilo, ao soldado da companhia de cavallara
Francisco dos Santos Neves, aceitando para por
lie servir o lempo, complementar de sua praga o
paisano Flix Jos de Soma, Des termos do regu-
la ment de 28 de selembro de 1859.
Dito ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de mandar
eliminar do servigo da guerra, os 13 guardas do
!. batalhao destacado, constantes da relago In-
clusa, os quaes foram considerados incapazes, se-
gundo o termo de nspecgo que veio annexo ao
ofllcio de V. Exc. de hoolem datado sob n. 1135.
Dito ao mesmo.Fago apresentar a V. Exc. alim
de que Ihe d o conveniente destino o guarda na-
cional desgnalo para o servigo da guerra Jos
Marcello de Barros, o qual me foi remellido pelo
Dr. chefe de polica e preso pelo delegado do 2o
dislricio desta capital.
Dito ao commandante superior da guarda naci- i
nal do Recife.Tendo o guarda do 3o batalhao de
infantaria deste municipio J. P. doRego.apresentado
por si para servir no servigo do exercilo por tem-
DO de 9 annos o paisano Jos Roberto do Nasei-1
ment, que se alstou na companhia de cavallaria,
conforme communicou me o general commandante
das armas em ofllcio delOdocorredte, sob n.2,086,'
recommendo a V. S. a expedigo do suas ordens
para que o mesme guarda seja isento do servigo
nos termos do art. 1 do decreto n. 3,509 de 12 de
Miembro ultimo.
Dito ao commandante superior da guarda naci
nal do Pao d'Alho.Remello a V. S. para seu co-
nhecimento e execugo, copia da portara desta
data pela qual suspend do exercicio o tenente-co-
ronel commandante do batalhao n. 17 de infantaria
da guarda nacional desse municipio Jos Mara dos
Santos Cavalcante, pelos motivos constantes do
ofllcio de V. S. de 7 deste mez.
Dito ao inspector do ar?enal de marihna.Em
vista da sua informago de 11 db corrente, sob
o. 1,015, dada acerca do reqoenmento que devol-
vo de Manoel Jos Correa, autonso V. S. a mandar
alistar Da companhia de aprendizes artfices desse
arsenal o menor seu tutelado Manoel Pinto dos
Santos.
Circular a todos os uizes de direito.Remet-
la-me Vmc. com toda a presteza os mappas das
prisoes decretadas pjr esse Juizo e relativas aos
mezes de...........como se exigi por circular
de 23 de Janeiro deste anno, para cumpriraento de
aviso circular do maisterio da justiga de 2 do
mesmo mez ficando certo de que ditos mappas
dovem ser regularmente remetidos n i fim de cada
mez, informando Vmc. quando nao llver decretado
priso alguma, afim de se poder confeccionar o
mappa geral das mesmas prisoes.Igual mulatis
mutandis a todos os juizes municpaes.
Dito ao eapitao Luiz de Franca Mello Jnior.
Mande Vmc. estacionar diariamente no matadouro
publico da Cabanga urna das pragas destinadas a
companhia provisoria de policia.
Dito a cmara municipal da villa de Floresta.
loteirado do que me commuoica a cmara muDici-
pal da villa Floresta, em seu ofllcio de 9 de outu-
bro ultimo, acerca da arrematagao dos impostos
desse municipio, lenho a dizer-lhe que essa cmara
P'ecedeu de conformidade com o que Ihe foi de-
clarado em meu ofllcio d'aquella data.
Portara.O presidente da provincia, altendendo
a que o guarda do 3." batalhao de infantaria deste
municipio Joao Pereira Reg, apresentou por si
para o servigo do exercito por lempo de 9 annos o
paisano Jo* Roberto do Nascimento, que se alstou
na companhia de cavallaria, segundo declara o ge-
neral commandante das armas em ofllcio de 10 do
correte, sob n. 2086, resolve que o referido guar-
da fique isento oao s do recrutamento ; se nao
tambem do servigo da guarda nacional nos termos
do artigo 1 do decreto n. 3509 de 12 de selembro
deste anno, ficando substituido sugeito a responsa
bilidade de que trata o final do citado artigo.
Dita.O presidente da provincia, altendendo ao
que requereu o juiz de direito da comarca de Ca-
broh bacharel Hisjello Florentino Correa de Mello,
resolve conceder-lhe 3 mezes de licenga com os
respectivos ordenados, na forma da le para tratar
de sua saude nesta capital.
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernamhu-
cana, mande dar urna passagem de estado a r at
a Paralriba no primeiro vapor que seguir para o
norie no mez de dezembro vindouro ao bacharel
Francisco de Assis Correa Lima.
Conlinuaro do expediente do secretario do gover-
no do dia lo de oovemhro de 1865.
Ofllcio ao inspector da thesouraria de fazenda.
S. Exc. o Sr. presidente da provincia, manda trans-
mntir a V. S. as 3 inclusas ordens do thesouro na-
cional, sob ns. 146, 147 e 149.
por que o Cheiip se salvar porque o vento que
era S. E. eslava mais calmo.
COMANDO DAS ARMAS.
Quarlel general da cumrnapilo das armas de Per-
oanibuco naci ule do Recife, 1S de novembro
de Im..
Ordem do da n. loo.
O marechal de campo tu mmandante das armas
faz publico para coQhecnniiio da guarnigo e los
necesarios :
Io Que a presidencia em ofllcio de 15 do corren-
te mandou incluir no 2 batalhao destacado para o
servigo de guerra, o Sr. alferes do de n. 45 do mu-
nicipio de Barreiros Manoel Antonio da Cosa.
2o Que em portara de 17 deste mez, a mesma
presidencia dispensou do servico do de
para que haviam sido designados, os Srs. capilo
do 8o batalhao Jos Francisco Pereira da Silva J-
nior, e teuente do 6o Jos Pereira da Cuuha Jnior,
ambos de infantaria da guarda Daciooal deste mu-
nicipio.
3 Que em portara de 13 deste mez foi promo-
vido a lente o Sr. alleres do 3 batalhao de infan-
taria da guarda nacioDal desle municipio Jos Can-
dido de Barros Jnior ; que faz parte do 2o bata-
lhao destacado para o servigo de guerra, o que foi
declarado ern olDcio desta data.
(Assignado.) Francisco Sergio tTOliueira.
Est conforme.Antonio Francisco Ditarte, 2."
tenenteajudanle de ordens interino encarregado
do itelalhe.
IHTERIOH.
nio DE j\m:hio
9 de novembro de 1865.
Por portara de 6 do corrente foram nomeados
Jos Moreira da Silva para o lugar de primeiro
ajudaote do correio da cidade de Caxias, na pro-
vincia do Maranhao, e Theodorico Francisco Gon-
gal ves, para o de segundo ajudanle do mesmo cr-
relo.
Para memorar o regresso de S. M. o Imperador
prepara-se urna medalha, que tem no centro do an-
verso o retrato de S. M. o Imperador, na circums-
ferencia a letraD. Pedro II no exergo a era, no
reversoA' chegadade s. M. Imperiale que sera
presa a um lago de tita verde e amarelle. O pro-
ducto da venda desta medalha destinado ao asylo
dos invlidos da patria.
gOT-'i I
Refere o captao do vapor Duarte I, entrado hon-
tem de Ubatuba, que o brigue brasileiro Cherip,
procedente dos Agores, trazendo a seu bordo 92
passageiros,|em consequencia de rnuilo mo lempo,
foi parar na enseada de IVssingoaba, distante 10
miihas de Uhatuba.
Tendo o brigue ja perdido dous ferros e adian-
do se fundeado com o nico que Ihe reslava, tra-
tou o capilo de desembarcar na mesma enseada
os passageiros e trpolago, ficando elle a bordo
com o piloto.
O vapor Duarte I tentn prestar-lhe socorro,
mas a muita arrebeotagao de mar e o pouco fundo
era que se achava o brigue, o irapossibihtaram de
dar-lhe algum soccorro. Dit mais o capilo do va-
la Villa da Barra, confluencia do Rio Grande
com o S. Francisco, em 7 do mez passado, escreve
ao Sr. senador Otoni o Sr. coronel Maooei Frederi-
co de Almeida, communicandoque por all haviam
transitado para o Piauhy o t. Orestes St. Jonh e
seus corapanheiros. O Sr. coronel Almeida havia
acolhido cora o maior cavalleirismo os estimaveis
viajantes, e Ihes havia prestado os meios de trans-
porte necessarios para chegarem a Piranagu.
Um dos nossoi viajantes coniinuou embarcado
no rio de S. Francisco e descia at a villa do Joi-
zeiro, diz a carta,que na intengao de passar-se dal-
li para a Baha, mas eremos, segundo as inslruc-
ges de que demos noticia aos letores, que este
viagante deveria do Joazelro ou do Remanso se-
guir pela comarca da Boa Vista (Pernambuco) e
d'ahi ir ao encontr do Sr. Orestes, atravessando
as comarcas do Jardim e Grato (Cear). 'At a vil-
la da Barra os viajantes tinham percorrldo sem o
menor inconveniente cerca de 240 leguas de nave-
gago franca, sendo 80 no rio das Velh is e 164 no
no de S. Francisco. Se houvesse estrada de ferro
at o rio das Velhas e um vapor que descesse pelo
S. Francisco esta viagem se faria era quatro dias
quando muito.
10
Estao emfim de volta a capital do Imperio sua
magestade o Imperador e suas altezas os senhores
principes conde d'Eu e duque de Saxe, depois de
urna ausencia de quatro mezes, que foram nobre e
gentilmente empregados em urna obra digna do
defensor perpetuo do Brasil.
Hontem a 1 hora da tarde um telegramma despe-
dido da estago da Babyloma aoounciou a chegada
do vapor Gerente, em que vinham sua magestade o
Imperador e seus augustos genros, seguido de per-
to pelo vapor S. Miguel.
Ao mesmo lempo enlrou o vapor Leao, qu ha-
via saludo 24 horas antes, vindo do Rio Grande
em direitura pata trazer a noticia.
Logo seouviram as girndolas e as salvas de ar-
tilharia, que, como eslava determioado, deviam no
ticiar a' populagao o feliz e desejado successo.
Todos os navios de guerra nacionaes e eslrangel-
ros salvaram, embanderando em arco.
Sua magestade a Imperatriz e as augustas prin-
cezas sahiram logo da quinta da Boa-Vista, cami-
nharam a p at a Draia de S. Christovo, e alli
emparrando na galeota imperial foram encontrar
os augustos viajantes, objectos de tantas saudades e
cuidados.
A noticia da feliz chegada apanhra de sbito,
toda a populagao, que esperava o Imperador e os
principes sement depois do dia 10 de novembro :
os preparativos das fastas publicas nao estavam
concluidos ; mas as grandes e puras testas dos co-
ragoes nao careciam de prepararse.
Um concurso numeroso de povo encina o arsenal
de marinha e ras adjacentes quando suas mages-
tades imperiaes e altezas desembarcaram, sendo re-
cbidos com um enthusiasmo inexcedivel.
Ondas de povo se precipitaran! em torno dos au-
gustas personagens, e urna exploso continuada de
vivas e de acclamagoes fervorosas rompa de todos
os seios. Mais bella festa de amor e de gratido
nunca se observou no Rio de Janeiro.
O Imperador e os principes irajavam sobrecasa-
cas militares, e traziam nos semblantes os signaes
da afadigosa misso patritica que souberara to
dignamente cumprir.
Depois de terem descansado por meia hora na
casa do inspector do arsenal de marinha, onde re-
ceberam os comprimentos dos ministros de estado,
e de muitos funeciooarios pblicos de elevada ca-
tegora, suas magestades imperiaes e suas altezas a
seobora nrinceza imperial, e os senhores principes
conde d'Eu e duque de Saxe, seguiram a p para
ft capella imperial, acoinpanhados da sua corle e
de urna grande mullidao de povo.
Sua alteza a senhora princeza D. Leopoldina, nao
devendo expor-sea mabr fadiga, ficou no arsenal,
donde voltou Da galeota de vapor para S. Chris-
tovo.
Em tod> o trajelo da ra ireita as acclama-
goes, as flores que choviam das janellas dos so-
brados e a alegra ruidosa eenlhusastica do povo
deram lestemunho dos entlraentos que animam to-
da a naca-- brasileira.
Sua magesiade o Imperador sahindo do arsenal,
dispensara o pallo, e, acompanhado de sua to
amada esposa e de seus filhos, cercado de todos os
lados pela mais brilhante guarda de honrao povo
que o ama,chegou a capella imperial, onde fez
orag.ao e rendeu gragas a Dos, seguindo depois
pelo interior da capella para o pago."
A familia imperial demorou-se no pago da cida-
de at as cinco horas e meia da larde, recebendo
alli os membros do corpo diplomtico e grande nu-
mero de cidados.
Em todo esle lempo o largo do pago estove ato-
pelado de povo, que victorlava com ardor o defen-
sor perpetuo do Brasil, e que prorompeu em novas
e arrebatadoras acclamagoes no momento em que
suas magestades imperiaes seguiram para S. Chris-
lovo pouco antes das seis horas da larde.
Suas altezas os Srs. conde e condessa d'Eu fo-
ram para o seu palacio.
Como se v, o programma para a recepgo de
sua magestade o Imperador nao pode ser observado;
mas o que se passou, a recepgo foi to expansiva
to sincera e to cheia de senlimento, tudo lo es-
pontaneo e ido bello, que deve satisfazer ao amor
da naci.
Amanhaa havera' Te-Deum solemne em aegao
de gragas pelo feliz regresso de sua magestade o
Imperador, cortejo no pago da cidade e provavel-
mente lambem parada.
Os vapores da esquadnlha imperial trouxeram
dalas de Porto Alegre at 31 do passado, Rio-Gran-
de 4 e Santa Catharina 7 do correnle.
Como ha das noticiamos, sua magestade o Impe-
rador sahio de Pelotas no dia 27 do passado e che-
gou a Pono-Alegre no dia 28.
Sua alteza o Sr. conde d'Eu nao pode acompa-
nha-lo por achar se doente, e ficou em Pelotas aguar-
dando o regresso de sua magestade.
Ao amanhecer do dia 28, diz o Jornal do Com-
mercio de Porto-Alegre, largou do ancoradouro o
vapor Juparana, levando a seu bordo S. Exc. o Sr.
presidente da provincia, acompanhado do seu secre-
tarme ajudaote de ordens, que foi esperar as Pe-
dras-Braocas o vapor em que vinha sua mages-
tade.
i As 7 horas e 40 minutos o vigia da casa da
plvora deu o signal conven -ionado no programma
da recepgo, na occasio mesmo em que ja forma-
va uo ponto do desembarque o batalhao o. 37 de
voluntarios da patria, designado para fazer a guar-
da de honra : e (mmedialameoteaflluirara. ao caes
da Alfandega o Exra. Sr. hispo diocesano precedi-
do do cabido de cruz algada, a cmara municipal,
as autoridades civis e militares; quasi todas as as-
sociagocs philarmonicas, representadas por suas
directoras com o seu estandarte, as corporagdes
das repariiges publicas, a directora da praga do
commercio. o corpo consular, e urna immensidade
de povo, para quem a espagosa praga pareca pe-
queo recinto, todos pressurosos em demonstrar ao
soberano qnanio amor conquista o rei que domina
concMiando as prerogativas do sceptro com os de-
veres de pai extremoso de seus subditos.
c As alumnas de todos os collegios, vestidas de
branco cem cintos e grinaldas das cores nacionaes,
formaran! tambero duas longas alas, lendo bonitas
cestas bem providas de flores. Cada collegio linha
a sua frente as respectivas directoras.
O espago do ancoradouro destinado para dar
fundo o vapor eslava deserapedido.j porque a cap
tania do porto e a alfandega lomaram a excedente
medida de mover delle as embarcles de peque-
a cabolagem ; finalmente as 8 3' i horas fuodeon
0 vapor S. Miguel, que foi recebidocom urna salva
de 21 tiros do parque de artilharia dos voluntarios
allemes, poslados em frente ao arsenal de guerra,
e por mueras girndolas de fogutes que atroa-
rara os ares por espago de tres horas.
< Sua Magestade o fmperador.embareou-se com
S. A. o Sr. dnque de Saxe, o ministro da guerra
e nutras personagens do squito imperial, na ga-
leota que Ihes eslava preparada.
t Seu desembarque teve Jugar p'uma das es-
cadas laleraes do trapiche da alfandega, onda
a cmara municipal fez construir ;[' sua custa um
primoroso pavilho, que realmente merece ser
aqu mencionado para orgulho d> quem* leve a
idea e dos artistas que se iocumbiram da sua de-
coragao.
c Sua Magestade foi recebido debaixo do pallio
p-ia cmara municipal, passando ao pavilho para
descansar.
Ah, o presidente da municipadade, Sr. An-
tonio Manoel Fernandes, recitou um bello discur-
so, o qual Sua Magestade agradeceu com muita
affabllidade.
c Do pavilho seguio o acompanhamento impe-
rial pelo centro das alas que formavm as alumnas
dos collegios, que ao deilarem-lhe fliores iam oceu-
par ouirVlugar, formando alas sikccessivameote
para esperar a passagem do Imperador, e repetir
a mesma chuva de flores.
a Dorante todo o transito nunc.i cessaram os
frenticosvivas do povo, e ajeada passo se
1 va o cortejo obrigado a parar para cluvir os patrio-
' ticos recitativos, que foram muitos, principalmente
de poesias.
< Sua Magestade dirigio-se log< a' cathedral
para ouvir o Te Deum entoado em afcgao de gragas
por sua feliz chegada.
t Fazia as honras a' porta do templo o garboso
batalhao da guarda nacional desta cjdade, cujo lu-
! zimento e firmeza abona os brios das pragas e o
: zlo dos seus commandantes.
c Na porta da igreja fez o Exra. Sr. bispo orna
breve allocugo, e ao oceupar Sua > agesladeo seu
1 lugar de honra subi ao pulpito o ll-vd. arcediago
Dias Lopes, que, n'ura bello discurso anlogo ao
I aclo, patenteou anda aos ouviole; os dotes de
seus talentos oratorios.
Seguio-se o Te-Deum estando a igreja apinha-
da de fiis, findo o qual dirigio-se Sua Magestade
| ao pago, onde agradeceu a cmara p pallio.
< Sao dignos de louvores os mora lores da praga
j da Alfandega e ra do Ouvidor por haverem ador-
nado suas casas com bandeiras e cplchas, que de-
ram anda mais realce a' decoraeo do transito,
cuja simplicidade esta' em narmonia com os poucos
| recursos pecuniarios de que dispunta a commisso
dos festejos.
t Sua Magestade o Imperador veio magro e
queimado do sol.
< L-se em sua physionimia os trabalhos que
! passou em nossa campanha, e esta circunstancia,
embora muito para lamentar, -nos melivo de jus-
to orgulho : feliz do povo porque i udo sacrifica o
monarcha.t
Sobre a chegada de Sua Magestace ao Ro-Gran-
de no dia 1 na sua volta de l*or( i-Alegre diz o
Diario da ultima data:
o Pressurosa afilla ante-honlem pelas 9 horas
da manha a populagao da cidade do Rio-Grande
para a ra da Boa-Vista, logo que se innunciouo va-
por que conluzia S. M. o Imper;dor. Eram os
habitanies que, cheios de gratidio, iam prestar
homenagem ao excelso Sr. D.'Pedio II em seu re
gresso da campanha, coberio de glorias.
O enthusasmo e a alegra que se expanda de
todos os semblantes exprima olesHirunho inequ-
voco da sinceridade dessa humeragem que um
I povo livre e agradecido iributavi ao melhor dos
moiiarrhas do mundo.
Nobre e sublime era esse acla'que represen-
tava o povo sao latido e victonant o ao libertador
;da provincia de S. Pedro.quepelaniprevidenc?,li-
nha sido Invadida e ultrajada em seis bros por urna
! horda de vndalos do tyranno Lop i.
Tres mezes e 16 das glorioso: fizeram ante-
hontem que o Sr. D redro II, des:e ido da mais
| elevada posico social, nivelen se aos seus sida-
dos para comparlilhar com elles d: s suas fadigas,
das suas privagoes e das suas glor as.
Magestade tam-
lo perigo; nem
cheias dos ros
stuosas, nem o
obstculos para
No coragao patriolico de Sua
bem palpuava o sangue brasileiro.
t Incontinente correu ao lugar
o invern, nem as chuvas, nem as
caudalosos, nem as noites lemp
sybillar do spero minuano, foram
a sua rpida viagem Uruguayas
A historia nao nos transmute ibnegacois des-
las, e nem tanto civismo em regia ; frontes ; mas
a historia patria registrar em suas paginas glo-
riosas, para os vindouros, esta nemoravel capa-
nha, que anda mais iramorlalisan o norae do Sr.
D. Pedro II
Os Rio-Grandenses nao exig; in tantos sacri-
ficios do seu monarcha, porque i o lm com que
pagar Sua Magestade to grande divida de gra-
tido.
Sua presenga valeu um exerc to I S ella foi
bastante para a consecugo da incruenta victoria
da Uruguayana.
i Atemorisados os vndalos parlaguayos com a
sua chegada ao acampamento re ideram-se dis-
crigao,
saigue
perpetuo
Si a
Bem caro pagariam elles o
em defeza da patria injuriada, se
perto de si o generoso defensor
que os cobno cora o manto imp-ir
mente, e os libertou da escravido
em um paiz que se diz republicano
A's 10 horas desembarcou
Imperador no trapiche do Carino,
; do, trajando uniform- de maree)
i acompanhado de seu augusto genn
' duque de Saxe, ministro da guerra
de Caxias, lenente-general Cabral
da sua comitiva.
a O povo reconheceu logo a dilT
seniava Sua Magestade em seu ph
descarnado e crestado, e sua barba]
sa mudanga exprima as privagoes
porque passou Sua Magestade d I
o sublime exeraplo ao seu povo
trata de defeza da patria injuriad.
: lirios.
Tocante foi esta scena. Mais
| se deslisou ao ver nesse estado desembarcar o nos-
I so idolatrado soberano.
< E' imposseet descrever o entusiasmo, ou an-
(tes o delirio do povo no acto do
Sua Magestade o Imperador.
t Cem innocentes meninas, syikibolisando a pu
reza, espargiam com suas delicad;
res sobre os reaes hospedes. V
centenares de girndolas, milhare.-
todos os pontos da cidade, msicas
embanderadas e alcatifadas de fo
as casas decoradas, e as janellas replectas de bello
sexo ; toda esta bnlhanie ovagolanouociava que
pela terceira vez Sua Magestade) honra va esta ci-
dade.
i No logar do desembarque esperavam a cma-
ra municipal, o ten mle-general commandante da
i guarnigo, o corpo consular, commandante supe-
rior coro o seu estado-maior, juiz de direito, os
juizes moDicipaes da 1.* e 2.a van, capitio do por-
to, inspector da alfandega, administrador da mesa
de rendas provmciaes, delegado, sob.4elegado de
derrmalo
lo tivessem to
do Brasil,
al, sempre cle-
ro que viviam
I...
Magestade o
kidrede prepara-
ai do exercito,
o Sr. principe
?erraz,marquez
e mais pessoas
renga que apre-
fsico, seu rosto
encanecida, es-
e soffrimentos
operador, dando
que quando se
nao ha sacri-
Ide urna lagrima
desembarque de
mozinhas Ao-
vas sem cessar,
de fogueies de
, salvas, as ras
has aromticas,
polica e muitos outros distinctos cidados, tanto
desta cidade como da de Pelotas.
Apenas S. M. o Imperador saltou, o presidente
da cmara municipal, o Sr. lente-coronel Fran-
ci;co da Silva Flores, diriio-lhe em nome de seus
municipes urna pequea allocugo e deu os vivas
a S. M. o Imperador, que foram phrenelicamente
applaudidos.
< O 2 batalhao de infamara da guarda nacio-
nal, postado ra Dezeseis de Julho, fez a conti-
nencia devida a S. M.
i Debaixo do pallio, cujas varas erara sustenta-
das pelos vereadores, seguio S. M., S. A. e mai-
comitiva pela jua Dezeseis de Julho, e entrou na
igreja do Carmo, onde fez orago e ouvio missa ;
e desfllando depois o prestito pela ra Pedro II
igreja malriz, assistio ao Te-Deum que a cmara
municipal mandara cantar por to faustoso mo-
tivo.
A mullidao de povo, ebrio de alegna; em re-
pelidos vivas, saudava a S. M. o Imperador e ao
augusto principe em lodo o seu trajelo ao templo,
que se achava revestido de galas.
As Rio-Grandenses ne foram ndiflerenles s
demoostragoes de recoohecimento que o povo fazia
a S. M : formosas doncellas da primeira sociedade
rio-grandense se preslaram a abrilhaniar o Te-
Deum com as suas melodiosas vozes, cantando o
solo.
Antes de principiar o Te-Deum o Rvd. vigario
Damazio de Maltos recitou urna brilhante orago,
fazendo sobresahir as virtudes e nobres feitos do
egregio monarcha brasileiro.
c Coocluida a ceremonia religiosa, deslilou o
prestito imperial pela mesma ra Pedro II, entre
alas de innocentes meninas vestidas de branco, cora
fachas de fitas verdes e amarellas e grinaldas bran-
cas, sendo acompanhado do seu povo, que nao ees-
sava um s momento de victoria! ao seu Impera-
dor, defensor perpetuo do Brasil.
S. M. corresponda coro jovialidade essas pa-
triticas demonslragoes; terminando a marcha
triumphal porta do pago, propriedade do Sr. Eu-
frazio Lopes de Araujo, onde se acha S. M. e S. A.
o Sr. duque de Saxe.
c S. M. apreseotou-se sacada do pago momen-
tos depois de ter subido, e o povo, que aggloroeca-
do anda se achava ao redor do palacio, prorompeu
em vivas, ao troar de centenares de fogutes, que
enchiam o espago.
S M. digoou-se sahir de tarde, e foi al cha-
cara da Exma. Sra. D. Francisca Gomes da Silva,
viuva do Sr. commendador Jos de Souza Gomes,
e noile foi ao espectculo dramtico.
< O theatro, decorado com simplicidade e gosto,
eslava lilteralmenle cheio.
< Ao subir o panno, appareceram no palco nove
cavalheiros vestidos de guardas nacionaes, empu-
nhand j o pavilho brasileiro e caoiaram o hymuo,
Ando o qual o Sr. subdelegado capilo Manoel Luiz
Cardoso Guimares deu vivas a S. M, a' familia
imperial e a' nago brasileira, que foraro phrene-
licamente applaudidos. Secnio-se aps a recitago
de varias poesias, sobresahindo entre ellas as pre-
nunciadas pelos Srs ofllciaes da guarda nacional
Zeenno Vieira Rodrigues Filho e Constantino Lu-
cio Jardim, arrancando esta ultima muitos applau-
sos dos espectadores.
No mesmo dia da chegada de S. M. ao Rio-
Grande veio de Pelotas S. A. o Sr. conde d'Eu.
No dia 2, s 7 horas da manha, visilbu S. M. o
quarlel das trincheiras, onde se acha aquartellada
asecgo de artilharia, es 11 horas ouvio na igre-
ja do Carmo tres missas de finados celebradas pelo
bispo diocesano, o qual com o presidente da pro-
vincia tinham chegado da capital.
Na tarde de 1 f*i o corpo con-ular felicitar o im-
perador, pronunciando o vice cousul da Italia o se-
guate discurso :
Senhor V. M. Imperial,logo que leve noticia
de ler sido a previneia invadida pelas forgas do
Paraguay, apressou se, para asaegurar a vida e a
liberdade de seus habitamos, a comparlilhar com
seus augustos genros das fadigas e perigos da
guerra ; nao hesiton em separar-se da excelsa im-
peratriz e das augustas princezas.
t E foi da mais alta importancia nos destinos da pro-
vincia.
Por mais urna vez ficou, pols, demon-trado
que a influencia de um grande genio, segundo a
elojueute^ expresso do imperador Napoleo III,
semelhaot'e a influencia da Divindade. um fluido
que se transmute como a electricidade ; exalta as
imaginago.es, e as arrasta, porque ella loca a alma
anles d- a persuadir.
V. M. Imperial, apresentando-se em campa-
nha, guiou heroicamente ao combate as invictas
legioes alliadas.
. Os invasores, enlrincheirados ento na villa
de Uruguayana. nao ousaram corabater ; foram
vencidos sem efluso de urna gota de sangue I...
c A victoria assim foi a mais completa I
V. M. Imperial, assegurando a vida e a liber-
dade dos Brasileiros, assegurou tambem a de nos-
sos compatriotas estabelecidos na provincia.
A Divina Providencia protegeu os esforgos he-
roicos de V. M. Imperial.
t E' grande, seuhor, a gloria e a satisfagao que,
por to alto feito, cabe a V. M. Imperial.
O dia da chegada de V. M. Imperial, 16 de ju-
lho, e o do do reudimenlo do iniraigo, 18 de se-
temhro, marcam nos fastos da provrocia duas po-
cas meraoraveis no reinado glorioso de V. M. Im-
perial.
Compenetrado o corpo consular residente nes-
ta cidade da magnitude dos servigoa de V. M. Im-
perial em prol de seus compatriotas, pede respei-
tosaroenle a V. M. Imperial a honra de aceitar os
sinceros votos de sua profunda gratido, e as suas
felicitagSes pelo feliz regresso de V. M. Imperial,
pelo t SS. AA. e pela prompta concluso da guer-
ra na provincia.
Rio Grande, 1* de novembro de 1865.Chris-
tian' Hermano Claussen, cnsul do Hanover.
Virga'lino Jos de Porciuncula, vicecnsul d'Aus-
tria.Antonio Estevao Rittencourt e Silva, vice-
cnsul dos Paizes-Baixos. Frederico E. Kranni-
cbefeld, cnsul da Dinamarca. Augusto 1i--nie-
gen, cnsul de Oldemburgo.Luiz von Loessel,
vice-consul da Prussia.Zeferino Alves de Azam-
buja. vice-consul da Hespanha Hygino Uuro,
vice-eensul da repblica Argentina.-Pedro Pas-
cual- Lirn, vicecnsul da Franga e da repblica
do Uruguay.Jos Toscano Soares Barbosa, vice-
cnsul de Portugal.Evaristo Ferreira unes, vice-
cnsul da Blgica.Antonio da Silva Ferreira Ti-
gre, vice-consul da Italia.
a S. M. dignou-se responder :
Agradego e aprecio a manifestago que me faz
o corpo consular residente nesta cidade. >
Os agentes consulares da Inglaterra. Estados-
Unidos, II imhurgo e outros nao lomaram parte na
felicilago.por se acharem ausentes.
S. M. e AA. sahiram do Rio Grande a bordo do
Gerente no da 4, e, acompanhados pelo S. Miguel
e Leao, chegaram a Santa Catharina a 5, pelas 9
horas da noile e dalli partiram para esta corte a 7,
s 4 horas da tarde.
O Echo do Sal de 3, dando noticias da campa-
nha, diz :
a O nosso bom correspondente de Bag escreve-
dos o -eguinte, em data de 27 do mez fiado :_
Recebemos carias do exercilo do baro de
Porto-Alegre com datas at 19 do corrente.
t Nada ha por alli de notavel. As oossas forgas
coDtiouavara a mover-se cora destino a S. Borja, e
em breve todo nosso exercilo, em numero superior
a 20,000 homens, estar' reunido oaquelle ponto.
t Os batalhes e regimenlos que ltimamente
baviam seguido daqui e de S. Gabriel para Uro-
gnayana, receberam ordem em caminho para to-
marem dirtciamenle a estrada de S. Borja.
Formado Iodo o ex-rciio naqoeila frnnieira.
atravessara' logo o Uruguay, e procurara' peseirar
no coragao do Paraguay por Iiapa ; em quanto o
exercilo alliado invade o territorio mimigo, pelo
Passo da Palna.
O nosso correio acompaohara o exercilo de
S. Brja, em todas as suas operacots de garr, e
nos mantera' em constantes relajo*, com elle.
Assim teremos sempre treqoe iies noticias da
grande lula em que vamos entrar : domo eorr. j
particular, que ja nos prestou lio boos servieos,
transmudado ero 4 1/2 das as novas da baulha'de
Yalay e da reodlgAo de l'ru-uayani. ao Rio-Graa-
de, nos coulinuara' a trazer com rapidez as noti-
cias dos successos da gu-rra por Iiapa ; os vapo-
res do governo l,svaro ao Hio-iirai.de as oobcias
dos mevmentoi de nossa esqoadra e do grande
exercilo alliado.
< De S. Gabriel e Alegsele nada adiantam as
cartas e jornaes que recebemos. *
Os vapores Juparana e S. Paulo, que chegaram no
dia 2 de l'ojlo-Alegre, deviam largar a i para
Montevideo cooduzodo alguos contingentes que u-
iiiiaui lirado oaquella capital e que se vio reunir
aos seus corpos no exercito alero d i Uruguay.
O lV*l fkava a sihir para o mesmo destino.
Achava se no Rio Grande a commisso eoearre-
gada do a>sentamento do lio eleciri :o entre aquel-
la cidade e esta corle.
A folhas da mesma cidade dizern qae o capilo
Jos Correa Mirapalhela offereeeu a S. M. o Impe-
rador, em Sania Isabel, a quanlia *. i)i)OJ.
Em Porto-Alegre fallecer o bngadeiro refor-
mado Gabriel de Araujo e Silva.
Por ordem da legago de su magestade fidelsi-
ma e requisigo do respectivo consulado, parte Ivje,
para a anteada da Pessiogoaba a eaohoonra por-
i.gueza Zarco,afim de pre-lar auxilio aos passa-
geiros do b'igue brasileiro Chirip, que noticiamos
achar-se em perigo do referido porto.
11
Hoje, era demonsirago de regosijo pelo felix re-
gresso de S. M. o imperador, coosla que e>tao fe-
chadas as repariiges publicas, bancos e casas ban-
canas.
b. M. o Imperador dignou-se dispensar qoe a
guarda nacional formasse em parada. Aguarda
de honra sera feita pela mesma guarda nacional.
A's II horas da manha havera T- Deum na ca-
pella imperial, e em seguida cortejo bo paco da
cidade.
A' noile SS. MM. II. e AA. honrarlo com a soa
presenga o iheairo.lyriiv., onde havera esprciarolo
pela companhia italiana, nao se pod-ndlo cantar,
por ler fallado lempo para eoaia-la, urna cantata
para essa occasio cranosla pelo Sr. Arcbaagelo
Fiorito.
Repetir-se-hi tambem as illumioaroes pub teas,
j hontem principiadas, apezar de nao coqcMmAm
todos os preparativos, e entre as q laes sobre^abi-
ro as da praga do commercio, da p irla da alfan-
dega, thesouro nacional, ra do OuviJor e fabrica
; do gaz.
Em lodos esles pontos era nontem tal a ainVn-
: cia de povo que a muilo cusi se iran.-itava.
Por intermedio dos Srs. Nelio do- Res 4 C fo-
ram hontem entregues ao ihe*onro mciooii, para
, as urgencias do estado. 3:00OjUUO. ata oRereee a
Sra. baroneza de Entre Rios, e 2:000JOOO, que of-
j ferece o Sr. capilo Anl-mio Barro-o Pereira, fazen-
deiros ambos da Parahyba do Sol.
---------- m m < i
Seguem hoje para Itabapoana e llapemir.m os
Srs. Rvd. Bailan! S. Duuo, Geo. \V. W > I '.:ur-
, les Clarke, norte americanos dos e-tado* do sol,
, que vieraro ao Brasil escolher urna localidad* para
. e-tah'lecerem cero familias de agricultores. O go-
verno imperial, no intuito de facilitar aos notaos
hospedes os melos d ero coaheeerem o pan, itv
cuuiliio o Sr. Carlos Pinto de Figueirelo de M u-
paiiha-los e de preslar-lhes naquellas locaida4t
i idos os auxilios e esclarecimeotos de qae preci-
' sarem.
- 11 -
Esleve hontem de lesla a cidade ioleira pelo te-
I liz regresM de S. M. o Imperad u.
Ao romper d'alva, 1 hora da tarde, e ao por do
) sol deram-se as salvas com que costume assigna-
i lar os dias de gala e fesia nacional.
Os navios de guerra, nacumaes t eslraag
e os raercaates estiveraro etnbandeirados ludo o
! dia.
No centro da cidade rara era tambem a roa
; em que nao esvoagavam bandeiras de Tin girtw
j cores.
As repariiges publicas estiveraa fechadas e
o servigo da guarnigo fez se de grande ali-
forme.
As principies ras estavam c >bertas de povo, e
em lodos os semblantes resplandeca o jubilo.
Conforme eslava determinado, hoove as II horas
da inanha 'te Deum na capella imperial, pregan-
do o Rvd. couco Fonseca Lima, e em seguida um
cortejo mui luzidu, a que concorreram grandes do
imperio, funrcionarios civis e militares de lodas as
graduaroes, cenadores, depeudos, diplmala-', ma-
gistrados, depuiagoes de nimia- >oeiedades e ciJa-
dos de todas as classes e bierarenias.
Ero nome da commisso da pr ici do cnmmerrio
foi proferido pelo seu ure-ideole, o veador Jos
Joaquim de Lima e Silva So'orinho, o segmate das-
curso :
c Senhor O homem que, pelo simples acaso nascimento se v elevado ao fastijio do poder, em-
pilonando com trmula mo um sceptro im des-
uno Ihe entregara, sem ciiopui-ar-ihe as for^t,
seja embora o primeiro dos cidados do sea pam,
pode ser, simultneamente, o ultimo dos favoreci-
dos da fortuna t
< O subdito que Ihe curva a frmee, IraaiMta
respeiiosa, venerando oelle nm symbolo, apeaae,
prestando culto a posigio social, sem que o*e n-
dagar do mrito da quelle que a os tema, tina,
nicamente, porque assim o d-nominam as ia-n-
tuigoes que o regem ; mas nao se aaima do sav
iiitlux da liberdade, que, sendo de origem diviaa,
nao pode profanar-se em consorcio com a ofyres-
so que nesse momento o avassalia!
a Feliz o monarcha benvolo que <
bre o seu povo o manto da prm*erao 9
deve a seus rilos ; illustradn, que potara
Ihe as necesidades, para promover, quaato m M
caiba, a satisfagao deltas : liberal, que nao aaaam
regalas para si, fra dos limites marradas peta
constituirn, e os percorri", al aos extremos, pro-
curando o bem de seu- su Mi los ; vifTnso. a*s
Ihes foroece a salular ligan do rxempt*. aatan a
do-se a punir, em favor de mmios, a desvia a
uro contra o equilibrio da sociedade ; a ,
da sua patria, que a defeade aos transes
n-cados, a cusa dos maloras acnnos, 1
do-se de si, pelo sen povo, da toa
seu paiz 1
< Felix V. M Imperial I
t Livre o cidadl > qae, no gara dos mi
Ihe concede o cdigo fundameaul da pato,
eendo cegaraenie aos dieiames da le, aa t
trangido nem se constraoge : < ao chele do 1
do nm guia, nm protector, nm pai ; rg9 1
te em sua preseqfa para que Ihe veta nos labios
jubiloso sorriso, e approxima se
que Ihe sima o pulsar do coracaa I
< Livres, somos nos I
Livres somos nos, humildes,
exploradores de urna das mais



Diarlo de "ernambiieo Segunda fif-* SO de Xovembro de Sft
*'le Hijueza do imperio ; do TO'nmercio, qae retrl-
liundo a agricultura a vida-que della recebe ; ani
mandse delta, pula producgo vivificando i pelo
trabalhe, constitu com ella e por ella a felicidade
este abengoado solo, proteger dd a industria, es-
leifdeodo todas s classes a sua benfica ioflueu-
ca I
Livres somos nos, que, dnpeodentes da assi-
duidade na laboriosa vida a cora emprego de lodos os dia, de todas as horas
de todos os momentos, denotemos hoje, esponla;
oeamente, os instrumentos do trabalho, cerramos-
as nossac portas, e, depois de nos eoogratularmo!
mutuamente pelo feliz regresso de V. M Imperial
viemos, radiantes de jubilo, tracendo nos labios asi
palavras que nos dicta o coracio, dar os emboras
a familia imperial pela rolta do seu aogusto chefe,
e a V. M. lmpena por se ver restituido a placida
veulura do lar domestico, onde difflcilmeote se des-
pr-nderia de atrrriosos brices, para attender, nesla.
momento, enihutiaslica expanso do povu, que
reclama a sua augusta p-esengi
A poca dos cesares e dos Alejandres passou.
Esses entravam no cambio inimigo levando a morte
no gume da espada, e eram forgados a escuUr im
passiveis, como coro triumph.il, os gemidos das
suas victimas 1
V M. Imperial, etupunhando o facho da civli-
sago, penetra nos antros onde reinara as irovas. e
oo meio das torrales de lu que derrama, deli-
cia-se-lhe a alma na harmonia dos cantos de lou-
vor que o ceicam I
A frondosa arvore da liberdade, plantada em
terreno baldo, que o despotismo tornara infecun-
do, i de precisar do adudo de sangno para enrai-
zar-se na ierra ; mas, urna vez enraizad, s ple
alimentar se do orvalho vivilicanle da paz, da luz
creadora do progresso, dos asslduos cuidados do
cultor I
V. M. imperial, encontrando-a animada e flo-
rescente, e cultivando-a cora paternal esmero, tor-
nnos felizes a* sua sombra protectora, e faz-se
credor da prefinida gr atido dos seus subditos.
A espontanea e heroica resolugo de V. M.
imperial, no memoravel da 10 de jumo, em que o
vimos pas.-ar, tntre brados de eniliusiasm e la-
grimas de saudade, pelo meio de povoadas alas,
voio arreigar em nossos coracoes a afeigo arden-
te e raspeaos*, ja' de ha muilo creada por V. M.
Imperial: veio coosliluir-cos, para com o ihrono
A queslao do embreslimo estrangeiro aqm a hy urna das provincias qoo mal soldados lera
Z ,11.an'e-S a rei sur> <"a> adrando se to- dado para esta guerra. Uto non* muito ao pa
IIaIla0 e58T,d0 to1* a iu*ra recur- iriotismo do povo e prova o lino admmistrativo do
presdeme da provincia.
a mesma chapa que a[
progresista na sesso
Os colegios desta
Rienmond. Os amigos deste
os advogados que deviam defenjd lo.
Da Mxico as noticias erara importantes.
As tropas imaeriaes estavarn c
A Imprenta Caxiente qae recebemos nao di moros, e esperava-se fina essa i
noticia da epidemia era Lanas. Mo Taanuhoas cahiria em mvi,
t Le-se nesse jornal :
< Os dignos commandantes e offlciaes dos bata-
lh5es ns. 39 e 40 da guarda nacional desta cidade,
do correte as eleicoes dos offerecem 150*000 aos seus subordinados, que vo-
com pequeas alteraco lunariamente se apresentarem para destaearem no
sos do estado.
i Palla-se'qne com a chegada do imperador te-
remos mudaujas Po consegrante os novelleiros
de boas e msnoiiciaslmuito tero que dever d'aqui
a um ou dous paquetes.
Por aqu nada haTdigoo de considerado.
Procederam se a
deputades provinciaes
Taminco tambera
publicana.
foi atacada,
e vigia j sao sabi-
do parti-
resenlou o partido liberal servigo da guerra, at completar o numero qae por
distriboico deve dar cada um delles. O proeedi-
mento de to distinclos offlciaes esta' cima de todo
e qoalquer elogio. E' por esta forma que se pa-
tntela o verdadeiro patriotismo.
Crai.Durante o mez passado eotraram, na
capital, 3,646 saccas de algodo, com 17,836 arro-
bas e 13 libras; e na semana de 2 a' 11 do cor-
rete 1,570 saccas.
L se no Ctarense :
t Tendo as fainas da provincia dado este anno
do vapor do Amazonas o! nocia de um ligeiro tremor de Ierra em Canind,
I precedido de grande estrondo, solicitamos informa-
conta-se que a eleigao enes desse phenomeno, lao raro, como curioso na
ila- nossa trra; pois nenhuraa noticia oIBeial vimos
presentaram urna simples publicada,
tos seus candidatos, alm! Suppomos que ha recoramendacoes do governo
allima.
_ capital
dos, o resultado a faior dos candidatos
do da sftuaco.
Entretanto do dlstricto de Acara nao compare-
cern! os eleitores a vo ar, dando parte de doeutes.
* No collegio de Sa tarera tambera se falla se-
riamente em divergen na na volacao; para all
parti um emis>ario pa a ver se concilla os nimos
dissidentes.
Vamos no regresso
que ha.
Apezar de ludo Isla]
foda da chaga progressi
Os conservadores,
circular cora os nomes
ram os nomes dos conc
opaostead 1
Anda anda pelo A
res Ba>ios.
O seu regresso s sef
zembro.
l'ivemes a festa de)
pequea pompa.
A retirada de gentel
ao tai oinsm i da apreser tacao, os jornaes nem de- imperial para veriflcaco e communlcaco de todos
inham ja escolmJo e nao o promeiterera suas circumsnciasj quer
saber a rajad; porque hareado aquella individuo
sido condemnado era agoo do auno passado, at
sercadas era Mata- esta data adida nao fol eneommodado, andando de
Idade e todo o es-1 publico, ensmando meninos, requerendo em iuizo
mauhpas cah.r.a era pof^er dos Juanstas. perante qualquer autondade! asllmdo as audien
por urna forsa re- cas, etc. etc. Donde partir lio revottante e escan-
! dalosa relaxaco...
Que utilidade tem um julgado da relaco Y Que
I respeito que veneracao merece um aresto do pri
meiro tribunal da provincia I... E' muito escarne-
:Cer, muito zombar, t assiin vai campiando o crime
sem represso...
Srs. redactores, este homem que se atreve as-
sentar praca no corpo de polica desla provincia
illudindo lalvez o encarregado dessa
commissao.
MOTIMEUTO B0 PC1T0
PERNAWRUCO.
REVISTA mUtk.
rktist mmk.
Declarando o Publicador Slalranheuu em nra
sua noticia, que os vapores da cnmpanhla das Mes-
sageries Imperiales deveriam, d< jaueiro prximo
importante
Sira, senhores, da Ztami e do Forum, tomai no-
futuro e.n diante deixar de tocar em S. Vicente, ti de mais esso faci, fazei sobre elle as justas pon-"
para fazerem escala para Goraj e Maranhao, pro- deracSes que entenderdes. P
curamos mteirar nos do grao de exactidao dessa Ura-empregado publico convencido de crevari-
noticia do collega, enleadeudo-nds para stocom os cacao condemnado j s um anno e nutro
>rs. iisset rreres, agentes da tnesma companhia aioda nao solTreu urna Ave Mina o iuiz
nesta provincia. nal -
Desles Senhores, porm, apenas soubemos que
at agora nenhuma participacaq Ihes foi dirigida
no sentido da referida mudanga, ou alterado de
escala; de sorte que nada podemos de positivo
adiantar, crendo no entretanto qqe houvesse o col-
lega colhido a sua noticia de font segura.
espera para meados de de-
Nazareth este anno com
para o sul, a
defflceocia
de meios e o estado do commercio nao poda dei-
xar de orodiizir um resu'Udo semelliante I
Para tudo se quer animaco, paz e satisfacao ;
nada disto ha no imperio por estar bragos com
urna guerra unportantissiiua, como nunca experi-
raentou.
O Jornal do Awizonus de 3 do correte, pu
buena um abaixo a.-siguado de varios Portugnezes,
refutando a penltima correspondencia de Portu-
gal, em que dizia que o chefe de p.dicta desla pro-
vincia inimigos dos Portwjuezes.
Appareceu e.-te protesto por que ha sempre
O Sr. Dr. Eduardo de Barros, digno secreta-
rio da repartico de polica, aut
rar que nao S. S. candidato
cial por nenhum dos districtos
vincia.
Brisa nos a decla-
eputacao provio-
eleiloraes da pro-
rreoles I Islo de certo nao I os pheaomeoos desta nrdera, que interessam o es-
I tudo da physica terrestre. Pessoa mui:o compe-
s o deputado Tava- tente, a quem pedimos noticia, nos escreve sobre o
faci o seguinie :
Passo a dar Iba urna .ligeira informacao do
tremor de ierra qa- aqui se deu. A's seis horas
da tarde do da 5 de julho ouvo-se nesta villa um
estampido como de trovao ao longe, que prolongn-
dole por tres minuios puuco mais ou menos, pro-
duzio na ierra um abalo, que foi geralmente sent- compila, para que uo seja tolerada a pralica, que
do, pois a uns pareca que a ierra queria tuglr-lhe vai luutatl110 proporcoes, de se lazerem dos canos
dos ps, e oulros viam as tenas ranger, e alguus de esgoto lugar unde se vo vasaif aguas ptridas.
Sentan) abalar-se as paredes. Porm longe de ser Ale,n ^ mcoinuiodo dos habitaules prximos, tal
violento, fui lio brando e rpido o abalo, que ape- pralica deve irater inconvenientes a canalisaco e
devedores de mais urna divida sagrada; veio ens- grande inconveniencia, pelo menos'era avanzarse
nar-nos tcitamente a obediencia dos prceitos do seraelnanies propones.
verdadeiro patriotismo. Consia, porm, yue ha um outro abaixo assig-
Desde pnt:io,era criminoso o Brasileiro que me
disse a extensao do sacrificio, quando a patria re-
claraasse o seu auxilio I
V. M. imperial liona, de um lado, todas as
commo tidailes da vida ; todas as delicias do
sanio asyle da fami'ia ; todas as regalas que Ihe
ofbrace nana poaifio que Ihe daria o seu povo se
Ih'a nao vessB conferido a le; tioha a constHui-
co do impeli, que Ihe permitlia o socego, no re-
manso da paz, se a paz podesse existir no magn-
nimo coraco de V. M. Imperial quando a guerra
dilacerava as enlranhas da patria I
Do outro lado, a intemperie da eslagao, em
climas menos doces; os incommodos Inherentes a
urna tonga peregrinaco por terrenos agrestes; a<
conhngencias perigosas da guerra ; e o espectculo
doloroso do sangne de seus filhos, derramado era
orna luta provocada pelo despotismo brbaro e
atroz 1
V. M. Imperial, contemplando estes daus qua
nado ou renresentacao de outros Porluguezes, por
causa da depurlaco de Jo.- Joaquim Mendes Ct-
valleiro, de que ja ihe dei uoticia era occasio op-
porluna.
.\o Ihe posso dizer !)ual o seu conteudo e se
jseguioao seu destino ; o fado real que esse
papel audou a assignar-se por a(|ui, sem que se
saina para que fin. O tampo illu -idar este nego-
cio assim como os motivos da deportacao.
-Nao Ihe remello a representado a favor do
enere, nao s por que c um pouco longa com as
assignatnras, para ser transcripta era seguida a
esta, como por que estnu convicto que no seu Dia-
rio ser mandada publicar, e entao os seus leitores
torio d'ella coiihecimento.
Acaba de faier a sua apresentacSo e entrada
em ex-rcicio do seu cargo, o novo coosul inglez ul-
tlmamente d'ahi rindo.
Por acto do Exm. presidente desta provincia
foi mandado collocar na eapella do cemiterio pu-
Chamamos a attenco da autoridade a quera
mezes
ou tribu-
a quera competir, pede-se providencia.
Povoaco da Luz, 16 de novembro de 188o.
Luiz Elias d Abrios entrado no im Mi
i ara e portos iniermedio 8 das e 12 bono e Wa
uliimo porto 12 boras, vapor brasileiro P de 840 toneladas, eommandaote o cjpilio do ba-
gau Santa Barbara.
Liverpool43 dias.
as sen tirara-se fraas impressSes, elogo desappa- a0 acil exgoto pela obslruccao ou cousa equiva- uevindo lia razao de 8$ por ac?5o.
receu, ao que lalvez seja devido o nao ter aconte-1,enle os raros-
cido algum sinistro, pois nada temos a lamentar I *>,.___K j *,
-ora o apparec.menio desse phenomeno. Nao pre- tfl Tn taSSft delodao. V *** Pe' .Fr-
ceden cusa natural e nem seguiu-se. Tenho no- L?0"3"0? em, e and,e escala H anlei aeJ hoQ-
lic*a certa de nue na Serra de Bainriu'. a Oinxadi 'lfcul u,n dS seus fructos > e essP costme de va-
ouram-se^os^esmos eBBf^l?r!'nQSS^ >?"JJS? P'S?" ,?r -I-elta.P-iiio* |h.d.> soffre
irondo naquelle dia, mas d'onde parti cousa lao' TJ^rnT^LXT^' '"I"0 ?'" appa"
problemtica que nao se pode cert.mente afflr.nar,: l!0*- .ll9? Aa Q '' 6SleS fge,.n Pr
do sul, e outros do<\ n *. f..?L .^1?aJdiD" para. Pu?'"!osr
dros. niio vio as delicias de um nem os horrores de blico desla cidade, o retracto do finado ex-presiden-
ourol dente desta provincia brigadeiro Jernimo Francis-
\ioaquiafelicidade-acolaod^vere nao co Cuelho, v-to ter sido este administrador o fun
vacillou na e.-colha I dador desle cemilerio.
O povo abencoou t;io heroica resoluc.io I Dfz-se qae o Exra. bispo diocesano as levon
A Previdencia coroou lao patritico sacn- a bem a collocacao de um retracto profano ao lado
ncl0' .. o retabulo de Nossa Senhora da Soledade na res-
.\o ando chao onde repousavara fraternal- pectiva eapella. Ila quemaffirrao que o nosso nre
mente a cabeca, em travesseiro de padra, o pri- lado reclamara contra islo, mas no entanlo nao Ihe
meiro eidadao e o uliimo, eslava o paz inteiro : a afBaoco o que haja de real e verdadeiro acerca des-
sua grandeza devia manifestar-se, imponente de le acontetimento.
forca e radiante da gloria I Do commercio nada ha de nolavel. Enerase
ebellar o inimigo fraco edesprovido demeics o vapor Ilaennu, em r-gre>so do sol, alio, de ver
de defeza, pode ser urna neces-ulade ludeclinavel, como e governo Imperial recebeu a repre^enlacao
le louvor ; mas nao um rasgo de desta praca reclamando contra o contrato que se
celebrou para que no pnmeiro anno de navegacao
a vapor do< Estado--Unidos,os paquete.- da raspee
tiva companhia s loquera no Para de dous em
dizendo uns que f> do lado
oriente (e a raaioria), porm a mira parece do
sudoeste, o que porm certo que nao foi perto
desla villa.
Rio Grande.Nada o;correu digno de mencao.
Paiiahyha.A presidencia da provincia tratava
de Coutraiar o calcamento da capllat, com o nosso
comprovinciano o Sr. Dr. Manoel de Barros Bar-
reto.
Rendeu a alfandega, de 1 a' II do correte,
10:5413038; e o consulado 6:1113075.
COMMEieO.
Caixa filial do buco cita Brasil em
Pernaiuiiiico.
A caixa desconta as letras de seu aceite pela
taixa de 8 0|0 ao anno.
Oguarda-livros
Ignacio Nuoes Correia.
Novo Banco de Pcrnamboco
O Novo Banco paga o dcimo quinto di-
A'ovo banco de Pcrnam-
buco.
O Novo Banco descoma letras de praso al fiua-
tro mezes a 11 por cento ao anno, e al seis me"ze>
a 12 por cento, e toma dinheiro a praso fixo ou
em conta corrente pelo premio e conuicoes que
se convencionar.
O Sr. Antonio Martius do Rio o sabbadoferido
com um nslwmento perforante p ilo Sr. Bliuo Jos |
, Gomes, que tendo sido maltratado por aquello com
palavras e cora ameacas de baul-lo, entendeu de-
ver repelli-lo com um caivete qae comsigo irazia,
e de que eutao se prevaleceu para ferir a Rio, sen-,
do a causa origiuaria deste faci delictuoso o furlo
I de algodo, que era attribuido aoioffensor.
E-te foi preso em flagrante dicto, e procedeu-
se no ollendido competente vesWia, declaraudo:
Kendimento do
1 i-in do dia 18
ALFANDEGA.
dia i a 17......
404:08t>J8i0
13:8793840
417:9663680
MOVIMENTO DA ALFBEGA.
Volumes entrados cora fazeudas____
com gneros.....
Volumes sabidos cem fazeudas.
cora gneros..
95
286
-------381
herosmo I
t (Mentar em sua presenca una superioridade
ineootostarel ; inspirar Ihe a conseieneia da sua
fraqneza, e da iniaslica da causa que defeode ; re-
cebe lo geuerosainenle quando se curva, abatido e
respeitoso, gravar na historia do paz, em pagi-
nas douradas, um exemplo de humauidade, de li-
beralismo e de eivilisaQao I
O resgate da l'ruguayana ligado ao pxcelso
nome ile V. M. Imperial constituir' um dos mais
brilhantes feitosdo Brasil, iuspraodo inveja as ua-
coes mais cultas do universo I
_ Aos illusires principas que, acoinpanhandn a
V. M. Imperial ao.eamp dabalalha, .-e exp 'Zaram
a sellar cora seu precioso sangue o baptsmo de
Brasileiros, que haviam recebido pela allianca com
h< angostas prmcezas do Brasil, cabe una pane
das saudacoes de-te povo, ardente e fervoroso na
gratidao e no amor da patria I
- Digna se V. M. Imperial acceitar benvola-
mente a congratuladlo que respeitosamente Ihe di-
rige o corpo do commercio do Rio de Janeiro, e os
sinceros votos que ek vamos ao eo pela conserva-
cao e prosperidadede toda a familia imperial, dolo
do povo brasileiro, e de quanlos habitara as aben-
coadas ierras da Santa Cruz.
A' uoiie repetiram-se as illuminacoes publicas e
particulares, e numerosas bandas de msica pos
ladas em diversos coretes entreiinham com ale-
gre.- ecas o povo qoe inundava as ra.;.
S-. M.M. II. e AA. honraram com sua presenca o
Ibeatro Lyrico, onile reinou grande enthusiasmo e
dous da-
A alfandega durante o mez fiado rendeu res
I5b:529O00.
A recebedorh res 44:7303000.
Oulras reparlicas (scaes reis 4:0003000.
Os navios durante esse
Eulrados
Rrasileircs...
Ingleses.....
Portugnezes..
Franceses....
Hespaohes. .
Americanos. .
Dinmarquez...
20
mez foram.
sahidos
12
3
2
1
1
1
21
Total
Navios no porto :
Brigue francez Brarjeu.
Barca franceza Gmlhermc Tkl.
Bar|a franceza Ameuil laimlin.
Barca ingleza Delta.
Barra ingeleza Ihpe. I
Brigue poriuguez Vtojante.l
Barca pnrtngneza A'ora Paljneira.
Lufre poriuguez Acato.
O vapor Paran seguejhoje as 10 horas da ma-
nha para o sul. > /
Maranhao.Comr-cararn a funecionar no Gabi-
vetr Poriuguez de tritura urna aula de francez e
- Eutraram para a inspeceo do algodo, nessa S resPftivos '" iue s depois de dez dias
mesma poca 1 580 - ChegaramVcaotal,'nodla 14, 50 volunta-: O subdelegado do Recife vai instaurar o pro-
ri s, agencanos na villa de Souza, pelos Srs. Fran- jcess0-
kiinde Souza Bangel e Jos Francisco de Athaydo. j Na sexta-feira passou pelk manh.ia em di
,7,t2f D, pmiCair ^i rec^o ao sul, sem tocar ne-le porlo, o vapor ingle; Vapor inglezOliiula-\df.m.
fPr^nf0-* n-) da o do correnie. aoExm.:dil untia de Liverpool HersclieU i o ouai eslava Barca ingleza-ie/fe i;,nl =carvo de pedra.
KiS^S e,jha MHna Liraa de'8aD!a iannuociado para sahir de Lisboa a 30 de outubro Btrca Ingleza Ffenr di .M,incc=idem.
r ,- '?nn i? aJry'J'n.rar?!a ?a l,as,Mgemdo Proxira Passado- T Brigue ing.ez-Tliermullus-dem.
^ U anDS d,e 'dade' m* deJ0S Ua CS" n ., I Cri8ue inlez-Carrie M. ,-ldem.
u niacnaao, ijue, sendo preso em Mamanguape, O esenvao Jos Mariano est de semana no Escuna
embarcou como recrula, casado com Mana Joaqui-! protesto de letlras.
na de Sani'Anua, que acompanhou para o sul seu i ._ a, _,
marido. Amauhaa, 21 do corrente, ellectuar o agen-
. B" fliK>a. n c- io__ r^mn, a, *i..^> ile Pinto um leilo de movis elouoa. era uina casa
5. ,flihada d0 ?f Joaauim Gomes de Ala"a- I da ra do Pocnho, pouco ad.ante fia ra da Con-
cordia e na volla para a casa de detengan ; em
frente a mencionada casa achar-se-ha urna laboleta
. brigoe inglez Uta Brwr, >
28S toneladas, capiio, Lighibody, rlfa,(^g,m I,
*"hrg* /".endas e oros genetw ; a Uibl La-
lliam (\ (^.
Rio de Janeiro,-18 dias, brVoe mwiogoez Lmuto-
no, ae 258 toneladas, eapitao Antonio J.a> i
do equ.pagem cara cal ootros f eaer. ;
a Marques, barros & C.
Navtot tantdot no mesmo tita
Liverpool-galera ingleza llsrmwne, capilo Gce-
gory, carga algodo e assurar.
Liverpool l,r,gUe inglez Aqueta, rapiUu David
Eraos, carga algoda
Obterrnriet.
Suspendea do lamaro para Parahiba a kchoa
ingleza Prenden!, capu., Luoper, com o mtsx l
lasiro qne trouxe do Rio da Janeiro.
dem para Parahiba a barca ingleza James Wtl-
son, capilao J. Eduard, com o roe.-mo U-iro a
irouxe de Porto Bra.-s ( na cesta u'Afnra i
Mem para Baltimore a barca ingina fluan, ca-
pilao Madge, com a mesma carga que Hnuxe ,i
Charaoal ( no Chile ).
dem para o Havre a gaiara fran-na PnUri.,r,
c.ipitao Devounais, com a mesma caria iiue ih.uu
de Calcula.
"Jamas entrados no dn 19.
Aracaty-10 das, hiat- bra-,ileir-. So6 lense, d
ti miadas capitn Antonio Gomes Per.-ira i
Pagem8, carga slgodao e ootros gewros ; .
U da Co*U Moreira.
dem -11 dias, hiale brasileiro Sergipano, de H i -
Heladas, capilo Pedro J. praaOtCO. eiu.ipa-
gem 7, carga algodo e outros genero; a J
Luiz de Souza.
-\-w York por S. Thomaz-13 das, vapor mm**
cano Marta Amtrwm, eoatanaalmalt Timmcr
equipagem 70, carga varios genero-.
Rio de Janeiro e porios iniermertios-* 4is, va*, r
brasil, iro Oynpock, coniinanJante caLtUao-ieaen e
rosla.
. Afanos taludas no mrvmo dia.
Liverpool-v.por iogiez (Mntda, coramaodante .
illiams, carga algodo.
IfilTll.
to ella nao ter anda uuraero.
Fizeram acto, no da 15, na Faculdade de Di-
reilo os seguintes estudantes:
2. anno.
Manoel de Paiva Cavalcanti, plenamente.
Samuel Heurique Hardman, dem.
Grande, ede sua mullier.
< Embarcando seu pai, ella ficou em companhia
de urna sua lia, Joanoa Lima da Silva, moradora
na ra do Pao d'Arco, em Alagoa-Grande, e d'ahi
subi para a passagera do Gato, e all estava em j
companhia de urna sua prima, de nome Joaquina,
casada com Joo Jo.- da Silva.;
Apresentou-se com trajes de systema mixto.
Cabello corlado rente, caigas curia-, urna especie
de escapulario largo e curio, dolido a' cintura com
um cordel, que dava-lhe ares de redingote, urna Joo Thomaz rnaud, dem.
toalba de randas na cabeca, tambem fingida com Manoel Aunes Jacome Pires, ideir.
um cordo, o que fazia asseindha-la a urna 3." anno.
're,ra- Antonio Jos de Carvalho, simple?mente.
Suas respostas nao indicavam snffrimcnto ce- Candido Pinto Lobo, plenamente:
rebral, mal ella estava muilo tocada desse espirito Marcolino de Moura Albuquerque.-idem.
viziouario, especie de mana, que produz certas Luiz Nicolao Fagundes Varella, dem,
crencas, firmes e inabalaveii Oetaviano Xavier Coirin, dem.
Esta' seriamente conmicida, que os Para 5. anno. i
guayos s devem apauhar de muiheres, e por isso Lenidas Ferreira Barbosa, plenamente,
sustenta, que a guerra ha de acabar-se com as mu- Julio Cezar Gomes de Castro, dem.
Iheres, e s ellas (ora a rao Humail, e engaiolarao Miguel Augusto do Nascimenlo Feilosa, dem.
Descarreiram hoje 20 do crrente.
Barca ingleza AW/'.-zaobaealhao.
inglezaClara=idem
Escnua ingleza7dnA- lionny-Hc.m.
Barca porlugueza.'orsi diversos gneros.
Pataco oortuguez -Farlo charque.
Barca nacional /r/a/iiaidem.
luipoi'tavo.
Barca ingleza Olinda, entrada de Terra Nova,
indicando a casa era que se ellectuar o leilo, vis- i consignada a Saunders Brolher 5 C., manifeslou o
Lpez.
t Diz que se o.Miver urna audiencia de S. M.,
elle a mandara' infallivelmeule para o exercto
t Quanto ao.mais discorre bem, qnanlo Ihe per-
mute sua descuidada educaco.
Veio s, comendo o qae Ihe dava o patriotismo
Idaquelles, a quem communicava suas intencoas.
t Ficou muito mal satisfeita quando S. Exe. lou-
vando seus sentimentos, disselbe que nao podia ac-
ceitar seu- servigos. .
Foi urna decepgo cruel para a nova Jovita.
Ao menos den tambem sua ligao a muito* cal-
goes, que andam nos bosques para nao se encontra-
ran! com os trabucos do Paraguay, e nos que pre
gam a doulrioa do egosmo vargonhiso.
Butiro Tavares de Almeida, idera.
No dia Io de dezembro deve :omecar a 6* ses-
so do jury, da comarca do Becift.
Foi transferida para hoje l irde, a sahida do
vapor Paran, para os porios do) sul, por ter, se-
gundo nos iuformain, de conduzirloda a tropa que
seguale :
2040 barricas e 2 caixas bacalho, -2 caixas sal-
mao; aos mesmos.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAM8UCO.
Rendimento do dia I a 17...... 19:9283977
dem do dia 18................ 1:397*803
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do da 1 a
Idera do dia 18......
17.,
PRAQA DO RECIFE
1S
subscriptores do
se eraueram calorosos vivas. Uira oe ragua, para os socios e
. -------t>^o Por decreto de 30 de seterabro
formados, na r-unfu' midade do i 1
le n. (i8 da 18 de ago-to de 1852, por soRrerem
molestias incuraveis i|ue os tornara incapazes de
continuar no servico, os Srs. :
Maj ,r do corpo de engenheiros Manoel da Suva qnini deF^ria Guimares.
Pereira. No lugar Guarapiranga, do lermo de S. Ben-
joulra da inglez, para
" e,-labelecimenlo.
uliimo foram re-' A Associarao Tynograpltica elegeu a sua no
do art 9 da va diractoria, que ficou assim eomposta : Dr. An
Ionio Henriques Leal pre?ic'ente honorario ; vice
presidente ejfectivo Cesar Augusto Borges da Pa-
dua ; secretarios Guilherm.! Pereira Ramos* e Joa-
esla prorapla, em
imporial.
virtude de ordens do governo
Passageros do vapor
Irado dos portos do norte :
brasileiro Paran, en-
Alferes do corpo de istado-maior de 2' classe
Sil vario AiiP nio de Jess.
2- cirurgiao do corpo da sade do exercito Pedro
Romo Borges de Leu.os.
1 Hlente do 3o baulno de artilharia a pCan-
dido Borges Sonher Barbosa.
Capito d'i I- regiment de cavallaria hgeira j de hoje
Francisco llenrique di Noronba. Ante hontem amanhecerara os fortes,
Alfares do esquadra i de cavallaria da Babia I'os surtos no porto, e alguns consulados
!*'
to, desenvolvera-se a varila, com alguma 'iutensi-
dade.
Le se no Publicador :
Festejou e ante-h ntem f 3 de outubro ) o ao-
iiiversario natalicio de soa raagestade o Sr. D.,
Luiz I. A esse respailo l-se o seguinie no Pai'a
os na-
emban
Anaeleto tentara Paraso. Ideirados em honra ao da natalicio de sua magesta-
Capuo do 6 batolbap do inhntaria Uaymundo. 'le o Sr. D. Luiz I. A noite militas casas de subdi-
dos Sant is Lima. los porluguezes e aiguraas de brasileiros es'.lveram
Foram tambem refoimados, por decreto de 2 de illuminadas.
outubro Ruda, na conformidade do mesmo art. 9" | O theairo desde a alvorada festejou o anniver-
1* da le acuna citada, pelo mesmo motivo, os sario do rai amigo. Eslava decorado externamente
Srs. : com bandairas^le diversas nagoes, oceupando a ja-
('irurgio-nir de brigada do corpo de sade do \ nella do centro a brasileira, tendo a seus lados a
exercito Dr. Jos Antonio dos Beis Montenegro. \ portogoeza e a italiana. A< seis horas da manliaa,
1 cirurgiao do dito corpo Dr. Miguel Joaquim de ao meio dia e a noile nos intervallos do espectculo
Castro Masca re nhas. : urna banda da mu-ica tocoo no salan terreo do edi-
2" cirurgies do dito corpo Jos Nunes da Silva "rio. Assistiram ao espectculo os Srs. presideule
e Manoel uernardino Bolvar.
Tenente do corpo Ce eslado-maior
Sigismundo da Aguiar.
2 tenante do corpo de artilharia do Amazonas
Hacrino Leocadio Ferroira da Silva.
Capitn do 5 batalho de iufantaria llenrique
Jo- de Carvalho.
Capito do 11 batalho da mesma arma Antonio
Josa dos Santos Beules.
Tenente do 12o batalho da u.esma arma Manoel
Wniiam Mareden, H. Breckwolell, L'opoldo Jos
Rodrigues Braga, Hara Robara Alve da Cunha,
Manoel Pereira da Silva e 1 escravo a entregar,
Jos Pereira Jacinlho, Joo Pereira da Cunha, Gui-
., Iherme Rodrigo, Manoel Marlins Vasconcellos Por-
-om o maior transtorno para o publico em ge- lo, Manoel Onofre Pmheiro, Vicente Ferreira da
ral a para o c.minarcio em particular, o vapor O/a- Silva, V. de Paula Barbosa, Matheus Farnandes
pock, ciiegifio hontem uos portos do sul do Impe- Torres, Jos Bezerra da Silva, Amaro Brrelo de
rio as u horas da inanhaa, s deu a mala s 3 e A. Maranhao, Claudino Jos Correa, Julio Cesar
um qnario da tarde, apezar de se ter conservado Paes Barreto, Paulino Jos Cordeiro, Joo Ferreira
semp e a bordejar no lamaro, d'onde poda ter dos Pa-sos, Joo Alves de Salles, padre Manoel de
mandado um escaler a ierra trazar as malas. Del- Souza Correa de Lima, Tertuliano da Cosa Pmhi-
xaraos de cuminentar semelhania. procedimenlo do ro, fre David da Natividade de Nossa Senhora, pa-
:>r. coraniandanle do vapor, porque elle por si s dre Sebaslio Fabio de Oliveira Lima, Miguel Res-
demonstra o pouco zelo que tem pelo cumpnmenlo back, Francisco Jos Rabello, Manoel Correa Lima,
das obrigagues que Ihe correm por lazer o servigo Seguem para o sul:
p0-Va,J a Theodoro Mara de Almeida Franco, D. Emilia
As datas de que foi portador este vapor, alean- das iNeves e Souza e 1 criada, Samuel Bompet,
gara do Rio a 12, da Baha a 16 e de Alagoas a 18 Nuno Jo.- Ferreira de Mondonga, Adriano Belfort
do correte. ("Buimares, Ricardo Alves de Carvalho, Manoel
Rio de Janeiro. Alem do que damos sb a ro- Gongalves Guimares, Antonio Jansen de Me
de 2* classe
brica Interior, s encontramos o seguinie.
Foi nomeado comniandante do Iraosporte de
guerra Leopoldina, o Sr. prinieiro lenle Manoel
Marlins de Araujo Castro.
Sahiram para feruambuco, no dia 9 : os bri-
gues brasileiro Sorpreza e inglez Gleaner.
Picata sabir para Pernambuco a barca por- rica, viudos"de ew-Yoik :
lo Ro-
cha, alferes Jos Aveluio de Vasconcellos, padre
Antonio de Almeida, alferes Amonio Bellarmino de
Menezes. Francisco Cordeiro da Cruz Sobrinhn, Ja-
cinlho Antonio Soares da Silva Sarment, Anna
Dorothea Locher, Feliciano Dias de Abreu.
Passageiros do vapor americano Norlli Ame-
*r. Adamson, sua senhora e 2 filhos, E. Power,
J. C. Dflano esua senhora.
Bepartiqao da polica.
Extracto da parte do da 18 de novembro de
1865.
da provincia, chefe de polica e quasi todos os cn-
sules eslrangeros. Os camarotes e a platea reuni-
ram um concurso numeroso de nacionaes e eslran-
geros. O Symbolo da fraternidade de que fallava
o anounrio do theairo, diante do qual deviam ser
tocados os hymnos brasileiro e portnguez, eram
duas figuras representando o Brasil e Portugal; a
primeira um indio empunhando o estandarte nacio-
nal, ea segunda um enemeiio velho enm o estan-
darte poriuguez. E-tas figuras estavam de p so-
bre estrado, em amplex fi aternal dando o iodio'a
Alferes do 7 batalho da mesma arma Jos Ben- \ direiia ao guerreiro. Toe dos os indios, o Sr. Jor-
to dos passos Lima. ge Sobrinho leu de um car arote um discurso apro-
AIteres do 18* baialhiio da mesma arma Baymun- priado e o Sr. Estrella um poesa, e levaniaram-
do Luiz Cabral Teive. se vivas ao imperador do Irasil, ao rei de Portu-
=-<=--------- 'gal, a'ambas as nagoes, os maranbenses, ao Sr.
Recebamos follias de Ouro-Preto al 4 do cor- presideule da provincia e o cnsul de sua mages-
renie. Por f^lla de numero anda no se bavia ins- tade fidelissima. .
tallado naquelle da a assembla provincial legis-: Em um dos intarvallofe o insigne violinista Mu-
lativa. nz Brrelo execninu omacomposigo de Alard de-
.______________________________________ dicada a I). Luiz. Esteva? sublime.
Viris-imo da Silva.
tugueza Claudina.
baha.Chegara, no dia 15, mais um outro "vaso
de auerrahollandez, o vapor Cyctop, do comrnan-
do ao bario de Hucneren, com desliuo a Java.
Teudo-se desenvolvido, uos ltimos dias de
vlagem, a bordo do vapor inglez Suran Beirne,
procedente de Demerara, alguns casos falaes de
dyarrha, foi posto em observago no porto da Ba-
ha.
Acerca de urna reunio havida no palacio da
presidencia, diz o Diario:
Na reunio, que leve lugar na noile de 13 do
corrente, no palacio do governo, resolveu S. Exc.
o Sr. presideule da provincia que o batalho de
guardas naciouaes expedicn. uarios n. 24 passasse Santos, por crime de furto e Joaquim
reuuir se ao deuomiuado Pnnceza D. Leopoldi- Bodrigues, por ser desertor,
na, formando um s batalho cora aquella denoinf- O chefe da 2* secgao,
nago e sb o comrnando do tenenie-coronel Frao- J. G. de Mesquila'.
ZZ SERJ? unA,ra"JH rt,!Vend0 .mes'" ,e"! ~ Cemiterio publico, obituario do da
neoie coronel azer entrega do arinaraenlo ao coro- NOvemuro de 186o.
?D';!f0l^fue.s.ielxas' e aiu-ntlar se no Anl0j FrailciaC0 Jos da g^ Pernambuco,
annos,solteiro, Boa-Vista; pneumona.
A
Francisco
DE \i)vi:niiK in; is5.
A'S TRES HURAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios........Sacou se sobre Londres de 27 Vi
a 28 il. por 1^000, sobre Paris
de 318 a 350 rs. por fr. e sobre
Lisboa a 100 por cenio de pre-
mio ; montando os saques effac-
tuados nesla semana em 40
mil.
O de Pernambuco vendeu-se da
185300 a 195000 por arroba, o
de Macei, posto a bordo, a
a 215000 e o da Parahvba, lam
bem posto a bordo, de 205300 a
205600.
Vendeu-se o branco de 45000 a
45400 por arroba, o sonieiios a
3520U, o ma.-cavado purgado a
25800 e o brulo de 24o0 a
25600.
Vendeu-se. a 7o;000 a pipa.
A do Rio-Grande do Sul vendeu-
se de 25300 a 15000 a arroba,
ncando em deposito 122,300 ar-
robas, e a do Rio da Prata de
25800 a 43000, cando ei;i de-
posito 17,1)00 arrobas.
Os seceos e salgados venderam
se a 155 rs. por libra.
Vendeu-se o pilado da India d
25.00 a 25600 por arroba, e o
do Maranhao a 25500 a dila.
Azeiiedce...... Vendeu-se o de Lisboa a 25600
o galo, haveudn filia do do Es-
trello.
Em atacado vendeu se a 135500
a barrica, e a retalho a 145500,
ficandoem deposito IO.OjO barri-
cas.
Venderam-se a 15000 a arroba,
dem a 45800 a barriquinha.
Vendeu-se de 65000 a U5500 a
arroba.
Algodo.....
Assucar-----
Agurdente.....
Carnesecca.....
Couros
Arroz..
Bacalho......
Batatas.........
Bolachinhas.....
Caf...........
Foram recolhidos a' casa de detenco no dia 17! 5_........It l* IX, a S a 'bra-
do corrente : I LerveJa........Mein de ^5000 a 65'M) a duza
A'ordem do delegado da capital, Franeisco, li-' irarinh, Aa d6,8?^"^!^ *,in, >
berto, como alienado. Fannha de tri8- R!hou-se de 225000 a 2.15 a
A' ordem do subdelegado do Recife,
reacia de Jess, para correegao.
A' ordera do de Santo Antonio, Joanna
para correegao.
A' ordera do de S. Jos, Joao Antonio da Silva
Bernardo
Hara Flo-
Maria,
DIARIO PEBlUIttfiUC.
A Sr?. D. Manoai redtou (ambara com summo
gosto a bella poesa Can-oes de Palmeirn.
L se no Paz
arsenal de marrana para embarcar brevemente:
que a forga sb o comrnando do lenente-coronel
da Rocha Medrado e a que est organi-
sando o cidado Elisiano Pinto, reuoiodo se na
foitaleza deS. Pedro ao batalho doc ronel Rodri-
gues Seixas, forme nm s corpo, a que se reuolro
tambem os contingentes apurados e que se forem
apurando, e lomando a deoomioago de Prince-
za D. Isabel, sb o coinmainlo do mesmo coronel.
16 DE
20
24 an-
Antonia Mara da Conceigo, Pernambuco,
nos, viuva, Boa-Vista; abeesso.
Claudina, Pernambuco, 39 annos, Boa-Vista; es-
pasmo.
Julia, Pernambuco, 3 mezes, Boa-Vista ; pneumo-
na.
eme-
Joaquim, Pernambuco, 7 annos, Boa-Vista
t^s^Ksss^r' : crSe",arabaco'22 aDnos-soiteiro-Bja
Hnnr-tOB V.> H, K H n____________:.__________ld aUpr"'a,
(escravo.)
deafStmmsira^a pZS" ExT 3^ 3-1 ^S^SSS """' ^ An,D'
por ter 17 _
Luiz Gomes da Silva, Pernambuco, 32 annos, casa-
do, Boa-Vista; tubrculos pulmonares,
chefanca Sancha Candida de Oliveira, Pernambuco, 30 an-
uos, viuva, S Jos ; catharro pulmonar.
Santo Antonio; tosse
uu .|n- iii,:n-Va ini-u^j. convulsa.
,oro\SdbJSd.X.^ Pe'0aa>-. 4 --. S' *-*
zidos pelo vapor MartA-America. As noticias mais Manoel, Pernambuco, 1 dia, Boa-Vista.
da Harabyba a 17 lo corrente. As igrejas designadas por S. Exc. Rvma para de polica o Dr. julz de direito Manoel Mara do
A....-ll!0CAleu' c .* serem visitadas nesta cidade, sao as da S, Rosario, Amaral, por igual motivo ao supra.
ad,.f nr:" ?T Sr Pres,d,,.I,te da Prov ncia Mercaz, Conceigo, S. Pantleo, Remedios e San- Alagoas.-Nada occorreu que merega mencao. i cl'vuta '
addiou, para 8 de fev,;reiro prximo, as eleigdes llago, e na provincia do Piauhy e no interior desta,
para depotados, provinciaes. as igrejas, capellas, ou mvtonos aprovados, que
1 ara.-INo da zz cliRgou, de volta, de sua va- forem designados pelos respectivos parochos.
ge o do interior da provincia, o Exm. e Rvm. Sr. < Recebemos pelo vapor de Caxias jornaes da
hispo diocesano Therezina e de Caxlas. Nenhuma oceurrencia de
na nn D"xrt0 do Par : I vu" "*" mencionara.
O da ti do crreme foi de triplica rrgozljo para O digno presidente do Piauhy contina a ver
os faraenses -pela grata oolicia da viciorie de U- bem snecedidos os seus constantes esforcos em en-
ruguayana,-pela fesu do Cyrlo de Nazareth-e viar tropa para o Ibeatro da guerra. Alm de toda
pela chegada a esta capital do nosso prelado dio- tropa de lnha qae havia na provincia, corpo de,
cesano. i polica, dous corpos de voluntarios, e grande na- j
Nosso correspondente diz-nos o seguinie : mero de guardas aacionaes expedicionarios, foram !
Nnohuma novidado importante nos trouxe o mais no da 17 com escala pelo Ceara* 101 guardas naviee de lodos os mares do mando
forana chegado ante-iionlem a esle porlo peJa 6 nacionaes, e esto aquartelados na Tnerezina 215 Decidio-se que o julgamenlo de Jefferson Davis
lloran ua larde.
imponaoles sao as segrales
A re cusa do governo mglez s reclaraages fei-
tas pelos Estados Unidos., a respeito da protecgo
que dra aos corsarios confederados, liona causa-
do irritacao no espirito publico em oiaJTork. Os
joroacs fazem K nga> conslderages sobre os re-
saltados do proceduiieuto do governo bnianoieo, e
ameacam o commercio deste paz ora urna esqua-
dra de Alabamas federaos, que. va/rero os seus
Comera, Pernambuco, 30 annos, solteira, S. Jos;
tubercolos pulmonares, (escrava).
O abaizo assgoado tendo dado urna denuncia
perante o presidente da provincia no aooo de 1862,
contra o Jos Bernardo de Lima escrivn da na* a
nac.ooaes, e esuo aquaneaaos na xaereiinai2|5 ueciio-se que o julgamenlo de Jefferson Davis snbdelegacia da Luz, comarca de Wo Albo
para marebarem com ajgugs volontanot. O au- mh Js^ar brevemente e0J WasbiiujWn 00 em qual deixou de proseguir por ski erlmepu
paz
na
publico
barrica da de Piuladelplna
New-Vork.de 215000 a 25000
a de Baltimore, de 205000a 225
a de Trieste, a 85000o sacco cora
100 libras da do Chile ; licando
em deposito 3,000 barricas da
primeira, 3,800 da segunda, 3,800
da terceira, 3,400 da quarta
e 4,000 saceos da do Chile.
Dita de mandioca Vendeu se de 45300 a 35000 o
sacco.
I Louga.......... A ingleza ordinaria vendeu-se
com 310 por cento de premio so-
bre a factura.
Manleiga....... Vendeu-se a ingleza a800rs. a
libra, e a franceza a 720 rs. a
dita.
Massas......... Venderam-sc a 65000 a caixa.
Oleo de lnhaga.. Vendeu-se a 15700 o galo.
Passas.........dem a 65800 a caixa.
Presuntos.......Venderam-se a 165000 por ar-
roba.
Queijos........Os flamengos venderam-se a
15800 cada um.
Sabo.......... O inglez vendeu-se a 140 rs. a
libra, e o do Mediterrneo a 220
rs. a dita.
Toucinho...:... Vendeu-se o de Lisboa a 125500
a arroba, e o do Rio-Grande do
Sul de 95000 a 105 a dila.
Vinagre........O de Portugal veodeu-se de 905
a 1OO50OO a pipa.
Vinljos......... Venderam-se os de Lisboa de
1805a i905 a pipa, e o de ou-
tros paizes de 1505000 a I6O0 a
dita.
Velas..........As decompo-jgio venderam-se
a 600 rs. por picote de seis ve-
las.
Desconls.......O rebate., de letras regaiouVtWcimeo'tos
9 a 12 por cento ao anno.
"des.......... Para Liverpool carrejando aqui
1 X por libra 5 poY ola a a-
par, e I d. sera pnmagem a ve-
la ; aarregando no Ceara 1 d. 5
%, dem na Parahyba Vi d. por
libra S'J.e para o Canal icgle
5 d. Vo 5 /, por tonelada]
U Dr. Trisiao de Alencar Aranpe, offlcial da impe-
rial ordem da Rosa, e juiz de direito esperul .
commercio nesla cidade do Recife .le I', r
eo por Sua Magestada Imperial e Consniurwo-.,
o Sr. D. Pedro II a qaem Dos guarde, etr.
( Fago saber aos que o prsenle edita! virem e
delte uoticia li Toreas, que no da 20 oV aotraatris
do crreme anno, e ha de arrematar por Trida a
quera mais der em praga publica d'esle jc:z.. o -
guile :
l'ma casa lerrea sita na irave.-sado Peiv 1... c -.->
o numero oito, leudo na frente porta e janella c> m
rotulas, com dezoiio palmos de largura ,
de laudo, com urna sala na Irent--, um fajatta un.*
pequea sala de d'Ira, rom c.-iuh al
40O5OOO, a qual fra peohora la p,r eti
viuva e herdairus de Jos llygiuo de Miran.Ja', con-
tra Manoel Jos Teixtira Bastos, socio de Aotun- ,
Guimares & C,
E nao havendo langador qae cabra o preco da
avaliago a arramatago sera feU pelo pr- '
adjudicago na forma da le.
E para que cliegue ao conhecimenl de lodo-,
niandei pas-ar o presente que ser poblicali pe!a"
imprensa e afflxado nos lugares do cosiume.
Recife 23 de outubro de 1865.
Eu Mauoel Mara Rodrigues do Nascimenlo, t-
ciivo, o subscrevi.
Trislo de Alencar Araripe.
Coalinuam era praga nos dias 18, u e ti '.
21:3265782 ""'trente, perante a cmara municipal aaa enta^
os alugueis das casas ns. 15, 18 e 19 ,U rih-.n
da freguezia de S. Jo*, na irain.rtancia de %5 ra-
43:0565140 da casa; os preiendentes i arremaiac*> pino
1:5183464 comparecer no pago da m**ina rasara avs dus
indicados, munidos de carta de nanea que os baai-
44:5745604 llle l'ara I"""-
Pago da cmara municipal do Rec fe. Id de ao-
vembro de 1865.Luiz J. Pereira Sim.>s. ;r-.
presidente.Francisco Canuto da Boaviat
tario.
O Ur. Trisli de Alencar Araripe, oroVial da im-
perial ordem da Rosa, juiz de direito sanana
coiumei co, desla cidade do Recite de Per san.-
buco, seu lermo, por Sua Mageslade Imperial a
ceo.-iituclonal o Sr. D. Pedro II, a quem Itl-
guarde ele.
Fago saber pelo presente que Francisco
Germano, por seuadvogado rae dirigi a p. i
do Iheor seguinie:
Illm. Sr. Dr. juiz do commercio.Diz Franeisco
Jos Germano, negocian!- establecido ue.-u praca
que, sendo credor de J, o Jo- Pernra, da >pjaaua
de um coto e seis (utos e iru.U quatro run 1.
constantes das letra juntas, ja vencidas, quer f--
z-lo citar, para na primeira audiencu aaatajma
fallar nos lermos da presante acejaa ordinaria, asa
que Ibes pede a referida quanlia, joros e cu-u-.
prote.-lando desde j levar em conta qujl p:-r ,n.
irartaucia, que por ventura tenha passado recibo p>
como o supplicado retirando se furtivamente pa
a Europa, e.-leja em lugar incerio e bao BfN#n
isso o snpplicaoie reipjar a V. S.. .|ue pi
a juslilicago para qual marcara dia e hola t ja'-
ga la por senteuga se dKne mandar pastar caria aV
edilos com os das da le, licaodo o sopplicad
limado, para lodos os lermo> do processo at t*u-
lenga, sendo aliual condemnado.
U suppiicaulu funde a sua acgo nos piula* jsa-
los.
Pede a V. S. defeiimento. -E.
di Silva.
Segundo o que se coo'inha era tai peb<;ao, aa
qual dai o despacio do iheor seguinie.
Juslilique a ausencia ainanba as Hincas do
dia.
Recile, 17 de de oulubro de 18io Alencar A-
raripe.
E sendo esta peligo apresentala ao destrsnav
dor respectivo, este o lizera distribuir ao rscriT,
desle mea juizo, Manoel de Carvalho Paes de An-
drade, depois do que produzodoo supplicado >oa>
testeraunhas qua Oepozeraai coavenienienieoie a
cerca iIj ausencia do supplicado. o meociouado es-
crivo fazendo sellar e pjeparar os autos, ata o*
fez conclusos, e nos qua-s d;i e profer a aeateari;
do Iheor .-egunte :
Iei por justilicada a ausencia de Joao Jas Pe-
reira, que se iiio-irou acbar-sa aosaaie ea logar
inceno, pelo qne mando que seja citado por adata
de 20 dias para o lim requerido a follia- i.
Recife, gl deoutubr de 18*5,Trisiao de Alea-
car Araripe.
Seguudo o que se coolinba era dila enteoca
em observancia da qua! o respectivo eacrtvao qe
esta .subscreveu, e fez passar a prsenle pelo awt\
seu iheor chamo, cito e bei por ciUdo ao dito aa-
senie Joo Jos Pereira, para que dentro do praz..
de 30 das compareca anie e-te juizo, por si ou par
seu procurador, allegando e procurando o que tur
a bem de seu direito e juslica, sob peoa de se oro-
ceder a sua revelia.
Portante, loda e qualquer pes-a, presente ami-
go ou couhecido do referido supplicado, poder-lbe-
ba fuer seteato do todo o expendido.
E para que rlvitue ao connecimenio de toda
maiidei (atar o prseme ediiai que sera aaVta4a>
nos lugares do cosiume publicad pata tat-
prensa.
Dado e passado nesla cidade do Recife
nao,nuco, aos 27 de outubro de 1865.
Eu Manoel de Carvalho Paes d'Aodrade
vo o subscrev.
R. M -lavare,
oP-r-
esen-
Tnsio de Alencar Araripe,
DECLAfftES.
Saua Casa da Mscrictrtfia
do Recife
De ordem da junta administrativa da Santa Cana*
te misericordia do Recite convido as paataaa esa
quizerem arrendar as casas abaixo declaradas Ikv
zendo os concerios a sua cusa para sera
lados dos alugueis, a compareceeresa nani-
ta ria as 4 horas da Urde do da 23doeorrc
mez, sendo ditas casas perlenceates ata mnale
de c.aridade.
Ra do Ateite da-Peixe, casa de doos tadsrea a
3, peruaorar, a 1 publico.
Ra Direita, casa de um andar a
e 33 aoblico.
iparlieuiar.
Secretaria da Sania Caaa da Miinrin aitma da k-
eife li de uovembro de 1865.
O offlcial,
Mauoel Antonio Viera.

.*-*
>-
-te--s


."
I

Diarle e pernanibnc segunda ei>a Je Xovembro de !&>
Sania Casa da MislM'ifOI'ilia ?' raesoja secretaria se faz lambem publico
santa tasa ua wiaencoriJid ^ rica nM|i dm nilMnii a d8clara5i0 d9 tr
00 K6C1IB. expirado praso da durado da sociedade de Joo
A junta administrativa da Santa Casa de Miseri-' da Cunta freir t Prima, e que licaram lirjuida-
cordia do Recife tendo (ello o continuando a Tazer \ das todas as coolas sociaes desde o 1 de jultio pro-
grandissimas despezas, ja om o cosleiro, ja com o limo passado.
melhoramento dos estabelecimenlos pios que esto
a seu cargo, manda avisar acs seus devedorrs ero
atraso, e tambera aos fiadores destes, que breve-
mente (ara publicar pelo Diario a relami dessas
dividas, e promover sua cobranca pelos meios,
judiciaes.
Convido por tanto a todos aquellas que nao qui-
xerara ser chamados pelo Diario, nem atropelados
pela jcstica a iralarem quanto antes de salvar
seus dbitos.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re
pife 15 de novembro de 186o.
O offlcial,
Manoel Antonio Viegas.
0 conseibo de compras do arsenal de guerra pre-
cisa comprar para o presidio de Fernando de No-
ronha, o segrate :
6 arrobas de assucar.
1 saecas com arros.
8 libras aramia.
i caixa de aletria.
16 libras cha da India.
2 saecas com caf.
J arrobas doce de goiaba.
ti barricas farinha de trigo SSS.
8 caadas ue vinagre.
36 garrafas vinho do Porto 1* qualidade.
H liibras fariuha di; tapioca,
i arrobas toucinliode Lisboa.
2 badas, grandes de rame,
i ditas pequeas dita.
: J.i.ts de ferro batido para lavar rosto.
oO pratos de folha.
-~ tigellas dita.
SO tocos dita.
6 lampees de qnatro bicos.
i escrivanlua de laiao.
;ti esearradelras de metal.
; lavatorios de ferro.
6 copos tirauJes de vidro.
i lilas pequeos dito,
o orinoes com lampas,
i canas de retreita.
(i banquetas.
IO camisolas de brira.
-JO camisas de flamella.
iUO frondas de bruu.
'200 lence de brim.
lu.ilhas para rosto.
12 laifyeres.
50 maulas de laa.
i.OOO papeletas impressas.
500 lunas dita.
300 alias dita.
1,100 mapias diarios dito.
130 diios seuianaes dito.
1'8 acido arcemoso.
2 libras dilo tartrico. 1
{i vidrus agoa de llores de laraugeira.
t garrafas de lal.arreque.
6 lnas a-.-.i de meli>sa.
8 hbras d alcairao.
10 garrafas aleeol de 36.
2 ib amoniaco li.juido.
1 8 .i.1 cenia o de soda.
\ arrobas a.-sucar crystalisado.
2 libras bagas de timbro.
2 .us balsama da meca.
Jilas dilo do tol.
1 arroba banlia do pono.
2 iiiiras bicarbonato de soda.
280 caizas para [iilulas.
i nbras oaiopnora.
i ditas capuana.
3 ililas carbonato de polassa.
12 iiuas cera amarella.
t2 litas brama em grumo.
't til is cr -ni r de trtaro.
2 vidros creosote cliioroformisado.
!,o diaseordo.
:; > encerad de !,- Perdridl n. I, 2 e 3.
libras rnxufre sublimado.
1/0 wrgoiina.
( libra estrato de belladona.
H o extraa de fumaria.
s 0 estrato de jurubeba.
. ii dilo de o.iio.
. libras llores de arinca.
2 Jilas ditas de malvas.
I ditas lilas de ppulas.
1 Jilas ditas de rotas.
i! Jilas ditas de gabugeiro.
1 arroba los de panno de
12 fondas do lado direiu.
. libras gaitas.
-i ditas gengibre.
2 ilaas gomma arbica em p.
"1 ditas hyssopo.
i ditas ucease.
i dita ijJurelo de polassa.
2 litas ipecacuanha
i ouis jalapa. '
: ii laciucauo.
i arrobas iinliaca.
libras de mana.
1 libra malilla.
1 Hassa Je cynoglossa.
titiras mal de abelha.
2 Jras musgo islndico.
i Jilas nilraio de polassa.
~2) 'lilas nleo de amen loas doces.
16 lilas dilo de lii-'ad) de baialho.
\2 vidros Jilos de inasiruco.I
H :sities oleo de liveira.
:i) libras oleo de ricino.
I oxido branco de anliniorjio.
i/0 dito uegro de ferro.
|] vidas pastilaas do Santon|na.
0 mos pipulas de (Mancar
20 viilros pipulas de Valel.
2/0 proto chlorureto de ferr
s i i>roio iodureio de me-ci(rio.
2 libra pedra urna.
2'D per-ehlorurelo de ferro.:
8 libras rezina de angico.
MU) rolhas de cortiga.
2 arrobas salsa parrilba.
1 i vjdros salsa de Brislol.
2 o ~anguesugas de hamburgo.
i-' sondas comeas de gouuba elstica ns.
e 4.
12 Jilas de metal de n. i a 12.
b-Seringas de metal para chuter.
8 linas sen&e.
8/0 trtaro emtico.
9 (intua de carabina.
8/0 Jila de rolchico.
i i Jita de succino.
1/0 tberiaga.
t/S valerianalo de atropina.
W garrafas vinho branco generoso.
:!() utas dito do Porto.
2 rolos visicalono de Albspure.
vi iros xarope de Digiules de Labelonye.
1 i Jilos dito de naf da Arabia.
ti iit is dilo peiioral de Guy.
.'l garrafas dito de pootas de espargo.
alambique pequeo de cobre estanhado.
1 apparelno para aguas gajosas.
t copo de gradoar de 12 oncas.
2 f un/, de vidro sendo um inaior.
1 t>ial de porcelana.
4 peneiras de cabello
1 espaoador. .
As pessoas que qa'uereai vender ditos artigos
apre-eutem suas proposUs na sala do conseibo as
il horas da munha do dia 22 do corrente.
Sai t do coosBlho de compras do arsenal de guer-
ra, 17 de novembro de 186 >.
Manoel los Azevedo Santos.
Secretaria 15 de nove-nhro de 1865.
O offlcial maior
Julio Gulmares.
Tribunal do commercio
Pela secretaria do tribunal do commercio de
PernambucD se faz publico, que nesta data Oca
inscripto no livro da matricula dos commercianles
o Sr. Antonio Francisco Leite, cidado brasileiro,
eslabelecidj na cldade d* Macelo, provincia de
Alagoas, com negocio de fazendas em grosso e a
retalho, e c >mpra e ven Ja de gneros do paiz.
Secretaria do tribunal do commercio de Pernam-
buco 14 de novembro de 1865.
O elflcial-maior,
Julio Guimaraes.
Para o'-Rioile Janeiro
segu em poases 4ia*n palhabite acltnal t Arroio
M ilo, que recebe ainda al^om i earga e eswavos
a fres, bem como pasugeiros, para a que ten ex-
c. Mentes accommodacSes : trau'se na ra do Tra-
piche n. 4._______
Para o PoYto,
Deve sahir com breyiade o brigua portuguez
fijperanfa por ter a maior parle de seu carrega-
meulo ja' tratado : para o resto e passageiros ira-
FOUIIMI1*
POKTA.
As pessoas que teem eocommeoda-
di fgt)ll^r}it;po|t }taia #buo de
18GB, qneipiun -vjr busca-las, na I Ma-
fia 4a prara da lndependi>ncia, pois
uk acaliam de sabir do pelo.
ta-se com Cunha, Irmos & C, na na
de Dos n. 1, ou com o capilo a bordo.
IE1.BX.
LE1LA0
De urna lancba.
T
IIO JE.
Por ordem do Illro. Sr. cnsul di S. M. Catho-
Pela mesma secretaria se faz Igualmente publ-
eo que nesta data flea registrado o contrato de so-
ciedade de Joao Uernardo da Costa Reg Monteiro (ca wm liceacz da alfandega por iutervenci do
e Joo nodrigues de Mour. cstabelecidos nesta i le pdSlaoa lfa- s |ei| ,,r C0Dta e risco de
cidade sob a Urina de llego & Moura, da qual s quem perlener a lancha em que se salvou a tri-
naufra-
ra 20 do
correle as 11 horas era ponto no trapiche do Bar-
bosa oo largo do Corpo Santo oudi se ach e pode
podera usar o socio llego, de vendo dita sociedada l 0 da gama(.a hespauhola ARDILLA
durar por espaco de ires annos^ contada de lo de jgadaoa|Ua da Qaa.vista : segunda-feira
ouluhro ultimo com o capital de 10:0005, para o
qual entra o socio Reg com 7:0004, e o socio
Moura com 3:000$ om dinheiro.
Secretaria 16 de novembro de 1865.
O ofllcial-mator
Julio Guimare?.
Subdelegada da Boa-Vissa
Pela subdelegada do 1 disiriclo da freguezia di
Boa-Vista se faz publico que desde o da 12 do
corrente mez se acha recolhido a casa de detenco
um preto que declarou chamarle Francisco, e ser
escravo de Joao Civalcaoti, senhor do angenho
Monjope, do lermo de Iguarasc.
Subdelegacia do Io dislricio da freguezia da Boa-
Vista 16 de novembro de 1865.. O subdelegado
supplente em exercicio,
F. F. Martins Uibeire._______
i> seceo. Secretaria do polica de Pernam-
buco 17 de novembro de 1865.
De ordem do Iiim. Sr. Dr. chefe de polica fa^o
publico para conhecimen e de quem interessar
possa, que a' casa de delencao se acha recolhido
desde 16 do corrente o cabra Antonio, escravo,
que foi preso como fgido, no mrmo de Ipojuca, e
declarou pertencer a Ignacio Marques de Araujo,
morador no eugenho Cauali do Norte.
O secretario,
Eduardo de Rarros Kalcao de Lacerda.
ser examinado.
L.EILAO
DE
0 lllm. Sr. Inspector da tnesourana de fa-
zt-nda de.-ta pn vincia manda faxer publico a todos
os habitantes da mesma provincia, que em viriu-
de da circular do tribunal do ihesouro n. 42 de 4
de outubro ultimo, acha-se abena na m^sma the-
souraria a subsutiiico das uoias de 5>000 da 5*
eslampa, e que em tempo conveniente se annun-
ciara o dia em que rieve principiar o descont
mental de 10 0)0 no valor d s notas que at en-
tilo nao livereni sido substituidas.
Secretaria da thesouraria de fazendade Pernam-
buco 13 de novembro de 185.Serviudo de olfl-
cial-maior,
Manoel Jos Pinto.
HOJE
E. A. Borle & C. f'io l^no por intervencao
do agent Oliveira, do mais completo sorlimenlo
de fazeod.s principalmente francezas .e
de algodo, 1S e de seda as mais proprias do mer
cado, as-im como um perejlo sorlimenlo
pos para senhora e para nomem.
Segaml-fetra 20 do corronte
as II horas da mantisa em poolo com qualquer
numero Je reguezes presen|tes, en seu arraazem
ra da Cruz. _
LiLkO
De uiuveis, Uuca e crystaes
Como MM :
Urna mobilia de Jacaranda, 1 relogio de parede,
2 jarros para dores, 4 luadros, 1 uuarda vestido,
1 guarda louca, 1 mesa ile jaotar, dilfereaites ca-
deiras, 1 ooin'nodi, louca, vldros e ouiros objectos
existentes n.i casa ierre i di l avessa do Pocinho
numero------
'^ciedade de seguros mu-
tuos sobre a vida
i.iniMllljV

O banco AUtanm do Porto tendo estabelecido es-
la sociedada debaixo de sua immedma vigilancia
e responsabilidade, facllilou a creaQ.io Je capitaes,
dotes, rendas, peosdes, isencoes do servico das ar-
mas etc., por meio de subscripcSes nicas ou an-
nuaes, as ouaes convertidas em ioscrip^oes da di-
vida publica, de renda nacional, e da mesma forma
os joros semesiraes que d'ellas se forem vencendo,
fleam por um cerlo numero de annos em deposito,-
at que, findo o prazo estipulado, sao restituidas
aos lelos com os ioteresses amontoados. bem co-
rito as que penencerem aos associaiios fallecidos,
visto que d'esies sao herdeirqs os sobreviventes.
Pela engenhosa combinaca econmica adoptada
nos clculos desl sociedade, v se que, com urna
entrada annual de 50fi000, por exemplo, obteni e
em 5 annos 4505000 a 5505000, em 10 1:5005000
2Q/ a 2:000-5000, em 15 3:5005000 a 4:5005000, em
20 8:0005000 a 10:0005000, em'25 18:0005000 a1
25:0O0;0.i0, conforme a idade do individuo sobre
quem feito% segare, pois que nos referidos cal-
l culos conta-se com a inaior ou menor probabllida-
l'^mer ide dr" ,lura?5 de"vida.
Esta sociedade sobretodo vantajosa aos cheles
de fau ilia, visto que Ihes facilita sein sacrificio a

FABRICA A VAPOR
90 RA 00 MONDEO !)!)
Deposito na ra Xova n. 50 i -ja de rrlojoeiro.
O dono deste estalielecimenlo partecipa ao respeitavel publico ijue oa bbrka
est montada com as melliorrs macliinus que existem na Europa, e que pile fabricar
com melhor perfeicSo possirel. Todo o cboeulale desla fabrica e.-l garantido, e poro,
o que nao se pode encontrar naquelle que vem de fura, e que se vende por prec baixo,
visto os productos sereui do paiz. Na eliq eta tem s iii[ire urna auia.
PHECO
Meia libra......... i 0
IJma libra......... HOO
Urna arroba........1U->UOO
de cha
fundago de um capital ou dote para sen* filos uu
fllhas, segurando os quaudo nascem ou emquanlo
sao manejas.
Quem, pois, mais circumslauciad-s informa^oes
desejar sobre tal sociedade, ou se quizer inscrever
como socio d'ella, dirija se a roa da Madre de
Deus n. 28, onde su podera eutenler com Joao Car-
los Cocino da Silva, que para isso se acha encar-
regado.
LEILA
linho.
Attencao.
No dia 24 do corrente, sexta-feira, ao meio dia,
na sala das audiencias, Harta a do lllm. Sr. Dr.
juiz municipal da l1 vara, se ha de arrematar por
venda loma casa do pedia e cal sobradada, sita
na'ru liial da freguezia da Boa-Vi>ta, com gran-
de slti) e arvores de fructo, avaliada por 20:0005.
'ela adminislraco do correio desta cidade
se faz lublico que boje (20) as ires horas da tarde
fechar se-hao as malas que o vapor Ogapock tem
de conduzir para os pr.rios do norte.
As ( arlas serio admillidas a seguro at as diias
horas la larda e os joruaes sero recebidos al o
meio i ia. _______.
$0)ftftI!Q) &ML
Helaca) das carias seguras vindas do norte pelo
vaptr tParena para os senhores abaixo decla-
radi i:
Antn j Augusto Kerreira Lima.
Antoni i da 3 Iva Ramos.
Antoni > RuOno Serrino da Cunha (Itamb).
Iternai Jioo l'e.n-ira Je tirito.
Ilenriiue da Silva Kerreira llaliello (Pao d'Alho).
Joao H iptisia Riymondo dos Santos.
Jos .lfunso dos Sainos Bastos.
Dr. jj* Joaiunn Rnno> Ferreira.
Ju-c tjodrigues de Souza.
Jos Rodrigues Ferreira.
Manoel Gomes de Figueiredo.
Dr. Manoel Ignacio Bricio.
De duas escravas mocas com habili-
dades. .
0 agente Martins fara leinw precedida a compe-
tente auihorisaco de dais iscravas mogas de b o-
uitas liguras e com hbilidafles.
Terca feira 21 do correte.
As II horas do dia a porta da Associacao Com-
mercial. ^________________________
XBlIfA*
De am escravo c unii prcia velha.
O agenle Martins fara leilo por ordem do I
Sr. Dr Claudino de Araujo Guimaraes eonsu
lugnez de um escravo possanie
ni
por-
e urna preta velha
Na mesma fab ica acaba de se montar urna oficina com serrara a vapr.r para
obras de marcineiiia propria pata edificio, paia o que encarng -se de fanr portas, ja-
nellas, assoallios (parqu fiancez como se usa na Europa.) ludo cni l>re\Iaile eper-
feicao. Toma-se qualquer eticouimeiida para fura da cidade, entregando-s; prempia a
coilar-se no lugar.
%
s
1
PERFUMERA da casa oger
13oTXlovar*t Sebastopol, 56, Partz.
portu-
i,
3
EMPREZ A--0OIMBRA
BENEFICIO DO ACTOR
SANTA ROSA.
rca-feira2L de uovembro
de 1865.
lepresentar-=e-ha a linda comedia em 3 acto-,
or lada de msica
, ph m Mk m\m
Finda a comedia seguirse ha o jocozo duelo
O meirinho e a pobre
Cantado pela Sr.* D. Eugenia Cmara
espectculo a muito applaudida
e o bene
iado.
Terminara' o
c< media
EST1V1 ^0 CLUB,
Os brinetes achinase desde ja a disposlcio do
pbblico em casa do beo'liciado na ra de Santa
abel n. 13 e no dia do espectculo no escriptorio
perlaneentes aoerpolio do fallecido subdito
guez Manoel Jos Freir de AnJrade.
Terca feira 21 do corrente.
As 11 horas do da junto a Associacao Commer-
cial.____________________________________________
Leilao
Terga-feira 21 de novembro as 10 horas
em pont i.
O agente Pinto fara leiti a rejiunment) de
Ilenrique Jorge inventad me dos lieos de sua ti-
nada lilha Hormiii AJelaile dis Smios Campos e
por man Jad i do lllm. Sr. Dr. jurz da orpliaos, dos
objecios aeima meacioiado existemes n c>sa da
ra do P.je.iiiln), en <]>- niirua a nesmt Uada,
as 10 horas do dia aoimi li> ua raf-iridacasi, em
frente da qual se achira' utii taboleU annuncian-
do j leilao, visto nao ter numero a meiii-iouala
casa.
O leilio Jas obras di our>, prHa e escravos
pprt meantes a m-'smi limda (o iml devera' se
elTeciuar no Recite) sera' aunuuciado pelos jor-
naes.__________________________________________
Leilfio
De movis, escravos, louca, vi-
dros e outr >s artigas de gosto
Cordelro Siines
por conta e risco d ? qaei pertetteer fara' leilao
de. mobilias de Jacaranda' e amaren i. m^sas els-
ticas, camas francezas, marjuezas, ca leiras, ap-
parelhos para almnijo e jantar, garrafas, copo?,
clices ele, na mesma occasio vender urna
mulata de idade l a 18 vinos, cose, easioba, lava
e venia ni ruiecm miis algunis habliJalus,
Isto
Terca-feira 21 do corrente
as II horas ni s^u ir nize u a rui la Ou-. nunn-
ro 57:_________________________________________
LEILAO
De mobilias completas, cadeiras avulsas,
guarda roupa, sanctuarios de jicarand,
pianos de mesa e armario, me^as elsti-
cas, sofs, candieiros a gaz, relogios, ca-
deias pira os mesmos, perfumaras e
outros muitos arligos
Qiarti-feira 22 do correle as 11 horos
NO GRANDE AKMAZEM DE LE'LOES
DO AGENTE
Sumio-se ou furtaram hontem ao meio dia. en
cangalhmlo e d.ui i:abre>to, um cayallo castanho
qoe se achava na porta do sobrado n. 50 da ra
larga Jo rtosario, sendo ferrado com um P manus-
cripto dohrado, e tendo a nrelha direila cortada ao
meio: a pessoa que o encontrar ne-ia cidade sir- |
va-so de 0 conduzir ao dono, no secundo andar do
dilo sobrado, e fra del la ao eiigmiho Benio Velho,,
em Sanio Auto, que sera' recompensado.
Fabrica de cUapcos de sol !e !.
Pilque, na do Crespo a 4.
Nette amigo e acreditada e sesempreum completo e variado sorlimenlo de
chapeos de sol do tolas as qnalldades e preeos,
tanto de seda e alpaca, como pano de todas as co-
res para horneas, se inoras e meninos, (juanto aos
procos sao os mai- razoaveis pos.-iwis, lambem lia
um grande s>rn eoto de pega* de seda, alpaca e
pao para as pessoas quu qaitereo encommendar
chapeos de sol e mandar cohrir armaciVs servida-,
conc riam-se os asesinos, sendo todo esle traba ho
feilo com toda a perfeieao, presteza e commodo
prego : na na do Crespo n. i.________
Alajtase a eXCellenle rasa terrea n. 0 sita
na ra da" Florentina, com non* comrnodos para
grande familia por ter 2 salas e#paeo los, grande cosinha fora, um opiimo temen, irn*
de quintal com parreiral, o cxceliente ajjua para
gasio : i|unn a pretender procure entender se com
o proprietjno na na
Dcz mediillins. a condecorHeio da Legin
iThonneur e a grande repulacao que Ion Ibc
Jado o publico, laes sao as recompensas que os
serviros prestados a industria merecerao a
esta importante cusa desde sua fundacao em
ISO.
N'um soilimpiito de mais de 500 artifes,
as pessoas elegantes cscoUierao os scguinlcs:
ROSEE DU PABADIS, extracto superfi
para lenco.
POMMADA CEPHALIQUE colilla a cal-
vicia.
AGUA VERBENA para o tomador.
OXIMEL MULTIFLOR.
VINAGRE DE PLANTAS HYGIENICAS.
TINTURA VIRGINALE de beijoini.
ROSEE DE LYS, veiiladeini agua do
Jouvencio."
CREME LABIALE de sueco di Rosas.
POMMADA VELOURS para salariar
pelle.
ELIXIR ODONTOPHILE.
SABAO dedicado as damas americana.
SABAO de boiii|iiel de rran*
>
d-
d
d
d
d
d
d
*
d"
lie airea rn-ea.
priiilanires.
de flore
de llore;
de boiiquet do oiilono.
de pei'liinit's exulnos.
aurora, dedicado aos dedos cor de
rosa.
de (lores J i- inniil inlias.
de rle-iro de foins nouvc .nx.
de bniets cbciieaoi.
de altiic.i balsmica.
di,oo i', caixa lica, fiitesia par- 3
sieuce.
Pernambuco, ra .Nuva n. 18 ubarotacia franetza i!e
?. fdABER X C.
do II isaicio n. 80.
I
db theatro.
Comenle as 8 horas.
MISOS MARTIMOS.
Tribunal do coinuerclo
Pir su secretaria e de ordem do tribunal se
fu p mlic. que oca nesta dati registrada a escrip
tura ante nupcial e de dote, celebrada entre Joa'
Aoioiio te Araujo, D. Anna Soares da Amorim
Jos Jiii de Amonm a su mulher, na qual sai
dotad ires o l* a os aturo is, e douda a 2a, const
Ma 11 o dote a quanlia di 20:0W* dado em par
tes i i i es pelos doudores Araujo e Araorim, e
dmiieiro o accoes do nov i banco desta provine
on conlico da nj entrar o dote em comm i-
nia .. ui onformidade di % 6 do art. 871 do coi
Cid o ii ne-co.
S.-oreiarla do tribunal d> commercio da prov
ca Je Pernambuco to de novembro de 1865.
O offlcial-maior
Julio Guimaraes.
p.-ii mesma secretar ase faz Igualmente publico
,nv o -sia data flea registrada a escriplura de dis-
k mi. i Ja sociedade que,iinham nesta cidade Joa-
liii \ it-ro da Oliveira Luso e Amonio Le te de
M,-aloie Bastas, sob a firma Magalhes Bas-
t,s C. cojo estabelecimanto .vendara para pa-
tuiieuio do debito social.
S- retira do tribunal do commercio da provln-
i. d Pernambuco i3 de novembro de t8S5\
O offlcial-maior
Jutte Guimaraes.
COMPANHIA PERNAMBULANA
DR
Navejs-'Caocoteira pul* Yapor.
arahiba, Natal, Maco, Aracaty, Cear e
Acarac.
Seeue no dia 22 do correle o vapor Mamangua-
be, comraandanle Ralis, ecebe carga al o dia
ti. Eocoromendas, passageiros e dinheiro a frea
it 2 horas da tarde do dia da sabida : escriptorio
do Forte do Matos n. 1.
OLYMPIO
36Ra la ailelii do ttecli'e
CURSO ESPECIA
DB
PftEPAU.VTORIOS
para o cstutlanles que derem
fazer acto em mareo.
Jos Soares de Azevedo, ptofessor de
lingua e liiteraiura nacional no Gytnnasio
Provincial do Recife, tem aberto eiu sua ca-
sa, ra Helia n 37, um curso especial dos
seguales preparatorios, para aquelles exu-
dantes que liverem de fnzer exame em
marco prximo :
Liugna Franceza
Cicograpliia e Historia
IHillosoplila
Ubetorlcu e Potica
As pessoas que se quizerem utilisar desta
vantagera, podem dirigir-se indicada re-
sidencia, de manlia at as 9 lloras, e de
tarde a qualquer hora.
LOTERA
AOS 6:000*000,1:200*000
e 500*000.
BILHETES A' 50000, MEIOS A' 20500
E
Corre aiuanha.
Corre te ea-ftlra SI.
Acham-se venda na respectiva thesou-
raria ra do Crespo n. 15, os bilhetes,
__ meio> e quintos da 6a parte da lotera
E, (39*) a beneficio das familias dos volunta-
! rios da patria, cuja extraego ser no dia
e hora do coslume.
Os premios .le 6:0005000 at IO0OOC
CASA M FORT
Aos 6:000*000.
Bilhetes garaulitlos.
A beneficio las familias das volunta-
rios ila Bfitiia.
A* RA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTUM
O abaixoassignado venden nos seas muito foli-1
res bilhetes uaraniidos da lotera que se aeaboc
de etlrahir, a benelicio d^s famitiM dos volunta-
rios da patria, os segoint&j premios: j
O bilbele nteiro n. 8i' cora a sorte do 6:0002
O bilhete Inleiro n. 3673 com a sorte de l:200
Um meio n. 2145 com a sjrte ile 00000.
E outras umitas -ores de I00, W, 204 '
108000.
Ospossuidores podem virreceber .en.- res.ac-
tivos premios sem os descontos das leis na Casa
da Fortuna a ra d" Crespo n. 2o.
Acbampe a venda os da ti' parte da loleris
(39*) beneficio das Emilias d .s vj'.untanos da
patria, gue se extrabir terca-feira l do cor-
rente.
PREGO;
Bilhetes .... 65000
. Meios......35OU0
Quintos.....1*300
Para as pessoas qie coinnrareut de 1003000
para cima.
Bilhetes.....5*500
Meios......H'SO
Quintos.....15100
Manoel Martins Puna.
~ Tedo~a irmandade dn Divino Espirito-Santo
da igreja do Collogio, resolvido em sessio de m*.-a
conjunta, mandar faxer de marrnore branco lino a
capella-rr.r de sua igreja; convido de ordem da
mesa regedora iqoelias pessoas pie se acharen
habilitadas a mandar ejecutar semelhanle obra,
a examinaren! a planta que se acha exposta na sua
sacrista, e a apresentarem as snas propostas na
pra da irmandade, em 10 de. novembro de 1865.
O esenvo.
Francisco Belarmino dos Santos Freilas
~Precisa-se de 2:200* a joros e por pequeo
praso,dndose para garanta cinco escravos de
valor : quem os quier dar ancuucie para ser
procurado. ___
Na ra da Aurora"n786,"primeiro an4ar, ha
para alugar urna escrava mo;a que cozinha e en-
gomma solfrivelmente.
Aluga-se
a casa da ra do Pilar n. 10, caiada e pintada : a
tratar na ra da Cruz n. 35.
AMA
Preci-a-se 'o ni ansa par natlnli w
para rasulo j>\ca UMsWa : H ra A>.vrJi
n. 34, -olir.fl I" ir.ini-i d > -
Anu
bj lita 4o -
Precisa se de um* ama de l.-ite :
vramente n. O, segando andar.
"asxtwent s de fes la e
banho salyudoM
Alug;i->e um Mnrad>e%i Oliod, no principio 1*
ladeira da Misericordia, na e-.pnna li '
Bomflm, muito Ir.-co. t com ovni i bna vi-i i
o mar, com bastaote- comuioti. oir lanjnni,
dua- ci/.inbas, n > andar terreo n i t.i .
relilicado de nov> e muito bempioul. .'.. i
quintal e portan rom -ihi-la pir.i rn
fun : quem o preteud-r ilirij Thereza n. 50, on falle com Sr. M i (san
Olinda, na ra de .Maioiis K-rr-ora. j* i i 1
Topi-li._________________________________________
Ana
Precisa-e de umi ama forra para ri-
ca familia, para coziuhar e engumnur na ro t >
llaugel n. 10.
m
Coinpanhid Pcmambucana.
Aearacii.
Os Srs. carregadores de Yaiendas oo quaesquer
outros gneros para o Acarac pelo vapor Afaman-
guape, sao convidados a manda los embarcar quan-
to antes, por isso, qne sao os ltimos a sahir de
bordo.___________________
Para Lisboa
sahira'com brevidade o brigue porluguez tCons-
tante 11, recebe carga a frele e passageiros, para
os quaes lem excellentes comrnodos : trata se com
Manoel Ignacio de Oliveira Filbo. no largo do Cor-
po Santo n. 19, escriptorio.
lio de Janeiro.
A barca Jovem Palmira, de 1 classe, segu com
brevidade, e recebe algoma carga a frele : trata-
se com o coosignatario Joao Francisco da Silva
Novaes, iravessa da Madre de Dos n. 5.
Para o Rio Janeiro segu em poucos dias
o patacho naciooal F por ter parte de seu
carregamento promoto ; para o resto trata-se com
eu cuosigoaurio Domingos Alves MaUaeos, ra
n Vigario n. 14.
tarao Rio de Janeiro
Vi sahir com lirevidade o brigae Adelaide
por ter a maior arte de seo carregamento trta-
lo ; e para o qua Ihe falta, tratase com o consig-
natario Joaqoim los Goncalves Beltro : oa ra
do Vigario n. 17, t andar. I
LEILAO
De miud (IS e /erra-Uerao pagos urna hora .lepois da extraccac
at as 4 horas da tarde, e os outros depois
QeilSt rja distriliuico das listas.
Quarta-feira 22 de novembro. As encommendas sero guardadas somen-
' te at a noite da vespera da extracto.
O ihesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza^
GARRAUX DE LAILHAGAR & C.
LIBRAIRIE FRANCAISE
Ra lo Crespo n. 9.
LIVROS NACIONAES E ESTRANGEIROS
ReligiaoPhilosophia Jurisprudencia Liltera-
tura Sciencias e artes.
Papelaria, objectos para escriptorio.
22 de novembro.
Vaz & Leal fara o leilao por inlervenco do agen-
te Piolo, de um completo e variado sorlimento de
miudezas e ferragens e multas outras mercaderas
existentes em >eu armaz^m a' ra da Cadeia n.
19, ondeesperam a concurrencia da seus trege-
les e amigos as 10 horas em ponto do dia quarta-
feira 22 do crreme.
De vinho tinto.
Quinta-feira 23 do corrente as 10 horas.
Tisset Freres transferio o leilao de vinhj tinta,
por intervencao do agente Pestaa, o qual se ef-
fectuar quinta-feira 23 do correnle em lo es a
vunlade dos compradores, pelas 11 horas da ma-
nha em ponto no armazem do Sr. Azevedo de-
fronte da escadioha da aliandega.
LEIII
Ignacio Ferreira Mallos
ropa.
retira-se para Eu-
l)e Hia escrava moca de 20
O agente Martins ar lelo p mandado
lllm. Sr. Dr. juiz de direilo da primeira vira do
crime esub-titutodo da fazenda de urna escrava
de 20 annos de idade, bmta ligura, sabendo al-
guma cousa de co-tura, cosinha e ensaboado.
Terga-feira 21 do corrente.
O leilao lera' lugar na praga do Commercio jun-
to a Associacao Commercial, as 11 horas.
O abaixo assigoado lendo no Diario de hoje
um annnnco variado am toda sua plenitude na
mais requintada m fe e firmado pela annuniante
Antonia Mana de Jess, acerca de um sitio deno-
minado Barra no lugar das r.urcuranas, vem o
Desrao abaixo assignado pedir ao respeitavel pu-
( blico se digne suspender qualquer juizo deslavo
milOS ravel ate que por documentos prove cabalmente
d^ por esle mesmo Diarto o contrario de tudo quanlo
se acha espendido em dito annnnco.
Jos Rodrigues Ferreira.
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama de leite : na ra do Im-
perador n. 42, terceiro audar.
Prei-Wa se de urna ama: na ra das Agnas Ver
' des n. 92.____________________________________
Aloga-se por anoo ou pelo tempo da fesla
urna casa grande bastante fresca, em Sant'Aona
--------------------------------------------------------------- de dentro, esta caiada e pintada de novo : a tratar
O Sr. passageiro do paquete chegado com o solicitador Manoel Luii da Veiga, na ra
VISOS -IVEISS.
Isabel Maria da Cruz Vieira, Maria Eugev
nia da Cruz Brito, Antonio Maia de Bnto,
summamente penhorado- agradece a todas
as pessoas que se dignaram acompanhar o
enterro de seu prezado marido e genro Joa-
quim da Costa Vieira, e convida aos amigos
do nesmo para assistir amanhaa pelas 5
horas da manhaa, a una missi que manda
celebrar na igreja do convento de S. Fran-
cisco e desde ja' protesta o seu eterno reco
nhecimento.
Aluga-se o terceiro andar do sobrado da ra
da Imperaniz n. 34, co n comrnodos para grande
familia : trata se na loja do mesmo sobrado.
i A pessoa que annunciou precisar de 300*
por espaco de tres mezes, pode dirigirse a ra
das Calcadas n. 6. __________________________
Para casa de pequea familia ou de homem
solteiro offerece-se urna mulher poriugueza para
engommar ecozmnar: trata-se na ra de S. Fran-
cisco n. 70.___________________________
Veneravel ordem torceira de N. T. do Carmo
O abaixo assignado, actual mestre dos novicos,
tendo de instaurar de novo no dia 21 do corrente
o terco que se costumava resar cantado ua capeila
de Sant'Anna desta veneravel ordem. as lernas-
felras, convida as devotas do mesmo terco a cem-
parecerem a esta tao ph devoeiio, e tambem espe-
ra que seus irmaos novigos se apre*entem na raes
ma, nao s oestes dias como lamber as sextas-
feiras para adorago do Senhor morto.
Jos dos Santos Loprs
Meslre .dos bovicos.
Aluga-se um sitio na matriz da Varzea, a
margem do CapibariDe, com boa casa de vivenda,
caiada e pintada de novo : a traiar no pateo do
Carmo n.-4, oo na roa do Rangel n. 30._________
m-mmmwmmmm
|Dentista de Pemamlmc.
^ Hua eslieila do R>aio X,
ao p d irfj
""FRNClSCO PIHT 0Z0R10;
Col loca dente artf_elae
pelos \ firmas mal m:;-
jjttl demos
Einprega tolos os meios srn nlificos para
I conservar o> naturaes. P le ser prwnra-
tm do em >eu gabinete das 9 horas da na-
a| nbaa as 5 da larde. V
* O hachare!
Francisco injusto da t>ia H
R ai>vo<;aik> W
%& Hua do Imperador iiumf-rt *:>.
mmmm mmm mhm****
BOTICA E DROGARA
~n K
B. F. de ouza dk C.
Hua larga do Rasara a. 31
Remedios de Raduvay
Prompto alivio.
Pilulas reguladoras.
Rtzdutiro.
Remedios de Kemp
Anacahuita.
Salsa de Rrislol.
Pilulas assucaradas.
Agua florida.
Paslilhas vermifogas vegetaes.
Chegados pelo ulumo navio vindo da aaneriea.
n^ai$.Hi
H Precisa-e de ama ama io-* saiha mni- a
^5 lo hem rosinhar e faga a* eempras para _
4R casa de pouca famrlia : aa r 11 i Crna flf
do ll-cif- n. II, seondo andar. flt
~jtf Precisase de anVlSM Je IUie pan %
^|S obra miuda. pagando 11 r* <* |
H calca : na rua da Cadeia do iteeif- -
m pruneiro andar.
mmxm*mmmm
Precisa se da qoantia Je -TOO* ir 0^
de 3 mezes d-se por garanta em um easn:
pessoa que quenra dar annnmie para ser
rada
- Precisa-se alngar oa mrsm
preta de meia idade, qne s<)a boa irniia
tratar na rm dr Cruz da Recito n *,
andar.
sabbado dos porlos do norte, que trouxe
urna carta e urna encommenda para o pro-
prietario deste DIARIO, queira annunciar
sua morada on a m indar entregar a livra-
ria n. 8 da praca da InJependencia.
da Gloria n. 94.
ESCRAVA.
Precisase alngar urna escrava que saiba faier
bem todo o servico interno de urna casa de familia,
excepto cozinhar : na ma da Cadeia do Recife n.
52, terceiro andar.
COZINHEIRO.
Prccisa-se de urna boa cotioheir, ,
eapliva, e paga-se bem : na. rua do Hospicio n. 36. s]u?,4-e .00^_,fl,l^
Na praca da Independencia n. 33, loja de
ourives. compra-fe ouro, prata, e podras preciosas, j
e tambem se fax qualquer obra de encommenda, a
todo e qualquer concert^___________
Aioda esta por alujar-r dua. casan
________ do Retiro, na margem esquerda anv da pom
Passagem, lem comrnodos para familia,
prefere-se ; per da cidade, logar amito frese. e *ndnr4
oo por aano : a traiar can I
-r M. R. Valenca, sobrado junio a fabrica do gaa. "
do do norte beira do ho.
Cnlleglo de H.
Durante as ferias na cursa dn So* w
Da.>eboos de vendagem as horas do torios para a matricula das Facnl U* dn
da, e paga-se a tustao por pataca : na botica do As aul;
pateo do Carmo se dir.
novembro.
lai
M*
-


Dtaulat te ltroanbie *eca.*4a 'eir tO -'e Nsavcmbro de !.
D'IODURETO DUPLO
de FERROeQUININA
MEDICAMENTOS FRANCEZES AFAMADOS
Era casa dns Srs. Caors e Barboza, ra da Cruz n. 22.
Os elementos (erro, o iodo ea quina, a collocao no primevo
grao das preparares ferruginosas. Hasta aitestar
seas resultados luidos pelos Mdicos dos hospi-
taes. e os relatnos dos prticos mais cmineiltcs
que confirnirfio sua poderosa efticacia as se
guiles affeccdes:
Hlntia a* "iir,
Kriiiiii.ia,
Am IlllM,
Chloroae Ictericia,
Mrnalruo,
AITeccc do utera,
Su||irro<- tina r-
K e dt-Miril t na na
neinlrwf,
Affrrcao pulmonar c
phiklslea,
Mal tiaatralaiaa,
l'f rila (I apprllli ,rtc,
Con vil lercncnilrli.il
gn> molt'Kllaa,
Moleatlaa encrofulo-
MUM,
Papelra,
.Ohatnicr&o dua gln-
dula*,
Humor frloa,
Tuniorea uranroa,
Racblllamo,
Arfccc, h eaneerOHHK
c ayuhllltlrna,
Fcbrea 15 nholdca,
Bcalgaa, etc., ele.
Vtjo-st ot bulletins de therapeutica medica
e cirurgica de 30 de novembre 1 860; a Gazeta
dos hospitaes de 28 de julho 186, etc., etc.
Alm das pilulas de todureto duplo de ferro e de
quinina de Rebillon, os Mdicos aconselhao
igualmente o Xarope d'iodureto duplo de
ferro de quinina do mesmo aulhor para as
pessoas que nao gosto de medicamentos sob for-
ma pilular c os meninos. Este xarope nao tcm
como o xarope d'iodureto de ferro, o inconveniente
de alterar-se e de se no*podcr conservar.
Pcca-se o folheto que se d de graca em casa
dos pharmaceulicos depositarios.
Para se evitarem falsificares; exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
DIurrhciiM c u cntiatl-
puc:ln |iro |U-I.im <-lul> ilcfrltuiiMuadoaall-
nicnCoa.
As ptiliUias digestivas com a pepsina de
Wasman, omprego se com successo lia j
alguns odos pelas celebridades medicacs de
Paris. Londres, Vienna, etc., em todas as in-
commodidades em as quaesadi<;eslao 6 dilficil,
lenosa, imperfeita ou mesmo impossivcl: eis
o niclhor remedio para cu ral as.
Gaatratnta#,
lllNpC|IKaH,
KiiibnrHi-OMKllNlrlcoa
A kkoIi'ICc,
Am iifi-ceoca nrKitnl-
CHM llU CMllilllMifO,
Sua aecj.0 vivifica o sangue e os rgSos de
tal sortc que, albo as pessoas que tem soltror
as affecgoes gstricas cima mencionadas sao
nicamente iracas ou d'um temperamento um
pouco dbil, c necessiio substancial alimento
para fortilicar-se, achia no emprgo das paslil-
has de pepsina de iVasrnan, um poderoso mcio
para a isso chegar.
Aviso importante.0successo das pnslilkas
pepsina de IPftfmanden causa a se fazerem
falsiticacocs c imitaces d'essc producto que os
mulos se querem desfazer. I'ois por falta
d'uma boa preparaeo a pepsina que n'clla
entra, jaz alterada. Seremos ao abrigo d'este
inconveniente, exigindo os compradores que as
pastilhas tenhao as iniciaos B. P. e saio da
pharmacia Chevrier.
Depsito gcral em Paris, pharmacia Chevrier,
21, Faubourg-Montmartre, e em todas as boas
pharmacias de Franca e dos pai/cs estrangeiros.
DOENCAS
dos MENINOS
Cl-KADAS rELOt
XAROPES DO DOUTOR DANETI B E R T H
1. Contra aa CLICAS DOS MENINOS antea
e durante dentlcao
(Xarope de cjnoglosse e de acido succinido)
N* 2. Contra
TOSSE CONVULSA
NERVOSA
a a tosse
(Xarope de cynoglosse e de leo voltil de succino)
N* 3. Contra aa coxvn.cEs DOS MEMNOS
A CHOREA
(Xarope de cynoglosse e de acido tolatil de succino)
Estes novos productos preconizados lia Aca-
demia imperial de Medicina de Pars sao em-
preados com grandissimo successo pelos mdicos
de franca para o tratamento das molestias dos
meninos cima indicadas, e viera"o encher um
vacuo importante na therapeutica, no que toca as
aflecefics da infancia, para as quaes, alh boje,
anda se nao- pode indicar tratamento racionnal-
ncm infallivcl.
(Pcca-se o prospecto em casa os pharmaceu,
ticos depositarios.)
Prego do frasco em Pars,. 3 fr.
Para se evitarem as falsificacoes, exija o com-
prador que cada frasco tenha sobre os rtulos a
assignatura Chanteaud.
Depsito gcral em Paris, pharmacia Chan-
teaud. c em todas as boas pharmacias de Franca
e dos paizes estrangeiros.
MASSA e XAROPE
DE CODEiNA
M
DE BISMUTH
)EX!HEVRIER
Os granulos de bismulh de Chevrier em supe-
riores a todas as outras preparaces de bismulh
empreadas antes com o maior successo pelos m-
dicos de todos os paizes, para prevenir e curar as
Moleatlaa de ligado,
A Ictericia,
Palpitar* do eoracaa
llore no rlna,
Opprcacuea,
Ddr'ea de cn.li.j-n,
Maa dlfeatoea,
Gaatrltea,
Gaatralglaa, etc.,
Dlnrrheaa rhronlcaa,
DyasentcrlaS,
Doren d't-Htoiuaa;o,
Djapcpolaa,
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
irritacoea de beaiaja e c em todas as pharmacias ae Franca e dos paizes
da matriz, etc. estrangeiros.
Depsito geral em Paris, pharmacia Rebillon,
4 42, ru du Bac, c em todas as boas pharmacias
de Franca e as do paizes estrangeiros, etc.
Pelas comminSe em grosso, dirigirse aos S" WILLAERT e BERGER, comisarios em drogara, 11, ra Saint-Lazare Paris.
As experiencias clnicas e comparativas
dos Snrs Magendie, Barbier d'Amiens, Wil-
liams Gregor, Martin Soln, Aran, Viga,
C. Dumont, etc., membros do Instituto de
Franca, mdicos dos hospitaes de Paris. tem
provado que a Massa e Xarope de Berth i
o remedio o mais seguro contra todas as
dores nervosas e tendo a propriedade de
calmarcom admiravel rapidez as tosses rebel-
des e extremamente fatigantes da grippe (ca-
tarrho epidmico1, defluxo, coqueluche ou
tosse convulsa, bronchite e tsica pulmonar.
A Massa e Xarope de Berth, se
achao em todas as boticas.
Para evitar qualqucr
falsificar ao, exigir em
cada produto o nome
e a firma Berth.
Deposito gcral em Par, em casa de MENIER,
Ra SU-Croix-dc-la-IlreUnncc.
ASTHME
ASTHMA Asthma asthma
SulToeeoo nervosa e Opprese*
nico remedio efficaz para combatter estas mo-
lestias, acalmar um attaque d'asma e impedir a
volta o Xarope aromtico de Succino (mbar
amarello) do Dr Danet. Descoberta inteiramente
recente, este novo producto se tem propagado
com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral,*na botica Chauveaud, 54,
ra do Commercio, Paris-G rene lie, e em todas as
boticas de Franca e do estrangeiro.
OS PA. HAG LJ JkKSiUS Alogam-se tres am, na potoca
E' a ordem do da J Acabar com os Par- Monteiro a margen t rio, -oa rneUm
guiyos a bayoneta, a mini, a revolver;: bons commode e en nwfo bum e fuimina-los com os encouracados armados'jde -"np a tratar na na da Crespo a.
de esporoes, armstrongs e raiadas de 80 120- esquina, cujo pre?) le alognel n-
120; extermma-los em summa a espada, a zoaTel-
fado e a punbal de que se trata; mas
niDguem se leinbrou ainda de esmagar os
Paraguayos coa as armas que Deusnos con-
cedeu; acabar com elles a taco e a ponta
ps, para o que necessario encouracar esta I
parte do nosso corpo com os formidaveis lodosos das de n tan.
rompe-ferro, esmaga eobra, arranca u eos, Croi d. 13.
quebra marmore e outros que se vendem | ~ 0 SrTBrrnTrdinoJ^ da Braga,
; que teve taberna na roa da Seaaala
n. ii, queira vir
Aloa-0 a rasa ita roa Imperial m. UM. prm-
pria para reDn-rn ment, por ter muito rommo4o r qoiafal pr>ed>
mnrado e porio para fra : a tratas* ata ras M-
reita n. 84 < ti na m>*sa roa n. Stf.
81000
bj&OUO
45 RA
Borseguins Bordeaux.
patricios......
para senhoras, en-
feitados....... 550O
" com laco e ivella .. 4(58 Sapatoes encouracados....... 5O0O
B 'rseguins para meninas bom
elast co................. 3.5000
Sapatos de lona, sola elstica. 2dO avelludados......... tJS0 de tranca........... itftOO
econmicos para se-
nhoras........... 5500
com salto de lustre-.
.Vta
a esta lypt'grapfcia es-
manchar as objeccoes que poz aa rcfrTwia
assignatura, visto como a pessoa qne at>]*
est com ella diz que a tuaoa aa camal*
me/, e nao com atrazados.
C0MP1AI.
Silvino Goilberme de Barras riaspii *
de i-ITei-ii vamenie esc r a vos e asaaas sea*
ra do Imperador d. 79, lerre-ro
Chineles do Por o..........
2,5240
15600
Compra-se ooro, prau e
em obras velhas : aa ra da Cadea
(ja de ourives no arce da Goeccirv
Um completo sorme: to de calcado da I f >' *mimjmmm*t
I trra para borneas, senhoras e meninas; SaaflVSSS***"-"
'assim como bezerro francez, couro de tus----------fr. j---------------.-;-------
U;e, manoquins, tauas de Mas as quali- Y l/l10 UC CJ 14
dades, fitas para sapateiro, muito sortidas, compram-ne qoatro dauas de i^rraaa* de-ia>v>
sola e couros que tudo visto necessariamen-. <>e eaju' (\- boa qoalidade : aa raa a r\- te ftz cobica ao comp ador pela barateza. 'numef0 40-________________________________
hontem da ra da Seoiala Velha al o caes e ra
do Trapiche, tres chaves em urna argola : quem
as adiar, querendo restituir, a< podera' levar a
ra da Cadela do Recite, I ja n. ti que se gratifi-
cara' e se (cara' agradecido.
Aluga-.-e urna grande casa terrea na Ponte
de Ucha, a beira do Rio : a tratar na ra do A-
morim n. 31.
Padaria.
Na ra Direita, padaria n, 69, precisa-se de um
, amassador.
CUBRE l' CHUMBO
Compra-se robre, latao e efcoaaaa : a i
da bola amarilla, no uno di i r^larii da pnttria
ATTK.aljlfl
Compra- boa : na Capunga na taberna jnnlo a padaria
eja
libras Kfietkmai : aa rea da
Samuel Power JohnstoR & Gompanhia
Ruada SenzalaNova n. 4.
AGENCIA DA
Fundido de Low lloor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cava I los.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios d carro para nm e dous eavallos.
Relogios de oiro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarogar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
LIQUIDACAO GEML
GRANDE ARIYIAZEIYI DA
NO
XP0S1CA0 DE LONDRES
Mk
60 Ra da Cadeia do Eecife ~ 60.
Todos os artigos abaixo mencionados foram comprados recentemente pelo dono do estabelecimento as principaes fabricas
de Paris, Londres, Birmingham, Manchester e era diversas cidades da Allemanha, e leudo comprado tudo as melhores condifes
barato, por menos do seu valor, e mui principalmente por querer inteira-
= (ximprarn-se
Cruz n. I.
Ouro c prala.
Em obras velhas : eoaipra- depeodencio o. 2?, I. ja de tilnetes.
Anda usa para alnffts-se um sitio na Tur- r__~^:^r m
re, com muitos commodos para grande ramilla, ~ J.7"" ^""rB" Maa. e rarr-
mi t..~~ .__i___... _._a.___.________ is vaia>, paga-se a .0 rs. : n-i raa da Aarwra a.
e muito fresco, e tambem se vende por barato pre
co : a tratar na padaria do mesmo lugar.
Aluga-se urna cas terrea com commodos
para grande familia, tendo bom quintal com afu-
mas arvores de fructo, na Passagem BVraoger, en-
trando pela ra da Florentina ou caes da ra do
Sol : quem a pretender dirija-se a Jezuino Fcrrei-
ra da Silva, despachante di alfaodega, na hora do
expediente da inesma.
Com comida e sugeicfio
Garanle-sc I s 00 por dia.
Aluga-se'tscravos que tenham ofBcio.de sapa-
teiro, assim como toma-se motoqo.es para aprende-
rem o mesmo officio na foja de sapatos da ra do
Rosario n. 2, jimio a de fuuileiro.
74, taberna.
filial.
Manual do Cimio
Ven-le-se u Manual do Cnfeiio em um
Governo Bcpresentaiivo ou prioripiaa de
Direito Pnl.lico Constitucional Administra-
tivo e das Gentes, p.w Silvfslre Pinh^ir .
Ferrara, em 3 volumes broxorad por 2
cada obra : na livraria n. 8 da orara da
Independ ncia.
Attenoao.
ama para
brilhantes, como botes, anneis, rosetas etc., e bem assim diversas obras de tas n. 93.
Kivalsem secundo
Precisa-se de um calielro para boteqnim e orna f{0a ,J0 Queimadt U?. 41 f H Wt >
ia para casa de homem solteiro : as Cinco Pon- ,x ""'"' M-.^^r.^, mj* asa
miuflczas de (res perlas, est ajaei-
'r':.^ da cidade
nada sao inferiores piala, e muitas outras pegas do mesmo metal, ricos pentes de tartaruga da ultima moda para trancas de senho-|
immensos arti-
ditos de pan-
para se tocar na
- physica (mgica) para
lucalros ou saloes, ditos de pBantasmagoria ; lanternas mgicas, cosr.ioramas com vistas novas, dia e noite; stereocopios de nova in-
vengao e com bello sortimento de vistas das principaes cidades da Enropa ; grande sortimenlo da brinquedos finos para rriangas, e
bonecas fallando papae emame ; grande sortimento de candieiros a gaz, o que se tem feito de mais elegante e que tem
; merecido toda a aceitacao na Europa, grande e magnifico sortin ento de ca xinlias, cestinlias e outras galanteras tatas d^ crina e seda,
; proprios para pre^eIltes; grande sortimento de estampas fin s coloridas com o fundo preto e de outras de todos os santos, ditas com
figuras editas com novas paysagens para cosmjramas, finos e bem graduados vidros para cosmoramas, nm bello cliafariz de crystal
propno para meio de mosa de jantar ou para jardim; entelara fina, como lalheres com cano de metal fino, colheres. thesouras finas,
; ditas modernas para alfaiates, navalhas finas, canivets e outros artigos, diversos artigos eitos de rame ; completo sortimento de
i mascaras de vellido, setim, cera, papelo e rame ; doces confeitados e chocolate em caixinuas e em vidros; camas de ferro de lodos
1 os tamaobos. lavatorios, etc.; ricos quadros para earles de visita e ditos grandes e pequeos para retratos; chapeos de sol, benga-
las, chicotes e ditos para carros; machinas para fazer caf, ditas para balerovos, proprias para quem faz po-del, bolinhos, etc.;
fcciivameuiu deposito dos rticos seguintes
Si. Jolien.
St. Picrre.
Lanse.
hatea u Loville.
Chateau Hargaox.
Grand vio Chateau Latltte 1858.
Chateao Laflite*
Haut Sautenies. i
liba lean Sauernes.
Chateau Latanr iilanche.
Chateau Yquem.
Cognac em tres qualidades.
Azeite doce. Presos de Bordeaux.
Ama.
Precisa-se de urna ama que
eogoimiie, p>ra casi do duas
roa a .ruz, armazem------- ijuijarcaii ius ; auiei.xas novas em caixm as, oscootog ingiezes em latas, qm ios, etc., muitos outros artic
ra : a trata? a ^VlSiSfL """^ |0S TV"?.^L***"' e lodos se vendem barato e mut0 barato' n0 8rande armazem da Exposicao de Londres, na ra da Ca-
i a i i co necife n. OU.
urna casa terrea sita na >!-trada dos
<; , rarimb'i com boa agua de beber :
confronte .i iere|a de S. Jos do
lao de pao junto da taberna.
Ama
ama ama, preferindo-se escrava :
as Cinco Ponas, luja de marcineiro n. 27.
Uesencaminliou-se do poder do abaixo assig-
oado no da lo do correte, ama l<-ira da quitina
de I509:(), aceita em 18 de mitubro nroximo
passado pelo Sr. Vasco Marinha Falcao de Hara,
a 4 metes. Previoe-se ao mesmo tenhor a nao
pague_a outra qoalqur pessoa a nao ser c m pro-
curagao do mesmo ahaix.i assigoado, porquanto
tran^aeco alguma Dio fez com a referida letra.
Recite, 10 de oovembro de 1865.
Joao Francisco Paredes Porto.
Precisa-se de um caixoiro para taberna e que
tenha bstanle pratica, dando dador a su.i cjadae-
ta, paea-se lum ordeido : a Halar na praca da
Boa-Vi?ta n. 17.
namlt) tudo bom e HaaV, -jsvrm ui-
zci- >cr e admirar .ei kam (ja da
li^adiuio.
Calas de aa, el amizadr, e sen ella lio e pautado
a bou rs.
Grozai de botoes de loo^a pratrados ba^da >-
derna a ICO rs.
Duzias de paaaa de ac far. nda ta a i'i r<.
Pecas de tranca de lia tm e de ludas rresa
40 rs.
Escuvas hni-smas para Impar Vales a Xa*
'JiO rs.
Prcas de fiu de eos eslreibs eos (0 var- a
aO rs.
Calas com eotchetsa franceses, sopeirrs ssbbbV
dades a 20 rs.
Tinteiros de I ana, rom soperor lista a 100 r*.
Pecas de cvala para aMats*. azra4a koa a
20 rs.
Paralbos mu lo linos rara vallar- te a : ->
110 rs.
Latas com superior banha a !00 rs.
FraTns de marac pi rula muilo tino a 200 rs.
- Antonio Jos lUIrigues de Souza, na~ra"do ^'r* Mrra,nhaS C0,n a*Ua ,i**,a
Crespo n. lo, aluga sua casa e sitio no Montero Fra-i-os crande*
em frenle ao oiliu da ifreja, lendo o sillo porlo gjQ -
de ferro, cacimba com boa agua, estribara e co- Calas
MARTIMOS
NO GRANDE AR-
MAZEM.
DA EXPOSICAO DE
LONDRES.
Para completa Iquidacao vendem-se, por muito menos do seu valor, perfumaras muilo finas e novas chegadas recentemente
cheira, e a ca-a 4 salas, 7 quartos, e olao, a qual
muito fresca eesla fie novo bem eaiada, concer-
tada e pintada : para ver, as chaves eslau em a
casa do Sr. Nicolao Machado na mesan povoa^ao.
I DEPOSITO D CALADO m
m r.iiiiucnm na casa de ni: i i:\ao
Wt Rna Xova n. 61.
ff Ahi se eucontrarao obras Je di-
versas qualidades, e por preco mui
diminutos, a retalho e em porcoes.
S se vende a dinheiro.
com soperior agua aV Colcoia a
12 frascos de rbeiro* nano Wmm a
a 240 rs. e traadrs a
:n

com
15500.
Sabooesea pequeos de bolla
320 rs.
lu?ia de .abneles pequeos con rbeira a 700 rs.
Aj-ua denude sn|>erinr qnalidade a rs.
Caliai com superior p de arm a ano rs.
<83 Frascos de superiores esseocias saoial e outros a
X 15200.
> Frascos com esseocias para tirar aodoas le roopa
*& aoOOrs.
jT,' Frascos com cheiros de todos os preeos a I60.SM.
240 e 320.
Frasco* bonitos com cheiros finos a 500 rs.
jay; Dl,7ia (,e "ltias o"> l-oas para .cabera a
i Gollinhas muilo finas para senhora a V*t rs
Caitas com soldados de chumbo para
160 rs.
Aluga-se urna excelente escrava mo^a, ro-
busta e de boa conducta, com habilidades, s para
fazer servicos de casa de 'amilu : a tratar na ra
Velha n. 40.
m Casa de banhos
'0 Largo do Carino n. 20.
Este rsiahelecimeino to bem montado
na sua origem acbava-se de ha muito em
.^ quasi cmplelo adandono pflo pouco in-
PAI1A (MBMHORAll#
Ricos" e modernos pentes de tartaruga para tranca de senhora, o que se tem feito de mais elegante ali o presente: vende-se
or menos de seu valor para se liqui lar, no grande armazem da Exposicao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
tnr-^e de tua admitiistraca).
S Hije que o novo propietario empregou
?& todos os meios p:ira reslabeler a grande
i m utilidade dtsle estabelecimento, pode as-
H segurar ao poblico que qualquT que seja
W o numero dos concurrentes acharo des-
w ile ja promptidao e aceiouusbanhos fros,
,x moros oo medicloaes, a casa dos ba-
%k iiIkis se achara' abena lodos os dias das
^ ti horas da maoha as 11 da noite.
Precos.
5 Banlnde choque......... S00
2iS Dito Irio ou moma........ 500
Dito Je farello............J5000
Dito medieinal sera' segun-
do sua qualidado.
Assignatura.
Por mez banho fri ou morno. 105
25 candes para baoho fri,
momo ou de chuvisco.....
12 cari fie.- para os mismos...
12 ditos para banho de farello.
5
i
-
105
105
mmmu
C01IP
i
*5K>

Pai a a censtroccao de niachioas
DE
II Itl It I so\ |s |MM (IISS
New Lotidon, Conoectieur, Esta-
jos- Uo idos
Solicilam pedidos de descarocadores de algodao,
adoptados ao ak'odao sul-aueri. ano. Hose de-"
dicadoa ese negocio durante 2o anno?, e allende-
ro immediatamenle a correspondencia que se Ihes
dirigir.
Precisa-se de urna ama : na ra de Sania
Rita n. a, 1 andar.
IUVAS NOVAS ISE JOLVIft.
Vendem-se excedentes lavas de pellica, recentemente chegadas de Paris, tanto para homem como para senhora por menos de
seu valor, para se liquidar : no grande armazem da Exposicao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60
l*UOTti*Glt-v|III.t.
No grande armazem da Exposicao de Londres, roa da Cadeia do Recife n. 60, ra da mperatriz lojk de Mr. Dubarry n. 8
e na mesma ra toja de miudezasn. 54, vendem-se excedentes vistas para quadroi de sala e para albuns, como:
Porto. .
Campo de Sant'Anna e Braga.
Amarante.
Vista geral de G ni maraes.
Porto, ra de Santo Antonio.
Ponte pensil sobre o Douro no Porto.
Villa da ponte da Barca.
Coimera.
VISTAS DE PKKliMIllO.
Tiradas na occasiao em qoe S. M. o Imperador aqui esteve em 1839 :
Palacio da presidencia, a cavallaria acompanhando S. M. o Imperador no dia 2 de dezemtto,
indo para o Te-Deum no convento do Carmof
Theatro de Santa Isabel.
Ra da Cruz com a pyramide.
Torre du Arsenal com a illuminaco na frente.
Passeio publico, na chegada de S. AI. o Imperador.
Ra do Collegio com a tropa.
Pateo do Collegio com o palanqne.
VIACiEM A9 EUROPA.
Stereoscopios de nova invencao com ricas vistas das principaes cidades da Europa, como
Franc.
Inglaterra.
Italia.
Lisboa, etc., etc.
Vendem-se barato para liquidado no grande armazem da Exposicao de Londres na ra da Cadeia do P ecifen. 60, rualda m-
peratriz loja de Mr. Dubarry n. 8, e na mesma ra loja de miudezas n 54.
Ama para casa.
Procisa-se|alugar urna ama para todo servico de Pp^ de ""* ,5a Para debrom de vestido, ron
urna casa : na becco das Bolas n. 2, primtlro ,0 varas 6fl0 r-
andar. l)l,as de bicos superiores, para acabar a M*>
Precisa-se dTmaTma que saiba bem com-; paraste loasa para nvoinos a ICO rs.
prar e cosiohar para casa de pouca fatmlha : em |(um,,.0!i rte rhoro e |W1 r,
rreio onoe Caixas com l.on.irsestampas rara rap a NM rs.
Ca|>achns comphdos, boa faxenda a .TOO ra.
funeciono a aula publica.
ig* o sobradinho moderno n. do da ra de Aguas-Ver-
des por 235 mensaes com a loja, para pequea fa-
milia, dando fiador a coulento : a tratar na ra
do Queimado n. 44.
Desappareceram ou fui taram em a noite de
16 para 17 do crrente, dos futidos da serrarla de
Paulo Jos Gomes, na ra nova de Santa Hita n.
13, um prancho de amarello com tres taboas de
costados e marca S : o abaixo issignado da a
quem o descubrir 205, e da mais 50) a quem des-
cubrir o ladrao que o fortou.
Paulo Jos G)raes.
Precisa-sede um caixeiro de 12 a 14 annos
que lenha pratica de taberna : a tratar na ra de
S. Francisco n. 70.
pequeos pretos para ralea a
Grasas de botoes
100 rs.
varas de rordao de espariilho a 50 rs.
Novellos traneexes com W jardas a 40 rs.
Peca* de tiras bordadas a 640.
Dtuias de meias croas muilo fortes e supriores a
35.100.
VYndem-se palmeiras inspenaes, esa estasis
de serem traosplantadas : no sino marado s*v
querda, depois.do becco do Eipmneiro. asa A-
flictos
%
Precisa-se de ama ama que. saiba lavar, engom-
mar e coznhar : na ra da Grot do llecife nume-
ro 10.
Na roa do Livramento o. 11, fa^em-se espa-
nadores e por menos preco que em ouira qualquer
parte.
Precisa-so de um oHcial
na ra Nova n. 37, i andar.
de cabelleireiro
Precisa se de urna eiiRommidelra perfeita*
forra ou captiva : no collegio do Bom Conselho,
ra da Aurora o. 50.
Precisa-se
de um eaixeiro que tenha minia pratica de loja
de faxendas. O que estiver neslas ooodiccfies e
quizer dirjase a ra do Crespn. 17
Aluga.se o lerceiro andar da casa o. 88 da
ra da mperatriz, e o sino o. t da estrada do Ar-
ralal : no roa da.Aoror o. 3, >
a raa das Trincheiras o. 26 se dir quem
vende dous mulatos do bonitas figuras, sendo um
boleeiro e cozinheiro, e urna negra de meia idade,
boa engommadeira, coiinheira e vendedeira, e orna
negra de bonita figura, de 18 aoaos, com orna cria
de 6 mezes.
tas-alio*.
Vendem-se 4 quartaos proprios para viasress
carroc: a tratar c..m Duarte 4 C aa raa d Isa
perailor n. 40.
- Vende-se um escratw moca e de boa lis.
rom oflicio de ferreiro : aa roa do Qoeiiaade *.
IMoja.______________
Vende-se urna taberna com prns Ined-,
livre e des.inharacada, oa roa da Caa F.a-t* j:i'ir.>
ao acoutue. propria para aaasaavr iirnnipnisdi :
a tratar na roa do Imperador a. W, armaien*.
Velas de comporto
Libra le arla re p*r 4 ra.
Doram seis
Arrobi ou 192 velas por 125 : oa roa da Tra-
piche, armazem n. 14.
Vende-se um
proprio para p gem m
con lucia : inrai do
andar.
Vende se orna ca l-'rinhi
com os competemos correamos :
rador n. 43, 3* andar.
de Id a 17 a**,
r s-r asarlo bawt.i e sV b >
ira^era4or a. 5, a*KMr>
ds b-acw. ,!
aa nm ti> leas;
Vei le-se a taberna do paleo da Pt-t-rr i a.
13 : a tratar oa roa do Livrameato la. tafeerB.
Vende-se orna escrava moca e casa bal i: -
dades : no roa do Imnerador a. 27.
A lletH-a,
Vende se o siti > junio ao porli lio Lsserrre ata
Capunga. perteneenie. ao herd--iro ce J i> Gaact
Pereire Freir, rom commodos para fisainay ce-
cheira e quarto em separado da casa, os pret
denles podert) enteoder se rom o precarader
mesmo herdero Augusto Genuino de
I

.^_
J


."
.
Diario 4c t-ernauaitmco Kcguada (eiu SO de Xovembro de 8.
SALSA PiRRIUIA DE AYEK.
Tiujsscrevemos aqui algunfc
dos inultos attestados que temol|
recebido das virtudes da salsa
parrilha do Dr. Ayer.
RheamaUsmo.
DE JOO JOS DOS SANTOS.
Ouro Pretas
Grande loja e armazem o
Pav&o.
Rua da imperatriz d. 60. de Gama & Silva.
Tendo os propietarios d'esle esiabelecimenlo de
liquidaren) urna grande poroso de suas fazendas,
al ao lim do crtente anoo, afim de fecharen) con-
tas e apurar dioheiro, resolvern) vi-nder todas as
(falencias coro grande abatirnenio ero pregos, tanto
FI
Senhores e senhoras
Os proptietarios da nova loja e armazem de fa-
zendas e roapas fi-ius na rua da In;peratriz n. 72
de Gaimares i Irmo, acabara de reduzir os
precos de soas fazendas irnos 20 por cenlo do
que era cutra qualqaer parte, allm de apurar di-
jjtodos os seus freguezes, e ao respeiiavel publico, e
as pessoasque negociara ein pequeua escalia coro
fazendas, que ne.-ie esialelceimento encontrarlo
t Soffri rlicumatismo por Dlut- um grande sorlimento que muito Ihes ho de gra-
tas vozes, e vendo annunciado dar lano em pregos como em qualidade; assim
em lim inrrnl HWa ridadfi a cora "'andam pelos srus caixetros levar as fazen-
em um jornal a esta ciaaue a das e amoslras nas ca,as das f.)mi,ias que Do [10.
oaisa parrilha de Dr. Ayer, re- derem vir a loja, ou do as amostras deixando fl-
solvi-me a comprar um frasco e fazer uso Jar P*nhor.
d'ella; e antes de concluir o primeiro fras- larabraias lisas a 3$000, na loja do
co, achei-me forte e sem sentir a mais leve i pavo.
d6r nos joelhos; a parte do corpo que es-' Vendem-se pegas de eambraia lisa branca e
tava affectada d'esse terrivel encommodo 'nsparentes, tendo oito e meia vara cada pe?a,
H lipcocs, norblllhas pilSIIllas, rentes, assim como cortes de eambraia com salp-
cos a 2500: isto s na loja e armazem do Pavo,
na rua da Imperatriz n. 60 de. Gama & Silva.
Cortes de pbantasia a 30500.
em porcao como a relalho, e por isso previnem a nheiro, assim como seja lazinbas de quadrrahos
sendo escuras a 200 o 220, ditas mais finas a 360 e
4(0 rs, ditas transparentes com listas de seda a
320 rs. '
ulceras, e todas as molestias
da pelle.
DO Sn. JOAO PAULA DE ABRE E SOUZA.
Rua de S. Pedro Rio de Janeiro.
Soffria mais de dous annos de urna
Vendero se os mais liados cortes de pbantasia
com as mais lindas cores qj.e tem vindo ao merca-
do, sends fazenda transparente que serve al para
erupcao syphilitica em todo O COrpo, mOSS bailes, pelo barato prego de 3,8500, ditos brancos
trando-se sempre com mais violencia na ca- i f">da mnjto fina a 45000: sio na loja e arma-
ra, prove muitos medicamentos e consultei \ LT4 Silva'30' '"* da Impera,rz n' M de Ga-
muilos mdicos, e estava quasi desanimado
quando vi os annuncios da Salsa parrilha
do Dr. Ayer : comecei a fazer uso d'ella e
nos primeiros dias a erupcao aggravou-se,
porm antes de acabar o segundo frasco ti-
nha o mal desapparecido completamente de
todo o corpo.
Doctor Don Jos Valdes Herrera, profe-
sor de medicina y c1rurjia, subdelegado
em ambas as facultades del sesto d1s-
TRicro.Habana.
Certifico que he usado la zarzaparril-
la del Dr. Ayer, y como depurativo he ob-
tenido de ella los mas felices* resultados en
les casos de ulcera crnica, asi mismo au-
t ambraias de forro.
Na loja do pavao.
Vendem-se pegas de cambraias de forro, muito
boas, pelo barato preco de 25 e 25500 a pega :
islo s na loja e armazem do pavo, na rua da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Cortes granadinos.
A 10(51000, na loja do pavao.
Vendem-se os roals ricos cortea granadinos, fa-
zenda de muita phaniasia que serve al para bai-
les por serem transparentes e com palma de seda e
tecidos com a seda, pelo baratissimo prego de 105
cada um Isto s na loja e armazrm do pavo, na
rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
As eamisinhas do Pavo.
Mendem-se as mais modernas eamisinhas borda-
das com manguitos, para senhoras, sendo as mais
JOr y las considero como um porgante, cuya modernas que tem vindo ao mercado a 45500, di
accin ademas de Ser segura, ha Sido muy '<,as com manguitos, para acabar, a 15 ; ditas pre-
eficaz en el iralamento de las eol^es e^
que exsigeu el uso d los porgantes, y on cmbrala branca bordada a 500 rs., cilcinhas para
vacilo en recomendar estas preparaciones.
Y para los fines que puedan convenir doy
la presente en Regla a 7 de setembro de
1860.
Dr. ios V. Herrf.ba.
Eserophula.
ATTESTADO DO 1LLM. SR, FRANCISCO FERRAZ
dos santos.Ouro Preto.
* Me acbo ha quasi dous anuos alTectado
de escrfulas, e tendo soffrido tanto que al-
gumas vezes quasi que diego a desrnimar
da vida e maldizer da minha infeliz sorte;
tenho sido tratado por muilos mediros d'es-
ta cidarle, e nenhum pode vencer 1 tenaci-
dade de minha molestia, estava &em espe-
rangas de recobrar a minha saude ; quando
ltimamente resolv fazer uso da alsa par-
rilha do Dr. Ayer. Completa:n-sc hoje
trinla e sete dias que comecei com este
santo remedio, e tantas melhuras tenho
sentido que tenho conviccao de em breve
recobrar a minha saude, perdida ha tanto
tempo.
Syphilis c molestias merniriacs.
Do Illm. Sr. Dr. Jackso;'.
Medico muilo conhecido nas provincias do
sul do Brasil.
Tenho receitado a Salsa parrilha do
Dr. Ayer nos casos mais inveterados de
Syphilis constitucional e sempre com os
mais felizes resultados; o melhoi alteran-1
te que cunheco.
Leucorrha c flores brameas.
menina a 640 rs., romr-iras de tilo e eambraia
branca bordada a 15000 : na loja do Pavo, rua
da Imperatriz n. 60. de Gama & Silva.
Soulhciuba ques ue cor.
Vendem-se soulhembarques de cor muito bem
enfeilados a 55, 65 e 75000 para acabar: na loja
e armazem do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Oryaudy modernissimo.
Chegaram os mais modernos organdys com os
mais modernos padres, sendo quasi todos listra-
dos, como se usam agora, com as mais lindas cores
o lixas ; vendendose pelo barato prego de 900 rs.
a vara : na loja do Pavo, rua da Imperatriz n. 60,
de Gama & Silva.
Chales de merino a 2000.
Vendem-se os mais modelaos chales de merino
estampados a 25000cada um^Iavvndo tambem um
grande sortimenio dos mesmos matizados que se
veridem a 65, 75 e 85000 : na loja e armazem do
Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os sinos do pavo.
Vtndem-se rlquissimos sinios de lilas de diver-
sas dores e dotirados com livela larga e dourada,
as*im como enfeites para raleca dos melhores e
mais modernos que lem vindo ao aereado ludo
tf-to si vende por um preco razoavel que muito
Ibes hio de agradar : islo s na loja e armazem
do pav\io na rea da Imperatriz n.I60, de Gama &
As loallias de linho do I'avo.
Vendim-se superiores toaUas de linho d;>- me-
lhores que lem vindo ao mercado pelo baratissimo
prego del95000 a dozia, ou 800 rs. cada urna, na
loja e anhazem do Pavo, na rua da Imperalriz n.
60, de G^ma Silva.
As saias do Povo.
Vcndcrrl-se as m;iis linas saias bordadas asagu-
Iha brancas sendo da roelbor fazenda que lem vin-
do oeste gtuero, tmdo n.ui a roda, pelo baratissi-
mo |>n-code 105000; ditas
Fazfiulas proprtas para a festa.
Vendem-se as mais bonitas bareges de 13a e se-
da seodo escocezas as mais modernas que tem vin-
do ao merca .'o pelo baratissimo prego de 560 o
covado, cassas fr< acezas de urna s cor a 320 e
360 o covado, ditas com paln as solas sendo miu-
das e graodas pelo baratissimo prego de 280, 360
e 400 rs. o covado : isto na loja e armazem de fa-
zeodas na rua da Imperatriz n. 72, de Guimares
& Irmo.
Saias bordadas.
Vendem-se as mais bonitas saias bordadas seo-
do bstanle largas e muilo bem bordadas pelo ba-
ratissimo prego de 65500 c 7j}.
Vestidos de larlatana muito lina sende brancos
com bairas de cores bordadas de la e seda sendo
os mais modernos que Um vindo ao mercado e
vendem-se pelo barato prego de 95, 95500 e 105-
Mantas de seda para bomem.
Vendem-se as mais lindas mamas de seda para
homem tendo de todas as cores peto baratissimo
prego de 15300, 15400 e 11800 : islo na nova lo-
ja de fazendas na rua da Imperalriz n. 72, de
Guimares & Irmo.
Colariohos da linho para homem.
Vendem-se cojarinhos de linho para homem
sendo os mais modernos melhores que ha no
mercado pelo baratissimo prego de 55500 e 65 a
duzia.
Chales de merino eslampados a 2.
Vendem se bonitos chales de merino estampa-
dos pelo baratissimo prego de 25, ditos lizos de
todas as cores a 3800 e 4,-. ditos Anos sendo es-
tampados a 65500, 75, 75500 e 85.
Cambraias brancas.
Vendem-se pegas de cambraias brancas a 35,
355OO, 45, 45500 e 55, ditas muilo Unas tendo
urna vara de largura a 9 e 105: isto s na nova
loja de fazendas ea rua da Imgeratriz n. 72 de
Guimares & Irmo.
I! i se i dos escuece zes.
Vendem-se os mais bonitos riscados escoceze
para vestidos de senhora e protrks para roupas
de meninos a 260 e 280, chitas francezas escuras
e claras a 240, 260, 280, 300 e 320, ditas percales
muito finas a 360, 400 e 440 o covado: isto s na
nova loja e armazem de fazendas na roa da Im-
peratriz n. 72, de Guimares & Irmo.
Camisas franeezos.
O gallo cania e est
(juematulom
Bom el baratissimo.
Roa do Crespo u. 9.
Collares.
Collares anodinos elfctro magnticas Roier para
as mangas nao morrerun de convulses pelo ba-
rato prego de 45.
Novidades.
Riqnissimas pulsearas ou braceletes pa senho-
ra e para meninas a 15. 25 e 35, assim orno lin-
das voltas para pese >co a 35.
nfeites.
Riquissimos enfeii-s para cabega coUsa de mui-
to gjsto a 15500, 25 35, 45. 55, 6 e 75.
Fivelas.
Riqusimas t velas, de madreperola e de tarta-
ruga, arsim como pretas.
Cruzes.
Riqo ssimas cruze douradas porm o melhor
gosto que se pode defsejar.
Cascarrilbas.
Ronitas cascarrilh s com biquinhos de seda e
aljfar cousa inleira nenie nova para enfeites de
vestidos.
Binculos.
Ronito sorlimento de binculos com superiores
vidros para os amai tes do Iheatro.
v*-
Assim co no uns pequininos
que serve para enfei e de relcgio mais com excel- '"hB0 ^LVl"^/ SJwu Sam?S!T
lente vidrn le ae "n" (le 'arSuras a "5200 e 25500 a vara.
Vendem-se camisas Iraucezas a 15500. 1800 DAral? prec.u qe 3UU rs>' e dam i*> aSfim como
25, 25500 e 35, ditas com peito de cor a 2a Sran<,esnto de todas as qualidades para de-
23500 : islo s na loja de Guimares & irmo. ar-
Tomn. (..,!, un rircu uu m,jiuw, onas nordadas a croch a
Temos cartas em que nos comam casos efitoo e slooo, diascom babadmhos a 95000, na
loja e arm; zem do Pavao, na rua da Imperalnz n.
60, de Gar la Silva.
Novos v slidos na loja do Pavo a I0000.
Chcgarat 1 para loja do Pavo os mais ricos cor-
tes de vest los de eambraia transparente d>m os
mais delira los bordados de dilTerenles cores a pon-
i de agulh sendo u'esie genero a maior novida-
de que tem vindo ao mercado, garanlindo-se o te-
rem muita fazenda e enlejes stifilcientes para o,
corno e mai gas. e vendem-se ocio barato prego de i
IOAO 0 cadli um, na loja do Pavao, 11a rua da Im-
inveterados que foram radicalmente curados
com um ou dous frascos d'esta Salsa par-
rilha.
0 espaco nao nos permitte tiansctever
todos os attestados que possuimos Jas vir-
tudes d'este extracto composlo ae Salsa
parrilha do Dr. Ayer. Hasta declarar ao
publico que tem sido empregado ha mais
de vinte annos pela prolissao med a tanto
das Americas como da Europa, sew nunca \ perairu n. o, de Gama i Silva.
desmentir a sua alta reputacao. ( .-, .-
Para a cura radical de escrfulas e ifTeccoes veodem.J?S* Varo'^riimeDio de
escrotillos, sypblllS C molesli^S syphi- espartilhos os mais bemfeilos que tem viudo ao
liticas, ulceras, feridas, Chagas, mercads, sendo de lodos os lamanhos pelo baralis-
eruptes cutneas e todo e *m, ^T de *? ne G!5u0' vr 5av,er raud.e
,...!.. > ;_______i~ ; sorlimento, na loja do Pavao, na rua da Imperalriz
qualquer incomtf.odo que n. 60, de Gama & Silva.
provm d'um estado Vendem-se superiores meias cruas inglezas pelo
baratissimo prego de 45(00 e 55000 a duzia, ditas
, de todas as qualidades para senhora, meninos e
meninas, na loja do Pavao, na rua da Imperalriz
AGlMBBANCi
Eua do ueimado d. 8.
A loja da aguia branca acaba de receber nm
novo e grande sortimento de differentes objectos
degusto e ultima moda, sendo :
Ronitos enfeites para senhoras gostos inteira-
menle novos.
Ditos ditos de grade com comas grandes.
Lindas livelas graudes para cintos com moldes
agradaveis e diversas qualidades, madreperola,
tartaruga, ac e douradas.
Roas e bonitas tilas achamalotadas para ditas.
Dites de dila do grosdenaples lisas e lavraUas
com novos e agradaveis desenhos.
Trangas preas de seda com vidrllbos moldes
novos e de gosto.
Ricos brancos epretos de seda com vidrilhos e
de dilTerentes larguras e bonitos desenhos.
Cascarnlha de seda com diversas cores e lar-
guras, formas inteiramenle novas a imilagao de
palo, babadinho e outra com urna transinha no
centro o que Ihes d muia graga.
Outras estrei-as e largas guamecidas de bcu
de seda obra de muito gusto.
(Jotras de eamnraia de core?.
Kmdes de seda, velludo e ago para enfeites de
vestidos.
Trangas de seda estrellas e largas brancas e de
cores para enfeites de vestidos.
Flores finas
CAPELLAS PARA MENINAS.E NOIVaS.
A a^uia branca a r'ja do Queimado n. 8, rece-
beu para vender :
Delicadas eapeltas brancas para uoivas.
Ditas ditas |iara meninas.
Ditas ditas de caixos de flor de laranja.
Ditas ditas de rosas camelias e outras.
Ditas ditas 011 ramos de trigo.
Diversos ramos de llores finas para peito
vestidos, enfeiles Je chapos ele. ele.
treparos para flores.
Na rua ENCICLOPDICA
59 Rua d Ssupcrairiz armazem
da porda larga &* Punto a p-n.Ssria fraceza de ;
l*arc Nesto eslabeieciinento encontrar o respeiiavel
publico nm rariadu sorlimento a> fazenda^ france-
zas, Inglezas, suissas'e alleniaes, que se venderOo
por prego commodo.
Partdrs Porto
Vende chales de renda de cores que se vendo'
ram a IHjj esta rendendo por r>5, ditos preto, fa-
renda nuva, 5!,C5. 8a ('5, om sotlimento om-l
pelo de manteletes, capas e soutambarques 145 a '
i55- Rua da Imperalriz n 'i-, junio a padarla frau-!
reza, armazem da porta larga.
Paredes Porto
Receben um completo sortimenlo de lasinhas a
40, e 280 rs. covados, para acabar, cambraias de^
cor a 240 rs. o covado, riscado escossez para rou-
pa de menino, fusiao de linho a 420, 400 e 500 rs.'
Rua da Imperalriz n. 52 junto a padaria franceza.'
armazem da _porla larga.
Paredes Porlo
Recebeu para cortinados para cama franceza a
115 a peca eambraia lisa fina a 35 45 al 105 a
pega, corles de larlatana de DunilOBgoMOS a :t5500
e 45, eambraia com flor de seda, goslos inleira-
mente i-ovos a 100 e 500 rs. o covado, no armazem |
da porta larga n. 52, la da Imperalriz junto a pa-
darla franceza.
I'areile;. Porlo
Receben pelo altnHi t>aqoete um sortimenlo de
cruzes com pedraxpara opesrogo, Ik.iiIos caxineis
de la para pesrogo de Fenbora. Rua da Imperan iz
n. 52, armazem da pona larga.
Paredes Porlo
Vende cortes de gorsorio preto para vestido rom
l covado cada um .'155000, grsdenaple preto
15600, 15800 e5 o covado, laas lizas linas a 100
rs. o covado, las de quaririnho para vestido, enlej-
iada, a 320 rs. o covado. ilua da Impetatriz n. l.
armazem daporla larga.
Paredes Porlo
Tem para vender por prego commodo, pecas de
esguio de linho com 10 varas a 75, 85, panno de
lente vidro.
estinhas.
Riqnissimas cestii has com prepares para me
ninas de escola traz r no braco, assim como de
vidro entenadas pro] trias para mimo.
Pentes.
Ripoissimos pentefe de borracha com aro bran-
co de metal para minina segurar o cabello pelo
barato prego de 500
Paredes Porlo
Vende cortes de eambraia bordadas de ritos
goslos a 105 e 125, ricos vestuarios para menina
e menino, ricos cortes de eambraia Mara Pa a
105 e 205, larlatana branca e de cor a 640 e 720
rs. a vara. Rua da Imperairiz armazem da porta
larga n. 52.
Rottpa frita
Rua da Imperalriz 11. 52 armazem d. pona lar-
ga junto a padaria franceza, encontra se neste es-
tabelecimento um completo sortimenlo de palels-
saccos e sobrecasacos, de tulas as qualidades, cal-
cas, colleles, ceroulas, camisas, grvalas, meias,
chapeos de sol, ditos fraucezes para cabiga, por
precos commtdos, roupa para menino e outras
muitas fazendas por pregos commodo?. armazem
da noria larga.
No mesmocjlabelecimenlo encontrara o respei-
tavel publico, sempre um completo so:liiieuto de
roupas felas de todas as dualidades, como sejam
Riquissimas touqui(nhas de fil de linho, de se- paletos de alpaca preta e de efir, ditos sol-casa-
da e de la para cria igas. j eos a 45 e 55, ditos de bi un pari a 25800, .15 e
35500, ditos linos a 45, ditos meias cazemira a
353OO, 45 e 55, ditos cazemira bccoi a 65, 75, 85
sembaragar.
Kscovas.
Grande sortimenti de escovas Dar roupa e pa'
ra cabello, para unh; s e para dentes.
Lunetas e oculos,
Pinlssimos Innetos de um e dous excellentes vi-
dros e aro de bfalo e de tartaruga, assim como
oculos com rame d( s lados proprio para quem
sollre dos oculos.
Ttuquinhas.
A superior agua p;
igas
Part o cabello.
ra attingir os cabellos, as
acompanha um rotulo que ensina a forma como
se deve applicar.
Para caspa.
Superior banha seip gordura com um frasco
com agua propria pana limpar a cabega, os frascos
acompanha um folhejo que ensina o modo como
no saceos a ti&, 8 e 105, ditos sobr< casacos a 125
e 255, ditos de merino prelo a 65, 75 B 105, cal-
gas de bnm de diversas qualidades a l800 a 45.
ditos brancos a 2,5500 e 6500, ditos cazemira 55,
65 e 75, diios prelos a 55, 65, 85 e 105, ditos
meias cazemiras a 35 e 45, eoletes de diversas
qualidades, seroulas francezas de alcodo, ditas de
se deve apphcar afsim como agua balsmica, |lDho, ditas de bramante a 25 e 25500, carnizas de
opttla pui para limar denles. algodSo de linho francezas de 25500 e 3JL Gran-
IBannas. de perhinena neste genero, grvalas de todas as
'. 1 ande sortimenlo de banbas em copos, em la- qualidades e braucas para casamento, grande sor
as de folha e em frajscos de lodos os lamanhos por tmenlo de meias para senhoras, ditas para homens
pregos menos do queem outra garle, assim como a 35, superiores a 35300 e 45-
muitos outros objeckos que nao se poie mencionar
por hoje : s no gallo vigilante rua do Crespo nu-
mero 7. I
Liquida #io geral.
Lourenge Pereira Mende Guimares, rua da Im-
paratril n. 56, lojap armazem da Arara, proprieta-
Um completo sorlimento de ehapos de sol de
alpaca a 35, ditos de seda a 55, "5, U5 e 1 i.
ditos francezes para cabga, grande sjilinieulo
a 65-
Pecliiiicha ailmii-iuc!.
Grande sortimento de chamares a 45600 e 5c,
lenges de eambraia para homem a 5 8 duzia, -
Liquidado liu.ii.
Na luja da rua la Impci Mi 11 o. 7
guus dos cbjerlos ja aunuL u v :. .
guintes pala acabar.
Eslampas grande* e lia* a MM rs.
Dita.- um ia* a 240 rs.
Dita* pujuenas a ICOrs.
Heinz preto e de tres | bom esMu ; m
80 rs.
AlfloeM caria a 40 e 80 rs.
lilxries carl6e>, dona a 2V) e 3: r-
DiUi.* viii r..,\.i;:,.... d- ni n -1 ... tWl -
Cr. Oes, massu ar 100 a IX) is.
Usa o ceuto 25200 rs.
Al.i-luadura.- linas i>aia laob^s |6>
EnOadores com fri ntetnt para) ;>!.:
Papel de ir folbas gran- es o r...; r
K-r ivas luas para cabell) a 5U rs.
Dilas a 9UU rs.
Ditas para :oupa e cba^u a u) rs.
Ditas BMMIO tinas 800 M.
Rosarios pelos, duzia a 240 r-.
i!on'.-s prelas <> masso a .0 rs.
I'hnsf.itos de seiioranga, cana grand- a *U> r-
llordes para viuU a duzia a 2il> n.
.Meias brancas para Bien na a dnria a f-5C "
Hilas pretas para srnhcia o par a W*t 1
Hilas pelas para Im>iu< m a !**> r.
Pila de seda n. 1 1/2 a p*;a a 2> U rr.
Dila de se.'a n. 2 a pera a MI rs.
Dila de sida 11. i a pega 1 500 rs.
1'iia d si da n. 6 a prga : 1)00 r-.
11 ti i si-osscza de alg-xlua vara a KO r
Dila escossza de algad* a va'.. 1 SM
Dita ce retros a pera a ifcO rs.
Dita law.it.'a n. 12 a vara a 320 rs.
Dila laviaoa n. fia vara a 2bOis.
Dila artnuialelada n. i a vara a 240 rs.
Dila de sarja preta n. i pega a 1".
Dita du sarja | n-la o. 5 a pera a Mi r-
Dua de sai ja pnl.i n. 4 a 1 m;'* a -sOir, -
Dita de -aija da lina 11. I i a vara a B i
BuMVs |i-;s de looga ,.ara riini-a a srM
80 rs.
La- re v. rde uno o pao a 100 rs.
Dito di' diversas cores tir ra-liabas '. 1
zia a 11,0 15.
Renda de l. a tadl a 21 is.
i.'i.iii-iiii.i, ,1 raixa a oio r-.
Sapalinlii-s de la para ti langas : 320 r-.
(irruyo.- de c-ogalha lino* -> par a ISO rs.
Uilos de aiinagu du melal a '
Diios de armario de ago a 400 1
Proco de cores em boi.i dSJM> a i-e_
.Navalbas para barba a 160 rs.
Outros bJcceT-
Yitulos l.iii.l 1111 para a si,:
miuiiei ru;i do Qmm4| i li.
Sapanhosdesetim brMco ii-'
ra baptisadea.
Ouuos de merm tambem h".
igualmente hnnit- s.
ilcias de seda, coiresiondt.le M MMs>
nho (ios nprtinlift
Ootns mui linas de fio da
brai.cas listrsd..-.
Luvaa linas de lio .la Kcos.-:i
de core.
Ditas de seda pira senhoras.
Ligas de iita pas a*jBhoras c 1
Fciiics de tarraga mui farttH p
eoitiaracr.
Carriteis com nm preto e -.,.'
L'arteirM cot agalbM.
Agalhas francezas, as tkKtt
Cdixinias com allinetes braric 1
Raspas de balda pan vestidos.
Fitas de linho proprs pan -
Caas com lindas de nove!I- :-
para cmchets.
Tianccllim de bonachi pre.l t,
Bonitas ItvctfaH gran!r i!r *
clnirradas. mnrcpcr; !a e
d->

!..
I
D
O.
r-
(araga.
rio do grande armazem de fazendas e roupas feitas, tos de linho a 45 e 55-
tem res as qualidades de fizendas que existem no seu ar- tras muitas qualidades que seria enfadoobo aitii-
matem, que vende a iriula por cento menos do que ciona-las.
de
de sangue,
impuro
Toaras a
SALSA PAUKIMIA DE AYER.
A' venda na rua Uireila, ns. 12 2G e 76;
rua da Quitanda n. l ; praca da Consli-
tuirao, n. 30 e Hospicio, n. 40. E na-
principaes pharmacias e drogaras do im-
perio.
Vende-se em Pernambuco:
na
60, de Gama & Silva.
tCIE FRANQAISE
ip|IiDliER&C,!
RUA NOVAN" El
Pechin cha
ca vende-se
Papel de cores para rosas.
Dito verde para folbas.
Dito dito e pardo para cobrir os talos das ditas.
Musgo era rama.
Folhas para ros'as.
Auulhas e linhas para coehet.
Vendem-se na rua do Queimado n. 8 loja da
aguia branca, assim como agulhas para tranalhar
se em la.
No armazem de azendas
baratas de Santos Coelho
Rua do Queiniado u. 19.
Vende-se o scpuinte :
Cobertas de chila fina a 25800.
Ditas de dila a 25400.
Leng< es de panno de linho a 2200.
Ditos de dito de linho a 25.
Ditos de bramante de linho de um so panno -
3500.
Panno de linho fino com 9 1|2 palmes de largu-
ra pelo barato prego de 25400 a vara.
Bramante de linho fino com 10 palmos de lar-
gura a 255UO a vara.
Pegas de eambraia com salpicos brancos e de
cores com 8 1|2 varas a 45500.
Pegas de eambraia adamascada propria para
cortinado d* cama com 20 varas .1 II.')
Balees de- arcos a 25o00, 35, -15500 e 45.
Lengos de eambraia fifia a 2;600 a duzia.
Ditos de dita a 25 a duzia.
Atnoalbado de linho fino a 25800 a vara,
Dito de algodao a 25 n vara.
Algodo entestado com 7 1|2 palmos de largura
a 15200 a vara.
Pegas de brcianha de :rolo com 10 varas propria
para sa,a a 35500.
Fil1 de linho liso fino-11800 rs. a vara.
Dito de dito com .alpinos a 15 a vara.
Cambrain de linho tina a 4500, 65500 e 95'a
vara.
Corles de lazinha de lindos gostos com 15 co-
vados a 55-
IVcas de madapoln finissimo pelo baratissimo
preco de 85, 95,105 e 115.
Flanella tranca fina a ROO rs. o cavado.
Dita de cores fina a 8*0 rs. o covado.
Baloes de musselioa para menina a 35, 35500
itt
Camhraia de forro a 35 a pega.
Dita fina a 45500, 65 e 7a a pega.
Guardaoapos de linho a ."(5800 a dozia.
Toalhas de algodo felpudas duzia a 125.
Esleir da India propria para forro de sala de
4,5 e 6 palmos de largura per menos prego do
que em outra qnalquer pirte.
Neste armazem tambero se encontra um grande
sortimenlo de roopa feta e por medida.
a 380 rs. na loja do Pavo.
Laziulias a 320
Lazinhas a 32o
Laziulias a 320.
Vende-se um grande sortimento das mais finas
e mais bonitas lazinhas matizadas com os mais
lindos desenhos, seodo fazenda que val cinco tus-
tes, e vende-se pelo baratissimo preco de urna
pataca o covado por ser urna grande prgo desta
linda fazenda : na loja do Pavo, na rua da Impe-
ralriz n. 60, de Gama & Silva.
Lazinhas garilialdinas, s o Pavo rende a 320
e -100 rs.
I Chegaram pelo uliimo vapor as mais bonitas
i lazinhas gaiibaldinas com lios ?% seda, sendo to-
dos os padroes tniudinhos com as mais lindas co-
res a imitago das sedas de quadrmhos, e acabam*
se pelo barato prego de um cruzado o covado, isto
pechincha : na loja do'Pavo, rua da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Vestidos a -\
Vendem-se corles de vestidos a Mara Pa e-im
barras bordadas, pelo baratissimo prego de 45000
para acabar : na loja e armazem do Pavo, rua da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Lazinhas a i 60 rs,
Vendem-se superiores lazinhas transparentes
com bonitos padroes, sendo lisas e de quadros, pelo
baraiissimo prego de 160 rs. o covado. isto para
acabar : na loja do Pavo, rua da Imperatriz n. 60,
de Cama & Silva.
llanyuitos e golas a 500 rs.
Vendem-se manguitos com golas de eambraia
pelo baratissimo prego de 500 rs., islo para li-
quidar : na loja do Pavo, rua da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Cortes de chita do Patio
Vendem-se cortes de chita franceza muito boa
com 10 covadrs a 25400, ditos com H covados a
25610, ditos com 12 covados a 2,8800, isto s
para acabar : na loja do Pavo, rua da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Agasalbos para rabera de senhoras.
Vendem-se superiores agasalhos para cabega de
senhora 00 cachios, sendo fazenda mais moderna
que tem viodo nesie genero ao mercado, pelo ba-
latissimo prego de 35 cada um : na loja e arma-
zem do Pavo, rua da Imperalriz n. 60, e Gama
& Silva. :
Chales de ryda s 10, 125, W, 205 e 23)$, na
loja do Pavo.
Vendem-se chales de reoda preta muito finos a
105 e 125, Alto* de linbo a 155, ditos de seda de
linho nos melhores que ha rm chales de renda a
20 e 255, ditos bradeos de tres ponas a 6$, isto
s na loja e armftem do Pavo, rua da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Papel de sobrecellcnte para os
phosphoros hygienieos ou de
spAjuranca.
A vista do grande lamanho das caixinhas dos
phosphoros hygienieos ou de seguranga, tornava-se
pouco o papel que vero em dilas caixinhas, e para
remediar essa falla a aguia branca mandn vir e
acaba de receber esse especial papel, o qoal s
dar de sobrecellenle a quem comprar de taes
phosphoros e &e vender indislinctamenle a quem
delle precisar. O prego de cada caixinha de phos-
phoro continua a ser ISO rs., e vendem-se na rua
do Queimado n. 8, loja da aguia branca.
Seda froncha para bordar.
Vende-se na rua do Queimadn loja da aguia
branca n. 8.
Obras de crystal.
Brincos de diversos moldes.
Oulros tambem de crystal de core?.
Outros de aljofares brancos e outras cores.
Aderegos de crystal obra de gosto.
Rosetas de dilo e cruzes.
Boto?s de dilo, brancos e de cores para collete.
Dito de dito tambem brancos e de cores para
pannos.
Vo'Has de dito e oulras qualidades.
I.equcs de diversas qudidades
Veudem-se na rua do Queimado n. 8, loja da
aguia brauca.
Aspas forte* para balas
Vendem-se na rua do Queimado loja da aguia
brauca n. 8.
Carretas com retroz.
Na rua no Queimado n.8, loja da aguia branca. 1
Cromacome para tinyir ca
bellos.
A aguia branca avisa aos constantes freguezes
des-;, excelleute linlura, que ella acaba de rece-
ber nma nova remessado cromacome, coloricome
esabo brauco, necessano para lavar os cabellos,
portanto podein dingir-se a dila loja na rua do
Queimado n. 8.
Abridores de luvas.
Vendemse.na rua do Lueimado loja da aguia
branca n. 8.
1*01*1 hoii(|iic(s
de bonitos moldes, douradas acabo de madrepero-
la : arham-se a venda na rua 00 Queimado loja
da aguia branca n. 8.
Bonitas loiii|iiu!ias
de lil de linho, eambraia e setim todas mui bera
eneiladas: vendem-se na rua do Queimado n. 8,
lija da aguia branca.
em outra paite, afm de se apurar dinheiro efe- Fazendas.
char cootas, por isso pede ao respeiiavel publico de Vende-se superior merino preto proprio para ra-
aprovHtar a occas So, a saber. pa> do senhora e vestidos a 25. luslrim da China
Lazinhas! tramas de quailriuuos a 15800 o covado. Rua da Imperatriz, porta larga.
Vende-se laa.-iupas linas a 200 e 990 o covado,; Paredes Porto,
dila cun palmas 1 320 e 360, cassas de urna s cor .
a 320 e 360 o covldo, dilas d, palma" 280 320, h Vfn1de em ''f'CimeD! liras e ntremeos
bran- 360 e 400 o covado: rua da Imperalriz n. 56, Me' SSSfSSrESS- SmKVLTitti SS"
w Cnihunu trente bordados a .55, 45 o 05. so o Paredes Por-
- to, roa da Imperatris. no 52; pona larga junto a
padaria franceza.
Paredes Porto
Recebeu pelo ultimo paquete Irancez ricas las
granadinas com llores de seda a 4(0 e 500 rs. o
covado. eslo acabando-se, eambraia preta para
ft.Y,eM"de'f, s?'s borbadas pelo barato prego de \m. Porta larga junio a padaria frae-Heza, a rua
65o00 e 75, tiras bordadas a 15, ntremelos 800 e da Imperalriz n 52
15 cada lira ....... ______ pare(jes porto
lucos corles brancos bordados
des Guimares.
Fazendas de
Vende se as mais modernas'bareges de la e se-1
da, sendo fazenda de gesto pelo baralissimo prego
de 560 o covado.
Saias bordadas
A loja de miodez^s rua -: Q
n. 10, receben uta bonito toftkttM :.
Bvellas grandes para cintos, tet
douradas, madreperoa e Igftsnjg
-stfi 1 sendo vendidas em din lojaj
gos rommodos assim con
lita- de gorgorito acL'imalotadt,, t
ra ditas Q\ellas.
Oi-nios de -irgrcira e do t, as
sraailMsMfoa, para fte"-
da vista.
A'loja de mii-rU-zas rua do Q> .
o. 16, lamben recebes indos -Je 1 'i~a
com vidros claros e escuras, para q 1-
fre da vista, assim como outros de
de aro, sonidos em graos.
Coroas c tercos de coruara.
A antiga lija de miudezas a' 11
Vende um completo sortimenlo de fazendas
Kecebou-se bonitos cortes bordados e de cores, brancas, como sejam madarolo a 45500, 55, 65 e
de la e seda, que se vende a 85, 95 e 105 cada
corte.
Chalis de merino
A pechincha esia se acabando, chales de merm
a 25.
Riscados fscocezes
Vende-se riscidos escoceze?, a 240 e 260 o co-
vado : s o Arar.
Percalas Cuas
Vende-se perciles muito Doas, sendo de muito
bom gosto, e tendo de bonitos desenhos cora listras
a palmas sullas, endo fazenda ioteiramenlede gos-
to, se vende a 4(0 e 500 o cova-io, cintas escuras
e claras, a 200,
tanda de liuho 1
eos de eambraia
ditos de linho, a
Guimares.
240, 280, 320 e 360 o covado, bre-
e duas larcuras. a 15 a vara, len-
branco, a 25400,25 e 3 a ouzla,
440,5o0 e 600 cada um : Mandes
Cibrrlores de algodo
Vende-se cobertores de algodo, a 800 e 15500
cada um, ditos scarlates de la, a 55 ; rua da Im-
peratriz n. 56.
Camisas franelas
Vende-se ca usas franezas a 15600 e 15800,
preiias largas a 25, 540 e 550., linas a 25800
e 35, brim de li ibo de cores, se vende a l280 e
15 a vara, corte
15600,15800 e
rs. a vara.
10, pecas de algodao por barato prego, chila fran
ceza a 240, 280. 320. 360 rs. o covado, precalias
muito linas a 360, 400 rs. o covado, chila ingleza
a 200 e 240 rs. o covado. Rua da Imperatriz n.
52, junto a padaria franceza.
Paredes Potto
Vendo gangas de cor propria para roupa de me-
ninos a 320 rs: o covado, riscado francez fino a
320 rs. o covado. Rua da Imperatriz n. 52, junto
a padaria franceza, porta larga.
Paredes Porto
Receben pelo ultimo paquete espartilhos a pre-
guigoso por 3JS, sao bons, lengos de seda para se-
nhora e homem a 1, ricos cortes de eambraia
bordados de 18; a 7jf, por ter nm toque de mofo,
eslo se acabando, na rua da Imperalriz n. 52, jun-
to a padaria franceza.
B de brim de cor, a 15280, 15400.
25, de brim pardo a 640, 700 e 800
RAtipas feitas
Grande sortirienlo de roupas Ma?, caigas de
brim branco a 2J>, de liuho a 35200 e 35500 cada
urna camisa 35 <( 35500. finas a 65 e 75500, pali-
tots de brim a SJL 25500. 25800 e 35 de, casemira
35500, 45. 55. 68, 7*. 85, 8500 e 105, sobreca-
sacos a 125, l45e 16, pelos e de cores, calcas de
brim e de eor-s,| a 15280, 15440. 16600, 15800,
25,25500 e 35; s Loureugo Pereira Meudes Gui-
mares, rua da Imperatriz n. 56.
Arara 11. (. lleudes Uuimarcs.
k
No armazem delMills Latham v C, na rua da
Cruz n. 38, vendeni-se, os seguiotes objectos :
Manteiga inglezal
Gerveja branca elprela.
Louga. I
Biscoulos inglezei
Oleo de linhaea.
Folha de (landre?
Saceos feitos.
Silhes.
GAM Eli BE\[(.\.
Vende-se graixa em beii^as de suoerior quali-
dade, largo da Assembla armazem de assncar.
CEVlF r
Vende-se cevada de Lisboa, nova : na roa do
Araorim n. 3, armazem de Joo Macado do Amaral.
K
Vendem-se de 191
qualida le por muito
todos: na rua da Au
Vende-se una grande asa terrea na rua de
S. Bento, em Olintla, n. 43, cora 4 qnarios, bom
quintal, com fructeira?, edificada em chao proprio,
e em ponto alto ; a bem assirn aluga-se orna outra, | capella ingleza
com iiiiiiios commoilos, na rua dj llumtm, pro,
xlma ao banho salgado, eacha-se convenienlemen-
te aceiada e propria i>ara se i.nssar a fesla : a tra-
tar no sitio da Floresta, em Oliuda, ou 00 Recife-
rua Direilan. 117.
oca o.
20 casaes de pombos de
barato preg comprando-se
ora n. 54, taberna jnoto a
FaHnl
Vendo-se farinha d
no armazem dos Srs
pelo prego cima mei
a a 3#5"
p magdioca, sacros graudes :
''asso Irmo?, na ponte nova'
cionados.
i-n
Oueinidc n. 16, receheu mui honilas
roas e tercos decjrualina. os qua Si
a disposifo dos bons ebristos <, os
zerem comprar em dita loja : na r- I"
Queimado n. 16.
Espocjas fmsa grandr e pe-
quena.
Vende-se na rua do QaetBado,
miudezasn. 16.
DlTcrsos ot jectos.
A antiga loja de miudezas ras do Q 1 -
mado n. 16, acaba de receber nota
versos objectos que fazem cosipleai o
bello sortimento, sendo:
F las finas de sarja da mais estrai sm
ha at a mais larga, todas de vivas e agrada-
veis cores.
dem tambem de sarja l.vrada, de I iio
e novos desenhos
dem idem brancr.s. lisas e tonadas, | a
dres iirualmente novos e bo? il- 9.
dem de gorgurSo de seda acl ..
e muito encorpadas, psra date >!'
grandes.
dem de seda preta e de outras rfi i
ra debruar vestidos, aleles. ;aliii'.-. i
dem de 13a .gnalmer.le tnrtMlaa ssb
0 para os gaesmos fins.
dem de algodao brancas diversa^ Mi-
tras cores para vestidos de chita.
dem de borracha i raneas e prelas p
soatombarques vestidn preti-s, etc.
Novas e lindas goarnicoes para enfeilar
soutembarques, vestidos pret<-s, mUelgWu
etc., obras do muito gosto oerws na.
Tranca de seda com vidrilhos, gsfdda fe -
vos e mui bonitos.
dem idem de cores tamfera de bonib
moldes e agradaveis cores.
Botes para os mesmos fins. sendo pr'-
tos de seda maiores e menores, enfi ;:;'i!t-s
com vidrilhos e pendentes e ontros de di-
versas cores.
dem pretos de velludo tambem de soni-
dos tamaitos.
Lonrtos de dous vidros com ara dr ara, batato
e tartaruga.
A loja de mjudezas, rua doQoeim!
n. 16. recebeu um bello sortimenlo netos e oculos de vidros cum aropsejb Cu !e
ac, bfalo e tartaruga, e s esi veml ; !
por precos razoaveis : os pret mientes dir-
jam-seaeslalcja na rua do Queimado u 16.
Manual de conta folla
para compra e venda de assucar: vendes 1 I
vraria econmica ao p do arco de Santo Adi
Vende-se a fabrica de charutos e rfgatsai
da rua do Arago n. 32, bem aregnezada : a to-
bar na rua dos Coelhos o. 3j
Farinha de mandioca.
Tem para vender Antoni > Lmz de Olivei-r. '
vedo & C, no seuesoriptorio roa da Croz I.
Em casa de l'iiiops Brolhirs 4 C, M
! Vigarto n. 2, nmVra se cofres de f-
o joro de podras para moinhos: veode-se na rua f,lg (tos ,ftma.jci f,brifafi, u, fc
do Vigario n. 14. L,erpo0|.
layas de Jouviu.
A loja de miudezas na rua do Queima-
do n. 16, resebeu-as por este uiliiLo vapor,
o vid? de
Corles de chira cora barras a* Imperatriz Eugf-
nia, fazenda superior, a 43 eada um. mandapolo
francez muilo enrorpado proprio para saias e ca
misas a !050O a i-cga, ou a 400 rs. a vara, dito
ingles com 24 jardas a 45 a pega, caxtaes para
sahida de baile a 25300, alpodozmho largo com
20 jardas a 4JJ200 a peca, bramante enfestado de
linho para leoges a 2200 a vara, chitas france-
zas a 240 o covado, baloes de are js superiores a
235'X), cambraias lisas muilo linas com 8 1|2 xa-
ras e com mais de urna vara de largura a 8# a
pega : s na rua do Queimado n. 17, ao p da
botica.
Em csade Pkipps Brothers
& Q., a rua do Vigario
numero" 2.
Vendem-se cofres de ferro prova de fogo
dos afainadcs fabricantes Milner &. Son de
Liverpool. ___ ________'__
Coila da Baha superior
Tem para vender Antonio Luiz de Azevedo &
C, no seu esenptono rua da Cruz n. 1
)T6sO0O
f


i
oxrmhro de *,
os corte:
N. 11Ra do QueimadoN. 11
A' casa de Augusto Porto chegaram pelo vapor rancez ricos cortes de^
vestidos de seda de cores "dos mais bellos gostos, proprios para bailes,
partidas ou casamenlos.
Cuales de Guipure pretos e brancos.
BoLets de palha da Italia para senhora?.
Moir branco e preto.
Bonita seda para vestidos,
Oasemiras de quadros.
Esteiras da India para salas.
ALadupoloes francezes a 400 e 500 rs, a vara,
Lias para vestidos de diversas qualidades, e
gostos diffreentes,
Q que tudc se vende pelos mais commodos procos.
1!
CORTES IIE lli
Cheparam pelo paquete inglez riquissimos corles de moreautique de cores, e seda lavrada pa-
dres inteiramento dovos.
Seda de quadros por 1$000 o covado
.5RA DO CRESPO-5
Gregorio l'acy do Amara! & Companhia.

AO RESPEITAVEL PUBL
A tabella abaixo publicada serve de ba
tanto deste armazem como do anuazem pr
teo do Cni-mo n. 9, principal armazem ru
dor n. 40.
-

Para vestidos de senhora.
Corles de seda de cor de bora gosto e superior qualidade.
Lindas sedas de quadrinhos.
Bons moireanliques de cores.
Grosdenaples do todas as cores.
Lindos poil d chevre fazenda assetinada de inteira nividade.
Lindas doquezas assetinadas f.izena inteiramente nova.
Modernos grenaf'inesde seda oque tem vindo de oais novo.
Grande variedade de las de cores li.^as e de salpicos.
Organdyse casas de muito bom go-tn.
Percaas modernas com grande variedade.
Lilil s :rtes de 13a Clotilde com todos os pertences cada um era seucar-
inle r mente novos. i
: mscortes decapa cora barra lambun inleiraminte novos eoutras militas'
r" fazendas de gosto quesera enf.idonlio mencionar.
Para homhros desenlila
Grande variedade de chales, bonrnoax, rctondes e algeriennes de fil e de;
guipure a 10, IG, 20, 30, 40, GO at 80$. \
Modernos soutembarques de seda de superior qualidade.
Lmdi s bertes de seda de cor pretos e de cachemira.
t*P dem de carabraia branca bordada com milito gosto.
Sauterabarques ebourn.mx de cachimira de cor e outros muitos arligos desfi
, : hora gosto. W
Para cabera de senhora, cg
Superiores chapelinas de palha, de seda e de crina de omito bom gosto a im- ^
ratri/.. %
Chapeos de pilha da Italia grande variedade. KM
Lindos gorros o honets de palha de Italia, Imperatriz, Canotier, Clotilde ^>
e a Orante, ebegados de Pars pe'o ultimo vapor. fa
Grande variedade de enfeites defroco e de llores para casamento.
Superiores vestidos de blonle, e de moireantiqae brancos.
Bons m >ireantiqoes brancos e superiores sedas brancas.
Bons vestidos (j! tarlatana branco bordados. ~*
Lindas mantas de bl jnde e boas capellas. cA
Bordados. %
Grande variedade de entremeios bordados transparente e tapados. J|
nas bordadass transparentes e tapadas, babados bordados, saias bordadas e^f
, outros muitos artigos.
mm
Be deprecos,
gressivo pa-
do Impera-
Receberam Gregorio Paes do Amara! & C. mais um completo sortimento de
FIiO IMKE I O
Manufacturado em Challes
Points
Algeriennes.
Rotondes.
Africaines.
Annamtes.
Pompadoan, ele, etc.
Desde I0.-HMK a 800>O,
, CHAPEOS A KXPOSICAll
Novo modello de chapeos a ingleza de i.iissim pallfa para senhora com urna
ampia banda de tife de cores.
CIPAS
de laa prela e de cores proprias para luto, ou passeio pe'o dimrautissimo preco de IO.
Seda matisad* em peQas
padrees modemissimos que faz o effeito de um vestido de subido prefo. Assim como :
ricos cortes de moireantique brancos, ce cores, de gorguro lavrado de Blond para ca-
samento.
Magnificas grinaldas e mantas.
Colchas de seda portugue/.as.
Cortinados para cama e janellas.
Camisas bordadas,
e outros muitos objectospara noivado.
CORTIL DE TAISlATA.Vl
com enfeites de cores da mesma fazenda, o que ha de mais moderno.
CACIIENEZ
de muitos bonitos padres e feitios differentes.
E oulras minias fazendas por precos commodos que venden
Gregorio Paes do maral & Companhia.
5 RA DO CRESPO 5
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidade
genhos, lavradures e mais pessoas do centro, que para mais facilitar
| Deraram os proprietaiios dos tres grandes armazens, reunir todos
mentos em um s annuncio, pelo qual o preco de uin ser
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado,
por um preco, e na occasio da compra quererem por outro, com
mente em outras muitas casas, porin nos nossos estabelecimentc
ainda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder manda-
sero tam .em servidos como viessera pessoalmente fazendo-nos o fa\
I



DE .NToNln t'ORRBI* E VAS< ONCELLOS & C.
Itl'A 1M> CRESPO x. 1:1
- -:: a9Sw
.-.-.' i^g) v^r

T35
m
\ da boa f na ra da; LQJA
Imperatrw n. 74,
Ven lem se neoJ enf-ites para cabeca a 25'inO.
Pi-ntes pretos para alisar a iO.
|) ms cora chapa de metal branco a 500.
E T -.las iii.is pira costura a 300, 500 e i.
U ia> inuilo unas para sech ra a 30U e 40;) o
par.
\i com 50 nvelos ds lioha di"> gaz a 700.
Cniza coni 100 eovelopes a 800.
aixs com papel pautado a 700.
Kesma de papel almago grove. a 35200.
I ota irr-ta para escrever boiSoa HO.
P. cas e partos de balango a 55500 e o00.
Melas ernas para homem a 200 e 2i0 o par.
A'floetea de todos os lamanaos a 100 a carta.
I" i; di liuho aega 30 m (20.
'. i lao para vestido a 30 rs. a pega.
Dito imperial pega iO rs.
Caitas com obreias muito boas a 40 rs.
({ralbo du cartas finas a 240.
Gr< u de bati de louija para camisa a 120.
Ditos de mad-eperola muilo linos a 640.
(;-i\t le rorxete muito bons a 40 rs.
Carian de corxeles muito b;ns a 60 rs.
Gra* itas de 'e-la prela e de cores a 500.
.1 f < de v/Hpori a 800 e 500.
Caixas mi'it)finas para ra^ a ^$.
E un completo .-or.iraento de miudezas que se
vendem por menos do que era ontra quali|ner par-
; par i se apurar dinheiro.
BtUA FLOR
i\a ru do Queimado n. 63.
Nosta luja por todos os vapores se recebe luvas de
pellica brancas e decores, tanto para homem como
para senhora.
Volt is, c uzes e brincas.
Chegou no ultimo vapor um grande sortimento
de voltas e cru/.es, imitando cornalinas brancas,
assim como brincos da mesma e de crystal do mais
apurado posto qje se pode desejar, foi s quem
receben : na loja do bija-flor, ra do Queimado
os senbores de en-
suas compras deli-
os seus estabeleci-
Se lodos, promette-
inunciar os gneros
socede conslante-
no se dar islo
seus fmulos que
>r de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, reraettpndo nos urna conta
pela qual se ver os procos tal
alguina que fizer sua despenca
5 por cento ua sua despeza diaria.
qual annunciarmos, o que sen3o
em nossos estabelecimentos; pt
Servija
Superior serveja Ba
bricantes, como sejam:
Asbe a 7,5oo e 7,ooo rs. a arrepender pessoa
is poupar mais de
dos melhores fa-
Shlers & Bell. T. F.
de outras marcas
ope a 5,ooo rs. a du-
re
a garrafa. Tambem ba
como seja: Victoria e Ak
zia e a 5oo rs. a garraf;
Vinng
Superior vinagre de tjisboa a 2,ooo rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ba
mais baixo para 2oo rs. a garrafa e I,4oors.
a caada.
A zete i doce
IIANTEIQA
Manteiga i >gleza perfettamente flor ebe-
gada ltimamente de l.oooa i,loo rs. a li-
bra, e em barril teta abatimento.
Manteiga fraoceza da safra nova a 86o rs,
a libra e era barril ter abatimento.
BAMBA
Banha refinada superior a 6io rs. e em
barril ter abatimento.
CHA
Cha uxim de primeira e superior qualida-
de a 2,8oo rs.
dem bysson o mellior neste genero a
2,6oo rs., e sendo era porco ter abatimen-;
to, tambera ha uroprio para negocio de t a Supcno.azeite doce de Lisboa a Gio rs. a
2,4oo rs. a libra. garrafa e a 5,000 rs. a c; nada.
dem preto superior de l,8oo a 2,5oo rs.! Mass
a libra. Macarro e talaerim ;
Biscoutos 15,000 rs. a caixa.
Latas com superior biscouto in^lez da di- Pass |u
versas marcas a l,2oo rs. a lata. i Superiores passas a
Bolaehiohas l,5oo rs. a ca xa de anoba bespanola e a
Latas com bolachinhis da acreditada fa-1 5oo rs. a libra,
brica do heato Antonio, proprias para dar a
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata. j OEVEIBRA.
dem com quatro libras de bolachinba de Genebra de laranja verdadeira a lo,5oo a
soda a 2,ooo rs a lata. duia e 1 ,ooo rs. ao frasco.
QnPftS Genebra de Hollanda
'oiU.eijiKs rs_ afiasqueita e a 56o
Queijos flamengos chegidos no ultimo iom je flollanda em
vapor a 2,5oors., tambem ha do vapor pas- da nm$.
-
o
o
IS
360 rs. a libra
e a
3,ooo o quarto e
sado a 2,3oo rs.
Garrafoes com 24ganafas de genebra de
verdadeira a 6,ooo
rs. o frasco,
botijas a loo rs. ca-
arrafao. Tambem;
n. 63.
Enfeiles para coque.
Assim como receben enfeites para coque e ou- 3,500 e 4.000 rs. a caada.
CHOCOLATE I Hollanda a S.ooo rs. o _
Chocolate hespanbol a l.ooo e l,2oo rs. i,, Rarrafoes cora 5 e 14 larrafas de 3,2uo al
a libra, francez e suisso a l.ooo rs. a libra, g.ooo rs. cada um.
e portuguez a 800 rs. a libra, era porcao; VELAS
ter abatimento. Velas de spermacete a p4o rs. a libra.
VjVHOS '^(im *^e carnau')a de \o a 12,ooo rs
Superior vinho do Porto das mais acredi- arroba e de 36o a 44o rs. la libra.
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto. Velbo Secco, Lagrimas do
Douro, Maria Pia, D. Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a l.ooo a garra-
fa e 9,ooo a 12 ooo rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3,ooo,
Acha-se
v >la na hvraria academiza, na roa do Impera-
dor; ua do Sr. Nogueira, junte ao arco de Santc
Antonio ; e ua lypograpbia imparcial, na ra es-
iretla do Rosario a ompilacaode toda a legisiafai
tendente administracao, arreeadacao e- .cali-
-ii ;i. dos diobeifos d*> orphSos defuntos e ausen-
i .-, .raneas jacentes, legados, etc., contendo nc
s o regiment de cusas e a lei geral das execu
como tambera todas asrdeos e avisos de-
poveroo, que a ludo Imu explicado, tanto a respei-
' das nl)r!a;JH; inh.-rentHs ao cargo dos diftereo
'.- empreados de jastifa e fazenda, como dos di
reto* nacionaes e emolumentos que sao devidos
K : livro contendo mais de 700 paginas em nitid
wpreasao e bom papel, e preslando-se a utilidad^
de differentes rlasses, torna-se recommendavHi.
S.'ii relo I00OH por cada exemplar em doof
ota i.-
CIULES*
Cirande peclilncha.
N l ra da Imperatriz n. 52 porta larga de Pare-
de* Hurlo, vemle-se chales da merino estampados a
2?5 o 2^300 e linos 5. esian se acabando.
Bwrdados.
Chesnn a loja de Paredes Porto, roa da Impera-
niz n. 52, um sorlimenlo de famizmhas, gollinhas,
cu pinbos, rouieiras e sintos, de rambraia branca,
pelo barato prreo de 2500, 3ji300 e 4J>, gi.llinhas
500 : -. romefraj a 800 e untos a 800 rs, prande
qi: iniiiiade de eotremeios a 000 e 800 rs. a peca,
e*ta i se acabando.
Vende se rima grand- casa terrea no lugar
da (rpinca esquina da roa das Deosa, com cha-
firiz na fr^nie, toda murada, com grande qoMMal,
conteni diversos arvoredos, cacimba e tanque
para banho : que a preiender pode ir examinar
e tratar na ra estrella do Rosario n. 13.
f
tras muitas qualidades, que se vendem mais barato
do aue em outra qualquer parte.
lioneras que chaniim mam a i e papai.
Tendo recebido um grande sortimento de bone-
cas que chamam papai e mamii e movem com os
olhos, muito bem vestidas, com cabelleiras, o
que pode haver de gosto neste genero, e vende se
imis barato do que em outra qualquer parte.
Balaios.
Assim comoum bonito sortimento de balaios para
menina de escola, tambem ha muito bons pentes
para desembarazar, guarnecidos de metal.
$ Bichas de Hamburgo i
fe todos os paquetes da Europa se recebe jfl|
& destas amigas do sangue humano e se 2|K
H vendem a troco de pouco lucro s aQm B
JH ** ter sempre cousa nova : a loja de bar-
,', belro roa estreita do Rosario n. 3, ao p
i& da igreja.
lMOil W&M Mi
COIares Royer ou colares ano-
dinos
para facilitar a denticao das mancas e preserva-
las das eonvulsoes.
O feliz resaltado ohtido immensas vezes pela
prodigiosa Torca magntica dos colares Royer, nos
casos de convulsSes, e denticao das mangas, lem
altamente elevado o seu bem merecido prestigio,
e hoje ja se pode dizer que estao geralmente con-
ceiiuados, e estimados de innumeraveis pais de
familias : de uns porque do uso desses salutares
colares viram salvos do perigo seus charos filhi-
nho, e de outros porque colheram d aquel les lao
proficuo exemplo para igualmente preservar os
seus. Assim, poK a aguia branca, teodo em vis-
tas a utilidad* e proveil desses prodigiosos cola-
res anodinos ou Royer, mandau vir o novo sorli-
meolo que agora recebeu, e continuar a recbe-
los para qne em lempo algum a falla delles possa
ser funesta aos pas de familia, os quaes (carao
cerlos de os achar constantemente na roa do Quei-
cnaao, lija d'aguia branca n. 8.
Vinho do Porto superior em caixa de duzia,
tem para vender Antonio Luiz de liveira Axeve-
do <& C. no sen escriptorio na da Cruz n. 1.
Vendem-se duas cscravas recolhidas, de ida-
de 23 a 24 annos, exrellenle conducta, engommam
perfeitanif ole e fazem lodo o servido de urna casa :
na travessa do Carmo n. 1.
Vende-se um sitio em BemGca a' margem do
rio Capiliai itie, com bstanles commodos para urna
grande familia : tratase na ra Nova n. 24, das 9
i lloras as 4 da larde.
Superior vinho chamisso em barril a 64o
rs. agarrafa ea 4,5oo rs. a caada.
Superior vinbo de Lisboa e Figueira em
anceretas de 8 e 9 caadas a 24,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinbo branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ba mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,5on a caada.
Cateas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa e
Too rs, agarrafa.
CAF
Caf do Rio de 1.a e 2,a .qualidade de
6.800 a 8,2oo rs. a arroba, e'de 24o a 28o
rs. a libra.
SABIO
Sabo maca de primeira qualidade de 18o
a 22o rs. a libra e de 16o
em caixao.
PEIXE |
Peixe em latas j preparado de l.ooo a
l,2oo rs. a lata 1
INQO
novo de 3,800 a
1 e 160 rs. a li-
ALPISTA E P
Alpista e painco muito
4,000 rs. a arroba e de 14
bra.
CHARUTO:!
Charutos dos mais acreditados fabrican-
tes, como sejam: Joao Furtado da Sernas,
Manoel Peixoto da Silva Pfetto, Castanho &
Filho e Brando e de outros muitos, os
quaes vendemos pelo mdico preco de 1.6oo,
2, 2,8oo, 3,5oo, 4,5oo, e 5,ooo rs. a caixa.
IyIco res
Licores francezes e portufguezes a l.ooo e
l,4oo rs. a garrafa ou frasco.
Doces I
Doce da casca da goiafka e caixcs pe-
queos a 7oo rs. e de 5o caixes para cima
a 64o rs. o caixao.
Frutas
Frutas em calda e era latas fechadas her-
mticamente, muito bem eufeitadas, conten-
do pera, pecego, ameixa rainba Claudia, al
perche e outras frutas a o rs. a lata,
alo rs. sendoiTambm hlalas grandes [para l,2oo rs. a
lata.
DE
AZEVEDO FLORES
Ra da Cadeia do Recife, esquina da Madre de Deus-
Grande sortimenlo de IVzt'iHas por aiacado e a rctalho. t ua esatlett ssr
menlo de rtiprfeita, deca>emiia edebiim, tjilo por meias cae ea
outra fitlfier parle: quem davidar venha ver.
CAICAS
de lindas e finissimas casemiras escuras e claras, de superior casemira prela de fiaos
brins brancos e bom brim pardo. '
Paletos
de superiores casemiras escuras e claras, de fina alpaka branca, de superior a pala re-
la e de brim pardo. r
rollete
de boas casemiras prelas e de cores e de lino brim branco.
CAMISAS
Superiores c imisas francezas de 2.-J at 5(5.
Cera mas.
Ceroulas de superior bramante de tino linho.
ISales.
Superiores bales de arcos para meninas de 2 at 12 annos.
dem superiores para senhora.
Ciravatas e mantas.
Superiores mantas para pe>coco de homem, as mais modernas do mercado.
MadapolSo.
Madapolao bom a 8#, 9$, 1<,5! e 12.
Chapeos de sol.
Superiores chapeos de sol de seda balo a 105.
Fraques de casemira.
Fraques de casemiras, pela, escura e de cores claras, e nao ha vendo que sirva
ao freguez manda-se fazer por medida e com muita prumptido.
Todas estas fazendas por precis insignilicantissimos, pois o filo do Baio ad-
quirir freguezes.
LOJA DO BALAO
HE
AZEVEDO ARMIZEM DE FAZEMDAS
/
DF.
*c.
Uvas pelo ultimo vapor.
Peras pelo ultimo vapor.
Mac5as pelo ultimo vapor
Ameixas pelo ultimo vapor.
Passas pelo ultimo vapor.
Figos pelo ultimo vapor.
Frudas seccas pelo ultimo vapor.
Fructas em calda pelo ultimo vapor.
Nozes pelo ultimo vapor.
Queijos londrinos pelo ubimo vapor.
Queijos flamengos frescos pelo ultimo vapor.
Presunto fiambre pelo uliimo vapor.
Tudo se vende barato us seguintes armazens:
Ra do Imperador n. 40. Verdadelro Prlnel
Ra do <|nelmado n 9, ITnlSo e C
CUSTODIO CARVAIiHO
27 RA DO QUEIMADO N. 27
Madapolao francez muito fino, tendo pouco mofo, cada peca com 27
IOiJOOO.
L5a de c res a 300 rs. o covado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a preco de 800 rs a vara.
Lencos brancos para algibeira a 25' 00 a duzi.
Fin is perclaras a preco de 400, 440 a 560 rs. o covado.
Ricos cortes de laa de barra de 105 a 305000.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.
ULTIMA MODA.
taras
por <
Largo do Carmo n. 9, Progrsslvo
I.
relo.
Paredes Porto recebeu pelo ultimo paquete um 'completo soriimMo de capas
bournus de cores ricamente enfeitados a Itj, lj e 20$ : na ra da Imperatriz a. 81
loja da porta larga junto a padaria franceza.
GiZ.
oa no
o roe-
No armazem da ra do Imperador n. 3
Caes de Pedro II n. 2, tem para vender-se
Ihor gaz existente no mercado.
Vende-se um cylindro, urna masseira, urna
balanca grande e urna dita pequea, com lodos os
pesos e mais atencillos de padaria : a tr.it.ir na
ra Direila o. 24.
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descare-car
algodo : na ra da Senzala iNova n. 42.
--------------------CambraTa.--------------------
Cambraia de forro com 8 l|t varas a peca a 25,
e>l*-seaea*ando : oOtujada porta larga da ra da
Impcratrii o. 82, de Parajes Porto.
Vende-se ama mobilia de amaretto ja usada:
a roa estrella do Rosario n. 17, 2* aodor.
a variado.
Francez barrica 5J6M
Portland idea 84500
Em perfeilo estado:
Francez barrica 1*4009
Portland dem ttjl
No armazem de Tasso I raaos eses Se
issMM.
Cheiraram os bonitos chales e n
re brancos, e vende se na roa da
S2, loja da port larga, de Pane
Chales de renda
Paredes Porto, na roa da Imperatriz su S2, eorta
larga, vende chales de renda de
no tme de mofo, a 3500 e 41, l
e 125000.
,J


^i HMkMHaflHw^BHMM
-

filarlo de Peras!* ftgasoa tetra O da -Voresahro de : *.


GERENTE
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
AO
HESPEITAVEIi PUBLICO.
A. apreciacao dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
irm da Liga estabelecdo ra Nova n. 60 nm magnifico sortimento|de molhados,
que sendo em sua maxim.) parte mandados vir directamente do estrangeiro^podem ser
vedidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
fmeiro e nico em aeu genero, pde-se porm -ffiancar, com toda a seguranca de que
enhum outro o exceder no restricto cumprimento das segaintes promessas:
1/ Delicadeza no trato.
2.; Fidelidade no peso.
3.* Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sua posicao social gozam decerto tratamento, acharo nesta
casa os meihores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condicao do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquelles que sao poaco favorecidos da sorte faro mensalmente urna economa de
rauitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se ihes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassuar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem ou nao quercm vender.
Os seohores de fra da cidade, dos arrebales ou centro, qne compram para ne-
.^ocjsr, devem vr, pelo sen proprio isteresse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhons que compram para tornar a vender existe ura sortimeirto "spe-
compradores.
Nao se teto poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGINTES PRECOS S SE VENDE
A DIMIIEIRO A VISTA:
'- Graixa em latas, muito nova, t 80 rs. cada
.ALPISTA a 420 rs. a libra. i urna,
dem e painco de oito libras para cima a u
100 rs. i KIRSCH de W.vsser a 2 a gerrafa.
AKhoz de 90 rs. a libra a......... ^
Amkndoas, casca molle, a 280ts. a libra. LATAS cora graixa a 80 rs. cada urna.
Avellas e 210 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os tt-
manhos.
dem idem em potes de todes os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tame-
nhos.
dem idem em frascos de todos os tamt-
nhos.
Azeite doce de primeira quelidade a 560 rs.
a garrafa.
Alhos a 200 rs. o molbo.
Absyntho a 2f000 a garrafa.
B
BOLACHINHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas,
(em do Principe Alberto a I5800 a lata, e
de cinco para cima a i 5700.
dem de sola em latas grandes a 2#0Q0 e
de cinco para cima a IrJSOO.
IksciTos inglezes de todas as qualidades a
1,3200, 15250 e 15300.
Bolo francez em caixinhas a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglezis.
Banha de perco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 600 rs. a libra,
dem suisso a 15 a libra.
dem de musgo a 15500 a libra.
Chocricas muito novas a 800 rs. a libra.
Letkia a 409 rs. a libra
M
MANTEIGA ingleza e francesa de pi imeirs
qualidade a 15. a libra.
Mar.mei.ada dos mais acreditedos fabricantes.
Macarro e taliiarim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 600 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho ingcez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa brenca e amareia a
60 rs. a libra, em cakas cora 9 libras a
35500.
Mii.no painco e alpista, sendo mais de S li-
bras a 400 rs.
ti
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Ostras ingiezas e americanas.
P
PEIXE era posta, latas grandes, a ifjCOG, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, .corvina, pargo, salmao, pescado e
pescadiuha, linguado, eardinha. etc., etc..
Peras era latas, excellente preparacao.
Palitos para denles a 12-3 rs. o maco Euito
grande.
Passas em qnarto a 15400.
dem muito novas a 400 rs. ;i libra.
Pomada muito nova a 28G rs. a duzia.
AO PUfcLii
Mem o menor constran.
glmeuto se entregar o
Importe do genero qne
nao agradar.
ATIENDO
9i precos da scgulntt
tabella para todo, pft.
deudo assim servir de bi-
se para o ajuste de coma*
com os portadores.
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o arco da Conceic&o)
PARA BEM DE TODOS,
rtt** '"nvida a urna visita ao mesmo, certos de qDe sem dovida me darlo a proteccao e preferencia na'rnm- uli 2M2
. ,-i-,' K'in "i a mionrln nA nnccnti tras r*/\r1nr'r\ morifir caiio nnpti/Arno .,;,-.! .____ _.. '
Senhore*
eza com que sero trat.
rra dos gneros que precisare a
nois serlo tSo bem servidos como se vessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacSo, afim
Ira f?rip.
RIVAL
SEM Sfi*t JtttO
Ra do Uuclzsiudo na. 9 e .
' Contina a vender ntaH ammii r,ne afean
declara por presos idmiraui.
Massos de paluos lijados para acules a |0ft r%
Espelhos demilduras dour2d;i> .
Bonels de oliado para menino a I MIS.
Diios de rouro superior laieoda a lM>.
PraaeM com upinor una racha .io r.-.
Meiadas de l.una (roa para U tu...
Caixas rom 100 envelopesjainda r f a a t'A i
rozas de peonas de aro, lazenrt; i < -.vn.
Gruzas de botes ataareperm^ 11 m a '* i
i 4e b40 rs.
Cixas com 50 norellos de lii. a ',*% r*
Caixasrom .<-upenores obren i i
Peta de lita branca ela>ura ni
Varas de franja de la | na er'
40 rs.
Barallios dourades .'up-riprfs i i'.Hn.
Novellos de lisha roa 400 jaro> fet rs
Lnn.s para warPfcn de r-nia ivr a 1U. r.
Pares de boloes para pni.l.o, l>;. iC> t r .- :-.y rs.
Tesouras para costura (apenrii! n. ?er%
400 e r.
Caixas de peonas c raii-f ra| r -. 'ri(^iii
11000.
M,sos rcm fnneriors errmio i '' :-.
do 'riic- i i?; "
rif>r's ?.'"'"r> '-
Manteiga ingleza especialmente escclliida a
1,000 e 800 rs. a libra e em barril se faz
abaimento.
[demfranceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cba hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cb perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem bysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de e 2 li-
bras a 1,6oo rs.
dem preto o que se pode desejar oeste ge-
nero a 2,000e 2,2oo rs. a libra.
Lnguidas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz batimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a tora.
Gostelletas ingiezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados oeste ultimo va-
por a 2,2eo rs., ditos de navio de vella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito fresos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato-a 8oo rs. a libra, e inteiro se faz
abatimeRto.
dem suisso o mais superior que tem vindo^
mando nao possan portadores, ainda" que &&? Z^, Cai^ TXg&tiiZ a'%
de quenovSoem ^ff*"*Mm,mtmnm '' 'ifrusta
ir a r ReraMa a papel alaM{o a ffM SlSSSn
&ai rennado em frascos devidrocom lamia Estovas para roupa, amala Na a 7as >.
do mesmo, a 5oo rs. Duzias de irosrai en: ioqn> 'i '. m
Qerveja branca das marcas mais acreditadas
que vem ao mercado, a 5oo, 5fio e 64o
a garrafa, e 3,8oo, 6,ooo e 6,5oo a du-
zia.
Aletria, macarro e taliiarim a 4oo rs. a li-
bra e 6,ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
oha bran^i ou amarella a 64o rs. a libra e
3,5o a caisa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancorlas de 9 caadas a
35,000 rs.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das meihores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainba de Por-
tugal, Duque genuino, D. L'uiz 1, Madei-
ra Secca, Malvazia fina a 16,ooo, I5,ooo,
12,ooo e 1 o,ooo a caixa com 1 duzia e 9oo,
l,ooo e l,5co rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duzia e l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas ingiezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
e parff s de rato r
'ino para rrwv&- *
i .'..'0.
600 rs.
Dnzlas de facas
Talheres muito
Polseiras para arates s :'2i
Ditas e vdias pero>rahora a Na
Cevadinha de Franca muito nova a 9nr,r rharnio -i i i f l a 2o0 FS' Frascos ftn. suf. ii.r beato I MS "",. rs.
linarutos uoaffamado fabricante Jos Furia- id'm desaprnoroteeaslmsi aSt.
do de Simas, dasseguintes qualidades- Ce'**fraaaiart*epm$aesa*n
Exposigao Normal de Havana, Impeiiaes, IX"" ? ?&* ,'r,u a m* **' *
t nnlrinnc r..nnninnn. t, .'.""t"''""' Cartas de alhri ti > lr?r ce7i s a KO .
Lonurinos, Guanabaras, PansieosM, Sos- naairraoi de papoi wo i re.
piros UeiICias, a 4,000, 4,500, 5,000, Grvalas de cores, f:7inda orertf. a ETO r
6,000 e 7,ooo a caixa ou em n eias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos. Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,r>co e
3,ooo a caixa.
opnac infle/ das meihores marcas, a 8ooe
l,2oo a garrafa.
Doce da cafca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
ao mercado a 64o rs. a libra. Bolachinhas de soda em latas de diversas:Toucinhode Lisboa muflo" novo a 32o rs a
Ervilhas c favas portnguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feij5o verde muito superior a 640 rs. a lata. ra mimo a 64o rs.
Copos lapidados para agea a 5,ooo e 5,Seo i Passas maito novas em caixinhas efifeitadas
rs. a duzia. para mimoa3,ooors.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs. Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a duzia. a libra.
Chocolate francez 'espanhol e suisso a 9oo,' Figos de comadre a 24o rs. a libra.
l,ooe e 1,2oo rs. a libra. j Amendoas de casca mole a 4oo ts. a ibra.
Esprmacete superior z 6oo e 64o rs. c ii-! Milo de amendoas a 5oo rs. Caixinhas com fructas em doce secco de di-
bra e em caixa se farabatimento. Bolacbinha d'agua e sal, da fabrica de Joo; versos tamanhos muito proprias nara
Petxe em posta em latas hermticamente la- de Brito no Beato -Antonio, emlata de 6 li- j mimo, a l,6oo,*2,6oo e 3,5oo cada' urna.
bras por2,5oors. Ruibos, excellenle peixe portuguez, em
Amerxas francezns-em rasco de vidro com barris pequeos ou a retalho, a vista se
tampa do mesmo, a l#6oo. far o prero.
Amerxas-frane zasem caixinhas de diversos'Azeitonas deRivasem ancoretas grandes de
tamanhos com bonitas estn pas na ca- g garrafas por 6oo e 8oors. a garrafa
xa exterior, a 1,4*0, l,6oo, l,oo e 2,ooo| Azeitonas portnguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancorela.
qualidades a 1,3oo rs. libra e 8,5oo a arroba.
Cartescem bolo francexmuito propriospa- Banha de porco refinada a fio rs. a libra.
Bolacbinha Alberto, as meihores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,oo e l,'oo o frasco.
Papis de apnlha.', lurdn dooraeo. a M
A LEGITIMA
SiLSAFAMI
eradas e das meihores qualidades de pei-
xe 8oo, l,ooo e l,2oo rs.
Vinho Oordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao itesoo mercado a 7,ooo e
8,co a caixa e 64o e 7oo ris agar-'
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
cada urna.
Azeite doce refinado hespanholonportuguez | Champagne da melhor qualidade
Cai a 240 e 260 rs. a libra, e em porcao
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 7JOO0 a ar-
roba.
Conskuvas em frascos a 320 rs. cada ua,
sao muito novas
dem ingiezas, frascos grandes.
"iiampagng de todas as marcas.
Chakope de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 1&800 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
?dem Victoria Bas tresX e deoutrasmarcas. (
Charutos das mais acreditadjs marcas, co-i^AL refinado em fras<*
mo sejam : Normas d'Ilavana, Exposico, Salami i Leo
Flor do Brasil, Parisienses, elicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Kegalia, Missis-sipes,
Panelellos, Apraziveis, V.iretas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
precos, hysson. huxim, aljfar, preto, e
preto pona branca, etc.. etc., a 2000,
22"0, 2-J560 e 2800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados ds todos os amnteos a du-
zia a 20800, 30300, 4 e 5.
Cauces de todos os tamanhos.
Cognac superior a 1$ e I500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o mago
de cinco macinbos.
QUEDOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem siiicsos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra. .
QUARTINHAS OU MORINQOES a
B
RAPE' Meuron a 1,5 a libra,
dem Princeza do Rio a 15200 a libra,
dem francez a 2)5500 a libra.
H
SABO massa a 160 rs. a .libra, em catea se
faz abatimento.
Sardimias de Nantes de todos os fabricantes.
Idem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
Sag muito novo a 100 rs.
T
TOCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escreverv
conta certa.
Frasqceirasde enebrae Hollanda a 6,8oo a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa.
e 6o rs. o frasco. j Balates muito novssa 8o rs. a libra e2,5oo
Genebra de laranja verdadeira era frescos o gigo com 36 libra-.
grandes a l.oooe41.,ooors. a frasqueira.; Conservas ingiezas a 75o rs. o frasco e
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. a li-' 8,5oo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. : Vassoaras de escova para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li- 4oo rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arrosdo Maranho de Ia qualidade loo, Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
rs.c libra e 2,8oo arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo fs. a libra e2,8co ajMostarda ingleza dos meihores -fabricantes,
arroba. | a 8oo rs. o frasco,
dem de Java a 8o rs. -c libra e 2,4oo s ar- Mostarda francesa em potes j preparada a
rba. 4no rs. o frasco.
Paincoc alpista a lio rs. a libra e 4,ooa a Lentilhas francesas,excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a ibra.
Massalatomatesdejaperiorqnalidadeat;io Marrasquino de Zara propriamer.te dito a
rs. z ata de urna libra e 56o rs. a wta- |'! garrafa c 11 ,oo a duzia.
!h- Palitos de tiente a 14o rs. o maco.
que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra'.
Figos em sextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
os, por diversos precos.
Amendoas ennfeitadas a filo rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8o
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a 1 ,ioo e 2.000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
PKEPAEABA UlSICAinTS POI
LAMINA Elir,
'.i /' T. --S
< | :;; ss:
i. ; it-
t I >| t! f-
NOVA YOBK.
CompOSU de stil.-t; i ; -
propriedades emineiilm ei l
approvada pelas joalSK
iln ina; usada nos principar?
vis militares e da marinha tn- \t li |
DO continente americano ; n
faculta ti vosos mais ilitliartBi *a aatffM d*
Rrasil e da America beassal rl
cura radicaltett:
escrophulas. rheumatismo. eacstaHi ea-
fermidades venreas ssMrcarwfi rftspsi
antigs, motphea o todas as nlalaai r.-
venientesd'iini sstsaavsisn o ssafas.
Emquanto existem varias iiii.i -
falsificacoos. preciso I MSM
evitar os engaos,
A legitima salsa de Msl I sd -- pr
CAORS 4 BARBOZA
JOAO DA C. UTO I C
Joo da C. ravi. a E
deposito geral ero Pfr: ai rn:
Cruz n. 22 em casa oV Tan -osa
~- n a -i -ZL.~L.ia ns J o -i x
V
VINH0S1
1
ir
DOCES de todas as qualidades: brasileiros, .
inglezes, francezes, ete. etc. S^soa
portuguezes,
E
ERVILHAS seccas a 120 rs. a
irvadoce a 400 rs. a libra.
F
libra.
rs.
Principe Alberto, de 1831, a 5000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 25 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 16500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 25 a garrafa.
1:) e 16500.
15, 15200 e 16500 a garrafa.
jD. Luiz a 1)5 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 2(5 a gar-
rafa.
iCarcavelos a 15.
' Colares a 900 rs. a garrafa ; o nico vi-
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120 nho 9ue.se Pde beber Por nSo ter com-
rs a libra Pos^ao alguma.
dem de araruta a 320, 400,500 e 800 rs. ;anfDe _" rs- Srrafa'
Fgos de comadre a rs. a libra. .^eaux ledoc a 8 0 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 15 a garrafa.
Absyntho a 26 a garrafa.
Kirsch a 25 a garrafa.
Wermouth a 25, e a caixa a 185.
jBitter Maurer a 16 a garrafa,
Farei.lo ha sempre em deposito de 500 a vinho figueira em ancoreta a 205.
800 saceos, de todas as quididades, de to- dem Figueira e Lisboa em pipa a 25500 a
dos os tamanhoj e de todos os precos. caada.
Cambra as.
Parede Porto vende eambraias lisas linas, gran-
O tira nocidas por exerllnela de gorli.-nento, a 34 at 64, ditas Victoria muito
Vende se por 16300 os frascos grandes, e 800 Anas, com 10 varas a 6,* 05u e 76 : na ra da
rt. os menores: na roa do Imperador n. 37, ar- Iroperaini n. 32, junto a (dara fanceza.
matera alllanca,______________________^_ I____________________________
Cavallo. Chepem aos corpinhosiflecambriia
Vene-se um msgnifleo cavallo raco-pombo, Vendem-se corpiohos de cambrala com entre-
muito gordo, aovo e de todoi ag paisos : pode ser meios a 'i e 56, esto se acabaudo ; na loja de
visto na eslribaria do Sr. Tomai Payne, na roa Paredes Hortivrna ds Imderatrii D, W, porja lar-
da Scoiala-aova, ga, juq.o a padaria francoza.
FehAo verde em latas a 600
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libn.
dem americano em latas a 16.500
Tasso Irmaos
Vendem no sen aimazem rna d
Amorini n. 3i. .
Licor Ano Curasao em botijas e meias botijas.
Licores (nos sortidos em garreas com rolbas t
vidro e em lindos frascos.
VinhosCheres.
Santernes.
Chambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Mnscalel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniol.
O castello de Grasville.
Traduzido do francez por A. J. C. da Cruz.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 3600C
aa praca da Independencia, livraria ns.
6 e 8. ^_______
^ende-se om sobrado de dous andaras no
tairro de Saoto Antonio, o qual rende para mais
d- 1:2006, eama casa term no tnirro da. Boa-
Vista a tratar com agente Olympo em $60 arma-
zem na roa da Cadeia do Recite n. 34.
!MACffll\ASDEP4TEiN'
de trabalhar mo para
descafocaralgode
FABRICADAS
Por Pknt Brotkers & C
OLDAM
Estas machina)
podem descarla;
-qualquer epecit
. de. algodao sec.
estragar o fio.
" sendo bastante
duas pessoas para
otrabalho; pd*
descarocar ih
arroba de algo-
dao em carece
en 40 minutos.
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar
robas de algodac
tirapo.
Assuncjmo machinas para serem oovidas por
anituses., ue descarocam 18 arrobas de algodac
limpo, por dia; e motores para mover ama, duas
eutris dessas machinas.
Os roesmo* tem para vender um bellsimo va-
por que pde fazer mover seis destas machina
"mencionadas; para o que eonvida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zem de algodo, no largo da oonte nova n.47.
Sannders BrouiersiC.
W. II, praea do Corpo fiante
RECIFE.
Os aicos agent* neste paiz.
iiini wmm ase
S ^^0 VILLAR S
Com leja roa ds Crespo n. 17.
Recebeu de Paris sedas em cortes mu 5
lo superiores e bellissiaos padroes, e i
I chaes de renda pretos para 106.
liste importante estabelecimento torna- S
se reeommendavel ao bello sexo pela va- aa
m riedadt de fazeudas superiores e bellos Wt
^ gostos
Proleja o bello sexo ao Villar i
H e vero todos a prosperidade.
mmmmmmmwmmmmm
Testamentos em verso.
Continuam a estar venda, ra tycogra-
pliia dr ra do imperador n IR, d'efronte
de S. Frauci.'co :os testamentos da Gali-
nha, do Gallo, do Porto, do Leao, do Galo,
do Pei. do Carneiro, da nca Tigre, do
Cao, da Hyona, do Rato, do Orangutaupo.
do Macaco, do Burro e do Vigario ; a Patoja
da Alma com o Di-bo, a 160 rs. cada um,
e a 100 rs, a quem comprar urna .olletcao
cemj leta ou 2o; cartas de ABC, taboadaf.
cathecismos, economa da vida humana!
cartilhas, Simao de S'antua, Bildia da in-
fancia, manuscritos, traslados, pautas, pro-
curacoes, apudautas, leltras, conhecimentos
para embar.ue deescravos, despachos para
a alfandega, papel almaco pautado e pinta-
do de diversos formatos, sendo o pequeo a
30 rs. a folha, o immediato a 40 rs., o me-
dio a 50 rs. e o muito grande a O rs.;
j papel marroquinado e lustroso grande e pe-
queo ; papel para impressao de urna s
cor grande e pequeo; Virgilio, Horacio.
Salustio, Magnum Lexicn, prosodia, dic-
donarioa francez-portuguez e vice-versa,
selecta franceza, e otitros mulles Iivros, hem
comn em branco de tod >s os tamanhos.
1NJECCA0 BKOW,
Remedio infallivel as ajanrriH w aitifss
e recentes, nico deposito na pksns a
fra'ceza, ra da Cru. n. i > prtcs Se
36000.
Pessai di; ema de rooto
vende-?e na ma do Vinario c
iripiorio-
iawrMr asMaa|
:4, I Hid.J. e*-
k
y ru;i d Imptratriz n. ?f. 11
de sol, l? para vender nm m rtiir. 1
onro, pi me .-ejam, ad^reri ri n 1 'et. -
meios drlo, alfinpte>. loieta, a
para relogio, eafblelaa, oaa>, l ;r. 1
nhns, ditos para ibrrlsr, e ts*
ourn de diversas qnaiidrde- e |oslo>. <_ iod a
vende barato para acatar.
Ir. A
r. *>
' rmaa
PB-
ESCBlfO n&n.a.
Fngio no dia I i do correle n piolad Faat-
lino, com idade de 26 anno- de ida e para *aw,
baixo, grosso, olhes prel..-, ps Mfwri*4u
nariz lilado, aam curia-, e 00 dia 17 ai nrMn,
os pretos Luiz, crioulo, ld.de de 41 ano -. r j 1
Maranha de s anuos, levaran aasMj* aaasj
e calcas de algodio: qaem os peyar .tar,r k-vor
em Sanio Amaro em casa do wo -^.ih. r ttowel
Custodio fexotu Soaies, que .-era gri.ka
ALGODAO A BAHA
Na loja de Andrads & Reg, ra do Crespo o. 8,
esquina da ra do Imperador, contina a vender-
se superior algodao da Babia por meos preco que
em outra qualquer parte.
Vendem-se quatro burras molo mansas, boas
de carga e de sella, por preco cc-mmodo a tratar
do betel de Prang*.
Framcisco Jos Germano
RA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gosto da Europa e ocu-
los de alcance para observacoes e para os
martimos.
CsrltaXIlE
(irahijears it Mf.
Ausentou;se da casa 9 da m- d trrprrpaT
(oair'ora Cotcete) no mSSsss 16 o. 1 nvaa !
oe wtenbiode 1865, o esnrssspsaa *>aas l-'-
quim.com os .-ignaesst)iuinie> : nSaSsss nfaka
idade 18 a O annos. sem barba, p- .. .. ,fai
grandes, cabe,lo corrido, rom ama m -i eraSs
e bem vbiwi na lesla, paite dv> SVi aaai
arruinados, e com falla de algn* -
com calca de l.rim pardo e sstSM > 1.1 s ,
mas lev,,u mais roupa branca e dr cor. t vuis
astucioso, cosinma iotilular-se forre 0 .ttr cwt-
cado ; i escravo do Sr. Guilbern, tnmtm So
Souza Carvalho, geuro do tinado Sr um i Manoel Goncalve.s da Silva : MSjaN a -ua raiiur
a todas as autoridades policiaca sasJSM cs-
pilio de campo ou ootra pe>soa awartav m*
apprehcnJtr M piaiilicara rom SA, al. ai Aa *>-
pezas de condncco, entregando-o a --o -triar
Migoel Jos Alves. na casa arima. m do trm m-
criptorio na nu da Crui casa m. l'.t.
Vende-se riscadinho francez a 200 rs. o covado,
por ter grande quamidade, esla-se acabando : na
ra da Imperalriz 0. 51, loja da porta larga, de
Paredes Porto.
Breo em barricas pequeas
Cara em velas de todos os tamanhos.
Bogias.
Mercnrio.
Na rus do vigano u, 19, primeiro andar.
No dia 20 de setembro prniim
gio do engenho Terra prea, doabaiv> fntit, 0
escravo Juliao, crioulo. de altara r^cobr. cr<,
de 30 annos de idade, penca barba, leu oo y hrm
feitos e pernas, moilo fallante, al fax rrces,
tem o dedo polegar de orna mi car-ido para >-'
tro, anda cem urna carta fechada, do tereafc mr-
nel Amaro Gomes da Cunha, apadrinhanrf ,. rua-
ca foi surrado este escravo, fui ha n,uiu roasrasa
a Hecha Lima e (mmares : qo*m o pegar leve ao
mesmo engenho 00 no Recite a' roa da Roda t,*
Alexaodre Correia da C Jaoter, qo* sera Sea re-
compensado.
____m^mr Alexandre Correi d* Carm.
-'No da 31 do passado fofte a r^cav* l>-
1 tina, parda, alia e magra, qoe pertes>B c Sr.
Amaral, empregado oa repartirlo do r-ilo ; ca
escrava foi no dia do correle uaeiiar e ao V.
Dr. delegado por ter sido ca-iigada : anea a pt-
i gar e entregar na roa da Cadeia n. 62 sea boa
! recompensado.


Diario de sPeraaiabaeo Secunda felra de Novembro de **.
LITERATRA.
DI POICO DE TDDO.
Transcrevemos do Anglo Brastlian Times :
Por differenles veies temos chamado a attengo
dos nossos leitores para as grandes vantagens que
o clima, o solo e o commercio do Brasil offerecera
aos emigrantes, e lamentado que a crrente da emi-
graeo e;iropa nao se t-mha dirigido antes para
do que para os pawes em que a iuclemencia da
temperatura transforma a vida do lavrador e do
pastor em um combale constante contra a sua aa-
gao, loru.ndo os antes uscravos do que senhores de
um estabeleciraeuto.
Temos tainbem manifestado nossa convicco de
que as vautages que o Brasil offerece a taes res-
peilos bastavam ser conhecidas para serem apre-
ciadas, e de quasmenle a ignorancia deltas de
urna Idea ad jquada do lugar em que podero ser
oblidas, uuida a urna opiuio errnea acerca do
cuma e das condiges geraes do paiz, e devido o
nao liaver sido o Brasil procurado pelos emigrantes
para o eslabeleciraeuto de suas residencias defini-
tiva.-.
l'. lougo 6 intimo conhecimento do Brasil nos
convence de que urna corrente de emigrantes in-
dastriOMM e lavradores seria proveilosa nao s para
os meamos emigrantes, camo para o paiz, e por
isso venios com prazer que o actual e illustradoSr.
miDistro das obras publicas, desde que assumio a
administrado desta importante pasta, procura com
promplidio e energa promover a emigrago agr-
cola da Europa e da America de .Norte, e reanimar
este importante assumpto, melhorando. amigos re-
glamentos, e.-labelecendo aovos, e flualmente
creandoe poudo'em execueo todas as facilidades,
que o espirito das leis permute e que urna poltica
vasta e esclarecida pode suggerir.
as repartieses publicas do Kio de Janeiro obte-
ro os emigrantes todas as inforraaces e facilida-
des de que necessitarem para seguirem na esco-
lla de setisestabelecimentosedos respectivos func-
cionarios toda a consideraco, benevolencia e au-
tillo.
O Brasil olTerece aos emigrantes um clima igua-
lad) por poucos paizes, e nao excedido por oe-
nhum. \
Offerecc-lhes urna vastissima extensao de terre-
no boje franco para a colonisaco, um clima, cujos
veres uem os abrazam com efccessivo calor, nem
lhes destroem as colheitas com a secca, e um in-
vern, cujo fri raras vezes cliega a geada, e na
maior parte dos dstriclos nunca, chega. Offerece-
llie um clima e solo de grande riqueza combina-
dos, que em urna regiao temperada lhes permitlem
cultivar com seguranga e em vastissima extensao,
assim gneros de grande valor e utildade taes co-
mo o cat.'>, o algodo, o tabaco, o Rssucar, e outros
productos tropicaes, como grand^ diversidade de
eereaes, de fructos e de vegelaes! indgenas e de
cultura europea.
Fornece-lhcs os meios de tirar de urna pequea
nesga de trra o com pouco trabalho, toda a ali-
meaiacau e o necessario para o consumo domesti-
cj ; e como o gado vaceum e cavaL.tr de pouco ou
de quasi nada carece, sobra lhes l' mpo para em-
pregarem os seas principaes esforz em se torna-
rein ricos com o cultivo de gneros I crativos Of-
ferece ao pobre opportuuidade de ac luirir, apenas
com o seu brago, um domicilio : de sustentar se e
de melhorar sua posigo de anno e n anno sem o
risco e o excessivo trabalho, preciso ios paizes fia-
gcllados pelus rigorosos invernos lo continente
norte; e ao capitalista emprego luer; tvo tanto pa-
ra o seu: dinheiro como para a soa iolelligencia.
Da ao emigrante facilidade de obter um domicilio
a pequea distancia do lttoral e poi conseguate
ao alcance das comroodidades nhert ntes ao com-
merclo e a uavegaeo por va;-or e 1 > desenvolvi-
meiilo que lo rpidamente lera lujar nestas
paragens do imperiodistrictos maiiimos.
O Bra-n ministra ao emigrante terlas baratas e
sem onus, sjIo rico, clima delicioso, facilidade de
accesso e opporturiidads de conseguir iim bem es-
tar sem exeessivj trabalho A' excepgo do Bio
Gnnde do Sul, s; as trras que por sua siiuaco
prestam se mais para as communicagiijs fluviaes
Cm os porlos do commercio, acham-se pela mor
parle cuberas de maltas, cumpre lembrarque ess
solo romcumni-jnte de admirare! riqueza e que,
fin razio da amenidade do clima, o costo e traba-
lho de editicago, vestuario e alimentago sSo tao
diminutos, e o terreno tira productivo, que o emi-
grante pode empregar de preferencia todo o seu di-
FOLHETIM.
AS PaOVACOS~DE ILEEN,
SCNAS DA VIDA IHLA.NDfZA.
nheiro e trabalho na limpa da trra e em raelhora-
raentos produclivos, qne lhes darSo moito menos
cuidados do qne as campinis da America do Nor-
'e, ou mesmo do Rio da Prala, ao passo que as
despezas e o trabalho posteriores sero Incompara-
velmente menores. Por outro lado, o emigrante
qne desejar campos ou a vida de creador, encon-
trar as campias do Rio Grande d/> Sul e as pa-
nicies do interior do Paran, iguaes s do Prata,
; mas dolada de melhor clima.
O Brasil, em poucos annos, tem feito progressos
extraordinarios quer moraes, quer materiaes. Es-
tradas de Ierro, que cuslaram sommas enormes
para se vencer certas dilBeuldades physicas do
paiz, podern hoje extender-se ao interior com des
peza comparativamente menor. Barcos por vapor
ligam os principaes p irlos e sobem diversos rios.
O seu commercio externo tem quintuplicado oestes
ltimos 30 annos.
A seguranga pessoal e de propriedade to gran-
de como eos Estados-Unidos o na Europa, e nao
como as repblicas bespanholas dos continente
ocridentae?. A constituyo do paiz tolera todas as
reiigides; protege os residentes nao naturalisados
j e as suas propiedades; habilita o colono, que de-
! seja ser cidadao brasileiro, para adquirir este di-
[ reito sem difflculdade, depois de dous annos de re-
] sidencia, ou antes deste prazo por urna lei especial
1 vedando-lhe apenas o exercicio dos cargos de re-
j gente, ministro de estado e deputado, e sujeitando-
o meramente no servico da guarda nacional dentro
do seu municipio.
Os navios que conduzem emigrantes gozam de
certas vaotagens, e o vasto commercio com os
grandes porlos da Europa e dos Estados-Uoidos fa-
cilita a viagera dos raesmos emigrantes para o Rio
de Janeiro, partindo de Londres, Liverpool, Glas-
gow, Soulhampton, New Castle, Newport, CarditT,
Swansea, Sunderland, etc., etc., no reino Unido ;
de Bremeo, Hamburgo, Havre, Bordeaux, Marseil-
le e portes principaes do continente da Europa,
tanto do norte, como do sul : com os Estados-Uni-
dos se sustenta urna commuoicago activa por in-
termedio de New-Yurk, altiraore, Bostoo, Phila-
delphia e provavelmente com a Nova Orleaus e
outros portos do sul dentro em pouco lempo.
O governo tem no Ro de Janeiro hospedaras pa-
ra os emigrantes, onde se lhes fornece alimenla-
qo por precos moderados. Ha um erapregadojn-
cumbido de ir bordo dos navios e de prestar in-
formacSes aos emigrantes, que podem igualmente
obter as hospedaras ou no escripteno do agente
olllcial todos os esclarecimeutos que desejirein. As
bagagens e ulensis de agricultura sao importados
livres de direltos. Se o emigrante preferir estabe-
lecer-se as colonias do governo, dar-se-lhes-ha
1 passagem livre at o porto mais prximo.
Nestas colonias e era outras localidades encon-
; traro os emigrantes porgues de trras divididas
jem territorios deduas lcgu;.s quadradas, ou 43,056
acres, subjividdos em varios lotes, o mais baixo
dos quaes coulm urna secgo de 8.500 bracas ou
i 7o acres, cujo prego geralmente de um real por
1 braga quadrada (igual a um shclling e 11 pensis,
(ou 47 ceios) vista ou pagaveis por prestagoes
dentro de cinco annos com o juro de seis por cen-
to ao anno.
As escripturas de venda sao passadas immedia
, lamente depois da demarcago do terreno, e do
pagamento da respectiva importancia. Estas es-
! cripturas eonerem pleno direito de dominio com
excepgo dos mineraes e salvas certas disposigoes
sobre as estradas e aguas, para o bem geral da lo-
calidade.
Pelo que respeita s localidades apropriadas pa-
ra estabelecimentos, alm de porgoes de trra que
um alguus districtos os propnetarios eslo dispos-
tos a vender, em algn casos por pregos inferio-
res aos do governo, exislem trras devolnlas as
provincias de S. Pedro, Santa Camarina, Paran,
S. Paulo e Espirito Sauto, ja demarcadas as colo-
nias ou as suas proximidades, e de fcil accesso
portos que se coramunicam com o Rio de Janeiro
por mel do vapor.
A provincia de S. Pedro, conheciia pelo norae
de Rio Grande do Sul, principalmente creadora :
em seus bellos campos se cream immensos reba-
nhos de gado vaceum e cavallar; mas as colonias
do governo, compostas em grande parte de emi
grantes allemes, estilo situadas em ierras de la-
voora sobre os rios que desagnem na laga dos Pa-
los, junto de Porto Alegre, capital da provincia.
Acham-se em via de formagao alguus estabeleci-
mentos de creago nos campos fra das ierras de
cultura.
As colonias lem prosperado e alguns dos amigos
nao queremos constituir-nos culpados de ura assas-
sinaio judicial.
lira a nica linha a' seguir para defender Ulick;
o advogado o comprehendeu. Mas o silencio de
Aneen era em si mesmo urna aecusaco; por
quanlo se clia nao tivesse estado all e se Ulick
uo fosse o assassino, qual a razo porque nada
dizia? A pobre rapariga, Iternadameote ameaga.
da e lisongeada, foi deQoitivamenle cmduzda
(Connuacao.)
VIH
BBCOHHSIDADO CI.EMK.NCtA.
A baianga da opiniao era qoasi igual acerca da I prisao, por despreso pelo tribunal; mas evidente-
sorte de Ulick ; quanto sua criminalidade, nao mente esta medida para nada devia servir, a nao
havia nenhorna duvida nos espiritos. O criado de ser para torua-ia desgragada.
Pearce afflrmava sempre que o reconhecia e tam-! A appangio da pobre mlss Emma Pearce, vesti-
bem sustentava que elle eslava s no Gap de Glen- da de luto, coninoveu vivamente o publico. Lon-
tane nessa hora fatal. O advogado de Ulick ten- frootada cora Aileen, ella disse que era a mesraa
.tou estabelecer urna duvida acerca da Identldade' rapariga que Ihe fallara no da do assassinato e
da pe>soa apoiaudo-se na rapidez da scena. : que ella env.ara a estrada de Gao onde devia en-
t E' provavel, disse elle, po-sivel at que este contrar seu pai, em sua volta de Kilmuran.
hornera de cuja palavra depende na realidade a
sorte do meu icfjliz cliente, possa jurar com cer-
teza qual o assassino do seu amo t Sua atteugo
devia estar comii'Umeote absorta em guiar o seu
colnos gozam de abastanga e mesmo sao ricos.
Alm de artlgos menores, colhem legones, milho,
mandioca e agurdenle. Grande numero de colo-
nos mais pobres se emprega no corte de lenta. O
terreno excellenle para o trigo, que comtudo
muito pouco usado, nao s pela falta de procura
local, e irapossibilidade de competir com a farinha
da America do Norte e de outros paizes, mas tam-
bero pela ausencia de bous moiohos e pelos fretes
excessivos, devidos ao monopolio que, como se es-
pera, ser extincio na prxima reunio do parla-
mento.
Na provincia de Santa Camarina ha urna gran-
de extensao de riquissimas trras devolutas, situa-
das enire as colonias D. F;aocisca e Blumeoau,
communicando-se com o littural pelos rios Itajahy i
Grande, Itajahy Pequeo, Itapoc e S. Francisco,
que airavessa a colonia D. Francisca.
Ao sul e quasi contiguo ao dstrielo da colonia
Itajahy, limiirophe de Blumenau, existe ja medido,
um territorio de 4 leguas quadradas no valle de
Tijucas Grandes, que com facilidade se pode com-1
municar cora a estrada geral de Lags, por onde
descera do interior os animaes de trabalho e o ga-
do de consumo. Com igual facilidade se pode abrir
commumeago directa com o lttoral e d'ahi com a
cidade do Desterro, capital da provincia.
Ao sul da mesma provincia, no municipio de
Laguna, existem tambem ierras banhadas pelo rio
Tubaro e seus atfluentes, lendo por mercado e
porto a cidade da Laguna sobre a baha do mesmo
nome. Estas trras se estendem at os limites nor-
te da provincia de S. Pedro : os estakeleclmeotos
que all se formarem, podero communicar-se, den-
tro de pouco lempo, com as colonias das Tres For-
quilhas e Torres, na referida provincia de 3. Pe.
dro situada as proximidades do lttoral, banhada
por diversos rios e dotada de um clima ameno e de
Ierras ubrrimas, a provincia de Santa Catharina
offerece aos colonos immensas vantagens.
Na provincia do Paran o governo possue gran-
de quantidade de trra. No distrielo do Assunguy,
onde existe a colonia deste norae, ha tres territo-
rios medidos, descriptos e demarcados em secgoes
e lotes colooiaes. Estes territorios se acham era
via de colonisago o em consequencia drsio medi-
ram-se e acham-se em estado de serem subdividi-
dos mais cinco territorios contiguos.
as proximidades destes, e na direcgo da pro-
vincia de S. Paulo, para os lados de Caaaoa e
Iguape, porlos importantes desta provincia, existe
graude extensao de ierras devolutas e campes mui-
to apropriados para urna emigrago em grande es-
cala. Toda essa iromensa regiao se communica por
ura lado cora a cidade de Coritiba, capital da pro-
vincia do Paran, e d'ahi pela estrada da Graciosa
com os portos de Antooina e Paranagu, situados
na bahia desie nome, podendo-se mesmo abrir cem-
municago directa com este ultimo porto ; por ou-
tro lado com a povoacac-de Castro e outras impor-
tantes de interior, donde Ihe vera o abastecimesto
de gado, e por outro ladoretnlkn com a provincia
de S. Paulo descendo at o lttoral de Canana e
da Ribeira de Iguape, cujas aguas tm a sna nas-
cente no districto do Assunguy.
Da cidade de Coriliba ale) a Serra do Mar, n
direcgo de SE, ha excedentes trras e campo,
que terminara na mesma serra e vero encontrar a
estrada de ferro era coaetruego, al o port>> da
colooia D. Francisca, situada sobre o rio do mesmo
nome.
as cartas do Dr. Bine, das quaes eoroegamos
a publicar algunas em o bosso numero de 24 de
setembro, trata-se do districto de Assoofoy. as
referidas cartas deste intelhgenle americano se en-
contrara' urna exposico liel, interessaote e prati-
ca daquella localidado, assim como idea geral da
emigrago all.
us emigrantes dos lsiadO"l'r.ids, e da Graa-
Bretanha, enconlraro neste districto um Acescen-
te estabelecimeuto de americanos, que ah residem
ba muitos annos, e podem por isso dar aos recem-
chegados as mais uteis loforraages, teodo esles a
vantagem de se eslabelecerem pe lo de pessoas,
que fallam a mesraa lingua.
Na provincia de S. Paulo pode mencionar-se
como ap opriados para a emigrago os municipios
de Canana e Iguape, de que j se iralou, em cada
um dos quaes exislem territorios medidos e dividi-
dos em lotes.
No territorio de Canana acha-se era comego a
colonia do mesmo nome, a qual, posto cont poueo
tempo de existencia, promette prosperar; ella
communicase cora o mar por urna soffrivel estra-
da de pouca extensao.
No territorio de Iguape trata-se de formar ura es-
tabelecimento, em que mallos nacionaess tenecio-
nam ir esiabelecer-se.
A EN e NE destes territorios estendem-se trras
feriis as visinhangas das povoagoes de Xirirlca,
Jnqula e outras, quaes sao cortadas pelos rios Ri-
beira de Iguape, Juquia S. Lourengo, etc.
Na provincia do Espirito Santo, a um da de ru-
gen) por vapor para o norle, e ligada ao Rio de
Janeiro por linhas de vapores, que locam era diver-
sos porlos, existem trras devolutas de superior
quantidade junio do lttoral, e corladas por diver-
sos nos uavegaveis al cenas distancias, servindo-
Ihes de mercados naturaes diversas villas visila-
das por vapores. As melhores destas Ierras sao as
do norle u do sul.
Ao sul no municipio de Itapmirim existe a colo-
nia do Rio Novo, e ae lado della.mais proximodo lt-
toral, ba ura territorio, ao qual se poderia anne-
xar nao s as ierras ao norte do rio Benevente,
cujas margens sao fertilissimas, mas lambem as
que se estendem pelo municipio de Guarapary, por
onde corre o no do mesmo nome, navegavel at o
mar na extensao de algumas leguas.
Para o alto da Serra, partiodo do porto de Gua-
rapary, na direcgo do aotigo aldeiamenlo do Im-
perial Affoosino e da provincia de Mmas-Geraes ao
NO, se esteode urna facha de mais de 60 milhas de
largura, deixando ao sul a colonia do Ro-Njvo. e
ao norle a de Santa Isabel. Estas trras existem
em urna posigao mui vaotajosa, e sao apropriadas
para a cultura do algodo, do caf.
Ao norte detta provincia encontram-se outras
ierras que, seguindo na direcgo da colooia Sania
Leopoldina a rumo geral do norte pela estrada de
Santa Tnereza, se estendem at a provincia de Mi-
nas-Geraes, perio do pono do Souza, e prejeclada
colonia do Guando, oode ha ura territorio dividido
em 50 lotes, assim como rouitas outras Ierras as
suas visinhangas.
Este ponto tambem accessivel pelo magnifinico
rio Doce, o qual apenas necessita de algum raelho-
ramento na barra e de ura servieo regular para se
tornar capaz de uraa navegago vantajosa. Alm
de grande quantidade de ierras devolutas, situadas
as margens deste rio, o governo possue, a uraa
tegua de distancia das mesmas, varras sesraarias
compradas ao Dr. Franga Lei te, conhecidas pelos
nomes deFrancilvania-Rio Preto e Liraoj
medidas e demarcadas.
Pouco ao sul do mencionado rio existem fertilis-
simas trras no municipio de Santa Cruz,- que se
communigo com mar pelo rio desie nome, e que,
por raeio de conveniente e fcil canalisago em va-
rios pootos, se podero coraraonicar com o Rio Do
ce. Alais ao norte ne municipio de S. Matheus
existem excellenles ierras-juntos aos limites da pro-
vincia da Bahia, a qual tambem pc*ue, nesia di-
recgo, ierras muito feriis e ricas de boa madeira
de conslrucgo.
No municipio de Caravellas, da mencionada
provincia da Bahia, pelo valle doMucnry acima-al
a provincia de Minas-Geraes, axial mui grande
quantidade de ferlllissiruas ierras devolutas-.
Alm das localidades, qne havemos mencionado
perfunctoriaraente como francas e apropriadas pa-
ra a emigrago, o governo possue territorios de
menores dimenses em Todas essas provincias. O
emigrante pode por tanto escolher su vontade
entre mui vasta varledade de territorios e situa-
eoes, salubres, abundante de agua, pouca dis-
tancia do mar, doladas uro clima temporao e de
om solo lo rico, que se presta ao cultivo de quasi
todos os productos lucrativo* e de luxo, que se po-
de desejar.
Os lavradores indusrriso e as pessoas, que se
dedicarem a agricultura ou criago, dar-se-ho
bem e sero felizes no sul do Brasil ; nao devendo
temer qualquer que seja o seu numero, dirigir-se
cora suas familias para as feriis e agradareis- ma-
tas e campos deste paiz.
Ha pouco tempo, urna nobre eslrangeira residen-
te em Pars, escreven ao melhor amigo de sen ma
rido nm destes bilhetes, cujo laconismo vale nm
poema,
No momento em qne ia ella fechar a galan-
te missiva chega o amigo, e o bilbele tornado in-
til laucado ao fogo.
Parece que est ludo acabado, nao T
E que este bilhete jamis pddera' comprometter
ajsua a asignatura I
Pois um engao !
Alguns das depois, estando o marido na cmara
conjugal leve necessidade de escrever urna carta,
abre a pasta sobre que sua raulher escrevia e no
papel mataborrao percebe embebidas algumas pa-
lavras snspeitas : volta a folha contra a claridade
para tornar-la transparente e consegue decifrar es-
tas palavras :
Caro Arthur,Esla noite s 11 horas.......
O bilhete deixara sna sombra impressa no indis-
creto mata-borro,
O sensibilissimo papel havia bebido a vergonha
da esposa I..
Nao me compete dizer o que se segufu a esla
deseoberta, quero evitar eomprometlimentos.
Mais de urna raulher, talvez, agradecer-me ha m-
pettOQst narragao que vale um bom conselho.
Mas, ai de mira I isto nai obstara que urna ou
outra rao feminina i inda escreva em segredo
mas ento o areeiro destituir o raata-borrao...
na Inglaterra^ visto qoe a Fraaea, ai de mi* f me
fecha anda as portas. Minha roai nao aspira mais
que ao repouso e i tranqollidade.
Quanto a mim, looge de nutrir ideas de ambicio,
o meu nico desrjo seria o de servir o neo paiz,
ou a liberdade, nos paizes estrangeiros, e ler-SM-
biam visto, ha muito tempo, na qoalidade de sim-
ples voluntario, as gloriosas /letras dos Belfas-
e as dos immonaes Polacos, se nao tive-se re-
cejado que s minias aegoes se aitribnissem vistas
de inleresse pessoal, 00 que o roen non* loqoie-
tasse urna diplomacia timida e incapaz de acreditar
n'uma dedicago desinteressada, on n'uma sympa-
thia .-incera e inspiraJa por poros desventurados.
(Assignado) Luti Sapoleao Bomaparte.
Ctam os jornaes francezes entre as potencias,
que, alm da Inglaterra e da Turqua, ja' deram a
conhecer o seu desejo de tomar part n'uma con-
ferencia para se estudarem os meios de prevenir
ou repellir as rnvasoes do cholera: a Austria, a
Prussia, a Hespanha, Portugal, E-tados Romanos,
a Baviera, a Saxonia, o Hannover, o Wurtemberg,
as cidades anseticas, a Dinamarca, a suecia, a
Blgica, os Paizes-Baixos, a Greda, Bade. Espc-
ra-se a todos os momentos a adheso offlcal desta?
potencias.
Dte resto, opioio geral que nenhum paiz se
abster de assistir a esta conferencia, que dar em
resultado urna convenga sanitaria que- ser de
suummo interesse para todos os povos.
Um humorstico era vea de poesa produzio esta
pega, que, sem ser rataia, nao deve, todava, ser
menos certeira, era tao pouco menos alcaneadora
em seus tiros. Cautela por eooseguinle I
Esla noite sonhei que era casado !
Ora cta I eu que bato o matrimonio
Havia de ver eacalistrado
Tendo junte de mira sempre nm demonio I
Eu easado I que horror I nem Samo Antonio
Far me-hia chegar a tal estado.
Antes rnorrer, qual bravo Macedonk
Lutar contra bepat, feito soldado I
Digam lp'ra que serve o casamento f
P'ra ter junto de nos nm carrapato
Que livres nao dos deisa ura s momento.
Eu nao me caso, por?, antes combato
Cora forga o matrimonio, e s sustento
Que o verdadeiro estado e celibato.
E' do Sr. J. T. o seguiule sonete :
Por um lado quiz fazer urna elega
I Do leu amor a' morte prematura ;
i Por ouiro achei ser asneiradura
Mude, pois, de parecer baja alegra I...
Se um nobre corago bateu um dia
De amor por feminina creutura,
Se ella deu-nos por Ora a desventura
I Despresando o nosso amor e sympalhia -r
Ento, oh meu amigo ; na choremos I
Lancemos para o mondo nossas vistas,
E as nossas borbuletas contemplemos :
V la-hemos fazer suas conquistas,
A todos dando amor ; depois (eremos
Urnas tias de mais por parodistas I !------
a esle respeito
rivel, e lodos desejavam que o verdit nao fosse
capital.
O jury ia retirarse, quando de repente houve
ura movimento do outro lado da sala, um grito ele-
vou-sc:
t Urna testemuoha pelo aecusado I
E Moyna O'Donnel appareceu.
Quando Aileen se retirara, passra pela cmara
em que tinta a principio esperado com Moyna,
juuto de quera se Ihe permilliu licar alguns bu-
lantes antes de ser posta em pnso.
Assim, pois, nao quizestes fallar por meu
filho. >
Disse Moyna com Insultante despreso A pobre
Aileen sacudiu a cabega; a presenga do horoem a
cuja guarda linha sido posta, a impeda de fallar e
deste modo cerlamente a preservou da liuguagem
violenta de Moyna cujas exprobragoes poderlara
ter comprometiido a Ulick. Eda se contenlou
com dizer :
Ah I Deus sabe agora quanto bom que o po-
Em Seja existe um exceilente empregadodo te-
legrapho.
O correspondente de um lavrador enviou-lhe,
por occasiito dos exames do lyceu, o seguiote des-
pacho para uma aldeia prosiraa :
O viemno fez exame. Oprofessor approooa-o.
Que sorpresa para sua mui t
O telegraphsla enviou o seguinte :
O meniwesl exnime. G'professor espancou-o.
Que tristeza para sua mai I
O pal da criauga envin a seguinte resposDa :
Parlo ja: Oxald encontr n/11 meu filho eno a
urna do ftmrnjj^L
O telegraphisfrastropiou assim :
Patio jii Oxal encontr ahi meu filho eabur-
ra do general I
O pequeo foi encontrado pela familia no meio
do camiolto, alegre e folgazao,. montado na melbor
burra que o-correspondente pode encontrar.
A repetioao destas galanteras obrigou muitos
Bejazes a pedir providencias ao director geral dos
telegraphos, que passou o intelligente empreado
para distribuidor de Loletinsr islo f-Io pasear de
cavalio para burro.
Esta corta Luiz Napoleo Bonaparte, entao .pros-
cripto e hoje imperador dos francezes, dirigi em
17 de julho de 1831, de Londros, ao jornal francez
Le Tempo:
Sr. Redactor. Acabo doler no vosso jornal, de
13 de junho, o segrate paragrapho :
A duqueza de Saint Leu acaba de passar al-
gumas semanas em Londres Suppoe-se que a ex-
rainha da Hollanda foi all espreitar umaoccasio
favoravet para apresentar o seu filho acs Belgas,
dado o caso que elles hesassera na escolta de um
soberano.
Segundo parece, quer-se abosolutamente attri
huir um fim poltico estada de minha mai na In-
glaterra.
Minha mai dirigio-se Inglaterra oora o nico
fim de se nao separar do nico dos seus fiihos, que
sobrevive ainda.
Tendo abragado a causa sagrada da independen-
cia italiana, vejme obngadoa procurar um asylo

Varios projirlptarins de navios dos portos do M'
diterraneo, pediram ao governo egypcio. qne man-
dasse constrcir im pharof no rabo de Damieta,
para assim evitar numeroso naufragios.
Os consnles e-trangeiros na Alejandra Uzeranr
tambera uma petlgo neste sentido.
Segundo escrevem de aples, operoo-se era 19
do mez passado o milnnr* qne em mal da e ope-
ra rodos o annns. re S Jnnario. A artillarla do
castdl de S. Elmn .innnnm anj-flr, do mnw
modo qne isso se pratlcava nos borrj tempe* qoe j
14 vo, a liquefaegao d*se sangne prodigioso.
Trahalha se com moit actividad-rpara o deec-
camentn do lago Tocino. Parece qne j mm^.na
o encanamento das agnas para o artigo emtssario
de Claudio.
Os rrabalhos de reparago deste airnnfnrto ro-
mano, qne ho de dar a' airrlcnllnra; mediante o
dospcr-amento do lago, nm snpern de nerto de
fif kifemetrns de clrcnmferencia, sao rwrehMidi'-
dos. como ia' se fliss*. por orna commnMa napoli-
tana, mi accionista principal o principe Torlo-
nia de Ruma.
Este cavalrn, perfencente ao ronde La Grange,
vai novamente Intar a' Inglaterra oas corridas de
CambridgesMn.
Sao ja'- conslderavei* as apostas HM para esta
lucia, e os amadores contam com a vteteria doca-
vallo francez.
--------- 1 1 mnw
Mme. de B----foi unida muito cedo, por laro
matrimonaes, a nm homem desfavorecido da for-
tuna pela horrivel feiura de qne era dotado, e s>
quem ella nunca pode perdoar este deleito.
uma noite destas-. no momento em qne ete par
ponro unido ia subir para a carruagem, os cavctlos
espantarara-se a' sta de Mr. de B".___
Mme. de B.....furiosa com o eocheiro, delta a
cabeca pela portinoola, e exclama com assenta ra-
mitavel :
Que imprudencia, Jos! I* te tenho por
tantas vezes ordenado de nunca accenderes as-ian-
ternas, sem que meu mando tenia subido pri-
meiro I...
evia conduzir a esse outro amcr perfeilo que
! inliuito.
bre rapaz tenha uma mi que falle por elle ; por-
! que nao vejo em que o rosso amor o ter soccorri-
veito; ninguem influenclou-se cora o. seu depoi-; Preparar para uma confisso por lauto tempo des-
meolo. Alguns smente sentlam-ie cheios de Presada, foi a Providencia Diviua que se servio de
compaixo pelas angustias desta pobre- mi e' u P^ amor humano como de estrada que
murmuravam consigo esta orago :
Nao nos deixeis cahir em tentagao.
E de desejar que todos nos sintamos e oremos! Alleen v,silou sua Po. As Ursulinas Ihe
assim a vista de uraa falta dos nosso Irados' havla,n dado uina oarla Paia rattgiosas estabeleci
Ojuryesteveraut^ tempo em dehberago; quan-' &*"* Cldad' emuua tinha defuoccionar ojury.; e
do, a final, seus membros appareceram e que s* ella- assim, leve ura abrigo pacifico duraote e&ses
lhes perguntou se achavam o acensado innocento d'as de P,e"-
ou criraiu so, o presidente respondes.: DePois de uraa entrevista tormentosa e apaixo-
Criminoso, mas forteraente recommendado nada cora seu filho, que elia logo conheceu. nao
clemeucia. : terse acalmado, por causa de suas Imprudeacias e
Era tu lo quanto se poda esperar. E Aleeu! da v'va colera com que fahou de Aileen, Moyna
agradecen a Deus e orou com tolo o fervor da sua | deixou a cidade com grande allivio da pobre Aileen
alma para que esta supplica di jury fosse ouvida a quen bastava o uawo som da sua voz para
e ura lugar de expiaco coooedido a Ulick, para! faze-la tremer,
quem ella agora proeurava ollar, chorando. O padre Malioney, antes de retrar-sev fez uma
Urna circurastancia muito favoravel ao aecusado ; visita de despedida a Ulick e outra de-s.ympathia
foi o interesse que Ihe testeoiunhou lord D., pro- a Aileen.
prietano do Valle-Escuro. Era um joven que; Eu (icaria de muito bom grado para vos coa-
passava, em Londres, uma vida dissipada e raun- dn'-'r a vossa cabana, minha filia, quando o rapas
daa, que linha sido educado na raals completo tivesse partido, mas deT0 voltar para o meu refea-
ignorancia do seu proprio paiz e que por con-'
guinte viva em uraa inlifferenga total dos seus
deveres para cora os seus vassallos. O trgico
i Nao tendes ueohuma duvida
miss Pearce ?
c Nennuma.
a E esa rapariga eslava muito desejosa de fal
cavallo nessa estrada lo perigosa. De repente, lar a Mr Pearce com a maior presteza 7
do rochedo atraz do qual estava oceulto, um ho-1 Sim ; e na verdade a sua agilijgo era ex- do hoje.
mem lanca-se sobre Pence e no mesmo instante o' traordioaria e triste de ver: ella nao fazia ssnao ; Moyna fallar por Ulick I Aileen nao comprehen-
infeliz rola por t;rra, o cavallo espantado escapa-' repetir iue desejava fallar Ihe. Eu quz persua- d'a o que a velha quena dizer. Qoa poderia ella
se das mos de Davis que, camtohava ao lado para dir-lhe que esperasse, porque pareca estar canga-' fazer que fosse til ao rapaz ? Aileen, no phraeiro
conduzi lo por essa Uder pedregosa e, ura rao" da; recusou, e vi-a tremer quando Iheoffereci re-'momento, nao adivrahou que Moyna quena ir .te. Elle veio > toda pressa Connemara. As' padre1 respondeu suspirando;
frescos. prestar um fal-o juramento para tenlar salvar seu | narrages, que Ihe chegara.n de todos os lados, da M. Pensava bem que elle nao estava so
Poderieis nos dizer, miss Pearce, a impresso filho; mas, logo que flcou s, veio Ihe esta idea. tyranma e rapacidade de Pearce causaram Ihe neste negocio. Portante na, como vos vedes, mi |
que vos deixou este desejo tao granae de ver vos- Moyna nao linha pretendido muitas vezes persua- grande pesar do passado e Ihe fizeram tomar as nha menina, ramios trabalhos que me esperara no
so pai ? 1 dr a Aileen que flzesse o mesmo ? Se a donzella mais generosas relages pelo futuro. Foi por cau- Valle-Escuro; e as vezas trabalhos penosos. Com
O semblante de Emma contrahiu-se, mas ella tivesse consentido nisso, ella teria ficado iranquil-
nho das montanhas. Temo que esle infeliz faci
de Ulick nao Ihe tenha feito mal. >
Aileen Ihe disse o nome daquelles que tioharn-se
facto de Gap de Glentane o balou ternvelmen- i encontrado OoB Ulick na noute do rendez-vous, e o
memo depois, elle e o assassino acnam-se empe-
ntados em una. Iota terrivel. Pergunto-vos, era
OCeasiio propria para estudar as feices de um ho-
mem T t1 possivel que ua exeilaco do conflicto :
elle tenia podido faze loT E quanto a esta donzel-
la que seme liante homem afflnna reconhecer, que fez um esforgo, e respondeu : la. Tendo Aileen recusado, a velha tomara o seu
tempo teve elle para observa-la? O momento da I
sua apparigo, segundo o proprio depoimeoto da' me impresso a belleza de Aileen e a sua afilie- sua cabana na occasio do assassinato. Tinha per-
teslemunha, foi o da sua derrota. Surprendido,' ao! mas depois, quando me recordei do seu pa- suadido ao homem, por cuja defesa Ulick perder
elle deitado por trra pelo seu antagonista, rentesco cora o aecusado e de quanlo este tinha... o seu emprego as propriedades de lord D., que a
Quem pode crr que nesse nico momento, o da l,nna irritado a meu pai, enio pensei que ella apoiasse era seu falso testemunho. Foi sem pesia-
sua queda, Ihe fosse possivel examinar a rapari- talvez soubesse alguna cousa de um mao projeclo nejar que avangou para beijar o livro. Ulick, ven-
ga? O rae.u adversario v5 urna prova da culpabili- que se roeditava e que ella quera prevenir. Que do-a, tremeu visivelmente, seu rosto tornou se ro-
dado de Ulick O'Donnel as injustigas e insultos Deus a recompense I Ah I presentemente estou xo, depois livido.
que elle soffreu assim como sna mi e sua despo- convencida disto. Elle encarou um instante sua mal como se qui-
sada, da parte desse Infeliz que a esta hora tem i E a cobre Emma cobriu o rosto com as mos e \ "sse fallar; a affeigo filial, o ultimo seotlraento
respondido por todas as suas culpas diante do tri- foi conduzda chorando amargamente. que morre no corago de um Irlandez, Ihe iropz
bunal supremo. Nao neg estas cousas. None-I Ai palavras do joven groom nao foram seno silencio e foi por obediencia a ella e nao por temor
go os motivos e as grandes tentagoes qne deveriam uma simples conlirmago das de Emma. Veio de- Pr si mesmo que se calou; elle nao poda faz-la
levar ao crioie o meu infeliz coostituinte. E at, pois o testemunho dado por* muitos, entre outros corar ae vergonha em publico. Portante Moyna
sim, admiti que provavel qne Ulick u'Donnel pelo padre Mahoney, da boa conducta e disposi- jurou assim como Donnis Conoly, mas oafioij-
sji o assassino. Mas, grande Ueusl deverao.- ti- gdes benvolas do accusalo. Mas islo fez pouca mais pode estabelecer-se claramente,
rar a vida do nosso semelhante por uma probabili- iuipresrao. O caso era um caso de vinganga por Militas vezes acontece aos ignorantes espirites
dade 7 Nao lomos aqu de nos occopar com opi-! injurias profundas, antigs e frequentemente repe- clticos embaragarem se em nma confusio inextri-
Dies parlicu'ares, o qoe queremos sao provas. tidas, > ninguem duvidava de que Ulick nao se ti- cavel eem todas as especies de coniradicgSes ainda
Deus prohibe que se roube a vida de ura homem,
a menos qoe nao laja um evidencia directa, in-
contesiavel. E esta evidencia preciso t-la se
vesse vngado. Todava expenmentava-se por elle mesmo dizendo a verdade; se menlem, lano
uma grande sympalhia, ipesar da gravidade do peior.
crime, porque a provocaeo tinha sido forte e ler- Deste modo a mlseravel velha peccou sem pro-
----------
sa das injustigasque suffrera a familia O'Deonel, e ta'a ujusiis e tyranma, frequentemente difflcil
principalmente por sua influencia que elle fez fa*er-lhes coinprehender que a vinganga nao per
commutar a sentenga de Ulick em deporlagao pur tence sena a Daus- ASim esperemos que elle
toda a vida. olDe com misericordia para os afllictos deste
yin ; inundo.
s no mundo. Eo Padre Mahoney apoiou-se ura instante pensa-
O tribunal estava fechado, toda a raultido rui- tivo sobre o seu grande cajado.
dosa tinha-se disper.-ado e corria em busca de Emlira lempos melhores viro. O joven lord
novas sceuas de excitago; a pequea cidade to- D. tem recursos em si. Elle vio por si mesrao e
mar o seu aspecto habitual de calma e tranquilli- a|S 1ue um daquelles que nao recuarn dianle
dade. Na priso, Ulick U'Donnel esperava a par- d sen dever quando uma vez o conhecera. Tive
tida do navio qu; devia leva-lo para looge a uma "ma boa e luI18a entrevista com elle antes da sua
vida de trabalho e degradago. E' o sentimento partida a respeito desse facto do pobre Ulick, e
que a principio experimentou o pobre rapaz na devo anda trnalo a ver quaudo esliver era minha
p/lmeira amargura do seu corago; mas isto nao casa. Presentemente elle est no casiello, e pens
durnu. q,,e o prximo geme que deixar ser muito difife-
O bom sacerdote capello da priso era infatiga- rete de Pearce. E agora, minia querida raenl-
vel no sen piedoso ministerio. O carcter Impres- na. Que Deus seja comvosco. Record a i vos do qne
sionavel do Irlands, para o bem como para o mal, tena podido acontecer, e tende coragem.
tem suas piases consoladoras assim como sens Aileen flcou na cidade at a partida deUHck. Rila
perigos e leolagdes. nao pode ler o triste consolo de estar com elle al
Ulick nao amara em vo a Aileen; e se o pensa- o ultimo momento; a pobre teve mais que outra
ment do que ella desejava delle, foi o motivo que qualquer desgostos a supportar, a viagem ao
otmpellio a principio a onvir o sacerdote e a se porto de mar em que o seq desposado devia em-
barcarse Ihe era completamente mpossive*. Por-
tante elles se despediram na priso e devarara
benevolencia ce lord D. ter uma conversa particu-
lar. S Deu, a Vlrgem SanUssima e os anjos,
foram testemunhas deste adeus que ambas sabara
ser o ultimo neste mundo. Nao descrevere esta
scena que o amor e a dor tornara sagrada.
Aileerj deu a Ulick a longa tcanga loara qne ello
Ihe pedio, :-eu rosario e a perjuena cmedalha mirar
culo-a fj.uj devia trazer sempre. Eospenhoras-
de despedida que ella receben furam prome-
sas,dons os mais consoladores a seu corago >;r
causa da humildade e da descoonanca de si meMao
com que Ulick os acorapanbava.
a E' melhor para vos, miaba querida, qu->aido
assim seja. Eu jamis tena sido digno de vos,
rainha Aileen, que nao vos parecis com niaguem
a nao ser cora os beraaventurados anjps do
cu.
As forgas da pobre menina parecer m> abando-
da-la ento.Ulick, meu amigo, se M podesse
atar comvosco, seguir-vos era toda a parle I Ah!
se Deus quizesse 1 O Santi Mara, evo eu dei-
xa-lol >
Ulick agradeceu ao cu na angustia do sen co-a,-
gao que Aileen nao soubesse ao justo o momento,
em que elle partira; o ultimo instante qne a vio.
ella eslava nos bracos de uma religiosa que a
acompmhava al a priso e que a esperava *ra
uma sala visioha. Elle abragou all pela uiima
vez, depois cobno-lhe a cabega com o capeUo do
seu manto sonlindo, quando a oceultava assim, qne
a luz da sua vida linha-se para sempre obscureci-
do para elle.
Na madrugada seguinte, Aileen despadio-se das
religiosas. A superiora quiz dissuadi I* de partir
logo depois destas difflicti"as scenas qne tinham
deixado para teda a vida sigoaes em sen rosta. O
lirio do l'n/c Escuro eslava mas paludo, mais
denotado do que nunca, e a boa religiosa sabia
quantos termos e delicados cuidados eram necessa-
rio- a esta planta esliolada antes que voltasse se a
este mundo fro e desolado.
c E' preciso qoa eu parta, madre, meo dever,
e meu lempo precioso. Nao posso demorar roe
mais longe de sua mi.Qoe Dos se eompadeea
della.Alm disto, o meu corago est triste por
cansa da pequea Gracia sempre fraea e doen-
te. Emfim nao me sinto com tercas de flear mais
nesta cidade agora qoe elle parti. Deixai-me ir
embora, madre, e Dens e a bemaventnrada Virgen
vos recompensen} ludo quanlo leales feito por
mim I
(Continuar-u-hm.)
PERNAMBUC TYP. DE M. F DE f. A FILHO
'



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9AJ5P4NT_BWQB90 INGEST_TIME 2013-08-28T03:30:04Z PACKAGE AA00011611_10823
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES