Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10822


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO ILI. HOMERO 265
Por quartel pago dentro de iO das do \. mei ...ti.
dem depois dos 1.'10 das do comecoe dentro do qaartel. .
Porte ao correio por tres nezes..........,,:
/>
5J000
6|0()0
750
SABBADO 18 DE NOVEMBRO DE 1865.
Por armo pago dentro deludas do i. mez ,,,.... 19|00l
Porte ao eorreio por un* anoo........,.,.,, S$000
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexaodrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva ; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Draga: Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drisues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falco Uias; Bahia, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estagoes da va frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhnns, Buijue, S. Bento, Botn
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pao d'Alho, Nazarelh, Liraoeiro, Brejo, Pesqueira
logazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salguen o e Ex, as quartas
feiras.
Serinhem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do comraercio : segundas e quintas.
Relagao : tercas e sbados as 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quarta| e sabbades a I
hora da tarde.
EPHEMERIDES DO MEZ DE NOVEMBRO.
3 La cheia as 5 h., 43 m. e 2^ s. da m.
10 Quarto ming. a 3 h., 2o m. e 62 s. da m.
18 La nova as 8 h., 40 m. e 22 ;. da m.
26 Quarto cresc. aos 38 m. e 22 da m.
DAS DA SEMANA.
13. Segnnd. Ss. Arradio e Pautillo v. m.
14. Ten;. S. Abilio diac; S. Gorias m.
15. Qnarta. S. Gertrudes v.; S. Clementino rn.
16. Quinta. S. Goncalo de Lagos; S. Elpidio m.
17. Sexta. Ss. Alfo e Zaccho mm. .
18. Sabbado. S Obdon ab.; S. Bareella ra.
19. Domingo. S. Isabel viuv. rainha de Hungra.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as i horas e 30 m. da tarde.
Segunda as 4 horas e 54 minutos da manhaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, marco, maio
julho, setembro e novernbro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figneiroa da
Faria & Filho.
fk Sin issiirmnios riPtfl Otaria tiut' Maria dos Sintos Cavalcan'i, nao s nao apresen! El-rei e a rainha de Portugal reuniram a larde
Mk.'SH Z.H; Jia ln" Mhomdos 44 guardas que ao seu batalhao' a sua mesa os principes Amadeu de Saboya, o
se itnam eiu utiiu ua. ie[ju.u>.i dssi couhe dar para o servi^i da Ku^rra, como nao pro- lenenle-general, chefe dos guardas de el-re dos
naturas, queirain mandar realisar O paga- curoa justificar e-sa sua falta, nao obstante os re- Belgas, e outros dignatarios da casa real.
mentO deltas; e aquellos que moram lora pelidos ollcios, que para isso tem recebido, e ulti-! Depois de jaotar, foram el rei e a rainha de Por-
destaeidade tenlnm a bondade de dar avi- mmente retiron se para esta capital menospresan- tugal, com algumas pessoas da sua comitiva, ao
so de quaes 'sejam aqu os seus correspon-: % ^^Z^^Z^l
denlos, ahm de ser SOIlCiladO e,se paramen- nos termos do art. 2 do decreto n. 3306 de 4 de '
to dos mesmos. a quem daro ordem para'agosto do crreme anno.
isto, visto como alguns pretextan) a falta
No dia 21, pela manhaa, acouleceu um desas-
tre na Mora frrea do norte, qu<[ oecasionou a in-
terrupeo da liona. O desastre fo devido ao tempo,
e S causou prejuizo a companhi
O mar embravecido entrou pe
e cobrio e causou muitos estrag
theairo real de Monvaie asistir a representagao: Emoriz e Granja, Osando interr
des Mousquetaires de la Reine. In>ha entre Ovar e a Granja, ua i
El-re e a rainha de Portugal partiram de Bru-1 lometros.
a trra a dentro,
ps as pontes de
impida portanto a
istancia de 19 ki-
ara os necessanos
dessa ordem.
IFFKIAL
EXTERIOR.
xellas a manhaa, quana-feira." Comegaram logos trabalhos p
O tenentegeneral De Llem, ajndante-general,! reparos,
chefe dos guardas de el-rei foi encarregado de Os viajantes reclamaram, porque os que iam pa-
BIO IE PERMAHUUCO
LISBOA.
28 de outiibro de 186o.
Pelo Olinda que saino ha poucos dias Ihes escrevi,
e boje, aproveuo n paquete da linha de Bordeaux
para atar o lio desta chronica a que os seus nume-
rossimos leitores teem a benevolencia de prestar
alguma atienco.
prestar as devidas honras, em nome da familia real,
a el-rei e a rainha de Portugal durante a estada de
suas magestades porluguezas em Bruxellas. >
Com a data de 19 diz o raesmo jornal :
Partiram hoje de Bruxellas, com destino a Colo-
nia, el-rei e a rainha de Portugal, bem como o
principe Amadeu de Saboya, depois de se despedi-
ram, teigafeira a tarde, no castello de Lackan, de
el-rei Leopoldo e da familia real.
O duque de Brabante e os ministros de Italia e
de Portugal dirigiram-se a estago do caminho de
ferro do norte afim de cumpriraentarem, no acto
da partida, os augustos viajantes.
Estes fo'am acompanbados. quando sahiram do
seguir a viagem;
reclamagoes, res-
o dioheiro a uns, ti oreando os bilhetes a
pajsageiros seguiram
ra alm da Granja nao poderam
e a companhia aileodeu as suas
tituiodo
outros.
Parece que ainda alguns
viagem em carros que nllogaraijn.
No dia 19 quando salvoula fragata D. Fer-
nando, cahio o chefe de pega ao imar, do que resul-
tou morrer afogado. Um dos seuk cantaradas alirou
comsigo ao mar para o salvar, mas baldado inten-
to I O infelizsubmergio-se repentinamente.
Abriramse as propostas pijira a navegagao de
navios de vela entre Lisboa eMhgambique.
0 infante U. SebastiAo de jlourbon e Bragan-
fo'am acompanbados,
t holl de Belle Vue, pelo tenente-general De Liem, ca, acaba de brindar o viscondei de Menezes com
A misericordia divina temnos poupado a maior ajudaute-general, chefe dos guardas do rei Leopol- 'uro exemular da sua mui scientijllca e interessants
desenvolvimento do lagello cholerico. I do, tenentegeneral Dupont, ajudante de campo do memoria acerca do uso dos differenles leos e ver-
Limitado %m Elvas, onde tem feito victimas em sua magestade e por vanos offlciaes da casa nizes empregados na pintura. A memoria dirigi-
todas as elasses sociaes, se nao manifestou em ou- real. da a real academia de S. Frauehjco em Madrid :
tros pontos do reino, havendo comtudo em algumas Os augustos personagens foram conduzidos um bello volums em quarto, e o exemplar, a que
localidades, ameagos de cholera, para me exprimir; estago do caminho de ferro em cinco carroagens se allude, esta elegantemente en< ademado em mos-
' em termos vulgares. | da corte covia, com as armas reaes e orualos em ouro.
Nao a molestia caracterisada com todo o seu El-rei e a rainha de Portugal chegaram no dia O infante, como distinelo cultor das bellas artes,
nefasto cortejo desymptomas; entretanto urna i 18 tarde a cidade de Colonia. A esta hora est prova assim que estima e apncia aquelles que
I tendencia mrbida que alm se manifesta em prin- i visitando el rei o Sr. D. Luiz suas augustas irmaas [ lambem as cullivam. S. alteza real digoou-se es-
I cipios de cholenna, mais longe com outros sympto-' as princezas D. Maria Anna e D. Antonia. j crever na primeira bina, as seiuintes palavras :
mas, mas que em todo o caso trazem susto e nao Sua Magestade a Senhora I). Maria Pa e sua al- \ Ao visconde de Menezes, como prova de partcu-
la insempta de perigo. teza real o principe D. Carlos ficaram em Stras- lar apreco.Sebastian Gabriel: [ornando por este
burgo.
O telegramma sanitario de Elvas a 26 dava.um
atacado, nenhum fallecido e 2 curados. ,
Guarda, bom. cebidas no dia M~dao el-rei o Sr. D. Luiz em Tu-
Pinnel, silencio da autoridade sanitaria. rim, e S. M. a rainha em Dresde.
Viauna, estudo sanitario, regular. Na revista poltica do Nord, de 21 de outubro
Regoa, Santarm, Porto, Evora, Coimbra, Castel- deparam-se com as seguintes linhas:
meio, o livro que ja era valioso Ibrinde, e em ludo
lo-ltranco, Braganga, Beja, Aveiro, Faro, e Por-
lalegre, satisfatorio o estudo sanitario.
Vizeu, regular o estudo sanitario no districto.
Em ilguns roneelhos ha dysenterias refractarias,
fataes para os velhos.
Repc(em-se casos de bexlgas em individuos
novos.
Lisboa, districto occidental: Grande numero
de febres intermitientes, e diminuem os casos de
As noticias telegraphicas de Suas Magestades re- digno de principe, um verdadeiro padro de fa-
milia para o visconde de Menezejs.
Por ordem do geverno partiram no dia 20 do
corrente para a exposigao do Porto, afim de alli es-
tudarem e aualysarem as diversas machinas que
esto expostas, o capilo de artillara Silva Freir, i
director da otliciiia de espingardairos do arsenal do
exercito, e o mestre da oll ;ina de machinas, o Sr.
Antonio Francisco da Silva. Nilo obstante o go- j
verno, como costume, ter man jado abonar a estes i
dous inlelligentes funccionario.j as despezas de
transpone e as respectivas graiiBcagoes durante os
dias que se de.uorassem no Port, o mestre cedeu
generosamente da sua gratilkagio nicamente le-:
Disse-se que rao a Vienna el-rei e a rainha
de Portugal. Afim de evitar as difflculdades do ce-
remonial da corte que necessariamente viriam coro
a preseoga, na capital da Austria, de urna tiiha de
Vctor Emmanuel, Suas Magestades porluguezas
deviam ir a Vieqna sera que os antecedesse aviso
ofOcial, com o lim ostensivo de visitar o duque Au-
gasto de Coburgo, que primo de el-rei D. Luiz.
Nc comtudo fcil que a corte austraca poss
ido
parecem as bronenites.
! A epizootia no gado bovino tem continuado a
manifestar se ero affecgoes aphtozas; entretanto as
| rezes alfectadas, diz o conselho que nao ha duvida
! em serem abatidas para consummo.
Apesar disso, grande numero tem sido regeita-
das, o que tem produzido alta no prego da carne,
que a base da publica aiimentago, sobre ludo na
capita'
(.OVEREO DA PROVlilGM.
Eipedieute do dia lo de novruibro.
Officio ao general rommandante das armas.
Olerecendo se o capilo do hatalhao n. 40 do mu-
nicipio de Ipojuca, Manoel Laurindo dos Santos
Vieira, para prestar os seus servigos na campanha
do sul, sirva-se V. Exc. de mamla-lo para Isso en-
corporar ao segundo batalhao da guarda nacional
destacada.
Dito ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de mandar
alistar uo quinto corpo de voluntarlos da patria, a
Joo Roberto Ferreira, apresentado pelo capitau
Joaquim Ricardo Monleiro de Paiva.
Dito ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de informar
sobre o que pede no incluso requerimento o guar-
da do oilavo batalhao deste municipio, Ludgero
Francisco Ribeiro de Pina.
Dito ao mesmo.A' V. Exc. se vai apresentar o
alferes do batalhao n. 45 do municipio de Barrei-
ros, Manoel Antonio da Costa, que foi designado
para o servicj da guerra, afim de que V. Exc. o
mande encorporar ao segundo batalhao desta-
cado.
Dito ao mesmo.Informe V. Exc. acerca do que
pedem nos inclusos requenmeotos, os voluntarios
da patria, Jorge Antonio da Silvelra e Telesphoro
Eduardo Gongalves Lima.
Dito ao mesmo.Sirva se V. Exc. de ordenar a
baixa do soldado da companhia de zuavos, Jos
Joaqun] de Sant'Anna, visto sollrer de epilepsia,
conforme declara V. Exc. em seu oIBcio de hontem
datado, sib n. 2117.
Dito ao mesmo, -Pode V. Exc. mandar dar baj-
a do quinto corno de voluntarios da patria, a Jos
Antoni" Gomes da Silvelra, visto ter sido conside-
rado incapaz do servigo por soflrer de asthma se-
gundo o termo de iospeccio annexo ao officio de
V. Exc. de hontem datado, sob n. 2110.
Dito ao inspector da ihesouraria de fazenda.
tstand em termos a relagao de mostra junta em
duplcala, que me remett-u o marechal eomimn-
dante das armas com oflkio de hoje, sob n. 2125
mande V. S. pagar os veocimentos, relativos a se-
gunda quinzena do mez de outubro ultimo, das
pracas do contingente do primeiro batalhao da
guarda nacional destacado para o servigo da
guerra.
Dito ao mesmo. Transmiti a V. S. coberios
com officio do lenle-coronel commandante do se-
gando corpo d guardas nacionaes destinado ao
servigo da guerra, a folha e prets juclos em dupl-
cala, a que se refere o do marechal commandante
da- armas, datado de hontem e sob n. 2109, alim
de que, nao havendo inconveniente mande pagar
os vencimentos relativo- ao mez de outubro ultimo,
dos offlciaes e pragas d'aquelle corpo.
Dito ao mesmoTransmillo a V. S. os inclusos
documentos, atim de que, nao havendo inconve-
niente mande pagar ao sargento Luiz Rodrigues de
Oarvalho, ou ao seu procurador, conforme solici-
tou o commandante superior da Boa-Vista, em of-
ficio de 20 de outubro ultimo, a quantia de___ ..
232529 rs., em que, segundo os mencionados do-
cumentos importam os veoeimentos a coular de 21
de agosto at 30 de setembro deste anno, do des-
tacamento de guardas nacionaes existentes na villa
do uuncury.
Dito ao mesmo. Estando em termos os inclu-
sos documentos que me remetleu n commandante i das-Novas e Ramal de Setubal (1:008 cont-), a sesso real extraordinaria do juramento de S. M. anno passado, e que lem por titulo -r- Os principios
superior da comarca da Roa-Vista, com officio de mais a importancia do subsidio pago por estes 120 e|.re regent,i ,jU() na(|e verificarse no da 6 de no- e pratica de medicina principalmente para o uso
20 de oulubro ultimo, e nao havendo inconve- kilmetros (2:000 contos) o que ludo prefaz cerca vern|,ro a uma nora j;, [ardt. o programroa do de estudantes de collegios mdicos ita India.
mente mande V. s pagar ao alferes Thomaz Pe- de 3:000 contos. estylo Harta grandes queixas conira a ultima lote-!
dro de Aquino ou ao seu procurador, a quantia de j O governo destinado de pagar o subsidio de 18 pUD|coii-se a magnifica poesia do Sr. Vendes ra efectuada na India, por naver sabido o primei- j
o70690 rs., i-m que importam os venc.iinenios a conlos por kilmetro as lin.lias em construegao de LealiVapo/ci/o no Krenulim. A edigao avulsa da ro premio a tres msanos que haviam comprado o
contar do primeiro de julho a 20 de agosto deste ; Evora ao Crato, de B-ja ao Algarve, e de Beja a (ypographia da Gazeta de Portugal. E' uma das bilhete na vespera.
anno, do destacamento de guardas nacionats exis- fronteira de Hespanlia. melhores poesas daquelle insigne talento. i Foi exonerado do commando militar da pro-1
lente na villa do Ouricury. i O governo garante a companhia a receita bruu a Patrie de Paris annuncia nos seguintes vincia de Pernem (India) o tenenie-coronel Antonio
Dito ao me.-mo. Son minha responsabilidade de 3:6005, por kilmetro durante o periodo de oO termos a prxima concluso de um tratado de com- Jos de Miranda Xavier, nomeando-se para o subs-1
mande V. S. pagar a Joaquim Jos Ferreira Penba,; annos r ^ i mercio entre a Franga e Portugal: / tituir o major do 4' batalhao de cagadores, Antonio
D. Mora Pa, barcas S. Vicente de Paula, San Li,
S. francisco Xavier, Tremetija e o brigue Job.
Vai estabelecer se em Macao um club portuuez,
sob o patronato do governader, o ar. Jos Rodrigues
Coelho do Amaral.
Quebrara naquella cidade o negociante china
loug-Yek, com 133,000 patacas. A qaebra foi jul-
gada culpada.
Por noticias de Londres sabe-se que as obras
da corveta Duque de Patmella, vo gran demento
adiantadas, aehandose aquello navio prompto desde
18 do correnle para descer o plano inclinado.
No da 22 foi encontrado morto n'uma car-
ruagem de terceira classe do caminho de Ierro do
sol, um criado de servir, que viera de Beja, em
commisso de seu amo. A morte foi violenta.
PERNAMRUCO,
diarrheas. desembaragar-se completamente desta visitare de vado a isso pelo zelo e desejo, como intelligente'
Dito oriental: Contina regularmente o esta- cert0 os jous ra0gos soberanos renunciaro o pro- i operario que de ir aprender na exposigao o mo-
sanitario: diminuem as affecgoes gstricas; ap- jecto que, apezar das relagoesamigaveis das crtesi dode poder melhorar a officina ) seu corpo. Se-I
de Austria e Portugal, se encontra cheio de graves | gundo informagoes, o governo impoz a estes func-1
difflculdades para a corte imperial. ciooarios o encargo de apreseolarem um relalorio
No mesmo jornal se l o seguinte : das suas observagoes.
Diz-se que foram agraciados com a commenda O cholera produz actualmente grandes estra-
de Christo por Sua Magestade el-rei de Portugal, gos em DamSo. Em menos de um mez havia ja j
antes da sua partida do Bruxellas, Mr. Dubois- feito sessenta e seis victimas, pella maior parte na
Thorn goveroador de Brabante, e Mr. Anspoch, classe baixa.
burgo-mestrede Bruxellas.l N" da 16 do corrente, compareceram o pre-
Sua Magestade el-rei de Portugal, querendo sidente e vereadores da cmara nunicipal de Lis
O conselho de sade tem desenvolvido grande gualmente'tesmirahar a Mr" Paye, capltao do reg- boa, no real pago das Necessidadb, pela meia hora I
ener8'a- ment de carabineros, a sua benevolencia, e pro- da tarde, afim de feicitarem S. !(. el-rei o Sr. D.;
InstrucgSes pygienicas tem ido publicadas e var |ne 0 aprp,;o qUe |jKa a 0bra que e das pelo conselho de sade com grande pUblicou acerca do aquarlellaraenlo e alimenlago gencia duraute a ausencia de S. M. el-rei o Sr. D.
por ora, senao promessas e
profusiio.
De poltica, nada
esperanga's.
J foi publicado o contrata com a companhia do
commercio de ferro de sueste, operaco iinanceira
de que se oceupam quasi exclusivamente os prin-
cipaes peridicos de Lisboa, divergindo na sua
apreciagao.
A demora prolongada na publicago ofBcial deste
imporlanle documento causou serios reparos e mui
severa critica, do que Ihes dei idea ua minha
ultima.
As eslipulagoes pnneipaes do contrato celebrado
com a companhia dos caminhos de ferro de sues-
te; sao as seguintes: \
1.* A companhia restituir desde logo ao gover-
no o prego da venda da secgio do Barreiro s Ven
do exercito-, digoouse nomea-lo cavalleiro da real
ordem militar de Christo.
Consta que Suas Magestade regressarao a
Lisboa mais dspressa do que tenciooavam, e que
se trata ja de Ihes preparar recepgao condigna.
Luiz. Em nome do povo de Lisboa cumpre aquella
illu-ire corporagao o dever sagrado de felicitar o
re artista.
O Sr. Querubino Francisco dh Gloria Furlado
vai publicar em MargQo (India) ulm opsculo intl-
Diz-se altrbuir a precipitacio do Vegresso a"um j tulado loco instruido, dedicado a! mocidade estu-
sentlfflentn oua muilo honra o monarcha, e que diosa de ambos os sexos. \
el-rei sabenao o melindroso estado sanitario de Por O Rvd. padre Jos Felippe Pt retra, professor:
tugal nao deseja estar ausente da patria em occa-; de en-ioo primario en S. Thom, te tciona publicar j
slo em que a sua presenca pode ser grata aos i brevemente uma Grammatica porl \nuezn, por stjs-1
seus concidadaos. I lema philosopliico. Todos os jornat s da India, onde '
Um despacho de Floreog, datado de 2o do cor-' a publicago se deve effecluar, sao unnimes em ;
rente, diz que SS. MM. e A. real de Portugal che- saudar a nova grammatica e o sjeu intelligenle
garam aTurin, ende tiveram uma recepeo enihu autor.
siaslica. Chegaram a Floreuga no dia 3 de novem- O Sr. Paulo Maria Baptista, residente em ;
bro com o re Viclor Emmanuel. Bombaim. vai traduzir di inglez, para a nossa lin-1
O Diario offlcial publuou o programroa para gua um volume, publicado pelo Dr.| John Pett, no
m vi-ta da conla jun:a em duplcala, a quantia de
405000, importancia de 60 estivas por elle colloca
das em lugar de oulras podres, na ravallanga do
quartel da companhia de cavallaria, visto serem
urgentes laes concerlos.
Dito ao commmandanle superior da guarda na-
cional de Olinda e I^uaras-. Com as copias da
Algumas folhas, como o Jornal de Lisboa, que
nao faz poltica de faego, mas lem procurado sem-
pre manterse n'uma posigo neutral, roudemnarn
a operago como, ruinosa.
Desta discussflo deve sahir a verdade.
Contina o governo a firmar o conceiio que am-
biciona ter, de mantenedor da moralidade publica,
soaes com os soberanos daquelles paizes, e a troca
de ideas sobre a poltica geral ; tem tur fim prin-
cipal a tutela dos interesses commerciaes de Por-
tugal,
informages ministradas em 7 do correnle, pelo por actos de vi-ivel energa. rjB fen,^ enlabolar-se-hao dentro em pouco ne-
commandante superior da guarda nacional do mu- m delles foi oque deu origem ao decreto publ- g0ciacoes entre Portugal e Franga, pira a=signatu-
nicipio de Goiauua, respondo au officio de V. S. de cado antes de hontem no Diario de Lisboa, pelo ra je'um tratado de commercio igual -eni-vantajo-
17 de outubro ultimo, acompanhado da repre- qual se prohibe a concessao de moratorias para o
sentacao do tenente-coronel commandante do ba- pagamento dos tributos, nem suspensoes nos pro-
ialho' n. 11 de iofantaria do municipio de Igua- "cessos administrativos conira os conlribuintes
A viagem Franga, Blgica, Allemanha e In- Luiz Alves.
glaterra, de el-rei D. Luiz de Portugal, nao tero por! Puhlicaram-se os decretos, que elevaram ao
nico ohjecto o csiabelecimento de relagoes pes-! pariato o marquez deSouza llolsteio, doutor era di-
de Lagoaga, presidente da As-
retardatarios.
ETectivamente as parcerias polticas tinham
affrouxado as redeas ao fisco para os compradores,
por tal modo que a parcialidade revoltanle indigna-
va os que, nao leudo prolecgoes, erara ohrigados a
cao dos concertos urgentes, de que precise o arse- dar inleiro cumprimenlo a lei, sendo processados
nal de guerra, mediante a quautia de 5145780 rs., sera piedade piedade pelos mesmos motivos porque
em que foram elles oreados. outros eram indultados n'um favoravel addiamento
Dito ao mesmo.Approvo a deliberago, que se- de eobranga.
rei lo, e o visconde
sociaco commercial do Porto.
A barca transporte Marlinlio de Mello foi no I
dia 19, rebocado pelo vapor Vasco da Gama, que a
conduzio at Pago d'Arcos aonde fundeou em con-
seqnencia de ventar ONO. Espera alli a Marlinho
de Mello pela primeira opportunulade para sabir'
so para as duas nagoes. a poca en que ter lu- em direcgo a Tim >r e Maco, voltando por Mo-
gar a abertura dessas negociagoes devera coincidir gambique, Mossaraedes, Bengutlla e Loanda. Leva
com o regresso a Franga de Suas Magestades por- este navio para Macao 151 pragas do deposito per-
rassu.
Dito ao director das obras militares.Approvo o
contrato que, segundo o seu officio de hontem da-
tado, sob n. 73, fez V. S. com Antonio Francisco
MartiOS de Miranda, para encarregar-se da execu-
raanente de conligentes para o ultramar, alm de
varios empregados pblicos, e varios objectos ne-
cessarlos naquella possesso.
No couvento da Ave Maria, no Porlo, houve,
gundo o seu officio de 14 do correnle, sob n. 74,
tomou V. S. de mandar proceder sein demora a
subslituigo urgente das 60 estivas podres da ca-
vallartca do quartel da companhia de cavallaria,
encarregando esse servigo a Joaquim Jote Ferreira
da Penha, pela quantia de 405000.
A ihesuuraria se expede ordem para sailsfazer
tuguezas, isto dentrs de um mez. Esperara se
em Lisboa instruegoes e documentos especiaes.
O visconde de Paiva, ministro de Portugal em
Paris, dirigir as negociacoes; ser auxiliado por
um cavalleiro, o qual tem'perfeito conhecimeulo da no dia 16, um simula -ro dos antigos ouieiros. Reu-
situaeSo commercial e industrial daquelle paiz. niram-se alli, cun licenga do prelado da diocese,
Diz-se que S. M. o Sr. D. Luiz, se entender varios poetas, entre os quaes se conlavam os Srs.
eotn o governo francez, aflm de prevenir una frau- Guilherme Braga, Alexandre da Conceigo, Jos j
de que a vaidade inspira. Ha em Franga quem so- Maria Vieira, Forte Gato, Dias de Oliveira, Braz
Ofavoritisaw tem cumpeando^ha muilo para que |j(,te a orjein portngueza de Christo, cuja fita se Martins, um sobrinho do popular e inspirado poeta I
para o outro parece mut0 com a da Legiao de Honra. Para obs- o Sr. Joo de Lemos, o varios outros cavalleiros, re-
tar a esta semelhanga, o rei de Portugal mandar citando elles diversos trechos poticos, recebendo
acere-centar uma orla cor de castanha lita da or-: das religiosas muitos applaosos e muitos doces,
densde Christo. A digoidade portugueza interessa i Foram prohibidas as feiras e grandes merca-
era que termine essa semelhanga. dos, que annualmente se fazem era diversos pontos
Consta, que foi agraciado com a commenda do paiz, isto somente quando Ihes for requerido
seja fcil estirpar de um momento
abusos desta ordem.
Entretanto, confessemos, que esta resolugo
honra o governo e da garantas de seus intuitos.
L-se na Independencia Blgica:
S. M.l-rel"de Portugal, o qual, no dia seguinte
ao da sua chegada a Bruxellas, linha concorrido, de enrizo, Mr. Gerand, cnsul francez no Porto, pelos delegados do conselho de sade.
nn IhoafrA .san! Ililhurf a runrocant. pSa da Hir.hr ----...------ i._;,u- -i- ---------:-s_
Parece tue os mdicos que teem assistido a
"--a quantia em vista da conta em duplcala aune
xa ao citado officio. no theatro Saint Hubert, a represent gao da Biche que muto'COncorreu para o bnlho da exposigao
Dito ao mesmo. Em vista do que expOe V. S. aubois. novamente assi-tio a essa pega mgica, itrnacona[
em seu officio de hontem datado, sob n. 72, auto- hentem a noute, na companhia de S. M. a rainha Chegou ao Porlo o embaixador francez Mr.
e do principe Amadeu de Saboya. Boure, que representou o imperador no baplisado
Um sequilo numeroso escoliava SS. MM. portu- do nVo duque d 1)orl0i 0 Sr D Arfonso.
guezas, que preslaram ao espectculo a mais viva Pallase no projecto de edificar dous grandes
altengo. saloes para botequius entrada do Passeio Publi-
SS. MM. o re e a rainha de Portugal foram hon- co pe|0 )ado do su(> no |ugir onde se acna a casa
tem visitar as offlcinas de Ghemar irmaos, e enri- da uarda e a cas, do p0rieiro.
queceram com os seus retratos a collecgao dos
soberanos da Europa, dos quaes este estabeleci-
ri-o-o a mandar executar por empreitada e pelo
prego do respectivo orgameuto o concert da ponte
da fortaleza do Brum, uma vez que nao apparece-
ram licitautes a arrematagao dessa obra.
Dito ao commandante do corpo de polica.Po-
de V. S. eogajar para o servigo do corpo sob seu
ommando os paisanos, Manoel Martins Ferreira
doenga do conde de Torres Novas, teem espera ngas
de slvalo se as melhoras continuaren!, comtudo
S. Exc. quiz tomar o sacramenio da communho
que Ihe foi ministrado pelo prior dos Martyres.
O governo aitendeu a' justa petigao do pro-
1 prletario da mina de S. Domingos, concedendo-lhe
! a permisso de estabelecer um flo elctrico de S.
ao pono do Pomaro, seguo-
Manoel Vicente Ferreira do Nascimenlo, apresen- ment ja possue a maior parte
dos com o seu officio n. 1037 desta dala. SS. MM. felicitaram os senhores Ghemar pelas
Dito ao mesmo.-Pde V. S. fazer engajar para riquezas pholographicas das suas offie.ioas, assim
O ervico do corpo sob seu commando, o paisano como peio seu talento na excussao, que hoje eolio-
Rogerio Agostinho Soares, apru-enlado com o seu j ca ao lado dos mais affamados artistas photo-
officio n. 1071 de hontem datado. ,graphos.
Dito ao chefe da repartigo das obras publicas.' O principe Amadeu de Saboya, o re e a rainha
Kespondendo ao officio que V. S. me dirigi ero de Portugal, trocaram visitas coro a familia real.
11 do correnle. sob n. 361, tenho a dizer, que,em; Estes augustos personagens dingiram-se a
vista do que acerca do seu cometido roormou hon- Lacken e visitaram os passeios e pontos pnneipaes
tem o director das obras militares, pode o enge- da capital. -
nheiro ajudante interino dessa repanigao, Jos Ti-
burcio Pereira de Magalhes, ir proceder aos eslu-
dos graphicos da esirada de rodagem, a partir da
povoago de Trombetas em direcgo a colonia mi-
litar de Pimenteiras.
- 16 -
O mesmo jornal de 18 do correnle diz o se-
guinte :
Segunda felra foram curoprimentados el-rei e
a rainha de Portugal, no hotel de Belle Vue, suas
altezas reaes e imperial o duque e a duqueza de
Brabante; suas altezas reaes o conde de Flandres;
Portara. O presidente da provincia, tendo em principe Amadeu de Saboya; ministro de Portugal
vista o officio do coramandanle superior da guarda l nesla corte, baro de Setval; o de Italia, conde de
nacional do municipio de Pao d'Alho, de 7 do cor- Montalte; es cnsules destas duas potencias e ou-
rente, do qual consta que o tenente-coronel com-
mandante do bataibe n. 17 de infamara, Jos
tros personagens de disliucgo, do corpo diplomti-
co, etc.
_.. i i........ Domingos de Mertola, ,.
Esle anno as aulas do curso superior de letras do as ond.5es iraposlas pe|0 governo de S. M.
sao nocturnas. Abrero-se no da 4, e parece que Foj novmeado chefe do esiado-maior da pri-
SuaMageslade lenciona honrar a memoria de D. meirsi dlvisao mi|IUr 0 coronel Carlos Brando de
Pedro V. assistindo a abertura do curso. Cas|ro t-erreri por ter sdo promovido a general de
Diz se que se espera uestes porlo uma esqua- brigada o Sr. Carlos Bemvenuio Casimiro.
dra americana, cranosla de vinte e lanos navios. Recebeu-se mala de Timor. Alcangam as
Sobreveio um p de vento em Villa-Nova de noticias a 6 de agosto prximo passado.
Gaia, com tal forga que arrojou pela linha frrea Havia chegado aquella provincia no da 7 dei ju-
uma carruagem que se achava na estago, causan- Iho antecedente o vapor Maria Anna, com .3 das
do taes prejuizos se avaliam em dous contos de de viagem de Mogambique, levando a seu bordo
rejs. um destacamento do batalhao desta ultima provin-
Est de luto o digno representante de Fran- cia composto de cincoenta pragas de pret e dous
ga em Lisboa o Sr. Bourre. Falleceu em Paris, offlciaes.
victima do cholera, sua digna esposa, madama
Bourre.
Est modelado o busto de visconde de Almei-
da Garrett, que commisso respectiva teociona
mandar collocar no salo do Ibeatrode D. Maria II.
Foi confiada esta obra, apor grandes difflculdades
quo tem havido, ao distincto actor o Sr. Rosa. O
busto vai ser execuiada em pedra. Consta estar j gava.
assignado o contraa cata o. disuado artista para Estavara tundeados em Maco, em 24 de agosto
esse efleito. ultimo, || navios, dos quaes porluguezes a galera
Melhorra o estado alimenticio, e em vista disso
resolveu o conselho do governo acabar, desde o 1*
de agosto, com a isengo dos direitos do arroz e
azeite de coco; e fra permitllda a exporlago de
milho at a' quantidade de 1,000 picos.
Era regular o estado sanitario em Dely. Eslava
quasi extracta a epidemia das bexigasque all gra-
urna mm.
A Associacao Commercial a'esla prag acaba de
nomear uma commisslo, composia dos senhores
uegocianies da praga do Rio de Janeiro conselheiro
Joaquim Pereira de Faria, commendador Joo Joa-
quim de Lima e Silva Sobrinho, Mililo Mximo de
Souza, Jos Joo da Cunha Telles e Jos Antonio
de Figueiredo Jnior, alm de felicitarBem nome
do commercio desta provincia S. M. o Imperador
ao reoolher-se a corle de sua palnotica viagem do
Rio Grande do Sul.
Estamos autorlssdos para declarar que o
Ulm. Sr. Dr. chefe de polica expedio terminantes
ordens ao subdelegado da freguezia de S. Jos pro-
hibindo a reuniao e divenimenlos de uns pretos
que habitara em uma casa da ra Augusta, bem
como as brigas, algasarras e obscenidades que ahi
se pralicam, com escndalo c incommodo dos vi-
sinhos.
Disiribue-se hoje a 7.' forma da Bibliotheca
Lttteraria, qae depois de uma breve inlerrupgo
na sua regularidade de existencia, devida a affluen-
cias de trabalhos da lypographia, em que se Ihe d
publicidade, conliuua a ganhar espago no terreno
da publica opiniao.
Nao podem osdeixar de tecerencomios arespeett-
va redaego pela perseveranga de seus trabalhos e
utilidad futura, que tanlo promette essa empreza.
Por portara de 16 do corrente, foi nomeado
o vigario collocado da freguezia de Aguas-Bellas
padre Antonio Eustaquio Alves da Silva, capello
alferes de voluntarios ; deveudo seguir para a cor-
te com a ala diretta do corpo de polica.
Fizeram acto, no da 15, na Faculdade de Di-
reito os segrales esludantes:
1." anno.
Domingos Antonio Rodrigues Gumaraes, simples-
mente.
Jos Gongalves da Rocha, dem.
Julio Cesar de Freitas Coutinho, plenamente.
Luiz Duarte da Silva, dem.
Julio Ad-dpho Ribas, dem.
Benjamim Alves de Carvalho, idem.
Francisco Gomes Pinto de Campos, idem.
Manoel do Nascimenlo Pontes Jnior, dem.
Dous reprovados.
2. anno.
Gemtniano Brasil de Oliveira Goes, plenamente.
Manoel Rodrigues da Cunha Vianna, dem.
Jos de Araujo Vianna de Almeida, dem.
Tobas Brrelo de Menezes, dem.
3." anno.
Anslides Augusto Coelho de Souza, plenamente. j
Jos Antonio Gomes, idem.
Arnobio Jos Pereira de Albuquerque, idem.
Joaquim Pereira da Silva Lobo, idem.
Bartholomeo Teixeira Palha, idem.
5." anno.
Bento Jos Alves Vianna Filho, plenamente.
Antonio da Silva Antunes, dem.
Manoel de Azevedo Monleiro, idem.
Cyrillode Lemos Nunes FagunJes, Idem.
Fizeram hentem exame na escola normal oito
alumnos, sendo um do 1. anno que foi approvado
plenamente e um do 2. anno plenamente, 2 sim-
plesmente e reprovados.
De Pao d'Alho escrevem nos com data de li
do correnle :
A muilo nao Ihe dou noticias de c por falla
de novidade, que mereca a pena reerr-lhe.
Continuamos a ter verti inrerno, o que
bastante prejudicial principalmente aos senhores
de engenho, que precisiio de bom tempo para a
moagem.
i Os gneros alimenticios vendem-se por prego
regular, e segunda-feira coraegam os trabalhos do
jury.
t Adeus.
Seguio hontem para o Buiqne uma forga do
corpo de polica, c.omposla de 40 pragas, ao mando
Sr. capito mesmo corpo Borges Leal.
S. Exc. o Sr. conselheiro presidente de combina-
gao com o digno Sr. Dr. chefe de polica resolveu
esta medida no intuito de dar remedio aos desman-
dos, que alli tem sobrevindo ltimamente; e de
crer que o Sr. capilo llorges Leal se saia bem de
sua commisso, correspondendo assim s vistas das
autoridades superiores, que outra cousa nao que-
rem que o imperio da lei combnalo com a garan-
ta dos direitos do cidado.
O estado em que as cousas vio naquelle termo,
reclamava por certo esta medida; da qual devem
provir todas as que forero necessarias para conse-
cuco do fim cima referido.
Hoje o agente Cordeiro Simoes, elecluar em
seu armazem a ra da Cruz n. 57, as 11 horas em
ponto o leilo de movis, escravos, louga e outros
muitos artigos, que foi annunciado para hontem e
nao levo lugar por se achar encomraodo.
De Garanhuns temos as seguintes noticias
com data de 8 do corrente :
Um facto assas grave acaba de dar-se no ds-
trelo do Correnle, e eis os seus promenores refe-
ridos por lestemunhas oculares.
Achavam-se recolhidos a casa de prisao da i
povoago alguns recrutas e um criminoso da pro-!
vincia de Alagoas. Na noute do dia 3 do presen-
te poderam estes individuos fugir, e foram, segundo.
avisos que teve a autoridade policial, refugiar-se,
emSituagao e Gameleira, onde Felippe Jos do
Nascimenlo, Jos Evaristo dos Santos e outros,
Viviana com grupos armados, ameagando as auto-
ridades, e prometiendo tomar recrutas. J estando
n'um dos referidos lugares o subdelegado em
sxercio, lenle Mauricio Lopes Lima, com uma
patrulhs, pz debaixo de cerco algumas casas,
inclusive a de Felippe, que era ap nlado como o
principal, conseguindo prender cinco individuos,
tirou um inspector da forga, e mandou que este os
conduzsse para a povoago; mas, por inepcia
deste empregado, poderam os presos escapulir se
em caminho.
t Negando-se Felippe a abrir a casa menciona-
da autoridade, a quem diriga insultos, e dizia que
havia de matar, dando dest'arto tempo a que s*
reunissem os seus cmplices, ao amanhecer do
da, recebeu o subdelegado um recado mandado
pelos cinco fugitivos e outros cem numero de dez,
os quaes estavam em casa de Andrelino de Tal,
que se ello (subdelegado) nao fosse bate-Ios, que
elles viriam ao seu encontr I
c Na verdade, cumpriratn a sua palavra; sois
que, pelas oito lioras do da, *lmme.diato quand.q o
i subdelegado ia a um piquete que mandara botar
I n ama casa junto da estrada por onde suppunha
que viriam taes scelerados, eis que elles se apre-
I sentam, e dando-lhes o subdelegado ordem para
i que parassem, visto desconfiar delles e conhecer
alguns, leve em resposia urna de-carga, de que
felizmente livrou se, por se ter ampiado do oito
da casa, em cujas iminediagoes eslava.
c Ento a forga publica ragio, e anda poderam
ser presos, por licarem feridos, Manoel Eleulerio,
guarda nacional designado para o servico da
guerra, e Mauoel B*si|io, individuo este qie, ha
pouco lempo, tomara de nina patrulha um seu
irmo que era conduzido para esta villa, como
recruta.
Continuando Felippe a resistir, e animando os
do seu sequilo de dentro de casa, logo que acabou
o tiroteio, mandou o referido subdelegado lavrar o
respectivo termo de resistencia por seu esenvo,
que o acompanhara com dous offlciaes de jo-liga,
e tornou effectiva a prisao de Felippe, o qual, seus
dous companheiros j mencionados, e um ouiro
conhecido por Jos Bola que com elle se achara,
e.-to recolhidos a cadeia desla villa.
Tambem em Panema consta que deram-se
cinco mortes, por um ouiro grupo ler ido tomar
recrutas, havendo lula reenhida entre a forga pu-
blica e os facinoras que a atacaram.
as extremas desle termo e de Papacaga, entre
Lage e Baixa da Lama indo uma patrulha de S.
Rento em busca de uns recrutas que desla ultima
villa rugirn para esse lugar (Papacag). donde
tinham vindo; foi cercada por diversos individuo-
de taes sitios, e leve de voltar, por ser composla de
poucos soldados, e temer ser victima.
Eis os bellos (rucios que e-tao colhendo
aquelles que iniroduziram a zizanla entre o
povo.
Entretanto, se a autoridade nao reagr. mos-
trando prudencia e energa, enlio nao ha mais
s-guranga individual, porque aps um crime viro
outros. i
Passageiros do hiate brasileiro Exalartio, sa-
hido para o Aracaiy :
Anuocno Ribeiro e 1 e.-cravo, Joio Paulo Gomes
de Mallos, Constantino Gomes de Mallos, Manoel
Gomes de Freitas, Antonio de Sa lmelo e 1 cria-
do, Joaquim da Costa Araujo, Seba.-iio Pontes Si-
moes, padre Joo Luiz Pereira Barbosa Pinto de
Lemos e 1 escravo, Guilherme Antonio Pinto de
Lemos.
Reparticao ua polica.
Extracto da parle do dia 17 de novernbro de
1865.
Foram recolhidos a' casa de detenco no dia 16
do corrente:
A' ordem do Ulm. Sr. chefe de polica, Joo Fran-
cisco dos Prazere-, para provar isengo do reeru-
tamento; Lourengo Jos Tavares para se averi-
guar se foi guarda nacional designado para o ser-
vigo da guerra ; JjIui Brown e Thomaz Sharpe,
disposigo do cnsul inglez, por serem desertores ;
Antonio, escravo de Ignacio Marques de Araujo,
por fgido.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Marceliino
escravo de Francisco Qnintino Rodrigues E-leves,
por fgido ; Joo Viceule, para correceo.
A' ordem do subdelegado da B a-Vi-ia, Bevenit-
lo Joaquim da Cosa e Leonardo Jos de M-deiro,
para averiguacoes em crime de fono de eavallos.
O chefe da 2' secgo,
J. G. de Mesquila.
COMMNICADOS.
J tinha lido a correspondencia do Sr. Francisco
Carlos Brando, publicada no Jornal do Commer-
cio de 7 do corrente, e eslava no proposito de n.io
roe oceupar delta, porquaulo sabido que a alr-
mativa uu negativa desse senhor, nao Ja nem tira a
verdade dos fados.
O Sr. Brando jogando leos contra o prov-ito
que possa tirar a minga e mentira, seu< nicos
ttulos de vida poltica I E' paraa geote ui rr--i de
riso.
Mas como aqui houve pressa em iranserever tai
correspondencia, inliro que .-e prende ella a inle-
resse de lerceiros, e por differeucia a e-ies t roa
rei em considerago o que diz o mt-smo Sr. Bran-
do.
Esle senhor tambem um daquelles a quem se
attribue o haver escripto ao major Jos Kodrign-*
de Moraes, dissuadindo-o do proposito de vir i i>
recer se ao Sr. Castello-Brsaeo para orgam-ar uro
corpo de voluntarios da patria, e o na do |> mp
houve elle e lambem o Sr. commend i lor Domin-
gos de Souza Leo, com o referido ajar, nutra
que lano um como ouiro tinham bem pouco MU-
resse em que cumprisse o seu offereciinenlo pa-
tritico.
O major Jo- Rodrigues, amparado e apre-en'i-
di lelos Srs. Brando e Domingos de I oiza, no
pode dar A thesouraria da (atenea um fiador, para
retener a quantia de 5:0005, uue Ine mandara
enlrsgar Sr. Castello Brauco !
Ou esses senhores, reputaram o major Jos Ro-
drigues um traanle, que vinha do seito dar um
ble ao thesouro, e em lal caso de-lu apresentando o ao presidente ; ou com elle repre-
sentavam una farca, eojjo desfecho era impedi-lo
de levar a effeilo a' organisago do corpo, a que m
propunha. Esta pona do dilemma esta mais de
accordo com o que me tem dito pe-soas vmda- i
Tacaralu', por ouvirem ao proprio major J -. Ro-
drigues, como em outra ocra-io j o declarei.
Insisto, portanto, na minha asserco at que m'o
conteniera de molo positivo e evidente.
Entretanto nao me proponho a embaragar a es-
peculago a que por ahi se appicam certo- se- be-
res com estes negocios de voluntarlos. Fazem mul-
to bem, encariem a sua bisca....
Recife, 17 de novernbro de 1865.
O corresponden/e consecrada
COEEESPONDENCUS .
Srs. redactores.Preparo uma exposigao para
publico, feta em um folheto, que sera' imprp--o
distribuido opporlunamenle, sobre a traigoeira e
injusta demisso de secretario da nsirurgo pu-
blica, por mim soffrida ; expo-igo que pr ser ex-
tensa e acompanhada de muitos documentos ja
nao esta publicada.
Entretanto, rogo-lhes queiram imprimir em seo
conceituado 0MTM a seguinte seoteog i, com n qu*
muilo obrigadolhes licaiV o seu constante MM ?
as-ignanle.
Mtaiar Henrique de AlbuqufrqHe,
Recife, 16 de novernbro de 1865
SENTENCA.
Vistos estes autos etc. Por falta de prova, coaw
mesmo reconheceu a promoloria publica a 11. 77,
julgo improcedente a denuncia a fl. 2, intentada cos-
tra Salvador Henrique de Albuquerque e Antonio
Jovino da Fonseca, aquel le secretarii que foi, e este
porteiro da repartigo da instrucgo publica, pagas
pela municipalidad!; as cusas. Da presente decisio
recorro ex officio, na lrraa da lei, para o superior
tribunal da relagao.
Cidade do Recite, 12 de jnlho de 1863.
Manoel oy> da Stfw Nena.

-------


Diarlo de Pernambnco .4abbado 18 de Xorcmbro de 4 9#Jr>ft
!E
qoe, logo que alttem se sentir atacado de das por fraqueza; e com effeito aeho exac-
lal mal, deve provocar a iransp rago loman- t;i essa opiniSo; mas nao dado o ferro eui
do ao principio urna coiherinha de cha do substancia pelo oio resultado que tenho ob-
xarope alcohlico de veame dissolvido em servado, (e que j 6z publicar) em certas e
lllm. sonhor.Tendo sido Borneado delegada de
polica di' 2* termo de Jabualao, uo dia 13 de jaoel-,
rod 1859, e al adata deste teuiwexerci lo o r.fe urna cuicara de lofusSo de flor de sabu- determinadas mole tas; por exemplo: ane-
ndo rogar; porm hoje acho-me bstame doente,, gueiro quentc, adocaildo-a com mais assu- mia, e febres intermitentes, tcrminam mui-
a nu poder mais coououar no deserapduho das
func<,oes pol.ciaes, por isso i
lar do Exin. Sr. presidenta i.
desonoracao do referido lugar, e espero ser alten- pe de veame na forma prescnpta no recei- do esta entre a pelie) e depois ascito ou hy-
dil1"- tuano, tendo todo o cuidado de se abafar, dropesia do ventre, que accumulago de uo serem encontradas comfacHMaot e em toda:.
> nuilo que o m;u rau estado d afim de soar convet ienlemcnte, alem de serocidade no peritoneo. | as estacoes do anno os frurtos dessa planta, p a re-
ir uo dcsemiieobo das, ca|.j continuando nos tres das nesse trata-' tas vezes por anazarca, que 6 accumulaco
dTorovinia, a miaba! tomento, no fim dos quaes usara' do xaro- de serosidade no tescido cellular(agua quan-
A jurubcba.
As virtudes therapeuticas da jurubcba sao desde
muito conhecidas nao s no Drasil, pois que deltas
Iraton Pisn em sua excellente obra Historia na-
luralis et medica India occtdentahs, seno as
Antilhas, onde o sueco das follias e fructos como
aqui, muito estimado e applicado contra as obs-
truccoes abdominaes, principalmente do ligado e
ba?j ; e se todos os facultativos desta provincia o
nao applicam cora frequemla, isto se nao deve a
nao reconhecerera elles essas virtudes, mas slm a
os doenles >-m fazer
em consequencia de
c'onH,nv "" al'"l,r H '"" ***' l d,Slm"U conservar o ventre correte, que consegu a E* sabido que o farro um dos agentes ^SSmSiS^SSL
Deus guarde a V. S. por muitos anno*. Engeuuo tomando tima ou duas pilulas purgativas do mais importante para que O sangue se pre- ser extremamente amargo.0*'
Gnrja de Bailo. 17 de no-embro de 1863. mesmo veame. pare t aperfeice devidamenti', e por con- A jurubcba nao descoiihecida dos botanistas :
[lira Sr. Dr. Eduardo Pindayba de Mallos, muito Todos quanlos succiimbem desla moles- seguiflte o mais proprio para impedir o des- esla ulanla pertcnce familia da sotaneas, e tem
W ^^*fr^d%>HLe*>. tiase (liz :faUweade erysipella recolhi- envulviincntn dcstas molestias; mas sendo tfSS^^*mmrmmMmt que lhe
-------r^,^*^^^------- da ; ao contrario, alguns expositores pre- elle nm eflicaz excitante, srbeme esecer- Pareeendo-nos conveniente facilitar o uso do
Llcico (*C Ui'es escrvio MiesoUTii- sumem serodesentolvimento da ptttrefac- nenie, 6 Claro que s associado como se sueco dos fructos iijurubeba, qae o mais era-
ra maR mimbra aaa'ka V fo- -'r, ''" sa" Be l;"'to 'llie ta>ar inflamma" acIia
oe ihji.> t.uiilMOs quelid., dt les- do que, ct.uio a sua cor era encarnada, se que se espera
tejar a padrtefra i\. S do nom-Suc- troca em liviJaou negra, etermna em can-.motistrado sem
X-. vega liles
no dnno ;<:
resso dos
1865 1866.
Juiz por eieicSo,
Illm. Sr. Joaqaim Francisco do Epirito-Santo.
Juia per e|i icao.
Euca. Sra. D. Gerirodes Seratina de Almeida.
Juizes i or devocao.
IHms. Srs.:
H ; mi el Joo de Amorim.
Jos Jiiao de Amorim.
Francisco Ja de Barros.
Francisco Ferreira Borges.
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo.
joo Pereira Moutinho
Joao (> mcalves dos I! i
Jos Hooteiro de Almeida.
luisas por devocao.
Exinas. Sras :
I). Mana Soares da Amorim.
1). Pranrisca Candna Pontes Tasso.
. Idalina Otympia P ito da Silva Maula.
1). Mana Joaquina Fernaodes Baplista.
1). Atn ha Gonj.lves Penna.
D. Haria Bita da Cruz N -v s.
1). Lodovna de Oliveira Lobato,
. Leocadia d- Siqaeira Cavalcante.
Escrivo por eleico.
Illm. Sr. Antonio de Almeida Gama.
Escrlvaa por eleico.
Etma. Sra. D. l-abel Amanda Pinheiro.
Escrives por devocao.
IHms. Srs.:
J a Antonio de Carvlbo.
Jo- Peixoto da Fon seca.
Joaqolm l-i> Gonijalves Beitrio.
Joao Mana d.' Albuqoerque Oliveira.
D. Joao Anulad i Hijo.
Manoel Marques de Abreu Porto.
Jos Pereira Vianna.
Felisberto Ignacio ue Oliveira.
Antonio Goncalves Torres*.
Dr. Maimel de FigueirO^ Fana.
Escrivaas per devogao.
Eimas. Sras.:
D. Carlota H-leodora Mafra.
D. Francisca Monleiro Neves.
1). Merenciana Maria dos Res Alves.
. Rosa Mara Fernandas Bai lista.
D Dmbelina PuUiada Bu-toilT Manta.
D. Emilia Gnaldina dos liis.
D. r.unstanria Gomes d- Oliveira.
I>. Emilia Candida de Mello Luna.
D. J'sepha de Medeiros Malra.
D. Francisca de Paula Cordeiro de Faria.
Thesooreiro.
Illm. Sr. Jernimo Jos Buiorff.
Procurador geral.
Illm. Sr. Ballhaaar Ji> dos Reis.
Pri curadores.
IHms. Sr> Praticos:
Manoel da Silva Neves.
Constancio da Silva Noves.
Hercutano Jos Rodrigues Piubeiro.
Manoel Jos Baptista.
Manoel Francisco dos Reis.
M ni i 1 d i Silva Neves Jnior.
Francisco Joao Alves.
Jobo Augu.-to ila Silva Neves.
Augasto Fernandes da Silva Mana.
Accilinn Martlns dos Sanios Lima.
Ad ilplm Feroande- da Silva Manta.
Domingos Anslncliana Mafra.
Juizes pri lectores.
IHms. Srs. :
.1 ia Fiancisco Pardelha3.
Mano* I E-tanislo da Costa.
Juizas protectoras.
Exmas. Sras. :
D. J lanna Amancia da Silva Costa.
D. Luza Maria dos P.eis Pardelbas.
Juizes perpelUOS.
Exm. Sr. barao dj L'vramento.
illm. e lt vra. Sr. padre Antonio Manoel de As-
sum|
Consistorio, 12 de novembro de 1865
Assignado, padre Antonio Manoel de AMumpcao,
coa'ijutor pro-; ar"Cho.
grea, C por OSSa i azSo que c conveniente nhas. cortos casos, o de'Vigo ; e estamos persuadidos que
o xarope alcohlico de veame na i n fu sao de! Os effeitos dos incitantes, sao : promover m is'o prestamos um servigo humanidade e
flor de sabugo, para se conseguir resolver a as secreces, e absoi\5es, augmeniar oca- ISUfS; ,. a u ,
.i i i, i. Pisn, tratando da hvdropesia, nrescreve
nuammacSo, oo peo menos terminar pea, or natura e remover cueas dores que
pela
supporacSo, impedindo assim a gangrena.
Os effeitos do xarope alcohlico de veame
applicado na llor de sabugo ao doente, nao
s e de vantagem por sua qualidade diafo-
rtica, como pela anti-septica para imped
a putrefaeco as moleras.
Na erysipella nao deve o enfermo ws pri-
nascem na
O
os
.L. ... !.!.,( uw un- iiiii-iiiuo 11 i i 1111 i i *'.-. .UI.7VU -frci-ti/Mu/ tu ue inutti tu //r'i
?s sorhenles sao lamhem aquellos agentes, tlca> dize|n iue naa Anhiiias se f;
s quaes augmentam os movimentos irrita- E 5252?imaT0S, ^ ''lanta
meiros tres da-; us-r de
das que possam esquentar
comnas e bebi-
e i tilla ui mar o
A comida durante csse lempo deve ser do
remo vegetal, como sag, farinha do Mara-
nhao, pao torrado bolacha, etc.
Anda nao vi expositor de medicina que
aconselbasse que nos prunciros tres dias de
aco'im i etlimeotos do mal, nao te usasse de
medrcamenU'S ; o que elles repellem sao os
ung lentos-, [unturas que obstruem mais e
repellem do que promovem a evaca;ao da
paite ; o que couv n trazer o lugar ata-
cado e em agasalhado para ajudar a trans-
pirado e defender do ar.
O verdadeiro xarope de veame vende-se
na botica da ra Direita n. 88, de Jos da
Rocha Prannos.
Tenho recebido cartas de algumas pes-
soas de ou ras provincias que me commu-
ni ain ter deslacidade sido remettido o meu
xarope fa'sitie-do, que tem dado resultado
ao descrdito de minha preparacao, cujo co-
i liecimentose tem verifleado depois dos ef-
teilos que taes remedios apresentava ; as-
sim, pois, tenho a declarar ao publico que
no letreiro que vai i regado na garrafa do
xarope, semore foi assignado por meu pu-
noo, e daqui em diante, alm desta assin-
nalura o farei tambem no papel que cobre
a garrafa. Ilogo ao mesnio publico que
quamo forem assim engaados, lomera tes-
teinunbas, mu rt-mellam os rotlos falsifica-
dor e mejparticipem para fazer eff-ctivo o
artigo 107 do cdigo criminal do Brasil.
Jos d'i Hucha Paranhcs.
JURU
A jurubcba ama das substancias niedicamen
tosas, ao reino vegetal, e perience classe
dos tnicos e desobstrnentes, .-eudo em prega
ua com vantagem contra as febres intermitentes
acompaobadas de engorgitameotode ligado e baco.
Ella tem ..iiin app cada com incootesiavel prowitc
contra a anemia ou rhlorose, e hydiopesia, catar
rho da b xi?a e mesmo para combater a menstrua-
cao dilBcil, resultante da mesraa anemia ou cblc-
rose.
Extrato alcoolico de Jurubeba.
Emplastro idein. >^_
Oleo dem.
Tiuiura idem de idem.
Xarope id io.
Vinlio dem de id> m.
Pirulas de est. idem.
Deposito, pharmacia de Pinto, ra larga
sano n. 10.
a de-
COCCio das raizes da jitrubeba, e Mrat e Delens,
falta dos movimeillos irrilatlVOS. em sea Diccionario de materia medica e llierapeu-
faz uso do sueco
contra o catar-
rho vesical : e a auloridale dos nomes dosses me-
tl\OS, que formara absorcao, e OSS cern-n- diCS) merecidamente celebres, nos leva a erer em
les aquclles que augmentam os movimentos suas palavras, e por isto cuidaremos de ter em
Irhtatives que conslituera as secresoes. oossoestabelecimento essas raizes, para que possam
Assim, pois, v-se que sem a precisa combi- fer per'meniadas. '
.,.. s A-.a. .- -j n _i- A reputacao da jurubeba tal. eos resultado:
naci e modilicacao nao i odc ser elle apph- inerapeolicos obtldos nlumamente sao iao irapor
c.do iiidislinclamente. Muitas vezes o pra- tantea, que nos parece intil dizer mais do qu<
tico deixa de fazer applicagao do fero por is'. nue Uca escripto.
conhecer esnspeitai que o ligado, o bofe ou Inac,a de
pulmno, or o essencial da respiraf, ou
oirra enlranha est offeadida; entietanto
que, se se tivesse applicado era tempo se!
poderia ter evitado o desenvolvimento da!
molestia. Assim, pois, o xarope prepara-!
do como ica exposto se pode usar sem ris-,
co por nao offender as enlr. unas. As mo-
lestias contra as quaes o xarope tnico re-
frigerante pode ser applicado com pn.veito,
sao : as amenorrbeas, ou suspenco do flu-
fez passar o prsenle, pelo qual chamo, cito e hei
por entunados os credores incertos do dito execu-
lado, para que c -inpaiecain neste juizo dentro da
indicado praso, munidos'de seus documentos, adra
de allegarem o que fr de jusilla.
E para que chegue ao cwnbecimento de todos,
mandel passar o present, que sera publicado pela
imprensa e afTixado nos lugares do costume.
Recie, to de novembro de 1863.
Eu Manoel Maria rodrigues do iVascimento,
escrivo o subscrevi.
Iristo de Alencar Arartpe.
U|Dr. Trisuio de Alencar Araripe, offlcial da impe-
rial ordem da liosa, e juiz de direito especnl do
eommercio nesta cidade do Reclfr de Vrnambu-
co por Sua Magestade Imperial e Constitucional,
o Sr. D. Pedro II a quera Dos guarde, etc.
Faco saber aos que o presente edital virem e
d'elli- nniicia tiverem, que no da 20 de novembro
do crreme anno, se ha de arrematar por venda a
quem mais der em pra^-a publica d'este jeizo o se-
guinle :
Uina casa terrea sita na Iravossado Peixoto, com
o numero oito, tendo na frente porta e janella com
rotlas, com dezoito palmos de largura e quarenta
de tundo, com urna sala na (rente, um quarto e urna
pequea sala de detraz, cora cosinha avahada por
4UO000, a qual fura penhorada por execuc/io da
viuva e berdeiros de Jos Hygmo d Miranda, con-
tra Manoel Jus Teixtira Bastos, socio de Antones
Gaimares & t.
E nao havende langador que cubra o prego da
avatlaco a irrematacao gen folia pelo prego da
adjudicacalo ua forma da lei.
E para que chegue ao conhecimento de todos,
mandei passar o presente que ser publicado pela
imprensa e afDxado nos lugares do costume.
Recifd 2:1 de ontobro de 1863.
Eu Manoel Maria liodrigues do Nasciraenlo, es-
cnvo, o subscrevi.
Tristo do Aleonar Araripe.
Joaquim de Almeida Pinto.
c
Ul
CQEiMEEwiO.
Gaia filial do banco do Brasil cm
Kernaiiibuco.
A caixa descoma as letras de scu aceite pela
taixa de 8 0(0 ao anno.
Ognarda-livros
xo menstrual das molberes, anemia, ou di-
miniiicao da massa do saugne e sua consis-
tencia alterada, dores de estomago, debili-
Ignacio Xunes Correia.
Novo Bauco de Pernambuco
dade dos org5os digestivos, f.slio, fluxos O Novo Bam^o p-.ga o dcimo quinto di-
mucosos, flores brancas, colorse, molestias devindn! razao deS^por accao.
do sexo femenino, caraclerisada por lan- XoTO banctt de Pernaua.
guor geral, acclonsacao palhda da cor ou| hinco
esverdinhada, empobrecimenlo do sangue, i 0 .Novo Banco descouta letras de praso at qua-
eiifarteS-ChroniCOS das visceras abdominaes, | tro mezes a ti por cerno ao anno, e al seis mezes
alporca ou escrophulas, escorbutos, opila- a 12 porcenlo, e toma diuheiro a praso lixo ou
Cao, pallidez, e OS estragos produzidos pe-!em conta correnle pelo premio e condigoes que
las molestias sypbiliticas : asthenia ou falta
de forcas; fraqueza geral: e ha hydrope-
sia anazarca e ascites; tendo-se o cuidado
de observar nestas duas ultimas molestias
principalmente, e em todas as outras, que
um dos effeitos salutares de>te xaropa te-
ro-ventre corrente, e as urinas deseoabara-
gadas.
0 modo de usar-se e regular-sc vai des-
cripto no letreiro pregado no frasco.
Vende-se nicamente na botica da ra
Direita n. 88 de
Jus da Rucha Paranhos.
se convencionar.
aLFaN'DEa.
Rendimento do dia 1 a 16......
dem do di& 17...............
379:3675890
24:7185930
40i:088i0
MOV MEMO DA Al.FAUEA.
Volumes entrados com fazeudas___
com gneros..... 367
Volumes sahidoscem fazenl i-..... 214
cora gneros..... 414
367
VARIEDADES
do
.1 ttencao
Xarope alchoolico de veame, preparado
pelo pharmacetitico Jos da Hucha Paranhos,
estabelecido com botica na ra Direita n.
\ arvore da sanile, 88 em Pernambuco.
Com a mesma certeza com que o veneno deupas gsle xarope inc>>utesiavelmente superior
da HaviamaK o l.als.mico sueco de urna arvore a t d( depurativos, de Cuja
do Mxico, chamada anacahnita cura. nrt l .' J
O rmiito afaoado-Peiloral de Anacahuila de COinpoMCao ( o S.M! i
Kemp- composto e elaboradamente preparada
por este marvilhoso especifica vegetal, .\enhuma
da
lera verificado
loase, calar rho, ou enfermidade dos bronenios, po-
li- in resistir a sua suave r- benfica influencia. For-
talece iie tal ni i) i os < rgos da respiracilo, queem
punca- h i: i- desapparece a inflaromaQo dos pnl-
mo -. que ja' principiavam a apreseotarnma certa achavam^desengaadas, as quaes
P u lencia a ulceracao se abate e modifica para -
desde log. e -ua operacao maravilhosa os cura e
Ihv-s reslitue o seu vigor i elasticidade primitiva.
parrillia, pois que, se tem conhecido ser o
veame mais enrgico para a prompta cura
das molestias, cuja base essencial depende
lurifirariio do sangue ; assim pois se
por militas pessoas que se
acham-se
hoje rcStabelecdas com o referido xarope
alchoolico de veame; enlrtanto que al-
Na -ii. delirada e elaborada composifio nao entra guns, leudo usado do xarope de Curinier,
aciioprossicoanti.....nio, m-m nenhnm dos agen- je Larrev, de salsa parrilha, de saponaria,
tes deleterios que de ordinario m neontram nes- (||, R bacalbo, e OOtTOS agentes
ses xaropes e peiioraes felo* de troclas, e qoe qna p o\
sisera;.!., produzera to rataes e funestes conse- de.-ta ordem nada conseguiram. L elle de
qunelas. fcil digestao, agradavel ao paladar e ao ol-
Vende-se as pharmacias de Caors & Barbosa e phato Alguns mdicos desla cidade e da
J. da i>. Bravo & c._______ ^ Macei o teem recommendado para a cu-
El Y: pOli:!. ,Impigens, tinln, escrophulas,
0 medicamento oue com mais influencia Tumores, ulceras, escorbuto,
Canelos, sarna degenerada, iluxoalvo.
Todas estas affecc5es provm d tima can-
sa interna; nao ha pois razao aiguma em
crr que ellas se podem corar com remedios
externos. Tamhem se prescreve o xarope
e energa tm combatido essa terrivel en
fermidade, tem sido o xarope alcohlico de
veame.
Urna escrava da miii do Sr. Francisco Fir-
mino Monleiro, pessoa bem conhecida nesta
cid de, aihando-se de cama, e com as per- J lc,J,de vel:,me Para traiamento das
as bastante indiadas, e cheia de lumores, "^ d s-vsleaja nervoso e fibroso>taes
tomando-o xarope de veame, acha-se boje ,m. : .
boa, prestando servios. ^"lta- r'ieumai.smo, paralysia,
A mana do Sr. Jos Francisco Pinto, mo- ?ros' potencia estenlidaoe,
rador na ra Direita -n. 51, tendo sido M.ra^mo, hyoorondria, emmagrec.mento.
accommetlida do mesmo mal, acha-se tam-
bem boa.
A Sri. D.
(AS GE-
------. 6:28
Descarregam hoje 18 do corrente.
Patach i americano John lirystal farinha de
trigo e mais gneros.
Paiacho americano Wedtvingfarinha de trigo e
' farelo
Escuna inglezaC/ara=frro, carvao e podra.
Barca inglezaBelle /'o/e=carvo de pedra.
MeiCUCiitS e medicina. jBrigue ing.ez-T/ie;mu//iis-idem.
,. ., ,. Crigue inglezCarne M. /-,idem.
Le-se na Unton Medcale de Pars: ilugre ingiez-fin^wftmon-idem.
Osjornaes de medicina fallaram por va-,Escnua inglezaBtank aonnu-diversos gneros.
is vezes de urna dcscoberta importante Barca pmugueza .Vota Mamama varios ge-
para a therapeulica, que consista na desin-' Ba^rtagoea-CorM-diveraoB gneros.
feCCaO do Oleo de ligado de bacal I iao sem Paiaclio portuRuea-Fr/o -charque.
Ilie thar nenhuma das suas i.ropriedades. Barca nacional Malina -idem.
Temos o prazer de anminciar boje as- Importaco.
nossos leitores, que esse resultado foi oblio Patacho nacional Relmpago, entrado do Hio de
do do modo o mais completo por um hbil Hi&S^S!^^^ "* GS'a '
pbarmaceutico de Pars, o Sr. Chevner, que 13,835 arrobas de carne ;ecca, 43 couros: aos
conseguio desinfectar o oleo de ligado de mesmes.
bacalbo Com O alcatrO e 0 balsamo de Br'Pu<' WWlMl Mondego, entrado da Babia
Tolo. As experiencias feitas por muitos de 5} J? K,be,r0 PDles Gu,raaraes
noSSOS pratiOSelCC Obres, nos hOSp ties e SO- n:7gg arrobas de carne secca, 328 arrobas de
bre seus doentes particulares, as analyses e sebo em pies, 100 ditas do duo em piles, 35 cou-
ensaios de chimicos competentes, nao" dei- rosvaecuns \ aos mesmo-.
sam nenhnma duvida a este resuelto RBCEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS
., llMI"Ud uu.N1Ud d peiio. 1{AES UE pebxambCO.
Relatamos aqu as propnas palavras de Rendimento do dia i a 16...... 18:701531)
um juiz muito eminente e competente o Sr. dem do dia 17................ i:2735i
Ur. E. Ilumbert, laureado da academia im-, 7 (T^st^
perial de medicina, e professor de Chimica.; ======
Submetti a analyse, diz este distincto consulado provincial.
professor, o oleo de figado de bacalho na-. Rendimento do da t a 16....... 39:3o75297
toral desinfectado polo processo do Sr. Che- Mem d0 diil i7...............
vrier, e posso certificar que esse producto
nao perdeti netihum dos seus principios
medicamentosos nem chimicos, que se
acham no oleo de ligado de bjcalho ordi-
nario. A fraca proporco das substancias
eslranhas que e pem no oleo natural para
dissimular o chebo e o sabor desagradareis,
nao pode de nenlmm modo alterar suas
propiedades medicaes e s a torna de um
uso fcil e mesmo agradavel.
Km resumo, o oleo de figado de baca-
lho desinfectado pelo processo Chevrier
goza de propriedades idnticas ao oleo de
ligado de bacalbo ordinario, que elle repre-
senta exactamente.
Klle muito ben tolerado pelos doentes,
os quaes Hle nao afloja e tomado peias
pessoas cujo gosto e olfato sao dos mais sus-
ce t veis.
Hoje que o oleo de figado de bacalho
tem-s tornado um dos agentes os mais im-
portantes e preciosos da therapeutica, quem
descobrio o meio de tornar de um uso f-
cil para todos, prestou um verdadero ser-
igo arle de curar e aos praticos.
43:0065140
fiMEito m mu
Navios entrados no dia 17.
Baha-16 das, brigue brasileiro Mondego, de 229
toneladas, capilao Antonio Pereira Marques, equi-
pagera 11, carga 12,000 arrobas de carne ; a
Francisco Ribeiro Piulo Guimaraes.
Rio de Janeiro16 das, escuna ingleza Presidente,
de i4 toneladas, capilao Recbard Heuper, equi-l
pagern 7. em lastro; a Sawnders Brothers & C.
Terra Nova-30 dias, b.irca ingleza Olinda, de 233 i
toneladas, capilao Pmwse, equip^gem 13, carga.
2,000 barricas com bacalho a Sawnders Bro-1
thers & C.
Swansea54 das, barca ingleza Flor mee Danders,'
de 498 toneladas, capilao Daniel F. Joynsor.,;
eqoipagem 18, carga carvao; a Sawnders Bro-
thers & C, arribiiu e seguio para Valparaizo.
Buenos-Ayres24 dias, patacho hanoveriano Amoe-
nias, de 100 toneladas, capilao Henrechs, ejui-
pagem 8, era lastro ; a Amorim Irmao.
Rio de Janeiro-iodias, brigne dinamarqoei lleim-
da/, de 262 toneladas, capilao T. D. Booker, equi-
pagern 8, carga farinha de mandioca e caf ; a
Antonio de Almeida Gomes.
Navios saludos no mesmo da.
Senhorinha L'mbeliua dos
Santos, moradora na ra das Calcadas n.
38, adiando-se atacada de erysipella as od-
ias, com quatro tumores bastante volumo-
808, no estado indolente, que a privava de
pr-se de p ha muito tempo, com o uso
0 xarope alchoolico de veame sobre
tudo, da maior utilidade para curar radi-
clmente, e em ponco tempo o rheuma- propagada, e dizer com meu collega o Sr.
lismo. | Dr. Richelat os trabalhos que conduzem as
Adverte-se que o verdadeiro xardo eso se descobertas d'esta especie devera ser pro-
vende nesta cidade na botica cima indica-' tegidos pelos mdicos,
da, do ahaiso ass gnado ; e em outra qual \ Os importante; trabalhos do Sr. Chevrier
duer parte que se tem annunciado mo da sobre o oleo de figado de I acalbo lhe fi-
do xarope alcohlico de veame e pillas'pu7- mesma COmposicJo, e nem o abaixo assigna- zeram obter um resultado nao menos im-
gatuas do mesmo, acha-se restahelecida, e o^ se respoiisabisa. ^ ^ ^ ^ portante, o qual consiste em ter associado o
Por isso nao podemos "concluir melhor uTPSJZ*V^SS^f^S*"'M|rffi0 "**
,, r i- -. i n m fJv) farga a mesma que Iroux'1.
do que felicitando o Sr. Chevrier por sua' Araety-hai brasileiro Exalacao, capifioTraja-
rica e til descoberta que merece de ser.
no Antunes da Costa, carga diferentes gneros.
no os' dos medicamentos os lumores
minaram pela supporacSo.
ter-
Joi da Rocha Paranhos,
ferro ao oleo de figado de bacalho. O oleo
de figado de bacalho ferriginoso de Che
ESIT S.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, offlcial da impe-
rial ordem da Rosa e juiz de direito especial do
eommercio desta cidade do Rerife de Pernambu-
co e seu termo, por Sua Magestade Imperial e
Constitucional o Senhor D. Pedro II a quem
Deus guarde etc.
Faco saber aos que o presente edilal virem e
delle uoticia tiverem, que por este juizo especial do
A Sra. I). Hita, morauora na ra de Santa Xarope tnico refrigrame de veame e de te' Cnst|iue taivcz o meinor meio ae uar-: eommercio pemiem uns autos de execucao de sen-
ferro preparado pelo pbarmaceutico Jos se ferr0- I*0'3 ioduro de ferro unido ten?a de Franci.sco Xavier de Oliveira contra os
da Rocha Paranhos ostahplpciilti meidadr- deste modo COm O oleo de figado de baca-MlBIlllstradorea da nasta fallida de Seve Flihos &
SMSttVKSZC^t "*SS nos Kkj^ttaKSttAnS.
Direita n. t*8. dos das ^as digestivas e por consequencia | qoim SeVe) fora pelo solicitador Ignacio Barroso de
se assimila muito mais bem do que Sb a Mello, procurador do exeqnente, feito o requeri-
Rita o 13, pnmeiro andar, sofrendo do
mesmo mal ha muitos annos, pois que a ery-
sipella alacava amiudadamenle, depois que
tem tomado esse remedio nunca mais lhe
den. Este xarope, que d tom ao movimento
Outros muitos 'actos desta ordem deixo muscular por sua qualidade frrea, ao forma (le. pdulas ou xarope. Emfim elle
de mencionar aqui para nao me tornar pro- mesmo tempo purgai.vo pela parte do ve- Perde assim suas propriedades irritantes, e
lixo e enfadonho. lame que en erra, e refrigerante pela par- na0 provoca a constipado. E' assim que
Sendo a erysipella nma mol stia que sem te acioa, alm da precisa para perfeita so- os doentes, cujo estomago nao pdesuppor-
davida effeito de materia gerada nocorpo IncSo e combinaco do ferro; este atacado lar nenh..ma preparacao marcial, tomam fa-
como expi5em alguns esenptores de medici- pelo acido fica em extrema diviso, e as- cilmente o oleo de figado de bacalho ferru-
na, e em consequencia da febre laucada sira o mais soluvel que possivel, de sorte 9in')S0 (ie Chevrier.
na pelle, onde produz inllr.mmaco, e que queja nao to dependente de ser digerido 0s sensores Maurrer & C. acabam de re-
mullas pessoas, por n5o se terem conve- pelos aciios fracos, que se acham no sueco ceber "' grande sortimcnto dos celebres
nienlemente tratado, suecumbem com o gstrico durante a dgesto. Os expositores azeiles desinfectado de Chevrier e ferrugt-
pernicioso uso de que, nos tres dias nao de- de medicina sao de opini5o que o ferro e n"s(! "e Chevrier.
vem usar de remedio algum, o que faz-se todas as suas preparaces gozam das virtu- "ende-se na pharmacia de Pedro Maurer
estender o mal por nao se ter a principio des eminentemente tnicas, que aproveila v c- ra Nova n. 18.
combatido ; por isso, pois, conveniente em lodas as molestias que sao caracterisa-
e_s
melo do seguinle termo : Aos 13 de novembro de
1865, em publica audiencia, que aos feitose partes
dava o Dr. juiz especial do eommercio Trisio de
Alencar Araripe, pelo solicitador Ignacio Barroso
de Mello, procurador do exequenle, aecusou a pe-
nhora feita em dinheiro perteucente ao ejecutado,!
e requereu que se lhe fieassem assignados os seis
das da lei e 10 aos credores incerios, passandose
ns respectivos eaitaes, o que ouvido pelo juiz bou ve
a penhora por feita e accuada, e os seis di,- da
l'O e 10 por assignados na forma requerida, do qne i
liz o prsenle extrahido do protocolo das audien-
cas a que juntei o mandado e t-rmo de penhora !
que seguem : eu Secundino Eliodoro da Cunha,
escrevenle juramentado o escrevi.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento, es-
crivo o subscrevi.
Por forga do meu despacho o referido escrivo
Sama Osa da Misericordia
do liccife
De ordem da junta administrativa da Santa Casa
de misericordia do (tedie convido as pessoas qu
qnizerem arrendar as casas abaixo declaradas, fa
zendoos concertos a sua cusa para serera descon-
tados dos alugueis, a cuinpaieceerem nesta secre-
taria as 4 horas da tarde do da 23 do corrente
mez, sendo ditas casas pertenceutes aos eslabele-
cimentos de caridade.
_ Ra do Azeile dj I'eixe, casa de dous andares n.
o3, particular, e 1 publico.
Ra Direia, casa de um andar n. 4 particular,
e 33 publico.
Secretaria da Sania Csaa da Misericordia do Re-
cite 14 de novembro de 1863.
O offlcial,
Manoel Antonio Viega.
santa Casa da Misericordia
do liedle,
A una administrativa da Santa Casa de Miseri-
cordia do Recite tendo feito e continuando a fazer
grandsimas despezas,ja cuno costeiro, j com o
melhoramenio djs estabelecimentos pios que eslo
a seu cargo, manda avisar aos seus devedorrs em
atraso, e tambem aos dadores oestes, que breve-
menie fara publicar pelo Diario a relapso dessas
dividas, e promover sua cobranga pelos meios
indiciaos.
Convido por tanto a todos aquelles que nao qui-
terem ser chamados pelo Diario, nem atropelados
pela juslica a trataren) quanto antes de salvar
seus dbitos. _(
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re
cife lo do novembro de 186o.
O offlcial,
Manoel Antonio Viegas.
0 conselho de compras do arsenal de guerra pre-
cisa comprar p-ra o presidio de Fernando de o-
ronha, o seguinle :
16 arrobas de assucar.
'1 saccas cora anos.
8 libras aramia.
1 caixa de al. tria.
16 libras cha da India.
i saccas com caf.
2 arrobas doce de goiaba.
6 barricas farinha de trigo SSS.
8 caadas do vinagre.
36 garrafas vinho do Porto i' qualidade.
8 Inoras farinha de tapioca.
4 arrobas loocinha de Lisboa.
2 bacas grandes de anme.
i ditas pequeuas dita.
3 ditas de Ierro batido para lavar rosto.
50 pratos de foi ha.
50 Huellas dita.
o cocos dita.
6 lampeo-.* de quatro lucos.
1 escrivanhia de lato.
32 escarradeiras de metal.
3 lavatorios de ferro.
6 copos grandes de vidro.
Ojillos pequeoos dito.
23 orinoes com lampas.
40 caixas de retreita.
6 banquetas.
100 camisol ts de brim.
20 camisas do fhmella.
100 frouhas de brlm.
200 lences de brin.
38 loalnas para rosto.
12 lalheres.
50 inanias de lia.
1,000 papel-tas impressas.
300 buixas dita.
500 altas dita.
1,100 mappa- diarios dito.
130 ditos seraanaes dito.
1/8 acido arceuioso. t
2 libras diio tartrico.
12 vidros agoa de llores de laraogeira.
12 garrafas de labarreqoe.
6 duas agoa de melissa.
8 libras de alcalriio.
40 garrafas alcool de 36.
2 libras amoniaco liijuido.
2/8 arceoiai; de sola.
4 arrobas assucar crystalisado.
2 libras bagas de zimbro.
2 duas balsamo da meca.
2 ditas dito de td.
i arroba bauha de porco.
2 libras bicarbonaio de soda.
200 calas para plalas.
2 libras camphora.
2 ditas capuana.
2 ditas carbonato de potassa.
12 ditas cera amaivlla.
12 dilas branca em grumo.
4 ditas crera r de trtaro.
2 vidros ere iscle cltloroforraisado.
1/0 diascordio.
36 encerados de Le Perdriel n.,1, 2 e 3.
4 libras enxofre sublimado.
1/0 ergoiina.
1 libra extralo de belladona.
8/0 extralo de fumaria.
8/0 exiralo de jurubeba.
2/0 dito de opio.
2 libras flores de rnica.
2 duas dilas de malvas.
2 dilas ditas de paplas.
2 ditas dilas de rosas.
6 dilas ditas de sabugeifd.
1 arroba (ios de pauno de linho.
\ fundas do lado direitx
4 libras galhas.
2 ditas gengibre.
2 dilas gomm i arbica em p.
2 dilas hyssopo.
4 duas incens.
1 dita iodorelo de potassa.
2 ditas ipecacuanha.
4 ditas jalapa.
2/0 lactucario.
4 arrobas linhaca.
-i libras de mana.
1 libra manila.
8/0 Massa de cynoglossa.
8 libras mel de abelha.
2 ditas musgo islndico.
4 ditas nitrato de potassa.
20 ditas oleo de amenJoas doces.
16 ditas dito de ligado de bacalho.
12 vidros ditos de mastrnco.
8 galoes oleo de Oliveira.
30 libras oleo de ricino.
1/0 oxido branco de antimonio.
6/0 dito oegro de ferro.
12 vidos pasiilnas de Santoolna.
20 dilos pipulas de Blancard.
20 vidros p'pulas de Valet.
2/0 prolo chlorureio de ferro.
2/0 proto lodureto de mercurio.
2 libra pedra urna.
2/0 per-chlorureto de ferro.
8 libras rezma de angico.
800 rolhas de cnica.
2 arrobas salsa parrilhi.
12 vidros salsa de BrMnl.
200 sanguisugas de hatnburgo
12 sondas comeas i gomma elstica *- i *
3 e 4.
12 ditas de metal de n 1 a 12.
6 S-migas do rmtal par chuter.
8 libras senne.
8/0 i iri.iio emtico.
4/0 imlura de carabina.
8/0 diia de ctdchico.
4/0 dita de succino.
1/0 Iberiag.
1/8 valer ianato de air pin.
40 garrafas vinho branco generoso
30 ditas dito do Porlo.
2 rolos visieatono de Altanara.
6 Mros xarope ii- MrN b-s d- l^beionr
12 ditos ilito de nafda Arabia.
6 ditos diio penoral di- Cuy.
2o garrafas dito de pomas ia espargo.
1 alambique pi-queno de takn esiaabadc
i appartlbo para agoas ira- m.
i copo de graduar de 1* WHja*.
2 fum/. de vidro sendo u.n maior.
1 gral de porcelana.
4 peneira* de cabello.
i espanador.
As pessoas que q lizerem taha dito; ariifr-
apr.....i.ii'in sin- propiistas ua -, i d i- r.- i
II horas da roaohia do dia 22 d i eorraala.
Sala do conseiho de compras dj arsenal og
ra, 17 de novembro de 1863.
Manuel Ju*e Aznedo .S-/.1/0..
Ku!)deli gacia da Ka-Vin
Pela subdelegada do Io di-lruli da freg:
Boa-Vista s- faz publico que de-de o di? i
correte mez se aeha ree linio a ras
um prelo qua d."lrnu 'batiar-'e Fr-nc -
escravu de Joao Cavalcanti, setibur li'j tZ'.
Monjope, do termo d- Iguaras.
Subdel.gacia do 1 di-inrio da fregnezia da Jat-
Vi-n ifl de novembro de 1863.. o ntijuamit
supplente era exerctew,
_______________K. F. Martin^ fio-ir
1" -icc.io.-Si cret.in.i de polica !':-..
buco 17 de iioveuibro de MaS.
De ordem do lllm. Sr. Dr. i-befe de policr.
publico para conhecimeo o de quero .u:.-i--."
possa, qoe a' casa de delencio -<: ada r- .
desde 16 do crreme o i:ab*ra Antonio, e*r
que fui preso como fgido, n lerroo de I
declaroQ p'-Tlenc-r a Ignacio \larpi -s d r v.
morador uo engeubu Cunaba do Norte.
O sTr'.'Uno.
________Eduardo de Barros I-alca.) de Lv
O lllm. Sr. Inspector ta Hwvaarar
zenda desla pr> viuda rnmia I*/jt paMa i xaa>
os habitantes da mesma proamla, que .-
de da circular do tribunal do Ihesouro r.
de ouiubro oltlmo, acha-se abena na nv i
souraria a subsliluif "tu da- ii'.ia- de ."alfi> *, Z
estampa, e que em lempo conveniente sp aa-ir;
ciara o da em qoe deve principiar o ***>
men-ai de 10 i)|0 no valor d s notas ejor ai* n
to nao tiverem sido sub-tituidas.
Secrelana da ihi -ouraria de r.zenda d- Piraba*
buco 13 de novembro de 1865.Servini!
cial-maior,
Manoel Jo- Pinio.
A Hencaot
No dia 18 do corrente, as 10 horas da m>a*a>
defronte da ribeira do pi-ixe desla freg", ir
bao de arrematar os porco* apprehendioV'
fiscal desla fregiiezia c>m assislencia do jan: >
paz respeciivo.O fiscal
Joo Pacheco Aire.
Atteucao.
No dia 24 do corrente, sexla-feira, ae ma> ib
na sala das audiencias, lida a do film. Sr T>r
juiz municipal da I" vara, se ha de arrematar *w
I ven la nma ca*a de pedra e cal assobradada.
l na ra Bial da freguezia da Boa-Vista, com ?*i
de .-lio e arvores de ructo, avahada por Ji '
THE
EMPREZA-COIMBRA
UencOcio do actor Barbea.
Sabbado 18 de uovembn
de 1865.
Represenlar-se ha o interessante drama na .
actos, ornado de msica
PROfilESSO E Hia*
Findo o drama seguir-se-ha o vauevi
acto
A CORDA SEJOEL
Terminara' o e.-peciacolo o muilo a
duelo
0 ESTIIMME E V L.ViBi
Crmecar a* 8 hora*
fIS0S
;1
T!;
4.
CMP\MII. BHAMUII4
DE
PIQUETES A VAe0R.
E' esperado p-irios ev
al o da do correle e aac
Ofinpork, commandante
Costa, 0 i| lal 'le, i- da OVflMtf
do entorna segatnr' pan
cortos do norte.
Desde | recebem-se passageiroa e eaga -
carga que o vapor poder condu/.ir a qi.
ser embarcada no dia de sua efeepada. ptecra -i
das e dinheiro J trele at o a da -aruda a
ras : agencia ra da Cruz n. I, e-criptorio *e Aa-
nio Luiz de Oliveira Azevedu i C.
Gi'Ripanliia ..'o paquetes a tapar nlr*
os Esl dos-l n;los e Brasil.
Al O tli %
d> corrale ca-
pera-te O S*
York nm aV* av
p re- da
nhia o fas)
pois da ana
do rostoatp.
gira par
porlos do sul. Para passagens ele, trata-se
os asentes llenry Portier .^ C., roa do Trapista
n. 8. _____________________________________
COMPANHIA 3USILEIBA
PAQUETES A VAPOR.
E esperado il !aat*ar-
al o da 17 .'o p'irn
Paran. ro:o'iiau lane o rapar
de fragata Antonio Joaqnaa aV
Sania Barbara, o qoal depcie V
demora do costume seguir' para os pone* dr
sul.
Desde j recehem se passaceirs e i ag aja m a
carga que o vapor poder conduzir. a qnal
ser embarcarla no da de soa chegada,
mendas e dinheiro a frete al o da da sanada *
2 horas : agencia ra da Crnz n. I, f*irip*w> dr
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo A C.
COMi'ANHIA PERMAMlL(>ANA
DR
i\ave^cocsteira par fapaT.
Parahiba, Natal, Maco. Aracatv, Cear a
Acarac.
Segu no dia 22 do correle o vapor .
ciiiiiniandante Ralis, itecebe carga al
Encommendas, passagriros e diabeira a i
al 2 horas da tarde do dia da sabida
no Forte do Matos n. 1.
K:
C.uinpanhia Periapjbucau.
Aearar.
Os Srs. carregadores de fa'endas oa qna
outros gneros para o Aearar pelo capar
guape, sao convidados a manda-ios paaaa
loantes, por isso, que sao os ltimos a
borda.
-------:------------~------r


t,%
Diarlo de Pernanibnco Sabbatlo 18 Je Xovcmbro de !&
Para Lisboa
ttira" cora brevidade e bngue porluguez t Cons-
gale l, recebe carga a frea e passageiros, para
3* quaes tem excellentes commodos: trata se com
Masoel Ignacio de'Oliveira Filho, no largo do Cor-:
.->; Santo 19, escriptorio.
Rio de Janeiro.
A barea Jovem Palmira, de 1" rlasse, segu cotn
ferewdade, e recebe alguma carga a frele : trata-
se e#m o consignatario Jola Francisco da Silva
afanes, travesa da Madre de Dos q. 5.
Sociedade de seguros mu-
tuos sobre a vida
Ama
Precisa-se de ama ama, preferindo-se escrava
; as Cinco Ponas, loja de maremairo n. 27.
1 I
J>AIU LISBOA
jiahir com brevidado o patacho portuguez tMa- doltii' rendas, peoses, isencoes do servico das r-
ala da Gloria, capitn A. B. Volante, recebe car- mas elc-> Por meio de subscrlpeoes nicas ou an-
i passageiros : trata-se com o consignatario E. i n"aRs. as quaes convertidas un iusrripcoes da di-
, Desencaminhou-sa do poder do abtixo assig-
nado no da 13 do correte, urna letra da quantia
de 15019 O, aceita em 18 de outubro prximo
passado pelo Sr. Vasco Marinha Falco de Mara,
a 4 mezes. Previne-se ao mesmo senhor
O banco Alhanr.a do PorD teado eslabelecido es- PaRue/ .utra flO*'l
ta sociedade dehaixo de sua tmraediala vigilancia
e responsabilidade, facilitn a creagao de eapitaes,
CASA 8A FORT
Aos 6:000#00. *
Bilhete garantido.
A kudicio das familias dos volunti-,
lios da patria.
curacao do mesmo abaix
transacg.o alguma na.
Recite, 16 de novembro de 1865.
Joo Francisco Paredes Porto.
H. Babeilo, ra do Prapiche n. 44.
'Para o Rio de Janeiro segu em poucos dias
-.i patacho nacional t F por ter parte de seu
carcegameio promnlo ; para o resto trala-se com
se consignatario Domingos Alves MalUeus, ra
/io Vicario n. 14.
ara o Rio de Janeiro"
"Yai sah- com brevi lade
'JHW ler a Rimar parte de seu
o brigue Adelaide
carregament trata-
vida publica, de renda nacional, e da mesma forma
os juros seinestraes que d'ellas se forem veocendo,
ficam por um certo numero de annos em deposito,
at qup, fiMo o prazo estiplalo, sao restituidas
aos socios com os inieresses
mo as que periencerem
irios ** patria, os seguintes premios-:
O bhete mteiro 0. 813 cora a sorta de 6:0008
Alugam-se tres casas na povoacao do y Wineie loteiro n. 3673 com a son de 1:2005
visto qoe d'esles sao h-rdeiros os sobreviventes.
Pela engeohosa combin icao econmica adoptada
nos clculos desh soeledade, v se que, com urna
entrada annnal de oOJOQO, por exemplo, obtem se
em 5 anuos 4505000 a .'505000, em 10 1:5005000
Ui para o qua Ihe Caita, trata-sacara o consig-! a 2:0005(100, em 15 3:5005000 a 4:5005000, em
*irio Joaquim los Googalves Beltro : na ra 20 8:0005000 a 10:0005000, em 25 18:0005000 a
4a Vigarioa. 17, i andar. 2o:0000:i0, Conforme a idade do individuo sobre
quem feto o seguro, pois que nos referidos cal-
culos conta-se co;n a maior ou menor probabilida-
de de duracao de vida.
Esta sociedade soDretudo vantajosa aos chefes
de fan ilia, vi fundacao de um capital ou dote para seas filhos ou
filhas, segurando os quando nascein ou emquanto
sao ('rungas.
Quem, pois, mais circnroslanciadas informado'S
desejar sobre tal sociedade-, ou se quizer inscrever
como socio d'ella. dirjase a ra da Madre de
Monteiro a margem do rio, com tnuitos
boas commodos e em modo bom estado
de limpia : a tratar na ra do Crespo n.
sses araontoado?. bem co- 20, esquina, cujo prec) de aliinel ra-
aos associailOS fallecidos, jn^yal
Para o Rio de Janeiro
"m eia ponces diaso palhabole nacional tArroio
io, que recebe anda alguma carga e escravos
afrete, bem como passageiros. para o qne tem ex-
eeeoies accommolaces : trata'se na ra do Tra-
ytefte n. 4.
Para o Porto,
Deve ahir com brevidade o brigue porluguez
&tuirauQa por ler a maior parte de seu rarrega-
meoto ja' tratado : para o resto e passageiros tra-
-se com Cunha, Irmos $ C, na ra da Madre
..?. Heos n. 1, oucurn o capito a bordo.
D Seraphina Arruda da Cmara cordial-
mente agradece a todas as pessoas que se
dignaram acompanhar ao eemiterio os res-
tos mortaes de seu presido filho Jos Fran-
cisco Arruda da Cmara, e de novo pede as
mesmas para assi-lirein a missa lo stimo
da que lera' lugar na matriz de Santo Anto-
nio, as 7 horas da manha do da 18 do
correle.
Um meio o. 2145 com a sorle de 5005000.
E Muras muitas sortea de 1005, 405, 05 e
10*000.
Os possidores podem vir receber seus respec-
tivas premios sen OS descuidos das leis na Casa
da fortuna ra d j Crespo n. 23.
Achatn-se a venda os da 6" parte da lotera
(39'j beneficio da familias d >s voluntarios da
patria, que se extrahir terca-fira 21 do cor-
rente.
Precisa-fe da quantia de 2005 a loros pelo
Ueus n. 28, onde se polera entender com JoaoCar- praso de tres m^zes, pagando um e meio por cen-
MK* ir>-MBn KMgAXri
LEIL5ES.
Transferencia de ieilo
C-irdeiro Simos nao pdenlo effectuar hontem
i leilio de mobilia-. louca, escravos, e outros ar
:is por encoinmodos sera effectuado.
iloje 18 do etrreate as H horas.
S armizem a ra da Cruz n. 57.
los Coelho da Silva, que para isso se acha encar
regado.
CURSO ESPECIA
LEIIAO
De urna lancha.
Seganda letra, O do correte.
Por ordem do lira. Sr. cnsul d- S. M. Catlio-
siei fom licenca di alfaol-ga por intervencao do
;se{e Pe>tana ira' a leilio por coma e risco da
I. :; pertencer a lancha em que >. sslvon a tri-
g-i!a.-5 > da sumica hespanluli ARDILLA naufra-
i U na llln di li i-\'i site a-^ II h>ras em ponto no trapiche do Bar-
, ki Ri lirg -Ij Cwpo Siuto onde s acha e pode
-.:r examinado.
E
&>
A 21) d corren te.
i' A. B;iri & C. fjio leilio por
< t algo i io, lo e de *ed i as na s proprias
ajo, as-mi como um perfeito sorlimenio
;>i>< para seohora < |>ara homem.
Segiin ii-i'-ira 20 do correte
n li horas ou ni vi.i;ii e o pni> cm qualquer
amero i- fraguez-s presentes, u.n seu anuazein
i da Cruz.
intervencao
sor tunelo
e inglezas
do uii-r-
da cha
S
LEILIO
ilrns escravas incas com habili-
dades."
aote anthorisaoo da daas escravas mo^as de b o-
2ta ligur.is e com habilidades,
Terga-feira 21 do corrente.
As it horas do dia a porta da Associa^ao Coin-
lefeiaL
JSIlTiAO
fe um esrravo c umi preta velha.
O agente Mariins f ir lailo por ordem do lllm.
sr. Ur Claadino de Ara ojo Gnimaraes consol por-
:-:zde umescravo possanie ama preta velna
ncenl-s aoeriiolio do fallecido >ubdito portu-
flttet MjQoel Jo- Freir de Anirade.
Terya fera 21 do crrente.
A l ii iras do da junio a Associaco Commer-
ctl
LiEIIVO
De mahn tint >,
jiilHa-ftira 23 do corrente as 10 horas.
Tisset Kreres tran-ferio o leilio de vinlu tiuio,
por intervencao do agenta Pestaa, o qual se ef-
ftr^uar qoiota-faira 23 io corr-n'e era lo es a
roU4e do compradores, pelas ll horas da ma-
nka em ponto oo arfflasem do Sr. Azevedo de-
irais da escadinba da al:anaega.
DE
PREPARATORIOS
para o% estnd-Antcs que devena
fazer acto coi mareo.
Jos Soares de Azevedo, professor de
lingos e lilteratura nacional no Gyiunasio
Provincial do Re:ife, tem aherto em sua ca-j
sa, ra Bella n 37, um curso especial dos I
seguintes preparatorios, para aquelles eslu-
dantes que tiverem de fazer exame era
marco prximo :
Lfngiia Franceza
Cieographia e BEistoHa
PhKIosophfa
Rhetorica e Potica
As pessoas que se quizerera ulilisar desta
vantagem, podem dirigir-se inilicada re-
sidencia, ile manliia at as 9 horas, e de
tarde a qudquer hora.
to : quem pret-oder esta negocio, pode dirigir-s-3
a Capunga, ra das Crioulas o. 23, ou anouocie
por esta folha para ser procurado.
Precisa-se de um caiieiro para taberna e que
tenha bstanle pratic-, dando fiador a sua conduc-
ta, paaa-se. bom ordenado : a tratar na praca da
Boa-Vista n. 17.
PRECO.
Bi I Metes .... 65000
Meios. ...... 35000
Quintos.....1,5200
Para as pessoas que compraren! de100#OOC
para cima.
Bilhetes.....SS-oOO
Meios......25:50
Quintos.....lamo
Manokl Martins Fiuza.
Tendo a irmandade do Divino Espirito-Santo
da reja do Collegio, resolvido em sessao de mesa
conjunta, mancar Rizer de marmore blanco lino a
capella-ur de sua igreja; convido de ordem da
mesa regednra qu-llas pessoas que se acharem
habilitadas a mandar ejecutar se me I ha ote obra,
a examinare! a planta que se acha exposta na sua
sacrista, e a apresentarem as sus propostas no
pra-o de 40 dia; contados desta dala. Con>istorio
da irmandade, era 10 de novembro de 1853.
O pseritio.
Francisco Belnrmino dos Santos Freitas
Precisa-se de 2:2005 a juros e'por pequeo
lt! A V.;POR
99 RA 00 MONOEGO 99
Deposito tu na Xoia n. 30 I "Ja de rrlfijoelro.
O dono desie es tal, ele cimento partecipa ao respeit-v.-l p,,blir q,. ,a f.bri.M
esta montada com as null.or, s machinas que exi.-tr... na K,,.,,',. .,/. (,|, f,,,n ,
com melh.=r pcrfeiiao possivel. Todo o eboclue desta fabrica. >i.i mrlnti/l.. e .- nnrn
o que nao se pode encontrar naquelle que vera tle lora, e qoe se ven-le iiorprwu ..'xo'
visto os productos seren do paiz. Na eiiq eta tem s mpre urna a m..-i
lltIJCO.
....... i 0
Meia
lira.
Uma libra.
Urna arroba
800
|)>|X)
Na mesma fab ica acaba de se mont;.r
obras e marcmeiria propria para
nellas, assoalhos (parqu francez .orno se u
urna hGeina com s.rrarin a v.irxr iHir.
ed.ficio, paia o que enearref; -se d fazer portas.
'..
J-
Aluga-se a caa da roa Imperial u. 201, pro- .
pria para reflnac.o ou outro qualquer estabeleci- [???,.a 0M" I""", garanta cinco e.-cravos de COllar-SC no lugar,
monto, por ter muitos commodos e quintal grande va *Juem os juizer dar ancuncie para ser
murado e portao para lora : a tratar na ra Di PrCUraa*'-
reta u. 84 < u na raesua ra n. 211.
fn-- T.....................Soropa.J ludo ci a, bretiiiik i l>>r.
leiQdo. loma-se qualquer encommeDda para fura da cklatle,
AMA
Precisa-se de uma ama que cozinhe e engomme
perfeitamenle : na ra do Queimaiio n. 28, loja.
Morvcte ateiOrs
Todos oa dias de II bornea diante, na ra da
Ciuz n. 13.
MARTIMOS
E
Xa rna do Amorim n. 27, vende-se om pia-
no de mesa meio aneo por prego commodo, pro-
I ..rio para qiiHin quizer apprcnder.
Quem havera' que nao deseje gozar pr^n- ^^5^' ^ S60r0S marili,n0s S0" '
CONTKA FOGO.
A rompanhia Indemnisadora, esiabeleci-
cntri-gando-se pn nipta ,i
3
c-
leinente dos bellos banhos do nusso'Capib'aribe ? ^ nav,os e seus canvgame IOS, e contra
pois bem, na povoacM da Vanea aeha-se para ar- '"go em edificios, mercaduras e mobilias :
ior commodo preco um excdlente sino na ruado Vigaro n. 4, pavimento terreo.
Aluga-se una excellente escrava moci. ro-
TAI TR h
AOS 6:000000, l:200#00
e 500000.
rendar
com frncteiras, casa alegre e fresca, cajos fundos
chegara a margem do referid > rio : quem preten-
der airija-se ao pateo do Terco njsta cidade, so-
brado de um andar n. 36.
Precisa-se fallar
Paes de M'lio Brrelo :
n. 94.
ao Sr. Antonio Francisco
na ra da Senzalla Velna
Aluga-M) i loja n. 9 na ra ireila, propria
par. qualquer eslabelecimeoto : a tratar no pri-
meiro andar.
OSr. BernardinoJus da Silva Braga,
que teve taberna na ra da Senzala Nova
BILHETES A' MKJOO, MEIOS A' 20300 E n. 2, queira vir a esta typographia des-
QUINTOS A" 15000. manchar as objeecoes que poz na referida
Corre te-ea-felra ti. assignatura, visto como a pessoa que hoje
Aeham-se venda na respectiva thesou- est com ella di?, que a tomn no corrente
raria ra do Crespo n. lo, os bilhetes, me e nao com atrazados,
meios e quintos da O1 parte da lotera Antonio Jos Rodrigues de Sonta, na roa do
(J'J ; a beneficio das familias dos volunta- Crespn. 13, alugasua casa e siiio no Monteiro
rios da patria, cuja exlracco ser no dia en* &* aooiti<> da igreja, tendo o sitio porio
e hora do COStume ^ ferro' "acimba com boa agua, estribara e co-
Os tireinifis ile fiOnO.'iOOn ,tA lO^nmi cheira, earasai s..las,7quartos, e oo, a qual
ub premios, ue O.UUU;>UUU ate 1UUUU e muito fresca e esta de novo bem calada, concer-
serlo pagos uma hora depois da exlracco tada e pintada : para ver, as chaves eslo em a
at as i horas da tar le, e os outros depois casa do ^r- ^|CO,ao M ii-.hado na mesma povoacaa.
- 111051,
bosta e de boa conduela, com habilidades, so para
fazer services de casal de familia : a tratar na ra
Velha n. 40.
m Companhia lidelidade de seguros "
m
m
martimos e terrestres
estabelecida lio Rio de Janeiro.
ACENTESJEM PEHNAMBUCO
Antonio Liii H Oliveira Azevedo A C.
compctenteraeni autorisados pela direc- tf
loria da compam 1a de seguros Pidelida- ffj
de, tomara segu s de navios, mercado- .A
rias e predio.- n ) seu escriptorio ra da P_^
Crm n. 1. m
ESCHAVA.
Precisase alngar una .-srrava que saiba fa er
bem tn excepto cozinhar : na] ra da Cadeia do Hecife n.
52, terceiro andar.
>
a

ce
m

-' rSl'J i !.; 5 = L-_
r = "3 S % Z = = '
:d*lli s?*;]
II!
^ -. :
.9-1
S
B ^ C
m 2
3; 2

-2-
n -1
&5
rh
c
!T - *" J "5 i Z
&k?
^Mm\^
m\M
De una escrava mu-a de 20 idnos.
O ageut- Martins far leilao p ir mandado do
iflm. Sr. Dr. ju>z de direilo da pnmeira vira do
2riiR- e sub-tiiuto do da fa'.-m la de uma escrava
de 20 annos de idade, bmita figura, sabendo al-
gemaeoosa decollara, eo-inha e ensalmado.
Terca-f^ira 21 do corrente.
O leilio tera' logar na praca do Commercio jun-
ta a AsOciacAo Coinmercial, as 11 oras.
SOS.
llCrlO
A
ia distribuirlo das listas.
As encommendas sera o guardadas somen-
te at a noite da vespera da extraccao.
O ihesoureiro,
Antonio Jos Bolrigues de Sou-.a.
GABRAUX E LAILHAGAB & C.
LIBRAIRIE FMNQA!SE
Raa lo Crespo u 9.
LIVROS .NACIONAKS E BsTRANGEIROS
RcliyioPkilfnopifa Jurispriirlencia Liltera-
tura Sriencias c artes.
Papelaria, objeetos para escriptorio.
Sociedade recreativa
Terpsicore.
Por ord'm do Sr. presidente convido a todos os
senhores associados para araanh.u, as 11 horas da
maohaa, reuuidos em assembla geral, assistirem
a leara do relatorio e parecer da commssso de
exame de comas ; depois do qoe se proceder a
entrega a nova presidencia e dir-toria.
Secretaria da sociedade Recreativa Terpsicore
18 de novembro de 1865.
M. I). de Fijueredo
___________1* secretario.
Na ra das Trincheira* n. 2o se dir quem
vende dous mulatos de bonitas figuras, sendo um
boleeiro e cozinheiro, e tima negra de meia idade,
boa engommadeira, cozinh'drae vendedmra, e uma
negra de bonita figura, de 18 annos, com uma cria
de 6 mezes.
Desappareceram ou furram em a noite de
16 para 17 do crrante, dos fundo.-* da serrara de
Paulo Jos Gomes, na ra nova de Santa Rita n.
13, um prancho deamarello com tre< tab >a-de
costados e marea S : o abaixo .ssigoaio di a
quera o descernir 205, e d mais 305 a quem des-
cobrir o ladrao que o forln.
Piulo Jos Gimes.
Precisarse de um caixeiro ^ 12 a li annos
que tenha pratlea de taberna : a trat ir ni ra de
S. Francisco n. 70.

DEPOSITO DE CALADO
FAltltlOAONA CASA DE DRIHfClQ
Ra Hova n. i.
Ahi se eucontrarao obras de di-
versas quahdades, e por preco mui
dimnutos,-a retalho e em porces.
S se vende a diuheiro.
Largo
mmmmmmmj
de bauios M
> l >. .-in.. > -i.: '-'6
^!5
m
Casa
do! Caruio n. 26.
E.-le estabeleciiheiito lao bem moudo
f.>V na sua origem acjiava se de ha multo em
* qqasi Completo adiidono pelo pouco in-
B leresse de sua ad nioistraeao.
H 'je que o nove proprielario empregou



m
lodos os meios pai a reslab-ler a grande 9H raindo um teclado e marhtnisinn qne oh

m
: I
,s ...
Ama para casa.
Precisa-sealngar uma ama para todo servico de
uma casa : na hecco da Boias n. 2, primeiro
andar.
Aluga-se uma morada de casa no lugar do
Barro antes de erogar a igreja : a tratar as Cin-
co Pontas n. 40, padaria.
j$Socied;rc recreativa ,\ov. tuio||
i Em virlude do que me foi communica-
S do l)el Sr- director, convido a todos os
B senhjres socios para comparecerem na
?g& sala da sociedade, as II horas la inanhaa
* (; prximo domingo, l'J do corrente,
Wk ','""n ''e se proceder a eleicsAo do conse-
>M Uio administrativo ea dosdote directores,
B 'l"e lem fuaccionar de novembro cor-
jR rente a igual mez do anno prximo fu-
B luro' co:no ureCe'llia os ar,s- ;,2 e 33 dos
*< estatutos era vigor.
0 Sala das sesses da directora da so-
"ag ciedade recreativa Nova Umo em Per-
w nambuco 16 de novembro de 186o.
Gomes de Araorim,
aK 1 secretario.
utilldade deste esdibelecimento, pode as-
segurar ao puhliec que qualquer que seja
o numero dos con mrrenles acharo des-
de ja prumpiidau i aceio us bandos frii
momos ou mediel iae<, a casa dos ba-
nhos se achara' al -na todos os dias das
Bj 6 horas da mauh* as 11 da noite.
m
DK
- :r
> (W '
DE
V1GNES.
31. -,.,.
- a--,-i- rnonerldos pira aar *ja neetMam tststtrt ir-a
r-reeem a >s compradores, {naliitade^ e*t* inr M -'i-
os que t-ii |iparreMe n<--; ,
' eiprtHne da- piar:- ,
proposito, e ter--e feito oltimamente melhoram M la.,.
into a- .iz, s, sao melodiosas eSaotadav, e n .r i--
M. 55. RITA 3S> K3MUilOlt .'
Os pianos desta amiga fabrica tilo b
na soperioridaile, vanlugpnse garanta
eis que piles tem dedoltivamente conqui.-tado sobre
lee
todos
m i tolas a vontad*
-A
m
m
m
s
m
Precea.
Banho de choque......... 500
Dito (rio ou unirno........ 500
Dito de farello.:...........1000
Dito medicinal pera' segun-
do sua quaiiade.
A^sijguatura.
Por mez banho fho ou inoroo. 105 "I
25 earlSvs para banho fri, 'a*
momo ou de chuvi.-co..... 103 ?5
12 candes para Os mesmos... .'>> .-'i
12 ditos para Imiimu de farello. 10 |^
flllll
Hendencia n. 33, loja de
|, prata, e pudras preciosas,
x obra de encommenda, e
o.
aunca falhar, por seren fabricado.; d
ssimos para o clima de-te imit
?eis aos oiividosdo- apreciadores.
Fazem--e eonfoime as encommendas, tanto nesta fabrica como
-.orresoondente de J Vignns, em cuja ranital foram sempre pr-mrad
No mesmo estabeleclmeoto se achara sempre om explaaitido e variado
nelhores amores da Cumpa, a-sini como harmooleos e pianos harm
oreos commixlnse razoveis.
tnmi
na do Sr. Bloadet, de P^r-
em i >das as ex;- - -orii <-nt.. V nn;-i'-s d ;
ni---, mil (iio.i Mi : -
MI
Na praca da [di
ourives. compra-te ouro
e tambem se faz qualqu
lodo e qualquer conceri
Da >e bolos de v
dia, e paga-se a tusiao bor pataca
pateo do Carino se dir
^ O baeharel
ndagem as 10 horas do
na botica do
>Sl -
!li
S^ -i
Francisco Aigmtt da Cosa
AUVt
Sumio-st! ou urtaram honlem ao meio dia. en
eangaltude e com cabresio, um cavallo castanho
ru se achava na porta do sotirado n. 50 da ra. ---------------------------------------------
arg do liosano, sendo ferrado com um P manus- ~ F"K10"'' ','* *' ',0 Treme o milato Faus-
criito obrado, e ten lo a orrlha direita cortada ao r""' com ldade,?a 26 ann J'.'" ,J,,lri lara ,na's.
mu: a pessoa qoe o encontrar ne.-ta cidade sir- bal*"- ff0*80' hcs "r,'I"i- Ps parralhado e o
Tase de o conduzir ao dono, no segundo andar do nam a"T0' mv" curtai- e no li,'a ,7 d" mi!sm,
Hit* sabr*, e fra delta ao eogenbo Bento Velho, 2? ,)re!',-< 41"jow,00,,>' ld "|,! ,1'' u e J"a"
em S mo Aoto, que sera' recompensado. M:,ranh;"',lrt w annos. levaram vestid os camisas
. ,., ,.......---------------. ecaiQas de a'golao: quem os pegar ijuiira levar
A Semana mostrada e o Bizar Volante do em Santo Amaro em c isa do seo senhor Mamel
Sio de Jmeiro assigoim-se n roa do Crespo n. 4. Custodio Pelxjto Soares. que -era gr, tin'eado
ramtem ha collecco do 1* de juilio em diaote.
HASSAF4LLMA
DE
viiiva mmm & filho.
Rogamos ao Sr. adminstradir o favor de nao1
deixar de fazer o primnm dividendo este anno. j
Voltar a imprensa se nao for attendido.Um cre-
dor da massa, mnssndo de esperar.
Precisa-se de uma ama que saiba bem com-
prar e cosinhar pira casa de pouea farailha : em
Santo Amaro casa do Sr. Antonio do Correio onde
funeciono ;-. aula publica.
Ra do Imper
DADO
[dor numero 69.
BOTICA E| DROGARA
r
B. F. de Vn:u/.t & < .
iNSLTOItf
ihmUHMi
m
II
00
)R. PEDO DE .VTTAIYDE LOIiO MOSCSO,
nKM*Jt>, 1'iHSiiUiO R IWl.tm,
3 Ra da Gloria, casa do Fmniao ;i
oras
O Dr. Lobo Moscqso d consultas gratuitas aos pobres lodw os.ias das 7 i
da manhao, edas G e meia as 8 horas da imite, escep.ao dus dias -antilica
Pharmacia especio-1 bomei>tHitkica
as 11
antilicadi*.
No mesmo co sultorio lia sernpre o mais approprado son i ment de
mbos avulsos, assira como tinturas de valias dymiiainisagOes e pelos pnqm
. 12:5000
carter s
3ej/uiD(t.
ioin os remftdroff
utista de Pernambuco.

n. 3, m
m
| Kua estrella do Rosario
ao p da igreja
FB4NGISG0 PINTO OZORIOl
[ Colloca deutes artiflciaes
pelos =.} slcinas nials iuu-
I dernos
I Eraprega todos os meios scienlificos para
| conservar os naturaes. Pode ser procura-
I do em -1 u gabinete das 9 huras da ma-
| uhaa as -S da tarde.
Fabriea de cl ipps de sol de f.
i* 'iqti:*, roa do Crespo n 4.
N-r-t'- amigo e acreditado e'tabelecimento acha-
se nrnpre um completo e variado sortimento de
eha#dOS de sol de lirias as qaalidades e precos,
aaCo de seda e alpaca, como pao de todas as co-
res, t*ara hornees, se. moras e meamos, (fumn aos
fregos sao as mal- raxoaveis pos-iveis, tambem ha
pao fiara as pe;s >as qoi i|U'7.erein eoeoinmend.ir
r.hape m de sol e mandar cohrir armaco -s servida*,
coee rtim-se os mesmos, sendo ledo este traba lio
fet preco : na roa do Crespo n. i.
A|tp;i''elh7>lrtiln\-ni d> i'aris.
Pholojjraphia de al^ibeira
Os '-ellentes resulta lo obUJos com este sim-
ks awimrelho, faemom que se tenha vendido
en li a parte em kamero consMeravel, pois
jue ifii I piT pessoa lile tirar retratos e paisa-
ees- e.ioi a maior fa-iliilade. chegou a ra do
vCreiw n. 4 orna segundi remessa de>tes appare-
stus urevine-se, poi<, acuellas pessoas que deia-
ram Ih imprar por uo acharein raais, de preve-
nirse r.im lempo ; a tiorc/ij pequea : na ra
tde Crwpo u. 4.
A i uga se a excellente casa lerna n. 20 sita
^a roa <
gttt: le. familia por ler 2 sai is e-[iago-as, 6 ijuar-
o&, rinde eosioha lora, um ptimo terrado, gran-
e q linul com parreiral, e excellente agua para Pretwa se ile uraa eugo Diiu-leira perfeita,
(X*stu: UM a pretender nrocure entender se cwm forra ou captiva: no collegio do Bom Conselho,
.# jreprietario ra rau do Hispito n. 30. roa da Aurora a. 30.
Una larga do
Remedios
Prompto alivio.
Pilulas reguladoras.
Rfczclotivo.
Remedios
Aoacahuita.
Salsa de Brislol.
Pilulas assucaradas.
Agua florida.
Pastilhas vermfugas vrbetaes.
Chegados pelo ultimo n: vio vindo
Kesario n. 34
le Raduvay
de Kemp
o sobradinho moderno n. oo da ra de Aguas-Ver-
des por 2->4 meosaes com a loja, para pequea fa-
milia, dando liador a contento : a traiar na ra
do Queimado n. 44.
- ____ ^
A'mesa regednra da inrandade de Santa Ce- -a
cilia, erecta na igreja de N. S. do Li '--ramelo, con- *p
vida a lodos os seus Irmaos professores para no ^
dia 20 do corrente assistirem a missa votiva do S
Esj.irito Santo, as 9 horas da nianha ; e depois IJH
I
Precisa -se dt) uma a
io bem cosinhar e fa^a
casa de pouca familia
do Recife n. II, sagun
Prt-cisa-se de flcial
da america.
mmwmm
ia que saiba mu- .^5
as compras para
oa ra da Cruz
i andar.
mm
de alfaiate para
seguir-se-ha a eleicao para a nova mesa.
O escrivao interino
Pedro Justino da Konseca.
Precisa-se de uma ama que saiba lavar, engato-
mre cozinhar : na ra da Crui do Recife nume-
ro 16.
Na ra do Livramenio n. II, fazem-se espa-
nadores e por ojeos prego que em outra qualquer
pai te.
Precisare de nm ofBcial
na ra Nova n. 37, aidar.
de cabelleireiro :
DOS
AITISTS MECHANICOS R LIRB1A1S
DE
PERNAMBUCO.
De ordem do Ilim. Sr. vice-director sao convi-
dados todos os senhores socios para virem assistir
a sessao extraordinaria seguuda-feira, 20 do cr-
reme, as 6 horas da larde, no lugar j indicado.
Secretaria da sociedade dos Artistas Mchameos
e Liberaesde Pernambuco ei 17" de novembro de
1865.
Basiho Barros
___________________1 Secretario interino.
Collegio de *. roaqiui.
Durante as ferias In corso de tojos os prepara-
torios para a matricula das Faculiide de DireiVJ.
Asanlas abrem-se. ao da 21 do corrente mez de
novembro.
obra miada, pagando se 23 por cada
calca : na rna da Cadeja do Recife n. 38,
primeiro andar.
Precisase da quantia
de 3 mezes d-se por garant
pessoa que queira dar annniJcie
rada
M
Forneitro
Precisa-se de um loraei?
nhar bem o seu trabalho
Qnarteis a. 16.
- I'reeisa-se aiugar ou i
preta da meia idade, uee se|
tratar na rna dr Cruz da Re
andar.
esmo comprar uma
boa qoanVira : a
:ife n. 43, primeiro
Ainda esto por alugar
oo Retiro, na margem esqueil
Fassagem, tem commodos
perlo oa cidade, lugar muit) fresco e sandavel
aluga-se por festa ou por a ino : a traiar com L.
M. R. Valenca, sobrado junto a fabrica dogaz, la-
do, do norte a beica do rio.
3005 por epaco
em uma casa: a
para ser procu-
que saiba desempe-
a tratar na ra dos
se ilna- cas i- na ilha
da amos da ponte da
para familia, minio
Carteiras de 14 tubos grandes.
de 24 tubos g, andes. iHjtxiO
de .*l(i tubos grandes. 244000
de 4s indos grandes. 304000
de 6o tubos gran les. 354000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se (/.er, e
pe se pedir.
Un tubo avulso ou frasco de tintura de meia onra 14000.
Sendo para cima de 1 costarao os precos e-tabelecidos para as carleiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris
LITROS*
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina llomeopatbi.-o do Dr. Jahr
dous grandes volumes com diccionario............ 2n5mvv
Medicina domestica do Dr. Hering........ [ tojo >
Repertorio do Dr. Meh Moraes........'.'*'.'. H^Oik)
Diccionario de termos de medicina..........* 3^0(0
Os remedios deste estibelecimento siio por deraais conhecidos e dispensam por
tanto de serem novainente recommendados as pessoas que qui'erem usar de rvimm
verdadeiros, enrgicos e doradores: ha indo do n.elhorque se pode desojar, pli'fxs #j
verdadetro assucar de leite, notaveis pela sua boa con^eivacan, lintura di s nuis areili-
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada prepararn, e t-ortar.tn a mai.H-
energa e certeza em seus effeitos.
Casa de muda para (vararos
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermi.lade ou fazer-se Ihe qualquer
operacan, p ra o que o annunciante julga-se snllicientemente habilitado.
0 ratimento o melhor possivel, tanto na parle alimentar, c.imo na medica, a
funecionaudo a casa ha mais de qnatro anuas, ha mui as pe-suas de cujo eoMtila s^ nao
pode duvidar, qje podem ser consultados por aquelles que deseiarem mandar seos
doentes.
Paga-se 23 por dia durante (0 dias e d'ahi em diante I 00.
Asoperacoes ser i previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeilar aos precoe
razoaveis que costuma pedir o annune ante.
de rm paixeiro que tenha muita pritira d> loj-%
de fmata>. Oque e-tiv^r nestas r..ndicc6e* o
Iqoiirr dirija se a ra do Crespn. 17.
Alaga/e 0 tere,oro andar da dsa n. 88 .1
i ra da Iiiiperairiz, e o sitio n. I di e-lrada do Ar-
raial : oo ra da Aurora n. 36,
Para a censlrorc de machinas
DE
ai.ki:ktso\ i-: mouGL.iss
New LouOou, Cormeclieur, Esta-
dos-Cuidos
Solicitam pedidos de descarocadores de algodo,' ----------------
adoptados ao alaodao sul-amerh ano. Ho-se de- Aluga-se
por anno un pe.
dicado a es e negocio durante 25 annos, e atiende- uma ra,,a Sran,,,> ba-iante fresca, em haf
rao immediaiamenle a correspondencia que se Ihes 'if ,,''nI^,, ,'sla ela ta e piolada de n-.v.i : a l
dirigir.
Ama'/ leite.
Precisa-se de uma ama de leite
parador n. 42, lerceiro audar.
na roa do Ira-
com o solicitador Manoel Luii da
da Gloria n. 94.
leiniKi da MB
Anna
lrat>r
faifa, aa rna
Preiisase de uma ama: na ra das Asnas Ver
das n. 92.
\lygi-se
Dor I6 mensaes nma cas terrea nov na roa d-t*
Prazeres da Boa Vist4 n. 1 B, rom 2 salas, 1 qmr-
los bons. eotloha, quintal e cacimba : a traiar na
rus estreila do Rosario o. 28.


(
Diarlo de ^ernanbnco Kabbado 18 e \ovenibro de tSCft.
D'IODURETO DUPLO
de FERROeQUININA
DE
M
MEDICAMENTOS FRANCEZES AFA
A VEIDA EM PEIMrAUIBUCO
Em casa dos Srs. Oaors e Barboza, ra da Cruz n. 2B.
ADOS
PASTILHAS
[DIGESTIVAsj^Wgj
. m-WASfom
Os elementos que cqmpoem esta preparacao. o
ferro, o todo e a quina, a collocao no primeiro
grao das preparares ferruginosas. Basta atiesta r
seus resultados obtidos pelos Mdicos dos bospi-
taes. e os relatnos dos prticos mais eminentes.
que confirmrao sua poderosa eflicacia as se
guintcs affcccus:
Mingo na Miuur,
l'rmiiK'/.n.
Vm-iiilu.
r.lilorone ou Ictericia,
McnMCruo,
Affccroe do utero,
Sup|>i ni- dan re-
ara* o dvHorilena na
menNtruae-o,
Affereo pulmonar e
phlblxlca,
Molrxtlan ilt.Iiiiiuo,
Gastralgia,
Perda d'appetltc.etc.,
Convaleeeneale lon-
Uf* nioleHlla,
MotChtlaM eHCrofulo-
M0,
1'npctra,
ObKlrurro dn> gln-
dula,
lllliliori frin,
Tiimore branrtN,
ItarliltiHiiio,
Afecfe ranrerosne
c aynhllItleaN,
FebrcH lypholdeH,
Beilgnn, rc, etc.
Vejo-st os bulletins de therapeutica medica
e cirurgica de 30 de novembre 1860; a Cazeta
dos hospitaes de 28 dejulhol&W, etc., etc.
Alcm das pilulas de todureto duplo de ferro e de
quinina de nebuln, os Mdicos aconsclhSo
igualmente o Xarope d'iodureto duplo de
ferro de quinina do mesmo author para as
pessoas que nao gostao de medicamentos sob for-
ma pilular c os meninos. F.ste xarope nao lem
como o xarope d'ioduretode ferro, o inconveniente
de allcrar-se e de se nao poder conservar.
Peca-sc o folheto que se d de graca em casa
dos pharmaceuticos depositarios.
Para se evitaron falsificacoes, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito geral em Paris, pharmacia Rebillon,
4 42, ru du Bac, e em todas as boas pharmacias
de Franca e as dos paizes jstrangeiros, etc.
As paslilhas digestirs com a pepsina de
Wasman, emprego se com successo h j
alguns annos pelas celebridades medicaes de
Pars, Londres. Vienna, etc., em todas as in-
commodidades em as quacsadigestiio c dific.l,
penosa, imperfeta ou mesmo impossivel: cis
B a t'OIIHtt-
|iur;to |n-i^lti.'iilii
|K*I.TH rliih* nciH'B
IffcKuoHUMrioMull-
iiii-iiIiih.
o inclhor remedio para ral as.
GaatratKiaa, niarriicn*
I)Im|H*p*um,
Euil>uruenx|;>ilrlro*
A (S!lll*i<4-,
Aa iiff.Te;">r uriii:il-
nlN lio t-stoliut,
Sua aceito vivifica osanguec os rgaos de
lal sorte que, ath as pessoas que sem sofirur
as nffeceftes gstricas cima mencionadas sao
nicamente iracas ou d'um temperamento um
pouco dbil, c necessilo substancial alimento
jiara forlilicar-sc,acliao no emprego das paslil-
has de pepsina de Wasman, um poderoso meio
para a isso chegar.
Aviso imporlanU.0 successo das paslilhas
i pepsina Je Wasmandeu causa a se fazerera
falsificacoes eimitacoesd*esse producto que os
mulos se qoerem desfazer. l'ois ]>or falta
(Puma boa preparacao a pepsina que n'ella
entra, ja/, alterada. Seremos ao abrigo d'estc
inconveniente, exigindo os compradores que as
paslilhas lenho as iniciacs B. P. c saiSO da
pharmacia Chevrier.
Depsitogera) em Paris, pharmacia Chevrier,
21, Fauliourg-Montmartre, c cm todas as boas
pharmacias de Franca e dos pai/.cs cstrangeiros.
CURADAS PELOS
XAROPES DO DOUTOR DANET
1. Cautra aa CLICAS DOS MENINOS ante
e durante a dentleao
(Xarope de cjnoglosse e de acido succinido)
N* 2. Contra a TOSSK CONVULSA a TOSSB
NERVOSA
(Xarope de cynoglosse e de leo Tolatil de succino)
N* a. Contra aa COXVLXCOES DOS MENINOS
A CUORA
(Xarope de cynoglosse e de acido Tolatil de succino)
Estes novos productos preconizados na Aca-
demia imperial de Medicina de Paris sao em-
pregados com grandissimo successo pelos mdicos
de Franca para o tratamento das molestias dos
meninos cima indicadas, e vicr&o encher um
vacuo importante na therapeutica, no que loca as
ff'T.cocs da infancia, para as quaes, ath hoje,
aluciase nao pode indicar tratamento racionnal-
nem infallivcl.
(Pcca-sc o prospecto em casa dos pharmaceu,
ticos depositarios.)
Prcco do frasco em Paris, 3 fr.
Para se evitaron as falsificacoes, exija o com-
prador que cada frasco tenha sobre os rtulos a
assignatura Chanteaud.
Depsito geral cm Paris, pharmacia Chan-
teaud. c cm todas as boas pharmacias de Franc*
e dos paizes eslrangciros.
MASSA e XAROPE
S
OS PARAGUAYOS
DE CpDENA
M
BERTH
As experiencias iflinicas e comparativas
dos Snrs Magendie,Barbier d'Amiens, Wil-
liams Gregor, Mart|n Soln, Aran, Viga,
C. Dumont, etc., membros do Instituto de
Franca, mdicos dos hospitaes de Paris. tem
provado que a Mas so e Xarope de Berth
o remedio o mais i eguro contra todas as
dores nervosas e tundo a propriedade de
calmarcom admirav 1 rapidez as tosses rebel-
des e extremamente 'aligantes da grippe (ca-
larrho epidmico', i lelluxo, coqueluche ou
tosse convulsa, bron chile e tisica pulmonar.
A Massa e Xa re-pe de Berth, se
acliao em todas as b ticas.
Para evitar qualquer
falsificado,exigir cmi
cada produto o nome
e a firma Berth.
Deposito geral em Pai is, em casa de MENIER,
Ra SU-Croii dt-la-Bretinnerie-
Onro e prata.
Em obras velhas : conpra-se na praea da la
E' a ordera do dia Acabar com os Para- dependencio d. 22, luja de i.iihetes.
' gu'tyos a bayoneta, a mini, a revolver; ...... ,,, ,_ m
fulmina-los com os encoura^ados armados ir r i? "> |f
' de esponjes, armstrongs e raiadas de 80 | _________V L a V M, 5._________
420; exiermina-los em summa a espada, a
' fado e a punbal de que se trata; mas Vende-se por 35$Q00 um ve-tido de
loiDguem se l.mbroa ainda de esmagar os blonda prnprio para rtoiva, com capella e
Paraguayos con as armas que Deusnos con- ramo, que s servio um noite : na ra do
cedeu ; acabar com elles a taeo e a ponta Cabug luja de fazendas de Casco | ps, para o que necessario encouragar esta tual._____________________________
parte do nosso corpo com os formidaveis Manunl fin ("til l.ln
rompe-ferro, esmaga cobra,arranca t< eos, itmuiiihii uu lyHtnaajv
quebra marmore e ootros tjue se vendem Vende-se u Manual do d.idfio em um
45 itUA OIKIJIT.I45 Govcrno Reoreseotalivo ou principios de
Borseguins liordeaux......
patricios.........
> para senhoras, en-
feitados.......
t com laco e livella ..
Sapatoes encouracados.......
Birseguins para meninas bom
elast co.................
Sapatos de lona, sola elstica.
80'i0 Direito Publico (/institucional Administra-
o000 livo e das Gentes, por Silvestre Pinheiro
Ferreira, em 3 volumes broaaradM por '$
cada obra : na livraria n. 8 da prara da
Independ neia.
55500
4^S00
O'JO
35000
2*000
i 00':
iG00
DE CHEVKIER
MuIchIIuh de lleudo,
A Ictericia,
Palpitar) do eoraro
non- noa rlna,
Os granulos de bismuth de Chevrier em supe-
riores a todas as outras preparares de bismuth
empregadas antes com o maior successo pelos m-
dicos de todos os paizes, para prevenir e curar as
nlarrheas rhronleaa, M dlgCHtoea,
DyaaenterlaS, Gaatrltea,
mire d'etoiuaKO, Gastral|laa,etc.,
Dyapepalaa,
oi.|.icro Depsito geral cm Paris, pharmacia Chevrier,
irriurorade* be"'ig. e e em todas as pharmacias ae Franca e dos paizes
da matrla, etc. estrangeiros.
ASTHME
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SuiToccco nervosa e Oppreaso
nico remedio effica para combatter estas mo-
lestias, acalmar um aijtaque d'asma e impedir a
volla o Xarope aromtico de Succino (mbar
amarello) do Dr Danet. Descoberta inleiramente
recente, este novo producto se tem propagado
com extrema rapidez ghicas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre troduzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54,
ra do Commercio, Paris-Grenellc, e em todas as
boticas de Franca e do estrangeiro.
Pelas commissBes em grosso, dirigirse aos S'" WILLAERT e BERGER, comisarios em drogara, 11, ra Saint-Lazare, Paris.
avelludados.
de tranca...
econmicos para se-
nhoras........... #500
com salto de lustre.. 25240
Chineloesdo Poro.......... 15600
Um compelo sonime; to de calcado da
trra para bomens, senhoras e meninas;
assim como bezerro francez, couro de lus-
l'orro de encrespar
baados ; para acabar vendemse de:-l*-s ferro* a
800 re. cada nm, o que fe vende em ootra parte a
800 rs. : tambem tem oulros mndVios dTerso* por
500 \'j cada um : na roa do Crespo o. 4.
Rival sem segnio
Ra do (|uei niatlo ns. 49 f 5o, luja de
wiudezas de (res portas, est qiei-
mando ludo lioiit e barat, quea qiii-
zer ver e admirar veuliam laja da
Hiou i n lio.
Caixas de papel amizade, e sem ella liso e pautado
tre, manoquins, taixas de todas as quali- aGOOrs.
dades, fitas para sapateiro, milito sortidas, Grozas de bo^oes de looca praleados
sola e couros que tudo visto necessariamen-
!te fazcobica ao comp ador pela barateza.
I
i
ti !
Samuel Power Johnston h, Companhia
Ruada SenzalaNova n. 4.
AGENCIA DA
I'iiikIk. de Loto- Moor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cava I los.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e balido para enge-1
nho,
LIOIDACAO GERAL
v
NO
GRANDE ARIVIAZEIVI DA EXPSITO DE LONDRES
Arreios d carro para nm e dous cavallos.
Relogios de onro patente inglez.
Arados americanos.
Ma binas para descaro?ar algodo.
.Motores para ditos
fazenda mo-
derna a 160 rs.
Duzias de pinna de ac fazenda boa a 40 rs.
Pecas de tranca de la lisas e de todas cores a
0 r.-.
* ; r Emovms finsimas para limpar denles a 240 e
Oi 320 rs.
Pecas de Ola de cs eslreitas com 10 vara? a
3S0 rs.
Caias com clcheles francezes, superiores quaii-
dades a H0 rs.
Tinleiros de liarro, com superinr linta a 100 r.
Pecas de cordo para vestidos, lazenda boa a
20 rs.
aralhos milito tinos para voltarMe a 200 e
240 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos de macaca perula inuito uno a 200 rs.
Frascos e garraGnhas com agua de Colonia a
400 rs.
Frascos grandes rom superior agua de Colonia a
C.40 rs.
Canas com 12 frascos de cheiros muito tinos a
IJ400.
Sahnnetes pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
320 rs.
Iluza dr sahoneles pequeos com rheiro a 700 rs.
Agua dentiflee superior qualidade a HOO rs.
Calas com superior p de arroz a 800 rs.
Frascos de superiores esseocias santal e outros a
i 5200.
Frascos com essenrias para tirar noduas de roupa
a 500 rs.
Frascos eoai cheiros de lodos os precos a 160, 200,
240 e 320.
Frascos bonitos com ebeiroa finos a 500 rs.
Diuia de meias muito finas para senhora a
45800.
Gollinlias muito finas para senhora a 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo para meninos a
160 rs.
Pecas de lita du I a para debrum de vestido, com
10 varas a 600 rs.
Preeisa-se de um caUeiro para botequim e urna Ditas de bicos superiores, para acabar a 600 e
ama para casa de hoinein solteiro : na- Cinco l'un-. 8(M) rs.
0 diversas obras de tas n. 93. ____________ Pedras de k.usa para mfninos a 160 rs.
Aluga-se urna casa terrea sita na estrada dos Bunecos de choro e panno a 160 rs.
hontetn da ra da Seozala Velha al o caes e ra
do Trapiche, tres chaves em urna argola : qiifin
as achar, querendo restituir, a< podera' levara
' ra da Cadeia do Ilecife, I ja n. 22 que se gratifi-
cara' e se tieara' agradecido.
Mugase urna grande casa terrea na Ponte
de Ucha, a belra do Rio : a tratar na ra do A-
inoriin ii. 54.__________________________
Hadara.
Na ra Direit, padana n,69, precisa-se de um
amassadnr.______
Ainda est pira alllgar-se nm sitio na Tor-
re, com muilos eommodos para grande familia,
e muito re.co. e tamhom se vende por barato pre-
co : a tratar na padaria do mesmo lugar.
Aluga-se urna cas* terrea com commndos
para grande familia, lendo bom quintal c >m algu-
mas arvores de fructo, na Passagem Beranger, en-
trando pela ra da Floreuiina ou caes da ra do
Sul : quem a pretender dirija-se a Jezuioo Ferrei-
ra da Silva, despachante da alfandega, na hora do
expediente da mesma._____________________
Com comida e sugeicao
Garntese IslOO por dia.
Aluga-se escravos que tenham oUicio de sapa-
teiro, assim como toma-se moleques para aprende-
rem o mesmo oflcio na luja de sapatos
Rosario n. 2, junio a de funileiro.____
da ra do
ludo as melhores condi^oes
almenle [>or querer inteira-
AtteiiQMo.
m
cozinha, quintal, carimba com boa agua de beber :
a tratar no sitio confronte .i igrei da S. Jos do
Manguinlio, perlo de pao jnuto da taberna.
63*
>&i mado, 'p"'r pura dentro quer par?, fra
H| da cidade. ^
G Ra da Cadeia do JKecife GO.
Todos os arligos abaixo mencionados foram comprados recentemente pelo dono do estabelecitjienlo as principaes fabricas
Machinas de_costura:________________ fa pars, Londres, Birmingbam, Mancbcster e em diversas cidades da Allemanba, e tendo comprado
NottTdo banco do Brasil e das caixas filiaes por ser a dinheiro, por isso vende lodo c qualquer artigo barato, por menos do seu valor, e mui princq
descontam se na travessa das Cruzes n. 8. mente liquidar e ter de partir mui bieve para a Euro; a.
3'%W ^f^WMW fWWffi'tW- Ha neste vasto armazem tic s objeclos com brilhantes, como botes, anneis, rosetas etc., e
ODrSSrS S LlnS San- ?8? ouro, como ira.iccllins, correntoes, anneis e muilos oulros artigo*, relogios de ouro inglezes do afamado fabricante Bennet. e; com- 2
S tos contina a morar na ra do impera- Egj pieto sortimenlo de la/.enda? linas e modernas; miudezas, perfumaras finas dos principaes fabricantes Inglezes e francezes, como L. *^_
? dor n. 17, segundo andar, tendo alias seu gg j piVER, Lulin, L. Legrand, Ed. l'ttiatid & Mover, Ueletirez (Perfumerie du mond lgant), Violet, Sacele IlygieriKjiie, Monipelas,
gabinete de consultas medicas, logo ao R M'a Reenier, P. Guelaud, e ingle/as de Eug.* Rimmel c outros; ricas galanteras cm marfim, madrbiierola, etc.. fabricadas na
eTmVsmoPrSr que se tem dado ao 8 China'e no Japao; ricas pecas de crystal lino como ainda nao appareceram nesta cidade, e bem assim bodernos lustres para velas,
estado tanto das oueraeoes cmodas mo- ^ ditos para gaz e para petrleo, serpenteas, casticaes, enfeite- e adornos para cima de consolas o para grlande loilleitt'. o que se tem
lestias internas, prestase a qualquer cha- mm fet0 (ie mas elegante cm l'aris, Londres, Birmingbam etc.; modernos apparelhos de metal lino inglez para cha ecafe, os quaes em
* nada sao inferiores prala, e muitas oulras pecas do mesmo metal, ricos pentes de tartaruga da ultima moda para truncas de senho-
ras, excedentes luvas de pellica do afamado Jouvin, apparelhos de porcelana fina para cha ecafe, ditos pira j nlar, e tmmensos arli-
>f*m. i gos de porcelana fina domada, como ricos vasos para llores, figuras, etc; calcado dos principaes fabrican es de Pars e ditos de pan-
- Km casa de Tueod Chrisliansen, ra do Tra- no ccm soja jg j)0rr.icha, pianos dos celebres fabricantes Pleyel, WollT & C, realejos modernos de Gsviolt C, para se tocar na
piche-n..vo n. 16, nico agente no norte do Brasil, (]. |oiras pata salos e ditos com figuras em moviraento; mode- nos e bonitos in^trumen ns de phystca (mgica) para
deBranden1.org frres, Bordeam, encontraseef- ^^ qu ^^ u|los de pliaillsrnaK(iria ; |a.,iernas mgicas, comoramas com vistas novas, dia enoile; stereocopios de nova in-
vencao e com bello sortimento de vistas das principaes cidades da Enropa; grande sorlimento da brtnq ledos finos para enancas, e
bonecas fallando papae e mame ; grande sortimento de camlieiros a gaz, o que se tem fetto de mais elegante e que tem
merecido (oda a aceitacao na Europa, grande e magnifico sorti i ento de ca xinhas, ceslinhas e outras galanteras fettas de crina e seda,
proprios para pre-entes; grande sortimenlo de estampas fin s coloridas com o fundo preto e de outras > todos os santos, ditas com
figuras e ditas com novas paysagens para cosmoramas, finos e bem graduados vidros para cosmoramas, u^n bello chafariz de crystal
proprio para meio de mesa de janlar ou para jardim; cuidara fina, como tallares com cabo de metal fintb, eolheres, thesouras finas,
ditas modernas para alfaiates, navalnas finas, canivet. s e outros arligos, diversos artigos leitos de arane ; completo sortimento de
mascaras de veludo, setim, cera, papelao e rame doces confeitados e chocolate em catxtnhas e em vidros; camas de ferro de todos
os lmannos, lavatorios, etc.; ricos quadros para cartes de visita e ditos grandes e pequeos para retratos; chapeos de sol, benga-
las, chicles e ditos para carros; machinas para fazer cif, dilas para baterovos, proprias para quem faje pao-de-l, bolmhos, etc.;
pannos para cobrir mesas, bolsas grandes e pequeas para viagens, e outros artigas, como cobert res, malas, etc., sortimento de
violoes finos; figuras finas e jarros de alabastro ; galantarias e outras Decas de charao para toillette; machinas para varrer o chao,.
excedentes machinas para photograpbia para tirar retalos, grandes e pequeas; lindos balees de papel fino transparente e lanternas
coloridas para iiluroinaces moda de Pars; salva-vida de borracha, para bomens e senhoras, proprios para quem toma banhos em
lugares fundos; ameixas novas em cantonas, biscomos inglezes em latas, queijos, etc., e muitos outros artigos que para ennumera-
[os seria um nunca acabar, e lodos se vendem barato e muito barato, no grande armazem da Exposicaa de Londres, na ra da Ca-
eia do Recife n. 60.
fecTiv'aojente deposito dos artigos seguiutes
St. Julieo.
St. Pit-rre.
La rose.
Chateau Loville.
Chateaa yargaoz.
tiraud vio Chateau I.afiue 1838.
Chatran Laiite.
Hut SantTues.
Chalean Sauti-rnes.
Coateao Lataur Blanche.
Chairau Yquem.
Cognac era ires qualidade?.
Azette doce. Precos de Bordeanx.
(taixas rom bonit?sestampas para rap a 100 rs.
Capachos compridos, boa fateda a 500 rs.
Grasas de boldes pequeos prelos para calca a
100 rs.
varas de rordao de esparlilho a 20 rs.
I Novellos franceses com 20: ardas a iO rs.
: Pecas de tiras bordadas a fiio.
Duzias de meias croas muito fortes e suprriores a
3^500._____________________
INJECCAO BROW.
Remedio ihfallivel as agnorrheas antigs
e recentes, nico deposito na pharmacia
fra ceza, ra da Gru n. 22 e ao preco de
3;S0OO.
II
I. i
r. Cosme de S Pereira conti- (g
la a residir na ra da Cruz n. 53, gg
Io e 2C andar, onde pode ser procu- m
rado para o exercicio de sua profis- ~
sao medica, e com especialidade *
sobre o seguinte g
Io molestias de olhos ;
2o de peito:
3o dos orgaos geni- B
ti urinarios. am
Em seu escriptorio os doentes se-1
rao examinados na ordem de suas 1
entradas comecando o trabalho pe- I
los doentes de olhos. |g
Dar consultas todos os das das w
6 as 10 da manhaa, menos nos do- o
mingos. g
Praticar toda e qualquer opera- g
?o que julgar conveniente para o 9S
prompto restabeleciraento dos seus jg|
doentes. U
PREPARABA OKGAMEITE POR
LAN1AN k EHP,
NO GRANDE AR-
MAZEM.
NOVA YORK.
Composta de substancias, gozando das
propriedades eminentemente depurativas
da exposico de approvada pelas juntase academias de me-
dicina; usada.nos principaes hospitaes, c-
vis militares e da marinha as Anllhas e
LONDRES.
O tira tiodn.is por cx*rllenera
Vende >e por liiSOfl o- frascos grandes, e f00
rs. os menores : na ra do Imperador n. 57, ar-
mazem allianca. ____ _^_________
Prona- de ema de muito Mipenor qualidade:
vi-ndr-.-r na ra du Yigari > p. ii; I" audaj, es-
criptorio- _
Na roa das Trinchelr.n? n. 2ii se dir.i quem
vende uina negra de bonita figura com una crii
de 6 metes. ____ ___
Manual de cantas tvtis
para comtm a venda de assaenr : vende-se na li-
vraria econmica ao p do arco de Sanio Antonio.
!Era c su de Phipps Brothers
& C, a ra do Yigaro
numero 2.
Vendem-se cofres de ferro prova de logo
| dos afamados fabricantes Milner & Sonde
no continente americano ; receitada pelos; Liverpool.
facultativosos mais distinctos do imperio do Vendem-se unas escravas rnuthiaas. de kda-
Para completa liquidaco vendem-se, por muito menos do seu valor, perfumaras muilo Gnas e nrtvas chegadas recentemente Brasjl g ^ America hesnanliol 'de -:i a 2i anno-- e*''ellenl'! eortnett, enji-mmam
e de Londres dos mais afamados fabricantes seguintes: E g Rimmel, R. Matheus & C., Lubin, Sociedade Hygienica, Piver, CURA RADICALMEw'rl!' perfritamente ejaiem todo o serv.ro de uma casa:
de Paris e de Londres dos mais afamados lancantes seguintes: g mmmet, k. tnaineus &^., nioia, ocieuuue njg.curc-, ni, CURA RADICALMENTE
Violet, L Legrand, Deletrcz, Pnaud & v'eyer, Regnrer, Mailly, Gillet frre, etc. etc., dos quaes ha grhnde sori.menlo d agita de rhenmatsmo escorbuto, eo-
Colonia em vidros c garrafas, agua de lavande, agua para limpar denles, oleo babosa, extractos em garraf. has ei vidros de differen- ffSSVne^
tes modelos, pspara limpar denles, banha em potes e em vidros, pomadas, ricas caixinbas ebalainhos oom perfumaras para fazer 'Xa. 'XiVindS as molestias po-
presentes, e muitos oulros arligos que se vendem por menos de seu valor, bem como todos os artigos em|geral existentes no grande \ P&.\1 '....V...= ""*
armazem da Exposico de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
Ama.
Precisa-se de uma ama que compre, cozinhe e
engomme, pra casa do doas pessoas: a tratar na
ma da Cruz, armazem n. '7.
Ricos e modernos penies de tartaruga para tranca de senhora, o que se tem fetto de mais elegante
por menos de seu valor para se liqui lar, no grande armazem da Exposico de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. GO.
E.UVAS MIIVAS UE JOUVIN*
Vendem-se excellenles luvas de pellica, recentemente chegadas de Paris, tanto para homem como p ra senhora por menos de
seu valor, para se liquidar : no grande armazem da Exposico de Londres, na ra da Cadeia do Recife n.
al o presente: vende-se
30.
Precisa-se de uma ama para casa estrangei-
ra : a tratar na ra do Trapiche n. 44.
BbbS
Joo da Silva Hamos, medico, me-
dico pela universtda le de .oimbra, j|
' d consultas em sua casa das 9 as i
i: 1 i horas da manhaa, e das 4 as (5 I
I da tarde. Visita os doentes em suasj
casas regularmente as horas para
I isso designadas, salvo os casos ur-
, gentes, que sero soccorridos em
t qualquer necasio. D consultas aos
5 pobres (|ue o procurarem no hos-
pital Pedro II, aonde encontrado
f diariamente das 6 s 8 boras da
manhaa,
Tem sua casa de sade regular-
[ mente montada para receber qual-
I quer doente, ainda mesmo os alie-
I nados, para o que lem commodos
I apropriados c nella pratica qualquer
I opperacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe. .35000 diarios.
Segunda dita... 3*500
Terceira lita .25000
i Este estabelecimento j bem
acreditad' pelos bons servicos que
tem prestado.
O proprietario espera que elle
I continu a merecer a confiaoca de
; que sempre tem gozado.
PHOTOGR %UII.
No grande.armazem da Exposico de Londres, ra da Cadeia do Recife n. 60, ra da Imperatriz
venientesd'um estado vicioso do sangue
Emquanto existem varias imitaces e
falsilicacos,e preciso a-maior cautela par?
evitar os engaos,
A legitima salsa de Bristol vende-se por
CAORS & BARBOZA
JOO DA C. BRAVO A- C.
Joo da C. Bravo & C.
endem-se excellentes vistas para quadros de sala e para albuns, orno:
oja de Mr. Dubarry n. 8
COMPRAS.
e na mesma ra loja de miodezas n. 54, ve
Porto.
Campo de Sant'Anna e Braga.
Amarante.
Vista geral de Guimares.
Porto, ra de Santo Antonio.
Ponte pensil sobre o Douro no Porto.
Villa da ponte da Barca.
Coimura.
VIST.8 DE PE11NA91BIJ<;0.
Tiradas na occasio em que S. M. o Imperador aqui esteve em 1859 :
Palacio da presidencia, a cavallaria acompanhando S. M. o Imperador no dia 2 de dezembro,
indo para o Te-Deum no convento do Carmp.
Theatro de Santa Isabel.
Ra da Cruz com a pyramide.
Torre du Arsenal com a illuminaco na frente.
Passeio publico, na chegada de S. M. o Imperador.
Ra do Collegio com a tropa.
Pateo do Collegio com o palanque.
TIAGEM A' EUROPA.
Stereoscopios de nova nvencSo com ricas vistas das principaes cidades da Europa, como
Franca.
Inglaterra.
Italia.
Lisboa, etc., etc.
Vendem-se barato para liquidaco no grande armazem da Exposico de Londres na roa da Cadeia do Rcfcifegn. 69, rua|da Im-
peratriz loja de Mr. Dubarry n. 8, e na mesma ra loja de miudezas n 54.
\
Comprase
um cavado que esteja habituado a andar
em cabriolet: quem tiver annuncie onde
se pode ver e tratar. ^^__^____
Silvino Guilherme de Barros compra e ven-
de effectivamente escravos de ambos os sexos : a
ra do Imperador n. 79, terceiro andar.______
Compra-se ouro, prata e pedras preciosas,
em obras velhas : na ra da Cadeia do Recife,
cja de ourives no arco da Conceieao.
Comprase carosso (sement) de algodao : no
armazem de algodao de Saunders Brothers & C,
do caes de Apollo. ____
Compra-se um escravo de meia idade que
tenha boa conducta, sem vicio e achaques de qua-
lidade alguma e que entenda de planiacao de si-
lo : a tratar na ra do Vicario n. 10.
Vinho de caj
Compram-se qualro duzias de garrafas de vlnho
de eaju' de boa qualidade : na ra da Florentina
numero 40.________________________________
COBRE L TVO
CHUMBO
Compra-se cobre, lato e chumbo : no armazem
da bola amarella. no oitao da secretaria da policia
ATTENCAO
Compra-se uma vacca de leite sendo que seja
boa: na Capunga na taberna junto a padaria.
= Compram-se
Cruz d. 1.
libras esterlinas : na ra da
na trawssa do Carmo n. I.
Vende-se um sitio em Bemfica a' margem do
rio Caaibrlbe, com bstanles commodos para urna
grande familia : trata-e na ra Nova n. 24, das 9
oras as 4 da larde.__________ ______________
Fai'inlia de mandioca.
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo & C, no sen escriptorio ra da Cruz n. 1.
Em tea de Phipps Brothers A (',., ra do
Vigarto n. 2, vendem se cofres de ferro, prova de
fogo, dos afamados fabricantes Milner A Son, de
Liverpool. ____________
Vendem-se palmeiras imperiaes, em estado
de serem trasplantadas : no sitio morado a es-
querda, depois. do becco do Espinheiro, nos Af-
flictos___________________________________
(avado.
Veoe-se um magnifica cavallo roco-pomhn,
muilo gordo, novo e de todos os ptaM : pode ser
visto na estribara do Sr. Taomaz l'.iyne, na ma
da Senzala-nova.__________________
Cavallos.
Vendem se i qoarlaos proprios para viagem oo
carroca: a tratar com Hilarle & C, na ra do Im-
perador n. 40. _______________________
Vende-se um escravo mo^o e de Iwa ligara
com oflcio de ferreiro : na ra do Queimado n.
14, lo)a.____________________________________
Vende-se tima taberna com pomos uedos,
livre e desembarazada, na ra da Casa Forte jiinio>
ao acougut. proprn para qualqoer principianle :
a tratar na ra do Imperador n. 4fi. arm.izem.
AGIMK)
o jogo de pedras para monbos : Teade-se na rna
do Vigario o. 14.
Movida de
Cortes de chira c m barras a' Imperatriz Eig--
nia, fazenda superior, a 45 c francez muito encorpado proprio para saias e ra
misas a 105500 a pega, ou a 400 r>. ira, dil>
inglez com 24 jardas a 45 a pega, raimes par*
satiida de baile 25->00. alK"d"Zin'i > la-g" e 11
20 jardas a 4^200 a pega, bramante enb s-ado i
hnho para lenges a 5J2110 a vara, chitas fr-aee-
zas a 240 o covado, balo--? d-are >s sup-ores a
2550O, cambraias lisas muito Una- con 8 l|i a-
ras e com mais de ama vara de largura a 85 a
peca : so na ma do Queimado n. 17, ao p da
botica.


Diarlo de PernanDuco abtalo i8 de Xovcmbra de I8*.
SALSA PARRILDi DE AYER.
Transckevemos aqui alguns
dos muitos altestados que temos
recetado das virtudes da salsa
parrilha do Dr. Ayer.
Rheusnatismo.
DE JOO JOS DOS SANTOS.
Ottro Preto.
t Soffri rheuraatismo pormoi-
tas vezes, e vendo annunciado
era um jornal d'esta cidade a
Salsa parrilha de Dr. Ayer, re-
ao!
Grande ioja e armazem
Pavo.
Ra da Imperalriz d. GO. de Gama & Silva.
i Teodo os propietarios d'esle eslabelecimento de
liquidaren) urna grande porc^ao de suas fazendas,
al ao flu do corrente anno, alim de ferharem rou
Senliores e scuhoras'
Os proprielarios da nova Ioja e armazem de te-
lendas e roupas Mus ua ra da Imperatriz n. 72
de Guimaraes & ImiiSo, acaban) de reduzir os
tas e apurar dinheiro. resolverara veuder todas as precos de suas fazendas menos 20 por ceoto do
fazendas com grande abatimeolo eni precos, tanto que em outra (jualqutr parte, aOm de apurar di-
era porcao como a retallio, e por isso previuero a nlieiro, assim como seja laazinhas de quadriohos
todos os seus freeuezes, e ao respeitavcl publico, e sendo escuras a 200 c220, ditas mals Tinas a 360%
as pessoas que negocian) .ein pequea escalla com 4(0 rs ditas transparentes com listas de seda a
fazendas, que ne.-te estabelecimenlo encontrarlo 320 rs.
um grande sorlimenlo que muito Ihes nao de agr- Faltadas uroaas para a festa.
dar tanto era precos como em qualidade; as.-im Vendemse as mais bonitas bareges de lita e sa>
como mandam pelos seus caixeiros levar as fazt-n- da sendp escocezas as mais moderna- que lera via-
das e amostras uas cafas das familias que uo po- do ao merca-Jo pelo baratissimo preco de o^l) o
derem vir a Ioja, ou dao as amostras deizando II- covado, eassas fr.ocezas de urna s cor a 320
car penhor. 360 o covado, ditas com patu as solas sendo m
f^^n^^^tv^C Umbralas lisas a 3*000, Da lja dO dase grauda pWo b^tsimo preco* 280
e concluir O priuieuu ms e 400 rs 0 C0Vadu: isto na ioja e armazem d*
co, achei-me forte e sem sentir a mais leve
dr nos joelhos ; a parte do corpo que es-
tava alTectada d'esse terrivel encommodo
que roubou-me tantas noites de somno.
Empces, borbnlhas pusfnlas.
ulceras, e todas as molestias
da pelle.
DO Sn. JOAO PAULA DE ABREU K SOl'ZA.
Ra de S. Pedro.Rio de Janeiro.
Soflria mais de dous annos de ama
erupcao sypliilitica em todo o corpo, moss
trando-se sempre com mais violencia na ca-
ra, prove muitos medicamentos e consultei
muitos mdicos, e estava quasi desanimado
quando vi os annuncios da Salsa parrilha
do Dr. Ayer: comecei a fazer uso d'ella e
pavao.
Vendem-se pecas de cambraia lisa branca e
transparentes, leudo oito e meia vara cada peca,
pelo barato preco de 3'O0, ditas muito linas, por
4*300, ;, C at 10,8, sendo ta[iadas e traospa
de
de
Guimar
zeodas n.i i ua da Imperatrlz n. 72,
& Irmo.
Saias bordadas.
Vendetnse as mais bonitas saias bordadas sef
do bastante largas e muito bem bordadas pelo fta-
-.
nos primeiros dias a erupcao aggravou-se,
porra antes de acabar o segundo frasco ti-"??. D* 1? 5 am"en! l0,Pavao' na rua
r, .____, j pera n/. d. 60, de Gama & Silva.
nh?. o mal desapparecido completamente de '
todo o corpo.
Do*:tor Don Jos Valdks Hkrrkra, PROFBb-
808 DB MEDICINA Y ClltrilJIA, SUBDELEGADO
EM AMBAS AS FACULTADES DEL SESTO DIS-
tricto.Habana.
Certifico que he usado la zarzaparril-
la, del Dr. Ayer, y como depurativo he ob-
tenido de ella los mas felices resultados en
les casos de ulcera crnica, asi mismo au-
or y las considero como um porgante, cuya
accin ademas de ser segura, ha sido muy
rentes, assim como cortes de cambraia com salp-! ratj8$imo prfCo de g^rjO e 7.
eos a 2*500 : islo s na Ioja e armazem do Pavao, Vestidos de larlataua muito fina sende Vaneas
na rua da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva. | com barrlS de cores bordadas de la e seda sendo
Cortes de phantasia a30500. 'os mais modernos qoe tem vindo ao mercado" e
Vendern se os mais lindos cortes de pbantasia vendem-se pelo barato preco de 9*, 9*500 e NH.
cora as mais lindas cores qce tem vindo ao merca- Manas de seda para hornero,
do, sends fazenda transparente que serve at para Vendem-se as mais lindas mantas de seda ptra
bailes, pelo barato preco de 3*500, ditos brancos nomem I(,ndo de todas as cores pe,0 baratissimo
fazenda muito fina a 4*000 : isto na Ioja e arma- dQ 100) li400e 1b0 ut0 na nova_Jo-
zem do Pavo, na rua da Imperatriz n. oO de ba- Ja de fazi.ndas Ba rua da iu,pmirz n.
ma & Silva. Guimaraes & Ira.5o.
( ambraias de forro. Colariubos da liuho para iKinieni.
Na Ioja do pavao. Vendern-se colarinhos d"; linho para
Vendem-se pecas de cambraias de forro muito sendo os mais moderuos melhores que ba no
boas, pelo barato preco de 2* e 2,3300 a peca : j mercado pelo baratissimo preco de 3*500 e 61 a
- da Im- duzia.
Chales de merino estampados a 2A\
Yendein se boratos chales de merino estampa-
NOVA LOJA
est
7.
>
hornera
ha, i
Cortes granadinos.
A 100000, na toja do pavo.
Vendem-se os mais ricos cortes granadinos, fa-
zenda de muita phantasia que serve at para bai-
les por serem transparentes e com palma de sedae
lecidos cora a seda, pelo baratissimo preco de 10*
cada um : islo s na Ioja e armazem do pavao, na
rua da Imperalriz n. 60, de Gama & Silva.
As eaimsinhas do Pavo.
Mendem-se as mais modernas camistnhas borda-
das com manguitos, para senhoras, sendo as mais
modernas que tem viudo ao mercado a 4*51)0, di-
tas com manguitos, para acabar, a i* ; ditas pre-
tas com manguitos para luto a 180
i Luna iuiu .v.-*. T.., IMllMIl-
eficaz en el iralamcnto de las enfermtdades i0S e gouhas prelas a l*, finissimas goliniias de
que exsigeu el OSe de lOS porgantes, y on cambraia branca bordada a 300 rs., calcinitas para
vacilo en recomendar estas preparaciones.
Y para los fines que puedan convenir doy
la presente en Re;la a 7 de setembro de
1860,
Dr. ios V. Bebreba.
Eserophula.
ATTESTADO DO ll-IM. SB, FRANCISCO t-KRKAZ
dos santos. Ouro Prvlo.
f Me acho ha quasi dous annos affectado
de escrfulas, e tendo soffrido tanto que al-
gumas vezes quasi que chego a desrnimar
da vida e maldi/er da minha infeliz soi te;
tenho sido tratado por muitos mediros d'es-
ta cidade, e nenlium pode vencer i tcnaci-
dade de minha molestia, eslava sem espe-
ranzas de recobrar a minha saude ; quando
altivamente resolv fazer uso da isalsa par-
rilha do Dr. Ayer. Completa n-se lioje
trinla e sele dias que comecei com este
santo remedio, e tantas melhoras tenho
sentido que tenho convicco de em breve
recobrar a niiiilia saude, perdida ha tanto
lempo.
ttyphtlis e molestias iiicrcui'iacs.
l)o Ii-i.m. Su. Dr. Jacksoi'.
Medico in/iito conhecido as provincias do
Stti do Brasil.
Tenho receitado a Salsa parrilha do
Dr. Ayer nos casos mais inveterados de
SyphiUs constitucional e sempre com os
mais felizes resultados; 6 o mclhoi alteran-.
te que conbeco.
l^euci'i*ha c flores brameas.
Temos cartas em que nos contam casos
inveterados que foram radicalmente curados
com um ou dous frascos d'esta Salsa par-,
ril/ia.
O espaco nao nos pcrmitle tr&iiscrever
todos os atleslados que possuimos Jas vir-
tudes d'esle extracto composto ae Salsa
parrilha do Dr. Ayer. Hasta declarar ao
publico que tem sido empregado ha mais
de \ inte annos pela proissio med a tanto
menina a 6i0 rs., rorneiras de li e cambraia
branca bordada a 1*600 : na Ioja do Pavao, rua
da Imperatrlz n. 60, de Gama & Silva.
Sniilhciiilii ques de cor.
Vendem-se southembarques de cor muito bem
enfeitados a 5*, 6 e 7*000 para acabar : na Ioja
e armazem do Pavo, rua da Imperalriz n. 60, de
Gama <\- Silva.
Oryandj modcniissimo.
Chegaram os mais modernos organdys com os
mais modernos padroes, sendo quasi todos letra-
dos, exilio se usam agora, com as mais lindas cores
3 fizas; vendendo-.>e pelo barato preco de 900 rs.
a vara : na Ioja do Pavo, rua da Imperalriz n. 60,
de Gama 6. Silva.
Chales de merino a 2000.
Vendem-se os mais modernos chales de merino
estampados a 2*000 rada um, havendo tambera um
grande sorumenio deis mesmos matizados que se
vendern a 6*, 7* e 8*000 : na Ioja e armazem do
Pavo, rua Ja Imperalriz n. 60, de Gama & Silva.
Os sinos do pavo.
Vendem-se rlquissimos sinlos de filas de diver-
sas cores e dourados com (vela larga e dourada,
as.-im como eufeites para cabera dos melhores e
mais modernos que tem vindo ao aereado tudo
hio se Vcude por um prego razoavel que muito
Ibes hao de agradar : islo s na Ioja e armazem
do pavo na rea da Imperalriz n.',60, de Gama &
As loallias de linho do Pavao.
Vendem-se r.uperiores toa has de linho das me-
lhores que tem vindo ao mercado pelo baratissimo
preco de 9*000 a dnzia, ou 800 rs. cada urna, na
Ioja e armazem do Pavo, na rua da Imperalriz n.
60, de Gama A Silva.
As saias do Puvo.
Vendem-se as mais linas saias bordadas asaga-
lha brancas sendo da raelhor fazenda que tem vin-
do inste peero, tendo mui a roda, pelo baratsi-
mo-preco de 10*000; ditas bordadas a croch a
6*1.00 e 8*0;i0, dias com babadiohos a 11*000, na
Ioja e armazem do Pavo, na rua da Imperalriz
60, de Gama \ Silva.
Xovos vestidos na luja do Pavo a 10#000.
Chegaram para Ioja do Pavo os mais ricos cor-
tes de vestidos de cambraia transparente com os
mais delicados bordados de difierentes cores a pon-
to de agullia, sendo D'esle genero a maior DOVida-
de que tem viudo ao mercado, garantindo-se o te-
rem muita fazenda e enfeites sufficientes para o
corpo e mancas, e vendem-se pelo barato prego de
10*0; 0 cada um, na Ioja do Pavao, na rua da lin-
dos pelo baratissimo preco de 2*, ditos lizvs de
todas as cores a 3*800 e 4, ditos finos sendo es-
tampados a 6*300, 7*, 7*3(0 e 8*.
Cambraias blancas.
Vendem-se peras de camnalas brancas a 3*,
3*300, 4*, 4*300 e 3*, ditas muito finas tendo
urna vara de largura a Ioja de fazendas ha rua da lmgeralnz n. 72, de
Guimaraes & Irmo.
Itiseados escoceezes.
Vendem-se os mals bonitos nseados escoceze
para vestidos de senhora e propros para roupas
de meninos a 260 e 280, chitas franrezas escuras
e claras a 240, 260, 280, 300 e 320, ditas percales
minio linas a 360, 400 e 440 o covado : isto s na
nova Ioja e armazem de fazendas na rua da Im-
peralriz n. 72, de Guimaraes & Irmo.
Camisas franiezos.
Vendern-se eamitas fraueezas a 1*300, 1*800,
2*, 2*500 e 3*, dilas cora peilo de cor a B e
2*300 : isto s na Ioja de Guimaraes O gallo canta e
q ue im indo m
Bom e hantissimo.
Hua do Crespo si.
Collares.
Collares anodinos ehctri magnticas Hoier para
as criancas nao morrerera de convulses pelo ba-
rato pn co de 4*.
Novidades.
Riquissimas pulseiras ou braceletes pa senho-
ra e para meninas a I*. I| e 3*, assim orno li-
das voltas para pescoco a 3*.
Enfeites.
Riquisstmos enfeites paita cabera cousa de mui-
to g)sto a 1*300, 2*. 3*, A*. 3*, 6* e 7*.
Pivefas.
Riquissimas fivelas de njiadreperola e de tarta-
ruga, afsim como prelas. i
Cruzes.
Riqu ssimas cruzes douradas porm o melhor
gosto que se pode desejar.l
Cascarr|lhas.
Bonitas cascarrilhas coni biquinhos de seda e
aljfar cousa iuteiramentei nova para enfeites de
vestidos.
Binculos.
Bonito sorlimento de binculos com superiores"
vidros para os amantes dej theatro.
Assim ctmo di a pequininos
que serve para enfeite de reltgio mais com excel-
lente vidro. _^
Seslinhas.
Riquissimas ceslinhas cikm prepares para me-
ninas de escola trazer no raco,
vidro enfeitadas proprias i
assim
ara mimo.
Ripnissimos penles de b
co de metal para menina c
barato preco de 500 rs., e
| grande sorliraento de toda
sembaragar.
Escov
Grande sortimento de e;
ra cabello, para unhas e pi
Lunetas e
brracha com aro bran-
egurar o cabello pelo
duzia *, asj-im como
E.U& (0 U6lHl(0 D. 8. Finissimos lunetos de urh e dous' extellentes vi
ras, feridas, chagas, Z^tit^tl 'X^&l^^uuthase linhas para^ochet
!S cutneas e lodo e SOrtiineiUo, na Ioja do Pavo, na rua da Imperalriz^ Vendem-se na rua do Queimado n. 8 Ioja da.
juer incomrr-ddo que n. 00, de Gama & Silva. agula branca, assim como aRUlhas para tranalhar-
das Ainericas como da Europa, sao nunca jperatrizn. 60, de Gama Silva,
desmentir a sua alta repulacao. 0s espar|iii10s do I'avo.
Para a cura radical de escrfulas e iffeCCOeS Vendemse nm grande e variado sortirnenlo de
escrofulos, sypbilis e molestias syphi- espariilhos os mais bemfeitos que tem vindo ao
liticas, ulceras,
erupces
qualq
provm d'um estado Veudem-se superiores meias cruas mglezas pelo
impuro de sangue, baratissimo preco de 4*t 00 e 3*000 a duzia, dilas
TOMEM A
MIAA IAECBGBI.IE V DK AVUR.
A' venda na rua Direila, ns. 12 ^0 e 76;
rua da Quitanda n. 51 ; piara da Consti-
tuicao, n. :10 e Hospicio, n. 40. E na-
principaes pharmacias e drogaras do im-
perio.
Vende-se em Pernambuco:
na
.i
A Ioja da aguia bianca acaba de receber um
novo e grande sortimento de difierentes objectos
de go.-io e ultima moda, sendo :
Bonitos enfeites para senhoras gostos inteira-
menle novo?.
Ditos ditos de grade com conlas grandes.
Lindas Qvutas grandes para cintos com moldes
agrailaveis e diversas qualidades, madreperola, i
tartaruga, ac e douradas.
Boas e bonitas lilas acharualoiadas para ditas.
Dites de dita de grosdeoap'es lisas e lavradas
com novos e agradaveis desenhos.
Trancas prea? de seda com vidrilhos moldes
novos e de gosto.
Bicos brancos e prets de seda com vidrilhos e
de difierentes larguras e lonitos desenhos.
Cascarrilhas de seda com diversas cores e lar-
guras, formas inteiramente novas a imitago de
palo, babadinho e outra com urna trausinha no
centro o que Ihes da milita graga.
utias estrei-as e largas guamecidas de Lie
de seda obra le muito gusto.
finirs de cambraia de cores.
Roldes de seda, velludo e ac para enfeites de
vestidos.
Ti angas de seda estrellas e largas brancas e de
cores para enfeites de vestidos.
Flores finas
CAPELLAS PARA MENINAS E NOIVaS.
A aguia branca a rua do Queiraado u. 8, rece-
ben para \>mrer :
De|MSaas capellas brancas para noivas.
as ditas para meninas.
Unas ditas de caixes de flor de laranja.
Ditas ditas de rusas camelias e outras.
Ditas ditas ou ramos de trigo.
Diversos ramos d flores linas para peilo de
vi sinlos, enleiles de chapeos etc., etc.
Preparas para flores.
Na rua do Qnelmado n. 8, Ioja da aguia bran-
ca vende-se :
Papel de cores para rosas.
assim
para
nlias.
de i.'i de linho,
dros e aro de bfalo e de tartaruga,
oculos com rame dos lados proprio
sollre dos oculos.
Touqu
Riquissimas tonquinhas
da e de la para criangas.
Pura o c bello.
A superior agua para
barbas brancas e fazer
acompanha um rotulo qut|
se deve applicar.
Para c
Superior banha sem g<
com agua propria para lu
como de
rio do grande armazem de
as qualidades de fazendas
mazem, que vender Irinta
era outra paite, alim de
char coritas, por isso pede
aprovmar a occasiao, a sa
Laziuhas chine/a
Vende-se la?iui>as liuas
Dilo verde para follia
Dito dito e [ardo para cobrir os talos das ditas, da, sendo fazenda de g(si
Musgo em rama. de 560 o covado.
Folhas para rosas. Saias hi
de todas as qualidades para senhora, meninos e
meninas, na Ioja do Pavo, na rua da Imperalriz
n. 60, de Gama & Silva.
HARMACIE FRANQAISE
deP.MAURER&C'.e
RUA NOVA N 19
ai mazem de tazendas
ecliiii
cha
a 380 rs. na Ioja do Pavo.
Laziuhas a 320
Laziuhas a 32o
Laziuhas a 320.
Vende-se um graude sortimento das mais finas
e mais bonitas laziuhas matizaras com os mais
lindos desenhos, sendo fazenda que val cinco tus-
tes, e vende-se pelo baratissimo preco de urna
pataca o covado por ser urna grande porgao desla
linda fazenda : na Ioja do Pavo, na rua da Impe-
ran iz n. 60, de Gama & Silva.
baratas de Santos Coelko i+^i"*!*-? s ** "nde a 32
Hua do Qnciiuado n. It.
Vende-se c segrale :
Coberlas de chita lina a 2800.
Dilas de dita a SJ00.
Lengoes de panno de linho a 220O.
Ditos de dito de linho a .
Ditos de bramante de linho de um so panno
3$ iOO.
Panno de linho fino com 9 1|2 palmes de largu-
ra pelo barato prego de 2JM0O a vara.
Dramante de linho fino com 10 palmos de lar-
gura a -'ij.M u a vara.
Pegas de cambraia com salpicos brancos e de
coi es com 8 1|2 varas a 4J50O.
Pegas de cambraia adamascada propria para
cortinado de cama com 20 vara: a 115
Balees da arcos a 2300,3, 3o00 e 4.
Lengos de cambraia fina a 2$60O a duzia.
Ditos de dita a ib a duzia.
Alhoalhado de linho fino a 2800 a vara,
Dito de algooao a 2 a vara.
Algodo eofestado com 7 1|2 palmos de largura
a I 200 a vara.
Pegas de breanha de rolo com 10 varas propria
para sa,a a 3300.
Fil de l'nno lisn finos 800 is. a vara.
Dito de dito com salpicos a 1,5 a vara.
Cambraia de liuho fina a 'i50, 6500 e 9.a
vara.
Cortes de lazinha de lindos gostos com lo co-
v: dos a l>.
Pegas de madapolao finissirao pelo baratissimo
prego de 8, 9,8,10,5 e 11*.
Flanella branca fina a 600 rs. o covado.
Dita de cores fina a 880 rs. o covado.
Baloes de musselina para menina a 3, 3*300
elf
Cambraia de forro a 3 a pega.
Dita fina a 4*300,6* e 7 a pega.
Guardanapos de linho a :t*800 a dnzia.
Toalbas de algodo felpudas duzia a 12*.
Esteira da India propria para forro de sala de
4,5 e 6 palmos de largura per menos prego do
que em outra qoalquer parte.
Neste armazem tambern se encontra nm grande
soiiimeniode roupa feila e por medida.
e 100 rs.
hegaram pelo ultimo vapor as mais bonitas
Isajzinhas garibaldmas com (ios de seda, sendo to-
do; os padroes miudinhos com as mais lindas co-
res a imilago das sedas de quadrrahos, e acabam-
se ielo barato prego de um cruzado o covado, isto
p'chincha : na foja do Pavo, rua da Imperalriz
n. (0, de Gama & Silva.
Vestidos a 4
A endem-se corles de vestidos a Mara Pa om
bar as bordadas, pelo baratissimo prego de 4*000
par i acabar : na Ioja e armazem do Pavo, rua da
Imieratriz n. 60, de Gama & Silva.
Laziuhas a ICO rs,
Vendem-se superiores laazinhas transparentes
con bouitos padroes, sendo lisas e dequadros, pelo
bar; tissimo prego de 160 rs. o covado. isto para
ac lar : na Ioja do Pavo, rua da Imperatriz n. 60,
de Cama & Silva.
llanguitos e golas a OO rs.
\ endem-se manguitos com golas de cambraia
pelt baratissimo prego de 300 rs., isto para li-
quii ar : na Ioja do Pavo, rua da Imperalriz n.
60, fae Gama & Silva.
Cortes de cbita do Pavo
Vendem-se cortes de chita franceza muilo boa
conji 10 co vades a 2*400, ditos com II covados a
*f00, ditos com 12 covados a 2*800, isto so
pai a acabar : na Ioja do Pavo, rua da Imperatriz
n. )0, de Gama & Silva.
Agasalhos para caliera de senhoras.
'endem-se superiores agasalhos para cahega de
sei hora on cachras, sendo fazenda mais moderna
qc;
ra
tem vindo neste genero ao mercado, pelo ba-
issimo prego de 3* cada um : na Ioja e arma-
ze n dr^avo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama
Cales de renda a 10,5,120, 50, 200 e 28*. na
Ioja do Pavao.
Vendem-se chales de renda preta muilo finos a
11 e 12*, ditos de linho a 15*, ditos de seda de
iho dos melhores qne ha em chales de renda a
I e 23*, ditos brancos de tres ponas a 69, isto
si i na Ioja e armazem do Pavo, rua da Imperatriz
a 60, de Gama & Silva.
^e emla.
Papel de sobrecellente para os
phosphoros hygienieos ou e
segur anca.
A vista do grande tamanho das caizinhas dos
phosjihoros hygienieos ou de seguranga, tornava-se
pouco o papel que vem em dilas caixinhas, e para
remediar essa falta a aguia brauca mandou vir e :
acaba de receber esse especial papel, o qual so
dar de sobrecellente a quem comprar de taes
phosphoros e se vender indislinctamenie a quera
delle precisar. O prego de cada caixinha de phos-
phoro continua a ser 100 rs., e vendem-se na rua
do Queiraado u. 8, Ioja da aguia branca.
Seda froncha para bordar.
Vende-se na rua do Queiraado loia da aguia
branca n. 8.
Obras de crystal.
Brincos de diversos moldes.
Outros tambera de crystal de cores.
Outros de aljofares braocos e outras cores.
Aderegos de crystal obra de gosto.
Rosetas de dito e cruzes.
Bolo.'s de dilo, bramos e de cores para collete.
Dito de dito tambern brancos e de cores para
pannos.
Volias de dito e outras qualidades.
I.eques de dicersas quididades
Veudem-se na rua do Queimado n. 8, Ioja
aguia branca.
Aspas forte para balay
Vendemse na rua do Queimado Ioja da
branca n. 8.
Car retis com retroz
Na rua no Queimado n.8, Ioja da aguia branca.
Cromacome para Ungir ca
bellos.
A aguia branca avisa aos constantes freguezes
desa excelleote tintura, que ella acaba de rece-
ber urna nova remessa de cromacome, coloricome
e -alio luaiico, necessano para lavar os cabellos,
porianto poden) dirigir-se a dita Ioja na rua do
Queimado n. 8.
Abridores de luvas.
Vendem-se na rua do Lneimado Ioja da aguia
branca n. 8.
Perl b(ioi|Dets
de bonitos moldes, dourados e rabo de madrepero-
la : arham-se a venda na rua ao Queimado Ioja
da aguia branca n. 8.
Bonitas loiiquinlias
de fil de linho, cambraia e selim todas mu bem
enfeitadas: vendem-se na rua do Queimado n. 8,
I- ja da ajina branca.
ENCICLOPDICA
StZ Ruada Imperatriz armazem
da porta larga &$.
Junto a padarla fradeeza de
Paredes Porto.
Nesle eslabelecimento encontrara o respeilavel
publico um ariado sortirnenlo de fazendas franre-
zas, inglezas, salseas e alien,aes, que se venderSo
por prego commodo.
Pa-riles Parte
Vende chales de renda de cores que se vende-
rn) a 18j est vender-do por i*, ditos pelos, fa-
zenda nova, 3-5,(i5. 8* a 205, um sortirnenlo rnm-
pleto de manteletes, capas e soulimbarques 14* a
i5*. Hua da Imjieratnz 11 42, junio a padarla fran-
ceza, armazem da pona larga.
Paredes Porto
Recebeu um rompiera sortimento de lasinhas a
240, e 280 rs. covados, para acbar, cambraias de
cor a 240 rs. o covado, ciscado esrossez para rou-,
Da de menino, fnstSo de linho a 420, 400 e 300 rs.
Hua da Imperalriz 11. 52 juulo a padaria franceza.
armazem da porta larga.
Paredes Pecio
Receijeu para cortinados para cama franceza a
II* a peca cambraia lisa fina a 3* 4* at 10* a .
pega, cortes de larlalanade bonitosgi slos a 3*800
s 4*, cambraia com flor de seda, gosios ioteira]
mente 'ovos a 100 e 300 rs. o invado, no armazem
da [orla larga 11. 3, rua da Imperalriz junio a pa-
llarla franceza.
Paredes Porto
Receben celo ultimo paquete um sortimento de |
cruzes com pedraspara opesengo, benitos raimisj
de la para pescoco de senhora. Rua da Imperatriz
n. 52, armazem da noria larga.
Paredes Pudo
Vende corles degorgoran preto para-vestido rom
21 covados rada um II3*000, grsdrnaple prelo a
1*600, 1*800 e2* 0 covado, las lizas finas a 400
rs. o covado, las de quadriubn para vestido, entes-
tada, a 320 rs. o covado. Hua da Imperalriz n. i,
armazem da poita laigd.
Paredes Pnrlo
Tem para vender por prego commodo, peras de
esguio de linho com 10 varas a 73, 8*, panno de
linho para lengoes a 640 e 700 rs. a vara, braman-
te de linho de '4 larguras a 2-3200 e 2*500 a vara.
Paredes Porto
Vende cocles de cambraia bordada* de ricos
gostos a 10* e 12*, rices vestuarios para menina
e menino, ricos corles de cambraia Maria Pia i
10* e 20*, tarlatana branca e de rr a 640 e 720
Peritas. rs. a vara. Rua da Imperarla armazem da porta
larga n. 52.
Itoupa feita
Rua da Imperan i>-. n. 82 armazem da porta lar-
as qualidades para de- ga jUDt0 a padaria franceza, encontra se neste es-
tabelecimento um compiti sortirnenlo de paletos-
3S. saceos e sobrecasacos, de todas as qualidades, cal-.
covas Dura roupa e pa- cas, colletes, eeroolas, canosas, grvalas, meias,
ra denles. chapeos de sol, ditos trnceles para cabera, por
OculOS, pregos commtdos, roupa para menino e outras
muilas fazendas por pregos commudos, armazem
da porta larga.
No mesmoe-labelerimento encontrar o respei-
lavel publico, sempre um completo tortiinento de
roupas fritas de todas as qualidades, como sejam
paletos de alpaca preta e de cor, ditos sobrecasa-
cos a -1* e 53, ditos de briro pari a 25800. 3* e
3*500, ditos linos a 4*, ditos meias caromjra a
3*500, 4* e 55. ditos, ca/.einira secos a 6*, 7*. 8*
e 103, ditos sobrecasacos a 10 e 12*, ditos de pan-
no saceos a 63, 83 1* W5, olios -''''' ''asaros a 12*
e 23*, ditos de. merino prelo a 6*, 73 e 10*, ral-
cas de bnm de diversas qualidades a 13800 a 43.
ditos brancos a 23300 e 6300, ditos cazemira fj*,
6* e 73, ditos pn los a 53, 6*. 8* e 10*, ditos
mtias cazemiras a 35 e 45, coletes de diversas
qualidades, semillas franrezas de algodo, ditas de
romo agua balsmica, nono, dilas de bramante a 2* e 2*5M, carnizas de
algodo de linho trncelas de 2*500 e 3*. Gran-
de pe-hincha oeste geuero, grvalas de todas as
libas em ropo em la- qualidades e brancas para casamento, grande sor
toilo os lmannos por timento de meias para senhoras, ditas para hemens
utra garle, assim como a 3*, superiores a 3*500 e 45- .
nao se pode mencionar Um completo sortimento da chapeos de so de
alpaca a 3*, ditos de seda a o*, '* P 5 e I4#,
ditos francezes para cab ga, grande sorlinieulo
a C*.
I'ccliiiiclia a'niiravcl.
Grande sortimento de chambres a ?*600 e 5r,
lenges de cambraia para hornero a 25 I 'juzia, di-
tos de linho a 4* c o*.
Graude soi tmenlo de roupa para meninos e 1 u-
tcas muilas qualidades que seria eofadonho ra.n-
cona-las.
. Fazendas.
Vende-se superior merino preto proprio para ra-
pas de senhora e vestidos a 25. Iiisiriui da China
a 1*800 o covado. Rua da Imperatriz, p- ra larga.
Paredes Porto.
Vende em seu estabeh cimento tiras e enlremeios
bordados, grande soi timento de corplnbos rica-
mente bordados a 3*, 45 o 5*. S o Paredes Por-
to, rua da Imperalriz nr. 52 : porta larga junto a
padaiia franceza.
Paredes Porto
Recebeu pelo ultimo paquete francez ricas las
granadinas com flores de seda a 100 e 800 rt. o
covado. esto acabando-se, cambraia preta para
luto. Porta larga junto a padaria franceza, a rua
da Imperalriz n. 52.
Paredes Porto
Vende um completo sortimento de fazendas
brancas, como sejam madarolo a 4*500, 5*, 6* e
10, pecas de algodo por barato prego, chita fran
liquidadlo final.
Na Ioja da rua da Imperalriz a. 70, a
guus dos objectos ja aniiKiidos -, \ .
gurates para acabar.
Eslampas grandes e linas a 100 rs.
Ditas rneas a 210 rs.
Unas pequeas a 100 rs.
Hetroz prelo e de cores 1 Lom aaMe
80 rs.
Ailioeies caria a 40 e 80 r -.
(Adeles rarloe?. diuia a ,, rs.
Dos un caixinhas de mu. .. 0 rs.
CreSes, maaso ce \> Uta o remo 2*100r.
Ala-iuailuras liua- para patato II
Ki.liudorcs com fn ;:eir...- para e.-.
Papel de edr folha- graa* o r k 1 m r-.
Use ivas finas paia raacfts a 9W r-.
Dil.-.s a 3UO 1.-.
Ditas para loupa e chap., a 610 1-.
Dilas minio liuas 80 rs.
ltos.11 os pretor, una a SU r-.
Gontas pretas o masso a 40 r.-.
Phusfoius ile seanraaca, caita ai :' 3 IM 1
llonioes para viola a duzia 2M' r-.
Meias brancas para BWina a mn 2*mi
Ditas prelas para Matan o par 1 2-'' :~.
Hilas prelat para lltlfl a I-'-
PlM de seda !i. 1 1/2 a | -; 1 a |N r .
lilla de se. a 11. 2 a pi (I I '
Dita ite seda n. 4 a pee-i a 300 r.-.
Hila de sida U.6 a p*ea WO r-
lina escosseta de ilgotfi ia ara <.
lina t.-iossi-za de alg \i Vi
Dita de retrox a peca a 180 i-
llita lavradan. 12 a vara a 310 i*.
hila laviaila n. (> a vara a 20) rs
Dita ari.jin-alolada n. i a vana -.
Hila de salja pula n. 6 a pega .. i
Hila .i sarja i reta n. i a paja ; '
Dits de sarja pifia n. i a peca i
Da ile sarja da lina n. o :i I
ButOes prclts de Ivoca ara ral wa
80 rs.
\.:y ie vi rde lino o pa< 1001 -.
Dito i'.- diversas cores en.
lia a Mi r.-.
IWnda de Dio > vara > -' rs.
Can< liilio a caita a 640 r-
Sapatinhis de la,, para tiiaaea
rrulos de r.ingalha finos o par.-, I:
Uitus de aimaco de melal a
Ditos de armagau de aro a 400 r.-.
Troco de rOres em boa esta*- .i
.N:.valli:s paia I ai. a I HO rs.
;;. .,! El
como
quem
dese-
ttingir os cabellos, as
ionseiva-los, os frascos
ensina a forma como
ipa.
rdura com um frasco
par a cabega, os frascos
acompanha um folhetoqu; ensina o modo como
se dev applicar, assim
opia' [101 para limpardi(nles.
Bant
'.i ande sortirnenlo de b
a de folha e em frascos
pregos menos do que em i
muitos oalBobjectosqrj
por hoje : s no gallo vig
mero 7.
laule rua do Crespo nu-
0
liquida^
Lourengo Pereira Mende
paratriz n. 56, Ioja e armaiem da Arara, proprieta-
ten) resolvido fazer urna n iva liquidago de todas
geraL
Gaimaries, rua da Im-
fazendas e roupas feilas,
que existen) no seu ar
por eento menos do que
apurar dinheiro e fe-
bo respeilavel publico de
II c.
de quailriuhos
a 200 e 220 o covado,
de palma
a Imperan
dila com palmas a 320 e 310, cassas de ninasocOr
i a 320 e 360 o covado, dila
360 e 400 o covado: rua <
des Guimaraes.
Fazendas i
Vende-se as mais inodei
a 280 320,
izn. 56,Meu-
i lulas
is pelo bacato prego
Vende-se saias borbad
6*500 e 73, ticas bordadals
1* cada tira.
liicos corles lira ticos bordados
Recebeu-se bonitos corles
de la e seda, que se veuie a 8*, 9* e 1
corte.
Chales de
A pechlucha esta se ac
a 2*.
Kiscados
Vende-se riscados esco
vado : so Arara.
Percala!*
Vende-se percales rnuil
merino
^ando, chales de mecin
bom gosto, e tendo de bonitos desenhos com listras
a palmas solas, sendo fazt
e ijusiii
Das bareges de la e se-
pelo baratissimo prero
de
eutremeios 800 e
rscocezes
ezes, a 240
e 260 o co-
bordados e de cores,
* cada
i cez' 240, 280/320. 360 rs. o covado, precalias
muiti) linas a 360, 400 rs. o covado, chita ingleza
a 200e 240 rs. o covado. Roa di Imperatriz n.
52, junto a padaria franceza.
Paredes Porto
Vende gangas de rfir propria para roupa de me-
,ninosa 320 rs. o covado, riseado francez floo a
iuas 1320 rs. o covado. Rua da Imperatriz n. 52, junto
-os-! Recebeu pelo ultimo paquete espactilhos a pre-
covado, chitas escuras guigoso por 35, sao bons, lengos de seda para se-
320 e 360 o covado, bre- nhora e hornera a l, ricos coi tes de cambraia
curas, a I* a vara, leo- bordados de 18S a 73, por ler um toque de mofo,
23400,2* e 3* a ouzia, tao se acabando, na rua da Imperalriz n. o2, jira-
e 600 c'ada um : Mendes 'o a padaria franceza.
de algodo
algodo, a 800 e 1*500
Ide la, a 53: rua da 1 o-
da
lo, se vende a 460 e 500 i
e claras, a 200, 240, 280,
tanha de, liuho de duas la
gos de cambraia beanco,;
ditos de linho, a 440, 5u0
Guimaces.
Coberlores
Vende-se coberlores de
| cada um, ditos escarales
peratriz n. 56.
Camisas fraileras
Vende-se camisas francesas a 1*600 e 1*800,
pregas largas a 2*. *240 e 2*50., liuas a 2*800
e 3*, brim de linho de cores, se vende a 1280 e
l*a vara, cortes de brim de cor, a 1*280, 1*400. escravos, vapores, machinas,
1*600,1*800 e 2*, de brim pardo a 640, 700 e 800 os tamanhos com seus perlences, etc., etc. : quera
rs. a vara. I pretender dirija se a' rua da Cadeia do Recif- n. 4,
Uiuipas feita armazem do Sr. Antonio Valenlim da Silva Barro
Grande sorlimenlo de; roupas feiUt, caigas de | ca, ou a' rua Nova n. 33, Ioja de erragens.
brim branco a 2*, de linho a 3*200 e 3*500 cada
urna camisa 3* e 3*500. finas a 6* e 7*500, pali
Oti!E'<>* ohicvt
Viudos tanil em pira a .-
miudozns rua do 'Jl;*-::..
Sapatinbos liecliB oa: o
ra baptizados.
Outros de m'.-'::. taiti i
igualmente booil *
Meias i!e seiia. coireaj omiei
nlio dos sa)'linl:;
Outras mui linas !e le 4
brancas listrada.
! uvas tinas de :;i-
de cores.
bita? de seda pera senhoras.
Ligas de dita pa*a seobor -
Pentes de larliruga m forl i -
embarazar.
Carriteia com retroi p""!'e' utr
Carteiras con aj u(l as.
Agu'has fratu'; /.. -. afaajaa
Caixinbaseom aHb .: brat i -
Haspas de bal :ia para vestiii-
!-'it;!.- de linbo c ;:ia- para
t'.aixas com lini' s ?e n"\-
para crochets.
Tranceln! de i inaefea pr^-1
BouUus flvrS!t Rrwadc
osirada. rii?rrpei '.: r t*
(arags.
A Ioja de miiidt/ ta rea H
n. l'i, recebeu oaa bonito :
flvellas grandes pan emtM, wi
douradas, madrepe o ; i lartai i
i-sla j sendo vencidas ead'th kt
cus rommodo? ; jssb (
lilas de irgoi oac! n ai I
ra ditas fivcll .
Otflcs A' Ioja de miudezas .i rua di^ Q
o. iti. tambero n :' i
com vidroa claros e escoro, para i
Irreda vista, assirqromoootrofl
'dear, sonidos era gr -.
Coroaf) e lereo (Je tmrmal
A antiga kja de ntodeza a* roa
Qneimadc n 16, n ebi n oi I i '
roas e tercis dec irriahna. <-
a disposiclo dos bom ebnstS i
zerero comprar em dila Ioja :
Queimado ti. 16.
B;.spojai fous grandes e pe-,
quena.
Vende-se na rua do QmsbsA
miodezasD. 16.
Diversos oit|cetos.
A antiga Ioja de Duodena ;i roa Q
mado n. I(i, acaba de receber <
versos objectos que l'a/L-m con i
bello sortimento, senil":
1-" las linas de sarja da :;:
ba at a mais larga, toda* de \i\a.> t
veis croi.
dem tambern de sarj.; i. '.ra
e novos desenlies
dem idem brancas, bom hwrad,
droes iroalmente n w s e dm i.
dem de porgurac de seda
'9H
Spro'citem a occasiao.
Vende-se a fabrica de caldeiraria (inclusive on
exclusive os escravos cora olb-ina de caldeireiro,
raoldador, ferreiro, latoeiro, ele), sita na rua Im-
perial n. 155 a 158, de Sebasliao Jos da Silva, por
ter fallecido seu digno administrador o Sr. Frao-
cisco Belrniro da Costa, e seu proprietarra se adiar
doenle. Tambern se faz. negocio separado com os
alambiques de todos
aguia tois de bnm a 2*. 2*500, 2*800 e 3* de, casemira j
3*500, 4*. 3*. 6*, 7, 8, 8*300 e 10*. sobreca- i
sacos a 12*, 14* e 16, prilos e de cores, calcas de
brim e de. cor*s, a l*28p, 1*440, 15600, 1*800,
2*, 2*500 e 3*; s Loureuco Pereira Mendes Gui-
maraes, rua da (mperatrli n. 56.
Arara u. o6. Jleuds Guimaraes.
GK4XA KM
Vende-se graixa en) hexigas de superior quali-
dade, largo da Assembla armazem de assucar.
VI
m
No armazem de Mills Latham v 0., na rua da
Cruz n. 38, vendem->e os seguintes ohjectos
Manleiga ragleza.
Cerveja branca e preta.
Loaos.
Biscoutos inglezes.
Oleo de linliaca.
Folha de flaudief.
Saceos feilos.
Sillides.
mm
Vende-se cevada de Lisboa, nova : na rna do
Amor ira n. 3, armazem de Joo Macedo do Amaral.

I
encao.

Vende-se una grande casa
S. Benlo, em Olinda, n. 43, com 4 quartos,
iiuintal, com fructeiras, edificada em chao proprio
e em ponto alto ; *-tem assim alugase urna outra,
com raoiios commodos, us rua d.^ Borafim, pro,
xima ao banho salgado, eacha-se convenientemen-
te aceiada e propria parase passar a fesla : a tra-
tar no sitio da Floresta, em Olinda, ou no Recife-
rua DireiUn. 117.
ierren na rua de B Vendem-se de 13 a 20 rasaes de pombos de
bom qualidade por muim barifto prec> comprando-se
todos: na rua da Aurora n. 54, taberna jnnto a
captlla ingleza.
Fanha
a 3#5
Vende-se farinha de mandioca, saceos graudes :
no armazem dos Srs. Tasso Irmos, na ponte nova'
pelo preco cima mencionados.
Luvas de Jouviu.
A ioja de miudezas na rua do Queima-
do n. IG, resebeu-as por este ultimo vapor,
Siolos de madreperla
A Ioja da Aurora, na rua larpa do Rosario n.
38, receben ripnissimos sinlos com fivelas de ma-
drep-rola lavradas, obra demoim c >m >, dilos cora
fivelas de agarra, dooradas, Un' mo-
dernas, riquissimas mai.tas de seu.. ; uiiu u-.->
cores e bordadas para homem, das uiuis modernas
que lera chegado a esta praca, enfeites modernos
muilo propros para casameoto, rosas com lagos
enfeitados para apregar nos hombros de ,(uali|uer
senhora : ludo islo ua Ioja da Aurora, na rua lar-
ga do Rosario n. 38.
Rap independencia
A Ioja da Aurora, na rua larga do Rosario n.
38, recebeu rap independencia brasileira, chega
do do Rio de Janeiro, o qual muito aprecia vel
por algumas pessoas que tem usado desie rap.
Colla da Babia superior
Tem para vender Antonio Luiz de Azevedo &
C, no seo escriptorto rua da Cruz n. i.
fiad
pra
citii
e minio encori
grandes.
dem de si-da preta i de on pa-
ra delirtiar validos. Miases, pait, ete.
dem de 19a igualmente K rtklaja .
e para os Desoos iris.
dem de alendan brancas divcr-.i-
tras cores para sestida de dota.
dem de borracha raticas e
soulcni! aiijii. s vcsliiios prdi.-.
Novas e indas enarmones para rnfeitar
soutembarqnes, vestidos prett-s. n>;mfe'ete*
etc., obras do muito gostn pp dern!>-io>.-
Tranca de se Ja com vidrilhos. molde *-
vos e mm bonilos.
dem idem de cores tambern de boasB
moldes e agradaveis cores.
Botoes para os mesmos lins. sevido pre-
ts de seda maiores e menores, enff.u!- *
com vidrilhos e pendentes e cidros tle di-
versas cores.
dem pretos de velludo tambern de sori-
dos tamanhos.
Leles de dous videos can aro de at. aafat-
e tarlarafa.
A Ioja de miudezas, rua ilo Qoeimadc
n. 16. recebeu um bello snrtimeafn '
netos e oculos de vidros com arraaajao fa ac, bfalo e tartaruga, e < < et veadfwfc
;.or precos razoiveis : os ii> r : trtes tarr>-
im-se a esta Itj.i ua rna do nneiuiwb- r Ti.
CWLZKS E FIVEUN
Clieparam a' Ioja de minaexas a. .>0 A
da Cadeia do Recife ricas rrnres i!
bem coi o fivelas de tartaruna *oajojia ojaa*
dades, as quaes se venden; por aos ; m
qualquer oura parte; ha linitem \m eaUV'
sorlimenlo de miudezas.
Vende-se a fabrica de cbarnto a rt*rr
da roa do Aragao n. 32, be afrefezaola : a epa-
tar na roa do Coelhos ^_
Vende-se urna mobilia ti-
na rua estreifa do Rosario a. 17. '- aodar.


Diarlo de Pemambueo Sabbado 18 de Xoveuibro le *83>

N. ll--Kua do QueimadoN. 11
A' casa de Augusto Porto chegaram pelo vapor francez ricos cortes de
vestidos de seda de cores dos mais bellos gostos, proptios para bailes,
partidas ou casamenlos. \
Cicles de Guipure pretos e brancos.
Honets de palha da Italia para senioras.
Moir branco e preto.
Bonita seda para vestidos,
^ Casemiras de quadros.
<*?> Epeiras da India para salas.
.iladapoloes francezes a 400 e 500 m a vara,
Laas para vestidos de diversas quajidades, e
y gostos diffreentes,
%,; Q que tu lo se vende pelos mais commodos precos.
CORTES OE SEDA
Checaram pelo paquete ingles riquissimos cortes de moreaatiqae de cor s, e seda lavrada pa-
irees inteiramente novos.
Seda de quadros por 1$000 o colado
" Di CRESPO-V
do Amaral Coiupanhla.
h
AO RESPEITAVEL PUBLICO
A tabella abaixo publicada serve de base de precos,
tonto deste armazeni como do armazem progressivo pa-
teo do Carino n. 9, principal armazem ra do Impera-
dor n. 40.
pin mmm
Receberam Gregorio Paes do Amaral A C. mais um completo sorlimeolo de
- FIL i'MEIO
Manufacturado em Challes
Points
Algeriennes.
Rotondas.
Africaines.
A nn a mi tes.
Pomp^doan, etc, etc.
Desde !0OO0 a 8O0 CHAPEOS A KXPOSIf A<1
om.i u ? m0(?110 ,1e chapeos ingleza deliuissim palffa para seohora cea ama
ampia banda de tife de cores.
L CAWAM
ae iaa prela e de cores proprias para luto, ou passeio pe'o diminutissimo preco de IO#.
Seda matisadi em pecas
padrees modernissimos iue faz o effeilo de um vestido de subido prero. Assim cea:
I-mS- moireantique brancos, ie cores, de gorguro lavrado de Blood para ca-
Magnificas grinaldas e mantas.
Colchas de seda portugoezas.
Cortinados para cama e janellas.
... Camisas bordadas,
e outros muitos objectospara novado.
CORTKS E TARXtTAtfA
com enfeites de cores da mesma azenda, o que lia de mais moderno.
CACHENEZ
de muitos bonitos padroes e feitios differentes.
E outras muitas fazendas por precos commodos que venden
Gregorio Paes do Amaral & Companhia.
5 RA DO CRESPO 5


Para vestidos de seniora.
Curies de seda de cor de bom gosto e superior quadade.
Lindas sedas de quadrinhos.
Bons moireanliques de cores.
(irosden^ples d.) todas as cores.
Lindos poil d chevre fazenda asselinada de inteira nnidade.
Lindas dnrpiezas assetinadas fazenda inteiramente nova.
.Mofemos Grande variedade de laas de cores li^as e de salpicos.
Or Percalias modernas com grande variedade.
Julos irles de laa Clotilde com todos os pertenec; cada um em seu car-
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidade aos sennores de en-
henaos, iavradures e mais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
Deraram os propnetarios dos tres grandes armazens, reunir todos os seus estabeleci-
tnentos em um so annuncio, pelo qual o preto de um ser de todos, promette-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publiclo, atmuuciar os geoeros
por um preco, e na occasiao da compra quererem por nutro, como socede constante-
mente em outras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar isto
g I anda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
serao lam em servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas fexadas; para evitar qualquer engaos, remettendo nos urna conta
(jeta qual se vera os precos tal qual annunciarmos, o que seno arrepender pessoa
aiguma que Bzer sua despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
o por cento na sua despeza diaria.
.:-
I5n intein mente novos.
B uiscirtes deca c|fazer.i!as de gosto quesera enf.donlio mencionar.
i.
i
Para hom>>r Grande viriedade de chales, boornonx, retondes e algeriennes de fil
-. guipare a 10. IG, 20, 30, 40, 00 at 80^.
e de
Modernossoutembarqoes de seda de superior qtnlidade.
I. nd is bea tes de seda de cor pretos e de cachemira.
...... -
Lmdos
dem de cambraia brinca b rd da com muito gosto.
Saotembarques o bounnux de cac'iimira de cor e outros muitos arligos de.
bom gosto.
Para cahera de senliora
Superiores cbapetinas ^e palha. de seda e de crina de muito bom gosto a
.- p ratriz.
i i Chapeos de pdha da Italia grande \ariedade.
Lindos gorros e honets de palha de Italia, Iinperatriz, Canulier, Clotilde
a Orante, chegadns de Paris pe"o ultimo vapor. <
i,- Grande variedade de enfeites defroco e de flores para casamento. s
s iperiores v^stilos de blon le, e de m lireantique brancos.
Bons moireantiqoes brancos e s iperiores sedas braocas. '
Bnns vestido^ (I! tarlatana branco bordillos.
Lindas mantas de bhnde e boas capelia.
Bordados.
Grande variedade de ntremelos bordados transparente e tapados.
j'i as bordadas* transparentes e tapadas, babados bordados, saias bordadas e1
outros muitos arligos.
l#OJ % 1.1 H C^IjfT.H^AS
)- iKTToNl'i OllHUlA l)E VAS ONCELLOS & C.
Rll DO CRESPO m. 13


Manteiga i igleza perfeitamente flor che-
gada ltimamente de l.oooa I.loo rs. a li-
bra, e em barril ter abatimento.
Manteiga franceza da safra nova a 86o rs.
a libra e em barril ter abatimento.
BANHA
Banha refinada superior a 64o rs. e em
barril ter abatimento.
CHA
Cha uxim de priineira e superior quada-
de a 2,8oo rs.
dem byssen o melhor neste genero a
2,6oo rs., e sendo em porcao ter abatimen-1
to, tambem ha proprio para^iegocio de a I
Serveja
Superior serveja Bass dos melhores fa-
bricantes, como sejam: Shlers & Bell. T. F.
Ashe a 7,5oo e 7,ooo rs. a ouzia e a 7oors.
garrafa. Tambem ha de outras marcas
como seja: Victoria e Alcope a 5,ooo rs. a du-
zia e a 5oo rs. a garrafa.
Vinagre
Superior vinagre de Lisboa a 2,ooo rs. a
caada e 280 rs. a garmfa. Tambem ha
mais baixo para 2oo rs. a garrafa e l,4oors.
a caada.
Azeite doce
Superiorazeite doce de Lisboa a Gio rs. a
2,4oo rs. a libra. garrafa e a 5,ooo rs. a caada.
dem preto superior de I,8oo a 2,5oo rs.' Massas
a libra. Macarrao e talaerim a 3G0 rs. a libra e a
Riscoiitos 15,ooo rs. a caixa.
Latas com superior biscouto inglez de di- j Passas
versas marcas a I 2oors.alata. Superiores passas a'.3,ooo o quarto e
i ^ ,. ,*>,;,e',lnl8 I2,ooo rs. a caixa de arroba hespanhoia e a
Latas com holachinhis da acreditada fa-;5oo rs. a libra,
brica do beato Antonio, proprias para dar a i
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata.
dem com quatro libras de bolachinha de
O
o
.

^fgkxflga. osa-
'&*h
Loja da boa f na ra da
Imperatri n. 74.
a 25500.
IQSRn
pai
V ii i-m >e au enfrites pira eabeea
al prel para alisar a 210.
I1 Un eom rbapa re metal hranco a 500.
1 ivas finas para del8a lO, 2i't e 500.
< i iras linas pira eostara a 300, 500 e i&
Muas iinii i (na- pira seh ra a
soda a 2,ooo rs a lata.
Queijos
Queijos flamengos chegados no ultimo
GEYEBRA
Genebra de laranja verdadeira a Io,5oo a
duzia e t.ooo rs. ao frasco.
Genebra de dolanla verdadeira a 6,ooo
rs. afiasqueira e a 56o rs. o frasco.
Idom de Hollanda em botijas a ioo rs. ca-
si A 00 rf'-lJ FLOR e portuguez a 800 rs. a 1
^a tu dn Queimado n. 63. I ter abatimento.
Nesta loja por loiios os vapores se recebe lavas de
pellica brancas e de cares, untu para hornero como
, j -----o --v 1UUI11
vapor a 2,5oo rs., tambem ha do vapor pas- a ums.
sado a 2,3oo rs. | GarraR}es c ,m u garrafas de bpa de i
rh ^"U'^Aic Hollanda a S.ooo rs. o garr..fao. Tambem5
Chocolate hespanhol a i.ooo e 1,2oo rs.: h, earraRie5 cora 5 e 14garrafas de Sn'
a libra, francez e su.sso a l.ooo rs. a libra 6,ooo rs. cada um.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Vellio Secco, Lagrimas do
:-.\xi con SO Dtelos de liuha d.^ gir. a 700.
taisa ciniOO eovelopes a 800.
Uiix com papel pautado a "00
Kesma de papel almaco greve a 35200.
Tinta preta para eserever b a > a 110.
1 is e ga-ros ae balan^j a 55500 e G5o'X).
(Helas eruas para hornt-m a 200 e 240 o par.
AllloAies de todos os lmannos a 100 a caria.
P i< lie linho pefi 50 I20.
<'. -r.in nara vestido a 30 rs. a peca.
i' lo imperial pega 10 rs.
Cillas rom obris muito boas a 40rs.
Raralho de carias finas a 240. '
' tade bato de lonca para camisa a 120.
Dii is de madreperola moito linos a 640.
Ci'vn ri^ corseie muito bnns a 40 rs.
c to i\< eorxele muito b ns a (!0 rs.
Grvalas de se a preta e de cores a 500.
Jopo de wi ''. ixas Mu i Anas para rap a 15.
E 'i n completo -or imenlo de miodezss qae se.
i-end ni por m<"0 is i'o que em oulra qualquer par-
r para se aparar diobeiro.
Acha-se
venda na hvraria acadmica, na roa do Impera-
i. ; ;^a do Sr. Nogoeira, junio ao arco de Sank
para seohora.
Vo t *s, c uzesft brincas.
Chegnu no ultimo vapor um grande sorlimento
ilodevoltasecruzes, imitando cornalinas brancas, I Douro, Maria Pia, D. Luiz, Pedro \"U"r\-
mT2*rrStSZ\7^meJSLml5i a ,ooo agarra-
fa e 9,ooo a 12 ooo rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
Enfeites para coque.
Assim como receheu enfeites para coque e eu-
tra< muitas qunlidades, que se vendem maii barato
1 do aue em ouira qualquer parte.
Itooeps qnft cli:im*m mami e papai
apurado gusto que se. pode desejar,
receheu : na luja: do bjija-ilor,. ra do Queimado
o. 63.
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3.ooo,
3,5oo e 4.000 rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 64o
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
Tend rerebid i um grande surtimento de bone- I ,.;,,, j Q n
cas que chamam papal e mamai e movem com os anC0letas de 8 e 9 caadas a 21,000 rs. a an-
olhos, mnito bem vestid is.com cabelleiras, 6 o
que p le haver de go>to neste genero, e vende se
mais barato do que em oulra qualquer parte.
Bilaios.
A>simcomoum bonitoortimento de balaiospara 3,5oo a caada
crela.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
menina de escola, tamb-m ha muito bons pentes
para desembarazar, guarnecidos de metal.
mmm ar
% Bichas de Hainburgo
*W iod"s os paquetes d
~'j!" desias amigas do s
Cr vendem a Iroeo de
Aul ; e na typographfa impareial,
It '' M isa rio a c-)mpibcio de toda a legislaca
i lenli a sdminislraeao, arreeadaeo e Bsrali-
.-. i .ii>.; di(tbfir l hi iaii",i> HC^ntes, lejados, etc., contend) nao
mele de costas e a lei geral da< execn
iolatntRm indas asorden!) e avisos de
i' iv rno, que a ludo lem explicado, unto a respef-
i das '!-rigai;'"-.- ir.': rentes ao cargo dos difieren
ireftados de jostra e fazenda, como dos di
r lii>< oacionaes e emolumentos jne sa i devidr*
T 'ivro rontendo mais dn 700 paginas em nitid-
lo e [i n; pipe, e presUodo-K a utilidad-
n> difTerenc classes, tornase recoromendavH
S o rusto 105>if)rl por cada exemplar em doO
o:
hlES
<;iM'!e pechJnchi.
N mi da [miieratriz n. 52 porta i^rga de Pare-
' .' '" v*on',''iP chles de merm estampados a
1 SsSOO e linos .iVj. eslao se acabando.
Chegnn a loja de Paredes I, rio, ra da Impera-
lii/ n. 52, Dan ,-oflimen!) de Mmfzratias, gollinhas,
i oh s, romeiras e sinto*, de rambraia branca.
( lo barato pr-c i de 2.5500, 3^(00 e 45. golbnhas
., r- iii. las a 80o e sinlos a 800 r>, grande
id*di de ntremelos a 000 e 800 rs. a pee,
fra se ai'alr.ndo.
lod"s os paquetes da Eur pa se recebe Jl
sangue mmano e se
.iciuiui.iinu ne pouco ucro s aGm
M ,lfi i'T sempre eousa nova : a loja de bar-
u oe sanu i,', beiro roa estrella do Rosar o n. 3, ao p
na ra es- da igreja.
OHORi IIIM.
COIarcs Roypr on colares ano-
di uos
para facilitar a deniieai das crianzas e preserva-
las das convulsoes.
O feliz resallado obtido immen-as vezes pela
prodigiosa forja m.'gneliea dos'colares Royer, nos
casjs de convulsoes, e dentico das criancas, tem
altamente elevado o sen ber'n merecido prestigio,
e hoie ja se p6de direr que estao geralmenle con-
eeituados, e estimados de innnmeraveis pas de
I familias : de uns porque do uso d^sses salulares
i colares viram salvos do uerigo seus charos filhl-
l oho-, e de oolro porqae colhemm daquelles lo
i proficuo exempln para ignalmenio preservar os
| seos. Assim, pol<, a agoia branca, teodo em vis-
tas a uil'tade e proveit desses prodigiosos cola-
res anodinos ou Royer, mandiu vir o novo sorti-
mer-tn que agora receheu, e continuar a recebe-
. los liara ae em lempo algnrn a falta delles possa
| ser funesta aos pas de familia, os quaes ficaro
eertos de. <.s acbar rorflMnieaieofe na roa do Qaei-
mado, loja d'aguia branca n. 8.
VELAS
Velas de spermacete a 64o rs. a libra,
dem de carnauba de lo a I2,ooo rs
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
PEIXE
Peixe em latas j preparado de I,ooo a
l,2oo rs. a lata
ALPISTA E PAIN'CO
Alpista e painco muito novo de 3,8oo a
4,ooo rs. a arroba e de 14o e 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mais acreditados fabrican-
tes, como sejam: Jo3o Furtado da Serrias,
Ifanoel Peixoto da Silva Nelto, Caslano &
Filho e Brandan e do outros muitos, os
quaes vendemos pelo mdico preco de l.Ooo,
2, 2,8oo, 3,5oo, 4,5oo, e 5,ooo rs. a caixa.
Meores
Licores francezes e portugnezes a l.ooo e
l,4oors. agarrafa ou frasco.
Doces
Doce da casca da goiaba e caixdes pe-
queos a 7oo rs. e de 5o caixoes para cima
a 64o rs. o caixo.
Frats
Frutas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muito hem enfeitadas, conten-
do pera, peceo, ameixa rainia Claudia, al
AZEVEDO ; FLORES
fina da Cadei do Recife, esquina da Madre de Deus-
ttrude sorlimeolo de fazenl.s por altea It e a reUtha, e na caaaleto aor
menlo de roupa feila, de casemira e de luim. I ido por meats aie tm
oatra qaalqoer parle: quem du>i lar veuha ftf
CAICAS
de lindas e finissimas casemiras escuras e dan, de superior casemira nreta do fen.
bnns brancos e bom brim pardo. ^-tuwra preu, de onoa
filets
faerd^nrTm^CardeomraSeSCUraS C'araS' ^ ^^ branCa' de ^">P
. foleles
de boas casemiras pretas e de cores e de lino brim branco.
CAMISAS
Superiores cimisas francesas de 23 at ~>5.
Ce ron las.
Ceroulas de superior bramante de fino linho.
Baldes.
Superiores baloes de arcos para meninas de 2 al 12 annos
dem superiores para aeohara.
Ciravalas e mantas.
Superiores mantas para pescoco de hornern, as mais modernas do mercado.
_, Halapolo.
Madapolao bom a 8$, 95, K'fl e 125.
Chapeos de sol.
Superiores chapeos de sol de seda balito a 100.
Fraques de easeinlra.
, r.. Fra1"es4de casemiras, preta. escura e de cores claras, e nao havendo av m
ao freguez manda-se fazer por medida e com omita prompliJao. ^ ^^
quirirfregueze138 k^' Pr ^^ i[liSQ,icanllssim^ Ps o fito do Balao ad-
LOJA DO BALAO
DE
AXETEDO e FliOUES.
Caixas com urna duzia de garrafas de su-
1 perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa e
,7oors. agarrafa.
CAF
i Caf do Rio de 1. e 2/ qualidade de
6.800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
Sabo maca de primeira qualidade de 18o perche e outras frutas a 01 ra. a lata,
a22ors. a libra e de 16o a 21o rs. sendo'Tamben ha latas grandes para l,2oo rs. a
em caixao. lata.
ARMAZEM Mi FAZE1VDAS
DE
CUSTOUIO CARVALHO C.
27 RA DO QUEIMADO N. 27
10/J0O0MadaPl3 fraDCeZ mUt fl"' tCntl pouCO mQf0' cada com 27 varas por
La de c res a 300 rs. o covado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a preco de 800 rs a vara.
Lencos braceos para algibeira a H 00 a duzia.
Fin sperclaras a preco de 400, 440a 560 rs. o covado.
Reos cortes de la de barra de 103 a 3O010
Chales de fil pelo e outras muitas fazendas'.
8PS3M

. .. ,T*
Uvas pelo ultimo vapor.
Peras pelo ultimo vapor.
Hacas pelo ultimo vapor
Ameixas pelo ultimo vapor.
Passas pelo ultimo vapor.
Figos pelo ultimo vapor.
Fru tas seccas pelo ultimo vapor.
Fructas em calda pelo ultimo vapor.
Nozes pelo ultimo vapor.
Paredes Porlo recebeu pelo ultimo paquete um Vomplelo ortimeato de
AETlfLTSL'Sf! ,MU*'" a 1J>. ** 2 : na ra da Imperairia
loja da porta larga junto a padaria franceza.
m. n.
Sitio.
~- Vende s urna jtrartde caa tarrea no Inea-
dn rspnnita e |oina ra rus das Deora, com cha-
fTi'. n- f. n i-, tuda m'iiada.cam ?rande quinta!,
cnti-n i'i div-r^K ari)rdw, cacimba e tan-jue
pura banltu : i|u ;i a in-iender pode ir examinar
etratar ni ra eftieita do Rosario n. 13.
Venie-se o filio no Uo-nrinho n. 2, junto da ca-
, pella, enmeasa i iRiiias frurteirif-, bain de capim, estribara e jar-
| diffi. Tambem M permina por casas nesta praga:
11 tr.mar na ra N CaJeia n. 3.
Vinbo do Porto superior em caixa de duzia, i
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve- !
i Jo ii C, no seu escritorio ra da Cruz n. 1.
Queijos londrinos pelo uldmo vapor.
Queijos flamengos frescos pe!o ultimo vapor.
Presunto fiambre pelo ul.'imo vapor.
Tudo se vende barato nos seguimos armazens:
Rna do Imperador n. 40. Verdadelro Principal.
Ra do Qnelmado n 9, Unlo e Conamereio.
Largo do Carm n. Progressivo.
No armazem da ra do Imperador n. 3 on no
Caes de Pedro II n. 2, tem para venderse o me-
lhor gaz existente no mercado.
Vndese um cylindro, urna imsseira, urna
balanca grande e urna dita pequea, com todos os
pesos e mais ulencilios de padaria : a tratar na
ra Di!pita n. 2i.
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descarocar
algodo : na ra da Senzala ova n. 42.
CAMBRAIA.
Cambraia de forro eom 8 l|2 varas a pe^a a 23,
esl-se acabando : na loja da porta larga da ra da'
Impcratriz n. 52, de Paredes Porlo.
Vende-se nma escrava rrioula, moca, e com
habilidades: na ra da Penha n. 17, 2 andar.
avarindo.
Fraacez barrica 5*000
Portland idem 8*500
Em perfeiio estado:
Francez barrica 10*000
Portland dem 11*000
No armajem de Tasso Ir roaos ees
Radala.
Cheparam os bonitos chales e retondas i
re brancos, e vendem-se na rna da hm
52,1 >ja da porlr larga, de Paredes Porle.
Chales de renda
Paredes Porto, na ruada Imperalriz o. Wt,
larga, vende chales de renda de core nm \
no i- nie de mofo, a 3^500 e 4*. fazeada a
6 I23OOO.


Diario de Peirnaitafeoco Sabbado 1S 'e Norembro de |f5ft
0
ESTABELEI A RA NOVA N. 60
too mmm idi sut MiauMa
AO
RESPEITAVEIi PUBST.ICO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
sen da Liga estabelecido ra Nova n. 60 ara magnifico sortimento [de molhados,
que sendo era sua maxra' parte maridados vir directamente do estrang. iro"podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm Uiancar, com toda a seguranca de que
nenhom outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
1/ Delicadeza uo trato.
2. Fidelidade no poso.
3/ Sinceridade nos presos.
As pessoas que por sua posicao social gozara de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. ele, etc.
Quahpier que seja a condico do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de
mutas patacas, afreguezaudo-se nesta casa, onde se Ihes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelo prego que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes on centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, elo sea proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
ren! do quanto se pode vender barato.
Para os senhor s que compram para tornar a vender existe ora sortimento i spe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhore-
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DLUIIEIRO A VISTA:
ALPISTA a 120 rs. a libra. ^ em ^ mUl DVa' a 8 rS' Cada
dem e painco de oito libras
100 rs.
AO PBIICO
em o menor consfran.
glinento se entregar o
Importe do
nao agradar.
genero que
r
* precos da Mj|Imii
abela 6 para todos, | -
leado aiikim servir de b: -
se para o ajuste de coiu&>
com os portadores.

Senhore
ea com que ser;
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o arco da rncele3)
PARA BEM DE TODOS,
ilW* 'horas, o aceio que presidio aosarranjns destenovo estabelecimento, e mais que tm
Hr3o tratritR, l nvida a ama visita ao mesmo, certos de que sem dnvida me darlo a proteccS
indo a prnmptidn e Intel
rra dos eeneros que prec sard d e quando nao possam vir podero mandar seos portadores, aDdaroe Mes^amn^6'3 nn,f.nTT'
noisser?io fgo bem servidos como seviessem pessoalmente, havendo para com estes Inda recommend^n afi a? Pn"rr,,PT*-
nuuavn, .inm ne que nao van em
para cima a
urna.
KIRSJCH
LAT.
Leth
Arroz de 90 rs. a libra a........
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra.
AvkllAas a 210 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os ta-
manhos.
dem idera era potes de todos os tamanhos. qu
dem idem em bocetas de todos os lama-1 Mari
nhos. | Mac/
dem idem em frascos de todos
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Alhos a 200 rs. o molho.
Absyntho a 2^000 a garrafa.
BOLACriI.NIIAS do Beato Antonio era latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a l#S00 a lata, e
de cinco para cima a i#700.
dem de so la em latas grandes a 25000 e
de cinco para cima a 1$S00.
Biscoitos inglezes de todas as qualidades a
1,5200, 15250 e 10300.
Bolo francez em caixinhas a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglesas.
BAMBA de poico refinada.
c
CHOCOLATE francez a 000 rs. a libra.
dem suisso a 1# a libra.
dem de musgo a 15500 a libra.
Choricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 210 e 260 rs. a libra, e em porcao
se far abat ment.
dem de primeira qualidade a 7^000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 10800 a duzia.
Cerveja da superior mana Ter.ente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de oatras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'Havana, Exposicao,
Flor do Brasil, Parisienses, uelicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Regala, Mississipes,
Panetellos, Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos o
precos, bysson, huxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 20000,
2&2"0, 2-)."<;0 e 2(5(800.
Copos lisos de lodos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os-tamanhos a du-
zia a 40800, 33300, W e 50.
Clices da todos os tamanhos.
Cognac saperior a 1,-5 e l500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a SO rs. o maco
de cinco macin'ios.
i
DOCES de todas as qualidades : brasileiros,
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc.
E
ERV1LHAS seccas a 120 rs. a libra.
irvadoce a 400 rs. a libra.
K
de WASsr.R a 25 a garrafa.
L
IS cora graixa a 80 rs. cada urna.
a a 100 rs. a libra.
n
MANfEIGA ingieza e franceza de primeira
ilidade a 1$, a libra.
elada dos mais acreditados fabricantes.
iiho e taliiahim a 320 rs. a libra,
os tama-jMAssU de tomate a 6(!0 rs. a lata.
MosiutDA ingieza a 800 rs. o frasco,
o inclez de todas as qualidades.
asqdbk) verdadeiro de Zara a.....
as finas para sopa branca e amarella a
rs. a libra, cm caixas com 9 libras a
500.
painco e alpista, sendo mais de 8 li-
s a 100 rs.
m
SS a 120 rs. a libra,
s em latas a 800 rs.
ira pite.
Manteiga ingieza especalo-ente esc( Iluda a
l.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l.Goors.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra eem
barril se faz abatimento.
Choricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 04o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato a 8oo rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Aleiria, macarrao e lalbarim a 4oo rs. a li-
bra e 6,ooo a caixa.
Massapara sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ou amarella a 64o rs.a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, era ancoretas de 9 caadas a
35,ooo rs.
Viulio em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. agarrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,000 e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a loo e Soo rs. a garrafa e em cana-
da a 3.000 e 3,5oo.
Vinho branco para missaem caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duquedo Porto, Rainba de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,ooo e lo,ooo a caixa com 1 duzia e9oo,
l.ooo e l,5oors. a garrafa.
al refinado em frascos de vidrocom tami a
do mesmo, a 5oo rs.
gerveja branca das marcas mais acredita,];., ,
Sa:Tll!ia5oo',, e64: w
dBarrad, e o,hoo, 6,000 e 6,5oo 8 do- Pnkeira tara ruto i :
KIVIL
SiSM &**- : '*
Ri:a o Hiieititado un. -.'^ c t.
'(.oniiiiua a veiiii.r uda aa a-.:.:.. .
e. ti.ru por refiM i. irav. i.-.
Mi e |ialilo> HSi ,. i .i i.. i r>>
E.-|ielllu .r II (klul.l.- ( i ;.: uc .
buie!.- le oli.Ki" |r. :. n m.
Diim Krawoa um Miitnur imia n<,,- .
Melada* ue basa Irosa asnSwa, t u>
Laixai coa loo carea a .
il de peBOM (can, bzi;
Grozai de boMka Biaif-tn
i 1040 i a,
ICaiai coa H Mkfctlu h .. :
Caixa c( ni >u|i rk i > i.i i
i'' iy.> ( ia brapra i laxa n
Varas 'i i i>.
Barall uc di itracfra bi twtti
. Noelk.s re boba n m abU jan ;.-
Li-ks para ^i .- iie i>i (..
tn .- U" botn | ;oa 1111..
Twonrsa para rwtwaa m-iu'. i.
41.0 e v.
I Caixas de peooai do raltigrail .
1( O.
J'''- 't ni sur- rlori i i
Pares t- palo li*i jj ,
Caixas ri in >m 11' '-,..: -
Libras de la si riida i.i i. i
Caixas f- w sop i mi .- .
Rudinbas n ni ;i i. le hai re
h i r<.
(tesaras >! papel v.: >
Esruvs | ara n Dpa, b';rr
Doziat de Icm uia.- n n Iwiiii
KCO rs.
i



zia.
Cevadinha de Franca muito nova, a 2nors,
Charutos do aflamado fabricante Jos Forta
do de Simas, das seguintes qualidades
Exposicao Normal de Havana, Imperiaes
Londrinos, Gnanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo.
^ '>,ooo e 7,ooo a caixa ou em n eias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilbasde Havana, intervallos,Vencedores
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
ojrnac ingle/ das melhores marcas, a 8or-e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadpira a I9n ra a
Vinho Cberexde superior qualidade a i 6,0oo| libra. veroaaeira a a o rs. a
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandese novas
a 1,8oo o cento e 1,2oo solas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a/
barrica e 320 rs. a libra.
' Rolachinhas de soda em latas de diversas!Toucinhodp '"h<*.a'"mnii\
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas j qualidades a 1,3oo rs. 0 rS' a
em latas hermticamente lacradas a 64o. Cartes com bolo francez muito proprios pa-
Feijao verde muito superior s 640 rs. a lata. > ra mimo a 64o rs.
Copos lapidados para agua a 5,000 e 5,5oo Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa
ibra e 8,Boo a arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolacbinha Alberto, as melhores que pre-
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24o rs.,e2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez 'espanhol e suisso a 9oo,

Osipas inglezas e americanas.
I
PE/XE em posta, latasgrandes, a 1C00,de
odas as qualidades, como sejam savel,
oras, corvina, pargo, salmo, pescado e
escadinha, linguado, sardinha. etc., etc.,
Pras em latas, excellente preparacao.
Palitos para dentes a 120 rs. o maco muito
grande.
PhissAS era qnarto a 1^400.
iiem muito novas a 400 rs. n libra.
P3MADA muito nova a 280 rs. a duzia.
I
(UEIJOS flamengos.
Ilem prato a 800 rs. a libra.
I lem saissos a 600 rs. a libra.
I lem londrinos a 800 rs. a libra.
DARTINHAS OU MOriINODES a
R
APE' Meuronaia a libra.
Vlem Princeza do Rio a i #200 a libra,
lem francez a 2500 a libra.
S
$ABAO massa a 160 rs. a libra, era caixa se
faz ahatimento.
|al retinado em frascos a 500 rs.
ialahe de Len a 23>.
Iardinhas de Nantes de todos os fabricantes.
dem de Setubal em' latas muito grandes a
720 rs.
Steamnas a 600 rs. o maco.
Sag muito novo a 400 rs.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e prela para escrever.
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. alibrs.
l,ooo e l,2oo rs. a libra. \ Amendoas de casca mole a 4oo rs. a ibra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li-' Milo de amendoas a Soo rs.
bra e em caixa se faz abatimento. Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joao
Peixe em posta em latas hermticamente la- de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
cradas e das melhores qualidades de oei- hras por 2,5oo rs.
xe a 8oo, l.ooo e l,2oo rs. Ameixas francezas em fiasco de vidro com
Vinho Bordeaux das marras mais acredita- tampa do mesmo, a f8oo.
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e Ameixas franelas em caixinhas de diversos
Dilas e vi.ii.-s para si Mi la i II I.
Ki ;i-i i de AO i ; i :, \: ;
Fraffos un; ' I'' l M:|tll.....lalC!
Caixi r< m ';ii;;pi : : ,
V r s i;, labadi .. piri ;i
Carlas de allli rita haare*i a K b
Quaderiits depaptl pn.wi
(jiatal:- !e K;N.-. f;>. i i ; l ; [: .'(
l'i-i' i- : ;'. i"! a, 'ir., ,'. ntti.

AGUA FL
. .

\


"P?
'.
-
x>^:
MRRAY&LAN^N
A
olhi.da rui;ij
agua (li.rida de Murra> \
iin; ; rtwci i | ib n .. i...
sentementetem vindo ao mercado, a 2,000,lem P',,i,!o ser igualada |. .- \\\\.\
bonitas estai; pas na ca-

8,ooo a caixa e 64o e 7oo ris agar-, tamanhos
rala.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a t,8oo a 9oo rs. a garrafa e lorooo a caixa.
e 64o rs. o frasco. I Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo
Genebra de laranja vc.rdadeira era frascos o gigo com 3fi libra-.
grandes a 1,oooell,ooors. a frasqueira. Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. ali- 8,Soo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras de escova para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. ali-! 4oo rs.
bra e 7,Soo rs. a arroba. Nozes muito novas a*16o rs. a libra.
Arroz do Maralo de Ia qualidade a loo Molho ingle?, era garrafa de vidro com rol ha
rs. a libra e 2,800 a arroba. \ do mesmo, a 16o rs.
dem da india a loo rs. a libra e 2.800 a Mostarda ingieza dos melhores fabricantes,
arroba. i a ^n0 rs 0 (Yrjsro.
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,4oo a :sr- Mostarda franceza em potes j preparada a
roha. ^00 rs 0 frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e l.ooo a I.entilbas francezas, excellente legme para
arroba. Snna, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesde superior qualidade a 4o Marrasquino de Zara prnpriamente dito a
rs. a lata de nina libra eS6o rs. a reta^ i-% a garrafa r !;ooo a dnzia
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,Soo e 1,500 o frasco.
^_ Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,Soo cada urna.
Rnibos, excellente peixe portugnez, em
harris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
'e

Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes(
8 garrafas por 600 e 800 rs. a garrafa,
xa exterior, a l,4oo, l,6oo, l,8ooe2,oooi Azeitonas portuguezas a fioo rs. a ganafa e
cada nm-i. 1,Soo cada urna ancorea.
.?? r!: "I.0P.Rp.a-n. } P.?f!Ugllez Champagne da me!h..r qualidade que vem
ao mercado, a 2.000 e 3,Soo a garrafa, e
24,ooo e 26.oon o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
lho.
r a c o ^ '^ jTo O o
Palitos de dente a I'10 rs. o maco
a libra.
Figosem sexinhas a 80 rs,cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,000 a resma.
Balaios para roapa soja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, peceo
damasco, rainha Claudia ecereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a 1 ,4oo e 2.000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,800 rs. a caada
e fi40 rs. a carrafa.
Vinagre branco j engarrafado a Soo rs. a
garrafa.
as mais cusios;$: romeiva .-' ; ir.o se formasse parle da 1.....11 ,i..
se applira.
Sua eficacia (So delifi a, n 1
tes sao seus multiplii; il< > :... i. .
empregada remo artigo deki qUt
no uso do bando. Mi fomi Mia\i
pelle, depois que sv tenl a I..... I
j para limpar as genghras 1 \, an .. .
hlito.
Di siK'Vidade, brilho e el:
compleicoe, dei oa de fe l.aui !. \,
livi a irrtalo de ropees h.. i ,,i .
desappsrecer o oagradatil ;.;.. t
pannos, das sardas, do rosto, rugas
cas a de bol$5es, e di %if?< red
liarle onde quer que se appliifue. Sua ,
ciencia e elegancia sao ig aln .
vei.N nos casos em que seja prenso api
la cnio esiimolanie e ai ii.. 11 w> <-, ...
cursos e asseiiibli-as DOtterosaa, as
lidades infeccionada?, na airoa de tm
IVimo, assim como um anlid I .
te para os desma 1 s raosadi n \ ou sbffocacao. Preparada 1 ni i m< i.t< r
Lanman & Kemp, Nova-York, 1 1 en t\ r
Caors a Barbosa.
Joo da '. Bravo | <:.
Deposito veral en, ym
(rr,? n.2 em casa de Caro-
- = = 2 ~ sr"[
" 2 D--
S r. !S 3
a: !3

CD
ce 'j. sr-r;
s: =3 > K
o ?> e>
3*2
CP
c
'/.
O CD

AGfllNASDEPATLNI
o
T3 .
00 -, n c ^ 3
0 2
3 HH
Ui'AO
.4RO
pars

VINHOS
II
a 5,3000 a gar-
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120
dem de'aramia a 320, 400,500 e 800 rs. Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Principe Alberto, de 1831,
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 25 a garrafa.
Lagrimas do Douro a IjJSOO a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 20 a garrafa.
Duque a !# e I$500.
Chamisso a 15, 10200 e 105OO a garrafa.
Luiz a 1^ garrafa.
icscatel verdadeiro de Setubal a 2 a gar-
rafa,
arcavelos a l&.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posigao algnma.
2 *a i f 1
-1 Q- ^T
CD O
s<8?
5 ce
aq
s<
'S.
ETB 3
T m 73
en O
05
-1
o.
3
CD
CD
3
en
Hi
O)
o
o
C3
as
TS a>
-
o
o
-
a.
o
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 10 a garrafa.
Absyntho a 2$ a garrafa.
Kirsch a 20 a garrafa.
Wermouth a 20, e a caixa a 180.
Bitter Maurer a 10 a garrafa,
Farello ha sempre era deposito de 300 a | Vinho figueira em ancoreta a 200.
800 saceos, de todas as qualidades, de to- i dem Figueira e Lisboa em pipa a 20500 a
dos es tamanhos e de todos os precos. caada.
Figos de comadre a rs. a libra.
FeuAo verde em latas a 600 rs.
Favas era latas a 500 rs.
Fono do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 10.500
Attencao.
Cambraias.
Parede Porto vende cambraias lisas finas, gran-
de sorlixiento, a .'13 at 6, ditas Victoria muito
finas, com 10 varas a G3, 65o e 75 : na roa da
tmperatnz n. 52, junto a padaria fanceza.
Sellins irlglezes com borrenhas e lisos, silhoes ;_____________________________________
para montara de senhora lambem iguae?, chicotes ... i. ~ a u j
para carro e cabriole!, e para montara, todos de pegeO. aOS CflrpinhOS de f ambrina
baleia,fundas com elssticidade para ambos osla- Vendem-se corpinhos de cambraia com entre-
do?, e ontros muitos objeelos ingleze, e brides de meios a W e 54, eslao s acabando : na loja de
Ipojuca : todo estes objeelos vende-s8 pa ra da Paredes Porto, ra da Imderatriz o, 8?, poria lar-
Cadeiado Recife 11. 31, loja de selleiro, ga, juo.o a padaria franceza.
Tasso Irmaos
Veadem no sen armazem roa do
Amorim n. %\
Licor fino Curago em botijas e meias botijas.
Licores finos sonidos em garrafas com rolbas da
vidro e em lindos frascos.
VinhosUheres.
Santernes.
Chambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniol.
O cestelJo de Grasville.
Traduzido do francez por A. J. C. da Crnz.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 30OOC
na prafa da Independencia, livraria ns.
6 e8.
Vende-se um sobrado de dous andaras no
hairrode Santo Antonio, o qual rende para mais
de 1:2004, e urna casa terrea no bairro da Boa-
Vista a tratar com agente Olympio em sen arma-
zem na ra da Cadeia do Recife n. 34. '
de trabaEkar
descaa'ocar a,
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C,
OLDAM
Estas machic?-
> 1 fp *> podemdescarof?;
-> \ :|ualquer esperi:
- de algodao sec
estragar o lio
"** sendo bastante
5S^ duas pessoas par*
otrabalho; pd
descarocar urc;
arroba 'de algo
dao em earo
em 40 minuto.1.
ou 18 arrob3.<
por dia ou o ar

Testamentos em verso.
Continan) a estar venda, na ty. ogra-
pliia clr ra do mperador n 15, defronte
de S. Frauc co :os testamentos da Gali-
ana, do Gallo, do Porto, do Leiio, do Gato,
do Pe 11. doCarneiro, ra Onca Ticre, do
i., da Hyena, do Rato, do Orangutando.
do Macaco, do Bnrro e doVigario; a Peleja
da Alma com o Di bo, a 160 rs. cad-i um,
e a lO rs, a quem comprar urna tolleccSo
cem leta on 2:>; carta? de A B (J, laboi.da>,
catbecismos, ecunomia da vida humara,
carlilhas, Simo de Nai.tua, Bit lia da in-
fancia, manufcriptos, tiaslads, paulas, pro
curacbes, apudantas, leitras, ronrecimentos
paraembar v.c deescravos, despachos para
a alfandepa, papel almac^) pautado e piula-
do de diversos formatos, sendo o pequeo?
30 rs. a fulhi, o immeiiiato a '.O rs., o me-
dio a 50 rs. e o muito grande a ?0 rs. :
robas de algodac papel marrr quinado e Ittlmo grande e pe-
1 queno ; papel para in.presso de una s
m
Na roa da lapernUlt v. 26. I. b ira .le rl
de .-ni, h para vender t:m Mitin.! i. u
"Uro, i-i rio .fjan'. >di rn1' i-, v u n^
Dieos dili-s, aiflBfle?, noria*, l, 1 -. un. .-s
ti>ra relofio, eafoleta*,rrese, tulpia
Dbo?, ditos para atarlo, e isfei d
(um dei'inr-as i|Uil(;;>..-t-g. ? .
Pili I a rain 1 ata n > lUirredor du Iti-iio n. 15. 1
in^ leques fl r, muito baoiiui e etpi rt -, r*
16 1 .
Assim como machinas para serem movidas dot iror 8rrand'- e pequeo Virgilio, Huraco.
ammaes, que descarucam 18 arrobas deali-od'
limpo, oor da; e motores para mover urna dua
eutns dessas machinas.
Os mesraos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machina!
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examma-lo, no arma-
xemde algodao, no largo da ponte nova n.47.
Saunders Brothers &C.
IV. II, prar^a doCorpoNanto
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
Salustio, Wagmim Lexicn, prosodia, dic-
cionaroa francez-poitu>ic e 'ice-versa,
selecta franceza, e ontros mui'cs livros, bem
com. em br.-rrn de Ind ns tamanhos.
s
Com loja ra do Crespo n. 17.
Recebeu de Pars sedas em corles mui- 2
lo superiores e bellissircos padroes, e 1
chales de renda pretos para 104. *S
Esle importante estabelecimento (orna- S
se recommendavel ao bello sexo pela va- me
jg riedade de fazendas superiores e bellos Uk
M gostos
Proteja o bello sexo ao Villar i
JjfS e verao todos a prosperidade.
MMM1 BKF-53
ALGODAO DA BAHA
Na loja de Andrade & Reg, ra do Crespo n. 8,
esquina da ra do Imperador, contina a vender
se superior algodao da Bahia por menos prego que
em outra qualquer parle.
Vendem-se quatro burras mato mansas, boas
de carga e de seila, per preco
nmn mu,
esbavo mm
Fngii do poder dr abano asH|ta4o > -.1
vo Amaro, erioolo, 1 r avi 1 n elha.'a. a ti
lar e de idade ponto m.-i> l'OSlOmi ?llllai lifi: VrSIl.lr, dr r: ha di
d>- ir, e Chapeo do Chile, tem i I, ii-. >u r
has lame gros.v. e drt>radi>. ofa^M r,
le ditoesrravo e t^ua eapwwa, >m' initniH)
reecni pensada.
Recife, 10 de novemlro de IM|.
Ji>f da Silva L jri 1.
Iiiolilicitao de 9OI.
AiiM'iili ii'm-i!a casa n. ;>i ila ruj I !ni.rp4 (nuir'iiia Cu.ligii) no labbado 16 io ri rn M r :
>e setembrode 1865,o escravopaM< deawi I a-
quim,enm o.- sigoaessegoiatM : >in,ia i*ta>fatf
idade 18 a iOaooos,srn>barba, |i- lar(ns,N
grande, rabello corrido, com una riexun
e b^m vii-ivel i,a testa, t^rte dos d. li,- -l. n
arroinadus, e com falla de aleun> .) i..',-.
rom calca dr Imm pardo e paleM rorln ir pana^
mas lev 11 mais roopa branca e de tfir,
a-iiii-icisn. rosinma intitularse f. rr.- >- ai *an
fado ; f 1 esciavo do Sr. Gailhein-e Prnerin
SoDa Cara>bo, penro do lirado Sr 1 11 r
. Mano-1 Goncalvet da Silva : roga-^- 1 -v.. ,
?* J7i a tnda< as autoridades puUeiaMea 1.. 'nurr ra-
FramocnA Taca fimmini,/, l"tano> campo ou outra re>soa part.,-, r qut a
rralDCiSCO rlOSe ueiIllilIlO ap|.reh.r,Jer>. pratitiiara com 504. ;.:,r, .?a~Ve?-
R1A NOVA N 22 V?a< de r, tiiliiirai', tulregando-o a -ru .m-i.Imc
acaba de retener un. lindo e magnifico sor- SB^^SSatTM1 ""^
tmenlo de oculosJnelos, binculos, do ul- j^fo Hm^l^L ,.,.,* f
timo e mais apurado gusto ila Luropa e OCU- 1 gio do ent-enho Terra preta, doabaixn Tffl|iiJii. 1
los de alcance para observaces epara os! escravi. Juio. cnouio, de aitora r^niar. m^
martimos. |(,,' 30ann.i de idade, p,,|ica barba, lem m ie> b>
reito< e pernas, mnitn fallante, at s* hi n ora
(OB ]^T||I '''' ledo polegar de nina mao c id 1 |.ra oVn-
tr.-, anda um urna car-, fechada, rt,. w, mu ror -
nel Amaro Gom. a, apartrin'?i,d ..ron-
ca ro sorrado mi. ..^.0, f., i,a n.u'i ma atmjpj
a I', cha Lima e Guimara-s : quf m o pecar 1^^
memo engenhoou no Recife a'ra da R..<*a a*
Vende-se ri^cadinho francez a 200 rs. o covad... US?' C' Jnr' "0e T Um "*
'i
I
cha
00 botel de Franca,
commodo : a tratar
r~mT"Trr

por ter srande qnantiriade, esta-se acabando : na
ra da Imperatrz n. 52, loia da porta larga, de
Paredes Porto. \ 1
Bren em barricas pequei.Sj
Cera em velas de todos os tamanhos.
Bogias.
Mercurio.
Na ra do vrgano n, 19, primeiro andar.
0*
Alexandre Correi .
- No da 31 do passad fogio a < I.. |. s-
tina, larda, alia e magra, qne per'enc.n a.. Sr.
Amaral. empreado na repartiro do el..; h.-
escrava foi no dia i' do corren!'- mmar-w <> Sr.
Dr. delegado por ler sido castigada : qnem a pe-
gar e entregar na ra da Cadeia n. 62 >e a tea
recompensado.


Diarlo de Fernambnco Sabbado 18 de Novembro de t *

L1TTERAT0M.
! Mr. Adaras discute depois o terneiro ponto da, veito de todo obelligerante que promelte vantagens
jusliflcago de lord Russellas vastas proporges pessoaes,
M POLCO TCDDEO.
Os auoaes da Hespanha e Portugal devera tor-
vos convencido desta verdade.
A prespectiva da mpunidade de que so care-
ce para estas emprezas. Ouso smente convidar a
_ que tomn a osurreigo. Renorda o que se pas-
sou por occaMo da nsurreigo das colonias d
America contra a Inglaterra. Decorreu nm gran-
A aota de lord Russell, acerca das reclaraacoes e espago de lempo primeiro que as potencias neu-
do joveruo dos Estado-Unidos, respondeu o minis- traes reconhecassera os americanos como bellige- j V. Exc. para examinar qual de todas as nagdes
Iro amarice.no era Londres: manifestando era pri- rantes. Ora, apenas as potencias commercies mos- do mundo, a quo poderia apresentar era todos os
metro lugar o prazer que experimentou em pre- traram a menor disposigo para verificar este re- mares em volta do globo, capturas mais tentado-
i da; s.'gurancas amigayeis que se contera no conhecimento, o governo da Gr.ia Bretanha formu- ras, uo caso, (o que nioguem laraenaria mais do
despacho de lord RaasdM, acerca da maneira por- loa ai suas censuras e reclaraacoes. Quanto ao : que eu), de se achar de novo, como ja lera estado
quo as negoelacfos foram couduzas; e contina procedimenlo da Franca, citado na uota de Mr.! multas seie>, opprimida pelas calamidades da
,\ >j i este nudo :
Se 11,10 fosse esta consderago, en me absteria
de toda a discussao ulterior, eonlenundo-me em
transmiUir simplesmente ao mea governo a con-
,! i-ao a que ehegaram os ministros da rainha, tal
cono me foi exposto na olliraa paite da nota de
V. Etc.
Mas, mnito convenca.) como eston, de que no
negocio do que hos oceupamos su acha implicada,
urna questo de boas Magues iutemacionaes, ba-
ta la em graves priucipios de moral de uma ap-
plicaeao universal, questo cuja sbloeo lera'
provaveimenle urna grande Influencia as relagoes
,1 11 los os povos civilisados, vejme na necessida-
de Je lembrar aqui a mtneira perqoe ella enca-
lad i pelo goveruo que tenho a noura de represen.
lar.
. Na ola que tivo a honra de dirigir a V. Exc.
em Mide nuio ultimo, recapitulando com a formu-
la de pvoposta us motivos em que se apoiavam cer-
las rSclauuc/Jes a ear.-o do governo da rainha-
avanceiem primeiro lugar que o acto de recouhe,
a cimento dos insurgentes, como beligerantes no
mar alio, anies mesmo delles lerem un nico
Adama, o explicado pur lord Russell como dictado
por urna poltica francamente hostil Inglaterra
Mr. Adann considera como duvidoso o facto deste
mdo apresentado,
Mas diz que admiltindo-o nao serve seno para
roorgar o seo argumento.
Sea Franja livesse estado di-posta a proceder
contra a Inglaterra, e se tivesse decido a reconhe-
cer os insurgentes da Amarica como uelligerantes,
seguir-se-hia que, segundo a doutrina confessada do
governo da raiar'ia, nao teria havilo mais do que
utn fado absultameole necessario e ao mesmo tero-
po justilicavel. Porque se nao procedeu agora des-
te modo ?
E' porque, infelizmente pelo exemplo citado, a
Gra-Bretanha, desde que rompen a luta, tratou de
considerar a Franca como aun potencia amiga, e
acouselhou-a sjleiuaeraeule a abster-se de qual-
quer acto que teudesse ao reconheeimento da in-
surreicao.
Mr. Adams regeila depois a idea de quj o pro-
cedimento das potencias csiraugeiras a respeito
guerra.
minava n'nm grande numero dedreulos em que
as nossas cidades linham todo o dimito de esperar |
una ardente e sincera sympalhia ; ainda que du-
rante essa longa prova, cuja grandeza nao poda
ser desconhecida senao pelo pequea numero da-
qnelles que nao conhecem a natureza das nossas
instituiges a voz da animagao set)tio-se muitasve-
zes, do lad) do ocano tenho com ludo a esperan-
za de que o resultado a que chega nos ha de alinal
justificar o julgamenlo severo quu leve a sua ori-
gen) na falla de f e de conlianca
dade a urna causa justa.
Nunca duvidei das dsposlgo
na ii:sa lideli-
s amigaveis dos
estade a esle re-
de urna insurrago declarada contra ura go-
eia da parte do governo iuglez um acto i WD0 aini?l). VOdesst ser regulado segundo o nu-
precipitado, a sem precedentes. mtC0.ma,Qr ou ",eaor "<* insurgentes. Esta dis-
, A eslaafllrmaua replica V.Exc-assim nen. <'n^ reee de andamenlo. Por outro lado a
.<,.,i.m> .i.........., ...,ri ii r,jr'.'a numrica da rcenle msurreicaonos Esiados-
leiido euadmiilindo pelo nienus urna parle. Al- ..
I, .ando como justilicago que a insarreico nao ""*" J* nsidemjel no papel, mas cara o
liona precedentes, concede* evidentemente que o lt"", vm#t Dem ''U Ba era ass'<". I" era-
mesmo acontecen com o reconheciraonto. 1uamo duruu a lula """ lv probabil.dade de
. Pode pois de futuro assegurar-se como umac-""0 CtUlra a r*oa&o e persevereuga de um
u fura da discussao que nunca semelhanle aclo se au'*B>'Sia muito mais forte.
co.um, tteu por parte de urna nago para.com ou e 0 qae dlg0 exacto,cont.nua o ministro amen
tra necio amiga. cano.a conciusaoque meparece mais favorel s boas
Quauto a' segunda parte da nossa affirmativa, relaces iuteruaciouaes, esta. Sempre que lera
quero dizer a paiavra .precipitado que se me de-. Jugar uma innnreijlo coulra um governo eslabe-
ve permitiir euipregir, peco a Y. Exc. se digne | |eci(j0) 0 deer dos governos estrangeiros com o
prestar altencao ao motivo que vos dou para justi- (prpo|lo dt Inantcr a paz e a anlisade recjproca|
fiear o acto de reconhecimenio. PermllU observar j pirece Mr ^^.^ cauie|0Samente de qualquer
acto que possa contribuir, ainda que levemente para
comprometter esse resultado. A aegao nao pode
despacho ofDcial que foi putihca o, a maior medi-
da poltica do anterior e infeliz residente ; medi-
da que, de facto, abria o nico c iraiuho praticavel
ao nosso glorioso Ora.
NeslascircumMancias, pego-vi s que nao admi-
ris, se nao posso oceultar a opinio, que tenho, de
que o meu governo assim como i massa dos meus
compatriotas, se sentem sempre
e de que o lempo e a esperanga
futuro promettido pelo tom com
hao de provaveimenle poder s
te sentimento.
Reconhecendo da maneira n
lira e a necessidade da poltica
da no vosso paragrapho final, teiho a satsfacao de
ser, etc.
vivamente feridos
de melhor accordo
iliador de V. Exc,
ior si modificar es-
ais completa |us-
commum, ndica-
qu esse acto segua, e nao precedeu declaraco
de blopueio intencional feila por nos em seis cu
seta portos, e a ntenco anounciada pelos conte-
i d rallos de entregar cartas de merc. >
jusnlicar-se senao por fados, e nao por apparencias
ou presumpgoes ainda mesmo esses fados
. l'ois bem I Peco-vos particularmente para notar, na0 devtin ser l0iaaii0i em cunsiderago, senao
que, se as cousas se passaram assim, V. Exc. nao nos limites da necessidade. Tudas as medidas que
fe mais do que conceder que o governo da rainha' se tiverem de adoptar devem ser sujeitas regra
a Sopln aquella grave medida (a do reconhecimen- je uma estricta neutralldrde.
t.i), sem possuir prova alguma de qualquer acto c .
que loe podesse servir de base. dep0,Sr d,; ter decorrido um >ras<> rasoavel.
_ se """-'fe^t frauca appareucia de que a lula chegue
ludo se reduz puramente a uma simples deca- fa__ ,. ,
, a Ul lenno, priiicipaluieuie se ella lera lugar no
racao de ioteocio de proceder, felta respe.tosa- 0 reconll(;clineu[u das em CO(no
mente pelos partidos que >e arrastavam na lula. bdligtraille.( pareM joslifleaw|j
l'artindo desie ponto, sou forjado a persuntar
respeitosamente a V. Exc. s a historia das naques
civilizadas pode olereeer um nico exemplo, de
que uma medida desta importancia leona nunca
sido lomada por um governo amigo a respeilo de
um outro governo, e isto ir uma simples presump-
gao do que se ia fuer, suppondo consumados cer-
t= fados nicamente esperados, mas nSo consu-
mados.
Parece qus a posico do homem de estado pru-
e ate agora, que
eu saiba, nao lera uma medida d'essa natureza, ou
um caso semelhanle suscitado objeegao alguma.
Finalmente, s quand se torna evideule que o
goveruo estabelecido perdea completamente os
nitios de vencer a resistencia que lile oppoem, nao
havendo apparencia de qao elle possa retomar o
poder, ento smente que se permille a um go-
, verno amigo reconhecer a iusurreigo como poten-
, cia iudependeute, sem que se possa censurar esle
aclo.
e
denle, as circunstancias que devem necessaria-
m:nle affeclar os intereJses de urna na^ao amiga, Tal me parece ter sido, cuulioua Mr. Adams, a
devia ser de proceder, pelo menos, al que se pra- poluica seguida e-crupulusamenle pelo governo que
li|ue alguma cousa de positivo que determine a sua tenho a honra de repreaeular, duraute a aturada
aceito. luta que ieui lugar eulre a Hespanha e as suas co-
Pelo que nos diz respeito, no momento em que binas da Ameiiea do sul. A questo de saber de
n governo da rainha procedeu, nao havia nenhum que lado se achavam as sympalhias do povo, nao
casiigo de qne a intenco devesse iradnzir-se em pode ser objecto de uma duvida___
s. O resu-tado prova efTeciivamente que um Se sc ,|vesga da uma veJ estabt|ecj(Jo como prin.
cipiu do codigu miernacional, que uma potencia
neutral lein so pur si o direilo de apreciar ate que
ponto cumprio o seu dever em relaco a um cdi-
go que ella mesma preparou, para impedir que Ua-
delles nunca foi posto em execoco. .Nao de ma-
neira alguma impossivel acreditar que o mesmo
livesse succcdido sem esse acto do governo inglez>
que aftasta toda a probatiilidadc de evitar o cum-
primelo.
O hiuqneio, longe de ter sido a causa, nito foi
mais do que a consequencia da poltica ingleza.
Quanto a repugnancia com que o meu governo re-
correa a esta medida, e a*s causas que a isso o for-
carao, V. Exc. foi muilo bem informado enio.para
que me seja necessario insistir neste ponto.
Como provajmals forte da natureza da vossa de-
cisao, se lia dlsso necessidade, permita se-me refe-
rir-me simplesmente \ carta que haveis escripto a
brd Lyons, no mesrno da em pessoalmente haveis
anauociado na cmara dos communs a medida
grautes e giaves ultrages se commellam nos seus
proprius porios por pane de agentes de um belli-
geranle, em eooperaeao com um certo numero dos
seus subditos, contra j commercio de outro, no al-
to-mar ; se se admtlisse que -. neutral, quando se
suscitara reclamaoes a propo>ilo de prejuizos sof-
fridos em consequencia dainefflcacia manifestados
meios de represso que empregou qundo tinha
poder para o reforjar, podia deliberadamente re-
cusar-se a responder a esse appello, invocar como
Mr. Adams declara depois que o governo dos membros do governo de sua mas
Estados-Unidos nunca acceitou, como legitima, se-' peito e especialmente das de V. Eixc. E todava nao
melhanle doutrina. Pelo contrario, tem sempre p0sso esquecer que, no meio das nossas mais gra-
procurado satisfazer os paizes estrangeiros quando j ves difficuldades, V. Exc. mesraJ se dignou julgar
se queixam, e no ponto em que se tem conhecido I com a severidade da sua podero a censura, n'um
serem as leis insufflcientes, teetn ellas sido modi-
ficadas.
Foi deste modo queem consequencia das recla-
marles, e a instancia de Mr. Hammond, se votou
uma lei nova em I79t -e outra em 1737. Encontra-
se ainda terceiro exemplo na lei de 18 8, que foi o
remedio opposto aos excessos commetlidos as
fronteiras da provincia britannica do Canad por
habitantes dos Estados-Unidos, por isso que as leis
que existiam erara impotentes para os conter ou
punir.
Foi ainda este o caso relativamente a Portugal,
cujas ultimas reclamares foram rejeitadas nica-
mente porque seren contrarias s decisoes toma-
das pelos iribunaes dos Estados-Unidos.
Mr. Adams sustenta depois que as circunstan-
cias citadas por lord Russell para provar que a lei
ingleza insulDcieute, sao precisamente as mes-
mas em que o governo mostra que foi alm da lei.
Manifcia" i sua sorpreza, para nao dizer a sua ad-
mirado em presenta da opinio de lord Russell,
quando pretende que, uma vez que a Gra-Breta-
uha ja votou uma le severa e eflicaz como a dos
Estados-Uuidos, est nodireitode rejeitar qualquer
proposta que se Ihe faga convidandora a modifi-
ca-la. As duas leis sao todava mui differentes.
A lei ingleza omitte as disposlfoes que foram
originariamente voladas pelos estados, era 1717, a
titule de leis provisorias, a reclamado do minis-
tro portuguez, e que era 1818 se tornaram perma-
nentes.
Mr. Adaras accrescenta :
E' nessas disposigSes que a nossa experiencia
ensina a ver a melhor forc,a preventiva de qual-
quer lei.
Se livesse feilo parte da lei ingleza, um grande
numero das quenas formuladas nao se teria podi-
do produzir, e Mr. Adams nao julga que o seu go-
verno possa ser censurado porque deseja que seja
mais completa a legislago reciproca relativa a es-
tes interesses.
O despacho couuiue da maneira seguinte :
Tomei as providencias para fazer conhecer estas
propostas ao meu governo o mais breve possivel, j
e pedirei permissao para esperar a chegada de
inslrucgoes, ant<'s de dar uma resposta.
Declarando que nao tenho autoridade para ma-
nifestar anlecipadamenle a opraiao do governo,
chamo ao mesmo lempo a attengo de V. Exc. pa-;
ra uma nica circumslancia que, sem um accordo
previo acerca dos grandes principios de direilo in-
teroncional implicados na controversia, pode pro- |
duzir uma dilllculdade era relagao acceitago da
proposta.
Em primeiro lugar parece-me qne esta proposta j
, era substancia idntica que foi apresenlada ha'
lempo pelo governo purluguez aoks Estados Uni-'
dos. A essencia da resposta dada neste caso pas-,
sou casualmente a Y. Exc. por isso que se nao
ade coraprehendida na sua nota.
Espero que roe nao suspeitaro de estar anima-
do do desejo de (azer comprehender que o gover-
no de sua raagestade, tomando esta resolugo, po-
de ter quando parecer, de um lado, que propu-'
nha uma medida que previa dever ser rejeiada,.
ou de omro lado, que propuoha uma medida que,
se fosse acceila, nao podia^deixar de o ser a cus-
la da aecusaco de uma divergencia de opinioes
que o meu governo professava ouir'ora a respeito
de leis ccnstlucionaes e internacionaes.
Pode ser que nesia parte, eu coraprehenda, se- i
gundo as explicacoes, que interpetrei mal a natu-
reza da proposta de V. Exc, segundo o acolhiraen-1
to que o meu governo Ihe der ; euto, pego que j
me desculpe a observago, e que considere como
feita sem autoridade e s cora a esperanga de pro-
vocar semelhanle explicago.
Tenho grande satisfago em terminar esta nota,
annuindo cordealmente ao pedido de V. Exc. que
desculpa o pouco que teniou fazer, e pretender que
o esta desembalado com toda a jusliga, das conse-1 lera por lira reunirrao-nos ao governo de sua roa-
.o^i quenaas inevitaveis que devem resultar da sua geslade para nos felicilarmos da guerra ter termi-
inacgo, seguir-se-hia necessariamente que, no fu-! na(l0 sem produzir um rompiraento entre duas na-
lur-, a nica emulagao eniro potencias neutraes'coes que deveriam estar unida pelos lagos da mais
seria nao fazer o mais, mas fa'zer n meuos possive1 inleira amisade.
para cuuiprir as obrig.go-s que tem por fim im-
pedir os manejos e as tentativas dos seus povos pa-
ra favorecer os conflictos que tem lugar entre bel-
ligerantes no ocano.
Y -sa carta convinha V. Exc. francamente que,
i.-:.i c msequjucia da inierrupgao das communica-1
(oes entre Nova^York e Washington, nao haveis!
anda recebl lo eommuocaeo alguma quanto as!
medidas tomadas at ento por cada urna das duas
p.:: is na lua que pareca ter co negado..
Segunao as mengues amigaveis de que V. Exc. '
se digna prevalecer se, e s quaes ligo plena f, a
m I o r d-sculpa que eu posso encontrar a favor
Se esta jurispondencia fosse lima vez admiltida,
com a autoridade que a poderosa influencia do go-
a vossa decisao, que era precipitada. Penah- verno de S. II. Ihe pode dar. nooosarel demons-
sar-me-liia encarar as cons>'.|uencias naturaes que trar a repugnancia que o povo que tenho a honra
haviam de surgir se poderse admittlr que havieis de representar teslem'.inh3ria em aceitar e em se
procedido maduramente e com premeditaca. Per- conformar com semelhanles actos. Al agora nao parte consideravel e muito influente dos subditos
Recebo tambem cora grande prazer a seguranga
que V. Exc. me d, de que os esforgos cora que o
governo e ocongresso domeu paiz abolirara a e>-
cravido enconlraram i as mais vivas sympathias
entre os povos destes reinos.
Ainda que pela dolorosa observago que fiz n'um
cargo que exergo ha quatro annos, rae tenha pare-
cido que eu nao posso dar o meu completo assenti-
mento a esta declarago, na sua applicago a uma
Sisto pois respetosamente, apesar da opposigo de se Ihe podia censurar de he ter faltado o zelo do
V. Exc, na opinio de que nao deixei de empregar lado da parte mais aventurosa do seu povo, e a me-
bem o epitlieto que melhor con\em ao assumpto. nos escrupulosa para favorecer emprezas em pro-
de sua mageslade ; anda que tenha tido a inMi;
cidade de notar durante as phases de to admira-
vel revolugo que um germen de indifferenga do-
E' do Sr. X esta poesa
o ii.ui'ji Kim
Na praia, despena,
De flores, coberta
A moga inexperta
Dos sonhos d'amor
E os olhosdeaten
Pelo mar. que f3nd
A barca que prend
O seu seductor
Afilela estremece,
Aos cos uma precb
Envia, e emmudeci
Na dor desmaiandi
Depois... abre os ilhos
V durosabrolhos
V brumas, escolhas
E dizsuspirando :
< Ouem fui e quera sou
Elle melurbou...
-Febril desfolhou
Minha c'ra virgera,
Cora que eu cingia
Afronte que ergua
No mundo que a viaL
De clica origem I
< P'ra que me roubaste,
E amor me juraste
E o co me iodicasti
N'um voto sagrodo ?.
E agora semd
Medeixas to, s,
Envolta no p
Cora o peito sangrad ? I..
< Barqueiro, me escita
Que sorvo a cicuta
Cruel nesta luta
Do abysmo profundo,
Em que me atirasle
Meu carpo eolodasie
E meu peito tornaste
Cadver, no mundo t
t Barqueiro, os meus a
Puugeotes, falaes
Me dizem que vais
Ue mim le esquecer 1.1.
De mira I oh 1 perjuro
Seductor, impura,
Que o meu futuro
Fizeste-o morres
O co se turbava.
E elle-caotava,
Jamis se alterava
Ouvindo a infeliz ;
Que ao mar se langou.
As ondas... luiou
E smurmurou :
Meu Deus I Meu juiz I
r..
O mar se encapella
Escarceo revella;
E o barqueiro vela
Se agarra c'horror
Soccorro implorando ?
Ao cu se curvando I
o mar o roubando,
Bramia em furor I. .
E a lagentil
Surga subtil
De nuvens d'anil,
No eolio brilhando
Do anjo, que eslava
Na barca, e aflagava
Um vulto, e orava
A Deus se entregando I \
E Anda a oracao
Curvoo-se, e a mo
Sobre o coragSo
Do amante ponzou I
< Sua alma infenita,
Diz ellase-agita
No peito, e palpita ;
A vidatornou !
E os olhos abri
O amante, e o que vio ? !
A quem rcpellir
De modo cruento !..
E duas torrentes
Desusara ferventes
as faces, nascentes
Doarrependimento !
Depois se curvando,
E as mos juntando,
Como que orando,
bhe impora operdo !
E ella o erguendo
Lhe diz o prendendo
Ao seio tremendo
Sobre o coraco :
t A mulher que amo,
E ardente se inflaroma
D'amores na chamma,
Comfia nasorte !
Faz mil sacrificios,
Atiende aos auspicios
D'amor, precipicios
Arrostando... a morte !
i Que alma to nobre 1
Que peito que a cobro
E eu mizero e pobre
De f, repellia ? I...
E ella buscou-me
as ondas, salvou-me ;
Ao eolio abrgou-me,
Quando eu Ihe fugia ? I.
t Nao serei mais reo,
Teu candido veo
C'o'abengo do co
Do lodo ergueire ...
E' quanto eu almeijo :
Diz elle n'um beijo.
Pergunta com o peijo
Mas pura eu serei ?...
Lima (Per) no praso dedpns annos, assim qoe fue
possivel.
Sao do Sr. Z*" estes soneto, dirigidos a V***
Olhar para leus olhos enlevado,
Beber a luz suavissiroa que exhalan);
Sentir as commoges que esta alma ahalam
Se um volver d'olhos langas requebrado;
Scismar no teu semblaule harmonisado ;
Ouvirle as vozes, que em meu peito calara;
Vlver neslas saudade?, que me ralam,
Quandu de u nao posso eslar ao lado;
Ver leus cabellos fluctuando ao vento ;
Sentir pulsar leus seios de douzella ;
PeDsar coosiaute em nosso casamento :
Eis o que esta alma louca roe atropella;
Eis a idea que tem roen pensamenio;
Bis de teu bardo a inspirago mais bella !
Se amor erguer no peito um monumento
A quem uos enche a vida de fulgores;
Se amor ter cuidados zeladore*,
Que nos fazem SOftYer cada momento;
Se amor sentir n'alma um fogo lento,
Que a alma consom de sublimes dores ;
Se amor ter n'uns olhos seductores
Alma, vida, ventura, pensamento ;
Se amar crer em Dos, as creaturas,
Correr do pobre ao lucubre reclamo,
Gosar nos sonhos, e sonhar venturas :
^njo I se amar assim ; en que me ioflammo,
Eu que nao rogo as tuas azas pura?,
Eu.. tambem m amarporque te amo !
O re africano de Dahomey contina a mandar
fazer sacrificios humanos.
ltimamente lgaram-se contra elle vanos res
seus visiones, que ameaeam desmembrar o seu
reino.
S. M. negra aitribue o pengo em que est de
perder a coroa aosespiritos malignos, e para cen-
jura-los mandou malar duzentos infeliz---, assassi-
nando pela sua propria mo os dez priraeiros.
As repblicas da America Central e da Ameri-
ca do Sul formaran uma allianga alim de obstar
a ingerencia da Europa uos negocios america-
nos.
O S. Salvador, a Bolivia, os Estados-Unidos da
Colombia, o Clnli, o Equador, o Per e Venezuela
fizeram um tratado de allianga para a sua com-
mum defeza, e noraearam plenipotenciarios para
as represeotarem em um cougresso das repblicas
americanas contra a Europa.
Estas repblicas onem-se para mutuamente ga-
rantirem a sua independencia, a sua soberana, a
sua integrdade e a sua forma de governo.
Todas se obrgam a repellir qualquer aggresso
contra os direitos que reconhecem.
Nenhuma dallas poder "consentir na cesso de
parte do seu territorio a qualquer potencia que
seja.
Km caso de agressao ou ioiervengo contra, ou
nos direitos de soberana, de integridade, ou na
forma do governo de alguma das repblicas, as ou-
tras devero logo suspender todas as relagdescom-
merciaes e polticas com a potencia em que-to,
isto despedirlo os representantes dessa potencia,
ministres plenipotenciarios, cnsules ou outros
agentes ; prohibiro qualquer importago, e fe-
char) os seus portos aos navios da referida po-
tencia.
As partes contratantes nomearo delegados en-
carregados de determinar os contingentes de torga
de mar e ierra que cada uma dellas tera que Torne-
cer para a defeza commum, e de Gxar o modo de
acgo mais proprio para que se mantenham intac-
tas, sendo todas solidarias por uma e cada uma por
todas.
Todas devero fornecer a que for victima de al-
guma agressao ou iulervengo qualquer, as torgas
necessarias, horneo-, armas e diuheiro, para a de-
feza contra o agg<>ssor.
Se uma das partes contratantes taltasse as con
diges da unio geral, todas as outras considera
riam essa como desleal, e procederiam contra ella
do raesmo modo que contra qualquer potencia es-
trangeira.
As partes contratantes concordam formalmente
em nao aceitar nenhum protectorado de qualquer
nago ou governo, o que seria considerado como
grave attentado contra a soberana e falta le cum-
primento do tratado.
As repblicas unidas nomearo plenipotenciarios
que devero reunirse todos os tres annos, para
regularem os Inleresses do cada uma e de todas,
alim de dar a allianga a mxima forca e solidez
possivel.
O presente congresso determinar a poca, o lu-
gar de fuluras reunies, al a expirago do p-esen-
te tratado.
A allianga feita para um periodo provisorio de
quinze annos, a partir do dia do tratado menciona-
do. No fim do referido periodo de quinze anuos,
cada uma das repblicas tera direilo a declarar
que d por finda a allianga, com aviso previo de
doze mezes. A troca das ralificagoes ser feita em
Vendo-se o general Garibaldi necessitado de di-
nheiro, ponsou em vender um cavallo rabe e um
lilho desse cavallo e da egua Mar-ala >, de qne
se fez presente ao general no momelo em qoe
desembarcou na praia de Genova.
Os cavallosesiavam desde muit) lempo na cava I-
langa de ura Genovez que lioha servido as ordens
do general, e que iratava esses animaes com d
maior cuidado, sem nunca fallar em despezas de
tratamenlo.
Apresentavam-se poucos compradores, a os qae
appareciam nao iam cima de um prego moderado*
Eotretanlo sentiam-se em Caprera as exigencias
dos credores; por conseguinte deu-#e ordena para
vender os bichos por 2:000 francos on 80 libras a
um individuo que lioha offerecido por elles essa
quanlia.
De repente chega uma carta de Menotti para qna
nao sejam vendidos us cavallos, porque se apre-
seota outro comprador.
Com efeilo apparece um certo Sr. B. qne v as
auimaes, e ouvindo dizer que se pede por elles
5:000 francos, diz logo :
bao meus.
Tira de uma carleira cinco olas de banco e
passase Ihe um recibo.
Perguntando-se-lhe aonde ho de ser mandados
os cavallos, responde :
Amanha manda-los-hei buscar e sera indi-
cada a direcgAo
No dia seguinte um bilhete do Sr. Bo que dizia
apenas :
Remeta os cavallos para as cavallarigas
reaes em Turiu.
J se v claramente quem o novo possuidor
dos cavallos comprados pelo prego marcado pan
acudir aos apuros do general.
Diz-se que o Sr. B linha ordem para dar por
elles 10:000 francos, se fosse pedida essa q laotia,
e diz-se mais que os cavallos lefM guardados pa-
ra ser entregues ao general no caso de vir a ler
necessidade delles.
FOLHETIM,
AS PRQYACOES DE AILEEN.
SGBNiS DA PIDA IRUNDfZA.
(Continuago.)
VI "
CIUMINOSO OU INNOCENTE.
Na cidade principal do Condado reioava um tu-
multo extraordinario. As ras habitualmenle lo
tranquilas, que a passagem s de una carruagem
basta va para fazer cregarem todos os mercadores
s porta.-, das suas lejas ou para ajunlar bandos de
mamaos em 'arrapos, estavam ento to atravan
cadas de vehculos de todas as especies, carrua-
gens, ealecas, carros de todos os feitios imagina-
reis, que na verdade estacionar diante das portas
pareca o negocio do dia para a populago adulta
da cilad. Quauto aos meninos, vendo os, fleava.
se suspenso de que essa excitagio da qual elles
estavam po^uidos podesse ser assim sustentada
sem nuuca abaixar, e que nao se fatigassem de
gritar continuamente e de ajontar-se ao redor das
carraagens, admirando os ricos ve.-tuarios dospro-
prietarios o considerando com delicias o alto assen-
lo collocado atraz da carrua m essas espe-
cies de individuos tendo dianle ue si seus enormes
chicotes. >
E que tumulto, para ter occasio de ganhar um
ou dous sidos abnndo a portio'iola I A cada nova
apparigo, era uma nova multiJo de rapaziahos
que se precipitavam adiante, derribando uns aos
outros para chegarem primeiro. Esta mullido
consista em pernas nuas, cabecas cohertas de p e
farrapos litteralraenie piogando suor, esses farra-
ios que s sao vistos bre costas irlandezas e que
vos fazem perguntar com eslupefaego como se
pode vesli-ius, e principalmente, uma vez tirados
como se podera' tornar a ve.-li-los. U perfeito bom
humor qua reina na plebe irlaudeza quaudo nao
excitada por senliraenlos polticos ou religiosos,
uma das cousas que mais impresso faz aos estran-
geiros, assim corno a bondade testemunhada as
changas.
Um dia de feira tarde encontr! em uma cida-
de da Irlanda homens ah muitosmeio ou
completamente bebados; admirei me da brandura
rom que elles failavam as criangas que Ihes impe-
diam os passos. Em uma ra de Londres, os In-
felizps leriam sido arremessados ao longe com mais
de uma imprecago. Os Irlandezes sao sempre
agradaveis.
O grande prtico no qual a onda do povo se pre-
cipita com mais regulandade a fachada do tribu-
nal do jury, onde Ulick O'Donnel deve ser julgado
nesse mesmo dia.
Entre os contrastes tristes e esiranhos existentes
neste mundo, nenhum mais sorprendente e mais
penoso do que aquelle de que se lestemunha em
oecasioes como esta; nao irdo do tumulto nem da
alegra que reina fura, mas dos aecusados e dos
espectadores. E' sempre com om desgosto pro-
fundo que se falla de toda essa chusma reunida
para saciar-se dos lerriveis horrores de uma exe-
cugo publica ; admira-se, treme-se sabendo que
at mulheres com os lilhos nos bragas esto all
em tal momento; nada com elTeito parece mais
horroso, e deve-se desejar que estas excnrses,
quando lenham lugar, sj sejam lestcmunhadas por
aquelies que exige a lei.
Mas, tratando deste depravado gosto da classe
baixa deve-se recordar as scenas que precede-
[ ram e tambem admirar-se esta phrase dos jornaes:
O tribunal estava cheio das mais distioctas pes-
soas > ; mulheres elegantes e delicadas esio all
levaudo comsigo suas jovens e encantadoras filhas
para acompauharera todas as phases do processo,
ouvirem as provas pro e contra o infeliz cuja sen-
tenga deve ser logo pronunciada por um juiz ter-
restre e cuja alma esta' laivez to prestes de appa-
recer, nua e iremula, napresenga do juiz infallivel
cujos decretos sao irrevogaves e eternos. E tem-
se por cosluxe vir a este espectculo com vestua-
rios brilhaoles, com sorrisos e phrase de conven-
gao, entretendose, quando o calor da discussao di
minu um pouco, com mil ninharias que fazem ob-
jecto das conversages, com puerilidades e mesqui-
nharias; rindo, brincando, quebrando-se, ao passo
que a vida e a morte de um homem, talvez uma
vida e morte eternas, sao discutidas e pesadas I
Gragas a Deus I pobre irmo, ao redor de ti se
eleva oulra nuvem de tesiemunhas. Santos e
anglicos olhos velara por ti com lerna compaixo,
seus corages oram pela luasalvago; ura, entre
esta milicia bnlhante, conservase radioso posto que
invisivel a leu lado, na entrada interior, pobre cri-
minoso despresado I Elle eslava junto de ti quando
commeitesle o crirae que le irouxe al esle tribu-
nal, e jamis seus accentos foram mais solcitos por
la alma, na presenga de Deus; jamis os suaves
murmurios da su voz resoaram mais fortemente
em teu coragao I 01 lia de novo por cima, mais por
cima. Nao vs esses olhos cheios de piedade que
brilham cora tanta ternura sob essa corda de es-
trellas T BtifMto dos peccadores, consoladora dos
afilelos, oral por elle I Depois mais alto ainda, so-
bre um throni brilhante, coroado de uma aureola
mais gloriosa do qne a da propria Mara, esse sa-
grado coraco sobre o qual ella repousa, foi uma
vez despedagado por amor de t e o sea amor aqu
O governo dos Estados-Unidos insistir acaso tas
suas reclaraages junio do governo inglez ?
Tudo leva a crer que .-un.
E isto lano mais provavel, por isso qne em
Washington tomou-se um compromisso para com
o publico de obter indemnisaces do thesouro bri-
lannico: e ah damos era ,-eguida uma curiosa no-
ta que acaba de ser communicada aos jornaes ame-
ricanos pelo ministerio do estado :
Todas as pessoas que foram victimas das de-
predages dos navios rebeldes Alabami, Skenan-
doah e outros, armados e tripolados nos portos in-
gle:es, sao convidados a dirigir as suas reciaina-
ges ao ministerio de estado, o qual pedir e pro-
vavelmente conseguir indemnisaces do goveruo
inglez.
c Esle communlcado refere-se igualmente aquel-
es que solfreram damnos em resultado das mcur-
ses rebeldes sobre a fronteira do Canad.
t O secretario de estado oceupa-se ariivamente
deste assumpto, e lenoona reclamar vigorosamente
al que jusliga Ihe seja feita. >
Depois deste passo seria diflkil recuar.
to grande como no Calvario. Elle teu juiz.do
seu julgamenlo ludo depende. Cor leiro de Deus
que apagaes os peccados do mundo, len de piedade
delle !
Digamos agora como os planos d \ pobre Aileen
foram frustrados. Deve-se recorda que, quando
ella deixou o lugar do rendezvous, ficou sororen
dida da demora que houve antes da volta de Ulick
' e dos seus companheiros. E' que i o momento de
| se separar, Ulick pedir a seus cmplices que anda
o ouvissem :
t Amigos, Ihes dissra, pron ettesle-me dei-
xar-vos guiar por mira em todo ote negocio ; a
questo minha, pertence a mm arranjar as
cousas. >
E' certo, Ulick, mas tudo ja' esta' previsto,
disse ura do bando. >
Lembrei-me de desfazer de lodo o que tem
' sido combinado, replicou Ulick. E icontrarei s o
I monstro ; uma cousa que somenl.
mm e nao quero que ninguem arrh
diz respeito a
qne a sua vida
a nao ser en; enconlra-lo-he s, e s farei jusliga
a mim e aos meus. Assim o quero
E sua voz se elevava com um accento de cole-
ra e a sua fronte franzia-se ouvindo os murmurios |
ao redor de si.
Vos fareis jusliga a vos mesmos depois
d'amanha a' tarde se falhar o meu calculo.
E o sorriso que passou pelo seu! bello rosto era
sinistro e medooho. No dia seguinije Ulick O'Don-
nel espreiteu a sua victima no Gap de Gleolane,
defroote de ura dos lados do enorme roebedo, ao
passo que, do outro lado, a pobre Aileen esperava
chea de conflanga em sua obra ole candada. A
cruz enlreambos I Foi sobre esla que cabio Aileen.
c Incomprehensiveis sao os juizos de Deus, rosn-
daveis os seos designios. As la vas sao pelo
mar, os leus camiobos pelas muitas aguas e os leus
passos nao devem doixar pegadas.
Longos das se passaram antes de ser preso o
assassroo, porque elle se flava em um dos mais
selvagens terrenos deste disiricto retirado; e todos
diziam que a menos que algum delles nao fosse
traidor, o seu escondrijo jamis poderla ser desco-
berto. As suspeilas cahiram com estranho accordo
sobre Pai-Callaghaa, e ellas tornaram-se uma cer-
teza no c Valle-Escuro quando elle e sua familia
se retiraram para uma cidade vizinha onda abri
uma luja que prosperou.
< Mas, diziam os camponezes dos arredores,
o premio do saogue, e a raaldigo nao lardara' a
pesar sobre elle.
E todos pareciam cegos acerca do crirae de
Ulick
Portanto Ulick O' Donnel estava na barra do tri-
bunal ; era sua sombra phisionomia descobria-se
uma resolugo anda mais sombra; elle pleiteou a
mo culpabilidade. com voz baixa quasi indifferen-
te. Na realidade nao se importava com a vida ; es-
lava vingado e quera que as cousas corre-sera
revelia pelo que Ihe dizia respeito, e se nao fosse
o seu advogado que Ihe assegurou que havia gran-
de prdbabilidade de livra-io, cortamente elle nao
teria seguido a forraalidade ordinaria de defender
a sua causa. Nao pretendo dar uma descripgo cir-
cunstanciada do processo. Elle oflereceu ura gran-
de interesse. O caso pareca extremamente gra-
ve ; mas o advogado de Ulick era um homem de
alent distinelo tanto quanto Lrilhante orador, e
a opinio publica, no segundo da dos debates,
eslava dividida acerca do resultado do julga-
menlo.
As provas directas estavam circumscrlpfas a
duas pessoas : o cocheiro de Pearce e Aileen O'-
Donnell. O primeiro recooheceu immediaiameate i
a Ulick pelo astaseiOO, accresceodo que a espin-
garda deste fura encontrada no lugar ; Pat-Caila-
gan jurara que era a de Ulick ; foi a nica pessoa
que quiz dar este depimeoto. E a pobre Aileen ?
O criado jurou t-la tambem visto e ninguem duvi-
dou da veracidade destas palavras. Jjuero jamis
poderia esquece-la, diziam de todos os lados, vendo
seu alvo e alfavel rosto em sua caodura e soavida-
dade? Ella nao mudou umi s vez de Wt, ella, a
tmida lilha das raontanhas que, nunca en sua vi-
da, se achara era face de vinte pessoas reunidas.
Sua alma toda eslava lo profundamente absorta
no pensamento do crirae de Ulick, que era iJiSe-
rente a outro qualquer sentimento. Todava, ella
nao ousava olhar para elle; era um esforeo que
nao podia fazer, mas pronunciar a paiavra que o
teria condemnado, nao. Por sua alma s, ella nun-
ca quereria diz-lo. Devia ler lempo para arr-pen-
der-se, e puriilcar-se desia macula hornvel tapet-
eado mortal; portanto cumpria-lne estar de coalas
justas. Quanto a usar da mentira que laivez o sal-
vasse, tambem ella nao o podia. Quantas vetes as
religiosas do seu convento Ihe tintura dito qae,
ainda mesmo na esperanga de livrar as almas o
patbulo, nao se devia commetter nm peceado ve-
nial ? Ella uo hesilou um s momento, apesar
das provagoes que teria de solfrer de Moyna jsw
Ihe prodigalisou as mais amargas eiprobracVs a
apezar da maldigo com qoe aroeacou-a se fosse a
causa da perda de seu fllho.
Nada pode pintar a agona que ella soffreo. A
idea nica de Nosso Senbor, dizia ella ao padre
Manon?y algum lempo depois, a idea dos sofTnntea-
tos de Jess Christo durante a noita da Paiiio a
tinha lo smente sustentado I
Mhmmar uka)
PERNAMBUCO T\ P. DK M. V DE|F. & flUtO


- -

1

-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EKBDM65JR_WSQRIF INGEST_TIME 2013-08-27T21:49:52Z PACKAGE AA00011611_10822
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES