Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10821


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO ILI. MERO 264
- \
Por qnartel pago deutro de 10 das do l, mez ...ti., 5J000
dem depois dos i.0110 das do comecoe dentro do qnartel.... 6f 000
Porte ao corre/o por tres mezes...........,:. 750
SEXTA FEIRA 17 DE K0VEMBR0 DE 1865.
Por auno pago dentro de 10 das do 1. mez ,,,.... 191001
Porte ao correio por um auno............, Sf009
EXCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alax>ndrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Margues da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de l.emos Braga; Cear, o Sr. J. Jos di-
Oliveira; Maranhio, o Sr. Joaqnim Marqnes Ro-
drigues ; Har, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filtos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
EXCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SOL.
Alagoas, o Sr. Clandino Falco Das; Baha, o
Sr. Jos M.irtins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS. ISerinbiem, Rio Formoso,Tamandar, Una, Bar-
Olinda, Cabo, Escada e estagSes da via frrea at| reros, Agua Preta Pimentelras.nas quintas
feiras.
Agoa Preta, todos os das.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Gravar, Rezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhnns, Buique, S. ento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tergas
feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqoeira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabroh, Boa Vis-.,
ta, Ouricury, Salgueho e Ex, as quartas Juiz0 o commerc.o: segundas as 11 horas.
feiras. 'Dito de orphos: tergas e sextas s 10 horas.
AUDIEXCIA5 DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relago : tergas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tergas e sextas ao meiol DAS DA SEMANA,
da. I
13. Segunda. Ss. Arradio e Pauhllo v. m.
Segunda vara do civel: quartas e MbbadM a 1
hora da tarde.
EPHEMERU3ES DO MEZ DE NOVEMBRO.
3 La cheia as 5 h., 43 m. e 28 s. da m
10 Quarto ming. a 3 h., 25 m. e 52 s. da m.
18 La nova as 8 h., 40 m. e 2 s. Ja m.
26 Quarto cresc. aos 38 m. e 2? s. da ra.
Ii. T.-rga. S. Atrillo diac; S. Gorias m.
15. Quarta. S. Geilrudes v.; S. Clementino ra.
16. Quinta. S. Goncalo de Lagos; S. Elpidio m.
17. Sexta. Ss. Alfo e Zarcho mm.
8. Saiibado. S Obdon ab.; S. Barcella ra.
19. Domingo. S. Isabel viuv. raiuha de Hungra.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 3 horas e 42 m. da tarde.
Segunda as 4 horas e 6 minutos da manhaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o
ala a Granja a 7 e 2i le eada mez; para Fernan-
do nos das 14 dos metes de Janeiro, margo, mato,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da prega da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprielariys Manuel Figueiroa.de
Faria & Filho.
Os Srs. asignantes Ueste Diario, que
se acham em debito das respectivas assig-
natnras, qiieirain mandar realisar o paga-
monto dellas; e aquellos que moram lora
dcsta cidade, teiiliain a bondade de dar avi-
so de quaes sejain aqu os seos correspon-
dentes, afinado ser solicitado e&se pagamen-
to dos mesmos, a quem danto ordena para
isto, visto como alguus pretextan) a falta
dessa ordena.
(NEBRO BA miMtili.
Continufao do expediente do dia 13 de MUrabro
de i 805.
OfBcio ao general commandante das armas.
Sirva-se V. Exc. de mandar alistar a Theodoro
Jos dos Santos, Joao Wenceslao de Jess Vereda,
Amaro Jos do Amaral e Joao SeraBm Pereira da
Silva, o Io no 5o, e os dentis no 6o corpo de vo-
luntarias da patria.
uito ao mesmo.-OITerecendo-se o_ capitn Jos
Januario Alvares Ferreira, do batalho n. 16 de
Pao d'Alho, para pregar seus servigos na caropa-
Dha do sul : assim o communico a V. Exc. para
qoe se sirva de manda-lo encorporar no 2 bala-
lho destinado para o serrino da guerra.OuYioit-
se ueste sentido ao commandante superior da
gaarda uacional do Pao d'Alho.
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. inspeccionar
o guarda nacional rio batalho n. 36 de infamara
o municipio do rejo, Jos Francisco do Xasci-
mento de que trata o iuclusorei|iierimenlo.
Dito ao mesmo.Sirva se V. Exc. de informar
acerca do que pede no incluso requerimente Mana
Lennarda.
Dito ao mesmo.Annuindo ao que solicitou o
Dr. chefe de polica ein offlcio de 10 do correte,
sob n. 1,775, recommeodo a V. Exc. que mande
eliminar doservigo da guerra, para que eslava
designado, a Jo* Gomes do Carino, que com o no-
me de Francisco do Carmo, e como guarda do 8
batalho de infamarla Ihe foi mandado apresentar
com o meu offlcio de 30 de outuliro ultimo, visto
que alm de nao-estar elle quahlicado guarda na-
cuii il filho nico de mulher viuva, a quem serve
de arrimo.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc de informar
acerca do que pede no incluso requerimento o
guarda nacional do batalho n. 43 de infamara
do municipio de Seriuhem, Francisco Gtuveia de
Barros.
Dito ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de mandar
inspeccionar o capito da 1* companliia do balalho
n. 8 de infamarla deste municipio, Jos Francisco
Pereira da Silva Jnior, remettendo-me o resulta-
do da inspeego.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de mandar
ali>iar no o corpo de voluntarios da patria a
Joao Faustino de Araujo, apresentado pelo alteres j
do mesmo corpo Pedro de Alcntara Perrier.
Dito ai mesmo. Tendo-se desenvolvido o cholera
morbos em algnns paizes da Europa, com os quaes
mantera esta provincia relaeoes commerciaes, con-
vmquese time todas as medidas preventivas:
contra aquello mal. alim de impe-lir o seu appare-l
cimento ou de evitar o seu maior desenvolrmento, |
ee inlelizmenle aiju manifestar se.
N Me sentido, pois, srvase V. Exc. de provi-
denciar para que nos quartets e mais estabeleci-;
mentos militares se manlenha o maior asscio pos-
siwl, ese observe todas as condiges hygienicas
acerca das quaes V. Exc. ouvira' os mdicos do
servigo da guerra, podendo-me solicitar-me tolas
aquellas medidas que nao esliverem ao sen al-
cance.
Dito ao inspecior da thesouraria de fazenda.
Jnteirado de quanto V. S. expoz em seu offlcio de
9 do crreme, sob n. 809, teoho a dizer.em res-
posta que deve essa thesouraria esperar que baja
crdito para effectuar o pagamento da quaulia de
15o que se esta a dever ao guardin do convento
de Santo Antonio do Recife, proveniente do aluguel.
oa parte do mesmo convento, oceupada pela cum-
panhia lixa de cavaliaria desta provincia.
Dito ao mesmo.Constando de aviso da repart-
Sao da guerra de 25 de setembro ultimo, haver o
alferes do 2o batalho de infamara Joaquini in-
Neves Seixas, requer lo para ser suspensa a con-1
signacao mensal de 20J, uue de seos vencimentos
havia deixado nesta provincia : assim o communi-
co a V. S. para seu conbeclmenlo e lins conve-'
Dientes.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.;
Estando em termos os dous inclusos prets que mej
reiiieiieu o commandante do batalho n. 39. de in ',
fantaria do manicipio do Cabo, com offlcio de boje
sol u. 149,mande V. S. pagar os veitcimentos re-,
lativos ao mez de minoro ultimo, do destaca-
mento de guardas nacionaes existente Qaquella
villa, devendo esse pagamento ser eflectuado ao
sargento commandante dopredilodestacamento.
Dito ao mesmo.Recnmmendo a V. S. que es-
tando em termos a cunta junta em duplcala, e nao
havendo inconveniente, mande pagara Thomaz de
Aquino Alves do Xasclmento, conforme Soliciten o ,
chefe de polica em oflicio de It do correle, sob '
n. 1,777, a quantia de 117-3920, proveniente da la-
vagm da roopa da enfermara da casa de deten-
cito nos metes de julho a outubro deste ano >, como
se v da predua conla.
Dito ao mesmo.Em vista do competente cen-;
fic.do, mande V. S. pagar ao arrematante dos re-
paros da estrada do Porto de Galhnhas, Francisco
Alves de Miranda Varejao a quantia de 7975720,
proveniente da primeira preslaco a que i-iu elle
direito, por haver concluido metade das obras do j
sen contrato, segundo consta de offlcio do chefe da ,
repartico das obra' publicas, datado de 11 do cor-
rente e sob n.360.Commonieon-se ao chele da;
repartigo das obras publicas.
Dito a > tenente-coronel Jos Francisco de Arro-
da. Respondo ao seu offlcio de 22 de ontubro
ultimo, agradecendo muito o procedimento digno
de louvorque leve V. S., olferecenlo para servir
como voluntario da patria a seu tilho Joan Travas-
so de Arrnda, o qual se aiistou no 5 corpo.
Dito ao inspector do arsenal de marinha.Fago
apresenlar a V. S. para ser alistado na compaobia
de aprendizes marinheiros, o menor Amonio, or-
pho, que me fo apresentado pelo chefe de poli-
ca eom otflco desta dala, sob o. 1786.
Dito ao director do arsenal de guerra. Mande
V. S, em observancia do aviso do ministerio da
guerra de 4 do corrente, fornecer ao soldado do
4o haiathSo de artilhana a p, Jos Theodoro da
Silva, que se acha cumprindo sentenga no presidio
de Fernando, os artigos de fardameuto constantes
da nota inclusa por copia.
Dito ao conselho de compras do arsenal de
guerra.Auloriso o conselho de compras do arse-
nal de guerra a promover a compra dos objertos
constantes do pedido junio, os quaes silo necessarios
para provimento do almoxarifado do roesrao ar-
senal.
Dito ao captao Luiz de Franga Mello Jnior.
Das pragas destinadas ao corpo provisorio de poli-
ca, mande Vmc por urna a' disposigo de cada um
dos subdelegadas de polica das freguezias desta
capital, e expega suas ordens para que a guarda :
da ribeira da freguezia da Boa.Vista seja feita por i
pragas do mesmo coi po.
Dito a cmara municipal do Recife.Upportu-
natneute vai ser subraettido ao coqhecimento do
ministro do imperio a representado que para ler
esse destino acompanlinii o offlcio queme dirigi a
cmara municipal do Recife em 8 do corrente, seb
n. 72, que tica assim respoudido.
Portara O presidente da provincia, tendo em
vista a proposta do tenentecoro"el commandante
do 3" batalho de infamara da guarda nacional
deste municipio, sobre a qual informou o respecti-
vo commandante superior em offlcio n. 434, de 10
deste mez, resolve promover ao posto de lenle
para a 5* rompanhia do referido batalho, o alfe-
res da 1*, Jos Candido de (Jarros Jnior.Com-
municou-se ao commandante supe/ior da guarda
uacional do Recite.
Dita.O presidente da provincia, altendendo ao
que requeren o piiz de direito da comarca do Ca-
bo, bacharel Manoel Clementino Carneiro da Cu-
nta, resol ve conceder-lhe 3 mezes de licenga com
os respectivos vencimentos na forma da le para
tratar de sua sade.
Dita.O presideote da provincia altendendo ao
que requereu o tabello do publico judicial e no-
las e escriv i de o libaos, crime e civel do termo
da Floresta, Francisco Jos da Rosa, resolve con-
ceder-ihe 3 mezes de licenga para tratar de sua
sade.
una.O presidente da provincia, resolve desig-
nar o bacharel Jacintho Pereira do Reg para ser-
vir de procurador Bseal ad hoc da thesouraria de
fazenda em negocios de interesse particular do aju-
danle do guarda mor da alfandega desta capital,
Affonso do Reg Barros, visto dar se impedimento
no actual procurador fiscal bacharel H-nrique do
Reg Barros na qualidade de Irmao d'aquelle em-
pregado, segundo consta de offlcio do inspector
d'aquella repartico datado de II do corrente e
sob n. 816.Fieram se as necessarias cotnmuni-
cagoes.
Dita.Os Srs. agentes da companhia brasilera
de paquetes a vapor, mandem dar passagem para
o Haranhio no vapor que se espera do sul por con
la do ministerio da guerra, de conformidade com
o aviso de 20 de jonho intimo, familia do cirur-
gio de brigada Jos Sergio Ferreira, composta de
sua seohora e 4 lilhos, fleando sem emito a porta-
ra que neste sentido expedio o meu antecessor
em 30 do citado mez.
-14-
ufflcio ao general commandante das armas.
Sirva se V. Exc. de mandar eliminar do servigo da
guerra para que tora designado o guarda nacional
do batalho n. 12 de infamara do municipio de Se-
rinhem Joao Pereira de Mesquia, visto ter pro-
vado ser menor de 18 annos.
Dito ao roetme.Deferindo o incluso requer-
ment do guarda nacional Joao Francisco Guima-
res, autoriso V. Exc. a manda-lo eliminar, do ser-
vigo da guerra para que Tora designado, aceitando
em seu lugar o paisano Jos Mara Placido urna
vez que o substituto offerecido por elle seja consi-
derado capaz em inspecgao de sade.
Dito ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de mandar
inspeccionar o guarda nacional Bellarmino de Sou-
la Pereira Grande, do batalho n. 12 de lufantaria
do municipio de Goyanna, de que trata o incluso
requerimento.
Dilo ao mesmo.Sirva-se V. Exc. mandar dar
baixa a Mmervino de Miranda Rocha Pitta que se
acha alistado no o* corpo de voluntarios da patria,
por ser menor de 18 annos.
Dito ao mesmo.Suva se V. Exc. de informar-!
me acerca do que pede no incluso requerimento!
Rita Mara da Conceigo.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de informar,
acerca do que pede no incluso requerimento o i
guarda nacional Jos Exequiel da Silva que foi de- j
signado para fazer pane do contingente que tero
de dar esta provincia para a guerra.
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. inspeccionar o
alferes do batalho n. 27 de infantaria da guarda i
nacional do municipio de Caruar Peregrino de
Sonta Magallies, remeltendo-me o resultado da |
inspeego, e bem assim o guarda nacional Manoel
Theolooio Ferreira Onga de que tratam os inclusos
requer montos.
Dito ao mesmo.Quela V. Exc. mandar inspec-'
clonar Jos Vicente Correa de Almeida de que
irata o incluso requerimento remeltendo-me o re-
sultado da inspeego.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de permittir
ao voluntario da patria do 5a corpo Joao Travasso I
de Arroda o uso das insignias de Io cadete, vislo I
ser filho do lente coronel Jos Francisco de Ar-1
ruda, commandante do batalho n. 22 da guarda
nacional do Limoeiro.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de informar-
me acerca do que pe.JenV nos inclusos requernnen-
tos Francisco Carneiro da Costa, Jos Braz de Lima,
Eradlo dos Santos e Silva e Antonio Jos dos
Santos.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Annalndo ao que soheiton o commandante das ar-
mas em offlcio de 11 do corrente, sob n. 2,088, re-
commendo a V. S que mando pagar sob iniuha
resp nsabilidade, uos termos do decreto n. 2,884
do Io de fevereiro de 1862, visto nao haver crdito
para esse llm a quantia de o400. que se fleoo a
dever ao amoxarife da fortaleza de Itamaraca', 1
sargento Antonio Joaquim de Preltas no ajuste de
suas tontas da despeza feita com o guisamento da I
capella daqueil* fortaleza, no pnmeiro semestre
deste anno. Commuicou-se ao general comman-
dante das armas. |
Dito ao mesmo.Mande V. S. ajustar contas ao
capilSo de engenheiros Domingos Jos Rodrigues
al o dia 17 do crtente, visto ter elle de seguir
para a cune com licmga.
Dito ao mesmo.Recommendo a V. S. que era
vista dos. inclusos documentos e nao havendo in-
conveniente, mande pagar os vencimentos relativos
ao mez de outubro ultimo, do alferes do 6* corpo
de voluntarios em organisago nesta provincia
Elias Jos de Mello.
Dito ao mesmo. -Deferindo o requerimento que
devolvo do tenente da guarda nacional desta pro-
vincia Francisco Joao do Pilar, que faz parte do
contingente que marchoa para a guerra, autoriso
V. S., nos termos de sua informago de hoje, sob
n. 823, a dar as convenientes ordens para que ao
(procurador do mencionado leme nesta capital
seja pago nos devidos tentpos o sold de sua pa-
tente, p>r elle consignado a sua mulher D. Libania
laicas de Miranda.
Dito ao mesmo.Se nao houver Inconveniente,
mande V. S. pagar a Manoel Jos de Almeida, como
pode no incluso requ-runenio documentado, a
quantia de 115460, em que importa o fornecimen-
lo de luz e agua para o destacamento existente na
povoago da Capuuga, durante os mezes de setem-
bro outubro ltimos, visto coinporse esse desta-
camento de pragas do 2 balalho de infamara da
guarda nacional deste municipio aquartellado para
o servigo da guarnigo da praga.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Annuindo ao que solicilou o chefe de polica em
offlcio de hooiem, sou n. 1,781, recommendo a V. j
S. que m>nde pagar ao administrador da casa de
detengao a quantia de 150t5 proveniente de dous
litros que o mencionado administrador, mandou
vir da Europa para os langamentos das entradas
e sahidas dos presos daquelle estabelecimenlo.
Dito ao mesmo.Expega V. S. as suas ordens
para que estando em (erraos os inclusos docuraen-
tr... seja paga a Joao Carlos Augusto da Silva, con-
forme solicitou o chefe de polica em offlcio de hon-
tem, sob n. 1,783, a quantia de 2:3205778 despen-
dida durante o mez de outubro ultimo cora o sus-1
tent dos presos pobres da casa de deleogo.
Communicou-se ao Dr. chefe de polica.
Dilo ao commandante superior do Limoeiro.
Ap lpente da 7" companhia do batalho n, 33 do
infantaria da guarda nacional Luiz Cyriaco Carttei-' genero temos visto, tudo da cathedral urna lou
ro de Moura, que pedio passagem para o de n. SI j cania, um aspecto encantador, que repassa o cora
por ter fixado residencia no districto deste ultimo : can de indizivel prazer. Louvores, mil lonvores
batalho, como consta do requerimento junto a,in- i quem tanto se esmera
formago desse commando superior de 4 de outu- lismo material dos no
bro prximo Ando, mande V. S. passar a gua de | so da nossa religlo.
que trata o arl. 45 do decreto n. 1,130 de 12 de
approvado a deliberago que lomou a cmara de
aceitar o olferecimento da quantia de S005000 res,
Oatro
pedindo
r. Louvores, mil lonvores a por tres annos com a necessaria garanta, on* fez 'j ':'.,'*' ,V
ra pelo incremento e brlhan- um dos actuaes marchantes pela parle desoceupa-! ..^rL
)ssos templos, e pelo progres- da do edificio do lado do norte da Ribeira da fre-' S5?ZrJL
e que se flzesse o
margo de 1853.
Duo ao commandante do corpo de polica.Man
de V. S. engajar para o servigo do corpo sob seu
commando, o paisano Jos Bernardo Lima, apre-
sentado com o seu oflicio n. 1,059 de 13 do cor-
rente.
Dito acamara municipal de Ingazeira.Declaro
a cantara municipal de lngazeira em resposta ao
offlcio de 2 de outubro ultimo, que em vista do arl.
46 i i da lei do orgamento vigente, so esto isen-
los do imposto de 2500 por cabega dt gado que
fr consumido, os creadores, e aquelles que taina- se8u, o Sr.
.-'in carne para seu uso, todos os mais esto su- '
geitos nesse municipio quelle imposto.
Dito a cmara municipal do Limoeiro. Para po-
der ser approvada a deliberago que tomou a c-
mara municipal do Limoeiro como me communi-
cou era seu offlcio de 31 de outubro ultimo, de dar
ao seu procun^r urna gratificago de 2004, coo-
vm que a raflp cantara me declare emquanto
monta a porrenTagem das rendas por elle arreca-
dadas.
Portara.O presidente da provincia, attendendo
guezia de S. Jos.loteirada,
i i ., i competente termo.
Pedem nos a pub icacao do segu Inte : n,,lr ..,., ... ,-
A publicarlo feita no Diario de hoje de um L* ," ^?,"Hd* ?***%"*% iM* de 1;
pequeo communicado, reme.tido de Sernbaera SfcSS^/ffSSfe de or,le'" ^ S\Exc- uma
acerca da organ.sago do balalho de guarda na-. fen,S promulgadas no cor-
rional, que d'alii veio sob o commando do tenente- iinir./:.',,.. .i.^. j ,
coronel Marianno, menciona os nomes de varios \tolf22S^*2& de fazenda com
cavalleiros, que auxiliaram o mesmo senhor na i fSSfrJtS*-**' ""?ando mf-rmar. cujo
realisaco de um lo nobre acto, ra;
por esqnecimento deixou seu autor
oulros que nao ficaram atraz em seus esforgos. e '. ""T^r^VT
, ., une se onvisse ao enizenneirQ cnroeidnr
que muito concorreram para o bom xito, que. con-. Slllrn ,,n ":,"", jll k a
lente coronel Marianno Varios' .a 0 mMSmo. 'ambem Com despacho da pre-
lenente-coronei Mariauno varios. sideD(.|a manilando nfrmai
familia Regueira. os Srs. hrancisco
Manoel de Souza e Oliveira, seu mano C
guns propnetarios da familia Wanderlt
ram-se com dedicago at mesmo tira, j
tando os moradores que haviam sido designados
para o contingenta de guerra, j animando o alis-
esmn tnhnr na i a??t,.arno "a presidencia, mandando informar, rajo ,nanili.
v, semavida ?mfil0/ rela,ivo a "relenv5 da companhia Brasi- gg
da nur mite Ileira de paquetes a vafr- acerca d,) IToramento de *"
." s" !K, ll u'" ,erreno d8 mariDha si, a lraia d Santa Rita. ZT
do fiscal da fregaezia de Saulo Antonio,
a cmara mandasse payar a Henriques
8115OOO importancia por quanto
mesmo a remogo do enlulho
existente as ras da Paz e Palma.O Sr. presi-
dente antes de por em discusso a materia do cita-
do offlcio, declaran a cmara, que constando-lhe
que o terreno, onde se achava depositado o entu-
Iho, era particular, havia n.andado ordem ao fis-
cal para nao continuar na remogo do mesmo en-
tuiho, atienta a circunstancia exposta, mas nao
obstante o dito fiscal contiouou no servigo que
mandara fazer.Em vista do exposto maodou-se
ao fiscal qie desse a razio pela qual nao
no a ordem que Ihe foi dada pe.o Sr. presi-
dente.
Oulro do mesmo communicando que tendo de
marchar para o sul a lomar parte na guerra era
Oulro do advogado, dando o seu parecer sobre a
petigao em que Marcellino Jos Goncalves da Fonlo
lamento de voluntarios, e portadlo nao devem seus E*6 ^ntm/r"''..!!" da lrapera <>ae *""'
nomes 'ruir no esquecimento. m^ cons,.ru,r em seu predio da ra Xova n. -10.
Onlrosim na subscnpgo para a compra da
bandeira e instrumental da msica flguram nomes
-Xo tem lugar.
Outro do mesmo.
declarando que em vista da
ao que requereu o tabelhao publico desta cidade! .A Jusliv:>. <\< abnlhanta qualquer acto que
Francisco de Salles da Cosa Monleiro, resolve con- Pencamos, nao deve ser proposta em cousas desta
ceder-lhe 6 mezes de licenga contados do dia 19 naiureza, porque, sem duv.da, vai causar desnu-
do corrente para tratar de sua saude, continuando 1los o rivalidades.
a ser substituido durante esse lempo pelo actual !* .Asiira> pois, pedimos ao r. tenente-coronel
ssrveniuario interino Pedro Jorge da Silva Ramos.' Mfrtanno, que faca publicar os nomes dos enge-
nhos onde moravam os seus voluntarios, e o nume-1 A,r ih --
ro dos que vieram de caria engenho, bem como a i t 7"?*ase ue. drogado se encarregasse
lisia dos nomes dos subscriptores para a compra da de,fraZaenr jLaSTfS f,Ue a Camara t? f' 'r'
bandeira cora as quan.ias ssignadas. J a g0VerD' Conforrae ind,ea sea e,lado of-
. Por este modo, sera ofensa de ninguem, se Outro do dj d repartico das obras pnbli-
dara a Cesar o que e de Usar e a Deus o que e <. Pnnimnn;n^n,, ,"' '',. Lif. .M. ,
cas, communicando terem sido baldaaos todos os
esforgos do guarda conservador cncarregado da
respectivo snpniente para entrar em exercicio, e
declarar ao fiscal que a cmara moito louva o seu
procedimento, e tem timado as providencias para
que o suppiente entre j era eiercieio, quem o
mesmo fiscal deve orientar das ordens que exis-
tem acerca da Bscalisaco de sua fregoezia.
Despai"
Tliomaz de Aquino Coelho," Caetano Cyriaco da
Dita.O presidente da provincia, tendo em vista
a proposta do tenente-coronel couimanda'nte do
balalho o. 7 de infamara da guarda nacional des- {
le muuicipio, sobre a qual informou o respectivo |
commandante superior em offlcio n. 422 de 6 des-
te mez, resolve nomear a Joaquim Luiz dos Santos; ,
para alferes da 2" companhia do referido batalho.! ae ueu?-
iiriiiiirn.i e MjMiiiiimiiifti oi musiua iivirnm nomes .,..,.., ,.,.,_, ____ ;.. j lcl" ><>" n ua use
t^l^n^VT^A^TXn uu,-!alves da CrnOos Fernandos Moura Lu.z
Manoel Joaquim Baptista, Marcelino Jos Gongal-
ves da Ponte, Manoel Flix da Boa-Hurle, Manoel
Olavo do Reg Rarros, I). Rosa Gongalves de Je-
ss, e levantou-se a sesso.
Eu Francisco Canuto da Boa-Viagem, secretario
" subscrevi.-Pereira Simoes, pro-presidente.Re-
g. Pinio.Fonseea.Santos.
Comraunicou-se
Recife.
ao commandante superior do
Hoje o agente Cordeiro SimoVs ellectuar o|es,raoa dos Remedios, para que os tangedores de
. leilo de movis e louga, chapeos de sol, ditos do | ado faCsm os animaos descerem em lugar certos e
Dita.O presidedte da provincia resolve nomear Chille, e oulros artigos de goslo, em seu armazem, determinados, quando passam da estrada para a
a Con tanga Florentina Ayres de Lima para reger 1 a' rul ja Cruz n. 57, s II horas. campia de pastagem do que resulta um trabalho
interinamente, e mediante a gratificago annual de \ diario dos reparos dos taludes; pede a camara que
6005, a cadeira d 1 itstrucgo primara *
Bella, creada pela lei provincial n. 598
0H&SP0NDNIAS
Sis. redactores. Deraitudo acinlosamente do
maio do anno passado. Communicou-se ao direc-
tor geral da instruego publica.
*!e y.!"'! lrZ:)lTtZ!TT\^VJl'YuS^3'a ga'era I ma"de designar os l0*,re5 ,la **"***, que julgar cargo de colleetor das rda7iiroVi"c7ae7do"teri
de 13 de I franceza Poudwhery, da praga de Bouen. ; mats conveniente par. a descida do g.do, de Souza, na Parahyba do Xorie, nio ronho a ira-
- Fizeram hornera exame do 2 anno da Escola *?i? ne X^?' 2SlSSK!**j20La prensa **' CDlra esse acto injusto e at
Xormal otto alumnos, sendo qualro approvados Jama/a.,^^^^ de nxtolrar, de um governo
Posto em discusso
camara nao dlspoe de meios sullcieoies para ve-
. plenamen.e, tres simplesmente e um reprovado. i d*r a.',assa8^ d, gado pelos diversos lugares da
tinnnuMi das armas.
Quarlel general do eomrnando das armas de Per-
nambueo na cidade do Recife, 16 de novembro
de 1865.
Ordem do da n. 154.
O raarechal de campo camraandanle das armas,
declara para os lins convenientes, que a presiden-
, ca em offlcio de 13 do corrente resolveu que fasse
incluido no 2o batalho da guarda nacional desta-
: cado para o servigo de guerra o Sr. capito do de
n. 40 do municipio de ipojuca, Manoel Lauriodo algazarra infernal, levando n'uma briga de ciumes i offerecimento, vis^o que a'qelle fi^cai tem s"upp;n" :
as circunstancias que a
dos Santos Viera, que se oltereceu para servir na
campanha contra a repblica do Paraguay.
O raesmo marechal determina que seja incluido
no referido 2o balalho o Sr. tenente do 6 de in-
fantaria deste municipio, Jos Pereira da Cunda
Jnior, designado pela presidencia para o servigo
de guerra, e contemplado com o nome de Jos Ma-
I ra da Cunha Jnior, na relago que baixou cora a
i portara de 27 de outubro ultimo, publicada em
ordem do dia desse quarlel, sob n. 144.
(Assignado.) Francisco Sergio d' Oliveira.
.pelo qual confesso que nao simo a menor sympa
estrada, cora ludo que o director desigoasse os lu-. thia. Mas julgo de meu dever, como uma insta ho-
gares mais convenientes para duo lint, que a ca- menagem ao publico em geral, e em particular aos
mar recommendana ao administrador do mata- meus amigos e condecidos, palomear os motivos
douro e ao fiscal dos Afogados para providencia- dessa demissao com todas
rem afim de que se compra a medida que vai ser precederam.
l0nada: ,, ., _, .. I Aules de ludo devo declarar que sempre lu e
Uttlrodo cidadao Elisano Gomes de Mello, offe- sou ainia e acredito que nao deixare jamis de
recendose a exercer gratuitamejile o emprego de ser conservador. Posto que mnilo ignorante da
riscal, visto que o respectivo proprielarlo linda de raelaphysica poltica, o lempo e a experiencia me
n. da ra Angusta, em que mora uma sucia | deixa lo em consequencia do ter de marchar para teem irazido o profundo conveucimenlo de que
de pretinhos, que nao deixara os habitantes dessa 1 tomar parte na guerra contra o tyrano Paraguay.' nenhum partido ama e quer mais eslremecidamen-
ua descangar nem de da nem de noite com uma | Mandou-se responder que a camara agradece o te a liberdade do que o partido conservad.r.
Nestas dispo-igoes de espirito, fcil de com-
H"je 17 do corrente, etTeclua o agente Pinto
o leilo de um sobrado no Recife e diflerentes ca-
sas terreas na freguezia da Boa-Vista, conforme se
acha annunciado.
j
Comreunicam-nos o seguinte :
Pedirats pelo amor de Deus a' autortdade po-
licial quo lance suas piedosas vistas para a casa
al que botas da noile, de mineira que os visinhos
da frente, dos lados e da retaguarda, nao podem
pregar olnos I
Isso nao tem geito 1 E' preciso que haja um
paradeiro a' tanto escndalo. As phrases obscenas
ah se pronunciam sem o menor recato e sem o
respeito devido as familias honestas, que nao esto
promptas para presenciar e onvir tanta immorali-
dade I
t O negocio ja' chegou a' tal poni, Srs. redac-
, lores, que um visinho se mudou por nao poder
te, e a este compete o exerclcio do cargo no seu prehender que nie affeigo a todas as pessoas ho-
impedimento. Bestas, que comrauugam os tne uuiro do contador, informando que nada tem a trabalham pelo seu triumpho. Entre estas, sempre
oppor ao pagamento de cusas que pede o jniz de: mereceu me particular estima o Sr. bacharel Jo
direiio da segunda vara, por quanto a certido, Paulino de Figueredo, uue se dizia chefe do par-
apreseniada nao offerece duvida.-Que se ouvisse1 tido conservador na comarca de S-iuza.
ao advogado.
Outro do mesmo, pedindo a camara que man-
dasse recommen lar aos flseaes para que como sao
obrlgad s Dlo artigo 3. do regulamento de 2o.de
agosto de 1851, procedessetn a collecta dos esta-
Est conforme. Antonio Francisco Ihiarle, 2. aturar semelhantes negros I E peo geto que al belecimentos ; sugeitos ao impo-lo municipal, pois
tenente ajudante de ordens interino encarregado cousa leva, eu .rev tambera vou uto escafedendo. | que laes collectas devem estar lineadas nos hvros
do detalhe.
ISIJSTI R4WA.
Hontem benzeu-se na igreja do Paralzo ontra
bandeira perlencente ao corpo de polica.
Urna guarda de honra do raesmo corpo fez as
continencias do estylo.
Teve lugar na quarla feira a partida deste
mez do Club Pernambacano. O serio esleve agr-
davel, bem que pouco concorrido de senhoras.
Fomos obsequiado com a remessa do Guiso
pratico de Pedagoga, de Mr. Dabgault; obra que
acaba de sahir dos prelos da Universal, vertida
do francez sobre a 2' edico para porluguez pelo
Sr. Dr. J. P. M. P.
E' obra geralmente apreciada em soa especiall-
dade; e a iradurgo corresponde em fidelidade ao
original, sendo portante duplicado em importancia
o servigo prestado pelo traductor, um no>so respei-
tavel comprovinciano, cuja modestia se revela al
na occullaco de seu nome, representado apenas
pelas respectivas iniciaes.
De muita ulilidade deve ser esta obra para os
mestres. e a escola normal nao menos lucra com o
seu apparecimento, pois o respectivo autor escre-
veu-a para hgo dos alumuos-mestres das escolas
normaes de insirucgao primaria.
Xo municipio do Buique lem-se dado alguns
factos desagradaveis, confirmando as noticias que
ha pouco aqui inserimos, viudas d'alli.
Assim, era Pao-Ferro, prximo a Aguas-Bellas,
foi aceommettida uma escolta que trazia 4 recru-
tas; os quaes poderam fugir, morrendo entretank>
no conflicto dous aggressores e um aggredido.
Igualmente foi aceommettida a priso do povoado
da Pedra, e della tirado um oulro recruta por va-
rios individuos.
no
Dizem-nos que foram dadas providencias pelas i Anna Joaqnina Maria do Carino, Pernarabuco, 35
autoridades locaes; e por pirte de S. Exc. o Sr.! annos, soltelra, Boa-Vista; tubrculos pulrao-
presidenie vio partir medidas efflcazes para resta-j nares.
belecer a ordem all as precisas condlgoes de se- Maria Joaquina Vieira, Pernarabuco, 60 annos,
guranga egaranta. nuva, S. Jos; ralelite.
~________. Manoel, Pernambuco, 18 mezes, Recife; bexigas.
- De Goyanna nos coramnnieam Lourenco, Pernambuco, 12 raezes, Boa-Vista gas
Foi preso pelo digno delegado do termo, Dr.: hnatite
Barroso, um desertor que se achava homsiado no v __ ig __
engenho Agua brancau propriedade do I* suppiente, da Coi[a Viej Pernam|)UOO, 88 annos,
da subdelegada de Xossa Senhora do O, actual- ^sado> San[0 Antoni. cor)gesto cerebral.
1 pois nao estau prompto para passar as noites em ( competentes at o (ira de Janeiro prximo vindouro.
i claro, e o rifo me aconselha que osencomtno- j Que se recommendasse.
I dados sao que se mudnm.
Lembramos, a proposito, que a melhor provi-
| dencia, que pJe apparecer, o proprietario adrar
com e?Sa sucia de borbors para o meio da
ra, afim de que a geni.- fique socegada e livre de
semelhaute praga de gafanhotos.
Ante-hontem vi anoitecer e amanher...Sa-
fa!!!
Para cumulo de nossa infelicidade os laes
marrcos sao mestres do maracatu !
Que berros I Que gritos I Que zoada Que
pandeiros! Que adufes I Virgera da santa hora I
Repuitiqao da polica.
Extracto da parte do dia 16 de novembro de
1803.
Foram recolhidos a' casa de detengan no dia I o
do crrente:
A' ordem do Dr. delegado da capital, Manoel dos
Passos Carlos, para cojrecgo.
A' ordem do subdelegad) do Recife, Umbelioo
Olegario do Espirito Santo, para correegao.
A' ordem do de S. Jos, Belsaro Januario de
Araujo, para correego.
A' ordem do da Boa-Vista, Virgilio Thoraaz de
Aquino, para correego.
A' ordem do dos Afogados, Joaqnim Jos Ribeiro,
para correego.
Xo dia 14 tambem fui rccolhdo a' mesma casa,
a' ordem do lllm. Sr. Dr. cnefe de poiicia, Leandro
Pereira de Lima ou da Silva, por se adiar embria-
gado e insultar a sentinella da guarda da alfan-
dega.
O chefe da 2* secgo,
J. G. de Mesquita.
Cemitemo publico, obituario do da i i DR
NOVEMBRO DE 1863.
Jos Francisco do Arruda Camara, Pernambuco,
17 annos, solteiro, Boa-Vista ; febre maligna.
Domingos Alves do Miranda, Portugal, 22 annos,
solteiro, Boa-Vista; aoazarca.
Manoel Ferreira do Nascimento CatSo, Pernarabu-
co, 3o annos, casado, Boa-Vista; phlisyca.
de Xossa Senhora do O', actual
mente em exercicio do cargo.
Talvez o subdelegado ignorasse que o homem
era desertor; mas o certa que se tem procurado
a soltura do mesmo, sob pretexto de que a pri-o
desmoralisa a autortdade, em cujo engenho se acha
elle.
< Felizmente o Sr. Dr. Barroso colloca cima de
tudo a honestidade de seu carcter o os deveres,
que tem como delegado ; e nao tem querido atten-
der aos pedidos. A priso foi feita no propro en-
genho do Sr. Dr. Barroso, quando por ahi passava
o desertor, que, segundo dizem, e da Parahyba. >
Quando novos templos se abrem ao culto pu-
blico, oulros se erguem das suas ruinas, e a reli-
gio prospera por toda a parle debaixo do governo
esclarecido e reformador do Exm. Sr. vigario capi-
tular, nao era possivel que a amiga cathedral de
Oliuda delxasse de participar dos beneficios de que
a diocese tem fruido nesies ltimos lempos: cora
effeito esto concluidas as obras naquelle mages-
Francisca Rita do Espirito Santo, Pernambuco, 40
annos, casada, Poco da Panella ; phtisyea.
Mana, Pernarabuco, dias, R-.cife ; convulsSes.
Maria, Pernambuco, 4 mezes, Santo Antooio; infla-
maio de instestmos.
Ursulanna, Pernambuco, 12 mezes, S. Jos; con-
vulsdes.
Joao, Pernambuco, 2 mezes, escravo, Santo Anto-
nio ; clica intestinal.
Suphia, Pernambuco, 28 annos, solteira, escrava,
Boa-Vista; tubrculos pulmonares.
Samuel, frica, 30 annos, solteiro, escravo, Boa
Vista; molestia do corago.
CAUARAMIClr\lLDORE01FE.
SESSAO EXTRAORDIXARIA AOS 28 DE OU-
TUBRO DE 1865.
Presidencia do Sr. Pereira Simoes.
Presentes os Srs. Aquino Fonseea, Gustavo do
toso templo, que de novo se abre no domingo pro-' Reg, Cosa Monteiro e Dr. Villas-Boas, brese a
ximo" cora a so eraoidade do orago, solemntdade sesso, e lida e approvada a acta, da anlece-
transferida por S. Exc. Rvraa. para quando termi-1 denle
nassem as obras. O realce dos quadros que domi-
nara as arcadas das tres naves, o coro novamenle
construido e de um gosto apriraorado, a escada era
espiral, que para ello oqqduz, a nnelhor que qeste
Le-se o seguinte
EXPEDIENTE :
Um offlcio do Exm. presidente da provincia, de
23 do corrate, cotnraunicauao ter na mesma data
Com j prora dessa estima, trabadle! quanlo pudo
para a elevacSo poltica doSr. Jos Paulino, e nun-
ca este cavalheiro precisou de auxHio, que roe d3o
encontrasse a seu lado. Appello para o Matea*
nho de tola a popalaeo da comarca de souza, e
pessoas ha aqu no Rjcifd que pJem attestar a
verdade do que digo.
Confesso ingenuamente que m> engaa de* todo
em lodo acerca do c .racu-r e .los senlimento-Jo
Outro do eogenbeir cordeador, informando nao Sr. bacharel Jos Paulino : e os lacios segrales o
narer inconveniente em 'perntittirse que Josepha demonstram.
Maria da Conceigo, faca de lijlo como requer, o j. Proaurou-me um dia o Sr Jos Paulino e pedio-
oito de sua casa sua na povoago de Sanio Amaro; me que aceitasse o cargo de colleetor das reolas
de Jaboatao.-Concedeu se. | provinefaes de Sonta, cuja nomeag.i > elle u solicl-
uotro do mesmo, informando que Rosa Mara lar. Xo tendo, merca de Deus neces,ida,le alauma
dos Prazeres pede para fazer de njolocomo requer de viver cu-ta dos cofres publico, e querendo
oitao de sua casa sita na povoago de Jaboato, alm disso ou-ervar-me era ama posieo indepen-
que vai segurado para a Victoria.Permt-| denle, leclarei aoSr. Jos Paulino que nao arena-
ria o cargo, e que, portmio, uropoMme ootra qual-
quer pessoa. Insisti tanto aquello bacharel e laes
ra
tio-se.
Oulro do mesmo, inforraando o requerimento
qual Francisco Silverlo de Paras pede para que considerago6S fez, que me resolv por lira a aciur
Ihe seja concedido fazer de lijlo a frente de sua i a nomeago, a qual nao se fez esperar
casa sua na povoago de Jaboato, declara que ua-1 Logo que chegou na cidade de So
da tem a oppor a sementante pretenco, uma vez
que obtenha o supplicanle a necessaria cordeago.
Mandou se cerdear.
Outro do mesmo, informando o requerimaoto do
Manoel Alves Ferreira, que pede Ihe seja concedi-
do reedificar o seu sobrado silo a travessa do Xo-
roaha n. 1, declara que nada ha que oppor a se-
mentante pretengo, uma vez que o peticionario
obtenha primeiro cordeago e nivellamento.Man-
dn se eordeador.
Outro do mesmo, informando o requerimento ;
no qual Tihurcio Valeriant Baptista pede para que
Ihe seja permittido fazer soleas as casas que est
edificando na ra que se^'ue em frente da trro que eommnnica o bairro de Santo Antonio,
declara que sendo ditas casas de paredes dobradas,
e tendo as dimengSes das posturas em vigor, nada
ha que oppor a presentago do peticionario.Coo-
cedeu-se.
Outro do raesmo, informando o requerimento no
qual Caetano Cyriaco da Cosa Hnreira, pede para
reedificar a sua casa terrea sita a ra da Matriz da
Boa-Vista n. 2a, elevando-a a altura de um andar
cora as prjporgoes exigidas pelas posturas, diz que
nada tem a oppor a prentengo do peticionario,
uma vez que Ihe seja dada cordeagilo e nivellamen-
to.Mandouso cordear.
Outro do mesmo, informando o requerimenlo no
qual Jos Atarnos do Rio pede para que Ihe
permltido fazer levantar a casa terrea de sua pro
priedade, sita a ra do Sebo n. .10, diz qoe a casa
em questoest marcada na planta da cidade para
ser demollida, visto ter de passar por ella urna ra
em contintiago a outra que vai ter a ra do Coto-
vello. Addiado al apparecer a nova planta que
se est organisandu.
Outro do mesmo, informando o requerimento, no
qual Duarle Borges da Silva pede para qoe Ihe
seja permittido edificar uma casa no seu terreno da
ra da Concordia, o qual tem apenas 17 palmos de
largura, e fica entre dnas edificacoes, diz que indo
ao lugar examinar a pretengo do peticionario,
achou que verdade o que elle expoe, entretanto
as posturas em vigor s permittem edficagoes de
casas de 22 palmos para cima, a camara porem re-
solva o que achar mais rasoavel.Mandou-se cor-
dear.
Outro do mesmo coraraunicando que Ihe tendo
sido entregue o requeriineoto" que devolve para
dar cordeago para um muro na ra nova da Praia
n. 22, dirigi se pora este fim ao lugar indicado,
mas por parte da peticionaria D. Josepha Guilher-
raina de Mesquita Leite, Ihe fot dito que nao havia
lugar a cordeago: como mandou a cmara em
seu despacho, por quanto a peticionaria nao la fa-
zer nenhum muro, mis smente concertar o por-
to que se acha animado de uto lado.i'orlanlo
traz isto ao coohecira*nto da camara; assim como
que nao convtn pernittir-se o concert do portao
do modo porque elle est feto, pois tem apenas
dez palmos de altura sobre nove de largura, cor-
rendo por cima uma parede que muito concorre
para disfeiar a ra. Concedeu-se a licenga com a
condigao de ser elevado o portao e muro a altura
da postura, tendo q mesmo portao. largura neces*
sarja,
hegou na cidade de Souza a noticia
de mioh nomeago, veio o Sr Jos Paulino ler
comigo e me disse qoe, como conservador, eu de-
vena ver c uno fazia as arreeadaefce da fazenda ;
que aos amigos polticos nao d-via tratar com o
mesmo rigor que aos contrarios.
Sorprendeu-rae esta linguagem, que, em abono
da verdade, anda nao linha ouvido da bocea do
Sr. Jos Paulino. Respond-Iho do modo perempto-
rio que, no ex-rccio do meu emprego. poi* qne o
linha aeeiudo, uo fazia nenhuma di-i:nc.;a .>i-
tica; que aosdevedores da fazenda, fos-ern irregos
ou troyaODOS, tratara om pereita igaaMafc
E que, contando com a uiinha dneilida le, liona rae
feto colleetor cora o duplo tina d rae (r.-r in-tru-
meoto de perseguiedes publicas, e de evitar que- o
raio das eieeuenes Oscaei Ihe fosse cahir na fami-
lia, como veritiquei de|K>is.
Entrando no exerclcio do emprego, tratei des-te
logo de verificar o estado da arrecadag Jos un-
postos, e vira no coohecimenlo de que havia mu tas
dividas amigas, que se nao cobravam por serena o*
devedores pessoas poderosas, e por certas anana
consideragoes, muito atteoliveis talvez, p->r quem
dispoe do que seu, mas d I oJ.i o poni malinis-
siveis por parle de um erapregado liscal, que nio
pode fazer birreta las cmn o chapeo allu-io, i-t \
que nao pode fazer favores a custa e com prejuizo
seja j dos cofres pblicos.
Xas indagagoes a que proced, para poder en-
trar na cobranca dos imposlos, soub que, havendo
fallecido, ta mullos anuos, Iguacio Joaquim dos
Santos, proprietario abastado, sem deixar v-rdeiro,
e devendo a heraoga ser arrecadada pela fazenda
como jacenle, fui i eludo ua posse de todo* os nene
o padre Antonio Saldado Chaves, na quadade 4e
depositario ; soube mais que nenhum juiz linha
querido ex oflicio proceder ao respectivo invenu-
ii : que, por parte da fa/enda, quer g ral, quer
provincial, tambera nada se havia requerido ; que,
finalmente, a fazenda, por esta causa, eslava priva-
da da arrecadago daquelle espolio.
Ura, o padre Antonio Salgado Chaves lio legi-
timo da mulher do sr. bacharel Jo- Paulino, que
mora na cidade de Souza, em uma d*s melbores
casas, perteucente aquelle espolio, e que tem naa>
tautemeiite desfructado oulros bens da heraoga de
Ignacio Joaquim dos Santos, laes como escravos.
Ierras, mobihas, ouro, praia, madeira, etc.
Desde que eutre no cuubecimento de tudas estas
particularidades, corapreheodi logo a raiao por que
o Sr. Jos Paulino punha sempre tanto emp-nho
era ler na cidade de Souza agentes li-caes de sua
araizade, ou seus dependentes, e conseguinlemenlA
a razo por que linha-se elle lano empeiihado para
que en aceilasse o cargo de colleetor.
Isio me collocava era uma siiuago difcil e em-
baragosa. Amigo do Sr. Jos Paulino, poam man
amigo do Sel cumprimenlo de meus deven, esta
va eolioado na alternativa ou de coraraeiter uma
prevancago deixando de promover os lalerewrs
da fazenda por coolemplacao ao meu amigo, ou de
cumprir o meu dever cora o risco de perder uma
amizade, queeu tioha no maior apreep.
Xeslas circunstancias, e acredilando anda na
cordura do Sr. Jos Paulino, foi ter coa elle, n-


puz-lhecom franqueza a posigio rtitHcit em que es-
lava coltocad'i, e Ihe inslei e persuad a quj abrs
se iu o espolio de Ignacio Joaquim dos Sanios,
oa lomasse outro qualquer expediente, em virtude
do qual fosse a fazenda provincial paga do imposto
que Ihe rabia naque.lle espolio. O Sr. Jos Pauli-
no mostrou-se desde logo offendido com o meu
proeedimeoto, e nada fez 118 sentido de ser pago o
imposto, o que me obripou a ofciar ao inspector
da Ihesouraria e ao Sr. procurador lisral, expon-
rtolhes as dilhVullades da arreeadaao daquella
divida, e a necess.dade de se nomear agente do
procarador fiscal a algum advogado do lugar, que
iratasse de promover a arrecadaeao judicial da-
quella divida.
Romeado para este fim o Sr. promotor publico
da comarca, l)r. Manoel C< lho Cintra Jnior, Ira-
lou este de prcq or immedialamente a arcao com-
petente contra o padre Antonio Salgado Chaves, de
cjuein se runstiluin a-ivogadi o Sr. Jos Paulino,
cada V1-7. mais contrariado pelo meu procediniento
e pela pobre independencia do digno Sr. Dr. Ma-
noel Codillo Ciutra Jnior, que, com ser correligio-
nario poltico do Sr. Jos Paulino, entendeu que,
acuna das affeicoes partidarias, estava o He I cuin-
primenlo de seus deveres.
Como era de esperar, a causa correu lenta pelos
embarazos que o Sr. Jos Paulino Ihe oppunha os-
tensivamente como advogado de seu lio o padre
Salgado Chaves, e por outros, que eram oppostos
indirectamente com impedimentos do juizo ; mas
aliual venceu a fazenda a demanda ua primeira
instancia.
Por esse lempo ja me constava qne o Sr Joso
Paulino solicitava com. muito empeebo a minha
demissao, posto que aiuda continuasse a apenar
me a mao. Nao dei importancia a esta noticia,
qur porque nao precisava dos proventos do cargo
para rlver coromodameote e com bastante indepen-
dencia, e qur porque nao acreditava que, se me
demitlis^e, por ter eu rumprido o meu dever, pro-
mi'Vendo sempre con diligencia os interesses da
faieoda.
liavia comiudo para o Sr. Jos Paulino urna dif-
ficuldade a vencer para alrancar a minha demis-
gio. Nao era do certo a moralidade do governo,
que ain'li uMiliuni houve 111 Brasil, desde a sua
ind-pendeocia, que slenlas:e lo cynico despiezo
por lodos os principios do ju dilinildade estava em o Sr. Jos Paulino se diz.er
conservador, pois cerlo qne a Ugaprogretsala
quando nao eslinga com perseguieoes. aos seus
adversarios, lambein Ihes nao (az a mnima eou-
cessao.
Tito depressa se convenc.eu disto o Sr. Jos Pau-
lino, que demais 1a estiva caneado de esperar pe-
las docuras do poder, como foi o desertar as lian-
deiras do partido conservador e ir jurar prei'.o e
honienagein aos chefes do partido da gover-
nauca.
Pello isto, a minha demissao nao se fez esperar,
sendo nomeado para me substituir no cargo ama
pessoa por todos os ttulos digna e recoinmeuda-
vel, e folgo de ter esta occasiao de o confessar pu-
blicamente : mas prenle prximo do Sr. Jos Pau-
lino, e por is.-o imposibilitado de promover a ar-
recadaeao do espolio do fallecido Ignacio Joaquim
dos Sanios, a meu >s que uo queira romper com o
seu prenle o Sr. Jos Paulino, dfsfruclador da-
quelle espolio.
Saibam. pois, o publico e mais particularmente
as pessoas que me conhecem, que fui nomeado
collector da* renda, na eldade de Souza, a pedido
do Sr. Jos Paulino de l'igueiredo, que contava ter
em mim nm dcil instrumento seu, e que fui de-
mundo a pedido do mesmissimo Sr. J >s Paulino,
por nao ter adiado em mim esse instrumento com
que contava com tanta seguranza.
Tenho a conscieneia de que cumpri o melhor
que pleos meu3 deveres como empreado pobli-
co. Se isio nao asslm, provoco os ageociadores
de minlu demissao a que me contestem e heam
publica* as fallas que commetti.
E-ta nos bros dessa gente aceitar o desafio que
Ihes faco.
i; cite, 10 de novemhrode 186o.
Joaquun Pires de Souza Cabral.
c *'.-*>j*-?t?> .
'- ? /* l"s v*a V
uyuJii
A mi
O tr. Francisco Carlos llranrio
ao publico.
Em algnmas das correspondencias que de Per-
namtiuco teem ult mmenle vindo para o Jornal
lo Conunercio, aetia se c >usignado um fado, con-
ira o <|ual, por um duplo dever de cunscieucia e
de lealdade, eu devo protestar.
Nellas se diz que em principios desie anno o
maj r Jo.- Rodrigues de Moraes, vindo d > alto
-na daqnella provincia do proposito deoffera-
ci-r-seao governo ara oiganisar all um corpo de
voluntarios, recebera no raminho carias de diver
s:is |,~soas influentes ua capital, e nomeadamente,
do commendador Domingos de Souza Leao, que o
dissuadiam do seu louvavel e patritico intento.
.Nao exacto, .- eu s-i o contrario, nao s por
que. fu o proprio que entregue! ao Exm. Sr. l)r. i
CastellO Uranco (presidente da provincia) carias
minha? 6 do Exm. Sr. haro do> Guararapes, diri-
gidas aquelle major para que reunisse o maior nu-
mero pissivel de voluutanos, e com elles se apre-
Sentasse ao governo, como tamben) porque sendo
elle mea hospede no Recite uunca me falln nessas
carias, a que as citadas correspondencias aliudcm,
sendo que pelo contrario fui lesteinuuha do mie-
resse e bons desejos que o referido commendador,
o Exm. Sr. inarquez de Olinda e outros sensores
mostraran) para que o mencionado eor|K> fosse or-
ganisadu ; o que nao leve lugar por cireumslau-
Ca que abslenho-me de mencionar.
E' esta a pura wrdade, que julguei nao dever
callar em proveito da mentira e da intriga.
Francisco Curios Brando.
Rio de Janeiro, 6 de novembro de 1803.
V CONCEI(liO
1 c Hara a n i I s s i m a.
HYMNO.
Son aeceiet ad le malura: el fiagellum
non approptnquabti tabernculo tuo.
Ps.
11 Cielo, la Tena,
Non lia criatura
P Sinffj, pi pura,
Pt bella di Te.
Lacn.
Diario de '"ernssibncn Sexta e'ra t Je Xovemliro <3e *l>
Oh I Prole misera
Do triste AdSo !
La >urje a ttrica
Serpeute audaz :
De cricnes hrridos,
Crimes. sacrilegos,
S se compraz.
f'h Prole misera I
Perdeste a paz I
A bocea livida
Se Ihe cobrio
De lurrivel toxico,
Que as fauces lem.
Que negro hlito,
Cruel, perlifera,
Lancando vm I...
Pugir-lbe a colera
Quem pode? Quem?
O homem crdulo
Ja la ferio :
Hales horrficos
Enlo nos fez.
Os Cos benvolos
Tomam do marmore
Logo a surdez :
E' indo lagrimas,'
Dr, palidez.
Cheia de jubilo
Gyrando est :
Nos denles rgidos
Sustem, ronduz
O fructo prfido,
Que o Pai fragilliro
A' culpa iii'luz.
Triumpho brbaro,
A que tem juz.
Que face lgubre
O Co tumou I
Noute denslsslma
Surgi, cresceu.
Mas que espectculo!.
Donzella condida
Dos Cos desceu,
E a aurora trouxe-nos
No rosto seo.
Do roslo lmpido,
Verlendo luz,
Lauca reverberos,
Mais que o cryslal.
Respira blsamos,
Nao tem levissima
Sombra de mal.
Do crime trgico
Original.
Manto estelfero
De lindo azul
Traz a solcita
Sacra Michol.
Os ps sustentam-se
Na la placida ;
"Vivo farol
Na c'roa rtila
Excede ao sol.
As trancas fulgidas
( Quando esplendor )
Fluctuam, soltam-se,
Eleflexos ilao.
No ar diafano
As roujas nitidas
Bnlhando esto :
Nos Cos derrama-se
Novo claro.
Eis que, venfico,
O monstio a vio,
O eolio tmido
ErgUel) Veloz.
Da cauda lubrica,
Que move rispido,
Redobra os nos :
Os olbos broiain Ihe
Chamma feroz.
Silvos lerriieos,
Bramidos deu :
Virgen) son) macula,
M o singular,
Logo frentico,
De raiva trmulo,
Quiz assaltar :
Na canda erguendo-se,
Laucou-se ao ar.
Porm a intrpida
Mulher feliz,
Co'a salutfera
Planta fiel,
Do monstro esqualido
Opprime a cerna
Kronte cruel.
Mas elle em colera
E" lodo re.
Preso, (orcendo-se,
Ja sem poder,
Arfa, e revolve-se
Ch-io de dr.
Nos tacos prfidos,
Nos aunis fulgidos,
Mostra o furor :
Arqueja, enrosca-se,
Todo em tremor.
A cauda solta-se,.
E acoita o ar ;
Depois abate-se,
Varrendo o chao.
Os olbos rbidos
Vibrao relam|>agos,
Em braza eslao.
Sibillos ouvem se,
Porm em vo.
0 p santissimo
Preso o contem,
Zomnando impvido
Do roonslro vil.
Ja as abobadas,
Ethereas, lucidas,
Cdro gentil
Emoa lepido
Cnticos mil.
t Victoria?...! Exclama-se,
E luco o Co
As portas ntidas
Escancarou.
Victoria!... Estende-se
Da trra aos ngulos :
Tudj exultoii.
Victoria I.. O Barothro
Se afernlhou.
Oh Prole misera I
Kolga. e surri I
(A turba Anglica
Prosegu' entio)
rosto plido,
Os olhos tmidos,
Ergue, oh Ado I
t Oh I Prole misera I
Oh 1 Conceicao!
Oh I Virgem iuclyta I
( Cootinuou)
t Oh I luz benfica,
t Que o Co nos da I
t Kroni'oso Pltano!
t Carga fl-immigera,
Que illeza esta I
Lirio tao candido,
Que outro nao ha !
Rosa odorfera
1 De Jeric!
Raro deposito,
Que guarda a le !
t Aurora tullida!
f Guia sol licita
Da Nova lirei!
Oh I Tabern.cnlo
a Do grande Re!
t O crime trbido
Nao te manchn :
t Tu s purissima,
E's siugular.
Os Cos e-giitam-se,
c E Deus estanca-se
Km le formar.
< Prodigio nico!
t T nao ten> par!
O grande Archtypo,
Summo Adonai,
Os diques validos
t Por ti roinpeu.
as maos riquissmas
t Os dons fallaraiiilhe,
Tudo te deu.
A turba Anglica
Emmudeceu.
1
Recitado em I8H pelo padre Francisco Ferrera
Brrelo, vigario collado da matriz de S. Fre Pedro
Goucalves, e publicado hoje a pedido de Joao Bap-
lisla de Olivtira.
lempo ? Respondam aquel'es qne ooderem. 0 pu-
blico sabe qne s em a minha admiiistraeao jiott
lanos lantorque labores se conseguio preferencia
para correr partes da lotera concedida, que ha
mais de iOannos jaz sepultada na noite do esque-
cimento.
Demais se os assgnados julgavam me cmplice
como consentirn) em minha reeleigao? A razo al-
legada nao era outra sena 1 a assiduidade, o traba-
Iho e o erapeoho na continuacao das obras da
igreja.
Terminando pois dirjmos ao puh"ico que alm
de oulras razes, a pnrflp motora desta repre-
senlacao, foi o ter pretendido Canuto Barciano Ra-
mos eslabelecer urna designaldade em o altar de
S. Beuedicto,deenja irmandada elle juiz, e como
tal desigualdade fosse inadmissivel, e obstada por
mim. lancou mao deste meio, que costuma dizer-se
ignobil qual soe ser a calumnia, para velipendiar-
me. Mais tarde sahir a luz a verdade o sero
conhecidos os verdadeiros zeladores de si a sombra
das irmand.des.
Joao Silvestre francisco de Mello.
Agua de Florida de Hurray A
Laouian.
Esta aquella excellenle e original agua de
cheiro para o toucador, que tao altamente tem sido
exhibida e exortada por todos os jornaes pblicos
da America do sol, e da qual se lem veudido tan-
tas irnilaeOes ueste paiz.
Enti-udemos que foi para guardar o publico con-
tra semelhantes imposle/ies, que os proprietanos
do artigo grnuino, depois de o liaverem inlroduzi-
do ha mais de vinte aouos, as repblicas hespa-
nhulas, Cuba e Brasil, coraecaram' nao smenle
manufactura lo para este mercado, como tambero
para os mais ja cima mencionados.
Este excellenle e impagavel artigo ja come(.ou a
ser popular, e de esperar que aqui em breve ve-
nha a' supplantar e leve a palma, como ja o fez na
America do sul, a' lodos os perfumes e essencias
mais culo-as que nos cosiuuia vir da Europa
Ella igual em lodos os respeitos, quando nao
superior aos mais linos extractos que uos vem do
estrangeiro.
Vede que os nomes de Murray & Lunman, se
achein inscriptos e gravados sj cada capa, letrei-
ro ua garrafa, pois sera o que nenhuma 6 verda-
deira.
Vndese as pharraacias de Caors & Barbosa e
J. da U. Bravo & C.
A jurubeba.
As virtudes therapeuticas da jurubeba sao desde
muito conbecidas nao s no Brasil, pois qne dellas
Iratou Pisn em sua excellenle obra Historia na-
turchs el medica India ocetdenlalts, seno as
Aniilhas, onde o sueco das ful has e fructos como
aqui, muito eslimado e apnlieado coutra as obs-
trueeoes abdomiuaes, principalmente do figado e
bagj ; e se todos os facultativos desta provincia o
nao applicam com frequencia, isto se nao deve a
nao recoohecerem elles essas virtudes, mas sim a
nao serem encontradas com facilidade e em todas
as estaefies do anno os frucios dessa planta, e a re-
pugnancia, que apresentam os deentes em fazer
uso do sueco desses fructos, em consequencia de
ser extremamente amargo.
A jurubeba nao descouhecida dos botanistas :
esta planta pertence familia das solaneas, e tem
a denomiuacao de solanum panteulatum, que Ihe
foi dada por Lyneo.
Parecendo-nos conveniente facilitar o uso do
Mivco dos fructos da jurubeba, que o mais em-
preado, nos propozemos e conseguimos preparar
com elle nao s um extracto alcoolico que pode ser
applicado em pilulas, mas tamhem um vinho, nm
xarope, e um emplastro que pode substituir, em
certos casos, o de Vigo ; e estamos persuadidos quf
com isto prestamos um servlco a humanidade e
hterapeuiica.
Pisn, tratando da hydropesia, prescreve a de-
coccm das raizes da jurubrha, e Moral e Deleus,
em seu Diccionario de malcra medica e llierapeu-
tica, dizem que as An'iluas se faz uso do sueco
dos Irados maduros dessa planta contrajo catar-
rho vesical ; e a autoridade dos nomes desses m-
dicos, merecidamente celebres, nos leva a crer em
suas palavras, e por isto cuidaremos de ter em
oosso estabelecimento essas raizes, para que possam
ser experimentadas.
A reputacao da jurubeba tal, e os resultados
therapeuticos obtidos ltimamente sao tao impor
tantes, que nos parece intil dizer mais do que
isto, que tica eseripto.
Deposito: pharmacia de
Joaquim de Almeida Pinto.
JURUBEBA.
A jurubeba urna das substancias medicamen
tosas, ao reino vegetal, e perience classe
dos tnicos e desobstruentes, sendo em prega
ua com vantagem contra as febres intermitentes
a ompanbadas de engorgitamentode figado e baca
Ella lem sido applicada com incontestavel proveitc
contra a anemia ou chlorose, e hydropesia, catar
rho da bexiga e mesmo para combater a menstrna-
5A0 difflcil, resultante da mesma anemia ou chic
rose.
Extrato alcoolico de jurubeba.
Emplastro idem.
Oleo dem.
Tintura idem de idem.
Xarope idem.
Vinho idem de d-m.
Pillas de ext. idem.
Deposito, pharmacia de Pinto, ra larga do
sano n. I.

El CIQ.
d. por
PilACA DO RECIFE.
Cotaces ?of Qciacs.
16 de novembro.
Cambio sobre Londres l.K) d/vista 28
1?000 (hontem).
Assucar masi-avado americanoSfKSO a 260O, e
purgado 2^070 por arroba.
Algodo primeira sorle 183500 por arroba,
uubourcq Jnior,
Presidente.
Guimaraes,
Secretario.
Lendo em o da 13 do correte urna represen-
tarlo feta ao lllm. Sr. Dr. provedor de capellas,
acerca da irmandade de Nossa Senhora do Rosario
da Boa-Vista, como juiz da mesma irmandade cum-
pre me palenleando a verdade dos factos, devolver
o juizo desfavorav|, que de mim fazem os autores
de dita representarlo, ajusfando este mesmo juizo
ao carcter de seus autores.
Tendo eu aba 1x0 assignado, em 13 de novembro
de 1863, lomado posse do cargo de juiz desta ir-
mandade, em o inventario apresentadopelo thesou-
reiro, que servio com o meu antecessor Gamillo de
Silva Gama, reconheceu-se a falta de dous rosarios
pequeos de Nossa Senhora, do que se lavrou um
termo, concedendo se um praso para a entrega dos
mesmos, ticando porunto, o ex-thesoureiro respon-
sabilisado. apresentando-se porm este em urna
mesa posterior com urn dos rosarios muito deterio-
rado, de aecrdo com a mesa recuse receber dito
rosario.
D'ah v claramente o publico, que nSo houve
exclusivismo ueste acto, que se houve combinaco,
como dizem os zeladores da irmandade em sua
represema^o, esta combtnaco foi de toda a mesa
para com o ex-lliesoureiro, e nao de minha pessoa
somente. Por esta sansa pedio o ex-thesoureiro
Joao Francisco do Nascimenlo novo praso, que tam-
bera Ihe foi concedido, e neste iolern desappare-
ceu da provincia, e s depois de minuciosas inves-
tiaagoes, foi que soube-se que elle se achava na
Parahyba.
Sendo reaes estes factos, como contestar nao po-
dem esses zeladores m exlremts, a que vem esta
represen'acao alluiUndo a mim este (acto ? Por-
ventura igoram que taes factos se deram ecn urna
adaioistr iropossibillilade de continuarse na pratica destes
actos. O uio consentimento por parte de minha
adminstraco em fazer-se da igreja patrimonio
particnlar, por certo o queautonsa tal represen-
lacio, querendo fazer-me cmplice, naquillo em
que, s os autores da representado podiam tomar
parte.
E perguntamos anda, qual a razSo por que em
silencio se coasoryaram os teJadoxes por tanto
Cai&a filial du bauco rio Brasil cui
Pcroa 111 buco.
A caixa desconta as letras de seu aceite pela
taixa de 8 0|0 ao anno.
Oguarda-livros
Ignacio Nunes Correia.
Novo Banco de Pernambuco
O NovoBaoco pagao dcimo quinto di-
devindo na razo de 8$ por acr;o.
Noto banco de Pernam-
buco.
O Novo Banco desconta letras de praso at qua-
tro mezes a 11 por cento ao anno, e al seis mezes
a 12 por cento, e toma dinheiro a praso fixo ou
em conta corrente pelo premio e conai^oes que
se convencionar.
2 caixas tenidos d*. la e ta; a Carneiro & No-
gueira.
1 dita xarope, 1 dita sedas; a Manoel freres.
1 dita obras; ao Dr. Ilians.
1 dita mercearia e objectos de piedade; a Soeur
Lexat.
3 caixas cartas geographicas, sedara e objectos
de piedade; a Soeur Magnin.
1 caixa papis, 21 dita- queijos; a A. A. Gomes.
20 caixas tecidos de algodao, de lia, do seda o
mixtos, chapeos, mercearia etc.: a E. A. Burle
&C.
1 caixa bales, 4 ditas sanguesugas, 2 ditas cou-
ros I dita camisa-, 1 dita joias e mercearias; a
Marlocl Joaipiim Ramos e,Silva & Genro.
2 caixas papel e iivros; a Garraux de Lailhacar.
1 caixa sanguesugas; a Jos A. Pinto Serodio.
1 dita couros; a Olto Bohres.
1 dita Iivros e ob|ectos de e.-criptorio; a Joao W.
de Medeiros.
1 dita (Jilos ditos e medicamentos; a Jos N. de
Souza.
2 caixas quinquillera e calcado, 2 ditas flores
artiliciaes; a C. Jos Alves Guimaraes.
1 dita vestidos, chapeos e roupa; a Domingos Af-
ffonso Nery Ferrera.
2 caixas lecidos de laa e de la e seda; a Fer-
rera & Araujo.
1 dita sedas, I dita mercearias, e 1 dita confei-
coes; a Magalhaes Jnior.
5 ditas chapeos, fitas, sedas, flores artificiaes ; a
Christiani Freres.
6 caixas tecido de la e seda, mercearia, modas
e amostras ; a Ifonteiro Lopes 4 C.
3 caixas artigo de Pars : a Vaz & Leal.
9 ditas confeices, rendas de seda, luvas, seda-
ra, vestidos, chapeos de seda ; a Joao Keller & C.
1 caixa calcado, roupa ; a D. P. Wilrt.
3 ditas lecido, percalles e amostras; a Christiau-
sen.
12 caixas litas de -da, calgado, mercearia, con-
feicjs, luvas, p.-rfumarias, objectos para sirgueiro,
modas etc.; a Linden Wild & C.
2 caixas jnjas e relogios, 2 ditas pratoria ; a Lhe-
mann freres.
3i caixas queijos: a J. Pater & C
40 ditas ditos ; a Brauder a Branlis.
93 ditas ditos ; a Tassi Irmaos.
70 dita* ditos ; a N. O. Bieber t C.
28 ditas ditos; a Corgo Jnior.
5 ditas diios; a Duarte & C.
22 ditas ditos; a V. F. da Costa.
4 caixas tecidos de algodo; a Schafeitln & C.
1 dita qoinquilharia ; a Joao da Silva Faria.
2 ditas mercearia; a Alves Hamburger & C.
3 ditas porcelana e dinheiro de prata ; a Charles
Leelere.
1 dita grvalas; a Joao Fernandes Lopes.
1 dita rebollas ; aJ. A. M. Das.
i dita ditas, I dil 1 forros de sj^Lpara chapos,
e dita tecido ; a T. Sauvage. ^W
1 dita chocolate e litographia ; aP. Maurer 4 C.
t caixa vestidos; a ordtm.
1 dita artigos de Pari-, 1 dita joias : a Paulo
Coher.
1 dita luvas, 1 dita gravatas; a Izidoro Xetto 4 C.
1 dita confeices e quinquilharia; J. P. Mou-
tinho.
1 caixa confeices ; a A. C. Vascoocellos.
4 ditas mercearia, objectos de cirgueiro, tecido
de la, dito de s la, capa- de diU, agulhas etc.; a
Henrque cst Azevedo.
1 caixa modas, mercearia ; a Buessard Millo-
cheau.
1 dita tecido; a L. A Biqoeira,
3 ditas litas e escovas; a M. P. Adour.
1 dita registro; a A. J. da Silva Brasil.
4 ditas mercearia, tecido de la e seda; a Mello
Lobo & C.
1 caixa teciJo de laa e algodo ; a J. J. de Souza
Gomes J V,.
1 dita tecido de la e s la; a M. M. Machado.
I dita Iivros, globos homeopalhicos, estoujos de
dentista; a Guimaraes 4 Oliveira,
1 caixa ignora-se ; a Carueiro 4 .Nogueira.
2 ditas seda e teciJo de algodo ; a llamos &
Silva.
2 ditas quadros; a Guiseppe Barlholomeu.
1 dita vestidos; a Carvalho Paes.
1 dita fazeuda de la; a Monhard 4 C.
1 dita calyado; a J. F. da Silva Porto.
1 fardo rolhas; a J. Mendebour.
1 caixa couservas, 1 barrica queijos; a Ilenry.
1 caixa pralaria ; a Francisco Gomes de Mallos.
23 Crxtos easlanhas; a E. Rabello.
1 caixa roupa ; a T. Matheus.
1 dita phothographia ; a A. Gomes de Souza.
1 caixa obras; a Siqneira.
1 ana ditas; a M. A. Paes.
1 dita viniio; a A. F.
1 dita phothographia ; a Santos Cardoso.
1 dita bordados; a Antonio de Castro.
Barca nacional iYorm, entrada do Rio Grande
do Sul, conslguada a Maia 4 Espirito Santo, raa-
nifestou o seguinle:
9738 arrobas de carne secca de charque, 311 di-
tas de graxa era bexigas, 933 ditas de sebo em
paes, 15 saceos e"30 arrobas decolla, 80 couros
vaceuns, 10 barris com 5400 vidros vasios; aos
consignatarios.
Barca portugueza Corsa, entrada do Rio de Ja-
neiro, consignada a Tnomaz de Aquno Fonceca,
manilestou o seguinle :
300 saceos farello, 1 dito mil batoques de pao,
100 lugas de vnne, 2230 arcos de po, 20 pipas
vasias; a ordera.
Gneros naconaes.
50 barriquinhas vasias com 130 quarlos de ditas
abatidas, 992 saccas caf, 7762 paralelipipedos; a
ordein.
Barca nacional Malina, entrado de Montevideo,
consignada a Joao Francisco da Silva Novaes ; ina-
nifesiou o seguinte:
39i3 quintaes carne secca de charque, 300 sac
eos farelo e 80 couros seceos; aos mesnios.
Barca ingleza Nethuton, euirada de Terra Nova,
consgnala a ?aunders Broiliers 4 C, inauifeslou
o seguinte :
3000 barricas bacalho; aos raesmos.
Barca ingleza Mcieor, entrada de Terra Nova,
consignada a Saunders Brothers & C, manileslou
o seguinle :
2575 barricas bacaiho e 500 ditas farioha de
trigo; aos mesmos.
Patacho americano Sedwing, entrado de Baltimo-
re, consignado a Phipps Brothers 4 C, mamfestou
o seguiute:
845 barricas e 200 saceos farinha de trigo; aos
mesmos.
HECERED01UA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMRUCO.
Rendinieiito do da 1 a 13...... 17:1303023
Idem do dia 16................ 1:571*308
urna sala, e um quarto por acabar, pequeo quin-
tal, e sem ladnlho, tendo urna porta larga na fren-
te, em terreno arrendado ao con'enio de N. S. do
Carmo ; a vista do seu estado foi avahada por
2005, cujos bens foram piohorados a Manoel Joa-
qun) da Silva Ribeiro, a requeriraen'.o de Antonio
Jos Vieira ; escrivo Santos.
Saua Casa da Misericordia
do Uceil'e
De orden) da junta administrativa da Santa Casa
de misericordia do Reclle convido as pessoas qu*
quizerem arrendar as casas abaixo declaradas, fa
zendoos concerlos a sua cusa para serem descon-
tados dos alugueis, a compareceerein nesia secre-
taria as 4 horas da tarde do da 23 do corrente
mez, sendo ditas casas pertenceutes aos eslabele-
cimentos de caridade.
Ra do Azeite do Peixe, casa de dous andares n.
53, particular, e l publico.
Ra Direila, casa de um andar n. i particular,
e 33 publico.
Secretaria da Santa Csaa da Misericordia do Re-
cife 14 de novembro de 1863.
O offlcial,
Manoel Antonio Viega.
Sania (lasa da Misericordia
do ecife.
A unta administrativa da Sania Casa de Miseri-
cordia do Recife tendo Kilo e continuando a fuer
gratidissimas despezas, ja c un o cosleiro. jA com o
inelhoraminto dos estabelecimentos pios que eslao
a seu cargo, manda avisar aos seus devedorrs em
atraso, e tambem aos fiadores destes, que breve-
mente fara publicar pelo Diario a relaco destM
dividas, e promover sua cobranca pelos ineios
judicaes.
Convido por tanto a todos aquellos que rro qui-
zerem ser chamados pelo Diario, nem atropelados
pela pistiea a tratarem quanto antes de salvar
seus dbitos.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re
cife 15 de novembro de 1805.
O offlcial,
M moel Antonio Viegas.
O lllm. Sr. inspector da thesourana de fa-
zenda desta pnviucia manda fazer publn-o a tojo-
os habitantes da mesma provincia, que em virtu-
de da circular do tribunal do thesouro n. 42 de 4
de oulubro uliimo. acha-se ab-rta na mesma toe-
sonraria & substituirn das nous de ."jtiOO dio*
estampa, e que em tempo conveniente se annnn-
ciar o dia em qne deve principiar o descorito
mensal de 10 0|0 no valor drs notas que at en-
tao nao liverera sido substituidas.
Secretaria da thesonraria da fazenda de 'ernam-
buco 13 de novembro de 1803.Servindo de ofll-
cial-maior,
Manoel Jos Pinto.
Arrematando.
Finda a audiencia do dia 17 do corrente, do jui-
zo municipal da Ia vara, escrivo Cunha, sera ar-
rematado por venda a quem mais der, o sitio de
Ierras denominado Forte, as Candelas, cora 033
palmos de frente, 800 de fundo, 81 ps de eoqnei-
ros, lermiuando pelo sul com trras de Manuel
Gregorio, servindo de divisa pelo sul um p de
aroeira, e pelo norte um capo da mesma arvore,
avahado dito sitio por tObcOO, o qual vai a prac
com o abate da lei, servindo por isso de base a ar-
rematado a quantia de 480, e ser adjudicado
se nd bouver lau^ador, em cuja execucao exe-
quenle a Sania Casa de Misericordia desta cidade,
e executados os berdeiros da fallecida D. Auna
Benedicta Doeveutura do Carmo, viuva do corouel
Agostinho Cesar de Andrade Mello.
Para Lisboa
sahira' com hrevidade o brigue poringoez
tanle II, recebe carga a freie e pm*iem ,
os quaes tem excellenles ci,mmodoH : ira
Manoel Ignacio de Oliveira Filho. no largr 0>.
po Santo n. 19, escriptono.
Rio de Janeiro
A barca Jorem Palmira. de I- (4bm, -n-'o*
brevidade, e recebe algui.a carga a fr I ra-
se com o consignatario Juo Prancisco dar Silva
Novae.-, travessa da Madie de D-os n. I>
PARA LISBOA
vai saror com brevi I teta o naiarho poilusfii Ba-
ria da Gloria, eapilo A. D. Volante, receta car-
ga e passageiros : trat.-se com o consijoatari E.
R. Rahelio. ra do PraaMH n. U>
Para o Rio d Iirniro -.^.n ,t (
o patacho nanonal f% pe* :-r pa,-:- dm>.<
carregamentu prometo; parnoicate u*u** m-m
sen enosignatario Domiag-n Alve. Mataew, re
do Vigario u. 14.
Fara o Rioiie..-nem
Vai sahir com brevid ule o tirioe -Ai
por ter a maiur par d.....11 carr :>... traca-
do ; e para o qn.> Ir 1 h\\\, trata rom s '"wi;-
natirin Joaqun Jo.- H incalves Beiirv : m n*
do Vigurfo n. 17. i" ailar."
Parao Riode Janeiro
segu em p.ij-e da o .alhil. BHfeSHri .\tt*tr>
Mal ipii- recebe anula sbjsmm c.rga
a frer, li ni ruin, paxageifw, nar.i o tnie tnttr*-
etlenles aecosomodaco.- ; tr..t
ptetie n. 4.
Para o Porto.
A l temadm
No dia 18 do corrente, as 10 horas da manhaa,
defronte da ribeira do peixe desta freguezia, se
nao de arrematar os poreos apprehendnlos pelo
fiscal desla freguezia com assisteucia do juiz de
paz respectivo.O fiscal
Joo Pacheco Alves.
TIIElTRO
DE
p\ ,'54-
empreza--0oimbr
ReneOeio Sabbado 18 de novembro
de 1865.
Representar-se ha o inleressante drama em 4
actos, ornado de msica
l'R!(RESS'0 E H.MR
Findo o drama seguir-se-ha o vauoeville era I
acto
ACORDA SENCiVEL.
Terminara' o espectculo o muito applaudido
, duelo
0 ESTIMANTE E A LWHIEiK\
Comegar as 8 horas.
.a o
nsos Miiirawi.
18:701^323
CONSl'I.A-'O PROVINCIAL
Rendimeulo do da 1 a
Idera do dia 16......
13..
35:8014378
3:495*919
39:337297
OYIMERTG 60
aLFA.XDEGa.
Reudimento do dia la 15......
Idem do dia 16...............
322:531*824
56.8360G6
379:367*890
MOVIME.NTO DA ALFADEGA.
Volumes entrados com fazendas.... 13
t com gneros..... 74
Volumes sahidos cem fazendas.....
coa gneros..
87
286
268
-------348
Descarregam hoje 17 do corrente.
Patachi americano John Chrystal farinha de
trigo.
Patacho americano Redwingdem.
Barca portugueza .Vota Maoianna
eros.
Rarea inglezaiWe/eor=bacalho.
Rarca inaleza JVXtertoobacalhao.
Barca inglezaBelle /'OM/=carvo de peora.
Urigne ing.ez Thermulhisidem.
Escuna iuglezailank lionnycarvo de pedra
e diversos genero.-.
Crigue inglezCarne M. L,idem.
Lugre inglezEnglishman idem.
Escuna inglezaClarahrro, carvao e pedra.
Barca portuguezaCorsadiversos gneros.
Patacho uorluguez Furtocharque.
Barca nacional Idulinuidem.
luiporiaco.
Vapor francez Guienne, entrado de Bourdeaux,
oaoifestou o seguinte :
Navios entrados no dia 16.
Rio de Janeiro -14 das, patacho hrasileiro Relm-
pago, de 241 toneladas, capito Francisco M. de
Souza, equipagem 12, carga 13,235 arrobas de
carne; a Francisco Jos da Cosa Araujo.
Calcuta-103 dia, galera iranceza Pondecher, de
665 tonelada, capito Desonnais, eqnipagero 22,
carga algodo e outros gneros; a Tisset fre-
res. Veio refrescar.
Sevansea 3o dla>, barca ingleza Fleurde Maurice,
de 563 toneladas, capito Gallechan, equipagem
16, carpa carvo; a Johnston Pater & C.
Ballemore10 das, patacho americano Redeving,
de 165 toneladas, capitn T. D. Heffr n, equipa-
gem 8, carga 1,84" barricas cora farinha de tri-
go ; a Phepps Brothers & C.
Chanaral (no Chile)72 da, barca ingleza, Chele-
na, de 446 toneladas, capito P. Madge^ equipa-
gem 15, carga cobre; a.xs mesmos capito. Veio
refrescar.
Navio sahido no mesmo da.
BahaEscuna hollandeza Gesina, capito Doches,
carga parte da que trouxe de Anners.
varios ge- ^^^^^^
No dia 17 do correnle, depois da audiencia
do lllm. Sr. Dr. juiz municipal da vara, tem de
ir era praca para serem arrematados, um terreno
foreiro, na ra dos Ossos, freguezia de Santo Ao
tonio, com 32 palmos de largura, 95 de fundo, fe-
chado pela frente e de um lado com urna porta,
pelo convento do Carmo, pelo outro lado com o
oito da casa n 2, e pelos fundos com um muro ;
vista do eslado em que se acba foi avahado por
390*900.
Urna pequea casa terrea n. 3, na roa do Car-
mo, na mesma freguezia, com 13 palmos de vio
joa largura, 44 -de fundos, com repartimento para
GNVAHU HASIUBM
DE
ETES A VAPOR.
E' esperado dos portos do sul
al o dia 19 do correle o vapor
Oyapock, commandaote Castro
Costa, o qual depois da demora
*f^^s3W d" coslume seguir' para o
i porios do norte.
Desde j recebem-se passageiros e encajase a
carga que o vapor poder conihizir a quil deven
ser embarcada no dia de sua chegada. encommen-
das e dinheiro a frea at u da da sabida as 2 ho-
ras : agencia ra da Cruz n. 1. escriptono de An-
nio Luiz de Oliveira Azevedo & II
(lo tiipa n!i i i <1e paquetes a tauor cutre
os Est dos-l ni'los e o Brasil.
At o dia 20
do corrente as-
pera-se de NeW-
York ti m dos va
poras da corapa
nhia o qual de-
pois da demora
do costume, se-
guir' para os
portos do sol. Para passagens etc.. tratase com
os agentes Henry Forster & C., ra do Trapiche
n. 8.
GOMFAHIA BEASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos portos do norte
at o dia 17 do correte, o vapor
Paran, commandante o capil'
de fragata Antonio Joaqun) dt
Santa Barbara, o qual depois da
demora do costurae seguir' para os porios do
ral.
Desdej receben) se passagelrs e engaja-se a
carga que o vapor poder conducir, a qual devers
ser embarcada no dia de sua chegada, enenm-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida a-
2 horas : agencia ra da Cruz n. I, escriploro t
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
COMFANHIA PERNAMBLANA
ok
IN'aYegaco costeira por vapor.
Parahiba, Natal, Maco, Aracaty, Cear e
Acarac.
Segu no da 22 do corrente o vapor Mamangua-
pe, commandante Ralis, itecebe carga at o dia
21. Encoramendas, passageiros e dinheiro a frete
at 2 horas da tarde do dia d sahida : escriptorio
no Forte do Matos n. 1.
i:iiipanhiii .'ernamliucaua.
A carac.
Os Srs. carregadores de fazendas ou quaesquer
outros gneros para o Acarac pelo vapor laman-
guape, sao convidados a mndalos embarcar quan-
to antef, por isso, que sao os ltimos a sahir de
bordo.
Dve sahir com br
Etperanca \>vr ier a mmtm tara d^ tm rat
ment ja' tratado : pora > r -i. t pmuapi.iiw
ti-sr com Cuaba, tnAm \ i... u ri i
de Dos n. 1. ou rom o capttke a a>rtlo.'
undft.
i i:i ovs
11
Mttinltis. tntBtci antis x, rr,u>-
gOt ili' iihjihiiin f fmrwr,
objectos >(' '>nn> t trilla, en -
bri btcmurrrin*y rsi-r
tir nmhtis ni xcrix, erysUifs:
c (fraiulf tunnli Imli ir ni,
jfcltis /n mo ihunrxiic
UOJI
NO GRANDE ARMA/.KM W-J LE>LS
IMI A(1K\TE
OLYMPIO
36Roa la adria Urni-
Leilao
Do sobrado de i an tires da ro-i ilo Virara
33, edilic-ido ;n i-ti.-i i- propri -.
De urna ca-a terr.-a ti i na Jo R-wark> la fe
Vista n. J. m i o,"i ps f.>r. iros
lio isiiu- da ru* da Matriz l< B-. "...
:0 6 32.
Urna morada s> casi t.-rr^a -!< ros t ?m
Tlierf/a em <'lio la n. II. eun ritutU.-
dacoes.
HOJE.
i) tgeole Pialo l gal hsM mliMva Jara
po da- ca-as adsaa m- ii o i I.-. a- ti rw-r>-
dia sopradil en sen e*e i : ai rm da Crai
mero 98.
i
De
LKiLAO
un escroto.
Scxta-feira 17 de BOfttaM ao amn oVi
O agente Pinto fari Hlaa a retmwtB*
Philippe Menna ullaln 4a fnaaaa ny-mutUBH*
e tutor de seus naos atcaanse e por nVsp-ir- ir
lllm. Sr. Dr. piiz de or. !. '"a
bra de Boaaj aaeel, p ftei u e aa* mr^m^ v-
nores, ao meio diarto da -o in !
reme em seu escriptono rna da Cruz c
LEILAO
Di aiinao, ftch**rs f ptriw* O
la tierna'la na Yrlna u ?,:
0 ag -nte Martins (aia i-:'ao a retp^rKii'aO da
Barro& Stltaa por miutai. .'.. i;.. br.
juiz especial ilo cnmni-icio da arnaa^. p-urrs-
e pe temes da lataran -iu na ra Velkvt b. 33.
HOJE
As II horas do 'lia n.t m-siaa lanern.. vn-
teudentes po.lem examinar o man.tad> -m -
mesmo agente a ra da Cad-ia n. 5 i -*mr.
andar.
HOJE.
Ha ra da Cadeia amura :'
Pelo agente Bmcfei.
De um sitio n. 21 n> pnn -ipi da i-*-*. 4
Joao de Itarros. confronte a da i
Tnomaz de G rv.ilho, urreno pr<>t>rK>, fttmtt
graatds casa de viv.-n la, laa citcinafea t nwitmi
agua de beber, conforme o Iral aa>|M>, cae ot-
ra bando, coehi-ira, quarlos para rriadus !
accomm odaeo'S i;ue-o c.iip v-ti -..i. ra, Irf
reno c on gno le frent- e mii >r xr n
du, pela irav.s-1 q M v,.i pan o II aag <>>> i*-
,e-.-e retalhar ierren i a .s fand -. ~-\n t-r.-^jaitar
o sitio, para navas UM r~>-, -V. <.> tti-im -
pretndanles ao previo es.me.
LEILAO
De c'tiapos do lol. aj|iar- i ios Je perc.--
na, garrafas, vidr*. lats le fmw %
i -iad ,s e p-rfeilas e ixitros nni!. ane-
gos ili1 Imii;:) a viiln)*.
Cordelro Missoe
por ronla e risco d-- qu-m nern-ncrr lar Inte- i
que aciraaesta menc.ionatlo.
Il0l.
Sexla-felra l'iJor^rreneeas I I I. oras.
No armazem a ra Ja Cruz n. 57.
Leilao
De movis, escr.ivos t tros arltfps
Cordeir* siar*
por conla e risco de quem pert-ncer fara **
de mutullas de Jacaranda' e amar-ll > a Laa \>
marquezas, mesas, esp,-lhos, saortuarios;. nmnV
de linas jiravnra?. eadHmtt. a outro* aoik .-
gis. Na mesma uccasi.t venda-ra' nm f-rrar> t
nome biureni;" d- naci, idade 50 aanoi* pocr-
mais ou menos, i-tn
Sexta-fein 17 do eorroalo te II iarr;-
No armazem a ra da Ci uz n. 37.
De 12 barrisrom lmna 4a |m
Grande.
ilOJIJ
O agente Psima vender por coila e mrr- quem perlencer do l Larris aaaj WO NMts
da um do Rio trande en>calda, em ua o
lotes : hoje as 12 horas di raaobaa ao
do Sr. Azevedo .lefroiile daescadiaha das
l i:.! AO
Oc till (ai\i-s rom alrtha e t'
jos orlo.
IIUJK
Pos cinta e risco de quera perleaeer a |
Pestaa far leilo de 60 caiaas acaa aittvia
nova e 23 queijos prato em ua ou aasaa l__
vonlade dos compradores : aoje as 11 Oara
manhaa no armazem do Sr. &vetlo Oefroal*
escadinha da alfaodtga.
mmm


Diario de pei'nambnco Kextz le ra 19 Je novembro de AfeftS.
LEILAO
fia casa terrea da ra d< Mondego n.
67. en baos propt'ios, com quima!
eeiciuiba.
Hoje 19 de novembro.
Por inlervenco do agento Pinlo, em seu es
ripeario ra da Cruz n. 38.
LeUao
aloje sevii-fcira.
A iamson Howie & C contiouaro por uisr-
v,-ari i do agente Oiiveira, o seu leilo de variado
e Mlxsornmento de izeudis inglesas, comecado
fiouteai Iti do comente.
TLAO"
t-. ..a BES
SexU-fein 17 do correle as 10 horas.
TNo armasen do bario do Livramtnlo no caso de
Apollo.
Tis**i Freres ar.ii leil-t por intervengan do
geate Pestaa, de vinho Unto, em lotes a Tontada
d LEIIAO
e orna escrava moca de 20 annos.
O agaate Martius far lellao por mandado do
iUra. Sr. Dr. jui ile iireilo ila pntneira vara do
artsae esab^titato do da faynda de una esrrava
de 20 anuos de idade, b)iiila ligura, sab>'ndo al-
gaosa censa de costar, eosioha e ensaboado.
Terca-feira i "i" corrale.
O ledao lera' losar na praca do Coramercio jun-
to a Asseciacao Commercial, as 11 horas.
mm wimi.
A Semana [(lastrada e o Bazar Volante do
?,: > de Janeiro assignam.se na ra do Crespo n. 4.'
Taathen ha collecco do Io drf )ulho em diante.
F.-tbriea de chapeos de sol de l
fitqnt*, na do Crespo u 4.
NesCe a aligo e acreditado estabelecimento aeha- I
se serupr e un completo e variado sorlimento de '
eaaaees de sol de tolas as qoalidades e precos,I
Hala de seda e alpaca, com i pino de todas as co-
ras, (tira (tmeos, se ihoras e meninos. Quanio aos ,
sao os mal- razoaveis posslveis, tambem ha i
am grande sortl con de pegas de seda, alpaca e
juno para as pessoas que qanerem eocommendar
.s de s1 e mandar fobrlr armacO-s servidas,
/ ni- rtara-se os mesmos, sendo todo este irabaiho
f-'i(. cora toda a perfeieo, presteza e commodo
preco : na roa do Crespo o. V_______________
Sociedad de seguros mu-
tuos sobre a vida
O U lace .Utiaura do l'.ii: i lendo eslabeteeido es-
ta avdedade debaiao de soa inmediata vigilancia
e. raspaOMbilidade, (aelhlou a creaco de eapitae>,
dotes, renda-, peoses, Isenpoes do servico das ar-
mas eut, por meio de suiseripcSes nicas ou an-
naaes, as ana es convertid.i.s pm ioscripcoes da di-
vida publica, de renda nacional, e da uie.-ma forma
o< joros semeslraes que d'ellas se forem eoeendo,
fieara por nm certo nomaro de annos un deposito,
; iini i o prazo estipulado, sao restitaidas
, ; ,-. e "i os ini*resses am mloados, bem co>
bh is que perteocerem aos associados fallecidos,
vi>i i qae d'estes sao herdelrns os sobreviventes.
P i eugenii isa c imliin ica i con troica adoptada .
IrUlos il '-1 SOClfla le, ve > que, c.iii orna j
entra '.>. mm; .' di 504000, por Xemplo, olite*n -"
em 5 annos 150*000 a oSuillOO, em 10 l:3UOftO0u
i:OO0po00, em 13 3:5005000 a l:300J000, era
OOJOOU a 10:0004000, em 25 18:01)05000 a :
ti'; !' 105000, conforme a idade do ndividn sobre ;
rju" ti i:. fet i o segare, pois ijui nos referidos cal-
;:...' com a maior ou menor probabilida-!
.. I lie villa.
v'.Ai seciedade sobretodo vanlajosa aos cheles j
de U '.((a, vi-to i|ae Ihes ficilita sem sacrificio a
d am capital oo dote para seas fllhos ou
s, iegarando-os qnando nascem oa emquanto
naneas.
Qaem, pois, mais eircnmstaociadus lnformac5S
di'-.-jr sobre lal soriedale, ou se qoizer insrrever
-i: o'ella. dirija se a na da Madre de
i) /- i. 28, onde sepodera entender com JoaoCar-
los O (no da Silva, que para isso se acha encar-
r<"g ''.
pparelbo obraai He Paris.
Puoiograptiia le algibeira
Osetcellentes resultado-oblllos com este sim-
r.-lho, fa/.em com que se leona vendido
u a parte era numero con-ideravel, pois |
... -i pessoa ni !. tirar r 'tratas e pas >-
com a maior fa -.tildado. Uiegou ruado
i n. i ana segunda remessa de.-te< appare-
!n '-, |ireioe- rsit; d5 ci ..prai por nao acbarem mais, de preve-
u:: 'ou (eoipo ; a piroaj pequea : na ra
CURSO ESPECIAL
DB
PAEPARATORIOS
para os estudantes que devem
fazer acto em marco.
Jos Soares de Azevedo, professor de
lingua e l'uteralura nacional no Gymnasio
Provincial do Recifu, tera aberto etu sua ca-
sa, ra Bella n \M, um curso especial dos
Secuinles preparatorios, para aquelles estu-
dantes qu tiverem de fazer eiame em
marco prximo :
.lnua Frauceza
(icographia e Historia
i'hflosophla
Rhetorlci4 e Potica
As pessoas que se quizerem utilisar tiesta
vantagem, podem dirigir-se indicada re-
sidencia, de manhaa at as 9 horas, e de
tarde a qttalquer hora.
LiyrERi
AOS 6:0004(000,1:200#00
e 500000.
BILHETES A' 5^000. MEIOS A" 2(J500 E
QUINTOS A 15000.
Corre te ca-feira 91.
Acham-se .1 venda na respectiva thesou-
raria ra do Crespo n. lo, os bilhetes,
meios e quintos .da 6a parte da lotera
(39*) 9 beneficio das familias dos volunta-
rios da patria, cuja exlracgo ser no dia
e hora do costume.
Os premios .le (5:0000000 at 105000
serao pagos urna hora depois da extraccao
at as i horas da tarde, e os outros depois
da distribuidoda listas.
As encommendas serlo guardadas somon-
te at a noite da vespera da extraego.
O ihesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Sotua.
OSr. BernardinoJos ila Silva Braga,
que teve taberna na ra da Senzala Nova
o. 2, queira vir a esta lypographia des-
manchnr as objecees que poz na referida
assignatura, visto como a pessoa que hoje
est com ella diz que a tomn no crreme
me/, e nao com atrasados,
so m caro re
mato.
Garante se a quera d i:0H03 a 8:0005 para
execour uma'emprea garantida: qoen quuer
fazer esie negocio avise sol letra R. \V. a esta ty-
pograpbla, onde pode ser preparado.
Precisase d uina ama: na ra das Aguas Ver
des n. 92.
M. WWtintli JHHWIli'll nllT-iV- -riIlfnV
Os eslDdantes do prirneiro anuo da Pacnl-
dade de ireito inandam celebrar na matriz
de S Antonio, sabbado 18 do eorrente, urna
missa p^la alma de seu colleja Jos Francis-
co de Arruda Cmara, c para isso convidan)
a iodos os amigas do tinado a comparecer
na Ha matriz as H horas na manhaa.
Aiugt-se
por ifiS mensa^s urna casa terrea nova na ra dos
Prazeres di Boa Vist. n. 1 I!, com i salas, 2 quar-
los bii'i-, i-izinlii, quintal e cacimba : a tratar na
rua estrella d> Rosario n. 28.
Pie-i-ase de urna ama que saiba bem coli-
ndar e comprar : a tratar na rua da Cruz do le-
nle n. 56.
OS FA RAG lO
E' a ordem do dia I Acabar com os Para-
guayos a bayoneta, a mini, a revolver;
fnlmina-los com os encouracados armados
de esporoes, armstrongs e raiadas de 80
120; extermma-los em summa a espada, a
fa ai e a punhal de que setruta; in.n
ninguem se lembrou anda de estrmgar os
Paraguayos con as armas que Deusnos con-
cedeu; acabar com elles a taeao e a ponta
ps, para o que necessario encuuracar esta
parte do nosso corpo com os formidaveis
rompe-ferro, esnjaga cobra,arrancattcos,
quebra marmore e outros que se vendem
4-RUA OIREITA45
Borseguins Bordeaux.......
patricios.........
para senhoras, en-
feilados.......
com laco e livella ..
Sapates encouracados.......
B irseguins para meninas bom
elast co.................
Sapatos de lona, sola elstica.
avelludados.........
de tranca...........
econmicos
nhoras...
com salto de lustre.
para se-
Chineloes do Poro.
8-WWO
o^ooe
5*5300
4|5S00
5^000
3^000
2(5000
IdOOn
1(5600
5500
2^240
15606
CASA DA FORT
Aos 6:
Uilhetcs garautldos.
A lien rucie das l'aui 11 i;ts ios volunta-
tiva ria patii-4.
A' HUAOO CtiESPO iN. 3 B CASAS UO COSTUME
0 abaranassisnailovendeu nos seus muitofeli-
les bilhetes garautidos da lotera qne seacabou
de extrahir, a beneficio das familias dos volunta-
rios da patria, os negqiptea premios :
U bilhete inleiro a. 'i com a sorte de 6:000,5
O bilhete inteiro n. 3673 com a sorte de 1:200#
Um meio n. 214o com a sorte de "0n000.
E outras rnuitas sortes de 1003, 405, tO} e
10?000.
Ospo>suidores podem vir recebar seus respec-
tivos premios sernos descontos das leis na Casa
da Fortuna rua d Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 0* parte da lotera
(39"; beneficio das lunillas dos voluntarios da
patria, qae se exlrahir terca-feira 21 do cr-
reme.
Para
PBECO.
Bilhetes .... 63000
Meios......33000
Quintos. .... 120
i pessoas que eoinprarein de 1005000
para cima.
Bilhetes.....BJ500
Meios......23750
Uuinlos.....(3100
Manoel Maiitins Fiuza.
Tendo a irmandade do Divino Espirito-Santo
da igreja do Collegio, resolvido em sessao de mesa
Jm completo sorumento de calcado da .rolunl,.,i mai,1arw fa'Mr dH marmore br1I1C0 no a
trra para homens. senhoras e meninas; capeiia-nr de sua iureja; convido de ordem da
assim como bezetTO franCOT, couro (le ItiS- mesa regedon qu-llas pessoas que se acharem
tre, marroquins, taixas de todas as quali- Ibtoda8 a mandar ejecoUr semelhante obra,
j j c. ;-j a examinaren! a planta que se acha exposta na sua
dades, titas para sapateiro, milito sorttdas, sa,.risll;ii e a a,,resentare.n as snas pr, postas no
sola e coaros que tudo visto necessariamen- pra-o de 40 dias contados desia data. Consistorio
te faz cobica ao comp ador pela bintem. da irmandade, em 10 de novembro de 1865.
_ O escrivao.
- O Sr. Antonio Garca tem urna carta v.nda Francisco Belarmino dos Santos Freitas
de Santo Antao, na praca da Independencia no.
, .-. Crecisa-se de uma ama de leite : na ruado
- Alnga-se a casa da roa Imperial n. 201 pro- |mperador n. 30 fl.nn ,0 ann:,r.
pria para retlnacao ou ouiro iiualquer eslabeleci- ----------------.
monto, por ter muitos commodos e quintal grande Precisa-s de 2:2003 a juros e por pequeo
murado e portao para fra : a tratar na rua Di praso, dando-so para garanta cinco escravos de
ama para casa eslrangei-
do Trapiche n. 44.
reita n. 84 oo na mesaia rua n. 211.
A tria
Preclsa-sc de ama ama, preferindo-se escrava :
as (unco Ponas, loja de marcineiro n. 27.
Precisa-se de uma
ra : a tralama rua
Desenc.imiohiiuse do poder rM abaixo assig-
nado no dia 15 do Correal, urna letra da quanlia
de I503-O, aceita em 18 de ontuhro prximo
passado pelo Sr. Vasco Marraba Palco de. Hara,
a 4 mezes. Previne se ao inesuio senil ir a nao
pagne a ontra qualquer pessoa a nao ser c m pro-
coraco do mesmo abaixa assignado. porquanto
transaccao alguma nao fez com a referida letra.
Recife, 16 de novembro de (865.
Joan Francisco Paredes Porto.
ALUGA-SK ~
Na rua da Emperatriz n. 41, primeiro andar,
tem para alagar nina preta para o serviro de casa
de familia.
valor : quem
procurado.
quizer dar ancuncie para ser
Alugam-se tres
casas na povoacao do
Monteiro a margem do rio, com muilos
bous commodos e em muilo bom estado
de limpjza : a tratar na rita do Crespo n.
20, esquina, cujo preco de alugnel ra-
zoavel.
.ganBnPOTUH'iimMi.ii'H1 n1 ihiwj
Ai na
respo u. i.
CAtBAUX DE LAILHACAR & C.
LIBRAIRiE FfliNQAISE
SBua da respo n f.
UVROS NA:iO.\'AES E ESTRANGEIROS
Kelif i PliOMipliia Jiiris;iiiiilciica Litiera-
lura Scicucias e arles.
Papelaria, objeclos napa escriptorio.
mmMM i ; wmm
fSicieilae recreativa Mtfa IniaoH
k*t T.m virtude doqoe m-* foi omrnnnica- ?^
-'.'* :,,!" Sr. direcior, ronvido a lodos os
*j --.ti iros socios ia/a roinpareeerem n i
j sala di s(vieili'ie, is || horas ila manhaa
^5 .(o prximo dorainno, l'J do correte,
"(^ x i ii de > proceder a eleicao do e inse-
* "** administrativo a d h doze directores,
'**% ; i- tem de fiuici ni ir de novembro cor-
Wk '-' i ignal in- do iii'i i prximo" fu-
..,-' .'- co'no preceitaa os arts. 31 e 33 dos ';
>>> ., i!,i.is em vigor. <;-<
M Sila das sessoes da directora da so- 'i>t
.;; 'i-Jade recreativa Nva Umo em Per-
. '. Ijuco 16 de novembro d-- 1863.
i'.' Gomes d". Ara inm,
>ii i secretario.
m
Precisase de urna ama de idade para o servido
de uma easa de poaca familia, menos engoramado
e compras : na rua Direila, loja n. 17.
Precisa-se de urna ama para cia de pouca
familia : na na da Cadeia n. 5, i andar.
Antonio Jos Rodrigues de Sonza, na na do
Crespo n. 13, aloya sua casa e siiio no Monte ro
em frente ao oiia> da i.'rji), lendo o silio portio
d ferro, cacimba com boa agua, estribara e co-
Cheira, e a casa i salas. 7 uarlos, e oto, a qual
multo trasca e est de n ,vo bem calada, concer-
tada e pintada : para ver, as chaves estao em a
casa dii Sr. Nicolao Machado ni m.'sim pnvoaca.i.
Ao publico.
Acaba de sabir do prelo *Na(oas do systema m-
trico decimal por Jos Antonio Goies Jnior,
obra muilo un nao as pessoas do commercio,
mas lainbem aos ofDnaes das reparlicoes publicas;
vende-se a 13 cada exemplar, as livranas nni-
vi i sal, acadmica e frauceza, rua do Imperador, e
na econmica, no arco de Sanio Antonio.
# DEPOSITO DE SALADO
I AltKICtlIONA f.ASl !)E DETENfAO
Rua \ova n. 411.
Ahi se eocontrarao obras de di-
versas qualidades, e por preco mui
diminotos, a retalho e em porces.
S se vende a dmheiro.

s m

m
. >
'%
D Seraphina Arrolt da Camera cordial-
mente agradece a lodas as pessoas que se
dignarain aeompanhar ao cemiierio os res-
tos moraos de seu presado lho Jos Fran-
cscj Arroda da Ciunra, ede novo pele as
mesinas para assistirem a mis-a do setir.o
iba que lera" topar na matriz de Santo Anto-
nio, as 7 horas da manhaa do da 18 do
rorrete.
Ama para casa.
._.,, Precisa-sealngar uma ama para todo servico de
urna casa : na becco das Botas n. 2, primeiro
?M andar.
-
lKiiiiiiik
AMA
Preriia-ee de uma ama que cozinhe e en^omine
pcffetaflnnte : na roa do Quoimado n. 2s, luja.
mm no popjlvk m-
N4BIHHM.
Jtoierfsado pela dlreciorl, convido aos senhores
effecttvo e hji'iiarios e mus pessoas que
recorr di,'nar a compareear ao acto do an
d i in-iall ,i;..i desta sociedade, que ter
li. r il imingo I do correnle, na casa da mes-
m-"-i'-, taiie, peas 10 1/2 horas da man han, e
; ao .'.ei'i 'i.....i--' '") accSo de graca,
: l celebrada n i Igreja de N. S. do Livra-
mei.". as 9 I/-' horas desle mesura dia.
Remarlo Falcan de Souza,
Io secretario.
s rretariado Monte Po Popular IVrnamljucano
novembro de 1865.
Crvete a 2iO rs
T ..' os dias de (I hirmem dfaoie, na rua da
Ou u. i3.
N< roa do Araorim u. 27, vende-se um pia-
no f mesa meio usado p r :i"i eommodo, pro-
(Mi hm iioem qoizer appreoder.
- '.! i-m llavera' qu- ttJO des-je gozar pre.-en-
: dos bellos builios a,) nosso Capibanbe ?
p.i- i o, na puviiKvi i iia Vanea aiha-se para ar-
if por < nii'Uii lo preco un excell oite sitio
&im t .i (iras, c.a-a alegre e fresca, cojos fondos
i i margara do referido rio : quem preten-
der (i .-se ao pateo do le.roi nesta cidade, so-
brad" <.*. um andar n. 36.
l're-i.si-se fallar an Sr. Antonio Francisco
Pae* " '"_________________________________________________________________________________________________________________
Am tiara ^uaiquar oslaltleciinealj : a tratar no pri-
viaxo andar.
m J\ -H*H / i|r* A
No armazem de Mills l.atliam v C, na rua
da
Cruz n 38, vendem-se os seguintes objectos
Uantejga ingleza.
Cerveja branca e preta.
L ti^a.
Biscoutos inplezes.
Oleo de buhara.
Folha de (landres.
Sarcos reilos.
Silhoes.
Dadiva
D.i-se nm doce a quem entregar urna caria de
uma traidora que mora ni rua que nao torta.
Ao seu amante morador na mesma rua e no mes-
mo sobrad i..... Ksla cuja carta abrir' os olhos
do amante que de nada sabe..... E esta' sendo
Iludido pelo amor falso de quem nao.....
Un Aluga-se una inorada de casa no lugar do
Carro antes de chegar a igreja : a traiar as Cin-
co Puntas d. 10, padaria.
Cremt\
Sorvele de crenie hoje ao meio dia : na rua do
Trapiche n. 18.
' Com comida e sugei^o
(iaiatile-se I.s200 por (lia.
Aluga-se escravos que leniiam offlcio de sapa-
teiro, assim como toma-se moleques para aprende-
rein o rnesmo ofleio na loja de sapatos da rua do
Rosario n. 22, junto a de fnnileiro.
t
Attencao.
Precisa-se de um eaJxelra para botequim e uma
ama para casa de homem solteiro : as Cinco Pon-
las n. 93. _____________
Aloga-se uma casa tarrea sita na estrada dos
Aflictos, a 2* a esquerda, com 6 quartos, 2 salas,
comba, quintal, cacimba com boa agua de beber :
a tratar no silio confronte \ ireja de S. Jos do
Manguiuho, portoo de pao junto da taberna.
Pailaria.
Na rua Direita, padaria n, 69, precisa-se de um
amassador.
Anda est para alngir-se um sitio na Tor-
re, com muitos commilis pan grande familia,
e muilo fresco, e tambem se vende por barato pro-
co : a tratar na padaria do mesmo lugar.
Aluga-se uma cas> terrea com commodos
para grande familia, lendo bom quinlal com algu-
mas arvores da (roclo, na Passageo) Ueranger, en-
trando pela rua da Florentina ou caes da rua do
MUITIMOS
CONTRA FOGO.
A lompanoia Indemnisadora, estaheleci-
da nestt pra<;a, trama seguros martimos so-
bre navios e seu^ ca recmenlos, o contra
fogo em edificios! mercadorias e mobilias:
na rua do Vigarip n. 4, pavimento terreo.
Aluj.'a-se nina excellenle escrava moca, ro-
busta e de boa conduca, com habilidades, sb para
fazer servieos de cas^ de familia : a tratar na rua
Vi I ha n. 10.
FABRICA A VAPOR
99 RUA O MONDEGO 90
Deposito na rua \ora n. 50 i"ja de rrlojoeir*.
0 dono deste estabelecimento pariecipa ao respetUvel poUn qm- m f.r,r i.-.-a
est montada com as melhorrs macliinas que existen na Europa, t OM pede fal
com melhor perfeii.o possivel. Todo o chocnlate desta fabrica >>[* garanti-lu. i pur.
o que nao se pode encontrar naquelle que vcui de fra, e que se vende pwprarj baim.
visto os productos seren do paiz. Na etiqi eta tem s inpre nina aguia.
PREg.
Meia libra......... i< u
Urna libra......... 800
Urna arroba........I9000
Na mesma fab ica acaba de se montar uma nHirina com senaria a \apnr pira
obras de marcineiria propria para edificio, para o que enearrog -se da fiwr porto,
nellas, assoalhos (parqu fraocez tomo se usa na Europa,) lado coa Btttidada i ...r-
feicSo. Toma-se qualquer encommenda para futa da cidade, nilinwdn lli ptom,,u a
collar-se no lugar.
mutuo-
Perderam-se duas pennas para chapo, desie
a rua do Queimao al a rua do Rosario : quem
as achon lenha a bnl-le deas levar rua Velha
n. 66, que se dar 15000 de gratlficacao.
Precisa-se da quantia de 200,1 a juros pelo
praso de ires metes, pagando un e meio por cen-
lo : qnem pretender este negocio, pode diripir-sj.
aCaponga, rda das Crioalas n. 23, ou anuuncie
por esta folha para ser procurado
A abiixo assiguada para esclarecer a verdade
e evitar duvid.as futuras, po presante declara ao
respeitavel publico, que (codo o fallecido seu mari-
do Joao Rodrigues Pinheiro tiypOthecado o sitio de-
nominado da Rirrj, district') das Curcuranas, ao
fallecido Mano.'I Ja Silva Ramos, pela quanlia de
1:0005, depois do lempo coavencionado, lendo
elle pago-lhe o principal e a maior parlo de joros,
restando-lhe apenas dnzentos c tamos un ris,
acontece que lendo o meu marido prec.isao de fazer
urna viageo ao serian antes de satisfzer-lbe o
restante do juros, na sua ausencia morro o dito
Manui.'l da Silva, e lendo decorrido algooi lempo
depois de sua mort*, c que ebega o meu marido e
sabe que tutor das erphl )s J is ..odrigaes Fer-
reira, a quem dirige-sa aiin de satisfazer-lhe o
resiante d is joros e d'-e nbaracar a bypoiheca ;
eis que o dito Rodrigues exige 'que elle Ihe pague
nem s o principal como lodo o juros. A'vsia
disio licou o meu marido csiupefacio ; e qnando se
preparava para provar que o fallecido Minoel da
Silva j tinha sido embolsado do principal e a
maior parte dos juros da mencionada hypotheca
quando infelizmente accommetlido do collera-
morbos e fallece : e depois de sua morte, sendo
eu silada, sem me declarar o meirinho para que
liin, deixei por isla de. comparecer em juizo, alle-
gando o occorrido, e depois ter se passado algum
tempo (oi que soubfl que o supradilo silio tinha
ido em praca e sido adjudicado ao mesmo Rodri-
gues : e como preondo provar que o fallecido
meu marido s i-ou restando ao fallecido Manoel
d-'. Silva duzenlos e tantos mil ris de juros, por
isto faco o prsenle.
Antonia Mara de Jess.
Precisa-se de ora caixeiro para taberna e que
lenha bastante pralica, diodo fiador a sua conduc-
ta, pasra-se bom ordenado : a tratar na praca da
Roa Visia ii. 17.____________________________'
Anda esii p-ir alugar-se daas casis ai liba
do Retir i, na margem esquerda amos da ponte da
Passagem, tem Commodos para familia, muilo
perto da cid ule, lugar muilo fresco e saodavel;
aluga-se por festa ou p ir auno : a tratar com I,
M. R. Valenca, sobrado junto a fabrica do gaz, la-
do do norte e abriuJo rio.
W Companbia Ijdelidade de seguros
maritibos e terrestres
^ estabelecidij no Rio de Janeiro.
\GENTHS KM rEllNAMDl'CO
^ Antonio Lua lie Oliveira Azevedo k C, ^
sut competentemente auiorisados pela direc- j
j*.; loria da companliia de seguros Fidelida- S
jfcj de, toniam seguros de navios, mercado- J?
*.9 rias e predios no seu escriptorio rua da *J
mwMMwmm i mi
ESCRAVA.
Precisa-se alngar iuina i-scrava que saiba fa er
bem lo o o servico interno de urna casa de familia,
eacepto cozinbar : i|a rua da Cadeia do Recife n.
32, torceiro andar, i
mm. ^mwmm 1111
Oasa ^le baulios m
!< C.-i!'> ii. 26. ^fl
Esie estabelecimento lo bem montado <(^
na sua origem aihava se de lia mallo em *Jg
qiiasi c jupelo ajdao IODO pelo DOOCO in- *k

Lairgo
m
leresse de sua adminisiracao.
Hoje que o opo proprielario erapregou
iodos os meios p
ira restabeler a grande
.iva ulilidade desle eoabelecioiento, pode
m
segurar ao publ
o numero dos <
de ja promptida
momos ou med
nflOS se achara'
horas da

Ranho de
Dito (rio ou
Dito de fan
Dito medieini
do sua qua
A
'or mez banh
as-
que qualquer que Seja
icurrenles aeharfio des-
aiiioiio.-nanhos frios,
inaes, a casa dos ha-
iberia lodos os das das
manila a- li da noiie.
I'ivr ,s.
cheque......... 500
norno........ 500
.............iooo
I sera' segun-
idade.
.-iiinalura.
dio no momo.
ra bacho fri
i
1
p
m
m
SOR
V
M
t
23 candes p:
inorno ou ce chavisco...
12 candes par; os mesmos..
12 ditos para 1
vM
10,5
(05
o3
.libo de farello. 103
mi
i--: a^\
idependencia n. 33, luja de
ifo, prata, e podras preciosas,
c
Xa praca da Ii
ourives. colnpra-^e oul
e lambem se faz qualquer obra de encommenda, e
lodo e qualquer conetrlo.
Da -e bolos de
dia, e paga-se a (usa
paleo do Carmo se dii
m
m
m
o
Francisco
b
vendasen] as 10 horas do
por pataca : na botica do
achare I
1 onusto da Costa
reoAno
Rua do Imperador numero 69.
Bmmmmm
BOTICA \\i DROGARA
I H
II. r. de onza A
Ali
lina arija
- Aluga-se por anno ou pel leinoo da fesia
uma casa grande bastante fresca, em Sant'Auna
de dentro, esta caiada e pintada de novo : a tratar
com o solicitador Manoel Luiz da Veiga, na rua
da Gloria n. 94.
Remedi< s de Raduvay
Prompte alivio.
Pitillas reguladoras
R'Zilutivo.
Remei ios de Kemp
Anacahnila.
Salsa de Rrislol.
Pilmas assucarada
Agna florida.
Pastilhas vermifoga
Chegados pelo ultli
'1
Sumio-se on furtaram honiem ao meio dia. en-
cangalhado e iv'ji cabresto, um cayallo castanh)
qne se achava na porta do sobrado n. 30 da rua
larga do Rosario, sendo ferrad) com nm P manus-
cripto, sobrado, e leo lo a orclna direita cortada ao
meio : a pessoa que o encontrar nesla cidade sir-
va-se de o condnzir ao dono, no segundo andar do
dito sobrado, 8 fra delta ao engeuho Renio Vclho,
em Santo Aul->, que sera' recompensado.
m
Precisa-e de i
lo bem co-inliar
do Rosario n. 34
vegeta es.
0 navio viral
i!83i
na ama qui"
da america.
*a':
Mil
saiba mu-
m
faca as compras para
ca>a de pouca farjnlia : na rua da Cruz

do Recite n. II,
mi
Precisa-se de ofJclaes
obra miuda. paga
calca : na rna da
primeiro andar.
snndo andar.
HM fia
le alfaiale. para
n 1 o so 2J por cada
Cadeia di Recife n. 38,
m
Precisase da quintia de 3003 por espago
de 3 mez-s d-se por aranlia em urna casa: a
pessoa que qaeira dar i nnunefe para ser procu
rada
Foi
Pr.'
vi-a-se de um f.
nli.r beo o seu Irab
Quarleis n. 16.
neiro
rneiro qne saiba devmpe-
IhO : a iratar na rua dos
Arhouse na fregiez
allineie de peilo desent
dentro de uma=0
i
d la freguezia, na rua <
le Sanio Antonio um
ora, firmando um ramo
oe-n for seu don >, dando
os outros signaes, recebar do Rvm. Sr. vlgario da
a Concordia n. 31,
Companhia geral hspanhola de segarcw
sobi'e a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBBO DF. IKS*
Uma anca em diulieir <, 'icposiiadn ns enfros d estado, arante a ta al-
ministrac* da coiiiiaii)ia.
RANQUEIROS DA COMPANidA
O llaisco de Bespaaha
DIRECCAO KliAL
Madrid : llua do Pradod. !
Esta companbia liga pelnsystema mutuo lodas as combina^oc de sapervivear i sefn-
ros sobre a vida.
Nella pode se lazer a subs 'ripean de maneira que em nenbnni easa MasaM por n>irie : >
segurado se perca o capital m-m o- juros correspondentes .estes.
Soto supreln a letiios os resultados ue produzem as sociedades da ladol w .\ >
NAL,qneain la mesmo Jiinlnuindo urna terca parte do interesse prodazido em :.---iiie- li .
ces ecouibn an lo-1 co n i ii'i't.iii'l iie da tabella de Depareieux qo adoptada .. i
para seus clcalos e liquidaces, em segurados de idade de 3 alO annos, uma inq -n; o aanua.
de 100# produz em eSectivo metlico:
No lim de 3 anuos.......1:119*300
de (O........3:94MO0
de 13 .......H:2OS420O
de 20........30:25jtM
. de 23 .......80:331*000
as idades menores de :'. anuos e maiores de 30, os productos sao mai- coas teravais.
Prospectis e mais infnrmacSes serao prestada.- pelo sub-direclor narsta provincia.
Joaquim Fiuza de Oliveira, rua da Cadeia n. 82, ou a Roa-Vista rua da Imperalriz n. 12, -' li
ment dos Srs. Raymnndo, Carlos,Leite & Irmo.
N

^^5>
r- a
-
: -
- m
-
DE
J. VI6NES.
.V. 55. nv\ IIO JvIS'KR VOOR .". 56.
Os pianos desta amiga fabrica sSo hoje asss conhacidos para que seja eeVano ir>-i-:ir -
aa superioridade, vanlugense garantas qne.uuVrecem ais compradores, qnaHatadu -
eis que elles tem deflnilivamente conqaisiado sobre todos os qne tem apparerMo r-:i ;
solado um teclado e marhlnismo que obedecem lodas as vontad-s e caprichos di- piai
aunca falhar, por serem fabricados de proposito, e ler-se frito Diurnamente asanos! nim a <
.issimos para o clima desle pan : quanto s itiits, sao melodiosas eflaaladaa, t por i-- saaitu
eis aos oovidosdos apreciadora4.
Fazem-se conforme as encommendas, lano nesla fabrica como na do Sr. Rlon-bl. de rarn,
orrespondente de J. Vignes, em cuja capital Corara sempre premiadlas em lonas a- mq *ir6 -.
No mesmo estabelecimento se achara sempre nm esplendido e variado sorlin ent i V m -
nelhores autores da Europa, assun como harmnicos e pianos hariuoni s, sendo todo :'
oreos commodos e. razoaveis.
DO
>11. PEDRO DE VTTVHYOE L0150 MOSCOSO,
tiKiiivo, i.wTi:ino oii;c \ifOii
3 Rua da Gloria, casa do Fumino 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos es das das 7 as II
oras da manbo, edas 6 e meia s 8 luirs da noite, exrep.o dos diaa laMilkaA.
f han/tac>(i especial btrmenpathici
No me>mTi consultorio ha sempre o m;iis appropriado sortimeate de carlw s
tobos avulsos, assim como tinturas de varias dvmuamisacraes e pek precos sfgiimies.
Carteiras de 12 tubos grandes. i-.'-oimi
de 24 tubos giaodes. I80OO
de :i6 tobos grandes. 214000
de 48 tudos grandes. 300000
de 60 tubos grandes. 350000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fi/.er, e com w r nedi*n
^ue se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onf^a 15000.
Sendo para cima de M custarao os preros estabelecidos para aa carteira.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
IiOTROS
A melhor obrada homeopathia, o Manual de Medicina HomeopatliiC" dn Dr.
ilons grandes voluntes com diccionario............ 9MflO>i
Medicina domestica do lir. Hering........... I0it i
Repertorio do Dr. Mel Uoraes............ '*
Diccionario de termos de medicina........... :iii
Os remedios deste estibeleciment sao por domis conhecidos ilisppns.m
tanto de serem novamente recommendados as pessoas que qiii/orrm usar de remi'd-'s
^erdadeiros, enrgicos e doradores: ha ludo do melhor que n poda desejar, pM i *i
ferdadeiro assucar de leite, nolaveis pela sua boa consenacao, linlura s ms a
tados estabelecimentos europeo*, a mais exacta e acurada prepaincno. a j oriai (na mmar
energa e certeza em seus eieilos.
Casa de saude pura, es era ros
Recebe-se escravos para (ratar de qualquer enfermida.le ou fazer-?e-lhe jnalqivr
opera^o, p ra o que o annunciante julga-se sullicientemeiiie iialiilitadn.
O Ira tmenlo o melhor possivel, tanto na jiarte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa lia mais de quatro annos, ha mui'.as pe-sons de cujo ruiceii.i s n.'o
pode duvidar, q ie podem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doents.
Paga-se 2^ por dia durante 60 dias e d'ahi em diante I500.
Asopcrac/ies sera previamente ajustadas, se nao se quizerem snjeilar aos prei;>a
razoaveis que costuma pedir o annonc ante.
Precisa-se alugar
ou mesmo comprar urna
Sol : quem a pretender dirija-se a Jezuino Fcrrei- preta de meia idade, que seja boa quiandeira : a
da alan-Jega, oa hora do tratar oa rua dr Cruz d Recife n. 42, primeiro
ra da Silva, despachante
expediente da mesma.
I
andar.
G0.VPAMII.4
Para a i-onstruccao de macliin.-is
DE
ALBKKTSO* K Ol'fSIi.VSS
NeW Condn, Corinectieur, Esla-
dos-Umdos
Solicitam pedidos de descarocadores de algodao,
adoptados ao aleodio sol-amerbano. Hao-se de-
dicado a es:e negocio durante 2o annos, e aliende-
rao immediatamente a correspondencia qne se Ibes
dirigir.
Ana de leite.
Precisa-se de urna ama de leile : na rua do Im-
perador n. 42, terceiro audar.
Precisa-se de um caixeiro para (ahorna : a
tratar na rua Imperial n. 37.
I'ni CMlf *le ris.
Precisa-se por algnm i-mp", t l m Km
juros: qoem qortrr dar, a Me -la iy; ooiaj^i i
M'ii as letras A D, otada aOd* *fi i i>
Predsrfie
de cm caixeiro qne lenha minia prloa I
de faieadas. Oque esliv.r ne-ias runthaca;e> ?
quier dirija se a rua do Crvvaa. 17.
Alug'.s-o lerceiro anilar da n> i. S8 di
rm da Imperalriz, e e sana n. I da e-trada ilo r-
raial : no ina da Aurora n. 36,
Preci-a e de urna ama forra par i
e cozinbar : na rua Jj C.vraiaei ion. 25. >e-mvi->
and.r.
I'recisa-se de nm raixeirnie 14 a li ana*
para uma taberna m p voagao dos Ai*>i>ar>h>
1 que d dador a sua conduca
i


Diario de fr'vraamfoae* Neita :elra 17 de .Vovcmbr de asa*.
D'IODURETO DUPLO
E
kri
Os elementos que compoem esla preparacio. o
ferro, o iodo e a quina, a collocao no primeiro
grao das preparaces ferruginosas. basta attesiar
seus resultados obtidos pelos Mdicos dos hospi-
lacs, e os relatnos dos priicos niais eminentes.
que confirmro sua poderosa efticacia as se
guinles afleccoes:
Mlngoa no mingue,
IriMni./ii,
Allf-mla,
Cltloroac 011 Ictericia,
M.-n-Irno,
AfTercom do mero,
SupprruKOCH dtia re-
KTH r drnnril tu na
mmalruacit,
\ffi--c:io pulmonar e
ahlhlnlca,
MoIrNItan il>ionuiKo.
OaMtralglaa,
Perda a'apaellte.ete.,
Convaleiiccnf a kiih niolcwlltia,
Moto-tina cM-i o ful i;
aa,
Papelra,
OhH(rncco dan glnn-
ilulaH,
Humores irlo,
Tu moren hrnnriM,
RaclilllMino,
AIR-cfUea canccroNa*
o NyphlIttleoM,
FebrcM t> i>i>IiIi-m,
Beilga, ele, ele.
Vejaos: os bulletins de therapeulica medica
e cirurgica de 30 de novembre 1860; a Gazeta
dos hospitaes de ?8 dejulhoiKS", etc., etc.
Alfim das puntas de lodureto duplo de ferro e de
quinina de Rebillon, os Mdicos aconselho
igualmente o Xarope d'ioduieto duplo de
ferro de quinina do mesmo autlior para as
pessoas que nao goslo de medicamentos sob for-
ma pilular c os meninos. F.ste xarope nao tcm
como o xarope 'ioduretode ferro, o inconveniente
de alterar-se e de se nao poder conservar.
Peca-sc o folheto que se d de graca em casa
dos pharmaceuticos depositarios.
Para se evitarcm falsificacSes, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor..
Depsito geral em Paris, pharmacia Rebillon,
4 42, ru du Bac, e em todas as boas pharmacias
de Franca e as dos paizes eslrangeiros, etc.
BO
MEDICAMENTOS FRANCEZES AFAMADOS
Em casa dos Srs. Caors e Barboza, rua da Cruz n. 22.
As poililhas digestivas cun a pepsina de
Wasman, einpiego se com successo lid j
alguns annos pelas celebridades modicacs de
Par*. Lomlrcs. Vienna, etc., em todas as in-
coinmodidades em as quaesadigestao difiicil,
penosa, imperfcia ou mesmo impossivel: eis
0 inclbor remedio para coral as.
Gaalralslav, Maurrhjaaa e rontl-
nlH|li>|>hlUM, |Uir:io pro'liir.lclaa
ICfiiliiirarOH^NlrlcON j |icl.i<. <-l.tlinrnru<-m
A ;;,.lrUt-, A itrfi-crocfi cu?* Sua ac\';'io vivifica o sanguc e os rgaos de
lal sorte unet'atM as pessoas que sem sofrvr
as .ilTecc.6es gstricas cima mencionadas sao
nicamente iracas ou d'um temperamento um
pouco dbil, c necessilo substancial alimento
para forlilicar-se, acMe no emprgo das paslil-
ha.s de pepsina de fVasman,um poderoso meio
para a isso chegar.
Aviso importante. Osucccssodas pnstillias
pepsina de Wasman deu causa a se (azoren)
falsiiieav'es e iinitacdes d'csse producto que os
mulos se querem desfa/.er. I'ois por falla
d'uma boa preparacSo a pepsina que n'ella
entra, ja/, alterada. Seremos ao .abrigo d"esle
inconveniente, exigindo os compradores que as
pastillias lenhao as iniciacs B. P. e saiao da
pharmacia Chevrier.
Depositogera) em Pars, pharmacia Chevrier,
21, Faubourg-Moutniartrc, c em lodas as boas
pharmacias de Franca c dos paizes eslrangeiros.
RADAS PELOS
XAROPES DO DOUTOR DANET
N* 1. Contra CLICAS DOS MENINOS antea
e durante a denlle&o
(Xarope de cyneglosse e de acido succinido)
N- 8. Coaira a
TOSSE CONVULSA
NERVOSA
e a tosse
(Xarope de cynoglosse e N* 3. Contra as CONVULCOES DOS MENINOS
A CHOREA
(Xarope de cynoglosie e de acido voltil de succino)
Estes novos productos preconizados na Aca-
demia imperial de Medicina de Paris sao em-
pregados com grandissimo successo pelos mdicos
de Franca para o tratamento das molestias dos
meninos cima indicadas, e viero cncher um
vacuo importante na therapeulica, no que toca as
aITcceocs da infancia, para as quaes, ath hoje,
ainda se nao pode indicar tratamento racionnal-
nem infallivcl.
(l'cca-se o prospecto em casa dos pharmaceu,
ticos depositarios.)
Proco do frasco em Paris, 3 fr.
Para se evitarem as falsificacoes, exija o com-
prador que cada frasco tenba sobre os rtulos a
assignatura Chanteaud.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chan-
teaud. e em todas as boa"
c dos paizes eslrangeiros.
pharmacias de Franc?
Os granulos de bismuth de Chevrier em supe-
riores a todas as outras preparaces de bismuth
empregadas antes com o maior successo pelos m-
dicos de todos os paizes, para prevenir e curar as
DE^CHtfVRIR
Moli-ailita de ligado,
A Irterrln,
Palultacao do eoraro
Dore nos rlna,
Marrheas rhronlcas,
DyaacnlcrlaS,
Dore* d'catoiuago,
i>> pepsina,
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
Maa dlgenloea,
Gaatrllea,
Gaatralglaa, etc.,
OpprcHroeM,
Doren de rnbeeu,
irriiaedea de ii'eziga eeem todas as pharmacias ue Franca e dos paizes
da matriz, ele. eslrangeiros
MANSA e XAItOPE
DE CODEfcU
DB
BERTl
As experiencias clnicas e comparativas
dos Snrs Magendie, Barbier d'Amiens, Wil-
liams Gregor, Martin Soln, Aran. Viga,
C. Dumonl, etc., membros do Instituto de
Franca, mdicos dos hospitaes de Pars, tem
provado que a Massa e Xarope de Berth i
o remedio o mais seguro contra lodas as
dores nervosas e tendo a propriedade de
calmar com admiravel rapidez astosses rebel-
des e extremamente fatigantes da grippe (ca-
larrho epidmico1, defluxo, coqueluche on
tosse convulsa, bronchite e tsica pulmonar.
A Massa e Xarope de Berth, se
adulo em lodas as boticas.
Para evitar qualquer
falsificado, exigir em
cada produlo o nimic
c a firma Berth.
Deposito geral em I'aris, em casa de MENIER,
Itua Ste-Croix-de-la-Bretinn
ASTHME
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
Sufloeeono nervosa e OMpresno
nico remedio efficaz para combatter estas mo-
lestias, acalmar um atlaque d'asmp e impedir a
volta o Xarope aromtico de Succino (mbar
amarello) do r Danet. Descoberta inleiramente
recente, este novo producto se tm propagado
com extrema rapidez gracas aos adrpiraveis resul-
tados que tcm sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54,
rua do Commercio, Paris-Grenelle, e eqj todas as
boticas de Franca e do estrangeiro.
m
Pelas commissoes em grosso, dirigirse aos S"' WILLAERT e BERGER. comisarios em drogara, 11, rua Saint-Lazare, Pars.
nontera da na da Seozala Velha at o caes e rua
do Trapiche, tres chaves era um argola : quera
as achar, querendo restituir, as podera' levar a
rua da Cieia do Rente, I ja n. ti que se gratifi-
cara* su Meara' i-gradecido.
Aluga-se urna grande casa terrea na Ponte
de Ucha, a beira do Rio : a tratar na rua do A-
murim n. 54.
C0MPE1S.
Comprase
um avallo que esteja habituado a andar
em cabriolet: quem tiver annuncie onde
se pode ver e tratar.
A G uno
o joro de pedras para rooinhos
do Vigario n. I i.
veioV-se aa rna
Silvino Guilherme de Barros compra e ven-
de edeetivarnente escravos de ambos os sexos :
rua do Imperador n. 79, tereeiro andar.
Compra-s ouro, prata e pedras preciosas,
em obras velbas : na rua da Gadea do Recife,
cja de onrives no arco da Concei^ao.
uro c prata.
Em obras velhas : compra-s na praca da In
dependeneio n. 2, leja de bilhetes.
Comprase carosso (sement) de algodao : no
armazem dealgodao de Saunders Brothers 4 C,
no caes de Apollo.
Compra-se um cscravo d meia idade que
tenha boa conduela, era vicio e arinques dequa-
lidade algnma e que enlenda de planiaco de si-
lu: a tratar na rua do Vicario n. 10.
Vin/io de caj
OfDpram-se quatro doas d- garrafas de vlnho
de eaju' de boa qualidade : na rua da Florentina
numero 40.
COBBEL.TAOi
CHUMBO
ompra-se cobre, lalao e chumbo : no armazem
da bola amarella, no oiio da secretaria da polica
Compra-se urna vacca de leiie sendo que seja
boa: na CapuDga na taberna junio a padaria.
stencao.
s%
DACAO GE11AL
iNO
GRANDE ARMAZEM DA EXPOSIQAO DE LONDRES
Samuel Power Johnston & Companhia
Ruada SenzalaNova n. 4.
AGENCIA OA
Fuadlv^o de Low lloor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cava I los.
Moendas e raeias rnoendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios d carro para nm e dous cavallos.
Relogios de ouro patente ingtez.
Arados americanos.
Ma hia? para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura. ________
Notas do banco do Brasil e das caixas filiaos por ser a dinheiro, por isso vende todo e qualquer artigo barato, por menos do seu valor, e mu principalmente por
SSSnSSStSS^^ mente *M" de Partir "ni b.eve para a Euro, a.

*&&*'
60 Rua da Cadeia do Recife
WZ
2J
60.
Todos os arligos abaixo mencionados foram comprados recentemenle pelo dono do estabelecimento as pr ncipaes fabricas
de Paris, Londres, Birmingham, Msncbester e em diversas cidades da Allemanha, e tendo comprado ludo as meliores condicoes
Ha neste vasto armazem re s objectos com brilbanles. como botos, anneis, rosetas etc., e bem assim di
como trancellins, correntoes, anneis e muilos outros artigos, relogios de ouro inglezes do afamado fabricante
O l)r. Carolioo Francisco de Luna San- "r--:- ouro,
tos coniiua a morar na rua do Impera- ^g pelo sortimento de lazendas finas c modernas; miodezaSj perfumaras finas dos principaes fabricantes inglezes e fr
s! 1 T. FIVER, Liibin, "
L. Legran-I, Ed. Pioaod & Meyer, Delelirez (Perfumeric du mond lgant), Violet, Societ llygien
Vendern se de lo a 20 casaes de pombos de
i qualidade por aiuito barato preco comprando-se
1 todos: na rua da Aurora n. oi, taberna jnnto a
capella inpleza.
Compra-je um escravo on aluga-se, qnem li-
, ver pode diriglr-se Da rua da Concordia n. i, pa-
daria do gaz.
*
1
YENDAS.
Manual do Cidadao
Vende-se o Manual do Cidadao em um
Governo Representativo ou principios de
Direito Publico Constitucional Administra-
tivo e das Gentes, por Silvestre Pinheiro
Ferreira, em 3 voluraes broxurados por
querer inteira- cada obra : na livraria n. 8 da praca da
Independencia.
rersas obras de i--------.,'___rr-----------------------
de encrespar
3ennettc; com-
rt. dor n. 17, M-gnndo ailar, leudo alia
'*..' gabinete de i-onsullas medicas, logo ao
entrar, no primeiro. Mailly, Regenier, P. Guelad, e inglezas de Eug. Riminel e outros; ricas galanteras em marluri, madreperola, ele.
Wj o mesmo douinr, que. se t^m dado ao China c no Japao; ricas pegas de crystal fino como ainda niio appareceram nesta cidaiJe, e bem assim modernos lustres para velas,
.
pstndo tanto das operagSes como das mo- $gj ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, casticaes, enfeite< e adornos para cima de consolas e |iara grande toillelle
nado' qSr^Mra^Bilro^owK Sri M fcil (le m-'s elegante em Paris, Londres, Birmingham etc.; modernos apparelbos de metal fino inglez para checaf
*& da cidade. nat|a sao inferiores prata, e multas outras pecas do mesmo metal, ricos pentes de tartaruga da ultima moda para Ir..
feclivamenie deposito dos arligos seguidles
Si. Julieu.
S?. Pierre.
La rose.
Cbaiean Loville.
Chiteau Ifargaax.
Graud vin Clialeau Lafilte 1858.
Chateau Lalitte.
Haui Saoterues.
Chelean Sauternes.
Cii.i!.-;n Lataur lllanrhe.
Chateau Yquem.
Cognac em tres lualidades.
Azeite doce. Pree.08 de Bordeaux.
o que se tem
os quaes em
ticas de senho-
immensos arli-
ditos de pan-
para se tocar na
(mgica) para
os de nova in-
ara mancas, e
inte e que tem
crina e seda,
itos, ditas com
riz de crystal
esouras finas,
sortimento de
[ferro de todos
ie sol, benga-
polinhos, etc.;
pannos paro cobiir mesas, bolsas grandes e pequeas para viagens, e outros arligos, como cobert res, malas, etc.; sortimento de
Ferros
baados ; para acabar vendem-se desies ferro a
Cezes, como L.. 800 rs. cada nm, o que se vende em nutra parle a
que, Mompelas, WH) rs. ; lambem tem ontros modelos diversos por
fabricadas na ,5(J() > 15 cada nm : na rua do Crespo n. i.
Vetde-se urna cabra com um cabrito que da
meia garrafa de leile : a iratar na rua do Cabuga
BARATAS
Xa luja de Joaquitu de Faria lachad,
rua (I. Quimade it. 4.
Nesle acreditado MaMai-im-ni" eoroolraro
os compradores um compl-io v.rimieDi. de faKn-
das baral.is, |)em eoaH roupas f-;i s por mriU
a voniade dos fregoez-s, para o i u.- ha boa raac-
miras, brins, ele.
Entre as muiias qualidadrs d i f.i. nda? ha a*
segrales:
Madapolao francez moilo encorpadn e larro par*
Uia, vara IM.
Saias bordadas cora 4 pannos a UB
Unas bordadas raudo linas com 5 nao* a !.
Balites de arcos, modernos a H. ;.'i'p r.'^.
Dilos de mursulina para menina, t,urnci idos
bieo a '.A.
Bramante de llnlio alvo, com I palmos 4e lareo a
4U0 a vara.
Leoces de bramante de linho al o nm so paaao
a 3
Ditos de panno de linho a 4.
Coberias de chila franeeza superior a ioM.
Guarda apos de linbo adamascados, duzu .'.Vmi
Lenco* de camnraia brauca para al^ibeira duna
14600 e 2*600.
Ditos de dia de linho, dnzia ">4.
Algodao entestado com 9 palmes de iarro. vara
14000.
Cainiiraia para forro, moilo larga, >'. a iiO.
Dita moilo liu, p^-a 44, ':S500 54.
Una adamascada para tur uados, pera de JO va-
ras 114.
Corles de lazinhas, padroes notos com 15 rjvado
a 14500.
Dilos de dita com barra, moIern< r, a "4.
Cambrau organdys, minio fina, v.ira r**i rs.
Tarlaiana verde, eor de rosa, azul e branca, vara
800 rs.
Grosdenaplfs prelo muiio superior, eovado lr>">
e 24000.
\proreitem a ocetudo
Vende-se a fabrica de cableirana iincljie on
eselusive os escrav.s com ofllnna Je caid*-ireir.i.
moldador, erreiro, lateeim, ele), sita na rua Im-
perial n. 155 a 158, de SefcaMfcia tmk da .-ii. p. r
ler fallecido seu digno admini*irad..r > Sr. Fran-
cisco Belmiroda Cosa, e seu proprielan m MM
doenie. Tambem se faz negocio manda coa ns
escravos, vapores, machinas, alambijaes ov i. d<
os tamaitos com seus pertenres, -ir., ele. i^nrm
preleuaer dirjase a' rua da C;dei ie H-ii a. ,.
armazem do Sr. Antonio Valentn) da Silva Barro
ca, ou a' rua Nova n. 35, loja de ferrageas.
tbealros ou salos, ditos de phantasmagoria ; lanternas mgicas, cosrjoramas com vistas novas, dia enoile; stereocop
venfao e cum bello sortimento de vistas daspriicipaes cidades da Enropa ; grande sortimento da brinquedos finos p|
bonecas fallando papae emamiie ; grande sortimer.to de candieiros a gaz, o que se tem feito de mais eleg;
merecido toda a accitacao na Europa, grande e magnifico sorlia ento de ca .tahas. Gestionas e outras galanteras feitas d
I proprios para presentes ; gr.mde sortimento de estampas fin s coloridas com o fundo preto e de outras de todos os sa
| figuras e ditas om novas paysagens para cosmoramas, finos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello chaf;
proprio para meio demea de jantar ou para jardim; cuidara fina, como talheres com cabo de metal lino, collieres,
dilas modernas para alfaiates, navalhas finas, caivetes e outros arligos, diversos artigos feitos de rame ; completo
mascaras de vetado, setim, cera, papelao e rame ; doces confeitados e chocolate em caixnbas e em vidros; camas de
os tamanbos, lavatorios, etc.; ricos quadros para cartes de visita e ditos grandes e pequeos para retratos; chapeos
las. chicotes e ditos para carros; machinas para fa7er caf, ditas para baterovos, proprias para quem faz po-de-l,
loja n. 11.
Peonas
de ema de moilo superior qualidade :
vende-se na rua do Vigario
criptorio-
Na rua das Trineheira n. 26~
vende una negra de bonita figura
de 6 meze.
n 2i. Io andaj, es-
se dir quem
com urna rri
2o
3o
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na rua da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua prois-
sao medica, e com especialidade
sobre o seguinte
Io molestias de olhos;
de peito :
dos orgaosgeni-
t urinarios.
Em seu escriptorio os doentesse-
ro examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os das das
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
Cao que julgar conveniente para o
prompto restabeleciraento dos seus
doentes.
violoes finos; figuras finas e jarros de alabastro ; galanlarias e outras pecas de charao para toillelle; machinas para
excellenies machinas pira photographia para tirar retalos, grandes e pequeas; lindos baioes de papel fino transpiren
col ridas para illnmtaacdes moda de Paris; salva-vida de borracha, para hoinens e senhoras, proprios para quem tona banhos em
i lugares fondos ; ameixas novas em caixinhas, biscoaios inglezes em latas, queijos, etc., e mutos outros artigos que .
n ios sera um nunca acabar, c todos se vendem barato e muito barato, no grande armazem da Exposco de Londres,
g rjeia do Recife n. GO.
IB
XO GHANDE AH-
MAZBM.
varrer o chao,
e lanternas
Para completa quidaclio vendem-se, por muito menos do seu valor, perfumaras muito finas e novas chegadas
ra enniunera-
na rua da Ca-
XPOSICAO DE
ON'DRES.
recentemente
de Pars e de Londres dos mais afamados fabricantes seguintes: E g Rimmel, R. Matbeus &C, Lubin, Sociedade Byj ienica, Piver,
Violet, L. Legrand, Deletrez, Pinaud & Meyer, Regnrer, Mailly, Gillet frre, etc. etc., dos quaes ha grande sorlimer
lo d'agua de
Ama.
Precisa-se de urna ama que compre, cozinhe e
engomine, para casa do doas pessoas : a tratar na
rua da Cruz, armazem n. 57.
Precisa se
lionas n. 106.
alngar urna escrava : na rua de
Joao da Silva Ramos, medico, me-
dico pela universida le de oimbra, \
^f d consultas em sua casa das 9 as j
pgg 11 horas da manhaa, e das 4 as 6 I
B da tarde. Visita os doentes em suas'
casas regularmente as horas para j
isso designadas, salvo os casos ur-
.- gentes, que serao soccorridos em i
W qualquer occasiao. L) consultas aos
g pobres que o procurarem no hos- |
$f pilal Pedro II, aonde encontrado j
JP diariamente das 6 s 8 horas da j
0 manhaa,
Tem sua casa de sade regular-
I mente montada para receber qual-
^ quer doente, ainda mesmo os alie-
nados, para o que t^m commodos
apropiados enella pratica qualquer ^f
opperago cirurgica. H
Para a casa de sade.
Primeira classe. .3(5000 diarios, m
Segunda dita___31800
Terceira dita .25000
Este estabelecmento j bem J
jjp acreditado pelos bous servicos que
^ tem prestado.
H 0 propnetario espera que elle i^.
continu a merecer a confianca de ^
que sempre tem gozado. ^
m
!Si
tfil
I*
$8
Colonia em vidros e garrafas, agua de lavande, aua para limpar dentes, oleo babosa, extractos em garrafi, lias e vdro; de ditren-
les modelos, pos para limpar dentes, banha em potes e em vidros, pomadas, ricas caixinhas ebalainhos com perfumar,as para fazer
presentes, e muitos outros arligos que se vendem per menos de seu valor, bem como todos os artigos em geral existen es no grande
armazem da Exposico de Londres, na rua da Cadeia do Recife n. 60.
PARA S1.VIIOJE&.*.
Ricos e modernos penies de tartaruga para tranca de senhora, o que se tem feito de mais elegante at o presenta: vende-se
por menos de seu valor para se liqui lar, no grande armazem da Exposico de Londres, na rua da Cadeia do Recife n. GO.
IifJVAS W&VA& ME JOUVIft.
Vendem-se excedentes lavas de pellica, recentemente chegadas de Paris, tanto para homem corno para senhora p(or menos de
seu valor, para se liquidar : no grande armazem da Exposico de Londres, na rua da Cadeia do Recife n. 60.
PHOT^GR % 11II %.
No grande armazem da Exposico de Londres, rua da Cadeia do Recife n. 60, rua da Imperatrz loja de Mr. tjubarry n. 8
e na mesma rua loja de miudezas n. 54, vendem-se excellentes vistas para quadroj de sala e para albuns, como:
Porto.
Campo de Sant'Anna e Braga.
Amarante.
Vista geral de Guimares.
Porto, rua de Santo Antonio.
Ponte pensil sobre o Douro no Porto.
Villa da ponte da Barca.
Coi mora.
VISTAS HE PERIVAjHBflKO.
Tiradas na occasiao em que S. M. o Imperador aqui estove em 1859 :
Palacio da presidencia, a cavallaria acompanhando S. M. o Imnprador no dia 2 de dezembrn,
indo para o lu-cu'u ..u comento du Caruiu.
Theatro de Sai.la Isabel.
Rua da Cruz com a pyramide.
Torre do Arsenal com a illuminacao na frente.
Passeio publico, na chegada de S. M. o Imperador.
. Rua do Collegio com a tropa.
Pateo do Collegio eom o palanque.
flauual de coatas feitas
para compra e venda de assacar: vende-se na li
vraria econmica ao p do arco de Santo Amonio
Em casa de Phipps Brothers
& 0., a rua do Vi
numero
9!
gano
Vendem-se cofres de ferro prova de fogo!
dos afatn.dos fabricantes Mlner & Son de
Liverpool.
INJECCAO BROW.
Remedio infallivcl as agnorrheas antigs
e rcenles, muco deposito na pharmacia
francesa, rua da Cru: n. 2 e aopreco de
:t#0oo._______
Fanha a 3J5'<
Vende-se farinha de mandioca, saceos graudes :
no armazem des Srs. l'asso Irmaos, na poule nova'
pelo preco acuna mencionados.
Vendem-se duas escravas recolhidas, de ida-
de 23 a 24 annos, exeellenle conducta, engommam
perfeilameule e fazem todo o servico de urna casa :
na iravessa do Carmo n. I.
^ Vende-se um sitio em Itemfica a' margem do
rio Capibarihe, com baslanles commodos para urna
grande familia : traase na rua Nova n. 24, das 9
horas as 4 da larde.
Familia de mandioca.
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo & C. no seu escriptorio rua da Cruz n. I.
Em easa de Phipps ruihcrs i\ <;., rua do
Vigario n. 2, vendem-se cofres de ferro, prova de
r>gn, dos afamados fabrieaales Mlner A Son, de
Liverpool.
Vendem-se palmeiras imperiaes, em estado
de serem iransplantadas: no sitio murado es-
querda, depois ,do becco do Espmheiro, nos Af-
fliclo*
No Corredor do liispo n. lo. vendem se doas
moleques fljr, muito bonitos t espertos, com lo e
16 annos
tolla da Bliia superior
Tem para vender Antonio Luiz de Azevedo &
C, no seu escriptorio rua da Cruz n. 1.
Vendem-se sete moradas de was em milito
boas ras na ridade de Olinda : a Iraiar na mes-
ma cidde eom Lniz Jos G( nzaga e no Recife
com o Sr. agente Euzeido, que tambem as vende
em leilo ou fora dflle.
Vende-se 20 motadas de 'casas terreas, no-
vas e bem constiuidas, en boa localidade : na rua
da Concordia n. 4.
VIAttEM A' EUROPA.
Stereoscopios de nova invencao com ricas vistas das principaes cidades da Europa, como
Franca.
Inglaterra.
Italia.
Lisboa, etc., etc.
Vendem-se barato para liquidado no grande armazem da Exposico de Londres na rua da Cadeia do Recifegn. 60, r(ia|da Im-
peratrz loja de Mr. Dubarry n. 8, e na mesma rua loja de miudezas n 54.
Cavallo.
Vende-se um magnifico cavallo rufopombo,
muilo gordo, novo e de lodos os passos : pode ser
visto na estribara do Sr. Taomaz Payne, na rua
da Scnzala-nova.
Sinlos de madivHcrola
A I ja da Aurora, na rui larga do Rosario n.
38, recebeu ri^uissimos sinlos com llveas de#ma-
dreperola lavradas, obra de milito gosto, ditos com
llvtdas de agarra, douradas, tambem muito mo-
dernas, riquissimas mantas de seda de difTereotes
cores e bordadas para hornera, das mais modernas
que lem chegado a esta praga, enfeiles modernos
muilo proprios para casameolo, rosas com lacos
enfeilados para apregar nos hombros de qualquer
senhora : ludo isio na loja da Aurora, na rua lar-
ga do Rosario o. 38.
Rap iudependencla
A loja da Aurora, ua rua larga do Rosario n.
38, recebeu rap independencia brasileira, chega-
do do Rio de Janeiro, o qual muito apreci-vel
por algumas pessoas que tera usado deste rap.
Cavallos.
Vendem se 4 quartaos proprios para viagem ou
carroca: a iratar com Duarte &C, ta roa do Im-
perador o. 40.
AflllABB.4\C\
Rua do Queimado n. 8.'
A loja da aguia branca acaba <- reprl*r om
DOf0 fraude soriimento 4t diHer-nies lijnmw
de gosto e uliima moda, semlo :
Uouios enfeiles para seuhgras goslos iiteira-
menle novos.
Dilos dilos de grade rom eonia< gr-n.le^.
Lindas velas grandes para el niim (Mi raides
agradaveis e diversas ojoAMe, madr perola,
tartaruga, ac e douradas.
Boase bonitas filas arhamiloiadi> para dita-.
Dites de dita do grosdenaples b.-as < Uvradas
com novos e agradaveis d..senho-.
Trancas pr-ias de seda com \drilr.os moldes
novos e de goslo.
Bieos brancos epretos de sda nm vidrilho- e
de difTereotes larguras e boaitoa ineak**.
Ciscarrilha de seda com diver-a< roMB e lar-
guras, forma- inteiraotente n ivas a MM
palo, babadinho e ootra com ma irastune r
centro o que lites da malla .-raea.
Outras estrei-ai e larga* guarnecidas de bku
de seda obra de muilo g >: i
Outras de eamuraia de r.ires.
Botoes de seda, vellu lo e ac) pira enfeil.-s :
vestidos.
Trancas de seda eelrcUas e bwfM branca e de
cores para enfeiles de reslido*.
flores linas
CAPELLAS ['ARA MKN AS E N'dV\-.
A aguia branca a na do oi-im..!i m. 8, i
beu para vender :
Delicadas canellas brincas para noivas.
Ditas dit;s piara meninas.
Ditas ditas ue raims d Irjt de toras a.
Ditas ditas >iu ros;.- cMn< lias e :.ir*s.
D.is ditas ou ramos de irigo.
Diversos ramos ,). Borra linas para |
Vestidos, enleites de i liapos >U:. fW.
Preparo* para lores.
Na rua do Quinando n. 8. loja da agnia bran-
ca vende-se :
Papel Ue cores para rosas.
Dito verde para folhas.
Dito d.io e panto para cubrir o< t-.'o- das ditas.
.\!;i-;j (in rama.
Folhas para ro>as.
Agulhase linho para eroehet.
Vendem-se m rua do Queimad n. 8 .; i | k
aguia branca, assim romo aguiha- para iramlhtr-
se em la.
Papel de sobrecellentr para m
phosplmnis hygiertico* mi t
seguranza.
A vi>ia do grande tamanho dss fltitahii i| -
phosphoros hygienicos ou de segu ai ca, lornava-
pouco o papel que vem em dilas r.:i\intias, e para
remediar essa falla a aguia braan inandou vir
acata de receber e-se naanctal |ai>-l, o qoal m
dar de sobreceileuie a quera comprar de Ue*
phosphoros e se vender "radisiiocumieu'-e a quera
delle preci.-ar. O pr^code cada iai\uiha de ptnn-
pluro roiilinua .i ser l'K) rs., e ven.iem s- n;i rua
do Queimado n. 8, loja da aguia branca.
Seda fruucha para borthir.
Vndese na rua do Queimad? loia da agnia
branca n. 8.
obras de crystal.
Brincos de diversos molde*.
Ootros lauibjm de crystal de c>re<.
Outros de aljofares brancos e MNM cores.
Aderecos de crystal obra de goslo.
Rosetas de dito e cruzes.
Uoto.'s de dito, brancos e de cores para collele.
Diio de din tambera bra-icos e d; cores para
pannos.
Vollas de dito e entras qualidade*.
Legues de di< ersas qu -lida es
Veudein-se na rua do Queimado n. H, loi.t da
aguia branca.
Aspas forte* para bala
Vendem-se ua rua do Queimado luja afilia
branca n. 8.
Car retis com retroz.
Na rua no Queimadj n.8, loja da agina branca.
Cromacume para timjir ca
bellos.
A aguia branca avisa aos coosiaates fregueses*
d;'ss;i exeellenle Untura, que ella aralM de rece-
ber uiii.uiova reiiiessade cromronle, roioricoine
e sabao b: anco, nece-sario para lavar os iIk-iIos.
porianto podein duigir-se a dila |oj i na rui d >
Queimado n. 8.
Abridores de hirix.
Vendem-se na rua do Lueimado Mae da a^uia
branca u. 8.
porl h iin|iiels
de bouitos moldes, dentados e cabo de madren^re-
la : acham-se a venda ua rua do Queimado loja
da aguia branca n. 8.
Bjilas toiii|uiuliast
de fil de linho, cambrau e setim todas mu bem
enfeiladas : veudeai-s ua rua do QueiouJo rt,
loja da aguia branca.
Vende-se um escravo m eo e de Ihjj m.
com ollicio de ferreiro : na rua do Quemado a.
14, loja.
Vende-se orna taberna coto poaroe faasVw,
livre e desembara(ada, na rotada Casa rVte javo
ao acougue, propria para qualquer princiaiaade :
a tratar na roa do Imperador o. 44, armazem.
-


Diarlo de piulas catrticas de aver. Grande ioja e armazem do
Estas pilulas vegetaes sao a- I P'ivn
daptadas a todos os usos de um '. d\ aU.
purgante as familias, pois sao "*;lperainiD. 60. de Gaunv, Silva.
.-inn,nnt,, ;on0r.w n Tendo os pruprielarios d este eslabelecimento de
perfeilamente innocentes, e em iqUI(larem uma grande porc.o de soas fazendas,
quantO milhares de pessoas con- al ao (im do crreme anno, allm de fecharem con-
Seohores e scuboras-
Os proprielarios da nova Ioja e armazera de te-
lendas e roupas f.-itss na ra da Imperatriz n. 72
de Guimares Irmao, acabain de reduzir os
fessam com gralidao que foram |as e apurar dinheiro, resolvern! vender todas as precos de suas lauradas menos 20 por cenio do
Curadas por ellas de molestias farendas_com grande abatimenlo em precos, tanto que era uutra qualquer parte, alim de apurar di-
c
severas
em porcao como a rctalho, e por bso previnem a nheiro, assim como seja laziuhas de qnadnuhos
todos os seos rteguezcs, e ao respeilavel publico, e sendo escuras* 200 o 110, ditas mais linas a 360 e
de .-ci..i a
perigosas;nao ha
um SO caso em que naja suspe- as pessoas que negociara em peqneua escalla cora 4C0 rs, ditas transparentes cora lisia
tas do mais leve resultado inju- fazendas, (pin ne>te eslabelecimento enconirarao 320 rs.
rioso por seu USO. I T e,ri'n1de wr,,n,eDto 'l"e muiI lnes '' e 8- rateadas proprias para a fesla.
Pnhlicamns anni alfftins dos tlLl"'l f "r?S ('U," "" !?"**; ?SMm Vendem-se a? mais bonitas bueges de lila e se-
r/UDIlcamOS aqu aiglins OOS como niandam pelos sous caixeiros levar as fazen- da sendo escocezas as mais mndei ranme tem vin-
JW attesUdos que temos de curas tas,.jostras as casas das familias que nao po- io^^eSoXZi^VSo
t .. i derem vir a luja, ou au as amostras detxando II- covado ca notavets fe.tas ltimamente. carponhor. !36 X S S! SinSi,mli5
Um caso notavel de : La lira MS llStS a 31000, l.*a lwja do das e graudas pelo baratissimu preco de 280, 360
... .-----;-----:-----1a i l>u:n e 400 rs. o covado : isto na Ioja e armazera de a-
Affeccao clironica do hyado. iindi.
, Jr.- ii j t '' j loei transparentes, lendo oito e meia vaia cada peca,
Jtuz de Fura, i7 de fevereiro de 1804. ,,, |,aral0 r de 3300> djIas muil0 flM.r3r
Tendo feitO USO das pilulas catharlicas 4,5500,0,5, G5 at 10,5, sendo tapadas etranspa-
de Ayer, que me fez favor de dar um vi- ren
dro, "tendo tirado um resultado nao espera- Yua"7imWrri; ^tf Gama"Ts.lvV."'""' Ve*t<,M d l*1*0 mui, fina ?ende brancos
do ; padecendo ha mais de doze annos en- Cortes re nhantasia a 'Mitin com barras de cres bordadas de laa e seda sendo
os mais modernos que Um vindo ao mercado e
; zeodas na ra da Imperatriz n. 72, de Guimares
\endem-se pecas de cambraia lisa branca e irmao.
Saias bordadas.
rentes, assin como cortes de cambraia com salpt-' d .,,asUnle Ur^a/ ecm"'t0 ^'" bordadas pelo ba-
os a i&m : isto so na Ioja e armazera do PavSo, l*S252 piifC? d.e,6*600 e.7jf
la ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva. e:k"dS de lar'atana muito fi
O ga/l(/ eoitiE e^
que imando t
Bom e baratsimo.
ttua do Crespo n. 9.
Collares.
Collares anodinos eltrtro magnticas Roier para
as crianzas nao morreretn de convulsoes pelo La-
peratnz n. 60 de (iama 4
Cortes de phantasia a 35SOO.
fermtdades do flgado e baco, com o uso i vendemse os mais nodos cortes de pbantasia "n;:m.;::^
das pilulas posso Ihe assegurar que estou com as mais lindas cores qoe tan indo ao merca- w^gjy..g?JlaJ!1" e l0^ ra, PrtC de4*-
bom, poiS teOdo desapparecido Um grande fjtfttXTtttt& **~^S**RSR seda para' RiQuissiraas puiseirlfou braceletes pa senbo-
engorg.tamento que soffna. mu.tas dores S&Saff/^^^ttESE T.1*?i*S"" ^ f'a baraliss'mo P""*-.I"-
zem do Pavo, na ra da Imperatriz n. 60 de Ga- ^Pi* 1J' l*MOe l^o()0 : isl ua nova ,0" das vollas Para Pesco a
ma & Silva Ja "" ,a;!endas na roa da Imperatriz n. 72, de
Guimaraes & Irmao.
Colarinbos da linho para hotnfm.
engorgttamento q
sobre a regio do ligado e costas, dores de
cabera, inchaco do ventre, nao podendo
deitar-me senao do lado direito, isso nies-
mo procurando psito para ter socego, bo-
je me acho livre d'esse padecimento ; como
Vendem-se colannhos de linho para bomem
sendo os mais modernos e melhores que ha no
mercado pelo baratissimo preco de 5^500 e 65 a
duzia.
Cainbraias de forro.
Na Ioja do pavo.
Vendem-se pecas de eambnias de forro muito
por aqui anda as nao h'aja, cu como tenho I ?'oas> Pelu, r,;,raI0 Pr,t" ri 2 25S00 a pega :
este proprio que de casa, Ihe rogo man- g2't 'g? LaSI.e*5u^'ao, a rUa d "*,
dar-iue alffuns vidros e o pasto elle Ihe sa-1 P Ch,lfs de mmi>alampados a 20.
tur 111c alguna yictros, e o cusi sueiine m lories granadinos. Vendem se bonitos chales de merino estampa-
Itsfer, ass.m bem como do charope de A lQmQ d ^ ; dos eio baratissimo ,,reco de u, ditos lizos de
cereja, que tive occasiao de experimentar;! vendemse os mais ricoscrtfs granadinos, fa-i !odas as cfir.? W"00e 4, ditos finos sendo es-
em um ataque de guellas que teve urna senda de mniu phantasia que serve at para ba- latDf,!l"osa olio, 7,5,7,8500 e 85.
preta que com elle curei, faco USO d'elles les purserem transparentes e com palma de seda e| Caiubraias brancas.
tecidus com a seda, pelo baratissimo prego de IC yendtm-se pegas de cambralas brancas a 35,
cada um isto s na leja e armazem do pavao, na 3$50O, 45, 45500 e 55, ditas muilo finas tendo
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva. I uma ,vara de largura a 9J e 105 : isto s na nova
cas tosses em minha familia sempre em
bom resultado, e por isso que peco para
matnlar alguns frasquinhos, e mesmo as p-
'ulas pude montar a doze, porque tenho
feito uso d'ellas para uso da familia e al-
gumas pessoas. ia d i ,mt e g |e
resultado ; sou btdooroieandeoda
De V. S. attensgPs.ar
Francisco FERREArF.RAtt
Rlieutnalismo e ataques bfmorrhnidacs.
Ii.i.m. Su.
Ouro-Preta, 30 de marco de 18G4.
As camisinbas do I'avao.
Mendem-se as mais modernas camisinhas borda-
dascum manguitos, para senltoras, sendo asmis
modernas que tem viudo ao mercado a 45500. di-
tas com manguitos, para acabar, a 15 ; ditas pro-
I tas com manguitos para luto a 15^00 rs., mangui-
1 los e golinhas pelas a 15, finissimas golinhas de
l cambraia branca bordada a 5110 rs., calcinitas para
menina a 640 rs., romeiras de lit e cambraia
l branca bordada a 15600 : na loj do Pavo, ra
I da Imperatriz n. 60, de Cama & Silva.
Ioja de fazendas t a ra da Imgeratnz n. 72 de
Guimares & Irmo.
Riscados escoecezes.
Vendem-se os mais bonitos tiscados escoceze
para vestidos de senhora e proprios para roupas
de meninos a 260 e 280, chitas francezas escuras
e claras a 240, 260. 280, 300 e 320, ditas percales
muito finas a 360, 400 e 440 o covado: isto s na
nova Ioja e armazem de fazendas na ra da Im-
peratriz n. 72, de Guimares & Irmao.
Camisas francezos.
Vi miera se camisas traucezas a 15500, 15800,
a 29 e
Soullicnibaiques de cor.
Vendem-se soulhembarqoes de cor muilo bem 25, 25500 e 35, ditas com peito de 1 r
l'OSSO eertlliear-llie que as pilulas ca- enfeilados a 55, 65 e 75000 para acabar : na Ioja 1 25500 : isto f na Ioja de Guimares & Irroo.
tharticas do r. Aver sao excelentes, pois e armazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de j "~j ,-----------------;
que soffrendo ea dores pelo corpo, e que 1Gan,a & s,lva- i UTltaC'ilO OS pillmoer. &HA1-
suppunha ser rheumatismo, (molestia esta i 0riI"d? modernissimo.
nue i havii snffrirln hn innn1 e sntTrenHn ('hearam os roais modernos organdys com os
queja na\ ia soiii to na annos)e somenao mais im,dt,rnos rad,oes, sendo quasi todos iistra-
tambem de ataques hemorrllOldaes, e de, dos, como se usam agora, cora as mais lindas cores
um ouvido, pois que at j pOUCO OUvia, e 8 Bx>* i vendeudose pelo barato prego de 900 rs.
acompanhado de uma dr no queixn, con-' *r'V '' DltoJ*do Pavao>rua da 'mpe""" n- 60>
ne bdma biva. ifi t0(las as nnincrave molestias que affec-
Chales de merino a 2*000. \#Q aos or os ,,., ros ,
vendem-se os mais modernos chales de merm:
sullei a um dos nossos mdicos, e este rae
disse que devia fazer uso da,salsa ; porcm
lendo eu o almanack do mesmo doutor,
as, tosse, escarros de
sanguef crupo ou garro-
tilho, catarro, rouquidao
estampados a 25000 cada um, bavendo tambem um
GOmprei em Slia casa um vidrinho das mes- grande sortimenio dos mesmos matizados que se
mas pillas e por minha cotila principie! a leaA.6m a 6f \& e 8*000: na {TZ "mJlT,do
,___', ,1 1 I'avao, rua da Imperatriz n. 60, de Gama .V Si va.
toma-las, e seu as Qnaltsar acho-me sem as, rt .
dures pelo corpo ; e seni sentir, sarei do ; v^ "s silfos 00 payo.
-, 1 vendem.se riqusimos Finios de lilas de diver-
ouvido, e mesmo dos ataques hemorrlioi- m cores e dourados com Qvela larga e domada,
daos : portanlo sao para inim as taes pilu-' assim como enfeites para cabeca dos melhores e
las as melhores que tenho experimentado ; !nals modernos que tem viudo ao mercado todo;
isto se Vciiile. por un prego razoavel que muito |
Ihes bao de agradar : isto s na Ioja e armazem
do pav3o na rua da Imperatriz n.,fi(l, de Gama ;,
As luallias de litibn do I'avao.
Vendem-se superiores toalhas de buho das me-
Ihores que lera viudo ao mercado pelo baratissimo
I prego de 95000 a dozia, ou 800 rs. cada uma, na
I Ioja e armazem do l'avo, na rua da Imperatriz n.
60, de Gama t\ Silva.
As saias do I'ovo. ;
Vendem-se as mais linas saias bordadas asagu-
lita brancas sendo da mrlhor fazend.. que tem viu-
do mste genero, lendo muia roda, pelo baratissi-
, diiS boidadas a croch a
65(00 e 850HO, dias com babadinhos a USOOO, na
Ioja e armazem do Pavo, na rua da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Novas vestidos ua Ioja do Pavo a lfl000.
Chegaram para luja do Pavo os mais ricos cor-
tes de vestidos de cambraia transparente com os
mais delicados bordados de diferentes cres a pon-
to de agulha, sendo n'este genero a maior novida-
de que tem vindo ao mercado, garanlindo-se o te-
rem muita fazenJa e enleites suflicientes para o
corpo e mangas, e vendem-se pelo barato preco de
105O 0 cada um, na Ioja do I'avao, na rua da Im-,
peratriz u. 60, de Gama & Silva.
K ESAPPAB ECEH
ediante a acrao da balsmica e irresistivo
isto em abono da verdade. Sou
De V. S.
Amigo cerlo, venerador e obligado,
U brigadeiro
Joao Rodrigoes Feo dk Carvalho.
(asitiic.
Oi'ro-Prelo, -29 de marro de 1864.
Atiesto que tendo feito uso, aconselhado
por um amigo, das pilulas do Dr. Ayer,
Qquei perfeitamente bom de urna gastrite
que soffria e que privava-mc de andar aper- ."B0(.'l"l''00d,'1\,100(10 >
lado, boje felizmente nada sinto.
Augusto Gollatino dk Mello.
talla de apetite.
Uuro-Preto, 24 de fevereiro de I8i.
Sendo eu affectado do ligado ha inuios
anuos, c ltimamente soffri falta de apetite,
hoje dou gratis a eus por achar-nie sao
e perfeito com o uso das pilulas catharlicas
do Dr. Aver.
Antonio Bento Vieira.
Enfeites.
Riquisstmos enfeites para cabeca cousa de mui-
to g.sto a 15500, 25. 35, 45. 55, 65 e 75-
Fivelas.
Riquissimas (velas de madreperola e de tarta-
ruga, arsim como pretas.
Cruzes.
Riqu sslmas cruzes douradas porm o melhor
gosto que se pode desejar.
Cascarrilhas.
Bonitas cascarrilhas cora biquinhos de seda e
aljfar cousa inteiramenle nova para enfeites de
vestidos.
Binculos.
Bonito sortimento de binculos com superiores?
vidros para os amantes do thealro.
Assim como uns pequininos
que serve para enfeite de relcgio mais com excel-
lente vidro.
Sestinhas.
Riquissimas cestinhas rom prepares para me-
ninas de escola trazer no braco, assim como de
vidro enfeitadas proprias para"raimo.
Pentes.
Ripuissiraos pentes de borracha com aro bran-
co de metal para menina segurar o cabello pelo
barato prec> de 500 rs., e dozia ;>5, assim como
grande sortimento de todas as qualidades para de-
sembaracar.
Escovas.
Grande sortimento de escovas cara roupa e pa-
ra cabello, para unhas e para denles.
Lmelas eocu los,
Finlssiraos lunetos de um e dous excellentes vi-
dros e aro de bfalo e de tartaruga, assim coreo
oculos com rame dos lados proprio para quem
sollre dos oculos.
Touquinbas.
Riquissimas touquinbas de ci de linho, de se-
da e de la para enancas.
Para o cabello.
A superior agua para attiogir os cabellos, as
barbas brancas e fazer conserva-Ios, os frascos
acompanha um rotulo que ensina a forma como
se deve applicar.
Para caspa.
Superior banlia sem gordura com um frasco
com agua propria para limpar a cabega, os frascos
NOVA LOJA
ENCICLOPDICA
&2 Rua da Impcrairfz armazem
da porta larga e-S.
tJunfo a parinrln fradeeza de
Paredes Porto.
Nesle eslabelecimento encomiara o respeitavel
publico um variado sortimento ue fazendas. france-
zas, inglezas, saissas e alienasen, que se vendtiao
por preco commodo.
Paredes Pono
Vende chales de renda de cores que se vende-
rn) a |8g est vendendo por t<>, ditos pretos, fa-
reuda nova, i)5,, 85a (15, um sortimento com-
pleto de manlelek-s, capas e soulambarques 145 a
235- Hua da Imperatriz n 42, junto a padarla. fran-
ceza, armazem da porta larga.
Paredes Porto
Receben um completo sortimento de laasinbas a
40, e 280 rs. covados, para acabar, cambralas de
cor a 240 rs. o covado, riscado escossez para ron-
pa de menino, fuslao do linho a 420, 400 e 500 rs.
Roa da Imperatriz n. 52 juulo a padaria franceza.
armazem da porta larga.
Pandes Pono
Receben para cortinados para cama franceza a
115 a pega cambraia lisa fina a 35 45 al 105 a
pega, cortes de lailalaoade bonitosgi tos a 35500
4 45, cambraia com flor de seda, goslos mteira-
mente rovos a 500 e 500 rs. o covado, no armazem
da porta larga n. 52, rua da Imperatriz junio a ;a-
daria franceza. |
Paredes Porto
Receben relouliimo paqueie um sortimenlo de
ernzes rom pedias para opescoco, benitos caxineis
de la para Descoco de senhora. Rua da imperatriz
n. 52, armaztm da |iorla larga. I
Paredes Porto
Vende cortes de gorgurao prelo para vestido com
21 covados cada um 355000, grsdenaple prelo a!
15600, I50 c 5 o covado, laas lizas linas a MOt*1* "'-O rt.
Liquidadlo final.
Xa Ioja da rua da Imperatriz n. 70, an'-. je al-
guna dos objectos ja UMOMm ; a .
gumtes para acabar.
Estampas grandes e linas a IM rs.
Dita mtas a 240 rs.
Uaas pequeas a 160 rs.
Retroz preto e de cores Loro estado 1 ori*a 1
80 rs.
Allinetes carta a 40 e 80 r.
GuUeies cario.-.-, duzia a 240 e 3 i*.
Ditos em clXiuli4.i >l- uuu .loza .. iU r
Cr- oes, masso Oe itH) 100 1 ?.
Lita o eenioa 252Or>.
Abtnanraa toa* p.;;. ?>> Mu r.
Bufiadores com frebu .;.- p-.i <-, ti
Papel de cor folnas gi andes o nana 1 1 i ) rs.
Kseovaa lina- para 1. bello a 50J 1-
Ditai a 300 1...
Ditas para lulipa e cbapi.' iMn
Ditas muito tinas 800 rs.
Rosario* pretos, iinzu a SM r.-.
GonUs pretas o mas.-o a 40 r..
PbOsfMM oe seguranza, c.ixa grai IDO
BordOCS para viola a >luz:a a 240 rs.
Meias brancas para n.tuina i duzia a 2500))
Ditas pelas para sdihota o pM 1 -1' 1 .
Hilas pela- para bomem a |W i>.
Ptta de seda n. I 1/2 a _-. .1 I r-.
hila de sena n. 2 a pera 311] r-.
Dita ile seda 1; i a i e.i a SM r>.
I'na do si da 0. 6 a pe.;a a IM r>.
ilia 1 seosM za de algoaoa vara aJiii-
Dita eseosseza de I 1 vm i i .'.) ,-.
Dita de reirrz a pea U rs.
Diia lavradan. 12 a vara a 320 rs.
Dita lavraila ti. > a vaia a Wlfl.
Dita achamalotada n. i-a vana SU rs.
lilla i!e sarja pfrla D. a p..ea a i
Dita de sarjl prett n. 3 1 [era a M) .-
Dua di- sarja prrla u. 1 a pen aM'u.-.
D-i.i de saija ca lina n. 16 a van a M) t
Butdes pretos de lonca iara nnma jiuui
80 rs.
L:o te vi rd lino o pao a M< 1-.
Dito diversas cores em ca xinhas i< n.,.
rs. o covado, laasde quadrinho para vestido, entes-
tada, a 320 rs. o covado. Roa da Imperatriz o. 5.
armazem da porta larga.
Paredes Porlo
Tem para vender por prego commodo, pegas de
i esguio de linho com 10 varas a 75. 85, panno de
linho para lenges a 610 e 700 rs. a vara, braman-
te de hubo de 4 larguras a 25200 e 25500 a vara.
Paredes Porto
Vende cortes de cambraia bordadas de ricos
goslos a IO5 e 125, ricos vestuarios para menina
e menino, ricos corles de cambraia Mara I'ia a
105 e 205, tarlatana branca e de cor a 640 e 720
rs. a vara. Rua da Imperairiz armazem da porta
larga n. 52.
itnupa feila
Rua da Imperan >/ n. 52 armazem da porta lar-
ga junto a padaria franceza, encunlra se nesle es-
tablecimenlo um completo sortimento de paletos-
saceos e sobrecasacos, de todas as qualidades, cal-
gas, colletes, ceroulas, camisas, grvalas, meias,
chapeos de sol, ditos francezes para caneca, por
precos commidos, roupa para menino e'outras
muilas fazendas por pregos commodos, armazem
da porta larga.
o mesmo e-tabelecimento encontrar o rnspci-
tavcl publico, sempre um completo .oitimento de
roupas fetas de todas as qualidades, como sejam
paletos de alpaca preta ene cor,ditos sobrecasa-
cos a 45 e 55, ditos de brim parto a 25800, 35 e
35500, ditos finos a 45. ditos meias cazemira a
35500, 45 e 55, ditos cazemira sccos a 65, "5, 85
e 105, ditos sobrecasacos a 10 e 125- ditos de pan-
no saceos a 65, 85 e 105, ditos sobn-casacos a 125
e 255, ditos de merino preto a 65, 75 105, cal-
cas de. brim de diversas qualidades a 15800 a 45.
ditos trancos a 25500 e 6500, ditos razemira 55,
65 e 75, ditos pretos a 55, 65, 85 e 105, ditos
meias razemiras a 35 e 45, eoletes do diversas
m
.. .,_____
Ctisli|iar;"io, llores de ralica.
Ouro-Preto, 8 de murro de 18(54.
Atiesto que achando-me atacado de uma memds, sem
forte conspaco que trouxe-nie dores por
todo o corpo e na cabeca, soffri horrivel-
menle por espaco de qualro dias; entau
um amigo aconselhoo-me que tomasse pi-
lulas catharlicas do Dr. Ayer: com ellas fi-
qoei sao e completamente restabelecido em
tros dias, de sorte que estou no lirme pro-
posito de aconselhar o uso das ditas pilulas
a todas as pessoas que forem affectadas de
constipa res.
Agostimio Jos da Silva, negociante de fa-
zendas.
hl ie \
a anacahuita mexicana que d o nome es-
pecial este incompaiavel remedio, uma
arvore, coja madeira por muilo lempo se
ha usado no Tampico para a cura das n-
fermidades cima mencionadas. Foi tam-
bem ensaiada e apptovada pela academia
medica de Berlim Opeitoral deKemp
um xaropc delicioso inteiramenle livre de
opio, acido bydrocyanico e oulros ingre-
dientes nocivos.
A' venda as drogaras de Caors Bar-
boza, Bravo & C. e em todos os estabeleci-
todos os tamaitos pelo baratls- metilos uhaimaceulicos do imperio.
simo prego do 15, 55i e 65000, por haver grande
sortimento, na Ioja do Pavo, na rua da Imperairiz
n. 60, de Gama Silva.
Vendem-se superiores meias croas inglezas pelo; "Rival cam eoo-rmrin
baratissimo preco de 45(00 e 55000 a duzia, ditas IU Vrti ^tiJl tt}l UIIUU
de todas as qualidades para senhora, meninos e jjU;, ,|0 Queilllildo US. 49 ('00, Ioja (ie
Os es|iarlillios do Pavo.
Vendemse um grande e variado sortimento de
espaiiiihos os mais bemfeilos que tem viodo ao
d
Deposito geral em Pernamboco rua da
Cruz n.2 em casa de Caros & Rarbo2a
meninas, na Ioja do I'avao, na rua da Imperatriz
n. 60, de Gama 4 Silva.
IrritaeSe do estomago.
Ouro-Preto, 9 de marro de
I8G
r.
Attesto e juro, se necessario fr, aue. sof-
frendo ha muilo lempo excessiva irritacao
^de estomago, pouco apetite e dillicil diges-
CC
a 3SO rs. na Ioja do Pavo.
Laziuhas a 320
Laazinhas a 32o
Laziuhas a 320.
Vende-se um grande sortimento das mais finas
e mais hocilas laziuhas matizadas cora os mais
miifdezas de, lies portas, est quei-
nitiiiilo ludo lioiu e btral., quero qni-
zor ver c admirar venlian Ioja do
Bigoditho.
] Caias de papel amizade, e sem ella liso e pautado
a 600 rs.
i Gratas de botoes de louga praleados fazenda mo-
derna a 160 rs.
I Duias de penna de ago fazenda boa a 40 rs.
IVgas de tranca de la lisas e de todas cores a
40 rs.
Escovas finissimas para limpar deutes a 240 e
320 rs.
acompanha um folheto que ensina o modo como qualidades, seroulas francezas de algodao, ditas de
se dev.. applirar, assim como agua balsmica, Hnho. ditas de bramante a 25 e 25500, carnizas de
opiai. jwz para limpar denles. algodao de linho francezas de 25500 e 35. Gran-
Banhas. de pecnincha oeste genero, grvalas de todas as
'rande sortimento de banhas em ropos, em la- qualidades o brancas para casamento, grande sor
as de folha e em frascos de todos os tamanhos por tmenlo de meias para senhoras, ditas para homens
pregos menos do queem outra garte, assim como a 35, superiores a 35300 o 45-
muilos outros objertos que nao se po le mencionar Um completo sortimento de chapeos de sol de
por hoje
mero 7.
s no gallo vigilante rua do Crespo nu-
alpaca a 35, ditos de seda a 55, "5- K5 115,
ditos fraceczes para cab ga, grande soriimento
a 65.
Pechincha admiravcl.
Grande sortimento do chambres a 5600 e 5-,
LiquidiiCfio geral.
Lourengo Pereira Mende.- Guimares, rua da Im-
peratriz n. 56, Ioja e armazem da Arara, proprieta- lences de cambraia para hornera a 25 a duzia, di-
rio do grande armazem de fazendas e roupas hitas, tos de linho a 45 e 55-
tem resolvido fazer uma nova liquidago de todas Grande, sol lmenlo de roupa para meninos e on
as qualidades de fazendas que existen) no seu ar-
mazem, que vender irinta por rento menos do que
em outra paite, afim de se. apurar dinheiro e fe-
char conlas, por isso pede ao respeitavel publico de
aprovtiiar a occasiao, a saber.
Laazinhas chinezas de quailriulios
Vende-se liasonas linas a 200 e 220 o eovado,
dila com palmas a 30 e 360, cassas de uma s cor
a 320 e 36o covado, ditas d.i palma- a 280 320,
360 e 40o o covado : rua da Imperatriz 0. 56, Men-
dos Guimares.
Fazendas dr yusto
Vndese as mais modernas bareges de la e se-
da, sendo fazenda de gosto pelo baratissimo prco
de 360 o covado.
Saias bordadas
tras militas qualidades que seria ehfadonho m:n-
etona-las.
Fazondas.
Vende-se superior merino preto proprio para ca-
pa.-, de senhora e vestidos a 25, lustrn', da ('bina
a 15^00 o covado. Roa da Imperatriz, porta iarga.
Paredes Porto.
Vende emseu estsbelecimenlo tiras e entreluci?
bordados, grande sortimento de rorplohos rica-
trente bordados a 3-5, 45 e 35. S o Pan .-^ Por-
to, rua da Imperatriz no 52; porta larca unto a
padaria franceza.
Paredes Porto
Receheu pelo ultimo paquete trancez ricas las
granadinas com llores de seda a 1(0 e 500
Unida de lii a vara a 20 rs.
Canotilbo a eaixa a Mi r.-.
Sapalinhos de la para enancas aj(20 rs.
(JecUiOs de cangalha finos o par a lio rs.
itiio- de armaejm de metal a !" r-.
Ditos de aimaeo de ago a 400 r.
Froco de cures em bom estad.- [ ra a 4"
.Navalhas para barba a 160 rs.
Ou*rcw oh*frctvn.
Vii dos tanJ i d para .. w :
miuui /as roa do (uetmado i. !.
& paitnhos deH'titn brui co i ;-!l.!'
ra haplisados.
Uitiitis de menn tambem bordatii..
igualmente boni s
Meias de seda, cotrepoodei .; '. i.. -
nho dos sa[i linhos.
Otttras mui finas de fio d.i ",
ora; cas lislrad is.
Luvas finas de '..< da Es :otsia h?
de cures.
Ditas de seda para
-i'iih.ius.
- :nh
:
moi folie' :.
covado, eslo acabando-se, cambraia preta
luto. Porta larga junto a padarla franceza, a
rs. o
para
rua
Vende-se saias borbadas pelo barato prego de
65500 e 75, tiras bordadas a 15, ntremelos 800 e da Imperatriz n. 52.
15 cada tira. Paredes Porto
Ilicos corles bramos bordados Vende um completo sortimento de fazendas
Hecebeu-se bonitos cortes bordados e de cores, brancas, como sejam madarolo a 45500, 35, 65 e
de la e seda, que se vende a 85, 95 e 105 cada 10?>, pegas de algodao por barato prego, chita fran-
corte. ceza a 240, 280. 320. 360 rs. o covado, precallas
Chales de merino muito linas a 360, 400 rs. o covado, chita ingleza
A pechincha esia se acabando, chales de merino a_200 e 240 rs. o covado. Rua da Imperairiz n.
a -').
Itiscados escocezes
Vende-se riscados escocezes, a 240 e 260 o co-
vado : s o Arara.
Percalas linas
Vende-se percales muilo tinas, sendo de muito
bom gosto, e lendo de bonitos desenhos com listras
a palmas solas,sendo fazenda inteiramenle de gos-
52, junto a padaria franceza.
Paredes Pui to
Vende gangas de coi propria para roupa 'le me-
: nios a 320 rs. o covado, riscado franrez fino a
320 rs. o covado. Rua da Imperatriz n. 32, junto
a padaria franceza, porta larga.
Paredes Porto
Recebeu pelo ultimo paquete espartilhos a pre-
Pegas de fita de cs estreitas com 10 varas a
tao, ti ella tenho experimentado sensiveis lindos desenhos, sendo fazenda que val cinco tus-' 320 rs.
melhoras depois ipie tenho feito USO das Di- ,oes' e veDl)e>e Pelu baratissimo prego de umaCaixas com clcheles francezes, superiores quali
lulas catharlicas do Dr Ayer. I ESP55*>r. ^^ uma grande porgo desla ;
linda fazenda
| ratriz n. 60, de Gama & Silva.
'i Laziuhas ijarilialdinas, s o Pavo vende a 320
. e 100 rs.
Chegaram pelo ultimo vapor as mais bonitas
As.pilUlaS_..Ur Ayer (Calharticas), fo- laazinhas ga.ibaldinas com lios de seda, sendo to-
dos os padres miudinhos con: as mais lindas co-
res a imitago das sedas de quadrinhos, e aeabam
Antonio Hermoqenes Pereira Rosa.
Lombrigas.
Ouro-Preto, 28 demarco de 1804.
dades a 20 rs.
na lujado Pavo, na fu "da Irape- Tinteiros de barro, com superior tinta a 100 rs.
Pegas de
ram empreadas com grande vanlagem por
mim em uma menina de dez annos que
solTria de vermes inteslinaes, notando-se
que os symptomas que enlo apresentava
eram de molestia bastante perigosa.
Ratmondo Nonato de S. Tiiiago, pharma-
ceulico.
Nevralgia.
Uma carta do Illm. Sr. Francisco A Iva-
renga de Azevedo.
Ha mais de sete annos que solTria dores
oo hombro e as costas, tomei uma infini-
dade de remedios sem achar alivio algum.
Dr, angustia, tormento sao palavras for-
tes, porm nao exprimem o que tenho sof-
frido: ltimamente tomei as pilulas ca-1
tharticas do Dr. Ayer. S faz oito dias, e cs-
too completamente restabelecido ; ha tres
oas que nao sinlo a mais leve dr no hom-
bro nem as cosas.
Estas pilulas acham-se venda as prin-
cipaes boticas e drogaras do imperio, e no
Bio de Janeiro, rua Diroila n. ^5
Vende-se na rua Direila ns. 12 e 76 e
Hospieio n. 40.
Vende-se em Pernambuco:
na
PHARMACIE FRANMISE
DERMAURER&G'f
RUA NOVA H.
se pelo barato preco de um cruzado o eovado, isto
pichincha : na Ioja do Pavo, rua da Imperairiz
n. 60, de Gama & Silva.
Vestidos a 'i.-j
Vendem-se corles de vestidos a Mara Pia cin
barras bordadas, pelo baratissimo prego de 4000
cordo para vestidos, lazenda boa a
20 rs.
Baralhos muito linos para voltarete a 200 e
240 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos de macaca perula muilo lino a 200 rs.
Frascos e garralinbas com agua de Colonia a
400 rs.
Frascos grandes rom superior agua de Colonia a
640 rs.
Caixas cora 12 frascos de cheiros muito finos a
15100.
Sahonetes pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
320 rs.
imperairiz n. OU, ae uama Silva. Apua denljfice supe,or quatidadea 800 rs.
"""mas 1 O rs, Caixas com superior pode arroz a 800 rs.
Vendem-se superiores lazmbas transparentes Frascos de superiores essencias santal e outros a
com bouitos padres, sendo lisas e de quadros, pelo! 1,8200.
baratissimo prego de 160 rs. o covado. isto para Frascos rom essencias para tirar noduas de roupa
to, se vende a 460 e 800 o covado, cintas escuras i guigoso por .'I-*, sao bous, lencos de seda para se-
e claras; a 200, 240, 280, 320 e 360 o covado, bre
lanha de linho de duas larguras, a 15 a vara, len-
cos de cambraia branro, a 25400,25 e 35 a auzia,
ditos de linho, a 440, J'uO e 600 cada ura : M*-ndes
Guimares.
Cobertores de algodao
Venderse cobertores de algodao, a 800 e I5i'00
cada ora, ditos escarales de la, a 35 : rua da Im-
peratriz n. 56.
Camisas franelas
Vende-se camisas
nhora e homem a Ir, ricos cortes de cambraia
bordados de 18<; a 79, por ter um toque de mofo,
esto se acabando, na rua da Imperatriz n. 33, jun-
to a padaria franceza.
Grande armazem de Untas.
HUA DO IMPEHADOR X. 22.
O armazem de tintas um grande deposito di
productos eJiimicus utensis e os mais empregados
e usados napharmacia, pintura, photographia,tin-
franepus a 15600 e 15800,1 turara, pyrotechinia(fogosdearlificioii:cmoutra
pregas larcas a 25, 52'0 e 25o0., linas a 25800
e 35, brim de linho de cores, se vende a I&280 e
15 a vara, cortes de brim de cor, a 15280, 15400,
15600,15800 e 25, de brim pardo a 640, 700 e 800
rs. a vara.
Iloupas fritas
Grande sortimento de roupas feitas. caigas de
brim branco a 25, de liuho a 35200 e 35500 cada
uma camisa 35 >' 35500, linas a 65 o 75500, pali-
tols de brim a i5, 25500, 25800 e 35 de, casemira
35500,45. 55. 65, 7?, 85, 85500 e 105, sobreca-
ind usinas.
Montado em grande escala, e supprir.do-se di-
rectamente as prinripaesdroganasdePars, Lon-
dres, Ilaraburgo, Anvers e Lisboa, pode otiereceer
productos de plena coniianca e salisfazer qualquer
encomraenda a grosso iraloea relalho, por precos
razoaveis.
Prvidos de machinas appropriadas satisfar
com promptlilo.qualquer pedido de tintas raoidas
a oleo, cuja qualidadee pureza de seus ingredien-
tes pndera ser examinada pelo consumidor, o que
nao fcil fazer enm aquellas que sao importadas,
aSOOrs.
Frascos com cheiros de todos os pregos a 160, 200,
240 e 320.
acabar: na Ioja do Pavo, rua da Imperatriz n. 60,
de Cama & Silva.
Manguitos e golas a oOO rs.
Vendem-se manguitos com golas de cambraia Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
pelo baratissimo prego de 500 rs., isto para li- Duzia de meias muito finas para senhora a
quldar : na Ioja do Pavo, rua da Imperatriz n. i ''5800.
60, de Gama & Silva. Gollinhas muilo finas para senhora a 200 rs.
Cortes de chita do Pavo Caixas com soldados de chumbo para meninos a
Vendem-se cortes de chita franceza muito boa '^O rs.
rom 10 cov.i1. s a 25400, ditos com 11 covados a Pefas de flta da l5a Para debrum de vestido, com
26u0, diua com 12 covados a 2A800. |iArt vras a 600 rs.
Di-< d blcos superiores, para acabar a 600 e
para acabar : na Ioja do I'avao, rua o., bbuealiu
n. 60, de Gama & Silva.
Agasalhos para caliera de senhoras.
bOO rs.
Pedras de looaa para meninos a 160 rs.
sacos a 125 145 '6, pretos e de cores, caigas de
brim edecor-s, a 15280, 150, 15600, 15800 ,'e ''ue SB encontrara no mercado era latas fechadas.
25, 25500 e 35; s Loureugo Pereira Mendes Gui-1. Ifm. trr?nd,8. ro"er^.0.! '.e.yi Ldt'.J!!T"? !!
ugo
maraes, rua da Imperairiz o. 56.
Arara n. iiG. Meudes Guimares.
Vendem-se superiores agasalhos para cabega de fiS?! d^ fhor, e pan" a 16 T?'
senhora ou cachins, sendo fazenda mais moderna S*"i!?!2*aii!T SEV&! i0 *
que tem vindo nesle genero ao mercado, pelo ba- f;ar,'a,cchoHs *mpndoi., boa fazenda a aOO rs.
ra.iss.mo prego de 35 cada um : na Ioja e armt G^Srf bo,oes pequenos Pre,os Para cal?a a
& Silla PaV"0'rUa ^ lmPe"lrZ 6' d6 Gama varas ,'orda'0 de espartilho a 20 rs.
('hales de renda a -10^ W& IU >OA a mt n, Novellos francezes com 20. jardas a 40 rs.
coates de renda a 1U0, I2#, tojj, il)& e 2od, na Pe?as de ,ras bordadas a 640.
Ioja do Pavo. Ouzias de meias cruas multo fortes e superiores a
Vendem-se chales de renda preta muito finos a 36500.
105 e 125, ditos de liuho a 155, ditos de seda de
linho dos melhores que ha ro chales de renda a
20 e 255, ditos brancos de tres ponas a 6$, isto
s na Ioja e armazem do Pavo, rua da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Luvas de Jouvio.
A ioja de miudezas na rua do Queima-
i do n. t6, resebeu-as por este ultimo vapor,
Vendem-se dous moleques de 16 a 17 annos,
uro cabrinha proprio para i>agem por ser multo
bonito, boa conducta, com 14 a 15 annos, um mu-
latinho de 10 annos, muito lindo e esperto, e dous
negros para enxada, uma negra moga muito robus-
ta e sabe engommar .- cozinnar brm, uma cabri-
nha de 18 annos, perfeila en^'-mmadeira, cose e
cozinba, tres negros mogos sem habilidades,' pro-
prios para enxada, uma mulaiinba de 14 annos,
com principio de costura e eugommado, uma ca
brinha com 6 anuos, muilo linda e esperta, e uma
"n"i ca nerfeita engommadeira : na rua
i; i.. iiudor u. 45.
Na rua da Imperatriz n. 26. fab ica de chapeos
de sol, ba para vender um sortimento de obras de
ouro, como sejam, aderegos completos com coral,
meios ditos, alflnetes, rozetas, brincos, correles
para relogio, cazoletas, cruzes, botoes para pu-
nhos, ditos para ahertura, e outros objectos de
ouro de diversas qualidades e gostos, que ludo se
vende barato para acabar.
formatos, desde uma oitava at dezeseis ongas de
capacidade ; de vidros para vidragas e diamantes
para corta-Ios; depinceispara litijzir madeira com
rtopriedade e outros; de papis dourados e pra-
peados e folha-; de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequeo formato de varias cres
para emhrulho, para forro de casa, para desenlie
com fundo j feito; de papel albuminado l,e Brisu
verdadeiro saxe fiara photographia e para filtrar,
e outros ; vernizes de essencia para quadros, de
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
teiior; oleo graxo, oleo sec.calivo, oleo de linhaga
clarificado, oleo de toiele, secativo de liarlim, cure
verdadeiro em p ; prata, euro, e estanto era fo
Ibas de varias cores ; tintas vegetaes, moffensi-
vas proprias para confeitarias ; la te cores, t
olhos de vidros para imagens; tintas em tubos e
telas para retratos ; tintas em pastis e em p pa-
ra aquarella ; essencia de rosa superfina, de ne
roly.jasmim, bergamota, aspice, palchouly, mbar,
botiquet.liinao, alcaraiva, melissa, ortela'pimenta!
louro, cereja, alfazema, juinpero, Portugal, lima,
anis da Russia, canella, cravo e muitos outros ob-
jectos que s com a vista poderlo ser mostrados.
Joo Pedro das Neves,
Gerente.
GKAXA K>l liAlia.
Vende-so graixa em bexigas de superior quaii-
dade, largo da Asserabla armazem de assucar. i
Pentes de lartiruj
embaracar.
Carrileis con. reln pri: i c o '.
("ut( iras com a^ulias.
Agulhas francezas, as iEmk
Caiziobas eom il bnac
Raspas de b i ia p ira vaflkl *.
i itas de Ruin rm i iaa par1 #M .
Caixas criiii linhaa ^e mu
para crochets. ,
Tranceln de bonacha pr-r. ,
Blou!<;<* Urrlirt*. arame* f*
aisj-acfa.*. v:xiireper< N ir-
taruga.
A toja de miude? na du Q
n. !'"', receheo un. I mito n .
Qvellaa grandes pjtn '-<-.
douradas, madrepero < e lai
esta.' sendo vendidas ea liii" h -
eos "ii.tii(id(i< : assim o .. .
lii, di | orgoro acl amaloUMk .
ra .Jilas fivella.
OfEc.H dr icsera e t
Mualldadc, p;rra \
ta vista.
A'Ioja de miudf-zs; amad j ina^a
i. ['<, tambem n cel en ocokM
com vidros claros e escaros, para ; #
fre da vista, assim ron i oti os i!
le ac, surtidos en gri .
Corpa c ierteti A enliga Ioja de niodezas .' n
Qoeimadn n 16, receben mi bonitas -
roas e tercos deejrnahna, -
a disposicSo ii loiis chri
zerem comprar em dita Ioja: n ra do
Qneimailo o. 16.
Esponjas "nni gcasnlrs pc-
SJBOSMM).
Vende-se na rua do Qr.eima-Ii-, ;
miudezas n. 16.
nl\ci ..os o" itett.s
A antiga Ioja de miudezas ma
mado n. 1(5, beaba de teceber n ititi s c >-
versos objectos que fa/.em com Ictat o :tu
bello sortimento, sendo:
F las finas de sarja da mais f-slreita m>
ha al a mais larga, todas de mas p agni t-
veis cores.
dem tambem do sarja I. roda, dt I
e hoyos desenhos
dem dem brancas, lisas a btradan pa-
dres igualmente do*os e b Moa.
dem de gorgurao de seda
o muito encorpadas, pa cate de fiv
grandes.
dem de seda preta deaairaa pa-
ra debrnar vestido-, evteles, patosa,
Mein de 13a igualineiite surtid si
e para os mesmos fins.
dem de algodSn brancas e diversi- Iras cotes para vestidas de chita.
Mi m fie borracha I raneas a arelas pasa
sontemharques vestidos preos. ata,
Novas e lindas poarnic<>s para enfensr
soutemban|i.es, vestidos pretos. BsaMM
etc., obras do muito posto sawdeaiiuisa.
Tranca de serta com vidrilhus. rao1
vos e mui bonitos.
dem idem de cres tambem de I
moldes e agradaveis cores.
Botcs para os mesmos fms, sen!" pas-
ma de seda maiores e menores, amUMM
com vidrilhos e pendentes e oulros t di-
versas cres.
dem pretos de velludo tambem de soni-
dos tamanhos.
I netos dr dous vidros can ara de aro, brl !*
e tartaruga.
A Ioja de. miudezas, roa dn Qoi
n. IG. recebeu um baOn artimraan
lelos e oculos de vidros com armafo i:m .
ago, bfalo e tartaruga, e os e-'i vendr
por pregos razoaveis: os pret mientes dii -
jam-se a esta leja na rua do Queimadu r lf>.
r9* b nms
Chegaram a' lana de miudezas n. 50 A Sa i o
da Cadeia do Recife ricas cruzes t oiaSrep.i
bem coi o Bvelas de tartaruga e de i oti
dades, as qu3es ;e vendem por iucum q r
qualquer ou'ra parle; ha tam'em >im cr,.|
soititnento de n.iU'lezas.
Vende-se a fabrica de ch^rntos e tit*m*
da rua do Aragao n. 3J,b.-m afreffezada : a tra-
tar na rua dos Ce tus n. 2J
~^- Vende-se urna mc.bitia aoaanraih i* anta*
na rua estreifa do Rosario n. I", i" aodvr.


Diarto ae Permambuco Sexta eir 17 de ffovembr de *
N. 11Ra do ueimaoN. 11
A loj* de fazendas de Augusto Frederico dos Santos Porto, acaba de receber um mni-
to graude e novo sortimento de cortinados bordados para cania de noivus a 36$, 40$, 45,
5U Lindas mantas para gravata, de variadas cores, a I*o00 e 2*.
Cachinez de la d'> diversas e bonitas cores a 3J500 e 4*.
Chales de guip, (azenda a raais moderna, a 16$, 20, 22$ e 253.
Rotondes de guip, tamben) os mais modernos a 26*.
Colchas de sJa de cor para cama de noivus a 553 e 60*.
Alcatifa de linho para salas, lazenda larga, bouita e de umita duracao, a G00 ris o
cavado.
Tpeles grandes e pequeos, com ricos desenos, para sof.
Saias bordadas para seohoras a 7*, ><*, !'* e 10*.
Cipas e soutembarques de seda preta para senboras.
Bonete, chapeos e chapeliiuas para senhoras, dos goslos mais moderncs.
Chapeos elegantes para stnhoras, a 12*
Pecinhu de liuissima bretanha de lioho a 7500.
Laazinhas de quadros a 320 rs, o covado, setim de Pars a 700 rs. o covado, e cam-
braiai francezas de cores a 500 e 700 rs. a vara.
Casemiras de quadros, moire antique pretas e de cores, pannos e casemiras pretas,
crosdenopole prtto e de cores, esguies, silesias e cambraias ee linho, sortimento, de diver-
jas duendas para luto,chapeos de seda para hornos a 95 e 10$, chapeos deso de seda,
liadonmaognitos bordado.-, e oulras muitas fazendas que se vendem por precos razoaveis,
inclusive *"" n i
Esleirs da India para forrar salas
CORTES *E EIM
Chegaram pelo paquete iuglez riquissimos corles de moreaatique de cores, e seda lavrada pa-
drees inteiramente novos. u^r,/\ i
Seda de quadros por 1$000 o covado
5-RA Di CRESPO-5
Gregorio Pae? do Aiuaral & Companbla.
-
:
Para vestidos de senhora.
Corles de seda de cor de bom gosto e superior qualitlade.
Lindas sedas de quadrinhos.
Bons moireantiques de cores.
Grosdenaples da todas as cores.
Lindos poil '1 chevre fazenda assetinada de inteira mvidade.
Lindas duqaezas assetinadas fazenda inteiramente nova.
Modernos grenadinesde seda oque lem vindo de mais novo.
Grande variedade de lias de cores lisas e de salpicas.
i mdys e ca sas demuim bom go>to.
Percalis modernas com grande variedade.
Clotilde com todos os pertences cada um em seu car- i
AO RESPEITAVEL PUBLICO
A tabella abaixo publicada serve de base de presos,
tanto deste armazem como do armazem progressivo pa-
teo do Carino n. 9, principal armazem ra do Impera-
dor n. 40.
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
genhos, lavradores o mais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
beraran os proprietarios dos tres grandes anuazens, reunir todo i os seus eslabeleei-
mentos em um s annuncio, pelo qual o preco de um ser de todos, promette-
\ mos que nao infringiremos a-tabella que abaixo vai publicado, nnunciar os ge seros
por um preco, e na occasiao da compra quererem por outro, conjo socede constante-
| mente em outras muitas casas, porin nos uossos estabelecimontis nao se dar isto
: aiuda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandir seus fmulos que
sero tam em servidos como vtessem pessoalraente fazendo-nos o faror de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetindonos urna conta
, pela qual se ver os precos tal qual annunciarmos, o que seno arrepender pessoa
| alguma que fizer sua despenca em nossos estabelecimenlos; jois poupar mais de
5 por ceutu na sua despeza diaria.
PULID wnm
Receberam GregorioPaes do Amaral & l>. mais um completo sortimento de
FlfiO PJRETO
Manufacturado em Challes
Points
Algeriennes.
Rotondes.
Africaincs.
Annaiuiles.
Pompadoan, etc, ele.
Desde 10000 a 80(5000,
CHAPEOS A KXPOSIC'Aft
Novo modello de chapeos mgteza de li.iissim pama para senhora com MU
ampia banda de tife de cores.
CJkWAM
de la preta e de cores proprias pira luto, ou passeio pe'o diminutsimo preco de IO5.
Seda matisadi em pecas
padres modernissimos que faz o eeito de um vestido de subido prero. Assim eoo:
ricos corles de moireanlique brancos, de cores, de gorgorito lavrado de Bloni para c-
same, ito.
MagniQcas grinaldas e mantas.
Colchas de seda porluguezas.
Cortinados para cama e janellas.
Camisas bordadas,
e outros muitos objectospara noivado.
C'OKTKS DE TAKIjTAXA
com enfeites de cores da mesma fazenda, o que ha de mais moderno.
CACIIENEZ
de muitos bonitos padroes e feilios differenles.
E oulras muitas fazendas por precos commndos que venden
Gregorio Paes do Amaral & Companhia.
5
DO CRESPO 5
Lindos coi les de la C
1 gKtan inteiramente novos.
S?' B.ms c v tes de ca a barra tamban! inteirammte novos contras muitas
jtfazendsdegosto que seria enfadonho mencionar.
ri.'.' Para homarosdesenhora
7 Grande variedade de chales, bourndax, retondes e algeriennes de fil e de,
;. guipure a 10, IG, 20, 30, 40, 60at 805-
Modernos soutembarques de seda de superior qualidade.
Lmdos bertes .le seda de cor pretos e de cachemira.
[dem de caiuhraia branca bordada com muito gosto.
Sautembarques e bourn >ux de cachijmira de cor e outros muitos artigos de;
mm gosto.
Pora cabera de senhora g|
Superiores chapelinas depalha, de seda e de crina de moitobom gosto aim-^s
p .rali i/. rtfj
Chapeos de pdha da Italia grande variedade. Lindos gorros e bonets de palha do Italia, Emperatriz, Canotier, Clotilde '^
ea Grante, ebegados de Pars peo ultimo vapor. S

m

erando variedade de enfeites defrocq e d flores para casamento. '-?
A n Superi ires vestidos de blon le, e de m lireantiqae brancos. j
' V Ronsmiireantiques brancw e superiores sedas brancas. &
Bons vestiilo-i d -. tarlatana branco bordados. -.
.Lindas mantas de bluiide e boas capellas. ^
Bordudos. ~;
Grande variedade de entremetes bordados transparente e tapados. a
Tas bordada* iransparentes e tapadas, babados bordados, saias bordadas el
outros muitos arligos. f;
DE >.\'i'i'.\i > 1ORRBI4 "H YAS'ONCKLLOS & C. j


... ~...
-.. -
:-'' ar
Loja da bo.i f na ra da
Imperatr n. 74.
BU A DO CRESPO If. fi
W J351
V-ii i m.' rio pnfeites pura cabeca a 2ji0.
I ii |i i i'- p ira alisar :i 240.
l! in. com ii i;,a mel 'I hranco a 500.
I- i .- ir. para denles I0, 2io e 300.
ui is lua* pira costura a 300,500 e 15-
ias rouito lina.- para seoh ra a 300 e 403 o
Ciixa e. : -'O oovelos de liuh.i do nz a 700.
Cma cora >o euveloues a 00.
(1 >ix. Com papel pautado a 700.
Kesma de papel alm,n;> greve a 3J&0O.
ira para escr-vT ur.ioa 110.
F. cas.! garios de balando a 54-500 e 6500.
- croas para hom-i a 00 a iO o par.
A Uiietes de todos os lamamos a 100 '. caria.
F.la .1- iiiln pe{ 30 120,
rdo para vestido a :(0 r-. a p c-.
Dito un nal pega 10
i; ixas cun obris- oiuito boas a 40 r?.
Baralh i de cartas fijas a 240.
i ie baio de louca para camisa i
Dd i.i de madreperola moit lino h 640.
Cosa de enriele milito lis a 40 r>.
11 i!" corceles mullo ii ds a 60 rs.
i, ;.- de se la prel i e de cures a 500.
|..( ii wi | r: a 800 e 500
<' xas milito Boas para rap a 1-3-
I i,: c impl to sor i... mo de miad *as q ie
vend, ni \'.s do que em ouira qualquer p'.r-'
P .ara s ISO
-I
A-
iCa-se
venda na livraria'arademica, na n:a
doi, na do Sr. Kogaeu i, junte ao arco de Sanio
Anl : i ; b na tyuvgrapbia imparcial, na ra <-
u i i '! isai i laja i I da a I mislacaj
i.'.-.; : administracao, arrecadacSo e fiscali-
. dos diobi-iros de orphios defuntos e ausep-
.a- i cenles, legados, etc., eontendo mi
-.. .. ; ni. de c. ;..- a lei geral das execu
('. ; idas i rdens avif
uo, que .i lado -:n explicado, tanto a respet-
t.i .i::- bria ini entes ao carita do* differeO'
i .....de |ii-ii';-> e fazenda, cmodos di-
re riaciooaes e emolumentos qut sao devido?
R -odu mais de 700 paginas em nitid
i ; ---.i i e im papel, e prestanda-se a n:
i dilliT nies elses, torna-so rCommendav*l,
S.-u cii-ioo 1000t por cada exen.plar em dou.'
ClhLFS
Graa le peealnena.
No rita da Imuei >trii n. : de- i'iirt'i, vende-se eh' r5 e SOO e lino- ."3. eslo se acal ando.
HW>r4ail<>8.
Cheeen a lo]. Ce Paredes Porto, na di Imoera-
Iri n. 52.uw .-o.'iiiiieui i de camiunbas, gollinhas,
co'piohos, raieiras e sint-w, de nambraia branca,
p. lo baral i pr c i de 9S30 I, 39500 i-, gollinhas
-., i', mena- a 80*.) a sinli a 800 rs, pranie
Na ru do Qufiiaia'Jo n. (>3.
Ncsia loja por lo los os ap res se recebo luvas de
pellica brancas e decores, tanto para hornero como
para senhora.
Vo'l-ts, c-nzess brincos.
Cbegou no uliiui) vapor um granie sortimenio
de voltas e cruces, Imitando cornalinas brancas,
assim como brincos d i mesma e dj crystal do mais
apurado gasto que se pode desejar, foi s quem
receben : na loja do baija-flor, ra do Qaeimado
n. 63.
Enfeites para coque.
Ass;n como receben enfeites para coque e ou-
tras militas qaalidades, que se vendem mai barato
I do uue em outra qualquer parte.
Bonicas que chaman mama i e papai.
Teod i recebid i ora grande sortimento de bone-
|cas que clnmam papai e mimai e inovem com os
: olhos^ mriito bem ve-lid is, com cabelleiras, o
i que^l' le haver de gosto neste genero, e vende se
[ iiiii- barato do que em outra qual puer parte.
B Inios.
A^sim coinoum bonito sortimento de balaios para
menina de escola, tamben) ha inuito bons pentes
para desembarazar, guarnecidos de metal.
M Bichas de Hamburgo W
lodos os paquetes da Europa se recebe 58
>;' desias amigas do sangue humano e se ''; vendem troco de pooeo lucro s aBm v
< iU- |fr sempre c tusa nova : a loja de bar- fjf
.', beiro ra estreila do Rosario n. 3, ao p ^
da igrej. 9m
COSarcs Royen* ou colares ano-
dinos
para facilitar a dentfcio das crianzas e preserva-
las das convulses.
O feliz resollado ohtido immen*as vezes pela
prodigiosa forca magntica dos colares Rover, nos
casos de convulses, e Ornticao das criaRcas, teni
altamente elevado o sen berri merecirto prestigio,
e boje j se pode dier que estao geralmenle con-
ceuia familias : de uns porque do uso dsses salutares
colares viram salvos do peiigo seus charos filhi-
nbu-, e de outros porque colheram daqaelles tao
sroAcao exemplo para" ignalmeme preservar os
seos. As'im, poli, a agnia branca, tendo em vis-
tas a oiilidade eproveit des.-es (irodipiosos cola-
res anodinos ou R >ver, mand iu vir o novo sorli-
inei lo que agora receben, c continuara a recetie-
los para une ero lempo algom falta delles possa
ser funesta ao- pas de familia, os quaes fic.aro
-i le os achai cor.sianieroente na roa do Quei
maoo, loja d'aguia brinca r. 8.
Sitio*
Vfne-se o sitio no I'.osannho n. 2, junio da ca-
dad de entrera liosa. G00 e SOO rs. .: ; r,(,i|,i fnmcasi de i-.ira e ral, boa agua de beber,
-. -. i ab.nd i.
-Verele sj urna grajife casi t-*rre nn lugar
.{ iiiiii.i :: rna lia- il' isa-. cha-
f,ri' n io I.....irada, com grande nnt..l,
ramenlo liver-os a-'-.olo, cacnn'n o tanque
I banito : quem a pretonSef pode ir examtuar
e tratar i: i roa e-treiti do Rosario n. 13.
motn fiocieiras, baila de rapim, estribara e jar
dim. Tamben se permuta por casas nesta prafa:
< ir alar na ra Nova u. 5o, ou no Recife, ra da
Clela n. 3.____________________
Vinho do Porto superior em caixa de duza,
lem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
iu ^ t, uo seu escritorio ra da Cruz n< i.
Manteiga i igleza perfeitamente flor clie-
gada uliimamente de l.oooa i,loo rs. a li-
bra, e em barril ter abatiraento.
Manteiga franceza d;i safra nova a 8Go rs.
a libra e em barril ter abalimento.
BANHA
Banha refinada superior a 6io rs. e em
barril lera abatimento.
CHA
Cha uxira de primeira e superior qualida-
de a ,8oo rs.
dem hyssan o melhor neste genero a
2,6oo rs., e sendo em porrao ter abatimen-
to, t3tnuem ha proprio para negocio de i a
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de l,8oo a 2,3oo rs.
a libra.
B i^coutos
Latas com superior biscouto inglez de di-
versas marcas a !,2oo rs. a lata.
Bol letilahas
Latas com holacbinhis da acreditada fa-
brica do beato Antonio, proprias para dar a
doentes de 2,000 a 3,ooo rs. a lata.
dem com quatro libras de bolachinlia de
soda a 2,ooo rs a lata.
Queijos
Queijos fiamengos clieg-'dos no ultimo
vapor a 2,5oors., lambemlia do vapor pas-
sado a 2,3oo rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespanhol a l,ooo c!,2oo rs.
a libra, francez e suisso a l.ooo rs. a libra
e portugaez a 800 rs. a libra, em porcao
ter abatimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, comosejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Vellio Secco, Lagrimas do
ouro, Maria Pia, D Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a l.ooo a garra-
fa e O.ooo a 12 ooo rs. a du/.ia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a ioo e ooo rs. a garrafa, e a 3.ooo,
3,5oo e i.ooo rs. a caada.
Superior vinho chamisso cm barril a Gio
rs. agarrafa ea i,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa c Figueira em
ano-tretas de 8 e 9 caadas a 2i,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha maisbai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
Caixas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a cai\a e
7oo rs agarrafa.
CAF
Caf do Rio de 1.a e 2,a qualidade de
6.800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
S A11A O
Sabo maga de primeira qualidade de 18o
a 22o rs. a libra e de lo a 21o rs. sendo
em caixao.
Sftrveja
Bi
Superior serveja
bricantes, como sejam
Ashe a 7,5oo e 7,000
a garrafa. Tambem
orno seja: Victoria e A
zia e a 000 rs. a garr
vina
Superior vinagre de
caada e 28U rs. a f
mais biixo para 2oo ri
a caada.
A zeitt
Superiorazeitc doce
garrafa e a 5,000 rs. a
Ma
Macarrao e talierim
ij.ooo rs. a caixa.
s
l*assas
Superiores passas
I2,ooo rs. ac xa de
oo rs. a libra.
ss dos melhores fa-
Shlers & Bell. T. F.
s. a ouzia e a 7oors.
ia de outras marcas
Icope a 5,ooo rs. a du-
fa.
gre
Lisboa a 2,000 rs. a
arrafa. Tambem ha
a garrafa e l,4oors.
doce
le Lisboa a Gio rs. a
caada.
ssas
a 360 rs. a libra e a
3.000 o quarlo e
Jrroba hespanhola e a
Genebra de laranja yerdadeira a 10,000 a
duzia e 1,000 rs. ao franco.
Genebra de Hollanda verdadeira a 6,000
rs. afiasqueira e a o6i> rs. o frasco.
Idom de Hollanda erp botijas a ioo rs. ca-
da ums.
O arralos c >m 24 galrrafas de genebra de
Hollanda a 8,000 rs. b garrufo. Tambem
h 1 garrafes com 5 e 1J4 garrafas de 3,2oo a
G.ooo rs. cada um.
i-a
c
o
O
1

DE
VEI
Velas de spermacete
AS
a 6io rs. a libra.
dem de carnauba le lo a 12/too rs a
arroba e de 36o a Uo
rs. a libra.
PELE
latas j preparado de 1,000 a
rs. a lata
ALPISTA p l>
Peixe em
l,2oors
AINQO
Aljiista c painco niuito novo de 3,800 a
4,000 rs. a arroba e ifle lio e 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mais] acreditados fabrican-
tes, como sejam: Joijo Furlado da Serrias,
Manoel Peixoto da Silva Nelto, Castanho &
Filho e Brando e <|e outros muitos, os
quaes vendemos pelo
2, 2,8oo, 3,ooo, 4,5oi
!,ic<
odico preco de I.600,
e 5,ooo rs. a caixa.
res
1, ioo rs. a garrafa ou
l>o es
Doce da casca da
Licores francezes e ) rtuguezes a l.ooo e
frasco.
;oiaba e caixes fe-
: queuos a 7oo rs. e de 5o caixoes para cima
|a 61o rs. o caixo.
Frutas
Frotas em calda e er 1 latas fechadas ber-
I mlicamente, muito bem enfeitadas, conten-
ido pera.pccego, ameixa rainha Claudia, al
perche e outras fruta} a 0) 18. a lata.
Tambrm ha Utas grandjes para l,2oo rs. a
lata.
AZEVEDO FLORES
Eua da Cadeia do Recife, esquina da Madre de Deas.
Grande sorlimenlo de fazendas por mira lo c a rea Un, t un completo Mr
iiieiilo de milpa lei la, lecasemia e de b im, tuda por mrM< qie tm
oulra qualquer parle: quem i sudar vei:ha rer
de lindas e Bnissimas casemiras escuras e claras, de superior casemira prela, de finos
brins brancos e bom brim pardo.
Pa le Os
de superiores casemiras escuras e claras, de lina alpaka branca, de superior alpaka pre-
ta e de brim pardo.
rolletes
de boas casemiras pretas e de cores e de lino brim branco.
CAMISAS
Superiores cimisas francezas de 2> at o5.
Ce ron las.
Ceroulas de superior bramante de fino linho.
i) I oes.
Superiores bales de arcos para meninas de 2 at 12 aaoos.
dem superiores para senhora.
bravatas c mantas.
Superiores mantas para pescoeo de bomem, as mais modernas do mercado.
Madapoio.
Madapolao bom a 8^, 9^, 1"5 e l*.
Chapeos de sol.
Superiores chapos de sol de seda ;i balSo a 103.
Fraques de easemlra.
Fraques de casemiras, prela. escura e de cores claras, e na o Inven-Jo que sirra
ao fregnez manda-se fazer por me lija e com muit 1 pn-mpli liio.
.Todas estas fazendas por precos insigniicanlissimos, pois o fito do Balo ad-
quirir freguezes.
LOJA DO BALA
AXEVEDO 4r FliOUI-^.
AvaaLAXmm e^e fjkmwm
DE
CUSTODIO CARVAIillO C.
27 BA DO QUEiMADO N. 27
Madapolao francez muito fino, tendo pouco mofo, cada peta com 27 varas por'
103000.
Laa de c res a 300 rs. o covado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a precn de 800 rs a rara.
Lencos brancos para algibeira a 23 00 a dara.
Fin s parolaras a preco de 400, 440a 56U rs. o covado.
Ricos cortes de lila de barra de 105 a 300000.
Chales de fil preto e oulras muitas fazendas.
iirf^rTii
C5K13taW J&*i .<;->< -,.A '&&fa*6ffi+t3&
.. .'WST&QSM.
Uvas pelo ultimo vapor.
Peras pelo ultimo vapor.
Magnas pelo ultimo vapoi
Ameixas pelo ultimo vapor.
Passas pelo ultimo vapor.
Figos pelo ultimo vapor.
Frmtas seccas pelo ultimo vapor.
Fructas em calda pelo ultimo vapor.
No.cs pelo ultimo vapor.
-.

&
>,
t
Queijos loMlrinos pelo ubimo vapor.
Queijos llamengos frescos pe'o ullimo vapor.
Presunto fiambre pelo ul.imo vapor.
Tudo se vende barato n.s seguintes armazem.:
Ra do Imperador a. 40, Terdadelro Principal.
Una do Qiciaiado n 9. t rl.o e Commerclo.
l^argo do Carmo n. 9, Progressivo.
Tp Parrde? Porto recrb.'rj polo uliim > paqoelo um Voplelo oriimen'o d-1 capas f
l bournas decores rioameue piif'itilos ;i lj, ioe 2tJ : oa nu da linperalrii n. 51,
Mr loja da porta larga junto a padaria Franceza.
mi

GZ.
'"!\'('\
No armazem da ra do Imperador n. 3 ou no
Cae de Pedro II n. 2, tem para venderse o me-
lhor gat existente no mercado.
Vndese un cylinlro, urna OMMeira, tima
halanc/i grande e urna dita pequea, com indos os
pesos 8 mais ulenc.ilios de. padaria : a tratar na
ra Direita n. 2i.
Vcndem-.se
machinas americanas de serrle para descarocar
algodao : na ra d? Senzala Aova n. 42.
CAMBRAIA"
Cambraia de forro com 8 l|2 varas a pee^ a 23,
esi-se acabando : na loja da porta larga da ra da
Impcralriz n. 6S, de Paredes Porlo.
Vende-se urna esrrava crioula, moya, e com
habilidades : na ra'da Peona o. i 7, 2 andar.
a va lado.
Francez barrica 50P0
Portlanri Mea 8*300
Em perfeiio estado:
Francez barran IOAOOO
Portlad dem 124^)0
No armazi i t Tana irmos caes do.'AooU*.
RnlMt.
Chearam os bnim chalas e relondas de
re brancos, e ven4en-M na roa da Imperatriz
'2, luja da p>it liria, de Pareen Porto.
Chales de renda
Paredes Pato, na rna da Imperatriz b. 55.
larga, ,vofle chales de reeda de cores eon [
n -. 10 rae de mofo, a 3J300 e 4*, (aseada da M#
e 12^000.


Diarlo de Perssamfcaeo Sexta felra IJ e Xovembro de |ft*
Sem o menor constran.
glmento se entregar o
Smporte do genero que
nao agradar.
$a preeos da ae^uiLi;
tabella para do*, a*.
dendo asslm servir de bi-
se para o ajuste de conf a*
coeu o portadores:
. i
l Ti.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
sam a jotm di ai? pouam
AO
RESPEITAVEIi PUSSI.CO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
cent da Uga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento [de molhados,
que sendo era sua^raaxim parte mandados vir directimente do estrangt iro"podcm ser
Tendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatnidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porra ffiancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
1.' Delicadeza no trato.
2.\ Fidelidade no peso.
3.' Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sua posico social gozara de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condico do freguez, elle deve contar que ser sempre omi-
to bem servido.
Aquelles que sao ponco favorecidos da sorte faro mensalmente urna economa de
maitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se Ihes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucax, etc., etc. de boa quadade pelo preco que em algumas partes n3o po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devera vir, relo sen proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhores que compram para tornar a vender existe um sortimento < spe-
cial, eseolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhore>
compradores.
Nao se tera poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DIMHEIRO A VISTA:
\ Graixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
ALPISTA a 120 rs. a libra. uma.
dem e painco de oito libras para cima a u.
100 rs. KIUSCH de Wasser a 2-J a garrafa.
Arroz de 90 rs. a libra a........ jl
Amkndoas, casca mulle, a 280 rs. a libra. LATAS com graixa a 80 rs. cada uma.
Avellas a 210 rs. a libra. Letria a 400 rs. a libra.
Ameixas fraocezas em latas de todos os ta- .11
manhos. .MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
dem idem era potes de todos os tamanhos. i quadade a 1$, a libra,
dem idem em bocetas de todos os tama- Mabmelada dos mais acreditados fabricantes.
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o airo da Concelco)
PARA BEM DE TODOS,
-choras, o aceio qne presidio aosarranjos dustenovo estabelecimento, e mais que tudo a promptido e intei
ral-vl^j i nvida a uma visita ao mesmo, rerto; de que sem dnvida me daro a proteceo e preferencia na com-
irecsaraji e quando nao possam virpodert mandar seus portadores, anda que estes sejam ponco orticos
Senhore'
eza cora que serao trat
rra dos gneros que p>
r'ois ser3o t3o hem servidos como se viessero pessoalmente, havendo para com estes toda recommendco
tra pprte.
Aletria, macarrao e tallharim a ioo rs. a li-
bra e G.ooo a caixa.
afim de
prai
que nao vo em
11.
'
I r?.
r.tfea
Manteiga ingleza especialn.ente escullida a
i.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de i5
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oo rs.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chonrifas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino ebegados neste ultimo va-
pora 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem pratoa 8oo rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
linlia, pevirle e rodi-
lla a 04o rs.a libra e
libras.
Massa para sopa : esire
nha branca ou aman
3,5oo a caixa com 8
Vinho do Porto mui
engarrafar, em anco
35,ooo rs.
Vinho em pipa : Portr]>, Figueira e Lisboa a
o fino proprio para
etas de 9 caadas a
nhos.
dem idem em frascos de todos os tama-
nhos.
Azote doce de primeira qualidade a 5G0 rs.
a garrafa.
Albos a 200 rs. o molho.
Absyntho a 2,5000 a garrafa.
B
BOLACHINHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem Jo Principe Alborto a l800 a lata, e
de cinco para cima a 10700.
dem de so a em latas grandes a 25000 e
de cinco para cima a l1800.
Bisoorros ingleses de todas as qualidades a
15200, l&SOe 14300.
Bolo francez em caixinhas a 400 rs. cada
orna.
Batatas inglezas.
Banua de poico refinada.
CHOCOLATE francez a 600 rs. a libra.
dem suisso a 14 a libra.
dem de musgo a 15300 a libra.
Chooricas muito novas a SOO rs. a libra.
Caf a'2'i0 e 200 rs. a libra, e em porco
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 7?000 a ar-
roba.
Conservas era frascos a 320 rs, cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Chabopb de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 15800 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'IIavana, Exposico,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gna-
nabaras, Trovadores, Kegalia, Mississipes,
Panetellos, Apraziveis. '/arelas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
presos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto pona branca, etc., etc., a 25000,
252"0, -)5U) e 25800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 25500, 35500, 45 e 55.
Clices de lodos os tamanhos.
Cognac superior a 15 e 15500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de chico macinbos.
NOZES a 120 rs.
Nanos em latas a
Macarrao e talharim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 6C0 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs.-o frasco.
Momo inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
35500.
Mn.no painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
N
a libra.
800 rs.
O
Ostras inglezas e americanas.
P
PEIXE era posta, latas grandes, a 15(.00, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargo, salmo, pescado e
pescad alia, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, exceliente preparaco.
Palitos para denles a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas ora qnarto a 15400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
i
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QUARTINIIAS OU MORDIQUES a
R
RAPE' Meuron a 15 a libra.
dem Princcza do Rio a 5200 a libra.
dem francez a 25500 a libra.
m
SABO massa a 160 rs. a libra, era caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 29.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a >00 rs. o maco.
Sag muito novo a 100 rs.
I
DOCES de todas as qualidades: brasileiros,
portugueses, ioglezes, francezes, etc. etc.
B
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
irvadoce a 400 rS. a libra.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
V
VINHOSI
libra.
FARINHA SSS de 8 libras para cima a 120
rs. a libra.
dem de araruta a 320, 400, 500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
FeuAo vjrde em latas a 600 rs.
Favas ern latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 15.500
Farello ha sempre em deposito de 500 a
Principe Alberto, de 1831, a' 55000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 24 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 15500 a garrafa.
' Duque do Porto verdadeiro a 25 a garrafa.
Duque a 15 e 15500.
Chamisso a 15, 1)5200 e 15300 a garrafa.
D. Luiz a 45 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 25 a gar-
rafa.
Carcavelos a 45-
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posiejio alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 15 a garrafa.
Absyntho a 25 a garrafa.
Kirsch a 25 a garrafa.
Wermouth a 25, e a caixa a 18#.
Bitter Maurer a 45 a garrafa,
Vinho figueira em ancoreta a 205.
32o, 4oo e ooo rs. a garrafa, e em caada
a 2,ooo, 3,ooo e 3J8oo.
Vinho branco de Lisboa de exceliente quali-
dade a 4oo e 5oo rsL a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5ooi
Vinho branco para miksa em caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado orno sejam : Lagrimas
do Douro, Duque ojo Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
ra Secca, Malvazia fina a I6,ooo, Io,ooo,
12,ooo e I o.ooo a caixa com 1 duzia e9oo,
4 ,ooo e I,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duziae 4,5ob rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias (latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e320rs.ja libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a i,30ors.
' Cartees com bolo francez muito proprios pa-
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata, i ra mimo a 64o rs.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
rs. a duzia. para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
dem idem para vinho a 24o rs.,e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez tespanhol e suisso a 9oo, Figos de comadre a 24o rs. a libra.
l,oooe 4,2oo rs. a libra. Amendoas de casca mole a 4oo rs. a ibra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li-' Milo de amendoas a 5oo rs.
bra e em caixa se faz aliatimento. Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joo
Peixe em posta em latas hermticamente la- de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
cradas e das melhores qualidades de pei- bras por2,5oors.
xe a 8oo, 4,ooo e 1,2oo rs. '"Ameixas francez as em frasco de vidro com
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita- tampa do mesmo, a 45oo.
das que vem ao nosso mercado a 7.oooe Ameixas franc zas em calimbas de diversos Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
K.ooo a caixa e 04o e 7oo ris a gar- tamanhos com bonitas estn pas na cai-j 8 garrafas por 6oo e 8oo rs. a garrafa.
rala. xa exterior, a 4,4oo, 1,6oo, 1,8oo e 2,ooo! Azeitonas portuguezas a too rs. a garrafa e
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de cada uma. i 4,5oo cada uma ancirela.
conta certa. Azeite doce refinado hespanholoiiportnguez, Champagne da melhor qualidadf que vem
Sal refinado em frascos do vidro com tam a
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que vem ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,5oo a du
zia. n
Cevadinha de Franca muito nova, a2oors.
Charutos do alTamado fabric?nte Jos Porta-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposico Normal de Rayana, Imperiaes
Londrinos, Guanntarns, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, Mo'o, 5,ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em n esas.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte. Ma-
nilbasde Havana, intervallos,Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5co e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das melhores ncarcas, a 8ooe
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,exceliente cha para os naveganles, a
2oo rs.
Sebollas de Franga muito grandes e novas
a l,8oo o cento e i,2oo soltas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinhode Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranhao muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e 4,5oo o frasco.
Caixinhas com fruclas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito propinas para
mimo, a i,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada uma.
Ruibos, exceliente peixe portuguez, em
harris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
fOr-
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo' a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa.
64o rs. o frasco. I Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo
Genebra de laranja verdadeira em frascos o gigo com 3> lihra;.
grandes a 1,ooo e 14,ooo rs. a frasqneira. Conservas inglezas a 75o rs.
o frasco e
8,5oo a duzia.
VassouRas de escova para esfregar casa a
4oo rs.
Nnzes muito novas a 46o rs. a libra.
Molho inglez om garrafa de vidro com rolha
do mesmo, a 16o rs.
>5 istarda ingleza dos melhores fabricantes,
a Soo rs. o frasco.
a 8o rs. a libra e 2,4oo a ir- Mostarda franceza em potes j preparada a
4oo rs. o fraco.
Caf do Rio de 4a qualidade a 28o rs. a li-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
Arroz do Maranhao de Ia qualidade a loo
rs. a libra e 2,800 a arroba.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a
arroba.
dem de Java
roba.
Painco e alpista a 44o rs. a libra e4,000a Leniilhas francezas, exceliente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs; a libra.
Massa de tomatesdesuperiorqnalidadea 6 Ir. Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a
lho.
lata de uma libra e-"6o rs. a r i
15 a jrarrafa *
Palito? de d.'n'p
\ !,ooo a dnzia.
14o rs. o maco
ao mercado, a 2,000 e 3,5oo a garrafa, "
24,000 e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figosemsextinhas a 80 rs, cada uma e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,000 a resma.
Balaios para roupa soja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecpgo
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a Soo e 28o rs. a garra-
fa e a 1,4oo e 2.000 rs. a caada,
i Azeite doce de Lisboa a 4,800 rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
. Virwgre branco j engarrafado a Soo rs. a
I garrafa.
181 VIL
Hui uu (ui-iuiatio us. 49 c *4.
CDiina a veuil> r 1..- m.^.-lu i.<- .. ...'ano
declara por prtfH kdttira
Massos de palitos lixados jara t'^r'*. 1 "iOr.
Epellios .t ii.i. loiirar n. DfMbl MA'.XMft ,iOrs.
BooelB de ohado para inrni..t I i.
Ditos dt eooro o^eriot turada ......(...
PrafCOB < ni mptiior tinta latkl :.*> i-.
Meladas de l.iila Ilusa paia Ur< :< O
tamas roa IOO f Tllupw, bu m bu
Groias de peDBU dear*., fazeer
Grozas de bolees Biadrt|*i
e 640 rs.
Caiat com 30 coelcs de h
Caizai re m >iipi ri. n > (! 1
Pe^as de lila irania 11;.-1.<
Varas de franja de laa para ral
4o r-.
Baralhos dourados supereitt n iKfn
Novelloa de lula rcm41.(1 jaidaaaK r-
Luro- para asan l de r. 1 1 i, :.
Parea de \< !.-> para 1 imi >>, laarin 1 i-. ra.
Te?our> ara ei ilitiH n i
ICO e i.
Caixas de peiinas, de railiiiail lt a
I eco.
Massos rom sDperlori tran>|M r-.
Pares 11
Caixas 11 n 11 d| n 1 pj :.; :
Lil ras de lia ai nii'r- I ; >r; >.
Caixas t( n sop riori s c I.k ; de n
RudlDbas roasalSB'les tiaartte*
a SO rs.
liesrras di papel : mr" ?JWH
Estovas 1 ara pupa, laieMa Io : e IJ.
Duzas e tes'as itni kawi c I c 000 rs.
Doiias de taras 1 garios 1 1 1. a 3ftQI.
Talleres multo firo para rrlai Iq,
: Polseras para D 1 n 11 1 '''.' -
Ditas e vi lias para siunna a 9.
FisMisde Asna Florida vndaai a iliH>.
Fraseos rtnsoperior tar.fca j Slfl 'fOr.
Idi ni (!> d| 11K r oleo 1 al ora a feO 1 -.
r.a;xa> c( ni l?n \: rin s para 3 n 1 '
Varas de rabudo do li ri- 1N1 i U r.-.
Carlas de aliae'es (ra ih.-j HOi*,
Qoaderoos de papel peqoeai iMri.
1 Grbalas de rrres. f; i< nda >vi\ r i r i
I Papis de aculhas, Inndo d. Diado, a m>
No iiiiizeii <)( /'i'.
baratas de Santo? C eko
R11 Vi u. -m ... -ere, i
Coberlai de rhira Boa a tftW
Ditas de ma a z4i 0.
Leneies de pata o- unto a IjSIO.
Dit. s de dilo de ln I., a X
Ditos de I ifoianli-de lu Im. dr 1:1.1 ti
3*fOO.
I'ai do de linbo lino ri n> '. It: paraam u>
ra 1lo barato preco i ?4CI
Bramante d* liiho Suo i< n li
goia a O a ara.
Pee- de can ln; 1,1 con
cores rom 8 i| varas I'' 1.
Pie; s de tan.I lai ca<
cortinado de eama ci 1 JOatata 'i
Baiee^ 68 are > a :-'( o. :n. :." ..1 i.
Lencos de can na.a Bm a ;-l,io ^ ;b7id.
DttOS de (lia ?5 a iiia.
Alhoaiha.to de Ikihe Dt< a iH>> a ara.
Dito rin alpnei. a .' a %aia.
Algodo eDftsiadu roas 7 \\i palaaei de l^rji ra
a I2C0 a vaia.
Pecas de bre!; uha d.- i< .. eosa ; 1 \arj- propria
para >a,a a .'li00.
Pil de Imho liso Booa xi'O r-. 1 -;.ra.
Dito dedil.irnm aalpi'W 1 i-" iaia.
Cambraiade iinhoBaa a ilMw, <&*9 !-A
vara.
Cortes de liaiibba de liados ,
v rios a '5-
Pieasiie mariapi lid BMrsiaM ;. 1 .
preco de -. ;'. i( e il.
Flanella tranca lina a mi rs.
lua de cora lina a -o r. a 1 ia 1.
Baldes de muselina para n mil '5
< h&.
Cambala de f..rr. a a a 1
liita lina a 'iv'ioo. 65 e 7- a pera,
GuardaoapO d<> liaho ; *y>
T.ialhas de alfodao relpadM ti 1 > ;. \~.i.
Esb ira da India pr< pna para 1.1 im i
a, 5 o 6 palmos de larpaira pr n-r- ..
queirn OUlra i|iial.|ini pMe
Neste aro atem tan fcem se 1 mi alta 1 n- ci
SortimeDli de roupa frita pos IfWl.
\
O lira nodoas |>- r emi !rt.r:a
Vende-se por laVtbO os fraseos .< a4H>
rs. os menores : na ra do hape M ;i -7. n-
mazeni allianca._____________________________
Vinde-euna praade casa i rail
S.l'mio, em Otiada, o. 43, rasa k rlaa, \ qaimal, r-oaa frneteiras, rdiiea* >a
e tm poolo alio ; e b. ir. assiB) alaaa M ; 1 otra,
rom 11 Dib rommod*, 111 i {r.>.
xin.a au baobn -1 gad a 1..... 1 I Tra-
te arelada e pr. prla para sa 1 ..- r u>a 1 tra-
tar nositi" da Poresta, em Ofijad m i'
ra Im. iU 11. 117.
11
pao
br
araacea
-
ee
I ai.

1
6
....
CEVUi.4
2 ~ a, = u :-" -
(raha Citar nto para
descaro;ar aSgdao
FABRICADAS
Por Pltiit Brothers & C,
LDAM
)VV___^ Esta
\ ''''TllaTnr Pdera
%: de al
t\\ i'... estraff
800 saceos, de todas as qualidades, de to- dem Figueira e Lisboa em pipa a 20500 a
dos os tamanhos e de todos os precos. caada.
Att^sico
Seiiios ioglezes com borrenhas e lisos, silbSes
Cambraias.
Parede Porto vende cambraias lisas finas, gran-
de sortimento, a 3 a' 6*, ditas Victoria muito
finas, com 10 varas a 6, 63300 e 73 : na ra da
(mperatriz n. 52, junto a padaria fanceza.
para montara de senhora tambera ignaes, chicotes /,h.__" ... ft-njnhfto .1* eimhraa
par*carro e cabriolet, e para monuria, lodos de LHinCra OS COPpiDnOS fie tdmurdid
baleia,fundas com elasticidad^ para ambos osla- Veadem-se corpinhos de cambraia com entre-
dos, e ottlros roaitos objectos ioglezes, e brides de meios a 44 e 54, esto se acabando : na loja de
poiuca : iodos estes objectos venderse na ra da Paredes Forto, ra da Imderatriz n, o2, pona Jar
Cadida dy JRe&ife n. 31, loja de selioiro. ga, juu.o a pate/ia franceza.
Tasso Irmaos
Vendcni no sea armazem na do
Amorim n. 35.
Licor fino Curaco em botijas e meias botijas.
Licores linos sortidos em garrafas com rolas da
vidro e em lindos frascos.
VinhosCheres.
Santernes.
Chambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatei.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniol.
Estas machn?.-
em descaroc^i
uer especi
Igodao sen
l estragar o fio.
:Ml~*f sendo bastanu
duaspessoaspara
o trabalho; pdt
descarocar ums
arroba de algo-
dio em earocc
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar
robas de algodac
limpo.
Asstm como maclimas para serem movidas por
animaes, que Jescarocam 18 arrobas de algodac
limpo, por dia; e motores para mover uma, duas,
entra dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis dess machina.*
mencionadas ; para o que convida-se aos Sr*.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n.47.
Saiiiulers Brothers &C.
M. II, pra;a do Corpo Nano
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
iff wm mmmm wmmm
VILLAR I
Testamentos em verso.
Continuam a estar ;'i venda, ra typogra-
pltia dr roa do imperador n 15, defronle
de S. Francico :os testamentos da Cali-
nita, do Gallo, do Porto, do Leo, do Gfcto,
do Pet. doCarneiro, da Onca Tijre, do
r.iio, da Hjena, do Rato, do Orangtilatit:o.
do Macaco, do Hurro e do Vigario ; a Feleja
da Alma com o Di^bo, a 160 rs. cada um,
e a 100 rs, a quem comprar uma lOlleccSo
cern leta ou 25; cartas de A B C, taboadas,
cathecismos, eennomia da vida humara,
caiiilhas, Simiio de Nartua, Bit lia da in-
fancia, roanufcriptos, traslados, [.aulas, pro-
curaces, apudautas, lettras, contecimentos
para embsrno de escravos, despachos para
a alfandega, papel almaco pautado e pinta-
do de diversos formatos, sendo o pequeo a
30 rs. a folha, o imn:eiiiato a 40 rs., o me-
dio a 50 rs. e o muito grande a tO rs.:
i papel marroquinadoe lustroso grande e pe-
I queno ; papel para impressSo de uma so
cor grande e pequeo ; Virgilio, Horacio.
Salostio, Magnum Lexicn, prosodia, dic-
cionaroa francez-portugoez e \ce-versa,
selecta franceza, e uniros niui'cs livros, hem
como em hranro de tnd os tamanhos.
O castello de Grasville.
Traduzido do francrz por A. J. C. da Cruz.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 3500C
ua praca da Independencia, livraria ns.
6 e8.______________________________
Vende-se um sobrado de dous andaras no
I airrn de Santo Antonio, o qual rende para mais
de 1:2004, e uma casa terrea no buirro da Boa-
Vista a tratar com agente Olympio era seu arma-
j zem na roa da Cadeia do Bectfe n. 34.
Com loja i ra do Crespo n. 17.
Recebeu de Paris sedas era cortes mui-
to superiores e bellsimos padroes, e
chales de renda pretos para 10$.
Este importante estabelecimento torna-
se recommendavel ao bello sexo pela va-
riedade de fazeudas superiores e bellos
gostos
Proteja 0 bello smo ao Villar
e vero todos a prosperidade.
4LGHD40 M BAHA
Na loja de Andrade 4 Reg, rna do Crespo n. 8,
esquina da ra do Imperador, contina a vender-
se superior algodo da Bahia por menos preco que
era oura qualquer parte.__________
Vcndem-se quatro burras mulo mansas, boas
de carga e de seila, por preco commodo : a tratar
no hotel de Franga.
Framcisco Jos Germano
RA NOVA N. 22,
acaba de receher um lindo e magnifico sor-
timento de otulos, lunetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado posto da Europa e ocu-
los de alcance para nbservacoes e para os
martimos.
C.EMMH
Vende-fe revada de Lisboa, 11 \i : aa roa do
Amorim n. 3, armazem d.-Joau Haced da Ai. .r* .
BSCBAfftS *^
Aurii w n- r. n;i ra
da Aurora o. 34. am oaiayaa mwali in "
AosjdsIo,idade 18 aaao, coviasaa r. :.. stjsji a.*s-
mo na eidade,oo seus arraaaMw, a 1
(do por ter o qoeiio um < m s bM
legar leveo a rua da Uruz n. 4'., ou a 10.. da Ca-
dea n. 26.
EStHAVO FHllT
Fogii. do poder dr abaixo asaajawda 1 #i tu ~
vo Amaro, cikuio, cor avurhelbait mu thw-
lar e de iiii.de poocri Bais id O" i
eostnma andar baa real** de aaaatta d. n.- r.ia
dt- ror, e chapeo do Cliiir, ten: 11 ji ..j.rur
bastante grosso e doblada. lli^i->. ir.i.r.-a
de dilc escraro e sua captara, :-tra' geaeasaB ale
recompensada.
itecife, 10 de novembro de l^fc.
Jos da Silva I. f k C.
Ifiatificfcao de ii )S.
Aiiffnl'i) .-e da casa 59 da 10. du iarer?der
(tutr'.ra Co.\t$M no .abbacn 16 ( > rrniie Bel
e stiembiode IRC5, o tsriavo pard de n. n.. f a-
qoim, Con os .gnaessegninies : i-'-.'i r.-> rentar,
idade 18 a O annos. rm barba, p l?i.-. ..Ima
grandes, rabelk) corrido, rom un a nrrtra faaaa
e bem visiva! na testa, pan.' d' s 1' 1 kr* fr.rt*
arrumad s. e cen falla de algun> '>-. -a^i*
com calca d^ l.nm pard.. e aallal 1 ra |iraa,
mas Iev1.11 mais roupa branca e la raV, i anua
aslucio.-o. rosiuma intitular re f. r... :.i iur cal-
cado ; f i escravo do Sr. Guilherne Fi.'.'m-o da
Sonza Carva'hn, genro do (marin Sr r. n mmti?& Manoel Gooealves da Silva : roga-^ .1 >.* rt lora
a todas as autoridades polica** 1 a itaaltinrr ra-
pito de campu mi i-uira pe?>oa anraralM que v
aupreheuJer *e pralificara com 5t!.. alni ras des-
lieras do c. n.liirci', eniregaaski-'i a -r-n -^r hrr
Miguel Jos Alves. na casa adata. 111
cnptorio na rm da i'iuz ca^a a. li.
bi> eo
cha
Vende-se riscadlnho francez a 200 r?. o covado,
por ter grande quautidade, esla-se acabando : na
rua da Imperatriz n. 52, loja da porta larga, de
Paredes Porjo.
Bren em barricas pequer-ac
Cera em velas de todos os tamanhos.
Bogias.
Mercurio.
Na rua do vigario n. 19, primeiro andar.
No dia 20 de selembro {.rotuno pas>ad< fa-
gio do engenhu Terra preta, doabai\<> ai i;nato,
escravo Julio, crinulo, de ahora r colar, *r. *-o,
de o0 annos de idade, pura barba. >m >; aaa
fetos e [irrnas, muito hilante, aii w hi n i.ri,
tem o dedo polegar de nina mo ra id., pan dra-
tro, anda cem urna carta fechada. .. le et-i rnro-
nel Amaro Gomes da Cunha, apadrinbaml ... r ra-
en foi torrado e>le escravo, f"i ha n M I Mjaaafli
a (tocha Lima e Guimaraes : qom o n*ur b>va aa
mesmo engenho ou no Renfe a' raa ..a V ** a'
Alexandre Crreia da C. Jooior, ijoi sera Im-o ra-
compensado.
Alexandre Coni r**im.
- No da 31 d passad. fogio a e-r>. t>te-
lina, narda, alta e magra, qoe per^enee Sr.
Amoral, empregadn na reparlifn *i -e i<> ; ia
eserava foi no dia i* do correle qi.ei ^r >r < 9r.
Dr. delegado por ter sido castigada : qnean a as-
par e entregar na rua da Cadeia o. 62 s a
recompensado.



Diarlo de Jrernambnco Seita letra U de \ovenibro de **
ffERATM.
D POCCO DE TUDO.
0 THBATR0 DE SANTA 1SAB3L SOD A E.MPRKZA DO SR.
A. J. DUARTK COIMBRA.
A prousso do rseriptor seria cousa odiosa, so
ni) .fferecesse alguraas vates, em compensaeo do
ledi i o das contrariedades do que ella cheia, oe-
casino (1: aser-se jusliga horneas eminentes 011
por saas obras, ou por seu carcter; por<|Uj ellee-
uvaroeuie lauto lem de auradavel huiirar o genio e
in lera (i'alnaa, quanto penivel contestaress >
! iL-otus allazes que illudeii) Das iuTig por meiu
do lisongeamento de todas as corrnpges.
N i impreosa, paranlo, a cojo sacerdocio nos de-
cios eom f viva e vueago determinada, adia-
rais sempre grata 3 apreeiago do que deve ser
ciisiderad) por seus efeilo ; e assim nao nos
ser indiffereute a empreza dramtica, que ora
se acha de possc do nosso iheatro de Santa Isabel.
O traeos physlonomicos de sua existencia, por
Spressivos, nao fogera u' urna cunsiderago deu-
da. Requeren* mesmo do e^criptor publico, que
i con'idere ; nelles se demore, e il'alii tire a copia
exacta do todo que elles representan) no mundo
::-.vel dos fados.
E isto nao niais, nem tambem menos, que o
rjlr.tto mural dessa empreza.
V. para modlalo, e para predozi lo em todos os
{.as traeos, nao carecemos buscar as tinta; da
comparacSo.
A -inureza do Sr. Antonio Jo v il i! i em timas, rica em variada le de .ores,en
i menina acha todos os cambiantes alien de reir-
1 ir-s ;era the ser preciso desrer a' eomparacBes, diversamente expressiws, mas todas dando tesle-
;: un abrir parallelos coni nutras. iiiunlu de urna geuerosidade singular, que se gos-
l'.ir.i isto, pois, basta reunir os fados que cons- j ta de ver, mesmo qnaodo se au tem disposigo de
un: -.ii sua vida ; o da euumeragao delles, resulta imtala.
o qae esta ha sido, ou a aquilatacao real e com- ; a empreza do Sr. Duarte Cuimbra que tanto se
i i feeundidade da mesma no decurso de seu djiinsui por este lado, que ah dea assgnalado
ui3'imento orgnico. caraderisase MmDem pela devogo ao culto do
.\ datar da iniciago da empreza, cujos traeos eomprimesta de seus deveres.
,, iduzinios neste bosquejo, al 0 presente, o pri Fe vente sectario o'essa relisio, nao ha prova-
m iro plano em que repousa a vsta'apreeiadora gao a que se nao tenha sugeitado para observa-la
.i rebabititacao da nossi suena, qner pelo lado ma- em sua pureza ; a dando prova disto, ainda o San-
i-ri.tl, quer pelo moral. O theairo de Peroamboeo ia Isab-i retumba aos applausos ao actor Simes,
n passado Oeste espace luminoso por moJiflca- cuja eucirporago temporaria sua companha foi
i ii < radieaes ; cntruu em urna nova phase compa- bstanla costosa a empreza ; a qual todava alien-
una civilisagao da provincia, que niais ou deu ans a satisfagao do publico queao proprio
p ios o subvBaeona em vistas de se obter o tim, Interesse.
a que se dinge esta iiistitmgo. A produzir igual testemunho conspira-se a exis-
.Qrysallda que deixa o casulo para encantar a leocia ah d s distinctos artistas Pedro Joaquim e
ii i coa) as rnultic res da borbotla, o Santa Isa- Adelaida Amaral, cuja acquisigo a mais clara
bel abri se as producees da escola moderna, u os demonstrarlo do seu culto externo religio do
primores destaescola nelle tem sido tradnzidos pelo b-tu eumprir os compromissos, |a que se liga ; ao
talento artstico,a que sua* portas s-ho franquea- mesmo lempo que a sceua peruambucana exulta
4o coto loo va velempenbo da parte desuna empreza por ver-se illustrada pela iraducco liel de carac-
.-ilcita e intelligente. teres sublimes, que a ella subem.
E sob taes auspicios ahi esta' plantado e vai Alm desta solicilude, ha sido esta urna empreza
fi ueliflcando era tigoroia seiva o gosto pelo rea- cuja regularidade resumbra do seu menor movi-
i-iuo da Literatura dramtica, cojas verdades sao ment, de sorte que espectculos apparatosos por
recotiheeidas, porque so o verdadeiro bello, vetes oram improvisados em poacas horas; e
Das situacoes facticias di escola romntica sur- como exemplo, ainda lembramo-uos d'aqnelle qu
girara siloacfies da vtdapraiiea, de todo o oia.que noBVa por occasiao da passagem em regresso a cor-
te di su:, alteza imperial a Sra. D. Isabel e de seu
4way I Away I
(bvron.)
Agora esperai por vossas vigilias,
De louros vrenles o sordes c'rados.
Qu'irapoi lam os espinlios se seceos myrrhados
lro decahiudo, ao brotaren) as llores I
Ailileas da scieucial segu pressurosos,
Alm vos espora o mais bello porvir I
Art. 2. Picara exceptuados da disposigo ante- dadeira accepgo das palavras, sem se allender a
rior os mercados que servera para exposigo a' nomes ou quaesquer fracg5es.
venda e venda do gado destinado para a ma- Peraole as grandes questes, que se accumulam
anga.
ses beneficios, acha em 1863 um aedido do vice- Esta poesa foi recitada por occasio do ponto do os mercados e feiras, quando lenham por flm a ex- O governo deseja, e (em a esperanca de que as-
eonsul da lulia a favar dos indigentes das provin- colleg.o das artas, em 3i de oalubro, e offerecida a poSlcio t> venda e a venda do gado bovino de qual- sira acontecer, que as eleigoes se fagara unicamen-
cas ex-napolitanas; ootro a favor das obras do seus collegas por Augusto Mauricio Wanderley : quer especie. te sob o aspecto das ideas e dos principios na ver-
Tergo ; outro a favor das obras do Espirito Sanio ;
e linalmeuta outro a favor do Hospital Porluguez.
Em I8i um espectculo em solemnisago do aus- ,
picioso consorcio de S. A. I. a Sanhora D. Isabel, ?S h0Je lertnlnam as de um ***<>
seudo o respectivo producto applicado a qualquer ( lraba,1,S "r vos luce,ados
eslabckciiueutode candado da provincia, a vonta-
de du ivun. Sr. presidente. Em 18 das familias dos voluntarios da patria ; outro a fa- E' ardua, bem ardua e cheia d'espinhos
vor da baudeira d) o corpo destes ; outro a livor a senda trilhada por vos, lidadores I
das obras da capella da Senbora daCouceigao da
Encada ; oulro a favor .las obras de Sania Hila ;
outro a favor das obras do Terco ; outro a favor
do Hospital Portuguez ; oulro a favor da familia
do bravo capilao Pedro Alfonso; oulro a favor o .
dlstincto artista Pedro liaptisla, e mais ciuco a fa-, Cura8em> ruit'za' consuncia o ardor,
vor dos esperaogosos artistas brasileiros H. Liguo- ',Sao os dados P^isos, pois bem proseguir
ri e Muoiz Barrrto, do iuslgoe violino porluguez Luzeiros da palria a vos ,1(W compe(e(
lertira Ja Cosa e daarli|araneeu Petipas, alm De para 0 fu,uro poreila vellardes I
daquelles que resultam dos contratas com os ac
teres.
t"uv"' e se recommendam a nossa atlengao, os Italianos
Todava nao serao admittidos nos mercados des- podera considerar o fuiuro com inteira conlianga,
ta especie senao os animaes, com relago aos quaes se os novos deputados forem homeus de Incote'
se declare, por altestado passado na adminislragao tavel houe.-ndade, do boin juizo, de senso pra'.ico,
da communa, d'ondel alies provin, que o typho Je f inabalavel nos principios de direlto publico
contagioso nae existe alli, ou que deixou de existir da naci, francamente inimigos de i|uem combater
ha 20 dias pelo menos. a monarebia constitucional, ou de quera traba h .r
A lolha offlcial publ ca tambem, ua sua parte nao para ime volle um pas.-ado deteslavcl; so elles ti-
offlcial, a segulote circular dirigida pelo ministro verem siuceramenle vonlade do contribuir para a
do reino aos governadires das provincias : a redempcao moral das massas, para o melhora.
Sr.governador.-Tetho a honra de vos trans-' ,nen, d0S ,ntMies econmicos do pa.z, para a
Si a' lar actos nem sempre tem acompanhado
da parte de alguus urna inanifeslagao de recouhe-
cimento positivo do principio dadivoso, que nelles
acta, vimos todava o Esm. Sr. presidente Dr. Do-
mingos de Souza Leao agradecendo da parle do
governo imperial, a cojo couhecimenlo levara
aquel:.; espectculo, cajo producto fra*destlnado
aos esiabelecimentos de caridade : vimos o Sr. vi-
ce-consol da Italia dirgin Jo a expressio de sua
gratido pelo'beneQcio a que ja' nos referimos, a
ponto de levar a' sciencia do governo italiano acto
ISo meritorio; vimos ontras multas manfestagoes
' i Nao s pelas armas tangidas de saneue
Se aicangam victorias, se r6ndem cobardes
Tambem pelas lellras se fazem hroes,
Que legara a historia seus nomes famosos ;
Que cantam victoria sera mancha de sangue.
Que vivera uos sec'ios p'ra sempre dilosos I
E quando algum dia, do vosso paiz
0 sacro desliuo vos ir conliado,
Haveis pelas lellras vencer os imigos,
Qual pelas armas um bravo soldado.
Mancebos I avante I e nao recueis
1 ni passo seguro da vossa jornada;
No vosso futuro litai a esperanga,
E essa sera' de glorias ornada.
Mocidade I eia avante I no campo das ledras
Marchai sem temor, conquistai urna gloria I
Vos protesto, assoguro que em paga lereis
As bengos da palria, um renome na historia I
Eis boje terminara as lides de um anno,
Trabalhos, fadigas da vossa memoria;
E em breve vollaudo ao vosso remanso
Iris repousar, cobertos de gloria I
mittir um decreto reaL de 2 de setembro, que ati
solugao dos ditlkeis problemas da nova vida em
disposigo ulterior, e sjalva urna excepgo, prohibe ,
as feiras e mercados, quaudo lenham por lim a ex
posigo a' venda e ven'da do gado bovino de loda a
especie.
O relalono ao rei, qu
plica a justifica as saai
A inierpretago des
cuidado alguma.
que a ItJlia entrou; se forem o apoio de um regi.
meo bem entendido, liberal superior a partidos, de
una poltica sabiamente aciiva, purera ao mesan
lempo eslranba as impaciencias inconsideradas o
as resiguagoes produzidas pelo desmiino: se esli
ie acompanha o decreto, ex- ;,. ., .
r verem reso.vidos a defender a rea.isacao.no reiuo,
osposigoes. dos bens qoe, na ordem da liberdade do pensa-
as nao pode provocar difll- _.., ,,, ......... .-
' y mani e a conscieucia, sao o mais caro pairimo-
I uio das sociedades modernas, e a nao lutarein uo
As feiras e mercados- que se destinan) exclusiva-1 parlamento em favor de vantagena puramente lo-
ado bovino licam prohib
absoluta, salva a excepgo
menie para venda do
dos de urna maneira
prevista no art. 2."
Aquelles pelo contrario que teem um caracler
mesmo lempo para venda
animaes domelieos ou de
nao prohibidos seno com
mixlo, e que servem ac
do gado buviuo e outros
maieriaes agrcolas, n,i
relago ao gado bovino.
Conservando os menados que servem para con
sumo do gado destinad. < a' malanga, obedec a urna
imperiosa oecessidade,j resultante da maneira por
que o commercio de gaio se acha orgauisado e das
necessidades do consono, especialmente nos gran-
des centros de populag.o.
Esta excepgo, na
graves inconvenientes
porque a disposigo qu
contribuir para os att
O gado bovino nao s
dos limitados, ... nao
verdade, nao deixa de ter
porm espero que o modo
b a autorisa for execulada,
nuar.
ra admittido nesses merca-
r que conste, por altestado
passado pelo burgo rmstre, do lugar donde pro
tinado a' malanga, e condu-
m\.-.' s 'O os olhos a cada momento ; e si com sto
gaoho i o gosto, ao menos aproveilaram os costo-
mes, que uielhoram e se araeulpain era face des-
carna ia da p;.rie iue possam tur de censuravel, e
qae s mpre corregida por essa posigo, de que
r>. lita una lico proficua.
angosto consorte o Sr. conde d'Eu.
Trmo aos al agora referido n'este apanhado
mais exclusivamente parle moral da empreza .
porm -i esla ahi credora de louvores, nao mere-
ce menos na parte material.
por isto que o Ihealro mais que um eatre-
tenimenl, e cb iga a ser urna e.-cola, onde vendo- N de decoragoes, n de guarda roupa, eslava o
s.e u elTeilos das paxoes, lirim-se normas de cou- theairo quando o Sr. Djarte Coimbra d'elle se en-
duela para a vi Ja pratica, apreudendO-se a refre.ir carregou; mas de presento nutra a sua situago.
os impulsos desregrados daqueJS, afun de tornar O vestiario aeha-se prvido, e lindas decoragoes
e >ta extreme de grand >s peripecias, e concihavel enebem-lhe us espacos, sendo devidas ao pincel ins-
com a co-exisleucia social. pirado do seenographo Veneri, contralado para isto
Sol) a empieza do Sr. AniooioJj.s uarte Coim- P'* empreta, mal comegaram seus trabalhos ; e
bra ;ei sido esle o transumplo do nosso theairo, eneclivamenla o tal a idolatra do Sr. Duarte Coim-
cujopessoai na roer parte ha correspondido lam- bra pelo Santa Isabel, que nao ponpa cousa al-
i ra ao desenvolvimenlo do seu lim. goma, que sirva a bem d'elle, ao ponto de ter gasto
Cora i lleno, principiando a empreza do Sr. Duar- seus para mais dedous cuotos de res, no concert
te Cu mora em 1803, em marco dcs>^ auuo abr- geral f.-ito no edificio ha puuco, do qual se elle eu-
i;.-.- o? seus trabalhos sceuicos coma preseuga carte^ara, recebeudo para isto do governo cerca de
dos distinctos artistas t'urtado Cocino, D. Eugenia seis cantos apenas, qnaodo o oreado pela corape-
Cmara, e uutros ua companha, cora que estreou tente repartirn e o despeudido eflectivo montoo a
ella, e cuja acquisigo realisou no sol, aonde foi o 0ll CuuI"'
Sr. Huirte Cuimbra directamente busca-la, sem al- E ,,>t eaa dedicagao outro nome nao merece
tender a' sacrificios, a ponto de associar Furtadu que Ui-0 ,cja 0 Ue dolatria.
CoelilO a' mesma empreza, para mais facilitar o Wo|atra 0 paI(.0) p01. qae arllsta> e a||j abr0
eumpr.meuto de seus compromissos para com o se sua a,ja a [,,.1S M ingpiraQJe3 Rranrtiosas.
Pul,llC0- Idulatia o tneatro, por que nelle v um nstru-
E o publico reeonhecido ainf.i reeorda-se dos ment do civilisagao de que se ha feto ura solicit
iieliosseroes que o Sauta Isabel me proporcionava obrero.
naquelles das, em que como que ella despertava
A folha official publica o seguinte relatrio :
Bruxellas, 21 de setembro de 186o.Senhor. I veniente que esse" de
A peste bovina continua a desenvolver-se nos pai-1 Zido para um determinado mercado, cuja iudicago
zes visinhos, onde primeiro appareceu : com quan- sera dada n0 proprjo a testado, e que o typho con-
t na Blgica tenba sido possival circumscreve-la e [ lagoso nao existe ha 2p dias.
mesmo exlingui-la nos diversos focos onde se tem i Uemetto inclusos o<
manifestado, nota-se que se apresentam sempre peco-vos que mandis
novos focos, e que se do casos de peste em cora- vossa provincia,
muas onde cenamente isto se evitara se o gado
suspeito transportado para longe, alli nao propagas-
se o contagio.
Tem-sc visto que todo esse gado vem de feiras e
mercados, de moda que se pode coosiderar como p0r cada contravengo,
ura facto provado que por intervengao dessas da consulta do conselhd
agglomeragoes, onde o gado proveniente de diver- que os burgo-mestres o
sos pontos est era contacto, que a peste bovina se qUe nos casos pevistos
communas onde o ly
nifestado, conduzem
feiras, ou mercados, pa
modelos desse altestado, e
jas adramistragoes locaes da
Nao intil record ir que as pessoas que, das
ho contagioso se tem ma
bado, mesmo sao, para as
sarao 500 francos de multa
ra conformidade do art. 6'
de 19 de julho de 1746 e
outros ofllcaes de polica
Ipelo decreto de 22 de se-
propaga e se mantera no paiz.
(embro, passarem aitest dos contrarios a' v.-rdade,
6c um pesad'u incommid ,cuja Impresso proca-
rava afogar na exuberancia de vida, que Ihe tran-
.... lava entao Je todos os poros, para maoifestar-se
por mil modos, cada qual mais imnonanle a mais
digno de encomio,00 sej.i encarado pelo perfil ar-
lisie >. ou seja apreciado pela face generosa de ac-
Idolatra a scena, por que n'ella acha estmulos
generosos, c nunca o pomo da rivalidade, que n.1o
conliece na formacao de companha dramtica.
Sao estes, por lautos, os graudes incentivos que
movem ao Sr. Duarte Coimbra especialisando o
Todos os esforgis que se fagam para a destruir acorren na multa de
sero inutes em quanlo os focos de infecgo pode- arl. 14 da mesma consu
rem renascer por intervengao dessas agglomera- peceo severa dever set exercida em cada merca-
goes e em quanto urna providencia radical nao do pelo velenuar o com atente que delegardes para
obstar a essa especie de contagio. esle lim.
O governo lera o direilo de adoptar essa provi- Se se apresentar alg
dencia; este direilo esla coasignado nao s as leis ^ a malanga, cora o fim m
de polica sanitaria, e principalmente ua consulta sigo do art. 1 do dec
do couselho de 19 de julho de 1746 e decret de 27 respectivo perito dever
messidor auno V, que torna obrigaiora a circular te disto, e fazer retirar o
de 23 do mesmo mez, mas tambera;nas dsposicoes polica do mercado,
da lei de 30 de margo de 1838, relativas ao eslabe- Finalmente, espero qu
lecimeoio, suppressao e mudangas de feiras e mer- 0s interessados se preste*
cados. urna providencia, que d
Effecli va mente nao se pode contestar que exis- mais efficaz for, e quan
1,000 francos, secundo o
ta do conselho. Urna ins-
m gado, que nao for para
bnifeslo de illudir a di-po-
eto de 22 de setembro, o
iiiimedtatamenle dar par-
gado pelo eucarregado da
caes, uccupaodO'Se nicamente de assegurarem a
prospendade e a granceza da patria commum. Se
as eleigoes se Ulerean u'esto sentido no mez de ou-
lubro prximo, a nova cmara vera formar-se no
seu gremio um partido nacional compacto que que-
rera e podera respailar, cuino herauga sua, as m-
ximas a iradicefies que, em pucas aiuda as mais
Utilicis cuusiii'jirain a gloria do parlameulo italia-
no uas legislaturas passadas. E o governo seulir-
se-ha eulau cun maior curagem para proseguir ua
obra bem comecada do libertameolo completo e da
uuuade da patria; para couliuuar a aJuplar uos
paizes cslraubos urna publica essencialineute mJe-
peiideuie; para mauter desenrulada ; de urna uia-
lornaodo por loda a parle a medida da laxa
igual ao rendimeolo do cootribcinte podem bzer-
N desapparecer algumas anomalias qoe aio para
admirar se manifestassero na pnmeira e raai rpi-
da applcag.iu da mesma lei, nova na Italia.
Os esludo.', 'jue o governo aeloalmesle prepara,
sero subraellidos ao exame do parlira*nto arim de
que elle escolha e sanecione as providencias <\w.
julgar mais convenientes pararetab-l-r -r i- finao-
?asjlo estado, com os menores encargos possiveis
para os cidados, e coadjpve assim o paiz oa pae-
sagem mais dillicil para os brilhintes o>stioo<. O
gover.io lambem nao l'ixar de continuar a obra
da uoitteacao legislativa, aprese tara pr .j. cuw de
le para o tfaeenvolvintenio da riqueza nacsMl ;
por exemjdo, subre o crdito int. rno e o< mtm de
commuiiicago, assim como na proj^eto de le qoe
modifique os regularaeolos de imp.io de s^ih>
do legislo.
Sao eslas em resumo a, ideas e iIh ilamiai, .roe
o abaixo a-signado vos pele que aprese .wis aos
eleilures dos diilrtatai da vussa provioeu, eOBece-
gan.lo cun lealJade essa n>bre loltueneu -joe s
lem em vista sdare :er os espirno entr qoe ei-
les .-ejam desvair Jo-. Liinuan li-vos a e*u ts-
so imposta pelo dev.r, digr*- v-<, jenhur ser o
iaterprete das Maacoe* t Joverno, e cooveacar
lambem is elei!res I,, ,,|
resullariam, se na nova caraira entrass.-ni nmiIih
d'a(|ue!les que preteed-m arra>tar I rx.
periencia fnnesii- ilhens a m
les i|ue desejam a restaurtcj.j d- go-.-erH soleo-
nemenle coodemuados [wia v.nule e pea euiti-
cieucia nacional, ou linalmenle o'*ju-re- .|ae aba
sam das cousas mais sagradas para laorar-ni por
Ierra esse esplendido monuueol) do p-Hler afta-
no, abysmaudo a patria na abjaego da
cravi.io.-O ministro, Saloli.
es-
A proposito das aawoajaj do principa J,<,. t.M^.
part-, lia pouco celbralas aj Koiu, falla im
ueira honrosa a baiueira da joven uiouarchia Ua- correspondeneia das extraordinaria- cereaoaiae
liana; pira se oceupar com aclividade e cooslan- j que se fazem narjoella cidade n.s funeraes dos alt s
ca da separaco completa dos interesses polticos persooagens.
tindo estes em virtude de urna autorisago do go- [ruam as causas que a lo mam necessaria?. Fazer-
veroo basta que a autorisago saja cassada para |hes comprehend^r que
que elles deixem de ter urna existencia legal. adoptada para seu inters
lia primeiro que ludo
>e e que sem os obslacu-
Curapre todava que se faga urna excepgo a p'o- |os qU9 opp,-w a- eireulaga i do gado doenle ou sus-
videncia que tenho. a honra de submetter a vossa peto, uaose poileTlalivra
magestade. sados pela peste boviana
O commercio do gado, destinado ao matadouro, Alp. Vandeup>ereboom.
esla orgauisado por forma lal que, sobretudo, o
abaslecimentodos grandes centros de populago se
tornara mu dilficil, se os mercados onde os pro-
ductores, marchantes e nroprietarios de talhos fa-
zem as suas transaegoes fossera prohibidos. Alm
disso esses mercados nao apresentam os inconve-
nientes daquelles onde se vende e compra o gado
destinado aos trabalhos agrcolas.
A maior parle dos animaes que vo aquelle mer-
cado, sao logo sacrificadas para consumo, e o pe-
queo numero dos que nao teem esta applicagao,
| solados em herdades ou estabulos al ao seguinte
mercado, desapparecem bem depres-a por seu tur-
no. Emfim os allestadosde proveniencia e de sau-
m que a nagao, convoca-
dever reconstruir a
vida dos povos dias so-
mais que nunca senho-
res dos seus deslinos, dis|oe menos da sua felici-
ua grandeza futura. Co-
alia os dias das eleigoes,
dade presente do que da i
rao sao cheiados para a li
o ministerio fallara aos stjus deveres conservando
se indiffereuli e silencioso perante o desenvolvimen
lo de urna ordem de factos que importam ao desli-
eomo emprezario ; e quando o espirito aprecia lor de, passados pelas autoridades locaes, darn para
;- Ociosos,em qae ecootioa a ter esta em "''"ra taes motivos de um proceder, que ohjec- esta L.athegoria de aaimaes, uma giranlia rjue a fei no feliz ou infeliz da patri i.
preza mol fecunda. i "vamenia bello, nao pode deixar de render ho- indica, e que ser tanto seria, por isso mesmo que ; O abaixo assignado Julf a pois opporl
Defacto, os espectculos em beneficios formi- I mQagm a foule d'undt elles emanam a alma \ applicada n'uraa escala mais limitada.-O minis- restar, desde ja aos Srs. pr
gara ua empreza do Sr. Dnarle Cimbra; como | bem formada, que s acgo de taes agentes se lrci do reino, Alp. Vondenpeercboom. governo, lano cora relagc
que esie senhor repousa na contemplaco do seu I ^'crraina em seus actos. Segue-se ao relatrio o seguinte decreto : tade nacional para que
bemfazer; e nisto, folgamos de coufssa-lo, acora-j E isto o que fazemos nestas palavras, que ahi' Arngo l. Picara prohibidos, at disposigo ulte- com relago aos projeclos
pauha-o o publico, que descerni a emuneracao des-! licam consignadas.
M-. ,*S23*
rior, e salva a excepgo de que adiante se Irata, cumpre ligar maior aiteng
10L1IETIM.
AS PROYACOES DE AILEEN.
SCfcNAS l)A VlilA IRUNDiZA.
(Continnago.)
V
A CRUZ DE BAP.
O padre Mahoney nha razo de inqoietar-se
por causa da reserva de Aileen. Ella era to sim-
, que tal entrevista Ihe inspirava. Um outro lemor
tambem acabava de torna-la mteiramente desgra-
igada. Que diria Ulick quando ella Ihe coofessasse
o panel que tiuha representado f E ella quera Ih'o
, dizer quando vultasse.
A grande e bella casa do agente era anal vlsi-
vel atravs das espessas suinbras do parque, pri-
meiras arvores que recreiavam a vista depois de i bentar d'entre espmhos grosseros.
ler deixado o Valle-Escuro ; e eslas arvores de-
viam. nesta noile, proteger um assassinato
zer, olla esl justamente sobre o taboleiro de relva noivo Aileeo podia apena
na freute da casa. Foi com o seu eabaz colher fio- dos dedos de Emma oobre
res ou anles botoes; porque nao deve haver mu- da joven mademoasella Ihe
podia ella acceitar alguma
pelo ministro do reino
Esla circular foi dirigid i
da Italia aos prefeilos.
t Florenga, 20 de setembro de 1865.Sr. prefei
lo. Aproxima-se a poca e
da nos comicios eleilorae i
sua represeolago. Ha n;
lemnes era que, achaudo-ss
e dos interesses reliaiosos.
Para acceder, como do seu dever, aos legili
mos desejos da opinio publica, Os poulos pnnei-
paes para que o ministerio tenciona chamar a at-
lengao da nova cmara, apenas ella se aebar cons-
tituida, sao os segrales : Fre a um corapromisso
coulrahido com satisfagao em face do paiz, e cou-
veueidu de que as conquistas da civilisagao acta'
e os interesses da sociedade redara ira altamente a
suppressao das eorporagdes religiosas e a orgam-
sago do palriniuino ecclesiastico, apreseniar elle
breveraeule sobre este assumpto um projeclo de
lei. Seaa proposto um raelhoraniento rasoavel das
con lices uiiseraveis em que se acha hoje a maior
parle do clero dos campos, e reparlindo os reiidi-
inenlos dos bens, que possuem as corpora^es re-
ligiosas suppniuidas, deixarse-ha em proveiio da
inslrucgo secuodana e elementar a porgo que
d'anies se applicava a este lim; alera disto sera ce-
dido as coramunas, onde as corporagoes religiosas
teem a sua sede principal, uma parle d'esses mes-
mos reudimentos, alia) de que sejara applicados
para obras de utihJade publica, e sobretudo para
a iusirucgo, para melhor se transformarem as
massas em povo bem eJucado digno de viver em
um paiz livre. Estas providencias lornaratn mais
facis e mais seguras as reformas substanciaes ao
eiisioo secundario e primario que o governo ten-
ciona propor ao parlamento por ura prujeetu de lei
sobre os eslodos superiores, alim de que elles me-
lhor correspondan! as novas condigoes de existen-
cia da Italia e as exigencias progressivas da scien-
cia. A nossa Italia tem feito n'esies ltimos annos
grandes progressos no camiubo da liberdade e da
independencia, e por isso oceupa ella agora um
lugar honroso entre as nacoes civilisadas. Fez ella
porm graudes sacrificios queaugmentariara anda
para o futuro se nao se traiasse de remediar, em
occasio'opportuna, o estado das nossas (nangas,
que contina a apreseniar-se a nossos olhos sob
um aspecto, se mo ameagador, certa mente multo
serio, porque o dficit do anno de 1866 aproximar-
se-hia de 280.000.000, se de prompto se nao tra-
tasse de fazer reduegoes no orgamenlo da despera
augmentando progressivameute o ornamento da
receita.
Gragas a inlollip^ncla e telo com que procedis
a ropeito dos negocios pblicos, fcilmente com-
prehendereis, senb r, que o ministro deve desde j
oceupar-se de um dos seus principaes deveres, es-
ludar os melhores meios para limitar tanto quanto
possivel as despezas do thesouro do estado e para
augmentar os productos dos rendimentos nacionaes
sem onerar excessivamente as forluuas particula-
res e esgotar os recursos da Industria e do commer-
cio. E como relativamente a aigumas das novas
leis de imposto, a experiencia tem demonstrado que
ellas podem loroar-se na sua applicagao meuos io
uno mani- cominodas para os coniribuintes e mais facis para
Jefeitos as intengoes do a admimstrago, o ministerio pensa no modo de
ao grande acto da von- remediar mais oflleazmeute estes dous inconvenien-
paiz se prepara, como i tes. Pensa tambem que quauto a lei de imposto
e le capitaes, aos quaes sobre os rendimenlos da riqueza movel, a suppres-
o. | sao das quotas mnimas pie ser vanlajosa, e que,
1 as autoridades locaes o
ao Ue'l cumprimento de
rara tanto menos quanto
o mais depressa se des-
o paiz dos estragos cae-
O ministro do reino,
Quando o defuolo ja e-ta do sepuiehm, aporox -
ma-se respetosamente um n.ordonvi rom o o-
rio e insignias de cinquraento, e saudaa de ottocento diz cora surriso emphalieo :
Vosea alteza nao deseja nada? Yotfrm mtlezi
non commanda mente f
O norte nao responJe.
Euto o modormo recua, a chrzando a aorta da
'groja ou do cemiterio, gnu cora voz de testar
dirigindo-se aos cocbeiros das carruatas qae a
es to:
Voliem para casa, porqoe soa alteza ao >a
ordens. (Tijrn' casa, perche jwi alteza sea)
commanda niente.)
Diz se qne o conde R.-nrnot nvmr.ro da aeade-
mia de inscripg-s e betlas-arles, vai publicar as
awswrias deixadas por seu pai, que morreo na M
annos.
Seu pai que fura mimbro das aent'-as reas-
blicanas, proscripto por Robespierre, mi vt salvos
pelo, pulpe de estado, qu- derrib-ra o terrivei tri.
buno.
Servio sob o imperio como pre.'-ito e ron) ati"
nisiro, acompanh >u sucressiTamente a Loeaso e a
Jeronymo Bossaarta : dep-i< sertio a La.z \VIII e
Compasaos o para Gasd durante os 100 dias ; de-
pois foi ministro e depulado
E' indobitavel \y<: .-le homem devia ter vi*co
umitas cousas curiosa-, mas duvidaisos qoe as
suas memorias se publiquen) integras.
um enterro p*r ui
Ha pouco lempo passava
das ras de Pan-.
A mulher do defunto ia auaz do fretro cao.
ramio.
Da rapaz de qu-m havia sido n .m.irada. qnan.
do solteira, aproximou--e delia e disse-lbe :
Nao chores, meo amor, que se lu qoizeres ca-
sar-nos hemos.
Perda, Mb, respondeu a viova aaaj a maior
simplicidade, lasas empenhada a minha palavra !
Eta sabida, lembra-nos oulra de orna recrm ra.
sada, que eslava mmto aaasaSjs no da da boda, e
que perguutando-lhe um individuo a causa das re.
tlexo-s era que pareca :.t.y-ma!a. eila respooden :
Nao nada ; Moa peu*ando era fBjaj esco-
Iherei para marid., quando enviuvar.
Lernos n'um jornal e actualmente se esla verifi-
eaado em Inglaterra uma reforma curiosa :
As hospedaras inglezas erara at aqui celebres
por ms e caras; ha dous ou ires annos que se tem
buscado remediar isto.
l'urmarain-se pois numerosas companhias ano-
nymas para estabelecer e explorar hospe.farias im-
meusas, as quaes se tem combinad'), nao -em -Ti-
lo, a perfeiro das hospedaras suissas com a das
americanas, e agora j se pote ajstf ..Ib mui cibi-
modamente por um pr^go moderado, mas I > em
Londres, seus arredores e em alguos pontos do sul
que se encootra a eslas vaniagens.
Aneen rodeou a casa, e perguntou a um groom
pies, to fcil, que era preciso ler fortes motivos ocupado no servigo da estr.baria se podia ver seu
P3.ra. a.-,ne..P.?dir -C.0nSelh-.niS"a ."SS"'a,no- raPaz conllcia am Poow a Ai|e. porque
ao contrario dos outros criados do agente, era Ir-
Isto me inquieta pensoo comsigo o padre Maho
soy. En devia fazer fallar menina. Cora ef-
felo, os motivos de Aileeu eram ponderosos a seus
olhos.
No primeiro momento de terror que seguio-se
sua entrevista com o agente sobre a collioa, ella
desejara vivamente o soccorro e conselho do sacer-
dote ; mas, agora que o negocio tiuha tomado um
seraeihanie deseuvolvimento, ella nao quererla por
nada du mundo imcia-lo na conjurago. Se esla
se frustrasse, como esperava, nao resultarla da sua
reserva nem bem nem mal ; ao contrario (e ella
trema a esle peusameuloj se o projecto livesse
bom xito, seria urna consolagao para ella saber (jamals st apresentarcT/e delibera
tas flores presentemente.
t Suafilha, nao Larry.
Sim, as vezes ha cousas to admiraveis no Agradego-vos, mademoas
mundo, e freiiuentemente se v uma linda rosa re- compensar I Agora estou r^ielhor, e nao devo es-
perar mais. Smente dizei
Aileen seguio o groom por uma alameda cober- ta que possais me respond
ta que conduza as pertengas do jardim. Uma jo- foi vosso pa:, e quando dev^s vollar. Podis me d-
ven e fresca voz garganteando uma contradanga fe- zer isto ?
no seus ouvidos, e Larry Ihe disse : t Certamente, eu o po|
E' ella. Cania sempre assim. Que Deus aben- aterrada cora a sua agitag
goe este pequeo corago I Hiss Emraa um ver- Squire Kavanagh. Nao sab
dadeiro raio de sol I Era Kilmovian, a duas legu
supportar o contado construidas expressameule para as estradas de
seu brago, e a olferta Conneraara podem aventurar-se nellas, e al mes-
fez desfallecer Como mo, Aileen agradeca isto a Deus, sao obrigadas a
ousa nesla casa ? Dei avangar mmto devagar nesta estrada de Gap de
i Oh f Deus permit-
ir, dizei-me para onde
1 xou-se cahlr sobre um do; bancos da verandah. Glentane. A passagem tornava-se cada vez mais
illa. Possa Deus vos re- arruinada e lgubre. As collinas se elevavam de
ambos os lados tragando um sombra espessa e pa-
recendo em certos lugares prestes a desasar a a
esmagar o audaz vi^j inte que se aventaran por
all. O vento soprava tristemente e engolpttava-se
nesta estreita vereda, e Aileen tremeu eembru
sso, respondeu Emma lhou-se mais conenegadamente era seu manto.
Elle foi casa do i E"a approximava-se da parto de Cap, a mais bella
eis aonde elle mora ?! como sitio plioresco, mas onde aquellos que eram
s d'aqui pouco mais I obrigados a passar apressavam ordinariamente o
que o seu silencio hvraria o padre Mahouey de lo
da a suspeita. Mas nada se deve temer, dizla ella
comsigo, podere acabar com isto, gragas a Deus.
ccidiiei L'nck a deixar o paiz, depois os seus ne-
gros pensasMOlOS se acalmarn, e mais tarde elle
se arrependera. Euto sera feliz e agradecer
sua Aileen o te-lo preservado do peccado.
Era assim que reanimava sua coragem cami-
nhando pela estrada ; mas quanto o peso deste se-
gredo llie p' :ia horrivel I Depois, apesar de tu-
do, negros p. osentimentos iovadiam o sen espirito
Emfim, esta nova entrevista com esse hornera bru-
tal e mao Ihe occasionava ura terror que ella nao
podia dominar. Comtudo sentio-se forle n'um pon-
to : as proprias torturas nao Ihe arrancaran) o
oome de um s dos vingadonsdequem ella o que-
ra salvar. O senliraeulo desta torga nao era suf-
fienie ainda para fazer-ibe desapparecer o horror
landez, e viera dos arrebaldes de Songh Corrib.
- Geralmente, nao sei nada do amo, nem das Na verdade ella era galante e alegre, o mais pos- ou raenos I mss seria raell1or 1ue esperasteis, i passo cora uma fervorosa mvocaco a Virgera fa
suas acedes ; mas de cert nao esl aqui, porque sivel; pequea e parecida com uma fada, de mo- Eslou certa 5dt 1ue elle en uma hora chegar, "do o sigual da cruz. Todava era o lugar em
eu o vi, nao ha duas horas, partir a galope na sua vimeutos vivos e de gentil e delicada physionomia. Por(Jue ten,os eente esta uoite, e para as mezas que Aileen quena esperar a chegada do agenle.
carruagem. E lembro-me disto, porque elle enfu- Vendo Larry e sua companheira, atravessou ligei- que eu colhia toda esla fo hag.-ra. Mas porque Precisamente no ponto culminante da ladeira
receu-se contra mira por nao ter eu jungido o ju- rameule o taboleiro leudo na rao um agaiate cheio estaes om semelbanle estado |? Enlo o que ha ? um rochedo erguase bruscamente no meio da
memo rugo como se livesse dito qual o animal que de ramos de arbustos cora seus bellos botoes e ri- Porque Aileen exclamara : Deus seja louva- estrada, que pareca terminar alli ; na realidade
queria levar. eos graos seus labios vermelhos ebrilhanles olhos do I botara o capello sobre a cabega, e se levan- i ella fazia a volia do penhasco e desda rpida-
Auseutel Aileen nao pensara nesta possibilida- pretos sorrirara a'pobre Aileen. Ella licou toda tara: mente do oulro lado al Kilmorran. Portanlo
de, bem que h uvesse lana probabilidade para que admirada da belleza da joven camponeza, que con- Deixai-me partir, querida mademoasella,' Pearce linha de subir no seu regresso ; abofado
elle estivesse fra ou em casa ; mas succede sem- templuu-a atteutamenle sem que ouvisse a Larry nao me relenhaes, e que a bengo de Deus e de o rochedo, parara provavelmente ura minuto
pre assim : rebellamo-noscontra difflculdades que que dizia : sua santissiraa mi seja convjosco. O raeu neg-' para deixar respirar o seu cavallo autes do Ihe
t Se vos apraz, raiss Erama, eis uma rapariga cio nao admitte demora. Eslaes bem certa do: fazer descer o camioho pedregoso que Aileen aca-
raos a maneira
pela qual receberemos certas provagoes que nunca que desojarla fallar-vos ; mas ella, pondo a rao tgar ? I bava de subir. Por conseguiule ella assentou-se
acontecen); depois, de sbito, achamo-nos em pre- sobre Aileen exclamou : uem certa, disse Emrpa, ,e to certa que' eseulaodo e esperando, sobre o rochedo eslava
seoga de cousas que nao tinhamos previsto. Aileen Oh I ha muito lempo que desejo ver-vos, e es- nao podis deixar de encontrar raeu pai. S ha um mooto de podras, um cairn como se o cha-
puz as raaos, era uma especie de agona :. t Oh I tou coutentissima por lerdes vindo. Sois, eslou cer-' um caminho para Gap. ] maria na Escossia e d'entre o qual se elevava uma
que devo fazer ? ta disto, o Ivrio do Valle-Escuro. Aileeu beijou sua mo e par io. cruzprela. Era a sepultura de um bofanoheiro
O joven groom olhou para ella admirado. Assim me chamam, disse a pobre menina
i E'para alguma cousa pela qual muito vos com voz trmula ; e, oa verdade, era enlo urna quer passo junto de Ulick. A|unica cousa possi
interessais que desejais tanto ver o amo ? Entao frgil e lnguida flor. I vel era seguir a s'ua primeira dea. fazer compre-
deixai um recado. Elle nao um homem agrada- Mas, querida mademoaselia, eslou em gran-' hender a Pearce que um perig.k eminente o amea-
vel, vos o sabis, mas encarregarme-hei desta de alllicgo. Tenho tanta preciso de ver vosso pai, cava esta noite e depois dizer a Ulick que a sua
Ella estava convencida da inutilidade de qual- que ahi fura assassioado, e a estrada loda era evi-
tada, o mais possivel, depois do sol posto, pe-
los camponezes que affirmavam que a alma do
commisso de boa vonlade, Aileen O'Doonel, a me- e se eu podesse...
nos que nao prefiris ir casa para fallardes com Um solugo convulsivo sahio do seu peito.
os criados.
Aileen sacodio a cabega.
conjurago nao pedera ter bom resultado, porque
Pearce estava prevenido. Porlapto parti e correu
t Nao poste, Larry, explicarme com os cria- pouco, dar-vos-hei um copo de vinho, depois me
dos. E' elle proprio que quero ver. Larry, sabis contareis ludo...
que caminho tomou ? Reerir-lhe todo! Dizer-lhe que o pai della de-
Nao sei; mas miss Emma, podera vo-lo di- via ser assassioado nesta mesma uoite, e por seu
Entremos, disse Emma com bondade, parecis at que livesse deixado atraz a ivenida contigua a
extremamente fatigada. Enlrai, descargareis um',casa, e mesmo um pedago de estrada ; mas oca
mioho comegeu a subir, primeiro gradualmente,
depois fragosamente, e afinal a ladeira toroouse
to a pique, a vereda to pedregosa e to m, que
lbe foi preciso afrouxar o pass S carruageqs
bofarinheiro passeava pelo Gap. Aileen, muito
devota para admittir superslieoes, nao tomava par-
te neste terror. A cruz s Ihe fallava em repos-
to e amor, e foi com um sentimento de terna con-
fianga que assentou-se a seus ps deb^xo da
sombra do rochedo estendendose sobre um ter-
reno secco. Ella rezou um De profanis pela
alma da pobre victima, e um Pater e uma Ave
pelo bom exilo do seu projecto ; depois esforgou-se
ero Bear tranquilla e socegada, pondo toda a sua
confianca em Deus. De repente lesssfcvaa, ;r
que um ruido de rodas, fraco e longinjuo, f-rira
os seus ouvidos. Cadi vez aj approxima ra.i-, e
agora elle pode ouvir os cascos do cavallo baloodo
e resoando sobre as pedras abatidas.
Era sua iraiginagai oscandecida, ate se Ihe
figura ouvir tosa de voz a uma distancia mmto
prxima, porm como pedera ella nada rjreci-ir |
O seu corago bate tao depressa e to irregular-
mente, alm de qo.e o vento geme tai estanta-
mente uo Cap 1 Oavi : O Deus t Que ?
Um estrepit agudo, nma luz Onlbaole ; e o es.
tampdo de um tiro cujo repetido em todas as
colimas ; quenas, gemidos medoubos ; emliio o
curso rpido de um cavallo espantado que passa
como uma flecha por dianle della arra-tau lo apos
si um carro vasio. Ah I agora com effeito, ella
ouveossons( de urna lua desesperada ; iouca de
terror, faz a volta do rochedo que ocoulu-lh* ama
parte da estrada. Toda a sceua se manifesia enlo
a seus olhos, clara e terrivei, ao passo que ella se
conserva em p.com as suas largas pupillas dila-
tadas n'uraa agona do terror. Dous lumen- es-
to erapenhados em um combate de norle, talan-
do, ligando-se corpo a corpo era cuna de um ter-
rivei precipicio. Um .lestes horaens era um crea-
do da casa de Pearce, o outro, Ulick O'Doooel.
Mais a baixo jazia o cadver da victima despeda-
gado, esmagado. Ella vio tudo isto, era ura s
instante, de um golpe de vista, e este quadro a fez
Qcar esttica de terror.
Muito tarde I exclamou ella com voz cheia
de aoguslias. O' raeu Deus, muito larde I >
A forga do grito agudo e imprevisto d'Aileea
fez ireraer o hornera que luiava com O'Donnel;
este aproveitouse desta circum-tancia para se
deserabaragar do seu adversario que deitou por
ierra. Neste momento Aileen se sentio desfalle-
cer, seus olhos fecharara-se, e, quando perda os
sentidos Ulick com a rapidez de um raio passon
por diante da cruz, entranhou se na estrada a loto
desappareceu oa obscuridade que cada vea au-
mentava mais.
(Continuar-te ha.)
PERNAMBUCO TiP, PB M.'F DEjF. & PILHQ


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E7LKOYPHG_Q8OEKJ INGEST_TIME 2013-08-28T03:19:37Z PACKAGE AA00011611_10821
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES