Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10820


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AJifO XU ROMERO 263
Por qoartel pago dentro de 10 das do l,mei ...ti.. 5J000
dem depois dos!.0'1 Odias do comecoe dentro do qaartel. # # 61000
Porte ao correio por tres Mezes............ a 7S0
QUINTA FEIRA 16 DE ROTEHBRO DE 1865.
Por auno pago dentro deludas do 1. mez ,,,...
Porte ao correio por um auno
191001
*|00l
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alax?ndrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de I.emos Draga; Ceari, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigoes; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SBSCRIPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Clandino Falco Das; Baha, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Jaueiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estagoes da via frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antito, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhnns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho- Aguas Bellas e Tacaraui, as tergas
feiras.
Pod'Alho, Nazarelh, Limoeiro, Brejo, Pesqneira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio eExu, n quarlas
feiras.
Serinhaem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta Pimentelras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relagao: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphaos : tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tergas sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a 1
hora da tarde.
EPHEMER1DES DO MEZ DE NOVEMBRO.
3 Lna cbeia as 5 h., 43 m. e 28 s. da m.
10 Qnarto ming. a 3 h., 25 m. e 52 s. da m.
18 La naya as 8 h., 40 m. e 22 s. da m.
26 Quarto cresc. aos 38 m. e 22 s. da m.
DAS DA SEMANA.
13. Segnnda. Ss. Afeadlo e Pautillo v. m.
14. Terca. S. Abilio diac; S. Gorias m
18. Quarla. S. Gertrudes v.; S. Clernentino m.
IB. Quinta. S. Gonzalo de Lagos; S. Elnidio m.
17. Sexta. Ss. Alf.io e Zaccho mm.
8. Sat.bado. S Obdottab.; S. Barcella m.
l'J. Domingo. S. Isabel viuv. rainha de Hungra.
PREAMAR DE IIOJE.
Primeira as 2 horas e 54 m. da tarde.
Segunda as 3 horas e 18 minutos da manhaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at AtafOM a U e 30; para o
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Farua-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, marco, xaio,
julho, seternliro e ovenibru.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independeaeta
ns. 6 e 8, dos proprielarios Manoel Fisroeiron e
Faria & Filho.
Os Srs. assignanles desle Diario, que Ci Dl**
u i u. i, .*,..i;.., ,; Offlcio ao Sr. Antonio de Jess Mana Jos da
se achara era debito das respectivas aSblg- Cunha.-Louvando o zelo e relig.osidade comque
naturas, queiram mandar realisar O paga- V. S. se tem esforgado por continuar cora a edili-
metilo deltas; e aquellos que moram fora ca5a da capella de Nossa Senhora da Piedade, na
desUl Cidade, tenliam a bondade de dar avi- Povoagao da Arara, distante da matriz da cldade
i de Ara cinco leguas, sinto nao poder salisazer aos
so de quaes sejam aqu os seus correspon-
dentes, aflmde ser solicitado esa pagamen-
to dos mesmos, a quera daro ordem para
isto, visto como algutis pretextara a falta
dessa ordem.
Manoel Vicente Lopes................
Delflna Maria de Jess...............
Luiz Alves Maia.....................
Agoslinho Nogueira dos Santos........
Jos Maria de Jess...................
Cordolino Ribeiro Campos...........
Maia...............................
GOKEaiW 04 PROVINCIA.
Expediente do dia 11 de novembro.
OfBcio ao general commandante das armas.
Dcferindo o incluso requenmenlo do guarda na
donal do 8 batalho desle municipio, Ludgero
Francisco Ribeiro de Pina, autoriso V. Exc. a man-
dar elimina-lo do servido da guerra, aceitando em
sen lugar o substituto por elle offerecido na pes-
; t de Antonio Augusto de Almeida Pinto, urna vez
que este esteja as coudigoos da lei.
COMANDO DAS ARIAS.
Quartel general do comniainlo das armas le Per-
nambuco na eidade do Recife, 13 de novembro
de ISGo.
Ordem do da n. 153.
arJenies desejos dos moradores desse lugar, en
viando-lhes um missionano capuchinhos, como me
pede no seo efflcio de 15 do prximo passado, a
que respondo, pois que andando elles quasi todos
um missao, e existindo apenas dona no hospicio de
Nossa Senhora da Penha, nao ouso fazer-lhes agora
um pedido dessa natureza. Comtudo remelterei ao
Rvm prefeilo o seu offlcio por copia a fin de que,
logo que bouver occasio, elle tome na devida con-
siderado as raides que V. S. aprsenla.
Dito ao prefeilo do hospicio de Nossa Senhora
da Penha.Incluso remello por copia o offlcio que
em data de 15 do prximo passado me dirigi o
fundador e administrador da capella de Nossa Se-i
nhora da Piedade, situada na povoacao da Arara, \ -' batalho da guarda nacional destacada para o
cinco leguas distante da cidade de Ara, aflm de servido da guerra do commando do Sr. tenente-co-
que V. paternidade livma. em tempo conveniente! ronel_Mariano Xavier Carneiro da Cunha, os Srs.
d as providencias mais acertadas para que sejam capites Jos Thomaz Cavaloante Pessoa, do 4o de
satisfeitos os votos dos fiis daquelle lugar. infantaria deste municipio e Jos Januario Alvares
_ 6 | Ferreira, do de n. 16 do municipio do Pao d'Alh ,
Offlcio ao Exra. presidente da provincia.Nao aquelle designado para tal servido e este por se ter
podendo eu deliberar cousa alguma sobre o reque- oflerecld a mesma presidencia para sirvirnocam-
rimento que me dirigi Antonio Alves da Silva a pamento do sul.
5500 tem do Rio di Janeiro, encontrou no dia II, na __ jo _
5500 lat. S. 16" 22* e long. O. de Greenwich 32 35', a, Francisco de Paulo Fernandez Manir hmu
gtOO galera inglesa Marseille. buco, 67 wuSS^SSSSSffSS^
320 de Montevideo, encontrou no dia 8, na lat. S. 22 che. L0Lneiu
5320 36' e long. O. 30 50', a barca ingieza Talismn, Antonio, frica 60 annos solteirn escravn San
25300 > do Rio de JlOelro para tewYork, com 13 dias de to Antonio, hepthvca '
---------1 viagem, sera novidade.
845160
-eguinH
A commisso de pencos apresentou o
parecer que foi approvaJo :
A comrais>o de petices a qaem foi obmetii-
A barca brasileira Norma, chegada hontera
do Rio Grande do Sul, encontrou no da 13, na lat. do, Rerife,"dilatac5o'n'o'',*oraco
S. 11 35' e long. 0. 34 (J'. o brigue francez Ma- j Frederco da Costa Rio< Para
tlitlde, de C.ardiff para o Rio Grande do Sul.
Fizeram exame de fraocez no dia 13 :
de o requrrimeuio do padre aeba>ti*> de Andra.l*
Vieira, capellao interino do ceraiterio publico em
0 qual pede a elfectividado do MMM MM* ; de
_ 11 i Parecer que nao pode ter lugar e que peo> o Pen_
Manoel Luiz dos Res, Portugal, 50 annos, casa- Clnar.'> *','> (l"e pelo faci de se achar <].>w(e o
i capellao elTectiv,., nao justo que eja dem.tudo
, .'ernambuco, 38 annos, ??? ",ulr" ral"fu inas du 'lu % o que por cer-
casado, Boa-V-ta, tubrculos pulmonares. e,""M Ufna Mi i"candade.
O marechal de campos commandante das armas
em cumprlmento as ordens da presidencia deter-
mina que sejam incluidos no estado effeclivo do
1" turma. Plenamente. Simplesmente Reprovado . 6 2 4
turma. Plenamente. Simplesmente . 12 10 i
ClidonU Amelia da Costa, Pernambuco, lo an
ns solteira, Bo Vista, phthysica pulmonar.
" mezes, Recife, convul
Pernambuco, 8
I Recife, 18 de outubro de 18. TtiorKU de
Aquino Fooseca.Gustavo Jos do R*g.. .
A coinmissao d- polica apreseoiuu umbeni o
: segrate parecer que foi approva.io :
A comiDissao de polica foi examinar nenlar-
menle o lugar que requer MM Francisco de Sn-
respeito de sua fliha menor, olfendida por um
uno ao mesmo.-Faco apreenlar a V. bxc. paragUarda nacional, tenho a honra de passar as mos
ser c nservado no deposito o guarda do batalho; de v. Exc. o mesmo requerimenlo alim de, a vista ente aju
n. 4o do municipio de Barreiros, Manoel Joaquim do (,ue a(|ega 0 proprio pa da 0Tendida, deliberar j do detalhe.
Nunes que se acha desgnalo para o servico da 0 que na sua a|la sabedona entender,
guerra e me foi apresentado pelo Dr chefe de po-. Dito ao vigario eSanlo Antonio do Recife.-Era i
licia com ofHcio desta data sob n. 1,788. respoeU ao offlcio datado de 2 do correte tenho'a
Dito ao mesmo.-Srvase V. Exc. de inormar dlier ,,,; mu0 |)tm se nouva v s embaracando !
acerca do que pede no incluso requenmenlo ovo-10 casa,neDl0 de p, que dij ler conseguido annullar
o seu primeiro casamento. Para que esse F. possa j
contrahir novo matrimonio, uecessario que me |
aprsente a sentenga de nullidade do seu primeiro
casamente, proferida em ultima instancia.
(Assignado.) Francisco Sergio d'Olivetra.
Est conforme. Antonio Francisco Duarte, 2."
lente ajudante de ordens interino encarregado
luntario da patria do 5 corpo, Francisco Jos
Ferreira.
Dito ao mesmo.Sirva se V. Exc. de mandar
alistar no 5 corpo de voluntarios da patria a Jos
Bonifacio dos Santos Mergulhao, e bem asslin aos
13 cidados por elle apresentados, conslautes da
relaco inclusa.
Relacao a que se refere o oficio siipra.
Manoel Martins de Oliveira.
Joo Virgolino da Silva.
Jos Targino de Moura.
Jos Francisco Ramos.
Manoel Francisco do Nascimenlo.
Antonio Francisco do Amaral.
Joaquim Fernando Laurindo.
Manoel Jos dos Santos.
Antonio Jos dos Santos.
Manoel Vicente da Silva.
Balthazar Francisco dos Santos.
Francisco Celestino Barros.
Francisco de tal.
Dito ao inspector da thesourana de fazenda.
Efundo em termos o pret junto em duplcala,
mande V. S, pagar com urgencia os venciraentos
relativos ao mez de outubro ultimo, das pracas
alistadas no 6 corpo de voluntarios em organisa-
cao nesta provincia.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Mande V. S. ajustar tontas ao corpo de polica al
o da em que chegar do norte o vapor da compa-
nnia Brasileira, em que o mesmo corpo tem de
seguir para a corte
Dito a Francisco Xavier da Casta Aguiar e An-
drade. Remelto a V. S., para os fios convenien-
tes, o offlcio em original que em data de 12 do cor-
rente me dirigi a comm ssao encarregada do ajus-
te das contas da estrada le ferro desta provincia,
e bem assira copia da acta e balango da receila e
despeta da mesma e.-trada, no mez de outubro pro
Xiiij lindo.
Portara.O presiden! da provincia attendendo
ao que requereu Joaquim Silverio de Souza, revi-
ve conceder-lhe licenca para despaebar 10 barri-
cas de salitre, que por enrommeoda do supplicanie
mandn vir a casa commercial desta praca Samuel
IV wr Johnston A C.
PERNAMRUCO,
R8VISTA MAMA.
Pela superintendencia da via frrea sao conv-
dados os respectivos accionistas a virem receber os
Par evitar qualquer descuido que possa haver, dous dividendos, relativos ao anno prximo pas-
julgo conveniente que V. S. participe aos Rvds. vi- sado.
garios dessa cidade qual o impedimento a que se
refere nos offlcios de 23 do prximo passado, e 2
do correte, os quaes ambos licam assim respon-
didos.
Dito ao vigario de Cruangy.Acenso recebida a
estatislica dessa freguezia coordenada com cuidado,
e adaptada ao tim que live em vistas quando a
exig.Igual aos vigarios do Poxim, Agua Branca,
Atalaja e Poco da l'anella.
12
Fizeram exama de inglez no dia 14 :
Plenamente... 7
Simplesmente 5
12
Fizeram acto, no dia 15, na Faculdade de Direi-
to os segrales estudantes :
1. anno.
Antonio Pereira da Silveira Ca^tello-Branco, plena-
mente.
: Beiarmmo Pereira de Oliveira, simplesmente.
| Manoel Thomaz de Barros Campello, idem.
Miguel Archanjo Pereira do Reg, plenamente.
Manoel de Barros Wanderley, simplesmente.
Raymundo Braulio Pires Lima, plenamente.
Raymundo Joaquim Ewerton Maia, dem.
1 Sebastian Cordefro Colho Cintra, idem.
2. anno.
Joao Baptista de Aguiar Bello, simplesmente.
Prxedes Theodulo da Silva, Idem.
Joaquim Theophilo Agr da Silva, idem.
Antonio Augusto de Araujo Lima, idem.
3. anno.
Miguel Peixoto de Vasconcellos, simplesmente.
Bemvindo Gurgel do Amaral, plenamente.
Manoel Pedro Carduzo Vieira, simplesmente.
Manoel,
soes.
Genoveva, Pernambuco, 1 anno, Santo Amonio,'
febre maligna.
Vicencia, Pernambuco, 27 annos, solleira escra- na R,b'"ra s- J*1*, ol r-eendo a u
' va, Santo Antonio, hepetrophia. i cmara por ai rendamento de tres anno* a quaotia
- 12 te quatro ceios mil ris, obriganJo se a dar tt*-
Jos Juli.o da Costa, Rio Grande do Norte, 16 ass|Bnifr compelt-nte turnio.
annos, soltelro, Boa-Vi>ta, pneumona. .." A con|mis.-,io emende que o lugar qoe o sop-
Francisco Pereira de Carvalho, 3!) annos, soltei- )llcaa,, requer justamente um recamo, e por is-
ro, Boa-Vista, enterite chronica. 50 De",''U'B embarago faz ao transito *s femua
Francisco Ferreira de Souza, Pernambuco, 94 (|ue Va0 a dlU ribeira comprar os gneros de pe-
annos, viuvo, Boa-Vista, enterite. meira uecessidade, eniendendo a MMMMMl que
Elias, Pernambuco, 3 annos e 3 mezes, S. Jos,' fe Pet|cionarlo quizer dar a quaniia de oito c-rj.
marasmo. ll)< m,l res, podera a amara conceder-lhe o lugar
Manoel, Pernambuco, 7 dias, Boa Vista, espasmo.' re,Jurido.
Joanna, Pernambuco, 6 annos, Boa-Vista, diar- Ha5 da ca,nara municipal do Recife, 16 de
rha. outubro de 1865.Feliciano Joaquina do- Sant-w.
Prvulo, encontrado morto na porla da igreja de Manoel do Nascimenlo da CeeM M'inteiro.
S. Pedro, Santo Antonio. ilaudou-se remetter com lofornuco ao Ex.
presidtnte da provincia um requerimenlo d Basi-
lio Alvares de Miran Ja Varei poder da cmara para dar o seu parecer, cojo re-
querimenlo linha vindo da assembla por interme-
dio da presidencia para informar.
No dia 10, por obra de urna hora da ma-
nhaa, foi ferido noCampo-verde um Joo de tal por
Manoel Flor ; e chegando o facto ao conhecimenlo
de alguns inspectores, que rondavam, dirlgirara-se
elles ao lugar do crime, onde ainda eocontraram a Elisio da Cunha Meraes Piuhiro, plenamente.
Flor o qual tentn entao escapar a arrio da jus-
ti?a, pondo se em fuga.
Perseguido, porm, pelos referidos inspectores,
foi adnal preso no becco do Pombal pelo inspector ; oao Capb7ranoleTm9id,a',,idera.'
1.1117 Incia Jiiliin.u ni.. omnra -.,li,>if,, naln enwtr, I ., ,.0 ,. '
Rectincacao a lista do da 14
Offlcio ao conego cura da cathedral.-Teoho Luiz Jse Antunes, que sempre solicito pelo servi-
presente o offlcio de 6 do crreme, em que V. S. W PubllC0> JM se furia a bem deserapenhar os d-
me diz. que, tendo-me pedido em data de 4 do mes- vere.s d(? referido cargo, sendo por isso digno de
mo a sua exonerado de cura da cathedral, e ha- eloR.10.5' be.ra co,,1 os dem&151ue intervieram nes-
vendo eu em resposta mandado passar-lhe nova ta diligencia.
provisao, todava nao pode deixar de insistir pela A(.aha a emDr9za do thpa[r0 dp Sanl. u.h.,
sua exoneracao, visto nao Ihe ser possive. con.i- mJSSi7mSAtSf!SSSX
5.* anno.
Paulino Nogueira Borges da Fonceca, plenamente, tonio, espasmo
Jos Francisco da Araujo Lima, idem.
Antonio, frica, 80 annos, escravo, Boa-Vista,
velhice.
c. *3 -
Simoes dos Santos, Goianna, 76 annos, viuvo,
Boa-Vista, enterite.
Antonio Gomes da Silva, Portugal. 27 annos sol-' Pr,iSlf,u juramento por procuracio que aprsen-
telo, Boa-Vista, hydropesia. \tou Jao Firmlno C-rri de Araujo, juiz de paz
Eugenia Maria da C mceicao, Pernambuco, 22 '-' suPPlente do 2 disinti da freguezia de Jatn-
annos, soltera, Boa-Vista, enterite chronica. ',ao '"ano,l Mendes i arneiro Leao.
Joao, Pernambuco, 11 mezes, Santo Antonio, con-'., Despacharam-se as peti^es de Antonio da Silva
vuhes. Perreira, Adriano Augusto de Almeida Jordn, Ba-
Maria da Paz, Pernambuco, 4 annos, S. Jos gas- ,llio Alvares de Miranda Varejio, Cteun Cyriaco
tro imerite. da Costa Moreira, Francisco Avila de II ntiM.!.
Maximiana, Pernambuco, 14 mezes, S. Jos, con- Jua1uim Barboza de Oliveira, Joo Bapnu Casa-
viiNo-s. nova, Joo Francisco de Souz Lima, Jos AMoato
Pedro, frica, 40 annos, solteiro, Boa-Vista, te- itoreira Dias, Jos Gracalves da Porcioncuia, Ma-
tano. ra Joaquina de Mello e Silva, Man.el Feliz da
Luiz, Pernambuco, 5 mezes, escravo, Santo An- ?i,va' Maria tarneiro de Souza Laeerda Villa
Secca, Manoel Paulo de Albuqoerque ; e levamou-
Custodio Manoel da Silva Guimares Jnior, ap
provado simplesmente.
Rbpahtiqao da polica.
Extracto das parles do dia 15 de novembro de
1865. I
CAIARi.HU.TOPAL 1)0 RECIFE.
se a sessao.
Eu Francisco Canuto da Boaviagem, secretario a
subscrevi. Pereira Simoes, pr-presideate.Re-
g. Dr. Villas boas. Fooseca. Costa Mooleiro.
S?"L es"rd;:i dtSSe e'flprep-0 alaS 0ner(!S0, n* castro cora o flra de anounciar os espectculos por
so pelas sua> diversas oceupa^oes, como pelo esta- ..--. a.---------a________r_ .:. HV
do da sua sade que se allera.
Muito desejava euque V. 8. continuasse no exer-
cicio desse emprego, e foi com estas vistas que,
em lugar ae ceder ao seu primeiro pedido. Ihe
mandei passar nova provisao. V, tanto maior o
men em-enho, quanio considero o cralo muio
bem servido, tendo por parodio um sacerdole ze-
loso e esclarecido como V. S. Comiudo inere-
cendo taes servicos recompensa, e nao devendo
elles por consegrante ser um motivo para que eu
desatienda a' sua reiterada snpplica, dSo insisto
mais
mel de signaes de convenci. Assim, quando hou-
ver representagao, tremular no referido mastro
urna bandeira durante o dia, e noite ser ella
substituida por balo cora luz.
corrente
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Ber-
nardo Lopes de Barros e Joao Baptista Leite, como
guardas nacionaes designados pira o servido da
guerra, e Francisco Jos de Araujo, para recruta.
A' ordem do D.-. delegado da capital, Sebastio,
O Sr. Dr. chefe de polica resolveu suspender escravo de Felippe Sautiago, por fgido,
a ordem que expedir em 'lata de 25 de setembro A'ordem do subdelegado de S. Jos, Jos Ma-
prximo passado, acerca da venda de armas de noel de Oliveira Campos, por olfensas physicas.
fogo e de mumeoes de guerra, cuja prohibigo fica A' ordem do do Poco, Antonia Maria da Coocei-
assim sem effeito. cao para correcto.
S. Exc. o Sr. conselhero presidente da pro- O chefe da 2* scelo,
vincia, nomeou por portara de 14 do crreme a I J. G. de Mesquit'a.
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS 18 DE OU-
TUBRO DE 1865.
Presidencia do Sr. Pereira SimUes.
Presentes os Srs. Gustavo do llego, Auuino Fon-
SS r.eC0lh,d0S a ca5a de deleDao no dia U d0! seca, Santos, Cos.a Montero, Dr. Villas-Boas, e Pin-
to, brese a sessao, e lula e approvala a acta da
9
e bem a meu pezar Ihe concedo a demisso Sra. D. CoDstanca Florentina Ayres de Lima para^ Casa de detkxq.vo.
lu'l'l luri.irm l.i f \ 1 -, t -, ,1,, V C filia AAnti. wnn,\* int.i nn m.^nt ^ n Bsialu J> 1_._^J_C___; I **-----* -- JA ^t. l> :
que solicita, esperando todava de V. S. que eonti- reger interinamente a cadeira de inslrucco pri-
nue mais alguns dias a desempernar as funecoes maria da Villa Bella creada pela lei n. 598 de 13
parocliiaes nesse curato, em quanto procuro sa'cer- de maio do anno passado.
dote idneo, que possa subsiiiui-lo.
, antecedente
Le-se o seguinle
EXPEDIENTE :
Um offlcio do Dr. juiz de direito da 2* vara Ma-
; noel Jos da Silva Neiva, remetiendo urna certido
j de cusas, em que fra condemnada a eamara rau-
; nicipal, na importancia de 325250, pede a mesma
cmara que Ihe mande pagar.Que o contador in-
formasse.
i Outro do presidente do lustnuto dos Advogidos
i Brasileiros Dr. Jos Bernardo Galvao Alcoforado,
communlcando.
annos, foi Inslailad
CORRESPONDENCIAS
Srs. redactores. Apreciando devidameato
imraensos beoebYios, que resultara a qualquer la-
gar, quando tem por suas autoridades cidados de
criterio e crcura), e ju>(ceiro, sao po**o
reprimir o rdeme desejo de tributar do alo a
imprensa os mais vjros signaes de louvor e rati-
do ao Sr. delegado do termo do limito Dr. Anto-
nio Colombano Serapbico de Assis Carvalho, mito
digno juiz municipal do mesmo termo.
Auloridade iraparcial a toda a prova absoluta-
mente estranha as questoes poiiticas, lera por estas
inapreciaveis quahdades feto o termo do Bonito
9 -
Offlcio ao vigario da Vara do Penedo.Em res-
posta ao seu offlcio de 25 do prximo passado, te-
nho a dizer-lhe que nao devem os Rvds. parochos
ouerar os seus paroebianos com multiplicadas jus-
Esta sera apresentada ao inspector da iBJjM Ufleac6es e outras despezas superfluas," que s "ser-
de>ta capital e oude mais convter, para ter a d^vi- Vem d), vexar
da execuco.
Dia.O presidente da provincia tendo era vista |
o |ue requereu o amanuf use da thesouraria pro- J
viacial, Belmiro Augusto de Almeida, e bera assim i
o que a este rospeito informou o respectivo ins-
pector em offlcio de 11 do corrente, sob n. 439,;
resalvo conceder aosupplicante 2 mezes de licenca
cot venciinento, nos termos do arl, 49 do regla-
mento daquella repariic.au para tratar de sua
sade.
Despachos da dia 11 de novembro de 1865.
Requermentos.
Antonio Jos Rodrigues de Souza.Dirjase a'
tbesonrana provincial a quem se expede ordem no
sentido que requer o supplicante.
Bernardino Jos Leito.Dirja-se a thesouraria
provincial a quera se etp^dera ordem no sentido
em que requer o supplicanie.
Candido Lirio de Araujo JussarPasse portara
cooc-deodo a licenca pedida.
Henriqne Jorge.Informe o Sr. Inspector da
thesouraria de fazenda.
Jos Montero da Silva.Apresenle-se o suppli
cante no quartel jeneral para ser inspeccionado.
Joanna Maria de Jess Campello.Informe o Sr.
os povos e tornar odioso o nosso mi-.
nisierio : pelo que todas as vezes que um parocho
esta' ceno do bito de um conjuge, querendo o ou-
tro passar a segundas nupcias, e nao se encontran-
do nos livros da matriz o assento de bito do pri-;
meiro, deve o parocho proceder segundo o conhe- i
cimento que tem, e nao exigir de pessoas pobres I
urna jostlficacao que em nada o venha esclarecer. \
Esta delermiuayao pois nao s applicavel ou-
bente Anna Maria, do (|ue traa o offlcio de V.
Rvma., como a iodos os casos idnticos, o que V. I
Rvma. fara' constar a quem convier, participndo-
me cora a possivel brevidade se essa infeliz viuva
pode passar a segundas nupcias, ou se ainda en-
couirou algum outro bice.
11
Offlcio ao vigario de S. Jos de Piranhas.Cora
o seu offlcio de 18 do prximo passado, receb a
quanlia de 84I60, com que os seus parochianos
concorreram para o collegio de misionarios ca-
thoiicos, eslabelecido em Londres.
Com destino ao 5 corpo de voluntarios d
patria alistaram se Severiano Antonio Joaquim e
Joflo Roberto Ferreira, sendo este apresentado pelo
Sr. capitao do mesmo corpo Joaquim Ricardo Mon-
tero de Pava.
O Sr. capitao do batalho n. 40 da gu irda na-
cional do municipio de Ipojuca Manuel Laurindo
dos Santos Vieira acaba de se offerecer a S. Exc.
o Sr. conselbeiro presidente da provincia para pres-
tar os seus servicos na campanha do sul.
S. Exc. aceitando este patritico offeMcimen-
to, ordeuou ao Exm. commandante das armas que
mandarse encorporar o referido capitao ao 2 cor-
po da guarda nacional destinado ao servico da
guerra.
Fizeram hontem exame do 2 anno da Escola
Normal olo alumnos, sendo cinco approvados ple-
namente e tres simplesmente.
De Serinhaem nos escrevem o seguinte :
No da 30 do mez passado seguio para essa
cidade o disiincto teoenle-coronel Mariano Xivier
Carneiro da Cunha com o batalho que aqu orga-
nisou, sendo por isso digno de louvores esse ver-
dadeiro Pernambucano, que nao tripidou, em pre- i
senga do reclamo da patria, em abandonar o arado
e empunhar a espada, voando em soccorro de nos-
Movimento do dia 14 de novembro :
Existam 330 ; entraran) 7; sahirara 5; exi-tera
338 ; a saber : nacionaes 231, mulneres 6; es- aecusar o recebimento.
trangeiros 26, raulheres 5; escravos 66, escravas 4; ".'ro do juiz de paz do 2
total 338.
Alimentados cusa dos cofres pblicos 185.
risa,? sureras I=- rersrss.' rsaxs
em qoe se lem sabido collocar, adscreva-M somea
\ te aos loleresses da ju-iiga e da honestidad*, como
al esta data o tem feilo com appUu>o de tod.) o
Movin-ento da enfermara no dia 13
Te ve baixa :
Leandro Pereira de Lima, exastoze.
Tiveram alta :
Manoel Joaquim do Monte.
i Raymundo, escravo de Rocha Bastos.
Luciano, escravo de Manoel da Rocha.
ra :- 1
M S
-i l
-i
A 8
3 -^ M
i ' 3
i .
I

. 1

.11
5 i ti
a i
.
>
o
o
>
commandante superior da guarda nacional do
Cabo. Francisco Martiniano Pereira...
Pedro Celestino Pereira.Declaro o supplicanie Francisco Maria Pires Ferreira...
porque titulo se julga cora direito ao uso das in-' Jos Pinto Raraalho..................
signias de 2 cadete. I Joao Pires Ferreira..................
Tenente Pedro Bezerra Cavalcantt Macicl.in-1 Antonio i-ira (-ampos...............
fo.-m o Sr. commandante superior da guarda na- Lino Jos Htbeiro....
cinnal de Barreiros e Agua-Preta.
lio-a Francisca da Silva. Dirija se a thesouearia
provincial a qu'-m se expede ordem no sentido em
que requer a supplicaue.
Superintendente da estrada de ferroDinja-se
a thesouraria provincial, a quem se expede ordem
oo sentido em que requer o supplicanie.
Severiano Jos Figueiredo de Menezes.Em
vista da informacao nada ha qoe drferir.
Valeriano de Lemos Vasconcellos.Informa o
Sr. commandante superior da guarda nacional do
Brnito.
Vicente Ferreira Calangro.Informe o Sr. Dr.
chefe de polica.
Lista das pessoas que na freguezia de S. Jos de sos bros ultrajados, e ainda deixando sua sua cha-
Piranhas concorreram para o collegio do Sagra- J ra esposa e 9 tilhinhos, que apezar de orgulhosos
do Coracdo de Jess eslabelecido em Londres, a por tal proceder, custara as saudades da ausencia
qual se refere o oficio cima. | do esposo e pai extremoso.
Padre Manoel Lms de Albuquerjue.... 10J000 t Nao menos louvaves foram os esforcos em-
6J000 ; pregados pelos Srs. Dr. Gaspar Drumond, Manoel
55"0 | Campello Jacome da Gama e capuo Jos Cavaican-
_ u Cfr-^-'
Jos Ribeiro Cimpos e Pires..
Jos Ribeiro de Miranda.............
Joaquim Jos de Carvalho............
Joao Ignacio de Mendonca............
Antonio de Lima Gomes dos Santos....
Manoel de Araujo Campos.............
Francisco Alves da isilva..............
Joao Cavalcanii da Silva..............
Jo- Alexandre Alves................
Joo Baptista de Oliveira.............
Manoel Alves Bezerra................
Vicente Ferreira da Silva. ..........
Joao Evangelista....................
Francisco Gomes de Almeida.........
Jos de Araujo Bezerra..............
Ba>ilio Pires Ferreira...
55000
53000
43000
3JO00
23000,
230OO1
23000 :
23000
13000!
13IMM)
.VI;H^O DO 1B1MPADO
i'i:it.\\nr(-o.
SEDE VACANTE.
Excediente do dia 3 de nivembro de 186o.
DE
1 Manoel Pereira de Albuquerque...... 13000
.......... 13000
.......... 13000
Jos Tavares da Silva<.
Manoel Jacintho Mara...
Braz Alves..............
Miguel Anjo dos Santos..
Luiz Pires Ferreira......
Offlcio ao vigario de Bezerros.Respondendo ao| Roberto Francisco de Menezes
le de Albuquerque Ucha, nao s agenciando vo
luntarios e concorreudo por si, e com o auxilio de
poucos para a formag.io de urna subscripeo, como
tambera offerecendo o estandarte para o mesmo I
batalho, e o instrumental para a msica I I
E' ainda digno de menco o concurso que
prestou o incansavel tenenle-coronel Conolano Vel-
loso da Silveira, aitendendo-se aos poucos recursos I
de que dispoem no limitado dislriclo de seu bata-
lho (43) ; pois nao poupou sacrificios nem incom-
1300O, modos, sendo elles cornados felizmente com a apre-
13000; sentacao de 75 voluntarlos e 10 guardas nacionaes
1J0001 dos designados; todos os quaes foram entregues
I3OOO ao Exra. presidente. Em servigo s delle. porque
IJOUO apenas o capitao Zeferino Borba apresentou dius
13000 individuos, um dos quaes foi julgado incapaz, dan-
15000; do assim mais do duplo numero que Ihe competa
13000; dar forga do decreto.
Flix da nagao se to disllnctos patriotas fo-
rem imitados por todos os Brasileiros 1 1 Concluo
pedindo ao Exra. presidente, que em ffola de tamo
patriotismo mande susler o recrulamenlo nesle
le;mo, pois tem elle bem correspondido a especta-1
13000 uva, sendo notavel o tributo de sangue com que
11000 j e.-ta pe (uena porgo da provincia tem contribuido
13000 para a guerra.
^J ~ \ 1 1 O 1 co ce 1 0 Masculino. 1
U 1 1 - 1 1 ^, s 1 Feminino. 1
. w 1 t* 1 Masculino. M en 3>
1 Feminino. a 2
n - W 1 -1 01 Masculino. M m O < O
m m * A 1 Feminino.
districto da freguezia
de Hortbeca, Joaquim Marques da Cosa Soares,
I respondendo ao que Iho foi dirigido, em dala de 15
de setembro ultimo, acerca da reelamacao que li-
zera Jos Luiz da Silveira, por ler sido de.-tiluido
do cargo de escrivo daquelle districto; declara ha-
ver o mesmo Silveira abandonado o lugar, mudan-
do-se para outra freguezia, o que provava pelos do-
cumentos que reraetlia.Maudou-se consultar ao
advogado.
Oulro do contador, dizendo que tendo a cmara
determinado diversos melhoramentos na escriplu-
racao a seu cargo, pede providencias alim de que
os licaes teuhain coulieciraento e cumprara fielmen-
te as alteragoes adoptadas, entendeudo-se a respei-
to na cootadoria.Que se expedlsse nesle sentido
1 as decessarias ordens.
Outro do engenheiro cordeador, informando o
' requerimenlo, no qual Joaquim Jos Pessoa, arre-
matante que fot dos reparos que a dous ou tres ao-
I nos se lizeram na pootezinba do Maduro, pede pa-
: ra que Ihe seja paga a importancia desses comer-
los, allegando que alm das mideiras designadas
! no orgaraento respectivo, collocra mais por ordem
! delle engenheiro seis estivas e urna linha ; diz que
verdade isso que o peticionario allega, pois que
tae pegas foram recomiendas acharem se em raao
estado depois de desmanchado o lastro da mesma
ponte, mas tambem verdade que o peticionario
nunca concluio a obra da mesma, por quaoto dei-
xou sem acabar as varan Jas dos lados.Que o en-
genheiro orce a obra que deixou de ser feita para
deduzir-se na toialidade da arremalagu.
Oulro do mesmo, dizendo nao haver inconvenien
te em perraittir-se que Jos Domingues Codiceira
faga urna cochejra com solea na travessa que do
largo da Casa Forte vai dar a ra que passa por
Masculino.
10 1. A m 1 O
- -

11. M Jt
Feminino.
x
cd
S 2
: o
>
Masculino.
13000
15000
1 -J
a 1 *
^
00
Feminino.
o
i
H. TOTAL.
e a quatro dias de Gtbraltar,
, I traz do mesmo largo, urna vez que a obra que vai 0 0Qtle reina 0 cholera, coraprrheode-se qoe abso-
muocipio, e lera con>|uisiado ns earsfiM de t-.tlos
os seus niuoicipes, e unta solida reputar* para o
seu futuro.
Fosseta como S. S. as deinais autoridades poli-
ciaes da comarca do Bouito, e podarla ella jactarse
de po>suir o meihor fMMeMawsMS p ssivel. In-
felizmente anda ios reslam muiios e MSMMMk
cabos de eleiedes arvorados cin aut rnla-le-. verda-
deiros flagellos dos termos e freguezias qoe os sof-
, frem.
O Illm. Sr. Dr. Antonio Columbino Serapbico,
nos desculpara se com o presente onendemos asna
modestia. Emendemos que to necessaria ajus-
ta censura aquel.e< que a merecen, romo devi-
dos os applausos e louvores a quem delles ere-
dor.
Recife, 15 de novembro de I865.
An! nio Gomes da Silva Mago.
MLicicGES i mm
L-se o seguinle no Times :
< Sabemos de pessoa compleme qne um caso
certo e incoiilestavel de cholera azialico manifes-
tou-se em Southampton. A victima um hornera
de nome Rose, de idade de 30 annos pouc mais ou
menos, residente em Brewhonse-coort, Brewnoose-
laue, que morrea doniu>, depois de irinta e seis
horas de molestia.
< Se considera-se que a cidade de Sooltiaruplon
esta era communicago directa por raeio do vapor
com o Mediterrneo
seu offlcio de 30 do prximo passadi, em que me
pede permlsso para tomar a justilicago de bap-
lis.no de Mara Theodora, que pobre, e quer ca-
sar-se, tenho a dizer-lhe que nao necessario li-
cenga minha para tomar tal ju.-tificagao. No expe-
diente do bispado vera' V. Hvma. que por mais de
urna vez tenho recoraraeudado aos Rvds. parochos
que nao difflcultem os casamenlos sob pretexto do
nao se apresentar certido de baptismo (excepto
quando tal certido lem por lim provar a idade);
s que tornera essas jusiilicagVs mesmo verbalmen-
te, sem forma de processo, a sem que as parles
despendan) cousa alguma.
IaX v pois V. Rvma. que pode tomar a ju-tfica-
(lo Verbal nao s da uubenle de que se trata, como
de quaesquer contrahenies, cujo Ungamento se nao
encootra nos livros. Quando porm versar a du-
vida sobr a maior ou menor idade, ou sobre a pu-
berdade e etc., eoto que se deve recorrer ao
ordinario. \
Manoel Tavares deSant'Anoa.
Bezudino Maria de Jess..............
Thomaz Jos de Aquino..............
Rila Maria de Jess...............
Candila Francisca de Vasconcellos-----
Joaquim Manoel de Vasconcellos......
Raymundo Florencio.................
Felippe Leile de Araujo..............
Jos Cardo-o Verdeg................
Manoel Pereira de Carvalho..... ....
Francisco Ferreira Pires Macaiiba.....
Manoel Francisco de Borges...........
Isabel Anglica dos Anjos............
Manoel Ferreira da Silva.............
Josepha Antonia Maria de Miranda....
Joo Baptista de Araujo.............
Jo- Ferreira da Sil va.................
Alexandre Maria de Jess.............
Antonia Maria de JesHS..............
Joaquim Pedrosa Siqueira............
1^000
15000
13000
15000
1,30110
15000
13000
15000
15u00
5500
5500
5500
5500
5500
5500
5500
3500
5500
5500
5500
ADVERTENCIA.
Na totalidade dos doentes existem 188, sendo 112
bomens e 75 mulneres.
Foram visitadas as enfermaras estes dias :
As 6 1|4, 6, 6 1|4, 6 1|4, 6 l|i, 6 Ift, 6 l|4,
pelo Dr. Hamos.
As 9,9 3|4, 8 Ii4,8 3|1, 9 l|4, 8 3|4, pelo .Dr.
Sarment.
Falleceram :
Luiz (escravo) ; intente chronico.
Victoria Maria da Concigo ; anasarca.
Placida Maria do Rosario; rheumatismo agudo.
Francisco de Paula ; cancero.
Francisco Ferreira de Souza ; hepate enterite.
De cartas cegadas da villa do Ouricury, consta
que se achavam alistados para mais da duzentos
voluntarios, os quaes, reunidos aos das villa do ,
SVJ2& ST1 2K de ?iacoeP,a Francisco Pereira de Carvalho ; enterite chronico.
eram all esperados, devem partir para esta capital rvuiTnm pimtirn oniTir.nm no m 8 nm
no lira do corrente, formando um corpo superior a myJZ Mfw 0B' D ^ 8
IoforraaPraanCos%ue o ju.z de direito d'aue..a co-! T* Praambuco. *<""*> orrea no nasce,
marca, o Dr. Antonio Buarque de Lima, a cujos
esforgos e a valiossima cooperago e influencia
do vigario Francisco Pedro da Silva, se deve aquel-
le crescido numero de volumarios, a companba-
ra at esta cidade o dito corpo.
Foram all festejados com o mais vivo entusias-
mo os triumphos ltimamente alcanzados pelas
nossas armas no sul do imperio, offerecendo por
essa occasio o juiz de direito, o vigario Francisco
Pedro e sus amigos, um esplendido banquete aos
voluntarios da patria.
A barca portugueza Corqa, entrada bon-
Paulno de Tal, Pernambuco, 35 annos, casado,
Boa-Vlsia, congesto cerebral.
Isabel, Pernambuco, 15 mezes, Boa-Vista, tosse
convulsa.
Maria, Pernambuco, 4 annos, S. Jos, diarrha.
Francisco de Paula, Pernambuco, 60 annos, sol-
teiro, Boa-Vista, cancro.
9 -
Francisco Ferreira das Chagas, Rio Grande do
Norte, 25 anuos, solteiro, Boa-Vista, pneumona.
Antonia Maria Monteiro, Pernambuco, 73 annos,
viuva, S. Jos, congesto cerebral.
peticionario fazer li |ue no almhamento do muro
de Jos Francisco Carneiro, e lenha o uivelameuto
da casa feita por elle. Coucedeu-se no sentido da
informago.
Outro do mesrao, informando contra o requeri-
menlo, no qual Jos Aulouio Moreira Das pede
para que Ihe seja permitlido fazer no seu sobrado
n. 26 da ra da Cruz do bairro do Recife, urna so-
lea,Nao tem lugar.
Outro do mesmo, Informando o requerimenlo em
que o Dr. Joo Baptista Casanova, pede para que
Ihe seja permilildo levantar um sobrado de um an-
dar no becco tapado junto do sobrado pertenceote
ao peticionarlo no largo da matriz de Santo Anto-
nio, tendo o novo sobrado o mesmo alinhamento e
symetra que tem o ja exigiente, declara que posto
Ihe parega preferivel oque o peticionario pretende
ao que se acha disposto na planta approvada, toda-
va, nao pode ter lugar o que elle pede em quanto
dita planta nao fr modificada
utamente necessario tomar medidas aura de pro-
teger a saude publica nao s em Soulhamptoo, mas
tambem em todo o paiz.
E o que dizem a isio os que se oppoe s foaren-
leuas e aponlam a Inglaterra T
L-se era ura jornal de Mediciua :
c Saxe. Em coosequeocia da chegada de Odes-
sa de urna senhora accommetiida pelo cholera, esta
molestia declarou se, e foi verificada officialnwnle
era Allembourg. >
VARIEDADES
Setnelas e Medirlas.
Lc-se na Union Medcale de Paris:
Osjornaes de medicina fallaran) por ra-
rias vezes de urna descoberla importante
para a therapeulica, que consista na desin-
feTo do oleo de ligado de bacalho sem
pelos roeios conve-
nientes.Deferlo-se no sentido da informago.
Outro do fiscal da freguezia de Santo Antonio, I jne* lirar nenhuma dassuas propriedades.
commuoicando ler multado a Marcelino Jos Gon-1 v___ .____ __JT _".- .
galves da Fonle na quanlia de 305, por estar sem \ Temos. l'razer de annunciar boje 35-
licenga conslruindo sobre o 2* audar de seu predio : nossos leitores. que esse resultado fui obtio
n. 40 da ra Nova, urna trapeira, a qual contra o do de modo O mais completo por um hahil
disposto no art. 2 da postura addicional de 18 de pharmaceutico de Paris, o Sr. Chevner, que
de
fevereiro de 1861, pelo que fra logo embargada.
Nesta occasio iido um requerlmento do dono
da mesma ebra, Marcelino Jos Googalves da Foo-
te, pedindo licenga para terminar a obra embarga-
da, sendo eliminado da multa que Ihe fra imposta
pelo fiscal.
Posto em discuso o offlcio do fiscal e o reque-
conseguio desinfectar o oleo de liga Jo de
bacalho com o alcatro e o balsamo de
Toln. As experiencias feitas por mallos de
nossos pratioselec ebres, nos bosp taes e so-
bre seus doentes particulares, as analyses e
rmenlo de Marcelino, approvou se o procedimemo ensaios de Ctiimicos competentes, nao dei-
do dito Uscal por ter sido acertada a iraposigo da xam nenhnma duvida a esle respeito.
multa, e raandouse ouvir ao advogado acerca do Relatamos auiii a^ nrnnrias nalavras de
pedido comido no citado requerlmento. ; "*?*?.m&l.m Y,vfm P""
Outro do fiscal da freguezia dos Afogados, infor- um JU1Z muit0 eminente e competente o Sr.
mando contra o requerimenlo em que Francisco Dr. E. Ilumbert, laureado da academia im-
Avila de Mendonga pede para ser dispensado do perial de medicina, e professor de Cbimica.
pagamento da multa que Ihe fra pelo mesmo fls-, SuDmell a analyse, diz este distiodo
cal imposta era consequencla de ter feto sem hcen-1 ."*" '* '**.. \ k^.ika ,
5a urna bomba na estrada junto ao seu sitio no lu- professor, o oleo de figado de bacalnaoju-
gardos Remedios.-Indeferio-se.
1 tu ral desinfectado pelo processo do Sr. Che-


Mario e Pernatabaco Qnlnfa fe!ra te de XoTenibro de i**s
medicamentosos nern chimicos, que se
achara no oleo de ligado de bncalho ordi-
nario. A fraca proporco das substancias
estranhas que -e pera no oleo natural para
dissimular o cheiro e o sabor desagradaveis.
nao pode de nenhum modo alterar suas
propriedades medicaes e s a torna de um
uso fcil e mcsmo agradavel.
Em resumo, o oleo de figado de baca
llio desinfectado pelo processo Chevriei
goza de propriedades idnticas ao oleo de
figado de bacallio ordinario, que elle repre-
senta exactamente.
com gneros..... 244
Volumes sahdos ce m fatendas..... 208
com gneros..... 381
D&scarregam hoje 16 do correte.
5 suas preparacoes gozara das virtu- cidade, arhando-se de cama, e com as per- ^,rnna inglezaCarn=mercadorias e ferro,
inentemente tnicas, que aproveila as bastante inchadas, e cheia de tumores, t ^".S'fV*''"** Bonny-ciro de pedra
vrier, e posso certificar que essa producto sim o mais stiluvel quee posOtol, de serte e energa tem combatido essa terrivel'n
nao perdeu neahum dos seus principios queja nao tao dependente de ser digerido fennidade, tem sido o xarope alcohlica de
pelos cidos fracos, que se achara no sueco; veame.
gstrico durante a digesto. Os expositores | Urna escrava da mai do Sr. Francisco Fir-
de medicina sao de opiniao que o ferro e mino Monteiro, pessoa bem conhecida nesta
todas as
des MDiMmwiuomo luuima, i|ue a|>iuciu> im.i u.im.iiih; nuiauas, o uuoia ue iwuui es. Lugre ingiet finr;'i.$/i
ein todas as molestias que sao caracterisa- tomando o xarope de veame, acha-se hoje Barca \afmiBeUe Poul =dem.
das por fraqueza; e com eHeito acho exac- boa, prestando servicos. Crgue iogiezcarne m. l,dem.
ta essa opinian; mas nao 'lado o ferro em! A mana do Sr. Jos Francisco Pinto, mo- ?risue mg.n-Thermuthisitiem.
substancia pelo mo resultado pie tenboob- rador na ra Direila n. 51, tendo sido
sentido, (e que ja liz publicar) em certas e accommetlida do mesmo mal, acha-se tam-
determinadasmole lias; por exemplo: ane- bem boa.
mia.e febres intermitentes, terminam mui- A Sra. D. Senhorinba Umbelina dos
tasftzes por anasarca, que aecumuiaco Santos, moradora na ruadas Calcadas n.
Elle omito beu tolerado pelos doentes, de sarosidade no tsenlo cHIular (agua qoan- 38, achando-se atacada de erysipella as ca-
os quaes elle nao anoja c 6 tomado peias \ do est entre a pella) e depois oscile ou hy- xas, com quatro tumores bastante volumo-
pessoas cujo gosto e olfato sao os mais sus- dropesia d veulre, que accumulaco de sos, no estado indolente, que a privava de
ce.'t;veis. i serocidade no peritoneo. pr-se de p ha muito tempo, com o uso
Hoje que o oleo de figado de bacalhao' E'sabido que o ferro um dos agentes do xarope alcohlico de veame e pilulas pur-
tem-s' tornado um dos agestes os mais im- mais importante para que o sangue se pre- gativas do mesmo, acha-se restablecida, e
-------679
Liverpool Vapor inRlez Imogene, commandante
287: W. Lee, carga algodo e outros gneros.
I lverpool-Brigue inglez Alexandra, capilo James
Goldswarlhy, carga algodo.
ate
de pedra.
portantes e preciosos da therapeutica, quem rpare e aperfeicoe de\ idamente, e por con- do uso dos medicamentos os tumores
descobrio omeio de tornar de um uso fa-1 segrate o mais propro para impedir o des- minaram pela suppuraco.
di para todos, prestou Km verdadei-o ser- envolvimiento destas molestias; mas sendo A Sra. D. Rita, moradora na ra de Santa
< ico arte de curar e aes praticos. I elle um efficaz excitante, sorbente esecer- Rita n. 13, primeiro andar, soffrendo do
Por isso nao podernos concluir methor \ nenie, i; claro que s associado como se mesmo mal ha muitosannos, poisque a ery-
Patachi americano John Chryttal tartana de
trigo e mais 5enero>
Rarca ingleza.Weeoi=bacalho.
Patacho oortuguez Furtocharque.
Barca ingieraMirrobacalhao.
Importarlo.
Hiate brasileiro Nuvaes, entrado do Maranho,
consignado a J. F. Novaes; manifestou 0 seguiu e :
15 machinas de descarocar algodao; a Marques
Barros & C.
12 saceos arroz; a Joo Francisco da Silva ;No-
vaes.
7 caixas e 12 fardos chitas, gangas, britn de li-
nho, lencos de cambraia, madapolo, riscados e flo
Observariio.
Suspenden do lamaro para Montevideo a su-
maca hespanhola Guadalupe, capilo Fontanelles,
com a mesma carga que trouxe de Malaga.
mensa! de 10 0|O no valor d-s aotae
to nao liverem sido iihritoids.
Secretaria da Ihesouraria de [aMDdader>rn.im-
buro 13 de novembro de 1865.Servlnde de 16V
cial-maior,
Manoel Jos Pale.
EDIT1ES.
' De ordem do lllm. Sr. inspector da la
ria de lazenda desla provincia se faa paaiieu eae
no da 18 do correle mez, as 2 huras da larfe,
peraule a junta da nirMi.a ihesoararu Mb a pn-
'.a para serein arreoiatados por qo^a araos
| lizer us conferios, pintura e caiaara 4 jor ac-
0 Dr. Tristao de Alencar Araripe, oficial da impe- \Z*** '"reto du Piaa. O oreaovnio rial ordem da llua e juiz de direilo especi-l do 'lrad0 Da ">ma iberuureira a< prete.).ni--> As
commercio desla ciJade do liecife de Pernainbu-
co e sru termo, por Sua Magestade Imperial e
Constitucional o Senhor D. Pedro II a quem
Dos guarde ele.
Fago saber aos que o prsenle edilal virem e
delle noticia tiverem que Autooio de Azevedo Car-
vallio int dirigi a petioao dotneor seguiute : Iilm.
Sr. Ur. juiz especial do commercio.Diz Antonio
pessoas a quem coorier a sobreiliu tremUrio
devero comparecer nesta mesau Ihe^oorar a
hora e da indicado.. Secretaria da r*ir-norana
d.- fazenda de Peruambuco em 10 de avataro do
1855.
Servindo de ofTiei.il maior,
Manuel Jos Pinto.
do que felicitando o Sr. Chevrier [or-sua acha neste urope. pode dar o resultado sipella atacava amiudadamente, depois que trig;ii*01sriraffra^;
rica e ti! descoberta que merece de ser que se espera, e a experiencia me tem de- tem tomado esse remedio nunca mais Ihe
propagada, e dizer com meu collega-o Sr. monstrade sera risco de oflVnder as entra- den.
Or. Richelat os tratfllhos que conducm as nhas. Outros muitos factos desta ordem deixo
descobertas d'esta specie devem ser pro-j Os elTeilos dos incitates, sao : promover de mencionar aqui para nao me tornar pro-
tegidos pelos mdicos, as secrecoes, e ab-or-.-es. augmentar oca- lixo eenfadonho.
Os importantes-trabalhos do Sr. Chevrier ,lor natural, e. remover acuellas dores que Sendo a erysipella urna mol stia que sem
sobre o oleo de ligado de uacalfeo Ihe ti- nasceui da falta dos movimenlos irritativos. duvida efeito de materia gerada nocorpo
zeram oliter um resultado nao menos im-'Os solientes sao lambis aquellos agentes, como expoera alguns esenplores de medici-
portante. o qual consiste em ter-associado oos quaes aiigmenian os movimenlos irrita- na, eem consequencia da febre laucada
ferro aooleo de ligado de bacallmo. O oleo ti vos, que formara absor<;Iio, e oss cernen- na pe le, onde produz infltmmaco, e que
de figado de baca llio ferrigimoso de Che i tes aquellos que augmentam os movimentos militas pessoas, por nao se terem conve-
r/t'r constituo talvez o mellior raeio de dar- irritativos que consii'-uem as secresoes. nienleraente tratado, suecumbem com o
se o ferro. Pois o iod.xo de ferro unido As-im. pois. ve-sr que sem a precisa combi- pernicioso uso de que, nos tres diasno de-
deste modo com o oleo de ligado de baca- naco e modificaeao nao 6de ser elle appli- vem usar de remedio alguna, o que faz-se
!ho se dissolve ina>s fcilmente nos liqu- c*do indisiinctanenie. Muitas vezes o pra- estender o mal por nao se ter a principio
dos das vias digestivas e por consequencia tico deixa de fazer applicacio do fer o por combatido ; por isso, pois, conveniente
se assimila muito mais bem do que sb a conhecer e snspeiiar qi o ligado, u bofe ou que, logo que alguem se sentir atacado de
forma de pilulas ou xarope. Emfim elle; pulmio, or. ao essencial da respiraco, oa tal raal, deve provocar a transpiracao toman-
perde assim suas propriedades irritantes, e! ou'ra enlranba est offodida; entretanto do ao principio urna colherinha de cha do
nao provoca a constipadlo. E' assim que'que, se se4ivesse appbcadoem tempo se xarope alcohlico de veame dissolvido em
os doentes, cujo estomago nao pode suppor-! poderia ter evitado o desenvolvimento da urna chicara de infusao de flor de sabu-
tar nenhi.ma preparaco marcial, tomara fa- molestia. Assim, pois, o xarope prepara- gueuo quente, adocaddo-a cora mais assu-
cilraente o oleo de figudo ginoso de Chevrier. 'co por uo (Tender as entr nhas. As mo- tamento, no fim dos quaes usara' do xaro-
Os senhores Maurrer & G. acabam de re- istias contra as quaes u xarope tnico re- pe de veame na forma presclpta no recei-
ceber um grande sortimento dos celebres frigerante pode ser applicado com pro veito.'toano, tendo todo o cuidado dse abafar,
azeites desinfectado de Chevrier e ferrugi-so: as amenorrbeas, ou suspencao do llu-afim de soar convtr.ienlemente, alem de
naso de Chevrier. xo menstrual das muiheres, anemia, ou di- conservar o ventre corrente, que conseguir
Vende-se na pharraacia de Pedro Maurer minuico da masa do saagne e sua ennsis- tomando urna ou duas pilulas purgativas do
VC. ra Nova n. 18. tencia alterada, dores de estomago, debili- mesmo veame.
. .. ae w l_ dade dos org is digestivos, f stio, fluxos Todos quantos suecumbem desta moles-
mucosos, flores branes, ci loruse, molestias tia se diz :falleceu de erysipella recolhi-
;do sexo femenino, caracli-nsada por lan- da ; ao contrario, alguns expositores pre-
No da 17 do crreme, depois da aoJwana
de Azevedo Garvalho, que sendo cr-dor de Louren- do lllm. Sr. Dr iuiz municipal da 1 vara, fca de
co Luiz das Heves, por uina letra da quantia de ir em praga para seren arrematados, um terreas
il9i71, de Justino Pereira da Cunlia, por duas foreiro, ua ra dos Osm trcicut-zia le Saau> Aa-
arroz, M) paneiros tapioca ; a letras na importancia, ambas de 889,5815, de Pe- Ionio, com 32 palmos de largura, 95 de fuado, le-
dro Antonio da Silva, por duas letras ambas na ira- chado p*la frente e do um lado rom orna porta.
Barca ingleza Mettor, entrada de Terra-Nova, portaucia de 6005, de Teriuiiano da Rocha Picada, pelo convento do Carino. Ho oolro lado co o
consignado a Saunders Brothers & C ; mauifestou por duas lras que ambas sommam a importancia oito da eau n i, e pelos fuios coro nal maro ;
Sfolote: ;de 1:925^800, de Heliudoro Possidonio d-^ Unto a visia do estado em que nrTin f 1 |-||Ihi*I Ilff
257a barricas bacalhao e 500 ditas farmha de Macedo. uor urna ouira da nuantia de 3750i0, de 3005000.
ter- de lia, 1525 saceos
ordem.
edo, por urna ouira da quautia
Jesuino Sergio Vieira Je Mello, por urna letra da
Barca Incleza TAiimitis, entrado Swansea, con- quautia de 52lO. e de Viceutu Vieira de Mello,
signado a Wilson & Hett; manifestou o segutnle :' por outra de i39770, todas vencidas e prximas a
354 toneladas carvao de pedra. prescrever, quer o suppiicaote interromper a pres-
------ cnpco dos mesmos Utalos na forma do an. 153 I
LPANDEGA DE PERNAMBCO. 3 do cdigo do coonnercio, e por que os aceitones
pauta nos pnEgos nos cuneros sujeitos a direitos sejaui ausentes em lugar nao sabido, requer a V.
tina pequna raa terrea n 3, na rna d" 'r-
mi', na rneuna fregonia, caaj 13 palmo* de vio-
na largura, 41 de filelos, con renarunvnin s*ra
niiH sala, e um quarlu por acabar, p^ojn a aasa-
tal, e sem ladrilho, lemlo urna porU larg.i na frea-
te, em Ierren arrendlo to con 'enio de y. S. 4o
('.armo ; a vi-ta do sea e>lado M avaliaila
de BXPORTAgAO.skmana db 13 A 18 do mez de S. que justificada a ausencia depois de tomada por JOJ, cuios bens foram r>nhorado< a V
a rei|u. masasa ov ajiivs-c
dantos.
10.
A jurubrba.
As virtudes therapeuticas da jurubrba sao desde
Ira^;/:^^^^ accloris;i,no paluda da cor ou suraera ser o desenvolviraento
bruto.
tura/,* et mr.iira tn.tiw omdmtate. senao as ..H.-iada, cmpi-liririinenio do sangue, Cao losan.ne, unto que o lugar iflamma-
Antiibas, onde o sueco das (otilas e fructos como eofartes-cliromcos das visceras abdominaes, do que, entao a sua cor era encarnada, se
aqui, amito estimado e applicado contra as obs- alporca ou esrrophulas, escorbutos, opila- troca em lvida ou negra e term na em gan-
ttjs~izn*g3tt tusa o: frjSfi-; t,s?.?g.osa vs^j grena> e t r ;aa,qae coir,ien!e
nao appheam com frequenda, isio se nao deve a 'f5 mole.-ti.^ sj(. ihik.; ,Mlinia un falta o xarope alcohlico de veame na infusao de
niio reconhecerem eiies essas virtudes, mas sim a de lorias; Iraqueza geral: e ha bydro|ie- tlr de sabugo, para se conseguir resolver a
nao serem encontradas com facitidade e em todas ta nazarea e ascites; teodo-se o nii'ado inflammaco, ou pelo menos terminar pela
as esiacdes do anno os trunos dessa planta, e a re- ,je observar tiestas .loas tiimas mok'stias supporacao, impedindo assim a cantirena
nT^TL^^Z;^^^^; Principalmente, e em todas as nutras, q,.e Os effeito's K^SSfiZISL
ser extremamente amargo. um dos eiieitis sali.tares de-te xaropa e te- applicado na flor de sabugo ao doente, nao
Ajurubeba nao descoohecida dos botanistas :. ro-ventre corrente, e as minas dc.ei.bara- so de vantagem por sua qualidade diafo-
esta plaa pertence familia das sotaneas, e tem cadas. retica como Dla anti-sentira nara "">i
adenominacao de solanum pamculatum, que Ihe v n ,,, ,, ( .0^.1 ,. ,, ,' r peld aDI1( sePuca Para
foi dada por Lvneo. in011" lle "^^-se e regular-so vai des- a putrefai cao as mo eatias.
)S^. .
chados
imped
Parecendoms conveniente facilitar o uso do ; criplo no letreiro pregado no frasco.
sacco dos tractos da jfwiteofl, que o mais em-1 V'ende-se unicauenle na botica da
pregado, nos propozemos e consegaimos preparar Oireita n. HH det
com elle nao s um extracto aicoolieo que pode ser
ra
iteooii
applicado em pilulas, mas tamliem um vinho, um
xarope, e un emplastro que pode substituir, em
certas casos, o de'Vigo ; e estamos persuadidos que
com isto prestamos um servlco a humauidade e a
bterapeatiea.
Pisoo, tratando da hydropesia, prescreve a de-
fnelo Oas raize> da jui-nbrba, e Moral e Delens, i
em sea Diccionario se morera mnlica e tlieru/ira-
lira, ili/.eni que iis Auolhas se faz uso do sanco
dos frustos maduros dessa plaa conlra o catar-
rho vesical; e a auloridade dos nomes desses me-;
dieos, merecidamente celebres, nos leva a crer em
suas palavras, b uor isto cuidaremos de ter em
nossi eslabelecimento essas raizes,para que possam
ser experimentadas.
A repulaco da urubrba tal, e os resaltados
Iherapeulic.os obtidos ulliinamente sao to impor
(antes, que nos parece intil dizer mais do qu(
isto, que Oca escripto.
Deposito: pharmscla de
Joaquim de Almeida Pinto.
/use
da Rocha l'aranlios.
I
tdencao
Xarope alchoolico de veame, preparado
pelo pbarmaceutico Jos da Bocha Paranhos,
estahelecido com botica na ra Direila n.
.S8 em t'ernambuco.
Este xarope incontesUvelmentesoperior
a todos os xaropes depurativos, de cuja
composiQao o seu nvuor ele ento a salsa
p-urilha, pois que se tem conhecido ser o
veame mais enrgico para a pronipta cura
das molestias, cuja base essencial depende
da purificado do sangue; assim pois se'
tem verificado por muitas pessoas que se
achavam desengaadas, as quaes acham-so.
hoje ivstabelecidas com o referido xarope
alchoolico de veame; entreunto que al-
guns, tendo usado do xarope de Curinier,
de Larrey, de salsa parrilha, de saponaria,
Oleo de figado de bacalhao, e outros agentes
desla ordem nada conseguirn!. E' elle de
fcil digeslo, agradavel ao paladar e ao ol-
phafi Alguns mdicos desla cidade e da i
de Macera o teera recora mondado para a cu-
ra das
Impigens, tinha, escrophulas,
Tumores, ulceras, escorbuto,
Caucios, sarna degenerada, lluxoalvo.
Todas estas aeccOes provm de urna cau-
sa interna; nao ha pois razao aguma em
crr que ellas se podem curar com remedios
externos. Tambera se prescreve o xarope
alchoolico de veame para o traUmento das
afecees do sysleoaa nervoso e libroso, Ues
como: i
GotU, rheumatismo, paralysia,
Dores, impotencia, eslerilidade.
Marasmo, bfpocondria, eanmagrecimento.
0 xarope alenoolico de veame sobre
todo, da raaior utilidade para curar rad-!
clmente, e em poueo tempo o rheuma-
tismo.
Adverte-se que o verdadeiro xardo eso se |
vende nesta cidade na botica cima indica-
da, do abaiso assgnado; e em outra qunl
duer parte que se tem annunciado niio da
mesma composicao, e nem o abaixo assigna-
d) se responsibilisa.
Jos da Rocha Paranhos,
Xarope tnico refrigerante de veame e de;
ferro preparado pelo pbarmaceutico Jos
da Rocha Paranhos,estabelecidonacidade
do Recife provincia de t'ernambuco, ra i
Direila o. 8.
Este xarope, que d tom ao movimento
musculaivpor sua qualidade frrea, ao!
mesmo lempo purgativo pela parte do ve-:
lame que era-erra, e refrigerante pela par-
te aci.ia, alm da precisa para perfeiu so-
lucao e combinacSo do ferro; este atacado
pelo acido fica em extrema divis3o, e as-'
HUA VIDA SALVA!
Niio temos conliecimento algum de nenhum
caso que tao perfeitamente mostr d'uina m*.
neira a mais clara e persuasiva o poder da
Seieneia Medica sobre a molestia ; qual seja o
de Antonio Joaqcim Pereira, da Babia.
Este bomem iaTeliz havia mais d'um anuo que
sofi'ria as dores as mais atrozes e pungentes
proveniente de
Treze
Terriveis C-hagas Abertas
espalkailas por sobre difierentes partes de sea
eorpo, sendo urna das quaes sobre o peito do p
urna funda e maligna chaga, a qual o privava
de andar, cauzando-lhe as dores as mais agonl-
santee quer de dia quer de noute; continuad*-
mente atormenta e quasi que aborrecido da continua(o de sim-
ilhante vida, tendo posto de parte toda a fe e
con fiama eruniedecinas, e na realidad e pareca
qu para elle nao Ihe restava mais esperanca
alguna; assrm pc>is resignado esperava com-
paciencia o termo final de seus mutiplicadoe
soffrimntoe, eis que milagrosamente por for-
tuna sua Ihe receitarao o grande purificador
do sangue
A Salsaparrilha
DE BRISTOL
e mediante a sua grande efficacia e cxceUencia
elle se achou dentro de pouco tempo, livre de
seu irremediavel t atado de desespero, e a doce
e risonha esperan ra tornou de novo reviver
em seu coracao; sob a poderoza e benvola in-
fluencia dustu admiravel medicamento, as suas
;hagas um breve principiarlo assumir um ca-
rcter favoravel diminuindo o aspecto de sua
malignidade A massa do sangue e mais
humores do systema tornou adquirir urna
apparencia clara e saudavel, as dores ator-
mentadoras d'outro ora o deixarao, e urna doce
e suave tranquiUidade principiou precorrer
todo o eu systema, restaurando-lhe a desejada
iz e socego d'espirito; as chagas urna urna
se Arto fechando ate" que finalmente se cica-
trizarao d'um todo, e hoje acha-se perfeita-
mente sao, gosando d'um perfeito estado de
saude, depois de se ter visto privado d'esta
grande gozo durante mais d'um anno. Elle
durante esta sua cura, apenas fez uso de
Desatis garrafas da Qenuina Salsaparrilha
de Briii.ol, preparada exclusivamente por
LANMAN & KEMP,
De NOVA YORK.
Beeommenda-ae mui particularmente aoa
Doentes d'ambos os sexos, que empreguem
toda a cautella na eecolha d'este admiravel
remedio, afim que nao obtenhao outra com-
posicao qualquer, que nao seja a Salsaparril-
ha Gemiina de Bristol, pois que todas as
mais preparacoes e imitAcoes d'esta natuxeza
sao falsas nao posauiodo virtude ajguma.
Vende-se as boticas dfi Caors & Barbosa
e C. Bravo & Q,
Na erysipella naodeveo enfermo n^s pri-
meiros tres dias us?r de comidas e bebi-
das que possam esquentar e inflamraar o
sangue.
A comida durante esse tempo deve ser do
reino vegetal, como sag, farinha do Mara-
nho. pao torrado bolacha, etc.
Anda nao vi expositor de medicina que
aconselbasse que nos primeiro> tres das de
acci.m i etiimentos do mal, nao fe usasse de
medicamentos; o que elles repeliera sao os
ungentos, {unturas que ubstruem mais e
repellen do que promovem a evacuado da
parte ; o que convm trazer o lugar ata
cado e bem agasalhado para ajudar a trans-
piracao e defender do ar.
O verdadeiro xarope de veame vende-se
na botica da ra Direila n. 88, de Jos da
i Rocha Paranhos.
Tenho recebido cartas de algumas pes-
; soas de ou ras provincias que me commu-
nicain ter desta cidade sido remettidoo meu
i xarope fa'siie do, que tem dalo resultado
, ao descrdito de minba preparaco, cujo Co-
11 hecimento se tem verificado depois dos ef-
teitos que taes remedios apresentava ; as-
sim, pois, tenho a declarar ao publico que
'no Ictreiro que vai i regado na garrafa do
xarope, sempre foi assignado por meu pu-
nho, e daqui em diante, alm desta assig-
natura o farei tambem no papel que cobre
a garrafa. Rogo ao mesmo publico que
quaiidu forem assim engaados, tomem tes-
temunhas, me remellara os rotlos falsifica-
dos e me parlicipem para fazer effectivo o
artigo 1G7 do cdigo criminal do Brasil.
Jos da Rocha Paranhos.
JURUBEBA.
Ery>ipella.
0 medicamento que ca m* influencia
A jurubeba urna das substancias medicamen
tosas, ao reino vegetal, e penence classe
dos tnicos e desobstruenles, sendo era prega
oa com vantagem contra as febres intermitentes
aiompanhadas de engorgitamentode gado e baco.
Ella tem sido applicada com incooleslavel proveilc
c.mlra a anemia ou chlorose, e hydropesia, catar
rho da hexiga e mesmo para combater a menstrua-
cao difflcil, resultante da mesma anemia ou chic-
rose. *
Extrato aicoolieo de jurubeba.
Emplastro idem.
Oleo idem.
Tintura idem de idem.
Xarope idem.
Vinho Idem de idem.
Pulas de ext. idem.
Deposito, pharmacia de Pinto, ra larga do
sano n. 10.
"'""TOMMIICO."
Caixa filial do banca Feraambuco.
A caixa descoma as letras de sea aceite pela '
laixa de 7 0|0 ao anno.
Oguarda-livros
Ignacio Nuoes Correia.
Novo Itanco de Peruambuco
0 Novo Banco piga o dcimo quinto di-
devindo na razio de 84 por accao.
Moto banco de Pernam-
bnco.
O Novo Banco desconta letras de praso at qua-
tro mer.es a II por cento ao anno, e at seis mezes
a 12 por cenlo, e toma dinheiro a praso fizo ou
em conla corrente pelo premio e conaifoes que
se convencionar.
NOVE.MBI10 0E 1865.
Mercadorias.
Abanos.........
Agurdente de cana ....
dem resillada ou do reino .
dem caxaca.......
dem genebra......
dem alcool ou espirito de agua-
ardente .......
Algodao em caroco ....
dem em rama ou em laa .
Arroz com casca
dem descascado ou pi ado
Assucar mascavado
dem branco .
dem retinado .
Azeile de amendoim o mendo-
bim ....
dem de coco .
dem de mamona
Batatas alimenticias
Bolacha o diara, pro ria para
embarque
dem lina .
Caf bom
dem escolha ou resto
dem torrado .
Caibros ....
Cal......
dem branca .
Carne secca (xarque)
Carne i ros .
Carvao vegetal
Cavernas de sicupira
Cera de carnauba em
|dem idem em velas
Cha .....
Charutos .
Cevados (porcos) .
Cocos (seceos) .
Colla ...
Couros de bol, salgad
dem idem seceos esp
dem idem verdes
dem idem cabra eortildos
dem idem de onca
Doces seceos
Idem em gela ou mis.
dem em calda
Espanadores grandes
dem pequeos .
Esleirs para forro he estivas
de navio. .
Estopa nacional
Farinha de de mandiejea
dem de araruta
Feijao de qualquer qupMidade
Frechaes .
Fumo em tolha, bom
Idem ordinario ou res
idem em rolo bom
dem ordinario ou restrio.
Gallinhas .
Gonima ....
Ipecacuanha (raiz) .
Lenha em aehas
Toros.....
Linhas e esteios .
Mcl ou melaco .
Miiho.....
Papagaios .
Pao Brasil .
Idem de jangada. .
Pedras de amolar
dem de filtrar
Idem de rebolo
Piassava ....
Ponas, ou chifres de
novilhos .
Pranches de aniarello
costados .
Idem de louro .
Ilap.....
Sabao .....
Sal.......
Salsa parrilha. .
Sebo em rama .
dem em velas .
Sola emjvaquela. .
Taboas de aniarello.
diversas .
Tapiocas.....
Taiajuba ....
Travs.....
l'n.i.-i- deboi .
Vassouras de de piassalva
Ditas de timb .
Ditas de carnauba
Vinagre. .
Allandega de Pernainuco, 11 de
1863.
(Assignados):
0 1.' conferente, loa
Unidades. Valores.
- termo o protesto e justificada quanto liaste o julgue
cento
caada
arroba
c
f

tolho
-secas ou
de dous
caada

arroba
libra
um
arroba
um
arroba
urna
libra
cento
um
cento
libra
i
um
libra
'
>
um
cento
arroba
alqueire
arroba
c
um
arroba
urna
arroba
>
cento

um
caada
arroba
um
quintal
um
urna
molho
cento
um

libra

alqueire
arroba
>
urna
duzia

arroba
quintal
urna
cento
por senlenga maudaudo passar carta edilal para
li$oOO que sejam devidamente cntimados. Nestes termos
800 pede dcferimenlo por mercAntonio de Azevedo
800 Camino
380 Na qual dei o despacho do theor seguinte : Jus
800 tiuque hoje ao nieio dia. Becife, 3 de novembro
900 de 1865.Alencar Araripe.
1 Em virtU'ie do qual fura a Delicio destribuida ao
45500 escrivo deste joizo Manoel Mara Bodrigues do
18^000 Nascimenlo, o qual lavrou o termo de prote.-to do
15300 llieor seguiute :
25600 Termo de protesto.Aos 3 de novembro de 1865,
25400 ua cidade do Rncife, em meu cartn, appareceu o
35700 suuplicaute a disse peranle mioi e as tolemuuhas
5512O iufra assignadas, que reduzia a prote>lo o conieudo
de sua petico relro, a qual exhibi e offereceu
25OOO como pane da presente qua fica sendo : e de como
15600 assim o dlsse eproiestou lavrei este termo, no qual
15000 se firmou com as dias testemunhas.
15200 Eu Mauoel Mara Bodrigues do Nascimeoto, es-
crivo 1 escrev.Antonio de Azevedo Carvalho,
350OO Auguro Luiz Pereira da Cunta, Joaquira de Albu
75000 querque Mello.
65000 E mais se nao continha em dito termo de protes-
65000 to aqu copiado. E tendo o sopplicanle produzdo
440 suas teslemunha?, sellados e preparados os autos
360 subiram a minha concluso e nelles dei e profer a
280 senten^a do theor seguinte :
580 Hei por justificada a ausencia dos supplicados,
35200 '\w ero citados por editos de 30 dias, para o fim
45000 requerido a folhas duas. i'ristao de Alencar Ara-
1500o r'Pf'-
35000 Por fora da 1ual referido esenvao fez passar
300 o presente edilal, pe) qual chamo, cito e hei por
300 entintados aos ditos supplicados, para que compa-
I55OO ream nesle jaizo dentro do indicado praso, alim
25500 de allegaren) o que fr de joslica.
155000 ^ Dara 1Ut cneBue ao cenhecimenlo de todos,
mandei passar o present-, que ser publicado pela
imprensa e afinado nos lugares do coslume.
Recife, 7 de novembro de 1865.
Eu Manoel Mara Bodrigues do Na>cimento
escrivo o subscrevi.
Jristao de Alencar Araripe.
O lenle Manoel Jo.- Pereira Borges, cavalleiro
quiiu da Silva Bibeiri
Jos Vieira ; escrivo
tiie* rao
DE
ci 5 un1
EMPREZA-COIMBRA
BeaQclo do actor lort
Quinta-feira 16 de novembro
de 1865.
Subir' a scena pela ultima vez o magajhco ra-
ma em 4 actos e I prologo
MULHERESDEMARinORE
Terminara' o espectculo <> m a liada ;Jn.t _
"to torquito
Comeyar as 8 horas.
em
45000
600
155
240
100
350
105000
15000 u'a imperial ordem da Bosa, e juiz municipal e
320 de orpnos nesta cidade da Victoria e seu ter-
500 "'" 45OOO Pcrnambuco, por S M. I. e C. o Sr. D. Pedro II,
25000' (JU Deus guarde, etc.
Fago saber aos que o presente edilal virera e
155000 d9"1* uoticia tiverem, que se correm pregoes de le
15600 e uos dias 23, 24 e 25 do crrente mez, das 9 s
15800 I' noras da manha, a parte da casa de residencia
4500011,'J>1" J'ozo, se bao de arrematar em piaca publica
25800 Por via de venda, a quem roas der pelos escravos
55000 crioulos, Andr de 45 annos de dade, sado, ava-
145000 liado l'or C^^ ; Urcula, de 38 annos de idade,
85000 mulher do mesmo, avahad por 0005 ; Aogel, de
s.jO'id "' anos de idade, lilha dos mesmos, avahada por;
55000 -:'"'J > Mara, de 30 annos de idade, casada com o
,-,,,() -lii=- 11 Seraphim, avahada por 6005; os quaes sao;
25500 l,erl"Ocenles aos orphaos Chrispim e Constantino,
255000 '"nos legilimados do fallecido lenente-corooel Ha-1
"25000 ,1uhI I)uarle da Costa, e vai a praca ex-officio, para portos do sol.
11J008 seu Pfelo ser ddo de emprestimo
65l>l'o
SW
15300
35000
55000
05000
800
400
15000
com os juros da le.
E para que chegue a noticia de lodos liz passar
o prestte, que se allixara no lugar publico doi
cosime e publicado pe* impreo>a.
Dado e passado sob o signal e sello de?te juizo, |
que ante mira serve, oa valba sem sello ex causa.
Cidade da Victoria, 13 de novembro de 1863.
E eu Antonio Ludgero da Silva Costa, escrivo
de orphaos o escrev.
Manoel Jos Pereira Borges.
MISOS MA1ITIM0S.
CoMPVMIIA BRASILEIM
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos portea 4o sai
al o dia 19 do corrale o aaor
Oijapork, commaadaale Castr
Co.-la, o qual depois da tmon
do coslume seguir' aara os
portos do noi le.
Desde j recebemse passageiros e enyaja-se a
carga que o vapor poder conduzir a qoal datera
ser embarcada no da de sua ebegada, >i> kbdvd-
das e dinheiro a frcle al o dia da .-ahida a S ar-
ras : agencia ra da Cruz n. I, escriplorio de Aa-
nio Luiz deOliveira Azevedo & C
Cbiiipaiiliia re paquetes a vapor eilre
os Esl dos-I nulos e o Brasil.
At o n SO
do eorrtair es-
pera-s 4 Rw-
York aa> !.- va-
pores da iviaaa-
ohia o qaai de-
pois da tierna*
do cosime, s-
guira' para as
Para passagens etc., trata roa
ao goveroo os agentes Henry Forsler & C, roa do Trapiche
n. 8.
205000
105000
15000
120
400
255000
55000
75000
25000
1405000
875000
35000'
25000
050. ni
200:
105000
85000
65000
500
novembro de
*anla Casa da Misericordia do
iteefe.
A junta administrativa da Santa Casa de Miseri-
cordia do Becife manda fazer publico que no dia
9 de Janeiro do anno viudouro ha ver concurso
nesla secretaria para provunonto do lugar de es-
crivo : os preleudents podero dirigirse a mes-
ma secretaria para as precisas inforoiacoes.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Be-
cife 11 de novembro de 1865.
Ooffloial,
Manoel Antonio Viegas.
COMPANHIA BhASILEIR
DE
PAQUETES \ VAPOR.
E espralo dos porto;. > Borlo
at o dia 17 do orrrnti, o vapor
Paran, commandanie capitao
de fragata Antonio Jodqnia da
Santa Barbara, o qual depon da
demora do coslume seguir' para os porto* de
sol.
Desdej recehem se passageirs e eogaia se a
carga que o vapor poder conduzir, a qoal devrnt
ser embarcada no dia de rat chegada, ene nc-
mendas e dinheiro a freie al o dia da sahida as
2 horas : agencia ra da Cruz n. I. escriptorto de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo A C.
caada
Sania
I uim Aurelio Wanderley.
Apf.rovo. Alfandega
vembrode 1865.A. Entallo.
Conforme. O 4." et
Pereira Rocha.
BECEBEDUB1A DE RIENDAS
RAES DE FEBNAMBUCO.
C^sa da Misericordia
do itecife
De ordem da juma administrativa di Santa Casa
de misericordia do Recite convido
quizerem arrendar as casas abaixo declaradas, fa
zendoos concerlos a sua cusa para serem descon-
tados dos alugueis, a compareceerem nesla ecre
O 2. conferente, Cuero Brasiletro de Mello. : tarla as 4 horas da tarde do da 23 do corrente
PARA O
Rio de Jaueiro
pretende seguir com muita hrevidade o paihabo**
nacional Piedade, lan parle do seu rarregMiteaiu
engajado : para o resio que Ihe falla e e^rravoa a
frele, para os quaes lem ejcellentes riunnoda,
fratase com os seus con>i^nat rio< Antonio Laa
i do Oliveira AzeveJo i (',., no BM escripiurio rea.
Para o Porto.
Deve sahir com brevidade o brigue pajejajaBj
as jssoas que | Esperanca, por ler a maior parte de seu bbjbbbb>
ment ).. tratado : .ara o resto e passageires tra-
ta-se com Cimba Irmos A C, na ra da Madre
de Dos n. l,ou com o capilo a bordo.
de Pernambuco 11 de no-
perlenceules aos estabele-
eodimento do da 1 a li
Idem do dia 15
mez, sendo dlas casas
cimentos de caridade.
criplurano, Joao de Assts Ra do Azeile do Peixe, casa de dous andares n.
53, particular, e 1 publico.
INTERNAS GE-; Ba Direila, casa de um andar n. 4 particular,
: e 33 pnblico.
CONSULADO
hendiraenio do da 1 a I
dem do dia 15.......J
16:0745446
1:0555577
17:130,8023
PROVINCIAL.
31:6915834
4:1695541
35:8615378
lOYIMENT DO PUMO
Navios entrados no dia 14.
Terra Nova32 dias, barda ingleza Melior, de 247
toneladas, capilo Jolm Craig, equipagem 13,
carga 2,575 barricas com bacalhao e 500 ditas
com farinha
.VC.
de trigo
15
Montevldo-30 das, barc 1 brasileira Idahna, de
382 toneladas, capilo J>aquim Goncalves Lar-
doso, equipagem 13, c rga 3,943 qhinlaes he
panbes de carne ; a J >o Francisco da Silva
Novaes.
Ro de Janeiro-14 das, balrca portugueza Corsa,
de 412 lonelulas, capilo "
iiiro, equipagem 15, a
ros; a Thomaz de Aquii o Fonseca.
Terra Nova30 dias, barc
250 toneladas.capitao Jol n Morrisb, equipagem
om bacalhao ; a Saun-
ALPANDEGA.
Bendimento do dia i a 14......
dem do dia 15...............
MOVIMENTO DA ALFBEGA.
Volumfis entrados com fazeodas.... 43
13, carga 3,0.0 barricas
ders Brothers C.
Port o Brasa (na Costa d'A
ingleza James Wilson, de
Johp Eduard, equipagem
toaPaterdi C
274:6655809 Rio Grande do Sul30 dia, barca brasileira iVor-1
ma, de 244 toneladas,
Prates, equip;igero 13,
carne ; a Maia & Espint
Navio sahtdos np mamo dia.
Rio de Janeiro Vapor in ;lez de guerra Lennet,
comiDaQ'J.inte Solway.
47.8665015
322:8315824
a Saunders Brothers
Rodrigo Joaqun Car-
rga caf e ouiros gene-
ingleza Netherton, de
rica) 30 das, barca
364 toneladas, capilo
9, em lastro ; a Jobos-
iapilo Frederico Jos
arga 9,500 arrobas de
Santo.
Secretaria da Santa Csaa da Misericordia do Re-
cife 14 de novembro de 1865.
O ofBcial,
Manoel Antonio Viega.
Faculdade de direito
De oedem do Exm. Sr. director se faz publico
que no dia 21 do correte, as 2 horas da larde, en-
cei rar-se-ha o praso de quatro mezes marcados aos
que se quizerem inscrever como concurrentes a
cadeira de ltiro, conforme ja foi publicado em
edilal de 21 de julho do crreme anno.
Secretaria da faculdade de direito do Recife 15
de novembro de 1865.
Jos Honorio Bezerra de Menezes.
Secretario.
Santa (lasa da Misericordia
do Hecife.
A junta administrativa da Santa Casa de Miseri.
cordia do Recife tendo leito e contiuoando a fazer
grandissimas despezas, ja com o cosleiro, j com o
raelhoramenlo dos estabelecimenlos pios que eslo
a seu cargo, manda avisar aos seus devedorrs em
atraso, e tamhem aos fiadores desles, que breve
meule far publicar pelo Diario a relaco dessas
dividas, e promover sua cobranza pelos meios
judiciaes.
Convido por tanto a todos aquelles que nao qui-
zerem ser chamados pelo Diario, nem atropelados
pela jostra a iralarem quanto anles de salvar
seus debaos.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re
cjfe 15 de novembro de 1865.
O officlal,
___________________ManoelAntonio Viegas.
O lllm. Sr. inspector da thesourana de fa-
zenda desla pr. vincla manda fazer publico a todos
os habitantes da mesma provincia, que em virtu-
de da circular do tribunal do Ihesouro n. 42 de 4
de oulubro ultimo, acha-se aberia na mesma the-
souraria a substituido das noias de SaOOO da 5-
estampa, e que em tempo conveniente se annun-
ciar o dia em que deve principiar o descont
COMfAN'IIIA PF.RNAMBUl.ANA
DR
Xavegaci cosleira par vapar.
Parahiba, Natal, Muran, Araeaty, Cear e
Acanta*
Segu no dia 22 do correle o vapor Mtimtrngna-
pe. commandanie Ralis. Kecebe carga al 1. dia
21. Encommendas, pasagriros e diorWro a frele
al 2 horas da tarde do dia d saluda : escnpk.ri"
no Forte do Matos n. 1.
Para Lisboa
sahira'com brevn'ale o bngue portaguez O
(ante II, recebe carga a rete e passageiro.
os quaes tem exrellentes commodos : rrala e
Manoel Ignacio de Oliveira Filho. ao largo dnCor-
po Santo n. 19, escriplorio.
PARA LISBOA-
vaisahir ciim brevidade o i>at.-n-ho r>riii!ro>'z aja
ria da Gloria., capilo A. B. Volante, MCaka nr-
gae passageir : ir.it-se com o ceaaajaalBVla E.
R. Rabello, ra do Prapiche n. 44.
Para o Rio de Janeiro segu m
o patacho nacional t F por ter parle de xa
carregamento prompio ; para o resto traa-*
seu cunsignatario Domingos Alves Maibea, ri
do Vigario n. 14.
tara o Rio de Janeiro
Vai sahir com brevidade o brigoe A de titee
por ler a maior parte de seu caweaaaj *
do ; e para o qu.> Ihe falta, trata se com o eenMf
naiario Joaquim los (nincalves Beliro :
do Vigario n. 17, 1 andar.
Coiopaoliia Pe roa abacaa.
A ea r ar i'i.
Os Srs. carregadores de lateadas oa qoaeeer
outros gneros para o Acarac pelo vapor Ti.iil
guape, sao convidados a mandi-los embarrar aaee>-
to anles, por isso, que sao es ultimo a
bordo.
Para o Rio de Janeiro
segu ero pouces das o palhabote oaciosai i
Malo,, que recebe anda alguma carga e
a frete, bem como passageiros, para o ooe leai ea-
cellentes accommoda^des : trau'se na roa de Tra-
piche n. 4.
rrmmw



Diarlo de pernambtfd -" |rfft Assa* e Cear
S'gue por estes das a barcaga aiada pede receber alguma carga ; a iralar do
caes do Hamos o. 3i.
iSHOBS.
LEILAO
A 16 lo -arrate.
Adamson Howie & C f.ir leilAo por interven-
go A'i agente liveira, de variado sorlimento de
superiores
Fuzeudas iuglezas.
6o forren^, as 1 horas em ponto com o numero
de pessoas que se acharen) presentes, em seu ar-
maren) na ra do Trapiche.
LEILAO
DE
De cerca le 3I,< 01) $ de prancbes
Je pinho c 1o,i0) ps de la boas de
pabo, p re do carregameiito da
barca ingUzu Mira k Celia, em um
011 mais bles.
So TBAPICHR DOBVHBOSA AS II HOBAS EM PONTO.
E Aruold Juuiur, capilluda barca maleza Mi-
ra A Culta*, arribada nesie porto, faia'-leilao com
lict-oca do inspector da alfandeza, em preseoca de
um empreado da mesma repartieao para o lim
Borneada, com assislencia do cnsul de S. M. Br-
Uuaica, por tutervenc) do agente Pinto, e por
cinta a riaea de qaeni pertenaer, de cerca de
4t>,000 ps d praaoMes e laboas de pinho, parte
lo carregamento da dita barca para ajudar a pa-
gar as despezas feitas com a mesma neste porto,
as 10 h'iras do dia I(5 do c Trente : no armazem
alfaadegado do Barbosa em trente ao Corpo Santo
lado do caes.
Fabrica de chapeos de sol de I.
Falque, ra do Crespo n 4.
Neste antigo e acreditado estabelecimento acha-
se sempre um completo e variado sortimenlo de
chapeos de sol de todas as qnalidades e precos,
tanto de seda e alpaca, como pao de todas as co-
res, para horneas, seuhoras e meninos, (Juanlo aos
procos sao os rnai razoaveis possiveis, tambem ha
um grande sortl i eato de pegas de seda, alpaca e
pao para as pessoas que quizaren! encommendar
chapeos de sol e mandar eohrir armaco-s servidas,
conc rtam-se os mismos, sendo todo este trahalho
feito com toda a perfolfio, presteza e commodo
preco : na ra do Crespo n. V_________________
Sociedade de seguros mu-
tuos sobre a vida
l'illlf
CURSO ESPECIAL
DK
PAEPAR ATORIOS
para o-i es tildan te* qne le ve bu
fazer acto em mareo.
Jos Soares do Azevedo, professor de
lingua e lilteratura nacional no Gymnasio
Provincial do Recife, tem aberto em sua ca-
sa, ra Bella n 37, om curso especial dos
seguintes preparatorios, para aquelles estu-
dantes que liverem de fazer exame em
marco prximo :
Lingua Franccza
Cicographla e Historia
Philusophia
Rhetorlca e Potica
As pessoas que se quizercm utilisar desta
indicada re-
I
sidencia, de manhaa at as 9 horas, e de
tarde a qualquer hora.
CASA DA FORTTI
los 0:000^000.
Rilhetes garantidos.
A benelicio das familia dos volmit i-
ris da patria..
i. 23 E CASAS 00 COSTUMB .
i venden pos seus muito feli-
xes bilhetes garant los da lotera que se acabon
le extrahir, a beneficio das familias dos volunta-
uinies premios :
843 com a sorte de 6:0005 '
3173 com a sorte de 4:2005
ora a sorte de OOSOCO.
irles de I00, 10*, 0* e
A'RA DO CRESPO
O abaixoassignad
LEIII
liu eoatinaaco
Do viiiiio tinto em pipas, o e 10
BOJE
Tneodoro Christian-em nao tendo acabado de
concluir por iniervencAo do agente Pestaa, o
leilo do vinho tinto, o fara* boje em lotes a von-
tade dos coaeorrentes, petas .0 horas da manhaa
em ponto no-largo da eseadmba da alfandega.
O banco Allianra do Porto tendo estabelecido es-
ta sociedade debaixo de sua immediala vigilancia
e respoiisabilidade, facilitn a creaco de pitaes, vantagem, podem dirigir-se
dotes, rendas, peosfles, isencoes do servico das ar-
mas etc., por meio de sobscripcSes nicas ou an-
nuaes, as auaes convertidas em inscripcoes da di-
vida publica, de renda nacional, e da mesma forma
os joros semeslraes que d'ellas se ^em vencendo,
ficain por um cerlo numero de annos em deposito,
al que, lindo o prato estiplalo, sao restituidas
aos socios com os interesses amontoados, hem co-
mo as c|ue pertencerem aos associaaos fallecidos,
fisto que d'estes sao herdeiros os sobreviventes.
Pela sngenhosa combioaco econmica adoptada
nos clculos desta sociedade, v se que, com uma, BILHETES A' 50000, MEIOS A' 25500
entrada anntnl de 901000, por exemplo, obtem se nnivrric *' i non
em 5 unos 4503000 a ooUSOOO, em 10 1:5005000 UUI*> iUS A l'1"-
a :0005(KI0, em to 3:5005000 a 1:500*000, em Corre te ra-lfii-;i 91.
20 8:0005000 a I0:0005'00, em 2o 18:000*000 a
25:0005000, conforme^ id.de do individuo sobre'rarja rua do Crespo II. 15, OS bilhetes,
qnem feito o seguro, pois que nos referidos cal-' fl |n.pr_
culos conta-se com a maior ou meuor probabilula- f'' eL de de duraco de vida. (ol-) a beneficio das familias dos volunta-
tsta sociedade sobretodo vantajosa aos chefes rios da patria, cuja extracco ser no dia
de familia, visto que Ihes facilita BOiO sacriflcio a g hora do COStUme.
fundaco de um capital ou dote para sevis filhos ou
tithas, segurando os quaudo nascem ou emquanto
sao enancas
rios da patria, os se>|
O bilhete inteiro n
O bilhete iuleiro n
Um meio n. 2143 <
E nnras tnuitas
lOfOOO.
Ospossuidores po lem vir receber seus respec-
* descontos das leis na Casa
Urespon. 23.
os da 6" parte da lotera
familias dos voluntarios da
bir lerca-feira 21 do cor
tivos prinios semU
da Fortuna rua dd
Acham-se a venda
(39'J a beneficio da
que se extr.
patria,
rente.
LOTERA
AOS 6:000#000,1:200^000
e 500000.
M
Veneravel o
A commissao abaix
reedificagao do sobr
Crines, convida os n
que qnrterem enean
i ver a respectiva thesou- ^pa'r"rt're,n "a rua
li/.er quaes
seus ornamentos
as
Jos
Joan
Ant<
Ti-nflo a irmaoi
da greja do Collegio,
conjunta, nianuar faz
Os premios de 6:0000000 at 103000
serao pagos urna tiora depois da extraccSo oapeila-mr de sua
Quem, "pois, mais circumsianciads informag-S at as i horas da tarde, e OS outros depoif m^.a regedora qu-l
de-ejar sobre tal soci-dade, uu se quner inscrever da distribtlic30 das lisias habilitadas a mamlai
como socio d'ella. dirija se a rua da Madre de ,,______.___,___' ._j j_. a examinarem a plant;
unja
Deus n. 28, onde se podera entender com Jjo Car-
los Cnelho da Silva, que para aso se acha encar-
regado,
Le Ido
O de vinho anndnciado pira boje no trapiche
Bubosa ica transferido para q jando se annuuciar.
- /
Motynt ix
LB1LOES
DE
trastes anus s, relo
/\fhix ilc alyiheira e parede,
ohjecLas le uuro trata, t,
bri det com arreis, escravos
de ambos os sexos, cystacs
e grande q oantidade de oh
jectos ilo uso domestico
sexta-feica 17 do correle.
m GRANDE ARMAZEM DE LE LOES
DO AGENTE
O LYIVI PO
3URua daCadela jo ttecite -3
, Leilao
Di sbralo de 2 andares da rua do Vigario n.
33, i'diiicadoeui chaos proprios.
l) urna ea
Vi-u n. 'ti, em eMosforeiros.
im< ditas da rua da matriz da Boa-Visia as.
10 e M
l.'.m morada de casi terrea da rua de Santa
Thereta. en OUnda n. 11, coin muilas accomtno-
dji.ies.
Sevia-feira 17 le ouliiliro.
O gente Pinto l-galnunte autorisado far le-
ri,i das casas cima meacionadas, as 11 horas do
n -upradito em seu escript irio rm da Crot no-
nn r- '_________________
As encommendas serao guardadas somen-
te at a noite da vespera da extracco.
O ihesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Sou'a.
0 Sr. BernnrdinoJos da Silva Hraga,
om este sim- que teve taberna na rua da Senzda Nova
tema vendido n. 2, queira vir a esta lypographia des-
manchar as objeccoes que poz na referida
"jo assignatura, visto enmo a pessoa que boje
tomn no corrente
PiiEgo.
Bilhetes .... C5000
Meios...... 3*000
Quintos..... 1*200
Para as pessuas q l enniprarem de 100$OOC
p;ra cima.
Oilbeies..... 55500
Meios...... 25750
Quintos..... 1*100
\NOEL MARTINS t'lUZA.
WAWHMVA A A1MIR
99 LA 00 MONDEGO 99
cposito ua rua \'ota n. so ioja de relojoein
0
est
deo 3* d< Carino.
i assignada, encarregada da
do incendiado na rua das
estrs de pedreiro e carpina
'gar-se da.= obras precisas, a
Nova n. 63, alim de ahi se
bras que quer, para darem
dono desie eslabelecimeolo parlecipa ao respeitavcl publio rpn- sua hbrt
montada com as melhores macliinas ijue eM.-ti.in na Europa, e <|ue (h.1,- faferrar
com Duelhur pe feicio possivel. Todo o choeulale desla fabrica ?r>t;i f-arantol... e A ptsr.i
o que nao se pode encontrar oaquelle que vem de fr^, e que se tcadi par pven Gut,
visto os producios sereu do pal. Na eliq eb ten s mpre una im
fuego.
Meta libra.....
Una libra........
Unta arroba......
vo
800
19^000
Na mesma feo ica acaba de se montar uma nflkiM com s.-rrari.i a vapor r.iri
obras de roarcineiria propria para edificio, pata o tm mesm -se f../.^r r.f^fa~
nellas, assoalhns (parqu francez romo se usa na Europa.) ludo ron brevMade eiJ'r
idedo Divino E*pirito.&oto feicao. Toma-se qtialquer encommenda para fra da cidade entretsV
r de marmore branco fino a 8
aqnim Lima Rn'ran.
um NrhVM da Silva,
uio Bernardo Quinteiro.
*-se prompta a
ApparcllioDubr mi de Pars.
l'boiogruptiia de algibeira
Os excellenles resultado- obtidos
pies apparelhii, faem com que se
cm toda a parte em numero consideravel, pois
que qualquir pessoa pode tirar retratas e paisa
iens com a maior faeildade. chejou a rua dt
Crespo n. 4 urna segunda remessa destes appare- esta com ella diz que a
Ihos, urevine-se, pois, aquellas pessoas que deixa-
ram de comprai por nao acharem mais, de preve-
nir-se com lempo ; a porcaj pequea : na rua
do Crespo u. 4.
" LIBRARIE~FRANC USE
t Kua do crespo n. 9.
Estao promptos para serena distribuidos
aos senhorea assignantes vinte exemplares
de Varella
CANTOS E POESAS.
JgSo iclii e recreativa \o\,i liiian||
.'_. Em virtude duque me fot ommnnica- ^g
.g do pelo Sr. director, convido a lodos os *j
H senh jres socios para comparecerem na gj
* sala da sociedade, as 11 horas da manhaa ktf
treja; convido de orden) da i
as pessoat que se acharem '
executar semelhanie obra,'
qoe se acha exposta na sua
sacrista, e a apresehiarem as snas prnpn-tas no
pra->o de 40 dia- conta los desta data. Consistorio
da irmandade. em 10 e nnvembro de Wi5.
O eserivio.
Inrmino dos Santot FreitM
Francisco B
Precisa-se alugaij
nhar e ni >init;ir : qi
de llirlholomeu, sobra
ou a roa da Palma n.
Precisa-se
Imperador n. 50,
Oompanhia
uma preto que sabe coil
em a tiver dirija-se a rua
lo defronie da cadeia n. 69,
il, taberna.
de un a ama de
segu o .-indar.
JM\J1
reral hespanhola de seguros
sobre a vida
\L
mil f UO-
me e nao com atra/.ados,
50 ifOR CNT DE
LUCRO.
Garante se a quem (la 4:000,5 a 8:000 r,;*ra
exeCQUr urna emprea garantida : qnein .qui/er
fazer este negocio avise sob letra B. W. a esla ly-
pographia, onde pode ser procurado.
O Sr. Antonio Garca tem uma carta vinda
de Santo Aniao. na pract da Independencia n 8.
~ Alofjflfew a casa terrea u. oi da rua da Glo-
ria : a tratar no armazem da rua da Moeda n. 9.
Precisa-se de uma ama para casa de familia:
na rua da Paz n. i.
- Precisa-se de 2:
praso, danrto-se para garanta cinco escravus de
valor : quem
procurado.
os quu
er iiar aucuncic para ser
Albir
jneiro
prnca
qualqiK
sua arh
do que
billsa-sf
como (ambem compra i
espera proteccao de sei
AUTOUISADA PELO REAL DECRETO DE H DE DEZEMBRO DE |sr,3
eite: na rua do [ lima laBea em diUer >, 'o,|(Osilii minisli-acao ra rompaiihia.
DIRECCO GBRAL
Oo a jurus e por pequeo
BANQEIROS UA COMPAA'IHA
Rasco de S5 .-
. .
3 a
7uir5l.: Roa do Prado, m
i) Biplista da Bocha, relo-
'lourador portoguez, na
i Independencia n. 12, faz
concert perb-ncente a
i.or pregos mais baratos
^utro qnalipier e respoosv
pelo seu trabaIho, assim
elogios em segunda mo,
amigos e compatriotas.
-!eiirt o.uiiio todas as rombiii.v;Oi-.- de 'uperTiTinci.. eos s^fu-
a>o ni'-.-ni'i ; r mor.
De
LE1L40
n>ti escmvo
Seiti-foira l" de nnvembro ao meio dia.
Oajente Pinto far leilao a reqnerimento de
Phtlippe Me.nna Gallado da Fon-era invenunante
e tutor de seus netos menores e por despacho do
illa. Sr. Ur. |uiz de orpho* de um escravo ca-
bra i.' nome Manoel, |)-rtenc-n e a s mesmos me-
ores. ao meio da do da sexta-tetra 16 do cor-
rente em seu escriplorio roa da Cruz n. 38.
LEILAO
da
Dd tali'eruaila rua Ve I lia n 33
O igmte Martios far leilao a reqoerimento de
ltiros 4 Silva e por maulado do lllm. Sr. Dr.
juiz especial do eommercto da armacio, gneros
e perteuees da taberna sita na rua Velha n. 33.
Sexla-feira 17 do corrente.
As II horas do dia na mesma taberna, os pre-
teudenies podem examinar o mandado em inao d.i
mesuij' agente a rua da Cadeia n. 9, pnmeiro
andar.
L,2I Se\ta-feira 17 do c.orreulc
Ka rua da Cadeia arniizcut u. .53.
Pelo agente Eu/.ebio.
O um sitio n. 21 ni principia da estrada de
Joi i de. lluros, confronte ao da Cscala do Sr.
Tun z de Carvalbo, terreno proprio, contendo
gra'i le osa de Tiveada, boa cacimba e melhor
agu de beber, conforme o trato, tanque, ca-a pa-
ra btnbo, eoeheira, qoarlos pira criada e muita>
ac i.n ludacoes qne soco n v;>ti satisfar, Ier-
ren i un gran-le frente e miior exteoso de fun-
do, (eia iravessa quo vn pira o Mingu-nh) po-
d-it reulhir terreno nos fundos, sem prejudicar
o .-iti pira njvas edili'a^o:s, sao convidados os
preteudentes ao previo eiame;_________________
LEILAO
De chapeos de sol, appare iios de porcela-
na, garrafas, vidros. latas de fumo ava-
riad is e perfeitas e outros muitos arti-
g-js de louca e vitlros.
Cordelro shues
po r <*oola e risco de quem perteucer far leilao do
que acuna esta mencionado.
S.-sia-felra 17 do correte as 11 horas.
N i armazem a rua da Gnu n. 57.
M do prximo domingo, 19, do crreme,
'?S a.i o de se proceder a eieicao do conse- J^ al@{K^ ^!^ ^J-.Sl:J
^g Iho administrativo a dos dote direciores, ^j Br> i T R71
m que tem de funccion.r de uovembro cor- M iSJJeiltiSta U6 riil'IambUCO.^
*$% rente a igual mea do anno prximo fu- -A; | jg|
m wfo,cono preceituaos ans. 34 e33 dos |3 m ua estrella do Rosario n. 3, m
*z estatutos em vigor. >** H Bi
ao pe da igrcja
Esta com:'mi,ia liga ,:.q..
ros sobre a vida.
Nelta pode i w nbsi: i" :... iie maiu-ira qne em nenboaa
segurado se perca o ca; ......uva juro correspondentes a estes.
Sao lio f i, r--ii -n.leiues os resoltados que [iroduzcm as sociedade.- da mle de.A MJktJt -
NAL,que ain la mosinu dimlnuindo urna ter^a par;: do lOteresse prodaiiilu em r- n:. tMh>-
ces eco iiiii nlj-j iii .i i.o lili ilo d.i tabella de Dcpai. ieux que adoptada pea rotataaio^
para seusoalsulos e liqjidaco >, em segurados de idade de 3 aI9 auno-, umai: aau*.
de 100* produz em '
ffertivo metlico:
No rtm de '6 anuos.
de 10
de 15
de 20 .
de 2o i .
1:119*300
3:Ma\|M0
ll:2OK*00
30:-2S6JOOO
HO::i:H4NK)
mm
Sala das sesses da directora da so- .';5J ^|
Ciedade recreativa N va Un'io em Per-
nambuco It de noverabro de 1865.
Gomes de Amonm,
P secretario.

1 m ii mmm mw% AMA
Precisa-so de uma ama quecuzinhe e engomme
perfeiiamenle : na rua do QueimaOo n. 28,

FRANCISCO PINTO 0Z0EI0
Colloca dente arliDeiaes "
pelos *y*i>iiiii uj is mo-
dernos
Emprega todos os meios scientficos para
conservar os naluraes. Pode ser procura-
do em seu gabinete das 9 horas da ma-
nhaa as o da tarde.
MAR!
conth!
A companhia Indi
da ne>ia praca, toma
bre navios e seus ca
IMOS
fugo em edificios, nr readorias e mobilias:
s na rua do Vicario n
MONTE m PIIPUL\
Aulorisado pela directora, convido aos senhores
socios effeclivos e honorarios e mus pessoas que
se quizercm dignar a comparecar ao acto do an-
niversario da intallacao desta sociedade, que lera
lugar no domingo 11 ilo correle, na casa da mes-
ma suciedade, pelas 10 1/2 horas da manhaa, e
bem assim ai acto.ila missi em aceto de (traca,
que sera celebrada na igreja de N. S. do Livra-
ment, as 9 1/2 horas deste mesmo dia.
Bernardo Falcan de Souza,
Io secretario.
Secretarla do Monte Po Popular Pernambucano
li de novembro de 1865.
orvete a 4Q rs
Todos os oas de 11 horas em diante, na rua da
Cruz u. 13.
Na rua do A n ir.m o. 27, vende-se um pia-
no de mesa meio osado por preco commodo, pro-
prio para quem quizer apprender.
Quem havera' qoe nao deseje gozar presen-
temente dos bellos banhos do OOSSO Capibanbe ?
pois bem, na povoacio da Varzea acha-se pira ar-
rendar por commodo prego um exc-llente sitio
com fructeiras, ca>a alegre e fres :a, cujos fundos
chegam a margem do referido rio : quem preten-
der ainja-se ao pateo do Terco nesta cidade, so-
irado de um andar n. 3G.
GmuiHi Mana Cird so Iteis agradece cor"
Ocalmente a todas as pessoas que uo dia 11 do
corrente se Jignaram acomp inhar > enterro de sju
presado marido Manoel Luir, dos Res, e convida
aos amigos di mesmo para assistir amanhaa, pelas
o horas da manhaa, a urna missa que maiija ce-
lebrar na oriem tere-ira de S. Francisco.
Precisase fallar
Paes de Mello barrete :
n. 94.
- Aluga-se urna ai.-.a
que Seja .-ada f na rua
Aluga-se uma p|e
bosta e de boa conduela,
fazer serveos de casa d
Velha n. 40.
ao Sr. Antonio Francisco
na rua da Seozalla Velna
Compra-se um escravo ou aluga-se, quem li-
ver pode dirigir-se na rua da-Concordia n. 64, pa-
daria do gaz.
Us estudanies do priineiro auno da Facul-
dade de Oireito maodam celebrar na matriz
de S Antonio, sabhado 18 do eorrente, uma
missa pela alma de seu colleja Jos Francis-
co de An u:l i Cmara, > para isso convidan)
a lodos os amigos do tinado a comparecer
oa dita matriz as 8 horas da manhaa.
Francisco Jos de Cmipos Pamplona declara
que o Sr. Luiz Jos de Souza Leao d-ixou de ser
seu caixeiro desde o dia 6 de outubru do correle
anno. ___^_
BOTICA E DROGARA
DE
R. I\ de Sun A C.
Itua larga do Rosario n. 31
Remedios de Raduvay
Promplo alivio.
Pilulas reguladoras.
lUzclutivo.
Remedios de Kemp
Anacahuita.
Salsa de Urislol.
Pilulas assucaradas.
Agua florida.
Pasiilhas vermfugas vegetaes.
Chegados pelo ultimo navio viodo da america.
afea
Precisa-se de uma ama para cozinhar e comprar:
na rua do Imperador n. 57.
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os prodorto* sio mai i-m>-'ideraeK-
Prospectis e mus infonnaedes serao prestadas pelo sob-tHrector arsM promria.
Joaquini Fiu.'.a de Oliveira, rua da'Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista rua da Imperairiz o. II. estaba <^-i-
meoto dos Srs. Raymundo. Carlos.Leite A Irmio.
FOGO.
mnisadora, eslabeleci-
seguros martimos so-
tos, e contra |
1. pivimento terreo.
de lei.e forra ou escrava
fireiia n. 3, Io andar.
lente escrava moca, ro-
|com habilidades, s para
familia : a tratar na rua
ESTRADA
i >
Recife a Sil)
Pela superintendencia
vidados os Srs. acciuoisl
videudos das suas acedes
Ires (Indos em 30 de iuulib e 31 de
186i.
Escriptorio da coTipanl|ia n estacaj
Ponas 11 de novembro
)E FERRO
Francisco.
esta eompaobia sao con-
a receber o 2o o 3 di-
perlencentes aos semes-
dezembro de
Superio
Ao conlifrimento do
juiz de
Illustrissimo senhor,
I de V. S. o estado em que
Senhora do Rosarle do ba
seguintes factos que se te
Senhor, a mesa regedor
anno de 1863, passoo a
de Cinco
k I86S.
G. O. Mano,
endent e thesoureiro.
Im. Sr. Dr. provedor
kapclla.
vamos ao conhecimento
e acha a igreja de Nossa
ro da boa-Vista, pelos
n dado:
daquella irmandade no
ser juiz o juiz Francisco
Svesire de Mello, e denanjlo de s- r thesoureiro Joflo
Francisco do Nascimeuto, p qual por meio de suas
admoesta^oes deixou de fazer entrega de dous
rosarios de ouro de No.-s Senhora, e uem o juiz
empregou meios alim deq eo ex Ihesoureiro dsse
contas, e sim o con.-erva\a de mesa. O geral da
irmaudade Gamillo da Sil a Gama, fui quem atro-
pelou o ex-lhesoureiro ali
dous rosarios de Nossa
acontado irouxe um rosa
entrega ao juiz JoSo Fran
n de prestar cuntas dos
Senhora, e elle milito
fio em mesa e (ez delle
SCo Silvestre de Mello,
faltando outro ; nao obsta ite islo, Sr. Dr juiz de
Leili
uio
De m a veis, esenvos e ulros
Cordelro *iw5e
por ciati e risco de quem p-rtenc
artigos
Dadiva.
D-se um doce a quem entregar uma carta de
uma traidora que mora na rua que nao loila.
Ao seu amante morador na mesma rua a no mes-
mo sobrad >.....Bala cuja carta abrir' os olhos
do amante que de nada sabe..... E esta' sendo
Iludido pelo amor falso de quem nao.....
. ___________ Um Que tem pronas.
\ lenca o.
Vendem se de 15 a 20 casaes de pombos de
qualidade por muito barato preco coinpramlo-se
todos: na rua da Aurora n. 54, taberna jnnto a
capella ingleza.
Aluga-se urna morada de casa no lugar do
; Barro antes de ebegar a igreja : a tratar as Cm-
i co Pontas n. 40, padaria.
Aloga-se
por 165 mensaes uma casa terrea nova na rua dos
Prazeres da Boa-Visti n. 1 B, com salas, 2 quar-
tos bons, cozioha, quintal e cacimba : a tratar na
rua estreila do osario n. 28. ____________
Precisase de uma ama que saiba bem cozi-
nhar e comprar : a tratar na rua da Cruz do Re-
cife n. 56.
Furtaram da padaria da rua Imperial o- 33
um relogo patente suisso de prata n. 30613 ; pre-
vine-se a quem f ir offerecido o dito, (e aos senho-
res relojoeiros, que o dono provar a legtiraidale.
capella, o juiz lancou mi
entrega ao mesmo ex-lhesi
concert quo careca, n
ex thesoureiro f alguma
do rosario o fez delle
ureiro, por nm simples
o considerando que o
mereca, visto a banda-
ir o rosario, claro esl
les, o ex Ihesoureiro o
Iheira qoe tem feito. Coa ) elle Ihe deposita tanta
contianca, em Ihe reentro
que ha combinaco entre e
mandasse para a Parahybii, e Nossa Senhora cou
sem seus dous rosario : bor tanlo esperamos na
grande benevolencia, mandar uma commissao to-
mar conhecimento de tiu|o isto, porque nutras
Ana
Precisa-se de uma ama de idade para o servigo
de uma casa de pouea familia, menos engommado
e compras : na rua Direita, Ioja n. 47.
cousas mais se descobre, i
eleicao no dia 5 do corren!
sem reunir as alfaias
mesa.
Manoel do (taael ment Rosa.
Joao Ooaite
Canuto Basi
fio obstante ler-m feito
para os uovos eleilos,
piara entregar a nova
de Farias Tebaus.
i a no Ramos.
Furtaram
l avallo fu
na madrugada
i lado.
Precisa-se de um caixeiro de 14 a 16 annos
, para urna taberna na pvoa(ao dos Aplpucos e
1 que de tiador a sua conducta
do dia 10 para II do
Precisa-se de urna ama para casa de pouca eorrent do engenho Cassipim, na fregoezia da
Esitada um cavallo com os s
so talludo e inleiro, dina e
da npada at o meio deixad
a orelha direita cortada e na
familia : na rua da Cadeia n. o, 1* andar.
Achou se na freguezia de Santo Antonio om
T fara' leilao
d- ni tbilias de ja<:arad<'e amarello a Luiz XV,
inari'i'z.i-, m:sas, espelhos, saoctuarios, quadros
de lim gravuras. cadeiras. e outro* muitos arli-
*i. .V i misma occisii) vend-ra'um e-cravo de
<' Loareaco de naca i idade 50 annos pouco
SM.-'f'rTiV'do correte os ti horas aos capitTies de campo e
iV> a o'..- n a rm da CfO* n. 57.
V
fi
lellaJ
A, dd vqj tiuto, em lotes
res.
do
rvntadd
policia
200.^000 i*e gralificaco por cada nm
Desapparereu em principio do mez de outubre
prximo passado, de bordo do palhabote nacional
Arroto Malo, dous escravos de nome Roberto, por
appellido Macei, e Miguel, o Io de idade 45 annos,
pouco rna.s ou menos, crioulo, cor fula, estatura
baixa barba cerrada, nm pouco torto das pernas,
e com alguns cabellos brancos, tanlo na barba co-
mo na cabey.a ; o 2* alto, cheio do corpo, sem bar-
ba, falla grossa, representa ter de 25 a 30 annos;
cujos escravos descona-se andarem pelos arrabal-
A Semana (.Ilustrada e o Razar Volante do des desta cidade : quem os apprebeoder, queira
Rio de Janeiro assiguam-se oa rua do Crespo n. 4. i levar a rua do Trapiche a. 4 ou a bordo da dito
Tambem ba .coJieccu do 1 de julbo em diante. navio.
LEILAO
SesU-foira i7 do corrente as 10 horas.
jK + armizem do bari do Livramento.
XisfcijicBi"'' fara i leilaa pir ini'rveucao
ag
d<
4?IS0S BIEBS0S.
alnete de peito de senhora, formando um ramo
dentro de uma=0=- : quem for seu don >, dando
os outros signaos, receher do Rvm. Sr. vigario da
d la freguezia, na rua da Concordia n. 31,
mmmmmm' mwm-mmm
2a| Precisa-se de urna ama que saiba mu- ?M
B lo bem cosinhar e faga as compras para |S|
>^ casa de pouca familia : na rua da Cruz 7m
V* do Recife n. II, segundo andar. &rf
Precisa-se de offlciaes de alfaiate para jPJJ
JC "bra miuda. pagando se por eada 'flE
^g calca : na roa da Cadeia do Recife n. 38, J
3K priineiro andar. Jl?
Precisase da qnantia de 3005 por espago
de 3 mezes d-se por garanta em orna casa : a
pessoa que queira dar annnocie para ser procu-
rada
gnaes seguintes: rus-
inpete cortados, a cau-
do um espanador, tem
anca direita o segua-
le ferro J. F. : aqualquer pessoa a quem o appre
engenho ou nesta ura-
nia estrella do Rosa-
20*000________
forra para comprar
na rua dd Livriinenton. 25, segundo
na
Fomeiro
Precisa-se .de um forneiro
nhar bem o seu trabalbo :
Quarteis n. 16.
qpe saiba desempe-
i '.raur q rua dos
hender e leva-lo ao referido
ca a spu correspondente, na
rio n. 47, se gratificara' com
Precisase de uma anua
e cozinhar
and-r.
Precisa-se de uma arda que engomme
rua da Palma n. 41, sobrado.
Sitio para alagar
Aluga-se um grande sitio rom fructeiras na Pas-
sagem da Magdalena, a margem do rio Capibarme,
com excellenle casa, 2 sal; s, 8 quartos, cozinha
(ora. quarto para escravo e e trinara : a tratar na
rua da Cadeia n. 4, ou no sltl) do Sr. Rarroca.
Koga-se a pessoa aulornada nesta cidade, ou
procurador do Sr. Joaquim Jos de Almeida, com
botica em Macei, de apparcer na rua Nova n.
51 a negocio com o mesmo. !
Aluga.se o terceiro aadar da casa o. 88 da
rua da Imperalnz, o sitio ni 1 da estrada do Ar-
raial : no roa da Aurora o. 36,
DE
J. VIGNESa
M. 55. M]\ IvO lPKRiDOR 55.
Os pianos desta aniiga fabrica sao hoje hsv'i- conhertdos tiara que soja necp>.ario m-i-iir Mira a
KM superioridade, vanluganse garantas que ollerecem aos compradores, qoalidMM iMai um- ni
eis que elles tem deiiiiitivaim-iite cniiq li-t.iln s ibre ladea os que tem appareci.lo ne-u pn ;
soindo um teclado e machinismo que obedecem lodas as vontades e caprichos da- ptaaMa, i
nnea falhar, por serem fabricados de proposito, e ler-se feito ullimamente melhorameni.. mv
.asimos para o clima de-ie pan ; qoanto s vn/. s, sai melodiosas aflautadas, e por kan muito apraia-
reis aos oovidos do apreciadores.
Fazem-se confoime as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Rlndfl. 'le Par". -
orresnondenle de J Vigii-s, em cuja capital foram senara premiad is em todas a- np M -
No mesmo estabeleeimento se achara sempre um explen oeloores aotores da Europa, assim como iiannonicos a pianos aaranairui, aaafl tu do v. i, m -
recns commodose raznavels.
. CONSULTORIO MEDiCO-ClKlRiilC^
!)R. PEDRO DE 4TTAHYDE LOBO VIOSCOSO,
HKIHi. PIHTKIKO !: OPI IttlMHl
3 Rua da Gloria, casa do Fundao '3
0 Dr. Lobo Hoscoso d consultas gratuitas aos pobres toilos os-daa das 7 s II
aoras da manliao, edas e meia s 8 horas da noite, excep.o dos das saniiiii
Pharmacia especial Oomeo/mtftiea
.No mesmo co isultorio ba sempre o mais appropriad<> sortunento de carieiras
tubos avtilsos, assim como tinturas de varias dymnamisacoes e pelos preros seguales.
Carteiras de l tubos grandes. loOUO
* de 24 tubos giandes. 18000
de :5 tubos grandes. 24JO00
de 4K tudos grandes. 30-5000
de 60 tubos gran les. .%"$OoO
Prepara-se qitalquer carteira conforme o pedido que se 0/er, e com os reisealM
me se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca lOOO.
Sendo para cima de t cuslaro os presos eslabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 5U0 ris.
JLIVKO*.
A melhor obra da homeopalhia, o Manual de .Medicina Homeopalhicu do Dr. Jahr
dous grandes voltimes com diccionario............ 2l1>i>
Medicina domestica do L)r. Hering........... Ii)fla> O
Repertorio do Dr. Meh Moraes............ 61000
Diccionario de termos de medicina........... 3jO*>
Os remedios deste estibelecimento sao por demais conhecidos e dispensan por
tanto de seretn novamente recommendados as pessoas que qui/erem usar de remedis
verdadeiros, enrgicos e duradores: ha ludo do melhor que se |x'de desejar, n)>>t <)e
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada prepararn, e pnrtanlo a aaator
nergia e certeza em seus effeitos.
Caso de saudfi pura escravos
Recebe-se escravos para tratar de qualqucr enfermidade ou azer-se-lhe qu-iaper
iperaco, p ra o que o annunciante julga-se sulcientemente habilitado.
0 IraUmento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica,
funecionando a casa ha mais de quatro annos, ha mimas pessoas de cujo concedo se ano
pode duvidar, que podem ser consultados por aquelles que desejarem mandar aaw
lenles.
Paga-se 2# por dia durante 60 dias e d'ahi em diante I500.
Asoperaces ser) previamente ajustadas, se nao se quizerera sujciiar aos preco*
razoaveis que costuma pedir o annunc ante.
COMP4\HI4
Para a censtrurco de uiathinas
DE
A I.HI'KTHOV I-; IH>I 4. I %SM
New London, Cormectieur, Esta-
dos Unidos
Solicitam pedidos de descarocadores de algodao,
adoptados ao alodao sul-ameri> ano. Hao-se de-
dicado a nata negocio dorante 25 annos, e attende-
ro iraraediatamente a correspondencia que se Ihes
dirigir.
Ama de leite.
Precisa-se de uma ama de leite : na rua do Im-
perador n. 42, terceiro audar.
Para taar aanaas aeaur,
Aluga-se em Olioda a ca-a terrea n. 16
na ladeira da Miserirnrdw. a qo.al minio frer
por ler a frente para o na-cenie, em s;innmMn a
rua do Bomlim, |ior onde >e ptVie ir un dir-iiar
at o mar ; tornando se mais prti e rnnt**odr :
o< pretendentes para ve-la achara a* rtuir* aa
taberna n. I da roa de M.thias Ferr-ira, e para
tratar na alfandega com Jos Mari < Seve.
Ha rtala it ris.
Precisa-se por algnm temp<>, ci boa aanra
juros : quem qniter dar, ane a esta ryanjripbu
sob as letras A I), onde pode ser proraradu.
Precisa-se
Precisase de um caixeiro
tratar na rua Imperial n. 37.
de nm caixeiro que teoha mniia pralica de Wia
para taberna : a I de faiendas. O qne aa#M ornas caadicfin a
I quizer dirija-se a rua do Crepo n. 17.
-----


Diario de ^eraaMlfeweo Quinta iclra iG e Vovcmbro de 1 na*
Ama,
Precisa-se de urna ama que compre, cozlntve
engomme, para casa do dnas pegonas : a trataron
ra da Crui, aroiazem n. 57.
Precisa se
Horlas a. 106.
alugar urna escrava : na roa de
Em casa de Tneod Christianscn, ra do Tra-,
piche-novo n. 16, nico agente no norte do Brasil,
de Rrandenburg frres, Bordeaux, encomia se-
fectivameme deposito dos artigos seguutes :
St. Julieo.
St. Pierre.
La rose.
Chateau Loville.
Chateau Margaux.
Grand vin Chateau Lafute 1858.
Chateau Lafitte.
Haut Santemes.
Chatean Sauternes.
Chateau Lataur Blanche.
Chateau Yquem.
Cognac em tres qualidades.
Azeite doce. Precos de Bordeaux.
mmmm mmmmm mu
tjt& Companhia iidelidade de seguros
martimos e terrestres
^< estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PEHNAMBUCO
^ Antonio Luii de Olireira Azevedo k C, $% I
I competentemente autorisados pela direc- t \
ffi toria da companhia de seguros Fidelida- *=?
JJfc de,lomam seguros de navios, mercado- ffft .
j rias e predios no seu escriptorio ra da \
m Crux n. l s ^m
Cilindros americanos.
Anda existem 2 de resto: na ra D-
reita n. 84, padaria.___________________
Precisase de- umbom cozinheiro : na roa.da
Aurora n. 32.
m

5R
i
m
&<<
ESCRAVA.
Precisa-se alugar uma escrava que saiha fa-er i
bem todo o servico interno de nina casa de familia,
excepto cozinhar : na ra da Cadeia do Recite n.
52, terceiro andar.
mmmwMmmmmm wmmm
m (Jasa de baulios m
'M Largo do Carino n. 2G.
Este esiabelecmenio lo bem montado |$j
na sua origen aehava-se de ha multo em 3*
quasi Completo adandouo pelo pouco in- jS
teres.-c de sua administraco.
Hoje que o novoproprielario rmpregou ^m
todos os meios para restabeler a grande WJ
otilldade desie eslabelecintento, pode as- ate
segurar ao publico que qualquer que seja j.
o numero do< concurrentes acharad des- p
de ja prumptido e aceionosbanlios fros, gfe
momos ou medicinaes, a casa dos ba-
os se achara' abena indos os das das
0 horas da mauha a* 11 da noile.
Precoz
Banho de choque......... 500
^ Dito (rio ou 'moroo........ 500
ffi Dito de farllo............15000
Dilo medicinal sera' segn-
:'' do sua quadade.
Assigoatora.
Jt Por mez banho fri cu momo.
fcj 25 eartSes para banho fri,
K momo ou de comisco.....
|IjR 12 cartdes para os mesmos...
4^ 12 ditos para banho de farcllo.
WmmUmiWmm m< 081*1 ^ot-ss*
garniel Power Jonnslon & (ompsnliia
Ra da Senzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
I'iiixli'iio de Low licor
Machinas a vapor de 4 e (> ca val los.
Moendas e ineias moendas para en^enho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
I
UMA GRANDE DESCOBERTA
OtEo
deFIGADOdeBACALHAU
DESINFECTADO
IHEDIU.rU
OE
HONRA
As propiedades medcaos do oleo de figado de bacalao forio unni-
memente rcconhccidas. Mas seo cheiro e seo sabor lo desagradaveis
toroso o uso d'elle muitas vezes impossivel, mesmo aos estmagos
os mais robustos e aos mais condescentes.
Por isso a descoberta do Snr. Chevrier que Ihe permettio de
desinfectar inteiramente o oleo de ligado de bacaltiao sem alterar suas
propriedades tem sido um dos mais tclu.es problemas resolv.los pela
therapeutica moderna.
O oleo defigado debacalhao desinfectado de Chevrier,
com um cheiro agraduvel e um sabor assucarado, o nico que nao
tem nem gosto nem cheiro de peixe.
Objeeio de numerosos relatorios scicntifcos elle'goza em Franca
de urna fama bem merecida, e receitado por todos os mdicos em
lugar do Oleo de ligado de bacalhao ordinario. Tendo as mesmas
propriedades do oleo de figado de bacalhau ordinario, usa se d'elle
nos mesmos casos isto as :
Mol<-iiii escrofulosas,
Hurliil ISmO,
Obslrticrao fia* glandes,
I laica pulmonar.
Molestias da pelle,
C.nadtulco lymphatlea,
Anemia, debllldade, fraquexa,
Maer.ra,
Pobresa da sangur.
Estoicamente par exeeasa de
(rabalha ou de praxeres,
Molestias das braneblas recca-
tes ou ebrsntcas,
Tosses pertinaxes,
Gastrites, gaslriilglas,
Dores de estomaga.
Elle convem a todas as compleicoes e a todas as idades, e tomada
fcilmente pcias pessoas as mais delicadas. Elle um poderoso socorro
para a alimentaco das criancas fracas e doentes.
Um folleto accompanha cada vidro e contera as observacoes medicaes.
Deposito em Pariz, na pharmacia de Chevrier, e em todas as boas pharmacias de Franca e do estrangeiro
OS PAHAGU.**.
J5* a oreru do dia I Acabar com os Para-
guayos a bayoneta, a mini, a revolver;
fulmirja-tos com os encouracados armados
de esporoes, armstrongs e raiadas de 80
120; extermina-tos em summa a espada, a
fa. ao e a piiuhal de que se trata; mas
Rival sem segundo
Ra do Queimado ns. 49 r- iS, Uja de
miudezas de Ires portas, est #, 1-
mando ludo liom 1 liarat, t|em ^*\-
zer ver t admirar venban \'y 4%
Bigoriiuho.
ningucm se lembrou anda de esmagar OS Caixas de papel amizade, e sem ella liso e pautado
Parnguayos com as armas que Deus nos con- a 60,rs; ,
* Crozas de boloes de looca
0 Oleo de figado de bacalliuu desinfectado ferruginoso de
Chevrier constitue o melhor meio de administrar o ferro. O
ioduro de ferro reunido com o oleo de figado de bacalhau,
augmenta a aeco tsb efficaz d'este ultimo, se dissojve mais
fcilmente nos lquidos das vas digestivas, se assimila muito
mais bem do que quando tomado sob a forma del pitillas,
xaropes, etc., enflin perde suas propriedades irritantes e nao
provoca a constipaco.
As pessoas as mais delicadas que nSo podem supportar as
preparares ferruginosas ordinarias, asquaes, principalmente
nos paizes quentes, tem muitas vezes grandes inconvenientes,
poderao com a nova descoberta do Snr. Chevribr, usar qo ferro,
um dos mais poderosos agentes therapeulicos, tomndolo unido
ao oleo de figado de bacalhau.
O oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chevribr, se emprega em todos os casos que o ferro I acon-
sejado ; julgamos intil de os enumerar.
LIQUIDACAO GERAL
cedeu; acbar com eiles a tacao e a ponta
ps, para o que necessario encouragar esta
parte do nosso corpo com os formidaveis
rompe-ferro, esmaga cobra, arranca ticos,
quetira marmore e outros que se vendem
4& RUI OIREITA-45
praleados falcada Mo-
derna a 160 rs. nj^
Duzias de peona de seo fazenda boa a-4# rs.
unlL' Ac Ivttnnn An Asa '-- J_ a. J *
1 Borseguins Bordeaux........ 8/?000
patricios......... 0)5000
para senhoras, en-
fei lados....... 5^500
com laco e fivella .. 4/Kiq
Sapatoes encouracados....... 5(J000
Borseguins para meninas bom
elast co................. 3U00
Sapatos de lona, sola elstica. 2000
avtlludados......... ^ l^tiO'i
# tranca........... 106OO
econmicos para se-
nlioras........... (5*>00
com salto de lustre..
Cbineloes do Por o..........
de la lisas e de linas ires a
para lin.par dente a MO
cs estreius coro 10 varas a
superiores s,sali-
Per;as de tranca
40 rs.
Escovas Cnissimas
3itl rs.
; Pecas de (la de
320 rs.
Caixas com clcheles fraocezes,
dades a 50 rs.
Tinteiros de barro, com superior tioia a 100 rs.
Pecas de cordo para vestidos, rateada boa a
20 rs.
Baralhos tnuito finos para voliareie a M)
240 rs.
Latas com superior haoha a 200 rs.
Frascos de macaba pcrola moiio lino a t# rs.
Frascos e carraonas com agua de CuWaia a
400 rs.
Frascos grandes rom superior agaa de Olooia a
640 rs.
Caixas coro 12 frascos de ebeiros muito fiaos a
1A400.
2;$40 Sabonetes pequeos de bolla a *40 rs. e fraad** a
iB/'A/| 320 rs.
.Q Duza de sabonetes pequeos roai rheiro a 70 rs.
Um competo snnnwto de calcado da Apua dezn.fice superior quadade a w rs.
' trra para homens, senhoras e meninas; Caixas com superior p de arroi a ooo rs.
assim como bezerro francez, COUrO de lus- Frascos V superiores essenrias saatal e ootr i
tre marroquins, taifas de todas as quali- Krafc?coro esencias para Orar -odaas d. r^.
dades, fitas para sapateiro, muito sortidas, aiOOrs.
I sola e couros que tudo visto necessariamen- Frascos rom cheiros de todos osarecr-s a 160,200.
&
NO
GRANDE ARMAZEHI DA h XPOSSQAO DE LONDRES
vssaeisjRdi.
60 Ra da Cadeia do Becife 60.
i te faz cobiga ao comp ador pela barateza.
ij Joao da Silva Ramos, medico, me- j
I dico pela universidale de '.'oimbra,
S d consultas em sua casa das 9 as *
i 11 horas da maohSa, e das 4 as 6 ^
I da tarde. Visita os doentes em suas\
Y casas regularmente as horas para
i isso designadas, salvo os casos ur-
f gentes, que sero soccorridos em
qualquer occasiio. Uconsullas aos
s pobres que o procurarem no hos-
0 pital Pedro II, aonde encontrado
B diariamente das 6 s 8 horas da
%$j manlia,
Tem sua casa de sade regular-
la
105
I0A
105
Todos osartigos abaixo mencionados foram comprados recentemenle pelo dono do estabelecimento as principaes fabricas 5 mente montada para receber qual-
f? quer doente, ainda mesmo os alie-
nados, para o que tem commodos
apropriados e nella pratica qualquer
opperacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe. .35000 diarios.
Segunda dita... 30500
Terceira dita .20000
Este estabelecimento j bem
<8 - por ser a dinheiro, por isso vende todo e qualquer artigo barato, por menos do seu valor, e mui principalmente por qu*rer inleira- i&.
mente liquidar e ter de partir mui breve para a Euro; a.
Ha neste vasto armazem ric. s objectos com brilhantes, como boloes, anneis, rselas etc., e bem assim diversas obras de
ouro, como trancellins, correntes, anneis e mui tos oulros arligos, relogios de euro inglezes do afamado fabricante Bennettc; com-
pleto sortimcnlo de fazendas finas e modernas ; miudezas, perfumaras finas dos principaes fabricantes inglezes e franceZes, como L.
T. PIVER, Lubin, L. Legrand, Ed. Pinaud & Meyer, Deletlrez (Perfunierie du morid lgant), Violet, Sociele Hygienique, Mompelas,
SS |Mailly, Regenier, P. Gue.land, e ingle/.as de Eug. Bimmel e outros; ricas galanierias em marfim, madreperola, etc., fabricadas na
-; China e no Japio; ricas pegas de crystal fino como ainda nao appareceram nesta cidade, e bem assim modernos lustres para velas.
240 e 320.
Frascos bonitos com cheiroc. fiaos a 500 rs.
L)u?a de imias muito finas para seakora a
4800.
Gollismas muito finas para senhora a M rs.
Caixas com soldados de rhnmho para menino a
160 rs.
Pecas de fila d.* laa rara debroa de vestido, roa
10 varas a 000 rs.
Dits de bicos superiores, para acabar a COO o
800 rs.
Pedras de lousa para meninos a 160 rs.
Buneco? de choro e panno a 160 rs.
Caixas com b.tnilpsestampa [.arar.ir a M r=
Capachos cumpivdos, boa fazenda a 500 rs.
Grosas de boloes peijueao* pretos para eai^a a
100 rs.
varas de rordao de espartilho a 20 rs.
Novelios franrezes com 20>' jardas a 40 rs.
Pe^as de tiras bordadas a Mt
Duzias de meias croas roui'o f'Vles e superiores a
35500.
A LE6ITIIM
SALFAlllM
9-U
W< ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, casticaes, enfeite- e adornos para cima de consolas e para grande loillette, o que se tem g| acreditado pelos bons servidos que i
^Ijfeito de rnais elegante em Paris, Londres, Birmingham etc.; modernos apparelhos de metal fino inglez para cha ecaf, os quaes em gt tem prestado.
nada sao inferiores prala, e muitas oulras pegas do mesmo metal, ricos pentes de tartaruga da ultima moda para trongas de senho- 5' 0 proprielario espera que elle !
* continu a merecer a confianga de **"
<-^n-:m>-
Arreios d carro para um e dous cavallos.
Relogios de onro patente inglez.
Arados americanos.
Ma< binas par i 'iescarorar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Notas do banco do Brasil e das r.xas Bliaes
doscoiium-se na Iravessa das Crozes n. 8.
O Dr. Carolino Francisco de Lima San-
! ocutina a morar na ra do Impera-
dor n. 17, segando andar, tendo alias seu *R
(rabinete de consultas medicas, logo ao %M
y*} entrar, no primeiro.
H O mesmo doulur, que se t.m dado ao S*j
^| estado tanlo das opera<;5es como das mo- 5
I '.-lias internas, prestase a qualquer cha- S5
j mado, quer para dtnlro quer para fra B*
-,:. lia cidade. ^S?
Na praca da Independencia n. 33, loja de
ourivp.s. compra-:e ouro, prata, e podras preciosas,
e lambem se faz qualquer obra de encommenda, e
todo e qualquer concert.
Da -e bolos de ven1asem as 10 huras do
dia, e pafra-se a lustao por pataca : ua bolica do
pateo do Carnio se dir.
ras, excellenles luvas de pellica do afamado Jouvin, apparelhos de porcelana fina para cha ecaf, ditos para jnntar, e inmensos arli-
gos de porcelana fku dourada, como ricos vasos para llores, figuras, etc; calcado dos principaes fabricantes de Paris e ditos de pan- fe\flue sempre tem gozado,
no com sola de borracha, pianos dos celebres fabricantes Pleyel, Wolff & C, realejos modernos de Gavioli & C, para se tocar na .'
ra, ditos com figuras *para saldes e d i tos com figuras em movimento; modernos e bonitos instrumentos de physica (mgica) para
thealros ou sald>s, ditos di pbantasiuagoria; lanternas mgicas, cosaoramas com vistas novas, dia e noite; stereocopios de nova in-
vengan e com bello sortimeoto de vistas das principaes cidades da Enropa; grande sortimento da brinquedos finos para criancas, e
bonecas fallando papae e mame ; grande sortimento de candieiros a gaz, o que se tem feilo de mais elegante e que tem
merecido toda a aceitagao na Europa, grande e magnifico sorti i ento de ca xinbas, cestinhas e outras galanteras feilas d-^ crina e seda,
proprios para presentes; grande sortimento de estampas fin s coloridas com o fundo preto e de outras de todos os santos, ditas com
figuras editas cun novas paysagens para cosmiramas, finos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello cliafariz de crystal
proprio para meio de mesa de jantar ou para jardim; culelaria fina, como talheres com cabo de metal fino, colheres, thesouras finas,
ditas modernas pira alfaiatcs, navalhas linas, caivetes e outros arligos, diversos artigos feitos de rame; completo sortimento de
mascaras de vellido, setim, cera, papelao e rame 5 doces confeitados e chocolate em caixinbas e em vidros; camas de ferro de todos
os tamanhos, lavatorios, etc.; ricos quadros para cartdes de visita e ditos grandes epequeos para retratos; chapeos de sol, benga-
las, chicoiRs ediles para carros; machinas para fa/cr caf, ditas para batir ovos, proprias para quem faz po-de-l, bolinhos, etc.;
pannos par.: cobrir mesas, bolsas grandes e pequenis para viagens, e outros artigus, como cobert res, malas, etc.; sortimento de
violoes finos; fi. aras finas e jarros de alabastro ; galanlarias e. outras Degas de chai ao para toillelle; machinas para varrer o chao,
excellentesmachinas para phutographia para tirar relalos, grandes e pequeas; lindos baoes de papel Gno transparente e lanternas
coloridas para illeminagoes moda do P.uis; salva-vida de borracha, para homens e senhoras, proprios para quem toma banhos em
lugares fundos; ameixas novas em caixinhas, biscoutos inglezes em latas, queijos, etc., e muitos outros artigos que para ennumera'
ios seria nm nunca acabar, e todos se vendem barato e muito barato, no grande armazem da Exposigo de Londres, na ra da Ca-
**
C0MP11S.
1 ia do Beciie n. >0.
a\l
\^1^^
d'
NO GRANDE All-
MAZM.
DA RXPOSICAO DE
LONDRES.
Para completa liquidacSo vendem-se, por muito menos do seu valor, perfumaras muilo finas e novas chegadas recentemente
de Pars e de Londres dos mais afamados fabricantes seguintes: E g Rimmel, R.Matheus &C, Lubin, Sociedade Hygienica. Piver,
i Violet, L Legrand, Deletrez, Pinaud & Meyer, Regnrer, Mailly, Gillet frre, etc. etc., dos quaes ha grande sortimento (Tagua de
Precisa-se de uma ama que s-iba coser, engnm- Colonia em vidros e garrafas, agua de lavando, agua para limpar denles, oleo babosa, extractos em garrafl has e vidros de differen-
mar e lavar, para rasa de familia : na ra do im- tes modeles, pos para limpar denles, banha em potes c em vidros, pomadas, ricas caixinhas e balainhos com perfumaras para fazer
' :. ,ana!!L_-------------- presentes, e muitos outros artigos que se vendem por menos de seu valor, bem como todos os artigos em geral existentes no grande
, ~ ?'f sa-fH T ""i,n'no '""'"'"f- pra c:"-. armazem da Exposico de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
xeiro, prefenndo-se dos ltimos (llegados de pou- v
co : na ra da Hoda n. 48.
i I 4 !
k
K
m
t
Pessoa aii;uma faca negeio com Autonio
Franci>co d- Borges respejto a casa terrea da C,-,-a
Forte, em 'pie elle aprsente o ireito que Ihe as-
sivie. por isso que tem parle na casa snas cumia-
das, com quem elle aiada nao fez p.irtillia.
eMBaft.fllWxJ lsfl ta-'^s
\MX.m SJEs^i^';.. .mm
O hachare I gjfe
Fiaucisco Augusto 'ta Costa ,;,.
AD VAGADO
Ra do Imperador numero 6s>.
Ama secca.
Precisa-se de uma ama forra ou escrava quo se-
ja sadia e l-nha pratica de andar com meninos,
para lomar eoola de um de 11 imzes : na ra da
Madre de Dos n. 3_>, sobrado.
fM O Dr. Cosme de S Pereira conti- 8
I na a residir na ra da Cruz n. 53, Sjg
gt 1 e 2 andar, onde pode ser firocu-
S rado para o exercicio de sua prots-
^ sao medica, e com especialidade H
sobre e sguiote
3 Io molestias de odos;
2o de poito : *
3o dos igaos geni- m
ti urinarios. <
Em seu escriptorio os doentes se- H
1 rao examinados na ordem de suas 1
31 entradas comecando oirabalhope- |
! los doentes de olhos.
Dai 1 consultas ledos os das das m
* 6 as 10 da'mandaa, menos nos do- g
"* mingos. jg
Praticar toda e qualquer opera- M
? c5o que julgar conveniente para o ]
urompto restahelecimento dos seus gg
doentes. B
Ricos e modernos pentes de tartaruga para tranga de senhora, o que se tem feito de mais elegante at o presente: vende-se
1 por menos de sen valor para se liqu lar, no grande armazem da Exposigo de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
MJVAS MOTAS HE JOUVIN.
Vendem-se excellentes luvas de pellica, recentemente chegadas de Paris, tanto para homem como para senhora por menos de
seu valor, para se liquidar: no grande armazem da Exposigo de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
PHOTOGR^PIIIA.
No grande armazem da Exposigo de Londres, ra da Cadeia do Recife n. 60, ra da Imperatriz loja de Mr. Dubarry n. 8
e na mesma ra loja de mindezasn. 54, vendem-se excellentes vistas para quadros de sala e para albuns, como:
Porto.
Campo de Sant'Anna e Braga.
Amarante.
Vista geral de GuimarSes.
Porto, ra de Santo Antonio.
Ponte pensil sobre o Douro no Porto.
Villa da ponte da Barca.
Coimura.
VISTAS ME PEHNAMBUCO.
Tiradas na i ccaso em que S. M. o Imperador aqui esleve em 1859 :
Palacio da presiden, ia, a cavallaria acompanhando S. M. o Imperador no da 2 de dezembro,
indo para o Te-Deura no convento do Carmo.
Tueatro de Santa Isabel.
Ra da Cruz com a pyramide.
Torre do Arsenal com a illurainago na frente.
Passeio publico, na chegada de S. M. o Imperador.
Rna do Collepio com a tropa.
Pateo do Collcgio com o palanque.
IiGEM A' EUROPA.
Stereoscopios de nova invengan com ricas vistas das principaes cidades da Europa, como
Franga.
Inglaterra.
Italia.
Lisboa, etc., etc.
Vendem-se barato para liqudagao no grande armazem da Exposigo de Londres na ra da Cadeia do Recife^n. 60, rua|da Im-
peratriz loja de .Mr. Dub.irry n. 8, e na mesma ra loja de miudezas n 54.
DE BRISTOL
rmam uhicamehte pob
LA\1IA\ x HIT,
NOVA YORK.
Composta de substancias, gozatwlo d*>
propriedades emuniittn.eiik depurativas ;
Recife "PProvada pelas juntax icadr:. 1 1
dicina; usada.'i.os principis bosftai
vis militares e da marinba ras Anlilbas e
no eontinenteamericano; rectaria)pei-s
facullalivosos hais dislinctos do imperio do
Brasil e da America hespanlud
CURA BADICJkUDBTX
escrophulas, rbeiuuatismo, -.it.utc, eo-
frmidades venreas e mercuriaes. dMfai
antigs, mu plica e todas as Bolea
venientesdtim estado vkMM do >angue.
Emquanto existem varias imitagries e
falsificarnos, preciso a maior 'anilla para
(Jompram-se qnatro donas de parralas de vlnho evitar OS engaos,
de eaju' de boa quadade : na ra da Florentina A legtimo Salsa de Bristol vt nile-se f*
CAORS & BARBOZA
JOAO A C. BRAVO A C
Joo da C. Bravo & C.
Deposito geral em Pernan.M11> rna da
Crnz n.22 em casa de Caros & Barboxa
Silvio Guilberme de Barros compra e ven-
de cffectivamente escravos de ambos os sexos : i
ra do Imperador n. 79, terceiro aiu!;ir.
U01npra-.se ouro, prata e pedras pi
em obras velhas : ua roa da Cadeia do
de ourives no arco da Conceicao.
Ouro c praa.
Em obras velhas : cor pr na iraca
dependencio n. 25, luja de bilbetes.
da In
Compra se carosso (semeiile) de aliodao : no
armazem de algodao do Sau:iders Brothers & C,
no caes de AdoIIo.
Compra-se urn escrav de meia idade que
lenha boa conduela, sem vicio e achaques de qua-
dade algaina e que entenda de plantacao de si-
io : a tratar na ra do Vicario n. 10.
Vinho de caj
numero 40.
COBRE L TAO E
CHUMBO
Compra-se cobre, lalao e chumbo : no armazem
da bola amarella, no oilao da secretaria da polica
Na fabrica de charutos ecigarius compram-se
jornaas a 140 rs. a libra, e na mesma tem para
vender latas de libras e meias libras com fumo
americano e fum 1 do Itio de Janeiro.
\ 6000
o jopo do pedras para otabas
do Vigario n. I i.
veaJe-; l.- r .'.
ATTElCAtl
Compra-se uma vacca de leite sendo que
boa: na Capunga na taberna junto a padaria.
eja
ti
Precisa-se de urna ama para todo o servico
de casi de peora familia : na Iravessa da matriz
de San!" A tom< n. 8.
l'Tdu-se no quartel de polica uma patente
de capnao r-fjrmado do exereilo : quem achou,
qo 'rendo resliloi-la favor, peis ella s serve ao
duBj, que ticara sumrnmenie agradecido.
O abaixo assignado, na quadade de procu-
rador da lixm* Sr* I). Lucila de Jesus Soares Bo-
1 m iradora em Lislio, de^eja fallar corr. o Sr.
Ao publico.
II!
JM'M
DEPOSITO DE CALADO N
Fruncisco de Paula Carneiro, morador no
denominado Lucas, freguezia da Varzea.
Jos Theodoro Gomes.
\m
Acaba de sahir do prrlo VacSes dosystema me-1 jps
trico decimal por Jos Antonio ooes Jnior,
obra tnuito til nao s s pessoas do commereio, i ****
mas lamliem aos officiaes das repanicoes publicas;
vende-se a i& cada exemplar, as vranas uni-
versal, aoademica e franceza. ra do Imperador, e versas qua|dades, e por preco mui
na econmica, no arco de Santo Antonio.
Antonio Jos Rodrigue- Se
Vi
FABRICADO NA CASA RE UETEXCAQ
Ra \iva d. Ui.
Ahi se eucontrarao obras de di-
m
.. Jouza, nn ra do
r! Crespo n. lo, aluga sua casa e silio no Monleiro
i em frente ao ola'> da igreja, lendo o sillo porlo
! de ferro, cacimba com boa a - Precisa-se alugar ou mesmo comprar urna cheir, e a casa 4 salas, 7 quartos, e .-olo, a qual
preta de meia idade, que seja boa quiandeira : a muito tresca e esta de novo bem caiada, concer-
trat:ir na ru* dr Cruz da Recife n. 42, priraeiro tada e pintada : para ver, as chaves esto em a
andar. casa do Sr. Nicolao Machado na mesma povoaeaj.
si diminutos, a retalho e em por^oes.
*^ S se vende a dinheiro. jfff
mmmmm m&m mmm
Ama para casa.
Procisa-selalogsr uma ama para tod sarvigo de
uma casa : na becco das Roas o. 2, priuieiro
andar.
M
No armarem de Mills Latham & C., na ra da
Cruz n. 38, vendem-se os seguales objectos :
Man, ua ingleza.
Cerveja branca e preta.
Looca.
Riscoutos inglezes.
Oleo de linhaca.
Folha de (landres.
Saceos feitos.
Silhes.
VENDAS.
Vende-se uma cabra com um cabrito que d
meia garrafa de leile : a iratar na ra do Cabuga
loja n. 11.________ ^_________
Peonas de ema de muilo superior quadade:
vepde-se na ra do V'gario n. 24, Io andaj, es-
criptorio-
Na rua das Trincheira n. 2G se dir quem
vende urna negra de bonita figura com uma cria
de 6 meze*.
.Ilanual de coutas feitas
para compra e venda de sssacar: vende-se na li-
vraria econmica ao p do arco de Santo Antonio.
Em casa de riiipps Brothers
& C, a rua do Vigario
numero 2.
Vendem-se cofres de ferro [trova de fogo
dos afamados fabricantes Milner & Son de
Liverpool.
BARATA**
Xa loj.i lio Joaqun de Faria hachad*,
rua d Queimado u. 4o.
Neste acreditado e.tabelecimeofc eocontrario
os compradores um completo soriinie.l> d fazen-
das baratas, bem como roopas fetUs e por mf.iiu.i
a voulade m freguezes, para o que ha boas sas
miras, brins, etc.
Eolre as muitas qualidades de fazendas l.a as
.-euumles :
Madapolo fraocez muito en'orpad.i e lark'o para
saia, vara 440.
Saias bordadas com 4 pannos a 4-5-i i.
uas l.i'.l ni.13 uiiiiio linas coin 5 p.niK a 'J.
Raloes de arcos. muJerous a i}, 2-jUO e :t.
Ditos de mursuliua para meuiuas guarnecidos de
bico a ;.
Braminie de llnho alvo, com 0 palmos de largo a
22O a vara.
Len^oes de bramante de buho alvo oro su panno
a 35
Ditos de panno de linho a i.
Coberlas de chita francez
erior a 'oo
Guardanapos de linho aJamaseado*, dutia i-Vln
Lencos de cambraia 'branca para algibeira, tfaoa
15(500 e 25(500.
Ditos de dia de linho, dnzia 35.
Algodo eneslado com 9 j alies do i.irgo, Tara
15000.
| Cambraia para forro, muilo larga, peca 25800.
INJECCAO BROAV.
Remedio infallivel as agnorrheas antigs' 'i* niu'iu "">'. P*C* '*- W00
e recentes, nico deposito na pharmacia Diuadajascad par* .ort.nados, pa^.9
franceza, rua da Cru'. n. 22 e ao preco de Cortead* azmhas, padres mmmmm iseivad.
3,5000. a 45300.
! Ditos de dita com barra, moJeraos, a 75-
Cambrau orgaudys, multo lina, vara (50o rs.
Tarlatana verde, cor de Mea, azul e branca, vara
800 rs.
Grod-naples preto muito superior, covado IMM
e 25000.
Rogare ao Sr, Trajano Carneiro Leal, (cai-
xeiro) de vir artia Nova n. 51, a negocio que S. S.
nao ignora.
Grandes melhcras
as machinas imperiaes de coser-
Armazem u. 3G Broad-Way New York.
Estas machinas sao construidas pr nm novo
sysiema, com muilas e importantes melhoras, e
send) examinadas por habis peritos foram jHga-
das de summa perfeicao. A agulha direita o cose
perpendiculannente, com o ponfo de logada, que se
nao desmancha nem embaraca e que igual de
ambos os lados ; faz costuras perfeitas em toda a | moldadur, ferreiro, iatoeiro, etc.), sila na rua Iro-
quadade de tecidos, desde o couro at a mais fina perial n. 133 a 138, de 9tbenita. Jos di Sil, por
cambraia, tendo fios de algodo, de seda ou de li-, ter fallecido seu digno administrador o Sr. Prao-
nho, desde e mais grosso at o mais delgado. Co-1 risco Reniro da Costa, e seu proprielariu m aclur
mo nao tem rodas dentadas, por se ter evitado a | doenle. Tambem se faz negocio aparado eum os
menor atrito possiveL trabalha com facilidade e i escravos, vapores, machinas, alambiques de idus
sem contradiQoUMA MACHI.NA QUE NAO FAZ os tamanhos com seus perlenres, ele, etc. : qaem
kpro eiem a ocmsiao
Vende-se a fabrica de caldeiraria (inrlmive on
exclusive os esciavus com oflictna de codeireiro.
RUIDO ALGUM
T. J. Me. ARTHUR & C, fabricantes e proprie
tonos na casa supra.
pretender dirija se a' rua da Cadeia do R.cif- n. 4,
armazem do Sr. Antonio Valentn da Silva Barro
ca, ou a' roa Nova n. 35, loja de ferrageos.


,1 \
Diarlo de < eraa^uto t ulula e*,-,. itt de Xoveaabro de SStt-
a molestia ou iofeceno pecu-s Grande loia e armazeni o
lial conhecida pelo nome de
s-
crofula um dos males mais
prevalecentes e universaes que
ha em toda a extensa lista das
enfermidades de que soffre o
genero humano : disse um cele-
Pavao.
AfilN BHANC4.
't'olleiras de marroquim, com cascaveis
e sem ellis.
Na ruado Queimado leja da Aguia Bran-
Iua da Imperatriz n. 60. de Gama & Silva.
Tendo os propnelarios d'esle estabelecimenlo de
liquidaren) urna grande pon-rio de suas fazendas,
al ao rim do crreme aono, afim de fecharen co- ca n_ 8( Vendm-se cotleifas de maroquim,
tas e apurar diuheiro, resolvern) vender lodas as _...., ,,i u.
bre escriptor da medicina que fazendas com grande ahaiimento em precos, tanto: posponladas c com cascavci s, ou sem elle
mai todoamiPlI^miP m?rr?m -intM idos S StU* tntMTl ****** "u"co' e PeilliaS ll^lezastle8C0 e dilftdW.
lOUOS aqueites que moirem antea as pessoas que negociam em pequea escalla com *,_____. *.
da velhice sao victimas, ou dir- fazendas, que neste estneleeimenio encontraran f nov0 sorliineoto de pennas de ac que
um grande sorlimento ipie muio lites ho de agr-. a Aguia Branca acaba de receber, fieram
dar tamo em precos cuino em qualidade; assim tambern outras de metal domado e bicos
como mandam pelos seus caixeiroslevar as fazen-' ,, bem aCiDailtls e por essas boas e ne-
das e amostras nas casas das familias que nao po- .., r ... ,
derem vir a loja, ou dao as amostras deixando 0-' cetarias qualidades os seus acreditados Ta-
car penhor. bi cantes Perry C, as recommendam aos
s,\ tambraias lisas a 3'0OO, Da loia do entendedores a apreciadores do bom, valen-
directa da phthysiea pul- pavao. Ido mesmo a differenca que ha no preco de
de cambraia lisa branca e'umas Para outras, por que estas se tornam
continuacao de escrever

do
ta ou indirectamente da Escrofu-
3|W>- a :por si nao tao des-
tiva, porm a principal causa de muitas
outras enfermidades que nao lhe sao geral-
mente attribuidas.
E' uma causa
monar, das molestias do fiqado, do estoma-
go e affecroes do cerebro : Entre OS seus transparentes, tendo oito e meia vara cada peca,! mais dura veis na
numerosos symptomas achara-se os seguin- pelo barato prego de 35500, ditas muito tinas, por; assim pois quem deltas se quizer utilisar
tes -.-falla de appetite ; o semblante pal- 4*0o,5*,_ G at 105, sendo lapadas e transpa-iCom(,ra_]as a dDhero a vista : na ra do
alvum
martilento ao redor da bocea ; fraqueza e I
Venden-sc
pecas
/.< nn-rn* ,, ,.i i ., ,i,,,,,n rente*, assim cono corles de cambraia comsalp-!^ ,
e as vezes inchado, as vezes de uma cosa 2)5500: isl0 ^ M |ja armaem do Pavt Queimado loja daAguta Branca n. 8.
m transparente e outras corado e a- na ra da Imperatm n. 60 d Gama & Silva. iFraDJas CODI borlas
LOJA
Cortes dephantasia a 3^300.
molleza nos msculos : disgesto fraca e
appetite irregular, falta de energa, ventre
incitado e evacuaco irregular ; quando o
mal tem seu assento sobre os pulmoes. ume
cor azulada mostra-se em roda dos olhos ;: -em do Pavao, na ruda Imperaniz n. GO de Ga
quando ataca os orgos digestivos, os olhos ma 4 Silva-
tornam-se avermelhados :o hlito fi'tido,
e sem ellas para
cortinados.
O gallo canta e est
queimandot
Bom e baratissimo.
lina do Crespo n. 9.
Collares.
Collares anodinos ebetro magnticas Roier para
as crianzas nao morrerem de convulsoes pelo ba-
Vendemse os mais lindos coi les de pbantasia: i ~T l_ii. rato prtco de 4i.
com asmis lindas cores qce tem vin.to ao merca- A Aguta Branca recebeu um bello SOI ti-, HV Novidades
do, sends fazenda transparente que serve at para ment de franjas com bollas escindas
bailes, pelo barato preco de 3500, ditos brancos para cortinados, todas de novos e bonitos
fazenda muito fina a 4&OO0 : isto na loja e arma-
Cambraias de forro.
Na loja do pavao.
Vendem-se pecas de cambraias de fono muito
boas, pelo barato preco de 2> e 2:55(JO a peca :
isto so na loja e armazem do pavao, na ra da Ira-
a lingua carregada, dores de cabeca, ton-
teiras etc.
Nas pessoas de disposi^ao escrofulosa ap-
parecem frequentemente erupces na pelle peraiiz. | de'Gana&Slva.
da cabeca e outras partes do corpo, sao pre-! Cortes grauadinos.
disposas s a/feccoes dos ptdmes, do figa- \ a 10JU00, na loja do pavao
do, dns rins e dos orgaos digestivos e ute-; Vendem-se os ir
rinos. Portanto, nao smente, aquelles zenda de muita pi
quelles cm cujo sangue existe o virus laten-
te d'este terrivel flagcllo (e s vezes heri- 1
desenhos, cuja commodidade do preco est
em relayao a largura : acham-se ellas a ven-
da na ra do Queimado ioja da A guia Bran-
ca n. 8.
Jogo da paciencia on curioso enti eleni-
mento.
Na ra do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, acbam-se a venda por presos ra-
zoaveis, caixinhas com tabolas de madeira,
mais tmetoa 'gVanadinos, fa- quedas diversas pinturas dellas se formam
tibauasia que serve al para bai- (agradaveis vistas e paisagens, segundo os
rerdade
retenimento com o
apura a in-
As caruisinhas do Pavao. telligencia." Os apreciadores dnijam-se
Mendem-se as mais modernas camisinhas borda-: ra do Queimado, a dita loja da Aguia Bran-
ditario) estao expostos tambem a soffrer das ^rna^'ulS'v'inSo XSSJttftt' Ca 'n'-8' qe Mia M8felS-
enfermidades que elle causa, que sao : tas com manguitos, para acabar, a 15; ditas pre-
.4 phlliysica, ulceracoes do figa do., do es-: tas con manguitos para luto a 15800 rs., maugui-
tomago e dos rins : erupcoes e enfermida- tos e goliohas pretas a 15, linissimas golinhas de
rfes erunliWii da m< i-nta mi mmli ca'"braia branca bordada a 500 rs.. calcinhas para
aeseiupttrasaaiuus, losa ou erysipeta, meujna 6i0 rs Tom,ir^ de fi| e umbrala
barbullas, pstulas nasudas, tumores, rh- branca bordada a !0o0 : na loja do Patio, tua
cumacarbunculos. ulceras e chayas, rhea- da Imperatriz n. 00, de Gama & Silva.
Southeniliarqucs de cor.
Vendem-se southembarqoes de cor muito bem
enfeilados aS5, 65 e 75000 para acabar : na loja
e armazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Selva.
ryandv nittdernissimo.
Chegarstn os mais modernos organdys com os
mais mudemos (ladioes, Sendo qua.-i lodos listra-
malismo., dores nos ossos, nas costas e na,
cabeca, debilidades fe mininas, flores bran-
cas cantada pela ulceraco interior, e en-
fermidades uterinas, hydropesia, indigs-
telo, enfraguecimento e debilidade gerat
Aos pulmoes a escrfula produz tubrcu-
los e finalmente consumpeo oulmonar:
nas flannl-K Pita nrnrlii? incln-p'.; P tnrrnm d0<> co,no se usara a80ra- com as mais ,lodas Rores
. o lisas vendendo-.-e pelo barato preco de 900 rs.
se leers:
Bonitos enfeiles para senltoras,
A Aguia Branca acaba de receber um no-
vo e linib sortimenio de enteiles os mais
modernos e gostos inteiramente agradaveis,
e como seu louvavel costume os est ven-
dando baratamente a quem com diobeiro se
dirigir ra do Queimado, loja da Aguia
Branca n. 8.
Muas de ia para senhoras.
Vendem-se na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Mala mosca.
Na loia da Aguia Branca acba-s a venda
. o papel com composigo para dar bm as
nos orgaos digestivos causa a vara: na lija do Pavo, ra da imperairiz n. 60, moscas, sendo-o modo de usar facillimo, e o
desarranjos que produzem indigestan, dis-
pepsia, molestias do figado e nos nins :
na pelle produz erupcoes e affecees cut-
neas.
effeilo elhcaz: molba-se o pajiel e deixa se
ficir n'um prato, e nelle pousando as mos
cas, entristecem e morrem. Gusta cada fo-
Iba 4U ris: na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca n 8.
Diversos briuquedos c entrcteuiniento
para enancas.
A Aguia Branca na ra do Queimado n.
de (i .(..a A Silva.
Chales de eria a 2000.
Vendem-se os mais modernos chales de merino
estampados a 2500cada um, havendu tambem um
grande sortuneolo dos mesmos matizados que se
Todos estes males tendo a mesma on- vendem. a 65. 75 e 5000 : na loja e armazem do
gota, carecem do mesmo remedio : a sa- Parao, ra da mporatnz u. 60, de Gama & Silva.
ber : purificar e fortalecer o sanqm. Os Siil'OS (lo paTilO.
A sal*ia parrilha de .ivcr Vendem-se riquissimos sintos de litas do dtver-
C composta dos antdotos mais efficazes que "" e dourados con Bvela larga e dourada,
a sciencia medica tem podido descubrir 'asAm C!T0 fcD ll, .para C1,iea dos roe'ho"s .ei 8, recebeu-diversos brinquedos para crian-
para'S m S aSaffa e ^ a cuS ^^^IT^^JIT^^\^ sendo estradas de fe?ro, barbas e patos
de todos os males provenientes d'ella que ities h.-,o de agradar: isto s na loja e armazem elctricos, apparelhos de metal, lonca pinta-
contm virtudes verdadeiramente extraordi- ^ ,,avau nil rua a ln,p-rairiz n.joo, de Gama & da e porcelana dourada para almoc- e jan-
marias provado incontestavelmente pelas As toa,S. dc d tar e muitos outros brinquedusde madeirr.
curas noureis e bem conhecidts am-tem *. n fB *u*Kr.,ores toathasde hnho dasme-ique se vendem baratamente: na ra u,
wii.isiiow.eis t oeni lonucuu.is que ttm Hiures que tem vido ao mercado plo barassimo /, -mi ,,,;. nn,. ^ c
leito de tumores, erupcoes cutneas, erysi- preco de 95000 a duiia, ou 600 rs. cada uma, na vuunidu >, toja ua Aguia Branca n o.
pelas, burkulhas, nasudas, chagas antigs, N* e armazem do PavSo, na ra da Imperatriz n. eias pretas (le seda para seilOTO a
ulceras, rheuma, sarna, parches, hi/drope- VJ'de Garaa A Sllva- 500 lis 0 par.
sia tom quando causada por depsitos tu- VeDdem.M SZmiilm m*. A Aguia Branca quer acabar com a por-
beiculoso nos pulmoes. Dcblidade ge- ma brancas sendo da melnor azeada que temivin-
ral: Indigestan, Sgphilis constitucional e do neste genero, tendo noia roda, pelo baratissi-
Biqnissimas pulseiras 00 braceletes pa senho-
ra e para meninas a 15. 35 e '.1$, assim ono lin-
das voitas para pescoco a 35-
Enfeites.
Riquissimos enfeiles para cabeca coosa de mui-
to gjsto a 15300, 25, 35, 45. 55, 65 e 75-
Fivelas.
Riqusimas velas de madieperola e de tarta-
ruga, arsim como pretas.
Cruzes.
Riqu ssimas cruzes douradas porm o nelhor
goslo que se podedesejar.
Cascarrinas.
Bonitas cascarriihas com bianinbos de seda e
aljfar cousa inteiramenle nova para enfeites de
vestidos.
Binculos.
Bonito sorlimento de binculos com superiores
vidros para os amantes do iheatro.
Assim ctmo uns pequininos
que serve para enfeite de reltgio mais com excel-
lente vidro.
Seslinhas.
Riquissimas cestinbas com prepares para me-
ninas de escola trazer no braco, assim como de
vidro enfeitadas proprias para mimo.
Pentes.
Ripuissimos pentes de borracha com aro tran-
co de metal para menina segurar o cabello pelo
barato preco de 300 rs., e duzia 35, assim como
grande sortimenio de todas as qualidades para de-
sembarazar.
Escovas.
Grande sortimenio de escovas Dar roupa e pa-
ra cabello, paraunhas e para denles.
Lunetas e oculos,
Finlssimos lunetos de um e dous excellentes vi-
dros c aro de bfalo e de tartaruga, assim como
oculos com rame dos lados proprio para quem
sollre dos oculos.
Touquinhas.
Riqniss'
da e
Para o cabello.
A superior agua para atlingir os cabellos, as
barbas brancas e fazer conserva-Ios, os frascos
acompanha um rotulo que ensina a forma como
se deve applicar.
Para caspa.
Superior banha sem gordura com um frasco
ENCICLOPDICA
&S Ruada Emperatriz ariuazem
da porta larga &9.
Junio a pndfirla fradeczft de
Paredes Porto.
Neste eslalielecinieiito riiCbitrari o respeilavel
publico um variad" seriMnento de fazendas fraoce-
zas, inttlezas, sulssas e allenief, que se venderlo
por piec.ii cummudii.
Paredes Porto
Vende chales de renda de cores que revende-
rn a 18c esta vendendo por 65, i!i >s prelos, ta-
feada nova, 35,65, 85 a 205, un sortimenio com-
pleto de manteletes, capas e Hiuiambaiqm-s 115 a
:3. una da Imperatrizn U, junio a padarb fian
/a. armazem da porta larga.
Paredes Porto
Recebeu um completo sortimenio de iaasinlias a
UO, e 280 rs. eovados, para acabar, cambra.as de
cor a 240 rs. o covado, riscado escossez para rou-
pa de menino, fusilo de linlio a 420, 400 e 300 rs.
Ra da Imperalriz n. 52 junti a padana fianueza,
armazem da porla larga.
Paredes Porto
Receben para cortinados para cama (ranceza a
!15 a peca cambraia lisa lina a :',5 5 al 105 a
pega, cortes de lai lalana de bonitos g Stos a 35300
i 45, cambraia com flor de seda, gosu.s Inteira-
mente rovos a 40" e 300 rs. o covado, no armazem
da porta larga n. 32, ra da Imperatriz junto a pa-
dana Irauceza.
Paredes Porto
Recebeu pelo ultimo paquete um sortimenio de
ernzes com pedraspara o pesenco, bonitos ctxjneis
de Ia para pescoco de si nbora. Ra da Imperatriz
0.52, armazem da porta larpa.
Paredes Porto
Vende cortes de gorgora prelo para vestido com
Jl covados cada um :3500O, pr--deuaple prelo a
15600, I5R00 e -5 o covado, lias lizas finas a 100
rs. o covado, laas de qnadrinho para vestido, enla-
tada, a 320 rs. o covado. Ilua da Impetairiz n. 52,
armazem da poi la larga.
Paredes Porto
Tem para vender por prego commodo, pecas de
esguio de linho rom 10 varas a 75 85, panno de
linho para lenges a 640 e 700 rs. a vara, braman-
te de linlio de 4 larguras a 25200 e 25300 a vara.
Paredes Porto
' Vende cortes de cambraia bordadas de ricos
gostt-s a 105 e 125, ricos vestuarios para menina
e menino, ricos cortes de cambraia Mara l'ia a
105 e 205, tarlatana branca e de cr a 640 e 720
rs. a vara. Ra da Imperairiz armazem da porta
larga n. 52.
Roupa feita
Ra da Imperatriz n. 32 armazem d? porta lar-
ga junto a padaria franceza, encontra se mste es-
tabelecimenlo un completo sorlimento de paletos-
saceos e sobrecasacos, de todas as qualulades, cai-
gas, colletes, ceroulas, camisas, grvalas, metas,
chapeos de sol, ditos francezes para canees, por
pregos commedos, roupa para menino e outras
muitas fazendas por precos com modos, armazem
da porta larga.
o mesmo eilabelecimenlo encontrar o respei-
tavel publico, sen.pre um completo sorlimento de
ronpas fettas de lodas as qos>idades, como sejam
Novos vestidas ca loja do 1'av.ui a I0000.
Chegaram para luja do Pavo os mais ricos c
Manual de salde do Dr. A ver que t" de vestidos de cambraia transparente cornos
bue Gratuitamente nos limare* onde nia!s dcl"'ados bordados de ditTerantes cores a pon-
i.,it -,i,huii,i nenie nos tugares, onue l0 de ^uihit yifU0 testo geuerc a maior novl(ia.
Cao de molas pretas de seda para senhoras,
e ap-esar do muito maior pre,o que lhecus-
laram e o bom estado em que anula eslo,
comtudo est resolvida a vende-las a 3' 0
ris o par, aGm de que nin{;Uem mais calce
rueias prcasdealgodao, ag. ra pois apro-
iqnissimas touquinhas de LI de linho, de se- paletos de alpaca preta eoe cOr diios soh.crasa-
Se la nara crianca eos a 45 e o5, dtios de bnm pai Jo a 25800, 35 6
para WZ.halln 35500, ditos linos a 45, ditos meias eazemira a
3550O, 45 e 55, ditos eazemira s-ceos a 65, 7-5,85
e 10$, ditos sobrecasacos a 10 e 125. ditos de pan-
no saceos a 65, 85 <* 11*5, ditos s.ihr. rasacos a 125
e 255, ditos de merino prelo a 6, 75 105, cal-
gas de bnm de diversas Dualidades a 1800 a i-S,
ditos brancos a 25500 e 6500, ditos eazemira 55,
65 e 75, dilos prelos a 55, 65, 85 e 105, ditos
com agua propria para limpar a cabeca, os frascos meias cazemiras a 35 e 45, coletea de diversas
acompanha um folbeto que encina o modo como qualidades, seroulas fiaocezasde algudao, ditas de
se devp applicar, assim como agua balsa-nica, linho, ditas de bramaule a 25 e 25500, carnizas de
opia'-- poi para limpar denles. algodao de linho francesas de 25500 e -'5- Gran-
Banhas. de pecnincha neste genero, grvala? de tedas as
>i ando sorlimento de banhas em copos, em la- qualidades e brancas para casamento, grande sor-
las de foiha e em frascos de todos os tamanhos por tmenlo de meias para senhoras, ditas para horneo?
pregos menos do que en outra garte, assin como a 35, superiores a 35300 e 45-
nuitos eulros objectosque nao se pole mencionar
por boje
mero 7.
s no gallo vigilante ra do Crespo nu-
Chegaran para luja do Pavao os mais ricos cor- veilarem 8 qtladra e diligirciD- e ra do
Queimado, loja da Aguia Branca rf. 8. Tam-
bem vender as brancas a {'< o par, e des-
tas o nico defeito estarca um pouco tri-
gueas,
v
ii
rt
&m
de enfermidades que uascem da impureza
do sangue. Vede as certidSes no Alma-
nack e Manua
se ilistri
se veodesi OS remedios. de que tem vindo ao nercado, garantindo-se o te-
Este remedio o l'ructo de- kingns e labe- rem muita faseuda e enfeites sufflclentes para o
riosas experiencias, e ha nbutidan'les provas crr'f nangas, e vendem-se nelo^arato prego de
das suas virtules: posto q?e ollerecido ^^^^Au^"*"" *'*
ao publitw sob o nome de Sttua parrilha, e
composto de diversas plantas, algumas das 0t> esparlhos do Patio.
quaes sao superiores a melhor salsa parri- Ie?fID"8e era?lle vartado forl1""-"'0 de
\ 11.. espariillius os ruis Iieinfeilos que 1111 vindo ao ,
Iba no seu pudor alterante. 'morcads, sendo de iodos os lmannos pelo bara:i>- ^,J;!as e ,l,Ui'a ^llilS.ua ma da mperatriz n. 72
.i'tlOlt.tl. Ilt GEBSJ Iir AYER. simo prego de 45, 55, e 65000, por haver grande de Guimaroe Irmao, acabara de redozr os
sorlimento, na bja do I'avio, n 1 na da Imperatriz Dre?os de suafl 1**fa**s menos 23 uot cento do
o 60 de Gama & Silva 1 que em outra qualquer parle, afim He apurar di-
Vendem-se superiores'meias cruns inelezas pelo ; nnelro> assim-como seja liazinhas de quadrinhos
baratissimo preco de 45100 e 55O0 a duz.a, di-as ***0 escuras a 200 e 220, ditas mus finas a 3b
de lodas as qualidades para senhora, meninos e ^0 rs, diias irausparenles com lisias de seda
meninas, na loja do Pavao, na ra da Imperairiz
n.iGO, de Gama A Silva.
-Gura promplamenle a asthnia, bronchite,
tosse, delluxo, angina, coqueluche,
i'htbysica primaria., tubrculos
pulmonares e todas as
molestias pulmo-
nares.
Allivia es etlicos declarados.
Todas as molestias da garganta, do peito
c dos pulmoes pdem ser coradas em pou-
co lempo pelo i>i:itoiial de ciiua no dk.
ayo.
A' vendn nas principaes boticas e droga-
riac do imperio, e na agencia central do
Rg de Janeiro rita Direita u \l).
Veu 'e-se em P rnambu o:
na
Senliores e senhocas'
Os propriotarios da nova loja e armazem de fa-
60e
a a
l'm completo sorlimento de chap e sol de
alpaca a 35, ditos de seda a 55, "5. 0 1 115,
ditos francezes para cab ga, grande sjrtimento
a 65-
Pecli'mclia admiravel.
Grande sortimenio de chambres a 45600 e 53,
lences de cambraia para homem a 25 a duzia, di-
'- -
&m
IP.MAIIRER&C'f
-RUNYAN"
a 330 rsu ua loja do Pavo.
Laaziuhas a 320
Laazinhas a 32o
Laaziuhas a 320.
V'-oo.-se um grasde sorlimento das mais finas
I e mais bonitas laz.inhas matizadas i:om os mais
lindos deeenhos, sHodo fazenda que val cinco tus-
j toes, e-vende-sii pelo baratissimo preco de nma
I pataca o ovado por ser uma grande po'rco desla
linda fazenda : na loja do Pavao, ua ruada Impe-
! ratriz n. <30, de Gama & Silva.
Lazinhasiijariljaldiuas, s o Pavao vtude a 320
. e 400 rs.
320 rs.
Fazesdas proprias para a -testa.
Vendem-se as mais bonitas barones de lila e se-
da sendo escocers as mais modernas que tem viu-
do au merca Jo.pelo baratissimo prego de 5t0 o
covado, caspas fn.nc.ezas de uma s cor a 320 e
360 o covado, ditas com palmas solas sendo mia-
das e graudas pelo baratissimo prego de 280, 360
c 400 rs. o covaCu : isto na loja e armazem de fa-
zendas na ra da Imperatriz n. 72, de Guimaraes
& Irmao.
t.aias bordadas.
Vendem-se as mais bonitas saias bordadas sen-
do bstanle largas e muito bem bordadas pelo ba-
ratsimo prego de =65500 e 7$.
Vestidos de larlaiaoa muito lina sendo brancos
com barras de cores bordadas de la e seda sendo
os mus modernos que ttm vmdo ao mercado e
vend. 111-se pelo barato proco de !>5, 95500 e 105.
llantas dc owa pala homem.
Venem-se as mais lidas manas de seda para
homem leudo de todas as cores peto baratissimo
prego de 15300, 15400c 15500 : islo ut nova lo-
Vendem-se duas escravas recolhldas, de ida-
de 2-i a2i anno?. excollente conducta, enpommain
lerfeiiamente e fazem lodo o servigo de uma casa :
na travesea do Carmo n. 1.
Vndese um Ko em Bemfira a' margen de
rio Capibaribe, com hastantes eommodos para uma
grande familia : traase na ra Nova n. 24, das 9
lloras as 4 da larde.
Fartolia d mandioca.
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze-
wedo & (-., no seueseriptorio rua da Cruz n. 1.
Vndese superior *.. 4e algodao leito para
os-3r era machina, e proprio para saceos de assu-
'm: na rua do Vi gario n. 26.
Em asa de PWpps firoihers 4 (]., rua do
Vigario n. 2, vendem-se cofres de ierro, prova de
fogo, dos afamados fahricanies ililner & Son, de
Liverz*ool.
Je
Colla da Babia superior
Tem para vender Antonio Luiz de Azevedo &
C, no seu escriptorto rua da Cruz n. 1.
No Corre lor dj Bispo n. 15, vecile.ni-se dous
moleques f-xr, muito bjnitos e espertes, com lo e
16 annos.
i-arelo aUciSOO
saceos de 90 libras, ditos de miino a 45 : no ar-
n az.-.-ii ii. estrella, lar.o do Paraso n. 14.
Vendem-se sete moradas de ca=as era muito
boas ras na cidade de Oluida : a tratar na mes-
ma cidade com Luiz Jos Gonzaga e no Recife
eom o Sr. agente Euzebio, que tambem as vende
em leilo ou fora delle.
ja de fazendas na rua da Imperairiz o. 7
(.negaran pelo ultimo vapor as ma.s bonitas Ju.mares & Irmo
laazionas gantialdinas com los de seda, sendo to- r..i..:-i. j. i:..i, ..., !,,..
dos os padrees miudinhos com as mais lindas co- v ^'"nhos da hko para homem.
res a imitacao das sedas de quadrinhos, e aeabam- endem-se colanolios de hnho para homem
se telo barato jueco de um cruzado o covado, isto < os ms nodernos e m.lhores que ha no
peclnncba : na loja do Pavo, rua da Imperatriz "^"'o pelo baratissimo preeo de o5500 e 65 a
n. 60, de Gama A Silva. uzia.
Vestidos a i > Chales dc merino estampados a -.
Vendem-se cortes de vestidos a Mara Pia om ^dem se *")D"os chales de merm eslampa-
.barras bordadas, pelo baratsimo piego de 45000 *" Ho baralissimo preco de 25, ditos lizos de
Liquidacao grai
iLourenge Pereira Mendes Guimaraes, rua da Ira-
paratriz n. 56, loja e armazem da Arara, proprieta-
rio do grande armazem de fazendas e roupas feitas, tosjJe Iniho a 45 ^55-
tem resolvido fazer una nova liqnidagao de todas
as qualidades de fazendas que existem no seu ar-
mazem, que vender trinla por cento menos do que
em outra parle, afim de so apurar diobeiro e fe-
char coulas, por isso pede aorespeitavel publico de
aprovmar a occasiao, a saber.
Laaziuhas ebiuezas de quaili-iultus
Vende-se lasiimas linas a 200 e i20 o covado,
dita com palmas a 3 e 360, cassas de uma s cor
a.320 e. 300 o covado, dilas de palmas a 20 320,
360 e 400 o covado: rua da Imperatriz o. 56, Moa-
des Guimaraes.
Fazendas de yosto
Vende-se as mais modernas liareges de laa e se-
da, sendo fazenda de goslo pelo baralissi de 560 o covado.
Saias bordadas
Vende-se saias hornadas pelo barato prego de
65500 e 75, tiras bordadas a 15, entremetes 800 e da Imperatriz n" 55.
15. cada tira. Paredes Porto
liicos cortes brancos bordados Vende nm completo sorlimento
Liquidacfto nxl
Na loja da rua da Imp. ratri; 0. 7
guus dos ibjeitos j aouunciados ; v,... -.
gunies para acabar.
Eslampas grandes e finas a 400 is.
Bitas 11.< as a 240 r.-.
Lilas p< quenas a lOOrs.
Itetioz prelo e de cures 1 lom e.
80 rs.
Ailiueies rarla a 4C e so rs.
Cuteles raMOe?, duzia tUB M r
Diii.s em 1 ..;\ .-: >a d nin K rs.
Cn'-s, masto o- 100a lot r.
Liza o cento 1 22COr.
Aioiiiadt.n.s linas para pu>t sa Mtl
Kiiliadti c.iin Ovni. ii> para e-|..-.
Papel de coi tulla. gran ti o ea 1 1 r.-.
K-i-.vas fina para cabeMo a M r-
.Unas a 3U rs.
Duas para roupa e ofcapde a G<0 rs.
lillas mu.to finas 800 i?.
Rosarios (mos, duzia a 240 rs.
ContaS pretas o n.as.-o ;. 40 rs.
Pin.foros do sefWMca, ntia |rai .. 1
Bordos para viola a duzia a iV) rs.
Meias brancas par,, meuioa a duzia 1 -5*:'.
Ditas pretas para seabera o par -1;-.
Ditas pretas para hoatea a IW rs.
Fila de sed 1 n. 1 1/2 a peca a SM r..
Dita de se .a n. 2 a pf ga a 360 rs.
Dita de sed n. I a peea M rs.
Da de si da n. 6 a p< ja a M rs.
D ta escos'eza de alfudioa vara a IM i
lina escoss.-za de I vara a .'.'
Diia de reros a pega a 2bO i.-.
Da lavradan. 12 a vaia a 32>< rs.
DiU lavrada n. 6a vara a 200rs.
Dita adan aletada ii. i vari i -V .
Dita de >arja preta n. 6 a peca a i
Dita de sarja pVrta li. 3 a pera '. '." II l
lina de sarjo prtU a. 4 a pepi atfkrs.
Dita de tarja da lina n. 16 a vasa a '. I
iit.io s prelos de lenca para r.n.is-i %t
80 rs.
La< re verde (ou o pao a 100 rs.
Diio de diversas cores cm caiziui;s i
Zia l ICO ;.-
I. oda de li..i a vara 80 rs.
Canolilbo a r.ii.1 a G'iO rs.
Sapatmb'.s de lia ara cnangas a 320 rs.
pernios de eangalba fino- o par s 120 n.
uili s de armario de ni tal a %* r-.
Ditos de arasacao d afo a 400 rs.
Proco de cns em bom es'adi- a jega a l>
Navalhas para barba a ICO rs.
Oufro oh|cclosi.
Vindo ttni'il em para a anl pa u i.i
mili .cz.is a i!(;i du (Jueimail" i .
Sapatiobos deetiin bm>co Iwda i:-
ra baptizados.
Oatros de merino lanbwu t*
iguuiiiioiiie bODiti S.
Meias de sed. correapwbdebl
DDO (ios su[i-itinlios.
Uu!::i. UHii Ditas .le fio d.i ..
brancas iislradas.
Luvas finas dc DO ^a ElCWin tai m
de cores.
Ditas de seila para seisbotas.
Ligas de dita paia sentaras n m -
Pentes de tartaruga nmi I n
anbaiaar.
Can iteis com retn/ prelo a ti
Ca Unas com agulott.
Agulbas Graocezas, as afamad...-.
CaixiDbM eom altioetes braM
Haspas de baleia para VMlitrs.
Fitas de linho proprias para tutos.
Laixas com lin!.is -le lov.
pan crochets.
TraDcelUn de bonacha pr: .
Ifiouifas flv iSas raadr*. ir a -
do radas. uiadreprr (anega.
A loja de miudezas rua ..
n. l', receben um bonito sori i
flvellas grandes para ctDtoa, semli ii
douradas. madrepe i '.ai.-.i;
pstlo sendo vendlas ea din loj \- r -
eos (oniujOiins : sss'm
filas de yoifioi.,.) aci amal .
ra ditas fivellas.
Oculos de pseaclra e dc ..
qtiatii'r.ttc-. }it-a que
da- vista.
A" luja de mil-:- ro I
,u. K). laiiil'cn leo i< a otlos ,
, com vidro; clanw < seorm |
fre da vista, si ronm Wr
'deacf', Bortitlos en graos.

Grande sorlimento de roopa pnra meninos e ou-
tras umitas qualidades ijue seria enfadonlio men-
ciona-las.
Fazendas.
Vndese superior mtrin i reto propno para ca-
pas dc senhora e vestidos a 23. luslrira da llhiua
a 1^800 o covado. Ilua da Imperairiz, pona larga.
Paredes Porto.
Vende em seu estabeleciment tiras < eniremeos
bordados, grande sortimenio de curpluhos rica-!CoroaSJ C SCl'v*-'* u- *<-*:**>*
mente bordados a 33, 45 c 55. S6 oPir.c-s Por-; A SDliga loja di indc/as
10, roa da Imperatriz no B2j pona larga junto a Queimado n. 16, receben Btni I
roas e tercos deomalina, os on -
a disposiifi dua bous cbmliof ifoe es fi
padaria Irauceza.
Paredes Porto
Recelen pelo ultimo paquete francez ricas Mas!
granadinas com flores do seda a 400 e 500 rf. o;zerem CODiprar COI lilla luja : DI 1
covado. eslo acabando-se, caniinaia prea para (Jiicima.:- O. 1(i.
luto. Pona larga__junlo a padaria franceza, a rua Kspoujas La* grant. c ..'-
quenas.
Vende-se na rua do QoeMH .
de fazendas,
Rocebeu-se bonitos cortes bordados e de cores, brancas, como sejam madaf olo a 4o'0O, 5$, 6J e
" e 10 cada 10, pegas de algodao por barato prego, chita fran-
ceza a 240, 280. 320. 360 rs. o evado, precalias
I muiln linas a 360, 400 rs. o covado, chita iogleza
de la-e seda, que se vende a 8,
corle.
Chales ik nieriii
A pechlncha esta se acab.md j, chales de merino
a2.
Itiscados scocezes
Vende- riscados escoCezes, a 210 e 260 o-co-
vado : sii o Arara.
Percalas unas
Vende-se percales muito linas, sendo de muo
bom goslo, e leudo de bonitos desenlios com listras
a palmas solas, sendo fazenda inteiramente de gos-
a200e240rs. o covado. Rua da Imperairiz n.
o'2, junto a padaiia franceza.
Paredes Poito
Vende gangas de ri propria para roupa de me-
ninos a 320 rs. 0 covado, riscal) :..n r. fino a
320 rs. o covado. Rua da Imperairiz n. 32, jnnto
a padaria franceza, prna larga.
Paredes Porto
Recebeu pelo ultimo paquete espartiihos a pre-
lo, se vende a 460 e 300 o covado, cintas escuras I guigeso por 35, sao bons, lengos de seda para se-
e claras, a 300, 240, 280, 320eJOO o covado, bre-! hora e homem a Ir, ricos cortes de cambraia
lanha de linho de duas larguras, a i a vara, len- bordados de 18! a 78, por ter um loque de mofo,
esto se acabando, na rua da Impcrairi: n. .!;2, jun-
to a padaria franceza.
eos de cambija brauco, a 23400,2> e 3 a ouzia,
ditos de buho, a 440, SuO e 600 cada um : Mendes
Guimaraes. ______________:____________________
Cobertores dc aljjodao Glande ai'iUazeiU de liiilUS.
Vende-se cobertores de algodao, a 800 e 1^300 jtUA DO IMPERADOR N. 22.
cada um, daos escarales de la, a 3 : rua dalm- o armazem de tiutas um grande deposito tt
peralriz n. 56. | producios c.liimicos utensis e os mai- empregados
Camisas fraileras je usados napharmacia,piuiura, photo^raphia.tin
Vende-se camisas franc<-zas a 1^600 e 15800,turara,pyrotechiniatfogosdearliticio^.-cmoutras
miudezas n. 1G.
Vende-se 20 moradas de casas terreas, no-
vas e bem construidas, em boa localidade : na rua
da Concordia n. 4..
Farinha a 3#5<>o
Vende-se farinha de mandioca, saceos graudes :
no armazem dos Srs. Tasso Irmos,'na ponte nova'
peto prego cima mencionados.
fiara acabar: na lop e armazem do Pavo, rua da
imperan iz n. 60. de Cama & Silva.
I. azinias a 160 rs,
Vendem-se superiores laazinhas transparentes
com bonitos padroes, sendo lisa> e dequadros, pelo
baratsimo prego de 160 rs. o covado. isto para
acabar; na loja do Pavo, rua da Imperatriz u. 60,
de Gama & Silva.
llanyuilos e golas a 500 rs.
Vendem-se manguitos com golas de cambraia
pelo baratissimo prego de 500 rs., isto para li-
quidar : na loja do Pavo, rua da Imperatriz u.
60, de Gama & Silva.
Cortes de cuita do Pavo
Vendem-se cortes de chita franceza muito boa
con-, 10 covados a 25400, ditos cora II covados a
25600, ditos com 12 covados a 23800, islo s
para acabar : ua loja do Pavo, rua da Imperatriz
O. 60, de Gama & Silva.
Ayasaliios para calieca de scuboras.
Vendem-se superiores agasalhos para cabega de
senhora on caehius, sendo fazenda mais moderna
de -'". dilos lizos
ditos Gnos sendo es-
pregas largas a 25, 5240 e 530., linas a 25800
e 35, brim de linho de cores, se vende a 1^280 e
15 a vara, corles de brim de cor, a 15280, 15400,
15600,15800 e 25, de bnm pardo a 640, 700 e 800
rs. a vara.
Iloupas feitas
Grande sorlimento de roupas feitas, caigas de
brim branco a 25, de lindo a 33200 e 35300 cada
urna camisa 35 e 35500. linas a 65 o 75500, pali-
lots de bnm a 25. 25500. 25800 e 35 de, casemira
lampados a 65500, 75, 75500 e 85.
Cambraias biaucas.
Vendem-se pegas de cmbralas brancas a 35,
35500, 43, 45500 o 55, dilas minio finas lendo
uma vara de largura a 5 e 105 : islo s na nova
loja de fazendas e.a rua da Imgeratrii n. 72 de
Guimaraes Irmao.
Itiscados escoccczes.
Vendem-se os mais bonitos riscados escoceze
para vestidos de senhora e propnos para roupas
de meninos a 260 e 280, chitas francezas escuras
e claras a 240. 260. 28O, 300 e 320, ditas percales
muilo linas a 360, 400 e 440 o covado : isto s na
nova loja e armazem de fazendas na rua da Im-
perairiz u. 72, de Guimaraes & lrmo.
Camisas francezos.
Vendem-se camisas francezas a 13300, 15800,
25, 25500 e 35, dilas com peito de cor a 25 e
23500 : isto s na loja de Guimaraes & liroo.
Veudem-se palmeiras imperiaes, em estado
de serein trausplanladas: no sitio murado es-
que tem vind'o neste'genero au mercado^ pejoba- quera"a, depois ,do becco do Espinheiro, nos Af-
ralissimo prego de 35 cada um : na loja e arma-1 fl'Cts
zem do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama
industrias.
Montado em grande escala, e supprindo-se di
rectamente nas principaesdroganasdePari.-, Lon-
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa, pode offereceer
productos de plena confiangaesatisfazer qualque;
encommenda a grosso trato e a retalho, por pregos
razoaveis.
Prvidos de machinas appropriadas satisfar
com promptldo qualqusr pedido de tintas moidas
a oleo, cuja quaiidadee pureza de seus ingredien-
35300, 45. 55. 65, 7a, 85, 83S00 e 103, sobreca- ** P?^erA, ^or examinada pelo con.Min.dor, o que
sacos 125, 145 e 16, pelos e de cores, calcas de nao'e aci1 fmT com 10e,las "ine s* r'PO*i
brim e de cores, a 15280, 13440, 1*600, 1300,
25, 25500 e 35; s Loureugo Pereira Meudes Gui
! maraes, rua da Imperatriz 0. 56.
Arara 11. 36 Mendes Cuiuiarcs.
Vendem-se dous moleques de 16 a 17 annos,
um cabrinha proprio paia cagem por ser multo
bonito, boa couducta, com 14 a 15 auno?, um mu-
latinho de 10 annos, muo lindo e esperto, e dous
negros para euxada, uma ne^ra moga muito robus-
ta e sabe engommar e Colindar brtn, uma cabri-
nha de 18 annos, perfeita engommadelra, cose e
coziuha, tres negros mogos sem habilidades, pro-
prio- para enxada, uma mulalinha de 14 annos,
com principio de costura e eugommado, uma ca
brinha com 6 annos, muito linda e esperta, e uma
onli a negra moga perfeila eogommadeira : na rua
do Imperador n. 45.
& Silva,
Chales de renda a 40^, 12$, io$, 20l e 23,5, na
loja du l'ave.
Vendem-se chales de renda preta muito finos a
105 e 123, ditos de linho a 155, dilos de seda de
iuho dos inelhores que ha tra chales de renda a
Luvas de Jouvin.
A loja de miudezas na rua do (Jueima-
do n. 10, resebeu-as por este ultimo vapor,
Ferr de encrespar
babados ; para acabar vendem-se destes ferros a
20 e 235, ditos brancos. de tres ponas a 6, isto i 500 rs. cada um, o que se vende em outra parte a
s na loja elrtnazem do Pavo, rua da Imperatriz 800 rs. : tambem tem outros modelos diversos por'
n. 60, de Gama & Silva. 600 o 15 cada um : oa rua do Crespo n. 4. 1
Na rua da Imperatriz n. 26. fab ica de chapeos
de sol, ha para vender om sorlimento de obras de
ouro, como sejam, aderegos completos com coral,
meios ditos, alunles, rozetas, brincos, correntes
para relogio, cacolelas, cruzes, bnles para pu-
nhos, ditos para aheriura, e oulros objectos de
ouro de diversis qualidades e gostos, que ludo se
vende barato para acabar.
e que se eacootram no mercado em latas lechadas.
Tem grande collecgfio de vidros de liilfereotes
formatos, desde uma oitava at dezeseis ongas de
capacidade ; de vidros para vidracas e diamante*
para corta-Ios; depinceispara fingir madeira com
rtopriedade e outros; de papis domados e pra-
peados e folha- de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequeo formato de varias coret
para embrulho, para forro de casa, para desenhi
com fundo j feito; de papel albomioado e Brisw
verdadeiro sane para photographia e para lillrar,
e oulros ; vemizes de essencia para quadros, dt
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
teiior; oleo graxo, oleo seccativo, ole.-, de linhacs
clarificado, ole de miele, seeativo de Harlim, ourc
verdadeiro em p ; prata, ouro, e estando em fo
Ihas de varias cores ; tintas vegeiae?. inodensi-
vas proprias para confeitarfas; lia de odres, c
olhos de vidros para imagens; tiutas em tubos
lelas para retratos ; tintas em pastis e em p pa-
ra aquarella ; essencia de rosa superfina, de ne-
roly.jasmim, bergamota, aspice, patcbonly, mbar,
boquel,limo, alcaraiva. melissa, ortela piuienta.
louro, cereja, alfazema, juiupero, Portugal, lima,
anis da Russia, canella, cravo e muilos outros ob-
jectos que s com a vista poderao ser mostrados.
Joo Pedro das Heves,
Gerente.
Vende-se graiza em bexigas dc superior quali-
dade, largo da Assembla armazem de assucar.
l>ivcrsos objectos
A anliga loja de miudeza* rn;i 1
mado n. ID. ;-cabn de receber l
versos objectOJ que fazem coin, bal
bello sortmento. sendo:
F las linas de sarja da mais >>\.< I
La at a mais larga, loto dtwai
veis cores.
dem tambem do sarja I irada, de I
e novos deseoboa
dem idem branea?, lisas abvrad
droes ipoalmente novos e bot.it' >.
dem de gorgurie do soda arfa a
e mailo enc rpadas, psra cinto ib u
grandes.
dem ik seda pn:.. doovtra
ra df limar ve>tido, ci-iietes. 1
dem de v igualm it tort
e para t'S mesmos Km.
dem de algodSo braBCM
tras cores para i esiidos de ddta.
dem de bol racha I raneas a ft
sootembarques vesiidoi preloa,
Novas e lindas cn.Trnirries para
soutembariji.es, vestidos prttoa, tnant.
etc., obras o muilo gosto e m dt 11
Tranca de seila com vidrill-.os. Bekhl o>-
vos e mtii bonitos.
dem idem dc cores tambem de
moldes e agradaveis cores.
Botos pira os mesmos fins.
tos de seda maiores e men. res, enl '
com vidrilli'js e pendentes e 1 n: d
versas cores.
Mein pretos de velludo nabal i
dos tamanhos.
Lmelos dc dou-" vidros rom ara dc ac, L
r lartartijj.
A loja de miudezas, ma do Qu. ,:i:.:."
n. 10. receben um bello sori
n-tlos e oculos d^ vidros eom anoI
ac, bfalo e tartaruga, intd
por procos razoaveis : nspreti al dir;-
jam-se a esta h. ja na rua do Ou. i;i;>.i.>' I'*;
mm i Fivtu
Chegaram a" loja de miudezas n. >0 I i u
da Cadeia do R:cife ricas erara* de n.*di
brtn coa o tirelas de tartaruga t Mr
dade?, as qur.cs se vendem por m fM 1
qua|-]iier ou'ra parle; ha 11:: cu-.-! o i-..:r*.
sorlimento de miudezas.
Vende-se a fabricn de rtwots e c.:*tr 1
da rua do Arugio n. 31, bem afregr'eMda : a tra-
tar na roa do G olhos n. SJ
"^^Vendt-ro" ornTrooo '
na rua eslreifa do Rosario u. 17, i' udor.


Diarlo de Pernanihne Quinta lelra 1 de \ovctuhro de **>.
&&
dfCS:
N. 11Rua do ueimadoN. 11
A lojs de fazendas de Augusto Fredericodos Santos Porto, acaba de receber ura mai-
to crande e novo sorlimento de cortinado bordados para cama de noivos a '06$, 40*, 45'*,
50OOO, 60*000 e 70*000.
Lindas mantas para gravata, de variadas cores, a 1*500 e 2*.
(.acluuez de la de diversas e bonitas cores a 3*500 e 4*.
Chales de guip, hienda a mais moderna, a 16*, 205, '225 e 2";.5.
ltotondes de Ruip, tambem os mais modernos a 26*.
Colchas de seda di: cor para cama de noivos a .V3 e 60.
Alcatifa de linbo para salas, iazeuda larga, bonita e de mu.la durarlo, a C00 ris o
covado.
Tapetes grandes e pequeos, cem ricos desenhos, para sof.
Saias bordadas para senhoras a 7*, 8*, 9* e 10*.
C.pas e soulenibarqu.es de seda preta para senboras.
Loneis, chapeos e chapellinas para senhoras, dos gostos mais modernes.
Chapeos elegantes para stnhoras, a 12*.
IVeiDhas dt nissima bretanha de linho a 7*500.
Laaziuhas de quadros a 320 rs, o covado, setim de Paris a 700 rs. o covado, e cam-
Lraias francezas de cores a iiOO e WO rs. a vara.
Casemiras de quadros, moire antique pretos e de cores, pannos e casemiras pretas,
grosdeuopole preto e decores, esguioes, sileras e cambraiasee linho, sorlimento, de diver-
sas fazendas para luto,chapeos de seda para homans a 9* e 10*, chapeos deso de seda,
lindos manguitos bordadas, e outras muitas fazendas que se vendem por precos razoaveis,
iuclusive
Esteiras da India para forrar salas
CORTES DE SEDA
Chegararn pelo paquete inglez riquissimos cortes de moreantique dj cores, e seda lavrada
tnteiramente novos.
Seda de quadros por 1#000 o covado
5-RA DO CRESPO-5
Gregorio raes do Aiuaral & Companhla.
I FAZENDAS DE BOM
GOST
Para vestidos de senhora.
VV Corles de seda tle cor de bom gosto e superior qualidade.
Lindas sedas de quadrinlios.
Bons moireantiques de cores.
Grosdenaples d,> todas as cores.
Lindos poil d chevre fazenda assetinada de inteira nnidade.
A Lindas duquezas assetinadas fazenda inteiramente nova.
Modernos greaadioesde seda oque tem viudo de mais novo.
Grande variedade de lias de cotes lisas e de salpicos.
' Q Organdys e ca-sas dcmuilo bom (fO>tn.
. j Percalias modernas com grande variedade.
Lindos i'ries de laa Clotilde com todos os pertenec cada um em seu car-
ian inleir: mente novos. c
Nf !! eisc-'ittes decapa coca barra tambera inteiramente novos e outras muitas'
&.fazendas de gosto que seria enfadonlio mencionar.
fj;)' Para homaros desenlio1 a
Grande variedade de chales, bournotu, retondes e algeriennes- de fil e de,
$ uipure a 10, 16, 20, 30; 40, 60 al 800.
Modernossoutembarques de seda de superior qualidade.
j L'nil >s bertes de seda de c6r pretos e de cachemira.
dem de cambraia branca bordada com muilo gosto.
Sautembarques e bouraoux de cacliimira de cor e outros muitos arligos der
pul mm
Receberam Gregorio Paes do Amaral & C. mais um completo sorlimento de
"FILO H'llETO
Manufacturado em Challes
Points
Algeriennes.
ltotondes.
Africaines.
Annamites.
Pompadoan, etc, etc.
Desde 105000 a 8O0O(O,
CHAPEOS A EXPOSICAft
de li.iissiim palna para
Novo modello de chapeos inglesa
ampia banda de tife de cores.
para senhora com ama
AO RESPEITA1EL PUBLICO
A tabella abnixo publicada serve de base de precos,
tanto deste armazem como do armazem progressivo pa-
teo do Carino n. 9, principal armazem ra do Impera-
dor 40.
Fazera setente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
jenhos, lavradores e mais pessuas do centro, que para mais facilitar sua^ooipras deli-
beraran! os proprielarios dos tres graudes aruiazens, reunir todo vs seus estabeleci-
mentos em um so annuncio, pelo qual o preco de um ser de lodos, promette-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, aonunciar os gneros
por um preco, e na oceasio da compra quererem por outro, comosocede constante-
mente em outras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentosno se dar islo
aiuda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
sero tara'.ero servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conla
pela qual se ver os presos tal qual annunciarmos, o que seno arrepender pessoa
alguma que fizer sua despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
de la preta e de cores proprias para luto, ou passeio pe'o diminutissimo preco de lOJ.
Seda matisadd em pegas
padrees modernissimos que faz o cffeito de um vestido de subido prepo. Assim como :
ricos cortes de moireanlique brancos, ie cores, de goiguro lavrado de Btood para ca-
samento.
MagniQcas grinaldas e mantas.
Colchas de seda portuguezas.
Cortinados para cama e janellas.
Camisas bordadas,
e outros muitos objectospara noivado.
CORTES III: TAKIjATAIVA
com enfeites de cores da mesma fazenda, o que ha de mais moderno.
CACHENEZ
de muitos bonitos padres e feitios dTerentes.
E outras muitas fazendas por prcros commodos que vendem
Gregorio Paes do Amaral & Companhia.
5 RA DO CRESPO 5
-:r p
-
^Pbom gosto.
Para cabera de senhora i
Superiores cbapelinas de palha. de seda e de crina de multo bom goslo a im-
ratriz.
Chapeos de pdha da Italia grande variedade.
Lindos gorros e hnnels de palha de Italia, Emperatriz, Canutier, Clotilde
ctu e ;i Orante, chegados de Paris peo ultimo vapor.
($ Grande variedade de enfeites defroco e de flores para aumento. '
ff4 Superiores vestidos de blonde, e de moireantiqae brancos.
Bons moireantiques brancos e* superiores sedas brancas. I
Bons vestido^ da tarlatana branco bordados.
Lindas mantas de blonde e boas capetlas. i
BBordados. (
Grande variedade de entremeios bordados transparente e tapados. ,
Tiras bordadas transparentes e tapadas, babados bordados, saias bordadas e
'-' outros muitos artigos.
DE 1NT0NI" 'OHRKI* HE VAS ONCELLOS & C
[];'& RUI 10 CRKSPO r. 1
Manteiga i 'gleza perfeitamente flor che-
Igada ltimamente de l.oooa l.loo rs. a li-
bra, e em barril ter abatimento.
Manteiga franceza da safra nova a 86o rs.
a libra e em barril ter abatimento.
BANHA
Banha refinada superior a 6io rs. e em
barril ter abatimento.
111
Cha axim de primeira e superior qualida-
de a ,8oo rs.
dem hysson o melhor neste genero a
2,6oo rs., e sendo em porco ter abatimen-
to, tambem ha proprio para negocio de a
2,4oo rs. a libra.
dem prcto superior de I,8oo a 2,5oo rs.
a libra.
SSis< outos
Latas com superior biscouto inglez de di-!
versas marcas a l,2oo rs. a lata. i
%f vmLWJMSAM
Loja da boa f na ra da
Imperatriz n, 74.
V.nii'ii) >e ricos enfeites para oabeija a Sj|500.
I'.nl.'- prt-tus para alisar a iO.
U i com chapa de metal hranco a 300.
K>C0as linas par.i deutes a 120, 2i0 e 500.
Te.-ouras tinas ptra costura a 300, 500 e i$.
Me:as idqI Unas para sean ra a 3'JO a 400 o
par.
tiaiza con 30 novelo* de liuha do gaz a 700.
Cana cum J00 envelopes a H00.
aixa con.) papel pautado a 700.
itesma de papel almajo (rete a 32200.
Tinta prea para escrewr boiioa lo.
K cas e garios ae balanga a 55500 c. C&'iOO.
Meas cruas para bomein a 200 e 2)0 o par.
Alfioetes de todos os lamamos a 100 a carta.
Pita 'l" linho pega 50 e 120.
irdo liara vestido a 30 rs. a pega.
I):ii imperial pega 40 rs.
taitas rom obreias muito boas a 40 rs.
Baralho de cartas Tinas a 240.
ruza de buiao de louga para camisa a 120.
Ditos de inadreperola muilo finos a 640.
C lixa fie corxete muito bons a 40 rs.
Carian de corxeles nimio bms a 60 rs.
Grvalas de seda prela e de cores a 500.
J ri de Wispora a 800 e 500.
(. \is muil i linas para rap a 15-
L nm completo sor.intento de miudezas que se
veii'i'i por menos do que etuoulra qualquer par-
," para se apurar dinheiro.
Acha-se
,i v oda na livrarla arademii-a, na ra do Impera
doi; na do Sr. Nogueira, junto ao arco de Sanie
Aid inid ; e na typograpbia itnparcial, na ra es-
trella do Rosario a compilacao de toda a legislaca-
tendente administraco, arrecadagio e fiscali-
dos ilibhi-iros de orpbaos deunlos e ausen-
tes, lierancas Jacenles, legados, ele., contendo nk
si'i > regiment de custas e a lei geral das execu
co>s. como lambem lodas as ordens e avisos de
goveroo, que a ludo tem explicado, tanto a respei-
lo das oLrivaies inierentes ao cargo dos difieren-
1 i>m| regados de justiga e fazenda, como dos di-
i tos oacioaaes e emolumentos que sao devidos.
K-i vr> contendo mais de 700 paginas em ntida
r-npressin e b'im papel, e preslando-se a utilidade
i. diTereotes classes, lorna-se recommendavel.
Seu rusto 10,8000 por cada exemplar em dout
0.11 ti.
TlES
Ciranile peeliincha.
No rua da Imperatrfi n. 52 porta Urga de Pare-
S- Porto, vende-se chales de merm eslampados a
2d > zaSOO e finos >&, esto se acabando.
Bordados.
Chegoo ? luja Je Paredes l'i.-rlo, rua da Impera-
Irii n. 52, um sorlimento de camizinhas, gollinhas,
eorpiobos, rouieiras e sintos, de cambraia branca,
(i.;.i baralo pr-code 2J5O0, 3-^500 < &, gnlliuhas
500 rs., romeifas a 808 e siniosTSOO rs, grande
q iioiidade de entremeios a 600 e 800 rs. a pega,
eskl' -i acabando.
Vende se tima gcande casa terrea no lagar
da Capono e-quina da rua das Deosas, com t-lia-
fdfii na frente, toda murada, com grande quiulal,
eontendo diversos arvoredos, cacimba e tanque
para banlio : quem a pre4ender pode ir exainiuar
elralar da rua estreita do Rosario n. 13.
LOJA DO BEIJA FLOR
Na rua do Qucimado ti. 63.
Nesta loja por tolos os vapores se recebe luvas de
pellica brancas e decores, tanlo para hornera como
para senhora.
Voitas, c uzes e brincos.
Chegou no ultimo vapor um grane sorlimenlo
de volias e erases, imitando cornalinas brancas,
assim como brincos d* m^smae decrystal do mais
apurado gosto que se pode desejar, foi so qoem
receben : na loja do beija-tlor, rua do Queimado
n. 63.
Enfeites para coque.
Assim como recebeu enfeites para coque e ou-
tras muitas qualidades, que se vendem maii barato
do aue em ouira qualquer parte.
lioneras que ihirmni mama i e papai.
Tendo recebido um grande sortimento de none-
cas que charaam p u^'i e mami e movem com os
olhos, muito bem vestidas, com cabelleiras, o
que pode haver de gosto neste genero, e vende se
mais baralo do que em outra qualquer parte.
Balaios.
A-.-im comoom bonito sorlimento de balaios para
menina de escola, lambem ha muilo bons penles
para desembaragar, guarnecidos de metal.
mmm wmm mm m^mmm
m Bichas de Hamburgo
j^ todos os paquetes da Europa se recebe
j destas amigas do sangue humano e se
2S vendem a troco de pouco lucro s a6m
3| de ter sempre eonsa nova : a loja debar-
belro rua estrella do Rosario n. 3, ao pe
J9 da igreja.
Bolaehiuhas
Latas enm bolaehinh is da acreditada
brica do beato Antonio, proprias para dar a
doenles de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata.
dem com quatro libras de bolacbinha de
soda a 2,ooo rs a lata.
Queijos
Queijos flamengos chegidos no ultimo
Se.rveja
Superior serveja Bass dos melhores fa-
bricantes, como sejam: Shlers & Bell. T. F.
Ashe a 7,5oo e 7,ooo rs. a .luzia e a 7oors.
a garrafa. Tambem ha de outras marcas
como seja: Victoria e Alcope a 5,ooo rs. a du-
zia e a 5oo rs. a garrafa.
Yiuagre
Superior vinagre de Lisboa a 2,ooo rs. a
caada c 280 rs. a garrafa. Tambem ha
mais baixo para 2oo rs. a garrafa e l,4oors.
a caada.
Azeite doce
Superior azeite doce de Lisboa a 61o rs. a
garrafa e a 5,ooo rs. a caada.
Massas
Macarrao e talaerim a 360 rs. a libra e a
5,ooo rs. a caixa.
Passas
Superiores passas a 2,5oo o quarto e
; lo.ooo rs. a caixa de arroba hespanhola e
fa-|5oo rs. a libra.
O
1
o
o
vapor a 2,5oors., tambem ha do vapor pas- 3 ums.
GEVEBRA
Genebra de laranja verdadeira a lo,5oo a
du/.ia e I.ooo rs. ao frasco.
Genebra de Hollanda verdadeira a 6,ooo
rs. afiasqueira e a 56o rs. o frasco.
ldom de Hollanda em botija-; a 4oo rs. ca-
sado a 2,3oo rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespanhol a I,ooo el,2oo rs.
a libra, francez e suisso a I.ooo rs. a libra
e portuguez a 800 rs. a libra, em porcao
lera abatimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Vellio Secco, Lagrimas do
Douro, Mara Pia, D. Lata, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a 1 ,ooo a garra-
fa e 9.000 a 12 ooo rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3.ooo,
3,5oo e 4,ooo rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 64o
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
anceretas de 8 e 9 caadas a 24,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, ,5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
Caixas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa e
7oo rs. agarrafa.
CAF
Caf do Rio de 1." e 2,a qualidade de
6,8oo a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
*AHAO
Garrafoes C'm 24 garrafas de genebra de
Hollanda a 8,000 rs. o garrafao. Tambera)
ha garrafoes com 5 e 14 garrafas de 3,2oo a
6,ooo rs. cadaum.
VELAS
Velas de spermacete a 64o rs. a libra.
dem de carnauba de lo a 12,ooors a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
PEIXE
Peixe em latas j preparado de l.ooo a
l,2oo rs. a lata
ALPISTA E PAINQO
Alpista e painfo muito novo de 3,8oo a
4,ooo rs. a arroba e de 14o e 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mais acreditados fabrican-
tes, como sejam: Joiio Furtado da Serrias,
Manoel Peixoto da iSilva Nelto, Castanho &
Filho e Brando e de outros muitos, os
quaes vendemos pelb mdico prego de 1.6oo,
2, 2,8oo, 3,5oo, 4,oo, e 5,000 rs. a caixa.
Licores
Licores francezes e portuguezes a l.ooo e
l,4oors. agarrafa ou frasco.
Doce
Doce da casca da goiaba e caixes pe-
queos a 7oo rs. e de 5o caixoes para cima
a 64o rs. o caixo.
Ventas
Frutas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pera.pecego, ameixa rainha Claudia,
colares llover ou colares ano-
dinos
para facilitar a den!:i;ao das criancas e preserva-
las das convulsoes.
O Mtt resultado oblido immen^as vezes pela
prodigiosa for^a magntica dos colares Royer, dos
casos de convuisdes, c deniicao das criancas, tem
altamente elevado o seu bem merecido prestigio,
e hoje j se pode dizer que est o geral mente con-
ceituados, e eslimados de lunumeraveis pas de
familias : de un- porque do uso dtsses salutares
colares viram salvos do perigo seus charos filhi-
nho-, e de outros porque colheram daquelles lio
proficuo exemplo para igualmeme preservar os
sens. Assim, pol, a aguia branca, tendo em vis-
tas a utililade eprofeUr desses prodigiosos cola-
res anodinos ou Royer, maedou vir o novo sorli-
mento que agora recebeu, e continuar a recbe-
los para que em lempo algum a falla delles possa
ser funesta aos pas de familia, os quaes ficaro
certas de os achar constantemente na rua do Qaei-
mado, loja d'aguia branca n. 8.
Siio,
Venle-se o sitio no Rosanuho n. 2, junto da ca-
pella, com casa de pnlra e cal, boa agua de beber,
o-:unas fructeiris, baixa de capim, estribara e jar-
ro m. Tambem se permuia por casas nesta praca:
a tralar na rua Nova n. 55, on no Recife, rua da
Cadeia n. 3.
Vinho do Porto superior em caixa de duzia,
tem para vender Antonio Lniz de Oliveira Axeve-
do d C, no sen escriplorio rua da Cruz n. i.
SabSo maca de primeira qualidade de 18o; perche e outras fritas a o> is. a lata.
a 22o rs. a libra e de 16o a 21o rs. sendo Tambem ha latas gralndes para l,2oo rs. a
em caixao.

lata.
AZEVEDO FLORES
Rua da Cadeia do Recife, esquina da Madre de Deus.
Grande sorlimenlo de Cazemlas por ;.un ;iio e a reUrite, e uiu completo r
mi'iilo de ronfia leita, de casemii-a t de lnim, tudo por neits qie tu
outra qualquer parle: quem duvitlar veuha ver.
CAICAS
de lindas e finissimas casemiras escuras e claras, de superior casemira preta, de finos
brins brancos e bom brim pardo.
l*aleios
de superiores casemiras escuras e claras, de fina alpaka branca, de superior alpaka pre-
ta e de brim pardo.
Col leles
de boas casemiras pretas e de cores e de lino brim branco.
CAMISAS
Superiores c imisas frmcezas de 2$ ate ">#.
Cero ulas.
Ceroulas de superior bramante de lino linho.
Baldes.
Superior^ bales de arcos para meninas de 2 at 12 annos.
dem superiores para senhora.
Grvalas e mantas.
Superiores mantas para pescogo de bnmem, as mais modernas do mercado.
Madapolo.
Madapolao bom a 8, 95, l"f5 e 12J.
Chapeos de sol.
Superiores chapeos de sol de seda balo a 105.
Fraques de casemira.
Fraques de casemiras, preta. escura e de cores claras, e nao ha vendo que sirva
ao fregtiez manda-se fazer por medida e om umita promplidao.
Todas estas fazendas por precos insignificanlissimos, pois o filo do Balo ad-
quirir freguezes.
LOJA DO BALAO
DF.
AZEVEDO C^^^><^
o
Uvas pelo ultimo vapor.
Peras pelo ultimo vapor.
Macaas pelo ultimo va[or
Ameixas pelo ultimo vapor.
Passas pelo ultimo vapor.
Figos pelo ultimo vapor;
Fru tas seccas pelo ultimo vapor.
Fructas em calda pelo ultimo vapor.
No.is pelo ultimo vapor. 1
Queijos londrinos pelo ultimo vapor.
Queijos flamengos frescos pelo ultimo vappr
Presunto fiambre pelo ultimo vapor
Tudo se vende barato nos seguintes armaiens
Rua do Imperador 49, Verdadelro Principal
Rua do Queimado n 9, l'nio e Coiamerclo
Largo do Car 111 n Progressivo
iOT*
AR9IAKE19I E FAXEHOA
DK
CUSTODIO CARVAIiHO C.
27 RUA DO QUEiMADO N. 27
Madapolo francez muito fino, tendo pouco mofo, cada peca com 27 varas por
lOJOOO.
La de c res a 300 rs. o covado.
Cambraia franceza a 260 rs. o covado.
Finos organdis a prec/ de 800 rs a vara.
Lencos brancos para algibeira a 20 00 a duzii.
Fin s perclaras a preco de 400, Oa 560 rs. o covado.
Ricos cortes de la de barra de 10,5 a 300000.
Chales de fil preto e outras muitas fazendas.
ULTIMA MODA.
Paredes Porto reeeheu pelo ultimo paquete nm 'completo sorlimento d* rapas e
bournns decores ricamente enfeitados a lij, 135e 26# : na rua da Imperatriz n. 5S,
loja da porta larga junto a padarla francez.
G\Z.
ou no
o me--
No armazem da rua do Imperador n. 3
Cae de Pedro II n. 2, lera para vender-s
Ihor gaz existente no mercado.
Vende-se um cylindro, urna masseira, orna
balanza grande e urna diM pequea, com toaos os
pesos e mais ulencilfos de padaria : a tralar na
rua Direita n. ti. *
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descarocar
algodao : na rua da Senzala nova n. 42.
CAMBRAIA.
Cambraia de forro com 8 l|2 varas a peca a 2,
est-se acabando : na loja da porta larga da rua da
Imperatriz n. 52, de Paredes Porto.
Vende-se urna esorava crioula, moca, e com
habilidades: na rua da Pecha n. t7,*# andar.
Gsmsssvo
araado.
Francez barrica 5*000
Portland dem 8#500
Em perfeito estado:
Francez barrica 10*000
Portland dem 12*000
No armazem de Tassn Irmaos caes do.'AaeUo.
JM5!
Cheearam os bonitos chales e reoslas dvgsl)
re brancos, e vendem-se na rea i* Imatratria
53, loja da portr larga, de Paredes Porta
Chales de renda
Paredes Porto, na rna da Imperatriz
larga, vende chales de renda da
do mine de mofo, a 3*500 i*,
e 12*000.
Si,
ns


Diarlo de Peraamboco Qulna Iclra 16 de Noveabro de **.
... -0'.'
&&&&
ESTABELECroO A RA NOVA N. 60
AO
RESPEITAVEIi PC1HLICO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zem da Liga estabelecido ra Nova n. 60 uin magnifico sortimento 'de molhados,
que sendo em sua maxiov parte mandados vir directamente do estrangtiro"podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm ^iancar, com toda a seguranca de qne
nenhum outro o exceder no restricto cumprimeDto das seguintes promessas:
1/ Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso. .
3.' Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sua posicao social gozam de certo tratamento, acharSo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cb sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condicao do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, e'.c, etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, pelo sen proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhores que compram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escolbido por pessoa entendida que certameote muito deve agradar aos senhore.-
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DiMHEIRO A VISTA:
A Graixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
ALPISTA a 120 rs. a libra. urna.
dem e pnico de oito libras para cima a' t
100 rs. KIRSCH de Wasser a U a garrafa.
Arroz de 90 rs. a libra a........i ^
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra. | LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Avellas a 240 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os l-
mannos.
dem idem em potes de todos os tamanhos.
Letria a 400 rs. a libra.

MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 1 :>. a libra,
dem idem em bocetas de todos os tama-1 Marmei.ada dos mais acreditados fabricantes.
nhos.
dem idem em frascos de todos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Albos a 200 rs. o molho.
Absymho a 2JOO0 a garrafa.
IB
BOLACNI.MIAS do Boato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberlo a 10800 a lata, e
de cinco para cima a I700.
dem de so la em latas grandes a 2000 e
de cinco para cima a 15S00.
Bisamos inglezes de todas as qualidades a
i V200, 15250 e I3u0.
Bolo francez em caixinhas a 400 rs. cada
orna.
Batatas inglezas.
Banha de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 600 rs. a libra.
dem suisso a 15 a libra.
dem de musgo a i#500 a libra.
Cholricas muito novas a 800 rs. a libra.
Cak a'240 e 260 rs. a libra, e em porcao
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 70000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
Idpm inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charpe de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 10800 a duzia.
Cebveia da superior marca Tetiente a 500 rs.
a garrafa, e era duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'Havana, Exposico,
Flor do Brasil, Parisienses, uelicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Kegalia, Mississipes,
Panelellos, Apraziveis. Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qtialidades e de todos os
pregos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto pona branca, etc., etc., a 25000,
22"0,20560e20800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs. \
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 20500, 30500, 40 e 50.
Cauces de todos os tamanhos.
Cognac superior a 10 e 10500 rs. a garrafa.
Cigarros do Uio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinhos.
.Macarrao e talharim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 6C0 rs. a lata.
.Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
60 rs. a libra, era caixas com 9 libras a
30500.
Mn.iio painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
El
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
I
O
Ostras inglezas e americanas.
oRe
PEIXE em posta, latas grandes, a 10t
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargo, salmo, pescado e
pescadinba, linguado, sardinha. etc., etc.,
Peras era latas, excellente preparaco.
Palitos para dentes a 120 rs. o mago muito
grande.
Passas em quarto a 10400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
I
QUEIJOS flaraengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a bra.
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QUARTINIIAS OU MORDIQUES a
R
RAPE' Meuron a 10 a libra.
dem Princeza do Uio a 10200 a libra,
dem francez a 20500 a libra.
S
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 29.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes.
Idem de Setubal em latas muito grandes, a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o mago.
Sag muito novo a 100 rs.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate era latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
VINH0S1
Principe Alberto, de 1831, a 50000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 20 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 10500 a garrafa.
DOCES de todas as qualidades: brasileiros,! J" ? *j>M ]***&*> 20 a garrafa.
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc.
E
ERVILIIAS seccas a 120 rs. a libra.
irvadoce a 400 rs. a libra.
FARINIIA SSS de 8 libras para cima a 120
rs, a libra. \
dem de araruta a 320, 400,500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
FeijAo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 10.500
Farello ha sempre em deposito de 5W a
800 saceos, de todas as qualidades, de\to-
dos os tamanhos e de todos os precos
Chamisso a 10, 10200 e 10500 a garrafa.
D. Luiz a 10 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 20 a gar-
rafa.
Carca velos a 10.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posico alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 10 agarrafa.
Absyntho a 20 a garrafa.
Kirsch a 20 a garrafa.
Wermouth a 20, e a caixa a 180.
Bitter Maurer a 10 a garrafa,
Vinho figueira em ancoreta a 200.
dem* Figueira e Lisboa em pipa a 20500 a
caada.
AttfMico.
Sellins inglezes com borrenhas e lisos, silhoes
para montara e senhora tambem ignaes, chicotes
para carro e cabriolel, e para montara, todos de
baleia, fundas com elssticidade para ambos os la-
dos, e uniros muitos objectos inglezes, e brides de
Ipojaca : todos estes objectos vende-se na na da
Cadeia do Recife a. 31, toja de selleiro.
O mina i as.
Parede Porto vende cambraias lisas Unas, gran-
de sortirnento, a -\ at 6*. ditas Victoria mnito
finas, com 10 varas a 6, 64500 e 75 : na ra da
(mperatriz n. 52, junto a padaria fanceza.
AO PUBLICO
em o menor coustraa.
gimento se entregar o
importe do genero que
nao agradar.
ATYEiMii
preco da fteguibM
tabella p" todo, la-
tiendo assim servir de t; -
se para o ajuste de coma*
com os portadores;
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o arco da ConceicSo)
PARA B1M DE TODOS,
ridiofavo aceio qne presidio aosarranps destenovo estabelecimento, e mais que todo a promotid'io e intPi-
aUl^ag nvida a urna visita ao mesmo, ebrios de que sem dovida me dao a protecco e preferencia na en
-naopossam virpolerao mandar seus portadores, anda que estes sejam nouco nratir"1
pessoalmente, ha\endo para com estes toda recoramendacd, afim de que nao vio*
Chegaera aos corpinhos de canbraia
Vendem-se corpinhos de carobraia com ntre-
melos a 44 e 54, esli se acabando : na luja de
Paredes Porto, ra da Imderatriz n. 52, poria lar-
ga, jun.o a padaria franceza.
Senhore*
eza com que sero trat
pra dos generes que precisar a e quando nao poss-am
^os serSo t3o bem sen-idos como se viessem
tra p?rie.
Manteiga ingleza especialmente escdliida a Aletria, macarrao
l,ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem bysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oors.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicasjnnito novas a 8oo rs. a libra e em
barril sWaz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato a 8oo rs. a libra, e inteiro se faz 64o rs. as meial
abatimento. Bolachinhas ingle?
dem suisso o mais superior que tem vindo j barrica e 320 rs
ao mercado a 64o rs. a libra. Bolachinhas de
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas qualidades a 1,.' oo rs.
e talharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,ooo a cajua.
Massa para sopa : i strelinha, pevide e rodi-
nha branca ou amarella a 64o rs.a libra e
3,5oo a caixa cim 8 libras.
Vinho do Porto nuito fino proprio para
engarrafar, era ncoretas de 9 caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa: 'orto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5 io rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3.5oo.
Vinho branco par; miaga em caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e C8o rs. a garrafa.
Vinho do Porto i as melhores marcas que
vem ao mercac o como sejam : Lagrimas
do Douro, Duq ledo Porto, Rainha de Po'r-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Malvasia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,000 e I o,ooo a caixa com I duzia e9oo,
1 ,ooo e 1,5oo r i. a garrafa.
Vinho Cherexile ; uperior qualidade a 16,ooo
a duziae l,5oc rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
s latas,
as muito novas a 5,ooo a
a libra,
sbda em latas de diversas
Sal refinado em frascos de vidro com
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que vem ao mercado, a 5oo, 5o e 04o
garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,5oo a du-
zia.
Cevadinha de Franca muito nova, a 2oors.
RIVAL
Rna do Quciiuadu ns. 49 t a*.
Contina a veodrr inda.- ,-. Mstfnat i
declara por pircos .donravu-.
Massos de palitos lixados jpn <^r,\-< i m r-
Ecpetbos de n i Mu a.- dot.i sJ
Uonel de oado para iihmi..
Ditos dr coum .-Upriur Un i .,' + \',.*A\
PrascM con Mptrita una rwfea .
Meadas de lii.i.a Ir. Ja |ai., |i i.
taixa^ com i envrlcpe:-,';.n
tilti/.as de penuas tic a^c, ba .'
Gfoat de botes .dre|.-n ., < ..
e 640 rs.
Caixas com 50 noteli's e li: I ', i. ..
Caizu ciin >u|:tr( n i el r- '. .
i'ira.s de lila liiaiua ila.-iii
Varu de (raiija de la |ia er
4u i>.
Baralhos dontade Dp?rtoie qi iiVra>
Novelkn de liiila n m 400 jama.- a M r-
Lihm para a.!.;. > .le tmf* -
Parea de Loldm para paatS, r^ >m .-
Tesonras para roMBrai twmti
400 e 14.
Caixas df peimas de rait-rii;
14000.
HauM rom ssp< riere* trasaaM a! 1 n.
Pares de snalos j< nauta t U|<
Caixas COS nipimii- tal I :
Lil.ras de laa si nida> a> Im i- n h
Caixas con asperiorra alwriM leu
Itudiobas comalliii(te> fraiioit.- : 1
a 20 rs.
Resma.- de papel atasco a tlV >
lampa 8aw"a pan rcoia, tam.a t. ;-j< 14.
Duzias de lesuras coa) tni: ,r Hriirasasa
6C0 rs.
Huzias de faras e prfr.s de ralo ; 1 a .tfCHt.
Talherea muit- fino para rnaacaf a lo r*
Pulseiras para n a> a :,H s
Ditas e V(.||.i> para -. r l,na a l> O.
Fiascos de A; ua Flcnda *< rdac. a f
Frasco- ci m
icrs,
em
r.harntnc ,\nnttn~.~-Y f\"'" ""'"' ""'" frascos Km suirlrr tarta a SH> :i ctiarutos do aflamado fabricante Jos Furia- Ideo de topenot oleo tmtm a :i-.< r-
ranees muito proprios pa-
re.
s em caixinhas enfeitadas
em latas hermticamente lacradas a 64o. j Cartes com bolo
Feijo verde muito superior s 640 rs. a lata. I ra mimo a 64o
Copos lapidados para agua a 5,000 e 5,5oo'Passas muito nova
rs. a duzia. para mimo a 3,000 rs.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.' Passas de camad;i a 8,000 a caixa e 4oo rs.
a duzia. a libra.
Chocolate francez hespanbol e suisso a 9oo, i Figos de comadre
1,00o e 1,2oo rs. a libra. Amendoas de case
Espermacete superior a 600 e 64o rs. a li- Milo de amendoa
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 800, l,ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,000 e
8,000 a caixa e 64o e 7oo ris a gar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Bolachinha d'agua
bra.
a 24o rs. a libra,
a mole a 4oo rs. a
B a Roo rs.
e sal, da fabrica de Joo
de Brito no Beatjo Antonio, em lata de 6 li-
bras por 2,300 rs.
em Tasco de vidro com
o, a 1i55oo.
Ameixas francez:
tampa do mesn
Ameixas franc< zas
tamanhos com
xa exterior, a 1
cada urna.
6,000 e 7,ooo a caixa ou em n eis.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervalos,Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5co e'
3,ooo a caixa.
ognac inglez das melhores marcas, a 800 e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiala a 2,000 a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8ooo cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a prosa.
Toucinhode Lisboa mnito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 600 rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemenletem vindo ao mercado, a 2,000
a lata.
Farinha do Maranhao muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a-2,500 e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,600 e 3,5oo cada urna.
, Ruibos, excellente peixe portugtiez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
Papis de agulha.-, Iiindo d< aaa a >U.
(le '/:),
No armazem
baratas de Santo
Ra do luclaiado
D eilifi
i' rr-

e tfe
(ara
em caixinhas de diversos; Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
bonitas estn pas na ca-; 8 garrafas por 600 e 800rs. a garrafa.
4oo, l,6oo, I,8oo e 2,000 Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada una anetela.
rs. a libra e2,5oo
rs. o frasco e
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,800 a Ooo rs. a ganafa e lo:ooo a caixa
e 64o rs. o frasco. Batatas muito nov;sa 80 rs. a libra e2
Genebra de laranja verdadeira em frascos! o gigo com 36 libra-.
grandes a 1,000 e 11,000rs. a frasqueira. Conservas inglezas a 75o
Caf do Rio de Ia qnalidade a 28o rs. a li-! 8,000 a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras de escoVa para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. ali-| 4oo rs.
hra e 7,5oo rs. a arroba. Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranhao de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro com rol ha
rs. a libra e 2,800 a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza t
arroba. a 800 rs. o frasco,
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,4oo a ar- Mostarda franceza $m potes j preparada a
roba. loo rs. o frasco.
Azeitedoce refinado hespanholou portuguez Champagne da melhor qualidade que vem
s melhores fabricantes,
Painco e alpista a 14o rs. a libra e 4,nooa Lentilhas francezas,
arroba. sopa, a 2oo rs. a
Massa de tomatesde superior qualidade a fi 4o Marrasquino de Zar
rs. a
lho.
lata de urna libra e56o rs. a reta-
l/5 a garrafa p
Pa'itos de dente
excellente legume para
libra,
propriamente dito a
a
ooo a duzia.
Vo rs. o maco.
13 s.g.g.3 s^f S 3 >
3~ u = = aj Q.H
a.cficoo-a.gM
S4CUMS
de traba I ha
descaro^
PABl
PorPlant Brothers & C.
Dio
aralgodo
ICADAS
Tasso Irmaos
Yendera no sen armazem rna do
Amorim n. 35,
Licor tino Caracho em Jiolijas e meias botijas.
Licores tinos sonidos em garrafas com rolbas da
vidro e em lindos frascos.
VinhosUheres.
Santernes.
Chambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniol.
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos em sextinhas a 80 rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,000 a resma.
Balaios para roupa soja, grandes e peque-
os, por diversos precos.
Amendoas confitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas era calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a 1,4oo e 2.000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,800 rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
Vend>-,>e o -ei>i"r i<
Coberlas de rhtti lina a 28.n
Ditas de dita a 2f(,0.
Lenc es de [armo ne Unto a 2K0.
Ditos dediiode lii.hoa .
linos de braaaoaMa de linho de im <'.
3#W0.
Panno de Iabo ir.o oirn l|2 ftin 1 c ar-a
ra telo barato prcro i r f< a t- a
Brair.anie (!e lindo tino ct n> 10 m -
Jgura a .'.mi tara.
Pefa.-de rambraia con. salpico^ ranns
cores ruoi 8 i|2 \n>t a i.*in.
Pecas de can tiaia liaiairiKfi ;
cortinado de can a c- ni 20 varas a {
Ba!o. (a arce s a 2M o. :tj. 3;i o p .
Le ii^s de can traa lita a j60o iinria.
Ditos ue dita t, a tanda.
Alhoalhaito de Itahe tino a ii>cn a vura.
Ltito de algcoao a -.' van.
Algcdo eufesladu lum 7 l| palnics de l,r$vr.
a 2C0 a vara.
Pecas de Im i.nha de reto fom 10 \.trj.- ii r .
para sa,a a 90OM,
Fil de liDbo liso fino a 800 r^ a ar.
Ditu de dilu crin aaJajm a 1-3 '-ra.
Can.liraia de linbo a>a a l#5C0, .A a
vara.
Corles de laaiirha de lintis port r- m '
v; oa a o&.
Pecas de madapilo rri.MBio i barai
preco Ur ,-. i'. iv e ll
l'lanella tranca lina a (Mt rs.i >
Lilia de torta tina a t. 11 ai .
Baldes de musselina [ara ir.r ra i '-'i.
t a.
Camnala de forre a ;t a ppra.
Dita lina a 'i.J.">oo. 6 e 7- a r*ca.
Guardanapos de hnlio a :'H*< ilntia.
Toalkas de alaodio felpudas kmtn a l?J.
Esleir da ludia ptvftit para d i :<
i..') e ti i'alni's iie laryua ftt n>i.'- r
que.m cuira qoalojati parle.
Nesie aranasea ian i ca > i < i n unr.
si rtin.i nii de roupa fet* e fi n .da.
m\m
O tira nodoas pvr ever tlest-a
Venrte se por lo0 us RraacM ara* >ft*
rs. os menores : n.i ra do linprited u 7 ar-
mazem allianfa.
Y'de-e nnj tranaV eaaa i
S. Benlo, em Olinda, n. 4-1. rom '. nari, tea*
quintal, com fructeiras, edilifad. n, I..-. -1
e em ponlu alio ; e bem as.-im atoad M
com niiiilns rommodos. Da ra .1 !< iniirn. i
sirria ao banho salx.idi. tachacar r -; a w rr -av
le areiada e pr> pria para aa aawaai < (e'a : i trv
lar nosiii da Floresta, em Olio BU do I',
ra Direita n. 117.
CtVUA

iLPATlIYI
iar
Estas machina:
podem descaro^ a
qualquer especi
de algodao sea
; estragar o fio.
sendo bastante
duas pessoas para
o trabalho; pdt
descarocar ami
arroba 'de algc-
do em earocc
em 10 minutos,
on 18 arrobas
por diaou o ar
robas de algodc
limpo.
Assim como machina
animaes, que descaroi
limpo, por dia; e mutor
entras dessas machina!
Os mesmos tem para
por que pode fazer m
mencionadas ; para o
agricultores a virem v
tem de algodao, no larg i da ponte nova n.47.
Saanders (rolhers & G.
!V. II, pra?a < o Corpo Manto
RE ""
Os nicos agentes nes
para serem movidas por
am 18 arrobas de algodc
a para mover urna, duas,
'ender um bellissimo va-
ver seis destas machina
que convida-se aos Srs.
e examina-lo, no arma-
Testamentos em verso.
Conlinuam a estar venda, na typogn-
phia dr roa do imperador n 15. defronte
de S. Francisco :os tei-taroentos da Cali-
nita, do Gallo, do Porto, do Leao, do Gato,
do Peti. do Carneiro, i'a nfa Tigre, do
C5o, da Hyena, do Rato, do Orangulango.
do Macaco, do Burro e do Vigario ; i Peleja
da Alma com o Di^bo, a 160 rs. cadD um,
e a 100 rs, a quera comprar urna (olleccSo
cern leta ou 2o carta? de A B C, taboadas,
catbecismos, economa da vida humara,
carlilhas, Simo de Nai;tua, Biblia da in-
fancia, manufcriptos, traslados, pautas, pro-
curacoes, apudautas, leltras, conrecimentos
paraembarue deescravos, despachos para
a alfandega, papel almajo pautado e pinta-
do de diversos form-'tos, sendo o pequeo a
30 rs. a folha, o immediato a 40 rs., o me-
dio a 50 rs. e o milito grande a *0 rs.;
papel marroquinadoe lustroso grande e pe-
queo ; papel para impressao de urna s
cor grande e pequeo ; Virgilio, Horacio.
Salustio, Magnum Lexicn, prosodia, dic-
tionarioa francez-pottuguez e \ice-versa,
selecta franceza, eoulrosmui'LS livros, bem
comn em branco de tod >* os tamanhos.
IFE.
e paiz.
Illtllllllilll
I
afS^fl
VILLA
Com luja na io Crespo n. 17.
O castello de Grrasville.
Tradnzido do francez por A. J. C. da Cruz.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 3500C
aa praca da Independencia, livraria ns.
6 e8.
Recebeu de Paris
to superiores e be
chales de reoda pret
Este importante e:
se recommendavel ai
riedade de fazendas
gostos
Proteja o bello
e veraotodos a pros
edas em cortes mui-
issimos padroes, e
bs para i05.
tabelecimento torna-
bello sexo pela va-
isuperiores e bellos
Vende-se um sobrado de dous andaros no
1 airrn de Santo Antonio, o qoal rende para mais
de 1:2005, e urna casa terrea no bairro da Boa-1
Vista a tratar com agente Olympio em seo arma-1 de carga e de sella, por p
zem na ra da Cadeia do Recife n. 34. nn hn,Bl d Franca.
sexo ao Villar
ieridade.
lilil IB SUMM'VaVl
ALGIID40 1)4 BAHA
Na loja de Andrade 4 Fpgo, rna do Crespo n. 8,
esquina da ra do impera* or, contina a vender-
se superior algodao da Bal ia por menos preco que
em outra qualquer parte.
Vendem-se quatro tu
no hotel de Franca.
Vende-se cevada de Lish >a, nova : na ra *
Amorim n. 3, armazem a> Joo Mace I >io AmaraL
ESCBAVO* m>
Ausenlon-se da casa de seu .-n,r. n raa
da Aurora D. 14. um moleiiue cri.'iii aW dmobc
Augusto, idade 18 annos, co-iuma aatfM i|tii n-*-
rno Ba cidade, ou seus arrabaldes, e Irm-, r
cido por ter o qileixo Uin \* neo Sihi.; >
negar leve o a ra da ttaj n. 49, ou a im c- l .-
dea n. 26.
SIB4V0 FKilllO.
Fugio to |ioi!er de abano assignai;.. ( srii
vo Amaro, crioulo, cor avermelhaila. ailowi
lar e de idade peuco mais id umo- I
cosluma andar ben vesiido. de can.1-1 1
de cor, e chapeo do Chne, tem 1 brftpi
bastante ^ros.>. e dobradu. Ri^a-s. -1 r> l. r.o
de dito escravo e sua captura, stra" gtbinsaDicaar
recompensada.
Recife, 10 de novembro de MH
Jos da Silva I. >. & C.
Framcisco Jos Germano
RA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gosto da Europa e ocu-
los de alcarce para observaces e para os I
marilimos. 1
(iralificcao de MJL
Ansentou)se da casa n. 59 da re ii" lrrrer?ot
(onir'ora Cotlefio) no sabbacio 16 de rr.r-
e setembro de- 1865, o escravo pardo rf,. p, n-e 1,1.
quim, com os signaesse>oinie : isiamra r*gatfar.
idade 18 a iO annos, sem barba, aaa tapa, otkao
grandes, cabe lo corrido, com nata etraira u-aaoe
e bem tisivel na testa, parte dos d- n. it. fncio
arruinad'*, e com falta de algnrts ^i !. -. -"hio
com calca de >>rim pardo e paletnt rarta de par ao,
mas levu mais roupa branca e de astucioso, cosioma intitular-se forro>aa4ai
eado ; f i escravo do Sr. Guilherne Fr.denn, da
Souza Carvalho, genro do finado Sr n nin>enda Manuel t'iui calvo da Silva : rogase a sua ca mra
a todas as autoridades policiaca e a oNftfM ra-
pitiio de campo ou outra posoa pairliralat que o
apprehender se gratificar com 50, alai das des-
pejas de condne^ao, entregando- > a *eu aaUJaj
Miguel Jos Alves. Da eaa cima, ou no s#o
criptorio na rna da Cruz ca-a n. 19.
c.ii%\nr
iras mulo mansas, boas
co commodo : a tratar
Vende-se riscadinho francez a 200.rs. o covado,
por ter grande quamidade, esta-se acabando : na
rna da Imperatriz n. 52, loja da porta larga, de
Paredes Porto.
Bren em barricas pequerat
Cera em velas de todos os tamanhos.
Bogias.
Mercurio.
Na ra do vigario n. 19, primeiro andar.
Xo (lia 20 de setembro prximo pa.v-ad fa-
gio do engenho Terra-preta, doabaixn as-ignado, o
escravo Juliao, crioulo, de altara r de 30 annos do idade, punca barba, lem os a4a l,m
feilos e pernas, muito fallante, al se faz n uro,
tem o dedo polegar de urna mo calido para dtn-
iro, anda com nina carta fechada, do lente coro-
nel Amaro Gomes da Cunha, apadrinhand' o, rn-
ca foisurrado este escravo, foi ha MUj cinprada
a Rocha Lima e Guimares : quem o |*nr leve
mesmo engenho ou no Becife a' rna da Roda a'
Alexandre Correia da C. Jonior, qne sera bem re-
compensado.
^^^^^^ Alexandre Correia de Catiro.
No da 31 do passado fugio a e-o jv4 Olea-
tina, parda, alta e magra, que oerteoceo ao Sr.
Amaral, empregado na repartitlo do sello ; esta
! escrava foi no dia do eorrente qneixar-se ao Sr.
Dr. delegado por ler sido castigada : qoem a pe-
' gar e entregar na ra da Cadeia n. 62 ser bea
! recompensado.
II I-
l\
-~-



Diarlo de 9*ernaoibnco Quinfa lelra l de Xovcml ro de i
: | a;
1*11
hA.
CS POLCO DE TL'DO.
Coofiam-se a estas pobres cranlas, arrancadas
miseria, as escovas e a caixa neeessarias ao sea
odlcio : a metade do dinheiro que recebera cada
dia depoitada n'um banco, a outra metade vai
para urna caixa commura, que prov ao sustento e
vestuario das cranlas.
O dinheiro depositado nscreve-seem nomedecasa
engraxa-bulas, e se e*te deseja aprender qualqner
offieio, ser marinheiro ou emigrar, enlregam-lhe a
tolalidade das suas conlribuige?, cornos juros, e
empregam-se todas as diligencias para que o di-
nheiro seja dispendido com a melhor vantagera pa-
ra o futuro.
Quando urna creanca sai do Home, tira-se-lhe o
Di-se que tudo esta prorapto para se dar come-
co ,1 partida de Roma Ja3 pnmeira tropas france-
sa do corpo de occupacio.
.1 cidade e a delegago de Vilerbo ierio d'aqui
neos das entregues vigilancia do, exercr.o
.rio.
As Iragatas a vapor Labrador e Gmez deviam
uo dia 13 Jo correte pira Civil* Veeehia,
ou le ja cuegou o bi'co a vapor Uelairenr, posto a .
disposicio do general Monlebeib.
O, piiiu-iros destacamentos fraucezes por se-horelralo'ee<)reven"10(lae. se se porta mal, este
ero marcha uo da i de novembro. m10 semra' Para raandar caPlurar raas lue,
,0 ,ii embarque elTeetuar-se-ha immediata- pe con,rarl-se a *a conduela fr irreprebensi.
m |0le vel e a desveutura o perseguir, sera' sempre soc-
De liorna nenhuui daspacho ou noticia nos an- Cjrrido W^otando se ao Home.
nuucia a retirada mais ou menos voluntaria de Esla nstituiro ja lem leilo maravllhas para o
M Je Mero Je ; porm "os joroaes italianos publi-; melhoramento das classes pobres, onde ascreangas
cain pormenores muilo exactos sobre a demisso sao de ordinario victimas do vicio e da miseria.
do pro-ministro das armas. _______l_ <__.______
Dizera-oos, lose na Italie, que em resultado de I
ti la ..calorada discosso, que leve lugar em con-' O que abaixo publicamos foi recitado no dia 13
le ministros, Mr. de Merode pedio a sua de-' d corrente pelo acadmico o Sr. Almeida Cunha
muslo, quo foi aceita. peame o cadver de seu collega J. F. de Arruda
1 -'"i concedida urna licenga de algumas semanas Cmara.
e?e peraonageai para ir tratar da sua saude de- Eis um cadver.
Era prantos, em suspiros, qner coosolago I
E en quero a dr calada
Embora o pranto afogue e mate o corado I
E,pois,quando marcar-me a fronte a raorte esqualida
Nao quero teus lamentos, nem teas ais.
Muda e serena e ao p da tamba paluda
Morre tambem... eu nao desejo mais.
grande espada de dous gomes, de
rolar a cabera do condemnado a
Um grito de terror escapou do leito de todos os
espectadores, e ao passo que quat o miseraveis va-
gabundos vo levantar o corpj de suppliciado, di.
rlge-se tranquillamente priso, unido da espa-
da ensaoguentada, recebe os 188(00 res, do seu
um so golpe faz
eus ps.
salario, e dizendo ao carcereiro
naneira de agra-
zada, e aesse intervalio pruver-se-ha o seu {
| .-i vago.
Dois locidentes motivaran) a dlscussao de que se
irata. j
.. .i primeirb lugar foi criticada urna circular se-
crela, dirigida aos chefes das tropas poulilicias des-
tai as ni fronieira, e ua qual o ministro das ar- [
mu loes "i'Jeuava que nao aeolliessem como iui-,
migas as quadriUuu reaes (Ue salteadores) que ro-
dam a cou lius.
outro objecto da discussao foi um dficit as-
saz cousidoravel, averiguado na caixa do ministerio
di guerra, e cojo emprego nao pode ser veriQ-,
caio.
A sabida de Merode do poder se:.' seguida da
deuiissao de ara ofllcial de sua conlianga, Mr. de
M..., que esta* envolvido as caasas da sua.
queda.
O cardeal Antonelli um dos homens que mais
favoravel se mostra para urna conciliago com a iti-
lia : possue a experiencia do passado, a exacta
lacio do presente, e conhece a signifleagao
provavel do futuro.
Nascido ua Italia, sabe comprehender que che-.
gado o momento de cuidar seriamente do bera es-
tar da igreja e da Italia.
Ha anda a notar um facto extraordinario, e vem
a ser que, entre os actuaos cardeaes, contam-se
vrate e cinco que politicamente sao subditos do re
de Italia, isto pouco menos de metade do sacro
coHegfo.
lia mais treze nascidos em Roma ou as provin-
cias limitrophes.
E' o cadver do acadmico Jos Francisco de
Arruda Cmara.
Tinha dezeseis annos.
Era bem moco, nao era ?
Morrer to cedo corta o corago I
Arruda Cmara era lilho nico.
Estudou, e estudou muito.
Fez-se por si.
Quando eslava prestes a receber o premio de
| seus estudos de l. annista, veio a morle, abragou-
I o, estortegou-lhe o peilo.
Fatal coincidencia I
Senhores! eu venho depositar a minha saudade
i no tmulo delle.
E esta saudade urna lagry-ma.
E nao sou eu s que o choro.
Cem collegas, cem amigos o choram tambem.
Quera foi este joven perguntai-o a nos todos, e
' nos todos respe nderemos sem hesitar: era urna
fronte intelligente, era um amigo sincero, era urna
crianga admiravel I
Vamos! A morle o quiz para si, porque a morte
tambem quer os anjos I
Deixae-o descangar.
Ne pengrnou na vida, nao bebeu as fezes do
calix mundano, foi talvez bem feliz I
Sua mal chora-lo-ha sempre : elle era-lhe a rae-
nina dos olbos, era o seu lilho nico, a nica lem-
branga de seu fallecido esposo.
Entreguemos trra este cadver que Ihe per-
tence.
O murmurejar das folhas destas arvores fne-
bre-, o ciclar destas brizas tumulares, e o perfu-
me destas flores sepulchraes far-lhe-hao companhia
AfBgnra-se portaulo a conciliario certa e infal- <]a e ccute.
' '!- O sol ha do langar-lhe na lage da campa algu-
E" aoicamente nina qnesto de tempo diz o Cit- mAi eblspas de luz, a la alguns claroes melanco-
taiwo, d; Tunn : aceleremos a solacio; nao nos |jCOs, as estrellas alguns brilhos.
fallara auxilio na curte de Roma, aitendendo que
entre os cardeaes ha amitos que comecam a com-
prehender que urna iraosformaco >e turna inevi-
tavel.
ueixai oescancar o corpo: a alma foi para o
co.
LJ se no Jornal do Havre :
Oiz-se que o re D. Lniz se eatender cora o go-
vei no fraocez para prevenir urna pequea fraude
inspirada pela vaidade.
lia mallas pessoas que sollicilam a ordem de
Consto, coja lita se parece mullo com a da Legio
de II dir ; e para prevenir esle engao, o re de
Poitugil inauJaria accrescentar ucn dibrum casia-
ulij a .na Ja ..m.'in de CbristO.
a JigiuJade portugueza oteressada em que
isl ..auJe se torne impossivel.
Iodos ga&bam cun i;su.
Existe eiu Londres um iostitoico, cuja excel-
au orgauisago merece urna especial mengao.
li .i bi iga la dos engraxa bolas, fundada por lord
Sliallesbury i- par mais alguns homens esclarecidos
e philanlropos, e comporta de rapazes de sete a
quaUrie hito* de id&de.
Jli qaatro divi>oes, que se disnguem urnas das
oatras pela i r do traje de cada ara dos limpa-bo-
tas i vermelba explora o bairro 'la City, onde os
o liarios de cada creanca ?u elevan) a oilocen
I .enta res ; a brigada amarella estaciona na
maigem do Tamisa, qne pertence ao condado de,
Surrey, e cujos lucros sao quinhentos e cincoenta
ris por dia a azul funeciona em Islington, onde
os provento sao aioda mais lucrativos; a dlvisaol
parOa percorre Wbitecbapel.
As ciucj liaras e meta todos esles rapazes regres-
sam ao gran le edilicio, onde sao alojados, e que
tern o nomo ue lome; depois da ceia ha escola
ires vezes por semana; duas vezes por semana
a b.uJa de msica dos limpa-botas taluda ou exe-
cutu pegas de msica, e a sexla uoiie preen-
cbida por a.guma conferencia ao mesmo tempo
instructiva e recreativa.
De niauna as creangas levantarn-ses seis ho-
ra:, assistem s oragoes na igreja, almogam, e s
oil) liaras cada um oceupa o seu posto.
Ao domingo vo duas vezes igreja.
Sao "tes versos feitos pelo Sr. por occasio
do passamento do acadmico Jos Francisco d'Ar-
ruda Cmara :
Elle .;ra o nico fructo d'um casal,
Orphao de pai ficou inda c langa;
A mi o'elle vitava seu phanal,
Vida, luz de sua nica esperanga !
To joveu anda, quando o peilo abra
Cheio de crengas, no mundo Iropegou;
Tinha beijos de mi quando gemia...
(juando a morte craseus br< gos o eslreitou I
E Ihe ceriou as puras brancas azas,
Quando elle as debis forgas ensaiava
Como ave cahindo em chao de brazas,
Cora o destino fatal inda lulava.
Lula a vida com a morte; lular insano?
Porm da lula a morte coube a palma.
Seu corpo ierra, a vida ao desengano;
Ao co um aujo conduzio sua alma I
Esta poesa transcripta das Paginas menores
do Comi Mercantil:
Em face descorada, luz de vela paluda,
J vi misero iranio em borboi5es correr;
E o peilo comprimir com a mo convulsa, invalida,
O pobre descarnado e trmulo, e a morrer I
Dos olbos langorosos virgem melaocolica
Gola a gota deixa o pranto escorregar;
E o ebrio ua taberna, ardendo era ftbre alchoolca,
Ni laca muita vez se v triste chorar I
Ali, junto da tumba e sobre o chao funreo
L'm pai s 'luga e chora, um lilho, irmo, irma I
E quania vez tambem se rompe o espago ethereo
Ao lnguido suspiro da viuvez louga I...
Pois bem I nao creio
Xa dr qu assim se expande e esgota o corago I
Quero-a sentida, funda,
Sera iagrimas, sem ais, sem frgil expansao I...
A dr que nao rauda,
Essa que transuda
FOLHETIM.
1S PRQVACOES DE ILEEN.
SCINAS DA VIDA IKLA.WZA.
Iha mi, ella teria podido acbar nisto urra especie
' de consolo.
O crime tena sido commettido na cegueira da
| colera, em um momento de tenlaco qnasi rresis
| tivei. Mas nao era assim I Ulick, seu querido
Ulick pelo qual sua admirago tinha quasi igua-
lado a seu araor, ella nicamente va nelle um as-
sassino de proposito deliberado ; e, em seu terror,
se Ihe lignrava que o rangido dos seus dentes e os
solugos e suspiros do seu corago poderiam ser ou-
vdos. Mas nao havia motivos para semelhante te-
(Conlinuago.)
IV
COSJDRACAO.
Aileen coolemplava urna scena extraordinaria.
A peca subterrnea era esclarecida por tochas de
um pao preto e resinoso, caja luz vacillante langa-1 mor : todos os olhos estavam fitos em Ulick O'Don-
va um patudo claro sobre os homens estendidos I nel e se animavam a seus projectos de vinganga.
ao redor. Aileen, observando suas eiges selva-1 Pearce deva ser morto na noite seguale ; os va-
gens e seus gestos violentos, achava que elles se gadores conduzdos por Ulick, seriara quatro ho-
par'ciaro com verdadeiros demonios, e era urna mens presentes, nomeados por elle ou tirados
dr pungente para ella o ver Ulick entre taes in- sorle, como decidisse. Elles deviam oceultar-se en-
dividuos. tre as arvores copudas do parque, at que Ulick
< Deus -al,.; quanto elle tem soffrido c quanto dsse um signal, o qual consistira em um grito
lem si Jo tentado pensava ella e sera mais mi- imitando a voz da coruja ; se introduziram enlo
sericordioso para com elle do que os homens neste pelo lado das pertengas do castello, e quando ou-
muudo. Que Deus seja louvado para sempre. Mas, vissem o tiro de Ulick aononciaodo-lhes que esta-
o Uiu-k to q'ierido, mea corago despedaga-se! va consummado o assassinato, elles botariam fogo
vendovii> ah I s granjas e celleiros, depois se salvariam como
A principio os discursos erara' lao vehementes, poaessera. Fra do parque, outros cmplices em
uo tumultuosos, que Aileen apenas podia disln- nuraero de seis, estaara promptos a combater se
gulr as vozes urna da oatra ; mas ella vio seu des- por acaso se interceplasse a passagem a seus com-
pasado esperando em triste silencio que a algazar- panhelros, de outra sorte elles se dispersaran), e
ra se apaz.guasse ames de se fazer ouvir. Enlo como conheciara todos os escondrijos da vzinban-
elledeu um passo a frente e. faou. Desde este ga. as probabilidades da sua salvagao erara excel-
momento Aileen comprehendeu que todas as de- leales se ebegassem a ganhar urna certa distancia,
monstrages e sapplicas seriara inutes; sua nica Ponanto o papel perigoso era o do assasslno do
esperanga era, ama vez conhecido o plano, tentar agente, e per conseguinte devia periencer a Ulick
fru,ta-lo. Ella ficou sorprendida e aterrada de ver o'Donnel. Este direto era sen, e ninguem pensa"
a que pooio as cusas tinham chfgado. O carcter va em |n-0 contestar.
determinado e deliberado da coojnracio, a manei- j Meus amigos, di'sse Ulick, agora que vos le-
ra porque Ul.ck tinba procurado todas as pegas ne-; Dno fe0 o^cer lodos os mens p|aoog) e
cessar.as que serviaro de informago, e a preclsao metientes delxar-vos condazir por mira neste ne-
com que explicava todo a seas companheiros, a g0cio, advirtovos de que nao tenho intenco de
consternavam. Se Ulick tivesse ferido o vil oppres- ,irtr 0 vosso norae ,.,,. Ha razies inherentes a
sor do paz, quando levantara a mao sobre sua ve. I todas as coasas, e tenho as minbas para escolher
torna i sahir da priso
O irbunal supremo da repblica de Andorra,
condemnou ltimamente um contrabandista cha-
mado Masteu pena capital por ter commettido
um assassinato.
Na pequea, mas feliz repnblica de Andorra,
raras vezes preciso usar o carrasco do seu triste
mister por este motivo urna folha eslrangeira fez
urna longa descripgao do julgamento e exeengo
de Masteu, homem que sua ferocidade juntava
prga fra do coramum.
Aproveitaremos dessa descripgao as peripecias
mais nota veis :
Logo que o tribunal pronuncou a sentenga, que,
segundo as leis da repblica, devia ser cumprida
no prefixo praso de 24 horas, o escrvo do valle,
acoiiipiiiiado do < mande >, de quatro milicianos
armados e do veneravel arcipreste de Andorra, di-
rigiram-se para a priso, a lira de intimar a sen-
tenga ao preso.
Chegados junto do condemnado virara-no senta-
do n'um banco, com as maos ligadas atraz das cos-
tas. Vendo-os, levantou-se inmediatamente, e en-
carando com o veneravel sacerdote que la cumplir
a sua misso de confessor, exclamou transportado
de furor :
Fuera el capelln / (Fra o sacerdote I)
E como o escrivo se preparava para lr a sen-
tenga :
E' intil, atalhou elle, ja sei, sou condemna-
do i morte 1 Kelirem-se, e deixera-me era paz I
E virando as costas aos assistenles, dirigiu-se
para o fundo da masraorra, onde reioava ama pro-
funda obscuridade.
Desde este momento o condemnado Gcou guar-
dado vista por oito milicianos armados, e por
Beppo, ajudante do carcereiro.
Amigamente era preciso pedir s cidades dos
reinos visinbos, que ordinariamente erara Foix ou
Sen-d'Urgel, os seus executores de alta justiga.
Na vespera do dia era que a sentenga devia ser
pronunciada, expedase cora este flra urna mensa,
gem official a urna ou a outra destas cidades de
modo que a senlenga podesse ser cumprida no
praso de 21 horas depois de ser pronunciada. En-
to o condemnado soffria a pena de garrote ou de
guilholina segundo o estado d'onde proceda o car-
rasco.
A vinda de um carrasco eslrangeiro originava
muias despezas.
Ver-se-ha como o governo da repblica faz ac-
tualmente algumas economas a este respeito.
No dia 12 pela manha os membros do eonselho
soberano estavam no palacio da presidencia, as
milicias das communas do valle estavam sob ar-
mas ; os sinos das parochias e das capellas dobra-
vam a finados; todos os trabalho3 do campo esta-
vam suspensos ; este dia devia ser registado como
um dos mais nefastos da repblica.
Entretanto, Masteu, o condemnado, raostrava o
maior cynismo, quer pelos seos dlos, quer pelas
suas cantigas, a ponto de todos os guardas da pri-
,-ao se roostrarem indignados. Conlinaava anda a
insultar a justiga divina e humana, qaando um
homem de membros hercleos mascarado ma-
neira dos fariccos, com as mangas da camisa ar-
regagadas at o ante brago, entra na cadeia e vai
bater pona da masmorra onde est o condem-
nado.
E'-lhe aberla inmediatamente.
A' sua vista os melicianos recuara alguos passos
e o proprio ajudante do carcereiro empalideceu a
seu pesar.
Quanto ao condemnado logo que o viu, excla-
mou, querendo sustentar ainda o seu cynismo :
Voc que o carrasco, meu lindo figu-
ro?
Eu ou um oulro, que Ihe importa ?
E sem outros commenlarios, pegou as cordas
que ligavam Masteu e ligando-as sua moda, tor.
nou-se senhor, pelaf orga, do criminoso.
Depois de se ler convencido que nao tinba nada
a receiar dos seus moviraentos, com a mo direila
rasgou com urna rapidez admiravel, priraeiro a
parte superior jaqula, depois lodo o alto da ca-
misa do condemnado, de modo que este flcou cora
o pescogo e hombros us.
Depois aponlando o caminho a Masteu, disse sec-
camente :
Vamos I
Asmaneiras fras e brutaes do mascarado ater-
raran! o proprio condemnado, que se tornou livi- j
do de repente.
O cortejo caminhou n'esta ordem quatro milicia-
nos na frenle, o mascarado e o condemnado depois, |
o ajudante do carcereiro, e finalmente outros qua-
tro milicianos.
Chegara ao lugar do supplicio.
Na praga, que estara cheia de 200 espectadores
erguase um labiado a um metro de altara.
Era volta tinha sido langada alguma palha.
Chegado ao cadafalso, o mascarado vendou os
olhos do condemoado, que cabio de repente n'uraa
prostrago completa ; lga-o ao cepo, forga-o a bai-
lar a cabega, e pegando cora s duas raaos n'uraa
decimento : at outra vez
e desapparece.
Ninguem sabe quem exerceu as Ifuncgoes de car-
rasco, que sao incumbidas, acta mente, a quera
quizerganhar duas miseraveis libras esterlinas
O Invalido Rusto nolicia que na raleria de Stein-
bock, em S. Petersburgo, se faz e:;posigo publica
de um marinheiro inglez que foi felo prisionero
por cannibaes que habilam urna las illias do'mar
no sul.
Todos os seus camaradas aprisionados na mesma
occasio forara morios e devorados; a sua mocida-
de (dezeseis auuos) fez cora que o |.oupassem.
Acabou por conquistar o araoi e a estima dos
cannibaes, e teve a insigne honra ie ser marcado
em lodo o corpo cora variados dse hos.
Esta operago faz-so cora urna a ralba, que vai
picando o desenlio tragado porcina da pelle at
formar chaga, na qual se applica em seguida urna
friegao com brilhautes e variegadas cores.
Estas cores nunca desbotain, era possivel
apaga-las.
Este processo causa ao paciente dores horriveis
e, segundo diz o marinheiro iqglez, sao precisos
muitos mezes para a cicairisago das chagas.
Para se completar esla pintura lo corpo todo,
empregara-se annos, porque s se conega a execu-
tar ura novo desecho qaando o jrimeiro est
cicalrisado.
As mulheres incumbem-se de p ntar os seus
maridos, e quanto malor o amor qje Ihes consa-
ts, e por con-
dsennos que
ubli-
que o
berio de
gram, mais complicados e phantaslic
seguate mais dolorosos, sao os
executara cora o bico da agulha.
O marinheiro inglez que hoje se
| co de S. Petersburgo teve quatn
adora vam, a ajuizar-se pelo c
i arabescos.
O marinheiro apresenta-se ao publico em trages
de cannbal.
L-se no Jornal do Commeicto da corte, o se-
guate :
VISAO DE ALKM TOMLO TOR AMDb) GOUBT.
(Concluso.)
Fra inconsiderado este impulso. O animal,
como diz de Maistre, obrara antes qni a alma ti-
| ve.-se tempo para se oppor a' sua impertinente ten-
tativa.
Recuperados os seoiidos, eslava completamente
senhor de mira. Davia corar e descuipar-me da
miuha elravagancia; mas lembrou- ne o rogar
nocturno de ura vestido de seda, e entieguei-rae a
divagages como Bruto, bateudo nojneJico que
quena levarme para a cama, e aposir.iphando Ja-
cob de iusensato. Alcaocei um trinomio extraor-
dinario ; recoulieceu plenamente o mbdico o seu
erro, e declarou-me formalmente doudn; o pai de
Carolina de ba muiio que eslava convencido disso,
e aceitou a declarago do seu joveo coliga, com a
altiva modestia da superioridade triurapnanie.
uerara me ento mais baos. Ai arW I pre
ciso que leu fogo seja bem grego, para tor resistido
aoiraiameoto hydrolherapico do Dr. Jaob I Se Ihe
tivessem envalo o incendio de Mosco
sem duvida apagado. E para me nao
seguro te que me foi preciso raelharmophosear-me
era Tritio; esta va lodo o dia na agua, e entia nas-
cerem-me barbatanas nos ps, emquanl o diluvio
me cahia sobre a cabega. Durou isto quarenta
das, corao na Biblia, quarenta dias de chuva, que
por felicidade erara separados por outras tantas noi-
tesde sol.
Vou esplicar-me.
Jacob e a sua familia prodigallsaram-ttie os mais
extremosos cuidados. Ora, sempre a lela noite,
a hora das almas do outro mundo, ouvia eu o sus-
v, l-lo-hla
apagar as-
urido do
irava sem
pois ajoe-
io a cho-
eu mesmo aquelles que desejo. E os que nao fo
rem nomeados, nao se offendam. porque nao ha du-
vida de que estis todos aqu muilo livreroenle, e
que leudes muilo boa vontade. Consents em me
deixardes concluir islo?
Todas as maos se levanlaram em silencio/ mas
ura homem magro e de miseravel apparencia avan-
gou e disse :
t Ulick O'Donnel, este negocio pertence-vos, tam-
bem nada direi em contrario ; porque sois o mais |
perseguido, a principal viciima, porm toca-me o
segundo lugar. Esse moosiro era meu inimigo
antes de ser vosso, sendo que o foi por mea res-!
peito, porque irrilou-se a principio com o que
dissestes e fizestes por mim. Portanto nao neguis
os meas direilos aps os vossos, e se ha um logar
que oflerega mais perigos, eu vol pego, Ulick, por
cansa do odio que tenho ao monstro e da araiza-
de que vos consagro.
t Dizeis a verdade, Dennis Conolly e vosso '
nome o pnmeiro.
O homem tornou o lugar designado, e a voz de'
Ulick nomeou t Mark Delany. Um hornera todo
mogo.de physionomia franca, responden ao cha-
mado, uosangae de Aileen se gelou era suas veas,
porque Mark e Peggy Shehan erara, como ella e
Ulick, ooivos desde a sua infancia, mas Marck era
O'pho e Aileen comprehendeu porque Ulick o es-
colhia e pelo contrario dexava de indicar Pat-Cal-
laghan pouco estimado no paiz, raas que tinba urna
velha mi para sustentar.
Mariagb O' More e Coraey Elena respondern)
depois ao chamado. Os quatro conspiradores e
Ulick formaran! um circulo segurando se pelas
maos e deram juramento de ddelidade, juramento
que fez gelar o corago da pobre donzella.
Aileen sabia tudo quanto desejava saber, ella
deixou com precaugao o seu escondrijo. Arraslou-
se pelos degraos escorregadjos, e dea um grande
suspiro de atlivio quando o sea rosto sentio a fra
brisa da ooite. Mas no corago da pobre donzella
surro femeaido de que ja' falle, e, na es<
quarlo, va despernar urna sombra brama.
E' ella, dizia eotao comigo.
Ao principio coniiuha a respirago, opcullava o
fogo dos meus olhares debaixo das palpebras semi-
fechadas, e affeciava a postura adormecida do Eo-
dyraio visitada por Diaoa. Via a sombra se al-
tava alguma cousa ao p de mira, prep
fazer ruido as minhas beberageas, e d
Ihava junto de meu leito, erguia as mo e orva.
Carolina, disse eu urna noite, arao-
Eslreraeceu a sombra, ergueu-se e sa
rar.
Na noite segrate voltea. Fing eu quje sonhava
e dirigia-lhe assim, com a capa do sonhn1, lodos os
dithyrarabos amorosos, capazes, desde Ai)o, de fa-
zer palpitar o corago da donzella. Chorou ella
ainda, mas a ponto de despedagar a almia.
Formosa Carolina, disse eu, nao chores mais,
nem creias que jamis estive doudo, gragas a Deus.':
Eu vira aqui para pedir a la mo, e f; go de de- i
mente para ficar ao p de ti, esperangad em que
ganhare o teu araor, meu nico desejo aa ierra.
Perdoa-me este ardil. Eu amo-te, e, viso que rae
havia ura sentimento de horror e deopprsso que
nao poda ser sobrepujado tao fcilmente, eno!
foi senaa por um violento esforgo que el a conse- j
guio dominar o abatimento profundo que Ihe fazia
qnasi desfallecer, nao por causa do perigo que ac-
ban de affrontar, mas do terrivel peso de culpa-
Dilidade que pesava sobre a alma de Uliec t Que
Deus lhes perde a todos, dizia ella, porqufe se cri-
minava de pensar muilo exclusivameote era um
nico. Todava ainda nao eslava livre do perigo de
ser descoberla. Os conspiradores podiam Subir de
ura momento para outro, e, nao conhecendo o ca-
minho, ella devia procurar um lugar para se occul-
tar al que todos tivessem partido ; ento seguira
o ultimo dentre elles, como tinha seguido a Ulick.
Felizmente o enorme tronco contra o qual se feri-
ra nao estava longe, e ella correu a abrigarse airaz
delle.
O espago de tempo que elles gastaram antes que
apparecessera, a sorprenden, mas ella deu a isto
ponca importancia; o estado febril em que s6
achava a impedia alias de flxar o sea pensmento
em cousa alguma. Nao trataremos da volla de Ai-
leen. Pode cootar cada um dos membros da con-
jurago qaando passaram pela frenle do seu es-
condrijo; Ulick que era o ullim foi ainda, sem
duvida, o guia da pobre donzella. Fraca e fatiga-
da, se arraslou para o seu quarlo, tornou a por era
seu lugar a relva e os paos que afasira para abrir
mais a jacella ; depois, completamente aniquillada,
atirou-se cama, e teve um somoo pesado longo
tempo aioda depois da hora em que era do seu cos-
tme acordar.
Ellaexperiraeaton am verdadeiro allivio em sa"'
ber, psssiodo pelo repartraento principal, que!
Ulick j tioha partido ; porque desde os ultimas!
acontecimentos tema muilo encontra lo. Moyoa
Dada snspeitava; havia ura tal brllho nos seus
olhos, urna tal expressio de triurapho em todo o
teos amor, confia os nossos interesses a la tia, e,
se anda for doudo, ser de alegra I
Em vez de as abrandar, augmentoa as lagrimas
da sombra esta declarago. Sorprehendeu-me isto,
e muito mais porque dorante o dia andava Caroli-
na sempre satisfeita e contente. Desde manha
at a noite ouvia cantar e nr esta joven que de
noile me apparecia como urna alma penando, cora
to graciosa negligencia e gargalhadas to francas
e sinceras, que ninguem podena com razo attrl-
buir-lhe um pezar. Eu via-a perpassar debaixo
das raiuhas janellas e correr pelo jardira.aspirando
o perfume das plantas, a frescura do ar e a em-
briaguez das suas dezoilo primaveras, masestouva-
da e louea do qae urna bacchante. Quando me via
desviava os olhos, e ura dia. era que a encontrei.no
corredor, fugio a miuha approximago. Pelo con-
trario Julia ciiegou-sea mira e perguntou-me se es-
| lava inelhor.
Carolina era alta, esbelta e leve como urna syl-
phide ; linha os cabellos louros e os olhos verde-
mar como os da Venus AiiaJyornene. Personiflca-
va a phantasia feliz. Jamis um desassocego Ihe
emmurcheeera urna rosa do rosto. Julia, irigueira
e melanclica, fazia ainda sobresahir mais o ar ra-
dame de sua irma.
Jolguei um momento que era amado por urna
somnmbula, comparando a Carolina da noite
cem a do da. Nao podia acreditar na dissimu*
lago.
Talvez, dizia eu comigo, vem ella chorar e
orar a cabeceira do meu leilo sob a impresso do
somnambulismo.
Impaciente por penetrar este myslerio, pedi-lbe
urna noile que revelasse o nosso amor a sua lia
sua mi morrera j. A ta veio ter comigo ao quar-
lo. Narrei-lhe com a maior franqueza a mlnha
priraetra visila ao doutor e os accidentes estrave-
gantes que depois se tinham dado. A digna senho-
ra conhecia-me e cenhecia mnha familia, e de ha
muito que adivinhara o meu amor. Satisfeila cora
as minhas revelagoes, tomou-rae as maos com ami-
zade, sorrindo : iConHai em mim.
Nesse mesmo dia, operou-se urna raudanga no
procedimento de Carolina. Nao mais a ouvi cantar
nem rir, nem voltar no jardira; caminhava com
circumspeego, o pareca que voara a sua alegra
de passarinho.
Minha av, a quera dei parte da mnha cura,
dirigio-se a Jacob com o pedid j ofiicial.
O velho sabio respondeu-lhe :
Minha senhora, nao trato dos negocios domes-
ticos. Falle cora a lia...
As duas senhoras ontralaram o casamento.
Estava j pouco mais ou menos curado da doen-
ga de medico e foi-me permittido cortejar Carolina,
lamos passeiar em a familia ora ao bosque, ora
ao Sena, onde tinha um bole que comprara.
Quo formosa a esperanga, e quo diloso o lem-
po que se passa a espera da urna felicdade
Mas tambera que exquisito jogo de loto que a
vida I
Tinhamos sahido um dia a passeiar no nosso bo
te, e vogavamos para cima das ilhas dos Cysnes,
quando um accideote vulgar, a passagem de ura
barco a vapor, nos fez batanear desordenadamente.
Carolina, que estava em p, como urna inquieta
borboleta, a proa, perdeu o equilibrio e cahio ao
rio. Laocei-ine em seu soccorro, e fui bastante
feliz em poder conserva la a lona d'agua at que
vierain tirar-m'a da mo alguns raarioheros. Que
brado pelo c.-.nsasse-, desfallec enlo, e desappareci
na corrente arrastado para o fundo.
Que rae succedeu eutao ? Posso dize-lo, porque
conservei lodas as impressoes desle passeio flu-
vial.
Envolvido e arrastado pela corrente, pense pr-
meiraracote na pi-cina de Jacob.
Ab I por Deus, disse eu comigo, pode a hy-
drotherapia ser urna excellente cousa: com ludo
nao pretendo abusar...
Tentei subir a ton d'agua: ouvi dstinctamente
as ojps dos marinheiros e os gritos de desespero
deTulia e de sua tia. Mas todo o meu desassoce
go era por Carolina, se bem que pensava menos no
perigo que ella tinha corrido do que as conse-
quencias da immerso.
Tem os vestidos molhados, pensei eu. Como
que os mudar?
Este era o meu cuidado, e a minha preoecupa-
gao lixa. A idea de que ella tinha oo corpo os
vestidos molhados. e nao podia mdalos, toraa-
va-me o espirito, e atormentava-rae com urna
lenacidade pueril.
Tirado isto, nao senta dr aguda, nem temor,
era consciencia de minha situago, mas lutava
insunctivamenie contra o aby>mo, desfallecido e
como embriagado. A agua produza nos meus
ouvidos o ruido de urna trorabeta, ou antes de
diabochinez; era ura zonido surdo que entorpe-
ca. Alravz do meio envidragado era que e>lava
immerso, via o fundo do rio; e, erguendo os olhos,
apercebia por cima os bateis minha procura, e
que passavara por sobre a minha cabega. Era um
sonho, exquisito e phantastico, cuja impresso,
cheia de confuso e eniorpeciraenlo, nao dexava
de ler encanto e dogura.
De repente sent levantarme; um vago raio de
luz ferio meus olhos, mas ouvi quasi logo vozes
que deziara.
Ah est morto. Pobre diabo I Tezo como
um pu. Picai-o I Um alfraele I
Em seguida, depois de urna pequea pausa,
murmuraran).
seu aspecto, que Aileen sentio-se cheia de indes-
criptivel horror. Ella sabia d'onde vinha esta ale-
gra : Ulick Ihe coramunicra seus projectos, e
Moyna saboreava d'anle mo a morte do seu ini-
migo. O designio de Aileen era Ir procurar a
Pearce, e dar-lhe a entender que se tramava al-
guma cousa contra elle, afim de que se prevenase.
Talvez a suspeita recahisse sobre Uiick, mas aonde
estariam as provas? Quanto sua afflicgao em s.
raelhaoie conjunclura, nao poda ser maior. Era
lodo o caso o miseravel deva ser advertido, e U ick
salvo do abysmo profundo do peccado; alm de
que nenhura outro raeio se Ihe ofiarecia. Foi com
extrema anciedade que ella esperou a tarde.
Moyna oceupou Aileen todo o dia j nisto, j
naquillo, depois disse que tinha de sahir.
t Nao vos demoris muilo, mi, disse Aileen.
Eu desejava ver hoje o padre Mahoney a proposito
de Anty e da classe do convento. Nao devenios
perder occasio.
Ella se esforgon era pronunciar estas palavras
cora ura tora calmo, e Moyna prometteu voltar a
tempo. Curapro sua promessa, e a donzella par-
ti. Haviara duas estradas que conduziam do Val-
le-Escuro casa de Pearce. Urna, a mais curta,
era a mais frequenlada (se se pode usar de seme.
'liante palavra tratando se de ara caminho deste
dislricto solitario); a segunda, mais agreste, mais
selvagera do que nenhuraa outra era muitas milhas
ao redor, passa va atravs de urna profunda quebrada
eotre duas colimas escarpadas; era coohecida por
Gap de Gleotane, e na verdade tinha um aspecto
de grandeza que nao possuiam os camiohos clr-
cumvizinhos.
Corno Ihe era indiff-rente tomar esta oa aquella
estrada era sua ida, escoiheu a primeira. De volta,
tinha mtengao de seguir a de Gap, porque, segan-
do o plano dos conspiradores, elles deviam ir i ca-
Est morto, bera morto......
Ficara n'nra estado singular. Os membros ti-
nham a rigidez e o fri de cadver; a sensibilida.
de e a elasticidado nao funeciona vam ; era orna
completa catalepsa. Percebia comtado es soos, e
via o que se passava juoto de mim como atravt
de um nevoeiro Mas era em vo que me esfor-
gava por mover os bragos, as pernas, os labios, os
olhos e dar signal de vida; nada, era impossi-
vel. Era como se estivesse encerrado n'uma esta-
tua de raarmore.
Levado para casa do doutor, subraelteram-me,
sem resultado, ao tratamenio enrgico dos asphy-
xiados. Eovolverara-me depois n'uma mortalha,
acenderam tochas nos quatro canios da cama,
collocaram-me no peito urna cruz de pu preto, e
ouvi a tia recitar as orages de defuntos, emquanto
que um joven, sera duvida, de joelhos ao pe della,
solugava. Esla joven era Carolina, pelo menos
assim o julgava. Fallou, porm, e pareceu-me
reconhecer a voi de Julia.
Durarara os solugos e as oragoes por toda a
noute e dia seguinie. Era urna scena no goslo de
Carlos V, mas que poaco me diverta.
Veio emlirn o enterro; metteram me no athade
elevaram me para o carro raortuirio. Airavessei
Pars, sorrindo interiormente com a lembranga das
uumerosas barretadas que a recolhendo pelo ca-
minho. Saba eu perfeilamente que estas cortesas
se nao dirgiam a mim, mas que erara lioraeoagens
ao temor mysterioso da morte, era um reeouheci-
raeulo iost.nciivo da iramortalidade, raas nesta
phase palyogeoerica, lisougeava-rae aqallo I tu
veras.
Chegou o enterro ao cerailerio, e desceram-me~
cova. Ter-rae-hiara comraovido, sem duvida, se
nao sollresse euio urna dr agudissima, os derra-
deiros canucos da igreja, e o raido da trra cahin-
do sobre o aihade. Fui sempre amante da msi-
ca, e minha sensibilidade musical, estendida al ao
erelhismo, fra irritada por urna nota desafinada
que um padre embriagado soltara.
Ohl dizia eu comigo, o miseravel nao se em-
briaga de certo seno cora vinho azedo I parece-se
sua voz cora o rangido de urna por'a de ago sobre
o vidro.
E reflect enlo apaixonadamente na influencia
da qualidade do vinbo sobre o timbre da voz. Des-
prenderse com tudo o meu pensamenlo, gragas a
Deus, pouco e pouco, levado para fra do circulo
de miserias da humana vida, porque, se o mea
corpo estava morto, ou perto disso, vivia a minha
alma, se bem que presa corao uraa luz n'uma
lanterna furta-fogo, mas procurando soltarse da
priso, e tendo conseguido j em parte essa ten-
tativa.
Senta eu desenvolver-se-rae as faculdades e
adquirir em meus sentidos uraa penelrago sobre.
natural. Abandonando o corpo, nao a alma a"
borboleta sahindo de chrysalidas, dir-se-hia antes
o elher que se evapora do frasco partido. Relido
como o prisionero que, encostado grade da pri-
so, raerguiha a vista nos esplendores do horison-
te, chegava ea a ver do fundo da minha cova a
magnificencia de mundos desconhecidos. Trans-
porta va-me e pensamenlo de um ponto ao outro,
com urna presteza que poda ser para o fluido elc-
trico o que esie para a locomotiva dos caminos
de ferro; entregava-.-e minha vista, livre de todo o
obstculo formado pelos olhos, a percorrer o espa-
go cora a rapidez da luz f e percebia os mais leves
ruidos a distancias enormes, porque a orelha nao
impeda ja ao ouvido as percepgoes. Tinha para
assim dizer urna especie de intuigo de todas as
cousas, e sentia-rae tomado de urna beattude
extraordinaria.
No entretanto rebentara por cima de mira urna
furiosa lempesiade, que dispertara os convidados a
ceremonia do enterro e at mesmo os coveiros
encarregados de atulbar a cova.
Cahia a chuva era torrentes, e as faiscas abala-
vam a atmosphera. Era ura abalo geral, e um
eslrondo capaz de oespertar os morios. Depois de
urna terrivel exploso, que desfez em pedagos um
teixo que espalhava os seus ramos por sobre a
morada de um inqullioo visinho, parece-me qoe
solte um graDde brado ao cu. Umanjo, ajodhado
a beira da campa, e orando debaixo daquella tem-
pestado, (UVIO-0.....
Exhumaram rae. Abrirara o athade, e ea esla-
va vivo. -
r
E' este aojo que eu devo despofer, proseguio o
meu amigo, o mesmo que, durante a noute, vlnba
chorar e orar no meu qaarto, em quanto Carolina,
embriagada da sua belleza, dorma o sorano da
rosa. Disse-ie j que era Julia.
Captivara-rae a atteogo esta maravilhosa histo-
ria de phanlasma.
E que esparas de mim ? perguntei eu, aper-
tando a mo do resuscitado.
Que te prestes a affirmar que eu nao mor-
r. Desejo casar-me e oppoem-me a miuha certi-
do de bito, accrescentando que um morto nao
tem o direito de desposar ura vivo. Ando arran-
jando testeraunhas, e lembrei-me de li.
Nao ha duvida alguma.
No dia seguinte ful testemunhar a idenlidade de
meu amigo, a quem desejei toda a felicdade.
Obngado, respondeu-me elle sorrindo, sou
feliz, e estou bera de sade desde a minha viagem
alm tmulo, onde descobri qne a morte a
vida.
sa de Pearce, separadamente, por este caminho so-
litario ; e ella quena ver a Ulick. No lira do Val-
le-Escuro se elevava a pequea igreja e a hahita-
go do sacerdote, habitago que nao era mais con-
fortavel do que as cabanas vizinhas. A' porta des-
ta casa Aileen parou, e o bom sacerdote era pessoa
veio abn-la; era um homem de sessenta annos,
rude e sem cultura na apparencia, raas que pos-
suia muita delicadeza de sentimentos, um juizo o
tino perfetos.
t Entrai, m'raha filha, que posso fazer por
vos esta tarde ?
t Podis dar-rae a vossa beogo, meu padre,
em um negocio em que se trata de vida e raone.
Vinde, vinde, disse o sacerdote aterrado
cora a sua ailitude e com a pallidez do seu rosto.
Convem que vos expliquis um pouco mais, aotes
de partir.
Porm Aileen nao foi adiante.
t Nao me retenhais, mea padre. Estou em
caminho para obstar, esla noite, o mal e o crime,
para salvar, se possivel, a vida de um hornera.
Agora abengoai-me e orai por raim, qaando ea t-
ver partido, afim de qoe Dos me ajude na minha
empreza. Nao lendes conanga em mira, raeu pa-
dre?
De todo o meu corago, minha filha.
E o padre Mahoney fez o signa! da cruz sobre a
cabega inclinada da donzella. Aileen poaco se de-
morou e parlo. O padre flcou em p oa sna por-
ta, acorapaohando cora ura olhar triste e inquieto
o lirio do Valle Escaro qaando continuava a
caminhar pela estrada at que ama volta a occal-
tou a seus olhos.
fContinuarseha.)
PERNAMBUGO TVP. DE M. F DE F. & FILBO


-
I _^


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EARUHJK16_T58KIH INGEST_TIME 2013-08-27T20:29:08Z PACKAGE AA00011611_10820
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES