Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10815


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO 1LI. HUMERO 258
Par qaarlel pago dentro de 10 dias do 1, mez ...ti.
dem depoisdos i.0' 10 das do comecoe dentro do qnartel. .
Porte ao correio por tres nezes *........,,:
EXCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba. o Sr. Antonio Alax?ndrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Margues da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Ceara, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranhao, o Sr. Joaquina Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. G-raldo Antonio Alves &
Filhos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
EXCARREGADOS DA SCRSCIUPCAO DO SOL.
Alagoas, o Sr. Claodno Falco Uias; Bahia, o
Sr. Jos M.irtins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparioho. I
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e esiacoes da vi a frrea at
Afoa Preta, todos os dias.
Iguaras e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Grvala, liezsrros, Bonito, Caruar,
Alunho, Garanhons, Bui>;ue, S. Bnto, Bom
Consolho. Aguas Bellas e Tacarai, as lergas
feiras.
Pod'Alho, Nazareih, Umoeiro, Brejo, Pesqoeira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Oaricury, Salgueiio e Ex, as quartas
feiras.
SfflOO
61000
750
SEXTA FEIRA 10 BE R0TEMBR0 DE 1865.
Por anno pago dentro de 10 dias do 1. mez ,,,... 19$00t
Porte ao correio por ubi anno.............. SfOI
Serinhem, Rio Formoso,Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta o Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relafo: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s tO horas.
Juizo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphaos : tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas s
dia.
Segunda vara do civel: quartas e
bora da tarde.
EPHEMERIDES DO MEZ DE NO
itas ao meio
abitadas a 1
EMIIO.
3 La chela as 5 h., 43 m. e 28 s. d i m
10 Quarto ming. a 3 h., 18 m. e 52 s. ca m.
18 f,ua nova as 8 h., 40 m. e 22 s. da 11.
26 Quarto cresc. aos 38 m. e 22 s. d n.
Os Srs. asignantes dcsle Diario, que
se achara em debito das respectivas assig-
natnras, queirara mandar realisar o paga-
mento dellas; e aquellos que moram fora
desta cidade, tenham a bondade de dar avi-
so de quaes sejam aqni os seos correspon-
dentes, afim de ser solicitado esse pa^anicn-
1o dos mesmos, a quem dario ordem para
isto, visto como alguns pretextam a falta
dessa ordem.
rail h
9FFH3AI
Dito ao commandante superior da guarda naci- (
nal de Nazareth. Recommendando ao general
c mman lanl das armas que d o conveniente des-
tino aos guardas do batalho n. 18 sob seu com-
mando superior, Candido Moreira de Araujo e Vir-
ginio Jos da Silva, que allude o seu ollicio do 1 I
do crreme n. 230, assim ih'o communico em res-;
pona ao citado oflicio. >
Circular aos coniniaodantes dos batalhSes ns. 35 |
e 36 de infamara da guarda nacional do Brejo, 37 |
e 38 de Cimbres, 26 do Bonito, 27 de Caruar, 28
e 29 d G iranhuns, 30 e 31 do Buique ; ao coui-
mandante do corpo de cavallaria n. 2 do Brejo, e
' ao commandanie do esquadro de cavallaria do |
municipio do Bonito.Recommendando de novo a |
1 V. S. que remeta sena perda de lempo ao lente-
coronel Luiz Paulino da Hollanda Valenca o con-
(ingente, que pela designado ja' feila tem de dar i
' para a guerra o corpo sob seu commando, e os
guardas voluntarios que poder obter, conforra.! ds-
termiuei em dala de 3 de oulubro prximo lindo,!
1 cumpre que me informe com urgencia que numero
de guardas ja' envin ao mesmo Valenga, e a razo
por que ja' nao completou o referido contingente.
Dito ao lenente-coronel Marianno Xavier Carnei-!
ro da Cunha. Qoeira V. S. informarme qual a |
isencao do cuarda Antonio Fructuoso Luiz de Al
Eiuediente do dia 7 de novembro de 186o.
Offlcio ao Exm. desembar'gador provedor da
Saola Casa de Misericordia.Em vista de sua in-
formaco de 6 do eorrenti', sob n. 499, mande V.
Ev. entregar a Joo Paulo Guedes Barros, o seu
sobrinho de nome Luiz Borges Venceslao, educan-
do do collegio dos orphaos. meida, de que traiam os inc usos documentos.
Dito ao mesmo. Auloriso V. Exc. em vista de Dito ao lenente-coronel Luiz Francisco de Barros;
sui iuformaco de 6 do torrente, sob n. 498, a Reo. commandante do 5" balalbao da guarda na-
mandar entregar a Jos Ignacio do Moraes Pa-sos. cional desle municipio. Pelo seu offlcio de 14 de
actualmente casado rom Inna Auanias da Cincel- oulubro ultimo (ico scienle de baver V. S. feilo re-!
<;"i', as duas timas desta de nomes Jesuina e Fio-; colher ao quartel do corpo de guardas nacionaes, I
rinda, educauda do eollegio das orphas. ; destinado ao servido da guerra, o numero de guar-
Duo ao marechal commandante das armas. das que coube dar ao batalho sol) seu commando i
Sirt i se V. Exc. de informar me acerca do que pe- e cajos nomes eonstam da relacao annexa ao citado
de nos luclusos papis Maria Clara do Espirito offlcio.
Sauo. Dito ao tenentecoronel Joao Vieira de Mello e
Dito ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de informar Silva commandante do batalho n. 27 de Caruar.
acerca do que pede no incluso requeriruento, Ma- Respondo ao seu olflcio de 16 de ontubro ultimo,
uocl Vicente Ferreira. i uizendo-lhe que o lenle Manoel de Souza Braga-
Dito ao mesmo.D V. Exc. s suas ordens pa- com o destacamento dessa cidade e o restante do
raque dos guardas constantes da relacao inclusa contingente que coube dar o seu balalbao, pode
por copia, a-signada pelo leoenle commandante in-1 reunir-se ao de S. Bento que se dispe a marchar
terina do deposito, sejam encorporados ao segundo para a campanha sob o commando do tenenleco
fcatalrio de.-liuado ao servido da guerra, aquelles ronel Luiz Paulino de Hollanda Valonea.
que forem considerados aptos para embarcar. E quando por qulquer inconveniente nao se
Dno ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de declarar- reatise o ohVrecl.nenio daijuelle lente, ple V. S.
ni- se, o guarda nacional de que trata os inclusos
papis, Jo.io Carneiro de Lacerda, do municipio
de Serinhem, fui designado para o servico da
guerra.
Dito ao mesmo.Urna vez que, sgando o termo
de inspeceSo annexo ao seu oflicio n. 2051 de 6 do
Corrate, fui considerado incapaz o guarda Goiica-
io Jos Fchx da Rocha, por soffrer de asinina e
aprovailar ouiro offl ial do batalho sob seu com-
mando, que inspire igual conlianga aos seus guar-
das.
Dito ao inspector do arsenal de marinha.Man-1
de V. S. alistar na companhia de apreudizes man-
nheiros, se esliverem as rondigoes da lei, aos me-
ores Sergio Luiz dos Santos, Leoncio Manoel e
Antonio Gomes de Lima, que para esse lira Ihe se-
falla de urna p.ialange do pollegar da mao direita, i rao apresentados.
pode V. Exc. elimina lo do servico da guerra para Dito ao mesmo.Inteirado do cootedodo offlcio |
que fora designado. rte V. S., n. 837, de 16 de fevereiro desle anno, te-
Diio ao inspector da thesonraria de lateada. nho a dizer em i esposta, que pude mandar fazer
Aiiuuindi ao que solicituu o director do arsenal de as obras necessarias no estaleiro desse arsenal,
guerra, em oflicio de 4 do crreme, sob n. 452, re-1 afim de ser assentada a quilha do transpone, que
comineado a V. S., que em vista da inclusa conta ein virtude das oidens Imperires tem de ser cons-
e nao havendo incouvonieuie, inaude paar a Caors truido nesta provincia, pois que, segundo cons-
& Barbosa a quautia de 872|685 rs., proveniente, la do citado offlcio, o espago existente entre o
de medicamentos que veiideram ao conselho de muro do mesmo arsenal e o batele di mar nao
compras d'aquelle arsenal,com destino a enferma- sufflciente para comer a mencionada quilha.
ria militar permanente desla cidade, a contar de 18 Dito ao direclor do arsenal de guerra.Mande i
de julhoal 18 de outubro deste auno.Commoni-, V. S. salisfazer o incluso pedido 4i u'.en-is para o
cou-se ao director do arsenal de guerra. !2bataiiiao de guardas nacin -s, destinado ao
Ditoao mesmo. Se nao hoover inconveniente ise vico da guerra,
mande V. S. pagar ao seguudo cirurgio do corpo I Dito ao Dr. juiz dedireito da vara desta cida-
de satide do xercito, Dr. Flix Moreno Brando, de.Salisfaxeodo ao que solicita V. S era seu ofli-
como pede nos dous in lusos reqoerimenlos, que i co de 28 de outubro ultimo, tenbo designado o
reinoitru me o mapeliai commandante das armas, slereoraeira da alfande-a, Manoel Collio Cinlra, e
com ollicio de 3 do con ente, sab o. 2023, uio s o esorivio do almoxorifado do arsenal de marinha,
o.i -.ns vencimenius correspoadeales aos meies de Luiz do Franca o Mello, para servirem de peritos]
setembro e outubro altimos, mas lamb-ni. a qnan- no exame a que se lm de proceder no deposito
Sr. couego da capella imperial Fraucisco Jos la-
vares da Gama, ra da Cruz n. 56.
Olinda, 31 de outubro de 1865.
Conego Joaqnn Ferreira dos Sanios,
secretario do bispado.
Lista das petipies.
Jos Antonio da Costa e Viceucia Maria da Con-
ceiQo.
Jos nones Pereira e Alexandrina Mana da Con-
ceigo.
Manoel Felippe da Silva e Anna Maria da Con
ceigo.
Joao Jos Sobral e Felicidade Maria de Jess.
Antonio Elias do Nascimeolo e Maria Joaquina da
Conceicao.
Jos Pereira da Motta e Albuquerque e Francisca I
Francelioa de Oliveira.
Jos A lei xo de Franca eLuiza Maria d Coocei-
5io.
Francisco Alves dos Santos e Sevenna Maria da
Conceicao.
Jos Alexandre Brrelo e Feliciana de Meira Li-
ma.
Candido Lucio Cordeiro e Maria dos 'razeres da
Conceicao.
Joao Nanea Pereira e Mara Clara.
Raymundo Jos do Reg e Maria Antonio do Es-
pirito Santo.
Jos da Silva Bispo e Thereza Mina de Jess.
Deodato Pereira Maia u Marcoliua Maria da Cou-
Cfiicao.
Jos Rodrigues da Silva e Antonia Maria da Con-
ceigo.
Jos de Azevedo Mello e Rozeraira Maria da Con-
ceicao.
Jos Beraldo de Maria e Isabel Maria da Concei-
cao.
Manoel Ribeiro de Lima e Isabel Claudina da'
Costa.
Lourenco de Araujo Souza e Florencia M ira da
Conceicao.
Seratim Francisco Donato e Felisbella Maria de
Jess.
Flix Henrique da Silva e Maria Francisca da Con-1
ceico.
Joao Francisco dos Santos e Alexandrina Maria. I
Vitrea* mais as seyuintes prtires concedidas na |
mama dala'.
Joio Rodrigues Sarniento e Joaquina Felicia de
S Brrelo.
Jase Joaqira da Malta Ribeiro e Isabel Maria de
Jess Albuquerque.
Joao de Souza Barbosa e Maria Isabel do Sacra-
mento.
Joao On.ifre de Lucena e candida Constanlina de
Lacena.
Joao Pereira dos Santos e Anna Maria do Espirito
Santo.
Cypriano Carvalho Pedrosa e Joanna Maria do
Nascimenlo.
Andr Jos aptista e Maria Florenca do Nasci-
meuto.
vem ser primeiro examinados em tun ia> de oilo
os alumnos do primeiro anno, para m em-n'o ao
depois os do segundo.
No dia 12 celebrase a fesla de K cea Senho-
ra dos Navegantes, sendo oradores do 1 vangelho o
padre Antonio Manoel d'Assumpeao, e i o Te-Deum
padre Leonardo Joao Grego.
O Sr. Itamonda cantara um solo na fe la" e a
bandeira se levantara Iwje |>elas 7 hora i da noite.'
Tendo o Sr. Colas organisado da ipcrela de
To Braz urnas quadrilhas para piam resolveu
manda-las lithographaraliin de satisfaz'r a ancie-
dade publica em pssui la-\
EITeclivamenle sao oslas quadrilhas nui bellas,
e muila boprao ao bom goslo que sei ipro o Sr.
Colas emprega em suas compnsicoes musieaes.
DIAS DA SEMANA.
6. Segunda. S. Sevro h. IB.tft Athico.
7. Terca. Ss. Florencio e Honorato hb.
8. Quarla. S. Nicoslraio ny ; S. Carlono m.
). Quinta. Ss. Urcissino e Agripino bb.
10. Sexta. S. Andr Avelino f ; S Nympha v.
11. Sabbado. S. Martiuho b.; S. Verano b.
12. Domingo. Ss. Isaace Grisiianoeremitas mm.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 10 horas e 6 m. da manhaa.
Segunda as 10 horas e 30 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIR08.
Pnra o snl at AlatOM a 14 e 30; para o
ata Granja a 7 e 2i de cada mez; para Feman-
do sos dias 14 dos motee de Janeiro, margo, aiaio
jullK. setembro e oomottm,
ASS1GNA-SE
noRocife, na livraria da praca da InderendozKt*
ns. 6 e 8. dos proprietarios Manoel Figneiroa.O
Faria & Filho.
resentacao
satlsfacto-
ij .ii mais
o papel de
foi teste-
fervenles
raduziram
recitada
seu Ira-
Na quarla feira houve lugar a re
da Actriz Hebrea, cujo desempenho foi
rio, dando de novo a Sra. D. Adelaide a
brilhante do seu talento artstico ; pois ti
Jnditk nada deixon a desejar, como Ihe
munhado pelos applausos prolongados ti
que romperarn de iodos os lados, e se
anda n'uma poesa que da platea Ihe I
no ardor do euihu>ismo prorocaJo pe
balho.
Os Srs. Amoedo e Pedro Joaquina tr. balharam
igualmente hem, nito ficando a qu^m ""o
que dispdem ; e a Sra. I). Camilla, houvje se tam-
bera de modo satisfactorio eui sen papel.
A Actriz Hebrea inqueslionavelmenl um bo-
oilo drama; e se nao se filia a urna e-ola defini-
da, tem lances todava de arrebatar, s. ni ludo
moldurado n'uma bella phrase, e lendo ira colori-
do encantador.
Hoj* ha espectculo em Saula Isabe em be-
neficio do Sr. Goimarsea e de- sua senhora D. Ca
mitia. Os beneficiados esperam prolecgiodo pu
blico, a quera recorrem, solicitando a su
reocia.
Conforme S aeha annunciailo o ag*|nle Pinto
vender' hoje em leilo dilf-rentes
avariadas as 10 horas em ponto ; e ao
dous escravos de meia idade, por despacl
juiz de orphaos.
Amanhfa II do correte, eHectnaral
Pinto o leilao da luja <\- calcado da ra
Rosario o. 35, por maudado do juizo do ci mmercio. \
No da 30 do pasudo, no povoado
leira, Autum Barbosa Qnintao ferio gra
faxeodas
meio da
o do Dr.
' o agente
larga do
mmer....
le Gamel-
emenle a
Jos Gomes de Lima, quebrando-lho nrria garrafa
no rosto. Foi preso c vai ser instaurado o compe-
tente processo.
Rm>AnTir;.AO o\ polica.
Extracto da parle do dia 9 de nove
1865.
No dia 8 do correte nao nouve priso allguma.
O chefe da 2* se
J. G. de Mesqui
coucur-
COMMIIC1D0S.
nbro de
cao,
ita.
lia de 525000 |ior "lie desp -ndlda com o seu trans-
porte por Ierra e mar, de Tacarat a esta cida-
de. Cummunicou-se ao marechal commandante
das aunas.
Dito ao mesmo. Em vista d.s folhas e prets
juntos em duplcala, que me reiiieiteu o comman-
dante superior desle municipio, com oflicio de ho
je, sob u. 423, e nao havendo inconveniente mande
V. S. pagar os veocimeutos da forca do segundo
balalbao de infamara d. -apial, .quartelada
para o servico da guaroi( ado os dos otllciaes
a contar do 1 de oulubro a do corrate mez, e os
das pracas desde 16 do cilado mez de outubro al
o predito da 4.
Duo ao mesmo. Estando em termos aconta
junta em duplcala, que veio uiim-xo ao offlcio do
commandante superior desle municipio, datado de
boje, mande V. S. pat'ar a quaulia de 2165000 des-
de azeite do ar.-enal de guerra, s 9 horas da nia-
uhaa do di;; 10 do correle, que para Uso iica mar-
cado, afim de eoiitiecer se do extravio de 150 ca-
adas imputado ao Del do almoxarado deste esla-
lieleciinento, Olympio de Souza Galvo. O que de-
\ claro a V. S. para sua direccao. Fez-se o neces-
j saro expediente a este respeito.
Circulara lodosos juizes d-^ direilo da provincia.
! Cnnviodo a regularidade e exactido do servico
que as ioformacbes para a eonfeccao do mappa se-
mestral, exigido pelo aviso circular d<* ministerio
da justica de 1.) de margo de 1858, sejam imprete-
rivelmenle minis rados no nltirao dia de cada se-
mestre, e por intermedio desse juizo recomraendo
a' Vine, que, por occasiao de remetler o mappa
que Me diz respeito, e de c.umprir o disposlo no
ari, 38 do regulamenlo n. 120 de 31 de Janeiro de
1842, enve tambera os que sao relativos ao promo-
pendida com o fornecimenio J'agua para as pragas tor publicle juizes municipaes dessa comarca, tu-
aquarioladas do segundo batalho de infamara da do de couformidade com os inclusos modelos,
guarda nacional desta capital. Dito ao engenheiro Antonio Vicente do Nasci-
Dito ao mesmo. Devolvo para o tira indicado ment Feiloza.Remetiendo inclusa a copia do
era ineu oflicio de 23 de outubio^iltimo, o pret em j contrato celebrado em 12 de noverabro de 1862,
duplcala, que veio annexo ao de V. S. de 25 da- |com o Baro do Livraraento, para conslrucgao do
qu'-lle mez e sol u. 780, tirando vencmentos a : caes sobre o rio Capibaribe. satisfago o que Vine,
coular de 10 a 30 de setembro desle auno, para as s .lcita em seu offlcio de 3 do correle,
pragas do balalbao n. 43 de lufantana da guarda Por esta occasio recoinmendo-lbe que me re-
nacional do municioto de Serinhem, destnalos ao i metta a sua nformacao aerea di petigao de diver-
servigo da guerra, visto estar o mencionado pret; sos proprietarios de" coch-iras, commercanles e
assiguado pelo lenle coronel commandante do outros relativamente a constrocg'io de urna rampa
predilo batalho, como V. S. solicitou em seu cita- na ra do Sol, em prolngameos da da Concordia.
do oflicio.
Duo ao mesmo.Recommndo a V. S. que man-
de pagar ao pharroaceaiico Joaquim de Almeida
Pinto, como pede vo incluso requerimenlo, a quan-
lia de 345700, proveniente de urna pequea am-
bulancia, que por ordem desia presidencia forue-
ceu ao corpo de polica quando leve de embarcar
para a corle com destiuo a guerra.
Dito o mesmo. Mande V. S. pagar o- venci-
menlos a contar do 1" de junho at 15 do julno espero que continu a mpregir seus esforgos
de.-le anuo, do destacamento de guardas naciouaes | acqnisigo de raaior numero possivel.
existente na villa de Seiiutiem, urna vez que es-
tejam em termos os dous inclusos prels em dupl-
cala.
Dito ao mesmo.Aotorso V. S. em vista de sua
informago de 4 do crrente, sob n. 805 a mandar
pagar son minba responsani.idade Dos termos do %
Dilo ao delegado do termo da Boa VistaChe-
gara m a esta capital com outros remeltidos pelo
commandante superior dessa comarca por interme-
dio do juiz de direilo da de Tacaraf os quatro vo-
luntarios da patria de nomes Joao Pereira dos San-
tos. Bernardo Pereira dos Santos, Tranquilino Go-
mes da Silva e Victorlo Das dos Santos, a que al-
lude Vmc. em seu offlcio de 4 de outubro ultimo.
Dando a esses voluntarios o conveniente destino,
na
Portara. O presidente da provincia, altendendo
ao que requereu Luiz do Carme, resolve conceder-
Ihe licenga para Ir ao presidio de Fernando de No-
ronha no primeiro navio que para alli seguir, le-
vando corasigo os gneros constantes da relagao
junta assignada pelo secretario dogoverno, nao po-
do art. 5" do decreto n. 2884 do 1* de fevereiro | deudo porm eleciuar o desembarque dos ditos ge-
de 1862, em cousequeucia de uao haver crdito p-; eros sem que por parte do commandante do mes-
r esse lira, nao s os vencimenios que compeii-; rao presidio se proceda a exame alim de se verifi-
rem ao cliefe de secc&O dessa Uiesouraria, Amonio car se ha agurdente ou oulra qulquer bebida es-
Luiz do Araaral e Sdva, pelo exercicio inienno de pirituosa.
contador, mas tambero, a ajuda de custo de primei-
ro eslabelecimento, na importancia do 3005000 a
que tem direilo o terceiro escripiurario Jos Perei-
ra da Silva Dourado, como pedem nos requerimen-
tos que iocIuso devolvo.
Dito ao inspector da tbesouraria p
Expega V. S. s suas ordeus, para que estaudo em
termos o pret junto era duplcala, sej ira pagos os
vencmentos relativos ao mel de setembro ultimo,
dos guardas nacionaes destacados na villa de Se-
rinhem.
Dito ao mesmo.Devolveudo V. S. is comas qne
vieram annexas ao seu ufflcio de 20 de outubro ul-
timo, sob n. 421, e foram apresentados pelo thesou-
reiro da irmandade da igr-ja de Nossa Senhora do
Rosario da freguer.ia de Santo Antonio desta cida-
de, Luiz Mihmbu', relativamente a obra d'aquella
igreja, lenhu a diier-lhe, que em vista do parecer
junto por copia, ministrado pelo chele da reparli-
cao-das obras publicas, em 2 do correte, i de V.
S. mandar exonerar o mencionado thesou;eiro da
responsabilidade em que se acba a respeito de taes
obras.
Dito ao nv.smo. S^estiver era lerraos o prel
junto em duplicata, mande V. S. pa$;ar a Claudino
do Reg Luna Jnior, conforins solicitoo o cora-
rnaadanie superior de Simo Auto, em offlcio de 3
do crreme, os venciraentos relativos ao mez de ou-
lubro ultimo do destacamento de guardas nacio-
naes existeote n'aiuella cidade. Communicou-se
ao conjrnaodante sjperior de Santo Anlo,
DitaO presidente da provincia resolve, conce-
der um mez de licenga ao commandante superior
da guarda nacional da comarca do Brejo, Candido
Xavier Pereira de Unto.
. I Expediente do secretario do noverno do dia de 7
lovincia. r ,oi"
norembro de 186o.
Offlcio ao inspector da thesouraria de fazenda.
O Exm. Sr. presidente da provincia, manda trans
mittir a V. S. as 6 inclusas ordens, sendo 2 do
ihesouro nacional, sob ns. 144 e 145, e 4 do minis-
terio da guerra datadas do 6, 12 e 17 de oulubro
ultimo, bem coma 3 offlcios que foram expedidos 2
pela directora geral daquelle ministerio em 10 e
21 do citado mez de oulubro, e i pela secretaria do
ministerio da fazenda tambero, em 21 de outubro.
UOVCRVO DO MSPADO DE
PKItVt.HIH (O
SEDE VACANTE.
NOVAS UISPKNSAS MATRIMONIAES.
Chegaram do Rio de Janeiro as peiigoes da
dispensas do primeiro grao igual da linha lateral
e segundo grao attingente ao primeiro de consan-
guinidade constantes da lista abaixo publicada e
cuja coocesso foi aulorisada pelo Exm. e Rvm.
Sr. Internuncio Apostlico, em data de 16 de ou-
tubro.
Podem pois ser procuradas em Olinda na c-
mara ecelesiaslica e no Recite, em casa do Ulm.
HgviSTA mmk.
Reuoio-se honiem o Instituto Archeologico e ;
Geograpnico Pernambucano, sob a presidencia do
Exm. Monseuhor Muuiz Tavares, e assistencia dos
Srs. Drs. Joaqum Porlella, Gervasio Campello,
Soares de Azevedo, Seraphico, Ayres Gama, Wl-
inivjo Pinto Binteira, e Cicero Peregrino, padre
mostr Liuo e msjor Salvador Henrique.
O Sr. secretario perpetuo d coala di seguidle
expediente :
Vanos n-. rio Diario de Peruambuco olTerecid'>s
pelo Sr. commendador Manoel Figu-iroi d- Faria.
Receido com agrado, mandarse archivar.
Uma forma da Bibliotlieci Litteraria, oflerecida
pela respectiva direegio.Recebda cora agrado,
manda so archivar.
lira volume dos Cinfot e. Phantasins pelo Sr
L. N. Fagundes Varella, olT-recido pelos editores
os Srs. G.irraux de Laillncar (c CRecmido cora
agradi, maoda-se archivar.
Um offlcio do Exm. Sr. conselheiro presidente
da provincia communcando haver declarado o j
Exm. Sr. ministro do imperio nao p ;der satisfazer
a solicitago do Instlalo quanto a ser-lhe entregue
a devassa procedida nesta provincia pslos movi-
menlos polticos de 1817, visto como sao mandados
guardar no archivo publico do Imperio os docu-
mentos de tal natureza pelo art. 5 8 d) decreto
n. 2,oil de 3 de margo de 1S60, podendo todava
o Insumi mandar extrahir a respectiva copia no
archivo em que se aeha.Inteirado.
Outro do Sr. Dr. Antonio da Cruz Cordeiro de-
clarando aceitar a sua escolha para socio corres-
pondencia. Int irado.
Oulro do Sr. Jos Mara Freir Gameiro em
1,,'ual seutido.luteirado.
Outro da Illma. cmara municipal acquiescendo
a proposigo do Instituto, ali:n de rever a denorai-
nago das ras desia cidade; e comrauncaudo
para este fim uoraeara uma commisso composta
dos Srs. vereadores major Gustavo Jos do Reg e
lenente-coronel Joaquim Feliciano dos Saulos para
de combinago com a do Instituto, se entender no
seutido de realisar a dea.-Inteirado.
O Sr thesoureiro toma a palavra, e d conta de
que reerbera o beneficio da i* parte da lotera a
favor do Instituto, concluiudo com a segninte pr i-
posta, que posta em discusso, approvada.
Proponho que o valor do beneficio da lotera
concedida em favor do instituto seja recolliida a
um oslaba ecimento bancario era conta correte, 9
de novembro Campello.
Vem a mesa duas proposlas assgnadas pelos Srs.
Dr. Soarcs de Azevedo e padre mestre Lino, rela-
tivas a socios correspondentes.Vo a commisso
de admisso de socios.
Em seguida l-se esta indicacao :
Indico que este institulo se dirija a Illma. jun-
ta da Santa Casa da Misericordia, pedindo o espe-
cial obsequio de mandar avivar as letras, que estilo
gravadas em uma lapida collocada em frente da
casa dos expostos, da qual se collige o anno de sua
fundago, e o nome de seu instituidor. Esta ins-
cripgao acha-se presentemente oceulta pelas cama-
das de cal, que receberam as paredes daquelle es-
labelecimento e tambem a mesma lapida.
Estes e outros iguaes incidentes lem sido a
causa motriz de que a hesitara nao possa firmar o
da e auno da ioaugurago de grandes, e importan-
tes estabelecimeotos pblicos da provincia cuja
falla lorna-se actualmente sobre modo sensivol.
c Sala das sessoes do Instituto, 9 de novembro
de 1865.Padre Lino do Monte Carmelio Luna.
Submettida a discusso, votada e approvada.
O Exm. monsenhor presidente nomea para a
commisso que deve entender-se com a da cunara
municipal relativamente a substiluigo dos nomes
das ras desta cidade os Srs. major Salvador Hen-
rique e padremestre Lino.
Igualmente nomea para servir ad interim na com-
misso de admisso de socios o Sr. Dr. Ayres Ga-
ma, em consequeucia do impedimento de membros
da mesma commisso.
O Sr. major Salvador d sciencia ao Instituto de
que deve ler lugar no domingo prximo ( 12 ) a
abertura do carneiro, em que se presume ler sido
sepultado Joo Fernandos Vieira.
Nao havendo nada mais a tratar, levantase a
sesso, sendo marcado o dia 23 do corrente, par a
prxima vmdoura reunio.
No da 13 do corrente, comegara os actos da
Escola Normal.
Conforme deliberago do conselho da'escola, de-
l'
Tendeo Sr. Dr. Costa Ribeiro declarad! era sua
resposia ao Sr. Marcelino Perroira da Obsta, que
enlre outros motivos de repugnancia a vojlar para
o gremio do part lo conservador, uo \i6io d->ixar
de merecer-lhe atteng-i o fado de ser > m sino
Sr. MarPlmo nm dos influentes d'aquell i partido
na freguezia de Afolados, julgamos conveniente
declarar ao illu-tre liberal genuino, que ilimenta
cora lana vigilancia o fogo sagrad) de suts novas
crencas, que nenhum partido soaba anda iraluzir
em factos a parab U do filho prodigo, tai lo como
o partido que leve a honra de abrir a S. S as por-
tas da vida publica, e que o acolhera con praz-r,
quando desapparecei.'.n os outros motivo; de sua
repugnancia, e nao esse que menciona, porque
d-! corlo nio exi-le.
O partido emseml-.r tem logar pira lodos e
cada u:u receido como quem : nelle le es-
tar lao a coinuiodo o Sr. C isla Ribeiro, w jo o Sr.
Marcolino, sem qo* a preseoga de um ou e outro
altere a jerarchn que exi-t-, l'uolada nos motivos
que determioam as precedencias Inevilateis de
qulquer corporaco.
O conservaior-afogaden e.
nmuim k nm
id
REFLTACiO AO ARTIGO DA TUMIS PflRXAM-
BUCAiA N. 8 SO A EPIIUPHEAi IALYSE
AKRAZOADi.
(Conclusao.)
XVII
Quanto a seguuda parle da defeza, enga
articulista, quando afflrma, que o Juiz d:(
la-se o
rnhaos
suspendendo a execucoda decisao do Tribu lal Su-
poner al ver o resultado do conflicto, que susci-
lou, compre o seu dever, e presta nomenaj em ao
mesmo Tr bu nal.
Pelo artigo 155 doodigo criminal, lio crhunoso
o que nao cumpre, como o que demora a execu-
go da ordem superior para representar acerca
della, excepto nos nicos casos expresos na lei,
que sao : 1. quando ha motivo para se duv
sua aulhenticidade ; 2o, quando parece evj
dar de
idente,
que fira obtida ob, e subrepticiamente ; 3o, quando
da decisao se devam prudentemente receia gra
ves males, que o superior nao podesse ter podido
prever.
E darse ha por ventura algura desses rftsos a
respeito da decisao da Relagao? Nao, mil vez*s nao.
Portanto, de primeira intuico, que o Juiz de
Orphaos tem se iransviado dos seus deveres, e des-
respeitido de modo inaudito a decisao superior.
A' brandura, e prudencia que caractersam p Exm.
Sr. Conselheiro que elle deve nao estar ji sob o
peso de uma responsabilidade.
XVIII
Impugna o ailiculista, fundado no art. 71 do re-
gulamenlo das relagoes, a competencia do Escrivo
da Chancellara, de que se servio o Exm. Sr. Con-
selheiro para escrever na tal representago do
Juiz de Orphaos.
Aqui temos o articulista laborando no mesmo
engao, que respeito da audiencia do Procurador
da Cora, de que cima filiamos.
Os Escrives, do que trata o citado artigo, escre-
vem por distribugo smenle peranle o Tribunal
da Relago nos processos que por elle corren!; nas
a representago nunca foi submettida este Tribu-
nal, por nao ter sido consideradaconflicto de juris-
diccao,apezar de assim se denominar; logo nen-
hum desses Escrives poda nella escrever sem
maoifesta incompetencia.
O nico pois, a quem isto podia caber era por
sem duvda o da Chancellara, que o Eserivao
cerlo, e permanente, que lera o Exm. Sr. Conselhei-
ro para a expedico dos negocios seu cargo.
XIX
Ergese afinal o articulista em pedagogo do
Exm. Sr. Conselheiro, lendo o arrojo de querer
dar-lhe licgdes de Direito, visto como,_ diz elle,pa-
rece, que o Exm. Sr. Conselheiro nao tem ideas
exactas de conflicto de jurlsdicgao, coYifondindo as
expressdes suscitar conflicto com representar
sobre conflicto, e nao dstnguindoas interlocuto-
rias sobre aggravo como meio de os evitar, e as
definitivas sobre conflicto, como meio d os fazer
cessar, e resolver.
Quid referam, quaula nccumjeeur arde at tr* I
Que ptimo Lenta se esla perdendo na pessoa do
articulista I E' nena, que elle nao livesse querido
d?r-nos o ar de sua grae, para assim so fatw co-
nhecido, e poder ser aproveilado pela Faculdadede
Direilo na primeira opportunidadc......
Apezar de querer campar de jurisperito, todava
o articulista desconfa sempre dos seus merecimen-
tos, e por causa das duvidas se soccorre respei-
lave autoridade do Sr. Dr. Perdigao Malheiros ; e
nella fundado deliaeo que soja conficto de juris-
dieco, mostra as suas especies, as autoridades, en-
tre quem se pode dar, quaes as que delle pdem
conhecer, emfim faz um brilharetur completo na
phrase escolstica ; e d'alii lira as consequencias,
que bem Ihe parece, e no fim de ludo julga muilo
anch que tem encovado o Exm. Sr. Conselheiro.
Vejamos quem lem razo, se o mestre, ou o dis-
cpulo.
XX
Uma das razoes, porque o articulla julga o
Ex>n. Sr. Conselheiro carecedor de suas hecoes ,
porque confunde =sitscitar conflicto com represen-
tar sobre conflicto, sendo alias cousas mu dis-
tinctas.
Pois nao ha tal. Estas expressoessocommumenle
empregadas para significar uma, e a mesma cousa.
Quaudo duas autoridades se julgam competentes
ou incompetentes para conhecerem de um mesmo
negocio, dase, verdade, conflicto entre ellas, mas
este s se pode dizer suscitado, quando levado ao
conhecimento da legitima autoridade para o decidir
afinal.
Parece-nos estar vendo o articulista sallar-nos
com quatro pedras na mao exclamando. Isto ,
que nao comprehender SlgniflcaeSo, e forga das
palavra',sto um absurdo I
E' absurdo ? Pois e com a le, e com a propria
autoridade do Sr. Dr. Perdigo Malheiros, que o
articulista nao ple dar de suspeita. que o vamos
espicharlongum, latum, el profundum.Nos canos
emendemos.
Diz o arl. 27 do regulamento n. 124 de 5 de Fe-
vereiro de 18 2 : 0 ilimstro da Justira ou o con-
flicto tama sido suscitado pete Procurador da Cora,
ou por algtim dos Presidentes, commetter o seu
exame respectiva secedo, a qual depois de ouvidas
as parles, se estas o requerercm, intrrpora' o seu pa-
recer.
Agora o Sr. Dr. Perdigo Malheiros no 465 :
ij'i ni I se der entre autoridades judictarias, e ad-
ministrativas compete aos Presidentes as Provin-
cias, e ao Procurador da Cora na Corte, e Pro-
vincia do Rio de Janeiro suscitar o conflicto, proce-
dendo-se na forma das disposires em vigor.
Ora, diga-me por caridade o articulista, em que
sentido e-t i' aqu empregado o verbo suscifor ?
Sera' no de dar origem, nascimenlo e lugar, como
parece entender o articulista 1 Nao por cerlo, por-
que enio vinbam os Presidentes, e o Procurador
da Cora a ser os autores do conflicto. Logo, nao;
pdftentrar em duvida, que no sentido de faze-lo
appirecej, levanta-lo, e representar eralim sobre
elle'a' autoridade comp-tente para o resolver.
XXI
Outra razao, porque na opinio do articulista o
Esm. Sr. Conseineiro precisa de ser instruido
nao saber distinguir as inleilocutoras sobre ag-
gravos, como meio de evitar o conflicto, e as defi-
nitivas sobre os conflictos, como nicos melos de
os fazer cessar, e resolver, deduzindo isto de ha-
ver dito o Exm. Sr. Conselheiro no ultimo funda-
mento do seu despacho, que a competencia eslava
decidida e firmada pelo meio legal, (o aggravo) e
pelo superior legitimo, pelo que lulia desappare-
cido o conflicto.
Ja' vimos que, segundo a doulrna do aviso de 21
de junlio de 1850 confirmado pelo de 26 de setem-
bro desle anno o aggravo, e a appellago sao os
roeios legaes de firmar a competencia do Juizo,
qo.au lo esta esta' decidida por despacho nos amos,
(ea.-o que se verifica ni especie veriente) com pre-
ferencia ao m:io do conflicto, de que s se deve
usar fra desle raso, qnanlo as partes nao te-
nham recorrido da decisao.
E' pois visio que o Exm. Sr. Conselheiro estabe-
leceu urna proposicd verdadeira, a qual longe de
se prestar a' dedcelo, que. faz o articulista, revela
ao contrario, que elle falla com porfolio coobecl-
memo di materia, e procede de accordo com as
disposiges das leis, e msiruegoes a' respeito.
Com que cara pois ficara' agora o ailiculista ?
com a de pedante em vez de pedagogo. E pois pe-
dimos-lhe venia para Ihe dizer oulro offlcio, meu
caro, que para mestre nao vos descubro geito.
XXII
Aqui pomos fim ao que liohamos a dizer.
Esteudemo-nos um pouco, porque assim o exiga
a materia. Looge, e bem longe denos a presump-
cao de haver accresceniado luz ao despacho do
Exm. Sr. conselheiro, poi> que, no sentir dos pro-
lissionaes, elle o mais luminoso, e jurdico, que
se pode desejar; mas diz-nos a eonsciencia, que te-
mos dissipado completamente as sombras, com que
0 articulista teve a louca pretengo de o obs-
curecer.
O Exm. Sr. ConselhPiro preslou com a sua de-
cisao um servico relevantsimo, a bem da manu-
tengo da ordem judiciaria.
A pausar o precedente, de que a decisao sobre
competeucia por meio de aggravo, pode ainda ser
atacada, e revogada apezur do quedispoa a lei, at
qulquer juiznho de paz da roca, que fosse julgado
por esse meio incompetente, nao se dara por ven-
cido, e nem convencido, e ad instar do Juiz de Or-
| polos levantara to bem o seu conflicto, e as duas
por tres feriamos o foro invadido pela anarchia.
Nullus ordo, sempiternus horror.
Gragas pois, e mil vezes gragas ao Exm. Sr. Con-
selheiro Firmino Antonio de Souza por ler sabido,
cerno costuma, manler a sua propria e a digndade
do Tribunal, a que bem merecidamente preside, cor-
tando pela miseravel chicana.com que um inferior
da ultima escala judiciaria pretenda escarnecer
' da lei, e da decisao do Tribunal Superior.
XXIII
Contra o procedmento, que teve o Exm. Sr.
Conselheiro, que alias milito o distingue, e honra,
consta-nos, que se dingiram queixas ao Goyerno
Imperial, que por sua improcedencia sabera' des-
altende-la.
O Exm. Sr. Conselheiro repousando na eonscien-
cia do dever, que cumprio, dever zombar de todas
es>as bravatas, que se iraduzem como a expresso
do amor proprio pffendido, que, louco como ,se aura
todos, e tudo. O Exm. Sr. Conselheiro Firmino
Antonio de Souza um desses caracteres, bem ra-
ros entre nos, de phrase de cerlo poela porluguez. Nnguera me-
Itior o descreveu, que o finado Dr. Mendes da Cu-
nha em suas Observagoes sobre varios ariigos do
Coi. do Proc. Crim., e da lei da Reforma pag. 270
ola (a), com cuja iranscripgo terminaremos esta
resposta. Ei la.
c No meio das classes mais obscuras e as po-
cas de mais iniquidade e terror quer Deus, que
1 para se nao confundir a raca humana com as bes-
i tas ferozes appareram homens superiores que deem
I para exemplo daquelles que ainda se no rebella-
| ram contra a razo, e natureza um testemunho
claro de sua dignidade de homem,e da sublimidade
da missao de que sao especialmente encarregados.
Em todos os julgamentos proferidos pelos Tribunaes
do Brasil sobre a recolta de Novembro de 1848,
appareceram nicamente com estes ttulos os Des-
embargadores Firmino em Pernambuco e D. Jos
de Assis Mascarenhasno Rio de Janeiro.
Justus.
para suas necessidades quoiidiana, m lozes
algumas, s tendo defeitosa idea da linina palria,
e uma orlhograplua de phanlazia, m .-nv-.-.-em com
pesseas analphabelas aos olhos d* quem passam
por sabixes, toda sna mira especulatoria para
viverem a cusa dos incautos.
Mora na colonia Leopoldina de Alagoas oro tai
Sipio Severiano Leit--, professor de aMeia, nole-*e
que nao se acba habilitado pela instrnrco puhlira,
e como se ache bal lo de lodos os mu*, lm trata-
do de seduzir os indios d'aqui do Riacho do Mallo,
para que influam com S. Exi. o Sr. presidente da
provincia, para o nomear director parcial, pro-
metiendo-ihes a criacao de uma feira, e como a
autoridade policial exisla long, toda lirfenr* d*-
senfreiada, com lano que se lucuplrie do mia-
mos dos indios, e faga delles ootros tantos e-cra-
vos, para assim acudir a seos immensos dbitos, e
sahir da miseria em que vive.
Diz mais que a feira ali conveniente, por
quanlo ptimo lugar para contrabando, e peso* e
medidas, a qualdades dos gneros nao se acharo
sugelios a immediaia fiscali'ago da cmara rnoni-
cipil, que tambem lem de ser defraudada em setn
iinoostos.
Pela conveniencia do socego desle lugar, que
laxemos e-tas liabas peranle imprensa, porque
como j se disse, com lal individuo aqu pode e-te
Inear lomar a ser nm cnnln p v.-ltar as poca* de
Vicente de Paula, visto que o,.tal Leile, de ludo ha
de fazer negocio para soldar sua quebradeira, o
com seu perniciosos conselhos estragar esla pobre
gente, fazendo-os praticar excessos.
Voliaremos.
Riacho do Mallo, de novembro de 1865.
Gutlherme Manoel M. de Albnquerqne.
-------- i i m i ^b
A arvnrc la san de.
Com a mesma certeza com que o veneno denpas
di Batavia mata, o balsmico sueco d'uma arvore
do Mxico, chamada anacahuila cura. O moilo
afamado p-loral de anacahuila de Kemp, c m-
posto e elaboradamente, preparado por este mara-
villoso especifico vegetal. Nennuma tosse, raiar-
rho, ou enfermidade dos hn-nchios, podem reotstkf
sua suave e benfica influencia. Fortalece de tal
modo os orgos da respirago, que em poacas ho-
ras desappareee a inflimmaco, que impedia sua
acgo salutar. O allivio infallivel e immediato.
A irritago e inflammago dos pulmes,quej prin-
cipia vam presentar uma certa lendmcia alre-
rago se abale e modifica para desde logo, e sna
operago maravilhosa os cura e Ibes resliloe o seo
vigor e elastlridade primitiva. Na sua delicada e
elaborada composigo nao enlra acido prussico, ao-
tfmcnio, nem nenhum dos agentes delctenos que
de ordinario se encoolram nesses xaropes e peilo-
raes felos de fructas, e que qua-i sempre proJuzeni
lao faiaes e funestas consequencias.
Vende-se as pharmacias de Caors & Barbosa
e J. C. Bravo & C.
Para %. Uxc. o Sr. coaselhelre
presidente da proTincia e Dr.
chefe de polica Tr.
Quando individuos sem prestigio, baldo i)e cieios
VARIEDADES
^ciencias e medicina.
L-se na Union Medcale de l'aris:
Osjornaes de medicina fallaram por va-
rias vezes de urna descoberla importante
para a therapeulica, que cousislia na dein-
feccao do oleo de ligado de bacalho sem
Ihe tii ar nenhuma das suas propriedades.
Temos o prazer de amiunciar hoje as-
nossos leilores, que esse resultado foi oblio
do de modo o mais completo por um hbil
pharmaceutii'o de l'aris, oSr. ievner, que
conseguio desinfectar o oleo de ligado de
I bacalho cm o aicatrlo e o balsamo de
Tolo. As experiencias feilas pof muitosde
nossos pratioselec obres, nos Imsp taes e so-
; bre seus doentes particulares, as analyses e
ensaios de chimicos compelentes, nao dei
xain nenlmma duvida a este respeito.
Relatamos aqui as proprias palavras de
um juiz muilo eminente e competente o Sr.
Dr. K. Humbeit, laureado da academia im-
perial de medicina, e professor de Chimica.
Submetti a analyse, diz este distincto
professor, o oleo de ligado de bacalho na-
tural desinfectado pelo processo do Sr. Che-
vrier, e posso certificar que esse producto
nao perdeu nenhum dos seus principios
medicamentosos nem chimicos, que se
acham no oleo de ligado de bacalho ordi-
nario. A fraca proporco das substancias
estranhas que -e pem no oleo natural para
dissimular o clieiro e o sabor desagradaveis,
nao pode de nenhum modo alterar suas
propriedades medcaes e s a torna de um
uso fcil e mesmo agradavel.
Em resumo, o oleo de figado de baca-
lho desinfectado pelo processo Ckevrier
goza de propriedades idnticas ao oleo de
figado de bacalho ordinario, que elle repre-
senta exactamente.
Elle muilo bem tolerado pelos doentes,
os quaes elle nao anoja e lomado peias
pessoas cujo gosto e olfato sao dos mais sos-
ceptiveis.
Hoje que o oleo de figado de bacalho
tem-s i tornado um dos agentes os mais im-
portantes e preciosos da therapeulica, quem
I descobrio o meio' de o tornar de um uso fa-
cil para todos, prestou um verdadei-o ser-
! \ igo arle de curar e aos praticos.
Por isso nao podemos concluir melbor
do que felicitando o Sr. Chevrier por soa
! rica e til descoberta que merece de ser
propagada, e dizer com meu collega o Sr.
Dr. Richelat os trabalhos que conduzcm as
descobertas d'esta especie devem ser pro-
tegidos pelos mdicos.
Os importantes trabalhos do Sr. Chevrier
sobre o oleo de figado de bacalho ,e li-
zeram obter um resultado nio menes im-
portante, o qual consiste em ter associado o
| ferro ao oleo de figado de bacalho. oleo
de figado de bacalho ferriginoso de Cke-
vrier constitue lalvez omelhor meio de dar-
se o ferro. Pois o ioduro de ferro unido
deste modo com o oleo de figado de baca-
I Iho se dissolve mais fcilmente nos liqai-
| dos das vas digestivas e por consequencia
se assimila muito mais bem do qoe sob a
i forma de pillas ou xarope. Emfim elle
perde assim suas propriedades irritantes, e
! nao provoca a constipado. E' assim qoe
os doentes, cujo estomago nio pode suppor-
' tar nenhoma prepararlo marcial, tonwm fa-
I cil mente o oleo de figado de bacalho ferrw
' ginoso

V ""ZlT
TTC


.
'""V"
filarlo de Pernatabne sextale> tO de Vovombio de f 4*ft.
Os senhores Maurrer & C. Mabita de r-e-
celier um grande sorlunento dos celebres
azeites desinfectado de Cheorter e ferrugi-
noso de Chevrier.
Vende-se na pharmacia de Pedro Maurer
V C. ra Nova n. 18.
A J As virtudes Iherapeatieas da jurubeba sao desde
Golta, ilieumatisnio, paralysia,
fac! digesto, agradavel ao paladar e ao ol-
phato Alguns mdicos desia eidade e da
n Macei o teem recommendado para a cu-
ra das
Impigens, tlnha, escrfulas,
Tumores, ulceras, escorbuto,
Caneios, sarna degenerada, lluxo alvo.
I'odas estas alTeccoes provm di urna cau-
sa interna; nao lia pois raxao aiguma em
mito co..heridas nao so no Beasil iflfrqnei deH crr que elas se d remedios
Iratou I'ison em Ma exrr lente obra Historia na- __,._* ... .'
uralit a medica iniia xcvk*lu.~ emtooas ex'euio5. lamhem se prescreve o xarope
Aniihas, onde o surco das Moas e frofio? como aleliooico de veame pata o tratamento das
aqui, iriuu estimado e appheado cunira as o!i- afteccoes do sysiema nervoso e fibroso, taes
truccoes abdomlnaes, principalmente do ligado e como :
b'iC'; B se lodos os facultativos desta provincia o
Dio apptiram coib frrin 'na, i-to se nao dove i .
nao reeodnecerem eltes es-as virtudes, mas sim a Dores, impotencia, esterilida-le,
uo serem encontrada* rom raeilidade ee.ni todas M rastno, livpicondra, emuiagrecimeatO.
as estaco.- do ajino os froriot n>M planta, e a re- 0 xarope afctiOoliCO de veLame sobre
pugnanria, que apres-ut.m os deeotes -tn fazer
uso do sacro de-.-rs friir. os, em coiisei|Ueiicia de
ser extremamente amargo. ,-
A jurubeba nao desrouhecida nte-hnlsriMas :
esta planta pertence a familia das sotaneas, e tem
a deoootinaco de .w/o.iHrjjfp fot dada por LjofC;"
PaneejiAo'us conveniente facilitar o uso do
'"sww'ios rrucios da jumbeba, que o mais em- duer parte que se tem ar.nunciado nao da
progado, Dos proponemos e conseguimos preparar
com elle uao s um extracto, alcoulico i|Qe podo ser
applieado em pillas, mas tambera ora vinho, um
xarope, e um emplastro une pode substituir, fin
certos taso-, o d Vigo ; e e.-iamos persuadidos que
com isto prestamos um servlco a luiniaiudade e
hterapeutica.
Pisn, tratando da hidropesa, prescreve -a de-
corcao das raizes d&jurubeba, e Mrat e Delens,
em sen Diccionario t molera medica c therapeu-
tica, dir.cn) que n Sendo a erysipelia tima mol stia que sem Aguardeote de cana
duvida effeito de materia gerada no corpo
como expoem alguns escr.pores de medici-
na, e em consequencia da febre laucada
ni pelle, onde produ/. infl;mmaco, e que
muitas pessoas, pos nao se terem conve-
nientemente tratado, suecumbem com o
pernicioso uso de que, nos tres dias nao de-
vem usar de remedio alguro, o que faz-se
estender o mal por nao se ter a principio
combatido ; por Lsso, pois, 6 conveniente
que, logo que alguem se sentir atacado de
lal mal, deve provocar a transp racao toman- idemde coco
do ao principio urna collierinha de cha do dem de mamona '.
xarope alcohlico de veame dissolvido em J^f alimenticias .....
urna chicara'de infuso de flor de safen- *1!!%!T*?*?*T
guiro quente, adocaddo-a com mais assu- idom fina ... ...'.".
car, continuando nos tres dias nesse trata- Caf bom .......
tamento, no fim dos quaes usara' do xaro- ! dem resaluda ou do reino
dem caxaca.......
dem geaebra......
dem alcool ou espirito de agua-
rdeme ........
Algodo em caroco ....
dem em rama ou em lia .
Arroz com casca.....
dem descascado ou pilado .
Assucar mascavado ....
dem branco.......
dem refinado......
Azeile de amendoim ou mendo-
bim
caada
DSGLiEACuES.
800
800;
380
oon De ordem do Illra. Sr. engenbeiro em chefe da preteode seguir com mulla brevidade J repartiedo das obras publicas se faz publico que o nacional Pieiade, tem parte do eo carreja*
PARA e-
Rio de Janeiro
arroba
c
f
I
casada
>
arroba
, concurso para o preenchimento das vagas de pra engajado: para o resto rjoe Ihe falla e eseravts
.o.;! "cantes desta repartidlo, lera lugar no dia lo de frt,'e. Par* os quaes
perlalea.
ludo, da maior nUCulal^-para curar radi- lamento, no fim dos quaes usara' do xaro- escoma uu restoino. .
clmente, e em ponco tempo o rheuma- pe de veame na forma prescripta no recei- {faXs ......!.ra
I tuano, tendo todo o cuidado dse abafar, Cal ...'." .* .' ." .' ." .* arroba
Adverte-se que o verdadeito xardo eso se;a(im de soar convtr.ientemetite, alem de dem branca
dos frii'tos maduros dessa planta contra o catar-
rho vesical ; e a autoridade 'los Domes desses m-
dicos, merreidaimnte m-li bres, nos leva a cre em
suas palavras, e m isto enriaremos de it em
nosso estabelecimeuui essas raiaes,para que possam
ser experimentadas.
A reputauiio da jurubeba tal, e os resultado
therapeultcS oiitiilos ltimamente sao tao intpor
Untes, ipir nos parece mutil duer mais do iju<
isto, que Tica e.scriplo.
Deposito: pharmacia de
Joaqun de Almeidu Pinto.
Xarope tnico refrigerante de veame c de
ferro preparado pelo paarmaceotico Jos
da lincha Garantios, estabelecido na eidade
do llecife provincia de Pernamboco, na
Direita n. W8.
Este xarope, que da tom ao movimento
muscular por sua qttalidade frrea, ^o
mesrao tempo purgativo pela parte do ve-
ame que en erra, e refrigerante pela pai-
te acioa, alm da precisa para perfeila so-
lurao e cotiihinaco do ferro; pste atacado
pelo acido Mea em extrema diviso. e as-
sim o mais soluvel que possWel, tic sorte
queja nao lao (lepend-'tile des- r digerido
pelos cidos fracos, que se acham nu sutco
gstrico durante a d'geslao. Os expositores
de medicina sao iie opinio que o ferro e
todas as suas preparaces gozan das virtu-
des eminentemente tnicas, que aproveita
em todas as molestias que sao caraclerisa-
das por flaqueza: e cun effeitO acho exac-
ta cssa opiniao; mas nao dado ferro eot
substancia pelo uio resultad > que teuho ob-
servado, (e que j Bz publicar) em cerlas e
determinadas mole tas;-por exemplo: ane-
mia, e felices intermitentes, termkiam umi-
tas viv.es i or anazarca. que accomulact
de serosidade no tescido cellular (agua quan-
do est entre a pelle) e depois ascile ou hy-
dropesia d i veitre, que accumulacao de
serocidade mi per i tone").
1" sabido que u ferro um dos agentes
mais im loriante para que o sangue se pre-
par e aperfeice devidamente, e por con-
seguinte n mais proprio para impedir o des-
envolvimetito destas molestias; mas sendo
elle um eflicaz excitante, trbente e secer-
nente, claro que s associado como se
aclia neste xarope. pode dar ti resultado
que se espera, e a experiencia me tem de-
monstiado sem risco de offi nder as entra*
nhas.
Os effeitos do< incitantes, siio : promover
as secreeoes, e ab*or:6es, augmentar o ca-
lor natural, e remover acuellas dores que
nascem da falta dos movimentos irritativue.
Os sornenles sao tamliem aqt^lles agentes,
os quaes anguiciitim os movimenlos irrita-
tivos, que formam absorcio, e os s cern li-
le-, aquelle- que auginenlam os montenlos
irritaiivHs que, consiiiuem as secreses
Assitii. pois, v-seque sem a prensa combi-
nacao e modificado nao i de ser elle appli-
Cido indisiinctaniente. Muitas vezes o pra-
ticn deixa >)e la/.er ap| licacSo do fer o poi
conhecer estispeitar que o ligado, u bofe ou
ptilmao, or lio essencial da respirafS, vu
ou ra enlranha est offeadida; entretanto
que, se se tivesse appltcad em temp> so
poderia ter evitado o desenvolvimento da
molestia. Assim, pois, o xarope prepara-
do como lica exposto se pode usar sem ns-
co por nao uffeniter as entr nhas. As mo-
1 istias contra as quaes xarope tnico re-
frigerante pode ser applieado com proverto,
sao: as amenorrheas, ou suspencao doflu-
xo menstrual das mulleres, anemia, ou di-
minuicao da ma-sa do sangoe e sua cf>nsis-
tencia alterada, clores de esstomago, debili-
dade dos org5 s digestivos, fatio, fluxos
mucosos, flores brancas, cfclorose, molestias
do sexo femenino, caraclerisada por lan-
guor geral, atclorisa?3o pallida da cor ou
esverdtnliada, ampobrecimenlo do sangue,
eafartes-ehronicos das visceras abdominaes,
alporea ou escropbolae, escorbutos, opila-
cao, pallidez, e os estragos prodtrzidos pe-
las molestias syplnliticas: astheoia ou falta
de torcas; fraqueza geral: e ha hydrope-
sia anazarca eascites; tendo-se o coidadu
de observar nestas duas ultimas molestias
principalmente, e em todas as Mitras, (pe
um dos eliVitos salutares de-le xarope 6 te-
ro-venlre correte, e as urinas deseuibara-
cadas.
O modo de usar-se e regular-se vai des-
cripto no leireiro pregado no frasco.
Vende-se nicamente na botica da ra
Direita n. 88 de
Jos da Rocha l'aranhos.
vende nesta eidade na botica cima indica-
da, ilo abaitto ass nado ; e em outra qual
mesma composic3o, e nem o abaixo assigna-
d i se responsabiiisa.
Jote da tocha P iranhos,
CURA
Espanto c Aduiiravcl
Carne secca (xarque)
ros
um
DE UMA CHAGA
CANCEOSA E ROEDORA
ou
plipo m MRIZ.
Urna creada de servir residente em Pernam
buco e pertencente Ex'"' Scilr". Viscondessa
de Goianna, foi attaenda d'uma terrivel cha-
ga cancrosa e roednra^>u Polvjio no Nariz.
A mesma involria e tomava todo a parte in-
ferior do nariz, ameacando j distruir tanto a
I ou primeiro por appnreccr sob o liei<;o Bupe-
rior e jiarte da lace, extendendo-se por tal
forma e com tal rapidez, que em pouco amea-
cava transformar todo o rosto n'uma enormo
cliarga viva e, asquerosa. Durante todo este
terrivel estado, todos os recursos ncdicnaes
que em taes cazos se uzao foro abundante-
mente empregados, sem que de leve fizesse
parar a marcha lenta e d'istruidora de tao hor-
rivel enfennidade, e todos os mcios e esforcoa
foro baldados, e no eni tanto o mal creera eia
que por milagrosa fortuna da infeliz estando
as couzas neste ponto, se experimenlou pela
vez primean a
SALSAPARRILHA
DE BRISTOL.
O effeito produzido, quasi que instantneo
por este inestimavel remedio foi ver.lideira-
mente maravilh purificador do sangue e dos humores do sys-
tema, immediatamente pz um termo mar%
cha disastroza e fatal da molestia, derramndo-
se e infiltrndose atravea dos tecidos os maie
delicados do corpo, expellindo ate ultima
propriedade ou vestigio virulento da molestia,
e dentro d'um curto eapaco de tempo produzio
urna
CURA
Completa e Radical.
Este feliz quito admiravel resultado foi obti
do apenas com o simples uso
D'uma so roka (Carrafa!
d'esteincomparavel e inapreciavel depuratorio,
recommendamos portauto todos os Doentea
que procurem obter com o maior cuidado a
nica e verdadelra Salsaparrilha de Bristol,
nicamente jireparada por
LANMAN & KEMP,
De NOVA YORK,
na certeza de que, todas as mais preparajea
imitativas nao valem j>ara couza alguma
Vende-se as boticas de Caors A-Barbosa
e G. Bravo & C
conservar o ven i re corrente, que consegu! a iar"e
tomando urna ou duas pillas purgativas do carvk
mesmo veame. Cavernas de sicupira
Todos quantos suecumbem destacles- Cera de carnauba em bruto,
tia se diz :falleceu de erysipelia recolhi- ldem idn 'em velas ...
da; ao contrario, alguns expositores pre- charutos........
sumemscrodesenvolvimento da putrefac- Corados (poros) '. ". ". '. um
gao liosan.ne, tanto que o lugar inflamma- Cocos (seceos)......cento
do (pie, ento a sua cor era encarnada, se Colla.......
troca em lvida ou negra, e term na em gan- .G.ouro?,de bo> salgado.,. .
grea, e por essa razo que conveniente S Ss eSP'ChadS "
o xarope alcobolico de veame na infuso de dem idem oabra cortidos
flor de sabugo, para se conseguir resolver a dem idem de onca ... 1
inlammaco, ou pelo menos terminar pela poces seceos ......
supporaco. impedindo assim a gangrena. J f ou massa
Os effeitos do xarope alcohlico de veame Espanadores grandes
applieado na flor de sabugo ao doente, nao Idem pegenos......
S de vantagem por sua qualidade diafo- Es'eiras para forro de estivas
retica, como pela anti-septica para imped Est0* "f;,......
a putrefacto as molestias. Farnha de de mandioca '. '. '.
Na erysipelia nao deve o enfermo n>'S pri- dem de aramia ....
meiros tres dias usrr de comias e bebi- Pe'Jao de qualquer qudlidade .
das que possam esquentar e inflammar o fj^ ^ ^
sangue. i,jem ordinario ou restolho
A comida dorante esse lempo deve ser do dem em rolo bom.....
reino vegetal, como sag, farinlia do Mar- dem ordinario ou restolho. .
> purgativa garv0 VPgeIa| .....arroba
urna
libra
libra

i
um
>
libra

i
um
- $ wawvww mwtw np-iu^Kv, avia in^ii UU Uta iU UO '"----- f" + )-*, IPID f* Z(*( < WBltf S
is"nn dezembro vindouro, as 10 horas da roaiihaa. ,raIa s com os .-eus cti-ignaurio* Aaie-aa
9sAnn 0s esames v^rsaro sobre lingua nacional, ae Oliveira Azevedo & C, no se eseripivrto rs
*%kr\n aDraDe,'nd') a escripta, leitura e analyse eramma- da Cruz n. 1.
24400 uca^ desenho linear e de aquarella, arithmetic imM.|,|, j>. ^,,.^^1^. -^
370 em todas as suas operacoes, e geometra linear. ,
5i-0 Os reijuerimentos para inscripeo dos candida-
Tsrnn '"'er '"s,r"'dus com quaesquer documentos os
lo00 ttulos scientiH'os que abonem a capacidade dou
15000 meamos candidatos.
15200 Sec elaria da reparlicSo das obras publicas 19
de outubro de 1863. No impedimento do secre-
35000 tario,
75000 Jo5o Joaquim de Siqoeira Varejo.
05000
5000
410
360
280
580
35200
45000
15000
35000
300
300
15300
25500
155000
45000
C00
155
Consulado dl 1'lirlUgal. de Janeiro.
Neste consulado precna-se fallar com o Sr. Jo.o;
Mmdes de Araujo : roga se a quem tiver conhe-
cimenlo desle seuhor o favor de indicar a sua re-
sidencia.
Al & d 4
4 corrala *
tfpeti se Xa-
ropa* Tj^nr
frnrei *hnrwmr
0 qnal 't*** #a\
deip(,ra *t> *-
rum 'ffwtnm-
ra Bakia Ra
gen* trata # aa
A inspectora da alfandega dcsta eidade, em
virtude da portarla da thesouraria de fazenda n.
141, desta data, precisa eoutraiar para o expedien-
te da mesma reparticao no correte auno linanoi;
de 1865-1866 os objectos abaixo declarador : os
preteiidentes deverao :i|ireseni.ir suas propostas
em carta fechada at o da 15 deste mez 4" sec-
cao da alfandega de Pernambuco 6 de novembro
de 1865, a saber :
Para a guardamoria.
Lonas, brins, bandeiras para signaes do 2 e 3
panuos, oleo de liolMQ, tintas preparadas a oleo,
240 ditas em p, breo, alcatraz, verniz, fio de alpoiao, 1 ser embarcada no da de
cento
arroba
100 lijlos para hropar fenageos, piassava, estopa, etc.
Para lacracao.
105000 Graxa, sebo, cera em ruine, cadarco estreito,
I5OOO azarco, laxas de bomba, cabos de dill. rentes qua-
320 lidades e grossura, azeile de carrapato e de coro,
500 laulernas 011 pharoes, faquetas de ferro, coi rentes
45OOO de difireme grossuras, ferros dedifferentes tama-
25OOO nhos, remos de 12, Me 16 pea, lonca de cozinhi.
Para servico de capitana.
155000 Livros em branco para os armazens, azeile doce
15600 paraos guindastes, lima roxo-terra em p, broxas
agencia ra do Trapirh* n 9.
COMPANHIA BfilaSHEIii
HE
PAQUETES \ VAPOR.
h f-perado d.i-p.,rii.s w. i:.
al o '.11 17 ii cBtMMr, vatr
Ponina, coinmr.iidaak** eayua
de iaaai;. ah uno -J>aaMa>
Santa 11 -1 r ..r:>, 1 qual 4ept< 4b
demora do cusame seguir' para es pone
snl.
I'esdej recehem se pas-agelrs e ceyaje *
carga que o vapor .odT n-n.'n/ir. a ma.
oa shegaita. naw-
alqueire 15^00 para pinturas, verniz de carvio de pedra.
mendas e itmheiro a freie at o da da .-aoiel as
2 horas : agencia ra da Cruz n I. ernp:#r*
Aulooio Luiz de Oliveira Aeve<> a C.
CttlPAMIA BRASILDSi
)E
PAQUETES h VAPOB.
K' e^p^rado dos porteo *> n'.
al o da 14 d corr- n; *ae> ;
Galga, o qual depois 4*
arroba
1
um
arroba
Galtinhas
Gomma........arroba
urna
nhio, pao torrado bolacha, etc.
Anida nao vi expositor de medicina que ,ecacuanha (raiz)
aconselhasse que nos primeiros tres dias de Lenha em achas ". '. '.
accomi ettimentos do mal, nao se usasse de Toros .........
medicamentos ; o que ellesrepellem sao os w"haf,^cs'eis......
. M / Mol ou uielaco......
unguentos, [unturas que obstruem mais e auno
tepellem do quepromovem a evacuado da Papagaios .' .' .' .'
parte; o que convert trazer o lugar ata Pao lirasil .......
cado ebem agasalhado para ajudar a trans- 'aem de jangada. : .
piracaoe defender do ar. I3S?**!?" ." "
O verdadeiro xarope de veame vende-se ?tdem de rebolo .....
na botica da ra ireila n. 88, de Jos da Piassava........
tocba Paranhos. j Ponas ou chifres de vaccas ou
Tenho receido cartas de algumas pes-! prSc'!,{gde amarello de dous
soas de ou ras provincias que me commu- costados.......
nicam ter desta eidade sido remettido o meu dem de louro......
xarope falsificado, que tem da lo resultado ^aP.........
3>i descrdito de minha prepararao, cujo co- gal' ......
1 hecimento se tem verificado depois dos ef- salsa parriiba.
leitos que taes remedios apresentava ; as-. Sebo em rama ....'.'.
sim, pois, tenho a declarar ao publico que (l,j"1 em ve'as......
\> leireiro que vai 1 regado na garltrfa do Taboa^'de^m^'u.....
xarope, semore foi assignado por meu pu- t diversas .
nho, e daqui em diante, alm desta assig- Tapiocas. ........
natura, o farei tambem no papel que cobre fawjoba........
a garrafa. Rogo ao mesmo publico qtie r*^f h" .......
quandoforem assim enganadts, tornera tes- Vassmuas do de'piassva ." .'
temunhas, me remettam os rollos falsifica- Ditas de timb......
dos e me parlicipem para fazer emotivo o j Ditas de carnauba.....
artigo 107 do cdigo criminal do Brasil
Josc da Rocha Paran/tos.
ceuto

um
caada
arroba
um
quintal
um
urna
mol no
cento
um
1
libra
B
alqueire
arroua
4,3000
25800
55000
145000
85000
8500
55000
600
25500
255000
25000
115000
65000
240
15300
35000
55000
55000
800
45000
15000
120
3550C.
2O5OOO
105000
15000
120
400
255000
Para o expediente das secceVs. I ^fgSggg J
Quadernos de papel pautado para extracto dos rw, ...
mappas, papel greve pautado, dito liso, d.lo de ti-! J*f "ZTT 71
nho, dito malta borrao, peonas de ac, ditas de cr!,rra"h P' a',0 i" /''
aves, lapis preto, ditos de cores, Unta Veta e roxa TSSSH .t 5!
para escrever, dita mezim, arela preta, obreias.
reguas, cadarco, cauivetes e ra>padeiras.
O 4o e>eriplurario,
Juo de Assis Pereira Rucha.
A nrmattico.
Finda a audiencia do dia 17 do corrente, do jui-
zo municipal da Ia vara, eservao Cunha, sera ar-
rematado por veuda a quem mais der, o stiio de
trras denominadu Forte, as Canarias, ci m 055
palmos de frente, 800 de fuudo, 81 pt de coquei-
ros, terminando p-lo sul com Ierras de Manoel
Gregurio, servindo de divisa pelo sul um pe" de
aroetra, e pelo noite um capao da u .--ii::i arvore,
avallado dito sitio por bOt'oOOO, o qual vai a praca
com o abate da lei, servindo por isso de base a ar-
rematado a quaulia de 4805, e sera adjudicado
se nao houver laucador, em cuja execugao exe-
quente a Santa Casa de Misericordia desta ci.lade,
e exeiutados os herdeiros da fallecida D. Auna
Benedicta Boeveutura do Carino, viuva do coronel
Agostinho Cesar de Andrade Mello.
Consulado de Portugal
urna
duzia
i
arroba
quintal
urna
cento
Os senhores credores do espolio do finado snb-
35000 (''t0 POrtogOP Custodio Luiz Gomes, qoe leve ar-
75000 ma7em de carne se<'ca na Iravessa do arsenal de
35000 S|,eria n- 7, queiram fazer ob'eqnio apresenlar
1405000 sens "tulos ne>ie consulado dentro do prazo de 15
caada
875000
35000
2-3000
650''0
200
105000
85000
C5000
500
das para serem conferidos.
CQMMEit-- 10.
---------------------------------------------------.____________ 1 1
Caia lilial IoImiuo do Hrasil em
r'erua n buco.
A catxa descoma as letras de seu aceite pela
laixa de 6 0| ao anno.
Oguarda-livros
Ignacio Xunes C irreia.
!Vovo Banco le Pernambuco
0 Novo Banco paga o dcimo quinto di-
Vinagre.
Alfandega de Pernamuco, 4 de novembro de
1865.
(Assignados) 1.
O 1. conferente, Pedro Alexandrino de Barros
Cavalcanti.
O 2. conferente, Jo$ Maria Cesar do Amoral
Approvo. AJfandega de Peruatubuco 4 de no-
vembrode 1865.A. Eulaho.
Conforme. O 4." escriturario, Juao de Assis
Pereira Rucha.
KCliUEOUltlA DE RENDAS 1NTEUNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO. '
Rendlmrnto do dia I a 8...... 10:2 05448
Idem do da 9................ 938*862
Arremalacao.
No da 10 do corrente; depois da audiencia do
Illm. Sr. Dr. juiz de orpnaos, ira' a* praca por ven
da, com o abad' da quinta parle, o sobrado de tres
andares e sntao da na do Amorim n. 25, avahado
em 5:00o50U0, conforme o eseiiplo em mo do
portetro.
FtDda a audiencia do Sr. Dr. provedor dos
reziduos se proceder' a arrematacao de dous es-
eraros firrosna raetade pelo testamento de. Ang-
lica Caudida de Albuqu;rqu:, no dia 11 do cor-
rente.
.\'ovo banco de Pcrnaar
busco.
0 Novo Banco desconta letras de praso ate seis
mezes a 10 por ceuio ao auno, e toma dinheiro
a praso lixo, ou em couta corrente pelo premio e
C0Ddi(5es que se conveucionar.
dem do dia 9
Consulado provincial.
Pela mesa do consolado provincial se faz publi-
co que no dia li do crrente in.u se bao de arre-
matar em hasta pabliea, a' pena de repartiej ,
ao meio dia, o escravo rlrmioo, cabra, idade de 22
anoos solteiro e sem profis-ao, e avadado por....
1:1009, apprehendido aos connmerciantes Abren v
Veras opio 0fllci.1l externo da secretaria da polica
Jo< de Vscuneellos, e 70 cooros de cabra curti-
11:2295310 &"*> ^0 meios de sola e 6 pe les, apprehendidos a*
===== Tbomaz Times pelo guarda desta mesa francisco
Jorc de Sonta.
Mesa do consulado provincial de Per&amboeo
9 de novembro de 1863
Antonio Carneiro Machado Itios
Administrador.
to do HH
Desde ja recel-em ? passafeiris e
cooduzr a rav
sua rh-itada. wmmh*-
das e dinlieiioa IreM .>l a dh da -ahn!a .- 2 ac-
ras : agencia rna da Cruz n. I. ^seripiori* Or Ja-
do Luiz de Oliveira Azevedo & C
COMPANHIA>ER.\AMBi;CA5
DE
ilftpdN coslfira |rr fapr.
Tamatnlar. Barra Gnm*, Porto e P-*r .
Camaragibe, .Macei, Per.edo e Ara-
cji.
. O rapar Porokim*, o>-a r-j-
S^ .T^iiii 'h' li horas da tr>- >-
IgSjoglc.W. carga al^ r. da 13 rwttm-
l^^m-nda-, pa>g- u- < t 1I1 abi ** a
frete al as 3 horas do dia Oa anida : rsrrpwrx
da compaohia no Forte d-> Mal>- n. 1.
Para lJsfM "
satura' com brevidane o bngue portngarz 4xa-
lanle ll>, recebe carga a Ireti pivan*;rov pan
os quaes tem exc eileole- coieintHk ir>a .ar
Manoel Ignacm de Oliveira H'iioo. ao laryo eV-fW-
po Saot" n. 19, e-rriploro.
PARA USMM
vai sahir com atuidad paiacb > p>ri>?.Tjei
ria da Gloria, capil.10 A. I. Vi Unte, r
g e passafeir< 1 : mi --e rom o nniajatara
R. Itabello, rna do Praptchf n. 44.
ftmw
0 hiate t Dona Irmos : a Iratar
Irmios.
r -n ,"
iir
1:3195734
17:18954(9
Segu ao indicado parla a possir*! }rra
de o vel iro hule Ln-I) /*../,/e : pjra >'
ta-se rom o rea-igruiaiio Anixno .le Aluv-o. Hy
me-, roa da cruz a. J3, lM aador.
"CMkANHIA PKRNAJlbUi.A5A
.Xavesacu 6WIBW ftg tapaK.
Prohibo, .Natal, Mac i,. .\r*;at*. JMr^ -
kaaA
Sepue n ) dii 2 d.. crrenle o *xmr Jc .1 -; a
pe, coiiimandanfe Ralis. i{<*<-ebe carga
II. Eneoornenda*, pa at 2 hora- h laril- .1. di, da saluda : .-,- pior*
no Porte do Matos n. I.
LE IlOE I.
- -

m m
A junibeha moa iihs sobstaneas medicamen
tosas, ao relou vegetal, .-. perience classe
dos tnicos e desobsiruentes, sendo em prega
oa rom vantagem contra as febres intermitentes
aeompanhadas de engorgitameniode flgado e baco.
Ella lem sido applicads rom iocootestavel provejtc
contra a anemia on r.hlorose, e hydropesia, catar
rho da bexiga e mesmo pata comliater a menstrua-
fio dtfflril, resaltante da mesma anemia ou chic-
rose.
Extrato alcoolico de jurubeba.
Emplastro idem.
Oleo idem.
Tintura idem do dern.
Xarope idem.
\ mho dem de id'-m.
Pijilas de ent. laem.
Deposito, pharmacia de Pinto, ra larga do
sano n. 10.
aLPaNDE&a.
iteudimento do dia 1 a 8......
Idem do dia 9...............
MOVIMENTO DA ALPADEGA.
Volumes entrados cora fanendas....
com gneros.....
Navios sahtdos no ata 9.
157:95s5059 Portes do norle vapor brasileiro Persinunga, com-
26.9145686! maudaote Belmiro BaplisU de Suuza, carga dif-
--------------1 (breles -eros.
184:8725715 j Aracaty -hiate brasileiro Smifa Cruz, capltao Jos
11 mi 11 m\ Victorino das Nevos, carga diff-rentes- gneros.
Rio da Pratabrigue portuguez S, Jos, capitao
Tiuouco, carga madeira de piu'io.
Observaiao.
N.io houveram entradas. "
DE'
Volumes sabidos cem fazendas.
G091 gneros.
80
1,188
-------1,273
Desoarregam hnje 10 do crreme.
Barca inglezaConstantebacalhao.
Crigue inglesCorral M. /.,carvao de pedra.
Lugre inglez iny'i.s/imon-carvao de pedra.
Barca inglezalielle loul =idem.
Rrigoe purtiigoet Esneruncapedras.
Escuna hollandeza Gezi'nadiversos gneros.
Patacho portuguez -Parlo'harque.
Impoi'taco.
^*h* aie >at^5e/aa.-a-^ti..c: mmm m
EMPREZA-^OIMBRA
BENEriCIO 00S AUTISTAS
CamilU Moreira (jitiiuataes c Antonio
Jas reixot HiimarfS.
Sexta-feira 10 de novembro
de 1865.
O Illm. Sr. director da Escola Normal manda h-'. PePis m,e a f,"'h?s,ra liver W"** nma
bella ouvertura sulora a scena o sempre applau-
dido drama em 4 actos origina! portuguez
M
1
DE
Faewlas ucurind.-.
m a? e ~m m<.
Sex-a-feira 10 de rpireinbru i- .' nrat
em ,
O agento Pinto Tari' i : u e r.>
quem pert-'iicer de cerca i KM > aaoa>-
potoarariado ah r!> t< .< ira iafjlaa ii
capitao Gngory, a- 10 h :
no dito esa seo eseriiiorlu a raa da i>nz a J*
Mttt ine.-uia n i .'j,u i
algodau azul para ei-li.ir c >nia.
LK1LA0
De
o MiiiER mi mm,
)ara' flm ao espectculo a muito cbisfc
dia em 1 acto
0 marido no prego.
chisto>a o
Ery>ipella.
0 medicamento que enm mais influencia
e energa tem combatido essa terrivel en
fermidade, tem sido o xarope alcohlico de
veame.
t uu iuuiuj r
Lina escrava da mi do Sr. Francisco Fir- Tasso Irmio.
mino Monteiro, pessoa bem conhecida nesta .. garajaos com
: zer publico que por dehberago do conselno foi
i marcado o dia 13 do corrente para nelle terem
! principio os exames do 1" anuo em turmas de oito
[ alumnos, e logo que forem flndos principiaro os
; do 2o anno em turmas de igual numero, devendo
os que pretenderen) examinarse pagar at o dia
Vapor brasileiro Paraltybu] entrado dos poitos H do corrente na reparticao competente a segn-;
do uorle, manifeston o seg'umte: !da pre.-taco de suas matriculas.
Do Aracaty. Manda tambera facer publico para os fins conve-
51 saceos com 213 arrobas de algodao ; a Cos- nientes, que os Srs. Felippe Santiago de Souza
me Jos dos Santos Calladd. Machado, Deocleciano Ferreira dos Santos, Joa-
199 ditos algodo; a diversos. I"'"1 Me"a Cardoso, Olympio Francisco Honorato,
De Macao. Mauoel Jordao de rasconcellos, Joaimim Tranqul-
38 saceos com 167 arrobas e 7 libras de algo- llQo Qe Lemos Duarte, Minervmo de Miranda Ro-
dao ; a Jos Torqualo de Sa Cavalcanii Jnior. cha Pilla, Jos Antonio Seifert, Francisco de Pau-
8 ditos com 34 arrobas e 3 libras de dito ; a Ga- la Carneiro, Manoel Augusto Vieira de Amorim,
ma & Silv*. Damelviro de Castro Fonseca e Joo Verissimo da
16 ditos com 59 arrobas e 30 libras de cera de Rocha, perderam o primeiro anno em que se li- UMIOS applaibOS mePCCftU. Il qiiatia-
can.aha ; a Antonio Alves de Moraes. nham matriculado; bem como os seguiotes Srs. do f*M 8 to I'lllStl'a i0 lllllilii'0 K'l'liatll-
segundo anno: Manoel da Costa Pereira. Julio "
Cesar M-ciel Monteiro, Franklin Francisco Barre- UCan.
(>omecar as 8 horas.
O resto dos bilhetes poden ser procurados na
casa do beneliciado na ra Bella n. 5 ou no criptorlo do theatro.
Snhba'lo 11 do correnle, suliir a
scena pela segunda vez, o da na que
53 couros salgados e 120 courinhos curtidos ; a i
13
arrobas de carne secca ; a. lo e Jo.- Tavares Durnellas Pessoa Jnior,
cid-te, a< hando-se de cama e com as ner" Mano''1 UH S'mza C. Pimpao. I Secretaria da Escola Normal de Pernambuco, 9
as bastante indiadas, e cf/eia de tumores, r* Cura 80 arrbas de cra de "raba;;de novembro de 1865.
tomando o xarope de veame, acha-se boje
boa, prestando servtcos.
A mana do Sr. Jos Francisco Pinto, mo- 1om 70arr(l,Das de cera de carnauba, dito coro o
a ordera.
Do Cear.
1 MU um cabriole!, 8 dius massas, 20 saceos
.4 Heneen
Xarope alchoolico de veame, preparado1
rador na rita Direita n. 51, tendo sido
ditas de caf; a ordem de. diversos.
Brigue nacional Marinho III, entrado da Babia,
O secretario,
Maximiano Lopes Machado.
ACTRIZ IIEBRE1
THEATRO
DE
u Dr. Trisio de Alencar Aranpe, offJcial da impe
rial ordem da Rosa, e juiz de direito especial do a wrr|l|| Wn^^^" I ft
commercio nesla eidade do Raelfa de Pernambu- \9 1 M. %W im M JL %wM Vr
co por Sua Magesiade Imperial e Conslitucioual, (C A PUNGA.)
o Sr. D. Pedro II a quem Dos guarde, etc. Knr-iottarip (li-iin-.lt.-i Tlialia Por, -ini-
Fa?o saber aos que o presente edilal virem ejOCICaaoe UianidlK.I III
d'elle nolicia tiverem, que no dia 20 de novembro UCaRit.
if.\j"- noLiuinii AUttl
accommettida do mesmo mal, acha-se tam-manresiou o segrate:
| bem boa. 60 caixas massas ; a Bernardo Jos de Araujo.
A Sra. D. Senhorinha Umbelina dos lOOcanastrasalhos, 12 saceos com 48 arrobas de
peopnarmaceuttco Jos da Rocha Paranlios, Santos, moradora na ruadas Calcadas n 'T^;.^0-^?1.6 d,,,Lima-
esllielecido cora botica na ra Direita U 38 acliaildo-Se atacada do prvtinolla nae cA a rZ!L,E7 pe'Xe em conserva ;!do corrente anno, se ha de arrematar por venda a i Em eumprimento da ordem que recebi do Illm.
8H Pm Ppni^h,,,n iud uiietid u. oo, Litdiiuo bu atdcaa ae er>>ipella as CO- a Tbomaz de A. Foncec.a. quem mais der em praca publica d'este icizo o se-' Sr prndente desta ociedade participo aos Srs
Pen.ambt.CO. xas. com ....atm lnmr,re h.an.0 r.l.,mn. ^592 g.gos batatas, 40 Jardos fa.enda de a.godo,! guinte : 2e*JT5lTe^^
.m, i5 arrobas "J* Urna casa terrea sita na iravessa do Peixoto, com bado, 11 do correnle, e que podem desde ja rece
a todos OS xanmes denoratiros. Ip. Cnia nr-so Hp n Im mnito i.mnn -. ., > ro|los com 106 duas de dito de -
1,350 charutos : a ordem
p-irrtlha, pois que se tem conhectdo ser o gativas do mesmo, acha-se resUbelecida, e
veame mais enrgico para a prompta cura no uso dos medicamentos os tumores ler-
das molestia, cuja base essencial depende u.inaram pela suppuracao.
da purificarlo do sangue ; assim p tem verificado por muitas pessoas que se Rita n. 13, primeiro andar, soffrendo do
achavam desengaadas, as quaes acham-se mesmo mal ha muitosannos, poisqueaery-
Doje rcstabelecidas com o referido xarope sipella atacara amiudadamenle, depois que
alchoolico de veame; entretanto que al- tem tomado esse remedio nunca mais ine
guns, tendo usado do xarope de Curinier, deu.
de Larrey, de salsa parrilha, de saponaria, Outros muito tactos desta ordem deixo
oleo de figado de bacalhao, e outros agentes de raeocionar aqnl para n5o me tornar pro-
ceta ordem nada conseguiram. E' elle de lixo eenidonho.
11 pacotes com 64,400 charnlos j a Goncalves
Be 11 rao.
2 fardos com 10 arrobas de fumo em folba ; a
Joaquim da Silva.
33 saceos com 132 arrobas de tapioca ; a Sabino
Jos de Almeida.
1 caixo com 240 libras de tabaco em latas ; a
Domingos Alves Matheus.
LFANDEGA DE PERNAMBUCO.
PAUTA DOS PRBCOS DOS OENEHOS SU.IEITO* A DIWHTOS
D8 EX PORTA CAO. SEMANA DI 6 A 11 DO MEZ DE
NOVEMBRO DI 1865.
Mercadorias. Unidades. Valeres.
Abanos......... /nato 150C
o numero oito, lendo na frenle porta e jauella cora \ ber do Sr. thesoureiro, a sede da socie lade, suas
rotulas, com dezoilo palmos de largura e quarenta partes de bilhetes.
de lundo, com urna sala na frente, um quarlo e urna | Secretaria da sociedade dramtica Thalia Per-
pequea sala de detraz, com cosinha avahada por nambucana, 6 de aoverabro de I8C5.
O Io .secretarlo,
Epaminondas P. B. e Accioli de Vasconcellos.
4005000, a qual fra penhorada por execucao da
viuva e herdeiros de Jos Hygino de Miranda, con-
tra Manoel Jos Teixeira Bastos, socio de Anlunes
Guimares & C.
E-.no havende lancador que cnbra o preco da
avaliago a arrematago ser fela pelo prego da
adjudicacao na forma da lei.
E para que chegue ao conhecimento de todos,
mandei passar o presente que ser publicado pela
imprensa e afBxado nos lugares do costuroe. Vai sahlr com brevidade o brigue Adelaide
Recife 23 de outnbro de 1865. por ter a maior parta de sea carregameoto trata
En Manoel Taha Rodrigues do Nascimento, es- do ; e para o quo Ihe falta, trata-sn com o consig-
crivo, o subscrevi. natarin Joaquim Jos Goncalves Beltro : na roa
Trisio de Alendar Ararlpe. do Vigario n. 17, l andar.
ATISOS MARTIMOS.
tara o Rio de Janeiro
nm esc.d'O
ciba i:.
Sext.i-f.'ira 10 *k Brerar>ro a>i mei<
A' reqiierunenl d I. N> m- i |
ca e por dffparlio do Illm. Sr. Dr. jdiz eV nrpt&p
o a^eni Piolo tara' letti d i mm< rntab Ir-
cio, perteiicenl- ao -en eaoal, a- 10 l\- >- .
dia cima dito em ata ewnpMli roaa f>i n
mero 38.
Ne-la mesma occa-iao ven lera' nm ain*
vo pardo de m-ia idaJe, p>r cenia e orins
nma nutra poMoa.
LjEILOEM
US
Trastes amitos, mobilins ctur
pitias, vbjcclos dn ouro, yrn-
tti c brilha tff, rclnijios, mn-
dieiro a uaz, t hurtaos e mu-
iros militas artigas
IIO J.
NO GRANDE ARMAZEM DE LEtLCS
DO AGENTE
OLYMPIO
3fjKu;i tu t'adea do Hrcalc 3C
LEIJLlIo
De fazcndnt avariadas.
HOJE
Sonthall Mellor & C. faro kikio por mHiftB
cao do ajenie Pinto a |>or eoou a ma O ipiw
perlencer dedifferente fazendas a anari< a 0c
do da galera inchza nrrmiom, m 10 ***+ er*
ponto do dia cima dito era sea aresaz** twm tt
Trapiche, nesta mesma occa-iao vraderi*
fazendas de lei para fechar cuntas.
LEI LAO
De um eseravo.
ao omio
HOJK.
Sexta-feira 10 de nov mbre
O agente Piolo far leilo a r._
Pilippe Menna Callado da Foostesv ""
e tutor de seus netos menores e por daapaeo 4
Illm. Sr. Dr. juiz de urphos de na rsera*a> -
bra de nome Manoel, pertenrejie
menores, ao raeio da do dia sexta MraWA
rente em seu escriptorio roa d* Crnx a. 3*.
T
1


-

1
LBI.LJ.O
De ysIuhi-es para meninos de todas
^ il*des, graode pechiocha para os
Ffi le familia.
no je.
O a?ente Martins vender era leilo ricos ves
tarta* de casonau-ae de la para meninos de to-
das a* idadas, os raais ricos que (era vwdo ao mer-
cad*.
Eoseu e>rriptorio raa da Cideia do Recife n.
9, *s 11 horae.
Sociedade de seguros mu-
tuos sobre a yida
Leilo
Em coatlnna^o.
JDeviiihe UnUem pipas, o e
W
IIOJE
Teodoro Chrisliansem nao podando concluir
unen por interveooo do agente Pestaa, o le
lio do vioho lint >, o tara' hoje era lotes a voDlade
das compra-lores, as 10 horas da reanhaa em
ponto no largo da esradinha da alfandega.
JLUIIMO
Di leja de cali-1.1 j da ra larg do 8o-
sai-io 35
Sabbtdo 10 de nivemluo as 10 i[i lioras.
O afrente Pinto fara' leil.o a requ-nmento de
Alies Htnibuger & 11 e por mandado do lllm.
Sr. Or. juiz especial do commercio da armayao,
caudieiros a gaz, sapatos e inais objectos existentes
na loj* embargados a Joo Ferreira ita Ctrval'ho, ao meio
da era punto Je sexta feira 10 de novembro.
O- pretendentes penarlo desde ja examinaren! Deus n. 28, onde se peder* entender cora JoaoCar-
o luventaru n-i e-cripiono ilo ref-ndo agente. I los Coelbo da Silva, que para isso se acha encar-
regado.
Club peruainbucano.
A partida do mez de novembro lera' lu-
gar najioitejlo dia 18.
Aluga-se
o 1 e 2o andares da casa das Cinco Pontas n.
86, esquina do boceo de S. Joao, por cima do ar-
niHzera proolita, com mullos commoJ os e cotn
agua e gaz : a tratar na ra do Livramenlo nu-.
mero 38.
O banco Alhanca do Port) tendo estabelecido es-
ta sociedade debaixo de sua immediata vigilancia \
e responsabilidade, facllitou a creagio de capitae?,:
dotes, rendas, peoses, isenedes do servico das ar- j
mas etc., por meio de subscripgoos nicas ou an-1
nuaes, as auaes convenidas em iascripgoes da di-
vida publica, de renda nacional, e da mesma forma i
os juros semestraes que d'ellas se forem veoceudo, '
ncam por um cerlo numero de anuos em deposito,
at que, lido o prazo estipulado, sao restituidas
aos socios com os ioteresses aroonloados, bem co-
mo as que perlencerem aos assoeiaaos fallecidos, i
visto que destes sao hordeiros os sobreviventes.
Pela ennenhosa cumbiniigo ei'onornica adoptada
nos clculos desu sociedade, veso que, com una
entrada annual de 305000, por exemplo, ohtem se
em 5 annos 4505000 a 5505000, em 10 1:3005000
a 2:0002MM)0, em 15 3:3005000 a 4:3005000, em
20 8:000-5000 a 10:0005000, em 23 18:0005000 a
25:0005000, conforme a idade do individuo sobre
quem feito o seguro, pois que nos referidos cal-
culos conta-se com a maior ou menor probabilida-
de de duracao de vida.
Esta sociedade sobretodo vantajosa aos chefes
de familia, vi>to que Ihes facilita sein sacrificio a
fundacao de um capital on dote para seus Qlnos ou
liilias, segurndoos quaudo nascera ou emquanto
sao cnangas.
Quem, pois, mais cirenmstanciads informacois
desojar sobre tal sociedade, ou se quizer inscrever
como socio d'ella. dirjase a ra da Madre de
Mario de Pernaml ue Sexta **ra 10 4c ft^vembro le f &.
-._".:. ~
?^uM,s
D'IODURETO DUPLO
de FERRO i. QUININA
LiO
Os elementos que comjoem esta preparado, o
ferro, o iodo e a quina, a collocao no primeiro
grao das preparares fen ictinosas. Basta attesiai
seus resultados obtidos p< los Mdicos dos hospi-
taes, e os relatorios dos p 'ticos mais eminentes
que confirmrSo sua po< erosa cfficacia as se
guintes aJTeccdes:
Mlngoa no laniut,
FrHqurca.
Anemia,
Chloreae Ictericia,
Menwtraa,
Afi'i-rui- do ulero,
Sii|i|ii-i-innr ta rr-
Itrirn c ticnorilen u
nenatruaco,
Affecca pulmtnitr e
phihlalra,
MoleatlanbVcatdmago,
Gastralgia*,
I erdd ~p|.rlH. ,.lc
EM UM OU MAIS LOTES
de berzeguins e sapatos de differntes qaalidades
qner para horaen*, qier pira senhoras, algodiozi-'
um, lilas, (velas, prego*, couros, laxas, formas e
mus perteacis di toja de saiiatos, assuii como a
armario e ean lioiros d- gaz da loja da ra larga
do II i ano n. 35, as 10 oras em ponto do dia de
sabb do 11 de novemoro.
Por mt-rveng> do agente Pinto e por mandado
do juizo do coiuuiercio.
LEILAO
Re 5o caias co:i: e v ja em garrafas
e Betas (lilas ti\ltas engarrafadas u
ptr Gfo Jones
Satinado 11 de novemnro ao meio dia.
Tfi m, B -ikiiiyo'.iog & li iberts farSo leilao por
roota e risco de quera porieacor e por ialerveoi^ao
do agoale i'iot.) de 55 eaizas com sorveja da nur-
ca cima meni-iomda, ao meio da do dia il do
cuit-a?, em frente ao armazem do Sr. Aul\de-
fronte da aii.iuega.
Aluga-se orna ca>a em Beberibe : a tratar
com J. I. de M. Reg.
Precisa sede una ama qu>j
engommar, para casa de pouca
a ra do Queimado n. 51, loja.
safba cozinhar e
familia : a tratar
CASA DA Fu
Aos 6:000^000.
:onvale*rencan>la-
gan moli'Hlla.4.
hlaleollas eaciornia-
HIIS,
iPapiiro,
>hr>lrncci> d.->i* glnn-
flalaa,
lumorri fran,
Tumorr* branco,
lachltlaana,
. LffeccocM riincrroaan
i e Nypliiaiirnti,
feJircx (ynholdea,
ealgait, etc., etc.
Vej&o-w m huHetim df therapeutica medica
e cirurgica de 30 de noveifibre 1860; a Gaaeta
dos hospitaes de 28 dejul^o 1860, etc., etc.
Alem das pilulas de wreto duplo de ferro e de
quinina de nebuln, e* Mdicos aconselho
igualmente o Xarope d'iodureto duplo de
ferro de quinina do mesmo autlior para as
pessoas que nao gostao de medicamentos sob fr
ma pilular e os meninos. F.ste xarope nSo tcm
como oxaroped'iodurctode ferro, o inconveniente
de alterar-so e de se nao poder conservar.
Peca-se o folheto que sq d de graca em casa
dos pharmaceuticos depositarios.
Para se evitarem falsificacoes, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito geral em Paris, pharmacia Rebillon,
4 42, ru du Bac, e em todas as boas pharmacias
de Franca e as dos paizes strangeiros, etc.
MEDICAMENTOS FRANCEZES AFAMADOS
A mmWHk EM PER]VAMBTTC O
Em casa drs Srp. Cao s p Barboza, ra da Oi-uz n. 22.
Dlini !i(M- a n roiiNtl-
pltCHf "J o j_J -1,. 4
JM'i.V ''I '.iDI'ilr'H-*
nii-ii t>..
-------------------vs-tA:--;w
AS laiUthni' Watman, emprenta se cwa noaesao h 6
algOM annos peins celebridades medicaes de
Paris, Londrca. Vicua, etc., em todas as in-
commodldades em as quMadioesUa diiicil,
penosa, imr.-'l'eila ou mesmo im|TlttnTPl: e;s
o iclhor r.'mdio ]>ara c-nral as.
liiiMlral'jIa,
ni.|>rpi "iiflrinni |nli|cing
A gnli-il<-,
.^^ alfrecea oru^nl-
ni do v.t Soa aceo \vinca o sangue os rgos de
**' B*'**'*fc, aih as pesso:;1! (oe nem soffivr
asr!'!Vcc>:s iasinr.is cima mencionadas silo
nicamente Iracas ou d'um lempcramento um
pouco dcbil, c neoessiio substaaoial alimento
liara forlicar-se.acliao no ompn'^o das pmtU
has pepsina de U'asman,i\n\ pdeoso mrio
para a isso ehegar.
irise imtttrumle.Osuccc--soclas pastfhas
pepsina de Wasmandea causa a se fazerem
bl6iicacoes eimitaedcsd'essr producto fue os
mulos se quen-m desfazer. l'ois por falla
d'uoia boa premra(,-3o a pepsina que n'ella
eiilia, jaz alterada. Seremos ao abrigo d'este
inconveniente, exigindo os compradores que as
pusiilhas icnhao as imciaes B. P. e saiao da
pharmacia Chevrier.
Depsito geral em Paris, pliarmaeia Chevrier,
21, Faubourg-Moulinartre, e em (odas as boas
pliarmacias de Franca e dos paizes estrangeiros.
GURAI>AS PEhfTS
XAB9PES DO DOTOR DARETI RERTH
N* 1. Castra an CMCAS DOS MENINOS ante I ^^ ^^ *
1. Caatra mu GOMCAS DOS MENINOS
luruulr a ilaniira
Xarop: ie cynoslosse e de acido suecinido)
N' CoulrM TOsSE CONVULSA a TOSSE
NERVOSA
(Xarope de cyr.e^Iosse c de leo voltil de snecino'
S* 3. Caatrn a COrVVLI-CES DOS MENINOS
a caoaa
(Xarope de cynoglose e de acido T,>tati! de succino
Estes novos producios preconizados na Aca-
demia imperial de Medicina de Paris sao em-
preados com graiidissrmo successo |>elos mdicos
de Franca para o Iratamento das molestias do-
meninos cima iadicadas. o vierao eiuilier um
vacuo importante na therapeutica, no uw toca as
atecr.es da infancia, para as quaes, alh hoje.
anda se nao pode indicar iratamento racionnal-
nem infalvel.
(Peca-se o prospecto em easa dos pharmaccu,
ticos depositarios.)
Preco do Irasco em Paris, 3 Ir.
Para se evitarem as falsificares, exija o com-
prador que cada Irasco ten ha sobre os rtulos a
assignatura Chanteaud.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chan-
teaud e em todas as boas pharmacias de Francy
e dos paizes eslrangeiros.
MASSA e XAROPE
DE CODEiNA
DS
Os granulos de ftsmu/ideChevrierem supe-
riores a todas as outras preparaedes de bismuth
empregadas antes com o maior successo pelos m-
dicos de todos os paizes, para prevenir e curar as
Dlarrheas rhronlcaa,
DTaaenterlaS,
luiros ti 'cal.....ago,
Mult-Mlan de Ugudo,
A Ictericia,
Palpltaraa da coraeio
lloii-d non rlBB,
(I|>|11 IM'lli ..
Ddrea lie cabrea,
Miih dlgcHloea,
Gaatrltea,
GuHtralglaa.ete.,
Dypcp"lafl,
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
irritaeea de brziBa e e em todas as pharmacias de Franca e dos paizes
d muira, ele. estrangeiros.
As experiencias clnicas e comparativas
dos Snrs Magendie, Barbier d'Amiens, Wil-
liams Grcgor, Martin .Soln, Aran. Viga,
C. Iinmont, etc., membres do Instituto de
Franca, mdicos dos hospitaes de Pars, tem
provado que a HM e Xarope de ftertkt i
O remedio o mais seguro contra todas as
dores nervosas e tendo a propriedaje de
calmarcom admiravel rapidez as tosses rebel-
des e extremamente fatigantes da gripfe eav
tarrho epidmico detluxo, coqueluche oa
losse convulsa, bronchite e tsica pulmonar.
A Massa e Xarope de Berth, se
acliao em loilas as boticas.
Para evitar qunlqoer
falsilicacao,exigir em<
cailu proiiHlo o nome
e a firma Gertli.
Deposito gtral em Paris, em casa de MEJIIM,
H*a Ste-Cr Pelas commissoes em grosso, dirigirse aos S'" WILLAERT e BERGER, comisarios em drogara, H, ra Saint-Lasare, Paris
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
Saffecee* atervcaai e Oeyreawa
nico remedio effcaz para eombatter estas mo-
lestias, acalmar um allaque d'asma e impedir a
volta o Xarope. aromtico de Succino (mbar
amarello) do Dr Danet. Descoberu interamenie
recente, este novo producto se tem propagado
com extrema rapidez gracas ao* admiraveis resul-
tados que tem sempre prodnzdo.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54,
ra do Commercio, Paris-Grenclle, e em todas as
boticas de Franca e do estrangeiro.
Le Ido
Da encheira de earrtsaia ra do Sol
muera 27
Con(.ilu de
:i carros qoasi novo- om seos perlences.
7 parelhas de cavallos.
Nfc,
-rv
Dllhetes garantidos.
Y HUA U() CKESPO N. 23 E CASAS DO COSTUME
O abaixoassignaduveodeu nos seus muitofeli-
zas bilhetes garantidos da lotera que se ac bou
de extrahir, a beneficio da Santa Gasa da Mise-
ricordia, os segoiotes premios:
tJn uiei i n. 2697 com a sorle de 6:0005000.
l'in inieiro n. 1709 com a sorte de 1:2004-
Dju> quintos n. 1918 com a sorte d^ 2004000.
E outras umitas surtes de 1004, 404, 204 a
10t 000.
Ospossuidores podem vir receber seus respec-
tivos premios sem os descontos das leis na Casa
da Fortuna a ra dj Crespo n. 2.
Aeham-se a venda os da o" parte da lotera iam .
i38\)a beneficio das familias dos volntanos da ie[" a nonra ae scientiiicat as senliorcs negociantes a retalho, que tem sempre no seu
patria, que se extrahira seiiuudafeira 13 do cor- armazem sortimentos para sa ,-r
fKECO. .
Bilhetes. .... 64000 Chapeos de sol de se
Meios......34000 e de todos os tamanhos.
rraucisco Turros COata
fara' leilo por InterveDeSo do agente Cordeiro
Simo^-.d'K carros cavallos e mais perteaces de
sin eoefeeira fita ni ra d) Sil n. 27, visto reti-
rar-'- para Europa afim -te tratar de sua saade,
coi'} idilio sera* eCToctuado na mesma cjcheira no
dia
Qiiarliif'ira I.'i do correute
as I! boras em punto.
Quintos.....14200
Para as pessoas que compraren! de IG0>000
para cima.
Bilhetes.....54300
Meios......24750
Quintos.....14100
Manoel Martins Fiiza.
dem de alp.ika.
dem de brim de linht)
dem depa: ninho de
MANOEL & C.
isfazer qualquer pedido em poffSOj como s jam :
a, de grosdenaples, de sarja e nobreza de 8, 12 e i6 asteas
t%%-
DE
3"k -.

C.-V-^S
"^
*^:*-*-'-

!'"
-. VIGNES.
IllIA |]|PERlR > :.;,.
aobojeas<| conwiJo- para qiir m-jh i,-,-.....r.-, ir,.-,sr *.-hre a
vcem a-is roin,ir*drtre-, quali la : -, Rataa m 'A -:a-
. i I"ii -.. atrri :' ta prara mm-
i-I.ik 'l^- piaoi.-lae>, ->
il i olimain nie iw-lhoraasrasos Na^ru.i-
M. 55. -
Os pianos desta amiga fabii
sua superioridade, vantn^ense garanta
veis que Piles tem detiniivament- runqni-tado sobre dos
tnindo um teclado e maeh-inianin qu obeilocein io<1as .-vni,ii
onnea faihar, pur serem fibncads de proposito, i i--- I
tambem de todos os tamanhos e feilios.
ucm uuFa. ui.iiiu uc cotes coui armafcs de baleia ejunco.
Todos e4es objectos $ao vend dos por preces os mais commodos do mercado,
os quaes podero ser verileados pelos pretendentes.
A ma
fiaElfiM
DE
A prato de 6 m^zes.
i.oies le ii'na p.ja para claia.
Qointa-feira 16 do corrente.
Larga (Ii corpo Santo.
(Com lanche.) /
O agente Pestaa fara leilo por ennta e risco
de-je;n iiTteneer de pipas ue vinh) tinto da
mir.-i tg:, as II horas do indieado da no trapi
ebe Barbosa largo do Corpo Sauto.
esos Binsisos,
UfTerece-se urna ama expeliente cosioheira :
quem a pretender dirija se a ra da Alegra casa
junto a de n. 1.
Precisa-se
de urna ama de leite
Imperador n. 50, spgnn 10 andar.
na ra do
IEUKMIRLV61C
CURSO ESPECIAL
11E
PREPARATORIOS
para os estiidaulcs que dcrciu
fazer acto em marco.
Jos S lares d>3 Azevedo, professor de
liegua e iiiteraiura nacional no Gyutnasio
Provincial do ftecife, tem aberto em sua ca-
sa, ra Bella n 37, um cueso especial dos
se'iiutes preparatorios, para aquelles estu-
dantes que tiverem de fazer exame em
margo prximo :
L.inua Franceza
Cicographia e Historia
*Iilo.splii;i
Rhetorica e Potica
As pessoas que se quizerem utilisar desta
vantagem, podem dirigir-se indicada re-
si-Jiincia, de manlia at as 9 lioras, e de
tarde a qualquer hora.
Instituto Archeologico e Gcographico
Pero wbocano.
Os anaixo assigoados, memhros da coromisso
de tratnihos histricos e arebeoiogioos, convidam
a tO'Jj os socios do Instituto e as pessoas desta
cilade e da de Olinda, que quizerem assistir a
abertura do carneiro em que se presume terem
sido lepo-itados os restos raortaes do general Joao
Feriianies Vieira, para qae hajara de comparecer
a e.-te acto, o qual devera ler luizar as 11 oras
di manhaa, ni igreja da Misericordia daquella ci-
dide. o dia doming-i 12 do corrente.
Sifi da-i rominnifi^s 9 do novembro de 1865.
Salvad >r Henrique de Albnquerque.
Padre Llni do Mint-i Oirmello Luna
Precisa se de um moieoue ui- li i lo aunos:
a Iratar na padaria da ra larga di Rosario n. 16.
Lino Aniouio Saraiva pede ao Sr. Manoel Pi-
gueiroa de Paria que declare pelo seu tDiario
qual o negocio que tem can) o supplicante.
Bftistindo na ra da Senzala nova urna assig-
nalnYa dasle Olariot com o nome de Beruardmo
Ja- da Silva Brapa, e rindo urna mudanga desta
ai2nalur para a ra do Ouro n. 55 com o nome
de Lino Antonio Saraiva, e nao adiando o distri-
i ui-lor este nome naquella ra, convidamos ao re-
ferido Sr. Saraiva para ratificar a sua morada, o
este senhor dignou-se vir a nos-a casa declarando
ser engao, que nao morava n^sta ra, e nao ti-
nha as-inaiura alguma ; no entretanto que a mu-
danca felaeom o nome de Lino Antonio Felippe
da Silva.
Precisa-se de una ama para tomar conta de
casa de homem solteiro, no servico domestico, pre-
ferindo se reeolhida e dando la-ior a sua conduc-
ta : na ra do Cre perador.
ALUGA-SE
por 163000 a casa n -va n. 1 d da ra dos Praze-
res do bairro da Uia-Vista.
U
auras
Du
. PEOIO DEAT1HYDE LOBO HOSCOSO.
MEWICO, PARTCIRtt 15 OlPeitAltOR.
3 Kua da Gloria, casa do Fundao o
O Dr. Lobo Hoscoso d consultas gratuitas aos pobres todos osdias das 7 s 11
da manbao, edas C e meia s 8 doras da ooite, exceprao dos dias santificados.
Pharmacia especial Oomeopathica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de~N;arteiras,
rabos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisacoes e pelos precos seguintes.
C;irteiras de 12 tubos grandes. {ifiOOQ
- de 24 tubos giandes. 180()0
de 36 tubos grandes. 2i000
de 48 todos grandes. 30000
de 60 tubos gran les. 3.7i50t)0
Prepar-se qualquer carteira conforme o pedirlo que se fuer, e com os remedios
,'ae se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 10000.
Sendo para cima de 12 cuslarao os precos estabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
tissimos para o clima deste paii ; quanto s vo/vs, sao iipI, -..,-
veis aos ouvidos do< apreciadoro.-.
Patem-se conforme as encommendas, tanto nest.i alirira emo na do Sr Btnadrt %tkrli
correspondente de J Vigmw, em cuja capital foram sempre pr-miailos em UtO
No mesmo estabebjciinHufai se aebara sempre um eapleoiido e *ari>h
melhores autores da Europa, a.-smi como barmoolcos e pianos
precos commodos e razuaveis.
fiar i! i, r i ir Mi njtt |irada-
>rio
* a> p|;i isir -.
i *ortiu i-iii.i ii ti..
haruiuui.-us, sen-li' Rata v^ad. .
Ueseja-se fallar a o Sr. Jo- F-rreira de Moa-
ra, que vrio de Portugal em noveu bro de 186i :
ua ra doQueimtdo n 52.
Pi&^a aMKSitlggSg
^lmier.il Instituto de \ossu c-jg
ohorad'i limo < onselho. [^
| Curso le ferias.
[s-t As aulas deste curso ahrem-se a 15 a
lisa de novembro. Os Srs. esludantes de pre- SS
ffi paratorios que se quizerem habilitar pa< &jt
m ra pre>lar exame em marco, podem des- S
I de ja vir dar seus nemes matricula. Os 91
Qj| lentes serio os meamos do curso de fe- fi
osa ras passado.
LOTERA
AS 6:000$000,1:2000000
e 5000000.
JBILUETES A" 5*030, MEIOS A' 2(5500 E
QUINTOS A' 15000.
Corre segiinda-feira 13.
Aeham-se venda na respectiva thesou-
raria a rtia do Crespo n. 15, os bilhetes,
BK'i- e quintos da 5a parte da lotera
(3Hl? a-beneficio das familias dos volunta-
rios 'ia patria, cuja exlraccao ser no lu-
gar hora do costume.
Os preimos de 6:0004000 at 10500c
ser* pagM unra hora ilepois da extraect
at as i horas da tarde, e os outros depois
da dislriluiigo das listas.
A* encommendas sero guardadas sonrien-
te :-!/; a noite da vespera da extraccao.
O ihesoureiro,
Anlonio Jos Boirigues de Soua.
u vitos.
A melhor obra da homeopatbia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jab
dous grandes volumes com diccionario............ 205000
Medicina domestica do Dr. Hering.........\ 1050i0
Repertorio do Dr. Mel Moraes......... 65000
Diccionario de termos de medicina..........] 34000
Os remedios deste esttbelecimento sao por demais conhecidos e dispensam por:
tanto de serem novamente recommendados as pessoas que qui/erem usar de remedios!
verdadeiros, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de
verdadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa con.-ervacao, tintura dos mais acredi-'
lados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acorada prepararlo, e portanto a maior
energa e certeza em seus effeitos.
Casa de saude para'escravos
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operaco, p ra o que o annunciante jnlga-se suficientemente habilitado.
O Intmenlo o meihor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
subdelegado do segundo d.str.cto de Cras- funecionando a casa ha mais de quatro annos, ha muas pessoas de cujo conceito se n5o
cuipe, como actualmente es.a exercendo, pode duvidar, que podem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
morando elle no pnmetro distncto I e se a doenles.
leioncedesemelbanteaboso? paga-se 25 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 15500.
Asoperaces serio previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
razoaveis que costuma pedir o annunciante.
g!r^Vr^^_rJ^^FJ^^^rJ^rJfja=l
X- c O-
::A 5-ia !=;;es m o -: -u m m r aa> B 5 r* -
e -
i ~- i ~. i 2 5.
o- z. - '# 3
-. = es ss =
Hllil2?l|*
~_ = -l=?C -. _c
z, S ~ a s T .- = _
Z?eJS B ? ? Z ^5'sr
tifo s ? a *4
i*.lBBte'S
_J. =. t-o5T2-i = = -S
% a&ZiS.. S z
2. 2 = i -~" s
e" -- i.i-S
S i e < ?
* 5.S" i3
s ~ 9-. o
i. B. ? J*
?JrJrJrJrJrJrJrJrJrJrJ^JJ^r3Frf?
ES1TIMA
*^\ mo oa- "-s >'
Pergunta-se ao Sr. Jos Gorgonio
Paos Brrelo se pode exercer o lunar de
Aluga-se um soto no becco da Viracao n
23, uito de S. Pedro, para urna pessoa solteira de
boa conduela^____________________________
Precisa-se de urna ama (tara casa de pouca
lamilla : na ra do Palacio do hispo n. 40.
Precisa-se de um caixeiro para padaria, se
Do liver prattea e tendo a de taberna tambem ser-
ve, dando conlierimento de soa conducta : na ra
Direlta dos Afogados n. 66 A.
Antonio Jos Rodrigues de Souza, na ra do
Crespn. 15, aluga sua casa e sitio no Montero
em frente ao otilo lia igreja, tendo o sillo porlao
de ferro, cacimba com boa agua, estribara e co-1
cheira, e a casa 4 salas, 7 quartos, e oto, a qual
muito tresra e esta de novo bem caiada, concer-
tada e pintada : para ver, as chaves esto em a
ca Precisa-se alujar um moicju* para compras
e recados: na roa do Cabuga' n 18, sobrado qae
tem entrada pelo pateo da matriz.
Domingos Francisco Ramalhn em resposta
ao annuncio dos Srs. Guimaraes e Lima em liqui-
darlo, inserto no Diario de hoDlem a dizer que
em jui/.o competente apresentar a prova das co-
branzas que pur ordem e conta dos mesmos se-
nhores fez aos devedores da rma cima. 1
Companhia geral liespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
Urna fianea em dinlieirn, leposilado dos cofres do estado, gara o le a boa ad-
mi 11 istlo rao da rom pan lia.
finar ila- livrm
Urna pes-oa qn- .|j. ,) -ii,---, .^ li ra r.n f
enc:irie2:i--fi-faji-r c-:-r p'H. iv 1 i-.im ^r
partidas sunpk-s como pm 1 >mtfM ti Araatav, -
segura->e ac^io no irinaH*..... u tn* m pt?.
CO : quem preci.-.ir rtirij calla f- hatfj a' r.-u
typo<:rapi;ia enm as htieiaes J. M. V.
Q'i-in preiaar 5 om rrhAi pm r>pro^
que lamhi-m enlTida .!' r i/inh Onja m a ru
daCrnz n. II, eonfriuna 4 Sr pmt .
f.reme.
Snrveie dp creme h"j,. a> meio ti : na rna *>
Trapiche n. |H.
Prcci>a-se aliii."ir i u- e*cra< >s, -nd i nrw
prela que rozinhe aMRfRHM c.im (-rf^ir*>, na
moleque para o mai; >ervico, fnttrtam-t uj- qu
tenha prisripiode coiinha : na ra do Trapich* b.
4i, 2" ailar escripiori".
PREPARADA NICAMENTE POR
LAMAN k IMF,
H>je, as 8 horas da manha, um amigo
grato a memoria do Dr. Frederico Augusto
de Pamplona, manda dizer urna raissa por
sua alma, na matriz da Boa Vista.
NOVA YORK.
Composta de substancias, gozando das
propriedades eminenten:enle depurativas
approvada pelas juntase academias de me-
dicina ; usada.nos printipaes bospitaes, o-
vis militares e da marinba as Antilbas t
no continente americano ; receitada pelos
facultativosos mais ilistinctos do imperio do
Brasil e da America bespanliol
CUBA RADICALMENTE
escrophulas, rbeumaiismo, escorbuto", eo-
fermidades venreas e mercuriaes. cjiagag
antigs, morphea e todas as molestias pro-
neira que em ne.nhum caso mesmo por morte do I venientesdum estado vicioso do sangue.
segurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes. v ,t"^ k.
Sao to suprelieudentes os resultados que produzem as sociedades da ndole deA NACI-!. ^quantO_existem varias imilacoes e
NAL,que ainda mesmo dimlnuindo urna ter^a parte do interesse produzido em recentes liquida- 'alsicaQOOS.e preciso a maior cautela para
ees ecombinand-i-ocom a mortalidade da tabella de Uepareienx que adoplada pela companhia evitar OS enganos,
l: lui'laces, em segurados de idade de 3 a!9 anuos, urna imposiejtoannua. A legitima salsa de Bristol vende-se por
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O Banco de laespanha
DIRECCAO GERAL
Madrid : Ra do Prado n. 10
Esta companhia liga pelo syslema mutuo todas as combinagSes de supervivencia dos segu-
ros sobre a vida.
Nella pode se tazer a subscripto de maneira
ido se perca o capital nem os juros correspondei
Sao to suprelieudentes os resultados que produzem as sociedades da ndole deA NACI-!
Precisa-se
de um caixeiro que tenha muiia pratica de loja
de fazeodas. O que estiver nestas coadic^oes e
quizer dirija-se a ra do Crespo n. .17.
para seus clculos e I
de 100> produzem ellectivo metlico:
No lim de 5 annos.......I:119*:io0
de 10........3:9484600
> de 15........11:8084400
de *0 >.......30:2564000
> de 25 >.......80:3314000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospectis e mais ioforraagdes srao prestadas pelo sub-director nesta provincia.
Joaquina Fiuza de Oliveira, ruadaCadeia n. 52, ou a Boa-Vista ra da Imperatrii n. 12, sstabeleci-
mento o& Srs. Bajmoodo Carlos,Leite & Irmao.
CAORS & BARBOZA
JOAO DA C. BRAVO & C.
Jo5o da C. Bravo & C.
Ama
Precisase de ums ama que ssiba cozinhar com
perfeicao. para casa de familia : a tratar na ra
do Codorniz n. 8.
I're i.-a-*
para taberna :
' d um Crfixciro d.' m<-n >r idi
na ra l-nperhl n. 2i6.
AIub <-e gran-i- aHo M .01- iro >m fiii-
nado n silio da Poda d'AlRM, si-ndo na m. Ih r p>>-
sica-> do Hoslelr, tiroli cni-elleiilp ras:>. rorbfira
senzala, esiribarii, ir., etc.: quem pMaMthV
dirija-se a roa Dircit- n. 20, 2* aniar, i-n > pr-
r-rin sillo,que acha-a' C"in qnem irat.r lodo ne-
gocio.
Refala) as autoridades auOrti rapilVs
de campo da Barra da Jingnda e S>-:mii.-i. m a ap-
prenensitj ta c-rravs !l n'-.lici.i, m sisnae
seguinies : cor Ma, rwlo napra e amn Ano,
beigo moli prelo que parece ser ral Ifado.
pouen cahellop rriiii-i pe^ad que faz abena* ;-f\tf.
raotOS, alta, na-le>as ra |la>l. Pin ninas mar-
ra* pe 1 rusto ip:i- p.irccf brilpi, ten anuos.
pouco mais ou n rao, i.vu \p-ii.l<> dv i-ha ia
vciiio, ramm di- alfdioroiM, rhale di- mrrnM
amarello vclho ; e.-ia (o^ol:i d^ste o ma 47 aV ar-
temhro, julga >p andar \r e.ti-.< lugares iwr ler
sido de I, onde leal Mlm>, e ja' de W rw presa
em nutra nreasix, e ImI.hI-- MannM fowa
muilo cachimbo : qrai 1 t-evar lev*- ao R-rifr n
Passelo Pul-I co, que MTa* paBrTMaMMi rreoia-
pensado._______________________________.
A vuiva, mal, r iiui- i>::i<-iiia- ito f^lirriJo
Francisro kolvntn Cvalran CoMMr*, d 1 inimu
d'ahna ayradcceni ioda> a |awi ipie se term
dignado aurrone las un tstadu np il;-.iim.ejto em
que se wit>, e tr-ni p-pei-ialnicnir ao R*m. Sr.
vigano rjpiluUr, ao Rvm. aadruaaiHH Francisro
JoM Tavare* da Gima, an lllm. Sr. rommendadr
Jos Pire> Kirreira. m E\m. Sr. barl d>> Ijtra-
im-ni-, p aun lilins. Si-. J Beian M<>nieiro da Cim
e Symiihronii Olympio o. Queiroga.
PrHCisa->e de J:S004 a juros e por pranrao
praso, dando le para garanta cinco esrravu* da
valor : quem os quizer dar ancuncie para aar
procurado.
j

-

irry __!T.



Da d fern-iMbnro Sexta leira lO t \.nombro de i*.
m
mmmm mmmm ^,.
Companhia fdelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PEHNAMBUCO
Antonio Luii de Oliveira Aievedo k C,
competentemente autorisados pela dlrec-
2? toria da companhia de seguros Fidelida-
H( de,tomam seguros de navios, raercado-
rj rias e predios no sea escriptorio ra da
Wt Crui n. 1.
xmmMMMmmMm m
Samuel Power Johnston ,CompaDhia
Ra da SenzalaNova d. 4. j
AGENCIA DA
Fnndlcao de Low Moor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios d<- carro para nm e dous cavallos. |
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Ma hias para descarogar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
UMA GRANDE DESCOBERTA
OlEo
deFIGADOdeBACALHAU
; DESINFECTADO .
MEDALHA
DE
HONRA
DE BACALHAU
DESINFECTADO FERRUGINEO
Largo do Carmo n. 26.
Este estabelecimento tao bem montado
na sua origem acnavase de ha muito em
quasi completo adandono pelo pouco in-
leresse de sua administracao.
Hoje que o novo proprietario empregou
todos os meios para restabeler a grande
utilidade desle estabelecimento, pode as-
segurar ao publico que qualquer que seja
o numero dos concurrentes acharo des-
de ja promptidao e aceionosbanhos frios,
momos ou medicinaes, a casa dos ba-
nhos se achara' aberla todos os dias das
6 horas da manhaa as 11 da noite.
Precos.
Ilanho de choque......... 500
Dito fri ou morno........ 500
Dito de farello............15000
Dito medicinal sera' segun-
do sua qualidade.
Assignatura.
Por me/, banho fri oa morno. 105
2o cario-s para banho fro,
morno ou de chuvi.-co..... 105
12 candes p3ra os mesmos... 55
12 ditos para b.mho de farello. 105
As propiedades medicaes do oleo de figado de bacolao forio unni-
memente rcconhecidas. Mas seo cheiro e seo sabor Uto desagradaveis
torno o uso d'elle muitas vezes impossivel, mesrao aos estmagos
os mais robustos e aos mais condescentes.
Por isso a descoberla do Snr. Chevribr que lhe permetlio de
desinfectar inteiramente o oleo de ligado de bacalhao sem alterar suas
propriedades tcm sido um dos mais fclizes problemas resolvidos pela
therapcutica moderna.
O oleo deflgado de bacalhao desinfectado de Chevrier,
com um cheiro agraduvel e um sabor assucarado, o nico que nSo
tem nem gosto nem clieiro de peixe.
Objccto de numerosos relatorios scientificos elle goza em Franca
de urna fama bem merecida, e rcceiudo por todos os mdicos em
lugar do Olele ligado de bacalhao ordinario. Tendo as mesmas
propriedades do oleo de figado de bacalhau ordinario, usa se d'elle
nos mesmos casos isto as :
Pohre da aangue,
] -lalfMmriuo por eiceiM le
Molentilll f*erOflllOBB,
llarhitiamo,
Obairucfo das glandes,
Tiaica pulmonar,
Moleatlaa da pelle,
Conallluicao lyraphallea,
Anemia, debllldade, fraaueaa,
Mrcn
trabalh* uu de praserea,
Moleatlaa doa bronehlaa reeea-
tes clironirm,
Tome perlinaaea,
Gaatritea, Kaatmlgiaa,
0 Oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chevrier constitue o melhor meio de administrar o ferro. O
ioduro de ferro reunido com o oleo de figado de bacalhau,
augmenta a aceito tSo efficaz d'este ultimo, se dissolve mais
fcilmente nos lquidos das vias digestivas, se assimila muito
mais bem do que quando tomado sob a forma de pilulas,
xaropes, etc., enfim perde suas propriedades irritantes e n5o
provoca a constipadlo.
As pessoas as mais delicadas que n5o podem supportar as
preparacfies ferruginosas ordinarias, asquaes, principalmente
nos paizes quentes, tem muitas vezes grandes inconvenientes,
podero com a nova descoberta do Snr. Chevrier, usar do ferro,
um dos mais poderosos agentes therapeuticos, tomando-o unido
ao oleo de figado de bacalhau.
O oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chevribr, se emprega em todos os casos que o ferro acon-
selhado; julgamos intil de os enumerar.
OS PARAGUAYOS
E' a ordem do dia 1 Acabar com os Para-
guayos a bayoneta, a mini, a revolver ;
fulmina-los com os encouracados armados
de esporoes, armstrongs e raiadas de 80
120; extermina-los em summa a espada, a
farso e a punhal de que se trata; mas
niDguem se lembrou ainda de esmagar os
Paraguayos con as armas que Deusnos con-
cedeu; acabar com elles a tacao e a ponta'
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnsadora, estabeleci-
da tiesta praga, ti una seguras martimos so-
Dorea de lomas.
Elle convem a todas as compleices c a todas as idades, e tomada
fcilmente pelas pessoas as mais delicadas. Elle um poderoso socorro
para a alimenlaco das criancas fracas e docntes.
Um folleto accompanha cada vidro e contem as observares medicaes.
Deposito em Pariz, na pharmacia de Chevrier, e em todas as boas pharmacias de Franca e do estrangeirb.
LIQUIDACO GEMAL
ps, para o que necessano encontrar esta | bre navios e seus cari.e},amenl0Si e conlra
parte do nosso corpo com os formidaveis fu em e,lificioS) mercaduras e moblias:
rompq-ferro, esmaga cobra, arranca tocos,! na rua do vgar|o r, 4 .m..menti. terreo,
quebra marmore e outros que se vendem a
I. III V UI lili HA45
Borseguins Bordeaux........ 85000
patricios......... 55000
para senhoras, en-
fei lados....... 55300
com lago e fivella .. 45-SOO
Sapates encouracados....... 55000
! Borseguins para meninas bom
elast co................. 35000
' Sapatos de lona, sola elstica. 25000
avelludados......... tJ60i
de tranca........... 15600
econmicos para se-
nhoras........... 5300
com salto de lustre.. 240
Chineles do Por!o.......... 15600
Um completo sorwmento de calcado da
trra para borneas, senhoras e meninas;
assim como bezerro francez, couro de lus-
tre, marroquins, taixas de todas as quali-1
No Io andar do sobrado o. 50, sito na rua de
Aguas-Verdes, deseja-se fallar com os herdeiros do
fallecido Joaqoim Jos de Sani'Aona.
Precisare de urna ama para o servico inter-
no e externo de urna casa : na rua dos Martyrios,
sobrado junto a igreja, pnmeiro andar, n. 142.
Precisa-se de urna ama de leite, forra ou es-
crava : na rua do Fortes n. 4.
Aluga-se a casa terrea da rua de Santa Rita
n. 60, juDto'a igreja, concertada ha pouco e coro
bons commodos, quintal e cacimba : a tratar oa rua
do Imperador n. 81.
Alnga-se a casa terrea da rua do Mondego
n. 8o, com bons commodos, quintal e cacimba, a
chave est na olaria juhto a mesma : a tratar na
rua do Imperador n. 81.
O Sr. Joo Germano de Paula dirjase a rua
estreita do Rosario n. 24, loja.
Precisa-se de um bom copeiropara urna casa
estrangeira : tratase na rua do Vigario n 2, es-
criptorio.
|_ j Aluga-se urna ptima casa
muito fresca, na
do pateo da
Capunga. rua das Criouias : a tratar
dades, fitas para sapateiro, muito sortidas, mairz de Sonto Antonio n. 8.
1 sola B couros que ludo visto necessariamen- A,ua,e um, casa em um sitio a margen.
te faz cobica ao comp ador pela barateza. 0 Capiharihe, no lugar da Torre, sendo inteira-
NO
^.
m
GRANDE ARMAZEM DA EXPOSIQAO DE
*m
mm
Precisa-se de urna ama para casa de um ho-
mem solteiro : na rua do Apollo n. 3>, lerceiro
andar._________________________________
Em casa de Tneod Cbrisliansen, rua do Tra-
piche-novo n. 16, nico agente no norle do Brasil,
de Brandenhnrg frres, Bordeaux, encontrase ef-
feciivan.enie deposito dos artigos seguiotes :
Si. Julieu.
St. Pierre.
La rose.
Chateau Loville.
Chateau Marga ux.
Grand vin Chateau Lafitle 1838.
Chalrau Latilte.
Haut Saut--rues. \^_/
Chatean Santernes.
Chateau Lataur Blanche.
Chateau Yqaem.
Cognac em tres (jualidades.
Azeile doce. Precos de Bordeaux.__________
" Xa rua do Quonnado n. 22 precisa se de urna
ama para coziohar e comprar para casa de pouca
familia.
smfftt mmmm mmmt&m
SDeutista de Pemambuco.
=^s2S & 5SwblKS2^wK$> S/^>c5 & v/tS Para a censtruoco de machinas
60 Rua da Cadeia do Kecife 60. albertso\oigliss
Todos osarligos abaixo mencionados foram comprados recentemenle pelo dono do estabelecinu nto as principaes fabricas New linden, Comectieur, Esta-
de Paris, Londres, Binningham, Manchester e em diversas cidades da Allemanha, e tendo comprado ti do as melhores condicoes SoIJd[arn pedif)os de descarocadores deaigodao,!
por ser a dinheiro, por isso vende todo e qualquer artigo barato, por menos do scu valor, e mui principa mente por querer inleira- ^ adoplados ao aicodao sul-ameriano. llao-se de-1
mente liquidar e ler de partir mui breve para a Euro a. M Picado a es:e negocio durante 28; anno?, e attende-
Ha oeste vasto armazem ric s objeclos com brilhantes. como boloes, anneis, rosetas etc., e b.m ass.m diversas obras de rao ,mmed.atamente acorrespondenc.a que se Ibes
ouro, como tranccllins, correntoes, anneis e mui los outros artigos, relogios de ouro inglezes do afamad fabricante Bennetle; com- -
nieto sortimento de fazendas finas e modernas; miudezas, perfumaras finas dos principaes fabricantes ir glezes e francezes, como L. M rua Imperial n. 100 existe para
T PIVER Lul.in, L. Legrand, Ed. Pinaud & Meyer, Deletlrez (Perfumerie du mond lgant), Violet, Soc ele Hygienique, Mompelas,, ser alugada por commodo preco, urna casa
Mailly, Regenicr, P. Guelaad, e ingle/.as de Eug. Rimmel e outros ; ricas galanteras em marfim, madroerola, ele, fabricadas na nova com 2 salas, d quarlos, i
S DEPOSITO DE GALQADO
FARRIGADO XA CASA DE DETEN(A0
Rua Xova o. I.
Ahi se encontrarao obras de di-
versas qualidades, e por preco mui
diminutos, a retalho e em porgues.
S se vende a dinheiro.
m
mente fresca c limpa, e com cacimba de famosa
agua de beber: a tratar na rua da Roda n. 18.
Wx
COMPEAS.
H

,*
i#zl
\
Silvino Guilherme de Barros compra e ven-
de efTectivainente escravos de ambos os sexos :
rua do Imperador n. 79, terceiro andar._______
Compra-se ouro, prata e pedras preciosas,
em obras remas : na rua da Cadeia do Itecife,
cja de ourives no arco da Conceico.
Ouro e prata.
Em obras velhas : conpra-se na praca da ln
dependencio n. 22, loja de hilhetes.
Comprase carosso (sement) de algodao : no
armazem de algodao de Sannders Brothers & C,
no caes de Apollo.
China e no JapS: ricas pegas de crystal Ono como ainda nao appareceram nesta cidade, e bem assim nodernos lustres para velas,, quintal muito grande murado, com um
ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, castigaes, enfeite> e adornos para cima de consol.* e para gr. nde toillette, o que se tem: grande telhe.ro, com por ao e cacimba : a
feito de mais elegante em Paris, Londres, Birmingham etc.; modernos apparelhos de metal fino inglez pira cha e cafe, os quaes em tra ar na mesma roa n. 111 ou na rua Di-
oda para trancas de senho-; rcila n. hi, padana.
nada sao inferiores prata, e muitas outras pegas do mesmo metal, ricos pentes de tartaruga da ultima n
ras, excellentes luvas de pellica do afamado Jouvin, apparelhos de porcelana fina para cha e caf, ditos pE -a jantar, e mmensos arti-| Aiuga-se a casa terrea n.39 na rua da Umao:
gos de porcelana fina dourada, como ricos vasos para llores, figuras, ele ; c
no com sola de borncha, pianos dos celebres fabricantes Pleyel, Wolff &
calgado dos principaes fabricant
C, realejos modernos de Ga
los com figuras para sales e ditos com figuras em movimento; modernos e bonitos instrument is de physica (mgica) para: u
SI
\ Roa estrella do Rosario n. 3,
ao pe la igreja
FRANCISCO PINTO
Colloca tientes artiflciaes
pelos .y-semas oais uio-
dernos
Emprega todos os meios scientificos para
conservar os n.ituraes. Pode ser procura-
do em .'eu gabinete das 9 horas da ma-
nhaa as S da tarde.
3 S03
stereocopios de nova in-
edos finos para enancas, e i
de mais elegante e que tem
ferias feilas d^ crina e seda, |
! todos os santos, dilas com
n bello chafariz de crystal
, colheres, thesouras finas,
e ; completo sortimento de
camas de ferro de todos
lis ; chapeos de sol, benga-
; po-ded.J)dinliosietc.;
malas, etc.; sortimento de
ima casa
audar.
rua, di._
thcalros ou saloes, ditos de phantasmagoria ; lanternas mgicas, cosmoramas com vistas novas, di3 e noit
vengao e com bello sortimento de vistas das principaes cidades da Enropa; grande sortimento de brinqi
bonecas follando papae cmamac ; grande sortimento de candieiros a gaz, o que se tem feito
merecido toda a aceitagiio na Europa, grande e magnifico sortin ento de ca xinhas, ceslinbas e outras galanl
proprios para presentes ; grande sortimento de estampas fin >s coloridas com o fundo preto e de outras d
figuras e ditas com novas paysagens para cosmoramas, finos e bem graduados vidros para cosmoramas, u
proprio liara meio de mesa de jantar ou para jardim ; cutelaria fina, como lalheres com cabo de metal fint
dilas modernas para alfaiates, navalhas finas, caivetes e outros arigos, diversos artigos feitos de aran
mascaras de veludo, setim, cera, papelo e rame ; doces confeitados e chocolate em caixinhas e em vdns
os taannos, lavatorios, etc.; ricos quadros para cartes de visita e ditos grandes e pequeos para retral
las, chicotes e ditos para carras; machinas para fa7er caf, ditas para bater ovos, proprias para quem fa
pannos pan cobrir mesas, bolsas grandes e pequeas para viagens, e outros artigos, como cobeTT res,
violoes finos; figuras finas e jarros de alabastro ; galantarias e outras Degas de charao para toillette; n achinas para varrerochao,
excellentes machinas para photopraphia para tirar retratos, grandes e pequeas ; lindos baloes de papel fin) transparente (
coloridas para illominaces moda de Paris; salva-vida de borracha, para homens e senhoras, proprios ] ara quem toma banhos em; AchMe R
lugares fundos; ameixas novas em caixinhas, biscouios inglezes em latas, queijos, etc., e muitos outros i rligos que para ennumera-i fa|,a de ,re-
s de Paris e ditos de pan-
toli & C, para se tocar na |
Ama para casa
Precisa-selalugar urna ama para todo servico de
becco
COBRE L TAO E
CHUMBO
Compra-se cobre, lato e chumbo : no armazem
I da bola amarella, no oilao da secretaria da polica
Compra-se urna porta usada, que nao seja
muito peijucna : na rua do Rangel n. 17.
Compra-se um escravo de meia idade que
tenha boa conducta, sem vicio e achaqaea de qua-
lidade alguma e que emenda de planlaco de si-
lio : a tralar ni nn il.) Warin n |il
Comprase um cavallo proprio para aDdar
com carroca : quem tiver pJe dirigirse a rua
da Concordia n. (i, padaria do gaz, que achara
com auem tratar.
m
I
E*
los sera um nunca acabar,
deia do Recife n. (0.
381
Aluia-sc a rasa n. 28 da rua du Motocolom-
h nos Afogados, cum commodos para numerosa
familia, grande quintal com militas arvores de
tracto : a tratar na travessa da Madre de Deus,
armazem n o.
O l)R. CASANOVA
pode ser procurado a qua'quer ho-
ra em seu consultorio homeopa-
ihico, largo da matriz de Santo An- J
nio n. R
No mesmo consultorio tem sem- vj*
pre medicamentos em tinturas e ;;'
glbulos em carteiras e avulsos de ?*e.'
Catelian e Weber e muito em conla. Si
Aviso.
fgido o escravo Vicente, cabra, com
dedos em urna mso, o qual intitulase
Cnnpra se um boi manso para carroga : na
rua da Cruz n. iii>._________________^^^
Compra-se urna duza de cadeiras que ?ejam
usadas de amarillo: as Cinco PonUs.loja de mar-
cineiro numero 27
,:' ..uaai i
V E N D A S.
NO GRANDE AR-
MAZEM.
Em qoanlo o Sr. acadmico Antonio de Cas-
tro Alves D&o mandar pagar 63000 que deve de
aluguel da casa e.n que morou na ruados Coeihos,
vera' o seu nome neste jornal. ____
Attencao.
Precisa-se de urna negrinha para andar com
urna enanca : na rua
andar.
e lodos se vendem barato e muito barato, no grande armazem da Expostgad de Londres, na rua da Ca-. ier sido praca do ejercito, cujo pertence a Francis-
co Jos Campos P., morador na rua Imperial, que
gratificar a uuem o trouxer.
Joo da Silva Hamos, medico, me- M
dico pela unversida le de Ooimbra, m
, d consultas em sua casa das 9 as 1
Sk 11 horas da manhaa, e das 4 as U w
H (la tarde. Visita os doenles em suas'S!
Vende-se urna escrava moja e com as habi-
lidades de coznhar, lavar e engominar: na rua do
Imperador n. 7.
Em casa de Pbipps Brothers & C, rua do
Vigario o.'i, vendem-se cofres de f'-rro, prova de
fogo, dos afamados fabricantes tfllner i Sju, de
Liverpool.
Vende-se a tab-.-rna J.i prac Ji l!oa-Vta n.
12,com fund.is a voutade do comprador : a tratar
na mesma. _____________________
No Corredor do Itispo n. !">. wj.iem moleques II;r, muito joitos e esperto*, eoni 1j a
lo aunos
DA EXPOSICAO DE
LONDRES.
ciedade Hygienica, Piver,
de sorlimento d'agua de
has e vidros de difieren-
do Rangel n. 25, segundo
Desappareceu no dia i de novembro um ca-
vahnho ruco sujo, sem ferro, feio de corpo, tem
frente aberla at o meio da cabeca, com cangalha
sem capa, tem marca de cangalha com cabellos
Lrancos, idade de 7 annos: quem o pegou, queren-
do entregar na rua do Imperador n. 50, se recom-
pensara lea.___________________^_^____
i-seja-se comprar urna pedra de brilhante
em segunda mi : quem liv r e queira vender,
dirija-se a rua das Larangeiras n. 1, que s dir
quem compra.
Cjlin'lros americanos.
Ainda exutem 2 de resto: na rua Di-
reita n. 84, padaria._________________
Claudio Dubuex precisa alugar um cosinhei-
ro forro ou captivo : a tratar em seu escriptorio
na rua do Imperador.
Precisase de um bom cozinheiro : na rna da
Aurora n. 32.
ESCRAVA.
Precisase alugar urna escrava que saiba fa>er
bem tolo o servico interno de urna casa de familia,
excepto cozinhar : na rua da Cadeia do Recife n.
52, lerceiro andar._______________________
Notas do banco do Brasil e das caixas flliaes
dcscontam se na travessa das Cruzes n. 8.
at o presente: vende-se
do Recife n. 60.
60.
loja de Mr. Dubarry n. 8
como:
Na praca da Independencia o. 33, loja de
ourives. comprare ouro, prata, e podras preciosas,
e tambem se faz qualquer obra de encommenda, e
todo e qualquer concert. _________________
Povoado dos tes (Coa.)
Pergunta-se a lllm.* cmara municipal da villa
de Agua Preta se deu alguma aulhorisago ao Sr.
tenenle-coroiiel Joaqoim Lucio Monteiro da Fran-
ca para abrir um extenso e largo vallado no meio
da rua mais publica e de maior concurrencia que
ha no PovoadO dos Montes? vallado este que nao
s de grande prejuizo ao commercio dos seus
moradores, como de immenso perigo para a vida
d'aquelles que sem saberem da existencia de se-
melhaote rato-ira no me o de urna rua, podem a
uoile carem dentro della, e quebraren) alguma
perna oo mesmo o pescoco.
^^^^^________O Vicente.
Sociedade recreativa Nova
Unio.
Por deliberacao da directora, tomada em sessao
de hontem, convido a todos os senhores sucios para
comparecerem na sala da sociedade, as 10 huras
do dia do prximo domingo 12 do corrente mez,
para em assembla geral disculiretn e approvarem
os novos estatutos.
Sala das sessoes da directora da sociedade re-
creativa Nova Unio em Pernambuco, 9 de novem-
bro de I8C5.
Gomes de Amorim,
1 secretario.
Aluga-se um preto para todo o servico de
casa, sitio, 9U para servente de pedreiro, do que
tem pralica : na rua estreita do Rosarlo n. 24,
loja.
Para completa liquidagao vendem-se, por muito menos do seu valor, perfumaras muito finas e novas chegadas recentemenle
de Pars e de Londres dos mais afamados fabricantes segunles: E"g. Rimmel, R. Matheus & C, Lubin, S< :
Violet, L. Legrand, Deletrez, Pioaud & Meyer, Itegnrer, Mailly, Gillet frre, etc. etc., dos quaes lia grai
Colonia em vidros e garrafas, agua de lavande, agua para limpar dentes, oleo babosa, extractos em garrafi
les modelos, pos para limpar denles, banha em potes c em vidros, pomadas, ricas caixinhas ebalainhos co n perfumaras para fazer
presentes, e muitos oulros arligos que se vendem por menos de seu valor, bem como todos os artigos em geral existentes no grande
armazem da Lxposigo de Londres, na rua da Cadeia do Recife n. 60.
PltA SEXHOR1S.
Ricos e modernos pentes de tartaruga para tranca de senhora, o que se tem feito de mais elegante
por menos de seu valor para se liquilar, no grande armazem da Exposigao de Londres, na rua da tadei;
ULTVAS tfOVAS ME JOUVIN.
Vendem-se excellentes luvas de pellica, recentemente chegadas de Pars, tanto para homem como para senhora por menos de
seu valor, para se liquidar: no grande armazem da Exposigao de Londres, na rua da Cadeia do Recife n.
PHOTOQR PHIA.
No grande armazem da Exposigao de Londres, rua da Cadeia do Recife n, 60, rua da (mperatri/j
!e na mesma rua loja de miudezasn. 54, vendem-se excellentes vistas para quadros de sala e para albuns.
Porto.
Campo de Sant'Anna e Rraga.
Amarante.
Vista geral de Gtiimaraes.
Porto, rua de Santo Antonio.
Ponte pensil sobre o Douro no Porto.
Villa da ponte da Barca.
Coimbra.
VISTAS 111 PERNAHIBUUO. /
Tiradas na occaso em que S. M. o Imperador aqu esteveem 1859: 1
Palacio da presidencia, a cavallaria acompanhando S. M. o Imperador no da 2 de deiembro,
indo para o Te-Deum no convento do Carmo.
Theatro de Santa Isabel.
Rua da Cruz com a pyramide.
Torre do Arsenal com a illuminago na frente.
Passeio publico, na chegada de S. M. o Imperador.|
Rua do Collegio com a tropa.
Paleo do Collegio com o palanque.
VI E1I A5 EUROPA.
Stereoscopios de nova invencSo com ricas vistas das principaes cidades da Europa, como
Franca.
Inglaterra.
Italia.
Lisboa, etc., etc.
Vendem-se barato para liquidagao no grande armazem da Exposigao de Londres na rua da Cadei: do Recife n. 60, rua5da Im-
peratriz loja de Mr. Dubarry n. 8, e na mesma rua loja de miudezas n 54.
Ainda se acha par 1 ven-ier
16 anuos : na rua da Cruz n. 7,
e-crav,i de 13 a
! andar.
i casas regularmente as horas para B
[ isso designadas, salvo os casos ur- |
i gentes, que sero soccorridos em gs
qualijuer occasiSo. L)consullas aos I
r pobres que o procurarem no los- jj
[ pilal Pedro II. aonde encontrado
I diariamente das 6 s 8 horas da g
I manhaa, W
I Tem sua casa de sade regular-
I mente motilada para receber qual- &
l quer du.-nte, ainda mesmo os alie- I
I nados, para o que tem commodos 1
i apropriados o nella pratica qualquer Ijjj
I opperago cirurgica.
EPara a casa de sade.
Primeira classe..3S000 diarios. M
Segunda dita....3,5500
Tercetra dita .20000
i Este esiabelecimcnto j bem g]
I acreditado pelos bons servigos que ^
i tem prestado.
O proprietario espera que elle ^
I coniinue a merecer aconfianga de \
1 que sempre tem gozado.
Vrelo a c !.<
saceos de 90 libra-, ditos de milho a 15 : no ar-
mazem da estrella, largo do Paraizo n. li.
A tten$am
Quem precisar de urna ama para cozinha, sendo
casa de pouca familia, dirija-se a rua dos Burgos,
casa terrea n. 13.
mm mnmwm
O Dr. Carolino Fraocisco de Lima San- g
tos continua a morar na rua do Impera- ra
j dor n. 17, segundo andar, tendo alias seu w
S gabinete de consullas medicas, logo ao Hj
v^j- entrar, no pnmeiro. mk
wk O mesmo doutor, que se tem dado ao
JK estudo tanto das opera^oes como das mo- jf|
I lestlas internas, prestase a qualquer cha- yA
WL mado, quer para dentro quer para fra
) da cidade.
- A luga se a loja n. 9 na rua Direita, propria
para qualquer estabelecimento : a tratar no pri-
raeiro andar.

ATT EMC AO
Na rna Direia n. 36, terceiro andar, preparam-
sc bandejas de bolus de armaces ricamente enfei-
tadas, com bouquets e lilas bordadas a ouro; as-
sim como tambem se fazem vestidos para casamen-
to, e outros de qualquer qualidade, do melhor gos-
to possivel e Ultima moda, o roupas para changas,
para bartisados, passeios, etc., etc.; eofeitam-se
velas psra baptlsado do melhar gosto que possi-
vel enfeitar-se, e faz-se toda e qualquer encommen-
da de flores de cera, panno e papel, ludo muito
mais barato do que emmilra qualquer parte.
Saques sobre Lisboa.
Manoel Ignacio de Oliveira & Filho sacam sobre
Lisboa : no largo do Corpo Santo n. 19.
Rua do
O bacharel
Francisco Augosto da Costa
ADVBGADO
Imperador numero 69. jg|
mmmmmmm
Ama.
Precisa se de lima ama que compre, cozlnhe e
engorme, para cisa do duas pessoas : a tratar na
rua da Cr iz, armazem n. 57.
Precisase
Hartas a. 106.
lugar urna escrava : oa rua de
No armazem de Mills Latham i 0., na rua da
Cruz n. 38, vendem-se os segunles objectos :
Manteiga ingleza.
Cerveja branca e preta.
Louc*.
Biscoutos inglezes.
Oleo de linhaca.
Folha de (landres.
Saceos feitos.
Silhes._____________________________
Atteucao.
Chegaram a nova loja de miudezas de Manoel
Vende-se farinha de milho muida a vapor mui-
to fina e propria para pao, cangici, bolos, cuscus e
ang e outras comidas de milho re que se torna
muito til: na rua Direita junto a padaria da
viuva Machado A: Fi.ho n. 86.
' muito barato.
Vende-se vinho tinto a 25300 a caada e 320 a
garrafa : defronte da matriz da Boa-Vista o. 88,
esquina do Hospicio.
Imtafio dos pulmoer. angi-
nas, tosse, escarres de
sangue, crupo ou garro-
tilho, catarro, rouquido
e todas as innumeravei molestias que affec-
lo aos orgos da respirago
ediante a acgo da balsmica e irresistivo
ANAGAHUITA
Joaquim Dias & C, rua da Imperatriz, um elegan-
te sortimento de tivelas de madreperola para sin-
10?, havendo mais outras de simiurtaruga e ou-
tras douradas, assim como veio pelo ultimo vapor
um completo sortimento de enfeites o mais moder-
no que ha na Europa e juntamente participamos
ao respeitavel publico com especialidade aos in-
fantes acadmicos que temos as mu procuradas
aboluaduras de crystal para
outros objectos de gosto.
PEITORAL de KEMP.
a anacahuila mexicana que d o nome es-
pecial esle ineomparavel remedio, urna
arvore, cuja madeira por muito lempo se
cohete, assim como ha usado no Tampico para a cura das in-
terinidades cima mencionadas. Foi tam-
bem ensatada e approvada pela academia
medica de Berlira O peitoral de Kemp
um xarope delicioso inleiramente lirrede
opio, acido hydrocyanico e outros ingre-
dientes nocivos.
A' venda as drogaras de Caors 4 Bar-
boza, Bravo & C. e em todos os estableci-
do o servico de padaria, para ir tomar conla de mentOS Dharmaceuticos do imperio.
urna padaria em Penedo : quem pretender diri a-, ,) se a rua dos Quarteis n. 22, loja de sapatos para aposito gerat em rciu
fazer o seu ajuste. Cruz n.22 em casa de Caros & Barbn
Precisa-se de dous a tres contos de rls a
premio, dand:-se por garante hypotheca emires
grandes propriedades fra desta praca : a pessoa
que os quier dar annuncie por este jornal para
ser procurada.
PADCRO
Precisase de um homem que seja perito em lo


Diaria de f craatabuco Sexta fe ira iO de Xorembro de iSdfr
SALSA PAURSIHA DE AVEIU
Transgkevemos aqui alguns
dos mitos attestados qoe temos
recebido das virtudes da salsa
parrilha do Dr. Ayer.
Ilhciiiuutitiiio.
Grande loja e armazem
Pavao.
o
Ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Temi os propietarios d'este estabelecimento de
, liquidareis urna glande porcao de suas fazendas,
at ao fim do correte anno, afim de fecharen) con-
j las e apurar diuheiro, resolveram vender todas as
I fazendas com grande abatimento em presos, tanto
em porgo como a retalho, e por isso previnera a
i todos os seus fregueses, e ao respeilavel publico, e
I as pessoas que negociara em pequea escalla com
'fazendas, que ne>ic estabelecimento encontraro
Soffri rlieumatismo por mu- ura grande sortimento .|oe muito Ibes ho de agra-
tas vezes, e vendo annunciado dar tanto em precos como em qualidade; as>im
em um iorn-il rlWa ririirlp a como niaD,,a"' I108 ^"s caixeiro* levar as fazeii-
em um jornal esta ciaaue a das ( amoslras nas wsa as f,m|as que n5o ,l0.
>aisa parrilha de Dr, Ayer, re- derem vir a loja, ea do as amostras deixando Q-
solvi-me a comprar um frasco e fazer uso jar penhor.
d'ea; e antes de concluir o primeiro fras- lanibraias lisas a SUOO, na loja do
DE JOO JOS DOS SANTOS.
Ouro Preto.
Vindos
miudezas
Outros
igualmeni
co, achei-me forte e sem sentir a mais leve
dr nos joehos ; a parte do corpo que es-
Uva affectada d'esse terrivel encommodo
que roubou-me tantas noites de somno.
Erupcdes} borbulfcas pstulas,
ulceras, e todas as molestias
da pe Ile.
DO SB. JOO PAULA DS ABKEU E SOUZA.
Ra de S. Pedro.Rea -de Janeiro.
Soffria mais de dous annos de tima
Pavao.
Vendem-se pecas de cambraia lisa branca e
transparentes, tendo oito e meia vara cada pera,
mu MkM
Colleiras de marroquioi, coui caseaveis
e sem elle.
Na ruado Queimado loja da Aguia,Bran-
ica n. 8, yemlen>se colleiras de marroquim,
pospontadas e com caseaveis, ou em elles
proprias para caes e outros biebinhos.
Peanas iitle/;is de aro e doeadas.
No novo sortimento de pennas de ac que brancas
a Aguia Branca acaba de receber, vieram Luvas fit
tmbela outras de metal donrado e bicos de cores,
mui bem acabados, e por essas boas e ne- Ditas de
cessarias qualidades os seus acreditados fa- Ligas de
brcantes l'eny & C asrecoramendam aos Pentes d
entendedores e apreciadores do bom, valen- embarazar,
do mesmo a differenca que lia no preco de Carriteis
urnas para outras, por que estas se tbrnam
mais duraveis na
Outros objectos.
tnrnt em para a antiga loja de
i ra do Queimado n. 16.
Sapatinhns deselirn branco bordados pa-
ra baptisa ios.
de merino tambem bordados e
! bonitos.
Meias dfe seda, correspondente do tama-
nho dos slprnhos.
Outras t mi tinas de o da Escossia e
Iradas,
as de rio da Escossia brancas e
seda para senhoras.
dita pata senhoras e meninas,
tartaruga mui fortes para des-
coniinuacao de escrever;
tStSK!? Pr".de 3#30.dilas rouito linas, por; assim pois quem deltas se qnizer ntilisar
4*500,5*, 6* at 10*, sendo lapadas etranspa- ,_nra.,o a ,ijnhprn isla na rna An
rentes, assim como cortes de cambraia com salp-! 5??" as.a. 'nnfr0. vis,a na rua Go
eos a 2*300 : isto s na loja e armazem do Pavao, | Qneimado loja da Aguia Branca n. 8.
Franjas com borlas e sera ellas para
cortinados,
A Aguia Branca recebeu um bello sorti-
de franjas com borlas e sem ellas
na roa da Imperatnz n. 60 de Gama & Silva.
Cortes dephantasia a 30500.
Vendem-se os mais lindos cortes de pbantasia
com as mais lindas cores qoe tem vindo ao merca-
do, sends fazenda transparente que serve at para metilo de franjas COm
erupcao sypliiliticaem todo o corpo, moss borles, pelo barato preco de 3*500, ditos brancos para cortinados todas de novos e bonitos
fazenda muilo lina a 4*000 : isto na loja e arma-
zem do Pavao, na rua da Imperatri* n. 60 de Ga
hhiIos mdicos, e esteva quasi desanimado
guando vi os anntmcios da Salsa parrilha
do Dr. Ayer: comeci a fazer uso d'eWa e
ra, prove muitos medicameRtos e consultei ^5,4 s|va
Cambraias de forro.
Na leja do pavao.
Vendem-se pecas de cambraias de forro muflo
nos primeiros diRS a ertipco aggravou-se, boas, pelo barato preco de 2* e 2*800 a peca :
porm antes de acabar O segundo frasco ti- is, so na loja e ortnazem do pavao, na rua datm-
tthao mal desapparecido completamente ds perainin. 60.de-Gama &si*a.
todo o corpo. loi^e grani-dinos.
'Doctor Don Uos Valdcs Herrera, PROPI*-
em relacao a largura : acbam-se ellas a ven-
da na rua do Queimado ioja da Aguia Bran-
ca n. 8,
Jogo da paciencia oa curisso entreleni-
raento.
:om retroz preto e outras cores.
Carteiras com agulbas.
Agulhas i rancezas, as afamadas.
Caixinhas com allinetes brancos e prelos.
Haspas de baleia |>ara vestidos.
Fitas de li iho proprias para ditos.
Caixas co n linhas de novellos grandes
para crochet >.
Trancellim de bonacha preto, redondo.
Bonitas Ovellas grandes de ac,
douradas, madreperola c lar-
taruga.
A loja de miudezas rua do Queimado
n. 16, recebeu um bonito sortimento de
fivellas grandes para cintos, sendo de ac,
douradas, mat reperola e lartaruga, asqnaes
estao sendo vt ididas em dita loja por pre-
assim como boas e bonitas
eos commodos ..0.-1... wmu uwo o uw
M rua do Queimado loja da Aguia Bran- Qtas de gorgor io achamalotado, proprias pa-
ca n. 8, ciam-se a venda por precos ra- ra ditas ivella
zoaveis, caixinhas com totolas de madeira, Ocnlos de
A lOlOOO, na loja do pavao.
c Vndemeos mais ricos cortes granadir.o?, fa- (que das diversas pinturas dellas se formam I
emA^"rUnlj;"i^ss? ^^z^^r^x&XiT^vislas e prgen\- sard
? desenhos que acompanbam. Na verdade |
esse um
EM AMBAS AS FAGOLTiDES
tricto.Habana.
penetra e de outras
qualidlades, para quem soffre
da vista.
iudezas rua do Queimado
recebeu oculos de peueira
tecidos com a seda, pelo baraiissin.u preto -de 10* ~Z~-Z "1Zin"tT"r"""T "" \" A 0Ja de n
Certifico que he usado la zmzaparril- cada um : ,sto s na loja ^ armazem desavi, na: J", deleitavel en reteniraento como U \% tambera..
la del Dr At/er y eemo deouratwo-ha ob-1rua da lHVPeralriz 6.de Gama & Suva. ; qual se-despe la a cunosidade, e apura a ra-! Com vidros clai os e escuros, para qnem sof-
tenido de ella Iris mrs felices resultados en As camisinbss do Pavao. lelligencia. Os; apreciadores dinjam-se fre da vista, as: im como outros de armagao
leunio ue TJiia ios nas raucas resLiiauJS en Mendem-se as mais m-odernas camismhas borda- rua da Que mado, a dita loia da Acuia Bran- rt ar-n cnridn. n ras
lef casos de ulcera crnica, a* mismo au- das com manguitos, para senhoras, sendo as mais ca p o JJ IZSJBl lLC ^ g
tor y las considere como um Bergante, cuya moderos que tem vnrto ao mercado a 4*500, d.- *-d 1!'q, ht3l7 m"s,,ios- i Coroas e *re 1
tas core manguitos, para acabar, a 1* ; ditas pre-, OOnilOS enfeiteS para SPBrOraS, | A antiga lo;
las com manguitos [*ra luto a 1*800 rs., mangui- A Aguia Branca acaba de receber um no-!Queimado n. 11
^SJS^ttATS^Sl^l^ e lind0 sortmienio de entres os mais
eamerau'branca bortada a oOO rs., cclcmlias para__...... ... ,
meuioa a 640 rs., romeiras de i e cambraia nioJernos e gostosmteiramente agradaveis,
branca bordada a t*ouo : na ioji to Pavao, rua ecomo seu louvavel coslumc os est ven-1 zerem comprar
da Imperatrii n. 60, de Gama & Silva. ; dcndo baralamente a quem m dinbeiro 99 Queimado o. 1(|
Soiiihc;nLaiques de <*:. | dirigir rua do Queimado, loja da Aguia
>92 accin ademas de t-er segura, ha sido muy
eficaz en el tratamento de las enfermidades
que exsigeu el use de los par-gantes, y on
vacilo en recomendar estas preparaciones.
Y para los lines que puedan convenir doy
la presente en Regla a 7 4c setembro de
1800.
D3. IOS V,JERRERA.
Kscropbula.
AT7ESTADO DO tXUl. SR, PRANCIQO FERRAZ
dos s.:tos. Onro Preto.
entenados a S*, e arreazem do Pavao, rua da Impsratriz d. 60, de
Gma.& Silva.
Srgeudv modernissimo.
Ctegaram os mais modernos org.indys com os j
mais modernos padroes, sendo quasi todos listra-
dos, como se usara agora, com as iai> lindas cores
Uranca n. 8.
Mcas de laa para senhoras.
. Vendem-se na rua do Queimado, lojc-da
Aguia Branca ti. 8.
Mala tnosc-a.
roas e tercos d
a disposiciodo
Espoia|as
er^os de eornalina.
de miudezas a' rua do
recebeu mui bonitas co-
ECDrnalina, os quaes esto
bons christaos que os qui-
em dita loja : na rua do
'Me acho tta quasi dous annos affectado
de escrfulas, e tendo soffrido tanto q'-e al- dos, como'Ve 'usar agMaV cora a m5s" lindas cores I Na lo:a tic Aguia Branca acha-se a venda
granes vezes ojuasi que ohego a desf/iimar .iJsas; vendeedo-se pelo barato .prego de 900 rs. o pape cota c.iiipoficao para dar fim as.
tenl.o sido tratado por imtosrnoicusd'es- ?mtsit mrioi,tm effeiloeffiott
te cidade, e oenhum po!e vencer i tenac- Vendem-se os mais modernos chales de meriot I fic'r n U1
dado de mtnha molestia, eslava iom espe- esumpados a Dnas grandes e pe-
quenas.
Vende-se na na do Queimado, loja de
miudezas n. 16
i>ive rsos ohjeetos.
A antiga loja de miudezas rua do Quei-
mado n. 16, ac ba de receber amitos e di-
versos objectos qoe fazem completar o seu
bello -sortimento, sondo:
F tas finas de sarja da mais eslreita que
est
laude ; nuand Cande sortimenio dos mesmos matizados que se
Ai " , V*- (Favao, rua da Imperatnz n. 60, de Gama & Silva.
raneas de reoobrar a launa sa
ltimamente resolv facer uso
rilha do Dr. Ayer. -Gomplls.n-se hoje
trir.la e sete diasque comees, com esto vanom ., ^mi J___1 .1 \ Vendem-se riquissimos smtos de fitas de <5 ver-
sante, lemeio, e UtRtSS melaras tenno ras cores e dourados cora Ovela larga e dourada,
sentido que ten lio CO.uv.:Ceuo de em breve sssim como enfeites para cabega dos melhores e
recobrar a minha sande, perdida ha tanto 'mais fodernes que tem vindo ao mercado ludo
tempn. iiSo se vendt por um prego rszosvel que nwito
jj....b.si' -- -tlies ho d-agradar : isto s na loja e armazem
3rphlIU f molestias merc-uriaes. Imo pavao naraa da Imperatnz n.;eo, de Garna^
Do kLM.Sn. bu. Jaivsk'. As-fallas de litinak Pavo.
Medico muito cohheada vas provincias do j Vendera-se superiores toamas da linho das ms-
sul do fi*tsil. llores que tem viudo ao mercado .pelo barattssrm
luja da
m : molha-.-e o papel edeixa seK r tab unas,ue barJa ,ua ,iaib tbl,eiia 1
-pralo, e neile pousando as mos- ha.ate.a mais larga, todas de vivas e agrada-
veis cores.
dem tambem de sarja Ltvgada, de bonitos
e nevos desenhos
dem idem br incas, lisas e lavradas, pa-
drees igualmentis novos e benitos,
dem de gorg iro de seda acbamalotada,
into de fivellas
Tenlto receitado a Saina pa-rilha do
Dr. Ayer nos casos aais inveterados de
Syphilis oonttitucionai e sempre com os
mais felizes resultados; o meiboi alteran-
te que conllevo.
E.eucorrha e fi res trancas.
Temos cartas em que nos contam casos
inveterados com um ou dous frascos d'este.*Safaa par-
Iba 40 ri>;: na rua do Queimado,
Aguia Brauca n 8.
Diversos nriiiquediif, c cnlielea-iiiento
para enancas.
A Aguia Branca na rua "do Queimado n. e muito encorpaBas, para
8, receben diveisos brmquedos par; crian- \ grendes.
Cas, sendo estradas de ferro, barcas e patos
elctricos, apparelhosde metal, louc* pinta-
da e percslana douraea para almo?' e jan-
lar e mullos outros bnnquedusde rwdeirr.
que se vendem baroiamenie : na rua uo
na 3Qneiiado, loja da Aguia Branca n. 8.
Meias pvefas de seda para grabaras a
S(lQ i-tiz o par.
A Ageia Branca qu;r acabar com a por-
Idem de borr
scutembarquei
C5o de aaeias prelas de seda para s?nlioras, soutembarque:-.
rpreco n 9*C'j0a duzia, ou 600 rs. da urna,
loa e armacern do Pavao, na roa a !mneralo> a.
', de Gama A Silva.
As saia Vendem-se as mais liuas saias berdadas asagfr-
:'".a brancas ando da ineHieffazend: Que lern viu-
do nesW cesier, lend cenia reda, pe
rao liego de 1;*0U0 ; riit.ts
65CO0 e 8*000, dilas com il.
ioja e armazn do Pavao, n* rua .da Imperatns o
60, de Gama Silva. i ris o par, afim de q^-2 ningum rods calce
j \ovos veaas na luji dt gavio a 10008. rucias pM;:s de algod.ln, ag ta pois apro- 'moldes e agr da \
Oiegaram para loja do l'a-v.o osmais ricos oor- veitarema qii?.jra e (.iricirem- e i rua do! Botes para os
de veMidw.de cambraia Iransparenle co 91 ftoimaaL> i,H,.uhn......,n.p t. tes de seda msio
Ide-' de seda breta e de outras cores pa-
ra '' uar vest los, colleles, paliis, etc.
em de laa igualmente sorlidas em cures
cutara os mesmos fras.
dem de aigoclao brancas e diversas ou-
tras cores para vestidos de chita.
cha brancas e pretas psra
eslidos protos, etc.
Novas e linda; guarni-v tos para enfoilar
roda, pelo baraisst- j e apesar do muilo rrk'ior pre.o que [be cus- !ec-> ohras
,bVdrantS 9*0ct laram k,m e?ta<1 om (lue ^ elao' Tr3nCa *
ruada Inneratrica comtudo est resolvn'a a vende-las a SOf**8 e ,nui ]
e setl
bonitos
dem idem de
tea
rruvis delicadesibcrdados de dffiereoies cures a 1
de sje tem *wo ao mercado, arantiDdO'Se o
rer, muita faz; ma e eaeKe* Miflicieotes para o
eorpo e mangas, e vendem-se uelonfcarato preco So
'10*3; 0 cada uta, na loja do P-avo, na rua da liu-
^iQueimaete, loja da gata Bracea n.-6. Tam
estidos pretos, manteletes,'
obras do muito gosio e modernissima.
com vidrilhos, moldes no-
cres trmbem de bonitos
leis cores,
mesmos iras, sendo pre-
es e menores, enfeitados
O gallo canta e
quemando,
Bom e baratissimo.
Rua do Crespo n. 9.
Collares.
Collares anodinos electro n.a;nelieas Rcier para
as enancas nao morrerem de convoboes pelo ba-
rato prtco de 4*.
Novidades.
Riqusimas polseiras ou braceletes pa sende-
ra e para meuioas a I*. i. e -*, assim orno lin-
das rollas para pescoco a :*.
Enfeites.
Riquissimos enfeites paia caldca cousa de mui-
to g sio a 1*000, *, 3*. 4*. O'*, 0* e 7*.
Fi velas.
Riqui^silnas velas de madreperola e de tarta-
rufa, arim como pretas.
Cruzes.
Riqu ssimas cruzes douradas porm o melhor
gosto que se pode desejar.
Cascarrilbas.
Bunilas cascanilhas cora biquinhos de seda e
aljolar cousa Inteiramtule nova para enfeites de
vestidos.
Binculos.
Bonito sortimento de binculos com superiores
vidros para os amantes do thealro.
Assim o mo uns pequininos
que serve para enfeile de relcgio mais cora encl-
lente vidro.
Sestinhas.
Riquissimas cestinhas cura prrr.an s para me-
ninas de escola trazar no braco, assim como de
vidro enfeitadas proprias para'mimo.
Pentes.
Ripnissimos pentes de bonacha com aro bran-
co de metal para menina segurar o i-abco pi-lo
barato preco de {(0 rs., e duzia 5*, a-sm cjmo
grande sortimento de ludas as qualidades para de-
sembarazar.
Escovas.
Grande sortimento de escovas ra roupa e pa-
ra cabello, paraunhas e para deules.
Lunetas e ocu'o?,
f inlssimos lunetos de um e dous excellentes vi-
dros e aro de bfalo e de lartaruga. assim coreo
eculos com rame dos lados proprio para o,uem
solTre dos ocnlos.
Touqoiiihas.
Riqnissimas looquinhas de : de nho, de se-
da e de laa para criancas.
Pura o cabeilo.
A superior agua paia atlingir os cabellos, as
barbas I raneas e fazer eyuterva-los, os irascos
acompanha um.rclulo (jue t:.- na a fcima cerno
se deve applicar.
Para caspa.
Superior banha sem pordura com um frasco
com agua propria para limpar a cabeca, os frascos
acompanha um folhelo que ensiua o nudo como
se deve applicar, assim romo agua balsmica,
opiata e poz para limpar denle?.
Banbas.
Grande sortimento de banbas em copos, im la-
tas de folha e em frascos de lodos 0.- lamanhos poi
precos menos do que em oulra garte, assim com
mu i ios ouiros objectos que nao se pole mencionar
por hoje : s no gallo vigilante rua do Crespo nu-
mero 7.
Eival sem segundo
iiua do Queimado ns. 49eS8, ioja <
miudezas de lies portas, est ioei-
mando Indo bom ebarato, qoem ijii-
zer ver e admirar vcnhan loja da
Bij;o velludo'ambem desorli-
0 espaco nao nos x):mit!e Irauserever
todos os auestados que pofisuiaos Jas vir- .
tdes d'esie extracto c-emposlo pan Iba do r. Ayer. Baata declarar ao
publico que tem "sido eaa^regade ba mais
de-vinte annos pela profifito.niedj tanto
das Americas como da Europa, -Sfiyo nunca pwateiz n. GO, desmentir a sua alia repulgo. I Os .pariillios Paca a curara&cal de escrafolasc i-Teccoes ; Veademse m grande e variade sorfenenlo de
fiscrofulos, syphilis e moleslL-s syph- es|Kiios os sais bemfeHos qoe t>-n) iodo ao
litic-"-.- ulceras ferid'S 'bagas "^r-^ds, sendo e iodos os tamanhos pelo baraiis-
at upgoes cutneas' e "todo imo ""S0 dt '** 5'5' -e ^oeQ- ^ hav-et ra,,de
o rato defeio estarem um pouco tri-: "^ersn.s cores.
oeiras, dem pretoede
__________________.______________jdos tamanbos.
Lnelos de deuc vi
li armazem da-arara est fa-
zendo liqidacuo detodas
finalidades de fazeadas,
A loja de miad
as 1
ros cora ero de ac, bfalo
izas, rua do Queimado | 320 rs.
Caixas de papel amizade, e sem ella li;0 e pautad-
a 600 rs.
ozas c
derna a 160 rs.
1 Duzia~ I Pecas de tranca de laa lisas e dr tu.las cures
1 40 rs.
i Escovas fiuissimas para limpar denles a2l0r
^20 rs.
fita de cs estreritas e.'m 10 varas a


No armazem de azendas
baratas de Bantos Coelli i
Rua do 4|nelmado .
Vende-sn o s^guinte :
Cohertas de chiu lir.a a 1
; Unas de dila a 2* loo.
j Lengoes de panno de linho a 220O.
Dilos de dito de Hoto a 5.
Dims de bramante de rano de un >r
13*500.
PaMio 1!.' lint) lino ron 1 \ti pal;
! ra pelo barato pre^o de ti '. 0 a vara
Biamante de lii.i. rioe rw 1 Iti r
[gura a 1*300a nra. *^
l'n.-as e cambraia 'om sajpk^a
cores rom 8 1(2 varas -. 1*500.
Pecas d>* fiifcywa ,
corlmadu d^ cama cun 0 vara- a ll-J
Bahas iIh a tos a 2*300,:;;. 3*9 11.- 4*.
Lencos de cambraia lina 1 t;60O sil.
Hilos de dita ; 2* a (Inm.
AtnoaHiado de lint" Idii a J*eOO a vara.
Diio df algooao a S* a vara.
Algcdo enftsiadu tem 7 l| Mlaw d^. I .ri.r.
a 1*200 a vara.
Prcas de hrelanha de rolo com 10 \..."-. p
para sa,a a .'1*500.
Fiiu de hi.Lo h.-u fiLoa f-00 rs. a vara.
Dito de dit-i con aalpkw ala vara.
Gn.hraiade linho fina a IfBW, l*C e V*
vira.
Cortea de lazinha de lindos gost.s 1
Vkdu a 5*.
PCMVmadap^lao fini.-m,o ;<' ;-i
pr.co t-8*. !*, 10* e II*.
Flanella branca loa a 600 rs.n ra*MV.
Ji!a de cor tina a 880 r. o rvaatti.
Baldes de mossebaa para m-nna a :i*.
Cambala de torre a .1* a peen.
Dila Dna .1 1*800, fi* e 7 a per;a.
Toalhas de alfodao felpudas uiijia a l".
E-:, ira da Icdia ratna ,-aja f; rro
t,5 e G.almos de lardera pr men> i'
le m inira >]oa|<|Bi 1 parte.
Neste armueai laa !. m se 1 ae 1 Ira aa :.
Mitinitntode rooi>a r-ia e 1
!->>/

1 o

OJ


:

.
1
n. -6, recebeu ura bello sortimexito de lo-1 Calas com clcheles fra
v iros cora armaco fina de i a&es a SO rs.
nceses. superiores rjuali-
iuali|uer BCOmiLdo (pie b. oy.de Gama fe-Silva.
sorlimanto, na loji do Pavao, na raa da Imperan iz
Pecas de cordo para vestidos, fazenda
provm d'um estado
impuro de -saague,
TOMICM A
HAMMA l'AKJtl l.ll V BE AVJtlt.
A''.venda na rae Dreila, ns. l e 70;
rua da Quitanda .1. l ; praca da Corscti-
tuieo, k. 30 e Hospicio, n. 40. E,Ea-
priocipces pbarma:ias e drogaras de.kn-
perio.
Vende-se ern Pernarabuco:
na
\reodem-se soperlores meias croas ins'ezas pelo
baraacjaio preco de (odas as cualidades para sendera, meninos e
meninaf, -na loja do.Pavao, na rua da Impe:alriz
n. 60, de. Gama &-Silva.
ni
Pecbiuch
nees e ocelos de ..
na rua da Imperatnz u 56; bufal e r,,8a'e (>s sl vendendo SSTL^tffi?
rlmrenco Pereira Mendes Guimaraes, dono do PrPreCS raioave s : os pre-mientes diri-1 20 rs.
erante estaLeisciment, tem resolvido vender as| jam-seaesla Iftja.n: rua do Queimado n. 16. Baralhos muilo tinos para vollarete
[azoadas por nienos do que -em oulra qualquer I ~7 SS
part'.' menos 3< hnr ri'ntn ii.%. "
ENCCLOPEDJCA
a'i Kuada iriificr .riz arana/ m
da porta larga '<
Punto a pud*ia ir.i:\ct j\ 4 ~
Parvdr Patio.
Neste eslahelecimcnto enrontrara a r ;
pul ."i um -ariaili- .-.: ;iii.> oto > bzei 1
zas, inci..s, sois>a: e aesaie?, ';
por prefo eonDodo.
P;i ni.s Pr(
Vende chales, de reada de r^res 1
rain a lr*o e.-^a ven ; > ~
teada d >, 5*, t '. ".-. 1. -
pelo de manteletes, ('.as sootaa I
23*. Ros da Imperatrn n i-'. |mta 1
eeza, arn.iazem da pi-rta larfta.
ireirs rarta
Receben ura com| lelo r;.n: r.:
-'' 280 rs. c .
:' > J'id r-. o fl ''".'. :-'. --i
oa ( menino, faMaa de unba 1 IIH
Roa da Imperalria a. Ktjaalo a aaa
irn.azem da porta larf .
Pai t Parla
P. ceb u para cori! t rrra ra
!' a prca canilr;ih lisa fina a ."," 5
pera, ci res de larlal in 'el ail
i 4p, cambraia c m BCr de i .
mente 1 ovos a (-i e '. 0 r-
da ru larga n. 5?, .i da laaaei 1I1
dara Iranrera.
I rrita Parta
Receben pi 11 nlnn ::
cruzes ci-m ped as nai ,
de la para mu >.
n. i.-, arman tu da 1 rlalaraa.
Pareaei Parta
Vi nde corles ie goranrao are
21 rovados cadaDm 'i-'r,
l*S0 .. -t' 01
it. o covadi, li di rju ho ; 1.
lada, a '':') rs. p r ;..!::
arr azi ni da pop
Pai tees Pora
T m r ara veBder 1 or 1 reca > 1 ma
escuio de lioho ro I 1 .
linbu para lenco- 640 !
:e de linho de 4 la-eni .:'.
Patries i'"!'(.'.
Vende rorte de ramaraia i i
gostos a 10-3 e 125. ro
j menino, rici s & il-.- ie 1 ao
10* e -^ *, 1 irl.lana hranca e
rs. a vara. Roa da h: perau
larga n. 32.
ttft i'ria
11


.
:.

or ceuto.
p
Cambraia liraneas lis*s a HjUOl.
Vadem-Stf c
3*,M^,i*, ,4*30Cj
e ~i ; *j(r,ndes G
Clnle.
Venoit-sc cha
menit Lso
nbraias brancas lisas a 3*;K)
115
i! 1
unta a 100 rs.
boa a
ai4N
H&RMACIE FRANCAISE
oeRMADRER&C'
'rua nova n
<
(irande armazem de tintas.
RUA DO tMI'EItAROR N. 1i.
.0 armazem de talas um prande depositos
pivductos chiraios utensis e o mai> eini.repados
e ufados napharmacia, pintura, photorfraphia.tin-
a 36 m. na loja do i'aviio.
Laaziultas a 320
Laatinlias a 32o
Laaziiilias a 320.
I Vende-se DaafcaQde orlimeuto das mais finas
.eiraais bonitas taasiohas matizadas com os mais
Ircdos desenhos, seodo fazenda que val cinco lus-
I6S, e vende-se paio baratissimo preco de urna
pattea o covado por ser urna grande porcao desla
linda fazriida : na k>j do Patio, na rua'da Imae-
ratfiic n. 60, de Gama Silva.
Laiiaas garilialdinas, s o Pa*o vende a 33
e mrs.
Chegaram pelo ultimo vapor .as mais bonitas
3*, 5*300 eif*, lapadas a CjJOO Senlieuo 1 e, senhoras*
Jiimaraes. Os proprielarios da. tova loja e .armazem de fa-
de merino a -2:>000. sendas^ roanas Mtas sa roa da Imperalrls o. 79
es de merino estampados a jJ, | dt fiuimates & Ir mo, acabara de eduzir os
3*4 W. i preyos do suas fazenda i omos SO por cento do
Col) Htores de alrud-io ('ue em o;nra 'lualquei parte, alim de tpurar di-
Vendeavse coLrtores de aigodao a 800 rs., di- !-Dheiro' asplin mosejilaaainhas de (jtadnnhos
tos bons ad*60Q, 2* e 5*500. ^-e-D-do ""^ a 2o0 e *.*** mais liuas a 360 e
I dos os padroes imudinhos eom ,as mais lind.>s co-
res a imU<;ao das sedas de quadrinhoe, e acabam-
se pelo barato prego de um eruzado .0 covado, islo
(M-chinc-ka : na loja do Pavao, rua da Jmperairiz
n. 60, de Gawa & Silva.
Vestidos a i:>
Veadeovse rtrtes de vestidos a Maria P c >m
barras bordadas, pelo baratissimo pre^o de 000
para aeabar ; na loja e armazem do Pavao, rua da
Imperatriz a. 60. de Gama & Silva.
Liuiilias a IGOrs,
turacia, pyro!ech('nia;ifgos de artificio) o em outras laaziuhas gajibaldinas eoas fios de seda, sendo to-
industrias.
Montado em grande scala, e supprindo-se di-
reclataenle nas priocipAes drogaran de Paris, Lon-
dres, 'Kamhurgo, Anrcrse Lisboa,.rde offereceer
productos de plena confiaie.'i e sath>fazer qualquer
^ncommenda a grosso traie a relaluo, por presos
cazoaveis.
Prvidos de machinas ap^ropriadas satttfara
cem prompdao qualquer pedido de tiotae moidas
zaleo,cuja qualidadee pureza de seus.ingredien-
tes Rodera ser examinada pelo consumidor, o que
nao fcil fazer com aquellas que cao importadas,
e que se encoutram no mercado esa latas felfeadas,
Tera grande olleccao de vidros de dilferentes
formatos, desde urna oitava at dezeseif ongasde
capacidad* ; de vdros para vidragas e diamantee
para corla-Jos; de janeis para fingir madeira coa
rtopriedadee outro*j de papis dourados e pra-
peados e folias de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequeo formato de vanas cores
para embruiho, para forro de casa, para desenho
cora fundo ja feto ; de papel albuminado l,e Brieto
erdadeiro sane para pbotngraph.ia a para filtrar,
e outros ; vernizes d^ esseneia para quadfos, de
espirito para madeira. copal para o interior e ex-
terior ; oleo graxo, oeo seccaliva, oleo de iinhaca
clarificado, oleo de toiefe, secalivo de Ilarlim, ouro
verdadeiro em p ; piala, ouro, e eslanho em fo-
has de varias cores; tintas vegetaes, inotlensi-1
vas proprias para confntarias; laa de cores, e
olhos de vidros para imageus; limas em tubos e
telas para retratos ; tintas em pastis e em p pa-
ra aquai rila ; esseneia de rusa superfina, de ne-
roly, jasmirn, bergamota, aspice, patehouly, mbar,
bouquet.lirno, alcaraiva, meltssa, orlela'pimenta,
louro, cereja, alfazem, juinpero, Portugal, lima,
anis da Rsala, canella, cravo e rnuitos outros ob-
jectos que s com a vista poderao ser mostrados.
Joo Pedro das Nev,
Gerente.
-ain! -aiis de unta s '.r
Vende-setambriiade urna s cora320 rs. o co-
.vado.
aias bordadas
Vendem-se asa: bordadas pelo batato preco de
-7000.
CHes (I* cambruia
Vendem-se os 1 lais .twdemos cortes de cam-
4(0 rs., ditas transpare Mea <:om listas de seda a
JiO rs.
,l'a*ndas prop ias ytra a Testa.
Vendem-se as mais lonitastiareges de laa e se-
da sendo escecezas as niais modernas que doaomercaJo pelo barplisimo prego de 360 o
coa4o, cassas frnceza| de una s cor a 320 e
360 o covado, ditas com palrra6 solas sendo miu-
das e graudas pelo baratissimo prf0 de 280, 360
l.raia bordados, te uo t'acettda de go:to, i. 0*000 e: e 400 js. o covao : isto[na loja e. a
l-'G-'O. i ;.eodas ai rua da Imperatriz n. 72,
Kiscados ( wkx'oj 3 2S0 o covade 1 & Irmo,
trmazem de fa-
de Guimaraes
Vendem-se risca dos escocezes a 280 o cavado,!
iiras ibcrdadas a I entrecielos .1 800 e 1*.
Lai ubas a rs.
tfaaiBhas finas 1 220,2'0,20, 320, 360 e 0
rs. o co.vada.
Corles decaabraia
Vendpm-secrtts de cambraia com barra a 3*
e 3*i00, unos erfi barra a 2*8C)eada corte, Men-
dos Gui maraes.
Cbambres
Vendem-se ohsmbres para homtma 4*, eso
para acabar, neitos de. linho a 000 e I*, leos de
linho linos a 500 f 640 rs, rolaimhos de linho a
Sajas bordadas.
Vendem-se as mais bonitas saias bordadas sen-
do bastante largas e muilo bem bordadas pelo ba-
ratissimo prego de .6*501) e 7a.
Vestidos de larlatana tpoito fiua senda brancos
cora barras de cores bar
os mais modernos que u n
eudem-se pelo barato pr?eo de 9*, 9*500 e 10*.
.Vainas de edt
Vendem-se as mais liu.
ho prende 1*300. 1*400 e
ja de azendas na rua d
idas de la e .-''da sendo
vindo ao mercado e
aara lioiunii.
las mantas de seda para
coras peto baratissimo
*500 : isto na nova lo-
Imperatriz n. 72, de
Vendem-se superiores lazinhas transparentes If^Sj -5800: Lourt?0 P^eira len-
com bonitos padroes, sendo lisa e dequadros, pelo'
Vende-se superior fio de algndo feito para
coser era machina, e proprio para ecos de assu-
car: oa rua do Viga 1 o 0.26.
baratissimo prego de 160 rs. o covado. isto para
acabar: na loja do Pavao, rua da Imperatnz n. 60,
de Cama & Silva.
Manguitos e gulas a 500 rs.
Vendem-se manguitos com golas de cambraia
pflo baratissimo prego de 500 rs., isto para li-
I quidar : na loja do Pavao, rua da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Cortes de cbila do Pavo
Vendecn-se cortes de chita franceza muito boa
com 10 covades a 2*400, ditas com II covados a
2*600, ditos com 12 covados a 2*800, istos
para acabar : nailoj doTavao, rua da Imperatriz
n. 60, de Gama & SiIvj/
.tgasallios para caliega de senhoras.
Vendem-se superiores agasalhos para cabeca de
senhora ou cachins, sendo fazenda mais moderna
que tem vindo neste seero ao mercado, pelo ba-
ratissimo prego de 3* cada um : na loja e arma-
zem do Pavao, rua da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Chales de renda a 10$, 12$, 13$, 200 e 255, na
Ioja do Pavao.
Vendem-se chales de renda preta muito finos a
10* e 12*. ditos de linho a 15*. ditos de seda de
lioho dos melhores que lia un chales de renda a
20 e 23*, ditos blancos de tres ponas a 69, isto
s na loja e armazem do Pavao, rua da Imperatriz
d 60, de Gama 4 Silva.
500 rs., camisas francesas a 11400, 1*800, 2*000,1 Gu"l,:,f",& _lr-*o. 1
Colanobos da linho para hornero.
Veodeui-se colarinhos we linho para homem
sendo os mais moderos k melhores que ha no
Vendem-se cortes de la a 3*, 3*500 e 4*500; 7)er.cado No baralissimo brego de 5*500 e 6* a
Mendes Guimaraes. '; duzia.
Chales dr merino alampados a 2.
Corles Je iiu
Chitas para cubera
Vendem-se chitas para cocerla a 240 rs., france
za a 300 rs. o covado.
Cambraias de cores
Receheu-w um grande sortimento de cambraias
de cores que se vende a 300, 320, 360 e 400 rs. o I
covado.
Casemiras
Vendem-se. casemiras a 1*280 o covado. finas a
2*240. 23500 e 3* u wvado.
Vendem se benitos chalis
" dos ptlo baratissimo prego
de 2*, ditos lizos de
todas as cores a .1A80O n Si, ditos fjuos sendo es-
10 e 8*.
raucas.
praias brancas a 3*,
as muito finas tendo
10* : isto s na nova
Imgeratnz n. 72 de
de merino estampa-
240 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos de macaca perilla muito fiuo a 200 rs.
Frascos e garrafinhas com agua de Colonia a
JOd! rs.
Frascos grandes com superior agua de Colonia a
640 rs.
Caicas -eom 12 frascos de cheiros muito finos a
1*400.
Sabonetes pequeos de bolla a 2i0 rs. e grandes a
30 rs. /
Duzia de sabonetes pequeos com cheiro a 700 rs.
Agua denuflee superior qualidade a 800 rs.
Caixas coro superior p de arroz a S00 rs.
Frascos de superiores essencias sanlal e outros a
1*200.
Frascos coro essencias para tirar neduas de roopa
a 500 rs.
Frascos com cheiros de lodos os preers a 160, 200,
240 e 320.
Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
Duzia. de meias muito linas para senhora a
4*800.
Gollinhas muito finas para senhora a 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo para meninos a
IbOrs.
Pegas de fita de laa para debrum de vestido, com
10 varas a 600 rs.
Dilas de bicos superiores, para acabar a 600 e
Pedras de lousa para meninos a ICO rs.
Bunecos de choro e panno a 160 rs.
Caixas com bonitas estampas para rap a 100 rs.
Capachos comnridos, boa fazenda a 500 rs.
Grosas de boioes pequeos pretos para caiga a
100 rs.
varas de cordo de esparlilho a 20 rs.
Novellos franenes enm 20r ardas a 40 rs.
PecasXde (iras bordadas a 640.
Duzia de meias croas muito lories e superiores a
3*500.
"SKnSEK
Roa da Impera'.; ii i.SSama? ir
ga junto a nadarla trancen, eacoaira -.- n
tabelecimenio um complete arBaaiuio it-:
caceos c sobrecasacf s. de todas as
cas, colleles, en ait, ao .-
chapeos de sol, ditos ir. l ,
) e precoscommidos. roapa para
muilas fazenda< por "n;^ e. rr.n, .
da porta larpa.
o mesmo eilabetecimeato ene atrar
t.iv-i publici', .-empr" ma cwnaeto
roupas fetas de lodas as OBWaaaaVs, r in>> m
paletos de alpaca arria e oe cr,M 1 ,
eos a c3 e 5*, dilos de l.run p.-.r I a -',< > .
3*500, dilos linos a taVdHes sjaaa e jai aun a
3*300, ^,3 e 5-3. dito- taaraaira 1 se -1 1.-*. '
e 10-5. dito-; sobreeasaraei a 10 e lii. sal :
no saceos a 6*, 8* e 10*, altos mI i. e 23*, ditos de merino ansa ? 65, 7 V "
gas de brini de diver- s qsnlidaaVs l*Mn
diics bnne 9 a 5*500 e P-300, "iji> rati -
t5* e 7-3, dilos areles a 94 6*, U
meias cazeroiras a .1* 1 a : |
qualidade?, sroslas Mraomas a> 1
Hubo, ditas de bramante a 2* s fSt
algodo de linhn Irancttas t !*5( n
da peciiincia ne.-e ftwen, sjraval
qualidades e bratiras para ramsMSla. v
timenio de atetas para *. ni, ras, dUM aara
a .?*, FOBeru-rcs a 39t9t i*.
l'm cumpl to soriimenlo de cl-ai ,', ,
alpaca a .'!*, }
dUus fraLCezes para ral ca, g'aml- saeStaicaiai
a 6*.
rechine!a arfniratrl.
Grande S'tiirreM. -1-' ihamrri'.-a ,y.r<) .-
lenees decasaferataaara aawassa a 2* a ....
tes de linho a 4* c 5.
Grande sM0utrotu i roopa pir". ireniri
tras rr.uitas sjnalidada qoe serta eufadoat sata
eiona-las.
Fazead.is.
Vende-se superior mellad arefc. proprio
pa> desenlila estidas a 2*. ;i.-tnm j
1 1*800 o Covado. Roa da liripprntr;*, p r! 1
Paredn Port-.
Vende em sen rstsfeali cimento Has s ssaaj
bordados, grande MritaHSSM de naatask
I VILLAR
Sebo.
I lampados a 6*300, 7*, 7*5
Ca 111 lira ias I
Vendem-ce pegas de cam
3*300, 4*, 4*500 e 5-5, di
uraa vara de la'gura a 9* e
loja de azendas : rua da
Guimares & L mo.
Iliscados es
.ceczes.
Sobo em barricas e em caixas de urna arroba, ^me, no< 60o 2W rh,
rende-so no armazem da rua da Cruz n. 33, no 2e,a^TiAMft ^1' 1
Jocife, por pre*, mdico. LSEsU/MTaKsS
t.AHRIOLET A VENDA.
Vende-se por 150*000 um cabriole! de duas ro-
das novo ainda, pintado, moderno e cora arreos :
na rua da Senzala Velha, cocheira do Sr. Thomaz
Payne.
Vendem-se duas escravas recolhidas, de ida-
do 23 a 24 annos, exrellente conducta, engomraam
peifeilaraenie. e fazem todo o servico d uroa casa :
na travesa do Carmo n. 1.
Vendem-se os mais bunios riscados escoceze
para vestido* de senhora e proprios para roupas
as francezas escuras
e 320. ditas percales
nimio linas a 360, 400 c 4i0|o covado : isto s na
nova loja e armazem de fazendas na rua da Im-
peratriz n. 72, de(iuimaraes& Irmo.
Camisas frann-ziis.
Vendem-se camisas francezas a 1*590, 1*800,
24, 2*500 e 3*, ditas com neito de cor a If e
2*500 : isto s na loja de Gulimaraes S Irmo.
Colla da Haliia superior
Tem para vender Antonio Lniz de Azevedo A
C, no sea esenptono rua da Cruz n-1.
m
Com loja na do Crespo n. 17.
IWfheu de Paris sedas em Col les mui-
lo ,-uperiores e bellissiir.os padrSes, e
chales de renda pretos para 10*.
Este importante estabelecimeoto torna-
se rerommendavel ao bello sexo pela va-
riedade de fazendas superiores e bello
gostos
Proleja o bello sexo ao Villar
e ver todos a prosperidad?.
mmmmmmmwMm-
Di) CE
um
Vende-se de caj em calda, laranja, abobora e
grosella a 500 rs. a libra : na rua da Senzala-nova
numero I,______________
Vende-se um sitio em Henifica a' margem do
rio Capibarihe, rom bastantes commodos para orna
mente bordados a 3*. 4* s 50. M a Vas i
10, rua da Imperan 1;: aja 52; Berta lar.M js I
padaria !rwfia.
Paredes Pbrli
Recebeu pelo ultimo paquete frnrwez rica
granadinas eom flores de aads a IM f W
covado, eslo acabando-se, cambrau yttu. \
luto. Porta larga junto a padaria fraareza. .
da Imperatriz n. 52.
Parede? Porto
Vende nm completo sasjajsaassM da f*i-
brancas, como srjjasi ssads|alaa Vi-Vd, 5
105, pecas de algodiu ..' loi .;.' fl i I
c.za a 24(>. BO. :i2i). 36 I r> te aj t, prr- tm>
muilo finas a 360. 100 r.-. a savai, rbita la
a 200 e 240 rs. o oaaail >. Hu d.t Imtm ,
52, junto a padaria fr..nc Paredes Po; to
Vende cangas de cr pr : ra | sai ronea *> *+
nios a 320 rs. o epes>, i.
320 rs. ucovado. Rua di laSa>miti .
a padaria frauceza, p r:. iaasja.
Partdes Pirlu
Recebeu patooltimo pa .
grande familia : tratase na rua Nova n. 24, das 9 gu S1 '^ slo bons eneos .1
horas as 4 da tarde.__________________________|nhor e homem a Ir .
Viuho do Porto superior em caixa de duzia, bardados de Vtj a 7. |mr tes
lem para vender Anlonio Luiz de Oliveira Azeve- eslao sa acabaodj, m u- aL
I Jo & C, no sen escriplorio rua da Croz n. i. lo a padaria franceza.

---------


I
Diario de Peroambaco Sexa le: a O de Soveaibro de t**.

i '
N. 11 Ra do QueimadoN. 11
A leja de fazendas de Augusto Fredt rico dos Santos Purto, acaba de receber um limi-
to grande e novo sortiraento de cortinados bordados para cania de noivos a 35. 405. 455,
505000, 605000 e 705W.
Lindas mantas para gravata, de variadas coros, a 15300 e 25-
1 achiuez de la de diversas e bouias cores a 35600 e 45.
Chales de guip, fazenda a niais moderna, a 10,5, -05, -.'5 e 2bo.
liuioudes de guip, ambein os mais modernos a 265.
Colchas de ^eda de cor para cama de noivos a 535 e 605- i
Alcatifa Je linho para salas, [azoada larga, bonita e de muita uracao, a 600 ris o
covado.
Tpeles graudes e pequeos, cem ricos deseuhos, para sof.
Saias bordadas para senboras a 75, ?5. 95 e 105-
C pas e soutembarques de seda preta para senboras.
Bonets, chapeos e c'.iapellinas para senboras, dos gestos rr.^is modernes.
Chapeos clegautes para stnhoras, a 125-
Peeinhas de Boissima bretanha de liulio a 75500.
Laazinhas de quadros a 320 rs, o covado, setim de Taris a 700 rs. o covado, e cam-
braias Iraucezas de cores a 500 e 70O rs. a vara.
Casimiras dequadros, moire aulique pretos e de cores, pannos e casemiras pretas,
grosdenopole preto e. decores, esguies, sileras e cambraias ee linho, sortiineulo, de diver-
sas tiendas para luto, chapeos de seda para homens a 05 e 105, chapeos de sol de seda,
liados manguitos bordado.-, e outras mollas fazendas que -e veudem por pacos razoaveis,
inclusive
Esteiras da India para forrar salas
S^^v^'

CORTES I12 MNM
Chegaram pelo paquete uiglez riquissimos corles de moreaatique de cores, e seda lavrada pa-
irees inteiramente novos.
Seda de quadros por 1$000 o covado
* r RA Di CRESPO 5 I
Pac? do Amaral fc C'ciupanhl.i
Qu^rnr^0
DIJARTE ALMEIDAv
II mmm
5
Gregorio

AO RESPE1TAVEL PUBLICO
A tabella abaixo publicada serve de base de precos,
5S:-:vS2 tanto dese arinazem como do arniazem progressivo pa-
j; *| 'teo do Orino n. 9, principal armazein ra do Impera-i
dor n. 40.
Receberam Gregorio Pacs do Amaral & C mais um completo sortimento de
FIL S'llETO
Manufacturado em Challes.
Points
Algeriennes.
Hotondes.
Africaines.
Annauites.
Pompadoan, etc, etc.
Desde i 05000 a 80*01 0,
CHAPEOS A EXMNMf AO
Novo modello do chapeos inglesa do li.itssim i palna para senliora cota ama
ampia banda do tife de cores.
CAPi
de la preta e de cores proprias para luto, ou passeio pe'o diminutissimo prero de 100.
Seda matisada em pecas
padrees modernissimos que faz o effoito de um vestido de subido prro. Assirn como :
ricos cortes de moireantique brancos, samento.
Magnicas grinaldas e mantas.
Colchas de seda portuguezas.
Cortinados para cama e janellas.
Camisas bordadas,
e outros muitos objectos para notado.
t'OKTKS DE TARLATAIA
com enfeiles de cores da mesma fazenda, o que ha de mais moderno.
CACIIENEZ
de muitos bonitos padres e feitios dill'erentes.
E outras muitas fazendas por precos commodos que vender
Gregorio Paes do Amaral & Companhia.
5
CRESPO 5

Para vestidos re senliora.
Cortes de seda de cor de bom .costo e superior qualidade.
;. Lindas sedas de quadrinhos.
Bons moireantiques de cores.
Grosdenaples o lodas as cores.
Lindos poil d' chevre fazenda asselinada de inleira n ividade.
Lindas duqoezas assetinadas fazenda inteiramente nova.
Modernos grenariinesde soda oque lem viudo de mais novo.
Grande variedade de las de cores lisas e do salpicos.
Or randys e ca-sas demuilo bom go.-to.
: >
tfc
Fazem setente ao respeitavel publico, e com espeoialidade aos senhores de en-
genhos, lavradorese maispessoas do Cdiitro, que parama:.-; facilitar suas compras deli-1
beraram os proprielarios dos tros grandes ai mazeos, reunir todos os seos estabeleci-l
meutos em um s annuncio, pe $ual o proco de um ser do lodos, promette-
oos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os gneros!
x por um preco, e na ocesiao da compra quererem por outro. como socede constante-1
mente em outras muitas casas, porem nos nossos estabeleoimentos nao se dar isloi
ainda mesmo com pre.iuizo nosso, quaiquer pessoa poder mandar sous fmulos que!
. sero tat em servidos como viessom pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar sens |
pedidos em cartas feixadas; para evitar quaiquer engaos, remetiendo nos urna conta
:-^ : pela qual se ver os precos tal qnal annanciarmos, o que senao arrepender pessoa
] alguma que 6zer s;ia despenda em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
"; 5 por cento na sita despeza diaria.
e-;
c
o
1

V


Percalias modernas com grande variedade.
Lili los 'ortos de laa Clotilde com todos os pertenec cada um em seucar- *
novos c outras muitas ^
tan inteiramente novos.
B ms c .tos de ca-si com barra i.i:nb;m inteiramente
fazendas de gosto quesera enf.idonho mencionar.
..
mi
A
Manteiga i gleza perfeitame.nte flor che-
gada ltimamente de I,oooa l.ioo rs. a li-
(
cor e outros muitos arligos
Pa va hombros de senho a
Grande variedade de diales, bournoux, retoodes o algeriennes de fil
guiptire a l:. !(i, 20. 30, 40, 00 al 80.
Modernos s utembarques de soda do superior qualidade.
L'ii hs be tes de seda le cor pretos e de cachemira.
1 em de oambiaia branca bordada com muilo gosto.
Sautembarqi es o bournous do cachimira de
i um gosto.
/'((/'? caheca de senhora
triorc! chapelinas rlepalha, de seda e decrina de amito bom goslo aim-
[1 Mili'.
ipi s de pdba da Italia grande variedade.
!.. los gorros e honets de pallia de Italia, Imperatriz, Canotier, Clotilde >
Iran ebegados de Pars peo ultimo vapor.
Grande varieJade Je ertfoit- defroco e deflores para asamento.
S; slidos de blonde, e de mwreantique brancos. 4,
". i: .o i! ii, i.s hranos e superiores sedas brancas.
Bons vestidos (I larlatana Irn o bordados.
Li idas iivii s de M .mo o boas capellas.
Bordados.
Grande \ redade de ntremelos bordados transparente e tapados.
'i'' as bordada transparentes e tapadas, babados b i los, saias bordadas e w?
utros ira.tus artigos.
t^ i bra, e em barril ter abatimento.
Manteiga fianceza
b.. uuvvua a safra nova a 8Go rs.
a libra e em barril lera abatimento.
BANHA
Banha refutad i superior a Gio rs. e em
barril lera abatimento.
CHA
Cha uxim depritneira e superior qualida-
de a 2,8oo rs.
dem hysson o melhor oeste genero a
2,6o<> rs., e sondo cm poro tora abatimen-j
to, tambetn ha proprio para negocio de a
Serveja
Superior serveja Bass dos melhores fa-
bricantes, cotpo sejam: Shlers & Bell. T. F.
Ashe a '.fjoole 7,ooo rs. a uzia e a 7oors.
garrafa.^'ambem ha de outras marcas
t
*
DE '.\TN1' OitHll iE VAS -XCELLOS
Itl-A 0 CRESPO *. 13
k.E3
C.
'
.



: pera
- B na-na da! LOJfl I F
a
como seja: Victoria e Alcope a 5,ooo rs. a du-
zia e a 5oo rs. a garrafa.
Vinagre
Superior vinagre de Lisboa a 2,ooo rs. a
caada e 80 rs. a garrafa. Tambem ha
mais baixo para 2oo rs. a girrafa e l,4oors.
a caada.
Azeite doce
Superior azeite doce de Lisboa a Goo rs. a
2,4oo rs. a libra. I garrafa e a 4,Ooo rs. a caada.
dem preto superior de l,8oo a 2,5oo rs.! MCLSSS
a libra. Macarrao e talaerim a 300 rs. a libra e a
ISltcoiitos 5,ooo rs. a caixa.
Latas com superior biscouto inglez de di- E'assas
versas marcas a l,2oo rs a lata. Superiores passas a l,5oo o quarlo el
Bii iii'iahas 3,3oo a caixa de arroba hespanbola e a 32o'
Latas com bolachinhis da acreditada fa- rs. a libra,
brica do beato Antonio, proprias para dar a
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lat,
dem com qaalro libras do boiachin
ia de
soda a 2,ooo rs a lata.
Queijos
Queijos (lamongos dieg.dos no ultimo
IY\1 11. 4.
;
para aiisai
ir i- i i. i|>a lie i ieli I
ira i i..
P'Ti isl r.i :, 100, 500 e 15.
:; ar h m a 300 e 10) o
ira cilj-'-t a 21-500.
40.
i a 51 i< >
l.'O. 2 i esoo:
'' :'' id gu a 70J.
. VV) :.:- i es ;i KO.
ix ni \> ipel |.aul fls i 700.
ma de papel alma. i :: i, a ::,5o;i.
pri'la para escr< ir bviioa t 0.
'''- ros Ai balan; i a SJtU e tibb'O.
- r-i-s para hon>i-t:t a 2U0 .: 240 o par.
:- df todos os lmannos a 100 \ carta,
linho pega 50 120.
: i i para vestido a 30 rs. a p a,
.. :ni ; .al per 0 i.-.
mi obreiaa uiuuo hoa's a 40 rs.
cartas Itaas 440.
lir i lj h nao de lauca para camisa a 120.
le ii I r ila n>q lo linos a 610.
1 t corxel muito bons a 10 rs.
di f ii \.. niuilo I), ii; ;i (JO rs.
' .; seda pt-ela e de c tres a 500.
. po wi-pora a 800.
:..- i min Un .- para raj a l.
i um complfio sor.iraento de miudeias (juo
:. : or iii.-n is rto que em oulra qaalqoer par-
i se aparar dinbeiro.
fta m* i)r. Queisado n. 63.
Nesta luja por tolo os aperes s recebe lavas de
pellica brancas e decores, tanto para hornera como
para senliora.
Vo'l's, e U7.cs e brincos.
Ctiegou no ulltiuo vapor um graade sortimeuto
dv rallas e crozas, imitando cornalinas brancas,
assim cr.mo brincos 11 mesma e d'1 crystal do mais
apurado gosto que se pode de<(jar, foj s quem
rectibea : na loja do beiia-flor, ra do Queimado
| u. 63.
Enfitftsparacoqtft.
Assim como receben enfeiles para coiue e ou-
I tra5 muitas qnalidades,.qae .se vendem mais barato
, do (toe em outra quaiquer part-.
lioneras que chanum ntami e pipa i.
Teodo recebrd > um grande sortimento de boae-
cas que chamara pjpai e inamai e movein com os
olli>, muito bem vestidas, com cabeHeiras, o
i que p Je liaver de gosto ueste genero, e vende se
1 mais barato do que em outra quaiquer parte.
B.luios.
A>sim corno um bmito sortimento de balaios para
menina de escola, tambara ha minio bons peotes
para desembaraear, guarnecidos de metal.
Vende-se barato o sobrado n 21, sito na ra
e I de S. Pedro Martyr, em Olmda, e um terreno onde
6EIEBRA
Genebra do laranja retdadeira a 10,000 a
du
Genebra de llollan la verdadeira a C,ooo
rs. afiasqaeirae a 56o rs o frasco.
Moni de Ilollanda em botija- a ioo rs.ca-
vapor a 2,000 rs., tambem ha do vapor pas- (]a urns.
sado a 2,3oo rs. 'Garrafoes com i garrafas de genebra de!
CHOCOLATE Ilollanda a s,, o rs. o garr-.fao. Tambem'
Chocolate hcspmhol a 1,000 e i,2oo rs. i,-, parrafoes com o e 14garrafas de 3,2oo a
a libia, franco/, o suisso a 1,000 rs. a libra q 000 rs. cadaum.
e portuguoz a 80 rs. a libra, em porreo: VELAS
Yol is de spennacete a 600 rs. a libra*.
clil-SO
!a na livraria acadmica, na ra do Impera-
d 1 Sr. Nogoeira, junto 10 arco de $ani<
..; io j ia lypographia imparcial, na roa (-
1' isario a compi!ac3ode lodaa legislaca
ministra^ao, arrfeadacao c fisrali-
; linhi-iros de orpb&os defaulos e aasfn-
1 ncas Jacentes, leados, pte, contend. pai
n imei to de cusase 1 lei peral <):.,- execo
no tambem lodas asrdeos e avisos di
uo, ou .1 explicado, tanto a r>>. 1 i-
- bnp "! i:;!:-1- ites ao cargo.dos di0eren-
i-mpregados de jostica e azenda, como dos di
nacionae e emnlurnentos que saodevid .
. ndo mais 'I; 700 saginas era nitid
m papel, e preslando-se a utli
ni- ri.i>- -, torna-se recommeodavel
por rada exmplar em di
- Vende-se ou alugafee para passar a festa, e
n por anno, urna u'.'.;i 11 casa e sitio com ar-
-: Crudo, outra dita poquena junio a po-
V .: r da rio Caplbaribe a,tratar na
' tas o. l*andat
CU ms
Ciiraaale pcchlnelM.
se acba edificada grande parte da cidade do Rio
Formoso, o i|ual terreno estende-se da matriz al o
trapiche : a tratar na ra da Uuiao n. 37.
i Bicbas de Hamburgo W,
0 iodos os paquetes da Europa se recebe Wk
;.'_.' iiistas amigas do sangue humano e se 1M<
i vendem atreco de pr.uco lucro s afim ^
>;-.; de it sen pn cusa n iva : a ja de bar- JR
.'. beiro ra slreila do Rosario n. 3, ao p ^,
:";.: da i t. reja. m
FaHnha a 3^5 t>
Vende-se farinha de mandioca, .saceos graudes :
no armazein dos Srs lasso IrmaOs, na poute nova'
pelo preco cima meaeioaados.
ter abatimento.
ViNHOS
Superiorvioho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Velho Secco, Lagrimas do
Douro, Mara Pia, D. Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces eoutr.is marcas a l,ooo agarra-
fa e 9,ooo a 12 ooo rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e ooo rs. a garrafa, e a 3.ooo,
3,b'oo e l.ooo rs. a caada.
dem de carnauba de lo a 12,ooors a
arroba e de 3Go a 4io rs. a libra.
PE1XE
Poixe em latas ja preparado de I,ooo a
l,2oo rs. a lata
ALPISTA E PAIXCO
Aloisia e patuco muito novo de 3,800 a
i,000 rs. a arroba e de 14o e ICO rs. a li-
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mais acrediados fabricin-
tes, como sejam: J080 Furlado da Srrias,
Manoel Peixoto da Silva Noito, Castanho &
Filho e Brando e de outros muitos. os
quaesvendemos pe!o mdico proco do I.600,
2, 2,8oo, 3,5oo, 4,?5oo, e S.ooo rs. a cai.va.
Ueore
Licores franeczes e p rtnguezes a l.ooo e
l,4oo rs. a garrafa ou frasco.
Doces
Doce da casca da goiaba e caixbes pe-
queuos a 7oo rs. e de 5o caixes para cima
a 64o rs. o caixio.
Frutas
Frutas em calda e era latas fechadas her-
mticamente, muito bem enlodadas, conten-
do pera, pecego, ameixa rainha Claudia, al
Sabo maga deprimeiraqualidade de 18o'perche e outras frutas aoi is. a lata,
a 22o rs. a libra e de I0o a 21o rs. sendo' Tambem ba latas grandes para l,2oo rs. a
em caix3o. lata.
Superior vinho chnmisso em barril a G4o
rs. agarrafa ea ,5oo rs. a caada
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
anc-retas de 8 e 9 caadas a 2 l.ooo rs. a an-
coris.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha maisbai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
Caixas com umi duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa e
7oo rs. agarrafa.
CAF
Caf do Rio de 1.a e 2,* qualidade de
6.800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
DE
n a AZEPEDO FLORES
liua da Oadeia do Recite, esquina da Madre de Dos.
Grande sorlimcolo de Fazendas por apealo c a rettlbt, e um cimplet s#rti
menlo de roapa feita, dceasemira edebr, ludo por menos tm
oulra quaiquer parle: qiea duvilar venlia ve-
CAJUQA
de lindas e finsimas casemiras escuras e clara?, de superior oasemira nrets de fino?
bros brancos c bom brim pardo.
Paletos
de superiores casemiras escuras e claras, do una alpaka branca, de superior aluaka nre-
ta e de brim pardo. w
coltetea
de boas casemiras pretas e de coros e de lino b-im tranco.
CAMISAS
Superiores cimisas fraacezas de 2-j at i\
Crcalas.
Ceroulas de superior bramante de fino linho.
a Superiores bales de aros para meninas de 2 al
dem superiores para senhora.
Gravata* c autmftis.
Superiores mantas para pescoco debomem, as mais modernas do mercado.
Slatlapofi.
Madapolio bom a 8;>, 9^, U>$ o i-j..
Cha i eos de so!.
Superiores chapos de sol de .'da balSo a tO-S.
Fraques e easeaalra.
Fraques de casemiras, preta, escura e de ores claras, e nao havendo que sirva
ao freguez manda-se fazer ior me lida c c im muita promplido.
Tudas estas fazendas por proos insignilicantissimo, pois o filo do Rdo ad-
quirir freguezes.
LOJA DO BALAO
DE
AKETEDO s FEOUI^e
1HE 1 %y,fe \i>is
RA DO QUEMADO N. 7
CUSTODIO C AKVAIiHO C.
Pecas de madapolao fino francez com 22 e Ii2 varas e com um pequeo kxroe de
mofo a 85000 cada peca. ^
Cambraia branca para forro a 1,5600 a peca.
Lencos de cambraia para homem e meninos a I GOO cada duzia.
Cambraias organ.lis muito lindas a 600 rs. a vara.
Cassas de cores a 36n rs o covado.
Laas de cores muito lindas a 3 >0 rs. o covado.
Ra do Quclmado n. 36 7, arauseai de fazendas.
^^#>^^'' 1^*9
7
Uvas pelo ultimo vapor.
M^
Mfinl/tinfV
ru id 1 noeratriz n. b-2 imiia larga .1.; I'arc-
veii le-S rii-U.- a^ marin eslarapados a
300 e Sitos SJ>, "Mi se acabando.
Berdados.
ni i I-.ja iifi l>..riiir< |>. rl. roa da hnpera-
- iriiin^fi'u r;,. enrrizinhas, gollinhas, i res anodinos 011 R-y*r, niandra vir o novo sorti-
f' : '.'n-iras.i' -::ii. -, de rainliraia hrams. mr-rlo qae ap-ira rprebpii, e continuar a rerelie-
\ 1; 1 ara ou.; em iHfnp.ia'gism a falla elles
. iras a 800 e smtos a 8
:ilr..niiios a 600 e
I indi.
Colares Royer ou colares ano-
dinos
lara faiilitar a denticio das rrancas e preserva-
las das convnlsoes.
O feliz resoltado oblido immen^as veies ppla
prodigiosa f irra magntica dos colares Royer, nos
fas de convols5es, e dentirao das crlancas, tefli
, alJamcnte elevado a seu bem merecido prestigio,
- hoje j re pode iliier que esio geratmeote eofl-
I cciiiiados, e estimados de rnnunirraveis pala de
1 familias : de un- porque do us* d-^sses salniares
I miares virara salvos do perigo seus charos filhi-
nho-, e de outro? porque colli^ram daqnelles tao
proficoo ezemplo para ii'iialoienie preservar os
seus. A'-im, pol-, a aguia branca, te.ndo em vis-
lasa ullli'tade eproveit desses prodigiosos eula-
Jftj
possa
grande : ser funesta aos pas de familia, os quaes ficaro
; ; "ga,! certus de es acharconsianteniente na ra do Quei
i maao, loja d'aguia branca n. 8.

Peras polo ultimo vapor.
Maguas pelo ultimo vapor
Ameixas pelo ultimo vapor.
Passas pelo ultimo vapor.
Fitfos pelo ultimo vapor.
Fruitas seccas pelo ultimo vapor.
Prnctas i.-m calda pelo ul'.imo vapor.
Nozes pelo ultimo vapor.
Paredes Porto receten pelo ullimo paquete um 'completo sortimento de capas e
bournus de cores ricamente enfeit idos a 12;, lj"5e 20 : oa ra da imperarix n. 52
lojada porta larga junto a padaria fraoceza.
k>
^
i
u
Queijos londrinoa pelo uhimo vapor.
Queijos fkmengos frescos pelo-ultimo vapor.
Premnt'i fiambre pelo ulimo vapor.
Tudo se vende barato us seguimos armaens:
Rsia do Imperador n. 40, Verdadciro Principal.
m Rua do 4|iielnado n. 9, Uaio e Commerelo.
Largo do Carui, u. 9, Progressivo.
of"*^!

G Z.
ou no
o ine-
Xo armazem da rua do Imperador n. 3
Cae?, de Pedro II n. 2, tem para vender-se
Ihor gaz existente no mercado.
Vende-se um cylinlro, urna anssetra, urna I
balanca grande e nm dita pequea, com tolos o !
pesos e mais utencilios de padaria : a tratar na
ma Direila n. 21.
Vendem-se
machinas americanas de serrote para discarogar
algodo : na rua da Senzala Aova n. 42.
CAMBRAIA.
Cambraia de forro com 8 l|2 varas a peca a 1$,
e-t-.-e acabando : na loja da noria larga da rua da
Impc.iatriz n. 52, de Paredes Porto.
Vende-se urna taberna
Vista n. 12.
na prac da Roa-
a va'indo.
Francez barrica 5000
l'orllaud dem 8500
Era perfeito estado:
Francez barrica lOfOOO
Portland dem 12*000
No armar.cm de Tasso .'rmacs caes do Apollo.
Na (Hile.
Cheparam os bonitos chales e retondas de fipu-
re brancos, c vendem-se na roa da Imperalm n.
52, luja da port" larga, de Paredes Porto
Chales de renda
Paredes Pf rto. na rua da Imperatriz n. 51, porta
larga, vende chales de renda de cores c m MW-
no 11 ni.' de mofo, a 35500 e 4*, fazead* de M#
e 125000.

^^ % ar


Diarlo de Peraaxnfraco Sexta lelra O de Xorembro de <*.
NOVO
%^
'>?.>$ ^
AO PUBLICO
em o menor constran.
glmento se entregar o
importe do genero que
nao agradar.
ATi
os presos da eguiitt
tabella para todo, po-
tiendo aasiui servir de ba-
se para o ajaste de coma*
com os portadores.
ESTABELECIDO A BA NOVA N. 60
-AO
KESPEITAVEIi PUBLICO.
A apreciacao dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
cent da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento jde molhados,
que sendo em sua max;mi parte mandados vir directamente do estrangiiro'podem ser
vendidos por presos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de qaerer que este novo e intercssante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porra flanear, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
1.' Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3." Sinceridade nos presos.
As pessoas que por sua posicao social gozara de certo tratamento, adiarlo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos nissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condicao do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquelles que sao ponco favorecidos da sorte arao mensalmente urna economa de
maitas patacas, afreguezando-se nesta casa, nade se Ihes vender o arroz, o caf, a man-
teiga o assucir, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os seohores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que comprara para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhores que cnrnpraai para tornar a vender existe um sortimento i spe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhore>
compradores.
No se tera poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DINHEIRO A VISTA:
A Ghaixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
ALPISTA a 120 rs. a libra. Uma.
dem e painco de oito libras para cima a |
IOO rs. KIRSCH de Wasser a 2 a garrafa.
Arkoz de 90 rs. a libra a........ [,
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra. LATAS cora graixa a 80 rs. cada uma.
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o arco da Concedo)
PARA BEM DE TODOS.
Senhore
eza com que sen
ra dos teneros
ore." -rhoras, o aceie que presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que trido a nromniirtin i
iero rratii-tt nvida a uma visita ao mesmo, certos de que sem duvida me darlo a proteccSo e nreferpne a C 'r
s que precisaren e quando naopossam vir podero mandar seus portadores, anda qoeestesiam nmrn ***
^os sern taobero servidos como seviessera pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao afim de ouenio S
r?i
Manteiga ingleza especialmente escdliida a
l.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
Idemfranceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de i5
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l.Goors.-
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a ,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chourigas e patos a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o- rs. a libra, serve
para temperar panel I a on para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
2,ooo rs.
Aletna, inacarro e talhai ira a 4oo rs. a li-
bra e O.ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ou amarella a (4o rs. a libra e
3,5o a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito lino proprio para
engarrafar, em ancorlas de S caadas a
:io,ooo rs.
Vinho era pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
:42o, ioo e 5oo rs. agarrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e Seo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa eni caixas de I du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Lu'tz I, Madei-
raSeeca, Malvazia fina a (6,000,15,000,
12,ooo e lo,oooacaixaeom 1 duzia e9oo,
1 ,ooo e 1,5oo rs. a garrafa.
I Vinho Cerexde superior qualidade a 16,ooo
no em
Sal refinado em frascos de vidro com lempa
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas1
que vein ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 3,800, 6,ooo e 6,5oo a d-
zia.
Cevadinha de
KiV.l,
SEM KC4t.V M
Una o Huciiuado a, i e a*.
Continua a Teadvf h (s.- as a <;,.. .aa
declara por pec^oa admira vi>.
Massos de palitos lixatos para a-i
Espellios ue moldura.- Miinh .
Uout-l- du oliado para BMiii m* a i
Ditos de toara superior lw t da
Fraseos eom superior tinta i i ka .
Meiada de lioiia frea tai* i< n
Caixas rom 100 eajaloae,La ,,
Grutas de i cunas de a( .-/*
Grozas lie botes mare n.;.
; etiiis.
Caitas ion 50 coteilos de M ..
Caiaaecn saacriorts iiaismi
Picas de lila breara ti.-lira n i '.
Varas de franja de lia |ra ral
iu i-.
Baralhi s lloarados saaerien .,
Novelluf iie baba n m 400 j; cas.
Liros para as$nb de rooia b
Pares de Uies para juolu bri i
Terooras para eoslora>>peiMii
400 e 1.3.
Caixfls de peonas de t-a!I l- ai i...
1*000.
Maffos ron"' soperioret |iriii[>.
Parc i sapati de iianr- r \-..\r.
Caixa> n rn >upt i < res afotb.-.; i.
Liliias de lila sorlida: de lrr:i?>
Bjan ponco pratiroavi^9'1*8 o '" superiores tbiciM
li.dinl.i- romaltiotte frat>n.-
rs.

*

-
intel
com'
t> con. aii;Dtiet iraacize:
'i SO rs.
! -n as ,!e papel atoare a '.<:
Esrovas para n upa, lateada toa ;.
Dolas de tt tva tono'
600 r?.
Duzias do Caras e gar' de .;,. |
ralhi res muao fino para n i i
l!ni-iirss pira rrniir;. : .< i -
Dita^ e Tollas pura si lu ra ^
Prasn:
- -
romsoperior aaaai :\<
soponorotro babosa ...'
dem londrinos muito frescos e de superior a duzia e l,5oo rs. a garrafa.
franca muito nova, a 2oorsJ ..-',""':"'' ;-L'' Ml1"
Charutos do affamado fabricnte Jos Porta-
do
E
Londrino
P
6
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam : I-ir do Norte, Ma-
nilhasde Havana, inlervallos,Vencedores
Panatellas e Suspiros, a2,ooo,2,5ro e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das melbores marcas, a 8ooe
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de ara ruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Sif t/,
VeD je-sc o sitio m Boronat. a.
pella, n measa depfdra e tal. i.
ir !:ii,\ frorleinr, lana J> ra i

Matte.excellente cha para os navegantes, a
Avellas a 240 rs. a libra. Letiua a iOO rs. a libra
Ameixas francezas em latas manhos. MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
dem idem em potes de todos os tamanhos. I qualidade a 1$, a libra,
dem idem em bocetas de todos os tama- Maiihelada dos mais acreditados fabricantes.
unos. Macarro e taliiaium a 320 rs. a libra,
dem idem em frascos de lodos os tama-; Massa de tomate a 6tO rs. a lata.
unos. iMostaiida ingleza a 800 rs. o frasco.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Alhos a 200 rs. o molho.
Absyntho a 2500o a garrafa.
em latas
a lata, e
2-OOO e
BOLACIJIMIAS do Beato Antonio
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a 13800
de cinco para cima a 10700.
dem de soda em latas grandes a
de cinco para cima a 1^00.
Bisoorros inglezes de todas as qoalidades a
1/5200, 10250 e 15300.
Bolo frincez era caucionas a 400 rs. cada
uma,
Batatas inglezas.
Bamia de poico refinada.
C
CHOCOLATE francez a 600 rs. a libra.
dem suisso a 10 a libra.
dem de musgo a 10500 a libra.
Cuoubicas muito novas a UO rs. a libra.
Caf a -2 iO e 260 rs. a libra, e em porcao
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 70000 a ar-
roba.
Conservas era frascos a 320 is. cada um,
so muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Chabpe de grosella, orch.ua, etc., etc.
Clocaras e pires a 10600 a duzia.
Cervha da superior matea Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz gratule aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e deoutras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'IIavana, Exposicjo,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, hegalia, Mississipes,
Panetellos, Apraziveis. Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qjalidades e de todos os
presos, hysson, hux m, aljfar, preto, e
preto pona branca, etc., etc., a 20000,
202"O, 20560 e 2;>8C0.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 20300, 30300, 40 e 30.
Cauces de todos os tamanhos.
Cognac superior a 10 e 105Ou rs. a garrafa.
Cigarros do Ilio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinhos.
1
DOCES de todas as qoalidades: brasileiros,
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc.
E
ERV1L1IAS seccas a 120 rs. a libra.
irvadoce a 400 rs. a libra.
F
FAUINIIA SS S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de aramia a 320, 400, 500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
Felio verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 600 rs.
Fdmo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano era latas a 10.500
Farello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
Mostarda ingleza a
Moi.no inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a .
Massas finas para sopa branca e amarella a
60 rs. a libra, era calzas com 9 libras a
35500.
Mii.no painco' e alpista, sendo mais de 8 li
bras a 100 rs.
\
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Ostras ingle/.as e americanas.
I
PEIXE em posta, latas grandes, a I0COO, de
todas as quididades, como sejam savel,
goras, corvina, parg", sahnao, pescado e
pescadi'iha, linguado, sardinha. etc., etc.,
Peras em latas, excedente preparacao.
Palitos para dentes a 120 rs. o mam muito
grande. *
Passas era quarto a 10500.
dem mi.ito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra.
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem hidrinos a 800 rs. a libra.
QUARTINHAS OU HORINQ0ES a
II
RAPE' Mearon a 10 a libra.
dem Princeza do Rio a 10200 a libra.
dem francez a 20500 a libra.
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 25.
Saiidimias de Nantes de todos os fabricantes.
Idem de Setubal era latas muito grandes a
720 rs.
Stearlnas a 600 rs. o maco.
Sag muito novo a 100 rs.
T
T0UCLNI1O de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate era latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
qualidade a 8oo rs. a libra. Sardinhas de Nantes a ioo rs. os quartos e
dem prato a 8oo rs. a libra, e inleiro se faz | 64o rs. as meias latas.
abatimento. Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
dem suisso o mais superior que tem viudo barrica e 320 rs. a libra.
ao mercado a 64o rs. a libra. ; Bolachinhas de soda em latas de diversas
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas qualidades a 1,3oo rs.
em latas hermticamente lacradas a 64o. Cartoes com bolo francez muito proprios pa-1 Banda de porco"refiDad
Feijo verde muito superior a 640 rs. a lata.' ra mimo a 64o rs. Bolachinha Alberto as
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
rs. a duzia.
dem idem para vinho a24o rs., e 2,4oo rs. Passas de carnada
a duzia. a libra.
Chocolate francez *espanhol e suisso a 9oo,|Figos de comadre a 24o rs. a libra.
l,ooo e l,2oo rs. a libra. Amendoas de casca mole a ioo rs.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li- Milo de amendoas a Soo rs.
bra e em caixa se faz abatimento. Bolachinha d'a;,nia e sal, da fabrica
iliio. Trrlim so pein.nia or r
irsiisr na ra No?a r. 55, m r
Cadeia n. X
Vi-noV-se uum el aaalc a m
: oru ola, de daift- -il irnos, p. ii-
'e i niii i.i,i : na iiiv-s.-a !. Car
Penna- de 11... di Moate i.
vonde-se na na do Vigari r 21
eriptorio*
i
I
.
ra
- Vi
R o ll
da o nrordi
T..t--.-<; 20 moradas > i
is bem ronslroida, ra aoa l *
para mimo a 3,ooo rs.
a 8,coo a caixa e 4oc rs.
a ibra.
2oo rs.
Sebollas de Franca mu i lo grandes e novas
a l,8oo o cento e 1,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a prosa.
Toucinhode Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
a a 65o rs. a lijira. | i.n: iuo .th.:."
melhores que pre-' rfirija^n aCapoaga, ra di- Cr
sentementetera vindo ao mercado, a 2,ooo a,hsr com
a lata.
Parir ha fe fcTai'irra "
Tim para wtv le And ai Lm l
dn i\ r... im s*-u psrripiorin
('! ni tratar.
roa ; I .1 ; I 1
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e I,."ico o frasco.
Caixinhas com finetas em doce secco de di-
de Joao! verana tamanho
MG( BAO U KAB \
Peixe em posta em latas hermticamente la-1 de Rrito no Beato Antonio, em lata de 6 li-1 mimo, a 1,60o, 2,6oo e 3,8oo cada* urna!
Ruibos, excellente f-eixe portuguez, em
eradas e das melhores qualidades de pei- \ bras por 2,Soo rs.
xe a Soo, l,ooo e l,2oo rs. Ameixas francezas em Parco de vidro com
Vinho Bordeaux das mareas mais acredita-; lampa do mpsmo. a 105oo.
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e Ameixas ranc zas cm caixinhas de diversos
tamanhos com bonitas estn pas na cai-
xa exterior, a l,4oo, l,60o, 1,80o e 2,000
cada uma.
W
VINHOS
!!I
Principe Alberto, de 1831, a 50000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho seca) a 20 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 10500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 20 a garrafa.
Duque a 10 e 10500.
Charaisso a 10, 10200 e 10500 a garrafa.
D. Luiz a 10 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 20 a gar-
rafa.
Carcavelos a 10.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posiejio alguma.
Lanterue a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Juen a 600, 800 e 10 a garrafa.
Absyntho a 20 a garrafa.
Kirsch a 20 a garrafa.
Wermouth a 20, e a caixa a 180.
Bitter Maurer a 10 a garrafa,
Vinho figueira em aocoreta a 200.
dem Figueira e Lisboa em pipa a 20500 a
caada.
8,000 a caixa e 64o e 7oo ris agr-
rala.
Genebra de Hollanda ."48o rs. a botija de
conla certa.
Frasqoeirasde genebra de Hollanda a 6,800
e Uo rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a 1,00o o 11,00o rs. a frasqueira. [ Conservas r lezas
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. ali- 8,Soo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. JVassouras deescova para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. ali-1 4oo rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. Mozes muito novas a I60 rs. a libra.
Arroz do Maranhao do Ia qualidade a ioo Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
rs. a libra e 2.8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. | a 800 rs. o frasco,
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,ioo a ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
4oo rs. o frasco.
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco
Azeitonas de Rivasem ancorlas grandes de
8 garrafas por 600 e 800rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas ?, Soo rs. a garrafa e
l.ooo cada uma ancoreta.
Azeite doce refinado hespanhoiou portuguez Champagne da mellmr qualidade que vm
a 9oo rs. a garrafa e i0:000 a caixa. ; an mercado, a 9,000 c 3,5oo a garrafa e
Batatas muito novas a 80 rs. a libra e2,5oo i 24,000 e 26,ooo o gigo.
o gigo cem 36 libra Gomma de engommar muito alva a 12o rs
a /5o rs. o frasco ei a libra.
roba.
Painco e alpista a lio rs. a libra e i,000a
arroba.
Massa de tornatesde superior qualidade a Rio
rs. a lata de uma libra e36o rs. a reta-
lho.
sjJis.3oi --, ST o ~> as S"
Lentilhas francezas, excellente
sopa, a 2oo rs. a libra.
Marrasquino le Zarn propriamente dito a
! -' garrafa \ < .000 a duzia.
Palitos de den*e -i I io rs. o maco.
Figos emsextinhas a 80 rs, cada tima e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,000 a resma.
Balaios para ronpasaja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confekadas a <\\o rs. a libra.
Latas com fructas em mida: pora, pecepo,
damasco, rainha Claudia e Cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garsa-
rlLUI'UrlU iM
Na li p de Aadrade A R'?' 1: t.<
esquina da roa do fmpeador, nti im
se supi rlu alodio .n aii
m 1 uira iinalqocr aarlr.
la por 1

i:in Afi'SruSi*
vrndr-se om n brado de bbi ai
ti.mii' i- morado, ra ntl i 'i :i .,-
na ra Dtrtia di A 1...0 7 .
Laurino de Moraei Pn ruin, aa iu
inoro 47.
A
I J I I

Fofa do enafnho A;i j- r
rifo ii Sanio Anta -<


egume para j fa e a I, loo e 2.000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a '1,800 rs. a caada
e 6iO rs. a unrrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 000 rs. a
garrafa.
n 1 Prann lino, de i> a K m -
n r bi 111 1 > la, 1 ;.| -:. -i ..
sol 1 ann Ibas a qo< arta, 1 r..
li.-l t? .li .--ii 1 (,. 1 1 ,-.. 1 |i 1.i .._
ti ioo> rgul r-s di ota ra :
baiha ftch;iria. rorp-j pealar, i-
grossi >, n Dito iiulii o qi an a 2 aiuu>, ivr lula, i > c
testa, sobranrelba 1 o 1 r< lu. i ;
d 1: iri -|ri sso, borca 1 ..n-i..
muiluT do 111.-mu Franreliao,
no ma d. 01 rn nii- n ?. i!i i nial
du abaixo a>-fgnado, Inlor Boa w
i.lni id 1 di nte:ror< di i Xaauel D i
n f se a qu 1101 r ai
ou qoaeaqi er i atr; o i
1
-,3^
C
s:-2asaa'3!ii
-Bfi'a.R'gls
g g-o a.S Sg g.S^T=
^r 3 ^?sr"
;=L!tr3> o. i
0 2. 3 =; ~ 3 ro
de
lu
trabafltar nio para
8esc;)i*ocar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAl
p 3 =>
-^ S o
CD
00
CA
S"3
O

'J4
o

-I
09
z >
a> ir-
ca>
3
ia
3
$
w
2.
ce
O
3
tvt ogra-
Tcstamentos em verso.
Conlinuam a estar venda, 1 a
phia dr roa do imperador n 15, defronte
de S. Frunc; co :os testamentos da Gali-
nha, d<. Gilo, do Porto, do Lefio, do Gato,
do Pe. do Carneiro, da Ooca Tigre, do
Ci, da ryena, do Hato, do Orangulango.
do Macaco, do Burro e do Vigaiio ; a Peleja
da Alma com o Di.ho, a 160 s. cada um,
e a IOU rs, a quem comprar uma collecclio
cem leta 00 2o; carias de ABC, tabobda.-,
de algodao'sec catbecismos, economa da vida humara.
estr.a?ar. HJ:! cartilhas, Siman de Nantoa, Bit lia da
sendo bastante
duas
otraballio, KUu. ,
descaror^ar um: j p?ra tmbtr ue de csiravos, despachos pera
arroba de lf^la alfandega, papel almago pautado e pinla-
em AiS^ ^ dediwrsos formaos, sendo o peque-no a
ou 1S arroba? i ? rs- ;| f,jlna. immediato a 40 rs., e me-
por dia ou 5 ar- dio a 50 rs. e o muio grande a ^0 rs. :
["mnA de a,irod5c j PaPel marroquinadoe lustroso grande e pe-
' queso ; papel para mpressao de uma s
Estas machinan
podemdescarufsr
qualijuer especit
porlantu
di ramp
hpn^;i'J dos ditos esrraos, pela ra
os ltimos serio bem 1 ei a>peK-a -
l -: i f' A: > de i|'i.iisi|i!pr ''
ii iu de f./. 1. 111 autu sttm
_________________J Vi,': ato 1
AUi' Ol l.-.-i 1 ,. Dftl Bl 1 j .
Dhent, no da s do currrnl 1 1
Diulatioho sraborlado 1!^ n. r > 1
MMa. o i" \'; Minos de idi de, p< on n
ror rlai al h con ii t, di ti -
desfarcado. levoa vestido eaatia ~
raira de nsi ido e ri -\ o de ui
foi nnpr.d ao Sr. Cieilfo de t <
r:uii r in <';.rir< n--\ -. : lo Sr
Gniliiirin ip Barros, Dicradoi n
este vi ndide ao al aii ssiftad I
lalioho !..i\i z -o Pula ial li h do f<
(.un r; 111,. y prorare rrgair para
rea : a pesso qt p o apirefteader 1,
ticia DSjiiflie raceabo, as aaaao *: n*
ti n
I
Desia cidade
penerosarr.ini
- Sis. Cuaba,
icci mpensado.
lm.. & C .
o ha1 ta t 1 >,T1" Qe N3IltDa' M lia (la in"
ipessoaspara f;inci;; "MOKeriptOS. traslados, pautas, | ro-
ibalho; pd* curacoes, apndaulas, Icilras, contecimentos
limpo.
M

Sellins inglezes com berrendas e lisos, silhoea
para montana de senhora tarnbem iguaes, chicotes
para carro e cabriole!, e para montara, todos de
baleia, fundas com elssticidade para ambos os la-
dos, e onlros muilos objecios inglezes, e brides de
Ipojuca : todos estes objectos veode-se na
Cadeia do Recite a. 31, ioja de eJieiro.
Camb raas.
Parede Porto vende eambraias lisas finas, gran-
de soriiinento, a 3 al 6J, ditas Victoria muito
finas, com 10 varas a 65, 65oo e 7 : na ra da
Imperainr. n. '61, junto a padaria fanceza.
Clitiiicm aos cflrpinhos de cambraia
Vendem-se corpinhos de cambraia com enlre-
meios a 45 e 55, eslao se acabaudo : na Ioja de
ra da Paredes Porto, ra da (mderairiz n. 32, poria lar-
ga, juo.o a padaria franceza.
J~
Tasso Irmaos
Vendem no sea armazem roa do
Amoi-im n. 35.
Lb'or fino Curago era olijas e meias botijas.
Licores linos sonidos em garrafas com rolhas de
vidro e em lindos frascos.
VinhosUheres.
San ternes.
Ghamberlin.
Hermitage.
Rorgonhe.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniol.
O castelJo de Gfrasville.
Traduzido do francez por A. J. C. da Cruz.
Vende-se este bello romance em quati i D0 no,el de Franca,
tomos pelo baratissimo preco de 300(
ua praca da Independencia, livraria ns.
6 e8.
Assim como maclimas para serem movidas por'Cr 8ra"d* e pequeo ; Virgilio, Horacio,
animaes, que desdov-am 18 arrobas de algodc.! Salustio, Magnum Lexicn, prosodia, tlic-
limpo, oor dia; e motores para mover uma, duas,! cionarioa frncez-poitugiiez e %ce-versa
Ts'metrteTp'rvender um bel.iss.mo v, S^ ^^ e o,urusmui es livros, bem
porque pode fazer mover seis dess machina Cf'mn Pm hriir"'' de U,d os tanMnIlOS.
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examma-lo, uo arma-
zem de algodao, uo largo da ponte nova n.47.
Sauoders Brothers &C.
N. II, praca do Corpo Santo
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
Flvellas de cryatal.
A Ioja da Aurora na ra larga do Rosario n. 38
recebeu riquissimas flvellas de crystal para cintos,-,
ditas de madreperola tambem de muito boa quali-'
dade, tanto graudos para senhora, como tambem
pequeas para meninas, recebeu larobem fivellas
douradas com pedras,ditas douradas lisas, ditas de
bfalo, bnloes de vidro a milacao de crystal para
collele, ditos de crystal muito finos para collele, bo-
t5es de osso pretos para caifa a 120 rs. a groza,
cartas de alfinetesa 100 rs. a carta, requissimo sor-
timento de fitas de todas qualidades isto ludo s na
Ioja da Aurora na ra larga do Rosario n. 38 de
Lopes Si C.
Esciuro fgido.
Fugio da Ponte de CcMa m darn
preto iii' ulo.de DOBM Bajmundo. r- r al
ter 30 anu s. dp altura refalar, riel du r i
rabeca comprida, Parla di baba aa y i .
paseo largo, lei u rantse de eMtt. r!cn 1. o
cas, jai,lula do paunu pnlo. rh.po ;i i. '., (
e mais una tnuxa coate ada roaaa ( bm t um
leofol de algedaoriabo. A lao.-.r.'
Btrifp, de >up|or que segante .
Campioa Grande, d'oodr natural : e'inn ii'n-
ra-lo on delle dpr noticia. ra re iaa> aa
largo do Corpo Santo n, 17, 1 ano.ir.
(iiilific;i(o le iis
Ansent n se ra rasa n. .:>9 da rui da 'mper'kit
(ooir'ora Collegk)) no Mbl.aiio 16 eo i.
i e .- n hu ii I8f>.~, o pseravopan!
qoim. com os sigaaes segaiales: s'sora i
idadP 18 a 20 annos, sen> barba, f* |rr<
piainles, rabeifc) corrido, com urna iht car-e*
p beta visivel na testa, parte dos d>ai< tVraai
arrulnadi s, e eom falta de algun> do I
rom calca d-- brim pardo p pal.i. | i
mas levnu mais roupa branca p dp ro>, i
a>inrloso. cosiiima intitular-ee fcrroi
v'ado ; f i tsrravo do 6r. (luilhein 1"
Sonta Carvalho, gpnro do finado Ir i
Manopl Gon^alvp.s da Silva : roga-?p -w: i -plora
a todas as animidades peWeieei > i taaaaai l
pito dp campo ou nutra pessoa aseaifaiaf qiwa
apfirphenlpr se grauaraia com SIJ. ah dea :Ip-
lip^as dp eoadoCfio, entregando-o a Miguel Jos Airea, na casa cima, ou no spo ea>
acaba de recener um lindo e magnifico sor- eriptorio na ro da i>uz ea
Fraincisco Jos Germano
RA NOVA N. 22,
Vendem-se quatro burras mulo mansas, boas
de carga e de seila, por pnco commodo : a tratar
timento de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado posto da Europa e ocu-
los de alcance para observaees e para os
martimos.
CiUlYIH
Vende-se om sobrado de dous andares no
I airm dp Santo Antonio, o qoal rende para mais
de 1:2004, e uma casa terrea no bairro da Roa-
Vista
zem na
imperiaes, em estado
Vendem-se palmeiras
de serem transplantadas : no sitio murado es
querda, depois do becco da Esptnbeiro, nos Af-
flictos
Luvas de tJouvin.
a trata/ enm agente Olyrapio em seu arma-1 A '"Jf de miudezas n
a ra da Cadeia do Recite n. 34. do n. 16, resebeu-as poi
A ioja de miudezas na roa do Queima-
este nltimo vapor,
1
*____r
i*?
VCIltl
cha
No dia 20 de settmbro prximo paaia fa-
gio do engenho Terra-preta, doabai^o ;.vigna-'o, a
esrravo Juliao. crioulo, de altura refalar, ai
de 30 annos de idade, puura harba. tem ns i > b.
fedos p pernas, muito fallntp. at m fax noca,
tem o dedo polegar de nma man ra idi pan Va-
tro, anda com uma carta fechada, do tnpr>!p i
nel Amaro Gomes da Cunha. apadrinhar,rt o. atra-
ca foi surrado este escrao, fui ha muito r. n m .(j
a hoctia Lima e (iuimaia-s : qu^m c- ppgar ipte ao
mesmo engenho ou no Rerife a' ru* da P,.da a*
Alexandre Correia da C. Jonior, ijoe m bpm re-
Vende-se riscadinho francez a 200 rs. o covado, compensado.
por ter grande quantidade, esla-se acabando : na Alexandre Correia rfp Ca'tro.
ra da Imperatriz n. 52, Ioja da porta larga, de
-Paredes Porto.
Breu em barricas pequea
Cera em velas de todos os Umanhos.
Bogias.
Mercurio.
Na ra do vigarto n. 19, primeiro andar.'
No da 31 do passad ogio a e-rrav* Cstaa-
tina, parda, alia e magra, qne penearpo an Sr.
Amaral, empregado na reparticao do sello; "Ma
escrava foi no dia Io do correntp qopixar se ao Sr.
Dr. dplegado por ter sido castigada : qnem a pe-
i gar e entregar na ra da Cadeia n. 62 se- beet
, recompensado.


%
filarlo de -crnamDnco Sexta icira i O de XoTeuiht
"; TI ?"< 1 S! '{fi Tt
x'EaiiuRa.
0 niyi5J das Tesmeatis saeerdeUcs o dos mo-
vis da igreja.
I
Veslhntntat sacerdolaes.
(Conelusao.)
O palito um cruaineuio formado 'de duas fa-
xa- de las, da largura do tres dedos que. pendern
0,0a peilos o as costas rodjand> o pescocee
i gam-sc por tres extremidades cora alfinetes do
guarnecidos de pedras preciosa? : a parle
qu" cobre o hombro direito, flea tolla, p'irque a
nao direita devo estar vre para dirigir, obrar,
abencoar e distribuir. Ou antes porque o palito,
reducido presentemente urna simples bordadora,
i ra itr'ora uoi manto completo que se ergua
n hombro, para deixar a mao livre. Elle tem
umi erasen cada xiremidade. Os palitos sao
letios de um estofo Fabricado as segointes oodi-
Vi--. Os subdiaeoaos apostlicos fazem escolha
iwla fosta de Santa [gnez de dous eordeiros de
grande alvura. Pela inanbaa, os coodazem ijre-
.1 dous actales subre um cavallo, passando
p.-i.. praca de S. Pedro por diante do palacio do
V. .MMoo, onde o papaos abencoa tl.i >ua varan la.
Ut.-.,:atos igreja do Sauta Iguez, elles os entre-
aos conegos da baslica, que os aiiresnlim
:r por occasio do Agnus D.-i. Depois d>-
i de doto pelo celebrante, d.n:- couegos da
iisfliea do S. Joao do-Latro os conduzeo e p em
guarda dos subdiconos, o- quaes sao obri-
Sjtfas a cria-tos em um recinto destinado a este
particular. No tooipj da tosquia, a lia oou-
'i... as religiosaA^i urna das c un nuaid 11 le
II u, que a Mam e fabricara umi pega de estofo,
: mal serve par.i cobrir o tmulo do S. Pedro du-
; 11 o cauto das vigiins da festa desle apostlo.
N i da seguinte, por occasio do officio, o papa
...... i-a com grande solemuiJade no altar interior
la baslica, contiguo ao sanio tmulo. Depois de
tir aiiid.i passado urna uoite sobre o tmulo,s a
fecha dentro de um armario eollocado' por cima
..Jeira de S. Pedro, e ah ti;a at que dalla s^
f toara palitos, proporcio que val Inven lo pre-
:-., de novos. B d'alii veera asexpressSes de
1 i -e serve o soberano pouliBce enviando o pal-
io i um arcobispo : S. PeJro cobrio-se com esle
maulo.
Uegulirmente, o areebispo, o patriare ha, o pri
mar. nao podem exercer as foncedas dasuadig-
u.dade antes do teretn recebido o palito das mos
uo papa (pontif. romn.); tambera devem solltct-
i a remessa depote da sua promovi,sem demora,
retiradamente, e rom grande instancia ; instanter
istancius,tnstantisstme, segundo o uso admittido
l.ii seinelttante caso. Sua protbogao a uovas fuuc-
ges exige una segunda remessa de palito.
tille expedido de Koma sob um trplice selle,
i i ni lili o em uoine do papa e da santa igreja
romana por um prelado da orden mais elevada,
especialmente delegado para tste fim, e o novo
dignatario presta em suas naos jaramenlo de flde-
iidad a igreja romana e a seu ehefe, aiada mes-
rao jiiuJo ji o tivesse prestado urna ou mullas
vezes.
f) papa Symmaco, no cmego do stima seculo,
BVi i o palHo a S. Gusano, arflehispo d'Arles,
que creou seu legado as Gallas; <> papa Vigilo,
um dos seus suceessores ;ia cootinuacio do mes-
mo seculo, euviou-o a Auxeucio, igualmente arce-
b.s,;o d'Arles, vigario di Santa Sede. O n-o d-
dalo aus arcebisius nilistiuolameole e por excep-
tan a alguus bispos, nao se generalis .u senao no
Qm do oilavo scalo ; mas o uso mesmo do palito
muito mais antigo na igreja, pois qoe o papa
>. larcas coucedeu ao blsp-j d'O^ua odlreitode
>ei rii se dellu na consagracao dos pontfices roma-
privilegio rato reservado aos bispos d'Ostia.
P tanto u palito o apaoaglo exclusivo do papa,
b: .ipra.;eu cooced-s-to com um favor aos
grandes dignatarios da igreja, foi com o Qm de que
illes'parlicipassem, sob certas dimensdes, da sua
diguidade e poder.
Ta.nbem enooutra-se o uso do palito na igreja
l'iiii', mas com ama significarlo iliffor.nt--.
Fot Constantino o primeiro que o deu, dizem, como
j i. igual da sua protecc) tutelar; a prteeeao
degeoerou em mua tutela. Nenium prelado
poJeloma-lo ou traze-lo sem a permissao do mo-
narcha ; S. Gregorio ped i ai imperalor Mauricio
a psrmissao, em favor do patriareha deposto Anas-
lacio o Soaila, de celebrar em I', ima com o palito.
No ente, f.'i portante unta in-igoia potinca ; no
ii idente, nm lago Jo ortbodoxia.
Ele maulo de la branca sobre us hombros de
U'it pastor de almas reeorda e significa Jess
Cbristo, o bom pastor, conduziodo ao aprisco as
ftvelrias desgarradas, diz S. Iztdoto de Pelusa. A
cei eniuuia oj cordatros beatos no da da fe^ta de
Sania Iguez, e apreseulajjs ao Ajutu ei da mis-
sa, nos parece ser urna dessas piadosas allusoes
em jogo de palavras de ijuo tanto gjstava a idade-
mudu.
A signiBeaeo de aiguur.s destas iusigulas de
tai sorte Uetormiaada e t) imporlaote, que se
elova para a igreja a ordem das qaestdes vttaes,
ei i qae deu lugar, uj undcimo e duodcimo
.. i, a essa meino^avei controversia de investi-
duras, i|uu caosoo tantas perturbacoes sob o pon-
lilleade de S. Gregorio VII, de Vctor III, de Urba-
no II, do Paschoal II, de Calixto II, ensanguentao-
do o itupe io e causando as desgracas de que foram
Tictimas os imperadores Ileuiique IV eHenriqae
V. Sob pretexto de feudos e de beus e rditos
unidos aos cargos e diguidades ecclesiastieas, es-
tes piincipesa nada menos pretendiam que a dar
a inveslidara aos prelados pela remessa do bculo
e doaonel, signaos da seu poder espiritual, us
papis roaisuram com urna energa que a historia
regislou elles resistirem at o tnarlyrio, e isto
nao Ibes poderla servir do objecto de Honra era
de censura, pas que era ocamprmeald de ura
rigoroso Uevcr. O bculo e o anm-.l dados pela
mo do principe, represeutavam o poder de Cesar
e nao o poder de Chrisio ; nao havia mais igreja
catbolica, mas urna igreja poltica da qual Cesar
seria o papa. Us historiadores de urna certa es-
cola se acostamarara a infligir nessa occasio urna
iguominia pretendida arabicao dos papas, e, em
Fiaoea, eonstrangidamente, se (.ermittido, que
diio a Gregorio VII o titulo de santo, que a igreja
Ihe confera Ha menos de mcio seculo, que se
concedeu licenca para imprimir, era l^aris, a mis-
sa de S. Gregoiio VII era um missal romano. Luiz
XIV nao a tolerava. A conelusao que a verda-
de acaba sempre por ter razao. Isto seja dito
acerca das vestimentas sacerdolaes.
II
.Vots da Igreja.
Ha um mivel que ten Je a desapparecer das
Bostas igrejas dspois dos coretos e tribuoas ; a
estante do eflro. Nao lamentamos as tribunas :
e>ias desagradaveis e masslcas arcadas offendiam
tanto ao golpe de vista quanto eram pouco neces-
sarias; tambera nao trabara raizes na anliguidade
christaa. Os crelos sao mais amigos, sem toda-
va se remontaren) as fonles do chrislisnismo. Ter-
se loa podido conserva-Ios e tirar delles bom pro-
veito para ornato de omitas igrejas, cujo aspecto
tao pobre e n. Dentis, em lugar de se can
larein in plano a Epstola e o Evaogelbo, como se
pratica boje, deveriam se annonciar de um lugar
elevado, nao s para que o povo os podesse me-
lbor ouvtr, o que a razo material, mas tambem
' porque a palavra de Deus, vinda do co, e que
deve se impor a tola a inlelligencla humana, o
a razo mysiiea. Desde, o miarlo o quinto seculo,
ea delxava d^scer de urna tribuna sobre o povo;
e por Isto que se tinha accrescoalado aos cantos
litrgicos o gradual e a passagera, aflm de qae
nao bonvesst inierrupcao em quinto o dicono e
seus acolyts fe probarivarn para a leitura do
Evangelho e subi n lentamente os degros. Esta
addic3o liiurgi,-, levo ser antiqnissima, poisqua
j, no qnarlo secuto, o poeta Prudencio falla nos
degros pelos qu es se ia ter a tribuna que nesse
; lempo nto differia da caJeira :
Fronte sub adversa tjrabus sublime tnbnn al
Toilitur, antista padicat nade Deum Porm,
supprmido u eqreto, o gradual nao tem mais razio
de ser. E'assim que outr'ora lulo eslava em rela-
co na sauta liturgia. Presentemente raudara-se ou
supprimem-se usos, cada um sua guisa, e nao
existe mais o equilibrio : at mesmo muttas vezes
nao se saberla dizer puque as cousas se fazem
desie modo, ou aoies porque ellas se fazem.
A cslante-do cOro nao um movel litrgico; po-
rm o? uossos aatepassados souberam liio dar urna
forma symboliea em relacao com o seu destino.
Outro sim, melhor lalver do que o celebre telramor-
phe de Vatopedl, ella repre quiel. As tres liguras do hornera, do bol e do leao
alados formavam ura ponlalete triangular acuua do
qu.il se elevava magestosameota a auta de azas
ni io alienas, ijuo servia, ella prjima, de apoio aos
livros de cauto: (:/ (tries aquita desnper ipsorum
(Ereeb., 1, lj.
Como symbolo dos quatro evangelistas, esta es-
culla e disposicao nao erara menos felizes, pois que
a estaute o lugar d'ondo se elevara para o Eterno
os cantos sagrados, compostos na maior parte de
palavras evanglicas e do nassagens pedidas em-
prestadas as propbecus do Antigo Testamento, do
que o Evangelho o complsraento. t E os quatro
animaos, diz S. Joao, completando no Apocatipse a
visito,de Ezequtel jamis liubam repouso,nem dedia
era de noite.mas celebraramsempre os louvores do !
Deus Omnipotente e tres vezes santo. (Apoc, IV, i
8). Que emblema pois mais conveniente do que este
para se neniante uso ? cima dos tres pri teiros '
bvangelisias, S. Joao se elevava como urna aguia
que val beber e.u sua fonie a luz, e levar at os
cus a supplca e adoraedes dos mortaes. Vimos
essas amigas estautes; allinnamos que o eieito era I
bello, e a ioteocao ponhoravel a priuuira visia pa-
ra aquelles a quera a Escriptura Sagiada fami-
liar. Mas, por causa de mesquinhos motivos de
economa, supprimiu-se o p syrabolico; s ficou a
aguia, que nit i traba nenhuma razio de ser, sola-
da desto molo; depois, nada miis coraprehenden- :
do, se Ihe poz uos tenaces urna serpete, que all
uoservia para COUsa nenhuma; e emflm acaba se
de upprimir aguia e serpete, o que tambem'
bom feito.
Se a estante nao seno um accessorio, e nao um
mov-IJlturgico, nao succede o mesmo cora a pia
d'agua benla : esta reinonta-se a origem do enris-'
tanismoe-tem urna sigaificaco toda symboliea. a
pa uraa contiuuagao dos usos judaicos relativos
as ablucdes legaes. Foram originariamente gran-
des cubas de pedra collosa las debaixo dos prticos
ou a entrada das igreja, as quies cada mu dos
Res ia praticar puriQcaCoes.aoles de entrar. Foram
algumas vetes frates e piscinas dispostas parto das
igrejas em vista d i mesmo uso.
E quanlo a agua benla, esta estabelecido que a
sua origem de institaieao apostlica. O antiqois-
Simo livro de iaslituicoes apostlicas, attribuido a
S. Clemente, faz menco di agua beata e do sal
liento que se botava uella.
O papa S. Alexandre 1, que senlou-se no thro-
no apostlico e:n IOS, eoosagrou por lei o uso em
ipie eslavara os fiis de conservar a agua benta
misturada con sal para aspergiroin fuas casas
(ConU apost., VIH, 29,Acta S. AlexandnJ. Uraa
homila de S. Chrysostomo acerca do Sacramento
do baptismo, uw ensina que ora eir.o uso imme-
mortal berazer agua a (i do jaueiro, era memoria
do baptismo do Seabor, e consrvala as casas
durante todo o resio io ana), e sa observava cora
piedosa edideacao ijue ella uuuoa so eorrotnpesse,
qualquerque losse o tempo desdo quando se aguar-
dasse. Poilauto nao so pidona por em duvida a an-
liguidade dos Usos relativo- a agua boma.
Mas e fcil da compreUuOder que a agua das cu-
bas de ablii'.-.je; per den Jo proiuptaineule sua lim-
pidez, pojio qae atada propria para qeopbitos ju-
dos" acoituiiiaJos com laes usos, do>'ia inspirar
uraa grande repugnancia as pessoas criadas em
outras condicoes. Por cunseguiute foi preciso pra-
licar as persoes que substiiuissoin as ablugo.'s, e
para nao sopprimir estas intoiraraoute, dispor na
entrada dos templos christaos em lugar de cubas,
mais modestas pas oudo cada ura podes-e moltiar
a exlreraidade do dedo e aspergir-se a si proprio
fazendo o sigoal da cruz. Mas eotao tambera as
pus uo estavam reduzidas a forma vulgar e raes-
quinha de uraa concha pregada n'uma pilastra ou
oa parede ; eram vasos elegantes, solados, postos
no transito e que nao se precisara procurar. Orna-
vara-se de symbolos e Inser pedes, como esta de que
me record NIYOANOMHMATAJHMONANOYIN.
Lavai a vossa cousciencia, e nao somonte o vos-
so rosto.
Elles obstavam a passagera, e por isto os fize-
ram desapparer. Mas os pilares tambera iocoramo-
dara em urna igreja, e os movis em urna cmara;
porque sao admiliidos ?
Tentou-se recntenteme vollar amiga tradic-
gao ; nao foram felizes os ensaios. Vimos Oous ao-
jos encostados a parede e aprimando a concha
aos que entravam. So a forma graciosa, o pensa-
menlo pueril e ha falta de symbolisrao. Anjos
transformados em dadores de agua bsota I Pois
nao I E que significa essa concha? Porm se la-
mis houve urna obra extravagante, cerlamente
a pia de Saiut Grmalo l'Auxerois : tresaoequenos
vasos, sempre com a forma de concha, sobrepostos
tres cupidos collocados de tal sorie que, de qual-
quer lado que alguera chegue, fita os olhos no que
nao licito encarar. O grupo uraa pequea raa-
ravilhaartstica, mas temos a sua preseoga por in-
juslidcavei em urna igreja, sendo o seu Ii n inquali-
ficavel. Pobres artistas I E quaado os vossos cu-
pidos fossem, como o dizeis, as tres virtudes theo-
logaes, o que teriam ellas a fazer em uraa pia, an-
da mesmo quanto estivessem vestidas? Alm de
que falhou a vossa obra, porque se ella bella,
muito bella quanto s formas anatmicas, uio
conforme com as regras da esthetica christaa, e pro-
va nicamente que leudes mais amor pela nudez do
que pela sciencia da religiao.
Sinos. Julga-se qae foi S. Paulino, blspo de ola,
no fim do quarto seculo, quem inlroduzio o u*o
dos sinos para chamar os fiis orac.o; mas uao
possivel precisar este uso, e a principal razao se
tira da semelhanga dos nomes : ola, um sino, e
ola, a cidade de ola. Os pagaos se serviam de
sinos e campanhlas; tambera os Judeus, e, deraals,
estes convocam os fiis ao templo pela raanbaa e a
noite tocando um iostramento chamado a migrepha,
cujo som se fazia ouvir alera da cidade de Jerusa-
lem. Portanto os ebristao nao precisaram nada in-
ventar nesle genero.
Como quer que seja, a igreja cedo cercou de um
grande respeito esse sigoal, que se tornou o meio
de commnnicaco entre os fiis e o pastor, e des*
l'arte muito promptamente tornou-se o sino, para
cada familia, um amigo cuja voz soava mais ao co-
o de t9
racao do que dos oovidos porque se Ihe enslnou, O quinto rapaz, que era mais oco do que nos,
pelos diversos modos pelos quaes foram regulados linhaum papel invariavel *- erl o publico, era a
os seas sons, a chorar com os que choram, a ale- assembla.
erarse com 03 que estao alegres, a orar com os Representar sem ter especiad res nao era possi-
que orara, a advertir os que igooram, a annunciar vel, serla perder todo o encanto da representacao.
o perigo, a onvocar o povo a marcar as horas de Ora, nosso publico bem depre sa se enfastiou de
trabalho e de des;auco. O sino foi o relogio pobli- nossos espectculos.
co e o porta voz d reh'giao Assim, dosde o seti- Chegou um dia em que elle n io qoiz mais ouvir
mo seclo, estabeleceu-se o aso de benzer os sinos fallar nelles. Vimo-nos obrigad
cora grande solamnidade, diz o monge Alcoino ; e das as astucias de imaginarios i
provavelmente o norae de baptismo, attribuido a ter que elle quizesse honrar
esta benrao, porque se o l no XLII capitular de representacao da noite.
Luiz o Benigno, com um interdicto que refere-se a A principio elle se contentou
algum uso supersticioso : u doctas non baplisent- sas, como :
A palavra baptismo tem aqui urna sigmficacio' Tu vers, hade ser moito
iutermediaria entre a consagrarlo, que pertence ha de baver o qae nao esperas,
aos objectos em relaejio directa como santo sacri-1 Mas em breve eile se tornou
Ocio, taes como os altares e os clices; e a bencao, j mister precisar mais nossas pn
que se applica aos objectos meaos santos. At Havera' um grande corab ile.
mesmo na especie elle ajusta se bastantj, pois que I Ora adeus I dizia o publi
ha abloco total por meto d'agua benla, imposicao liado de ver combates,
de um nomo, emprego dos santos leos e do santo I im' mas dcsla vez os sal
s a recorrer a to-
inuncios para ob-
m sua presenca a
?ora vagas promes-
bonito nesta noite,
nais exigente, e foi
inessas.
ite.
o, ja' estou enfas-
res sero do ouro e
chrisma. Todava a igreja, diz simplesmeute ben
zer; mas uraa beocao reservada ao bispo. Et|e
prata.
Outra vez promeltiamos urna
benze o sino, faz-lhe unccSes e o embalsama com uratraiispareule no qual seriascriplo Caver-
os mais preciosos perfumes, para que seus sons
sejam mais persuasivos aos ouvidos dos fiis diz
elle proprio, para que esles cantem com mais fer-
na da raorie.
Logo depos foi preciso passa
Eile nao quera mais assisl'r
vor os louvores de Deus, e para que oocam a santa los por elles mesmos. Era pre
palavra cora mais docihdade e amor. Elle o benze bolas e piao. Mais larde, o pt jileo mostrndole '
porque, semellunte s trombelas sagradas dos Ju- anda mais recalcitrante, fizem
deus, s quaes alias substituir, anima os fiis com gas era nossos raeios de o attral
ura santo ardor era sua lula quotidiaua contra os Se nao fores, ver-: o que
poderes do inferno.
entrar as amea-
ir.
e faremos. Quan-
do quizeres brincar com nosco, rls deixar te-bemos
IniLi-ar
decoracio nova ou
a isca indirecta-
|i nossos espectacu-
iso prometler-lbes
Escocia..........12,400:000
Lancashire........11,530:000
Staffordshire e Worcestersire 11,450:850
South Walps eMoomouthshire 10,976:500
Ywrkshire.........8,809:600
A exportagao em 1861, foi de 9,800:420 tonela-
das, contra 8,275:212 todeladas em 1863; a'nave-
gacao de cabolagera trausportou 10,970:711 tone-
ladas; o distrieio de Londres recebeu 2,351:342 to-
neladas.
A industria metallurgica tem adquirido um des-
envolv menlo nao menos extraordinario.
As minas produzram em 1864, 10,064:890 tone-
ladas de mineral de ferro; furam, alm disso, im-
portadas 75,l9i toneladas. Esles mineraes alimen-
tarara C12 altos fornos, cuja prodticgao em ferro
fundido monlou :
Toneladas.
Em Inglaterra. 1610:471
No pniz de Galles. 988:329
Na Escocia. 1,158:750
ara ca' pedir para .
ecebido!...
z nial- dillicil, che-
ro, que collocava
guardar o publico
Para que seja para estes ura espantadlo, e suas """r sozraho. Anda, vera *
ondulacoes sonoras Ihes tracera limites intransita- 8ar a P6l,a> veras cm sers
veis. Para que a' sua voz a tempestado se acalme, PuLllC '^oando-se cada v,
o granizo se affaste, o raio torne-se iooffonsivo, a paraos ao mesmo ponto que N
epidemia cesse e a bencao desga dos cos. C,DC0 m" *>****<* 00 circo Par
A igreja ensioa que os demonios, que ella cha- e aquecer o enthusiasmo.
ma com S. Paulo potencias do ar, fazem apparecer Ameagaraos nosso publico de huebrar-lhe o seu
a desurde* nos elementos, e misturara a sua fu- arco' e U duas vezes mesP0'' inda "oje me
nesta acgo cora ludo quanto pode trazer ao hornera eDVerttouho d.sso, ensaiaraos rali nida-lo pela amea-
o prejuizo e a morte. Elles foram homicidas desde a de al8U0S cascudos, se elle i o assislisse a re-
a soa origem, diz Jesos Chrisio ; e com efeito o Pre?en,acao da no"e-
demonio quem iotroduz a morte no mundo. *ao e de admlrar 1 esse Pu "ico a seu ',ezar>
aproveilava de lodos os ensejos p ra escapar a nos-
Os incrdulos podem rir a' soa vontide destas sa |yranu>a
mximas, seos risos nao nos abalara; pelo cintra-
rio temos grande compaixo do seu fraco enteudi-
mento ; elles tomara as causas physlcas por prin-
cipios, e nao vemqueas proprias causas seusiveis
sio effeitos cujos principios secretos esto mais
adamados. Estes nao considerara que estas causas
physicas as quaes parara, se modificara de mil
modos e nao obrara sempre fatalmente. Na natu-
reza, tudo uo o bala de cannao, e anda esta des-
Nos intervalos elle se escafedi
sentava-se sobre um tamborele a
e ah punha-se a comer bolos
sucar.
ra preciso muitas vezes ir bu
novos argumentos para persuad
seguinte.
Succedeu um da que elle fugic
para o salao, as-
>s ps de sua rai
torroes de as-
ca-lo e empregar
Ir a vir ver o acto
va-se dcilmente da liuha recta, por pouco que a nifico combale a sabr, que a me
vontade do hornera Ihe Mee ama outra direegao. prolongara por mais tempo, e in
As causas physicas nao sao seuo elfeitos, leudo lme-' a foroa l)ara sala0- a')e;
cada uraa dolas sua razio de ser; a razo das esperados que elle dava, agarrahdo-se
caucase toda melaphysica. A phitosopbia dos de- sua mai- Os pais intervrara, ^tosso
E' do Sr. Cyrillo de Lemos, t sta poesa.
El' te amo !
i escutar.
is brlbantes
I
lescutar.
sesta
i offerlar,
sta
escotar.
as mil vozes confusas da flor
Eu te amo I ha d
prociss i : poriaulo escusado fallar por mais
tempo a semelianie respeilo.
(O AUBADE LecANL.)
(Trad. de A. de Mendonra.)
Eu lo amo 1has c
E na Vt
durante um raag-
erleza da victoria
lo nos busca-lo e
ar dos gritos des-
as saias de I
publico sob
talhes urna plulosophia de pacotilha ; a Granea sua Prtcao. recusou formalnlente voltar a' sala
de lodos os paizes, de todos os povos e de lodos os e as representagoes foram suspjnsas.
seculos nesle ponto conforme com a grande phi- Nao impego a niuguem de ve nisto um aplogo
losoplna-tj com a doutrina na igreja : a causa do e applica-lo a poltica.
movimento esta' lora do corpo que se raove ; a
causa do mundo esta' alm do inuudo.
Houve mullo emponho, no secuto passado, para
supprimir o som dos sinos durante as tempestades,
por Mbmisso as a3sercoes gratuitas dos natura-
listas, que o som e o movraeulo attrahiam o raio. Quando em lmpido co mais ihminosa
Quem sabe, e que experiencia se fez? Devia-se ver Urna aurora sem nuvens despo llar,
agora. O raio nao le tornou um dos instrumentos D; triste sabia na voz saudoza
mais doceis que existem na natureza? E alera do Eu te amo Ihas d
qae, se os sinos tocavam outr'ora durante a lera- Quandc, 0 so, com seus raios m
pestade, uo era no ponto de vista da historia na- A coro|,a das r0?as for Deijarj
tura!, era no da oracao, da qual todas as formas sao Do co||in Das a);as gBmnrraowj
igualmente boas, com tanto que sejam a expresso Eu te amo I has de
do unta f sincera. Citaremos fcilmente centenas
de exeraplos de torres fulminadas depois que nao Ao abandono e calor da quente
tocara mais os sinos, uo vahemos se s poeria Modo a sombra um "forfJ
citar um uuico era sentido contrario, e o aguarda-
mos. Esperando, airraanios quo o raio cabe in-
distinctainenie por toda a parle, at as planicies, E depois quando a' tarde a mai
excepto nos conductores elctricos e as torres on- A' leu lado amorosa suspirar,
de se luesse ouvir um sino bento. No suspiro que trmulo deslisi
m ,. ,, Eu te aillo I has d
Talhavam-se outr ora a cuto faces as cubas hap-
tismaes, para sigoificarem as oito bemaveuturan- E se a' face das aguas a' lardi
gas da vida christaa. Todos conliecem o uso de Contemplares o triste nenupha
um conilssionario e a signilicagao de urna cruz de Nu gemido da rpida andorni
sa brisa
escutar.
iba
>
e escutar.
ao longe
LU POLCO DE TL'DO.
E' traduzido de Alfonso Karr o seguinte :
Quando eu e raeu irtno eramos enancas, tiuha-
mos na casa era que moravamos tres camaradas,
dos quaes dous erara mais ou menos de nossa ida-
de, e o terceiro muito mais mogo.
Algumas vezes tinhmos ido ao Circo-Olmpico,
e esse espectculo nos bavia inspirado fcilmente o
gost do tltealro, e aquelle das batalhas.
Disso ao representarmos uo^sa comedia s ia ura
passo.
Assim aos domingos, em quanto nossas mais lo-
mavaui cha uo sali, as vezes sozinhas, e oulras
vezes cora alguus amigos de casa, nos fallamos
nossas represeulagoes.
Desue pela mauba, fabricavamos sabresde lata,
com u puulio coberto de papel dourado e a lamina
de papel praleado.
Isto era tudo o que preparavamos para nossos
dramas; quaulo ao mais, delxavamus a inspi-
ragao.
Com as cadeiras e cortinas quo tiravamos das
jaaellas de urna grande sala que aos abandonavam,
faziamos decoragoes.
,. Eu te amo! eu t; amo 1 eu le ame
O Iheatro representava conven.enlemente urna E g| ainJa % ((ja a|ma duvidarj
Al mesmo no som de um sinc
Pelas A 'Maras a' vibrar,
. melanclica do mong
- Eu te amo Ihas k escutar.
Sim; quer n'aurora nisada,
Quer na voz doce e flautada
Do mavioso cantor;
Ou do sol nos mil fulgores,
Ou as azas multicore
Do mimoso beija-flor ;
Dosonbo meigo e .-ib. i o
N'uma illuso innocen e
No leu seio a' se escon 1er ;
Ou da floresta n'alforatra
No fresco bejo da sontiira
Que le fez adormecer ;
No mais lonpquo retir 3
Da bafagem no suspiro
Iraperceptivel, subtil ;
Na face lisa das aguas,
Dos nenuphares as maguas,
Ou n'andorinha gentil
No (oque ao longe de u n sino
Vibrando o som vesper
Saudando o dia ao cabii
Do monge nao voz triste i
Nessa voz que ja' nao so alia
Urna illugo no porvir;
; Toda a vez que eu pudor approx
mo.
nha,
irei bradar-te ;
caverna de ladrSes, nos nos dividamos em saltea-
dores e viajantes, e Im3gnavam-se peripecias nos |
bastidores.
Len Galayes e eu, qoe eramos os mais velhos, IEu to amo I porque s linda e tentadora,
oblinharaos fcilmente os principaes papis, nossos \ Porque fazes amor n'alma brolail,
dous irmos, mais mogos um auno, irailavara os ^E d'aquelle que vir-te um da, ujn'hora
outros e representavam ou o bando dos ladroes ou
soldados de cavallaria.
O enredo do drama era sempre de modo qae
trouxesse combates a' sabr.
Nos liuhamos estudado com bastante successo o
famoso combate de quatro golpes, eolio usados nos ,
,u Por ludo emfim, por ti e por toim mesmo.
theatros ambulantes, e o repetamos sempre du- '. p L -------"
ranle 0 dia | Emquanto em mira o sangue ao parar,
O resto do drama como ja' disse se improvlsava, DiZeDd af|U'' alra> com Uaof esmo
este improviso trazia as vezes suas difBculdades.
As-ira frequentemente no meio de um grande
combate a sabr, elevavase entre Galayes e eu,
urna discusso era voz baixa :
mar-te
Eu te amo I has de i scutar.
Eu te amo Ihas delescular.
Por teus olbos, e voz.e teus cabellos,
Por teos dentes lio alvos de cegar,
Por leos labios to hmidos, lab bellos,
Eu te amo Ihas di escutar.
O viajante (alto) Ah I malvado I tu atacas um
viajante sem defeza 1 mas eu venderel cara ntiuha
vida, (baixo) cahe, anda I
O ladrao (baixo) NSo, cahe to primeiro I (alto)
Bem, veremos qoera sera' mais forte e mais bravo;
tua bolsa e leus thesouros I (baixo) cahe, veras o
que eu digo quando cahires; cousa muito bo-
nita.
O viajante (baixo) Nao, nao quero I sou sem-
pre eu quera suecumbe. (alto) Quero expurgar
esta floresta de am monstro como lo.
E dorante este duplo dialogo, o combate a espada
conunnava cora encarnigaraento e regularidade.
Nao era porm esle o maior inconveniente.
Tolalidade 4,767,651
D'csta qoantidade forera exportadas 465,951 to-
neladas de ferro fundido ; o resto foi convertido
era ferro coiumum. E-iatransformagaooperouse
por meio de l7 officioas, que dispde de 6,262 tor-
nos puddler.
A Gra Hretanha produz, tambem estanho, co-
bre, ziuco, chumbo, prata e al mesmo oiro.
Exlrairam-se das miaas do Ciruwal e Devonshi-
re 15,211 toneladas de mineral de estanho, as quaes
produzram 10,108 toneladas de metal fabricado
do valor de 923,909 libras esterlinas.
' O uumero das minas da cobre que existem na
Graa Bretanha e de 22, das quaes 192 se acham
nos condados de SoOlb West; as quantidades ex-
tradas elevaram-se a 13,302 toneladas.
A produego do mineral de chumbo foi de 94,433
toneladas, pnuuiparaente de galena. Estes mine-
raes subuioltidos aos procossos de apuramento de-I
ram 01,283 toneladas de metal de chumbo e 611,088 '
ongas de prata. As minas de zinco sao pouco im-
portantes em Inglaterra ; a exiraego desse mine-
ral nao passou de 13,04' toneladas.
O raappa eslalistico menciona tambera 94.43S to-
neladas de pyrites de Ierro.
O solo ingles fornece tambera, mas era quantida-
des demiuutas, a manganese, o arseuico os ocres,
a baryle, as trras refraclurias e o sal.
O valor total, nos lugares onde a exiraegao s
opera, de todos os productos minetalurgicos, no an-
no de 1864 (nao indurado a pedra de construego
e outros artigos anlogos), unntou a 31,614,047 li-
bras eslreliuas.
O valor dos metaos obtdos dos mineraes metal-
feros foi de 10,281,869 libras ; addicionando a esta
quantia o valor dos carvois calculado nos pogos d
exlracco i-io 23,197,963 libras, e lendo era conta
o prego da eslimago dos outros mineraes, que es-
li mencionados no relatorio feito por Mr. Roben
lluii:, as riquasas mineraes da Gra-Brctanha lera
o valor de 39,070,837 libras esterlinas.
Ja' nao nova a dea da creaco de um tribunal
superior de arbitrio, encarregado do resolver, sera
o brutal argumento da espada, as dtfilculdades que
possain surgir entre as nacoes. Porra, at hoje
arada uinguem liaba tracado as bases sobre que
esta theoria podesse appliear se.
\u o que acaba de fazer o Sr. Noble, que, segn"
do linos era ura jornal estraogeiro, subraetle a'
apreciaeao do publico o seguiute projecto :
Ura tribunal de arbitrio internacional, ou tribu-
nal supremo dos nagoes, seria encarregado de re-
solver todas as questSes que surgssera entre as
nagoes.
Compor-se-hia de dous representantes de ca-
da nago designados pelos seus respectivos go-
vernos.
Estes representantes reunir-se hiam peridica-
mente quer em Londres, quer em Pars ou em ou-
tra capital.
Ajurisdcgao d'este tribunal seria limitada s
religos interuacitnaes.
As despezas seriam pagas em coinmum pelos
goveruos ; e, finalmente, como clausula penal, um
estado qoe recusasse subraetter-se s decisoes des-
le tribunal supremo, vena suspender todas as re-
lagoes diplomticas cura elle.
..... IMi >T_"*. _w-T -.2-.^---- -
No dia 17 de selerabro ultimo, a villa de Sebe-
meletz (Polonia), que contava 3:000 habitamos, foi
devorada pelas chamas.
Um grande numero de creancas encerradas as
casas em quanto seus paes trabalhavain uos cam-
pos morreram as chararaas.
Algumas pessoas idosas morreram tambem n'es-
ta cataslrophe.
O Jornal de Amiens lembra a conveniencia de se
collocar s portas dos theatros urna especie de tron-
co de metal onde os fumistas deponham o cigarro
inacabado, era lugar de o langarem fra como se
costuma fazer quando o dlin, dlin annuncia que
acabou o entre-acto.
Os fumistas collocando o cigarro naquella jieca
o bemestar dos asylados que tem o vicio de
fumar.
Calcula se aproxiinadamento que -reunidos os
despojos de cigarros assira langados s portas dos
llieatros de Pai is, representara no theatro dos ita-
lianos uraa media de 570 gramraas em cada repre-
seuiago ; oa Opera 625 gramraas ; no theatro ly
rico 750 gramraas e 800 na opera-comica.
Em Lyou uo ha o tal tronco de metal as ave-
nidas dos llieatros ; as irmas de caridade de ura
dos pospicios vo todas as raanhas apanhar as
poulas de cigarros aos cafs da cidade.
Depois maodam-nas lavar e seccar o tabaco que
ellas contera, e do-n'o aos velhos dos hospicios,
que o fomam nos seus cachimbos.
Este exemplo poda aqui ser seguido; diz se com
razo qoe um beneficio tem a recompeusa era si
mesmo ; com mais razio se deve ser inclinado
caridade quando ella nio custa senao o trabalho de
estender o brago.
i n i B "*' W
O ex-rei de aples. Francisco II tem occopado
os longos dias de ocio a que o votou a revolugo
napolitana capitaneada por Garibaldi, em escrever
as suas tmemorias, as quaes entregar dentro de
pouco a' publicidade.
As memorias nao oraittlram nenhum dos fados,
documentos o promenores particulares que chega-
ram ao conhecimento do real escriptor e contribu
rio, segundo se diz, para Ilustrar de uraa maneira
nova a historia do seu curto reloado.
Nesta occasiio o desconhecido collocoo-se per
traz do almocreve, e com ama navalba 'ama
mao e uraa pisiola na outra iotimoa-o para qoe mm
entregasse o dioheiro que levara.
O velho almocreve, naointimidoa com esta asara
ga e precipou se como am leo sobre infante pro-
tegido e priucipiou urna lata braco a braco entra
os dous, e cabrado ambos ao chao recebe* o pri-
meiro nma navalhada no braco esqnerdo.
Com a dr da ferida augmentou o valor do velho,
e pode arrancar as armas ao seu vil eompanheiro
e eri-lo com a fac3.
Nesta situagao o ladrao ple desembaracar-se
do veibo o deilar a correr como am desesperado,
porra pouco depois cabio quas examine por can-
sa da ferida.
O almocreve reuni as soas cavalgadoras e tam-
bera a itiuito pouca distancia cabio porque eslava
perdendo muito sangue.
Alguus guardas de mout; encootraram oseras
feridos, e prestaram-lhe os occorros precises.
O estado do almocreve uo offerecia perigo; nao
assira o ladro, que nao prora tua ter manos dias
de vida. x
Justo castigo da sua ingralidao.
Robert Hunt, chefe da estagio de eslatlstica do
museu de geologa pratica da Gria-Brelanha, aca-
ba de poblicar o relatorio do auno de 1864, acerca
das riquezas mineraes e metallurgicas daquelle
paiz.
Delle extratamos os daJos mais importantes.
A produego das minas de carvao de pedra do
Reino-Unido elevon-se no auno passado, a enorme
quantia de 92,787:875 toneladas.
Nio houve menos de 3,263 minas de carvio de
pedra exploradas em Inglaterra e na Irlanda; este
numero era somonte de 2,3118, no de 1853.
As qoantidades mais cons.deraveis foram proda-
zidas pelas seguales regios:
Toneladas.
Darbam e Noriaumberland.. 23,148:367
E' este o decreto publicado sobre o eocerramen-
>o de alguos seminarios na Italia :
Vctor Manoel II, etc.
Visto a nece-sidade de remediar os prejnizos
causados ioslrucgo da mocidade seminarista e
secular, cora o eucerramenio de um grande nume-
ro de escolas secundarias, que estavam anaexas
aos seminarios.
Por projiosta dos nossos ministros e secretarios
as repartigoes dain-truccio publica, e dos nego-
cios da graga, e jostira e iastracgo publica.
Temos decretido e decretamos :
Arl. I. Os seinraarios cujas escolas secundarias
se acharem fechadas era virio Je de disposigio do
governo, ou por fados ordinarios, serio abertas
de novo no prximo anno acadmico, debaixo da
vigilancia do ministerio da inslrucgo publica.
Arl. -" Os locaes e rendimenius desses semi-
narios ficario sob sequestro, e passaro para a
admimstrago dos ecnomos geraes dos benedcio
vagos.
Arl. 3.a Ura tergo desses rcudimentos, e urna
parte dos locaes necessanos para aquelle Um serio
concedidos aos ordinarios, para a susleniagao das
encolas, e dos pensionados que Oca afiecto ras
alumnos do curso theologico.
Arl. 4." Os outros dois tergos das dilas vendas
lcaro debaixo da vigiiaucia dos ecnomos geraes,
a disposgo do ministerio de iastracgo publica
para os appliear aos usos proscripto no artigo pri-
meiro.
Arl. 3. As escolas secundarias qae f jrem aber-
tas de novo, pelo cuidado do governo, nos semi-
narios, seio organisadas na conformilade das
leis escolares era vigor, e os esludos que se s-gui-
rein nossas escolas sero assemelbados aos que
se desempeuhara nos gyranasios e nos lyceos do
governo.
Arl. 6." No caso dos sobreditos dois tergos dlspo-
niveis dos rendimentos de um seminario encerra-
do; uo ser suffieieote para a susteotago do pen-
sionado, e do ensino gymoasial completo, serio
convidados os municipios da diocese e aaxilia-tos
cora fuudos propios.
Art. 7." O miuisiro da nslruccao publica noraea-
r, por decreto ministerial, o recebedor do pensio-
nado, e es professores das escolas secundarias. as
cidades oode nao honrar lyceu pensionado gover-
naraental, os rendlraentos do seminarlo encerra-
do, podero, a pedido dos municipios da diocese
ser empregados na propriedade da instraego se-
cundaria da diocese.
Arl. 8." Um rt-gulamento especial determinar
as m ni -h;.- e as condiegoes da administragao dos
alumnos seminaristas e seculares, no pensionado
e as sobreditas escolas, e tudo quanto for neces-
sario execuco do pi esenle decreto.
Ordenamos quo o presente decreto, manido de
sellos do estado, seja publicado.
Florenca setembro de 1865.
O celebre general coufederado Lee rezide em
Couiroville a unas 40 leguas de Richmond ; passa
urna vida solitaria, rara vezes responde as nume-
rosas cartas que Ihe .-cr.-vein, vive u'uma peque-
a e modesta casa rodeada de quatro geiras de
trra, que cultiva pela soa propria mo.
L-se no Daih News de 19 de setembro :
Dezcnove irmas da caridade partirn) de Sou-
thampton a boido do steamer real Sene para ir
tratar no Levante os dientes e moribundos.
Bom numero d'enlre estas admiraveis mulheres
pertenceram a alta classe, hoje esto grosseiramen-
te vestidas e traz ra grandes trocas brancas.
Ellas assistiram, no domingo de manhaa, o ser-
vico divino, na igreja calholira de S. Jos emSon-
thampton.
O Sr. Mount pronunciou um discurso ebeio de
sentimento, no qual fez um bello elogio dedicacao
e a aboegago destas corajosas (libas da igreja.
Urna magnifica ceremoma se celebroa nesta oc-
casio ; os coros exceptuaran) alguns dos melbo-
res trechos da msica de M zart.
as iramediagSes do Corral de Calatrava (Hespa-
nha) deu se ltimamente um fado que prova que
nem sempre se paga o bem com o bem.
Um almocreve, ja' velho, segua a estrada em di-
regao a Cidade-Real, acompanhado de tres ou qua-
tro cavalgaduras.
Eocontroo-se no caminho com um desconhecido,
com quem travou conversa.
Depois de terem andado ura pouco, o almocreve
vendoqneosw eompanheiro ia cangado, convidou-
o a montar n'uma das suas bostasolfereciraento
que elle acceiiou. _^ra
Assim continuaram por mais urna leguas at
que ebegaram a' Fonte do Ferro, onde se apearam
para beber. .
Passando um re de llespanha pela ponte de To-
ledo, n'um dia de invern eu que fazia am fri de
radiar, vio um cavalhero ao seu lado vestido coa
trages de vero.
Nao tendes fro ? Ihe pergantoa.
Nio, real senhor.
E' um caso raro, repirau o monarcha ; nao
tendes fro e andaos vestido eoni trages mai liga-
ros, ao passo que eu estou mcio regelado dentro
das rainhas pellos de marta.
Saiba, real senhor, que levo a minha roopa
vestida sobre as pellos de marta : faca vossa i
gestade outro tanto e ver como transpira.
O vice-rei do Egvpto mandn construir ni
to lazareto era Suez, onde d'hoje em dianto farao
quareotena os Mussulroanos qoe regressarem da
sua peregrinag.lo a Meca. Neste lazareto havera
alojamentos para doze rail pessoas.
Fora anda melhor prohibir essas peregrinarles
de loucos e fanticos, ordenando Hjea qoe uz**em
o alcoro em suas casas, e nao nos trouxessem lo-
dos os annos esse sem numero de calamidad**,
que hoje anda esli affligrado alguns paizes da Eu-
ropa.
As nagoes elvilisadas deveriam por cobro a isw,
visto que se trata do bem estar da humanidad* lev
(eir.
-------i----->oo<
Os lios telegrapbicos entre SpringOeld e Boston
soffrerara uraa nota vel impresso por cauza de
urna aurora boreal que se observou no din 3 de
agosto, e se transmiMiram, duas pariieipacbes Me-
camente com a eletrtedade natural sem necessidn-
de de batarias.
Este cazo mu raro aioda qae nao o primeiro
que se (em visto.
PERNAMBUCO TYP. OB M. K DE P. ft PlLIrO
nT >"Vi% ?r


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EUS0TYEFR_DZSGL3 INGEST_TIME 2013-08-28T02:52:29Z PACKAGE AA00011611_10815
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES