Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10813


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ATO ILI. HOMERO 256
Per qnartel pago dentro de 10 das do l,mez ...ti.
dem depo/s dos 1." 10 das do comecoe dentro do qnartel. .
Porte ao correio por tres nezes ,...... :
51000
61000
750
A^UBS.CRIPCAO DO NORTE
Parahyka^ojfr. Antono'Alex?udrino de Lima;
Nat.il, o Sr. Antonio Marques da Silva ; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaquim Marque? Ro-
drigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
EXCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falco Uias; Bahia, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estag5es da va frrea at
Agoa Preta, todos os das.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala, Bezsrros, Bonito, Garuar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqoeira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio e Ex, as quartas
feiras.
Serinbem, Rio Forraoso,
reros, Agua Preta P
feiras.
1 amandar, Una, Bar-
menteiras, as quintas
AUDIENCIAS DOS TRIB' NAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: s
Relacao : tercas e sbados
Fazenda : quintas s 10 hoij
Julzo do commercio:
Dito de orphos : tercas e
Os Srs. asignantes deste Diario, que
se acham em debito das respectivas assig-
naturas, queiram mandar realisar o paga-
mento dolas; e aquelles que moram tora
desta cidade, tenham a bondade de dar avi-
so de quaes sejam aqui os seus correspon-
dentes, afimde ser solicitado esse pagamen-
to dos mesmos, a quem daro ordem para
isto, visto como alguns pretextam a falta
dessa ordem.
"i
PARTS FFIGIAL
SOiTOO 4 PROVI^^IA
Expediente do dia i de novenibro de 1863.
Offlcio ao marechal de campo commaudinte das
armas.Sirva-se V. Exc. de informar acerca do
que pedo no iocluso requerimento Anna Mara da |
Conceigo, av do soldado voluntario do 2o bala ;
Iho da guarda nacional destinado ao servigo da
guerra Epiphanio Mauricio Wanderlei.
Dito ao mesmo.Era vista dos termos de iuspec-
Cao annixos aos seus oflicios de hontem, datados \
sob os. 2029 e 2030, a que foram submettidos os j
guardas uacionaes Manoel Ordooho da Silva e An-
Ionio Francisco de Vasconcellos, auloriso V. Exc. a
mandar elimina-los do servigo da guerra para que
foram designados, visto solrerem este de paralysla
do lado esquerdo do corpo e aquelle scerbnto.
Dito ao mesmo.Urna vaz que, segundo o termo
de inspeceo annexo ao seu offlcio de hontem da-
lado, sob n. 2,024, foi conside-ado incapaz por sof-
frer de belide no olbo esquerdo, Dilua lagrimal e
fraqueza do ouvido, o guarda nacional Lourenco
Jos Piuheiro, pode V. Eic. mandar eliraioa-lo do
servico da guerra para que fora designado.
ito ao mesmo.De conformidade com as infor-
maeSes do commandante superior de Nazareth de
2i e 28 de outubro ultimo, sirva-se V. Exc. de
mandar eliminar doservigo da gqerra>para que
foram designados, os guardas dos batames 19 e 20
daquella comarca, Antonio Lipes de Mello e Joo
Pedro dos Santos, visto serera aquelle casado e
doente, e este o arrimo de sua roi viuva e septua-
genaria.
Dito ao mesrao.Sirva-se V. Exc. de informar
acerca do que pede no incluso requenmento Ja-
cioiha Mana da Conceigo.
Diio ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de informar
aoerca do que pede no incluso requerimento Maria
da Pureza da Conceigo.
Dito ao mesmo.Fago apreseniar a V. Exc. para
ser alistado no 2o bilaluo de guardas uacionaes,
desuado ao servico da guerra, o guara do bata-
lhao n. 23 de infantana do municipio de Santo
Anlo Jos Alexandre do Nascimento.
Dito ao mesmo.-Para maior facilidade da expe-
dido de ordens para a substituido por outros dos
guardas nacionaes que forem eliminados do servi-
co da guerra por molestias e outras causas, cum-
pre que oes offlcios com que me forera remettidos
os termos de inspegao de taes guardas, se decla-
re sempre os batalhoes de cujos contingentes fa-
zem elles parte.
Dito ao Dr. enere de polica. Declaraodo-me o
provedor da Santa Casa de Misericordia desta ci-
dade em offlcio n. 186 de 2 do corrente, ter expe-
dido as precisas .rdens ao respectivo regente para
ser recenido no hospicio dos alienados o de nome
Francisco Flix de Jess: assim o communico a
V. S. em resposta ao seu oicio n. 1,688 de 26 do
mei que acabuu.
Dito ao commanrtantj superior da guarda na-
cional do Recife.Dando solacio ao seu offlcio
desia data n. 418, tenho a dizer-lhe que os destaca-
mentos existentes as diversas localidades a que
allude V. S.,devera ser fcitis dora em diante pelas
pracas do batalh'es das respectivas freguezias e
por tempo nao excedente a 15 dias, eumprindo que
os prels dos mesmos destacamentos me sejam en-
viados por intermedio desse commando superior.
Neste sentido, pois, deve V. S. dar as suas or-
dens.
Dito aocommandante superior da guarda nacio-
nal de Pao d'Alho.eferindo a representado do
guarda nacin il do batalhao u. 16 de infantina
desse municipio Benedicto Manoel Bezerrade Mel-
lo, sobre que esse commando superior informou
em data de 21 de agosto ultimo, recommendo a
V. S. que expeca suas ordens alim de se Ihe dar
guia de passagem que pede para o batalhao n. 17
da Gloria do Goita, onde tem tixado sua residencia,
visto te-la requerida em lempo, como se deprehen
de dos documentos com que Instruid a raesma re-
presenlacao.
Dito ao comraandaote do corpo de polica. -
Mande V. S. dar baixa ao soldado do corpo sob seu-
commando Joo Leite de Araujo, aceitando em seu
lugar o substituto olferecido Joao Baptista de Souza
Pinto, que para isso foi julgad apio, com consta
do seu offlcio n. 1,047 desla data.
Dito ao mesmo.Pode V S. mandar alistar no
corpo sob seu commando, o paisano Jos Francisco
da Silva, visto ter sido migado apto, como consta
do termo de Inspeccao annexo ao seu offlcio deslal
data sob n. 1,046, que tica assim respondido.
Dito ao director das obras militares.Para dar
cumprimento ao aviso circular da repartido da
agricultura, commercio e obras publicas, de 13 de
junho ultimo, recommendo a V. S. que organise e
remetla-me com toda a urgencia tabellas dos pre-
sos elementares das obras contratadas por conla,
quer do cofre geral *qner mesmo do provincial,
para servirem de base orgaoisaco dos trabalhos
como eslude as causas que por muitas vezes lera
motivado discrepancias consideraveis nos orna-
mentos, e me envi tambera o seu resultado.
Diloaojuizde direlo de Flores.Concededdo
permissao ao tabellio e escrivo do termo de Fio
res, J-iaqira Jos do Nascimento Wanderley, con
forme pedio, para alistarse como voluntario da pa-
tria no corpo que se est organisando nessa co-
marca, para marchar para a campanha do sul, sen-
do o mesmo Wanderley substituido durante o tem-
po que estiver oceupado na guerra pela forma de-
terminada na lei : assim o communico a Vmc. para
seu conheciraenlo, e aflm de que faga contar ao
mesmo escrivo, e a quera raais couvier.
Dito ao superintendente da estrada de fer-
ro.Expeca o Sr. superintendente da estrada de
ferro suas ordens para que sejam transportados
para esta capital os guardas nacionaes e pravas
que os vierem escoltando e se apresentarera na
mesma estrada, com guia do commandante interi-
no do batalhao o. 4i do municipio do Rlo-Forrooso,
Thomax Lins Calda?.Coramunicou-se ao enge-
nheiro fiscal da mesma estrada.
Expediente da secretarte da governo do dia de i
uoYcnibr de 1865.
Offlcio ao general commandante das armas.S.
Exc. o Sr. presidente da provincia, mandando sa-
ii-fz-r o pedido de fardaroento paia o 2 batalhao
da guarda nacional destinado ao servico da guerra,
determioa-rae que assim o declare a V. Exc. em
resposta ao seu offlcio de hontem datado sob
n.' 2,025.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.S.
Exc. o Sr. presidente da provincia, manda irans-
mittir a V. S. as 5 inclusas ordens do thesouro
nacional sob n. 139 a 143.
Despaches ds dia 3 de Berembro de 1863.
Requerimentos.
Adolpho Thiago de Faria Informe o Sr. com
mandante superior da guarda nacional do munici-
pio do Recife.
Antonio Francisco da Cunha.Indeferido em
vista da informaco.
Benjanim de Lima PimentelRemetlido ao Sr.
commandante do corpo de polica para attender ao
supplicante.
Francisco Severino Marques da Cruz.Remeltido
ao inspector da thesouraria provincial para man-
dar pagar ao supplicante os vencimenios a que
lera direilo.
Francisco de Paulo Albuquerque.Passe portara
concedendo a lirenga requerida.
Firmino Cavalcaote de Mello.Indeferido era
vista da inspecgoaque foi sujeilo o supplicante.
Irmandade de N'ossa Senbora da Soledade. Es-
pere a supplicante que haja crdito.
Joaquim Martinho da Cruz Correa.Dirjase a
thesouraria de fazeoda.
Joaquim Vctor Pereira Falco.Remetlido ao
Sr. commandante do corpo de polica para atten-
der ao supplicante como fr de lei.
Alferes Jos Manoel de Souza.Passe portara
na forma requerida.
Jos Candido Ferreira da Cunba.Indeferido em
vista da informacao e por nao ter provado o sup-
pente o que allegou.
Vigario Manoel i_.opes Rodrigues de Barros, e
Antonio Xavier de Moraes.Informe o Sr. inspec-
tor da thesouraria de fazenda.
Manoel Jos Teixeira Bastos.Informe o Sr.juiz
de direito da 2* vara.
Maria Clara do Espirito-Santo.Informe o Sr.
Dr. chefe de polica. t
Manoel Bezerra Cavalcante.Informe o Sr. com-
mandante superior da guarda nacional de Goyan-
na.
Venancio de Rezende Lira.Requeira por inter-
medio de seu commandante.
Jos Beraldo de Mara e I-
cao.
Manoel Ribeiro de Lima
Costa.
Lourenco de Araujo Souza
Conceicao.
Serafira Francisco Donato
Jess.
Flix Henrique da Silva e
ceicao.
Joao Francisco dos Santos
Vieran mais as seguintes
mesma
Joo Rodrigues Sarment
S Brrelo.
Jos Joaqim da Malta
Jess Albuquerque.
Joo de Souza Barbosa e
ment.
Joo Ooofre de Locena e
Lucena.
Joo Pereira dos Santos e
Santo.
Cypriano Carvalho Pedros^
Nascimento.
Andr Jos Baptista e Maij
meato.
OARTA FEIR 8 DE NOVEMBRO DE 1865.
19|009
'rumias e quimas.
s 10 horas,
as.
seguidas as 11 horas,
ssxtas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sectas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a 1
bora da larde.
EPIIEMER1DES DO MEZ DE NOVEMBRO.
3 La ebeia as 5 h., 43 m. e 28 s. da m.
10 Quarto ming. a 3 h., 25 m. e 52 s. da m.
18 La nova as 8 h., 40 m. e 22 s. da m.
26 Quarto cresc. aos 38 m. e 22 s. da m.
DAS DA SEMANA.
6. Segunda. S. Severo b. m.; S. Athico.
7. Ter^a. S. Florencio e Honorato bb.
8. Quarta. S. Vicostrato m.; S. Cartono m.
9. Quiula. Ss. rjrcJssino e Agripino bb.
10. Sexta. S. Andr Avelioo f: S. Nympha v.
11. Sabbado. S. Martinho b.; S. Verano b.
12. Domingo. Ss. Isaac e Cristiano eremias mm.
PHEAMAR DE HOJE.
Primeira as 8 horas e 30 m. da manhaa.
Segunda as 8 horas e 54 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEiROS.
Para o snl at Alagoas a 14 e 30; para o
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do uos das 14 dos mezes de Janeiro, marco, icaio.
julho, se(enil.ro e uovembro.
ASSIG.V.A-SE
no Recife, na livraria da prar.a da Indereadonel
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoei Figueiroa.Je
Faria & Filho.
bel Maria da Concei-
Isabel Claudina da
Florencia Mara da
Felisbella Mara de
Mpria Francisca da Con-
b Alexandrina Maria. |
ir/ifos concedidas na
la.
e Joaquina Felicia de
Ribeiro e Isabel Maria de
faria Isabel do Sacra-
C ndida Coustantina de
nna Maria do Espirito
e Joanna Maria do
i a Florenja do Nasci.
GOVHR\0 DO HflSiMUO DE
ii:ai\Aiiaii o.
SEDE VACA Mr!.
Expediente do dia 30 de outubro.
Offlcio ao coadjutor de Papacara. Aitendendo
ao que expoa no seu offlcio de 7 do corrente, a
que respondo, concedo a V. Rvma. a demisso do
lugar de capello do Becolhimento de Nossa Se-
nhora do Bom Conselho de Papacaca, e nesta da-
la me dirijo ao Rvm. Fr. Egidio a fim de que des-
empenhe as funegoes de capello daquelle estabe-
leciraenio em quanto o lugar nao for prvido.
Quanto coadjutora dessa parochia, compre
que V. Rvma. uella coutlnue por algum teropo,
em quanto eu procuro sacerdote que possa substi-
tuido, o que fare com a possivel brevidade.
Dito ao Rvm. Fr. Egidio de Garricio. Tendo
eu nesla data concedido demisso do lugar de ca-
pello do Recolhimento de Papacaca ao Rvd. Tlio-
m .Narciso Pereira de Almeida Coutinho, e achan-
do-se V. Rvma. nessa villa do Bora Conselho, eu o
encarrego de dirisrir esse Recolhimento, e exercer I
nelle as fuucgocs de capello interino, em quanto ;
procuro sacerdote idneo que possa tomar conta
desse lugar.
Sendo esse Recolhimento o monumento que mais
attesta o zelo e a piedade do Rvm. paire msstre
Fr. Cietano de Messina que to solllcito se raos-1
trou sempre plo bera espiritual e temporal dos |
Pernarabucanos, e que to gratas recordacoes de-
xou nesta provincia, estou certo de que Vr. I!vina.
nada oroitlir para que prospere esse estabeleci-
mento, nico nesse genero que possuiraos no,
sertao.
-31 -
OfDcio ao vigario de Porto-Real.Accuso rece-
blda a eslalistiCd dessa freguezia coordenada com
cuidado e adaptada ao flm que tive em vistas
quando a exig.
IgUai aos vigarios de Cuil e Tracunhem.
Dito ao vigario de Aguas Bellas.Accuso rece-
bido o seu ollicio de 12 do corrente em resposta
a circular de 30 de junho em que o encarreguei
de obter entre os seus parochianos algumas es-1
molas para um collegio de propaganda calholica
estabelecido em Londres, no foco mesmo do pro-
testantismo juntamente com o seu offlcio reeebi a
quaniia de vinte e nove cenlo e vinte r-s (29?3120^
produelo das esmolas que podo obler, e alista das
pessoas que concorreram para to pia obra.
Lista das pessoas quena freguezia das Agoas Bellas
concorreram para o collegio do Sagrado Coracao
de Jess estabelecido em Londres, qual se re-
fere o olficio cima.
Estacio Jos Corre................ 55000
Manoel Lavrador Ramos de Vascon-
cellos.......................... 55000
Joaquim Jos de Oliveira Marques... 35000
E^tevo Scipo dos Santos......... 28000
Jos Ramos de Vasconcellos........ 25000
Victorino Jos da Rocha e Souza.... 24000
Taciano Antonio de Souza........... 25000
Mano-1 Marques de Vasconcellos------ 15(-00
Joo Jos de Oliveira............. 15000
Manoel Joaquim de Oliveira......... 15000
Aulonia Maria de Oliveira........... 18000
Cypriano Bezerra de S............. 15000
Antouio Florentino Cardozo......... 15000
Isabel Mana de Vasconcellos Ramos. 5300
Mana Florentina dos Santos........ 5500
Antonio Pedro da Silva......... .. $500
Theodora Maria de Oliveirr......... 5400
Maria Ro3a da Conceicao............ 5220
295120
NOVAS DISPENSAS MATB1MONIAKS.
Chegaram do Rio de Janeiro as petic.oes de
dispensas do primeiro grao igual da liuha lateai
e segundo grao aitingente ao primeiro de consan-
guinidade constantes da lista abaixo publicada e
cuja concesso foi autorisada pelo Exm. e Rvm.
Sr. Internuncio Apostlico, em data de 16 de ou-
tubro.
Podem pois ser procuradas em Olinda na c-
mara ecclesiastica e uo Recife, era casa do Illm.
Sr. conego da capella imperial Francisco Jos Ta-
vares da Gama, ra da Cruz n. 56.
Olinda, 31 de oulubro de 1865.
Conego Joaqim Ferreira dos Santos,
secretario do bispado.
Lisia das peticSes.
Jos Antonio da Costa e Viceucia Mara da Coa-
entejo.
Jos Nunes Pereira e Alexandrina Maria da Con-
ceicao.
Mauoei Felippe da Silva e Anna Mara da Con
ceico.
Joo Jos Sobral e Felicidade Maria de Jess.
Antonio Elias do Nascimento e Maria Joaquina da
Cooceico.
Jos Pereira da Motta e Albuquerque e Francisca
Francelina de Oliveira.
Jos Aieixo de Frarnja e Loiza Maria d Concei-
cao.
Francisco Alves dos Santos e Severin* Mara da
Conceicao.
Jos Alexandre Brrelo e Feliciana de Meira Li-
ma.
Candido Lucio Cordeiro e Maria dos Frazeres da
Conceicao.
Joo Nunes Pereira e Mara Clara.
Raymundo Jos do Reg e Maria Antonio do Es-
pirito Santo. *feSB\.
Jos da Silva Blspo e Therea Mana de Jess.
Deodato Pereira Maia e Marcelina Maria da Con-
Ce ieiO.
Jos Rodrigues da Silva a Antonia Maria da Con-
Jos de ievedo Mello e Rozeraira Maria da Con-
ceicao.
COiIjMO D.4S ARMAS.
Qiiarli'l general do comrnat do das armas de Per-
nanibueo na cidade do It scife, 7 de norembro
de 186o.
Ordem dodic n. 148.
O marechal de campo co n mandan te das armas,
declara para conhecimento la gnarnito e devido
effeito, que a presidencia ac liando o offerecimento
que fzeram os Srs. offlciae da guarda nacional
abaixo declarados para serv rem na campauha do
sul, resolveu que fossem ii cluidos do 2 batalhao
da guarda nacional, desiac do para o servico de
guerra sob o commando do t nente-coronel Marian
no Xavier Carneiro da Cun ia, que fara' effeciiva
esta resoluco.
Tenente Francisco Publio di Albuquerque, do 2-*
batalhao de arlilharia Ju I io Forraoso.
Tenente Joaquira Cavalcanti de Albuquerque, do 8.
balalho do municipio do
Alferes Jos Candido de Bar
Iho do municipio do Rec
\ecife.
os Jnior, do 3.
fe.
Alferes Arselino Jos de Almeida Pernambuco, do
4* batalhao do municipio
(Assigoado.) Francisco
Est conforme. Antonio
lenle ajudante de ordens
do detalhe.
EXTERIOR.
GO!Uti:HPO^ItE\(liS 1>0 BIA
iniiio
A.
BIO DE PEHI
LISBO
bta-
lo Recife.
Sergio a" Oliveira.
Francisco Duarte, 2.
nterino encarregado
orrente na alfandega
iziam comer pello de
lo de Magalhaes o ou-
13 de outibro.
fConclus io.)
Descobrio-se no dia 4 do
de Lisboa um contrabando dje grvalas de seda.
Foram duas caixas met das a despacho pelos
Srs. Franco & Irmo, que (
coelho. Os verificadores Pi
tro ao examinaren) o contdo das ditas caixas,
encontraran) embrulhos dq pello e envolvidos
nelles ma^os de grvalas de seda, e retalhos de se-
da lisa, etc. Fez-se a competente lora dia, mis os
Srs. Franco ti Irmo gnoravain semelhante I gro,
pois que segundo a declarajiio destes senhores as
caixas haviam sido remeliidis de Paris pelos Sr?,
Guichot t Cocal, para o Sr. Franco as despachar,
e (carera a' disposico do Sr. Guichot.
Um dos re;ireseniantes da casa franceza acha-se
em Lisboa ; foi apresftnlado na alfandega e per-
gunlado sobre o contedlo das caixas, dizem que
nada ruspondeu sobre o logro que pretenda fazer
fazenda.
O valor do contrabando avaliado em dous con-
tos de ruis. A responsabilidad da fraude uao
pesa actualmente sobre os Srs. Franco & Irraao.
O Sr. Augusto Cesar de Arruda foi nomeado
segundo offlcial da alfaodega da i'ouia Delgada, e
0 Sr. Antouio Jos Pereira Serzedello vojal effeclivo
do conselho geral das alfaudegas.
Eotrou no dia 7 a' barra de Lisboa a corveta
da nossa raarinha Estephania, viuda do Para em
26 dias.
A bordo deste vaso de guerra vem o Sr. Dr.
Henrique Ferreira, cnsul geral de Portugal no im-
perio do Brasil.
Acaba de ser lamjado fogo a' herdade de
Ada junto a Monte Mor o Novo, e perteuce a casa
de Braganga. Os prejuizos foram enormes. En-
cootrou-se ainda um bocado de isca e urna peder-
neira que evidenciara a criminosa ongem do in-
cendio.
No ultimo consistorio celebrado pelo papa em
Roma, foi precooisado entre ouiros bispos, o de
Cabo-Verde, o Rvd. D. Jos Luiz Alves Feij, sa-
cerdote da diocese de Braganca, cora a dignidade
de chantre do capitulo cathedral, vigario geral da
dita cidade e diocese, bacharel em direito civil, e
ex-depulado s cortes.
A confirraago do Sr. Alves Feij, um facto
que faz suspeitar um accordo enlre a curia roma-
na e o governo portuguez e com o qual desde j
rauito colhem os povos da provincia de Cabo-Ver-
de, porque o Sr. Feij, lera no seu carcter todas
as qualidades que distinguem nra bom ecclesiastico,
tornando o recommendavel nao s pelos seus ta-
lentos, como pela prudencia, honestidade, raora-
lidade e bom senso.
Deve prximamente chegar a Lisboa, a bordo
da nao ingleza flacn, S. A. R. o principe Alfredo
da Gra-Brelanha. S. A. R. serve naquelle vaso
de guerra como offlcial da esquadra de S. M. bri-
tannica. a
Asseguram-rae que augusto principe tenciona
visitar os estabeleciraenios pblicos mais ooiaveis
da capital, prescradindo de ser recebido com as
formalidades que o governo e a corte de Portugal
costumam empregar na hospedagem e recepeo
dos roerabros da familia real de Inglaterra. Al-
tendendo-se porm as praticas de cortezia e aos es-
1 treitos lafos de amizade e pareniesco que subsis-
ten) entre as reaes Familias de Portugal e da Gra-
Brelanha, deseja o governo portuguez que S. A. R.
o principe Alfredo seja recebido nos estabeleci-
! mentes era que se apreseniar com todas as demons-
| traedes de deferencia e respeito devidos a' sua ele-
I vada jerarchia, e que lhe sejam araplameote paten-
I teados os mesmos eslabelecimentos, e ministrados
' todo? e quaesquer esclarecimenios que se digne
I solicitar.
Consta que pelos diversos ministerios foram ex-
pedidas circulares de preveogo, neste sentido, a
todos os eslabelecimentos pblicos de mais impor-
tancia.
Segundo a coramunicaco d
britaonlca nesla corte ao over
va S. A. o principe real proxim
devendo a sua digresso compre
alguns outros paizes da Europa.
A porlaria da suspeoso d
i dos do ministerio da fazenda por
particulares enlre os mesmos emp
tas o assurapto das oonvers __
correndo o tempo al afabertur
cujas sessoes lalvex nao sejam l
a principio parecen.
ministro de S. M.
io portuguez, esta-
a seguir viagem,
snder, alm deste,
varios emprega-
ausa de negocios
~ados e os agio-
:s. E assim ir
do parlamento,
socegadas como
Falla se com nolavel lOMstencia em novissi-
ma reforma das alfandegas, e na aposentacao do
baro de Villa-Cova, cujo lugar Do seria mais
prvido.
O Sr. Mendes Leal esta' escrevendo urna peca
carnavalesca que deve subir a'scena no theatrode
D. Maria II pelo prximo carnaval.
Ja' sahio do dique a barca transporte Marti'
nhade Mello, que no prximo dia 15 deve sahir a
larra com destino para Maco, levando um contin-
gente de cerca de 200 pragas do respectivo deposi-
lo, para aquella possesso."
Por cartas de Maco,sbese que foram con-
demnados a' morte e enforcados em Ilong Koog
cinco desgranados, dos quaes quatro eram porlu-
guezes. Estes infellzes, aecusados, por urna nica
leslemunha, de pintara, foram suppliciados, sem
que se Ins concedesse defenderem-se. O digno
governador geral de Maco, interveio neste triste
negocio, e interpoz lodos os recursos ao seu alcan-
ce para salvar da morte estes desgranados ; mas
nem pode obter que se sustasse a execiiQo da sen-
tenca at que se provasse a cnminalidade ou a in-
nocencia dos aecusados, nem ao menos que se es-
perasse a deciso do governo de Inglaterra. E'
um caso gravissimo e attentairio do direito que
todos os cidados teem de defender-se.
Esta' em Lisboa o baro de Nova Cintra e o
criado que aecusado de ter distraido a este se-
nhor um brilhanle de grande valor. O criado est
preso, e veio para ser acadiado com o ourlves a
quem, segundo elle diz, vendeu por ,425 um bri-
lhanle, que vale 8005.
Ao Sr. Andr da Fonceca Cassino foi conce-
dida a commenda de Christo.
Foi agraciado com a commenda de Torre e
Espada o almirante da esquadra franceza suita no
Tejo, Mr. L. Rouviere le Naury.
A direcgo do palacio de crystal do Porto val
all estabeleeer um curso deprelecgoes .cientficas
e artsticas, afim de se tornar ulil sclasses indus-
trines.
Consta que em Angra do Herosmo vao-se es-
tabeleeer tres fabricas de tabaco. Ha alli grande
actividade na cultura daquella planta. As autori-
dades proiegem os que se entregan) a' nova cultu-
ra, no que prestara um bom servico.
Veio nlti mmente de Cabo Verde, para o
museu nacional de Lisboa,nra grande macaco, vivo,
da familia de cynocephalos. E' mailo manso,
abragaodo e tocando na mao as pessoas que o
visitam.
Chegaram as insignias dagraa-cruz da Aguia
Vermelha da Prassia, para o ministro de eslado
honorario o Sr. Joo Chrysostomo de Abreu e Sou-
za; de comaendador complaca para o conselheiro
o Sr. Eduardo Lessa, director geral dos correios; e
de comraendador para o conselheiro o Sr. Ernesto
de Faria, secretario geral do ministerio das obras
publicas.
Estas condecorares foram conferidas por occa-
siao da iroca das rectificaces da ultima conven-
gao postal celebrada cora a Prussia.
No dia 5 foi posto a nado pdas 2 horas da
tarde na praia da Junqueira um brigue com o no-
me de Ligeiro III, de que proprielario um rico
negociante desla praga.
A direegao da construegao do brigue do Sr.
Vareta, hbil constructor.
O navio foi deitado ni mar por alguns artistas
do arsenal de marinha. Entrou n'agua com toda
a felicidade.
Chegou no 26 de setembro a Angra do He-
rosmo a corveta D. Joao I e parti para o Fayal
no da 30. Actualmente acha-se tundeada em fren-
te de Belm, auxiliando o registo do porto.
Ao principe Frederico Francisco, duque rei-
nante de Mecklemburg-Schwerlm foi concedida a
gra-cruz dajtfdem da Torre e Espada.
Ha noti'iaflfc India quealcangama 17 de agos-
ta A mais inl|lrunte era que a cholera nao tinha
felizmente progredido em Dio.
O jornal francez UExhibition, que se pailica
em Pars trata da exposigao internacional do Por-
to, diz no seu numero de 23 de setembro o segra-
le, a respeito dos productos da nossa fabrica da
Marinha Grande. .
A exhibigo mais importante da parte porlu-
gueza a dos crystaes da fabrica real da Marinha
Grande (no dislriclo de Leirla).
* Os productos expostos fazem a maior honra
aos habis directores daquelle eslabelecimento.
Continua a folha offlcial a elevago dos Srs.
Casal Ribeiro e viscoode de Leiria ao paralo. .
Est comaendador da ordem do Nossa Se-
nhora da Conceigo o visconde de Pereira Machado
e comraendador da ordem de Christo o Sr. Francis-
co Ribeiro.
Consta que o Sr. Antonio Alfonso Vellado fo-
ra agraciado com o titulo de baro do Freixo.
Parti para Londres o conde de Lavradio, mi-
nistro de Portugal em Inglaterra. Foi em caminho I
do ferro desde Lisboa at ao Havre, depois^ a em- j
preza hespanhola do caminho de Menda a Cuidad-1
real, consentio que S. Exc. lizesse essa jornada. S
no 1 de Janeiro que toda a laida ser abena a
circula.-a i.
O conde de Santa Maria, commandante da 1*
diviso militar, saino por algum lempo de Lisboa |
com licenga ; licou comraandando interinamente a
mencionada diviso militilar o general de brigada
Taborda.
Ao conde da Louz foi concedida mais urna
vida no titulo por seu filho.
Por sentenga do tribunal do commercio do
Porto foram no dia 6 do corrente declarados em I
estado de quebra a contar de 23 de setembro ulti-!
mo os Srs. Castro Silva & Filho, que em conse- ]
quencia de difflculdadescommerciaes se sirvan) na
penosa necessidade de se apresentarera no tribu-
nal.
O activo do balango de 279:9975350, e o passi-
vo de 405:8955213, sendo portanto o alcance de
125:8975893. Foram ncmeados curadores fiscaes
desta fallencia os Srs. Antonio Gomes dos Santos e
Manoel Jos Pereira Lima & C.'
O tribunal do commercio tambera declaran era
estado de quebra, a requer raento da direcgo dos
bancos Cornmercial, Uaiio, Mercantil e Allianga, o
Sr. Jos Doraiogues Simes. Foi igualmente ixada
a poca da fallencia era 23 de setembro ultimo.
Foram noraeados curadores fiscaes desta fallen-
cia os directores dos bancos Cornmercial e Unio,
e juiz commissario o Sr. Joo Alves da Meta.
Alm destas duas fallencias, o tribunal do com-
mercio declarou tambem no dia 6 em estado de
quebra os seguintes commercianies :
Sr. Manoel Joo Xavier, com armarem de fado
feito na ra de Santo Antonio, a contar de 29 de
setembro. Foram nomeados curadores fiscaes os
Srs. Ferreira & Cantoso.
Sr. Antonio Teixeira Nones, com eslabelecimen-
to de mercearia na praga do Anjo, a requerimenlo
do Sr. Antonio Pereira Mendes Guimares. Foi fl-
xada a poca da fallencia em 8 de selembroul-!
timo.
Foi nomeado curador fiseal oSr. Antonio Pereira
Mendes Guimares.
Terminou no dia 6 no tribunal criminal do
1 dislriclo no Porto, o julgaraento dos Srs. Jos
Maria Teixeira, Manoel da Trindade. Roberto Viei-
ra de Moraes, e Antonio Cordeiro Teixeira, impli-
cados na falsifioago de notas do imperio do Brasil.
O jury absolveu o primeiro dos ros.condem-
nando o Io em 8 anuos de degredo, o 3 em 5 e o
4o em 4 aonos, para frica occidental.
Enirou no 5 no Tejo um vapor iogler, per-
teocenle a compmhia do caminho de ferro do sol
e sueste, e que destinado a condozir os passagei-
ros daquella liuha frrea. Parece que brevemente
ha de receber o nome de Affonso Henriques.
O governo de S. Magestade conodeu ltima-
mente ao visconde de Leiria as seguintes distlnc-
goes honorficas ; o titulo de visconde, a nomeago
de par do reino, e de ajudante decampo de el re,
merc das gra-cruzes da Torre Espada, e de Aviz,
as tres medalhas de ouro militares ; o commando
da 3* diviso militar.
Do estraogeiro recebeu tambem o mesmo gene-
ral a gra-cruz de S. Mauricio e S. Lzaro, e a me-
dalha da diviso auxiliar de Hespanha. Por fim el-
re, tendo de ir visitar algumas das capitaes da Eu-
ropa, escolhu ainda este militar para fazer parle de
sua numerosa comitiva.
Os nomes do novo infantes de Portugal sao:
D. Affonso Henriques Maria Luiz Pedro de Alcn-
tara Carlos Humberto Amadeu Fernando Antonio
Miguel Raphael Gabriel Gonzaga Xavier Francisco
de Assis Joao Augusto Julio Volondo Ignacio de
Braganga Saboya Bourbon Saxe Coburgo Golha.
Sua alteza duque do Porto, titulo que a carta de-
termina seja dado ao segundo genito dos reis de
Portugal.
S. eminencia o cardeai patriarcha parti pa-
ra o pone no dia 7 do correte afim de visitar a
exposigao.
O Sr. Venancio David, aotigo deputado as
corles, e que seachava ha muito tempo em Bilha-
folhes no hospital dos alienados, sahio d'alli no dia
8 completamente restabelecido em virtude de urna
sensago forte que padeceu.
Em Cascaos trala-se di tirar do fondo do
mar os principaes objectos pertencentes a um navio
que alli se afundou, por meio de merguladores vin-
dos do Porto. J se tem obiido grandes resultados:
mastros, fateixas, correles etc. esto salvas, pela
diligencia de um famoso mergulhador que s de
urna vez esleve 9 horas no fundo do mar.
j Continuam os incendios era Aleratejo. No dia
2-5 do mez de setembro, depois de chegar o com-
boyo rebentou prximo da Casa Branca um im-
menso mcondo produzido pelas fagulhas da charci-
n'da machina.
No dia 28 do mez passado, quando na praga
de S. Julio da Barra eslavam dando a salva real
por ser o anniversario natalicio aw principe real
D. Carlos, um dos ariilheiros a quem perleocia ta-
par o ouvido da pega nao o fez bem, e em con.se-
quencia houve explosao; o soldado que funeciona
va de soquete teve o brago quebrado, e urna que-
madura no ante-brago, em virtude de se alear o
fogo na frdela; mas o brago foi.logo encanado. Ou-
tro soldado que eslava tambem tapando o ouvido
de outra pega, ouvindo a explosao fora de lempo, e
logo os grilos do ferido, applicou a allengo ao de-
sastre, diminuindo a presso do dedo no ouvido da
sua pega, occasionando assim seguna desgraga; o
soldado que eslava de soquete licou com a mo gra-
vemente offeodida, sendo preciso cortar-se-lhe o
dedo pollegar, urna ouduas phalanges do dedo m-
nimo, e duas do dedo annullar. Padeceu lambem
grandes queimaduras no ante brago, causadas pela
inflaramagaoda frdela. Se nao lhe acodera, ardia-
lhe o ante-brago lodo at ao osso.
As Linas vindas de Pona Delgada, ilha de
S. Miguel, do a seguinte noticia :
A's 11 horas e I quarto da noite de 15 de se-
tembro, deraugk torres da cidade sigoal de incen-
dio, ^m*
Pouco depois erguia-se urna enorme columna de
fogo que eclarecia a cidade inteira e devastava o
valioso predio do Sr. Francisco B. Franco, e outra
casa contigua na ra do Mello e anda mais vali
sos estabeiecimeotos comraerciae3 localisados no
predio do Sr. Franco.
Estavam alli o importante caf centrai, o escri-
torio do abastado negocianle Joaquim Jos de Oli-
veira, um bem prvido annazem de tabacos, duas
tojas de quioquilharias e outros gneros, largamen-
te abastecidas, e apenas separados por urna parede
divisoria urna casa e eslabelecimento importanlis-
simo, propriedailes de Januarlo Frederico de Abreu
e Vasconcellos & [finios.
Todos estes valores, calculados em muilas deze-
nas de conlos, foram destruidas em pouco tempo.
-N'um dos ltimos das do mez passao, o
distincto tenor, o Sr. Mongini, leve a honra de ir
ao pago da Ajuda e de ser convidado por el-rei o
Sr. 1). Lnll para com elle cantar urna peca de mu-
sica. O Sr. ufante D. Sehastio, que tambera es-
lava nessa occasio, nos aposentos de el-rei, igual-
mente se dignou cantar um duetto com o illuslre
tenor.
El-rei cantou, com o Sr. Mongini o duetto de
Monses, e o infante D. Sebastio o duetlo do Bravo.
Como sabido, el rei possue urna excellente voz
de bartono. O infante D. Sebastio tem voz de
tenor, extensa e de bello timbre na oitava alta.
Depois el rei cantou a ara do Baile de Mascaras
e o infante a do Trovador.
E por ultimo, el-rei e o infante cantaran) o dilfl-
cil duetto do Olhello, chegando o infaute al ao d
diese.
Foram pegas escolhidas e de difflcil desempsnho,
as que as reaes oessoas escolherara para cantar
com o Sr. Mongiai, e para executarem o solo.
Sempre a familia real poriugue/.a culuvou com
esmero a msica e a pintura. El-rei o Sr. D. Luiz,
frequentemenio se compraz em convidar artistas
distinctos para concertos, o agora estuda cora
amor a pintura.
O Sr. infante D. Sebastio, como j notorio
igualmente possue muita proficlencia.
Corre o boato de que pelo raeado deste mez
vollar ao Porto S M. el-rei regente o Sr. D. Fer-
nando.
Segundo o regulamenlo do jury da exposigao in-
ternacional as medalhas de honra, o premio mais
distincto que pode ser confirmado pelo mesmo au-
gusto senhor, como presidente da exposigaoe
talvez sua magestade qnelra honrar com a sua
presenga a reunio final do jury, onde confirma a
concesso das mesraas medalhas.
Foi aberto no ministerio da fazenda a fvor
do ministerio do reino, um crdito suppleraentar
at quantia de 12:0005000, em que podero im-
portar as despezas extraordinarias de sade publi-
ca no anno econmico de 1865 1866.
Diz-se que no banco Hypothecario ha 16 pro-
postas para empreslimos em circunstancias de ser
approvados e que o vao ser de facto. Urna dellas
e feita pelo Sr. Jos do Canto, riqulssirao proprie-
lario da ilha de S. Miguel.
A lilha do marones de Penalva, foi pedida
em casamento pelo visconde de Balsemo.
Falleceu no dia 2, e sepultou-se no dia 3 no
ceraiterio do Alto de S. Joo a Sra. D. Mana Car-
ila de Braganga, lilha primognita dos Exms. du-
ques de Laf'.<, e casada desde 29 de setembro de
1853 cora o Sr. D. Pedro de Portugal e Castro, fi-
lho dos 5' roarquezes de Valenga.
A Sra. D. Mana Carlota de Braganga era her-
deira do titulo da casa de Lafes. Nasceu a 22
de agosto de 1820.
Falleceu em Lisboa o visconde da Senhora
da Luz, o general Joaquim Antonio Vellez Barrei-
ros, iue ltimamente perder a razo, e se tinha
recolhido a Rilha folies, hospital dos alienados.
Havia nascido em 25 de novembro de 1803, con-
tando por tanto 62 annos de idade, os ulnmos dos
quaes lhe foram bem dolorosos, por causa dos seus
padecimientos.
Era par do reino, e por muius ancos exercera
a comraisso de director das obras publicas.
Foi por causa dos seus servigos como tal, para
qae se alargasse era Coirabra a ra de Coruche.
obra all lauto lempo reclamada em vao, que a c-
mara municipal d'aquella cidade, resolver dar o
seu nome a nova ra, que a snbslitoiu.
Havia tambem j i sido ministro, e era condeco-
rado com muitas dislinccoes, tanto nacionaes como
estrangeiras.
i Casou em 6 de agosto de 1837 rom a Sra. D.
' Rosa dn Monlufir Infanta, lilha at marquezes da
I Selva Alegre, de He paoha, e desle consorcio o M-
Iho mais velho, herdeiro do paralo, o Sr. Eduar-
i do de Moniufar Barreiro-s bacharel formado em
| direito, e empregado no ministerio dos negocios
eslrangeiros.
1 Escrevem de Boma a nm jornal hespanhol,
que S. M. el rei D. Luiz 1 escreveu ao summo pon-
tfice, olferecendo-lhe a sua mediaco nos negocios
mui intricados que esto pendentes entre a igrej
e Vctor Emmanuel.
Foi prohibida pelo governo a admissao para
consumrao ou deposito, de couros e despojos de
animaes procedentes da Inglaterra, Blgica e Hol-
landa, emquanto durar n'aquelles paizes a rpizoo-
tia mortfera que alli tem atacado os animaes da
raga bovina.
O conselho de sade j ordenou tambera qoe os
animaes desta especie, vlndos do estrangeiro, ti-
casem sugeitos a quarent-raa.
Foi declarado infeccionado de febre aroarella o
porlo de Swansea no principado de Galles, e sns-
peito de cholera o de Southamptoo.
O Diario de Lisboa puhhcun hontem o seguinte
em artigo semi-offlcial :
Por noticias ofciaes recellas dos di*er.o-*
di-irictos do continente do raan, aaegi que o
estado sanitario geralmente satisfactorio, H
< exreptuarmos a cidade e praga de Elvas, onde
* ltimamente se manifestaran) alguns casis de
cholera morbus, segundo foram clasificados pe-
los facultativos da localidade.
t Depois que o goveroo leve conhecimento de
que o cholera liuha invadido algumas povoages
. < do reino vl-mlio, tomou logo todas as medulas
preventivas convenientes para evitar a commu-
nicago e desenvolvimiento d'aquella epidemia ao
nosso paiz, e para a combatir e salisfazer as
principaes necessidade* da popolaeo en taes
circunstancias, se ella ebega^se a visitar-nos.
E-ta lod i prevenido para qualquer eveaf al
dade desta natureza. O conselho de sad* pu-
blica do reino, todas as autoidades as quaes
perlence entender em semelhante objeclo, lean
curaprido o seu deven Limitada por rmquanto
praga de Elvas, e ali mesmo con pequea in-
tensidade, nao pravavel que o cholera se geiM-
ralise no reino, atienden io ao adunumento da
eslago em que nos acharaos. Com Indo, o go-
veroo oceupa se incessanlemenie deste impor-
I tante objecto, a estamos certos de ne nao (al-
I < taro medidas preventivas, nem, ?e as circnos-
< tancias o exigirem, todas aquella, que sao pro-
c prias a alliviar os padetimentos das classes me-
nos abastadas, que sao as que mais rareeem de
< soccorro e apoio da auloridade publica em Ues
! c occasioes. Enlrelauto. repelimos, o estado sa-
; f nitario de todo o paiz excellente, a excepgJo
| do nico ponto atacado.
Eis o que ha de offlcial, pois a folha do gover-
' no que o diz, sobre o assurapto que neste momeo-
i to mais preoecupa os nimos em Portugal.
____PEBNAMBUCO.
REVISTA DIAIU.
As noticias, que hontem demos acerca dos 112
voluntarios da patria, trazidos de Goyanna i>elo Sr.
teneniecoronel Francisco d'Albuquerque Mra-
nho Cavalcanti, devemos accr-nlar, sejrnod-
informagoes fidedignas, que este r sul lado tan'.)
mais admirara!, quanto sWifl qu-, ao che,' ir
aquella cidade, o raesra > Sr. lenle-coronel leni
tolo motivo para recuar em vista da opioia i mani-
festada por pessas influentes da situagao, de que
nao se potera mais obter um s voluntario, se nao
devesse elle confiar no patriotismo icetnaorivel de
um povo, que tanto condece ; e se nao tss empe-
nludos no bom xito de sua ardua commisso os
esforeos de pessoas, que gozara na comarca de an-
Ugo e verdadeiro prestigio, des-es que nao abala o
furago das reaeges polticas, s vezes sollo de
proposito para derrbalos.
Trabaliiando o espirito publico, com o exemplo
do alistamento Je pessoas de sua familia, as mais
prximas, aqu fazeudo nasc r o d-.-ej >, all acoro-
goando-o, por meio de conseihos e aoimagee*, qne
nunca sero inuteisdirigidos a um GoyannisU
para acudir aos reclamos da patria offendiila e ul-
trajada ; puderam essas pessoas em breve crear
opima o contraria que havia ; e se lodos nao qui-
zeram misturarse na obra meritoria, motivando
alguns a sua repugnancia em razio le nomes pro-
prios, divergencias locaes, e at na casa, que hos-
pedava o illuslre lenente-corouel, nraguem se re-
cusou por fim a reconher, aplaudir e cantar o
milagre.
Entre os 112 voluntarios da patria, que vieran
de Goyanna, nao ha um s que deva fundar o sea
honroso titulo no principio d-sestoicos: volunta*
coarta est semper voluntas. Todos voluntarios de
flor, capazes do servigo a que se destinan), inspira-
ram-se no patriotismo para trocar as eommodida-
des, de que gozavara, pelos trabalhos da guerra.
Entre elles vem um neto do veoeando comraenda-
dor Joo Joaquim da Cunha Reg Barros, filho de
seu (loado georo Dr. Jos Iguacio da Cunh Rabel-
lo; vera primos do Sr. Dr. Henrique Pereira de
Lucena, vem muitos outros mogos esperancosos,
pertencentes a familias diMiucias da comarca.
Enlre as pessoas que concorreram para o resul-
tado, de que nos occupimos, figurara muitos qne
nao querem receber louvores, e que prohiben) ez-
pressamenle a mengo de seus nomes. Respailan-
do o incgnito, sob o qual mais brilha para nos o
patriotismo desses cavalle ros, accre-centaremos
ainda ao que hontem disseinos, qu i das autorida-
des de Goyanna, como juiz municipal que foi o
Sr. Dr. Lucena que erapregou malores e mais eflt-
cazes esforgos no ioloilo de ser bem soccedida a
coramisso do Sr. tenente coronel Maranhao, que
se apreseniava desligado de inleresses de partido,
visando, puro de mesqoinhos senlimeolos deste, o
noli re fim de prestar servicos ao paiz em urna can-
sa nacional, aproveilando para isso o prestalo e
boa vontade de amigos pertencentes ao partido de-
cahido assim como qne a par dos boas desejos do
Sr. Dr. Correa da Silva, promotor publico, da ac-
tiva e proveitosa coadjuvago do Sr. tenente coro-
nel Amaro Gomes da Cunba Rabel lo, merxera ser
louvados e mencionados os servicos don Sr. coa-?
mndame superior interino Jos Correa d'Otivelra
Andrade, leoenie-coronel Bento Jos das Nev*
Wanderley, capilao Luiz Francisco d'Alboqoer-
que, proprielario Vicenie Beierra Ferreira dos Sao-
tos, e muius outros, pareles ou amigos do Sr.
commendador Joo Joaquim, e lodos adbereates ao
partido, de que esle senhor chefe em Goya
Escrevera-nos de Buique:
t ltimamente fizeram os conservadores
reunio em casa do raajor Antonio Marques, pora
tratar sobre os negocios da guerra. Para essa
reunio o referido majar Marques e coronel Ca-
mello convidaran todos os progressistas sais no-
taveis, e um s nao comparecen.
< Nao obstante a reunio efleetoou-se. e nao s
resolveram lodos os prsenles, em numero de ana
de 30 proprietarios, auxiliar o tenente-coroael Ca-
mello, na acquisigo de voluntarios, como ahrio-so
urna subscripgao para ser adplicada a' desposa da
guerra, sendo logo subscripta avuliada qoaatia,
espera-se que dar ella mais de tros talos do ria
< Quando assim proceden os conservadoras,
delegado Thomaz de Aquino, leudo obudo a no-
meago de recrutador para nm seu enabado Loo-
i
.ILEGIVEL


Diario de TPomnea
ronco Bezerra, procede a' mala deshumana cacad,
sobre a genu ijue o leuente-c,jronel Camello lem le
alistar como voluntario", e luido empresa par* que
esse ciiladao ni) leve effeito os seus desejos pa
trioros. Parece qua a gente Ja actualidad nao
(juer que os adversarios do gove,rno sirva ao sea
|i iiz, e ao mesmo lempo que lhe> p-rlorba a accao,
di:em que sao lies inditTereotfri guerra.
t O recrulamento tera sido tfio deshumano, que
a pipalacio anla espavorida pelos mallos, coslan-
do at que la' para as bandas de Manoel Alves do-
ram-se tres morles, ein occasio de se apanhar ra-
crutas I
Aqui ja' temos a ca !eia chela de recrutas qae
13
vivem s esmolas, sem ha ver autoridade que Ins, tempe apreseular um bonita batalho. Se elle o
d um real, e quando chegarem a' cidade serio da- nao flzer, nao sei quera o podara fazer, ltenla a
dos como voluntar ios, e o Roverno pagara despeza' sua legitima influencia e dos seus adiados de Villa-
de alimentacu que nao se (es; tal qual aeonlecou Bella, a frente dos quaes so acha o distancio Dr.
com a outra tornada de recrutas, que ah leveram Luna, que nesla comarca
pracas de voluntarios I mado e respailado.
A miuha opinio c que o lenente-coron.I Ca- Se lia mais lempa se livesse proporcionado en-
mello abandone a commUsiio, i;ue Ihe vai curiando' sejoa' opposicao conservadora, e so urna poltica
rneme-coronel Pedro de -Carnes flea na Maria Francisca, Pecnambuc
maur actividad*. J.C fui a Villa-Uella, onde encoii- Boa-Vista; Ipilepsia.
trou o mais decidido acolUiuonlo ao juu inuuici- Manoel, Pernambuco, 8 mezes
pal Dr. Esteva, ten ente-coronel Braz, major Tintao Josepha, Pernambuco, 3 mezps, S. Jss gastro
Pereira, e particularmente no benemrito Dr. J.>a- interite.
quim Goncalves Lima, o qual influio logo para que
seu sobrinho Samuel se enearregasse ua organisa- "" """
ca de urna cowpaohia, bem como o tenenle-coro-
nel Braz dispoz e resol veu a iacumbir-se da ines-
ma tarefa o seu prente Vicente de Magalhaes.
Apezar da-s repugnancias incutdas pelos mal in-
tencionados no espirito da populaco, acredito que
o teneuie coronel Pedro do Campos, auxiliado por
to preslimosos arabos e prenles ha de em pouco
neo Quarfa fe>a 8 de Xovcrubro de 8*.
)GS.
que publicou neste
tantos desgosios; que uo sacrifique mais a sua
gente, fazendo ao publico una oxposicao dos mo
tivos.
Outros. porm, nao o eniendem assim. Afinal
veremos que lein razan.
De S. Jo. da Corta Grande, termo de llar-
reiros, communicamnos o segflinte :
Reclamo, por ireio da sua conceiluada nter-
vencaj, jactas providencias do Illm. Sr. Dr. chefe
de polica desta provincia, ooasentido de madurar
ou reprimir a indebita e perigosa influencia que o
subdelegado da povoaeo de Abrea di" Una, lein
exerrido para acabar com a fira desta pobre po-
voaco.
S. Jo, pono de mar, terreno frtil e sadio, j-
zia, nao obstante, abandouado e esquecido a beira
do Persinuuga.
Tendo proporcoes para oH-reccr vanlageQS
incontestaves ao coinmercio pelo livre porlo de
mar, de que dispe, vivia no isolainenio e na ubs-
eurtdade.
A cralo la fe ira pelo Sr. Tav ra Indgena, lia
quairo anno, tem-Mn razido popularn, comioer-
eio e vida, i coja nilagoa morria.
O subdelgalo do Abreu porm nao sei se por
motivos particulares, se por zelo de vr a povoacao
rival da de Abreu, prosperar do dia para a noite,
se mesmo por causas polticas, consta-nos man lar
lodos os sabbidos para aqui um cerlo numero de
mais nacional tivesse convenientemente substitui-
do a' que ha dous anu s se pralica, DOS0 assegu-
rar-lhe, que, a1 primeira voz dos chefes conserva-
dores, a provincia em sua maioria se ttria levan-
tado para combaler o tyranoo Lopes. Felizmente,
porm, o actual presidente dingio-se para aqu a
todos os conservadores em linguauem a mais fran-
ca, exclu'do toda a idea de cores polticas nesta
qoostao toda nacional.
A doenca do capilio Umbelno, e a morte ca-
sual e lameulavel do Domingo de Athayde, cau-
sam sempre seu rra Os torno, na organlscio do cor-
po ; porque eram auxiliares reaos.
Fizeram acto, ua Faculdade de Direilo, hon-
tem :
\ l. Anno.
Fructuoso Lins Cavalcanti de Albuquerque, plena-
meule.
Ernesto Alvin da Silva, simplesmente.
Jiis Eustaipiio de Oliveira, plenamente.
Paulo de Ainorim Salgado N-tto, idera.'
2. Anno.
J)s Pedro de Paiva Bararho, similesmente.
Jo.- G ircia ila Silveira Jnior, dem.
Anacalo Jos dos Santo-, ideen.
i Autonio Joaquiin de Senna Jnior, [llenamente.
'' Anuo.
! Demetrio Jos Teixelra, simplesmente.
Um reprovado.
Lendo hoje o eommuoieado
Diario o Sr. Dr. Antonio Jofe da Cosa Uibeiro,
em que esle Sr. pelo simples fado de eu dizer qoe
elle j militara as (iliras do anido conservador,
offende rae desabridamente, pico
su penda o seu juizo a respeito
no referido coramunicado, ati
pooder ao mesmo Sr. Dr. Costa
verdadeiramente esli-1 devidos.
Hostrarei ao Sr. Dr. que nao
factos, nem as siluaQoes em
individuos pelas convenie:ici
ao publico que
do que se contm
que i u possa res-
Kibeiro nos termos
se sophismam os
ue se collorain os
drain bem.
ceios.
Heclfe, 7
A t-rra pequea
de novembro de 18 o.
Marcolino Fe
*)
MILI
nt%m
Moate-Pio Poitaruez.
individuos sob o pretexto de policas, capitaneados I Angosto Alves Guimaraes, plenamente.
por um celebrrimo Dous Duros, que ja respondou
ao jury de Barreiros pelo assassiualo perpetrado
no infeliz Antonio Sencoui.
O Dr. Loareoco Avelino, advogado. eslabeleci-
do nesla praca, poder ministrar a S. S. a tal res-
peito parlunlares eminuciosas iuformaciie.-.
Oiitros lacios anula desabonan! a vida publica
dessa autoridade, os quaes traamos de averiguar,
para levaimos ao dominio do publico e do Sr. Dr.
Pindabvba.
Remettem-nos a segoinle sollcitacr, a qual
carpee ser attendida em sua materia :
Pede se a polica, que lance suas vistas sobre
o que eslo pralicando na ra da Imperalriz, prin-
cipalmente a venda do A... e no corredor da
casa n. 3, que Ihes erve de quartel general, um
grande numero de moloques, os quaes commetiem j
os maiores escndalos, de sorle que obrigam as fa-
milia> a retirarenise das .-uas varandas.j insultan-;
do a qui-m transita poral, e j aiornieniando a um j
pobre velhoqoa abi mora, atirando Ihe pedras eo
que podara apanhar na ra, a ponto de estar elle
privado de ebegar a jauella, Lein como sua familia;
sendo lestemunha de todas essas imin-.ralidades a ;
visinbanca. Os rhefes daque.'la quadrilha sao dous
oleques iniitulados libertos, os juaes, quando .-ao
apandados em flagrante, apparece uraa senhora re-
claniando-os como seus escravos.
De Garauhuos temos as seguales noticias
datadas de 28 do mez prximo passado :
A' noite passada, quando todos seachavam en-
tregues a raorpheo, evadiram-se cinco presos da
cadea desta villa, que erara couservados em urna
pequea sala do andar de cima. Eis os seus no-
mes, qualidades e crimes : Antonio Jos da Silva
Palmeira, branco, pronunciado por ter tentado re-
Onzir a escravidao pessoa livre ; Virginio Uezerra
Wanderley, branco, prouunciado por ferimentos
graves; Ricardo Rodrigues de Sobral, branco, dem-,
Andi Ferreira da Silva, pardo, dem ; e Manoel
Pereira da Roeha, guarda nacional designado liara
o sfrvice da guerra. Para realisarera a fuga fi/.e-
rain um irroiubamento na pona da prisao do lado
do puente, e acompaojiaram-n'os, sendo por con>e-
i;umt'' conniventes, os guardas n^cionaes aqu des-'
lacado, (leitencentes ao bataliao de Papacara, Se-!
veriii" Pereira de Araujo, Manoel Lefio de Barros,'
Ignacio Jo.- Vicente e Silvestre Jo> da Silva.
Aquella Pala cora o mesmo que se celebriSa-
ra, dando urna denuncia de tentativa de morte con-
tra diversas autoridades, pelo faci da sua prisao,
sen,i, que sem Ibante denuncia lem servido de m i-
iivo de representaeoes ao Exin. Sr. presidente da
provincia. Tendo o referido Palmeira inlerposlo
recurso para o Dr. juiz de direilo, fura-Ihe denega-
do, a vista da mulla prova que havia, e por islo
procuroD elle'pr-se ao fresco com os mais compa-
nheiros de prisao.
Nu {lia 26 do rorrenle, 00 lugar Cigana, em
Pa| icaga, deu-se urna morte, cujos promenores
segundo me eontaram, .-ao os seguintes:
Andr e Tal, morador em Tanque d'Arca, era
Al igoas, achava-se no referido lugar em casa de om
seu geuro de iiome Franci>co Antonio. Logo aii<
elle vieram da m-sina provincia em seu seguiren-
to \bomein com una precatoria, por ter elle fur-
tado iras cavallo:. O delegado de Papacaca man- j
dou ipie o inspector de polica Angosto de Barros!
prendesse o mencionado Andr, roas nao estando
no lugar e>ie inspector, encarregou-se da prisao o
inspector Aulonij Firmino e Carvalho, que reu-
Oindo una pairu na, poz a casa de FranriMO An-
tonio debaixo de cerco ao aiiianherer d'aquelle da.
O resultado desta diligencia fui a moile do infeliz
Francisco Antonio, dizendo uns qoe o matar o
proprio sogro, pen.-ando adrar em um individuo da
tropa, e ontros que esta : a polica perlence fazer
d- precisas pesqoixas para que nilo lique inpune o
criminoso.
So mesmo dia 2ti o cauilao Francisco Pereira
de Carvalho, subdelegado de polica da Palmeira,
mandn apreseular nove voluntarios da patria ao
Dr. juiz de direilo, alm de doze^/feerntas. Tera
sido mcaocavel'este moco era promover os melos
de defeza do paiz, cojos lllhos al ssalvas as hon-:
rosas excepes,anda nao enmprehenderam bem
o dever que lem de defende lo, sem que para isto
s ja preciso laucar-se mo do recrotao ento, lo-ne-
u -o a nossa populacio pela manelra por que fe-
10, principalmente fora dos povoados.
Do Ceari mandam-n >s dizer o segoiote :
juiz municipal da capital, Dr. Manoel da Cu-
nta e Figueiredo, acaba de elleituar urna diligen-
cia, que faz rauila honra ao seu zelo e inlelligea-
cia. AChaado-se elle as 6 horas da larde no lugar
de Parazinho, sottbe que as i horas da madrugada
naufragara um navio a meia legua da barra de Pi
riquara, e a legua e m-ia da dita pQvoacau.
Immediatamente se dirigi ao lagar do sinistro
onde chegando as 7 horas da n >ite deu logo as mais .
acertadas providencias para a salvaco do navio-
dnamarquezBirend Wilhelm, que com effeito
eslava eocalhado, e desamparado, acnando-se a iri-
pola^o ( de o jie^soas alm do capillo ) abarraca-
da em frente da escuna naufragada, sera darera
sgnalde vida.
O juiz municipal affrontando as vagas do mar,
dirigio-se loeo para bordo com algumas pessoas,
que pode notificar, e ali hilando .ro n mil diffiVul-
dade
imples-
Pedro Carneiro da Silva, dem.
4." Anno.
Antonio Saboya de Sa' Leito, plenamente.
Buclides Deocleciano de Albuquerque,
mente.
Um reprovado.
5." Anno.
Antonio Borges da Fonseca Jnior, plenamente.
Hermes Pimo de Boiba Cavalcanti, dem.
Joo Manoel SIendes da Cumia Azevedo, idera.
Fizeram exames de francez no dia 4 :
Plenamente.
Simplesmente
Reprovados.
De Plilosophia:
Plenamente.
Simplesmente
Reprovado .
Levantou-se.
1
2
9
12
2
3
6
1
12
e de
novembro
dia 6
Repartiqo o.\ roLiciA.
Exiracto das partes do dia
de 1805.
Fora n recolhidos a casa de deleucao no
do crrente :
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Mar
tiniaoo Jis da Silva, Joaqoim Gonijalves da Silva,
Amonio Luiz Gomes, Epiphanio Flix da Silva,
para recrutas,eHenrique da Silva Maranhao, como
suspeito de ser criminoso.
A' ordem do subdelegado de Santo Ant >oi0, Jo5o
Manoel de Rezendp, por ferimento.
A' ordem do de S. Jos, Venerando Antonio de
Onveira, por crune de morte, e Juanua, -erava do
Dr. Jacobina, por fgida.
A* ordem do da Boa-Vista, Emiliano, escravo de
Joo J"S de Souza Comes, para corre' jai.
A' ordem do do Poco, Jos Antonio de Oliveira,
por desobediencia.
O chefe da 2" secgao,
J. G. de Mesqui'la.
Casa de dktrncao.
Movimeoto do dia S de novembro :
ExUtiam 353 ; entraram 3; sabio 1; exi>tem
337 ; a saber: naciooaes 2'i8, miiliyres 5; es-
trangejros 20, mulheres -'i: escrav <<^b ravasi;
lotal 357. ^^
Alimentados cu Mov" ento da enfermara no da 4:
Te ve baixa :
Jos Francisco Bindeira.
.uarioel, escravo de Felippe Moura.
Palleceo :
Luiz liaptista da Silva.
( Correspomten la.)
Illm. Sr. A directora proJ
Portuguez tem a satisfaco de c
que est de posse da quanti
que V. S. se servio enviar-lhij
da jola com que V. S. contri ou
assoei icao'(vinte mil ris), ede
cuja assignatura se digoou solu itar.
soria do Monte-Pio
pmmunicar a V. S.,
de irinla mil ris
importancia esta
para urna to pa
jutra de um socio,
Significando a V. S. qnanlo I le grata a direc- devindo na razo (Je8l por aego.
toria provisoria i-or haver acqu
que leve a hourade Ihe fazer,
cjntinnar a prestar o seu vali
ciedade, que capnchar em sfc
dos subditos portuguezes, que
escido ao pedido,
e pera ella que V. S.
so apoio a esta so-
tornar o palladio
le l la vierem a no-
cessitar, tendose abrigado su sombra.
Deu. guarde a V. S. Secret na do Monie-Pio
Portuguez em Pernambuco, 7 de novembro de
1863.
Illm. Sr. Antonio d'Almeida G^omes, M. D. socio
do mesmo Monte-Po.
Jos da St cu Loyo,
' resii ente.
Joaquim Ge
'i.' se
Agua de Florida le Itn
Qoe os poetas embora falleiri
pliems da balsmica Arabiap
. v e Lanmaii.
dos ares adori-
rra apezar de tu-
auneileiras oo
incens ;
do pdese mnito bem por em du nda, se jamis al-
gura desses florescenies bosques le cannelleiras ou
laranjaes produziram ou derra iiaram
perfume mais refrigrame e
aquel>e delicioso e delicado arbma que exhala e
dimana desta admiravel essencia colhida dos cam-
pos virginaesde Flora. A athrao
phera, a qual rou-
ba e di veste a fragrancia a qu isi todas asmis
n
>4 1 I f 1 M S? 3 1
7.' q =!. - -7 >
6 =3 1 ? M 13 1 s o
i3 1 : i. : . : ? 2 B B
. 1 : : : > o
. 1 : : : : " o
1 1 ' i Masculino. I 5 = o
*j m 1 i* 1 c^ i n
1 -i--- 1 GO 1 5 "H.
S a
C3 1 i 1 c* i'cminino. > S j
-s 1 C! 1 IC i -i ! -! Si
-l
a O
i Masculino. -i ES
~ > . o 2 ai o
SS
1 Fcminino. H =-
" - - - 1 te
eo
O
Masculino. H
a> . a-fc o
t
Fcminino. < _
- m m * V.
5 o
Masculino. |
nI M* 00 _

Fcminino. > s
o - - o **
^* - Masculino. Vi o1 -1 o
vt * A A 1* , :*


** ^a Fcminino. > >D
- 3 A -- O
^ TOTAL. '
ac ce
-^ o
aguas cheirosas, parece produzi
to sobre a exquisita randade de
pertence por excellencia esta
e refrigerante. Ella encerra em
zer, o condeusado respiro e vida
exquisitas e odoripheras do
fragrancia parece inexhaurivel,
mo depoi de ter sido exposta
evaporaco ou dilTuso. Neste
seiiiellu a original agua da Col
preferida uor toda a America
tilhas, nao obstante o valor e
quelle ouiro perfume.
Keparai bera que os noraes
man se acheni inscriptos sob ca
muro e al mesraos embutidos n
garrafa ou na falla dos mesmos
Ach.ise a venda na pbarraaci
vo i C.
ADVERTENCIA.
Na totalidade dos doentes existem 189, sendo 113
homens e 7i mulheres.
Foram visitadas as enfermaras estes dias :
As6 1|2,6 1|2, C l|4,6I|i, 6 1|4, 6 1|4, pelo
Dr. llamos.
As 8, 10 l|4, 9 l|2, 8 3|4, 9, 8 3|4, 9 3|4, pelo
Dr. Sarment.
Falleceram
A jurubrb i.
As virtudes therapeuticas da
mnilo coohecidas nao s no Bra.
Iratou Pisn em sua exceilenle i
turalit el medica ndice occiden
Antilbas, onde o sueco das folha
aqui, multo estimado e apphca o
tiucces abdoininaes, principal
bac; e se lodos os facultativos
nao applieam com frequencla,
nao recunhecerem elles essas virtudes
nao serem encontradas rom fac
as estacoes do anuo os frucios d
pugnancia, que spresentani os
uso do sueco desses froctos, e
ser extremamente amargo.
Ajiaubeba nao desrouhecid dos botanistas
esta oanla pertence familia da; sotaneas, e lem
a deuoroinacao de solanum pam ulutum, que ihe
fot daila por Lyneo.
Parecendo-nos conveniente
sueco dos fructos da jurubeba,
pregado, nos propozemos a conse|ju
cora elle nao s um extracto aleo
applicado em pi lulas, mas tamb
xarope, e um emplastro que p e substituir, era
cerlos casos, o de Vigo ; e eslamd,
com islo prestamos um servlco
hiera peo tica.
Pisn, tratando da hydropesia,
coccao das raizes da jmbrba.
i-m seo Diccionario de malcra m 'diea e therapeu
lien, dizem que nas AiPilhas se
dos fruidos maduros dessa planlji
rbo vesical ; e a autoridade dos
dicos, merecidamente celebres, nl>s leva a crer em
suas palavras, e por islo cuida
uosso eslabelecimento essas raize
^er experiraeuiadas.
A repntacao da jurubeba tal
Iherapeulics obtidoS ultimamenl
lantes, que nos |iarece
isto, que Oca escripto.
Deposito :
intil d
!>
larmacia de
Joaquim de
annos, viuva, sa inieriw j nao ha pois razo aguma em
Recife; bexigas. cr^r ^,,e e"as se Pdem curar com remedios
externos. Tambero, se prescreve o xarope
alchoolico de veame para o tratamento das
affeccoes do systema nervoso e fibroso, taes
j como:
Gotta, rheumatismo, paralysia,
Dores, impotencia, esterilidade,
Marasmo, hypocondria, ommagrecimento.
0 xarope alchoolico de veame sobre
tudo, da maior utilidade para curar radi-
calmente, e em pouco tempo o rheuma-
tismo.
Adverte-se que o verdadeiro xardo eso se
vende nesta cidade na botica cima indica-
da, do abaixo ass gnado; e em outra qual
duer parte que se tem annunciado niio da
do
que Ihes qua-
todos nos couhe-
eir da Costa.
FOIDG
*Miit Gasa da }liscricvrtli
Recife.
RMac.o nominal das orphis, que por ordem da
presidencia da protineia tem de ser adiuittidas
no respectivo collegi, do 1." de novembro em
date.
Nomes. Observacoet.
Isabel, Olha de Archangela Bernardina.
Antonia, tilhade Diogo Soares de Albuquerque.
Rosa, pupilla de Jos Alves Barbosa.
Sezaria e Guilhermiua, enteadasde Mara Januaria
da Concecj.
Fi'inma, lilha de Francisca Silvina de Barros.
Emilia, aliihada do Dr. Francisco Jos Fernandes
Gitirana.
He .i i .i la. i'i'h.i de Manoela Maria do Espirito
Santo.
Emiliiina, lilha de Francelina Maria Borges.
Maria e Pbilomena, filhas de Alexandriua Pereira
THETRO
DI
KIOTO ilTIIflO.
(CA PUNGA.)
Sociedafle di-anatha Tkalia Penas-
llUMM.
Em cumprimenlo da ordem qae re*-pl>i *> film.
Sr. presidente de-la soriedade, participo > 5r.
socios que o espectculo dpie mez i. ra lujar *afc-
bado, 11 do crranle, e que poden eviv ja rw-
ber do Sr. thesoureiro, sede da sociedad, sa>*
partes de bilheles.
Secretaria da soeiedade draraaiira TlnUim trr-
nambitcana, 6 de novembro de t i
O .-acrelario.
Epmninondas P. B. t Aecioti ,U FammH
mesma composic'o, e nem o abaixo assigna- ,'-' ?u'-,i}1, ,,
itn en i.Mnnnc,ln;o, Antonia, lilha de Ha
Ba
do se responsabilisa.
Jos da Rocha Paranhos,
TOMMEgo".""'"
Caixa.filial do b^nco do Brasil era
Peraambuco.
A caixa descoola as letras de seu aceite pela
taixa de 6 0|0 ao anno.
Oguarda-livros
Iguacio Nunes Corroa.
Novo Banco de Pernambuco
O Novo Banco paga o dcimo quinto di-
Voro banco de Pcruain
buco.
O Novo Banco desconta letras de praso at seis
mezes a 10 por cento ao anoo, e toma dinheiro
a praso fixo, ou em conta corrente pelo premio e
condicoes que se convncionar.
ardo de Bastos.
brelario.
Rendimento do
Idera do dia 7
ALFANDEGA.
dia i a 6 ......
106:39o066
26.3053522
13:70I^'i88
MOVIME.NTO DA ALFADEGA.
Volumes entrados com fazeodas____ 47
< cora goneros..... 3G8
Volumes sahidos cem fazeodas.
com geueros.
178
86
ili
-------1,042
Deacarregam hoie 8 do corrente
lelellavel, do que Brigue portuguezLaia //-divers-s gneros.
Patacho inglezHarrietbacilho.
Barca inglezaConstanteidem.
Crigue inglezCarne M. L, carv.lo de pedra e
ferro bruto,
Lugre inglez E/ijisftmancarvao de pedra.
Barca inglezaBelle l>out=\&im.
Escuna hollandezaGez'iu diversos gneros.
Patacho hamburguezEmim carvo de pedra.
Brigue hespanholThemoteo =vinhos.
Patacho portuguez -F-tr/o-enarque.
Importaco.
Barca brasileira Lwlurina, entrada do Bio Gran-
de do Sul, consignada a Maia & Espirito Santo, ma-
nifest o segoiote:
12,946 arrobas de carue secca de charque, 200
ditas de graxa em bexigas, 200 ditas de sebo em
pes, 96dilas de ditoem rama, 30 barra de dito
coado pezando 210 arrobas, 71 couros vaccoos de
refug.>, 10 barns laiuhas, 11 barris sebo; a Maia
& Espirito Sanio.
Hiate brasileiro Lindo Paquete, entrado do Ma-
nera pouco effei-
to aroma, a qual
eparacao sublime
si, nr assim di-
das flores as mais
no vegetal e sua
nesgla vel, mes
uraa prolongada
?speito ella se as-
m.i de Faria, e
lo Sul e nas An-
< DM dobrado da-
le Murrai e Lan-
a envoltorio, le-
proprio vidro da
ttda a mais falsa.
de J. da C. Bra-
tou o
il.i
ranho, consignado a Antonio Gomes, raanlf
seguinte:
1 volume 2 arrobas de camaroes; a Manoe
| Silva S rapa lo.
20 caixSes engenhos 1 dito livros usado?, 3
pois que delias, 800 s;lC(.()S arro 91 panelros tapioca a dllos e 2
bra -listona na-. encpados gomma a ordem.
alis. seuao nas Darca jng|ela Wlg PoHle enlrada rtfi [,,eerpool,
01 consignada a Soulhall Mellors & C, manifeslou o
seguinte:
423 toneladas di carvo ; a Thomaz Jofferes.
RECEBEOORIA DE BENDAS LNTEHNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 0...... 8:1305723
dem do da 7................ 1:0105076
contra as obs-
leute do ligado e
sta provincia o
isto se nao deve a
mas sim a
idade e u todas
sa [danta, e a re-
leeoles >in fazer
11 consequencia de
9:1705799
CONSOLA00 PROVINCIAL.
Rendimento do da
dem do dia 7 ...
la 6
cuitar o uso do
que o mais em-
reparar
lico ifla^ide ser
m nm vinho, um \
i3:340SU2
934580
14:2755216
s persuadidos que!
Iiumanidade e
prescreve a de-
Mrai e Delens,
faz uso do sueco
contra o catar-
ornes desses rae
emos de ler em
, para que possam
e os resultados
e sao to mpor
zer mais do qut
navios entrados no dia 7.
Maranhao23 dias, palhabote opcional Lindo Pa
qnete, de 203 toneladas, capilao Francisco l'elix
Nogueira, equipagem 10, carga dillereutes g-
neros ; a Antuuio de Alineida Comes.
Rio Grande 1I0 Sul40 das, barca nacional Ludil-
nna, de 268 toneladas, capilao Joaquim Antonio
Gadr Jnior, equipagem 13, carita 12,916 arro-
bas de carne ; a Maia & Espirito Santo.
/Yones sahidos no mesmo.da.
HavreBaica franceza SainJ Andr, capilo Per-
rot, carga algodao e couros.
BarcelonaSumaca hespanhola Agustina, capilao
Jos Marti, carga algodao.
Ofiserrufo.
Fundiou no lamarao o brigue brasileiro Man-
nho III, mas nao leve coraaiunicacao cora a
trra.
miida Pinto.
JURUBEBA.
A jurubeba urna das subslai cas medicamen
ioas, ao reino vegetal, e p{
dos tnicos e desobstruentes,
oa com vantagem contra as fel|
acompaohadas de eugorgilament
Ella tem sido ap
contra a anemia ou
iho da bt-xiga e me
cao difflcil, resultante da mesma
rose.
Extrato alcoolico de jurubeba.
Emplastro idem.
Oleo idem.
Tintura idem de idem.
Xarope id^m.
Viubo idem de idt-ra.
Pilulas de ext. idem.
Deposito, pharmacia de Pinto,
sario n. 10.
nence a classe
endo em prega
res intermitentes
de figado e baco.
EDITAES.
Pela inspeccao da alfandega se faz publico,
que em virtude da portara da ihesouraria de fa-
zenda sob n. 140 honiem datado, precisa se contra-
tar o concert de urna parte da cubera do edificio
por cima do armazem n. 5, cajo orcaraento na im-
portancia de rs. 3295280 acha-se na mesma repar
licada com inc nteslavel proveitc llcao, onde os pretendemos o poderao examinar,
ni chlorose, e lydropesia, catar a|,n ue organizarein suas propjsias, que devero n)
esmo para con bater a menstrua- ser entregues em caria fechada al as 2 horas da i ^'
anemia ou chlc--
Tu^Z2'l\t a/.,IHh"r:,s,dar noile' -e Jos LourcncoTheodosio ; tubrculos pulmonares. I
mJ^S^^M^JS^^^L!^^ de|Severina Mara Francisca das Chagas: tubrculos
I volumes. No da segoiote apresentandose a
Aencan
orcos, ioanoa Mara Francisca ; gastro enterlte.
bordo pela madrugada, e redobrando de
^YHJf, "h^J^Z'*! ?a eI.de^i,r J .aquina Mari* de Jess ; tubrculos pulmonares.
a th > h le.,deba.xo deco-:Joana Baplista; insuticiencia das vlvulas da
berta enchina ; participando logo o occorrido a to-1 or[a p '
das as autoridades competentes a qoem pedio au-1 Henrique Jorge Bramo ; entente ulcerosa.
Jos Laurcntino Ribeiro Lima : anemia.
ra larga do
xilio para cabal execnco da diligencia. Emfim o
Sr. Cunna o Figueiredo poz a salvo todo o carrega-
mi-nto d > navio em o menor espueo de temp, que
foi humanamente possivel, nao dfixando de correr,
rouiio perigo a sua saude, que alias lodos sabem,
que nao das mais robustas.
Depois da descarga o Sr. Cunta e Figueiredo
empie;ou os maiores es forcos para salvar o caco
do navio : o que nao Ihe foi possivel conseguir,
por que tendo este batido mailo, e aherlo agua,
que noerapossivel esgotar, forja foi abandona lo,
aproveilando-se a mastreaco, massame, etc. O
carregamento era importantissimo, e foi lao bem
arrecadado, que o juiz municipal receheu mereci-
dos elogios tanto do presidente da provincia, como
do vice censulo dnamarquez. fVfu* ladala eres-
cit: o Sr. Figueiredo cumprio o seu dever com todo
o denndo : necessano eonfessa lo moito alio.
Recehemqs de Flores a seguinte carta, com
dala de 23 do corrente :.
< Ha dous das aqui rhegou o tenenle-coronel Jos
Lucas, como pagador dos voluntarios da patria,
que se eslo aqu reunindo. Nao poda o presidente
mandar melhor militar para o centro. Suas manei-
ras tem capllvado a-todos,.bem como as do delega-
Vicente Ferreira Gomes ; tubrculos pulmorares.
Mara Francisca da Conceieo ; epilepsia.
Joaquim Bibiano I. lio ; anemia.
Cemitemo publico, obituario do da 4 DE
NOVEMBnO DE 1865.
Joaquim Mluel Teixeira, Permmbuco, 2o annos,
soltf-iro, Boa-Vista; tubrculos pulmonares.
Joao Martins Ferreira, Pernambuco, 45 aonos, ca-
sado, Boa-Vista; gangrena.
Vicente Ferreira Gomes, Afogados, 24 anno, sol-
teiro, Boa-Vista; tubrculos pulmonares.
Guilhermina, Pernambuco, 13 mezes, S. Jos; ver-
mes.
Manoel, Pernambuco, I dias, Santo Antonio; es-
pasmo.
Francisco Manoel Peres Quente, Pernambuco, 39
annes,Recife; tubrculos pulmonares.
Anna Candida Ferreira M., Pernambuco, 27 annos,
casada, Boa-Vista; tubrculos pulmonares.
Catharina Maria da Conceicao, frica, 40 annos,
Xarope alchoolico de velbme, /preparado
pelo pharmaceutico Jos da \ocha Paranhos,
estabelecido com botica na
88 em Pernambuco.
Este xarope incontestav lmente superior
a todos os xaropes depu
composicao o seo maior
parrilha, pois que se tem onhecido ser o
rpa Direita n.
a ti vos, de cuja
;le i ento a salsa
prompta cura
fcencial depende
assim pois se
pessoas que se
quaes acham-se
viuva, Boa-Vista :
hypertrophia do coracao.
5
veame mais enrgico para
das molestias, cuja base es
da purificado do sangue \
tera verificado por muitas
achavam desengaadas, as
hoje festabelecidas com o referido xarope
alchoolico de veame; entretanto que al-
guns, tendo usado do xardpewde Curinier,
de Larrey, de salsa parrilhja, de saponaria,
oleo de ligado de bacalho, b outros agentes
desta ordem nada conseguirn!. ET elle de
fcil digesto, agradavel ao paladar eaool-
\ phato Alguns mdicos desta cidade e da
de Macei o teem recommepdado para a cu-
ra das
arcolina Francisca Guimaraes.
Honoria, lilha de Leanira Thereza de Jess Barros.
Adelaide, lilha de Maria da Luz.
Maria, sobrinha de Manoe Pin da Luz.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife 2 de novembro de 1865
Oofficial,
_______ Manoel Antonio Viegas.
A inspectora da alfandega desla cidade, em
virtude da portara da thesourana de fazenda n.
141, desta data, precisa contratar para o expedien-
te da inesina reparlicao no corrente anuo tinancei-
de 18G--1866 os objeelos abaixo declarado* : os
pretendentes devero apr^s-niar suas proposlas
em carta fechada al o da lo deste m-z 4* sec-
co da alfandega de Pernambuco 6 de uovembro
de 186o, a saber :
Para a guardamoria.
Lonas, brlns, bandriras para signaes de 2 e 3
panuos, oleo to liuhaga, linlas preparadas a oleo,
ditas era p, breu, alcalriio, verniz, fio de algodao,
lijlos para limpar ferragens, piassava, estopa, ele.
Para lai raciio. |
Graxa, sebo, cera em gruine, cadarzo eslreilo,
azarco, laxas de bomba, cabos de dinVrentes qua-
lidades e grossura, azeite de carrapalo e de coco,
lanleruasou pliaroes, fuqui-ta- de ierro, correles
de differentes grossuras, ferros de differentes lama-
nhos, remos de 12,14 e 16 |s, louca "de cozioba.
Para servico de eajdtHa.
Livros era iiranco para os armasens, azeite doce
pata os guindastes, tinta roxo-terra era |>, broias
para pinturas, verniz de carvo de pedra.
Para o expediente das seccoes.
Quadernos de papel pautado para extracto dos
mappas, papel greve pautado, dito liso, dito de li-
nho, dilo malta-borrao, pennas de ae,o, (lilas de
aves, lapis pelo, ditos de cores, tinta pela e rxa
para escrever, dita niezim, area preta, obreias,
reguas, cadarzo, caivetes e raspaduras.
O 4o escriplurario,
___ Joao de Assis Pereira Bocha.
Tribunal do coinmercio
Pela secretaria do tribunal do co.nraerco de ;
Pernambuco se faz publico que nesta data form
inscriptos no hvro da matricula dos commerciao-1
les os senhore :
Jos Marques dos Santos terregal, Portuguez,
estabelecido na cidade de Macei com casa de
coramercio de fazeodas em grosso e a retalho.
Antonio Jos Dnane da mIvi Braga, Brasileiro,
estabelecido ua cidade de Movi cora casa de
commercio em gros> i a retalho.
Severiano Ribeiro da Cunb, Brasileiro, estabe-
lecido na cidade da Fortileza cun casa de cora-
mercio de mereadorias em s;r isso.
Diogo Jos da Silva, Portuguez, estabelecido na
capital do Cear com casa de coinmercio de mer-
eadorias por proso e a retalho.
Secretaria do tribunal do coinmercio de Pernam-
buco 31 de outubro de 186&
O offlrial-maor,
Julio Guimaraes.
fuoll) GEIUL
Pela admlnistracao docorreio desta cidade se faz
publico que de conformidide cora o decreto n. 187
de 13 de maio de 1861 e respectivas instrueeoes,
teve noje lugar o processo da abertura das cartas
atrasadas pertenceates aom^-z de outubro de l-s6i.
conderanadis con-urao pelo artigo 138 do regu-
laraenlo dos correio* do 21 de dezembro ile 18ii,
aesistindo a esse processo o comraerciante Man I
Francisco de Azevedo.
l)-sta abertura nada se havendo encontrado, pro-!
ceden-se ao i|ueinia de todas as cartas, de que se I
lavrou o respectivo ttrroo, que o qoe se segu.
Crrelo de Pernambuco 4 de novembro de 1865
O administrador e thesoureiro
Domingos dos Pasaos Miranda.
Termo de consumo das cartas era ser do mez de
outubro de 1865.
Aos 4 dias do mez de novembro de 1865,na sala
da administracao do crrelo dosta cidade, adan
do-se presentes os Sr. administrador Domingos
dosPassos Miranda e mais empregdos abaixo de-
clarado, procedeu-se era virtud- do art. 138 do
regulainento dos correios do 21 de dezembro de
LTiM Mmi
i(*a>
<'ooipaohiadas Hensagerie la
per a le.
Al > bll
do r'.frrnir wz
espera >r V.<\-
ni-a i a^ r
franrez Gnmtme,
qilil .!-;. da
tmnp ra Babia e Uto
de Janeiro.
Para fr.ies, condircVs e passagens trata t oa
agencia ra do Tranich- n 9.
COMI'A.MIIA i'KKNA.MBC iNA
DR
cstcir;i pur vnpAr.
Maca, Aracaty, Orar e
AcaracaV
O vapor Persiiunya, n.mrean
danta Souza, sepa do da o
corrala a* 5 h .ras da kM k>. R--
cebr caiga at e da b; n*fm-
nnndas, passageiros e dmhrir* a
lasbala as i horas: .--riptoro
Savcjacao
Parahyba, ata
no Forb' do Mato- n. 1.
COMPANHIA SASloEIBA
PAQUETEs'v VAPOR.
E esperad dop r"
at o da 17 do non*, n vafr
Parini, commandanle o i apKi>
de fragala Antonio J<(|OMa fe-
Santa Barbara, o qual depon da
demora do costme seguir' para o* peavae r>
sul.
Desdj recebem se passag-qrs e er> carga que o vapor poder conduzir. a u! s-vera
ser embarcada no da de sua eh--ga'!.i. enetsc-
inendas e dinheiro a frete at o du da : < -ia aa
2 horas : agencia ra da Cruz n. I, evriplor >
Antonio Luiz de Olivira Azevedo A C.
mm\ BUMUH.A
DE
PAQUETES A VAPOR.
k^ B' esperado dos porlo o nl
^^^^ -al o dia 14 d i corrate o rjpu
Galgo, o qual depis d deawra
do costume seguir para o por-
J,*,'BaF lo do nort .
Desde j recebem-se passageiros e en-aja-** a
carga que o vapor po'lT conduzir a qnai Amm
ser embarcada no da de sua chffradi. rfltaaBSM-
das e diuheiroa frrte al i da da -ahidi a. 2 be-
ras : agencia ra da Cruz n. 1. escripioriu -V A-
nio Luiz de Oliveira A/i-v.-to jj \
PARA O "
Rio de Janeiro
prelenle seguir cum mul.i brevidade o palhabnM
nacional Piedad*, lem part' du eu rarreg:>rnFiHc
engajado : para 0 resto 'jue Ifie filia e r*rr**v* a
frete, para os quaes lem Hf-nftetfM c>nwa4ee,
trata se com os seus CousignaUrtas Anionin Luiz
de Uliveira AzeveJo & 1, n> es escripb/rK roa
da Crin n. I.
Paira
sahira' cara brevidade i
lante II, recebe earga
os qnaes lem etrellenii
SJshoa
i i;i porttigurz
i Ir ;- pas... ;>ri
; ri>ui:nod<)s : tri:.,
Manoel Ignacio de Oliveira l-'i.bo. m largo tfm
po San) n. 19, escriplorio.
""PARA" LISBOA
vai sabir com brevidade o patacho porbafav 113-
ria da Gloria, capilao A. I. Volante, rerp>e car-
ga e passageir s ; trala-se e mi reawpHBffn E.
R. Rabello, r.ia no Prapicbe n. 'i4.
lfii o consumo de 18'.) cartas e 2 jornaes, sendo
106 selladas e 83 e i jornaes nao sedados, na im-
portancia do 122270, como da factura abaixo de
clarada, cuj importancia Oca nesta data rtescarre-
gada ao mesmo Sr. administrador e thesoureiro.
E para constar se lavrou o presente termo era
qne assignaram o referido Sr. administrador e
mais empregdos abaixo declarados.
Eu Eduardo Firmino da Silva, ajudante e con-
tador o escrevi.
O admn-toador
Domingos dos Passos Miranda.
OQlciaes papelistas
Luiz do Franca de Oliveira Lima.
Ismael Amavel Gomes da Silva.
Vicente Ferreira da Porcuncula.
Praticante
Agnello Heraclio de A. Pernambuco
Porleiro.
Manoel Man nho Souza Pimenlel.
0 hiate
(raos.
r
i i'ard
Dous Irma o : a tratar con Tase
ara
Segu ao indicado porto com a po-iv
de o vel-iro hiate Luida Paqurte : pira ra,.;.. ira-
ta-se com o eoa*lgoal ni > Aniuiio de Alsor-idU li-
me, ra da Cru n. !, l ..idar.
F.EIL0ES.
CbtV
tarde do dia 10 d< novembro prximo.
E para contar se passa o presente. 4" seeco
da alfandega de Peruambnco 27 de outubro de
1865.O 4o escriplurario,
Joo de Assis Pereira Rocha.
DSCLABACOES.
Conimando das armas.
O Exm. Sr. raarecbal de campo coraraandante
das armas, est pelo Exm. Savconselheiro presi-
dente da provincia autorisado^rcontralar um ca-
pello para o presidio de Fernando. Qualquer Sr.
sacerdote que esti-er habilitado e queira prestar
esle servico, sob as coudiccoe que verbalmenla
se Ihe fara* saber, tenha a bondade de comparecer
no quartel general nos dias uteis das 9 horas da
manha a 1 da tarde. Secretaria militar 30 de
outubro de 1865.
Francisco Camello Pessoa de Lacerda,
Tenente-coronel secretarlo.
Luiz Baptista da Silva, Pernambuco, 33 annos, sol- ImpigertS, tinha, escrophulas.
teiro.
nica.
do de polica Dr. Luna Prere, os quaes vo conhe-
cendo o pouco ou ziada gue.valedor aqui a faegao! Joaquim Bibiano Lobo, iPeroambuco,
dominante. I viuvo, Baa-yjstaj anemia.
Santo Antonio; gastro-iotero colyte chro-
56 anuos,
Tumores, ulceras, escorbut,
Cancios, sama degenerada, amo alvo.
Fodas estas affeccoes pro.inde urna cau-
De ordem do Illm. Sr. engenheiro em chefe da
reparticoo das obras publicas se faz publico que o
concurso para o preenchimento das vagas de pra
licanles desta repartico, ter lugar no dia 15 de
dezembro vindouro, as 10 horas da raanhaa.
Os exames versaro sobre lingua nacional,
abrangendo a escripia, leitura e analyse grararaa-
tical, desenho linear e de aquarella, arithmelic
era todas as suas operaces, e geometra linear.
Os requeriraentos para inscripcao dos candida-
tos devero ser apresentados at o dia 13. e pode
rao ser instruidos cora quaesquer documentos os
ttulos scieotinYos que abonem a capaeldade dou
mesmos candidatos.
Secretaria da repartico das obras publicas 19
de outubro de 1865. No impedimento do secre-
tario,
Joao Joaqoim de Siqueira Varejo.
Consulado de Portugal.
Neste consulado precia-se fallar coro o Sr. Joo
alendes te Araujo : roga se a quera ver conne-
cimento de/e senhor o favor de indicar a sua re-
sidencia.
EMPREZA-- :OIMBRA
Pura melhor se promptifi-
car o drama fica .transferido
pura quarta-feira 8 de no-
vembro de 1865. .
HOJE
Subir a scena pela primeira vez neste theatro
o roagnilico drama, dividido em 5 actos, do famoso
escriptor italiano Giovani di Fonle Ba.so, tradu-
zidoexpressamente pelo poeta portuguez Francis-
co Goncalves Braga e por elle offerecido a actriz
D. Adelaide Amaral
ACTRIZ HEBREA
DENO.MI.NACAO O0S ACTOS.
1 O encontr fatal !
2o Maldiciio paternal
3o Quero ser actriz.
4o A volta depois de 6 annos.
5 Amor e arte 1
PEKSONAGENS.
Judth, juda................. D. Adelaide.
Joanna, actriz................ D. Joanna.
Evelina, sua lilha actriz....... D. Camilla.
Thereza, idem idem........... D. Leopoldina
Erneste, emprezario........... Porto.
Francisco Solimani, actor...... Amoedo.
Agostinho, actor cmico da com-
panhia .................... Teixeira.
Jacob, velho judeo............ Pedro Joaquim-
Samuel....................... Guimaraes.
Criado da hospedara da Aguia
deOuro................... Peixoto.
Actores que nao fallam.
A accao do drama passase o Io, 2 o 3o actos
em Genova, o 4o e o 5 em Turim
N. B. A poezia do 5 acto, recitada pela actriz
hebrea e de coraposicao do poeta brasileiro o Sr.
Machado de Assis.
Terminar o espectculo a brilhante poezia do
Exm. Sr. Dr. Pedro Luiz Pereira de Souza.
HYM A' POLONIA
ou
Os voluntarios da morte.
Comecar as 8 horas.
LE1LA0
D escravos de ambos os s-xos
haliili laiUs c sem ellas.
Quarta-feira 8 lo corrente as I hnrss.
Vi) nu wiiR u\H7,i.,vi no ai;k\i>;
OLYMPIO
3(i lina
Leilao
Iin continuar
Dtfilt lint ca pinas, 3 e 10"
HOJE
Tieodora Lhnsiian-em no acabando 4* t*m-
cliir boolem por ini.'rv^ncao do agente Peslaaa o
leilao do vinho lint", o fara' hoje em Me* a voav
lade dos compradores, as 10 horas da manba mb>
poulo na escadinha da alfandega."
lino*:
DE
Trastes a pletas, uhjctog de ouro, prn-
ta e brilhantes, relogios, ean-
dieiros a gaz, charutos e u-
tros muitos artigas
HOJE.
Quarta-feira 8 do corrente as 11
horas.
Sexla-feira 10 do corrale
NO GRANDE ARMAZEM DE LEiLES
DO AGENTE
OLYMPIO
36Ra da Cadela 4m Uccltr-M
LLEIi 10
Da luja de fa?cntlas e dividas da sna
fallida de I inpo Janiarit 4eoli-
veira.
O agente Martins levar novametie a leo a
loja de faxendas da roa do Queimado n. S
das na importancia de cerra de 7i:0#\ nata
tencente a massa fallida de iamta lannarw m(
veira.
HOJE.
As 11 boras do dia na mesma loja.
II FfiVFI I


Diario de perfiatubnco toarla 'e'ra 8 Je ^ovembro de 1M.
Da um piano le armario, urna cjmrooda, 62 pare
Ai ataus de couro hranoo, 8 ditos de ditos de
conre prit). 23 ditos de sapatoes e horzeguius,
4 pelles de cabra e arraicSo da toja de calgado
da ra Dm.ita n 54.
Qnarla-fttir;i 8 4e novembro
O ag-nt* Pinto fara'leilao a requer ment de
Firraioa alaria da Triudide, inventariante dos
be*s d-*it:a.u< per seu inni > Joo Hartins Olavo e
CURSO ESPECIAL
DE
PREPARATORIOS
para os estodaotes que devem
fazer acto em marco.
Jos S ores de Azevedo, pi ofessor de
lingua e litteratura nacional no Gymnasio
por despaje do iiim Sr. Dr. joii mnnicipai da Provincial do Reife, tem aberto em sua ca-
pnmeira vara, dos objetos cima menciouados.
pertcneeotei ao mesmo Tallecido, as 10 horas em
ponto do dia cima dito na referida luja.
Le loo
Da cocheira de cari os da ra do Sol
numero 27
Cooptando de
3 carros qtiasi novos coro seus perlences.
7 parelhas de cavallos.
Francisco Torres Costa
fara' leifio por intervencao do agente Cordeiro
Simjs, dos carro-, cavallos e iiiais perten.:es do
sua eocheir. sita na ra do SjI n. 27, visto ret- vaotagem, podem dirigir-se indicada re-
rar-se para Europa alim le tratar de sua saude,
sa, ra Bella n 37, um curso especial dos
seguintos preparatorios, para aquellos exu-
dantes que tiverem de fazer exame em
margo prximo :
Magua Fraoceza
Cicgrapliia e Historia
l'hllosopkia
Rhetorica e Potica
As pessoas que se qtiizerem utilisar desta
cnjn leilosera' effeeiuad ) na nesma cocheira no
da
Qmrln-f i\ a' 8 do correte
as II horas em ponto.
Lei'o de pre ios.
SmnIo doa grandes e elegantes rasas terreas
de pe lea e cal, t>tcu construidas mod.-rnas, sitas
na travessada Ponte deUehoa para Sania Anna,
a tatrgem do rio Capiluribe, em chaos proprios,
emn grandes salas, jauelias no oito, quartos, un
graade solo com 2 quartos em una dellas, cosi-
Dbas. eocheirat, estribaras, muitoi arvoredos e
baa para oapim, cacimba cora mallo boa agua
para beber.
nina meta agua n. Sdjfronte do arsoual de nia-
rintu com frenta para a ra da Senzala.
Un sobra lo de 2 an lares a s ilio u. ii na ra
da Assumpca), terreno proprio.
Bina meta agua n. 1 no buceo do Calabouee,
terreno proprio, rende 85 mensaes.
Quinta-feira 11 fio frrente
As II horas na porta da Associag.io Gommercial,
pelo agente Hartins.
LEHAO
De urna grande casa na Iln* do Retiro n. 2 A,
<- n S balas, iinartos, copiar, rosinha tora e mais
Dio ijitartiiilio aim da cosinba, terreno propno
< >. ') palmos de largura e -10') de tan lo.
' ni dita na m.i de S Jos n. 8, com 2 salas,
1 ipiarto, eosinha dentro, quintal murado com ca-
cimba meeira.
Qmoiit feira 9 o carrete.
O ajenie \l irlins fara" leilo dos predios cima de fa i ilia
sidencia, tarde a qualquer hora.
de
Sociedade de seguros mu-
tuos sobre
vida
mm
CASA DA FORT0IU
Aos 6:000^1000.
BSiihete garantidos.
A' BA DO CRESPO X. 23 E CASAS DO COSTME
O abaixoassignadovendeu nos seus mnilofel-
zes bilhetes garantidos da lotera qne se acabou
de extrahir, a benelicio da Santa Casa da (Mise-
ricordia, os seguinles premios :
Um meio n. 2697 com a sorte, de 6.000*000.
Um inleiron. 1709 com a sorte de 1:200*.
Oou.s quintos u. 1918 com a sorle de 20IJOCO.
E outrasmuitas sones de 100*, 104, 20* e
10*000.
Ospossuidores podem vir recober seus respes-.
tivos premios sei o:- descont das leis na Casa '
da Fortuna ra do Crespo B. 13.
t Aclani-se a venda os da fi" parte da lotera
(38*) a beneficio das fiuilias d-M voluntarios da
patria, qu.: se extr*hira .S-irnoda-oira 13 do cor-
PRECU.
Bilhetes .... 62000
Meios......3,5000
Quintos.....1*200
Para as pessoas que comprarem delOOOOO
ara cinta..
Bilhetes. '. 55500
Meios......2*730
Quintos.....1*100
Manoei, Maiitins I'icza.
Precisa-se de um bom eozlaniro : na rna da
Aurora n. 32.
Precisa se
Hortas n. 106.
alugar urna escrava : na ra de
Aviso,
O abano assignadii, s
S. Cbrispim u S. Chuspi
convenio do Carino denl
le agradecer ao
escnviins,. eMTfvaa.4, p
ooneorreram com anas j.
coem geral que liz-tmn
se mais pomposo, pelo t
a parla da Associacao Cjninnercial as 1 hora
do Ca.
O b:mco Albanqn do Porto lendo eslabeleeido es-
ta sociedade deluuo de sna immediala vigilancia
e responsaliilidaile, f-cilitou a creaeio de capitaes,
dotes, rendas, penses, isencoes do servico das ar-
mas ele, por meio de subscribo-s nicas ou an-
noaes, as iiu.ies convertidas emioscripcoes da di-
vida publica, de renda nacional, e da mesma forma
os joros semestrpes qne d'ella se forem vencendo,
licam por um certo numero de annos em deposito,
t que, findo o prazo estipulado, sao restituidas
aos socios c-jin os interesses amontoados, bem co-
mo as que perlencerein aos associados falteeldos,
vist > qoe d'estes s.io herdeiros ng sohreviventes.
I'ela ensenhosa combinacao econmica adoptada
nos clenlos desla sociedade, -se que, com urna
entrada annual ile 505000, pnr exemolo, oblem se
em S anuos 4305000 a 550*00, em 10 l:.)'OO50OO
a 2:0003(100, em 15 3:3110-5000 a 1:300*000, em
20 8:000*000 a 10:000*000, em3 18:0005000 a
25:0002000, conforme a idade do individuo sobre
quem /eito o seguro, pols que nos referidos cal-
clos Ronia-se rom a maior ou menor probabilida-
de de duraclo de vida.
Esta sociedade 6 sobretndo vantajosa aos chefes
visto que Ibes facilita so'ii sacrificio a
lioulandade ios Srs. me
Precisa-se de urna ama ou servente hnmem, pa-* l'n,> do Carino, Antonio
ra ajudar em nm i casa ib> esquena lamilla, e que naci :le Medeiro<, Maree
tem oeravos : na ra de II otas n. li. Vinssim i Ja I! ictia, .
ESCHAVA......... que o acto (os-e liriliiuit
Precisase alnpar urna escrava que saiba fa er: do a,j;"xo *"80J-
bem todo o servico interno de urna casa de familia,
excepto coziohar : na ra da Oadeia do Recite n.
52, tercuiro andar.
Notas do banco do Brasil o das caixas flhacs
doscontam se na travessa das Cni7.es n. 8.
.t-i tiv&. Jo coi muceco e
(cretarin da irnian lade de
nano, erecta na igreja|do
cioade. vr m palo presea-
xms. Srs juizes, iuizas,
r eleico e devoco que
ias; bem como a pnldi-
u o que o acto se toruas-
que o mes no ab.lio as-
sisnadoseeonfessa suninka.nenie grato, e com par-
arlos Gnilhermino Celes-
Hnaci Barbosa, Jos Ig-
ino If.irtyr da Cruz, Joo
uaeS se -.-forc.raoi para
podendo semore dispAf
M. J I. r> ira
its-
Perdeu-se
LE I
I2
WWBM
Cordeiro Muies
a ; faeriraento dos administradores da massa f-* I -
(iti ii.; Siguel Gomes da Silva e mandado do Illro.
Sr Or. juiz de direilo est-ecial do commereio le-
var peta lerc-ira vez a leili i os o liluios de di-
vi-i.- na iju iba 'i" I:iG^fi/OJpertenceote a mes-
i masss servndi il>> lias- a offeria oblida no
i de .;l de agost", i.-io
Qatiia-iVira 9 lo catente as i 1 horas
No armazem a rna da Cruz n. 57.
fundacao de um capital oo dote para seas Blhos ou
liihas, seguran lo os quando nascem oo emquanlo
sao rruncas.
Qaem, pois, mais circnmslauciad-s informacS-'S
de.-ejar sobre tal sociedade, ou s-- quizer inscrever
como socio d'ella. dirija-se a roa da Madre de
Deiis n. 28, ende sepolera entender com Jlo Car-
los C (llio da Silva, i|ue para isso se acha encar-
regado,
Miss Pi ib-Ttson, snbdito de S. M. Britnica,
relira-se pura lora do imperio.
Olub peruambucaao.
A partida do mez de novembro tera' lu-
gar na noite do dia 15.
Jos Lweig retirase pira Europa.
ElLA
D' o eabrioiet anicricaao le 4 ro t:o.si asiaito para 2 p-ssoas, pacha-
di pr im o doiis cavallo*.
Quinta-feira 9 do novembro.
O ageate Pinto fara' leilo p ir conia e risco de
ii pertenec docabnolei acim mencionado e
-, as 11 li iras d i da acuna dito em
"i'iij a Associagao Coinmercial.
Lelfto
queijos suis.ws
QaiBta-feira 9 de novembro.
O *| 'o far I llao oor coma e ri co de
que ii i-.rfeficcr de difluientes i: -11 i suissos para
o cotila, ;.s || hora* dn da acuna diln no ar-
. ..i d I Sr. Aunes, em frenie : :.lf.ii I na.
Gorg Ilufnagel, Barbara Huchelzhausen vao
para a Baha.
losa Perreira dos liis, subdito portuguez,
relira se para <> norte rio imperio.
'4.J
fe
..
rt-_#
vi
* MX

um sinto do fila azul com urna livela de onro la-
vrado, da iioria da casa do ha unos al a igreja do
Carrao : quem a tiver adiado dirijase ao segundo
andar do sobrado n. 16 da ra do Imperador pr-
ximo ao hec -.o do Ouvidor, que ser recompen-
sado.
Precisase de um cozinhetro pira casa de
pasto : a tratar na ra do llangel n. 18.
Aiiig'-se
o 1 e 2 andares da c.i^a das Cinco Ponas n.
86, esquina do uceo de S. Joo, por cima do ar-j
mazem prophta, com moitos couunoi is e com
agoaegat: a tratar na la do Livramento du-
mero 38.______________________________________\
Aluga-se
um silio na estrada d;- Joo de Barros defronte do
da Kxm* viscondeca de Goianna, com urna grande
e exceliente. casa de vvenla com 2 salas, 6 quar-
tos e grande solo, com ptimas arvores de frncto
de todas as qualidades : a tratar no mesmo sitio,
ou na ra do Calinga n. 3, primeiro andar.
Aloga-se tima casa em Beberibe : a tratar
com J. I. de M. Reg.
Precisase V urna ama de leite : na ra do
Gqararapes, em Pora de Portas n. 26.
Precisa-sede una ama que --alba tiozmbar e
engommar, para casa do pouca familia : a iraur
na rna do Queloiado n. 51, loja.
Precisase de nina ama que ..iba comprar c
cozinhar com limpeza, preferese pessoa idosa ; na
ra Xova n. 10, 1 ija de fazendas.
pregados
O badiare Amemii V
ro, ti-in aberto na casa de
Saudade n. 9, das6ss 8 li
po de novembro i m flan
indicadas, nm curso tiieuil
nacional e franceza ; o qi
(o theorica e applicaca
gramoiMica nacional, rea1
partes f-om espi-rlalida
e regencia, ouanaiy-e ctica
oracoe-, por meio oa lili
da nngua poriuitneza : e i
de prosa e verso : escilp
cia e locnco da lingna frt
Os pretendeules dirijan
nsereverem. das 0 hora-
ou das 3 as 3 horas da tai

Xa ru i do Quepo i Ion. 22 precisa se de urna
ama para cozinhar e comprar para ca.-a de pones
familia.
LKIO
\ 8 1! ihe, Siamettau A C. coitinnaro o seu leilao
de fazendas, honteai principiado.
E.4. s:;i sobrado na ra da Coucor.lia
aanero 15.
O lgent Hartins far leilao competentemente
aaionsa lo de lira, sobrado de um andar sito na
roa da Concordia n. 15, om 2 salas, 5 quartos,
cosan. ; i, i-'odo no andar trre os mesmos
oonmolos. com d >ns bons quintaos a cacimba e
tolo m iiti ba n tratado o >is as salas eslao for-
radas papel (cii'i) foreiri) e rende annualmec-
le 600*.
Quinta-feira 9 do crreme.
Ac 11 horas na porta li AsHiciacgoCommqrcial.
Precisa-se de urna ama que salba bem c.'Zl
nhar e comprar : a tratar na ra do Pires u. 21
Xa praca da Independencia n. 33, luja de
onrlves. compra-se ouro, piala, e pi-dra? preciosas,
e lamheui se faz qualquer obra de encommenda, e
AOS 6:0l);W0i), 1:200,^000 *** ****
e 500^000.
BILHETES A' -o^OiiO. MEIOS A' 5300 E
QUINTOS .V 15000.
Corre segunda-feica 13.
Acham-.se venda ni respectiva thesou-
raria ;i ra do Crespo n. lo, os bilhetes,
meio* e quintos da ;*a parte da lotera
(38a) a beneficio das familias dis volunta-
rios da patria, coja exlracco ser no lu-
gar e hora lo costume.
Os premios de 6:O!JO5O00 al 105000
serlo pagos urna hora depois da extracr-
al as i horas da tarde, e os outros depois
da distribuicao das listas.
As encommendas serao guardadas somen-
te at a noile da vespora da extraccao.
O ibesoareiro,
Antonio Jos: Rodrigues de Sou.a.
Instituto Arclii'oloiii'.o
Peni inliuc.-'.iio.
Haver sessao ordinaria quinta-feira 9 do cor-
rente, as II horas da manhaa.
ORDBM DO IA.
m
mandes Trino doLourei-
sua reshliiicia, inada
oras da larde, do pnncl-
e, para as p-soas acuna
ico e pralicn das im^uas
al consiste em : explica.
pratica das rearas da
vas a cada urna iU suas
a par:: nrlh igraphica) ;
e tiiainiiiatieal Oas
pra de autores c a.-.-icos
i pronnucia ; iradoeco
romposgo; regen-
nceza.
-se a dila casa, para se
la inaMiaa ao meio dia, <
Oe
MANOEL & C.
tem a honra de scienlificar aos senhores negociantes a retalho, qoe tem sempre no en
armazem sortimenlos para satisl'azer qualqu >r pedido *-m pon.-an. como s jain :
Chapeos de sol de seda, de grosdcnaples, de sarja e noli-za e de todos os tamaitos.
dem de al palta.
Mem de brim ile iinho, tambem de tolos os tamanbos e feiii' ,
dem depa ninho de cores coro armacoes dcba'oia eji.nco.
Todos e tes ohjectes sao vend dos por prefos os mais rotnmodo. do narrado,
os quaes poderao ser verificados peio prteudentes.

IB '-'O i\ Ha a i t
u
W*
u
KIMitttiKO
:'~ aiS-S":-'"; Yfjf-' TiifCTWBB
v
D. Maria l-ah-l Bapl isla da Fonseca. vnva
di Uado Jos Baiitie-ia da Patiseca '
cordi Inienie agradece a lodas as
que con sua presenca
0 enterro di lli-sin i li'ijiil
no da .'! do corr nle, e
pessoa- e a todos M arn
do para a.-si-tir no c initeriu publico no da
oras ii i manhaa, a
9 do crrente as (i l|
missa que de vera ser ce
|
Jnnior,
pessoas
ln nrar
leve lopar
convida as mesmas
ii i- i!-> referid o lina
dign |iani m
ue
'gugl
Dt)
DR. PEDRO DEATtAllYH^ LOBO HOSCI
'6 Roa da Gloria, casa do Fimdao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres UJo osdi.i- :.-. 7
aoras da.manhao, edas <5 e raeia as 8 horas >l.i unite, excepto dos dios -..
'ficrrfttac/i especial borne*>)>utIdea
No mesmo consultorio lia sempre o mais appropriado sorlieMnio de : rt
tubos avulsos, assim como tintaras de varias dyimiamisacoes e (ielospn
Carteiras de i i tubos grandes. liO0
de 2 i tubos giandes. In-jiiho
de 36 tubos grandes. IdUOO
de %H tudos .oades. 30^01)0
de 6 tubos ran les. 3.1 >o
l'repara-se qualque/ caitoia conforme o pedido que se fi/er, e ih d um
ue se pedir.
Um tubo a*ulso ou Ihwoo de tintura de meia onca I5000.
Sendo para cima de \ custarao os precos e.-iabeiecidos para as carteara.
Ha tubos mais pequeos cala um a .j ris
ebrada por sua alma.
E w l: -! a
A melhor obrad) homeopatbia, o Manual do Mee!i
B!?-.^ lousgrandes volumescoindii-cionario.......
b'H casa de ineod Uiinstiausen, ra do T
?.:--.:.: *-.
e Geographieo
Preci-a-se aiugar um. preta captiva para o
servido interno de uma casa de pouca familia :
as Cinco Ponas, loja de marcineiro u. 27.
'recisa-se para urna familia de tres pessoas
morando nos arrebaldes da cidade, um cozinheiro
livre ou escravo : dirijase ao Sr. Alphonse limet.
ra do Trapiche o. 11.
Deseja-se comprar urna pedra de brhanle
em segunda mi : quem liv r e queira vender,
dirija-sea rna das Laran^eiras u. !, que sa dir
quem compra.
Cilindros americanos
Anda existem 2 de resto: na ra D-
reita n. 8i, padaria.
Ama leift.
Precisase de uma ama de leite, prefer se par-
da : na Boa-Visla, ra ous Tires n. 44.
Tendo siiejesMncaniiiihado do poder doabaixo
assignado uma letra ja vencida da quautia de 80;,
aceiia pelo Sr. Joaquim Tbemoteo, ambos morado-
res fin Crrente, o abaixo aasignado pe > presente
iteclara que pessoa alguma fac transactMo com
dita letra, por sso que nem ao menos esta Orinada
pichi'-uovo n. i '>, nico at|
de Brandenburg frres, U
fecii.acenie deposito diis
Si. JnliiMi.
S:. Cierro.
La rose.
I liii-au Lovi'le.
Chaie.iu Margxui.
firaud vin Chaieau LaOl
Cli.il .ni Liiut.-.
II mi Saut'-rnes.
Oliln San.roes.
Chaieau Lataur Btanche,
Choleau Yijuein.
Cognac em tres qnalidad
Azniedoce. Presos de lordeaux.
me ii i no-le do Bras I,
i icanx, encontra-se ef-
arlKOs seguiles :
c t.s:,8.
as -.: jf'f?-:.::. :::, ..- .,,.-;:.. : >>
Medicina domestica do L)r. Ilering .
Repertorio do Dr. Mel Moraes .
Diccionario de termos de medicina .
Os remedios deste estbele-;;ment s3i
tanto de seren novamente recommendados .
rdadeiros, enrgicos e duradores: ha lud
omeopatliicn do Dr.
.......... 0|ffRI
.......... li
..........
......... 3J0MI
por deioais coobecidos e dispemaa por
s pessoas que ooi/eren usai de reac
de iio'ilior que se pode desojar, inte > .!,
'toa conservacSo, imton i i mm RmV
Diseussods de pareceres e trabalhos de commis- Pe'" abaixo usignadefe bem assim o abaixo as-
~T I i.ri.- .1 > i.> I I-, .. .ti'i- .111 .1 li .ir iHItJi.n ilil.i .. i i i
LE
^J4
DE
Fazendas avkadas.
Sex-a-feira 10 de novembro as 10 horas
em ponto.
O agente Pinto fara' leilo or conta e risco de
j'ij,n pertencer de cerca do 300 pe^as de mada-
[iii. avariado atinrdoda galera inglesa ll-rmioni,
cau to Greaory, as 10 h .ras era ponto do da ci-
ma ..lo em seu escriptorio a roa da Cruz n. 38,
ue-; mesma cceasio vender algumas pejas de
o azul para fechar conta.
S cretaria do Instituto G de novembro de 1805.
J. Soares de Azevedo,
.-ecretario perpetuo.
oi^^rrffiSfisaBiKti
[^liiiM'r.al Instituto de Ulossa Se-J
H nhora do Bom i'onsellio.
Curso le ferias.
mb As aulas (leste curso ahrem se a 15 j
iy de novembro. Os Srs. estudantes de pre- i
jj paralnos que se quizerem habilitar pa- |
a ia |ire-lar exame em marco, podem des- r
jH de ja vir dar seus Domes matricula. Os B
fS lentes sero os mesmos do curso de fe- I
ca rias passado.
1 R I
J. d
De
LEILAO
um escra^o.
tmmmMm mmm-w?Mm
Lino Antonio Saraiva pede ao Sr. Manoei Fi-
goeiroa de Faria qoe declare pelo seu tDiario
; qual o negocio que tem com o supplicaute.
Bxslindo na ra da Senzala nova uma assig-
' natura deste tiario com o nome de Beruardino
Seu3-feira 10 de novembro as 10 1,2 horas ,g^^^
cm ponto. dt |^jno Autonio Saraiva, e uao adiando o disu i-
A' re.juerimento d^ I). N'y.npha de Mello Fonse- buidor este nuine iiai|uella ra, convidamos ao ro-
ca e por despacho do lllm. Sr. Dr. juiz de orphos,' ferido Sr. Saraiva para ratificar a sua morada, e
o ag-me Pinto fara' lena i d> escravo crioulo [gna- estesenhor dignou-se vir a nossa casa declarando
co. pfliteamts ao su casal, as 10 l| horas do ser engao, que nao morava nesla ra, e nao li-
dia :. iua dito em seu escriptorio ra da Cruz nu- nha as-igoaiura algu na; no entretanto que a mu-
mero .18. i danca feta com o nome de Lino Antonio Felppe
i\v..u mesma oc,a=iao ventera' um outro escra da Silva,
vo pirdo de meia ida He, por conta e ordem de
ama outra pessoa.
signado protesta contra qualquer pessoa que appa-
rega com semelhante leira por ter inleira certeza
que ella I he foi roubada de sin propria casa. Re-
cife 4 de uoveinbro de ISo A rogo de Ilelarini-
no Lopes de Senna,
l'.aymundo Candido dos Passos.
4 6 I .?"j /\
No armazem de Mills Latham -^ C., na ra da
Cruz n. '38, veodem-se os seguintes objeelos :
Manteiga ingleza.
Cerveja branca e preta.
Loucja.
Biscoutos inglezes.
Oleo de linhaca.
Folha de flandres.
Sarcos fetos.
Silhoes.
O^hcltaiel l'ilippe lonorato
Mininea agradece ci.nl Mmente
pessoas que dieram or
acompanhar ao ceiulle
restos mnrtaes .le sna c
dida Kerreira Mollinea.
Cmvida de novo a t.nl.
amizade e da finada par
di seli o dia, que peloetl
alma se ha Oe celebrar ni
ta no dia 10 do correle
qne se Ciinfssa eternami
da Cunta
a 'odas as
iriiluso obseqni i de
lo desta cid.ule os
isorie D. Anna Can-
s as pessoas de sna
r assi-tiri m a missa
rno repens de sua
mal 7. da Boa Vis-
as 7 horas, pelo
nle recouhecid).
tasas ein
Precisa-se ile urna ama para tomar conta de
Di laj-i de calr !. la ra larga do 8o- '
sario n, 33
Sexta-eira 10 de novembro ao meio dia.
O arente Pinto fara' leilo a requerimento de
Al*-- li imbuger & ti e por mandado do lllm.
Sr. I candiriros a gaz, sapalos e mais objeelos existentes
iu (i i de calcado da ra larga do Rosario n. 35,
-inl.iijjdos a Joao Ferreira de Carvalho, ao meio
lia -o (i .uto de sexta feira 10 je novetmbro.
)- preiendentes podero desde ja extminarem
o iuver.taro no escri|>iorio do referido agente.
casa de homem solteiro, no servico domestico, pre-1, /"TT ,UIU,U u tsC",V c
i ferindo se recolhida e dando fiador a sua cooduc- filla-9 lres de1dos uma m,'
ta : na ra do Crespo o. 8, esquina d* ra do Im- sido praca doexlTcito, cajo p
neradar Cl> So' Campos P., morador na r
ALUGA-SS
por 163000 a casa n va n. 1 j da ra dos Praze
res do bairro da Bja-Vista.
Atteiitfao.
Chegaram a nova loja do miudezas de Manoei
Joaquim Dias & C, ra da Imperatriz, um elegau-
te sortimento de ttvelas de madreperola para sin-
tos, havendo mais eolras de siini-tartaruga o ou-
tras douradas, assim como veio pelo ultimo vapor
um completo sortimento de enfeiles o mais moder-
bo que ha na Europa e juntamente participamos
aorespeilavel publico com especialidade aos in-
fantes acadmicos que temos as mu procuradas
abotuaduras de cryslal para collete, assim como
outros objeelos de gosto.________________________
Aviso.
Acha-se fgido o escravo Vicente, cabra, com
o qual inlilula-se
Ttence a Francis-
roa Imperial, que
gratificar a quem o truuxer.________________
Alugam se dnas casas te
tempo de festa ou por anuo
do Varadouro a penltima i
bir e a outra no lm da ra
prxima ao paleo de s. fpdro Apostlo, milito
propria para os banhos salg
dirijam se a roa do Imperad
sobrado n. 16 prximo a tra|r
Una porlugneza de Id
compauhia de uma senhora
dirjase a ra Augusta n i
| rerdadeiro assucar de leite, notareis pela sua
ladosestabelectmentos europeos, a mais exacta e acurada preparado, e ftt1mommr
mergia e certeza em seus effeitos.
ra.S'i tic y-inal1 \)<\ra e+rraras
ebe-se escravos para tratar de qualquer eofermidade un huMH .'-ju.-r
iperaco, p ra o que o aonuoeianie jnlga-se sunicienlemeiiie bobililadn.
_ O iratimenlo o melhor possivel, lauto na parte alimentar. Como m
funecionando a casa ha mais de quatro annos, ha mui es peMOM de cujo tt BCi ii v i
pode duviilar, q .e podem ser consultados por aqueDes qoe desejarem man
lenles.
Paga-se ;> por dia durante RO dias e d'ahi em diante l-S.'iOO.
Asoi'eracoes ser) previam-nte ajustadas, senlose quizerea sojeitar :
razoaveis que costuma pedir o annunc ante.
I\
~m3&
DE
tr?->
Olindi
reas em Olinda pelo
send i uma na ladeira
o ladoesquerdo ao su-
de Mathias Ferreira
DE
J. V1GNES.
.V. 55.
OITerece se um bom
idos : os prelendentes
ir segundo andar do
resta do Uuvidor.
ide se pff rece para
quem a pretender
2.

sinheiro para dentro
desta praga para casa e-iran eir de homcm sol
teiro : quem precisar dirija-!
46, que se dar as informare 9S necessanas.
casa de pouca familia, dinja-se a ra dos Burgos,
casa terrea n. 15.
..... r~ i i ..... i' i i 11 i i
.No da 31 do passa I > lugiu a pserava Celes
lina, parda, alta e magra, que pertenceu ao Sr.
Amaral, empregado na repartigo do se lo ; esta
escrava foi nidia 1* do corrento queixar-se ao Sr.
... -., JDr. delegado p ir ter sido castigada: quem a pe-
l'ede-se encarecidamente ao mu dlg- igar e entregar na ra da Cideii n. 6 se bem
no e sempre condecente Sr. Ooimbra, que;recnmpnado.________ _______
Domiogos Francisco Kama lio em res,insta ao
annuoclo publicado no Diario de hoje pelos Srs.
Guimares & Lima, em liquidacao, tem a dizer que
desde que se liquidou a cobranca do que aos mes-
mos Srs. Guimares & Lima dem Jos Pinto da
Costa, o abaixo asonado se julgoo dispensado de
I usar dos poderes da procuraco respectiva, e ft*ta
! de fazer elfeeliva a cohranga do qui se Ihe deve
1 pelo trabalho havilo em dita cobranca, esperando
Quem precisar de urna ama para cozmha. sendo que publico suspenda qualquer juizo. que desL.-
Oeseja-se filiar ao Sr. Jos Ferreira de Mou-
ra, que veio da Poriagal ern novea bro de 186i :
na ra doQueimtdo u 52.
A envadm
\
lisos mmm.
leve a scena o dramaNova Castro.
Diversos api+>G Ama
OffMce-M urna, atm (>x,^|iftine cosinheira:
quft.u a pretenler dirija se a ra i* Alegra casa
joiiii i* n. 1.
Precisase de um moieqoe de 14 a lo anuos: ro forro ou coptivo: a iratar ern seu escriptorio
alraiar na,pad-na da ra larga do Rosario a.44 >m roa do Imperado/.
Precisase d: um homem que seja perito em to-
do o servido d-t padaria, para ir tomar coma de
uma padaria em Penedo : quem preteoder diri a-
*e a ra dos Qaa^teis n. 2!, hj de Sipaloi para
fazer o sen ajuste.
ClaoJio Duhuex precisa alugar um cosinhei-
voravel, possa ver seu anouncianie.
ALBITA CALO-'OlT
Pergunta-se a certo calorio da acadsmia. que
resposia leve quando pedio nma sua amante em
casamento???...
E para que se afoutou a ir tomar satisfagao com
o pai da dita sua amante quando ella foi castiga-
da?! I
Para que o Sr. calorio ha de ser lo STdOto...
Tenh. juizo, depo s nio pega misericordia ... luto
Ihe aconselha um seu collega
Calorio.
a rna da Crn/. u.
RA IO IllPEBtinOR M. 5S.
Os pianos desla antiga fabrica sao hoje as ua superioridade, vantuitense garantas queofferecem aos compradores, pi.iluta b-> nm
eis que ellos tem delictivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido n-s:a praca :
snindoom teclado e anchinsmo queobdecem tolas as *oniades e rapnrlio* da* |
alinea falhar, por seren fabricados de proposito, e ler-se feitj ultmament meln irameaios imporu-
.issimos para o clima deste paiz ; q jauto s vozes, sao melodiosas e flautadas, e por isso mmto agrada-
'eis aos uuvidos dos apreciadores.
Fawm-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blond.-I. de Par*, sor.o
correspondente de J. Vigiles, em cuja capital foram sempre premiados ern i idas as -x: pl -.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um explimlido e variado s..rti.. nt-. d.-'rnu-icas do<
oeibores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sen.: tud<> v-udiiio a-ir
precos commodose razoaveis.
de iK.vtinliro um ra-
feio de CtpO, lem I
beQa, coru cangalha;
Desappareceu no ilia 4
valinho rugo sujo, sem ferro
frenie abena al o meio da ti
sem capa, tem marca de cailgalha com cabellos
Brancos. Idade de 7 annos: qi iem o pegn, quereo-
do entregar na ra do Impera lor n. 50, se recom
pensara bem.
asm ml^
iDeutista de Pei
sJ HU.
Ba estrella do R
ao p da ig -cja
FRANCISCO PINTO OZORIOl
'^ C'oiloca deates
m
m
nambuco.^
sario ii. 3, m
Oompanhia geral liespankola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
lima Banca era dinheir >, depositado nos cofn-s do estado, aranIr Km 4-
minislraco da compaoliia.
DIRBCCAO GERAL
Hidrid : Ra do Prada. I
pelos y(eiua
demos
Emprega conservar os naturaes. Pbe ser procura-
do em seu gabinete das 9 horas da ma-
nhaa as o da tarde.
irtiflclaqe
ualsino-
cientificos para
I
Guimares & Lima, em I quida^ao. faz scieo-
te que Ocou sem effeito a proc jragao que elle- de-
ram ao "r. Domingos Prancisi
brar amigavel ou judicialmenl
Cosa o que esta llies deve. e
nenhuma validade tera tndo
dita procuraco lizer o dito se|nhor Ramalho.
cife 3 de novembro de 186-5.
o Ramalho para co
i de Jo' Pinto da
lesta data em diante
que em vir tu le da
Re-
inadores forros ou
mente do fabrico de
ar um bom ordena-
BAXQUEIROS DA COMPAXHIA
O Banco de llespanha
Estacompanhia liga pelo systema mutuo todas as combinaces de supcrviftiicia
ros sobre a vida.
Nella pode se tazer a subscripto de maneira que em nenhuin caso mesmo por morle do
segurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao lo suprehendeutes os resultados que produzem as sociedades da ndole o>A NACIO-
NAL,que ainda mesmo diminuindo uma terrea parte do interesse produzido em retrates liqQHia-
ces econhimnlo-o com a mortalilade da tabella de Depareieux que adoptada pela romr-anhia
para seus clenlos e liquidaces, emiegurados de idade de3al9annus, umainipo.-icJoannua
de 100 produz em effectivo metlico/:
No fim de -fKJmnos.......1:119*300
de 10 .......3:9tt*600
de 15 >.......H:iO200
de 20 .......30:*oi>000
de 25 >.......80:331*000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospect 's e mais informarles serao prestadas pelo sub-dreclor nesta provincia.
Joaquim Fiuza de Oliveira, ra daCadeia n. 52, ou Roa-Vista ra da Imperatrix n. It, fiatwleci-
mento dos Srs. Raymundo, Carlos.Leite & Irmo.
Precisa-se de dous a tres couios de tis a
premio, danli-s por pranle hypolheca em tres
grandes propiedades fra desta pra^a : a pessoa
que os quier dar auniinMe por este jornal para
ser procurada.
I'recisa-se de dous trab:
captivos que eBlendam perfil
pao e bol icha, nao se dovida i
do ao qua melhor deseinpenha- o seu lugar; lam
bem precisa-se de um bom capoeiro para cunduztr \
lj dos de alvenariada Olaiia db cente ao abaixo assignado : qaem se jol|iar habill-
lado para esse fim, veoha a' rna dos Quarteis n. 16,
a iratar com Manoei Antonio i o Jess.
O Dr. Carolloo Francisco de Lima San- 9
tos contina a morar na ra do Impera
Prectsa-se de uma ama para andar com uma
menina e iratar de sua roupa, sendo capaz e lim-
pa ; a iratar na roa nova de Santa Rita n. 55, se-
gundo andar, entrada pelo I
canoas.
JILEGVEL
ecco, onde se fazem
ATTESCAO
Na ra Direita n. 36, Irrceiro andar, preparam-
W! se bandejas de bolos de armaedes ricamente eafri-
m' tidas, com bouquels e Ota lardadas > urd| a*>
gabinete de consultas medicas, logo ao
entrar, no primeiro.
O mesmo doulor, que se tem dado ao
estudo lauto das operaedes como das mo-
lestias internas, presta se a qualquer cha-
mado, quer para dentro quer para fra
da cidade.
mmmm mmmmmm mmm
Precisa*e de uma ama que saiba cozinhar e
engommar : na ra da Guia, sobrado n. 9, a qnal
sja escrava.
i fim como tambem se faxem ve-ndos para cas
lo, e ouiros de qualquer qnalidad*. do melhor gos-
to possivel e ultima moda, c roi as pura rnaae,.)",
para ba,-tisadoS, passeios, etc., ele.: 0Bfeita-*
velas para haptlsado do melh-r gosto qne powi-
vel enfeiiar-se, e fazse toifa e qualquer encoiwi-
da de flores de cera, panno e papel, lodo muiio
mais barato do que em outra qnalgner parte.
Para casa de pequea familia oo momo homem solteiro, offerece-sc nma molher ponogoe-
za para cozinhar e engommar : a tratar na rna da
Cadeia do Recite n, 7.



Diario de k*eraaaibaeo miarla letra 8 te \ovtliubro de it*
D'IODUETO DUPLO
[
de, FERROeQUIIN
m>
MEDICAMENTOS FRANCEZES AFAMADOS
A VEIfA E9I PERWAIBUCO
Em casa dos Srs. Caors e Barboza, ra da Cruz n. 22
fml
vas
Os elementos que compoem esta preparacSo. o
ferro, o iodo e a quina, a colloco no primeirc
grao das preparacoes ferruginosas. Nasta attesiar
seus resultados obtidos pelos Mdicos dos liospi-
taes, e os relatorios dos prticos mais eminentes
que confirmrao sua poderosa ei'licacia as se
guintes afl'cccoes:
Mlngon no angue,
Fraquri ii.
Aanlla,
Chlorooe ou Ictericia,
Mi-tMlm,
AITcccoc do ulero,
BapprenaocH dan re-
gran e desorden na
nieHNfruMeo,
Affccfao pulmonar e
phlhlMca,
Molcatlaad'enldiuaga,
GaatralKlaa,
Perdad'appetKe.etc,
Coiivalcureuradclon-
ii- niolCHdaa,
MoleNtlnn cMCrofulo-
aa,
Papt-lra,
Obolrurfuo da* ;l:ui-
lIlllllM,
Huilln ,. frloa.
Tumores braneon,
RachlUxiiio,
AITeccoea cancero
e ayulillltlcn,
Febrea tjpliollcn,
Bexlgu, ele, etc.
Vejaos: os bulletins de therapeutica medica
e cirurgica de 30 de novembre 1860; a Gazeta
dos kospilaes de 28 de julho 1860, etc., etc.
Alfm das pilulas de lodureto duplo de ferro e de
quinina de Rebillon, os Mdicos aconsclliao
igualmente o Xarope d'iodureto duplo de
ierro de quinina do mesmo author para as
pessoas que nao gostao de medicamentos sob for-
ma pilular e os meninos. F.ste xarope nao tem
como o xarope 'iodurelode ferro, o inconveniente
de alterar-sc e de se nao poder conservar.
Peca-se o folheto que se d de graca em casa
dos pharmaceuticos depositarios.
Para se evitarem falsificacSes, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito geral em Paris, pliarmacia Rebillon
142, ru du Bac, e em todas as boas pharmacias
de Franca e as dos paizes strangeiros, etc.
pnr:iO l l*<'' ir.l'l a*
nctaa ciiilmrucoc
lu U.:Ml.lltlllU-
uriito.
.-funiw:.'i&.'. -Ci-.tngTH-^jaiia
As pastiUias digestivas coin a pepsina de
Wasman, empreg.io se com successo lia j
alguns annos pelas celebridades medicacs de
Paris. Londres. Vicnna, ele, em todas as in-
commodidades em as quaesadigesuo 6 dil'ficil,
penosa, imporfeia ou mesmo impossivcl: eis
o melhor remedio para coral as.
Gaalralglaa, nlm-rtirn e a roiidl-
Dl|ic.|i*lu,
ambarare* ;irlco*
A K;trlr,
\ uff.-croei' nrsnl-
raa do ejUAmaae,
Sua accio vivifica o sanguec os rlaos de
tal sorlc que, athe as pessoas que sem soflK-r
as nlTcccocs gstricas cima mencionadas sao
nicamente tracas ou d"um temperamenlo uin
pouco dbil, e necessilio substancial alimento
para forlificar-se, acliao no emprgo das pasiil-
hns de pepsina de Wusman, un poderoso meio
para a isso chegar.
/Iriso imporlanlc.0successo das paslillias
pepsina de ICiismindeu causa a se fazerem
fasilicatoes cimilacocsd'cssc produelo que os
mulos se querem desfazer. Pois por falla
d'uma boa preparacao a pepsina que n'clla
entra, jaz alterada. Seremos ao abrigo d'cste
inconveniente, exigindo os compradores que as
pastilhas tenllio as iniciacs B. P. c saiao da
pliarmacia Chevrier.
Depsito geral era Paris, pliarmacia Chevrier,
21, Faubourg-Montmartrc, c em todas as boas
pharmacias de Franca c dos paizes cstrangeiros.
m& MENINOS
CIRADAS PELOS
XAROPES DO DOUTOR DANET
1. Coalm aa CLICAS DOS MENINOS antea
e durante a dentlc&a
(Xarope de cynoglosse e de acido succinido)
N* 3. Contra a TOSSE CONVULSA e i TOSSE
NERVOSA
(Xarope de cynoglose e de leo toII de succino)
Na 3. Contra aa CONVCI.CBS DOS MENINOS
A CUORA
(Xarope de cynoglosse e de acido voltil de succino)
Estes novos productos preconizados na Aca-
demia imperial de Medicina de Paris sao em-
preados com grandissimo successo pelos mdicos
de Franca para o tratamento das molestias dos
meninos cima indicadas, e vicrao cncher um
vacuo reportante na therapeutica, no que toca as
affecccs da infancia, para as quaes, ath lioje,^
anda se nao pode indicar tratamento racionnal-
ncm nfallivcl.
(Pcca-se o prospecto em casa dos pharmaceu,
ticos depositarios.)
Preco do frasco em Paris, 3 ir.
Para se evitarem as falsificacoes, exija o com-
prador que cada frasco tenha sobre os rtulos a
assignatura Chanteaud.
Depsito geral em Paris, pliarmacia Chan-
teaud c em todas as boas pharmacias de Franc?
c dos paizes cstrangeiros.
S
MASSA e XAROPE
DE CODENA
DE 1
BERTH
As experiencias clnicas e comparativas
dos Snrs Magendie, liarbier d' Lmiens, Wil-
liams Gregor, Martin Soln, Irn, Viga,
C. Dumont, etc., membros do Instituto de
Franca, mdicos dos hospitaes ie Paris, tem
provado que a Jfaisi Xaropt de Berth &
o remedio o mais seguro con xa todas as
dores nervosas e tendo a prepriedade de
calmar com admiravel rapidez as tosses rebel-
des e extremamente fatigantes c a grippe (ca-
tarrho epidmico), defluxo, coqueluche ou
tosse convulsa, bronchite e tisii a pulmonar.
A Massa e Xarope de Berth, se
achao em todas as boticas.
Para eitar qualquer
falsificado,exigir em
cada produlo o no me
e a firma Berl.
Deposito geral em Paris, em casa
Rua Sc-Croix-de-la-BreUi nene.
IOS PAKAGU AYOS
E' a ordeui do da Acabar com os Para-
! guayos a bayoneta, a mini, a revolver;
I fulmina-los com os eocouracados armados
! de esporoes, armstrongs e raiadas de 80
i 120; extermlna-los em surama a espada, a
! faio e a punhal de que se trata; mas
\ niDguem se lembrou anda de esmagar os I
! Paraguayos com as armas que Deus nos con-
| ceden; acabar com elles a tatito e a ponta da nesla
, pes, para o que e necessar.o enconracar esU J carie-.me tos .-nnira
parte do nosso corpo cornos formdavets ^S<23^^5?
-rompe-ferro, esmaga ebra, arranca tecos, J rua d v Q ^mt ''
quebra marmore e ontros que se vendem a -----
45-RA IRE1TA-45
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnisadora, estabebvi-
Miili-iln de liando,
A Ictericia,
Pnlultnco do coraro
Drca noa rlna,
Os granulos de bismuth do Chevrier em supe-
riores a todas as outras preparacoes de bismuth
empregadas antes com o maior successo pelos m-
dicos de todos os paizes, para prevenir e curar as
Dlarrheas chronlcaa,
DjNaenfcrlaS,
Doren d'eatoiuak;o,
DygpcpMlaa,
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
Maa dlKCMloea,
Gantrltca,
Gaatralglaa, etc.,
Olull'CUCOfrt,
Dores le cnhri-n,
irriiacoeM de besiga e o em todas as pharmacias ae Franca e dos paizes
da matriz, etc. estrangeiros.
Pelas commiss5es em grosso, dirigirse aos S'" WILLAERT e BERGER, comisarios em drogara, 11, roa Saint-Lazare, Paris.
ASTHME
ASTHMA ASTHMA
SuflToccco nervosa e i ippresso
nico remedio efficaz para corr jatter estas mo-
lestias, acalmar um attaque d'a ma e impedir a
volta o Xarope aromtico de uccino (mbar
amarello) do Dr Danet. Descobi na inteiramente
recente, este novo producto se tem propagado
com extrema rapidez gracas aos Idmiraveis resul-
tados que tem sempre produzidcL
Deposito geral, na botica Clkauveaud, 54,
ra do Commercio, Paris-Grenelle, e em todas as
boticas de Franca e do estrangelro.
ASTHMA

Cusa de banhos M
do Ctirmo n. 2G.
W Largo
$ Este estabelecimeoto lio bem motilado ^ i
^ na sua origeni acbavase de ha muito em >^. \
*** quafi completo adandono pelo pouco n- ^ j
W& teresse de sua adminisiraeao. '"<'. ,
vTj Hoje que o novo proprieiariu empregoa j- {
;**"< todos os meios para restabeler a grande W
tf Dtilidadedesleeslabelecinenio,pode as- ^||
- segurar ao publico que qualqner que se'yx xgx ,
o numero dos concurrentes acharao des ^">
de j prumptidao e aceiu nos banhos frios, j|^
momos ou rnedicinaes, a casa dos ba- j.?
das 3

GRANDE ARIYIAZEM DA
NO
XPOSEQAO DE LONDRES
I
m
i
m
nbos se achara' abena todos os das
6 horas da manhaa as 11 da noite.
Precos.
Danho de choque......... 500
Dito (rio ou morno........ 500
Dito de farello............1000
Dito medicinal sera' segun-
do sua quadade.
A-M!uauira.
Por rnez hanho Irio on morno.
a

Si
MM,
Borseguins Bordeaox........
patricios.......;.
para senhoras, en-
feitados.......
com laco e fivella ..
Sapatoes encouragados.......
B irseguins para meninas bom
elast co.................
Sapatos de lona, sola elstica.
avelludados.........
de tranca...........
econmicos para se-
nhoras...........
com salto de lustre..
Chineles do Poro..........
Um completo sor tmenlo de calcado da i
tprra.para bomens. senhoras e meninas; j
assim como bezerro francez, couro de lus-;
tre, marroquins, taixas de todas as quali-
dades, fitas para sapateiro, muito sortidas,
sola e couros que tudo visto necesariamen-
te faz cobica ao comp ador pela barateza.
m DEPOSITO LE CALCADO g
m FABRICADO XA CASA DE UETENCO M
0. Rua .\ova n. c.
r* Ahi se erjcontrariio obras de di-
i *5p versas qualidades, e por preco inui
M diminutos, a retalho e em porgues.
S S se vende a dinheiro.
Na rua .Nova o. l."i, ttgmm andar, precba-se
alugar um escravo fi -l para todo ervieo.
COMPRAS.
85000
600001
55500j
45^00 Silvino Guiiherme de Barro- compra e ven-
5000 de effecllvamente escravo* de an.l os sexos :
.ruado Imperadorn. 79, terreiro andar.
3^000 Compra-se ouro, prau e pudras precio*,.
a3000 em obras velnas : Da rua da Cadea do Recife.
lARfMi! cJa de ourives no arco da Conceicao.
16000 npo prauT"
Em obras velhas : coinpra-se na prara da la
dependencio n. *i, luja de bilheies.
9 K-*(\' ~ ^omfTise carosso (semenle) di- aifudao : no
7, i armazem de algodao de Saonders Brutliers & C,
1^600 no caes de Apollo._______
COBRE L T\0 E
CHUMBO
Compra-se cobre, lalao e chumbo : no armazeir.
da lula amarella, no ojiao da secretaria da poliria
i Compra-se urna duna de eadeirs s}M st-jan
usadas : as Cinco Pootas, loja de marclueiro nu-
roero 27.
i&i
Compra-se urna porta osada, qa nao seja
mui pequea : na roa do Rangel n. 17.
Comprase um escravo de meia idade qii^
tenha boa eon1u*'ia, -em vri. e a dade algama e qu; eninn 1a de plaou^ao de si-
tio : a tratar na rua do Vicario u 10.
mmmmmmm&mmmKml
f 111A S.
GDHPAMIIA
VL
Para a censlrucco de machinas
DE
ALKERTSO* i: IMK CLASS
New London, Cormectieur, Esla-
dos-L'nidos
Solicitam pedidos de descarocadores de algodao,
adoptados ao aluodao sul-ameri< ano. Hao-se de-
1 dicado a es:e negocio durante 2o anno-, e atlende-
ro immediatamente a correspondencia que se
dirigir.
Vende-se urna escrava mura e C'>m as habi-
lidades de cozinhar, lavar e engommar : oa rua do
i Imperador n. 27.
Acha-sc
Na rua Imperial n. 100 existe
j ser alagada por commodo preco, urna casa coverno
60 Rua da Cadfeia do Kecife 60.
Todos os artigos abaixo mencionados foram comprad >s recentemente pelo dono do estabelecimento Das
de Paris, Londres, Birmingham, Manchester e em diversas ciJades da Allemanha, e tendo comprado tudo as
por ser a dinheiro, por isso vende todo e qualquer artigo barato, por menos do scu valor, e mui principalmente
j mente liquidar e ter de partir mui breve para a Euro a.
Un nr.cto mslr armaron! rie s nhipelfw
2-j carlii-s para banho fri,
momo on de chuvisco.....
12-candes para os meSinos...
12 ditos para b.nho de farello.
10-3
Ha neste vasto armazem ric s objectos com brilhantei
ouro, comotrancellins, correntoes, anneis e muitos outros art
mjf&i
m\
pleto sortimento de fazendas finas e modernas; miudezas, per marias finas dos principaes fabricantes inglezes e
T. PIVER, Lubin, L. Legrand, Ed. Pintad ; Mover, Deletirez Perfomerio du mond lganl), Yiolet, Sociel Hy ieniqoe, Mompelas, |
Mailly, Regenier, P. Guelaud, e inglezas de Eug." Rimmcl e out -os; ricas galanteras cin marfim, madreperola,
China e no Japao; ricas pecas de crystal Gno como anda nao ppareceram nesta cidade, e bem assim moderno:
ra^railf d,los Para Baz e Para petro'e. serpentinas, cast'n;aes, enfeite- e adornos para cima de consol -- iritii .c mais (.'li-iante em Paris, Londres, Birmingham etc.; m ulernos apparelhos de metal fino inglez para cha
105
55
105

como botes, anneis, rosetas etc., e bem assim
gos, relogios de ouro inglezes do afamado fabricante Rennette; coin-
nova com 2 salas, 3 quartos, cosinha fora.
quintal muito grande murado, era um
grande telheiro, com porlao e cacimba : a
i tratar na mesma rua n. ill ou na rua Di-
i reita n. 84, padaria.
principaes fabricas' 0padre Feiix Brrelo de Vasconcelos pre-
knolhnrac e nrilirr.p<5 c,ii de um obrado de um andar com bastantes
neiliores t otiuu._ue> acommo()arMi ou de duus andares uo sendo
)0r querer inteira- muilo grande, e nem fra da fn-Ruezia de Santo
i Antonio : quem liver e quizer alugar, falle ao an-
diversas obras de uncante oa rua do Imperador u. .'lo, segundo
! venda na livraria acadmica, na roa do |Ma>
dor; na do Sr. Nogucira, jonlo ao arco de nata
Antonio ; e na lypographia imparriil, oa rua es-
ireiUl do Rustri a eooapUafia de tuda a l.-ji-
fministrarao, arri-caiiac-> e ImsV
ibes; sa^o drtS <'',jn,''ruS dfe urphtos defuntus ausen-
, tes, beranea jacentes, kfaavs, ele, Mni-mn ic
s o regiiMmlo de cusas e a lei geral d-s maa-
para c9es, como tamben loias wirt aaiaaaii
qo a ludo tem expliaiki, t.nlo a repei-
&c
vencao e com bello sortimento de vistas das principaes cidades la Enropa ; grande sortimento da brinquedos finos para enancas
S^XrLPTS^lVif^^Si^ bonecas fallando papae emamae-; grande sortimento d candieiros a gaz, o que se tem feito de mais legante e que tem.
S'aSoTde^S!Si!S^^!SSi merecido toda a aceitado na Europa, grande e magnifico sorroe ilo de ca x.nhas cestmhas e outras galanteras fcil ,s de crina e seda,
lo das iibnj.'.'ic/it-s inherentes an taa dos diT.Ter
tes empregadas de jusiiea e fazfnd.i, tama m di-
reitos nacionaes e emoiameatM q'in -a e-.--.
Este lvro rontendo mais d.> 7im paginas em MWa
impressao e bom papel, e prestand"-se a niilirtdc-
de diUtrenies elaases, turnase reciimm-ridav-i
Seu cusi 105000 por cada exemplar em d.i>
omos.
AGUA FLORIDA
andar.
francezes, como L. \ A'uga-sea casa terrea n.39 na rua da Uniao:
Grande armazem de tintas. nada sao inferiores prala, e muas outras pecas do mesrno me al, ricos pentes de tartaruga da ultima moda par;
RUA no IMPERADOR N. 22. ras, excellenles luvas de pellica do afamado Jouvin, apparelhos de porcelana fina para cha e caf, ditos para juntar
O armazem de tintas um grande deposito de os e porce|ana fna dourada.^kmo ricos vasos para llores, figt ras, etc ; calcado dos principaes fabricantes de Pa
""om sola de borracha, pianos dos celebres fabricantes Ptejsl, Wolff & C, realejos modernos de Gavioli
ira,pvroiechiniatfogosdeartitlciojeemoutras rua, ditos com figuras para saloes e ditos com figuras em mormenlo;
industrias. theatros ou saloes, ditos de pliantasmagmia; ianlernas mgicas, cosmoramas com vistas novas, da e noite; stere(|copios de no\a in-
Montado em grande escala, e supprjndo-se di-
recta
dre
enToninuida agrsM^r^a'reuihoI'porpreso proprios para presentes; grande sormenlo de estampas fin s cbloridas com o fundo prelo e de outras de todos ob santos, ditas com |
razoaveis. figuras e ditas com novas paysagens para cosmoramas, finos e b ;m graduados vidros para cosmoramas, um bello ihafarrz de crystal f
Prvidos d? machinas mrbukM fl d tor Qu [m cule|aria fina> corno lalheres com cabo de metal lino, comer* s, thesouras finas,
^^Ol%^JSS^n. ditas modernas para alfaiates, navallus finas, aniveL-s e outr0i artigos, diversos artigos reitos de rame ; completo sortimento de
tes poder ser examinada pelo consumidor, o que mascaras de veludo, setim, cera, papelo e rame ; doces confei ados e chocolate em caixinhas e em vidros; cama;
nao fcil fazer com aquellas que sao importadas, 0s tamanhos, lavatorios, etc.; ricos quadros para cartes de visita
"Tem'Vran^^ para carros; machinas para fa;er caf, dita para baterovos, proprias para quem faz pao-de 16, bohnhos, etc.;
formatos, desde uma oitava at dezeseis oncas dr pannos para cobrir mesas, bolsas grandes e pequenis para v
capacidade ; de vidros para vidracas e diamantes violes finos ; figuras finas e jarros de alabastro ; galantarias e
lbrame frinchse
tic. fabricadas na nna do Crespo numero 9.
lustres para velas, E-io promptos para serem destribuidos aos
elte, O que se tem Srs. asignantes, vinie exemplares de
caf, OS quaes em, Vakella: ca.ntos e i-ha.ntasias.
troncas de senho-; ^ma p(lra casa
e mmenSOS arll- Precisa-selalugar uma ama para todo servico de
is e ditos de pan- urna casa : na hecco das Blas n. 2, primeiro
para se tocar na andar,
sica (mgica) para
j.y'" : :.,)*
'N ^-.'- :
bb[ ,r' It '
i^&SVit^-'r, :.i-V .
'
i'
-
1333
outras ecas de charo para toillelte; machinas
ara corta-Ios: de pinceis para fingir madeira com exce|ientes mnchinas para photographia para tirar retralt
^Sf^X^.l^SS^^ coloridas para illominaces moda de Paris; salva-vida
para lllomioacoes a moda e pars; saiva-vioa de born
lugares fundos; ameixas novas em caixinhas, biscou:os inglezes
los, grane es e pequeas; lindos haioes de papel fino tranp
irente e lanternas
cha, "para homens e senhoras, proprios para que n toma banhos em
em latas, queijos, etc., e muitos outros artigos que para ennumera-
e todos se vendem barato e muito 1 arato, no grande armazem da Exposicao de Lon
para
rt ,
peados e follias de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequeo formato de varias cores
para emhrulho, para forro de casa, para desenho los seria um nunca acabar,
com tundo j feito;de papel albumioado l.e Brisu gjg ^q r^ecfe f qq.
verdadeiro saxe para photographia e para filtrar,
e outros; vernizes dessencia para quadros, de;
espirito para madeira, copal para o Interior e ex-
tenor ; oleo graxo, oleo seccativo, oleo de linhaga
clarificado, oleo de toiele, secativo de Harlim, ouro
verdadeiro em p ; prata, ouro, e estanho em fo
lhas de varias cures ; tintas vegetaes, inoffensi- j
vas proprias para confeitarias ; la de cores, e ,
ra aquarelia; essencia de rosa superfina, de ne- de Pars e de Londres dos mais afamados fabricantes seguintes.
roly, jasmim, bergamota, asplce.patchouly, mbar, Violet, L. Legrand, Deletrez, Pinaud & Meyer, Regnrer, Mailly,
bouquet.iimo, aicaraiva, meiissa, ortela pimenta, Colonia em vidros e garrafas, agua de lavande, agua para limpaij
iBa^fe.*cSeto;Sn^iiia^^ modelos, pos para limpar denles, banhaem potes e em vidr pomadas, ricas caiiinhas e balainbos com paj
jectos que s com a vista poderao ser mostrados.
Joo Pedro das Heves,
Gerente.
NO GRANDE AR-
MAZEM.
m
i
j
0 DR. CASAXOVA
pode ser procurado a qualquer ho-
ra em seu consultorio homeopa-
thico, largo da matriz de Santo An-
nio n. 2
No mesmo consultorio tem sem-
pre medicamentos em tinturas e
glbulos em carteiras e avulsos de i^r
CateHan e Weher e muito em conta. &'
m
e ditos grandes e pequeos para retratos; chapaos de sol, benga-
(igens, e outros artigos, como cobert res, malas, te., ^_m^.4e|eorwTaaT^ n: pe|it
MURRAY & LANZAN
A agua florida de Murray A Lanm;in
odiada como um artigo de ftrkmm, nao
tem podido ser igualada pelas preparacoes
as mais costosas: romera sni anata, ca-
mo se formasse paite da pr se applica.
Sua efficacia to delirada, ti nu> rlf pan-
tes sao seus molttylirsdos aso, t(mh r-ja
>ara varrer o chao,
Companhia fidelidade de seguros
martimos e terrestres x*
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PEKNAMBUCO
j(| Antonio Lniz de olive ira Azevedo i C. ||
ffi competentemente autorisados peladirec- >j
W loria da compannia de seguros Fidelida- ^
0 de, tomam seguros de navios, mercado- fl
J rias e predios no seu escriptorio rua da jg
al Crui n. 1. H
mmmmmmmmmm mmmm
Samuel Power Johnslon & Companhia
Rua da Senzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
l'uadlcao de I-ovt Moor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engeoho.
Taixas de ferro coado e balido para enge-
nho,
Arreios da carro para um e dons cavallos.
Relogios de onro patente inglez.
Arados americanos.
Ma hias para descarocar algodao.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
presentes, e muitos onlros artigos que se vendem por menos d(
armazem da Exposicao de Londres, na rua da Cadeia do Recife
res, na rua da Ca-
DA EXPOSICAO DE;
LONDRES.
f^^SK^^M^'k^^^tsi^fl. empregada como artigo de tomador, qur
Desencaminhou se ou furtaram da sala do' no uso do banho, ou como suavizador da
que se tenha fi ilo a barba ;
, arenc.i, do ^J^j para limpar as gengivas cu asaaaalaaa a
1863 : quem do mesmo der noticia
ra' a gratificaba) de 505 QfflO oflerece o exaferi-
dor Fia vio Ferreira Calilo, morador na rua do Ara-
gao n. 14.
Precisa-se de uma ama sacca para uma casa
estrangeira, preferindo-se escrava: a tratar na
rua da Cadeia n. 18.
-h
3o seu valor, perfumaras muilo finas e novas chej
E-g. Rimmel, R. Matheus &C., Lubin, Sociedad
Gillet frre, etc. etc., dos quaes ha grande soi
dentes, oleo babosa, extractos em garraLhas e
adas recentemente
Hygienica, Piver, j
timento d'agua de
vidros de difieren-1
imanas para fazer
seu valor, bem como todos os artigos em geral e? istentes no grande
.60.
*
91 O bacharcl
S Francisco angosto da Costa
5j ADVOCADO
W Roa do Imperador numero 69.
mmmm mwm wmmmmmm
Ama.
Precisa se de uma ama que compre, cozinhe e
engomme, para casa do doas pessoas : a tratar na
rua da Cruz, armazem n. 57^____________
Saques sobre Lisboa.
Manoel Ignacio de Oliveira & Filbo sacam sobre
Lisboa : do largo do Corpo Sanio n. 19.
Londres, na rua da Cadeia do Recife n. 60.
resente: vende-se
ife n. 60.
PARA StaXHOlt.tK.
Ricos e modernos pentes de tartaruga para tranca de seniora, o que se tem feito de mais elegante ate o i
por menos de seu valor para se liquilar, no grande armazem di Exposicao de Londres, na rua da Cadeia do Ret
IiUVAS UTOVAS DE JOUVI1V.
Veodem-se excellenles luvas de pellica, recentemente clii gadas de Paris, tanto para horneo como para senhora por menos de
seu valor, para se liquidar : no grande armazem da Exposicao A
PHOT4M 11 % FUI A.
No grande armazem da Exposicao de Londres, rua da C ideia do Recife n. 60, rua da mperatriz loja de
e na mesma rua loja de miudezas n. 54, vendem-se excellentes v stas para quad/oj de sala e para albuns, como:
Porto.
Campo de Sant'Anna e Rraga.
Amarante.
Vista geral de Guimares.
Porto, rua de Santo Antohio.
Ponte pensil sobre o Ilouro no Porto.
Villa da ponte da Barca.
Coimora.
VISTAS E jPERNAMBUCO.
Tiradas na occasiSo em que S. M. o Imperador aqui este\
Palacio da presidencia, a cavallaria acompanl ando S. M. o Imperador no da 2 de dezembro,
indo para o Te-Deum no convento do (armo.
Tbeatro de Santa Isabel.
Rua da Cruz com a pyramide.
Torre do Arsenal com a illuminacao na frente.
Passeio pul lico, na chegada de S. M. o Imperador.
Rua do Collegio com a tropa.
Pateo do Collegio eom o palanque.
VIAKU A' EUROPA.
Stereoscopios de nova invencSo com r'cas vistas das prin cipaes cidades da Europa, como
Franca.
Inglaterra.
Italia1.
e em 1859:
Vendem-se barato para liquidado no grande armazem da
peratriz loja de Mr. Dubarry n. 8, e na mesma rua loja d i miudezas n 54.
Lisboa, etc., etc.
Exposicao de Londres narr.ut da Cadeia do Recife n. 60, rua da Im-
Mr. Dubarry n. 8
II EGVFL\
Joo da Silva Ramos, medico, me-
dico pela universidaie de <;oimhra, jj
d consultas em sua casa das 9 as ]
11 horas da manhaa, e das 4 as (i fi
da tarde. Visita os doentes em suasj
casas regularmente as horas para
isso designadas, salvo os casos ur- jj
gentes, que serlo soccorridos em
qualquer occasio. D consultas aos
pobres que o procurarem no hos-
pital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 as 8 horas da
manhaa,
Tem sua casa de sade regular-
mente montada para receber qual-
quer doente, ainda mesmo os alie-
nados, para o que tem commodos
apropriados e nella pratica qualquer
opperacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira crasse..35000diarios.
Segunda dita___34500 >
Terceira dita .2)5000
Este estabelecimento j bem
acreditado pelos bons servicos que
tem prestado.
O proprietario espera que elle
continu a merecer a confiaoca de
[que sempre tem gozado.
Attenco
Na noite de 28 de outubro prximo (indo furta-
ram do engenho Beato-Velho, em Santo Anto,
(onde nao ha delegado) districto de tabocas (onde
nao ha polica) furtaram dous cavallos rucos, seo-
do um potro ainda bravo, tendose j furlado este
anno, mais 10 quartos de roda e servico do mes-
mo engenho, sendo uus rucos, outros castanhes, e
lodos castrados,; ons comprados com diversas
marcas e outros crioulos, todos ferrados com um r
manuscripto, do lado, de que usa o respectivo pro-
prietario. Consta que os ladroes dalli os vo tro-
car e negociar por Pedras de Fogo, loga, Flores,
Agoa-Preta e Rio Formoso : roga-se as autorida-
des em geral, e a qualquer pessoa que os encon-
trar, os lomen) ou embarguen), e mandem partici-
par ou coodutir ao referido engenho, onde as des-
peas e trabalho serio devidamente salisfeitos.
Qoando quereaam os nossos depulados soccorrer
a pobre tavoura, redoiindo o crime de tuno a cks-
se dos crimes pblicos 11 Pobre direito de prt-
priedade, somente inviolavel e aagrado as pag-
8K da conslituicao 11 _____
balito.
D suavidade, brilho e elaslicidade as
compleices, de['Oisdese katar sania; al-
livia a irritaco de fmpcesordinarias : faz
desapparecer o desagradavH aayaati dos
! pannos, das sardas, do rosto, rugas e toda a
casta de (bulicoes, e d \g"r e friscuia a
parle onde quer que se applique. Sua tfi-
cicncia e elegancia sao igualmente mfalli-
. veis nos casos em que seja preciso appra-
! la como estimu'anie e aniiseptico, nos con-
cursos e assemblt-as numerosas, as loca-
lidades infeccionadas, na alcova de un en-
fermo, assim como um antidoto excellen-
: te para os doaaatal catisaiu< i or cansaco
, ou suffocacao. Preparada nnicamente por
; Lanman & Kemp, Nova-York, e a venda por
Caors 4 Rarbosa.
Joo da C. Bravo & C
Deposito geral em PernaiLLnro rua da
Cruz n.22 em casa de Caros A Barbosa
I CHILES
Grande peehlaeha.
No rua da mperatriz a. St porta Urg^ P*re-
! des Porto, vende-se rh-les de merm e^iampa
| 34 e i$5O0 e lino- >, esio se acabando.
ltordada.
Chegou a loja de Paredes Porto, roa da mpera-
triz o. 52, oui sortimento de eamixinlus. gotimha-.
] corpinhos, rouieiras e inn--, de eambraia bram-a.
i pelo barato preco de 2j00, 3a-)00 i& gllianas
, 500 Tt., romeiras a 800 e si ni.- a 800 r<, fraa te
qaaolidade de ntremelos a 600 e 8UO n. a pc>,
estao se acabando.___________
Flvellas de ryatal.
A loja da Aurora na roa larga do Rosario a. J9
recebeu riqmssimas flvellas de ervsial para dato.
ditas de madreperola lambem de muito tua quali-
dade, tanto graodos para senhora, como unHw>ra
pequeas para meninas, recebea umliem ti-tu-
douradas com pedras, dita* douradas lisa-', mtn n
bfalo, botoes de vldro a imilaeio 4a cryial a*ra
collele, ditos de crystal muito Anos para cllete, fc> -
loes de osso preos para calca a ISO n. % fot,
cartas de alnetesa 100 ra a carta, reqoisim. >r-
timento de Atas de todas qaahda4es i*io !#> *d aa
loja da Aurora na rua larga do Rotara a. 3a tf
Lopes Si C.
Vende-se superior Bo de algoeo fettv gara
coser em machio i. e proprio para a-tw de assu-
ear: na roa do Vigario a. 16.______________
JVecIsa-se de ama ama de leile
Imfierador o. 80, 3 andar.
SU o.
Ven Je-se o sitio no Rosannho n. ?, jaato aa ca-
pel la, com casa de pedra e ral, boa agaa tfa beVr,
muitas frucleiras, baixa de eapin. eUriSana jar-
dira. Tamnem se permuta por easaa mmt
a tratar na rua Nova n. 53* oa ao Beafc,
Cadeia n. 3.
Vende-se uma elegaate
crioula, de idade i3 annor, porila
e coiinheir : na travesa do
aoa
a.1.
V muito barato.
Vende-se vinho tinto a X|*00 a eaaaaa e 3*a a
na rua do garraa : delroote da matrli da Ba-VuU a. 8S,
esquina tfo Hospicio.


Diario de E crMtabuc,, qnarta fe .a S de Xovcuit
>ro de l84.
paiusawARTias be ayer,
Estas pilulas vcgtaes s$o a-
dapradas a todos os usos -de ura
purgante as Imillas, pois s5o ;
'perfeilamente innocentes, e em
quanto milhares de pessoas con-
fessam com gralidao que foram
curadas por ellas de molestias
severas e perigosas;nao ha
um s caso era que haja suspei-
tas do mais leve resultado incu-
rioso por seu uso.
Publicamos aqu gons dos
attestados que temos de curas
veis feitas ltimamente.
Um caso notavel de
C.ollciras deniarroititim, comcascaveis
e seiu ellfs.
Na ra do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, vendem-se colleiras de marroquim,
pospontadas e com cascaveis, ou em elles
proprias para caes e cutres bicliinlios.
Penoas iftezas de ac e douradas.
No novo sortimenio de pennas de ac que
a Aguia Branca acaba de receber, vieram
tambem utras de metal dourado e bicos
mui bem acabados, e por essas boas e ne-
cessarias qualidades os seus acreditados fa-
bi catites Perry & C. as recommendam aos
Indos objecios
Vindos luibem para
miodezns la do Quein ;do ti. 16.
ndeiite no lama-:
entendedores f apreciadores do bom, valen- embarazar.
Sapatinh'is desetim br;
ra baptisados.
Outros de merino tambem bordados <
igualmente bonitos.
Muas de seda, correspi
nho dos sap;itinos.
Outras mui finas de
brancas listradas.
Luvas finas de to da E^cossia
de cores.
bitas de seda para sen
Ligas de dita paia senlioras e meninas.
Pentes de tart ruga mili fortes para des-
a anliga loja' de
neo bordados pa-
Co da
loras.
Escossia e
brancas e
Afleccaa tlironica do ligado.
III. Sr-
Juiz de Fura, 17 it fevereire de 1864.
Tendo feito uso das pilulas atharticas
de Ayer, que me fez favor de dar um vi-
dro, tendo tirado um resultado nao espera-
do ; padecendo ha mais de deze annos en-
fermidades do figado e baco, com o uso
das pilulas posso Ihe assegarar que estou
bom, pois tendo desappareoido um granda
engorgitamento que soffria, muitas dores
sobre a regiao do ligado-e costas, dores de
cabeca, inchac5e do ventre, nao podendo
deitar-me senrio do ladodireito, isso mes-
mo procurando posgo para ter socego, bo-
je me acho livre d'esse padecimento ; como
por aqu anda as nao haja, eu como lenho
este proprio que de casa, Ihe rogo man-
da r-me alguns vidros, e o costo elle Ihe sa-
tisfar, assim bem como do charope de
cereja, que tive oecasiSo de experimentar;
em um ataque de gt-ellas que leve urna
preta que com elle curei, fago uso d'elles
as tosses em minha familia sempee em
bom resnltado, e por isso que peoo para
mandar alguns frasq-jinhos, e mesmo as pi-
lulas pide montar a doze, porque lenho
feito U93 d'ellas para uso da familia e ar-
giras pessoas, ia d i ,mt e g Je
resaludo ; sou bldooroioandeoda
De V. S. attensgPs.ar
Francisco FranurERMt
Rheumatisnio e ataques hemnrrhoidacs.
Ili.m. Su.
daro-Preto, 30 de marco de 1864.
Posso certificar-lhe (iue as pilulas ca-
thartkas do Dr. Ayer sao excellentes, pois
que sofirendo eu dores pelo corpo, e que
suppunlia ser riieumatsmo, (molestia esta
que j bavia sorlrido ha annos) e soffreado
tambem de ataques hemorrhoidaes, e de
um ouvido, pote que at j pouco ouvia, e
acompanhado de urna dr no queixo, con-
sulte! a um dos nossos mdicos, e este me
. disse que devia fazer uso da salsa ; porm
lendo eu o almanack do mesmo doutor,
comprei em sua casa um vidrinho das mes-
mas pilulas e por minha conta principiei a
toma-las, e sem as finalisar acho-me sem as
dores pelo corpo; e sem sentir, sarei do
ouvido, e mesmo dos ataques hemorrhoi-
daes : portanto sao para mm as taes pilu-
las as melhores. que tenho experimentado.;
isto em bono da verdade. Sou
De V. S.
Amigo cerlo, venerador e obligado,
0 brigadeiro
JoAo Bodrigces Feo de Cauvaijio.
Gaslrile.
Ouro-Pro'.o, 29 de marco de 1864.
Alteslo que tendo feito uso, aconselhado
por um amigo, das pilulas do Dr. Ayer,
fiquei perfeilamente bom de urna gaslrte
que sollria e que privava-mc de andar aper-
tado, hoje felizmente nada sinto.
ACGCSTO GOLLATINO DE MELLO.
Falla de apetite.
Ouro-Preto, 24 -de fecereiro de 1864.
Sendo eu affeotado do ligado ha muito<
annos, e ltimamente- solri falta de apetite,
hoje dou gragas a Deus por achar-me sao
e perfeito com o uso das pilulas catharticas
do Dr. Ayer.
Amonio Bknto Vikiiia.
do mesmo a differenca que ha no preco de
urnas para outras, por que estas se tornam
Carriteis com retroz preto e outras cores
Carteiras com agulhasi
Agulbas francezas, as afamadas.
Caixnhas com allinetos brancos e prelos.
Raspas de balea paral vestidos.
Fitas de lnho proprias para ditos.
Caixas com linhas de novellos grandes
para crochets.
Trancellim de boriaejha preto, redondo.
Bonitas Hvellas randes de aeo,
douradas, madjrcperola e lar-
taruga.
A loja de miudezasi ra do Queimado
n. 16, recebeu um bmilo sortimento de
Grande loja e armazem o
Paviio.
P.ua da Imperalrii D. 60. de Gama & Silva.
Vendo os pioprielarios 'este estabelecimento de
liqodarem urna grande porgao de suas fazendas,
a( ao fim do crreme anno, afim de fecharem con-
tas e apurar dinheiro, resolvern vender lodas as
(rendas com grande abatimento em pregos, lano
em porgao como a retalho, e por isso previnem a
todos os seus freguezes, e ao respeitavel publico, e
as pessoas que negociar em pequea escalla com
fazendas, que nole isialieleoimento enconlrarao
um grande sortinwoto que milito Ihes lio de agra-
dar tanto em pievos como em qualidade; assim
corno marlUam pelos svus caixriros levar asfazefl-
das e amostrm as casas das familias que nao po-
derem vir a loja, ou dio as amostras deixando 0-
car pennor.
! tautliraias Usas a 3^000, Da lija do
i l'ayo.
Veodem-se pean de cainhraia lisa branca e
transparentes, leudo oilo e meia vara cada peca,! mata duraveis na cODliQua(ao de escrever ,
pelo traio preco de 35300, ditas muio finas, por, assim pois quem deltas se quizer utilsar
45500,5^, C$at 105, sendo tapadas e transpa- compra.|as a dinheiro a vista : na ra do
rentes, assim como corles de cambraia com salp- r,npimarln in;- (ia Annia Rranca n 8
eos a 25500 : isio s oa loja e aniKwem do Pavao, Uueimauo loja a Aguia Branca no.
na ra da Imperatnz n. 60 de (Jama A Silva. Fl'alljaS COIU DOfliIS e SCm ellas para
; Cortes de^hantasia a30500. cortinadas,
I Vendem-se os mais lidos cortes de pbanlasia R rpr-ben um bello sorti-
com as mais lindas cores qoe h*n vindo ao merca- A Aguia ranea recaieuum ueiio&o i u
i do, sends fazenda transparent que serve al fara ment de franjas com borlas e sem ellas
. bailes, pelo barato preco do 35500, dilos brancos para cortinados, todas de DOVOS e bonitos
fazenda muilo fina a 45000 : isio na loja e orma- desenJios, cuja commodidade do preco est
mdi-de- Pavao, na ra da Imperatnz n. 00 de Ga- em re|a^Q & j^^ acham.se eas ven_
Cambraias de forro.
Na loja do pavao.
Vewiem-se pecas de cambraias de forro muito J0g a paciencia ou tunoso ciiucieiii-jn^ sen(j0 verujijas (m Jila loja por pre-
boas, Snzn 60 de'SllrSsHS '" i Ka rua do Qaeimado loja da Aguia Bran-; fitas de gorgorao acbat .alotado, proprias pa-
rfai granadinos can. 8, acbam-se a venda por precos ra- ra ditasfivellas.
v x,u^e!S^cSn! PgS.no8, fa- que das diversas pinturas dellas se formara | cualidades, pira quem soffre
enda de muita phantasia que serve al para bai-,agratlaveis VlSlas 6 paisagens, segundo OS da vista.
lesiiorserem transparontes e com iwirna de sedae (jeSen|,os que acompanham. Na verdade A'loja de miudezas rua do Queimado
teeidos com a seda, pelo baratissin... prego de 105 esse um deleitavel en retenmento com o o. 16, tambem recebeu oculos de peneira
sflsMrk "'o"de GamVTsS. flual se despe ta a curiosidade, eapura a in- Com vidros claros e oscuros, para quera sof-
As caiuisiiibas do l'arao. telligencia. Os apreciadores dirijam-se fre da vista, assim como outros de armagao
Mendem-se as mais modernas camisinhas borda- rua do Queimado, a dita loja da Aguia Bran- de ac, sonidos em graos.
'das tom manguitos, para senhoras, sendo as mais .ca n. 8, que seiao salisfeilos. < Coroas e tercos de coriiaiiua.
T^'!ZT^Vt^!cZ?^- dS Bonilos enfeiles para senhoras. | A amiga loja de miudezas a' rua do
|S com SSSKSKtJi r^SSE A Aguia Branca acaba de .eeeber um no- (Queimado n. 10. recebeu mui bonitas co-
! ios e goiinhas pretas a 15, finssimas goiinhas de Vo e lindo sorlimenio de enteiles os mais roas e tercos de cornalina, os quaes estao
;-cambraia branca bordada a 500 rs., eaieiuhas para m0(jernos e gostos inteiramente agradaveis,' a disposigo dos bom ebristaos que os qui-
2r.^TJBDl~V loja: narua d0
Q0Z*
'C.
ttZf'TldaW
I
No armazem e
baratas de Santos Uuelho
is.ua do ucimudo n. Ii>.
Yende-se o sefiinle :
Coiieriaj de mu Rda a 25800.
; Lilia.-, de dita a 25400.
Lencies de panno t llnho a 2J200.
; DilO de dito de littbo a 25. .
{jilos de bramante de linho de um s pasac
; 31100.
1'miiio de Ihiliu l,i i n m) I;2 palmas de larga-
ra ; elo barato prego Ir 5-3 00 vrj
Bramaoie il liolm fin i n lo satBMS d- M
i gOl a a 2550O :i vai;i.
Pegas de cambraia v>m salpicoi tranejs asa
cores com 8 1|2 rara* a 'il'.AV.
(g-sd- ramaraia aSawtMi p*apfia
O
est
da na rua do Queimado loja da AguiaBran- flv grandes para tmlS> sendo de ato,
ca n. 8, ,.,:! douradas, raadreperoli e tartaruga, as quaes
Jogo de outras
Consli|iac5, A'ives de caliera.
Ouro-Preto, 28 de marco de 1864.
Atiesto que achando-me atacado de urna
oi'te constpalo que trouxe-me dores por
tode o corpo e na cabera, soffri horrivel-
mente por espaco de quatro dias; ento
um amigo aconselhou-me que tomasse pi-
lulas catharticas do r. Ayer; com ellas G-
quei sao e completamente restabelecido em
tres dias, de sorte tpie estou no firme pro-
posito de aconselhar o uso dae ditas pilulas
a todas as pessoas que forem affectatlas de
constipacoes.
Acosr^ao Josk da Silva, negociante de fa-
zendas..
Irritaco do estomago.
Ouro-Preto, 29 de marco de 1861.
Attesto e juro, se necessario fr, que. sof-
frendo ha muito tempo excessiva irritaco
de estomago, pouco apetite e difficil diges-
to, d'ella tenho experimentado sensiveis
melhoras depots que tenho feito uso das pi-
lulas catharticas do r Ayer.
Antonio Homogenes Peneira Rosa.
Lacubrigas.
Ouro-Preto, 28 demarco de 1864.
As pilulas do Dr. Ayer (catharticas), fo-
ram empregadas com grande vantagem por
mim em urna menina de dez annos que
sollria de vermes int&linaes, notando-se
que os symptomas que ento apresentava
eram de molestia bastante perigosa.
Ravmcido Nonato de S. Thiago, pbarma-
ceutieo.
Nevralgia.
Urna carta do Illm, Sr. Francisco Alva-
renga de Azevedo.
Ha mais de sete annos que soffria dores
no hombro e as costas, tomei orna infini-
dade de remedios sem achar alivio algum.
Dr, angustia, tormento s5o palavras for-
tes, porm nao exprimem o que tenho sof-
frido: ltimamente tomei as pilulas ca-
tharticas do Dr. Ayer. S faz oito dias, e es-
tou completamente restabelecido ; ha tres
dias que nao sinto a mais leve dr no hom-
bro nem as costas.
Estas pilulas acham-se venda as prin-
cipaes boticas e drogaras do imperio, e no
Rio de Janeiro, rua Diroita n. 15
Vende-se na rua Dreila ns. 12 e 76 e
Hospicio n. 40.
Vende-se en Pernambuco:
na
PHARMACIE FRANQAISE
KP.MADRERiC'f'
RUA NOVA N'.'ia
mem
bra
da Imperatriz n. 60, de Gama A Silva.
StilliemLai(]ucs de cor.
Veodem-se soDlbembarqaes de cor muilo tiem
enfeitados a $&, 65 e 75000 para acabar : na loja
e armazem do Pavao, rua da Imperatriz n. 00, de
Gama &- Silva.
Orgaudy moderaissimo.
Qbegaraea os mais modernos org.mdys com os
mais modernos padioes, sendo quasi todos listra-
dos.como se usam agora, com as mais lindas ores
bIkms; vendendo-se pelo barato prego de 900 rs.
a vara : na loja do Pavao, rua da Imperatriz o. 60,
de Gama ce Silva.
diales de merino a 2,5000.
Vendem-se os mais modernos diales de merino
estampados a 25000 cada um, liavendo tambem um
grande sortimento dos mesmos matizados que se
veadem a 65, 75 e 85000 : na loja e armazem do
Pavao, rua da Imperatriz n. 60, de Gama cv Silva.
Os si o > os do pavao.
Vendem-se rlquissimos cintos de litas de diver-
sas cores e doorados com (vela larga e dourada,
assim como enfeites para cabeca dos melhores e
mais modernos que tem viudo ao cercado ludo
isto se vende por um proco razoavel que muito
, Ihes bao de agradar : isto s na loja e armazem
do pavio na roa da Imperatriz n/60, de Gama &
As toallias de lifllio do Pavita.
Vendem-se superiores toailias de linlio das me-
lhores que tem viudo ao mercado pelo baratissimo
prego de 95000 a duzi, ou 800 rs. cada urna, na
loja e armazem do Pavio, r.a rua da Imperatriz n.
60, de Gama A Silva.
As saias do Pavio.
Vendem-se as mais linas saias bordadas asagu-
iha brancas sendo da melhor fazend- que tem viu-
do aeste (enero, tendo mui a roda, pelo baratissi-
mo preco de H'5000; ditas bordadas a croch a
651-00 e 850UO, dias com babadinhos a 9*000, na
I loja e armazem do Pavao, na rua da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva..
Satas vestidos na loja do I'avao a 10(5000.
Ghegaram para loja do I'avao os mais ricos cor-
tes de vestidos de cambraia iransparenle cuinos
atis delirados bordados de di He re 11 les cores a [ion-
io de agullia, sendo n'este genero a maior novida-
de que tem vindo ao mercado, aranlindo-se o le-
rem minia fazenda e eofeifes suOicienles para o
corpo e mangas, e vendem-se pelo barato prego de
105!0 cada um, na loja do I'avao, na rua da Im-
peratriz u. 60, de Gama iV- Silva.
Os esparlillios do Pava.
Vendem-se um grande e variado sortimento de
espartnos os mais bemfeitos que tem vindo ao
mercads, endo de lodos os tamauhos pelo baratis-
simo pre-go de 45, 5'5, e 65000, por haver grande
sortimento, na loja do Pavao, na rua da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Veudem-se superiores meias cruas ioglezas pelo
baratissimo prego de 45(00 e 55000 a duzia, ditas
de lodas as cualidades para senhora, meninos e
meninas, na loja do Pavo, na rua da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
dendo baraiamente a quemoom dinheiro se:Queimado n. 16.
dirigir rua do Queimado, loja da Aguia
Branca n. 8.
Meias de 18a para sentaras.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
lala mosca.
Na foMi da Aguia Branca acha-se a venda
o papel com composicao para dar fim as
moscas, sendo o modo de usar facillimo, e o
effeito efficaz
car rrum prato, e nelle pousanlo as mos-
cas, entristerem e morrem. Cusa cada fo-1
Iba 40 rin : na roa do Queimado, loja da 1
Aguia Branca n 8.
Espoujas Ana* grande e pe-
qui uas.
Vende-se na rua do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
Diversos o .crios.
A antiga loja de m udezas rua do Quei-
mado n. 16, acaba ce receber mutos e di-
1 versos objectos que fazem completar o seu
bello sortimento, sen lo:
gmfa cania e
quemando %
Bom e.baratissimo.
1111a rio Crespo n. 9.
Collares.
Collares anodinos ebetro magnticas Poitr para
as mangas nao morrerem de convul.-es pelo ba-
rato prt go de 45-
Novidades.
Riquissimas polselras ou braceletes pa senho-
ra e para meninas a 15. 25 e ''!>, assim orno lin-
das voltas para pescico a 35-
Enfeites.
Itiiiuissimos (iifeites pata calxga cousa de mui-:
to g.Stu a 1500, 25, 35, 45. 'iv>, C e 75.
Fivelas.
Riqusimas (velas de madrcperola e de tarta-
ruga, arsim como prelas.
Cruv.es.
Rinu imas cruzes douradas porm o melhor
gosto que so pode'desejar.
Cascarrilbas.
Bonitascascarrilbascom biquinhos de sida e
aljfar cousa inteiramen'.e nova para cufeites 03
vestidos.
binculos.
Bonito soriimenlo de binculos com superiores
vidros para os amantes do llieatro.
Assim ci mo.uns pequninos
que serve para enfeile de relcgio mais com excel-
lente vidro.
Sestinhas.
Riqnisimss cestinhas com prepares para me-
ninas de e>cola trazer no braco, assim como de
vidro enfeitadas proprias para'mime.
Penles.
Ripuissimos pentes de borracha com aro br3n
co de metal para menina segurar o cabello pelo
barato prego de 500 rs., e duzia ."5, assim como
cortinado de cama c-m 2o varar :> ll
liaie- da arto* a 24300, :i5- 3M t -
Lengos de cambraia lina a 2-;60|) a BB
Ditos de dita a 25 I dnzia.
Airmalhaito de linho lino a 25W0 a vara,
Hilo de algonao a 2i a vara.
Igodo etfestado n m 7 l|2 palmos de I
i I200 a vara.
P eas de bretanha d? relo com 10 varas pron
[ara .-a.a a .IJoOO.
Pil de l:i ho liso fino a 800 rs. a vara.
in de dito com salpico* a 15 a vara.
Ci brala de llano fioa;. ;5oti0, 64oo i
t ra.
Dilles de laazinla de 'indos posto.- rea M .-.,
i vadof a 5-
i I'rea>de madap'-he. f. r. i > i rr c [elo baratis iire.
pr.gode8*, 05, t(' a 115-
Flanella branca liua a SM rs. o nmtf.
Pita de ei re.- loa a 880 r-. o fMBAfc
Baics de rnu-.-elii':. ra nnn:na a "S,
Ie.
Cambala de f -rr- a 35 a pega.
Pila fina a 14500, 65 T- i [.ga
G ardanapi da lu l '->'> a duzia.
Te albas de al,- dan na a K|
;- ira da India projria para (erre de m
i, S e 6 palmes de ;.'ni. !>r Keaai (:
qu > m i otra -;: Iiii
.Vm<: aruiat n i n
soitinuntude i >u| t : ita i ; r
3ffl
n
cnlra di
i I.
ENCICLOPDICA
Hii in Iswpcrairla aratsai
da p^t;\ larca
tfieiito a p:iJ:-.fa fratu-rza t
l*ared< Por.
Seste e.-tabelnc-m -^-i-inri r -"
. publico Din 'ariad'i .-.i^m-ato te bu ad
grande sortimento de lodas as qualidades para de-l^ |0g|crt5i solsae i ; a4es, q
por prego commodA.
F las finas de sarjt da mais estreita que
molha-se o papel e de.xa se | faa ^ (mas ^^ j ^ de ^ e ^
is cores.
dem tambem de sarja kvrada, de bonitos
e novos desenhos
dem idem branca ?, lisas e lavradas, pa-
Pe chincha
a 3SO rs. na loja do Pava.
Laaziulias a 320
Lazinhas a 32o
Laziulias a 320.
Vende-se om grande sortimento das mais finas
e mais bonitas lazinhas matizadas com os mais
lindos desenhos, sendo fazenda que val cinco tos-
teles, e vende-se pelo baratissimo prego de urna
pataca o covado por ser urna grande porcSo desta
i linda fazenda : na loja do I'avao, na rua da Impe-
I ratriz n. 60, de Gama & Silva.
! Lazinhas garibaldinas, s e Pavo vende a 320
e 400 rs.
Chegaram pelo ultimo vapor as mais bonitas
lazinhas garibaldinas com los de seda, sendo to-
dos os padroes miudinhos com as mais lindas co-
res a unitagao das sedas de quadnnhos, e acabam-
se pelo barato prego de um cruzado o covado, isto
pechincha : na loja do Pavo, rua da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Vestidos a 46
Vendem-se cortes de vestidos a Maria Pia om
barras bordadas, pelo baratissimo prego de 45000
para acabar : na loja e armazem do Pavo, rua da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Lazinhas a 1110 rs,
Vendem-se superiores lazinhas transparentes
com bonitos padroes, sendo lisa e dequadros, pelo
baratissimo prego de 160 rs. o covado. isto para
acabar : na loja do Pavo, rua da Imperatriz n. 60,
de Cama & Silva.
Mnyenlos c golas a 500 rs.
Vendem-se manguitos com gotas de cambraia
pelo baratissimo prego de 500 rs., isto para li-
quidar : na loja do Pavo, rua da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Curtes de ebita do Pavo
Vendem-se cortes de chita franceza muito boa
com 10 corados a 25100, ditos com 11 covados a
25600, ditos com 12 covados a 25800, isto s
para acabar : na loja do Pavo, rua da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Ayasalltus para caliera de seulioras.
Vendem-se superiores agasalhos para cabega de
senhora oo cacbns, sendo fazenda mais moderna
que tem vindo oeste genero ao mercado, pelo ba-
ratissimo prego de 35 cada um : na loja e arma-
zem do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Chales de renda a 100,12& 150, 205 e 250, na
loja de Pava.
Vendem-se chales de renda preta muito finos a
105 e 125, ditos de linho a 155, ditos de seda de
linbo dos melhores que ha em chales de renda a
20 e 255, ditos brancos de tres pomas a 69, isto
s na loja a armazem do Pavo, rua da Imperatriz
d. 60, de Gama & Silva.
que se vendem baratamente : na rua o
Quemad'i, loja da Aguia Branca n 8.
leas pretas de seda para senherasa
500 icis o par.
A Aguia Branca quer acabar com a por-
cSo
os e bonitos.
Diversos brioqnedos e entretenimento, dr5es guajmenie n0
para crianzas. dem de gorgurr. de seda achamalotada,
A Aguia Branca na rua do Queimado n.: e muito encorpadas, para cinto de fivellas
8, recebeu divetsos brinquedos para crian-! grandes.
fas, sendo estradas de ferro, barcas e patos i Idc-^ de seda pre a e de outras cores pa-
electricos, apparelhos de metal, louca pinta- ra <'! ruar vestidos cohetes, palitos, etc.
da e porcelana dourada para almoc/ e jan- ,em de la igual nente sorlidas em cores
tar e mutos outros brinquedos de madeira. e p.ira os mesmos i is.
"dem de algodo brancas e diversas ou-
tras cores para vestidos de chita.
dem de borrach i I raneas e pretas para
soutembarques. vestidos pretos, etc.
Novas e lindas Doarnicoes para enfeitar
<1KUI(> l 'i.lili, il VJll^l '. -"i W '' j
de meias prelas de seda para senboras, soutembarques, ves idos pretos, manteletes,
sardo muilo maior pre-, o qoe Ihe cus-ele, obras do muito gosto e modernsima.
sembaragar.
Escovas.
Grande sortimento de escovas oara rcupa e pa-
ra cabello, paraunhas e para denles.
Lunelase oculos,
Finissimos lonelos de um e dous excellentes vi-
dros e aro de bfalo e de tartaruga, assim como
oculos com rame dos lados propno para quetu
sollie dos oculos.
TouquDhas.
Riquissimas tonqoiobas de fcl de linho, de se-
da e de la para mangas.
Para o cabello.
A superior agua pai a altingir os cabellos, as
barbas brancas e fazer conserva-Ios, os frascos
acompanha um rotulo que ensina a forma como
se deve applicar.
Para caspa.
Superior banha sem gordura com um Irasco
com agua propria para limpar a rabega, os irascos
acompanha um lolheto que ensina o modo como
se deve applicar, assim como agua balsmica,
opiata e poz para limpar dentes.
Banhas.
Grande sortimento de banbas em copos, un la-
tas de folha e em frascos de todos os lmannos por
pregos menos do queem outra garle, assim como
memos outros objeclosque nao se pele mencionar
por hoje : s no gallo vigilante roa. do Crespo nu-
mero 7.

larain e o bom estado em que anda estao, i Trang^de seda com vidrillios, moldes no-
comtudo esl resolvida a vende-las a o< 0; vose mu bonilos.
ris o par, afim de que ningucm mais calce! Wcm dem de cores tambem de bonitos
meias prelas de algodo, ag. ra pois apro- i moldes e agradaveis! cores,
veilarein a quadra c dirigirem- e rua do I Botoes para os mesmos fins, sendo pre-
tos de seda maiores. c menores, enfeitados
CJucimado, loja da Aguia Branca n. 8. Tara
bem vender as brancas a 1(5 o par, e des-
tas o nico deleito estarem um pouco tri-
gueiras,
0 armazem da arara est fa-
zeudo liquidacto detodas
as qualidades de fazendas,
na rua da Imperatriz n, 56
Lourengo Pereira Mendes Guimares,
e outros de di-
dono do
vender as
qaalquer
grande estabeleciment, tem resoivido
fazendas por menos do que em outra
parte, menos 30 por cenlo.
Cambraias brancas lisas a 3000.
Vendem-s- cambraias brancas lisas a 35000
35500, i5, 45500,55, 55500 e 05, tapadas a 65500
e 75 : Mandes Guimares.
Chales de merino a 2000.
Vendem-sc chales de merino estampados a 25,
merm liso a 35X00.
Cobertores de algodo
Vendem-se cobertores de aigodo a 800 rs., di
tos bons a 15600, U e 55500.
Cambraias de uma s cor
Vende-se cambraia de uma s cor a 320 rs. o co-
vado.
Saias bordadas
Vendem-se saias bordadas pelo barato prego de
75000.
Cortes de cambraia
Vendem-se os mais modernos cortes de cam-
braia bordados, ,-enao fazenda de gosto, a 105000 e
125000.
Hiseados escomes a 280 o covado
Vendem-se riscados escocezes a 280 o covado,
tiras bordadas a 15, ntremelos a 800 e 15-
Liazinbas a 220 rs.
Lazinhas Gnas a 220, 240, 280, 320, 360 e 400
rs. o covado.
Corles de cambraia
Vendem-se cortes de cambraia com barra a 35
e 35500, ditos sem barra a 25800 cada corte, Men-
des Gaimares.
Chambres
Vendem-se chambres para homem a 45. e s
para acabar, peitos de linbo a 900 e 15, lencos de
linho finos a 500 e 640 rs, colarinhos de linho a
500 rs., camisas francezas a 15400, 15800, 25000,
25240, 255OO e 25800: s Lourengo Pereira Men-
des Guimares. '
Corles de ia
Vendem-se cortes de la a 35, 35500 e 45500;
Mendes Guimares.
Chitas para robera
Vendem-se chitas para coberta a 240 rs., france-
za a 300 rs. o covado.
Cambraias de cores
Recebeu-se um grande sortimento de cambraias
de cores que se vende a 300, 320, 360 e 400 rs. o
covado.
Casimiras
Vendem-se casemh s- a 15280 o covado, finas a
25240. 20500 e 35 o covado.
com vidrillios e pendentes
versas cores.
dem pretos de velludo tambem de sorti-
dos tamaitos.
Lonelos de dous vidros com aro de aro, bfalo
e tartaruga.
A loja de miudezas, rua do Queimado
n. 16. recebeu um pello sortimento de lo-
netas e oculos de vidros cejm ai macao fina de
ac, bfalo e tartaruga, e os est vendendo
por f recos razoaves os pret ndentes diri-
jam-se a esta leja na rua do Queimado n. 16.
I
Senhores e senboras*
Os proprietarios da nova loja e armazem de fa-
zendas e roupas (ritas ua iua da Imperatriz n. 72
de Guimares & IrmSo, acaham de rednzir os
precos de suas fazendas menos 20 por cento do
que em outra qaalquer parte, afim de apurar di-
nheiro, assim como seja lazinhas de quadnnhos
sendo escuras a 200 e 22((, ditas mais finas a 360 e
4C0 rs ditas transparentfs com listas de seda a
320 rs.
Fazendas proprias para a festa.
Vendem-se as mais bo litas bareges de laa e se-
da sendo escocezas as m
do ao mercado pelo bara
is moderna? que tem vin-
issimo prego de 560 o
Sebo.
Sebo em barricas e em caixas de uma
vende-se no armazem da rua da Cruz n.
Recite, por prego mdico.
arroba,
33, no
CAURIOLET A VENDA.
Vende-se por 1505000 um cabriolet de dnas ro-
das novo anda, pintado, moderno e com arreos :
na rua da Senzala Velha, cocheira do Sr. Thomaz
Payne.
Vendem-se duas escravas recolhidas, de ida-
de 23 a 24 annos, excedente conducta, engommam
perfeilamente e fazem todo o servico de uma casa :
na travesea do Carino o. 1.
covado, cassas francezas pe uma s cr a 320 e
360 o covado, ditas com palmas soltas sendo miu-
das e graudas pelo baratsimo proco de 280, 360
e 400 rs. o covado : isio ua loja e armazem de la'
zeodas na rua da Imperajrlz u. 72, de Guimares
& Irmo.
Saias bordadas.
Vendem-se as mais boflitas saias bordadas sen-
do bastante largas e muito bem bordadas pelo ba-
ratissimo prego de 65500 e 7#.
Vestidos de larlataoa muito fina sendo brancos
com barras de cores bordadas de la e seda sendo
os mais modernos que tem vindo ao mercado e
vendem-se pelo barato prego de 95,95500 e 105.
Manas de seda para homem.
Vendem-se as mais lindas mantas de seda para
homem tendo de todas as cores peto baratissimo
prego de 15300, 15400 e 15500 : isto na nova lo-
ja de fazendas na rua da Imperatriz n. 72, de
Guimares & Irmo.
Colarinhos da linho para homem.
Vendem-se colarinhos de linho para homem
sendo os mais modernos e melhores que ba no
mercado pelo baratissimo prego de 5550O e 65 a
duzia.
Chales de merino estampados a 25.
Vendem-se bonitos chales de merino estampa-
dos pelo baratissimo prego de 25, ditos liaos de
lodas as cores a 35800 e 4, ditos finos sendo es-
tampados a 65500, 75, 75500 e 85-
Cambraias brancas.
Vendem-se pegas de cambraias brancas a 35,
355OO, 45, 45500 e 55, duas muito finas tendo
orna vara de largura a 95 e 105: isio s na nova
loja de fazendas ra rua da loiferatrll n. 72 de
Guimares & Inno.
Itscados escorcezes.
Vendem-se os mais bonitos riscados escoceze
para vestidos de senhora e proprios para roupas
de meninos a 260 e 280, chitas francezas escuras
e claras a 240, 260, 280, 300 e 320, ditas percales
muito finas a 360, 400 e 440 o covado: isto s na
nova loja e armazem de fazendas na roa da Im-
peratriz d. 72, de Guimares & Irmo.
Camisas francezos.
Vedem-se camisas fraacezas a 15500, 15800,
25, 25500 e 35, ditas com peilo de edr a 2 e
25500 : isto s na loja de Guimares & Irmo.
Colla da Babia superior
Tem para vender Antonio Luiz de Azevedo &
C-, no sea escriptono rua da Cruz n. 1.
Rival sem segundo
ftiia do Queimado s. 49 e oi>, loja miudezas de tres portas, est i|uei-
niafto tudo lioru c barato, quem qui-
zer ver c admirar vestan loja do
Bigodinuo.
I Caixas de papel ainizade, e sem ella liso e paulado
a 600 rs.
Grozas de hotoes de louga praleados fazenda mo-
derna a 160 rs.
; Duzias ele peona de ac fazenda boa a 40 rs._
Pegas de tranga de lia lisas e de todas cores a
O rs.
Escovas Bnissimas para limpar denles a 210 e
320 rs.
Pegas de fila de cs estreilas com 10 varas a
320 rs.
Caixas com clcheles francezes, superiores quali-
dades a 20 rs.
Tinleiros de. barro, com superior tinta a 100 rs.
Pegas de cordo para vestidos, fazenda boa a
20 rs.
Baralhos muito finos para voltartte a 200 e
240 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos de macaca parala muito lino a 200 rs.
Frascos e garralinhas com agua de Colonia a
40u rs.
Frascos grandes com superior agua de Colonia a
640 rs.
I Caixas com 12 frascos de cheiros muito finos a
15100.
Sabonetes pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
320 rs.
Duzia de sabonetes pequeos com cheiro a 700 rs.
Agua dentifice superior qualidadea 800 rs.
Calas com superior p de arroz a 800 rs.
Frascos de superiores essencias santal e outros a
15200.
Frascos com essencias para tirar noduas de roopa
a500rs.
Frascos com cheiros de lodos os pregos a 160,200,
240 e 320.
Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
Dn?ia de meias muito finas para senhora a
45800.
Gollinhas muilo finas para senhora a 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo para meninos a
160 rs.
Pegas de fila de la para debrum de vestido, com
10 varas a 600 rs.
Ditas de bicos superiores, para acabar a 600 e
800 rs.
Pedras de lousa para meninos a 160 rs.
Bnnecos de choro e panno a 160 rs.
Caixas com bonitas eslampas para rap a 100 rs.
Capachos compridos, boa fazenda a 500 rs.
Grosas de boiCes pequeos pretos para caiga a
100 rs.
varas de cordao de espartiiho a 20 rs.
Novellos francezes com 20f' jardas a 40 rs.
Pegas de tiras bordadas a 640.
Duzias de meias cruas muito fortes e superiores a
35500.
migttKff mmmm mmmm
C3H VILLAR S
Paredes Porio
Vende chales de f< rui.i de c r j
rarn a IS-.- esta vend por S5, i il -
leada nova, 55,05, 8 a 205, um jocihs
pleto de manteletes, capas e .-cntarr.l.ar. l
255. lina da Imperatriz n i2. junio a na
ceza, armazem da p-1. > <>rga.
Paredes Parla
Receben um completo rUaeatu I -
240. e 280 rs. cova los, (4 a acatar, i -
cor a 240 rs. o eovad tiscado --. i
Da e:>: menino, fastao de linho a i-i
Roa da Imperatriz n. SijoaO atajan .
armazem da porta larg*.
;.,; les Parta
!' cebe;! para rr.' \ ara raa f/a
115 a pi;. carnli i i lisa Una a ''-"> t a
peca, cortes de Urlatana le b aes '.
j 45, cambraia o .n !'> de .
Tten> novos a 5<": 500 rs. o ( t i
da i Ta larga n. 5J, roa da Impera:
daria franceza.
Parffi Corlo
i: .'i I.in pelo ni >n ; -i i na
:ruzi s e-i in pedras p ra p fe ( I i l
de la para pescogo i! -. nbora. Roa I ,
n.52, armazem da porta larca.
Parata Porto
\\d< cortes d.- ?i ipurfm preM i>
11 ei vad"S caria um 335000, lenapk* r>
15600. 15*00 rs. o covado, las de |i:airinl< iai
lada. i 320 rs. o cova Roa da lab|
armazem da por!.. I -
Paredes Perl
T--m (ara vri.r-!-! "i preg lomn
sguio de linho rom IU vara* a 7. ..
linho par I< nrn-.- a f.JO ? 700 rs. a v
ede linbo d:'i larguras a tJOfl i !
P reta Parla
Vende curt- cambraia l.-.i! -
gOSes a 10-3 125, -- v,--iuano- \ ara u r r.i
e menino, rirt' ciit de rainbf u Uaria .
\\'L e 2i'5. larlalaaa branca e e rr ^ l I
re. aura. Roa da Imperairix armazem da \ na
I
Com loja i roa do Crespo n. 17.
Receben de Paris sedas em cortes mui-
to snperlores e bellissimos padroes, e
| chales de renda pretos para 105-
Kste importante estabelecimento torna-
se. reroniinendavel ao bello sexo pela va-
| riedade de fazendas superiores e bellos tt
m gosto? .
proleja o bello s*xo ao Villar i
H e vero todos a prosperidad^.
MMwawaiHini
DOCE
Vende-se de caj em calda, laranjn, aboben e
grmella a 500 rs. a libra : na rua da Senzala-nova
numero 1._________________________________
Vende-se um sitio em Demtlca a' margem do
rio Capibarlbe, com bastantes commodos para uma
grande familia : tratase na rua Nova n. 24, das 9
horas as 4 da tarde. ______________________
Vinho do Porto superior em caixa de duzia,
i a-

larga o. 52.
Cimpa frita
Rua da Imperan i?, n. 52 armazem d |
ga junt-i a nadarla trancen, eaeoMi n r.
tabeleninento um coiiipl-io-i.riirni'ii: > ^ i-
saceos f sohrecasacos, i!-'..';.- a< quaii :a ;-.
ca, colleit-s, eeroola^, ramtoa, aravaiv, a ..
chapos de sol, dit.s Iraaccaa pa tea!
precos commodos, roopa para BM-Mao
muitas fazendas por pregos commodos, arm,
da porta larga.
No mesmo e-lateelecimenlo encontrar i
tavel publico, samare nm romalelo sorHaw*l
roupas feitas de todas as qoariade*, e mo na
paletos de al|iara prrta ene cor,ditos obre -
eos a 45 e 55, ditos de brirn parJn a 25409, -5 r-
35500, ditos linos a 45. ditos n^eas ca/--
31000, 45 e 55, ditos eazemira ateros a 65, 75- 5
e 105, ditos sobrecasaciK a 10 e 125. ditos de | m-
no saceos a 65, 85 e 10, ditos aahtaaaaaaa* -< 25
e 255, ditos de merino preto a 65, 75 e 105. aj-
ga< de bnm de diversas qualidades a 1800 ;i 15
ditos brancos a 25500 e 6500, Mn caaaaajra
i5 e 75, ditos pretos a 55, 65, 85 e 105. i* ?
meias cazeroiras a 35 e 45, coleles de itiv
qualidades, servlas francezas de aV'l.'r.
linho, ditas de bramante a 25 e 25-"00. eaaaua
algodo de linho francezas de 25500 e 35- "'an-
de pechincha neste genero, grvalas de todas a l
qualidades e branca para casamento, grande 1
timenio de meias para st-nhoras, ditas para humen.
a 35, FOpartorcs a 355"0e 45-
Um comideto sorlnnento de chafis 4e -
alpaca a 35. ditos de seda a 55, 75. Nf 1 I
ditos francezes para cab ga, grande sortn:
a 65- .
recliiiic.ua a'lmiravel.
Grande sortimento de chamnres a !5*'<00 e >
lenges de cambraia para homem a 25 a duzia. di-
tos de linho a 45 e 55-
Grande s-ji lmenlo de roopa para meninos 1 n-
tras muitas qualidades qoe seria enfadooho m*ri
eiona-las.
Fnzomrla.
Vende-se superior merino preto proprio para ca
pa de senhora e vestidos a 55. lo-trlm da Chn^
a 15800 o covado. Rna da Imperatriz, porta Urja
Paredes Porto.
Vende em seo estabelecimento tiras e entremeto*
bordados, grande sortimento de corpinhos rica-
mente bordados a 35, 45 55- S o P-tred-- Por-
to, roa da Imperatriz no 52; porta larga jeinu a
padaria franceza.
Paredes Porto
Receben pelo ultimo paquete franrez Hea iaa<
granadinas com flores de seda a |f-0 e 500 ra a
covado, estao acabando-se, cambraia preta 1 ar 1
luto. Porta larga junto a padaria fraacexa, a rna
da imperatriz n. 52.
Paredes Porto
Vende um completo sorlimenta _de fazerl5^
brancas, como sejatn madatolo a 45500. 55.
lOJj. pegas de algodo por barato prego, ehifa 'ran-
ceza a 240, 280. 320. 360 rs. o rota*!, pre*--'*'
muito linas a 360, 400 rs. o corado, ehita ionw;a
a 200 e 240 rs. o covado. Roa da Itapentriz a.
52, junto a padaria franceza.
Paredes Potto
Vende gangas de cor propria para roopa de ate-
ntaos a 320 rs. o covado, rtool-i friura fio a
320 rs. o covado. Roa da Imperatriz o. SI, jubm
a padaria franceza, porta larpa.
Paredes Porto
Recebeo pelo ultimo paquete esparthos a p'--
guigoso por .1, sao bons, lencos de seda pa-
nhoraehomema Ij, ricos corte* d eambraw
bordados de 18$ a 7}, or l- r um t-^ne > ir
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aieve- estao se acabando, na roa U Impera*.!. -, V
do & C, no sen escriptorio roa da Cruz n. i. to a padaria franceza.
mmmm------------.--------
ILEGIVEL


N. 11Ra do UueimadoN. 11
A loja de fazendas de Augusto Prederieo do9 Santos Purto, acaba de receber um mni-
to grande e novo sorlimento de cortiuados bordados para cama de noivoa a 33 4U.5 43A
5Q*000,60^000 e 70*000. v' *' "'
Lindas matis para gravata, de variadas cores, a 1*500 e 2*.
Caclunez de la de diversas e bonitas cores a &JOt e 4*.
Chales de guip, fazenda a mais moderas, a 16*, 20*, 22* e 2o*.
Rutondes de gui| tambera os mais moderaos a 26*.
Colchas de sA de tur para cama de uoivos a 5o* e 60*.
Alcatifada liubo para salas, tazenda larga, benita e de muila durar-o, a 600 ris o
covado.
Tapetes graodes e pequeos, com rico3 deseuhns, para sof.
Saias bordadas para seohoras a 7*, 8*, 9* e 10*.
Capas e soutembarques de seda prcla para senboras.
Jionrls, chapeos e chapellinas para senboras, dos gostos msis modernos.
Chapeos eii-g.mtes para stnhoras, a 12*.
Pi-cinlias do Iioissima bretanha de llobo a 7*500.
Laziiihas de quadros a 320 rs, o covado, selira de Paris a 700 r^. o covado, e cam-
raias Frsnceas de cores a 500 e. 700 rs. a vara.
Casimiras dei|iiadros, moire antique pretos e de cores, pannos e casemiras pretas,
grosdeoopole pri to o decores, esguioos, sil-ias e cambraias ee liuho, sorlimento, de diver-
jas fazendas para luto,chapeos de seda para hornos a S* e 10*, chapeos deso de seda
lindos manguitos bordado:-, e outras nimias fazendas que se vendem por procos razoaveis'
inclusive
Esteiras da ludia para forrar salas
&m
B>'<5
CORTES DE SEIIA
Chegaram pelo paquete mglez riquissunos corles de moreantique de cores, e seda lavrada pa-
droe.- teirameote no vos.
Seda de quodros por 1$000 o covado
5 RU Di CRESPO-5
Circgorio Paes do Amaral & Companhla.
IUABTE ilLMEIDA,
^cT^g^y^
'>::' ::^>
&flSftka$fc,j
eas**!

m

'
t
Para vestidos de senil ora.
Curtes de seda de cor de bom gosto e superior qualidade.
Lindas sedas de quadrinhos.
Bods moireantiqoes de cores.
Grosdenaples d.i todas as cores.
Lindos poil ti chevre fazenda asselinada de inteira mvidade.
Lindas duquezas assetinadas fazenda inleiramenteoova.
Modernos grea linesde seda oque teta viodo de mais novo.
Grande variedade de laas de cores lisas e de salpicas.
Organdyse casas de muilo hom gosto.
Percalias modernas com grande variedade.
Lindos i orles de 15a Clotilde com todos os pertences cada um em seu car-
lau iiiteir mente novos.
Bous orles de cassa com barra tambem inteiramente novos e outras militas -v)
fazendas de gosto que sena enfadonho mencionar.
Pura homaros desenlio a
Grande variedade de diales, bournoax, retondes e algerleiines de fil e ded
gipure a 10, 16, 20, 30, 4U, U al K0;>.
Modernos soutembarques de seda de superior qualidade.
Lindos beites de seda de cor pretos e de cachemira.
dem de cambiis branca bordada com muilo gosto.
Saulembarques ehournouj re cachimira de cr e outros muitos arligos
. "la gOStO.
Para cabega de senhora
superiores chapelinas depalha, do seda e de crina de muitobom gosto a im- -v*
Chapi s de pdua da Italia grande variedade. $%
Lindos gorros e bonets de paiha de Italia, n Imperatriz, Canotier, Clotilde -^
ran e, chcgados de Paris pe o ultimo vapor.
Grande variedade de enfeites defroco e de llores para asamentq.
i ires wstrdos de b'o.nle, e de m lireantiqae brancos.
o lireanti pies branc >s"*e s iperiores sedas brancas.
b\i is vesti los d tarlatnia branvo bordados.
. das man .- de blunde e boas capeljas.
Bordados.
1 vari dade re entremeios bordados transparente e tapados.
O RESPfilTAVEL PUBLICO
A tabellii abaixo publicada serve de base de precos,
tauto este ruiazem como do ariuazem progressivo pa-:
teo do Carmo u. 9, principal armazeui ra do Impera-
dor n. 40.
^ Fazem sctente ao respeitave! publico, e cora especiaiidade aos senhores de en-
gentas, labradores e mus pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
Deraram os propnelanos dos tres grandes annazens, reunir todo; os seas estabeleci-
mentos em um so annuncio, pelo qual o preco de um ser de todos, promelle-!
mos que uao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, antnmciar os gneros
por uta prego, e na occasiao da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em outras militas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar isto
anda mesmo com prcjuizo nosso, qualqner pessoa poder mandar seus fmulos que
, serao tara >em servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seos
pedidos em cartas imadas; para evitar qualqner engaos, remetiendo nos urna conta
pea qual se ver os precos tal, qual anmmciarmos, o que senao arrepender pessoa
, aiguma que Gzer sai despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
i por cent o na sua despeza diaria.
mu mmmi
Receberam Gregorio Pacs do Amaral drJC^mais um completo sortimenlo de
u t i^ifiO iRG'ro
Manufacturado em Challes
Poinls
Algerifnnes.
Itotondes.
Africaines.
. Annamites.
Pump.)do?n, c'c, etc.
Desde I0.-5000 a 8W0W,
ampia b"Z SglM?* *" "C ,i",SSi,", ^ P enhon (m a0U
oe laa preta e de cores proprias para luto, ou passeio pelo diminntissimo prero de 105.
oeda matisada em pegas
padroes modernissimos que faz o efleito de um vestido de subido preco. Assim cono
?,Z e moireantqiie bancos, ne cores, de gorguro lavra.Iode BlonJ paraca
SJIIIC '10. r"
Magnificas grinaldas e mantas.
Colchas de seda portuguezas.
Cortinados para cama e janellas.
_ .. ,,_ Camisas bordadas,
e outros muitos objectospara noivado.
t'ORTKS IIE VAWmAmAMJk
com enfeites de cores da mesma fazendi, o que ha de mais moderno.
CACIIKNEZ
de muitos bonitos padroes e /eitios diff.jrentes.
E outras militas fazendas por precos eommodos qoe vendem
Gregorio Paes do Amaral & Companhia.
____ 5 RIJA DO CRESPO 5
<**
C
a
i
T/i
-
Serveja
Superior serveja Bass dos melhores fa-
bricantes.jino sejniii: Shlers (S: Bell. T. F.
Ashe a 7,ooo e 7,ooo rs. a dazia e a 7oors.
girrafa. Tambem ha de outras marcas
como seja: Victoria c Alcopc a 5,ooo rs. a du-
zia e a ooo rs. a garrafa.
Manteiga i gleza perfeitamente flor che-
gada ltimamente de l.oooa I,loo rs. a li-
bra, e em barril ter abat ment.
Manteiga francez i da safra nova a 8Go rs.
a libra e em barril ter abatimento.
BANHA
Banha refinada superior a Gio rs. e em
barril ter abalimento.
CHA
Cha uxiin de primeira e superior qualida-
de a 2,800 rs.
dem byssen o mclhor neste genero a i
2,Goo rs., e sendo em poirao ter abatimen-
to, tambem ha proprio para negocio de i al Superiorazeite doce de Lisboa a Goo rs. a
2,4oo rs. a libra. garrafa e a 4,Goo rs. a caada,
dem preto superior de l,8oo a 2,ooo rs.! Mi\ssas
1
vinagre
Superior vinagre de Lisboa a 2,ooo rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ha
mais baixo para 2oo rs. a garrafa e I,4oors.
a cariada.
Azule doce
o
i
I
DE

i
-------.....-------'.....r",,,"'"i""''a' -i.
iiias u'irdaila- transparentes e tapadas, babados bordados, saias bordadase Sg
outros muitos arligos. o"
*J\ HAS DOIiTTfllVAia
>: >\T'M i ORRBU MR VAS'ONCELLOS
RIJA l0 CRESPO If. 13



o
a ,bra- MacarrSo e talierim a 3(!0 rs. a libra e a
tliscoMos 15,000 rs. a caixa.
Latas com superior biscouto inglez de di-1 i5n xsas
versas marcas a 12o rs a lata. Superiores passas a l,5oo o quarto e
K:t:caEiIsas 'o.Soo a caixa de arroba hespanhola e a 32o
Latas com oolaclnnlus. da aereditada fa- rs. a libra. *
brica do beato Antonio, proprias para dar a: !
docnles de 2,*ooo a 3,030 rs. a lata. j GE3VEORA
dem com quatro libras de bolacbinha de Genebra de laranjalverdadeira a Io,Soo a
soda a 2,ooo rs. a lata. du/.ia c 1 ,ooo rs. ao frasco.
Olc\ios Genebra de Molanla verdadeira a 6,ooo
Al, n ^ V rs. afiasqueiraea 86o r. o frasco.
J2fK T 2f*5 n U,l'm0 I* de Hollanda em botija? a 4oo rs. ca-
vapor a 2,uoors., lambefiha do vapor pas- ,ja U1I1S. J
sado a 2,3oo ". i G irraf5t!S com Vl ga,.raf;is ^ genebra d(j
r>i i i UDt*J"L,al!,# Mollanda a ,ooo rs. o earrjfao. Tamheml
, ,nra!nJ'eSPanl101 V000 e,'2rS- Wrraloes com 5 cUgtrra^s de 3,2oS a
a libra, francez e su.sso a 1 ,ooo rs. a libra 6>000 rs. cada um. J'-00 a;
e portuguez a 800 rs. a libra, em porcoi VELAS
ter abatimento. vd;lS de sperma,;elt a Coo ,.s> ,bra
u
.'.:'.' nden lo as numerosas occasioes em que tem snecedido aos senliores de en-
oo Tderfm grande par.te de si'as safras por infeiicida les imprevistas que os
meio comp ciar as suas moagans ; como mo. te; de ani'aaes de roda, ar-
itoi deacod'js, levadas ti-, o pr)prietirio desti fabrica lembra aos ditos'se-
. es a conveniencia, m-stes casos, de fazer collocar urna machina de vapor por isso
mi saproveitando a safra existente e providenciadlo contra a reincide cia de taes
ac ntecimentos, mas tambun inu-odnzindo ni sua mdustria um reconhecido melhora-
m :to.
i Vanlo annncia que est prompto a garantir o assentamento das suas espe-
<: i- mu acreditaoas machinas de vapor, em estado de funcio .arem utm semana de-
: [legada das peca; no engenho. Esta^ machinas podem ser applicadas a moen-
m u-moondas ja existentes ou pode so mandar com ellas moendas novas a vontade
mpr%dor. Kdas tem tanques ou depsitos d'agua e boeiros, todos de ferro e nao
isam p ra seu as entrnenio di obra algama, quer de carapina, quer !e alvena'ria
Estas michmas d^ vapor sao construidas especialmente p.ra facilitar a cond'uc-
.-.. em provadequ j se ach o assenladasem lugares onde se iu'g.ju at ento diffi-
ciiimoou iiuposMvcl fa/.e-las carregar.
Nocasod-desmiotelarem^se as rodas d'agua, ha sempre prompto, rodas de
ferro que se assentam no mnimo tempo.
Nesta fabrica se acha todoe qualqner objectode que possa precisar um engenho.
LOJA DO BEU/I FLOR
!\a ra de Qncimado n. lili.
Nesta Inja portoilnsos vjut-'ssh reretie luvasde
| lea brancas e de corfs, lanlu para huineiu como
I .i -r:ti.-ra.
Veitas, (v ti7.es e brincos.
C^iegoa no uiiiiuo vapor um (ranile soriimcnlo
t ciases, imitando cmalinas liran.'a?,
; ni: como brincos da mesma e de crystal do mais
. : i gosto que se i*de desejar," l\ s quem
u : na lojadob-ija-lor, ra do Queimado
H. v
EiifeilKs pura coque.
im com i'cnlieii enfeites para coque e ou-
i maltas-qoalidados, que se vendem uiaii ba.ralo
no 'i i.- em outra qnalquer p^rle.
Bimecas que cliam-m mami e pa|ai.
Ti-ndo recobido um rande sortfmeoto de b>nc-
cbamam papal e tnamii e movem com os
olho-, riinlio Im>ii vellidas, com cib-lleiras, o
q i' i 6 baver ile gosto ueste genero, e vende se
I: .1- ltalo d" que eoi on'.ra ipialqo-'r |iarle.
> lains.
iioi c ono um bonito soriimenlo de balaios para
"i de escola, nmbm ha muilo rions penies
p.r deseinbaraear, guarnecidos de meial.
Liivas A loja di: miudezas na ra do Queima-
do i. IG, resebeu-as por este uilimo vapor,
- V. n lL se on aluga-se para pissar a fesla. c
anoo, mu grande casa e sitio coaj ar-
vortd v '1 [rucio, o.tira dita pequea jaoto a jto-
v affld da vartea e do rio Caplbaribe f a tratar na
nn do Borlas d. 8, i" aadar.
Loja da boa f Da ra da
Imperatrijs n. 74.
Vcndemse ricos eofeites para cabeca a 2500
Peines pretos para alisar a 240.
D.tu com chapa do metal braoco a 500.
E>'-ovas finas par., deules a 1-20. 240 e 500.
Tesouras finas p.ra costura a 300, 'IJO e i&
Helas mpito Unas para senhora a 300 e 400 o
Caixa com 50 nvelos de linha do gaza 700
Caixa com 100 envelopes a 800.
Cafen eom papel pautado a 700.
itesma de papel almaco greve a 35900.
Tinta preta para tserever boio a 140.'
F.cas e garros ne bala neo a 5&500 e 65300.
Helas cruas para homnn a 200 a 2i0 o par.'
Allliieies de Mos os tamango a 100 a caria
Filad- linho peca 50 e 120.
Conlao para vesiido a 30 rs. a ppca.
Dito imiierlal pega 40 rs.
Caixa* com ohreas multo boas a 40rs.
amibo de cartas linas a 240.
Gfra de Btlao de foO{a para camisa a 120.
Ditos de inadreeernla meito linos a 640.
Carta 'le corxeir nWHo hons a 40 rs.
("ario de corxetes rumio h ns a 60 rs.
Gravat;rs de seda p-eta e de coree a 500.
Jogo iie wispnra a 800.
Caisas multo (mas para rap a 1,8.
E um completo .inrimeni de miudezas que se
vi'iidi ni im; men >^ t> que em outra qualquer par-
le para se apurar dinheiro.
VNIIOS
Superifr vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Velho Secco, Lagrimas do
Douro, Mara Pia, D. Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a I,ooo a garra-
fa e 9.000 a 12 ooo rs. a du/.ia.
Vinho Figueira e Lisbna das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3.ooo,
3,5oo e 4.000 rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a Gio
rs. agarrafa ea 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira era
anceretas de 8 e 9 caadas a 2i,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem lia mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
Caixas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa e
7oo rs. agarrafa.
CAF
Caf do Rio de 1.a e 2/ qualidade de
0,8oo a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
SAO*
dem de carnauba de lo a 12,000 rs .
arroba e de 3Go a 44o rs. a libra.
PEIXE
Peixe em latas j preparado de l,ooo a
1,200 rs. a lata
ALPISTA E PAINCO
Alpista e painfo muio novo de 3,8oo a
4,ooo rs. a arroba e de 14o e ICO rs. a li-
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mais acreditados fabrican-
tes, como sejam: Juao Furlado da Serrias,
Manoel Peixoto da Silva Nelto, Castanho &
Filho e Brandao c de outros muitos, os
qnaes vendemos pelo mdico preco de I.oo,
2, 2,8oo, 3,5oo, 4,000, e 5,ooo rs. a caixa.
Licores
Licores francezes epurtuguezes a I,ooo e
I,4oo rs. a garrafa ou frasco.
Doces
Doce da casca da goiaba c caixes pe-
queos a 7oo rs. e de 5o caixes para cima
a 64o rs. o caixo.
Frutas
Frutas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muilo bem enfeitadas, conten-
do pera, pecego, ameixa rainha Claudia, al
AZEVEDO FLORES
Kua da Udew do Recite, esquina da Madre de Den*
Orando, sortimenlo de fazcmlas per ataca lo c i rclalh. e na enrielo srit
menlo -im. Mi POr mei. m cb
outra qualquer parle: qu.m dovidar reaba ver
CAICAS
de lindas e finissimas casemiras escuras c. liras, de superior carmn nreu brms brancos e bom brim pardo. n..iwr preta, ue Bn..s
. l*ale afTS^mmam c *" "c :i'" **bma- *+ **
, Cocics
de boas casemiras pretas e de cores e b- lino brim branco
. CAMISAS
superiores c.misas francezas de 2> at 5$.
Ceciulas.
Ceroulas de superior bramante de tino linho.
1C llCS.
Superiores baldes de arcos para meninas de 2 at 12 as -
dem superiores para senhora.
Grvalas c manas.
Superiores mantas para pescte de hornero, as m.-is ni,.dornas do n^rc-do
Madapol.
Madapolao bom a 8,-J, 9^, 10^ e 126.
_ Chapeos de so!.
Superiores chapos de sol de seda ;i bailo a 10^.
Fraques de cascnilra.
naques de casemiras, preta. escura e de ores claras, e na> liaven h na* ao freguez manda-se fazer por medida e com muita pnmiptido
quirirfreguezc^ fUZe'lJaS P'' ^ ^StiwU^mns, po o
LOJA DO BALAO
DE
AZEVEDO fito do Bju adr
HINCHA
NO
T.m ** ir u- | m i ii y [ aqi >, nnin.\n iu
Sabo maca de primeira qualidade de 18o; perche e outras frutas a o is. a lata.
a22ors. a libra e de 16o a 2to rs. sendo Tambem ha latas grandes para I,2oo rs. a
em caixao.
'lata.
ARMAZEM I>JE FAZKIDAS
RA DO QU!v.MADO R. 27
USTOIO CARTiLIIO V.
mofo a S^St^ecf0 *" ""^ ^ e "** < Cm um "** *"*" *>
Cambraia branca para forro a 1,5600 a i>eca.
Lencos de cambraia para hornera e meninos a 15600 cada duzia
Cambraias organ lis milito lindas a 600 rs. a vara.
Cissas de cores a 26n rs o covado.
Laas de cores muilo lindas a 3 iO rs. o covado.
Una <>o Inclinado n. 29, .irmazem de fascada*.
"9>^k
VeDd-.fi barato o ?obrado n 21, sito na ra
de S. Pnitro-Mariyr, em Olinda, e um terreno onde
so acha edificada grand* parte da cidade do Rio
Formoso, o qual terreno estende-e da matriz al o
trapiche : a tratar na ra da Uniao n. 37.
Uvas pelo ultimo vapor.
Peras pelo ultimo vapor.
Macaas pelo ultimo vapor
Ameixas pelo ultimo vapor.
Passas pelo ultimo vapor.
Figos pelo ultimo vapor.
Fructas seccas pele ultimo vapor.
Fructas em calda pelo uhimo vapor.
Nozes pelo ultimo vapor.
n
Queijos londrinos pelo ubimo vapor.
Queijos flamengos frescos pc'o ultimo vapor.
Presunto fiambre pelo ul.irao vapor.
Tudo se vende barato nos seguinles armazens :
Rua do Imperador 4o. Verdadeiro i'riuclpal
Kua do 4|:iciiu;ulo n. f, i'nio e Coniuirclo.
Largo do Carmo n. O, Progresalvo.
MODA
:.-:**?** Por, reoebeu Pe'. u',im'1 paqn.'t um 'rompido minenlo de rapas t
booMM decores ricamente enfunado* a 11*. 135e 20* : na rua da Innerairii iTV
lojada porta larga junio a padaria franceza. imperaini ^
No armazem da rua do Imperador n. 3 ou no
Caes de Pedro II n. 2, tem para vender-se o me-
Ihor gaz existente no mercado.
Rndese um cylindro, urna masseira, orna
balaoca grande e urna dita pequea, com todos os
pesos e mais utencilios de padaria : a Iraiar na
rua Direila n. 2i.
Vendem-se
machinas americanas de serrote para deacaroc.ar
algodo : na rua da Senzala Nova n. 42.
" CAMBRAIA. "~~"
Cmbrala de torro com 8 1(2 varas a peca a 23,
est-se acabando : na loja da porta larga da rua da
Impciatriz n. 52, de Paredes Porto.
f Vende-se urna taberna
Ifista n. 12.
oa pra;a da Boa-
avaiiado.
Francez barrlc 8*000
Portland dem 8*M<0
Em perfeito estado:
Francez barrica 10J0CO
Portland dem 12*010
No armazem deTasso Irmi.seei
i\*tid*dr.
Chegaram oa bonita chales e relowla
re brancos, e vendem-se na rna* da lmf>
a2, loja da pon- larga, de Paredes Porta
Chalas-de renda
Paredes Porto, na rna da ltnyeafrlt wdft, pwts
larga, vn4e laWs de irida de Mrr

ILEGIVEL

-


Diarlo de Persasnslmco Qarta le?** 8 de ^ovemhro de ,*ft
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
oui :!n>ri'A dii si* MM&am
AO
RESPEITAVEIi PUBLICO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
ccm da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento *de molhados,
que sendo em sua max;m i parte mandados vir directamente do estrang iro"podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm ffiancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
1." Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3/ Siuceridade nos precos.
As pessoas que por sua posicao social gozara de certo tralamento, acharSo nesta
casa os melhores queijos kmdrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualqiier qui seja a condicSo do freguez, elle deve contar que ser sempre moi-
to bem servido.
Aqnelles que sao pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de
omitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lb.es vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucax, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devera vir, pelo sea proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhor-s que compram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhore>
compradores.
Nao se tena poapado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DIMIIEIRO A VISTA!
A Graixa era latas, muito nova, a 80 rs. cada
ALPISTA. a 130 rs. a libra.
dem e painco de oito libras para cima a
400 rs.
Arhoz de 00 rs. a libra a........
Amkndoas, casca raolle, a 280 rs. a libra.
Avellas a 210 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os ta-
manhos. I MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
dem idera era potes de todos os tamanhos. I qualidade a i5, a libra.
dem idem em bocetas de todos os tama-j Marmklapa dos mais acreditados fabricantes.
feos. MacakrAo e talhakim a 320 rs. a libra,
dem idem em frascos de todos os tama- j Massa de tomate a 600 rs. a lata.
"hos. i Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs. Molho ixri.ra de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas linas para sopa branca e amarea a
60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
35500.
O PSlCO
Sem o menor constfran.
gimento se entregar
Importe do genero que
ao agradar.
CAO
y. r
x it
& presos da eguins<
tabea 6 para todo, po-
diendo assim servir de bi-
se para o ajuste de conta*
com os portadores;
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o aro da Concele3)
PARA BEM DE
BuS fcueauatlo m. -Jtf* e <*.
j (Jonm..'.a a TttMk-r loda as -i .,. si*txtt
dudara por preco iWrm
Mmm ile palitos lixario* para drntes a {fi
K.-peiiios f iiiLlclur^s u *
Uonels de olladu para ir.i m;
Ditos lie rooro superior (an 11
Pmtw cim Mipinor lela i Mnadas de liDl>a froaa iaia I i
t.a.xa;- corr 100 euvtiopt
Crozas de oonas deaf, faaei .-s.
tiraras de botts santrci-trcla :i u a
e 04 rs.
( ailai 'rom 0 novetlos de n.
Caixas rom loperiores ol i a ... ,
Piras de i.ia branra rbNra n
Varas de franja de Isa para ral
tu rs.
Uarall s
donri
TODOS.
Senhore" r horas, o aceio qne presidio aoarranjos dest
ezacom que serao tnltfg nvida a nma visita ao mesmo, certos d
ra dos gneros qne precisar? a e quarido nao possam vir podero
r-ois sero to bem servidos como se viessera pessoalmente, havendo i
tr? p?iie.
Manteiga ingleza especialmente escc Iluda a A#tria, macarrao e lalhf
urna.
KIRSCH de Wassek a 2S a garrafa.
L
LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
I Letria a OO rs. a libra
M
a garrafa.
Albos a 200 rs. o molho.
Absyntho a 2^000 a garrafa.
Si
BOLACHINHAS do Beato Afttonjo em latas
grandes e pequeas,
dem do Principe Alberto a i^SOO a lata, e
de cinco para cima a lt>7G0.
dem de so !a en latas grandes a 2;>000 e
de cinco para cima a I<>30.
Biscoitos inglezes de todas es qualidades a
15200, l#250e 15300.
Bolo francez em caixnhas z 400 rs. cada
urna.
Batatas ingleza*.
Banda de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 600 rs. a libra.
idera suisso a 15 a libra.
dem de musgo a 1 J50Q a libra.
CuooRifAS muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 240 e 260 rs. a libra, e em porejo
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 7^000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 s. cada um,
i mulo noyas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Chakope do grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 15800 a duzia.
Cerveja da superior marca Teneete a 500 rs.
agarrafa, eem duiia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria lias tres X e deoutras marcas.
Charutos das niais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'Havana, Exposifo,
Flor do Brasd, Parisienses, Delicias, Gna-
nabaras, Trovadores, hegaiia, Mississipes,
Panetellos, Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros, Americaios, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
precos, hyssoD, hu\im, aljfar, preto, e
preto poma branca, etc., etc., a 2000,
2;>2"0, 25560 e -26800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 25600, 35500, 45 e 55.
Clices de lodos os tamanhos.
Cognac superior a 15 e 15300 rs. a garrafa.
Cigarros do llio, pardos, a 80 rs. o mac/
de cinco macinhos.
I
DOCES de todas as qualidades: brasileiros,
portugueses, inglezes, francezes, etc. etc.
E
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
irvadoce a 400 rs. a libra.
FARINHA SSSde 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400,500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
Feijo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fcmo do Bio a 500 rs. a libra,
dem americano era latas a 15-500
Farello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
Milho p.iinro e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a OO rs.
N
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos era latas a 800 rs.
O
Ostras ing'.e/.as e americanas.
a
PEIXE em posta, latas grandes, a 15C0O, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargn, saltno, pescado e
pescadinha, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparagao.
Palitos para denles a 120 rs. o mago muito
grande.
Passas em q;arto a I 400.
dem muito novas a 400 rs. i libra.
Pomada muito nova a 80 rs. a duzia.
QUEIJ0S flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem kmdrinos a 800 rs. a libra.
QCARTINHAS OU MOMNQCES a
R
RAPE' Meuron a 15 a libra.
dem Princeza do Rio a 15200 a libra.
dem francez a 25300 a libra.
a
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
f.iz ahatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 23?.
Sardindas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
Sag muito novo a 400 rs.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
V
VINHOSIM
Principe Alberto, de 1831, a 55000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho seca) a 25 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 15300 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 25 a garrafa.
Duque a 15 e 15500.
Chamisso a 15, 15200 e 15500 a garrafa.
D. Luiz a l.-j a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 25 a gar-
rafa.
Carca velos a 15.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posicao alguraa.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 15 agarrafa.
Absyntho a 25 a garrafa.
Kirsch a 25 a garrafa.
Wermouth a 25, e a caixa a 185.
Bitter Maurer a 15 a garrafa,
Vinho gueira em ancoreta a 205.
dem Figueira e Lisboa em pipa a 25500
caada.
l,ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oors.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
pora 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato a 8oo rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
bra e 6,oooa caixa.
Massa para sopa : estrelin|ia, pevide e rodi-
nha branca ouamarella
3,5oo a caixa com 8 libras.
uo proprio para
Vinho do Porto muito
engarrafar, em ancoris de 9 caadas a
35,ooo rs.
Vmho em pipa : Porto. F
32o, ioo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8o
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa|em caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs.;
Vinho do Porto das me
adi s om-rw r ,
Novellos de Imita r n 4oo |ra* a I
Litrw pa asKM .- de ... ,
Parea de boioee pera pul o,
Tefouras para costara* .-i|.!.
'Caixas de pennas de CStkgnfl I
Hasso rom ?m-.rior<- .Tan i- i H ra.
Part? Ii a|:.' :, iranei :,.;. .
Caixas com -u. i n i -i. I .
Libras de lia tonidtnde hraH <
Caixas rcni.-operii'M- i.f>i-ia de i .
RodlDhas eomklfiies tfa*r Jr,
b,i .(!, i, e Resws de papel alaaro ?46fl
odi i eunduo em irascos de vidro com lampa totmn para n upa. hirtd i v
do mesmo, a (too rs. IDoaM de leeoona ttm icejM c a
Cerveja branca das marcas mais acreditadas' !S T*. ,
a ^arrala, e u,8oo, O.ooo e 6,5oo a du- PolselrM para raii ? i b
zia. Ditas e volias parasrakora t;.,,,_
Cevadinha de Franca muito nova l2nora r'""'1' c'('Ata n"l]-v,,c- '' ''-
Charutos doaffamado fabriS
igueira e Lisboaal do deSimas
3 novo estabelecimento, e mais que tnrto a promptidSo e inte)'
que sem dnvida me darao a protejo e preferencia na rom-
nandarseus portadores, a.nda que estes sejam ponen praticr.
ara com estes toda recommendacao. ,ifim de que nao van em
rim a 4oo rs. a li-
a 64o rs.a libra e
osernria- Idem de soptr^r oleo Paliesi
garrafa.
hores marcas que
vem ao mercado com > sejam : Lagrimas
do Douro, Duquedo P(
tugal, Duque genuino
ra Secca, Malvazia fina
12,ooo e lo,ooo a caixi
l.ooo o l,5oors. a ga
Vinho Cherexde superiok" qualidade a 16,ooo
a duziae l,5oo rs. a rarrafa.
Sardinhas de Nantes a
64o rs. as meias latas
Bolachinhas inglezas miiiito novas a 5,ooo a
barrica e320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors,
de Simas, das seguintes qualidades: Caixas nm laari risas p?i a in-
posicao Normal de Havana, Impeiiaes Y"*9 r l:'li,(l1 ''" "" Ml le r.-.
Grvalas d<- reres, forrada -;. r. ; < .
Papeif de agolhar, InMe dearaiti .
rto, Rainha dePor-
D. Luiz 1, Madei-
a 16,ooo, 15,ooo,
com I iluzia e9oo,
rafa.
ioo rs. os quartos e
m Bichas de Emlujyo W
#; Ktis is laqm-io "^ i ,, Jl
ST desias i Ditas di -.-!. | -
*~'-* \" r iit rr. q ti. .... .:.. ...
v'ir d rr. a lr< ro ci |. 11 c.
J^ de in ffrrjre rtora H i
beiro roa etlreila d' l. .
SP da ier-;a.
*
caixnhas enfeitadas
boo a caixa o 4oo rs.
rs. a libra.
em latas hermticamente lacradas a 64o. Cartes com bolo francs muito proprios pa-
Feijo verde muito superior s 640 rs. a lata. ra mimo a 64o rs.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5ooi Passas muito novas em
rs. a duzia. para mimo a 3,ooo rs
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs. Passas de carnada a 8,
a duzia. a libra.
Chocolate francez 'espanhol e soisso a 9oo, Figos de comadre a 24
l,ooo e l,2oo rs. a libra. Amendoas de casca mo e a ioo rs. a
Espermacete superior afino e 64o rs. a li- Milo de amendoas a 5c o rs.
bra e em caixa se faz abatimento. Bolachinha d'agua e sa
Peixe em posta em latas hermticamente la-! de Brito no Reato An
eradas e das melhores qualidades de pei-! bras por 2,5oo rs.
xe a 8oo, l.ooo e l,2oo rs. Ameixas francez;'s em
Vinho Bordeaux das marcas mais acredila- lampa do mesmo, a
Ex
Lond
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, s.ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em n eias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos, Vencedores,
Panalellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac infle/, das memores marcas, a 8ooe
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaha a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinlia de araruta verdadeir. a 32o rs. a \a^)m a fyb
Matte.excellente cha paraos navegantes, ^^Zl^A^l
ZOO rs. | pelo irffo ariana irnmi' i.:.i! -
Sebollas de Franga muito grandese novas colares R><>r n celare aaW-
a 1,8oo o cenlo e 1,2oo solas. d|nos
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa. para facilitar a denn,a. ta rr aafM i >wii
las is rea filies.
O felrx resollado obtian leaw -
prodijiio;.'! Airea magoelira a* ei i ': ata
taso.- de ci'n\uiM)i-s, e diol.r.- i ti: -i ... i.
altamente elevado o sen beo im
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo c ufa JA ff P** d;er que eiao a ..m.ei.-e r -
a lata. eeituado*, e esmado* de iuluh .iv.i- ,
^a^1!^mnito a,v?e chernsa; ^^sstps
nhos, e de potros porque eotlv ..
ibra.

Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porro refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-: aitammoTeleado
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fnulas em doceseccode di-
eJoaoj versos tamanhos, muito proprias para
onio, em la ta de e mjmo, a 1,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada una.
! Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
da fabrica
fiasco de vidro com
155oo.
das que vem an nosso mercado a 7,000 e Ameixas franc zas em caixinbas de diversos; Azeitonas de Rivas em ancoretas grandes de
8,ooo a caixa e (54o e 7oo ris agar-j tamanhos com bonitas estn pas na ca- 8 garrafas por 6oo e 8oers. a garrafa.
cada urna.
Azeite do%reflnado hespanholouportuguez; Champagne da melhor qnaHade
a 9oo rs. a garrafa
Batatas muito novas a $o r
o gigo com 3'5 libra
lorooo a caixa.
libra e2,5oo
75o rs. o frasco e
casa a
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueirasde nenebra de Hollanda a P,8oo
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a l.oooe ll,ooors. a frasqueira. Conservas inglezas a
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. a li- 8,5oo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. \ Vassouras de esenva (para esfregar
Caf do Cear muito superior a 24o rs. ali-l 4oo rs.
bra e 7,r>oo rs. a arroba. ; Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranhio de Ia qualidade a loo Molho inglez *m garrafa de vidro com rolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da ludia a loo rs. a libra e2,8ooa Mostarda.ingleza dos nelhores fabricantes,
arroba. | a 8oo rs. o frasco,
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,ioo a ar- Mostarda franceza em
roba. ioo rs. o frasco.
Painco c alpista a 14o rs. a libra e i,ooo a; l.entilhas frnnrezas. ex
arroba. sopa, a 2oo rs. a li
Massa de tomates-de superior qnaHdade a fiio Marrasquino de Zara
rs. a lata re urna libra e;.'6o rs. a rea- 15 n garrafa*; i i,nr
Iho. Palitos de dente a 14o|
xa exterior, a l,4o->J l,6oo, l,8ooe 2,oooi Azeitonas pornigue/a'. a 5oo rs. a garrafa e
1.5oo cada urna arnela.
cellente legume para
ira.
propriamente dito a
o a dnzia.
rs. o maco.

^. .
&&1
AFAMADO JOUVIN.
Vende-se pelo pre?o de 25 o par luvas novas de pellica de Jouvin, checadas no ullimo va por
para hnmem e senhora : na ra da linperatriz luja de miudez s d. 34.
a
CJ -Z
si" '
Cu
potes j preparada a
que vem
ao mercado, a 2,000 e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ono o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a lihra.
Figos em sextinhas a 80 rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Ralaios para roapa saja, grandes e peque-
os, por diversos precos.
Amendoas confeiladas a Co rs. a libra.
Latas com finetas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a carra-
fa e a 1 ,4oo e 2.000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,800 rs. a canarii
e 610 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a Roo rs.
garrafa.
-
> -
proficuo fXiinpl-i para ieoaln m
seos. A>-iii, pul', aagoia hraoi
U s a Dilliilad e prweit 1I1 1
t<* anodiooG ou Royer, ataad m ri
iiit-iio (ue ag.ia reeel en, e c utinm a r
los para qoe em It-mpoalfom a blia < >
ser fo&esla ars pas de Familia. ..
rerlos de 1 s arhar ronsiSBl 1 1 I
maoo. leja d'apoia ln inca n. s.
.
Faiihha Tim para Tender Antonio Lnn
rio & C.. n ^ell e!-cri|.uiri'] roa la Crm
Penna> de erna de inoilo np*i
veode-re na roa do Vigari'i n 14, aeda r--
rriplorio*
muw,

Ao.-fDtro-re do tnpmho .' 1
ohaem, do dia is duroi< rile n.
molalinboaeatooelado de n u Sal s \:r-
senla ler II ;.nn cor clara, rabellos eorridos, Oebies alv ..: ho
destarrado, levon vestido ramisa d<
ral^a de nseado e ebapo de ronri 1 .-.o
f..i comprad ao Sr. Cirilio di Ponu Ka.-gi bm
rail i iin Cariris notos, pelo Sr. 1
Go Ihermi de Barros, n 11 1 1 1 per
este vendido ao abaixo assipaad Omni
laiinlm lalvez se Pula iolitntado loin ., *.-
pnm n-mhrj prorore repnir para n-
it> : a 1 -.-1 que o appicl 1 adi 1 .:, e der n;<
liria naquelle eneeoho, .... 1.;. 1. <
ni la cid idi ; ufl Sis. ("uni.. I ,
genei 1 ?an 1 ute '.ci n>|eus .
3.
3 as
09
o g,
O O ,
3 -.f" C6 oa
.-2
~
3 un a?
2J
*B
co
o^it!.3io>il.isrs
ce
o o*-

j>
~
9
i|n
5 o o M
r^
'j
T
cal
O
Ct>
V <
p C"
B S.
2.1
Att

Gambraias.
Parede Porto vende cambraias lisas Moas, gran-
de soriiiaenio, a 34 at 6i, ditas Victoria muito
finas, com 10 varas a 64, 63500 e 7$ : na ra da
Imperairir. n. Si, junto a padaria fa aceza.
Sellins loglezes cora borrenhas e lisos, siiboea
para montana de seDbora lambem igoaes, chicotes Y~7-----"Z---------T T"
para carro e cabriole!, e para monlaria, todos de CMfDeiD 808 COPpiDhOS QC CamDPata
baleia, fundas com elssticldade para ambos osla VenJem-se eorpiohos de cambrala com entre-
gos, e uniros muitos objectos inglezes, e brides de meios a 4J e 54, eslo se acabando : na loja de
IpoVtca : lodos ests objectos vende-se na roa 4a Paredes j'orto, ra da Imderalrii n. 52, poria lar-1
Cadeia 9 Recife d, 31, loja de sellfiiro. g*, juo.o a ptdaria, franceza.
"S"
a,
3
I
Cu
CB
O
I-
O
1 O C-i-'
1 c.a'
3 Sf
ojo
o
cu
2.0-1
cu O
~
- B-.^EM e*?* 8 2 1
S.p 59 o-2. &

11.1 f c*
as cu

o
z
cu -1
"i __'
M
BS
01
O
>
O
ga
>
>
o
so
de
U
trabalhar mo
descarocaf algodo
li-
pa 1 a
FABRICADAS
Por Plant Brothers & 0.
Testamentos em verso.
GooUnoam a eslar venda, ra ly. i gra-
phia dr ruado imperador n 15, rjtroiiti
de S. Franccco :os testamentos da Gali-
ana, do Callo, do Porto, do LeSo, do C1<>,
do Pen'i. do Carneiro, da (inca Tigre, do
i j, da lycna, do Rato, do Orangutn),
do Macaco, do Burro e doVigario ; a PeJeja
da Alma como Di.bo, a 160 rs. cada um,
e a 100 rs, a qtiem comprar i.ma iolleccio
cern leta ou 2S ; cartas de A B C, laboa.la?,
cathecismos, economa da vida humara^
cartilbas, Simo de Nautoa, Biblia da in-
fancia, manoscriptos, traslados, pautas, pro-
cuncoes, apuda otas, le tras, coBtecimentos
para embar ue de escravos, despachos para
a alfandega, papel lmaco pautado e piula-
do de diversos form los, sendo o pequeo a
30 rs. a folha, o inmediato aO rs., o me-
dio a 50 rs. e o muito grande a ^ rs.:
papel marrequinadoe lustroso grande e pe-
queo ; papel para mpressio de urna s
otrabalho; pd* I;cor grande e pequeo ; .Virgilio, Horacio.
descarocar ums! Salustio, Magnum Lexicn, prosodia, dic-
cionahoa francez-poitiiguez e \ice-versa,
selecta franceza, eontrosmui'ts livros, bem
como em branco de todos os tamanhos.
Estas machina)
podem descaroca
qualquer especit
de algodao sen
estragar o fio.
sendo bastaot*
duas pessoas para
O ereiavo m<
Pogfn no dia 3 do torrente co
ra Irepm lia d Cabo, -i n qm
n i
o o.cni r ii i ivo, i n n i n
elle i n pi i", iir e-talara 1 i .
senia lr .O; unos i.. i -. i i
la de dfBtes Ful mprad a 'i n
m '1 I! i rfeftii* de Helio n i rador n
i|i i ni o i gar e leva-lo ao refi i ni
ne.-ia praea an Sr. Aoloi Clin ai
peral, rom i-viptorio ra ra da
liera' loa k rali Bracio.
.' i .--a
il, :-.
,
lal-
n. *a-
ira:
i:
T .
n ;. ce-
arroba de algo-
dao em earoc<
em 40 minutos,
on 18 arroba.
por diaou 8 ar
robas de algodc
limpo.
Tasso Irmaos
Vendem no sen armazera ra do
Amorim n. 35,
Licor fino Curacao emi>otijas e meias botijas.
Licores finos sonidos em garrafas com rolbas d
vidro e em lindos frascos.
VinhosCheres.
Santernes.
Chamberlin.
Hermitage.
Borgonbe.
Champagne.
Muscalel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Too.
a-PAezei lagniol.
Vendera-se paimeiras imperiaes, em estado
de serem. transplaotadas: no sitio morado a es-
querda, deppis.do becco do Espinheiro, nos Af-
i nietos
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descarogam 18 arrobas de algodac
limpo, por da; e motores para mover urna, duas
eutns dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machinas
mencionadas ; para o qu|e convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e xamina-Io, no arma-
tem de algodo, no largo da ponte nova n.47.
Saunders Brothers &C.
Vnde-se o depuMio da ra Mona n. 58 e
lambem vende-se s a armsco : a iralar no mes-
mo pois faz-se lodo negocio em viriude de um dos
socios eslar prximo a sahir para fora do imperio.
W. II, praca do
RECIFE.
Os nnicos agentes neste paiz.
Corpo Manto
Bren em barricas peqcenas
Cera em velas de todos os timanbos.
Bogias.
Mercurio.
Na ra do vigario n. 19,
Escravo fgido.
PogiO da Punte de IVIu a em 2 do c. 11
preto eriuulo.de neme Ikjir.uDdo, represenl
le 30 annos, de altura recolar, rtvto du n o,
cal ira ci mprida, barba debaixo do qieixc. ando
a pa>so largo, levon rami>a de chila, ralbas li 'D-
cas, jsqu' la du panno prelo, chapj preto rt j una
e mais una ironxa ronlendn roupa di u- e
lenfol de algodaoriBho. A pao andar vagando do
Rerife, de supir que ,-ipnisse a diref( de
Campia Grande, dVtde natural: anea eaph>
ralo ou del le der noticia, ser wipeoBado, n
largo do Cori i Santo n. 17, Io nadar.
(iitilici''ao de ittf.
A usen tu ii.'se da casa n. 59 da ra do IntfMHtMl
(ouir'ora Coilegiu) no satbado 16 do 11 rr ole n>ei
ue setembiode 1865,0 escn>vopaido den^;;.-' J -
quim, com os >ignaessegnnies : istalura fioiar,
idade 18 a O auno?, sem barba, fes lsrgr?,"v!h
grandes, cabello corrido, com urna eicairi; vtao
e bem vislrel na lesla, paite dos d>c!.- da fri-nle
arruinados, e ccm falla de alguns les indos, sanio
com calca de briro pardo e paleto! torto de paiuo,
mas levon mais roupa branca e de ior, d.uho
astucioso, co.-ioma iutilular-se forro i andar lat-
eado ; f. i escravo do Sr. Guiiherme Frtderico Je
Souza Carvalho, genro do bnado Sr ci mn:eDdador
Manoel Gonc*alves da Silva : roga-e a .-na rapiora
a lodas as autoridades policiaes e a m.;,ii;i,. r ca-
pilo de campo ou oulra pessoa pan i n nono
apprehe-ier se gialifirar com 50, aloi Ji.- ,ls-
pezas de conduccAo, enlregando-o a MM .>e.hor
Miguel Jos Alvea, na casa cima, ou m> sen es-
eriptorio na mi da Cruz ca-a o. 19.
Framcisco Jos Germano
HIA mVh N. 22,
primeiro andar.
Vendem-se quatro burras mulo mansas, boas
de carga e de sella, por preo commodo : a tratar
no hotel de Franga.
O castello de Grasville.
Tradazide do franeei por 1. J. G. da Crnt.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 3500C
aa praga da Independencia, livraria ns.
I e8.

i II FfVFI V
Fugio no dia 17 do inez passado ,. n.r.:ato
Vicente, de 4" annos de idadp, alto. marnt
los annellados, barba rapada, rosio eaoaofvdo e .lis-
caroado, pea grandes e costoma andar de alper-
galas, levou camisa e calca de algodao brain'o. inl-
ga-se 1er seguido para o serlo de Pianc. donde
liho : roga-se s aotoridade policiaes e oopMoi do
campos que o apprehendam e levem a -ua oho-
icaba de receher um lindo e magnifico sor- ra Francisca Senhorinha de Mendonga Piulo, na
limento de Otulos, lunetOS, binculos, do ul-' m do Mondego o. 61, que sera' gcoeusamente
timo e mais apurado posto da Europa e ocn- recompensado.
los de alcance para observacoes e para os: So dia 20 de seienbro prximo patsad fu-
marilimos. gio do engenho Terra-preta, do abaixo a^ignao, o
----------1------------________^_ eseravo Juliao, crioulo, de altora repnlar. iraayo,
de 30 annos de idade, pouea barba, tem os i < bem
feitos e percas, muito fallante, al se faz uco,
tem o dedo polegar de urna mo cabido para den-
tro, anda com urna carta fechada, do lente coro-
nel Amaro Gomes da Cunha, apadrinhand o, i.an-
ca foi surrado este escravo, foi ba muito comprada
... i a Pocha Lima e Guiroares : quem o pegar leve o
Vende-se nscadmho francez a 200 rs. o covado,' mesmo engenho ou oo Recife a' ra da Roda a'
por ter grande quaulidade, esla-se acabando : na j Alexandre Correia da C. Jnior, que sera bem ro-
ma da Imperatrii u. 52, loja da porta larga, de compensado.
Paredes Porta 1 Alexandre Correia de Castro.
I*ec hincha
ti
<*



Diario de Peraambnco Qunria efra 8 de \"ovembro de iSSft-
LITT
t a
A Punigaodrama do Di: Pinheiro Guimaraes
Sra U. Adelaide do Amaral.
Nao dosso proposito fazer a aalyse do drama
Punigoera mesmo urna apreciago por mais
rpida e succinta que scja.
O drama bastaule couhecido do publico, e,
klm da falta de lempo, nao nos sobeja bastante
ari jo para mllennos o escapeilo da critica n'uma
ijj Lella e importante eomposigo, que lem sido
admirada pelos nossos mais disliuctus o eminentes
voltos litterarios.
O uosso nico intuito fallar sobre a exeeuco
mimoso trabalbo pela Sra. D. Adelaide do
Amaral, para quem o autor escreveu o interessan-
,e e difQcil papel de Julia.
O medico desanima; dizendo-lbe, que o mal nesta cidade, composta dos Srs. Edmond Bercbon
bastante grave. des Essarts, cidado francez, e Joo Jorge Payett,
Ella cabe aniquilada, mas depois do soccorro da | natn^l la Allemanha, lendo faltado o Sr. Antonio
' Joaqnim Peireira Coimbra, Portuguez, por imped-
medicina, recobra os sentidos, e o doutor consola-a
dizendo-lhe que o mal era grave, mas nao incura-
vel.
Neste interior apparece o vigario, que vera re-
ceber a derradeira confisslo de Augusto, e ella, a
triste, ludo comprehende.
Oh irapossivel descrever o que se passa na
l liy>ionoma da grando artista I nu se pode des-
crever, porque a Jpr sincera e real, esse senti-
inento profundo que se revela as occasies su-
premas, pode ser observado, comprebendido sen-
tido, mas no descrpio; e o que a Sra. u. Adelai-
de senta era urna dr sincera e real, pirque se
bavia inteiramenle idenliGcado com o papel, que
reprsenla va.
Quando ella diz ao vigario : Padre, o senhor
Julia a menina lerna, ingenua e extremosa, menlia quando me ensnava, que havia nm Deus
mas pobre ( grande falta imprdoavel na nossa so- de jaBtJea e de bondade... e que entra naquelle
ciedade I) que ama ardentemente a Augusto, liiho doloroso deliro, estremecem todas as Obras do co-
do comraendador Castro. Este ama-a tambera do'rago dos espectadores, e lodos soerguem-se invo-
mesrao modo, e quer completar a sua felicidade, uutariameote.
unindo os seus deslios aos della. Para isto implo-: a cada gargalhada convulsa correspondem ou-
ra o consentiraento do pai, mas nao o obtem. En-' tras tantas contraeges nervosas da parte dos es-
lo procura fugir com Julia para um lugar ond* pertadores.
possatn realisar os seus desejos. | E' admiravel, incrivel mesmo, para quem ainda
Julia tem de hilar; de um lado grita-lhe a cous- cao vio a Sra. D. Adelaide, que o drama punigo
cieccia, que ella nao dev abandonar seu pai, tao
bom, lao terno, que s vive por ella, e para ella :
sua ta tao cariuliosa que lite servir de mi;de
pieste-se a tanto.
Na scena em que Julia envenenase, e justifica-
se peracte Augusto, a Sra. D. Adelaide, quando faz
do, sendo o orador o Sr. des Essarts.
Seohor.-Us estrangeiros abaixo-assignados, re-
sidentes nesta cidade de S. Gabriel, participando
de jubilo que enr.he todos os corages, pela vinda
a este logar de V. M. Imperial e de seus augustos
genros, enviara a saudar a Vossa Magestade e suas
altezas os Srs. conde d'Eu, e duque de Saxe.
Os estrangeiros, Augusloo Senhor, desejosos de
dar nova prova de sua adheso e dedicacao pes-
soa do Imperador do Brasil e ao seu goveroo, al-
mejam partilhar de novo das fadigas que lera pe-
sado sobre os poucos e briosos guardas nacionaes
destacados nesta cidade, as circunstancias ex-
cepcionaes em que se acha presentemente esla bel-
la provincia, assim como o fizeram ltimamente
quando se tema a invasao dos blancos, a reconhe-
cendo, Augusto Senhor, que o pequeo numero de
5* Coronel Resquin com ,000 bomens era Mato
Grosso.
6o Esquadra paraguaya, 12 vapores velhos, 6
brigues iguaes, 50 c.noas, tundeada em Coevas.
7 Balaras em Cuevas, Mercs, Empedrado e
Riachuelo, montando 100 petas todas ellas.
8* Pequeos destacamentos em S. Roque, Tra-
queras do Lorelo, SoThorai, etc., etc., ao todo
2,000 bomens.
mi polco o
IODO.
omecar as represen-
No momento em que rao i
tages do tbeatro italiano, jul jarnos dever publicar
a seguinte estatistica, que na3 dcixa de ser inte
ressante :
[ha, reliraram-se d'alli para outros pontos distan-
tes mais de 104:000 pessoas.
Annuncla o Conde de Cawour, jornal que se pu-
blica em Turin, que um engenbeiro de Catanea
acaba de inventar urna machina mu engeuhosa,
por meio da qual resolve o dilkil problema do
motu-continuo, cuja solucao a sciencia havia muito
lempo estudava.
O governo italiano concedeu j ao Sr. Rizzo, in-
ventor, um privilegio por espaco de quinze annos. j
nfle-
eleva-se a 117.
4
17
6
11
8
outro lado falla-lhe o corago cora todas as forgas aqUena extraordinaria discripgo, torua-se subli
de urna paixo vehemente.
Era airoz.
Ella recusa a principio acceder aos desejos de
Augusto; mas este falla-lhe a liuguagem do cora-
cao, do amor; mostra-llie a inconveniencia da re-
me, uansligura-se completamente.
Nao supponhamos tanto.
Esperavamos muito, verdade, mas a Sra. D.
Adelaide fui muito alera da nossa espectativa.
Vimo-la na Dama das Camelias transformada
senlacoes em lingua italiana,
D'este numero, 95 perlencim Italia, e repar
, tem-se pelas seguintes cidade
guardas nacionaes, que actualmente compoe a Ruar-|LorabardJ^..........28 t|)|a(r()s pQr 20 cjda(]es
nicao desta cidade, talvez seja insufBciente para o gar(jeQna 29
servigo, ou o pode tornar muito oneroso i estes ; M ["' \ \ g
os mesmos estrangeiros, Senhor, nos enparregaram Eslaos romanos.....16
de levar ao conhecimento de Vossa Magestade Im- i joxana jq
perial, que esto promptos a auxiliarem a guarda i uca
nacional no servico da policia desta cidade, todas a
as vezes que for, por Vossa Mageslade, ju'gado ''" ,
conveniente, e igualmente assegurar Vossa Ma- ,.,'' ,
geslade, qne elles se julgaro felizes se os seus fra-, Qs outro. 2J es,5o espa|ha( 03 pelQ g,obo
eos servicos forem acceitos por Vossa Magestade, Achamos 6 era Hespanha e
Imperial, a quem muilo respeitam, e a quem de- ^ (res. Qa Grec Qa
sejam longa vida para a ruina dos inimigos do Bra-
sil, e a glora e prosperidade dos subditos de Vossa
Magestade Imperial. ^ em CopeDhague am na
Sua Magestade, com a affabilidade que sempre dam ; um na Allemanha, em
A Corsega continua a ser o paiz dos odios
xiveis e das sanguinosas vendettas.
Urna mulher de 2S annos, chamada Clomentina
Conforti acaba de comparecer perante o tribunal
O numero dos theatros, on< e lem lugar as repre" e pnmeira instancia por ter assasstnado o seu
cusa uaquellas circunstancias, a probabilUlaJe de! em jjarg^rida Gautner, sentindo, como olla senta,
urna separago, que importara, a morte'; eratiin '
ameaca-a, dizendo-lhe que se suicidara se ella
nao o acompanhasse.
fallando, olhando e chorando, como a propria he
_oina de Alexandre Dumas fils.
Dir-se-hia que Margarida fugira da sombra dos
Julia nao resiste, nao pode supportar a idea de I lumu|05 d0 Pre-Lachaise para renovar o drama da
ver o escollado de seu corago matarse; foge com
Angosto.
O commendador Castro, porm, que j tiuha pre-
visto este resultado, e pieparado as cousas irapede
immedialameute a reaiisagao da faga, arrebatando
Jalla a Augusto, lrazendo-a para a casa do pai, e
mandando o liiho para a Europa.
li" este o primeiro acto, que se passa, como os
outros, na fazeuda do Ttirvo, pertencente ao com-
meudador.
A Sra. D. Adelaide trabalha perfeita e admira-
velmeuto ; e, no lira do acto, quaudo diz ao com-
ineiidadoT :
, t O senhor um roo hornera; odeio-o. >
Com eslas poucas palavras, sem adornos, e tao
naturaes, resume urna epopo de sentimentos; ele-
va-se a urna altura a que someute ella pode cae-
garl
Nao nos demoramos na apreciacao do primeiro
acto, isto na parle relativa a exeeugao.
sua vida no palco do Santa Isabel.
A Sra. D. Adelaide a nova Rachel, cingida da
augusta aureola do genio, conquistando todos os
eoraroes, emmudecendo e dominando todas as pla-
teas, que parecer suspensas aos sens labios pela
correte elctrica do senlimento. E' um passo gi-
gantesco, um triumpho magestoso da arte dra-
mtica.
Recife, 5 de novembro de 1865.
BAnnos Campillo.
THEATI10 DA GL'EIUM.
Jomas
dres;
3 na Rjssia ; um na
um em Franca, em Pars; um na Dinamar.
folln Ja, era Aroster-
Vienna ; um na Afrl-
0 Correio Paulistano diz o seguinte :
Como hontera promettemos, damos hoje em re-
sumo as noticias queobtivemos do Sr. capitao Jos
Severino Fernandes, em relacao aquella provincia.
u Sr. baro de Melgaco, como Io vice-presl-
e nem j jeme, assumira no dia 9 de agosto ultimo as redeas
nos demoraremos na do ?ogundo o terceiro acto, i ja administracao provincial. Este facto fra para
por quanto desejamos com ancla chegar ao quarto si Sli basttnle para fazer reuascer no animo dos
aclo do drama.
Mato-grossenses a confiaoca e tranquillidade. A
No segundo acto Julia est casada com o com- excepcao dos ponlos da fronteira ainda oceupados
meodador Caslro, que para levar a sua paixao elo imiug0) iud0 se acbava em paz.
odiosa se havia apoderado da ouica riqueza da po-
bre meninaa honrapor meio da forca e da vio-
lenco.
Esle acto ainda una exposicao.
A Sra. D. Adelaide uesempenha-o maguirica-
mente.
O terceiro acto de um Interesse mais vivo.
Augusto Tolla da Europa, onde hav estado du-
rante cinco annos sera de nada ter noticia, tncon-
tra Julia na casa do pai, e son:ia cora a felicida-
de... mas ah I o desespero vera substituir ale-
gru, a morte a vida I Quando elle entra no conhe-
cimeolo da terrivel verdade, fogn precipitadamente
amaldicoando a todos, e d.spara em si um tiro de
pistola.
A Sra. D. Adelaide moslra ainda desta vez a for-
ca do seu talento arti.-ticoarrebata, c extasa a
platea soraente com estas duas palavras:
e Perdo, .iuguslo.
Mas no quarto acto onde ella apparecj com to-
do o esplendor da belleza do gecio.
Augusto esta moribundo, paludo, abatido, e com
um pulraflo atravessado por unta bala.
Mas ella (Julia) ignora a grav.dde do mal. Es-
l i', i-nada, febricitante, mas anda tem urna es-
peranza.
Separada de Augusto que amaidico-a constante-
mente, ella espera o medico na ante-cainara, e per-
ta-lhe por elle.
FOLHETDI
As foreas da provincia, formando urna divjso
ao mando do lente-coronel Camisao, achavam se
acampadas no Arica, cobrindo a capital pelo lado
de trra ;e no Melgaco estaciooavam os vapores de
guerra Jaur e Corumba que a protegiam pelo rio.
O Cochim estava oceupado pelas foreas expedi-
cionarias deGoyaz, commandadas pelo (enenle-co
ronel Mondes Gumaraes, estando era marcha o
corpo de artilhariad Mato-Grosso, que vinha fazer
junceao com as referidas foreas.
Em sant'Anoa de Parnahyba aeampava o corpo
de cavallaria ao mando do tenente-coronel Das.
Na raesma villa se achara um forte destacamento
da expedicao coronel Drago, o qual marcha de pro
leccao tropa de Ferreira Candido que conduz os
artigos bellicos.
O estado sanitario da provincia era satisfactorio.
Os eeneros alimenticios nao abundavam ; nao
havia porm falta absoluta dos que sao mais ne-
cessarios. O Sr. presidente de Goyaz creara um
deposito de mantiinentos na villa de Sam'Anna de
Parnahyba e outro no Bah, ponto de reunio das
estradas que seguem para Cuyab, Cochim e villa
das Aboboras, com o lira de abastecer a qualquer
expedigo que marchasse por aquellas estradas.
Le se no Echo Grabrieileme :
Eis a felicitacao que foi dirigida a S. M. o Impe-
rador, pela commissso dos estrangeiros residentes
Portugal ( s Madrid
Turqua e as ilhas
Inglaterra, em Lon-
onlanhas que de S.
meio dia, sob a de-
Um jornal americano infori a-nos que foram re-
centemente descobertas nun erosas nascentes de
petrleo na cordilhera de rr
Francisco se estendem para c
nominacjlo de Monles Gobiliauos.
As nascentes mais importantes achara-se no con-
dado de Santa Clara, nao longe de Gilroy. Foram
descobertas nos terrenos de i ma fazenda, distante
cinco miihas da estrada que de San Joan val a
Monterey.
As nascentes achara-se de i
fundo desfiladciro, em cujo
tributario do Panjaro.
Os pendios do desfiladeiro
valhos e de urna luxuriante
ca em distancia, os veos d
sna variada natureza.
E' as mmediagSes d'este.j
tes deixara surdir o petrleo
A trra, as pedras, tudo e
Sahe era geral cora a consist
lentamente. Todava, preci uta-se com forga, de
caracterisou o monarcha brasileiro, agradeceu cor- ca, era Argel; e um na
dealmeote a manifestado dos estrangeiros, pedin- neiro.
do ao Sr. des Essaris, o abaixo assignado com o : Escusado mencionarmo:
qual ficou depois de o ter lido. d'estes theatros sao exclusiva
O Sr. des Essarts dirigindose no mesmo acto representa^o de operas.
Sua Alleza o Sr. conde d'Eu expressou-se uestes
termos :
Prlnce.Les sujts frangais domicilies en cette
ville de Saint Gabriel, n'ont pas oublii qne votre
Altesse fait parlie de la grande familia francaise,
et je suis heureux, Prince, de pouvois vous assurer
en leur nom, qu'ils prendront toujours une par
tres active dans tout ce qui pourra vous arriver
d'heureux dans votre nouvelle patrie.
Sua Alleza recebeu cora prazer esta demonstra-
gao dos francezes, e respondeu uestes termos:
Je remercie cordealment les frangais de Saint
Gabriel, la preuve de simpathiequi m'est teraoigne
par vous et j vous prie, Mr. des Essarts d'lre
moa interprete pros deux pour leur exprimer mes
remerciraents.
Segundo um jornal do Rio da Prata, eis a posi-
gia dos beligerantes em 11 de outubro ultimo :
Alliados.
1 General Mitre com o exercito da vanguarda,
eomposto de 10,000 homens e 42 pegas de artilha-
ria no Pago dos Livres.
2o General Castro e coronel Reguera com 2,000
de cavallaria, as Mssoes.
3 General Ozono cora o grande exercito eom-
posto de 20,000 homens, em Mandisobi, (Entre Rios.)
4o General Hamos cora uraa pequea forga no
centro da provincia de Corrientes.
5o General Caceras com alguns corpos de caval-
laria irregular, perto de Goya.
6o General Urquiza com cerca de 5,000 homens
na Concordia.
7 General Lpez Jordo, cruzando Entre-Rus
com perto de 3,000 homens.
8o Geueraes Flores e Pauoero com 6,000 homens
na vanguarda do general Mitre.
9* General baro de Porto-Alegre com 8,000
Brasileiros em Uruguayana, a sahir gara as Ms-
soes.
10 Coronel Dias com 800 soldados, a partir do
Rozarlo.
11 Um novo exercito brasileiro de 12,000 ho-
mens em caminho no Rio-Grande para as fron-
teiras.
12 A esquadra brasileira cora 8 navios, fundea-
da no Hincn do Souto, a espera dos encouragados
era viagem.
Paraguayos.
Io Coronel Barrios Cun 5,000 homens sobre o
rio Santa Lucia.
2 General Robles com 15,000 homens, entre
Cuevas e a cidade de Corrientes.
3" Coronel (ignora-se o uome) com 4,000 bomens
em Ytapua, as Missoes.
4 Marechal Lpez com 10,000 homens em Hu-
mayta.
America, no Rio de Ja-
que a maior pane
mente consagrados
amante, Simao Pancrazi, que a Unha abandonado
para tomar relagoes cora a joven Marta Francisca
Lamber U.
Este abandono exasperou vivamente Clemenlina
Conforti, e desde logo manifestou ostensivamente o
designio de matar o seu aoligo amante.
Fizeram-se os pnmeiros proelamos do casamento
entre Pancrazi e a Lamberti.
Clemenlina decidio-se entio a realisar o seu dam-
nado projeclo.
Esperou urna manha, escondida n'um mlaga^
que Pancrazi passasse n'um caminho que costuma-
va pr'rcorrer, quando voltava do trabalho, para lhe
dar ura tiro de pistola na cabega.
O corso, porm, ou por que foi avisado, ou por
qualquer motivo, nao foi para casa por aquella ca-
minho.
Clemenlina desesperada por lhe sahir frustrado
este plano, foi na tarde do mesmo dia fazer nova
espera ao seu amante, mas d'esta vez no proprio
vestbulo da casa que elle habitava.
Eram nove horas quando o infeliz operario trans-
pnnha o limiar da sua casa, quando sentio o pelto
traspassado por urna baila, e ouvio ao mesmo tem-
po a voz da sua amiga amante dizer :
Morre malvado I \
Os desejos da desalmada mulher cumprirara se :
Pancrazi poucas horas sobrevlveu ao ferimenlo.
Clemenlina foi condemnada a dez annos de tra-
balhos forgados.
Ouvio 1er a sua sentenga com o maior sangue
fri do mundo.
Ha das lado estava em grande agitago era ama
propried.He de Wiiney Coori, no Herefordsbire.
O mordomo eslava a limpar amas facas na cos-
nba, quando de repente grilou :
Esl feito I acabouse lado I
Ura creado correu logo a saber o que o mordo-
mo quera dizer cora aquellas palavras, e flcoa as-
sombrado vendo o pobre hornera coberto de sangue.
Aproximou se e pode fcilmente convencerse de
que o rnordomo linha qaatro tacadas no peilo.
Gritou por soccorro, o amo mandn chamar am
medico, e foi levado para o sea quarto o desgraga-
do ferido.
Desdo eotao esta tomado de violenta febre, e o
que elle cunta no seu delirio o seguinte :
Eu estava a limpar urnas faca?, quando che-
gou o demonio e batendo-me no hombro, dis-
se-nie :
Queres ser imraorlal ?
Respond que era o que mais desejava.
Pois ento da' em li quatro facada;.
Foi o que eu fiz, e agora sou iramorlal; qaem
se chegar para mira, raato-o.
Foi preciso prende-lo de ps e mos, e receiTse
que o pobre rapaz v mais cedo do que peosa es-
tudar era outro mundo a questo da immortali-
dade.
ada lado de am pro-
eilo corre um riacho
|s5o cobertos de car-
egetagao. De dlstan-
pedreira revelara a
veos que as nasecn-
superficie.
t emnebido de oleo,
aucia do melago, mu
algumas nascentas. Traz
perlicie do solo urna material
mui seraelhante aosebo, e qne vem a ser parafina
natural, substancia empreg da para o fabrico da
stearina.
As cavidades d'onde emaha
quentemente passagera a ga
corobusio a simples appro
phoro provoca.
O oleo puro extrahido de
leva para fra da nascente,
mui viva, e derrama pouco
Nos arredores de alguma:
cima da agua que o
arde dando urna luz
heiro.
nascentes, Qzerara-se
excavagoes de dous al quai *o ps de fundo, com o
0DEMONIO D0J060
POR
HENRIQUE CONSCIENCE.
XIII
(Conclusao.)
Eram seis horas da manbaa.
O esplendor do da e a aitura do sol no co se-
reno aquella hora matinal mdicavam que a quenle
eslago do esto linha substituido o deleitoso mez
de ruaio.
Em Antuerpia devia haver, sem duvida, nesse
dia alguma solemnidade ou festa; porque os habi-
tantes do campo afluiam a' cidade por todas as
portas. As ras estavara cheias de gente de todas
as idades, que, conversando e rindo, corriam para
o centro da cidade, como se la' a esperasse alegre
e magnilico espectculo. Mas era principalmente
pela porta de Borgerhout que os habitantes dos
populosos arrabaldes e das aldeas visinhas se pre-
cipiiavam na cidade como urna torrente. Nessa
estrella passagem era s vezes to grande a agglo-
merago, que nao faltavam mulheres e criangas em
risco de serem esmagadas.
Mas ninguem pareca fazer caso dos gritos dos
atropellados; todos conlinuavam o seu caminho
com pressa febril, sem olharem para traz nem para
os lados, at ao lim da primeira ra comprida :
mas ura ajuntamento extraordinario de novo veio
despertar de repente a curiosidade de todos.
Em frente da casa do Sr. Vn de Werve estava
um magote compacto de burgaezes, que pareelara
esperar Impacientes, olhando sempre para o porlo
aberio de par em par. Por cerlo sentimeoto de
respeito, nao faziam ruido, fallando apenas a meia
voz do que a haver, e abriam passagem todas as
vezes que alguma pessoa notavel se aprsenla va
para entrar.
Devia ser bem atlractivo o que levava grande
quaniidade de gente para o centro da cidade, por-
que a maior parte nao suspenda a sua marcha e
nem ao menos voltava a cabega, Alguns aproxi-
mavam-se do ajuntamento, e depois de saberem
que c a menina Van de Werve ia partir para a
Italia >, conlinuavam o sea caminho como se o es-
pectculo dessa partida nao Ibes offerecesse bs-
tanle interesse para contrapesar um bom lugar em
espectculo mais vistoso.
Entretanto alguns nao iam avante e tralavam de
saber mais miudamente o verdadeiro motivo desse
concurso de povo naquelle lagar.
Um velho aldeo de cabellos grizalbos, depois
de ter Intilmente prestado ouvidos algum lempo
s conversas dos burgueze?, avistou entre a turba
um homem da sua aldea que havia alguns annos
que resida na cidade, ao p da igreja de S. Thiago,
e que, por consegrante, devia saber raelhor do que
os outros o que se passava em casa do Sr. Van de
Werve.
Acotovellando os outros, abri passagem at
chegar ao seu amigo, bateu-lhe no hombro e
disse :
Que ha aqui, mestre Joao, para se ajuntar;
assim tanta gente ? Parece que ouvi dizer que a
menina Van de Werve vai para a Italia...
Mestre Estevo, disse o outro, agora chama-
se Sra. Deodali.
Ento casou ? As cantigas de lamentagao de |
Simo Turcn, que ouvi cantar na sexta-feiFa pas-
sada, fallara de urna formosa menina...
Parece que a nossa aldea, mestre Estevao,
fica la' para o cabo do mundo. Nao ha ninguem I
era Antuerpia, nem mesmo as criangas, que nao
naba abencoado e festejado este casamento como
urna prova bem sensivel dajustiga de Deus...
Com effeito, amigo Joao, como dlzem as taes
cantigas, visivel que o Senhor vingou a virtudee
poni o crime. O rallador morre da morte mais
espantosa, e a victima casa com a mais nobre e
mais rica herdeira qu9 ha em todo o raarquezado.
Conhece-a, mestre Joao?
Se a conheco I Ella passa duas vezes em ca-
da dia a' minha porta para a igreja. Demais, soa
o padeiro da casa e tenho tldo muitas vezes occa-
sio de fallar-lbe.
Bem quizra v-la, disse o velbo, mas nao
tenbo tempo para esperar, porque ebegaria tarde
a' praga grande.
Ai, la' por isso nao tenha pressa, mestre
Joao, porque antes de urna bora nao satura' da
priso o carro do algoz.
O velho parecen hesitar acerca do que devia fa-
zer e perguntou :
Mas tem a certeza de que ella vai ja' em-
bora?
Nao larda nada; la' dentro todo pressa e o
Sr. Van de Werve quer estar fra da cidade antes
que o algoz comece a sua obra.
E bem para admirar, tornon o aldeo. Por-
que esperou elle at hoje T No sea lugar, ja' ha
muito tempo que eu teria partido.
E' mais ama prova da intervengan de Deus
nestes terriveis acontencimentos, respondeu mestre
Joao. Ha olto dias que esta' prompto para sabir o
navio em que bao de ir para a Italia. O vento tem
estado sempre invariavelmenie do sudoeste; s
esta noite que viroa para leste e fez posslvel a
; partida; mas agora a mar esta' alta e comecara'.
a descer justamente a' hora em que ha de morrer
! o assassino. Bem v que Deus que quer que o
Sr. Van de Werve esteja aqui at que seja plena
mente satisfeita a sua vinganga omnipotente.
E ella vai para a Italia para sempre?
Nao, urna viagem de noivado. Vollara' ao
cabo de um anno, quando tiver um pouco esqueci-
do, na rica e bella Italia, a perdia e a crueldade
de Simo Turchi... Aliaste, mestre Estevo, altas-
te I Parece-me que elles veeni ahi.
Do seio da muliido ergueu-se alegre acclama-
go e todos se chegaram para a porta para verera
de perto a Sra. Deodali. Us que nao a conheciam
queriam ver uraa vez a nobre senhora cojo nome
andava casado a' sangrenta historia de Simo Tur-
chi, e que todos louvavam como modelo de virtde,
de fervente devogo e de belleza ideal. Os vizi-
nhos e conhecidos estavara ahi reunidos para ain-
da urna vez a saudarem, para lhe dizerem respei-
toso e cordial adeus, e para lhe manifestarem o
desejo de que lizesse urna viagem feliz.
Maria, pela mo de seu marido, appareceu a'
porta. Logo que a viram os burguezes, saturara
de todas as boceas tongas acclaraages ; os chapeos
e as mos agilavam-se no ar, que se enchia de
brados alegres, e todos atrepella vara un> aos outros
para poderera deitar ura olhar s anglicas feigdes
da formosa senhora e ao rosto de seu esposo cheio
de nobreza e distinego, de seu esposo to milagro-
samente livre das garras do seu cruel inimigo, Si-
mo Turchi.
O Sr. Van de Werve ia ao lado de sua fllha e o
velho eodau ao lado de seu querido sobrinho Ge-
rnimo. Seguiam-se dous irmos casados de Ma-
ria, e grande numero de parantes e amigos de seu
pai, assim como alguns Italianos, Hespanhes e
Portuguezes que queriam acompanhar o sea amigo
Gernimo al a' praia do Escalda.
Quando Maria ouvio as bengos e as festivas ac-
claraages do povo, quando vio filos nella railhares
de olhos, radiosos de enthusiasmo e amor, vivo
'. rubor lhe subi s faces e comraovida abaixou os
olhos. Mas, erguendo logo a cabega, volveu a' mui-
tido alegre um olbar cheio de atfecto e de reco-
nheciraento, que, por inexplicavel impresso, dea
abalo a todos os coragoes e fez erguer as acclaraa-
ges com mais enthusiasmo.
A um signal do Sr. Van de Werve, a turba res-
peitosa abrise em duas alas, e apressado sahio
: para a ra todo o cortejo de prenles e amigos.
Atraz delles fechou-se a muliido, repetiudo sem
cessar as acclamagoes.
Em toda a parte onde passavam o noivos, sa-
hiam a' pressa os babiatnles de suas casas, e tes-
temunhavaru ruidosamente o respeito e affeigia qae
linham aos que o co liaba to raauifesiamente pro-
tegido.
A ida desde casa at o Escalda asser.ielhava-se a
um verdadeiro triumpho.
tira de arrecadar o oleo de p
as, porm, o oleo, menos pe i
superficie. Se nao ret -ado immediatamente,
endurece, e, lornando-se ei
da se no pogo ou excavago
Forma ento uraa especie d
tente, que extrahido e molido em barris,
ser depois expedido.
Mais (arde, subraettido
rifica e lhe permitte para a
Exislem acola nascentes
galoes de oleo por dia, e co
dem-se encher 20 ou 30 bar
vinte e quatro horas.
Depois da invaso do cho
reqnenleraeute su-
gordurenla globulosa
o oleo abrera fre-
es Inflamraaves, cuja
imago de ura phos-
Consla telegraphicamente que o banco de Lon-
dres elevara o descont de 6 a 7 por cenio.
Tem sido extraordinaria a rapidez com que lem
subido o descont no primeiro mercado monetario
da Europa, o que denota urna escassez sensivel de
numerario.
Lomos n'um jornal hespanhol que no hospital de
alienados era Valladolid se vai estabelecer uraa
classe de escripta e leitura e outra de dezenho,
cora o fim de proporcionar aos alienados distraego
e instruego se possivel e talvez como elemento
de cura.
Conla o linio amarello que sahio do Havre para
a America um navio que levava urna companbia
lyrica para Nova Orleans.
Ura dia, era uraa interinltencia de enjo marti-
mo, acharara-se juntos cinco cantores no cunvez, e
pozeram-se a experimentar o eslado da voz.
Eram cinco tenores.
Que isio 1 cinco tenores na companhia I
gritaram elles furiosos, comndo logo a entender-
se cora o empresario.
E gritou cada um delles ao empresario :
E' urna infamia I urna traigao I O senhor
tinha-rae prometiido debaixo de sua pala/ra de
honra que seria o nico t -mor da companhia.
Meus senhores, respoudeu o empresario, so-
ceguera ; podem contar cora a minha lealdade. Ora
olhera : nos primeiros oilo dias da nossa residen-
cia em Nova Orleans, dous dos senhores morrem
da febre amarella, e durante os ensaio morrem
mais dous; o que escapar fica sendo o meu tenor
nico e sem rival. Dou Ihes a minha palavra de
honia.
troteo ; a agua enche-
ado que a agna, sobe
to mais pesado, afun-
e acaba por enche-lo.
alcatro mui cnsis-
para
i distillago, que o pu-
uminago.
jue produzem muito?
oo sao numerosas, po-
is, no curto espago de
A Poste do Nord annuncia que o occnllsla persa
MirzaAbbas Hadji-Houssein, que est actualmen-
te em Moscoro, tendo recebdo do chefe do hospi-
cio militar aautcrisago para visitar os soldados
cegos que havia no dito eslabelecimento, empre-
hendeu a cura de 14, operando-os to hbilmente
que todos os 14 recuperaram a vista.
Lord Palmerston, restabelecldo de um recente
ataque de gota, recuperou, segundo dizem as ga-
zetas nglezas, todo o seu vigor physico e moral.
era-morbus em Marse-
Escrevera de Florenga que o principe Humberto
passar o invern em aples, onde ter urna cor-
te esplendida como no tempo dos Bourbons.
Depois dos correspondentes de varios jornaes es
rangeiros terem casado aquella principe com a
princeza Anna Mural primeiro, com a infanta Isa-
bel de Hespanha depois, espalhou-se o boato de
que na sua viagem Inglaterra se havia apaixo-
nado pela princeza Margarida, filha do duque de
Nemours, a qual conla dezesele primaveras; po-
era Vctor Emmanuel nao poderia, em presenga
das suas actuaes relagoes com a dynastia napole-
nica, consentir no matrimonio de seu filho com
urna princeza da casa de Orleans.
Na povoago hespanhola de Belchite, celebraram-
se no dia 2 do corrente solemnes exequias pelo Sr.
liuiz Pons, fallecido ha cerca de dous mezes no
Porto. Assisram a esta ceremonia muitos amigos
do finado demcrata.
Morreu ha poucos dias em Gandersdorf, perto da
capital da Austria, um velho de oitenta e um an-
nos, que deixou perto de meio milho de florins
em bom metal e 150:000 florins em outro? va-
lores.
Tinha vivido de urna renda de 400 fbrins, dos
quaes, seguudo os seus livrosdeassento de despe-
zas, poupava cada auno 100 a 150.
Nenhum prente tnha licenga para o ir visitar
e o seu testamento, feito em agosto de 1855, nao
contera nenhuma disposlgo em favor de prenles ;
o Santo Padre que instituido legatario univer-
sal cora a condicao de rezar pessoalmente pela al-
ma do tinado.
Tambera ordenu que as suas exequias se ven-
ficassem segundo a ultima clausula da tarifa de
enterraraentos, e que lhe pozessem na sepultura
urna cruz velha de madeira que elle linha em
casa.
Os berdeiros oppO se a' validade do testamento
por nao ter a assigualura do testador nem de teste-
munhas.
Parece que os ratos sao amigos de cerveja.
Ha das ura labemeiro de Londres, abnnde pela
manha as portas do seu eslabelecimento, viu no
mostrador dois ratos que se agitavam em dansas
fantsticas.
Ao p delles havia urna medida de cerveja meio
vazia, lendo-a o labemeiro deixado ficar cheia.
Os ratos estavam comeMimente embriagados ;
linham as caudas era espiral, os olhos espantados,
e todos os seus movimenlos erara irregulares.
Nao lardou que tivessem convalides ; davam
saltos prodigiosos e por fim morreram deitadts de
costas.
O Sr. Van de Werve, ac
monstrages de respeito, n<
mente movido desse acolhin
lados com serena cortezla.
O velho Deodali, pelo con
istumado a essas de-
o pareca particular-
enlo. Saudava para os
rario, estava altamen-
te abalado. Andando de or inario ura pouco cur
vado, nessa occasio ergua
go. Pareca remogado; mei 50 sorriso lhe volitava
a cabega com alvoro-
de todos para Gero-
:Sou seu segundo
na da sua encanta-
:crela alegra o fazia
} que dava o appro-
ia, da Italia, onde ia
prenles, com a mais
panhia que Deus lhe
Que go-
nos labios e altrahia os olho
nimo como se quizesse dize
pai e seu lio.
A mo de Gernimo trem
dora esposa ; o coragj bal a-lhe apressado, e no
rosto radiava-lhe a alegra do corago e a felicidade
da alma.
De lempos a lempos volv a os olhos cora singu-
lar attenco para Maria e s
ento estremecer. Cada pas
ximava da sua querida pal
apparecer aos seus amigos e
formosa e mau amavel con
dera.
Como a sua vida seria deleitosa e feliz
so o de respirar o ar perfumado da ierra natal, de
correr com Maria os seus val es e collinas, de ad-
mirar a sua esplendida natureza, e no cirao das
suas magestosas mootanhas erguer para Deus as
mos e dar-lhe gragas pela su a bondade I
Anda ia absorto na contem ilago da felicidade
que o futuro lhe promeltia qa: ndo o cortejo passoa
a porta do Estaleiro e chegou 10 caes.
Gernimo solloa de repeate
No meio do Escalda estava a
empavezada de rail cores, e, cJ
vio sentlsse que precioso tbeso ro a Neerlandia ia
entregar-lhe, balangava-se e agiiava-se impaciente
ao sopro de vento favoravel.
Alguns manuheiros estavam iccapados a levan-
tar ferro; ouvia-se ao caes o ra ger accelerado do
cabrestante. O resto da raariu tagern estava as
vergas e nos cabos, ag tando os
do ao ar o enrgico grito de bo
Uenvenntol benvenuto
ora I t
Ao mesmo tempo cinco ou sei.l tiros de pega tro
vejaram nos flancos de // Salvatltre; a solemne de-
tonagao proloogou-se em longos ecos sobre a su-
perficie do rio.
A muliido respondeu da pra a com acclama-
goes iras .fias repetidas, e o ult rao coar dos ca-
nhes foi eonfundir-se com os vi as nos caes e nos
navios.
Entretanto, abragos de despedidas se trocavam
a' belra do Escalda eotre amigos je prenles. Nd
falla va qaem ehorasse balbaciando am adeus. Ma-
na ainda devia estar mais compovida do que os
outros, porque chorava abundantemente quan-
m grito de alegra,
galera // Salvatore,
mo se o pesado na-
chapeos e erguen-
vinda:
. Viva nostra sig-
do inquieto beijo lhe pousaram na fronte seus ir-
! mos. .
Gernimo tmha->o contido at ahi. Brilhavam-
Ihe os olhos e bem se va que estavara arrazados
de lagrimas, mas elle sabia sofTrea-las.
A alera tinha coludo o ferro; primeiro as ve-
las bambolearan), mas logo lomaran) o vento e ar-
quearara-se em graciosas curvas. O navio descia
magestosameote o rio com a mar.
Van de Werve, Deodati e os dous esposos entra-
I rara na barca que os esperava. A aia tomou as-
' sent ao lado de seus amos. Houve a ultima des-
pedida e os oilo remos cortaran) ao mesmo tempo
a agua. A barca impedida pelos robustos bragos
' dos marinbe Iros, sulcou o rio, fazendo escumar as
aguas.
Ento corr eram lagrimas pelas faces de Geronl-
j mo. Cingo com os bragos o pescogode seu lio e
1 exclamou alvorogado:
Meu querida to, meo bom pai... a Italia 1 a
Italia I
E erguendo os olhos para o co, disse cheio do
sentimenlo de gralido :
Bemdito sejas, meu Deus, por todos os soffri-
! memos que rae dste ; beradito sejas pela tua in-
finita bondade 1 Aprouve-te dar-ra'a por esposa ;
1 vai ser minha companheira na minba patria bem
amada. Gragas, mil gragas por todos os vossos
beneficios I
Quando estas palavras lhe saturara dos labios
chegava a' galera a barca. Desceu-se urna escada
e todos ajudados pelos raannheiros, subiram para
o convez.
O piloto deu um signal, todas as velas se solta-
ran), o navio hesitou um momento como se proco-
rasse o vento, e depois corlou rpidamente c rio
magestoso.
Outra vez alguns tiros de pega rebombaram nos
flancos da embarcaco, e o povo que cobria os caes
i e os outros navios responderam a essa saudago
do canho cora acclaraages que se prolongaran)
i al que desappareceu a galera por deiraz do molbe
de Flandres...
Como se cada espectador tivesse sido ento ani-
mado por igual pensamenlo, toda a muliido se
v. itou para traz, escoou-se por todas as portas do
Escalda e sabidas do Estaleiro, e deitou a correr a
pressa para o interior da cidade.
A torrete de povo que acabava de deixar to
precipitada os caes chegou breve a' praga grande,
mas achoa essa praga e as ras visinhas to ata-
Ihadas de gente, que nao bavia meio de airavessar
essa muliido compacta.
A vasta praga que se eslende defronte da casa
da cmara estava cubera, a lodo o alcance da vis-
la, por um mar de cabegas; todas as janellas esta-
vam cheias de mulheres e criangas; os tectos e
as goleiras eslavam enxaraeados de curiosos, as
balaustradas de ferro dos pocos pareca que iam
vergar debaixo do peso dos rapazes que se agarra-
vara a ellas.
Cora ludo, bavia|silencio. Nenhora rumor se des-
tacava do eurdo murmurar desses railhares de bo-
mens, senao o dobre fnebre do sino a finados qae
dava ao ar ura a um os seus sons lamentosos, 4 as
vezes tamben) ura grito de angustia, to pangeate,
lo horroroso qne fazia estremecer e em pal I Me-
cer os espectadores aioda mais do qae o dobre fu-
nerario.
Todos os olhos estavam vollados para o paco mu-
oicipal e ti'.os em um ponto defronle desse edificio
d'onde se ergua espessa nuvem de foroo revolotean-
do ao ar, e onde sahia de urna fogueira o sioistro
bradar de angustia.
O que nesse dia se passava na orara grande,
contado da seguinte maneira por M meo Bandeilo,
bispo de Agen, que viva nessa 'pocha, e falla co-
mo testemunha de vista :
t No dia marcado, Simo Turchi foi irwitido na
tal cadeira de bragos e levado em ara carro pelas
ras de Antuerpia, acompanhado sempre por ira
bom sacerdote que nao poupava exortagoes. Qoaa-
do chegaram a praga grande, a cadeira fot apeada
do carro juntamente com Simo. Os algozes aeea-
deram ento urna fogueira pequea que de leanjws
a terapos avivavara com lenha, mas de Bastir
que o calor nao fosse muilo forte, e s o taflriea-
le para assar de vagar o desgracado Turchi. O re-
ligioso estava lo perto delle quanto Ih'o perniUia
o calor, e dizla-lhe repetidas vezes :
t E' chegada a hora de arrepender se.
c E o paciente responda :
< Sim, mea padre.
t Pelo menos era o que se poda jalgar pelo ex-
terior.
c Simo Turchi mostrara grande
lo, mulla pacieocia, e entregava-se
morte cruel e infamante qne o esperava. Qma\>
se vio qae tinha sollado o espirito, pegaram ao car-
po meio queimado antes qae chegasse a atta sw
nao poder ser reconhecido, e levaram-no para fra
da cidade onde foi amarrado a um poste eoea sana
cadeia de ferro, e pozeram-lbe ao lado panial
com qae linha ferido o jorea Deodali. O posta foi
basteado a' belra de um caminho publico para
todos poder ser risto, e para servir
como marca de infamia e eastigo do cruel;
nato.
ra.
PERNAMBUCO 1KP. DB M. t DI F. A HU
II
rr\/Fi \


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EFHD0M8XP_7JFNFN INGEST_TIME 2013-08-27T20:57:07Z PACKAGE AA00011611_10813
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES