Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10810


This item is only available as the following downloads:


Full Text
kliU LI. fiMEBO 253
Per qoartel pago dentro de 10 das do i," mez ...vi
dem depois dos 1.' 10 dias do coniecoe dentro do fitrtftl. .
Porte o correio por tres nezes .,,,...,.,,,:
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Pnratiyha, o Sr. Antonio Al-n'nrtrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva ; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga ; Cear, O Sr. J. Jos de
Oiiveira ; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. G-raldo AriMiiin Alves &
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falco Dias; Bahia, o
Sr. Jos Martin* Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacoes da fia frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Boiqoe, S. liento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pod'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueo e Ex, as quartas
feiras.
Serinbaem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta Pimenteros, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relaco: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas as II horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara de civel: t srcas e sexta ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbade-s a
hora da tarde.
EPHEMBR1DES DO MEZ DE N0VEMBR9-.
8 La clieia as 5 h., 43 m
10 Quarto ming. a :t h., 2o
18 La nova as 8 h., 40 m.
26 Quarto cresc. aos 38 m.
e 28 s. da rn.
kn. e 52 s. da m.
i 22 s. da m.
i 22 s. da m.
PAUTE 9FFICIAL
GOYKRNO IA PROVINCIA.
Expedienta do dia 31 de ouitibro de I silo.
Ollieio ao Exm. desembargador provedor da San
viment do almoxarifado de marinha. convindo I
que o mesmo conselho remella a Ibesooraria de
fazenda copias dos termos que assignar cada nm .
'. do vendedores de taes objeclos.Commuoicou se
a thesouraria de fazenda.
Dito ao alferes Manoel Jordo de Vasconcellos. -
I Mandei alistar no 6 corpo de voluntarios da patria
a /anuario Guedes de Lyra, a que se refere o seu
offlcio de hontem datado,
ta Casa de Misericordia. Em vista do que pede Portara.O presidente da provincia tendo em
uo requerimeuto junto a finta F.orentina Galdina vista o olflcio do commandante superior da guarda
de lesus, mande V. Exc. admiltir seno houver in nacional do- municipios dos. Brejo e Cimbres, de ,
-conveniente no eollegio das orphaas as duas me- 19 deste mez, do qual consta que o capito do ba-
nores Maria e Rita, tilhas da mesma fin va, a qual talho n. 38 de infantarii do 2* daquelles munici
pelo seu estado de desvalimenio digna do bene- po, Antonio Francisco de Albuquerque, abri a I
ticiu da Santa Casa. pristo em que eslavam 2 guardas designados para
Dito'ai) marechal commandante das armas.: o servieo da guerra, e soltou os na ausencia do
Faca V. Exc. eliminar do servieo da guerra para : inspector do-Olho d'Agua,que os havia prendido,
que fora designado o guarda do batallio n. 23 do (resolve suspender do exercicio do poste o referido
municipio de Santo Ailo, Antonio Severino de capitao nos termos do ari. 63 da lei n. 602 de 19
Oiiveira, visto ser visivelmeute enfermo segundo a: de setembro de 1830, e determina que soja elle sub-
informaQflo do commandante interino d'aquelle! metlido a conselho de disciplina como incurso as
batalbao, a que se refere a do respectivo comman-' penas do i I do art. 97 combinado com o art. 98
danta superior de 23 do cadente mez. I da mesma lei.
Dito ao mesmo.Maude V. Exc. alistar no 6., Dita.O presidente da provincia attendendo a
corpo de voluntarios da patria a Januario Guedes' que o tenente Hermino Egydio de Figueiredo dei-
de Lyra, apresentado por Manoel Jordo de Vas- ( xou de seguir para o sul com o Io baialhao da
coucllos. i guarda nacional destinado a guerra, resolve que
Dito ao mesmo.Sirva se V. Exc. de mandar continu elle su-penso do exerc.co do poilo e seja
alistar no o" corpo de voluntarios da patria a Joo submetlido a conselho de disciplina, como foi de
Quintino de Fontes Tavlor, Jos do Monte e Faus- terminado por portara de 16 deste mez, ficando
lino Ferrcira da Silva] e no 6o a Flix Feliciano de nenhiim effeito a de 20 do mesmo mez.
Barbosa, o Io apresentado por Jos Xavier de Sou- Dita. -O presidente da provincia resolto nomear
z Fonseca, o 2o pelo capitao Joaquim Marcellino o 2o tenente da companhia de artfices Honorio Do-
Pereira Vianna, o 3o pelo capitao Joaquim Ricardo mingues de Menezes Doria para o lugar de instruc-
Monteiro de Paiva e o ultimo por Manoel de Avi- tor dos menores do arsenal de guerra Fizerara-
la Bruno.
Do ao mesmo.Mande V. Exc. alistar no ;>
corpo de voluntarios da (patria a Antonio Flix de
Barros e Laurentino Jos Vieira, presentados pelo
tenente-coroncl Joo Paulo Ferreira.
Dilo ao mesmo.Srvale V. Exc. de informar a
cerra do que pede do incluso requerimeuta Luu
Augusto Cesar.
Dito ao mesmo.-Sirva-se V. Exc. de maudardar
baixa d) o. corpo d- voluntaiio.- da patria a Ju-
venlino Pollcarpo Alves Lima visto ser menor.
se as Docenarias coramuoicacSes.
Expediente do secretario do governo do dia 31 de
outuliro de 1865.
OfflVio ao inspector o thesouraria de fazenda.
O Exm. Sr. presiden, da provincia manda trans-
niiitir a V. S. as duas inclusas ordens, sendo urna
dothesouro nac* aal sob n. 134 e oulra em dupl-
cala expedida pela reparticao do ajudante general
com o n. 478.
Despachos do ilia 31 de outubro de 186o.
Duo ao mesnio.Sirva-se V. Etc. de mandar re-1 Reguerunenlos.
colher enfermara militar para serem tratados os Bacharel Antonio Salustiano de Abreu .lego.
voluntarios do Piauhv, Malaquias Ferreira dos San- Informe o Sr. Dr. juiz de direito da comarca de
los e Clemente Pireifa da Silva, vindos no vapor Garanhuns.
ss se acham afleelados da va-
Tocantins, os quaes
rila.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Gommunicando 0 Exm. presidente das Alagoas em
ofiVio de 23 do correle, ler expedido as conve-
nientes ordens para que seja realisado pela thesou- mo corpo.
rana d'aquelia provincia, o abono da consignado Jos Norberto Casado Lima.Informe a cmara
Bernardino Jos Leilo.Informe o Sr. inspector
da thesouraria provincial.
Firmno Cavalcanti de Mello.Remettido ao Sr,
commandante do corpo de polica para mandar
inspeccionar o supplicante pelo cirurgo do mes-
provlt
de 3050(0 que de seu sold deixa all o lenle do
. corpo de guardas nacionf.es desla provincia,
desuado ao servieo da go>rri Tertuliano Leile de
Menezes, em favor de sua roai; asslm o declaro a
V. 8. para seu conhecunenlo e direccao.
Dito ao mesmo. Nao ha vendo inconveniente
maude V. S. pagar ao gerente da ompanhia Per i
nambucana, como solicitan este em offlcio de hoje,!
a (|uanlia de 11:1664666 rs., relativa ao corrente
mez, e cora a qual o governo imperial auxilia men-1
salmente aquella companhia que segundo consta
do predito offlcio cumpno com o seu contrato du-
rante este mez.
Dito ao mesmo.Attendendo ao que me solici-
tou o Exm. presidente das Alagoas em offlcio de
25 do corrente, recen mendo V. S. que quando
liver de remetier para all o saldo provenieole da
arrecadacao das raudas d'aquelia provincia, seja
semelhanie remessa feia em notas do governo e
nao oa caixa filial do Bauco do Brasil nesla ca-
pital, fisto nao tt-rem estas o curso legal as es-
lacoes publicas da predita provincia. Coinmuni-
ou se ao Exm. [presidente das Alagoas.
Dito ao mesmo.Remello a V. S. para seu co
nheeimento e lim conveniente o incluso requeri-
meuto, em que o eontra-mestre da officina de car-
piuteiro do arsenal de marinha, Francisco Jos d
Costa declara fazer
capitao em commissao do o." corpo
muoiciiial da villa de Agua Preta.
Jos Luiz da Costa Azevedo.Iudefendo.
Joaquim Antonio da Silveira.Sim, pagos
direiios nacionaes.
Maria dos Anjos.-Informe o Sr. Dr. Chela
polica.
Rosalina Maria da Conceicao.Iudeferido.
Romo Jos de Carvalho. De-se.
os
de
...... B "-----------
vo\i;il\o do iiibpado :
i"i-:iiv\.uiii to.
SEDE VACASTE.
O Dr. Joaquim Francisco de Faria, coneso hooora- j
no da imperial capella, lente jubilado de theolo-
ga, deao da santa igreja cathedral de Oliuda e ,
vigario capitular da diocese de Pernambnco, se- i
d eprscopali vacante.
A todos os Rvms. conegos e saeerdoles deste bis-
pado saude e paz em o Senhor.
De conformidade com o alvar das ultimas fa- i
culdades de 14 de abril de 1781 concedido relativa-
menta aos concursos e propostas dos beneficios va-1
gos, confirmado pela imperial resoluco de 4 de ,
jnlho de 1820 ; com o decreto de 19 de abril de
1811 e mais orden- impenaes; abro concurso pelo
'ero,p,c-i'',[TeloVTecmntos de presente editalpaia a cadeira de prebenda inteira ,
sso do corpo de voluntarios da cathedral de Olinda, que se acha actualmente,
desla provincia, para que foi naneado por esta pre- vaga pelo fallecimenio do respectivo p.pnBei"J?r:
sidencia.-ComiuolCQ-se ao inspector do arsenal e bem ass.m a resulta da me.a brebenda^ em t r-
de marinha tudc do rtePret0 de 20 de setembro de 18o0. Todos
Dita ao mesmo.-Restilo V. S. a conta em du- os Rvms. conegos e sacerdotes que luiterem con-
plicata que ve.o annexo ao seu oQJcio de 27 do correr, apreseoiem-se dentro de 30 da, cooUOOS
correnta u. 787, ..tim de que manJe pagar sob mi- da hxacuo do presente edital, com os seo requerl-
nha responsabiiidade, visto nao haver crdito para
Manoel Rodrigues Ventura, batalhao n. 14 de
Goyanna.
b-alao More ira da Costa, batalhao n. 52 do
Ex.
Braz Carneiro da Cunha Albuquerque, batalhao
n. 51 do Pao d'Alho.
Bento Moreira de Albuquerque, batalhao n. 36
do Brejo.
Jos Antonio da Gama, batalhao o. 31 de Gara-
nhuns.
Antonio BapUsta de Mello Peixoto, batalhao n.
28 de Garanhuns.
Joao Laurentino Cavalcanti de Albuquerque, ba-
talhao n. 23 de Santo Anto.
Jos Maria Pereira da Cuuha Jnior, batalhao u.
6 do municipio do Recife
Manoel Juvencio Bezerra de Menezes, batalhao
n. 4 do municipio do Recife.
Joo da Costa Nogueira, batalhao n. 51 de Pao
d'Alho.
Joao Moreira da Costa, batalhao n. 52 do Ex.
Alferes.
Jos Jenuino Ferreira, batalhao n. 39 do Cabo.
Pedro Fernandes da Silva, batalhao n. 39 do
Cabo.
Luiz Carlos da Fonseca Pinho, batalhao n. II de
Iguarass.
Hermenegildo das Virgens Lima, batalhao n. 11
de Iguarass.
Henrique de Barros Cavalcanti, batalhao o. 5 do
municipio do Recife. __ i
Antonio Nones Lopes de Barros, batalhao n. 47 (
da Boa-Vista.
Domingos da Silva Saldanha (secretario) bala-
lliao n. 49 da Boa-Vista.
Jos Alves Marinho Falco (secretario), batalhao
n. 3o do Brejo.
Joo Goncalves de Araujo (porta bandeira), ba-
talhao n. 3a do Brejo.
Manoel Antonio da Costa, batalhao n. 45 de liar-
re nos.
Ernesto Emiliano da Silveira Lessa, batalhao n.
46 de Agua Preta
Jos de Maltas Raogel, batalhao n. 46 de Agua
Preta.
Apolinari) Piolo Correa, batalhao u. 28 de Gira
nhuns.
Antonio Lopes Moniz, batalhao n. 27 do Bo-
nito.
Peregrino de Souza.Magalbe*, batalhao n. 27 do
Bonito.
Leocadio Alves Pontual, batalhao n. 23 de Samo
Anto.
Flix Pereira de Araujo, batalbao n. 25 de Santo
Anto.
Gemioiano Alfredo Velloso da Silveira, batalhao
n. 18 de Nazareth.
Antonio Jorge Lopes dos Santos, batalho n.Vtde
Serinhem.
Angalo Jos Tnenioleo, batalhao n. 7 do Re-
cife.
Alexandrino Alves de Amorim, batalhao n. 7 do
Recife.
Paulo Felippe de Salles Abreu, bal libio n. 41 de
Ipojuca.
Gmlhermino do Reg Brrelo, batalhao n. 39 do
Cabo.
Jos Francisco Pedrosa de Carvalho, batalhao o.
23 de Sanio Antilo.
Joao Lustosa da Cunha Paranngu.
(Assignado.) Francisco Sergio d'Oleira.
Est conforme. Antonio Francisco aare, 2."
tenente-ajudante de ordens interino encarregado
do detalhe.
- 3
Ordein do dia ?. 145.
O marechal de campo commandante das armas,'
determina aos Srs. comman Jantes dos corpos, com-
panhias soladas, e fortalezas que quiozenalmente,
devem remetier a esta quartel-general urna parte '
em duplcala communicando que as pracas de seu
comisando ^e achara pagas de todos os seus venc-1
mentas, logo que estes se effectuern.
(Assignado.) Francisco Sergiu d'Oliveira.
Esta conforme. Antonio Francisco Duarte, 2." |
tenente ajudante de ordens interino encarregado |
do detalhe.
DAS DA SEMANA.
30. Segnnda. S. Seraplo e.;.S. Victorio m.
31. Terca. S. Quintmo m.; S. Lucila v. m.
1. (Juarta. cjja Festa de Todos os Santos.
2. Quinta. Ss. Tobas e Victorino mm
3. Sexta. S. Malaquias b.; S. Uerberto m.
4. Sabbado. S Uarlos Borromeo are. de Milo.
5. Domingo. S. Fabricio b. \ S. Lito presb.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 5 horas e 18 m. da manha.
SegunGa as5 horas e 42 minaros da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTHROS.
Para o snl at Alapoas a 14 | 30-. para o
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Peraaa-
o tos dias 14 dos mezes de Janeiro margo, man.
(ju!hr>, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
so Recife, na litraria da prara da !nder*ndeKti
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figoeiroa.de
Farii. & Filho.
de Vigo, inserio- no seu
eguinle descripeo da
ao porta daquella ci-
visconde de Soares Franco
esperando que o lempo penhittisse a sabida para o
norte da corveta S M Banlnra, e para Lisboa do
MinMIo e Sagres.
El-Mino, peridico
numero de 5 do crreme a
chegada de SS. MM. e A. R
dade :
i Na noile de hontem tilraram nesto porto-os
vapores de guerra portuguer.es Mindello^ Sagres e
S da Bandeira, que compoem a esquadrilha que
acompanha o rsi de Portugal na sua viagem Ita-
lia. Conduz o primeiro destes navios a S Exc. o
almirante conde de Guimaraes, sua esposa e filho
(SS. MM. e A. R.), visconde de Soares Franco, con-
ira-ainnranie conde de Valle de Res, condessa de
Souza, I) Gabriella de Souza, damas; visconde de
Leina, Cunha e Menezes, marquez de Ficalho,
ajudajiies de S. M ,
eslava anda em Vigo naco vi,inha vindo de Huelva, porto declarado o-1 professor mais antigo do mesmo lyceu. Ele
feccionado de cholera, pelo nosso conselho de sa
de. Ora a noticia ofIWaJ do estado do porto de;
Huelva ctegou no momento em que o navio fu- j
deava e por sso que o cnsul exige ou vai exi-:
gir perdas e damuos.
O n >sso eminente poeta o Sr. A. F. de Casti-:
Iho est Irasladaodo para a liogua pnrtugueza ,ls
Gergicas de Virgilio. Concluio ja o priraeiro can-
ta, que, segundo se diz oferecido ao Sr. Mendes
Leal.
foram 120 alumnos-mesires que completara
curso do l'grao, seodo 4 com distiucro.
O general, bario do Zezere, e os seos ofB-
caes, encarregados da inspe exercito, regressavam de Eivjs, onde e-iiv-ram
inspeccionando o batalhao de caladores n. H, e o
regiment de infamara n. 4. Parece qa a ies-
oeccao anda nao acaboo.
Corre como cerlo que o ministro da hienda,
Fonles Pereira de Mello, vai acabar com a alfande-
-O primeiro romancista porluguez o Sr. C. Cas-! ga municipal passando o seu pes^oal para a oolra
tello Branco vai "ar ao prelo tres novos romances alfindega, para depois ir entrando as vacaturas
intitulados Lula de gigantes A Sereia e O anel do ,,ue nos quadros desta occorreram.
contador-mor. se esta grande medida for ievada a" exeeneo. o
A divisao naval eoura?ada franceza que esteve ,)0v0 da capital dever inmensos beneficios ao ai-
aqu, era commandada pelo contra almirante La bis,ro da fazenda. E- preciso,, porrn. .ine a me-
Ronclere deNooiy, e com posta pelos seguintes dida seja completa; isto que, eessaodo a alan-
"*?*. ___ j dega municipal de existir, cessern igualmeme lodos
iNau de vapor Magenta, de 53 pegas, 73* pracas os direilos de barrelra, e se sutsioa a reeeiu qoe
r\K
pelo capilo de mar e guerra E. L
Fragata de vapor Flandre, de 30...... >s> 500 pra-
cas, 1,000 cavallos de forca, e cominaadada pelo
capito de mar e guerra L. Bashm.
Carlos Falque Possolo, ajuda|iies de S. M., capitao
Luiz Folque i'ossolo, lenle Francisco de Menezes
Teixera, offlpiiaes s ordens, Dr. Magalhes Couti- de guarnigo, 1,000 cavallos de forca, comraandda
uho, secretario do re, e 30 pessoas mais de servi-
eo. Depois do vapor S da liintleira ler saud.do
a praca, e desla lite ler correspondido, passaram a
bordo do Mindello todas as autoridades civis e mi-
litares de Vigo, a cumpnmeiiitar SS. MM., tendo a
honra de ser convidados par o alraoco os Srs. D.
Ramn Lafuente, alcaide, gov|>rnador militar, cora-
mandanie de arlilharia, eomnandante da goleta
Caridade, ajudante da praca, opito do porto e acompaohando a diviso naval portugneza que
vicecnsul de Portugal. E ao almoeo por ter que acompanbar a depntacio do de hontem sahio novamente do Tejo, para Cher-1
porto as visitas s corvetas Sda Bandeirae Sn- bourg. Sao tres importantes navios de guerra, que:
gres. Pouco depois da volla das autoridades a ter- attrahiram muitos curiosos as margeos do rio para j
Fragata de vapor Heroine, de 36 pecas, 500 pra-
cas, 1,000 cavallos de forca e commandada pelo ca-
pitao de mar e guerra Duvareux.
('.-les devem dar ao municipio por urna contribai-
co directa e exclusivamente municipal.
Se uns direilos forem extractas, e se conserva
rem oulros, o pessoal para a lisealisacio nao pode
' r diminuir, os vexames as portas da ridade con-
ra, desembarcou S. M. desejoso de percorrer a po-
voaco, de incgnita. Acompaohiva o seu secre-
tario particular. A's 3 horas da larde desembar-
cou a rainha e a sua comitiva^ dingindo-se a hos-
pedara das qaatro uacoes. El rei conlinuou toda
a larde na sua visita a' povoacijoearredres, acom-
panliado dj seu secretario, piiis que inimigo da
pompa e etiqueta, nao espern as autoridades. To
pouco admitlio que se hospedapcem em urna casa
particular. A' noite ofTerecoi|-se um
serenata pelo batalhao de Valencia, e e-
nuaro, e teremos apenas urna medida un, mas in-
completa.
Esta diviso veio dos Acores, e j sahio do Tejo, ~. A, rBde l""?*.1' d 2" ?a* ?S22
ompaohando a diviso na val portugneza que es- J JJjJ d,s- ^rod,u,0 cbe,a e *0BS ba,rrto
Na baixa do Salitre a agua entrn dentro das
tajas e arruraou rouilos obiectos n'ellas existentes.
Na baixa do Cruzeiro da Ajuda em Betm honte
casas inundadas, sendo preciso arrombar as pare-
des para dar sabida a' agua, e em cutras casas a
forca da chela arrombou o soaiho.
Passava sua magestade a rainha, no dia I* do
correte a' tarde, pela rua das Janellas-Verdes,
os observarem. Nada devem porrh bellleza ex-
terior, comparados com os navios de guerra que
substuuiram.
Chegou no paquete francez e hospedouse no
holel Braganca, o Sr. Carlos Waring membro do
s 6 horas, sahiram SS. MM. em diligencia com o | das
destino Coruoha.para fazerem a viagem por tr-
ra, visto lerem enjoado bastante, a rainha, seu fi
Iho e a comitiva. Alegramo nos por a Providencia
ter feilo com que arribassem a Vigo os reis de Por-
tugal, e que podessem admirar por si a grandeza
e seguranza da nossa ria, pois que a Providencia
fez cora que o dia aprazvel de manha se mudasse
ao meio da, havendo chuvas e fortes ventos. Di-
zemas islo para o que po sa contribuir na cons-
trueco do ciminho de ferro do Porto a Vigo.
SS. MM. cbegandO a Lugo as 9 horas da noi-
le, acompauhados do brigadeiro Seixas e do gover.
nador de S. Thiago, hospederam-se em casi dogo
veroador da provincia, sahindo a recebe-los o go
parlamento briannico e socio da casa de Waring fSS^J^SSSJCSl flTSSLS
Irmos, de Londres. Empreza constructora dos ca-, Mh' do '"ivento do Sacr.menlo era Atcantara.
mmbos de ierro de oeste em Por.ugal. ''''"dou parar '"""' "* 2"?ft
- A escuna de guerra RarOo de Lazarim ainda cla9. a "in dos aoolos da rua- e *m*
a brilhanle I se achava em Simon's Bay no dia 13 de agosto ul-! P'^issao Ao approx.mar se o palio sua mage,u-
s.a manha, timo. Eslava prompta a slr, lendo conefuido lo- -;'EfMfi* ^LTJT.ZZ"'*""* ~
as lo portantes obras que ali foi fazer
imporiam em cerca de 20contos de ris
cartas recebidas que era bom o estado sanitario de
toda a RuaroicSo.
Foram concedidas por el-rei as seguintes
gracas, por occasiao do nascimento do infante D.
Alfonso :
Ao conde de Val de Res a gra cruz da erdem
de Christo ; ao Sr. Dr. Manoel da Cmara a gra-
cruz da ordem da Conceico; e ao Sr. Boure, mi-
nistro da Franca, a gra-cruz da ordem de Torre-
Espada.
Est nomeado par do reino o marquez de
Souza Holstein.
Foi elevada grandeza destes reinos cora o
veroador, o deputado da locahdade, e commissoes titulo de condessa de Rilvas a Sra. viscondessa do
mentas'instruidos das habilitacoes exigidas pelo
nlia re.-pon;ai>i!idade, visto nao naver creuuo par* >" ~~ >.-; ~........--- --="- ^
isso segundo consta de seu citado offlcio, a quani.a referido alv,ra, e mais documentas que Ibes Be-
de 7775630 rs., que se esta a dever Joaquim Jos rem a bem: procedendo tambera as minhas inror-
Ferrei.a Penl.a, proveniente do< reparos que fez maeoes particulares de vita etmonbus ; 11 fe.too
concurso, propore a S. M. o Imperador tres dos
mais benemritos e dignos, conforme os sagrados
caones e conc. trld.
no quariel do hospicio cerno se v daipredita
conla.
Dilo ao inspector da thesouraria provincial.-
Recommendo V. S. que, em vista dos prets jun-1 uado em Olinda, sob o meu signal e seilo cap-
tos por copia, mf.nde indemnisar a thesouraria de miar, aos 31 de outubro de 1865.
fazenda conforme solicilou o respectivo inspector, E en o padre Joaquim da Assumpco, escrvo
em seu offlcio de 28 do crreme sob n. 792, da da cmara episcopal o subscrevi.
/juaniia de 2993l>80 rs. proveniente de vencimen- Deo Dr. Joaquim Francisco de Faria,
tos, a contar de 16 al 31 de jullto deste anno, Vigario capitular,
pagos pelas collectorias de Olinda, Iguarass e Edital pelo qual manda S. Exc. Rvma. por a con-
Bonilo as pracas da guarda nacional all desta- curso as cadeiras vagas da cathedral de Olinda.
cadas.
Dito ao mesmo.Mande V. S. por em hasta pu-
blica no menor prazo possivel, as obras da cornija
exterior de todo o edificio do gymnasio provincial,
servmdo de base a essa arremalaco a plaa clau-
sulas e orcamenlos, juntas por copia e que para
esse lim me remetteu o cnefe da reparticao das
obras publicas, em offlcio de honiem sob n. 346.
Communicouse ao chefe da reparticao das obras
publicas.
militares.Examine
Para V. Exc. Rvma. assignar.
COllMO DAS ARMAS.
Quariel general do eommaudo das armas le Per-
nambuco na eidade do Itecife, 2 de novemhro
de Im;;.
Ordem do da n. 144.
O marechal de campo commandante das armas,
Dita ao direcior das obras militares.Examlnt- faz publico para conhecimento da guarnido e (ras
V. S. cora urgencia os concertos de pedreiro e ca- convenientes que a presidencia em portara oe 2.
rapia de que, segundo o offlcio do general com- de outubro ullimo abaixo transcripta, designou os
mandante das armas ,de 28 do crreme, sob n., Srs. offlciaes que lem de servir nos corpos 2 e 3
2,000, precisa o deporto do quariel da Sotadade, e | da guarda nacional, destacados para o servieo apresente-me o orcamento das despeas a fazer se guerra, e por outra portara datada de 31 ao rete-
com a execuco de ia.;s concrtos. I ''do mez, nomeou o Sr. 2 lente Honorio Domra-
Uilo ao chefe da reparticao das obras publicas. gues de Menezes Doria para msirulor dos menores
Concedo a autorHaco que V. 5. pedio em offlcio do arsenal de guerra desta provincia,
de hoje, sob n. 247, para mandar lavrar o termo de secco.-Palacio do foterno de Pernambuco
recebimento delnilivo das obras constantes do or- em 27 de outubro de 1865-0 presidente da pro-
camento supplemeutar dos reparos da ponte de vincia, resolve de conformidade com o dispo.to no
Govanna, e nesta dala recommendo a thesouraria decreto n. 3,383 de 21 de janeiro deste anno de-
nrovincial, que em vlsia do cmpreme certificado signar para os corpos de guardas nacionaes desii-
pague ao arrematante Jos Francisco de Paula Ca- nados ao servieo da guerra, os offlciaes abaixomen-
cionados :
Capiles.
Joaquim Francisco Belm, batalhao n. 19 de Na-
zareth.
Joo Luiz Goncalves Ferreira, batalhao n. 39 do
Cabo.
M municipal de blinda pede autorisae, para des- Manoel Brasilmo de Arruda Cmara, batalhao n.
pender mais a quanlia de olj>QO0,com o forneci- 11 de Iguarass. .,,,
memo d'agoa e luz para as prises da cadeia dessa Joao Dourado da Costa Azevedo,
eidade, visto ter encarecido muito o azeite e ser in- de Iguarass.
sufflciente a quota de 150 designada no | 9 do
valcanli de Albuquerque a quantia de 800J, a que
elle lem direilo, segundo consta do seu citado offl
co.Nesle sentido offlciou-se a thesouraria provin-
cial.
Dito a cmara municipal de Olinda. -Jtaspon
dendo ao offlcio de 28 do corrente, em qu a cma-
ra me
pende
batalhao n. 11
batalhao n. 47
Andr Arsenio Pereira Brandio,
da Boa-Vista.
Manoel Hypolito Lima Jnior, batalhao n. 47 da
Boa Vista. .-..
Jos Januario Correa do Sa, batalhao n. 27 do
Bonito. .
Egydio Francisco de Paula, batalhao n. 12 de
Goyanna.
Jos Thomaz Cavalcanti Pessoa, batalbao n. 4 do
art. 3 do orcamijnlo municipal vigente, cabe-me
di:er a mesma cmara que tendo comecado no
corrente mez e anno linanceiro municipal, e poden-
do baixaro preco do azeile nao se pode desde j
assegurar se a losnfflciencia daquella quota para o
referido fornecimento para ter lugar a autorisacao
que pede.
Dito a mesma.Declaro a cmara municipal de
i. *l. to'*" """i" 1 "" "A'ffi^ Pere,. d. Sil. J-or, MMW
nesse municipio. *" K.,s
Dito ao conselho de compras novaes.-Approvo n. 8 de Jaboaiao.
nataes dos objeclos de material precisos para pro- o. 39 do oaDo.
batalhao n. 51 do
EXTERIOR.
coni:spo\iiK\n i i>o 5IA
tu o de ii;k\X1HI i o
LIKBOA.
13 de oululiro.
Como na minha ultima Ibes contei SS. MM. el-
rei o Sr. D. Luiz I, sua augusta esposa, e S. A. R.
o principe D. Carlos eslavam para embarcar, cora
autorisago do parlamento (segundo a prescripeo
da carta constilucijnal), afim de vsitarem o re de
Italia, pai e sogro de SS. MM., e outros soberanos
da Europa. EHeetivamenle os reaes viajantes em-
barcaran), sahindo do Tejo no dia 2 do corrente ua
diviso naval portugueza commandada pelo vis-
conde de Soares Franco. A esquadra franceza,
que veio representar aquella polerosa naco na
solemne ceremonia do bapttsado do Sr. infanta I).
Alfonso Henriques, acompanhou a diviso portu-
gueza at ao alto mar e voltou no dia 3 a ancorar
as aguas do Tejo.
O povo porluguez, verdadeirimete amigo da fa-
milia real, tera lido cora o maior inleresse os tele-
grammas que diariamente publica a folha offlcial
sobre a, viagem das augustas pessoas. Junta-sea
islo o cuidado que a todos os Portuguezes inspira
o fado de terem SS. MM. e A. R. de atravessar
paizes onde grassa a epidemia do cholera-morbns,
de que a Providencia os preserve, e a nos todos.
Eis o roteiro da viagem, segundo os despachos in-
aeridos na folha offlcial. .
Pelo telegramma expedido de Vigo em data de 4
de outubro, s 12 horas e 25 minutos da manha, j
consta que os navios da diviso naval, que condu- j
zem e acoutpanham SS. MM. e A. R., entraram na-
queile pono para S. M. a rainha descansar.
Dizia-se que a esquadrilha se vira acossada por
furiosa tormenta, e que a pedido de S. M. a rainha, I
arribara a Vigo, onde os augustos viajantes, sob o
titulo de conde de Guiraares, desembarcaran), se-
gurado por Ierra para Franca depois de se demo-
raren) alguns dias aonde esliver a corle hespa-
nhola.
Pelos telegramraas traosmittidos no da 5 de Vi-
go, SS. MM. sahiram d'alli em direccao a Santiago,
Lugo, Villa-Franca, Astorga e Len. Chegaram a
Santiago nesse mesmo dia e partirn) no dia 6 para
Lugo ; aili chegaram SS. MM. s 10 horas e 48
minutos e sahiram no dia 7, na direccao de Len.
Por um lelegrammatransmilldo de Villa Franca
em 7, s 9 horas e 25 minutos da noite consta que
SS. MM. e A. R. alli cnegaram aquelle da, e que
iam para Leo, continuando a gozar perfeita
sade.
Por oulro receido com data de 9, sabe-se que
LSS/MM. chegaram a Astorga, onde pernoitaram.
A corveta S da Bandeira sahir de Vigo
parsfBordos, conduzmdo as bagagens dos reaes
viajantes.
Cr se que SS. MM. el-rei e a rainha, seguindoa
sua viagem por Ierra, irlo a Biarritz visitar o Im-
perador dos Francezes. SS. MM. guardam o mais
rigoroso incgnito sob o tirulo de condes de Gui-
raares. O governo de Hespaoha, respeitando esta
desejo, limitou-se a passar ordens terminantes s
suas autoridades para qne os augustos viajantes
encootrem durante o seu transito naquelle paz to-
das as commodidades.
Consta que a diviso naval commandada pelo
da deputaco da cmara municipal, prestandose-
Ihe ludas as honras da eslylo. A's 8 horas da ma
ulta segrale- sahiram d'alli, acompauhados dogo-
vernador al ao extremo da provincia. Os encar-
regados de negocios de Portugal, Italia e Brasil em
Hespanha sahiram logo de Madrid para acorapa-
nbarem SS. MM. duraoie o seu transito no paiz.
Por um telegramma transmltlido de Leo a 9
do correle, s 6 horas e 11 minutas da larde, cons-
ta que SS. MM. e A. R. haviam sahido daquella ei-
dade em perfeita sade. Por outro telegramma
transraittido de Headoye, na dia 10 s 9 horas e 10
minutos da maoitaa consta que os reaes najantes
tendo chegado alli, iam partir para Biarritz, onde
almocariam com SS. MM. imperaes ; que passa-
riam a noile era Brdeos, e que partiran) uo da j
12 para Paris. A II foi de BordW expedido urn |
telegramma para Lisboa participando que SS MM.
acabavam de cttegar alli sera nividade e que par-
tan) no da 12 para Pars pelo camiubo de ferro.
A folha olDcial d) governo aserio no dia 3 do
corrente a seguiule proclamaco teita por el-rei D.
Fernando, actual regente do remo :
Portuguezes.S. M. el re o Sr. D. Luiz I, raeu
sobre todos muito amado e presado filho, acaba de
sabir do reino para visitar seu augusto sogro, re-
de Italia, e oulros soberanos da Europa, lendo sido
para esse fim autorizado pela caria de le de 4 de
selemhro do corrente anno. Em virlude do ari. 2o
da citada lei, o das l-is de 7 de abril de 1846 e 11
mesmo titulo, e de ter sido perraittido a seu espo-
so, o Sr. Joao Gomes de Oiiveira Silva Bandeira de
Mello, o uso do mesmo titulo.
Durante a viagem e em recompensa da sua de
dicaco pelos reaes viajantes, S. M. el-rei lancou ao
pescoco"do visconde de Soares Franco o colar da
gra-cruz de S. Bento de Aviz.
Tem estado doente nestes ltimos dias u mi-
nistro das obras publicas e negocios estrangeiros,
conde de Castro. Tem-se aggravado o estado da
doenca do ministro da guerra, conde de Torres
Novas.
Em El vas falleceu de cholera urna prima do ge-
neral Horla, commandante da praca. O general
tambera adoeceu.
E' assusiador o estado sanitario de Madrid.No
dia 11 foram atacadas do cholera 538 pessoas.
A cholera invadi Portugal, comeando por El-
vas, na fronteira. Desenvolveu se no dia 5. Tem
havido 25 casos, sendo 5 fataes. Em outras povoa-
goes fisionas daquella praca de guerra, j tem ap-
parecido alguns casos.
As ultimas noticias d'Elvas dizem que no da 11
houvera apenas dous casos de cholera.
O governo desenvolve a maior actividade em
Lisboa, dispondo hospilaes e postas mdicos, e fa-
zendo publicar pelo conselho de sale publica ade-
quadas instruccoes so
e e i sim o rei dos reis. Eolio na conformidad* do r-
Dizem as lUi' IU'I> PaFu> e- toWendo em frente da sobe-
1 rana, o sacerdote que levava a custodia abenc.ooa
com esta a sua magestade, que receben a beaco
com a maior devocao. Esta ceremenia caosou
profunda impre-sio no povo qoe eslava presente a
este acto religioso.
0 Sr. visconde de Seixos, Mauricio Correa
Henriques, do conselho de sua magestade, e nosso
enviado extraordinario, e mioi-lro plenipotenciario
em Bruxeilas e na Haya, veta a' Lisboa e sahio
iinuiediaiameuie pelo caminho de ferro no da iO
do mez passado, para i r da recepcio de suas
mageslades na capital da '' 'tica, aonde vo visitar
o rei Leopoldo, um dos i venerandos monar-
chs da Europa, e a quem Poitugal dte lana es
ma e lo dedicada araizade.
A dm-ao portugueza vai a Southampton e
ahi ti:. .ra desembarcar os augustos viajan-
tes, o.- i iriam pelo caminho de ferro de Lon-
dres. I); la' atravessariam a Mancha e pereorre-
riam a Europa.
Os navios portuguezes, oeste iniervallo, voluea
no Tojo a rao butear, mais larde, sua* mag-*uJ*i>
a um porto do Mediterrneo
Foram declarados em estado de quebra des-
de 9 de setembro o commerciaole Manoel Tinoco
da Silva Jnior, e desde 20 de agosta os negocian-
es de commissoes Eduardo Paumphelet & Prire.
Aonuncia-se a publiracio, para denlro na
poucos das, de nm novo peridico Iliterario e tnea-
trai; intitulado a Sanana Tkealrat, redigdo pelo
Sr.'Eduardo lavares.
(Continuarse-ka.)
PERNAMRUCO.
REVISTA DIAllA.
O Instituto Archeologico, propondo-se colllgir
monumentos que levanten) do esquecimeMo as
pbre bygiene popular. Assim : nossas antiguidades e a memorar os felos talo-
permilta a Providencia que aepideraia desappare- rosos e as virtudes cvicas dos nossos maiores.
ca de lodo, ames de causar maior prejuizo, o que
de feverriro de 1862, assumo a reg ocia do reino, e de esperar, visto que a estago vai tao avancada.
exerce-la-hei durante a ausenJia de S. M. el-1 Falleceu em Vizeu a mi do distinelo poeta o Sr.
rei. Thomaz Rlbeiro.
Entrando no exercicio da regencia, e em contar-' O Sr. Andrade Ferreira que tem ltimamente
midade com a carta constitucional da monarchia, l publicado interessantes folhetins no Diario de No-
juromanter a religiao catbo ica apostlica romana,, ticias vai dar a lume um romance original inliiu-
a integridade do remo, ebservar a fazer observar | lado Santa Camarina de Riba-mar. O Sr. Ramalho
a constituico poltica da nagao portugueza, e mais | Ortigao vai publicar um volume de contos com o
leis do reine, e provr ao bem |eral da naco,
qnaoto mim couber;juro igualmente guardar fide-
lidade a el-rei o Senhor D. Luir I, e entregar-lhe o
governo logo que regresse ao reino. Este juraraen-
titulo de Horas de Riso.
A commissao central da expsito interna-
cional portugueza dnu no dia 7, no salo do Res-
taurante d. 1' classe do palacio de crystal, urna
io sera por" mim reiterado peranle as corles geraes I esplendida ceia aos presidentes dos jurys dos di-
da uaro portugueza na sua prxima reuniao no | versos grupos, e das differentes commissoes, que
da 6 de novembro. Tenho revolvido que os actuaos j tao patriticamente a auxiliaran) nos seus iraba-
ministros e secretarios de esiado continen) no ex-1 ihos era prol da grande idea, assim gomo aos ca-
ercicio de suas respectivas funecoes. ^ I valleiros que formara a commissao noraeada pelo
Paco das Necessidades, em 2 de outubro de 1865. governo para estudar a exposioio, e os represen-
Rei regente.Joaquim Antonio de Aguiar.Au- tantas dos governos estrangeiros junta della.
gusto Cezar Barjona de Fretas.-Antonio Maria de Foi urna festa de familia, em que reinou o mais
Fontes Pereira de Mello.Visconde da Praia Gran- i sincero jubilo por se verem coroados d'um xito
de.Conde de Casiro I lo brilhanle os esforcos de lodos.
Decrelou-se o formulario com que durante a | Esli quasi promplos os trabalhos para o palacio
regencia de el-rei o Sr. D. Fernando, devem ser
expedidos os diplomas e oulros do governo e das
autoridades que mandara em nome de el-rei o Sr.
D. Luiz.
Eis o formulario :
Io A promulgarlo das leis ser feila com esta
formula:
D. Fernando, rei regente dos reinos de Portu-
gal, Algarves etc., em nome de el-rei. Fazemos sa-
ber a todos os subditas de Sua Magestade, que as
| corles geraes decretaran! e nos queremos a lei se-
I guinte:
2* A formula das cartas patentes ede quaesquer
: outros diplomas do governo, ou carias e ttulos dos
tribunaes que se costumam expedir era nome ex-
! presso do rei ser :
t D. Fernando, rei regente dos reinos de Portu-
gal, Algarves etc., em nome de el-rei:
I 3o A formula dos alvars ser : Eu el-rei, re-
gente em nome do re, faco saber :
4 As cartas regias para suiditos portuguezes
; dirio no lugar competente: t Eu el-rei Fernn-
' ao, regenta em nome do re ; para estrangeiros di-
! rao: Eu el-rei D. Fernando, regente dos reinos
! de Portugal, Algarves, etc., em nome do re.
5# Os decretos terao a formula ordinaria, accres-
I ceniando-se expressao preceptiva as palavras :
Em nome de el-rei. >
6 As portaras do governo terao este formula-
rio : Manda Sua Magestade el. re, regente em
uome do re, pela secretaria de estado dos negocios
etc.
as portaras expedidas pelos tribunaes, nos ca-
sos do esiylo, se usar da formula : Manda Sua
Magestade el re, regente em nome do re, pelo tri-
bunal, etc. >
7 As supplicas, representac5es e mais papis,
qoe me forem dirigidos, ou Immedlatameote ou
pelos tribunaes, empregario o tratamento de Ma-
gestade, e prlocipiaro, Senhort.
A direccao externa ser : A sua Magestade
el-rei, regente em nome do rei.
Toda a correspondencia offlcial dte ser expedi-
da sob o titulo de Servieo nacional e real.
Diz-se que o cnsul hespaobol em um dos
portos do Algarve exige perdas e damnos por se
ter obrigado a ficar de quareqtana um navio da
ser Iluminado, e a exposico ser visitada de noite
Falleceu no dia 8 do corrente o Sr. Antonio
Pedro Lopes de Meodonca.
Ha muito lempo que o Sr. Lopes de Meodonca
eslava morlo moralmeote. A alienacio mental que
accoinraelteu esle dosditoso escriptor, la seis an-
uos, foi Ihe devorando existencia, al o reduzir
puramente vida material.
Na flor dos annos, dotado de um bello talento,
presta por quantos meios se Ihe suggerem inesti-
raavei servieo historia patria.
Por bons traslados do seu zelo investigador e
intatigavel diligencia, podem ser ja apooiada- as
lapides commemoralivas. urna das quaes servir
de assignalamenlo ao local em que foi fundado e
por tantas dezenas de annos esteve de pe o muito
celebre anno do bom jess, e oulra que, retiucando
um ponto histrico de importancia, diz em que
babiiaco vive ue nou-se na eidade de Olinda o i
tantos respeitos veneravel Joao Fernandes Vieira,
cuja memoria se entronca aos mais notareis aeoa-
tecimenlos da expulso bollandeza.
Em tanta nao se bauriu o ardor cora que o Insti-
tuto procurou descortinar os mais impenetraveta
successos da vida desle hroe.
Descoberto por muito razoadas apparencias o
tmulo de Joao Fernandes Vieira, novos deseohos
de aviso patritico divertem a aiieucio do Instituto
para urna nova tentativa que, segundo e espe-
rar, coroara os bons e louvaveis estorbos desses
operarios da recooslrucco histrica.
Mediante a perinisso, graciosamente obtida do
Rv. vigario capitular, e em presenca de.commis-
soes do Instituto e da Santa Casa da Misericordia,
que tem a sua guarda a igreja em que foi entalla-
do o ultimo asylo de lio illusire vario, tai aquella
associacao dessolerrar os restos provavets do pre-
clarissuno Vieira, e por exames que pessata alean-
car a veri bracio exacta e fiel qus merece, determi-
nar com a desojada precisao se vivera comnosco as
memorandas reliquias.
Lembraramos ao Instituto que, colher fruclo
tau was? ^ rxtsssSss utzxz
varao.
E' em honra do paiz honrar a memoria dos qne
merecen) tiver na posiendade.
O Exm. Sr. cooselheiro presidente da provin-
cia acaba de resolver a substituirlo da guarda na-
Por forca desta medida, deve o servieo de segoa-
da-feira por do diante ser feilo petos corpos 3* e 9>
de voluntarios e t* da guarda nacional destacad
com destino a guerra.
Com esta resoluco, portadlo, atlanen o Esa.
Sr. conselheiro Paranagua a duas eoosideracoes
desa-
vaha, o Sr. Lopes de Meodonca perdeu o Juizo, e
desde euto, al que suecumbio, loi um objecto de
dr, e de compaixo para a sua familia, que lauto
o amava. e para os seus amigos que admiravam o
seu talento. i
Elevou-se pelo seu talento, mo grado de invejo- cional no sertico da guarnicao desla praca,
sos. O que era, a si o deveu. Trabalhador infati pensando-a do aquartelamento, aqueoitianam
gvel, foi soldado da imprensa, e como a quasi to- se tem ella prestado cora patritica dedieaeo.
dos os que militara o'estas fileiras, a fortuna nao
Ihe foi propicia. As letras patrias deviam esperar
delle bons servicos; e foi justamente quando o seu
lalenio amadurecia, quando contrahira o habuo
dos estudos aturados e senos, que Deus Ihe apagou
a luz da razo I Falalidade I
lira o Sr. Lopes de Meodonca um escriptor fcil, I ordem superior; e por Islo se taz ereor
ameno e espirituoso; folhetinista, loi o primeiro i comios. Efleclivamente, ao passo que *
que encetou esle genero, e soube conciliar a crili-, aos ariisias guardas nactonaes. P*J
ca com o bom seoso e i cordura. Liberal de for- i que procorem por seus celos mais tacii
tes convicQoes, em differentes ariigos e escriptos | econoralsa aos cofres pblicos urna de.-peza i
de oulra ordem, sustenlou sempre os melhores 8 a 9 contos de res mensaes; o que, na
principios da escola poltica em que se filiara. I actual, por corto valioso.
Um despacho de Londres, recebido no dia 8, | Hoje representase a Pmntcao no Santa i
aonuncia que no da 9 se esperava maior elevacio. sendo o papel de Julio feilo peta a Sra O.
no deseont, e que o mercado eslava fraco. do Amaral.
Na escola normal de Marvilla coraecaram no Encerraram-se hontem os traba** i
dia 6 do correte os exames ftnaes do curso aquel- la Normal, com a assisteocia do Sr. D
les alumnosmeslres, que por juslo impedimento o geral da inslruccio pubiiea. A' nonta i
nio linhara feilo em julho ullimo, e tambem aos o eslabelecimenlo ao publico, qoe a i
que trabara ficado esperados n'aigumas disciplinas, em grande copia de pessoas.
iNo dia 10, pelas 11 horas e meia da manha, fo-1 A irmandade das Almas da maIrtadnLOff
ram os exames didcticos na escola anoexa. Santo faz na segnoda-feira Ii do correM
a ausencia do Sr. Gira, qa se acha em com- offlcio geral das almas com toda aj
missao de servieo publico no> lyceu de Braga, tem para o mesmo offlcio nota, r~
assistido a estas actos o Sr. Hnrinello, na qoalidade tro Smallz, pai do professor li
de vioreilor do lyceu tacjonal de Ustto\ coniq ptl execatt-la no grande orfM i
-
MUtHADQ

0m r


Dlftrto r 'ernacabnco Sabtao 4 *e Xorembro tle 4t
feri-
estando para este flm convidados os principies chuelo, a bordo da Purmltyba, recebeu um
cantores desta ci Jade sob a Renda do digno ment, de que ftcou aleijado em ama inao.
O S.-. alferes Sa Brrelo loi um dos officiaes que
mestre de capeljas o Rv. padre Primo Feliciano
Ta vares.
O templo est decentementa decorado. Acha se
eucarregado da oracao fnebre o Sr. coaijuctor da
mesma freguezia padre Antonio Manoel d'Assurop-
tao e regente da orche^ra o Sr. Colas, que far
xecular urna marcha apropriada ao acto, antes da
crago fnebre.
Findas as estacas, e oragdes do costume, ss dis
tribuirao aos pobres esrnolas, acto est', que muito
honra aquella corporacao, por quanto a candade
a primeira de todas as virtudes.
De Roma, nos escrevem, em data do 1* de ou-
tubro :
t A saude de S. Santidade nunca foi to boa
como de presente ; desde sua volta do campo suas
audiencias, tanto'ordinarias como extraordinarias,
tem sido frequentes. E' raro o da em que deixa
de sabir ra, sendo sampre acolhido pelos roma-
nos e eslrangeiros com verdadeiras provas de amor
e de respeito.
nesse terrivel combate se houveram com den ido e
bravura honrosa para si e para e paiz ; ao gover-
no pois cumpre recompensar os seus servicos, at-
tendendo ao seu fenmento e a ser casado e com
hlhos.
Reuniu-se hontem em conferencia ordinaria
o Instituto Filtal dos Advogados Brasileros sob a
presidencia do S. l)r. Alcoforado e com assistencia
dos Srs. Drs. Souza Res, Fooceca, Joaquim Portel-
a, Seraphieo, Aguiar, Nascimenlo Portella, Gusmao
Lobo, Pmto Pessoa, Paula Penna, Viauna, Franco
de Sa, Miranda, Jos Austregesilo, Pernambuco e
Costa.
Lida a acta da sessao antecedente, approvada.
O Sr. secretario da' conla do segu ote expe-
diente :
Offlcio do Exm. Sr. conselheiro presidente da pro-
vincia, emquedeclar;. Qear scienteda reinstallacao
do Intitulo.Inteirado.
Ouiro do Exm. desembargador Anselmo Francis-
AppeHante, Joo Bautista dos Santos^ appellada,
a jii.-tic;i.
Appeliante, o jnito ; appellado, Jeo Severo Mar-
ques.
AppeHante, e juizo ; appellado, llathias da Silva
de M.iria.
t As offertas para o Dinlmro de S. Pedro, da- co Piretti, presidente do mentissimo tribunal do
ranle o mez de abril ultimo, em lodo o orbe produ
rio 2,386 escudos e 96 baioques, segundo a conta
aprsenla ia S. Santidade em 8 de maio por urna
deputago da Archiconfraria, composta : do vice-
presidente principe Chigi, do thesoureiro marquez
Palrizi Montoro e dos recebedores principe Barbe-
rini e signor Jo> Guerricvi.
Acaba jJe lomar o grao de doulor em direilo
Medeiros, bispo
commercio, pelo qual, aecusando a recepeo do
que I he fra dirigido, declara ficar sciente da retns-
tallafo do Intitulo, fazendo votos e assim era seu
nome como em nome do tribunal que preside, pa-
ra que tao importante instituigo perdure dilatados
anuos e preste ao foro os servigos que della se de-
vem esperar.Inteirado.
Outro do Sr. Dr. chefe de policia, em que se de-
clara sciente da reinstallacao do Instituto.Intei-
rado.
Assignou-se
tes
DESIGNACAO DK OA.
da para julgamento
das seguin-
canonicu o Exm. Sr. Manoel de
eleito de Peruambuco.
Muitos tremores de ierra aterrorisaram a po-1 Outro da cam.iramunirip.il desta cidadeem que
pulago de Perouse, desde 21 at 23 do passado, deciaraodo-se sciente da reinstallacao, exprime
O primeiro, que teve lugar as 10 horas da noite de, votos pela prosperidade do Instituto.Inteirado
21, foi o mais forte. Nao morrau ninguem, mas a Outro do Sr. inspector da thesourana provincial
cidade apresentou durante um dia e duas noiles
om aspecto desolador. Os desmornamenos das
chamins que cahiam oas ras mlsluravam se com
em que se declara sciente da reinstallacao do Ins-
tituto, Inteirado.
Ouiro do Sr. Dr. Joaquim Jos de Miranda em
os clamores da populago que corra para as pracas: q,,ei agradecendo a honra de. sua approvacao para
com o barulho dos siuos que tocavam por si mes- (membro do Instituto, desculpi de nao poder com-
inos e dos vidros que estalavam por toda a parte, i parecer as sesses por valiosas motivos, que ex-
com os latidos dos caes e os relinchos dos cavallos.! pende.-Inteirado.
Em Arerzo lambem houveram dous pequeos ouiro do Sr. Antonio Jos da Costa Ribeiro em
tremores I que, declarando-se muito grato pela honra de sua
No consistorio secreto de 24 do passado, cele-; prosposta e approvacJo para membro effectivo,
. communica nao poder satisfazer actualmente o coa-
vite que, em oficio de 23 do ulilmo mez, Ihe fura
dirigido para tomar asssenlo.-Inierado.
Outro do juiz da confraria de Santa Rila deCas-
sia, desistlndo da consulla que enderezara ao Ins-
tuto.luteirado,
Correndo o escrutinio, sao declarados membros
do Instituto :
Honorarios, os Srs. Drs. Claudino de Aranjo Gui
brado no Vaticano, sob a presidencia de s. Santi-
dade, pronunciouelle urna allocucao(j demos hon
tem esta pega um uossa 8* pagin>) concluindo por
preoooisar 13 bispos entre os quaes :
O Rvm. Manoel do Reg Medeiros, da diocese
do Ceara, discpulo do collegio americano do sul
em Reina e doulor em direilo canmieo, para a ca-
thedral de O'inda, em Pernambuco; e
O Rvm. Joaquim Goncalves de Azevedo, viga-
rio geral e arcediago da S do Far, para a cathe- marae
dral de Goyaz.
Das propostas consistoriaes que sao distribui-
das antes da renmao dos consistorios, contendo to-
dos os apontamenlos necessarios sobre cada sede e
sobre cada um dos eleitos, copio o seguinte :
_ Oltnda, sede vacante por morle do Rvm. Per-
digo, sujeita ao metropolitano de S. Salvador. A
capital tem 90,000 almas de populacao e 6 paro-
chias. A cathedral tem a invocicao de S Salva-
dor. O capitulo corapoe se de quatro dignidades,
de 16 conegos e de diversos adjuntos. O Rvm. do
Reg Medeiros oasceu 21 de seterabro de 1829
no Aracaty. Fez prufl-s.io de f as raaos do au-
ditor de S. Santidade, perante o qoal se procedeu
ao processo de niforraacoes.
Goyaz, sede vacante por morte do Rvm. de Sou-
za, sujeita ao memo metropolitano. A capital tem
6,000 almas e orna s parochia; a diocese tem 68
parochias. A cathedral tem a invocagao de Santa-
Anna. U capitulo .unta nao esta organisado nos
termos da carta apostlica sollictta, em data dos
Ides de julho de 1826. O Rvm. de Azevedo nasceu
em 31 de julho de 1814, no Tury-ass, e fez pro-
isso de f as mos do bispo do Para, designado
para isso pelo internuncio apostlico no Rio de Ja-
Appellacdes elveis.
AppeHante, Manoel Patrao do Nascimento; ap-
pellada, Margarida Maria da Paixo.
Revista civel.
Recrreme, Bernardo Ribeiro Nunes ; recorrido,
Joo Bernardino Nogueira de Souza.
PASSAGENS.
Do Sr. desembargador Santiago ao Sr. desemfcar-
gador Gitirana
As appellacoes civeis.
AppeHante, a fazenda ; appellado, Manoel Fi-
gueiroa de Faria.
AppeHante, Jo> Domingues Correia ; appelia-
da, a ordem terceira de S. Francisco.
AppeHante, D. Maria da Luz Teixeira Costa ;
appelhdo, Jos Joaquim Ferreira de Souza.
AppeHante, Lourenco Bezerra de Siqueira Ca-
vbante ; appellado, Dr. Amaro Joaquim Fonseca
de Alluquerque.
Posto era-discusso, mandoa-se r(|metter ao advo-
gado para proceder como or de direilo.
Outro do fiscal da freguezia d;i Varzea, infor-
mande contra o requenmento notiual Joaquim An-
tunes Reis peae ser relevado da multa, que Ihe foi
imposta por infraego do art. 2o dio tit.ill das pos-
turas de 30 de junho de 1849.-Ioifirio-se.
A commissao do polica apresentou o seguinte
parecer que foi approvado Illijis. Srs.A com-
missao de polica a quem foi submelllda a repre-
sentarlo do contador desta camalra propondo al-
guns melhoramentos na escripturtaco para maior
clareza da mesma, de parecer que sejam regula-
dos da forma seguinte:
! caso. Approva o systema dfj livros de talao
para todas a receitas, devendo seri numerados e ru-
bricados todos os conheciraentos femente pelo pre-
sidente, nao prescindindo dos termos de abertura e
eccerramenio ; julga porm intil no talSo as as-
signaturas co procurador e contador que dever
ser smente no nonhecimenlo qe receber a parte.
2 caso. E' til lambem que taja livros de talao
paraos termos e ttulos de corridas e multas im-
postas pelos fiscaes, e que elle sejam obrgados
at o dia 5 de cada mez irem acontadoria conferir
o livro de talao etc.
3.- Concorda tambem que para facilitar a arre-
cadacao das multas tenham os fiscaes um livro de
Appeliante, p. Joanna Mana das Dores; appel- 'talao sob sua nica asslgnaturi para entregarem
lado, Jos flygmo de Souza Peixe. I provisoriamente as partes, quai do receberem o im-
AppeHanie, Felippe Gomes da r rota ; appellado, porte das referidas multas, qie serao recolhidas
neiro, perante quem se procedeu ao processo de
inforinacoes. >
De conformidade com o alvar das faculda
des, aciia-se aberto o concurso para o provimenlo
de ulna cadeira de prebenda inteira e outra de
meia prebenda na nossa cathedral; e para a ios-
cripcao esta marcado o praso de 30 das.
Os couselheiros Joao Lustosa da Cunha Para-
na;;ua e Antonio Codlho de S e Albuquerque e
ouiros amigos do tinado marquez de branles,
mandam celebrar na igre;a matriz de Santo Anto
nio, as 8 lloras da mauha do dia 6 do correte,
ama latssa solemne pelo descanso eterno da alma
do inesmo finado, e rogam a todos os amigos deste o
ob>equio de assistirem a esse acb religioso.
Urna carta da comarca de Boa-Vista, de 18
do passado, diz texiualmente o s?guinte :
A inaldia guerra com o Paraguay foi mais
um pretexto para os homeus da liga persegnirem
e vexarem seus adyerbarlos. Os dieres da guarda
uaciunal, os delegados e subdelegados nao leudo a
menor importancia social no municipios, por que
Joo Antonio de Araup Freitas Henriques,
Manoel Jos da Silva Neiva e Ernesto de Aqu no
Fonseca.
Effectivo, o Sr. Dr. Lourenco Avelino de Albu-
querque Mello.
Sob indicacao do Sr. Dr. Gusmao Lobo, foi decla-
rada preju iicada a proposta do Sr. Dr. Braz Flo-
rentino Henriques de Souza, adiada da sessao an-
tecedente, visto haver side o mesmo Sr. appro'ado
como membro effectivo em sesode 26 de maio de
1851. Em vista do que, ordenou o Sr. presidente
que, assim ao Sr. Dr. Braz Florentino, como aos
socios novamente eleitos, se fizesse a devida com-
raunieavo.
Preslam juramento e lomam assento como mem-
bros effectivos os Srs. Drs. Joo Jos Pinto Jnior
Joo Diniz Ribeiro da Cunha, Jos Eustaquio Fer-
reira Jacobina eLourenco Avelino de Albuquerque
Mello.
Inquirida a commissao de jurisprudencia sobre
a apreseotaco de pareceres, declara o Sr. Dr.
Aginar, nnico de seus membros presentes, nao se
haver anda elaborado trabadlo algum em vista de
razoes que expende.
O Sr. Dr. Pinto Pessoa reclama pela distribuieao
de exemplaresimpressos dos Estatutos que regem o
Instituto, e tem como resposta do Sr. presidente,
que, antes da sua approvac/io pelo governo a rujo
conhecimento vo ser submetudos, nao pu.iem impressos os mesmos Estatutos bem como o regi-
ment interna.
O Sr. Dr. Souza Reis consulta ao Sr. presidente
se os programinas sciuntificos dados e publicados
ao Instituto devem ser reprodozidos pela imprensa
antes da discusso : e depois de observacoes do
mesmo Sr. e do Sr. Dr. Gusmao Lobo que declara
nao cooheeer os iocenvenientes desta pratira, que
de uso em outras associacSes, remettida a in-
dicaco, por proposta do Sr. Dr. Manoel Portella,
a commissao de disciplina, para que interponha o
seu parecer.
O Sr. presidente publica um programma, e re-
commenda que pela secretaria se enviera copias
aos membros da commissao de jurisprudencia.
Nada mais haveodo tratar-te, o Sr. presidente
le i .mi.t a sessAo.
REPAIVTICAO DA POLICA.
Extracto das partes dos dias 1 e 3 de novembro
muito de proposito foram nomeados para estes lu- de 1865.
ares os horneas mais impopulares, empregama1 Foran recolhidos a casa de detencao no dia 2
torca bruta paia coagir o pobre povo, que vive es- do corrente :
Domingos Gomes da Frota.
Do Sr. desembargador Almeidae Albuquerque ao
Sr. desembargador Motta
A appellaco civel.
Appeliante, Albino Jos Ferreira da Cunha ap-
pellada, a fazenda.
Do Sr. desembargador Assis ao Sr. desembarga-
dor Doria
A appellaco civel.
Appeliante, Manoel Monteiro de Macedo ; appel-
lado*, Borges A Mello.
A appellaco crime.
Appeliante, Antonio Jos Olympio ; appellada, a
justica.
Ao Sr. desembargador Ucha Cavalcante
O di v do apparecer.
Appellado, Joaquim Luiz vieira; appeliante,
Jos Francisco Bittancourt.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. desembar-
gador Ucha Cavalcante
As appellacoes civeis.
Appellnte, Damio Goncalves Rodrigues Franca-,
appellados, Francisco Jos Viauna.
Appellant Augusto Carneiro Monteiro ; appel-
lado, Jesuino Ferreira da Silva.
Appellanies, os herdeiros de Francisco Ferreira
de Barros Campello; appellados, os herdeiros de
Caetano de Barros Wanderley.
Ao Sr. desembargador Domingues da Silva
A appellaco civel.
Appel'ante, Antonio Ferreira da Ponle -, appel-
lado, Manoel Ferreira da Ponte.
Do Sr. desembargador Lourenco Santiago ao Sr.
gador Assis
A appellaco civel.
Appeliante. bacharel Bernardo Duarte Brando ;
appellado, Antonio Ferreira Antero.
Do Sr. desembargador Ucha Cavalcanti ao Sr.
desembargador Domiogues da Silva
As appellagdes civeis.
Appellado, Felippe Mena Calado da Fonseca ; ap-
peliante, D. Rita Francisca de Carvalho Paes de
Andrade.
Appellantes, Jos Rabello Padilha e outro ; ap-
pellada, a fazenda.
Do Sr. desembargador Barros Vasconcellos ao
Sr. desembargador Santiago
Appellaco crime.
Appeliante, ojuizo: 'appellado, Joo de Santa
Anna Jnior.
A' IX horas encerar u ae a sessao.
azeites desinfectado de Chevrier e ferrugi-
noso de Chevrier.
Vende-se na pharmacia de Pedro Maurer
VC. ra Nova n. 18.
P. Montinho. Ferragens, 9 barris e 6 ri. a T. in
Aquloo Fonseca; 3 bs. e 4 ex. a Prenle Viasaa A
C.; Scx. a B. J. da Cosa Gomes; *% h. J. **
Santos andrade ; 4 b- a ordem. Fannba <-
Iho, 5 b." a J. L. Ferreira Ribeiro. reijio, 1 sr.
J. A. Maia e Silva. Figuras de tooca, 4 ex. a C-
nha Irmus & C. Lmha, 3 ex. aos dnc* ; 1 a A.
Hamburger C. ; 1 a T. de Amito Fonseca ; da-
ta e coxins, 3 ex. a Prenle Viaaaa C. Dita
pelo pharmaceutico Jos da Rochbannos, SSJio^Vd. a. 'm^^^'-
A ttenco
Xarope alchoolico de veame, preparado
estahelecido com botica na ra Direita n.
88 em Pernambuco.
Este xarope incontestavelmente superior
a todos os xaropes depurativos, de cuja
composiQo o seu maior ele'i ento a salsa
parrilha, pois que se tem conhecido ser o
veame mais enrgico para a prompta cura
das molestias, cuja base essencial depende
da purificafao do sangue ; assim pois se
tem verificado por muitas pessoas que se
achavam desengaadas, as quaes acham-se
hoje restablecidas com o referido xarope
alchoolico de veame; entretanto que al-
guns, tendo usado do xarope de Curinier,
de Larrey, de salsa parrilha, de saponaria,
oleo de figado de bacalho, e outros agentes
desta ordem nada conseguiram. E' elle de
fcil digesto, agradavel ao paladar e ao ol-
phato Alguns mdicos desta cidade e da
de Macei o teem recommendado para a cu-
ra das
Impigens, tinha, escropbulas,
dentro de 24 horas aos cofres riunicipaes, receben
do o conhecimento em forma da centadona para
substituir.
4" Ete recibo ou guia ser como o que actual-
mente existe.
5o Devera haver tambem um livro de talo para
os mandados etc. etc.
6o Que a verbadivida activaseja langada no
livro da receita no exerciciojein que fr recebida Tumores, ulceras, escorbuto,
era mulo competente, e nao .[orno actualmente no Gancios, sarna degenerada, fluxo alvo,
livro de exercicios lindos que pertencer, visto
que ficam assim mais claros os recebimenios das
receitas ; e mesmo o systema adoptado na> re-
partieres de fazenda como 'determina o aviso n.
123 de 27 de marco de 1851)
Deus guarde a VV. SS. Wecife, 22 de setembro
de 1865.-Illms. Srs. presidente e vereadores da
cmara municipal do Recifi. Feliciano Joaquim
dos Santos.Joaquim de Almeda Pinto.
Mandou-se por em praga
tembro, 2 e 4 de outubro a
coberia da Hibeira e acougui
vista oreados em 3:31 200
Prestou juramento o juiz [de paz do 2o anno
freguezia do Recife Jos Pedro das Neves.
Despacharam-se as peticijes de Antonio Domin-
para os dias 29 de se-
bra dos concertos da
da freguezia da Boa-
da
gues-Pinto, Baro de Vera-l
Silva, bacharel Francisco
Lobo, Jos Luiz Fi-rreira d
nes Reis, Manoel Joaquim ilachado ; e fevantouse
a sessao.
Cruz, Duarte Borges da
Leopoldioo de Gusmao
Costa, Joaquim Antu-
Eu Francisco Canuto da Boaviagem, secretario
a subscrevi. Perrira Sin oes, pr-presidente.
Fonseca.Santos.Pinto.-Reg.Costa Monleiro.
PjjUgAggj PEDIDO
P eo processo de Clierritjr, pharmaceutico
Pars, ra do Faubourg llontmarte 21.
en
pautauo e disperso pelos bosques, ond9 procura-
do como queitats O lado da opposigo, que in-
coote.-tavelmente consiitue a graade maioria desta
comarca, como se teria provado na eleicao de 9 de
agosto, se a bayoneta nao houvesse sido callada
em nossos pe tos, quem mais scffre. Os oflkiae
ligueiros sao privilegiados ; s foram nomeados
para uas pocas da eleigo se apresentarem na
frente das matrizes Tardados a frente de suas com-
paobias embaladas e munciadas : entretanto agora
que o paiz servigos de lodo, s os pobres conservadores sao
os deignados, como acaba de succeder com o al-
feres Andrd Xunes de Barros, un.co filho que vive
na companhla de seu respeilavel pai o tenente-co-
ronel chefe de eslado-maior Manoel Nunes de Bar-
ros, que na idade d 63 anuos precisa de quem o
ajude, lauto mais uoaato ha outros offlciaes dispo-
ni veis, que podiam marchar, sem translorno de
suas lamillas I
O tenente-corooal Jacoino daqui sanio sem dar
pitada a ninguem. E poder um commaodante de
batalho ausentar-se de seu municipio, mrmenle
em circunstancias to criticas, sem lieenca dogo-
yerno ? E o que que se nao ver nesta triste
poca I
Hoje se extrahira pelo novo plano 3* parle
da o' lotera (37*), a beneficio da Santa Casa de
Misericordia.
Fizeram acto no dia 3 de novembro, na Facul-
dade de ireito, os seguintes estudanles:
!. Anno.
Benigno Dantas de linio, plenamente.
Pupulo Liberato Bacdeua de Mello, idem.
Fernando Affonso Ferreira, idem.
Um reprovado.
2. Anno.
Manoel Varella do NascimeMo Jnior, plenamente.
Amancio Concesso de Cantalice, idem.
Fabio Alexandrino Oos Res e Silva, idem.
Jos Vaz da Fonseca Lordello, idem.
3. Anno.
Jos Bernardos Gomes Serra Belort, plenamente.
Um reprovado.
Antonio Alves de Carvalhal, plenamente.
Joo Paulo Gomes de Mallos, idem.
4." Anco.
Antonio Carneiro Aolunes Guimares, plenamente.
Licinio Alfredo da Silva, simplesmente.
Joaquim Guedes Correa Goudim, plenamente.
Agostinho de Carvalho D.as Vieira, idm.
5. Anno.
Vence-lo Garcia Chaves, plenamente.
Luiz da silva Gusmao, idem.
Miguel Gomes de Figueiredo, idem.
A' orpem do Illm. Sr. Dr. chefe de policia, Ve-
nancio, escravo de JoQo Fernandes da Assumpco,
vindo da provincia da I'arahyba, por se achar
pronunciado em crime de morte no termo do Ca-
ruar.
A' ordem do subdelegado de S. Jos, Flix, es-
cravo de Joaquim Guimares, por briga.
O chefe da 2* seccao,
J. G. de Mesquita.
CEMITER10 PUBLICO, OBITUARIO DO DIA 1." DE
NOVE.MIIO DE 1865.
Joanua Mana Francisca, Parahyba, 30 annos, sol-
teira, Boa-Vista; inierile.
Pedro Celestino Mindello, Pernambuco, 42 annos,
viuvo, Boa-Vista ; apoplexia.
Heonque Jos Ferreira, Pernambuco, 13 annos,
solleiro, Boa-vista; asphexia por submergao.
Joo Cosme de Luna Jnior, Pernambuco, 19 an-
nos, solleiro, Sanio Antonio; tubrculos pulmo-
nares.
Antonio Pereira de Lago Guimares, Portugal, 48
annos, casado, S. Jos ; hepalite aguda.
Francisco Frmino Pires, Pernambuco, 35 annos,
casado, S. Jos ; larangite aguda.
Maria Erundiua Jacorao Pessoa, Pernambuco, 45
annos, casada, Boa-Vista ; pninmonia.
Antonia, Pernambuco, 18 annos, solteira, Boa-Vis-
ta ; pniumonia.
Daniel, Pernambuco, 2annos, Santo Antonio; he-
palite chromca.
Clothildes, Pernambuco, 11 mezes, Santo Antonio;
convulcoes.
Maria, Pernambuco, 1 hora, Recife; espasmo.
Balbioo, Pernambuco, 6 dias, S. Jos; espasmo.
Maria, Pernambuco, 3 annos, Boa-Vista; interite.
Vicente, Pernambuco, 3 mezes, Boa-Vista; con-
vulcoes.
Luiz, Pernambuco, 2 mezes, Santo Antonio ; es-
pasmo.
Ricardo, Pernambuco, 22 annos, solleiro, escravo,
Boa-Vista; confluente.
ciiho.mu .uuiaum
O ceraiterio publico foi dia de finados bas-
tante eoncorrido por nossa populacao, que all ia
levar o feudo de saulosas recordaces a' enles que-
ridos, que se partiram desta vida.
A' es/orcos do digno administrador, houve na-
quella vasta neeropole padres que celebraram o
sacrificio incruento desde as 6 horas at as 12 ho-
ras da manhaa em suffragio dos eis, que all tem
sido inhumados, assisndo a missa das 10 horas o
Exm. Sr. Paranagua e o Sr. Dr. chefe de polica
Pindahyba de Mallos; os quaes em seguida per-
correram todo o cemiterio, admirandolhe os im-
portantes monumentos e as tristes bellezas que o
adornara na lingoagem expressiva da saudade.
A' tarde ainda foi maior a concurrencia : era a
viita da vida morle, e peranle esta aquella se
jiumilhava na coneentraco da di por afleclos que
Ihe tinhara sido arrancados, como o sao as pealas
da flor por um vento rijo, deitando a n'um quasi
fenecer. *
O esiabelecimenlo osienlava a ordem e o asseio
que liie lem sabido dar o Sr. eommendador Vires
cuja xelosa administraeao nao deseonhecida.-
Falleceu honlern o Sr. Jos Baptisia da Fon-
seca Jnior, a' urna dilalacao da aorta.
O finado era commercanie desta praea e nella
gosava de honrada reputacao, sendo alm disto ca-
pitao da guarda nacional desta cidade.
Natural da proincia do Maranho, ba moito que
se esiabeleeera entre nos.
Aeaba de chegar da corle o Sr. Francisco Ao-
tonio de Sa Brrelo Jnior, al/eres ajudante do 9
Uaialbaode tofaotria, qae no umbte ae Ri.'Cavalcanti.
TKIKLWI. DA BEL Vt A.
SESSAO DE 31 DE OUTUBRO DE 1865.
PBESIOENCIA DO EXM. SR. CONSELHEIRO
SOUZA.
As 10 horas da manhaa, presentes os senhores
desembargadores Santiago, Gilirana, Lourenco San-
tiago, Almeida Albuquerque, Assis, Doria, Ucha
Cavalcanti. Domingues da Silva e Barros Vascon-
cellos, faltando os Srs. desembargadores Guerra
procurador da cora e Motta, abrio-se a sessao.
Passado6 os feilos, deram-se os seguintes
JVLGAMBNTOS.
Revista civel.
Recrreme, Antonio Moutinho Esteves; recor-
ridos, Jos Pereira dos Sanios e sua mulher.Sor-
teados os Srs. desembargadores Santiago e Barros
Vaseoncellos.Nullo o processo.
Appellacoes crimes.
Appeliante, Joo Paulo de Barros Garanbuns ;
appellada, a justica.A novo jury.
Appellanle, o julzo ; appellado, Jos Thom.
Confirmada a sentenca.
Habeas-corput.
Coneederam ordem ao escravo Benedicto para o
dia 4 de outubro. as II horas do dia.
DILIGENCIA CRINE.
Com fisto ao Sr. desembargador promotor da
justica
As appellacoes crimes.
Appeliante, Manoel Domingues dos Beis ; appel-
lada, a justica.
Appeliante, o juizo ; appellado, Antonio Luiz do
Nascimenlo.
Appeliante, Manoel Francisco Ferreira ; appella-
da, a justiya.
Appeliante, o juizo ; appellado, Sebjstio Ribei-
ro de Mello.
Appeliante, o juizo;
Dioix.
CAMARl HlMCI AL no RECIFE
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS 27 DE SE-
TEMBRO DE 1865
Presidencia do Sr. Pereira Simes.
Presentes os Srs. Tuomaz d'Aquino, Costa Mon-
teiro, Gustavo do Reijoe Santos, abre se a sessao,
e lida e approvada a acta da antecedente.
Lu-se o seguinie
EXPEDIENTE.
Um offlcio do Exm. vigario capilular de 26 dn
corrente, communicando haver novamente Hornea-
do o Rvd. Sebastio de Andrade Vieira para interi-
nadiente exercer as funeces de capello do cemi-
terio publico em quanto durar o impedimento, do
capello efleciivo, visto ter o pnmeiro designado
frei Jom de Nossa Senhora da Sade, se escusado
em razo de se achar doente, e morar longe da
praga.Que se respondesse aecusando o recebi
meato.
Achando-se presente o Rvd. capello nomeado,
prestou elle o juramento do eslylo, e se Ihe deter-
minou que dada a posse pelo respectivo adminis-
trador ; entrasse em exercicio do cargo.
Outro do Em. general comm^ndanle das armas,
de igual data (26), aecusando recebido o da cma-
ra de 21 do mesmo, solicitando providencias para
que nao continu a serem lancados no comeco da
estrada de Joo de Barros o lixo e as mundicias
liradas dos quarleis da Soledade ; em resposta sig-
nifica a cmara que acaba de expedir as conve-
nientes ordens no sentido de fazer cessar semellian-
le procedimento; concluindo, agradece a altencao
com que se houve a cmara neste negocio para
com aquello commando.Inteirada.
Outro do redactor propnetario do Roperlorio das
Cmaras em Portugal, D. Miguel de Alarcao, de
28 de julho ultimo, acompanhado de dous exem-
plares o Repertorio das Cmaras, no qual submet-
le os mesmos exemplares a apreciaco desta cma-
ra, e espera qne Ihe d o aprego como elle tem al-
cangado de quasi todas as cmaras mumeipaes da-
quella capital.Posto em discusso, resolveuse
responder que a cmara agradeca a ollera, e que
a considerasse assignante do mesmo jornal poden-
do fazer a remessa dos nmeros que fosse publi-
cando, em todos os paquetes, e autnorisasse algu-
ma pessoa aqu para receber a importancia da as-
signatura.
Outro do subdelegado supplenle da Magdalena
Jos Bernardino Pereira de Brito, communicando
achar-se em exercicio do mesmo c&rgo em conse-
quencia do impedimento do elfectivo.Inteirada.
Outro do advogado da cmara, dzendo, acerca
da serndao que Jos Carneiro da Cunha tem esca-
vado e obstado ; que c seu parecer, que no caso de
estar estabelecida a estrada por mais de dez anoos,
deve a cmara propor acgo para que seja mantida
cora cominago que evite as lurbagoes furas.Pos-
to em discusso, mandou-se declarar ao advogado
que proponha acgo conforme indica.
Outro do mesmo, dizendo nao haver responsabi-
lidade em nao seguir a appellago em que parte
o commeodador Joo Pinto de Lemos, e seu pa-
recer que nao seja pelo que ja pooderou em ofllcio
de 24 de margo.
Que costuma incumbir as revistas ao desembar-
gador Abreu e Lima que est aposenlado e reside
no Rio de Janeiro; a quem manda a quantia de
cem rail ris para despezas e honorario do procu-
rador.
E finalmente, nao tem duvida de incumbi-lo do
recurso de revista em que recorrida a irmanda
dade de S. Pedro. O offlcio de que se trata ficra
addido na sessao ultima.Posto era discusso, re-
solveu-se quanto a primeira parte declarar ao ad
vogado que nao seguisse com appellago ; e quanto
a segunda que incurabisse a revista ao desembar-
gador que menciona, e nesta data se expedio or-
dem ao procurador para enlregar-lhe a quantia de
cem mil ris.
Outro do contador, remetiendo urna relago das
letras (16), que deviam ser liradas do cofre para
serem cobradas no dia 30 do crreme, na impor-
tancia de 8:839*250.Authorisou-se a sahida das
raesmas.
Ouiro do fiscal da freguezia de Sanio Amonio,
communicando que dendro do terreno murado on-
de outr'ora existir a cavallariga do tenente-coro-
nel Sebastio Lopes Guimares, e de que proprie-' sobre
tao Nicolao Rodrigues da C. Lima, acbam-se
dezenove casinhas edksficadas de muito m ma
Este oleo de um cheiro agradavel, e de
um sabor assucarado a nico que nao tem
nem o gosto, nem o che ir o do peixe. Ob-
jecto de numerosos relatnos scientifleos e
mdicos, este medcame ite que goza em
Franca de um successo to raro como bem
merecido, receitado diariamente pelos
principaes mdicos dos lospitaes de Paris.
O OLEO DE FIGADO DE BAlfcALUO DESINFECTA-
DO ferruginosoempregase com osmaiores
successos as molestias o oleo quaudo sao acompanhadas de debili-
dade e atona.
FoJas estas affeccoes provm de urna cau-
sa jnterna; nao ha pois raz3o alguma em
crr que ellas se podem curar com remedios
externos. Tambem se prescreve o xarope
alchoolico de veame para o tratamento das
affeccoes do systema nervoso e fibroso, taes
como:
Gotta, rheumatismo, paralysia,
Dores, impotencia, esterilidade,
Marasmo, hypocondria, emmagrecimento.
O xarope alchoolico de veame sobre
tudo, da maior utilidade para curar radi-
calmente, e em pouco tempo o rheuma-
tismo.
Adverte-se que o verdadeiro xardo eso se
vende nesta cidade na botica cima indica-
da, do abaixo assgnado; e em outra qual-
duer parte que se tem annunciado n5o da
mesma composiejio, e nem o abaixo assigna-
do se responsabilisa.
Jos da Rocha Paranhos,
JURUBEBA.
VARIEDADES
A jurubeba urna das substancias medicaraen
tosas, ao reino vegetal, .e perience classe
dos tnicos e desobstrue-.es, sendo em prega
oa com vaulagem contra as '-bres inlermilenle
acorapanbadas de engorgitameuto de ligado e bago.
Ella lem sido applicada com inconieslavel proveilc
contra a anemia ou chlorose, e hytkopesia, catar
rho da bexiga e mesmo para coinbater a menstrua-
gao difflcil, resuliaute da mesma anemia ou chic
rose.
Extrato alcoolico de jurubeba.
Emplastro dem.
Oleo idem.
Tintura idem de dem.
Xarope id m.
Vinho idem de idem.
Pilulas de ext. idem.
Deposito, pharmacia de Pinto, ru larga do
sano n. 10.
quraha, 1 pac. a C. G. BreckenfaM. Livro- impre-
sos, 1 ex. a J. A. Maia e Silva; 1 a J. Ii Soma.
Lonas, 6 fard. a A. L. de O. Axewijo 4 C.; 8 e i
ps. \ ordem. Macella, 5 ex. a J. J. G. Belliao. Mo-
vis, 4 cadeiras a A. R. Sampalo. Obras de pratar
1 ex. a J. J. da C. Maia. Obras do rimes, 1 brd. a
J. A. Pmto. Paliteiros de barro, 2 ex. a D. Rodri-
gues. Peoras para calgamento, 4040 a J. da Silva
Loyo 4 C. l'entes, 1 ex. a M. J. da S. Pelguejra< ;
2 a Thomaz da Cunha. Pomada, 10 eosk. a J. M.
da Silva. Rolbas, 6 r. a A. L. Braga A C Sardi-
nhas, 75 bs. a Cunha Irmaos & C. Semenles, 1 ti.
a A. da Silva Campos. Torneiras, J ot. a A. L.
Braga & C. ; 1 a Azevedo A Irmo. Varios artigts,
i ex. a S. Basto & Irmo; 1 a J. J. da Costa Maia -,
3 a A. L. Braga & C.; 3 a F. G. de Manos Jonior ;
1 a F. J. de Campos Pamplona ; 1 a G. A. de Cas-
iro Quintal; 1 a F. T. Barbosa ; I a J. A. r. Pra-
dique ; 1 a Souza Andrade & C ; 1 a A. J. do*
Sanios Andrade. Vasos e lisura- de looca, M -
a J. dos Santos Ramos de Oliveira. Vassooras de
piassava, II feix. a M. J. Aguiar. Velas d esteari-
na, 100 cunh. a B. Silva Lopes. Vnnes, 400 liar, a
Cunha Irmos 4 C. Vinho, 10,5 a Menrtes A. >-
Iho ; 4|4,30|I0 e 100 ex de dr. a J. J. Gon^aive-*
Bellro ; I5|5 e 5(10 a J J. de Castro Moora ; s>
|o, 2|8 e 6 ex. de dz. a J. P. Reges de Sonza; i
a J. Uongalves da Fonle ; 40|IO e 1 b. de al, a
Ferreira A Matheus: 2|I0 a J. de S Leitio te-
mor j 11 bs. a Thomaz F. da Canoa ; 1 a D. A. i.
Ferreira Alves ; 2|4 a ordem ; 135 ex. de di. a
Marques Barros 4C; 20 de 2 dz. a A Rodrigues
Sampaio ; 15 a J. E. Red ; 5 a J. A. Maia e Silva;
2 a J. J. da Costa Maia ; 50 de dz. a D Alves Ma-
llieuz.
Scienci.-ts e
medicina.
Le-se na Union Mcdirale de Paris:
Osjornaes de medici ia fallaram por va-
rias vezes de urna deicoberta importante
para a therapeutica, que consista na desin-
fecto do oleo de figac o de bacalho sem
Ihe tiiar nenhuma das si as propiedades.
Temos o prazer de annunciar hoje as-
nossos leitores, que esse resultado foi obtio
do de modo o mais completo por um hbil
pharmaceutico de Paris, ) Sr. Chevrier, que
oleo de figado de
e o balsamo de
titas por muitos de
nos hosp taes e, so-
ares, as analyses e
)etentes, nao dei-
competente o Sr.
) da academia im-
fessor de Chimica.
diz este distincto
o de bacalho na-
bcesso do Sr. Che-
que esse producto
seus principios
himicos, que se
de bacalho ordi-
das substancias
oleo natural para
consegtno desinfectar o
bacalho com o alcatrar
Tolo. As experiencias fi
nossos pratioselec ebres,
bre seus dontes particu
ensaios de chimicos com
xam nenhnma duvida a ejsle respeito.
Relatamos aqu as proprias palavras de
um juiz muito eminente
Dr. E." Humbert; lauread
perial de medicina, e prq
Submelti a analyse,
professor, o oleo de figat
tural desinfectado pelo pr
vrier, e posso certificar
nao petdeu nenhum do|s
medicamentosos nem
acham no oleo de figado
nario. A fraca propordo
estranhas que -e poem no
dissimular o cheiro e o sabor desagradareis,
nao pode de nenhum modo alterar suas
propriedades medicaes e s a torna de um
uso fcil e mesmo agradavel.
Em resumo, o oleo de figado de baca-
lho desinfectado pelo processo Chevrier
goza de propriedades idnticas ao oleo de
ligado de bacalho ordinario, que elle repre-
senta exactamente.
Elle muito ben tolerado pelos doentes,
os quaes elle nao anoja e lomado-pelas
pessoas cujo gosto e olfatc sao dos mais sus-
ceptiveis.
Hoje que o oleo de ligado de bacalho
tem-s tornado um dos agentes os mais im-
portantes e preciosos da tlierapeutica, quem
descobrio o meio de o tornar de um uso f-
cil para todos, prestou um verdadel-o ser-
1 ico arte de curar e aos praticos.
Por isso nao podemos! concluir melhor
do que felicitando o Sr. I Chevrier por sua
rica e til descoberta qbe merece de ser
propagada, e dizer com meu collega o Sr.
Dr. Richelat os trabalhos que conduzem as
descobertas d'esta especi i devem ser pro-
tegidos pelos mdicos.
Os importantes trabalhifis do Sr. Chevrier
o oleo de figado le bacalho Ihe fi-
obter
zeram obter um resulta io nao menos im-
dera, e cobertasde lelhas,"eTendo "urdeHas des- Portante. 0 qual consiste i!m ter associado 0
abado, resultou disto ficar urna mulher ferida a ferro ao oleo de figado de bacalho. O oleo
^be^r.e.?ulra.lodaco<1luia;e-poi,,ueja,!ueo de figado de bacalho ferriginoso de Che-
SS^JfffiS^SIZ^^'St ^ier^tue ta.vez oLZ meiodedar-
eslado de ruina em que se achara, consulla se de- se ferro- Pois O 10Cl:i "O de ferro unido
ve proceder nellas a vestoria que determina a pos- deste modo com O Oleo de figado de baca-
&B.m 6ta,Dl? eh*rm"e dentro d/muros.- iho se dissolve mais fac latente nos liqui-
Posto em discusso, reso veu-se responder ao fiscal j a~ ..-,. j-
que procedesse vistoria as ditas casas dos das v"s dativas e por consequencia
Outro do mesmo, communicando que os proprie- 6e assimila muito mais tem do que sb a
tarios da casa n. 29 da roa etreiU do Rosario Dr. forma de pilulas OU xanpe. Emfim elle
Aaionlo Joade Ayflea, real toate na c.dade da perde assim suas propriec ades irritantes, e
K^a'ffi&S&.'tSSiS "^"T0 'conslipa{>- E' assia"'oe
| lo lambem moradoura nesta cidade, nao s tinhara os doentes, CUJO estomago n5o pode suppor-
appellada, Delphina Mara deixado de fazer osconcerlos determinados pela lar nenbuma preparaco narcial, tomam fa-
ou" ., I '8tona 'Ua em dito sobrado, como deixado de na- cilmenteo olea An finada d haralha forru.
Appeliante, hi Feliciano Barbosa ; appellada, gar a mulla que Ihe fra imposta era consequencia ""," j', rhLZ?9 T aCaUta ferrUr
a P"Sf de falta; pelo que roga a cmara que providen- P80 *".
Appellanle, ojuizo ; appellado, Jote Rodrigue* ce, visto que ja entregou o termo de multa aopro- ^ senhores Maurrer & C. acabam de re-
enrador para proeegutr aos termos da postura. ceber om grande sortimento dos celebres
A jurubeba.
As virtudes therapeuticas da jurubeba sao desde
muito conhecidas nao s no Brasil, pois que dellas
Iralou Pisn em sua excellente obraritilona n-
lurahs el medica India occidentnhs. seno as
Anlilhas, onde o sueco das fulhas e fructos como
aqu, muito eslimado e applicada contra as obs-
truegoes abdominaes, principalmente do figado e
bago ; e se todos os facultativos desia provincia o
nao applieam com frequencla, isto se nao deve a
nao reconhecerem elles essas virtudes, mas slra a
nao serem encontradas com facilidade e em todas
as eslagoes do anno os frucios dessa plasta, e a re-
pugnancia, que apresentam os deentes em fazer
uso do sueco desses fructos, em consequencia de
ser extremamente amargo.
A jurubeba nao descouhecida dos botanistas :
esta planta perteoce familia das sotaneas, e lem
a denominacao de solanum pamculatum, que lht
foi dada por Lyneo.
Parecendo-nos conveniente facilitar o uso do
sueco dos fructos da jurubeba, que o mais em-
pregado, nos propozemos e conseguimos preparar
com elle nao s um extracto alcoolico que pode ser
applicado em pilulas, mas tambem um vinho, um
xarope, e um emplastro que pode substituir, em
certos casos, o de Vigo ; e estamos persuadidos que
com isto prestamos um servlgo humanidade e
hterapemica.
Pisn, tratando da hydropesia, prescreve a de-
coegao das raizes da jurubeba, e Mrat e Delens,
em seu Diccionario de materia medica e therapeu-
tica, dizenj que as An'ilhas se faz uso do sueco
dos fructos maduros dessa planta contra o calar-
rho vesical ; e a autoridade dos nomes desses m-
dicos, merecidamente celebres, nos leva a crer em
suas palavras, e por isto cuidaremos de ter em
nosso estabelecimento essas raizes,para que possam
ser experimentadas.
A reputagao da jurubeba tal, e os resultados
Iherapeuticos obtidos ltimamente sao to impor
tantes, que nos parece intil dizer mais do que
isto, que lea escripto.
Deposito: pharmacia de
Joaquim de Almeida Pinto.
COMMUlvIO.
Caixa filial do banco do Brasil em
PerHamhueo.
A caixa descoma as letras de seu aceite pela
tai xa de 6 0|0 ao anno.
Oguarda-livros
Ignacio Nunes Correia.
Novo Raneo de Pernambuco
O Novo Banco paga o dcimo quinto di-
devindona raz3o de 80 poraeco.
vov banco de Pernam-
buco.
O Novo Banco descoma letras de praso al seis
mezes a 10 por ceoto ao anno, e toma dinheiro
a praso fixo, ou em conta corrente pelo premio e
condigoes que se convencionar.
ALFANDEGA.
Readimento do dia 2..........
dem do dia 3...............
24:3004914
29:5004073
53:8074387
MOVIMENTO DA ALFADEGA.
Volumes entrados com fazendas___ 167
t com gneros..... 358
------525
Volumes sahidos cem fazendas..... 135
< < com gneros..... 245
------ 380
Descarregam hoje 4 do corrente.
Patacho hamburgusEmma diversas gneros.
Brigue portuguezfiiperancadiversos gneros.
Escuna hollandezaGfzinadiversos gneros.
Lugre ingleztnglishman-canio de pedra.
Patacho porluguezFarfocharque.
Importacio.
Brigue portuguez Esperanca, vindo do Porto,
manifestou o seguinte :
78 a J. M. Palmeira ; 100 a H. de Olivelra ; 91 a
M. Duarte Rodrigues ; 60 a David P. Bailar ; 177
a A. J. dos Santos Andrade ; 65 a A. Lopes & C.
Azeite, 5|5 8|8 a J. M. da Silva. Azellonas 100 anc.
a A. H. Braga & C. Calgado, 2 ex. a M. J da Sil-
va Felgueiras. Capachos, 2 fard. a J. A. Maia e Sil-
va. Carne de porco,27 bs. a T. de Aqolno Fonse-
ca ; 20 a J. M. da Silva; 10 a A. L. Braga & C.;
1 a J. A. Maia e Silva j 1 ex, a J. dos Santos Coe-
Iho. cebo em pao, 4 barricas a J. A, Costa Siquei-
ra. Ceblas, 40 ex. a J. dos Santos Vieira ; 43 a A.
Lopes braga & C. Cestos de madeira, 4 vol. a J.
Brigue tuspanhol Thrmoteo 1, enlrado de Barre-
lona, con.-ignado a Th. CliriMianseD, maoifotoa
seguiute :
230 pipas, 10 meias ditas, 140 barris de nowto,
40 ditos de dcimo vinho tinto, 20 barris de quin-
to dilo branco, 1 caixa papel para cigarros. I."
caixoes chumbo de mumgao, 80 barras e 278 *
dilo em barra.
Vapor nacional Persinunga, entrado dos porto*
do norte manifestou o seguinte :
De Macan.
6 saccas algodo; a M. D. Filgueira.
22 saceos algodo; a Gregorio P. A. & C-
8 ditos dito; a ordem.
23 garajaos, IM arrobas de carne, 2 ditos 12 ar-
robas de tbo, 2 ditos 5 arrobas de falo de iofu; a
Manoel da Cunha Montenegro.
1 garajao, 10 arrobas de carne; a M. S. C. Piav
pao.
150 molhos palha de carnaoba, 2 garajaos, 10
arrobas de ame ; a A. J. P. Goncalves.
5 couros salgados, 11 saceos cera de carnauba, 4
garajaos 42 arrobas e 11 libras carne, 2 sari-aa -
godo; a Antonio da Silva Pooles Guunarar.
Do Ara cal y.
36 saccas 157 arrobas de algodao ; a Antonio de
Sa Barreto.
30 saccas 118 arrobas e 10 libras de algodo;
Andrade & Reg.
28 ditas eora 109 arrobas e 25 libras de algodao^
a Domingos Rodrigue> de Andrade.
186 taceaa com 794 arrobas e 27 libras de algo-
do ; a Jos de Sa Leilo Jonior.
60 ditas 244 arrobas e 6 libras de algodao;a r-
dem.
36 ditas com 131 arrobas e 12 libras de dito ; a
Joaquim da Costa Aranjo.
61 ditas rom 248 arrobas e 24 libras de dito ; a
Francixo Gomes de Mallo*.
20 ditas enm 86 arrobas e 12 libras de algodao ;
a Antonio Affonso Moreira.
51 ditas com 251 arrobase 19 libras dealgodc;
a Prenle Vianua & C.
100 ditas 424 arrobas e 27 libras de dito a Loiz
Antonio Siqueira.
Do Acarac.
7 volumes omma, 8 saccas algodo ; a AaMio
Gongalves de Azevedo.
12 sjccos gomma, 5 ditos algodo, e 6 barricas
sebo; a Joo Ferreira dos Santos Jnior.
80 meios de sola, e 46 saccas algodao ; a Jos de
S Leiio Jnior.
Lugre inglez Engteshman, entrado de (ardil,
con>ignado a Wilsons & llette manifestoa o se-
guinte :
317 toneladas carvo de pedra ; aos mesmos.
Hiate nacional Santa Rita, entrado do Aracaty,
consignado a Tasso irmo, manifesloo o segninte :
260 meios de sola, 14 saceos c m 56 arrobas de
cera de carnauba; a Viuva Moreira & F;lhos
6 saccas 21 arrobas e 4 libras algodo ; a Anto-
nio Affonso Moreira.
30 saceos 16 libras de pennas de ema, I barri a cera araarelia
com 55 libras; 4 libras 3/t de buxo d-* pescada ;
a Lino de Faria.
30 saccas com 86 arrobas e 29 libras de algodo;
a Tasso Irmo.
78 molhos 1,950 pelles de cabra ; a Francisco
Gomes de Mallos Jnior.
16 saccas 98 arrobas e 10 libras de algodo ; a
Alfredo & Matheus.
8 ditas com 3s arrobas e 9 Horas de algodo; a
Francisco Aotonio Gomes de Mallos.
14 srecos 60 arrobas e 21 libras de algodao; a
L. A. Siquera.
56 saccas com 234 arrobas e 17 libra* de algo-
do, 26 sarcos com 101 arrobas de cera de car-
nauba ; a Jos de Sa' Leilo Jnior.
Blata brasileiro Exhalarao, entrado do Aracaty,
consignado ; a Jos de Sa Leilo Jnior manifestou
o seguinte :
130 meios de sola ; a Francisco Gomes de Mal-
los Jnior.
64 saccas com 149 arrobas de algodao, 50 sacros
11" arrobas e II libras de gomma, 20 molbos 500
esleirs, 2290 courinhos ; a ordem.
1 caixo 100 pares (! sapatos, 39 saceos com 149
arrobas e 13 libras cera de carnauba, 12 sacros
com 49 arrobas e 17 libras de algodo ; a Jos de
Sa' Leudo Jnior.
20 saceos com 84 arrobas e 27 libras, de gom-
ma ; a Ferra & Loureiro.
20 saccas com 66 arrobas e 5 libras de algodo
a Domingos Rodrigues de Andrade.
Hiate nacional Novo Invekcicel, entrado do Ara-
caty consignado ; a Silva & Alves manifesloa o se-
guinte :
38 saccas com 134 arrobas e 19 libras de algo-
do ; a Francisco Gomes de Mellos Jonior.
1 barrica com 100 pares de sapalos : a Silva &
Alves.
1 dita 207 coturnos, 53 molhos com 620 esleirs
de carnauba, 1 dilo 3 duas grandes, 40 caixas coa
40 arrobas de velas de carnauba, 600 counabos,
115 meins de sola, 89 saccas com 352 arrobas t
libras de algodo ; a ordem.
20 saccas com 86 arrobas e 3 libras de algodo,
42 ditos com 157 arrobas e 5 de cera, 30 ditos con
208 arrobas e 20 libras de gomma ; a Ferreira fe
Loureiro.
Escuna hollandeza Gezma, entrada de Anvers.
consignada ; a Th. Christiansen, mauifesiou o *e-
guinte :
200 caixas vidros para vidraca ; a Saoaders/
Brothers & C
24 caixas armas ; a Prenle Vianna.
12 ditas (Illas; a Monhard.
10 ditas ditas ; a Brender a Brandis.
18 ditas cartas de jogar. a ordem.
30 ditos dila ; a A. Burle & C.
43 ditos preges ; a Brenders a Brandis.
10 ditos ditos ; a ordem.
1035 formas para assaear; a Silva Barroca.
1 volme fzeoda de la; a J. Keller,
2 caixas espadas ; a L. Wild C
2 volumes rame ; a N. O. Bieber.
16 caixas ferragens, 20 embrulbos de papel; a
B. Brandis.
61 volumes papel de embrulho; a ordeaa.
12 caixas papel de escrever; aBreader aBraadat.
12 duas ; a Henriqne & Azevedo.
20 ditas dilo de imprimir dja Brender a Braadi*.
Barca portuguesa Recreio, entrado do Rio Graa-
de do Sul comsignado ; a Bailar A Oliveira ana-
festoo o seguinte :
15:022 arrobas carne secea de charque, 8a asa.
ros seceos, 2 quartollas 8 barris laionas, M> fea.
gres seceos agranel ; a ordem,
KECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS -
RAES DE PERNAMBUCO.
(tendlmenlo do dia 2.......... l:1H|bM
ldemdodia3................ Mi*a7
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento dodia ........... i:t774U
Idem do (Ma 3............... S-.\"
7:


Diarto de pernambuco S.trVfeadb 4 J Xorembro' ce f *&.
MOYIJUST,
All
i
Nao houvenm entradas aera sabidas.
IBifiES.
Pela insfieccao da alfandega se faz publico,
zeoda solio. 140 hontem datado, precisa se contra-
tar o concert de ama parte da robera do edificio
por cima do armazem n. 5, cujo orgamento na im-
portancia de rs. 329*280 acha-se na mesma repar-
lieo, onde os prelendentes o poderao examinar,
alim de organitarera suas propjstas, que deverao
ser entregues em carta fechada al as 2 horas da
Urde do dia 10 de novembro prximo.
E para contar se passa o presente. 4" seccao
da alfandega de Peroambnco 27 de outubro de
1865.O i escriturario,
JoSo do Assis Pereira Rocha.
DECLlMijOES.
Antonio Fausto de Abreu C.
Antonio Policarpo Rodrigues de Salles (4).
D. Bernardina Mara do Sacramento.
D. Cosrna Rosalina do Nasclmeuto,
D. Candida Petronilla Ro-a de Souza.
Feliclo Jos Vaz de Oliveira.
Frederico de Souza Gomes.
Francisco Gonzalo de Oliveira.
Francisco Xavier Cavalcanti de Albuqnerque.
D. Giminiana de Oliveira Barros.
Hermino Pinheiro de Meodooca (Goianna).
Jo venci.
Joaquim Alves Moreira.
Joaquim Ignacio da Fonseca (2).
Joaquim Mamede dos Guimaraes Heixoto (2).
Joo Bernardo do Reg Valeote (2).
Joo Jos Henrique Jnior.
Jos Antonio Ferro de Figueiredo.
Jos da Costa Rabello.
Jos Francisco Ramos..
Jos Nicolao da Costa.
Luiz de Souza F.
D. Mara dos Aojos Lima (2).
Marcolioo da Costa.
Marcolino de Santiago V. L. de A.
Manoel Antonio Tavares.
Manoel Baptista Bruno.
Manoel Francisco do Reg Mello.
Manoel Pereira da bilva S.
Maooi-I Telemaco.
Rosalina do Nascimento.
Valentim Marques dos Sanios.________
lervenc;io do agen'e Pinto, com llcen$a do Illui.
Sr. inspector da alfandega, em presenga de um
empregado da mesma reparticao para o fnn no-
meado e por conta e risco de quera pertenoer do
Cosco e objectos cima mencionados tal qual se
acha ancorado neste porto, as II horas do dia ci-
ma dilo em frente a as pretendeutes poJerao desdo ja examinaren) o dito
casco e seus pertences e coraparecerem ao acto
do leilo.
EILOES
LOT
RA
CORREIO.
O Sr. Domingos Jo> de Parias queira dirigir-se
a repartigo do correio alim de recebar urna carta.
Couimaudo das armas.
O Etm. Sr. raarcchai de campo comraandante
das armas, est pelo Exm. Sr. conselheiro presi-
dente da provincia autorizado a contratar um ca-
peilo para o presidio de Fernando. Qualquer Sr.
scenlo!? queesli"er habiltalo e queira prestar
tiste Servico, so!) a COUdiceoea que v.rliilmentj .
se Ihe tara' saber, enha a bondade de comparecer ****** ,os D,as de s'mP*0-
no qoartel geueral nos dias uteis das 9 horas da
n>anha a 1 da tarde. Secretaria militar 30 de
outubro de 1865.
**i Francisco Camello l'essoa de Lacerda,
Teoent-curunel secretario.
COilREIfl GER.4L
Relaeo das cartas seguras existentes na adminis-
traeSo do correio desta cidade para os senhores
abaixo declarados :
David Ferreira Bailar.
Dr. Felippe Lopes Netto.
r. Gervasio rodrigues Campello.
Dr. Joo Mauricio Cavalcanti da Rocha.
Len Weill.
Marianno Francisco Belem._________^^_^^_
Arremataco
Terga feira 7 do correte, na aladas audien-
Malaram se para o consumo dota cidade no mez: c'as> peraote o Illm. Sr. Dr. juiz de orphios. as 11
de setembro do crreme anno 2,807 rezes, a I "oras do dia, vai a praga por venda, cora o abate
DE
Mobias t> gios de algibeira e parele,
objectos de brdhanten, ouro
e prat'i e multas artigas do
uso domestico que se t rna
enfadonh mencionar.
Seguo la-feira 6 do corre j le as 11
horas.
Quarta-feira 8 do corrente as 11
horas.
Sexta-feira 10 do correle as 11
horas.
NO GRANDE ARMAZEM DE LE LOES
DO AGENTE
OLYMPIO
36Ra da Cadeia do Recite -36
IOS 6:000$(100, 1:200#000
e 5000000.
BILHETES A' 55000, MEIOS A' 2,5300 E
QUINTOS) A' 1,5000.
Corre srguflda-fcira 13.
Achara-se vertda na respectiva thesou-
rara ra do Crespo n. 15, os bilhetes,
" meios e quintos da 5* parte da lotera
' (38a) a beneficio da i familias dos volunta-
I rios da patria, cuja extraccao ser no lu-
gar e hora do costunie.
Os premios de e .0000000 at 105000
serao pagos urna lio 'a depois da extraccao
at as i lioras da tarde, e os outros depois
da distribuido das hslas.
As encommendas ero guardadas somen-
te at a noite da ves pera da extraccao.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Sou/.a.
r ^rn^ mmmm
Companhia fidelidade de seguros $*
martimos e terrestres y
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES KM PEKNAMBUCO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo A C, H
utorisados pela direc- >*
de seguros Fidelida- g
de navios, mercado- H
eu escriptorio ra da 9
5 competentemente:
^5 loria da corapanhii
} de, tomam seguros
!_ rias e predios no
'*?? Crui n. 1.
Cmara municipal do Recife.
MATADOL'RO PUBLICO DESTA CIDADE.
7IS0S HUUM.
K >35 HK WKM
Pr^cisa.se de urna
estrangeira, prefeiindo
rna da Cadeia n. 18.
saber :
Liliamo Candido Ribfiro & C............
Virginio Horario de Preiias.............
Jo< Lucio Lin-.......................
Jmu Chrysostomo de Albuquerque.......
Manoel Francisco de. Sonta Lima........
Manoel Joaquim de Soma Tavares.......
Francisco Candido da Paz.........-----
Weneeslo Machado Freir Pereira da
Silva..............................
Bdiarmino Alvos Aro ha...............
Manuel l'aul. de Albuquerque...........
G fniniao Jos de Albuquerque.........
Manoel de Souza Tavares...............
Ernesto Celestino de Mondonga.........
2,807
CuBtadoria, 3 de outubro de 1865
O contador,
CaH'ino Silcerio da Silva.
!) ordeni do Illm. Sr. en*enheiro em chele da
repartigSo das obras publicas se faz publico que o
da 5* paMe, o sobrado de tres andares e solio da
72* ra do Amoriin n. 25, avahad em o.OOjjOOO,
381 conforme o escripto era mo do porteiro.
277
CURSO ESPECIAL
DE
THt
DE
ItO
EMPHEZA--tOIMBTtA
IIOJE
Sbbado 4 de novembro
de 1865.
maeestoso drama cm 4
Repr.s,"itar-se-ha .
coacursopara o preeoch.meot das vagas de pra acl0 orgiQa, DrasUer0i dJ Sr. Dr. Pinheiro Gai-
Siiinuis tiesta reparticao. te.-a lugar no da lo de raaraes
dezeiubro vindouro, a* 10 ho*as da mantiaa. mm, ^^. ^, ^mr^. ^ ?-*% '^
0 exames versaran sobre luigua nacional,:
abrangendo a escripia, leitura e auaiyse gramma-1
tieai, des6obo linear e de aqoarella, arithmetica \
e:n todas as .-uas operacoos, # geometra linear.
(is requer nonios para nseripcSo dos candida-
tos devero ser apresentad is at o dia 13. e porte-
ra i ser instruidos com quaesquer documentos os
(ituios scientiilros que abonera a capacdade dou
nvMcios candidatos.
S-c etaria da reparticao das obras publicas 19
d' outobro de 186o. No impedimento do secre-
Ui O,
Joo Joaquim de Siqueira Varrjao.
iaiila C.isa da ,11 scriconlia
d ecife.
Pela secretaria desta santa casa se faz publico
que 0 !i spital dos lasaros ir "isa de nm enzlubai-
ro : ^i-' pe^soas que pretenderera exercer eise em-
pr'go, devem dirlgir-se ao llim. Sr. mordomo de
:r>.>. Antonio Jos Gomes do Correio, em sua resi-
I : i i na cidade nova le Sant) Amaro, ou ao re-
gente do mesma hospital.
.Secretaria da SantaCisa dj Misericordia do Re
c.if 7 de outubro de 18 o.
0 offkial,
Manoel Antonio Viegas.
Sania Casada Hisericordia do
Kec fe.
'.! '1,1 iiniiriiihbs orplis, ijue por ordem da
presiilencia da proincia teiu de sir admiltidas
ni respectivo collegit, do 1.' de novembro em
date.
\ me*. Obserwres.
Is !. lilhi de ArcliangeU Bernardina.
Aul ma, lilhade Dlogo Soare,i de Albuquerque.
ftosa, pupilla de Jos Alves Barbosa.
Sel ia e Guiihermina, coleadas de Mara Januaria
,;:. Qoneeifaa
Fi ..o.i, Ulna de Francisca Silvina de Barros.
E hili i, atilhada do Dr. Francisco Jos Fernaodes
(tirana.
Heuri|ueta, lilhade Hanoela Mara do Espirito
S mto.
Erailitina,'lha de Prancelca Hara liorges.
Mara e Pnilomena, lilhas oe Alesandrina Pereira
de Souza
Antonia, lilha de Marcolina Francisca Guimaraes.
Jl mona, lillia Je. LeaoJra Th^reza de Jess Barros.
AV-lai le, lilha Je Mara da Luz.
Mari i, sobnnha de Uanoe Po da Luz.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cif: i de novembro de 186.3
Ooffleial,
Manoel Antonio Viegas.
Consulado de l'orlugal.
S i i convidados os senbores credores do flnado
suli lite portoguez Manoel Jos Soares Guimaraes
a irem entregar ueste consulado as suas cootas
dentro do praso de lo das, para serem conferidas.
Cu isulado de Portugal em Pernambuco tos 31
de outubro de 1863.O chanceller
Aniuuo> Guimaraes.
PEnSONACENS.
Julia........................
Clara.......................
Magdalena...................
Commendador Castro..........
Augusto.....................
Joao Manoel..................
Salvador.....................
Guilh'rme..................
O vigario....................
O ilontor___ ...............
lm pigem...................
Capangas....................
Fmdo o drama a fir. d. ai..i
D. Adelaide.
D. Camilla.
D. Je.-uiua.
Pedro Joaquim.
Amoedo.
Porto.
Birges.
Lisboa.
pristo.
Guimaraes.
Peisoto.
N. N.
PAEPAR.VTORIOS
para os cstudaintes que si e ve ni
fazei* acto em marco.
Jos Soares de Azevedu, professor de
liogua e lilteralura nacional no Gymnasio
Provincial do Re:ife, tem aberto e;n sua ca-
sa, ra Helia n 37, um curso especial dos
segui'ntiis preparatorios, para acuelles estu-
dantes que tiverem de fazer exame em
margo prximo :
Uugua Frauceza
Cicographla e Historia
a*liilosophla
Uhetorica e Potica
As pessoas que se quizerem utilisar desta
vantagem, podem dirigir-se indicada re-
sidencia, fie manha at as 9 horas, e de
tarde a qualquer hora.
AmiM aeEBaEr iaiiat Imperial Instituto de >\ossa Se-g
abara do Boit Conselho. |^g
Cairsu de ferias. B
As aulas deste curso abr^m-se a lo g
de novembro. Os Srs. estudanti-s de pre- !^J
paralnos que se quizerem habilitar pa- -J
ra prestar exame em marco, podem des- m
dr ji vir dar seas nomes a matrcula. O* tiia
lentes serao os mesmos do curso de fe- H
rias nassado. 'JTJ
ama secca para urna casa
se escrava : a tratar na
Albino Baptiza oa Hecha, relo-
iutiroe louradur, na praca dala-
dependencia n.
concert
pelo seu
bem compra relogios em
teccao de seus amigos e
Precisa-se de um
12, faz qualquer
perteDconte a sua arte
por pre os mais baratos do que
Mitro qualquer e responsabilisa-se
trabalho, assim como lam-
segunda mao, espera pro- i
compatriotas.
bina qoe saiba bem cozl-
nhar e comprar : a tratar na ra do Pires n. 21.
Antonio da Silva L< ni subdito portugaez re
tira-se para Lisboa.
No dia Io do mez <
gio da Passagem, do sitio
le outubro deste. anno fu-
ero q;ie mora Francisco
Moreira da Costa, um esimva de nome Antonio,
de nac.o, idade 30 annos
tem os signaes seaunte*
tem os dedos das dua- m
to embaraada, desoonOa
protesta usar da accao ci
quera o nver oecuo : i
quer pe-soa a apprehen
que se recompon*-ra ,'ei
Offerece se urna ai
para casa de piuca famil
casa junto ao jogo da Mo!
Precisa-se
lionas n. 106.
niuc mais ou menos,
baixo, cabello hranco,
; eocolbidos, falla mui-
e que e-leja oceulto por
Para vestidos de sen hora.
Corles de seda de cor de bou gosto e superior qualidade.
Lindas sedas de qtiadrinlios.
Bons moireanliques de cores.
Grosdenaples da todas as cores.
Lindos poil il chevre fazenda asselinada de inieira mvidade.
Lindas duqtiezns assetinadas fazenda inteiramente nova.
Modernos grena.lines de seda o que tem viudo de mais novo.
Grande variedade de laas de cores lisas e de salpiccs.
Organdys e casas de muto bom go.-to.
Percalias modernas com grande variedade.
Lindos corles de la Clotilde com todos os pertences cada um em sen nr-
tao inleiramenle novos. r
Bonscrtes decassa com barra tamlvm inleiramenle novos c oulras militas
fazendas de goto que seria enf.idonho mencionar.
Para homhros de senlura
f Grande variedade de chales, bournou.x, retondes e algeriennes de H e de2
guipure a iO, 10, 20, 30, 40, 60 at 80-5.
k Modernos swutembarques de seda de superior qualidade.
ffio Lindos borles de seda de cor pretos e de cachemira.
Q]P dem de cambiaia branca bordada com milito gosto.
Jk Sautembarques e bournoux de cacliimira do cor e outros muitos aitigos M
^bom gosto.
jr% Para cabeca de senhora
'jfi Superiores chapelinas de palha. de seda e de crina de muito bom gosto a m-
tperalrz.
Chapeos de palba da Italia grande variedade.
Lindos gorros e bonets de palba de Italia, Imperatriz, Canutier, ;'i Clotilde
^&.e a trame, ehegados de Parispeo ultimo vapor.
(jip Grande variedade de enfeites de froco e de llores para casamento.
f Superiores vestidos de blondo, e de miireantique brancos.
Bons moireanliques brancos e superiores sedas brancas.
Bons vestidos de tarlatana hranco bordados.
fmt Lindas mantas de blonde e boas capellas.
ip Kordudos.
C| Grande variedade de entremeios bordados transparente e tapados,
esp Tiras bordadas transparentes e tapadas, babados bordados, saias bordadas e
outros muitos artigos.
DE ANTONIO CORRBI l>E A8 ONCELLOS
A
c.
RtA l>0 < Sil'SI'O V. 13
condecid is do nvsmo e srao ; pelo -presente se
nn )!-se, porianto, a qual-
JM do referido escravo,
srosamente.
ti para omprar na ra,
a : na ra da Concordia,
iimi escrava : na ra de
Jos Faustino de L< nos tem justo e contra-
tado por compra a tabern I da rna di Imperatrli
n. 34, livrede ip.ialqueroiius: quera se julgar com
algum direiio sobre eila, (queira annunciar oestes
tres dias.

*
5
en

t
**
fi&s&SG&fKMilSZlSSfl*. ,^--- -. I MA j3g>s^> Af-
CONSULTORIO tttMMIRIBtiltt
00
DR. PEDV) DE VTTliVDE LOBO MOSk .
HIHCO, l>\HTi:S3tO 33 OPKKADOII.
3 Ra du Gloria, eaaa do L'imdao *
O Dr. Lobo Moscoso d consullas gratuitas aos pobres lodos os dias das 7 s It
aoras da manhao, edas 6 e meia s 8 horas da noite, excep.no dos dias ^antili.
harmacia especial 'jorneupulhia
No mesmo coisultorio ha sempre o mais appropriado sortimetito de carteir-s
rabos avulsos, assim como tinturas de varias dyinnamisai.oes e pelos precajs seguin'es.
Carteiras de it tubos grandes. itOOO
de 24 tiilwis g> andes. Itt^OO
de 'ti tubos grandes.
O abaixo as>isnado, seietario da irmandade de
S. Chrispin e S. Cbnspini no, ert-cta na igreja do
J.J A..M-
ul,
pa-
mm
mwtmxmm
rentara' em scena aberta a brnaote po;zia
trioiica
Dar flm ao espectculo a chistosa comeda em Ji to fl yiliuu
1 acto
0 MARIDO NO PREGO.
Tomam parte as Sras.DO. Eugenia, Leopoldina,
e os Srs. Lisboa e Teiieira
Comerjar as 8 horas.
N. B. A empresa previne ao publico que esta'
preparando para subir a scena o drama de grande
espectaculo-A ACT1VZ EBltElA.
onfriiia
atocs MrriMos.
COMPANHIA PERNAMBC v.\A
DE
N.vcgacjjo cosleira par vapor.
Parahyba, Natal. Maco, Aracaly, Cear e
A carac.
O vapor Persiiiunga, Cuinman-
dante Souza, sfgue no da 9 do
corrate as 5 horas da tarde. Re-
bebe carga at o dia 8; encom-
mendas, passageirns e dinheiro a
frete at o da da sabida as 2 horas: escriptorio
no Forte do Mato- n. 1.
REVISTA JURDICA
ReligueJarisprodenciaBiblisara
pbia.
11E010IDA I'KI.QS SRS. DV.S.
JOS DA SILVA COSTA
Juiz Municipal da secunda vara da corle e
Arremaiacao.
Fui la a audiencia do da 4 do correnle, do juiz
municipal da 2* vara, eserivio Baptista, sera' ar-
rematado por venda, a qu^-m mais der, o estabele-
eimeato de cera com todos os seus nteneiliOS, na
leja do sobrado n. 5 sito a' rm do Cabula', servn-
do iie base o bataneo oaimportancia de 4:320)5730.
como cotilla do escripto, que s acna em poder do
porl'iro do juizo, o qual eslabelecunento faz parte '
dos i os, que llcaram por lall-Tirneiito de Angelo' Olala
Custodio dos Santos, e vai a praca a requerimento Irmaos.__
do r^pectivo inventariante. __________
PARA O
Rio de Jaueiro
pretende seguir com milita brevidade o palhabote
nacional Piednde, tem parle do seu carregamento
engajado : para o resto que Ihe falla e escravus a
frete, para os quaes tem expelientes commodos.
trata se com os seus consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevelo & C, no seu escriptorio ra
da Cruz n. I.
Para iJshoa
sahira' com brevidade o bngue portuguez tCons-
tante II, recebe carga a fr-'te e passageiros, para
os quaes lem excellentes commodos: trata se com
Manoel Ignacio oe Oliveira Pilbo, no largo do Cor-
po Santo n. 19, escriptorio.
PAItA
LISBOA
vaisanir com brevidade o patacho portuguez Ma-
ra da Gloria, capitao A. l. Volaule, reeebe car-
ga e passageiros : irata-se com o consignatario E.
i(. Babello, ra do Frapiche n. 44.
Cear
Dous Irmos : a tratar com
Tasso
Acha-se rscolhido a cas de dctenco, pela
suli I -legacia da freguezia dos Afogado-, por andar
ug lo, o preto de nome Antjnio, que diz ser es
cravo de Joaquim Cavalcanti do llego Jnior, mo-
rador na Escada : quem se julgar cora direito ao
MStmo compareca, que provando, Ihe ser en-
tregue.
O subdelegado,
Jos Roberto de Meraes e Silva.
lloiisclho de comps navaes.
Oeonselno em 6 dj corrnte mez promove a
compra, sob as condii;es do estylo, dos objectos
abaixo declarados a vista de propostas em cartas
fecha Jas recebidas nesse dia at as II horas da
manliaa.
Objectos.
10 bandeiras nacionaps de 5 panno*, 10 ditas nv
cionaes de 4 pannos, tO ditas nacion-ies de 3 pan-
nos, 10 ditas de gurup de z pannos, 8 lenges de
ferro de 1/4 de gros>ura, ferro bruto para fnndi-
jao. 10 duzas de limas meta cana de 16 a 20 po
legadas, 10 arrobas de mialhar tirano, 3 ditas de
Marahao e Para
Segu com brevidade para os indicados portos
o brigue escuna nacional Graciosa, que anda
admitte alguma carga : a tratar com Antonio de
Almeida Gomes, ra da Cruz n. 23, 1 andar.
CE II OES.
LEIIAO
i\a
M H-4 m^z
Sibbado de novembro as I i horas.
ra da Cadeia arma era n. 53
Pelo agente Euzebio
De duas mobiliasde Jacaranda' novas,de um sobrado
de um andar e soio n. 27 silo na ra da Moe-
da, as chaves se achara no armazem junto n. 29,
rende por mez 35'oO0.
De duas ca as terreas ns. 39 e 41, sitas na ra
das Cnoulas, rendem por raez 24S, os tres predios
ir examinar, e certos de que serao vendidos pelo
maior prego que se achar.
iedao
prego* ripares de cobr-, 6 duzias de labo^s de eos cima san solos propriso. Os prefradentes queiram
tadinlii de amarello, 3 ditas de taboas de assoalho :
de a'iiareiio de 3 palmos de largura, 20 ditas de
taboas de assoalho de amarello, 40 ditas de tabeas
de huiro para firro, 12 ditas de taboas de pinho de
3 p llegad as, 600 covados de tllele, e madeiras de
eoastrucco para um transporte de guerra.
Sal do con elho de compras navaes 2 de no-
vembro de 1865.
0 secretario,
Alexandre Rodiigues dos Aojos.
^erjpfittKO0 SfiaU..... _.__..,
ReUc (as cartas de eiercita, existentes na ad- Tcrcafel' 7 (le llOVftmbPO a porta da
miiiislrar do corris esta cidade, para as, associacao CiMllllieixial US 11 lloras
seuliores abaixo declarados : E. Arookf Jnior capuo da narca ingleza Mira
Amex.ci) ferreira da&Ira. 4 Celia, arribada nesie porto, fara' leilo por io-
Do casco da barca ingleza Jfira & Celia, com os
maslros reaos. cabrestantes, bomba, 1 verga
grande, 1 -mastaro. 2 ancoras com correles, 2
cabos para amarras, 1 tan |ue de ferro, 12 bar-
r para agua, 6 a 8 tonellada> de carvo de pe-
dra, fugo e atenis de cosiuh.i e um lote de
pranchoese estivis de madeira, 130 touelladas
de pedra para lastro.
JOS CARLOS RODR GES
Advocado nos auditorios do Rio de Janeiro.
A Revista Jurdica poblica-se no Rio de
Janeiro de dous em dous me i.s do fornvito
tai.0, com 128pagin-sdeimpressSo, com-
poodo todos os annos dous helios voluntes
com perto de 400 paginas cada nm
Pre?o ;-.!Sal i.. la a*>ignaf8ira
Por seis inczes 7o000.
GlRRiL'X, DE LilLHACAU i_C.a_
UBRSIRIE FBMQAISE
HA DO CRESPO N. 9.
LIVHOS NACIONAES E ESTRANGEIROS
Religue Philosonliia Jurisprudencialatiera-
turaSciftucias e artes
l'apelaria, ol>JHCt"s para escriptorio.
Precisase de um bom coxlnheiro : na rna da
Aurora n. 32. ___________
Precisa-se de um menino para caixeiro : na
loja de quinquilharia na ra d" Rangel n. 17.
Manoel Jos Ln^es faz scieute ao respeitavel
publico que o seu cimbado o Sr. Joo Leopoldo do
Reg Villar deixou de ser seu caixeiro da loja do
mindezas da roa do Cahug n. 4, desde o da 31
de outubro de 1863. ______________
Precisa-se de um caixeiro de 12 a 14 aunos,
que teoha pratca de taberna : na ra da Concei-
cao n. 11.______________________________
Precisa-se de urna ama : na ra larga do
Rosario n. 35.
^iiff^tfKt,?wfiT^s;-r9msaw?^' i ni mi' in~~
Os canselhijiros JoflO Lustosa da Cunta
Paranagui e Antonio Coelbo de S e Albu-
querque e outros amigos do tinado marquez
le Atirantes .tiacdam celebrar na i reja ma-
triz de Sant > Antonio, s 8 h >ras da manha
do dia 6 du correte, urna missa solemne pe
lo descanco eterno da alma do mesmo lina-
do e rogara a todos os amigos deste o obse-
quio de a^sUiirem a ewe acto religioso
nnveiilo do Carino desta i
esorivaos e escrivaas, por
coucorreram com suas joia
co em geral que lizeram co
so mais pomposo, pelo o i
signado se confessa sumina
licularida le aos Srs. mesa
lino do Orino, Antonio Ig
naci de Medejros, Marcelu
Vinssiino da Rocha, as qu
que o acto fosse brilhaote,
do abaixo assignaio.
S. Uhrispim ( 8. Chrispi-
liidllO.
aile, vem pelo presea-
fedeicao'- "Wevoc.Y'qUi
, ; bin como ao publi-
o que o acto se lurnas-
ue o raes no ab ,ixo as-
nenie, grato, e cora par-
ios Guilhermrao Celes-
tacio Barbosa, Jos Ig-
o M.irtyr da Cruz, Joao
es se esfor^aram para
podend sempre dispr
. J. Pereira.
De ordem da mesa reg
siio convidados todo osiimaos para cotnparece-
rera no Uia 5 d i correal
nhaa, para era mesa geral
bros que teem fle fuucci m
1866. Convento di Carmel
novembro de 1803.
.1
lora desta irmandade
pelas 10 lloras da ma-
legerem os novos mem-
r nos annos de 1863 a
aos 2 dias do mez de
Em casa de Tiieod Cl
piche-uovo n. 16, nico ag
de tiranJenburg frres, Bo-leaux, enconlra-se el
dos
rligos seguintes
e 1838.
fectivamenle deposito
Si. Julieo.
St. Pierre
Larose.
Chateau Loville.
Chaleau Margaux.
Graud vin Chateau LaQll
Chat.au Laliito.
Haut Sauterues.
Chalean Sauternes.
Chateau Lataur Blanche.
Chateau Yquem.
Cognac em tres qualdadks.
Azeiledoce. Presos de lordeaux.
Alguns amigos do ccete do nono batalhao de
Irmandade das Almas na matriz do Corpu
Santo.
Convda-se a todos Rvd. sacerdotes a ce-
lebraren! missas pelas almas nests matriz
no dia 6 do correnio raez com a esmola de
3000.
Domingos Jos da Co-ta Guimaraes,
Escnvao.
Irmaadade das Alinas na matriz do Corpo
Saulo.
Convidase a todos os nossos Irmaos a
comparecerem na referida matriz no da 6
do c<>rrenle mez, para assistirem ao offlcio
que se lera de fazer pelas almas, como de-
termina o nosso coinpromisso.
Domingos Jos da Costa Guimaraes,
Escrivao,
KflHHUBHBIMHMIMRMBMHHBfli
bsinolas.
A irmandade das Almas da matriz do Cor-
po Sanio dislribue e-molas no dia 6 do cor-
rente mez, no flm do offlcio que tem de ce-
lebrar como determina o nosso compromisso.
Domingos Jos da Costa Guimaraes,
Escrivao.
infamara Atilano Americo
cido no da 6 de seiembn)
hospital de Buenos-Ayres,
dam celebrar urna missa
no da 6 igreja do Carino, e convida n
prenles do Oestno fallec
acto iodo digno das alma
das, com o que tic.aro eleri lamente agradecidos.
Aluga-se a casa assut
Alegra, propria para famil
eos : a tratar a' roa do M mdeg', olana n. 13.
Joo Leopoldo do Reg
deixou de ser caixeiro de
siui como declara que
para receberos alugueis da
dios n. 2 sitos na-roa do Ca
J. Pereira,
Secretario.
ristiansen, ra dj Tra-
tnle no norte do Brasil,
de 48 tudos grandes. 300000
de 60 tubos gran les. 3*>50oo
Prepara-se qualijuer carteira conforme o pedido que se fi/.er, e com os ret
Um tubo aguiso ou irasco ue nuiuid uc iuom uhv iwwmw.
Sendo para cima de \i ouslarao os precos esiabelecidos para as carteras.
lia tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITRO*.
- A melhor mirada bomeopatbia, o Minual de Medicina Homeopatliicn jlr> Dr. JM
dous grandes volumes com diccionario............ *
Medicina domestica do Dr. Hering........... IOsO I
Repertorio do Dr. Melt Moraes............ ; i- ;
Diccionario de termos de medicina..........
Os remedios deste estibelecimonto sao por demais conhecidos e dispensam r.**
tanto de serem novamente recommendados as pessoas que qui/erem usar de rra
verdadeiros, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pude desear, pjbbi s de
rerdadeiro assucar de leite, notareis pela sua boa consenarjin, tintura di s m b i
lados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparado, e portadlo a i
energa e certeza em seus effelos.
Ca$o de fsaudfi pura esc raros
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-svlhe qualquer
operaco, p ra o que o annunciante julga-se suflicientemente habilitado.
0 Irahmento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica. <
futiccionando a casa ha mais de quatro annos, ha muias pessoas de cujo concedo se nao
pode duv'nlar, qje podem ser consultados por aquelles que desej irem mandar sew
doenles.
Paga-se-5 por dia durante 00 das e d'ahi em diante IjoOO.
Asoperagoes ser) previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precof
razoaveis que costuma pedirr o annunc ante.
os
DE
Arseuio Barbosa, falle-
proximo passado no
ciima do typho, man-
meraenlo por sua alma
huras da manha na
aos demais amigos e
a assislireui a esse
1
ari,losas e bem forma-
radada n. 36 a' ra da
a e senhores academi-
> Villar faz publico que
fanoel Jos Lopes ; as-
elle o nico habilitado
parle que tem nos pre-
i.ug..
leite.
it-, prefere-se par
Pires n. 44.
Ama iie
Precisase de urna ama dtj
da : na Boa-Visla, ra dos
gDeutista de Pfemambuco.|
^ Kua estreila do Rosario n. 3, m\
ao p da jgreja
^FRANCISCO PINTO OZORIOj
H colloca deattes artlDciaes
M pelos \y sientas tuais mo-
deruos
Eraprega todos os mei is cienlifleos para
5 conservar os naloraes. Pode ser procura-
Sn do em seu gabinete c as 9 horas da ma-
:M uhaa as 5 da tarde.
KM** mmmm mmm
PEOS DE SOL
MANOEL & C.
tem a honra de scientificar aos senhores negociantes a retalho, que tem stmpre no seu
armazem sortimentos para satisfazer qualquer pedido em porcao, como s jam :
Chapeos de sol de seda, de grosdenaples, de sarja e nobreza de 8. 12 e 16 asteas
e de todos os tamaitos,
dem de alp.ika.
dem de brim de linho, tambem de todos os tamanlios e feiiios.
dem depaiminho dVefiTTcom armacSes de baleia e junco.
Todos estes objectes sao venddos por precos os mais commodos do mercado,
os quaes poderao ser verificados pelos pretendentes.
A NACIONAL
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
185
a l l
DIRECCAO GERAL
Madrid : Roa do Prai
Precisa >e de um t
Aluga-se
um sitio na estrada de Joo de Barros defroote do
da Kxra* vscondeca de Goianna, com urna aramio
e exceilente casa de vivenoa com 2 salas, frquar-
tos e grande solio, com ptimas arvures de frnclo
de todas as ijnalidades : a tratar no mesmo sitio,
ou na ra d i Cihuga n. :t, prlmeiro. andar.______
Precisa-se alugar um molfijoe par o servi-
Qd interno de urna casa de familia : no 1 andar
da casa n. 86 da ra da lmpenain
nllimimeiite do Porto, para caixeiro de urna
boa loja di fazeodas na (
a tratar na ra da Gadei
loja de fazeodas.
D-se a quantia de 255 pelo aluguel de urna
escrava para todo ser vico io
sa da familia : a' ra dos
de Portas n. 26.
eni e externo, de ca
Guirarapes em Fora
Deseja-se fallar ai
Saraiva, a negocio de
traria ns. 6 e 8 da prag i da Independencia
---
SILEGVEI-L
apaz dos ehegados
idade de Goianna
do Recife n. 22,
Sr. Lino Antonio
eu interesse: na li-
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZENBRO DE
ma Banca era diutaeird, depositado nos cofres do estado, garaate
minisli-iicao da companl'
BANQUEIROS DA COMPA.NHIA*
O Banco de Hespanha
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinatdes de snprTiencia dos segst-
Nella pode se tazer a subscripcao de maneira que em nenhnm caso mesaio |c oil ts
urado se perca o capital nem os juroscorrespondentes a estes. ...
Sao to suprehendentes os resultados que produiem as sociedades da ndole de
DAL que ainda mesmo dimlnuindo urna ter^a parte do interesse produzdo em recentes I
ces ecoiibinanJo-o com a mortalidade da tabella de Depareieux que e adoptada pela con
para de 100.J produi em effectivo metlico: ____
No flm de Sanaos.......1:119*300
, de 10........3:942*600
de 15 .......ll-.IO8.J2O0
, de 20 .......30:2564000
, de 25 .......80:331*000
as i-lades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais considerare.
Propectis e mais informales sero prestadas pelo sub-director nesta provincia. ____
Joaquim Fiuza de Oliveira, ra da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista rna da Imperatriz a.llitn
ment dos Srs. Raymundo,Carlos,Leite & Irmao.


ll*ri feraatattMKo habitado 4 Jt N^cmbro de 1S&.
/
CASA DA F01T01.
Aos 6:000^000. '
Bilihetea garantidos.
A' RA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSaVMfi
O abaixoa&signado vendeu nos seas muito feli-
ees bilhetes garantidos da lotera que se acabou
de esiraliir, a benelicio das familias dos volunta-
rios da patria, os seguimos premios :
Um meio n. 215o com a sorte de 6^00#000.
Tres quintos n IliOi com a sorte de 1:200,&.
Um inteiroa. 116:1 com a sorte de o00tlU0.
E outras multas sones de 100A, 40$, 20 e
iOJKX)0.
Ospossuideres podem vir reoeber seus respec-
tivos premiof sernos dessontosdas leisnaCasa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
LIQUIDACAO GERAL
NO
GRANDE ARMAZEM DA EXPOSIQAO DE LONDRES
Paraguayos con as armas que Deus nos con
T^^ i ^^^^^U'a*!? $k ^ic<2! X ^'??^r;^ii^ ceden; acabar com elles a tacao e a ponta
^rcJv90wto^5^oJjg9 S/^S^OQ^ 69 ^i=xE) ps, para o que necessario encourapar esta
f.f___T)ni Acx OnAtna dd, ttpfifp___JU4 I parte do nosso corpo cora os formidaveis
DU ItUa m Udea U*4 neClie <** eu -rompe-ferro, esmaga cobra, arranca tocos.
Todos os arttgos abaixo mencionados foram comprados recentemente pelo dono do -estabelecimento as principaes fabricas queipa marmore e outros que se vendem
! de f^aris, Londres, Btrmiugham, Mancbester e em diversas cidades da Allemanha, e tendo comprado ludo r as melhores c ondicoes 45RA oiitKlTt__45
Acham-se a venda os da 3* parte da 5* lote- ..^ ser a dinheiro, por isso vende todo e qualquer artigo barato, por menos do seu valor, eowi principalmen e por querer inteira- Borscuins Bordeaux 8501
Sta,? Kffif b l^k^R. I"-8010 ,i^S!*ar*L* i*rilr Jnui ^^ EnrtJ. ^- _. ... .. I ? patricios.!*"
phe(x). Ha neste vasto armazem ne s objectos com brabantes, como botoes, anneis, rosetas etc., e bem a sim diversas obras de; para sennoras
Bilhetes. .... 6*000 curo, como trancellins, correntoes, anneis e muitos outros artigos, relogios de ouro inglezes do afamado fab cante Bennette; com-j feilados
Meios......3JWW0 jipleto sortimento de fazendas finas e modernas; miudesas, perfumaras fioas dos principaes fabricantes ingtezts e francezes, como L.
Pira
-*?* (imrarJ*iM00500 I*' PIVER' Lubin' L' Le8wlld' Ed< Pmaud & Mever' **\etirez (Perfomerie du mond ga.4) Violet, Socfet Jiygienique, Mompelas, Sapatoes enco'ra"cados
as poemas que comprare* leuuouw;Matlly,.Regnier, P.Guelaad, e inglezas deEug. Rimmel eoutros; ricas galanteras em marfim, madrepero'a,
para cima.
Bilhotes.....5*O0
Meios......2*750
Quintos.....1*100
Manoel Martins Fiiea.
35000
>V
Ainri&sifi
Os arrematantes da roassa fallida de Joaquina
Vieira Coelho 4 res para que no praso de 30 das ventaam ou man-
deni pagar o que esto devendo a' mesma massa,
na ra da Cadeia do Recife n 3, e que udo o dito
etc.. fabricadas na perseguios para
; China e no Japao; ricas pecas de orystal fino como anda nao appareceram nesta cidade, e bem assim modemos lustres para velas,; eiaS( co
ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, casticaes, afeite- e adornos para cima de consol' s e para grande oillette, o que se tem Sapatos de lona! sola' elstica.'
feito de mais elegante em Paris, Londres, Birmingham te; modernos -apparelnos de metaI fiaoinglez para c l ecaf, os quaes em avtllud'ados.
nada sao inferiores prata, e muitasoutras pegas do mesmo metal, ricos pentes de tartaruga da ultima moda | ara trencas de senho-: e tranca. ..........
ras, excedentes luvas de pellica do afamado Jouvin, appaoelhos de poroelana fina para cha e caf, ditos para jhi tar, e immensos arti- econmicos oara se-
gos de porcelana fina dourada, como ricos vasos para llores, figuras, etc; calcado dos principaes fabricantes de Paris e ditos de pan- nhoras.......... 500
! no com sola de borracha, pianos dos celebres fabricantes Pleyel, Wotff ra, ditos <:om figuras para sates editos com figuras em movimento; mode-nos e bonitos instrumentos de pbysica (mgica) para chineloes do Por o 15600
theatros ou sales, ditos de phantasmagoria; lanternas mgicas, cosmoramas com vistas novas, dia e noile; si reocopios de nova in- Um competo sor imei'to de calcado da
vencao e com bello sortimeuto de vistas das principaes cidades da Enropa; grande sortimento da brinquedos finos para criancas, e terra .jara jIOrnens senhoras e meninas-
bonecas fallando papae emamite ; grande sortimento de candieiros a gaz, o que se tem feito de m s elegante e que tem assim r,.ln hrm' (nnro-, m a in! i
S&BSttttt Ti iSia? S ifneredd0 lda a 3Cem m ET^f^ C, magnfiC S?rU ? tCa Xn,'aSr Cefln"aS, e UraS galanl,er,aS, ,,ilaS d^' BrhS e S6da' lre- marroquins! taUas!* toaTas qua.i- ^^tfSST'JSISE
branS udicVaSte. Recif 5 de outubro de propnos .para presentes; grande sonl.menlo de estampas fin coloridas com o fundo preto e de outras de tod. s os santos, ditas com da(les, fitas para sapateiro, muito sortidas,, read.
1863. guras editas com novas paysagens para cosmuramas, linos e bem graduados vidros para cosmoramas, um be lo chafanz de crystal so]a e couros que tudo visto necessariamen-! sa?aer1'
- Para quera prec.sar de banhos, offerce-se proprio para meio de mesa de jantar ou para jardim; cutelaria fina, como talheres com cabo de metal fino, co'heres, thesouras finas, le faz cobica ao comp ador pela baratea.
duas casas com comtnodos para familia, aa ilha ditas modernas para alfaiates, navalhas finas, canivets e outros artigos, diversos artigos eitos de rame ; c >mpleto sortimento de
oraL. M. R. \aienca.____________________'os tamanbos, lavatorios, etc.; riis quadros para cartes de visita e ditos grandes epequeos para retratos;
SanilGS gohre Lisboa. las, chicotes editos para carros; machinas para fazer cal, dilas para bater ovos, proprias para qnem faz pSo
Manoel Ignacio de OMvein & Fiiho tacan sobre! pannos par.i cobrir mesas, bolsas grandes e pequeas para viagens, e outros artiguS, como cobert res, malak, etc., sortimento de
Lisboa : eo largo doCccpo Santo n. l. violoes finos; figuras finas e jarros de alabastro ; galantarias e outras pecas de charo para toillette; machinas para varrer o chao,
excellentes machinas para photographia para tirar retratos, grandes e pequeas; lindos baioes de papel fino tra isparente e
coloridas para illuminacoes moda de Paris; salva-vida de borracha, pura homens e senhoras, proprios para
| lugares fundos; ameixas novas em caixinhas, biscouos inglezes em latas, queijos, etc., e muitos outros artigc
; los seria um nunca acabar, e todos se vendem barato e muito barato, no grande armazem da Exposicio de I
i deia do Recite n. 60.
OS PARAQIJ AYOS Sociedade de seguros mu-
tuos sobre a vida
E' a ordem do dia Acabar com os Para-
guayos a bayoneta, a mini, a revolver ;
fulmina-los com os encouragados armados
de esporees, armstrongs e raiadas de 80
120; extermina-los em surama a espada, a
fa-io e a punhal de que se trata; mas
ninguem se lembrou ainda de esmagar os
o#000
en-
com laco e livella ..
meninas bom
5^500
40800
50000
O banco Allianai do Horl> lendoesubvlteido es-
ta sociedade debaixo de na unm -iliaia rlnilaaria
e responsabilidad)-, r^ciliinu a em^ao de captU'-,
dotes, rendas, penses, isenroes do wrvieo das ar-
mas etc., por meio de subscriptas nicas os aa-
nuaes, as qaaes convertidas em insj 4a di-
vida publica, de renda nacional, e da mr-ma forma
os juros seme^raes que dVllas se forem veoceado,
fleam por um certo nutneru il.- aono- >-ni d^po^iln,
at que, lindo o aran e.-tipola lo. ala. restituidas
aos'socios com os iuiereses aroontoadAs, bem to-
mo as que periencerem aos assotlaaos fallecidos,
visto que deslts sau herdeiros os su hrr vi vales.
Pela engeoho couiltinaco erun-jmica adoptad
nos clculos desta sociedade, v-sr que, cota ama
entrada anDiial de oOooo. por x molo, ohtem se
em 5 annos 4o0000 a -mOJUOO, en. 10 I:.jUOM;0O
a 2:000u00, em IS 3:o00J00 a t:-J()0J<)00, en
20 8:11005000 a 10:000* 00, em 23 I8:0UU|U)
. 25:000000, conforme a idade do individuo sobre
Tuan. (,aem feil SP8Qrp P'S 1 B"S referidos eal-
l<>t)ti' culos conta-se com a maior ou menor pr<4>abilida-
10000 de de duracao de vida.
Esta sociedade sobreludo vauujosa aos cheles
de familia, visto que Ibes facilita sera sacriffcie a
fundaco de um capital ou dote para seus filos oa
iilhas, segurndoos qoando oaset-m oo eaaaaaaNa
sao enancas.
Quero, puis, mais circumstanciad; s informae,iie*
desejar sobre tal sociedade, ou se quizer lascrever
como socio d'ella. dirjase a ra da Madre de
Ho lab
O
Sla noite do dia 13 do corrente foi roubado de
urna sala que fi.-a nos fondos do sobrado de nm
andir na ra do Seve, fregueiia da Boa-Vista, no
qual mora o abaleo assignaJo., os spguintes objec-
tos : 1 relogio de ouro saboncie n. 5i21, patente
inglez, mostrador de louca sscura, com cadeia e
chave de ouro, e com outra mai; lina lamhem de
ouro com chave de darconla, um pr de caslic.ies
de prata tavrado com anglicas, urna escrivaninha
de prata em forma de concha, pralo e espevitadei-
ra de prata, ama crrante do mesmo melal com
diversas chaves miudas, quatro ooeas de euro,
294J em prata qae se achai'am u'um sarco de da-
masco de la re cor branca e verde. Suspeita-se
que o ladrao en;rra por urna das janellas que
deita para o quintal do referido sobrado, abaixo
das qaaes fica o telhado que serve de coberla a co-
zinha, que no pavimento terreo : pede-se, poli,
as autoridades policiaes para que emprrgnem os
meios necessanes para deseobrirem o ladro, bem
assira aos senhores ourives e mais pessoas a quem
forem offerecidos os objectos roubados, para apprc-
hender como roubados. Olferece-se a gralillcagao
de 005 rs. a qnalqoer que 'lescubra o autor do
roubo.-Joo Fernando da Crol.
Kecife 10 de outubro de 1865.
mas de ferro de todos
lapos de sol, benga-
de-l, bolinhos, etc.;
lanternas
uem toma banhos em
5 que para ennumera-
ondres, na ra da Ca-
VJ'-.
g DEPOSITO DE CALCADO
ass

m
mmmmmmmm
barhaiel Manoel Firmino de Melki mjt
mudou sua residencia de familia para a
rita de delrar. da Matriz da lioa-Viia i
*

FABRICADO NA CASA DE DETENGO
Rlia \ov:i d. ei.
Ah se encontraro obras de di-
versas qualidades, e por prego mu
diminutos, a retalho e em porgues.
S se vende a dinbeiro.

NO GRANDE AR-
MAZEM.
Para completa Hquidacao vendem-se, por muito menos do seu valor, perfumaras muilo finas e novas
de Paris e de Londres dos mais afamados fabricantes seguintes: E' g Rimmel, R. Matbeus S C., Lubin, Societ
Violet, L Legrand, Heletrez, Pinaud & x'eyer, R^gnrer, Mailly, Gillet frre, etc. etc., dos quaes ha grande
Colonia em vidros e garrafas, agua de lavande, agua para limpar dentes, oleo babosa, extractos em garrafii lia
tes modelos, pos para limpar dentes, bauliaem potes c co vidros, pomadas, ricas caixinhas ebalainhos com perfumaras para fazer air|g'''-
presentes, e muitos outros artigos que se vendem p< r menos de seu valor, bem como todos os artigos em gera
armazem da ExposicSo de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
DA RXPOSKjAO DE
LONDRES.
hegadas recentemente
m\nw\\\
Para a ceRstruccao de marliinis
de
\ Mtl It l s(l\ i; IMIH.I vns
New London, Cormectieur, Esta-
dos-Unidos
da Uval nica Pivor Solicitam pedidos de descarocadores de algodao,
due njgeiiiid, ri\ei, adoptados ao aiirodao sul-ameriiano. Ilao-se de-
SOrlimentO d agua de dicado a es:e negocio durante 25 annos, e aitende-
e vidros de difieren- rao immediaiameote a correspondencia que se Ihes
existentes no grande
o presente: vende-se
tecife n. 60.
PAHA 8E.XHOIMM.
Ricos e modernos pentes de tartaruga para tranca desenhora, o que se tem feito de mais elegante at
por menos de seu valor para se liquilar, no grande armazem da Exposico de Londres, na ra da Cadeia do
lili VAS \Vt IfE IOI VI*.
Vendem-se excedentes luvas de pellica, recentemente chegadas de Paris, tanto para homem como para sfenhora por menos de mafia theiro Bcom"port3o"e"cacmba *
.Notas do banco do Brasil e das caixas liliaes seu valor, para se liquidar: no grande armazem da Expos-icao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60
descontam se na travessa das Cruzes n. 8. '
PrecNa-se de urna ama para comorar e co- \ M*"l ftTlw IC '"' 1*1WW %
ziohar : na ra do Livrarnento n. o, segundo. ,"* *.*
andar. I No grande armazem da Expoicito de Londres, ra da Cadeia do Recife n. 60, ra da (mperatriz loja de Mr
e na mesma ra loja de miudezasn. 54, vendem-se excellentes vistas para quadros de sala e para albuns, come
Porto.
Can}fl9,d,r8.1J."t'AnnaeBl'a?a-
Vista geral de Guimiriies.
Porto, ra de Santo Antonio.
Jos Izidoro Martins agente de leiloes
tem seu ere iptorio a ra da Cadeia do Re-
cife n. 9, onde pode ser procurado das 9
horas da manhaa as i da tarde.
| 26, pniDeiro andar, onde pod- ser proco-
S rai, Para os misleres de -oa profis jJJ 4 horas ja urde dos das alis al as 9 \
1M& da manliia. e as de mais horas do dia ja*
* no seu escripiono da ra do Rosario es-
m ireila. j
mxmMM&mmmmmmmm
Cilindros amerimnes
Ainda exi-tem 2 de resto: na roa Di-
reita n. 81, padaria.
*w? wBsm **!
Joo da Silva Ramos, medico, rae-
db\^^l?,rt9iv.'r.^a 11 horas da manhaa, e das 4 as 6
da tarde. Visita os doentes em suas
m casas regularmente w horas para
jg[ isso designadas, salvo os casos ur- ,
agentes, que serao soccorridos em
qnalqoer occasio. D consultas aos
pobres que o procurarem no hos-
I pital Pedro II, aonde encontrado
I diariamerte das 6 as 8 horas da
ij manhaa,
Tem si a casa de sade regular- #
* mente montada pan receber qual- 9
quer doente, ainda mesmo os alie- m
nados, para o que tem commodos m
apropriados e nella pratica qualquer ffl
opperacao cirurgica.
Para a casa de sade. B
Primeira classe. .3^000 diarios. H
Segunda dita____3500 m
Terceira dita .2,5000
Este estabelecimento j bem H
acreditado pelos bons servicos que m
tem prestado.
fO proprietario espera que elle *
continu a merecer a confiauca de M
que sempre tem gozado.
Alagani-8e duas casas na povoacao do M n
eiro a margem do rio, as quaes esto pintadas de
frosco, e tem bons commodos : a tratar na ra do
Crespo esquina n. 20
Na ra Imperial n. 160 existe para
ser alugada por commodo preco, urna casa
nova com 2 salas, 3 quartos, cosinha fora.
quintal muito grande murado, com um
a
.tratar na mesma ra n. Sk.ll ou na ra i-
reita n. 84, padaria.
O padre Flix Barreto de Vasconcelos pre-
Dubarry n. 8 ci?a de um sobrado de um andar com bastantes
acommodacoes, ou de duus andares nao sendo
muilo grande, e nem fra da freguezia de Santo
AntoDio : quem liver e quizer alugar. falle ao an-
nntvtania na rna do Imneradur n. 35", segundo
andar.
Ponte pensil sobre o Douro no Porto.
Villa da ponte da Barca.
Coimora.
VISTAS ME PEKVtJflUlXM.
Tiradas na occasio em que S. II. o Imperador aqui estove em 1859 :
Palacio da presidencia, a cavallaria acompanhando S. M. o Imperador no dia 2 de dezembro
indo para o Te-Deum lo convento do Carmo.
Theatro de Santa Isabel.
Ra da Cruz com a pyramide.
Torre d> Arsenal cop a illuminafao na frente.
Passeio publico, na chegada de S. M. o Imperador.
Ra do Collegio com a tropa.
Pateo do Collegio com o palanque.
VIIGEM A9 EUROPA.
Stereoscopios de nova invencao com ricas vistas das principaes cidades da Europa, como
Franca.
Inglaterra.
Italia.
Lisboa, etc., etc.
Vendem-se barato para liquidarlo no grande armazem da Exposico de Londres na ra da Cadeia do Recife
peratriz loja de Mr. Dubarry n. 8, e na mesma ra loja de miudezas n 54.
CAIXMIO.
Offerece-se um caixeiro com pratica de taberna
e d fiador a sua conducta : na ra de S. Fran-
cisco taberna n. 70.
Precisa-se de urna ama para casa de puuca
familia : na ra da Conceico n. 6.
Alugam-se o 2 e 3 andares da casa da ra
da Cadeia n. 1: a tratar no armazem da mesma.
Precisase de 'OOS, dando-se por garanta
urna escrava moga e sadia, que sabe coziuhar, la-
var e engommar, e pelo juros os servicos da mes-
ma, sendo por espaco de 5 a 8 mezes : quem qui-
zer fazer este negocio dirija-se ao pateo do Terco
n. i, toja._____________
Aviso
Quem tiver dous escravos mocos e robustos e
quizer os alugar, dirija-se ao escriptorio da limpe-
za publira, confronte ao Gabinete Porluguez de
I."Una ; paga se bem.
A'uga-Sd a casa terrea n.39 na ra da Uniao:
Precisase de um caiieiro de I i a l6anoos
com pratica de taberna : a tratar na ra -i tima
n. 62, 2o andar.
Samuel Power Johnstou Umpaabia
Ra da venzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
i'iinillco de i.ow Hmi*.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e balido para enge-
nho,
Arreios d carro para nm e dous cavallos.
Relogios de ooro patente inglez.
Arados americanos.
Maihinaspara descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
O bacbarcl
X Francisco \\\liste 4a Cusa
ADVer.ADO
^| Ra do Imperador numero 69. *tf
mmmm mmm muMM***
Aluga-se urna sala dons qoarlo, e nm o-
to de um sobrado oa ra do Imperador n. 10 a
tratar no mesmo sobrado, da> 9 da manhaa as 2 da
tarde.
Pode sao Sr. Ma oel Pereira Hrando, >!;
tMinda, para vir a ra da Cadeia o. 54, romo ira-
lou.
%
Cab<
K'
n. 60, ra da Im-
MARTIMOS
s
contra" fogo.
A companhia Indemnisadora, estableci-
da nesta praca, toma seguros martimos so-
bre navios e seus carregamentos, e contra
fogo em edificios, mercadorias e mobilias:
na ra do Vigarie n. 4, pavimento terreo.
9 0 Dr. Cosme de S Pereira cunti-
Jg na a residir na ra da Cruz n. 53,
| Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
sao medica, e com especialidade
sobre e seguinte
( molestias de olhos;
2o de peito:
3o dos orgaos geni-
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
ro examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os das das
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
^ mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
cao que julgar conveniente para o
I prompto restabelecimento dos seus |
8 doentes.
mmmmmmmmmmmmm
Precisa-se de urna casa c m sitio ou
sem elle, perto da cidade, para um estran-
geiro : na ra do Trapiche n. 16.
No pateo do Terco n. 44 precisa-s alugar
ama escrava que saiba fazer todo o servico, para
casa de familia, paga-se bem com tanto que seja
boa escrava.
ASTHME
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SUFFOCgO NERVOSA E 0PPRESS0
nico remedio efficaz para combattir estas molestias, acalmar um attaque d'asma e impedir a
volta o Xarpe aromtico de Succino (mbar arnarello) do Dr Danet. Uescoberta inteiramente
recente, este novo producto se tem propagado com extrema rapidez grabas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzido.
lleposito geral, na botica Chauveaud, 54, ra do Comercio, Paris-Grenelle, e em todas as
biicas de Franca e do csirangciro.
m
ALCOHOLADO de GUACO
de N. JPASGAL
O Alcoholado de Guaco de Pascal urna nova preparacao da qual
basta mencionar suas propriedades para appreciar sua importancia.
Em primeiro lugar um preservativo infalivel do contagio venerio (ve
folheto para o modo de o impregar).
2o Tem a vantagem de ser o remedio mais certo e mais agradavel para
as molestias syphiliticas de toda a especie, ulceracSes primitivas e secun-
darias, ec.
3 Empregado em injeccSes, o melhor tratamento dos corrimentos
recentes ou chronicos as pessoas dos dous sexos e da leucorrhea as
mulheres.
4* Emfim como antidoto dos virus, soberano na cura das cha gas e f-
tidas de m natureza, aliagas gangrenosas, dartros, ulceras das pernos,
ophtalmia purulenta, ou blenhorragica, mordeduras e picadas de ani-
maes venenosos, ec.
Este especifico vegetal, izento de toda a accao mortfera, foi experimen-
tado nos hospitaes de Paris, Lyon, Marcelha, ec, e recebeu a approvaco
dos distinctos doutores Ricord, Baochet, A. Richard, Calvo, Diday,
Melchior Robert, Costilhes, Berenger, ec.
Deposito geral em Paris, botica de CHEVRIER, 21, ru du Faubourg-
Montmartre.Casa de expedicSo, PASCAL e C, 33, ra Monsieur-le-
Prince. Paris.
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caros 4 Barbosa.
Ao respeitavel publico
Ama.
Precisa se de atoa ama que compre, cozinhe e
engomme, para casa do duas pessoas : a tratar na
ra da Croz, armazem o. 57.
verdadeiro deposito de louca da fabrica do
Barbalho do Cabo, acha-se boje montado no paleo
do Terco n. 139, o qual veode por menos que em
outra qualquer parte, e brevemente apresentara a
sua tabella com a dimiouic,ao d >s preces.
Deseja-se comprar urna pedra de brilhante
em segunda mo : qnem tiv. r e queira vender,
Ama de leite
mmmmmmm
O Dr. Carollno Frauci eo de Lima San- jti
tos contina a morar n i ra do Impera- S
dor n. 17, segundo anda, tendo alias seu 9R
gg gabinete de consullas uedicas, logo ao j
jj entrar, no primeiro.
g O mesmo doutor, qui se tem dado ao k
)H estudo tanto das operacS is como das mo-
Mlestias internas, prestas* a qualquer cha- vS
mado, quer para dentr i quer para fra sSS Wt
'*. da cidade. \f- xte
mmmm mwmmkm mmmm m
Precisarse S
fallar com os senhores abaixo declarados, ou com GB
pessoa que os represente nesi i cidade :
Antonio Feroandes Ramos de Olivea.
Francisco Ferreira de Andrad >.
Antonio Borges Galvo Ucha
Bernardino Domingnes Morena.
Francisco Jos de Almeida.
Manoel Perps Campello Jacome de Gouveia.
Francisco Antonio da Costa.
Joaquim Jos Ferreira (Barrei -os),
Jos Maria Ribeiro (Goianna)
Pedro Jos de Mello Cosa.
Jos Martins Nogueira de Mello.
los Luiz de Siqueira Cavalca iti.
Antonio Germano Alves da Sil 'a.
Queiram annunciar onde po lem ser procurados,
ou deixem caria nesta typogra diia com as iniciaes
T. C. S.
Precisa-se de urna aira : na ra de Santa
Rita n. 2o, Io andar.
" LBRAME F*t \QtISE
Rna do Crespo numero 9.
Eslao promptos para serem destribuidos aos
Srs. as.-ignanles, vinte ejemplares de
_______VaUELLA : CANTOS E PHANTASIAS.
Ama para casa
Precisa-se|alugar urna ama para lodo servico de
urna casa : na becco das Bolas n. i, primeiro
andar.
"M mmmmmmmmm
O DR. CASANOVA qe
pode ser procurado a qua'ijuer ho
ra em seu consultorio homeopa- |
ihico, largo da matriz de Santo An-
nio n. 2
No mesmo consultorio tem sem- *
pre medicamentos era tinturas e 3*
glbulos em carteiras e avulsos de W
Catelian e Weber e muito em conta. ^
mmrnmmmmmmmm
m
Pcrdeuse no banbo por detraz da relinacao do
Montriro, um traiic.-liin de nuro : pessoa que o
achar, quercodo eairtRar ao seu MM^ p->le-o faier
najua do Amorim d. 16, que sera gratificado.
Precisa se de tres lr.ilialh;ul >r.- para pada-
ria : oa ra larpa du Rosario o. 16.
C0MPB1S.
Compra-se efectivamente ouro e praia roo
ooras velhas. pagando-se bem : na roa larca do
Rosario n. 2i, loja de ourives.
Silvino Guilherme de Barros <-umpra e vea-
ile etTeclvamenie escravos de ambos os sesos :
ra do Imperador n. 79, ten-eiro andar.
Compra-se ouro, prata e pedras prerK-a-,
em obras velhas : na ra da Cadeia do Recife.
cja de ourives no ana da Cooceicao.
Ouro e pra Em obras velhas : conr pr?-se na i rara da Id
dependeDcio n. 22, lija de bilt-.eles.
Compraseearosso(nmMWti)talga: no
armazem de algodao de Saunders Brutliers C,
no caes de Apollo.
. i
COBRE L T\0 E
CHUMBO
Comprase cobre, lalao e chumbo : no armazem
da bula ama re la, no oiao da secretaria da poliria
Comprase
um par de alm liadas para sof qoe nao tenhm
I sido servidas : na loja do balo, ra da Cadeia,
' esquina da ra da Mi Ir de Dos.
\ l te nc A <>
Compraui se algumas pipas ou tom-is pie
sirvan para deposito de azefle de carrapalo : na
ra do Viga/io n. 2fi, ou annuncie.
| Xa praca da Indepeodencia n 9[ lo|a ds
ourives. compra-e ouro, prata, e pedra preciosa,
e tambem su faz qualquer obra de eneommeoda, *
todo e qualquer concert.
Casa de bnhos
Laico do Carao H. 2G.
Este estabelecimento la i bem montado
na sua origem achava se i e ha muito em
quasi completo adandono elo pouco in-
teresse de sua administraikao.
Hoje que o novoproprie ario erapregou
lodos os meios para restab ler a grande
utilidade deste eslabescim
segurar ao publico que qu;
ento, pode as-
Iquer que seja
o numero dos concurrente i acharo des-
Na ra do Rosario E-treita n. 1 segundo andar
precisa-se de urna ama de leite, se for escrava me-
lhor.
Aluga-se urna casa
com J. 1. de M. Reg.
em Beberibe : a tratar
No escriptorio Amorim Irmaos, ra da Cruz
o. 3, exlstem duas carias para serem entregues ao
de j promptido e aceio n
momos ou medicinaes, a
nhos se achara' abma tod
6 horas da manhaa as 11
Presos.
Baohode choque___
Dito fri ou morno..
Dito defarello.......
Dito medicinal sera' seiun
do sua qualidade.
Assignatura.
Por mez banho fro ou m >rno.
25 candes para banho
mornoou de chuvisco
12 carlees para os mesm is...
12 ditos para banho de fa relio.
is banhos frios,
casa dos ba-
s os dias das
da noite.
Cozem-se saceos para assucar por machina : na
ra do Pilar n. 28.
AOS AGRICULTORES
D-se e terreno necessario a quem quizer edifl-
< car um engenho para deafrocUlopelos annos qae
, se convencionar, no lugar denominado Balsamo,!
\SHJm cujas trras sao de urna produeco prodigiosa, e
| fica distante rr.eia legoa, por um lado, da colonia
j de Pimentciras, por outro, da povoacao de Capoei-
i ras, e cerca de legoa e meia das povoacoes de S.
1 Benedicto e Panellas ou Terra Nova ; em todos os |
referidos povo>dos ha feiras regulares e em diffe-
reotes dias da semana, onde se acham bons recur-
sos e se encontram mercadas para as diversas es-
pecies de negocios, alera da grande feira de Trom-
betas, estacao terminal da via-ferrea, da qual o
terreno mencionado dista de 6 a 8 legoas pela es-
trada rial, cujas margens esto guarnecidas de
; moradores e fazendas ruraes, que tornara o tran-
sito nimiamente agradavel : quem quizer lucrar
de cinco a mais folhas do urna planta de canna
poder contratar este negocio na ra estreila do
Rosario n. 28.
?ENDiS.
P'chincha
Vende-se sebo do Porto
barricas de 7 a 8 arrobas :
dorniz n. .1, taberna.
coado e refinado nm
no Recife, roa do Co-
Peonas de eraa de muito superior qualidade:
vende-se na ra do Vigario n 24, t* aadaj, es-
criptorio'
rJii/ii u
azeite de peixe a 610 rs. a garrafa e ti a caada :
no armazem da bola marella no oitao da secreta-
ria de poliria.
500
500
1*000
Vendem-se dous cavallos bons :
Imperatriz o. 42.
oa roa da
Grandes melhcras
as machinas imperiaes t caser-
Arnaim n. 53C Braad-Waj \e Ytrl.
Estas machinas sao construidas pir um nev
systema, com muitas e importantes meihoras,
Alugam-se as casas terreas o. 4 e 20 da ra
do Henrique Das vulgarmente coobecida por Es-
tancia, bem como o sitio denominado Ilha no becco endo esaminadas por habis peritos foram |a%a-
do mesmo nome n. I, e a casa terrea da ra de das de summa prrfrirao. A agulha direita e eos*
Domingos Pires n. 54, todas com commodos para Perpendicularmente, com o ponto it lacada, qoe '
i"-:>
familia : os pretendentes podem
da Cadeia do Recife n. 39.
dirigirse a ra
IO*
5*
iOJ
Feitor
dirija-se a roa das Larangeiras n. I, que s dir i Sr. Ignacio Pessoa Estovei da Silva, coja morada I
quem compra. I se ignora. ri
Precisa se de um feitor para um pequeo sitio
perto da praca, prfere-se casaao, e por isto se da'
casa propria e boa para morar, sendo porra pes-
soa capaz, dando boas informacScs, taoto pela pro-
freca-se de doaf amassbdores : na pada-, bidade como pelo seu traba.ho : a quem convier,
na amencaaa, roa da ftaaia n. 17. dirija se a ra Nova n. 19, andar.
ffiMH* ****
nao desmancha era enbaraca e qoe igual da
ambos os lados faz costaras perfettas em toda a
qualidade de tecidos, desde o couro al a auis Im
cambraia, teodo tos de algodo, de seda aa da h-
nho, desde a mais grosso at o mais delfad*. Ga-
mo nao tem rodas denudas, por se ter evitad a
menor atrito possivel, trabalha com bdNdta .
sem contradicoUMA MACHI.*.A QUE NAO FAZ
RUIDO ALGUM
T. J. Me. ARTHUR A C, fabricla i
tonos na casa supra.


Diario de Peraaaabuco
AGl'l* BKANCA.
Colleiras de mai-roquim, com cascaveis
e sem el les.
Na ruado Queimado loja da AguiaBran-
amolestia ouinfecgaopecu-:(}rane }0;a e armazem o
lial conhecida pelo nome de Es-1 i)
tcrofula um das males mais r &VIO.
'prevalecentes c universaes que Ra da Imperatriz d. 60. de Gama & Silva.
ha em toda a extensa listadas ,. Tendo os proprielarios d^sle estabeleciroenio de
>nfp -mi l'i 1 >' lio mo cnffro n liquidaren) orna grande porgao de suas fazeodas,
enieimiudues ae que soure o al ao fira doCrrenIe ann0 afim definaren) con- ca n a vpndpm-se rnllpirasrtp rnarmniiim
geoero humano : (jisse um cela- tas e apurar dinheiro, resolvern) vender todas as "'nnt'Jf,ae Z? ? !!;!!q !'
bre escriptor da medicina que fazendas coro grande abamento em precos, tamo pospunraaas e com cascaveis, ou >em enes
mais de urna terca Darte de em PrCSo como a p,a|no> e Pur isso previnem a proprias para caes e outrts biclunnos.
todo* annelles me mnrrem anles ,odos os seus fre8UfZ,p> e ao ropeiiavel publico, e Pemias Oglezas lieUCO e deliradas.
iuuu.> dqutues que luoiiem diuca as pessoas que negocian em pequeua escalla com i __ e',.
da velhice sao victimas, ou dir- fazendas, que nene esiaba.edmei.to encontrado 4No 9o sortimenlo de penoas de feco que
ta ou indirectamente da Escrofu- um grande sortimenio que muito Ihes bao de agr- a Aguia Branca acaba de receber, vieram
i ,.__DOr c ns0 i|j0 fies. dar lamo em pregos como em qualidade; assim tambem outras de metal dourado e bicos
. .* v como mandan, peos seus catiros levar as fazen- mU: bem acabados, e por essas boas e ne-
ttva, porem e a principal causa de muitas das e amostras as casas das ramillas que nao po- ce(!saras m,a|i(iau(1c n Vn icrp.liladns fa-
otras enfermidad'es n5o Ihe sao geral- ?&"* J? >s""*">s d""d'"1- ESC?fa *5S22ta,.
mente attnbuidas.
Ottros objectos.
Vindos tamLem para
a anliga loja de
ente atinDuidas. ....". laintiraias lisa#n 3.SU0, Da loja do entendedores e apreciadores do bom, valen- embaracar.
b urna causa directa da phthustca pul- do mesmo a diflerenca que ha no preco de Carriteis
miudezas ra do Queimado n. 16.
Sapatinhos deselim brauco bordados pa-
ra baptisados.
Oulros de merino tambem bordados e
igualmente bonitos.
Mtias de seda.correspoidente no tama-
nho dos sap..tinhos.
Outras mui finas de fio da
brancas listradas.
Luvas finas de lio da Escossia
de cores.
Ditas de seda para senhloras.
Ligas de dita pata sentlords e merdnas.
Pentes de tari-ruga mu|i fortes para des-

Escossia e
brancas e
tnonar, das molestias do figado, do csloma-
itjivO uo uicsiuu a diflerenr;a que ha no preco
Vendern-so rppis de r-.mhraia lUa hranca e umas Para OUtraS, por que estas Se tOinam
gocaffeccoes do cerebro :-Entre os seus lr,V5X 2 toTSkTJ?JSm *"W* coniinuacSo de escrever ;
numerosos symptomas acham-se os seguin- pei0 barato preco de 3So00, ditas muiw finas, por assim pois quem dellas se quizer utilisar
tes : falta de appetite ; o semblante pal- 45500,55, 65 at 10,5, sendo tapadas ctranspa- compra-las a dinheiro a vista na ra do
h^a%:iz,zhado' t?*i ?"T ssW:t?^i.esariSfe s**?^1* {tu* ..
mura tiansparenle c outras corado e a- na rua da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva. Franjas COIU borlas e SCI ellas
marellento ao redor da bocm; fraquea e
molleza nos msculos : disgesto paca e
Franjas
Cortes de phantasia a 3#o00. cortinados.
ellas para
Vendem-se os mais lindos cortes de pbanlasia
A Aguia Branca recebeu um bello sorti-
com retroz preto e outras cores.
Carteiras com agulhas.
Agulhas francezas, as afamadas.
Caixinbas com allinetes| brancos e pretos.
Haspas de baleia para Vestidos.
Fitas de linbo proprias | para ditos.
Caixas com linbas de novel los grandes
para crochets.
Trancellim de bonachal preto, redondo.
appetite irregular, falta de energa, ventre com as mais lindas cOres qte tem vindo ao merca- -- a^. flo >..
inchado t evacuado irregular ; quando o &!?***!*?5??.tt"22*S2 ^JL Jl^**.1* borlaS e sem e,!aSi ^EJEf'SJE2S5Lf! S!
O gallo cania e est
q mimando,
Bom e baratissimo.
Hiia do Crespo n. 9.
Collares.
Collares anodinos el'ftro magnticas Roier para
as criancas nao morren-m de convulses pelo ba-
rato pr-o de 55.
Nov idades.
doiii-.li lis li-iwr.l o (ar- Hlqnlsslmas p"nleiri 00 braceletes p senlio-
ooui aoa, maui peroia e lar n e f)>ra maims ^ n ft -^ a5sim 0 mo ,jn.
*arilga. 'das voltas para pesCuCO a "A&.
A loja de miudeas ra do Queimado Enfeites.
daa ra do Queimado loja da Aguia Bran-n- *^ recebeu um bonito sortimento de Rlqofesimos eufeites pata etbeta coosa t mui-
ca n. 8. fivellas grandes para cintos, sendo de ac, 10 gsto a o, 25, 3*. 1*. 55, e 75.
Jogo de eaciencia ou curese entreteni- a2ndM' madreperola e [artarwa, as quaes
mp estao sendo vendidas em dita toj3 por pre-
K. a n 1 1 r. eos commodos ; assim como boas e bonitas
Na roa do Quemado loja da Agu.a Bran- fitas de r3o achama|(MO propria8 ^
R. 8, acbam-se a venda or procos ra- r- nM B, .i r r
I tPm bam cpn'in /Aro'nc nninJUa .im bMle*- Pel barat0 PrPC e3o00, ditos brancos para cortinados, todas de novos e bonitos:
mai tem sea assento sobre os pulmoes, un fazenda muit0 na 4^000 telo na lula e arma- decen|10S rilia W,mn,r,.1ididP rln nrm mt
cor aculada mostra-se em roda dos olhos ; lem do Pavio, na ruada Imperatriz n. CO de Ga- r ,."?s-' cu]a 2^K ~ ?JW
quando ataca os orgaos digestivos, os olhos ma 4 silva. ?m ela^ lirura : acham-se ellas a ven-
tornam-se averraelhados: o hlito ftido, t'ameraras de forre,
o Ungua carregade^ dores de cabera^ ton- Na loja do pavao.
Icims f*c. Vendem^se pec.as de cambraias de torra muito
as W.ssnas di> flisnn^ipan Prrfi,iirtia an. boi*> P01* Paralo preo de 25 e 2500 a peca :
m^ST^L !l^yP escrolufsa ap- ifl0 ^ ~ ja arma7e^m uo avA na wa da ,m.
parecom frequeirtemente erup^oes na pelle peratmw. 60, de Sama Silva.
da cabeca e outias partes doeorpo, sao pre- Cortes v\ 11 (lisios. ca n. 8, acnam-se a venda por presos ra- ra ditasfivellas
dispostas s alfecedes dos pnlmdet, do iga- A mm loja do a,5o. cavis, caixinbas com toblas de tnadeira, 0cil|s de pendra e de OHtras
4o, das riiM e dos orgaos digestivos e ule- Vt-sden.se os mais ricos. rus fWMdinoa, fa- j qe <*s diversas pinturas dellas ?e forraam, Maiidarfis, pri liem soff re
Tinos. Portento, nao somentc, aquelles em de muiw phantasia que serve at para bai- agrataveis vistas e paisagens, segundo os I vista
que padecen das formas ulcerosas e luber- tes i** ^m transparentes e cornalina de se.iae,desenhos que acompanbam. Na verdade ;
^A*MW*^^ um deleitavei en retenimento como!
nS!l CT" S SeUS Sti;8f?0S : t01,S 3S "* da lmpera,riz 60' de GamR Si,va- Slfnp8per!f a02r,os'dade' VS2 3 m- vidros claros e escurbs, para quera sof- ,id7o7" ^^a"n,es^Yhe"aW
Miles en cojo sangueexiste o virus laten-1 As eamisinbas do -Pwao. 'tejligencia. Os apreciadores dir.jam-se a fre da ^ asskncomo (^ .^ lQ Assj?n w,mo uns pequinin3S
S d este terrivel flageto (e as vezes e her- | m Mendem^se as mais modernas camisinhas borda- ra do Queimado, a dila loja'da Aguia Bran- de apa Sf,ridos firri nni. que serve para eofeile de rekgio mais com
A' loja de miudeeas
de lil e panibrsiia
na loj do Pavao, ra
dltano) EStao expostOS tambem a SOffrer das1,lasCni "wuRUitos, para senhoras, sendo a>murs
nfarnti iiIps mip olW- ^mia mm s^a modernas ~n ,,',. q eU C-auSa' S- as -ornnanguitos, para acabar, a 15 ; ditas pre-
A ptll.iysica, uletvecoes do figado, to^s- tas contiiaogallos paca lulo s 1*800 rs., mangut-
lomago e dos ria : eriipcves e enfernridar- ios e-gofcnhas pretas a 1$, Twissimas goHDhas'tle
des eruptivas da cm ; rom ou ermipela ; !sm!"'a brasa bordada e"500 rs., ealclahas para
barbudas, pstulas vascidas, tumor^r- tt^tg^J*J*>
cumacarbiiculos, laceras e chagas, mcu- da [peratriz n.60, de Gama & Silva.
matismo, ifyres /; ossos, as costas -e na Soulhfwbarws de cor.
cabeca, debilidades femimnas, flores fcwn- Vsadem-se southembarques de cor imite bem
cas causada pela Klcernro interior, c en- ****a 65 e7*300 para acabar-:!r loja
fermidades uterinas, hydropesia, miges- s,"5a&si|d Pav' rca da lmperatm
to, enfraqueciinmito c debilidadc ff&tU.
Aos pulmes a escrfula produx tibercu-
los e finaireento consitmpco pulmonar :
as glanalasella prodtiz kichaces etornam-*f-cnmo m>magora.com as mai Hrttascflres
ulceras: nos or*5o di^stiv^ maa f5"8! I?"!i??*,:8i ^Jotorajpwco-tte900ra.
Riqui>simas livelas de madripcrola e de tarta-
I ruga, arsim como pretas.
Cru/.es.
Riqu ssimas criies douradas porm o melhor
gosto que se pode esejar.
Cascarrilbas.
Bonitas caspariilliasctn biqninhos de sedi u
i aljfar cousa inuiram;-!i!e nova para ufeiles de
, vestidos.
ra do Quetmado. Binocolos.
Bonito sortinrento de bioocr-jos com seperiores
iva.
Orjaiid;. mnderuissiaM.
'Cheiaram os mais modernos org:.nd^-; com os
?ais modernos padrees, sendo qua*i torios hstra-
avara : na i,.,a do'Pavao, ra da ImperSir n. G0,
se ulceras: nos orgSos digestivos causa
dcsarranjos que produzem indigestas, dis- e Gma"& SdVa".
pspsia, awlesties do :figado e iks as :I Cb*les i?, aeriaa a 2&OQQ.
na pelle prodirc erup?(3S e affecroes cuta- Vendem-se os mais modernos diales de merino
reas. sstampados 35000cada um, haveudotsmbem una
TnilafiMtcR MMln louosesiet, .EMies leadO a m^wa Ol- vendem a 5,7* e*5000: na toja e-a^nazein *
3Cm, C*receir. do mesmo remedifi : a sa- 'Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama ; Silva.
' ber : purificar e fortalecer o samgwe. s Sillas do |l\ae.
A s:'l.s:i ]>:irrtlha de Ayer Vendew-se rlqnis.imos sintos de lea de diver-
compostados antidotes mais effiear.es que sas cores ourados com Oveta larga e donra,
a scieocia radica tem podido descobrir, assim comonfeHes para cab^a dos aielhores
non ,.j ^. i..___i- L ma,,i modados que tem vindo ao -marcado usw
paia esta mu^ctia assotadora e para a cuk fl0 serond( tf^ pre0 raoave, que mano
de todes os miles provenientes '-ella que Ihes has de agradar : isto s na lojr. e armar*
contla virtudes verdadeiramente OKtraorw- du pa*" ra dampertiriz n.;60, de Garata
Ai i >r\' de linii de fNnia.
Veadem^e superiores toa I has de liaho das we-
Ihores que em visdo ao mercado-pelo baratisswno
preco 4e.11*000 a dc/ia, ou 800 rs.cnda urna, na
loja earniatem do Pavao, na ruda (mperatrt n.,
narias .provedo incocteslavelmer.te pelac
curas cotaveis e bem conhecidas que tem
feito de tumores, crup: oes cutneas, erysi-
pelas, orbutias, naseklas, chagas antigs,
ulceras., rhemm, same, parebas, 'tgdrope- 60> sia, tose quando causada por depsitos tu- As saias do Prj.
berculosos nos pulmes. Debilidade ge- Ven^m^ as <^s .inas sa.as bobadas as*f:-
_ ... ,. ., ... T~". 5r Iha brancas sendo t,: melbor arcnca ral.Indigestao, Sypklis commncionalm do n,s*e geoero, tendo n.uia roda, p? molesliits meroariaes, asjlcstias das .mulbe- mo nreo d tojoaa; dius eordadas a crochs
res, uloeraces do tero, a nevratoia e con- 65C0O e-woo, diiKcom baodirm^ a vulcesepileptieaseera summa. loda seris g* tSZFx> "* "P"*'**-
de enfeemidades que astscem da .mipurezc \oym MMaarMtoia U antea lOOee.
va n. 8, que seao sattsfettos.
Benitos enfeitcs para senlioras,
A Aguia Branca acaba-de receber um no-
vo e lindo sortimenlo fle enteiles os mais
modernos e -gostos i n tetra mente agrattaveis,
e como seo louvavel costume os es ven-
dendo baFat-einente a quem com diobeiro se
dirigir Tua do Queiiado, loja 4& Aguia
Branca n. 8.
Horas de laa :i;h-i senhofas.
Vendem-se na roa do Queima*?, lojatk
Aguia 'Branca n. 8.
M1a mosca.
la 'losa da Aguia Branca acia-se a -venda
o papal com compongan pam'dar fim as
Moseas, sendo o-modo de osar facillimo, -e o
effeito efficaz: molba-se o panel edeixa se
BcarnTom prato; e nelle pensando asuraos-
cas, entristece! muri-eai. Cusa cada fo-
iha 40 ris: ra ra do Quoimado, toja da
Aguia Branca t. 8.
Oivtrses bri a qudese cstidcuiaujnto
para erittof,
A Aguia Branca na roa -do Queimado n.
excel
No armazem de lazeiidas
baratas de Santos Cuellio
Roa do 4|nelaaado I.
Vende-se o seg inte :
Coberlas de chita lina a 35800.
DNaa de dita a 25400.
Lentes de panno oe linbo a 252"".
Ditos de dito de lidio a i.
Diins de bramante de helio de um so panno
3*100.
Panno de nhu tiro com 0 |2 palm ra icio barato prtCO de i MR) a vara
llrainanle de linln fino c m 10 palmos de lar-
pura a 25500 a vara.
Pecas de rambraia etm -lpicos Irant- tal
cores com 8 i|2 vara< a 15500.
Pepi d- (amblar ;.mascada prpria para
cortinado de rama c m 20 varal 110
Italia- do arcos a 25--C0, :i. 35310 e M.
Leiios de cambraia lina a 2c6(Ki a dan*.
Ditos de dila ;. 25 a diuia.
Athoalhado de linho lin> a 2hmi a vara.
Dito de algodao a 25 ara.
Algodo eafeslado ron 7 l|2 palmos da laajm
a I52OO a vara.
Pifas de bretaiiba de rolo eom 10 varis j.r jrna
para sa,.i a :t5300.
Fil de lilibo liso fino a H Dito dedit'ccip >al|iifi" ^ l 1 vara.
Cau.braia de lilil) liu^ a 'i6" "i '
[ vaiu.
Cuilesde laatiafca le Hados |nlai r
vadosa '--.
Pecas do madapolio lin.s.-irrio feto i;.ir
pnco di: '.<, 105 e 115.
Flaoella branca lina a 600 rs. o cavado.
Dia de fore lina a 880 r. o covafiu.
Baldes d>: noitelina ,;-r.. numna a
e4#.
I Cambia;* t.' fjrro .1 '*, ; pera.
Dita tina a 15900, 65 "~ a |ica.
Gnardanapoa de linbo a .^oo a dezia.
Toalbas de alfodo (plpcdai duia a l-.
Esleir da India prepria para torra da -:.
1,5 e 6 palmos do largora por atoaos
qtn >m ooira 'pialiji'.-r parle.
Neio armatem oabren nacealra aaa .
soitirmnlii de rou a i-ila e \< >r MotMa
Varinha n 3|5 *
Vndese farinha de man i'ia.-.-.(-el;
no armazem dos Srs Taaoo lunao. r.a ; :
pelo proco cima BWTtnaadog.
Coi-oas e tercos de ornalina.
A antiga loja de miudezas a' ra do
Queimado n. 16, recebeu! hmj bonitas CO- ninas de escola trazer no braco,
roas e tergos decDrnalina, os quaes estao -vidro esfeitadas proprias para mimo.
lente vidro.
Sesti tilias.
Riqgjgsfnus cestinbas com prepares para me-1
como de I
AGUA FLORIDA
a disposigae dos bons clUMStos que os qui-
zcrem comprar em dita loja : na ra do
'Queimado n. 16,
Esponjas flnas grandes e pe-
q nenas.
Vende-se na ra do Queimado, toja de
miudezas n. 16.
liversos !>jectos.
A amiga loja de miudezas ra do Quei-
Pontes.
Ripuissimos pontea de borracha com aro bran-
co de metal para menina segurar o cabello pelo
barato prem de SOt' rs., e itnzia ."5, assim como
grande sortimenlo de todas as qualidaes para de-
sembarazar.
Escovas.
Grande sortimento de escovas oara roupa e pa-
ra cabello, parannhas e para dentes.
Lunetas e oculos,
Finfosinos lunetos deum e dous excellentes vi-'
.'-'
r


i-idlV
i-,
1 'A ^^at^
mado ti. 16, acaba de receber muitos e di- drose aro versos objectos que fazem completar o seu ocnlos com rame dos lados proprio para ijuera
i
X>353
bello sortimento, sesdo:
F"las finas de sarja da mais estreita que
ha at a mais larga, todas de vivas e agrada-
reis cores.
dem tambem de sarja
e rovos desenhos
vrada, de bonitos
sollrc dos oculos.
Totifui nhas.
Riquissimas looquinbas de ti de linho, de se-
da e de la fiara criancas.
Pata o cabello.
MURRAY & LANZAN
A agua florida de .Murrav ,.- Lan: .B
I olhala cono un: arlifo itt i. pja
cabellos, as'tem porlid ser igualada pelas ;w.

A superior agua para atlingir os .
barbas brancas e fazer conserva-Ios. os (rseos as iiiais custos.'s : conseru Rlinn
dem idem brancas, lisas e lavradas, pa- acom(nha ora rotulo que eusina a forma como mo .-e fomesse parte da premia .1 qm
droes igualmente rovos t bonitos. se d*ve ft:jiilicar- se applioa.
dem de gorguro de Beda achamalotada, j s JJ S3?r. con, um frasco .^L*"?* *Z*' r(WI,t **+
wreiif tr^i-^in^ ti irii i*muito eacorpatits, para dato de bvellas ,0, agua pr0(,rja p;a llIlipar, eabea, os frascos tc> "Jo >eus multiplitadoa ex -. aa> >s
r *Zi2^ f a i* ^ P lMndes* acompanha um folbeto que eosina o'modo como empregada como .Mligr- dr |ri, r.'nr. rndf
5Bs,senao-scrauas acierre,oanas-e patos Id., leeeda ureta.eeoutras cores pa- *eve appiicar, assim como agua balsmica, no uso do banlic 111 nmo Hiafraadi
elctricos, apparelhosde-nsital loocc pinta-iY> : iuar vestidos, colleles, paliis, etc. .0P*ataepoi para limpardentes. pelle, ...pois que h lenha fnlo
da e poroeteM donrada pura almoc. ejan-; -m o> iga ciM|mpnt# ir-las n "ires Banhas. ; .i;ir.
t e muitos oulros briroaedos de sadeir. ', J22 S Granrt<; ^moao de banhas em copos, em la- {' ;
que se vesdem baratamente : na ra du Ob bk nns. ,as defolba e em frascos de todos os tamanhos por 1
que fe lenlia (Vito ;i taiga;
mpar as gci rix^s 011 an.n,.. ., %
' .em de taa igualmente sorlidas em cores
para os ajeemos fins.
i dem de algoa*3o brancas e diversas OU- oreos menos do que em outra garle, assim cu'nio La suavidade, brilho e elasltiidj. V
ycnni'VKijaua Aguia rama o-. (tras cores para vestidos < le caita. muitos ouiros ob;ecios que nao se pode mencionar' compleicoc, depois de 5e ha\er Isv.mI.. n-
Seas preies de sed; l-ssutembar^ues. vestidos ?retos, etc, ~tT'-----------------------5----------desaparecer o desagrdav*>i aprcir nos
Novas e lind:s guarnicoes :para enfeitar, XilVi S6D1 SG^'UlldO |pannos, das sardas, do reet, ?as e !aa
sutembarqoes, vestidos [pretos,imanteletes, nBa ju Queinj-ulo lis 49 55 lea de cast;J d*' bulires, e tl vig0. frrvcaai a
etc., obras do muito gosto emodemissima. n :.,. L ... M "... *-. Ple onde quer que se appiique. a ^ft-
Tranca de seda cora vidriihos, moldes no- laoezas de lies pollas, ^W)-'ciencia e elegancia sao igi.almenk .all>-
do
VtMe as ertidoes no Alma- Chegaram para loja do Pavio os mais rieoa-oar*
nack e Manual de SadO do Dr. Atver,-que tes de vestidas de-cuibraia iranpa-r-eole cos os
se distribue gratuitamente nos luea-ies tule ma!s d+'<*tos bandado* de daToreate* cores a ^oe-
btjentlMn-OSilwneflios. de que tew vindo ac.mercado, ^aramiado-se o e-
Lste remedio t o fruetc de longafe labo- rem araMa fazenda enieto.< suffloiemes pra.cfreirs,
liosas eKiperienias, e ha ahiindantee (preuae corpne ma-ogas. a eadem-se i.eo.barato pre^o de'
500 iet o par.
A Aguia Branca quer acabar Ofwr. a por-
g-ao de m^ifs pretas -de-seda para senlioras,
e apesar de muito mnior pre o ^we-ifte cus-
uram eo !om estado *3i que atada eslao,
oomtudo es resohrida -a vende-las a 5OJese mui boniio6.
pis o par.,'<:flm de que Bogoem aves calce i dem idem ds cores
, eias ptacdealgo!o,.ag( ra pis-s apro- i moldes e agradaveis cor
'veitareina.tj'tiadra e o\r;girem- e /rua do! Botoes para-os mesm
miudezas de lies portas, est quei-
maado ludo bom e barate, quem qui- ?efe"noso?mque*rpm
tambem-de bonitos zer ver e admirar vcoham loja do la orno estimlame t intiiipli ata oa-
s. Bigodinlro. usos e assembla noarnaaM, BMaaa>
>s fins, sendo pre- Caixas de papel amizade, e sem ella liso e pautado dades infeccionadas, 1 a alco\a de um en-
Queimado/k>ja da Aguia Branca ia.-G. Tam tos de seda maiores e ihenoros, enfeitados a 600 rs! fermo, assim romo nm antrduto wda
todeaguma, sendo n'^io geooro. maior nMda- *?m_ veadoci, as_ brancas a \& o par,* des-iioom vidrlltos-e pendentes e oulros de di- GrH0aza^d; '^1de lU5a praleados fazendam- te para os deemoiee cauaaaoa
tas o uqog efeilo ostarem um pou tri- versas cores.
das suat; virtudes: post que eflereoida
ao publico sobo ome de Salsa panrlfia,-
composie de diversas plastas, algutsas da-s
quaes sao superiores a uve'hor salsa parri-
lha no seu poder alterante.
NUSORJL UK CJREJ1/9E AVER.
Cura promptameii'.e a astbma, broaeate,
toae, defluso, angiu, coqueluche,
pBthysica primaria, tubrculos
pulmonares, e todas as
mol-ss,lias
10501 o cad* um, ac i i-i do f*ao, 1a rua dr. tn-, % W$&**%. W W WM WMWMW
p Bicbas de-Hamburgo
'X todos os .paquetes da -Bafrpa se recebe
* destas a*r>jgas do sangue humano c -se
y^ vendeaua ^K de ter sempre cousa nova : a loja de iar-
y^ beiro rua-estreita do Bosano n. 3, aop
R da igrejo.
peratriztLiO, de-Goaia Ar Sibra.
Os esaar-vllios do 'v.u
Vendem-se nm.grande o adiado sartimen3 espartilltos -os rnats "bemeitc-s QMtrm vindo so
mercads, >do de todos os larrtanhoc pelo baratis-
simo preco -da /,. S, e G^OOii, por -teaver graaie
soniment, a loja dolPavo, oa taz 3, ImperaHz
a. GO, de Uama ^-Situa.
Vendem-se superiores meias f.nac K^lezas (kIo
'baratissimo j-r,':." de/t(0O e ."iiOOO.a duzia, dilas
de todas as qualid.ides para senhora, meninos .3
pulm*- '"ninas, na loja do Pavao, na rua da Imperairii
nares a~ ^' de ''aRla et-SHin.
dos tamanhos,
ilcaetos de do6>vruVos con aro dc;^, bfalo
* loja de miudezas,
n.-6. recebeu iKn'belIfl
Allivia ectilicos declarados.
Todas as molestias da garganta, do peito
.tos pulmrk&s pdoiu ser curadas em pou-
co lempo pelo iPEitoual de cbuoa do db.
AYPI.
A' venda rw ptinoipaes boticas e droga-
rias do imperio, e na agencia central do'
Jtio.de Janeiro rua Bineita n. {','.
Vende-se em Pernambuco:
^echiueh*
derna a 160 rs.
Duzias de penna de ac fazenda boa a 40 rs.
dem pretososvellud) tambem desortl- PeCas de tranca de laa lisas e de todas cores a
40 re.
Escovas Bnissknas para limpar denles a 240 e'
ua- :pes2"e fila de cs
rua do Queimado Srs.
sortimento de lo- Caixas com clche-s francezes, superiores quali-
netos e oculos de vidros cbm armago fina de! ^.dades a 20 rs.
ac. bfalo e tartaruga, b os est vendendo KroIde b*II>com fVpeTI ,inIra a '!.10 r'-
____ ... ... Pecas de cordao para vestidos, fazenda boa a
por.precos razoaveis : os pret -ndentes din- 20 rs.
jarope a esta leja na rua dp Queimado n. 16. Baralhos muito finos para voltarete a 200
para limpar
estreitas com 10 varas a
->*
PHARIYIACIE FRANQAISL
deRMATIRER&C,.e
RUA NOVA Nc.Ea
GRANULOS E
D'HYOROCOTYLE
DE J.LE
Resulta petas experiencias f.-iiai. u..- bulas cm
Franc pelos oais afmiados mediros /teMUMAXa-
USt O X.\kOPE f. I.CINE sao o opliiso remedio contra toriw ,< ({.-
ctss de IMPIGENA ou cnrns e ouircs iuU.w ,.- dt
pelle. al as trais inflerodas, assim com a i. -1
-u Md lili A. a Mi'iiii i> as moiJWtti atfJtMl
PtXOSAS, OS RIIKI HATISMOS rh"OIHCi '
Deposite geral em Parit, rra casa de Pin w V<
* AllM.oNVP. ru fnurhr.-Vi'h"ff '
GRAGEAS
GLISE CONT
Av.prow.das pla AcadssaJa 4* Mad.cina da PariS.
Resulta pelos dous relatnos, ad'-ptadot pela dita
Academia em 18*0 e em 1808, qu .s guagkas de
Gi.is e CONT alo o melhor e miia effica remedio
ferruginoso para curar a chlorosis (alia* fluor-albo), as
fuxoa brancos, a fraquea de comoleiao nos dona
seros, e tambem para ajudar a menitruaeo das moca.
Estas Grageas nio sao Tendidas sw ao em caiiinha*
ou iros coberlos eom rolj 1 o e fecb utos eom ama tira
levatvaT) a firma do depositario geral : LAOELON'Ys?,
taroiaceutico, rua Bourbon-Viitneuot, 19. Parir.
a 3SO r*. a lo.ia do Kavo.
liaaziubas a 320
iLaziokas a 32o
Liaimlias a i&b.
:...-::.!.'--.> um grattiVe sortimeulo das mais Anas
e mais bonitas l.ar.inlsa- matkadas rom os mais
lindor-desenbos, seodu lazenda que val.cinco tus-
tcies, -c vende-se pelo saralissimo preco de urna
pauca-o covado por ser ma.graade porcSo desta
iioda leyenda : ua loja do Pavao, Jia rua'da^mpe-
rairiz n.60, de fiama A CU va.
Laaiulis,|aiilialdiiias, s ,\t Payan vende a .320
e mrs.
(".llegaram pelo ultimo vapor as ais bonitas
I laaziabas garibaldinas com (ios de .seca, sendo U-
| dos os padKues iniudinhos 0n as .mais lindas co-
: res a imiteciao das sedas de quadrinhos, e acabanv
I se pelo liario,preco de um cruzado o covado, isto.
I p.-chineda : ,n loja do Pavao, ma da teperatriz
' n. 60, de Cama A' Silva.
Vestidos a i >
Veodem-se ortes de vestidos a Mara Pia nih
i.-irrh- bordadas, pelo baratissimo pra^o de 4l00
para acabar : na laja e armazem do Paau, taz da
lB\neratriz n. 60, de Gama & Silva.
kiaatias a IftOrs,
V,-idem-s. superior-es lazinhas Iraosparentes
I com iiit'js (ladriies, seado lisaj e de quadros, pelo
baratissimo preco de 100 rs. o covado. isto para
acabar na loja do Pavao,, rua da Imperatriz n. 60,
i de Cama Silva.
Jlanyuilos e gola* a 500 rs.
V.-ndem-ie manguitos com golas de cambraia
pelo baratissimo preco de S00., islo para li-
, ijuidar : na loia do Pavao, rua da Imperatriz o.
60, de Gama t Silva.
Corte* de chita do Patio
Vendem-se cortes de bita fraoceza muito boa
I com 10 covados a 25400, ditos com II covados a
25600, ditos com 12 covados a 2*800, islo so
para acabar : na loja do Pavao, rua da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Agasalbos para caliera de senlioras.
' Vendem-se superiores agasalbos para cabeca de
senhora ou cacbns, sendo fazenda mais moderna
Framcisco Jos Germano
RUA KOVA N. 2&,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timenlo de oculos, lunetos, binculos, do ul-
tioso e mai? apurado^osto da Europa e ocu-
lo,de alcance para rbservaces -e para os
matriios.
Queimado n. 16. Baralhos muito finos para voltarete
240 rs.
Latas com superior banba a 200 rs.
Frascos de macaca perilla muito lino a 200 rs.
Frascos e garra'linhas com agua de Colunia a
400 rs.
Frascos grandes com superior agua de Colonia a
640 rs.
U/'mlh''%i"0 Caias com 12 fraseos de cheiros muito finos a
miudezas existenti-s Sabonetes pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
70, querendo ac-1 320 rs.
A pessoe que arrematou s
na loja da rua da Imperatriz n
I or OsMp
ou siillocaiTii). Preparada nnii-am^rile por
Lannian ^v Kemp, Nova Yiik. e a \eoda por
Caors & Barban.
Juo da C. hiavii A l..
Deposito peral em PerDan'Ouci. rua to
CraiB.aB em cusa de Caros A :a*tt.->
Sensores e sentara-:
Os propiietarios da nova lija e armazem i.-1 a
zendas e roopas f ila< na raa di lm:r.stri R
de Guimaraes <.V Irado, a.-abam t 1 I
1 precos de suas faz.-n-l-.s mam *i lar
que em futra qualgo-r parta, afim iie aj M '1
, nheiro, assim como -ja laaziohas i ipi m:
'' sendo escuras a 200 c HO, ditas aMM 11:1a- a ;
4C0 rs, ditas transparentes coro lita- -
320 rs.
Fazemlas proprias para a fr'a.
Vendem-se as mais toallas bir.-, m a>-
da sendo escocezas as mai< moderna- .ce 1
ecbiu
cha
Vende-se r*cadinho rancez a 200 rs. o covdo,
por ter grande quanlidsde, esta-se acabando : ai
rua da Imperai i u. o, oja da porta larga, de
Paredes Porte.
Aeha-se
Argolas para qnadros, duzi 1 a 240
iBalea paca vestidos, libra a 700 rs.
(Brinco:,,pretos a balo, duz a a 3.
Botes pretos rie osso, prozs a 120 rs.
Bico de bloude largo, vra j 500 rs.
D;o de dito estrello, a 120.
Dko Hito dito eslreito a oO rs.
Babados para taaUas, vara 1 80 rs.
(kirdas para viola, duzia a 1:0
Clcheles em caixinbas, duzi t a 360.
Ditos tai caixinbas, da trra duzia a 800 rs.
Colhere* de ferro, roza a :i 300.
Ditas de ehumbo para sapa, luza a 400 rs-.
Ditas de alto para cha, duzia a 240.
Franja de algodao de cor para loalhas, vara a ; Becs'de"chor'e anno'a 16O rs"
I i-,-n.- I r+
Frascos com essencias para tirar noduas de roupa rVS/LT^V 5 S f*,'flH
. nnn .. oo,is na rua da Imperatriz n. /2, de Guin
S Irmo.
Saias lioriladas.
Vendem-se as mais b .n : ta -,nh
do bastante largas e aaulo bro l> n :
ratissimo preco de Oaii.o t- 7.
Vestidos de larlalana moii
com Narras de core- borJ.iia- ;- lia -..r.
os mais modernos que u ni viada tvi
I

Venoem-se no Recife em casa de Caors 6.,|ae ,em viDdo n?st?F"ero ao mercado, pelo ba-
Barboza a Jo3o da C. Bravo d C.
Obra imprtame
Diccionario biblicgraphico portoguer, por lono-
cencio Francisco da Silva, eontendo em sete gros-
sos volumes todos os escriptores poi tuguezes e bra-
sileiros amigos e modernos. EEdicia de Usboa, tin-
ralissimo prego de 35 cada um : na loja e arma-
i zem do Pavo, roa da Imperatriz n. 60, de Gama
;& Silva.
Chales de renda a 10. m. i:;, 20)$ e 2o, na
loja do Pavas.
Vendem-se cbales de renda preta muito finos a
10 e 12, ditos de linho a 15,5, ditos de seda de
linho dos melhores que ha em cbales de reuda a
20 e 25, ditos brancos de tres ponas a 69, isto
a f-'enila na iivraria academice, na rua do Impera-
dor; na do Sr. Nogueira, junio ao arco de Santo
Anicnio ; e na lypograpiia imparcial, na rua es-
treita do Rosario a eompiacao de (oda a legislacao
lendecze administrado, arrecadai;io e fiseali-
sarao ios dinheiros de orphAos defunlos e ausen-
tes, Ik'-r.'r.-as jar entes, legados, etc., cooteodo DV
s o repmiento de custas e a lei geral das execu
c/5s, como lambem (odas as ordeos e avisos do
governo, q*>. a tudo lem explicado, lano a resuci-
to das obriga^jes inherentes ao cargo dos difieren-
(es empregado* de justica e fazenda, como dos di-
reitos nacionaes e emolumentos que sao devidos.
Este livro eontendo mais de 700 paginas em ntida
impressao e bom papei, e preslando-se a utilidade
de dlferentes classes, lorna-se recommendavel.
Sea cusi lojOOO por cada exemplar em dous
omos.
%
da em 1862, impressa em bom oapel e (ypo : a
venda, na livraria acadmica, raa dj Imperador [s na loj e armazem do Pavao, rua da Imperatriz
numero 79. D- 60, de Gama a Silva.
MICHO.
A
Sellins inglezes com borrenhas e lisos, silhoes
p..ra montana de senhora tambem iguaes, chicotes
para carro e cabriolet, e para monlaria, todos de
baleia, fundas com eiaslicidade para ambos os la-
dos, e onlros mullos objectos inglezes, e brides" de
Ipojuca : lodos estes objectos vende-se na rua da
Cadeiado Itecife n. 31, loja de selleiro.
Vende-se urna escrava crioula maga e com
habilidades : na rua da Penlia n. 17, segundo
andar.
Colla da Baha superior
Tem para vender Antonio Luiz de Azevedo C, no seo escriptoho rua da Cruz o. i.
40 ris.
Dita de dito branco para toa! as, a 60 rs.
Dita de seda, vara a 200 rt,
fita de laa, peea a 200 rs.
rita para coz, |>eca a 160.
Pcaoo de cores, (le^a a 160.
Kiv, las para collete, duzia a 320.
Fila ae retroz preto e de corea, pega a 280.
Fivr|a. douradas para caiga, dazia a 500 rs.
Fita coas clcheles, vara a 100 rs.
Linhas d.- carrllel de 200 jardas, Alexander, a
40 ris.
Lapis, duzia a 100, 200 e 210 h.
Lsmparinas de seis mezes, eaiiinha a 40 rs.
Latas, libra a 1.5800. 1
Linha de peso, meada a 60 rs.
Obreias de massa, caias duziala 100 rs.
Pentes de massa par", alai cabello, duzia 35
Ditos de dila dito a 500 rs. i
lleuda de lil, vara a 20 rs.
Suvelas para sapateiro, masso a
Suspensorios para e.-crolos, um
Trancinha de laa e seda, pega 80
Tranga preta com vidrilim, vara
Dila de seda, pega a I80I'.
Dila de laa de cores, pega a 240.
Voltas pretas a Maria Pa, urna vi.
;.<<.
ii *.
I) i-
i 120.
Com loja rua do Crespo n. 17.
Recebeu de Paris sedas em corles mui-
lo superiores e beissirjos padroes, o
B chales d renda pretos para 10*..
Este importante estabelecimeulo lorna-
se recommendavel ao bello sexo pela va-
riedade da raiendas soperiores e bellos Wk
gostos
proleja o bello sexo ao Villar
e verao todos a prosperidade.
wh a k r m usm-n m
Luvas de Jouvio.
a loja de miudezas na roa do Queima-
do n. t6, resebeu-as por este ultimo vapor,
com entre- LylUlUTOS.
na loja de Na rua Direita n. 84 ha para vender cylindros
Paredes Porto, rua da Imderatriz n. j>2, noria lar- americanos para padaria, chegados ltimamente
ga, jun.o a padaria francesa. da america.
E outras muitas miuderas lambe
lado, que pela grande quantidade
descrever-se.
ii em bom es-
o pojsivel
Ciiegueni aos corpinhos de
Vendem-se corpinhos de cambra a
me ios a 4J e o}, esio se acabando :
cambraia.
a 500 rs.
Frascos com cheiros de todos os precos a 160,200,
240 e320.
Prascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
Duzia de meias muito finas para senhora a
45800.
Gollinhas muito linas para senhora a 200 rs.
Caixas eom soldados de chumbo para meninos a
160 rs.
Pegas de fila de laa para debrum de vestido, com i venJ<">-* -lo barato j.reci de !>5, HSK
10 varas a 600 rs. Maulas de sida para limarm.
Ditas de bicos superiores, para acabar a 600 e Vendem se as mais lindas inania- As -e-
800 rs. bonit-m leiid-i de l-ia-as cures pew baralis-n
Pedras de lousa para meninos a 160 rs. ; prego de lViOO, 15400 : Mi m* m* -
;ja de fazenda- na roa da ln-perairiz r>. ~,i.
Guimare- A; lra>ao.
linlariobos da linbo para honras.
Vendem-se colarinnos de Hat para laa m
sendo os mais modernos melhore* joe ha aa
mercado pelo baralissimo preco de 55500 e fi a
duzia.
Cbales de merino esUittados a 2-j.
Vendem se bonitos chales de aatla e.! i.Tij.a-
dos pelo baratissimo nrego de 25, ditos Bas* le
todas as cores a .1*800 ,< V?, dito* linos send.j
tampados a 65500, 75, 75-500 e 85.
Cambraias braaras.
Vendem-se pegas de cambraias brancas a 1M,
35500, 45, 4300 e 55, ditas muno linas ; .
urna vara de largura a 95 e 105 : ato -i na .
loja de fazemlas t. rua da Imgeratnz n. II, aa
Guimaraes & lrmo.
Kisetdos escotteies.
Veodem-se os mais bonitos risca;., aaCM
para vestidos de senhora e propnos para nsaat*
de menino- a 260 e 280, ch;U3 fianr zas arfan
e claras a 2iO, 260, 280, 300 e 320, ditas tai
muilo linas a 360, 400 e 44C o covado: su> .-> m
nova loja e armazem de razendas na roa da i.a-
peratriz n. 72, de Guimaraes & lrmo.
Camisas fraaee*as.
Vendem-se camisas fraocezas a 15500, 15800,
25, 25500 e 35, dilas com peito de ccr a 29
25500 : 15(0 so na loja de Guimaraes A Irmio.
Vinho do Porto superior em natal de dui.a,
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Ase ve-
do & C, no sen escriptoho roa da Cruz a. I..
Caixas com bonit?s estampas para rap a 100 rs.
Capachos eomprdos, boa fazenda a 500 rs.
Grosas de botoes pequeos pretos para caiga a
100 rs.
i varas de cordac de espartilho a 20 rs.
Novelas francezes com 20r jardas a 40 rs.
Pegas de tiras bordadas a 640.
Duzias de meias cruas muito fortes e superiores a
35500.
"~1fiTli
0 VILLAR
Vendem-se duas escravat recoihidas, de ida- Vende-se um sitio em Bemfica a' margena do
de 23 a 24 annos, excellenle conducu, engommam rio Capibaribe, com bastantes commodos para urna
perfeitamenle e fazem lodo o servico (.* urna casa :, grande familia : tratase ua rua Nova o. 24, das 9
na travesea do Carrao o. 1. Doras as 4 da urde.
<
DOCE
Vende-se de caj em calda, laraaja. abobora e
grozella a 500 rs. a libra : na roa da feazata-aova
numero 1.
.ILEGIVEL


IM
Diarfo nc Pernambuco Sabbado 4 de .\ovembro de *

N. 11--Ra do QuemadoN. 11
A loja de faiendas de Augusto Frederico dos Santos Porto, acaba de receber um mili-
to grande e novo sortimeuto de cortinados bordados para cama de uoivos a 30>, 405, 155,
505000, 605000 e 705000.
Lidas mantas para gravata, de variadas cores, a 15300 e "2J.
Oachinez de la de diversas e bonitas cores a 35500 e 45-
Ctales de guip, fazenda a rnals moderna, a 165, 205, -iif e 2o.
Rotondes de guipo, tambem os mais modernos a 260.
Colchas de seda de cor para cama de noivos a 535 e 605.
Alcatifa de linbo para salas, lazenda larga, boniu .e de muita duragao, a 600 ris
covado.
Tapetes grandes e pequeos, com ricos deseohos, para sof.
Saias bordadas para senhoras a 75, f*5> 95 e 105-
Capas e soulembarques de seda prela para senboras.
Bonets, chapeos e chapeliinas para senhoras, dos gostos mais modernos.
Chapeos elegantes para senhoras, a ii.
IVcialias de linissima bretanha de linho a 75500.
Laziuhas de quadros a 320 rs, o covado, setim de Paris a 700 rs. o covado, e cara-
traas francezas de cores a 500 e 700 rs. a vara.
Casemiras de quadros, moire aulique pretos e de cores, pannos e casemiras pretas,
grosdeuopole preto e de cores, esguioes, silesias e cambraias ee liuho, sorlimeuto, de divt-r-
>as fa;.endas para lulo, chapeos de seda para homens a 95 e 105, chapeos de sol de seda,
Mudos manguitos brdalos, e outras muilas fazendas que se vendem por precos razoaveis,
inclusive
Esteiras da India para forrar salas
4':v-,.-'" ^
IJU i lili lili 11 JJ
i AS CmLWJDMlSAM.
No uWmo vapor vindo da Europa
Superiores cortes de seda de cores o que tero vindo a Pernaoibuco de rnelhor gosto
ein seda.
Assim como mais algumas fazendas de bom gosto para vestido.
UVA DO crespo m 13 &
LOJA DE ^
Antonio Oorreia de Vasconcellos e 0. m
38tl^M fa-ngr^^fti.^S^ \ gS sagn^aflBasafcV.%2*
CORTES mWl SE25.4
gararn pelo paquee uglez riqnissimos cortes de moreantiqae de cores, e seda lavrada pa-
_'..:: Bte D0V0S.
Seda de quadros por 1^000 o ovado
5RA D0 CRESPO-5
Gregorio
i*acy do Amara! ."fe Companhla.
L
ENCICLOPDICA
i Rna da Emperatriz armasen
porta !a'a;a &>9.
unto a padaria fradecza de
Paredes l'orto.
N'r-si- estabeleciraeoto encontrar o respeitavel
bliconm 'ariado sertimento de fazendas france- 52, junt-i;
..--. inglezas, saissas e all-.ii.iies, que se 'venderflo
.-, .i c immodo.
Paredes Parlo

..
Paredes Porto
Recebeu pelo nltimo paquete francez ricas lias
granadinas com Ibres de seda a 400 e 500 rs. o
covado. eslo aeabando-se, cambraia prela para
luto. Porta larga jauto a padaria franceza, a ra
da Imperatriz u. 52.
Paredes Porto
Vende um completo sortimento de fazendas
brancas, com sejam madapolo a 45300, 35, 65 e
10?, pecas de algodio por barato preco, chita fran-
ceza a 240, 280. :)-20. 3U0 rs. o c.ovad), precalias
muito fina* a 360, V)0 rs. o covado, chita iogleza
a 200 e 2i0 rs. o covado. Una da Imperatriz n.
padaria franceza.
Paredes Porto
Vende gangas de cor propria para roupa de me-
ninos a -'20 rs. o novad.), riscalo francez fino a
g>5S^'
AO RESPEITAVEL PUBLICO
A tabella abaixo publicada serve de base de precos,
tanto deste arniazein como do armazemprogressivo pa-
teo do Carino n. 9, principal armazem ra de
dor n. 40.
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidade aos seihores de en-
henaos, lavradores e mais pessoas do centro, que paramis facilitar suas
beraram os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir todo> os s
mentos em um s annuncio, pelo qual o prego de um ser de to
oos que nao infringiremos a labelia que abaixo vai publicado, annunc
por um preco, 3 na occasio da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em outras muitas casas, porm uos dossos estabelecimentos nao
aioda mesrao com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seu
serito tam' em servidos como viessem pessoalmente fuzendo-nos o favor dej
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo t
pela qual se ver os precos tal qual antiunciarmos, o que senao arrepender pessoa
pois poupar mais de
alguma que fizer sua despenca em nossos estabelecimentos;
5 por cento na sua despeza diaria.
nbora e homem a !*, ricos cortes de cambraia
1 ai cues 1 orto bordados de 18$ a 7?, por ter um toque de mofo,
nm completo soritmenlo de aasinhas a estao se acabando, na ra da Imperatriz n.52, iuu-
e 28Q r.i. covado*, nam acabar, cambraias de t0 a padaria franceza.
1 _:! ,--. ,1 eova I riscado escossez para ron-
ineinno, fustao de linho a 420, 400 e 500 rs.
I ratriz n. 52 junto a nadara francesa,
la p ra larsa.
Paredes Perla
para cortinados para cama franceza a
' 1-3 1 eea cambraia lisa fina a 35 53 al 10.3 .1
orles le tarlatana de bonitos i: -ros 355O0
cambraia com flor de seda, gostos inteira-
nv 1 OO n 300 rs. o rovado.no armazem
1 ''i : irg i n. 52, w.:\ da Imperatriz junto a pa-
franceza.
Paredes Porto
mi 1 elfintimo ii-i'i"'! um sortimenlo de
izes com pedraspara opescoco, bonitoscaxineis
a 1 ara p SC050 de 81 nhora. Roa da Imperatriz
'.'. arroaz m J. porta larga.
Paredes Porto
Ven le cortes de gorgorita 1 reto para vestido com
..! is ci la um 355OOO, grsdenaple preto a
I30 25 o rovato, lias lizas finas a 100
. :'. 'a i- de quadrinho para vestido, enfes-
. i 320 rs. o covado. ltua da Imperatriz n. 32.
wazein Oa (torta larga.
Paredes Porlo
Ti-iii para vender |ior prero oornmodo, pecas de '
. linho cun 10 aras a 75, 85, panno de
r lencoes a io e 700 rs. a vara, braman-
hubo de 4 larguras a 25200 e 25300 a vara.
Paredes Porlo
Ven le corles de car! . stos a 103 e 125, ncus vestnanos para menina
aino, lieos cortes de cambraia Mara Pia a
205. tarlatana branca e de cora 640 e 720
vara, llua da Inij^rairiz armazem da porta
n. 52.
foupa feila
Ra da Imperatriz n. 52 armazem da porta lar-
into a padaria franceza, encontra se ueste es-
oi nto D n complet sorlimeuto de paletos-
0 armazem da arara esta fi-
zeudo liquidado detodas
as palidades de fazendas,
na rua da Imperatriz u, 56
Lonrencn Pereira Mendes Guimaraes, dono do
uraiiite estabeleciinento, ten resolvido vender as
fazendas por menos do que em outra qualquer
parte, menos :I0 por cento.
Cambraias brancas lisas a 3#000.
Vendem-s- cambraias brancas lisas a 35000
35300,45, l#30O, 35, 55500 e 05, lapadas a G5500
e 75 : .Mendes Guiiuaraes.
Chales di; merino a 2^000.
Vendem-sc chales de merino estampados a 25,
merm liso a 35H0O.
Gubeitures de alyoiio
Vendem-se cobertores de aigodo a 800 rs., di
tos bons a 15600, 25 e 35500.
Cambraias de tima s cor
Vende-se cambraia de urna i- cor a 320 rs. o co
vado.
Saias bordadas
Vendem-se saias bordadas pelo barato oreco de
75UO. v *
Cortes de cambraia
Vendem-se os mais modernos cortes de cam-
braia bordados, sendo fazenda de costo, a 105000 e
125000.
Itiscados escocezes a 280 o covado
Vendem-se riscadoi escocezes a 280 o covado,
tiras bordadas a 15, ntremelos a80e 15-
Lazinhas a 220 rs.
Laazinbas flna3 a 220,210, 280, 320, 360 e 400
rs. o covado.
Cortes de cambraia
Vendem-se cortes de cambraia com barra a 35
M.tlTTfilCrA
Manteiga i gle/.a perfeitamente flor che-
gada ltimamente de I.oooa I,loo rs. a li-
bra, e em barril ter abatimento.
Manteiga franceza da safra nova a 8Go rs.
a libra e ein barril ter abatimento.
BANHA
Banha refinada superior a 64o rs. e em
barril ter abatimento.
CHA
Cha axim de prmeira e superior qualida-
de a 2,8oo rs.
dem hyssen o mellior neste genero a
2,0oo rs., e sendo em porco ter abatimen-j
to, tambem lia proprio para negocio de ~ a
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de 1,800 a 2,5oo rs. '
a libra.
i
Impera-
Receberam Gregorio Paes do Amaral & C. mais um completo sortimeoto de
Fili l'UETO
Manufacturado em Challes
Points
Algeriennes.
Rotondes.
Africaines.
Annamites.
Pompadoan, etc, etc.
Desde 105000 a 800(>0,
IIAl*OS % i:\B0ilV10
Novo modi'll4r chapeos ingleza de liuissiini pulna para sendera con ama
ampia banda de tifo de cores.
CAVA
de lia preta e de cores proprias para luto, ou passeio pelo diminutissimo prere de 10$.
Seda matisada em pecas
padrees modernissimos que faz o effeito de um vestido de subido preco. Assim coao :
ricos corles de moireantique brancos, ce cores, de gorguro lavrado de Bbnd para c-
same :to.
Magnificas grinaldns e mantas.
Colchas de seda portuguezas.
Cortinados para cama e janellas.
Camisas bordadas,
e outros muitos objeclos para noivado.
COKTKS E TAWLMJTAMA
com enfeites de cores da mesma fazenda, o que ha de mais moderno.
CACHENEZ
de muitos bonitos padroes e feitios differentes.
E outras muitas fazendas por preces commodos que venden
Gregorio Paes do Amaral & Companhia.
5 RUfi DO CRESPO 5
compras deli-
us estabeleci-
os, promette-
ar os gneros
se dar isto
|i fmulos que
mandar seus
rks urna conta
Serveja
Superior serveja Bass dos) melhores fa-
bricantes, como sejam: Sliler; & Bell. T. F.
Ashe a 7,5oo e 7,ooo rs. a da: ia e a 7oors.
a garrafa. Tambem ha de )utras marcas
como seja: Victoria e Alcope a 3,ooo rs. a du-
zia e a 5oo rs. a garrafa.
Vinagre
Superior vinagre de Lisboa a 2,ooo rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ha
mais baixo para 2oo rs. a garr fa e l,ioors.
a caada.
Azeite done
Superior azeite doce de Lisb ia a Ooo rs. a
garrafa e a 4,(Joo rs. a caada.
Maesas
Macarrao e tal icrira a 3G0 ri, a libra e a
o
o
Uhcmilos 15,000 rs. a caixa.
Latas com superior biscouto inglez de di-! Passas
versas marcas a 1,2oo rs. a lata. j Superiores passas a l,5oo
llalaehinhas ; 5,5oo a caixa de arroba hespa
Latas com bolachinlns da acreditada fa- rs. a libra.
brica do beato Antonio, proprias para dar a ^
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata. GE^TEBR/L
dem com qoatro libras de bolachinha de Genebra de laranja verdade
soda a 2,ooo rs. a lata. duia e l.ooo rs. ao frasco.
QnAS Genebra de dolanla verdalleira a
^ J rs. afiasqueira e a 5Go rs. o f
Queijos flamengos chegados no ultimo uoin je Hoiianda ein botija
vapor a 2,5oors., tambem ha do vapor pas- da ums.
o quarto e
hola e a 32o
a a lo,5oo a
6,oo
rasco,
a ioo rs. ca-
sado a 2,3oo rs.
CHOCOLATE
Garrafes c-'m i i garrafas Hollanda a S.ooo rs. o garrdfo. Tambem'
Chocolate hespanhol a l,ooo e l,2oo rs. |n ^arrafoes com 5 e 14 garra!is'de 3,2oo a
- e s ibreeasacos, d.! todas as {nulidades, cal- e 35o00, ditos sem barra a 258oO cada corte, Men-
eolletes, ceronlas, camisa, grvala?, meus, des Guimaraes.
ol, ditos francezes para cabega, por
.; (tiiiniocilos, roupa para menino e outras
is Fazendas por precos commodos, armazn
0 | rta lar^a
Chambre?
Vendera-se chambres para homem a 45, e s
para acabar, peitos de liniio a 900 e 15, lencos de
linho finos a 500 G40 rs, colariohos de linho a
Ni ursino e-labelecimento encontrar o respei- oO rs., camisas francezas a 15400, 15800, 25000,
. publico, sempre uui completo sortimeoto do 25240, 2550!) e 25800:
s Lourenc/) Pereira Men-
i ')'' leilas de todas as quaiidades, como Rejan des Guimaraes.
ro de alpaca pr^ta ede edr, ditos Bobreeasa^j
| 55, ditos de bnm parlo a 25800, 35 e '
, i), ditos Anos a tf, ditos-metas cazemira a
'' 5300, 45 e 55, ditos cazemira siesos a 65, 75, 85
05, ditos sobrecasacos a 10 e 125, ditos de pan-
:; ceos a (15. 85 e 105, ditos sobn-casACo? a 125
-: j, ditos Je merino preto a 65, 75 e 10, eal-
de bnm de diversas finalidades a 15800 a 45,
brancos a 25500 e 6500, ditos cazemira 55,
>> h 75, ditos pretos a 55, 65, 85 e 105, ditos
caz miras a -'15 45, coletos de diversas
. !-, seralas francezas de nlgndao, ditas de
. ditas de bramante a 25 e 25500, carnizas de
"11 d" linho franetzas de 25500 e 35. Gran-
d echinena neste geuero, grvalas de todas as! -,7^- -------------------------------------
ladese brancas para casameato, grande sor- Ciliares Royer on colares auo-
nto de meias parajenhoras, ditas para homens \ linos
aperii res a 35300 e 45- para facilitar a dentici) das criancas e preserva-
i: complet 1 sortimenlo de chapeos de sol de j las das convulses.
ica a 35, ditos de seda a 35, 75, 105 e 11-5.' O fhz resultado obtido immen=as vezes pela
rraaeezes para cab ga, grande sortimenlo prodigiosa forca magntica dos colares Royer, nos
casos de convnlses, o dentico das crianzas, tem
altamente elevado o sen bem merecido prestigio,
e hoje j< se pode dizer que eslo geralmente con-
c..s de cambraia para bomem a 25 a duzia dT- ceima*io<, e estimados de innumeraveis pais de
,, imho rt i^ e 55. i familias : de uns ponpie do uso dssses salutares
Grande mtimento de roqpa para meninos e ou-! a}*nt *iram sa,v,,s d0 Per'R seus charos fllh-
tras muiusqoalidadeaqne seria enbdonno m-n. | "''os e de outro? porque coiheram daquelles tao
Corles de fu
Vendem-se cortes de laa a 35, 35500 e 45500;
. .Mendes Guimaraes.
Cbilas para robera
Vendem-se chita? para coberta a 240 rs., france-
za a 300 rs. o covado.
Cambraias de cores
Recebeu-se um grande sortimenlo de cambraias
de cores que se vende a 300, 320, 360 e 400 rs. o
covado.
Casemiras
Vendem-se casemiras a 15280 o covado, finas a
25240. 23500 e 35 o covado.
libra, francez e suisso a 1,000 rs. a libra
e portuguez a 800 rs. a libra, em porcao
ter abatimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Velbo Secco, Lagrimas do
Douro, Maria Pia, Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a 1,000 a garra-
fa e 9,000 a 12 000 rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a ioo c 5oo rs. a garrafa, e a 3.ooo,
3,5oo e l.ooo rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 6io
rs. agarrafa ea 1,500 rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
ancoretas de 8 e 9 caadas a 2i,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
Caixas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa e
7oors. agarrafa.
CAF
Caf do Rio de 1.a e 2,a qualidade de
G,8oo a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
ADO
;o
6,000 rs. cada um.
VELAS
Velas de spermacete a 600 h. a libra.
dem de carnauba de lo a 12,ooo rs
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
PEIXE
Peixe em latas j preparadp de l,ooo a
l,2oors. a lata
ALPISTA E PAINT-
Alpista e painco muito noto de 3,8oo a
4,ooo rs. a arroba e de 14o 160 rs. a li-
bra, j
CHARUTOS 1
Charutos dos mais acreditados fabrican-
tes, como sejam: Joo Furtido da Serrias,
Manoel Peixoto da Silva Nelto, Castanho &
Filho e Brandiio e de outifos muitos. os
quaes vendemos pelo mdico prego de 1.600,
2, 2,8oo, 3,3oo, 4,500, e 5, Licores i
Licores francezes e portuguezes a l.ooo e
l,4oo rs. a garrafa ou frasco
Hoces
Doce da casca da goiaba1
quenos a 7oo rs. e de 5o ca
a 64o rs. o caixo.
Frats
Frutas em calda e era latjs fechadas her-
mticamente, muito bem enieitadas, conten-
do pera, pecego, ameixa rainha Claudia, a
DE
AZEVEDO FLORES
Kua da Cadeia do Recite, esquina da 3Iadre de Deas.
Grande sortiraento de fiteadns por ataca o e a pllho. e oh cea^leU mi
ment de roupa fcita, de casemira cdeluim, l*nle ^tr neies ie ra
outra qualquer parle: quem duvidar venha ver
CAMJQAB
de lindas e finissimas casemiras escuras e claras, de superior casemira preU de fctrt
brins brancos e bom brim pardo.
PnleOs
de superiores casemiras escuras e claras, de lina alpaka branca, de superior aloeka ro-
ta e de brim pardo. ------
Col leles
de boas casemiras pretas e de cores c de lino brim branco.
CAMISAS
Superiores omisas francezas de 2> al B.
Ceronlas.
Ceroulas de superior bramante de lino linho.
tildes.
Superiores balos de arcos para meninas de 2 at 12 amos.
dem superiores para senhora.
Grvalas e inanias.
Superiores mantas para pescoco de homem, as mais modernas do mercado.
Nadapolo.
Madapolo bom a 8& 90, 100 e 12.
Chapeos de sol.
Superiores chapeos de sol de seda balo a 105.
Fraques de casemira.
Fraques de casemiras, preta, escura e de cores claras, e nao havenlo que un*
ao freguez raanda-se fazer por medida e com muita promjdfo.
Todas estas fazendas por precos insigmlicantissimos, pois o Oto do BjI"k> ad-
quirtrfreguezes.
LOJA DO BALAO
DE
AZEVEDO hincha
NO
e caixoes pe-
xes para cima
Sabo maca de primeira qualidade de 18o; perche e outras frutas a/oi s. a lata.
a22ors. a libra e de 16o a 2lo rs. sendo ITambtm ha latas grandes j)ara l,2oo rs. a
em caixao.
lata.
31380
l'echiiicha aiiiuiravel.
Grande sorlimonto de chambres a 5600 e 5?,
ITItU-
ta-las.
Fazendas.
Vende-86 up^rior merino prelo proprio para ca
leobora e vestidos a 25. lustrn] d Cbini
(800 i) covad 1. Ru:i da Imperatriz, porta larga.
Paredes Porto.
Vi file em seu stabi'lt'Cimeiito tiras e enlremeio*
bordadas, graade sortimenlo de corpinhos rica-
w to, roa da Imperatriz no 52; porta larga juno a
padaria francjza.
! proOcuo cxemplo para i^ualmeme preservar os
Iteos. Aim, pol-, a agnia branca, tendo em vis-
ti> a nli-lailt'. eproveit desses prodigiosos cola-
res anodinos ou R>)jer, mandou vir o novo sorti-
Dent fne agora receben, c continuar a recbe-
los para qoe em lempo algnm a falla delles possa
ser funesta a certas de os achir cv.nstantemenle na rua do Quei
maflo, loja d'aguia branca n. 8.
vende se ama preta
rua do Imperador n. 2.
com habilidades : na
Uvas pelo ullimo vapor.
Peras pelo ultimo vapor.
Macaas pelo ullimo vapor
Ameixas pelo ultimo vapor.
Passas pelo ultimo vapor.
Figos pelo ullimo vapor.
Fructas seccas pelo ullimo vapor.
Fructas em calda pelo ultimo vapor.
Nozes pelo ultimo vapor.
Queijos londrinos pelo uhimo vapor.
Queijos flamengos frescos pelo ultimo vapor.
Presunto Gambre pelo ullimo vapor.
Tudo se vende barato m Rna do Imperador 40. verdadelro Principal.
lina do Qneimado n. 9, Unio e Comniercio.
l,argo do Carmo 11... Progre^slTO
RUA DO QUE MAD N. 27
cijstouio < a icva 1,110 r.
Pecas de madapolo fino francez com 22 e lia raras e com um peqowo lora dt
mofo a 83OOO cada peca. ^^
Cambraia branca para forro a 15600 a peca.
Lencos de ramhraia para homem e meninos a I $600 cada duzia.
Cambraias organdis muito lindas a 600 rs. a vara.
Cassas de cores a 26o rs. o covado.
L3as de cores muito lindas a 3 >0 rs. o covado.
Rna do Queiinado n. C?, armazem de fazendas.
ULTIMA MODA.
Paredes Porto recebeu pelo ullimo paquete um 'completo sorliiMSto e cafas
bournus decores ricamente enfeitados a 12?, |.)5e 205 : na rna da Imperatriz a. tt,
loja da porta larga junto a padaria francea.
Cal de Lisboa.
Na rna do Vigario n. 19, Io andar.
G*Z.
aro
No armazem da rua do Imperador n. 3 ou no
Caes de Pedro II n. 2, tem para vender-se o rne-
lhor gaz existente no mercado.
Vende-se um cylindro, urna masseira, urna
balanza grande e urna dita pequea, com todos os
pesos e mais ulencilios de padaria : a tratar na
rua Direita n. 21.
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descarocar
algodao : na rua da Senzala nova n. 42.
ILEGIVEL
.

CAMBRAIA.
Cambraia de forro rom 8 l|2 varas a peca a 55,
eM-se acabando : na loja da porta larga da rua da
Imperatriz n. 52, de Paredes Porlo.
uva rindo.
Prancez barrio
Portland dem
Em perfeito estado:
Prancez barrica
Portland dem
No armazem de Tas.-o I
fftjtr
11
BhIiIi.
Cbegaram os bonitos chales n
re brancos, e vendem-se na roa da
52, l<>ja da p>irt-" larga, da Paredes
Chales de renda
Paredes Porto, na rna da Impttm a. H, |
larga, vende chales > renda de cares cmb f*nia>
no mine de m ?fo. a 35500 U. fimda da fM
e 125000.



Diarto de Pernambaco Sabbado 4 de MoTembro de 4 3fc
"-
ESTABELEOIDO A RA NOVA N. 60
AO
RKSPEITAVEIi PUBLICO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe do grande arma-
se m da Liga estabelecido ra Nova n. 60 nm magnifico sortimento .'de molhados,
que sendo em sua mxima parte mandados vir directamente do estrangtiro^podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm iffiancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
L" Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
8." Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sua posicao social gozam de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condicao do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aqueltes que sao pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se Ihes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucir, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhores que compram para loroar a vender existe nm sortimento espe-
cial, escollado por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhores
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DIMIIEIRO A VISTA:
A Ghaixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
ALPISTA a 120 rs. a libra. uma.
dem e painco de oito libras para cima a e*
100 rs. i KIRSCH de Wasser a U a garrafa.
Arroz de 90 rs. a libra a........
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra.
Avellas a 2i0 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os ta-
manhos.
dem idem em potes de todos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de todos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Alhos a 200 rs. o molho.
Absyntho a 2#000 a garrafa.
B
BOLACHINHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a 1#800 a lata, e
de cinco para cima a 10700.
dem de so Ja em latas grandes a 2Q00 e
de cinco para cima a 10800.
Biscoitos inglezes de todas as qualidades a
10200,10250 6 10300.
Bolo francez em caixinhas a 400 rs. cada
uma.
Batatas inglezas.
Banha de porco refinada.
c
CHOCOLATE francez a 000 rs. a libra.
dem suisso a 10 a libra.
dem de musgo a 10300 a libra.
Chocricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 240 e 260 rs. a libra, e em porcao
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 70000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 is. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 10800 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'Havana, Exposico,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Regala, Mississipes,
Panetellos, Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
precos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 20000,
22o0,20560 e 20800.
Copos lisos de todos os tamanhoSi.de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 20500, 30500, 40 e 50.
Clices de todos os tamanbos.
Cognac superior a 10 e 10500 rs. a garrafa.
Cigarros do Ro, pardos, a 80 rs. o mago
de cinco macinhos.
9
DOCES de todas as qualidades: brasileiros,
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc.
E
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
irvadoce a 400 rs. a libra.
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra.
dem de araruta a 320, 400,500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra,
Feijo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 10.500
Farello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
LATAS com graixa a 80 rs. cada uma.
Letria a 400 rs. a libra.
M
MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 10, a libra.
Marmelada dos mais acreditados fabricantes.
Macarro e talharim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 600 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho ing4.ez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
60 rs. a libra, em caxas com 9 libras a
30500.
Miliio painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
m
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Osiras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a 10COO, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, parg<\ salmao, pescado e
pescadinha, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparaco.
Palitos para denles a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em quarto a 10400.
dem muito novas a 400 rs. ;i libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
4
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
Quartinhas ou morinques a
II
RAPE' Meuron a 10 a libra,
dem Princeza do Rio a 10200 a libra,
dem francez a 20500 a libra.
m
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 2#.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes.
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
100 rs.
Sag muito novo a
T
TOCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
V
VINHOS1
Principe Alberto, de 1831, a 50000 agar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 20 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 10500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 20 a garrafa.
Duque a 10 e 10500.
Chamisso a 10, 10200 e 10500 a garrafa.
D. Luiz a 10 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 20 a gar-
rafa.
Carcavelos a 10.
Colares a 900 rs. a garrafa ; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posico alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 10 a garrafa.
Absyntho a 20 a garrafa.
Kirsch a 20 a garrafa.
Wermouth a 20, e a caixa a 180.
Bitter Maurer a 10 a garrafa,
Vinho figueira em ancoreta a 200.
dem Figueira e Lisboa em pipa a 20500 a
caada.
Brides e picadeiras de i^2e;ln,,q,,edos
Ipojuca
Vende-se na ra do Quelmado n. 32, toja de
Azevedo & Irmao.
Lhegaram para a loja de miadezas da ra do
Queimado n. 69, os mais fiaos e lindos catangas
Unto para bnnqaedo de meninos como para cima
de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
. timento de mindezas.
Cambraias.
Parede Porto vende cambraias lisas finas, gran- de S. Pedro Martyr, em Olinda, e nm terreno onde Vendem-se palmeiras imperiaes, em estado
de sortirnenio, a 3* at 61, ditas Victoria muito se acha edificada grande parte da cidade do Rio de seren trasplantadas: no sitio morado es-
Anas, com tO varas a 6*, 6*500 e li : na ra da Pormoso, o qaal terreno estende-se da matriz al o Iqnerda, depois, do becco do Espinneiro, nos A-
Jmperalriz n. 52, janto a pads.ria anceza. I trapiche: a tratar na ra da Unio n. 37. i flicto
AO PUBLICO
Sem o menor constran
gimento se entregar
importe do genero que
nao agradar.

O* precoa da ae^uLt,
tabella p"a lodo, pu-
dendo assim servir de ba-
se para o ajuste de cunta*
com os portadores;

RA DA CADEIA
PARA BEM
Senhor' rchoras, o aceio qne presidio aos arranjos
eza com que sero tnt'l?^ envida a uma visita ao mesmo, certbs de qne sem duvida me darao
rra dos gneros que precisan r-ois serio tao bem servidos como se viessem pessoalmente, haven
Ira parte.
Alelria, macarro e
bra e 6,ooo a caixa
Massa para sopa : estrjelinha, pevide e rodi-
nha branca ouamai
Manteiga ingleza especialmente esedhida a
l,ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oors.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chooricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato a 8oo rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. a duzia.
KftVAI.
SEM SJBet!Art*0
Ra do 4|uelnaad mi. 40 e >*.
Com*fia a vend- i
declara por pMfH ilnnravn>.
Massos de palitos Usados para > un a '
Espedios e luciduras dotiiad.-;. .-
Buriel.- de oliado para nu lum i
Ditos de ci'uru .-uperior hzrMta I; r.i i>.
Francos coui .-upt nur iiula h (ba
.Meiadas de Imlia doa pata l.< i.
Caxas rom 100 envelopes, fea i
(irezas de peuiiss dta;i, (.,. i. i
Gratas de bules madrearon
> i 41 i rs.
Caixas com oO novellos de ln I
Caixas rum HMfitm oLreiss t
Pi^as de Illa Lrar.ra rlaMra ciri
Varas de franja de !a pan en'..
4u r>.
Barallius dooraea isptvltm
XciVi-lli.s le. tnili.-! ;:. l'U jari'^-
Li*n.- para iSfrBIui rte rmj l*.,i.. i
Paie de Loloes para ponhu, Ia7. :.'., i .
Tesouras para ce-tura- m;^-i ,
400 e i.
Caixas de peonas de ca!lij;raphi>,
1*000.
Massos com MipertofH |BMMH1 -;
Pares d) sapalo-O- !ri.<> < lajn I|
3 nrntorrTn n n^nr"t"'""' ,"lc' Caixas rom SDptritrts acotLa :
flnnfc..6 PreferenCia na cm- Ul" de ISa Sor.ida> itUot ,
,iut estes sejam pouco pratifo?. Caixas eoaMMriora lo para com estes toda recommendacao, afim de quenovoem h^mMfat .
H 2'i r>.
Sal rpfinnH,, nm r .. Resmas de pa.el almac.; a ?'-.00
,W frascos de Vldro COm lampa Escovas para roopa, fajenda toa i na
tesouras com toioe c- tnt
(Logo passando o areo da Concelc^o)
3,5oo a caisa com } libras.
Vinho do Porto mu

- a
DO RECFE N. 53
DE TODOS.
e intei-
deste novo estabelecimento, e mais qne todo a promDtid^o
bs de que sem duvida me daro a prolecco e preferencia
5o mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco praticos, ^'m^~Ul
alliarim a 4oo rs. a li-
ella a 64o rs.a libra e
to fino proprio para
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que vena ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e o,8oo, 6,ooo e 6,5oo a du-
zia.
Sf^T* em ancfretas de 9 canadas a Cevadinha de Franca muito nova, a 2oo rs.
o.ooo rs. Charutos do alTamado fabricante Jo Forta-
Vinho em pipa : Pon o, Figueira e Lisboa a I do
32o, 4oo e ooo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e },8oo.
Vinho branco de Lisboa de excelleDte quali-
dade a 4oo e Soo r;>. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das l melhores marcas qne
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genipino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Malvazia
12,ooo e 1 o,ooo ai
fina a 16,ooo, 15,ooo,
aixa com 1 duzia e 9oo,
1 .ooo e 1,5oo rs. a. garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duzia e 1,5oo rs,. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oprs.
Cartes com bolo frncezmuito proprios pa-
ra mimo a 64o re.
Duzias de
600 rs.
Duzias de (aras e palea de cala
Talhrres muito fino para rrianva- .-; .-'i'.
Pulseiras para u.enica> a .12! r>
Ditas e voltas para wfcaw a M
Fr ascos de A^ua Flirida v, ti.ni* I-
Frascos rom suprrvr tanha a W 3 | r.-.
.....------------ Wi-m de superior oten lialo-a > 3.1 -.
ae simas, das seguintes qualidades : Cala com l*miarr.;.> pan i
Exposicao Normal de Havaoa Imperiaes Va,:,s de ,,aljad0 dl) '""o>
Londrinos, Guanalaras, Parisiense! Sus- ^rl?sde alfBeles >"" a ^ -
nirns nplifiao i /. i V> y mUtnu de papel aaajstM a 1
piros uejicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo, Grvalas 4a eflfe, irada '.,,
b.ooo e /,oooa caixa ou em

r-.

Passas muito novas
para mimo a 3,ooors.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs. Passas de carnada
a duzia. a libra.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo, Figos de comadre a
l,ooo e l,2oo rs. a libra. | Amendoas de casca
Espermacete superior a 600 e 64o rs. a li- Milo de amendoas
bra e em caixa se faz abatimento. ^Bolachinha d'agua
a 8,000 a caixa e 4oo rs.
em caixinhas enfeitadas
24o rs. a libra,
mole a 4oo rs. a ibra.
; 800 rs.
B sal, da fabrica de Joao
Peixe em posta em latas hermticamente la- \ de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
cradas e das melhores qualidades de pei- [ bras por 2,5oo rs.
xe a 800, l.ooo e l,2oo rs. Ameixas francezas em fiasco de vidro com
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita- lampa do mesmo, a l)55oo.
das que vera ao nosso mercado a 7,ooo e Ameixas franc> zas (em caixinhas de diversos
8,000 a caixa e 64o e 7oo ris a gar- tamanhos com ijionitas estn pas na cai-
rafa.
Genebra e Ilollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueirasde genebra de Ilollanda a 6,800
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a l.ooo e ll.ooors. a frasqueira.
Caf do Bo de 1* qualidade a 28o rs. a li-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
xa exterior, a l,4oo, l,6oo, l,8ooe 2,ooo
cada uma.
.. n eias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, inlervallos,Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac ingle?, das melhores marcas, a Pone
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinlia de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte.excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandese novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinhode Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arrojo.
Banha de porco refinada a 600 rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinhado Maranhao muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,uoo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,600 e 3,5oo cada uma.
Buibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
Azeitonas de Bivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 600 e 800 rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,8oo cada uma ancoreta.
rruz>" ajK **
o <|in

Azeite doce refinado hespanholou portuguez Champagne da melhor qualidade que vem
garrafa e lo:ooo a caixa. ao mercado, a 2,000 e 3,5oo a garrafa, e
caixa.
Batatas muito novas a 80 rs. a libra e2,5oo
o gigo com 3fi libra-.
Conservas inglezas 1 a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranhao de Ia qualidade a loo Molho inglez emgai'rafa de vidro comrolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. I a 800 rs. o frasco,
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,4oo a ar-1 Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 400 rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e4,oooa Lentilhas francezas, excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesde superior qualidade a 6'to Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de uma libra e56o rs. a reta-I 13 a garrafae i 1,000 a duzia.
Iho. 'Palitos de dente a !4o rs. o maco.
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos em sextinhas a 80 rs, cada uma e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2.000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,800 rs. a caada
e640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a Soo rs. a
garrafa.
Papis de agulhas, fundo doma*. a feo.
IIATAMY4
Vende-se urna Ub. ra em aaaMa I
bem afreguezada, nn Pago da Pai
iiiMnz : a tratar nu II >-|.cn> n. 2
LOJA DD K FLGR
Na ru* do Qhcri" b 63.
Tem receido om sGrlini'nt" d-
esio usando, de diverso gi alai
o lieija-flor.
Tendo recebido variadas paMfBaMaa >
de aijolares de diveisas ctrt.-. ral
chora de divrrs.s boipj, e mai- barato Uj
em qualquer ouira pane.
Faca e gario .
Vende-se bgrai r garfi ^ oe aakw de aataac i-
um boiao a 52C0 a du2ia. ditas i m
Ci.')U0. dila para i re a SJI00, d Ha de ral* pret
a ''lin o, dn,:> de i-abo tranco, r '.<< n .- .
3* 00.
Ttm recebido variadis sirliiriri.s d. bt
para menini de e-rola, dt loma de \.\
patinhis e rulras de diverso gi.-t qae -i. .
visla bem se pode apiiriar, r lar \ n- aar**
o leilo do hospital pirlngntz : ,a.- [>ara aaM cr
diversas corrs a ~ a litra : al Ba I njs-ftr.
Escoras para Miupa.
Vpnde-sc es.-ovas paranoia BW:l ttm ai
dirTerentes pos loa a 640 e li, dil.-.s pera dr
lO, 240, 320 e 8M r>.
Papel e envelof rs.
Vende-se pautado papel e rannha-' a '.'
dito de cor a 700 r.-., e enmveloi ^s IM l ..
linda.

DO AFAMADO JOUVIN.
Vende-se pelo prego de 25 o par luvas novas de pellica de Jouvin, chegadas no ultimo va por
para hornero e senhora : na ra da Imperatriz loja de miudez s n. 54.
--------------------------------------------------a._-------------------------------
2 5T2 c o o -1 sr"-5 S o o
"3 3=-- bS=o":
3 o a.3 d -
2-o
OB
_ a>&5 I S'2.*'9
S g-g g0 g.^
r&_ s.x aa H M O
X
-o
a

o ce w
ca-g cr-"
< n

O en O"?
-^ /-. ce a>
,M
en
O.
CD
O
9 O.ST
p, ce co
3 2-^N
3 e
S-3
co _
l^o alfil!
g-f p 3
2.g.|a Sis

Cu
: u o
Seo
O CD
ce
S
o
09
8
w 9 < 3
o o 5. 63
2 .*? 3.
9 a
i
f
2.
ct>
1
l a
o
I*'
63
Cu CD
6 "1 ^
OQ O 3
63
63
63
O
2
o
63
Cu
O
63 1
2 5T
63
SI
>
50
o
L'l
Mil
de trabalhar mo para
descarocar algodio
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAH
Estas machinai
podem descarocar
qualqner especit
de algodo sen
Testamentos em verso.
Continuara a estar venda, na typogra-
pliia dr ra do Imperador n 15. defronte
de S. Franciico :os testamentos da Gali-
nha, do Gallo, do Porto, do Leao, do Gato,
do Per, do Carneiro, da Onca Tigre, do
Cao, da Hyena, do Rato, do Orangutango,
do Macaco, do Burro e do Vigario ; a Peleja
da Alma com o Diabo, a 160 rs. cada um,
e a 100 rs, a quem comprar uma rolleccao
cem |leta ou 25; cartas de ABC, taboadas,
cathecismos, economa da vida humana,
carlillias, Simao de Nantua, Biblia da io-
fancia, manujeriptos, traslados, pautas, pro-
curaces, apudautas, lettras, conhecimentos
para embargue de escravos, despachos para
a alfandega, papel almaco pautado e pinta-
do de diversos formaos, sendo o pequeo a
30 rs. a folha, o immediato a 40 rs., o me-
dio a 50 rs. e o muito grande a ?0 rs.;
So8" bMtanu p3pel marro duas pessoas para Queno; papel para mpresso de uma s
cor grande e pequeo ; Virgilio, Horacio.
Salustio, Magnum Lexicn, prosodia, dic-
cionarioa francez-portuguez e vice-versa,
selecta franceza, e outrosmucs livros, bem
como em branco de todos os tamanhos.
Venile se uma parle e om i Mw r
Arcos, pene da igrrja dos Rea
prio para olaria por ter excelleaii> bam, -
ras quasi ludas proprias : a lr.>;.r n i
Jos Gongalves Beltru, a roa do v.jfariu i, ir t-
criplorio.
Loja da loa e m- ni(< i:
Imperatriz n. 74.
Vendrm-se neos enni j para -itera a
Pentes prelos para alisar a 250.
Ditos ce m chapa de metal ataau u i u.
E>cova> linas para Ct-mi-.- a l"i ;"
Tesouras linas para costura a :M O. 5< e l*
Meias muilo hDas para stLlura a 3Wi r
par.
Caixa rom 50 nvelos de linha do pt.a 7'".
Caixa com 100 envelopes a hoii
Caixa com papel pautado a 7(0
Hesma de papel almac gn-w ,i:;
Tinla prela para escrever aaA I I.>.
Picas e garles ne balando a >-:'-i 0 <"
Meias cruas para bornm iMi ,i> ., aar
Alfiui-les de todos os tamaa- i lio a csn.
Fila de liaba pica 0 e 120.
Cordo para vi sudo a .10 rs. a arfa.
Dito laperiai per-a 40 rs.
Caixas rom obrei'as muito lias 40rs.
Uaralho de carta finas a 240.
Groza de buio de iou;a para omisa i I:
Ditos de madreperla muito flm.- a 640.
Caixa de corxele muito basa a 40 r>.
Carlao de rorxeles nuito biris ; t'O r-.
Grvalas de >eda preta e de carai a Ufe
Jogo de wispora a 800.
Caixas muilo finas para rar> a I ",
E um completo sor,in.i-ntn de n
vendem por menos do que em ontia qoa'ijoei-
le para se apurar dinheiro.
SCBAV IDd

otrabalho; pdt
descarocar um;
arroba de algo-
do em earoct
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia on S ar-
robas de algodac
limpo.
Tasso Irmaos
Vendem do sea armazem roa do
Araoiini ii. 35,
Licor fino Curaco em Lotijas e meias botijas.
Licores finos sortidos em garrafas com rolbas da
vidro e em lindos frascos.
VinhosCberes.
Santeroes.
Chambertin.
Hermitage.
Borgonbe.
Champagne.
Musca tel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
PAeiei lagniol.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descarocam 18 arrobas de algodc
limpo, por dia; e motores para mover ama, duas
eutns deseas machinas.
Os mesmos tem para vender nm bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machina*
mencionadas; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem vr e exaraina-lo, no arma-
iem de algodo, no largo da ponte nova n.47.
Sannders Brothers C.
IV. II, pra^a do Corno Manto
RECIFE.
Os nicos agentes neste pait.
Bren em barricas pequeas.
Cera era velas de todos os tamanhos.
Bogias.
Mercurio.
Na ra do vigario n. 19, primeiro andar.
Vnde-se o deposito da ra Nova n. 58 e
tambem vende-se s a armacao : a tratar no mes-
mo pois faz-se todo negocio era virtude de um dos
socios estar prximo a sahir para fora do imperio.
Vende-se um terreno no lugar denominado
liba dos Ratos, em cujo edifica-se uma excellente
casa com tses rnas, sendo a frente para a ra da
Aurora, ao lado do norte, uma outra de nome ra
do Gymnasio, atraz ra do Seve, com 69 palmos
de frente e 280 de fundo, assim como tambem di-
vide se : a tratar na ra da Aurora n. 72.
Familia de mandioca.
TVm para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo di C, no seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
Ansenlnuse do engenho Jassirn', em
nhem, no dia 18 do crreme mez de ontni r .
mulalinho acahoclado de nome Sabino, que ;
senla ter 14 annos de idide, pouro mai- tm
cor clara, cabellos corridos, denles alvs, ,<
desfajado, levou veslido camisa de bsirrt v
calca de nscado e chapeo de rooro ; sie e.rravi
foi comprad ao Sr. Cicio de Fon.er Bangei. tou
rador em Cariris novos, pelo Sr. rapiro n
Guilherme de Barros, morador aran rl I rt"
este vendido ao abaixo assignado. O mesmo t a-
lallnho talvez se te o ha inmolado Dtro, e ra> ii-
gum combe y procure seguir para a 'ufa-
res : a pessoa que o apprehender "ti llera naquelle eogenho, ao aban s'sipnaf e
nesla cidade aos Srs. Canh?, Irmr A C. *-rs
generosamente racompensado.
Gralifeaft de aOt.
Ansentou'se da rasa n. 59 da rna do Imprradar
(outr'ora Collegin) no sabbado 16 %rn rr^nv aex
de setembrode 1865, o escravo pard^ den' me I a-
quim, com os signaes segointes : r-taiura regatar,
idade 18 a 20 annos, sem barba, pes largi.i. olbos
grandes, rabello corrido, com nma rirtri7 rraae
e bem visivel na testa, parte dos d.-ni.-- A* frni*
arruinados, e com falu de algoos i*o lados, saba
com caiga de brim pardo e paleto! turto de paaac,
mas levou mais ronpa branca e de cor, amo
astucioso, costoma intitular-se forro e andar ral-
bado ; foi esrravo do Sr. Guilherme Pred^rirn de
Soma Carvalho, genro do finado Sr romnn-nJaJ:r
Manoel Gongalves da Silva : roga-se a sos raptara
a todas as autoridades policiaes e qualqner o
pitao de campo on entra pessoa particular raa p
apprehender se gratificar com 50a\ alm das daa-
pezas de condurco, entregando-o a ? rsaor
Miguel Jos Al ves, na casa cima, tn ao xa s-
criptorio na ra da Cruz casa n. 19.
Vendem-se quatro barras mulo mansas, boas
de carga e de sella, per prego commodo : a tratar
no botel de Franca.
0 castello de Grasville.
Traduzido do francs por A. J. C. da Cruz.
Veode-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 3d00C
na praca da Independencia, livraria ns.
6e.
Manteiga ingle a
muito boa a i$, franceza a 880, caf primeira sor-
te a 260, cha' mindinho superior a 2J6O0 e 2240,
arroz a 80 e 100, toucinho alvo a 400, queijos
frescos a 2,5300, gomma muito alva a 160, alpista
a 140, painco a 120, estearinas a 680, de composi-
go a 400, palitos para denles e tijolos francezes
para facas a 120, cha' preto a 1&400, vinho do
AUenco
Achamse fgidos os escravos seguintes :
mulato, idade de 23 annos, cabellos annelado,.
barba, denles um pouco limados, serr da
testa larga, e falla um pooco demorada ; <
crioulo, j nm pouco velbo, ahora refalar, aanfer
Porto a 800 a garrafa, de Lisboa a 2*600 a cana- ^e"' *?*m alg0DS ca.be,l? bra,!!,' *"
sim como na caneca, corpo refortlo, olbo aaa
da e 360 a garrafa, Figueira a 2*200 a caada e
440 a garrafa, branco a 300 a garrafa e caada
3*800, azeite dece a 600, vinagre 2C0, gaz SOO,
farello a 4*800 a sacra e 4*, azeite de carrapato
a 440 a garrafa e 3*200 a caada : no armazem
da Estrella largo do Paraizo n. 14.
III FGVEL
tanto peqnenos, falla grossa e & veres Bapaaa
ronco : pede-se as autoridades poliriaes e ana ca-
p Ues de campo qne os lacam apprrbaader a aaa>
duzi-los a' casa de sea senhor o majur Aatnao a
Silva Gnsmio, qne generosamente recoaaaaaaaaa,
. e Ibes pagar! toda despeza que nzerem roa a aaa
Carne do serlao em garajaos de muito sope- conduc.cao : soppoe-se qne elles te.-ac ida ae* to-
rtor qualidade : vende-se na ra do Vigario n. 24, gnimento dos serioes desu provincia, por
i# andar, escriptorio, flihoi desses logares.


LIITESiTORA.
THEATRO DA GUERRA.
Em urna folha do Rio Grande do Sul l-se o se.
gninte:
A carta que em seguida vamos inserir, remetli-
da pelo chefe prisioneiro da columna paraguaya,
vencida no combate de Talar, o leslemunho mais
eloquente que podemos exhibir ante nossos inimi-
gos e aule nossos desairelos ; de que os povos ai-
liados lirmes nos principios de civilisago e liber-
dade no llio da Prata, praticam para rom o solda-
do prisioneiro que catie debaixo de suas baudei
ras, como em todos os accidentes da guerra sob
o imperio desta divisa cavallieirescaA nobresa
obriga.
t Quando custa de enormes sacriflcios defen-
demos em urna guerra sanguiuoleuta, o direito e
pui'vir do Rio da Prata, a lei mais ampia de gene-
rosidade deve proteger nossos prisioneiros.
i Buenos-Ayres, 29 de agosto de 186o.
Srs. redactores da Nat;ao.Meus senhores,
sem titulo de especie alguma e sem nada que jus-
tifique a liberdade que lomo mais que sua reconhe-
cida liberdade, venho tranquillo nesla convicgo
de que Vms. aeeitaro o favor que solicito para a
publicago deslas liuhas, com o lini nico de dar
puulico agradecimento a lodos que, generosos me
nao eslendido a mo no infortunio.
A 17 do pre:-ente Uve a desgraca, porm a
i mi a de ser vencido no campo da balalha pelo
exercito al liado, sob as ordens do general Flores,
presidente da repblica oriental, e desde enlo
principiou meu infortunio, porm, entretanto, nao
posso deixar de confessar, que elle attenuado a
lodos instantes pelo respeilo e generosidade dos
que me venceram.
Escoltado at o quartel-Reneral pelo Sr. coro-
nel Castro, so conhecia, que havia deixado o man-
do de minhas forcas, porque havia sido vencido,
no mais, gozei de tanta liberdade e considerago,
que cu mesmo duvidava de sua verdade.
< .No quartel-general nao tive a honra ae fallar
com o Sr. presidente general em chefe do exercito
alliado; porm, lano o Sr. coronel cirurgiao-mr
do exercito Dr. D. Hilario Almeira, como o Sr. cu-
ra e vigario, e mu araavel e distinct coramah-
dante, o secretario de S. Exc. D. Jos Manoel La-
fuente, e mais outros Srs. chefes e offlciaes, me
trataram com tanto apreco e generosidade, que
nao pode isso deixar de imprimir em minha alma
urna recordacao de eterna gralido.
To pouco me esquecerei jamis dos Srs. co-
ronel Zeballos, Magarinos, Abbalos e D. Goyo
(lastro, de cujos senhores receb, nos primeiros
momentos do conflicto, proteccao de todo o genero
e altencoes as mais urbanas, que me flzeram com-
prehender desde esse momento que havia sido ven-
cido por chefes cuja altura de sentimentos rae re-
cordara emquaDto vivo fr.
Queirara, Srs. redactores, desculpar-rae, e
aceitar os sinceros agradecimentos de um soldado
prisioneiro queB. S. t.-Pedro Duarte.
. A mesma folha accrescenta :
t Ese mesmo Duarte que roanifesta sua grali-
do e seu assombro pelo generosidade com que fui
iratado pelos vencedores foi o proprio que le lan-
cear o subdito franeez Antonio Charles, commissio-
nado pelo general Flores.
< Respeito a este feito, nao cabe duvida alguma,
pois o confessa no trecho segrale do diario que
levara Duarte, e que foi adiado em sua propria
carreta :
< A 4, na primeira noite Foi preso pela guarda
avangada de meu cominando um homem que ia
como a passar em suas immediacoes, e havendo
t feito conduzi ;o minha presenca, perguntando
i por seu nome, nacionalidale, ponto de sua sahi-
da, direcgo que tomava, e objecto de sua vin
a da, respondeu que se chamara Antonio Charles,
a de naco franceza. que viuha de Corrientes cora
< direccao L'ruguayana era diligencia, a cobrar
> urna divida que tinha de receber de um homem
i que existia ali.
Em seguida fui indagando sobre a fon;a da
trplice allianga contra nos, respondeu-me que
\e fallara que o general Mitre tinha em Concor-
f dta como 15,000 homens de tropa, e o general
t Paiiaero em Mercedes como 3,000 homens, ig-
t norando totalmente outros pontos sobre os quaes
c o inlerroguei em referencia ao general Flores,
t de quera Uve hoje noticia anteclpada que vinha
t nesta direcgo, assim como a situago e numero
c da torca correntina, cuja resolugo me poz em
, grao de suspeila, e que podia ser um emissario
da parle contraria, como com effsito o era, pois
t o havendo cu condemnado morte a ser lancen-
do, confessou nos ltimos momentos que vinha
das forcas de Flores, que eslava deste lado do
t arroio Mirinay, como oito leguas d'aqui, com
t 7,000 homens de tropa das tres armas.
Entre as maletas do dito finado encontramos
t urna tira de papel cora as seguintes palavras :
O portador deste passe em meu nome.Venan-
co Flores.
Uruguay, que o iniroigo pretende passar para alm
do Paran.
Se a dlviso do baro de Jacuhy ou a do bri-
gadeiro Portinho fosse mandada para alm do Uru-
guay, faria urna dlverso ulillssima, tanto mais
que por all tem corrido a noticia de que faziamos
avangar p do se alvorocou. Quando menos poderiamos reto I
mar alguma cavalhada e gado.
Itapua, depois da jornada da Restauraco e de
ser batida a forca da Urugoayaoa, para onde de";
ve convergir o nosso exercito, e conseguintemente
sua organisacio definitiva deve ser era S. Borja.
Os mestres pensaram de outro modo (sem du-
vida com rauito boas razos), porm a minha hu-
milde opinio expressarei sem que lenha a vida-
de de supp-la a mais acertada.
e O general Portinho aqui se acha t veio fazer
marchar para S. Bernardo, a dez leguas desta vil-
la, os corpos ns. 1 e 40 de guardas nacionaes e o
provisorio 31, alcunhado do voluntarios.
E' all onde organisar a divisao, nao s pelos
boos coramodos que tem para a> cavalhadas, como
porque o lugar onde lirio ter o armamento, far-
damenio e equipamento destinados a esta chibante
divisao.
Quando digo-chibantenao exagero, porque
; com orgulho afflrmo, os serranos .'orara os que na
I espontaneidade de suas reunios sustentaran) os
| crditos do nome rio-grandense.
t Os dous corpos da freguezia de Santo Angelo
lm mais de mil guardas, sao : o 43* do Antunes
com mais de 600, e o 44 do Jos Gabriel com
mais de 300.
Os 1 e 2 tm cerca de 330 cada um, o 3
tem 400, e o 40 forma cora 300, de modo que
com a forga que vier do Passo Fundo, e os 160 a
200 do provisorio de voluntarios teremos urna di-
visao de 3,000 homens.
No da 23 seguir para S. Gabriel o major An-
tonio Domingues Ferreira Bastos, encarregado pe-
lo presidente da provincia de conduzr duas pegas
raiadas para o exercito, e diversos objectos desti-
nados a S. M. o Imperador.
A S. Gabriel tinha chegado a brigada do coronel
Joo Severo, composta de dous corpos do cavalla-
ria do commando dos tenenles-coroneis Joo da
Silva Tarares e Vasco Jos Farinha, e devia par-
tir no da 16 do passado a reunir-se brigada
Fonles.
Hepresenta-se hoja pela primeira vez o Sup
plicio de urna mulher.
os diabos I
Ab I com selscen i
O que T
Da' ca' a mala I
Onde vai ?
Nao sel, mas von-me embora.
Para outro hotel f
Nao; saio de Bo dos.
Dulaurier etiega a una pequea cidade.
Espero flear tranquil o aqui.
oceupa com as pegas d Pars,
pouso e tranquillidade.
Nesse momento cliegal
o adjunto do maire.
Senhor, diz este, e-esclpeme o incommoJo.
A sua visita um i honra para mira,
ihega de Paris, nao ?
follas.
rauito que deixou a ca-
Da Cruz Alta escrevera ao Jornal do Comtnercio
de Porto-Alegre:
t De Corrientes (Alto Uruguay) consta que all
existem dous ou tres mil homens disseminados em
diversas guarnigdes do inimigo, e guarda de cava-
lhada e gadaria arrebanhados aquem e alm do
M POUCO DE TUDO.
A respeito da voga do S'tpplicio de urna mulher,
publieou o Jornal Amusant o seguate artigo, sobo
titulo de :
SUPPLICIO DE LM VIAGA.NTE.
Decididamente, disse um dia comsigo o Sr.
Alexis Dulaurier, rendeiro, a vida em Pariz in-
supporlavel. Passearnos boulevards, onde a gente
tica assado, ir de carro ao Bosque, onde se bebe
poeira, e ver continuamente no cantar do theatro
franeez o Suppticio de umi mulher, por demais
montono. Eu goslo rauito do espectculo, sou as-
signante do Tbeatro Franeez, mas francamente,
que se anda o thermometro baixasse raoilos graos,
eu nao poda ir girardiiusar-me todas as noites.
Demais, to los os theatros iterara em annunciar
-upplicios. No Theatro Franeez, Snpplicios de urna
mulher ; no Gyraoasio, Suppltcios de Paniqut ; no
Palais-Royal, Suppltcio de um homem. sem contar
outros supplicios que provavelmente eslo em en-
saios. Se eu me demorasse mais oito das na capi-
tal titava hydrophobo. Vou fazer j 6 ja1 as malas,
e ponho-rae ao fresco.
Dito isto, o Sr. Dulaurier foi para Lyao.
Que hei de fazer da noite ? Estou com von-
tade de ir ao theatro. A temperatura nao la
muito fresca mas tanto peior K" licito a um via-
jante ir ao theatro sem grande ridiculo. Levo a
mala ni mo, e passo a noite cora o bon de via-
gem, para provar que sou viajante e que estou ape-
nas de passagem nesta cidade. Vejamos o cariaz.
Com os diabos I parece de proposito I representa-
se Suppticio de urna mulher. Vou para o hotel, e
amanha saio de Lyao
Chega a Marselha.
Ja' visitei a Canebire, o porto velhoe o por-
to novo, acabo de jantar, sao sete horas e meia. Vou
ao theatro. Marselha urna grande cidade, e os
directores nao'olham a dinheiro para ter bons ac-
tores. Muitas vezes ate fazem vir de Pars artis-
tas que iuterpelram pecas importantes. Eis um
cartaz annunciado que M" X..., artista de Paris,
representa hoje... Ccos que vejo I Suppltcio
de urna mulher I
Toma o caminho de ferro, e foge pa-a Boidos
O Sr. pretende flear muito lempo aqui ? per
gunlou o criado do hotel, onde entrou o Sr. Du-
laurier.
Uns oito dias.
Posso dar-lhe ura bello quarto, o melhor quar-
to do hotel.
E' isso. Eu vou passear. Que hei de ver
hoje ?
O Sr. chega aproposito.
O que ha ?
lima grande festa.
Em honra de quera ?
De ningeum : urna solemnidade dram-
tica.
Qne solemnidade ?
E' bondade sua.
Depois de algumasj
Sim, mas" nao ba
plal ?
Nao.
Muito bem ; entoj
obsequio.
*- Com muito gosto.
Eis o caso.
mulher 1
Sim, e foi para n
que eu vim para aqui.
Levamos o' scenaj
E' a melhor de minhas Binas. Doce, iutelli-
genie, laboriosa e corapassiva, nao fallando de sua
belleza que anabaes de ver, e que um perigo para
urna pobre crianga como ella; mas nos a estima-
mos especialmente e nao sahir ella d'aqui seno
para ter arraojada como merece.
Vbssa apreciac|o, Sra. superiora, para mim
urna garanta perleiia.
Posso saber, Srl baro, em que esta menina
; vos interessa?
Esta gente nao se Sou neo, orpbijo tambera, e teuho a honra,
Aqui acharei re- Sra. superiora, de per-vos a mo de madmoiselia
Helena B...
Que dizeis!...
pode fazer-nos um grande
-r
pe que se trata ?
'!
Vos queris...
A razo de mi ilia escolha bem simples.
Minha mi, que perd o auno passado, e que era a
mulher ruis encantadora e mais digna deste mun-
do, fra escolhida porimeu pai em condigo multo
modesta. Durante 35'annos fui ella o anjo da casa.
Meu pai quando eslevo para morrer recommendou-
me que flzesse como elle, isto que casasse com
urna mulher como ramlia rai e eu creio, nao po-
do que receber de vossas
der fazer nada melhor
mos, para companheirta de minha vida, a araavel
Vio drama Supplicto de urna menina que acabaos de dizer-me ser a Blba mais
cara ao vosso corago.
o ouvir mais fallar delle, | Tocada at as lagrlra is, a boa superiora fez vir
ao locutorio a orpha, q je chegou muito admirada
esta comedia ; venho em e corando,
nome do maire, que anibia as artes, pedir-lhe que Querida fllha, dis
nos d alguns conselhos sobre a mwe en scene. Em hornera honrado a quen
urna palavra, convidan: o-lo para o ensaio geral, e que deseja esposarte,
que boje. E' escusado pintar a
S tia daqui, quando nao, sou tal scena.
Um mez depois o S
residencia em urna aldea. Helena B... e consider
Aqui que eu tei ei descanso perfeito. Nes- liz dos homens.
la residencia rustica na i ha theatro. Mas nao : l O asylo das orphas r cebeu um donativo magni-
vejo um saltimbanco qt e se prepara para a festa Bco, e cada urna das coi panheiras de Helena leve
Miseravel I...
capaz de mala-lo.
Dularler lixou a sua
e ella; este senhor um
informei das tuas virtudes
Tu coosentes ?
^mogo e attrativo de urna
baro de X... esposara
se desde ento o mais fe-
de domingo.
Meu amigo, voc]
ma mulher gigante
gente, nao ?
Ah I nao, senhoi
a sua parte na distribt igao de preciosos e uleis
naturalmente mostra algu- presentes; algumas for ira mesmo dotadas e pu-
u l a buena-dcha a esta deram esposar artistas} honrados e Irabalhado-
res.
Deste modo a felicidad^ de urna fez a felicidade
de todas.
Esta simples historia
somos gente seria ; nao
fazemos isso ; eu e miaba familia estamos ensaian-
do para domingo um grande drama.
Como se chama ?
Supplicto de urna mulher.
Dulaurier cahio para tras e nao se levanton! ras ?...
mais.
Esta va morto.
lo consola do triste es-
pectculo que nos foroet era tantos mancebos que
se arrumara e avillano eom impudentes creatu-
B
Nao ha bora obreiro da penna que nao saiba,
quem ero Paris Miguel Levy.
Um dia enlrou urna senhora em casa de Miguel
Levy, e disse ao caixelro :
D-me o conhecimento de Deui, por Fe-1
nelon.
O caixelro deu-lhe o hvro pedido, e ao mesmo
tempo apresentou-lhe um catalogo dos romances
mais moderno.
Agradego, disse ella em voz suave e sem in
tengao de se fazer notavel, nunca leio romances.
Do outro lado do mostrador eslava um sujeito a
folhear um livro. Voltou-se para traa e pergunioi
com a voz um pouco trmula:
A senhora solleira ou casad t Perdo, se
urna indiscrigo.
Solleira, respondeu muilo admirada a admi-
radora de FeueloD.
Pego-lhe, pois, Que receba este bilhete com
o meu nome e morada, e se o meu nome e a mi-
uha posico convierem a seu pai, espero delle o fa-
vor de ra'ocommunicar.
O pai da inimiga de romances colhea informa-
goes, e soube que o sujeito era advocado, ja' co-
nhecido, ja' no caminho do renome, de excellente
familia, e o que anda mais, rauito estimado de
todos os que o conheciant'.
Aceitou-o para continuar a tradigo das ternu-
ras paternas, e a que nunca tinha litio romances
est agora as primeira paginas daquella, cojo
prologo foi esbogado ero easa de Miguel Levy.
O Commercio do Parat publica a seguinte car-
ta de um voluntario dm da a sua namorada.
Mochila do meu corag >. Desde que ouvi os gri-
tos de alarma da patria, tive de alistar-mevo-
luntario unto continuai lente no polvarinho do
meu petto, accender-se o norrio da raais perfilada
saudade, e o xadrez da m nha vida trespassada pe-
ta espada da desventura.
Na tariraba da minha alma so dorme a idea da
nossa separago, q^e a ca a alerta do bater do co-
rago, vero dispertar o sen
res.
As metralhaado cume
meu peito, quando tenho a
inella dos meus peza-
labrazaro e despedagam
idea de perder-te.
A noite, depois-do cansai o do manejo, ologue-
te de congreve da minha maginago voa ligeiro
para cravar-se no-leu lindo rosto r
Vejo as escirvas dos le s olhos. fazendo sobre
mim aquella descarga dos
xou-rae prisioneiro em tua
ugo o sibilar dos teus se
teus suspiros, e a corneta na tua voz chegar aos
meu ouvidos, doce como o tVque da alvorada, tudo
paca apertar mais os correi unes dos meus sonr-
en entos I
Sinlo horrivel batalha no :teumhelro desta cabe-
eus afectos- que dei-
enda I
rrisos, o rebombar dos
ca;. quando nella se apreseot
belleza, que com a vrela de i meus desejos, final-
mente coosegui fazer capitu
Nao fazes idea, mochila de
custa viver-se bombardeado
a bala do destino vera arranc
dos sonhos do futuro I'
o quadrado da la
ir.
roiuha alma, quanto
ela ausencia, quando
ar toda a infantaria
Ha pouco tempo nm mancebo de maneiras aris-
tocrticas descia de um sacro a porta de una des-
sas santas casas em que as irmes de S. Vicente
de Paula estabeleceram o santuario de sua cari-
dude.
Aqxii para mim tudo tnistecoraoo marche
marchepara o combate.
(.?.nulas lagrimas desaudailes nao tem dispara-
do da coronha dos meus olhos
despedidado tambor de n
Ferem-me as bayonetas do
quaitfos toques de
eus labios f
cuidado quando me
mado desertor tenha
Pedio que quera fallar a superiora, e depois de lembra 1ue talvez "f"" desa
Ihe annunciar a intengo de fazer um donativo a cravan sob os ferd'-
coramunidade manifestou desejos de visitar o esta- 8los narooro
beleciraento. Nao posso mais; est a ras jar-se- o cartuxame
Percorreu com attencib recolhida esta simples ,ja n^oha paciencia; e a quet
morada, cujo luxo consiste no asseio e na paz, e minha coragem; e a espinf
demorou se sobretudo na eela de trabalho. pen> feer pontaria para esses
Ahi eao redor de urna grande mesa costuravam quar le dos meus deveres, d
urnas vinte orphas, recolbidas desde a mais tenra guanta do teu peHOi
Oeeaganle visitador examinen minuciosamente' Mas se teacbarqua
rar-se o escudo da
arda do meu deses-
lados, esquecerei o
rererindo a quente
a modesta physionomia destas jovens obreiras to
simples em seus vestidos quo ingenuas em sua
compostura.
ma deltas, sobre todas, despertou a sua medita-
tiva attengo, e quando acabada a visita enlrou elle
com a superiora, no locutorio, disse-lhe :
Quem aquella menina rosada e loara a
quem recommendastes o corte de veo T
E' urna filha de honrados artistas qne foram
rendida a pega ntroiga de algu
n audarloso recru
ta, ento o vers convertidas imterrivel chbala,
as dragonas dos meus amores, |iara possuir a usur-
para o do meu acampamento I
E a esse roiseravel levare!,
beijo da minha espada, que cotjio oAmazonas
tambem sabera' o por a piqoe.
Mas nao, Deus ha de permit
bandeira branca sempre nos
como despojo, nm
r que a bonanzosa
luctuar; e ope
arrebatados pelo cholera em 1849; chama-se Hele- alerta me esperaras para ser nos cingidos pela
?a B... bondade na ventara t
E vos estaes satisfeita com ella ? Adeus. A toa guarita.Joao Bertrao.
FOLHETIM
o dehomTdo jogo
POR
HENRIQUE CONSCIENCE.
XII
(Continuagao.)
Mal seriam oito horas da manha e j o signor
Deodati alravessava o Kipdorp em direcgo mo-
ra n> do Sr. Van de Werve.
O velho negociante caminhava lentamente, com
os olhos quasi sempre no chao e meneando de
terapos a lempos a cabega como quem ia em pro-
funda preoecupago. A dr traba ento dado lugar
em sea rosto o despeno e ao descontenlamento; e
se as vezes um especie de sorriso falso se lhe de-
senliara nos labios, era s amarga expresso de
desilluso e de colera.
O criado qne lhe abri a porta introduzio o em
nm salo e disse que ia dar parte a sea amo.
Deodati, sem dzer nada, assentou-se em orna
cadeira, melleu a cabega entre as raaos e ficou to
perdido em tristes pensamentos, que o Sr.Van
de Werve appareceu diante delle sem que de tal
dsse f.
Bons dia-, signor, disse o fldalgo flamengo,
saudando-o. A que devo a honra de urna visita
to matinal? Ha algnma noticia do nosso pobre
Gernimo?
Mas noticias......mis noticias, Sr. Van de
Werve, disse o velbo, suspirando e com lagrimas
nos olhos. Queira asseniar se aqni ao p de mim
porque estou em extremo anclado e este estado
nao me permute levantar a voz.
Com effsito, acho-o paludo. Sente-se incoo-
modado?
A minha commoco tem outra cansa, mas
nao menos grave, disse Deodati em tom tris-
te. Antes de hontem, o signor Turen declar u
aqui qae Gernimo perder ao jogo urna somma
consideravel e fogjra do paiz para escapar minha
justa colera. A pesar de ser sem limites a confian-
ga aue tenho no signor Turchi, nao podia crer na
verdade da sua revelacao. Quiz procurar nos
livros de commercio de meu sobrinho provas da
sua iogratido ou da sua innocencia. Passei urna
parle da noute a contar e recontar dez vezes; por
que o implacavel resultado do meu atractivo cal-
culo era to aterrador, que o meu espirito e o meu
coracao repelliram por multo tempo a conviego da
triste verdade; a quantia perdida ao jogo por meu
insensato sobrinho urna qoanlia enorme.
Que diz I exclamou o Sr. Van de Werve;
ento o signor Turchi nao se enganou as suas
snspeitas ?
Dez mil coroas 1 disse Deodati com um fundo
snspiro I
Dez mil coroas I dez mil coroas I repeli o
Bdaigo flamengo, ergueodo as mos para o cu;
parece impossivel; dez mil coroas fazem urna
fortuna I
Pois a verdade. Falta na caixa justamen-
te a quantia de dez mil coroas e falta exactamente
a mesma quantia nos livros, sem differenga de um
penning. E nao ha um escripto, nao ha nm apon-
(amento qne diga o que foi feito desse dinhei-
ro. Sanio, portanto, da caixa sem ser para nego-
cios commerciaes, e como Gernimo disse ao sig-
nor Turchi que tinba tido perdas consideraveis no
jogo, temos de sojeitar-nos, com vontade ou tem
ella, a triste verdade. Dez mil coroas I Ji nao ha
virtude nem lealdade no mundo Um rapaz que
creei como se (Ora meu Blho, que m amava eom
cega affeico, e para coja felicidade totora queria
trabalhar al a hora da morte I..... E ver pagos
assim tantos affeclos t Acredite, senhor, qne esta
m
iogratido vara-me o corago como urna puoha-' para a minha familia um estra ho e uro desconhe-
lada I i cido, como se nunca o tivesse
0 Sr. Van de Werve olhava para o laclo e per-! veltw Deodali olhou Para
refle- com 'hos hmidos e pareceu
, revogago da ioQexivel senteni a.
-lhe a mo e disse-
O Sr. Van de Werve aperto
Ibe mais sccegado:
Mas, senhor, seja razoavfjl e nao se deixe ce-
I gar por resto de affeigo. Que
Sobre o combate de Riachuelo escreven a IUus-
tracao Franceza o seguinte :
O Riachuelo nm arrolo que se tanca no Para-
n, e d'ora em diante o nome desse regato perten-
ce a' historia ; pois em frente de sua embocadura
re logar um sanguinolento combate entre as for
cas" naraes do Brasil e as do Paraguay.
No dia 11 de junho de 186o, pelas 9 horas da
manha, a esquadra brasileira ancorada em Cor-
rientes, avi-iou oito vapores paraguayos rebocando*)
seis bateras fluctuantes, armatias cada urna de um
rodiiio de calibre 80.
Com o favor da correte e com toda a forga do
vapor, a es (uadra paraguaya passou rpidamente
pelos navios brasileiros, que lhe lizeram fogo, e foi
collocar se em reute do Itachuelo.
O lugar era bem escJBk ; o rio cortado por
Ihotas e bancos de areia a' flor d'agua, ah divi.'
didoem muitos canaes estreitos.
Na raargem esquerda, muito escarpada, os para'
guayos tinham estabeiecido urna balera de 22 pe-:
gas, que vomilou balas e metralhas sobre os vapo-
res brasileiros ; nos flancos da batera, abrigada
por barreiras e estacadas, rail soldados paraguayos
romperam ao mesmo tempo um mortfero fogo de1
raosquetaria.
Depcis de um combate encarnigado, que nao
durou menos de oito horas, quatro vapores para-
guayos fugiram para as Tres Bocas; os oulros va-
pores da esquadra foram meitidos a pique ou inu-
tilisados ; as baleras fluctuantes cahirara era po
der dos Brasileiros; cessou o fogo da balera de
trra ; mais de 1,200 paraguayos Bcaram morios
ou feridos.
Esta brilhante victoria custou mais de 300 ho-
mens ao Brasil.
Os paraguayos bateram se com bravura inaudi-
ta ; o almirante Mesa foi morto, e o commandanle
Robles, ferido e prisioneiro, foi transportado a' c-
mara do chefe da esquadra brasileira, que com
suas proprias mos pensou a ferida do sea inimi-
go ; mas e>ie, por ura rasgo de herosmo selvagem
arrancn com os denles as ataduras de suas feri
das, nao qnerendo, disse elle, sobreviver a' sua
derrota.
Mereceni menso alguns dos episodios do com-
bate.
A corveta brasileira Jequilmhonltn, encalhada
n um baneo, logo no comego da acgo, ficou imnio-
vel debaixo das bateras de ierra, e at o per do
sol, e nessa critica posigo, nunea affrouxou, seu
fugo ; crivada de balas, abrindo agua por todos os
lados, foi iropossivel safa-la, e os proprios Bras>lei-
ros a incendiaran} na ncite que seguio-se ao com-
bate.
A canlioneira Belimonte recebeu 2& balas no cos-
(ado. Mas a scena mais terrivel foi a que te*
lugar a bordo da canhoneira brasileira Parna-
hyba.
Quatro vapores paraguayos, o Paraguary, o Ta-
quary, o Mrquez de CHinda e o Sallo, dirigiram-se
contra ella ; o commandante fez proa sobre o Pu.
raguary, e obrigoa- ir encalhar n'uma ilna.
A Parnahyba foi ento assaltada pelos tres ou-
tros-vapores, abordada por tres lados ao mesmo
lempo; seu conves fe i ioundado de soldados para-
guayos,, travou-se ento urna lula formidawel, cora-
batase corpo acorpo, com bayonetas-e macha-
dos ; os Brasileiros disputavam palmo a palmo o
convez de seu navio ; os canhoes, tornandb-se inu-
leis, havam immudecido ; rios de sangne corriam
pelo convez ; os marinheiros Brasileiros, agrupa-
dos na proa, combatan) com desespero.
Bendet-vos I ciaraava-lhes nm oficial, para,
guayo.
Nunca I respcndeu-lhe o commandante,. e a
carnificina coiiiinuo'.i.
Um joven oflicia! Brasileiro combata com ura
charuto aceso com os-olhos filos no commandante
esperara o signal convenciooado ; tuina recebido
ordem de langar fogo ao paiol da plvora & um
aceoo do seu chefe,. e era para curaprir essa mis-
sao suprema que conservara -preciosamente o fogo
do sen charuto.
UaaofBcial paraguayo poe mo ao pavilho e vai
arranoa-lo.
O commandante d o signal ; a ordem terrivel
vai ser executada, quando resoam grilos por traz
da Pa"nahyba :
Viva a marinlia brasileira I Coragem I eis-
nos aqui I
Eram o Amazonas e a Belmonte que corriam
em seccorro da Puriiahyba.
O commandante Barroso hesita ; langar borda-
das era correr o risco de sacrificar os seus ; aco-
de-lbe urna inspirago : transforma ousadaraente
o Amazonas era ariete, e precipita-se com toda for-
ga sobre a Taq/nory, que com ura s embale, Bca
fra de combale ; arremessa-se tambem sobra o
Salto, e depois sobre o Mrquez, de alinda.
Esse soccorro inesperado lauca a confnso entre
os paraguayos- que baviam invadido o convse da
canhoneira : sao todos morios at o ultimo.
O Taquar}/. foge, os dous ouiros vapores sao cap
turados ; uro delles, o Salto, tendo soflrido muitos
rombos, duas horas depois desappareosu as
ondas.
A Chronica de New-York para dar urna idea do
eslado uv desmoralisago era que se achara os ho
mens d negocios e alguns advogados daquella ci-
dade, publica o seguinte :
Durante o vero passado um eropregado de um
banco de .New-York roubou lOOcOOD pesos fortes
caixa ; foi ter com um advofado e lhe diss* qm
eslava arruinado e deshonrado, pois qoc se Rm
lioham perdido 100:000 pesos fortes, qoe pira sal-
var a sua honra pensava em soicidar, na* qat
sempre o tinha ido consultar para ver como oaeoa-
selhava.
O advocado qne era esperto, depois de o ouvir
voltou-se para o cliente e sem disfarrar a aspere-
za da phraze, lhe perguntou como se nao livesse
ouvido bem.
A quanto libe o que V. S. roubou ?
A '100,000 duros.
Dsse dinheiin anda ihe res a algnm.
Mera um real.
Mao : nada irapede a V. S. para se por a
irabalhar ?
Nada : que devo fazer ?
Vulte V. S. outra vez ao bacco e roete oa-
tros 100:000 duros. N
Para que ? J
Para salvar a sua reputago, e evitar ame
maudem a V. S. para a cadeia. Onm os lOOjsW
duros que V. S. roubar, amaobaa arraaiarei e sea
negocio cora o banco. Apresenlar-roe-bei aMi coate
lio de V. S. muilo afllicl>, e Ibes fare crer ase
sou pobre, porm honrado. Offerecerei 50,019 pe-
sos para que ludo se esqoeca e o banco aceitara.
pois crera' que mais valle isto do |oe perder loeV
Arranjado o negocio licam 50,000 daros, reparti-
remos entre arabos, e V. S. coco 93,000 daros po-
do retirarse dos oeg>cios ou torna hw a eoeaecar-
0 cliente segnio ponto por ponte os eoaeePaes 4o
advogado roubou outios 100,000 duro* e ei
gado arranjou o negocio como liona
elle embolsou-se de 25,000 pesos, e o
fez um capital de l2-'>,0l-y pesos, e aoje peana pi
um cavalheiro moiio importante ( .lew-York.

risto.
o irritado fidalgo
querer alcangar a
deshonra nao seria
maneceu por algum tempo absorto em
xoes. Depois disse em tom grave :
E' bem desgragado, signor Deodati, e com-
prehendo perfeitamenle a sua dr. Como estas
cousas sao possivel I Hoje todo velbacaria e;
, fraude. Gernimo pareca a incarnacao da virtu-
j ... i u j ,. para o meu nome se eu conseitisse que entrasse
de e da lealdade; viva com lana economa e tinha ,. ._,_ ,._.. _L ,___._____.._.
to bom comportamento, que quem o nao conh
: cesse bem toma-lo-hia infallivelraente por um ra-
paz pobre ou por um avaro principiante. E esse
tranquillo, modesto e providente mancebo vai per
der ao jogo dez mil coroas que sao do seu bemfei-.
,__. n nome de i ho a um homem qu ia nao posso esti-
torl Oseulouvavel comportamento nao era, por i .'...-
______. .. mar e que devo despresar pela ngratidao com que
consegrante, senao odiosa hypocnsia. .K ,,. a ^
' procedeu para com o seu bemf-itor t Vamos, con-
E, comtudo, fflormurou o velho" italiano, a fesse qae ul unio de ora a^ao,e in,possivel o
alma de meu Infeliz sobrinho era pura e affecluo-! nunra raais fatiemos n'isso. Entretanto, queira
Nao poderia ser um momento de erro que o | continuar a honrarme com as suas visitas de mi-
i no gremio da minha familia un homem que tanto
| se ennodoon ? Havia de confiar a felicidade da mi-
i nha boa e nobre fllha a um humera que nao pode
ser afiastado de um jogo criminoso por beneficios
1 recebidos durante toda a sua vida f Poderia dar o
sal
cegassef Quem sabe? O homem enconlra as
vezes falaes tenlages que o arrastam irresistivel-
mente, mas a que nao suecumbe seno urna vez
na vida.
Mas ento porque bavia de fugir e decla-
rarse culpado? Nao, raen bam amigo, nao; para
taes erros nao ba desculpa. Sinto viva indigna-
cao s em pensar que se possa corresponder aos
maiores beneficios com a mais fra e a mais cruel
iogratido. A* vista dos sens pesares, nem quero
fallar no ollrage feito a minha Blba. Felizmente,
a minha familia tem nm nome bastante puro e
sublimado para poder resenlir-se de tal acto de
-desagradecimento; mas, Sr. Deodati, espero que
concordar comigj em qae de ora avante nunca
mais se deveri fallar de casamento entre minha
filha e seu sobrinho. Se elle apparecer e obtiver
o sea perdo, a minha resolugo ser Inabala-
veL Desde hoje o Sr. Gernimo para mim, g
go em quanto permanecer em antuerpia.
O negocame meneou tristemente a cabega e s
respondeu passados alguns instantes:
Ai de mim I devo confessar que est perdida
toda a esperang de ver realisar-se lo honrada al-
langa. Que feliz existencia a que Gernimo jogou
cegamente em alguma partida de dados I Agrade-
go, Sr. Van de Werve, o oflen cimento que me faz
da sua cordial amisade ; mas lo posso estar mais
tempo nesla cidade. Hoje mes no pedirei ao signor
Turchi o favor de encarregar- >e da liqmdago dos
negocios correales de minha casa em Antuerpia.
Agora, que ja nao tenho no i modo de quem cui-
dar ; agora, que ja alo sei para quem hei de tra-
balhar e poupar, nao quero continuar na vida com
mercial. J del ordens para metler provisdes na
minba galera U Salvatore. E partirei logo qne o
vento seja favoravel.
Tem razio, senhor a volts a sua bella pa-
tria ha de contribuir para o esqaecimento desta
desgraca.
Deus sabe (gando lornarei a ver a minha pa-
tria I respondeu o velbo, suspirando e erguendo os-
olhos para o co.
Pois nao vai para Italia ?
Nao, senhor; vou para Inglaterra.
Procurar seu sobrinho. Com effeito, o signor
Turchi d lugar a pensar que Gernimo escolneu
essa ilha para refugio. Admiro o seu amor sem
limites por um homem que lo mal Ih'o paga; mas
oli.e qu carece de descanso. Abrace o meu con-
selho; (rale de ir ji para a Italia e nao abrevie a
sua vida com as commogdes que o esperara talvez
em Inglaterra.
O cooselbo provavelmente bom e bem fun-
dado, raurmurou pensativo o velho Deodati; mas
nao posso acceita-lo. Por muito culpado que seja,
Gernimo o Albo nico de meu fallecido irmo,
a quem prometa i hora da morte velar pelo Albo
como nm pal. Se desamparasse completamente
Gernimo nao vlria a perder-se impellido pela ne-
cessidade e pela miseria, no caminho do vicio e
talvez no da infamia ? Quero cumpnr o meu de-
ver at ultima extremldade. Se ji o nao po&so
amar como at agora, quero ao menos lirra-lo de
urna perda completa, que depois seria irreme-
diavel.
Que generosidade I disse muilo admirado o
Sr. Van de Werve. Pdr-se a caminho para procu-
rar seu sobrinho, arriscando talvez a sua saude I ...
Ah, que estou a adevinbar que o sen perdo sera a
primeira palavra que elle ouvlri da bocea de seu
to. E ser assim pago tamaito sacrificio e to
magnnima affeigo I E' horroroso I
Nao, senhor, respondeu Deodati; nao lhe
concedere o meu perdo. Gernimo nunca mais
ser o que foi para mim. Se o encontrar ou se
elle rae procurar, dar ihe-hei nm rendimeoto an-
imal para o livrar de necesidades ; depois renun-
iiegveU
Averiguou-se de novo qne ea pi nieole
nava a ierra se eleva dous ps em cada
ma do nivel do mar.
Km Gudmundskaer, em 1670, o l
ao ohvel da agua, em 1742 nona subido
to de metro, e em lsi:; eslava a oteio metro *r'-
ma da superficie do mar.
Igual observagao foi (cita na Noruega, eeaV a
altura media da agua em 1865 de
das abaiao da a tura narrada eos 19
que serve de hydromeiro.
Alm dwso, tem-.-e encontrado argolas eafcrra-
jadas que servirain em outro lempo para a amar
raco de barcos, o qne fkara boje a grande distan-
cia do mar.
Qje a gente morra de cholera, de
xia ou de ura aneurisma, comprehende-se : mas
morrer de amor I
Todava, coci o nternatwmal que foi isso o eje
succedeu lia peuco em urna aldeia prxima e We-
tberal.
Urna criada, por nome Sarah Maxwell, tiafca-se
enamorado seriamente de uro individuo chamada
Wiliiiiin Chambers.
Ha alguns dia urna amiga de Sarah patlteipoa-
Ule que Willia ii Hulla rasado.
Sarah nao quera crer; ma amiga lasistio coa
aquella crueldade que cenas reuiheres satam bem
empregar as suae penaos is confidencias.
Pois bem, respondeu com fneza a pobre ra-
pariga, fallemos era outra cousa.
Em 30 do mez passado coneoceo-se 3arh da
triste verdade.
Declarou-se logo a febre, nac lardn qae e olhar
se- tornasse Bxo, que se manifesiasse detirio e ees
seguida convulsoes.
-cada instante proferia a infeliz o nome do ho-
mem que tinha amado.
P noite expiro*i. sem ter soleado nm
nem urna palavra severa contra o-qne I
pouco o seu amor.
Johnston, excellente aclor do itvalr> de Cuy-
road, tambem seria excellente f reatara se eostassa
menos da pinga.
Ha pouco, sahiodo do theatro,. foi a ama taber-
na vizinha, e urna hora da maaha entrn em
sua casa, segundo o costme, soBrivetmeate espi-
riiualisado.
A mulher da-Jolinston, qu- ero sempre tem pa-
ciencia de cor-Jelro, tecebeu. -<* marido eom maos-
raodos e pregou-lhe asperruno serino.
O actor deixou-a- fallar a vontade, e qmni
que a sua azuda metade au linha mais nada a ac-
crescenlar as- repreheni-oe* dadas, asseetoa
geslosamenle lodo o peso do corpo sobre os
nliares, improvisou urna postura trgica, e disse
em voz pouco firme :
Senhora, fique enHadendo para sembr qac-
a mulher nunca deve esquecer que le sjeje, mab
a este pobre mundo per comer do que neoaun bo-
rneen lhe fez nem far- nanea por beber I Eela. Mr-
tisfeita,. senhora Blha de Eva ?

Os trabajadores do tunnel do moa* Ceas ea-
conttaram urna caroada de quarizo xireroaeasate
dura, e contra a qual se quebrara o> uk-iraeaeato
destinados perfuracao.
Este obstculo imprevisto pode retardar legan
do se clenla, a lerminago da Unba larrea da
Pranga a ti a Ha, nns qualro anno.
i
ci a todas as oceupages I e retiro-ate
para uro conveoio, at qne, no seto do reealbimra-
to e da Iranquillidade, seja Deus servido chamar-
me para si.
O Sr. Van de Werve jnlgoo ouvir abrir-se a por-
ta da ra e disse com precipitar o ao vela aspe
ciante:
Minha filha foi a igrsja; pode -**Tfr a cana
de repente. Pego-lhe qne nao falle
diante della. Desde qae o Sr. Geroasm* i
receu, cifra-se a sua vida em rasar e -
impolenle eontra a sua dr. lao ba i
possa consola-la. Sa lhe eseaafassamee a i
arraocando-lhe bruialmeaie Inda a i
na talvez o suficiente para aula-a-----]
que isto ? O signor Torea! I Que Pae
ceo?
Simo Turchi enlrou e qniz fallar; mea
que as palavras nao queriam sahir-la di
paron trmulo no meio da sala,
menios iniotelligiveis. Eslava palMo
defunlo e tinha os cabellos arr>p4ados.
Deodati e Van de Werve olharam
ra Simo. que Ibes apptreeia em tal agiiaeao.
Por fim disse este com ama preeipKaeae a des-
va rado -.
Fui a casa do jniz ordinario e aia a i
irei. Mandei que o procuraseem;
aqu com os seas agentes. Ha de ir i
jardim. Ah I terrivel a noticia aae ir
eodoudeco; eodoudeco I Nao posso i
brelndo ao Sr. Deodati. Infeliz I pan qae
reservou Deus a sua velhiee I
Mais urna desgrana? Diga, seaaor, fePJe; pe-
go-lhe que diga todo t disse Deodati sapaicaate a
tremeio de ansiedade.
fTwimiar-er-aag
PBRNAM8UCO -Ti?. Di M. F OB F. 4 fWW



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EX6UNJKOZ_TO3AOC INGEST_TIME 2013-08-28T01:27:24Z PACKAGE AA00011611_10810
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES